Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12177


This item is only available as the following downloads:


Full Text



. NUMERO i.
^^l^BMMMi

MA&
.-^.fcttA.

PAR*. A CAPI^L E LUGARES ONDE NAO SE PAGA POETE.
Por tre9 mezas ajiiaDtfdos ,'................
Por seis ditos ideni ,.. ^.............
t'or iim anno idena,....................
gfr/d mumero awlso -................*.
fliSOOO
12(5000
314000
320
\
DIARIO
SARBADO I E DOMINGO 2 DE JANEIRO DE 1870.
PAfiA DEMTRO E FORA DA PHOVUCIA,
Por tres mezes adiantados................. G6".*50
Por sail ditos dem.................... 136500
Por nove ditos idem................*. 20d2i0
Por um anao idem................... 27(5000
NAMBIM
l
Propriedade de Manoel Figneira de Faria & Filhos.
/ A ASENTES: X^g^g
Os Srs. Gerardo Antonio Atvs Filhoa, no Far ; Gortcalves Unto, no Maranhao ; Joaquim Jos de Oliveira, no Cear ; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty ; Joao Maria Julio "ChavesToAssJ ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
l'ereir* d'Almeida, em Maraanguape ; Ar#nio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulc3o, ej Santo Anto; Domingos Jos da Costa Braga.
em Nazarpd: Francisco Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martins Alves, na Baliia ; e Jos Ribeiro Gasparinlio no 3o'de Janeiro.


.>_
A|TEJrTKia_
i'|rI?o ila pelleta.
Tu gwnitnrli t la polica de Pernambu-
d dezepbro X8l-mm. o Exm. Sr. Levo ao ejnheci-
5d de V. Exc que, se uatito consto daaparli-
oiv receidas hoje n'iata repart?*}, toram
\ftm recol* casa do feteucao os seguntes
V ordem de snfcdelega do 4o R<*ife. SiSo Luyj
unciro, romasaspeilo de sei eMvo andaf
V 'ordem.''do da tagdalpa, los Jotfin da
u, pira remita, e l .-.' Ani-aio Severiny, por
e de tomada do pre^/o. -X
.eus euarde a V. Etxcllm. e Exm/Sr. se-
inr Frederteo de Almleidae AlhuquerOoe, pre-
uH provincia.! O chefe J*'- jWHcia, Lu/z
< ,/ttawtei Pinheira.
Mi
a
i --
BUCO
I1KCIFE, 1. Dlij JAnSrO HE 1870.
tea i-etrospetlTl-sobre o anuo
lt* !
M..s um amio que desca** para o passado ;
.tis un anno que diM^tj^|nelleo*} novos
nsonies no futuroi, ei >passgm do 1809
.1 o |s;o, enja pfineira aiinra resplandece
. inebriante de b/z o rtcia d.- itjjeraMas
'ara o incessautd carimbar 'la humanidade^
. unn i i' alienas ui #wmo de |... na ampulhela
A questo iialiana/flouve um momento em que
parecen, ia ter sojgao. Failou-se na evacuado
da* (ropas franelas da capital do orbe calholico,
o os unionisUfviram nesse pa-so nm fcil eami-
nho para Rapto; mas ainda urna vez liearara sem
realisaaae-os seus desejos.
A Alwmoha vio tamhem passar o anuo de 1809
sem qu/tosse "tsolvido o problema de sua unili-
caca.
A^faestao do .ducados Coi, como as outras, le-
gato ao anno qijk hoje coracca.
Era quanto a Aoitria e a Prsesia de mitos dadas
nao se pro|K)erem a tratar seriamente da unifi-
ea.to allemaa, essa questao trata em sobresalto as
grandes potencias, qne strobservam reciprocamente
cora desconllanca, receiosa cada nina de que as
outras adquiram um palmo de terreno, augmen-
tando desta sorte sua importancia.
Nao tenio sido resolvidas estas tres magnas
questoe?, o mappa geographico-politico do velho
conlinent nao soll'reu alieracao ; mas o estado de
duvlda comina, e os sardos rumores de guerra,
I que se elevara de-todos os ngulos da Europs. fa-
17.era receiar nma conflagraco peral, que deve ter
i eonseqnencias funestas. AJ*n> ''isso os prepara-
I tiros bellicos das potencias, e o svstema de grandes
i armamentos, como garanta de paz, obrigai-as a
' oaminliar com passos precipitados para urna banca-
rota inevitavel.
temiK). >') cuta
se cuito inierval
I- le Janeiro.
'or toda
r muitas evliicdcs s I que separa iii doontro sol
a iKirftOnie
a Tkla ?c manif !>la a
n'igenra"pro'U7;N em >(""s *ni,s' resolvendo
l)!ei' < e iie"ifc'"" *o cnygnias sw-ibea, d con-
laiiiciit'! jTo^ef isas e" sabiaa lujos a liuma-
'*m um nnomiH^saconteciineni'is importantes
i,".', leu. veriflcarl e o mundo lera sido testemu-
, Je tactos, que^fcesse lajiso dec:npoteiB revol-
, j face peliti'Bdo globo.
\. circuui-tai^ps e-peciaes do mundo social e
::-- -Hn ii'JfFscnlenienle, qne talvcz tenha-
de vej OTsc!ilacc de graves qnelS durante
,:mo qiie, hoje comer. Pela sua iparte o que
Jou drixou trac, s ir.dcleveis do suilpvsageo :
ibertipBf anal de Suez, e a^reijnwo de um
:ieili
'|ue iluraole elle passou oniund" ont.eci !.>.
:.mbura a snrdi.z dos emperrados, do todos os
.-;ilu> ila trra ergue-s3 nm jtriln melodioso e
Desde o vetusto Portugal at a rejuvenescida
llespanha. toda, a pennsula Ibrica vive n'um
mar de commocoes, que se renovara todos os
dias.
A Hespanha pronuncia-se pela uniao dos dous
palies sob o mesmo governo ; Portugal quer
todo o cu?to maoter sua integridad; e indepen-
dencia.
A questao da pennsula preoecupa todos os es-
pintos, e as grandes potencias
n5o deixam de ter
fitos nolla ollos investigadores. A Franca mostra-
se desejosa desse acontecimeato, como o melhor
mcio de assegurar o equilibrio europeo, e a Italia
tem receios do ve-lo realisado.
Os reis D. Luiz e I). Fernando de Portugal re-
gelam a cora de Hespanha e esta, apezar dos
esfor^os de suas eminencias polticas, tem at ago-
ra permanecido sob a regencia do general Serra-
no, duque de La Torre.
Os pretendentes cora cliovcm de todos os
canto?, cada qual prot-gido por" urna influencia,
mas a questao adiada pelas curtes e o throno de
Hespanha contina acephalo.
Portugal, durante o anno qne passou, esteve
bracos com una criso financeira bem cruel, que
o obiigou a internar-se pelos dominios de pesadas
economas ; vio em seu mago agitar-so a grave
i questao das (naneas e das companhias de cami-
:owen.ro o> copia sob^a |aj( oiu'^-ao ^ ^ ^^ .e -^ tQdas e,|a3 sal(jo toWrOM.
Tres muancas ininisteriaes e urna dissoluco de
cmara toriu o resultado o sua poltica inter-
na, (po o aconselhou a entrar em vas de melho-
aes. a quacs felizmente | (enca, qne
aballo. No ultramar, as i nente, camii
Klaio o general Dulce no ^minando militar da
lllut, 'ojna garanta para esse resultado.
O raohnento de Cuba leve por incentivo os
mesmis principios que revolucionaram a Hespa-
nha e desthronaram (sabe! : foi e^sa aspiragao d-
liberdade que contamina o mundo, foi o progrese
so e a humanidade que o determin >u.
A Franca passou por varias crises no decurso
do anno qne flndou. Sem cantar a rovolts de
Argel, que Ihe trouxe o espirito agitado por al-
gurn lempo at o restabelecimento da ordeni, di-
versos letantamentos houveram em suas cidades
e especialmente era Paris, ehegando-se a recelar
seriamente pela sua tranquillidade. Hoave mes
rao urna conspiracao militar contra o imperador,
e as eleees geraes foram agitadas e tumullnosas.
O imperador dos Francezos, prudente e perspi-
caz como nao deixou escapar as raanifestacoes
liberaos da Franca, e francamente pronunciou-se
por algumas reformas recia nadas pela opiniao
publica. Foi assini que o seitrtvs consultos, inau-
gurando urna nova poca para a Franca, den nma
race liberal s suas insttuicBes, diminnindo as pra-
ticas de governo possoal, hoja condeamidas em
todo o mundo, e aproxiiiuu o rgimen francer. da
monarchia representativa cora a respoHsabilidade
ministerial.
Com tal intensidade tem gnssado na Franca ai
ideas liberaes, que o principe $apoleao ni senado
pronuncitm nm notavel dis;urso onde faziaabe-
dal "ellas. As amas forainfayeraveis quasi tedos
os candidatos opposiconhrtas fwlieaes, e de su
seio saliirara uleitus Vctor Hugo, Ledru.lVJlHn,
llochefort e outros.
A Franca levanton-se enthusiasmada e applao-
dioThiers.e Ferry na abertura do parlament, e a
sa poltica interna inodilicouse sensiraraeiile,
dando isso em resultado vari*8 raudancas minis-
teriaes.
Napolea escrereu urna carta anihographa a
Mr. Sclincider, prometiendo realisar as reformas
de que por diversas vezes mostrara as necessida-
des,^,continuando a obra da conciliacao n'um po-
der forte responsavel, com instituices puramente
liberaes.
Nao obstante todas essas declaracSes e pro-
raessas, anda alguus laivos do velho rgimen de-
terminaran! prisoes e snspensoes de direitos poli-
ticos e cvis cidados notaveis, pelo critne de li-
berdade de imprensa.
Era suas retacos com as entras potencias, a
Franca raostrou se como seiupre activa c reser-
vada,' dividimlo sua atlencao por todo i continen-
te ; e Napolea, apezar d suas manifestato-s pa-
cifleas, prosegue nos preparativos bellicos com
ardor, fazendo armar as fron'eiras e concentrando
forcas ea diversos pontos esiratogicos. A Italia
pedio-lhc explicace? proposito das forcas reuni-
das em Civitta-Vechia, e a Prussia nao cessa de
desconliar de seus constantes armamentos.
Todas as vi-tas esli fitas na Franca, e esta po-
mentos"' polticos do globo, e procura cmservar i tropas do imperio suftcarara com aquella prossao
esntagadora qne de ordinario emprega a Ilussia
em ngojios dossa monta.
O imperio authocrata procuren sempre militan-
sar-se, desenvolvendo e obrigando o serviru do
sua antonnmia n;i proporcio de suas foroas ROn-
do-sa eai relsca i de presenta com os. mas esta-
dos, 4 icompanhand.0, anda qne de longe, os ar-
mmenles geraes.
No anuo linio reforraou ella sua democrtica
constuicao, distendendo seus principios liberaes.
NaBelgica a questao que mas especie causou
no ame de 1869,. e. que ia dando lugar que se
atea o incendio na K ir apa, foi. a das caminhos
de forro. >
o tnhia da estrada de ferro de ste da
pretenden negociar varios ca nmls de
liras ; o mfarjn d'uste paiz oppoz-se, c a
.' din expjicacoes.
. 'imdido de exflticiCQes ppzaB^lgci em
embtrafos, e o seu presidente do conselho de mi-
nisljs Frero Orbau inquielou-se de vras, era
quatd u nao liquidou esse negocio a omtenlo de
amias *s partes, o dejiois de urna serie de peripe-
ciasJem que se jogou a dignidado di don paizes,
ente ni qnaes se imiten de permeio a Inglaterra,
como :n de os fazer entrar em vas amigaveis.
I" n conflicto entre a+ duas casas do parlemento
c eyre o senado e o governo, motivado
prtela questao, mas larabem por negocios in-
ternos, den lagar que a poltica.deste paiz fosse
vacilante por aigum te.ropo.. .
Bs-a aeilayao eessoO, dosde que o parlamento
vottu i prohibicio. d? venda dos oaranho* do
firrfii efegeitou 'o proje^to de unio aduaneira
con a franca.
\ Blgica passou. por. um-doloroso golpe na
mate p.ematura i|o j.rincpe real, herdeiro pre-
sTiptivo do Minino, que era aderado tnir aquello
poto, amigo p ir exfoljencia da monarchia. que
exercito. A Crimea esta hoje inleirameate entro- mando j se rao sentiW o para ruii cono fe
gare aos bracas militares, e todas a* fronteiras de
sudoeste, com a coneentracfw de foroets ftra ah,
(Icaram no mesmo estado.
A itussia estabeleceu rallres relacoes de arai-
sade com os Estados-Unido-, ea sympalliia mutua
dos dous paizes. uascida (fe interes que se
ligara, cret.ee todos os dias, despeno da descon-
fianca da Inglaterra, do ciumu ila Prnssia, e Jos
desgostos da Franca.
Foi este resultado un; pas no caminh) da liberdade- w.m a promulgado A -
una conslituicao, que ja pnxluz fruciusna Turqua.
ou como-a abertura do rmal de Suez, cuja i-
flu*fr;a as reJa?oes polticase com n-Tciaes &,
a seae no coracj} do (>ovo livre.
Allemanlia prosegnio activamente no seu ca-
bo, sem todava ver resol vida sua^grande
stao. ,
rmada al os dente, quar ao sol, qaer ao
noile, t Allemanha urna ameaca constante ; paz
riinipa Caa scentelha, que sobro ella caa, de-
lerfiioar u na violenta explosn, cujo estampido
lanl estremecer todo o coptinonie.
A Ausiria e a Prussia, as dnas mas preponde-
ran^ put.meias dessa parto da Europa, inmigas
aciniuns, se s vezes se cortejara cora amgale,
o diariamente concentrara o seu odio reciproco,!
-A Inglaterra, a rainha piderosa dos martj, o
paiz livre por exceliencia, nao descanc.a em rae-
Ihorar o seu estado.
'A qtiest.ii da igreja da Irlanda foi venciii no
parlamento. Um bll abolindo a igreja ofiicial foi
o resultado obtido pelos raeetings na capital di
reno-unido e jicHa attitude imponente qnoMsamio
a Irlanda nessa questao de nteresse vital pwi si,
nao 80 j promiciando-sc aberumente pela revolta.
O bil citado foi tuna conquista importante para
a Irlanda e mais particularmente para o cal hule-
cismo, que all pude desde entao ser exereidsem
restriccoes offlcft*w.
As qucsles entre a Inglaterra e os Estados-Un-
dos,"1JTrer'as nascdas na ultima guerra americana,
quer as da ilha de S. Joao, quer anda as de na-
cionalidades, nao tiveram resultado definitivo, o o
governo americano recusou ratllcar o tratado so-
bre a questao lo Afabama.
. A orgulhos.a Inglaterra, mosrando-se receiosa
dos Estados-Unidos, lem procurado.ebegar um
accordo com aquello paiz. abaixando a cabecaan-
te as suas red una ;oes, ediaso pro^a a aceita-
cao da arbilragem as questoes pendentes entre
os dous estados.
Urna nova qucsto surgi para a Inglaterra,
cotnplicando-se as suas ielac,oes sbm a Hespanha
por causa do Timado.
as Indias Orientaes a Inglaterra vai coiwtanle-
uienie perdendo o sen prestigio, e sua ettrclla vai
empalidecendo pelas couslanles invasoes da Rus-
sia, com (|ttcra ella se nao atreve medir as forcas,
o que equivalera urna conflagraco geral.
Um oniimo tractado de commercio com a China
ment s re?ta que sejam ret'.M-inailos os regla-
mentos que estorvam aos novius mercantes a
passagem dos Darlanellos c do Bosphoro.
A Grecia, aulonsando a abertura do isthmo d<-
Coryntho, den mais um pa*so progressivo, d--
que ha-de resultar niuiios benelicius ao eoninwr-
eio do mundo.
V-se aseim, pois, que os negocios do Oriente.
tomaram vulto imponente no an&> que flndou
embora a magna questao teahftAeadn anda a-
diada sem prazi li\o, o que complicaJas foram
as relacoes dos diversos governo*^jqoeila part
do mundo entre si e com as outras pj inicia-,
sendo felizmente sem dulurosos resurtarh>s para a
humanidade. /
Por toda a parte do velho continente a erdad?
foi a palavra mgica do progrosso y a humanidade
gan!iou sempre algu as liejj prueit>-as
correr do anno que linlou.

(Cmtinuar-ie-tui.i
-.
agua-dando occasiSa ppporlonao se Uostilisa- j pude conseguirva poltica ingleza, e esse tractado,
reraj j garantindo-lhe a troca de productos com o Cele-te
AlAus'ria nao esquen anda Sawiwa e nein imperii, deu urna maior extensao ao seu coramer
r ,__ ___ .. i,,......;., f.niutfifA al .r ... f ___ j_____:. ,_____,*. .i.. ..,...<.,
*o cqma os sons qne prodtizia nn Tn< basa ^^ e reri(rnias iii,eraes as quacs felizmente | tcncia, que de tanto peso nos destinos do comi-
se vao elTectuando sera aballo. No ultramar, as nente, caminha eran urna vndanosolhos por yu
.'Jia de Me.iion. quandn os ra s do sol I he.
tam o vu^^tiilossal..
h grit uraso, que tebjl |>elos ospacps inij-
\ c ,-omo a voz do Deus dos Hebreas, fallando
lito do Sinai: toruna os falsos dolos, e resta-
sen imperio, fundado na lei, c abracado
a ordem. ,
ei, ordem e fibenlade, tres palavra que se
i .-- ,iii 'res pcn-ainento* que se compleiam ;
, qu furma a base necessara do que se chama
t -i
lean o interprete do pensamento universal,
, i#wb mnrrAr. E elle caminha.
; apils outros vao rolando os annos; e cada
issa I -va coinsigo urna historia para
r a
iituro. ..... .
ora de da para da e melhorada ; e a
de cie erguido vai, de quebrada em
lepnrando os costumes, rctemperando
i pvos, e aperfeicoando o m indo ma-
dia urna nova conquista, sen vestigios
em cada anno trezentos e fossenta e
s para a cora dos scalos! pis a civi-
is os lempos das hecatombes humanas,
iagava com rios de sanano um tomo
ifimento. Hoje o mundo raminha
I,,- a seguros, e o seu augmento, quer
.lie material, se con-egue antes pelo poder
,, do que pela Corea da espada.
rvr ices pacificas, que tcem por incentivo
! e o pr'i-'iesso, operara incaleulaveis
orm'-Jes e produzem sempre resultados be-
ie ilmos hoje ? Pe um la-Jo a justiea, pe-
'i- lelos e analvsando as circura-tancias
b 'isse dao, para julgar dos acontecimen-
iac| B poliiicos: do outro a I -i, protectra
't.itadividuaes, lancando aterra o ger-
V.m, e garantndo a liberdade ; aqu a
..,. a gaiando os povos ao tabernculo da
",-i i neto da ilastracao, que a fonte de
I.,.. .acola as' ms paixoes, qnehranlo sua
le .i fcontro s muralnas da civilisacao, que
ni sempre.
Jo nao de-cansa; todos os nnnos, todos
,nca novo? louros: honlc/ialli, hoje
i i-Va acola, sem patria, c sem precon-
.aipenetrando ora todo; u4coracoes,e
' todas *i frontes.
i Italia, baje a Franca e : Hespanha,
;Vez o iroferio Ottomano, mura tolos
ai successivamente go-an lo sua in-
idica, atl <|ne um da a umanidade
Mi* lnr-
de; bawarla na moral e na jnstica, tem
a com fo* ''a 'inte seculds proenram
i da Uamaniiiade o revolucionarios do
iecessiaadc do reformas se faz sentir
istantee, e em loda$ as naces o grito
. a senhado progresao.
intincnte aga-se sempre, como se em
ivesse um vuleao; mas, apezar de saos
es constantes, passou-?e mais um anno
tssgtt solncao os grandes problemas
i continentf 1.
de intereso primorli.il aggravaram-
e quando tudo prosagiava qnesenam
\f meio das armas, mais nma vez dor-
,n0 do adiamento, tendo comB leito a
eral, os canhoes raalos, e as mo-
garda, com que se armaran todos os
jo Oriente toroou serio ncremeato, e
nana e a Creca estivoram em vespe-
^plosio, qael'mha como raiao de ser
le (ilf. A Turqua che'gou aexpul-
domi* ais de duzeirtos gregos.
ias sii$atai as do tratado protecco-
itn-se em tima conferencia, que teve
tres prmeiros pontos de ultimtum
e cajas dacises foram acceita, res-
se a relacT.es diplomticas entre as
do rlenle, que ha tantos anno
ritos nn velho continente, deter-
flnanceiras pelo estado de paz
todas as poiencias.
-,.- UuntUMSim -t,maay. lutOll 'P COm difCUl-
dades ; sua prudencia o criterio n par de sua
energa lizeram-no porm tirar dos embaracox
O anno de 1869 vio a. obra da regeneraban pol-
tica da Hespanha.
Nao obstante as dL-sensfes intestina?, ella pro-
seguio na sua rossao. Convocadas as curtes cons-
tituimos, foram eleitos os depurado?, consegrando
nbter grande maioria o partido monarchsta. Os
republicanos tiveram alguns eleitos na cmara, e
entre estos Emilio Castellar, urna gloria nacional.
A obia da reconstruecao nao descancou, e o-
paiz foi organisadi administrativamente.
Reunidas as cmaras, o governo provisorio, sa-
ludo do seio da revolucao, resgnou o poder as
maos do presidente da assembla D. Rivero, e o
general Serrano foi incumbido de formar novo ga-
binete. .
Apezar da maioria que na cmara constituinte
tnha o partido monarchsta, a forma de governo
pareca indecia ; e no parlamento essa iraportan-
le questao tomnu gigantescas proporces.
Depois de longos e nlerminaveis debates, em
que tumaram parto oradores distinctos de todos os
partidos, votou-sc o artigo do projecto da-consti-
tuijao que esse assumpto se refera, e a monar-
chia representativa foi consagrada ness le pri-
mordial da Hespanha como forma de governo.
Desde entao tratou-se em todo o paiz da oeeu-
paco do throno, e comecaram a apreseniar-se
os' pretendentes. Os duques de Aost", das Astu-
rias, de Mofltpenser e de Genova, foram aospri-
meiros Tallados ; e depois vieram arena os res l).
Luiz e D. Fernando, e mallos ouiros principes.
O parlamento proseguio na sua obra da consli-
tuicao sob bases muito liberae?, ale linal appro-
vacao desla que, depois de promulgada, foi jura-
da enthusiasticamente 6 de junho.
Depois disto foi o general Serrano e.eito regen-
te e Prim, incumbido de organsar novo ministe-
rio, que nao passou mullos mezes sem soffrer
mndilicacao.
Durante csso periodo do reconstrucc.ai, a tos-
panha experimentou crises dolorosas. quer rela-
tivamente s flnancas, quer poltica.; e o seu co-
de brazas, evitando tratar seriamente dos nejrnc*>s
de interesse vital para a Europa, o atetandraa
lll.-i.,i.-..-.-... o ..torminnv I <|llr(aU do OnCnt1'.
Tamhem a questo de desocciipaeao de Roma,
que toda a amble*) da Italia, nao tem sido sol-
vida pelo governo de Napoleiio. Fallou-se na reti-
rada das tropas francezas da ei lado eterna, e
se dsse uiosmo que a Italia entrara era negociaces
cora a Frahca sobre i->o. Mas nenhum resul-
tado se chegoo, % anda a questao romana volveu col|>e
intacta ae anno que baje o.omcca.
A Italia parlicipou no anno prximo lindo de
todos os receios e esperancas que preoecuparam a
Europa, tenlo mais como appendice as desordons
intestinas agitadas por Mazzini e outros republ
It.,.
e pelas diffieul
pelel levar i bem que a l'russia fomente a
desuii:a> nos estados do sul..
A imerrainavel questai dpj ducados adormece
tolos os dias para cada vez despenar mais tern-
vel, *, miro grad) llismark, ameacar o actual es-
tad, i o, eou-.'s da Allemanha.
lierni e Vienna espretam-so descontadas
pasa) q-'.e se sorrieni; e a poltica pros;
acomnanha roovimentp ascenqpnal do v
a l!;s-- ck aiaila pao djsistio do seus pruje
iit.ii i '^".''^ da lllnnanbi.
A *t,'v:';t estn i'' ;- vistas nara o-
Dinamarca; o esse Canco ,d W)>, que ai
observa curiosa, embargado pela Rossia
falla em projeclos de allianca eran aquella poi
cia, ni i s era rclaeao aos negocios allemae.-. ti
principalmente cm*relacao_ a>s doOrienl-, q
san a sua maior preoecupac?.
O parlamento prussiano acalwu de dar o ullin
no reino hanoveriano e no deitora lo de
Hesse, approvando o seque-tro ios bous do ex-re
e do ex-eleitor. Mas o lanover protestou, laiea-
do demonstracfles ante-prussianis, e tentando um
estudante desso paiz assassinar Bismark, (bou de
onde ah se er proWr o inao estado h) -reina-
do O eleitor di Hesso nao deix.u tambera sera
canos, e bem assim os tumultos provocados pela proteja le, q;v o l>".> J >;.; u" cmpnt,
le, do imnosio sobre as muanuM c oclas diuleul- A conrederacan do >oito-Alle,.iu augmeni
Tarragona e outros lugares importantes do remo,
auxiliando o clero o movmento carlista.
Desses movimentos resnltou que a obra da re-
volucao, qne tao bons fructos produzio, nao po-
de ser concluida sem a repetirn cas scenas bar-
baras que condemnaram o reinaio de Isabel. Sem
contar a mortandade liavida nos reconteos das tor-
cas do governo com os insurgentes, a tnica da
revolucao foi manchada com o sanguc da' victi-
mas que fez a espada do algo/., degolando ramios
d'aquelles que tomaram pirte r.os movimentos.
Deportacoes, prisoes, ftuilamenlcs etoda a sor-
te de pers'eguioos, nada falln para denegrir os
louros com que a revolucao liberal corou a fron
te da Hetpanha. 0 governo, porm, firme era seu
po=to tem conseguido sempre sulfocar as maqui-
nacoes urdidas contra si c contra a actual ordem
de cousas ; e a Hespanha, despeito de tantos
males, prosegue em seu caminho, fortiflcando-se
na liberdade, reconstruindo suas finantas e ci-
inenlandO as bases de sua futura grandeza.
O que mais preoecupa boje o espirito da Iles-
nanha, depois da escolha de soberano, sao os ne-
go'ios de Cuba, para onde os Esiaios-Un.ds tepr
volvido olbos cubigosos.
A grande repblica, depois
de seus protestos
de"neutraldade,rsempre quebrados pelas partidas
de dibusteiroa qae constantemente tem invadido
Cuba, envin urna nota ao governo hespanhol, na
anal trata da independencia da ilha : e esta qaes-
ia complicando-se' pela attHndeynessa potencia,
e nelo reconhecmento de independencia por par-
te do Peni, traz a Hespanha cuidadosa e receiosa
da perda de urna lo importante nossessao. na-
x'ime depois que os Estados- Uafaa pwten' ram
assenhorear-se della por meio de compra.
A' despeito das reelamacea daHef fiha, e
oao obstante o que em sua ultima rae Jgem ao
conaresso dsse o presidente Grant so' j5iOnpor-
lunidade de reconhecer-se Cuba co ^IDelIjgeran-
as.erandes'oVpMaenas.man. te, siio pronunciados os votos j] .^mpathiato
n ~-_____"' _.,._ *__ .^nnmu do norte
jgaerra numerosos exercitiM e cus-
*j, com manifest detrimentado estado
loe so censervam.
iPrus-ia, a Austria e, a-Raseia nao
r ao nmnlo o cspecisnlo d'esola-
ro de suas-fmancas. ffanea o ve
ericanos do norte pelos cafats, e nao lhes
Urce de barreira o recunhecinfentef taeito dos di-
reitos da Hespanha .pela America, quanio entre-
m aquella potencia as eanhonejras apasionadas
com carregaraento do ptrechos bellicos para a
Tudo actualmente presagia o paerficamento de
le do imposto sobre as moagons
Jades financeiras.
Alm da questo de Roma, questai- que o pe-
sadellu da Italia, esta- potencia preoecupa-se se-
riamente co'ii as suas linane.as, e faz inauditos es-
Cercos para ve-las restablecidas. Nao se coadonam,
porm, com isso os grandes pie paral i vos bellicos
que faz, nem o numeroso exercito que mantea
em p de guerra, coma exige sua posicao impor-
tante no continente. t '
Nao obstanto essas tantas difli -uldades, a Italia
vai proseguindo na sua obra de reconstru
jufocando em pido? os pontos as revotas, e alar-
gando sua poltica interna, que soffreu durante o
anuo fiado diversas modifleaces de accordo com
as modificacoes ministeriaes porque passou.
Em suas relayes externas, a Italia- procurou
sempre as boas gracas de seus visiflMOe, conser-
vando sua posicio rspeitavel. A Austria raereceu-
Ihe svmpathias, e a Prussia, pe!o contrario, vio
suas relacoes se alTrouxarem com o governo da
pennsula banana. S. Pelersbnrgo o Roma igual-
mente interromperam suas relacoes com a luna ;
mas o Santo Padre nao abaadonou Vietor Erania-
nuel, quando em seu leito de soffrimento confes-
sou-se : levantou a excjmmunhaj que pesava
sobre elle, e tratou-o com carinho inCormando-se
de sua sado e lancando Ihe sua benca-7. Sublime
exemplo de amor paternal e de caridade, com que
o chefe da igreja catliolica deu tesieraunb i de su
grandeza d'alma I
Com a Franca as relacoes di Italia eorreram
sem incidentes, "alm das pretendidas negociacocs
para a evacuacao de Roma, e da concentrac-ao de
forjas em CiviMa-VeCha, qne tudo desappareceu
ante as explicaedes do governo francez.
Roma teve a'indisivcl ventura de presenciar no
dia 8 de dezembro a abertura de um coneilio ecu-
mnico, que deve tratar da solucao de importan-
tes questo-s para a igrcji, e para suas relacoes
com o estado. .
Qiiinlientos bispos idos de todos os pontos aa
trra, se reuniraid em torno da cadeica do a. I e
dro para o rende aconteeimento ; e Roma hoje
attrae a attente geral pelo resultados do conci-
lio, resal* qne devem poderosamente mmiir
na sociedadreligiosa e poltica de todo o globo.
Foi esse sem contradico um dos mais nota veis
acontecimentos do anno de 1869 e do sceulo xi\..
A r/uJio do concilio excitoa era todo o orne vi-
vas quietaces, e o velho continente mais parti-
cuUrmenle toraou peit) discutir sua conve-
niencia. O clero do oneme pela maior parle re-
tusou assirti-le, e a Turqua e outras potencias
por sua parte prohibiram aos bispos eathohcos a
Ida Roma com aquello ma.
No eral o clero dividio-ee as suas consiflera-
coes sobre o concilio, quf >. Europa, qner na
America; mas i caiholicee de ba fe nao tiveram
duas opnides : para elles d8> e deve ser o con-
cilio urna fonto do onde ha da jirpvir minios (ruc-
ios sazonados para a hnmaflSnadc e para o caino-
licisme.
A Baviera apresentou a-idea de medidas pre-
ventivas communs por occjuao do concilio geral,
mas essa idea nao aduja echo. < morreu atro-
ohiada. O governo de Vctor Kramanuel deda-
rou qne consideravanuilaa4ecs6i*a do concibo.
A Franca, porm, e a Mgdoi paizes catli-
cos enviaram sene bjepoal^oma, e aguardara
cheias de conflanca as datoracoes dessa. asam-
blea para julgarem da sua-bpportanidade. restr-
vando-se tcitamente o direilo de as adoptare
na nao.
loa-
Ihe fez a Hol-
A con
se em teriii'jrin cora a ce.-?ao qtv
lan la 903 ilhas liaiulas.
A eoir.oiicaj militar do Rulen, deoois il
co, que um dos mais mportanJ.es do mundo.
A expedicao da Abyssinia fui discutida no par-
lamento. Ella eusto logia trra mais de sette
Hoes de Miras slerlioas, mas saplisfoz o qrgulho
% sem irazer grande somma de proveito sos
eresses.
nglez manifestoiise pelos tratados de
"n a Franca, "e em Man;lr """
ra;n ineetings n'es.-e
Iberam unetings era .
i unido em prol dos fem
y^og'iinuielede^aMTY-
, ponen atCastou-se da exp
i a Inglaterra guarda nof
do novo continente,
relacoes com os diversos pi*c
.i, conforme as questoes que vinbam atelh
discussio, e chegarara assumr tira enro
carcter de gravidade cora referencia ao Oriente,
enfre a Turqua e a Grecia, na questo de Candia.
Xoticlas do .ni do Im-peri*.
Cliegou hoatem o vapor americano S- ui '>
America, trasendo jornaes do Rio de Ja-
neiro de 25, e da labia de 28 e 29 do pas-
sado.
mo DA PUMA.
A' corle cliegou, no dia i'y, o \apor
inglez Cita of Rrustel, com datas de Mon-
tevideo ate 10 do passado, as quaes nada
referem sobre o Caraguay.
Em Buenos-A)eos tmliam-se dado lti-
mamente alguns casos do chnli>ra-m<>flu>.
mo baaos do sul.
Alcauranr a i (i do passado as datas
que recebemos do Rio (rande.
No dia V> cliegou, no transporte tke,
o general visconde do llerval.
Suicidara se, lomando um i foi te ds de
verle Paris, o commeriianle VicLorino jb-
gueira Palhares.
DIO DK JANKIltO.
Pelo ministerio da justiea foi declara-
do ter sido, por equivoco, pubicada a no-
~r*~ 4o. bacbarel Alexaudre Geleatkao
), para juiz municipal do
,un no se ada vago.
pos d^f. furaa marcados
V
l
di-cuti-a, Co'r approva Ja : e es-e paseo, que adian-
tou a pbra da nificaco allemaa, foi consideradj
com? muito vantajnao.
i Dinamarca reclamou o cumprimenlo do tra-
t*do do Praga em relaca > ao chlsevyg. e este
incnlente veio augmentar as diniculdades da Alle-
manha, ja lo atarelada.
Os preparativos bellicos da Prnssia oxritaram os
ciumes da Uussia, mxime o de-ciivJvimeiitn raa
ritiino que aquella potencia tem tomado nos uni-
mos lempos. Mo, porm, nao alterou as reunles
amistosas dos dous paizes.
A Franca nao ve tambera com bons ollns os
proparos guerreir.is d i Prussia, o por isso ace-
na-lhe com o seu armamento c suas evolueoes
militares em Chalons e n'outros pontos mais pr-
ximos das fronteiras allemaes.
Os principados danubianos agiuram-se vanas
vezes no anno nudo, fazendo o partido repuoli ra-
no, de que chefo Bratiano, algumas ileraonstra-
edes, suralc urna deilas em prol dos Gregos. Essas
agitaeoes deram era reul(ad) sanguinolentas
luas' entre os exerejtos austraco e danubiano, e
varias modilicacoes na poltica interna dos prin-
cipado!
Na Hungria travou-se rendida lula eleiloral
entre Dick e Kossut, procurando este revolucio-
nar o paiz; a Dalmacia insuneccodou-se; a Bo-
hemia mamfeslou-se leg.ilmente contra aconsti-
lu?ai austraca; e a Bulgaria e a Homama
acorapanharam esses movimentos.
No meio dessa confusao geral a.Auslna nao
desanimou, e proseguio no seu intento de organi-
zar a conederarao da Allemanha do Sul, fazemio
uns concessoes' raaoaveis e siiffocando a rcbeliao
era outros pontos.
No seio da propria AusU den?, e Vierm as testemunhou ao mesino tempn
que ellas appareeeram em Cracovia e em
Trieste. .
Apesar de tuilo isto o imperador Francisco Jos,
deixando como regente o archiduque Carlos Luiz,
eneammhou-se para Suez, aum.de-assislir a inu-
guracao do canal.
A Allemanha, pois, como se ve\ apresentou no-
anno de 1869 um accervo d* desorden? capaz de
aniquilar otftro paiz quo au aquelle, cujo carc-
ter c moldado em broate.
A Allemaaha prosegue na sua obra, e um dui
ainda vira em que ella, reteraperada pela lula,
possa nnir-se e impY ao mand-j pectacnlo
grandioso da sua Corea, par de livres insUlui-
dea
no Sir. nnnZl v>K>'-. Tu actualmente presagia ,, piuim^^' "
--. lv^JT*lm CubaYe o (jeneral Caballero de W.odes, que sub?
No moio da agitaeSiferal da Etiroaa, a Suissa
vive paeiftoaraenie sua vida de liberdade, e suas
montanhas sao lesttnatibas da feda.le de sea
pavo.
Ella nao deixa de-segnlr at!f*Um<}Me os movi-
A Rnssia caminha vantajo: ament nn enJa do
progrejso, e s velhas theorias anthocrati ;a& vai
antepondo as novas ideas do. progresso, dotan-
dn-se com in3tilac5es livres. Nesse paiz onde
aioia na 10 annos tudo era servilismi, at as ideas
republicanas j enconlram appoio. A Ucrania vio
era seu seio agitar-se urna revolta ropublleana.
Como as ot'ras grandes potencias, a Russa es-
traga suas flnancas entregando se pomposos
O czar.abrini miade soue direitos omnipotentes
j iostituio.oinJ7,e9sibonalderiotra!,quede
tantos beneBcis tem sido aos povos que o desf ruc-
iara e vai proseguindo n'outras reformas liberaes.
Mas, ao passo que assim procede, a pobre Polonia
incorporada Russa o perde essa peqn na parte
de arrtonomia tjoe ainda Ihe restava: e a Europa
contempla essa wpoliaeao do nllimo patrimonio
dos Potoco* oom urna placioVz ostnpenda e sobe-
runamente detwecladora d>. u tros de civtHsn?
co e de liberdade.
\ im'.ia rus passo'.i pu ai WWlto
Quasi que o anno de 189 testemnnha de ura
incendio immoiiso do Oriente. Os negocios de
Creta tomaram serias proporces, senil' os Cre-
tenses auxiliados pe is Gregos; e a Porta Otto-
mana, offendida, rompen as hnslilidades contra a
Grecia, lilequeando o porto de S\ra.
Apezar dos coiiselhos do rei da Dinamarca e do
principe de Galles, e dos esforcos emprtgado pela
Austria e pela Italia, o governo grego repellio o
uUimattim da Turqua. Esta potencia, a pedido
dos Mguataros do tratado proteccionista, proro-
gou o prazo para oxpulsae dos Gregos do seu
territorio e [lublicou um manifest justificando sua
poltica na questao da ilha de Candia.
Era Janeiro reuniram se em conferencia os sig-
natarios do tratado de Pars-nesta capital, tendo
como programma os cinco primeims artigos do
ultimtum da Turqua ; e no dia 20 assigna-
rara ura protocllo bascado nos tres pumei-
ros artigos, adberindo a Kussia conferencia, o
que motivou desgostos da Turqua contra aquella
potencia, declarando todava a Sublime Porta que
retirara o ultimtum, se a Grecia sesujeitasse ao
resultado da conferencia.
0 rei Jorgi prouunciou-se logo pelo resultado
da conferencia; mas o seu governo, niio jnlgando
apoiado pelo paiz esse modo de ver, por sso que
havia na Grecia grande agitacao contra a Turqua,
nao qniz acechar as derisoes exaradas no proto-
cllo e pedio sua demisso.
Durante alguns dias reinou grande agitacao no
paiz, e a crise ministerial durou at a organisacao
do gabinete Bulgaris-Delianis, i|uc accetou o pro-
tocllo de Paris com algumas pequeas reservas,
declarando que o faz;a sob presso.
Serenados os nimos na Grecia, dissolveu-se o
parlamento e foram eietos novos representantes,
restabelecendo-se as relacoos diplomticas entre
esse paiz e a Turqua.
Apenas terminado o conflicto turco-grego, sur-
giram complcateos entre a Turqua e a Persia a
proposito de limites entre os dous paizes, cujas
fronteiras foram respectivamente oceupadas pelos
dns enereltds. .
Felizmente essa pendencia nao teve serias eon-
seqnencias e ficon sem effeito pela nomeacao de
urna commtoio mixta incumbida da venllcacao
das fronteiras.
Ainda um terceiro conflicto teve eomeeo entre a
Turqua eo Egypto, proposito da viagem do vioe-
rei deste estado Europa e da abertura do canal
de Suez.
Este incidente desag-radavel foi Cehzmentc remo-
vido pelos bons oflicios de amigos de ambas os
paizes, suftmettendo-so o khediee ao firman do
sultao, seu suzerauo, sem condi^oes.
O canal de Suez Coi pomposamente inaugurado
no dia 16 do novembro era presenta da imperatnz
dos Francezes, do imperador d'Austria, e de outros
principes europeos, que se dirig ram ao Oriente
para assistirem a essa solemnidade.
A obra monumental do Sr. de Lesseas, a cin-
cepeo mais gignotesca do secuto actual, deixou
de ser um sonho de visionario, como so ch'gou a
chamar ao eminente e emprehendedor engcsraeiro,
para er ama realidad pulpavel, que vai produ-
zr um inealculavel augmento de commercio aa
Europa para aquelLas regidos, augmentando ae
de um modo notavel a riqueza publica, e pou-
pando as tonuui-ras vidas annnalrrwnte arranca-
das as penosas viagens que at enuo >e taaja.
Leseos eserreveu seu nome no pedestal uo se-
cuto XfX e a humanidade deve-lhe urna palma e
corda de louro, e a historia nm lugar de honra
as suas paginas de ouro.
A Turqua ja intoiou reformas liberaes. loos-
irnindo o seu cdigo civil, eiU dea ao mundo um
attestado sublime do progresso que ern sen seio
vao fazendo as ideas aetuaes de liberdade.
Constantmopla, o pomo de discordia do Oriente,
tem sido o alvo de rauitos e importantes raelhora-
mentos, qne lera mudado o sea aspecto.
A Servia obteve vantawsas concessfies da Porta
0tiomana,"<4tado evacuadas suas fortalezas
tropa? to su,h5o.
ao jiik de diceito Manoel
removido da comarca do
.., vincia do Cear, pan a de
Tacarat, na de Pcrnambuco.
De dous mezes aojuiz de direilo J '
Clemente Pessoa de Mello, removido da se-
gunda para a primeira das ditas comar-
cas.
Por portaras de %\ :
Teve seis mezes de -lii-enc-a para ir a Eu-
ropa o capito reformado do ejercito Sebas-
tifio Antonio Rodrigues Btaga.
Te"ve licenga para residir na provincia da
Parahyba do Norte o capito honorario do
exerci'to Joo Hara dos Santos.
Os pharmaceuticos, que tomaram o
grao no correnlc anno, lizeiam donalivo ao
Asylo de Invlidos da Patria da quantia de
i 155000, saldo do .pie agenciaran! entre f i
para festejar aquello acto.
A alfandega rendeu de I a M do pas-
sado 2,805:7*5r)ul".
0 cambio sobre Londres regulara
d. por I 000.
baha.
No dia 27 seguio para o Rio de Ja-
neiro a corveta de guerra Pararas*.
O cambio regulava : sobre Londres
0 i d., sobre Paris 'iH2 rs. sobre Ham-
burgo I8 rs. e sobre (Jabea 17) %
Sabio para Pernanibiico no dia 28. a
barca portagueza Acmo.
PERNAMBUCO.
limo subuetleu Y. S. a decs ao do gtov.-rno
rial a consulta do tribunal do coinmerrio
provincia, de poderera os gentes oV le.loes ex
cer as funecoes de sen o|ficio e Mas as pra
REVISTA DIARIA.
MINISTERIO DA JUSTIC V.Por este nigMao
foram expedidos os tros segrate arpaj :
io de Janeiro, 31 de dezerabr de I86.-
Ulra. Exm. Sr.-Em offleto de ao^da apalaaj-
dessa
xer-
,s funecoes de seu orneo e a?w.-l*g
do dutriSo do tribunal, onde nao hoovtrera
agentes provisooados, sem preceder ucea* e-
^'sia Msgeslade o Imperador, tendo1 onvio o
pareeer do presidente do tribiual do commercu.
da corte, manda declarar que-, sendo "^*!*
de leiloes nomeados par seriir era certM e -
terminadas pracas, a concess^i de liceeea pan
exereer o oOlco fra deUas contraria aos am
% 0 e 7 o do decreto n. 8T.8de 10 de,novem-
bro de 1831; devendo, nos lugares onde -*\^
houver, ser o cargo exereido pe.o P-rteiro dojm-
io commercial, na conformidad* do aviso n. *>
de li de feverero de 1856.
Deus guarde a V. S.-/oi Wraf.iuaa) e
Alenear.-Sr. presidente do tribunal do eammer-
cio de pernambuco.
. RiiVde Janeiro, M de d"*' jJ 5?"
Hlm. o Exm. Sr.Em offlew n. 40 de >
vembro ultimo snbmetleu V. Exx. a daejM09>
governo imperial a duvida prop:U por C
Jos Francisco Pacheco, a respedo da
;ia da jarisdceao di vara municipal do
' Em posta declaro a V. Exp. ipe a referir
da consalla se acba resolvid* pelos dto m-
61 de 21 de novambrode 18*9, a V"
4 do novembro de 1837. e aviso da W a> je-.
1854, em virtude de cujas aafi
i

de
raeros
de
vereiro
os snppljnte, anteriormente nonvados,, m i
oceupar os primeiros lugares na tisU,joai
vas nmeacoes se tem de faxer para
mente dea vagas existen^ _^ ^^^^^
'
Porta
pelas!
. Deai gaarde a
Alencar.Sr. presidente da provincia
^Rtod Janeiro 513 de &aanaa?.,
fllm. e Exm Sr.-AnproTO a deenao ae T- Kt.
-

MHHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
MOTILADO
I
niaiiEi


^B,
JP
% i

.
.4

Pierio de Peraambuco b&bbado 1 e Domingo 2 de Janeiro de 1869.
declarando a impossibilidade do continuar no car-
go de supplente do juizo municipal da capital o
thesoureiro da fazenda geral e da adraimstr; 500
provincial, alienta a incomptibilidade da acen-
mula^ao desss cargos, conforme a- dutrraa do
aviso n. 89 de 4 de junho de 1847.
Deas guarde a V. ExcJos Martiniano de
Aletear.Sr. presidente da provincia do Piauhy.
CONSTRUCCES DEFARO'ES.-No Divio Of-
ficial de 2o do* corrate temos o sesuinte :
a Por aviso do ministerio da marinha de 7 do
corrate, foi incumbido o aagenlu'iro Zosimo Bar-
roso de contratar na Europa a consinaecao de 2
phares de 3 crdem lisos, para a barra do Para-
nagu (Paran) e Itapoaninha (Babia) quatro pha-
res de i* nrdein tlxos (tara a barra do Parnah-
ba (Pianhy), Olinda (Pemambuco), S. Francisco
(Alagas) o barra do Espirito Sanio, dous phares
de 4' ordena, gvrantos ptra o'Cabedeilo (Parahy-
ba). e Mocnripe (Cear), e um pharo! para a bar-
ra do Rio Grande do norte.
Todos estes phares eompor-se-hao de torre
de lanterna metallica apparolbo diaphrico, e fa-
ttB parte do systoraa geral de illuminacao da cos-
ta.* Brasil, que se deve estabeiecer no inleresje
da navagacao e do commercio.
O mesmo engonheiro, que parti para sua
missao no patineta Guieiuu, foi encarregado da
remessa dos materiaes de cada pharol para o por-
to em que tiver de ser erigido, de modo que f-
cilmente possa ser montado.
No dia 9 do corrente contraclou o ministerio
da marinha con o agente da Societ nouvelles des
forjes ti chautiers de la Mediterrane, & construc-
cao da duas dragas a vapor, e de duas barcas
movidas pela inesiua forca para transporte de lo-
do, a lira de serem embregadas no nielhoratueuto
do porto de Pernambaco.
Estes apparelhos sao do mesmo systema dos
que com tanto proveito forara empregados no isth-
nio de Suez, e devem excavar qualquer profundi-
dada at 7 metros.
Seraa construidas no praso de 8 mezes, e en-
tregues no Soine. Mas a companhia enoarrega-se
da coodocco das mesillas dragas em barcos a
vapor, para o porto da referida provincia, por
sua conta e risco.
DEPUTADOS PR0VINC1AES. No dia 29. do
pastado a tacuara municipal do Reeife procedeu
apuracao dos votos para membros da assembltia
provincial peto i" dislrieto, expediudo diploma aos
Sra. Drs. Manoel Arthur de llollanda Cavalcanti,
Francisco Teixeira de S, Francisco Leopoldino
de Gusrao Lobo, Ignacio Joaquim de Souza Leao,
Manoe do Rogo Barros de Souza Leao, Miguel
Jos* de Almeida Pernambuco, Felippe de Figuci-
ra Paria, Antonio Domingues Pinto e .Nicolao To-
lentina da Carvalho.
A cmara de Nnzareth tambera procedeu
apuraca dos votos, declarando dapntados pelo 2
districto os Srs. : Drs. Joaquim Correa Je Olivei-
ra Andrade, Joaquim GueJes CorreaGondim, Her-
mogeoes Scrates 'lavaras de Vasconcelos, Joao
Jos Ferreira de Aguiar, Joao Cavalcanti de Al
buquerque. Jo Francisco de Barros Reg e Jos
Mafia Mostoso da VTga Ptssa, advocado Joao
Francisco do Amara! e Joao Cavalcanti do Albu-
querqon,
DIARIO DE PERNAMBUCO. Estando fecha-
das wsas officinas hoje e araanhaa, por serem
estes das santificados, dcixamos de publicar o nu-
merad* segunda-feira, subslituindo-o pelo que
tioje damos.
D1NHE1H0.Os vapores pojuca e Jeiuia leva-
rambontem as seguinles quantias :
Para a Parahvba 5:000*000
o Natal' M'.fVifr'O
o Cear 38:i;00000
' Uacei 83:0001001)
Q vapor americano Son'li America trouxe as
.seguinles qnantias para os Srs. :
J. Carrero. 80:000000
Jos Hcnriques da Trindade 20:000*000
Dr. Jos Joaquim do Olive'ua 300*000
Brsc vapor levou de nossa praca para a do
Para 48:0003000
NAVIO ROLLAXDEZ.fbmimmcam-nos que,
DOda 19 do paseado, pasou na altura de noso
.porta a barca hollandeza Gerard Pieler Servutins,
capitaoJ.de Joode, pertincente praca de Am-
terdam, e propriedade dos Srs. F. U. H. Reyer & C.
O navio liaba bastante gente no convs, pelo
que ae suppoo ir elle para as Indias.
IMPORTACO DE DINHEIRO. A nossa praca
reeebeu, no "anuo du 1869, das puncas da Europa
e das d<> imporio, sob a responsabilidad^ das di
versas companliias, tnjos vapores bzera otSrvIc
do lavegcao, em moeda de ouro, prata e piinc!
aso-oma ci,) l-2A18:C8'.)JiOO. -^
BKPORTACAO J)!-; DLNUEIUO. Sio anuo d4
roo ,1 i;i.-hm no i'iTn.iiiiDtico expui tou. sob a res
poasabid.me das corupanhias que fazem o spi-vi-
rg (le n.-.vi'g.icao. as sammas spguintcs
>:>r>-9l3e94
896:737.5720
.)8i:9J66ti
1,034:037*560
747:1805710
I,107:2M824
837:298*009
742:293*187
77V.C46I60I
1,018.788*940
1,319:191*961
l,4i: :9326266
a seguinte
publica-
Jaieiro
Fevereiro
Marco
Abril
IMq
Jmho
Jtrlho
Agosto
Selembro
Oulubro
Novembro
. Dezembro
SUFFRAGIO.-Pedem-nos
cao :
JSilvio'Pellico Pereira Ferraz, tendo de mandar
celebrar ama missa na matriz da Boa-Vista, no
dia 4 do corrente mez, por alma do seu presado
amigo o baeharel Lourcuco Gomes ie Araujo e
Silva, fallecido na capital da Bahia, convida aos
collegas e amigos do mesm > haena/el", par* faze-
rem obsequio de akistir a este acto de car4-J
dade. JS
P.iSSAGEIROS. Viudos do Rio
Bahia 00 vapor americano SvutkAmerica .
Romeo da llocaa Bastos, Joaquim los do Reco
Rangel, sua senhora e 1 criado, Bernardo J. Barras,
Jos Faustino P. Castro, Antonio Z. S. Coelho,
Joseph Y., e William G. Bwvelloy a uilherme'de
Roenn,
LOTERA.A que se aeha a venda a 133,_a
beneficio da igreja de Nossa Senhora da Concocao
dos Miniares, que corre no dia 13.
CEMITEIUO PUBLICO.-OMuano do dia 30 do
corrente : .
Cae'tano Zacaras da Silva, Paraambuco, 60 an-
nos, viuvo, Uecife ; tubrculos pulmonares.
Maria, Pemambuco, 6 mezes, Reeife ; convul-
ses.
Maria, Pernambuco, 3* annae, S. Jos ; eonvul-
te.
Arestides Eugenio Jayme. Bjo de Janeiro, 28 an-
nos, Bolteiro, Uecife ; tubrculos pulmonares.
Luiza Maria dos Santos, Pernambuco, 30 annos,
solteira, Ba-Vsta; felire peroperal.
Flix, Peinambuco, 11 mezes, Santo Antonio;
convulsoes. .;-
de JaneJree
ALFANDEGa.
lendimento do dia 1 a 30. 1,400:7931*80
dem do dia 3J..... 27:138#B86
1,427:932*266
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
67
438
242
Velumes entrados com fazendas
dem dem com gneros
-Volnmes sahidos com fazendas
dem idem cora gneros
Descarregam ho) 3 de janoir
Vapor inglezAlliambramereadoi ias.
Brigue inglezMatlutdebacalho.
Patacho inglezWafarinha de trigo.
Brigue inglezEdith Marudiversos geaeros.
Bngue portuguezTcam//iOidem.
-Lugar inglezCauqueidem.
Brigue inglezCrimaridem.
Sumaca hospaniolalgnacita vintos.
Sumaca hptnhkflo/ore vimos.
323"
413
Unidades.
. duzia
. kilog.

. um

. kilog.

urna
Rio do Jan
Babia
Araei
Pened
Macei
Pirahvba
Natal'
Matu
Uossor
Fortaleza
Aracaty
Granja _
Maraaho
Para
iro
3,932:9313400
98:283*000
19:300*0:i0
113:864*680
2,989:306*330
1)18:3023460
1,380:971*970
3:8303000
202:009*630
1,384:821*330
132:000*000
230*000
306:939*000
301:112*760
l'(4.L!NHA.Destribuimos hoje aos nossos as
signantes nina follinba de porta para o annode
1870; a mal conlm, alm do kalendario, os no
vos regulamentos do sello e postal.
CAMBIO.No anno de 1869 reg-ularam para os
saques de nossa praca sobre as da Europa, as se
gulnles cotaeoes:
Sobre Londres-de 18 /z a 9 3A "l- por 1*000
110 mez de Janeiro, de 18 3/t a 9 em fevereiro, do
18 '/i a r8 '/i em margo, ,de 19 '/t a 18 '/s em
abril, de 18 '/-. a 18 Vi em maio, de 18 a 18 *L em
junho, de 18 V, a 19 eco julho. de 18 '/i i em
agento, de 19 a 20 em selembro, de 19 1/ a 19 '/,
em outubro, de 19 '/> 9" 19 '/s em uovembro, e de
19 V4aOenideteoibro.
Si-bre Parsde 482 a 488 ris por franco em
Janeiro e fevereiro. de 500 a 510 em marco, de
303 a 510 em abril, de 515 a 522 em maio, de 520
a 527 em junho, de 504 a 514 em jocho, de 510 a
513 em agosto, de 485 a 500 em selembro, de 483
a 489 em outubro, de 484 a 495 em noveeibro, e
de 480 a 483 em deaembro.
Sobre Portugalde 160 a 170 % de premio em
Janeiroe fevereiro, de 180 a 193 em mareoaju-
Iho, da 180 a to em agosto dezembro.
Sobre liamburgovariou entre 940 a l029 por
M. B. em tolos es inozes do anuo.
O valor dos saques en'aetuados, segundo 'as eo-
taces ofllciaes da junta dos correctores, elevou-
se a aerea de 4,910:090 *v.
DADOS ESTATISTICO-COMMERaAES.-0 al-
godode Pernacnhiieo vendeu-sf, na nossa pr<;a,
segando a qaalidade, so anno de 1869 aos presos
seguintes : de 12*508 a 14*200 por arroba no
mez de Janeiro, de 15*#09 a 16*500 em fevereiro,
de<4*7O0a 165200 em marejo, de 15*500 a 17*
a abril, de 16*200 a 17*200 em maio, de 15*500
a 46*200 em junho, da 94*500 a 5*130 por 50
Wlogram as em julho, de 17*600 a 17*800 os 13
kilogrammas ou nma arroba em agosto, de 16*501)
a 17*000 em selembro, de 1-6*900 a 17*000 em
outubro, de 13000 a 14*200em novembro, e de
13*700 a 15*200 em dezembro.
O assucar braceo vcodeu-sede 4*4*0 a 5*200
por arroba em Janeiro, de 4*600 a 5*260 em fe-
vereirq, de .'i^OOO a 53400 em marco, de 4*600 a
5*flO em novembro dezembro ; o somenosde
3*800 a 3*900 em Janeiro, de 4*080 a 4*200 em
fevereiro, de 4*300 a 4*300 era mareo, de 4*600
a 4*900 em novembro e dezembro ; o mascavado
porgadod>> 3*000 a 3*500 em Janeiro e feve-
reiro, de 35400 a 3*800 em marco, de 3*100 a
3*800 em abril, de 3*300 a 3*800 em mam, de
3*400 a 33780 em junho, de 3*300 a 3*800 em
jalho, do 3*408 a 3*700 em agosto, de 23830 a
a 3*600 em selembro, de 3*200 a 3*S00 em ou-
tubro, de 3*330 a 3*800 em novembro, e da
3*800 a 3*700 cb dezembro ; o mascavado bru-
tole 2*350 a 2*900 em Janeiro, de 2*700 a
2*900 era fevereiro, do 2*880 a 3*500 em marco,
de 3*000 a 3*500 em abril, de 2*850 a 3*200 em
mato, de 3*000 a 3*450 em junho, da 2*930 a
3*480 em julho, de 3*000 a 3*300 em agosto,
de 2*800 a 340 em setembro, de 2*800 a 3*300
em outubro, de 2*200 a 3*400 em novembro, e
de 3*000 a 3 5400 em dezembro.
DESCONTOS.No anno de 18S9 o descont de
lettras, tanto :10a bancos como as casas particu-
lares, regul-Hi : de 7 a 10 "/> ao anno no mez de
Janeiro, de K a 10 om fevereiro, de 6 a 10era mar-
es, de 7 a 10 em abr!, de 8 a 10 om maio, do 8
a Mem junho, do 8 a 11 em julho, de 8 a 12 em
agusto, de 10 a 12 em soterapro, de 10 a 13 em
nombro, Je 10 a 12 cm
PUBLICACOES A PEDIDO.
ELEIQAO
Dos devotos que tcem de f estol-
jar no annode ISBd 189O.
a excelsa Senaora dos Reate-
dios.
Juiz por eleioao.
O Exm. Sr. Joao Ferreira Prente Vianna.
Juiza por eleijao.
A Exma. Sra. D. Canuda espo^ do Im. Sr..
Candido Alberto So*f da Motta.
Juiz por devocio.
Os Illms. Srs. :
Manoel Joaquim Ramos e Silva. .
Tenente Jos Pereira da Cunha Junier.
Juzas por devocao.
As Exmas. Sras. :
D. Libania, esposa do Illm. Sr. Joaquim de Aibu-
querque Mello.
D. Maria, e-po>a do III.n Sr. Antonio Valentn)
da Silva Barroca.
Juizcs protectores.
Os lllm?. Srs.:
Antonio Carioso de Queiroz Fonseea.
Manoel Pereira da Cunha.
Guilberme Augusto, de Atayde.
Theodoro ChrUtiansen.
Jos Duarle Lina de Azevedo.
Aureliano Augusto de Siqueira Serrano.
Manoel Ignacio de Avila.
Pedro Tertuliano da Cunha.
Jeronymo de Hollanda Cavalcante.
Antonio de Hollanda Cavbanle.
Jos Thomaz Camello Pessoa.
D.'llim Cavalcante Pessoa.
Juizas protectoras.
As Exmas. Sras.:
. Maria, esposa do lllm. Sr. faequos Dodrcfond.
1). Francisca Amelia do Aibuquerque.
D. Emilia da Cnneeieao Pires Ramos.
D. Maria, esposa do lllm. Sr. Samuel Ualleday.
D. Carolina, esposa do lllm. Sr. David Ferreira
Bailar.
D. Serafina Maria da Rwnceicao Nascimento.
Commi.s ao da fosta.
Os Illms. Srs. :
Dr. Antonio Witriivio Pinto Bandeir'a AccyoB~de
Vasconcelos.
I j'i.-c m w i.iiu au .-_
Samuel Ualleday.
Joao Pereira da Cunha.
Antonio Joaquim Pereira Je O'.iveira.
Jeronymo Emiliano de Miranda Castro.
Thesoureiro.
Firmino Pereira da Cunha.

Passamcnto.
No hospital de Assumpeao, no da 13 de oulu-
bro ultimo, foi Dos servido chamar a sua augusta
presenca o bravo cadete voluntario da patria Joa-
quim Cypriano Bezerra de Mello; gloriosamente
ferido no assalto de 12 de agosto, soppnrtou com
resignagao evanglica aps 2 mezes de dolorosos
solrimento-, sem que fossera aproveitados os cui-
dados mdicos do Dr. Blach que empregou para
salval-si
Assim, depois de 5 annos de grandes e renhidas
batalh.is, exalou os ltimos suspiros de sua vida
o cadete Joaquim Cypriano, combaten lo com de-
nodo os vis ultrages que tao indignamente lancou
a sua patria o despota dictador do Paraguay.
Hosanas pois, ao nobre eadeto que com tanto he-
rosmo soubo defender sena dircilos I
Ao Reverendo Joaquim Cypriano Bezerra de
Mello, advogado Jos Cypriano e D. Rozalina Olym-
pia Bezerra de Mello, pae'eirraaos do fallecido,
damos nossos psames pe^a perda irreparavcl que
acabao de solTrer.
Sateaparrilha de Bristol.
Por csrto espaco de tempo brlhrSa sombra
de desesperados e mendazes embustes, numerosas
Salsaparriflias de urna fraudulenta natureza, porm
a sua existencia flndou logo que se apresentou no
mundo este grande especifico. Pelo espaco de trinta
e cinco annos consecutivos lera marchado sobre os
restos naufragados doa competidores embusteiros,
cuja existencia lem sido concorde com os seos in-
comparaveis triumphos. Tem seguido os rastos da
molestia d'onde quer eem qualquer forma que se
achaese, e sua earreira tem sido arcada cora as
curas as mais admiraveis, que tanto lustre e fama
lem dado arte ce curar. As escrfulas, as effec-
coes, da ligado, as fcbres ntermittentes e remitien-
tes, a dy^pepsia, a neuralgia, e todss as enormi-
dades uleerosas a eaciserosas, cedem ante suas ma-
ravilhosas propriedade?, com a mesma cerlau.com
que o effeito segu a causa. Acha-se enda em
todos os principaes estaelecimentos de Drogas.
COMMERCIO.
Valres.
300
238
919
4*000
2*000
68
, 177
320
208
436
...4*000
5*000
937
' 673
523
i 102
i 5*450
193
^ 390
330
300
337
' 6O0
300
660
x
--J
TABELLA dos precos dos oeseros svjeitos a di-
REITO DE EXPORTACAO. SEMANA B 3 A 8 DE
DZEltBRO DE 1870.
Mercadorias:
Abanos.......
Algodap em caroco .
dem em rama ou em laa.
Garneiros vivos......
Porcos dem......
Arroz cora casca. .
dem descascado ou pilado
Assucar branco ....
Idem mascavado. .
dem refinado.....
(Jallinhas......
Papagaios.......
Azeite de amendoim ou men-
dobim.........litro
dem de coco ....*.
dem de mamona.....
Batatas alimenticias. .... kilog.
Baunilha .......' >
Bebida! espirituosas e farmenladas:
Agurdente cachaca. .... lilr.
dem de canna......
dem genehra ......
dem reslilada......
dem alcool........
dem cerveja'.......
Ideuivinagre.......
dem viiiho de caj......
Bolacha fina, compreheudidos os
biscoit'S.........kilog.
dem ordinaria, propria para
embarque........
Caf boin........
Idem escolha ou restollio ...
dem torrado ou. moide. ... -
Cal branca.......
dem preta........
Carne secca (xarque ).
Carvio vegetal.......
Cera amarella.......
dem de carnauba em bruto.
dem dem em velas, ....
Cha.......,
Cocos seceos.......cento
Colla..........kilog.
Couros de boi, seceos salgados,
dem dem espichados. ....
dem idem verdes.....
dem de cabras cortidos um
Idem de onca.......
Doces era calda......kilog.
dem em gela ou massa.
dem seceos.......
Espanadores de pennas grndes duzia.
dem pequeos ......
lem de palha.......
Esteiras do carnauba .... cento
dem propria para forro ou estiva
de navio........
Esmpa nacional......kilog.
Farinha de araruta......
Idem de mandioca.....
Feijo de qualquer qualidade.
FunKrcharutos......centro
Idem cigarros......
Idem m folha bom
dem em folha, ordinario ou res-
toldo ........
dem em rolo e em latas bom .
dem, ordinario ourestblho. .
ap..........
(iomma de mandioca, (polvilho).
Ipecacuanha ( raz ) '. .
fiaft^1; ......
Enxams.........
Frchacs. ........
Jacaranda (coucoeiras) .
fjenlia em achas. .
dem em toros .}....
Linhas e esteios......um
Luur s (pranchoes).....
Pao Brasil........kilog.
dem de jangada. ...... um
Quris ,....... duzia
Vinhatico costadinho de 23 a 30
millimelros de grossura. .
dem pranchdes de dous costa-
dos at 30 millimetros de gros-
sura ... ,.....
dem taboado de menos de 25
millimetros de grossura .
Taboado divarso.......
Tatajuba.........kilog.
Travos......... urna
Varas para pescar.....duzia
dem para agnilhadas t
Idem |iara canoas.....urna
Cavernas de sucupira (em obra)
Eixos d* cicupira para carro. par
Mlaco.........kilog.
Mel de abelha........
Milho...........
Ossos......,
Pallia de carnauba.....molhos
Pechury......... kilog.
Pedras de amolar
dem de filtrar......
Ideen de rebollo
Pennas de ema. ......
Piassava......._. molhos
Ponas ou ehifres de novilho ou
anteiiormente se acham matriculados para o im
posto de 5* por eseravos,gannadores e amprega
dos era armazens.
Consulado provincial 29 da dezembro de 1869.
0 administrador,
A. Carneiro Machado Ros.
De ofdem do lllm. Sr. consetoeiro inspector
Maraiihao.
Consulado provincial.
Pelo consalado provincial se declara a quero in-
teressar possa, oue foram comprebenddos no res-
pectivo lancaraeiito para percepeo do imposto de
5* por esciavo nesta cidade, no corrente anno II-
nanceiro de l69-70. todos aqullas escravos que LAntonio LuaJle liveira. Azevedo it'C7, rila da
Para o porto a sima pretendo sahir com muita
brevidade o hiate brazileiro Joven Arthur, capitao
Trajano, por ter parlo da carga engajada e *ara o
resto que Ihe falta trala-secom os consignatarios
Cruz, n. 57, l.anJar.
PVRA!
da tliesouraria de fazeuda desta
kilog,
476
201
476
442
939
39
27
238
168
442
436
763
4*360
4*090
1*4*8
m
' 640
330
330
10*000
133
78i
15180
4$*000
21*000
ie*ooo
li*000
12*000
136
681
92
272
3*000
320
1*090
publico pira conhecimento de quem "^nteressar,
que na da 13 de Janeiro prximo vindowo, as 2
horas da (arde, ir praca para serem arremata-
das petante a junta da mesma thesouraria" oor
quem por menos flzer as obras da construccSo ol
ponte do trapiche do algodao desla capiial, e de
nma fachada sobra o largo em 14 770*320, conforme as plantas a orcatnetrto
(pie erao franqueados aos pretendentcs na secre-
tara da thesomarfik. O licitantes deverao mas-
trar-se authenticamente desembaragados e quites,
tanto com a fazenda geral como com a provincial,
As pessoas a quem convier a arreojatacao deve-
rao comparecer na referida thesouraria no dia e
hora indicados.
Secretaria da th'esonraria de Pernambuco em
29 do dezembro da 1869.
Servindo de offlcial-maior,
Manoel Jos Pinto,
Conselho de compras
navaes.
O conjeTho, no dia 5 da Janeiro prximo vindou-
ro, vista de propostas receidas at as 11 horas
da manhaa e sob as condicoes do etylo, contrata o
forneeimento do lenha, sal, cobertores do la, co-
bertores de algodao, lencos de seda preta, e de sa-
palies para completo do do vveres e de farda-
mente aos navios da armada c cstabeteeimentos de
marinha no trimestre tambe.m prximo vindouro
de Janeiro margo ; bem como proraove a com-
pra dos objectos do material da armada seguin-
les : 12 libras de cera em archotes, 20 arrobas de
estopa de algodao, 8 arroba de merlim, 8 arro-
bas de mialhar branco, 10'libras de obreias fran
cezas, 2 oculos de alcance, 2 terrinas de ferro es
taohado, 20 tira-linhas, 1,000 lijlos de fogo, 20
arrobas de verde fraucez, 100 baldes, ferrados, 10
pecas de lona larga, 10 duzias de limas chatas de
* a 15 pcUcgadas, 10 duzias de limas meia cana,
4 duzias de hmatao e 20 arrobas de graxa 3o Bio
Grande.
Sala das sessoes do conselho de campras na-
vaes 30 de dezembro de 1869.
0 secretario,
Alexandre Rodrigues 4os Anjos.
Era poneos dadeve estar aqu, precedente dos
provincia se fz Estados-Unid os, o brigue Katre, que s(|Bir ao
porto cima ; recebo carga e
a tratar com Tasso limaos.
fretes comnedos
sahtta com toda a bTevidade o palhabote pe- ra-
guas YMa-Flm- tem a maior parto da carga en-
gajada Npara o que lhe falta, pode tratar-se com
David F. Bailar, ra do Brum n. 92, ou com o ca-
pitao do mes^jo navio.
T ------------------ .
PORTO
Pretende sahir -m -joucos oas a barca portu
gneza Social por ter a n^ior parte do carregamen-
lo prompto; para o restoNjne lhe falta e passagei-
ros, para os quaes lem bom. commodos, trata-se
com o consignatario "Joaquim- Jos Goncalves Bel-
tro, ra do Trapiche u, 17.\
Para Lisboa
tem de partir em breve o bem ccdaecldo lugre
portuguez Julio, de superior marclia : vara o res-
to da carga e passageiros, trata-se com 6 conig-
natarios Thomaz de A(|uino Fonsaca rCivrDa do
Vigario n. 19, 1 andar._____________ ,-
Porto por Lisboa
Com a maior brevidode vai sahir para os*;fo-
ndos portas a barca portugneza Claudia, do pri
meira marcha e primeira classe, por ter a maior
parte da carga prompta, e para o resto que lhe
falta e passageiros, trata-se com os consigna-
tarios Veras & Barbedo, ao caes da alfaodega ve-
Iba .ii. 2.
C\H\ DA VK.
Aos 20.-O00<$000.
Ctlhetes do Rio venda : ra da Gi
venie Vieira Rodrigue._________
5"c C S -
=- > a P
Q. -J
"SJT.Vi
trf W --* -^
i r.-Ta 3

i
a 2.
-v

613
681
545
2*180
170
. 1*703
,li-l 003000
nm
.duzia s
(cnto~
duzia
360
3*000
93*000
3*000
12*01
6*000
16*000
102
5*000
6*000
um 16*000
20*000
444*000
96*000
33
6*000
2*400
6*000
i*eoo
3 5301
16*000
50
320
68
16
1*000
817
1 31
18
34
4*796
160
cento
kilog.
a
par
kilog.
cento
duzia
vacea.......
Sabo .......
Sal.........
Salsaparrilka .....
Sapalos de eouro braneo,
Sebo ou graxa em rama. .
Idem em velas. .
Sola e raqueta ....
Tapioca. .....
Unhas de bol. .
Vassouras de aroaba .
dem de piassava......
dem de timb......
Alfandega de P-ereambuco, 31
1869.
OI. conferirte, Jos Miguel 4e Lira.
O 2." dito.Jmgum ia Costa Ribeiro.
Approvo. Alfandega de Pernambuco, 31 de
decemlTo de i&&.~*aet e Andrude.
-Conforme.Joaquim rtulwno de Medeiro.
OECE6EDOR1A DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DG M3RRAMBUGO.
. 67:013*403
Urna do dia 31....... 7:625*229
2 800
348
10
2*043
800
340
476
1*200
204
380
768
> 1*200
> 060
de dezembro de
THBATfiO
Gymnasio Dramtico.
( No Monte i ro )
%h a dlrec^o do artista
De-Giovanni.
Qoarta-feira 5 de Janeiro de 1870.
Inaugurar-seha, com todo b brlliantismo pos-
sivel, o novo theatro Gymnasio Dramtico.
O programma do espectculo, ser opportuna-
mente annunciado.
Os bilhetes acham-se, desde j, na casa n. 38
ra Bella e no escriptoria do theatro.
As pessoas que se dignaram assgnar camaro-
tes e cadeiras, lerao a bondade de mandar buscar
os seus ingressos, em qualquer dos lugares ci-
ma designados, visto a primeira recita ser do as-
signatura.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA
Paquetes a
BLISIIMA
DE
AVISOS DIVERSOS.
FOLHISHAS
PARA 1*6.
Vende-se nesta typographia
a 160 rs. o exemplar da de porta.
toiii;i:c.io
1)0
mm C\0 DE JHB-
A directora de-se collegio, Josephina Benvmda
da Cunha Souto-Maor, compelenlemente habilitada
pela directora geral da insiruccao publica, avisa
ao respeitavel publico, >|ue acha-se seu collegio
eslabeleeido ra da Imperalriz n. 63, cuja ma-
tricula abrr-se-ha a 10 le Janeiro prximo futuro,
e oitrece seu presumo aos pas de familia, asse-
verando-lhes seus bons desejos, quer a resp to do
ensino, quer da edueacao de suas filhas. O pro-
gramma dos estatutos letora, cscripta, arithme
tica, systema mtrico, liugua nacional, francez,
geographia, msica vocal e piano ; para o que
haver professoies e professoras competentemente
habilitados. Tambem se ensinar bordados, flores
de varias qualiJades, inclusive as de cera, o dansa.
vapor.
Dos portos do sul esperade
at o da 9 de Janeiro o vapo
Guar, commandante o captao
tenente P. H. Duarte, o qual de-
poiJ da domom lo oootun s 9U*
goir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se i
carga que o vapor poder conduzir, a qual devers
ser embancada no dia desuachegada. Encomraen
das e dinheiro a frt al as duas horas do dia di
*ua sabida.
Nao se recebem como encemmendas senao ob-
lectos de pequeo valar e^iue nao excedam a 3
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de med-,
cao.
Tudo que pascar destes lmites dever sct
embarcado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros qne suas passa
gens s se receben) na agencia ra da Cruz n. 37
Io andar, cscrptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
(MPASHIA BRASIL
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at-o dia 8 de Janeiro, o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante J
P. Guedes Alcoforado, o qual
depois da demora do costume se-
guir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
arga me o vapor poder conduzir, a anal dever
las e dinheiro a frete at as 2 horas do dia da sua
sahda.
Nao se recebem como encommendas seno ob
loctos de pequeo valor e que nao excedam a duai
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
rudo que passar destes limites dover ser embar
ca lo como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros, que suas pas-
sagens s se recebom na agencia a ra da Cruz
D. 57 primeiro andar, escriptorio de Antonio Luiz
do Oliveira Azevedo 4 C.
Da ra da Concordia at os Afogados, per-
deu-se urna rabeca uoile de testa ; quem achon-a
e quizer restituir dirija-se a raesraa ra n. 15, que
ser recompansado.
Precisa-se de urna ama de
dor- do Bispo n. 23.
leite : no Corre-

Anda n5o foi posSivcl vencerom-se os
trabalhns de aeabamento da PHOTOGRA-
PHIA IMPERIAL da ra do Gabug n. 18.
os quaes s estao terminados no dia 7
de Janeiro de 1870.
Pedimos indulgencia e paciencia aquel-
las pessoas que se tem dignado esperar
que prinepiem os nossos novos^trabaihos
photographicos para se fazerern retratar.
Reeife, 12 de dezembro de 1869.
J. Ferreira Villela.
Para Lisboa
pretendo seguir com a maior brevidade o patacho
portuguez Marianna II, recebe carga o passagei
ros, a quem ollerece os me loores commodos: tra-
ta-se com os consignatarios Thomaz de Aqnino
Fonseca & C, roa do Vigario n. 19, 1 andar.
Para o P rto
El\GUSHBANK
Of Rio de /aneEo Limited i aendimento d
Deseo ata lettras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro era conta corrente e a
praso fixo.
Saca vista ou a praso sobre ss cidades
principaes da Europa, lem correspondentes
aa Bahia, Buenos*Ayres, Mtmtevideo, New-
e New-Orleans, e eraitte cartas de esedito,
para os mesmos lugares.
RA DO COMMERCIO N. 36-
seguir cem a poesivel presteza a barca portugue-
za Harmona, do I' marcha, para o que tem gran-
de parte de sua carga engajada : para o restante
e passageiros, trata-se com os consignatarios Tho
maz de Aquino Fonseca 4 C, na ra do Vigario
. W, 1* andar.
em des.
ALV
.A nossa alfand
' sommas seguintes
novembro, c de 10 a 15
u no
o ciedade
bancaria em cora
inaudita
Theodoro S*>on $ C,
Compram e vendem por conta pro-
pria meta.es, moedas nacionaes, 6 estran-
?eiras, ierras de cambio, sedulaa do go-
verno e do banco do Bsasi!.
Descontara letrw da tem e outros ti
tolos comraerciaes.
Encarregam-se por conta-ail6ia das mes-
mas tran8acc5es, da cobranca d4etras da
trra e de outro ttulos eomnirfltoes.
Receb'm quaerquer qaantias depo-
sito, em oonta correnlfi, b a prazflrfi*o.
Larso do PpfonrifiFio n, 7
74^48*632
'edI^l
rgo
C auaaatd* das armsu.
Faz-se publico para seiencia dos interetsados,
que cooorflie .declarou o E ajudante general do exercito, em alucio n. 29,387
d 16 de dezembro torrente, foram remeuidos a
secretaria da estado dos negocios da guerja, com
destino tliesourajia de fazenda desta provincia,
as pro visites de reforma dos soldadas Sareriaao
Jos dos Res e Albino Jos da Silva.
Secretaria do enramando das armas de Pera ara-
htmo, 30 de dezembro de 1869,
Francisco Carneiro Pessoa de Locerda,
Tenente-coronel secretario.
Eio de Janeiro
Para e referido porto pretende sahir cora muita
brevidade o brigue orasiteiro Adclaiie pu- ter par-
te de seu carregamento engajado, e pina o que
lhe falta eescravos a frete, trata-se cora oipnsig-
natario Joacfuiw Jos Goncalves Beltrao, roa do
Commercio n, 17.
DECLARACOES.
itlw Craade do nl. Para o porto aciaa pretende seguir com muita'
brevidade o brigua acional Amelia, eapitao Mi-
guel Vieira, por ter parte da carga engajada e par
o reste que lhe falta tratase com os consignatarios
Antonio Luis de Oliveira Azevedo & C.\ rna da
Groz n. 57, 1. andar.
Deposito de pao e cosas, na na
larga do Rosarlo n. .111
Este estabelecimento acaba de ser supprido com
um dos melhores sortimentos de obras de palha
cestas linas) proprias somente para co;tura de
senhoras e meninas de escola. O bem acabado
destas cestas de modelos nteiramente novos, nos
facilitar (o que desejamos) sua prompta extrac-
cao. Anda por esta vez solicitamos dos nossos
freguezes sna coadjuvacao para concluir-se o
quanto antes o sortimeato de obras de vime cha-
gailas de Lisboa em novembro passado. Conven-
cido do ser o nosso estabelecimento o nico nesta
cidade que constantemente recebe da Europa t)-
das as variedades do obras de palha e vime, offe-
recemos tudo e em todas as pocas pelos menores
preco3 que possivel; sempre adoptamos o syste-
ma de vender muito e lucrar pauco.
AraM* **
LIVRARIA
IIuu d
fCEZA
ihUakit
DOTICA K REL\
PiU O ASSO M |8W
PRECJO Rs
A
Os abaixo assiguad<>> hzeta pootato
do ipdejanero de L-Tonn !iaai .-
casa commerciafc girar n a tima
Simpln, Dudcr C, carg
nova firma a lirpiidai. rpuac
feitas pela firma i\m hoj i lk| eif
Hfcife 31 do dezembro de 1H-I>.
/>. c. & c. t: a i
Ama do leit
L^T
Precisa, so de nma ama de Wiw
lilbo : na roa da Ceanlia n. 13.
Antifro collegio de S
su a para educad
nias, na rna For
A directora deste colle?i. aw
faz scic-qle nao s aoa pas i'..- su; i
a dos de mais que quizerem confu
cao de mas filhas, q l *
mecain c> trabaflis do refer m ''%"
do qual so acham professores mni
o mescr.o. de leicur, eseripta, aryt
verncula, francez, piano,
directora rromerte, como empr>-.
todo esmero e solicitada no cnmprii
deveres, (para manter o crdito j ^
por mais! de dez annos goza ste
agradecehdo em extrao a r
dignara honra-la as seaanres
flando-lhn a edueacao Je suas
1 Ursnla Ateandrjna
Antonio de Azevedi Ram-n t
itavcl ntiblico que d'ora em I
lr Anlcnio de Azivedj Hih. p ;
igual non e.
AVISO
Hiede Janeiro.
Para o porto aciina pretende seguir com muita
brevidade o brigue brasileiro Izapel, caqilao Jos
Marques Vianna, por ter parte da carga engajada
e para o resto qae lhe falta trata-se com os con-
signatarios Antonio Luiz de Oliveira Azeredo & ',
ra da Crqz, n. 57, l. andar.
Fugio no dia 24 do corrente mez de dezembro
do sitio da Ponte de Uch',3, o escravo Victorino,
lilho do serlao do Ico, preto fula, baixo. idade 17
a 18 annos, vestido com calca branca, blusa de
algodozinho curta, chapeo do cbyle de aba larga,
bastante UJino, costuma a embreagar-se. falla
com humildade : pede-se, portante, as autorida-
des paliciaes e aos capites de campo a captura
da referido escravo, a de entregar no sitio da Pon-
te de Ucha, de Jos Moroira Lopes, que recober
I00 de gratifleaco. "_______________
Precisa-se de urna ama de leite sem tibo no
pateo de S. Pedro, n. 3.________________
Desaopareceram do poder do baxo assig-
nado seis letras da qnantia Je 300*000 cada urna,
aceitas por Jacintho Alfonso de Mello, a favor do
abaixo assignado, cujas letras sao provenientes do
arrendamento d3 meu engenho Ilha Grande, e
veneeu-se a primeira em maio deate anno, e as
de mais no mesmo mez dos annos successivos :
htogo, portanto, a qualquer pessoa que as. acbar,
qt as entregue na ra das Calcadas n. 10, ao
Sr. Sflbastao Antonio da Silva Baxa, qne recom-
pensar ao portador*
Jo3o Francisco Alves Pereira de Vaseoncellos
Quera precisar de urna ama que tem pralica
de todo o servicjT'de urna c,a*a de familia, dirja-
se ,t ra da <>oz do Reifa, sobrado amarello.
quarlo sndar.
Porto.
Vai sahir breve a barca laura para carga e
passageiros, Iraa-M'e?_t os consignatarios Carva
moA Nogueira, na ruiEde' Apollo n. 20.
Vende-se o pataaiu nacional Palma, forrado
de cobre, nrompto a nawajMi, cu;o navio ebegon
ha pouco do Uio Granda^Bb ni com carregamen-
to de crn sea, e se aeha .fondeado no ancora-
do uro respectivo, aonde pode ser examin."do pelos
gado eupolento amexerojelo, Antonio Goncalves pretendentos : a iralap com Jos ViPtorino da Re-
Fcrreira- i*ende & C, ra da Cadeia q, 52, 1 andar. J
Acha-se reeolhido pela subdelegacia do Be-
cifa easa da tjotenso, o cabra Jos, como fgi-
do e que diz ser escravo de D. Ha ra Martins de
Amor Divino, moradora oo sertiio Riacho Grande.
Quem se julgar com ,1reito ao referido escravo,
compareca nesta subdelegacia muiiido de seus
documentos, que lhe ser entregoa. O subdale-
rf\tl.\ iunnlAnln <\rr\ AVi_rc. iMr\ Inlonin .nnnnl.<-..->
V ^Jquidaqao de ouro e prata.
0,i ^ixo assignado compran a loja de ouriyea
da roa 'a Imperatriz n. 73, que foi do fallechlo
Jos fW '4ra Tavare, lem reaohrldo liquidar por
isso vende v*r roanos de seus valores, cadeias de
ralog'os, tra. "e"". cacolelas, pnlceiras, brincos,
rosetas, aneis, fie-inez, relogios a outras nokis
obras, todas do t/bimo goslo 9 tambem alguna de
prata.
Reeife, 90 de dezembro de 1869.
Francesco FMdro Advincula.
Boa-Via.aera.
Aluga-ae nma pequana easa aa I'
melhor lugar, e por precj cunawito
ra do l.ivratteato n. t, ktja.
Precisa-se da ama anw ila fcme,
e de urna entra para seniA) de
do Carmo n. 18, 2* andar.'_______
4 commer
Candido Alberto Sadr da Motta.
do a sna easa omracmal o sen pr*
Sr. Jos Ooowtvf oe d* Carino a *.
que desta data em dianta (omina?*
gocios sob a razio da Candido Al*
Motta A C. Rodfe 1 de janein de*
Antonio Jos da Carvalho A '
respeitavel pnbir e espaeiaknaate
ccmmercio, que eomproo a tabana
Pharol n. 10, ao Sr. Manoel Antonio
lvre e desembaracada: qnem ji
reito a mesma, comparec ao pr-"
a cootar de baje, a depoia do dir
attender redamacio afenau
Cozinheji ^
Aluga-se urna excelente escrava parda para
engommar a fazar o 'tantau* interno em casi de
taraHIa: quem precisar, dirija'-'e em S3nf*> ^m%'
ro ao sobrado junto do eamiterN jngfez.
Precisa-se de nm coonheir "
ca de casa de pasto : no %deca b\
Collegio d* S. jXnri>
O LcLarSfefBeo Jos RabeU
mente habilitado pela directora
blics, tem abertcMiat elegi i
maria o se andara do eiu
das lia traers n-!. No
rao desde j inscrever o atmtw.
rom freqneolar o euro das
cialraente .sinario as
mes na laculdade no naca de m
Precisa se
nma
as tres da (arte, paga-te
toa d,o CiojAlL
Preea se da nraa owaaa
cala de taHaKwaiSrJ
i
em pailas dobrada* p3r i
livros; quem de sen* r.r-
a Tt ds P?'a, n.
MUTILADO
ILEBIiEL
n


t* Pommgo 2 de Jaimvo de 1869.
* MDALHA^
QAO UNIVERSAL DE I8G7
PERFUME INF.XTINGTNEL.
Paii.v o Li.ni.:o, Toi:c\non, E Ba.mio.
knmte |or LE GR AND, Perumiiia do
(V.ItlO. 907, nu W.-iiat-Honar, *7.
CRKMK ORIZA OI7tI55A
DE NtKON D8 Utfc,:i1
l'ur v'inttrciir ttH'"'entt i tJutiMule.
dos Franceies,
PARS.
LACT
LF.1TE ANTErilELICO
Para refrescar, ranqvear e adeccr.a pelle, faunde
jfsttrdaf.
ietipptrtcer iri noioia-f
fi.VBAO OHIZA....... D'uma roassj ctir-siunicnle suave e d'um perfume dos mais delicado!.
OII1X.A-('..:K.\WMoeMicw> Mas*a i>pi alente preparada p:no ns uaiihix e a barlin.
OlUZ V-KI.l II)........ Ponunfa loiiilicr.urconultHivo |rara romanaros raMIosepmpnlilosdiitiuebrartwJ
V l'llll.OI.ilU- Tcluno do Ixii oleo desvela o.111 u.isO tl< c,ii;n;i para o? cabellos.
OI'.IZA-O'I |i<'rfumado pra lustrar os eabollus empellitas de (febrnrem.
<>r.!Z \-iyui I.A'. I1XK. Crtsalliailo o m violeta, pun il.ir lirlin nos rabelKts 1? a barba.
OI'.I/.A I'I.oyvll'iS------ Aiua iiiioin|uraw de un perfume mx c delicado, paia r-jriicarilo'la pelie.
OlUZ x.-A<:li:( l,;\f!.. Vhorh do untador, aroma e anlepw
KSSKNC.I 1 iflIfl..... IVrfumo canecotra le para os luiros prntloctn mufla dr..ado.
ORIZA l.iS.......... I'.ifiiincrio bom 10111 o da illa Mxkilailr- para os lencas.
OUIZA-i'OWilgHS------ Klor i!c arroz 1 .1 cara c a belleza da pelle.
OKI.. \-!i!-.NTHrHl<:i:.. Paia alujar i denles e CflMftW as riiigitas. t- I
OI.U1A IHATJliHl ... Nova mas>a para irtejay o denles sem uVsliuft* o Cnn
AGUA TNICA DF. QUINA E POMADA DE BALSAMO DE.TANN.JNO
l'ai: litifu nilakrMatr ii ts ;'. i litati1 tur i '. i> nfiu r le t.tir t i UitUt cn-.i-r Viatibatttt.
DEPOSITO CEU.V tan Caza -le
E em Caza de (oos I'erfuniislus do Brasil.
I
ln.1 < si limamos proenrar ittetta>lus para acreditar
iv-n- preparados, e deilatnos que na appiicafio e os
resalllos olit idos pelas pe>oasi)iie se dignaramicceita-
Irs, llics doera ercdilo evaga; porque .o sempre os
(testados considerados rraimies, e delles qoi lanca
ao o charlatanismo; mas ni qacrendo oflenderas pes-
oasqnoespoiitaiieainenle nosoflercceram.os que abati
So tranca iptos, os fazemos pnldicar manifestando -llies
053a lalido pela Hean, e.|>raudo ipio vctihaB
e'les ceitoiierar o concviio. e acceitacao que icm mere-
Cid Bnssu xaiops. tlarlhulotnto h C.
TTFSTOOa.
I'.lms. Sr. Itartholomeo C. com a niais ul.ila
^avsfn,-:1 ii'ii- 1 Ijre ser o lart/pe Americai.o de urna
meara e\iu...i,l sri. pni.< qoe sol'itndo lia tilas Ja
uitan-ii lossc. ponto de nao poder dotmir a uoile a
eL'Spe.to itiesino de mcdiramr^llns ijiio -leir...\a. elle
leconi r na Icrrrra cidber lu allin.i.lo. r. de todo me
tc^io biije totabi'lcrMa com o no rnenle ile qnasi
n'O) 11 a-i i>. (liiin pnis .esse rsitllailJ tr.inifeslo a
iy. S? 11111 reronliecimelHo. lieVv. ss. animo, ic-
lera 11 id'Msndn. Vaimel Ai.lhliio Tli'{:a Jiinicr.
- ., ...-a .! ..hrilde |xi;,
. I:'i-. !.- i'..ii'...l.........4'i". IVnftj^jiJ^Mi.'iocom
< -' !. i .111 di- aitiii-aMr'i oto .Vi i>(iiiie
Vegetal Americano, de na composiro, qaaado De
arhoYi bstanle doente de nma conslipacio, que m
tornon completamente ronco e que trouie urna fort
toase, e ate impossibililon de cumpriros niens deveiei
de cantor da emnreza lyrica, ton agradecer-Ibes mei
completo resiabelccimenlo, que obtive oom um so vir
do mesmo tarop, depois de barer recorrido a muitoi
tratamentos. Desejarei qne outros como eu recorran
ao seo jarope para se verera aliviados de to terrival
incommoilo, 1*0 fstal oesle paiz. Com nialor coDside-
rao contino a ser de Vv. Ss. atiento, venerador 1
obligado. Loix Ciemona. Recife 25 de setembn
de 1868.
Illms Srs RarlholomeotC 0 xarope Vegetal Ame-
ricano que Vv. Ss. tem expnsto i venda e de toda effi-
ca.-ia para o curativo d'aslhnia, canforme observei ap-
plicandii-o a meo lilho Joaquim, menor de quatre
amnis: victima d'esse flagello. qne at entaopor espae
emiiiiln a dons snno hara resistido a ontros xarope
de grande Horneada. Queirntn 1. o i s Vv. Ss. acceitar 1
espicsro altamente sincera de men reconheciraenlo as
meitnrin servicn que |he prestaram com o iadicadt
r'i|ic, acreditndome para scnirre d Vv. Ss. criada,
aliento e ole gado. Americo Sello de Mcndonca.
Uec 2 do ouiubro de IbK.

I

QUINIUM LABARRAQUE
APPROVADO PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARIZ
0 Qniniom Labarraque, eminentemente tnico e febrfugo deve ser
preferido todas as nutras preparaos de quina.
Os vinhs de quina ordinariamente empreados na medicina prenaram-se
com cascas de quina cuja riqueza era principios activos extremamente
variavel; parte disso, em razao de seu modo de preparaco, estes vinhos con-
tera apenas vestigios de principios activos, e em proporedes sempre variareis.
0 Qulnlum LabarraqM, approvado pela Academia de medicina, con.
titue pela contrario um medicamento de composigao determinada, rica em
principios activos, e cora o qual os mdicos e os doentes podem sempre contar.
0 Qulnlum LabarraoM prescripto com grande xito s pessoas fracas,
delibitadas, seja por diversas causas dVsgotamento, seja por antigs moIes_
lias; aos adultos fatigados por urna rpida crescenca, s meninas qui tem diffi.
culdade em se formar e desenvolver; s mulheres depois dos partos; aos velhos
* cnraquectdos peta ethnhr mi Wvn.
No cazo de chlorosis, anemia, cSres plidas, este vinho nm poderoso
auxiliar dos ferroginosos. Tomado junto, por exemplo, com as pilulas de
Yallet, produz effeitos maravilhosos, pela sua rpida acgo.
Deposito em Pars, L. FRERE, 19, ru Jacob
Rio-Janeiro, DUPONCHBLLE; CHEVOLOT. Pernambuco, MACRER t fWf "r- r- -r '* '*"a^
CF?nESSO SOFFOCgO
As peroim ivjiicr Di? bactor Ci.f.rtab approvadas pela Academia imperial
d-> medicina de Purz ai'nlmaiu quasi sempre instantneamente os at.K|ties d'nsma,
oppressfio. .offocaeao, assiin como as dores de cabera e enxaqiiecas. suffi-
t-iiMiu1 111 ocoasio em que apparwer o mal, o engolir-se urna nu uas perolas
con urna |>euca d'agoa, cota certeza o medicamento mais facU-ne tomar para
este genero de docacat. /
*a ieT.!n te tcrrhentbisa do BODTOR Ci.ertan sao impcc^atlis diariamente
com grande xito para a cura das nevralgias, rheumatisn, sciatico e catarrltos
da bexiga. Lsins perolas foram sempre recominendadaspor um grande numero
de mdicos o especialmente pelo Dontor TrousseaiK que indica este medta-
n: Mil como o mais ciikaz. conveniente tomarle al
comidas.
A approvaeao da Academia imperial de nrdicina sem duvida a rnelbor
garanta da boa preparacao d'csles mdican>ntos e de sua efficacu.
Dcpo.ito em Ii,-Jav::ro, BttponcheUe; ffiivolot. Em PfnN.'siBic, Mauro 4 0*.
CARVO DE BELLOC
PARS
ApproTado e recommendaJo pefe Academia imperial de medicina de Pariz para a
cura da gastralgia e em geral detodayasdoencas nervosas do estomago e dos intestinos.
egualraente o remedio por excelencia contra a relencSo de ventre. Finaimente em
razio de suas propriedades abservenies, recommendado como verdadeiro remedio nos
cazos de dnrrhea e choleriha. ir**e> Belloe toma-se na occasiSo das comidas
sob a forma de pos ou de pastilhas.
Depoaito em Rto-JaseiRO, Dvponchelte; Chevolot. Em Pbihamicco, Maurer k C".
esquina
da na larga do
Rosario.

AMl'I MAMADA
AGUA DE FLORIDA,
DE
Ml'llllAY A LAXIIW.
He o mais delicado e mimoso e ao mes-
mo tempo o mais estavel de todos os per-
fumes, e encerra em Si, no seu maior auge
de excelleiicia, o proprio aroma das verda-
deras flores, quando ainda na sua flores-
cencia e fragancia'natural. Como ummeio
seguro e rpido allivio contra as dores de
tabee*, nervosidade, debilidade, desmaos,
flatos, assira como contra todas as formas
ordinarias de accidentes hyslericos; de
summa ellicacia e nao tem outro que o
iguale. Igualmente, quando destemperada
com agua, torna-se um dentifricio o mais
agradavel e excellente, dando aos dentes,
aquella alvurae apefrolada apparencia to
altamente apreciadas desojada pelas Se-
nhoi-as.
Como um remedio contra o mau naiito
da boca, depois de diluida em agua,
summamente excellente, faz remover neu-
tralizar todas as materias impuras que se
criain roda dos dentes e das gengivas,
tomando-as duras, sadias e d'uma linda cor
encarnada. Quanto a delicadeza, riqueza
e permanencia do seu fragrant aroma, ella
por certo nao tem igual; e a sua supe-
rioridade sem rival. Ella igualmente tor-
na-se um meiomui excellente, para fazer
remover de s*>bre a pelle do rosto, toda a
quaidade de brotoejas, ebulifoes, sardas,
pannos, manclias, impigens e esptnhas.
Quando se queira servir della como reme-
dio para fazer desaparecer qualquer um
destes disflguramentos, e que tanto desfei-
amaJnndas feices do bello sexo; devera-
se usal-a n'um estado de dilluico, destem-
perando-a n'uma pouca d'agua ; porm nc
tratamento de qualquer espinba, usar-se-ba
della pura em toda a sua forca. Final-
mente como um admiravel meio de com-
municar as feices trigueiras e pallidas,
urna pelle macia c d'uma transparente al-
vui-a, dando-Uie urna linda cor de rosa :
para um tal flm, ella leva a palma a todos
os perfumes que se tcem inventado at ho-
je, e existe em plena soberana sem rival.
Bem entendido tudo isto se refere nica-
mente a Agua de Florida de Murray A
L ANSIAN.
As imitaces que se tem feto na Franca,
Allemaha, assim como em outras partes ;
sao nteiramente inuteis e invaliosas ; por-
tante recommenda-se mui especialmente
s senhoras, cuidado, de quando comprarem, estejara
certas que compram.
A Gencina
AGUA DE FLORIDA
DE
MURRAY A LANMAN,
A qual preparada smente pelos nicos
Proprietarios,
LANMAN & KEMP.DE NOVA YORK-
A<-ha-se a venda nos estabeleclmenu* oe
A. Caors, J. aa t.. uravu, & C. 1. Mau-
rer A C. A. A. Barboza Bartbolomea, A C.
VERDADEIRO 1E RO|
i
w I
de iieitRET,
Ra do Soire>, 5*
Doeteur-Miletla

I 5
\
^
V
i
Em rail;i sai-r.T.i, tai, mire a rolliae n y if! ,i-el
que leva omeu lnete, iiii rotulo tni|ir.\-Si rm v.r.i-
itllucomo -SILO lftlAL DO 6:>vi:'\*o i-.iv.c .-.
/f fPB.-v.l-
s* STf -------------y*-----ter.ii i fim-a li lira
*A/ cyyiO'vt ^p 5 fr."i" s so-
brtPars,
CU iliiis i'i v s'a.
aomixiiiio,pi2a-si
lalir.I.criitocil
naior deseoiita
DOCTER-HOHCIN^^-v o
n^ET PHARWAClENy/ *
AVISO
aos convaleicenUs e 6 pessoas
fracas *Uifad<2
o QUiNta** UBARRAflur tpprovado
pela a.ca&>'a imperial dt medicina de
l'arii 4* tnico por excellcncia.
em Rio-Jsano, D*p>*cHcUt; CknoM.
cm Pemaiiui'Co, ilaurer C
PE
Pede-se aos seguintes senhores, se dg-
oem comparecer na loja do Passo a ra do
Crespo n. 7 A, a negocio do seu partcn-
lar interesse:
Antonio Pereira de Souza.
Bartholomeu & C,
Vi.vio, Pilulas, Xaropk b Tintura
T>E JOKUBBBA. SIMPLES E FEnniiGlNOSO;
Uleo, Pomadae K.mplastro da mesma
PL*fcTA PllEPAIlADOS POI\
8ARTH0L0ME0 & C
PHARM AGE UTICOS-DnOOUIST AS
PER-VAIIBICO
A Jnrnhi;I)a : ata planta boje recunhecida
com u mais i !.....- lomen, como o meliot
dciy .'Inmute,ei-nUBlal sj>|i1ii:> nos pailecimenioi
Si Ignil.ie bayo, Lepatiles, darmaa, (uinores nter-
to* e e|n)caaliiieule do ulero, hrilroiMtMas, eryi-
pelbs, ele'.; associads ao ferru'e til as paliida
cor|s, chloroses e falla de nicniHraaco, desarran-
joauJn uslomago, lc e o que diaetuoa attesUo
iiiiiiimer.ia curas iuipoilanies obtidas eom oossot
prvjnrailos j lien) coubecidos e usados pelos aun
diitiuctos mdicos do paiz e Portugal. Em todos os
nsi's depsitos distribuimos gratis olbetos que
malbor fasem conhecar a Jorobaba seos resnlliaoi
a ipplicsclo.
XBOPEDBFfiDECOJp, DO PINTO
Vi (le nni;i i I'li'Nicia voriL-iiliMninionlc mttra-
vilhosji como ra 1 rumio do syskTtta nervoso c
nppfini'io ron Ira ti utirnlisia, nsthmo, tosse
convidan tu roquelucnCjIossc nenies ou an-
li";is SiiiTocTcfia,, cnlanhns hroiu-hicos,ele. r
a llnal contra todos o? SOtTrimenlos das vs
respiratorias, ennphtisica puliTioniir,sua vir-
luafe con I ra o tolano ou cspnsmo-, e convuices
icon'.cslavcl c. ningem ha que odfsconheca.
nico deposito, ruc larga do Rosario, n. 10,
jupio ao qunrlel de polica. Pernambuco.
Conlinundnniente senosapresenlamnovos
tcslumunhos da cflcacia do l'udcgnso Pernam-
buco.
PILULAS, VINHO l XAROPE
DE JlltIBKB.4
ruvp!ios tuo pntaaacKOVico
JOIOIIH li: tl-MFIIi 1 PINTO
As preparacesde Jurubeba sao hoje vanta-
jostmenle conhecidas e preconizadas pelos
iros habis mdicos, tanto da Europa como
do Jaiz, pela sua eflcacia nos casosde anemia,
rhloroze, hvdropesia, obstruccao do abdomen,
elanibi-mnosdemenslruacaodiiticil.catharro
na Dcxig, ele. ele.
Vi'.ndem-sc em yorgo e a relalho na ctdade
tf Recif, pharnmcia do seu compositor, ra
larga do Rosario, n. 10, junto ao quartel de
poliCia.
PINTO PHARMACEUTICO
XAROPE OE SALSA PARRILHA DO PARA
00
DEPURATIVO DO SANGUE
Usadas as molestias n Poli, lpigi. torca
rhruinalicAS, e ulceras venreas.
a I'.* LARGA I O ROSARIO, M. 10.
NASSA e XAROPE
DECODEINADEBERTHl
Preconisados por todoa oa mdicos contra os I
DEKLUXOS, CATHARROS, E TODAS ASI
inRITAQOES DO PEITO.
1. B. O Xarope de Codcina que mtrtcio a\
honra, allai bem rara entre ot MuiicamcntoA
novo, de eer regiitrado como as dot medica-1
mrntos ofltciaes do Imperio Praneet dispensa]
quilquer elogio.
AVISO. Por causa da reprebensivel falst-l
fi'-arao que tem suscitado o feliz resultado do I
Xarope e massa (le Bcrlh somos toreados a j
lembrar que este raedcameutos taojuslaucnte|
conceituados sd se
veale ni cui caiiin-
hase frascos levando *"
a assignatura em
frelle.
48, Ru des cules, e Da Pbarmncia Central |
deFraoca, 7, Hue de Jvuy, todas as Phonnacias priudpaes dti Bratjl.
i
XAROPE de HYPOPHOSPHITO de SODA
XAROPEdeHYPOPHQSPHITOdeCAL
PILUL AS de HYPOPHOSPHITO tte QUININO
CHAPSE ANEMIA
(BOPES :;P;:IDAS
XAROPE deHYPOPHOSPHITade FERRO
PILULAS de HYPOPHOSPHITO de MANGANESIA
TOSSE ;-*BRnNCHITIS-
DEFLUXOS ^STHMA
PASTILHAS PECT01UESj.d'CBURCH11L
Eligir para os xaropes o fraseo quadrado e em
todos os productos a assignatura do D" CHUH-
CHILI, e o letreiro com a marca de fabrica da
Pharmacia STANK,^rtkaCattiglione.PARS
Aluga-se
o t indar do sobradn da ra do Vigariu n. o core
lions cuiiiuiiidos-para imilia e para escrptorto : a
tratar no anuazem da tratessa do Corno Santo
n.*25
Pilulas assncaradas de Brislol.
CON.NO TEM SEM CALOMELANOS NEM NEXllfM
OCmO MINERAL.
A grande necessidade e falta de um ca-
thartico ou de urna medicina purgativa, ha
muito que tem sido sentida, tanto pelo po-
vo, como mesmo por meio da faculdade
medica; e por isso, iidinito o goslo e
prazer que sentimos, em podermos cozn
toda a conflancae segundarte, recomiwwlar
as pilulas veyetaes assucaradas de Bristol,
como urna excellente medicina purgativa, a
qual encerra cm si todas as parU e mais
ingredientes essenciaes, tornandp-se cm um
perfeito, seguro "e agradavel atharlico de
familia. Este remedio nr> composto
dessas drogas ordinarianwnle usadas na
composicao dessas pillul.M, qu^por ah se
vendem, mas sim, sao preparadas com as
mais finas e superior^ qualidades.de raizes
medcinaes, liervas e plantas, depois de se
haver chraicamen/e extrahido e separado,
os principios aivo?, ou aquellas partes
que cont-em o verdadeiro valor medicinal,
daquellas porioes fibrosas inertes e agres-
tes inteira/nente destituidas da menor virtu-
de. Edwc esses agentes activos ou ingre-
dientes especificos, podemos nomear a po-
dnphgtiin, a qual segundo a experiencia
mm demonstrado, possue um poder o mais
jaravilhoso possivel sobre as regioes do
fgado, assim como sobre todas as secre-
coes biliosas. Isto de combinarlo com o
leptandrin, e mais alguns extractos vege-
taes c drogas altamente valiosas, consti-
tuem e formam urna pilula purgativa, tor-
nando-se por isso muitissimo superior,
qualquer urna outra medicina da mesma
natureza, que jamis fora apresentado ao
publico. As pilulas vegetaes assucaradas
de Bristol, achar-se-ho sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente effi-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam as seguintes.
wiwm
Juao do Reg Lima saca
boa ra de Apollo n. 4.
sobre a praca de Lb*
No enfenho S. rancsco da Varsea ampare-
ceu um boi de carro: quem br eu dono detija-w
ao tnesmo engenho. _______
Precisa-so de quatro trabalhad.ires de mas-
scira : na rna da Senzala-relha n. 8>.________
Bichas haxnburguezas
Ncsle or deposito recbese por lodos paejae-
,es translanticos mxas to qualidaoe snp?rior, ye-
jese cm caixa en pnrcio tna/s pequea e mai*
barato de que qualquer oulra parto ; na roa da
Cadeia do Recitan. 8l.i,*aDd,r____________
Ama
Precisa-se de urna ama livre oe escravafara
iozinhar, paga-se Iriu : na ra da O tu n. 66.

rr
Dyspepsia, ou indi-
gestao,
Adstringencia, ou..
prjso do ventre
habitual,
Azia do estomago e
gjlbl (i lunria.
Perda do apetite,
Estomago sujo,
Ilydropesia dos mem-
bros ou do corpo,
Affeccoes do flgado,
Ictericia,
ftemorrodias,
Mau hlito, e irregu-
laridades do sexo
femenino,
Dores de cabeca.
Elle um preventivo seguro e certo contra
a calvce, _^
Elle d e restaura forca e sanidade a pelle
da cabec Elle de prompto fazcessara queda prema-
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lustro aos ca-
bellos,
Elle doma e faz preservar os cabellos era
qualquer forma e posico que se deseje
n'um estado foimoso, liso e macio,
Ele faz cresccr os cabellos bastos c com-
pridos,
Elle conserva a pelle e o casco da cabera
limpo e livre de toda a especie de caspa,
EMe previne os cabellos de se turnaren
brantos.
Elle consena a cabera n'um estado de fsa
cura refrigerante e agradavel,
Elle nao demaziadamente oleoso, gordu-
rento ou pegadico,
Elle n3o deixa o menor cheiro desagra-
davel,
Elle o melhor e o mais aprasvel artigo
para a boa conservado e arranjo dos ca-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio para o pen-
teado dos cabellos e barbas dos senho-
res,
Nenhuin toucador de senhora se pode con-
siderar como completo sem o
O CABELLO.
Tnico Oriental
o qual preserva, limpa, fortifica e aformosea
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, I. da C. Bravo 4 C. P. Maurer
4 C, M. Barbosa, Bartholomeu A C, c en
todas as princpaes lojas de perfumara
e boticas.
Em todas as molestias qne derivam
sua origem da massa do sangue:' a salsa
parrilha de Bristol esse melhor de todo?
os purificadores deve ser tomado conjun
lamente cora as pilulas, pois que estas
duas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obrarem de harmona urna
com a butra, quando fioimouto aaaim se faz,
JPreciosa publicapao
jurdica.
Comtaentario do Cdigo Commercial Port*
guez e Brasileo.
Vendft-se na loja da ra do Crespo d.
25 A esquina da do Queimado. a impor-
tante e moderna obra sob o ululo de a*-
notaedes ao cdigo do commercio portuguex
em 6 volumes pelo Exm. Sr. conselheiro
.^ r que no maior numero dos casos, podemos ment
alfiangar n3o s um grande alivio, como
tambem urna cura prompta e radical, isto
estj bem visto, quando |q, doente nSo se
ache n'um estado muito alm dos recursos
humanos.
ni o .muelos
FIO DEVEIil
Barbante
Em casa de Rabe Scbmetau 4 C. Corpo
Santo n. 15.
SHERRY OLOROZO.
Gelo seal.
COGNAC HEMMESSY.
Em casa de Rabe Schmettau & C. Corpo
Santo n. 15.
CAIIMPANHA
SUPERIOR.
Koussillon, carte blanche.
Km casa de Rabe Kchmcttaa A
(i. Corpo Santo n. 15.
VINHO
DE
BORDEAUX SUPERIOR.
CHATEAU LA ROSE.
CIIATEAV RAC5KAM
Em casa de Rabe Schmettau & C. Corpo
Santo n. 15.
Precisa-se comprar urna escrava de meia
dade : quem liver e quizer vender, dirija-se a
loja ile raleado da ruada Cruzn. 21.
Alugast' a casa da ra da Gloria n. 79, com
4 quartos, quintal c eaemba caiada e pintada ; a
ra do Queimado n. 69.
de Coimbra. Os subidos crditos de que
goza muito merecidamente aquello eximio
commercialista por si s bastaran) para re-
commendar to importante obra, quando
nao concorresse mais para isso a grande
vantagera de ser um ptimo commenlarm
ao cdigo commercial brasileiro (na falta
absoluta que ha de qua'quer nutro) pela mo-
xima homogencidade de entre muitas das
ras disposices, e as do mencionado cdi-
go portuguez, que lhe servio de texto.
Correi pressurosos, distincla moridade
do 4. anno da Faculdade de Direilo desta
cidade e notareis jurisconsultos, a prover-
vos desse poderoso auxiliar para vossos
trabalhos da sciencia, e pelo preco commodo
de 20;$, toda a obra em 0 vo!.
Sublime pbTicacSo Sitteraria
sob o titulo de Memoria do
Rom Jesns do Monte, cm
traga.
Acha-ne venda na loja da roa do Cres-
po n. 25 A, esquina da do Queimado a pri-
morosa Memoria do Bom Jess do Monte em
Braga, ornada de gravuras finas, segond*
edico, obra da penna de ouro do mui Ilus-
trado lente da universidade de Coimbra, o
Exm. Sr. conselheiro Dr. Diogo Pereira
Forjaz de Sampaio Pimentel. Quem liver
noticia da extraordinaria devoco que exis-
te cm Portugal para com aquella milagro-
sissima imagen), aflluindo sempre para o
seu magestoso templo cm rom-na o nume-
roso povo do todas as panes desse reino;
quem sonber avahar as brilhantos desenp-
ces, e o bello estudo daquelle consumma-
o jurisconsulto e eximo htterario portugus
no deixar de procurar, quanto artes pro-
ver-se de um exemplar da dita memoria,
pelo diminuto preco do M, na loja indica-
da, onde ha pequeo numero bellas.
Na mesma loja cima ha ontras estampa.
muito perfeitas e grandes do dito SenAor
Bom Jesvs de Braga, por preco commodoS
NEL DE OURO
IttCA
EO
.ME
estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,!
CABUG
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sorcimento sem iguai,i esquina
e vende por preo qne nenhuma outra casa pode vender. .; da raa larf?a(ioL
vista dayqualidade e do pre?o das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.l \n
Garante se ser"mo de lei. Compra-se ouro, prata e, piedras finas por pretjos muito ele- Rosario. ni
vados.
| loja est aberta at s 9 horda da noute.
*
ttSBMZSZSZSES







>
m




Diario de Pemanibuco ^bbdo'l e Domingo 2 de Janeiro de 1869
*
Voqo* tubulares ins-
tantaneos.
Traveseado Corpo Nauto n. -*.
armazcin. c rna !? a. 38,
loja.
Bandcira, Machado & C, avtam ao rospeitavel
publico .que nos lugares cima encontrar no mes-
mo semprc grande (juaDtidadc de ditos JoPS e
que so acham habilitados para vender pnrroonos
que onlro qualquer, por isso que os rm-bem di-
rectamente do fabrcame Norton, de Uondra*.
As vantagens que oncrcccm os poQos n.-tanta-
neos sao : primeiro, poderem ser enllocados den-
tro de casa ou fura, cun o trabalho de ama a duas
horas; srgflndo, fornocerem os mesmos agua pu-
ra e abundante, podeuJo serem removidos de un
para otitro lugar, quando assim convier.
Os annunciantcs s receb.-rao a importancia dos
referidos pocos depms de col locados, sabstaiendo
espertava do comprador.
ESTABTO MENELECIEM 1832
Salsaiiarilba de Brislol.
LEGITIMA E ORIGINAL
EM FRASCOS GRANDES
GUSTAYE
CABELLEIREIRO FRAMIZ'
51Eu da Cadeia do Recife51
Chama a atiendo dos seus innmeros reguezes, e do respeitavel publico t n.
geral, para a segninle tabella dos precos de sua casa, os quaes s5o vinlc por cenu
mais barato do que em outra qualquer parte:
Cabellaras para senhoras a 250, Cadeias para rclogk) a 54, 66,
ATTENCaO
Na rna e?treila do Rosario, sobrado de utn an-
dar ii. 33, preparam-se rapellas ricas para paco-
ras, e bouquets para onVrtas coni lilas bordadas,
ludo de limito b'Mn gnsto e barato, enfeilam-se
vela* ricas para haplisados, e lem promptas para
Tend^r-sc p >r barato pirco, far.-se bolos para
presentes, enfeitado, ptnliis e doces de todas as
nulidades, bandejas de bolos linos de varias ma-
lidades para casamentse bailes, bouquets d#icra-
vos naluraes para casainentos core litas InraMas
aniir.i, e bouquets para enfeites de bslos.
AMA
Precisa-se de nina ama livre ou captiva pira o
servico interno o externo de urna casa de anca
familia, paga-se bem, dando garante a sua (con-
ducta : a tratar em frente a ra do Yigariop. 2,
armazcm de moblados.
Urgencia.
Precisa se de urna ama livre ou escrava para o
servico (le urna casa do duas nessoas, paf^P-se
bem : a tratar na rna Nova n. 46. loja.
AMA
x.
Precisa-so alagar una escrava mi una ama
forra que rczinlie, engorante e faca as compras,
para casa de pequea familia, pagase bem M
ua do caes do Gapibaribe, casa aova com grtWe
ferro na fronte e p irlao ao lado.
Aluga-ss moa casaeni Jaboal? i, uo paleo ih
loira,<;om bastantes commodos para familia, por
dous nes, Janeiro a fevereiro, o preco razoavi:
a trata: Vi rna das Flores n. 27.
Aluga-sc
3 da ra
brado.
Escriptx
cono
re da frente do piimeiro andar
do Imperador : a Iratar no nicsmo
BMH
FR00SAaa
O sollititad.tr llurVs Punce de Len,
enearrega-sedequae^Wquestesefcris.
rimes o commerciaes, siuoas ee-lesi i>.
icas.das quaes lem umaKnga prati-a de
quinzeannos, e seachacompetcntemenle
pruvisionado pelo Exm. e Iwm.Sr. Bispo
diocesano.
Rile continuar a empregar tn,|0s sens
e>l'on\.s, altan ie manter a mosna con-
anca que lem merecido de seus dignos
coiisiiluintc?.
Pode ser procurado (hs.seis as nove
lloras da inanluw t das qtro da larde
eiu diante, em sua casa, da na dasTriu-
clieiras, junto ao cartorio do &r. cscrivo '
Motla, c fofa destas horas uas alas das
audiencias
2" THheiro a juros
Lindas cassas franec-zas de cor 400 rs. o metro, na loja das Collumnas rta
do Crespo ti. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos.
A ESMERALDA
X
M5
fe
loja m .idus
DE
i

Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado de novo, est as condi-
oes de servir vantajosauente os seus re-
guezes, visto que acha-se prvido com um
expendido sortimento de obras de ouro e
trata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, eujos presos sSo os
mais mdicos que*se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se "*com pequeo
abate.
H S RA DO G.4WGA N. 5
Precisa-sealagar nina mulher de e ba amducla para servir e fazer compauliia
a duas perseas : a tratar m ra do Queiin.ulo n
13, piimeiro anJar.
D.i-se 7.
im i va
quem di.
i'nuciic
i uros
ttt, s
Sub liiiuas
Wxt-Wi,
IMPERIAL
INSTITUTO
i DO mi. vmm
O bacharel Antonio Columbano Seraphico de
Assis Carvalho hoje o proprietario e director
desse instituto. Pretendendo dedicar-se exclusi
varaente, u com todo zelo e solicitude aos trabalhos
proprios dessa profissao, espera que os pac dos
actuaos collegiaes o hoorro com sua confianca,
e bem assim que acollierao o seu estabelecimenP)
aquellos que precisaren! de collegio para educacao
de seus lilhos ou protegidos, cortos de que o ac-
tual director se esforcar nao s para manter o
bom nomo e crdito, que desde muitos annos goza
a referido Instituto, como tambera para imprimir-
I he novos melboramentos.
Xo da 7 de Janeiro do anno vindouro ter lu-
gar a abertura de tedas as aulas de instruflcao
primara e secundaria.
OGRANDE PURIFICADOR DO SANGUE!
Esta excellentc e admiravel medicina, e
preparada d'uma maneira a mais scienfl-
ca por Chimicos e Droguistas mui doutos e
d'uma instrucc3o profunda, tendotido mui-
tos annos de experiencia ao par d'uma lon-
gae laboriosa pratica.
A sua composicSo nao consiste d'um sim-
ple extracto d'um s artigo; mas sim,
composta d'extractos d'um numero de rai-
zes, hervas, cascas, e follias, possuindo to-
das ellas, sua virtude especial ou poder
em curar as molestias as quaes teem sede
ou essento, no sangue ou nos humores;
e estes differentes extracos vegetaes, achara-
se por urna tal forma -combinados ponto
de conservarein em toda a sua forca, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um de
per si jiossue. A raz da planta de Salsa-
parrilha, produzida as Honduras, 6 a que
nos usamos nesta preparado, sendo a qua-
lidade que todos os mdicos mais prezam
e esUmam. Na composico ib Walsa-
parrilka de Brisftol entra mais de 50
por cento deste concentrado extracto. Ella
nao encerra em si cousa algums, que pos-
sa por leve ser perigosa ol injuriosa
sade; e tanto n'ste, como em quasi to-
dos os mais respeitos, ella inteiramente
diversa de todas essas mais preparacoes,
as quaes dcbaixo do nome de Salsaparr-
llia, sao accoudicionadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada era doses
mui diminutas d'uma colher de cha por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARRIRA DE BRISTOL
em frascos grandes, e assim por este modo,
dividimos com os consumidores, o grande
proveito e vantagem alcanzado por aquelles
que acondicionam sua prepararlo em gar-
rafas peiptenas. Cada um dos frascos da
nossa Malsaparrilha de Bristol
oonteem a messa quantidade igual porro
contida naquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue ainda muito mais forca e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa achar contida dentro de
seis garrafas de pequeo tamaito. 'Por-
lauto mui natural, que aquelles, que se
acham oceupados em preparar e vender as
sitas proditores, em garrafas pequeas,
murmurein e griten contra os nossos fras-
cos grandes: proclamando, que a nossa Sal-
saparriih:i ce Bristol nao possue a
menor virtude ; porm quo effectivamen-
le sao elles posto* em silencio, (piando indi-
camos, ou simplesmente referimo-nos para
com essas centenares de certides c tes-
bynuuhos authenticos, por nos recobidos
de todas as classes dasociedade, nos quaes
pieriamente attestam o poder curativo e vir-
tudes aravilltosas da nossa.
SA\.SAP\RRII W-V. de diuotou.
A vantagem de termos os nossos pro-
' prios agent\ naqnclles lugares aonde as
irtt^-ntoe refe., drogas, hervs, e plan-
tafe doquese.coiqpaemasnossas medicinas,
sao proAizidas, ^ue nos habilita exer-
cer aquelle .constame cuidado e disvello na
minuciosa cseqiha; eo que assegura e ga-
rante unilbrmidvlo do excellencia.
Em qttanto qu^oor oatro lado, nos nao
nos poupamos nem\dhiheiro, nem a dili-
gencias ; afun de alcahwrmos o melhor
e nicamente o melhor-^e cada um artigo
ou ingridiente que entra Vsua composi-
c5o; pois levados e comjwtrados da
mais firme e persuasiva confian^ que po-
demos afoutamente dizer aos doenVs de to-
das as naces, e de todos os paizes/Sue na
Malsaparrillia de Bristol. possw)
um remedio mais efllcaz e seguro; do qV
nenhum outro, que vos tenha sido offere-"
cido at hoje, e o qual por certo u3o hade
raallograr vossas expectativas, na prompta
e effectiva cura das segnintes enfennidades:
H, H, 05, M e.
IMIM
Corle de cabello,
Amas.
iNJffirdWrilf
rfteatca Inlalllvel e Preservailva, fibtsiuumemtu uuc* m.e cura k:u neotiutn
bu pttdpti fcoticii auDdo. (Eligir i iuBttfM i !) (U uaw 4c cjiciaaen.)
i Iraw i!. iimwiH Muwu. Ha.
vo. Viuut#
Prd3tsa-se de duas amas para o servico de cisa,
sendo urna para casa de pouca familia, que saiba
cozinkar e engommar, e outra para cozmhar e
comprar : trata-se na ra das Trincheiras, so*
brado n. 48.
aSAIlUOKTlW
Aos 4:000l
Bilhetes garantidos.
A roa do Cresp O abaixo assignadn, tendo weoilido alm de ca-
iras sorles, um meio n. i$h com 4:0(W* da
lotera qne se acabou de extrabir a beneficio da
igreja de N. S. do Amparo de Goyanna (131),
corrvWa aos pessuidores vireni receber na m-
farmidade do cmitwe sen descosto algom.
Acham-se a venda os felir.es bilhetes da V
parte da loterif beneficio da igreja de Nossa
Sendera da Conceicaa dos Militares do Recife (133*)
joe se extrahiriaaquirrta-rjira 13 do mez vin-
doirr-.
Precos.
Os d costtmte.
_________________Manoel Martins F,Ta.
Fartaram hotem da ottra do Sr. Haia na
roa da Aurora, da ale*eira de m collete om re-
logio de prata com o dourado casto, de n. 80,4S8
cylindro, com ama cadeia de dous cordons de
ouro com queta que prende aoollete est lacnucada ums
nequeaa bola que a eMa se liga. A qoem for or.
feraoido ou delie der oficia certa era grali&cado
na ra da Senzalla n. 130 :
Escrfulas,
Chagas antigs,
Ulceras,
Peridas Ulcerosas,
Tinha,
Syphilis.ouMal Ve-
nreo
Humores Escrofu-
losos,
Irregularidades do
Sexo
Fcminino,
Nervosidade,
Debilidade Ceral,
Febra e Malignas e
Febre e Sezes
Biliosas,
30& 335 e......40f>0O0
Ditas parabomema 35i$, 400 e 500000
Coques a 12T5, 5& 180, *iO0,
250, 300 e.....500000' ... ,'
Crescentes a 120,150,180,20-5, .Corte de cabel, com fl 'cc5* "
250, 300 e.....320000 Corle de cabello com lavagem a
Cachos ou crespos a 30, 40,' 50, champou......
G$, 70, 80, 9* e. 100060 re de cabello com limpez da
Tranca de cabello para annel a "5* Pela mac'"" electri-
10OOO1 ca, nica em Pernambuco. .
Frisado a ingleza ou franceza.
. 300000 Barba. ......
.^SIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Bailes e solres
0 dono do estabelecimento previne s i Hecommenda-se a superior TINTURA J.V
Exmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um PONEZA para enegrecer os cabellos e bai-
8al5opara tintura dos cabellos e barba, as-ba' onic.a admiltida na Expositjo Universa
como nao prejudicial a saude, por ser %<
sim como um empregado srante occupa-jatil, analysada e approvada pelas a.a-lr-
do nesse servico. mas de sciencias de PARS E LONLRI>
.'JOO e.......
Tranca para braceletes a 100,
130, 200, 25 e .
50
UM
Va*




Z*5
Tumores
Abscessos Apostemas,
Erupcoes,
Herpes,
Salsagcm
Impigens,
Lepra, febres mtermittentes e remitentes,
hydropesia e icterwsia, etc., etc.
Ontro-sim, achar-se-ha, ^ue para o bom
resultado eperfeito curativoxle todas aquel-
las enfermidades cima apuntadas o adian-
tamonto da cura, grandemente promovi-
do o apressurado; usando s > mesmo
tempo das nossas mui valiosa |ilulas
vegetaes assncaradas de BMstol.
turnadas em doses moderadas em ftnnec-!
Cao ou conjunctamente com a Sals?partlha;
eltos fazera remover e expellir
quantidades de materias morbficas e
mores viciados que se desprendem e fi
mente circulam espalhados pelo system*|
isto causado pelo uso da Salsaparrilha; erf
;por esta forma facilita a volta e o exercicio
normal das operacoes funecionaes,
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, i. da C. Bravo 4.C., P. Muam
]C, B M,& A.arbosa, Bartholomeu C .
^
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
RECIPE A' OLIMDJU
Por ordem da directora sao convidados
os seahores accionistas para no praso de
10 dias, contados do dia 3 de janeirn pr-
ximo futuro, eflertuarem a 0* prestaco de
sitas a cees na raza o de fllM/l).
Para esse fitn ser encomfadp n senhor
thesoureiro das M horas da ntinha as 2
la tarde no escritorio da comp^nbia.
Rocife, 29 de dezembro -le 186?.
Joo ioaquim Altes,
1 secretario. -
COMPAWIIIA
de seguros martimos.e terrestres
A cowpanbia de seguros Fidelidade estabelecida
em Lisboa desde o anno de 4U3r, o representada
nesta cidade pelos seus agentes abaixo assigna-
dos, com plena aatorisao do governo imperial,
toma seguros a risco martimo e contra fogo, em
predios e estabelecimentos, dando ao segurado o
relimo anno gratuito asando tenha seguro seis
annos consecutivos, para tratar na rna da Cadeia
io Recife n. 41, escriptorio.
Os agentes
FelinMno Jos Geraes.
Thomat Fernandez da Ctinlia.
Methodo CfestilpT
Seeundmo Jos de Faria PiiJe?, profA-or par-
ticular de mstrncca-i elementar pelo nciJL<1o Ca-
tilho. avi=a ao respcitavel publico e com esperia-
lidade aos pais de sen* alumnos, que no dia 10 dt
' "Piro esta .nena sua aula na rna da Peona n
Io andar ; aonde recebe pensionisis por pre-
eommodo. 0 mesmo proferaor promette muitc
sqeaaierax noadiastatceato de seus alumnos.
\
' PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
rauuueEUTtco, i, vi bes uwrs-s/m-pm, mm.
XROPE DEPURATIVO
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
Com IODIRKTO de PTAHB1
0 ledoreto de potassio nm verdadeiro alterante, mu dennrador de incontartaral elS-
cacia; combinado com o xatropo de cascas de laraajas amargas, e atorado
aem perturbacio alfana pelos temperamenios os mais Irasos, sena alterar m fueete
do estomago. As doses malhematicas que elle contem pe mitlem os mdicos de reeeital-e
para todas as complicaeftes as affecces escrofalosaa, tuberculosas, eaaoa-
rosas noa accidentes intermitientes terceiroa; slem d'isso,
agente o mais poderoso centra as doencas rheumaticas.
XflROPE FERRUGINOSO
de cascas de leatai aM
asara.
E' sob a forma liquida qne mais fcilmen-
te se assimila o ferro; n'eau forma 6 prefe-
rivel as punase pastilhasen todos os casos
em que sao prescriptos os ferruginosa.
XflROPE TNICO ANTI-NERVOSO
de casca de laranjas tmtrgu.
35 annos de successosattestSo a na effl-
cacia para curar: as doencas nervosas,
agudas ou rhronicas, as gastritis, gastral-
gias ; e facilitar a digestao.
DENTIFRIC10S LAROZE
COM QUINA, PYtlETHRO E CAUCO
kisr asntifrieio, para a alvnra e con- T dantirrsio, com base de magnesia
ajrtgo dos dentes, curando as dores para a alvura e conserrasrfl*i denles,
canalas pela caria ou produiidas pelo provenindo a ilescaraasia, provocando o
comi Jo calor ou do fri trtaro de que emperfe a reprodoci.
Dspato em Ro d* Janeiro, B. Cbewtet; em Pernambuco, F. Hasircr e c*; a Mieeio,
Falcaba"; tw Pelotas, Anlcro i.elva ; em Itahia, Da nacha; em Porto Altgrt, aa
Bella} \ Maranhio Fcrrela fC'i em Ouro Prtto, C. i. v Weleraaa% esa Ssata CotSa-
nna a.^haicM em Uontttidto, a. lanaarSt em Buenoi-Ayres, BSehcaareaaram.
\ -
t
MUTILADO
mm
EMeadaarafel
iDepaia** sao
ario, tasa sa
TseoJeoj asa
fkxoroso. sssdiC-
calmenteaj molestias dcpelle. isct como a lepra, atimaifrat, saaerpe,
pregsdo diaramenie elle refresca a massa do sasaac s asaisHrh o
T V T *'ora tm 8 ^'" CWT""cntos aatga* ou
lili 1 oe ntii rebeldes.


I


ARMAZEM
ICAO DE
60RA DA CADEIA DO RECIFE60
1
PAR ACABAR NESTES DAS
O prnprietario dcste estabelecimento tendo de partiifBMitto breve para os Estados Unidos e Europa, faz completa liquidacao nestes das, para acatar ; como
o- *
itbs.dita* pira bater ovos e bollos, grande variedade de porcelanas, como, vasos para toilette, apparelbos para mesa et\, differe^tes obyectos de vidro como seja: lustrse
globos para salos, lanterods para cima de mesa, escariadores ele uns excellentes cofres de ferro, esaelbos de'diversos tamaas de moldura dourada e preta, molduras
para qnadros, ricas caixas para retratos, ditas com cheiros propwas para presentes, mesas de charSo, bandejas de dittj. Estampas finas para quadros talagarsa
brdala para almofadas dita para tapetes o para deitar vaso8 em cima da mesa, relogio para cima de mesa, de parcde e de.jMtfo para algiboira, stereoscopos de diversos
tannos, cosmorama, lanternas mgicas para diverlimenlo em salas, qnadros com finas figuras de porcelana, ditos com movimea >s, figuras brcnseadas para enfeites de mesas
iiva-vi;las para se tomar bauhos no mar ou rio, lencos de linhos finos para algibeiras, ricas grvalas de seda, variado sortiminlo de miudezas e brinquedos para crianca,
iw, bengallas, camas de ferro de differentes taraanbos, lavatorios, steroocospos, cosmoramas etc. etc., quesera patente ao compra or; o minios outros artigos qoe se venderlo
lito b-iralo para inteiramente acabar, no armazem EXPOSICAO DE LONDRES
80-M DI CANIA
m
m
m
m
(SEM LIMITE.)
Sa travcssa da na
das Oiizes
iiilii
EPAPRESTIMO SOBRE!
m
m
n, 2, pri-
mciro andar, da-sc qzia?-
(jicr quanlia sobre aro,
prala c podras preciosas. j
O dono deste estabelecimento, p
competentemente aatorisado pelo 9
govwao, est as condlces de ga- iip
i rantir a tnnsacoao que se fizer em y|
g3( sua casa, prometiendo todo e zelo
X o considerado s pessoas que se
il} <%nai*era c'e bonra-Io em seu esta-
jgg beocimento.
Na mesma casa compra-sc ouro,
prata e brilhantes.
m
Contapondencia de Portugal.
Os abaixo? asignados previnrm aos scnliorcs,
assiguantcs deste jornal, nae de Janeiro prximo]
futuro on (liante a dcstrikuien sera feita no lar-1
t;. do Corpo Santo, no cafe do Sr. I'i'siana, ondol
? rutamos enhores a?gnanles mandarn pagar
1i.' j.i a assignatnra do anno prximo quinte)
mil reis por 21 nmeros contado do numero i
uc conriuzir o nauuete de 8 de ianeiro nroxhno
ir o paquete de 28 de Janeiro
1'iifiiA ao de li dn Janeiro *' 1871. Sthneros
.ivbI.?o? mil rol?. Os recibos sao"imprcssi'S c Or-
inados [icios aliaixos asignados. A de?trl>ui<;ao
d Lirinl jura os Ajjjiignante.s, ,-. M far-a auud-
l'io tenam ja pafu suK'SimjilMaTie.
-4* I|'IC
Tasso Irmos.
Aliiya-se a casa do Mondego n. 36 para
grande familia, Ma pequeo mo c cacimba de
I 11 ajina, bomba e tianheiio : a tratar na ra da
Un?, do Nenie n. 31.
IVe.risa-se de urna ana : na ra de Hurtas
11 .10, sobrado.
GOMES DE MATTOS IRM0S
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe matares proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especklidade as Ezms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da zioute na
RA DO CABUGA N. 4
onde encontrarSo tim completo sortimento. do que ba de niais elefante,
bello.e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e ludo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESCUDAS E RUBINS
de novos gostos, assim como .grande variedade de^salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto ainda nao visto, e completo sortimento de
objeotou de prata para .uso das igrejas,
Compram trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garanten*
a qualidade dos objectos vendidos.
0 MUSEO MUGAS
Aos banhos no Mon-
tero.
Alu;a-50 urna pcipicna fasa no fim da levada do
Montciro juntir ao rio, no inclhor dos lugares de
banbo, com 2->alas, :! oiiarun-fc-eoimba, e muito
peno da cMaejh do hotel, propria para mocra sol-
teiros : a tratar na casa nova da estrada do lama-
rao, ou no RitchV. ra Nova, laja n. 7.
MARTIMOS
C03VTRA FOCiO.
A Companhia Indemnisadora, estabelecid;
aesta prica, toma seguros maritimos sobrt
aaTios e seus carregaraentos e contra og(
em edificios, morcadorias e mobilias: ;
roa do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Ka praca da Independencia n. 33 fe da di
nheirosobie penhores de ouro, prata e pedra-
precioa?, seja qual for a Qoanlis ; e na mesms
asa secoiapra e vende objectos de ouro e prata
e igualmente se tu. toda e quaiquer obra de en
fommenda, e todo c qualquer concert tendentt
i mesma ai le..
Y POS DE ROG
Ap>rovados pela Academia imperial
e medicinh'de Pars
L" i frasco do Pa de watg, dissolvido
ca uiua garnfa d'agua, d urna limonada
agradare', que purga rpidamente e de
um modo corlo, sem causar a menor
rrilarao como aconlece com a maior
parle dos outros purgantes. Os Pa de
Rng, sao inaltciaveis por isso enipre-
gam-be fcilmente em viagem.
^a^ I cmRio-Jaif.hu>, Duponclit It, CketoM.
k ( ni, l'MiAuacce, tonret a C*.
PILULESSSSCAUVIN
tkaraiMtaa. >, koateina MbMtapal. tak.
Este precioso Vnniaitfvo Teoelsl lio eommodo
como nrirtavei e o remoli mis infallivel para dcs-
Irair as couMlparoea, as nen-alglaa, as auis re-
keldes, assia como a MIH e a vtieoskMM
Elle atacas aas faawrilU, obalrucf oca cuu-
ajamu,*>tbmaa.Ot^e*urrlioa, en tigra,
Ma e rbeanatlsmea.
O inerttimenlo das ptlulaa raavln pode reao-
Ir-se nestas rilatra : Bcatakalecer ou coaaer-
aar a Minie.
Illas alo pedem nem resguardo na comida nea
fcabuli, tm doic laxante e depurativa, osase tomar
Uta aa* refeetdcs : em dose parajaUva de n.nle ao
Mutm.
rtnumbui: IM. arar et C*.
A VEKDADE
55
Ruado Queimado55
A VERDADB ten*) mb deposito grai
qoanlidade demiDtease i;.r imaii;!.:. e -
sejando apurar dinlteiro e adipmir boa t
injezia pslTStjjIvida a \cndcr ni lis;
barato, ; ptr essa raaao convida ao re;
tavel pubc* a vir tompe!
do a sorlirwi do Ijotn e barato. h>i.< qu;.
do a Verdade apparecc, ludo ntuis d
apparece----
Grande sortimento de butiecos i a
massa as maislindjs possi-.eis vestidas a *-
ractr.
Abotoaduras modernas pnra col
lotea ....... :,. i
2->
Joaq
(jal
uim Jos Gen-
ves Beltro

aaaaamaaaaaaaaaaaa.
BOTAS
GRANDE ARMAZEM DE PIANOS, MSICAS E INSTRUMENTOS
i?
ANTONIO JOS DE AZEVEDO
N. 11- RA MVA-N. 11
Parlecipa ao respeitavel publico desta cidade
ca, ai'ba de chegar ura grande e explendido sortimento de
A
e das mais provincias visiuhas, que o seu grande o bem aertfitado armazem de instrumentos para musi-
O que ba de mais moderno, de teclado iixo e mobile, e com transpoc3o ou seta ella, de autores os mais acreditados tiesta cidade, como spjam : os
afamidec e b -m con!e de Pars, de quem o annunciante o nico agente nesta cidade, como prova com o documento abaixo inscripto e assignado pelo dito Sr. Btondel. Estes pianos, fabri-
cados especialmente para o clima desle pai?, s3o os nicos que offereGem urna garanta segura de sua duraco. EUes s5o aqii bastante conhecdos desde 1844, para que
soja necssario losistir sobie sua superioridade. As suas vozes sao moito flautadas e melodiosas. Ellos possuem um teclado que se presta a todos os caprichos do
senliores pianistas.
Todas as pessoas que compraren, pianos nesta casa, sao rogadas a exigirem o certificado de origen, assign.do pelo Sr. Blondel. afim de provar a sua
aut tioidade o numero de piano com o de certificado
A0 PUBLICO
Mr. Alplioose Blondel, fabricnto de pianos em PARS, declara ao respeitavel publico de Pernaaibnco, que o nnico deposito de seus pianos na cidade
do Recife, RA NOVA N. 11, armazem de Antonio Jos d Azevedo. Outro sim que tedos os seus pianos irao accompanhados de um certificado de origem assig-
nado por mim.
Paris, 24 de julho de 4809. (Asssignado) A Iphonsc Blondel.
O annucianto tambem troca e aluga pianos. E tom o maior e mais explendido sortimento" de aovas
MSICA PARA ML1AOK
As quaes recebe directamente da Europa e do Rio de Janeiro; das acreditadas casas dos 8rs. Feltppone 4 Tornaglii, Narciso, Arthur Napoleo & C,
etc. T.imbem lem grande sortimento" de papel para msica e desenlio ; cordas para todos instrumentos, ricas gravaras e quadros para ornamentos de salas, oleados para
assoallio de salas, ricos espelhos dotirados, quadrados c ovaes, caixinlins de costnra com msicas e sera eHa, estojes para viag-m, relogics com despertador, \idros para
espalaos de todos os tnjannos, talagarca. laas c agulhas para bordar, e muitos outr(6 artigos qne o respeitavel publico encontrar sempre neste armazem, o qnal estar
aborto todos os dias at s 9 horas da noite afira das Emas. f.imilias poderem ir apreciar os seus pianos.
' VEtilTABLS'l
-

Os mdadeiro* OOIXAHES ROTZB, os nicos ipprovadoi pela
Acadiaia de Medicina, tcm assim eoaw o* meot estros prodnetM
attrabido a cnpidei dos falsificadores, ^ue para facilitar sna crimiooia
taatastrianaosept'ja, nrm roceiad annunciar vender falsosCoxj-abe*
bit aovo. En prcrino as familias pan inieresse da seus filko
ie, para evitar falsifieaeocs, detem exigir, aaw meus Coixabxb Ibas
sejao Tendidos em calas de lambas de encaiie e eorredias cobertat
por etUqnetas com a minha marca a> fabrira e encerrando nr
prospecto circunstanciado, e selladas por ama medd'.a com oMtreink
COLLAR ROTES, Roe St-Iirtio, 225. Pars.
CUSA FELIZ
Aos 20:000^00
So Reeife areaxla C'ocf^iuB. *
Os a bailo atwlgnados leudo-se habilitado na
(ortoa das lets, tem exposto a vonrla os teas fe-
aes triHotes das foterias do Rio de Janeiro, na.casa
cima, aonde se pagarao as sortes que snhirem
dos mesmos baetes, com o descorno somen*
da le.
Billiete inteiro 24*000
Matos 124000
Qaavtos 6#0M
E;de lOO para cima a 113, o bilbete.
______________Figaeireflo & Leite.________
AVISO
Pede-sc ao senljor que m o dia sexta-feira, 10
do correntc, ;.s z 1(3 k.ras da rderaitrou na fa-
brica de cigarros, gila ra Direila n. O, para
comprar um maco de cigarros de teda, e por en-
gao lev'.m ata chapeo de sol do abaixo assigna
do e doixon o seu, om visu isso tenba a bondade
de vir troca-Id, do contraria eu declaro o nome
para nao se chamar a iajaorancia.
ARRENDASE a propriedadedenemi-
nada Barra de SerinhJem, no fitoral da
fregnezia do mesmo nome com gr?nde ren-
da da trra a receber e minios coqueiros a-
desfructar ; tendo, alm disto, a eHeole
e rara posic5o beira-onar c beira-rio, iotei-
ramente apropriada para manter-se ah.
qualquer estMnelecimento commercial e
seceos e molhados : a tratar na ra d'An-
roran. 26, ou na dolmperador o. 20,
Nao mais cabellos brancos.
A tintura japoneza para tingla os cabellos
da cabeca o da barba, tei a nica admiltida
Expofto Universal, por ter sido reco-
nhecida superior todas as preparac5es at
hoje existentes, sen alterar a sado.
Vende-se a lajOSO cada frasco na
Ba da Cada n. 51.
1. andar.
MUTlLhUB _J
Precisa-se de um criado livre oa captivo, ou
mesmo um molcqnc croscido : na raa da Madre
de Deas n. 3.
' ...



RA DO TRAPICHE N. 17, i. ANDArt
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban
jo do-Mnho, em Braga, e sobre os sejrain
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenra.*,.
Goimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos-'BcVal de. Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
vla-lNova aejFamalicIo.
Lamego.
Lagos.
Covillia.
Vassal Oralpassos).*
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
Saba de alcatro
para curar as molestias de pefle,
taes romo empingens, darthro?, sarna?, comich5es
e mais molestias depelle, sem occasionar acciden-
tes ; desfajas manchas dojeorpo, pannos, sardas,
restabelece a cor natural, qnanto a cutis, secca,
grossa e aoiatellenta, occasionado por alguma
enfermidade, c como desinfectante c preventivo
das molestia: contagiosas,
NICO DEPOSITO
Botica do Pinto, ru:i larga do Rosario n. 10, junto
ao quartel de polica.
Espelhos domados jx-pnonns. .
Agulhas de osfe para rese a .
Pautes para rega,' toa csbIm a
Ricos globos para canditiro de g'z j
Chamincs a.......
Grande s^i lmenlo de oi>>efM de
louca par.i brinqued:' (W^ menino
Garrafa com tinta a.....
Dtt[corn agua florida terd&d i
Dita com .lila dita ? .
[Vasco comoleo do babosa a -Od .;
Dilo com agua de Colonia a : u e
Gairafa cotn agoadivina a. .
Frasco com ealraclos lu
Latis pequeas com L;.h;./ i
fina a lili c......
Sabonctes de diversa: qi..'.i;.
80, I (0,2 40 e......
Finasescovasparad-iik-di ;
Lindos coques nodernot i. .
Pavios para gaz, duzia a 2*<; f .
Esccvas para Cacto a t o, 000 e
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar piolho a HW e.
Brincos de cores, bonitos a I0U e
Peras de tranca de !i
varas por.......
Oleo para machina do teftart,
frasco a........
Peonas d'aro unas caixas a >HK) e
Dita d'ajo Perry, caixa a. .
Galn de algodo pera ....
Lindos babadmbos e eaUcaneios
pega de 500 a......!
Ditos de louca muilo fino o -20 e
Ditos para caica a l(:0 c .
Calza com papel amizado a .
Ditas com envelopcs ;....
Ditas com obreias a.....
Caixa com agulhas fundo di tiratii.
Ditas de ditas ditas a.....
Thesouia para costura a 940e
Caixa com linha de ntrea a .
Linha de cores em uovtllo:; (li-
bra) a........
Carrcteis de linha Alemn ue 70
at 200. .,,....
Grampos muito finos c ros, duzia a......
Cartas portugoezas, dtia ;, .
Ditas Iranceaas a "iftH\ o .
Papel almaro e de peso, nr.< i ..
3/5400, :idSO e .
Lia muito lina para biniar, febsa
Fita de algodo para ltllini de
sapatos, peca a ., .
Ditas de I5a para debroiii di. ves-
tido, peca a ......
Pentes finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alis.ir
a 240, 320 e......
Ditos para aparar penn?* a .
Rosetas pretas, par a .
Tranca de lila decaracol pefa a 40 e
Fita de coz pera a 480 e .
Alfinetes de latao a.....
Sapatos de laa para cmt a MN
Gravata de sedas de coros a .
Calcadciras a.......
Grande sortimento de tondas daf Ilh*
Um par de suspensorio do borracha
lOOrisimm
Ka Verdade rn do Quen>av
AMA,
Precisa-se do urna ama para comprar e cozi-
nbar : na ra di Livramento n. 13.
COMPRAS.
Compram-se moedas de ouro e prata de to-
dos os valores, ouro e prata em obras inutilisadas,
brilhantes e mais podras preciosas : na luja de
privas do arco da Conceicao, no Reeife.
0 muzeo de joias
Ma roa do Cabag n. 4 compra-s ovo, prata
s pedras preciosas por procos mais vantajosos do
pie em ontra qualquer parte._______________
Com muito maior vantagem compram-se
moedas de ouro e prata : na toja de joias do Co-
raran de Ouro n. i D, ra do Cabng.
GOf 1UM E VHDEH-a
It*
!
I
:-.
i
r-.
s
v-
:
:
A:
:
. -
3 -

il
il
ir
w

s
'
0 VAPOR
Compram-se vendem-se diariamente para fra
i dentro da provincia osera vos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejam sadios: no
terceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cnues,
freguezia de Santo Antonio.
VrNDAS.
Repollio salgado, salames suissos, landjaeger,
viuhos hrancos suissos. yvorne, villeneuve, crepy,
cates du Rhone, beaujolais : na nnrerial fabrica
de cerveja, ru do Sebo n. 35.
IxidoroBastus & C, ra da Cruz n. 2, tem
em seu arma-tem superior virmo velho engarTafa-
do, o mais puro que tem vindo a este mercado :
roga se aos senhores chefo de familia o obsequio
de irem ver sua qualidade, o qual se torna re-
eommendavel por nao ter confeccio alguma.
Vende-se
urna preta de idade 23 a 25 annos, sadia, do ser-
vido do campo e boa lavadey: a tratar na ra
estreita do Rosario n. 47, comUodrigues Almeida
Ai Companhia.
a refinaca') da nn doArago n. 19 : quem pre-
tender dirija-se tratar na mpsma
. ATTINCAO
,Veode-fO urna molatinha de 14 anno?, sadia,
com puteis habilidades : quera pr.tender dirija-fe
rua Nota n. 2, onde Sfl dif fin q.m tratar
Ohfijjelina-* pnim senhora
de prpcalBfenPWrtsv'i.i e ricos posto?, chfgadns
uliin. '> de 103, iH 14*o l.'ij,-:
na ui idenci, U.ja de chapos de
JoBBartKsa Peqofc.
DAS
MOYIDilIlf
tina da Imperatrfz miunero 3.
Grande twvidadtp raafesia.
A' ella antes qae se acabe.
O proprictano desle ?ni|Hno tado estabelecimento, vendo qtic se appo > tma j
testa e quereudo apivsenlar m seus amavei- Ut
gtvezes urna novidade de que se admiras* i;;. i
vion o seu vapor, isto e,--o vapor das avid*
desa todos os paires da : famada Europa, a&
de procurar e trazer o que de mai,r gofo e evi-
dade achasse.
Regressando este, tronxe eexin) alu nov.tka '
como de faci o :
Liado guepMK uMaxlat. .-o* Snissmo MHr,
e o mais honto posjvcl, proprio para esmisi
e f^chus, o qnal se vende pr preco rantiu ci .-
modo.
Grande sortimento de titas do sarja di- ;
qualidade e de din" rentes lardaras e cores.
Completo sortimento <- Rl. as'tinad.?;-. et!
estas lizas e escossezas de faldas as !..pr..-
mais lindas cres, havendo entre ellas nmto
gas e proprias para cintos allima moda.
Grande quanli Jade de prtenaria* dos |>ria
ros perfumanfea da Enraya.
Alm d'esles objeetos vieram multo-
tambem de grande novidade.
O proprietario previae i Md*s as passMBaa
prelenderem algnns dusotrjertM rrvr, -i na-!>. fi
podero buscar as amastras uo-Hit > esiaheV*
ment, ou indicaron o lM.r4a fMnuii. pr<
ludo isto antes que se arabo a giantlr noridadr
Ijoja do vapor aJfavidadcs,
Rua da I;upera;ru o. 3'r,
k
Hiaripued! SaU'ito
l)e>eja-sc vender nm eotregio d#> mmi. -
situado em nm doa mais arradaveis arrabatil s 6
Rio da Janeiro, estabetaido man de en un
ozando de grande crdito : reputarlo, t qu>
uz lisongoiros resultados. Motivos de sari* "!:i
gam as donas a rcurarem-se : ouom quiz. r r
pra-lo, pode dirigir-se nw da rigario n. i'.
liptorio de Domingos Alnas Matacos.
Chegou ao antigo deposito de Henry For. *.er *
o., rua do Imperador, no urrogaHnve c
de primeira qualidade; o qual se vende en panu..
e a retalho por menos pre^o do qne em oatr qaa
qner parte._____________________________
Armapao baratissir
;\a rua Nova n. 48, venda-se nm grande ara .
can. parte envidra(aila,eajunrns, don* bale"*?
divorf is caixe.* grandes, prapri"* i; i '
padaria, deposito on outra aaaalact-r negieir. .
ipial se vende por prega ba1]iii>)aHin de dosor-
cupar a o.i-a ; e jiioameni se vendem 4 Jf*P>->
vasias arqueadas de f^rro._______
Vmnln.

niaileira ; quem | raJBH amapra (a
dirija-se rtia Nova, sobraio a.J I* ..n ar
Cal de Lisboa
cliegada nvVinwi navio, lem (ara ves' ;
quinv'^j b Tves Betra >, to s escr.,
rua d^ o n. 17.
P

Jt'*l'."


Diario de Petiiaiiibuco Subbado
t
, '
"S
9
I
BENTO MACHADO 8' C,
A AGUlA NKGH animada com o bom accolliimento que lave em seo? anoun-
cio, eQ) le novo participar a scus lYogoezes, que, acaba de receber um variado sorti-
Q i!. (', ectos de gosto, osqoaes ser3o vendidos por preros nitrito razoateis, pois
i indo i seus primeiros annuncios, fui o que assegurou, esem mdo^ de errar,
1 "(rae c>mc j;i tlisseest ligada por nteresss a urna casa-importadora dcsa praca,e
p : isso poder ter tudo especial e vender por presos admiraveis.Cbamapois a atten-
o de seos fregnezes para os artigo* que possa descrever:
.. vros com o lampo de marim, .n- !re- l'n variado sorUmeols de cbaruteiras e
p >a e tartaruga, proprioa para missa. pnltirosde porcelana,
G3r*Qimas vazfcs propriaj para prsbites Tenti)g pra v0|lafelfti
ta do gesto.
Indipcnsaveis de paliaba e de corno pro-'
9 para gpnhoras e meninas trazor nos
: 1003.
. BinaeoloJ 'd; madi operla, marim o tar-
taruga lodo.; esmaltados.
Cintos lafgos de setim, cousa4nteira;non-
te nota. i
litas de sarja de todas as cores e larga-]
: is para lafos.
Rengabas cooi marim, cousa especial.
Sabonetes de alcattao..-
Cifres de follias pa^a ditiheiro.
Lindas caixas para costura.
Um completo sorUmeolo de lovas de pe-
lica,
T.ilagorce para bordar.
Um completo sortimenlo de enfeites de
Toucas, sapatinhos meias de seda emais seda para vestido.
vuences para baptisados.
Fitas com inscripcoes proprias para bou-
quet de noiva,
ticos vases com p do arroz.
Cm vanado sortimente de jarros de por-
c ana,
Perfumaras de todos os autores os mais
acreditados em oxtractos, pomadas e leos
e finalmente outros muitos objectos jiienao
possivel mencionar ; mas com a vista se
certificarao do sortimento dcste estabele-
cimento.
Aguia Negra, ra do Cabug n. 8.
Sil-l3
iv C e E3 "!"
-*-** ft CD ._ -T"
O W n ~ O
_ CC- re tro c
iafll1-"

3'
M.S
8
<- v
ft 3
2 -t
O lu
ta.
- 9
B 2
3
v>
t
~1
C0
'S
?5 _
S.S.B 3 era
2. _
ifd
_ o
O (A
O _>.
U
TO
o a u ?. <
i3
5
72 s
^ CP j c/a CP
STo g _.
o o*- o g
*-|3
O-g O 0 O)
S5To?Pg.
8 i 1*8
. 5 c 2 2 <>
_ ^* "~
s'S3
81
S J
1
o
g 5. 0.-0 o
D S. O
v _
-i s o B
> a: 2. C cj aa

*
?jt| s;..

A
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
liOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Rna lo Crespo n. 9
Os propnetarios deste bem conhecido estabele-
cimento, alera dos muitos objectos que tinham ex-
postos a aprecia^ao do respeitavet publico, man-
darara vir e acabam de receber pelo ultimo vajwr
da Europa um completo e variado sortimento de
finas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de seu costume,
Sor presos muito baratinlios e commodos para to-
r>s, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, brau-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas golliohas e punhos para se-
nbora, neste genero qne h da mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para cabecas das
Exraas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de c&res com \idri-
Ihos e sem elles; esta fazoada o que pode haver
de melhor e mai; bonito.
4S IVAS IDAS
;} 11--EA DO QUEIAD0--11
Cliegaram da Europa pelo ultimo vapor loja de Augusto Porto C- ricos
cortes das mais linda sedas de mimosas cores para vestidos proprkw para bailes e casa-
ineptos.
Grande variedade de sedas de listras de diversos prscos todas de hadas cr,
gorgurao de seda preta, e grosdenaplc de varias qualidades e gorgorSo de seda 13a de
dillerentes cores.
Notos vestido br.incos de blond para noiva, linda1 cojxas de seda paro camas,
ditas de-lita e seda, corlados hordados para camas ejanellas, fronbas e toabas de
carpbraia de liabo bordadas.
Luvas novas de Joiivin, e etegantes sombrinhas d sedas de c&r para sennoras.
EspartrNws de 5* at 10-, lindos bournoos de cachemira de cor para- sabida
deteiie, basquinos de renda- preta, e dttos de croch brawco e preto para senhora.
Grande rarierJade de- camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Sortimerrto de muitas-fazenda d-e la, liatio e agcdSo todas por preoos moi
m ojeo-
Tapetes grandes para sof, pia-r e caira* pecas (te tapetes o de alcatifa para
Superiores e bonitos efses de madreperola, ;f0rrr safes tudo erqnantidad&; e vendem sempra'por menee qoe em outw qualquer
martm, sndalo e caso, sendo aquefles broncos
com lindos desenhos, e estes preto.
Muito superiores meias fio de Escossi para se-
nhoras, as qnaes sembr se venderam por 30JJOOO
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20 J,
alm destas, temos tamben grande sortimento de
ontras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas. ,
Boas bengah de suferior cann da India e
castao de martlm- rom lindbe e encantadoras figu-
ras do inesmo, rwste genere- o que de melhor se
pode desejar ; am destas temos tarofcem gnmde
nantidade de ouras qnolidade^, como sejam, n-
eiray baleia, ossoy )KiiTacbas.etc. etc. eti:
Finos, bonitos e airosos cteotinlios dreadeia e
de ootrasqualida^s.
Lindas e superares liga de seda e JWiweto
parasegurar as mes.
itoas meias. de seda para seahora e para- meni-
nas de 1 a 12 annode dado.
Navalhas cabo de martim e tartaruga pwa .oer e
baiba; sao muito bs,e de roa* a mais saoga- b
rantidas polo fabricaiile, e nos p ben asseguram-js sun^ qaalidade tf delicade.
Lindas e bellas cabellas para awwh
SB^eriores agu ha para maefcii. epaiaeiMit.
Ijoha muito boa de peso, frouMa> para escher
labvrintbo.
Boas baralbos de eartas para voltacete, ateta
como-os tentos para mesmo fin-.
Grande e variado sortimento t'm raelhores pen-
futnaria8 e dos meKkores e ma conhecido per-
fumistas.
COLAMZS DE ROHk
Elctricos niagnetiBO contra a* convulso, e
a^itiiain a dentiqao das innocentes enancas. So-
mos desde muito rueebedores dstes.prodikos
coHavos, e continuamos a recebe-toe por todo#
vapores, afim de qae nunca faltem no mercado,
como j tem acontecido, aasim pois- poderao aque-
les que deh*es precisarem, vir ao duposito do gjiUo
vigilante, aonde serere oncontrao destes veidt-
deiros collares, e 06 qaaes atteadendo-se ao Sin
para que sao applicados, se renderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixaatos
declarados, aos nossoe rregaea e amigos a viiem
comprar por preeps muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n, 7.
part*.
Eiteiras da India de 4rS e 6 palmos de largo.
MO 10 lili
Machinas vapor de
forpa de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de fado e serrotes para desca-
rocar algodSo.
Bataneas para armazem e balcao.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Miinez e de Ubit-
field.
Prendas para copiar carlas.
Fogo americano patent
Grille aromen de fondas e roupas kM ni da Impcntriz
n. lrlf porta largar de Paredes Porto.
Nese estabelecimettto encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento
de rotees- de to-fes as qualidades, palias de albaca a 3& 3)S50O at& 63. Ditos de
merino, ditos- de easemira da cores bonitos gostos a 5$, 6i5k 8 e 10;51r de panno preto
sacos e sobrecasaos. Ditos de brim pardo finos e ordinariee. Ditos c. alpaca branca
da ct-es de S^fOO a 5|J000. Calcas de bri de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas ae qualidades. ditas de ftrim- parda fino e ordinario, ditos de easemira
de cot e preta. de 4#, 5f5, 05 a 45^. Golletes de todas as qualidades e preco meito
barato. tiom{ilett> sortimento de camisas francezas de agodS e de linbo de 20 at 5tf
tima. Sortimento. de- seroula francezas db algodao, de linho e bramante-a 2$ e 255>0.
Gravata* (mantas) aovissimo gotto a lo Jos os precos*. Meias sortimento aompleto a 3$.
4 at 7 a duzia.
ROUPAS I'AKAMENIIWS.
Enearreg>e d quaesquer obras de encoramenda tanto par* homem, coao
para*k03> e coa brevidade, por isso que tem unvbonito sartimento de fazendas de
todas a* cualidades- tanto em gasemiras como brinsr pannos&ios e ootw umitas f*-
Mnu.
FAZS.NDAS
Bramante de tt palmos- de largura a 1-580 o metra.
Cambrai: d cor e tranca.
Alpacas d todas as cares a 640 rs, ocovao.
Poil-de-chvFe com lista du seda fazenda de gosto a VfOO.
Basquines de guipur enfeitadas a 18^000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 28CV 300 e 360-ps. ,
Madapolie- fino a 0^500, 7,->, 84 e 90000.
AlgodSo peca com 20jardas a imo, 53380 e 60060.
Peca de- aigodao largo a 7)5500.
E outras muitas faaendas que ser enfadonho mencionar Chegem i roopa
fetta ojie se est squidando aa- loja ra da Impera tria n. 52 (junto loja de ourives) o
LEftO DA PORTA LARGA
DE
Pamles Portt.
Cal nova de Lisboa
nhegada no oltimo navio : vende Joaqa'im
Ramo?, na ra da Cruz n. 8.1 andar. ___
Jos
KO BAZAR DA MODA
DE
m DE SOL'ZA SOAWS k C,
Ra Nova
VENDE-SE MUITO BAR4T0 PARA LIQUI-
DAR A DINHEIRO.
Luva.
De pelica branca muito frescas, ebegadas
por este ultimo vapor para-bomens. senho-
ras e de cores e pretas para meninoso
par 20000.
Minhas festas
Lindos objectos para mimos, como sejam:
Estojse caixinhas de msica, bolcinhas e
sestinhas, vasos e balainhos. de porcelana
dourada, figuras, tinteiros, port-bonquet,
caixinhas para jutas, interesantes conchinhas
com frascos para excencias, ricos quadros
para retratos, apparelhos de plaqu, cama-
feo e madreperola. lindos vasos com perfu-
madas etc. etc, e muitos outros objectos
para este fim.
Chapeos de sol ou sombrinhas
de setim ricamente eneitados e mais mo-
dernos que pode haver para senhoras a
14,9, 160 e 485000.
GUIPURE OU CROCH
preto ou branco que o pode haver de mais
bonito em padrees e superior era qualidades
para casacos, capinhas, corpinhos, meias
saias etc. e vende-se muito barato.*
LINDAS CAMELIAS
brancas e cor de rosa de dous tamanhos
cada rosa a 10200 e 10500.
Chapeos para senhoras,
de palha fina de Italia elegantemente enfei-
tadose gostos muito modernos de 150000,
vende-se para liquidar a 100000. E' pe-
chincba.
SOFFRIMENT03 DtSTOMAGO, CONSTIPADO -
Cura em poucos das N-lo Cayao DE belloc eiu p ou sin paatiluas.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. Bitf-oaMuta.
upadas rpidamente pela, PIRLAS VETMB H^Cltll.
ANEMIA, A PALLIDEZ c .frimontos .(ue neccssJIsmdo
empirpo dos Cm uginosos sio tcmpit; cotubatidos cora o mcllior. vswkodo
H" """Ae bc vallet. Cada Pilul lera incravad o naue tllUI.
pQ fJE ROG. Ba-t: disolver um frasco d'este p em meio
garrah d"agua par e obtr uuia limonada grdavel que purga sem 1-
ler clicas.
VINHO DE QUINIUM de aburr. ** "inlio, um dos
poneos cuja companejo c garantida constante, urna d.is ni. lliores prc-
paragoe de quinino, sem aceito notavel sobre os conv.ilcsoenles, dande-
lbcs torc.il e aprestando volt a saude. Cura as febres antigs que re-
sisti ao sulfato de quinino.
MOLESTIAS DA BEX1GA. A maior parte destas motas-
tas, como as sctaticis, lomba.-n-. catarros, e todas as dores nervosas em
geni sSo curadas pelas perolas oe essencia de thereb:ntiha do
l)r. Clcrtan. 0 prtfeieor Trousscu em seu Tratado de Hierapeuiic acon-
tellia as para serrn tomadas na occasio do jantar, na dose de 4 a 13.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH.
Garantido puro e de priinoira qualidade, uin dos poucos aprovados pela
Academia de medicina.
AVISO. Todos estes medicamentos feram aprovados pela Academia
imperial de medicina de Varis.
Rio-Janeiro
lliihia..
Era Paria,
Din>N'ciiF.iA ;
TiMoara.
IlASSEOtC".
DBIOSITO
L. FRERS, 19, rna Jarcb
Ilfrr.M\:.s i l'eritambuco. IUcrrk *t Ch.
Ccara.....lUenEf ot O.
0 cordeiro providente
Rna do rweiwarfo f .
Sovo e variado sortiiMntf) de perfumara
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento d perfu-
maras, de que effectivaaiente est protida a
loja do Cordeiro Presidente, ella ac* da
receber um outro sortimento que M torna
aotavel pela Tariedade de (*jecto, superior'
dade, qualidades e commodWaie a fre-
cos; assim, pois, o Cordeiro Presidente pede
e espera cofnwtar a merecer a aprccncSe
do respeitavel publico em geral e de sui
boa freruezia em particular, >2o se tim-
tandt efle de sea bem conheeda mansidle
a barateza. Em dita loja enctfltrario
ipre ciad ores do bem:
Ago divina de E. Coodray.
Dita verdadeira 69 Morray & Lamman.
Dita de Cologne i.ijrreza, americana, fran-
ceza, tois dos melhsres e mais ac.-editado
fabricantes.
Dita de flor de laraafpiraa.
Dita do Alpes, e vicete para toilei.
Elixir odontalgico para conserva?) do
ueeio da bocea.
Cosmetiqces de superar qualidade cha-
ro agradavei;
Copos e h:ss, maiore e menores, coa
pomada fina para cabello*
Frascos com- dita japonesa, transparente
a oatras qualiJades.
Finos extractos inglezas--, americanos a
francezes em fnacos simples- eonfeitados.
Esaenoiaimperialdo fino-eagradavelchai-
ro de violeta.
Outras concentradas e da ebeiros igual-
mente finas e agradaveis.
0!e^ philoeoroe verdadeifo.
Extracto d'olee de superior qualidade,
com eavolhids ctseiros, em frascos de dille-
rentes tamaitos.
Sabonetes em barras, roaiores e menores
para maos.
Ditos transparentes-, redoados e em fgo-
ras de menino.
Ditos muito finas- em caixioha para barba
Caixishas com bonitos satenetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
tus perfamarias, muito proarias para pra-
lentes.
Ditas de ppela.igualmente bonitas, tam
bem de- perfumaras finas.
Bonitss vasos do metal coloridos, a a
moldes novos e elegantes, som p de arroi
8 boneca.
Opiata^ ingleza a francenpara dentes.
Pos de camphara entras diffepantaa
qualidades tambem para dentes.
Tonko orientali da Kemp.
itiimala) miai c^ajitca.
Um outro sorimeoto de coques de no-
vos e boaitos moUes com tilets de vidrilho
s algias dalles araados de flores e fitas
estao todos expostos i apreciarlo e que
os pretenda comprar.
GOLLINHAS I PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicio.
Flvellam e lias para ra toa.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolba ao gosto do com.'
prador.
XARO PE
VEGETAL AMERICANO
C SAL DAD C
DE
Acabam de ebegar grande quantidade das verdadeiras machinas amencanat
para descarocar algodao de todos os systemas e tamanhos seguintes :
42 serras 12 serrss
ditas I* ditas
ditas 15 ditas
ditas 16 ditas
ditas 18 ditas
ditas 20 ditas
ditas 22 ditas
ditas 25 ditas
ditas 30 ditas
ditas 35 ditas
ditas 40 ditas
14
15
16
18
20
22
25
30
35
40
BARTK O LO M> E O & C
Han a em certa in tossc antigs e recentes, cjia-rhn patmonar, asthma; tosfe eonvolia, eatirrh;
VoDehi.'s, o em goral contra tolos os soffrimentos das fiai respira lorias.
DEPOSITO GERAL
^BOTIC^V E3 DROGARA
34, RDA LARGA DO R0ZAR10, 34
PERNAMBUCO
Venderse urna propriedade na cidade de
Olinda, enllocada da maneira seguinte : na frenta
da igreja de N. S. do Carmo, tendo na rotsma
urna linda campia, boa vista para o mar e recito
muito perto aos banhos salgados, rodiado aos pri-
meiros templos daquella cidade ; o dito predio
nm sobrado de um andar -com commodos para
duas grandes familias, com dous portSes de ferro
grandes, sitio todo murado, alguns arvoredos,
com baixa para capim, e laTanra tanto de inver-
n como de verSo por ter bastante agua com um
olho de agua doce permanente, qua-unnca spe*a,
eoeheira para carros, em chaos proprioa, orJ.
terreno para faier duas ruaa de casas, livre e oe-j
embaraeadaa: quem o pretender dirija se tf
dade de Olinda. no sobrado do pateo da. Carmo
n. 2, que achara com qem tratar.___________
Vende-se 12 cadelras novas, 2 consolos, i mesa
de
ieiro de
de amarello, por prego
; roa da Imperatm
s quaes se vendem por precos commodos e roga-se as pessoas que dellas fiaeram en
commendas de alguns tamanhos, obsequio de as mandarem busca-las o mais beve pos- redonda, t dita de jantar, t relogio de cima
Sivel afim de n3o haverem faltas. 1 mesa, l par de lanternas de vidro, 1 caadieirc
m RA DA ^Mim|56 A
WM Ra*'*" --a-^^^^^^^BB W^^^ *1^- "
MU1IIU0
| gaz e 1 marqueza,
[commodo o nina
73.
A theripevtiea das dirersas molestias do peito, desde
a pharyngite oo mal da garganta at a tulcrcula(4o
pulmonar, passando pelas dirersas broncbiles calarrhaes
a o emphTsema acaba de ser enrequecida com mais
e>te medicamento, qne tomara a primeira ordem entra
lodos at hoje conhecidos. O jarope Vegetal Americano,
garanlindo paramente vegetal, nao conlm em sua
composifo nm so tomo de opio, sim somenlt suc-
c*i de plantas indgenas, caja* propiedades benficas
ni cura da molestias qoe pertencem aot orgos de res-
plracio foram por nos observadas por longo tempo,
cam ptimos resultados cada Tez mais crescenies; pelo
qne nos jnlgamos antorisados a eompor o xarope que
agora apresentamos, e a oflerece lo aos mdicos e ao
publico. Provamos com os attestados abaixo o que le-
mos dito, e contamos qne o conceito de qne j gosa
o xarope Vegetal Americano crescera de da dia,
deiando mnito ipos da li todos os pailones em toga.
Illm. Sr. Barthalomeo C0 xarope Vegetal Ame-
ricano, preparado em ana conceilnadissima pbarmacis,
um ntil remedio para cotnbater A terrirel asthma.
Sofra en aquella molestia ba qnatro meus, sem ainda
tei combatido os ataques toensaes qoe tinha; este ultimo
que tire foi fortissimo que me proston por 8 diu, nsei,
porm o sen milagroso xarope, tomando apenas tres
dosis, e at o presente nao (ni de doto atacado. Ptasa
. qoe en flqoe reitabelacido por ama val. Boado-
K
VERDADEIRAS
PILULASdeBLANCARD
COM IODURETO DO FERRO INAt.TERa.VEL
APPBOVADAS PELA ACADEMU DE MEDICINA DE PARS, ETC. .
possulndo as propriedades do lado et do farra, convem esperlatmente as Arreccots
BSCHoruiosAS, a Tsica no principio, a fraqueta de temperamento e tambem nos casos da
Falta di con, amenorrhea, em que precisareagib. .-obre o sangus seja para restituir
Ihe a aua riqueza e abundancia normaos, ou para provocar regular o seu curso peridico.
- N. B. 0 iodnraU) da ferro impuro oo alterado i um medicamento infiel,
irritante. Como pro-a de purexa de aathencidade daa -evd-Jer. r.
hala* 49 BUacard, deve-w exigir nosso sella e rala reaati-a a
traa, aqni reprodnrida, que se acba na parta inferior da tu-
la -erae. Dere-M desconfiar du faliificacoi.
ajeaaaaiajfrawM-eifts. PkarmmettUtcc,.r^aMtn^urt, 40, PsHa
ajaajj|i|P|-|ai__a__*mBa^^
lhe, pois os meus aprdecimentos por me ler aliviado di
Uo horrivel mal. Com a mais signiflcalira gralidao
snbscrevo-me deVmcs. afTectnoso e reconhecido criado
Semino Dnarle.Sna Casa 14 de fevereiro de 1868
Illms Srs Bartliolomeo 4 C. Depois de qnasi seii
metes de sofJrimcnlo com urna tosse incestante, fa-tit
extraordinario, expectoracio de nm catarrbo amarelh.
do, e perda total das torcas, que o menor passeic
me fatigara completamente, cansado de tomar mnis ou-
tros remedios sem resultado flve a fcbcidadedesaberq'it
Vmcs. preparavam o xarope Vegetal Americano, e coa
elle, grac a Dens. me acbo rastabclccido ba mais di
dois meies, e robusto como se nada tivesse solTrido. i
gratido me forca a esta declaracio, que poderlo Vinca
facer o aso qne qnixerem. Sou com eslima de Vmcs
muitos respeitador e criado. Antonio Jnaquim di
Catiro e Silva. Becife 8 de fevtreiro de 1868.
Atiesto qne nsei do xarope Vegetal Americano, di
composieto dos Srs Barlholomeo 4 C para enra de nm
forte di-fluxo qne me tronie nma rouqmdAo, qne me nlt
faxia edtender, infiammacio e dor na garganta, toase,
grande taita derespiracAo. e liquei completamente re.
tabelecido com nm t vidro do mesmo xarope; pelt
qne Ibes protesto ele.na gralido. Becife 10 de ja-
neiro de 1868. Jooouist Pereira Arl"*;iaiier. -
EsUo raconheeidoa.
DA
mtFt iiAcnrtmttBMA
DE
Tcixeira Uldurtco Sf C
Acha-se rnda este ptimo rati, mu* qu-
pode suppnr falta do princeza de Lisboa, por ser
de mui agradavel perfume, viajado, e a preeo
mais mdico possivel ; e por isso lera sido aiain
acolhklo as praras da llahia, dn Rio de Janeiro -
em ouras do imperio : no escriptnrio de J.oquu.i
Jos Guacal ve Bel i rao, ra do Commereio a-
mero 17.
uousDAcae
de fazendas.
Na rita Nova n. 4B, anda restan) algnmas ta-
zendas que se vendem por preros que admirar..
como sejam lazmlias a 300 'rs., mo com listas de muito lindas cores a 300 rs., chita?
a 200 e 300 rs., gr-inde qu.'iniiihile de cambraia-
dc muito lindos padroes a 300 rs., c outras mni-
las fazendas quo pela sua boa qualidade se tor-
nara reeoinmendadas para casas de familias.
Grande quantidade de paletols de seda, de panno
fino, de rasomira, do bombaxina (pretos e de te-
res) que se vendem por todo o preco para liqui-
dar, aproveilem a pechinclia que est findand'-
Sitio fresco e santtol

Vende-re nm pequ< n > sitio mnrado, ecm boa
eaaa de sobrado, casa para feiUr, cochera, estri-
baria, boa agua de heber, tjade cacimba con.
bomba c tanijue par banho e para lavar rena.
muitos: arvoredo- de dillerentes aualidadw, etr.
situado beira do rio, no ponto mais alto da Torre,
e o mais saudavel do*i arrraores dasla cidade
tratar na rna Nova u. 19, 1* andar.
CADET
CURA
em TES DAS
Ph^BDenainT
PAR I S ^
Paria, 36,RnaTlTtaoBa, V
CHABIEMEOCCIN
aaiinnreniiiDADAs dissexuajes, as
COKS CVJTArTtAS.K ALTKKACOMPOI
00mrasasaaapiafs-s
DEPURATIF
i. SANG
ereasa, aiilaaan m
do aatigue. (Xarope vegetal
raai-as reseaaee BJJ
tomao-se dous por semana, aaf alada a
Depurativo: i amurecado aas
PLUS DE
CO PA H U
:----j...-----"T-'m
IdMUdt
atente os /luxee e floree brancas daa i
lata injeceao aeaifia amprap aa eota Taripi m
Citracto dt ferro.
eauarraidUss. Pomada qae u ara am ana
POMADA ANTIHERPETICA
Cootrai aas mffeceoet evtmneu
/
I
\
PILULA8 VE6ETAE8 DEPURATIVM
lo a' CbaW ada frtttt raj
f!haiat-
m /




nH
n


n
Diario Je
DE
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
aaoa m niai?aiaavia8o* DE
FLIX PEREIRA DA SILVA.
0 proprietario d'este grande estabelacimento, vendo que se est aproximando o fin-
do anno, e tendo era ser um grande deposito deposito de fazendas; o3o fallando em
avoltadas encomraendas que lhes estao obrigado todos os dias, tem resolvido liquida-
os por prego muito mais baratos do que em outra qualquer parle ; s com o Om
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encootra-se neste estabelecimento do
PAVO, avultado sortimento deiaz^ndas de laxo e modas; assimcomo de primea
^ecessidade. As pessoas que negociam em pequea escala n'esta foja poderao surtir-
ce vendendo-se-lhes pelos precos que compram, as casas inglezas; assim como as ex-
.ellenssimas familias poderao mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou raan-
dar-se-ha levar pelos aixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
leba constantemente aberlo das 6 bofas da manba s 9 da noite.
LAAZINHAS MODERNAS NA LOJA DO PAVAO
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sonido das melhores roupas,
sendo calcas palit&ts e coletos de casemira,
de panno, de brirn, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
fam desejar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, coma maiorpromp-
tidao vontade do fregnez, e nao sendo
Chegou para este estabelecimento ura grande
sortimento das melhores e mais modernas iaazi-
nhas para vestidos, sendo lapadas e transparentes
de todos os precos e qualidades que se vendam
mais barato do que em oulra qualquer parte.
Crochs para cadeiras e sofs
O Pavao tem ura grande sortimento dos
mais bonitos crochs proprios para cadei-
ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
como proprios para cobrir presentes, e ven-
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte,
GLAOE' A 1:200 PARA VESTIDOS
O Pavita tem esta nova fazenda lisa pro-
MUNDE N0V1D4DE
Quaado a AGUA RRRNCA, mais precisa scientificar ao respeitavel publico om
geni, o era particular a sua boa freguezia, da immensidade de objectos que ltimamen-
te tem recetado, justamentequando ella menos o pode fazer e porque essa falta invo-
luntaria ella cona e espera na benevolencia de todos que lh'a attenderao e relevaran,
continuando portanto a dirigirem-se a bem coohecida leja da AGUIA BRANCA ra do
Qoimado n. 8, onde sempre aebaro abundancia em sortimento da superioridade em
qualidades, modicidade em precos e o seunuoca dosmenltido AGRADO E SINCERIDADE.
Do que cima fica dito se conhece que o tempo de que a AGUIA BRANC V pode
dispr, empregado apezardeseuscustosnodesempenho de bem servir a aquelles que a
honrara procurando prover-se em dita loja do que necessilam, entretanto sem ennutne-
rar os objetos que por sua natureza sao mais 6onhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja importancia, elegancia e novidade os tornara recommendaveis, como
btm seja
e nao sen
abrigados a acceita-las, quando nlo stejam pr ,ara"vsdosT com7s"mais" delicadas
completamente ao sen contento, assim como cores e eom mais )usfre do a a
n'este vasto estabelecimento encontrar o seda com i palmos de largura que facilita
respeitavel publico um bello sortimento de fazer.se quaIqaer vesldo *om fo jj^,
omisas francezas e inglezas, ceroulas de e vndese pelo baratissirao preco de 1:200
anho e algodSo e outros muitos argos rs, 0 covado> pechincha.
Organdys a 360 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores com padroes miudos egraudos. sen-
do todos de cores fixas, pelos baratos pre-
cos de 360 rs. o covalo.
proprios para homens e senhoras promet-
;endo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA. '
Vende-se urna grande porcSo de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavao ra da Imperatriz |n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavo.
Encontra o respeitavel publico neste estuboleri-
rr.ento um grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam, cassas francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de la de
.odas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, laaziulias, alpacas lavradas e lisas, canto,
oombazinas, merino, etc., que ludo se vende por
[.reco barato.
AS CASSAS DO PAVAO
Covado a 300 rs.
Vendem-se flnissimas cassas francezas com li-
dos desennos e cores fixas a 300 rs. o ovado.
Madapolo francez a 7$000 re*
Vende-se peras de madapolo francez
com 22 metros pelo baratissimo jrreco de
-7oooape?a, ep^.'cnmcna. ~
Alias navidades em sedas
Chegou ura grande sortimento das mais
moder jas poupelinas ou gorgures de seda
e linho com os mais elegantes padroes que
:em vindo a este mercado sendo, miudos e
jrandos, tanto em cortes para vestidos como
para vender em covado, ., assim como um
bonito sortimento das mais bonitas sedas
listradas que se vende tudo muito em esnta
Grosdenaples de cores
Chegou um grande sortimento dos mais
bonitos grosdenaples de todas as cores para
vestidos que se vendera muito mais barato
-lo que em outra qualquer parte.
GRANDE PECHINCHA A 5:000 RS. PECA DE
Breiauha
Vende-se pecas de superior bretanha de
algodi tendo quatro palmos de largura
com 20 varas ou 22 metros cada peoa, esta
fazenda seria para custar 8(5000, a nao fer
una grande compra que se fez, e liquida-se
a 5i50OO, cada peca.
m 21 m mm de
LASINHAS LUSTROSAS A 400 RS. O CO-
VADO,
S o Pavo
Vende-se um grande sortimento das
mais modernas e elegantes lasinhas para
vestidos, com as cores mais novas que tem
vindo a este mercado, sendo com listrinhas
miudinhas que parecem de urna s cor e
com tanto lustro que imilam perfeitamente
s poupelinas de seda, e vendem-se pelo
barato preco de 400 rs.
Bretanha de rolo a 4500 a
peca
Vende-se superior bretanha de rolo ten-
do 10 varas ou ff metros com 4 palmos
de largura pelo barato preco de 2iJ500,
pechincha.
OssetinsdoPavo
Vende-se os mais bonitos setins de cores
e mais encorpados proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
AOS PALITOTS DO PAVO A 18 e
200000.
Vende-se um bonito sortimento de palito-
ts francezes sendo, sobrecasacados e pro-
priamente sobre-casacos, que se vendem
forrados de alpaca a 18(5000 e forrados de
seda a 20*5000, pechincha.
COLCHAS DE PSTAO
Na loja do Pavao vende-se um grande sortimen-
to de colchas de fosto sendo brancas e de cores
ditas de croch para camas de noiva, assim como
qomtoft damascos de lia para colchas.
Na loja ao Pavao vendem-se os mais
bonitos chales de wdadeira cachemira de
cor, com o* desanos mais modernos, a 6/1,
10 e 122IOOO. muito barato na roa da Im-
peratrix n. 60.
BASQUINAS A 12(5000
Na loja do Pavao vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
pelo barato preco de 12(5000 cada urna.
Corte de organdys com barras
Para a laja do Pavao ebegaram, os mais
bonitos cortes de organdys com barra, sendo
cada um em seu cartao, com o competente
fijrorino, muito proprios para fazer- pre-
ALGODAO ENFESTADO
Vende-se urna grande porga de aigodo-
sinho americano com 8 palmos de largura
proprio para lences e toalhas tendo liso e
trrncado que se vende por prego muito em
con* a.
raaos de linho
Chegou um grande sortimento de pecas
de panno de linho do Porto que se vendem
de 700 rs. at 1,5000 a vara, garanindo-se
que em fazenda de linho nao ha nada me-
Ihor, nem mais proprio para lences e toa-
lhas.
PECHCIIA EM CHAPEOS DE SOL
Ghegotrnm gnrffOe" soi-ilmento dos me-
lhores chapos de sol de seda, inglczes ten-
do neste art go o mcitiur que tem vindo ao
mercado assim como urna grande porco de
se vendem por proco muito mais barato do
que em o tra qualquer parte, por haver
grande pergao.
Leudos braueos
Vende-se um grande sortimento de len-
cos brancos para homem, sendo a duzia a
1,5600,2,5000 o 3-5000, ditos ahanhados
muito linos a 45 e C$000 a duzia, ditos de
esRiiiao
73000,
fazenda muito superior a 5^, 6.5 e
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com Gtas de setim e obras essis
cuja novidade de molde e perfeigao de ador-
nos (s tornara apreciados.
Filas mni largas de diversas cores e qoi-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer mierendo descreve-los minuciosameote
por suas qualidades, coree e desenhos, tai
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao massar o preten-
dere se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Entrcmeios em pecas de 12 tiras.
Guipure branco e prcto de diversas qua-
lidades e desenhos.
. Di'os de algodSo com flores e lisos.
V'jos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados^
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melbor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos ,e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinbos.
Aspas para balo.
No vos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
urnas substitnem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados enancas,
meis para ditos. i Diversos objectos de porcelana, proprios
Camisinhas bordadas para ditos. para enfeites de mesa e de lapinhas.
SORTIBEMO PARA A FESTA
Vende-se por menos de 10, 20 e 30 i0
SO' NO
CONSERVATIVO
Pcchicha era cascrairas a v;000
Vende-se flnissimas casemiras de cor com
lislras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores mais novas e mais bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baratissimo preco
de 4&000 o covado ou 70000, cada corte
de calca.
Os baloes do Pavao a 2&000,
Cheg u um grande sortimento de bales
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 2#000 ca-
da um grande pechincha.
AS CAMBIIAIAS DO PAVO A 4:500 RS.
Vende-se urna grande porco de pecas
de flnissimas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, cora mais de vara de
largura pelo baratissimo preco de 4#500, a
peca sendo fazenda que nunca se vendeu
por menos de 8)5000, grande pechincha.
AS POUPELINAS DO PAVO A 500 RS.
Chegaram as mais lindas poupelinas de
la com imitac3o das poupelinas de seda,
urna fazenda muito leve com as mais lin-
das cores, sendo: verde Bismark, rxa, azul
lyrio, c nsento, perolla etc, etc. e vende-se
pelo baratissimo preco de 500 rs.
Fustoes brancos para vestidos
Chegou um lindo sortimento dos mais ba-
ratos e bonitos fustoes brancos com listras
e cordes, sendo fazenda bastante larga e
flexivel, muito propria para vestidos e rou-
pas de m'nios e vendem-se a 640 o co-
vado.
BONITAS LASINHAS
OU ANAD1NAS A 1,5000 RS. O COVADO.
Chegou para o Pavao, um grande e va-
riado sortimento desta nova fazenda de 15a
e seda propria para vestidos, com os mais
delicados desenhos e mais modernas cores,
tendo bastante argura que facilita fazer-se
hm vestido com poucos covados, pelo bara-
tissimo preco de 1)5000 o covado, por j es-
tarem muito prximos da festa.
CRETONES MATISADOS PARA VESTIDOS
A 640 E'800 RS.
Para a loja do Pava chegaram os mais
bonitos cretones escuros matisados, pro-
prios para vestidos, roupao chambres etc.
qoe se vendem 800 rs. o covado, assim
como a mesma fazenda em padr5es claros
proprios para vestidos e roupas de meni-
nos a 640 o covado, sendo os padrSes mais
moderuos qoe tem vinpo ao mercado.
Chitas francezas
Para a loja do Pavao chegaram as mais
finas o bonitas chitas escuras, propriamente
francezas, e vende-se a 500 rs. o covado.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 410 e 500 rs. a garrafa^ a 2800 e
35200 a caada, 660 e 720 rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 4,5000.
a
N. 23Largo fio Terpo.. 23.
DE
SIMAO DOS SANTOS ir C.
Os proprletarios desle bem sortip armazem de secco e molhados esto re-
sol vidos 2 fazere urna grande diminuigao de precos as suas mercadorias, como se apro-
xima a festa e sempre se fazem avultadas compras para o centro e praca, por
sso previ nem ao respeitavel publico em geral, que mande fazer suas despencas e cer-
tos de que vero a grande diflereuca em piceos mais do que em outra qualquer parte
e garantindo-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 9500 a lata, e 44ft SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 660 rs. o litro. 620 rs. o kilogramrao.
VINI.O VERDADEIRO FlGUEIRA 560] FARINIIA DE ARARUTA VERDADEIRA
agarrafa, e 4^500 a caada e 800 rs o ti- 640 a librae 14400 o kilograramo.
tro. BOL^XINHA INGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 800 rs. o kilogrsmmo.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso, em caixa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
canada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro. RANCA, 280, 400 e 56f> rs. o masso,
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA 35200 e 65500 a groza.
00, 240 e 320 rs. a garrafa, 15400, AMEIXAS EM LATAS E CACIIINHAS
14800 e 25200 a caada, DE MUITOS TAMANHOS 15280, 25500
\ZEITE DOCE DE LISBOA a 900 rs. a 3>oOO, 45500, 55500 a lata e a 'relamo e 15
e^m^tS&k%f3ZUm a MMADEMJLHOAMEmCANAUOOrs
JES" """' ""'" U^ffiTMMKSu rs.
DIT\ FRANCEZV 960, 900 e 850 rs. a llbra> em ca,xa faz"se abatimento.
a libra, e 25IOO, 15980 e 1.5860 o kilo- SERVE JA INGLEZA MARCA H 55500
erammo duzia e 500 rs. a garrafa.
DITA* PARA TEMPERO 580 rs. ali DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS d
bra, 15220 o kilogrammo, em porco s* BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a duzia.
far abatimento. VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANHA DE PORGO DE BALTIMOOR i DIVERSAS MARCAS 15500, 15200, 15 e
720 rs. a libra, o 15560 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
porcSo se far abatimento. ; GENERRA DE HOLANDA E HAMBUR-
' ARROZ DO MARANHO E DA INDIA GUEA 75 e 65 a frasqueira, e 500 rs. o
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
35400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 65000 a arroba.
CAF EM GRAO 65 e 65500 a arroba,
200,240 e 200 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo m sacca se far abatimento.
SARAO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a libra>
15220 o kilogrammo.
BOLACniNHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
lhante, combination, Francy-cracynel, mixed
Britania. Mdium, JFancy-nic-nac, a, b, C, e
soda a 15000 e 15400, cada urna lata.
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
115 a frasqueira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35000, 25800 e 25400 em caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISROA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 115500 a arroba.
LINGUigAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 15000 rs. a lata.
LOMBODE PORCO ASSADO JA PROME-
TO a 15000 rs. a lata.
CHA FINO. GRAUDO E MIUDINHO
35200 e 25800 a libra, e 65100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 25000,
25200 e 15800, rs. a libra.
0 Campos da ra do Imperador n. 28.
no intuito de servir satisfatori mente aos
seus innumeraveis amigos e freguezes, em
particular e em geral ao respeitavel publico,
desta cidade ; avisa aos saudo o tempo calmoso, nos deleita
arrabaldes desta capital, que tem resolvido
vender, de de superior qualidade, a precos
razoaveis, os seguimos gneros a saber:
PARA CIMA DE APARADORES
Latas com doce em calda de diversas
qualidades nacionaes e estrangeiros.
Ditas com pei.xe a saber; salmn, oslras
e lagostas.
Ditas com enilhas francezas c portugue-
zas.
Ditas com gela francesa.
Cerveja franceza verdadeira Bobee.
Presunto para fiambre e afiambrados.
PARA DISPENSAS
Latas com eliouricas novas sendo de S5,
cada urna.
Presuntos de Laniego para tompeiro.
Cuias do Para (pintadas pelos indgenas
daquella provincia.
Copos de vidro com dobradiga e lampa
para diversos misteres.
PARA OS QAftTOS DE DORMIDA
Porta-phosphoros ebeios de phosphoros
de segnran^a.
PARA SALA
Churutos de S. Fex do afamado fabri-
cante Costa.
Fumo picado do Daniel de S. Jo3o do
Rio de Novo.
Alm desses genero?, o Campos tem con-
vicc5o de que o seu estabelecimento um
dos que podein satisfazer <:om garantas as
exigencias bem entendidas, dos Ilustrados
habitantes desta heroica provincia, porquan-
to se acha elle bem prvido de gneros su-
periores, de maneira a nao desmentir
wr
TURA.
.U'aL.im de clwgar no Grrniih f .r t.i..
ra Nova n. Cnrneiro Vinnu.i Mi em
lo sortimeoto de machinas para e
lores iRai*4Bnhcciilos, as qu i
iiDsm.i Bazar, garanti 11
iiladp, e tambera fnina-se 11
os compradores. Estas m.-i'-hin.-i- ao igua
sen traliallcj ao de 30 eustun ;r.'.-. Ji.irunu"rw<
:.il exilio (i.i me
lam-e trabalh liados
niesnia-, ,jue niu'j il.-vem ;-v;.J..r os pr-'-. '-
deni.
O Campos.
Armazem da Estrelu
iCnc* 99 de \oierufno a. ?*
Xao ha dnvida i or falla de eonprioHMM e -
guras de madoiras do pinito, nao a i|ti fe da
de fazer clna<. puis rua m merrado do I.
2i pol!i}8ad33 de largur asami e m |uiid
desdo o branco plnbo aoteneano ahj o er.coor -
do de rezina : portanto os tmutau'm d.
aproveitar a occasiao, pois te;n pnacUraa
50 palmos de Cmpriuionto para di-ls. tu
tambern complclu soilimcnij depiuldOM
para eonvs de navios, e serrad) em labua *
rorro, para fbndoV de barrtea, preferrH a
uaaiqoer ..ir cansa de iir |K de '. a I0 a duzii, reines de tala. ; Mbad A
lal para forro de navios, c fregadura- par-.
mesrr.o?, indo de conformidade rom i s pt(f
mercado : noantigoe besa eoabecido aywMei
Paulo Jos Gome* St Ciiniaco.
DO
BRACO DE OURO,
Ra do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento encontra-se
diariamente um variado sortimento de bo
linhos para cha, pastis, podins, bollos in-
glezes, pes de l, presuntos, ditos un fiam-
bre, superior cha Hysson. preto, e miudi-
nho. Vinhos finos iie todas as qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, fruclas muito boas, por-
luguezas e francezas.
Um completo e variado sortimento de
caixinhas de todas os gustos c precos para
mimosear senhoras, estas caixinhas recen-
temente chegadas de Paris sao de pringa-
do gosto, offeresse-mo-Ias aos galanteado! es
do bello sexo pois nellas acharo nm digno
e serio presente para as "donas dos seus
pensmentos. Tambera os apreciadores da
boa fumaca encontraro charutos dos me-
lhores fabricantes da Babia e de Ha vana
sganos da Ro de Janeiro ele. ele.
D^es d'ovos seceos, christalisados e de
e.alfla. ditng '^" '*a'"' fl-^" f>"<,-'< qiialiiladu*-
Nesia casa recebem-se encoauaendas para
bailes, casamentes e baplisados e qualquer
eocommendas avolss, como seja pao de 16
e bollos enfeitados e outros muitas couzas
que enfadonho me.na-ionar.
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vcgeni, xarope de sabapm
do Pat.i, pilulas c xarope de vetaine,: -
tura e xarope de sicupiru.
Doenras do ligado e ka$o, an
mia, opilaco, ele.
Einplasio, oleo, pomraada, tintura,
lulas, xarope e vinho da mil.ijrosa J -
beba.
Sezftes ou fehres inlerniteHl^s
As pilulas anti-periodicas de Pinte.
nico deposito d;stes BfedicaOMpto* .
pharmacia do seu aulor roa larga io
sario n. 10, junto ao quartel do corpo -e
pliza.
NA P1IARMCFAD0P1XT0RUA LARC i O
ROSARIO N. 10 JUNTO AO Ql'AP-
TKL DE POLICA.
Acbam-se constantemente proapta- a
serm salifetas, as preseiipces dos
facultativos, e as necessdades dosenfe.
s especia I ids des da mesma pliarm.1
composta de medicamentos, uni ind
as. como estrangeiros.
Teeses e molestias do pcii
X.:, ipes de fedeposo, rabo do ta; :,
Agnao, pao Cardoso, juca, mu longo,
tamba, etc, ele,
COliNAC.
De superior quaiidade da nii v
da fabrica de Hisquit Dtibouth Al'., t
cognp.c urna das que mais agowdeoic t
cognac, i'ornecem para o mMHkl
Reino ila Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Jutt. ru* ;"
conimcrcio n. 32.
Ai.toni.jib i '
paia a Europa, veole sua .-a e ; -
voado dos Mun'^. roa easa se echa I s
I (,...^1.1.. |,ii.i |-..i,. .|i,i.^inr ;.riu-r,.:.i'i:-
tambern so ra nejn ei i a pr; i >: a tral ir nn
i:: i. ; | ,11 n na rna ilai Cioc1 '.' W '
Vende-se nomina, firija i e rra de ea u
em saceos : na na d i Oama le a. :i, pri i
andar.
Resta venda um esoihido sortimenlo de oh
ectos de marcineria, cerno sejam, mobiiias de ja-
iara'ndjiiioBaoeaiuareUo, ubra nacional e estra-
jeira, de apurado go^o e poi1 prisco* razoaveis :
aa ra estreita do Rosario d. i. Xosta mesm
asa fazem-se com perfetrJo todos os trabailios df
jalhinha, eomo sejam, empalbamento de lastro
>ara camas.cadiir.isf sopl
Farinha da trra
Manoel Jos; Alves coatin. a ler farinha da
trra para vender : na na da Praia n. :!.
Labyriiitlio.
Chegaram roa do Grepo n. 10, superiores
grades de luhyrintbo do Ccari, sjae M vendem
muito em conta.
RIJA DA U IOKI A M* 5
Olaria do Fundao.
Ha sempre nesta olaria grande sortimento de
materiaes, como fijlos de venara Latida, ladri-
Iho, quadrado do 8, 9 o mais pnilegadas, telhas e
telhoes, fijlos de tapa.nentos. O proprietario des-
ta olaria garante a bondade e !>arro de taes mate-
riaes, como tambern vende-se mais "earato do iiue
em ontra qualquer parte.
Pinga do Douro.
Flix Pereira da Silva roceL3u novamente per-
ci de barr* do bem conhecido e execllente vinho
puro do Douro, muito proprio para mesa, e vende
por preco commodo : na ra da Imperatriz nu-
mero 60.
loja e armazem do Pavao rtn da Imperatriz n. 60.
Assim como ha outros muitos gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
muito novas, passas e figos novos, charutos de diversas maceas, marmelada, feita pelos
melhores conserveiros em Lisboa, gela de marmello, pcego, ervilbas, em latas, por-
tuguezas e francezas, vinho verde engarrafado retamo, peixe em latas, bem como
pescada, tainha, pargo, gnraz, lula, corvina, vezugo, cavalla, sarda e sardinhas de lan-
tes. Oanella, cravo, ervadoce, cominho, pment, grandesmolhos de sebolla i 14500.
Finalmente muitos outros gneros que enfandonbo menciona-los.
PAR a festa
3 portas, loja de fer-agem
53-Rua Direita-53
Xeete grande estabeleoimonk, ha para vender i
um completo soriimentd de ferra^m, e miudetas'
finas e grossas, como sejam bandejas cbmezas
quadradas e ovaes, facas e garlos e 1 2 bo-.
t5es, balando inteiro e {[i balanco; panellas, cha-;
Iheiras, cafarollas, i'rigid'iias, assadeiras, tanto
de ferro como de porcelana, moiohos para caf de
diversos taaianhos do fabricante Japy, pesos kilo-
granmos. tanto de ferro como de latao, metros
para medir fazenda tanto de ferro como de latao,
salitre, breo, barbante, enxofre, papel marca via-
do, do verdadeira Pieardo, machinas para desea-
rocar algodo; alm de outros artigos de ferra-
gem, miudezas entilara finas, qne s com a vis.
la se veriflea ; na ra direita n. 53 loja de 3 per-
las de Manoel Bento de Olivtira Braga* C.
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-so no armazem amareflo de Vicente Fcr-
reira da CosU & Filho, flefronle do arco da Con-
ceicao, em harnea grandes.
Unanlas decimaes.
Vendem-se balaneas decimaes de todos os tama-
nlios, paraengenhos .e arma em de assucar : na
easa de Prente Vianna & C.
Lagedo de Lisboa.
Vende-se lageJo de pedra de Lisboa : na ra
da Ci.de|a n. 57, ca
Vdom-se duas casas em Santo Amaro de
Jaboalao, urna na ra de Baiso, prosima felra,
e ontra na rna da Matriz : a trit.tr na ra do Im-
perador n. 57, entrada pelo cae it do Novembro.
VENDE-SE ou arrenda-se o engenno
S. Gaspar, sito na freguezia de SerinhiSem,
comarca do Rio Formoso, prximo do em-
barque, com grandes partidos de pal e
raassap roda da moenda, maltos mangues
para madeira neessaria, bom pasto, etc.:
a tratar na ra d'A.urora n. 20, ou nado
Imperador n. 20.
Manoel Alves Perreija A C, na roa da Mea-
da n. S, 2 andar, Ura para vender superior vinho
do Porto em ancoretas e 'aixas de duzia?, barril-
zinhos com 400 c OO sardmhs soperiores e bar-
ricas com bago do sabugneiro. oo'assa da Hussia
e cal de Lisboa.
seguros manti-
Companhia de
mos utilidade publica.
A directo de eonbrmidade ;om os seus estatu-
tos at. 19, vfndepor intermedio do corretor Ma-
cedo dez acc5es da mesma ,orapanha : para tra-
tar na ra da Cadeia o. 42.
CIMENTO
Da melhor qualidade e por menor prego
que em ontra qualquer parte, vendem Ama-
ral, More ira & C. em seu armazem do Caes
da Alfandega n. 7.
2*5000
Cadeiras de piuho de abrir e fechar
To armazem de Paulo Jos Gomes Gliniaco,
caes 22 de Novembro n. 28, vendem-se cadeiras
de pinho americano de abrir e fechar, proprias pa-
ra armazehs, assim como, pela fcil coWuceao,
pode qnalqer pessoa que viaja conduzi-l.ns sem
incommodo^e lerem assim um assento apropriado
para dcsaMto viagem ; e bem assim a rap:
da, qne nfl V"6 qaadra, proeura os arral
alim de f9H*n nm da livre do calor da ci I
podes jAMiados debaiso de frondosos arbns
tos, **I^^^H"U navana, sem >er precien esta
rem denadoK na relva, *om reccio do serooi i.ior
'iidoi por algum iase:;. vjaenosn. 46^^
mzr
Fugio re da 8 d.< correnlo mea de
bro do 1MG0, do eugcnlio cada, o excavo Paulo, rabia, de il-.de id
altura e c 'roo regnlHre?, barbad, raMsos
pianos, peluis persas bem rabellod-, tara
mareas de l-\as, ti m iuii>-i de rfcfi te |
cosas com parennasd calca de brttii .ard, camisa de bu
po do allia de earnanfen, UA wrravo lio
Luis, mecidar nos Afugadus. leudo o imsio i
cravo mnlner e lilaos neate lugar: p.-iga-se l!> J
de gratiieaoo a ijueni o premfcr e Irvavl
iiili nho. i'i na ru do Cabof n. 11 ao Sr. Kr-
etteo Aliiiio de Brilo.________
Gratificaiio de i'OOJ
Ao ebtgar a esto cidade em sua uiin.a tu
dos porlus do norte o vapor nacional hun,
de bordo o esepavo Sevcrino, mola:, de o0 a
de idade. <|ne do Ceaf remeiiiam os ir*. V
Salgado Sonsa & C. por eonla do Sr. H
Olimpio Freilas, ao Sr. cipnim iibeiro
Abren, i o i'.ii de Janeiro : pedt-e, port uto,
autoridades polieiaes desta cid-de e ar-s opa
de campo a captura do referid* e;ci.ivo, c t
tregarcm nu aos abaixo as.-ignadis ne>ta rl
ao caes da alfandega v.lha u. 2, t|ue ^e re-p
bilieaoi por todas as despezas que se tiaer*,
liflcando mais a ipialquer capilao de quantia cima referida.
Veras A Barhedo.
Aviso s
autoridades ptliria^
(|uoni eompelir
o a
No dia 20 de maio do crrente a
fugio o escravo Ezeqniel, criculo de30 a -
annos de idade, estatura regular, refor..
cor bem preta. cabera redonda, trajava i
misa azul e caiga de cassemira cinzen;
durante o dia cosluma andar ganhando i i
mas, ou em armazens de asstiear oo as ta-
bernas a conversar e a beber; dtraolc a
noite recolhe-se a telheiros abertos, M
netraveis, a casas em construeco c a ootr' s
quaesquer lugares, onde se possa abriga; .
quem o apprehender tenha a bondade de
cooduzia a ra da Aurora n. 26, oo na '*
Imperador n, 20, onde ser gratificado.
Fugio a 22 de dezemheo de 1869, o esc.
Joo. eriouli. pedreiro, idade.50 annos, esta
regular, cabellos branco. nariz chato, disdeot-*,,
bocea grande, pouca barba ; regase a* anlor. j*-
des, capilaes de camp, e a qualquer pessa tu
povo, a captura do seu referido cscrare, rnnda.-
lo a rns do Imperador n. 30. que ser fri-
cado.
Fngi--- !o sio S. Miguel dos aTjSos,
primeires das de novembro, orna e me Loiza, crioula, baixa do corto. ecca, bauui-
la, p*s pei)i.enos, fugio para jiao ir passar a
dizem ei-tar es-.ondida, foi comprada te peo*o
tempo mi Sr Jos Pedro, morador ne roa do l -
vramento. r quem a dita eserava pegar cvir *
casa de commissao para ser vendida, on no
cima, sera generosamente recomposadi.
stous escrafo* fagldM
Fugiram dous escravos do enpellho ftnq:.
fregnnzia da Escada, um de nomo Bonilaro,
bra, que- re|iresenta ter do 20 a 22 annos de da tem feicOes regulares, ponca baria, .)rpo regir-
lar, tanto r.% altura como em gMssafa, la
o cite N rtado rente ; e onlro de nnme P
nado, paiilo, que representa ter <1e 30 a
de idade ie;.i naris aiilado, eabcUo* erria-
no rec -.lar dos encovad-*, si
-eoatta^e tersegui* i,
rsHodc i
r ai- dito enfrM
do Apollo a. 41. a>
quo h raT^^PpE--ado com generosidad*.
w

MUTILADO






8

_
Diario de Pernambuco
Sabbado 1
Domingo
2 de J
aneiro
de 1869.
LmERATSA.
laK>uto Historien e> Ceogra-
phico B aslle'ro.
SE3SJfo> MAGNA A\NI\KHS\M\ KM 15 K
iiM/.KMtiiti) u: 1869.
ifscurso do presidente o Sr. visconde de
Sapucaky.
Obedeceode ao precedo da loi orgnica
! isltuto II torteo, Geographico o Etho-
Sala da MMlo
Dciiul, ca i do
wmivenwii, w*pag^4m-
drzembre de 1869.
Brasileo, venlio abrir a s,-
anniversara de sua mau-
le seis lustros. A
tcstemiinho de sua
00
lographieo
iiii' sesso
guragSo.
Com jubilo ineTivil ilesempcnboa hon-
rosa larel'a, leudo ante os olla a vir-
tuosa soberana, cuja presenga, sempre de-
salada, tornara davidosa nesle rocilo a
triste ciise assusladora que puzera em
risco sua prtciosissinu existencia. Gragas
ao Snpreuio Dador de lodos os bens !
Foram compasadamente ouvidos os hu-
mildes, leosos votos que nessa quadra
ominosa rumperam dos leaes coraees
brasileiros, atormentados por desmedida
affliccao.
Larga vai sendo, senhores, a vida desta
assoctagJo. F.Ha, porem, nao se arreceta
.1 ser cono justiga argida de carecer de
i n i lio! execugo do vasto plano litte-
rario, a que se comprometiera, no i
percorride de mais t*
fecisla Tiiiwn-inl di
perseverante actividade.
Nesse registro social, copioso promplua-
rio de documentos raros, tslo franqueado
a dsposigo dos Iliteratos, amigos da trra
iU Sinta-Cruz, cdices preciosos, so ah
estampados; affarecendo infinitas maie-
iaes ao futuro arebitecto, que corajoso
lome a peilo levantar a majestosa fabrica
da historia patria, seguindo os ousados
, a is de um oosso Mustiado consocio,
que bem merecido das btras brasileiras.
A alindada desto rico repositorio, seu au-
xli i eflicaa, demonstrado oas frequentes
. 'ui-s que delle tm feito modernos es-
criptores.
N porem, smente com a colreccao
de atis irabalhos das geragesque foram
i :om sua publieago, como prescrevem
: s. estatuios, que a nossa revista presta
ao publico importantes servigos. Ella ex-
liibo tambem productos das lucubragoes
do socios estudiosos :. corrigindo nao
poucos erros dos innmeros, de qje eslo
meados em grande parte escriptos de es-
traahos, relativos a esta parte do novo
mondo ; elucidmdo pontos obscuros ou
duvidosos da nossa historia e geographia;
n -ordando pela biographia de brasileiros
lldstres faegoss anteveis, e fazendo final -
ite canbeetf costumes particulares e
trate usados na linguagem menos po-
ida en algumas provincias.
Por este teor di o Instituto adeqnada
appHcatfQ ao que Ihe loi recommendado
na memoravel sessiio do dia 15 de de-
moro de 184!).
I-:' de nielar (disse ento o augusto
protector do instillo), de mister que
ro s reunis os trabalhos das gerages
pass idas, ao que vos tendes dedicado quasi
11 uiiimenle, como tambem, prlos vossos
, o:ios. toraeis aquella a que pertengo
digna realmente d.is elogios da posteri-
ilade.
Os trabalhos realisados no anno de ijue
ira nos oceupamos, e de tudo quanm
lis occorreu nesse periodo em relago
n soaettede, vos Uara" ("'*"
. .na em seu rotatorio o digno prestante
, re trio, ao- qual. no impedimento
que deplore, do erudito e indefesso
rklatomo uno NA sesso pdbijca amnivcr-
SARIA DO INSTITUTO HISTRICO E GCOfiRAPIII-
CO BRASILEIRO, KM 15 BK* DR.KMRUO DE
1869, PELO 2. SKCBETAMO, DR. Jbs Rl-
iiEiiio oe So iza Fon tes.
Senhores.Trinta c um anuos de exis-
tencia conta j o Instituto Histrico, Geo-
graphico e Ellmographico Brasileiro, e vinte
qne vio raiar o dia memoravol no qual o
Imperador, depois de l lo hospedado em
seu palacio, veio sentar-se entro seus
membros, honrar com sua augusta presenga
seus trabalhos, communicor-llics aquella
orga vivificadora que s um mouarcha
amado de seu povo e cultor das c-ffas seria
capaz, e dar o exemplo, com sua assiduidade.
do interesse que os brasileiros devem toniar
pela historia da patria.
Em todo esse longo periodo, senhores.
nao foi anda esta cadeira lo mal preenchidn
como nesta solemne oecasi). Sinto-me
inteiramente acanhado e constragido, nao
s porque me faltam as necessarias liabili-
tagos, como tambem por nao poder
esquecer-rae um s instante que deste lugar
vos tem dirigido a palavra nos annos an-
teriores algumas das ineihores ithistragbes
do Instituto Histrico, c porque, affeitos a
ouvirdes de envoita com sonora voz pulida,
correcta e castigada diego, seris certamen-
e6eofeSe--de A^affa **s- rIofoms jerfla- ios do Pani?my, hwa o valor dos nossos
das das Cordilbeiras. Transmitlida pelos soldados, descreve o feito de .urnas, relata
a morte gloriosa do menino Torres, major
Saaipaio, tenenta Walf, Villajiran Cabrita,
Sr?. presidente e Io secretario a sua alteza
o Sr. marechal do exercito conde d'Eu est
manifestagao, dignou-se sua alteza, como
verdadeiro brasileiro, que no campo do
Alarte pugna pela honra e dignidaae drt
glorioso pendi aari-verde, responder:
Muito me p.?nhora essa demonslraco e o
apreco que to Ilustrada e nobre corpora-
ao d a os meus esforgos e de meus cm-
da causa na-
gs
o here d'esse florfoso combate.
Em tres sessocs oovio-se, com deleitag3o,
relatados pelo Sr. Dr. SSoreira de Azevedo
os feto3 e caracteristicos dos seus hroes.
Enriqueccu-sa a historia com os ructos por
ellos semeados, e colhidos com arte e mes-
tria pelo nosso consocio; re?istrou-se mais
tres fados que Ibe pertenciam, e na lista
panheiros de armas em prol
ciooal. Oueira V. Exc. transmiltir ao ins- dos cidadttK prestantes, annotaram-sc mais
titulos voto de minha gratido, etc. tres valiosas rasoes com as quaos se com
Esta resposta foi respeitosamente recebida
com agrado pelo instituto, que eonlina a
fazer votos ao Altissimo pela conservar ao da
preciosa saude do seu presidente'honoraio,
para quero deseja por guia feliz e venturosa
estrella.
Na 8" sesso, qoe te ve lugar a 13 de
agosto, foi apresentada a seguinte propns-
ta: t Attcndendo aos merecimentos litte-
rarios, a illostrago e valiosos servi ;os pres-
tados ao Instituto Histrico e Geographico
do ra-il pelos antigos socios os Srs. Ja-
quim Norbcrto de Soum e Silva e Dr. Joa
qoim Manoel de Macado, altendendo que o
prava o direito da juila i:cripgo do nosso
secretario suppleritc na lista dos mimbras
protantes c laboriosos do Instituto Hist-
rico.
Em tres outras sesses mi.noseou-nos o
nosso preslimoso consocio, o Sr Ferreira
Lagos, com a .na fiescripcao do interior da
provincia do Cmir, trabalho resultante de
notas tomadas pelo mesmo senhor na sua
viagem por aquella provincia, como mem-
bro da commisso scientiflea.
Na analyse critica que nos aprsenla o
noso consocio astao. pintadas com vivas c
res os costantes, anda um pouco rodes,
do povo que habita o ccragao daqnella par
primeiro, alm de haver oceupadb os cargos
do secretario supplenle, de 2 secretario: te do impTio, o n3o escapou sua pers-
uranle tres annos, de 3 vice-presidente picacia e seria investigag3o a comparago
durante onze annos, tem pertencido a di-jdesses costumes com os de algumas povoa-
versas commisses e lido mnilas memorias, I g5es da velha e civilisada Europa, onde o
te sorprendidos" quadra" a fria leitura do morecendo urna deltas, intituladaMemoria |historiador os enconlrou ideuticos aos do
descarnado esbogo que vos venho apresen- histrica documentada das aldeas dos Indios! scrlo, sem embargo da diterenga da idade
secretariOi a quem tanto deve o instituto,
, tobe assumir o presado encargo.
Veris qcarilos e qnaes foram os nevos
. breiros que se ali^tuam em nossoquadro.
m eloqoeote discurso do illustrado
nisshno orador deparareis com as cla-
leiras abarlas pela rerteira mo da morte
l'enho executado a loi : releva coinludo
dirigir-me ainda a meus honrados conso-
. Prosigamos, senhores, s^m frouxi-
dito, como sempre. no cumplimento de
asao) deveros para alcangarmos recol-
ta bonroaa dos vindouros. e conliuu-
:nmos a merecer a protcego do monarcha
.jseiro, amigo e cdtor das letras, o
ipial nos acea com a gloria e com a re-
coaaMBsa na allocugo j citada :
Ardua 6 a larefa que emprehendestes,
ires;^nas por meio da vossa cons-
laaoa apangareis a palma da victoria ; e as
recompensas devidas aos amigos das letras,
aado tantas fadigas, despertar*) anida
mais os vossos baias.
Porei aqu remate, rendendo, senbor, a
V. M. I muitas fragas por outorgar ao Ins-
Litoto Histrico e Ellmographico Brazileiru
a merc de honrar com a augusta presenga
de V. M. Imperial, da inc'yla Imperatnze
da graciosa priareza Imperial, essa reuni5o
iitleraria. Nosso reconhecimento, "Senhor,
iao tem limites.
Est aborta a sesso.
Vizconde de Sapucahy.
tar ferir os vossos tympanos.
Eu conhego, senhores, a distancia que
vai de mim a qoTquer dos digaissimos
membros do instituto, e daqueiies que,
como secretarios, tm-me precedide;-antis,-
infelizmente para nos, veio a aaleatia
privar-nos de ouvir a palavra eloqoentc do
nosso mu hbil consocio e Io secretario o
Kvm. Sr. Dr. conego Joaquim Gaetano Fer
nandes Pinheiro, que to dignamente tem
sempre desempeorado e;te lugar com profi-
ciente dedicago e zelo inexcedivel, eabrigar-
me a substituido cauto me forpossivel. Por-
que me faltam os daos de orador e os conhe-
cimentos Iliterarios de qualquer dos meus
predec'ssores, porque ininguadafoi o temjw
que tive para rever os trabalhos que foram
apresentados no correle anno acadmico,
e muito mais escasso para podc-ios aquila-
tar, nao como era mister, mais como pu-
desse, pois que smente ha poneos das
soube que to grande tirefa pesara sobre
meus hombros: peco-vos indulgencias, e
que me perdoeis o tosco quadro dos traba-
lhos do anno de 170!), que passo a esbo-
gar.
Se verdade que as grandes einoges,
despertando nos genios o estro, lm sido
muitas vezes causa de produccoes Ilitera-
rias do mrito immorredor, nao o menos
que o animo de um povo pacifico como o
nosso, fatigado pelas commogoes que essa
guerra justa sim, porm mais dunmM do
que ninguem previa, pouco tenba podido
p estar-se s aturadas o fatigantes mvesligu-
goes reclamadas para eslodoa histricas.
A Os membros desta associago, senhores,
nao podem evitar a Influencia geral de urna
lal causa, e eis a razio porque a messe do
corrente anno-nao foi liio rendosa como tem
sido a de outros. Entretanto nao dessani-
memos, porque, comquanto nao fosse-t
grande o numero dos trabajadoras que con-
correram cora o producto de suas lucu-
bragoes para abrilhanlar as paginas da nossa
ciago, comtudo suceulentos foram os fruc-
Ijs da colheita, como veris.
As sessocs do instituto foram sempre
honradas com a augusta presenga de S. M
o Imperador, seu* magnnimo protector.
Uina nica vez doixou elle de comparecer:
njsse dia aziago, reunidos os socios do ns-
tinto, ou virara com grande pezar o seu muito
digno e illustrado presidente annunciar quu
suamagestade nao poda comparecer pir se
a provincia do Rio de Janeiro, o premb
imperial conferido na sesso magna de 15
de dezembro de 1852 : altendendo que o
das nigoes, e anda mais da proverbial ci
vil sarao europea.
Este trabalho bem manifesta o genio la-
\ o Dr. Joaquim Maaool de Macedo, alora jborioso e perscrutador de" seu autor, c e
de haver lido memorias e entrado senip>8i mais urna prova do interesse que o Sr. La-
gos toma pelo institato.
Ji que os observadores estrangeiros, que
oor nossa trra examinam o que temos e pos-
suimos, to poncas vezes nos fazem justiga;
compre que fagamos o proprio inventario
ile nossos teres, e com isso um protesto
as comnassoes do instituto, ha exercido
os cargos de Io secretario dorante qjatro
annos, e de 3o vice-presidenie dorante tres
annos. o de orador dorante ireze annos, a
o de 2o vice-presidente desde 4858 at hoje*
propomos os mesmos senhores para socios
honorarios deste instituto. ( Assignados ao snpposte a trazo em que nos achataos,
todos os membros presentes. Talvez que animado por este senAmcnta
Depois de correr os trasmites proprios
foi approvado o parecer da commisso do
adinisso de socios e proclamados socios |justo e digno de imtago\ o nosso respei-
honorarios os mesmos senhores_em sessu tavel companheiro o Sr. Pedro Torqiiatu
O diwllo foiHtre mr. de Beaumon*. a
mr. de Mangny, este ultimo receben pri-
meiro urna ferida leve, e depois oulra que
o poz fora de combate.
0 tribunal condemnou mr. Froderico de
Beaumont em 15 das de prislo, e cada um
dos padrinhos em 8 dias da mesma pena.
No 3. processo aram aecusados,
como aulhor principal mr. Luiz Roberto de
la Bonninire de Beaumont, capito de dra-
ges da iraperatriz, e como cmplices mr,
Gaspard, visconde do Orsay, capito do 4,'
regiment de couraceiros, mr. Henriqne,
conde de Ganvillc, proprtetario, mr. Alfre-
do, marquez Dulan d'Alman, e mr. Carlos,
conde Gustavo de Juign.
O duello leve lugar em 28 de setembro
em Vincennes com o visconde^ HallezCla-
parde, que ficou gravemente lerido.
Nao comparecendo nenhum dos rus o
julgamento licou addiado.
No da 3 de dezembro, foi ali-
gada outro pr-ocesso por delicio idn-
tico.
Eram authores principaes Mr. Carlos
Fernando de Malortie, amigo capito do
exercito, austro-mericano, e Mr. Carlos
Mam, viseonde de Pooze, e cumpces Mr.
Lurz de Gallwey, Fernando de Azevedo,
Eduardo Susini, o Carlos Vattier.
O duello foi resultado de urna discusso
suscitada num sarau dado por ama tal Mar-
kowits.
O combate leve lugar em maio, em Mont-
fermeil.
Era um daallo de morta, depois de seis
tiros deviam os combatentes, se sobrevi-
vessem, continuar a espada al que nm suc-
enmbisse.
Felizmente nao bouve caso fatal, h-
cando porm fondos ambos os adversa-
rios.
Mr. Malortie e Mr. Poezc foram con-
demnados em 2 mezes de priso e os
quatro padrinhos era om moz da mesma
pena.
progTessivo digno de chamar a .Ittng3f>
publica. E ule > em Frunc qu: estu
laclo se NOVA APPLICACAO DA ELECTRICI-
DADE. N'uma conferencia dada em Salem
(Estados-Unidos) o director Ugham fez
com que os seus ouvintes lomissem o pulso
de doentes det idos nessa occ3silo a qnar-
toze milhas llalli, no Cit Hos[iilal de Bos! u.
Tomar o pulso cao exacto ; fj-los ver.
Havia entro o hospital e a sala do curso
um fio tolegraphico, e ao ann te:n;o
que as pulsag5es do coraglo transmtiaro
automaiicamonte a carrate elctrica, ler-
na vam-se visiveis por meio de um rain
de luz de magnetismo vibrando na pareile
da sala do curso.
Sendo primeiramente o apparelho ap-
plicado arleria de um homem do saude,
o raio de luz vibrau sesseu vezes por
minuto. Voio depais entro individuo, tam-
bem de saude, mais iriitavel : as vibra-
ges, diz o Cosmos, repetiram-se polenta
vezes em um minuto. Depois, appBcou-s*
a dous enfermos, um de pneumona, outro
de affeigSo orgnica do caraeio ; o pri-
meiro deu 112 pulsaces em um min .
e sob a influencia do segundo, o raio cn-
trou a osclar irrcgularmenle.
receioso que os dados que hoje possmmos
possam perderse algum dia (motivo bem
de 10 de setembro.
Premiando o instituto por este modo aos
dous benemritos consocios, satisfez um
dever cujo cumprimento o saber e o tra-
balho Ih'o exigio.
Fizerain-se diversas leiluras.
Coube ao nosso distincto consocio o Sr.
Dr. Jos de Saldanha da Gama ser o primeiro
(pie oceupou a attengo do instituto, lendo
a biographia do naturalista fre Leandro do
Sacramento. Dedicado, como sabis que
. aos estados da historia natural, o Sr.
l)v. Saldanha da Gama, com seu talento e
luzes, fez sobresabir o mereciaento da-
quellc que, como elle, sabia contemplar a
nal meza, e apreciar sua grandeza, quer a
observasse na alga, quer adrairasse a secu-
lar e frondosa gravana, quer analysasse
os igaos rud mentarios dos radiados ou
coutemplasso o homem como objecto da
sciencia a que se dedicaram.
Com a leitura d'esse seu trabalho o Sr.
Ur. Saldanb. da Guna prendeu.com con-
tejrtamenlo, a attenco do instituto durante
"duas sessoes, forneceu proveitoso material
para augmentar a riqueza da nossa Revista.
e pagou a* leti-as urna divida autiga, que
tanto pertencia a elle como a qualquer ou-
i^ pp.- i i ai ia. tomando mais salientes as
qualidades do distincto naturalista Fr. Lean-
dro do Sacramento.
Infatigavel esmerilhador da nossa histo-
ria (como o denominon o Sr. Io secretario
em urna d3S sesses solemnes;, nao quiz o
nosso consocio Dr. Moreira de Azevedo
deixar de pagar no corrente anno a laxa que
a si proprio impoz.
Investigando com porfiado zelo e acryso-
lado criterio os merecimentos de Manoel da
de Brito lea, em urna das sessoes do "cor-
rente anno, urna noticia acerca da introduc-
go da arto lithographca e do estado de
perfeigo em que se acha a cartographia no
imperio do Brasil.
Este trabalho, lo singelo quanto verda-
leiro e bem documentado, de mrito real,
poique com elle se prova nao s o nosso
estado nesse ramo das artes mechanicas
tomo o talento c flosto que por ellas pos -
iuein os fihos do Brasil.
(CoJdinuar-se-ha.)
achara nossa ad irada Imperatrizgravemente Cunha, de va'enlim da Fonseca e Silva
dou-
regra
enferma; eommovidos por esta triste e in-
fausta noticia, retiraram-sc profundamente,
sentidos. Hoje damos gragas ao Altissimo,
porque vemos ao lado do nosso develado
protector; honrando'a nossa tarta Iitleraria,
aquella a quem os brasileiros tributam de-
dicado amor, d cujas eminentes virtudes
respeitosamente apreciara, d anjo da guar-
da foi comnosco, e Dos ouvio as fervoro-
sas preces dos lhos da Santa-Cruz, livran-
do-os de atroz calamidade.
Diversas propostas se Gzeram nestas ses-
soes, e dentre ellas duas so tornara dignas
de especial mengao. Em 27 de agosto,
quando celebrava-se a 9\ os membros
presentes, Srs. visconde de Sapucaby, baro
do Bom-Retiro, Daro de S. Lonreuco, co-
nego jFernandes Pinheiro, tlarlos Ho-
norio, Noberto do Souza e Silva. Pi-
nheiro de Campos, Perdigo Malheiro,
Pereira Coruja, Capanema, Macado, Mo-
reira Azevedo o Souza Pontos, propu-
zeram que se consigoasso na acta a mani-
festago do enlhnsiasmo do Instituto Hist-
rico pela brilhanle victoria de Peryb-buhy
FOLHETIM
OS SASAGAS PRETAS
ROMANCE
nm
Paulo Fval
Tcrceira parte
AVI.ORB9T1 UE PAB1IV
V
PnaievaJ de um Justo.
(Continuago do n. 297)
Ao sabir da igroja, apoderira-ae d'elles
iin homem do lato e fechara sobre os
deus graves funcwonarios a portinhola da
.arruagem.
O consclheiro ttoland dizia, ao passar o
prestito defroola dos thealros:
Nem sotuer lenho preciso de me
cfagiar na minha consciencia ; affirraam-
!0 o' rneu saber o a minha experiencia.
A iiee And" Maynotu era criminoso.
E todavia, PiaKeou o antigo com
sario da palcia: essas reminiccn.'ias
^mpressionaai-oo
O Sr. Rolaad abaervou-se callado Es-
i cora elWo visivebnenle coramo-
lo.
0 anJlu commissario de polica prose-
ijo :
r Eudt^ouca sciencia disponho, mas
i que sa ide fazer urna gran le ex pe
liencia. San que sou da mesma opinio
qoa o ser.hor : ijwd'r Maynotto era crimi-
o.
Era sm, sim, mil vezes sim. pro-
nunciou costo o conselheiro ; criminoso,
manifestamente criminoso. E quer que Ihe
diga nos estamos cercados por um es-
forgo occullo. Ha urna conspirago trama-
da contra aquella sentenga.
Assim o creio ; eu receb cartas...
E eu fallei com um hornera...
Tambera eu, disse o conselheiro.
quo enfiou.
E nao urna cousa bem singular,
murmurou o Sr. Schwarlz, o enconlrarem-
se ambos os nossos fbos na mesma
idea ?
(kie idea ? perguntou com vivacidade
o magistrado.
Nao sabe que esto escrevendo um
drama ?
Ha muilos rapazes quom a loncura
d para isso.
Um drama intitulado os Casacas
Pretas v
Al i! deixou escapar o Sr. uiand.
E cujo assumpto a historia d'esse
Maynotte!
effectivamente singular I balbueioo
o magistrado.
Mas, prosegoo, asse assumpto foi
Ibes fornecido. Sempre o m^smo esforgo
ocenko...
Esea mesma consprai-o...
Perante Deus Ihe juro que para mim
aquello desgragado era criminoso.
E para mim tambem, passo jarar-
Ih'o.
Depois de algum silencio, o Sr. Roland
proseguio :
. Falla-se vagaBWnte de ana diligen-
cia policial gravissima.
do here da ilha do Cabrita no Paraguay,
toraou os dous primeiros para objecto de
biographias, e escrevendo acerca do ter-
ceiro urna memoria.
Mencionotf na biographia do pintor Ma-
noel da Cunha os seus qualros que orna-
mentan! a capel'a do Senhor dos Passos,
junto capella imperial e a do noviciado
da Ordcm 3* dos Mnimos de S. Francisco
de Paula, indicou o Sr. Moreira de Azevedo
o jazigo desse artista na igreja do hospicio,
fado que nao era conhecido.
Na biographia de Valentim da Fonseca e
Silva relatou seus merecimentos attestados
pelos raagestosos trabalhos de talha que or-
nam nao s a igreja de S. Francisco de Pai-
la, como muilos templos desta cidade : in-
dicou o jazigo d'esse primeiro toreuta em
seu lempo, na igreja do Rosario, o que s
com perseveranga o paciencia pode alean-
car, e que at ento ignorava-se.
Era sua memoria intitulada Noticia
histrica do combate da ilha do Cabrita,
depois de considerages sobre a prolonga-
<;o da guerra, que anda se fre no deser-
UM POUCO DE TUDO.
JULGAMENTOS DUELLISTAS. Silo
actualmente frequentes os ducllos em Fran-
ca. Os tribunaes oraega:n a ser mi se-
veros com es duellistas e padrinhoi, impon-
do-lhes a priso em vez da multa, que linha
sido a pena at aqu imposta,
No tribunal correccional de Pars em 1
'de dezembro. foram iulgados tres proces-
sos por offensas corporaes, resultantes de
duellos.
ixu T." narra etncu oucusnUwfi
Como autor principal mr. Eugenio Emi-
io Esnaul-Pellrie, proprietario e capito de
estado-maor da guarda nacional e cono
cumpces mr. Edmundo Andr, pintor, mr.
Emilio Cottenot. .proprietario, mr. Oliveiro
Bate inspector da companhia transatlntica,
inr. Goihfroy Auberl com o mesmo empre-
g-
Mr. Esnault-Peltrie era aecusado de se
ter batido em duello, espada, no dia 26
de outubro, com mr. Escalier, licando fe-
rido este ultimo.
Os dous combatentes eram amigos .nti-
mos, uo querendo porem o pae de Esca-
lier que esta amisade coitlinuasse disse do
mr. Esnault-Peltrie coisas poncas lionjei-
ras, e este escreveu ao pae de seu amigo
urna carta ultrajante declarando porm na
audiencia que as injurias eram dirigidas ao
calumniador e nao a mr. Eslier, pao.
Esta questo azedada por palavras e ditos
menos pensados deu em resultado o duello,
e ser rar. Escalier, filho atravassado 'pela
espada do seu adversario que penetrando-
Ihe no sobaco sau-lhe no peto direito.
Mr. Esnault-Peltrie foi condemnado em
20 dias de prbo, e os quatro padrinhos
em 15 dias da mesma nena.
- No i processo era autbor principal
mr. Luiz Gnilherme Frederico de La Bon-
ninere de Beaumont, redactor na secretaria
dos estrangeiros e secretario deemaaxada:
e cmplices mr. Jorge de Irissow emprega-
do do gabinete da secretaria dos estrangei-
ros; mr. Clemente de Lareinty proprietario,
mr. Araadeu conde de Clermont Tounerre,
proprietario; mr. Luiz de Haudecourt, ca-
pito de estado maior.
A' esse respeito Dada Ihe nosso dzer,
responden Schwart; o senhor prefeito anda
oceupadissimo, mas para coranosco guarda
segredo absoluto.
0 homem a quem o senhor allude
era um mendigo aleijada ?
O Sr. Schwartz meneoa a cabega attir-
mativamente.
E est convocado para esta noute ?
Como naturalmente o senhor o est
para o baile do baro Schvartz.
Vai ?
Sem falla.
A carruagem que segnia a equipagera do
baro Schwarlz continha igualmente dous
interlocutores, enja anmadissima conver-
saco.pooca relago tinha-com a pomposa
e suprema viagem do cor-ncl Bozzo Co-
rona. Ura d'elles era o marquez de Gail-
lardbois. Gallaremos os ttulos, bem como
o nome do segundo personagem, e, afron-
tando o ridiculo que tal forranla se liga,
ousaremos chamar-lbe o Desconbccido.
Dizia o Desconhecido :
A opinio publica j est preocco-
pada. Por mim, mediocre f ligo essas
immensas asso^ages de malfeitores. De
todos os romances que se dio em pisto
aos pal pavos da cidade, etae o mais f-
cil de fazer.
Brflialaato... objectoo Gaiardbos.
N*3o oego ; pofao em duvida. rede
mostrsr-me o tal duque ?
Gaillardbos debrugou-sa immadtrtamen-
te na portinhola da carruagem, e olhou
pana a diaatoira da seqaMo.
-a que vai ao lado do Lecoq; disse,
tonman i assontar-se.
A' seu turno, olhou tambem o Desconhe-
UM ARGUMENTO SEM J12PUCA.
SainteBeuve jantava um dia cm compa-
nhia do padre Lacordaire. Cahindo a con-
versa sobre relgio, disse Saint Beuve
Eu nao comprobendo a vossa
trina da reoelaeo ; e lenho como
nao acreditar naquillo que nao compre-
ndido.
PcrdJo; retorquio Lacordaire. Vos
nao comprehendeis porque o fogo endure-
ce os ovos e derrete a manteiga; mas sem
duvida acreditaos na fritada.
SainteBeuve desde ento tratou o
padre Lacordaire com a naiof deferencia
o sempre fallava delle com o maior res-
peito.
ESTATISCA DA LOUCUBAEM FRANCA.
A administrago manda fazer tojos os
annos um recenceamento era cada com-
muna de Franga, dos individuos atacados
de alienago mental, da jdiolia e do cre-
tinismo.
Resulta dessa estalisca que a loucura
tende a augmentar de urna raanera notavel
era proporgo superior ao progresso da
populago.
Pule julgar-se o faci pelos algarismos
que se seguem :
Em 1SjL_o recejicein.erihi_j:ej,al .lera
um algarismo total de fi.257. alienados,
idiotas e. cretinos.
Em 1856, fez-se urna devasjn eom o
ii'u de distinguir os alienados dos idiotas
c dos artiit'.is, e essa devassa deu uiuj
somma geral de tl),2!)3 Nesta s os alie-
nados figurara com 35.021.
Em 18UI fez-se novo estado, e achou-se
o seguinle :
42.689 alienados (7.668 mais que em
18.36).
i 1.32a idiotas.
Somma total 84.21 i, isto um accres-
ciino de 3. sobre I8ob\
Finalmente no ultimo recenceamento
boje conhecido, o de 1807, resulla o se-
guinle :
50.768 alienados cm casas particulares
ou nos asyios, isto um augmente de
8.261 sobre o recenceamento de 1861.
39.953 idiotas,
Somma gera!, 90.670. isto umaccres-
cimo de 6.465 sobre J861.
Comparando estes ltimos algaris
com os da populago, acha-se que
Em 1861, havia 13i alienados por
100.000 habitantes.
Em 1867, 133 por 100.000 habitantes.
Em 1861, havia 111 idiotas por 100.000
habitantes.
Em 1867, 103 apenas.
Portanto, eis em resumo o que havia em
1861 :
I alienado, idiota ou cretino por
habitantes.
E em 1867 :
1 alienado, idiota ou cretino por 420
habitantes.
Ve se pois qu-i a loucur3, por causa quo
nao poderemos indicar, vai era movimento
AESCRWATURA.Da Rtrue.des lk>
Mondes tiramos as segrales lnbas acea
da escravatura na ilha de Soulon (Ph'rfippi-
nas) :
As immensas plantaces da ilha sao
cultivadas por guimbas fugitivos ou arre-
balados s moiiUaha, indios arrancad^
da sua alegr aldea, ou pescadores arreme-
gados por um tufo para as costas d'aquel-
la inhspita Iba.
t E' horrorosa a sorte d'algnns d'elles.
Percorria en a praia, diz Edmond Plan-
chut, quando encontrei um grupo de escla-
vos espantosamente magros. Approximei-
rac d'elles para Ibes dar tabaco. Ajrade-
ceram-rae admirados, e depois vi-us fU-
gellados pelos juncos, mergulharem ao
mar infestado de phocas, e sairem delle
cora os olhos injectados de sangue, e apir-
lando na mo a grossera ostra em qm eal
encerrada a perela fina. Se as muln-res
da Europa soubessem os soffrimentos qoe
cusa um colar d'essas bellas lagrimas di>
Ocano, nao sentiriam tanto prazer qnandu
se adornam com elle."
cido por muito tempo e com a maior at-
tengo. S por detraz poda destinguir
a elegante c bega de nm mancebo de pro-
til realmente 1)ourbonico. Quando nova-
mente se asscntou, disse:
De todos os animaes damninhos que
em Pars exslem, sem comparago este
Lecoq o mais pj.rigoso.
Entretanto, serve-o ?
0 primeiro c3 foi ura lobo amostra-
do... mas devia morder.
Que decide para a rasga dos Casacas
Preas 1 perguntou o marquez.
O Desconhecido encolheu desdenbosa-
mente os hombros.
Nada, responden. Ao fechar da mo
s apanhariamos vento. O negocio do (i-
Iho de Luiz XVII muito mais bonito.
Bonito I repeli o marquez.
O outro era verdadeiro amador. Bem
o prova a palavra bonito. Sorria e affaga-
va destrabidamenle a cadeia do relogio
Que disse o rei ?
Ol I oh o re, como abe, falla
pouco claro. Parece qne existen.carrega-
ges de provas, cerlidoes da identidad''.
depoimentos, ete. Bicbmond, laoodorf,
Mathoron, Bruneau, nao sao nada ao.p do
tal Delphiro. Ha cartas do papa, de Luiz
XVIII, da duqoeza do Angoolme,. carias
e Pthion, cartas do rei de Inglaterra o
0 imperador de todas as Russias, cartas
de Bourrienne tambem, e cartas de Cha-
rette I de deslumhrar a gente ?
Mas que ito do pai ? perguntou
o marquez. '
E segredo do Sr. Lecoq.
E que vantagni poda o rei auferir
d'ahi ?...
SARGASSO.E' sabido quena sua tiageai
de descobrmento ChristovJo CofcMBB > eo-
coutrou ura prado lluctuanle di a
marinhas, actualmente conhecido pelo no-
me de Srgasso.
Um engenheiro francez. Me. l.m ere.
tralou de medir espessora desta v.geii-
go submarina. Achou que, em cada aaao,
este imraenso canlo ocenico prol quantidade de algas suflicicnte pra a li-
bar noiecentos miUioes de hecUtre.
Mr.Lavinieie propoz sociulade de
cultura de Inglaterra de empr.-^ar no trans-
porte d'este adubo natural at bflie destro-
zado, os navios que durante a primaven
e o eslo so oceupam na pesca do bjca-
Iho.
Nada ha. diz umi folha iagleza, a pn-
ticamente possvel, e nada mais provea
para a inarwha e agricultura. Boni feri:i
que algnns navios do estado se eiapregas-
sem a drayar algumas carregace* P'r
e\|)erienca. e nasceruma nova bda.-lria.
R..U o.-.o^:-.. iXi y. i Jmmit* imI'i~.
libertar-nos-ha do guano, e dos al:"
falsificado, dando nova actividade ao om-
mcrcio i o o mii.
CAUTELA.Morreu lia puaco o douiir
Witherwax, medico de lowa, victima d"n-
loxicago saturnina caasada leulame.nle
cobtume que tnha aquelle esculapio j
de tingr a barba ee cabello. Ha ta qiu-
tro anuos que a Unga todos os dias, a
sar das dores, por elle comparada.-
do chumbo, o advertirem de que era
cessario deixar de ser casqumV. Pela au-
topsia c analyse chimica, diz o Cosmos d-
S. Petursburgo, conheccu-se a
chumbo n'um dos rins.
AUTOGRAPHOSParece que o^ .:-
tographos anda mesmo dos borne'
nentes nao tem grande valor ea Fraa-
ga. Vimos, diz o Euwpean Mnil. em mna
lista de objeclos a venda, nnri coIU-.
das carias de Berenger laxada em 5 rnn-
cos I
NSo somos nos nicamente, p-
vo e anda pouc illustrado, quo mi>^-
traraos ndiffrenca pelos homens de le-
tras.
RATICE. Calcnlou am pachorrento qne
havea em Franga 6.400:000 vaceas Iti-
teras (calculo aproximada) prodazirsV.
termo medio, em cada anno ;i.9.>.OIMWiOO
litros de Icite, cojo valor montar a-----
106.560:0003000 ris.raoeda forte.
Se houver erro, por conta do calculista.
O Desconhecido interrompeu-
uma vista d'olhos.
Pois que murmurou ento, o senhor
anda n'isto s escuras 1 O senhor.'
Fui eu quem trouxc o negocio, re-
plicou o marquez como que escandali-
sado.
verdade, ; mas como qualquer
moco pode levar urna carta fechada. Eu
interesso-me poF si, meu charo senhor.
Xas nossas reparticoes' preciso ver muito
pira alm da ponta do nariz. O rei po-
da auferir una' vantagem... Ora, vai
ver como esse miseravel d'esse Lecoq
nada menos qoe urna' cabega poltica. Ad-
mita qoe toda esta embralhada do Del-
phm seja tralada judicialmente, c ha para
isso tres vezes mais pro vas do qoe as
precisas, se andarem com boa vonlade:
ah tem um rei legitime...
Precioso resultado!
Faga por perceber : S;rtde legitimo
cs-se re, cae por trra o outro rei legitimo :
fita sendo Henrique V um puro faccioso E
faz favor de me dzer o que falta aos cincos
sextos e meio das respeitaves cabegas que
eompSem o seu partido para voltarom a ca-
saca sua f ? por qoe nao me parece que
o senhor se julgue o nico da sua especie...
0 seuhor voltou a casaca ...
Falta, disse Gaillardbos fazendo-se
corado, um pretexto.
Pois esse pretexto qoa falla est n'isto..
E mais que um pretexto. Est urna neces
sidade que faz gemer o proprio principio
sobre que o seu antigo partido se empoleira
como um papagaio na gaiola. O ramo pri
mogenito passa a ser apenas o ramo tois.
o com> s Mas
esse novo pretndeme incoana -
"da-os tanto como o oolro.
^^ Que innocencia 1 O Lecoq embruHiara-
o no lengo d'assoar. Este novo pretenden-
te um excedente mocinho, que se coatet-
ta com o titulo de primeiio principe de san-
gue, mu mais ou menos milhes de ren-
dimento, um casleo realengo para resi-
dencia e om palacio para habitarn. Cirios
V menos a cucula : om r<'i q e rentm a
a herang< para lograr as arras.
Elle abdiea exclamou ornaron
alcangando finalmente o corpo qne a idea
toma va.
Podra em nosso favor. B a t-
mia do Carlos X fica-se para ahi eea ai-
gons cabegudos volatna de Lniz XT. do*
quaes o converso bairro de S. Gemaoo ri
baodeiras despregadas.
O diabo me leve, sa alo ana cmn-
binago admiravel. E isa* laz-se ?
Sa fr da minha vonlade, responden
o Desconhecido.
E bouver meios, accrescentou o
marquez.
O Desconhecido retorqaio coas sao taolo
do empbdlico respeito:
O tal Lecoq faz-sa forte para qoatro
oo cinco milhes.
Eoode vai elle boscar essa dbheire*
mastigou Gaillardbos.
Se cffectivameate ex'istfsaa a qoatfn
Iba dos Casacas Prttaa... pansaa eai^a
alia o desconhecido, que leveo-peusefho
dedo tesis.
(Continuarse ha.)
fvr. IM> DARIO-Itl bis cfivr
/


i

MUIIUDQ


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EA4KCP4ZO_0JB03E INGEST_TIME 2013-09-14T04:26:03Z PACKAGE AA00011611_12177
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES