Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12182


This item is only available as the following downloads:


Full Text
MQ JLll. NUMERO 6.
m
PABA A CAPITAl E LUGARES MTOE IAO SE PAGA POTTE
Tor tres-raezes adiaotados af 4
ftrsek-dilosidan-........
or nm anno *dem........ m
Cad awmero avulso, ..... "x 320

I
SECUNDA FEfRA 10 DE JANEIRO DE 1870.
,PAM DENTRO E FORA DA PROtBfCIA.
Por tres rr.czes a&nrtfju
idem. .
Por seis di los i< _
Por opve ditos idem
Por m anno idem ....*.

Propredade de Manoel Egnaira de Faria & Fhos.
BAMBUCO.
i

AO VENTEE "
Os Srs. Gei* Antonio Alvos Filhos, no Para ; Goncalves d Pinto, no Miranhao ;. Joaqun Jos de Oliven no Cara ; Antonio do Lerao, Braga, Aracaly ; JooMaria Jobo C*v. no Ass ; Antonio Maques da Srlra, no Natal : Jo*
Pere.ra d'Almeijb. em Mamanguape : Antonio Alejandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da P.nha; Bclanrinodos dantos Bb.cSo, em Santo Antlo; Domingos Jos da Costa Braga,
________________________^_ em Nazarelh ; Francisco Tilvs da Costa, em Alagos ; Dr. Jos Martios Alvo, na Babia ; e Jos Ribeiro Gaipn-inho no Rio de Janeiro.

MARIO DE PERNAMBUCO
EC1FE, 10 DE JANEIRO E 1870.
Noticias da Europa.
:ogou sabbado dos portes da Europa o vapor
Iranecz Ama:ane, trazeudo datas : do Hamhuigo
-. de Paria 2i, de Londres 22, e de Lisboa 27 de
zccibro ultimo.
cfuo.Ailocu\iio do santo padre.Primara
rc*tuo aera! nu dia (1 de Janeiro.
'nxit^.K.Pnbiirarrio do Itvro azul e do litro
Hptrello.Circular dogovarno sobre o concilto.
^ftat/o fiuanreiro da Frawa.CotUiniuia
crine Ministerial.
utesha.Contina a agitaco na Llanda.
Heforro pai a a Manda.
taua.Novo ministerio ; programma adminis-
trativo. Prorogudas as cmaras at Ia de f-
retro.
Skwamha.Aindn nao ha re.Alguna agilacdo
efubUcanH.Segaciacies para um tratado de
.auuiwieio caire a Inglaterra e a llespauka.
}*w>HA,Comspiraces em. Moscou: e outras cida-
les.Est Ihm o principe de Gortsclutkoff./-
1 imas retares de amisadc entre a llussia e a
Pmi"a.
SSiA.Sais armamentos.Corre que o conde
'" Uitmitrk ser -nbstiiuido por Delbruck.
AcDCttlt.Discurso do imperador na alicrtiira do
'idttvalk.liefti'indo-se a insvrreiciio da Dnl-
nova pionudbi cjnlcmporisar.Crise minisle-
ic.:..\'jtt'taio das piulidos.A insurrciruo da
lulmacia esta mais socegada.
na.O l.hedne aecetta o firman do sultiio sem
Ses.hun e ranal de Suez.
m khii .K.E.1 trtstt da nensmmn do presidente.
'I congresso ivndemna todos os que repudiarem
i divida ii irional.Questao do reconhecimento
O'is iiisui-jrulrs de Cuba cquui beligerantes.
as,iirucan na Hacana.
ra \\..Herniado da ministro da puera,esita
'ixWuirtO.Mtuucwsu carta do conespon-
Mfc.
COXCILIO.
X;i altocofae do abertura do concilio o papa
rattiNu pea vinilu dos bispos a liorna alitn
fazeivm oiivir aos homcns a voz de Dmi e de
'..'ir-ircm. juntamente cun o papa sol os auspicios
Espirito-Saato, a falsa sciencia humana.
O suiumo-pontifice, depois de relatar as lutas da
;t coa o espirito do mal, acerescenlou o se-
^uiute :
Venerareis rr.-.ans.A igreja de Deus tppro-
in.nr-se-bf) aj sea termo, se rila podase em al-
:i ma oeeasiu ser abalada pelds designios e cs-
do l.i rneni. Man, como dizia S. Joau l'.hry-
iiuu. nada pode tanto como a igreja : .1 igreja
lis slida do ()t:i; o mcsmo en. O ki e a ler-
. passanl), as muidas palavras hio de licar !
'naes palavras ? Tu s Pedro, c sobre esta pe-
j construirte a minka igreja, e contra ella nao
1 rcriio as portas do inferno.
Das dispn-ices da bula rio padre samv, emo re-
lam a disciplina interior do "oncilio, v-su que a
nta s roM.Tvou para si o direito de nropr as
Mes assembia. As qucsld hao de ser es-
: ladas no s.eiu das diversas coiumissoes a que
sciem respeilOL e s depois de terem obtido
:a sancca, serio apreMsaUda* em reunio mag-
do ciincilio, para depois serem decretadas,
i reuna. geraj d>>s poderes do concilio que de
t celebrarse no da 18 de d.-zoinbro, licou adia-
| ira o dia de Janeiro, afim de dar tempo as
. .isnVs para orgaaiaaitm usfleni trabalhos.
(> bispos hespaii'.iues tivei.uu urna reuniao em
', -i1;:mido le a-si'ura, decidiram :
i." Sustentar unnimemente todas as propostas
concilio, o principalmente a definicao da iufalli-
iade;
2." A presentaren) files mesmos a deflnicao, sea
i apresentarem os (femis ;
. Proceder em ludo em unio^estreita e abso-
.la com o papa.
AccicseeiiLi-se que todos os bispos da America
Sal, beai como os mais bispos Je terr;is emque
falla hespanhol, adheriram a estas propostas.
papa recebeu no dia 19 no Vaticano perto de
i francezes, e falln com a naior parte delles;
!>ois subi ao throno, e n'ama allocuco em
nc. .r oxpllcou a sipnilicacao da fesfa do Natal,
r.o Dcus eusinando-nos" a humildade. Disse
o orgulho inimigo do Iiomem, e o autor das
volucoes e terminou dando em voz eommovida
cacao asscmbia, que respondeu com prolon-
gas acclamaces.
F.' exagerada a milicia relativa nota do go-
mo franeez ao seu representante em Knma, so-
re as quesloes quo se vio tratar no concilio.
inz--e que o embaixador Irancez recebera uni-
.linate a ordem de fazer algunas observacoes
caso de que se intente tomar alguma refolieao
irtrarja s acluaes relacoes entre a igreja e o
iado.
roaaga.
lestrbuiram-sc em Franca o {toro azul e o lf-
v anwrello ; o prnieiro contendo a situarao do
rio no interior ; e no segundo as correspon-
ncias diplomticas. O litro azul conten ins-
'ae^fca para os servicia pblicos dos diversos
inisterios. O volume ilos negocios estrangeiros
in despachos relativos ao cwnplin, as eapitu-
s no Egypti), a comnii i), aos negeoos de Tunes, ao Japo e s questoes
mnieniast
A Patrie publica a circular dirigida pelo princi-
pa Toar d'Auvcrgne a todos os agentes dplo-
laeoa francezes, em que se xodo a attiude
u>- o governo franca reiettiaa adopur para com
cinciiio. Este documento a mais importante
:t da ttrro amarello. O ministro dos negocios
iiangefros resnmindo di^baixo do ponto de vista
iilar e civil a tradir/io e os precedentes dos
onnlios ecitmercos estsbelece que al neje as
-tteaetas cathoticas tinham participado direeta-
icate, por meio de r^resontantes espeeiaes, nae
i.ctilicracSes destas grandes assembleas, mas
:ce;so nar quo a transformaran dos estaos, eo
-TiliclocimenU geral da liberdde de conseicncia,
ao mu rebultado tornar mais clara e> profonde, a
iseccao das daas sociedades,- sooiedada civil e
"ledade religiosa, e que desla transforma cao ro
irtoa correspondente modifteaclo as amigas rer
ices da tjtreja com o-estado. O govem fraft-
in-pirando-se, pois, desta idea, resobren So
. credilar junto do concilio representantes parti-
dores ; isto nao quor dizer qno abandone todas
s seas legtimos flireito?, diz a Patrie, qae reaan-
rie, quando preciso for, a faculdade de> dirigir
una s respeitosas-e amigas obeervaedes, sigaifica
penas que qner adoptar a eese (espoit* a mais
tlreina reserva, e qoev iataavtt, na oedtaaria
rma diplomtica, no caso em que as delibera-
oes do conrili po-tsmn inquietar os iatareeara e
rincrpjos da woiedaile civ.
O Ihro amaretto quando se refere Hespanba
m termos rauite .mgnvei.
O Dfd-t'o- Oficial do towtmo pnbca -rtado
;a drvida' fluetoaoM de PVaa^a. Bimaaafcx t8f(
.lhes de francos, e Amimrtri US raiWSea raa|s
'ore receitas dispeniveis.
O exereicio de W68IWf prodnz nra wcoedea-
m de 73 milboes de francos, 100 mirbSas as rea-
las -amortlsadas a Imada l*7tt
l'Harn Offl'.iattomim dfeeado qoeapaur
graves iocideates do amo ransacces se apresentam em um e*tad satls/at-
ordm e traaqtnHiade que reina
i-neoto de !S7t a'siin ca1cuta*>: reeei-
ta, 1771 mHboas, despega 1614. Cera milbees sao
empregados na amortisacao da divida.correspoa-
deote a estes altimos quatro anuos.
- Annunclase a prxima puaiicacao em Paris
de um folbeto de Persigny, aeoosalhndo o impe-
rador a conservar todas as prorogativas da atrto-
ridade imperial. Por causa .las numerosas raani-
estaeoes dirigidas ao senado franeez contra o ira-
tado de commercio, veriar-se-ba a discuss* na
outra casa, do parlaiueoto, depois de terminadas
as feriss.
Est terminada a sessao extraordinaria do
corno legislativo. A sessao ordinaria principia no
dia 8 de Janeiro.
Diz o Jornal Offwial que tendn RidimoiU sido
nomeado- senador, as eieices da Vende far-se-
liao de novo no dia 9 de Janeiro.
Diz o Constituumnel que a cnmniisso do re-
gulamento do cjroo legislativo resolveu pedir a
restabelecimento da resposta ao discurso da co-
ra. Diz lamliem que corre o boato do que o con-
tingente annual ser reduzido de cem mil a oiten-
ta mil Imiiioiis.
Contina a rrise ministerial em Franca;
ainda nada ba resolvido a respeito do novo gabi-
nete ; parece qne*ne sessao
i'xiiaordinaria de verilicacao do poderes, e a ses-
sao legislativa ordinaria o imperador acceitara a
demissao do mioisterio e encarregar Olivier da
organisa^o do novo ministerio. v^'
Cure que o novo gabinete sor'composto dos
sejruioles eavalheiros : Dafii, interior ; Olivier,
estrangeiros ; Louvet, lzenda ; Leagris, jiwtiea :
Talbouet, instrnecao publica; Buffet, obras pu-
blicas e commercio.
E' destituida de fundamento a noticia que
corren de urna proposta do governo franeez s
oulras potencias europeias, para o dosarmaiuenlo
commum.
_ O Constit utionnel desmerite a noticia da subs-
tHuietto do general Fleury, ministro da Franca era
S. Petergburgo pelo principe de Li Tour d'Au-
vcrgne.
^ Em cnnsoqueucia das numerosas reclama-
epes dirigidas ao senado aontra o tratado de com-
mercio, levantar-se-ba di^usso sobre i.-le as-
sumpio nesta cmara depois das ferias. Falla-so
em Paris na crcu-ao de-una liga permanente da
liberdade de commercio. Um grande numero de
fabricantes e de negociantes de Paria, de Lvon, e
do ineio-dia faze.u parto da lige.
INlil.AirilKA.
Na Irlanda, o principalmente no districto de
Castlelnwn. continuam os aitentados produzidos
pea i|iiesti agrtrin.
J era iem|K> do gabinete Gladstone, que no an-
no passado pareca querer ligar o seu nomo a
urna obra de reparacao e de justica. comprchen-
der que as vexacoes seculares que embrntece-
i.un e esmagaraw a Irlanda s podetn ser esquo-
cidas no dia em que appare^a nm ministerio as-
saz forte para impr leis Inglaterra, que derro-
guem a tyrannia territorial iiapo.sta por CromwWI
Irlanda. So MEiafl dfa se poder esperar urna
reeoncib'acao fraternal.
lteuniu-se o conelho de ministros, afim de se
tomarem ^providencias para assegurar protecr^i
acs cidados conheeidos como hostis aos fenianos.
c que enmecam a emigrar da ilha.
Embarcaram em Liverpool numerosos reforcos
de cavallarii' e infamarla, com destino Irlanda.
Os fenianos querem estabeleoer a repblica na
Irlanda, e continuam a Ira'ialhar muitn para isso.
Para tratar de dres repetidos cnn>elbos do minsiros.
Lord Clarendon enviou a Lesseps CaiteitafDcs
em nome da Inglaterra pela feliz tnauguraoao do
isthmo de Suez.
ITALIA.
Acha-se definitivamente constituido o minis-
terio italiano : Lnza foi nomeado presidente do
conseibo e ministro do interior; Sella,,,ministro
das flnancaa; Visconti Venosta, ministro dos es j
trangeiros; Kaeli. ministro da ju-uica ; Genove, |
mini-tro da guerra ; Gadda, ministro das obras i
publicas ; Correnti, ministro da instruccao publi-
ca ; Batagnola. ministro da agricultura," encane-
gado interinamente do ministerio da marinha.
No dia lo, quando Lanza annonciou cmara
italiana a furmacao do gabinete, tracou em breves
palavras o programma do governo. A questao
urgente a admrnistracan das fmancas. A inten
cao do governo inlrodnzir a ordem e a econo-
ma em caa ramo da administraro. Far-se-hio
economas nos captulos do exercito e da marinha
sem reduzir as forcas do paiz. Ser apresantado
um projecto de lei sobre este assumpto. Se estas
economas nao forem snfficientes, ser indispensa-
vel recorrer a algum novo imposto. O ministerio
decidiu limitar o dficit annual a 70 ou 80 mi-
li loes.
Lanza fallou do desenvolv ment da riqueza pu-
blica. Disse que a paz europea nao ser pertur-
bada. Tem cooliania de que todos os partidos
apoiarao nesta senda o ministerio.
A roaior parte dos peridicos manifnstam-se re-
sol vidas a apoiar o gabinete. Rattazzi leve urna
reuniao para se estabelecer um accordo sobre a
dreccao das discusH.es polticas provocadas pela
minori i do parlamento.
Sella prepoz cmara antorisacao para o exei>
cicio provisorio do ornamento at ao fim de marco
de 1870, e apresentou o orcamento da receita e
despeza de 1870.
O orcamento provisorio foi apprnvado no dia 16
as commissiies da cmara, dos deputadose no
dia 19nesta cunara por 208 votos contra o9, e
no senado no dia 22.
Ratazzi fez urna reuniao de varios homcns pol-
ticos para se concordar no procedhnentc a seguir
as discussoes do parlamento.
A cmara prorogou-se at o dia Io de fevereiro
de 1870.
Foi dissoJrido pelas autoridades o congresso de
livres pensad ires de aples por ter dado origera
a gritos subservivos. Diz-seque se tornara a reu-
nir na Surssa.
HESPANIIA.
Contina a mema indecisa) sobre a solitcao di
questao da candidatura ao throno hespanhol.
Parece que a duqueza de Genova resisti s sob
licitacoes d' el-re Vctor Emmanuel; e que o
proprio rei de Italia recouhecora qne a- projectada
eleicao do monarcha. nao pascara de urna imposi
cao por part do partido que ora donjinu em Hes-
panba. e que nao poderla ser bem aceita da na-
eao liespanhola. .
Parece qnaalguus dosmombros dogabhe nesp
ohol, perdendo a contianca no resnltado da candi-
datura do duque de Genova fizera novos offereci-
mentos ao archiduque Luiz Vctor, irtnao do im-
perador d'Anstrta, e que taes offerecimontos fo-
ram cageiudo*.
Diz a Patrie em um artigo sobre os negocios de
Hespanha, que se prepara mu golpe de estado.
Pueiude Madrid que o general 1'nm.conU com
180 votes oas cortes, por rauio dos quaes espera
proclamar u duque de Genova, rei de Hespanba
epoi.s desta vqtacao aprosentar um projecto de
lei 1*3 o jastitaira at a raaioria do joven princi-
pe, tixada em dezoito annos, regente em substitu
"jjae di; marecuaf Serrano.
Affiaoga-se que o general Prim espera que as
tropas qne mandn ir para a capital, e que so
cornmaridadas por generae*, seas dedicados, apoia
rao o seo plano.
Toma maior corpo o projecto d se eleger o re-
gante para rei 1e Hespanha, e termita* assim com
as ioUrmidades, presentes e fu tura
O depoiado rcouMieaoo Huiz apnfteatau* cur-
tas wn requertneetc com mil e quiaheatas aiij-
naturas, pedindo a reviaao do art. 33 da cons-
titiiicio.
Preparain-se grandes aanHestacAk em Malaga
e emoutros pomos dapeutasataetaiteatido repi>
blicano.
lio dia 14 houve em Cada urna iMaifestaea
republicana a que aanistiram H,000 pselas ; fo-
rarn presos 9S ca eoas do oaotiui.
Houvc no dia 19 em Parada, povoncao da pro-
vincia de Sevaba. alguns tumultos de pequea
importancia e gritos deviva a rapoblitsa. Foi
preso um dos tumultuse s.
Tere contrnundo (na cortos a diacossao da |
questao das all'aia- Figaerola siwleutna mws urna
vez-as suas asseropee na- quest&o das joias da co-
ra, e renovou as sua aocosaeoes contra a rai-
nha mai D. Christina, e repeine' a aceusacao feiu
a Jos Bonaparte, de ter extraviado taes oas. Ne-
g u a >s JUurbons de Hespanha o'direito de- dia-
mar ladros aos francezes, como em moa (arta
i'hamava Christina, ponjae aqatljaii que luviaiu
abdicado sua cora as ruaos de
timado o rei Jos Bonaparte.
0$ deputados unionista-, em sua granifo maio-
ria, abskT-se-bo de votar pro ou contra a> pro-
ontros so-lo-ho no deaarso da
a ultinflk sossSo e
actual sessao.
Jtaftaao irara someate (testos trafcaNK,
preaisa rainbem obt*r para lases desees Jraba-
Ibus iim apprjra^io geraf e aflictiva, que com
bem vi*, p^zar nica, iba anda recusadli de
muitss panes.
_ Se a esoerieoaa ohaida .-* aqni provou sao desajateis medilicaces na .Mosliloiao, o a-
minlio para ellas esta indicado nu riropria cow-i-
tuicao.
Coca fuanto mr^xo snu desenvoirtreena
forma da (amstii>. .Jaixa hvre i-ursoda vista
e ao* desejos de toda, a qaareza, assas artas e si-
ses dsejos eslan limitados en mais de orna dreo--
eao em coaseqtiencia da propra organieaeao do
imperia.
A constituirn n"* foi cread* sem ter tidb
cuidadosamente respeieo pela* situai-es pnrtioul-
resdos [jinos e do puntes, e pelo seu justo desejo
de determinar essa slutafle de maceira roaform
Napoleao e leg- com a sua antono na. ,
fc>|ero (|ue a intenci*'de'restringir case de-
hjo aos Nrntot mais asMaUos :1o qns mawim-
mente exigem a Pirca : imiencia do imaario no
dadaos Jim, fallando todos a mesma lingua :
c:>da qua terrr aqui todas as possirels facaldades
(fe se instrnir ; as'nossos institoicoes n*> vedare
a pessoa algum; o caimnho da ivpotacao c da
fortuna; a catbadral livre. a escota livre,
1 mprensa o livre : as receitas que ilBaem ao the-
sourb tntrapf&ssam-as necesidades do governo; em
sumroa o accordo restabefece-se nipidaineute m>
nusso puii
Diversas manafactaras at agora desconheci-
los bons resultados que- tem dado, ritara* en w-
gr no magisterio. Afcidr a ter aMd,
estado esta tentairva. PMra
Um tnternaW s de m-m
reou* % que era d* Vf) seria saMr 1
parte, pois as de-qieza* geracs de
taino ?5o para 20 como para 100 core D-fcea
renca.
Ha nesta reforma-> salrrtar
oiSro estado possue. A administraro de todas a
riquezas est confiada aos nossos cuidados e aos
meus. duraste o curto espaco fio tempo que oe-
vbii durar as nossas luuccoes. Bentro de pooco
lempo teremort de voltar para nolro o povo. que
nos cimferio as nossas honras, e tereinos de dar
constas do iju*? houvermo feito.
fesejo ardentcmentc que nem vos, nem en
sejamos condtaanados. nem pelos m^ssos inaiufa-
tar-
sciericia-.
posta de lei que se discute, |>ara que se abra um interior e no exterior nao oppot ao sen
inquirito parlamentar. I de um cont.
Osperioilicosque defendem a D. Isabel de l>mr- Estou certo que todtai- os meus povos estio
non, asseguram qae as alfaias, qe* esta Jev'o 1 d convencidos enro aa U \ Hespanna, que enumerare, proeedem de comoras s poder renovado pelo coabecimeoea do prc-
e presentes, e nao da.ueranca, como ptrt(ncntes sent, qre? urna fatoa iftleapniacio podara l'aeil-
a 'roa. i mente ofcncarecer.
O deputado Zoriila apresentou as cortes um
projecto de le para a reforma do .tribunal de cas-
sacan civel-e criminal; ootro estMBcendo o ma-
irimonu civil, a proKtteu
tros projecios de lei.
Suspenderam-se as sessoes das cortes desde o
da 20 de dezomOro a 2 ue ane o
Deterauaou-se que SL-jam substituidos os seto
roeaabA que aiiam rta commisso i'ara elei^o
1I0 monarcha.
A Cuzrtu puhlicou um deereto dando o dia. 3
de Janeiro para as eleices da-i niunicipalidadr
dissolvidas pelas autoridades vis, ou militares
durante a ultima insurreico.
Foi expulso da Franca o deputado republi-
cann llespaaUoi Paul Angelo, porque em iim ban-
quete fez um discurso injurioso para o imperador
Napptct 1.
E=r em negociacoes um tratado de commer-
cio entre a Hespanba e a lngJatei 1 a.
Sallaveria recebeu no dia .16 nouie una es-
JtorpreU<;

t Anide a e-te respef taobn urna esperanea
cheia de onfianca nos >*atii.mus patrioticoi, nos
qiiaes iiant'Oii. ucn ;:s uitmnante^assados, nunca
uprescaiar ainda ou- nos lia moa- em balito.
Ha-rto- fssa cs|>er.inijiwiB con-iideraro de que
osseniimtetos que se lajwa eren bmH 'cunvin.-rio
ao bum e*ar di. imperio, oomo sendo a condka>
dos yerdaaViros interesses diK reinos o dos pames,
traran certamen te e draeo- u-.i/^r a unio das as-
piraces divergentes.
Oar-aie-hei por Miz Mil vr numpakHM a
miulia esperanea e rftahsar as oiinhas iftfenoSta,
qne sao guiadas por um sincero amor aos meus
povos.
Honrados senhores, foi p;ri mim grande sa-
tisfacoo aaadar-vos voltaje uma loriga viagem
pelos palias com o< ipiaas sorrr* cbamadoa parti-
i-ulaniiurite a conservar um toaMoa Balito e cres-
cenfc.
Exprimo cofn satisf icao-que por toda a par-
te eneontrei calorosa sv:naioia pela noasa patria
tocada, por vmgancn particular d- sea amigo di- e |elo sen futuro. Urna ooca une honra o eaowi-
rector da fazemU. "O assassiuo toi prese. Saliave-
ria est livre do perigo.
nussiA.
Dzem de lioscow que naqalla e em outras ci-
dades da liussia se duscobno uma soeiedaiie que
liaha por lint excitar a po(.ula.-o a manilesta(;es
violentas rio dia H7 de fevereiro, dia anniversiuio,
da emancipacae dos aldfus.
Annnnciouhpoiico otlegrapho que esta-
fa gravisaunamente-doente o principe de <.
cfaakoff, chancellen do imperio rnsso, e at u;n te-
lagramma deu a noticia do seu passamento.
O Diario lie S. Pelersbi'rgo dvute agora tolos
esses boatos, e assegura que a sade daquelle mi-
tuMro nao inspira o menor receio ; pois que elle
anda n 1 daisou do se oceupar regularmente dos
negocios pblicos.
Parti de S: Petersburgo para o mar Caspio
uma expedieao do quatro vapores, guarnecidos de
l.'OO borneas, alim de procurar a anliga commu-
nicaco daquelle mar com o lago Ara! pelo leito,
boje abandonado do rio Aaiou-Darja.
No dia !) por oocasio de se celebrar em S.
l'elersburgo oanniversarib secular da ordem de S.
Jorge,uczar pronunciou um nolavel discurso da-
clarando'-qiie inedeiam iulunas relaces entre as
corles de S. Petersburgo e de Berln"; a allocuejio
terminou por estas palavras
to eroprchcadedor, e a petauveraagt do sen autor
e a inaugnrarai da qual aasiati prouiette, no seu
deseivcilvimeiHo ao wso pinamercio, um novo
terreno pira a sua actividaV. e rwwinmemlo-ros
com insislaueia quo a ton^is e:u eonsideracaa.
E' uma trela a.jOM todos os que a ella sao
chamados poiiem dedcar-se com tanta mais tran-
quillidade, qoanioii srtuacao pacifica no eslerior
-jconvida, 04^0,jb matuJXJiiiii equivoca, ten-
-1 ao adquirido as n 3 de todos os
lados uiraCforiiia pacilb'a e proria para tran-
quillisar at mesnio onde svm;iUiuias passageiros
pareciam perturbadores.
Almiarado por esias circiimstaneias sijtisfato-
nas, vejo o lutuio eom lirme emafem. e espero
que o iiiesmo sent nenio vos dirija timbein, bon-
raJos senteres, daraaw os vo-sus traballtoa
duzind-i-vns felizawnw .10 alan*
Ba discursi foi o pinito ti partida de uma
agitacao que ueste momento disnua em todos os
partidos da vellia nionarcbia aaatm-huogara. O
boatos de crise miaiotoriai, que tomaran certa
insistencia o principalmente uma mauifestacao de
operarios no dia da abertura do reiilisratli, causa-
rain grande rwi'lurmcao n-'s circuios politices
na caara do similores e no povo.
Urna depiitarfci enviada mr iUiP^K) operariiw di-
rigi-se a casa do conde Taal'e, e pedio a appro
Permita Deu-, que se nao altere a paz. mas ; vacan na actual sessao Ao-rachaaraH do direito
estou convencido que, se o destino lizer reboniar
a guerra, bfia de manter a gloria das nossas r-
ida-, e a liorna da llussia as nossas torcas, tanto
terrestres como martimas.
As relaces entre a Prassia e a Rossa, cs-
treitam-se cada vez mais. O Sr. Oubril, embaixa-
dor da liussia em Berlin, pronunciou um discur-
so em Jim banquete dado pelo rei da Prussia por
occasiao da troca das coudecoracoos entre o dous
soberanos, em que depois das amabilidades do
costume, disse, que se devia er riesln mjni-
feslaces, nao s uma nova prova de arnisade ues-
soal e de veneraeao, mas anida um novo pealwr
dos lacos que unem os dous soberanos, os dous
poyos e os dous exercitos, penber que conforme
1 s interesses dos dous paizese da Europa >
O rei Guilherme fez uma saudo ao imperador
da liussia com as phrases mais amigaveis.
PRl-SIA.
A Prussia acaba de crear uma nova fabrica de
armas. E' a sexta que funeciona por coota do go-
verno. As cinco fabricas nao satisfaziain o Sr. de
liismark, cujo animo bollicoso se nao contenta com
quarenla e duas mil espingardas por anno, que
era o que produziam as cinco fabricas.
0 eouselho de ministros approvou uma propos-
ta supprimirido o imposto do sello sobre os peri-
dicos polticos.
Depois que est em B'rlim o Sr. de Bismark
tem havido repetidas conferencias entre elle e o rei
Guilherme.
Patavea na substiiuico do Sr. de Bismark pilo
Sr. Delbruck, lieando oactuaichaoceller prussiano
encarregado exclusivamente' dos negocios da com
leJcracio da AlJemaaba do Norte.
AUSTRIA
No dia 13 abro'se a sessao das ditas cmaras
do reichsrath, o imperador d'Austria pranunaou
oseuuinla discurso :
< Honrados senhores das duas cmaras do rei-
chsrath :lieunindo-vos boje nowneuto em tor-
no do mim, ardentemaute desejo que sejaes.bem
viudos.
-i^uao o com a-satisfacao que me di o rean-
ccar d'oiaos retrospectivo pela vossa actividi.de
durante a ultima sessao, activdade aaimada do
mais qofepe pan i itismo. Faco-o core a confianza
a que adquiriste um justo titulo.
Xinguem podara desconnecer o progressivo
desenv Ivimento do imperio, que a providencia
cuiIou a minha guarda, desenvolvimenio que se
prodnzio era todas as direceoe* e em todas as ba-
sos das instituiooes eonsliluciooaes.
Ojulgamento favoravel dos homeus polticos
nesle paiz e no estrangeiro a respeito do citado
desenvolvimento, fortificando a coragem e a con}
(langa do cumprimento desse grande dever, nao
iiapde qiteas obrigacoes anda por cumprir n
sejam menores.
< N'uraa pacte do imperio a popuiacao oppot
urna reeisteacia armada 1 execucao da to mrblar.
Esta resistencia necessitou de prvidenciai eteapf
cionaes a respeito das quaes o meu governo vos
ftr propo-tas corrtorates coma coostunicao. Las
timo profundamente a aJiueinacao, qne Ihes ile-
ram rnotiro e esperaado que se I he pooba torno,
encarrtgoei o meu enverna de raavirar qaaato
posvirel as tristes eoaaequencas, mal o astado le-
gal se restabeleca.
< Tundes larga occasiao para centiauar a obra
da legislacao e para dar provas dd mesmo espiri-
to de progresso, de oooraeao de intelligenaia das
silaaepes excepciauaat^e das naeeaidadea eaoao-
micas do imperio que vos tem guiado at agora na
via legislativa, na, diaeoscao de numerosos projeo-
tos de leis acercados rainoa impartantes da ad-
rninisiraoio da justica e da administracao do paiz;
d qnnos alguna ws foaam suaaacUiaVa durtnio
iliiioitado de reuna-), da. absoluta liberdade de
imprensa e du suilVauio universal, do estabeleci-
ineiito da paz perpetua da snpiiressao do exercito
e arma mam do povo.
A commisso da cmara encarregada da re-
ilacean da resposta ao discurso da cora, appro-
vou uma proposta convidando o governo a dir-
Ihe explicaccs pois quo a siluyao nao bem
clara.
No dia 17 o ministro Gstra declarou na tri-
lema, em resposta a urna intorpeHacao de liech-
ba'ner que nenhum ministro bavia pedido a de-
missao, e que o governo esperara permanecer no
terreno da eonstiloico : surg rain graves dsssi-
deocias que onrigaro o coude de Beust a pedir
breremeuto ao imperador urna iHodilicago ao mi-
nisterio.
Ha tambem crise ministerial na Hungra em
consequenca da desorganisacao do partido deak.
0 archiduque austraco Allierto vai a S. Pe-
tersburgo com o encargo de combinar com o go-
veruo russo a occupaci do Mente-negro pilas
tropas austracas encarregadas de operar contra
os dalmatas.
Os insurgentes dalmatas esto mais socega-
dos ; desde qc-e souberain que vai ser modificado
o rigor das leis militares.
Foi prohibida em quanto durar a insurreicao da
Dalmada, toda e qualquer exportaeao de armas e
inunices pelos portes do Adritico.
A Porta ordenou que se rolorc.asse a guarnicao
do Siusari e da Albania e qi se vigiafsem as
ironteiras do tieateuegro. Dizetn noticias d'all
qne o pfhwip Nicoiau declarou que nao poda
conter os inontanhe*;s.
KGVTlh.
Parees terminar paciiieameute a perigosaipaa*
denciaenire o ice-rei do Etypti e'o saltas. O
khedive anime sem BMnhcoes ao firmas enviado
pela Pdrta Otlomana.
0 congresso internacional, reunido no Egyp-
to por occasiao da averiara'do eanal de Suez, fia
de opioio que o canal devs ser UUUralsadi*, e o
i-lhino colonisado internacionaliaertle. Vai ser
tratada ollicialmente esta questa/i.
0 khedive vai introduzindo dilferentes reformos-
aoa servicos da administraciio do paiz. Em breve
ser all adoptado o systeaa metrico-decimal.
0 ministro dos negocios estrangeiros da,Franca\
recebeu copia do projecto devmodjlieaeao dos re-
guia mentas que regemao Egypto as relices dos
estrangeiros com o governo, e j se tem emane-
gado exforros junto das grandes potencias para
se cnegar a um commum accordo que facilite- o
estabelecimento de nova jorisdiccio.
AMSRtBA.
A-mensagem do presidente dos Estaaos-Lnidre
ao congresso, mostr, este briinaato quadroaaac-
uial siluaco .\repblica americana:
Apreseutando-ine poranto vos pala priaatara
vez, coa o prnero. magistrado dosta graad na-
cao, offereco a homenagem do iwa reooaaeoiaien-
ti> ao dador de todos- os Imas pelas numerasas van
tagens de que gosamos. .
< Temos (eiiamento paz aa interior, e- estamos
saiwallianfa deaniharacov qae, no< estaaogeiro,
posea .amaacar-m.s de prtaancea.' 0nosio solo
ten nma fertilidae em qo a nenumrutri*de,
e a* sua extenso certnilto'-lhB o nrtiitnaar abun-
dantemente ,'iO- milaiesile idividuoe--; cootoaa. rui-
nas de toda a especie > capaasa da saaaAuar as
aecessidades. do moo'fcn inteiro, durante gwraepes;
aaaasaasoliloittsaf laxarianti ; temos orna
variedad* de climas \jue nos penitte a bnitmr
todo o que : terca pode fferetar-v e queaenvm
aos costume s, aos postes e s necesidades- de-to-
dos'o* entes viva.
lemot iuub, populacio ic Mi milaves-da-ai-
A. eamar.i sos deparados approvou pwr l.t
votos c.ntra 1, cana resoluci> condemnand sem
dtstinccao de partido, todo quo qurzren> repu-
aar a divida nacional.
O'general Gran* mandou a cmara rima sarta
de Mr. Fisl em-quo se diz que ineorepatfrdtvom
os nteres*!* publires coramuoear a correspon-
dencia do Sr. Sickles, relatita aos as*niimtos de
l'Mha, '
Carpenter pronnneion om grande rseursn no
scaado em favor do-reconhecimenio (kn belligo-
raotes de Cntai O discurso prodmio grande in-
jiressaa, e Suiumer responda coinbaten*-o.
Poriiin entreeinj aos representantes hespn-
nboes aa oaniawens destinadas a Cuba e detitas
pelo.,,ver) tis Estados-Unidos.
-Foram vendidas aos insurgentes de Cuba MI
c.'uilhineiras qqepartiran para o seu destino a
17 de- dezembro.
A commisso dos negocios estrangeiros ad-
diou paradepoi.^dafesta do natal o ex;ne d.isv
quesJies do Cabo atlaatco d Cuba e du Hra-
gnay.
^ Houve uma cenfi'renca entre o ministro dos
Estados-Unidos em Hespanha, e o minisiro'dos
negomos estrangeiros o Sr. .Martes r.ra. da ueu-
iraiidade dos callos telegraplie\>s. A Franca op-
po--e. e a Inglaterra acceila.
Um telcgrammade abvana .ie 2i de novem-
bw, dar- que os insurgentes quoriaui seduzir os
relos dos eogeohoB que licam pnnians de Sa-
gna, mas que foi deaanerta a con-piracao, presos
os cabawlbas, e uzilados sem proeesao.
pr.aru&Ai..
Por_decretrajje l'J do passado Pm concedida a
exoner-seai* pedida pelo ministro da guerra gene-
ral Mildonado, sendo encarregado interinamente
da pasta o Sr. Lobo d'Avila, ministro das obras
publicas.
Atiritaiam uns motosria a demissao, e outrw
a desg^wtos eutro o* eoliegas.
N<>sso correspondoote ite Lisboa escreve-nos
o segunte, 27 s 11 horas da raanliaa :
Contina na cadeia do Limoeiro, o director da
lypographio em que se imprimja j. Linterna, e foi
multado o editor do Republicano, tamem corree-
cionalmeute Estranhoo-Si geralmeuie que sen-
conv-do igual a i. irmacao, fosse um p;ra a c.tdeia e
mitro llcasse apenas cmi a multa. O iroprossor
da binlern* chama-se Jeaquim tiermano de Sou-
za Noves, amigo typographo e geralmenle estima-
do. 0 ourro, o do RepuhUvano, dizem ser um ll
Pinto de Campos, bem conbeeido por publicaces
furibundas. Soja quem lr nao o eonpeco.
Foi publicada a reforma da secretaria dos ne
rocos e-irangeiros e a reorganisacti do corpo
diplomtico e consular.
O relalono do Sr. Mendos Leal 6 digno de
niencao especial pela clareza e nolavel correcgo
de linguagim.
lieducc.o total qne se (qiera com esta refor-
ma tJi contos quinhentos e tantos mil res, sendo
a reduccao ou accessvu-4:10&SOOO, e a redueci
imu^iliata39:l2l-ij-2i.
Sis as economas que se fazem com o pessoal
das dgaedes :
Sob esta semana assgnatura real a refor-
ma da secretaria da fzenda e das direccoes do
ihesouro publico.
No principio da semana que entra hoje, pu-
blicar o Diario do Gojernq a reforma do servieo
geodsico, hydrograpbieo, topographico, zoolgico,
e bem assim a reorganijario do deposito de guerra
e do archivo do corpo de engenheiros.
Publicase pelo ministerio da justica o decre-
to creando conservadorias privativas as comarcas
d 1 reino, onde o rendimento lor superior a 40 'I.
Estabelece-se que em. Lisboa e Porto haver s"
urna conservatoria, devendo todo contirnar como
est, presentemente, at se realisar a reduego.
Foi inas ura bom senico prestado pelo Sr. Jos
Luciano de Castro, ministro dos negocios eccle-
siastjcose de justica. Alm de outras comarcas
onde sero estabelecidas conservatorias privativas,
j so-pode contar com. as segreles : Setubal, A-
lemquer, Santarem, Leiria.Aideii-Gallega.Pomfcal,
Fano, Moura, Beja, M*ntem6r-o-N'ovo, Elvas, Tho-
mar, Sabogal, Begoa,.Chaves, Amarante, Marco (k
Canavezes, Aveiro, Vizeu, Castro Uaire, Arcos,
Ponte de Lima, Vianaa, I>orto de Moz e Torres
Nova.
Vai sabir proxuuamente a reforma Oos jalga-
dos ordinarios.
Osjuizos ordinarios passam a ser de nomea-
cao do goveruo e prvidos por concurso docu-
nawihil.
Estes magistaados s torito direito aemolo-
i acotos.
Parecoque o-ministro da jnstca prepara ao
pantemanto que a tabella dos emolumentoa qae
regTa para osjnines de direito seja a mesma para
os juiea ordinarios.
Foi publicado um decreto reformando a escola
normal de Lis ba e creando outras quatro pirkici-
paes ou comptotas ero Cnimhra, Porto, Vlzen i
Eyora alm da. faculdade que d aos oaarasdis-
trictos para a axpeasas suas crenrem esaotas nor-
maes s do primeiro grao, aggregaado-sa-para isU)
dous ou mais distrietos se (has convier. As escolas
normaes flaan sena ntemato. Cada ama da de
primeida c-adem tari um director professor, um
nutro professor, om ajadaole fiscal qae serve de
secretario e um porteire.. O professor mais aatigo
o director da escola. as de prtmeiru grao ha
s dous professores. Ha (;oownissas inspectoras
para cada, escota normal de primeira-dasse, com-
posta d um delegado do governo, do goveraador
civil, do presidaute da careara municipal e de
dous arofassores da insirucco secundaria on su-
perior.
1 O governo d 30 peupdes de (OOO-mensaes a
outaas tantos pensionisras para oada escola normal
dos quaes um terco pelo menos sero professoros
j prvidos, mas qne nao tooiiam mais de 23 an
nos. Os pensionistas nao devana ter menos de 18
aanes.
a. Ha aanoado lgro(l aaaoi; do 2" (1 aoaol o
aomptouientasea(l anno); estes ltimos cursos habi-
litare paca o magisterio normal. Cinco annos de
pois da data da paelicacati da lei, aeoham candi
dato a prafesBur print rio ser prvido sem ter cu-,
sado qualquer escola aoraal. Esta di de todas qus vasa- ou raforaia a laelhr, pois d'art
tes era preetsoqaaii, rogar e solicitar quem deae-
jaass admiasao na, aaeola noraaal de Martilla, 0
ralalorio do decreto, eeeripto peto 9r. Jos Mria
de Abren, directo paral dt> instruccao publica,
faz a devida jastica.ej|reoia. normal de Lisba^H
te dos sacrificios qus pertenciain a eox-ar> Wi
mana. ^ w
Assrm. M casas 9 mobtNaa da* esrntas tne-
\rx\<* drnrem, mas olirrpitoriamente. sal a>lminaa>
pWwJamas gwaes (lo>,iisirielo, semHhaiir. <*
qu-ja eslava ero vigorero rela.ro asesentaspri-
irmnas (rujas rasas o aiobilfa escolar dkriara *ar
orwridas pela* jrretis se pamema.
O pro-graremas dos corsos rTirn aaaViaa
do* antenores da escola normal de Lisbm. Ib V-
maisa economa rural pqrn n corso e>aapai>aara-
tar. Ha pedagoga e uvltoidos em todn os t>
cursos.
Os alumnos Jo :i
i-cdagi;ia aos do '
armo fazer jiraierraV* -
a. do Imo j i bat
na Escola normal de Marriato, com-sim;iSp
cicio dldartico. embira na fases 6>ln
1 Oijave a verdade, e sfrja-me IWt,> rwti-l
aani. A escola naratai de Marvilla M nm
fiHiz, pois dentm em qnatm aaaoaja paaaai
sentar-s a pir *h mrthores "da !pn,
a optnio de Ilustrado e^raagersa aae a 1
ram e es*idann>
t Afutrara, ikhI.m s>t aaeam *ii_
nii Ih'o podtam Vic o* pnrfessnn-s c rlwertiir
(pe dapeoVam (Irmedlai legislativas.
Foi aoNgaado f>eMaa que pubb-nrto j> o-aTe-
creto sobre proreom ik armada, fi ramarercu
viras disposicoes e faz honra Sr. BebrltoaV
SiK'a.
Discntv-se em conselho de aainistrr* uTsa>-
ma Inaoceim apresenSulopelo miistr.. da Uzead:.
o-Sr. Braancari'p.
Foi transi-iidn i!e Bmxellr para I naiaia .
:*>ra |ilerii|>iten,:rar o viscomto de Srtsai; a.
Washington para Brevlla* o coryelIViro ITaal.L
Hk iwm do para S. Petersburgo o Sr. V>: Nalki
da C>-t 1 (|h Sorna de "ttaredo.
s Sr. Sant'.ajma Fa^cmi
ccHos, Ricardo iynin>ra>s e Oul.ao Pato, ser-
dadas asfases ('iplnuucas.
o Poi encarregada wmii minmisria da ehburar
a- proj-cto de reforma iht tnadiionalw.
' Kii Jisirrimid. pela Cicaldade (>dipmtoan-
aamiea das setenen*, triiMiaa, awMissRtraa mr
adangadas de Lianon ele. o imij.-cto impri-sij di
cod.> do processn riviUmSr. Dr. Atoiaaifee eV
seabra, para oitv diy;,,,; M duvidas-ijne tenaao*
ptoaaaham qnalquiir adhumeiito, aMarar;to ou
SHppressio, alin de ser, depois de oavida a. eot^-
miss. respncSva,. prmNl<|do pelo jvteraa.
c Vai ser nomnada nina ffliiwik.ii gral dr
estatislca junto do r>:;orleiT-
O Sr. J. da P. Navarro de Parn oflcreeeB a-
asasaaii u:n projecto ,ie cdigo de (ron-aso cri-
minal.
Vai ser aprosentad patriarcha n> Lisboa <
3vd. areebispo de Qfa, .Pesso de Aaaajeaafi
JafoiaarnseiNadu o spo iap\M Dr.
Atnerico dos Santos e Suva, avaaapa do ia f*-
boa. irmao de baria de Santos .- -i. i)--. Caa>
!es Ferreira dos Sanio-, a Silva, socio ia n*eaJaa>
vel casa baaeaaia Je Foaseca, Santo- V.
d**sta praca.
Est govarnaadn o bispado de '>. ilVgrr.
ocio vigai'oc-ij.iiiilar 1. Sn. Jos M.u -! Srl-v
kian de Carvatim MarSa*. cmaeg. >
Sr. Martins IVrro, ismisiro de c--i** iioa-
rario.
Foram conU-rnlas pelo P.vd. Mana .! Vase
oraVos ao Sr. Dr. Ayre< da fiouva, que f.ii laaaa-
tro da justica. i alM-lhe aordein d- m.
Ha das dhia-se q..t seria o novo ..-.-nV>
apresentado bispo do l'orto, mas como iaua tte.
j oi apresentado a Dr. .Vnerico.
No dia !'>a triimlaco da barca ana Caw-
lina perrorrea as mas da cidade d Porto, laaaa
do a vela grande, pediado esmotas, at .1 ign*)a a>
Mauosnbos.
la cumprir um voto, leito quando em Ta
do Brasil fra aocornmetda por formiiasel
pestade.
J pareca aso miagroso o sabir dWta sal-
va o mar percuta furnisamente o le A laaaa
cava despedaca-io, sepnlu-indo no vasto oectae (
pobres navegantes. Levantara olho aos nfos.
Veio sua mente afflleti. a iraagem d.i Niuwa ia-
nhora da Opaaaieao, qivvlonge d'alli, em torra pa-
tria, venerada fervorosjiaent IKfgiruN-lar
preces, lizerairvlhe vohi, e a tompesLute dirniauto.
o mar aquietou-se, a alegra raou aa reos m%
coracao dos bomens ; sstavam salvos Ha nesta
piedosas cr ',11 is a poesa espontanea (pie sw aaa-
mftSta nas religies, eora* as leudas pupiitoaar.
A alma humana sent- irresislivel atraern para
os espirites s'iperiorcr-, coreo a trra para ? se*.
como o so1.!para toaas ; rrgide* stoeraes. Desd*-
a mais rule raco a ao reais arrojado utaai
do sabio l:a salemnes provas do espir :.
Acaba de. fallecer no ronsriho :te Poa di
Lanhoso, o abbade lo Itondulinho, o leam dn>
panchos de arcebispad" de Braga. Contav-vlli
annos, toado sempre ido robusto e vignro n, s n
uso pleno de suas tacnMade* imeiiectaaa.

WteaaS. da> mHtS da
A' tarda de saneado chegon o vapor C/iasen
do t>*l, trazendo joraaes do Para al .11 da> pas-
sado, do Maranbao at o I*, do Ceaa al 3, da aa ,
Grande at 6 e da, Parahyba al 7 4o conreis.
rana.
Foram nomeades : delegado de pobeia da ca-
pital o Dr. Armiaio Adolpbo de Pontos e Soma ; r
procurador fiscal interino da tbasouraria ae f-
zenda o Dr. Samuel Wallaco Mac-Doweil.
Leraos no Diario ae Belm :
Na couto de 25 do corrento dezereatn), dea*
portuguezes residentes ao lugar denoreinatfc
rap das Almas, na occasiao em queseras!
ja em estado de emhri mantos a que se tinb: m entregado desde a eeaaeri
da noute, travarare se de razies, resuataate o>-
Um delies desse com um.po em o nutro corea qu
desojando mata-lo, este, ponim, apeaar das aaw-
tos torimentos quo bavia rec-ibijo, cuaaagaaa fc'-
vantar-se,e laucando mao de nina estacada aea-
pu, de uma cerca prxima, partto-a, e coa efe
atravessou a barriga do seu adversario, vano tai
a maleira pan ido em lasca, da qual
informam ficara cravada no reir do
parte da ponto, de que resultou a saa amele pea
cas tunas depois. >
A alfandcga rendeu.de la 30 do paasaaV-
00:95oi70.
O vapor iDgtoz fmaente levoo para l>er-
pool: Borracha lina 9S^7i. kilos, dito entra aam ,
4,836 ditos, dita sernamby .11,513 ditos, grada t
gurijuba l.i'J ditos, dito de outros peixsa 2B da-
tos, curdas de m-tal para insiruraeai* 3a> dala,
ifrinba de trajo-1160-dito*. cognae 38D a|fs, -
nho Birdeaux 760, ditos cedro 45 diiaa*s -,.
amarello 16 tafwas. Tudo no va lor de 28Ult7jaQ* 4
Estovara carga os navios barita peer**
New-Yorlc, Lmda para Lisboa, Atalia para o Ha**
vre, o Mai-qw-t de Sania Cruz para lirerponL



Diarlo de Pernambco Segunda feira 10 de Janeiro de 1870.
MAIU.NHAO. '
O Baen Ca.mmerciil foi enearregado da li-
quidarlo daCaixa Eilial do Banco do Brasil.
Chegara ao porto da capital o hiate do guer-
ra Cruzeiro trazendo a tripolaco do navio franwiz
tiwla,ese perdeu nol'arnulijba.
A alfaivlega rendeu de i a 30 do passado
294:^90666. li
De 1 a 20 de detepbro vieanm ao mercado
da capital : 2,073 suecas ora algodao, '0 pipas
cem agurdente, 1,522 alqueires de arroz, 1.341
marcos com assucar, 711 toaros de twi e 6,318
ahroeires de farinba.
Estavam i carga os navios Cero para o Ha'
vre ; Pepito para Barcelona ; Europa, Esmrala,
Delawaie e Dir**n Primeis para Liverpool; Ame-
rica e Fumosa para o Porlo; Ligeiro para Ls-
JHX'UHY.
Foi Horneado promotor publico da comarca
do Principe Imperial, o Dr. Fructuoso Lins Ca-
valcante de Aihuquerque.
Lomos no Liberal Piauhijense que o capitao
Antn Andr da Silva, awmdeiro do municipio
do Jeromenhu conceder liberdade a 32 scravos
te sua propriedade, o vigario de S. Goncalo Rvd.
.tas Marquen da Rocha, sobrinho do capitao Aa-
looio Andr compenetrado dos ruesmos sentimw-
tos de seu digao lio tambem liberwu a 4 <;scravas
anas.
Alfandega rendeu no mea As dezembro.....
605:5326i reis.
Lentos no Pedro 11 :
Hontem ( 4 de Janeiro) as 6 horas da tar-
da oalrou urna escolta do Caamd, conduziado o
roso Antonio Jos Das, rouheeido por Tapioca.
remetlido pelo de4egado d"aquella villa, ea vir-
tnde de recomraendacao do Exm. presideale da
:pro*ineta.
noticias do sul do Impelo.
Avraa >o e Monte*
Jornal do
T

Hontem chegou o vapor Guar, trazufo da1*
do Hio de Janeiro al o 1, da Balita ate 5e de
Macei al 8 do corrale.
TIIEATnO DA UBaHA. ItlO 0A TRATA.
Dessas proeedenofi chegaram Cuite os va-
pores Isabel, Hypparchn e Cordillera,^ com datas
de Assuinp^o lo, de Bueno. Ayre* Se e S
do 26 do passado.
Em 13 escreveni deAssumpcp ao
Commercio da corte :
Per tia do Buenos-Ayres remefc a redaccao
dessa folha o telegrama datado do Gaptvary a JO
de novembro, em que Sua Alteza annuncia paasa-
gem dos rios Jejuy-Guass o Jejujmi, e a tomada,
de Ipualemy.
. Dando noticia iessea feitosalisados pet co-
rond Fidehs.comraza accresoenla o principo que
considera este scontecimenio -como a termtn*cao
da guerra Com effeito, nao # nesses recontroi,,
como nos anteriores, a* debis forcas do inimigo
nem se animarani a resistir; baslava apresenea
dos nossos para fugirem apresaadamente, abando-
nando artilharia, ou refugfeodo-se tas densas ma-
tas que eoerem o territorio por onde operamos, ou
vindo entregar-se famintos e extenuados. J nao
ha iaigps combater, e mu limitado deve sor
o numero de esqueletos ambulantes que, do-
imuidos peto terror, inda cercam o decabKo ty-
raaad.
c Lpez nao pode por forma alguma snsJtentar-
se oo deserto em que se metteu. Nao ha quem
possaahiviver, nem lie encontrar osindispen-
saveis recursos \aemelhantes regjes. E', pois,
natural que a esta tiora esteja elle em fuga pelo
Alto-Paran, em Biieccao a Corrientes e Entre-
gos.
* Sempre me parecen que este sonaren cami-
Herval, que. vai com licenca. tratar
Consta-me que amanha paites i:
para o Brasil o noseo alrr rn*e Ei
dos Santos. O pessimo el ^adesto
Iho3
teri
nte com que \ Ext. tem flrregad, de-
rany-lbc por tal fe rmti a sade, que efle nSo
pode continuar a prest- g ^s ervlcos. De cora co
1-x. 'yrogpera va; rapto
., i. Emj criminoso, que ta pronunciad) no__lc. mhmn> pezsir das ianu,oi!ras difculdades que
.iesde l4i, havia-se "recohido vuluntariaaiente a
prisao, para justilicar sua residencia no tor-
mo de Canind'-, em I usar sabido, ha 2t anuos, -e
assini consejiuir a presoripcao de sen cnime.
Eerevem-nos de S. Francisco :
Na da 23 dedezemfero, no lugarBaisa-Granfle
deste termo Joaqun; Cat neiro da Silva, o Ignacio.
los de Almeida, armados de faca e ccete, es-
paocaram harl)araneiite o inspector do respecyo
luarteiro J^auuim Gines da Silva, por occasmo
de ir deitarpara (ora do Robado sou uni ani-
maes d'aquellcs qiv; estavam daoHfficamlo suas
larras, e nao conseguirn] assassina-4o, coiiio era
talvez inteHcTio dos perversos, porque a victima
valeu-se de una ica de mato, com a quat, de-
pon l>elli-l s.
c Conimunicam-nos de Ganind o segrale, em
data de 7 do passado :
Ante-lionte, 23 forara alforriados aqu dous
iscravos Pedro e ialbina, aqaelie do Sr. farony-
rao Jos de Almeida Jnior, gratuitamente, e esta
do Sr. alferes AnConio Ramiro de Almeida, por
varios cidados lesta villa. A escraviuha do Sr.
Ramiro foi allomada por 40O.JW0, pof valia
-'dOOO
rio GRATOS.
Escreve-nn^ da capital, eiuo Io do corrente.
o nosso correspundente :
t O tern.o Jo Cearamerim de erto tempo a es-
ta parte lera sidn tueatro de facas criminosos de
sumiiia iuipoi t.iHcia gravidade.
Nos ilms i e 26 do mei passado dernm-se
all dous liorru'eis assassinatos.
O 1 foi no pessoa do ancio proprintario Jos
Joaquira Suatas da Cmara, conliecido por Taman-
du.
Os ass;i>sinos, segundo se presume, foram
ura escravo da victima de neme (oaquim _e nm
outro individua, cujo nome su ignora, rodo de
urna mulhei, com a qual se achara concubina lo
o dito escravo.
t Dizein ipie depeis de matarera o pobre velho,
roubaram llies ;!:0004U00.
a O wmaninatffl foi commettido da maneira a
raais barbara e cruel.
< O cadver foi encontrado com dous forimen
tos na cabec.a, enforcado e pendente por urna cor-
da, amurada em urna escrapola do quarto da
casa em que elle, dorma.
Arada nao foram presos os autores de tao
atror delicio, aneur das ordena expedidas e reite-
radas pelo Sr. Dr. ehefe de polica.
O segundo assassinato foi a raeu ver mais-ne-
lando e Serrino!.
Eis o que diz o respectivo delegado :
Cheguu a raen conlieciinento, hontem, que no.
lugarVerissimu,>uburbins dstt villa, havia
.sido assassinada una mulher, e seu cadver se
aclva sepultado no mallo.
Imroedalamente passei me uarle lugar, e
com elTi'ito veriliquei r exacta a denuncia, que
havia receida, e por lser noute doixei de pro-
ceder logo a exumacau lo cadver, e a.uardei-ine
para lioj. (28} sendo que naquella me&ma ocea-
siao por iiiim proprio foi preso um dos assassinos
e o liz rdcoioer a prialo desta villa. Bnjej porin,
dinaiado-me ao lugar do criine, proced a exu-
maeao do cadver e ao comoeteole eorpo de de-
lici, sendo en seguida preso > OUtTO assjissjno,
ijue gualmeute se aclia recolhido prisao des-
ta !* ,. -^ i
Tenho feito prender outros individuos sobre
os quaos recaaem suspeitas de connivencia no
<;rini!. e passo a interrogados para poder entrar
UO conlieciiiie:i!.i da verdade.
< Os assassinos sd irmos da assassinada, con-
!'ess.irii ipie, na uoute do dia 26 do corrente, na
inmnrh dia seis pais, niataram a infeliz sua
irina le nome Joanna, en pregando urna corda
ao pescoco, manejada por ambos contra a infeliz
.-icoinpaifhado de compresso corporal sobre a
inesnia, de queihe resultaram grandes contusoes
no corpo, depois do que a prenderam pelo raesmo
pescoco e ps, e, cun o auxilio de um pao, car-
regarm o cadver para a sepultura, no mallo,
que de ante-mo liaviam preparado !
Ain la se nao sabe ao certo quaes os mo-
tivos, que levaram aqiflles desiwtur ados irma >s
a coinmetter tao horrivel fratricidio.
O delerjado de polica, que o major Miguel
Ribeiro Dantas Jnior, tem desensolvido a maior
solictude e zelo no cumprimento de seu dever.
< Espera-s que em breve elle far preuder
aos assassas^nos do velho Tamuniu.
Na cidade de S. Jos do Mipbii d-m-se um
outro fado criminoso, e se bem que de menor
importancia nao deixou.com tudo, de fazer espe-
cie n'aquella localidade.
Depois da missa do gallo apresentou-se nas-
ruas da cidade ura sequilo de homens armados
ntreos quaes figura va Manuel da Silva, o mesrao
que fura tomado do poder de tuna escolla nestes
poneos dias no lugar aPum em caminho para
esta capital, como j Ihe noliciei.
Capitaneava o sequilo o celebrrimo Joaquira
la Geracina, que, qual outro Antonio Hyginu. tem
derramado o susio e terror por todos os habi-
tantes pacficos d'aquella cidade.
Os malfeitores pelas 4* horas da madrugada
4ncontraram-se com o sargento Sallustano, e
sem mais razes, espancaram-no fortemente.
Depois do encalco do mesmo sargento, <|ue
correu espavorido, drigiram-se casa deste, in-
vadiram-im aquellas horas, penetrando ate no
quarto onde dorma sua pobre mulher, como dis-
seram quando varejaram a casa.
E noleee, Joaqulm da Geracina de boa fa-
milia, tem prenles importantes na localidade, mas
nenhm dflles emprega sua frja e presiigio para
lesvar aquello homem valento da vida reprovada
i criminosa em que prosegue com ostentado !
Su'alma, sua palma t
O Exm. Sr. Dr. Pedro de Barros foi oassar a
iesta no termo do Cear-merim em casi de um
dos seus mais dedicad(>s amigos, o Sr. Dr. Lol,
Coprietario do engenho Jaijanan, e que tem sido
i dos mais fortes auxiliares de sua administra-
< O Sr. capitao Leoncio, commaodante da for-
tateta da Barra, prepara urna grande festa dos
Santos Reis Magos,
t A concurrencia ser espantosa.
O resultado definitivo da eleicao de senador
o seguinte :
Conselbeiro Torres Homem 373 votos.
Dr. Jeronymo Gabral 356
Dr. Tarqninio Braulio 315 >
O nosso commercio vai um tanto animado.
A semana passada, em um so dia, sahiram de
-barra Jora seis navios carregados de couros, laa e
assncar.
Tinha fechado a presente, e abra, para di -
aer-lbo que ueste momento acaba de entrar preso
nesta capital, rom admiraban de todos, o famige-
rado camisa preta, Antonio Hygino, de que cima
aBei.
A sna prisao, pela qual tanto se empenhava o
Sr. Dr. Estellita quando chefe de poKcia da pno-
vine a, foi, afinal, realisada no da- W do mei pas-
sada pelo siibAdepado do Brejinho. Pedro Lelte
Bangel, que por lo importante servieo prestado
cansa da justica, merecedor do* maiore elo-
gios. >
PAItAHYBA.
Nada recebemos de-'a provincia.
plano apresentava.
i coronel Fidelis
tem-se adiantado de Iga-
temy (ultima povoacao paragpaya pelo lado do
norte) em diversas direerfles, sei encontrar ves-
tigios do nlnsigo, o que prova qne lope j batj
longe. ,
Sua Alteza moveu-se de Capivary no da 4, em
direccao a Curuguaty c Igatemy, onde deve ter
chegado ha das.
< G..nsla-me que o principe vai deixar naquel-
les pontos urna goarntejio sufficente, e volUr,
vindo ao Rosario, Oraceteao e talvez Assunipio.
Ita quem assegure que talvez at o lim deste mtz
elle aqui estar.
t'Emmnha ultima carta annunciei que o ge-
neral Cantara ii mover da Conceico com. 3,000
tiomens. Esle movment foi determinado pela no-
ticia que teve aquelle general de que o coronel Ro-
mero se dirigir em direccao a Tacuaty com 800
homens para atacar as nossas partidas que por
aquollas bandas arrebanhavan gado, c tomar-lnes
este.
. Na forma do costume, o nimigo, apenas nos
presentid, deitou a ugir por suas estreitas picadas
cortadas de banhados. A nossa gente foi em per-
segui^o, e conseguimos bater duas forjas inimi-
gas, as dos majores B igado e Montiel, ftcando este
ferido e piisioneiro. Tomamos um;r bandeira e
grande uuraero de laacas, espadas e davinas. No
campo Bcafara vinte e tant%) cadveres dos inim-
gos, entre os quaes o do um offlcial. Alui do ma-
jor Montiel fizamos varios prisioneros, e teem-se
apacentado moitos dos paraguayos pertetrecntes
as Ifopas destrocadas, entrando neste numero um
oflieial e um sargento.
A nossa cavallaria, depois de marchas forra-
das, licua a pe, e a nossa infamara, ao raaudo do
coronel Paranbos, tendo andadi tambera em mar-
cnas forcad.s durante dous dias, suppor-
tando um calor horrivel, chegou por tal forma
extenuada, que imposslvel foi dar ura passo adian-
te em perseguieao de Romero. Os batalhoes che-
gararam com "a terca parte dos soldados, fleando
os outros cahidos pelo caminho. Cinco dos nossos
bravos morreram asphyxiados pelo calor !
t O general Cmara teve, pois, devoltar Con-
ceico para refazer-so de cavalhada e deseancar a
sua' gente. A re -ente operaco, porm, teve grn-
diM resultados, que forara desmoralisar ainda mais
a gente de Romero, que, irazendo mais de 800 ho
mens, apenas fugio com 200, tendo os outros es*
capado pelos bosques, e tirar al.opeza esperan;.!
de receber quaesquer recursos de gado pelo lado
do norte. '
O general Polydoro j fez una reraessa de
cavallos e muas para a Conc-ic/io, e do Rosario
sero feilas exoedJciies idnticas, pelo inarechal
Victorino, afira de liar o general Cmara habilita-
do a marchar promptameute para o Panadero, on-
de se diz que ha alguma gente de Lopex fortifica*
da. Sao desiacaraentis que o tyranno tinha esp.v
Ibado pelo siAi camiulio para oceultar a diraecao
'que leva e diffieultar a perseguido.
Hoje est bem organisado o servicp dos forne-
ce lores, c nao ha recelo de que a nossa gente sof
fra novas privacoes.
t J dei noticia do accordo aqui celebrado en-
tro os Srs. eonselhciro Paranhos e ministro argen-
tino Varella para a retirada desparte das funjas
alliadas.
Esse accordo j foi publicado as folhas de
Buenos-Ayres, e leve ser, portanlo, conliecido nes-
sa corte.
A retirada immediata de fonjaj brasileiras 6
una necessidde palpitante para o imperio. J
nao temos iniuiigo no Paraguay a cunibater, eno
devenios querer por isso tomar cotno inmigo o
tliesouro do Brasil, que tao duros golpes tem sof-
frido, e que pode licar desbaratado se el les conti-
nuarem.
b E' verdade, que a retirada de nossas forcas e
a consequente diminuico d is onus que pesara so-
bre o povo brasileiro, 'contrariara muitos inters-:
ses mesquinhos e pessoas de todo o genero, e que
por isso han de apparecer mil ernharacos na rea-
lisaco dessa medida salvadora. Estou, porm,
convencido do que o governo imperial e o augusto
comniandante em chefe das forqas brasileiras ho
de com energa derribar essaS barreiras e dar pro-
videncias para a prompta exejucao das disposi-
joes do importante acto internacional a que me
refiro.
Na verdade, vista do estado actual das cou-
sas, qualquer demora' na retirada de forcas nao
teria explieacao auto o Brasil e no Rio da Prata
servira para dar vulto griiaria que l anda pela
imprensa, de que temos planos oceultos de con-
quista do Paraguay, quec estamos engaando etc.
Sempre a inesma cantilena.
Acabo de conversar com offlciaes vindos de
Igatemy, que sao accordes em dar a guerra por ter-
minada.
a Accrescentam que os ltimos passados do a
Lpez nos inaiores apuros e sua gente na maior
miseria.
O tyranno embraga-se frequentemente para
mitigar u seu desespero, e madama Linch insta com
elle pjra que se entregue.
O movunento de retirada, ou antes os prepa-
rativos para esta, por parte dos argentinas j co-
aietjou.
Eslo trocando os corpos de guarda nacional,
que estavam no Rosario com os de linha, que teern
de licar aqui. O governo argentino retira toda a
guarda nacional, que anda por mais de dous mil
homens e deixa uns mil e tantos de liuha. Dizem
que o general Mitre retirase tambem.
c Como disse no final da minha ultima corres-
pondencia, aqui chegou no da 30 do passado o Dr.
Adolpbo Rodrguez, ministro do estado oriental do
Uruguay. Adhero ao accordo dos Srs. Paranhos
Varella, dea suas ordens ao general Castro pa
ra a re-rada das forcas orientaos e regressou ao
seu paiz no dia 3 do corrente.
O general oriental j inarchou para Angostu
ra, onde deve embarcar-se. A sna divisan, alm
dos olliciaes, cunta 40 soldado* orientaes! O res-
to eram Paraguayos prisioneiros. Consta-me que
alguns destes acoraparWiaui o general Castro, at
(rbidos por promessas deste.
O incidente que aqu teve lugar entre o go-
verno paraguayo e o commandante da canhoneira
italiana Ardita est resolvido honrosamente para
ambas as partes, gravas a intervencao amigavel
dos Srs. conselbeiro Paranhos, almirante Elisirio
e general Mitre.
O dia 2 de dezembro, tao grato aos corroes
de todos os bons Brazileiros, foi aqui solemnisado
com um Te-Deum em accao de grabas pelo anni-J
versario de S. M. o imperador e pelo restabeleci -
ment da presiuea sade de S. M. a Imperatric. A
esse acto religioso assistirara o nosso ministro, os
g.-neraes Pidydoro e Salusliano, o almirante
elisiaro, ministro eriental, general argeniino
Vtnlia, os inembros do governo paraguayo e inuitos-
ofiteiaes da raarinia e exercito bratileiro e argel
no. Ao romper de dia, i hora da tarde, e ao
por do sol sal varara os nossos vasos' de guerra ur-
los neste porte e a artiiaarta esa trra. A's 6 ho-
ras teve luitar ura banquete em casa do Sr. con
seiheire Paranhos, ao qual assislira n, alm dos
membros do poverno provisorio e dos personados
que cima mencionei, Qftras pessoas de distrae
viago
restaSideciient" no
Mi'.is urna viciir m de Lpez b i nnltu-
ra. A Francora Ai por Lpez, e que ao depotment ine presin pe-
i ante > tributiaP mixto de in<| '- lart-
cju sobre os "rimes do tyrantio. a
irn proceicieiito de cnsul de mu
Sr. Gn^erville, faMeceu lia poueo, victima da
miserta e solTiivieirtes por (jne passou.
A'enapeito te oporacoes militart, o Sr. A- P.
-de Cnrvalho Bfjrges, nosso ministro residente em
| Buenos-Ayre's, 3screveu daqnella cidade ao Sr.
' ministro da guerra, em data de do oei-rmilu,
um* carta ominieanio a S. Ele.- que nscbtxira
do Sr. aonseiheire Paranhos conimunicajoes de
19, nestes termes :
Sua Alteza foi a Curuguaty e Igatemy, para
tomar disposifees que nos facam conbecr rao*
Lpez oceulto-se, ou que rumo seguio em fuga.
< O general Cmara marcha no dia 24 do cr-
rante cora o mesmo empenho.
t O numero de apresentados em Curuguaty,
Igatemy e na Conception consideravel.
Da Tribuna de Montevideo traduziinos o se-
guidle :
O general Cmara tinha regressadode sua
ultima expcdiijo a Tacuaty. Nao pod* aprisio-
nar toda a fonja de Romero, ponjue este fugio. e
a cavallaria brasileira nao poda persegui-l' por
causa do calor quasi asphyxiaute que entaafazia.
i Foi derrotado o regiment do major Bogado
e as forcas sob as ordens do maj ir Montiel, que
licou ten lo o prsioneiro.
Os brasiloiros tomaram urna bandeira, gran-
de numero de laucas, sabres e carabinas. Os que
fugiwm forara pela maior parte -era anuas.
O inumgo deixou no campo do combate mais
de 20 cadveres, entre os quaes se conta o de um
offlcial Alm do major Montiel, qne se aclia era
Assampcio, ha outros prisnioeiros e, muitos pas-
sados. Nesse numero acha-se un offlcial e um
sargento Romero, quetiuham vindo arrebanhar o
gado que os brasileiros tnham na estancia de
Taeuatv.
as villas de Con<*epcon, Rosario, Gurugua-
ty e Igoatemy apresentam-se diariamente 10 a
12 passados, ojeistindo boje por alii mais de 261.
Dizem muitos passados que Lpez se embria-
ga frequentemente para esquecer a situajao des-
esperada em que se acha, e que a celebre Lynch
insta com elle para que ponha termo a tantos sof
frmentos.
Na Regeneracin de Assumpcao encontra-
mos tambera o seguinte :
t Pela declaracao do capitao Lpez, prsioneiro
recenleraente chegado a esu ci-Jade, s ibe-se que
em urna conversaijao confidencial que com elle ti-
vera Lpez, pergunou-lhe o dictador se ciinhecia
o caminho da Bolivia 8 se sabia nadar bem para
acompanha-lo em sua fuga.
Tambera Ihe di-*e |ue levara comsigo rauitas
familia que havia perd<*ad e entre illas as de
Gil, Barrios e a fonnosa Pancha Ganrtmdia.
Apezar dsso, nao possivel >iue seja esse o
roteiro de sua fuga, por causa da immensa dis-
tancia e as asperidules que tem te vencer ; o que
mais presumivel que elle so dirija at o Pa-
ran. >
S. A. o Sr. conde d'Eu pnblicou a seguint'.-
ordem do da:- **
Caminando em chefe do todas as forcas bra-
sileirs em operaees na repuili'M do Paraguay
Quartel general emCapi/arv, 14 de novembro de
1869.
Ordem do dia n. 37 Dando publicdade aos
documentos que seguem, relativos as operares
que tiverain lugar ao mei de agosto proxira i l|n
do, resta-rae por minha vez loivar cora effusao
como ora louvo, nao s.em raeu nomo, mas tam-
bem no de Sua Magestade o Imperador, segundo
m'o prescreve o aviso do ministerio daguerra de
6 do mez prximo passado, a todos os Sis. gene-
raes, offlciaes e mais pravas que nelles vem men-
cionados, por terera valiosamente conwrrido para
os triuniplios que naquelle mez este exercito al-
cangou por seus esforeos em prot da honra e se-
guranza do Brasil.
Cumpro um dever fazendo novaraent espe-
cial menijao dos Exms. Srs. t:a;ntqtjeneral
conde do' Herval, inarechal de ct n(b Vict i-n-i
Jos Carneiro Monleiro e brigadeiroTos Luiz
Menna Brrelo, os quaes como coinmandant;s de
corpos de exercito, pelo seu valor, aclividade e
pericia, mais poderosamente concorreram para os
resultados conquista lo*. Entre estes resulta I <
avulta a doce esperanca de poder.nos em breve
alliviar do servido de campanha e ver volur a
seus lares alguns dos nossoj camaradas que na
hora do perigd, patriticos acudirara aos reclamos
da patria ultrajada. Nos continuaremos cora co-
ragotn nos nossos esforeos, cuja perseveraaca
Dos por lim ha de recompensar, dando-nos a sa-
tisfagao de ver nossa patria vingadd pelos bracos
de seus lilhos e restituida por nos ao sen estado
normal de paz e de creseeute prosperidade.
Se por ventura nao nos forera concedid >s no
vameute os gozos da victoria no campo da batalfn
sei que o soldado brasileiro nao mostrar raenis
fortaleza perante privacoes do um novo genero ;
e alm da consciencia Je cu nprirmos o nosso de-
ver, sirva-nos ainda de'consolaco a eonvic^ao de
que os servidos que ao exercito resta prestar nes-
ta trra, thetro de suas glorias, erabora nao -ta>
brillantes, nao serao menos que os antenore*.
dignos da gratido da patria.Gastao de rleaus,
commandante era chefe. >
De Buenos-Ayres desmenlera o telegrama
que annunciava casos de cholera-raorbus naquel-
la ddade.
0 Telegraplio Martimo de Montevideo d
como feila a nomeacao de Duncan Stewart para
ministro da fazenda do Estado Oriental, e asseve-
ra que esta nomeacao sena brevemente publicada
Continuavam era Baeaos-Ayres os prepares
para o recobiraento da tropa argentina que licava
a chegar do Paraguay. Aln das dem >n>tracoes
que a inordeu duas vezes era um p. Pencas'horas
depois a infeliz Mara nao exista-!
Seu pai, que se achava ausente
ijeio acha-la j agonisante!
0 Comercio do Paran de 18 refere o se-
guinte :
Pessoa moradora do tinga, districto desta ci-
dade, inXscuia-nos que ama ouca, ha dias alli ap
patticidi, tem posto em alarma' a visinhanea.
valenio animal das ossas serranas tem
por ora Hmitado o seu pssset a um campo que
a, dizimando faois diariamente, cujo nu-
mero j ebega a 201 ..
MINAS CEllAES.
Raltecera o senador por esta provincia, los
Joaqiitot^rnandes T.irres..
O Jornal do Cominervio da irte diz a seu re-
peito o ajante:
ndo exercido os mais

de Anadia, Pedro Lite de Aranjo Rocha, arma
do da um olavioote com outro companhro, sa- ,
hrara de encontr ao inspector da quarteiro, Ma- SS "
noel Sabino da Silva, n^uiiaJanioeuhy, e a for- *JE" >,ara..Lara'"
ja soltaraoi*a Kaooet (kHinha, |ue vinna preso PL ^al ; "'
para rebute ordem lo aabdel)pdo ; e o dele- C*^a ^f?J
gado Miuoel de Deas, que ha rauo estav lora avij (a -"**_
do exereieio, para desabafar a tu sub por ) a i>
S5
AL.VGOAS.
~\,El,cTram,H asaeswm^ noticias"no Darl||pf5. Saotidaile SmSt^KKkf.'
A i lis 21 de dezembro do anno |uc acaba [emne ,\0i trabalnes do eoneslo; a qual
de lindar, o 2' supplnte de delegado do wrmo mS n0je em 00|4a ^v, pagina.
NAVIOS A C!RG
UmiO *
ui> c.\t:ntiu, (jara uiuu> wu ^i" \t YaZ
supplnte. veio a viUa. communiem por interme- lpun a"0 >*
c'o, naciimaes estrang t No dia 1 diwrrentePVtiodaqai, cem desli-
no ao Rio Grande do Sal, o general visndedo
de niciativa particular, o governo ordeoou, que i
21 ti-
Mitre
chegada das lonjas f>sse annunciada por
ros das bateras de ierra, que o
presidisse ao desembarque, etc.
Os Srs. Jos Mrmol e Rufino Elizald dis-
cutiam na imprensaa questao da allanca e a re-
voluco do general Flores.
No Estado Oriental receiav;i-se urna revolu-
cao, encabetjaila pur Caraballo e Suarez. O go-
verno havia mandado tropa para Tacuaremb.
REPBLICAS DO PACIFICO.
O governo do Per nomeou ministro plenipo-
teaciario, no Brasil e repblicas do Prata, ao Dr.
D. LuizMerinez.
O congresso do ChUo dsculia projectos de
telegraphos com Panam e Buenos-Ayres.
Era Venezuela houveram tremores de trra.
RIO-GRANDE DO SUL.
Aleanram a 19 do passado as datas da ca-
pital. ,
A' 27, no'districto do Couto, teivno do Rio-Pardo,
suicidara-se, tomando grande quantidade de ver-
de Paris o negociante portuguez Gaspar Mendes de
Novaes.
SANTA CATHARINA.
Ao porto do desterro chegou, a 21 do passa-
do, o transp >rte Anicota, procedente do Paraguay,
cora mais de cem doentes militares para o hospi
tal provisorio. Falleeeu a borcio e foi sepultado
no eenterio daquella cidade o coronel de enge-
nheiree Joo Vctor Vieira da Silva.
PARAN.
No da 27 de novembro lomou posse da pre
sideneiada provincia, o Dr. Antonio Luiz Alfonso
de Carvalho.
Fallecer no dia 9 de dezembro, na cidade
de Antonina, o Sr. Jos Dias Barbosa, antigo pro-
prielario naquella localidade.
O Constitucional de 16 refore que no dia 12
pela raanhaa o coodemiiado a gales, Luiz Antonio
Lentes, evadira-se do Corp> 3a guarda da cadeia
da capitaL Na tarde, porm, do mesrao dia o ci-
dadao Seraphim Goncalves Fernandes, o capturou
nos arredores da cidade, no lugar chamado Batel,
e entregou-o a polica
O Para de 18 refere o seguinte:
t Em um dos ltimos dias do raez de noviambro
prximo passado, no lugar donominado Serr- Lin
do, em urna reunioque bou ve era casa dnJ-
quim Cordeiro, o inspector do rospeeiivo quartei-
ro, Manuel Amanera dos Reis, foi frente denma
escolta prender Amonio Jeremas, cora quera an-
terionnente tivera desaven^. No acto da prisao
travou-se um eoalieto com a escolu, do qual re-
sakou a morle le ura e ferimento de tres dos
individuos que a eompuntetm, evudindo-se o delin-
quente.
9 seguate facto narrado pelo Constitucio-
nal de 9:
t Hontora, bem perto desta cidade, no Alaba,
Mara, irtan$a de 3 a 4anuos, (Utia de jiippolyto
Vispo Machado, traospendo a pvrtera do pateo
em frente da S*S\M aeomnwttia por tama cobra
Tendo exercido os mais artos cargos na ai*
mnstracao do paiz. como os de ministro de esta-
Ufe presidente de provincia, repetidas eze* de-.
pnUdoVdpois seoatlor desde 18i7,.deixon te si
a raais honrosa memoria, tanto na pnlitica, como
na.admioistijacio e na magistratura, em que tam-
bemjarvjp. Sempre tido por amigos e adversa-
rios ttWho'um dos caracteres mais probos e aus-
teros, falleeeu na avanzada idade de 74 anuos,
venerado e estimado por sens eoneidadaos, e
legaiulo um nome que entre os vaivn* e a
agitaeao da poltica soube conservar puro e hon-
rado. >
Tambem fallecen o Sr. Luiz Mara da Silva
Pinto, com 90 anuos de idade. Era homem Ilus-
trado, e qae figurou sempre no mundo poltico.
s. MMU.
Apenas encontramos a seguinte noticia no
Diario deStfaulo de 28 de dezembro :
: O Sr. *rgnel de Miranda, de S. Miguel, deu
hontem Uberdade a duas de suas escravas, sendo
a priraeira de 11 annos maison menos, sem ii-
deninisai-ao algnma; e a segunda, do 20 annos cora
a condiijio de pagar-lbe 500J em prestaos, pelo
modo que quizesse, pudendo, entretanto, g zar de
intoira e completa liberdade. O Sr. Miranda
homem pobre, e assim procedeu por saber que
esta era a vonLade de ma mulher, ha tempos falle-
cola Este proceinento do Sr. Miranda digno
de todo toavor.
RIO DB JANEIRO.
S. M. o Imperador visitn no dia 27 lo pas-
sado, a corveta Nitheroy, o o quartel da Armadlo,
o laboratono pyrolhcjnnieo, e o hospi til previso-
rio; e no dia 31, o quartel do batalho de fuzilei-
ros navaes e o hospital de marinha.
Por decreto de 29 foi agraciado com o titulo
de raarquez do Herval, o tenente.general viscon-
de do Herval.
Por carts imperiaes de 22, foram naturali-
sados os subditos portiwuezes D irangos Antonio
Fernaivles e J-is Mara Ferreira, e o subdito gre-
go Michael Gacomo.
Por decreto da mesma data foram concedidas
as honras de conego da calhedral lo bispado de
S. Paulo, com assento o antiganlade, a) vigario
collado dt fregnezia de Jundahy, da mesma pro
vincia. palre Estanislao Al ves de Queiroz, filando
sem effeito o decreto que o nomeou conego elTec-
livo da dita calhedral.
Por aviso d 24, foi nomeado presidente da
comoiisso de derrotas, o chefe le diviso Maaoel
Francisca da Costa Pereira.
Por decreto de 29, foram concedila ao lou-
tir em medicina Pedro de Athayde Lobo Miscoso,
as honras do posto de 1." cirurgi > capitao do cor-
po de saiide do exercito. n attenijo aos relevan
tes ser'ijos prestados era relam a guerra contra
o governo do Paraguay
Por decreto da inesma data, foi classificado
na 6.' companha do 2." regiment de cavall iria
ligeira o capitao da mesma arma, Manoel Luiz da
Rocha Osorio.
Por decreto de 23, foi o 1. lente Jos Se-
vero M reir Rios transferido para a 2.* classe, na
eonfonnida le do arl. 7." da lai n. l,20i de 13 de
maio de 1864.
Por optro da mesma data, foi nomeado
Francisco Loaren^ Touriuno de Pinho 2." pbar-
raaceulioo do corpo de sade da armada.
Luiz Canuto Emerenciano foi, por decreto
de igual tata, demittd> do lugar de secretario da
capitana do porto da provincia do Rio Grande di
Norte.
Por portara de 31, foram nomeados prat-
eanles da directora geral dos coi reos, cora os
veni'im^ntns da tabella qne baxou com o decreto
n 3,443 le 12 de abril de 1863, Joao Joaquira da
Sil/a Filho e Pedro Insto Gimes da Silva.
Por portarla, de 81, foi o enaenheiro Marti-
nho Domiense Pnto.Braga dispensado do lunar
le chefe da commiss > incumbida de medir -) de-
marcar trras devolutas as colonias Bluraenau e
ftaj hv, da provincia de Santa Camarina.
S. A. o Sr. principe D. Felippo de Bonrbon
chegou airte, de volta de sua viagein S. Pau-
lo, no dia 31 do passalo.
No lia 30, falleeeu o Dr. Roberto Jorge Had-
duck Lobo.
Era dotado de intelligoncia robusta o Ilustrada
e do vontade enrgica; desias qualidades, den
provas na poltica, em enjas lides tomn butr'ora
parte activa na cmara municipal, le )ue foi
membr i, nos bneos do Brasil e Rural, e as
companhias Brasileiras de Paquetes a vapor o da
estrada de ferro de D. Pedro 11.
Lenos no Jornal do Commsrcio :
Acha-se exposu era casa lo Sr. Valais urna
corta le ourn, representando folhas de louro, para
ser offoreiida ao Sr. Furtado Cotilho na noite
da inauguraijao do novo theatro S. Luiz. E" urna
obra notavei, tanto pelo valor intrnseco, como
pelo trabalho artstico. No \ncfi que prende os
dous ramos que formara a cara l-se e*ta ins-
cripfo :Offerecida e dedicada a Luiz Candido
Furtado Gilho por alguns amigos, e a data i.0
de Janeiro de 1870.
Ao lado desta prenda acha-se igualmente ex-
posta nina rica raedalha de onro, n'uraa de cujas
faces se v o busto do Sr. Furtado Colho em n-
tMO, e na ouira um sol ; em cada um de cujos
rates est escripto o nome de um dos artistas da
Compinhia, que sao os que tn de fazer esta of-
ferta tambora na noite da inauguradlo do novo
theatro.
Es;revem-nos do Arax :
i Na noite do dia 16 de setembro prximo pas-
sado evadrara- se da calia desta cidale, por de-
leixo do carcereiro, oto presos, entre elle. recru-
tas, desertores, um criminoso e escravos fgidos
dos f izendeiros da mata dessa provincia.
Desses escravos havia um que andava pelos
suburbios desta cidade commettendo roubos e ou-
tras tropelas. Muitas queixas appareciara s au-
toridades, de suas barbaridades, porm estas na-
da consegniam.
No dia 1." do actual um cascavel fez a sua
polica agarrando na rao desse escravo, que ser-
via de horror, e elle vendo a marte prxima foi a
urna chcara pedir ao dono que Ihe mandasse ver
ura padre, para se confessr, que se julgava mor-
to, e nesse acto contou como foi picado da cobra.
* Foram-lhe administrados os socc'irros medi-
ros, porm no da 3 deste mesmo mez falleeeu na
cadia, aonde foi posto no dia 2. Confessou o es-
cravo ser de um Canabrava da cidade do Juiz de
Fra.
Es as noticias comraerciaes da ultima data :
Effectaaram-se transrfccoes meno que regu-
lares em cambio sobre Londres a 19 3/4 d. papel
bancf rio e a 20 d. papel particular.
Negociaram-se oequnnos lotes de titules do
eraprestirao de 1868 a 7SIO0O ; varios lotes de
soberanos a 12*000, 12*030 e 125100 ; ?00 ac
fden do banco do Brasil a 135J000 ex-dividendo.
A aliandega da corte rendeu no mez de de-
zembro 4,333:iS4297.
Chegou corte, no dia 31, a curveta de
guerra Paraense, procedente da Babia.
Sahiram para Pernambco os segrales na-
vios : a 26, ba-ca portugueza Claudina ; a 18,
ban dita Amelia, e patacho hespanhol Rosita ; a
29, polaca hespanhola Providencia ; e a 30 bri-
gue portuguez Lidador.
. BAHA.
dio do oscrivo estar n is.funceoe-, e in-conti*enti
soltou mais dous recrutai recolhidos a ontem do
raesmo subdelegado, sem satsfa;o neui fonnali-
dade alguma!
S I ac. o sr. presdanle da provincia, no in-
tuito de perorrer os qaatro municipios da pro-
vincia, (mperatriz, Asseinbla. Palmeira e Anadia,
seguio ifb" dia 4 acomjanliadf dos Srs. major Mi
randa, ajndante de orden o tenenle rabelino, e
egenheiro Jo* Luiz Pires Lopes', actualmente ao
servico da provinda, no impedimento do Sr. Cir-
ios de' Mornay, quepedioe obteve li^pja sem ven
eimentos afim de acompauhar uraa jtesoa enfer-
ma de sua familia.
t Em sua excursa) S. Exc. val ter opjtortum-
dade nao s de coabeceriwr si mesmo o euado,
necesidades e pessoas dfs municipios indicados,
como tambera de adquerir uraa idea anda mais
compl3ta da importancia la linha frrea, a cujos.
estudos se est procedendo.
A iiuestao de limites com Pernambco de ve-
r ocenpar tambem a attenijo do Exm Sr. Dr.
Jos Beato.
O oagonhero leva a missao especial de pro-
ceder a exime do obras, a qual te n sido adiado
por afluencia debutris servicos que nao pennil-
tiram distrahir raais cedo o nico profissioiial in-
cumbido da direccao las obra* provinciaes.
t Em s ia viagein duas comarcas do rio S.
Francisco, o anno passado, obwvou S. Exe. o
Sr. presd inte da provincia o mo estado datiuel-
les lugares em consequencia da secca e da lome
que desde certa epocha tem flagellado os sertoes
da provincia. Destribuirara-se alguns soccorro*,
e nomearam-se coraraissSes incumbidas de pres-
U-los no Porto da Folha, Pii de Assucar, Para-
nhos, Malta Grande e Agna Rranoa.
As eommissSes estavam autorisadas a acudir
as necossidades imperiosas e reclamar recursos
I ue nacen >
. Mura Laiza do
van
mais ampios que depradessem do g iverno.
As obras que a presidinaia mandn fazer as
matrizes do Penedo, Porto da Folha a Pao de As-
sucar, com subvencites do cofre provincial e me-
diante planos orgai-ados pelo egenheiro da vro-
vmeia, tiveram a vantagem de proporcionar um
raeio do subsistein:ia classe desvalida.
0; juizes municipaes tiveram recoramenda-
ijes para raandarera os orph is desamparados,
qae enciintrariam abrigo e protccao na fabrica
de tecidos de Fe ;uao-Velho e nos arsenaes da
corte.
Facilitaram-so pas^agens gratuitas ais neces-
eitados que quitessem servir ni corpo le polica.
no de guarnicao, ou mesmo as obras publicas
da capital onde superabundante o numero dos
operarios.
t Em quanto ha irahalht comp nivel com as
forcas de cada um, e |ue ministra M recursos
pira a manutencao da gente pobre, nao se deve
esmolar, era exigir s nenie os soccorros p-
blicos.
Entretanto tem falhado as chuvas que se es-
peravara, e a calaraidade comiiia a apresehtar
um aspecto cala" viu.iis*c atrisiador.
Nestas circuraiUncias, tendo recebidn um of-
tliio da ommisso de seccorros da villa da Mata-
Grande, alera de communica;oes extra-olliciaes.
resolveu S. Exc. sem demora dar providencias
ainda mais elfieazes, nao obstante o espirito de
economa aconselhado pele estado ftnanceiro do
paiz era consecuencia da guerra.
J linha si lo nomoada nma commis dado do Pnelo adra de servir de centro as me-
didas que se tomassem para allivio da liuiua^da-
do soffredijra.
Nesia capital foi tambem nomeada em 3 do
corrente uraa eommissan cranosla do- Srs. ins-
pector da thesouraria de fazenda. Leandro Fe1 rei
ra Campos, e negociante Justino Jos de Sonta e
Silva o Bento Joaquim de Medeiros para a com-
pra, lscalisaijio o rembssa de gneros da_capital.
Esa corainissao, cim) as outrs, sSo com-
postas de pessoas de reconhecida probidHtfl o M-
lo, as quaes deven proejder de aecuri) cora as
nstruiviies da"presideiica acerca da nsnee$a celeridde que devera haver as providencias,
conciliandi-se os principies de humanidade com
a economa dos dinheiros pblicos, e criterio na
listribuico le soccorros, que s devem aprovei-
tar aos individuos propriaraente de>validos.
N) vapor Giqui, que seguio d'aqui a 3 do
corrente, ez-se por ordem da presidencia a pri-
raeira reraessa de gneros alimenticios : 200 >ae-
cos de farinlia, 100 arrobas de carue secca e 20
barricas de bacalhao.
Parte destes gneros e mais 10 barricas com
hilachas iro log para Malta-Grande e Agua-
Branca. Com o restante a commissao do Penedo
ira acudindo aos pontos necessitados; usando
alm distm da autorisago da presidencia para
prever logo as novas precisoes urgentes que se
verificarcm.
PERNAMBCO.
Seguir para o Rio de Janeiro a fragata de
guerra americana Ixincaster
No dia 17 de flezerabro, foi brbaramente
assassinado com ura tiro de espingarda no distric-
to de Jess Mara Jos, do termo de Inhambupo.
o guarda policial Jos Rufino de Queiroz. que alli
se achava era servico publico, por Jos Alberto
da Silva Cansancio, conhecido por Jos Batati-
nha. smente pelo motivo de querer-lhe o guarda
tomar a arma de fugo, oom qne se achava.
Fallecer o rico proprielario Custodio Fer-
reira Vianna Bandeira.
A alfandega rendeu no raez de dezembro
1,036:099*377.
O cambio sobre Londres regulava 20 a 20
1/8 (i. por i J0OO. e sobre Pars 473 rs. por fr.
temos no Jornal:
Ni* dia 1 noite fallecen repentinamente ao
chegar sna easa, de um passeio, que fizara
arabia, onde paseara os dous dias santos, a par-
da Mina da Penha Franca, natural de Pernamb-
co, e ra rajos* as Grades de Ferro, freguezia da
Conceii^o da Praia. *
Cruzeiro do
para os se-
5:100*000
5:000 000
."i: 000 4000
1:000*000
300*000
400*000
300000
300*000
200*000
190*000
164*000
110*000
BEYISTA DIARIA.
AUTORIDADES POLICA ES.Puf delibera ao
da presidencia, do 8 do corrente, foram nomeados
Io a 4o siippleiites do subdelegado da freguezia do
Pi'o da Panella os Srs. : Manoel JosdeP^iva
Pinto, Antonio da Rocha Accioli Lins, Francis.'o
Mainetle de Almeida, e Thomaz Jo- da Cosa Pi-
raentel.
SECRETARIA DA PRESIDENCIATendo ob-
tido licem^i do Exm. Sr. presidente da provincia,
deixou saiibado temporariamente o exereieio do
cargo de secretario o Sr. Dr. Joaquira Corrta de
Aranji. '
DIREITOS DE IMi'ORTACO.Por portara do
ministerio da fazenda de 3 do passado, foi de-
clarado inspectora da alfandega da corte que
os gneros transportados p.r embarcacoes que
tiverem dado entrada ua mesma alfandega al o
dia 31 do passadi pagaro os direitos de importa-
Qo sem o augmento de 40 | ou 30 | que corae-
^ou a vigorar no dia l" de Janeiro.
DINHEIRO.Os vapores Gitiir e
Sul trouxeram a i seguintes somas
nhores:
Araorim Irmos i C.
Carvalho & Nogueira.
Pereira Carneiro &C.
Hermann Blun.
Theodoro Simn 4 C.
Lehmann frres.
R. B. Pires Lima.
Emiliano Evangelista de Muraos.
J. Gerardo de Basto.
A. Gomes de Miranda Leal.
Maaoel Moreira de Souza.
Satyro R. Santo?.
i Esses vapores trouxeram raais as seguintes
sommas:
Para o Rio de Janeiro. 333:876*732
. a Bahia. 512*000
a Parahyba. 450*000
t o Cear! 75:858*970
o Maranhao. 106:332*970
o Para. 85:428*000
THESOURARIA PROVINCIAL.-Em 31 de de-
zembro do anno passado existia, nos cofres da the-
souraria provincial, o saldo de 702:117*043 reis,
sendo :
Em dnheiro 240:49*i839
Em ledras a vencer 257:734*204
Em ttulos 73:000*000
Era np.lices 128:953*000
A roceita arrecadada no mez de dezembro, reu-
nida ao saldo do rooz de novembro, elevou-se a
966:192*774, e a despeza effectuada a.........
349:173*731 rea.
DCIMATermina hoje o praso para o paga-
mento da decima urbana de 5 0/0 das corporactas
de ino morta, sem mnlta, imposto* wtej relativos
ao primeiro semestre de 18691870.
INSTRlfCCO PUBLICA.Em consequencia de
ter entrado no goo de li :enja o Sr. Dr. Joaquira
Pires Machado Portella, assuraio sabbado o exer-
eieio interino de director da instructjao publica o
Sr. conselheiro Francisco de Paula Baptista, para
isso designado previamente.
GUAR.Este vapor, chegado nomtem do sol
do imperio, tira hoje s 3 horas da tarde a mala,
no correinapara os portos do norte.
CRUSE DO SUL.Por ordem da presiden
eia foi transferida para boje a sabida teste vapor
para is portos do snl do imperio. As malas se-
rn fechadas no enrreio 3 horas da tarde.
CONCILIO ECUMNICO. Chamamos a atteu-
Rao Gran
ranliao.
POSITIVO. Este patacho portugu /,
Lisboa a 22 do pa-sado para farmaan
Muintc cartas ; 48 pipas, 7 karris e 8 cana a
nho, 30 ditas batatas, 105 ditas ceblas, 197 dan
azulejos, 12 barricas atesta, 27 voume* aregak
230 ancorla* awitonas. 247 saceos feijao. HO f-
tos farello, 200 ditos miiho, 888 po*as de hf-j,
25 barr c.houricn, 45 ditos toucuibo, 63 Om ar
zeite.
DOURO. Esle vapor -wrkj) portadnr da ma>
de Southampton no corrente mez.
AUGU3TINE. Eral esperado en LLsbta, etB
viagein oara o Cear, Maranhao e Para, #:4
do (Mrente, o vapor inglez Amjustine, da lmb>
de Liverpool.
MERCADO MONETARIO DE LONDRE3.-
22 lo passado os Srs. Pinto Leite k:
dizem o s<*guinte sobre este mercado :
Tem havido abundancia de
quinzeoa o os descomas ate
rara a 2/i a 2T/i V. por papel de pri-netra
seudo este ulti.no algarismo o raais gtnL
lemente o mercado tornou-se mais tmme e as
descontadores inclmaraia-se a lacha d basteo te
Inglaterra, qae continua a ser 3*/- Hoa*ei
regular de numerario para pnwtsdes
commercio, al estes ltimos dias eos que eMi
augmenten, e sem duvida na de coaltaaar activa,
segundo cjstuma acontecer no lim d> anno, i.
do geral mente se augmentara os batneos para i
os banqueiros. Alm d'iste o amajo de
no Stock K.ccliang*, e as precisos do co
nos primeiros dias do mez >|ue vem, bao de i
huir bastante para a procura geral Man tana?
a distribuic de dividendos Je fundo* easebama-
das dos eraprestim h recentes ser.) m divo para a
linueza seno para a tendencia aseaademe d>
mercado. Porm, quanto eraissa > do empreswa*
turro e de outros miudo*. nao influirn! ao valor
da linheiro adversamente. A posi^ do bar*c>
Matriz melhorou notavelr^ente sendo em 9 *
actuaT^na reserva metlica t l,767f 10 ou 239:*7>
raais do que na antecedente semina, e amrmen-
undu at lezeseis do andante para 19,167: M. N->
total das notas homo tambem meibiira peta de-
ere cimo las |uantidades em eircnlaro, cuja in-
oortancia n'essas datas foi respeetvamenii-
22,861:810 ou 313:175 mimos do que uaseman
precedente, e 22,400:310 ou mais u:n deereseim >
di 179:300. Os fundos consolidad.w foram afcrt i-
dos adversamente pala vemla du 600:0tk) pur ca-
la da directora do hospital de Greenw ch; baix?-
rara por isso \\, mas ltimamente se lomaram
firmes. Houve das de bastante mnvimento em lan-
dos estrangeiros, apezar das inudancxs raim
riaes em Franca, que por fon^ inluiram na VI-1
de Paris, mas nao de forma qae reagisse tesfav ,-
ravelraente sobre o Stock Exrliange a|ui. N
ral os fundos e tifulos de crdito teeme ewMtr-
vado comparativamente liruies *enl provavet qae
expeiiinentemalguma subilla pupnnc
anuo. Os fundos brazileiros subirara ultimaaMafla
uraa boa frarc/w. Os poriuguezt UHmi igaas-
mente ra-dhordo. Saio afinal o nptvstim 11,
de 12,000:000.- Eraitto-se o prospecto da e
panbia de mhnracao Pacifica, sohcitamlo a snbs_
cripeo de 150,00$ para explorar minas te rar >"
na California, e outro da companha do letegraph
submarino da China, d'um capital proposli te
535:000 formando a continuar las linhas ja
progressj Je Falmouth, Gibraitar, Malta. Aa|
Mediterrnea, India-Britnica n submarina, e Jas
e mpanhias Je extensao Maajataas na Indi:
Ingleza, estando -aquella companha fm roatsi
com todas estas. Sais tambem o eraprestimo d)
100:000 do governo da Australia d> snl.
< Na casa central do lianqueiros o moviment >
de balanzas diarios ajustados por lettras eebeiaes
alcanQaram na >eraana linda era 9 do corren!-;
7J,:ili:000, e na linda era 16 do mean a
'5,590:000 : total. 147,904:000
NOTICIAS COMMERCIAES.-Oto as segiiialw
as noticias das priDeiMH praeas di Europa :
Liverpool, 2# s 10 n. da m.
O algodao teve urna altja de d. dOjmm
de Pernambco 12'/ a 13, da Parnyba 11 l
Macei 11 Vj a 12, lo Maranhao II I t. do
Rio-Grande lo Norte 11V a 13, e do l>ai
O assucar desanimad-i aos pr,ros de i'i i? >
branco, e de 18/6 a 24/6 o raascvado.
. Havre, 26 ao meio da
O algodao mnito calina O de Peraazntaro or-
dinario lea de frs. 140 a frs. 142.
Os couros licam franis. Os a> Pernamb-KO
salgados seceos obtm frs. 61, e os verk
e .'0 cent.
O cirio do Para fronxn a frs. 87 e 50 cenL
A borracha do Para falta.
GNEROS DE ESTIVA.O vapor fram-ez ifi* -
zone irmixe os seguintes vulum"s : 6caixa*i|iiei-
j is a Jos Joaquim Alves, 40 a T. de Aq lim F. .,-
C., 14 a J. M. da Rsa A Filh s. 23 a J. J. -n-
calvi's Beltro, 9 a Lima Silva 4 ('.. M 2 's*?-1
Irmaos 4 C, 40 a Guiraares & Altwforadn, 75 a
Carvalho Zenha & C.; 200 caixas vinho a R
4 C, 279 a Th. Chrisiiansen, 200 a C A. Mri
Mott 4
23c.iixa sanlinhas a Joao laSava
Parla 4 Irmo; 30 caixas cognac a F. Sauva^.
55 a Tasso Irmos, 50 a Augusto P. de Oliveira 4
C, 10 a C. A. Sndr la Mitla & C.; 17 eaixaa K-
cores a ordem, 70 a Jos Joaquim Alves ; II tai
xas conservas a F. Dubarry, 18 a El. Turpin.
GlRONDE.-Este vapor da linha te Bor.teair.
era viagein para a Europa, toeou no p;rto te Go-
ra a 27 de dezembro.
PROTESTO DE LETRAS.O escrivo les pro-
testos los Marianno de All)ii|ueri|ue, esta te se-
mana, a ra de Santo Amaro n. 20.
DICCIONARIO DE MEDICINA.Coa o presen-
te numero do Diarto desirihuimos nm pmf>pert<
Ja 4.' edico do Diccionario dr Medicina Popmlmr
por Chernoviz, correcto e augmentado,*irazndt
0 novo modo de soccorrer aos alfogados. Recora-
mendamo-lo aos leitores.
ERRATA.No annuncio fnebre publica* p--
lo Sr. J. M. Correa de Mellodeve ler-se em *ez
de interna dor c pendranteintensa e penetran'-
dor, 3.a linha.
LOTERA.A que se acha venda i a IXI*. .
oeneficio da groja de Nossa Senhora 4* (>*ree>>
dos Militares, que corre no dia 13.
PASSAGEIROS.O vapor brasileiro tmztinj
Sul vindo dos portos do norte trouxe, <* setenan-
tes :
Antonio Lallim e nm escravo, Guillierme Jos-.
Jos Custodio Ferreira do Nascimeato Dr. Basi-
lio de Moraes Dias e um escravo. Candido Fernan-
des, Jos Ribeiro de Amaras, Antonio Gomia d
Frias, Jos Teixcira de VarMroocWtes. Frannae.)
Teixeira de Vasc>ncei|os, Francisco de Paula Min-
dello, e sua senhora, Jos Gomes de AraojoQnin
lella Jnior, Francisco da Gamma Porto, Jos D <-
mingos Porto Netto, M. Rubach, Jos t Aaevedo
Silva, Jos A. da Costa Ferrdra.
Seguem para o sul:
Candi o Jos Antones, Joio Thomaz G., Oiym-
pio Jos Chavaniis e sua senhora, 3 Sinos e ama
criada, Jos Mara Lopes de .astro, Luiz Mant*
Reg, Joaquira Fernande- Martins, Ja Aaaaai>
Rodrigues, Jos Ferreira Santos, Candido CaanaV,
Joaquira Guedes de A guiar Jnior. 2* ruten T.
Bizerra de Albuqnerque, Aatoaw Jos i* Salo.
1 imperial marinheiro, 4 recruzas para a axer-
cito.
Vapor brasileiro Parakiba, vindo de Ggjraa-
na trouxe o seguinte :
Ricbades.
O vapor brasileiro Guar, trouxe dos portas
do snl os seguintes : capitao Joaquina san *
Ramos, dito Themistndes de Oranp dos Huta Li-
ma, tenenle Jos T Pereira de Maga lames, l-
ente Jo D. da Silva Paula, dita Gorman Ja-
Corrcia de Aranjo Maia, Dr. Luiz Ferreira Ma-
ciel Pinh'iro, Arihur Jeronymo n S. laurfu.
loo Domingos de Olveirae I fllho, 1 eMvaea 2
entregar a Jos da Silva Loyo e Filbo, Pedro ;
Almeida, Aristi tes Jos ie Leae e I Mba, 1 J. *.-
Almeida Pernamboeo, Maned da Silva Cacea,
H. G)n:alves Guimares, Joaquim I nnranaa an
Oliveira, tes de Obviara Coelho, Jofo S. t O-
vein Meirelles, Francisco Plono \**\, JnaapsajJ.
de Oliveira Tavarrs, Meteniades Camal fiatW
Emilio Kidter, sna seahura, I ha meaor o 1
criado, Dr. Benyeaoto Alvra (te Canrallu.. Ortnvi
Alve- da Penses* e 1 eseravi.. D. Marta da Gtarka
Reis, Manoel Brnnt e 1 rriado,
Joo Alves Branco, Mannd A da Silva
commanrnador Manuel de Vasconorite*, Pera Cor-
rea Vieira, Carmo J. le Castro, Miao
de Gusmao, Joio Capristano da Siva
I


ido Arrochela G.itvao, A. Floriano
isconcellos
Prado A
l.eile, M. Baptisia M ira Piolo.
Pinte. Ilranfl Muller, I. Battorq, Abel
Mara, H. L'lpet o sua setiliora, i ex-praca da ar-,
mada e 37 pravas do exercilo Invalidas.
Segaem para o norte :
Emmahuel Bluhn, Joo Maria don Santos, alte-
res Jos Luiz de Souza, capitio' Joo Pereira da
Silva, Miguel Severo de Souza Pereira, capitio Ter-
tuliano da Costa, Srmone Ernesto, Jos da Silva
Moreira, Dr. D. Carlos de Soma da Silveira, Dr.
Murilto Mondes Vianna, soa senhora e i fllho, ma-
jor Sebastin da Conha Er-a e Ceuta, sua senhora,
1 innaa e 3 fllho*, Dr. Salvador Pires de Carvalho,
sua senhora, 1 fllho e 1 escravo, Francisco Augus-
10 da Silva Leite, Dr. Joaquim Serapio de Carva-
lho, Dr. Cirios Mermay e 2 escravos, 2 ex-pracas
da armae 117 ditas do exercilo.
O vapor brasileiro Mandah entrado de Ma-
manguape troDXe os seguales :
Manuel Jos /la Sil a Regadas, Dr Jos Ferreira
de Novaos, Joaquim Jos de Medeiros e i criado,
l'sda Silva Loureiro Jnior, Francisco Joaquim
Pereira Barroso, Manoel Joaquim de Souza Le-
rnos, Ant-inio Francisco de Moura, Hara Carolina,
Vicente X'CO> Francisco de Paula e Silva, Dr. loa-
quim Francisco de Arruda, J. Pedro Baptists Car-
Jieiro, Manoel Jos Ferreira Gusmo e 1 fllho, An-
tonio Francisco de Al incida Tiorga Ant-nio Se-
moente.
Viodos da Europa no vapor francs Ama-
zone :
Hyppolilo Delsuc, A. Malfei, Julio Cesar Pinto
de liveira.
CEMITERIO PUBLICO.-Omuano do dia o de
Janeiro :"
Joo, Pernambuco, 7 annos, Boa-vista; cmaras
de sangue.
Emilia Jacntha dos Passos, Pernambuco, 23 an-
nos, solteira, Santo Antonio; bronchite agudo.
Raymundci Jos Ferreira Cear, 3o annos, sol-
teira, Boa-vista ; espasmo.
Auna Maria da Conceicao, Pernambuco, 70 an-
uo, solteira, S.Jos ; molestia interna.
Francisco Joao Al ves do Almeida, Pernambuco,
38 annos, casado. Itecifo ; febre perniciosa.
Jos de Almeida Cosa, Portugal, 60 annos, sol-
teiro, Santo Antonio ; erisipela.
Josepha Mana da Luz, Parahyba, 20 annos, ca-
sada, Recife ; bexigas.
Mardonia, Pernambuco, 10 mezes, Santo Anto-
nio ; nopalito.
Emilio Gomes de Azevedo, Pernambuco, 38 an-
nos, casado, Boa-visia ; tubrculos pulmonares.
Isabel, Pernambuco, 1 anno, Santo Antonio ;
champe.-sia.
6
Therea, Pernambuco, 10 mezes, Boa-vista; con-
vulcoes.
Manoel, Pernambuco, Boa-vista ; ao nascer.
Candido, Pernambuco, 3 mezes, Boa-vista ; va-
rilas.
Anua Benedicta Barloleza, Pernambuco, 4i an-
uos, solteira. Boa-vista ; gastro inleriie.
Antonia Maria de Jess, Pernambuco, 90 annos,
viuva, Boa-vista ; congestao cerebral.
Emilio, Pernambuco, 9 mezes, Santo Antonio ,
hvlropesia.
'Theodora, Pernambuco, 42 annos, solteira, S.
Jos ; cmaras de sangue.
Thereza de Jess, Pernambuco, 40 annos, sol-
teira, Boa-vista ; phtysica tuberculosa.
Francisco das Chagas Ferreica, Pernambuco,
5! annos, solteiry, Boa-vista ; molestia de peito.
Jos, Pernambuco, 3 annos, Boa vista ; queima-
dura. _____
PUBLICACOES A PEDIDO.
ei.hi:.\o
dos juizes, juizas e mais devotos
que teem de festejar a Santis-
siraa Virgem da Fiedade, no
convento da reguezia de Mu-
ribeca, nodia 13 de fevereiro
do corrente anno de 1870.
Juiz por eleico.
O Illm. Sr. Dr. Paulino Rodrigues Fernandos
Chaves.
Juiz por devocao.
O Blm. Sr. teuente-coronel Francisco de Miranda
Leal Seve.
Juizes protectores.
03 Illms. Srs.:
Coronel Antonio Gomes Leal.
Manoel da Silva Faria.
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Jos Maria Carneiro de Albuquerque Lacerta.
Juiza por eleico.
D. Maria da Cunta Magalhaes
Juiza por devocao.
D. Marja Candida
Loyo Sobri
Algodo do Rio Grande do Norte reg. bom-"-li062
pw kli. oosto a bordo, freto de 3(8 e 5 0|0 (hom
Un).
Corabio sobre Portugal90 d|v. 160 0|0 premio,
oncallu Jos Alon-
Presiitoote
. Mesquite Jnior,
P Secrotano.
ALFANDEGa.
ftenctimento do dia 3 a 7 .
dem do dia 8.....
187:080*585
45:972*993
233:053*578
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
dem dem com gneros 948
'olumes sahidos cora fazendas 251
Mem dem cora gneros 74
1331
323
Descarregaro hoje 10 de Janeiro
Lugar inglezCauquemercadorias.
Patacho inglezBranchidem.
E-cuna norte-allemaaMaria Elisbethiiom.
Brigus inglezJohn Frentn idem.
Brigue inglezCrwuaridem.
Escuna aUema Adeltnefarinha de trigo.
itECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
ttendiraento do dia 3 a 7 5:885*187
dem do dia 8...... 4:904*932
10:790*119
CONSULADO PROVINCIAL
rtendimento do dia 3 a 7 43:4754316
fdem do dia 8....... 8:853*109
52:328*755
PRAGA DO RECIFE
su 8 de Mirante de 1870, s 3 horas da tarde.
ki; vi vi a *b:i \\ai..
Cambio.Sobre Londres effectuaratn-se a 20,20
1/8 e 20 1/1 d. por 1*. Sendo o valor dos. >aques
para a Europa de 100,000.
Algodao.O de Pernambuco, escolhido e regu-
lar, vendeu-se de 14^500 a 153, sendo vendido
smente 150 saccas pelo ultimo preco, de Macei,
posto a bordo a 15*750 e da Parahyba idem, a
15*600 por arroba ou 15 kilogrammas.
Assucar.O mascavado purgado regulou de
35400 a 3*800. o bruto de 3*150 a 3*300 e do
Canal de 2*900 a M850 nominal.
Agardkme.Vendeu-se a 96* por pipa.-
Anaoz.O pilado da ludia vendeu-se a 3* por
arroba.
Azeite-doce.Vendeu-se o de Lisboa e o do
Estreito a 4* por galo.
Bacalho.Etn atacado vendeu-se a 19*000 e
a retalho da 185500 a 20* por barrica. Ficando
em deposito cerca de 9,000 barricas.
Baxha m i-tico.dem a 860 rs. por libra.
Batatas.Vendeu-se a 1*300 por-arroba.
Cafdem de 5*500 a 6*800a arroba.
Cha.dem de 2*200 a 9*900 a libra.
Cbrveja Idem de 5*800 a 9*000 a duzia de
garrafas ou botijas.
Kerosene.Vendeu-se a 8* a lata.
Louca A ingleza vendeu-se com 440 por cento
de premio sobre a factura.
Manteioa.A ingleza vendeu-se de 1* a 1*050
por libra e a franceza a 860 rs.
Massas.Venderam-se a 8* a caixa.
Oleo de linhaqa dem a 2*400 por galio.
Passas.dem a 10*150 a caixa.
Presuntos-dem a 18* por arroba.
Queijos.Os'flamengos venderam-se a 2*700
cada mu.
Sabao.O inglez vendeu-se a 170 rs. po libra
e o do Mediterrneo a 340 rs.
Toucinho.Vendeu-se o de Lisboa, de 8* a 12*
por arroba.
Vinagre.O de Portugal vendeu-se a 195* a
pipa.
Vinhos__Os de Portugal venderam-se de 220*
a 280* e os de outros paizes de 200* a 210* por
pina.
Velas.O pacote de 6 velas de composicao
vendeu-se a 640 rs.
Descont.Durante a semana regulou de 10 a
12 por cento ao anno.
Fretes.Do algodao, carregando deste para o
porto de Liverpool 3/8 d. por libra sem capa,
vela e 1/2 d. por libra idem, vapor; para o Ca-
nal, vela, a 1/2 d. par libra e 5 por cento. Do
assucar, d'aqui para Liverpool a 17/6 por tonelada
e 5 por cento, vela e a 20/ por tonelada e 5 por
cento vapor; para o Canal e ordens a 25/,
por tonelada stm cana, vela e para Marcnlha a
25 frs. e 5 por cento idem.
para
MOVIMENTO 00 PORTO.
A Exma. Sra.
Seve.
R Exma. Sra.
nho.
Juizas protectoras.
As Exmas. Sras. :
U. Carlota Amelia de Albuquerque liveira.
U. Clementina, mulher do Illm. Sr. Joao da Silva
Faria.
D. Maria Celestina Paes Brrelo.
D. Maria Ricarda da Silva Reg.
Escrves.
O? Illms. Srs. :
Dr. Joao Maria Seve.
Jos da Silva Loyo.
Antonio Joaquim Pereira de liveira.
Jos Mariano de Albuquerque.
Jos Caelauo de Albuquerque.
Hermenegildo Eduardo do RegoMonteiro.
Escrivaas.1
As Exmas. Sras.:
. Francisca Amelia de Albuquerque.
O. Alexandrina de Magalhaes Leal Seve.
D. Clara Amabilia da Molla.
D. Maria Augusta Fernandas Chaves,
. Marganda Alfonso Ferreira.
D. Celina Mana do Carino.
Mordemos
Os Illms. Srs.:
Fre Joaquim do Espirito Santo.
Padre Antonio de Mello e Albuquerque.
)r. Joaquim Correa de Araujo.
Dr. Felippo de Figueiroa Faria.
Dr. Alfredo Ernesto Vaz de liveira.
Antonio Bernardo Quinleiro.
Dioizio llano Lopes.
Francisco Libanio Colas Flho.
Fre' Jorge de Sant'Anna Locio.
Padre Ernesto Ferreira da Cunha.
Mordoraas.
As Exmas. Sras. :
. Maria Jos da Fehcidade Barrete.
U. Emilia Anglica de Andrade.
. Joaquina Mavignier de Barros.
Marqueza do Recife.
D. Maria Emilia de Andrade.
D. Julia Autran.
J. Rosa Candida de Vasconcellos Chaves.
D. Carolina, esposa do Dr. Ernesto Chaves.
As sezSes desafiadas.
As pessas armadas com a salsaparrilha de Bris-
tol, e que residem nos districtos em que reinam
as'febres intermitientes e sez5es, podem realmen-
te zombar dessa enfermidade aniquiladora, um
lraeo deste poderoso tnico vegetal afugenta o*
ralefrios, e perseverando-se no seu uso as torcas
se restabeleoem completamente, e o systema se
fortalece contra a miasma generadora da molestia.
Ella tem sido umversalmente experimentada pelo
espaco de trinta e cinco annos as localidades in-
festadas p/las sezdes e febres intermitientes. Po-
jen os benignos effeitos deste grande especifico
conservador da vida, nao se limitara urna ro-
ciaste de enfermidades; a sua aeco medicinal e
to extensa, como a das proprias molestias. As
escrophulas de typo mais borrlvel, o cancro des-
tral tor. as eonlraccdes das juotos,_ tenddes e mus-
culos, o entorpecimento e congestao do ligado, o
estado mrbido do estomago e do ventre, a asthma,
a tosse convulsa, as erapcoes, o rheuroatisnm a
debilidade geral, sao subjugadas com urna rapidez
e seguranca taLque assombra os mdicos os mais
experimentados ; gracas as suas qua 'dados sua-
vizadoras, curativas e fortificantes. Vende- em
todas as princieaW tojas de drogas em toda a par-
te do mundo.
m
'presentar-se debidamente habilitados por
ante l, hace saber quied interessar pueda, que
se han presentado Jos Guerra y. Garca, y Bar-
tolom Estoves v Vzquez, como procaradores de
D. Teresa de Vilas, residente em Espaa, la cual
so dice madre" y heredera del tinado. Portaoto,
so algura persona se juzgase con derecho, o
tubiese cualquiera reclamacin a hacer relativa-
mente a la herencia, deber presentar-so dentro
del improrogable plazo de 20 diasx a coirtfr der
de esta fecha, para ser atendido como fuere de
derecho, siendo qne, concluido el indicado plazo,
eite vice-consnlado quedar libre de toda y cual-
quiera reclamacin que pueda aparecer. Y para
constar bajo publicar el presente en Pernambuco
a 8 de enero de 1870.
El vicecnsul e Espaa
Juan Buon.
D. Juan Buson, vice-consur de Hespauua
nesta provincia, havendo feito a publicaco dos
editos de conforraidade com o regulamenio do 5
de maio de 1855, chamando os legtimos herdei-
ros do fallecido subdito hespanhol Jos Felippe
Martines, para apresentarem-se competentemente
habilitadoperante o mesmo consulado : faz sa-
ber a quem interessar possa, que se ho apre-
sentado Jos Guerra y Garca. Bartolom Estevez
y Vzquez, como procuradores de D. Thereza de
Mitas, residente era Hespanha, a qual se diz mi
e herdeira do finado.
Portento.JMgpma pessoa se julgar com di-
reilo ou te|(ia ^ualquer reclamaco fazer, re-
lativamente a drta heranca, o dever fazer neste
consulado, o improrogavel prazo de 20 das, a
c( ntar desta dala, para ser altendido como for de
direito; sendo que (judo o referido prazo, este
consulado se considerar livre de toda e qualquer
responsabilidade que apparecer possa.
E para cobUt ar. publicar o presente em Per-
nambuco a 8 de Janeiro do 1870.
O vice-consul de Hespanha
Juan Busn.
1. Pela subdelegaeia do Peres,e Taz publico
qne ferio aprehendidos no dia 4 dd"corrente, dois
cavallos, sendo um pedrez, e a/itro castanho : -o.
quaes i3o conduzidos por dois individuos que
sendo perseguidos por sanetos, os abandonaro.
Antonio Correa May.
Subdelegado 1. supplente em exerccio.
dos crrelos de
9 de Janeiro de
Adiulnlstraeo
Pernambuco
I890.
Malas pelos vapores brasileiros Cruzeiro do Sul e
Guar.
A correspondencia que tem de ser expedida no
dia 10 do cerrente pelos vapores cima menciona-
dos, ser receida pela forma seguinte:'
PABA OS PORTOS DO SUL.
Macos de jornaes, impresses de qualquer na-
tureza e cartas registrar at ao meio dia, cartas
ordinarias at urna hora da tarde.
PARA OS PORTOS DO NORTE.
Macos de jornaes, impressos de qualquer nata-
reza e cartas a registrar at dnas horas da tarde,
cartas ordinarias at as 3 horas.
As cartas ordioarias que forem postas at raea
hora depos das marcadas pagarao porte duplo.
O administrador.
Affonso do ReQO Barro.____
Correio geral.
Relacao das cartas registradas vindas do norte
pelo vapor costeiro, para os senhores abaixo
declarados:
Antonio Borges da Fonseca, Joaquim Jos Gon-
calves Beltrao, Dr. Joo Jos Ferreira de Aguiar,
D. Josepha Francisca Pinto R. Ramos, Jos A. Ro-
drigues Lima, Jos Joaquim Dias Fernandes, Bo-
ina Pompilio.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegaco costara por vapor
Macei, escalas, Penedoe Aracaj.
O vapor Potengt, comraandante Mello, se-
guir para os portes cima no dia 15 do corrente
as a horas da tarde. Recebe carga at o dia 14,
encommendas, passageiros e dinheiro a frete at
as 2 horas da tard do dia da sahida no escripto-
rio do Forte do Mattos n. 12.
Navios entrados no dia 8.
Para e portes intermedios. 7 dias e do ultimo
porto 6 horas, vapor brasileiro Cruzeiro do Sul,
de 1120 toneladas, commandante Alcoforado,
equipagem 66.
Buenos Avre?.18 dias. barca ingleza Atlantic, de
355 toneladas, capilo W. M. Kenser, carga
lastro; Wilson Helt & C.
Bordeaux e outros portes 14 ditas e '/z. vapor
francez Amasone, de 1907 toneladas, capitn Jo-
ret, carga varios gneros; Tesset Freres 4 C
Baltimore.42 dias, patacho norte-allemo Mary,
de 198 toneladas, capito C. Pieper, carga 2174
barricas de farinha de trigo ; Henry Foser
4C.
Sainl Johns.22 dias, brigue inglez Jura, de 250
toneladas, capito R. Searb, cargr 3600 barri-
cas de bacalho; Johnston Pater & C.
Aracatv.17 dia, hiate brasileiro Maria Amelia,
de 50 toneladas, mestre Francisco Thomaz de
Assi?, carga algodao ; Prente Vianna & C
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio Grande do Sul Brigne Ibrasileiro Amelia,
capilo Manoel Vieira de Mello, carga assucar.
Rio Grande do Norte. Patacho inglez Conrad,
de 211 toneladas, capito Spuriing Thomaz de
Jeries, em lastro.
Liverpool. Barca norueguense Hugin, capito
Hansen, carga assucar.
Navios entrados no dit 9.
Rio de Janeiro e portos intermedios 8 dias e lo
horas, vapor nacional Guar, de 999 toneladas,
commandante Bicardo Greenhalgh, equipagem
56, carga varios gneros; companhia Brasi-
lera.
Montevideo.29 Jias, patacho brasileiro Jaboa-
tuo, capito Pane, de 285 toneladas, equipagem
9. carga lastro de areia; Henry Forster & C
Santa Catharma. 22 dias, lugar norte-allemo
Margarita, de 230 toneladas, capito Smitt, equi-
pagem 9, carga farinha de mandioca; Joa-
qcnm Jos Goncalves Beltrao.
New-York. 54 dias, patacho dinamarqnez Katre,
de 207 toneladas, capito Jonwnsand,equipagem
8, carga 200 barricas de farinha de trigo e ou-
tros gneros ; Tasso & Irmaos.
Goianoa. ti horas, vapor brasileiro Paraliyba,
commandante liveira, de 104 toneladas, equi-
pagem 14, carga 80 saceos de assucar; com-
uanhia Pernambucana.
Mainanguape14 horas, vapor nacional Munaau,
de 222 toneladas, commandante Julio Gomes da
Silva, equipagem 14.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio Grande do Sul. Barca portugueza Armin-
da, capito Francisco Ignacio Nora, carga va-
rios gneros.
Liverpool.Barca ingleza Elise, capito Williames
carga algodao.
Observacao.
Seguio dolamaro para os portos do sul o bri-
gne inglez Jura, capito Iearl, com a mesraa carga
que trouxe.
COIltPAMHIA
DAS
Messageries imperiales.
At o dia 14 do corrente inez espera-se dos
portos do sul o vapor fra'ncez Estramadore, com-
mandante Giost, o qual depois da demora do cos-
tume seguir para Brdeos tocando em Dakar
(Gore) e Lisboa.
Pan conducoes, fretes e passagens trata-se ha
agencia ra do Commcrcio n. 9._____________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegaco costelra por vapor.
Parahyba, Nata', Maco, Mossor, Ara-
caty, Gear, Mandah, Acarac e
Granja.
O vapor Pirapama, commandante
Azevedo, seguir para os portos
cima no dia 15 do corrente as 5 horas
da tarde. Recebe carga at o dia 14, encom-
mendas, e passageiros e dinheiro a frete at a?
i horas da tarde do dia da sahida no escripto-
rio no Forte do Maltas n. 12. ___
COMPANHIA PERNAAMBUCANA
DE
Navegaeo costelra por vapor.
Matnanguape.
O vapor Mandah, commandante Julio, seguir
para o porto cima no dia 12 do corrente as 6
horas da tarde. Recebe carga, encommendas,
passageiros e dinheiro a frete at as 2 horas da
tarde do dia da sahida, escriptorio no Forte do
Maitos n. 12.
PARA O PORTO.
Hetera seguir com a brevidade pos.s'v'<'l a
Barca pOrlugueza Noro Silencio, para rar\"a. f
pasageims dirijose aos coosignatarins, Olive.'ra
filhns A C. no Largo do Corpn Santo n. 19, on a/>
capito na Praga do commercio.
Porto por Lisboa
Coate maior brevidode va sahir para os refe-
ridos portos a barca portugueza Claudia, de pfi
meira marcha e primeira classe, por ter a maisr
parte da carga prompta, e para o resto que ihe
falta e passageiros, trata-se com os consigna-
tarios Veras 4 Barbedo, ao caes' da alfandega ve
Iha n. "
Iha n. jt
io de Janeiro
Para o referido porto pretende sahir com muita
brevidade o bripue orasileiro Adelaide por ter par-
te de seu carregamento engajado, e para o que
Ihe falta e escravos a frete, trata-se com o consig-
natario Joaquim Jos Goncalves Beltrao, ra do
Commercio n. 17.
Maranhao.
Para o porto cima pretende sahir com muita
brevidade o hiate brazileiro Joven Arthur, capito
Trajano, por ter parte da carga engajada e para o
restoU|De Ihe falta trata-se com os consignatarios
Amonio Luiz de liveira Azevedo & C, ra da
Cruz, n. 57, 1. anJar. *
PARA LISBOA
vai sahir com brevidade a barca portugueza Ale-
xandre Herculano, capito Almeida: para carga
e passageiros trata-se com E. H. Babello & C,
ra do Commercio n. 48.
LEILOES.
do
LEILAO
brigue brasileiro Alberto cora todos
seus apparelhos e mais pertences
a \0 do corrente.
_ O agento liveira far venda definitiva em lei-
lo publico, do dito brigue, tal qual se acha surto
neste porto prompto a navegar, servindn de base
a valida offerta fcita em leilo de 24 de dezem-
bro ultimo e de conformidade com o parecer dos
Srs. curadores fiseaes da massa fallida de naia &
Espirito Santo, datado em 3 e ulterior despa-
cho do Exm. juiz de direito especial do com-
mercio dcsla cidade, datado era 4 do corrente.
MOJE.
Ao meio dia em ponto, no salo de entrada da
associaco comniercial benelicente desta praea.
LEILAO
DE
urna mobilia de Jacaranda, nma dita de amareilo
Luiz XV, um guarda-taca, nma mesa elstica,
urna commoda, um guaxda-roupa, um guarda-
vestidos, um lavatorio, um piano de Jacaranda
muito forte, urna oslante de amareilo, urna cama
franceza, una banca de costura, diversos mar-
quezoee, ponsolos, cadeiras avulsas, inarquezas,
candieiros a gaz, lamparinas, mesas redondas, um
espelho grande, um dito menor, apparelhos de al-
moco, ama espingarda de caca com dous canos
trochados, e muiloo outros objectos, que estaro
patente.
Terca-feira, 11 do corrente,
pelo agente Maftins, no anuaze.ni da ra do Impe-
rador n. 16, s 11 horas em ponto.
de predios e terrenos.
Urna casa terrean. U sita na Baixa Verde na
Capnnga, com 1 porte e 1 janella de frente, 2
salas, 2 quartos, cosinha tora, quima! murado,
solo proprio.
Urna dita dita n, 13 contigua a casa cima com
2 salas, 1 quarto, cosinl tora, quintal mura-
do, solo proprio.
Um terreno proprio no mesmo lugar sendo parte
alagado com 56 D.2 palmos de frente e 232 1|2
de fundo a contar do oitao da casa n. 11.
Um dito dito no mesmo lugar, todo aterrado com
56 1)2 palmos de frente e 83 de fundo a con-
tar ao alinhamento da estrada at chegar ao
oitao da casa n. 13.
Urna quarta parte da casa terrea n 6 sita na ra
da Esperanza no lugar do Caminho Novo, em
solo proprio.
0 agente Martins far leilao por mandado do
Illm. Sr. Dr. juiz de orphos, dos predios e ter-
renos cima para pagamento dos credores do ca-
sal do finado Izidoro dos Anjos da Porciuncula.
Terca-feira i i do corrente.
No armazetn da ra db Imperador n. 16, as 11
horas do dia.
Grande fabrica de christalizar e
retinar assucar, no lugar do
Monteiro.
Ter?a-feira 18 do corrente.
O agente Pontoal, competentemente autorisado
vender em leilo a graade fabrica cima, em um
ou mais totes a vontade: dos licitantes (visto ter de
relrar-se para a Europa o seu proprietario}! es-
tando a mesma fabrica em exposico nos dias
quinta-feiras, domingos e dias santificados.
O leilo ser effectuado no dia cima, na mesma
fabrica as 10 horas.
ECITAES.
O inspector interino da alfandega faz publ'
co, que no dia 12 do corrente, depois do meio da
e* a porte da mesma repartcao.^er levada has-
ta publica, livre de direito, o restante de madei-
ras e taboas velhas extrahidas dos concertos feitos
nos trapiches daditarepaiticao, avahada na quan-
tia de 5U#000 ; fleandoadita arrematacao depen-
dente da approvaco da Exma. presidencia.
Alfandega de Pernambuco 8 de Janeiro de 1871L
O inspector interino.
Luiz de Carvalho Paes de Andrade.
PARA LISBOA.
A barca portugueza Graiido dever seguir com
a menor demora possivel: para carga e passagei-
ros trata-se com os consignatarios liveira, Filhos
& C, no largo do Corpo-Santo n. 19, ou cora o ca-
pilo na praea do Commercio._______________
'ara Lisboa.
Segu com toda a brevidade a barca portugueza
Pereira Borges, por ter quasi toda a sua carga
prompta : para a restante e passageiros trata-se
com os consignatarios liveira, Filhos & C, no
largo do Corpo-Saato n. 19, ou com o caj^o na
praija do Commercio.___________^_______
PARA LISBOA
a escuna portugueza Aguia, capito Fonseca, vai
sahir com brevidade, recebe anda alguina carga
a frete : trata-se com E. R. Rabello & C, ra do
Commercio n. 48
mogno, l maquina de costura perfeita, i nwa
| do costara, S alfas de jogo, 1 sof, f tatatoflo,
3 guardas roupa, 2 cabida*, 2 camas de ferro
com nalhinha, i estante, o 3 rolos de esleirs
para forro de salas.
Urna mesa elstica, 1 guarda1 locea, 2 apara-
dores de armario, 1 dito com ps torneados-, 2 ca-
beceras de mesa. 2 consolos, 12 cadeiras, 1
1,'iiartinheira, lonja, ropos, cali^s, garrafas, cora-
poteiras, e fructeiras, e urna caixa para gelo.
turna mobilia de niak'ir branca com i sof,
1 mes.1 oval. 2 censlos rom pdras, 2 cadeiras
de bracos e 12 degnarnicao, candieiros a gaz,
2 serpentinas, f eommoi'as da nwgno, 1 guarda-
roupa, 1 guarda vestid, 1 cama o> casados, f toi-
Wt, 1 lavatorio com pedra, 1 commoda amiga, i
santuario, 1 mesa oval com pedra, 1 toucador, 2
cabibe.-, 1 cama francez e muilos otUros ^ibj-ctos
que estarn ao exah dos- concorrentes.
QUABTA-FEIRA, 12 DE JANEIRO
Caja n. 1 da ra do Riachuelo, esquina da ra
da Ukho.
Gustavo Jos do Reg, tendo de retiraf-se com
sua familia parao Rio de'Janeirn, far leilao, por
intervencao do agente Pinto, do* movis*e mais
objectos cima descriptos. existentes em_ easa de
ua residencia, onde se effecinar o leilo .>> dia
quarta-feira 12 do corrente.
Principiar as 10 horas em ponto. ___
CLUB X,
Reunio da directora no lugar e as Ira
coitnme, hoje segDMh-fera 10 do crrele.
O 1.* secretario
6. G\
U ailiarel Pedro Alfonso de Helio,
sua residencia para a roa Fermosa n. ti, e
pnder ser encontrado para, os mineras da
proisso a nilquiT hora do dia ; Mm m
da tnanfta as 3 da larde, em que ser ao
escriplnrlo, rni da Cruzes n. 44, 1.* andar.
LEILIO
B PRIIIO^
O agente Pootnal com pelen temen te aatorisado
vender em leilo os predios seguintes : sendo
nma casa terrea em solo toreiro, sita a ra do
Tambi n. 17, urna dita sita ra da Praia do
Caldeireiro n. 37, em solo proprio, urna dita com
grande sotao a moderna sita a ra da Palma n.
90 e 92, solo forei-ro.
Os Srs. oretcndpntes podero examina-las e
coucorrerem ao IcHao.
Terca-feira 11 do corrente.
No Io andar do sobrado n. 62, ra da Cruz,
as lt horas.
rerdeu-so nma pulceira de aro i
galo, no domingo 2 de janair, na trem das 9 ho-
ras ila ix)tuj, da C >sa Forte ao Recit : <|aaai fa
at-hou querendo resutair, leve a roa Belb a. >
qne serfrgftnerosaraente recompemado. ^^^^^
Precisase iie nma b-a cositlieira. eserar*.
on livre. Asn-adsn-t... paga-se beni't a tratar na.
Capnnca, porte I npnrrr. n. 26.
Alnga-se mu exn-tteme escrav para rria*
e bolieiro jk*Io preri ile WOUO inrraaes
precisar dirija-x; em Samo ,\num ao
junto do remiterio inule/.
AVISOS DIVERSOS.
FOLffINHAS
PARA 1870.
Vende-se nesta typographia
a 160 rs. o exemplar da de porta-.
PADARIA
E CASA NOVA PARA MORADA.
Alugam-se duas casas no largo da lamarineira,
sendo urna dellas acabada de construir, caiada e
pintada, e outra com eapacidade para padaria. ta-
berna ou reflnaco por ter jarnaco, e um torno
novo, cujas casas tem um grande sitio, com capa-
cidade para pastar animaes, e muitns arvoredos
fructferos ; qualquer dellas pode alugar-se cora
mais ou menos parle do sitio : a tratar no caes
da alfandepa n. 3, ou em Sant'Anna junto a ponte.
Precisa-se saber em que lugar falleceu o-Dr.
Germano Luiz Lopes, que residi em Olinda no
anno de 1631, em companhia de sens tos Alexan-
dre e Francisco, o depois em. Nazareth : raga-te,
pois, aos patentes do mesmo. o obsequio de diri-
girem informacoes travessa da Madre de Dos
ti 13, armazetn de Fernandes & Irinao.
Rabert Lightbown & C negociantes .leste pra
ea. aaigameatl estabpleeidbs ra da <3aaa a.
5o, e hoje na mesma rna n. 52, tendo rerlV>ui.
completo sortimento de farendas, convida aos sa*
"tnigos amigos e a tod< s quanto qnzereu exaau-
na-lo, para apparecerem em sen novo armasen)
do dia 10 do crreme em diante, qnando pretao-
dem dar comeco < snas vendas.
Ama.
Precisa-se de urna ama Hvfe nn captiva, tan
moleque de 10 a 12 annos : a tratar na re a
Linguete n. 8, 2 andar.
li
Alnga-se um escravo perito cowaheiro e de toi
conducta : na ra do Imperador n. 30, seg
andar.
Antigo collegio de Santa Fr-
su a para educado de me-
ninas, na ra Formosa.
A directora deste cwHegio, abaixo assigaada,,
faz sciente nao s aos pais de suas alumnas, como
a dos de mais que qurzerera conliar-lhe a educa-
cao de snas ulnas, que no dia 10 do corren* co-
mecam os trabalhos do referido collegio, a teste
do qnal se acham professores mui habilitados-para
o mesmo, de leiiura, escripia, arythmetca, lingua
verncula, francez, piano, desenlio e daneja, A
directora promelte, como sempre, dedicar-se eom
todo esmero e solicitude no cumprimento de sens
deveres, para manter o cwdito e bom nome que
por mais de dez annos goza este estebelecimonto,
agradecendo em extremo a confianca com "que se
dignam honra-la os senhores pais de familia con-
fiando-lhe a educaco de snas innocentes flhas.
rsula Alexandrina de Barros.
Bichas hamburguesas
Neste novo deposito recebe-se por todos paque-
tes translanticos bixas dequalidade superior, ven-
de-se em caixa on porcV> mais pequea mais
barato de que qualquer'outra parte; na nn da
Cadeiado Recife n. 51. 1" andar.
Precisa se de urna passoa para carregar
nma caixa de joias das nove horas da manliaa at
as tres da tarde, paga-sebem : quem tiver dirja-
se a ra do Cabug n. 9, toja de relnjoeiro.
Marcolino Ferreira ua Luz.aviza ao res-
peitavel publico,, com especialidade ao cor-
po commercial que havendo outro de
igoal nome, assignar-ses-ha de hoje em di-
ante por Maroolioo Marlins Ferreira da
Luz.
PORTO
Pretende sahir em poucos aias a barca portu-
gueza Social por ter a maior parte do carregamen-
to prompto; para o resto qne Ihe falta e passagei-
ros, para os quaes tem bons commodos, trata-se
com o consignatario Joaquim Jos Goncalves Bel-
trao, roa do Trapiche n, 17.
LEILAO
DE
Fazendas avariadas.
Terca-feira 11 de Janeiro, s 11 horas empento.
O agente Pinto far leBo por coota e ri6Co de
qnem perlencer de nm fardo marca P A n. 243
com 16 pe^as de casimira enfestada, avariado a
bordo do vapor inglez Osuida, na sua ultima via-
gem a este porto. O leilo ser effectuado s 11
horas do dia cima dito, no escriptorio do referido
agente, ra da Cruz n. 38.______________
GENERAL
YERSAMMLUNG *
DES DEUTSCHEN
HUELFSVEREINS
AM 17; FANUAR
ABENDS HALBACHT
UA NOVA 44
EBSTE ETACE
OTTO BOMBES,
_______________Secretar._________
O onselheiro Jos Bento da Cunha Figueire-
do contina no exercicie de advocacia na ra do
Imperador u. 57. entrada peto oaes 23 de No-
vembro.
LEILAO
Porto.

I
Vai sahir breve a barca Laura para carga e
passageiros, trata-se com os consignatarios Carva.
Iho & Nogneira, na ra d* Apolto n. 20.________
COmMERCIO.
Divaga do rcifij 8 uk Janeiro
Y DE 1870.
AS 3 1/2 HORAS DA TABDE
AlgodM.da Parahyba 1- sorte-l#062 rs. por lu.
KEra bordo, frete il6 e 5 0|O (hontem).
DECLARACOES.
Don Joan Busn, vice-consul de Bspaiia en
este provincia, habiendo- publicado los prmi
edictos, que eeseje el reglamente de 5 de mayo
de 1855, clamando los bjgitimos herederos del
fallecido subdito espaol Jos Felipe Martnez,
f
com
toda
PARA LISBOA.
O Brigue portuguez Lata 1.a, seguir
toda a brevidade visto j ter prompta quasi
sua carga; para o que Ihe falla, passageiros din-
io-se aos consignatarios, liveira Filhos e C, no
largo do Corpo Santo, n, 19, ou ao. capito na pra-
ea do Commercio.
, t ila a le o palhabote portu-
guez Villa-Flor tem a maior parte da carg^ en-
cajada : para o que Ihe Lalta, pode tratar-jr, com
D$rid.F. Bailar, ra do Brumo.,91 ou-Wji o ca-
Ipft do mesmo nayi".
DE
Fazeodas In-leMs aTMrlada e
llinpas, a ti do corrente.
Bobt Lightbhwen fc C fcro leilo por interven-
cao do agente liveira e cChta e risco de quem
pertencer, de varae fazendas inglesas avariadas, e
de multas outras limpas. inclusive cerca de 10
caixas de lnha sortida em noveltos.
Terca-teira 11 do crrante
s 10 horas da inanha, em se armaze sito a
ra da Cade do Recito n. 52.
LE1LAU
DE
movis, louca. vMros e eryitaes
-saber:
Um piano forte, do afamado fabricante R. Bord,
1 cadeira para o mesmo, 1 excedente harmnico,
i cadeir; 1 porta msica, 1 mobilia com um
sof, 2 censlos, 4 cadeiras de bracos e 12 de
tnarnicao, 1 sof estufado, 7 cadeiras antigs,
I me?as de Jacaranda gosto antigo, pelo que tor-
nam-se recommendadas, 6 cadeiras a Luiz XV,
6 cadeiras domadas, 1 mesa oval, 1 dita de sof,
4 descansos de ps, 2 escarradeiras, 3 candiel-
iros a gaz, l candelabro, 1 lustre com 18 man-
gas, 8 castcaes e mangas, 3 jarros e 4 vasos de
pedra gaarmore, edTereEtes objectos de Medro-
Plale- ,
- e 6 de guar-
com abas, 1
secretaria de
Aluga-se ama sala asseiada con* algumas
accoramodacoes : no Io andar da casa da ra do
Imperador n. 57, onde quem pretender poder
fallar.
Advocada.
Jovino Limeira Dino tem escriptorio de advo-
cacia na villa de Bodocong, e oncarrega-se de
quaesquer causas civeis, crimes e commerciaes,
nos alli,como nos termos de S. Joao, Campia-
Grande, lag, Bananeiras, e Cutv da 'proviacia
da Parahyba do Norte, eLimoeiro da provincia de
Pernambuco.______________ ______ _
Correspondencia, de Portu-
Os abaixo assignados herdeiros e- rprrsent;
da heranca de Domingos da Silva -Gmaos, peeat
visto ter de se procedeV em breve ao m-eniario
parlilhas dos bens deixados pelo ditojmpos, o^
que se jnlgarem com direito oreditos sobtv a
mesma heranca virem no praso tte oito du.-
apresentnr suas comas para serem veritkoda*
pagas; bem como aos devedores do fallecido Caa-
pos virem satisf;izcr dentro 1 nesno pra>
seus debites, rna do Crespo n. 7.
Recife 8 de Janeiro de 1870.
Cusioilio Jos Alves -OhwiareJ.
Antonio Jos Cordelo Snties.
Cirolina Maria Campos.
Aula particular de grimn&
letras
Anna Theodora Simes, autoJiMda peto Exm.
Sr. pivsidentfc da prrvincia ao magisleri orna-
ro, scintiftciftos senhores pais Je sna ahinaw.
e ao respetevel publico, que se aciar;. abvrta saa
aula i articular de instrueco primaria no dia H*
do corrente; na rna travessa dea E:.posto, rasa n
t6, 2o andar, onde espera satwfazer- aos seobure*
pais de familias qne- Ihe confiarem suas Mbas.
tanto as materias que constituem a sobredita -
truccao, como tambera msica voealv e o concernente s habilidades de agofha.________
AM DE LlFE
Quem precisar de urna boa ama de leite esrra-
va, de boa saude, e com filtio, dirija-se a roa 4at-
Cnizes n. 38; armazetn de motilados, que eoeoo-
trar com quem tratar.
AMARO
Ba do Commercio n.
5.
Jos Fr-antfseo Ribeiro di Souza. direr-
tor dessa instituto de educatfo- e instror-
i;3o. fai sciente ao respetewel pabliro ?
particularmente aos pais de sens aromos,
que a reabertnra das aula* de injinirrai
primaria e seetindria teri logar em o l
10 do andante.
O programma do ensino ser de confor-
midade com o decreto n. Mflfr (Je 30 d-
oDtnbro de 1869.
Admitte alnmnos pensionistas, neio-pen-
sionistas e esteros.
FAtSTIXO JOSK' DE MACKIX E.CASTRO"
Fabricante de tabaco e sabn> na cidade d.> Por-
to em l'ortngal e recentemcata-chegalo a ~t.
cidade, vindo da capital do imperio, oftenrrr-M-
para ensinar a fabricar toda a qualidaoV de ras-
que se dasejar |elo svstema de \abni}.'a em Por-
tugal, annunrianli; ten de retrar-se para Por-
tugaJ no paqal- do !im d>> mz, e ni ensina o
fabrico do sabio a ningoraa por ter mu contracto
coro, o Sr. Antonio Joaquim de VaseuneeHix, ae
rna do Krum n. L________________________
NesU typographia se precisa alagar
um proto de meia idade..___________
1TTECA0
Declar>se a o corpo do commoreio di>sta praea
Ojie diswiveram a socedade qu; existia do e*b-
belecimemo de padaria, debaixo da firma de Coe-
Itio & Pereira, amigavetoieato. Txandn a cargo d>>
socio Joaquim Goncalves Co*lho o activo e pam-
vo da mesma sociedade. desde adata abaixo, se-
do o socio Florencio Pires Peraira, livre e desea-
baraoado.
Recife. 31 de dezembTo de r8f>9.
Os Srs. assignantes qneiram mandar pagar as
suas assignaturas do anno corrente, para no um
do mez nao haver atropello na entrega da folha.
Jos Ura Kasnos.de liveira, faz punta.
quedasde o 1* do vigente, admittio para seos s--
eios era seo armazpro.de carne secea, os Srs. Joa-
qtun Baptista da Silva, e seo antigo eaixeiro Au-
tonk>Jos Maia. continnando os negocios sob u
razio comnM.-rcial Jos Bom Silva A C.,_ficando_a
mea cargo a liquklaco do activo e passiro de mk-
oha propria firma, o eom ella coatiaaarei a -
rii os negocios de barra tora.
Recie, 4 de Janeiro de 1870.
Jos Bom Ramos de liveira.
;idmini provincia do Pernamboco para o anno de tSJ*.
Ato dia 20 do corrente estar exposto
em todas alivrarias da cidade o referido
nak, preco 2*000.
Para Porto-calvo.
Precisa-se de um menino para eaixeiro, de *4 a
15 annos, quer sejn pertugnez ou brasileiro, que
tenha pratica de taberna e toja de fazendas : a
tratar no escriptorio do Sr. Joaquim Rodrigues
Tavares de Mello, largo do Corpo-Santo ik. *7,1
andar.
5
mu
CAKELLERElROi
limsof, 4 oedeiras de bracbs
njcao (mobilia italiana),! mesa
relogl de- parede, 8 quadros, 1
. 8S-41UA DA IMPERATRIE-N. 82
dilon Duarte, cabellereiro, tendo se
pedido da casa de seu cunhado o Sr.
Garlos Dnbois, onde trabalhou por espaco
B de dez annos, acba-se estabelecido com i
S casa de cabelleireiro ra da Imperatriz S
I n. 82, prompto a satisfazer qualquer en- 8
S commenda tendente a soa arte.
mmmn-wmmmrmmmmm
Na ra da Imp'eratnz n. 80 se dir quem
ten para alugar mu criadmho escravo de 12 an-
nos de idade.'
ioao fixeira da Rocha; julfa nada dever
ne3t. praea, porm se algnem se jolgar eredor,
que'.ra apreseolar sua cunta, qne ser saptiueita
ut> praso de 8 dias.
No dia 20 de dezembro prximo pastado de-
sapparecou o escravo Joio, mulato, al\o, catadta<-
corridos, nouca barba, tendo apenas algnns e-
bellos no bigode e no queixo. grosse do eorpo.
estatura, regular, denles perfeitos e saos, nao
mal parecido de rosto, e costuma a embriagar se
quem o capturar, pode condnzi-lo rna da Aew-
ra n. 76, que sera generosann nte rcompaMadr>
De preta muito magra, eom urna corda na cabeca -
quera a levar ao armazetn do ?ar defronte do
fariz-^da Boa-Vista, ser recompeasado.
A ra da Bsperanca conna. eu
nao obstante ha mais de seis mezes estar
da pela asemtlea provincial, e approvada pela
presidencia da provincia, a eolloc*> de 11 lam-
pees para lluroinacao desta rna, qae bota de
grande concurrencia.
Noisa en ora da 4'oBceirm
dos a Mares
Nao se tenJo elTectuado nn da 5 >! i corrente a .
eleico da mes. I ira -
vocada mesa geral, I i.viinaAi n dta
11 do corrente,pela- te, e se> para,
o dito tim convidado- > d**t irmaadade.
Recife 8 de Janeiro de 1H70.
M. Fonseca de Bcdeiros,
Seerettrfe
:


**
v m* *

-
Diario de J^_f^n_b_A> Segunda feira la de Jaueio d 1830

Pocos tubulares ins-
tantneos.
Travcssa-do corpo *:m_<> o. 84.
aruazem. e ra Nova n. ..
I|a.
Baadeira, Machado & C avisa m ao respeitavel
publico que nos lugar- 9 cima encomiar no mes-
uro sempre grande quanudade de ditos pocn
qm se aeham habilitados para vender por menos
que outro qualquer, por isso que os receban di-
rectamente do ahric:>. n, de I.ompJK
As vantagens que oficsoceio anta-
neos sao : orimeiro, |i iderem ser ei locados den-
tro de casa ou fon, com o trabalho de urna a du3s
horas; segund, {rnecerem os mesmos agua pa-
ra e abundante, poeiido seren removidos de um
para mitro lugar, qaando assim eonvier.
Os an_uncian.tcs.so rceencriio & naportanria dos
referidos pocos denois de collocados, saustaiendo
esperfativa" dn comprador.
ESTABTO* MEPtELEClEM 1832
Salsee* de Bristol.
LK'olTIMA K. ORIGINAL
KM FRASCOS GRANDES
GUSTAYE
ABELLEIREIRO FRAM
51Ra da Cadeia do Eecife
51
Chama a attencao dos sens innmeros freguezes, e do respeitavel pabheo>,_
geral, para a segninte tabella dos precos de sua casa, os quaes sao tinte por Kr.
mais barato do que em outra qualquer parte:
AMA
Precisase de urna ama livre ou captiva para o
se-wco interno o externo de urna casa de ponea
familia, pajra-se lien, dando garante a sur con-
doeu a tratar em frente X rwt do Vitarlo n. I,
arai.wm de inoihados.
Furrio-no dia 24 do corrente ne?: de detenibro
do-na*4_uata do llntai n nftiriv- Victni-ii
fillio do serlao do Ico, pifio lula- baixo. idade 17
a 18 *_nos, cesilu a!co_>o_iuho curta, chape flo envo de aba larga,
basante la lino, eostuma a emhreagar-se. falla
com bumildade -. pude-se,portan, s autorida
des policiaes e s {Saoilas de earnpo a rapttwa
do referido escravo, de entregar no sitio da Pon-
te de Ucha, de lint "Moroira Loues^ae recoberu
100* de g ratifica cao. ______
Eseriptorio
Mnga-se a parte da frente do primeiro andar n.
TO da ra do Imperador : a tratar ud mesmo so-
brado.
mmwmmm-mmmmm
PtOOUktADORIA
O tsolliciiador Burgos Pi ne le Len, encarreKa-sedequ.i'.'>qiier ij'.".''sIm-. iv.-i^,; jjg
rimes e c Mamerc .tes, tomo as er-tosas- ^
lipas, das jpaea lew uiniJon^a pra.i di
'/.>-:c/mw, e suchacompetenlemeat "''"'
inovisiona-o |>o!o E_ui. e Rvm. Sr. Jispo
diocesano.
Elle eoHtinoai* a erajiregar todos seus j
esfercos, alim de mantnr a misma enn-
(lanca que ternmeriiuo do satis dignos
consimntes.
Podo ser procurado das seis as nove
betas da manhaa e das quatro em diaute, em mia cas*, da rua dasTrin-
., elieiras, junto aocartorio do Sr. eiwi
f* MotLi, e lora dc;us horas as salas das
gi; audicucias

Lindas cassas i'nacezas de cor 400 rs. o metro, na luja das Gollumnas
4o rxespo D. 13, de Aatrtrtin Correa de Vasconcellos.
.
LOJA DE JOIAS
*
111
DE
i
Este antigo estabelecimento, eomp teta-
snente reformado ie novo, est, as condi-
edes de servir vaatajosaiuene os seus fre-
gnezes, visto que acha-se prvido com um
^zilendido sortimento de obras de ouro e
^rata de lei, assim como brilhantes 6 ou-
tras pedras preciosas, .ujos preqos sao os
mais mdicos que se pode encontrar;
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
bate.
\ 5 RD4 DO (MU \ 5
INJECTION BRO
11 iinw um cur Mi uenbuiB addiut. V. uM#
i tmymmm ......Hi J riv.au
IMPERIAL
I5STITT0
i s. D9 m vmm.
O hacha re An'onro Colqiiiltfn > Seraphico de
\ssis Carvalho e hoje <> |in>|riet:iri > < director
desse intitiitn. Protendeado (kd< vamente, tt cun todo 7'loe solicituile aos trabalhos
pfoprios dessa nrotiS'lo, e>i>era que os par >
aekiaes C.oUegiaes o honrarao rom roa cenflanca,
a bein assim que acomeri o sen estheleciniento
aquelles que precarp de collegio para ejucacao
de seus filhos ou pr'iti'gido>, certos de que tual director se "slbrgar nao s para manter o
honi noinee crdito, qtfe desde muiros aunos goza
a referido In-iimto. como tambem pan impiiinii-
Ihe no,vos iiielhurainenms,
Xo dw 7 de Janeiro Jo anno vindnom tora lu-
gar a abertura de tudas as aulas de iostrueeao
primaiia e seciindiria.
Amas.
Precisa-se de duas amas para oservico do casa,
sendo ui:;a para casa de pouea lamiha, que saiba
cojinh.ir e engommar, o outra para cozmliai e.
Comprar : trata-sc na ra das friucheiras. so-
brado n. 48.
Aos 4:000$
Bilhetes garantidos.
,_ roa do Crespo n. 23 e casas do costme
O abaino assigmdn, tendo vendido aim de nu-
tras surtes, mu ineio iu iP;> con 4:000.5 da
lotera qw ^' aeajjuu de extrabir a beneficio da
groja de. N. S. ik) Amparo de Gianna (132a),
convida aos pos malares a virom new'hej- ua con-
formi.lade do costume sein descont algum
Acham-se a venda os felizes bilhetes da 4,"
parte da loioiia beneli'-io da igreja de Now
Senhma da Coaceicao dos Militares, do Rcife. (133'
que se extiahira na quiata-feira 13 do mez vin
douro.
Procos.
Os do cost'jine.
Manoel ilartius Fip.
OGHVNDE Pt'BIFICADOR DO 9ANGCEI
Esta excedente e admiravel medicina, e
preparada d'tuna maneira a arate scientifi-
ca por Ghimicos e Droguistas mui doutos e
d'uma istruccSu .profunda, teadotido inul-
tos annosdkiexpetiencia aopar tl'imia lon-
ga e laboriosa pr.ttioa.
A sua compusieo nap coasiste d'um sim-
ple extracto d'um so artigo; mas sim,
coaipesta d'ex4fatos d'uin uumero de rai-
zas, torvas, cascas-, e fohas, possuindo to-
das eRas, sua virtud especial ou poder
em corar as molestias as quaes teem sede
ou essento, ao sangue-ou nos humores ;
e estes differentes e^raetosvgetaes, aebnm-
se por urna tal forma combinados ponto
de conservarem em toda a sua torga, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um de
per si .pessue'. A raiz da planta de Salsa-
parrilha, produzida as Honduras, a que
nos usamos nesa prepara?8o, sendo a qua-
lidade que io os mdicos mais prezam
e estimam. Na contposicao da Kaisa-
piu-cha de ffirisjol entra mais de 50
pe! r;uito dc-^to couceilrado extraclo. Ella
nao encerra em si cousa algun, ([ue pos-
sa por leve ser perigosa ou injuriosa
sade; e tanto n'cste, como cm quasi to-
os mais respeitos, ella inteiramente
diversa de todas essas mais proiKirn<:>s.
as quaes debaix.o do noiue de Salsaparr-
llia, sao accondicionadas ou postas em gari
rafas pe/fuenas,'sendo recortada em doses
mui iliniui!;is d'uma collier de clt por
cada vez. Nos pido contrario engarrafa-
mos a .
SALSAPARR1RA DE BIUSTOL
em frascos grandes, e assim por este modo,
dividimos com.os consurriaOres, o grande
proveito e vantagem alcaucado por aquelles
que acondicionam Ma preparago m gar-
rafas [lequanas. Cada um dos frascos da
nossa Kaisaparrilha de Bristol
ooateem a messa quantidade i^aial porgo
conlida naquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue ainda niuito mais torca e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa-adiar contida dentro de
seis garrafas de pequeo tamanlio. Por-
LTttrr'f m_i*nat_rat, que aqueles, q 9
acham orcupados em preparar e vender as
suas prodircevwff$frrafes ppqueaas,
murmurera c ;;em contra os nossos fras-
cos grandes: pro'!ainando,qtiea nossa Sal-
sapai'i'ilka i5e Bristol nao possue a
menor mude1: porm qYiVi eflectivamen
le s3o elles justos em cvncio, quando indi-
camos, ou simplesmente referimo-nos para
com essas centenares de certidoos e tes-
temui-tos authenticos, por nos recebidos
de todas as classes da sociedade, nos quaes
plenamente attestam o jiodercuralivo e vir-
tudes maravilhosas-da nossa.
SALSAPARKILHA DE BRISTOL.
A vantagem de termos os lsos pro-
prios'agentes naquelles lugares .aoade as
diiieruntes raizes, drogas, heOTls, e plan-
tas de que se compoem asnossas medicinas,
sao produzWas, que nos liabilita ejer-
cer aquelle, constante cuidado e disvello na
minuciosa esc tilia; e o que asse-jura ega-
rante uuifonnidade.de excedencia.
Eru quanto que., por outro lado, nos nao
nos poupamos nem dinlieiro. nem dili-
gencias ; alim de alcancarmos o melhor
e nicamente o melhorde cada um artigo
ou ingridiente que entra na sua composi-
c2o ; pois levados.e compenoirados da
mais firme e persuasiva conuanca; que po-
demos afoutauenta dizer aos doentes de to-
das as naces, e de todos os paizes, que na
Kalsaparriilia de Bristol. possbem
um remedio mais elljcaz o seguro ; do que
nenhum outro, que vos tenha sido oere-
cido at hoje, e o qual por certo nao hade
mallograr vossas expectativas, na prompta
e effecva cura -das seguintes enfennidades:
Cabelltraspara senhoras a _oiJ,
- m,.M e...... 405000
Ditas parahomem a 3u-3, 405 e 50000
Coques a I2& W, *H, 204,'
25,5, 304 e ...... 80-5000
Crescentes a 12,5,155,185,205,
255, 305* e...... 325000
Cachos ou crespos a 35, 45, ';>,
0?. 75, 85, 95 e. 105000
Tranca de cabello para aooel a
500 o. ." .... 15000
Tranca para braceletes a 105,
155, 205,25 e
Cadetas para reiegk) a 55, 65,
75, 85, 05, 125 e.
Corte de cabello,.....
Corte de cabello com frieco. .
Corte de cabello com lavagem a
diampou......
Corte de* cabello com limpez da
cabeca pela machina elctri-
ca, nica em Peraanabuco. .
SU
3BI
Frisado ing'.eza ou i franceza.
3050001 Barba'. ,......
ASSIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Bailes c soiores
?T0 dono do estabelecimenlo previne s, Recommenda-se a superior TlpiTLl*^-
Esmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um PONEZA para eneprecr os cabelle e ba*
i para U,ara dos cbe.los e barba, as- y* -g*- Sj^*^ \
sim como um empregado smente oceupa- at|t analysada e approv'ada pelas aca_-
do nesse servioo. mas de sciencias de PARS E LONDW:-
COLLEGIO
DE
PMA
iil
Travessa das Barreiras n. 2
DIRIGIDO PELO BACHARBL
^ No dia 7 do crrente principiara a funecionar as aulas test novo
2& tabelecimenlo. 0 direidor proc rara por raeio do mais apurado zeio e deiii.-a- j*
w fo na instrueco e trat'am-nlo dos alumnos, corresponder a csppctativa dos paev
*? que se difjnarem hora-lo, contiando-lhe a importante missao da educar lio dt S
^ seus filbos;u. espera que o aproveitamenlri dos alumnos coruar a seus t.-forros, >
^ e convencer a seus paes de i|ne nao l'oram illusorias snas promessa.
^ A insc ipco para os alumnos, ijuc desejarem freqaentar o ccllegio, $_'
acha-se aberta desde ____________
mm
Parte.oipa aos senhores proprietarius de engeiih(-s, que aeootecene faltir-
igoa ou animaos para a moojcem durante a prsenle jfp, elle Utn vapores pron.
jara assentar, sein precisar de obra nova ou demolido de obras exisU-otes. e <\
pode botar aes" ngejdips a moer oito dias
mgenho. gara'ntndo-se o trabalbo.
Funk-o, ra do ram n.
depois de cstartm as pecas do tapnr
02, passando o chafariz.
ttr
A l> o palmo
Thoodor.1 Francisca la Silva retalha um Ierre-
no ein leberibo a OOOo palmo, tenilo de 880 a
l.OO paluos da fuoilo. ata de nuutas arvores.
fr_t_leias ; a iraiar em Boberihe com o sou a-
Ihado Matu.e' Piolo lUbeiro da Silva.
ro_Li_E&io
IX)
BE JHl
Aciuui-se na baga'godl do Sr. H. etlli
liarrici eni>nilo -wnUas : rwga-se a queiu per
tencer, de vir reclama-la na ra do Trapiche u. 3,
no praso Je oito dias. Ilociu 8 de Janeiro de
I.S70.
. A<> eommerei*).
Venancio Ferreira da Cria faz publico que des-
de o dia G di: dezeu bi o deu sociedade em sua ta-
berna, ra de S. Jos n 2. ao Sr. Joaqnun da Cos-
ta Anorjm, continuando os negocios, sob a firma
de Ferreira & Amorim, (loando a mcsmaflirma res-
ponsavcl por todas as transaeqoes euntrahidas ale
esta data. Recife 3 de jane ru de 1870. *
A directora desse coliepio. Josephina Ben
urna ida Conha Sonto- Mainr rompeientnnenir babih
pela diiectoiia geral da iusliucgo pubbca,
ao respeilavel publico, que acha-se *n coiknj -
estabeleciilo a ra da Impcratriz u. (<',, cap m*
tricla abrir-.-e-Ua r. 10 Jejmeiro prximoin.
e offcrece seu piestimo aos pas de familia, as-
verando-lhn~ seus lions deseios, qner a respto *
ensino, qner da educ:.ciio de suas filhas. O p*
gramma do estatutos leitura, weripta, aritbmt
tica, systema mtrico, lingua nacional, fraue*..
gaographia, msica vocal e piano ; para o haver prufessores e pro-ssoras cHnprttitcniir-
hahililados. Tambem se entinara horda**, itr
! de varias quali lades. inclusive as > reta, e i
C0MPAKK1A
DOf
TRILH9S HffiAIOS
o
RtlFE M9 OlillWBA.
Por ordem (a directora sao convidados
os senhores accionistas para uo praso de
10 dias, contados do dia 3 de Janeiro pr-
ximo futuro, effectoarem a 0*-prestaC5o de
suas ac?oes na razo de 10 0/0.
Para esse fim ser encontrado o senhor
Ibesoureiro das.lt hocas l nwnha s *
da tarde no escriDlnrio da companhia.
Recife, _9 _e dzerabro de M69.
Jo Jeqttim Alces,'
(^eartario.
A
Pede-e ao senhor-fue em o lia sexta-feira, 10
do correle, as t\B huras da tarde eotrou tfa>
brica de cigarros, Ha i raa :6ire_a >_. SO, para
gano lev-mam chapeo de -sol do abat asgna-
ido e doixoH o eooi em wta disso -teaha boaoad
de vir troea-4o(^o contrario en declaro o uome
p_ra nao se planas a gorancia.
O* ai
clarar ao p
_Ha?s
o psente de
e iwn.eoecialidade
ao eorpo do commerci, que nesta data dissolve-
ram amigavel ment a soHdade qoe gyrava nesta
-(Vagaaai %#m**4 '.B*?afB8__ tetaha, i-
cando o activo e paastraa cargo do soci) Teixeira,
e rewaanVie o exsocio Goncalves pago eaap-
feiio de en eapilaL Recife 5 de jaatiro de 1830.
loan Gaiicalvea.
'JuKo los G-mies Teiseira.
Precjisa-s alngi por mez orna preta escrava
que eqgomve beta, indo dai 0 as 7 horas da a-
nba, e reran-io-se das 6 as 7. da tarde, dndo-
se Ihe alraoco e jantar : na roa aova, sobrado
n. 39.
. Na travessa da roa das Crios, n. 2, 1 afldat,
dase dinhw'ro sobre p^nhores de obro, prata, bri
ibante, seja tjual for a ^uan-i: pa meama lasa
compatn-se os mesmos metaes e podras.
Escrfulas,
Cliagas antigs,
.Ulceras,
Feridas Ulcerosas,
Tinha,
Syphlis,ouMal Ve-
nreo
Humores Escrofu-
losos,
Irregularidades do
Sexo
Feminino,
Nervosidade,
Debilidade Geral,
Febra e Malignas e
Febre e Sezoes
Biliosas,
Tumores
Abscessos Apostemas,
Erupcoes,
Herpes,
Salsagem
Impigens,
Lepra, febres iutennittentes e remittentes,
bydropesia e aterida, etc., etc.
Ontrosim, achar-se-ha, que para o bonr
resultado eperfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades adma apontadas o adian-
lmento da cura, grandemente promovi-
do-e ^pce^surado; usa/ido so ao mesmo
tempo-Jhs hossas mui valiosa pilulas
vegetaes assucaradas de Bristol,
tomadas em doses moderadas em connec-
cio ou conjunctamente com a Salsaparrilha;
ellas fnem remover e expellir grandes
quantidades de materias morbficas e hu-
mores viciados que se desprendem e livre-
mente circulam espalhados pelo systema,
feto causado pelo ue*r da -Salsaparrilha; 9
pore*ta forma facilita a volta e o exenado
normal das operaces funaionaes,
Acha-se a venda nos estbelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo & P. Majam
C, R M, A.arbosa, Bartliolomeu C _.
de seguros martimose terrestres
A coaipanhia de seguros Fidelidade esubelecida
em Lisboa dVjde o anuo de 1835, e representada
nesta"i_deTeos seos agentes abaixo assigna-
dos, com plena autorisacao do governo imperial,
toma segures a risco martimo e contra fbgo, em
, predios e estbelecimentos, dando o sesurado e
sehtDO annu gratuito guando tanta seguro seis
anuos consecativos, para tratar na roa da Cadete
do Redife n. 42, eecriptork).
Os agentes
Peboano los Gemes.
ThonarFeroaades da Canta-
Kthoflo CaartflfaoT
Secuadino Jo? de Faria Simbes, professor par-
tirular de istruc$ao elementar pelo methodo Cas-
Sh, avwa ao rtp_tavel publico e com especia-
lade ju ,p_is de seos alomaos, que no dia (0 t
.aneiro <*u aMp^KOA anta na roa da Penha n
25, 1 aadar ; aoode recebe pensiomsus por pre-
fo coromoda O.mesmo proessor promette omito
te esmerar ao adianiarneto de seos alumnos.
Alnga-se o 2 andar do sobrado n. 10 da ra
do Arapao, com bstanle commodo para faiiula,
caiado e pintado de novo, com um bom quintal e
cacimba : a tratar na botica n. 6 da praca da
Boa-vista. _________
Precisase de orna ama para casa de homeiii
solleiro : na ron do Mondego n. 9".
AMA
Na ra do Torres n. 16,2* andar, procis.v9c de
urna ama que eozlnhe; compre e engomme para
urna nessoa.
AMA.
Precisa-sp de urna ama da leite sem lilho : no
pateo de S. Pedro n. 3.
AGEHGIA D COBRANCAS
BAIRKODO R.CIKE
Ra estreita do Rosario n. 17, Io andar.
D1UECT0U
Leopoldino Antonio da fonseca.
Neste escriptorio riccebcm se procurar,oes para
cobranza de ordaoados o (wngrtiab lii|iiida'jio de
coolas do pessoasdti centro com oiras desta pa
ca, bein assim de ai i endauatiUis de predios, para
agencia de causas civeis, er-nies, coinmerciaes e
eecle-iaslicas em que.seja uece>sario constituiros
mais conoeilnados advoyadus e procuradores que
melhi.r garantam os direitos das partes; para sol-
licitar ttulos e patentes na capital, ou manda-Ios
vir da corte, etc. etc.
Das cebraucas e compras sobre as qua tia^ li-
quidas 3 0(0, e sobre o iuais mediante previo
ajuste.
Asealfegasdeqna^squer encoromendas e ttu-
los so seri'feitas aos seus proprios dooos spes-
soas por estes autorisadas em cartas de unirme
mediante recibos legalmente passados.
Gabinete jfortaguez deLeitura
De ordem do lllm. Sr. presidente do conselho
deliberativo, convido aos swnlwrcs socios effectivos
a reunirem-se em asaeaibla geral, quarto-eira 12
do corrente, pelas 6 horas da tarde, aim de pro-
ceder se a elaicao do conselho deliberativo, como
determina o _nico do artigo 44 dos estartitos.
Secretaria do conieH delioerativo do Gabineti
Portugue- oe Leihira em Pernambuco 9 de Ja-
neirode 1870.
J. R. Fonseca,
2* secretario.
Os ahaixo as-igiudos, nnicus iiM_dM> in-
firma Monteiro. Oirrria <:.. baen Mhala y ru
peitavel puhlic e com especialidade ao mmp.
commercial deita cidade, que a tirata sociai rot-
finir sobre a razan de Monteiro fcGuala d-^tr
| de aaeiro da 1870.
Recito 3 de janeiro de 1870.
Narciso Jos Monteiro.
________________Manuel Abres Corma.
Freta-se o lugar inglez^ de 1* rlasse, .
tue, para qualquer porto da Europa oo Rio d
Prata, pieferindo-se este ultimo : a tratar en <
capitn na praca oucoqi os consign.i_.nos Candi
do Alberto Sod'r da Motta C, na travessa .
Madre de Dcrs n 14.
A direcro da soeiodada Pm'mt Piaiai 2 *
J-.illie. convida a todos os asas e amipH A
seu ex-presidente esoeio benemrito Dr.Lanraai"
omes de Araujo e S.lva (fallecido na Babia
carillos i obsequ-o de assislipem a anta atasa aat:
pelo eteeno deseaoco do mesmo tinado, i
lebrar na igreja matriz da Ban v;>ia, na
letra 12 do corrente. |ielas 7 l|_' horas da n
pelo quo se confessa grata a lados que i
rom a este acto da caridad* e rebgia.
O Dr. Vicente Pereira do Reg
remes, collegas e di-ripoios do tinada
Saraphim Pereira da Silva Monteiro,
padre e amigo do annunciaote, pan
missa que por sua alma rafeado te
no dia 10 do corrente, as 7 horas da
matriz de Santo
aspa-
Precisa-se de nm criado Itps ou captivo,'
mesmo um moieu.ue creacido: na roa da Madr
de rw>os a. 3.
Precisa-se de auT
para casa de familia : na raa da
de cbarutos do Joio Antonio dos
Recurro a polrla para preOder o meu bsb
vo, abOxu declarado, qae eoanneueu um crime o
fugio : Lauriano, conheeido psr flit, com os>ig-
naes segaiotea ; pretu, enuulo, de idade^O anuos,
candas toas, tatura regular, blcades, costaaaa,
trazer raspado, catador e uanoeiro. tem pai.forro
de nome raneisro, morador i na estrada nova, le-
vou as ronpas, calcas e jaqattas dobrim branco
trancado e camisa de madap- -lao, cal.^a e paletol
curto de estepa o cobertor de algodao branco eW
listra. Bit toai amitos conheeuiieut-is na villa de
Iguaras^tiii-'rieTestad'o cmrtlfo mssa illa. Pro-
testo proceder contra uu^m o liver allado : quem
o prodder lave i'tana alaria a. 13, roa do
Mondego, /ine- ser b~n pago.
Marcftlmo Jnr Lopes. .
Ama
Precisa-se da una aaft : na ra da Cruz n. 16,
i andar.
S-H HflHB-
Bduca^ao primaria e
seoiradaria.
Jinvycpo Pereira fallar, fax cenle ao j
respeilavel pablico, e coa rpniilifc_fc
aos Illms. pai< de seas.ahnrnuis. qae per '
cautivo de molestia, se acha roeftaan ao :
Vaogaialu) entrada dos Aflietas a. 37,'
ndo continuar a evereer sea aintaa i
tio, prometiendo interessar-se ao prn-1
de eos ahtanos ; as aaaas esla-'1
,s fO do
-r 'Preeiti_-fle de am
gommar para peqneaa
a. W, Gaputi
Casa 4e coi
Na antiga casa de,
ahaixo a.'signaihv I
nna-se a x*ttait\
do mato como da pr
garante-se o bum traunvalo o prw
para o qne se empregaMne oe- e-H>rc a ata d>
saBsCuer em t_ds pwisaaifiao fraw tan
ra coa sua eooftanca. Nesta ca*a ha M9r
para vender e-*ravns de sataie os h, wT
mocos, assim como ha t dasetnraae para aTat.
Antonio feV.* Son. .
IIE6IIEI


Diario de Pemanibtico Segunda feira 10 de Janeiro de 1870.

5B
(SEM LIMITE.)
Na Iravessa da roa
das Ciros n, 2, pri-
metro andar, da-se qual- 8
quer quantia sobre oiiro, m
praia e pedras preciosas.
O dono deste estabelecimtno,
competentemente autorisado pelo
govenio, est as condicoes de ga-
rantir a transacco que se fizer em
sua casa, prometiendo todo e ze!o
e. eijosideraf ao s pessoas que se
tiignanem de Uunra-lo emseu.esta-
lielecimento.
Na mesma casa couipra-se ouro,
| prata o brilhantes.
umm&wM mmm mmmm
Correspondencia de Portugal.
<*< abaftes a .signadas: previnem aos senbbres
>Wnjcoa:iies deste jornal, que de Janeiro prxima
n'.uri fni diente a, ilesti Lum'o i-era MU no lar-
t]o 4o Guipo Sanio, no caf d<*6r. restaa, onde
HHsniOM son -mants Inundaran pagar
naatn ja a assignatnra do anno prximo quinze
(nil r.-is f,nr i nmeros contado do numero i
vi- man !uir o patnele do 28 de j.uieiro prximo
fatwt IV. de Janeiro de 1871. Nmeros
wnlsns mil res. Os i cribos sao mprossos e fir-
: |*liw abaiXOS assfffiados. A deslrmniea.i
lo jinul pira os assign oles so se far a aquel-
es n'.ii' i.'iliam j pago sua annualidr.de.
Taso tunaos.
GOMES DE KITTOS IRfflfoS
tendo feito completa nmdanpa em sen antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o flm de
dar-lhe maiores proporcoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gesto a compareeerem pessoalmente
das 6 horas da manbaa s 9 da noute na
RA DO ttUGA R. 4 '
onde^ncoiitrara uro qiinpielo sttiaDe*lo do que ha .de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e ludo que era obras
de ouro, piala e platina se pode desejar.
SDERECOS DE BBILHAKTES, ESMERALDAS E RUBIHS
de novos gostos, assim como grande variedade de salvas e pliteiros de
prata contrastada e de gosto aluda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra.preciosa e garantem
aqualidade dosebjectos vendidos.
tftH'HW.I """""*"
G^
MARTIMOS
. ij* vm.4 BOGO.
A, Companhia Indemnisadora, estabelecid;
esta piafa, toma seguros martimos sobrt
navios e scus carregamentos e contra fog
era edificios, m^rcadorias e mobilias:
rna do Vigarinn. pavimento ter eo.
Independencia n. 3 se m
nheiro sobre pejihoros 'de ouro, praia e pedra?
preciosas, jeja qual for a quanlia; e na mesnu
casa se cometa e vende objectos de ouro e prata
e igualmente se faz 'oda e qualquer obra de en
commenda, e1 todef e qualquer concert tcndenU
i mesma arle.
I'rec.sa-se de um mado pac ixupraa o re-
: '- : n.\ na dos Coellios n. 28.
Ka i a da Geno lia alo os AI.'^ailiN, per-
>l('ii--e un,a rabeca noite de festa ; quem achou-a
) qi lie dirija-so a mesma ran. 13, que
<: POS DE ROG
Approvailos pela Academia imperial
de medicina de Para
Um frasco do Psate Unge. dissolTido
ere urna srarrafa d'agua. di urna limonada
agtadawl, que purga rpidamente e de
mn ir.oilo certo, sem causar a menor
iiT!ai;;'o como acontece cora a maior
parle des outros purgantes. Os rom le
Kajcr. .-ao inaiteraveis por i.-so euipre-
gain-se batanele em viagem.
jv ., \ em\\ic-lA\n>it>. D*pt*tliclt;Clutal*t.
\ m PntiaiiBuco. Hawer a C A
E3s>*~_ -------- ----- PILULESSSGAUVIN
, H, koala >lrt Sabauopok Paria.
Rstc precioso Pnraatt*o TCfjeial to commodo
como ridivel < a remedio mais inlalliel para dcs-
irair as eonHIpafoesi, as ne?ralfla, as mais re-
beldes, assim como a Mita) e a vlttotldaales
Elle eftcat as gaairllle, obairuecim !
flecas, asihnna dore, calarrboa. emplgeua,
|ina c rbenmalli.iBHka.
0 merecimenlo das rillas Can*la pode reao-
mir-se arstas palara -. BUaiakclecer ou uo n
wr a sade.
Ellas nlo pedem nrn resguardo ai comida nem
bebida. em doae laianir e ateparatl*, osase tosaar
ellas as refeccAes em dose paroailTa de ooite ao
deitr-c.
Ptrnmmbtuo UM. aMorar t C.
GRANDE ARMAZEM DE FANOS, MSICAS E INSTRUMENTOS
N. 11- RA
9fel0(JJ3V
P.irleoipa ao respeitavel publico tiesta cidade e das mais pravmcis visinlws, que o seu grande e bem acredlo arinnzeiii de inslramentos para musi-
a, acaba do caegar u:n graude e cxplondido sortimento de
0 q'ic ha de mais moderno, coniecidos pianos da fabrica do Sr. / 'J
i.;;:.:i'i.> e ln.'Bi
fl 0 i-l J ,!
1e Pan*,,de quein o ;tij uncante e o nico agento ii'Sta cidade; como pro va cun o docuiuetito abaixo transcripto e assiBado pelo dito Sr. Urondel. Estes pianos, fabri-
uivis esnecialpMnte pan o clima deste paz, s5o os nicos que offerecem urna garanta segur* de sua durato. Ellf sao aqui bastante conhecidos desde 1844, para que
*?j.< i.-iossaiio iiisisiT sobre sua superioridade. As suas vozes sao muito flautadas e melodiosas. Eltes possucm um teclado que se presta a todos os caprichos do
catares pianistas. '-,- _n -,^-
Todas as pessoas que comprarcm Dianos, nt-sta casa, sao rogadas a exigireu..- o certificado de orinan assignado pelo Sr. Blondcl, afim de provar a sua
mt :cid,i'o! do numero de piano com o de certificado
AO PUBLICO


Air. Alphonse Blondcl, fabricante de pianos em PARS, de lira ao_respeitavel publico de FernaDibuco, que o nico deposito do seus pianos na cidade
i.itiriir', i! RA NOVA N. I, armazem de Antonio Jos de Azevedo. Oalro sim^ne tedos os seus piauos ira j accompanhados de am cartificado de origem assig-
um<. >i. I';iiis, 24 de julho de 1860. CAsssignndo) Iphonsc Bloutld.
t i 0 anoucian.e tambera troca e aluga pianos. E tem o maior e mais explendido sortimento de novas
MliSICAS PARA PIAMOS
As quaes recebe directamente da Europa e do Rio de Janeiro; das acreditadas casas dos Srs. Felippone Tomaghi, Narciso Arthur Napoleao & C,
?!<;. Tambem tem grande sortimento de papel para msica e desenho ; cordas para todos instrumeinos, ricas gravuras e quadros para ornamentos de salas, oleados para
Nsuaoi de salas, ritos espelhos dourads. quadrados e ovaes, caixinhas de costura com msicas e sem ella, estojos para viag m. niogics com despertador, vidrot? para
^iiotjs de todos os taannos, tala;;arca, las e agulhas para bordar, e muitos outr< s artigos que o respeitavel publico encontrar sempre neste armazem, o qual estar
iVrto lodos os dias at s 9 horas da noite afim das Exmas. familias poderem ir apreciar os seus pianos.
Ao commercio.
V.iiollo Alberto Sodr da Multa, tendo assoria-
il.i a mu casa couyni-ieial g sou piiineiro caixeiro
Sv. ..>><' Uiuiingues do Carino e Silva, faz publico
rno oVia data mi :."m-o. sil) a razan de Candido Alberto Sodre, da
*.-. ft J. Remfe 2 de Janeiro de 1870.
Sr. AuIohm) l'ereira do Souza digne-so
nompans-r na laja do Passo a ra do Crespo u. 7
j tygnfii que na i icnura ; ito cora urgencia.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de menor idade, com
algum tempo de balcao : na ra do Livramento n.
.'it. deposito.
FABRICA DE l'UMIS
DE
AMA
IV.H-isa-M' do urna ana para comprar o cozi-
nbir para nina pessoa : na rna da Roda n. 46,
! amar.
Coaiiaiuero
Ti i-a-se do um coiinneiro eom pratica de casa
I ;> :.. : na rna d Livrameato n. 31. deposito-
Joaquiin Ferreira dos Sautos, prolessor de
ilanc.a. participa aos seus Ilustres discpulos o
amigos, que abre a sua aula na ra estreita do
aosariu ii. 31, 3o andar, no dia 9 do corrento, pars
kNitmuar a dar as suas lic/Jes de danga com todaa
i> regias, nos dias j marrados, e nos outros das
se priviiuiilica ir ai'S.colleg e casas particulares
Oaixeiro
I'ii;a-sede imi pequeo de It a >i annos,
pie teaha alguma pritica de taberna; para in-'
loiiii i iuada Cruz o. Iti.
Cozinheia i
lVe '" uina que cozinhe a compro, para
sa5. li-miin spReirp : a tratar na ra duLi-
J/raovnlo Q. 30, luja. ____________________i
CASOiTZ
Aos 204)004000
' Re#fe arco Ja Coacelcoo. 1
Os abiajyi'jgnatlo tendo-se bablIHado na
inrma dasML tem exposto a venda os seus feli-
es bilbeie das loteras do Rio de Janeiro, na casa
aciu.MJionde se pagario as* aorte que sahieaje i
nos Mbu,we butMtes, eom e descont someSf
4a leik ,.,-.-,
Cuartos 6x000
EJfc M0# fm toa m+ Wlheie.
__ ''' rTgueirado & Leite.
AJURBNDA-SE a pcoprtedide deooi-
nadd Uarra de SiobSeQ.. no littoral da
freguea do raesn noue ee grpnde reo-
da da trra a receber e Batatos coqueiros a
dcsfi uctar ; leudo, aia diato, a expeliente
e rara posicSo beira-Biar e beira-rio, iotei-
ram*fit apropriada para mantr-se ahi
qualquer estabelecioftento commercial de
seceutf e raolbados : a tratar na ra d'Au-
rofan. 26. ou na dri imperador n. 20.
~-~^~ 4 IHEODORO QSBlXTr
ANSEN, rna da Cruz o. 18, en jlfectivaBifit.te todas a quadades de vinhi
Berdeaux, Itoorgogne e do Rbeno.
Jos .Mara Pataeira convida aos seas
apigos e os que foram do seu sempre lem-
brado amigo Dr. Lourengo Guraes de Achu-
jo e Silva (fallecido na Baha) o caritieso
obsequio de assistrem a urna missa que
por alma do mesmo finado manda celebrar
na igreja do Corpe Santo, eganda-feira 40
do correte, s 7 1/2 bous da fnanha,
confessando-se desde j grato .a tod*s as
pessoas que concorrerem cora sua presen-
ca a esse acto de relite e oaridade.
J. Jthigass, siiccesor
55Ba do Imperador55
Nesta anliga e bem fioubecida ca^a, encontrar-se-ba como outr'ou grande sor-
amento de piano construidosapressamatte^ara o clima deste paiz, e Mr. J. Rhigass
codo trabalhado muitos amiosma constnucro de pianos em Paris, acha-se habilitado
i preparar os pianos que vende com todos os accessorios indispensaveis nao su sua
solidez, como sua durarlo. Todos os pianos sao garantidos.
Tambem ba neste estabelecimento, grande variedade de msicas novas e dos
Memores autoras, tacto viudas de Parts como do Uto de Janeiro, que se vende mais
Darato do que em outra qualquer parte ; assim amo ba igualmente venda todos o>
Jbjsctos necessarios conlBucco de pianos. Os concertos e afinagSes de pianos serio
'eitos com o maior 'zelo e cuidado.
CASA

E IMPORTACO E EXPORT1CO
I, CARKERE
Escripjsprio, ra do V^igafio n. 5,
8MA
1 ANDAR.
Wo^scnptorio de1>al & frao, ra
da Cada n. 56, precisa se de um feitor
para engenho cora habilitagao, pratica, e
que d fiador sua conducta, prearindo-so
casado com pouca famijia.
Aos pas de tamilias. I
Josepba Mara Souto da Costa, competentemente
autorisaa pela .directora garas' da instruo{a pu-
blica, rasilla primeiras letras e todo 5 trabalho
Silativo a agulha. msica, piano, canto e francez,
i senhtsfes pas de familias que se quizerem uli-
fisar de feu prestino, conftando-lbe sjpas meni-
nas poden) dirigir-se roa da Goamercio n. i,
2* andar. ^ i
Preaiaa-se alogar um preto oa preta de ida-1
de : a tratar no estabelecimento iatituladoBasa/
da ''.asa Fi eJiinto a esta cao doCaldeireiro.
Da-se *itMl8i) ineusaes pelos servioos de um
pre'a), ou liomem livre, na ra do Raugel n. 9, pa-
itara._______
Os abaixo assiguados fazem puoiicu que
do Io qasa commercial girar cora a firma de
Simpson. Ooder ova firma a quidaco das tran^atsces
eitas pela firma que boje tica extmeta.
Recite 34 de dezembro de 189.
/>. C. & C C. Simpson & C,
A*A % VE.
Aos 20^)004000.
Bilkftes do Rio venda: roa do Cabtig n. %
TendQiiMwTa 4 Rodrigue.
OPPRESSO SOFFOCgO
* PrroUst dvtbcr do Docioa Clebtah approvadas pela Academia imperial
do medicina de Pariz acaliMm qjiasi sempre instantneamente os ataques d'asma,
Qpurnsat), pofroca^o, asin oataio as Sores de cabera e enxaquecas. sutli-
ciente na ancas fio em que aiajiaaecar o nial, o ongolir-se orna bu duas perolas
com urna |i)uca d'goa. E com certeza o medicamerto mais fcil de tomar para
este gener de doencas.
am reroUa annwjn > *fM"p afDT! Cubtab sa> impcegadas diariamente
com grande xito para a Cura das nevnalgias, rheumatismo, sciatico e catarrhos
da bexiga, Estas perolas foram sempre recomniendidas por um graade numero
de mdicos c especjajmentt; peJtv Ootor Trousseau, qae iattca este medica-
menta amo o mus ailieaz. t enveniente tswaar.de aS i oa opoaaiio daa
comidas. P T "W
A approvacao da Academia imperial de medicina sem duvida a melhor
garanta da boa prepafec^o d'stes sjs|dicamentos e de sua eficacia.
Paax^aHo em ho-*, )nf CAKVAO DE BELLOC

Approvado mannwbt pela Academia isopariai de mediciaa de Paris para a
curada gastralgia e em feral de todas as doeocas nemsas do esteniago e dos intestinos.
2 egualmente o rnaaailiu par mdta>rii costra a reascaa de eatf* Fisui4Eoenta en
rasio de suas propriedades jeorrentea, mtmm misil Vmm STdadeiro renado nos
can de diarrhea t choterina. mm* >* toma.* M ecw&e das comidas
cb aa^ I !<* 4e ptfo
Depoaiu ase Rr-um HpondU; CtawtW -lm*m*imm. Usure* i C".
Joaquim Jos Gon-
calves Beltrao
ItUA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDA*
Sacca por lodos os paquetes sobre o Bat
o do Mraho, em Jraga, e sobre os segoib
les logares .um Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valonea.
Guimares.
Coimbra.
Chave*.
Viseo.
Villa do Conde-
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Limy.
Villa Real.
Villa-Nova de]Famalic3o.
Laracgo.
Lagos.
Coviaa.
Vassa! Ora'passos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
Sab ie acatro
para curar as molestias de pe/le,
taes onioeinpingp'ns,.darlhros, sarnas, comidios
e mais molestias depelle, sem occasionar acciden-
tes-; ilesl'az as nianrhas do"corpn, pannos, sardas,
restabeleoe a cor natural, quanlo a cutis, ;ecca,
grossa o auiai'cllenla, occasionado por alguma
enfermidade. o como de-infectante e preventivo
das molestias cnniasi 'sas,
NICO DEPOSITO
Uotica do Pinto, ra larga do Rosario n. 10, junto
ao quortel de polica.
Retratista em 0 inda, ra do
Bom-fim n. 3.
Julin I; ,u iuoI, phntugraphn recem-chegado de
Paris, avisa ao Ilustrado publico ''e Oiinda, que
acaba de abril nesta cidade urna offleina para ti-
rar retratos por Indos os svslemas conliecdi. O
artista Julin garante a Ilustrado publico de
Oiinda a diirac,ao e firmeza ue seu trabalho r os
precis serio os m-iis commodos possiveis por ter
de demorarse pouco tempo nesta cidade. O es
labeleciment esiar aborto todos os dias desde as
8 horas da manilla al as 4 da urde.
PrerisH-se de un caixeiro que lenna pratica
de taberna : no largo da Assembla n. 17.
Aula particular de primeiras
letras.
Manoel de Souza Cordeiro Smoes faz sciente aos
scnlwres pais de seus alumnos, que no da 10 do
corrente se achara aborta >aas aula continuar
seus exercicios na mesma casa n. 16 da ra Tra-
vesa dos Exposlos ; e ao respeitavel publico, gue
contina a admittir alumno* externos e internos,
pensionistas e meio-pensionisias, nao excedendo
estes idade de 14 annos, pudendo admittir at o
n. de Iti, para o que tem commodo suficiente. O
esmero que lem empregado para o mellmr desem-
penlio de seu magisterio, j mu conhecid i de
todos os senhores pais de familias que Ihe tem
confiado seus fuos.
COMPRAS.
Compram-se moedas de ouro e prata de to-
dos os valores, onro e prata em obras inutilizadas,
brilhantes e mais pedras preciosas: na loja de
lurives do arco da Conceicao, no Recife.
0 muzeo de joias
Na rna doCabng n. & eompra-se onro, prata
e pedras preciosas por precos mais vantajosos do
iue em outra qualquer parte.
Com muito maior vaata^em compram-se
moedas de ouro e prata : na laja de joiaa do Co-
raejao de Onro n. 2 D, rna do Cabog.
mmm 6 mii-si
mCBAYS
Compram-se e vendem -se diariamesHe para lora
e dentro da provincia escraros de todas as idaies,
cores e sexos, com tanto que sejam adis : ao
serceiro andar do sobrado a. 36, ra das Crues,
Precisa-se cmprai nma esrrava de meia
idade : qaein tiver e qnetra aoder, dirija sea te-
ja de calcado da ra da Urna a. n.
Compra-se urna esrrava que nao seja muito
idosa, e que saiba cozinhar : trata-se no sobrado
a. 48 da ra das Trncheiraa.
Compram-se
escravos de ambos os sexos : oa ra do Impera-
dor a 75, 2* andar, das 9 da mnha as 5 da tarde.
VNDAS.
A VEfiDAM
55Ruado Qiieimado--
A VERDADE tendo era rieposj frand*
quantidade desmodezase ptfumarias, d
sejaudo aparar dinheiro e adqnerir b6a fre-
snezia esl rssolvida a vender mutsiat'
barato, ; por essa razao convida aereapei-
tavel -publico a vir conipeteip!'mente sali-
do a sortir-se do bom edjarato. Pois qoa :
do a Verdade appaieic. ludo auis ds-
apparece-----
Grande sortimento de bouaros de cera e
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Abotoaduras moderuas para col
letea.......
Espelhos donrados pepnf:i(is. .
Agulhas de osso para rrox a .
PrfiiU's para ragac com esntas a
Ricos globos para candieiro de gaz a
Cbaniins a.......
Grande sormeoto de objetos de
louca para brinquedo de menino
Garrafa com ahila a.....
m
1(0
**
:'
50
tm
Hita com agua norida rerdadeira a
Dita com dita dita a .
Frasco comnleo de babn a ':
Dilo cora agua deOdi ') e
Gairafa rom agua divina a. .
Frasco com extractos Bns n .
Latas pequeas com baiitn mi
Rna a 12i-e......
Sabooctes de diversas qrrali
80,160,240 e. .
Finas eseovas para ftealea da ISO a
Luidos coques modernos a. .
Pavios para gaz, dozia a Stfi ^ .
Eseovas para facto a >(.(, (UK) e Ti
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar piolbo a U'O e.
Brincos de trf2, bonitos a IM i irf
Pecas de tranca de 15a sja I
varas por. ......
Oleo para machina de costura,
(rjjsco a........
Peonas d'aco linas Paisas a 960 b
Uila d'aco Perry, caita a. 4o
Gal'o de algoiiao peca ....
Lindos babadiiilius e entrerneios
pefa de 300 a......1 t -
Diios de louca muito Uno a 1-0 e
Ditos para calca a lt>0 e. _i
Caixa cora, papel amizade a. 70>-
Ditas com envelopes a. P
Ditas com obreas a..... *
Gaixa qmi agulhas fundo domado >
Ditas de ditas ditas a..... ''
Thesoura para costina a 2'.0e "!
Caixa com nha de marra a 1+\
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........ SM
Carreteis de lnha Alexar.d.' e de 70
at '200. i>
Grampos muito finos com passa-
ros, dwzia a...... rv
Cartas portuguezas, dozia a 't*'
Ditas franco/.as a l'v-'OO : : '0JC-
Papel almaco e de peso, rumia a
35400, :*|800 e .
.,3a muito filia para bordar, libra >,
Fila de algodo para dein um de
sapaios, peca a.....
Dilas de 13a para debrum de fes-
tido, pet;a a......
Pentes finos para segurar ca-
bello a....... :i
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240, 'ZQ e...... 9t
Ditos para aparar penna a .
Rosetas pretas, par a M
Tranca de 13a dncaracol peca a O e
Fita de coz peca a 480 e .
Alfmetes de latao a.....
Sapatos de laa para crianca a 400e
Grvate de serias de cores a .
Cslcadeiras a....... 8
Grande sortimento de rendas das Ilhas.
Um par de suspensorio d<* borracha \
100 ris I! I|f |!t
Xa Ycrrfade na d QneBaad'
n. ..
LIQUIOACHO
Por todo o preco.
A loja da ra da Imperafriz n. 20 i-i ntinna r
lquidarao, vendendo-i-e as fazenda- eubtaa fe\'
no paz existentes no mcs.mo esia! rlii-imento
grande reducan nxs presos, por dejejar acabr
so quanlo anles com a dila liqnidacac.
% viso < iregnezca da boa Cari
a de mandioca
J chegaram da feira da Escada os saceos e,>
muito boa farinba, contendo cada um sarco I!
ti cias da de meo-decalitm ; venham loco ant<-
que e acabe, roa do Jardim n. 26 (cada sac -
a 7,300).
ChapelinaH para senhora
de precos mu favoraveis e ricos gostos, darpdn-
ultimamente, de preco de 103, 12 14el3
na praca da Independencia, loja de chapee i
Jos Barbosa Peqoeno.
Manoel Alves Kerreija & C, na ra la M.
da n. 5, 2o andar, tm para Tender superior '
do Porto em ancoretas e caixas de dozias, harri-
zinhos com 400 e 900 sardinhas superiores e b
ricas com bago de sabugneiro. poiassa da Ros-.;
e cal de Lisboa
Attentjao.
Yende-se muitedarato a coebeira da rna
*l *. 27, com canas e cavalo,aT cu di>t>
doeme : a tratar na mesma, on na ra do IW
riQ da Boa vista tk456.
vinte e cinco accoe* da estrada de ferro de Oiinda:
uem pretender dlrija-s A rna da Imperador Dfl
5, 2* afldajj das 9 da manbaa as 4 da tarde.
Canddo AlaTto Sodre da MotU A C, t t
escrptorio e amanea) aa traeerra da iBadaa u
Dos n. 14 tem para vender o i untan :
Cemento Portlaad de t* aaaHdede BMaaar qu*
lem vi rulo ao mercado,barrcas da 12 a 14 arrat'.i
porWatOOB. 1
Vinho Berdeasx das segantes quaadaV- -
St. Jalisn.
Froosac.
Lorsaaat.
at. Easaioa.
Cheteau da Itoyeateate.
St Leasban.
Lalonbere. |t ^SBBaaal
lasdraiim
Ce*. v.
Dearsesai.
Vinho do Porto quatidade moito espeeiaL
Azeite doce retasado en caixas > IS garrafa.
Vinagre superiar am garraoes peqiieai.
Fardo hamburnet, sanos de VO libras.
6S000.
Parinha de trign de superior qaalidade.
Barris com acatro. de arcos de ferro.
Furoos de todas ss qaali ladea, se pamotrar-
neste e>tabie<'imtsBin em latas, rolas e tarda*.
Papel de todas as qualidades, proprto para <-
garros.
cscravos de ambo os ee
dar a 75, 2* andar, das 9
tarde.
na roa do Ibt.
da saavbaa as a di
^areadoRiaiiadattep^S*i^-v'aa
dar. vende-se urna esrva iffioaafi, de t'
de dada, eoimba ordteario e a pr:
costur*-
LeiltMl


i I

6

00
9
00
I

C5
3
P=3
!
BENTO MACHADO ft C,
A A GUIA NEGRA animada com o bom accolhimento que teve em seus annun-
cs, vero, de novo participar a seus (regejos, que, acaba de receber um variado sorti-
mento de objecios de gosto, os quaes serio vendidos por precos muito razoaveis, pois
juaudo fez os seus primeiros annuncios, foi o que assegurou, e sem mdo de errar,
porque cuno j disseest ligada por iiiteresses a urna casa importadora dcsla praca, e
por isso poder ter tudo especial e vender por precos admiraveis.Chama pois a atten-
<;3o de seus freguezcs para 04 artigas que possa descreer:
Livros com otampo de marfim, muir- Um variado sortiments de charuteiras e
perola e tartaruga, proprios para miss 1. palliteiro* de porcelana,
Tontos para vnltarete.
Uongallas com marfim, cousa especial.
Sabonetes de alcatr5o.
C.-ifre de follias para dinbeiro.
Lindas caixas para ;costura.
Um completo sortimento de luvas de pe-
Garafinhas vazias proprias para presentes
cousa de gosto.
Indispensaveis de paliaba e de conro pro-
prios para senhoras e meninas trazar nos
bracos.
Binculos &' madreperola, marfim c tar-
taruga todos esmaltados.
Cintos largos de setira, cousa inteiramen- "
t nova. i"ca'
Fitas de sarja de todas as cores e largu-' Tnlagorce parabordar.
ras para lacos. U completo sortimento de enfeites de
, Toncas, sapatinhos meias de seda e mais seda para vestido,
pertences para baptisados. | Perfumaras de todos os autores os mais
Filas com inscripcoes proprias para bou- acreditados em extractos, pomadas e leos
quet de noiva, e finalmente outros muitos objectos que nao
Ricos vasos com p do arroz. 16 possivel mencionar ; mas com a vista se
Um variado soriimente de jarros de por- certih'caro do sortimento deste estabele-
celana. cimento.
Agnia Negra,
ra do Cabug n. 8.
s

:
8
m
s
:
a 2 c-Q O. o
os a>
23
S
3*1
a "
o o
!
l
a ?
3
c ~
g
i i
og
as
ti
O as
a
8-o
b|
g
en
O
m
n
O
V
as
en
CB
as

tffl
09
5g
3J =
3
en en 5 a -
e~\ ""C 2 os
c -5
a;
rs.
3
o.-a
3 5* t g 3 .S O "O as
1*31**1
..= 3 2/3
B c S? s a
Blll
2 2 S-3
&L3 T sa. f
oo o g.
o
-i o
te "i
I
' S.
o i'S = a
O CC o -I 09 O
gHB ""
H OH O.TS
p 5. o a> (t>
en r/j
.C es en
t es es c >.
ec o.- 5?
en o? L
os- n es os ce os
ei
in
S O >"5 CJQ
s-S o.5S
H P g-S<
!SX
1 5 s
C3 (CU
a so

II
II
BtB
B o
=o B
i'
r-t-
O 3


00
I I i'
&^
s>- B
D D c c4-
s> <^ B.
S su 2
"=* s "8 p
ce
t*
- 5
SIS*
s P B 4
IJMA
DO
GALLO VIGILANTE
Una do Crespo n. 9
Os propnetarios deste bera conhecidli estbale*
cimente, alera dos muitos objectos que tinham ex-
postos, a apreciacao do respeiuvel publico, man-
daram vir e acabara de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento de
finas e mui delicadas especialidades,, as quacs es-
tao resolvidos a vender, como de sen costume,
por precos piuito baratinhos e comraodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores lavas de pellica, pretas, Dmi-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de.mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para cabejas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
lhos e sem eiles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquellos brancos
com lindos desenhos, e estes preto.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as qnaes sempre se venderam por30*000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambera grande sortimento de
nutras qualidades, entre as quaes algumas muito
Unas.
Boas bengalas de superior canna d India e
casto de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
Juantidade de outras qualidades, como sejam, ma-
elra, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 un nos de idade.
Navalhas cabo de marfim o tartaruga parafazer
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labvrintbo.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo fim.
Grande e variado sortimento das raelhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsSes, e
facilitara a dentico das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores oestes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todes os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do alio
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderlo com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis toja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
srk
rWSTfcSa
iii i o
5i
la
LOJA DAS MACHIMS
BASTOS
Acabam de ebegar grande quaotidade das verdadeiras machinas americana;
para descarocar algodSo de todo os systemas e tamanhos seguintes :
12 serras 12 serras
14 ditas 14 ditas
ditas 0 15 ditas
ditas 16 ditas
ditas 18 ditas
ditas 20 ditas
ditas 22 ditas
ditas 2o ditas
ditas 30 ditas
ditas 38 <^H ;
ditas 40 ditas
Machinas a vapor de
forpa de 3 e 4 c-
vanos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de fac3o e serrotes para desca-
rocar algodo.
Bataneas para armazem e balco.
Camas de ferro.
. Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar carlas.
Fogo americano patent
Cal nova de Lisboa
chegada no ultimo navio :
Ramos, na ra da Cruz n. 8.
le Joaquim Jos
andar.
O BAZAR DA MODA
DE
JOSfc M SOLZA SOARES k C,
Ra Nova
VENDE-SE MUITO BARATO PARA LIQUI-
DAR A DINHEIRO.
Luvas.
De pelica branca mnito frescas, ebegadas
por este ultimo vapor para homens. senho-
ras e de cores e pretas para meninoso
par 2^000.
Minhas festas!!
Lindos objectos para minos, como sejam:
Estojase camnhas de msica, bolcinhas e
sestinhas, vasos e balainhos de porcelana
dourada, figuras, tinteiros, port-bouquet.
caixinhas para jijas, interesantes conchinhas
com frascos para excencias, ricos quadros
para retratos, apparelhos de plaqu, cama
feo e madreperola, lindos vasos com perfu-
maras etc. etc, e muitos outros objectos
para este fim.
chapeo* de sol on sombrfnhas
de setim ricamente enfeitados e mais mo-
dernos que pode haver para senhoras a
14& 16^e 185000.
GUIPURE O CROCH
preto ou branco que o pode haver de mais
bonito empadroes e superior em qualidades
para casacos, capinhas, corpinhos, meias
saias etc. e vende-se muito barato."
LINDAS CAMELIAS
brancas e cor de rosa de dous tamanhos
cada rosa a 15200 e 15500.
Chapeos para senhoras,
de palha fina de Italia elegantemente enfei-
tados e gostos muito modernos de 155000,
vende-se psra liquidar a 105000. E' pi-
chincha.
15
16
18
20
22
25
30
35
40
is quaes se vendem por precos commodos e roga-se as pessoas que dellas fizeram en
eommendas de alguns tamanhos, obsequio de as mandarem busca-las o mais breve pos
sivel afim de nao haverem faltas.
RUADA CADEIA N. 56 A
GAZ CAZ CAZ
Chegou *o antigodeposito de Henry Forstcr 6
C, roa do Imperador, um carregamento de gai
de primeira qualidade; o qual se vende em partida
e a re taino por menos preco do que em outr> qual
quer parte.
TTTENfjAO
Veide-se urna mulatinha de 14 annos, sadia,
com pnucas habilidades: quem pretender dirija-se
ra Nova n. 22, omle sp dir com quem tratar.
AS NOVAS SEDAS
11-RUA DO QUEIMAD0--11
Chegaram da Europa pelo allimo vapor loja de Augusto Porto A C. ricos
cortes das mais linda sedas de mimosas crs para vestidos proprios para bailes e casa-
mritos.
Grande variedade de sedas de listras de diversos precos todas de lindas cores,
gorgur5o de seda preta, e grosdenaple de varias qualidades e gorguro do seda 13a de
differentes cOres.
Novos vestidos brancos de blond para noivas, lindas eolias de seda para camas,
ditas de 13a e seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas e toalhas de
cambraia de linho bordadas.
Luvas novas de Jouvin.e elegantes sombrinhas de sedas de cor para senhoras.
Espartilhos de 55 at J05, lindos bournous de cachemira de cor para sahida
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Sortimento de muitas fazendas de 13a, linho e algod3o todas por precos muito
mdico.
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tapetes o de alcatifa para
forrar salbes tudo em quantidade; e vendem sempre'por menos que em outra qualquer
parte.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
ATTIMlU AOLEAO
Grande armazem de fazendas e ronpas (Vitas rna da Imperatriz
n. 52, porta larga, de Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 35, 35500 at 65. Ditos de
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 55, 65; 85 e 105, de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 35500 a 55000. Calcas de brim de cor finas e ordinaria*, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de 45, 55, 65 a 155. Colletes de todas as qualidades e preco muito
barato. Completo sortimento de camisas fran'cezas de algodo e de linho de 25 at 55
urna. Smimento de seroulas francezas de algodo, de linho e bramante a 25 e 25500.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a todos os precos. Meias sortimento completo a 35.
45 at 75 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto para homem, como
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como bros, pannos finos e outras muitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Rramantes de 11 palmos de largura a 15800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 15200.
Basquines de guipure enfeitadas a 185000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapofo fino a 65500, 75, 85 e 95000.
Algodo peca com 20 jardas a 45500, 55500 e 65000.
Peca de algodo largo a 75500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem roopa
feita qaefse est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
LESO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
Antonio d* Cosa Mctl<>, tendo de retirar-se
para a Europa, vpnJe sua casa e padaria no p-
voado gueada e propria para qualquer principiante, e
tambera sp faz negocio a prnzo : a tratar no men-
ino piivuilo mi rta rna das Cinco Pnntas n. 82
l. km i nninm
Primeiro introductor dos pocos tubulares
instantneos da Abyssinea.
Avisa-se as pessoas
que bavian feito en-
eommendas dos ree
ridos poeos que os ve
n ha ni buscar
Nova n.21, onde tero qualquer esca
recimento.
r
a
Vendem-sp duas.ca-as na frpguezia de Santo
Amaro de Jaboatao, sendo urna na ra da Matriz
da mesma fregupzia e outra contigua a feira :
Suein prcieuder dirija-se a ra do Imperador n.
7, estrada pelo caes i de s'ovambro.
Este admira?el
IDepaiaTo nao
lcootememsimer- 2
bario, iodo on
raesicot nm I
I ODUiSre0i!ft2LC2?I**'"te"?""te{*"e. Ues como a lepra, imBig*,,'a^e'f"
epuiBeeiP^ete.-tapreitodlrtmwtedte^ ownd
"" C en a dl m wrrijneatoi utfew w BU rtbtie*.
espinhu, e m Pium, etc-Baprcgado diu
A IIJECCAO GABET
3 cordeiro previdente
Rna d QueUnado a. 1 .
Novo e variado sortimento de
finas^ e outros objectos.
Alm do completo sortiedlo de _
marias, de que effectivamente est prvidas
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba is
receber nm outro sortimento que as toras
aotavel pela variedade de objectos, superior^
iade, quafidades e commodidades de pro-
cos ; assim, pois, o Cordeiro Previdente peda
e espera continuar a merecer a aproaseio
do respeitavel publico em geral e de su
boa freguezia em particaiar, nao se ate-
tando elle de sua bem conhecida minridfc
e barateza. Em dita loja encontrarlo es
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray A Iaanaan.
Dita de Cologne ingleza, americana, frsa-
ceza, todas dos melhores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet
Elixir odontalgico para conservaba de
sseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chai-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, coa
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chot-
eo de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocme verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade.
com escolhidos cheiros, em frascos de f
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em ico-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinba para barbo.
Caixinbas com bonitos sabonetes iautaado
(rucias.
Ditas de madeira invemisada contendo 1-
nas perfumaras, mnito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelao igualmente bonitas, taaa
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, a da
moldes novos e elegantes, com p de arro:
s boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras difirante*
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda sala coquea.
Um outro sortimento de coques de an-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhM
e alguns d'elles ornados de flores a fitas,
estao todos expostos apreciacao de enea
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicao.
FlTellas e Otan para elmtsw.
Bello e variado sortimento de taes objsc
tos, ficando a boa escolha ao gosto do coas,
prador.
RAP PIIPUfiAR
DA
FABRICA MflOiU DA BAHA
DE
Tetxeira Uldunco(jrC.
Acha-se venda este ptimo rap, mico ejn-
pdc suppnr falta do prnceza de Lisboa, por aer
de mui agrada vel perfnme, viajado, e asneo
mais mdico possivel; e por isso tea mm as
acolhido as pracas da Baha, do Rio de liaiJi t
em outras do imperio : no escriptoro de Ijiwk
Jos Goncalves Beltrao, a ra do Conuaeio ae-
mero 17.
LIQUIDACiO
de fazendas.
Na ra Nova n. 48, ainda re>tam algnmas t
zendas que se vendem por SWfM que a.lmtrai
como sejam laazinhas a 34M rs. rr mhMW
com listas de muito lindas cores a :100 rs., dwu
a 200 e 300 rs., grande quantidade de rimen i i
de milito lindos padres a 300 rs., e outras Mi-
tas fazendas que pela sua boa qualidade se air-
nam recnmmenriadas para rasas Grande quantidade de paletots de seda, de pasa
fino, de casemira, de bomh.izina (pretos e de er
res) que se vpndem por todo o preco para liqai
dar, aproveiiem a pe-.-hincha qne est rndase
\ endem-se tres bombas em mnito boa es-
tado, urna de Japy n. i, urna de ferro e um d>
cobre, ps de laranjas rravo, da china, e ps -
rosas de diversas qualidad.-i, ja plntanos em ees
tos proprios para mjdar-se, assim como as lana
geiras : na ra das Cruzes n. 3C, 1* andar, se dir.i
quem as vende.
Vedem-se duas casas em Santo Aman d>-
Jaboatao, urna na ra de Baixo, prxima feto.
e outra na rna da Matriz: a tratar na rna do Im-
perador r. 57, enlrada|pelo caes 24 de Novembr.
CJIDET
."CURA
em TRES DAS
[Ph^B^Denain?]
PA R I S
Pars, 36,RaaTMems),
CHABL MEOECIN
Asnminauus dissuuao, as.
{OES rUTAWKAS. t ALTUACCMIIO I
DEPURATIF
SAIVG
p
PLUS DE
COPAHU
trf$m,mtmm
----------------jmi *.<
00 Bangui. [Itnpt i
fmthrmm tiimii
lomio-M don por ni tai. iipiO I
tfvuratvoo wai rigli aat aMaaaa
Btta lanaa Ofrata SI
ftrw eaCBABU. amn
tmDadiauaMaofaalaaa
ente os /luxo> e flores hramem$ ata awBMrav-a
Bsta lajat* baaipu tatragi-aa aaa alarata da
Citracio dt ferro.
POMADA ANT1HERPCTICA
Coetrn aaa fafeM vMaaaa a asaaaaaaa
PILULAS VEGCTAE8 DEPURATIVA
ia W Cbakaa, ataa firaaa vai i
tu falaata.
bHB -


Diario de Pernambaco
Segunda
[eir 10*de Janeiro de 1870.



\ )
i

A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO <^,
xpendido sortimento de
roupas feitas
' NA LOJA DO PAVO A RA DA
EMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande esta()elecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas,
sendo calcas palitts e colotes de casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
am desejar, assim come na mesma toja
tem um bello sortmento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, coma maiorpromp-
dao vontade do fregnez, e nao sendo
,. 8(DWMi Et* l)lai?8IMVai)21& @(D
DE
FLIX JPEREIHA DA SILVA.
O proprietario d'este grande estabelacimento, vendo que se est aproximando o fin-
do anno, e tendo em ser um grande deposito deposito de fazendas; n5o fallando em
vnltadas encommendas que lhes esto obrigado todos os dias, tem resolvido liquda-
las por preco muito mais baratos do que em outra qualquer parte ; so com o fim
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontra-se neste estabelecimento do
PAVO, avultado sortmento deiazondas de luxo e modas; assim como de primeira
necessidade. As pessoas que negociam em pequea escala n'esta loja podero surtir-
se vendendo-se-lbes pelos precos que compram, n^s casas inglezas; assim como as ex-
cellentissmas familias podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou man-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
cha constantemente aberto das 6 horas da manhSa s 9 da noite.
LAZINHAS MODERNAS NA LOJA DO PAVAO
Chegou para este estabelecimento um grande
sortmento das memores e mais modernas laazi-
imas para vestidos, sendo tapadas e transparentes
de todos os precos e qualidades que se vendam
mais barato do que m outra qualquer parte.
Crochs para cari eir s e sofs
O Pvo tem um grande sortmento dos
mais bonitos crochs proprios para cadei-
ras, sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
como proprios para cobrir presentes, e ven-
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte,
GLAGE' A 1:200 PARA VESTIDOS
O Pavio tem esta nova fazenda lisa pro-
obrigados a acceita-las, quando nao stejam pra D,ra vestidos, com as mais delicadas
completamente ao seu contento, assim como i C5res e com m\s |usre do que a propria
Q'este vasto estabelecimento encontrar o | se(]a com 4 palmos de largura que facilita
respeitavel publico um bello sortmento de fazer-se qualquer vestido com 10 covados
camisas francezas e inglezas, ceroulas de|e vende se pelo baratissimo prego de 1:200
dnho e algodao e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
ratra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porcSo de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavao ra da Imperatriz jn. 50. De Flix
Pereira da Silva.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Encontra o respeitavel publico neste estabeleci-
mento um grande sortmento de fazendas pretas,
como sejam, cassas francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de la de
todas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, lazinbas, alpacas lavradas e lisas, cantao,
bombazinas, merino, etc., que tudo se vende por
ureco barato.
AS CASSAS DO PAVAO
Covad-i a 300 rs.
Vendem-se finissimas cassas francezas com lin-
dos desenhos e cores flxas a 300 rs. o covado.
Madapolo francez a 7#000 rs-
Vende-se pecas de madapolo francez
com 22 metros pelo baratissimo preco de
TiJOOO a peca, pechinclia.
Altas novidaiies em sedas
Chegou um grande sortimento das mais
moderjas poupelinas ou gorgures de seda
e linho com os mais elegantes padrees que
tem vindo a este mercado sendo, miudos e
raudos, tanto em cortes para vestidos como
para vender em covado, assim como um
oonito sortmento das mais bonitas sedas
stradas que se vende tudo muito em centa
Grosdeuaples de cores
Chegou um grande sortimento dos mais
bonitos grosdeoaples de todas as cores para
vestidos que se vendem muito mais barato
do que em outra qualquer parte.
GRANDE PECHINCHA A 5:000 RS. PECA DE
Brctauha
Vende-se pecas de superior bretanha de
algodao tendo quatro palmos de largura
oom 20 varas ou 22 metros cada peca, esta
fazenda seria para custar 8*000, a nao ser
sima grande compra que se fez, e liquida-se
a 5j$00, cada peca.
AOS 20 M tt n rn.
LASINHAS LUSTROSAS A400RS. O CO-
VABO.
S o Pavo
Vende-se um grande sortimento das
mais modernas e elegantes laasinhas para
vestidos, com as cores mais novas que tem
vindo a este mercado, sendo com listriohas
miudinhas que pareeem de urna s cor e
cora tanto lustro que imitam perfeitamente
s poupelinas de. seda, e vendem-se pelo
barato preco de 400 rs.
Bretanha* de rolo a 2-4500 a
peca
Yende-se superior bretanha de rolo ten-
do 10 varas ou 11 metros com 4 palmos
de largura pelo barat preco de 2S500,
pechincha.
Os setins do PavSo
Vende-se os mais bonitos setins de cores
e mais encorpados proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
AOS PALITTS DO PAVO A' 180 e
205000.
Vende-se um bonito sortimento de palit-
ts francezes sendo, sobfecasacados e pro-
priamente sobre-casacos, que se vendem
forrados de alpaca a 18,5000 e forrados de
seda a 205000, pechincha.
COLCHAS DE FSTAO
loja
J COC
ditas de croch para camas de noiva, assim como
aooitos damascos de 15a para colchas.
Na loja ao Pavo vendem-se os mais
bonitos chales de verdadeira cachemira de
c6r com os desenhos mais modernos, a 60,
10 'e 125000, muito barato na ra da Im-
perattix nr 60.
BASQUINAS A 125000
Na loja do Pavao vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes deguipure,
pelo barato precoz de 125000 cada urna.
Cortes de organdys com barras
Para a loja do Pavao chegaram, os mais
bonitos cortes de organdys com barra, sendo
cada um em seo .cartSo, com o competente
figurino. moito 'proprios para fazer
seatar
*96 tyfcMAltf'**'
aado a AGUIA BRRNCA, mais precisa scientificar ao respeitavel publico em
eeral e em particular a sua bea freguezia, da immensidade de objectos que ltimamen-
te tem recebido, justamenttfqeando ella menos o pode fazer e porque essa falta invo-
luntaria ella conilae espera na benevolencia de todos que '^'a a ^derao e relivarao,
continuando portante a dirigrem-se a bem conhecida U ja da AGUIA BRANCA ra do
Queimado n. 8, onde sempre acbarto abnodancia em sorjmento de operjor^ide em
qualidades. modicidade em precos e 0 seu nanea desmentt.do AGRADO E SUGERIDADE^
Do que cima fica dito se conhece que o tempo ie que a AGUIA BRANC V pode
disnor emnrVado apezar de seas cuates no desempenho de bem servir a aquellos que a
honrara procurando prover-se em dita loja do que necesitara, entretanto sera ennurae-
rar os obiectos que por sua natureza sao mas conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja importancia, elegancia e novidade os tornara recommendaveis, como
b+m seja :
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeic5o de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se podena
dizer querendo descreve-Ios minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para n5o massar o preten-
dere se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Gupure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos. ____
rs. o covado, pechincha.
Organdys a 360 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores com padrees miudos egraudos. sen-
do todos de cores fixas, pelos baratos pre-
cos de 360 rs. o cova lo.
ALGOBO ENTESTADO
Vende-se urna grande porc5o de algodo-
sinho americano com 8 palmos de largura
proprio para lences e toalhas tendo liso e
trrncaao que se vende por preco muito em
conta.
Panos de limbo
Chegou um grande sortimeoto de pecas
de panno de linho do Porto que se vendem
de 700 rs. at 15000 a vara, garantindo-se
que em fazenda de linho nao ha nada me-
lhor, nem mais proprio para lences e toa-
lhas.
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um graade sortimento dos me-
jores chapos de sol de seda, inglezes ten-
do neste art'go o melhor que tem vindo ao
mercado assim como urna grande porcao de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em oi-tra qualquer parte, por haver
grande perco.
i.e'os brancos
Vende-se um grande sortimento de len-
cos brancos para hompm, sendo a duzia
15600,25000 o 35O0O, ditos abanhados
muito finos a 45 e 65000 a duzia^ ditos de
eseuio fazenda muito superior a 55, 65 e
75000,
Pechicha em casemiras a .
Vende-se finissimas casemiras de cor com
listras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores mais novas e mais bonitas que tera
vindo ao mercado, pelo baratissimo preco
de 45000 o covado ou 70000, cada cort
de calca.
Os bales do Pavao a 2$000,
Cheg u um grande sortmento de bales
ou crenolnas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 25000 ca-
da um grande pechincha.
AS CA'IBRAIAS DO PAVO A 4:500 RS.'
Vende-se urna grande porcao de pecas
de finissimas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com mais de vara de
largura pelo baratissimo preco de 45500, a
peca sendo fazenda que nunca se vendeu
por menos de 85000, grande pechincha.
AS POUPELINAS DO PAVO A 500 RS.
Chegaram as mais. lindas poupelinas de
la cora imitaco das' poupelinas de seda,
um* fazenda muito leve com as mais lin-
das cores, sendo: verde Bismark, rxa, azul
lyrio, c nsento, perolla etc, etc. o vende-se
pelo baratissimo preco de 500 rs.
Ditos de algodo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas o monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costuraes ou uniformes para meninos.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para balao.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes s5o movidas- por um machinismo
urnas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira enverniseda com vispo-
ras e com dminos.
Bollas de borracha para brinquedo de
11IIUWI
Campos da fu' do Imperador n.
no intuito de servir satisfatori mente aos
seas innumeraveis amigos e rregueies, om
("particular e em geral ao respeitavel pnbco,
desta cidade ; avisa aos que rstivercm pas-
sando o tempo calmoso, nos deleitaveis
arrabaldes desta capital, que tem resolvido
vender, de de superior qualidade, a pn
razoaveis, os seguiptes gneros a saber:
PARA CIMA DE APARADORES ,
Latas com doce em calda de diversas
qualidades nacionaes e estrangeiros.
Ditas com peixe a saber*j salmn, ostras
e lagostas.
Ditas com ervilhas francezas e portugue-
zas.
Ditas com gela franceza.
Cerveja franceza verdadeira Bobee.
Presunto para fiambre afiambrados.
PARA DISPENSAS
Latas com chouricas novas .sendo de 85,
cada urna.
Presuntos de Lamego para tompeiro.
Cuias do Para (pintadas pelos indgenas
daquella provincia.
Copos de vidro com dobradica e tampa
para diversos misteres,
PARA OS QUARTOS DE DORMIDA
Porta-phosphoros cheios de phosphoros
de segnranca.
PARA SALA
Churutos de S. Flix do afamado fabri-
cante Costa.
Fumo picado do Daniel de S. Joao do
Rio de Novo. *
Alm desses gneros, o Campos tem con-
vicco de que o seu estabelecimento um
dos que podem salisfazer com garantas as
exigencias, bem entendidas, dos Ilustrados
habitantesdesta heroica provincia, porquan-
to s acha elle bem prvido de gneros su-
periores, de maneira a nao desmentir
TURA.
Aeabam de ehrgar tfl Ciiw* K
rqa Nova n. 92 Camriro Viann ini r.mi.
rtimeulo ck- mactfha* pa/a nwUira, *n
ronhrriilus, 1 quars .-!> em i ipo-i-
rorie me>mri Razar, ,;nr;inlimli.....> #ab lidade, e lambwn i>niR.i-M fom i r i. r ... -i
os cfiipr: ilircs. K seu trabalho ao de ;)0.....lunirm bariMMate,
-ni iurfeiraii lal rmun da inull r > >:un-ira d-
Pars. ApreseBUm-M traballm ntetttm p*a-
iiicsin.i, que muito itmm apn.'lar ao prem-
dentes. m_______
Sheuinatismo emoles-
tas syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaprrilba
>el
tm-
aoe-
Enxovaes completos para baptisados.
e raeroatditol fi'0' SaPathS brdadS "Sos objectos de porcelana, proprios
CamisTnhas bordada, para ditos. para enfeite^de mesa e de lapinhas. ^
SORTWTO PAR4J FESTA
Vende-se pon menos de 10, 20 e 30 i0
SO' NO
0 Campos.
do Paia, pilulas e xarope de
tura e xarope de siropira.
Doencas do ligado e baro,
ma, opilaro, fe.
Emplasto, oleo, pommada. linton. pi-
lulas, xarope e vinho da milagrosa Juru-
beba.
Sezftes ou fobres intermitentes
As pillas anti-peiiodicas de Pinto.
nico deposito desles meilicameiilo na
pharmacia dt sen autor rua larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quartel do corpo de
polic-a.
NA PIIARMCIA DO PINTO RUA LARGA IX
R0SAH1O N. 10 JUNTO AO Ol AR-
TEL DE POLICA.
Acham-se constantcmenle prooaptas a
serm satisliiitas, as nrMcri|)(wi i's Sr-
facullativos, e as necessidades >los enferm>
s especialidades da mesm* pharmacia.
composta de medicamentos, tamo indge-
nas, como Mtnogokos.
To>ses e molestia.- do peilo.
Xaropes de fedegoso. rain d \A'.
AgriSo, pao Cardoso, juca, mulung, i..u-
tamba, etc, etc.
COGNAC.
BRACO
De superior qualidade da mu acento-
! da fabrica de Piifril Dubouch A C, em
cognac urna das (jue mais ;:'.'uard1i d-5
cognac, forneccm para o onsummo do
\ Reino da Inglaterra.
Vende-so em casa de Th. Jaat. roa do
'commercio n. 38._____ ________
VENDE SE ou arr*'ni!.:->
S. Gaspar, sito na freguezia ,1c dtrM
comarca do Rio Firmoo, pros! n do ens-
barque, com grandes paitidM M r"':l
massap i rucia da aoenda. DMtm bm
para madi-'ira ncrssaria. DON parto, ek.
a tratar na rua d'Awora n. .:. n^
Imnerador n. (.
Rua do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento encontra-se
diariamente um variado sortimento de bo
linhos para cha, pastis, podin>, bollos in-
glezes, p5es de l. presuntos, ditos un fiam-
bre, superior cha Hysson, preto, e miudi-
nbo. Vinhos finos de todas as qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, fructas muito boas, por-
tuguezas e francezas.
Um completo e variado sortimento de, _
caixinhas de todas os gostos e precos para Compaumn de seguros nianti-
ule publica.
...
jf 9 23Largo do Terpo.N. 23.
DE
SDIAO DOS SANTOS & C.
Os proprietarios destem sortido armazem de secco e molhados estSo re-
solvdos a fazere urna grande dimmui'co de precos as suas mercadorias, como se apro-
\ima a festa e sempre se fazem avalladas compras para o centro e praca, por
isso previnem ao respeitavel publico em geral, que mande fazer suas despencas e cer-
tos de que verao a grande differenca em precos mais do que em outra qualquer parte
6 8Ga MlEM^ISTStliOj SEVADINHAE SAG* 280 rs. a librae
ra a aarrafa e 660 rs. o litro. 620 rs. o kilogrammo.
VINHO VERDADEIRO FIGUE1RA 5601 FARINHA DE ARARUTA VERDADERA
a garrafa, e 4#500 a caada e 800 rs o ti- 6
tro.
DEM DE LISROA das melhores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 2*800 e
BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 8<)0 rs. o kilogrsmmo.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANCA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
3{S200 a caada, 660 e 720 rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISROA a 4r$000.
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA 3*200 e. W&00 a groza
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 10400,
caada,
mimosear senhoras, estas caixinnas recen-
terapnte chegadas de Paris s5o de primora-
do gosto, olferesse-mo-las aosgalanteadoies
do bello sexo pois nellas acharo nm digno
e serio presente para as donas dos seus
pensmentos. Tambera os apreciadores da
boa fumaca encontrarao charutos dos me-
lhores fabricantes da Babia e de Havana
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, christalisados e de-
cada, ditos de caj ede outras qualidades.
Nestacasa recebem-se encommendas para
bailes, casamentos e baptisados e qoaiqaer
encommendas avolss, como seja pao d 16
e bollos'enfeitados e outros militas couzas
que enfadonho mencionar.
utilit
nios
A diwio da aoBformhW i
los a.I. i9, wiMtepor mermeln rrHt M>-
codo dez acem.- d.i rmsmk Luapiafeii : pan ira-
tar na rua da C.adla n. i.
1*800 e 2-5200 a
AZEITE DOCE DE LISBOA a 900 rs. a
carrafa, e a 7* a caada, e 1*340 o litro-
MANTEIGA INGLEZA FLOR 1*400 e
1*280 a libra, 3*060 e 2*780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 2*100, 1*980 e 1*860 o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a U
bra, 1*220 o kilogrammo, em porcao se
far abatimento.
BANHA DE PORCO DE BALTIMOOR
720 rs. a libra, o 1*560 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 1*280, 2*500
3*500,4*500, 5*500 a lata e a retalho e 1*
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso. e em caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 5*500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM RASS, VERDADEIRA IHLERS
BELL, 800 rs. a garrafa e 9* a dnzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 1*500, 1*200, l*e
JLlLilll MU ll
Resta venda ata escolliido sortimento de ob
lectos de marcineria, como gejatn, mobiiiaa de ja-
jarand. raugno camarello, obra nacional e esiran-
eira, u apurado gor-to e por prao* razuave? :
aa rua eatreita do Rosario n. 32. Ncsta mesmi
asa faiem-se com pcrfeiao todos os trabalhos dt
jalhinha, como sejam, empalhamentos de lastro
iara camas, cadeiras e. sophs._______________
Farinha da trra
Manoel Jo Alves contina a ler farinha da
trra para vender : na rua da Prain n. :'.s.______
Veude-se Din ittiu no eaimak 'i*w-
com casa edili;-:i la n mez paM I IMB sala-.
Sqnamw, ahiha fra, eapim.twido 1,000 ptlmo
fondo, oflbrefn urandVi vai
nova, como pela prande baixa I
laiiilicm pnrser ete losar
daviabrra : qnem preHwler lija-M i
huya do Rosario n. 22.____________________
rmacao baratissima
.\a rua Sova r.. 18, vende-T nmi ;;:
can. parteenvidracada,tth *, *>
diversos ca .or grande*, pr|
padaria, deposito ou nlro i|u
,]ual se vende porprec. I raliss i i
capar a eai\a juntamente >- now i
vasias arqueadas de f'-rro. ______^______
i loja do Pavo vende-se um grande sortimen-
to de colchas de fustao sendo brancas e de cores
Fustoes trancos para vestidos
Chegou um lindo sortimento dos mais ba-
ratos e bonitos fustes brancos com listras
e corefes, sendo fazenda bastante larga e
flexivel, muito propria para vestidos e rou-
pas de meninos e vendem-se a 640 o co-
vado.
BONITAS LAASINHAS
OU ANADLNAS A 1*000 RS. O COVADO.
Chegou para o Pavao, um grande e va-
riado sortimento desta nova fazenda de la
e seda propria para vestidos, com os mais
delicados desenhos emais modernas cores,
tendo bastante largura que facilita fazer-se
nm vestido com poucos covados, pelo bara-
tissimo preco de 1*000 o covado, por j es-
tarem muito prximos da festa.
CRETONES MATISADOS PARA VESTIDOS
A 640 E 800 RS.
Para a loja do Pava chegaram os mais
bonitos cretones escaros matizados, pro-
prios para vestidos, roup5o chambres etc.
que se vendem 800 rs. o covado, assim
como a mesma fazenda em padrees claros
proprios para vestidos e roupas de meni-
nos a 640 o covado, sendo es padrns mais
mederaos que tem vinpo ao mercado.
Chitas francesas
Para a loja do Pavao chegaram as mais
finas e bonitas chitas escuras, propriamente
francezas, e vende-se a 500 rs. o oovado.
por^o se far abatimento.
ARROZ DO MARANH E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
3*400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 6*000 a arroba.
JAF EM GRAO U e 65500 ajrroba,
200,240 e 260 rs. a libra. 440 e 5a) rs. 0
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SARAO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a librare
15220 o kilogrammo.
ROLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
Ihante, combination, FrancF-cracynel, mixed
Britania. Mdium, Fancy-nic-nac, a, b, c, e
soda a IjSOOO e liS400, cada orna lata.
Assim como ha outros muitos
RUA UA GLORIA \. 5
Olaria do Fuodao.
Ha sempre nesta olaria grande sortimento de
materiacs, como lijlos de alvenaria batida, ladri-
Iho, quadrado de 8, 9 c mais pocgadas, tellias c
telhoes, tijolos de tapamentos. O proprietario des-
ta olaria garante a bondade e barro de taes mate-
riaes, como tambem vende-se mala barato do |ue
em outra qualquer parte.
ATI
i
sitio
Vende-se urna ca ;
PasaafPtn Magdalena, en h .:n h
razoavel: bobi pretender dirija i
nvreiono Ki-cife, .asa u ll.d.n "1
nhaa i 1 da larde, oa na rua da Aleara en
de Jos Antonio Bastos.
GENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 75 e 60 a frasquira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
115 a frasquira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35000, 25800 e 25400 em caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISROA MUITO ALTO
a 400 rs. a libra, e 880 rs. .0 kilogrammo,
e 115500 a arroba.
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS* 15000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TO a 15000 rs. a lata.
CHA FINO, GRAUDO E MIUDINHO
35200 e 25800 a libra, e 65100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO P.ARA NEGOCIO 25000,
25200 e 15800, rs. a libra,
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
CIMENTO
Da melhor qualidade e por menor preco
que em outra qualquer parte, vendem Ama-
ral, Moreira & C. em seu armazem do Caes
da Alfandega n. 7.
Cal de Lisboa
chocada 110 ultimo navio, lem para vender Ioa: i '"bordo o escravoSeverta, mulato, de :< ann.~
quim Jos Godcalves Beltro, no seu escnptorio a | ^ da(jc l|ll(. do i^ar remeitiain os >rs. \ir
rua do Commercio n. 17. Sataado Souza & '-- por emita do Sr. r.'>mun.
ES6SIAV0S FGSSOS-
__Fngio no dia 8 do eorretfe nti <
bro de I8W, d 1 engenho o'i>ui, rotua da
cada, o escravn Paulo, rabra, < idaac
altni'a e corpo regular.'.-, barba* cabe)
pinhoo, pi-itos c peinas bem eaMM eaea
mareas d.- b-.-xicas, isa mtm de ehc
costas com paDeia8deqncimaluras, fei
catea de brm paVdo, camfea d
po'dc palba do caruaiiba. foi .-: >
Loit, morador no^ Afogaios. leudo o nvsnn -
cravo muliiT e lilhos nwse local p ,
de gratiflcaeio a quem o prender e li'va-io w
engenho, ou na rtu do Cabug u. II ao ?r. Fra
CISCO Antonio de HrLto.__________________________
GratTiicao/iodelOOri
Ao chegar a esta cidade em HH ultmu fi
dos por'os do norte o vapor nacional 0 >
0 VAPOR
muito novas, passas e figos novos, charutos de diversas marcas, marmelada. feita pelos
melhores conservaros em Lisbfta. gela de marmello, pcego, ervilhas, era latas, por-
tugus e francesas, vinho verde engarrafado i retalho pe.xe em latas bem corao
pescada, tainha, pargo, goraz, lula, corvina, vengo, cavalla, sarda e sardmhas de Nan-
tes cnella, cravo, ervadpce, cominho, pmenta, grandesmolbos de sebolla 15500.
Finalmente muito* outros gneros que enfandonho menciona-los._________________
GEWIENTO
PORTLAND.
Yende-se no armaiem amarello de Vicente Fer-
defronte do arco da Con-
Na loja e nnazem do Pavao ri da Imperatriz n. 60.
PARA A FESTA
3 portas, loja de frr &^m
53-Rua Direita--53
Neste rraooe esubel^imente, La para ngto; g^em SmcI^Je
uro completo sortimento de ferraban, e miudezas <-e"^"-------------1-----
finas e grasas, como sejam bandejas chineas pnT1Ka Irrtl^n ir (1
nuadradas e nvaes f^as e arfes de 1 be-, L/Illllll riUflOb 00 V.
tbes, balanco intiro e t/t bataneo; panellasv cha-1 MADrtE DOS N.Ji.
Iheiras, acarollas, friaideiras, assadeiras, unto i Teem vend,.r vinho do Porto Uno e de pas-
de ferro como de porcelana, momhos para ca ue ^ em ^^^ de qUntu e dcimo : chegou ultima-
diversos temanhos do fabricante Japy, pesos kilo- mHnt8 Q bem CllDiiecdo vinho engarrafado lagn-
graflmos, tanto de ferro como i lata<), metros mas do Douro, e bem assim ancoretas de vinno
para medir fazenda Unto de ferro como de iatao, fln) encapadi,9 e cai ,j Lisboa nova.
*atre, breu, barbante, ensere, papel marea va- ----------s=------------------------
S5Sft ^r^nS.ki.'SsVr-1 Manme, Barros a C, no .argo do Corpo Santo n,
Us de Manoel Bento de Oliveira fcraga C. b, r andar.
DAS
]lOVIDADE
Una da Imperatriz numero 3
Grande novidadep ra a festa.
A' ella antes que se acabe.
O proprietario d'este sumptuo^o o mu acredi-
tado estabelecimento, vendo que se approxmm
festa e querendo apresentar aos seus ama veis fre-
guezes urna novidade de que se admirassem, en-
vin o seu vapor, isto c,-o vapor das Novida-
desa todos os paizes da afamada Europa, ahm
de procurar e trazer o que de maior gusto e novi-
dade achasse. ...
ttegressando este, trouxe como alta novidale,
como de facto o : .
Lindo Ruepure escarlato com nissimo tecido,
e o mais bonito possivel, proprio para camisinha*
e fechas, o qual se vende por pr^o muito codj-
modo. ;
Grande sortimpnto de fita3 de sarja de ptima
qualidade e de differentes larguras e cores.
Completo sortimento de fitas assetinadas, sendo
estas lizas e escossezas de todas as larguras e das
mais lindas cures, havendo entre ellas muito lar-
gas e proprias para cintos da ultima moda.
Grande, quanlidade de perfumaras dos primei-
ros perfumantes da Europa.
Alm d'estes ohjectos vieram mnitos outros
tambem de grande noYidajje.
O proprietario nrevine todas as pessoas que
pretenderem alguns dosobjectos mencionados, qoe
poderao buscar as' amorras no rtito estabeleci-
mento, ou indicarem 5 lagar da residencia pnreni
tudo isfi antes que se acabe a grande novidade.
Loja do vapor das Novidades,
Rua da Imperatriz n. 36,
de '
Henripnede SLeltao
Olimpio G. Frcitas, ao Sr. Delphim lbeir.
\breu no l'.io de Janeiro : pede-e. fmm
autoridades poliiaes desta cidade e a. ra,
de cam|K) a captura do referido cravo.^
de *.n-
... po. .
tincando mais a qualquer capiUw de ,-ampo com a
quantia cima rcfoiida.
Veras i Barbedo,
Aviso s autoridades poliriaes
e a quem competir
No dia 24 de maio do correle anno.
fu-'io o escravo Ezeqniel, crioulo de 30 i 3-
anuos ile idade/estatura regular. reforta-I-
c6r bem [treta, cabera redonda, trajava ca-
mina azul e caifa de rassomira cmzeoU:
durante o dia cosluma andar ganhando as
roas, ou em armazens drMocar on as -
bernas a conversar e a beber ; diraote a
noite recolhe-se a telheir*s abertos. ou ft-
netraveis, n casas em constroeco e a oolros
quaesquer lugares, onde se possa abrigar:
quem o apprehender lenha a bondade de '>
eonduzia a rua da Aurora n. 26, on na do
Imperador n. 20, onde ser graneado.
Piano
Na rua doLivrameuto n- 34 vende-se um piano |qnem
de me^a. em bom estado, para principiante, pela nesta ?r a, na
mdica quantia da 60*000. ons eeravo foffMa
Futiram dous escrav frejta-fia da Escada, um de n.me abrw^a-
e representa ter de 20 a aaaw^> *
tem eicoes regulares, ponca barba, e-npi reg
lar, tanto na altura como em n*sora. -ta r-,
o cabello cortado rente ; e entro de wm ag-
nado. Mrdo, que represenU terde ^P *?"
deida.le. tem nariz afilado. rabeHo* *"** "J.
po regular, tem os ulhos epn ;:
J filia mansa e fina, ae**anfl**elaTfa^ pa. -
Icruaai. em v.riude do Booibcm ter <** > B
ir a- dito ..aafifc '
do Apolb n. W. i* aaiar.
OBI



*w
8
^27
AeSIGULTE.
O alamino e na cuitara.
fCon/<7? acoj
Seo lempo fovoravrtl. a planta appare-
.re dentro de seis a rtez das, e ;omca o
une se denomina a Udn da safra. Entram
de novo einservieoiiaV pequeos aradas,
ui' sao/rridos rogos laucando a
ierra para o lado da planta : ento os tra-
balha loros cota seos saebos, destrmente
flartam ds f-rntts superabundantes, e a ier-
vi ntroduzida. deixando uma piantar.a
algodo limpa cm pequeos montes, ge-
r.dmwje distantes (luis pos umdvnu..
De todos os trabadlos do campe, am'es-
ireza com que os negros limpatn o alga-
lia, calculada para attrahir a admirare
instrumento rudo, duda que bem feito e
manejado; a nova plantaran de algoda
i.lo delicada como podo ser a vegetagao.
e cresta eni urinas dn salidas massas di'
enlos de plantas. Im eamponez, com-
tudo; separar um delicado broto da mul-
tido que o rodea, e com seu rude acbo
elle cultivara os oairos, com todo odesem-
haraeo, deixando aquelle grbrosameate
untado ; e ao anoptecer veris, olhando
|- Taivcz se teaha notado que a cor do
algudo cui sua peTeicJo precisajaent
a do broto tum bronco lindo, mais qitci-
mado como crmor. Comprando-se panno
do algodo, o crii e o alccjado sao qna- de um campo j;i par elle
lidades perceptiveim-.nte lifierentos ao.mais
feasuista observador ; a cor escura, e a
)iario de Pernamboco Segunda feira 10 de Janeiro de 1870.
vista
grossera, que presentara os vestuarios
domsticos do algodn era. veta da manir
pulaco do">pei'ario, e da ferrogem das
machinas. Se o a!;.)d* padesse ser Ira*
bailado puro como est no campo, as
manufacturas leriam mu birilhantismo e
belleza como jamis tve entra qualquer
materia em estado natural ou ai tifie al.
V5o pode lavar duvida que nos mantos
reaes dos anugos Mexicanos e Peruanos, o
brilho e lustro .naturaes do algodid foram
preservados, e-d'aqui o extraordinario valor
qui! elle, mantea* aos cilios dos cavalheiros
habituados aosfbrios da esplendidacorte*
de Fernando e Isabel.
O broto d-algodo por demais deli
cado em sua oaganisacan. Em estado de
perfeico, c, como distemos, de uma bella
cor de nata. Abre noute, conserva-se
loura pela* manha, e ao meio dia tem
comeeado a marchar. No dia seguinte
nasce de urna cor vermelho-escnra, e
antes de inclinar o sol, tem-lhe cabido as
ao longo da extensa filena, as plantas em ptalas, dcixando no largo calis ora germen
outro anda perfeeto.. Hrvla entr
om vallo largo e profundo, para
marcha do bicho As- lagartas
ram-se em numero incalctilavel o espan?
pelos lados perpendicular
iGOtl,. libras de al-
por acre, que corresponde
ifjfcfardo dealgodo des-
estocado de oras. Casos podem
dar-so em_que esuqoaatdade seja duplica-
"ando, lunnand^^^j mas nao seriara pins boos
da prodcela- geral. (J termo me-
< deum f algodo descarocado
'da acrajmmWado. aajabelecido pelos
( pesad* awi*e*pmentos plaaiadom como uma re-
- tlaiiflrow|pHber>t.d#feu trabalho. Dez
extenso. e un a don uma
massa excitante #.; vida animal. Atou-se
tima canga de bois a uro grande pedaco de
ruad eir tosca, i laucando
angarrio no vallo, pareca, flnetuar sabn
urna massa compacta de corrosa. ve4es-e>aiglB"r> e cinco"de* trigoT" Socon-
tal. No da seguinte. ao ardor do nm so1 sideridos o trabalho de cada field kand,
tropical, sentia-se nos arredores o majMbciro aiada que cinco ou seis fardos de al-odao
que exhala esta acidulad mine, dtotipet- de 4."Odibras pnr kand excedesse ninilo a
tr.inha e incomprehensivel no:;ao do nador i pnaluccfui media, poin, examinaado-se se
e abundancia deste dettnnidbr dasoolbti- vtra qoeo rotio de^uis acres cultivado
tas do aigodo. .
tempo de oolher o algndo comeca na
segunda enizesa 9>julbo, e vat senn cessar
at os dial santos do Natal. O trabalho
nao .pesado, mas toma-se aborrecido pela
da raaowa a pi-oduiir mn farlo.
A .cultura do slo, sondo a primitiva, bem
como a raais.nobre das diligencias, parece
gerar valor e patriotismo n'aqoelles que a
cera, O p|anlador%do sul aprsenla o
iinba recta, e natlevida distancia uma da
tira.
O plantador que observar cedo o seu
ampo, e achar u son algodo imprmente
irabulliado. e sua parran boa. feliz ;
rooiiudo, anda apenas comegam as vi-
Issitudes qu acompanham a cultura da
-afra. Km consequenria das oneragoes do
revistas, tem de ser replantadas muitas
lileiras, e uma extraordinaria geada pode
destruir todo o seu trabalho, compel -
do-o renova-io. S-, porem, nenbum
accidente caprichoso occorre as duas se-
uianas depois da limpa, novo trabalho de
sacho tem lugar para levar os regos soore
a raizes da planta, j fortalecendo pelo
aprofundamento deltas cot a forca do
calor do sol. Est entio a lindar o pra-
/.enteiro mez de maio, quando toda a ve-
getacSo dispata precedencia nos campos.
Ilerva c> orvilhaca ile todas as variedades.
cora vidoiras. e flores agrestes, vicejam
no lorro novameme volvido, e parecen)
disposlas a exterminar o til e delicada-
mente nascido algodo,
E' uma conjnnctura descommunal da
industria para as plaatacaa do algodo, e
de infortunio para o plantador, que tendo
avancada muito em scus irabalhos. v-se
siibilamenie apanltado pelas /erras. O
nado rompe a excessiva vegrtaeTio, e o
>acho decota-lhe o vico. A familia muito
unida, mas a industria conquista : e
piando no teiceiro trabalho da safra, a
planta do algodo, lio estimada e favore-
cida, principia a vencer seus rivaes no
campo, principia tamben) a lanzar uma
rrf/f'lantr sombra de saperioridade por
vibre os seus j tmidos conterrneos, e
comeca a predominar.
No mez de julho tem lugar o ultimo tra-
balho da safra : a planta, at entio de
late crestimento, agora avenga rpida-
mente para a perfeicjio. Vem aiada ao
SOrvico o arad,) e o sacho. Os regos i'agm
entre as lileiras do algodo, sao aprofuo-
dados, deixando-o levantado como so esti-
quasi imperceptivel. que em sua ongem
e primitivo desenvolvimento charaa-se urna algodo tirado do bollo. Gbeki o sacr
forma, e em estado do [lerfeigo ttm bola.
O alodo, como a larangeira, ofTerece
diversos augmentes na bastea : e mirits
vezes se v os primeiros brotos o os .bol-
los do seu primeiro desenvolvimento como
formas, estenderem-se at abrirem, e cs-
(leritidade. Os camponezes recebem-wn seu ijamponez pula roaneira mais honrosa
Elle, dirige, ir semea. colhe, e comtudo
cesto e um saixo cada' un. O cesto ]
positado em frente da fileira do algodoeiro,
i o sacco, pendurwla por uma coira ao
pescoro owoUtedor, serve para guardar .o
gloria divia e a saude 4a grei do Seobor
exigen de oe que demos uma volta ao re-
dor de Sio, e examinemos por todas as
parle?, e contemos as suas torres, o coral*
desmos com o animo quo forte i Ps.
II, 12).
BP, com effefto, venerareis irm3os.
com quanto furor o antigo inimigo do gene-
ro humano tem accoromettido a casa d
Dos, a qual est unida a santidade : elle
faz com que se propague amplamente essa
ilcremo
XLVJI.
Vede
lempr/ amtei.t3r e confirmar
peranc.i Kr divma j.
aaa t'* a* **
E cm pirrlrcnl ir me nosso peoaa-
mento em \v cm con
solicitada, aurordia otataVfsti agora co-
locada a forca para fazer ?obreair a fiara
de Deus; reconheeeai.'is o Cfrraroso aror
que leuda,KMraiH^)r tamfwir rnm
vosso d laiiratet
e esirMMim iMuo co e corn o u s apostlica, o que nao pu-
de ser mais caro para De uem mais m i
para a igrejA como em ontra.*
nenbum trabalho phisico faz. Elle goza to
das as vantagens que provea de uma fa-,
miarrdade" campestre unida ar.s dotes que"
dimanan) de um destaaco.elegaute. Abun-
dantemente rodeado das cousa.s necessarias
cesso todo o da. Cada pessoa colhe de 550 vida; e. de sua solada posicao, sempre
a 300 libras de algodo em carr^apandia, aiegtu para encara o ami'-?o ou o estrenho,
comquanto alguus//egros de extraordinaria olio tem-se tinado proveroirl no mundo
destreza excedam este computo. i por suaamaneiras pwfoitas o ilimitada hus-
Se o teni[)o est muito bom, conduzido pitalidade.
pela uniao, poderosa pela riquesa, previda* sos ^
de estatutos,- e servmdb-sc da liberdade
para encubrir sumalicia (i Pctr. II, 16)
nao cessa de promover contra a santa igre-
ja do Cnristo urna cruelissima guerra cheia
de toda a casta de maldades.
Vos. nSM'gnoraes que epecie de guerra
u essa, qual o a sua forca, quaes as suas
armas, OS;setas progressos e as suas divi-
sas. Vos estis vendo continuamente com
vossos proprios olhos a perturbaras e con-
fusao das sa doutrinas, do que se derivam
os transtornos humanos cada um ua sua
es'asiado no cesto, continuando este pro-
cal harem seu rico coiitedo pelos maturi- o algodo directamente do campo para a j A qoadra da adheila do algodo termina
casa do enfardatnento-: geralmente, porn, | geramiente pelo meio de dezeiobro. Prompta
costuma-se espalha lo em grantei tabolei-
ros at seccar para ento ser colindo Iknpo
entes ramos.
O aspecto Je um bem cultivado campo
de algodo, uma vez escapo da verocidade
dos insectos, e da destruicao dos elemento,
de singular belleza. Ainda que tnha
uma milita de extenso*, pode ser cuida-
dosamente trabalhado como a limitada
trra do jardim dos climas mais frios.
A folha do algodo de mimosa cor verde,
grande, o viroza; o talo ndica ligeiro
crescimento, comquaiiio tmiha uma appa-
rencia spera e firme. Visto em distancia.
o algodoeiro em via do perleiro parece
arrebatado e ardente. O tamanlio do al-
godoeiro depende do cuma e da trra.
O algodo de Tenqessee assemellia-se mui
pouco vinosa vegetacSo do Alaban
Georgia ; mas, ainda neslas boas condiroes.
a algodoeiro nao sempre o inesmo, pois
as feriis trras dos valles, cresce a nm
tamanho extraordinario, emquanto as re-
gles esteris n5o passa de 'humilde ar-
busto.
as ubrrimas trras crescidas pelo mar.
ou de alluvio. do Missi>snpi, o algodo
exceder o mais alto pkker, e urna s
planta dar centenas do p.rfeilos bolos ou
macas; nos pinhaes \isiniios e le"ergue-se
mu pouco, eseus'fructos sao prpporconal-
mente mesquiuhos.
O alg.ido em crescimento sujeitn par-
ticularmento a accidentes, e sore dema-
siadamente as estapdes hmidas, da fer-
rugem e do bolor.
A primeira aJscta as folhas, dan;lo-lhe.s
orna cor escura e dosmaiada; causando-Ibes
irequentemente a destruicao. Oholoralaca
o bollo, comecando por urna mancha negra
sobre a casca, e augmentando, parece
de qualqurr partcula que se Ihetenlia mis-
turado. Entre as soenas mais caracteris- bada..
a colhoila para o embarque, peimitle-se
aos negros descancar dol seus- Iraba-
"ios, poi-quc a tarefa do ailo est ac-
vesseein urna ligeira cordilheira ; concluido proda'zir ferm^ntaro e ruina. Os Dichos
.- que, a safra est preparada para a ti-
ina'in clnicosa, se ella vier, e to adiantada
a lodos os respeitos, que a arte nada mais
iem a fazer. A' nalgreza pertence agora
o dominio exclusivo
Em algumas plantacoes nao Ira feitor.
Os dones administram suas parles com
o auxilio de um hbil e confidente negro
denominado earreiro. Estes carreir >s >3o
ambiciosos, e como seus amos, nimiamente
sensivei.s st um eslranho. ou mitra pessoa
desinteressada, manifesla uma opinio des-
lavoravel sobre o aspecto geral da colh *ta
sob sua administraco. Se no terreno do
algodo ha muita herve, suppo-se uma
oiova desabonaUora da industria ou habi-
idade do earreiro. Em certa occasio. um
avalheiro passando a cavado por um al-
godoal, notou ao feitor negro tendos
muita herva na vossa plantaco. O negro
mortilicou-sc, e ancioso por destruir a fi roa
da insinuaco, respondeu friamenle. E'
trra pobre, senhor, que cosluma trazar
herva. A mais bella intelligencia nao po-
deria, em laes circumstancias, responder
melhor.
Os brotos di algodo principan) a ap-
parecer com o rijo sol de julho, e na \i-
/nhanra. o seu annuacio objeck de
;-eral interesse. E' o signal infallivel da
approximacia da laboriosa estafo da
queda; a evidencia de que cedo o tra-
balho do homem, secundado pela benigna
'rovideccia, receber sua recompensa.
FOLHJETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
por.
Paulo Fval
parte
UE PIR1W
1 erceira
X FLORGT %
VII
lona-se a pula.
(Continuado do n. 4.)
- Similor, n. 0, chaniou o Sr. Malheus.
Parte nobre. sorriso amavel, pisar cle-
gante,' ludo Similor osteutava.
Nu assim?
Dis.se elle patenteando-se; uma pes-
soa tainbem nao ha de renegar um amigo
por elle nao ter as mesmas maneras de
.-.ala. J me^cm feito passar vergonhas.
oas sociedades.
s capaz de decorar bem o nome do
Sr. Lenidas Diniz? perguntou-lhe Tres
Patas,
Essa boa! no tenha duvida, Sr.
Matheus, pode confiar-ma o papel mais
complicado que Uer. Tenho a instrueco
invadem as raizes ; a lagarta corroe o bullo
e destre o milo. Seria qnasi impossivel
enumerar todos os males a que est ex-
posio o algodoeiro, os quaes, todava, nada
sao em comparaco do flagello do aring-
worm.
A traca que ndica a ebegada do army-
worm assemelba-se em simplieidade a um
Ouaker, pela agiiidade de seu corpo e
azas cor de chocolate,, e a jtilgur pela sua
innocente apparencia, ninguem o tomara
pelo destruidor de vastos campos de exu-
berante e proficua vegetado.
As pequeas, e principio, qnasi imper-
cebivois lagartas que acompanham o.appa-
recimento deste bichinho (a traca) s se n-
mutiplicarem-se e crescerem olhando-se
para as folhas que ellas trepam de urnas
para outras. Dia por dia v se a plantafo
de grandes campos tornar-se mais e mais
franzina, emquanto o bicho, augmentando
sempre de tamanho, ebega por fim a um
aspecto c,orduroso o mais repugnante que
possivel observar-se. Chegados ma-
durez, poucas horas b tstam para estes mo-
dernos gafanbotos enmerem toda a vrente
vegetarlo que encontram.
Dexando o lugar de sua geraco, elles
correm a outras partes, espalhando a de-
solarlo por sua passagem como devorada
pelo fogo."
Todos os esforcos para obstar o seu pro-
gresso ou aniquila los, tem sido baldados.
Elles parteen) nascer da trra, e oaliir das
ticas da plantadlo, notase a volta dos Ira-
balhadores ao anoitecer, do campo, com
seus'cestos abarrotados & algodo ci-
bera.
Collocando-se machinalmente em lnha,
guiados pelo mais robusto, elles marcham
ao sombro erespusculo de um dia de in-
vtdo, com o socego de espirito excessivo
a seres humanos.
O lugar do enfardamento o sobrado da
casa de descansar, e mesmo em cima do
desea rocador. Por este modo .o algodo
inconvenientemente empurrado por orna
astraaa ao cesto.
Fallarnos da importancia da grande in-j
venco de Whilney. agora devenios dizer
que o valor comparativo da felpa do algodo
depende muito da excellencia dodescaroca-
dur. Alguns separam a felpa da sement
muito melhor que as outras, entretanto,
todas dependem mais ou menos da sua ex-
cellencia, segundo o modo judicioso perqu
sao trabalhadas. Com trabalho constante,
uma machina, tocada por quatro muas, exe-
cutar ijuatro fardos de 430 libras cada um
por da: o que alias excede ao termo medio.
Has grandes piantares indspensavel a
machina a vapor, que movendo todos os
descarocadores necessarios, apromptar o
numero de fardos que ss quizer diaria-
mente.
0 enfardamento do algodo termina o
Irahalbo do producto da plantaco. O
meio para isto em pregado geralmente um
simples mais poderoso parafnso. O al-
godo descarocado lancado do lugar do
enfardamento a um reservatorio ou prensa, a
qual. estando ebeia, aperlada pelos ne-
gros oceupados neste servido, e bavendo"
quantidadesufiicente curaprimida pelo ira-
ballt dos ps, fech -se a porta superior, e
foucciona o parafuso movido por cavados.
Por este processo a felpa torna-se uma
massa qusi to solida como a pedia. Por
previo arranjo, acha-se collocado forte ca-
te. Ha cousas que se nao podem con,
fiar ao papel. Pouco lempo tora de s u-
se quer receber delle o ultimo suspi-
ro------
Com a breca mnrmurou chalot.
que lmpou os olhos s lurtadellas. E* de
chorarem as pedras.
Repele, ordenoa oSr. Matlteus.
Similor repeli o recado, adornuiido-o
com os matizes do sen c&ylo,
Monos mal, approvou o aleijadi>. Has
de ter uma carrujgem porta. Para ella
condu2irs a boa senhora,
encarregar do resto.
O n. 10 era o coebeiro.
N. II, Mazagran.
Quando ella ia passando, o maganao do
Similor apertoo-lhe sorraleiramonte a rao.
N. i% Sr Ernesto.
Este Sr. Ernesto era, pelo menos, to
incendiario como Cocotte. Bem vem que
era tratado por senhor. E' escasado
(buscar igialdade neste mundo.
Ernesto tivera um emprego modesto era
casa do baro. Conhecia o caixeiro de
Campeo ; fra justamente escolbido per
causa disso.
Facamos justica quem della m
dor. 0 Sr. Lecoq era um vko e\i-
mio. Nada ignorava, nem-sequer i vir
nhamago de Kentucky para envolvers par-
tes superior e inferior ao algodo compri-
mido. Passa-se ento cordas amarradas
por um n; uma grande agulha, e um pe-
daeo de fio cozem as abertas do panno ;
levanta-se o parafuso. o algodo incba com
grande forca para os lugares.aperlados pelas
cordaso enfardamento est completo, e o
algodo prompto para embarcar para qual-
quer parte do mundo.
Nada sera mais difficil do que dar uma
idea exact% do resudado da cultura do al-
godo. As estatistcas nao fornecem dados
cortos. A safra crescente sujeita a tantos
accidentes, que nunca se pode calcetar com
seguranca a quantidade a coiher no anno
corrente. e a demanda do algodo parece
variar ebegada de cada.navio da Europa
a estas regioes. A dilficuldade de conbecer
o numero de fardos de algodo qoe ser
levantado em qualquer anno, atlestada de
um modo notavel, pelo fado de certos ho-
mens do commercio do New York, habili-
tados pela estimativa da primeira colheita,
Os das santos do natal sao estrictamente
guardados e a estafad de grande gala dos
negros. Pode comparar-se as s.uurnacs
dos romanos, modificadas pida decencia
e decoro. 0^ wagous e carros sao postes
a sua disposiro para conduzirem sen mi-
lito, suas forragens, pintos, e ovos as cida-
des ou aldeias visinhns, cajos'rf tornos fa-
zem em artigo* delicados e hixuosos para
as festas dos das santos. Convites para
Irocas de visitas sao destrbuidos entre os
negros das differeriles .plantarles; os ca-
hoquistas sao procurados ; e a dansa e o
prazer caracterisam as horas da uoile e-do
dia.
Durante este tempo o senhor qnasi nun-
ca sabe de casa ;^i sua presenca indis-
pcnsavl para conservan a ordem. mas elle
s intervem se observa rigores ou violen
cias, o que raras vezes acontece.
Ninguem mais pulido e cortez do que
os negjos gozando sua vida nobre em bai.in
da escoda. Elles poem as suas piantares
os nomos de Tan. Bift, Dick, e Cesar, M.dl.
Kate, e Nancy, e dirigndo-se uns aoa ou-
troi} usam o prefiso de Mista*, Mistress ou
Uiss, conforme o caso pede; o o cumpn-
mento mais honroso que se Ihes pode fa-
zer chama-Ios pelo* appollidos de, seus
senhores. Explendidos entretcnimentos^r ii.
tm lugar, nos q^aes s > servidos os mais
exquisitos manjares, e por modo algumas
vezes superior as memores exibicoes da
casado* senlwrcs.
(Continuarse ha.)
UTTERATIEA.
van
su-
' aerida, verbo fcil e o condo necessa- j tuosa e platnica chamma que. o Sr. Leni-
das Diniz, tabellip em Versailies, e Celeste
Campean admentavam.
Estoa certissirao de que nao fazeio idea
dos talentos que sao frecsos uaqella carij
reir, geralmente lio punco aprociado.
Ilavia tres das que raaoabravam efa
volta i caixeiro. Haviam preparado um
enredo amoroso. Estava combinado para
aqojfjta noute um encontr, que etoroata
radicabnente impossivel, pela ausencia im-
prevista de Campeo e de sua muH)C. O
no para qualquer se apresenlar
mente.....
Calla-te; onze horas e meie; o Rif-
ilard te ajudari a entrar. PerguntarS pela
Sra. Gampeia.
A mulher do precedente ?
Se dizes mais uma palavra, radi-
te. 0 marido correu a salvar as linhas;
faz com que ella nao v ao baile. Dir-
!he-!ias: 0 Sr. Lenidas Dmiz, tabellifio
- ea Versiiles, est em arlgos de mor-
Sr. Ernesto, porm, chegavaa pnljo, e olfo-
recia-se para ficar no lugar do caixeiro.
Sao cousas que se aceitam entre colle-
gas, lima hora de amor, c depois o de-
ver. A Mazagran era encarregada de pro-
longar a hora.
ti. 13, n. 13, n. 10, etc., coebeiros,
lacaios, para muitas carruagene de arraa>
na portinhola que de ara estacionar ao
longo do passeio, promptas para partirem
rpidas como o rao.
N. 20 e seguintes, convidado.* encarre-
e o cocheiro se gados de fazer tcsicmuuhas da parte de
dentro, como havia outros para fra: como
sabemos tiesa a associaco actores para
lodos os trajos. E pouca coasff era preci-
sa para despertar os odios dosSrs. Toubao
e Alavoy, de Savinien Larcin e do proprio
Tal e Tal. Miguel e Estevao, melhor que
os ns. 20 e seguales, estavara, figurantes
habis, encarregados de Ibes fazer em de-
terminadas occasiOes e em voz baixa insig-
nificantes commuaicacoes e euvolv-los
n'uma rede de mysterios.
Era preciso que aquella expedico aaara-
vlho>amente combinada, realsasse ao
mesmo lampo a fortuna, nao da associaco,
como em breve poderemoi ver, mas do Sr.
L-coq, e a sua completa segaranca, entre-
gando juslica aqueiles que, envoltos de
perto ou de longe un seu passado, lhe pre-
judicavam o futuro.
Os t> es mocos nossos conbecdos, a fa-
milia Labor e Bruneau estavam condemna-
dos sem appellaco.
O proprio Matheus nao sabia talvez
ludo, porque aquelle Lecoq era umabysmo
diplomtico. Mas, pelo menos, esse go'
sava> como nenhom da privanca do excelso
varo.
E vemos com que boa vontade o servia.
Ns. 30 a o.
Coocllio Ecumnico.
Al.l.OCXCO. PRONUNCIADA POU S. SANTIDADE
PO IX, NA ABBttTOal DOS TliABAUlOS DO
CONCILIO.
Veneravcis irmos:Grande a nossa
alegra ao. considerarmos o insigne e sin-
gular beneficio que Deus nos concedou de
podermos celebrar o concilio ecumnico por
nos convocado ; beneficio que pedamos a
Deus com lodo o fervor das nossas orares
Por isso se regosija o nosso coraco no Se-
nhor, e so enche de incmel consolaca
neste felcissinio da consagrado a immacu-
lada Conceco da Virgem Mara, mi de
Deus, ao ver-vos a vos, que sois chamados
a tomar parte nos nossos cuidados, cada vez
maiores. reunidos nesta fortaleza da reli-
gio catholica, c nos congratulamos com a
vossa presenca.
Estis agora, vencravas rmos. congre-
gados em nome de Cbristo (Alatli., XVIII,
20) para dardes comnosco testemunho do
verbo de Deus, para ensinardes comnosco
a u.dos os homans o testemunho de JesiiH
Cbristo" (Apoc, I. 2), eo caminho de Deus
na verdade (Mth., XXI!, 16) e parajol
gardos comnosco, sob a inspiraco do-Es-
pirito Santo, das opposices da falsa scien-
cia (1 Tira., VI, 20.-Act. Ap., XV, I!)).
orYJem, o lamentavel menospreso de todo o
dircito, as multiplces artes de mentir au-
dazmente e do corromper, das quaes re-
sulta a rehuacao dos saudaveis vnculos
da justica, da honestidade e da autoridade,
se accendem as mais infames conenpiscen-
cias, se arranca dos coraces a f christa,
de tal maneira, que seria do temer nestes
tempos a ruina da igreja de Dus, se esta
podesse rlesapparecer por alguma especie
de maehinaces ou pelo esforco dos bomens.
Mas que cousa mais poderosa qoe a igreja ?
dizia S. Joo Chrysostomo. A igreja mais
forte que o pmprio co. O co e a torra
passaro mas as minhas palavras nao passa-
o. Que palavras ? Tu s Pedro e
sobre esta pedra edilicarei a mnha igreja,
fe as portas d) inferno nao prevalecero
contra ella (fiomil. Ante exie num 4).
Mas anda que a cidade do Senhor das
virtudes, a cidade do nosso Deus, desean-
ce sobre inexpugaveis fundamentos, toda-
va, conhecerido e lamentando do intimo da
coraco tanto conjnncto de males e tanta
ruina das almas, para evitar os quaes da-
ramos at a vida, nos, que fazemos na tr-
ra as vezes do eterno Pastor, e que neces-
sitados mais que nenhum outro de abra-
zar-nos nozelo da casa deDeusjulgamos que
devemos seguir .o caminho e empregar o
modo que pateca mais til eopportuno par-
resarcir a igreja da tantos diranos.
E recordando com frequencia aquellas
palavras de Isais: Inconcilium coge conci-
lima, e considerando que este remedio foi
adoptado com feliz xito pelos nossos pre-
decessores nos tempos mais difliceis da
igreja, depois de consultado o conseibo de
nossos veneraves irmos, os cardeaes da
santa igreja romana, decidimos convocar-
vos. oh! ven-Mavcis rmos! que sois o sal
da trra, guardas c pastores da grei uo Se-
nhor ; e boje, por favor da misericordia di-
vina que tira tantos obstculos, inaugura-
mos com o antigo solemne rito esta santa
Havia visinhoa qne distrahir, avenidas
que guardar. ram papis inferiores, se
quizerem ; desgracados, porm, dos que
desprezam essa humillissima infantaria!
E jejam : os ns. 40 a 50,cavajleiros
e senhorasestavam encarregados espe-
cialmente ds levantar uma con tonda, ou
mesmo verdadeira algazarra, se algum
rumor de mu ageuro baixasse da sobre
loja.
Outros nmeros..... Oucam. Nao po-
demos entrar em minudencias. Soria nm
nunca acabar. Digamos por junto que o
Sr. Matlieus, depois de baver creado nobres
poreooageDs, empregados, lacaios, fez tam-
bera mendigos, garutos de abaixar estribos,
ramalheteiras. e al o tocador de realejo
imitado de outra empreza memoravel.
Em todas as-artes a tradicao proveito-
sa. O locador de realejo aqu mais cele-
bre que o proprio assassino e que a vcti-
ma, E nao Ibes parece que estas palavras.
soltadas de noute na gemente melopea que
todos oonbecem, parecem feitas para ser-
vil de signal n'um instante supremo: Lan-
lerna mgica vista curios^ f
Tamos esseota papis deatnbuidos; ac-
crescentamo- Ibes quaroota, porque nao
ha boa diapo3icao scenica sem compar-
sas. Tudo agora est previsto. Nena
seqner faltam (infandumj poficia's fingidos :
meia duzia de atmVtas encarregados de
transformaren) a. ordem em desordem, e do
afastar os demasiado perspcazes.
O Sr. Matheus tocou a campanbia e pe-
dio um copo de rhnm. Eslava levantada a
sessao publica ; iam constituir-se em junta
secreta. chalot disse a Similor:
Como estamos agora de dentro, pe*
dias pedir alguma couzita corita para
vestir o nosso pequeo.
A Ida era de um comportamento
Sao, pois, tantos e to alindantes os sen-
tmentos de caridade de que nos adiamos
possudos, veneraves irmos, que nao po-
demos conte-los no paito. Parece-nos ver
as vossas pessoas toda a familia christa,
os nossos queridissimos tilhos presentes a
nos. Pensamos em tantas provas de amor
em tantas obras de animo fervente com as
quaes, a exemplo vosso, a vosso impulso
e com a vossa guia, teem mostrado e mos-
Iram a sua davoeSo a nos e a esta s apos-
tlica ; considerando isto, nao podemos
dexar de dar testemunho nesta gran e
reunio com expressoes publicas c solem-]
nes do nosso grande roconbecimento para
com lodos aquelles, e ao mesmo tempo pe-
dimos do coraco ao Senhor que a prova
da sua f, muito mais preciosa que o ouro
seja adiada louvavel, gloriosa e honrosa
na manifestaco de Jess Cbristo (I Petr.,
I. 7).
_ Considerando alm dislo a misera condi-
Co de lautos bomens que. engaados, fo-
gem do seio da verdade e da justica, e
pojtantoda felicidade verdadeira, e arden
tomento desejamos poder ajuda-los a sal-
var-se, recordando o Divino Rcdemptor e
nosso mestre Jess, que veio salvar tudo o
que estava a ponto de perecer ou tinha pe-
recido. Filamos logo os olhos neste 1ro-
pheu do principe dos apostlos, em que
nos adiamos, nesta alma cidade que por
graca de Deus nao foi entregue a devasta-
cao das gentes, neste povo romano caris-
simo a nos, de cojo constante amor Gdolida-
de e obsequio estamos rodeados, e nos
sentimos movidos e exaltar a bondade de
Deus, que qniz especialissimamente nesle
assim dispostos no Senhor. ^
nao podemos deisar de concelter certa r
firme esperanca em qoa desta vossa ho
teremos os mais copiosos e desejadoa frac
tos. Assim como nunca se fez guerra ma
astuta e enemicada ao reiao deChri**}.
assim tambera nunca foi mais pivea a
uno dos sacerdotes do Sentwr rota .. pas-
tor supremo da sua grei. a qual umsb b
tuna forca admiravei a igreja : nada. ip.
por singular dom da Divina ProviiVjria. *
pela vossa egregia virtnde, subsiste ra*
tan tomento a taaravilhnso t>7*paet>raln.
que confiamos ser sempre tal. .? mmI,
mais. (tara o atando, para os aojos e pan
os bomens.
Assim pois. veneraves irmos, ocntor-
taj-voi no Senhor: e era nome da Sankati
ma Trindadc,. santificados na verdaoV. ves-
tidos com as armas da loa, ensinae Vnt-
nosco o caminho, a verdale e a vida ao ge-
nero humano, que geme abalado com uta-
tas desgracas; ajodae-nos qara que passa
voltar a paz aos reinos, a le aos turbaras.
o socego aos mosteiros, a ordem ia.4^
a disciplina aos clrigos, a Doos o povo'
ceavel. Deus est no seu logar sanio r
presento aos nossos conselhos a actos : Hl
mesmo nos elovoo a ministros e coadjin-to-
res, n'uma obra to grande da sua miseri-
cordia, e quor que traballiemo* net- m
nisterio do maneira que em todo esie tos
po consagremos nicamente a Elle aa mel
lgencias, os coraces e as torgas.
Porem, conhecedores da nnssa fraqnraa.
desconfiando, das nosras forras a ti (Hi-
tamos com fe os olhos e dirigimos as u suplicas, oh divino espirito! Tu oh. Koute
de luz verdadeira e de sciencia divina, ncb'
a nossa mente com a luz de toa divina jrra-
Ca, pira que possamos ver qoe coosas *aV
rectas, saudaveis e oplimas Itere, braza.
governa os coraces, para que os artoa Acate
concilio comecem rectaraento. eoiitinoein
com felicidade e termiuem saudavelmcole.
Tu, oh Mi du formoso amor, d.i aaaaV
ganda e da sania esoeranp, raMa *V-
fensora da igreja receiie as nos-as d -caf-
ses e os nossos trabadlos na tua maternal
proteceo o tutela, e faz, com os teus ro-
gos pira com Deus, quo permane.,ana>
sompre unidos em espirito e coraco.
E vos tambem roadjuvai os nossos votos.
oh aojos e archanjos. e t, oh priacipa lo>
apostlos, bealissimo Pedro! e tii. seu c.
apostlo Paulo, doulor das gantes prega-
dor da verdade no universo mundo, v>
lodos, oh santos do co e aquelles cujas
cnzas veneramos, fazci com as voaaai po-
derosas orares com que lodos nos. caa-
prindo fielmente o nosso minisiTiun^oaein
do templo de Deus, recebamos a mi-in-
cordia daquellc a quem seja dada a lu aa.
e gloria pelos seculos dos sculos.
muio levano, respondeu Similor corrondo
no encalco da .Mazagran. Vo l saber...
Quer isso dizer, pensou alte/rado o
chalot, que ha duvidas sobre os lacosque
te unem ao pequeo. Nao treotys, Sala-
dira! Adopto-te eu perantc o Eterno, na
posjcao que acabo de adquirir.
Apenas cinco ou seis figures f a-
ram era redor do Sr. Matheus, que dra
ordem para que se fechasse a porta.
Piquepuce e CocoUo. dos quaes uma
arranjra o plano autltentico dos lugares,
e o outro os moldes, faziam naturalmente
parte daquella selecta reunio.
POUCO DE TUDO.
EXTREMO CHIMEA cidade aa Mam-
Iha foi theatro de nina scena conun >vebr?.
Um amante assassinou sua amasia com oa>
tiro no coraco. Eslava dedada na cama.
ah leon com o aspecto de quem estavn
dormindo. O amanto cm sectnda ai>
assassnato disparou contra si oulra pistola
e esmgalhou o erafjao. Esta tragaaai paa-
sou-se sem testemunhas, mas botwaH aa
pensar no que n'aquella casa se passon.
A justica chamada a averiguar a raz>>
por que nigaem apparecia n aquella casa,
mandan arrombar a porta, e lestemiiniKNi
aquelle sinistro espectculo.
Fina das mais violentas paxVs. a di>
ritme, foi por sem duvida o motor de tae>
desvairamentos.
Meus filhos, dsse-lhes o Sr. Matheus,
a honra pertonco-lhos Toda essa muca-
Iha para as hagatellas exteriores. A
verdadeira comedia bao de ser voces qne
ho de desempenha-Ia, e por isso ho de
ser pagos nessa proporcao. 0 patro quer
que este negocio seja um presente que
Ibes faz polo seu feliz accesso. Ne guar-^
da para si cousa alguma; por consegointe,
melhor quinhio he* caler.
Oh/ oht mnrmurou descoafiado Pi-
quepuce, o Tolonez nao guardar nada para
si!
Pelo menos, no ha de ficar com
muito, replicou Tres Patas, cuja mascara
immobil dosenhou sinistro sorriso. Vamos
primeiro qne nada tratar dos patos.
Quantos sao? perguntaram.
Apenas dous: o chalot eo Simi-
lor. E' n-oessario que elle* fiquem bem
illaqueados na rede, porque sa-visinhos
dos rapaaes e serviram-lhes de cria-
dos. Alm disso, bao de entalar o Bru-
neau na historia da coudessa Corona. Os
pobres diabos bao de ser-nos da maior
utilidade.
Dous dos assistentes encarregaram-se
expressamente de fazer prender em tempr
opportuno cbalot e Similor.
- Deste modo, continuou o Sr. Mnbm-
a retaguarda est segara. A justica Tm\w
a parte qne compele, e as ants roaia.-
dos negocios de Caen fjcaaa tegula-
das. Avanrar!
Tirou da algibeira dnas notas do banco.
chives e dous convites, com opomptuo
sinete da casa Sdiwartz.
As chaves eram n->vas em folha e saman
evidtnt mente da forja.
Ah est para entrar, contmoou Trrs
Palas, dando Piquepuce e Cocofli- aa
dous convites, e aqu est para trabaihar.
Apresenlou-Ihes as chaves.
Emquanto isto, acabou, offereCT-
do-lbes as notas, para os seus arranjir-
o para metterem na algibeira,
Cocotte e Piquepuce aceitaran) todo sem
agradecer. Desapparecera o jubilo fai:-
farro.
Ainda falta uma cousa, disserafti ao
mesmo tempo. .
-r- Voces estn com ar de pouco satts-
foitos, disse escarnecendo o Traa Pata, e
levando aos labios o copo de rhom. Ser
medo dos dentinhos ia borra ?
O bracal.....coinecou Cocate.
E Piquepuce comptetou
Nos nao trabalhamos sem o
O Sr. Matheus assoraio aspecto serio e
responden:
Nao se ho de l v> sos, meas me-
ninos, A melgueira *recbeiada demais
para o deixarem sos com ella. O To-
loner Amisade tambem vai fsta. o aa>
Ihes dar o braca! e dir romo se bao de
servir delle.
(0>arfaawr-sf-*a)
TIT. 1>0 D1ABI0IVA DAS ClllT
T
""T^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELW03Q7QE_R11HKV INGEST_TIME 2013-09-14T00:09:59Z PACKAGE AA00011611_12182
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES