Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12160


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO XLVI. NUMERO 180
f
PABA jV CAPITAL E LOGASES ONDE IAO SE PAGA PORTE.
fc" ex awmtc"' .....
......
i'ftfUIBMIW.i^m................''.
Cada rntuere avoiso .........
080
!*)SOOO
24J0O0
OOM* FEIRA T.DE aSTO E1870.
i i i
BASA. U5TB0 WIA DA BSOTOCIA. v
' Por* tre mezas adiantoo*
Por seis ditos dem. .
Por nove ditos- dem .
Por um amo idem .
W7C
13*900
20*250
171080
----
Propriedade de Manoel Rgueira le Faria & Ffaos.'

i
SAO
A
Os S. Gerardo Antonio Alves FHbos, no Para ; Gonealves & Pinto, no Marale ; Joaqain Jos de Ofcwa, oo-flesri j-Antanto de
Pereira d'AlmeMa, em Mamangnape; Antonio Aleandrino de Lima, na.^arakyba ; Antonio Jos Gomes, ni VHa
em Nazareth ; Francisco Tarares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Martins Alves, na Baba
,------,__________________ _______,______________ T _________
s Braga, no Aracaty ; Jlo Mana Julio Chave, no Asen ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Joe Jnstino
moa ; Belarmao dos Santos Bakao, em Saato AntSo; Domingos Jos da Cos Braga,
e Jos Ribeiro Gasparinbo no Rio de Janeiro.
EXTEBIOR.
NO*TBVIDK0, 37 DE JULHO DE 1870.
Q'.cm tiver ldo no mez passado os jornaes do
Rio da Prata, elionver acreditado pamente as
noticias que elle propalavam sobre a revoloeio
Jj. Entre-Rios, ha de ter passado por mais de ama
sorpreza vista dos acontecinenlos que all tem
tdo ltimamente Mirar.
Lpez Jordn e seus sequaze, qne no dizer del-
iesseacbavam cercados e imnossibilitados de mo-
ver*, emprebendeu operares que demandam
coragem e superiorldade di forcas.
Coni a rapidez qae so d as campias do sul a
poste de magnificaa cavalhada?, o caodilho entre-
nan pereorre a provincia de um extremo a ou-
tro em fazer case dos exercitos legaes que o hos-
'tilisam ; ataca praeas e cidales, levanta as pro-
priasdivisdes que e;tavam pelo governo nacional
e que se pronnnciam outra vez pelo chefe presti-
gioso, que assiui de da em da engrossa suas li-
leiftt, e que por fin apresenla-se em urna attitu-
de tio impnrtrfrte, que o proprio orgo do presi-
dente Sarmiento julga a proposito tocar a rebate,
procurando desculpar a inercia dos generaes ar-
gentinos to saliente era comparadlo da actividade
do chele entre-riano, dizendo que emqaanto este
tem cinco cavados gordos para cada um dos sens
soldados, os exereitos legaes tm cinco soldados
pana nm ca*aHo magro !
Entretanto guando aquelles peridicos adorme-
can! a opinio pnblica com a promessa de um r-
pido edecisivo triurapho da causa da ordem, eu,
obscuro correspondente, melhor informado di qae
se passava, e calculando cora mais lealdade a ex-
tensa.) da luta, antranr iei que o assssino de Ur-
qaiza nao seria vencido tao fcilmente como se
presuma, e que dispunha mesmo em Buenos-Ay-
res do elementos poderoso* para sustentar-se, sen-
do de crer qne encontrasse tambem apoio em ou-
tras provincias.
Se minha revelarlo tivesse sido tomada na con-
siderado que mereca, o governo argentino hoje
nao lamentara o tempo e dnbeiro perdido, nem
correra o risco em qne se acha de transigir afi-
nal com o rebelde, qne do seu crime est fazen-
doa causa das provincias em luta com Buenos-
Ayres.
Actualmente a questo entreriana urna ques-
to gravissima.
Toda a provincia est levantada, parte da de
Corrientes j adherio ao movimento, e nao se pode
contar com a Adeudada de um s soldado desta
procedencia, tal a antlpathia que elles manifestam
contra o governo nacional.
fiilly y Obes, que presentemente indigitado
para tomar o commando em cbefe do exercito, ha
tres metes marcha com as forcas correntinas, e s
com eoncessSes constantes tem podido cont-las,
temendo anda assim entranhar-se na provincia e
transpor a /ronteira.
D. Emilio Mitre, chegindo a Buenos Ayre3, des-
tituido deste commando, procurou justiflcar-sc,
mas debalde, de sua inaecao.
Q ministro da guerra, qne militar, mas que
nao passa de um chefe mediocre, forondo a ir a
Entre-Rios para harmonisar o movimento dos di-
versos corpos de exercito que all operam, reco-
nhece que elles nao sao senhsres seno do terreno
em que acampam, e nao so anima a eraprehender
coosa alguma, receiando ve-los cortados pelo ha;
bil inimigo que espreita a presa, e a nao deixar
escalar.
No congresso nacional o rebelde aprsenla com
todo o orgulho um documento notavel queixando-
se da intervenco do chefe da naco em assump-
tos que nao Ihe competiara, e laucado s.-bre elle
toda a responsabilidade da guerra civil.
Este documento qoe pela sua origem nao devia
ter sido admittido por aquella respeitavel corpo-
raro, acha nella quem o sustente e quera defenda
a conquista do poder pelo punhal.
Nesta oeeasio que a venda cabio dos olhos do
digno velho que preside a Confederaban, e que
elle medio toda a extenso do mal que linha de
combatcr.
Exagerando o perigo, como havia exagerado sua
forra, elle vd traidores em toda a parte, e al no
proprio governo, a crer-se o que o hbil corres-
pondente Mepnistopheles assegura.
Csru efeilo, corre i plano que Heitor Varella
' se acha testa do club Lpez Jordn, e que auxi-
lia a revolucao com a promessa do general de co-
Iher a heranc de rquiz isto o governo de
Entre Rios.
N^sta situacao tudo es desorientado,-e a ad-
mn5trac.aona> sabe que medidas empregar para
dominar o caudillo.
Eiia desculpa-se com os generaes, dizendo que
conferio-tties todos os poderes, e facultou-lhes to-
das as somraas que reclamavam atim da reunirem
os recursos preciaos : es^e3 (iueixam-se de que
em vez de mandar-lhes' o governo cavallos de
Buenos Ayres, e do resto da repblica, se hija
persuadido de que Ihes seria possivel obte-los na
propiia provincia revollada.
O-que faelo que.muito dinheiro se tem gas-
to, muito escndalo e Jia praticado, e que os
l irnecedores outra vez se estao dando os para-
bene, como aqu se eosturaa dizer.
L')pez Jordn deve ter agora um exercito supe-
rior de 12,000 oruens, entre os quaes 1,500 a
2,000 de infamara, sob o commando do hbil e
valente chele desta arma coronel Bastamia, has-
panhol de origem. mas cidalao oriental, que anda
militou contra nos na ultima campanha de 186'.
Mais de 50,000 callos dos melhor do a este
exercito, com posto de homens aguerridos, urna ex
traordioaria mobilidade.
Nestas condicSes tomou elle a offensiva cora re-
conoecida vantagem, e j ameaca a provincia de
Santa Pe, que s espera o seu apoio para pronun-
ciarle. O incendio, portanto, lavra intensamente
e nao sei quando ser extiacto.
Sao taes as difllculdades da situarlo, que nestes
dias tem corrido a noticia de que o presidente Sar-
miento projecta renunciar o resto de tempo que
Ihe falta de governo.
A luta mui desigual para um homem de ca-
r tcter honesto, e que nao aspira senao o bem de
sua patria, quaodo reconhece que o adversario
na recua ante o eraprege de meio algum para
desf*zer-se dosseus inimgjs, e que por mais he-
diondj que seja o crime que perpetre sempre en-
contra 4jwio e at applatuos entre aquellos que
queresa colher os despojos das victimas.
Lastimo profuudaraente que a Confederaran Ar-
gentina seja anda do thealro destas scenas deplo-
raveis, que nao s estorvaro o seu progressivo
desenvolvimenlo, como empanaro o brilho de sua
ciYIisaeo.
O elemento brbaro est revelando que possue
anda profandas raizes na patria dos Mitres. Sar-
mientos, Rawseu e outra homens Ilustrados, e,
qae o altimo triurapho do elemento oivlsado, e
sua prepondera ocia nao havia soado, como se
igitava,
As colonias fl.orescentesde Entre-Ros estao des-
truidas e seus habitadores dispersos por toda a
parte. E' um golpe qae ha de influir alguma cen-
sa no movimento de immigrarSo que prosegue
sempre em augmento at agora.
Apezar das despezas crescentes da nova guerra
consta me qne o governo argentino pagou 500,000
patacoes par. conta do emprestmo br'asilelro, o
que>esta importante sorama firarecolhida ao ban-
ca de Man.
Emquaato os joraalistas se coRoamna poiico
tambem so organisam e se oostltuem bastantes
fortes para inspirar serios receios ao governo. P-
de-se allirmar que doraiBam a campuiha, e en>,
tram e sahem onde Ihes parece eonveninto.
Caraballo e outrQschefas colorados que os per.
seguem, nunca os encontram, e levagf o tempo a
andar e desandar, estragando cavallos e enga-
ando a anxiedade publica.
Taf a fraqueza do governo que ltimamente o
coronel Fortunato Flores ublevou a guaroicao
de Payssand e obrgou o comraandante militar,
que era o coronel Regules a procurar asylo a bor-
do da canhoneira brasileira Belmnte, que se
achava no porto. Devia presumirse que o general
Garahall cahisse sobre o imprudente moco, j
culpado de ontros crimes civis e militares,' com
toda a forca de que dispunha, afim de vingar a so-
ciedade. Ajsb) nao aconteceu, limitando-se elle a
mandar o coronel Beln, como sea commissario,
para entrar em ajustes, que efectivamente tive-
rani lugar, assignando-s* nm convenio no dia 22,
na presenca dos vce-consules estrangeiros, no
qual ficoa estabelecido :
!. O coronel D. Fortunato Flores declara que,
ao ser elevado ao posto de chefe militar pelavon-
tade espontanea da gnamicio, cajo cargo aceitou
por patriotismo, solicita a remocao do coronel D.
Wenceslao Regules do command? da guarnirlo,
por ser esta a vontade uniforme da forca que a
compoe, bem como qne a manifestarlo do dia 18,
que deu aquelle resultado, nao imperta um de-
licio para nenhum chefe era offlcial, ftcando tudo
era completo olvido.
2 O coronel D. Francisco Belm aceita era to-
das as suas partes as condicSes estabelecida pelo
coronel Flores, isto a remocao do coronel Regu-
les, exigida pelas forcas da guarnicao, obrgando-
se em nome do general em chefe, e sob sua pala-
vra de militar do honra, a nao permittir que se
considere deli;to de insubordinacao a manifestarlo
do da 18, ficando os Srs.chefese offlciaes da guar-
nicao no goso completo das garantas e prerogat-
vas, sem sugeicao neuhuma especie de jaizo
Nao sei por que este estranho documento foi
assignado por todos os voe-consules, entre os
quaes figura tambem o do Brasil. Depois a'esta
proeza o coronel Flores passoa para a Coucei-
cao do Uruguay, albo de proseguir em suas aven-
turas.
Segundo as noticias ofifijiaes, o general Cara-
bailo se achava com o exercito do norte na barra
de Laurelles, compondo-se este exercito de 2,400
homens, das tres armas, e de duas pecas raladas.
Publica o Telegrapho Martimo, como ultima no-
ticia, que as autoridades brasileiras da fronteira
estao tolerando que os rebeldes recebam langas,
uniformes e tudo quanto carecem do territorio
brasileiro, sendo mais notavel isso, pela publici
dade cora que se pratica em Santa Anna do Li-
vraraento, onde Aparicio contina doente.
Nao duvdo que alguns caudilhos ou especula-
dores das fronteiras do Ro Grande, que vivem
custa das agitaces qae all se originara, aprovei-
tem a occasio que se offerece para o exerecio da
sua actividade, mas nao posso crer que haja aulo-
ridade, a nao ser mui subalterna, que-acoroce tal
commercio. O homem que commetieu tantas atro-
cidades em Jagnarfio, em 1863, de sociedade cora
Mun,e?, nao pode achar protec^o nos briosos
Rio Grandenses para o triurapho de sua causa.
Consta que o general Caraballo trata de impedir
o passo do Rio Negro aos revoltosos que estao ao
norte, provocando-os assim a um combate, a que
este3 se esquivara.
A redacto do Syglo tem sido incansavel era
demonstrar^ a necessidade de urna allianca com a
Confedaraco Argentina pira vencer blancos e fe-
deraes E' um passo para a realisa;o do sonho
dourado da Unido dos Estados do Prata, que os
conservadores acariciam. Sao notaveis os artgos
a e3te respeito esenptos polo Dr. Bonifacio Mar-
tnez.
Fo apprehenddo na barra do Santa Luca um
contrabando de guerra, enviado por dou> nego-
ciantes d*aqui para Aparicio.
Continuara as prises por causas polticas. O Sr.
Camino Oriental, e cnsul do Per, socio gerente
de urna importante ctsa de consignarao desta
praca, conhecida snb a firma de Camino & Pino,
recolheu-se a urna legaran para evitar o desgosto
de ser preso, como cmplice na actual revolucao.
O comit blanco em Buenos Ayres luneciona ac-
tivamente. Compoese de Fredenco Nin Itays que
o presidente, de Candido Juanic, Avelino L-ve-
na, Botana, Acha Airuirre, Navarro Viola e Jacin-
tho Sasviela. Basta citar'estes nom^s para reo-
nhecer em cada um d'aquelles rtspeitaveis senho-
res um inimigo ligadal do imperio. Anda ltima-
mente embarcaram elles porcao d armamento
naquella cidade com destino aos rebeldes.
A Tribuna insiste sobre a necessidade de pro-
clamar o estado de sitio, que significa a suspenso
de garantas. Vidal contina a oppor-se esta
idea de Bustaraante, e j se diz que ell; prepara o
trimpho dos blancos e por isso se oppoe todas
as medidas enrgicas. Na nota do governo a com-
mssao permanente assegura que se conspira na
capital; se assim nao vejo motivo p-ra o escr-
pulo. Adoptou-se o palliativo dos pa-saporie-.
No Salto, vista das providencias tomadas pelo
nosso ministro de estrangeiros, foi o chefe militar
obrigado a entregar oto Brasileiros que estavam
alistados m servico oriental. Tambera o Bonn*
Minan, que deu primeiro lugar as no-.sas recla-
raagoes, aclia-se em nosso poder. Devo declarar
que o governo oriental moslrou-s sollicito em
attender jasta exigencia do nosso governo, ma-
nifestando assim que nao assuraia a responsabli-
dade do que haviara praticado algumae autorida-
des subalternas.
No da 26 do corrente, a convite do coraraandan-
te Garando, fui assistir a experiencia do vapor bra-
sileiro Cuyab, pertencente empreza demv.'gacao
"o
a 30 ou mais imraigranles qae queiram ir para
Corumba, sendo operarios, labradores, ou traba-
Ihadores, exigindo s qae- apreseotem certificados
de boa coriducta, enviados pelos respeivos cn-
sules.
O Telegrapho Martimo de 22" do correte, noti-
ciando em saa sessao editorial o regresso do Sr.
Conceicao Mootevidio, e os contratos que elle
celebrou nessa curte com o- governo imperial,
emitte a seguinte opimae.
traascrever:
< Em sua estada no Brasil contraten com o go-
verno imperial duas liabas de navegaco por va-
por, sendo urna do Rio de Janeiro Santa Catha-
rina pelos portos intermedios, e outra do
nosso porto provincia deMatto-Grosso, qae ser
inaugurada no fira deste mez com o magnifico va-
por Cuyab, tocando no porto do Paran, e Pa-
raguay.
< Alegrmonos qae esta antga e importante
casa baja contratado tal servico, porque sem duvi-
da com o material de vapores e recursos que pos-
sue, ha d contribuir poderosamente para o des-
nvolvimento do commercio com aquella praca
qae at agora tem estado privada de tudo pela
falta de meios de communieacao commoda e r-
pida, como vamos a ler de ora em diaate com esta
linha I
O governo convocou as cmara* para sessSes
extraordinarias, as quaes devem decidirse varios
assumptos, entre elles o da recia macan italiana
por dividas procedentes das guerras civis ante-
riores.
O Sr. conselheiro Prannos j sabio de Assump-
cao, e oio tarda aqui. Saa demora em Buenos-
Ayres e Mootevido deve ser de 48 horas.
INTEBIOR.
RIO DE NAMBIRO.
2 DR A60ST0 W. 1870.
Hontem nio hoave sessao qa cmara dos depu-
tados por falta de numero legal.
S. M. o Imperador acorapanhado de sens se-
manarios visitou hontem a escola militar da Praia^
Vennelha. All ehegou s 9 1+2 horas da manha
e retirou-se s 2 horas da tarde, tendo assistido s
aulas do curso superior e percorrido todas as de-
pendencias do estabelecimento.
Por decreto de 22 de jullio ultimo forara no-
meados :
O lente-coronel Joao Vieira de Mello e Silva
coronel commandante-superior da guarda nacio-
nal d> municipio de Caruar, na provincia de
PerBambuco.
O capitn Antonio Vctor da Sihra Vieira, te-
neute-coronel comraandante do batalho de infan
iaria n. 27 da guarda nacional, da dita provincia.
a
A cmara dos deputado sapprovoa hontem a pro-
posta do poder executivo que lixa a despeza e orea
a receila geral do imperio para o exerecio de
1871 a 1872, cora as segantes emendas :
Ao art. 2o n. 15 .Seja a verba de 400:0003,
sendo desde j 800| para pagamento do ordenado
de um continuo ultimam. nte dispensado do exer-
cicio, e 3:200 para a despeza de irapressQ-'s, as
quaes se comprehender a reimpressao dos deba-
tes da cmara dos deputados anteriores ao de
1857, formando Annaes como os que ora se pu-
blcam annualmente ; dispensada a impressaodos
actas das sessoes da mesma cmara.Porteita.
Prannos Jnior. Pinto Pessoa. Guimar&es,'
Ao art. 2 15 :A despea volada para a
secretaria da cmara dos deputados e compra de
livros para a bibliotheca da mesma, seja feta desde
j.Theodnro 4a Sitva Casad-K Capanmu.'
As despezas autorisadas polos 30, 33 e 40
do art. 2o podem ser tetas desde j.
t Eleve se a quantia do 24 a mais 4:0005
para cumprimento do decreto n. 1,340 de 24 de
agosto de 1866.
t Eleve-se a verba do $ 30 com a quantia de
mais 2:7865 para a canalisacao de gaz.e compra
de apparelhos respectivos para a biblwtheca pu-
blica. Theodoro da Silva.Casado. Gapanema.
An 16 do art. 8: Eslabeleca-se a clausala
desde ;aqnanto verba consignada par os
auxilios colonisacao. Antonio Pvado.*
Ao art. 9*:A sorama geral da receita seja
elevada a 95:800:0005.Pereira da Sika. fien-
riques.o
No n 34 do art. 10 supprraam-se as palivras
t.A.udh$a,t)needda pelo d creto n. 1^28 de
20 de setembtf de 1869 compreheade nao s o
material para t construeco, mas anibem todas
as machinas e.naterial rodante que forera noces-
sarios para o fansporte de cargas e passageiros,
e estabslecimwto de offleinas, cessando a isenrao
loeo qu e retre.Alfout) de Otrvalho.Dionyuio Utartint.
Giumraes.*~J>r3ira Franco.Leal de Mentzes.
qoe julfo oonvenien;e Bonifacio h Abren. -J. F. Chaes, Araujo
Gfos.Taque*.- Pereira da Silca.fernira Lage.
Ms da ock.Pinto Lima.PorleUb. Per-
retW'dit Agm\ IF.rros Barretto.Carnro da
Cunha.Mell Vatios.Costa Pinto. Gasaio.
Camillo BarretOy-Jlunqueira
Occupou-se dtpos a cmara com a 2f discus-
sio da proposta en poder executivo, auiorisando o
governo par* detoeader al a quantia de.......
1,000:0005 com oservico do abastecimeato d'agua
na capital d* imprio. Oraram os Srs. Taques,
Corri e Andrade figueira, (cando a diseusso
encerrada. ,
TTtou depois di 3' discussiio da proposla do
poder executivo contedendo ao ministerio do im-
perio um crdito supolementar de 120r00ji para
oijporrer no exerecio de 1869 a 1870- despea
da verbasoccorros pblicos e melhoramento do
estado sanitario. Orot o Sr. Andrade Flgueira,
ficando tambeai a di ssio encerrada.
Coniinuou em ultlmt lugar a 1* discnssao do
projecto mandando proador ao resenseamento da
popularlo do imperio, broa o Sr. Fontes, fican-
do anda a diseusso encerrada.
Por decreto o. 4,549 ai 22 do passad foram
dissolvidas as companhiasavalsas de cavaDaria e
artilharla, organisadas no nunicipio de-Angra dos
Reis, provincia do Rio de Janeiro, e por decreto
n. 4,550 da mesma data fu alterada a.organsa-
cao da guarda nacional dos municipios de S.
Borja e Itaqui da provincia e S. Pedro do Rio-
tfande do Sul.
Por decreto de- 30 do raei passado /ora con-
cedidas as segainte penses :
De 1:8005 repartida mente -seis fiihas legitimas
do fallecido senador consemro Francieeo Jos
Furtadn,
De 1:0005 i Mi legitima do finado-senador
conselheiro Herculaoo Ferreira Penna.
-4
A cmara dos deputados apprtvou hontem em
2* diseusso a proposta do poder exacuti.vo autori-
sando o governo para despender at&a quantia de
1,000:0005000 con o abastecimenio de agua ca-
pital do imperio, sendo regeitada i emenda do Sr.
Correa.
Approvou em. seguida, em 3" diicassio, a pro-
posta do poder e>seeativo, concedenda ao ministe-
rio do imperip um credRo supplem#otar de.....
120:0005000 para oceorrer no exercieio-de 1869 a
1870 despeza da verba soccorros pablicas e
melhoramento do estado sanitario..
Appajvou depois em l* diseusso-o projecto
mandando proceder ao recenseair-anto da popula-
cao do imperta
Entrando inmediatamente em 2* diseusso o
mesmo projoet, a pedido do Sf. Rodrigo Silva,
foi approvado o.arL 1., depois de orarem os Srs.
Araujo Lima, ministro do imperio a Andrade Fi-
guera.
Tratando do. arL 2 do mesmo projecto, ficou a
diseusso iddiada pela hora, depoi* de orar o Sr.
Araujo Lima.
Occupou se em altimo lugar com. a f discus-o
da proposta do poder executivo aatonsando o go-
verno para cott'rahir um emprestimo de.......
35,000:000DOO para a coatinuacao da estrada de-
ferro de D. Pedro II. Oraram os Srs. Araujo Gcas,
Pereira da Silva, Andrade Figueira e Araujo Lima,
ficando a diseusso addiada pela hora.
1
.ligo.Costa
da linha lluvial deste porto ao de Cuyab. Cung rad
bordo, encontrei-me com os Srs. baro do Ama-
zonas, chefe Pereira Pinto e seu estado-maior,
commandantes dos nossos navios de guerra surtos
no porto, chefa e alguns emprehados da repartico
fiscal e os eraprezarios Jos Lourenco da Concei-
cao e sea socio Antonio Fernandas Braga. Alera
d'estas pessoas notei tambem a presenca do>i"a|i-
co o Sr. Etchabarn e de mais outras pesoas.Tes-
peitaveis.
A's 12 horas e 36 minutos comecou a experien-
cia, largando o vapor a amarrarlo,' 6 dirigindo-*e
ao pontao do banco Panella.
Na ida, com vento pela proa, sua marcha foi
sempre de 10 miihas ; na volta attiogio a 13,.por-
que as circunstancias erara Tavoraveis.
Quando parou era frente ao pontao foi servid
um lindo lunch, no qual se fizeram alguns brindes
ao bom xito da empreza, ao qual se acha ligado o
augmento e progreaso da provincia de Matto-
Grosso. Nio foi esqoecido nessa occasio o me-
moravel combato de (Riachuelo, brindando o Sr.
oommandante do Barroso ao inclyto baro do Ama-
zonas e commandante Garcindo, qae.se achavam
presentes.
Todos reconheceram que o vapor Cuyab est
as melhores condicSes por seu calado, marcha
accommodacoes, para desempenbar o servido con-
tratado. E' novo, de pouco uso, e acaba de sabir
do dique da Colonia onde lirapou o fundo pin-
tn, fazeudo as peguenas reparars de que ca-
reca. Na navegaco Interior dos rios nao achara
competidores pela sipa qualidade e esmero cora
3ue tudo a bordo se acha preparado para comino-
dade dos passageiros
A empreza j aonuncioa qae elle partir 14 ho
ras depois da ebegada do Sonta Crv% a ote porto,
em qae os deeereyi, na Banda Orienta) os planeos, qae dar passagem uraUs, Inclusive comedoras.
das cjrporacoes de mo raorta.
Suppnma-se o n. 35 do mesmo
Pinto,*
A) % 54 da receita :Depois de palavr^-in-
demnisacoesaccrescente-se : eomprehendida a
amortisa^o dos emprestim qne tm de ser ef-
ectuada pela repblica Argentina.
t Ao 53 daTeeita : Depois das palavras
capilaes naciouaesdiga-seincluidos os dos em-
prestiraos feitos era 1851 e 1857 mesma rep-
blica nos termos do urotoeollo de 16 de abril de
1889.
Supprimam-se os algarism s finaes de cada
um dos paragraphos do art. 10 da receita.Pe-
reira da Silva.Periiqn Malheiro, Henriques.
Suppriaain-se as palavraso governo auto-
risado a considerarque se l;n no additivo. subs-.
titulivo do n. 9 dos auditivos approvados na 2a
diseusso.Souza Beis.Portella.*
c Substitua-se o art. 9o pelo seguinte : Fiea o
governo autorisado a considerar extiocta a divida
das provincias de Pernambuco, Baha o S. Paulo,
procedente de garanta de 2 OjO das estradas de
ferro das ditas provincias, devendo d ora em di-
ante ser a dita garanta paga por conta do thesou-
ro nacional.T. Alencar A-artpe.Porte4a.-Souza
Rtis.Araujo Ges.Barros Barrelto.*
O disppsto no art. 19 1 da lei n. 1,507 de
26 de satembro de 1867 nao comprehender os
dotes ou doagoes que os. noivos S9 facam as es
cripturas anta nupciaes.Cardoso de Menezes.r>l
Ao n. 10 dga-se :Fie* o governo autorisa-
do a conceder isngao de dreitcs de importacao
aos objectos destinados ao culto divino da Sarita
Casa 4a Misericordia da Bahia, fixando em regu-
lamento a qualidade e a quanlidade dos referidos
objecto.Araujo Ges.G. SilvaLeal de Me-
nezet.Frmandes da Cunka.t
Fica concedida iseacao de direitos de importa-
rlo a..s objectos necessatios ao callo divino e ser-
vico das orphs da casa da Providencia da Bahia.
J. A. Chaves.Alfonso de Carcalho lunqUeira
Leal de Menezes.Was da Hacha.Monjeio
Martins.Pereira Franco.Bonifacio de Abrcu.
Araujo Ges. I
Fica autorisado o governo a mandar pagar
pe os meios votadas na presente lei a quantia de
3:0005, importancia dos vencimentos alrazados do
escrlvo dos Africanos livres da corte Balbino Jos
da Franca Ribeiro, e em camprimeoto da lei n.
1,732 de 5 de oulubro de 1869,Cardoso de Me-
nezes.
a Os vencimentos actuaes dos empregados da
contadoria de-mariohae intendencia, igualados aos
do thesouro pelo decreto a 4 214 de 20 dejunho de
1868, ficam desde j na parte relativa gratifica-
cao equiparados aos dos empregados do thesouro.
sendo o mais considerado comj ordenado.La-
GalvSo.Benjamim. >
_Jaa ravogado o art. a d*. lei de 30 tU junho
de WM^Junqueira. Barros Barreta, ioao
Mendes.Duarte de Aztveja.--Florianq de Godoy.
Souza Reis.
Com o.-toanemia eocontrouseno nosso porto o
Patagonta, da mesma linha, vindo do sul com fa-
inas de Montevideo at 28 do passado.
Em ambas as repblicas platinas os negocios da
guerra intestina apresentavara sinistra catadura.
Em Enlre-Rios, Lpez.JtrdaD, depois de ter entra-
do sem resistencia en varas- povoiroes, approxi-
mava-se da cidade do Paran, ameacando-a cora
todas as suas forcas consLeravelmente augmenta-
das, por se terera passado para ellas muitos. chefes
e soldados entrnanos q,a estavam no exercito
nacional, e grande parte do contingente corren-
tinn.
O general Gelly y Obes foi nomeado coaoman-
dante das forras naciunaes em Entre-Rios, mas o
pouco ou nada q,ae estas adiantavam no ampenho
de suffocar a revolugao- prineipiava a causar peno-
sa rapresso em. Bnenos-Ayres, onde j. se fallava
na inminente renuncia do presidente Sarmiento,
que dizia na poder confiar nos homens que o cer-
cavara.
. Se dalli nos voltanws para o Estado, Oriental ve-
mos os rebeldes- commandados por Aparicio Ilud-
rem sempre o combate e, dispondo d armas e di-
nheiro em abundancia, irem engrossando as suas
Bleiras, eioquanto os colorados, fraccionados 'e
discordes entre si, se mstrevam impotentes para
mprehender qoalquer consa, apcaar de terea por
si o prestigio & os elementos com que sempre
conta o governo. O general Caraballo contiauava
a declarar que ia pr-se no alcanco de Aparicio, e
bate-lo onde quer que o encontrasse,. ao norte ou
ao sul do Rio-Negro, mas os fados nao correspon-
diam palavras. .
0 coronel Flores, que, como sabamos, se levan-
tar* eom a guarnir.* de Paysand. entregou esta
praaa ao commandaule Beln, que se apresentra
comraissinnado pelo governo, e retirou-se para a
Conceicao do Uruguay, em Eotre-Rios.
O presidente Battle'era esperado era Montevideo,
chamado por dissidencias entre os memoras do
governo. Contava-se que elle declarasse o estado
de sitio, medida a que se recusava o vico-presi-
dente em exerciaio.
Do Paraguay nao encontramos noticia de impor-
tancia. \ ,
0bacharel Ricardo Jds-IftiMira Filho, de ter-
mo da Ooiras, na provincia do Ptaoby.
Poran nomeados para a guarda nacional das-se-
guiates provincias:
Pernambuco.Areelino Correa de Oliveir An-
drade, capitio quirtei-moalre do- eonvwando sap>
rior de municipio de Goyanaa:
Roidino-Jos Peixoto da Silva, eapitao quartel-
mesrre do commando superior- do nunicipio de fi
brofcie- Exd.
Maranban.Flix Francisco ooateire. eapitao
secreiario^eral do cominande superior c muni-
cipio- de Alcntara.
Ramiro Francisco de Negreiraa atajor ajudaate
de oraen* do commando superior cte- municipio de
Pastos- lios.
PiauhjL O traenie-coronel Jbsa- Antones Vt-
auhyhno de Macedo, coronel commandante supe-
rior do.municipio de S: Raymnado Nonato.
O aapitio Manoel Joe- Rubam-de-Macedo tenes-
te-corone* cominandaae- do batallia-de-infntaria
n. 2K
O eapitao Jgan Antonio Pessoa, oajer ajudaate
de ordens do comraaado suparior damoaicipio *b
S. Goootto.
O lente Jesuino Pereira aVones, capitio quar*
tel-mestre- do mesmo commando.
O Jfofes Joaquim Barboza Sarawnt, capta
cirurgio-mr do mesmo commando.
Para.Jos Vasquas de Mallo e 3bio Luiz de
Nasciraento, majores ajudante de ordene do coa-
mando superior do municipio da- Macap.
Jos-Atoes Leite, eapitao secretario geral d*
mesmo- eammandando.
Antonio Ranba de Almeida^oapilao quartel-mts-
tre do- mesmo commando.
Amaaoaas.O capitn Aatanio- Lopes Braga
major ajadante de orden,.e o aKeres Francisoo
Leopoldo de Matto Ribeiro secmtari geral da<
resoea|i>a eomraando superior.
Foi. designado o eapitao Raymuodo Aalono Fr-
nandes,. para exeroer as fuaccaao de raajor do p-
batalho- de infantaria da guarda naoionat da mes-
ma paaviacla.
Caaeadm-se reforma:
Ao major ajadante de orJensdo* enramando sa-
perar da guarda nacional do -municipio de Cam-
po-aaior, da provincia do Piaub*, Femando -la-
ves da Lobo Veras, no posto de teneate-coronel.
Ao-eapitao aggiagado ao 1 batalho- de reserva
da guarda nacional da provincia do-M&nnho. Joa-
quim. A>* Pereira de Burjos, no posto de major.
Foi- dispensados o mator ceramaadanle do->
esquadarao de oavallaria da guarda aacionaKda
provincia de Pernambuco, Antonio Francisco Pe-
reira, do exerecio do posto por tem$o indetenai-
nad, aos termos do art 61 da le- n. 602 de de
setemaro de ISO, sobre reprasontaQaa do resnec-
tivo presidente.
Bbk declarad dn nenhum effaito decreto-de 9
de fvereiro do- corrente anno, que- aoraeoaV ba-
dwrel Manoel Soraes Tolenlino, juia municipal e
de orpbos do termo do Patroainioy na proviacia
da Maas-Geraas, por nao ter .aaoeiaado a soaua-
*> _____
Por poruas de 28.de juibo allimo forana no-
meados pratitantes do-imperial oaservatorio>astro-
nonaico os alumnos do 4o anno da escola.oentral
Manoel Peroira Reis a Manoel. Pinto Torres- Neves.
Por portara de 30 do mesmo aaez foi nomeado
o coronel do corpo de engenoeiras Galdiao- Jpsti-
niano da Sitoa Pimental, para, servir interinamente
de quarteKmestre general.
5 I." Os reaaerimentos serie rabricados pelo-
presidente do tribanal, archivados- e averbadoa no
livro das matricalas.
< ai*' Qttando se dr mais de- aaaa vaga, o%
pretndeme? espeeiBcar'o en -seas- reejsermeato
os logares que qaerem eoncorTer.
i < Art. 7* magistrado que aeeeitar raandatn-
de eleic^o popular, ou qoalquer emprefo do po-
der executivo- ou exerecio na casa imperial, per
dt- o sea lugar que ser logo prvido.
c ArL 8? Omagislradc s*e por causa physica
n moral se iapossiailitar de servir, ser aposen-
tado, prscedendo processo e accordao iastaurado
e proferidt pelo supremo tribunal. Cessado o im-
Sedimento, o supremo triannal ponoutw aceor-
o annnliar o primeiro e rehabilitar magis-
trado aposentado, se elle reqaerer, cabendo-lhe
desde a data de setardo actordao os-veneimenlos
por inteiro, como .* estivesse em efeoliva- exere-
cio e o pnmeiro logar ago-.
Art. 9.*-09. magistrados tm faro prtetegiado
iam todos es casos rimes.
" t Art. 10.> O poder execuSvo expedir eaaeces-
sarios resnlaioento para &txecu lei.
Art. 14:. Pican revogaaa as dispoeioaes em
centrario.
Paco- da cmara dos deputadt, 4 de agosto
de 1870.fiernivm Vianna.PmU>*Lkna.
Substitoindc- as emendas das coraaiissoea toda a
proposta em djsouwao, o Sn. Pereira da Silva pro-
poz qae nos termos- do art. 168 do regiment pre-
cedesse,diseusso previa, sobre a> prefereana do
projecto qae- devia servir da basa para a discos-
sao, ao que anoondo o 3r. presidente, a sobre
proposta, da mesmo Sr. depilado, resol vea a c-
mara dar prefepeiK'ia ao projecto substitutivo das
referidas- noratnissaes.
Entrando,- pontaato, em discuss?. o mencionado
projecto com aaeraendas (tos Srs. Serreira-Vlanna
e Pinto Lima, trou adiado pela ora, d jpcis de
orar o Sr. Cruf Hachado.
Por portaras datadas de 3 do corrate forana
concedidas- as exoaeracoes pedidas pelo adjunto
da repartico geral dos telegrapaos, Lydio da Cos-
ta Oliveira, e estacionario de l1 classe, Garlos Jos
Van-Ns.
Foram na mesma data nomeados adjuntos os
praticantes Carlos Monteiro Sarzedaa Joo Moniz
Pereira-Janior, Jas dos Santos, Elias Alfonso d*
Costa, Alberto Antonio da Silva e Belisario do Pa-
dua Moatoiro.
Entroo hontem o transporte Isabel procedente
de Montevideo por Santa, Catharina, conduzindo o
54 batalho do voluntarios fla patria, da provincia
da Babia, com 54 offlciaes e 622 nicas.
S. M. o Imperador, acompanhado de seus se-
manarios, dirigi se logo a bordo daquee trans-
porte e assisiio ao desembarque o-aquarielaraeDlo
do mesmo batalho no quartel do ex-Corthme em
S. Cbrstovj.
Hontem, s 7 1/2 horas da nianha, falleceu o
trigadeiro reformado do exercito, Anteojo Joa-
quin da Silva Freilas, eom 80 annos de idade. O
fallecido foi comraandante das armas no Para, e
era condecorado com a commenda de Aviz, com
as ordens. do Cruzeiro e da Rosa, e aigumas meda-
lhas de campanha.
5-^
CooIquou hontem na cmara dos denotados a
2* diseusso do art. 2 do projecto, mandando pro-
ceder ao recenseamento da populaoao do imperio.
Oraram os Srs. ministro do imperio e 1 de Alen-
car.
Coatinuou em seguida a 3' dsemsao da proposta
do poder executivo n. 108 de 1864, reformando
diveras disyosicOes da lei de 3 de detembro de
18\I, cora as emendas approvadas. em 5' diseus-
so, sob n. 213 daquelle anno, e o parecer das
commissoes reunidas de justica civil e de justica
criminal n. 161 do correte anno.
Depois de lidas as emendas irapreVsas das refe-
ridas coiamisses, foram offerecidas as seguintes :
< Art. 1.a Os juizes de direito sero nomeados
pelo imperador d entre os hachareis formados em
direito,. que tiverera servido com distinecao os car-
gos do juizes munioipaes ou de orpnaos e promo-
tores, pblicos, ao menos por um quatriennio com-
pleto, os advogados que se uve rem distinguido du-
rante seis annos de effectivo exercicio da advoca-
da e os lentos das {acuidades de direito.
Act. 2> Os membros das relacSes sero tira
Pelo pasaste (kancez Jjnzone, entrado-nentem
do Rio da-P'rata) recebemos folhaade Boooas-Ay-
res e Mbnterd at 30 e-31>do passado.
A guerra ciwl em Entre Rios continoava, por
parte das tropas-nacionaes, n'umatespeeie de pas-
raaceira pasa por terina quakse iam taaer de
Buenos-Ayras remesss- de cavallos, de qoe all
havia a maie- argente naeessidads* embora algnns
eatendessank qiie, aiuamais do-que de oavalkos,
careciaro d ganeraes ao/aellas taspas. G'general
Conesa.encerpoa-se com nns seis batalhoes na ci-
dade do Sarasa, que salrincbeirada e arulhada
eom dez. pacas, se sopaanha poder dasaiar as
forcas rebeides qne sa achavanaa amas Vi ou 16
legua.
EspaUiou>se- o bnoto- de haver-se Lopoe Jordn
apoderado da um, outros dizea mesmo-dons va-
pores. encantados, e estar tratando de arma-Ios,
mas noticia pouco acveditavok
No Estado Oriental' tambem oontnu*va- tudo no
mesmo p. O presideate Battla acbava-se aa Flo-
rida, mas nao tardaaia a voltan capital,, para on-
de se tinhauo tambem recolhido algnraa* furias de
liaba, .o que fazia suspeitar o designio de fiytilicar
a cidade para o caso de ter de abandonar-se a
campanha aos blanoo e sastaatar un>asadio.
Relativaaente aol*iraguay apenas- enooatramos
na Nttcion Argentina a segainte noticia.:
Ura lamentavsl aconteeimento acaba de dar-
se na Assumpcao,. Invadindo viva.Wca urna.
casa.em qae esti.e^tabelecida a inapreosa da Foz
do Podo alguns soldados brasileiros comaetteram
all os mais deplorareis escessos.
Nao deixaram os inimigos do Btas de apro-
yeitar esta circumstancia imputando-a, ao exercito -
inteiro e aos hcarados ehefes qoe o coeamandan
no Paiaguay. Felizmente, porm, ns- tardn a
patentear-sea verdade.
<- Apoz uma.devassa levantad} de aceordo entre
as autoridades paraguayas e o general commaa-
dante das foseas brasileiras na Paraguay, nao s-
os criminosos, ram entregues jostiea, mas aja-
da o Sr. coaselheiro Paranhos, ministro plenipo-
tenciario do brasil (que anda se acha na Ar-sump-
cni deu irameilatareento ordem paca que as vic-
timas desta emboscada fossecs logo indemnisadas
do prejuiz soffrido.
< Eis ci'.ii as autoridades brasileiras se vio-
gam das calumnias de que sao alvo.
Breveraante pu bufaremos anos eorrespeaden-
cia de Buenos-Ayres.
Por cartas imperiaes de 27 de julho ultime :
Foram nomeados Jos da Costa Lete Falco e
Herique ios* Vieira, vico presidente da provincia
de M%tto-Grosso, para servirera, o 1 em 3o a o 2
eni 4 lugar.
foram transferidos o coronel Antanio de Cer-
qaeira Caldas, Joaquim Gande Lei e o baro de
Aguapehy; o 1 de 4 para o 2", o 2 de 6' para 5
e o 3 de 3o para 6" vice-pre3identea da mesma
provincia.
Por decreto da mesma data foi exonerado Alba-
no de Souza a Oliveiu do cargo de 3 vico-presi-
dente da dita provincia.
Per decretos de 20 de julho ultimo :
Foi recoduzido o bacherel Bento Ceciliano dos
Santos Ramos no logar de juiz municipal e de.or-
phos do termo de Santa Luzia do Norte na pro-
vincia das Alagas,
Foram noraeadoa juizes municipaes e de or-
phos".
O bacharel Antonio Arnaldo de Oliveira, do
termo de S. anuario da l'b, na provincia de Mi-
nas-Geraes.
O bacharel Joaquim' de Vasconcellos Teixeira da
Matta, dos termos reunidos de Sabara e Caetu,
na mesma provincia.
0 bacharel Joo Franco de Oliveira e.Sotua, do
termo de S. Francisco, na provincia da Santa Ca-
tharina.
O bacharel Antonio de-Oliveira Cardoso Guima-
res, do termo de Jaguaripe, na provincia da
Babia.
Por cartas impariaes de 3 do corrente foram
nomeadas c<>inraendadozes da ordem da Rosa os
subditos britannicos Augusto Tfcpken e Fernando
Rosing.
Por decretos da mesma data :
Foi. nomeado- comraendador da ordem da S. Ben-
to do Aviz o niarechai de campo visconde de Pe-
lota.
Foi concedida a pensode 425 mensaes reparti-
daraente a D. Christina lata de Menez.es, D. Ma-
ra Margarida Telles, D. Anna Amelia do Menezc?
D* Joanna Maria Telles D. Primitiva Jogepha Tel-
les, D. Mara Julia de Menezes e D. Nalnalia Ro.
de Meoezee, irmlas do 2* tenente da armada e im-
imediato do monitor Rio-Grande, Olympio Telles
de Meneass, fallecido por submersao ao Paraguay
em 27 de outubro de 1868.
Foi elevada a 3GjU)00 mensaes a pensao de 4K>
rs. diarios concedida por decreto de 24 noverahro
de 18*9 an 2 cadete reformado do 27 corpa
de voluntarios da patria Porfirio Jws Fernandos,
visto ser elle hoja alferes honorario do exercto.
Por
dos
decreto de 3 do crrante foram noaaaa
dos dos juizes de direito por suas antiguidades pelo
modo como se tirara actualmente os desembarga-
dores para o supremo tribanal de justica.
Art 3." Os lugares que vagarem as difieren-
tes relacSes sero prvidos :
i 1. Pelos desembargadoros mais antigos
d'entre os que requererem, e na (alta destes.
. I 2." Pelos juizes de direito mais antigos.
Art. 4. As varas de direito que vagarem so-
ro providas :
t 1." Pelos juizes de direito mais antigos d'en-
tre os que requererem, e aa falla destes.
t 2." Pelos juizes de direito que forem nomea-
dos na forma do art. Io.
Art. 5." Os juizes de direilo avnlsos, que ven-
cerera ordenado, sero prvidos as comarcas que
Ihes compelirera polas leis em vigor, independente
de requerimento, e respeitada em todo o caso a
antiguidade.
Art. 6. Para o provimento dos lugares vagos
se proceder assim ;
t 8 l> Logo que se dr a vaga, o presidente do
supremo tribunil de justica a annunciar (com as
devidas especifleacoes) por edtaes e pela imprensa
na corte, e offlciar aos presientes das relaces
Sara procederem da mesma forma nos distnctqa
e saa jurisdiccao.
i O regulamenlo qae se expedir para ese-
cogi desta lei marcar prazo razoavel era que os
preiendentes possam apresaotar seus requerimen-
tos ao tribunal competente.
| 3 Esses requerimntos sern abertos em
sessao do supremo tribanal de juslica, e o seo pre-
sidente ir destinando para o* lugares vagos os
O administrador da mesa de rendas de # toni-
na, provincia do Paran, Raymundo Ferreira de
Oliveira Mello, para o lugar de Inspector da alfan-
dega do Aracnju, provincia de Sergipe.
O 3K escripturano da thesouraria do- Sergipe,
LeopoMo Augusto Ribeiro Bhering, para o logar
de T- escripturano da da Minas Geraes.
Na capella imperial corae?am hoje as exe-
quias pelos bravos soldados do exercito e armada
naciooaes, qae fallecern) na campanha do Para-
guay. Hoje, s 4 horas^la tarde e-antar se-ho as
matiaaj do padre Jos Mauricio. Amanha antes,
da missa 9elemne por finados, executar-se-ba ama
symphonia fnebre do mestre da capella o Sr. A_
Fionto, seguiodo-se o Rquiem, de Mozart e fina-
llsando a ceremonia cora o Liberadme de Julio Sar-
ment.
magistrados que contaron maior angaiqade, de- conhecido o assassino.
DIARIO DE PERMaMBUCO
RECIPE, 11 DE AGOSTO DE 1870.
Noticias do sul do Imperio.
Cbegou honte-n pela manha o vapor franoex
Amazone, tratendo datas da corle at 5, e da Ba-
ha al 7 do correte.
Sob as rubrica JSrtrnor e Interior damos por
extenso arnotioias dignas disso ; alm das qnaeJ
apenas encontramos nos jornaes as que seguem.
MINAS GERAES.
Fra capturado no districto do Sacramento o
criminoso de morte Jos Faustino dos Santos.
No termo de Passos fra assassinado com
nm tiro Olvmpio Candido Villla; aindanoera


as
Bmno de FemambttcoU- Quinta felfft li e Agosto. " ''> -^^ i "i-"- v
V
11
I
*

nlaoso de morte Benjamm Jos Texira, valgq
Beijo.
lili) DS JANEIRO.
No senado fu eleiia acummisso Je ornamen-
to que w eompOe do* Sis. Sonta Franco, Sinimb,
Torres HJmem, G. do -Campo, bario de S. Lou-
renco, Barla Bom Retiro, e Aoiao.
Foram approvados: o Voto de gracas tal
como toi presentad) pela ciramiwao ; o prc-Jeeto
concedendo nma subTeaca a companhia de na-
vecaco do Aragiuya, para subir i sanee.
O cambio sobro Londres regalara 11 a 22 d.
por 13000, sobre Paris 42 a 450 rs., sobre Ham-
burgo 774 rs-, e sobre portugal 140 al J <*>.
Os soberanos () vendiam-so de 10*400 a
#800 cada am.
Oiegou, procedente de Pernambueo no da 3,
o brigue bra>ileiro Intvejiiio. ; '
Sabio paraernambuco, a 2, o brigue brasi-
kiro S. Paulo.
DAMA.
O resoltado dos eollegios da capital, Malta de
S. Joao, Samoi Amaro, Villa de Francisco, Ita-
uarica, MaragKi|',Cachoeira, Fera de Sanl'Anna,
Sature*, ;h?*m;)<-, branles, Alagoinhas, Inham-
impe,Gaim qes, Santa babel, Caravellas. Porto Separo, Can-
navierras, Conde, Uncos e Tapicur, para sena-
dores.
Dr. Fernandes -da Cnnha..... 1422
?>esembargadr Figueiredo Rocha........ 1SIT
r. Chaves.....................c...... 1220
nesemhargador Inuoceneo Ges.......... 1004
>r.4i'wnc,............................ 778
O cambio sobre Londres regulava tS 3/4 d.,
sobre Paris 4t0 rs., e sobre Portugal 140 O|0.
Porque es cmi
llamada ^^^ntni
Del immorn-Paganini
V det tierno rnisonor,
Ella encierra la armona
Da aquel que cuando.pulsaba
V i su ideal justaba
Las cuerdas de su violin
Sus acordes y sus notas
Si era a trilles! ay lloraban
Si eran alegres cantaban
C9n seatiroenti su fin.
o jaizrJ; appeilado R-
eosle o Sr.
dtaaSo crine:
mea da Silva. AppttMfcfete,
cardo d'A'snmpo Wraa.
,Do Se, Vembargador Regueii
deaemMrjadQr Souza ea.
appellant*, Man el Joaqufl
DaSMeaenthargador 0 ao Sr. dea-,
embaigawer GitiranaAppelIj^Sk eriftess. appel-
\*nt% o IV-----------
-'sllaiU; 0 jui^H
nio.
ra o um qnaf
miBLWACOS A EDIDO.
K. Anuido y Guasee.
ALPAIAT&Para*dlrigr a offletoa da alala**
do grande armazem.de fa;endas to Srs. Gomes,
Silva & C, silo roa do Bario da Victoria h. 10,
acato de chegar de Lhboa um perito racial Pe*
reir do Reg.
LEILAO.Contarme esl enunciado dv ter
logar amatma o tciiao de movis, louc*, vidros, e
tivros na casa a. 4 da ra dos Guaiarapes.
bcneficui docollcgoo doaniaos, a qual carraa- --. ',, '
PERNAMBGO.
&EVTSTA DIARIA.
BILHETES DS LOTERAS.Por deRberacio daj
presidencia da prfwincta de U do corrente, foi no-'
meado o Sr. Jos Pedro das feves fiscal da co-
branza do imposte de 8 O/O de cada bilhete de
lute.ia que nio/or da provincia.
IXsTItCCCAO PCBLICA Por deliberaco da
presidencia da proviuc.ia de 9 docorrente, foi Bo-
rneado JoaquMiK^ de Mello^ pura reger itori-
njnK'Ulo a eadeira da povoarao de lialbadinba.
GUARDA NACIO.XAi-.-l'.'.rdettkaracao da pro-
siijutia da tfravtncia, de lo d correnle, man-
dou-se dar goia de pa^sagem para o rauuiciiw > do
Rete ao leaente cirarviao Jowjuim Manuel ^de
CaMTO Santos, do batalhao n. a* do municipio do
Cabo; e para lluii|ue, o alfares da 2.* omijjaaiiu
> batalhao n. 30, Vicente Aveiiuo de S >uza
Mella.
TRILHOSRBA3J05 DEOTiDA. Dentro de
dez dias, cumiados ife 11 do correte, dovein os
a-ejonistas destaeiapreza realizar a entrada da
11" e ultima prestado de saes acides na razio de
.*> por ce ato.
GACI.VETE PORTUGUEZ DE LEITURA.Hnje
devem renuir-se os inerabres da commissiio eti-
arregada dos festejos poli celebraco do 19>
-oniv.'r<;wie da i>tallacao desta estabelecimen-
lo a quai s" cdmpSa dos -senhores: presiden-
to, Gregorio Paes do Amata!; 1." secretario, Ma-
iiucl Fereandes'Velloso; 2." dito, Francisco Fer-
reira Miia; iliesoarciro, Juee Pereira dos Santos
Far-'a.
Os referido* fesftflos f ram tnnsferidos para o
dia 21 de corrate, per nao podereiu so realisar
to dia tt.
S. A. O 9B. CONDE D>EU.No vapor iogUn
Bouro le-ve passar part a Europa, no dia 29 do
crreme, S. A. o Sr. copde d'Eu e sua espera.
MUNXGIPIO E CAR.VRU. Pelo decreto n.
i'i:il u 22 de julho fu' desligada dos coramands
uiv.,pes dis municipios dj Bonito e -Garanhuns
da provincia de Pernambuco, a guarda nacional
eHMMMMe comorca do Caruar da mesma pro-
vincia. ? rom ella creado o m commani soperior
' orinado di estpiadraude cava Manan, ."i. dos ua-
talKnc de irifontaria ns. 27 e 37 do serricj activo
< d i tota ho da reserva n. 10 ; litando revoga-
d v, ne-ta parte, o* decretos ns. i:l e 03, de
U de Miaio, e de juHe de 1854; 4033 de 4
de deiiinbro de 18G7, e 4200 de 13 de juntao de
8C8.
THEATRO BE SANT8 ANTONIO.-Conwcatn
no sabbaao 28 do correnle os espectculos lyri-
< >*, pola compunhia l'ranteza mand.tda vir pelo
,iropretario do theatro de Santo Aotenio, o sem
:iw incansavel Sr. Duarte Coimbra, bem que as
d-|iendencias do theatro aio se achera de todo
mciuid.i-', devido presteza coin que veto a com-
.i.-iohia, pelo zelo e interesee do seu correspondea-
- emPari-.
Desde j acha-se abert* urna asi^natura por
30 recitas, nas.guaes havei variedade completa
nos prgraramas, visto o grande repertorio da
compMiia.
Merecen) o apcio publico os esforcos do cx-em-
pretari do Santa Isabel para a constrnecao de
im thmrtro pequeo, verdade, mas com todos
- commudos necessaries, de cuja empreza se sa-
bio betn, t cornos seus recursos e de alguns
piucos amigos dedicados e sinceros.
CLUB POPULAR.Hoje Gavera sessao. Ordem
do dia.Revista de jornaes do Dr. N '') sobre o cdigo criminal pelo Dr. Jacobina.
A entrada .franca para todos e ha lugar re-
corvado para senhoras.
CONCERT.O que a menina Egeria Antonini
pretende dar, noSalo do-Club Pernambacano. foi
tmnferMo para terca-feira 46 do corrente, com
o programla que ser annonclado, tomando nel-
e parte diversos artistas desta cidade.
ONZEBE AGOSTO.Era conseqnencia do fu-
neral, que e partido liberal manda celebrar pela
rimo do Usado mawjuez de linda, primeiro direc-
ior do curso jurdico de Olinda, foi transferido
pan sexta eira ou-sabbadooespeclacnlo drama-
.ico que os alumnos da FacnMade de Diroito pre-
lendiam dar boje no theatro do Montoiro, em
onunemoracao do anniversario da creacao dos
oraos jurdicos.
COLLEGIO DE S PEDRO BE ALCNTARA.
Dr-ixam hoje do funceionar as aulas deste estabe-
-(-[liento de educacao, sito ra do Mrquez de
inda, por causa do funeral mandado fazer pelo
directorio do partido liberal pela alma do finado
iuez de Olinda.
IXSPECCO.A inspeccao medica da guarda
nacional prante o consellio dojwista, j annun-
a-io em lugar competente, foi por ordem supe-
rior transferida para o da 18 dto corrente.
INHEIRO.-O vapor Pirapam* rouxe para a
nissa praca as segainies quaot as .para os Srs:
Dapnlavra8 ao
* ^ Itafalho.
da do 3/
i
SintrpxofuBrtiweme recorreros tneifs extre-
mos d*'-imprenssr par occnp-m* de pessoas
dia 17.
PASSAGfilROS. Sabidos da Europa, no vapor
francez Smdh : .
Giuseppe Cajafit, Vie^nle Vita de iagio, Gtova-
ni Florenzacto, Nicola Ftereuzcios Francisco Pa-
gliere. Beitlra Mcferhwssj, Albn Battmaon, Mafi-!
ette Tmerrv, Antonio -Carn, Ltiuis Ailred Mari?,
Louiza Esraaerbel, Marie de' Bresoie, Jo nand, Manoei Rodrigues y Alor, Casimiro Feraao
del V Fernandez, Beato Alvares Apparkio, Javier
Fernandes Casado, Mwnoet Narqwo. Airnardo Vas-
qoer. v Alor. Manoei Vasquec, Jos Peni y Forim-
go, Franciseo Lait Pereira Rego,Klias Prez, Fran-
cisco Mrquez Prez. Marcos Casaii o 2 tithos, Ma-
noei Pereira da Cwah, Koqoef elguera* y Pavada,
Francisco Egano, Antonio Cesar, F. Souvage, L.
Bourgard.
Sabidos esse vapor para o Rio de-Janeiro e
Babia:
Joo Uaptista da Rocha Batea Lins, Adle Pau-
lino Ctienetj Witiatn HenryCitton.
Vindss ne Tocantins', con> destino ao sal do
jmperio:
Domiapos Candido de Areujo Azammiji. cadete
loaquiw Goncalves uithim, Anaa llosi Saraiva,
Miguel F. Ferreira, sua senbnra, 3 liluos e 2 es-
cravas, Itenedicio P. Mariins, Mana Ttieodora Fra-
so, Domiagos Jo- Ferreira Valle, Dominios Ifld
Ferreira Leal, Raymuncie J.s Ferreira Valle Ja-
nior e, 2 eicravos, Rento Jui Taveira e so fami-
lia, Dr. Francisco Antonio l'imenta Bueno e 1 em-
d >, Ciaudina Joaquiua > Espirito Santo, Rosa Ade-
laida Pinto, Manoei NmIAo Pinto. Joo Bufo Ne-
p mioceno, alferes Demulrio Hayinundn Maria de
Olivcirc, Auna Francisca de M^llo Oliveira, 2 iui-
periees mariiiliniros, F7 portusuezes e ilono* e 19
esera>*es/a entregar
PaSSAGEIKOS.Viudos da (iranja o ralas
no vapor nacional Papoma:
l*a*s Umbelino ile Mello, Jos Francico Ram^s,
Relduinj Gomes de Mitins, Esbelto Barbosa da
Silva, Jos de Castro Montoiro, Francisco Antonio
Pereira e 1 criad?, Leocadio Vieira- Tlieophilo, Fe
liciano Pereira do Monie, Silvestre Comes Damas-
ceno, Flix Jos Tetxeira. Manoei Theodom da
Costa, Manoei Lourenco de Souza, Domingos Jor-
ge de 5. Vicente Gomes de Ulivelra Fernandes,
Jos Justino de Oliveira Plntr'. Adao Nepomaceno
B., Denlo Gervasio F: R.. Joaqnim Pedro Alve,
Joao Fonseca Silva Sebrinho. Jnlio Cesar Paes
Brrelo, sua senhora, 2 ffRio< men ,re*. 3 crtadoJ
e 2 escravos; Amaro Brrelo de Albonuermo Ma-
ranhao, Carlos Augusto C de i^irvaltio. Gustavo
Horacio R. da Cmara, Jos Horacio Raposo \
Cmara e I criado, Francisco Ildefonso E. China,
Antonio Juliano Pires de Carvatho, FVimeisco Jos
dai^miha- Carapato, Daniel Josa da Caala Sar#J
pm, Ray.nnadD Gines de Anrade. Joao d Sooza
Carva;ho, Mioerwlio M. da Silva, Ventnc Noiva,
Leoncio Pereira (te Azevedo, a5 colones portngue
zes, 11 esbravos a eniregar.
Vindns do Rio de Janeiro e Baha no vapor
francez Amasme :
Octave Osprez, irmaas do caridade Auga'tine e
Sidone, Domingos Thom Anto, Manoei Gomes
de Figueiredo, Joo Antonio Ro Iribes Caima-
nes, Manoei Amonio Lopes, Mr. e madama IM-
gers, F. Wegehn, sua senhora, 1 QRio e 1 criada,
Eduardo Piulo Barbosa.
91
e nao se
. .os que ou-
ridameate e
protect|res,
s intimo e sa-
meio de ag-
200*000
1344000
arasileiro
lt:70t000
."iroMOOO
1:771*240
1:0001000
298*000
de nossa praca:
':359500o
<4:i86*60
matriz de Santo
Luiz Goacalves de Sautadt Porto-
'arvalho A Nogueira
: oda Suva Antaoes
Man & C.
i no da Silva Caldas
U. da S. Motta
J *i P. Pinneiro
^iristian 4 Irmao
.'oaquim Lopes Machado
Leilao & Irmaos
Manoei Pereira Lemos l
P. de Azeve Mala
Os vapores, francez Aiaasone e
Coruripe tronxeram para o
iank of Ro de Janeiro
:<>' Bom Ramos de Oliveira
Alfredo Garca & Irmao
Jos Ferreira da Costa
j js Joaquim Das Fernandes
O vapor Toeaaftas levoa
Para a Babia
> o Rio de Janeiro
MRQUEZ DE OLINOA.Na
Antonio manda hoje o directorio do partido liberal1
-.-librar um offleio solemne pela atoa do nado
mirquez de Olinda.
EGERIA ANTONINLDamos em segoida urna
r tesis em hespanhol, offereeidr pelo pobtieo de
,os-Ayres menina Egeria Aatoaiai, no dia
La seu beneficio nanuella cidarta.:
Una nina carno un ngel
En quien Dios prodigo ha sido,
Con un talento atrevido
Precoz, sobrenatural,
Hoy sacude con eocanto
Sos hbito infantiles
T les juquetes pueriles
Del regazo maternal,
Para lanzar-se la eseena
talento solamen
Segnro e? que all sn freote
La corona alcanzara
La corona que el destino
Para ella tiene escondida;
Y el el curso de su vida
Egeria la encontrar;
Que es el premio reservado
A loa genios as selectos,
los hijos predilectos
Del Divino Redentor.
CHKONICA JUMfiMRn.
TRluBIT.VIL A IKLAC,*-
SESSAO EM 9 DE AGOSTO DE 1870
.'RESIDENCIA BO KXM. SR. CONSELUEIBO CAKTANO
SANTIAGO.
Secretario Dr. Virgilio Colho.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. destem-
aargadores Gitirana, Guerra procurador'da cora,
Lourenco Santiago, Almeida Albuquerqoe, Motta,
Doria, Domiagues da Silva, Regueira Costa e Souza
Leao, abno-se a sessao.
Passados os feitos, derara-se os seguntes julgs-
oientos:
Reccbso cmirE.Recorrente, Dr. Joaquim Gao-
ros da Suva Mello; recorrid o juizo.-Relator o
Sr. desembsrgador Domingnes da Silva, sorteados
os Sr?. desembargadorfs Scuza Leo, Gitiraua e
Regueira Costa.Ficou aliado.
AccBAVos be pfeTiQAO.Aggravante, Jos Anto-
nio dos Santos Colho; aggravado, o juizo.--Hela
tor o Sr. desem'bargador Motta, sorteados os Srs.
desembargadorss Loureneo Santiago e Almeida
nJbaqoerqoaNao tomaram conhecimonto, por
vir fra do lempo.
APPELLA5E6 ctVEts.Appellante, padre Jos Go-
mes dos ReisLima; appellado, padre Jos d'Annun-
ciaco Souza. Confirmada a sentenca. 'Appellan-
te, Manoei Florentino dos Santos; appellado, Bar-
tholoroeu Brandao do Sobral.-Despresados os
embargos. Appellante, Francisco Goncalves Bei-
ris; apptllado, Francisco Jos da Costa Wander-
ley.Confirmada a senienca. Appellante. Joo
Culho Bastos; appellada, a fizenda.Confirmada
a sentenca. Appellante, los Pereira Machado;
appellado, J oliz de Vasconcellos.Dsspresa-
dos os embargos. Appellante, Justino Pereira de
Farias; appellado, Jos Domingues Mala.Despre
sados os embargos. Appellante, Rodrigo Antonio
Brasileiro Macei; appellado, Macario da Costa
Moraes.Reformada a sentenga. Appellante, Jos
Antonio Fernandes Fradique; appellado, Joaquim
de Allmqaerque Castro.Reformada a senten-
ca. Appellante, D. Carolina Maria da Conceicao;
appellados, os herdeiros do barao d'Atalaya.Con-
firmada a sentenca.
, Ai'1'ku.aces carnes.Appellante, Joaquim Fer-
reira de Araujo ; appellada. a justica.A'novo
jury. Appellante, Cosme Ferrefra "Guimares;
appellada, a justica.Reformada a sentenga, para
o grao minimu. Appellante, Joo Raposo de Mat-
ttos; appellada, a justica,A, novo jury. Appel-
lante, Jos Goncalves de Oliveira ; appellado, Vir-
golino Jos da Sirva Jnior.Improcedente.
Deligbhcia ckime.Ao Sr. desembargador pro-
motor da justica : appellante, o juizo ; appellado,
Carlos Jos da Costa. Appellante, o juizo; appel-
oOOiJOOfP dado, Vicente Ferreira da Silva. Appellante, o
372*600 juizo; appellado, Jos Alvos da Costa. Appellante
220*000 o juizo; appellado, Antonio de Lima Baarque. Ap
pellante, Diomzio Pereira de Maltas; appellada, a
justica.
Beliobncia avet.Ao curador ger'al: appellan-
te, viuvat de Jos Mamede Alves Ferreira e ou-
tros.
Assignou-se dia para jolgamento dos seguntes
feitos:
Atphllacoes cnufES.Appellante, Manoei Anto-
nio Bezerra ; appellada, a justica. Appellante,
o juizo:; .appellad, Fraacelino Severo d'Annuneia-
cao. Appellante, o juizo; appellado, Jos Antonio
de Maria. Appellante, o juizo; appellado, Amo
nio Franciaeo dos Sanu. Appellante, Francisco
David Gomes de Sa; appellada, a justica.
PA8SACEKS,
Do Sr.' desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourenfio Santiago. Appellacao crime:
appellante, o juizo; appellado, Manoei Joaqnim
Alve?.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago, ao
Sr. desembargador Almeida AJbnqoerrrae. Ap-
pellacSes elveis : appdfanie, loio Baptisia da Sil-
va; appellado, Antonio Bicudo de Mendonca. Ap-
pellante, Jos Loluda Silva; appellada, D. Marra
da Costa Chaves. Appellante, Tharnaa u"Aquino
CameMo; appellado, Maioel Honriqoe Pkneatel.
Do Sr. desembargador Almeida Albnquerque ao
Sr. desembargador Motta. Appellafdes eiveis:
appellante, Jes Carlos Manco da Costa Res; ap-
pellado, Manoei da Silva Lopes. Appellante, Anto-
nio Vaz da Costa; appellado, Francisco Ignacio da
Costa. Appellante. Jos Rik Peres Campo; ap-
pellado Antonio Jos de Souza Appellacao cri-
me: appeHanie, o iuizo; appellado. Jo- Francisco
das Chagas. Conflicto de jurisdico : entre os
juizes muniefpal e de orpbBs da cidade deGovan-
ninha.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarga-1
dor Doria.Appellicoes crimes: appeliante, o jui-
zo; appellado, Arnaqt de Hellanda Cavalcao-
te. Appellante, o juizo; appellado, Alexandre Go-
sobre ellas.
Ingratos e desapiedades infama1
cendo-se de um passado que hi
luoibraado des sem numeres do
t'ora recebram, haje se atiram d
sea s relajo sobre os seos -aac
ferindo-os no que ellos leem de nii
gradi*h dignidae ppssoul.
So a imprensa fo-se hoje o legit
gresso un da deeza, circamscripp aos severos
limites da verdade, e a conscienciai fossao nico
autor, qnando manifestass^mos os'nossos seat-
mi'ntos, eu hoje nao escreviril porquj desgracada-
mente nio verla as columnas do tiario d Per-
nambuCo de t do correrie, eiwda3 de Injusticas,
oalvrsnrese calumnias que foranr, dltadas nao
pelos ditirmes da razio Justa e escllrecida, mas
pelos malvolos impulsos da dasregraia e tyranni-
ca conveniencia.
Sinto sioda mais, nio poder assignar o qu pre-
sentem?nie escrevo, pwrqne me vejo fircado a di-
rigir-me aquenJdeoate dos farraposdoanBnynio
procura, anda que sem fundamenb, macular a
probidade reconhecida de sens sotTinceiros inl-
rago';.
O traidor, o ingrato tanto mais m/rdaz, mais pu-
silnime.
Decnoram-se que nos encootrir sempre dis-
posto e com resigiuco evangelice a acompanha-
los at onde chegarein os seus olimos passos.
Par* enectarmos, poroi, os jossos esetiptos,
senhor guarda do 3 batalhao, sija dito de passa-
K-ein que nem sdmpr aquelle qie muito deprimo
da huir alhea, o mais honrjda e qnasi sempre
quem encoaira muitos defeitosaos ouiros o ma3
dufeltooso.
Expliquew-se os factos chazaremos ao resulta-
do iufallivejde que esses qne tanto esmeri'ham os
actos ponneos e particnUres do tenenie-coronel
Francisco de Miranda Leal Seve moxime como
commandante do batalnoso aquellos que se
ainda o rubor poiesse-lhes assomar a* faces, ca-
lar--se-hiam sa nao fosse erni dura realidada que
o ladro, o estellionaurio em lodos iguaes sen-
limentw e idunticas posaiblidades.
Ensanam-se, o tenente-wronel Seve nao receia
uiii esame severo em seo batalhao feilo pelo pre-
sdeme da provlucia ou commandante superior e
por elle solemnemente Jeslaro que sera dcil s
penas que s:u procedimn'.o merecer..
Nao receia a lula, anps recebe-a com satisfaco
porque elle nao o negociante fraudulento da Pa-
rahyba, o faminto esteliunatario iuie receben um
-*!i?a(las vezs sem doer-lbo a conscienca de
comprometter um amyo inexperiente, o concerta-
d*r de chapeos de sal e analmente o criado do
hotel...
So estes-ao capazei de praticar as infamias, e
nii-erias alludidas por es~e desnaturado e inqui-
nbo guarda do 3o btalho.
Na sociedade ha entes lo abjectos e pequmi-
nes, com o- quaes i Daixeza <\ ignom oa entreter-
e a mais leve polmica; e justamente pelo que
aagmentando-se o caler dos senliraento a razo
restrinjo a sua completa expansao.
Para que, porit, a opinlao publica Dio vac-le
ao meaos sob a realidade do que venho de expeta
dar, vu dizer aljuioacousa obre os pretenciosos
e loncos di:os desse guarda a quem me^reporto e
seguirei'.salisfeito essa ardua perseguicao ataque
todos os -fictos sejam aclarados de modo a conse-
guir a sna completa execrago.
(Continuar-se-ka.)
0 justo.
aa; essim parece qne da dala era qne os artlgos
de suspeico sao autoados deve eorrer aquelle pra-
1 porm, boas razdes para que, nao dessa
data, naos da data da nomeaco dos Juina arbitros,
deva flrrrer o praso legal, e neste sentido opina o
Dr. Correia Leal nos seus apaatametes sotire sus-
pei;5es pag. B4, Simado em Goflis Man. Prat,
cap. 12 4.
Ao 4*jpja*rata do juizo commercial expre*.
sa a disposi^io do art. 8$ do Reg. a 737 da 25 de
oovembro da 1830 : corra a sospeicao Inas pro-
prkis autos. No juizo ctfl, porm,ltenlos os ter-
mos da Ord. Llv. 3 Tit. 32, devera eorrer em auto
apartado, entretanto, em muitos casos' lecho visto
correr aos ptoprios autos. Sob censura.
Recife Ido julho de 1870.
Dr. Manoei do i?. Machado PorUHa.
CIVIL
i* cometta o juiz o crime de previricaco
para proceder contra a le expressa.
i; Nao poda o juiz admittir o lancaraento.
3a Os dias te eonttm depaw dr aonet^o
do arbitros, pois emroaiMo eete nao esfle no-
meados, nao est estabelecido o juizo da suspeico.
4* A sspelclo trata-se nos proprio autos' da
aecao principal.
Henrique da Silva.
7:050*800
1:970*009
1:170*080
800*000
800*000
652*940
398*000
EDITIS.
GOMMERCIO.
PRAA D RECITE 10 DE AGOSTO
DE 1870.
AS 3 i/2 HORAS DA TARDE.
Frete de algodo de Mossor para Liverpool1(2
d. por. hb. e 5 0[0
Pelo presidente,
Mesqniu Jnior.
Pelo secretario,
A. P. de Lraos.
ENGLISHMNK
O Rio de Janeiro Limited
Descoata lettras da praca i taza a con-
jeacionar.
Recebe dinheiro em corita corrente bia
Iraso fixo.
Saca vista o a praso sobre, as cidadei
prlucipaes da Europa, tem correspondentei
ia Babia, Buenos-Ayres, Montevideo, Nevr-
> New-Grleans, e emHte cartas de crdito
para os mesmos logares.
RA DO C0MMERQ0 N. 36"
GUARDA NACIONAL DO RBCIFE.
Perante o conselho de revista di guarda nacio-
nal deste municipio, sao, pelo presente chamadas
ass praca, abaixo mencionadas, para serspec-1*
donadas, da sala das sesses da tmara munici-
pal, no dia 18 -dv.corrcuto a* U) horas it, a
nha.
i* baul de artllharia.
Manoei Gome de Miranda Lat.
1 \ rafantana.
Antonio Baptiatt da Motta.
Antonio Pinto de Mello.
Antonio Affooso Rigneira.
Augusto Forawdes do Reg.
Emilio Hypolilo Bandeira de Mello.
Jos dos Santas Pissos.
Jlo Tnomaz de Aqnino.
Joo Alves Ferreira.
Joo Manoei Ferreira.
Jain Wa d Souza.
Jos dos Santos Alve*.
Ludgerio Pereira d Hotlamla.
Luoio Francisco dos Santos.
Marcolino Gregorio Vieira.
Manuel Perpedigao Correia da Araujo.
Vicente Ferreira da Silva.
3" de infamara.
Augusto Jos Teixera.
Carlos ilorrcniu Coelbo.
Joao Rodrigues Maris.
Joo Sitiero Bazitio.
Luiz Jos Muniz
Sebastio Jos Alexandre dos Santos.
4o de infamara.
Antonio de S e Albnqnerque.
Pedro Alexandrino Pereira.
6 de infamara.
Finnino MnnoSl da Silva Braga.
Jos Luiz Gonta de Castro.
Manoei Anselmo Marrano.
Marcolino Antonio Pereira.
Manoei Anselmo Marinho.
Sala das sessdes do conselho de revista, 4 de
agosto de 1870.
O secretario,
Firmino Jos de Oliveira.
eurs offr:
eeW
snlat de
le raontant
ce journal.
Gonsulat de-Ewuiee- a Fer-
dscejour au con-
des loBseripteurs el
rom pablis dans
Mas chers co
Jai rbouncur d^voajJrHiKssster an Te-
Demu qoi sera enast fe U AotM prochain.a une
heara de laprxaldidaaa l'aiiaa de Notre Da-
me dn Paraso, Coccaaioa de Ja tttede S. M. Na-
polen 111.
Votre concours cette solennit ne m'a jamis
fait dfaut; il sera Cette aane pas emprest que
jamis. Vons comprendes qu'il st non et d un
boa exempie de monlrer, au tnomeul ou la Fran-
ca est engage dans les hasardi de la gnerre
que ni le temps ni labsence n'altrent l'amoor qne
uons portons notre cher et grand pay. Peul-
tre, l'heure meme ou nona demanderons Dieo
de proteger la France et l'Empereur, le suri des
armes prononcerat i I son arrt I que cette
pense rende nos vmux encor pos fervents,
puisque c'est senlement par des vmnx que nons
pouvons maniester notre patrwtisrae.
Pernambuco, le 9 aout 1870.
Le cnsul de France,
___________ smin Laporte.
O in-pectur interino da alfandega faz publico,
que o leilao das pedras aununciado para aoja, a
3ae por falta do licitantes derxou de ser effectua-
0, fica transferid para qointa-eira 11 do cor-
rente.
Alfandega dePeTnambnco 9 de agosto de 1870.
O inspector interino,
Lnlz de Carvalho Paes de Andrade.
ALFANDEGA.
ttendimenio do dia 1 a 9 .
da da 10..... .
Uonsulra (civil)
Dense de suspeito a um juiz municipal, com
todas a formalidades da lei, como dl?p5e P. e
Souza, na nota 289.
Na audiencia em que se offerceeu os artigos de
suspeico, oj'.iiz recusado depoi3 d ouvi-los, mau-
dou os.autos ao juiz supplente, ao que oppoz-se o
advogado do recusante, o juiz fa subir os autos
a str**couduso e dias depois manda que fossem
cita-las as partes para se louvarm.
Feita a citacao, o advogado do recusante pre-
senlou-se em aupiencia a fez a louvaco, o* pro-
curador da parte contraria, porm. nao lonjou-se,
pelo sophistico pretexto de ser preciso citadlo pes-
soal; o juiz julga-sa in-jompatvel para decidir a
Unda apreseutada pelo procurador, o advogado
o recusante aggravou do desp.icho pelo qual se
julgou incompetente o juiz, para decidir a duvida
calculadamente proposia, o aggravo demorou-se
no egregio tribunal da relaco, por ter entrado as
ferias do S co provimento,mandando que o juiz deciaisse a
ducida : apresenlado o jurdico accordo ao juiz,
este limitou-se a por eumpra-se e no dia seguinte
em audiencia reqoerimento da outra patle, lan-
cou o recusante da suspeico, sobre o sophistico
fundamento de se ter passado qnarenta e cinco
das fataes,, e mandou proseguir aeco principal
seus termos.
PERGNTA-SE
Io Nao corametteu o juiz recusado, pelo facto
exposto, um crime, pelo qual pedo ser denuncia-
do?...
2 Poda o juiz recusado admittir o lancamento
da suspeico, estando a causa nos termos, como ft-
ca exposto, sem cumprir o jnridico accordo do
tribunal da relacu ?
3 De que modo e quando se comecama contar
os 45 dias da Ord., ou nao depois da noraeac
dos juizes arbitros, como diz o manual pratico de
A. C. Gomes na pag. 91 nota 4 e determina o as-
iento de 9 de julho de 1616, e se deprehende da
Ord. livro 3, Tlt. 21 23, Direilo Brasileiro a pag.
5i parte 2', Peg. ad Ord. tom. 4, pag. iO n. 718,
Cabd. pag. 1* e outros juriconsultos ?
. 4o As suspeicoes tratam-se nos proprros autos
da accao principal, ou em auto separado, do modo
seguinte : depois de se apresentar os artigos e no-
meados os juizes, o juiz recusado manda reraetter
os autos aos juizes nomeados (depois do juramen-
to) o escrivo extrahlf o instrumento auta e se
faz concluso aos juizes arbitros como dispSe a
Ord. do L. 3, Tt. 21 ^ 21 e 22 de cuja poca se
deve contar os dias da lei ?
RESPOSTA
Os 'i dias fataes para a suspeico se contara de-
pois qae tica constituido o juiz arbitral, e, se.as-
sira nao fosse, se podia illudir a lei com proteTla-
cjBes taes, que impossibilitassera o julgamenlo no
praso fatal, como de razo, e entendem os pra-
xistas citados na consulta.
Ao legitimamenie impedido nao correr ternpo,
e legtimo impedimento a protellacao oa demora
praticada pelo juiz, principalmente se este inte-
ressado neJla.
Era da rigorosa obrgracao do juiz dado por sus-
peito, admittir a louvaco; e, qnando urna das
partes a nao ffeesse, louvar se a sua reveli, para
que fossem os autos remettiUos aos louvados nos
termos da Ord., qae regala a materia, cabendo
decidir qualqoer dnvida, porque perante elle que
se inslitne o juiz arbitral, e remetiendo a sua de-
cisao aos lourados.
Era igualmente da sua rigorosa obrlgacao ded-
dir incidente, na conformidade do que ordenon o
provimento do aggravrr, e nao deixar de faze-lo,
para depois julgar prejudicada a suspeljao.
0 assim respondo :
Ao qneelto affirmativameate, isto que o
juiz pek procedimento que teve, proceden contra
a lei, e incorreu em responsabilidade pela qual po-
de ser denunciado riminalmeote.
Ao 2* rsspondo negativamente pelas raides j
dadas.
Ao 3 respondo que os qnares la e cinco dias se
eomecam a contar da nomeaco dos louvados na
eoaormidade do que ensiaam os praxtstas ci-
tadas.
Ao i sin': as suspeicoes se tratam pela forma
indicada neste qnesito.
Beeife i de julho de 1870.
i. B. G. AlcOforado,
PAREC1R
Ao i* e 2 qnetilo reapaado pela negativa.
Ao 3* a Ora. expressa era mandar qne os 45
dita eorram do dia em qae a suspeico rol autoa-
328:323*839
28-867*617
357:193*456
Descarrejram hoje 11 de agosto
Barca inglza Wiihc of toe Feiganfeoro.
Patacho norie-allemaoQeorginemercadorias.
Patacho dinamarqdez Jens Wulff fariaha de
triga. M
Brigue norte-allemoConJordem.
Lugar portuguezO1W1diversos gneros.
Brigue inglez Eil-Jfarfjrcarvo.
Barca inglzaGasr/fccarvo.
Brigue ingleReguiatorluereaorias.
Import^^o.
Vapor brasileiro pibapama, 'viudo da Granja e
virios intermedios, ntanifeslou:
26 saceos algodo; a Antonio Alves de Moraes.
42 ditos di!", 384 raeios de sola, 1 couro salgado;
a LeitSo & C. .
29 saecns farlnha de maodioca, 32 coaros sal-
Sados, 2 garajos carne, 1161 meios de sola; a
[oraes & Irmo.
293 ditos de dita, 366 saceos farinha de mandio-
ca, 1 pacote peonas, 54. s a ceas algodo; a Jos
Lopes Davm:
46 ditas dito; a L. A de Sequeira.
82 ditas dito, 1 sacco resina, 321 melos de sola ;
a Luiz Goncalves da Silva Pinto.
32 ditos de dita, 14 molhos counnhos, 65 cou-
ros salgados, 6 saceos algodo; a Caldas & C.
2't ditas dito, 283 raeios de sola; a Gomes de
Mallos & Irmo. '
5 barricas sebo, 1 caixo pennas; a F. Joao ae
barros Jnior.
sacca3 algodo ; a Fonceca & Santos.
1 caixo queijns; a Oliveira, Miranda & G.
3 ditos ditos, 38 couros salgados, 13 garajaos
carne; a Cunha Irmos A C.
6 ditos dita; a Antonio P. de Montes.
3 ditas dita; a Silvinc Jos da Silva.
2 ditos dita ; a Jos de Slqueira Carvalho.
1 barrica queijos; a Antonio J. A. Bastos.
1 dita ditos ;'a Beltro, Oliveira & C.
20 ditas farinha de trigo; a Tasso Irmos &.
DECLARACOES.
Santa Casa de Misericordia do
Recife.
. Perante a Illma. juata administrativa da Sanu
Casa de Misericordia do Recite na sala das sestoes
no dia II do corrente tem d? arrematar-se o for-
necimento dos gi-nero* abaixo declarados que tiver
de consumir o,asylo de meudiddade seu cargo
nos mezes de s'ctombro novembro, saber:
Manteiga franceza, klcigramma.
Aletria, kilcgramrao.
Arroz, dem.
Azeite doce, litro.
Agurdente, dem.
Azeite de carrapau, dem.
Bacalro, kilogrammo.
Batatas, dem.
Cha hysson, idem.
Cha preto, dem.
Cebollas, cento.
Carne secca, kilogrammo.
Caf em grao, idem.
Farinha de mandioca, litro;
Fumo do Rio, kilogramaio.
Fejo, litro. *
Farello, sacco.
Manteiga inglpzi, kildgrammo.
l'eixe fresco, dem.
~'abao, dem.
Velas de carnabs. idem.
Vellas stearinas, dem.
Vinagre, litro.
vinho tinto, Idem!'
Dito braneo, idern.
Toncinho,- kilogrammo.
Sal, litro.
Os pretendeotes deverao apresentar suas pro-
postas de vida mente selladas, nesia secreuria at o
referido da.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife 8 de agosto de 1870.
O escrivo,
Pedro lodricaes de Sonzs.
forreio gcral.
Relaco das cartas registradas, procedentes
do sul o norte do imperio, existentes na
repartido do correio em 8 de agosto
de 1870.
Anlouio Machado Pereira Vianaa EHbo, Bernar-
do da Costa Valento, (^esar Pereira da Silva, Fran-
cisco Xavier Pereira de Brito, Hemeterio Jos Vel-
loso da Siiveira, Jolino Fernandes da Crnz, Joo
Florentino da Silva, Jos Paulo Maciel de Carva-
lho, Januario dos Guimares R. Pereira da Silva.
Jos Candido de Miranda Leilao, Miguel Jos da
Costa.
0 enearregado do registro,
Manoei dos Passos Miranda
C.
Despachos de exportaco no dia 7 de agosto
Na barca ingleza Resolucin, carregaram
para Kronsiad: Rabe Schramettau & C, 163 saccas
com 11,902 kilos de algodo.
-- No patacho dinamarquez Ame, carregaram
para Hamburgo : Kellor & C, 80 saceas com 5,953
kilos de algodo.
Na Darca franceza Veridiana, carregaram
para o Havre : E. A. Burle & C, 42 saccas com
3,354 kilos de algodo.
Na polaca hespanhola An;ea. carregou para
Barcelona : Pedro M. Maury, 167 saccas com
11,873 kilos de algodo.
No brigue inglez Jura, carregaram para o
Canal : Johuston Pater 4 C, 1,900 saceos com
143,073 kilos de assucar ; Jos da Silva Loyo &
Filho, 1,600 saceos com 120,000 kilos da assucar.
No vapor iqglez Gladiator, carregou para
Liverpool : Antonio Jos Dantas, 20,000 ponas de
boi.
Na barca portugueza 2Vot-o Marianna, carre-
garam para Lisboa : Oliveira, Filos & C, 815
couros seceos, salgados e espidiado com 9,330
kilos.
Da 9
No brigue ioglez Resolution, carregaram pa-
ra Kreustad : Keller & C, 100 saccas com 7,561
kilos de algod i; Rabe Sehamettau t C, 126 sac-
eas com 8,707 kilos de algodo.
No brigue dinamarquez Annf, carregaram
para Hamburgo: Keller & C, 50 saccas com
3,629 kilos de algodo.
No vapor inglez Gladiator, carregaram para
Liverpool: Rabe Schramettau dt C, 134 sacsas
cora 10,637 kilos.
Na barca portugaeza looa Marianna, carre-
garam para Lisboa : Jos Antonio da Silva Araujo,
30 saceos com 23,250 kilos de assucar ; Parete
Viaana & C, 40 coaros salgados com 466 kilos.
Na barca franceza JVri'dicma, carregaram
para o Havre: E. A. Bnrle 4G, 780 couros sal
gados com 9,350 kilos Tasso Irmos A C., 405
couros seceos com 3,480 kilos, e 2 saccas com
140 kilos de algodo.
ftECEBEDORlA DE RENDAS INTERNAS GK-
RAES DE PERNAMBUCO.
tendimentodo dia
dem do dia 10. .
Ia9
30:318*210
1:184*003
31:702*213
Rendimento do
dem do dia 10.
CONSULADO PROVINCAL
dia 1 a 9
33:066*256
1:089*628
34:153*874
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados n dia 10.
Rio de Janeiro e rWha-* dias, vapor'france*
Anunone, de 1372 toneladas, commandante
Geost, eqnipafera 130, carga vanos gneros;
Tisset frre.
MamanguapeVapor brasileiro Corvripe, de 222
toneladas, commandante Silva, equipgem l,
carga algodo ; companhia Pernambucana.
Granja-e portos intermedios9 dras, vapor brasi
lelro Pirapam de 360 toneladas, cortrnianflante
Azevedo, equipgem 30 ; companhia Pernam-
bucana.
JVaeos sahidos no mesmo dia.
Lhboa-i-BaTca portngaeza Alexandre Herculano,
eapuo Antonio Agostinho de Almeida ; em
lastro.
New-VorkLugar rnglez Sathte, capitiff Lwgge,
carga a mesma que frouxe.
McaloBarca Ingleza Miaitre, capitn Proee,
era lastra.
Porp* da sal--Vapor nraMIelro TocrfnfftM, com
mandante J. M. F. Franco, carga varios g-
neros.
Juizo dos feitos ta fazenda
De ordem do lllm. Sr. Dr. juiz dos feitos da fa
zenda desta provincia, fac.j saber todos os arre-
matantes dos ber do extincto vinculo de Itamb,
e bem assim seus fladores, que dentro do praso
de 15 das, a contar da data deste, e sob as penas
da le, devero comparecer por si .ou por seus pro-
curadores na thesouraria de fazeoda ; aquelles
que arremataram vista, para recnlherem aos co
fres da mesma thesouraria em dinheiro de contado
o respectivo preco, e aquelles que arremataram
praso, e seus fiadores para assignarem as letras,
que se obrigaro aceitar e garantir.
Recife 26 de jullio de 1870.
0 escrivo,
______Laiz Francisco Barreto de Almeida.
Santa Casa de Misericordia
. do Recife.
Perante a lllma. junta administrativa da Santa
Gasa de Misericordia do Recife, na sala das ses-
ses no da 11 do correnle, tem de arrematar-se o
fornecimento do assuear retinado de 1." e .' sor-
le, que tiver de consumir o asylo de mendicidade
seu cargo, nos mezes de seembro a novembro.
Secreuria da santa casa do misericordia do Re-
cife 8 de agosto de 1870.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza
Santa Caea de^ Misericordia
do Recife.
Perant* a Illma. junta administrativa da Santa
Casa de Misericordia do Recife, na sala das ses-
sessoes no dia 18 do correnle, lera de arrematar-
se o fornecimento do pao e bolacha qae tiver de
consumir o asylo de mendicidade sen cargo nos
mezes de setembro novembro.
agostao de 1870.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A Illm.a. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer. publico que
na ala de suas sesses, no da de agosto, pelas
4 horas da tarde, tem de ser arrematadas a quem
mais vantagens offerecer, pelo lempo de om a tres
annos, as rendas dos predios era seguida declara-
dos :
ESTABELECIMEMTO BE CARIDADE.
Ra largado Rosario.
! dito do sobrado n. 24 A. ... 400|000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Patea do Paraizo.
Loja da frente do sobrado n. 19. 161*000
Ra das Larangeiras.
Casa terrea n. 17.......1950O0
Ra de Gervasio Pires.
Casa terrea n. 39.......145O00
Rna do Pilar.
Casa terrea n. 103......203*000
dem n. 94........204*000
Idem n, 102........2OMO0O
Mera n. 109 .... r .. 3*000
Ideran. 93.........2044000
Sitio da Mirueira n. 4....... 107*000
Os pretndanlas devero apresentar no acto da
arremataco das suas Qaneaa ou comparecerem
aeompanhados dos respectivos fiadores.
Seeraiaria da Santa Caea da Misericordia do Re.
cit, 2 de agosto de 1870.
O escrivo,
Pedro Rodrieaei de Souaa,
COXCERTO INSTRUMENTAL
NO
S.1IAO
DO
CLUB PERMUTO
KM RKNEITICtO DO ARTWTA '
HERMOGENES NOR8ERTO DEGUSMO
Em 12 de agosta de 1870
Primeira parte
. Grande ouvertura por orchestra, dirigida pelo
dstincto maestro talas Filho.
l'luintasia solne motivos da opera^Sonnamfiuic
por A.
Tersctwk, ejecutada pa flauta pelo insigne ar-
tista Candido Filho.
Aria variada por Laurelli, executada na clari-
neti pelo anrociavel artista Francelino Theo-
doro do> Prazen-s, acpoipaahado a p,iano pelo
grande maestro Gnstavp.
Grande phantasia Soucenns lini, executala no pistn peto sympalmco artista
Bento da Silva Ramalho.
Segunda parte
Ouvertura pela orchestra. .
Grande pli.uii i-i.i, txecuiada na flauta pelo ce-
lebrado artista Salustiano Tenorio, com acompa-
nhamento peta orchestra.
Magnifico solo de opbecleide.executado peloapro-
veitado maestro Sr. Honrique Jansen.
Phaniasia sobre motivos da opera i due Foscari,
de S'erdi composta e executada na flauta pelo j
referido artista Candido Filho.
Urna banda marcial est a entrada do edificio
obsequiando as familias que cegarem com as pe-
cas do seu repertorio.
Comegar as 8 e 1/2 horas.
O beneficiado desde j agradece ao respeltavel
publico, e os seus collegas que coucorrem para o
brilhautisiao desie entrellmento, a sua generosa
coadjovaco, proiestando-lhes seu eterno reconlie-
ci ment.
0 raesmo beneficiado previne aos Srs. concur-
rentes, que por occasio da fnntcao ir recebtr
i/ valor de suas cadilras.
Os buhles acbam-se venda no mesmo Club.
THEATRO
COMPANHIA FRANCEZA
O empresario deste theatro tem a honra de
parteeipar ao respeitavel publico desta capital,
que acaba de ebegar de Paris a companhia per
elle mandada conuatar para dar espectculos de
declamaco e ranto, da qual sao artistas M.^
Brescia, M.lle Choiberl, M> Marette Tbierry e
Mrs. Antonia Carn, Joseph Raynaud e Alfred
Maris.
O etnprezario nao ousa transcrever o que o ?eu
correspondente de Paris, Ihe diz a respeito do
mrito destes artistas, esperando que o respeita-
vel publico que coocorrer ao theatro forme o sea
jaizo a tal respeito.
O empresario deste theatro nao se tem poupa-
do a despezas nem a fadigas, aflm de apresentar
um esiabelecimento digno desta capital ( onde vi-
ve desde 1837).
a _
Santa casa de misericordia do Recife 8 de O emprezario previne ao,llustrado publico, que
Santa casa de misericordia
dofcecife.
Perante a Illma. junta da sanu casa da miseri-
cordia do Recife, na sala de snas sesses, pelas 3
horas da Urda do dia.11 do corrente, tem de ir
praca o fornecimento ae carnes verdes que tiver
de consumir o asylo de n enoicidade nos mezes de
setembro novembro.
Santa casa da misericordia do Recife 8 de ages-
to de 1870.
0 esertvio,
Pedro Rodrigues de Souza.
Lo Moniteur Univenel a onvrt un aous-
crption nationale pour venir en aide atrf fanMHes
de cenx de nos soldaW qni niiiuifw ou seront
blesss pendaut h {fBeTre ; je sais cett* ocea-
sion de porter ce fait la conn^wfcw de mes
compatriotes et, j'ai l'honneur de les. mformer qae
o machinismo deste theatro feilo pelo hbil ar-
arlista Jos Alves Mouteiro, assim como todo o
scenario, pao de bocea e arco do procenio
executado pelo hbil pincel do distinto seoogra-
pho Mr. Chapelin.
O emprezario aproveita a occasio para dizer
ao publico que se acha aberta desde j, a assig-
natura para camarotes e eadeiras de i' e 2a clas-
se por 30 recitas, pelos precos abaixo declarados.
Camarotes de 1* ordem com 5 entra-
das, por 30 recitas.............. 300*000
Ditos de 2* ordem com 5 entrada por
30 recitas....................... 360*000
Ditos de 2* ordem ni. H, 1S, 13 e 14
com 6 entradas por 30 recitas..... 480*000
Cadeiras de 1* classe, 30 recitas..... 90*000
Ditas de 2< classe, 30 recitas....... 60*01
As pessoas que qujzerem assignar podem des-
de j derigir*se ao escrtptorio do theatro qae ar-
lar aberto desde s 7 horas da manha at as
6 da tarde, na ra Joo do Rege, antiga da Fio- -
rentina.
.'-O emprezario previne que vio entrar os ensaios
alim de principiar os seus trabalkos o mais breve
possiyel.

AVISOS MARTIMOS.
Para Lisboa
A barca portugueza Nova Marianna vai seguir
para Lisboa at 12 do corrente ;recbe carga a
frete a mdico preco, e passagelro, para o qne
tem bons cora modos : a tratar com Ohteira, Pi-
Ihos 4 C, no largo do Corpo San n. 19, primei-
ro andar.
COMPANHIA PEllflAMBUGANA ,
00
Navegado
costeira por uapor,
Goyaaaa.#
O vapor Parahyba seguir para o por ci-
ma no dia 16 do eorrente as 9 horas da nan*e.
Receba, encommendas, passagetros e dtoMto
a frete at- as 2 bofas da tarde no eacriatorio da
Forte do Mattort. 11.
Rui de Janeiro.
Pretende seguir para referida pona com a
onrvel brevidadeo pauaho MonMo par ter pm>
cao da carga engajada ; e para a qne Iba falta e
es era vos a frete, trata se cora o oensigaatam Joa
qulra Jos Goncarres Beltro a ra do CoMercto
n.17.
I

I


Diario Me Pian|fru6o Quinla eira H de Agosto de 170.
51
/

f
Ha
COUPAVIHA L'CANA
por vapor
0 vapor nacional Corurpe, commandanle S'
v, se*aik paii Itaroanfaabe no da II do cr-
rame M"*Motajth urde; Retobe carga, eoeom-
Muas.' pasrsaeeiros e dnteiro a freteaMasJ
betas a tatie do dia da sabida, no escriptorio
da cotnpanfiTa, Forte do Mattos p. ......
iDonpanhla americana e forasl
lclra de paquetes a vapor.
At o dh 5 de agosta esperado de New-
Tet, por S. Ttomitt, e Para o vapor americano
Mirtimaek, qflldepois da demora do eostutne
segairi pera ps pones do sol, para freles e paa-
gens trala-se com os tenles Henry Forster &
C. roa do Otoereio b. 9. t____________
Freta** seto* didbeir a 1^4 OjO para qual-
quer porto da escala do imperio, sendo quantils
maiorea de O.OtW. Tejad* eberte. seguro em
Lonres sobre fibs. iOO.OOO, por (ftlqnfer vaper
da linha, a companhli gara qualquer remessa
/de dinheiro a Ij6 Ort) para qaalquer porto da esca-
la no imperio. 'O valor deve Ser declarado em li-
bras esterlinas e d premio psgavel na mesma moe-
da ou seu eqai val ente._______________________
GOMPANHIA PERNA.MBCANA
DI
Navegar* costelra por vapor
Parahyba, Natal, Maco, Mo3SOfl Ara-
city, Cetra, Mandat, Acarac e
Granja.
a^TlV 0 vapor Jvguaiibr eommaadaat'
./xAl m Guilnerrae seguir para os porto ci-
ldnrf na no dia 13 do crrante as 5 hora;
daurdeT Recebe carga at o dia 12, encor-
mendas, e passageiros e dinheiro i (rete at as
S horas da tarde do dia da sahida no escripto-
rio do Forte do Matts n. 11
GQllPANflIA PERNaMBUCANA
n
Naregacio cosieira por vapor.
Fernando de Noroaha.
O vapor Giqut, commandante
Macedo. seguir para o porto cima
no dia 12 do torrente ao meio dia.
Recebe carga at o dia 11,
encommendas, passageiros e di-
nheiro a (Tete at s 10 horas do dia da sahida,
no escriptorio do Forte do Mattos a. 12.______
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegando costeirapor vapor
Macei escalas Penedo e Aracaj.
O vapor Mandahu, commandante
Julio,seguir para os porto* aeitnano
dia 13 do correte as 5 horas da
tarde. Recebe carga, encommendas, passagei-
r s dinheiro a frele at as 2 horas da tarde
do d'ajda sahida oo escriptorio do Forte do Mattos
n. 12.
ffiaranho
E' esperada do Rio de Janeiro ra poneos dias a
barca portuguesa Mara, que tra: ja alguma car-
ga para o referido porto ; e decarregando a que
para este eoodurir, recebera aqni a que for pos-
sivel obter para o Maranhao, o com pouca demo-
ra : por isso qnem desejar aprovoitar esta boa
occasio de embarque, dirija-se ao consignatario
joaquim Jos Goncalves Bellrao, ra do Com-
inercio n. 17.
PARA.
Para o referido porto, pretende seguir cora a
possivel brevidade a barca portugueza S. JoSo,
por ter j porcao da carga, e para a que Ihe falta
a frete commodo, trata-se com o consignatario
Joaquim Jos Goncalves Beltro : a ra do Com-
mercio n. 17.
LEILOES.
LE1LA0
de 234 saccas de algodfto
em rama .
A 11 do correte.
Saunders Brother A C. farao letlao, por ordem
e em presen do Sr. cnsul de S. M. Britannica
nesta cidade,'por :onta e risco do quem perien-
cer, e por intervencao do agente Olivrira, prece-
dida a autcrTsacSo da alfaadega e com assistencia
de um seu emp'regado fiscal, de 234 saccas de al-
gndao em grande parte a granel, recolhidas nos
armazens Trapiche e Caes do Ramos ns. 14 a 16,
e o qual fura incendiado bardo da alvarenga que
o conduzia, j despachado, para ser embarcado
bordo do vapor inglez Saphire
HOJE
.19 meio dia em ponto, nos indicados armazens
Trapiche e Caes do Ramos ns. li a 16, Dairro de
Santo. Antonio._______________________________
LEILAO
uma*carfceira homtjopathka
com tubos
e tintura de Cataln
Sexta-feira 12 do corrate ao meio dia
per ieterveocao 4o agente Pinto, na casa n. 4 da
ni dos Goararapes, onde haveti anteriormente
lefio de movis, louca e vrdros.
O&ANDE
importantes movis, qumquilharias, espe-
hos, candieiros de porcelana, carnes de
ferro, velocpedos, carrinhos para meni-
nos e outros muitos argos para sor-
ment de qaalquer loja
Seta-feira 12 docorrente
No novo armazem da roa Nova n. 84, jnnto
madama Theard.
O agente Martn* far Wlio por con! e risco de
quem pertencer, dos artigos cima, para liquidar
facturas, s 11 horas do dia cima.
PARA
LIQUIDADO
constando de snperiuros clHpos, ehapellmaj,
gorros, grvalas,., toncas, sapatinhosf coques,
forros, estampas, fivella, linbas, bicos, eseoavi-
has, Dtas, vidrilhos, trancas, cordoes de retroz,
lores, machinas, vo< e plumas, e numerosos
outros artigos, todos das melbores qualidades, e
que constituem perfeito sortimen'.o de ama loja
de chapellaria
A 12 do corrente
Bastos & Silva farao leilo por iniervencio do
agente Oliveira, das meroadorias sapramenciona-
das, e que formavam a maior parte do bello esta
belecimento de chapellaria ouir'ora pertencente ao
9r. Vieira, sito ra >da Gadeia n. 42, onde ser
effectuado o leilo sexta-feira, principiando s 10
horas da manha.______________
LEILAO
DE
MOVIS
louca, liy'OS..asaber:
Um piano, urna mobilia, cadoiras de balances,
jarros para flores, candieiros, casticaes e man-
gas, esteira forrada para sala, escarradeiras,
differentes livros em inglez e quatro quadros.
Duas camas, 2 lavatorios, 1 guarda-roupa e 2
commodas.
Urna mesa elastira, 1 gnarda-louca, 1 apparador,
1 marqueza, 12 cadeiras, lonc para cha, 1 ap-
parelhooarajanlar, dito de.'ert, garrafas, copos,
clices, compteiras, garfos^ facas, colheres, me-
sas, flandres, pote3 e trem de cozinba
Sexta-feira 12 de agosto, na ra dos Guarara-
pes n. 4.
O agente Pinto, autorisado por nma pessoa que
retira-se para a Europa levar leilo os movis
e mais objectos cima descriptos existentes na casa
da ra dos Guaiarapes n. 4, onde se efft>ctuara o
leilo.
Principiar 10 horas.
ida:

a 3
B s-
Pillas assucaradas de
NE rTEm
NAO CONTEM NEM CALOMELANOS
OtJl} MIKEBAL.
A grande fiewssidade e falta de um ca-
thartico ou de uffla medicina purgativa, ha
muito que tem sWo sentida, tanto pe
vo, como mesrriO1 por meio da facul
medica; e por isso, infinito o gi
prazer que sentimos, em pdennos'J&m .
toda a confianza e seguridade, recommerj^k^ JM
as pilulas vegetaes assucaradas de Bristol, i
como ama excellente medicina purgativa, a "
qual encerra om si todas as partes e mais*
ingredientes essenciaes, tornando-se em um
perfrfto, seguro e agradavcl cathartico dfe
familia. Este remedio nao composto
dessas ^drogas ordinariamente uias na
composiejo dessas pululas, que-por ahi se
vehdeih, m* sim, sao fttparadas com as
mais finas e superiores qualidades de raizes
mediftiaes, hervas e plantas, depois de se
haver chimicament extrahido e separado,
os principios activos, ou aquellas partes
que contem o verdadeiro valor medicinal,
daquellas porcSes fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu-
de. Entre esses agentes activos oa ingre-
dientes especficos, podemos nomear a po-
dophfftiin, a qual segundo a experiencia
mm demonstrado, possue um poder o mais
^jaravilhoso possivel sobre as regies do
ligado, assim como sobre todas as secre-
?oes .biliosas. Isto de combinaco com o
leptandrm, e mais alguns extractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, consti-
tuem e formam urna pilula purgativa, tor-
nando-se por isso muitissimo superior, i
qualquer urna outra medicina da mesma
natureza, que jamis fora apresentado ao
publico. As pilulas vegetaes assucaradas
de Bristol, acharae-hao sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente efi-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam as segumtes.
Hydropesia dosmem-
bros ou do corpo,
Affec?oes do figado,
Ictericia,
Hemorrodias,
Mau hlito, e irregu-
laridades do sexo
femenino.
Dores de caneca.
I 0 Dr- Caroko Pulseo de Lima San
I ""alr* ** e consultorio
I S AIS*-*9 lapenidor a. 57, i" andar
"*in Mleervaain-
ii*|W' tendo a
'que pe!, latnMBthtfl Sete
WO, 9'Biemo enmero 87, da
entt. -Xbi eontfnnando o dilo Dr. no
exertfcwft swproAsio da tnedico e
de or*rdr,t>*%Br-proeabdb a qaal-
quer hora 4o Wa e da^nowe.
B M
s 8
ti
8- i
^3 03
s 0 /T

a
B

l
&
LEILWI
180 caixas
charutos da
DA
barca ingleza Wobara Abbey
A 19 di) corrente..
O capito David Janes far leilo, de accordo e
em presenca do Sr. c nsul do S. M. Britannica
nesta cidade, por mlemnco do agente Oliveira,
e conta e risco de quem psrlenccr, precedida a
competente aatcrisaco da aifandega, com assis-
tencia de um seu mpregado fiscal, do casco da
referida barca Woburn Abbey, com a mastreagao,
pertences e mais objectos que nella porventura
forem encontrados, e tal qual se acha no lugar
Ponta de Pedras ao norte d'csU provincia, onde
recentemente naufragara na sua viagern prece-
dente de Liverpool, com de-tino a ordem
Quarta-felra
s 11 horas da ir.anlia, no armazem alfandegado
do baiao do Livramenlo, ao caes do Apollo, lugar
em que se acham vanos salvados da mesma bar-
ca, que sero em seguida arrematados.
AVISOS DIVERSOS.
Dspepsia, ou indi-
gesteo,
dAstringencia, ou..
prisSo do ventre
habitual,
Azia do estomago e
flatulencia,
Perda do apetite,
Edtomago sujo,
Em todas as molestias que derivam ?
ua origem da massa do sangue: a salsa
parrilha de Bristol esse melhor de todof
os purificadores deve ser tomado conjnn
tamente com as pilulas, pois que estas
suas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obrarem de harmona urna
com a outra, quando fielmente assim se faz,
nao nos resta a menor duvida em dizer,
que no maior numero dos casos, podemos
affianoar nao s um grande alivio, como
tambem urna cura prompta e radical, isto
est bem visto, quando o doente nao se
ache n'um estado muto alm dos recursos
liumnos.
DE
com
Babia
HOJE
O agente Pestaa far ieilao por conta e risco
de quem pertencer, de 180 caixas com charutos
da Bahia, no dia qajma-fetra 11 do crreme, s
11 horas da manha, no armaiem do Annes, de-
fronte da alfandega.
LEILAO
DE
20 barris com .mantei-
ga inglesa
HOJE.
O agente Pestaa far leilo por conta e risco
de quem pertencer, de 20 barris com manteiga in-
sleza vindos pelo na'io inglez ReideX Quem, os
>|uaes sero vendidos era um ou mais lotes von-
tade, no dia quinta-feira 11 do corrente, s H ho-
ras da manha, no armazem do Annes, defronte
d;> alfandega._________________'
LEILAO
Gabinete Portuguez
de Leitnra.
De ordem do nim. Sr. presidente convido aos
senhores socios nomeados para a comtoisso de
decoraco comparecerem no edificio do Gabinete
hoje, pelas 6 horas da tarde, alim de melhor com-
binarse o programma do3 festejos a fazer se pele
19 anniversario desta civilisada instituico, cuja
solemnidade Ihe d tanto brilho.
Sala das sessoes da comraisso encarregada dos
festejos em 11 de agosto de 1870.
Manoel F. Velloso.
Io secretario.
Divino Espirito
Santo
Erecta no convento de Santo Aoto
nio da cidade do Recite.
Por ordem da mesa regedora sao con-
vidados todos os nossos charissimos ir-
anos para incorporados acompanhar-
mos a procisso da 1'magem de N. S de
Boni Conseibo, que tem de ser trasladada
do convento de SantD Antonio para a ca-
pella de S. Francisco Xavier, pelaS 3 1|2
horas da tarde, na segn la-frira 15 do
vigente, para o que fomos convidados;
e a mesma mesa regeaora espera o eora-
parecimento de nossos irmos para bri-
Inantismo do mesmoacto.
mnibus de tiboatak)
^.proprietarlo'o uiiw'fhns de Jaboatao faipu-
qne para corntaMoafle da pessoas cfn>
ir gozar dos baus de Jaboatao, ha-
lo 14, as 6 horllih manha, um ,OQitilbn
qnejpltar na segunaWira as 8 bora'f
Bbw<
ADTOSlOU.
ODR.fMQM OORREA DB.ARAVM
lem o n serrptnn rna doiinwrauul1'1
n. 67, onde pide ser procurado das 9 ho^,
ras da manhla s 3 da tarde.
The tivepool rx.op
don k Globe Insir-
rce-Coitipty.
Companhia ingleza de seguros contra-fogo,
estabelecida em 1830.
Capital e fatulos de reserva
Rs. 3fl.S0(}:i;0*
Os agentes desta companhia tomam seguros so-
bre propriedades. gneros e fazendas armazenadas,
mobilias, etc., etc., e estao ignalmente antorisados
saldarem aqui quaesquer reclamacow.
Saunders Brothrrs & C,
Praca do Corpo Santo n. H.
A verddeira farinha peitOral de
S. Bento.
Esta farinha osada com vantajosoe resulta-
dos nw padeermentos dos orgos do peito,
como aslhnia ou puL'hamisnto de catharros,
inflama^ao di' bofe, plourizes e na plhysica; re-
commndando se com igual proveito Me pessoas
ciiuvaleeentes
nico deposito na ph-irmacia e drogara.
DE
BaTlholomeu & C.
Rui larga do Rosario34
1"
s i?
it JTte
g- p
des norddentschen Btraes
in Pernambuoo.
Aufnif ao alie Dentschen!
Da in die*em AugenMicke in alien Weltiheilen
fuer den Verein zur Yerpfleguung verwndeter
uhd erkrankter Kriegtr Beitraege gesamnielt
worden um auch fern von der Heimalheinen
Theil d>r Last zu tragen, ie unserm Vaterlande
dnrch fremdem Ehrgeiz anfgebuerdet wurde, for-
dere ch alie Dentschen auf, eine Sammlungoliste
zu feichnen, die auf diesem Conulate ausgele-
get ist.
//. Ledebour
_ ____________Ccnsnlats-Verweser.
O abaixo assignado faz saber aos socios da
extinct sociedade Bella Unjo, que todo aquelle
que tiver alguma reclamado a fjzer sobre os
pertences da mesma, aprsenle-se no praso de 3
dias; passados os quaes nao se annuiar a re-
clamado alguma, e sero o; roesmos pertences
vendidos em pra--a para pagar aos credores da
mesma e o resto entregar-se-ha como os estatutos
determinara.
Recifc, 10 de agosto de 1870.
Jo Francisco de Figueired
cT 8
So.
es a
e-3
o
&
PJ
l
e>,
,1 l
TS
9
PJ tu
g"
re 2
'o O.T5-e8Q 3 d < TT.BC
. ir, rf, aa tm ~. CZ) liJ 0 B
= a <-iK,"5o S ^. a a
COK)
i a.rs ti
O o B* ^
ggF
l5
!!?>.
3 r r & '-a
~> a.5f ?? 0 =
n a, '* ce 2
a v> O
c- n r> o ?f
os a
p-S

<- R
B
P
O
O.

ESTABTO MENELEQEM 1832
A
a n y ,-
A viuva D. Marra Preseiliana Vilella dos San-
tos e sons lillios, agradecendo as pessoas que
acompanharam a sepultura a sna presada irma
e tia D. Leopoldina Vilella do Castro lavaros,
con>ida-os, bem como, a seus patentas e amigos
para assistirem s tnissas que m.mdam celebrar
s 7 hora* da manha n> dia 13 do corrente. 7o
dia do son fallecimento. n" coft^pi' do ('.armo.

48 canastras
Hbje
0 agente Pestaa far
DE
com alhos
novos
leilo por conta e riseo
de vo, as caaes serio Vendidas em tun ou mais lotes
a ?teaieNlos comprado res, tojfras 'ff ffleia ho-
ras da manha, no armazem do Annes, defronte
, Ao correr do martello
Na taberna sita ra do Lirra-
raento n. 39.
Jeronymo Amancio de Swia RoJiaii com con*
sentimento dos seas credores e par pagemeete
dos mesmQs,-ar leilo por iniervencio o apon
Pootaal, di armacio e,, gneros existentes na sna
taberna ettaTi rtt do Lfvramento n. 39, em diver-
sos lotes ata npradores
HOJE
A's 11 horas do dia,
Aos Olindens
s.
Parahens aos habitantes de Olinda, antiga capi-
tal de Pernambuco, pelo augmento que daqui em
diante deve ter com a coumunicacaa da via-fer-
rea, illuminaco a gaz e enianamento d'acua po-
tavel, pois acabo de visitar aquella cidade, e de
observar alguma differenea sobre certas cousas,
com especialidade nra acto da lllnia, cmara mu-
nicipal, que devota prosperidade e attenco ao
bem publico, eoncedendo faculdade para abrirem
um ai;ougue no lugar do Yaradouro, falta de que
se resenta a populaco daquella localidade. De
tal municipalidade, pojs, se devem esperar outros
beneficios iguaes, que tenham por Um o engrande
Cimento daquella histrica cidade.
Um visitante de Olinda. .
Precisa-se
da Praia n
ir
Ama
i dcima ajaa para ooifnhar : na ra
3*7,'! andar.
Gabinete Portuguez deLeitura
A directora do Gabinete Portnguei de Leitnra
sctentiAeft ios senhores associados, que a testa do
19* aaoivarsario. de sua instaacio, dever ter lu
gar desneg-21 do correte, e sen programan
ser convenientemente annunciado.
Secretaria da directora do Gabinete Portuguez
de Leitura em Pernambuco 10 de agosto de 1870.
Antonio de Alboqaenfae Mello,
3 Secretario.
- Alagase o 2* e 3* andar d ra Duque de
Casias n. 9, muito fresco, e com bonita vista :
(tratar no raesroo obrado aidar das 9 ao roeio
Un.
D. Antonia Francisca da Conceico Caldas, viu-
va de Manoel Pererr Caldas, agra'dece de todo seu
coraco. s pessoas que se digoaram acompanhar
o oadaver de seu prezado msrtdo sua uihma
morada ; e convida aos mesmos senhores. para as-
sistirem as musas que se tem de iesar no stimo
dia do seu fatteciraento na igrtja matriz o Corpo
Santo, sexta-feira 12 do correni, as 6 oras da
manha.
Ama de leite.
No 1" andar do Sobftftb n. 1 da ra do Viscon-
de de Goranna (antiga rtta do Cotovello) esquina
da de S. Goocalo, ha urna ama de leite para aln-
gar;" e torn-se recommendavel por ser escreva
ca, carintosa para com mental, e(w.Bao
tem filho. *
naniwii
H0ME0PATHI1
Precisa-fe de urna ama srtca para casa de pe-
quea familia : a tratar na ra estreita c Rosa-
rio n. 32, 3o andar.
Salsaparillm de Bristol.
LEGITIMA E 0RIGIN.\L
FRASCOS GRAJtDES
^
O Dr. Casanova
qualquer har| sai
cial homeof
Santo Ant
>de ser procurado a
asultorio espe-
rD da matriz de
consultorio
tem sempre tfortrmehtSs flos acreditados!
medicamentos de homeopathla de Weber 1
k Catellan em tintaras, e em flobulo?, ej
mdo qnanto necessario para as peso
qne seguem este systema. "j
Os pobres foram sempre e eonnnam .
a ser tratilos graWittmente.
Na travessa da roa
das Crozcs n, 2, pri-
meiro andar, da-sc di-
nheiro sobre penhores
de onro, prata e brilhan-
tes, seja qnal for aqean-
tia. Na mesma casacom-
pram-se os mesmos me-
taos e pedras.
Avise
O abaixo assignado declara, que para elle, na-
da val, (se arada existe,) uffla letra da quantia de
5O0OOO qne poz o acceite e a sua firma, a fa-
vor do Sr. Antonio Vieira Lins Wanderley, por-
que em 14 de seterabro, mez antes do vencimento,
- pagou, e nao Ihe sepdo dita letra entregue, Ihe
passou o ex-creor (Vieira) recibo de 500jK)00,eom
brgac.o de ntrega-la no indicado vencimento ;
passa-se esse lempo e outra maior, chamado a
iuizo, pede e obtem mais quatjo mezes, que j
como os mais expiraram, sera ser entregue a falla-
da lettra, a quem nada deve por ella, ( e absolu-
tamente a ningnem).
Escada, 21 de julho de 1870.
Joo de Aranjo de Mesquita Lima.
Existe para se alugar uraa ama com bas-
lante leite : tratar no Qaatro-.Cmos da rna de
' S. GncaTo n. 1. _______
iao
Precisa-se de ama ama pare servir em casa d
ditas pessoas: a tratar na ra eatreJU do Rosario
n, 35, eartone,
Roubaram no dia 29 do mez prximo passado
da caaa, do abaixo assignado, 3 anneis de brilhan-
tes, sendo um Gravado oom cinco pedras grandes
no va'.or de 800*000. mais hs no .vajor Se
1^1000 reis cada nm : a pewoMp dellK der
notteta aera gratificado com 200#O0Q pelo abaixo
a*aW,ideaoStQdel87(K
Salvador Lette Vidigal.
OGRANDE PURIFIC\DOR DO SANGUE I
Esta excellerrte e admiravel medicina, e
preparada d'irma manoira a mais scientiQ-
ca por Cliimicos e Droguistas mu i doutos e
d'uma instrueo profunda, tendo tido mui-
tos annos de experiencia ao par d'uma ton-
ga e laboriosa pratica.
A sua composicao nao consiste d'um sim-
ple extracto d'um s artigo; mas sim,
composta d'stractos d'um numero de rai-
zes, hervas, cascas, e folhas, possuindo to-
das ellas, sua virtude eSpec'wl ou poder
em curar as molestias as qiiaes teem sede
ou essento, no sangue ou nos humores^;
e estes differentes extractos vegetaes, acham-
se por urna tal forma combinados ponto
de conservarem em toda a sua torga, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um de
per si possue. A raiz da planta de Salsa-
parrilha, produzida as Honduras, a que
nos usamos nesta preparago, sendo a qua-
lidade que todos os mdicos mais prezam
e estimam. Na composiejo da Salsa-
parrilka de Bristol entra mais de 50
por cento deste concentrado extracto. Ella
nao encerra em si coasa alguma, que pos-
sa por leve ser perigosa ou injuriosa
sade; e tanto n'este, corno em dos os mais respeitos, ella inteiramente
diversa de todas essas mais preparaces,
as quaes debaixo do nome de Salsaparr-
iha, sao acondicionadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada em doses
mui diminuas d'uma cofter de cha por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARRIBA DE BRISTOL
em frascos grandes, e assim por este modo,
dividimos com os consumidores, o grande
proveito e vntagem alcanzado por aquelles
que acondicionam sua preparacSo em gar-
rafas pequeas. Cada um dos frascos da
nossa Stftsaparriiha de Bristol
oonteem a messa quantidade igual porclo
contidanaquallas garrafas pequeas, e alm
disso, possue ainda multo mais forca e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa achat contida dentro de
seis garrafas d pequeo1 tamanho. Por-
tante mui natural) que aquelles, que se
acham oceupados em preparar e vender as
suas producj^es, em .garrafas pequeas,
"amrmurem e gntem contratos nossos fras-
cos grandes.* proclamando, que a nossa Sal-
saparrllha de Bristol nao possue a
menor virtude; por9m->q|3o effectvamen-
te s3o elles postos. em silencio, quando indi-
oaraos, ou simpfesmente referimo-nos para
com essas centenares de certidoes e tes-
temunhos authentteps, por nos recebidos
de todas as clases da sociedade, nos quaes
aw^ n A nndw r.uiHtivD e vir->
differentes raizes, drogas, hervas, e plan-
' tas de que se compoem as nossas medicinas,
sao produzidas, que nos habilita exer-
cer aquelle constante cuidado e disvclk na
minuciosa escolha; e o que assegura e ga-
rante tmiformidade de extellencia.
Em quanto que, por outro lado, nos nao
nos poupamos nem a dinheiro, nem dili-
gencias ; afim de alcancarmos o melbor
e nicamente o melhorde cada ura artigo
ou ingridiente que entra, na sua composi-
Cao; pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva conianca; que po-
demos afoutamente dizer aos doentes de to-
das as nacoes, e de todos os paizes, que n:v
Salsaparrilha de Bristol. pnssueB
om remedio mais eicaz e seguro ; to qpw
nenhum ontro, que vos tenha sid<+ offere-
cido at hoje, e o qual por certo n5o hade
mallograr vossas expectativas, na pnunpta
e effectiva cura das seguintes mfenndades
Precia-se alugar am preto que seja M
na padaria da travessa da roa dos Pires q, 9.
^mmente df&ta&o jdW curativo
ludes maravilhosas da nossa.___
SALSAPARRILHA DE BRISTOL
A vafitagem de termos os nossos pro-
prios agentes nairrjUes lugares aonde as
Lepra, febres intermittentcs e remitten^es,
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, achar-se-ha, que para o bom
resultado e perfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades aeima apontadas o adiau-
tamento da cura, grandemente promovi-
do e apressurado; usando s ao mesmo
tempe das nossas mui valiosa pilotas
vegetaes assucaradas de Bristol,
tomadas em doses moderadas em connec-
Co ou conjunctamente com a Salsaparrilha;
ellas fazem remover e expellir grandes
quantidades de materias morbficas e hu-
mores viciados que se desprendem e Bvre-
mente circulam espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso da Salsaparrilha;
por esta forma facilita a volta e o exercicio
normal das operace* funecionaes,
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo 4C..P. Majam
G., B.M ,(c A.arbosa, Bart.olomeu C 6.
0 CIRMIO BMISTA
Frederico Maya
Tem a honra de scientificar ao respeita-
vei publico ta geral, e aos seos cliente
em particular que elle mudou o seu gab).
nete de consultas da ra Direita n. 12 para
a do Queimado n. 31 primeiro andar, com
a entrada p>lo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de sua
profissao, todos os dias uteis das 9 hora
drmanhaa s 3 da Urde.
Tambem previne, que continua a prest
se a vontade os clientes nio s na cwiaaa
como nos seus suburbios, para onda as-
idas serao precedida de ajuste. Ene ga-
rante o bom desempenho e a perfeicao da
seos trabalbos, o que j bem conhectdo,
assim como as commodidades dos pr*>$oft.
Na praca d independencia n. 33 se d*t
aheiro sobre penhotes de attro, prata e' pedras
preciosas, seja qnal for a qaani.; tai
sasa se compra e vende objectos de onro e
s igualmente se fax toda e qaaJqoer obra
Maeada, e todo e qaalquer concert '
I i mesma arte.
Escrfulas, T'mha. .-
Cliagas antigs, Syphis^onMal Ve- ;.
nreo
Ulceras, Humores Escrofu-
losos,
Feridas Ulcerosas, Irreguiaridadesdo-Sexo
Tumores Feminino,
Abscessos Apostemas, Nervosidade,
Erupces, Debilidade Geral,
Herpes, Febra e Malignase
Salsagem Febre e Sezoes
Impigens, Biliosas,



iario

Mograpbii imperial
t
GALERA WB PI\TIHA
J. Ferrmra Vtlhla
Betde o da 7 de abril pausado acha-se abertoo
Boro sttbejecimeol pnetographico silo 4, roa do
Cabug n. 18, esquina? dopateo >la matriz. Oatraba-
rhos que desde entae, tem sabido de nossa oficina
tea feralmente agradado, sendo reeebidos por
algosa com admiradlo pelo extraordinarb pro-
gresso que ltimamente tem tido a pholi graphia.
e por outros com alegra, par verem a provincia
dotada com um eslabelecimenlo digno d ella, c in-
contestavelmente o primeiro que nesse genero
boje pcssue : tambem nao nos poupamns em cousa
algum a para montadlo do p em que se acbs, es-
perando que o publico de Pernambuco saber
preciar bVssos esforcos o recompensar nossos sa-
crificios.
Convidamos a todas aquellas pessoas, nacionaes
estrangeiras que-goslam das artes, ou tiverem
oecessidade de trabados de photograpbia a visi-
taren o nosso estabeieclmento, que estar, sempre
aberto e sua dispbsico todos os das desde as 7
horas da manbaa al as 6 da urde.
Para os trabalbos de pbotographia possuimos di
versas machinas dosmelhores autores franoezes.
ingieres e allmerxes, como sejam : Lerebonrs et
Secretan, Hermagis, Thomaz Koss, Voigander et
Sonb eWalf. 'timamente recebemos tres novas
machina sendo urna dellas propria para tomar
obre o mesmo vidro 4 oa 8 imagens diversas e
i soladas, outra de 6 a 12 imagens diversas
igualmente soladas, de sorte que no caso de
grande concurrencia poderemos retratar sdbre
urna nica ebapa at K pessoas diversas e sola-
das para oartSes de visita, e assim em menas de
m quarto de hora pessoas'qoe pecam cada uma, umaduzia de candes
mais oa menos, com us seus retratos smente, ou
em rapo com outras.
Enoarregamos-nos exclusivamente da direcco
feitura dos trabalbos de pbotographia e't-
xando pnela e talentos do disliocto pintor
allemao, o Sr.
Jorge A. Roth
os trabalbos de pintura, a aquareia, a olee, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escritura publica, e at o presente tem-se
desvedado na execucao de seus trabalbos.
No nosso estabelecimento achara-se expostos ou-
tros trabalhos innwrtantes do Sr. Rolb, tanto em
miniaturas aquarella como oleo, retratos
oleo, quadros- sacros e diversos outros trabalbos.
Tomamos eneotnmendas de retratos oteo at o
tamnho natural, assim como de quadros sacros
para ornamentado de igrejas ou capellas. Tam-
bem aceitamos encommendas de quadros bistori
os.
Asseguramos que os precos dos dwersos tra
balbos da nossa casa sao mu rasoaveis.
cartBes de vkta NAO COLORIDOS A 1-OjJOO A
DCZIA
CARTOES DEN VISITA COM O COLORDO A0 NAITU
RALA l6(5UOO A DHA
Retrates em miniatura oleo oa aquarella de
16 20$O00 cada um, indo convenieatemente-en-
caixilbado em moldura dourada e regulando o
busto da pessoa retratada ce 3 4 poilegadas
todo o quadro palmo e meio de tamaho
Julgamos que bastarlo os presos cima para
darmos idea da baratesa dos trabalbos do nosso
establecimenlo, quanto sua perfei^ao cada um
venba julgar. por seus proprios olhos.
As inelhores horas para se tirarem retratos^ no
nosso eslabelecimeoto sao das 8 horas da manhaai
1 da tarie; entretanto de uma hora as 3 da tarde
em casos especiaos pde-se tambem retratar qual
quer pessoa.
Nos das de coeva, ou por tempo sombro po-
demos retratar, e asseguramos que esses das-sao
os mais favoraveis aos trabalbos de pbotographia
pela docura e persistencia da luz, e pe r termos o
nosso lerrac construido com taes proporcoes -e
methoramentos, qoe anda chovendo a ;orros ne-
nham nconveniete ha para fazer-se bellos Fe
tratos.
J. F.rreira Viiiela.
Nova padaria
americana, ra do? Pire* n. 30 ; d'ora em diante
continuar a Tazar pao e bolacha de farioha espe
al de 1* sorte para mellior agradar a seus fre
guezes. _______
UM UESCOBRI^ENTO ESPANTOSO
XAROpE DE FEDEGOSO DE PNTO
Para as molestias do peito, tosses, as-
tria, bronebite, etc.
Attestados.
Illm. -Sr. Joaquim de Almeida Pinto. Braga,
25 de Janeiro a- 1868. Meo amigo, aqu che-
guei csiis algumas mtlhora*; depots de ter to-
maso tres garrafas do sea preparadoXAROPE
QE FEDEGOS-; i-to, pelo mar, porque lo-
go que obeguei e Lisboa, principie* com mais
a tomar o dito xarope, por conheeer pelo mar
que elle me fazia grande beneficio, pois vista
c da grande qnanlidae de sangue que eu botava
pela boceo, vi que we ia desapparecendo com
rapidez, rope, e te milagroso foi para miaba molestia,
que hoje roe acho de todo restaboleeida, e at
* mesmo ;i-\ante nutrido, -e por isso pode Vmc.
< fazer ratoirte ao publico o milagre que o sea
pjeparado obroa na rainha enfermifiade. Sem
:tempo para mais, sou de Vmc.
Amigo attento veoerador e mniio obrigado
Manoel Jos toagalves Persira.
Illm. r. Joaquia de Almeida Pinto,
i Ha muito qoe ouvia proclamar as excedentes
- propriedades do XAROPE DE FEDEGOSO con-
- traaitossa e athma, e stiTrendo eu de urna
- tosse pertinaz, e tiendo nsao de (oda a sorte de
- medicamentos, ali-me, pois, do XAROPE DE
* FEDEGOSO, e ama garrafa rnente foi bastante
< para restabel^cer-me, e me vejo ao robusta co-
<* ib1) dantes : suceombiria de certo a nao ter
osado sen XAROPE DE FEDEGOSO.
< A' vista disto nao tenho expressiies -com que
m exprima a V. S. a gcatido de qoe loe devedor
o de V. S. attento venerador e criado >
Joao da Costa, Reg.
Unico deposito, pharmacia de Jsaquirn de
Almeida Pino, ra larga do Rosario
n. 10, >anto ao guartel de polica.
Agencia em Pernamfeuoo
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cereja
Cora aphthysica e todas as molestias do jeito.
salea parrilha
Cara loaras e chagas antigat, impigens e dar-
tros.
Tonteo
Conserva iimpa os cabellos.
Ptalas eat bar ticas.
i&
&

aO
SB5
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
escala de poder servir vanidosamente os seus freguezes, atten-
to o grande sortimento de jolas d'ouro, prata 6 brilhantes. que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cujos presos sao em competiveis e as obras garantidas
da le.
ttOltJEIK 1l MIARTE C.
PHARMACU CENTRAL
Ra dolmpenwor n. 38
Xarope de lactucario d'Auberjuir, e de
ihery decio d'Abbadie recomaeodos,
como calmaotes para os casos, em que se
nSo pode usar, do opio e de seus prepara-
dos, e mu cenvenieotes pan ai criancas
nos espasmos e couvulsoes.

CA CENTRAL RA DO
DORN.38.
Preparaos d'alcatro em capsulas, licor,
e xarope ferruginoso.
Honsenhor Dr. Gregorio Uaparoai, reuor do
seminario episcopal de Olinda, k-giiimo adminis-
trador da capella de Sant'Anna do Rio Doce, termo
daOlinda, possuiodo as necessarias acuidades,
tem resolvido de arrendar os dons sities da co-
qaeiros contiguos e pertencentes i esta capella,
com casa de pedra cal ; ludo conforme.ao edita}
relativo qoe se acha na cmara episcopal de Olio-
da, onde al ao da 23 de agoste do correte anno
.(1870) se recetario as propostta de dita arrenda-
mento.
Precisa se de ama ama que silba bem c iJMr qneira sabir ra : a tratar aa raa do be-
bo n, 29.
i
-i s?co a es
m ri. p *o o
B eo
* O Sj fe a
- B> O X o*
D w
O O
*-* o
B5 5
S-2 "-
^
c -
lHl^s
3
o
s

I
I
5
a

i
sr
i

B.3
i I
&3
eo -
O 03
O.
fs-?5-|.I
go eo /_, m G>
2 xi sr o b
a, ^ o

o
-1
a
ot
o'
Da
S-B B
x a 2.
"5 "5 o <
&.,!.
o 2 g.
lilil"
o o ? o
Bi.S'g-Ho
SE?" a mar
N B U tt
AOS SRSa ALFAIATES
Cbegou foja das Colunnas, da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia de
Vasconsellos, superior velludo preto de seda.
GHANDI NOVIDADE
etrac das uteis, das 10 horas at meiodia
PELO
EMPREGO DO
PROTOXYDE D AZOTE
no gsbinete do cirurgiio dentista FREDERICO GAUTIER
19Baia Nova19
0 qual, achando-se relacionado com os mais celebres dentintas de Paris, adquiri
com elles, na urma viagem Franca, o modo de preparar e empregar este excellente
anestbesico de que se pode sempre usar sem inconveniente algum, e produz insensibili-
dade completa. .
O mesmo aproveita a occasio para lembrar ao espeitavel publico que no
seu gabinete continua-se a azer tedas as operacoes da sua arte e collocar deates por
todos os systemas: com oaro, platina ou vulcanite, segundo os casos.
Espectalidade de obturages cora ouro puro.
Irmandade acadmica
DE
N. S. doBom Consellio.
De ordem de nosso irmao juii convido a mesa
administrativa dessa cjrporacao i reunir-so no
da 11 do correte, as 11 horas da manhaa, no
convento de Santo Antonio, para tratar-se de ne-
gocios qoe sao relativos mesma irmandade.
Consistorio da Irmandade Acadmica aos 9 de
agosto de 1870.
O secretario,
Camillq Correia Dantas.
NOTICIAS
OA
GUERRA
entre" a franca e a pessia.
Na livraria franceza assignara-se os seguntes
jornaej, que relatam com minuciosidade todos os
acdotecimentos do actual anflicio europeu :
IlloMralion Fraocaise.
III. Leiptig Zeitang.
III. Londoa News.
Monde illastr.
Fgaro.
Gaulois.
Rappel.
E em geral todos os jomaos fraacezes, allemaes
e inglezes. "________^______
Arma^ao
Quem precisar e qoizer comprar ama rica :ar-
macao de amarello forrada de louro, para qaal-
quer estabelecimesto, ilir(ja-se roa JJireita, casa
a. 12, que acbar eom juem tratar.
.
Ama
Proaisa-se de ama ama forra oa osorava para
casa de-familia : na raa do Duque de Caxias nu-
mero 9.
Precisa-se fallar com o Sr. Jos de Barros
Accioly a negocio de sea interesse : oa praca do
Corpo Santo n. 17, Io andar.________________
MOFINA
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio V.eira de Mello, es-
crivio na cidade de Nazareth dosta provincia, o
favor de vir a ra do Imperador n. 18 a concluir
aquelle negocio que V. S. se eompromettea reali-
sar, pela terceira chamada deste jornal, em flns
de dezembro prximo passado, e depos para Ja-
neiro, passoa a (evereiro e abril, e naia camprio,
e por este motivo de novo chamado para dito
flu; pois V. S. se deve lembrar que este negocio
de mais de oito annos, e quando o senhor sou
fllho se achava no estudo nesta cidade.
Vendas on permutas
Vende-se a propriedade Guarapos no Rio-
Grande do Norte, com trras casas e armazn>
de um e nutro lado do rio, lugar berr. conbecido
pela sua importadla commercial, cujo porto offe-
rece muita facilidade para embarque e desembar-
que de gneros.
Igualmente se vende o engenho Juodibaby (na
mesma provincia) moente e correte, com cinco
leguas de trras de maltas virgens, oito escravos,
bois, bostas e alambique ( oa somente o emgenho
com as trras qoe convier ao comprador). Estas
propriedades vendem-se por baratissimos precos,
a tambfti se permutam por engenhos nesta pro
vincia, Parahyba e Alagas, ou por casas as ca-
pitaes das mermas : tratar cem o proprletario
major Fabncio Gomes Pedrosa ra da Cadeia
n. 25, ou com os seus procuradores no Rio-Gran-
de do Norte.
Precisa-se de um menino porluguez que ne
exceda de doze annos de idade, para caixeiro de
uma taberna : quem quizer se propdr dirija-se
esta typographia a entenderse com o Sr. Ferreira.
d, w. mm
ENGENHEIRO
.Com funditjao.
A RA DO BRUM N. 52.
Passfmo o ehafuriz
Machinas vapor systema memorado.
Rodas d'agoa.
Moendas de canoa.
Taixas de ferro batido e fundido.
Rodas dentadas para moer com agoa, va
por e animaes.
E outros muitos objectos proprios d'agri
cultura.
Tudo por preco muito reduzido.
Ama
Na ra de Apollo n. 2i, 2o andar, precisa-se de
uma ama para andar com meninos e que seja de
oa conducta.
O directorio do partido liberal, nesla pro-
vincia, manda celebrar na igreja matriz da
freguezia de santo Antonio, no dia \ i de
Agosto prximo, s dez horas da manila.
um officio solemne por alma do Gnado mar-
gues de Olinda.
para esse funeral o mesmo directorio con-
vida atodos os cidadSos brasileiros e estran-
geiros residentes nesta provincia, e espera
que aecedendo ao convite qoe faz por este
meio, se dignem assistir a esse acto de pie-
dade religiio, e antecipa os sens agradeci-
mento todos a quem se dirige.________
...un 11 i ii -" i iiTlirtuJHMHBBMMMBBBB
PHR'&A'CUtfVNUlAL ^U* W '"PERA-
DOR N. 38.
Pillas de Valle.
Pillas de Blancar.
Pillas de Biand.
Xarope forroginoso de Blancard.
Confet'tes de lactato de ferro.
Pulas de carbonato de ferro, laclado de
ferro, iodureto de ferro com magnezia.
Ferro de Qoevenne.
Assucar_ ferrugtposo.
' 4~
Puramente vegetaes e sem mercurio, cura se-
loes, curam o purifican) todo o systema humano
Vende-se effectivamente em casa M Samuel Ft
hnston & C, roa da Sanzalla Nova n. 41
ALMANAK
DE
A luga
se
urna eserav para o servido domestico
Hospicio n. 29,
na ra do
I f TITOfiARIA FIAIEZA
855-Rua da Imperatriz-55
rmge, lava, iimpa, lastra o achamalo-
Casa vara alugar
Alaga-se.ama casa terrea sita oa freguezia da
Roa-vista, boceo das Rarreiras, co 2 quartos, 2
salas, euzinba, tem sotao, nortao ao Jado, quintal
murado, bomba e tanque para banbo : a tratar no
mesmo becco ns- 5 o 7.
-Precisa-sede tuna auna livre oa eserava
oa roa do Apollo o.
RILHETRS DO RIO DE JANEIRO.
Na praca da Indepeadeneia n. 22.
~- Precisa-se dt um eaixeiro de 46 a 18 annos,
com pratica de taberna; ra da Concordia
w.-9g.________________
Xarope de agriao.
ET oi dos medicamentos que sua eficacia na?
twgermidades, tosse e sangue pela bocea, broschi-
tes, (Urea c fraqueza no peito, eserobuto e moles-
4ias de gado, que melbor tem aprovado.
Tintura de marapuama,.
A celebre raiz de marapuama cuja-onergia effl-
cacia as paralysias, imporpecimento te, muito
se reeommeoda.
Todos esses preparados se encontrara aa abar-
macia e Drogara de Bartholomeu & C
31Ra larga do Rosario34
nico deposito.
CUrat rpida a infalltvel dos cal-
los, pela pomada
Cialopean.
Deposito especial na pbarmaeia de Bartholomen
& C,
_______34Roa larga do Rosario34_______
Prensa-se de urna am*> para casa" de pooea
aailia : na roa das Crozei n. il i' andar
o ervico de pouca familia
9, v andar.
par
lio n
Sitio para alugar
Alafa-se um sitio com boa casa o muitasarvo-
res de frocto, em cuja casa minea entrou cheia :
na Pasaagem da Magdalena : a teatar na praca da
Independencia ns. 4 e 6.
AMA
Preeisa-se de ama ana para eozinbar para casa
de homem solteiro: na roa da Praia n. 1.
Preeisa-se de ama ama quo cozinfce e en-
gorme para casa ds pouca familia : sa raa de
Santo Amaro n. 18.
O Sr. ^rbano Francisco Duraes deixoa de ser
eaixeiro daade o da 8 do correte mezda loja de
oiiudezas de Manoel Jos Lopes & Irmao, da ra
larga do Rosario, (neje roa 11 de Dezembro).
Estando justa e contratada a compra da casa
da raa Velba n. 68 da freguezia da Roa- vista, com
os terdeirus de D. Joaooa dos Santos da Fooseea,
avisa-se a qoalquer pessoa que julgar-se com di-
reito mesma casa, ^odeodo entender-se com o
morador do 2 andar da casa n. 35 da ra do Im-
perador junto a secretara do Sr. Dr. ehefe de po-
lica, aob pena de no praso de 8 dias (Indos, nao
serem asis aUendidos._________________ _
Hoatem desoecupou-se a casa terrea n. 49
ttHimamente reedificada, raa Velba na Boa-vis-
ta, aluga-se com condicoes : para ver existe a
cba-re na casa junto n. 47, e para tratar roa
larga do Rotara n. 36. ___,
Use, com a maior perfeicao, fazendas em
pecas e em obras de todas as qualidades;
como sejam : seda, laa, algodao. linbo,
chapeos de feto o de palba etc. etc.
Tira-se nodoas-e Iimpa-se a secco sem
moldar os tecidoa, conservando assim to-
do o brbo da fazenda.
Tintara preta as tercas e sectas fei-
ras. WB
iimi m
Qaem precisar de um eaixeiro com pratica
de taberna ou ooiro qualqner negocio, para a pra-
ca oa fra della, dirija-se a ra .da Concordia nu-
mero 152.
s
se
PHARMACTGENTRAL RA DO 1MPBRA-
DOR N. 38.
Vinbo e xarope de pepsina e diarlhare,
excellente tnico para auxiliar as digestoes
difficeis nos.casos de debilidade do esto-
mago.
PHARMACIA CENTRAL TOJA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Agua hemostlialica de Lechelle, mui re-
commeudada em qualquer caso de bemor-
rbagi, e principalmente na thysica pulmo-
nar, e as bemorrbagias uterinas.
PHARMACIA DENTRAL RA DO IMP
DOR N. 38.
Xarope de rbano iodado excellente com-
binarlo do iodo com o sueco de plantas
anti-scorbuticas.
Este xarope empregado com grande
soccorro contra as molestias da pelle, os
engorgitamentos escrofulosos, o rachitismo-
cachloroso.
O vinbo iodado de joly, e oleo iodado de
Personne, sao recommendados para os mes-
mos casos, e encontram-se nesta pbarma-
eia.
PHARMACIA CfiNTRAfc RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Variado sortimento de chocolate de ban-
nilha, salepo-araruta, ferro, e de sade, da
acreditada olcina de Menir.
Sabonetes d'alcalro, d'acido phenico, en-
xofre e camphora recommendados para as
molestias de peU como sarna, panos, em-
pingens etc., sendo o ultimo de muita utili-
dade para o uzo do toilette, por preservar
a pelle de ser manchada das maculas, que
costumam accomettel-a.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Os melbores vermfugos para criancas,
Pastilhas de sanctonma.
Ditas de Kemp.
Oleo vernifugd.
Tudo de melhor qualid de.
i
PHARMAClA^ETRAL _RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Variadissimo sortimento de fundas de
excellente qualidade.
FARMACIA CENTRAL
Ra do Imperador n. 39.
Lamplougbs Pyretic Saline.
A preparation of well known utelity to the En-
glish Faculty, as a cooling and refresbing beverage
in all cases of fever. The frequent usejof LMs sa-
tine preserves oreigners from many diseaaes to
which they are leable before becoming acclima-
lised. May be obtained at the Pharmacea Central,
jua do Imperador n. 38.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERADOR
N. 38. '
Pastilhas de balsamo de tol e de seiva
de pinho martimo, para as affeccSes chro-
nicas dos pulmes.
Pastilhas de therydocio e louro cerejo
para as tosses agudas, e de carcter nervo-
so, e para os vmitos durante o periodo da
gravidez, e qualquer affecc5o nervosa.
Pastilhas de bypopbospbeto de cal mui
uteis na thysica pulmonar.
Pastilhas de angico naf, e de Regnault,
de hortelaa, pimenta, e de Vtccley, de pe-
cacuanha e de Rermes.
Lembranfas Luso-brasileiw
POR
Castilho.
PARA 1871.
Ra do Crespo n. 9.
_________LIVRARIA FRANCEZA.
PERDEU-SE um rolo de papel, conten-
do varios documentos e entre elles um di-
ploma de cavalheiro da Ordem da Rosa, a
pessoa qoe os achou, quereodo reslitui-los,
ser generosamente recompensado, se o
quizer. Para entrega-Ios, ra do Raaario
n.,47. 1. andar.
CASA DA FORTUNA
Aos 8:0001
Bilhetes garantidos.
A ra Primeiro de Marco outr'ora do Cres-
po n. 23 e casas do costme
O abaixo assignado, tendo vendido alm de on-
tras sorles, 2 quintos n. 2204 com 8:000 da lo-
tera que se acabou de extrahir a beneficio da-
Santa Casa de Misericordia (135"), convida aos
possmdoros virem receber na conformidad do
costume sem descont algum.
Aebam-se a venda os felizes bilhetes garan-
tidos da 6* parte das loteras, beneficio do cole-
gio dos orphaos (156*) que se extrahiri qoarta-
feira, 17 do correte me.
PRECOS.
Bilnete inteiro 10J000
Meio bilbete 5*000
Quinto SOOO
Em porcao de 100*000 para cima.
Bilbete inteiro 9*000
Meio bilbete 4*600
Quinto 1*800
Manoel Martins Fio.
Precisa-se de uma ama que saiba coiinbar
e engommar para uma pessoa : na ra do Fogo
n. 18, 2o andar.
Ama deleite.
Offerece-se uma com muito bom leite
precisar dirija-se ra Augusta n. 47.
quem
Francisca Moreira Reis, inventanante dos
bens deixados por seu finado marido Manoel Isi-
doro do Oiiveira Lobo, faz tiente aos anisados do
dito finado ou seus pais que, tendo elle sen ma-
rido deixado cada um a qusntia de cem mil
ris, e estando determinada a partilha, faz se pre-
cisa a certidao de baptismo para se juntar aos
antos para serem atiendidos, e por isso os que es-
tiverem nestas circunstancias, as deverao tirare
aprsenla la a inventarame, a qual mora ra
das Calcadas n. 47. O mesmo aviso faz algnma
pessoa que se julgar credora do dito finado, afim
de justificar saas dividas, tudo no prazo de oito
dias.
GUIA PROMPT()|DO SELLO.
REPERTORIO
DO
Preciso-se de uma ama llvrre ou eserava : oa
roa das Crazes n. 39, hotel pernambucano.
Travejamento de man-
gue,
para ver, e tiv.ctar, no Tra-
pixe do Sr. Dantas,
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Cha purgativo de Chambard, excellente
laxativo, e refigerante, que se pode usar
repetidas vezes sem irritar os intestinos.
XAROPE HYPNOTICO DE CHLORAL.
O chloral um agente tberapeutico recn-
tenteme experimentado, mas cujos benefi-
cios vao sendo largamente aproveitados pe-
los praticos em quasi to-'as as afiecces ner-
vosas, calmante e somnfero poderoso, elle
sempre empregado com vantagem nos
casos de dores nervosas intensas, e as de
insomnia, em que elle produz um somno
calmo e profondo.
Elle recommendado as clicas, n^cho-
ra, no ttano, nos partos laboriosos, na
clampria, as queimadoras extensas, nos
accessos agudos de gotta, na aslhma, na
tosse convalsa, e em muitos outros casos,
DOSE.Daas a oito colberes de sopa
por dia, conforme o effeito que o medico
quer obter.
Encontra-se na Pharmacia CENTRAL ra
do Imperador n. 38.
WNHO DD QUININNO DE LARARRAQUE
Poderoso tnico boje tao aconselhado nos
gozos de} debilidade geral, e mui usado
comp antifebril.
PHARMACIA CESTRAL RA DO IMPERADOR
N. 38.
Regulamento do sello de 1870
OU
ndice alphabetico
de todas as materias do mesmo regulamento. or-
ganisado de modo a encontrar-se com facilidade o
que se busca ; por um empregado de fazenda.
Acaba de chegar do Rio de Janeiro, e vende-se
na livraria econmica ra do Crespo n. 2.
Acaba de sahir luz
E
Vende-se
. iNA
Livraria franceza.
n mm
ou
DE
NOSSO SENHOR JESS CHRISTO,
MARA SANTISSIMA
E
VARIOS SANTOS.
A pber:
Setf-nario do Senhor Rom Jess dos Passos.
Offlcio do Senhor dos Passos.
Novena do Menino Deus.
Novena de N. Senhora da Conceicao.
Setenario das Dores de Mara.
Officio das Sete Dores de Mara Santissima.
Novena de N. Senhora do Carmo.
Officio de N. Senhora do Carmo.
Novena de N. Senhora da Penha.
Cnticos de N. Senhora da Penha.
Novena do R. S. Joao Raplista. .
Novena da Senhora Sant'Anna.
Trezena de Santo Antonio.
Novena do R. S. Jos.
Um bonito volume encaderoado.
Irmandade do 88- Sacramente
de 9. Jos do Ree'-fe.
De ordem do nosso irmao juiz convido a todos
os irraos Uesia irmandade para comparecarem no
consistorio da matriz no dia II do correte s 10
horas do dia, aflm de ser discutido o respectivo
compromisso, e bem assim para procederem
eleicao de dous definidores, cujos lugares se
acham vagos.
Consistorio da irmandade, 6 de agosto de 1870.
O escrivao,
Lvdio Mariano de Albuqaerqoe
AMA,
flrecisa-se de urna livre ou eserava para todo
servieo, menos cosinbar, em casa estrangeira :
tratar na roa da Cruz n. 80.
Aos mostrea de obras
Um parito .official d pedreiro se offerece para
itio o servieo-: A traur aa raa do Hosaieio n 26,
na esma casa tem ama ama qoe se ofareee jtira
casa 4 porfta a ieoiro e d# peijuena famia,
Desaopfecea da loja de-aleado na roa Nova
D. 8, orna bolea co nove pares de botinas de co-
res para senhora. a qual foi tirada por un: preto :
peo'f-se a quem sonber, de apprehende la ou' *?>'
sar na-megma loja. _______
Em caaa de THEODORO CHRIST1
IN8EN, ra da Cruz o. 18, ncontram-K
iflectivamente toda as qualidades de viob'
Sordetox, Boorgogn eoo Rbuno.
AVISO
Maternos Lenz, compro a Manoel Martina de
Carvalho, a padaria n. 56 da ra da Guia ; onde
^ttte servir com nontualidade seus freguezes;
^pcendo-lhes o pao de aerreja e de leite dia
naraeat, a o de cantew as tereas e sexUs-feirai;
assim como qoalquer qualidade de massas bo-
laxa, araraus, doce, eic
Ama
Vreelsa-.^e de uma ama para casa de bomem
ltevro 5 nd> beeeo dM Carroeas n. t, 4 tratar das
6 as 9 (k (Ua.
I
Ba estilita do Rosa-
rio n. 36.
Hotel de Hespanha.
O proprietario deste est;*leeimento faz publico
aos seus reapeiuveis freg* es, que Iba acabam de
ehegar da Europa um tan, veo ozmbeiro, e um
beHo servente, faliaado este .tino diversos idio-
mas ; e portante oflareee ao n wiio Ilustrado povo
desu cidade coneUntemenie m** aborta cem toda
a decencia, e serio servidos &* toda limpeza,
promptido e agrado, com com dorias ptimas.
Achario tambem aesta saa casa > dirertimento de
domin e bebidaa das melhores qo Miado*. Ad-
miitem-se assignaates pagar por ohr ram-se encommendas de gosto para b 9^* ^ap-
tisados. Antesipando-se desde ii avtMdero
bora aolejmento ot seas hoeptdw.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
RECIFE A' OLIMDAr
Por ordem da directora s2o convidados
os Srs. accionistas para, no prazo irapor-
rogavel de dez dias effectaarem a 11* e
ultima presta?5o de saas aecSes, a razSp de
Para essa nm ser encontrado o Sr. tbe-
soureiro, das 11 horas da manbaa s 2 da
tarde de todos os das, no escriptorio da
companh/a, roa Nova n. 38, 1 andar, en-
trada osla raa das Flores n. 14.
Recife. t'O de agos.o de f 870.
fedo Joaqnim Alves-
__________ Ia secretario.
Precisa-se ro que tenba prau-a
de taberna e de" f^^^^^^Bonduria ; no arco
da Coneei?io n. 6, e dir qoSem precisa.



f
Diario de Pernambuco Quinta feira 11 de Agosto de 1870.
=====

AO ARMAZEM
DO
VAPORFRANCEZ
to da
Bste eonbeeio estabeleeimeBto acha-se constantemente bem sonido, em vtrtude das
facturas que recebe por todos os vapores e navios Iraucezes, dos arligos abares menciona-
dos, i procos os osis resumidos que possivel.
CALCADO FRMCEZ
Botinas para enhras e meninas.
Botinas gretas, brancas e de multas outras cores, sortidas e bonitas, do ultimo es-
oda, e piecos mais baratos do qu m ostras partes.
Botinas para horneas e meninos.
Botinas de bizerro, cordavao, lustro e pellica, das memores fabriccs e escoltadas.
IM e perneiras nisslanas.
Bous feroelras para mentara, das nemores qnaiidades, de coure da Iiussia, lus-
tro e bizerro. *
Bananas de borracha para hnmens e seoharas
Teado ehegado grande porcao de sapatos de borracha vende-se polo custo afn do
desempatar e dioheiro nelles emawgado, sao fcaratissimos.
Sapatos -4e lustro para homens.
Sapatos ce entrada baixa de eouro de lastro com salto, de muilo boa qualidada.
t botn a I os para meninos e meninas
Sapates abotinados de differentes modelos, de omito boas qaalidaes e fortes, tanto
para meninos como para eniaas, amito baratos.
sapatos de tpete.
Sapatos de tapete aveludauo, de casemira, de charlte e de tras-a francezes e por-
tuguezes pera-^emens, para senhoras e para meninos.
PERFUMARAS
Excelleites extractos, banaas, leos, agua de cologne, florida, divina, lavane. den-
trifice, de toilette, sabeoetes, tintara para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
arroz etc., ludo isto de primeira qualidade, dos afamados fabricantes,Condray, Piver-e I.ubin.
QninquHharias
Luvas de pellica do coohecido fabricante Jouvin, espelhos para sallas, quartos e ga-
binetes, toncarjore- de diversos tamanhos, leqees para senhoras e para meninas, abridores
da luvas, ibrincos, paleeirss, bofes, correte e chaves de relagios e trancelins, tudo de
ouro de lei, orrentes e brincos de plaqu, a imitaeao e de mais gesto do qne as de onro,
caixinhas de costura ricamente guarnecidas e ornadas com lindas pessas de msica, albuns
e caixilhos dourados para retratas, caixinhas com vidro de augmento para distioctamente
ver-se a perfeicao dos retratos, objectos de phsntasia para toilettes, bolsiohas e-cestinhas
de seda, de velludo e de viraes para braco de meninas e senhoras. ditas para costuras, pe-
qaenos registros muito finos e delicados, bouquets de flores de porcelana, jarros proprios
para gabinetes para quadres, estampas finas de.paysageus, ciddes, figuras e de santos, vidros para eos-
morama, malas, saceos e bolsas de viagens, esporas, chicotes, bengalas, oculo?, lunetas ou
peosinez de prata dourados, graxats pretas e de cores, aboloadurasde collete e de punbos,
carteirinhaspara notas, Ibesouronnas e caivetes afinos, pentes, eseovas, ponteiras de espuma
para charutos e para cigarros, Jotos de domin, rodetes, bagatelas e outros differenUs, ve-
nezianas modernas muito conveniente para portas e janelias, cosmorama?, lanternas mgi-
cas, esleriocopos com interessaiMes visias de figuras e das mais bonitas ras, boulevards,
pracas e passeios de Paris,_photograpbias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros,
tapetes de vidrlio e de lia de ores para ps de lanternas, realejos grandes e pequeo?,
[harmnicos, aeordions de todos os tamanhos, bercos de vimes para enancas, sapatinhos e
! toucas de lia, carrinhos de 3 e 4 rodas muito elegantes para conducir enancas passeio ; e
atrs militas qoinqoilharias de pbantasia, franeecos e alenme-, precos muito em conla.
SBI)ia@(Dllg>(!>3 PlWii IMQUaQS
Para ate artigo nao ha espaeo nem tempo para a massante totora da inlinidade de
gneros de briuquedos fabricados-em diversos paizes da Europa.
ATTENCAO
O dono deste estabeleeimeato pede ao publico em geral que continu a -visita-lo *>
verificando as quelidaes e os precos baratos de ditos objectos por serem viudos em di- 1
reitura e de canta propra. %
3 portas n. 53, ra Direita, 3 p Has n. b%antiga
loja do Braga
0 abaixo assignado, dono deste ango estabelecimento, tendo em vista apresentar um j
completo sortimento de ferragens, miudosas e cotileri, tem resolvido mandar buscar em !
diveivos ponios da Europa os melhoree objectos do seu estabelecimento dos fabricantes \
mais onhecidos; pelo que convida ao respeitavel publico e a seus numerosos fregoezes, |
virem se servir dos objectos de sua carencia, aonde encontrarao por menos 10 0|0 do que i
em outra qualquer parte, um sortimento eompleto de machioas para descarocar algodo, ]
do bem codheeido f.iiiricsnie Cottorr Gin & C, ditas para costura, motores para animes i
ditos para fogo, mtanos para caf de todos.os tamanhos, da fabrica do Japi, espingardas de s
dous canos e de um, unto inglezas como Irancezas, louea ce porcelana, facas e garfos']
de diversa jualidades e precoa, bandejas etaiaezas, salitre, brea, barbante, enxofre, papel e i
imalha de ferro, ac, < agulha para fugueteiro ; assim cuaw encontrarao constante- !
mente graade por cem numera de objectos, qae se tornara eofadonho numera-loa- venham ra Direita n. I
53, loja lie Lenidas Tito Luureiro, antiga loja do Braga.
Wmmmwmm mmmmmummmmmwmm mmmmmm
Alqga-se urna grande casa de um andar e
lajas completamente mobilhada, em Olinda, com
l'.'im quintal mur do e bco de boa agua, petos
mozos que se convencioaar da festa : a tratar na
ra de Matliias Ferreira, casa de um andar de
quatro janelias pintada de novo.
J. Ferreira Vllela
ril< I tM.lt \l*lll 1 IMPERIAL.
18RA DO CABG18
A entrada pelo pateo da matriz.
Ostrabathos da reedifleacas desta photograpbia,
e que se prolongaran) por tanto tempo, acham-se
felizmente terminados e ella aberta' ao servico do
publico desde 7 de abril passado.
O predio em que est eollocada esta photogra-
phia aoha-se muite augmentado, e so a parte desti-
nada ao estabelecimento conta cinco* salas, inclu-
sive as do laboratorio. Todos os concertos e aug-
memos leudo sido fetos expressamente para se
montar convenientemente a pholographia, e nao se
podndo melhor modelo escolher do que a Photo-
grafiia imperial do Sr. Insley Pacheco do Rio de
Janeiro, o primeiro photographo d,o Brasil, e um dos
primeiro* do mundo, segando a opiniao dos mais
abalisados mestres, a nossa pbotographia aeba-se
disposta e reedificada pelo me^mo plano da do Sr
I. Pacheco, a qual foi montada sob todas as regras
reeommendadas pelos mais destinlos professore*
de aecordo eom as modificaos necessarias ao
dimado Brasil, recoahecidas e esludadas pelo ha-
bilissimo e pratieo Sr. I. Pacheco.
Todo o interior do predio em que est nossa
pbotographia foi modado desde a soleira da porta da
ra at a coberta, tendo-e demolido todas as pa-
reada interioras para se fazerem as novas salas,
edificando-se am novo terrado envidracado mni
espaeoso e elegante. <
Como sabido, fzemos orna viagem expressa-
mentei corte para exaoMaanooe as melhores pho-
tographias all, % fot a do Sr. I. pacheco, a que
melhor eTrespondeu aosnossos desejos e aspira
caes, e da qual trouxemos os planos depois de
all estaronos -todo um uiez astudandoe apro-
vekando as ligos de tao distineto mestre. Pen-
samos que juntando os noeaos estudos e tonga
pratiea de lffaonos de pr^ttograps' 9' nt'fissiraas
lifes ultiroamMite recebidas do Sr. I. Pacheco,
tanda montado a nossa pbotographia como se
aefaa, podemos o Merecer ao il lastrado publico
d'aau eidada e aoe nossos nuu.erofo freguezes
trabaluoB de pwtographla Ht perreito, como tu
poden esejar, e fisto convencidos, esperamos
que eootiuuem a dispensarnos a mesma pro-
teccao eom qne ha Jo anuos nos tem honrado e
ajanado.
Atten-^Tio
Continua-se a foroeeer- almooo e jaatar t no sa-
brado da roa estrella da Rosario o. .15.
Joaquim Jos Goncal-
ves Beltrao
Roa do Trapiche n, 7, i" andar.
Saeca por lodos os paquetes sobre o banco de
Mmho, em Braga, e sobre os seguintes lagares em
Portugal :
Lisbaa.
Porto.
Valenga.
Guimare.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianoado Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelicao.
Lamego.
La nos.
Cuvilha.
Vascal (Valpasso).
Mirandelia.
Beja.
Barcellos.
Na roa atraz da Matriz de Santo Antouio n-
16 1." andar, cozinha-se para fra com asseio e
promptido e por modieo prego.
D-se 1:000* a premio com hypotheca em
beos de raz de dobrado valor nesta cidade : na
roa Nova, loja He ferragens n. 31.
Aluga se um moleque de boos co>tunie,
qne tenha idade de 10 a 12 annot: roa da Cruz
spbrado n. S, 3o andar.
Ro 11 i nte-rheum tico.
Remedio efnoacissinw contra aa dores rheuma-
Ucas al hoja o ma conhecido pelos seus mar-
vilhosc.3 resollados, i
Hermas Blum, rera-ae para a Europa, e de-
morar -se-ha 4 meces.
Precisa-se de um caixeiro de 14 a 18 aonos,
que tenha alguma pratiea de taberna e d conhe-
cimenio da conducta: no pateo do Terco a. 32
rfm5^r .dad rea
O rearo Alfonso o, 54, outr ora fna da Praia.
6Terece se de urna pessoa eom pratiea de
engento para caixeiro oo administrador de algam
eogenbo : qnem pretender deixe e&rta nesta typo-
graphia eom as Iniciaes P. R. R.
Aluga-?e
o segundo andar e soti do sbralo ato a
Direita n> 93 : a traur na loja de-oesn
Toa
Precisase de urna ama forra ou escrava
que sama coanhar a fazar compras : no Corredor
doBispon. 23._________, _________
Precisa-ee de u meaino de doae a 14 an-
uos para caixeiro, em Santo Amaro de Jaboatao
de uro estabelecimento de molhados: i tratar na
roa de S. Francisco n. 79.
0SR.HAM
tem a honra de participar ao respeitivel pblico
desta capital, qoe nedia 9 do correte mez abrir
m restaurant na roa das Larangeiras n. 4, sob o
'titulo de *
Bestaarant de Paris
e qoe selle se'encontrar, alm 4e boa comida, sor-
timento e'scothide de vinbos finos portoguezes e
francezes de todas as qualidades. assim como con-
servas alimenticias, fractas, etc.
Tomam seassifoaturas para dentro e fra do es-
tabelecimento.
Um grande sortimento de louca trazida de sua
ultima viagem da Europa, permitle-lhe se encar-
regar de qualquer encommenda para bailes, soi-
res, etc.
O Sr. Mwhaudon espera ver o seu estabeleci-
mento visitado peto lllm. publico, quem nada
poupara para agradar.
REPERTORIO
DO
R^nlamento do sello k 1870
ou
ndice al|haetleo
da tedas aa materias ao mesara regalamento.
1 folheto e>1JO0O.
__ 1.IVRABIA PBANCRZA.__________
M "~
na roa de Hortas, so-
Precisa-se de urna ama
hrado n. 50, 1 andar.
Ama
No roa da Cadeia do Recife n. 50, precisa-se
a ama para cosinhar. _________
Precisa se alagar urna escrava para vender
quitanda : na roa das Pernambucanaa n. 24 (na
Caqunga).

Bibliotheca juvenil.
Sortimento de livros de aeradavel leitura, pro-
pria para ensino dos meninos.
Camifrto (o) da paz, i volume 12 encadernado
i#ooa
Carirthat com alampas, para uso da mocidade,
1 volume 12 encadernado IfOOO.
Henrkuinho e o seu criado Boosy, 1 volume 12
encadernado M000.
Histeria de Anir 9unn, 1 volme 12 encader-
nado 14000.
Historia do Bom Pastor, 1 volume encadernado
2*000.
Menino (oI da Malta e o seu cao piloto, 1 volu-
me br. *500. *
Ataca cata terrestre e o sea constructor, os a
sabedoria de Deus mostrada na estructura do oer-
po humano, 1 volume, 12 encadernado 2/000,
Quadros mfantis 1 volume 12 i|500.
__________LIVRARIA FRANCEZ*._________
CASA DA FORTUNA
AOS 20:0005000
RA DE MARCO N. 23.
O abaixo assignado avisa ao publico, qoe com
quanto a nova lei do orcameoto tivesse elevado
muito o imposto sobre os bilhetes de loteras do
Rio de Janeiro, continua a vende-los com as for-
malidades da lei, e pelos mesmos preces abaixo
publicados, pagando todos os premios com o dis-
conto somente da lei, e com a promptido do ees
tnme.
PRECOS.
Bilhete inteiro... 24/000
Meios bilhetes... 124000
Quartos........ 6/000
Em quantidade maior de 100/000 na razad de
22/000.
Manoel Martins Finza.^l
_
COMPRAS.
0 muzeo de joias
Na roa do Cabog n. 4 eompra-se ouro, prata
pedragpeciosaspor pregos mais vantajosos de
pie em ontra qualquer parte.
Lom muito maior vantagem compram-se
ouro, prata e pedras preciosas e n obras velbas: na
loja de joias do Coragao da Ouro n. 2 D, ra do
Cabog._____________ \
~ Compra-fe orna casinha em ora dos bairros
desta cidade, quera tiver annuncie.
Compra-se um bilbar : tratar na ra larga
do Rosario n. 22.
_ Compram-se larangeiras selectas e de ura-
bigo, sendo enxertdas : na roa da Cruz n. 8, 1
andar.
VrNDAS.
SITIO.
ULTIMA HORA
O Costa, ra das Crozes n. 42, participa a
todos os seas numerosos freguezes, que pelo ulti-
mo vapor recebeu alguas gneros de primeira qua-
lidade. a saber :
Que jos flamengos o que do melhor se pode en-
contrar.
Bolachinha do fabricante Gondolo, pela primeira
vez vina a este mercado, pelo prego mdico de
2/ a lat.
Maqaai de qualidade apreciavel.
Aubixab em latas e frascos.
Gaz de primeira qualidade, que se vende a
400 rs. a garrafa e 8/ a lata.
Alem das maitas e variadas qualidades de mas-
sis para sopas, conservas, quer de^ hervas, qner
de carne ou peixe, doce, vinhos, lieores, etc., etc.,
tem velas esltarinas a 610 rs. a libra.
Selentittcar que a AGUIA NEGRA, recebeu pelo
ultimo vapor, os muilws desajados aderecos en-
carnados imitando cui
luis grandes de aljofares encarnados e de ou-
tr is cores.
Um completo sortimento de ciatos largos ; cou-
sa de muito-gosto, imilspensaveis para meninas de
escola, en mesmo para senhoras trazerein no bra-
go, cousa inteirameDte nova.
Lequef, o qoe ha de melhor e de mais gost ;
nste genero existe um tal sortimento qoe nao
hever comprador por mais impertinente na es-
colha que deixe de agradar-se.
P chinez de Pit^r.
P de carvo de Lubin.
Extractos fines de todos os autores.
E outros muitcs objectos de que o publico j
est scienle ; pois que a AGUIA NEGRA nao des
canga am s momento em descobrir objectos es-
pecian e inteiramente novs, para assim bem ser-
vir seas freguezes.
s
Vidros pira vidracas de todos os tamanhos
e ero caixas, vende Bartholomeu C, em sua
pharmacia na raa larga do Rosario n. 34.
Vende-se urna rotula de aroarello em bom
estado : aa carnia do Carmo n. 16.
JACARANDA'
Aluga-se um bom sitio na estrada do Arraial,
com casa grande e ltimamente acabada, tendo as
commodidades necessarias para familia : quem a
pretender dirijase ra 1 de Margo n. 6, 1*
andar, que achara com quem tratar.
ATTENCAO
Na noute de demingo, 7 do correte, perden-se
urna pulceira de ouro, lisa, com esmalte verde
em -cima de urna chapa, desde a casa n. 60, da
ra do Baro da Victoria, esquina da do roarquez
do Herval at o panorama da ra da Imperairiz;
pede-^e quem a achar, ou aos ourives, gera
por ventura tenha sido a mesma olTerecida, te-
nham a bonflade de leva la rita de Pedro Af-
fonson. 31, que se recompensar generosamente.
AO PUBLICO
Nao desejando perder as relagoes de commer-
ci e as amizades que felizmente tenho adiqni-
rido nesta cidade, venho declarar por este jornal,
que meu cognome -Jos, e que portento nada
tenho com o Juize que se fuer sobre qualquer ou-
tra pt-s-oa que tiver o mesmo uome de famila
que en.
Recife, 3 de agosto del70..
Jos Simn.
Precisase de um preto para tolo servico ex-
terno de padaria : na ra da Florentina fi. 3.
Arrenda-se um sitio grande com matas e
bastantes arvoredos de fruclo, com rio dentro e
propno para criar vaccas, cora dua casas de tai-
na, bem perto da praga por ser no logar da Fra-
goso, termo de Olinda : quem pretender dirija-se
ao lugar de Agua-Fria do mesmo termo, casa de
Jacintho Sosres Botemo, om quero* podero tratar
qualqmr negocio.
Arrenda-sa o sitio jardkn boumeo em Olin-
da, que se presta a ter muito boa rea'ia a pessoa
que tiver dous trabajadores, tem urna excedente
casa, alera de outras para escravos, estribara,
muilo boa agua de beber, gasto e tenha, grande
quantidade de arvorea fructferas, terreno o melhor
possivtl para capim e. verduras. Tambem se ar-
rtnda a melhor casa de Olinda com sitio, agua,
fructas e outras regalas que s com visla : a
tratar na roa do Bomfim, casa junto a igreja.
MARTIMOS
COSTRA FOGO.
Companhia Indemmsadora, estabelecida
testa praca, toma seguros maritimos sobr*
aavios e seus carregamentos e contra oge
m edificios, mercadorias e mobilias: j
ma do Vi(??,rioo. 4, pavimento ter eo.
Vende-se as duzias ou era toros :
tratar na ra Direita n. 31. armazem.
para ver e
Fannba de mandioca
Vende-se farinha de mandioca, nova, de Santa
Cathanna, chegada no patacho portuguez Ullissa,
fundeado defronte do trapiehe do Sr. Barad do Li-
vraraento : a tratar no escriptorio de Joaqnim
Jos Goncalves Beltro, raa do Commercio n. 17,
ou a bordo do referido navio,
PARA ACABAR.
Camisas francezas a 1/500
Tamancos para hemem, senhora e me-
ninos a 320
Sapatos de marroquim para senhora a 480
Chitas largas a 240
Na roa larga do Rosario n. 22, loja do Vianna
GAZ GAZ GAZ
Chegou ao amigo deposito d Bqnry Forster
do
de primeira qual
e a retalho por menos prego do que em outr* qua
quer parte.
Imperador, um carregamento de gas
ilidade; o qual se vende em partida
Attencao
Vende-se urna taberna na freguezia de S. Jos,
bastante afreguezada : quem a pretender pode di-
rigir se a ra do Hospicio n. 39, a razao da venda
se dir ao comprador.
Aos vidraceiros
Na roa Direita n. 18, loja de funileiro, vende-se
vidios de todos os tamanhos, mais barato do qoe
em oatra qualquer parte.
Grande liquidacilo de
fazendas baratas
PARA ACABAR.
B A" RA l'DGMVBGO N. 25.
i ALGODAOS1NHO a 2/800. 3/, 3/ e
I 5/500 a eca.
I MADAPOLAO FINO superior a 3/800, e
m 6/000 a pega.
CAMBRAIAS finas di cores, moderoas
| a 280 <> covado.
CAMBRAIAS brancas transparentes a
I 3/ a pega.
LENCOS de cambraia de linho borda-
S dos a 1/300.
ALGODO AZUL com 56 covados a
I 5/000 a pega
I COLXAS adamascadas superiores, de
I cores e brancas a 3/, 5/500 e 6/.
CHALES de merino, lisos, prelos e de
todas as cores a 2/300.
BRAMANTE de linho de urna largura
9 com 27 varas a 23/,
^ CHITAS tscuras, claras, raiudinhas e
I matisadas a 220, 240 o covado,
CORTES de cambraia de cores com 10
S varas de lindos padroes a 6/000.
81 LAS de cores a 240 o covado.
Dio-se amostras com penhor ra 1
de Margo n. 25, loja de Manoel Das Xa-
vier.
^-iiillillii'
Taberna
Venoe-se urna taberna propria para principian-
te, bastante afreguezada para a trra e para bor
do : a tratar oa mesma, travessa da Senzala-velha
Homero 4.__________________________
Taberna a venda.
Vende-se a taberoa da ra de Sao Bento n. 19,
em Olioda, urna das mlhores ras : tratar na
mesma. motivo da venda >' acbar-se o sou do-
no bastante doente e necessitar relirar-se para
fra.
Eival sem segundo.
RA DUQUE DE CAXlA IV. 49
(Anliga ra do Quetaado)
Vende-se urna boa aimago existente oa casa
do pateo do Tergo n, 19, cedendo-se a chave ao
comprador.
Vende-se la de canoa a 280 rs. a libra, em
porgao faz-se diilerenga : na ra de lionas, ar-
mazem n. 2.
CANDIDO ALBERTO SODR DA MOlTA & C.
com escriptorio e armazem travessa da Madre
deDeus n. 14. tem para vender o seguinte :
OCRE de muito boa qualidade a 15200 a ar-
roba.
CIMENTO PORTLAND, verdadeiro e de primei-
ra sorte.
VINHO BORDEAUX, desde o mais fino e espe-
cial at e commi m.
CONSEVAS FRANCEZAS das mais superiores
qoalidades, aioda nao bem contiendas nesle mer-
cado.
PAPEL de differentes marcas para cigarros.
DITO PINTADO para forrar salas, gabinetes, es-
critorios etc.
Acaba de chegar nova rcmessa dpsse artefacto,
ae se vender por precos mais reduzidos.
Continua a vender todo muito bom e
muito barato a saber:
Libras de areia preta milito boo. .
Tesouras finas para imitas e eos to-
ra a.......
Papis de agulhas francezas a ba-
Uo a.........
Caixas com seis sbonetes de fruta
Libras de 15a para bordar as cores a.......
Carriteis de linba Alexandre a. .
Frascos com azeite' para machinas
Grvalas de cores muilo linas a .
Grozas de boioes madepersla fi-
nissinms a.......
Pares de luvas de cores muito fi-
nas a 3:20 e......".
Novello de linha de 400 jardas a.
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a......
Pentes volteados para meninas a.
Tinteiros com tinta prela a 80 rs. e
Pegas de fila elstica muito fina a
Lata com superior banha a 100 c.
raseos de oleo Pbilocomo muito
fino a.........
Ditos ditos dito grande a. .
Frascos de macag perola a. .
Frascos de extracto incito benitos a
Duzia de sabonetes'mito finos a.
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. .
Frasco com agua de colonia Pivera
Dito de oleo aboza a.....
Caixas de lamparinas a. .
Sabonetes a forma menino muito
superiores a.......
cartibas da doutrina fazenda nova a
Libras de linba sortidas de todos os
nmeros a.......
Babados do Porto, largos a t60 e
Capachos muito bonitos e grandes a
Carriteis de retroz preto, com 1
oitavas a........
Agulheiros de osso enfeilados a, .
Libra de linha fianeeza superior
qualidade a.......2li00
Caixas de> paulo do gaz a. 'o
15000
60000
100
500
500
500
500
60
600
O
100
200
200-
500'
16000
240-
500
720
1200
500
300
40
240
400
1609
200
i "00
640
240
Cestos para cinduco de matetiaes e ripas
de carnauba.
No largo do Corpo Santo n. 6, segundo andar,
vende-se aqaelles arligos, que serao mostrados
aos pretendentes.
Lindos cortes de percale, com barra, de doas
sai as, e simples, fazenda de primeira qualidade,
cada um com seu Ggurino por 000 : ra do
Queiraado n. 1, loja do Gaspar.
Libras sterlinas
Vendem-se Da ra da Cadeia o. 8, armazem.
Vende-se urna pequea armacao de taberna,
e tem algaos gneros, boa localidade, na Estra-
da nova de Beberibe, passando a ponte, segooda
taberna ; vende-se tambem a casa : trata-se o oe-
gocio na mesma.
VeBdem-se diversos iostromeotos de mosica
e a pancadaria, boas e baratos: oa fortaleza das
Cinco Ponas.
Flor do fumo.
AMA
Preei-a-se de ama ama qne saiba comprar a
cosiobir, para esa de bomem salMire : na pra-
ga da lopendencia n?, 4 e 6.
Bartholomeu & C,
Chegou boje pelo vapor Tucn-
tins fumo picado para cigarros e
cachimbos o melhor que ha neste
genero fabricado no Para por Jos
Julio Sampaio Pires, nico deposi-
to era Pernambuco, ni Praga da
Independencia, loja de Calgdos,
de Porto & Bastos.
A elle antes qoe se acabem ;
remessa foi pequea
Flor do fumo.
a
Oh
O
S
O
Sitio em Parnameirim
para vender Q
Aindaesl para se vender o sitio Olho'de Vi-
dro, em Parnameirim, ou Ponte de Ucha, com
sobrado de um andar com 10 quartos, fogoes e
fornos de ferro, sonzalla para todos os arranjos,
bastante* arvoredos de fructos, terrenos para
plantagoes, boa baixa de captm, agua de beber,
tauque para baoho etc. : quem o pretender com-
prar eutendase com Jps Antunes Guimaraes.
na ra do Aragao n. 13 (boje Viscende de Pelo-
tas) at 9 horas da manbaa e das 3"as 5 da tarde,
na falta, na ra de Queimado n. 1 loja, hoje Du-
que de Caxias.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
de Nictheroy.
uico deposito em Pernambuco caes da
ACHINAS PAR
COSTURA
Acabam de chegar ao GRANDE BAZAft
UNIVERSAL, ra Nova n. 22carneip.o
viannaum completo sortimento de ma-
chinas para costura, dos autores mais cc-
onecidos, as quaes eslo em exposiejio no
mesmo Bazar, garantindfcse a sua boa qua-
lidade, e tambem ensina-se cora peifeico
a todos os compradores. Estas machinas
sao iguaes no seu trabalbo ao de 30 costu-
reiras diariamente, e a sua perfeicao tal
como da melor oostureira de Paris. Apre-
sentam-se trabalhos execulados pelas mes-
mas, que muito devem agradar aos preten-
dentes.
JoaquimEodrguesTa- f
vares de Mello,
Praqa do Corpo Santo n. 17
TEM PARA VENDER : S
1 Cal de Lisboa, i
Potassa paRussia.
Vinho Bordeaux. S
Farello d^ Lisboa. 5
Fai:;ha de v.imsioc fi
depa velha n. 2. Io anda.
alfan-
Cal nova de Lisboa.
Chegada recentemeote no vapor Gladiator, tem
para vender Joaquim Jos Goncalves Beltrao, no
seu escriptorio, ra do C immercio n. 17.
Labyrinthos
Chegaram roa do Crespo n. 10, riqusimos
lencos de labyrintho, que e vendem muito em
conta.________________________
Vndese nina armacao de padaria no largj
da Paz n. 78, freguezia dos Afogados : a tratar oa
mesma
Emfnn chegaram !! !
O Pavilhao i Aurora i ra da Imperatriz n. 2,
recebeu pelo ultimo vapor o mais completo sorti-
mento de corles de vestidos de seda, estampas e
go>tos inteiramente novos e de superior qoali-
dade ; vieram juntos e igualmente reos cortes de
vestidos de blond bordadora perolas para casa-
mento : assim como popelinas, padres novos e de
lindissimo gosto ; e muitas outras fazendas para
vestidos, igualmente novas e desconhecidis no
imercado ; tado se veode muito em conta.
VlNHO, PlLULAS, XAAOPE H TINTURA
DE JURUBKBA 8IMPW:9 B PBRRHGtNOSO ;
Ouo, Pomadas Emplastro da msm*
PLAiNTA PREPARADOS POR
BARTHOLOMEO & V
FHAaHACEUTICOS-DnOOUISTAB
I'EIISANBKO
A jarabeb ; esit planti boje reccntiec;d
comu mni. p -Irwnu.e como ul appticadi uos pdemiu
4o ligado, baco, bpiiics, dnrcs, turnara* inter-
nos e e[ieeiaiml)le do otero, hydropef ns, errsi-
pellu, etc.; mociada ao ferro e u us palliai
ccre.. cWeriwi ll de menalroacao, deaarraD-
oa do eslotaafo, etc., o qt diseanoa tUestio
:DUaera* arit laportaota* oUictaa aom uottot
preparadoa j bem coobecido* asados floa aun
ii sonetos msdicoi do paii a Porto jal. Em todbf ci
M*ai depoaito. disibumo. fralia folbeloa osa
nelhor aaein coihecer JaruMM teo* rualUdoa
lappUfia.
Frnis de ferro
para porgar assncar : vende-se na ra oa Cadeia
n. 4, armazem de S. Barroca.
Vende-se a taberna sita na ra dos Guara-
rapes n. 10 : a tratar na mesm?.
Cera de Lisboa eui velas
Tamanhos differentes desde 2 a 16 por libra, em
caixas de urna arroba : no armizem de Tasso Ir-
raos & C, roa do Amjiim n. 37.
LOLtKIA DO RIO
RA DO CaBUGA' N. 2 B.
At nova rezolocao, se vendem bilhetes do Rio
aos vendedores na razao, de 22*000, seja qual
fr Porcao ; dinheiro avista e aos particulares a
Para csame o toa
Augusto Porto, ra Duque de Caxias footr'ora
ra do Qaeimado) n. II, reseen um bello sorti-
mento de vestidos de blond com manta, e capella
para noivas, trazendo um rico vestido de setim
branco para sombra, o que tem vindo de melhor,
cortes superiores de seda de cpre, poopetmas as
mais finas, gazes de Paris de lindas cores, colxas
de seda, fronhas bordadas, cortinados bordados,
luva di pellica e multa* fazendas dergosto* que
ende mais barato qoe em outro qaalqaer parte.
Tem sempre sormento das melhores e mais
baratas
Esleirs amerieanjs paro forrar
sa as.
.NA
Loja flor da boa-vista
DE
Paulo P. de M. Gufraares.
Chitas escatas e claras, covado a 200. 240 e
280 rs. .
Cambraias de cores lixas, covado a 200, 240 e
320 rs.
La com listras, e miudinhas, covado a 200, 320
a .WO rs.
-Briin pardo trancado com pequeo toque, metro
a 500, 300, 500 rs.
Ditos de cores, puro linho, grande pechincli?, a
l, i, um.
Dito de dito, algodo, bo3 qualidade, covado a
360, 360 e 400 rs
Molskioe pai a calcas, fazenda nova, covado a
900, 900, 900 rs.
Cortes de calca de casemira preta a 3500 e
4*000.
Dilos de dita de quadros de cores a 7i000 e
124000.
Caigas de brim para escravos a 6i0 e IjOOfl.
Camisas de riscado pari escravos a 806 e 1000.
Pecas de algodao e madapolo por preces ba-
ratissimos.
48-RUA DA IMPERATRIZ-48
Junto a padaria fraoceza.
Venham comprar.
Antes qne se acabe, madapolo francez largo a
GloOO a pega : na loja das seis portas em frente
do Livraraento.
Os accreditados cylindros americanos para pa
dara.
Machioas para descarocar algodo.
Canos de ferro galvanisados, para agua.
Carrinhos americanos para transportar fazendas.
Oleo de linhaqa
Vende-se em casa de Mills Lalham & C, roa da
Croz o. 38. *
Bichas hamburgnezas
Neste novo deposito recebe-se por todos os pa-
quetes traosiaoticos bichas de qualiqade superior
e vendem se em caixa ou porcao mais peqOena,
e mais barato do que em outra qualquer parte:
aa roa da Cadeia do Recife o. 51, 1* andar.
Vend.-se a casa terrea n. 11, sita enf Olinda,
ra do largo do Amparo, com excallentes eom-
modos e grande quintal, olo proprio : a tratar no
Recife, ra da CJdeia n. 5.
Objectos para carros.
Solas de lustro.
Vaquetas de lustro.
Gaioes largos e estreitos.
Oleado preto para guarda chava.
Dito de cores para forro.
Lanternas e vellas.
Rotdes de dso de cores diversas.
CEMENTO
O verdadejro portland. S se vende na ra-da
Madre de Dos d. 22. armazem de Joan Mariins de
llar"
Doce fino.
De goiaba, laranja, llmo e bananas, vend
com-untemente a de Marsilio Das, oulr'ora
Direita, taberna do Holgar.


6
Diario de Pei-nambuco Quinta feira 11 .le Agosto de 1870.

l
GRANDE
BAZAR DO
60-RA DA IMPERATR1-60
DE
SILVA, FKUiElBEDOlL
* ^ 9 i
Neste iraocrtante estabelecimento encontrar o respeitavel publico, na gradee isriado^rinenloaiazendas do. mata
aparado gosto e todas de ^nme-ra necessidade, que se vendem mais baratas ido que em ontra qualquer part>, vis que os ne-
tos socios destai firma, adoptaram o syslema de venderem a D1NHEIR0 ; para poderem vendrmelo certo, litaitawio.se apenas
a (?30harem o descont ; as pessoas que negocian! em Deqaena es:a'a, nasti loja earmazem poderlo faaer os eos mimentos
pelos mesmos presos qne compram as casas inglezas, (importadoras) e para maior commedidade das Extras. amHs" se daro
amostras de todas as tazendas, ou Ibes levam em suas casas para escoioerem. *
ijboo.
PECHINCHA EM CASEMIRAS A 4000. CORTES DE LA ESGOCEZES 6|000
No Bazar do Pavao fe-ae urna grande Vende se bonitos cortes de laa escoceas.
cempra em om leilSo, das mais finas rindo cada om em sea paptl, pelo barato
casemiras inglezas qne tem viudo a es- preco de 60000 cada um; no Bazar do Pa-
te mercado, tendo cores claras e escaras, nao.
todas com padrees serios, oroprios para CASSAS FRANCEZAS 240 RS. O COV\-
calcas, palitos e colletes; vende-se a 44000 DO.
o covado, o qne em outra qaalquer parte No Bazar do Pavan vender nm grande cima ter' om
nao se vende por menos de6,5; grande sortimentode cassas de cores, pera acabar, utilidade.
vantagem. 240 rs. o covado, dilas finissimas francezas -firaaoe pecbiacba wn canisa ingtozas a 4 e J55O0
padroes miodinhos e grados 560 e 640. No Baz^r uoPavao fez-urna |raidecom-
CAMISAS DE EBANELLAS A 30500.
No Bazar do Pai$o veode.** mn bonito
sortimenio com lodos, os tamautos das me
Ibores camisas, de flanella de r5a. com
maogas tanto proprias para brreos como
para senboras e vende-se a S000 cada
urna, e quem comprar de meia. dnzia para
ahatimecto, S5o de muita
No Bazar do Pavo, fez-se orna grande
compra de puros brins de linho, muito en-
corpados, propriospara caifas, palitos, col-
letes e roupas para meninos, por serem de
padrees miudinhes; garaote-se qne n5o ba
barrel'a que Ihe tire a cor, e vende-se a
4 5200 o metro desta excellente fazenda.
MADAPOLO FINO A 60400 A PEA.
No Bazar do Pavao veodem-se pecas de
maadapolSo fino de moito boa qualidade,
tendo 22 metros ou 20 'aras cada peca,
pelo barato preco de 6#000, por se terem
comprado om ponco enxovalbadas; pe-
chincha
CHITAS ADAMASCADAS A 240 RS. O
COVADO
O Bazar do Pavao vende muilo boas chi-
tas inglezas incaroadas adamac adas, pro-
prias para cobertas e cortioas, sendo fazen
da rue em qaalquer loja se vende a 320 rs.
e liquida-se a 240 rs. o covado; s o Pa-
vao.
CACHE-NEZ A 60000.
No Bazar do Paao vendem se bonitos e
grandes cacbi-oez de pura la, pelo bara-
to pre

CRETONES PARA VESTIDOS A 640 RS.
Cbegon para o Bazar do navio, um sor-
timtn'o dos mais elegantes cretones frao-
cezes de cores fixas, proprios para vestidos
e roupas de meninos, e vende-se a 640 rs.
o covado.
TOALHAS A 70500
No Bazar do Pavo fez se urna grande
compra de toalhas alcochoadas, proprias
para rosto, bastante encorpadas e grandes,
que sempre se venderam a 1125000. e li-
quidam-S'3 a 7A500 a dusia^ou a 640 rs.
cada uira, boa pe'hincha."*
CHAPEOS PARA MENINOS A 20000
O Pavo vende urai grande oorgodo*
mais bonitos cnaposiohos de palha da Ita-
lia, proprios pra meninos de todas as Ida-
des, sendo chapeos que valem 5300 e ven-
dem-se a 2 jOOO cada um, muito barato.
ALPACAS L.V'R^DAS A 640 RS. 0
COVADO
Receben oPavu o mais bonito sortimento
de alpacas lavradas de todas as cores pro-
priis pan wstidns, eveode-se a6i0rs. e
covado ; grand" pechincba.
CHITAS ,E RISCADINHOS MIUDINHOS A
200 RS.
O Davo vend-'cbitas cu riscadinhos miu-
dichos cor de rosa e rxinhos, proprios
para vestidos e rcup3s de crean? !S a 200
rs. o covado. Sao muito baratos.
LASINHAS COM PALMAS E SEDA
Cbegon para o Pav3o o mais bello sorti
m ato das mais bnlbantes I3asinhas claran
com bonitas palminbas, de seda; ten lo lar-
gura de chita franceza e vende-se a 10OCO
o covado ; grande pechincba.
ALPACAS MATISADAS A 640 RS. 0 COVADO.
Vendem-se as mais moderna; e bonitas
alpacas matsadas com palmichas, muito
proprias para vestidos de seobora e da me-
ninas pelo barado preco de 640 rs. o cova-
do ; sao muito em conta.
PARA NOIVADOS CORTINADOS, C0LCB1S.
Cbegou para o Bazar do Povo um gran-
de sortimento dos mais bonitos cortinados
bordados, proprios para camas e janeas,
qoe se vendem de 10^00 at 200}?0 o
par, assim como o melhor damasco cm 8
palmo; de largura a imitaco de damaso
de seda, proprias para coleba, e propria-
mente colchas de damasco, senl os melno-
res e mais bonitas que tem vindo ao mer-
cado.
SEDAS DE LISTRAS.
No Bazar do Pavo vende-se urna granee
quan'i lade das mais elegantes sedas com
listrinbas, tendo de todas as cores e at
furta-er ; fazenda que ninguem vande por
menos de 20400, e liquida-se a 25000 cada
covarto; sao moito baratas.
SETIXS DE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pavo vende-se nm sortimen-
to completo dos meliacres setins e grosde-
naples de todas as cores, qne se vendem
muito em conta.
rs. o metro; sao moito barata. : pro em leilao, de'fiMs&itias caeas ingle
ORGANDYS BRANCO E DE COR zs com;paitos e punbos de linao, sendo
No Bazar do Pavo vende-se os mais com collariohos e de todos os Romeros a
bonitos e moito fios organdys com listas. 40000 cada orna, ditas sem coibriohos,
largas e miudas 10000 a vara, ditas lisas,' porm fazenda flnissima a 40500 ; gran-
fazenda de muita phantasia 800 rs. a vara, de pechincba.
ditos d cores, finissimrs padroe?, inteira- CAMISAS BARATAS a 20800.30000^ 20600
mente novos 80 J rs. vara; pechincba. i No Bazar do Pavo vende-se ama gran-
GROSDENAPLES PRETOS de porteo de casemiras mscladas, uuaito
Chegon para o Bazar do Pavo um gran- encorpadas a 20800, ditas finsimas com
de sortimento dos melhores grosdeciaples msela de seda a 30200, ditas modernas
pretos qne tem vindo ao mercado, qoe te de qoadros, fazenda de moito gosto a
LASINHVS ESCOCEZAS A 500 Rs. O CO-
VADO
O Pavo vende om elegante sortimento
das ffais lindas lsinbas escocezas com fies
de seda, pelo barato preco deSCOrs. o co-
vado ; grande pechincha.
LANSINHA A 320
No Bazar do Pavo vende-se um elegante
sortimento das mais bonitas lasinbas imi-
taco de poupelioas, com listas de seda miu-
dinbas e de urna s cor 320 rs. cada cova-
do.
POUPELINAS DE LA A 400 BS. O CO-
VADO
No Bazar do Pavo vende-se om elegan.
*e sortimento das mais bonitas poupelinas
de la com lista* miudinnas, sendo todas
qnasi de ama s cor, 490 rs. o covado ;
baratisHOQO. I
vendem de 10600 at 5oOO o covado
sao todoa muito em conta.
CAMBRA1AS TRANPARNTES
No Bazar do Pavo vende-se un grande
sortimento das melhores cambraias brarcas
transparentes, tem de 30500 at 100000
peca, ditas suissas finissimas com 8 pal-
mos de largura a 20000. 20500 e 30010
vara, ditas victorias e tapadas da mais infd-
rior at a mais fina que ven ao mercado;
tudo isto se vende moito em cont?.
MANOLETES E FIL
No Bazir do Pavo ven.ie-se modernissi-
mos manteletes ou basqoinas de fil preto,
:om laco, pelo barato prego de 100000 ca-
da um, barato.
PANNOS PARA SAIAS A 15000, 10280 E
10600 O METRO
No Bazar do Pavo vende-se bonita fazen-
da branca tncorpada para saias, sendo com
babados e pregas de um lado; dan lo a lar
gura da fnzenda o comprimento da saia, a
qoal se pode fazercom3 <>rj 3 i r2 metros,
oende-se 10000 e 10i8O e 1600; assim
como tambem no mesmo est^bellecimento
se vende bonitas saias brancas bordadas ten-
do 4 palmos cada nma, ditas de lia de
cores j promptas urnas com barras dife-
rentes, da mesma fazenda 40OO e outras
com barras bordadas 60003 e 70000,
tudo isto moderno e barato.
ALGODO ENFESTADO PARA LENQES.
No Bazar do Pavo vend-se o melhor al-
gf'do-inho americano eefestado para len-
c33, tenia liso e entrancado por preco
muito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pavo recebeu-se om elegan-
te son inent i dos mais modernos e mfelho-
res esp.irtilhos, que te vendem por preco
moiio em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do Pavo recebeu nm grande
soriimeBto dos melbores pannos de croch,
proprios pa-a cadeirts de balanco sofs,
pianos, tamboretes e at proprios para cu-
brir almcfddas e pratos; vendendo'se por
menos do que em qaalquer parte.
MERINOS PARA VESTIDOS A 10000
Chegou para o Ba2ar do Pavo nm ele-
gante .ortiroenio de merinos, muito leves
de urna s cor e com as mais liadas cores,
proprios para vestidos e roupas do meninos,
cipin^ias bnurns etc., e vende-se pelo
barao preco de 10000o covado; bonita
fazenda.
lasinbas tranrparentes a 300 rs. catado
O Javo r9cebeu um bonito sortimento
da3 mais elegantes lasmhas transparentes
proprias para vestidos, qne veode a 500 rs.
o covado; moito barato.
PARA LENCOES
No Bazar do Pavo vende-se su )eror
bramante d'algodo com 10 palmos de lar-
gura a 10800o metro, dito de linho cora a
mesma largura a 20800 cada metro, pannos
ds linho do porto com 3 1/2 palmos de largura
de 70ai 10 a vara, assim como i'mg'aDde
sortimento de H'mbargo ou creguella* le
todos 03 nmeros, precos ou qualidades,
que se vendem mais barato do queem oo-
tra qnalqner prta ; aproveitem-
ATOALHADOS
No Bazar do Pavo veode-e superior
atoalhade trancado, com 8 palmos de larga-
ra a 10600 o metro, dito ue linho adamas-
cado o melhor que tem vindo ao mercado a
30500 o metro ; todo isto mnito barato.
DAMASCOS a 900 r?.
No Bazar do Pavo vende-se bonitos
damascos de la com urna s largara pro-
pria para colchas e cortinas pelo barato
preco de 900 rs. o covado, barato.
30600 o covado; aproveitem.
TAPETES
Chegou para o Bazar do Pavo o mais
eleganteortiment > de tapetes .grandes, pa-
ra sefs, com 4 cadeins, ditos mais peque-
nos, para dnas cadeiras, ditos para
pianos, camas, portas ; ti:, vende-se por
menos do que em outra -qualquer parle.
COLCHAS BRANCAS A 30200,30500 E 70
Para o Bazr do Pavo ebegoo um gran-
de sortime.ntj das melhores colchas de fos-
to, s ndo das melbores e^mais e corpuda-
que tem vindo, a 70UO oias nm ponco
mais abaixc a 53500. e ditas a 30000;
limbem no mesmo estabelecimento se ven-
de om grande sortiment > da cretones e cfai-
t s. proprias para colchas, que se vendem
muit.em *onta.
GORGUFOES OU POUPELINAS DE SEDA
A *0OCO CADA COVADO.
Chegcu 'para o Bazar do Pavo om ele-
gante sortimento das verdadeiras poopelinas
d linho e seda, com os mais modernos
gostos, que se vendem a 20000 cada covado,
o qoe em outra q alqner parte nao se ven-
de por menos de 20500, previne->e qoa nao
sao a'godo e seda, como ha muitos ; mas
im puro linho e seda ; sao mnito baratas.
ROUPAS PARA HQMENS
No accreditado Baiar do Pa*3o encootra
r o respeifovel publico om grande sorti-
mento de roupas para homens tanto bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas con: peitos d'algodo e de linho,
para todos os precos e qoa'idades.
Cerooias de linho e algodo.
Meias cortas francezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Calcas de brim branco e de cores
Dilas de casemiras pretas e de cores, com
colletes iguacs
De todas estas roupas ha para todos os
precos e qualidades, e tem de mais mais
um perito
ALFAIATE
Por quem se manda fazer com prestesa
e aceio qualquer peca de obra a capricho
ou gosto dofreguez, tendo n'este importan-
te estabelecimento todas as qualidades de
panno fino, as melhores e mais moder-
nas casemiras, assim como os melhores brins,
qur brancos, qnr de cor ; e qoando qual-
quer obra nao ficar nteiramente ao gosto
dos fregoezes fica por conta do estabeleci-
mento.
CHALES DE MERINO
Cbegou para o Bazar do Pavo nm elegan-
te sottiment > de cba'es de merino de cores
mnito bons com padroes muito decentes
para qnalqner urna senhora usar, ditos de
crpen coro listas de seda o mais fino e
moderno que tem vindo ao mercado, e ven-
de-se por preco muito em conta.
BABAD1NH )S
de
Rna Duque de Casias n.
Na loja da VERDADE cootinoa-se a ven-
ier por baralissimos precos todos os arti-
$os de miudezas e perfumaras do seo
grande e variado sortimento. garar.tindo aos
compradores toda a sinceridade.
Lindas boncas de cera e massapor ba-
ratiisono preco-
*lSpelhos doorads para pendtrtr -a
160 rs.
Agullias de osso para cros a 200 rs.
Pentes-finos v^ara s^ortr tabello,
320. rs.
vCbuai*s para gz a 320 rs.
Garrafa cok tinta alizarine a 40000.
Dtaeomagua'ioridfl a 10500.
Dita com dita dita a 10OCO.
Inico de Jayme a 40500 o frasco.
Frasco comoleo expresso de babosa,
240 a 640 rs.
Dito com agua de Colonia de 300a 10000
Dito/com extractos finos a 10000.
Dito eoor'andalo verdadeiro a 40900.
Latas com banha muito fina de 120 a
140 rs.
Sabootes muito fines e diversas quali-
dades a 80, 460, 240 e 320 rs.
"Finas escovas para dentes de 320 e 500 rs.
DiUs -para fado de 500, e 600 rs.
Ditas para cabello a 500 rs.
Pentes para alisar com cesta de metal a
320 rs.
Ditos ditos ditos de bfalo a 240 e 320.
Pentes para tirar piolhode460 e 240 rs.
Pavios paragaz, dazia a 240 e 320 rs.
Brincos de cores, nteiramente modernos
de 160 e 240 rs.
Peonas caligraphicas muito finas a 10400.
DRas de lanca e mosinha a 800 rs.
Lindos babadinnos e entremeios de 500
e 10500. .
Grosas de boto es de louca de 160 e
200n.
-Ros ditos para calca a 240-rs.
Caixa com papel amizade a 700 rs.
Ditas com envelopes a 480 rs.
Ditas com obreias.a 40 rs.
Ditas com agulhas fundo dourado a
280 rs.
Tbesoura para costura a 240 rs.
Linha de marca caixa a 280. rs.
Ca'rriteis de linhas de Alexandre de n. 70
a200al0rs.Q
Grampos muito finos, com passarinhos du-
ziaa 200 rs.
Cartas francezas para jogar duzia 30000
Ditas portuguezas, duzia 10400
Papel almaco soperior qualidade resma
0OOO.
Lam muito fina para bordar libra 60500
Fitas para debrum de sapato, pessa t$) rs
Ditas de lam para debrum de vestidb^peca
400 rs.
Caivetes grandes com molla a 400 rs.
Ditos grandes com 2 folhas por 320 rs.
Rosetas pretas para luto, o par 100 rs.
Trancas de lam de caracol branca e de
cores de 40 a 100 rs.
FiUs para csv peca 480 rs.
Alfineies de lato, carta 100 rs.
Sapatinhos de lam para creanca de 400
a 800 rs.
Calcadeiras a 40 rs.
Grvalas de seda preta de 400 e 800 rs.
Ditas de croxe, brancas e de cores 500 rs.
Dita de go/guro de cores a 800 rs.
Xa Verdade ru* Duque de Ca-
sias n. &A.
BRACO
C re lo as escaras para vestidos c chambres.
Chegou ao Bazar do Pavo esta ni.va fa-
zenda matisada com cores (xas e
muito encorpada proprias psra vestido e
chambres; Vende-se pelo barato preco de
800 rs. o covado; porm o mu o bonitos
Balees reguladores a 40000 40jOO e !>0OOi)
Cnegaram ao Bazar do Pavao o mais bem
feitos bales reguladores, endo de fosto
a 40000, ditos de mosselina a 40500. di-
tos de lasinha de todas as cores a 50000,
todos erla sao marto baratos.
Paaai preto moito karata a 30600
O Bazar do Pavo receben urna grande
porco de pecas de panno preto fino, com-
pradas em leilo, qne sempre se venden a
50000 o covado e pode liquidar a 30600,
por ser ama excellente compra
No Bazar do Pavo vende-se nm grande
sortimento dos mais finos babadinhos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
ana grande porco de entremeios largos e
estreitos, que para acabar se vende moito
em conta e mais barato do que em ontra
qualquer parte.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavo vende-se constante-
mente o melhor sortimer.to de fazendas
pretas para luto, como sejam :
Lasinbas pretas lisas.
Cassas pretas de la.
Cassas pretas, francezas e inglezas, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qualidades.
Alpacas pretas lisas. |
Ditas lavradas com branco.
Merinos, cantOes, bombazinas, qoe soi
vendem maisbaratj do qne em ontra qaal-
quer parte.
CHITAS PRETAS A 200 RS. O COVADO
No Bazar do Pavo vende-se chitas pre-
tas inglezas com sal picos 200 rs. ocovado,
ditas todas pretas, por estarem om ponco
rnssas, 12) o covado; pechincba.
Os propietarios d'este importante esta-
bellecimento rogam ao respeitavel publico e
particularmente s Exmas. familias o favor
de se darem sempre ao trabalho do lerem
os seos annuncios, pela razio da muitos
d'alles seram modados amiudadas vetes.
O Bazar do Patio sito a roa da Impera-
triz n. 60 est constantemente aborto das
6 horas d* manba as 9 horas da noute.
Ra do Imperador n. 26
O respeitavel publico encontrar nesti
estabelecimento diariamente um complete
sortimento de pastelaria, bollos inglezet
podins, pds-del, prgsentos do3 ultimoi
chegados ao mercado, salame de lion, bo
linhos finos de todas as qualidades para cha
amenioas confeitadas, confeitos, bomboina
pastilhas, hocolate francez em libras, pas
tilhas do mesmo ,cartuxos e carteiras con
seis charutos de chocolate cada nma, est<
sortimento de chscolate do mais acredita'
do fabricante de Paris e o melhor que ati
boje tem vindo ao mercado.
Vinflos portuguezes, figueira muito supe
rior. Os mais genuinos e superiores vinhoj
do Porto, moscatel e Setubal, o illustradr
publico encontrar neste estabeleciment(
por commodos precos, fazendo-se abatimeD
to a quem comprar em porco.
Os donos deste estabelecimecto nao
tem poupado a despezas para melhor me-
recerem a acoadjuvaco do Ilustrado pr-
blico.
.i ---------------i..*,
A Nova speranpa
81Rna Dnqne de Caxlas1
Quando a NOVA-BSPERANCA faz os seus
anuncios expondo aos seos fregueaes e a
todos em geral o grande sortimento esn-
perioridade de sens objectos nao com vis-
tas de atrair a attenco de urna grande fre-
guesa, corno a de que actualmente despoe,
e sim para scientficar (a interese de todos)
a* qualidade de seus objectos os quaes sao
sempre de aorado gosto e perfeico; tor-1
nando-se qnasi indispensavl para aquellos
apreciadores (do bom) frequentarem a No-
va Esperanca, pois qoe ella capricha em re-
ceber constantemente, o que ba de melhor
relativamente a sua repartico: o" que se pe-
der verificar qnando em qoalquer rennio
de pessoas (amantes do xiqoe) v-se um
bonito enfeite em um bonito vestido, nm
aroma agradavel escapar d'um alvo lenco,
um moderno e linde laco, um dilicado ra-
mo de finas flores, ate, etc, todos olham-se
reciprocamente e dizem com sigo (e as ve-
zes uns aos ootros) estes sao objectos
comprados a NOVA-ESPERANCA: realmen-
te IIII procurar deserever em annoncios os
artigos qne contera dita loja, seria trabalho
insano e nortea o fariamos cora aquella
graca e perfeico com qoe sao elles fabrica-
dos, asshn pois a NOVA-ESPERANCA con-
tenta-se em cdn-vidar a todos geralmente,
i visitarem-na para ento Acarara intei-
rados do que ha exposto na mesma loja.
1Roa Duque de Caila11
IiSa para boi^r a
5^500 a libra
i O Cysne, rna da lmperatrir n. 64, acaba de
Teceber grande e variado sortimento de laa, a qnal
vende pelo baranssimo prego do 5*500 a libra,
core sortidas.
CABELLEIREIRO
51-Rna da Oadeia do Recife51
Chama a attenco dos seus innomerOS fregueees, e do respeitavel pnbUst ei
feral, para a seguiote tabella dos precos de sua casa, os nai8 barato do que em- outra qualquer parte:
Gabellerra8 para senhoras a 250,
300, 350 e^.....400000
Ditas para hornero a 350, 400 e 500000
Coques a 120, 15, 180, 200, l
250, 300' e '50j)00l
Grescentes a 120,180,180,200,
'250, 300 e 920000
Cachos* ou crespos a 30, 40, 50,
60, 70, 80, 90 e. 100000
Tranca de cabello para annel
500 e....... 10000
rraoca Pra braceletes a 100,
150, 200, 25 e.....300000
Cadeias para relofk a 50, 60,
70, 0, $*, 12Te. .
Corte de cabello,.....
Corle de cabeilo coa triccio. .
Corte de cabello com lavagem a
i cbampon......
Corte de cabello com rhopez da
cabeca pela machina elctri-
ca, unita om Pernambnco. .
Frisado ingieza ou franxeza.
Barba. ,......
501
501
Wooi
4000
501
25f
ASSIGNflTRflS WENSAES
Es}>ecialidade de peiiteados pana casamento
Bailes e soires
0 dono do estabelecimento previne s | Recommenda-se a snperior nNTUSa JA
xmas. Sras. e aos tavafbeiros que ha uni|PONEZA para enegrecer os cabellos t oar
alopara tintura dos cabellse barba,as-'ba'nnea admittidana ExposifoUniversal
como rro prejudicial sade, por Mr voi
lim como um empregado smnte oceupa-
lo nesse servido.
latil, analysada e approvada pelas acade-
mias de sciencias de PARS E LONBRES
GRANDE MADE
Quando a AGUIA RRRNCA, mais precisa scientificar ao respeitavel publico em
geral, e em particular a sua boa freguezia, da immensidade de objectos que ltimamen-
te tem recebido, justamentefquando ella menos o pode fazer e porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que lh'a attendero e relowro,
continuando portanto a dirigirem-se a bem conhecida leja da AGUIA BRANCA roa do
Queimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sortimento de superioridade em
qualidades, modicidade em precos e o seu nunca desmenttido AGRADO E SINCERIDADE.
Do que cima fica dito se conhece qne o tempo de qne a AGUIA BRANCi pode
dispr, empregado apezar de seus costos no desempenho de bem servir a aquelles que a
honram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem ei nume-
rar os objectos que por sua naturoza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja importancia, elegancia e novidade os tornam recommendaveis, como
bem seja :
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de selim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeico de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao massar o pretn-
deme se Ihe apresentar o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Goipore branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas o monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinbas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinbas bordadas para ditos.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
. Fil de seda, preta.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pin sel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes donados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para balo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
1 urnas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados om
pedras.
Ditas de madeira envernisada com vispo1
ras e cora dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
criancas.
Diversos objectos de porcelana, proprios
para enfeites de mesa e de lapinhas. ,

o
o
H=5


N.5AIU1NG1UJUN.U
I,
P
"00
Com este titulo acha-se aberto e nteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontraro tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ooro
observar delicadeza no trato e enciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existo de melhor em
aderocos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios adftre'cos, pul-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata de lei faquei-
ros, colheres, paliteiros salvas e outros muitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco do
que em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qoalquer objecto
pertencente a esta arte.
XAROPE
VEGETAL AMERICANO
eSALIDAD
DE
BARTHOLOMEO&C
Pa a cara cerU i Immi utifts e retentes, eiurrtw pnhmaar, uihmi; um tnrtfc, atan*
taocaiai, em goral contra todes o soffrimentos du vits reipintori.
DEPOSITO ERAL
BOTICA E3 DROGARA
54, RA URGA DO ROZARIO, St
PERNAMBUCO
A iheripeniica das diferiM moleitiu do paito, deide
pbwyngite en mal da garganta at i tuLercoliclo
pulmonar, passaodo pelas difersas bronchites caurrhats
o emphysema acaba ds ser enreqoecida eom mais
asu nedieanento. qie towri a priaeira ordam entra
todos ate boje eonheeidos. O rarope Vegeul Amaran*,
(nMinde pwiMtM Tegetal, nao eootm em tai
eomposic* om m> atoa* de opia, a sin fomenta m-
aaa de plantas indgenas, caja proprieeMes benficas
a con d* molestias qna perlencem aos orgioa da rea-
piracdo (oram par ns oataanaaMa por longo tempo,
eom ptimos resaltados cada wat mais emeente; palo
oe no* jslgamos aatoriiadoa a oompor o xarope qna
agora apresentaaoa, a offareee lo aos mdicos a ao
Mico, Proramoa esa M atteswdos abati o qoa le-
ao dito, a coturno* qa* o eoncatto da qoa ii goaa
l*f*M Vegetal encano craacert da da a dia,
dallando mnito apdt da ai tolo* oa paitoraea am roca.
. nim. Sr. Bartbalonw* C.-0 nrop* VegMal Abm-
iieano. preando ea su eoaeaittMdiuima plarmacia.
*m ntil reaMdr pan Hmtilir A tarrlrel aatkm*.
Sofra ea ansMa aotaatia ha qnatro metes, sem anda
*--------*" i iiiniaiaataiiaiis sai liibi, un alf
* trte fot fortisiiato *M a* prattoa por ( dia*. uaei,
por* o am milagro**'Mr***, tomaado apaaas traa
Jraaa. ato* natana ato tai a un atacado. r~
OtW. 1M*ai|MM
Ihe, pois os meas atrdecimanto* par a* ar stMada t
Uo horrirel Bal. Coa a mais aigBiOcatiTa grttlWe,
aabaeraro-mo daVacs. affeeaoao a raconsaaeido talada.
Saaara* dajrU.-Sna Cata U ultnrtaro aalsM.
Illms Srt Bartholomeo *C. Papan da qaad **a
aaa da aatTrimento coa na* toase ineeamu, a*m
aittaordinari*. aipealoracto da em caarana aautafta-
do, a parda ttttl da f*rca*. qoa maawr"------
me (aligara completamente, cansado da lmar \
tros remedios sem resallado tire a faflaa^^H
Vmea. prepararaa o zarape Vegetal America
ella, graeae a Deas, me ecfco resubelecid* }
dais masa, a robosto oamo se aak tiaaata i
Slidio aa (ore* a asta declara;lo, qna p J
ir <
anitos i
Catira i
Attasto toe al do
oaap*i*clo*flra*"
RanB
tatial
Uo me (ore* a ata daclaraeao, qna P^****^^K
o nso ate qniterem. Son coa eslia* datWBt,
s respeiudor ertdo. Al*m Jttmlm a
, SiUa. taci 8 de mrairo da lli:


Diario de Periiambuco Quuita luir 11 de Agosto de 1870.

i
I
LotteM
to4afc*en
fcrles'.'COffiaerciaul alafia de concluir
ercMcs e de novo abre osaeu ciaietos defazendas
n d/|ruf)?;rtrit, con a rtetv le Garihalrti e Arara, e leodo resol-
vid* Kqui *. jiras toteadas em gramla abstifueuo de por Uso con-
*ida**o respettart'l public en seu* aiMgWfl frejiyezps, lamo da pra;a como d mallo.
pa%rhs lenthrtr tta ii'*0 osen 9lat)S0cMMlU>, e que todas as fazendas eslao
reamas na laju < amuzem da Arara na ni ia Jmpralri/.'n. 72. e que resolveu-se
vender a armaTiu ih !% Garfbatdi, para (car sement, com a da Arata, como cima
tica dito.


X,

Attpnsao.
Vemto-se ch.itas mnutn* a iOi 289; 320
e 3^0 ft covado na foja dn Arara.
ORGAtfDYS DE LISTA DE OOflES.
Vendase orpandys para vestido! de se-
otaoras; fazenda muito modernas a 410 rs.
o covado. '
Brilhauia.1 ou uinsallna Se cor
Vede-se brlllnrrtina o:i mnssuiina de
cor para vestidos a 440 n n>vade.
M3CAO5 i !'.ACEZtS A 9Sf.
Vende-se riscados francezes para vestidos
i 3(50 ts. o covado.
Chita larga a 38.
Vende-se cuitas escoras linas das largas
para vestidos de sendera?; a 320 o covado.
Ditas matisad i escuras a 280 o covado,
ALPACAS LISAS A 500,
Vende-se alpacas lisas para vestidos de
senhoras a 300 e (HO rs. o corado.
LlAZINHAS TRANSPARENTES A 800 RS.
Vende-se isjuhas transparentes, para
vestidos a 500 rs.. ditas tapadas a 400 rs.
o covado para liquidar.
ALPACAS DE LISTAS A 500 RS.
Vende-se alpacas de listas para vestidos
a 500 rs o cavado.
BRILLANTINA BRANCA A 500 RS.
Vende-se briilvmtin.i branca p.ira utidos
a .00 rs. o cavado.
ALPACXS M \TIS\DAS 040.
Vende-se alpacas matisadas para vestidos
de senhora a ttiO rs. o covado.
CORTINADOS PARA JANELLAS GOOO.
Vende-se cortinados para janellas a 6,5000
o par para lqnid>r.
SEtTAS DE CORES f-SOOO.
Vende-se sedas para vestidos a 1 > WO o
covado. t
CORTiNADOSPAH.'vCAiJA U,->000.
Vooil -.-^ colipwdos M*ra oaflM a I4?$OO.
lOLLINHA PAKA >:;.-i )iA 100.
Vende-se urna grajeen p^i'vo de golnhas
para senhoras e meninas, a 100 e $01) rs.
:ada urna pan liqnidar.
CHITAS PARA CUBE UTAS 320.
Veade-se caitas largal para cotona a
320 o 36.) rs, o covado.
M'vNCUlTlS E COLLAS 500.
Vende-se manguitos 1e goUintaas para se-
nhora a 503 is. ditas dj linho a 640 e 800
rs: cada urna.
CHALES ESTAMPADOS A 20000:
Vende s1 chales de merino estampados a
<5000para liqoidar.
CAMBUAlAS VICTORIAS C$000.
Vende-se anjbraias Victorias finas a
$000 0.5500 B 7-3009, por ser liqni.iacao.
ALPACAS COM l'ALM\S DE SEDA A ifOOO.
alpacas com palmas de seda para
vestidos de sentara a I;(!()',) o covado.
CORTES DE CAlfAS DE CORES A 2-jiOO.
Vende-se crtrtes de cintas de cores com
JO covados a 500,
CHALES BUSCOS DE CASSAA.3000
CADA UM.
COBEBTAS CBINKZ& DE CUITA A.2Q0O.
\Vndo-.-j urna "grande porco de caber -
tas de tliitis cbinezas para carnario barato
pn-sso de 25000 cada u|oa.
Wode-.-e na toja do Arara 3 balces para
qualquer estabeiecimonto por barato presso
por nao se precisar d*elles no estabeleci-
menio.
RETALUOSDE CHITAS PRETAS E CASSAS
A 120 O COVADO.
Vende-se urna grande porco de reta?
, lhos de chitas e cassas pretas-a 120 rs. o
!covado para, liquida
COBERTORES DE ALGODOA 15400'
Yende-se cobertores de algodo cada um
fiQ.
RRAMANTE DE LINTIO FINO A BARATO
PRESSO.
Algodio flautado de loas lar-
gnras a 1*800
Vende-se algodao trausado de duas lar-
guras a 15200.
MADAPOLO ENTESTADO A 35Q.
Vende-se pecr.s de maiapolau do 12 jar-
das a 3$300 a p/.(}a,
ALGODO A 400O.
Vndese pec-s de algodSo encorpado a
45 S&, 05 "000 a peca-
Slada^oSo a 5<$00.
Vendi'-.-e pecas de. madapolo de 2i jar-
das a S ('<-> o OrjoO, dito muito fino a 7,
8,$ 95 o 10fi> a p.-ca para liquid r.
ALGODAO DE 8 PALMOS DE LARGO.
V"iide-se ak;od;o com mi palmos de
largura proprio para lencesetoalbasa 900
rs. o RiftlCQ,
ALODO-DE LISTA A 1Q0 RS.O COVADO.
Vende-se algodan de lista proprios para
saifts ou vestidos para -escravas ou calcas e
carnizas para. <.scj;;vos p >r ser muito forte a
100 rs, o covado para liquidar.
Coi'des de casor papa ca!?a a
300 IS.
Vndese coi tes de castor para caiga a
500 rs cada wn.
CORTES DE BRIJI PARA CALCA A 1,5400.
V -nile-se curtes dt> brim de cor para
calca a ,->'i00 "da um.
ESrica p ro Uso a SO rs.
Vende-se Driraj)ardo liso.meio Jiidio para
calcas para irababo a 500 rs, o metro.
aig^s para caifa a 5S-rs.
Vendo-sa gangas inglesas para calcase
patiloLs a 280 r*. o .covado para liquidar.
CORTES DECASEMIUA DE CORA 3^500.
Vende-se curtes de casemira de cor para
caiga a 3-V5GO cada um.
Ditos mu i o linos rom listas do lado a 5.
PERCALAS FIN iS A/w.
Vende-se perca as finas, paca vestidos de
senhoras a 440 rs. o covedo.
Cassas f'a':iCO/a a 240.
Vende-se cassas francezas para vestidos
a 2i0 ral o covado.
Nbro e^blettaeno
OE FAZENQAS E R0UPAS. FEITAS
Ruada Imperairiz h. 40, :ecquiua-do beroo dos Fereiro.
K
0>novo propietario dest'e estabeleciroento, commonica ao respeitavel publico
lesta cidade e especialmente s Exm3. familias, qae est liquidando por precos bara-
issimos, as antigs fazendas que existiam neite enabelecimento, alm tas que abaiio
vao relacionadas, cojos presos'mereeem toda a attcnco do respeitavel publico, que nio
deixar de com ppqu-na qoanli* ivfazw-se de qualquer qualidade de fazenda que pre-
a mesma loja tem feito sortimento de faiendas moder-
do mais apurado e.escolhido gosto, que vender mais
deixara ae com ppqu-na q
cise. Previnese tamben que
as, e continua a sortir*se chs
barato que qualquer ntia loj
A LOJA DO PAPA JA 10 alm de ter.um grande deposito de roupas feitas, tem
nm bonito surtimeiWo d.) casemins frano zas, inglexas-e allemSas dos padroes mais mo-
do/nos, e assim como pannos pri-tos, casemiras, e panno fino cor oe pinho, azul claro
e mais escuro, br.ns brancos e de cores, fustSes bramos, e de cores, gangas de linho
e brin< pardos de todas as qnalidades.
A LOJV DO PAPAGUO tem contratado um ptimo mestre alfaate perito no
sen oflicib para exectitar qualquey obra da arte com a maior perfeico c esmero, e qual-
qner obra que nao fique vontade dos fregoezes, ficar para a loj, e manda-se
fazer ou ra.-
Atoalhado de lioho fino, a :J$ o metro, Esgufo de linho de I50C0 a 35 a vara,
e de algodao a ,25- Chales de merino pretes muito grandes
Algod3osinho laigo, para lences e toa- a US.
Ihas a I5C00. Dito ditos, estampados de 4,500 para
Alpacas preta?, de cores, lisas, de furta cima.
cores, e. de listras. Fil de linho branco e preto liso, e de
Bareges com lisirinhas de differentes co- salpico.
res a 830 rs, o covado. Grvalas de seda pretas e de cores, da.
Bols-sde tapete aveludadas, para viagem, 'mais modernas que tem viodo ao mercado,
o pieco e conforme o tsmanho. Guardanapos de linho brancos e pardos.
Bombasinss pretas. isas, e trancadas. Grosdenaple preto de differentes prc*S-
Bramantes de linho, franeez e ingleza; L5asinhas em cortes com palmas com 14
2?5<">00. covado por 6#.
Baloes de mussulina, brancos com fil^s. Ditas lizas e delistas transparentes e la-
e ontros todos de panno com o feitio dos padas de differentes pregns.
de fitas, para senhoras e meninas. i MadapoUlo inglez de 5^'at IOS a peca.
Basquinas de grosdenaples preto mo-' Lericos de algodo, brancos de 2$ a 3#
Jemas e de croch mni'o afeitadas. a duzia.
Bivlanhas de liiiho. o de algodi. Ditos decambraiade liliho de 64 a 12j5!s
B:ios de linho trancados brancos e de Ditos de esgoiSo de C^ a 83.
cores. Mussulinas brancas e de cores a 500 rs.
Brins de algodn trancados brancos e do o covado,
cores. Gorgoroes de Isa com listras, fazenda ln-
Combraias brancas tapadas o transpa-. t-rirameute nova no mercado a 800 r-. o
rentes, sendo injlezas e suissas de 8 pal- covado.
mos de largura. Merinos preto, trancado e de cordJo.
Camisas de meia, de flancMa, branca,-e! Peftos bordados e lisos, tant> d linho
de algodo.
Camisinhas brancas d9 catnbra'a com di-
licados bordados, e enfeiladas de cor par*
Sras.
como de algiidSo para camisas de homem.
i'riacetas, pretas de.differentes precos.
Cambraia branca tapada muito larga cojn
s
pregas e bordado, lia c"e tres qualidades
Caoblrfas do cores a 400, rs. o metro e! PTW Para sa2S ,,e Sras- W ba-
pretas lavradas para vestido
a 800 rs. a vara.
Camisas inglezas, e fiancezas tlelinbo. e ^.
de algodao de pregas, lisas e liordadas.'
Chapeos de sol de, seda, merino e alpar-
ca de differentes cores, .e Chitas para venidos, fraiicezas, de 20
at 400 rs.
rato.
Sedas pretas l
o covado.
Sargelim franeez e inglez de toda ao co-
I res.
Toajhas de algodo e de linho de dif-
i ferentes qualidades e tamauhos.
Chitas para cohertas.de 320 at 640 rs.l
Cortinados de cambraia, e de fila borda- [
dos para camas ejanelas deO^para cima.
Coh-bas de asto brancas a 3*500.
Ditas ile cores a 20800.
Colarinhos de iinhos, inclezes, e alemaes.
lisos e bordados.
Damasco de 13. encarnado, a zule a raa-
peilo, escomilba prela.
Espartiibos de linbo branco para Sras.,
de diferentes precos.
Punhos de linho para boraem muito 0-
Meias ing'ezas para Sras., e para meninos
e para homens, de dlffereDtes qualidades
e de todos es tamaohos.
Para 'quera comprar peca ou duzia da
qualquer fazenda seu preco o custo ; para
diminuir o retalho.
f>aD--se-as amostras de qn&lquer fazenda.
A loja do^apagaio acha-se aborta todos
os 0nsv at s 9 horas da nonte.
Francisco Teixeira Mendos
CASA CAUVItt *-i*wnoi.p:
RA DO BUQUE DE CAXIAS N. 7,(0UlTf0RA DO QUEMADO)
DE
k CT.
Este novo esWbefetnwoW bem conhecido nosta capital, os seus propriets-
nos fizem soieate a Telbor e mais variado sortimento de fazendas para saoboras, homens e meninos, sendo
ua especiadadeenxovaes para noivados e prearos paa salas.
Para noivas
Ricos vestidos do blond de seda bordados de duas salas o qoe ba mais rico e
:ons todos os pre;::ros.
fgurto branca de seda, superior qualidade.
. "llantas de b!on l com capellas.de flor de laranja : s na
Loja do Triumplio.
Ra do Duque de Caxias n. 7.
u,
Pharmaceutico privilegiado
eucoeasor
topol, 88 PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
A^reseitadas l Academia de Sciencus e ao Instituto d* Fraoft,
III IC*P n Sob forma de Pastilla, devedida e doseada para
iflJlluvAU faser de momento urna soluccio
Prereotiva e curativa tt% MOLESTIAS CONTAGIOSAS.
INJECTOR-PHi,0'-rsai""""d'
' jraes inconvenienta da frafilidade.
ESTOJOS
Con a forma, e de oame de nm Porte-Moed*
CUTEN DO IODO JRATiENTO.
COLLYRIO Contra as affeccois das palpebras,
preparado sob a mesma forma. .
BARTHOLOHEO C
Depositarios geral para e BRASIL e PORTUGAL
34, roa larga do Rosario. PERNAMBTJOO.
gaiola?, galliaheiro etc.
rame de Torro galvaoisado em rede para cercas,
''.napas de fcrrcTgatvani?ado para cubrir casas.
Tachos de ferro estudiado para engenhos.
U fres do ferro de Miluer e oatros autores.
Chumbo em cano.
Dito em len?l.
OMo e;n barra?.
Dito em enxadas.
Kstanlio em barua e verguioha.
l-Vilha de b'laudr.-.s.
Arados americanos para Iadeira e varzea.
Carrinhfts Veierianas para janella*.
Macbiaa de deicaroQar algodio de f ac*.
Ditas de serra.
Dilas para cortar famo. '- j.
Dita* vapor de fora de 3 cavallo3 e motores para 2 cavallo?, para mwef a>
machinan de algodao.
ilaieiras de ferro. ,
Camas da rerro.
Prensas para copiar cartas.
;ancao para pesar.
0eo do linhaca em laias de ferro.
Trilbos de fero para eogeobo^
Bombas americanas.
Macacos de esrivar. *
FUIanco e pe** -decimaes e ontras.
FcigOes de patete.
Kaxore.
Salitre. ,.,
Kstopa larra e de boa qualtaade. ^g
Ptcaretas fiara caminno de ferro.
Um grande orffleto4e ferragens e cutilaria. '
AVID-V.NWUft'
ERGEHHEIRO
Com fund cao
RA DO BRUM 52
Passando o chsfariz.
Chama a attencao dos Srs. de engenbo para seas acreditados machinismos e
com especialidede para seos vapores que aindaumavez tem melborado.
Os vapores fornecidos por elle e ja funecionando Ibe bao de fazer melhor apre-
ciacao do que qualquer dito proprio.
Deseje todava mencionar'que vista do cambio agora mais favoravel do que
na pecba dos apohtamentos do anno passado tem feito urna redaccao sensivel em todo
seus precos. _______

;.wyR!
CASA CAUVIN *-K
Phatfmaeeultco privileciado
Bucoeoaor ,
BoulrfMNl a NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apreteatadat a Academia de Saieacia o ao instillo le Franca.
M IPftpin -Sob forma de Pastilla, devedida e doseada
RaJ twAU moaMilo aaaa aolaccM PBIV1ITIVA E 00
MOLESTIAS CONTAGIOSAS
ara faser de
bAtn* da
IMJEGTORPHILTRO
Gravea
do volume de um relogio, tervino
de Philtio e Sbunsa sem o
inaonvementaM de fraftiUtuuU.
_^_A i /%n I Com a forma, e do voioaM de ata Porte-Moeda coMwd*
ESTO JOS T0W) TBttA|nt.
YBIO Contra ae ageccott da <>alpebrM, prejeniio. eA a ruwma forma,
e PdMHTLCiAL
o xn(
34:ia iftftA m msmmm
rlo coslomacaof procarar attealada* para aeradiur
aossos preparado!, e deixalnoa qoa ana applicacao e o*
renltadoa obtidos pelaapeasoaaqoe ae dignaramaccailar
lo*, Iher deera ctedit toga; porqna sio aetnprt o
manado* considerado* gratuito, dette* Dio charlatanismo; bu na quereado offeoder u p*>
aaasqneespoDUBeamenta no offeracoram.o* qoe abaixo
o transcripto*, os tazamos publicar rnaaifoMaiido-lbos
losta graUdao pala aUauco. asporando que venosa
tiles corroborar o eonceito, a aceaitacto qoa MB mere-
(ida nosao xarop*. aWrlAoioa* t C.
*TTiiTee,
Itlffls. Srs. Bartholomeo k C. E ecm a mais sabida
latisfacio que declaro aer o xarope Americano de ama
ifficacia exlraortlMla, poi*vqee ffrtkdo ha da* de
alen ja tosse. poni de nio poder dormir *ra*W a
laspeito mesmo de medicamentos qae tomara, a elle
recorr a na terceira eolher fui alrntad, e de lod me
i icho boje reslabelecido com o aso ** de enaei
aeio frasco: grato pois i esso resaludo manifest
t. S*. mea retaarheeiaioato. Do TV. S. amigo. "-
aerador e obrigado. Manoel Antonio Viega Jnnioj.'
- So cr
Illa*', ^-r. Bsrrhi.fi ro C. PenboTsdissnuocom
'tsar .a ca- B2W.K da atoaaaraaw^oao do xarasn.
Vegetal Americaao, V ana oomposicSo, qnando au
acbeaa bstanle doento da ama ooaalipaeAo, qoa m
tornea completamenta ronco e que trouxe urna ert*
tosse, a me rapoasibilitou de comprir o* meus dararat
da cantar 4a empresa irrita, roa agradeser-lhes man
completo reilshotofimaato, qna obtira com nm s ridra
do anenan xarope, depois de haver recorrido a mnite*
traumentoa. DaaejaMi qae ootros como sa recorram
ao aan xarop* paca ss reren ajinados da alo terrirei
incommodo, tao bul aaau paix. Com malor censida*
recta ooaiinio a aar de Vr. Ss. atiento, reaesador*
obriaada. Lara Cramena. Becife S5 da aalamaM
aaim
Illas Srs BarthoVomee tC-0 xarope Tegatsl Ame-
ricano que Vr. Ss. Um expoato i raada t de una efi-
cacia aaaa easaHr d'aethraa, eanformo ebaerrei aa>
plicasMo-o a mea albo Josquim, menor de qasire
annoa; rieiinu d'eeee flagetlo. qna at estao por asfaaa
excedenU a do* anaoa hara resistido a outro isreasa
de grade nomeeda. Qoeiram pois Vr. Ss. aeceiur a
eiprMeto altaanente sroeera da asan recosbecimaato as
meritoria servie* qoe iba prestaram com o indicad
larope, scaedilaBdome para aeronre ds Vr. Ss. criada,
silesia eoteigado. Amerieo \etto ds sl*ndoaca,
(> Bast* 2 da outubro de 1168.
IiOalA
GALLO VIGILANTE
Ra do Crespa n. 9
O propriettrio-; des:e bem conhecido estabele-
ciraetti, alm dos inuitos objectos qae tinbam ex
pujtos a. apn'cia<;o do respeitavel publico, man-
daram vir e acabam de receber pelo ultiyio vapor
da Europa um completo e vanado sortimento de
finas e mni delicadas especialidades, as quaes es-
tao resolvidos a vender, como de seu costante,
por preces iutiu> baratinha e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores latas de pellica, pretas, brau-
cas e i!e mui lindas cores.
Mu boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, ueste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pontea de tartaruga para coques.
Lindos e riquissirnos enfeites para canecas das
Ex mas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
lho8 e sem elles; esta fazeuda o que pode haver
de nielbur e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfrm, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com Uncos doseshos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20A,
aim destas, tomos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
filias.
Boas bengalas de superior canna da India e
castro de mai'iim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor si
pode desejar ; alm tiestas temos tambem prandi
uuantidado de- outras qualidades, como sejam, ma-.,
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualid.ndes.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas do i a 12 annus de idade.
Naval!: is cabo de marflin e tartaruga para fazer
barda; sao mnilo boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem assegurains sua qualidade e delicadeza.
Lindas e btiias capeilas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labvrintho.
Boas baralhos de cartas para voltarete, assim
como os temos parido mesmo tim.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as.convulsoes, e
faciiitam a dunticao das innocentes criancas. So-
mos dosde muito recebedores destes prodigiosos
cnlkirea, e continuamos a recebe-Ios por todos os
vaporee, aflni de que nunca faltem no mercado,
como ja em acontecido, assim pois podsro aquel-
les que dolles prerisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde empre encontrarao destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
par que tao appcados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
eomprar por precos muito razoaf eis loja do gallo
vigilante, ra, do'Crespo n. 7._______._________
3 cordeiro previdentt
Rna io Qneimao u. 19.
Movo e variado sortimento de perfomarii
finas, e ouros objectos.
Alm do completo sortimento de pert
marias, de que eiectivamente est provida
loja do Cordeiro Providente, ella acaba d
receber um cutro sortimento que se tora
aoiavel pela variedade de objectos, superior
tede, qualidades o coramodidades de pr:
?os assim. pois, o CordeiroPrevidente pea
e espera conlinuar a merecer a apreciaos
do respeitavel publico em geral e de so
boa freguezia em particular, n3o se afa:
lando elle de sua bem conhecidaman.^id
e barateza. Em dita loja encontrado o
spreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, frai
ceza, todas dos melbores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete paratoilet.
Elixir odontalgico para coaservaco t
igseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidado e che.
ros agradavsis.
Copos e latas, maiores e menores, coi.
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparenv
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americano!
francezes em frascos simples eenfeitadoa.
Essencia imperial do fino e agradavel che
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiro* iguai
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidad?
com escomidos cheiros, em frascos de diii
rentes lmannos.
Sabonetes em barras, maiores e menor*
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em flgt
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barb;
Caixinhas com bonitos sabonetes imitauti
(nietas.
Ditas de madeira invernisada contendo!
aas perfomarias, muito proprias para pr
tontos.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tai
bem de perfumadas finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e 4
moldes'novos e elegantes, com p de arre
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentei.
Pos de camphora e outras differet*
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda malli coquea.
Um outro sortimento de coques de m
vos e bonitos moldes com filets de vidrilht
e algons d'elles ornados de flores e fiUt
esto todos expostos apreciadlo de quei
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Fivellas e filas para cintos.
Bello e vanado sortimento do taes objw
tos, ficando a boa escoma ao gosto do cok
prador.________________________
BBllio novo d Fer-
nando
Em saceos grandes a preco commjdo : no ar-
mazem de Tasso Irmaos & C, ra do Amorim nu-
mero 37
A
A ra do Oqne de Caxis n 21.
(AHTIGA RA* DO QUEIBIADO)
Recebi'u segninie ;
Esiiplho* graodt-s dnurado*, moldrs bonitos,
Caneims, Charuteirae e pert-cigarns de mBita>
qualidades.
Bonitas pifias parapspec. smiptpse matfsaaas.
i y raixa* vasias para costura com ,-ua cempe-
tente chave.
Delicadas caetas de marflm com o doc! d
Modernos penles de larisrafta, sobrespindo en-
tre elles os mimosos lelegraplmuf.
Cnmnwdo* tucadores cjiii duas gatejas e i
espelho.
fort bouquet, o que de meiher tem appare-
cio.
Port relogios de umitas qu.-.liaades.
Bons telhcres para man-
Votoario, cbapiiziul:L-.-, toucas, sapaloseffleias
para baptisaih.
Toallas e froribas de labyrinlbo.
Chapeo cchapeiinaspuia.-euhora, moldes novos
e benitos.
Chapozinhos gorros e bnela. pra menrs
meninas.
Contra as convulso: s
ras
cri meas
Vende se os vcnlsdeiros coltovs na Nova Espe-
raoca, ra do Duque Ce Caxiaa n. 21.
PAWA TWlilB CABELLOS
para preto* ou cartanhof, recetes a Nova Espe-
ranca a verdanleifi fin inelcza.
PARA ACABA COM AS SABBAfl
ou pannos, tem Nova Kperacea o vtrdadeiro
leite de rosas luanca.
AGUA DE Ft.OB DELAHAN1A.
VenJe-se na Nova Eipcrnnca, ra do Duque de
Casias n. 21.
PAPEL PARA ENFKITAR-SE BOLO.
recpbeu-os muito lindos a Xova E^peraofia, ra
do Duque dn Caxiss n. 2!.
PAHA AMAC1AH E AFOHMOEAH A PEIXE
tem a Nova Espeiauca ns saboueies de pos de
arroi.____
Rival sem segando
BA DO DUQUE DE CAXIAS N. 19
Estou disposto a continuar a vender todas
as miiidiizas pelos baratissimos precos abai-
xo declarados, garantindo ludo boa; e pre-
cos admirados.
Caixas com 20 cedernos papel pau-
tado a........
Caixas com 50 novellos de linha
do gaza.......-'
Duzias de meias cruas supenoi
quaiidadoa.......
Pegas de babadinhos com 10 va-
ras a........i
Pecas to-tiras bordadascom Vi
metros cada p ca a i*5500 u.
Pecas de litas para cs de q-al-
quer largura com 10 varas a.
Escov3S para unhas fazenda fina a
Ditas para dentes a 240, 32Q,
400 rs. e.....
Pecas ile tranca lisas, brancas e
de cores a.......
Caixinlias de madeira com alline-
tes fazenda superior a. .
Duzia de linha ftosa para borda-
dos a 40o rs. e.....
Pares de meias crua- para m*>
nos diversos lart;anhs a.
Duzias de meias breocM mui">
tinas para senhura a.
Pares de sapatos de tranca do
Porto........
Pares c'e sapatos de tapete, a. .
Livros de missa abreviados. .
Duzias dt bantbofi pi vultarete
Sylaljarios portuguezes a. -
Cuines oom eolxeies -careras a
Aaotoadui as para collete diverjas
qualidades.......
Caixas com peona de ac muito
boa de 320 a......
Duzia do linha 200 jardas Aiexan-
dre de 40 a 200 e,
Caixas com superiores obreias a.
Duzia Oo agullia para macbina a.
Libras de pregos francezes todos
s tamauhos a......
Pacote de papel com 20 quader-
nos...........
Caixas de phosphoros seguranca
muito superiores a
Resma de papel pautado soferor
Resma de papel liso muito supe-
rior a .....'
Garrafa com agua Florida verda-
deira a........
Quaderno de papel liso amizade
Carretis de linba de cores com
100 jardas a........
700
400
300O
300
2000
500
500
500
40
400
500
320
20000
IfSSOO
400
20
400
40
400
4O0
I
:
1*600
20
20
20Ra da Imperatriz20
Fari> L,essa.
Acaba de chpgar a esta nosta nova loja e fa-
zendas finas um variada sortimento de fazendas de
laa e seda, como sejam : granadines do riUimo
gosto, popelinas de una s cor, alpacas e laaz:-
nha* de cores, o que ha de mais moderno, tndo
por baratissimos precos, brilbaotinas de. cores, te-
cidos das indias, fazenda nova a imacao de per-
calia, baloes de dina flngmdo saia de cor com lin-
das barras, fust5es proprios para vestido e roupas
de meninos ; agora grandes e admira veis pea-hin-
chas, saias brancas com lindos frisados a Si. ri-
cos cerpinhos bordados mnito finos a S, baloe;
modernos de arcos a 2S, ricas colchas para cama
alcochoadas, sendo brancas e de cores, a S, 6 e
71 cambraia victoria tina a H, ditas trausparen-"
tes'a S 6 e 7,cbitas finissimas escuras e claras
a 280 300, 320 360 o covado, cassas de cores a
240 lencos brancos-de-casfa a 2dO0, ditos cbi-
nezes a 3500 a dozla, madapolo fino a 6 e
6B00, e muita soRenor a 7, 7600 e 8, algo-
daozinbo largo proprio para lencos a 6, panno
de al odo branco trancada proprio para toa.has
de mesa a l600a vara, nramante para lencoes a
20O0 e 3500, o qneh de melhor, esguiao n-
nissimoa2200e2500 avara. Mandamos as
casas das Exmas. familias para melhor poderern
escolher. Tambem temos completo sojtimento de-
neifumatias dos primeiros fabricantes francezes e
inglezes; as pessoas quasedignarem vir a esta
loja terooccasio de reconhecer a realidade do
que annunciamos para nos justificar.
t
Cabellos
BARIHOLOIEOiC^
Deposiurios geral par a '
Trw tari do ftw9. PERNAM^UOO.'
Vendem-se cabellos de todas as cores, qualquer
comprimento, quahdade superior, em caixa ou
porco mais pequea : na ma da Cadeia do Re-
cite i. SI, 1 andar.
Farinha miiho.
No trapiche Bario do Livramento existe boa fa
rinha de mandiea e. excedente milho em saceo
Srandee : a tratar na na do Vigario n. 16, 1* an
ar, escriptorio do Joaqun Gerardo de Bastos.
Farello.
Vene-8 saceos com 90 libras de farello no-
vo do ChUe a 4500 : ra da Madre de Deus
a. 7.
TEES VAPORES
O Campos da roa do Imperador n. 28, rceeheu
pelos ltimos tres vapores chegados a ese porto,
differentes gneros que vista- dos suas especiaes
e diversas qualidades, merece fazer-se delles es-
pecial mencao; e avisa nao s ao seu crescid.
numero de freguezea e amigos, como tambem
aquelles qae nao tem querido honra-lo com suas
freguezias, encontrando por eeee rootiv oetias dif-
liculdades em guppnrem-se de bons ganen, por
falta talvez de quem Ihes indique com firmeza um
esfabelecimeatQ que como o sen, possa cora ga-
raitia, bem saliafaer as justas exigencias do res-
peitavel pubrtePasta capital; qne se acha o sen
amaseis prowlo dt mais notos e variados gano.
ios, e limit-se a nomea o ssguinte :
Carne e quei>is do sertao.
Prezuntos inglezes e portoguees.
Gondolo (nova marca do bolachiabas).
Patit Pois ao Boarto- (er,vilba em manteiga).
Cbocoiato bospanhol a t#oO0a libra.
Conservas a "00 rs. o fraseo.
Caf chumbado e de moka.
Rap Paulo Cordeiro (viajado e eommum).
Gurudos franoeies (TrnfleeJ.
Superior chatnpanhe.
Doces Unos de goiaba, laranja, limo e bananas.
y


Diario de Pernambuco Quinta eira 11 *^e Agosto de 1870
----------------------------------- ________________________. ___________.


ASSEMBLEA gERAL
CMARA DOS DEPUTXdOS.
Discurso pronunciado na sesso de 3dejulho
de 1870.
(Gutinuaclo.)
S," Exc aconselhou como meio salvador*
pagamento das nassgens dos filhos moflr?
res dos colonos'que vierem estabelecer-se
no paiz.
E ama idea ve 'ha na provincia do S.
Paulo. Neste sentido j se me lizeram pro-
postas para contratos. Admiro que o oobre
deputado dissesse que eu do termo
assentadas %obre cnlonisaco, quando j;i em
1862 snsteotava as que oa aprsenlo, (ap-
pello para os Annaes do parlamento da-
qnelle anno,.onde se acba am humilde dis-
curso meu expendendo ?.s mesmas ideas
que hoje defendo); entretanto que S Ble.
vena apresen!) r-nos como idea milito accei-
tavel essa, alias insignificante, da passa^em
gratoi|a dos menores, quando, segundo es-
lou informado, a ella s oppoz com todas
as torcas o anno passado por occasiao da
discosso levantada na imprensa, ou na as-
amblea provincial...
O Sr. Duarte de Azevedo :Quem se
oppoz ?
O Sn. Ministro da Agricultura :0 no-
bre 'eputado, segundo disseram-me.
O Sr. Duarte de Azevedo :V. Exc. es-
t engaado.
O Sn. MiNisjno da Agricultura :Po
deria invccar o lestemunho do pe*soa> fi-
dedignas que me affirmaram o fado.
O Sr. Duarte de Azevedo :Eu pey a
V. Exc. que declare quando me ppnz a
essa idea.
O Sn. Ministro da-Agricultura:Eu
referi-me a informac5es que me deram ;
desde que o nobre deputado as contesta,
nao insisto.
0 Sr. Duartk de Azevedo:Nunca me
declarei era sentido contrario a essa idea ;
se V. Exc. a levou a execuco, nao foi para
a rainha provincia.
O Sr. Ministro da Agricultura :0
qae eu disse foi que tenho propostas para
contratos no sentido dessa idea que por
rnim acceita.
Tambem pareceu ao nobre deputado que
eu nao tinln ideas assentadas em materia
de coloDisacao, porque em um tpico do
meu relatorio disse que era inconveniente
medir trras para vend-las quando appare-
cessem compradores, por isso que a luxu-
riaDte vegetarlo do nosso paiz desfazia os
vestigios da demarcac3o, ao passo que em
outro ponto promelti occopar me deste ser-
uqo, e susientei a sua conveniencia.
O nobre deputado acharia a explicado
destes dous tpicos, nao os considerara
contradictorios, se antes de vir censurar-me
se tivese dignado ler com mais alguma ai
tencao o que expend.
Realmente tratando da repartico das ter-
jas publicas condemnei e contino a con-
demnar a medigo a smo de trras para
serem vendidas, quando apparecerem com-
pradores ; mas se estou no proposito de
nao gastar dinheiro com servico desta natu-
reza, n5o poda excluir a conveniencia de
extremar os terrenos do dominio publico,
era de, em beneflek) da immigrac3o, divi
di-los em lotes, levantar plantas e mappas
descriptivos aira de vulgansar o seu conhe-
cimento dentro e fra do paiz, quando pela
sua siluaco sejam apropriados o estabele-
cimento de ncleos coloniaes, como os que
esto prximos aos centros de maior popu-
lacho, e conseguintemente de consumo, ao
longo das estradas e dos rios navega-
reis.
Onde, pois, a contradicho ? (Apoiados).
Occupou*se o nobre deputado com urna
das questes do dia, a do elemento servil.
Condemnou a indifferenca do governo ;
disse qae era conveniente resolver a ques-
tao no dominio do partido conservador.
Maiavilhame, senhores, que o nobre de-
puta io, que como declama nao quer a
eman ipaco dos escravos nestes vinte an-
nos, venha fazer censura ao governo porque
nao d a esse assumpto melindrosissimo um
andamento mais rpido do que aquello que
lem tido na presente sesso.
O Sn. Duarte de Azevedo :Nao ha ra-
zao para maravilhar-se.
O Sn. Ministro da Agricultura :Ma-
ravilho me, porque atho que o nobre de
putado o menos proprio para exigir que
se do andamento rpido a esta questo,
quando julga que a emancipac3o nao pode
ser effectuada nestes vnte annos. (Apoia-
dos).
Demais, se o nobre deputado queria in-
sistir com o governo para qae toraasse nes-
FOLHETIM
Mi DIPJS Bl MORTA
>erdeu
to foi sujei-
.1
POR
Xavier de Montpin.
_______1' %
PAUTE SEGUNDA.
4
0
(Continuac5o do n. 177).
IX
O fin do mando.
Na qaarta-feira pela tardinha, segando
ficra combinado, voltou Lzaro ao castello
e mandou dizer seo amo que lhe dese-
java fallar.
O marquez interrompeu a conversado
principiada com a senhora de Cbavigny, e
foi ter com o seu fiel criado.
Foste pontual, disse elte ao ve-lo ;
nao e.-perava de ti outra cousa, e devo
elogiar-te de todo o feitio. Conseguiste o
iim da tua viagem ?
Consegoi, senbor marquez, respon-
den Lzaro ; foi s pedir por bocea, epa-
rece-me que dei conta da minha incumben-
cia mui satisfactoriamente.
De maneira que os nossos quatro pa
tifes...
Atrevo-me a afliancar 'que os escolhi
com descernimento. A provincia tem bons
recursos, pelos modos, e nem em Pars eu
teria encontrado cousa melhor.
EstSo promptos para tudo ?
Tal qual como eu, e por difGcil que
seja a tarefa que o senbor marquez Ibes d,
estoo convencido que h3o de sahir-se d'ella
as mil maravilhas. L esto j na taberna
que o senhor marquez me indicou ; dei
xei-os com vinbo bastante para matar o
te egoc'o m?
ta a ira
O Si. Sodza Res :Mas o governo nao
a tem ajudado
OSr. Ministro da AgriclktiJra :O as-
sumpto muito melindroso ; cada um com-
pra o seu dever segundo a sua consciencia.
Desde que o governo affectou illustracao
j angosta cmara o estado do negocio
nlo pode er increpado de inaccSo.
E quesUo essa muito grave, que deman-
da muito exame ; n5o questao de partido
(apoiados); n3o quesiSo com que se
possa especular (apoiados),; questao qe
envolve inleresses os mais momentosos da
sociedade. (Apoiados).
O Sn. Souza Res :E mais urna razio
para o governo n3o abandona-la.
O Sr. Ministro da Agricultura.:Quem
diz ao nobre deputado que o governo a tem
abandonado ?
Para mim, Sr. presidente, indifferente
que a questao seja decidida pelo partido
conservador on pelo partido adverso ;
questo de todos. (Apoiados e apartes).
Fiqnem sabndo os nobres deputados que
n3o sou infeoso discusso sobreest ne-
gocio, nem a urna soluco conveniente.
O Sr. Souza Res.: Parece quetemobs-
tido algara tanto ; acaba de votar contra a
urgencia para discutir-se o pedido de infor-
macoes.
O Sn. Ministro da Agricultura : N3o
cbstei; votei contra a urgencia por me pa-
recer manejo de opposico. (Ha diversos
apartes). Pois bem, definamos nossas po-
sices; o peior de tu*Jo eslar-se de mas-
cara.
O Sn. Ministro da Agricultura :Sobre
este assumpto, repito, enlendo que n3o se
deve estabelecer questo poltica ; encare-
mo-lo sem paixo nem prevenc3o. Estude-
mos a materia, aceitemos o concurso de
todos para a soluco de t5o difficil pro-
bleiua.
Accusou ainda o nobre deputado por S.
Paulo o humilde orador que tem a honra de
dirigir-se cmara, como ministro da agri-
cultura, por n5o olbar com a devida consi-
derado para os negocios da soa provincia ;
quexou-se da morosidade com que eram
tratados alguns que lhe tinham sido suja-
tos, e para prova de sua assergo trouxe a
concess3o de urna estrada de ferro da es-
tacao do Rio-Grande a Jacarehy com privi-
legio da navegado do rio Parabyba, deste
ponto Cachoeira.
Sr. presidente, os papis concernentes a
esta ciuicesso. foram recebidos na secre-
taria da agricultura em fins do anno passa-
do e log submeltidos seceso respectiva
do conselho de estado. O parecer da Ilus-
trada secejio me foi presente no dia ti de
margo deste anno, e no dia 19 baixou o
meu despacho depois de conferencia com os
meus collegas.. Menos de oito das foi todo
o tempo que ti ve esta pretenc3o em meu
gabinete. Desceram para a secretaria os
papis, e a 6 de abril expedio-se aviso ao
presidente da provincia de S. Paulo com a
soluco.
0 Su. Andhade Figueira :Essa snluc3o
que foi objecto de reparo.
O Sr. Ministro da Agricultura :0 no-
bre deputado censurou-me de moroso.
O Sr. Andrade Figueira :Em referen-
cia deciso ultima.
O Sn. Ministro da Agricultura :O go-
verno gerai nao tinha mais que fazer desde
que expedio o aviso ao presidente da pro-
vincia de S. Paulo.
O nobre deputado talvez ignore as cir-
cumsiancias deste negocio, e ea devo ex-
plica-las.
Desde que entrei para o ministerio da
agricultura, esforcei-me em procurar urna
soluto conveniente a questo do abasteci-j
ment de -gua, a esta capital: conhego de
pert, porque tenh estado por vezes com
residencia temporaria nesta corle, a grande
hecessidade, a orgeacia que ha de se olhar
com especial atten^o para este assumpto.
Um dos primeiros actos da minha admi-
nistracao fui confiar tudo quanto encontrei
na secretaria a semelhante respeito, um
engenheiro de minha conianca, incumbin-
do-o de responder aos quesitos especifica-
dos no meu relatorio.
Gomo resultado dos seos exames, este
engenheiro apresentou em resumo o segoin
te: que nao havia estudos completse sufi-
cientes para urna soluco definitiva, ao p is-
so que era urgente, muito urgenie, attender
falta de agua que se senta, e indicou para
isto certas medidas mais promptas, attendi-
das as quaes cessara o clamor geral da po
pulaco, prejudicada por falta dVelemeuto
to essencial vida.
Em virtude disto e de informaeoes no
tempo, e prometti nm luiz de ouro \e-
lha taberneira com tacto que feche a porta
da espelunca e n3o deixe l entrar viva
alma. O demonico da bruxa era capaz de
vender alma ao diabo por um luiz... e
por conseguinte, ha de com certeza cum-
prr a palavra.
Saint-Maixent felicitou Lzaro, que-de
certo mereca os maores encomios, e gas-
tou depois urna hora a dar-lhe minuciosas
inslrucc5es, que o fiel criado promettea nao
esquecer, jurando conforraar-se com ellas
de todo em todo.
Feito isto, voltou o marquez para ao p
da formosa Olympia, e Lzaro esperou que
chegasse a noute para sabir novamente do
castello e tomar a tasca onde os seus ho-
mens descaneavam das fadigas da viagem.
Nao seguiremos nem nm nem outro.
Desde que se tinham ido o conde e a
condessa de Rahon, costumava Saint-Mai-
xent dar um passeio cavallo com a senho-
ra de Chavigoy. seguidos nicamente res-
peitosa distancia por om criado.
Apezar de j ter principiado o outomno,
ainda as horas do meio dia eram abrasa-
doras como no vero, e os dous mocos
buscavam sob a espessa abobada de folha-
gem do bosque, um abrigo contra os raios
do sol.
No dia seguinte foi o marque s cavalla-
ricas quando os palafreneros estavam na
cosinha assentados mes*, e demorou-se
especialmente no compartimentos da egua
alaza, que Olympia estimava mais, e do
cavallo onde costumava ir o criado.
Por volta das duas- horas levaram os ca-
vados ao p da escadnha do castello. O
marquez esperava j com botas de montar,
esporas de obro, chapeo de feltro com plo-
ma vermelha, e ao lado urna espada mara-
villosamente anzolada, que mais pareca
objecto de luxo e de arte, que arma ffen-
siva.
Sabio a marqueza dos seus apesentos.
Vinha ainda mais formosa que de costa-
mesmo i prestadas pelo inspector
municipio neutro,
cuei fazer a terrno
que contives|em mantociat com mais
facilidade se pudesse derivar agua suficiente
para acalmar o clamoe publico, Entre es-
sfi terrenos eslava o de Brito, a que se re-
ferio o nobre deputado, annexo ao da vi uva
Borges que ji perteocia ao estado; .
Quando o presidente da provincia de S.
Paulo celebrou o contrato para a construe-
C) da estrada de ferro e navegaclo.do rio
Parahyba subsista urna concesso anterior a
Mau & Gamargo, que tinham requerido
prorpgaco do prazo marcado flara a orga-
nisaco da empreza, sem que o governo im-
perial bouvesse resolvido ainda sobre a pe-
tico, deferiido a, ou declarando por de-
creto, como devia faze-lo, caduca a con-
cess.i.
Conseguintemente. antes dessa decisao, o
presidente da provincia de S. Paulo nao po-
da celebrar o contrato como fez ; era pre-
ciso primeiramente annullar o privileuk) que
tinham Mau de Gamargo para entSo o pre-
sidente fazer o que entendesse conveniente,
visto ser o negocio, na parte da estrada,
todo de inleresse provincial.
O Sr. Andrade Figueira :Mas quanto
navegac3o?
O Sr. Ministro da Acmcuuura :
Qoanto navegaco, o governo, de acca/do j
cora o parecer do conseibo de estado, no
aviso ao presidente da provincia observou-
lhe que devia attender inconveniencia de
encravar a Davegaco de um rio como o
Parahyba com um privilegio por 90 annos.
Estando urna cousa ligada outra, isto .
a estrada navegarn do rio, nada pedia
fazer o governo geral sem decis3o do gover
no provincial na parte respectiva e essen-
efal.
O Sb. Duarte de Azevedo : Dgo-
verno remetteu os papis ao presidente da
provincia de S. Paulo, para decid'r a res-
peito da pretenco dos outros emprezarios.
O S. MiNisTRar>r>A Agricultura r O
nobre deputado eqoivoca-se. O presiden-
te da provincia de S. Paulo foi que submet-
teu ao governo geral o moderao pedido do
coocesso. Ora o certo qae havia um
privilegio que ainda nao tinha sido jolgado
caduco, e portanto o acto do presidente da
provincia de S. Paulo, autorisado ou nao
pelo raeu digno antecessor, era invalido
Foi isto o que en fiz sentir ao presidente
da provincia de S. Paulo conforme e pa-
reeer do conselho de estado ; e se elle tem
demorado a decisao deste negocio, a culpa
nao recabe sobre o actual ministro. (Apoia-
dos.)
Como, pois, o nobre deputado- pode dizer
que houve morosidade, quando eu acabo
de provar que os papis tiveram o anda-
mento mais rpido qoe era pos9ivel ?
O Su. Duarte de Azevedo : Eu explh-
carei.
O Sr. Minisnro da. Agricltora : Ex-
plique o nobre deputado o que quizer: a ver-
dade esta.
Ainda como prova da morosidade do
actual ministro da agricultura em attender
aos interesses de soa provincia, o oobre de-
putado adduzio o que occorreo com outra
concess3o, estrada de Jundiahy a It.
A secretaria da agricultura recebeu estes
papis ha menos de dous mezes, e imme-
diatamente tiveram o andamento do estyte,
isto foram remettidos sesso do conse-
lho de estado para dar parecer, anda per-
manecer all. Os dignos conellieiros de
estado que servem nesta sesso consultara
tambem sobre os negocios o imperio, e
reduzidos a dous, sao onerados de trabalbo,
mxime depois da abertura das commts-
ses. Seria impertinente insistir comeltes,
para que deem parecer com mais brevidade
do que a exigivel de bomoos sobre qnem
pesam tantas obrgaces publicas. Nao
costume meu solicitar andamento npido
dos negoaios, de qnem bem sabe cumprir
seus deveres.
V a cmara, que estes papis na secre-
taria da agricultura nao tiveram demora ;
tiveram logo despacho e destino. Que col-
pa, que responsabilidade pode caber ao mi
nistro da agricultura sobre a soluco deste
negocio ? (Apoiados.)
A consequen;ia qae o nobre deputado
est prevenido com o humilde orador ; foi
demasiado injusto para com elle.
O Sr. Andrade Figueira :Podia aecusar
o governo por nao nomear o numero de
conselheiros de estado suflkientes para
StOi.
O Sn. Ministro da Agricultura : Isto
outra questo.
O Sr. Andrade Figueira : N3o ou-
tra, a mesma ; se os actuaes n3o podem
preencher..
me, com o seu gracioso e, elegante falo de
amazona. O vestido era de seda azul com
riscas brancas, e o corpinho, que debuxava
os purissimos contornos da sua esbelia
cintura, cntre-abria-se no peito, deixando
ver a camizinha bordaday toda" ebeia de
rendas, e apertada no pescoco por urna fita
estreita de seda preta.
Levava derrubado sobre a orelha com
graciosa garridice um chapeo de feltro cin-
zento, de pluma branca, por baixo do qual
appareciam emoldurando o semblante os
bastos e dourados anneis de lindos cabellos.
Com o braco esquerdo segurava a inter-
minavel cauda do vestido, e com a direita,
que tinha urna luva de pelle de gamo, agita-
va o pequeo cbicotinho, com precioso cas-
t3o de marfim esculpido.
Saint-Maixent ficou deslumhrado, e o
hornera de coraco de gelo, esqoeceu-se
por muitos segundos dos seus ambiciosos
planos, dos milboes do dote, da grande he-
ranga, e filou os sentidos todos as gracas
divinas d'aquella mulher celestial.
De certo revelou nos olhos, com deznsa-
da eloquencia, a sua admiracSo sincera e
ardeote, porque a formosa Olympia crou
ligeiramente, augmentou-se lhe o pulsar
do coraco, e voltando a cabera para outro
lado, esconden a cara com a breve mlozinha
fingindo assentar o penteado, que nunca
estivera mais assente.
A egua alaza,de raca lemosina relinchava
com impaciencia e raspava no chao, saecu-
dindo as lustrosas crinas.
A senhora de Chavigny montou cava'lo
com toda a ligeireza e quasi sem por o pe-
zinbo na m3o que Saint-Maixent lhe offere-
cia em ar de estribo.
A marqueza poz a extremidade do chi-
cote as ancas de Nina, que assim se cha-
mava a egua, e com quanto fosse aquitlo
mais caricia do que ameaca, o nobre ani-
mal deu um sallo impetuoso ; refreiada to-
dava pela mao ao mesmo tempo ligeira e
firme de sua dona, conteve-se de, repente-,
O S, Mwwrao m Aowcultura : Oc-
cupou-se ainda o lobre deputado com a
celebre qpesfSo do Ibraecimenlo de-agua a
esta cipital. Tambe oell entraram Os
obre depotaos pelo Ureetro districto do
Rio de Janeiro e pelo printeiro do Cear
es Sft. Teixeir Jonror e conselheiro Aleo-
car.
O nobre deputado por S. Paulo deplora
0 retardamento que tem havWo- na soluco
desia questao ; o nobre deputado pelo ter-
ceiro districto do RTo de Janeiro sonpren-
dea-se pela apresentafSo do pedido de
crdito, qoe tive a bonra de, por parle do
poder exeeotifrj, apresentar a esta augusta
cmara ; e lodos fizeram considera&es, ou
entraram em deseavolvineotos que seriam
mais opportunos por occaeio da dncusso
do crdito. (Apoiados.)
Entretanto.' adiautarei breves reperos e
darei ao nobre deputado pela provincia do
Rio de Janeiro os esclarecimentos qoe S.
Exc. pedio a respeito de unta questo- de
terrenos de BrKo e viuva Borges.
Sr. TfitxEinA Jt'xion :Mas foi V. Em.
que procurou adquirir esses terrenos ou o
seu antece sor?
O Sb. Mimstro ba Agricul-uha :Este
negocio estava j muito adiaotado; havia
proposta de Brito, acceita pelo ministerio
da agricultura, e oestes termos conclu a
negociac3o que se acbava pendente.
Sobre esses terrenos nao ha duvida;
nao ha contestaco, nao pende questao em
jui/.o ; mas,, tratndole de reforcar o en-
canamento geral com as aguas assim adqui-
1 idas e com as que passara pelos terrenos
qne foram da viuva Borges, e tendo-se con-
seguintemente- de fazer as obras Becessa-
rias, appareceu contestaco e depois- o em-
bargo de que deu noticia- o nobre deputa-
do. Este negocio est affecto ao poder
competente.
A compra qse fiz dos terrenos de- Brito
n3o seffre, coniestacSo; sobre a dos-terre-
nos da viuva Borges que ha qnest?-; ella
vende o dominio til, entretanto queose-
nhorio do directa diz que quando fez a ces-
so minera resricces, que nao loram
observadas na tranferencia ; enlre eslas- es-
tava o oso das aguas, e por este fundamen-
to obstou s obras que a administrado
faz a.
O Sr. Teixeira Jnior :Gircumstattcias
qae nao foram attendidas pelo antecessor
de V. Esc.
O Sr. Ministro da Agrigsltura :=& es-
te respeito nada ppsso informar ao nobre
deputado. As compras de terrenos nao
s3o effectuadas pelo minislerio da agricul-
tura ; recebem-se as propostas, ajusta-se
o preco e v3o psra o thesouro, onde o con-
trato lavado com as formalidades do co-
turno.
A questao do embargo nSo> est elucida-
da ; o nobre deputado pode esperar que
ella ha de ser esclarecida, e at eolio
temerario avancar qoalquer jtiizo em des-
favor deste ou daquelle.
O Sr. Tbixeira Jutnor :Eu at declarei
a V. Exc. que me contentava com quahroer
explicaco.
OSn. Ministro da Agricultura. :E a
exp.icacoesta.
O nobre deputado estranhoo o alto preco
por que foram comprados ambos os terre-
nos, quando em 1866 foram avahados estes
e nao sei mais quantos em (SO:OU:>000.
Prova isto a necessidade qae temos de,
com urgencia, votar o crdito e o outro
meio pedido para sanar os inconvenientes e
difficnldades com qoe tula a administrac3o.
(Ha um aparte).
Pelo calculo do eogenheiro chefe das
obras publicas. 00 appenso ao relatorio da
repartico a meu cargo, estima-se a despe-
za provavel com as obras urgentes em-----
520:000,5000. Este calculo, porm,.jn5o
serve. Os proprielarios dos terrenos oode
ha mananciaes exigem agora maiores- iudem
nisacoes. Assim, por exemplo, o da fazen-
da denominada Macacos, no Jardim Botni-
co, pedia 150 apol'ices; mas qer a camar
ra saber quanto ltimamente pede? tre-
zentas I
(Ha alguns apartes).
Nao besitarei perante as difficuldades. A
especulaco que tudo enreda nao me des-
viara do empenho de altender convenien-
cia publica. Aguardo somente os estudos
oecessarios para poder resolver com segu-
ranca a respeito deste negocio. Adminis-
trativamente ou por empreza, mas por em-
preza seria e apta, espero satisfazer os re-
clamos da poDulaco da corte.
O nobre deputado por S. Paulo, a quem
respondo, oceupou se cora o imperial insti-
tuto fluminense de agricultura, e disse que
o paiz nada pode lucrar com ir-se all apren-
der a plantar aboboras e milho. Eu qui-
e parti galope com extraordinaria ga-
Ihardia.
Saint-Maixent montou n'om cavallo hes-
panhol de bella estampa, largou-lhe a r;
dea, e alcancou em pouos segundos
marqueza.
Seguio-os o criado, esporeando a sua
alimria e pondo todo o cuidada em se con-
servar sempre mais resptosa distancia.
O marquez e a amazona galoparara um
ao p dv outro, sem proferirem nem urna
palavra, at aos limites do parque.
Quando iam a entrar na espessura do
bosque de Rahon, a tortuosa Olympia so-
peou mais a egua, e v,dtando-se para Saint-
Maixent perguntou-lhe :
Para onde me leva hoje. meu primo?
J foi ao siti'i chamado o Fim do
mundo ? disse o nosso bere.
Ainda nao, mas tenho ouvido fallar
d'elle cness como quem falla' 3e cousa'
extraordinaria e digna de, ser vista.
Efectivamente, o sitio mais formoso
aqui d"estes arredores, to ricos de bonitas
paysagens. Poucas coasas tenho visto t5o
magestosas e sorprendentes. Muito bem
diz a senhora de Rahon que digno de seT
visto.
Fica muito looge ?
Duas leguas.
Pois vamos ao fim do mundo.
Vamos l.
Sabe o caminho ? Veja se nos per-
demos 00 bosque.
Esteja descancada, eu respondo pala
prima.
Ao dizer estas.ultimas palavras apparecea
nos labios do marquez uro sorriso d* sin-
gular express3o; a fidalga n3o raparon
n'elle porque tinha a cara voltada.
Os dous cavados continuaran trote ras-
gado pelo meio de, urna alameda bem lar-
ga, mas qae em breve se to^ou n'um ca-
minho tito estreKo, qoe a rmi0li e o mar-
quez acQtove!!a.vtm-8e, Q at g vezes os
zera qae o nabr depntarJb fizesse ama ei-
cors'o at o Jardim b'otaniw, que obser-
vsse os ser li etlB em anda-
mento, afkn d alr o sen jaira a se-
melhante respeho dos). 9e l fosse,
ou se ao menos te dignaste de rascar nma
ligeira owda sobre o relatorio do Hlostrado
e zeloso presidente do instituto ffaoAnenee
de agricultura, n3o ridicolarisaria, estou
certo, tSo'otil estsbelerlmento.
O Instituto vai aumentando resultados
da mais alta importancia convenienciapara
a favoora do paiz. (Apoiados).
OSr. Andrade FKammA:Mas pode
bem dispensar a subvenco, porque temea-
pitaes,
O So. Ministrada Agr^ITura :Aqnel-
le estbelecimento no orcmento de 1869
e ooiros anteriores tinha urna snbvenc3o de
26 cont e tanto, tinha a' seu servieo mais
de 80 Africanos livres, e grande numero de
Chinezes-, que aqui foram importados pelo
governo. Afloje o crdito pedido de-----
12:0005000, sendo por jolga-lo insuficien-
te que acceito a emenda da 8*'commtss3o
de orcamento elevando a 24:0005000.
O Sn. Amdraoe Figueira :E eo propo-
nbo a suppressSo.
OSr. Ministro da Agricuewra :Os
servifos que tem prestado e presta o insti-
tuto fluminense com este pequeo auxilio
de 12:UO0,-5OOO. sao, como j disse, muito
importantes Elle tem a-seu cargo a cod>-
servaco do jprdira, urna fabrica de chapeos
de palha, a escola prtica de agricultura,.
orna oflicina de machinas e varios trabalbos-
dignos de atteacSo como se expe no rela-
tlo. All encontram os- fazendeiros- e la-
vradores um dos mais ricos viwiros de
piantas rarissima de deatro e fra db paiz -
o que tem ponptdo n3o pequeas- sommas
que seriam iadispensaveis acquisieSo dl-
as se houvessemos de busca las proper-
Ctodas necessidades e exigencias dos par-
ticulares, ou do governo.
O nobre depoiado por S. Paulo e o hon-
rado representante pelo ? districto do Rio
de Janeiro s3o injustos na aprecia*jao que
fazem sobre ost estabe)ec;mento.
O Sr. Andradb Figueka :^-N3o son in-
justo ; nao aprecio o muito, mas entendo
que tem meios para manter o estabeleci-
mento. Tanto mais que esta subvenco
para publicar o jornal.
O^Sfi. MINISTRO' DA ASMCULTUR.*. : E'
certo que o nobre deputado que me bonra
com o seu aparte coherente com as suas
deas- desde que, jnlgando-o inutif; se de-
clara infenso ao ensino prossional.
OSn. Andrade Figuebm :N3o,n3o sou
infeoso.
OSn. Ministro' da AewcuLTun*:Pelo
menos declarou que achava-o desnecessario
no paiz presentemente...
0>Sn: Andrade Piguejba :Perd6e, nSo*
foi isso. Expuz as causas pelas quaes o
ensino profissional tem sido difficil.
0>Sr. Ministro da Agricultura :Ento
as Hiinhas notas est3o inteiramenle farsea-
das a este respeito. Desde que o-nobre de-
putado retrata-se, explicando assim seu pea-
samento, nao me dado ir alm.
O" Sr. Andrade Figueira :ftei as ra-
zes por que nao se tem podido dar a en-
sino profissional, mas nao acho-o muito ne-
cesario. O que se aprende alli? A ler e
a oscrever I
O Sn. MiNKTRO da Agricultura :Nao ;
a ler, a escrever, a trabalhar medante os
processos mais proficuos lavoura. E urna
instituic3o que ainda est em comeco, mas
que promet muito, e cujos resultados ho
de ser da maior importancia rea sement
que est lancada e que ha de produzir frac-
tos magnficos.
O Sr. Andrade Figueira :.A subvenco
para publicar-se o jornal.
O Sr. Ministro da Agricultura :Nao
s para o jornal: um auxilio institui-
fo que tem a seu cargo servidos merece-
dores de finito maior subvenco. Como
vive o instituto ? Como se aliraeatam os
seus encargos ? Os juros de seu capital nao
chegam a t8:000#000, e visto que com a
subvengo nao chegam para tudov
0 nobre deputado pelo 4o districto do Rio
de Janeiro, impugnando algumas verbas do
orcamento, disse que o ministerio da agri-
cultura absorve servicos que por sua natu-
reza deviam pertenc-r exclusivamente ao
municipio neutro, e leve occasi3o de notar
o vici) da organsaco administrativa do
paiz. Estoo de accordo com o nobre de-
putado : no meu relatorio expuz algumas
consideracoes a este respeito ; mas enlendo
que nao esta a occasiao mais opportuna de
fazermos as reformas ne:essarias.
Em todo o caso seria mais conveniente
inseridas em um artigo additivo ; mas ir
substituindo cortando, ou alterando as di-
perfumados cabellos da marqueza rocavam
pela cara de Sainl-Maixenl.
Urna espessa abobada de folhagem som-
breava o caminho, e apenas dexava pene-
trar algum raio de sol; o chao, era todo
elle tapetado de musgo, que abafava os
passos dos aniraaes.
O silencio do bosque era nicamente
perturbado pelo montono cantar do cuco e
pelo ruido qu os passarinhos fazam espi-
cacando na ;ortica das arvores.
0 fim do mundo era um lugar famoso
n'aquella parte da Auvernia, e oque mais
bem mervcia a nomeada que tinha.
Imaginera os leitores a extremidade de
um valle, ou para melhor dizer, de urna
estreita viella, mettida entre enormes mas-
sas granticas de prodigiosa altura. Aquelles
penhacos approximavamse repentinamente
mais e mais, e acabavam por se unir de
todo, embargando o passo ao viajante, que
tinha diante de si urna gigantesca e som-
bra muralha, parecendo bradar :
Nao irs mais adianto !
D'aqui provinha o nome.
"Um regato nascente das montanhas que
fechavam o horisonte, % cujas grimpas se
perdiam entre as riuvens, cahia precipitado
com estrondo l da mais alta cspide, e ia
perder-se n'uma bacil d'onde se levanta-
vara paludos vapores que seraelhavam bran-
cos pha.ntasm.as. / .
Era tal a profundidade d'aquelle abysmo,
que os aldeSos dascercanias aflirmavam de
boa. f que n3o tinha fundo, ou pelo manos
que havia de conduzir directamente ao cen-
tro da trra.
As arvofes do bosque chegavam quasi
at bocea do abysmo e os vapores da
cscala cobriam de eterno roco a folhagem
dos caslaoheiros edos carvalhos.
Tal era o sitio qae Olympia e o marqoez
am ver.
O fim do mundo ficava cousa de urna
legua da taberna onde Lzaro deixara no
dia antecedente os seus quatro bandidos*
versaf verbas do-orcamento, um m sys-
tema.
O Sr Andradr FiOBtmv:0*qtB mu-
nicipal eniregne-s' 1 Passeio
Publico, por exempto; a cmara que o con-
serve. Para que la de estar b governo
gastandj com o Passeio Publico da corte ?
. O Sn. Ministro d* AeRUmTURA:Mas
tambem ba no fundo desta insignificante
questao orna consideradlo : saia o casteio
do Passeio Publico do cofre geral 00 do
municipio neutro, a^espeza se ba de fazer.
0 Sr. Andrade Figuehia d um aparte.
O S. Ministro da Asiq8tTURA :Estou
dizendo que, seja como for, o casteio se ha
de azer. O municipio nenro por suas con-
dicoes especiaes nao devo ser equiparado a
qoalquer provincia ; como pelo nome est-
se vendo, pertence a todo o imperio, e nao
ir de notar qae as renda geraes coaeorram
para um estabelecimento de utilidade aos
riabitante efe corte.
> Sr. Anbraor Figueira 5Entregue-se
municipalidade.
O Sn. Minbtoo d AGRicotwaA: mu-
nicipalidade tem muitos servidos a seo car-
go, e n3o pode s vezes satisfazer algoo*
que lhe perteneem mais directamente, por
exeu.plo, aquella parte da despeza cora os
esgtos, cujo pagamento pe o mioisterio da
agricultura o nobre deputado contesta. Es-
te servifo propiciamente muoiaipal, no ha
duvida, mas o que certo qoe a cmara
municipal'do municipio neutro nao pode fa-
ze-lo, e governo que tem um> contrato a
comprir, T-se na necessidade de toma-lo a
sea cargo era virtude de obrigaeoes qae
contrahio. Bis abi: sao anomalas, sao ir-
regularidades qpe por fbrfa se bao de dar
e por muito lempo-;. s eom vagar se po-
der3o ir corrigindo.
Sr. presidente, o nobre deputado ootou
que eu fallasse no emprego da desapropria-
:cao e do imposto territorial como meio con-
veniente para saoar defeitos da constitnicao
da nossa propriedade territorial. O nobre
deputado equivocou-se corapletauente na
ioterpretaco-Oe minhas palavras. Eo nao
tratei da grande ou pequea propriedade,
*< grande ou pequea lavoura p tratei so-
mente da propriedade desoproveilada, e
contra esta foi que diese que seria conve-
niente estabelecer a desapropriacaO/ quando
fosse necessaria para o estabelecimento de
ncleos coloniaes, e o imposto territorial
para indirectamente otirigar os proprielarios
a nao conservar terrenos sem cultora, com
jprejuizo da lavoura e dos interesses ge-
raes.
O Sr. Andrade Fiuoewa- :Opaodo for
necessario os proprielarios venderSo, reta-
Ihario.
O Sr. Minktro da. Agricultura:Mas
v 0 nobre depmado que nao entrei naor-
dem de ideas que lhe pareceu ; nao reflro-
me a reformas attentatorias do- direito de
propriedade, que a conslituico garante ple-
namente ...
O'Sn. Andrade Fmeira :B'.'o que es-
t no relatorio.
O Sr. Minktro da, Agricutura : ...
nem pretend arrancar as trras cultivadas
do poder dos legtimos proprielarios. De-
sejo, sim, que sejam btilisados em beneficio
da lavoura e da colooisaco 03 terrenos que
nao esto aproveitados; e assim mesmo
restring-me aos situados na vizinbanc dos-
centros de populacao, ao longo das estradas
e rios navegaveis.
O Sr. Andrade Figueira>:Nao ha po-
polac3o para isto ; qoando houver os pro-
prios proprielarios retalharo.
O Sr. Ministro be Agricultoba :Quan-
to ao imposto territorial disse o nobre de-
putado que era impossivel ^estabelec-lo
entre nos, visto como nao temos cadastro,
nem a propriedade territorial se acba defini-
da com clareza, circunstanciadamente, como
indispensavei para estabelecimento deste
imposto. Eu creio que-,, se bem que as con-
dices exigidas pelo nobre deputado sejam
necessarias para o imposto quando estabele-
cido de um modo aperfeicoado, todava
muito se pode fazer. Por exemplo : se ad
instar do imposto pessoal todos possuidores
de, terrenos que ficarem fra dos limites da
decima urbana, pagarem orna taxa propor-
cionada extens3o dos terrenos po-suidos,
teremos urna base equitativa para o impos-
to territorial.
OSn. Andrade Figueira : base do
imposto pessoal ?
O Sft. Ministro da Agricultura : N3o
a mesma base do imposto pessoal, porque
a que proponbo regulada pela extenso da
propriedade territorial ou dos terrenos pos-
suidos, quando aquella o pelas casas de
habilac3o ; mas sao bases anlogas.
(Continuar-u-ha.)
A' uns cem passos do boqueiro tornava-
se o terreno escorregadio e difficil para os
cavados, porque se deslisavam muitos rt-
berros por entre a erva e o musgo.
N'uma d'aquellas correntes brotavam as
aguas n'uma especie de tanque circular for-
mado pela natureza com extraordinaria per-
feico. Qualquer principe teria devras in-
vf-jado para o sen banbo aquella tina de
granito oude iam beber as avezinhas do
bosque.
Saint-Maixent fez a!to.
Nao possivel ir mais adianto com
os cavallos, disse elle. Se lhe parece, mi-
nha prima, apeiemo-nos, e emquanto Ger-
mano d de beber aos animaes o'aquelle
tanque, vamos nos ale beira do abysmo-..
Olympia, sem responder, saltou do ca-
vallo sem nenhum auxilio, entregou as ro-
deas Germano, e segurando a cauda do
vestido e encostando-se ao braco do mar-
qoez, bradou com assento imperioso :
Veoba, primo !...
Os dous namorados, qoe o eram, cami-
nhando cautelosamente pela parte secca do
terreno, encamioharam-se para a extremi-
dade do valle.
Saint-Maixent parou quasi no cuma e per-
guntou soa companbeira :
Que tal acha este sitio ?
Acho que grandioso, admiravel ;
impa tristeza, pnnderou QlympJa. Aflu,
sente-se a- iraagiaaCSo desvairad Eatre-
meco contra vo'nta, e presifl ^i tal
sacceder o que qaer que seja d i imprevisto
e medonho. Cheto. ter medo!
N'esse caso, melhor 3 demo-
rarmos aqfl'r.
Cuida que sou alguma cnaneona me-
drosa ? O primo dis iOf *t ,
beira do abysmft Vamos
Mas minbl prin
Yamos, quero^^B
(ConOn
YP. DO D Amy RVA Pl.lQ0P.P8 GAXIA3.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEICDO7YV_Z52VVA INGEST_TIME 2013-09-14T00:01:43Z PACKAGE AA00011611_12160
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES