Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12163


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANIDO XLVI. NUMERO 183

PARA A
-r-
CAPITA1 LGABES OOE BAO SE PAGA PORTE.

ditos dem
taa MtO iJem..
Cada maero avulso
C000
12,5800
320
SEGUNDA FEIRA 16 DE AGOSTO DE 1870.
-*______ '
PABA DETHO E TOBA DA PROVHCIA.
Por tres mezes adiantados
Por seis ditos dem. .
Por nove ditos dem .
Por om aono dem .
#7C5
131500
20*250
JOOO
DIARIO DE PEMAMBIJCO.
Propredade de Manoel Figuera de Fara & Filhos.

a Hk9 ACanfTBti:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves Filfads, no Pari ; Goncalves .Pioto, no Marinho ; Joaqnkn Jos de Oliveira, no Cear ; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty ; JpSo Maria Jnlio Chavea, no Asan ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jote Jratino
Pereira d'Almeida, em Mamao≊ Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, Dtfrrila da Penha ; Belamino do Santos Baldo, e Santo Ant3o; Domingos Jos da Costa Braga,
etn Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Marjins Arres, na Babia ; e Jos Rtetro Gasparinbo no Rio de Janeiro. 4,
PARTE OFFICIAL
CJoverao da provincia.
riXfKWE.VT* ASIGNADO PH1.0 RXM. SR. SBNADOR FRl-
DtRJO DS ALMB >A B ALUQUBRQUC, PRESIDENTE
lV PROVINCIA, BU 17 DK MARCO DE 1870.
1* secro.
X. 4HX-Portara ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.Mande V. Exc. por em liberda-
de os recrulas Jos Clorindo dos Santos e Miguel
Jos Pereira, os qnaes foram apre^entadoi pelo
Dr. chefrf de polica com offlcio de 13 do corrente,
visto terem provado isengo legal.
N. 49!.Dita ao engeheiro militar.Mande
Vmc. cora urgencia coacer'ar o portal de pedra
da cozinha da casa de residencia do commandante
da fortaleza do Brnm, como solicitud o brigadeiro
eoramanaante das armas em offlcio de 11 do cor-
rente, sob o. 131
S. 49.Delibersgo.O presidente da provin-
cia, aitendendo ao que requeren o alferes do 9.*
batalbo de infamara doexercito Luiz Jos de Sou-
za, e tendo a vi-ta a informago do brigadeiro
i-onimandanie das armas da 8 do corrente, sob n.
l.j, e parecer da junta de sade, resolv, de con-
iv.nnidade com o art. 5 o !. do decreto n. 3J79
te 3 de jannirp do 1866, enos termos do art.-'l.
j$ 1. e 4." l* do mesmo decr-;o, conceder I he 3
mezes de licenca p.ma tratar de sua sade nesla
provincia.
2'eccao.
N. 401.Dito ao Exm. Sr. presidente do supre-
mo tribual de justiga Levo ao conlieciraento de
Y. Esc. que, segundo pjrticipou o conselbeiro
pn -ilente da relacao em oflicio de 12 do corrente,
nessa data foram por elle enncedidos ao bacharel
J.ooreugo Francisco de Almeida Calanho, jniz de
ineiio na comarca do Brejo da Madre de Deus, 30
dias de licenca com ordenado para tratar de sua
- Mide.
N. 495.Portara ao Dr. chefe de polieia.De-
volvo V. S. os prets juntos da escolta que veio
; nduzindo criminosos do termo do Liraoeiro, e
aos quaes allude o seu oflicio de 16 do corrente,
sob n. 368, aflm de que sejam authenlicados com o
visto do respectivo commandante superior.
X. 496.Dita ao commandante superior interi-
ao da guarda nacional do Recife.Expeca V. S
>rdem, para que a guarda nacional sob sen com-
mando superior forme grande parada no Campo
das Prncezas, pelas 5 horas da larde de 25 do
crrente, anoiversario do juramento da constitui-
rn do imperio.
N". 497.Dita ao mesmo Expeca V. S. as con-
venientes ordens, para que se ja dispensado do ser-
viro activo da guarda nacional al a reunio da
junta de qualilicago, a praga do 8." batalho de
i illiana deste municipio, Itaymundo Gomes da
Silva, visto ter seu lavor o di.-posto no 5* do
art 15 da le n.'602 de 19 de setetnbro de 1850.
X. 498.r>iu ao delegado do termo de Pao
d'Alho.O tenenfe do corpo provisorio de polica
Manotl Fraocisgo de Paula eonauz tima partida de
gneros alimenticios par soccorro da populacao
I .-valida fUgellada pela sueca em Flores, Baixa-
Verde e Villa Bella. Recommendo Vmc. que o
auxilie em scmelhante commisso, fornecendo Ihe
os meios de conduccao necessarios, certo de que
i mesmo lente vai prevenido em ordem a satis-
faxer as respectivas despezas.
X. 499.Dita ao Sr. Manoel Francisco de Paula,
lente do corpo de polica.Fica Vmc. autorica-
do a tirar dos qualr> contos de res, que nestadata
mando entregar-lhe na tbesouraria de fazenda para
:,s despezas com a conduccao dos gneros alimen-
ticios destinados a soccorrer os indigentes Uagella-
dos pela secca em Flores, BaixaVerde e Villa-
Jieila, a qaantia de cento e vinte mil ris, para as
despezas de sua viagem quelles lugares.
3" seceo.
X. 501 Portara ao inspector da thesouraria de
lazenda.Depois de liquidados, em vista da folba
e pret juntos em duplcala os vencimentos relati-
vi s ao m -z de fcve eiro ultimo, do oflicial e pra-
ras da guarda-nacional destacados na Villa do
rejo, mande V. S.pagara sua importanciaJuo
Bapista de Hendonca, conforme soliciten o com-
: datite superior 'aquellc municipio em offlcio
de 4 do corrate, sob n. 33.
X. 502.Dita ao mesmo.Coirrmunico V. S.
para MO conlieciraento que, em vista do que me
requema o professor publico jubilado na-cadeira
de iniTrnccao primaria da fregnezia de Tracn-
nhaem, padre Antonio fn.mealves fia Silva, expelo
nesla data as necessanas ordens thesouraria
provincial, para faz r ce?sar o desijpnto de 8 por
rento que offereceu de sen- vc-ucimentos o referido
professor para as despezas da guerra.
X. 503.Dita ao mesmo. -Cemmunico V. S.
para os devidos Ons que, secundo declarou o juiz
de i!.ir:it.i oSo Cavalcanti Pessoa de Mello, em
oncio de 19 do mez lindo, nessa data recebeu a
participa;) ofieial. de ter sido removido para a
comarca do Jardim no Cear, o que aceitava a
ramocao.
X. uOV. Dita ao mes:r.o.Transmiti i \. S.
jai a seu conhecimento c devida execueao as aete
inclusa- ordens do tnesouro nacional'sob us. 35
a 10 c 45.
X. 503,Dita ao mesrno.Communico V. S.
. o> devidos fms que, legando otticio do cone-
Ihciro presidente da relacao, de 12 do corrente,
nessa data foram concedidas ao bacharel Louren-
i ramisco de Almeida Catanho, jniz de direito
to Brejo, 30 dias de licenca com ordenado, para
tratar de sua sade.
X. 506.Dita ao mesmo.Em vista da conta
junta em duplcala, que me remelieu o chefe de
polica com ofll:io de honlem, sob n. 367, mande
V. S. liquidan e pagar ao delegido do termo de
liuiqae, ou ao seu procurador, a quanlia que jns-
umenle se dever proveniente das diarias abonadas
es oito recrut^s eonsiantes da mencionada conta,
os quaes vieram d'aquelle termo, e foram destina-
dos ao servico do exercito, segundo consta do ci-
tado ofcio.
X. 507.Dita ao mesmo.Mande V. S. entre-
gar ao tenante do corpo provisorio de polica Ma-
noel Francisco ds Paul i por conta dos 40:000*000
de que trata a minba portara de 10 do crrente,
a quanlia de 4:000* para occorrer as despezas
i a conduccao a seus destino, a soccorrer os
indigentes fl*4eldoS pela secca nos termos de
Flores, Baixa Verde, e Villa Bella, certo de que o
mencionado lente acha-se aulorisado a tirar
a quantia de 120*000 rs., para as despezas desua
viajen. ......
ti. 508.- Dita ao mesmo.Depois de liquidada,
em vista das contas. juntas em duplcala, a despeza
feita com a illurpinaco do palacio da presidencia
oxeira, e guarda do mesmo palacio, durante os
mezes da abril a ju|bo do anno prximo passado,
' mande ?. S. pagar a sua importancia a empreza
da illuminacao publica desta capital.
X. 509.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Expeca V. $ as suas ordens, para que
vi=ta. da conta junta em duplcala que me re-
melteu oche/e de polica com o odlcio deiiontem,
-wb n.36i,#ia pa&o aocapilao Donado da Cunha
la o que jlistamente se dever, da despeza por
elle feita com os criminosos Lnurenco Bezerra da
(lama Vicente Ferreira da Cruz, Jos Magalhaes
da Silva Porto e Antonio Jos da Silva, que coaV
duzio do termo de Buique para esta capital.
N 510 Dita ao mesmo.Pode V. S. conforme
indica em sed dlftei de 1 i do corrente, sob n. 160,
tirar das sobras das cousignarje da Tei do orna-
mento do exerciclo prximo flndo a quaotia de
; 13:800dS que fez a reparticao das obras publicas
para as obras por administracao neste met, pois
qoeda verba votada no f Io art. 16 da lei do or-
camenlo vigente apenas resta o saldo de 590 rs. se-
gundo consta do citado offlcio que fica nssim res-
pondido.
N. 811.Dita ao mesqjo.Recommendo a V. S.
qun em vista da conta e relacao juntas, mande li-
quidar a despega frita com o sustento dos presos
pobres da eada do termo de Buique durante os
mezesdo Janeiro e fevereiro d'este anno, e pagar
a ua importancia ao capitao Dorindo da Cunha
Lima, on uo spu procurador conrorme solicitou o
chefe de pelicia em offlcio de hontem sob n. 305.
4' seccio.
N. 512.Portara ao desembargador provedor
da Santa Casa de Misericordia.Em vista de suas
informacoes de 11 do corrente sob n. 2516 e 2818
mande V. Exc. inscrever nos competentes quadros
aftm de serem admittidos nos respectivos collegios
quando honver vaga as menores Emilia e Maria, e
o menor Joaquim, a primeira Hlha de Umbelina
Cecilia das Nevps, c os dous ltimos de Joaquina
Maria de Sanl'Anna Barros, de que tratam as in-
clusas cerlidoes de idade.
N. 513.Dir a cmara municipal do Recife.
Concedo autorisacaj que solicitou a cmara mu-
nicipal do Recife em offlcio de 11 do corrente sob
n, 67, para despender at a quantia de 5l7*O0Ors.
com os reparos de que precisa a ponte do Maduro,
os quaes sero postos em pasta publica, servindo
de base a e9sa arremataran o orcamento e clausu-
las, que nesta data approvei e vier^am. por copia
annexos ao citado offlcio a qne respondo.
N. 514.Dila ao Dr. comraissario vaceinador
provincial.Remetla^ne Vmc. algumas laminas e
tubos cora puz vacc nico de ba qualidade para
serem enviados a cmara municipal da Victoria
que solicito era offlcio de 21 de fevereiro prximo
(indo.
N. 515.Deliberacao.O presidente da provin-
cia, atiendo ao qne requereu a professora da ca-
deira de instruccio primaria da villa de Flores
Candida Hennogenes de Mello Mascarenhas, e
tedo em vista a iuformacao do director geral da
instruccao publica de 11 do corrente sob n. 94,
resol' e conceder Ihe 2 mezes de licenca com or-
denado somonte para tratar de sua saude.
N. 516.Dita'.O presidente da provincia re-
commeoda a todas autoridades dos lugares por
onde tiverde naisar o lente do corpo provisorio
de polica Malioel Francisco de Paula, que segu
para Flores, Baijxa-Verde e Villa Bella, acompa-
nbado de um partido de gneros alimenticios para
soccorro da populacao indigente que all est sof-
frendo o flageflo da secca, que auxiliem ao referi-
do lente e Ihe fornecam os meios de que preci-
sar para ffecluar com a maior brevidade possi-
vel a conduccao dos gneros de que vai incumbi-
do e habilitado para fazer as respectivas despezas.
KXl'KDIKNTF. ASSIGNADO PBLO SR. Dn. ELIAS TOEDE-
R1C0 DE AI.MEIDA E ALBUQUERQUE, SECRETARIO DO
GOVERN0, KM 17 DE MARCO DE 1870.
2" feceo.
N. 517.Offlcio ao presidente da relacio. O
Exm. Sr. presidente da provincia, manda declarar
que flcou inteirado pelo sen offlcio de 12 do cor-
rente de haver V. Exc. nessa data concedido ao
bacbarel Lourenco Francisco de Almeida Catanho
juiz de direito do Brejo trinta dias de licenca com
ordenado para tratar de sua saude.
N. 518.Dito ao Dr. ch.fo de polica.Nesta
data autorsou-se as thesourarias geral e provin-
vmcial para serem pagas ao delegado do termo do
Buique, oo-a s^u procurador e ao capitao Dorin-
do da Conha Lima as quantias constantes dos of-
firios de V. S. datados de hontem e sob ns. 364,
365 e 367, os quaes flcam assira respondidos, de
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia.
N. 519. Dito ao commandante superior da
guarda nacional do Brejo.O Exm. Sr. presidente
da provincia, respondendo ao (.fflcio de V. S. data-
do de 4 do corrente, sob n. 33. manda declara-
que a thesouraria de fazenda, lem ordem para par
gar a Joo Baptitta de Medeircs os. veneimentos,
constantes do citado offlcio.
4.* seccao.
N. 520.Offlcio ao bacharel Jos Soares de Aze-
vedo.Pela se-re'.aria da presidencia, se commu-
nica ao lllm. Sr. bacharel Jos Soares de Azevelo,
qne segundo consta do aviso da reparticao do im-
perio de 3 do corrento, ni pode ser deferido o
seu requerimento. pedindo semomeado professor
da eadeira de lingua portugueza das aulas preda-
torias annexis a faculdade de direito desta, vito
nao estar ella ainda creada, nem pode se-lo por
emacanto por nao haver no orcamento vigente os
fundos necessarios para esse lira.
Comniode das armas.
De ordem de S. Exc. o Sr. general commandan-
te das armas convido a todos os Srs. offlciaes ef-
fectivos, reformados e honorarios do exercito, re-
sidentes n'esta provincia, para receberem no arse-
nal de marrana o 9. batalho de infantaria, que
tem de chegar esta provincia de volta da cam-
panha do Paraguay.
A chegada do batalho ser annnnciada por
tres tiros de peca disparados pela fortaleza do
Brum; o desembarque, porm, tei lugar no mes-
mo dia da chegada as quatro horas da tarde, se o
vapor entrar at o meio dia, se entrar tarde, no
da immedia'ns 8 horas da manha.
Sala das ordens do quartel general do com-
mnndo das armas de Pernambuco, 14 de agost de
1870.
ConformeEmiliano Ernesto de Helio Tambo-
nm, tenente ajudante de ordens eucarregado do
detalhe.
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIFE, 16 DE AGOSTO DE 1870.
Noticias dos Estados Unidos e J
do P ir.
No domingo pela manhaa ehegou o vapor ame-
ricano Merrmak, Irazendo jornaes de New-York
al 23 e do Amazonas at 27 do passado, e do
Para at 7 do corrente.
ESTADOS-UNIDOS.
Eneerraram-se os trabalhos do eongresso,
tendo ella apprevado no decurso das suas sossoes
leis : consolidando a divida do paiz, reduzindo os
impostis, revendo e modificando as tarifas das al-
fandegas, regularisando os bancos, reconstruido
o sul da repblica, prevenindo a fraudes eleito-
raes, codificando a legislacao sobre privilegios, e
reduzindo o exorcito.
Os principaes projeclos de lei que nao merece-
ram a approvacao do eongresso foram : o do
tratado da cess de S. Domingos, o do reconhe-
cimento de Cuba, e o da subvencoes martimas.
Na lei das tarifas e Impostes, approvada pelo
eongresso, acbam-se as seguintes dispusieses :
Sao abolidos, a coroecar no 1" de maio de 1871,
os impostes especiaos creados pola 19' seccao da
lei do orcamento de 30 de junho de I86i, menos
na parte relativa aos espirites e ao fumo.
A comecar do de outubro prximo sero
abolidos: o imposto sobre as rendas, excepto
as que se pagara em estampilhas, e as do fumo
em folha e manufacturado, charutos, cigarros e
rap, quer do paiz e qner estrangeiro ; o imposto
sobre o espirites e os vinhos; o impost do sello
obligatorio em documentes de valor inferior 100
dollars, e em recibos de qualqucr valor, e de
transferencia de hvpoihec ev..; o Importo
barcos, escaleres, herancas, successoes o passa
portes
Nos annosde 1870 e 1871 continuar i a ser co-
brado o imposto de 1/2 por cento (pessoal) sobre
a renda de qnalquer pessea residente nos Esta-
dos-Unidos e de todos os subditos dos Estados-
Unidos residentes no.estrangeiro.
O caf de toda a qualidade paga 3 centesimos
por libra ; o cha 15 cen.; os vinhos importado*
em barril, quando nao contenhara mais de 22 0/0
de alcoole seu valor nao exceda de 40 cent, por
galo. 25 cent, por galio, e, quando nao exceder
de 1 dollar, 60 cent, por gallo, e, excelend esse
valor, 1 dollar por galo, e mais 25 0/0 ad valo-
rara ; os vinhos importados em garrafas pagarlo
os mesmos impostes ; a agurdente e qualquer
outro espirito 2 dollars por galio.
O sr. Motlley, embaixador dos Estados-Uni-
dos em Londres, foi substituido pelo Sr. Fre-
lingswysen.
O conflicto franco-prnssiano despertou os
Estados-Unidos, enjo presidente, o general Graal,
dirigi ao eongresso urna mensagem, pouco antes
del le encerrar seus taabalhos,*pedindo ampios po-
deres para assegurar as relaedes postaes da Ame-
rica com*a Allemanha, cojo servico prestara do
presente qnasi que inteir.imente os navios mer-
cantes das cidades anseticas ; e que o eongresso
prolongasse os seus trabalhos at que desappare-
eo as eomplieaijdes europeas.
O eongresso nio discutio a mensagem, e en-
cerrou os trabalhos.
Mr. Prvost Paradol foi receido, no dia 16
de jnlho, pelo general Grant, como embaixador
francez junto ao governo americano, pronuncian-
do o seguinle discurso :
t Senhor presidente. Tenho a honra do vos
entregar a carta pela qual dignou-seB. M. o im-
perdor dos francezes acreditarme na qualidade
de enviado extraordinario e ministro plenipoten-
ciario junto repblica dos Estados-Unidos. L-
sougeia rae sobremodo a escclha na presente oc-
casio em que nenhuma navem sombra paira no
borisonte das relacSes radicionaes entre a Fran-
ca e'os Estados-Unidos.
i Este feliz estado dos bons sent mentes, que ,
por assm dizer, a situacao natural e mfeessana
das duas grandes nacoes, e que me parecen sem-
pre de accordo com seos interesses e tradicoes
histricas, torna fcil e agradavel minha commis-
so. Manter e desenvolver entre a Franca e os
Estados-Unidos as relacdes industriaos e comraer-
ciaes, que sustentan) e flrmam a ympathia politi
ca, tal ser o principal flm dos roeus esforcos;
se eu conseguir esse desejo, terei satisfactoria-
mente cumprido as ordens do meu soberano. >
O general Grapt responden :
Sr. ministro.E' para mim de grande prazer
a recepcao, como representante do governo de S.
M. o Imperador dos francezes, de um homem to
ventajosamente conheeido e to distincte como vos.
Asseguro-vos que apoiarei com todas as forcas
os esforcos que empregardes para o desenvolvi-
menlo das relacoes commerciaes e industriaes en-
tre os povos dos Estados-Unidos o da Franca, o
para fortalecer as relacoes amistosas e histricas
entre os dons governos. >
CUBA E MXICO.
Noticias de Havana dizem que a regularisa-
co da queslao dos escravos approxima-se do seu
termo.
No dia 22 de julho, o general de Rodas reuni,
[no palacio do governo, os principaes proprietarios
de escravos do districto accidental, aflm de tratar
dessa questo, sendo a maioria em favor da abo
lico da eseravido, e nomeada urna commisso
de 25 pessoas para organisar um projecto de
emancipaco para ser apresentado s cortes o
mais breve possivel.
Segundo as ordens da governo hespaohol,
Mr. de Rodas ordenou que se proceda eleico de
deputados s cortes no mez de agosto.
A insurreicao approxima-se do seu fira, e os
trabalhos das plantacoes, sitas nos districtos on-
ir'ora oceupados pelos revolucionarios, prosegnem
activamente.
Foi capturado no Mxico o navio flibusleiro
Foward, que, depois de ter saqueado Guaymas,
navegou para Chiesla. conduzinoo reboque dous
navios carrejados de desuojos, os quaes ahi da-
sembareou, seguiodo ao depois rio cima cerca de
40 milhas. Sobre esse facto diz o seguinte urna
correspondencia :
t Apenas constou o que acabava de passar-se
em Guaymas.as anioridades do Mazzatlan uniram-
se ao cnsul amencano e aos negociantes da c-
dade, e foram pedir a Mr. Low, commandante do
vapor de guerra americano Mohican, que per-
seguisse o pirata, ao que elle accefleu, indo S.
Blas e Chihica, e dopois ao lugar onde se acbava o
Fertcird.
c Chegando a 16 de junho embocadura do rio,
o commandante Low destacou diversos escaleres,
tripolados por 60 homens, afim de cortar a retira-
da do Forward. Quando a expedijao estava ap-
proximando-se do navio, largpu de bordo urn es-
caler que, apesar da intitnaco que Ihe foi feita de
se render, recusou-fe a parar. Sendo dada ordem
para,atirar sobre os fugitivos, e comecado o fogo,
fui elle respondido pelos mexicanos postados na
margtm dorio com um vivo fogo de animara,
morrendo dous marinheiros americano?, e fleando
seis feridos. ...
Apesar disso, os escaleres abordaram o navio
Fortcard, que eslava encalhado; e, nao podenao
salva-lo, qneimaramo at a linba d'agua, depois
de capturarem a equipagem. A expedicao, do
meio do activo figo quo nenhum mal Ihe causn,
alcancou o Mohican, demandando este o porto de
Mazzatlan, onde foram qs prisioneros entregues s
autoridades. *
a Os pri-ioneiros, depois de uro interrogatorio,
foram remettidos para Guaymas onde tem de ser
julgados.
AMAZONAS.
Alcancaro a 97 de julho os jornaes que reto-
bemos. .
A presidencia da provincia contratan com a
companba fluvial do Alto-Amazonas, a navegacao
vapor entre a capital e os portes de Autaz, Ca-
nuraan, Abacaxls, Coneeico, Villa-Mella, Silves e
Serpa, a comecar em junho de 1871.
No dia 6 chegaram Manus os volunta-
rios araazonenses. Acerca da recep^o lemos no
Amazonas: .
o A's 5 horas da tarde de hontem desembarca-
ran! os nossos valentes voluntarios amaanenses
na rampa da praca da Imperatrii. Ani foram re-
cebidos por toda a popnJacao desta cidade, que,
cheia de enthusiasmo e jubilo pela chegada dos
seus charos filhos, Ihes foi dar o abraco de agrade-
cimento, e matar as saudades de que estava pos-
suida por urna ausencia de quasi 6 annos, e vic-
toria-Ios pola sea feliz regresso, e por terem u*-
bremente desempenhado a patritica tarefa de que
se incumbiram, de desaffrontar a dignidade nacio-
nal e expedir de nosso territorio o brbaro inirai-
go que ouson invadi-lo, naD desmentindo o valar e
o patriotismo d novo amazonense, que sejadito
para honra sua fot o prlmelro a marchar para
essa cruenta luta da civilisacao contra a oar-
baria.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia e com-
mandante das armas, com a offlcialidade do corpo
provisorio e da guarda nacional, os empreados
pblicos, cmara municipal, deputados provin-
ciaes, commisso do athenea das artes, e mais
cldadaos assistiu ao desembarque, dos valorosos
Volnntarios que foram saudadoa pela masica dos
artfices, numerosas gyrandolas Se fogos do ar que
partiam de todo? os pojjlos da cidade e logo se en-
caminharam para a igreja matriz a assistir ao II-
eum feudamus, que foi celebrado pelo seu Miz
regresso, ao qnal assistiu tambera nma guardando
honra, que deu as.descargasdo esrylo.
t De vulla os voluntarios seguirauv 0 ilioerario
aoteriormente nftrcado al a enfermara militar,
onde foram lides muitos discursos.
As casas particulares e os edifeioe pnWicos
se illumioaram noite. A cidade estava revestida
de galas, notndose muitos arcos e inseripces era
que li-seVivara os voluntarios da patja araa-
zonenses.
Muitas coroas e capellas foram offereeidas aos
dignos voluntarios, que ao transitar pelas ras
foram victonados c m vivas e com chuvas de flo-
ras que espargiam sobre elle?. Vivara os volun-
tarios da patria amazonenses I ...
N* rto Branco grassavam a varila e febres
paludosas. A presidencia na provincia remetteu
urna ambulancia para o ratamente das pessoas
accom medidas.
Entndendo nio serem precisos os servicos
das oito lanchas vapor da flolilha do Amazonas,
o presidente da provincia mandou recolher quatro
dellas, fleando as outras em disponibilidade para
qualqaar evenlitalidade.
'Sofre o naufragio do Purs lemos no Ama-
zonas |a
t Dafarta do um noso amigo, esenpta de
Serparim 9.de jull, iranscrevemos os seguintes
trechos] i^ue nos parecem inleressantes :
f F.].....10 horas da manha.Gheio da mais
dolorosa Imoresso, e|cercado de sustos e cuidados
qw eita te escrevo.; e porque nao sVr assim ?
desde a madrugada se esto apanhando no porto
desta viB, algumas raercadonas e fragmentos de
embarccao, que mdicam ser de vspor, qne sao
conduzdos pelo Amazonas, e qne tudo demonstra
ter havio sinlstro em algum vapor cima desta
villa; e todo o meu cuidado porque no_ Ararp
seguio para ahi meu veiho pai e minha irmaa F....;
se bera le alguem d'aqui afflima ser o Purs,
porque diz conhecer alguns objectos e serem per-
tencentes esse navio, e tambera algum volume
apanhado tem a marea H. L. B. para Maniere,
ainda nometranquillisa. Laraendo desde ja tal de-
sastre, porque murta gente devia perecer, e os
indicios Aostram que houve grande explosao.
t Paro aqui, porque vai esta em forma de dia-
rio para mellior te ir narrando o que souber ate
feicba-la.
Meio-dta.Eslou mais tranquillo.
Apaohou-se um bah com livros e papis de
Antonio Marcelino da Silva, que seguia no Purs
para o Madeira : certo, pois, o desastre neste
navio. ,
t Louvo Deus, por desta vez ter preservado a
vida (fe meu carinlwso pai, e oro pelas- victimas
produzidaa por e*se sioistro, que se suppoe ser
explosao grande, porque os fragmentos apanha-
do?, moslram que grande forca os fez sallar pelos
ares.
5 1|2 horas da tarde.Apauhou- se urna mon-
tarla perlencenle vapor, mas nao tem letntro
por oode se conhega que navio perteace, e fo
ram encontrados fragmentos de rodas do vapor
i Esquecenme dizerte qne o priraeiro objecto
loteras era beneficio da Santa Casa de Misericor -
da Moyobambxr ao conhecimento do nosso ministro
presidente ou cnsul geral, pora qualquer destes dia e ootras cororacfies.-E, apptovida"
se entepder eom' o sopremo gsverno peruano, pois 3. wcasso do urojecto n. 108- deste
que sabemos que este f> bastaste illustrado e jas-
dos
ticeiro para por termo s ipconveniencias
seus agentes de W>yob*itnba. Rastava-nos isto.
E todava nada- absolutamente tapm feto os nossos
representantes consalare de Moyobamb e os
nessos-compatriotas continuara a sorerer persegu-
edes fJescommiisrae em pair estnwbo a lcalidade
remota- da capital, e longe portante das visias do
sabio governo peruano em tima. Esto baldos de
garantas aos seus-direitos sam podorera ao menos
fallar, aflm de nio incommodar o nosso cnsul em
seu commdo descameo /
PERNAOUCO.
apanhado, foi um caixio com .imagens, estampas
e paramentos cora a indicacao para o Manicor.
Providencia de Dens. Expliquem os sabios da es-
criptura, estesegredo di natura.
10. Aomem-dia. Consta-mequefora apanha-
da urna lancha, e me disseram que pela manhaa
fora visto passar um objecto que pareca ser ca-
dver, o qual nao foi apanhado pela rapidez com
que passou. ,
t Hontem seguiram rio cima duas canoas a ver
se encontravam alguem pela raargem do no para
salvarera, levando urna destino al ahi para infor-
mar o governo do occorrido.
0 Sr. capitao Ferraz, que aqu presidente
da cmara, secund ido pelo major Damazo, tara
sido incaneavel em dar providencias em ordem a
recolher objectos trazidos pelo Amazonas, e tem-i-e
prestado com sua geote, pedindo a d outros, e
pondo ludo dis^esico do subdelegado, no intuito
de recolherem os cadveres que possam passar e
serem vistos, para se Ihes dar sepultura. Estas
senhores sao dignos de louvores pur lauta canda-
de e philanlropia : mim, esiranho no lugar, naaa
me cabe mais dizer para nao fenr amor proprio
de ninguem, e mesmo porque me conheces ae hi
rauito, e sabes que oo tego louvores fofos a quem
os uo merece: serajisto um mau defeito, ou o que
quer que seja, mas Deus mo fez assim e nao me
posso contra-fazer.
.Has 9 ftoras.-Nada mais se sabe ate agora;
e/nennum cadver foi viste.
PARA.
Os ltimos jornaes dosta provincia sao de 7 do
corrate. .
No tiia 3 foi celebrado am aneral pelos nra-
vos morios no eampo do Paraguay. O Diarto do
Gram-Par diz o seguinte esse respeito :
Teve hontem lugar na igreja caihedral, como
se achava annunciado, o offlcio solemne em suffra-
gio s almas dos hroes que uceumbiram na
crasada da liberdado e civilisaco contra a ty-
raania do Paraguay.
Sobre o catafalco cahiam em funeral as ban-
deras das nages alliadas e assira aehavam-so as
armas, espadas e laucas que a guarneciam.
1 Gapituloa com o cabido o Rvm. Sr. governa-
dor do bispado. O acto estove bastante concorri-
di, comparecendo elle muilas senboras, a offl.
cia'lidade do exercito, armada, corpo de polica e
alguns da gaayda nacional, aotoridades, alguns
cnsules e deputados proviociaes, collegios, corpo
rages civis e religiosas e um crescido numero de
cidadaos, naci inaes e eslrangeiros.
t A guarda de honra postada porta do tem-
plo e o forte do castello, lindo o acto, deram as
salvas do eslylo. .
Soube a populacao da nossa capital pela sua
concurr-ncia testemuohar sua gratido memoria
dos que bem eumpriram san dever para com a
patria e oraodo ao Altisslrao pelo eterno descaoco
das almas desses bravos.
Dias antes estove a nossa capital entregue as
alegras com a recepcao dos guerreiros que vol
taram victoriosos ao torro ni tal e ao seio da fa-
rcilia ; hontem chora va eorava por outros ignai-
niente guerreiros.
t As fortalezas,, os vasos de guerra e mercantes
e-tiveram com as bandeiras meio mastro e algu-
mas casas commerciaes com as portas carradas.
Ao porto de Belem ehegou, no dia 3 do cor-
rente, a corveta portugueza Dique da Tercetra.
0 commerelo ia offerecer um bajo offlcialidado
A alfandega renden de 1 a 6 do corrate...
142852#775.
. Lemos no Diario do Gram-Par :
JfajioonmftaPer.Ti vemos noticias dessa l-
calidade que nos obrigam a ohamar a attengao de
nosso sabio e imegerrimo ministro e secretario de
osudo do3 negocios eslrangeiros para os soffri-
mantos des nossos compatriotas ali residentes. Ha
pouco tempo foi ali assassinado o subdito I
ASSEMBLEA PROVINCIAL.
SESSO ORDINARIA QM 39 DE iVNHO
PRESIDENCIA 00 SR. DR. AflUIAft:
Ao meio dia feitaa chamada acharam-se prsenle
os Srs. Amaral. Antonio Panlino, Vieira de Mello,
Teixera deS, Ribeiro Tianna, Ferreira nVAgorar,
Manoel do Reg. Gusmo Lobo,Pedro AfTooso, Bar-
ros Reg, Goncalves Lima,. Ignacio Joaquim, Antonio
Cavalcanle, Oliveira Andrade,Oliveira Foneeca, Aa
gusto Costa, Felippe de Wgueira, Jbo Cavalcan-
te, Vieira de Araujo, Henrique Monede, Nicolao
Toleniiio, Gaspar Drummuod. Cunha Canteante,
Hermogenes, Manoel Arthar, Guedes Gondtro, Pia-
lo Jnior, Cunha- e Figuetrdo, Correa de Araujo,
Mello Rege, Eduardo de Oliveira, Miguel Pernaio-
buco e Paes Barrete.
Abre-se a sesso, lida e approvada a aeta da
ant cedente.
O Sr. 1." Secretaro d conta do seguinte
LXPKDIfiNTE :
Um offlcio do secretario do governo transmit-
do a inf innaco ministrada pela thesouraria de fa-
zenda relativamente ao pedido da assembla em
offlcio sob n. 74.A' qiren fez a reqoisico.
Outro do mesmo transroittindo a copia da por-
tara pela qual o Bxm. Sr. vico-presidente do pro-
vincia prorogou at o dia 2 de julho a presente
sessao da assembla.Inteirada.
OSR. G. tE DttlfMMOHD justifica e manda
mesa o seguinte requerimento, que apoiado:
Reqneiro que remetta ao presidente da pro-
vincia o documento que offereco em prova do_ dis-
falque havido nos cofres geraes na arreeadacao do'
imposto da siza pela coHectoria da viHa do Cabo,
aflm de p>uceder como julgar conveniente.6. de
Dwmmond.
O SR. A. CAVALCANTE .-Sejam quaes torera
as razos que domnaram ao meu noore amigo e
collega de districto para a remessa deste docu-
mento presidencia, pareee-me que nao regular
que elle v por intermedio da assembla. Pens
que a questo se refere a Rectora geral, nao
por consequencia negocio provincial sobre o qual
nos tenhamos do proviJenciar. Nao se trata de
urna questo relativa negocios da competencia
da asembla provincial; e apenas pelo artigo ge
oerico do acto addiciooal que nos incumbe velar
na guarda da eonslkuicd e das leis podemos at-
tribuir-nos essa competencia ; mas mesmo neste
caso oo pode estar perfeitamente comprehendda
a questo, por isso que se nio trata de um facto
muito positivo e daro, necessita da nossa interven
gao auxiliando ou censurando a adrainistraeo. O
negocio creio que de 1839.
Um Sr. Depotado : De 1845.
O Sr. A. Cavalcantb :E' negocio muito anti
go e todo geral. O nobre deputado mnilo com
pelate para fazer por si mesmo ao presidente da
provincia esta denuncia, pois nao tem ootro ca-
rcter a remessa do papel qae o nobre deputado
aprsenla, senao da urna denuncia dada pela as-
sembla provincial ao presidente da provincia ; no
que acho que ella se rebaixa um pouco.
Nao sei bem do facto nem tenho procralo es-
raerilhar; dizem-me que o oegocio foij apre iado
pela justiga do lugar, ou que se procurou indagar,
mas depois nenhuma providencia se den ; o nobre
deputado podia terse dirigido a presidencia, alim
de dar os precisos esclarecimento a respeito, visto
que o negocio era de interesse publico.
Nao sei qual a utilidade, qiul o proveite de ir
esta denuncia por intermedio da asseinblt!
O Sr. Pkdro Aitonso :E' um voto de censura
ao presidente.
O Sr. A. Ca vlgante :Parece um voto de cea
?ura s adininislracoas porque nao curara n deste
negocio. Encarado por este lado entendo aiada
que uo pode ser approvado o requerimento, nao
s porque nao se dolermina, a administrago que
sj oevo censurar, como porque nao est claro, nao
est demonstrado que ha motivo para semelhante:
censura.
Ja dsse, me parece que nao esta multo do ae-
cordo cooi a nossa dignidade que nos encarregue
iuos de ser portadores de um documento que im-
porta urna denuncia; melhor seria que o nobre
deputado o reraettesse, por meio de um requer
mente, o simplesraoate como particular, desde
que linba conhecimento do faci ; ou mesmo que
se dirigisse s jusligas do lugar, reclamando pre-
sidencia se ellas nao cumprissem o seu dever.
Um Ss. Deputado : E creio qu9 ja. houve al-
guraa cousa a esse respeito.
O S. A. Caval"jutk :O nobre deputado ni i
acensan pes/oa determinada, mas alguem que tem,
cultos, Iguacio L,ei*o, v>rreia uuuun, >c
Araujo, Paes Brrelo, Barros ttvgo, Oiiveira
caca, Goncalves Lima, Tolcntiao de Drvalho,
ral. Mello'Rego, Cunha Cavalcanle, Cavalcar,
decUroa
um facto
mais ou meos ioteresse na questo roe
qne o acensado so tinha jusiiticado.
L"m Sr. Deputado : Eu creio que
hvpoiheiico o de que se trata.
O Sr. A. Cavaxcantk :Nao sei ?e quero ad-
mittir mesmo que seja provado, mas urna pe^soa
que mais ou menos pode ter interesse oeste nego-
cio, tendo occasio de rallar comigo, dtsse-ma que
tinha havido justilicaco.
(Ha um aparte).
O Sr. A, Cavalcante :Nao ha necessidade de
.fallar na pessoa, nao declino nome desde que nao
ha accusaeao determinada, nao trato por tanto de
defender a* quem quer que seja; somante digo
que houvesse o que honvesse relativamente a esse
desfalque, o meio mais regular era ir primeramen-
te as justic do lugar, mesmo porque o presidente
por si nao competente par dicidir este negocio.
Um Sr. Deputado .Para se fazer a luz.
O Sr. A. Cavalcwtr : Faca-se a luz, mas o
negocio da competencia exclusiva do poder judi-
ciario. ..
O Sr Correa Gondim :A assembla nao pode
denuuciar. ... ,,
.0 Sn. A. Caxalgantr : A assembla pode re-
metler os documentos, o que digo que nao re
guiar. Houve um r^nerimenio pedindo informa-
coes, nao sei sa as ntormac5es vieron, natural
mente dariam ellas lugar a urna disoussio anal-
qner sobre materia positiva e determinada; mas
nada dista se fez e pede-"se para que se remetta
nin documento presidencia, que equivale a urna

projecto n. 10 leste anno quer
manda admiltr no g.yinoasio como alronos gra-
tuitos a djversos menores
Va o a mesa e appoiam-se as seguintes emendas:
Goneedise igaal favor a Francisco Augusto
e Lemos, fllho de Frederico Augusto de Lentos
a 6erciBo de Souza Ramos, Whn de Ffimcisco Xa-
vier de Sonza Ramos-.C it AhmJDtPnto Ju-
nhr. *
Iguaf favor a aPjrem'des filhos menor Jo fi-
nado professor Serapfcim Pereira Mnieiro. Ot-
veiriFonttea.
Cicerov filho de Andr Avdino Cesar; Euge-
nio, erphao, ftlhi do finado Manoel dos Santos
Azevedo; e Cesino, ffito de Nicolao Vieira, o Al-
varo, fllho de Francisco PcdV> Cavalcante. A.
Paufn*.
Igual favor se consoda a Sebastiao a-Jos, fi-
lho de Sebastiao Aaiouto do Reg Barros. u/o -
Jnior: f
s Cboeeda-se igaal favor ao menor Joan, filho
legitimo do finado Dr. Joo Fraaehco tbeHm Bit
tencourt.=*Of*ra Fonseoa.-
c Cooceda-se igual favor ao menor Eugenio, fi-
lho legitimo do finado Manoel dos Santos Aseve-
do ; e igual favor a dons filho do Capitao Jos
Francisco do Reg Barros.Dr. Mttnoel A^n>.>
< Iaeiaa-se tambera a Sizinand Sergio dos San-
tos Jnior. JDtftuim titil ntgfiP. Afons*o
t Aeoresceate-se : o menor PMro fllho de-Elki-
doro da Mello e Aibuquerqne.Titira i Amjfft
Encerrada a-discusso approvado o projecto
e emendas, sendo dispensado do intersticio.
3* diseusso do projecto n. t&aesteanos,crean-
do comarca no termo do Biquo.E" appoavaoo.
2* diseusso das eroedao offeMeidas em3*- no
projecto a H6- este anrjo, qpe euaeede Jsenga a
diverso erapreeados.
O SR PINTO JNIOR pode a lirada da ornea-
da qne eflorecen, roncedendo Ifeenfa a JOaqam
Ribeiro de-Aginar Montarvoyos, viafc> que oatenno-
go i feUocido-
E' retirada a emenda e aporavada aa-do-
mis.
3" diseusso do projecto- ni 63: deste anaa cro-
ando os tugares de mdicos da pott*.
Vo mesa e apoiam-se as segaint05- emaa-
das :
t Suaprima-sa o art. W'e suaslitua-se arL-S*
pelo segninle ;Para melher ragularide do
servgo os medfeos deverio declarar ao ohafe a
polica |as- fregaeiias em que waidirem.-r-DT. JM.
do Regov R.Xit Oliviir*-
Em lugar de 1:200*, diga-se 00J.Os\ Jt*-
noel do fia.
Encerrada a daeassio se aparovadas as eroan-
das, fleando dependente do nova votteo aa forma
do regiment.
3' diseusso do projeoto n. 35 deste noao qne
creo nest* cidade urna eompaaaia de rapadoias
bmbeteos.
O Slt.F. FBUEIROA fi*a*fnaas coasidM-
g5es era- jusUfteago de- um projecto snbsi-
tutvo.
Vai masa e apoia^e o sefointc reqaen-
raenlo:
t Requera o adiamento ao Brojecto [mt 3 das.
Vieira deBUIo.
Encorrada a diseusso sao regettados o aa-
raento e o projecto substitutiva, sendo r.->j>rova*> o
primitivo;
2" diseusso das emendas ofifereeidas- em 3% aow .
projecto n. 86 deste anno qne manda transferir
para o bairro de Santo Antonio, a estae central
da estrada de ferro de Olinda
OSR. Ii MAMEDE pede qua a vota.vto seja no-
rainal, oque approvado. .
Quanto a emenda qae daem lugar da fara,po-
der.fazer ; votaram a fovor os Srs. Pinio Jnnior
Augusto Costa, Oliveiro Fonceea, HoUaoda Caval-
cante, Goagalves Lima, Antonio Cavslcnntj. Igna-
cio Lpo, Podro Affonso. Correia do Araujo, Bar-
ros Reg, Tolentino de Carvajo ; oonira ^S'J-
Cunha a Figueiredo, Antonio Paulino, [tMVWie
Oliveira-, Gusmo Lobo, Riboiro Vianaa, (' 1*n"n~
mond, Tavares Vasconcellos, Hennque-*mede,
Correia Gondim, Vieira do Araujo, Paes Brrelo,
Amaral, Mello Reg, Cavalcanle da Albaquerque,
Cunan Cavalcanle. Manoel do Reg, Oboesra An-
drade e Teixera do S.
Sobre a emenda que dizmenos no rompo das
Pruicezas ou era-qualquor dos lado* dotuatro de
Santa Isabel, votaram a favor os Srs. Pinto Jnior,
Antonio Cavalcante, Corree de Araujo, Eduardo
de Oliveira, Augusto Costa, Gusmo Lua, Ribeiro
Vianna. Henrique Mamede, Tavares de Vascon-
cellos, Ignacio Leao, Correia Guudim, Vieira de
Oiiveira Fou-
Ama-
. Regi\ Cunha Cavalcante, uvaicnle do
Albuquerque, Manoel do Reg, Holbuda Cavalcao-
te, Pedro Affonso, Oliveira Andrade, Teixeir* da
S ; cootra os Srs. Cuoha e Flgueired), Antonio
Paulino c G. Drummond.
A favor do nrojecto votaram os Srs. Pinto J-
nior, Cuoha Figueiredo, Antonio Paulino, Eduardo
de Oliveira, Angusto Cosa, Gusmo Lobo, Ribeiro.
Vianna, Henrique Mamede, Tavares de Va-concel-
los, Correia Gradina. Vieira de Arau; \ Amaral,
Mello Reio, Cunha Cavalcante, Manoel do Befo,
Oliveira Andiade, e Teixera do S; contra o*.
Srs. Antonio Gavalcajito, Correia de Arauo, b.
Drummond, Ignacio Leo, Paes Barrete. Barros
Reco, Oliveira Fooceca.Gongalvas Lioa.lolenun*
de Carvalho, H.dlanda Cavalcanti e Pedro Ar-
fODSO.
2* diseusso do projecto n. 117 Mete nano que.
passa para os juir.es de direito da Gapital o conhe-
cimento das causas da fizenda provincial.
O SR. OLIVEIRA FONCECA combato o pro-
jecto.
Encerrada a diseusso procode-se a votogao no-
minal o requeruoento do Sr. A. Pernambuco, a
votam a favor do projecto os Srs. Antonio Pau-
lino. Vieira de Mello, Augusto Costa, F. deFiguei-
ra Ribeiro Vianna, C. Gondim, V. de Araujo, fer-
ros Reg, Mello Cunha Cavalcaute, Maooel do Re-
g, O. Audrade e Teixeira de S; e contra os Srs.
Piolo Jnior, Antonio Cavalcante, E. de Oliveira,
Gusmo Lobo, H. Mamede, Paes Brrelo Oliveira
Fonceea, Gongalves Urna, Tolentino de Carvalho,
Amaral e Pedro Affonso. ___
Tendo dado a hora, o Sr. presidente designa a
ordem do dia e levanla-se a sesso.
do
Sr. Antonio
leiro Ignacio Alves da Silva Brasil, sem que pro-
videncia se tomasse em ordem a ser punido o en- denuncia.
minoso. Este assassioato por envenenameoto toi Sao Ihe descubro a conveniencia, mesmo por
denunciado ha pouco s autoridades peruanas ] qtil o facto da competencia do poder judtciano
pelo tambem subdito brasileiro Antonio lardim, e,
longe de se faaer effeetiva a reprepso da crime
de assassinato por envenenamento denunciado, 4e-
sanvolve-se contra Jar Jim nma serie de persegu-
des constantes, sem que o nosso cnsul ali accorde
do sea sorano de esquecraento. E no entreunte
obrigaco de um agente diplomtico er at o pai
de seus "compatriotas! Bastava que o nos30 con
u nao do administrativo.
Me parece poitnto que nao deve passar o re-
querimento, uem fazer a assembla a remessa do
citad) documento.
O SP,. G. DE DRUMMOND requer, e a, casa con-
sent ha retirada do requerimento.
ORDEM DO DIA.
2' diseusso das emendas offereeidas em 3" ao
sul fosse mais activo e levasse taes /xscorre.pcias projecto n. 91 dote anno que concede adversas
SEVISTADIAEIA-
CON'SULADO PROVINCIAL. Por deliberacao-
da presidencia da provincia, de 11 do corrente,
foram noraeados : laogador do consulado provin-
cial, logar creado pelo 6. do art. 10 do orca-
mento vigente, o 3. escripturano Joaquim
Gu-mo Coelho; e 3C escripturano
Feitosa de Mello.
NONO DE INFASTARIA-Deveodo do hoja ate
amanba chegar da corte um ^P;;
ra, conduzindo a sen bordo o 9.' batalho de in-
fantera de buha, S. Exc. o Sr. ^P'**6 *
provincia expedio as convenientes ordens par.qna
o lelagrapbista, apenas avistar o referido trans-
norte annuncie a sua chegada icando no alio do
mstro a bandeira nacional dandTa torteleza da
Brum tres tiros de poca, com pequeo intervalo,
Sa o transporte chegar pola manhaa o desembar-
que ter lugar tardo, e se da tarde sera elle ai
8 horas da manha do dia segainte.
n traer seguido pelos bata,-


I
:r
flrto d& iVfnambfcco' _. Segunda fer. i Je Agosto de s9.
klaoioda
para o
j^HMtkla procos
aaco Xavier,
>ssa Senhora do
mos da Faenl-
a na igreja tt^j
A sofemnidade esiew
Ites de volantones da pal
cvreMdeoci dV-ude bekui i directa
seu qWWl
donatm
ia n i
Roe Conselne, pach^^H
dade de Direila, a q^^M
vonvento de S. |!9^^^L^
coororrida e bnlhaete.
TEDKM Tarabom ujutea tev logar o so-
bran ft^Detim, mandada eelebrar pe* Sr. eoa<
>ui de Franca, na Igreja do Paraia, pelo aapiver-
sa/ij natalicio de S. M. o Imperador dos ffaneo
zes. As-islirara ao arto os Exuis. s. vico-presi-
dente da provincia, c vnman iant.> da armas e vi-
cario capitular. 8r. chele do polica, oorpo como-
lar estrangeiro diversa autoridades civis e mili-
tares, e um nnmeroo concurte de pessoas gradas
la eidade ev de subditos franeezes. Fe as honras
editares uaa f uarda do corpo de polica.
SANTA-CASA DE MISERICORDIA.Esta ir
' maudade eclabroa boclem a testa de Nossa Senho-
ra el. Parado, sua padn-eira, com todo o esplen-
dor, canta ado as meninas da casa dos expostis e
do collegio das orptiias os diversos solos da missa.
a que cada vez mais demonstraram o sea pro-
re-so e diantjwiwto. A igreja achava-se orna
la om ramos de flores, preparados ua ca:a dos
nteres.
UBBRTACAO DE CRIANC.AS.-A commissao,
eucarregada por S. Etc. o Sr, vice-presidente da
provincia de promover-a libertacao de crianza do
sexo femenino, reunir -se-ha na casa da catnra
municipal nosdias n,tteMdo corrate, das 40
. oras da manhaa as 2 da tarde, atlrn de apreciar
as propalas apresentadas, as qoaes deVem coa-
ter o menor preQo olas alternas, vindo acompa-
nhadas da certidao de baptismo. As<"rianc,..g e-
vero ser apresentadas na mesma ojecasio.
CONCERT. Realisa-se boje noute, nosalao
do Club Pernamhni'.ano, o concert em beneSclo
va mleressinte e jhnpathica menina Egeria Aoto-
ini, tai) festejada e apptaudtda no Rio da Prata
"na corte do imperio, pelo seu vigoroso talento, pela
agwdade cora arrebatadoras notas. Raerla Antonini ura por-
telo no seu alvorecer, secundo um coltega do
Rio da Prata, ao mu convra acolhr e animar,
ara robustecer s. Rcomniendainos e-ae oou-
c*t i aos apreciadores da msica.
EXPL0SV9 DE lAZ.-No sabbado as 7 horas
e meta da neu;o foram sorprendidos por tres for-
tes de:ouaces, u- qaacs segeio-se urna escuridae
''uioleta, os moradores da rea Onze de Dtzemttn
11 ut.'ora Largado Rosario), produsidas pela ia
Aaramac do gaz da illummacao publica, las
iuddg#Cijes resullou conhecer-se que, senlindo'o
dono da casa e pasto n. 33 dessa ra grande
eAeiro de gaz. proearuo descubrir onde se dnwa a
fupida pura tapar o orificio, com taDta infelicidade
iue se lacendiou o paz derramado no vacuo, pro
iluund > as detonacoi-s ouvtdas. A' excepgio do
-u-to, e do estrago na analisarao e calcadas da
ru<, nenhum outio mal resultou.
PIMKlAlf AS. Foram lidos no domingo W na
ma.rie sa rVeguezia de Santo Antonio os protkmas
sguintes:
1.* d.mHnccJo.
1o5> Sacerdote Ferreira da Silva, com Emilia
IVrpetaa de (Miveira Costa.
2.* dwnnciaco.
Sercrlatao Fi^reira de l.yra sai|>aio, compran
daca Mara da Coneeirio.
Eduardo Cn^mbiez.'com Maria Ribeiro Mnntar-
rc-yos.
Pedro Parto da Silva, com Antonia Rita da En-
cara ario.
/oa> Donaev Juoior, com Aueda Ferreira da
Silva.
loae Francisco de Almeida, com Scnhorinha
Francisca da Luz.
, Rufino Muniz de Souza, cjm Francisca Xavier
da S.lvj liamos.
:' denoncitcao.
Jos .*ja'.oiiio da Silva Machado, cora Anua Julia
Goo^klws do Barro*
Alexandre los, rom UmbeHna Constancia Seve-
ra D inioila1-. da Rodta Doria.
Nicolao Joao Ldslone, com Isabel Moria da
Fonceca Soares.
1 me Joaquina P_-i\. to, com Adelaide Thercza da
Silva. ,
Gaudencio Jos Antonio Pasto-, oom Joanna Al-
ves Barbosa.
C-ueoiiin Ronmni, cora Carolina Leopoldina
da Silva G-iiin r.V-;.
Biiuedicto Shandorn de Gliceira, cora JnVencia
Unibelina Vieira de Mello.
RA DO CGnrjNKL 5ASS0NA. Temfj quei-
xas dr> moradores oesiu ra (outr'ora deillorta^)
otmtra o mi procedimento de ninas eameas
badil idaraa em um sobrado e una casa terret,
ao fie um do oulro. as quaes se mimoseiam
jaoella com os epithetos inais insulluos s possi-
v.-s. pala mesar icejki praticada. causando rom
- jasa na grave ineomntddo s familias vi-jnh:is,
como !.i iji.ihd.ide publica. Chamamos a alten
2*o da .-.inoridad" co'ioeiento p:ira e.-ses afinaos.
SAilANTfAS DE UILHOTES.-Foi aBlnrisado
i prasi leneia da provincia o Sr. Joao Jnaquim
da Costa ij-w :. aranlir bilhetes de loteras, na
aftinnidade d ji*prs(0 na lei do ir menlo vi-
a$*tH. visto ti-r siti-fito a imposicao de:000
esiimikda n > ti do art 16 da m-'sma lei.
DeVffEIRO.O vapor urasileiro Mandah trou-
n para n* ns. :
sViaquim Jo- (",r..-alves Belao ItSO'^OOO
Thomnz Tin,. 1:5009000
fw rmaoj A c. 800000
l-rei Caimllo de Lellis !00*0(K)
Siindello. Oli^eira & C. 7KfB00
O vapor americano Mtrrimtck trouxe 9:867
para o Sr. Joaquim Jos Gon^alves Bellrao.
Esse vapor levon de uossa praca : para a do Rio
. ->,. Iwim 83:Si2#000, e para a da Babia.......
*.'.ii*O rs.
LOTERA.A que se aeha a venda a I361
beneflrio do collegio dos orphaos, a qual
amanhaa
HOSPITAL PORTGEZ.Est de semana ne-ie
sii.Mecimento o Sr. mor Jomo ManoehMarqnes de
Oliveira.
LEILAO.rfojfl cffecli'ia o agente Martins em
rouiinnacao, o leilaode movis, veloeipedes, espe-
Ihos. jarros, est5j"S, e muitos outros artigus de.
goato, quo se vndenlo ao correr do marteilo.no'
armamn n. 3i, da ra do Bar da Victoria, ou-
tr'ora ra Nova, principiando as 8 horas.
PASSAGE1R0S.Sahidos para-o norte no vapor
Jugutiribt:
i i Candido Virpa?, sna senhora e 3 fflhos
Joaqnira dos Santos Azevedo, Miguel Antunes Li-
aea, Domingos B. da Cunha Moreira, tenente-coro-
iiel Jo^ Fernn les Vi.inna, sna senhora, 1 Bino e
i enad, Francisco Leite Barbosa. Dr. Lmz No're
PeHnca e i criado, Joao V. Gomes, Francisco Jos
da Cunha Sampaio, Daniel Jos da Conha San
paio, D. abbade de S. Benlo, Joaqnim B. da R.
Itezi'rra, Mam el Jos da Conceiro, Jos Andr,
Antonio Jos P. de Mendi.nea Be'tem, Fr. Erieo de
Saiil'Anna Rique, Joaquim Guates Gmmares,
Franci-co J(* de Sooxa, Franklio da Co^ta Cirne,
Auna Clara J>aqnina Brrelo, Ernesto Deocleria-
mo de Alb iquerque. Pedro Gomes de Arroda Jos*
da Silv- Br -z, Eloyo C de Sonza, Joao da Foncti
Silva Sobrfnbo.
Sabidos para o Aracai no biate brasilero
iirncwa:
A. Regino do Amaral, Joaquim da Frota Tas-
con cellos.
Sahidos para os portos do sul no vapor ara?-
ricano Mtrrimnk:
Hrnrique Gome- Guimares, H. Steple, Manota
Bastos de Ahreu Lima, Doarte de Souza Jonior,
-ttominnoi Fboni.
Mr. ABpellanta,ojnito; appertade, Joio Cesar de
Monews.-A novo jury. Apptllwte, o loizo; ap-
perlada, S< ^F"
galves Netto; appeUado, Maaoer
u.Decreuram urna aeltenola. A
Cardse-de Almeida ^.^ppeHado. 8eyeri|
Pana. -Lonflrmaranva. seMen^a. \md_
tbuar Lope deLia*.;. -ag^eilago,**
defrodaCrnz Coarau a. Aa&l-
.aote. Luiz Marques de Lima ; aaUado. jK
Utwe.ljnoel loa* Bastea; appeHados, D. Urania
Ramos Teves o flhos,-ConSrmaram a aenten-
5a:, AppjHantn, 9. Carolina Amalia Parate; ap-
peUado, Maooel Ferreka d> Ponte.Reeebefam os
embargos. Appeianie, Jo< Ubrnc) da Sil-
va> apaelhdc, Job Mauricio (^rfVo-Rfteaberam
os embaruos.
Habrs.oonrus.Concetku-se ordem a cente
Ferreir* Ua Franca, a Joaquim los da Silva a Ci-
millo Jrio Maaoel do Nascimealo para i sessio de
I do correte, oavidaj as respectivas autori-
dades.
Deusbnoi* civbl.Ao Sr. desembargador pro-
curJor da cora: aopellnnte, a Santa Casa da
Mivjticordia; appellados, es herdeiros de Jos da
Cuaba Feixeira.
ubligcw.ia (-.rime.Ae Sr. desembargador pro-
motor da jusiiea : appellante, Maaoel loaqnim Al
ves; appellada, ajusiira. Apnellaote, o promo-
tor; appellados, Joaquim Jos de Sant'Aona e ou-
tro-. appellante, o jnizo; appellado, loaquira
Nnnes dos Santo-'.
As-gaou-se dia para julgameuto dos segaintesd
(eites:
ApreLL\c5o cjuhb.Appellante, ojuizo; appel-
lado, Raardo d'Assnmp(;iu Lima.
AitEtxguES ctvais.Appellante, Sirvaoo Jos
de Carvalho e outros; appellada, D. -Rachel de
Souza Lima Appellante, Pedro Pereira de Olivei-
ra Cabral; sppellado, Miguel Cabra! de l.yra.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Gitiraoa ae Sr. desera-
Dargador Guerra.Appeliacio civel: appellante,
Alexandro Warguer; appellado, Jos Ignacio de
Mendonca
Ao Sr. deseatbargador Louren$a Santiago.Ap-
pellaroes erimes : appellante, o juizo; appellado,
Pedro Goncafves Pereira Appellante, o jutz>; ap-
Do Sr. desembargador Loureaep Santiago, ae
Sr. desembargader Almeida Afeaquerque. Ap-
pellagiT crime : appellante, o juno; appellado,
Manoi-I Joaquim Alves. Appellacoes eiveis: ap-
pellante, Manoel Henriques Pimenfl; appellado,
Thomaz de Aquino Camello. Appflllnte, Joaqui
Fernandas da Ro-a ; appellado, Dr. Antonio dos
Santos Siqeira Cavalcant.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarga-
dor Doria.Appellacao crime : appellante, o jui
zo; app-ttado, Jos Francisco das Chagas. Appel-
la^cs civeis: appellante, Antonio Vaz da Costa;
appellado, Francisco Ignacio da Costa, Appellante,
los Carlos Manco da Costa Beis; appellad i, Ma-
noel da Silva Lopes. Conflicto de jurisdico : en-
tre os juizes de orphaos de S. Jos de Mipib e o
de Goyannioha.
Ao Sr. desembargador Souza Leao.Appellaijao
civel: appellante, Jos Ribeiro Campes Peres; ap
pe Hado, Antonio Jos de Souza.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
rador Domingues da SilvaAppellacoes crimes:
appellante, Manoel Joaquim de Lima; appellado,
o juizo. Appellaaia, ojuizo; appellado, Arnaura
de Hollanda C-valcante. Appellante, o juizo; ap-
pellado, Alexaodre Gomes da Silva Appelucoe*
civeis : appellaules. Jos Victorino de Rezende &
C ; appellad.);-, Montuiro, Correa 4 C Appellante
Jo.quim Jo> de Luna Freir ; appollado. Christo-
vn da Rocha Wanderiey. Appeianle, Jos Joa-
qun da Cosu Maia; appellada, a ordem terceira
do Carmo.
D > Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Kegueira Cosa.AppeilacOes
appellante, Vicente Ferreira .Calumby ; "ap-
a
corre
civeis:
pellado, Jt^ Mariano de Araujo. Appellante, o
capitau Firmo da Costa Leal; appellada. Esmeria
Hoiim Accioli Vital.
Ao Sr. desembargador Guerra.Appellagio ci-
vel: appellante, Gorgonio Jos Vianua; appellado,
Miguel dos Anjos Alves Caldas.
Do Sr. desembargador Roguetra Cesta ao Sr.
desembargador Souza Leao.Appellacoes civeis
appellaoK a cmara municipal; appellado, Anto-
nio de .M.iura 9#ra Appellante, Srnesto Brasil
de Mattos; appellados, os herdeiros de Migjel Al-
ves de Mello. .Appellante. Mmoel Joaquim do Re
go o Aibuquerque; appellada, a fazenda. Appel-
lagao crime : aipellanie, Joao Joaquim Eleuterio;
appellada, a justiga
Do Sr. desembargador Souza Leao ao Sr. des-
smbargador Gitirana Appellacao crime ; appel-
lante, Manoel Joaquim Alves ; appellado, o juizo.
A' urna hora' e meia da tarde encerrou-se a
sessao.
rHIBXYtL DO C OvlilKlIC IO
PERNAMBCCO 11 DS AGOSTO DE 1870.
'BKSI0IC.NCU DO EXM. SR. DESBMHABOABOK A. F. PB-
BETTI.
Secretario, Julio Guimares.
A' meia hora da tarde, estando reunidas osSrs.
desembargadoros Silva Guimares e deputados Ro-
sa, Basto, Miranda Leal e barao de Cruangy, fal
taoJo sen participacao os Srs. desemhargadores
Reis e Silva e Accioli, o Exm. Sr. presidente de-
clarou que nao podia haver sessao o mandou fazer
a presente declaraeao.
AGGR.WO.
Juizo especial do coinmercio : iggf naiilaa Cos
la & Castro, aggravados os administradores da
massa fallida d s aggravantes.
0 Bxm. Sr. (Kesidente proferio o seguinte des-
pacho : Venha por appenso o recorso. Volta a
assignatora.
COMMUNICADOS.
Entrados de New-York e portos intermedios
o vapor americano Merrimnk:
Ezeqtrlel B de Azevedo, Ednardo Lopes Guima-
res, Jubo Jos Fernandos Bastos, Panlo I. Rodri-
gues.
CHROMC.I JITWf UftM.
nema \ 11. DI RGLA^AO.
SESSAO EM 3 DeTAGOSTO-DE 18T0
aaawaNCtA. ao exm. s. cossnjBino artAm
SANTIAGO.
Steretario Dr. Virgilio Coilho.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. deaem
Mtrgadores Gitirana, Guerra procurador da cora
l-ourenco San ida Albuquerque, Motta.
a, Dnimgues da Silva, Regueira Coala e-Souza
-
fakos, deram-se ^ seguintes julg
Lele

Div
appellado, Jubao
Dr. Joaquim Gne-
, ada lu na
imento.
abiates, Piancis?.
a bis
. ojui-
Ivio.-A' novo ja-
COLLtBOK4^O.
Lige'ra respost i 40 core poa-
. feote tiesta provine! para a
Reforma na rte.
(Conlinuariio d'> numero antecedente)
O leiuir j vio com qnn .ynisrDo se lal-
tou a ven! de cumrel:c as qnestoVs d\
Knvenenam- nto. e do comne Alexandre
ver agr c tuo o corri'epondeni' di Re-
forma foi se pre liel 3 seu plano com re-
lacio a outros fados.
Continua elleassim a sua missiva de 2G
de Julho.
Cons-a-me que o Sr. desembargadoi
Araripe a ;usou Da cmara o capit3o Cabnl-
letra, qne m companaia de dous fllhos
taniD se desii'guiram na gorra, e que a
sla hora ja devem jaz-r mis ferros da po-
lica de Tarara se nao tomaram o eipe
'lente dn fogir. o Sr. \rar,e fb ilndi-
d : Cabaileira nunca teve crimes, eo o
taostrarei.
Quer saber de que natoreza 6 uma
das accusa^fS feitas a Va'passos, o assas-
sino do ca ilao Barros, e pelo pererso de-
l^ga.lo de T.i arai i cupilao Cabellei-a ?
Diz que e*t arrastnu. amarrado na can
da d? gttas, a um individuo cuj uome uio se
declina. Po melbante o erario ?
E oo se pejam de imputar fact s d'es-
(a ordem.
Eo responderei tudr> isto depos
qu- uu am uo de Gab-lletra o> oovir. Es
pero qtif atoda d'e;ta vezomeu jtiiz^o- flea-
r cn.'ifirmado. > a
Chamaiiios a atlenr, > do lertor paa
c nt-'xto dos periodos trans-rptos.
0 correspondente diz, que o Dr. Afari-
pe i.) jllud : que (aeiieira nunca toe
1 rimes, romo m strar : mas para demons-
trar a sua proposicao aaitaria qne um
migo oucc rtspeito e Cabellenra t
Nao iiii'tu't8 nada o troca di no
( seria >ulo a seranee?) que de- Ganel-
l-ira f. z o eurre&p.'uderiM oom o Va'pas-
sos: oirem apeoas, qat o bmnem qoe
Ci-htlleira prendo e mandou Cbhduzi a
1)'_is3o atado a cauda da uaa cavalk oio
9 rastros pela trra o que seril ia-
poosivel para um bomem velbo, mas aim
andando um pouco aprestado, na posifo
humilba to em que o collocar o capillo
^^^^^Hfce n3o tinha em vista mata-lo,
m so a pagua tanto o corres p-.ndente a
rdudefra agnScacto dos termos, apre-
.^i facto.
Jrn
escrivi* h eorriiSpendaBie itio Ca4
belkira ese*s fiU* deteriamjseme tron-
co. M neo tomafam 9 expedienta i: fitgir,
diretfJo qoo o Jaiz de Dtreito de Tacara-
t, cuaRuuiticou, ba moitos dias, ao pres-
deme da prov nci, que o capito Cabellei-
ra aeha.se no seto la, eti plena llbardade o ?o>o de Igeus d-
retos de cidadia, nao tonda contra elle e
seus fllbcs se ioieiado procedimento algnm
officnl por piirte das authorldades d'aquel-
L lo.'.arfade.
Procediriio assim as nuihoridades dlMgt
para com ua adversario n s condcoes do
capitao CabeHeira ? KH
Agaardaeos > defesa proaet^l pelo
correspondente, para ento desela ver os
fados critemosos argidos ao capifclo Ca-
beteiri.
Orcopanjo-se do foal.a:to d'sirada de
ferro do Limoeiro. a pouco contractada pe-
lo. Sf. Desembargador Ass-ia Rocha, aasim
exp mo :
t 0 Sr. desemba.!gador Assis contrartoo,
indepenndente de sunvenc3o. mas impon-
do onus inaeeitaveis. a estrada de ferro do
Lvmoeiro com o baro da Sotedade. Du-
vido. pelo que se me diz geralmente, que
a empresa se possa realisar, o qce muito
vi>s dev prnalisar.
* OSr. A^sis fez de leiloeiro n'este nego-
cio; depois .1- abrirs propostas esool eu
do Sr. barao da Soiedade e a doSr.
baro do Livramenloe empunoa um para
cima doou*ro.
Koi um v rdadeiro duello. O bnro
do Livram-nJo arrejou a carga, o deixou-n
para n seu collega.
c IHzem 'jue s de direitos de secreta-
ria da presidencia re ebeu o WI10 do Sr.
Fredar co, e omros cinco cornos de res
qje to> secretaria paraemolumenjosI
0 contracto 'o realisado com b Sr. ba-
rao da S leda e, Siembro presiimoso do
partido iberal desta piovinca, com todas
as v nti/ n^ paraa pi\jvin:ia, n-mo confes-a
o proprfo correspond-n'e, e cn.retanto o
Sr. Assis censurado! Forte m.-.aejra es-
sj do cones;ndente de fazer censuras I
Doida que a empreza se possa realisa'-
por cansa dos otitis, que, se Ibs iz fenm
impostos ao contratante, oi;us inaeeitaveis!
Qae ibecilidadj impresta o correspon-
dente ao contracwoto I C mo nao Iw de
ser assma s3 elle censura o Sr. Assis por
ter consnlt.ido os dous proponentcs que
iguaes ciindces o vantagen.-. ollorecio,
e prefrrido o que augmentar e tas vanta-
yens!
0 coTespondente o qne desejava oro.
que o Sr. asw lomasso por normaos pre-
cedente do Sr. Viila-Bella em cmtracto de
obras puhliets e estradas de ferro.
0 con racio dostrilhos urbanos de Olin-
da feilo pelo Sr. villa-BeUa contem clau-
sulas e oous, ue tizeram muita tnte
acreditar impossivel a su rpali aco, e ei -
trotante alii e->t ella fonecionando.
0 Sr. Assis R cha fez o que le cumprli,
como admhistrador honrado, e que zela os
inter-sses da provincia ; e tanto i to ver-
dade, quotm dos socios de nm-dos pro-
ooii nles, il>eialimportanln declarou dian-
to de om mnecionario de nosso foro, qu-*
elle p'nra um lo.ro superior a 40 con-
tos, nao .eniio a cei a a proposta de seo
socio (a s jcieda era de ciaco), mas qu:.-
nao podia near, que o contracto fet > pelo
^r. As i a n5> dava leoros Mralosoa ao
con'ractar:te, nao o prejudicava, e en de
grande convenienca e uulidae para a pro-
vine! 1
Stria por ventura o correspondente da
Reforma um dos so-ios dis contactantes
reaudiaes ? f
Para que em todas as suas apr>ciacoes
n3o t'eixe" e ha^er orna offensa algoem.
aecresccir.ot o coraespondunte, qne se dt-
zia ler o fllho .lo Sr Fredertco e outros da
secretaria do.yorerno recebido cont-js de
reis de di: evos !
verdade qaa o contradante pa?oo
emolumenta pelo contracto, roas pagoo
metade tSe smenie dos emolumfntos que
devia pagar pela tabella, que acompanhnu
a le progne al n.- 500 dd 29 de Maio de
1881, e pala q -A s-mpre se reg>ilou o Sr.
Dr. Sailes para cobrar i.uae* emolumentos
dos contractos dostrilhos urban. s de Api-
pocos, dos tracto do cafcamento desta cidade &. A
Plo^Il da tabella citada os contrac-
tos al e valor de 1:0 0$ pagado H, e
por cada trate*! de cont iJoOO
Oco'.trado da estrada do Umoeiro foi
avahado pelo proprki conti adame m dez
mil coolos, e a secretaria apenas cobr-'u na
raz'o de cinco mil contos f
Estes emolumentos for. m divididos por
todos os empregados, tocando ao Dr
Elias de Albuqucrque pouc mais de 1000,
Eduardo
velajes 1
ereven se
deca
I ter iciiu as suas prinrem.' re-
jaca de ser queima Jo viv>
la vez se tornava mais pro-
tn de ser aeomnanhado da
la arrogados os medie*, t a'esse proposito
ra vaianeuida para a drte as alltfdi-

1 desti
b^b^H* Cotmm
dea de
d'one'eM^H
Na, ltimamente prrefttada
ra contraditon.) em saas dedaiagSea, desdttea-
do
a, .S-tcrer aue nJ qnem tenbaa topudenala
S..m^La!!i"m .vcrd!,*, 1" n8M Pital *
f^^i* dnfC0Dhcer, relaiivaraeote ao iaqae-
nto feto ao Dr. Aqutao.
Suaa*c:aracoes foram publicadas em resumo
f*r ig suspeitos, e sea reclamacao de pes-
Nelias nio houve a mnima rontradiccao : aqni
ahouvequemo*eaee affima-lo. fi que neila?
tuve (e* porisso que ?e trata de deprecia-Us)
rol a expojigao mdilvada dus ^raptomas e mar-
cea das molestias dos Srs. Joao de Si e alguraa
eousa relativa do Dr. Victoriano deS ; exposi-
t?o fe* eom clareza e preciso, apoiado em auto-
ndades medio -scientificas, e deduzida por modo
que faz honra ao reconleod# ulent e illustraeaa
de qnem a fez. ~
Fo t*n relatono cirasaHtrmeiado e lucid, no
qual ao lado da autorizada palavra do Dr. Aqnino
se vio pare:r de mau de una notabilidade me-
ca europea.
O Dr. Aqumo inestroa-se assm, mais ama vez
quam mer-eido o concito em que tido : sou-
be mo>irar->e homem de carcter independente,
que nao sabe curvar-so caprichos, e 'dea uma
grande prova de que no importante sacerdocio da
medicina sabe haver-se cora escrpulo 6 dignida-
de que muitos uo teem.
Ao proprio Dr. Sarment (pai), de cuja capaci
dade scientiOca e prauca nao ha quera o oenhe-
cendo possa dnridar, o mais antigo de nossos m-
dicos, com reputacoo flrraada e impossivel de ser
contestada; ao proprio Dr. Sarment nao poupa-
ram os amigos do Sr. baro de Guararapes!
Mas 3aas sellas nao poderam ferir o venerando
ancia, tao ltame ue eollocado entre os mais dig
jos discpulos de Esculapio.
A contradiccio do Dr. Aquino foi creada pela
mente do correspondente do Urnl do Commercio,
sem duvida por effeito da decep;ao por?que passou
certa ente, quando aquello doutor fet suas im-
portantes deca racoes.
0 Dr. Hamos, que lite alirou a luta, o que
escrevou, era cuntestacao ao que ele declarara,
vanos artig. uue publicou do Jornal do Recife,
nao fez mengu de contradicao alguma que tives-
se notado no relatarlo do Dr. Aquino, que, alias.
101 analizado e criticado cum minutiosadde e com
m p "esfar5a<'0 prijposito de achar erro ou defeito
1- quero aqu ja mostrou o erro em quecahi
ram os dous disnclos mdicos, que incorreran
no des?gradj dos Srs Ss, porque nao poieram
l 'obre as antonda<
>ra pela fohte
profercm. posterga
a3 lets do justo e do bonos to, (ere a-inora! dade e
poe era perico a ordem publica, nao s por isao
como aiadfe pela cdncesao" de habeos corpusi
quantos aapMnosos invocam son proverbial libe-
ralismo Boausa prelartam seritr eaaa-ajneira
dedicacaa-a sua peesaa.
f:
servigo dantas sua auloridade insusperta a valiosa '
Q te'm ?
Maj o ewcenenaiwnlo est boje desacreditado,
e os que nelle riam um grande adiado, connecen-
do o malloaro de seu plano ignobil, lomam agora
a larera de desacreditar aquelles qne Ihe deram
garrote.
Tirem. nois, sea detestavel de: forra.
Como maguem nelles ero nesla provincia, man
dara as mentiras para a corte, aira da Iludir os
meamos.
E' asSim qne, ao passo qae o lioeral nao tiige
nem muge sobre este negocio, e nao censura aulo-
ridade alguma por causa delle, os enthusiastas do
enveiienamento, em suas misivas para os jornaes
da corta, cuutam o que nao se passou, a deuun-
clam o_ que nao se fez.
E nao lia [ulavras para esigraatisar tao misera-
vel procedi'oeato. digno de almas apodrecidas
na torpe a e na Infamia.
Continen), porm, nessa senda de miseria sem
igual, mas ccrts de que a verdade, que ne*te ne-
gocio ji v,. surgalo radiante, acabara p r ser
conheeida Onda ii)teira,apeear dos multiplicados e
heroicos esforjos dos que inleressara era que ella
na appareea.
E ella ha de fulminar aos qne hoje fazem do en-
cenenamenlo uma machina de guerra.
fiecife, 13 de agosto de 1870.
* *
Saca i vista ou a prato sobre as cidadea
prbtapaes da Europa, ten eonespondeotea
n Babia, Boenos-Ayres, Moatevido, Nev-
i New-Orleans, e emiUe cartas de crdito,
para os msalos iegarai.
RA DO COMMERCIO N. 36-
iViinc est bibondim, nunc pede libero Pulsando
lellus.....
O Dr. Franci'co de Araujo Barros, iu de d-
reito da comarca do P ar. por graca especialissi-
ma do* ligueiros, prepara-nos ura baile, que pe
los grandes aprestos (jue lem havido, &pera-^e
que seja esolendidissirao e sumptuosissimo. Sao
sabemos precisaraeoto qual o lira desse baile, os
auecostamam antecipar jaizi, esiao prcoizendo o
m delle:policar com algumas pssoas, de sua
Sfi no intuito de angaiiar trabalbores gratuiu-
mnte pan aucraentar o numero do seus rocados.
Nao se contenta c ra os cinco que j tera e que
custaram ot suores de alguna lufelizes, que. sob
promesas torpes, sojeitam-so a trajulhar para o
Sr. Araujo Barros, segundo asanlas informado-".
Sr. Cirros, isto domis : ter boas vacuas de
lene filadas, ter meados e negotfur as^ira como
S' ; De80,'i;t> 'endo rial, prevaricar I
Para o Recife segu o bachirel Jos Tavares
da traoha Mella e pedimos aos leitores que o pro-
Ur'n c"nneeT. evitando o seu contado. Signaos
de Tavares: baixo, cabecudo, pangudo, mane-
ta, pernas rnrta', ees pequeos o finos, em nma
palavra e, corno dJsse o seu biographo, um per-
Mo cahac) de bicco pira baixo.
Convra que seja conhecido alim de que os lei
l-res aossam verificar e a desrripcao que fizemos
exacta. O que podemos aliancar que diffl
cihmo descrever fielmente o no-so Tavares, sen-
do elle informe, como podemos descrover 2 sua
forma ? Promettemos dar ama noticia minuciosa
do baile, que Mestre Sarros tem de dar, e con-
sultando os oraeolos de Apollo, ti vemos em re<-
posla que o baile ha de ser urna verdadejra sa
la al. Basta ser de Barro.
Itamb, 2 de agoslo de 1870.
B. C. F. E. T.
Nos, aJbeios compleameate a noNliea, alo de-
sejavamoa tomar parte nessa spolavwa* lornalisti
cas queah andam, dosedeberriajoa hbaraes de
(tamb e Pilar ; porm como nao podemos ver com
bonsolhoaa iojaetica, com que eaaes pretensos
liberae, acensara o Dr. Monelo dos Santoada Fon-
ceca Lins, Julz municipal deste termo, Implan Ihe factos nicamente proprios de seas detractores,
resolveaae-nos a sabir de nosso silencio para pro-
testar contra tao torpes aecusacoes suggeridas por
alguns espirtos infernaes, que* s verten mentiras
e calumnias.
Conhecemos ha mais de 3 annos o Dr. Menelo,
e nanea o viraos eommetter acto algnra que nao
fosse pautado pelos dicta mes da jastica.
0< beraes qae lem olhoe de Argos, nao dhem
isso; inspirados pelo rancorvque o famoso trium
Trate comporto dos Di.. Barros, Beroardino e Ta-
vares vota ao Dr. Menelo, a-sacam a este mil de-
reilos, e at crines.
Apontera os hberaes os fictos imputados eom
documentos probatorios ; nao limitem-se nica-
mente asserces. Aecosac^es Une, onde true-
sula o mais vil rancor, sao altamente ridiculos
A aecusacao, que um dos membros do triara-
vira to fez ao Dr. Meaelo, de ter este talsificado os
autos da execuiao que o teneote-coronel Marian-
uo Ramos de Mendonca raove contra Claaaie Jos
de Araujo, ta* ridicula, qae teado sea auctor
requerido am exame nos referidos autos; um sea
amigo intimo, qae foi um dos peritos, em mus de-
eUracoes disse qua nao ha va vestigios da falsifi-
oacao argnida.
Desapuntado o reqoerenle e repelusado foi ter
a casa doCu-itos, fomosi pecoris, o nosso cele-
bre Ari-teo, i|ue eotao ja tendo acabado de orde-
nhar as vatras, qae sarrapiara eom seu caduceo
jadiciario, eslava engolfada na arte de Ores.
Nao sabemos o que soggerio ae consaltante o
pora discpulo de Cores. Deixeuios isto; vimos nos
occopar de outras cousas.
Fiquem saliendo o leitores qae os detractores
do Dr. Menel.;o j o endeosara em algum teropo.
e hoje nao fazem o mesmo porque elle evita o coc-
taot.i de taes harpas.
Nao devemoa daixar de commanicar aos leito-
res o que se den na ultima audiencia do juizo mu-
nicipal Ueste termo. Aprecien os leitores de que
laia sao alguns liberaos desta vida.
0 capito fosa Fernandes V>eira de Mello, que
de ama reputatso illibada, como a6severa o Libe
ral, provavelmente porque costama vender assu
car misturado com barr-, e na dizer das lin-
guas iPordazes, alaridor de cabrestos de cavallo,
tendo fornecido uma carta, em que impuu diver-
sos factos a ? major Ursulino Cav*lcanle do Reg
Vasconcellos, foi citado adm de vr a juizo deca
rar se eram- ou nao verdaaeiros os factos imputa-
dos.
No dia (toado ipre?en"ou--e em audiencia o Dr.
Jos Tavares da Cunha Moli, advogado sabicho-
so, e quiz fallar pelo citado. Pedindo-lhe o juiz
altenciosameato que exibissq a procuraco que
devia ler.esse bravatetre advagado em tom pyiago^
rico respondeu quo para o caso do que se tratava.
nao precisava procuracaj).
Nao endo admitildo, pe que o juiz addiasse
a audiencia at |ne o'al Farnindes Ihe pa sasse
uma procuracio.
Adiada a audiencia por um quarto de hora, ap-
piroceu Tavares com urna pro-ujraro, que nao
lava poderes par 1 9 caso de que se tratava.
Nao foi aceita pelo juiz. Cora isso Tavares com
sua petulancia e loncnra cositunafc tentou cres-
i'er, inehiu, como raa que quiz imitar o boi,
estourando Jis-e : S:'. jai?, V. S. s vatente
com o poder de juiz, mas est engaado, o oireilo
de Joao Fernandes nao ser preterido.
Levanta-so Tavaro", e rodopiando era torno da
meza, pirecia um doudo varrdo.
PeraeQ estribeira, nao era maisotiomem que
apregoa-sr. por seus conhecimen.os foren-es, o
decano dos advogados cora .-ua fanfarronice estri-
dula.
O decano converteu-sa em aisersor de J0J0 Fer-
nandes, e manlou que o asso.-oriado averbasse o
juiz de suspaito nos termos segualas :averbo o
Sr. juiz de snspeilo pelos motivos que eslao em
sua consciencia.
Aprendam mais este modo de dar de suspeto
um juiz.
Nmguem contestar qua produccao exclusi-
vamente do genio de Tavare?.
Ajuizem os leitores quej o tiacttarel Jos Ta-
vares.
Os liberaes d'esta villa bao 'o narrar de ura
modo di varen o que se nos admirar, os libeles falseara :ado, orgam at
o qua todos ve*em, e principalmente os membros
do triuravirato. A' estes podemos, concluindo, ap-
pitear o seguinte dito de CamCcs:
Negain o re e a patria, e s > convem
Negarao como Pedro, o D. us que tem.
Itamd, Io de agosto Jo 1870.
Mtrops.
Al#ANMGa
fadrmoctoaau la 12.
dea do 4la 11 .... .
i37:834#79
65:J08J*l
493:043aI
OWJffivTO DA AlFANDEGA
'olumes antrados cemaieada
dem idea coa gneros
'olumes sahidos com lazendas
dem idea com gneros
184
ni
tas
137
m
47a
Descarregaa hoje 16 de agesto
Barca franeeia-^ftiiy-niereaderias.
Barca ingleza-lfrtc of the Peigandem.
Brigue inglezRegulalordem.
Brigue inglezBdith Jfaryilem.
Barca inglesa Gatelleearvo.
Patacho oorte-allemao- Gtorgine fernx
laipartafia.
Vapor americano Merrimak, viudo aV
New York e Para, man festn :
4 carrinho para criaa?a ; a Heir Pors-
ter e O.
1 c la charutos ; a Lailhaear t C.
iO.barris b'anha de porco ; a Cruz, No-
gueira dr C.
80 ditos dita ; a Pereira Vianoa de C.
89 rolos salsa; a F. J. da C. Guimares.
i fardo tecidos de Ha; a Monhard,
Mettler de C.
1 garajo cama; a Herculaoo H. i. d
Soore.
i fardo vid ros ; a Jos Das da Silva.
Despachos deexportfSo nos dias 11 e l
de agosto.
Na oa rea francesa Veriiana, car regara u
para o Havre : Si Leitao tt Irmos, 304 eoaros
salgados com 6,048 kilos.
No vapor inglez Gladiator, para Liverpool,
carregou : Antonio Jos Dantas, 5,000 pootas
de boi.
TABELLA dos mecos dos mrenos sujhtos a ni-
ato DS EXPOHTACAO. SRHAMA DK 16 A SD DR
AOOSTft l! 187D.
Mercadorias:
Abanos .......
Algodo em caroco .
dem em rama ou em la.
Carneiros vivos.....
Porcos dem.......
Arroz eom casca. .
dem descascado ou pilado
Assucar brinco ....
dem maseavado. .
dem refinado.....
jallinhas......
Papagaios.....
Azoite de amendoim ou men-
dobira.........litro
fdem de coco ...... *
dem de mamona.......
Batatas alimenticias. .... kilog.
Baunilha.......- .
Bebidas espirituosas eformenladas:
Agurdente cachara.....ltr.
Unidades.
. dnzia
. kilog.
.
. um -
. kilog.
>
>
>
. uma
.
Valore.
300
680
4 00*
S*00f>
6K
177
250
m
436
laaoe
937
675
olo-
lOS
to por forca de le.
O correspondente da Reforma nao ser
to injusto que a vista da lei conteooe a
censurar a percepc^o de taes em. lumen-
ios, que psr cirio uaa dar2o rendas para o
actual secretario dogo erno, aoaontoar em
breve sommas extraordinarias, cerno ou-
tros mais felizes do que elie que nso po-
dem passar di pobreza honrada em que
vive.
Nada mais digno de resposla enronlrantos
na missiva do ronespond^nte da Reforma.
Aguardaremos a sua promettda cuniinua-
cio.
PUBLICaCOES A PEDIDO.
O BVEalENAMiCrtTOSA E ALBUQDEBQEJL-
CADO SECUNDO O QUE SE SARI NCSVAr PRO-
TINQA B SEfiUNBOOQOB sr TEM pklCA-f
BOHA-C itTB.
Iteo a primara vex que eorrespondencias libe-
gres d aqu p .ra a corte Barrara os fact.s por modo
inteiramen divefio do que elles se deram.
K eo.-tume velho___
B a quecia-i da tnttnenamtto nio podia enca-
par a esse fadarto dos correspondentes da opposi-
cao, n estrs em materia do eluronia, mentira e
detracta cau.
Logo quo osSra. S poterim emaccioasua
farja protestan lo, aJiis, pea pureza le suas io-
teo^es, e inculcando proceder d boa f eso para
ebegar ao ambeeamenio dr verdade, s e
via d'aqui dan-lo por certo e fftra do qnaequer
duvidas o imaginario atmneOament
Ento a nica frota que ha via era i cm/Lito
d i preb) Bdnardo.-dewnNitido jor sa mai.
Depois, retraeton-se elle formalmente, oaand-V
aeari3do eom Carnario ; mas em ve' de se contar
ITAMBE1 II DE AGOSTO DE 1870.
Prosegue e>te. infeliz termo sob o malfico n-
lluxo de ora liberalisno de>enfreiado qae se per-
sonoilica D'i assucarado bacharel Araujo Barros,
jnz de direit i da comarca do Pilar, homem de
ma>a instinctos, improbo e sem igual na- scenas
de escaBdalo. Esse poltico eorrorapido, que por
desgraca do pai e miseria de nossa provincia foi
no execrando dominio da liga deputado assem-
bla geral e arbitrio supremo dos destino desfc
segund > districto eleitoral debaixo da administra-
?ao do maleavel Sr. de villa Bella, nao qnit- at
hoje conformar-se com a justa eondemnacn la-
vrada cintra seu partido pela opino publica lo
paz em que sabiamente insuirnu-se nosso magna-
aimo monarchu a 16 de julho de 1868.
Collocado anda na comarca do Pilar e rezldente
na villa de Pedras de Fugo, contigua a e?ta. per-
manece o bacharel Araujo Barros nes-e p uto es-
trategieo-politico qae no lempo de seu i>oderio es-
colhe/a para dom nar o ftarab e cora elle ledo o
segundo districto eleitoral da provincia de Per-
nambuco. "
Nessa posco offlcial que s ex/rce para fazer
favores com inandijo escndalo, esl o Sr. Aran jo
Barros ageito para trazer esta comarca em pertur
baca > tal que bem se aproxima de urna verdade-
ra anarchia, apezar dos esforcos empregados pelas
autoridades loeaes I
Os^ tactos repeteavse todos os dias e os habitan-
tes d'aqui o nvencem-se le qup. con-t tu i rao elles
estado permanente era quanto o governo central
nao tomar a prjvid.-nte medida de mandar Sr.
Araujo Barro* para alguma comarca onde elle
pos-a ser ra^s j nze menos anarrbista!
Ard-nle propagador da Beforma, pregada pelo
SBimes de sua seiu o Sr. Araapi Barros especula
l/waiaadoqae pode servir ao sen apstolado poltico
e transija se n alte ler ao respeiu devido as auto-
ridades constituida* e as lis vjgenUs do paz
Esqueee porem S. S/as licoe. da hUna que
ensina bem alto quanto perigu se corre na preten-
ciosa larefa re mud.r todo ura eatado de eousa
que asenla em Vis arracada- nos costuraes pu
JIi*k e haliitos enveterados de um povo.
En o que dis> era bjsso sculo um portentoso
eniu poltico o ltt- rario da Franca era uma d-
suas caraar.8 tegi,|rt,Tas- A ctntlitukao mus
forte do que nos
>~ *f/te $" a 1ui:er destruir, ser destruido
por illa. Ne-se juiuito empuoha S. S. o clanm
chama a postes meia dnzia de proletarios que o
cercara e ei-lo era pouc- pendo era xeracao os
plansn ten-brosos, qne se eonceber sua forl e
ignol.il imagioasao.
t2*Jf2**,P**$* '"> T,Vi4res- **<
igoal era mazellas Adlono Reardia dos Santo.
e o na menos at a-forrlador annual da seus 11-
flft.Kfi S*L*PwsM"-M ll0-iui ui>i pai de Pedras de Fogo la comarca do Pilar, igual
nenie perversos e desnrdeiro., sendo a nlrao M-
Wleaijr, coa ja se demonstroa, e mentir, so por
Suave porem poderoso
Aowar do vig r e praneiMio com que a Saisa-
parrllna de Bristol lucta contra ae molestias as
mais pecoohentas, comlndo a sna aecao sna
ve e seas competentes vegetis, eminentemente
cur?tivos e fortiheaales, nao se achara desvirlua-
lizad >s por nen'iama snbstaneia mineral.
Pode se adininisirar eom '.oda a segurpnQa
crianeas e as enhnras delicadas, qne pa lecem as
mo|.tins e desordena pbysieas inherentes aoseu
sexo, e achara que o iini'-i remedio para seus
padecimenlos e dtbilidade. Toifeo su is tendeneias
sao salutferas. Abre o appetil fortiflea o esto-
mago, regula o finado e o venir", cobre o eorpol
magro e rxleuuado cm carnes novas e firmes,
da tom aos ervos, refresca os msculos, d elas
tieidade ao corpo e suaviza o espirito.
Basu dizer se que deBlro do espi{.i de 3o annns,
nunca eaaMan que falha-se uma s vez no curati-
vo das enfermi.tades ulcerosas a,aruplveis. En-
contra- leciraentos de dregaj e -so todas as boticas as
mlis acreditadas.
ERRATA
Na poblicacao- instn-ta no hiario de 20
de julbo, sob a assignatora do jote muni-
cipal e de orphaos do termo de Itamb,
bacharel Menelo dos Santos da Foncec
Liis, deram-se, alcm de outros erros, os
seiruintes:
N-i .a columna, em vez das palavras
e.rctpco de acedo e Hl-oitimiOat de partes
Uia-se excepeo de imomp-leneia Ae
acedo e itlegitimidade de parles; cm vez do
art 149leia-se249.
Na '.ia r.olomna, em vez das palavras
podia os offerecer que he oprotivessete
se^odia os otfcrecer quando Ibe apr u-
vesse ; m vez das palavras Ku frequento
o tribunal do jnryten-seQw frequ mo
o tribunal do jury ; em logar d*s pa avras
j tendo para isto j os necessO' ios pe-
deiesleia-ej tendo parauso dado os
i.ecessari- s poderes ; rn lugar das palavras
-poltica dominante nao diep9e\m se
pol tica dominante, que n3o dhjoe.
dem decanna
dem genebra ......
dem restada......
Idera alcool........
dem cerveja.......
emvinagre.......
dem vinlio de caj......
Bolacha flna.comprehendidos os
biscoits.........
lem ordinaria, proppareria
embarque........
Caf lm.......
dem oscolha cm restolho .
dem torrado mi molde. .
Gal branca.........
dem preta........
Carne secca ( xarque ). .
Carvao ^-egetaJ. .......
Cera amarolla.......
dem de carnauba em brttto. .
dem dem em velas, .
Cha..........
Cocos seceos .......
Colla........;
Couros de boi, seceos salgados.
dem dem espichados. .
dem dem verdes.....
'dem de cabras cortidos .
dem de onca.......
Doces ero calda......
dem em golea ou massa. .
dem seceos \ .
Espanadores de peanas grades .
Idea pequeos......
lem de palha.......
Rstetraa de carnauba ....
dem propria para forroou estiva
de navio........
Estopa nacional......
Farinha de ararufa.....
(dem de mandioca.....
Peijao de qualquer qualidade. .
Pumo charutos......
dem cigarros......
Idora era *>!ia bom
dem cm folha, ordinario ou res-
tolho
dem era rolo'e em latas bom .
dem, ordinario ou restolho. .
Rap.........
Gomma de mandioca, (polvilho).
Ipecacuaoba ( raz).....
.Angico (toros)......
Caibros........
Enxams........
Frechaes........
Jacaranda (couc?)eiras)
19.%
30
330
300
337
600
300
660
kilog. 476

cento
kilog.
>
ura
kilg.
>
duzia.
>
>
cento
kilog.
>

centro
i
kilog,
>


i
dnzia
um

*
duzia
*n
476
4i
9S
30
' 27
V
168
442
43
763
4d3
44O0O
1*438
511
640
301
330
loaooo
M133
78i
a#i8o
48*000
24*000
12*000
16aO0O
12*000
136
81
02
272
0**000
320
1*090
113
e;i
54.%
2*180
170
UWi
60*000
360
1*500
5*000
95*000
3*000
12*000
6*000
10*000
Ktt
SS
BaBBjBBBaBB1
um 16*00i
duzia
*!g.
una
20*00ii
1441000
96*0*o
33
* eonu como IU se paaaoo, longe de se dixer que exeUeaeia, paw manda-Ios diariamente s colura
OOMMERCfC
fttAiA Do HttUHi 13llh. AGOSTO
DE 1870.
AS 3 i/2 BOBAS OA TAKBB
Couros seceos salgados314 ra por UL (booteml
Goncallc Jos Aflunsw,
> Piesidentt
Mesquu luaior.
Secretaria.
EiNGLISH BANK
)f Rio de Janeiro Limiter
Descoota lettrag a. pw^ ^^^ wu
endonar.
Becebe'dinbeiro em oonta correte bu
I raso fixo.
Lenha em adas. ..... cento
dem em toros......' >
l.inhas e esteies......um
turar s (pranehocsj.....
Pao Brasil........ kilog.
dem de jangada...... um
Quirs ...... dnzia
Vrahatico costadinho de 25 a 30
millimetros de grossura. .
dem pranebdes de dous costa-
dos at 50 millimetros de gros-
sura.........
(dem tabeado de menos de 25
millimetros de grossura .
raboado di vano......
Tatajuba........
rraves.........
Varas para pescar. .... da>ia
dem para aginadas ...
dem para canoas..... nma
Cavernas de sucupira(em obra) *
Eixos d>- cicupira para carro. par
VNaco......... Viirt,
Mel deabema. ^-
Milho....... #* f
Oasos...... *.
Palha de carnauba malkm
Pechory. ... JJT
Pedras de anular .,.*..' r~
(dem de flltrar
dem de reeoMo
Penaas dena. ..... i
*******........ tmUm
Pontas ou cntfres de novilho ou
?aera......... eento
SaMo......... katog.
Sa.........,
Salsaparrilla.......
Sapatos de maro feranoo ... par
Sebe ou grana em rama kMog.
(dem em vaftK. ...... >
Sida e rsqueta......
Tapioca.........
Dudas de bol....... eente
Vasgonra* ecartimfca duzia
Idt'm de piassava .
dem de modi j
Aa87*
I. rraf?riele. Florencio Domiogos dHIm
O 2. cunpreme JtmfM* aV Vttat iaa/ilj
, Aopmvn. A.laadga 13'da agosto de
Pan d* Andrea.
dafcaa -kn*p*(nu Malino *JMrs.
aiCEBEDORA DB^^^B_
RAES DE PBRNAMBBi
teniaeaiod dia l a 12. .
2*400
6*ieo
i*ow>
3M0
iiaaoo
5f
32*
I*
' Wi
1*800
ai 7
31
ft
34
Hm
ice
S*8M
34*
f
2<0H
se
34*
47
1*100
404
3*0
' 7*

HE-
35;07||3M


Diario de <5fansu segunda feira 16 de Agosto de 1870.
lito dot a.
I;8Q018
36.872*901
do di 13.
dia 11II
PROVINO!
:M8*506
f:7lS#l3fc
41:^03*740
piuca do reote*3
13 DB MQ6TO M 187Q, AS 3 HORA* DA TARM
*BVISTA H*4* tL.
Cambios.Saeeoa-sa abre Loodres de W 1/4
a l/l d. por i; sarananda o valor do saque
auaeteados aesta mau at 40.660.
^AwooXa Vea-lea-se o de Peraaatbuco, a
M#90O os 15 kilos.
Assdcar.Veodeu-a o masca vado porgado de
21900 a 3* os 18 kilos; taarcavado broto de
l|900a2*oaoaricaoo, ede 1*800 1*000 o
Canal.
Aaaox.O puado da India readeo-se a 3*000
a arroba.
Azsite-ooceO de Lisboa vaadeo-sa a 3*300
clao e o do Esireite a 3*100
Bacauio.Reulaau-io de 18* a 20* por bar-
rica.
Batatas.Vendea-M ai*30 a arroba.
Hoj.acki.mias.dem a 8* a barriqoiaha.
Caf.dem de 5*200 a 6* a arroba.
GaxIdeai de 2*100 a 2*800 a libra.
CaarwuA.-lden d 5 aotijas.
Loooa.veadeu-se a (atleta ordinaria de 330
a 330 rs. por cento de premio sobre a futura.
Mamtsiga.a mgteza veudeu-se a 1*000 a
libra, e a franreza 850 rs.
Masas.Venderam-se a 8* a caix.
OtaoDB livhaca.dem a 2*200 o galio.
I'assas.dem a 12* a caixa.
Prescitos. dem a 18* a arroba.
Qoeoos.Os flameogas venderam-se a 2*300
jada un.
SaboVendeu-se a 130 rs. a libra do inglez.
Touaxao. Vendea-se o de Lisboa a 12*800 a
arroba.
VfNAORE.O de Portugal vendeu-se de 130J a
a 140* pipa.
ViHosOs de Portas! veoderara-se da 200*
a 220* o Uto e de 220* a 260* o braneo, e os de
muros pases de 190* a pina.
Velas.As de eejtaponeao venderara-se a 530
* paeote de 6 velas.
Descont.O rebate de letras regaln de 8
a 9 por eento ao aaao.
FaiTES-Para Liverpool 3/8 d. por libra pelo
slrodao sctn caps, estregando em naoso porto;
1/2 carrejando em Mossor
.ando em Mace.
3/8 d. e5 % carro
M0VIMENT0 DO PORTO.
Navios entrados no dia t3.
Liverpool77 das, barca iogleza Dunloe,
de 29 toneladas, capitao W. Batlen,
equioagm 13,carga diflereotes gneros ;
a H. OatlU 4 C.
M ico e escalas11 'horas, vapor bra9i-
leiro Miniah, de 222 toneladas, com-
mandante Julio Gomes da Silva, equipa
gem 18, em lastro ; a Gompanbia Per-
nambucana.
Babia6 dias, patacho brasileiro Tres
Amigos, de 153 toneladas, capitao Do-
mingos Vianna dos Sanios, equipagem
1U, carga 2500 saceos com farinba de
mandioca e outros gneros; a Joaquim
Jos Goncalves BellrSo.
Navios sahidns no nusuto dia.
Granja e port s enlermediosVapor brasi-
leiro Jagniribe, comnuaodanteGailherme,
carg'i (1 lerentes gneros.
ttio Grande do SulBarca brasileira Laura,
capilo Antonio Tbeodoro da Silva, car-
ga assucar e oeiros gneros
Navios entrados no dia 14.
Liverpool 39 dias, barol noruegueDse
Brasileira, de 251 toneladas, capitao
S. J leil, eqiipagem H, carg deffe-
rentes gneros ; a Johnston Pater de C
New-York porS. Tbomaz e Para21 dias,
sendo do ultimo porto 6,vapor americano
Mcrrimak, de 2000 toneladas, comman-
dante Wiliism. Wcir, equipagem 65.
carpa differentes gneros; a H. Forster
dC.
Navios sahidos no mesrno din.
Ba iaPatache ioglez BrisH, capitao Banks,
carga parle da que ti ooxe de New-York.
LiverpoolVapor inglez Gladiator, cora-
mandante S. Willia n, carga algodio.
Maci- Birca ingleza Mayla, mpiOolAei-
villin, em lastro.
S. MttheasHiate brasileiro Sergio, capi-
llo Joaqiim Ignacio da Fonceca, em las-
tro.
Rio da Janeiro e BabiaVapor americano
Merrimik, c immandan e William Wier.
AcaracuHute brasileiro Graciosa, capitao
Joaquim Antonio de Figueiredo, carga di-
ferentes" gneros.
Navio entrado no da 15.
Londres63 dias, brigue francez Louiz.i,
de 230 toneladas, capitao Alexandre
L-m's!e, equpagem 10, carga plvora e
antros g'Otros ; a H. 0tt C.
O&MrtHlcao.
Nao honve sahidas.
Fundeou no lamarao am patacho portu-
gnez; ate meio dia nao leve communicacao
com a trra.
EPITAES.
O Dr. Sebastio do Rgo Barros de Lacerda, jni
de direito e-pecial do commcrcio d'esta cidade
lo Recife dn Pernambuco e seo termo, por Saa
Mageslade Imperial, que Deus guarde, etc.
Faca aapajr aea que o presente edital virem e
d'elle noticia tjverem, quo dentro de 30 dias da
publicara, do presente, recabe este juizo proposta
em carta fechada, para arremalacao por vimda
qu >rr inais offerecer tabre ava!iai;i du 500 dada
:rava iliquiina, crioul, co idadi de 0an-
nos pouco ais ou menn, sobro a avaSiago de
2">0*, dada >5crava CoastaBtina, crioula, com
idade dequarenti annos pouco mai8 ou meno, as
l i i s fora nt''nlioralag por execiija-) de Leopol-
(I i Fcrreira Uranias Ribeiro, contra Salvador pe
Si'iueira Cml :ami, cuja arremata^ao ser feita
j1!* forma que determina o art. 1 do decreto n.
; de l'drt setembro de 1869.
E para que chegue ao conhe:imento dequem
interessar Ps#a, raandei fazer o presente edital,
f|" s; alTJxado nos lagares do costme e publi-
cado pela imprenta.
3do e passado ntfsta cidade do Recife de Per-
nambneo, aos 25 de junln de 1870
Eu, Ernesto Slaebado Freir Pereira da Silva,
eserivao, o esotwvi.
Sebastio 4a Reg Bairos de Ijicerda.
_
O soliaMIor, J jm) X*vier Coeio.
E raais ae nao tinha em lita prescripeo, aqmi
transcripta, na qual d?i o despacho do tbeor se-
guhUe:
Jamando procurado. denribaa-*e, tomada
por taran o protesto, justifique ao dia 20 d cor-
rete, na casa das aadlencias, ao man dia. Re-
cife, f* de jalhj de 1870.B.arros' de Lacerda.
E nada mais se coatiaba em dito iaajianaa, en
virtoae do qaal fa a peticao daatriaaida ao eseri-
va deste Juno, Ernesto Silva, qae lavron o ee-
im'Bte temo de prolesto. 'vX\
Termo de protesto
Ao* 19 a laja de 187^ aeNa dada dq m mea cartorio aerante miabas testemunbas in-
(ra aasignadaj, corapareceu o supplieann por asa
baauate proearador, J Xavier Coelho, e por
este toi dtto ae redara a termo o eonledo de
ana peticao retro, que ofTereqia como parle do pre-
sente, em que depois de lido se asslguou com as
indicada testemunbas de que lavrei este ter-
mo :
Eu, Ernesto Machad > r're re Pereira da Silva,
eserivao, escravl. Jus* Xavier Coelho, Francisco
Xavier de Souza Ramos, Feimto do Rege Barros
Petsoa, eieado o supplicante produtidj suas tes-
temunas, qae justifi;arm a atrseneia dos suppli
.-ados em lugar nio sabido, e snbiado o< autos a
a minha condu.-ao dei a senteora do tbeor se-
guirte :
Proceda a jusucajio dada, seja intimado o pro-
testo de fl quatr i so ausente, aassando-sa para
sm> editaes de 30 dias, que sacio afflxados e pa-
bi'-ados. Cusas ex-cau*a. Reeife 26de julho de
1870. Sebastio do Reg Barres de Lacerda. E
mais se nao continua em dita sentenct aqai copia-
da eem vina le da qaal o referido eserivao la
paasar o pre-co:e edital com o praso de 30 dias pelo
tbeor do qaal chamo, cito, e ei por ciiodjs os sup-
licadosd ausentes para que dentro do referido pra-
so comparecam aste juizo para allegar sua de-
fes por todo couteiid j ua peticao cima irans-
cripta, sob pena de proseguir a causa, seus ter-
mos a *ua revelia, portant" e qualquer possoa,
prente, amigo, oa conhecid. dos referidos sup-
plicados, poder fazer-lhes scienle do qae cima
^a dito.
E para que chegue ao eonheciraentode todos man-
de passar editae que serao afflxados nos lu-
gares do costnmt, e pobiica-lo usa imprensa.
Dado e paseado oesia cidade do Recife de Pr-
nambuco, aos 29 de julho de 1870.
Eu, Ernesto Mu-hado Freir Pereira da Silva,
eserivao snbcrevi.
SO/wl/da 4o 'ffi Barro* deLocerdn.
O Dr. Sebaotiio do Mego Barros de Lacerda, juiz
de direiU) espacial do commercio nesta cidade
do Reuifa de Pernambuco, e sea termo, por S.
M. I. que Deus guarce etc.
Fago saber pelo presente que Joo de Azovedo
Pereira dirigio-me a peiicao segninte :
Illm. Sr. Dr, juiz do commercioDiz Joo de
Azevedo Pereira, que sendo credor de Theophilo
Lepes Coelbn, Ildefonso da Silva Lobato, Francisco
Jos dos Santos, Pedro Alexanrino da Costa, An-
tonio Remo G -Imeida Jnior, Joaijuim
Ferreira de Me-quita, Antonio Pedro de Avelino,
Joio Lins da Silva, Fran-isrn Sercundo I salta cao,
Honio Leile, da
^^Bfetastantes das letiras pelos,
que nao tendo podido
apesor r! esiarem todas
Ttaeot
cuanta de
mes:
que
art 390 4
presente c|
sen dtreiM|
tomar pee,
iH
prazi em
, na forma
ve. , MU
o e esn da
H'iei ramak dai
fazendo idtf
em iridde de
IAf Inorar
DECtARACOES.
De ordem do Illm.. Sr. conselheiro inspector
da thesouraria de fazenda desta provincia se faz
publico para conhecimento de qaem interesar,
queem virtude da ordem do thesonro n. 126 de
15 de julho ultimo, aoba-se a mesraa ihesouraria
autorisada a pagar aos* rre lores da divida de ex-
ercici js Indos de 1867 a 1869, pe tencentes a *s
ministerios do imperio, justica, raarinha, gu.rra e
agricultura.
Secretaria da thesounaria de fazenda da Per-
nambuco 11 de agosto de 1870.
Servindo d? official-maior,
_________________ilanoel Jos Pinto.
Santa Casa de Misericordia
do Recife.
k>in5 eir vista.
A Illma. junta administrativa da santa casa de
misericordia do Recife no intuito de alargar o cir-
culo das pessoas que concorrerem a arrematacao
do fornecimento de genero? que tem de consumir
todos os estabeleciraentos pios seu cargo nos
mezes setembro vindouro, mana fazer publico
que o mesmo fornecimento da quantia de tnnta
cootos e tantos mil ris annuahueate, e que pago
mensalmente com diobeiro vista. Recebe, por-
tante, a raesma Junta propostas para o fornecimen-
to indicado, na sala de suas ses?oes, pelas 3 horas
da larde do da 18 do correte mez.
Aletria kilogrammo.
Arroz do Maranbao dem.
Azeite doce litro.
Agurdente idem. .
Bacalho kilogrammo.
Batatas idem.
Azeite de carra pato litro.
Cha preto kilogrammo.
Cha bysson idem. .
Caf idem.
Ceblas cento.
Carne secca kilogrammo.
Farinha de mandioca litro.
Fumo do Rio kilogrammo.
Feijao malatinho litro.
Farelo sacco.
Hameiga franceza kilogrammo.
Pelxe fresco idem.
Sabo idem.
Sal litro.
Velas de carnauba kilogrammo.
Velas estearinas idem.
Vinagre litro.
Vinho tinto de Lisboa idem.
Dito braneo idem.
O* concorretnes apreseutaro suas propostas em
cartas fechadas, devidamente selladas, as quaes
devero ler a ordem estabelecida no presente an-
nuncio.
Secretaria da santa casa de misericordia do Re-
cife 12 de agosto de 1870.
O eserivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Perant* a Illma. junta administrativa da Sania
Casa de Misericordia do Hecife, na sala das ses-
sessSes no dia i8 do correte, tem de arrematar-
se o fornecim tii> do pao r bolacha que tiver de
consumir o asylo de mendicidade seu cargo nos
mezes de setembro novorabro.
Santa casa de misericordia do Recife 8 de
agostao de 1870.
O eserivao,
Pedro Rodrigues de Souza
Tribunal do commercio.
Por esta secretaria se faz publico que ficam ar-
chivados :
O contrato de sociedade do Manoel Francisco
Carneiro, Antonio Joaquim Tavares e Francelino
Xavier da Fonsea estabelecidos neUa cidade com
casa de commercio de fazendas sob a firm* de
Carneiro, Tavares A C. co capital de 20:000*000,
sendo 15:01)04000 em comtnandita.
O contrato de sociedade de Jos Joaquim Gon-
calves Bastos e Antonio Alves da Silva estabeleci-
J s nesta cidade cora C3sa de commercio de fa-
zendas, sob a firma de Bastos & Silva e o capital
de 70:000*000.
O distrato de Antonio Alves da Silva e Joo Cor-
rea de Carvalho, diss ilvendo a sociedade que gy-
ron sob a firma de Silva A Carvalho, cuja Kgril-
dacao fica a cargo da firma de Araujo, Carvalho
& C. que vai substituir aquella.
O distrato d Manoel Soares Pinheiro e Jos Ma
ria de Souza, oVsolveudo a sociedade que gyrou
sob a firmo de Soares & Souza, uja lijuidaco
fica a cargo do ex-socio Pinheiro.
O contrato da Antonio Alves da Silva Jos An-
tonio de Araujo e Joo Correa de Carvalho esta-
belecidos ne>ta ciJade com casa de commercio de
fazendas e roupa sob a firma de Araujo, Carvalho
& C, e o capital de 14:241*110, sendo 10:000*000
em eommandiia.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco, 10 de agosto de 1870.
O offlcialmaior
Julio Guimafaes.
I aspecto do arsenal de
marinha.
Faz-se publico que a cramisso de peritos
examinando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de o d fevereiro de
1854, o casco, machina, caldeira, apparelho,
mastreacio, veUme, amarras e ancoras do va
vapor Jaguaribe d i companhia Pernambacsna de
navegacao costeira, aehou todos esses objectos em
estado de poder a.vapor navegar.
InspeccS do arsenal de raarinha d Pernamb
eo 12 de agotto de 1870.
u-
0 inspector,
H. A. Barbosa de Ataaeida

forrei geral.
elaclo. das s, procedentes
d'o sul e norte sientes na
rep' de agosto
de 1870. *
ua, Bernardo da Cos i V
Lins Baha {fl, Manoel Gomas de Mollu, Sai i
Athaoasio (tahfto).
O flnearretadb do rofht!
Manca? ios Passoc iM^H
*m
-w
THEATR
santo mm.
EIPREZ4-C0IMBR4
COMPANHIA FRANCEZA
O emprezario deste mjeatro tem a honra de
partecipar ao respeitavel publico desta capital,
que acaba de chegar de Pars a companhia por
alie mandada contratar para dar espectculos de
declamacao e canto, da qual sao artistas M."!
Brescia, M.lle CboiberJ, M.lto Mariette Thierry e"
Mrs. Antonia Carn, Joseph Ravnaud e Alfred
Maris.
O emprezario nao ousa transcrever o que o f eu
eorraspoadenta de Par*, loe dU a respailo do
mrito de-le* artistas, peraoda que respeita-
vel publico que concorrer ao theairo forme o seo
juixo a tal respeito.
O empresario deste theatro nie se tem poupa-
do a aespeza nens a fado gas, afim de apreseator
u esiaoeleeimeoto digno desta capital (onda vi-
ve desde 1837).
O emprezario previne ao Ilustrado publico, que
e macbioismo deste theatro feto pelo hbil ar-
artista Jos Alves Mouteiro; aseim como toda o
scenario, pao de bocea e arco do arocenio
executado pelo hbil pincel do distinto senogra-
plio Mr. Cbspelin.
O emprezario aproveita a occasio para dixer
ao publico qne se acha aberta dede j, a sbs%-
natara para camarotes e cadeiras de Ia e 2a etas-
-e. por 30 recitas, pelos prefos abaixo declarados:
Camarotes de Ia ordem com 5 caira-
Has, por 30 recitas.............. 300*000
Di ros de 2' ordem com 5 entradas por
30reeHs....................... 360*000
Ditos de 2" ordem ns. il, 12, 13 e 14
com 6 entradas por 30 recitas..... 480*000
Cadeiras de 1' elassp, 30 recitas..... 90*000
Ditas de 2* classe, 30 reatas....... 60*000
As pessoas que quizerem assignar podem des-
de j derigir-so a* escriptorio do tneairo que er-
ura abarlo desde is 7 horas da manba at as
6 da tarde, na ra Joo do Reg, anga da Flo-
rentina.
O emprezario previne que vio entrar os ensaios
afim de principiar os seus trabalhos o mais breve
possivei.
LEILAD'
salvados da, galera Wotorn Abbeg, recente-
menie naufregada oe- ta-tr Ponta de Pe
tras, cmistado era tanques ie ferro
*rtws e otros coatt bolacha p<* de p.
w e prancba e carvafco bombas
M ferro, correrte. -.Kmtmnfi, cader-
naes, cabos asados eom >alva-v^a
A 16 do corrate.
David Jones, capiUo da dita gatera. ar leilo
accordo e em preieaea du Sr. coasul de S. M.
Bnunaica nesta ctdade,por iaterwiicSo do agente
tfhvjua e ennu e rioco de quem frtencer, pre-
MKft a computenie aotorftacae da alfndega e
com.assistencia de um asaampregado flscaJj ios
salvadosHBOpramencioaaoa,
Ho)>9
^aAiVi^W da manbaa, no armazem alfandega-
do do Barao do Livram*
Corpe
de
Canos de ferrp galvanisados por barato preco.
Torneiras, e curvas para os mesmos! No armazem da travessa do
Santo a. 25.
MoinhoS para caf e para mtlbo
Os melhores motnbos para caf e para ilbo que tem vindo a este marcado, s
seencontram no armazem da travessa do Gorpo Santo n. 25.
no armazem
Livramento. ao eaw do Apollo.
non hada raobilia genoveza cocstando de 12 ca-
deiras de gnarnicao. 2 ditas de bracos, 2 ditas de
balance, 2 consol?, iardineira com podra e sof,
diversas cadeiras de baUaco americanas, ditas
de vimes, 1 rico espelho oval de crvstal, can
dieiros de gaz, lan'eroas, jarros e bacias de vi
dr s, imporlantes figuras, compoteiras. estojos,
carteiras para vitgera, machi na# de ftafft e muilos
ontros artfgos de gosto, nne se venderao ao correr
do martello para liquidar
Sexla-feira 16 do correte
pelo agente Martios, no novo armaim di roa
Nova, hoje ra do Barao da Victoria n. 34, 8 8
horas da manbaa, e das 3 horas da larda em
diante.
N. B. As asignaturas tanto de camarotes como
de cadeiras sao feitas por 15 e 30 recitas, o qne
por esqneemento se deixou de mencionar no
Diario de honlem. Assjm como os espectculos
de assignaturas tero lagar as quartas-feiras e
sabbadwe.
O fiscal encarregado do expe lente do theetro,
BrnosJ nardino Correa de Barros
SALlO
DO
CLUB PEPJAHBnCAllO
Terfa-feira \6 de agosto
gmids os uraaisD dhcm
BENEFICIO O.VME.MX.V l\3>mST.\.
If IlIaV WZtlnaTI
O concert ser organisado por eu pai o pro-
fessor
RAPHAEL ANT0N1NI
Com o valioso concurso dos distlnctos professo-
resSrs. Emmanuele Casalbore, Gustavo Werteimer
Benrique Salvador, Candido Filho e outros que
no progrsmma ser anuuuciado o dia do con-
cert.
Todos prestam-se gratuitamente para coadjuvar
o beneficio.
N. B. A menina Egeria pede aos Exms. pas
de familias que convjdem para o concert seus
filhos al a idade de 10 annos, o; quaes teem en-
trada gratis.
Os bilheles acham-se venda as seguintes
casas :
Loja de msica do Sr. Azevedo, ra Nova n.
11, no Club Peroambucano e no Hotel do Uui-
verso, 1' andar salo'
Pegos de costume.
As 8 horas da noute.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
Navegacdo costetrapor vapor
TRANSFERENCIA.
Macei, escalas, Penedo e Aracaj
*t^T|b' O vapor Mandahu, commandantt
Xk Julio.seguir para os porto* cima no
atBHBB dia 16 do correte as 5 horas da
tarde. Ricebe carga, encommendas, passagei-
r se dnhiiro a frete at as 2 horas da Urde
do d'a da sahida o escriptorio do Forte do Mattos
n,12.
AVISO
Samuel Kent, capitao do patacho inglez range,
precisando proceder ao concert do mesmo pata-
cho neste porto, onde se acha surto, convida a
juera tal servica queira fszer com promptidao,
pondo se em perfuito estado navegavel sob a ap-
provagao dos agentes de Lleyds nesta praca,
examiuarem o actual estado do mesmo patacho,
e a fazerem suas propostas no consulado britnico
at quaru-feira 17 do crreme.
Freta-se sobre dinheiro a 1|4 0|0 para qu3l
juer porto da escala do imptno, sendo. quantias
maiores de 20:000*. Tendn aborto seguro em
Londres sobre libs. 100,000, por qualquer vapor
da linha, a cooopanhii segura qnaiqaer remessa
de dinhe ro a 1|6 00 para qualquer porto da esca-
la no imperio. 0 valor deve ser declarado em li
bras esterlinas e o premio pagavel na mesma moe-
da ou seu equivalente.
PARA.
Pafa o referido porto, pretenie seguir com a
possivei brevidade a-barci porUigneza S, Joo
por ler j porc< da carga, e para a qua Ihe falta
a frete commodo, trata-se com o consignatario
Joaquim Jos Goncalves Beltro : a ra do Coro
mereio n. J7.
frete a rflodico preco, e pa tem boas commodos : a tratar com Ohveira, Fi-
lhos A C, no largo do Corpo Sarrio n. 19, primei-
ro andsr.
--------------------f-----------------------------------
Para o Porto
pretende sabir o brigue portugus Triumpho at
10 do setembro prximo rom a earga que
quero no mesmo qnizer carregar ou ir de
gem, para o que lem bons commodos, trate com
os consignatarios Thomaz do Aqurao Fonseca &
C, ra do Vigario n. 19, Io anlar.
Rw de Janeiro
Pretende seguir para o referido porto com a
pe*8ivel brevidade o patacho Montero per ter por-
cao da carga engajada ; o para a qne lita falta t
e>cravos a frete, trata se com o consignatario Joa
quim Jos Goncalves Beltro a roa do Commerci o
u.17.
passa-
Maranho
E' esperada do Rio de Janeiro em poneos dias i
barca portaguea Baria, que traz ji alguma car-
ga para o referido porto ; e desearrogaadoa que
para esto condozir, raceberi aqu a qae tor pos
sivel obier para o Maranho, e com penea demo-
ra : por iesa-qoetn desejar aproveitar esta boa
occasiao de embarque, dirija-sc ao. coneignataric
Joaquim Jos4 Goaqaives Beltcao, i ruft
oaercio o. 17.
DE
25 bams com manteiga
inglez k.
Quarta-feira 17 do crreme ser levado em lei-
lo 25 barr* com manteiga ingleza, chegados lti-
mamente. Os lotes sero de Si barris em numera-
dlo a seguir.
O agente Pestaa, competentemente antonsado,
faro respectivo le la s II e meia horas do dia
indicado, no armazem do Atrae?, defroule da al-
fandega.
Farinha de trigo no
estado
A 17 do corrente
O agente Ollveira far leillo por ofdem de Ra-
be Schmettau & C. consignatarios d > pala -ho inglez
Ora* ge, de accordo e em pretenea do Sr. cnsul
de S. M. B. nesta cale, e por conta e risco de
quem pertencer, de 2020 barricas com f.iriaba de
trigo, sob a marcaOda acreditada fabrica Fon
lana, sendo 235 barricas consideradas em bom es-
tado, e 1765 com pouca avaria, visto haverem-se
descarregado de bordo do dito patacho durante 12
a 21 hora*, depois que bateu as pedras do recife
entrada d'ene porto, na sua recente viagem pro-
cedente de Triste
Quarta-feira
s 11 horas da manhaa, no armazem alfandegado
do Barao do Livramento, ao caes do Apollo n. 45
LEUAO
DE
1,500 libras de chocolate hes-
panhol a tiro d martello
Quarta-feira 17 do oorrente.
0 agente Pestaa far leilo por conta e risco
de qnem pertencer e sera reserva, de 1,500 libras
de chocolate hespanhol. o qual ser vendido em
nm ou mais toles, qnarta feira s '0 e meia horas
da manhaa, no aroiazem do Artne, defronte da
escadinha da alfandega.
LEILO
DE.
urna taobilia de Jacaranda Luiz XV. composta
de 12 cadeiras de guarnieo, 4 de bracos, 2 de
balanco, 1 sof e 2 consolos com lampos de pe
dra, 1 piano de Jacaranda em perfeito estado e
com evcellenles vozes. 1 setretaria de amarello
propria para escriptorio com a c.ompel-nte ca-
deira, 1 gaardi-louga, 1 guarda-roupa de ama-
relio obra mui bem aesbada, i rama de mogno,
1 mesa para jamar, 1 mobilia de amarello quasi
nova, 2 bancas de mogno para jejo, 2 meias
commodas, 1 cofre francs, 2 pares de consolos
de amareH n arquezoes, mesas redondas, mar-
quezas, cadeiras avulsas para sala de jamar,
1 costurara, la vatrios, cabidos, 4 caxilios para
loja de miudeza*, diversos pares de compotei-
ras, copos para agua, ditos para champagne,
clices e roailos ontros objectos, que tndo ser
vendido ao correr do martello
Quinla-feira 18 do corrente.
Augusto Seixas far leilo em seu armazem
ra do Imperador n. 16, por intervencao do agente
Pontiral, dos movis cima mencionados, s 11 ho-
ras em ponto.
AVISOS DIVERSOS.
Ama v
Precisase de urna ama para cotiatur : na raa
da Praia n. 37, 1 apilar.______
Precisa se de urna ama forra ou escrava
que saiba cozinhar e fazer compras : no Corredor
do Bispo n. 23._______________________
Sociedade ParlotSca Doze de
**et nal> o.
Send> esprala n'esta provincia S. A. o
Sr. Conde u'Eu de viagem para a Europa, a
comtni>;o central desta sociedade convida
aos seos ass ci -dos a comparecer no sa-
lo do Ciab PernambHcan no dia do
c rrente as 5 horas da tarde para tratar-se
de dar urna solemne man i fc si- cao de gra-
ti'dao ao joven principe honja da cantpa-
nba do Paraguaj.
Espera a commisso do nanea desmen-
tido enthusrasmo da SociediBe Doze de
Stembro toda b&a vontado e coadjuvacio
para o brbantismo da festa de recepcio
qae pretende fazer.
Secretaria da Sociedad D'za de Se-
tembro, 12 de agosb de 1870.
A. amonta.
Secretario.
Um agradecimiento
Jos Bernardo de Carvatl ac tetramente pe
nhorado aquel qo<> se dignaram man
jar celebrar urna rm'ssa por ahaa do sea finado
ftlho Jos
do cerre
Carmo.
toram sel
contar com o mea
no dia 14
i igreja do
que sempie
vem Ss. Ss.
Doueo prastioao aqui oa o
qualquer parte aue DaoadasJiaar meo apoaonla.
r
!
i.
i) N "
iOLEO
DE FIGADOS FRESCOS
DC BACALHO DE
Gastig'one Pars!
.Iwosito : P. MAinrn H C'\ em Peramb*co; JOS DELl.O, ** Porto JUfrt;
Sil.VA LOPES, em. ehia; FERIIE1BA el C", a tara>


ifambuco Segunda feira If gosto de 1670
i i
Fotograpbia te]
i
calera be pintura
DE
/. Ferreira Filela
Desde o di 7 de abril passado acha-se aberto o
novo esttbeleeimento photographico sito ruado
Cabug D. 18, ecquina7 dopateo -la matriz. Olraba-
Ihos que desde entao, 1em sahido de nossa offleaa
lem geralmente agradado, sendo recebidos per
alguna com admiracio pelo extraordinar > pro-
rresso que ulliinaroento tero lido a phot< graphia,
e por outros com alegra, por verem a provincia
dotada com nm estabelecimento digno delta, e in-
contestavelmente o prineiro que rtesse genero
hoje pcssue : lambem nao nos [aupamos era cousa
alguma para gionta-lo no pe etn quese achs, es-
perando que o publico de Peruambuco saber
apreciar nossos esforcos e recompensar nossos sa-
crificios.
Convidamos a todas aquellas, pessoas, nawonaes
e estrangeiras que gostam das arte?, ou tiverem
neeessidade de trabados de photographia a visi-
taren o nosso eslabeledmenlo, que estar sempre
aberto e sua dUpoaieo todos os dias desde as 7
horas da manha al as 6 da urde.
Para es irabalhos de pbotographia possuirnos di
versas machinas dos niel hores autores f ranete,
ingieres e allmemes, como sejam : Lerebours el I
Secretan, Hcrmagis, Thomax Boas, Voigtlander et
SoobeWulf. ltimamente recebemos tres novas L gc|>Q IQ Qfi T)0(lPr
machinasi sendo urna dellas propria para tomar, m***** ** *,*
sobre o mesmo vidro 4 ou 8 imagens diversas e
isoladas, e outra de 6 a 12 imagens diversas e
igualmente isoladas, de sorte que no caso de
grande concurrencia poderemos retratar sobre
urna nnica chava at 8 pessoas diversas e isola-
das para candes de vi-ita, eassim em menas de]
nm quarto de hora despacharmos B differemes'
pessoas que pecam cada urna, umadazia de cartes
mais ou monos, com o.-> seus retratos sement, en
em grupo com otras.
Enearegamos-nos exclusivamente da direccio
e feitura dos trabalbos de fftolographia dei-
xando penda e talentos tk> dislincto pintor
altemao, o Sr.
Jorge A. Roth
os trabalhos de pistura, a cquarela, a leo, e a
pastel.
O Sr. Hoth acha-se ligado a nossa empresa por
mma escriptura publica, e at o presente tero.-se
desvedado na exeeucao de seus trabaltoos.
No nosso estabelecimento acbam-se exposlos ou-
tros trabalhos imanantes do Sr. Roth, tanto em
miniaturas aquarella como oleo, reiratos
'Meo, quadros sacros e diversos outros irabalhos.
Tomamos encommendas de retratos oleo al o
tamnho natural, assim como de quadros sacros
para oraamentacao de igrejas ou apellas. Tam-
bero, aceitamos encommendas de quadros histri-
cos.
Asseguramos que os precos dos diversos ira-
balboa da nossa casa sao mui rasoaveis.
CABT0ES DE VISITA NAO COLORIDOS 10500 A
IHZIA
CARTOES DE VISITA COM O 00L0RD0 AO NATO-
RAL 16)5000 A DCZIA
Retrates em miniatura oleo ou aquarella de
16 SOjOOO cada um, indo convenientemente en-
'Caixilhado em xnoldura doorada e regulando o
busto da pessoa retratada de 3 4 pollegadas e
todo o quadro palmo e meio de tamanno
Julgamos que bastarao os precos cima para
darmos idea da barates- dos trabalhos do nosso
establecimento, quanto' *ua perfeicao cada um
venha jnigar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tirarem retratos^ no
nosso estabelecimento sao das 8 horas da manhaa
1 da tarJe; entretanto de una hora s 5 da tarde
*m casos especiaes pde-se tambem retratar qual-
quer pessoa. .
Nos dias rls chuva, on por tempo sombro po-
demos retratar, e asseguramos que esses dias sao
os mais favuraveis aos irabalhos de photographia
pela doeura e persistencia da luz, e p< r termos o
Berso trra?) construido com taes proporeoes e
meiborammtos, que anda chovendo orros ne-
nhum inconveniente ha para fazer-se bellos re-
tratos.
J. F. rreira Villela.
?HARIaCIA GEHTRALi
Ra do Imperador n. 38
Xarope de io d'Abergier, e de
thery de \bbadie recommendados,
como calmtates pan os casos, em que se
nao pode osar do opio e de seos prepara-
dos, e mui cenvenienles para as enancas
nos espasmos e convulsoes.
PH
ETRAL RUI DO IMPERA-
DOR N. 38.
Preparados d'aicatrio em capsulas, licor,
e xarope ferrufiinoso.
Este antigo estabelecimento. acha-se hoje montado n urna
servir vantajosamente os seus freguezes, atten-
to o gran le sortimento de joias ffburo, prata e brilhantes, que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Earopa- cujos presos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei.
________________MOBEIBA DUABTE ___. _________
m iiHBHB waamammm
i

i
i

TRAti RUADO MPE
DOR N. 38.
Pillas de Vallet.
Pillas de Blancard. *
Pillas de Bland.
Xarope forruginoso de Blancard.
Confeites de lactato de ferro.
Pilulas de carbonato de ferro, teclado de
ferro, iodureto de ferro com magnesia.
Ferro de Qoeveone.
Assucar ferruginoso.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Vinho xarope de pepsina e diarthare,
excelleate tonteo para auxiliar as digesloes
difOceis nos casos de debiltdade do esto-
mago.

liE-1
v o -j a "3*
t" ss o *o o
i!*!f!i!s
|8SflI"?i
3SrB|^
s o g &>
&s

-I o
a

t/l
n
5*H|MJ
o
o 9
o i
B
o
&P
en
rs
r
*o
B co
t O-
"
m
09
a>
o.
o"
O ce
Wt
UM fttSCOBRJ>ENTO ESPANTOSO
XAROpe DE FBOEGOSO DE PINTO
Para as moleslias do peito, tosses, as-
ihma, bronebite, etc.
AtCestados-
Illiii. Sr. Joaquim de Alniej.Ia Pinto. Braga,
23de JLiu-ir.i <1 HH^- Men amigo, aqu be-
guei com algumas m< Ihora?; depois de ter lo-
na o tre- garrafas do sen preparadoXAROPE
i DE FBBEGOS-; i*\ pelo mar, porque lo-
so que-cliegnei em -Lisboa, principie com reais
f a tomar o dito xarope, por conheocr palo mar
que eKe me fiia grande beneficio, pois a vista
da grande qnantidade de sangue que eu botava
pela bocea, vi que me ia desappanfeado com
rapidez, depois que cootinuei a uar o dit xa-
rope, e tao milagrosa foi para minia molsetia,
que boje me acho de todo restaboleoido, e at
t mesmo bastante nutrido, e por isso pode Vene.
fazer scienle ao publico o milagro que o seu
pieparado ohroa na minha enfermiiade. Sem
tempo para msis, sou -de Vmc.
Amif o atiento venerador e ramo obrigado
Maneel Jos Gonralves Per jira
film. Sr. lotMjuim de Ahneida Pinto.
t Hatncko que ouvia proclamar as excellentes
propriedades do XAHOPE DE FE8EG0S0 oon-
ira a tosed e asihma, e solTrendo eu de una
tosse pertinaz, e leudo usa o de toda a sorte de
medicamentos, vali-me, pois, do XAROPE DE
FEDBSG30, e urna garrafa somene foi bastante
para re-iobelecer-me, e me vejo to robu-r) co-
mo daote* : suecutnhiria de certo a nao er
usado sen XAROPE OS FEDEGOSO.
A' wsta listo uo tenbo expressoes com -que
exprima' a V. S. a gratidio de que me devedor
o de V. S. aliento venerador e criado
Jcao da Costa Reg. <>
nico depofito. pharnacia de Jgaquim -de
Almeida *.'n o, ra larga do Rosario
n. 10. junto ao joartel de polica.
Agenda em ^ernambueo
Do Dr. Ayer
Fetoral de Cercga
Cura a phdH"sica e todas molestias do peito.
Mafia parr.ha
Gura ulceras e chagas aatigtfi, impigense dar-
trae.
Tonle*
Caaserva e limpa os cabellos,
s Plala* eatbartfcas.
TraveseadoQueimado n. 5
Horacio Antonio Maogabeira, proprielario deste
cstabeleciraento, tendo feilo urna grande refor-
ma no sen bem coebecido estabelecimenio.fai
ciente ao-respetavel poblico e aos seus amigos
4regueies, que so aeha de era e^i diante com um
completo sortimento de charutos de avana e de
todas as quididades, cigarros de palha do Rio e de
diversas quatidadeg ; e recebe sempre or todos
os vapores un completo e ariado sortimento de
ponteiras para harutos e farros, boleas para
lomo e fumo kt Para ; assim como um grande
sortimento de cachimbos de todas as diversidades ;
se vende por menos 10 por cesto do que m ou-
tra qualquor parte.
B w C;S-
2 aa ST o B
iSg *|
2a a "S o 0 a>
e-. a w a-w
O i; -1 O Jb
3- S --^ =
. a. -1 5
a a> o r o
o m s; w -
B D 2
S. O
eo w _
e x o.
- O as as _
M U <- ..
Precisa-se fallar com o Sr. Jos de Barros
Accioly a negocio de seu intresse : na praca do
Corpo Santo n. 17, Io andar.
N10FINA
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Agua bemostbalica de Lechelle, mui re-
commendada em qnalquer caso de hemor-
rbagia, e principalmente na thysica pulmo-
nar, e as hemorrhagias uterinas.
Rofa-se ao Ilkn. Sr. Ignacio V.eira de Mello, es-
envi a ciade de Natareut desta provincia, o
favor de vir a ra do Imperador n. 18 a oncluir
qoeMe negocio que V. S. se coroprometteu reali-
sar, pela terceira chamada deste jornal, em fins
de deiembro prximo passado, e depois para Ja-
neiro, passou a tevereiroe asril, e na la cumprio,
e por este motivo de aovo chamado para dito
fim ; pois V S. se deve lembrar que este negocio
de mais de oito annos, e quaodo o senhor sau
Blho se acbava no estado nesta cidade._________
"Vendas on permutas
Vende-se a propriedade Guarapes no Rio-
Grande do Norte, com trras casas e armaiens
de um e outro lado do rio, lugar beir. conhecido
pela sua importancia commercial, cujo porto offe-
rece omita facilidade para embarque a desembar-
que de gneros.
Igualmente se vende o engenho Jundihaby (na
mesma provincia) moente e corrente, com cinco
leguas de torras de mallas virgens, oito eseravos,
bois, bostas e alambique ( ou somente o emgsnho
com as trras que convier ao comprador). Estas
propriedades vesdem-se por baratissimos presos,
e tambem se permntam por engenhos nesta pro
viocia. Parahyba e AlagOas, ou por casas naaca-
prtaes das raesmas : tratar com o proprietario
maior Fabncio -Gomes Pedros ra da Cadeia
AOSSRS.ALFAIATESk ,c A
Chegen loja das Colunnas, da raa do Crespo n. 13, de Antonio Correta de
Vasoonsel'os, superior velludo preto de seda.
GR4H KIVIDADE
exiracqodos dentfese operares dentarias em dores, todos os
dias otis, das 30 horas at meio da
PELO EMPREGO DO
PR0TOXYDE D'AZOTE
no gabiuete do drurgiao dentista FREDEBJCO "GAUTIER
19Eua Nova19
O quaU achando-se -relacionado-001 os mais celebres deDtintas de Paris, adquiri
com elles, na ultima viagem i Franca, o modo de preparar empregar este excellente
aBeethesico de que se pode sempre usar sem inceoventeate algum, e produz insensibili-
dad completa.
O mesmo aproveita a occasiio para lembrar ao pespeitavel publico que no
seu .gabinete oonnuase a w.er tedas as operaces da sua arte e cotlocar dentes por
todos os systeroas: com ouro, platina ou voicanite, seguade os casos.
Esfjectalidade de obvmgSex com ovro puro.
NOTICIAS
DA
GUERRA
EKTRE A FfiANCA V. A PRSSIA.
Na livraria franoeta assigna- -se os segaes
jornae?, que-relaum om miiHoiGsidade todocs
acontecisientos do astual cnnfiictu uropeu :
Illustration Franeae.
Ili.lLeipiig Zeituog.
III. L indon News. .
Monde Ilustr.
Fgaro.
Gaulois.
Rappel. .
& em eral todos os jernaes fraseles, allemse*
e inglezes.
Ama
Preoisa-sedeuma ama forra ou eaerava para
casa de familia : na ra do Duque de Caxias nu
mero 09.
Armacao
Qsem precisar e quiser comprar urna rica ar-
macao de amarello forrada de louro, para qnal-
quer estabeleoimenlo, dirija-se ra Bireila, casa
n. t, que achara com quem tratar.__________
ATTENCAO
O abaixo assignado eommerciaule matriculado
ao merelissimo uibnnal do commercio desta cida-
de, pede encarecidamente a todas as pessoas que
coa elle tiveram traosacefie quer civil quer cora-
merciaes, que a bem de sna honra e digmdade de-
clararen) oeste jornal se o seu finado pal Sebas-
tiano Jos Gomes Penna, pagou alguma eoota ou
letra por elle nao s do tempo du eomroercio como
quando viva em sua companbu ; isto pede uo
praso de 18 dias, obrigando-se a pagar as despe-
ras dos anuir gosto de 1870.
> Penca.
Mudanza.
Rocha, I.
a Cadeia para a roa da O
se da ra
: D. 15.
A eociedade encarregada de ajardinar a praca
do Conde d'Eu deliberou qae se annunoiasse que
receberis qualquer donativo, por pequeo que
eja, das pessoas qai voluntariamente se queiram
prestar a ajndar urna empreza de tanta utilidade
publica, como esta.; e portante encarregou ao Sr.
Joao Luic Ferreira Ribeiro, nomeado theseureiro
interino, para receber as quanlias que lhe forem
levar rus da Imperatriz, loja de fazendas da es-
quina da na da Aurora.
Recife 11 de agosto de 1870.
O secretario isterino,
Dr. Fonaeca.
mmmmmmwmmmmmmm
ADVOGaCIA. i
O DR. JOAQUIM CORREA )E AflAUJO |
lem o sen escriptorio ra do Imperador
n. 67, onde pode ser preenrado das bo- 2
I ras da manhaa s 3 da tarde. H
Ba^^ MttaOHi tmegtmamgt
A verdadeica fariaha peitoral de
S Beato.
ISstaarinha usada com vantajosos'resulta-
dos nos padecmeutos dos orgos do peito,
como asthma u puchamento de atharros,
infhmacao de b<4e, * costmendando-se com igual proveke as pessoas
couvalecentes
Uaieo deposito a phtrmacia e drogara.
E
Bartholomeo & C
-34Ra larga do Rosario34
Haior
1.25,
n. 25, ou com os seus procuradores no Rio-Gran-
de do Norte._____________________________
Ama
Na roa de Apollo n. 2i, 2 andar, precisa-se de
urna ama para andar com meninos e que seja de
oa conducta._____________. ___________
A luga se
urna escrav para o aervigo domestico : na ra de
Hospicio n. 29.__________________________
Quem precisar de um caixeiro com pratica
de taberna on outro qualquer negocio, para a pra
ca ou tora della, dvrija-se a raa da Concordia nu-
mero 152
i]
Preciso-s de urna ama livrre ou escrava : na
ra das Gruzes n. 39. hotel pernambucano.
Travejamento de man-
gue,
para ver, e tr ctar, do Tra-
pixe do Sr. Dantas,
Casa Feliz
AOS 20:000^000.
A casa feliz, sendo .1 "nica que no decurso do
anno prximo passade, \ondeu mais premios da
lotera do Rio de Janeiro, faz sciente ao alustra-
do publico desta capital e a seus numerosos fre-
guezes que contina a vender os referidos bilhe-
les rubricados na forma da lei, pelos precos se-
guinles :
Bilhetes inteiros 235000
Meios bilhetes.. 11*500
Quartos....... 6#000
S na casa feliz ao Arco da ConeeicSo n. 2.
Ama
Precisa-se de urna ama livre ou escrava que
cosinhe e compre, para tratar na ra do Appallo,
sobrado n. 51. 2o andar por cima do armazem do
Sr. Bento de Freitas Guimaraes.
PHARMAO DENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Xarope de rbano iodado excellente com-
binacSo do iodo com o sueco de plantas
anti-scorbuticas.
Este xarope em pregado com grande
soccorro contra as molestias da pelle, os
engorgitamentos escrofulosos, o rachitismo-
cacbloroso.
0 vinho iodado de joly, e oleo iodado de
Personne, s3o recommeydados para os mes-
mos casos, e encontram-se nesta pharma-
cia.
PHARMACIA CENTRAL RA DO 1MPERA-
, DOR N. 38.
Variado sortimento de chocolate fle ban-
Dilba, salepo-araruta, ferro, e de sade, da
acreditada okina de Menir.
Sabonetes d'alcalrao, d'acido phenico, en-
xofre e camphora recomraendados para as
molestias, de peta como sarna, panos, em-
pingensetc, sendo o ultimo de muita utili-
dade para o uzo do toilette, por preservar
a pelle de ser manchada das maculas, que
costumam accomettei-a.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Os melhores vermfugos para enancas,
Paslilhas de sanctonma.
Ditas de Kemp.
Oleo vernifugj.
Tudo de melhor qualhl de.
PHARMACA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Variadissimo sortimento de fundas de
excellente qualidade.
FARMACIA CENTRAL
Roa do Imperador u. 38.
Lamploughs Pyretic Saline.
A preparation of well known utelity to tho En-
glish Faeulty, as a cooling and refresbing beverage
in all cases of fe ver. The frequent usejef :\\$ sa
line preserves foreigners from many disti-ies to
which they are leable before becoming acclima-
tised. May be obtaiued al the Pbarmacea Central,
jua do Imperador n. 38.
m"^i mmmm
PHARMACIA CENTRAL RUADO IMPERADOR
N. 38.
Pasthas de balsamo de tol e de seiva
de pinho maritimo, para as affecCoes chro-
nicas dos pulmes.
Paslilhas de therydocio e louro cerejo
para as tosses agudas, e de carcter nervo-
so, e para os vmitos durante o periodo da
gravidez, e qualquer alleccao nervosa.
Paslilhas de hypophospheto de cal mui
uteis na thysica pulmooar..
Paslilhas de angico naf, e de Regnault,
de hortera, pimenta, e de Viccley, de pe-
cacuanha e de Rermes.
CASA DA FORTUNA
Aos 8:0001
Bilhetes garantidos.
k ra Primeiro de Marco outr'ora' do Crea-
po n. 23 e casas do costme
1 0 abano assjgnado, tendo vendido alm de ou-
iras sones, 2 quintos n. 2204 com 8:000* da lo-
tera que se aeabon de extrahir a beleo da
Santa Casa de Misericordia (165), convida os
poss-uidores 4 virem reeeber na confenndade do
costume sem descoato aigum
Acbam-se a venda orfcliies bilhetes garan-
tidos da 6' parte das loteriaa, beneficio do cole-
gio dos orpbaos (156-) que se extrahiri quarta-
feira, 17 do corrente me.
PRECOS.
Bilhete inteiro 10*000
Meio billete 5*000 '
Quinto 2*006
Em porcao de 100*000 para cima.
Bilhete inteiro 9*000
Meio bilhete 4*300
Quinto 1*800
______________Manoel Mertins Finja.
GUIA PR0MPT0|D0 SELLO.
REPERTORIO
DO
Reglamento ia sello de 1870
ou
ndice alphabetico
de todas as materias do mesmo regulamento, or-
ganisado de modo a encontrar-se com facilidade o
que se busca ; por um nmpregado de fazenda.
Acaba de chegar do Rio de Janeiro, e vende se
na livraria econmica ra do Crespo n. 2.
Acaba de sahir luz
E
Vende-se
NA
Livraria franceza.
ha m\
ou
DE
NOSSO SENHOR JESS CHRIST0.-
MARA SANTISSIMA
E
VARIOS SAiNTOS.
A saber :
Setenario do Senhor Bom Jess dos Passos.
(inicio do Senhor dos Passos.
Novena do Menino Deus.
Novena de N. Seohora da Conceigao.
Setenario das Dores de Mara.
Offlcio das Sele Dores de Mara Santsima.
Novena de N. Sennora do Carmo.
Offlcio de N. Senhora do Carmo.
Novena de N. Senhura da Peoba.
Cnticos de N. Senhora da Penha.
Novena do B. S. Jnao Baptist?.
Novena da Senhora Sanl'Aona.
Trezena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jos.
Um bonito volume encadernado.
Cawiro
Caixeiro de fazendas, precisa-se na ra da Im-
peratriz n. 98.
Troca-se
a morada de um sitio porto da linha-ferrea do Re-
cife a Apinueos,por ontro de alguma easa nos bair-
ros de S. Jos Santo Antonio. O sitio de mdico
aiuguel e perto desta cidade : a tratar na ra das
2000.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS RBAKOS
DO
RECIFE A* OLI.\ i*
Por ordem da directora s5o coovidados
os Srs. accionistas para, no prazo impor-
rogavel de dez dias effectoarem a 11* e
ultima prestado de suas acres, a razo ds
5 7.
en-
Para esse fim ser encontrado o Sr. the-
sonreiro, das 1.1 horas da manhaa s 2 da
tarde de todos'os dias, no escriptorio ca
companhia, ra Nova n. 3o, Io anejar,
trada pela ra das Flores n. Ti,
Recife, 10 de agos:o de 1870.
Joo Joaqnim Ai ves-
Io secretario.
Monsembor Dr. Gregorio Lipparom, rettor do
seminario episcopal de OiMda, legitimo adminis-
rador da capella de SaofA*oa do Rkt Doee.tenno
de Olinda, ;possuindo a* ecessarias faculdades,
sem resoKido de arrendar os dous sitios de o-
jueiros coBtigoos e pertenoeates esU capella,
com casa de pedra e cal; todo conforme ao edita)
relativo qoe se aeha na cmara episcopal de Olin-
da. onde at ao -da 25 de agorto do corrente anno
(IS20) se receborio as propostas de dita arrend-
rnoslo. ___
Larangeiras n. 19.
AMA.
Preeiea-se de nma llvre ou escrava para tado
servido, menos cosinhar, em casa eslrangeira :
tratar na ra da Cruz n. 20.
B&a estreita do Rosa-
rio n. 36*
Hot& dt llespanha.
O proprietario deete estabelecimento faz publico
aos seu respeitaveis fteguezes, que loe acabara de
chegar da Europa um lamoso coziaoeiro, e um
belto serwmte, fallaado este ultimo diversos idio-
mas ; e portanto olferece ao mnito Ilustrado povo
desta cidade constantemente mesa aborta com toda
a decencia, e sero servidos com toda limpeza,
prompMdo agrado, cora comedorias ptimas.
ebarao umbem nesta sna asa divertimento de
domia* bebidas da roelborae quaiidades. Ad-
mittesi-se assifaaates pagar por mez, e prepa-
rain-se encommeodas de goslo para bodas e bap-
tisados. Anteeinaado se desde ii a agradecer o
boro acolbroeato dos seus hospedes.
AMA
para
casa de pon
cozinh.i
ATTENC&0
PreeHa-se de nma ama para cata de pouca fa-
milia : nesta typographia e dir
D. W. Nnl4N
EIGENHEIRO
Com fundiqao.
A RA DO BRM N. 52%
Passino o chafiriz
Maoatnas vapor systema melhorado.
Rodas d'agoa.
' Moendas de causa.
Taixas de ferro batido e fundido.
Bodas dentadas para moer com agoa, va-
por e aniflsaes.
E outros muitos obgectos proprios d'agri-
cohura.
Tudo por preco muito reduzklo.
Hotel Oindriise
O abaixo assignado tem a honra de participar
ao respita>el poblico desia cidade e da. do Recife,
que no dia 14 do corrente estar aberto i concor-
rencia publica o grande hotel Olindense.
Tomam-se asignaturas para dentro e tora do
estabelecimento ; ha quartos para alugar, banhos
salgados, boa comida, sortimento de vinbos f nos
poriugueies e francezes, charuto finos e lado
que coneemeote a um estabelecimento desta
ordem.
Este astabeJeeimento alera da magniiea posio
era que te ach, offerece as aelbores ammodida-
des por ser prximo aaetaeao dos trillaos urbanos.
0 ser vico da casa eito com muilo asseio e
promplido,
Joaa Cuiz Viaana Jnior.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Cha purgativo de Chambard, excellente
laxativo, e refigerante, que se pode usar
repetidas vezes sem irritar os intestinos.
XAROPE IIYPNOTICO DE CHLORAL.
Ochloral um agente tberapeutico recen-
temente experimentado, mas cujos benefi-
cios vao sendo largamente aproveitados pe-
los praticos em quasi todas as affeccoes ner-
vosas, calmante e somnfero poderoso, tile
sempre empregado com vantagem nos
casos de dores nervosas intensas, e as de
insomma, em que elle produz um somno
calmo e profondo.
Elle reo mmendado as clicas, na cho-
rea, no ttano, nos partos laboriosos, oa
clampria, as quemaduras extensas, nos
accessos agudos de gotia, na asthma, na
tosse convulsa, e em muitos outros casos,
DOSE.Dazs a oito colheres de sopa
por dia, conforme o effeito que o medico
quer obter.
Encontra-se na Pharmacia CENTRAL ra
do Imperador n. 38.
VISHO DD QININNO DE LABARRAQUE
Poderoso tnico boje to aconselhado nos
gozo* dej[ debitdade geral, e mi usado
como antifebril.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERADOR
N. 38.
TABELLA
Das horas e partidas dos trens nos domin-
gos e dias santificados.
MANHAA
Do RecifeAs 6. 7, 8, e 9 horas.
De OlindaAs 7, 8, 0 e 10 horas.
TARDE
Do RecifeAs 2, 3. 4, e 5 horas.
De Olmda-^As 3, 4, 5 e t horas.
Previne-se ao respeitav-1 publico que os
trens nao partiro sen5o com a lotaco com-
petente, esper.-mdo-se toda a indulgencia
coadjuvafo para o serviro da companhia ;
visto cumo, sendo provisoriamente aberto o
transito nicamente para servir sos inn-
meros pedidos, nao pode elle serfeito com
a exactido e peifeico do trafego efiec-
tiro.
0 supreintendente.
A. de Abrett Porto.
Prectoa-ae de urna atoa que saiba engonfcar
eora perfet^if : aa ra do Queinade a. 49, rival
sem segundo.
Ama
Precisa-se de urna ama :
dO, paga-se bem.
na ra do Lima n.
Precisase de urna ama de boa conducta,
para ama familia estrangeira : na ra da Impe-
ratriz n. 9, loja.
Ama de leite.
No i* andar do sobrado n. 1 da ra do Viscon-
de da Goianna (amiga ra do Cotovelio) esquina
da de S. Goncalo, na ama ama de leite para alu
gar ; e torna-se recommendavel or ser escraya
moca, carinhesa para com meninos, e que nao
tero Albo___________________ _______
Attenpo
Preeia-ae d urna ama para servir em casa ds
dnas pessoas; a tratar na roa streita lo Rosario
Ama
Precisase de urna ama para comprar e co:r
nhar : na ra do Calinga n. 9, A loja.
Tenrio sociedade encarregada de ajardinar a
praca do Conde d'Eu deliberado em sesso de 10
Jo corrento contratar o fabrico da crade de ferr
precisa para a mesma praca com dou3 portfls
lateraes sobre columnas de ferro, com quem mais
vantagens e garantas offerecer, faz-se publico a
quem interessar, que no dia 17 do corrente, as 7
horas da noite. em casa do Dr. Moscoso ra do
Visconde de Albuquerque, serao recebidas as prd-
postas em caru fechada com todas as espeii:
edes. Recife 11 de agosto de 1870.
O secretario interino.
' Dr. Ponseca.
._____________________________,_____________________________________________________________________&-----------------------------------------
Atten$io
Previne-se ao Sr. Manoel Luiz Ribeiro. autor de
um annuacio inserido no Diario de 23 de julbo
prximo passado, qoe nao pode fazer negocio com
D. Camarina de Senna Rarbosa, ltenlo a sua
a vaneada idade de mais de 80 annos, podendo en-
tenderse com seu procurador na raa Direita nu-
mero 36 A.
Ama deleite
Precisa-se de urna ama de leite sem fllho : na
roa Nova n. 21, 3 andar.___________________
Roga se aolllm. Sr. Antonio Belerra Teixei-
ra Cavalcinti o favor de dirigirse rna do Rao-
gel n. 20, loja, a negocio de seo interesse
S tinturara franceza S
855-Rua da Imperatiiz-5r5
Tinge, lava, lirapa, lustra e achamalo-
ta-se, com a maior perfeicao, fazendas em
pecas e em obras de todas as quaiidades ;.
I como sejam : seda, lia, algodao. linho^j
hapos de feltro e de palha etc. etc,
Tira-se nodoas e limpa-se i secco sem. j
I asulnar os tecidos, conservando assim to-
do o brilhw da azeada.
Tintura oreta as tereaa e sextas fei- |
ras. __
IW
Koi-tiie-riieum; tico.
Remedio efflcacis ie *oi
ticas at hoje o mai cotJwci
vilhosos resaltados.


Diario AO ARMAZEM

do
VAPOR FRANCEZ
M-MA
E-ite eonhrjcido estabelechnento aeha-98 constantemente bem sonido, em virtnde das
(tetaras que recebe por todos os vapores e navios francezes, dos artigos abaixo menciona-
dos, procos os. mais resumidos que possivel.
CALCADO FRAXCEZ
Botinas para neahoras e meninas.
Botinas pretas, brancas e de omitas outras cores, sorlidas e bonitas, do ultimo gos*
to da mofa, e procos mais baratos do que era ootras partes.
Botinas para borneo e meninos.
Botinas de biierro, cordavao, lustro e pellica, das melhores fabricas e escolhidas.
Botas e pernelras russlanas.
Bous e peraelras para maularla, das melhores qualidades, de couro da Russia, las-
tro e bizerro.
Sapatos de borracha para hornease senhoras
Tendo chegado grande porcao de sapatos de borracha vende-se pelo custo aura de
desempatar o dinheiro nelles empregado, sao baratsimos.
H .patos de lustro para horneas.
Sapatos de entrada baixa de couro de lustro com salto, de mnito boa qualidade.
Abotinados para meninos e meninas
Sapatos abotinados de differentes modelos, de muito boa9 qualidades e forte?, tanto
para meninos como para meninas, muito baratos.
. (apatas de tpete.
Sapatos de tape.te aveludado, de casemira, de charlte e de tranca franeezes e por-
tuguezes para homens, para senhoras e para meninos.
PERFUMARAS
Excellentes extractos, banhas, leos, agua de cologne, florida, divina, lavande, den-
triflce, de toilette, sabonetes, tintura para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
arroz etc., tado isto de primeira qualidade, dos afamados fabricantes, Condray, Piver e Lubin.
Quinquilharias
Lavas de pellica do conhecido fabricante Jouvin, espelhos para salla?, qaartos e ga-
binetes, toucadore de diversos ttraanbos, leques para senhoras e para meninas, abridores
de lavas, brincos, pulceiras, botoes, crreme e chaves de relegios e tranceln*, tudj de
onro de lei, comentes e brincos de plaqu, a imitadlo e de mais gosto do que as de ouro,
caixinbas de costura ricamente guarnecidas e ornadas com lindas pessas de msica, albuns
e caixilhos dourados para retratos, caixinhas com vidro de augmento para distinctamente
ver-se a perfeicao dos retratos, ohjectos de phantasia para toilettes, bolsiohas e cestinhas
de seda, de velludo e de vimes para braco de meninas e senhoras. ditas para costuras, pe-
queos registros muito finos e delicados, bonquets de flores de porcelana, jarros proprios
para gabinetes e santuarios, quadros promptos para collocar-se vistas, molduras douradas
para qoadros, estampas flna9 de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para eos-
Diorama, malas, saceos e bolsas de viagens, esporas, chicotes, bengalas, oculos, lunetas ou
pensinez de prata dourados, gravatas pretas e de cores, abotoadnras de collete e de pnnhos,
carteirinhas para notas, ihcsounnhas e caivetes finos, pentes, eseovas, ponteiras de espuma <
para charutos e para cigarros, Jogos de domin, rodetes, bagatelas e outros difiranles, ve-
neziana9 modernas muito conveniente para porl s e janellas, cosmoramas, lanternas mgi-
cas, esleriocopos cora interessaDtes vistas de figuras e das mais bonitas roas, boulcvards,
pracas e passeios de Paris, photozraphias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros,
tapetes de vidrilho e de laa de cores para ps de lanternas, realejos grandes e pequeos,
harmnicos, acordions de todos os tamanhos, bercos de vimes para mancas, sanatinhos e
toucas de laa, carrinhos de 3 e 4 rodas muito elegantes para eonuiir enancas passeio ; e
outras muitas qninqailharias de phantasia, francezas e allemae-, precos muito em conla.
Para este artigo nao ha espaco nem tempo para a mascante leitara da infinidade de
gneros de brinquedos fabricados em diversos paizes da Europa.
ATTENCAO
O dono deste estabelecimento pede ao publico em geral que continu a visita-lo
verificando as qualidades e os precos baratos de ditos objectos por serem viudos em di-
reitura e de conla propria.
3portasn. 53,ra Direita, 3 p rtas n. oZ.ontiga
loja do Braga
O abaixo assignado, dono defte antigo estabelecimento, tsndo em vista apresentar un
completo sortimento de ferragens, miudezas e eotileria, tem rosolvido mandar buscar em
diversos pcn:os da Europa os melhores objectos de seu estabelecimento dos fabricantes
mais conhecidos; pelo que convida ao respeitavel publico e a seus numerosos fregueze*,
virem se servir dos objectos de sua carencia, asmde encontraro por meiies 10 0(0 do que
en outra qualqner parte, um sortimento completo de machinas para descantear algodao,
do bem conhecido fabricante Gottorr Gin & C, ditas para costura, motores psra animae-,
ditos para fogo. raoinhns p% caf de todos os tamanhos, da fabrica do Japi, espingardas de
dous canoa e d- mu. tanto malezas como Irancetas, louca de porcelana, facas e garios
de divi r- qualidades e precos, bandejas ehinezas, salitre, breu, barbante, enxofre, papel e
limalha uv f.rro, neo, o agolha para figueteiro'; assim como encontraro constante-
mente grande porcao' d<- fog-j do *r, q recebe se encoramcuda de fogos da vista, alem de nm
retn numaro de objectos, que se (ornarla enfadonho numera-los : venham ra Direita D.
53, loja de Lenidas- Tito Luureiro, ulica loja do Braga.

Si
9
J. Ferreira Yillela.
PHOTCiRAPlIl i IMPERIAL.
18-----RA DO CABUG18
A entra>1a pelo patea da matriz.
Os trabatbos da reedificarla desta photographia,
e que se prolongaram por tanto tempo, acham-se
felizmente terminados e ella aberta ao servico do
publico desde 7 de abril passado.
O predio em que est collocada esta photogra-
phia acha-se muito augmentado, e s a parte desti-
nada ao estabelecimento conla cinco salas, inclu-
sive as do laboratorio. Todos os concertos e aug-
mentos tendo sido eitos expressamente para se
montar convenientemente a photographia, e nao se
podendo melhor modulo eaeuluar do que a Phoio-
rafiia Imperial do Sr. Insley Pacheco do Rio de
aaeiro, o primeiro plntographo do Brasil, e um dos
primeiros do mundo, segundo a opiniao Jos mais
abalisados mesires, a no~sa photographia acha-se
disposta e reeiificada pelo mermo piano da do Sr
I. Pacheco, a quai foi montada sob todas as regras
recommendadas pelos mais desuncios professore
de accordo cora as modilcacSes necessarias ao
clima do Brasil, reconhecidas e estudadas pelo ha-
bilissirao e pralico Sr. I. Pacheco.
Todo o Interior do predio em que est nossa
photographia fui mudado desde a soleira da porta da
ra at a coberta, iendo-?e demolido todas as pa-
redes interiores para se fazerem as novas salas,
edificando-se era novo terrace envidneado mu
espacoso e eleganto.
Como sabido, fizemos urna viagem expressa-
mente corte para xamionrmos as melhores phrr-
lographias all, e foi a do Sr. I. Pacheco, a que
methor corresponden aos nossos desejos t aspira
cSes, e da qual trouxeoios os planos depois de
aHi estarmos todo um wez estadandoo apro-
veitando ai licSes de to dlstincto mestre. Pen-
samos que juntando os nossos estudos e longa
pratica de f5 annos de photographia asotilissimas
leles ultiman ente recebidas do Sr. I. Facneco,
tendo montado a nossa. photographia como se
acaa, podemos offerecer ao Ilustrado publico
d'eata cidade e aos nossos nui.erosos freguezes
trabalbee de photographia. tao perfeitos, como so
poder desejar, e disto convencidos, esperamos
que conliuurm a dwpensar-nos a mesma pro-
teccao eom que ha 15 annos nos tem honrado e
ajada**
Ama
lo roa da Cadeia do Recie n. 30, precisa, se
't a ama oara cosiohar.
CASA DA
AOSvSOiOOO
ROA 1* DE MA
O abaixo assigiado av >bbcu, que com
quanto a nova lei do orcamento tive'se elevado
m&ilo o imposto sobre os bilheles de lotorias do
Rio de Janeiro, continua a venda-los com as for-
malidades da lei, e pelos me-nios preces abaixo
pnblicados, pagando todos os premios com o dis-
como somente da lei, e eom a promptido do eos
(me.
PRESOS.
Bilhete inteiro... 24*000
Meios bilhetes... 1MO00
Qoartos........ 6*000
Em qoanudade maior de 100*000 na razio de
22*000.
Mannel Martins Fiuza. ^
AO PUBLICO
Nao desejando perder as relaedes de commer-
eio e as amizades que felixaeote tonho adiqui
rido nesta cidade, venho declarar por este jornal,
que mea cognome e Jos, e qae portsnto nada
tenbo com o /iizo que se fier sobre qualqner ou-
tra pesfoa que tiver o mesmo nome de famila
qae ea.
Recifo, 3 de agosto de 1870..
Jos Simn.
Da-se i :00* a premio cora bypolheca em
bens de raz de dobrado valor nesta cidade : na
ra Nova, loja de ferragens n. 31.
Deseja se fallar cora os parantes da Illma
Sra. D. Francisca Mara de Albuquerqne Mello a
negocio de sen interesse, na ra do Aragao Da-
mero 19.
AMA
Na rna'da Detecco n. 41 precisa-se de qma
ama para cozinhar, comprar e fazer todo o mais
serrino de ama casa de pequea familia.
Xarope de agrilo.
E' um dos medicamentos que sua eficacia as
enfermidades, losse e sangue pela bocea, bronchi-
les, dores e fraqueza no peito, escrobuto e moles-
tias de ligado, que melbor tem aprovado.
Tintura de ma- apuama.
A celebre raiz de marapuama cuja energa efll
sacia as paralysias, imporpecimenlo ele, muito
se recommenda.
Todos esses preparados se encontram na pbar-
macia e Drogara de Barlholomeu & C.
34Ra larga do Rosario34
nico deposito.
Cura rpida e infaUlvel dos cal-
los, pela pomada
Calopean.
Deposito especial na pharmacia de Barlholomeu
34Ra larga do Rosario34
ATTENQAO
Urna seohora estrangeira deseja se empregar
em ipab de faaakia para qualqner costura
ou algon arraajo leve de casa : qoem precisar,
Qoarteisn __
Frontispicio do Carino
Os enetfregftdos da fesu de N. 8. do Camio do
Frontispicio ropam aos senhoras procaradores e
mais pessqas encarregadas de agenciaren esmolas
para a mesma fesu, de comparecerem na 8"guB-
da-teira 15" do crrante, as 10 horas da inanha,
na ra do Livramentn, para se (raar de negocies
urgentes tendentes mesma festividade.
EXCELSIOR CR1CKJ2T CLUB.
A general meeting of the members of ibis club
will be beld on Thcrsday 18 th inst. at n 11 lar-
go do Corpo Santo al 4. 15 punctually.
JJy order
Geo. C Gatis,
_____________________Secretario.________
INJECgAO LHOSTE.
Uaica hygienica radical e infallivel na cora
certa das' gpnorrbeas, flores brancas, e flo-
sos de todi a especie recentes oa ebroni-
:as, e^ue offerece com garanta de seos
salotares resaltados a antiga a continuada
applicac5o que sempre com a maior van-
tagem se tem feito deltas nos hospitaes de
Pars. nico deposito para o Brasil, Srs.
Bartbolomeo & C, ra larga do Rosario
a.34.
COMPRAS.
0 muzeo de joias
Na roa do Cabug n. 4 compra-se onro, prata
pedras preciosas por precos mais vantajosos do
rae em outra qaalquer parte.
Tie Liverpool & Lop-
don & Globe Insu-
rance Gompany.
Companhta ngleza de seguros contra-fogo,
eslabelecida em 1836.
Capital e fondos de reserva
lis. 3G,80:I30.
Os agentes desta companhia tomam seguros so-
bre propriedades, gnerose fazendas armaz-nadas,
tnobilias, etc., etc., e estao igualmente autorisados
a saldarem aqui quaesquer reclama^oes.
Sannders Brothers & C,
_________ Praca do Corpo Santo n. 11.
Precisare de urna ama para comprar e co-
zinhar para urna casa de pouea familia : na roa
do Duque de Caxias, outr'ora ra du Queimado
n. 2.
O Sr. Castro Ribeiro injuria-ru em artigo do
Diario de 10 do crrante, e procura indispor me
eom o publico ; venho deilarar que os factos e-
to invenidos em seu artigo, e que nao discuto
com quera me trata tao desabridamente ; se ve-
nho imprensa para dizer ao publico que Rinc
me fallou confianza no seu senso esclarecido para
temer ser morto no Circo, e que se escrevo es?as
linhas nicamente para dar-lhe de raeus actos a
sMisf-cao a que sua benevolencia Ihe d direito,
satisfago que por modo algum daria ao Sr. Gas-'
tro Ribeiro.
l.uiz Casali.
Joaquim Jos Goncal-
ves Beltro
Ra dotrapxbs n. 17, l' andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco dG
Minho, era Braga, o sobre os seguintes higa res ero
Portugal :
[Jabea.
Porto.
Valencia.
'Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Viannado Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelicao.
Lamcgo.
Laaos.
Covilhaa.
Vascal Valpasso).
Mirandella.
Beja.
_______Parcellos. __________
Na ra atraz da Matriz de Santo Antonio n
18 1. andar, cozinha-se para fra com asseio e
promptido e por mdico preco.
MDANCA.
0 Dr. Carono Francisco de Lima San-
tos mudou sua residencia e con-altorio
para a ra do Imperador n. 57, andar
do sobrado cujo armazem conserva an-
da hoje o nome de Alianza, tendo a
entrada, que pelo lado da ponte Sete
de Setcmbro, o mesmo numero 57, da
frente. Ahi continuando o dito Dr. no
exercicio de sua profisso de medico o
de operador, pode ser procurado a qual-
qner hora do'da e da noute.
m
'M
A commisso, encarregada pelo Exm Sr.
presidente da provincia de promover a liberta-
do enancas do sexo feraioino, avisa as pessna<
intressadas, que deverao mandar as libertandas,
e as propostas, constantes de certido de baptis-
mo, o declaracao do ultimo preco, ao paco da
cmara municipal nos das 19, 23 e 26 das 10
horas as dna< da larde._______________
Joaquim Das de Almeida Costa, faz ver ao
respeitavel corpo do commercio, que nesia data
vendtu seu estabelecimonto de molhados, sito s
ra de Podro Alfonso n. 1. outr'ora roa da Praia,
ao Sr. Guilherme Jos de Souza e Ladislau Tolen-
lino Cavalcante de Albuquerque.
Joaquim .Das de Almeida Costa, avisa aos
Atten$o
."* i
- fveciaa-te de nm administrador para on en-
C-es de
tiioru, can n. 79, qae achara coa que oa trar.
On(inna-se a TorneCer almoco e Jamar : no so-
brado da roa estreite do Rosario n. iS._____
Um prefessor competeuiemente habilitado
resolve se eiuiaar, primeiras letras pelas casas
Sarticulares a meninos e meninas ; aos pas de
niiiiia girante o adiantarhenio em menos tempo
do que outro qaalquer : a tratar na roa larga do
Rom rio, loja a. 24 A.
0 RGIAO DENTISTA
Frederico Maya
Tem a honra de scientificar ao rospeita
vei publico esa geral, e aos seus clientes
em particular que elle mudou o seu gabi
oeiede consuUas da roa Direita n. ii lara
a do Qaeimado n. 3! primeiro andar, com
a entrada pelo pateo de Podro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de sua
profisso, todos os das uteis das 9 horas
da manhaa s 3 da tarde.
Tamben) previne, que cootina a prestar-
se a Toatade dos clieotes nao s na cidade
como oos seus suburbios, para onde a;
idas serio precedidas de ajuste. Elie ga-
rante o bora desempento e a perfeiolo de
seos trababos, o que j bem conhecido
assim como m commodidia)es dos precos
seuj credorer. (|ue venden seu e-ubjlecnnento,
e pede aos mesmos que ainda nao manlaram
suas contas, o I'acam para serem pagas no dia 20
do corrente, na ra de Pedro Alfonso n. 12. v
Ucseja-se filiar com o Sr. Jos da Concei-
cao Oliveira Figaeiredo, e por nao se saber qoal
saa moradia pede se-lhe o favor de por esle jor-
nal a indigitar.
Lom muio maior vantagem compram-se
onro, prata e pedras preciosas e n obras velhas: na
loja de joias do Coracao de Ouro n. S D, roa do
Cabag.________________________________
Compra-se ama casinba em um dos bairros
desta cidade, quera tiver annnncie
Compram-se larangeiras selectas e de um-
bigo, sendo enseriadas : na ra da Cruz n. 8, 1
andar.
Oompra-s
urna casa terrea qoe tenha commodos para uroa
familia, e qae tenha quintal e cacimba, oa mesmo
um sobrado de um andar com os mesmos eom-
modos : na ra de Joo Fernandes Vioira n. 5, on
na ra do Aragao n 16.___________________
Comprase urna armacao envidraeada com
pouco uso, que sirva para miudezas : a tralar na
roa de Marcilio Dias n. 104, loja, outr'ora roa Di-
reita.
VENDAS.
Sindh. >
O Costa da ra das Cruzes contina a prevenir
aos seus numeris freguezes que recebeu pelo
ultimo vapor os mais novos e excellentes
Queijos flamengns.
Maclas de especial qualidade.
Ervilhas para sopa e outras massas proprias.
Farinba americana de especial qualidade.
Alem de outros muitus gneros de imporlacao,
j conhecidos do respeitavel publico, e tem mais
queijj e carne do sertao de superior qualidade.
Farmha de mandioca
Vende-se farinha de mandioca, nova, de Santa
Camarina, chegada no patacho portugaez Ullissa,
tundeado defronre do trapiche do Sr. Barao do Li-
vramento : a tralar no escriptorio de Joaquim
Jos Goncalves Belirao, raa do Commercio n. 17,
ou a bordo do referido navio,
GAZ GAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Honry Forster
., roa do Imperador, um carregamento de gal
de primeira qnalidade; o qual se vende em partid?i
e a retalho por menos preco do que em outr* qoa
cruer parte.
Aos vidraceiros
Na roa Direita n. 18, loja de fnnileiro, vende se
vidros de todos os tamanhos, mais barato do que
em outra qualquer parle.
Lindos cortes de percle, com barra, de duas
saias, e simples, fazenda de primeira qualidade,
rada um cora seu uguriu > por 5000 : ra do
Qaeiraado n. 1. loja do Gaspar.______________
Libras steriinas
Vendem-se na roa da Cadeia n. 8, armazem.
-*- Vemie se orna armacao de padaria no larg)
da Paz n. 78, freguezia dos Afogads : a tratar na
mfsma
Flor do fumo.
o
1
s
a
Chegoa hoje pelo vapor Tocan-
Um fumo picado para cigarros e
cachimbos o melhor que ha neste
genero fabricado no Para por Jos
Julio Sampaio Pires, nico deposi-
to cm Pernambuco, n Praca da
Independencia, loja de Calcados,
de Parlo & Bastos.
A elle antes qae se acabem ;
reraessa foi pequea
o
S
Flor do fumo.
Farello.
Aluga se um moleqne de bnns costume-
que tenha dale de 10 a 12 annos: roa da Cruz
sobrado n. 8, 3" andar.
Mudaoga.
Jos Hemique da Silva Guimares pode ser pro
curado d'ora em diante na ra das Crozes n. 38,
primeiro andar, das 9 h iras da manhaa as 3 da
tarda, tanto para negocios seus, come os que fo-
rem do casal do fallecido sea pai Jos Henriqne da
Silva, como tambem para roceber os lns do ex-
tinelo vinculo da Conce.iyio dos Cogaeiros._____
Orfrece->e umifettor para sitio viudo ha
poneos dias do su!, o qual bora jardinero :
quem precisar dirifa-se ao Chora-menino n. 2, la-
bor na.
' Vende-se saceos com 90 libras de farello no-
vo do Chile a i500 : ra da Madre de Deas
D. 7.
Cabra bicho.
Vende se urna cabra (bicho) parida de tres ne
res e de primeira barriga, filha do pasto, muito
nova e boa leiteira : na roa da Detencao n. 41.
- Vende se urna armaco envermsada e t da
envidraeada, por preco comroodo : a pessoa que
quizer dirija-se ru Direita n. 12, botica, para
tirar para fra logo que se raalise o negocio.
Na traiessa a raa
das Cruzes n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nheiro sobre penhores
de ouro, prata ebrilhan-
tes, seja qoal for a qaan-
tia. Na nesia easa com-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
H
Vende se urna casa terrea sita raa do Jogo
da Bola da cidade de Olind, com 2 salas e 2
quarto?, terreno proprio. acrescendo ter ao lado de
Hita propriedade 130 palmo? de trra qoe tambem
se far negocio : a tralar com Manoel (zi Jro Go-
mes do Nascimenlo, ra dos Gatos da Oesma
cidade n. 2.
Vende-se urna taberna com muito poucos
fundos, mnito propria para nm principiante, a
casa tem commodus para pequea familia : em
Olinda, ra do Amparo n. 9.
Scienficar qae a EGRA, rreebea pelo
;s aderecos en;
^^Bos imita
Vollas grande de aljofares encarnados e do ou-
tras cores.
Um complet sortimento de cintos largos ; cen-
sa de muito gorto, indlspensaveis para meninas de
escola, ou mesmo para senhoras trazerem no bra-
co, coosa inteiramele nova.
Leques, o qne ha de melbor e de mais gost ;
neste genero existe nm tal sortimento qne nao
haver comprador por mais impertinente na es-
colha que deixe de agradar-se.
P ebinei de Piter.
P de carvao de Lubin.
Extractos fines de todos os autores.
E ontros muitcs objectos de qne o publico j
est scienle ; pois qae a AGl'IA NEGRA nao des-
canta um s momento em desenbrir objectos es-
peciaes e Inteiraraente uovos, pire asam be* ser-
vir seus freguezes.
Taberna a venda.
Vende-se a taberna da raa de Sao Bento n. 19,
em Olioda, orna das mlb.ores ras tratar na
mesma. motivo da venda acbsr-se o seu do-
no bastante doente e necessitar rellrar-se para
fra.
Vende-se ama boa ai macao existente na casa
do pateo do Terco n, 19, cedendo-se a chave ao
comprador.
Vndese ra de canoa a 280 rs. a libra, em
porgao fax-se differenca : na ra de Hortas, ar-
mazem n. 2.
CA.NDIDO ALBERTO SODUEDA MOlTA & C.
com escriptorio e armazem travessa da Madre
deDeus n.^. tem para vender o seguinte :
OCRE de muito boa qualidade a 1,3200 a ar-
roba.
CIMENTO PORTLAND, verdadeiro e de primei-
ra serte.
VINHO BORDEAUX, desde o mais Ono e espe-
cial at f commi m.
CON'SEVAS FRANCEZAS das mais superiores
qualidades, ainda nao bem conbecidas. neste mer-
cado.
PAPEL de differentes marcas para cigarros.
DITO PINTADO para forrar salas, gabinetes, es-
critorios etc.
Acaba de chegar nova rtmessa desse artefacto,
ne se vender por precos roais raduid-'S.
Cestos para cindufao de uialeriaes e ripas
de carnauba.
No largo do Corpo Santo n. 6, segando andar,
vende-se aquellos artigos, que serao mostrados
aos pretendentes.
Sitio em Farnameirim
para vender
Ainda est para se vender o sitio Olho de Vi-
dro, em Parnameirim, ou Ponte de Ueha, com
sobrado de um andar com 10 quarlos, fogies e
fornos de ferro, sonzalla para todos os arranjos,
bastante* arvoredos de inicios, terrenos para
plantacdes, boa baixa de captm, agua de beber,
tanque para banlio etc. : quenvo pretender com-
prar emenda se com Jos Antunes Guimares.
na roa do Aragao n. 13 (h >je Viscendo de Pelo-
las) at 9 horas da manhaa o das 3 as 5 da tarde,
na falla, na ra de Queimado n. 1 loja, hoje Du-
que de Caxias.
Emlm chegararo !! !
O Pavilliao "Aurora na da Imper. triz n. 2,
receben pelo ultimo vapor o mais completo sorti-
mento de corles de vestidos de seda, .lampas e
gostos inleiramente novos e de superior quali-
dade ; vieram juntos e igualmente ricos cortes de
vestidos de blond bordados.a perdas para casa-
mento: assim como popelinas, padroes novos o de
lindissimo gosto ; e muitas outras fazendas para
vestidos igualmente novas e desconheridts no
mercado ; ludo se vende muito em coma.
Na roa de S. Francisco n. 70 vendem-se
saceos cora farinha muito fina e torrada propria
para me'a. ____________________________
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
de Nictheroy.
nico deposito em Pernambuco caes da alfan-
depa velha n. 2. anda.
Cal nova do Lisboa.
Chegada rccentemenie no vapor Giadinlor, tem
para vender Joaquim Jos Goncalves Beltro, no
seu escriptorio, ra do Cimmercio n. 17.
Vende-se urna rotula de amarello em bora
estado : na camba do Carino n. 16.
Cera de Lisboa em velas
Tamanhos differentes desde 2 a 16 por libra, em
caixasdeua1.! arroba : no inhkiem de Tasso Ir-
maos t C, ra do Am -rim n. 37.
Para casa meo tos
Augusto Porto, ra Duque de Caxi.is (outr'ora
roa do Queimado) n. II, recebeu um bello sorti-
mento de vestidos de blond com manta o capella
para noivas, trazeudo um hoo volido de setim
branco para sombra, o que tea vindo de mellnT,
cortes superiores de seda de cores, poupelinas as
mais fiuas, gazes de Paris de lindas cores, colxas
de seda, fronda- bordadas, cortinados bordados,
luvas de pellica e muitas fazendas de gosto que
vende mais baraio que em oulro qoalqer parte.
Tero sempre sorlimento das melhores e mais
baratas
Esleirs americanas paro forrar
sa as.
JACARANDA

Vende-se as duzias ou em toros : para ver e
tratar na roa Direita n. 31. armaz m.
Farinha de milito.
Ha para vender farinha de milho branca,
amarella e fub de superior qualidade em
saccas recentemente chegada de Porto Ale-
gre: -tratar na ra da Cruz n. 3, escrip-
torio d'Amoritn Irmos dt C.
Oleo de linharja
Vende-se em ea*a de Mills Litham & C, roa da
Crgz n. 38.
Vende-se a casa terrea n. 11, sita em Olinda,
roa do largo do Amparo, com excellentes com-
modos e grande quintal, solo-proprio : a tralar ut>
llecife. roa da Cadeia n. K.
Farinha de milho.
Vende-se diariamente farroha1 de milho muida,
fina e nova, a 120 rs. a libra ; e tambora farinha
grossa a 100 rs. : ua ra do Cotjvello n. K.
ATTENCAO
Vende-se a taberna n. i da ra Direita, deno-
min-''da Pedra Marmore, que toi db fau
de Mello Cosa O'iveira, leudo poucos genero e
adiando se mnito afreguezada : a tratar na ra
da Madre de Dos n 3.
Vende-se nm ecravo pardo, pedreiro e com
outras muitas habilidades: a tratar na raa estrel-
la do Rosario, Io andar c. 17, espriptorio do es*
crivao Molla.
Ritfal sem segundo
ra iiqn:i)i; caxia i9
(Antiga roa do Queimado)
Contina a vei ra e
muito barato a sal'
Libras de areia prela i
Tesouras. fifias par; tu-
' ra a.....
Papis de agulhas francezas a ba-
13o a......... 60
taixai com seis saboueles le fruta I(500o
Libras de la para bordar de tods
, as cores a..... GIFOO
Carriieis de lDha Alejandro a. lou
Frascos com azeite para machinas 500
Grafatas de cores muito finas a 500
troras de boibes madepersla fi-
nissimos a....... iOO
Pares de lovas de cores muito fi-
nas a 30e....... 500
Novello de' lioha de 400 jardas a. CO
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a B00
Pentes volteados para meninas a.
Tinteiros cora tinta prela a80rs. e
Pecas de fila elstica muito tina a 00
Lata com superior banha a InO e. 200
Frascos de oJeo Puilocomo moito
fino a......... 500
Ditos dilos dito grande a. |,>
Frascos de macaca perola a. 240
Frascos de extracto muito b nitos a 500
Duzia de sabonetes milito' finos a. 7fi
Saboneles inglezes a 600 rs. e. 1(5200*
Frasco com agua de colonia Piver a 500
Dito de oleo baboza a..... 500
Caixas de lamparinas a. 40
Saboneles a forma menino muito
superiores a....... 240
cartilhas da doutrina fazenda nova a 40
Libras de linha sorlidas de todos os
nmeros a.......14060
Babados do Porto, largos a 160 e 200
lapachos muito bonitos e grandes a 700
Carritets de relroz preto, com 2
oitavas a........ 640
Agulheiros de osso cnl'eiudos a, 240
Libra de linha fraaceza superior
qualidade a.......2JJ4O0
Caixas de paulo do gaz a. i>0
HAIHIS f
COSTURA
Acabara de chegar ao GIIANDE BAZAi\
UNIVERSAL, ra Nova n. 22cabneiro-
vunnaum completo sortimento de ma-
chinas para xosiura, dos aulores mais cc-
nbecidos, as qnaes esto cm fxpo^i'.o nc
mesmo Bazar, garantiodo-ee a sua b; qua-
lidade, e tambcn cnsiua-.-e coa peifeiclo
a todos os c< mpradons. Estas macbinas
s5o igaes no sen trabalbo 10 drj 30 costu-
reiras diariamente, e a sua psrMOiO tal
como da mnlhor coslureira de Paris. Aprc-
sentam-se traballios execiiiaiJos pelas mes-
mas, que muio dkjvNn agradar aun preten-
dentes.
I JoaquimRodr ruesTa- g
vare> de Mello,, ^
'raqa do Corpo Santo ra. 170
TEM PARA VENDER : S<
Cal de Lisboa, o
Potassa pa Russia<
Vinho Bor<[c:MJx.
\ Eaeiio ^Lisboa,
f Fat-Buha de mndi G ande liquidacao de
iizendas'b ratas
PAKA ACABAR. .
"M A" RA lDEM\RgO N. 28. )jg
AUG0DAOS1NH0 a z800. 3, 5 e m
R 5/>300 a pee*.- .. m
MADAPOLAO FINO superior a .800, e jg
S 6.1000 a peca.
! CAMBKAIAS finas de core?, modernas g
98 a 280 o r.ovad".
CAMBRAIAS brancas transparenles a m
\S& 3 a 0oca. 2S
SJ LENCOS de cambraia de linho borda J
8" dos a li-WO. m
ALGOOAO AZUL coir: 50 covados a
ojOOO a pera
h i'.OLXVS adamascadas snperiores, de
Sfi cores e brancas a 34, SjtoO e 64.
CHALES de merm-, lisos, pretas e de j
" todas as cores a 24500.
BRAMANTE de linho de ama largara c
a com 27 v, ras a 234,
5 CHITAS *senrai claras, miudinh i
ffif mausada* a 220, 240 o covado, EB
CORTES de cambraia do cores com i m
SE var.io.de litios pdrfs a-64000. ^
LA AS de odres a 2t0 o covado.
D3 >-se ai >m penhor ra 1
5 de Marco n. 23, loja de Msnoel Dias Xa- gg
fMmmmmtaam-um
Loja flor r(a boa-vista
DE
Paulo B?. de .11. GKlmare*.
Chita: escutas c clara?, covado a 200, 210 e-
260 r<.
Cambraias de coreS fixas, covado a 200, 2i0 e
320 rs.
Laa com listras, c mludinhas, covado a 200, 390
a 500 rs.
Brim pardo trancado com periueno toque, metro
;i*S00, 300, 500 rs.
UilO: decores, puro linho* grande pschincli?, a
14, (4, 14000.
DUM de dito, algodao, boa qualijada, covado a -
360. 360 e 400 rs. I
Mulskine paia calcas, a;enda nova, cHvado a
100, 900, 900 rs.
Corles de calca de casemira pr-jta a 3450''
iOOO.
Ditos de dila de quadros de cores a 74000 e
124000.
Caigas de brim para e-trav$s a 40 e !4000.?*S<
Camisas de rJMM > para r.-crav.is a 800 e 14000.
Pecas de algodao e madapoln- por prtgot ba-
ratissimos.
48-RUA DA IMPERATRIZ-43
Jiiiit' padaria francera.
Venham comprar.
Antes que se acabe, madapolio Frabm largo a
64500 a pega : na lija das seis portas em fren:e
do Livramenlo.
CEMENTO
0 verdadeiro portland. S se vend na raa da
Madre de Ueo r. 22: armazem de Joo Martins d*.
arri-s
Doce fino.
Da goiaba, laranja, mao e bananas, vende-se
pontanit-meiile i ra de Marsilio Das, outr'ora
Direita. tatrna rtn Bnrfft".
" 12 BS,
Novo sor'.ittiento.
Mimosos corles de percales a 24000, de dou,
um vestido : na ra do Crespo n. 26, loja da es-
quina._________________________________
Vnesianas.
Na roa de Sanltf Amaro n. 3;i ven-
do-se cm par de vnesianas muiu bm acabad
por mu'iw pr-r
Wndem se diversos
o a pancadaria, bons c bal la das
Cncoi Ponas.


Diario de Pei-nambuco
S
111)
talrn JA lo 4 c,4,
1 0^ A
GRANDE
BAZAR 00 PAVAO
60-RUA DA IMPERATBIZ-60
A
DE
SILVA, FlGUIIIEDOiC
N*ste inaprtante estabelecimento encontrar o respeitavel publico, uta Rraodee variado STrtiaieoto de (ateridas domis
jpMrsao gosto e todas de ^nme ra necessidade, que se vender mais baratas o que em oatra qualquer part, vis^o que os pu-
las caaos desta firma, adoptaram o systema de so vendern D1NHEIR0 ; para po-tert vender peb costo, lmitando-e apenas
ap*barem o descont ; as pestoas qoe negociam em Dequena es;a'a nesta loja e arnazem .poderlo fazer os *eos sortimeatos
fki mesmos procos qne comprara uas casas inglezas, (importadoras) e para maior commodidade das Exruas. tamllus se daro
aaaslras de todas as fazendas, ou Ibes levatn em soas casas para escoloetem.
fKfi:NCH.\ EM CASEMIRAS A 4*000.
fk> Bazar do Pav5o ei-se orna grande
oapra em om lelo, das mais finas
saemiiras inglezas que tem vindo a es-
m mercado, tendo cores claras e escuras,
tate con padrei serios, uroprios para
mk*&, palitos ecolletes; vndese a 40000
? cwao, o qoe em onlra qualqner parte
se vende por menos de65; grande
DE LINHO DE COR A 1200
Ke Bazar do Pavo, fez-se ama (rrande
tmtoti de poros brins de linbo, muito ea-
arp*os, propriospara calcas, palitos, col-
km aroupas para meninos, por serem de
antres miudinbos ; garntese que nao ha
lasrri! que lhe tira a cor, e vende-se a
MOO o metro desta excelente fazenda.
ttlAPOLO FINO A 60400 A PEQA-
Ko Bazar do Pavo vendem-se peoas de
sd->poiSo fino de nnito boa qualidade,
angatte 12 metros o:i ?'l a*, barato proco de 65000, por se trem
aafewao om pouco enxovalbadas; pe-
CHITAS ADAMASCADAS A 240 RS. O
COVADO
O Bisar do Pavo vende" muito boas chi-
te kiglezas incarnadas adamac adas, pro*
fras, para cobertas e cortinas, sendo fazen
b qae em qualquer !oj < se vend a 320 rs.
qada-se a 240 rs. o covado; s o Pa-
lto
CACHE-NEZ A 65000.
Ka Bazar do Pavo vendem se benitos e
graoda* cacbi-nez de pura la, pelo bara-
to preg) de 6O00 cada am.
CBETONE3 PARA VESTIDOS 640 RS.
Cfcegou para o B izar do r*av3o, um sor-
&>& dos mais elegantes cretooes frao-
enes de cores fixas, proprios para vestidos
napas de meninos, e vende-se a 610 rs.
evado.
TOALHAS A 74500
R Bazar do Pavo fez se urna grande
nra de toalbas alcochoadas, proprias
rosto, bastale encordadas e grandes,
: ;npre se venderanu a '125000. e li-
fBdara-sts a 7'.500 a duzia/>u a 640 rs
cadauna, b*a pe ."hincha."*
CHAPEOS PARA MENINOS A 25000
O Pavao vende urna grrade oor^odo:
auii bonit >s Ciiposinbos de palia* da i a-
Ka proprios p.n meninos de todas as 11a-
tes, sendo chap >s que valem 55<'00 e ven-
ia-e a 2)000 caita om, muito barato.
ALPACAS LA-RADAS A640RS.O
COVAOO
Rewbeu oPivSn omaisboaitosortirnento
4te a'pacas lavradas d todis as cores pro-
rlts para vestidos, e veodfi-se a 6*0 rs. <
zxm.t\<> ; grande pichincha
. ODIAS E RISCAD1NH0S M1UDINHOS A
200 RS.
O *avao vpnd" (bitas ou ricadinhos rciu-
?jFvvfeos cor da rosa e rxinhos, proprios
pra vestidos e roups de creanc s a 200
us. o cf vado. Sao omito baratos.
LlASINHAS COM PALMAS UE SEDA
Cheou para o Pava > o mais bello sorti
'ato das mais brillantes ISasin'ias clara*
c*ta bonitas palmiobas. de seda; temo lar-
gara de chita francesa e veode-se a 1500
corado ; grande pechincha.
HJPiCAS HUSADAS A 640 RS. 0 COVADO.
Vundeon-se as mais m dama i e bonitas
alpacas matsadas com palmi ita-is, nauit.
proprias para vestidos de senbora e di me-
mmts peto barado preco de 640 r. o cova-
. o; sii) mnito em conta.
' i-V;\ \0IVADOS CORTINADOS, C0LCH1S.
C/aegfiU para o Bazar do Povo um grao-
do sortinaenla dos aiiis bonitos ortinldos
frenillo;, proprios para camas e janellas,
qoe se vendem de 105 00 at 205 0 o
tar, ni a como o meibor damasco cam 8
paitos de largara a iaaitacSo de da mase >
seda, propnas para colchas, e propria-
*ate colchas de dmsco, sen i es melno-
ms emai bonitas q^e tem viudo ao mer-
CKOl m
SEDASTE LISTRAS.
Ko Bazar do Pavo vende-se urna grande
jpari'nade da mais elegantes selas com
ksiriim, tendo de to las as cores e al
fa'a-cr; fazeoda qsa nioguaai vaide por
esos de 25400, e Pquida-se a 25030 cada
V'o; sao moito baratas.
9E.1NS DE CORES E CROSDENAPLES.
RoBazar do Pavo vmde-se um sortimej-
te K>mp:eto dos melurei setios e grosla-
aoo'es de todas as cores, qua se vendem
aito em conta.
IASINHIS ESCOCEZAS A 500 Rs. O CO-
VADO
QTJ PaV) vende um elegante sortimento
suais lindas lsinbasescoce/as com Cus
is seda, pelo barato preco deSOrs. oco-
ndo ; grande pechmcna.
LANSIM1A A 30
Fio Bazar do Pao veode-sa um elegante
aortimento das mais bonitas liasinoa* imi-
lato depoupe'.ioas, com hsiai de seda miu-
bftse de urna s cor 320 rs. cada cova-
>.
POPELINAS DE LA A 400 RS. O CO-
VAOO
Pt Bazar do Pavo^ vende-se um elegan.
A sortimento das v las poupelinas
4 la com lista- mu ni-is, seudo todas
p* ajoasi orna s cor, 400 rs. o eovado;
haratissimo.
CORTES DE LA ESCOCEZES A 65000
Vende se bonitos corles de la escocesas,
vindo cada om em tea papel, pelo barato
preco de 65000 cada um; no Baja; do Pa-
vo.
CASSASFRANCEZAS 240 RS. 0 COVA-
DO.
No Bazar do Pavo vende-se um graode
sortimento de cassas de cores, para acabar,
240 rs. o covado, ditas finissmas francezas
padreas miodinhos e grandes 560 e 640
rs. o metro; sao moito barata .
ORGANDYS BRANCO E DE COR
No Bazar do Pavo vende-se os mais
bonitos et moito finos organdys com listas
largas e miuias 45000 a van. dil*s lisas,
fazenda de muita phantasia 800 rs. a vara,
ditos d cores, finissim^s padreas inteira-
mente novos 80u rs. vara; pechincra.
GROSDENAPLES PRETOS
Chegou pitra o BizarOn Pivo um ^rao-
de sortimento dos mebores gr;>sder.aples
pretos qoe t- vendem da 45600 at 50OD o covado ;
sao todoa muito em conta.
CAMBRAIAS TRANPARNTES
No Bazar do P sortimento das meibores cambraias brancas
transparentes, tem de 355 JO at 4^5001
peca, ditas suissas finissiaias com 8 pal-
mos de largura a 25000, 25500 e 360u0
vara, ditas victorias e tapadas da mais infe-
rior at amis fina qoe ves ao mercado;
todo isto se vende moito cm mu?.
MANrELLETES DE FiL
No Bazar do Pavo ven.ie-se modernissi-
mos mantelletes ou basquinas de fil preto,
m I ac, pelo barato preco da 405000 ca-
da nm, barato.
PANNOS PARA SAIAS A 45OO0, 15280 E
15600 O METRO
No Bazar do Pavo vende-se bonita fazen-
da branca ocorpada para saias, sen lo com
babados e pregas de um lado; dan Jo a lar
gora da fazenda o comprmelo da s*, a
qual se pode fazer com 3 <-n 3 1|2 metros,
e oende-se I5O00 e 45*80 e 1600; assim
como tamben no mesmo est^belleciment
se vende bonitas saias bramas bordaras ten-
do 4 palmos cada orna, ditas de la de
corea j premptas urnas com barras diffe-
rentes, da mesra i fazenda 45(10o e outras
cora barras bordadas 650O0 e 75000,
tudo isto moderno e barato.
ALGODO ENFESTADO PARA LENgES.
No Razar do PavD vend-se o mdhor al-
gndo^iobo amtricmo erfestado p;ra lea-
Cbs, tendo liso e eatrancado por preco
muito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pavo recebea-se nm elegan-
te son ment dos mais mod-rno e meibo-
res espiilhns. que te vendem por preco
mtiiro eiu t'onia.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Raz:r do Pavo recebeu um grande
sortm<-tito dos me'bores pannos de croch,
proprios para cadeiras de balanco ^ofas,
pianos, t-inboretes e al proprios para cu-
brir 'almtfidas e pratos; vendendo-se por
menoi do qoe em quulquer parte.
MERINOS PARA VESTIDOS A I60O0
Chegou para o Bazar do Pa?o nm ele-
gante ^ortimeo'.o de merino?, muito leves
de urna s cor e & m as mtis lindas cores,
proprios para ve-tldos eroupasdo meninos,
cipin'aas bourns etc., e vende-se pilo
barate preco fle 15000o c.vado; bonita
fazenda. v
Liasinhas tranrparenles a 500 rs. ovado
O Ja*) racebaq nm bonito sortimento
das mais elegantes lasinhas transparentes
propri is para ve>tidos, que vende a 500 rs.
o covado; muito birato.
PARA LENCOES
No -Bazar do P-vo vende-se su lerior
bramante d'algod) com 40 palmos da lar-
gura a <580uo n.etro, dito de lnho cora a
mesma largura a St8:J0 cadamotro, painos
ds I otiodo p'-rtocom t 1/2 palmos delargur-
de 7*0at 15 a v^ra aspira comonmg ande
sortimento da Himburgo ou cregoellan ie
todos os nuner s, prec s ou qaalidales,
qua se ven lem ra tra qn:lqner prt^; aoroveitem-
ATOALHADOS
No Bazar do Pavo Vende-se snperior
atoaluad-t trancado, com 8 palmos de largu-
ra a 15600 o metro, dito oe linbo adanas-
cad > o uielhor que tem tiod i ao mercado a
35500 o metro* todo isto muito barato.
DAMASCOS a 900 rs.
No Bazar do Pavo vende-se bacilos
damascos de la com urna s largara pro-
pria pra colchas e cortinas peio barato
preco de 900 rs. o covado, barato.
Cretonas escoras para vestidos e chambras.
Chegou ao Bazar do Pdvo esta n va fa-
zenda matisada com cores Cuas e
muito enarcada proprias para vest 1o e
chambres ; venda-se pelo barato preco de
800 rs. o covado ; pem sao uaui o bo titos
Bailes reguladores a 45000 45>00 e 5->00'
Cbegaram ao Bazar do Pavo o mas becn
feitos balo s reguladores, sendo de fd t
a 45000, ditos de m.i^elioa a 4J5O0. ri-
tos de lasinha de tudas as cores a 55000,
todos enes s mnto naratos.
Paus preto mimo barato a 3^300
O Baza; d ) Pavu receban uaia grande
porjo anno prelo fino, com-
pradasem letio, qu-i s- uore se vendeu a
55000 o a rde liquidar a 3|
por ser ama excedente compra,
CAMISAS DE ERANELLAS A 35500.
No B zar do Pavo vende-se nm bonito
snrtraieoto Cira todos og tamanbos das me-
Ihores camisas, de tl-neita de la. cem
mangas tanto proprias para h u eas -como
para seaboras e veada-se a 3000 cada
urna, eqoem comprar .de meia dnzia para
cima teta om abatimento, Sao d-? muita
utiildade.
firaaif peebwcba w caa'si taguas a 4 e 45300
No Baz >r ^toPavao fez-se <.ma crande com-
pra em leiio, de tiniSima-s c< misas iogle-
zas com pedos e puuhis de liaoo, sendo
com collarinhos e de todos -os amaros a
45000 cada una, ditas seta 00 'o< inhos,
poru faze da dni:sima a 4550O; gran-
de peebmcta
CAMISAS BARATAS a 25800, 350C0 e 2^600
No Bazar do Pavto veode-se urna gran-
de porcao de casemiras mescladas, uiuito
encorpadas a 24800, ditas finissimas com
msela de seda a 35200, ditas modernas
de qoadros, fazenda de muito gosto a
35600 o covado; aproveitem.
TAPETES
Cbegou para o Bazar do Pavo o mais
elegante sortiment da tapetes grandes, pa-
ra solas, com 4 cadeiras, ditns mais peque-
os, pata duas caieiras, ditos para
nianos, cama?, poetas ; et-.. veode-se por
menos dn que em ontfa q tal jner parte.
COLCHAS BHANCASA 352 i0,35501 E 75
Para o Baz.r do Pavo ch?gou am gran-
de sortimer.t) das meloores colchas-de fos-
to, s ndo da; meibores e maise corpda<
que tem vindo, a 75"0 ojias nm pooco
mis abaix a odO. e ditas a 3*000;
tambeaj no mesmo estib?lecimonto se ven-
de un gran le sortiment > di cret mes e chi-
t s. pruprias para colchas, que se vendem
mnit em otita
GORGUKOES OU POUPEUNAS DE SEDA
A ?50C0 CADA CO 'APO.
Cheg u para o Bazar do P-v > om e'e-
gnte sortenlo das \erda1eiras poupalioas
de bobo e seJa. com os mais modernos
gostos, que se ven lem a 251000 cada covado,
o qua em outra q ^Iqoer parte nao sa v-m
Je p r menos de 25500, previoe-.e que nao
sSo algodo e seda, romo ha m ni tos ; mas
im puro liobo e seda ; sao muit 1 baratas.
ROUPAS PARA HOMENS
No accredttado Ba ardoPa^) eaconta-
r o respeiUvel publico om grande sorti-
mento de roupas para nomens taut-o bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas con: peitos dMgodio e de linbo,
para todos os precos e q .a i oiids.
Cer-i'-.tas de lioo e igodo.
Meias cortas francezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
C^cas de brim branco e de cores
Ditas de oseriras pretas^e decores, com
clleles iguaes
De todas estas roupas ba para todos os
jrecos e qualtJades, e tem de mais mais
um perito
ALFAIATE
Por qaem se manda fazer com prestesa
e aceii qualqner p-cde obra a capricht
ou goto do freguez, tendo n'este importan
te estabelecimento t>das as qu tlid Jes de
ianno fino, as melhores e mais moder-
nas casemiras, assim como os melhores bros,
qur br&oeos quar de cor ; e qaanio qual-
qner obra nao car ioteirame ote ao gosto
dos fregnezes i a por conta do estabeleci
ment.
CHALES DE MERINO
Chegnu para o Bazar do Pava > am elegan-
te sotument > da eba'es da merino de cores
muito bous cjm pnlres muit decantes
para qnalquer nma senhora oar, ditos de
er o. n com listas da seda.o mais fino e
moderno que tem vi ido ao mercado, e ven-
ie-se por preco muito em conta.
BABAD1NH )S
No Bazar do Pavo vende-se om grande
s rtimeoto d =s mai< fin s babidinbos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna graoieporco de entr-m ios largos e
e>tre:tos, qoe para acabar se vende moito
em conta e mais barato do que em ootra
qualqner parte.
FAZENOAS PARA LUTO
No Bazar do Pa u vende-se constinte-
Tne;te o me'hor sortimect) de fazendas
[rets para luto, como sejam :
Lainoas retas lisas.
Cassas pretas de la.
Cassas pretas, francezas e inglezas, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qualidades.
Aloacas pretas lisas.
Ditas l.ivradas com branc.
Merinos, caoto-s, bombazinas, que sa
vendem maisbarat do que em outra qual-
quer p-.rt.
CHirAS PRETAS A, 200 RS. O COVADO
No Baz.tr do Pavo vende-se chitas pre-
tas inglezas com salpicos 200 rs. ocovado,
dtas todas pretas, por estarem um pouco
russas, 12) o covado; pecniacba.
O- pro irietarios d este importante esta-
belecmeuto rogaa aorespejtavej publico e
part ohrmente ki Exmas. familias o favor
le sa direm sempre ao trab'lno de lerem
s Srius aonuncios, pela raza'de muitos
a'dlles serem mudad s amiu tadas vezes.
O B^zar do Pavo sito a ra da-Impera-
triz n. 60 est ronstantemeate aborto das:
t horas da mauba as 9 horas da 000te.
fina Duque de Caxiasn. 55
, Na loja da VEBDADE continna-se a ven-
er por taratissimos precos todos os arti
gos de miudezas e perfumaras do sen
grande e variado sortimento, garaotindo aos
compradores toda a sinceridade.
Lindas bonecas de cera e massa per ba-
ratissimo preco.
Espelhos doarados para pendurar a
160 rs,
Agulhas de osso para crox a 400 rs.
Pentes finos para segurar cabello,
320 rs.
Chamices para gaea 340 rs.
Garraa com tinta alisarme a i 5000.
Dita com agua florida a 15500.
Dita can dita dita a 5000.
Tnico de layme a 15500 o frasco.
Frasco comoleo expresso de babosa, de
40 a 640 r$.
Dito com agoa de Colonia de 300 a WOOO
Dito com extractos finos a 15000.
Dito com sndalo verdadeiro a 15200.
Latas com baoba muito fina de 120 a
40 rs.
Sabonetes muito finos e diversas quau-
dades a 80, 460, 240 e 320 rs.
Finas escovas para denles de 320 e 500 rs.
Ditas para fado de 500, e 600 rs.
Ditas para cabello a 600 rs.
Pentes para alisar cam eosta de metal a
320 rs.
Ditos ditos ditos de bfalo a 240 e 320.
Pentes para tirar piolho de 160 e 240 rs.
Paviosparagaz,duzia a 240 e 320 rs.
Brincos de cores, inteiramente modernos
de 160 e 240 rs.
Pennas caligrapbicas muito linas a 15400.
Ditas de ianca e mosinha a 800 rs.
Lindos babadinhos e ntremelos de 500
e 15500.
Grosas de botes de lou?a de 160 e
OOrs.
Ditos ditos para calca a 240 rs.
Caixa com papel amizade a 700 rs.
Ditas com envelopes a 480 rs.
Ditas com obreias a 40 rs.
Ditas com agulbas fundo dourado a
80 rs.
Thesoura para costura a 240 rs.
Linha de marca caixa a 280. rs.
Carriteis de linbas de Alexandre de n. 70
a 200 a*0 rs.0
Grampos muito finos, com passarinhos du-
ziaa 200 rs.
Cartas francezas para jogar dozia 35000
Ditas porluguezas, duzia 15400
Papel alance superior qualidade resma
15000.
Lam muito fina para bordar libra 65500
Fitas para debrum de sapato, pessa 160 rs
Ditas de lam para debrum de vestido peca
100 rs.
Caivetes grandes com molla a 400 rs.
Ditos grandes com 2 folhas por 320 rs.
Rosetas pxetas para luto, o par 100 rs.
Trancas de lam de caracol branca o de
;fs de 40 a 100 rs.
Pitea para cs, peca 480 rs.
Alfmetes de lato, carta 100 rs.
Sapatinhs de lam para creanca de 400
800 rs.
Calcadeiras a 40 rs.
Gravatas de seda preta de 400 e 800 rs.
Dit^s de croxe, brancas e de cores 500 rs.
Dita de gorguro de cores a 800 rs.
Na Verdade A ro* Duque de Ca-
ifas n. 6.
CABELEEIREIRO FRANCEZ
51Ba da Cadeia do Recife61
Chama a attenco dos seos innmeros fregueses, e do reapeitavel publico e
feral, para a egvhae tabella dos procos de aua casa, os qnaes uto tinte por ceai
**~is barato do que em outra qualqner parte:
Cabelleras para senhoras a 254,
301, 38# ......405000
Ditas parahomam a 355, 405 e 505000
Coques a 125, 455, 4W, 205,
W, 305 e.....
Crescentes a 125,'15|, 185,205,
251, 305 e .....
Cachos ou crespos a 35, 45, 65,
65,75, 85, 95 e. .
Tranca de cabello para anoel
600 e.......
Tranca para braceletes a 105,
455, 205, 25 e.....305000
505000
325000
IO5OOO
15Q00
Cadeias para relogio a 55, W,
75,85, 95, 125 e. 155001
Corte de cabello,..... UM
Corte de tabello com fnsolo. OM
Corte de cabello com lavagam a
champen...... tfoot
Corte de aballo com liapez da
cabeca pela machina elctri-
ca, nica om Pernambuco. ,.
Frisado ingleza ou i franceza.
Barba.......
1500a
BRACO
Ra do Imperador n. 26
O respeitavel publico encontrar nest-
estabelecimento diariamente um compleu
sortimento de pastelaria, bollos ingleza:
podins, pds-del, psenlos dos ultimo
ebegados ao mercado, salame de lion, bo
linhos finos de todas as qualidades para cha
amenioas confeitadas, confeitos, bomboins
pastilbas, chocolate francez em libras, pas
lilbas do mesmo .cartuxos e carteiras con
seis charutos de cbo oate cada nma, esb
sortimento de chscolate do mais acredita-
do fabricante de Paris e o melhor que at*
boje tem vindo ao mercado.
Vinhos portuguezes, figueira muito supe
rior. 03 mais genoinos e superiores vinbo
do Porto, moscatel e Setubal, o illustradr
publico encontrar neste estabeleciment
por commodos precos, fazendo-se abatimeo
to a quena comprar em porco.
Oa dofios deste estabelecimecto nao *
tem poopado a despezas para melhor me-
recerem a acoadjuvaco do illustrado pr-
blico. _____________"
A Nova speranpa
81Una Dnqne de Caxlas91
Quando a NOVA-ESPERANZA faz os seus
anuncios expondo aos seus freguezes e a
todos em geral o grande sortimento e su-
perior.dade de seus objectos nao com vis-
tas de atrair a attenco de urna grande fre-
guezia, como a de que actualmente despe,
B sim para scientificar (a interese de todos)
a qoalidada de seos objectos os qoaes sao
sempre de apurado gosto e perfeico; tor-
naodo-se quasi indispensavel para aquelles
apreciadores (do bom) frequentarem a No-
va Esperance, pois qne ella capricha em re
ceber constantemente, o que ha de melhor
relativamente a sua reparlico: o que se po-
der verificar quando em qualquer reumo
de pessoas (amantes do xiqoe) v-se um
bonito enfeite em um bonito vestido, nm
aroma agradavel escapar d'om alvo lenco,
um moderno e linde laco, um dilicado ra-
mo de finas flores, ele, etc, todos olbam-se
reciprocamente e dizem com sigo (e as ve-
zes nns aos ontros) estes sao objectos
comprados a NOVA-ESPERANCA: realmen-
te II! 1 procurar descrever era annuacios os
artigos que contem dita loja, seria trabalbo
insano e nunca o faramos cora aquella
graca e perfeieSo cora qoe sao el les fabrica-
dos, assim pois a NOVA.-ESPERANCA con-
tenta se em convidar a todos geralmente,
visitarem-na para ento ficaram intei-
rados do que ha exposto na mesma loja.
1a Pnajne de calaa1
Laa para bordar a
5^600 a libra
O'CyM, rna d lmperatrir a. 4, acaba ie
recebe' prande e nxito ortimpnto "de lia, a qaal
vende pelo baratsimo pmp 5a500 a libra,
cores sortidas.
ASSIGNATURftS MENSES
Especialidade de penteados para casamento
Baile e Molerlos
0 dono do estabelecimento previne as Recommenda-se a snperior TINTURA J
Simas. Sras. e aos cavalbeiros que ha um PONEZA para enegrecer os cabellos e bar
lalo para tintara dos cabellos e barba, as- Da > admittida na Exposico Umveraal
. ^ on10 uo prejudicial sade, por ser at
nm como um empregado smente oceupa- lal, analysada e approvada pelas acad*
lo nesse servi?. mias de sciencias de PARS E LONDRES
GRANDE KftlMDE
Qnando a AGUIA BRRNCA, mais precisa scientificar ao respeiUvel publico em
geral, e em particular a sua boa freguezia, da immensidade de objectos que ltimamen-
te tem recebido, justamentelquando ella menos o pode fazer e porque essa falta invo-
luntaria ella .confia e espera na benevolencia de todos que lh'a attendero e relevarao,
continuando portanto a dirigirem-se a bem conbecida Ir ja da AGUIA BRANCA ra do
Queimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sortimento de superioridade em
qualidades, modicidade em precos e o sen nunca desmenttido AGRADO E SINCERIDADE.
Do que cima fica dito se couhece que o tempo de qoe a AGUIA BRANC i pode
dispr, empregado apezar de seus custos no desempenho de bem servir a aquelles que a
honram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem ennume-
rar os objectos que por sua natureza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
cara aquelles caja importancia, elegancia e novidade os tornam recommendaveis, como
bem seja
Corpinhos de cambraia, priraorcsmente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeico de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qoa-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento qoe acaba
de chegar, mas para nao massar o preten-
dente se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodo com flores e lisos.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes douradoa
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinbos.
Aspas para balo.
Novos storeoscopos com 48 vistas, as
quaey sao movidas por um machinismo
Veos de seda para cbapelinas e m0nta-' onl?8 ,substitnera as oulras-
na.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costunaes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinbas de fil, sapatnhos bordados enancas.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de raadeira envernisada com viapo-
'. ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
Diversos objectos de porcelana, proprios
para enfeites de mesa e de lapinbas.,
05
P
O
o
Pi.3ARE\D0C4BUfiAPi.3;i.
I
i
p
CO
p^ ;iuvuiimivw .iiuiiivj ^
Com este titulo acha-se ab'rto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de jolas, onde os freguezes e amigos eneontraro tudp qnanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e sencridadeemodecidade nos precos.
Espera que u respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderecos de brlhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pul-
ceiras, brincos, alfinetes e atinis de todas as qualidades, prata de lei faquei-
ros, colheres, paliteiros salvas e outros natitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brlhantes e pedras finas, pormaior preco do
que em outra qualquer parte, treca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
XAROPE
VEGETAL AMERICANO
C SALID ADE
BARTNOLOMEO&C
hra con certa iu \mtt utifu e reeentd, etUrrhu pulmonar, uthmi; Uim Mtnba,
tnockiaj, en pral contri todos m lofrimeitos das Tin rettiraliri.
DEPOSITO ERAL
BOTICA S2 DROGARA
54, IDA UB6A DO ROZABI0, Si
PERNAMBUCO
A theripentic das dirersM boIum do p*ito,dede
pbtrjBiile o mal di nrgul* at a taberealaflo
pulmonar, atando pelas di?ersas bronchitts caurrhaes
a o empbjsana acaba de ser enreqoecida com mais
sis uadicaanuto. q*e toaaert a primeir ordem otro
toda at ko)t aotihecklos. O xaropa Vegetal Aaercno,
farantindo paramente vstetal. nao contem em ana
eompasico ata ao atoan de opio, e aim tmente me-
te* de plantas indgenas, cajas propiedades beneSeat
na cara da molttiat qna ptrtencem aoa orf ios de raa-
piracio oram por nos obserradaa por longo tempo,
com optimot resallados cada vet anaia eraaeentat; pelo
qne nos jalgamos anloriaados coaapor o xarope qna
agora apretentamot, a a offertce lo toa mdicos t ao
pnblieo, Prorantoa eoat t tUaaudoa abiiio o qna te-
Tantos dito, contante qaa esnetu d qne ji tata
0 zarape Vegetal Americano cretcera da alia a dia,
amando mnito apa da ai todoa oa ptitoraw en toga.
na. Sr. Berthatoan C.-O xarope Vegeul me-
1 ieane, preparado tan ana conceitnacjtfiaa pkartnacia,
ntn til remedio para combaier i tarritnl aatbnu.
Sofra en aquella molestia ha qnatro metes, sem anda
tar ootn batido oa ataques ntenaaes qna tinba; este a I tamo
qne tire foi fortusimo qne me prostoa por S das, usei.
porm o ten atllagnao tarop, tomando apenas tres
eee, a at o preeent*** lai da note atetado. P
Om. qne w qit rMUnaiatido par mh tai.
I
lbe, pois oa man agrdecimentos par me tar alrnnda dn
Uo horritel mil. Com a mata tignBcttiu gratidAt,
snbscrewo-me de Vmet. affeclooso e reconbecido criada.
- Senaria Aaaria.-Snn Cata 14 da fevecniro de UH.
Illmt Srs Bartholomeo t C. Depoia da qnaai neta
mwet de soffrimento com nma toaaa iartannta. fapaj
extraordinario, expectoncio de am eatarrno amaretta-
do, e perda total dat torcas, qne n mano)
me fatigttt eompleumente, cansado a lomar 1
trot remedios seat manltado titeafeticidade
Vtaea. preparatatn xarope Vegetal Ai
elle, graeaa a Dena. ana ton waitneleetda !____
doit metes, e robusto como sa nada trtaaae enfftidauA
gratidlo me torca a ceta declarecto. qne, pad>Ha Vanno.
(ater o nao qaa qniterem. Son com ttatnta de Vate
moito reapeiudor a criad. Attlnmmm dn
Castra e SilM. Recife 8 de feTereiro dn IfS.
grande (alta derespirtco, a qnei compUtunaaita
) nr-----------
^L---------------
cntnpUtajnnnt mt.


I
r?T
Diario
de 1870.
p mmmwi rauco
*AAO ^ure^o Pti'eir Mgfiffes -Goinaraes, corameranta Jesla praca ataba da concluir
toaos os seus negocios commerciaes e de novo abre os seus esUlwleciJMlos de fazendas
EiL-^. Jm,,entn1, c a denoraiiws. de GaribaMi eArara e teodo resol-
llo? tildas as suas fetetulss rom gratulo qMimento. de precos, por issocoa-
a Hirf8pdiuvl cublie. e a-*u auii^os e fague-acs, laoio da pratacumo do matto.
pin;mes tonhrar de novo "en r-siobletiiOMlo. e quo todas as fazendas. eslo
reaji)as na k.\ e armazenvria Arara na roa .a Itaperairi n. 72. e que resol^a-se
wmr a trumao da i*ja Gatfbaldi, pata icar somonte cora a da Arara, como cima
AttfTIft5fi CHALES BRINCOS de cass a 14000
Vende-se chitas (ramescs a 240, 910, 330 COBERTAS CHINEZAS DE CHITA A 20000.
* \nn cava? Da '"Ja t Arar;)- Venden urna grande porcae de cober-
ORGANDYS DE USTA DE -CORES. tas de chitas chinezas jara cama pelo baratA
Vende-se organdys para vestidos de se- presso de 5000 cada orna,
iberas, fazenda muito modernas a 410 rs. Vende-e na loja do Arara 3 balces para
o cwado. qtialquer estabeiecimento. por barato presso
riinaniaaoiiimisfto!!aalccur por nao se precisar d'elles no estabeleci-
Veode-se brilhaotkia ou mussulina do memo.
cor par vestidos a 440 > covade. RETAUIOSDE CHITAS PRETAS E CASSAS
HCADOS FHACEZES A 3G. A 120 O COVADO.
Vende-so riscadus fraci^es para vestidos j Vende-se urna grande porcab de reta-
60 rs. o covado. ihos de cbiUs e assas pretas a 120 rs. o
Jhltas lapsas a 3*0. covado para liquidar.
Vende-se chitas escuras tinas das largas COBERTORES DE ALGODAO A iMOO'
para vestidos de senhoras, a .120 o covado. Vende-se cobertores de algodo cada um
Ditas macadas escuras a.280o covado, id'.OO.
ALPACAS USAS A 500, RRAMANTE DE LINHO FINO A BARATO
vende-so alpacas lisas para vestidos de PRESSO.
eaboras a .OOe 010 rs. o covado. Algodo raneado de dua* lar-
LAAZINHAS TRV SPARENTES A 660 RS. guras 16900
Vende-se laasmh;.s transparentes, para Vende-se algodo transado de duas lar-
vestidos a 300 rs.. ditas lapadas a 100 rs. garas a 15200.
covado parai liquidar. MADAPOLAO ENFESTADO A 3o00.
ALPACAb DE LISTAS A OO RS. Vende se pecas de madapolao de 12 jar-
vende-se alpacas de listas para vestidos das a 3550O a peca.
">O0 rs o cavado. VLGODO A OO.
8RILHAXT1NA BRANCA A ."iOO RS. Vende-se pee s de algodo encorpado a
Veade-se brilhanlina liraifca para vestidos 41. 56, (i-S a 7r>000 a peca.
BTTO estabeecirneuto
FIZEKRIS E. mms FEFMS
linpe
ra-.riz n. 40,
osqtiiua: do
DE
be co tos FV rreiro.
O novo propietario deste estabcleciroeuto, communi.a ao respeitavel publico
desta ,;idade, e especialmente s Exmas-. familias, que est liquidando por pre?os bara-
tissimo.*, ss amigas fazenda- que existiam neste e-tabelerimento. alm das que abaixo
van relacionadas-, cujos precos raerecera teda o altenco do respeitavel publico, qoe nao
descara de com pequ-na quantia refazer-se de qualquer qualidade de fazenda qoe pre-
cise. Provme-se tambera qne a mesma Inja tem-f^ito soitimtnto de fazendas moder-
na*, e continua a sonir-se a>f do mats apura !0 e cseo'ido costo, oue vender raais
barato que qualqtie- outia loja.
A LOJA DO PAPA'tAIO alm de ler um grande deposito de roapas feilas, lem
um boirtio si.rtiraemo de casimiras franc. ras, inginas e aHemaas dos parfroes mais mo-
dernos, e assim com pannos pretos, casimiras e panno fino cor ce pintlo, azul claro
e mais escoro, br.ns brancos e de cores, fustoes brandes, e ^,brin< oarrtos de todos asqualklades. ,
A LOJA DO PAlWaalO>feetJ coniraiado nm opnmo me>tre alfaiato pe-.iio do
aeu oOkio para HUMOtar qualqtnr olm da arto cora a raaior prifci< n > e Oimero, e qnal-
quer ..bra que no tique voniade dos froguezes, ficasa\ para a loja, manda-se
fazer ou ra.
Alcalharh de liubo fino,
e de algoclao a 2^.
AI?.'(id.';.isi.iho l;irgo, para
Ihns a W 00.
Alpacas pMlas, de
cores, e de listra^.
i ''> o metro,
ienrps e tua-
cros, lisas, de furta
para
Bgdift den.V. de H6C0 a 3| a vara.
Otates de neiin pretos mnito trrandes
i m.
Dito dtte?, estampados de 4.300
:ima.
Fil de linbo bronco e preto liso, e de
Barones f.oni listrinias de diHereoies co- salpico.
res a 3o rs, o evado. (iravatas de seda pretas e do cores, da
Bo.s- srl.3 tapete artludad.is, para viagem. mais mr.dcrnas que tt-m vindo ao mercado.
'OH rs, o cavado.
ALPVCAS \i vTLSADAS A 010.
Vende-se alpacas aiatisadas para vestidos
de senhora a 010 rs. o covado.
CORTINADOS PARA JA.MELLAS 05000.
Vende-se cortinados para janeUas a GfOOO
o par para liquidar.
SEDAS DE CORES L>000.
Vende-so sedas para vestidos a 1 jOOO o
ovado.
CORTINADOS PARA CAMA A 140000.
Vende-so cortinados para cama a MtooO.
'WLLINHAS PAI A SENHORA A 100.
Vende-se urna grande pnrcSo de gntinhas
Dar senboras o meninas, a 100 e 200 rs.
cada orna par liquidar.
CHITAS PARA COBERTA* A 320.
Vende-se chitas largas para coberta a
tu) e 300 rs, o covado.
MANGUITOS E COLLAS A 300.
Vende-se manguitos e gollinbas para se-
i ora a 300 is. ditas r: cada urna.
CHALES ESTAMPADOS 23000.
Vende se cba'cs de merino estampados a
2000para liqwfr.
CAMBRAIAS VICTORIAS A 05000.
Vende-se cmbralas Victorias finas a
^4000 05500 c 7500!), por ser lidoidacSe.
ALPACAS COM PALMAS DE SEDA A15000.
Vende-se alpacas com palmas de seda para
vestidos de senhora a lOOO o covado.
OORTES DECHITAS.DE CORES* A 25100.
Vende-se corles de editas de cores oom
' rovados a 91500.
Yaadapolso a 5^000.
Vend-se peca de madapolao de 24 jar-
das a 35 05 e 05300, dito muito fino a 75,
8 I 05 e 105 a prca para liquid r.
ALGODAO DE S PALMOS DE LARGO.
Vende-se algodo com oito palmos de
largura proprie para lences e toalbas a 900
rs, o metro.
ALGODAO DE LISTA A 160 RS. O COVADO.
Vende-se algodo do lista proprios para
saias ou vestidos para escravas ou calcas e
carnizas para escravos por ser maito forte a
100 rs, o covado para liquidar.
Corles de castor para calca a
500 rs.
Vende se coites de castor para caifa a
300 rs cada om.
CORTES DE BRJM PIRA CALCA A 15400.
Vende-so cortes de brim de cor para
calca a 15400 cada nm.
Brim pardo liso a 500 rs.
Veade-se brim pardo liso, ineio linho para
calcas para trabalho a 300 rs, o metro.
angas para caica a 9SO rs.
Vende-se gangas inglesas para calcas e
patitots 280 rs. o covado para liquidar.
CORTES DECASEMIRA DE CORA 35500.
Vende-se cortes de casemira de cor para
calca a 35300 cada era.
Ditos mui o fiuos com listas do lado a 35.
PERCALAS FIN iS A 44^.
Vende-se paratas finas, para vestidos de
senboras a 440 rs. o covedo.
Cassas fraaeezas a *40.
Vende-se cassas -francezas jiara vestidos
a 210 rs. o covado.
oprecoc conforme o tamanlio.
abasioaa pretas. lina; e trancadas.
Bwmagtes de linho, l'rancez, e inglez
alcs do mnssnr:.'. bMttOW oa fit'S.
e ontros hidoa de pateo com o feitio dos
de fitas, para senboras e meninas.
Basqisuns de gtosrfcnaplcs prelo mo
lernas e d eryrh moi'o enMUdsc-.
Bretanluis de lindo, a de al^od..
B ins de linho mocados braocos e di!
cores. I
Coardan- p >s de tinbo brancos e pardos.
(rosdenaple preto de diffprenies pr cus.
LSasinfaaS cm cortes com olmas com 14
covado por 65.
Ditas ir/as e destas transparentes e ta-
padas de difrenies preces.
Madapclo iri^lcz de 35 at H5 a pi ca.
Leaos de algodo, braceos de 25 a 35
a Ouzia.
Dos de cabriia.(!o liubo de 65 a 125s
Ditos da elgiii t fi a 8-5.
Mus- olidas brancas e de cores a 300 rs.
> Brim de algodo trancados, brancos o. de o covado,
c^s' i Gorguioes de aa com listias, fazendain-
Combr.iias brancas tapadas e transpa- t;irameute nava no mercado a 800 r*-. o
rentes, sendo inglezas e saissas de 8 pal- covado.
mos de largura. I Merinos prelo, IraBfad o de cordo.
Camisa" re meia, de flane:la. branca, e, Pi bord wioa e lisos, la&t de linbo
de algodo. cumo de algodo para camisas do hornera.
Caminaras brancas da cambra a com di- 'rinertas pelas de diff.Trtues precos.
Iicadcs bordados, e enfeadas de cor para j Cambiaiabrr.net tapada muito larga com
ras- presta e bordado, ha oe tres cualidades
Cambrajas de cores a iOO, rs. o metro e P^P1''* PW* s:i'3S (!o Srtit,, o preco ha-
a 80Ors. a vara. ;rul,!-
Camisas inglezas, e irap.c zss do mho. a : Se,Ias P'cti 'avradas para vestido a
IOJTA
na
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo 1
\ Opropnawrios desle bem conhecido estabele-
amwnt; alm dos muilo objectos aue tinbjhn ex^
posto, a apreciacio tio rwpeiuverpablico, man-
aaram vir e aeaLam de receber polo ultimo vapor
da En ropa um completo e vanado sortimento de
finas e mui delicadas especialidade, as quaes es-
to rnsolvtdos a vender, como de seu costme,
por presos muito baratinbes e comraodos para to-
dc*, ecat tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Hu boas e bonitas golnhas e puntaos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pernos de tartaruga para coques.
Liados e riqusimos enfeites para cabecas das
Esmas. senhoras.
Superiores traoeas pretas e de cores cora vidri-
Ihos e sem ellas; esU fazeuda o que pode taaver
de melhor e meis bonito.
Superiores e bonitos leqnes de madreperola,
marrim, se malo e osso, sendo aqueiles braneo?
cora lindos deseuhos. e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
ohoras, as quaes sompre se venderam por 30*000
a auzia. entretanto que nos as vendemos por 20*,
aini dcstas. temos tambem grande sortimento de
cutras gnandades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao do raarfira com lindas e encantadoras figu-
ras do mesrao, neste genero o que de melhor s i
pode dusejar : alm destas temos tambem giandi
quantidade do outrasqualidades, como sejam,ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, benitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de. .jutras (mlidaties.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar ::s meias.
Boas meias .le eda para seahora e para meni-
nas_ Ce 1 a i ar.nos de idade.
Xavali.-as cabo da marfim e tartaruga para fazer
barba; sao mtio boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e cs por mssa vez lam-
be! a aseguramis sua qualidade e delicadeza.
Lindas o bellas capella para noiva.
Superiores aguihas para machiaa e para crox.
Linba muito boa de peso, frouxa, para encher
Lai-yrirtho.
liona baralho e cartas para voltarete, assim
como os lentos para o mesmo Um.
Grande e vanado sortimento das raelhores per-
fumarias e dos memores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Electrices magnticos contra as convulsoes, e
fantcm a denticao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vaporas, aiim de que nunca faltem no mercado,
tomo ja teni acontecido, assim pois poderao aquei-
les que decs precisaren), vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde senpre encontrarlo destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao flm
para que b appiicados, se renderao com um mui
aimrauto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamo?
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
A rtia (AttTIGA RA E OSEIMA
liereben seguinte :
E-pelhos gr.indi dooradw. molipslionltat.
Carteiras, charut;ras e purl-rigarros^ewau.
qnalidade!1.
Bunilas i-astas para pappis, -in>p>*e'maiiaiw.
Boas caixasva-ias para costnra com hu
tent chave.
Delicadas caetas de nial lim coy o <*
Pra,a- L ^ .-
Modernos pentes .le unartmw fohwSiiftiala<
tre elles aajniOKNHM ^"lfgi:iphisia".
Oimmodos toucaduies coa dua .gavetas* i
espelho.
Port booquet, o fl* Ja melber trm
cidn.
Port ivlopifts denu:i!:< luadac*.
Buns taiman para rrlai :'.
Vo^toarios, rna|iuikrtM;s,leocaa, sipatocei
para baptizados.
Toalhas e fronhas do lnlyrinilio.
Chapes ecbapelinaspu!aenhoia,aM*ii*aa
e bonito1.
Chap.1 :in!:os corro? o b met para tnram
meninas.
Oitm as convulso* s
was
(riRucis
Vende-je os vpr ranea, roa do Duque iV C-.--.k u. .
PARA IISOW CABELLOS
para pretos mi cartanh #, rr^n,n a Kawi
ran^a a verdader: lima intlna.
para acarar com .as sardas
ou pannos, ifti a Ama l-v-iaiic.i o vciv
leite do rosa branca.
AGUA DE FLOlt DKLARAXJA.
Vinrlese na Nova Esperan?, na do Ita^mtg
Caxia n. 2!.
PAPEL PARA EXFE1TAR SE nOtX
recpbeu-ns muito lindos a N,,\a bsoerafifa, ra
do Duque dp Caxi3s n. SI
PARA AMACIAR E AK'U.MOSEAR A WMff
lem a Nova Esperanza S sanomus o tni
arroz.
Rival sem segando*
wW-
tgm

Ra do ftueimado 7
KISTOS
E' chegado a este novo estabeleciraento o msis bello sortimento de lazendas
unas, seudo su especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de bl>od de.sda ricamente bordados.
Gorguro de seda braneo para vestido.
CoHias de seda pura, para cama erm ricos desenhos.
IMas de la e seda, id m idem.
Ditas d crox, idem idem.
Cortinados licam nte bordados para caniae paellas.
Croxs p ra cadeiras e solas.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gostos.
Liat de diversas qualid-des, lindos gostos e modernas.
kkos b Oros para passfio, com listras de sem.
Sabidas Oe baila o que ha de mais rico.
Cretones para vestidos com lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Omisas bordadas muito tinas para bomens.
D tas inglezs para bomens e meninos.
Smolas de linho, e um grande sortimento de iroupas tedas e de fazendas aue
enfaootiho mencionar.
de algodo do pregas, Lisas e toldadas.
Chauos d* sol de sida, merino e ulpar-
ca de (Jiffereotes ci'ires. o mnito baratos.
Chitas para ves idos, ftanetzas, de ilif
at 400 rs.
ChiUs para coher'.as de UO al 040 rs.
SSiTO o .-ovado.
Sargem francez e ingteis de toda ao co-
res.
Toalhas de agotiao e de linbo de dif-
erentes qoalidades e tamanhos.
Punhos de iinho para hornera muito Q-
Cortinados de cambraia, e de lil borda- nuf
dos para camas e janelas de lOd fara cima.
Col. has de fustao br>ncas a ;i^oOO.
Ditafi de cores a 2j5800.
Colarir.tioade linhos.melezes, ealemaes.
lisos e boidados.
Damas; o de l. encarnado, a zol e a ra-
pello, esomnilha prtta.
Bepartilhoa d/ linho braneo para Sras.,
de d.lVi'ioules presos.
Meias ing ezas para Sras..e para meninos
e para bomens. tl d'fftrenles qu-lidades
e de todo os tamacbos.
Par3 qui ib comprar peca on duzia da
qualqner fazrmla stu -preeo o custo ; para
diminuir o retobo.
D D-se as amorras de rmilqner fazenda.
A loja do Papataio acba se aberta todos
os dias, at s <) horps da noute.
Franri*c Trixeira Mmes
CASA CAUVIII tmBiB
IJoulevard
NOVAS ESPECIALIDADES
Aprrseatidas a Academia da Sciencias
Pharmaioeutico privllgiado
, successor
Sebastopol, 55 PARS.
A. MARINO
e ao Instituto da Franfi,
III ICPPn Sob J (orm* ^ P'^liH'. devenida c doeada para
lllLullHU fasor de niaoento urna soloecao
Premativa a ciratira iit M8LESTIAS COhTACIOSAS.
IWECMPHllTRO
ESTOJOS
do olama "f. uib rehiri, serviado da
l'HII.TRO e SERINGA sem os
eraras iacoofeaientaa 4a frafiliaad*.
Com a (oraia, e de rohiaic de un Porte-Nosda
COTBNDO TODO 1A TAUBN~'
fTO.
COLLYBIO Contra as affeccois das palpebras,
preparado sob a mesoa (oraa.
Luvas frfscfts de Jouvin
etes para guarnieres do salas, alcatifas
meditadas e veroadeiras
Esteiras da India
Sortimento de peles para guarnieres do salas, alcatifas para forro de sala, e o
{fraude frumento das acreditadas e veroadeiras
a
11 i 11
rame de ferro galvanisado em rede para cercas, gaiola?, gaHinhetros etc.
Chapas de forro alvaaisado para cobrir casas. ,
Tarhos de ferro estanhado para engenhns.
fres dn ferro de Milner e oairos autores.
Chumbo em cano.
Dtto em letn;jl.
Dito em barras.
Dito em fluxalas.
R-tanho pm barra e vergniaba.
Piilha de FUndkVs.
Arad.) araericaaoB para ladeira e varzea.
Carrinhos de mo.
Vt-nfziana* para janelMs.
Machinan de descartar afgodao d faeio.
D'tas de ierra.
Ditas para ertar-fano.
___^ ^'^ YaP"t de 'rs,de 3 cavallos e molares para i cavaUta* para owver asfl
nna!> ne algo.
. Gafeiras de ferro.
Casual de f>rri).
Prendas para copiar cartas. '
Balanca para pesar.
Oleo dH hnhaca em lata de ferro.
Tfilho.re ferro praertgeBho?
B niiba." americana*.
Maracos de e-tivar.
BaUMcas e pesos decimaes e ontras.
Fuoes Je pataate,
Bnzofre. t
Salitre.
*ja larga e d boa omlidad.
caretas para arainnos de ferro.
va graade sortimento de farrageM e eutilaria.,
BARTHOLOMEO t C
CASA cauvin L-mm>
Depositarios geni para e BRASIL, e POHTIfiAL
34, na larga do Bosario. PERJSTAMBUCO.
a\V-\
\sitV
Pharmaceutloo privilesiado
succossor
Boulevard Sebastopol, 55. PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apresentadas a Academia de Seieaeias e ao loslitulo de Franca.
INJECCAO
MOLESTIAS
Sob forma de Pastilla, devedida e doseada para faaer -de
momento una ioluc CONTAGIOSAS
w+
IWmMILTRO
GraTes
do volunte de um retogio, servindo
de Philtbo e Seringa sem os
inconvenientes de fragidade.
CQTQJQ Coaa a forma, e dovaluaie de .nm_Porte-Moeda coatead
TRATAHEWTO.
COLLYHIO Contra as aSeccois daa palpebras, preparado sob a mesma torna.
BRASIL,
BARTHOLOMEO 4 C
Depositarios geni) para o BRASIL, e PORTliGtL
34, ra larga do Rosario. PERNAMtCO.
um w mm
ERGEHHEIBO
Com tunaieao
DO BROM 52
Fassando o ch-fa iz.
_ Chama a altcncao dos Srs. de engenlio pata seus acreditados mathinismos e
:om especialidade para seus vapores qoe ainda urna vez ttm melborado.
Os vaporas foroecidos por elle e j funccioofcndu Ibe bao de fazer melhor apre-
ciarlo do que qualjuer ditopioprio.
De&eja todava mencionar que vMa do cambio ;^gora mais favoravel do qoe
na podia dos apontamentos do anno passado lem feit urna redacto stnsivelem todo
seos presos.

A MAfl HE OlJK
i cordeiro previdenti
Rua do Inelmado a. 16.
^lovo e variado sortimento de perfumar
finas, e outros objectos.
Aiein do completo sortimento de pertt
'naria, de que effectivamente est prvida
oja do Cordeiro Previdente, ella acaba
receber um outro sortimento que se tora
iotavel pelavariedade de objectos, superior
lade, qualidades e commodidades de pr
eos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pe
e espera continuar a merecer a aprecia^
do respeitavel publico em geral e de se
Doa freguezia em particular, nlo se afa-
mando ee de sua bem conhecidamansidl
a barateza. Em dita loja encontrara)
mreciadores do bom:
Agua divina de E. Condray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, friu
:eza, todas dos melhores e maisacreditadr
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dito dos Alpes, e violeto para toet.
Eii^ir odontr.lgico para conservacao I
sseio da bocea.
Cosmetiqucs de superior qualidade ecw
os agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, co
jomada fina para cabello.
Frasros com dita japonesa, transparan^
i outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
'raucezes em frascos simples e eu&itados.
Essencia imperial do fino eagradavel cht
o de violeta.
Outras concentradas e de cfceiroa igua
mente finas e agradave.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidao
xim escolhidos cheiros, em frascos de difl
"entes tamanhos.
Sabonetas em barras, maiores e menor*
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em fig
fas de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para bar
Caixinbas com bonitos sabonetes imitanc
frucias.
Ditas de raadeira invernisada contendo ?
oas perfumaras, mnito proprias para pr
lentes.
Ditas de papelao igualmente bonitas, tat
oem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e *
moldes novos e elegantes, com p de am
d boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentei.
Pos de camphora e outras differeai.
jualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada mala coquea.
Cm outro sortimento de coques de n>
os e bonitos moldes com filets de vidrihV
^ algnns d'elles ornados de flores e fita
stao todos expostos 4 apreciacao de qna<
is pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeic5o.
FlvcIIa e fitas para ciatos.
Bello e vanado sortimento de taes objtu
tos, ficando a boa escolha ao gosto do coa
prador.
Milho novo d Fer-
nando
Era saceos -grande* a preco comra^k : no ar
maiem de Tasso Irmaos 4 C., rba do Amorim Da-
mero 37


*m.
Nova loja de joias
RUA DO CAtHJGA' N-l A.
K
Manoel da Cun^a Sal'danha Se C.
Araba ii^ .ljrir-*H psi eA'aoelerinMBl- dfl Kie. o qoai< tefrande inrtirao-
to Jt t da- as j.'ias do ultimo j&o. asrloaeS vender Q tMiK barato pim>iv,'l.
T .da? ;i- j-ui* f>*> ^ra>iiMas otiro de le, i*'!" o> *1%i d'.rws leudo vm visla1 U^
f adiurrir fregu, aa.. .tltirfaro weidef boti perpiveos oh mais raBiarets qo ^51
fr Bb-ivfi
' ^MM|4a-SQ >> pu4ko.a wr a c:e etaelecMnrni.v,Mn de ^m, icara COJBB1&" '>%
tsmcto .stlfcito. 4-
A SfAO DE ORft^BHAi 00 fJAB )AT N. 9 A.
1UA DO DUQUE DE CAXUS N. i
Estou disposto a continuar a vender Mv
as miudfzas polos baratissimos prefOl Mt
xo declarado?, garantindo ludo bo;n <; {ro-
gos admirados.
Caixas com O cadernospapel pau-
tado a...... .
Caixas com 50 novellos de linha
do gaz a........
Duzias de meias cruas superior
qualidade a.......
Pegas de bibaditihos com 10 va-
ras a.........
Pegas de liras bordadascom 12
metros cada p. ra a 1500 e.
Pegas de litas para cs de'q al-
quer largura com 10 varas a.
Escovas para onbasfaienda fina a
Ditas para dentes a 2.0, U20,
400 rs. e......
Pegas de tranca lisas, brancas e
de cores a.....
.'aixinhas de madeira oom atfoe-
tes fnzenda superior a. -
Duzia de linha frxa para borda-
dos a if'O rs. e.
Pares de meias croa* para m
nos diversos tamanhos *.
Duzias de meias bratwas mullo
linas para senhora a. .
Pares de sapatos de ti anga do
Porto........
Pares t'e sapatos de tapete a. .
Litros de missa^abruviados. .
Duzias de baralhns para voltarete
Sylabarios portugueses a.* .
CarlOfS com colxetes ? car rerasa
A -otoaduias para colltte dtartM
qualidades.......
Caixas com penna de ago muito
ba de 320 a......
Duzia de nha 200 jardas Alexan-
dre de 40 a 200 e, .
Caixas com superiores obreiss a.
Duzia 0> agolha para machina a.
Libras de p'fgos francezes todos
os taiisanhi.s a......
Pacole do papel com ^0 ijuader-
nos...........
Caixas de phosphoros segurangj
muito suptrinres a .
Bejma de papel pautado super cr
Resma de papel liso muito fnpe-
rior a...........
Garrafa com agua Florida verda-
deira a..........
Quaderno de papel liso amizade
Carretis de 'inha de cores com
i a
M
m
m
*^^
m
un
wm
nm
m
Cabellos
^tW^W^c
Vendemse cabellos de todas a? cores, qaalquer
comprimenlo, qualidade superior, em caixa ou
P>t;bo mais pequea : na rua da Cadeia do Re-
ctfe B. 54. t" andar________________
LOLKHI\ DO RIO ~
RUA DO CtRUGA' N. 2 R.
Al nova reiulngi, sp venlem hilh*tes do Rn
a vendedj res na raan de 22*000, 8eja qual
for a porcao; dlnheir visla e as particulares a
- Em casa de THODORO CHRJST)
AN! EN, rua da Cruz n. 48, encontram-s
'.flectivaaiente todas as qualidades de vit
1 tordeaox, Bourgogne edo Rbeno.
li VILLE DG MU
20Rua da Impiratriz2r
Faria ct tLcssa.
Acaba de chrgar a esta noss i nova loja de j-
zevdas finas uui variada SOlifUVBtO de fa7.endss4k
laa e seda, como sejam : grsnadircs di. li-
go-to, popelinas de urna so cor. alpacas e ait-
nha de cores, o que ha de mais moderno, lalc
por baratissinius presos, brigantina- (in eoro?ae-
cidos das. indias, fazenda nova a inrtaco de jmt-
calin, balde.- de dina ngu do saia da cor am tv
das barras, fustoes proprios para vestido e roupar
de meninis J agora grandes e admirareis pwdHt-
chas, saias brancas com lindos frisados a 3f,o-
cos ci rpmhos bordados mnito finos a Xf, batir
modernos de ar& s a iS, ricas colchas para esmt
alcochoadas sendo brancas e de cores, a >5,4 *
71, cambraia victoria tina a >t, ditas iransparea-
tes a 5J, 6d e 7,chitas finissimas fsobn s e cas,
a 80 300, 320 e 360 o covado, cassas de corw~
240, lencos brancas de casia a 2300. ditos &.
neies a 3<5C0I a duzia, madapol (no a 5f
6a.W0, e muiu superior a 7f, 7''00 e *, alg-
daozinho larfm pmprio para lences a 6d, omm
de al.odo braneo trancado pmprio para to.f*M
dp mesa a i600a vara", nramante para lence*
2000 e 3(1500, o qne ha de melhor, esguiso i-
dissimo a 24200' e 24300 a vara. Mandamos w
casas das Exmas. familias para melhor poden
e.-c .Iher. Tambem temos completo sojtimento 4r
perfumiriai dosprmiiros fabricantes francettv .
inglezes as pessoas que se dignarem vir a ts.
I ja terao nerasib de reconbecer a realidade <
qne annunciamos para nos justificar.
tres vapores
0 Campos da rna do Impender n. 28. me**;
pelos allnio tres vaporee chogados a este port*.
dirTerenie peero- que vif-la da snas e^peKster
e divrs ^ qualidades, merece fazer--e drtse ch
pecial menguo; e avisa nao s ao seu cri*
nnmem de ftejrnnw e amigos, como tairbea
^qnelles qne nao lem qawido honra-1 eom. s
freguezia-., encontrandopureste motivo eriadfr
ilculda.les em sujiprirem-se de buns gneros, f#r
falla talvez de q'.em Ihes indique com fimee
esaliel.'ri'iento qn^ como osea. po-> com rs-
ranlia, bem salisfazer as joatM exigencias do n--
peitawel publico dan* capilal; que se .v tu o seo
arieav-esn p..vido dos mais novos e variados gJK-
ro-, e limitse a nooaear o seguinte :
i'.arne c qmij is do serlio.
Pnzunt' s inglezes e portognezes.
G n iJo (..va marra de boiarbinlias).
Petil Pois a.. Beurle (ervi.has em n.anieigai.
r.hoc.iate b,-ipa|ih.>I a IJoOOa libia.
Conservas 7(D rs. o frasco.
C fe ihnanhad. e-de moka.
Rape Paulo Cordeiro (viajado e commi
Guizado.- frncezes (TruSeJ.
Superior champan he.
Doces fiaos de guiaba, laxanja, limo e b

'*-*




't
I /



I


8
Diario de Pernambueo Segunda era 16 de Agosto de llttO
".. ASSE1BLA GERM.
en
CMARA DOS DEPUTADOS.
Discurso pronunciado nasesso de 12dejulh
de 1
O SR. DIOGO VELHO (ministro da ajtf
ura);Sr. presidenle voltando n
iate, estou no i rop sito ,do cingir me
estrictamente ;';s materias do orgair.
deixando de parto quaosqusr omsida'
qdenlo, tinham imincdiata e'intima l com o assum -to.
Oonuandoou obsorvages qne en-
tt-i na sassSo de i-exta-feira. em res
. ais hornadas ralos que tonaram parte
na discusso do orgamento do ministerio a
meu cargo, caoe-me responder ao nobre
deputado p-la provincia de S. Paulo {.)r.
Antonio. Prado fornecendo-lne esoiareci-
mentes que se dignou pedir-rae.
O primeiro pon-o relativo s quesles
pendentes com a estrada da ferro da ro
vinea que dig.iaraante representa.
Sao diversas e>sas qu-stes. Infelizmente'
o ..ue.tenho de dizer-lae qne sobre ne-
n!iun'o governo imperial poda ebegar a
accordo com a directora respectiva em
Londres,
O governo tomn a deliberar y do eiy
viar um inspector especial para Irtlar *o:i
as rtirectnrM das corapanhia.sda estras
,!c ferro brasileiras que tm a sua se le
queda praga. alim de tacilitar. o examH
des-jado, e por urna vez resolver, ao me-
aos as (nestCes que roais se travam om
o interesses dessas emprezas.
Qamto directora da companbia di es-
trada de ferro de S. Pauto, o e-pinto de
.rever-, o que o agente do governo p3ra
atli ensiado conlrou tal, que recusa ate
.-,er obrigac58S establecidas na le-
tra positiva e expressa da ropectiva con-
cessao ou dos contratos celebrados com
afales seus.
O Sa. Antonio Prado :Como acontece
a respejto do trem rodante.
O Sr. Mimsnro da Agricultura :Como
.jcontece a respeito do trem rodante. Por
abi v o nobre deputa lo comque difinul-
dades Iota o governo relativamente a essa*
que tQes
Assevero, porm, ao nobre deputado
que o-governo liga a este assuinpto a im-
portancia que merece, e ludo empenhar
ara ebegar conveniente solugo.
Acatando diversos ideas que o nobre de-
putado emiltio, nao Ihe faco favo, por-
que sao que se apres nlam como as mais
proprus para a solacio das questes.
Nesta par e estamos de ;.ccordo, ai ins-
iroecdM dados ao inspector especial es to
pouco mais ou menos no mesmo sentido.
O Sr. Antrnio Prado :O que desejo
que ellas sejam resolvidas.
O Sr. Ministro da Agricultura: -Ah
quer esta a ditliculdade. Nao ha meio de
coagir a comparibia a aceitar as ideas que
o governojulga mais convenientes. Resta o
recurso ao juizo arbitrar ; un ultimo caso a
elle (eremos de sujeitar nos.
Occup -u-se o oobre deputado com a ne-
cessidade de explorages sobre o prolonga-
meato da estrada de ferro de Santos a Ja-
diahy para o interior da provincia de S.
Paulo em procura do alto Paran, e offere-
ceu urna emenda, da qual pretenda oceu-
nar-me mais tarde ; porem desde j posso
dizer o que pens sobre ella.
Reconbeco que ba vantagem as explora-
res ; mas entend que io necessario
consignar-se crdito especial para amainan-
te fim, isto entrar no servico ordinario
Acrre-ce que n3o servico urgente.
O Sr. Antonio Prado :Perdo ; pare-
ce me que muito urgente, porque se est
j organisando urna companbia para esta
empreza.
O Sr. Ministro da Agricultura : De
ordiuari > as companhias fazem essas explo-
rares, e sobre ellas o governo procede jos
estados precisos.
O Sr. Antonio Prado ;E* um auxilio.
O Su. Midistro da Agricultura : Se
houver urgencia o governo tem na verba
respectiva o crdito necessario para essa
despeza, que nao avult da.
Occupnu-seem seguida o nobre deputade
com a repanigio do correio, thamamto a
' iltenco do governo para a irregularidade
do servico e abasos que se tm introdu-
zido.
O governo reconhece que esta repartirlo
ua verdade nao se acha enllocada as pro-
porces devidas, nem corresponde nossa
livilissfto.
O Sr. Antonio Prado : Apoiado ; sendo
entretanto o correio de S. Paulo aquelle que
di mais rendimento.
bicultura : Pre-|
la na le que
icias mais ur
do pessoal, como
ade que notod onobre
lo as coraraancacoes telegraphicas
irte e a cidade de Santos, tenbo
a infcr-nar gn* a directora geral dos tele
graph si iba'eceo na praga docommrco
. ama agencia afim de receber
indis as commnnicagods destinadas aos pon1
tos servidos pelas linhns creadas, inclusive
i cidade de Santos. Informa ele que n3o
possivel transferir a estac5o do ponto em
qne se acha presentemente, no campo di
Acciaraago, para o lugir que deseja o no-
l>re deputado, iHo para a praga do Com-
mercio, pois sera mister urna reforma com-
pleta, para que Mlam os meos, eomegando
por nm edilicio com as precisas accomroo-,
daroes. Todava, eenclo este assumpto im-
portante como ser tomado na devid*
considerago; n3o to pouco o memora-
meaio j feito com a creado da agencia
especial. ,
O Sr. Antonio Prado : Nesta agencia
poa-se receber todas as commantcacoes
telegrapbicas. '
O Sr. Ministro da Agricultura : Ka
-ebem-se para todos us pontos: mas nao
sfo tr.insraetlidas directamente por nao ser
poss.vel.
Ojtros assumptos de que oceupou-se o
nobre diputado ; j foram comprebendidos
as respostas que dei a outros honrados
oradores. So rae tem escapado algum pon-
to sobre o qual o nobre deputado deseca
ser esclarecido, peco-lbe que me advirta.
Eston propw a dar todas as explicaces.
Quaudo ino oceupar das emendas apresen-
la i;is dir; o meu pensamento a respeito
das que- nobro deputado offorecea.
O honrado deputado pelo Piauby ( o Sr.
Coe.no Rodrigues) pedio tambem algumas
informagoes; entre ellas deseja S. Exc.
saber qual a garanta de juros das estra-
das de forro de Pernambueo e Rabia, isto
. quanto -e paga s respectivas emprezas.
se i ou 7 %.
Informo ao nobre epatado que por par-
to do governo ge>al garanti se o juro de
5 % e por parle das provincias 2 % I mas
o governo geral toraoo a si o pagamento,
icando a indemBisac3o para ajuste posteri-
or entre o governo geral e o provincial, e
tomando este a obrigacSo de fazer estradas
vicinaes convergentes linba frrea. Nao
tem s dn a Hendido, como mereca, este ser-
vico ; entretanto certo que alguma cousa
se ha realizado.
Eis o p em qua se acham as relacoes
entro o governo geral e o provincial, rela-
tivamente a este asspmpto.
Quanto a estrada eo. accresceotarei que o seu lisongeiro es-
tado actual, e ainda mais futuro, auguram
que den! o de pouco tempo Rearemos livres
da despeza com a garanta de juros.
Pedio o nobre deputado informacoes a
respeo dos vencimentos dos empregados
da estrada de ferro de D. Pedro II. pegun-
tando se tinham soffrido modcac5o.
Tenbo a informar ao nobre deputado,
que nenhuma modificado liveram depois
do decreto de 1869, que osregulou, e que
quanto ao director contina ella a perceber
V /o de renda lquida da estrada.
Pareceu ao nobrv. deputado quehavia ex
cesso nos ordenados em geral. E preciso
que o nobre deputado d um passeio es-
trada de ferro de D. Pedro II, que a exami-
ne, que se informe dos servico3 a cargo
dos respectivos empregados, sobretudo do
pessoal technico, para avahar dos vencimen-
tos que perrebern a Iroco dos importantes
e valiosissimos serviros qua prestam. (Apoia
dos.)
Quanto ao ordenado do director, informo
ao nobre deputado que o anno passado
quando a estrada teve urna renda superior
a 7 /n do capital empregado.
i sutiven
nobre depola1
s3o consigna)
na consta
Em todo o, caso 6 mu
mos de notar como exceesivo
destas compaas do que emos de
deplorar prejuizos que as viessem desani-
mr. ( A potados.)
Co.n a coBipanhia denominada Commer-
cio e NaregacSo do Amazonas ocenpoo-se
tambem o nobre depntaie peto 4. districto
do Rio de Janeiro. S. Exc. notoo especial-
mente o repetido augmento do capital e o
excessivo prego das tarifas, suscitando a
qoest5o se a reducc5o da subvenc3o, de
modo a nao auferir a companbia juros ex
gedeotes a \to/0, na conformidade do de
creto de 10 de outubro de 1857, deve ser
calculada sobre -q capital primitivo ou sobre
o actual, depois dos ougmentos qde tem
sido concedidos.
Como reconhece o nobre deputado, esta
quetSo so pode ser P-solvida no fim do
anno futuro, e o governo opportonamente
proceder com o preciso estudo e todo o
criterio.
NSo recebi reclamado alguma contra as
tarifas, e, como disse, nao deploro que a
companbia tenha auferido grandes lucros.
Ha pretendo de transferir-se a empreza a
urna companbia estrangeira: ser occasio
de attender s quesioes suggeitdas. O go-
verno deve ter em conia nao so os nteres
ses puramente mercantis, senao tambem as
conveniencias polticas que ligam-se nave-
garo do n > Amazonas, dapois de sua aber-
tura bandeira deqaalquer naci. (Apoia-
dos.)
Outro nobre deputado pela provincia de
S. Paulo (o Sr. Paula Toledo) chamou a at-
tenc5o do governo pira os interesses do
norte de sua provincia, e especialmente
para os traballns da i de ferro de D. Pedro II, e queixo se de
morosidado nesses trabaihos. Sobre este
assumpto, depois do debate que se tem em-
pregado ntsta casa, creio que o nobre de-
putado estar bem esclarecido.
(Continuar-se-ha.)
Knmoleon. Komtt, Cyclop,
ihatteirht f segunda ciasse.-Todas
elagem i33: Tu-
tela, Hay, Habitch!, Hyane, Yyer, ttatter,
Pfeil, Salamanier, SchwaUw Scorpion,
Sptn-ber, Tiger, Wespe, Wolf. '
Rb.,cadores para#.*#fepo da bahas.
Tadt, 6raf.
Transportes de vaper.heno, Septum.
Nados de vela.FraRatas : Ge/ion, pegas
48, tonelagpra 1:406 ; Thttis, pegas*38, to-
nelagihn 1:557 ; Ntobe, pe^as26, toneragera
1:852. Bngues : Mosquito, peca 16. to--
nelagem 510; Rover, pegas 16; Hela,
pegas 6. lonelagem 253.
Navios para o servico das bahas.ar-
baossa, pegas 9, loaeiagem 1:158; litis,
Lopard, Wangerooge, Konigin-Marie.
Chalupas.3i, armadas cada urna de duas
pegas e 4 de ama.
' Em resumo : a marraba prussiana, conta
90 navios, com 1:519 pegas.
Os princpaes estabelecimentos martimos
esto'em Banisik, Stralsdum, Kle e Gteste-
mund.
LITTERATMA.
a este func
70/
Clonarlo coub'e renos"d 10 contos de ris.
POUCO DE TTJDO.
MARINHA PRUSSIANA.A origem da
marraba prussiana data do anno de 1848.
A guerra da Dinamarca fez comprehender
Prnssia e Allemanha a necessidadedesse
elemento de laque e defensa. Aquelle
paiz, t3o pequeo comparado com a Prus-
sia e a Allemanha bloqueou toda a costa
do Raltico. causando-lbe os necessarios es-
tragos. D'aqui a creag3o da marioha prus-
siana, hoja da Allemanha do Norte.
Esta marinba est destinada, como todas
as marinhas de guerra, defensa das cos-
tas e do commercio do ultramar.
O pessoal da marinhacomprehendeo pes-
soal militar propriamente dito e os empre-
gados militares.
Os naviis da marinha de guerra comp-
era-se de navios de combate e de instroc-
g3o ou de transporte, de estacionrios, guar-
da-costas e de rebocadores para o servico
de bahas e porlos. Os navios de combate
sao cooragados, e os de vapor s3o, salvo
ligeiras excepges, de hlice.
O estado actual da marinha da Allemanha
do Norte o segrate:
Fragatas couracadas.Rei Guilhrtne, 23
pegas, torga de 1:150 cavallos; tonelagem
5:938; Frederick Karl, 16 pegas, torga 950,
tonelagem 3:800; Kromprinz, 16 pegas,
800, tonelagem 4:404.
Naaos couracados de torre.Arminius,
4 pegas, torga 300, tonelagem 1:230, Prinz
Adalbert, 3 pegas, torga 300, tonelagem
torga 779.
Corvetas de madeira com balera coberta.
Elisabeth, 28 pegas, torga 400. tonelagem
2026 ; Hertha, 28 pecas, torga 400, tone-
lagem 1:746; Vieta, 28 pegas, torga 400,
V-se aue nD ordenado excessivo ou ex- .
acerado : e lembro ao nobre deputado que tonelagem 1:746; Arkona, 28 pegas, torga
(ando a estrada passou a ser propriedade 380, tonelagem 1:621; Gazelle 28 pegas,
qua...
do Estado, marcou-se ao director o ordena-
do de 14:0005 por anno.
Contina a abonar-se ao actual director
a gratifica, o orovisorh de 7005 mensaes ;
t do iim do_anno ;;z-s3 o ajuste de contos,
recebendo ello ou ivpondo a dillerenga.
0 sos assumptos, sobre os quaes fez obser-
vares g- raes. Notou que o Estado despen-
desse to avnttada sorama com subvenges
a companhias de navea;ig3o a vapor.
O Sr Coelho Rodrigues : Especial-
mente a do Amazonas.
O Sn. Ministro da Agricultura : O
torga 380, tonelagem 1:621.
Corvetas de batera.Medusa, 17 pegas,
torga 200, tonelagem, 925 ; Nymphe, 17
pegas, torga 200, tonelagem 925 ; Augusta,
14 pegas, torga 400, tonelagem 1:462; Vic-
toria, 14 pegas, torga 400, tonelagem-----
1:462.
Avisos.Adler, 4 pecas, torga 300, to-
nelagem 800 ; Lorele'y, 2 pegas, Torga 120,
tonelagem 332.
Yath real.Grille, 2 pegas, torga 100,
tonelagem 493.
Canhoneiras de primeira classe.Todas
a 3 pegas, torga 80, e tonelagem 3 26 : Ba-
SEIS EXECUQES CAPITAESEm eon-
sequencia de urna revolta qne houve. em
novembro na priso central de Roogoun
(Rirmania) na India, foram execulados seis
individuos que haviara ferido o director mr.
Mangay, e morto sua raulher. O lgubre
drama realisouse em frente daquella pri-
s3o. Um dos condemnados chamavase Pbo
Ou, e era de familia principela. Cre-se
que deceodw de um dos ccllateraes da fa-
milia real de Burmacah. Era horaem de
carcter enrgico e emprebend-dor. Ha-
va sido condemnado a sete annos de tra-
baihos forgados por crimes de roubo e j
tentara evadir-se da priso de Thayetonge.
O segundo chamavs-se PbarZan. Julga-se
ser tile quera ferio o director, Os outros
quatro eram Lah Oung. Nav Don, Pbo
Moring, e Swbay Ait. Estes dois ltimos
linbam sido gravemente feridos, defenden-
do-se contra os agentes qne os prenderam.
Estavam muiio fracos. Depois de ouvirem
dois sacerdotes bpudbistas, tomaram um
banho ejantarem, recebendo todas as conso-
lages, foi Ihes perguntando setinha recom-
mendngoes a fazer ou communics^es para
os eus amigos. Pho Ou, o principe res-
ponden :Deem o meu corpo aos padres;
eu nada temo.Phar Zan disse':Lem-
brem-me ao amor de minha
meus filhos e de familiaLah Oong disse :
Nos naseemos para morrer ora d.a. nada
me atemorisa.Nay Dooen disse :Dizei a
meus paisr se elles o pergualarem, que es
tou livre.
Os outros dois nada disseram. Pouco
depois das tres horas chegou o direitor ge-
ral das prises, o Dr. Denly. Os prepa-
rativos comegaram. Quando o Dr. entrn
as cellolas disse-lhe o principe, em lingua
birman : Milord vamos hoje ficar livres.
Os dois invlidos que nao podiam de todo
andar por causa das suas ferides foram le-
vados em bragos da prjso por dois guar-
das. Um exercito de guardas poiciaes cer-
cou os condemnados quando a prociss3o
comegou a desfilar em direcgo ao cadafal-
so, levantado fra dos muros da pris3o-
Achava-se all consideravel multido de
povo. O principe approximoa^e do pat-
bulo murmurando algumas palavras em lin-
gua birman e foi o primeiro a subir plata
forma. O carrasco que era um negro por-
tuguez, passou rpidamente a corda a cada
um dos condemnados e poa-lhes na cabega
um barrete preto, Os dois feridos foram
sentados en cadeiras, Assistam execu-
g3o perto de 300 presos. Antes de se. dar
cometo i executflo, o inspector geral leu
em alta \oz o verdict que os condenmava
morte, fez co locar os reos por ordem so-
bre a plata-forma e disse-lhes que depo s
far-se-bia um relatorio sobre a forma por-
que a sentenca fra executada.
fim seguida foi tirad., o alcip3o seis
desgragados cahiram no espago. O corpo
do principe agitou-se duraDte algum tempo.
10 minutos depois estavam todos mortos.
mas em vtrtade da le os corpos estiveram
suspensos-por tempo de urna hora. Finda
esta, foram conducidos para o interior da
priso e all expostos vista dos presos.
Durante a execugo esteve arvorada na fren-
te da praso nma bandeira negra.
O marecbal Mae-Mahon sanio da es
de ^ i ewroo no e
maioi
foram
de AntoertA^volt. erjto d fri-
ca foi mencionado na Ofdem do da do exer-
cito por sa eicelienHr eomportamento no
cerco de Constantioa; coronel do jeglmeoto
41 de Hnha em 1845, g*eral Jbrigiaa
em 184, general de divtaSo em 1852. re-
presentoo um grande papel, na guerra da
Crimea. Encarregado de levantar as obras
de Malakoff sostentou-se aiR durante algu-
mas horas*debaixo de um ebuveiro de bal-
las, apesar dos encamigados esforgos dos
russos que por cinco rezes tntaram des-
alojal o.
Em 1857, o marecbal Mac-Mahon com-
mandot orna expedido contra oe kabylas.
e em 1859 tomoir parte na goerra de Italia,
na qnal contribuid- de um modo decisivo
para a victoria te Magenta, chegando ao
campo 'de batalha no pmprio momento em
que a aegao esta va indecisa. No mesmo
campo recebeu o tulotfe dnqne e o bastSo
de marecbah
Em novembro de W61 o- marecha? Mac-
Mahon fpi eiwiado como embaixador a Ber-
Nomeado governidor geral da Argelia por
decreto da 1* de setembro de 1864, rev
de atravessar sitoages diffic-ra, as quaes
esteve sempre altura das circumstan-
cias. % .
Cora a sua energa reprimi a rasnrreiga>
das tribus sublevadas e eoniribuio com sa-
crificio pessoaes- para suavisar os horrores
de um espantosa tome.
F senador desde 1836 e grao-cruz da t|w
Legr3o de Honra desde 1855.
vbsivel a grande distancia.
trem
obrimen-
para i
m signal
.i
F0LHETI8I
fifi BIPlls Di MtTi
O MARECHAL MAC-diAHON.Esto ge-
neral, que commaeda o primeiro corpo do
exercitp francez, descendente de urna das
mais antigs familias irlandezas; os seus
antecessores distinguiram-se pela sua adhe-
so- aos stuarte, e sen pai, par de Franca
no tempo da restaurado, era um dos fami-
liares de Carlos X,
POR
Xavier de Montpin.
PHTE SEGUXDA.
O HORSCOPO
(Continnago do n. 182J.
XII
A volta ao castello.
Operra-se claramente na senhora de
Chavigoy orna grande reaego, e o mais
absoluto desfallecimento subsutuia agora
toda a energa ficticia que a fidalga mos-
trara al eni3o.
O Ralph tem torga bastante para car-
regar com duas pessoas, disse o nosso
hroe. Se mo consente, monto eq de
garopa e amp ro a prima nos bragos.
A senhora le Chavigoy fez com a cabega
nm signal afirmativo, e o marquez escar-
ranchou-se na garnpa do cavallo, que to-
moa logo o mais impetuoso galope sem
sentir o peso da carga.
Assim qne o marquez e a formosa O'ym-
pia desappareceram ao longe, passou-se no
sitio que elles deixaram ama scena bem
cmica e bastante curiosa.
Eotre-abriose ama espessa moitaesabio
Lzaro ponco e pouco, afastando as sar-
gas com toda a cautela, para se n3o picar
nos espinhos.
O digno criado; que traha a libr escon-
dida por baixo de um grande casacSo, es-
tava de cara alegre e satisfeita, e pica-
resco sorriso n labios e olhos mulo lo
zidios.
Apenas sabio do escondenjo, mettea dons
dedos na bocea e prodozio o penetrante
ass< bio familiar aos gaiates de Pars em
todas as pocas, que propagando-se de
era\o em geracSo, ciiegou at nos.
O signal era curtamente coabecido petos
deSos provincianos, porque os dous fin-
gidos mortos, que estavain de ventre para
o ar, loso abriram os olhos e estenderam
os bragos ; assent ram-se rindo s gar-
galhada*. o retomaram finalmente a posigo
vertical sobre s corapridas pernas.
Os outros dous espadachins que tinham
fgido, sahiram tambem do sitio onde esta-
vam escondidos e ebegaram-se ao grupo
formado por Lzaro e pelas victimas da
refrega.
Ento que tal, meu amo ? interrOgou
o bandido tallador. Est contente com-
nosco ? -
Estou contentissimo, respoodeu L-
zaro.
Representamos bem a tragi-comedia ?
Perfeitamente.
De modo que j granamos honrada-
manle os vin e luizes que nos falta rece-
ber ? ,
Elles aqui esto a sallar. E para Ibes
provar at onde chega a minha satisfago,
accrescento mais oito luizes ; dous para
cada um.
__Vmc. generoso como pouco', e d
gosto quando nma pessoa trabalha por saa
conta.
Por agora, meos amigos, nada mais
temos que fazer aq'oi. Tomem quanto
antes as de Villa Diogo, a olhem que a
menor indiscrigo pode custar-lbe a vida.
Fique descantado, nos c somos pru-
dente?. Em precisando dos mecos j sabe
onde nos encontra. N5o se esqoega.
Est tratado.
A MORTALIDAD EM R\RIZ.-Segando
diz a France, a mortalidade geral em Pa-
rs augmentou de 26 de junco a 2 de ju-
Iho.
A mortalidade, qoe na semana anterior
tinha sido de 1:149 pessoas, elevou-sena
que findou em 2 de julho a l:22f>. Em
Londres falleceram na mesma semana------
1:282 individuos, cifra maito inferior mor-
talidade em Paris, considerada a grande
desproporgfo das re>pectivas popalages.
Bs as causas dos falleciraentos em Pa-
ris na semana de 26 de junho a 2 de julho :
bexigas, 210; escarlatina, 16, sarampo, 16;
febre tvphoide, 20 ; erisipela, 6 r broDchi-
aiolher deftes, 31 ; peneumonia. 5i; dysenteria. 36 ;
choterina, 4 ; angina, 8: affecgoes poerpe-
raes, 2, .
A cifra dos fallecimentos por bexigas,
comparada com a da semana anterior, dimi-
nuto de238a210; a daspeneumonkwdesee
cada semana de urna maneiea sensivel. Pelo
contrario, os casos de morte por dysente-
ria augmenta um pouc todos os ouos
das em Paris.
B8IJ08 E ABRACOS.-Um franee cen-
sura o costume geralmenta seguido de dar
abragos e beijos as crianga< de curta idade)
Funda-se aGjielle peridico na oprao do
Dr. Fortn, o qnal lembra as muitas e mor-
taes doengas que podem contrairse pelo
contacto epidrmico ou simples nenie- das
membranas macosas. Diz o citado faculta-
tivo que sendo estas membranas muito te-
nues, muito finas nos labios e nos olhos,
summamenie fcil absorver por ellas o vi-
ras de qualijiier. affecgo.
Accrescenta que o beijo s criangas se
deve substituir, como se vai tomando moda
ente' os inglezes, por um affcetuoso aperto
de mos.
CAMINHOS DE FERRO Inventou-se
outro signal de- alarma para o caso era-que
occorra algum sinistro ou- altentado no9
trens dos camiohos de ferro.
O-apparelbo consiste n'mna lanterna que
da collocara no wagons em vez da* que
se usam actualmente. No caso de necessi
sede, o viajante s ter que tocar n'um bo-
to collocado ao seu alcance e logo se pro-
duzir o signal de tres modos differentes
ao mesmo terapo.
O primeiro. que s efficaz para anoite,
consiste n'uma luz muito viva projectada
pela lanterna, e que sahindo de repente, ap-
parecer por cima do trem. O segundo,
que s servir durante o dia, ser o desen-
rolar-se urna bandeira, que sahir ao mesmo
tempo da parte superior da lanterna deseo-
berta. E afinal, o badalsa- d'uma campai-
nha, agudo e continuo, consumir o ter-
ceiro modo de pedir occorro.
Os tres signaes indi-ados funcciotnirSo
simultneamente, de modo que, tanto d
dia como d* noite, o vigia, co locado no
extremo do combo'o, poder logo saber em
qual dos compartimentos se peda auxilio.
MAR.'NHA DiNAMARQUEZA E SUECO
NORUEL'O A marraba da Dinamarca com-
poe se actualmente de um navio de beh'ce
de 64 pee*'8' fragatas de vapor de 'JOO
cavallos. catla oran e 120 pe?as ao todo :
outras 3 eooi il^ecas; 2 pequeoonaTios
cooragados e ama batera fluluante, esta
armada cora 4 pegas de grosso calibre ; 7
canbooeiras de ferro, montando 2 pecas :
outras 4 co om obuz, 6 vapore de rodss,
com 38 peeaa os 6, e*forga totaF de 1000
ca*allos. .
A esquadra de vella cospoe-se de na-
vios cora 84 pecas ; ama fragata so 48;
urna corveta com 20 ; um bergantn eent
16, outros navios menores e transportes,
que formam um total de (29 navio de to-
dos os lotes, representando urna forja de
5415 cavallos e 758 pegas de diTereates
calibre?.
O pessoal eoraposlo de #20 offieiaes,
2:006 soldados, #1:000 marinfeerros e-----
30:000 destes ltimos de reserva.
A da Suecia consta de 2 monitores com 2
pegas de 400 ; um navio com 70 pegas \
urna fragata com 22 pegas; 3 corveta e 1*
canhoneiras, um' delles conracadb-.
A1m disso, 2 monitores em construcgSo ;
5 navio de velU com 80 a 72 pegas; 2 fra-
gatas, 5 corvetas, 5 bergatins, 14 transpor-
58 chalupas canhoneiras e' 9fc navios
m-ores para as costas, eom um total de
34:000 marinheiros em p de guerra.
A de Noruega consta de 2 fragatas de
hlice de 56 e 82 pegas; ama fragata de
vella e 5 corvetas do vapor, armadas com
223 pegas de difTerentes cahbres ; 98 ea-
nnoneiras e 35 navios menores. 0> total
de marinheiros de f 5:000
REMEDIO PARA A HYDROPHOBft.-
Ese rempdio usase em Tonquim e na
C-'chichioa. recommendado peto reve-
rendo padre Legrand de la Liray, que tem
feito em muitos caso* experiercia d'elle
com ptimo resaltado.
Fai>se ferver um punbado de datura
straioniumm Cmlitre de age. Deixe-se
reduzir a metade do liquide-, e d-se todo
de urna s vea ao doente. Lago no pa-
ciente se declara um violento accesso de
raiva, mas^ de carta duraeio. O doente
fica corado em vinte e quairo boras.
O padre Legraod um dos nssionarios
mais amigos e respeitaveis daquellas re-
gioes, tanto no saber como as virtudes
chrisfe. o que servia de interprete ao
almirante Rigaetde Gencoitty.
HIBOISMO PATERNAL.thiman-ente.
durante urna honrosa tempestade no Ponto
Euxino, naufragou um navio- grego, perto
d'Agatnopolis.
Era no meio do dia, mas coa o mar
estavamedonno, nenbum dos que se acha-
vam presentes oosava prestar soccorro aqs
desgragados marinheiros qoe totavam com
a morte.
Do meio da multido. por se adian-
tou om homem, que se dfcspe, affronta
as ondas irritadas, leva o cabo liber-
tador triputacSo, e a salva assim de
nma perda certa. Comtudo arremessado
elle contra os esco'hos, esteve em perigo
de ser despedazado. Tirado do mar todo
pisado, com os membros f-ridos, transpor-
taram-n'o para Constanlinopla, onde fleon-
em tratamento.
BSte bere de dedicagao-ohrist o pro-
prio bispo de-Agathopolis,nwnsenhor Neo-
pbyto.
CONVERSOES.Na America do Norte
sao cada dia mais numerosas as conver-
sos, ao catbolicismo. das pessoas mais no-
taveis por sua instruegaoe posigo social
Muitos ministros protestantes esta o neste
caso, e entre outros lembraremos e Dr.
Stones, que abjoron os seus erros, e seest
preparando para receber ordens sagradas.
Em Chicago o Dr. Ewrts, que, tendo-
abandonado a seita dosbaptistas, exhortaya
seus antigos correligionarios, na occasio
de so despe iir delles, a qoe abana1 nassem
seus erros, e accrescentando que a edaca-
g3o sem a religio mil vezes peior do que
a' ignorancia completa.
Os quatro boraens foram andanjo a
passo largo para a' banda da tasca, onde
tencionavam molhar a palavra antes de ebe-
garem Mauriac, o Lzaro, socegadamen-
te, com toda a paehorra, maneira de om
honrado passeiante, que tem a consciencia
tranquilla, foi cortando por veredas e ata
Ibos at ao castalio de Rahon, sonbande
com as roais lisoDgeiras esperangas a sup-
ponda que j era mordomo de nnt patrio
milionario. .
Um sexto personagm tnha assistnto,
oceulto por traz dos rochedos, aos difto-
res lances que levara js contados, e esse
personagm era Lactancio.
Vamos agora ter com o marqnez e a
formosa Olympia.
O galopar enrgico de Ralph consegura
dissipar em poneos minutos a prostrago
quasi completa' da marqneza.
Julgoa principio qua despertava de um
sonho, e s volveu de todo em si quando
senlio que o brago de Saint-Maixent toe
rodeava a cintura, que o sea alent Ihe ro-
gava ella pelas, faces e Ihe agitava os
desabollados cabellos.
Pareceu Ihe deliciosa aquella sensagao, e
de boa vontade a deixaria prolongar-se.
O marquez reparou que a fidalga abra
os olhos, e perguntou-lhe com terna e
commovedora entonago :
Est melhor, n3o verdade, querida
Olympia ? Voltam-lde as torgas e os sen-
tidos ?
A senhora de Chavigny ergueu para o
marunez o linio semblante, onde assoma-
vam j rosadas cores, e onde transparecia
a mais leve languidez.
, __Tenbo qae Ibe pedir perdo, meo
amigo, balbociou ella.
Perd?o, mim ? pergontou Saint-Mai-
xent um tanto sorprendido. N3o a com
prebendo, que Ibe hei de eu perdoar ?
Ha pouco, redarguio Olympia, quan-
do estavamos no fim do mundo, beira do
abysmo, e quando o senhor fallava de
morrer comigo, duvidei das suas palanas.
Fiz mal, e pr isso pego perdo. Ah i
vejo qae dizia bem a verdade !... DfQ-
me prova irrecusavel, expondo-se 4 qoe
o matassem por minha caasa I
Nao merego elogios per te la defen-
dido, acudi com viveza o marquez. De
hoje em diante s urna felicidade pte- ha-
ver para mim neste mundo.. .^
A te viver a morrer por si i.... rer-
tengo-lhe, Olympia!. Tem as suas
mos a minha exisleocU Alera da se-
nhora nada mais ba para mim... Alias-
te-se, e o mundo fica deserto. Os seus
olhos s3o a minha nica luz.. Qaando a
que brilha o sol radiante.
n3o esl mea lado, s
Olympia, Olympia, s a
vejo, parece-me
mas quanto
acho trevas..
minha vida !
E' certo
que me ama, ama-me de-
vras ?... murmurou a marqueza toda
tremola e com voz muito sumida.
Se a amo IV. Ah! bem o sabe ha
muito tempo Sim, ha muito tempo que
est certa d'isso !... Oh diga-me que
o adeviohou !...
Olympia n3o responden, mas aquelle si-
lenci era mais eloqaente do que toda a
resposta. Saint Maixent, chegando os labios
ao ouvido da senhora de Cnavigny, disse-
Ibe com a voz tambem muito sumida e
cheia de commogo, mas vibrante ao mes-
mo tempo :
E a senhora tambem me ama, Olym-
pia ?
Ama-lo, en ? N3o devo...
E porque?... Talvez por viver
ainda esse ve Ino qaem pertence segun-
do a le, eqne para remate das suas vilaas
rajorias qaer hoje rouba-la... Se esse
misero um obstculo entre nos, diga-m'o,
faga om gesto, e amanba ter desappare-
cido o obstculo...
An bradou a dama horrorisada.
Mata-lo-hia ?
Sem hesitar.
Um crme!
Najo, crime a senhora apartar-se de
mim I Cahiria talvez no patbulo a minha
. cabeca ; mas qae importa ? Acabarla con-
tente e orgulhoso, comprando com a morte
o seu amor.
Pois bem, nao morra, balbocion a
marqueza fechando os olhos; estou venci-
da... Viva, porque o amo ..
At que emtim 1 disse comsigo Saint-
M3ixent, nos olhos do qaal brithou um re-
lmpago de alegra.
E poz os labios ardentes na testa da fi-
dalga.
Era im^ossivel deixar da referir no cas-
tello os acontecimenti.s d'aquelle passeio to
fecundo em occorrencas.
Partiram cns poucos de criados para a
mata, incumbidos de trazerem o pobre Ger-
mano, de verem se tinham morrido eftoc-
tivamente o cavallo a a egua, e de entera-
ren sem mais prembulos os cadveres
dos dous espadachins. Levaram maca,
enchadas e archotes.
Era j muito de nonte quando voltarara,
trasendo o tal criado, a egua a o cavado.
Quanto aos cadveres dos bandidos, nao
linbam podido ach -los, porque os outros
dous da quadrilha. canamente se baviam
apressado, com prudente cautela, em^qs
langar n'alguma ribanceira.
Saint-Maixent, que muito sabia como as
coosas trabam succedido, fingio-se devras
admirado.
A senhora de Chavigny, apoqoentada por
urna teimosa dr de cabga, o que era na-
tural depois das sensagoes que padecer em
poucas horas, retiroa-se para os seus apo-
sentos mal acabon a ceia.
O marquez tambem j se recolhia ao seu
qaarto, quando um criado foi dizer-lhe qae.
Laclando, o mordomo, pedia o favor de
urna audiencia immediata, porque Ibe dese-
java fallar da um caso importantissimo.
Que diabo me querer elle ? disse
Saint-Maixent entre si, ordenando ao mos
mo tempo qae o mandassem entrar.
Chegou Lactancio.
A' luz das velas collccadas em explendi-
dos candieiros sobre, o fogSo, pareca o
digno mordomo
do conde de Rahon ainda
s paludo, mais fraco e anguihoso qoe
de costume. O nariz de cavallete, muito
azulado, sobresabia Ihe vivamente na palla-
dez amarel'enta da3 faces e da testa. Os
olhmhos movedigos e qoasi de todo sumi-
dos por baixo daspalpebras,. que j tinham
perdido a elasticidade. brilhavam como duas
luminarias.
Ma appareccu i porta, dobroo-se n'ama
profunda cortezia, obrigando a espinha
dorsal a descrever am aagulo de quarena
o cinco graos, pelo menos ; d'aill deu tres
passs, repetio o cumprimento mais doze
vezes, Ne chegou at onde estava o mar-
quez.
Deseja fallar comigo, Lactancio ? per-
guntou-lhe o fidalgo. Que quer de mim ?
O senhor marquez honra-me devras
infinitamente mais do que eu merego, dig-
nando-se de me ouvir, volveu Lactancio.
Pouco abusarei todavia do sea precioso
lempo, porqae demais a mais com o dia
que hoje teve to cheio de commogSes, ba
de precisar de repouso,
Diz bem.Lactancio. E por consegointe
v dir to ao assumpto, sem roderas.
__, Assim farei. consentindo o senhor
marquez primeiro qoe ea observe se todas
as portas e janellas esto bem fechadas a
se ninguem poder ouvir-nos...
E sem esperar, pela concesso da licenga
que pedia, abri o mordomo o largo com-
passo das sua3 pernas, e entrou a esprei-'
lar todos os cantos da casa.
Safa I disse o nosso hroe. Tao
mysterioso o caso do qoe me vai fallar ?
E mysterioso ate mais n3o, e espero
que d'aqui um instante me serSo agrade-
cidas pelo senhor marquez todas estas pre-
cauges.
(ContinuaMi'ha).

YP. DO D AlW t MM i^iDil 0E C/X1A
i. V
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1P4A914M_XDSNMK INGEST_TIME 2013-09-14T01:47:13Z PACKAGE AA00011611_12163
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES