Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12151


This item is only available as the following downloads:


Full Text
1 .
ANNO XLVI. NUMERO 1)1.
PARA A CAPITAL E LGABJES (MDE SAO SE PAGA PORTE.
Por tres meses adianUdos................. 6\J000
i*or seis ditos id>ra........,........... 12(J000
**or um anno dem............. m. ...... 24.J000
Cada mornero avulso..........-.?..' 3*0
DIARIO DE 1

PARA DEHTaO E FORA




Fropriedade de Manoel
Os Srs. Gerardo Antonio Alves 4 Filhos, no Para ; Goncalres A.Pinto, no Maranhao ; Joaqnim Jos de Oliveira, no
Pereira d'Almeida, em Mamangnape; Antonio Alejandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio los
em Nazareth ; Francisco Tabres da Costa, em Alagoas; Dr. Jos MI
m -
PARTE OFnCIAl.
30:140*000
2:200*000
11:2004000
2:400*000
16:750*000
36:476*660
2:400*000
1:800*000
8:900*000
430*000
730*000
43:880*000
920*000
2:200*000
3:680*000
16:380*000
1:000*000
1:200*000
1:168*000
1:200*000
553*000
41:620*000
1.180*000
1:689*000
1:200*000
60:000*000
6:000*000
2:000*000
l Governo da provincia.
LE N. 963.
0 desembargador Francisco de Assis Poreira Rocha, rice-pre-
sidente da provincia de Peroambuco : Fago saber a todos os seus
habiuntes^ue a astembla legislativa provincial decretou e ea sane-
-cioqei a rsologao segulnte :
titulo i
, Despeza
Art. 1.* A despea provincial, no exercicio de
1870 a 1871, effeduada segundo a destribuicio d'esta
le, ser de 2,423:194*612.
Art. 2.' Assemblea pvovincial:
1.* Subsidio dos deputados................
1 2. Ajuda de cusa dos mesmos.............
| 3.* Empregados da secretaria, inclusive o pa-
gamento do cellaborador a contar de abril deste anno,
o a gratificagao do mais um servente..............
i' 4. Expediente easseio da casa, inclusive a gra-
tificado do antigq servente.....................
I 5.* Publicacao dos debates, inclusive as pres-
tares do contrato feto com Francisco Pacifico do
AiiiaraJ e Carlos Ernesto de Mesquita Falcao......
Art. 3." Secretaria do governo :
S 1-* Empregados na conformidade da tabella
aanexa lei n. 712............................
| 2. Expediente e asseio da casa............
j 3.* Diana dos serventes....................
Art. 4. Instrucco publica :
1.a Empregados da directora geral, inclusive
a gratificagao do secretario, ficando augmentados os
vencimentos do director na razo de 2:700* de or-
denado e 1:300* de gratifleaco..................
8. 2.a Expediente e assoto da casa........,...
f 3.* Diaria do servente....................
| 4.* Empregados e professores do Gymnasio
provincial, inclusive a gratificado do secretario por
accutnular as uneces de ecnomo...............
I 5.* Expediente e asseio da casa, iucluslve a
gratifleaco de 600* ao servente.................
6.* Museu, inclusive os ordenados do prepara-
dor e do conservador...........................
8 7.a Mensalidade dos alumnos pobres........
I 8. Empregados e professores da Escola Nor-
mal, inclusive as gratificares de 500* ao secretario
e 200* ao porteiro.............................
I 9* Expediente e asseio da casa............
10. Aluguel da casa......................
11. Diaria de 1*600 rs. cada servente.....
12. Professores de latim...................
13. Alugueis de casa.....................
_ 14. Professores de Instrucco primaria, inclu-
sive a quota precisa para as cadeiras providas e
crendas : do sexo mascolino, 4.* da Una-Vista des la
cidade, Olbo d'Agua dos uredos, Sanhar, Qui-
pap, Ex, Itamb, S. Pedro de Pao d'Alho, Santo
Antonio desta cidade, 2.a secgao da ra Imperial
de S. Jos, casa de neteneo, do Barro e da Torre ;
sexo femenino, de Sauhar. Canhotioho, Nossa Se-
nhora do Livramento da Victoria, Olho d'Agua dos
Bredos, Nossa Senhora des Milagres, Lagoa dos Ga-
los, Torre, Cabrob, Petrolina e Santo Amaro de Se-
rinhaem...................................... 253:596*332
13. Aluguel de casas, fornecimento de movis,
expediente das escolas inclusive o expediente e luz
para as aulas nocturnas........................
| 16. Bibliotecario........................
| 17. Expediente e asseio da casa e remonta de
livros.........................................
8. 18. Subvencao ao Instituto Archeologico.....
Art. o.* Auxilio industrial :
S Ia Subvencao Companhia Pernambucana
2.' Dita companhia de reboque...........
3.* Dita sociedade Artista Mechanica......
Art. 6." Obras publicas:
8 !. Empregados.......................... 44:000*000
S 2." Expediente e asseio da casa, inclusive os
serventes...................................... 3:500*000
8 3." Calgamento da cidade e premio das apo-
gea.......................................... 125:000*000
8 4." Estudos graphicos..................... 5:000*000
8 5." Contrauaco das obras do Gymnasio...... 10:000*000
6." Reparo e' conservago de obras e edificios
pblicos, inclusive 2:500* para a extjnecao de frmi-
cas e concertos do agude da Villa Bella ; 3.000*
para o concert do agude de Caruar ; 1:000* para
os reparos do acude de Garanhuns ; 6:000* para .
reconsiruccao da cadela de Paje de Flores ; 6:000*
para reconstruego do acude de Bezerros ; 2:000*
para o concert da cadeia de Tacarat ; 15:000*
para os concertos da casa de delengo ; 1:000* para
os concertos da cadeia de Salgueiro ; 6005 para os
reparos da cadeia de Iguarass"; e 10:000* para a
reconstrnego da ponte sobro o rio Pirapama...... 160:000*000
7. Para as obras de matrizes e igiejas, sendo :
1:000* para a matriz de Serinhaem ; 3:000* para
a matriz do Kio Formoso ; 1:000* para a matriz de
L'na ; 2:000* psra a matriz de Quipap : 1:000*
para a matriz de Tacarat ; 2:000*(para a matriz
do BoBito ; 1:000* para a matriz de S. Pedro Mar-
tyr de Olinda ; 2:000* para a matriz do Jaboato ;
1:008* para a matriz de Grvala; 1:500* para a
matriz dos Montes ; 2:000* para a matriz de Game-
leira ; 1:000* para a matriz de Iguarass ; 1:0005
para a matriz de Caruai : 1:000* para a matriz da
Raposa ; .1:000* para a matriz de S. Beato ; 1:000*
para a matriz de Cabrob ; 5.060* para a matriz da
Boavista desta cidade ; 1:000* para > matriz de Pao
d'Alho; 1:000* paia a matriz de S. Lourengo da
Matta : 4:000* para as obras do semiuario do Olin-
da ; 1:000* para as obras de Nossa Senhora do
Terco d'esta cidade ; 2:000* para as obras e al-
faias da igreja de Nossa Senhora do O' que tem de
servir de matriz de Ipojuca ; 1:500* para a igreja
da Casa Forte ; 2:000* para as obras cargo da
irmandade de Santa Auna da Madre de Deus; 1:000*
para as obras da igreja de Nossa Senhora da Pie-
dade de Santo Amaro das Salinas ; 1:000* para as
obras de Nossa Senhora do Livramento do Rio For-
moso ; 900*000 para a igreja de Santo Amaro de
Serinhaem ; 2:000* para a igreja do Nossa Senhora
Jo Carmo desta cidade ; 2:000* para as obra da
matriz de Pesqueira ; 3:000* para as obras e com-
pra de alfaias para a igreja que tem de servir de
matriz da freguezia da Capunga ; e 1:000* para a
igreja de Nossa Senhora do Rosario da Boavista
J 8. Para obras novas, sendo : 20:000* para
a abertura da barra de Serinhaem al o porto do
Anjo, dependendo a applicaco desta quota dos es-
tudos previos; 5:000* para o empedramento da es-
trada da estago da Escada at a villa do mesino
nooe; 12000* para a conslruccao de ouira ponte
sobre o rio Pirapama, no engenho do mesmo neme;
:000* para a abertura do canal da Boa-Viagem ;
15000* para urna cadeia na villa de S. Bento ;
10000* para outra em Bonito ; 8:000* para outra
em Garanhuns; 8:000* para compra de urna casa
Se sirva de cadeia, quariel e casa da cmara em
brob ; 6:000* para um agude em Raposa ;
fi 000* para outro em S. Bento ; 6:000* para outro
trPeequeira ; 3:000* para a abertura da estrada
do Ex para a cidade do Crato, villa do Jardim,
Santo Antonio do Breja-Secco e Ouricnry; 20:0005
para a estrada da Luz, na conformidade do art. 16
5.' da lei n. 891 ; 15:000* para urna cadeia era
Ilarab ; 5:000* para um acude em Bom Jar-
dim ; 8:000* para um aguda de agua de gasto e
onte d'agua potavel em Nazareth ; 8:000* para
urna cadeia em Villa Bella ; 5:000* para urna ponte
sobre riacho Caxito, em Nossa Senhora do O' de
000* para una ponte sobre o rio
Boce ; 300* para a ponte d na estrada do
sul; 6-jOOO* para um aoode em Buiquej 4:000*
para o encanamento do rio Taqnra at o Altinho :
15:000* par* o empedramento da estrada de Olinda;
5:000* para um acorte em Ita .!)Q* para
desappropriagao da^estrada do Recife Apipn
conforn 'do na le ; 20:000*
para a estrada de Itapessuma. Nazarerh, poendo
52:9005000
290:000*000
ser mudada a direego tragada ; 3:000* para com-
pra de apparelhos gyraoasticQs, mobilia e repostei-
ros para o Gymnasio ; e 50:000* para pagamento
da segunda prestago do contrato das pontes do Ca-
xanga e Magdalena e execugo de outras obras a
Art 7. Seguranga publica :
8 1. Forga policial......................... 366:760*000
2." Fardamento, forragens, cavalgaduras, ex-
pediente e armamento.......... .......... ---- 40:000*01
% 3." Empregados da ca-a de delencao........ 20:054*000
S 4." Expediente........................... 300*000
5. Illuminagao........................... 1:900*000
6." Aluguel de casas para cadeia e quarteis \
fra da capital................................. 3:347*000-
7. Illuminagao desta cidade, inclusive os lam-
peoes existentes e mais alguns que forem collocados.
comprehendida a illuminagio de toda a estrada do
Recife Apipueos, nao se mcluindo a differenga de
cambio, ecumpnndose a disposigao do art. 22 da
lei n. 891 de 25 de junho de 1869, e mais um no
lim da ra da uio, por traz do Gymnasio, e eutro
na ra da Saudade n. 1........................ 100:000*000
g 8. Illuminagao da cidade de Olinda, com 101
Iampees...................................... 9:511*170
9." Dita de Goyanna com 30 lampeoes...... 3:153*600
Art. 8." Soccorros de beneficencia :
1. Auxilio Santa Casa de Misericordia, sen-
do 3:000*000 para o collegio dos orphlos e 10:000*
por urna s vez para occorrer ao pagamento de di-
vidas......................................... 50:000*000
$ 2. Sustento e curativo dos pre>os pobres 50:008*000
3. Recolhimento de Olinda....... ........ 1:500*000
i 4. Dito de Iguarass..................... 1.500*000
S 5. Dito de Goyanna...................... 1:500*000
6." Collegio de Papacaca.................. 4:000*080
8 7. Hospital de Mierico'rdia de Goyanna..... 1:000*000
g 8. Casa de beneficencia de Gravat........ 1:0O0*O00
S 9. Dita de Bwerros...................... 2:000*000
10. Para libertacao de creancas do sexo fe-
menino....................................... 20000*000
11. Para remessa de creangas cegas e surdas -
e mudas para o instituto do Rio de Janeiro......... 5:000*000
Art. 9." Culto publico :
S 1.' Coadjuctores.......................... 35:000*000
g 2 Religiosos capuchinhos................. 1:200*000
Art. 10. Arrecadagao e fiscalisacao das rendas :
1. Empregados, menos o 3 escripturario ad-
dido, e inclusive a gratilcagao de 300*000 ao con-
tinuo......................................... 32:298*000
2.a Cobranga judicial como na lei anterior... 5:800*000
| 3. Despeza judicial, inclusive as gratifica-
rfies ao procurador da corda e solicitador da fazenda
nacional....................................... 5:700*000
8 4. Expediente e asseio da casa............. 1:900*000
5.* Gratilcagao de um servente edo carteiro. 1:500*000
| 6." Empregados do consulado provincial, fi-
cando creado mais um Jugar de langador e outro de
conferente, podendo o administrador empregar os
conferentes em servigo do expediente ou de langa-
mente, quando nao tetiham elles os de embarque, e
sendo a porcentagem de 4 1/2 por ceuto........... 68:000*000
jj 7.a Expediente e asseio da casa............ 1:600*000
8.a Diaria dos serventes................... \ 1:500*000
S 9.a Empregados das collectorias. inclusive o
expediente..................................... 45:000*000'
10. Agencias do fumo e bebidas espirituosas,
percebendo os empregados as porcenlagens marca-
das as leis anteriores 1868................... 9:000*000
Art. 11. Com aposentados e jubilados......... 51:527*000
Art. 12. Divida de exercicios (indos, segundo
os quadros apresentados pela thesouraria provincial,
menos a garanta da estrada de ferro, e inclusive a
quantia de 427*000, que se de ve a Manoel Bezerra /
dos Santos, arrematante do agude de Bezerros;
357*277 de vencimentos atrasados Thomaz Jos
da Silva Gusmo, thesoureiro da thesouraria pro-
vincial ; e 800*000 ao padre Jos Porfirio Gomes,
por excesso de obras feitas na igreja de Tamandar. 60:428*850
Art. 13. Publicagoes e impressoes, inclusive as
prestagoes provenientes da compra das obras de que
trata a lei n. 831, bera como a confeegao do alma-
nak, segundo a lei n. 852 art. 40, e as prestagoes
devidas aos contratantes da estalistica da provincia,
e do ndice e classificagao da legislarlo provincial e
tamben) para a execugo da lei n. 900............. 25:000*000
Art. 14. Restituicoes, inclusive a de Jjs Joao
de Amorim.................................... :0O0*0O0
Art. 15. Eventuaes inclusive as prestagoes j
vencidas das pontes contratadas do Caxang e Mag-
dalena, e o empreslimo de 5:000*000 cmara mu-
nicipal da Victoria, devendo ser a obra do cemiterio
contratada na thesouraria provincial; bem como...
23:000*000 para a desapropriago do, terreno em
que deve ser edificado o mercado publico desta ci-
dade ; e 600*000 de gratificagao a) escrivao do che-
fe do policia e do delegado" da capilaI, em quanto
nao fr pago pelos cofres geraes................. 95:800*000
TITULO II.
Rereila.
Art. 16. Para as despezas fixadas no art. 1 da presente lei, fica.,
auturisada a arrecadagao dos seguintes impostos:
S, 1.a 5 por cento do algodao exportado.
S 2 6 rs. por kilogramma de assucar, idem.
S 3.a 8 rs. por litro de agurdente e alcocl, idem.
S 4.a 12 rs. por dito de mel de furo, idem.
; "i." 800 rs. por couro, idem.
\ li." 5 por cento dos do mais gneros, idem.
j 7.a 30*000 por escravo exportado, guardada a disposigao da
lei n' 431 art 41.
% 8.a 218 rs. por kilogramma de tabaco fabricado, e 41 rs. \
dito de ivj fabricado, importado e cousumido na provincia.
% 9.a 2*000 por milheiro de charutos, e 500 rs. por dito
garms, idem.
10. 53 rs. por kilogramma de sabao idem, e 14 r?. por dito
exportado.
11. 8 rs. p.or litro de vinagre importado e consumido na pro-
vincia.
% 12. 31 rs. por litro de genebra e licores, e 91 rs. por dito de
outras bebidas espirituosas, idem.
13. 418 rs. por grarama de fturo exportado em obras usad*
ou fundidas; 28 rs. por dita de prata, idem, 260 rs. por kilogramma
de cobre ou lato idem. e 173 rs. por dito de chumbo, idem.
14. 57 rs. por litro de agurdente de prodcelo do paiz, cw
sumida na provincia.
j 15. 2*500 porcabega de gado vaceum consumido na pro,vnf
cDm excepgj dos criadores as comarcas do Bouito, Caruar, Ga-
ranhuns, Brejo, Flores, Tacarat, Cabrob, Boa-Vista e freguezia de|
Taqdnratmga ; sendo este imposto de 1*900 em Pedras deFogo!
16. Dizimo do gado vaceum, enos na comarca de Gara
nhuns, onde ser cobrado o imposto de 800 rs. por cabega, na epoo
da pariilha, feita as fazendas de criagao.
17. Decima de predios urbanos nos termos da le n. 8o2 U
do art. 43 e 769 art. 3'.
18. 30*000 do valor das vendas, de escravos, exceptuado*
menores, que forem vendidos com suas maes, Revendo, porm, |
car proporcionalniente o imposto, quando a venda for de P^H
uouver differenga de preco as permutas, e sendo este impost
60*000, quando a venda se eflectuar por procurader, p,
csteQ *
S 19. 300*000 por cada corrector ou inculcador de
nos termos do 19 do art. 48 da lei n. 891. .
i 20. Sello de herancas e legados de todos os berdeiros
leslato'o. testamentario?, excepcao dos herdeiros necessanos, r.
guiando se este imposto do modo seguinte : dentro flor grao [
rao 10 por cento, e dahi por diante 15 por cente ; 10 por cento
pre doago de qualquer especie, exceptuadas as inferi
200*000 e as que forein feilas associac,ao para emana
ftscrivo'*
8 21. 10 por cento de novos e velhos direitos, por ni
aoosentadoria e remogo de empregados provineiaes.
22. 8 por cento d cada biihete que nao for
4 000*000 por garanta de bilbetes
8 23. 5 portento sobre rendas de bens de raz das
S5w de mao morta, exceptuadas aqneUas que tnantm
mentos^pios^ ^^ ^^ ^ ^^ ^ ^ a hjrem
cimentos de coramercio. retalho, ou de recolaer fabricas I
depsitos pequtoos, ou armaiens de algod|o e trapie
isenlos os (pie s tivenm caixeiros n*eiones.
| 25 8 por cent sobre as rea 4as casas em v
de Faria & Filhos.
Lemos Braga, no Aracaty ; Jo2 Mara Jubo Chaves, no Ass ; Antonio Marques da* Silva, no Natal; Jos Justino
da Penba; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo AnUio; Domingos Jos da Costa Braga,
hia ; e Jos Bibeiro Gasparinho no Bio de Janeiro.
____;__________________________U____i_____________!____________________________,____________

c

nao for da provi
escriptorios e sartorios, inclusive os soJHcitadores
termos de art, 45 17 da lei n. 687.
4 por cento sobre as rendas das casas em qne se acharem
^M commerciaes fra da cidade do Recife ; assim como
em que se acharem em tola a provincia photographias,
eqoins, casa* de drogas, ditas de pasto, cocheiras, caval-
iruguel e fabricas, exceptuadas as ruraes e as que tive-
iilo- uta coaabinto aprendisagem.
fi?. 400*000 por casas bancarlas, cpmpanhias anonymas e
cas ; 200*000 por casas de- cambio ; 1:000*000 por casa de.
i; e 2:000*000 sobre cada casa de vender polvora,;n3o eow-
iflo os pequeos depsitos filiaes que, de conformidade com
aras munieipaes, sao adrnittidos fra da capital.
48. 100*000 por casa que vender roupa feita, sellins e obras
d narrenaria Jeitas em paiz estragelro.
29. 100*000 por cada corrector commercial e agente de lei-
)D*000:por casas de compra e venda ou qualquer transac-
30. 30*800 por casa de modas, de qualquer especie.
31. 30*000 por casa de utn s bilhar e mais 20*000 por ca-
da tilbar.
3J. 1 por cento do valor dos objectos vendidos em leilao, in-
clusive os judieiaei
3-1 30 por cento por cada escravo empregado no servigo de
alvarenpa e candes de carga e descarga do porto.
>. 10*000 por tonelada de alvarengas e canoas empregadas
em servigo de carga i descarga de navios.
i. 1*000 por bote, catraia, baleeia e canoa empregadas
em safvigo do porto e navegagao dos nos.
i 2*000 por escravo ganhador na cidade o Recife.
16*000 por carro particular de quatro rodas; 10*000 por
dito de duas; e 3O*0uO por carro de aluguel.
i 25*000 por cada mnibus e z5*000 por cada carro fu-
nebM. -
). 6*000 por carroca ou vehculo, nao eomprehendidos nos
res, excepto os que forem empregados no trabalho da la-
vona.
4)0. 10*000 por ca vallo de aluguel.
?I. 3 por cento sobre a venda do capim na cidade do Re-
leifc.
\ 42. 1:000*000 por cada joalheiro estrangeiro que mascatear
rincia, e 500*000 se o joalheiro for brasileiro.
43. 100*000 por cada estrangeiro que mascatear na provin-
Tazenfas, miudezas, quinquilleras e outros quaesquer ohr
jeetos.
" 44. Matriculas da Escola Normal.
45. Pedagio de pontes e estradas.
46. Bens do evento.
47. Emolumentos e apprehensoes da polica.
48. Multas por infraegoes.
49.. Emolumentos das repartieoes provincaes.
50. Restituicoes e reposigoes.
51. Divida activa.
52. Metade da divida anterior ao Ia de julho de 1836.
53. Producto da venda e renda dos gneros, utencilios e pro-
prios provincaes.
54. Producto do imposto creado pelas leis ns. 350 e 596 art. 57.
55. S |dos dos premios das loteras proscriptas.
X 56. Castas arrecadadss pelo juizo dos feitos da fazenda.
8 57. Juro de nove por cento pela indevida delencao das rendas.
| 58. 5 por cento sobre o valor de empreza ou contratos que fo-
rem transferidos se este valor for at 100:000*000; 2 por.cento at
300:000*000, e dahi por diante 1/2 por cento.
8. 59. 320 rs. por sacca de algodao que vier ao mercado.
*l' Art. 17. Os tros por cento addicionaes de que trata a lei n. 777.
serjtjarricadados pelas repartieses fiscaes, nao sendo levados
cjWfraa rendas provincaes por terem applicagao especial.
Art. 18. O saldo que se verificar no exercicio corrente far par-
te da ronda arrecadada por effeito da lei.
TITULO III.
Disposiroes geraes.
Art. 19. O presidente da provincia fica autorsado :
1.a A mandar vender a ferragera e lampedes que serviram para
a antiga illuminagao desta cidade, as cadeias velhas de Cimbres e
o da Madre Deus, e mais objectos, utensilios e edificios pro-
vincaes que nao prestarem utilidade.
2.a A contratar com pessa habilitada o servigo de por em dia
atraso da escrpturagao da thesouraria provincial, cemtanto que o
1 cute dentro da hora do expediente e >ob inspecgo do contador e
do inspector daqoella repartigao e no praso de um- anno, sendo a
lectiva despeza feita por conta da verba eventuaes, para o que
ser aberto um crdito supplementar se fr preciso.
3 A mandar ensaiar o syslema de conservagao de estradas por
meio de pequeas einpreitadas, sendo o importe dellas pago depois
do sei
ifcrmar a tabella da alimentaglo dos presos, pobres da
i de deteiira.. ile modo que lenliam elles mais abundante refi-
,1o que actualmente, elevando-se a 320 rs. a diana dos presos
pobres-das cadeias do interior da provincia.
5." A reformar, de accordo com a companhia respectiva, o con-
trato para a illuminagao desta cidade, sob as seguintes bases :
Dimrauigao do prego da illuminagao publica e particular.
igao da illuminagao aos pontos da cidade e arrabaldes,
que juizo do mesmo presidente, for julgada necessaria, sendo
feita em todas as noutes sem excepgo durante a estacao invernosa.
6." A mandar pagar Jjo Joaquim ds Siqueira Varejao, o que
se Ihe dever dadilTerenea de ordenado entre o seu emprego e o de
tario da repartigao das obras publicas durante o lempo em que
\ conceder ao continuo da mesma repartigao Lydio l urpu-
rar6 Saniago de Oveira, a gratificagao* annual de 200*000, como
eocarregailo do respectivo archivo.
md-ar liquidar o que se estiver a dever ao professor Jo-
lino da Silva Braga, da gratificagao por mais de doze annos de
ci, a contar da data em que os completou.
[ nomear um tical para a cobranga do imposto de 8 por
da biihete de lotera que nao for da provincia, po-
reder aa mesmo fiscal 1/2 por cento da arrecadagao desse
>. A tonceder urna gratificagao ao 3 escripturario do consu-
icial Joaqurale Gusmo Coelho, que corresponda dif-
encimenlos do lugar de langador que o mesmo exerceu
Asubveneao de 30:000*000 concedida a companhia
kcana para navegagao ao Rio S. Francisco, s ser paga
comegada a nnsina navegagao e votado o preciso crdito.
MI. Ajnta da Santa -Casa de .Misericordia poder no lim
inno applicar s despezas dos diversos estabeleementos de
ts fobras da ubveugao e das rendas do patrimonio dos
Continuam^em vigor os. arta. 53, 57 e 58 da lei n. 891
unho Je 1869, sendo este somente na parte "relativa Jos
arinho Falcao, devendo o presidente a,provincia dar-Ihe
rba eventuaes.
I. As obras clasificadas nos S 6 e 8 do arL 6 desta le
Otadas ou corflegadas dentro do respectivo exercicio.
*&. O presidente da provincia fica aulorisado a rescindir
ir o contrato feito com a cqmpanhia Pernambucana, para
.por nos portos de Tamandar, Goyanna e inter-
pprimindo, se continuar o contrato;. as viagens Ha-
antros portos sem importancia, e diminuindo-se a subven-
1.000*000.
J. Os garantidores de bilhetes de loteras serao obrigados
no valor de 20:000*000.
h joamelros, de que trata o 42 do art. 16,_ para com-
s diversos municipios da provincia, deverao apresen-
ridades locaes conhecimento de haver pago o imposto,
cobrado o mesmo impostora razao do duplo.
K As quanlias concedidas, quer em verbas do orgamento,
les de loteras para as obras da matriz da freguezia de
rio applicadasjj igreja de Nossa Senhora do Rosario,
^^Vir de matrir.
h praticantes da thesouraria provincial, que j o eram
____ 708, podero ser promovidos terceiros esorptura-
de concurso; devendo somente aze^o para se-
Erario, conforme o art. 9a da lei citada.
A preferencia das partes das loteras que tem de ser
exercicio da presente lei, ser regulada do modo se-
irtes da lotera concedida para as obras dotheatrq.
edidas para a construegao da igreja de Nossa
;Jade.
ocedidas aos estabeleementos de carida-
isa de Misericordia.
da lotera concedida ao patrimonio dos or-
riaa serao extrahidas alternadamente com-
a para irmandade
2.a Una dita da lotera concedida irmandade de SarCAma da
Madre de Deus.
3.a Urna dita da lotera concedida para as obra da igreja de
Nosa Senhora da Eoneeigo dos Militares.
4.a Urna dita da lotera concedida para as obra da igreja de
Santo Amaro de Serinhaem.
5.a Urna dita da lotera concedida para as obras da izreja ma-
triz do Bonito.
6.a Urna dita da lotera concedida para a igreja de Nossa Senho-
ra do Carmo do Recite.
7.* Urna dita da lotena concedida para a matrir de Cabrob.
8.a Urna dita da lotera concedida para as obras da igreja de
Nossa Senhora daGraea da Capunga.
9.a Urna dita da lotera concedida para as obrae da igreja de
Nossa Senhora do Rosario da freguezia de. Boa-VNta desta cidade.
10.a Urna dita da lotera concedida para as ebras da matriz de
Jaboato.
11.a Urna dita da lotera concedida para.as obras da eapeila d
Nossa Senhora da Boa-viagem.
12.a Urna dita da lotera concedida para as obras da matriz de
Barreiros.
13.a Fina dita da lotera concedida para as obras da matriz de
Serinhaem.
14 Urna dita da lotera concedida para as obras da igreja ds
Nossa Senhora do Terco.
15.a lua dita da lotera concedida para as obras do cemiterio-
de Olinda.
16.a I'ma dita da lotera concedida para a3 obras da matriz de
Tacarat.
17.a Urna dita da lotera concedida a igreja do Seohor Bom Jesu
dos Martyrios desta cidade.
18.a Urna dita da lotera concedida para a matriz de Villa-
Bella.
19.a Urna dita da lotera concedida para as obras da igreja do
Espirito Santo desta cidade.
20.a Urna dita da lotera concedida para as obras da matriz da
Escada. .
21.a Urna dita da lotera concedida para as obras da matriz
do Ex.
22.a Urna dita da lotera concedida irmandade do Senhor Bom
Jess dos Passos desta cidade.
23.a Urna dita da lotera concedida para as obras de S. Jos de
Riba-mar desta cidade.
24.a Urna dita da lotera concedida para s obras da matriz d
S. Lourenco da Matta.
23.a Lina dita da lotera concedida para a* obr3 da igreja d
Santo Amaro das Salinas.
26.a Fina dita da lotera concedida para as obras da igreja da
Soledade, desta cidade.
27.a lina dita da lotera concedida para as obras da matriz dr>
Granito.
28.a Urna dita da lotera concedida para as obras da igreja de
Nossa Senhora do Amparo de Goyanna.
29.a Urna dita da lotera concedida para a igreja de Nossa Se-
nhora do Carmo de Olinda.
30.a Urna dita da lotera concedida para as obras da Igreja de
Nossa Senhora do Livramento do Santo Anto.
31.a Urna dita da lotera coneedidi para as obras da.igreja da
Casa Forte.
31a Urna dita da lotera concedida para a igreja da Congrega-
gao do oratorio desta cidade.
33.a Urna dita da lotera concedida para as obras da igreja de
Nossa Senhora da Conceigao de Beberibe.
34.a Urna dita da lotera concedida para as obras da igreja de
Nossa Senhora da coHceigao dos Milagres de Olinda.
35.a Urna dita da lotera concedida para as obras do hospital
da ordem terceira do Carino desta cidade.
36.' Urna dita da lotera concedida irmandade de Santa Ce-
cilia, erecta no convento do Carmo.
37.a Urna dita da-lotera concedida irmandade de Nos-
sa Senhora da Soledade, erecta na* igreja do Livramento desta
cidade.
38.a Urna dita da latera concedida para as obras da capella
da Assumpcao das fronteiras da Estancia.
39.a Urna dita da lotera concedida para as obras da igreja de
Nossa Senhora da Paz dos Affogados.
40.a Urna dita da lotera concedida para as obras da igreja de
Nossa Senhora do Rosario do Santo Anto.
41.a Urna dita da lotera concedida para as obras do convento
de Santo Antonio desta cidade. i
42.a Urna dita da lotera concedida irmandade deNossa
Senhora do Bjm Parlo, erecta na capella de S. Sebastio do
Olinda.
43.a Urna dita da lotera concedida para as obras da igreja de
Nossa Senhora do Guadalupe de Chinda.
44.a Fina dita da lotera concedida para as obras da matriz de
Agua-prea. #
45.a Urna dita da lotera concedida para as obra*s da matriz de
Trombetas.
46.a Urna dita da lotera concedida para as obras da igreja de
S. Sebastio do Bonito.
47.a Urna dita da lotera concedida para as obTas da igreja do
Livramento de Pao d'Alho.
48.a Urna dita da lotera concedida.para as obras do cemiterio
do Rio Formoso.
49.a Urna dita da lotera concedida confraria do Senhor Bom
Jess da via-sacra da Boa-Vista na igreja da Santa Cruz.
DnpiwiSn permanentes.
Art. 30., Os emolumentos arrecadados1 na secretara do governo
e as demais reparliges provincaes, serao considerados renda da
provincia, sendo augmentado o ordenado dos empregados da referi-
da secretaria, que perceberera quota parto de taes emolumentos,
com mais metade dos vencimentos pagos actualmente pelos cofres
pblicos; devendo o referido augmento ser considerado ordenado,
e tendo o secretario mais urna gralirL'ago adicional de 2:600*
por anuo, o "offkial-maior 200*, e cada chefe de secgao 100*. a
qaes nao Ihe sero descontada-, quando faltarem a repartigao pors
motiva de molestia justificada.
Art. 31. O presidente da provincia fica autorsado a dar des-
tino aos colaboradores que existirem na socrataria do governo, fi-
cando supprimdos os respectivos lugares proporgo que forem va-
gando.
Art. 32. Nos municipios que a arrecadagao dos impostos pro-
vincaes produzr-uma renda annual de 5:000*. serao creadas col-
lectorias, guardando-se nao s era relago as existentes, como as
que devera ser creadas, as seguintes regras :
Ia. Cada collectoria ter dm fiscal, um eollectur, am escrivao
e um cobrador, onde for este preciso. .
2a. O fiscal e o collector lefio W a|0 da arrecadacao da
collectoria, o escrivao 8 .. e o cobrador 5 a| isto as collectorias
era que a arrecadagao for inferior 20:000* por anno; e, as que
for superior, menos 2 para cada empregado.
3a. O presidente da provincia dar um regulamento em q.ue
se estabelega todos o*meos de rigorosa fiscahsagao e boa arrecada-
gao das reodas, licando sugeito approvago da assemblea provincial,
sem prejuizo da execugo. _.
4a. Nos municipios em que forera creadas collectorias s<
entrarao os empregados em exercicio depois de lindo o praso dos
cotratQ3 de arrematago de impostos Teitos ate o anno de tm.
Art. 33. A faculdade concedida ao presidente da provincia,
para abrir crditos spplementares s verbas da le do orgamento,
fica restringida aos cas>s de absoluta urgencia de servigo publico, e
smenie exercida em relagao verbas de natureza eventual, nao
sendo como tal consideradas as de expediente das repartieoes publi-
cas, soccorros de beneftdenca e restriggdes.
Art. 34. Em emergencias nao previstas, como sejam as de in-
cendio, innundaeo e pertrirbago de ordem publica, pode o pre-
sidente da provlucia deeftar crditos extraordinarios com applica-
^ Ar?C3o' A' decretagao descrditos dever preceder a expisicao
dos motivos que as reclamarem, sendo sugeilas em lempo a apre-
ciacao e approvago da aasembla-provincial.
Art 36. O empregado provincial que, por qualquer. motivo,
contribuir para realisacao de despeza nao decretada, indemnisara a
provincia da importancia da raestaa despeza pela 5a parto de seas
Ve" Art 37.0 trabalho de eiame e tomadas de contas das loteras
ser feito por todos os empregados da secretaria, da contadona
escrivao da receila e despeza da thesouraria provincial e tf offlcial
e 3a escripturario da secgao do contencioso.
Art. 38. O presidente da provincia reformar os regulamento*
da thesouraria provincial, da seccao do contencioso, da reparti-
cio das obras publicas e da secretaria do governo, procurando
raphficar o mais possivel o expediente, e flcaudo os masmos regu-
lamentos dependentes d< 3pprovafio da asse-nbla provincial, sem
prejuizo de sua execugo. :
Art. 39. as aposentadoras e lempo de srvioo dos empre-
ados Antonio Cantoso de Queiroz Fonseca, e Alexandre Ameno
de Caldas Brando se mandar cootar : ao priineiro o tempo em
aue estove fra do exercicio de escripturario da thesouraria pro-
viaoiai, decorrida de 17 de agosto de 184$ i 10 de anio de 1848,
ti

I
1
1 MUTUrDO


Duro de Pfernaiabuco S<
1 de Agosto de 1870.
x


^ 1(, prestado no arsenal de marinea
,*e*? .: i\ pjovincia ca auterisade a revota
,_*, v* da Mlserioria.
^"^r. |ulqor oslaren serao realUadas
--JU, I a i'regao, sendo os contrato- da erna"
2^7".^ presSencia por meiode propostas, discutidas e
Sad^ pelas riparias competentes. O ierra* de
MRtn ser lavralo na thesouraria provinnial.
^A. 42 As nanea* de contrato* de as-reoia aees ouiraade
nlauer pee* o prestadas ou em numerario, apaliees *> le-.
1-rv mipannias. ou em bens de ra na provine, sendo que
Viativas A armadOlo de rendas donan? sur em metade de
ea valoradlo menos, ombans*Hos no mame po da capital-
Art. 4. O presidente da provincia mandara construir caas
4e barren-a- as estradas da provincia, guardadas a distancia
marcadas no respecim regiilxmenio: noJendo s*r e-u unnstruoc*t
contratada mediante a coto-anca do pedagio em praso corto.
Art. 44. Fica profiibido n pagamento de gratlfleaciSe's emprn-
naoW publico*, quando nao fmvm decretadas em leis aspeciaes, n
*snre*-nw>nle renovadas e*n do ornamento.
Art. 45. Os contratu de trilhoe do ferro, que forem effectaados
4t*%idata em diante, nao sera executattos antes de e poro vado i
om modificados pela assembla provincial.
Art. W. A inspeceo do algodao, creada pelas lois 067 de 3
ei4ru do iSj.i o 71 de 9 de maio de I8G7, ser estahelecida
*m a-* sfguinte moncaroe.
1". A elasaticacio e inspeoco do asgodn nao serio obrigatorias.
S*. O presidente da nroviasia n arcar em regnlumento, sem are-
fjnixi"la exe**eo, ene flea dependente da approvacao da assembla,
"o modo, lugar oaingares em que o peso i outrus servieos ser
ireitos.
IL.1 O pesal da repartirn, creado as referidas leis, podora
ser diminuido, se as garcas do-eervico o perwinirero.
4. Par* a *xecucao da lei o. 73fi de 1 i de junho de 18u7, m
wmdicoes do melhores vtmtagens para a fazenda e cin igualdad de
rcuiniaiteia* e (taranta;:,. Ilca o'presidcnto da provincia auiorisydo
a contratar rom Francisco de Paca Mello Barrete o servico da ca-
pataza, abrntdo o rn-tiite preciso para a execaco deste artigo.
Art. 47. Fica approvao o reglame de SI de odtnhro
de 18G9, se creou o Asylo do Mendicdade, observndose o se-
gralo :
g I. Formar esle um eetabeleeimento parte de oulros de
hwilrena, admiaistradb por urna commissao de cinco memhros,
da qual fura parte o iliractor, como adjunto, e o contador da thesou-
raria provincial, como HscaJ.
i ^residente reor:
necoasano, e marcara por con la do patrimonio as
devem perceber o fiseal oulros empregados da fazen
que rorera elMnbido de servlso dn'mcwmo A'
3 O. As dfcpoicSes do art. 7 8 8* do regolwnento citado, serie
execntadas perajrte a thesouraria provincial, ou pente a com-
missao.
% 7.* Oj>residee da provincia mandar, eom urfcncia, con.cmir
as obTas precisas n ediBcio do iwsmo Asyt*.
f 8* \o repuHmanti inieruo, de que trata n art 17 do rcjala-
meirto 'eral, po'lerao ser adendida as providencias, que forem ur-
geotes liem da rogularidade do estabtecifriento.
|-0. O saldo verificado rm Iiim de cala anno (dedazida as des-
pezar do meamo Asylo) do producto do imposto addicioaat, ser
convertido era apolices da divida provincial, veucendo o premia'de
'S Qf9 ao anno.
10. As qnantias existentes m raixa aa thesonraria nro-
| vincial, \\* importancia da sutoscripcio carpo da A>S(oiacao Gom-
j mercial, seo tambera convertidas em apolices, w.\ forma do para-
' rapho anterior.
H. O presdeme da provincia bstabfdeeer o modo de ser
ffectuada-esta conversio de divina e resgate das apolices, quando o
exigirero an urgencias da esttseteoimenio.
if. Fica marcado ao medico o ordenado de l:6O0J00O.
Art. 48. O presidente da provincia, dentro do exern.-io de I87A
;a 1871, abrir um sredil* extraordinario de 1^20O:lMf>00O, em apo-
lices emittidas ao par venceBdo o premio da 8 0/0 ao anno, svb as
condices segrales:
| 1. Toda a importancia deste crodit ter applicscao especial:
Io eoolinuacao da estrada da Victoria al a potoac&n ie Grayat,
ineinsive a ponte; i* de Goyannu al Pedras de Fugo: 3" de
Tronbetas at ao povoado de Capoeiras; v d censtrnecao de urna
ponte sobre o rio Una; 5o de urna dita sobre a no Capibarihe em
Ped'Alho; 6' sunstituicao da ponto de Afolados; 7* reedifica-
cao do Uieatro de Santa babel; 8 a construeco de um poco para a
assembla provinsial; 9* de um passeio putico ; lf> continaa-
cao da estrada da Escala pela antiga direccao ; 11* dita dita de
'Mtiribeca a urna ponte no rio Are^umil e ostra na pasagem da es-
taciio do Agua Preta para a villa uo'mosmo mime.
ope
SJ5fi
pag
er feiu proporcao que !or
Hr.idos, ou quando saja oecessario
? 1* serao exeentad P* mr^*
^H*s contratos, callarme for mala
provincial.
numerario s aera realisada
^^una obra, for isto preciso.
ra um regulameato para execu^ao desta
ito
do premio amortiucao das apolices
--------------trj
\X:01ti(fi, odo a quairtia que sobrar do
resgate de apolices, guardando-
f^^^^^^^^^^^^P del las.
ranea de todos os impostos provinciaes ser feita
polo segninte modo:
f Vito dia antes da^noca da arrecada^io de qnolqaer Im-
posta a respectiva repartirn tara annunciar, em jornal para isso
contratada, o dia em que ella de ve comecar.
S t Por trinta das serao recebidos ns impostos dos contri-
btntes que os forem levar respectiva repartirn.
S 3." Piado este prazo, a cobranca se far judicialmente, como
se tem procedido al agora.
presentarlo de recibo de qualquer imposto na res-
li^ctiva Eepart'?o, ser docamento snfficiente para que o contri-
buiolo se exima de qomlquer nova exigencia.
Art. 52. A respectiva repartilo dar u1^ ducomeoto qual-
quer contribuate que deixar Je possuir um objecto, de que paga va
impjtto.
Arr. 53. A repartilo far publicar qualquer differenca que se
flaer no lanemento das decimas dos predios, sem o que o contri-
buinie pasar smente a importancia do ultimo lanemento.
Art. 54. Ficam revogadas as disposicSes om entrao.
Mando, porianto, todas as autoridades, quera o conhecimen-
to e execufo da presente resolucao pertencer, que a cumpram e fa-
^am cuniprir lio inteiramente como nella se contera. O secretario
da presidencia desta provincia a faca imprimir, publicar e correr.
Palacio da presidencia de Pemambuco, 25 di julho de 1870, 49
da independencia de imperio.
L. S. Francisco de Assis Pereira Rocha.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta secretaria da pre-
sidencia de Pemambuco aos 25 de julno de 1870.
O secretario
Elias Frederico de Aimeida e AUmqverque.
DIARIO BE PEBrUMBCQ
HEC1FE, 6 DE AGTO DE 187.
NOTICIA DO NOJT. E DO IMPERIO.
Anwnliecou sabbado ra o nosso porto o vapor
Ghot. trazendo jornaes do Araaxoaas al 12, do
Para ate 20, de Maranhao at 24, do Ceara at 26,
do Kiottraude at 28, e da Paranyba at 30 do
passado.
.OUCONAS.
Nidia"?, di pasdi honre urna abalroacao
aire os vapores Pnric e. Mtideir*, no rio Amazo-
nas, que a>aim descripta peio Cathtckista de
hMH: .
Seriara 11 horas da noite ant"passada, quanJo
parti desta capital vapor Pm, da companhia
fluvial do Alto-Anroeuas, para a viagem da lioha
do IMJeini. Tinh apena i algnmas horas de na-
vngirej (liman landi a fot do iladeira, quando na
altur"i ili PurequiKjura encoutrou se edm o va-
jtor Arttrf, da coiHpanhia di Amazmas, que vi
nba ;iara esta apital, eom o qaal abalroou, e.
apandando^ de tr.was, metieu-ihe a pn'ia entre as
na* vaMoira*. Cnrao fcil imaginar, fui tre-
nw.ni.. n cixtqae, e o Par, fonitido profunda-
rnecte, a*|Uebmn, meltou Inga grande, quantidale
de agua dentro, a pr>duzir una e navio, e o resto tol a pique in continenti. Foi
ufera ileiresiuinuHs, quand;i milito 1
< Carregava o rarw, slra de ura enorme cabe-
di! dos negociantes D M-.ileira, cerca do O0 pas
sageires, dos qcaes apenas o Aranj pode salvar
seteuta e tantos, na maior parte feridos ou coulu-
so<.
. "Catre os pas-.sageiros, eootava-sn o Br. capitap
PelM.niz Syiopson o a sua seihira. o Sr. capi-
tal Merraenegildb L'ipes Braga, d 'U-- irmios e ura
filho, Sr Amaro Mauricio Marques, sua reina
mai a Sra. D. Victoria e urna acta, o 5r. Raphael
Aogusto Luc, sua senaara e um filli; a o Sr.
Emilia Bastos: destes salvaram-se somento o Sr,
caprto syupsan, todo contuso e cotn a_ clavicula
quelmi'h ; um dos Irma do Sr. capito Herme-
MfMdo; us Sn. Amaro e GiuUj, pereceado toJos
os raais !
Os olbos se os nwraja de lagrimas diante
de lio grando fn'grj^a.
Salvoii-se tatnooai o ctnvaandaate o Sr. Bri-
to, perdendo, porm, sua sensor*, aquella eom
i|(i"iri M Invis. casal j liivia ap-,aas dezoilo dias !
* Cinta-s) tambeni no numero dos morios o
inmediato doxapnr, o Sr. Muta Fleury. De tan-
tas mniheres enancas qne afjniram o Furia,
unte linas tiestas apparecuiu, a ne:n ama so
criMica.
Sii rarkw os jnizm sobro a canso do abal-
ntrne-' a-n i uns insistencia dos eom
nMHt C> i. no e ii ;ie uavegavain ; oatros, urna ma-
no!*: a tardia ; e oatros, naliaenie, Imposblli-
da s'. E*c. o Sr. pre-ulente da provincia, logo
que leve conhecimento do mete, den prosapias jiro-
vi.t-jieias jiara ver se anda eenseguia latM* al
gnm vt.ls, que acaso tivossem eseapado ca-
tastr izdia o livesatm sido levadas pela correnle do
n-. o i arrojado sna mareen, fazendo segatrl
para o Incsr do shitrm as tres tancas vapor da
II ,tli..., n vapor faca eom o Dr. ciefe de polica
i-, ii-ii* i'.r^a do corpo provisorio : at esta hora
em .,i e-;ravenios ainda nao voliaram.
B'egnin tambera para all o Sr. gerenta da
eomptoliia Flavial, Alexandre Arauriffi.
<* cuiiiiercio fachou suas portas de par em
par, em de.mon-itracao do seu pesar por tao lamen-
tav,l arnutecimentn, e ainda as conserva fechadas.
Lamentamos rtiuerapealo este faoto, que,
.bahmdo <>s fundamentos de urna compaiihia. ain-
da ascente, e que tao risonha se mosimta ao fu
t-ir i niigrandecimento da provincia, vai tambera
infliir as reodas publicas, sien de iever 9luto
malta* lamillas pela perda de seus memhros.
Dirigimos estas nosoos psames, e as conso
laeSes iut, nos tratuos dolorosos, aconsellia a re
ligia i que professamos.
Ao lo alleceram 108 pessoas, salvando-se
73. i
Heferiudo o fado, diz o eammandan'e do
Jrnrsi o seguate :
Piuco depon das 2 horas da madrugada do
  • ti:ial do quarto, o mestra Joo da Silva Ferreira,
    por se tor dade vista das luzes de-um vapor qua
    lescia aguas afcaixu oavir o annuncio e e^tar so
    bre o pass.idico da caixa das rodas foi acto con-
    tiir.i" ; aim como ordenar em voz alta ao machi
    ni-n .le quarto, Manoel Itodrigues, que dimmuis-
    -ao i nieia tonca aquella eom que-seguamos : no
    traj.-ci i da tolda E. B. para aquello lugar no
    pausad <;\ del vieta dtstnpu das tres luzes do va-
    |i.-.r, drinorifldo me elle qu.irta e meia de rumu
    par E. B. da uossa pitia, e em distancia pouco
    laais ou mecos de 3'.
    Achavani-se sobre o pass idieo, alm do offl-
    cial de quarto, o j*ratico Januario Antonio da Sil-
    va, o pralicante Cascaes, o marinheiro de Lome
    Jos* Antonio Pedro, a o de nomo Francisco Casi-
    miro C.arneiro que devia substituir pielle, e'de
    v?ia pnia o raarialieirn Joo Gomes Cordeiro:
    linnam dado vista aa mesm.tempo do vapor o
    inicial do quarto, o pralicante e a viga, como fui
    aforando.
    Cora a mmba rjresenca no passadigo, tornan a
    Klreccaodo lemen praKco ajudado pelo inariohi
    ro reconbeci o lugar em que me achara nave-
    gando an longo da costa do lago do Re mu pro-
    xioio boca do Paran em frenle ao Paraque-
    quira, em distancia de 8 a 10 bracas d:< trra, por
    -conveniencia a correnteza, a obediencia aa art. 3'
    das inst ucees de 2i de abril de I8(i8; a proa
    reccao da cosa n'aquella arto, qua correspon-
    dente minha agulha, rnonti a pona f\ da foz do
    Paran, e navegamos na menina distancia da tr-
    ra eatO ao ruino de O. S. O. por assim correspon-
    de/ direccao da costa. 0 'aporque navegara,
    jaaado foi avistado, acabava de montar as pxdras
    deoemiuad.as Morona, : bem aamprehensivel lar
    iiassado entre ellas e a ilha fronteira que dista ura
    -pirc'l a nao dr i i niesma
    liba; cotno consequenei.i, a derrota que tazia era
    ai.ii.o da diflanera entre as adras e a ilha que
    rica raais ao sol da costa, om que n&vegava o ta-
    par Arary ; poueo mVw ou m me de-
    : iva ao N. O., arribou, 6 em tal di#tanris, que
    irut

    di apilo a vnp
    inergencia. S
    sda

    Por inshDcto natural maudel parar, e quefos-lsoas gradas
    I
    sem arreados lodns os escalores guarneeides, e era
    cada r.m urna las, eom o llm de salva.- os nanfra-
    go*; eom a rapidez possivel, veucenda-se os de-
    sej s de passigairos mais timoratos, foi executado,
    sera ter de lamentar mais atHiccoes 7
    < Conairreu para isto, entro qutrns pas^agei-
    ros, a energa do tenente-coroael MecbiMes em
    coivencer a acessidade de quecada ura nao Tos-
    so precipitado
    Eram 2hora*e 15 minutos, quando foi con-
    sammndo o sinistro, e cora tanta rapidez como
    peusa-lo.
    t Foramnnvidados os passageiros ser teste-
    munhas, ii";o das luzes de meus pliaroe que
    esiavam em seus lugares, como da distancia ora
    que eslavamos da raargem. ftnnipri o raen de-
    ver, e aao perd lempo ou vacHIei por amor do
    mesmo de'.-er, em evitar es daranos qaa profunda-
    nienta lamento!
    Entre os prraeiros salvados veio o Sr. Eduar-
    do de Brito, eommandante d i.juello vapor que disse
    ser o vapor Purs que navegava cjib desuno ao
    rio Made.ira, havendo deixado o porto de Manaes
    s U horas daioiie: f.iram salvas 73 pessoas
    entra trpolantes e passageiros pelos 4 escaleras e
    mais una montaria que se achava prxima ao lu-
    gar do sinistm : pelo que dsse mais abava-se a
    dorm.' na cmara ou> Ihe deram pune de terera
    visvo o v3|or Arary, e quando ffira descancar ti-
    nha deixado de quarto o inesire daqaeile vapor,
    bomem nsoaiateiraconlaaca; os praticos po-
    r:n que forara salvos, assim como o marinheiro
    do leme, declararam que nao liavia oESsial de
    quarto, quo elles navegavam eom os regalaraenlos
    em miio, pota proeuravam a luz encarnada deste
    vapor para a luz encarnada daque.ile, e assim o
    cntlrmoii o narntHro, que deetarou mais ter dito
    aos orticas, quando resolveram mandar guiar
    toda a IC. II. que nao o fina, oois sabia dever pas-
    sar meio no, e que o caminho em que ssguia o
    Arary, era na beirada que havaui lomado eoflta
    do lera-, executando o pralico Madeira aquelia
    re>olucio. Parece, pois, claro, que em um mo-
    mento "j mais critico hnuve o erro mais fatal, pois
    me foi impossivel reeonhd-lo como evita-lo.
    Ao Arary resoofton deus rombos proa, um
    de cada lado; e de E. B. na V chapa da roda de
    pnia at a antepra doalvacnz, cortando as canto-
    neiras que servem de bracos, o mais abaixo do
    lurae d'agua a i' chapa berta por amassameo-
    to ; o lado de B. B. muito araassad e um rombo
    na i* chapa, e para r antepra do alvacuz urna
    chapa cortada no canto at a eravaeaa do? arrebi-
    tes era seutido longitudinal. Os mrrinttea da bor-
    da pnia soffrram, e o de B. B. rachado, e om
    os turcos d'aticora desse lado lora de seus logaros
    cora o perdimeuto dos adornaos e do lamba-
    reiro.
    Arrebentaram-se asbossas d'ancora grande a
    B. B., e uo correr a mesnia ancora para o fundo,
    reecorreu no bolineie o cobre d'araarra at a na
    mlha das 4o Bracas por ante-avante do bolinete:
    cono o fundo fosas extraordinario garrra o vapor
    na i se poda arrear mais amarra por torera caval-
    gado as v iltas; como och.iquo que proJuzia fosse
    alm de aterrador o completaiuente arrumara o
    bolinete, toraaram-so bossas emandei tocar o per-
    no da inaniiba e largar por mi a ancora e 45
    bracas d'amarra.
    A agua nao passon do alvacuz e aliviei cargas
    pesadas do poro de pria pra apopa deste
    vapor.
    At s.i horas da mantiaa conservando-me
    coveoieutemente prximo d lugar do simstro;
    recehia os salvados e regressavam os escalares,
    at que veio a esta hora foi icado, por ser infor-
    marlo nao haver mais alguein a"tona d'agua era
    na margan.
    Paire at QMOnr o sol, o navegando a) longo
    da costa smente vencer a correte d'agua, pas-
    so pelo ponto do sinis'.ro s 6 horas e 38', arriei
    ainda d.nis escaleres e at s 8 horas em que re-
    gressaram, nao deram, cora raais algum nau-
    frago I
    fazendo derrota para Maros eom a for^a qua
    julguei conveniente empregar, amariri a boia ua
    quc.lle porto aos 30' depois do meio-dia.
    Fiz o nieu protesto que vera no instrumento
    de ractificacao que ora envo.
    t Dei iMscatga, reparoi os damnos causados, e
    cotno nao liaviam bordo oem na agencia nem
    no mercado chapas proprias, laocei inao de 5 per
    lencentes a Antonio Nicol) Sepeda e eram de 6
    pos cora 3 df largura e 1/8 de grossura. As 6
    horas da tardo de 12 do eorrente. havendo-se con
    cluido os rt-paros, examinados, por mira e offlciaes
    do navi e para ao demorar mais cora vestorias
    offlciaes, larguei aquella porto, recebeodo asear-
    gas e malas sem risco einpreliehdi a viagem que
    tem corrido sem novidade.
    Peco a V. S. disculpa a encontrar qualquer
    omisso* e falla de clareza no que tenlio escripia
    sob impressoes tao dolorosas, e que se passaram
    como ura sonho, e que reinisencia raais aguda
    escapariam, quanto raais que chego soccor
    rar-me ura oafofoo bem penivel.
    Galculara-s as perdas de material em cerca
    de mil contos de ris.
    paba'
    Foi muito festejada a c'aegad^ do contingen
    te de voluntarios paraenses; havendo, alm de
    illurainacOes, passeiatas e discursos, ura jantar
    offerecido pela otllcialidade ao corpo ad polica, e
    a a!,>rria dW diversos escravos.
    Atny) ftm do mezde agosto sao esperados na
    capital os vapores Artmaa e Jamary, pertencenles
    a coinpancia fluvial paraense, para a aavegaco
    do rio Madcira.
    No dia 17 tarde eguira para Manos
    eoniiugente da voluntarios do Amazonas, em nu-
    mero de 35 pracas, bordo do vapor BeiitL
    A alfaudega rendeu de 1 a 19 do passado
    293:8*>50iO.
    O cambio reguiava : sobre Londres 22 d.,'
    sobre Paris i:5 rs., sobre Hamburgj 837 rs., e
    sobre Portugal 140%
    > Esta vara carga os navios; Colote para Per
    nambuco, Bertha Bninstorff para o Havre, .la-
    rignan para Bolle He, Tampico e /. P. Auyer para
    New York.
    31ARANH0.
    Bealisou-se, no da 13 do pafsado, o baile
    offerecido p la guarda nacional da capital offl-
    cialidade do.batalho de voluntarios da patriffii
    urna fosta flmptnosa, qual asaistiram cerca de
    -snas.
    Cootrauavara os obseqtibs ao roJuntarios,
    r psrie de divars'* corporajioi curoo
    por particulares, trazendo os jofnaes diariamente
    - A assemb lial termiuou seas tr.iba-
    I te ura rcumo .'aibos .:
    1 clara-1 os encerrados.
    A maioFia dosdepulados da^ssombla
    [:n de pes- {
    \ presidencia da provincia abraoneorrenv centes aos dons btalhOes que nesta provincia se
    rrencia nar a navegaco vapor nos ros da organisarara e della pprtirara cora destin ao
    tneatro da guerra era de.'esa dos brios e da honra
    nacionaL
    > O Extn. Sr. presidonte lera sabido acoroQaar
    os .sentiraentos patriticos de seus governados,
    para que taej festejos sejam os mais solemnes e
    sqmptuosos. /
    t Todos acreditam que assim acontecer.
    Diversas ras e pragas j se acham ricamente
    ornadas; o caes do desembarque, entregue aos
    cuidados do diligente e incancavel Jos Paulino
    de Castro Mederos, j se v cercado de arcos e
    cora um magnifico corto.
    f Eis o programina a axecutar-se :
    A fortaleza dos Santos Res Magos, apenas re-
    conhner o transporte que coaduz esses bravos,
    annunciar a a sua chegada por tres tiros seguidos,
    levantando no raastro grande o pavilho nacional,
    que ser correspondido pelo telegrapho da torre,
    dando urna salva de 21 tiros ao entrar da barra
    em frente mesraa foctaleza.
    So o vapor chegar pea manha, o desembar-
    que ter lugar s 2 horas da tarde ; se, porm,
    chegar depois de meio dia, se effectuai s 8 horas
    da manha seguinte.
    Desembarcando o contingente no caes10 de
    junho, soltar-se-hlo 4 grandes gyrandolas ao sora
    da' msica marcial, io que corresponder o tele-
    grapho eom a bandeira imperial em continencia ;
    danlo nesta occasio a fortaleza urna nutra salva
    de 21 tiros.
    Na praea do mesmo caes, onde estarlo pre-
    sentes os raembros da commissao, da cmara mu
    nicipal, chxfes das differentes repartieres publicas
    e seus respectivo; empregados, offlciaes da guar-
    da nacional o de l.J linha, clrigos do crdens sa-
    cr*S e lodosos demas funccionaiios publicse ci-
    dadaos qualificado! ; receberao os bravos as con-
    tinencias da forra policial, que para esse lim es-
    tar all postada ;' depois do que faro o seguinte
    trajelo :
    Sahiudo da praca do desembarque, seguir o
    contingente dos bravos voluntarios era direccao
    praca da Alfandega, dobrando o becco da ra da
    Ponte, e d'ahi subir ladeira da ra da Cruz ; e
    percorrer em linha recta a da Coneeicao, ondo
    dobrara pelo becco do Paco da Assembla em di-
    recgo ao largo da Cadeia'.
    j D'ahi entrar .no becco da Matriz^ seguir
    pea Praca da Alegra, passando depois pelas ras
    correncia para a navegacao a vapor
    provincia. Traham j sido apresentadas propesta
    pelos Srs. Portal para a navegaco do Mearira 4
    Barra do Cordj, e outra dos Srs. Marques Rodri-
    gues e ontros para diversos rios.
    A colerina faiia estragos em Munira.
    A alfandega rendeu de la 21 do correlo
    190:454*33o.
    O cambio reguiava: sobr) Londres 22 \{ d.,
    e sobre Portugal 145%
    Estavam carga os navios : D. Trincess e
    Cantos para Liverpool.
    De 1 a 20 do passado vieram ao mercado da
    capital: 1391 coures de bni, 5916 alqneires de
    firioha de mandioca, 2654 saccas do algodao 312
    pipas eom agurdenle, oli alqueires de arroz, e
    363 saceos eom assusar.
    Leaos ao Pas :
    < Esuiave-uos o Sr. thesoureiro da commissao
    da praea :
    * Na qualidade de thesoureiro da commissao
    da praca. recebi do negociante o Sr. bario Vicente
    Ribeiro a quantia de 1O0/, importancia que este,
    senhor rae eutregou para alforria de urna oirduas
    criaucas do sexo femiono. O Sr. Joao Vicente Ri-
    beiro'fes eta esraola era regosijo pelo acabmenio
    da guerra que o Brasil siisienluu contra o Para-
    guay e regresso do baUlho 30 de voluntorids da
    patria.
    Alforriei urna escravioia mulata do proprieda-
    de do Sr. Manoel Gouc.alves Fontes Jnior, lillu
    de sua escrava Afra, 'pela quantia de 30 E^u
    escravinha nasceu era 28 de Janeiro do crrante
    anno e ser baplisada cora n norae de Maria.
    Alforriei mais nutra o-cravinna da propriodade
    da Exma. Sra. D. Maria llosa da Silva Pereira, fi-
    Iha de sua escrava Innocencia, naseida em 24de
    iiovembro de 1859 pela quantia do 100 ; saoBo
    50 da esraola do Sr. Joo Vicente, e 505 dados
    pelo futuro padrinho o Sr. Manoql Jos Teix
    da Silva. Esta escravinha ser baplisada cotno
    norae de Alergina. ____,
    CEARA.
    Foi designado o di. 20 de noverabro para so
    proceder a elaicao de dous depulados assomb:a
    geral. pira preeiicherem as vagas deixadas pela
    aaeolha do aoaaeiMiro Figueira de Mello e desem-
    barga lor Jagu^rihe para sanadores".
    A alfandega rendeu da 1 a 23 do passado
    199:561*670 rs. J ,
    Falii-cerara : em Batorit, o Io tabetfiao Arf-'W.i Palha e Nova em direccJo ao quartel de 1." I-
    tomo Paulino do Moma; na flraoja, o J^iK^fcSJ nha, d'onde descera ao bairro da Uibeira pela ra
    Jo- Romn da Molla, cora 91 araos; no^dia-^ do Commercio at parar era frente do palacio da
    c, Jos da Costa Gadelha, cora Ooannos.
    Leraos no Pedro J:
    t Segundo coomonicam de Maria Pereira o
    respeitavel octogenario Joo Jos de Farias e sua
    presidencia ; sendo ah fetas as continencias do
    astjrl >.
    Terminado assim o trajelo, recolher-se-hao
    os bravos voluntarios ao quartel de priraeira li-
    muher U. Bernardina lfra do Amor Divino, ru- j nha destinado para o seu alojaraentu, e onde en-
    radores no lugar Pai, d'aquelta freguezia. con!:- contrario urna decente refeicao.
    rirara iberdade a 33 de seus fiserkfoa, o sao elles A commissao nr.moada pela presidsncm da
    Jaciatha, Joo Antonio, Maria e seus filhos Mana, provincia para agenciar os festejos coinpoese
    Paulo. Kufiaa, Irineu, Joo, Maria e Antonio ; dos Sis. : Drs. Jos Ignacio Fernandos Barros,
    Thoimsia o seus Qlhis Jos Procopio, Anna, Ura- 'Luiz Antonio Ferreira Souto Jnior e Francisco
    belina, Francisco, Joo, .Mara, Anglica e Rachel; Xavier Pereira de Brito, e vicecnsules omin-
    Patricia e seus filhos Mana, Jaaquim, Maria. Si n- gos Henrique de Oliveira, Samuel Bolshan, Alfre-
    plicio, Thomasia. Rufina, e neta M.rciana ; Lean- do Weber e Joaquira Ignacii Pereira, presidente
    dra o seus (lirios Maria, Francisco e Maria ; Ro-I da cmara, major Antonio Benevides Seabra de
    mana e seus lilaos Man.el, Isabel, Tibureio e zi- Mello, negociante Jos Paulino de Castro Me.ie.iros,
    dro. ienento^coronel Jos Lourenco do Aimeida e cap-
    A conclusa o da guerra quo tanto regosii tem i taes Joaquim Guilhermo de Souio Caldas, urbano
    cnsalo era todo a imperio foi brilhanlemente Joaquim de Layla Barata, don de Amorim
    festejada na freguezia de S. Joo de Jagoaiibe, Garcia e Joaquim Francisco de Oliveira.
    termo do S. Bernardo, parliado a iniciativa dos Na noe de 12 do corrale o Dr. Antonio Fe-
    festejos, (que tiveram lugar no dia 24 do pass.do) lppe de Atouquerque Maranhao, delegad.i de po-
    do nosso prestiraoso araigj o Sr. coronel Antonj) licia da cidade de S. Jos conseguio, mediante os
    Manuel Ferreira Maia.
    Organisou-sc para aquelle patritico ftm urna
    commissao composta d>s Sis Usterno Maia, Jos
    irap
    Joaquim de. Aguiar, Vgaro Bessa, Joaquim Ta-
    vares e Belisario Machado. -
    Depois dos festejos patriticos passeiata, dis
    mais louvaveis esforcos, a captura do desertor
    Francisco Gomes, pertencente ao corpo de fusi-
    leiros navaes do vapor Recife, o que ha mezes se
    achava oceulto naquella cidade.
    t O mesmo delegado realisou a priso de Vi-
    cente Antonio Bezerra na occasio em que esto
    cursos etc. segua -so outra fesia igualmente sao-; deicarregra urna pnnhalada sobre Jos Gomes,
    la e humanitaria, hbernado-se 3 escravos, 4 do de qoe resultou ficar este sravemeute ferido.
    sexo feraeiiino e 1 do masculino, a saber : Fran- < O Sr. Dr. Antonio Falippe vai-se tornando
    cisca de 3 anoos de tdade. de Jos Antonio de merecedor do elogios pela actividade que tem
    Barcellos por 1O05O00 T Mara de 2 raezes, de
    Francisco Antonio da Silva llibeiro, 123*009, e 1
    escravraho eujo norae ignoramos, de 3 annos da
    idade. de Jos Antonio Martins de Aimeida por
    lOOOOO.
    t O Sr. coronel Maia, lbertnu sem condic&o
    slguma a sua moUta de nome Maria, de 1G anuo
    de idade e o Sr. Francisco Mandes do Souza Loi-
    te igualmente alforriou a sua de igual nome e de
    5 annos de idade >
    t O povo de Cannd solemnisou o ultimo dia
    das raissoes daquella villa cora um acto digno de
    sinceros elogios, a que muito o recommenda a
    gratido das almas pas e dos ceracoes bem for-
    mados.
    Entre o povo immenso que so achava reunido
    para ounr a palavra do Senhor ; appareceu ai
    idea de alforriar-se enancas ; dea to humanita-
    ria nao po iia ser repdlida por um povo essencial-
    mente cotholco. Abracada por todos, promoveu
    se inmediatamente urna subscripta, cojo pro-
    ducto foi applicado a liberlaeo de 6 escraviunas
    entre ellas urna do 16 annis de idade.
    Falleceu em GoyannitfuA o prestante cidadao
    Joaquim Morsira dos Santo', deixando era sen
    testamento diversos legad>-s para s igrejas e ca-
    pailas da sna freguezia. Tocn a igreja, dos Mila-
    gros1:700*000 cape lia do 3. Pedro500*
    a de Portoins 400*000, e a capetia. de N. S. das
    Dores d Goyanninlia, 'da qual foi um dos maio-
    res berafciicres1:300*000.
    a Jiontem (23) as 2 horas da tarde foi as-igna-
    do no palacio da presidencia, o contrato por meto
    do. qual os eraprezarios Dr. O incalo Baptista Viei
    ra, coronel Joaquim da l/inha Freir, Henrique
    lin.klekeurst, senador Pompeo e engenheito
    Pompeo de Albquerque Cavalcaote, se propoero
    a facer urna estrada desta capital a cidade de
    tunt, em ura ramal para Maranguape, organ
    sando para esse lira ama companhia que tea
    aqu sua sde.
    No acto d'assignatora o Exm. Sr. desej^H
    gador Frailas Henrique* offereceu aos contratante
    urna penna de ouro, fineza que foi retribuida polo
    Sr. coronel Cunta que por sua parte ajfcrer
    S. Exc. outra peona de ouro. <
    RIO-GBANBE.
    Era data de 27 escreve nosso correspon-
    dente :
    Os negocios pblicos da provincia eo
    tive eecasio de dizer-lhe, continuara regular
    te ob a Ilustrada administrar do Exm.
    Sil vino Eiridio Caroeiro da Cunha, cojas mano
    valbeirosas reunidas a lea Idade de
    racler e aos dotes de ura espirito esclai
    nohre Ihe na conquistado as sympathias
    fortuna de cerca lo.
    resent m-'h
    rudo coa-,
    :bra dessa adra.
    i, lio sensata
    e estima de todos os n
    Preonram-se graalos e ex[
    para a recepeo dos voluntarios
    desenvolvido no cumpriraento dos deveres inhe-
    rentes ae seu cargo.
    No disiricto do Breginho acaba do se effec-
    tuar urna iraportantissima diligencia : foi a captura
    do celebre Joaquim Boi, criminoso de raorte, e um
    dos mais ousados, de que se compunha o grupo
    camisa preta.
    O Sr. Dr. Espinheiro, chefe de polica, vai to-
    dos os lias eolhendo os melhores resultados das
    ordens e inslruccoes que eom todo o criterio tem
    dirigido aos seus subordinados.
    c Com a prisao desse malfeitor, aquelle distrac-
    to magistrado conta registrados, nos annaes do sua
    repartirlo nao menos de 49 criminosos, quasi to-
    dos reos de mortes, capturados em sete mezes,
    lempo de suaadministraco policial.
    0 jury d'sla cidade comeara os trabalhos de
    sua segunda sesso d'este auno no dia 18 do cr-
    reme, ob a presidencia do juiz de direito interino
    Dr. Jos Ignacio Fernandes Barros, sendo promo-
    tor publico Dr. Luiz Antonio Ferreira Suuto J-
    nior.
    Forara julgados quatro reos, Francisco Xa-
    vier de Paiva, Joo Francisco dos Santos Canella
    |e os libertos Alexandre e Januario : o priraeiro
    sendo aecusado por crime de ferimentos, toi ab-
    solvido, a os tres ltimos por crimes de raorte ;
    ura dos quaes foi absolvide e os oulros dous con-
    demnados. v
    < Foram advogados da defeza os Drs. Cysneiros
    e Mirabeau.
    Foi nomeado pelo Exm. Sr. presidente, para
    servir interinamente os lugares de inspector de
    sade publica e commissario vaccinador, vagos
    pelo fallecimeo'.o do L" cirurgio do exertito Jis
    Joaquim Machado, o distinelo medico Dr. llenri-
    ^^KSoares a Cmara, cujo cargo se acham
    tambera a enfermara militar e e hospital de cari-
    dade, onde tem prestado relevantes servicos.
    fon den a alfandega no mez do junho.......
    18:185*216 e do 1 a 55 do crreme 1H:615$937.
    1'Um.HYBA.
    Falleceram : no Pombal, o tenente Joao Fer-
    reira de Camino; t na capital, o Dr. Astolpbo
    Meir, procurador fiscal da thesouraria pro-
    vincial, e o coronel reformado Antonio de Deus e
    Costa, eommandante da fortaleza do Cabedello.
    Lemos no Jornal da Pnrnhyba :
    Genuino Batalha, preso ha cerca de quatro
    na cadeia desta capital por crime de roubo,
    Mn anda nao julgado, entendou que fazam Iho
    injusii^a em ret lo recluso, apesar de Ihe
    -'ida, ha pouco, oriem'de habeos-
    pus pela relaco do distncto o. de se achar im-
    ^Herime de feriineutos graves, praticadns
    ns oompanheiros do priso : pelo
    m urna sala do pavimento superior
    companbia, arrombou o forro da
    ;ou para o telhado, e amarrando
    enres de que se servia feitos
    B& deixou-se escorregar para fura, e. ni
    ^V altura, pulou na ra e poz-se ao fres- k
    te de 21 db andante
    f'Asentinella mais prxima n presentio e den
    alarma; porm, on qoanto se tomavam aa provi-
    dencias para a sua captura, e prevenir que omito*
    segnissonvla o exemplo. dava elle as de villa
    Diogo, e tao bem qne at boje ninguem d notieia
    sna. ,
    c E" adms treza, com que foi posta em exeeucao.
    i Segundo dos consta, da cama e de urna pe-
    quea mesa arranjnu Batatba eseada par caogar
    at o tecto, do qual, sern i asir u manto algn, ar-
    rancn urna das taimas pa**aado palo es paco dei-
    xado por ella para o idhadi.
    c A aliara de qne saltn A coaaUtravai, os
    grande agilidade o livraria de esborraehar-so na
    calcada, qne circula a cadeia.
    Achara-se proas as eninel'as. >
    PEBNAMBCO.
    REVISTA DIARIA.
    CeflPO DE POLICiA.-Hoie, logo depoi* da re-
    vista de mostra, sera dissolvfdo o corpo provisorio
    de polica, e organisado i ellectivo, cora a offlcia-
    lidade novamenie nomeada, e as pravas engajadas
    no mez passado. '
    COMPANHIA PERNAMBCANA.-Segnndo na-
    ticias viudas pelo vapor Parahyba, cominnava en
    calhado no rio S. Francisco, era coja barra bateu
    plr espago de 6 horas, consegurado afinaJ.por forca
    da arrebentacao, iranspo la, o vapor Potemji. da
    companhia Pernambueana ; o qual acha-ae eom a
    popa e as escothas submergidas, tendo a proa
    abicao n'uma corda, O vapor Cequia, porm,
    ijue se espalhou ler tido igual sorte, nada sof-
    fren.
    FERIMENTOS.No sabbado, por volta do 3 ho-
    ras da madrugada, Emiliano Jos da Penba, Jos
    Alves de Carvalho, Francolino dos Santos Araujo
    e Joaqnrn Francisco Chaves travaram urna luta,
    na freguezia de S. Jos, da qual sabiram feridos
    levemente Emiliano, e gravemente o inspector de
    quarteiro Manoel Apolinario de Sanl'Anna, que, concellos. Antonio da Silva Campos, D. Felismina
    Brasil. Sao chefes della oa professores de geolo-
    gia e botanim. oa Srs. Hart e Priatess, o os aeom-
    panbam 13 discpulos.
    \ OUND.VPedem-nos ot moradores do Vara-
    douro, na cidade de Oiiad^ qoa\ Wnbremos a
    jamara nfinid) deaeia de
    seren tapadas as partas do edificio do paco, junte
    igwjadeS.Saiamio. aim 4 nao ronlinnar a
    servir de montero o atener do edificio, eom
    verdadern escndalo publico. Sando rasoaval o
    pedido, esperanits qoe se ja aUeodido dentro de
    prax cario.
    TROUEZA.Sob esa denmuinaco acabara de
    abrir, na roa do Bario da Victoria n. 9, os Srs.
    Pinto & Martiniano urna granan loja de raienda*
    e modas, na qual eocontraro oa freguezes variado
    e abundante sortimento.
    HOSPITAL PORTUGUEZ.-Et do semana Bas-
    te esta beleci ment o Sr. mordomo Manoel Jos it
    Souza.
    LOTERA.A que se acha venda a 153*, a
    beneficio da Santa Casa da Misericordia, a qual
    corre no dia 6.
    LEILES.Hoje eflecia o agente Piolo o kilao
    de predios, conforme e'l annunciado.
    Araaoha deve efleetoar o mesmo agente o
    leilo de movis, louca o crystaes, na ra Direila
    n. 34.
    PASSAGEIROS.-Vndas de Macei e escalas no
    vapor Parohyba:
    Antonio Belisario Pereira, Heliodoro Avelina de
    Sonza Montem, Constantino Nunes de Azevedo
    Campos, Joaquim Goncalves de Farias, Delona
    Maria dos Paazeres e 2 Albas, Andr Avelino da
    Costa, Honorio Fernandes da Silva e urna es-
    crava.
    Viudos do Para e escalas no vapor brasileiru
    Guar :
    Francisco Ribeiro de Barros, Justino Manoel
    Ferreira, Trajano Theodomiro de ;Moura, Antonio
    Caetano, Antonio Begrao do Arnaral, Joo Victo-
    rino Gomes, Manuel FranciscoTeives, Ernesto Deo-
    eleciano a'Albuquerque, Joaquim da Frota Vas-
    vang lho, com Emilia Itelvna
    interveio para desfazer a luta. Os delnqueme?
    furam presos, e eslo sendo processados pelo sub-
    delegado respectivo.
    GABINETE PORTGUEZ DE LEITRA.-Deve
    hoje ter lugar a possu do novo conselho deli-
    berativo, e era acto continuo ser eleila a nova di-
    rectora desta soeiedade.
    PROCLAMAS. Foram liaos no domingo 24 na
    matrli da freguezia de Santo Antonio os proclamas
    seguintes:
    1.a denunciacao.
    Lndgero de Paula Meira Lima, com Antonia
    Candida de Lima.
    Francisco Rumos, com Ignez Rodrigues da Silva
    Maia.
    Jos Sicolo da Sauza, com Maria Eufrozna
    Martins da Cruz.
    Joo Napuleo de Azevedo Lete, com alaria da
    Coneeicao Xavier do Grato.
    Joo Machado Evanu II
    Teixeira dos Santos.
    2." denunciacao.
    Francisco Silvestro da Silva, eran Jnaiina Rodri-
    gues de Oliveira.
    Antonio Caroeiro Sampayo, com Maria da Con-
    celcj de Jess.
    Jo Manoel de Freitas Nogueira, com Maria do
    Carino de Oliveira Miranda.
    3.* denunehgo.
    Jos Duarle di Silva, com Joaquina Perpetua
    da Conba.
    Joo Nepomuceno do Sacramento, com Francis-
    ca Anna Maria da Coneeicao.
    Francisco Graciano de Araujo Mello, com An-
    unciada Candida Freir de Sonza. -
    Arsenio Alfonso Pereira Bargas, com Anna
    Amalia da Cunha Paiva.
    ANNIVESARIOS.Completa amanha 46 an-
    nos S. A. a Sra. princeza de Jninville.
    Depois de amanha fazem 225 anuos que
    leve lugar a priraeira bntatt do Tabocas, na nos-
    sa provincia, entra os Purtuguezes e o* Hollan-
    deze?.
    'ALFANDEGA.Esta rnparticao arreadort, no
    mez de julho, 989:561*275 rs.
    JURY DO RECIFESexta-fera entrou era jul
    garaento o relo Paulo, eferavo do Sr. Dr. Alexan
    dre de Souza Peraira do Carino, aecusado por ten-
    tativa do raorte contra seus senhores, lendo por
    advogadn o Sr. Dr. Antonio Justino de Souza. O
    reo narrou o fado, declarando ter tentad:) matar
    seus senhores para rnuba-los. Aps a aecnsaco,
    defeza. replica e treplica do promotor publico e
    advagado, m o reo con:lemnado gals perpetuas,
    visto ter a jury srfconbecidoa --xisteacia e gra-
    vidaie do ferirentopor unanimidad.? devotos, ne-
    gando a existencia de outra prova alm da con-
    isso do r > por 7 votos.
    No sabbado foi subinettido julgamentoSo
    reo Joaquim Goncalves de Lima, -censado por
    crime de morte na pessoa de Francisco Jos de
    Sanl'Anna, tendo por detensor o Sr. Dr. Araancio
    Conresso de Cantalice, presidindo a sesso i Sr.
    Dr. Pemambuco Filho juiz municipal snnpleate,
    do irapedimento legal do Sr. Dr. Neiva. () roo Iji
    condemaado 12 annos de priso cora trabalho,
    appellando o advogndo da seutouca.
    VAPOR PAI!AHYBA.-Chegou sabbado do Ara-
    cajil e Macei este vapor, da companhia Pernam-
    bueana, tra en Jo jornaes de Sargipo at 24 e Jas
    Alagoas at 28 do passado.
    No da 6 foi dissolvidn, na eidJde do Araca-
    j, o contingento e voluntarios da patria, vindn
    lo theairoda guerra.
    Pui exonerado, sea pedido, de promotor pu-
    blico da comarca de ltabaiaua, o bachaivl Roa-
    do Mauri -io Lobo.
    O presidente da provincia ronovou, com o di-
    rector da Associaco Sergipense, o contrato para o
    servico da rebocagem na barra da Cbt'-g'iiba, me-
    diante a subvengan de i2:000*000 annuae^ du
    rando o novo contrato don annos.
    Lomos no Jornal do Araaij :
    S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
    dundo ao modo improficuo porque ten corrido o
    processo de fiscalisaco do algodo na cidade de
    Propri, pela pratica seguida de se permit'.ir qnu
    as saccas quo entrara no edificio em que fnneciona
    a inspeceo, possam logo sahir em .icu continuo
    ao de fiscalisaco pralica, da qual tem resultado
    prejuizo aos dii eitos provinciaes e aos interesses
    commerciaes, em consequencia das fraudes a que
    ella d lugar,; attendendo ainda a manifesta con-
    veniencia de quo as saccas do algodao, depois da
    inspeccionadis, continueni a ficar sob as vistas i!a
    agencia fiscal d aquel lo ponto al serom navegadas,
    ou que a fiscalisaco se pratique na ojeasiao do
    embarque era acto seguido ; em vi-ta de informa-
    edo da thesonraria provincial e parecer do procu-
    rador fiscal kjne foram ouvidos respeito do con-
    tetldo de um requerimento do negojiante matri-
    culado Jos Mana Goncaives Pereira, que offere-
    ceu gratuitamente pelo espado de cinco annos a
    armazera de sua propriedade, na ciclad? Propri,
    para nelle funeciouar a inspeceo do algodao, la-,
    zendo sua custa todo o servico braca! o dando
    lugar reservado e decente para os respectivos em
    pregados, resolveu por acto de 23 do passado,
    que contar do Io'de julho crtente em diant? se
    observe o seguinto :
    1_ As si ceas, que tiverem de ser navegadas,
    devero ser levadas ao edificio em que funcciooar
    a inspeceo no mesmo dia e na occasij do em-
    barque, para serem ah li-calisadas inmediata-
    mente e depois embarcadas com arreceo vio ou navios do carga, sem desvio algum.
    2." Os carregadores, que quzerem, pn lera)
    com antecedencia 'evar as saccas inspeceo pa-
    ra o mesmo flm de sua fiscalisaco, devendo ces-
    to caso ah permanecernm depois do liscalisadas.
    at que sejam navegadas, perrebendo o proprieta-
    rio do edificio titulo de estada pela armazena^em
    dos productos, o que for convencionado enlra elle
    e o productor, de accordo com o que se achar es-
    tabelocido as leis geraes era vigor.
    0;Rvm. conego Jacralho Gandido de Mendorrca
    deixou, em seu testamento, Ifvres os seus. escravos
    Rosa, Anglica, e Ivo.
    DI.NHEIRO.0 vapor Guar irouxe para os
    Srs. :
    Augusta F. de Oliveira cv C.
    Augusto Ca los ile A. Garca
    Joo Francisco da Costa Campos
    Joaquim Gerardo de. Bastos
    Francisco Jos da Coata Gulraares
    Domingas A Matheus
    Pereira Vianna St G
    Trouxe raais :
    Para a i'.al.ia
    Rio lie Janeiro
    sendo desta parcela 705:531*300 para
    nacional.
    PIRAPAM.V-Este vapor tomou no porto da
    Fortaleza, era viagpm para a Granja,
    saguio a 23, no da 22 do eorrente.
    d'Andrade, Antonio Targioo dos Santos, Antonio
    Manoel da Silva, Maria Francisca da Silva Neves,
    Manoel Antonio Pires, Antonio Pavo de Vascon-
    celos. Joseidn Maria do Rosario, Salvino Ramos.
    Sinezio de Sonza Lima, 4 recrotes, 2 criminosas e
    6 pracas que os acorapaohara, 1 escrava a en-
    tregar.
    CEMITE 10 PUBLICO.Obituario do da 27 de
    julho de 1870.
    Dorothea Maria de Jess, preta, Pemambuco.
    30 annos. solteira, S Jos ; gastro bepatite.
    Aotonio, prelo, cscravo, frica, 48 annos, sol-
    ierro, BDa-vista : paralysia.
    ' Eduardo, branco, Pernambuco, 8 mezes, Recife ;
    convulsoes.
    D. Anna Sancha Givalrate dn Albquerque,
    branca, Pernambuco, 63 anuos, casada, Recife ;
    a nazarea.
    Amaro^ pardo. Pernambuco, 3 mezes, Santo An-
    tonio ; apoplexia.
    Casimiro, pardo, Pernambuco, 7 mezes, Recife ;
    pneumona.
    Gertrudes Maria dos Prazeres, preta, frica, 70
    annos, solteira, S. Jos ; erysipela.
    Maria, preta, Pernambuco, 10 mezes, Boa-vista ;
    interile agudo.
    -28-
    Fau-tioa Rosa da Coneeicao, parda, Pernam-
    buco, 4!l anuos, viuva. S. fose ; congeslo.
    Francisco Ferreira, branco, Portugal, 14 annos,
    solieiro, Boa-vista; bepatite.
    Bsequiel, pardo, Pernambuco, 3 raezes, Recife,
    convulsoes.
    Maria Antonia, preta, frica, 93 annos, viuva.
    Boa-vista, hospital Pedro II ; interile chrenico.
    Joo, pardo, Pernambuco, 14 annos, solteiro,
    Boa-vUta, hospital Pedro II ; tubo/culos pulmo-
    nares.
    14:987*000
    '_': 000*000
    . 1.00*000
    500*000
    520*000
    :t00*000
    280*000
    '0*000
    i*530
    CHRONICA JUDIMRH.
    reuiss'ir.iiL, do cohmercio
    VCTA DA SESSO AMLNISTRATIVA DE 28 DE
    JULHO DE 1870.
    ntEsronMCiA do exm. sh. desembaroador akseuhi
    FRANCISCO PKR8TTL
    s 10 horas da inauba, reunidos os Srs. depn-
    tades Basto e baro de Cruangy faltando com par-
    ticipaco os Srs. depulados Miranda Leal e Rosa,
    e presente o Sr. deputado supplente S Leitao,
    bem oomo o Sr. desembargad ir fiscal, S. Exc. o
    Sr. presidente abri a sesso, depois de ler no-
    meado o Sr. baro de Cruangy para servir de se-
    cretario.
    Pbl lida e approvada a acta da sesso de 25.
    Deixou de fnnecionar o Sr. deputado supplente S
    Lcito porque nao estando craoslo o tribunal nao
    pode tratar-se da rehablliuco de Joaquim Jos
    da Costa Fajozes Jnior e Jo; Laureutino de A1;-
    vdo.
    EXPEDIENTE.
    Aos Srs. deputados forara destribuidos os se
    guintes livros .Diario o Copiador de Carneiro
    Tarares & C, ditos da Francisco da Costa Maia,
    Diario da Henrv L;iden & C, dito do T ornar Jo-
    s do Oliveira fc G, Copiador do Jos Paulo Boi-
    Iho 4 C.
    DESPACHOS
    Petices:
    De Joaquim Xisto Adames Cavalcante, submet-
    tendo registro a nomcaco de sen caixeiro Ma-
    noel Francisco dos Santos.Saja registrada.
    fie Joo de Oliveira Leite e Souza, submettenJo
    igualmente registro a que ora dera a Bodrigo da
    Silva Campos ; e pedindo baixa no registro da do
    caixeiro substituido Joo Baptista do Espirito San-
    to.Como pede.
    De Auspicio Antonio do Abren Guimares, pe-
    dindo certido de ler sido registrada em dezembm
    de 1868 a nomeaco de seu caixeiro Jos Joaquirn
    de .Sijueira D se.
    De Fernando Jos Correa, pedindo tambem cer-
    tido de estar ou nao registrada a nomeaco de
    sen caixeiro Joronymo Jos Correa.Passe-se.
    De Elesbao Joaquim Dias, no mermo sentido
    quanto de seu caixeiro Julio Conolano Dias.
    Sm.
    De Ferreira 4 Irmo, successores de Thomaz
    Ferreira da Cunha, tambem no mesmo s-ntnni
    remectivamente ao seu caixeiro Antonio Baptisia
    Malta.Como requerera.
    Da Jos Maria Palraeira, pedindo que se Ihe
    mande passar por certido o tneor da vistoria que
    se fez no patacho nacional Esfrega.Pase-se.
    Do mesmo, pedindo cutra igual certido.Defe-
    rido."
    De Antonio de Paula e Mello, pedindo carta de
    registro para o seu brigue denominado Pirangi.
    Vista ao Sr. desemhargador fiscal.
    De Antonio Joaquim de Campos & G, aprest li-
    tando para ser registrada a nomeaco de seos cai-
    xeiros Manoel Heleno Rodrigues dos Santos e
    Claudino Eustorgio de Souza.Begistre-se.
    De Joo da Silva Leite e Antonio Pereira Vilella,
    snhmettendo registro urna procuracao bastante.
    Seja registrada.
    De Mancel Soares Pinheiro e Jos Maria de Sou-
    za, mostrando terem eumprido o que Ibes foi de-
    terminado por despacho de 21 do eorrente.Vista
    ao Sr. deserabargador fiscal.
    De Justino Francisco Henriques e Delflm Lopes
    da Cruz, apresontando a registro o seu distrato
    social.-Cumpram o disposto no-art. i.* 7." do
    decreto n. 4,505.
    De Antonio Jos de Castro Azevedo, apresentan-
    :gualmsne registro a nomeaeo de seu ca-
    do
    xeiro'Francisco Antonio Torres GalladaSeja re-
    gistrada.
    De Manoel Jos Alves, para registrar-se-lhe a
    de seu caixeiro Francisco Ignacio Lobo.Regs-
    trele.
    De Victorino Domingues Alves Maia, no mesmo
    sentido respectivamente a do caixeiro Francisco
    de Azevedo Carvalho.Sim.
    De Ignacio Joaquim Goncalves da Los, tamban
    no mesmo sentido quanto a Jos Soares Nobre.
    Deferido.
    De Francisco de Assis Castro e Silva, no roesnn
    sentido quanto ao seu caixeiro Joo do Garran
    Ferreira Macado.Gnno pede.
    De Galvo & Irmo, tambem pedindo o registro
    da nomeaco da seu caixeiro Primitivo Xavier das
    Chagas. Na forma requerida.
    De Cota Maia & C, offcreeendo registro o
    seu contrato social.Vista ao Sr. desembargader
    fiscal.
    De Francisco Jos Correa, pedindo que do res-
    pectivo reiristro se illiraioe a nomeaco de seu ex-
    caixey-o Francisco Koneiro Cavalcante de Alb-
    querque, iU3crevendo-se a qne ora aprsenla do
    substituto Antonio da Silva Braga Jnior.Como.
    requerr
    Do Tranquilino Candido da Silva, pdinlo que
    se Ih > nomeaco de seu caixeiro Fi
    de Aimeida Magalhes.Sir.
    Joaquim s tinhara, commerciante
    colado o eetabeleeido na capital do Ceara,
    fUendo i registro a aomeaco do seus ca
    EXPLORACAO.A' Odo passado eh Manoel, de Pontos Frauao o Miguel Leopoldo
    Para no vapor North America, urna commissao de [Lima.Deferido,
    naturalistas norie-americanos que vem explorar o I De Vianna Castro G, submettendo tamoea 4
    4


    MUTILADO
    -
    ...


    Aambnoo -

    I

    Lira e Xii
    *a fefistn i *>P*-
    tsfasaiiate ao 1. do referid w austros qm* uj
    tar sidafeita em tenaos a respectiva aoroeatjia.
    -.^PJH reiu
    I tufe i li taca i de Joaq im Jo< da Cuita Fajozes
    Ham e Jote Laareasia de Azevdo. Adala por
    <* otnparacid) o Sr. depuiado Rosa.
    1 Mida raais sendj sabraaUido i despacho, o
    xs. do dia.
    ttSO JUBICIARIA fcM 28 DB JULHO DE
    1870.
    HMauCMCU 0 EX*. SU. DCSBSB VBGADOE A. F. -
    RBTTI.
    Secretario, Julio Guimaraes.
    Ao meio da deelarou-ae aborta a sesgo, estaa-
    4a reunidos os Sr*. desembargadores Silva Gui-
    Mres, Rsis e Silva a AccioJi, e os Srs. depiUa-
    4as Basto e bario de Cruangv, fallando com par-
    -aaipac as Sr*. Rosa e Miranda Leal.
    Lida, foi approvada a acta da sessao anterior
    ama a seguate dealarac/io : por engao *e dase
    q*e o eserlvo Alboquarqne registrn o nltimo
    Jtatajto de letra sob o aaro 2,067, dsvenio
    davr-se 2,077.
    Mo estando presentes os Srs. Rasa e Miranda
    l**l ale forara proposlos os feitos adiados as
    sas*Mi de 14 e 21 do corrate entre parles, ao-
    wMaate Fraaeisco Mandes Marttos, appuadaD.
    liara das News de Miranda Ollvotra ; appellante
    Archanjo Soares da Silva, appellado Antonio los
    4e Oliwra ; appellaato o baro da BeiaBsa, ap-
    .feifados os administradores da massa fallida de
    Sare, Filhos A C.; appellante Nicolao Jos de Car-
    aHw irito, appellado Jos Ilsrculano de Cam-
    ena.
    DESIGNAClO DC DA.
    Appellaule Jos de OUveira Lima, appellado
    Joaquina de Soasa Porreara.
    O priineiro da til.
    rASSAOINS.
    0a Sr. lesembargador Silva Guiraares ao Sr.
    desembargador liis e Silva : appellante Martens
    Leu, apellado Antonio Gomes Nato appellao-
    de Souj Cartieiro Pimpo,. appeltados Vianoa &
    *uiraares; apaellr-nte Antonio JusDuarteBra-
    ja, appellado o curador fiscal da massa fallida de
    Titomai de Figueirod.
    Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
    fadur Silva Guimaraes: embargantes J >a> Evan-
    gelista de Si e nutro, embatgados Jos Fernandas
    fioate; appellante Manuel Pereira Magalbdes, ap-
    elado Juo Busson.
    DISTRIBUIDO ES.
    Ao Sr. desembargador Reis e Silva : appellante
    -faoot) Cibui, appellada D. Delpbina Tulles de Me-
    neie.
    Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes: apa
    peUaates os administradores da massa fa lida d-
    Aiaorira Frago'o, Sintos & C, appellado Domin-
    gos Francisco Kamalho.
    Pea suspeic' do Bxm. Sr. presidente e do Sr
    desembarca l.r Silva Guimares o Sr. desembar-
    gador Ris o Silva distribuio ao Sr. desembarga
    lar Arcioli n feo entre partos, appellante D. Ce-
    zaria Candida Xobre de Gusmo, appellado Ma-
    iwei Pires Ferrara.
    AGURAVO.
    luizo especial do commercio : aggravante Mi-
    n< Dude liolrigues Pinto, aggravauos os cura-
    dores liscaes da fillencia de Antonio Jos Gomes.
    O Exm. Sr. presdante oegou provimeato.
    Nada mais honvo, e loi encerrada a sessao a
    urna liora da tarde.
    taeleciaaeato 4* sua vista. Assmv pois, raeabam
    o* raasnas sanaores esta pa^aaev pmv.i
    <& dispoaaaa do poaat p#a*ti huiuiWo, e rtsfjaiiw
    Jote de freitat Cuta de OUveira.
    *. Reactoret Para aum, para os borneas de
    latir, e. para as pessoas da cario alcance, ja Vi.
    Ss. dram eoa sua sempre mui lida Reuisla Dia-
    ria expiieaCdes sufficientas sobre o deaappareci-
    maato do Sr. Antoni > da Silva Paiva, e o diohei-
    ro qne elle comsiga levou ; para aorta gente, po-
    rm, naobisUm (intalizmanta) as sabias plica-
    fes de Ts. Ss., era a$ asaaveracSes de alguem
    nos esia*elecinentos, ns es'juinas, 0 as eiaru-
    tilhadas ; precisa tjud eu, pobre e humilde, ve-
    nb,ped*r partisso a Vs. Su. para ote explicar
    por raeio do sea mui conceitiudo Diario.
    Como empregado dos Srs. Lopes & Paiva, son
    obrigado a dlzar qne eua abril prximo passado,
    quando o $n. Vralo Centeio Lapes se retiron
    para a Europa, deixau os saos estabe.eciinentos
    as melhores circumslancias^ e os seas pagamen-
    tos at 30 de junlio Hado, na seSreram a caaor
    alteracao, tendo sido feitos maito regularmente; c >
    mo os Srs. credores sabein ; por eonteguinte n!to
    ha vendo motivos para qne o Sr. Antonio da Silva
    Paivadesseom pasan, tao degradante para si, a in-
    digno da soeiedade, nao receei depositar as saas
    raaos as minnas economas de alguns anuos da tra-
    balb.
    Chamado ltimamente a atarear o lugar do
    emprezario da companbia de D. Marco* Casa, e
    nao rae sendo possivel estar serapre n'am lugar
    flxo, ped ao Sr. Paiva o favor de guardar algura
    dinhdiro da parta do empeozario, a de pagar ai
    contas que se apresaalajsem com o pague-se-
    de raeu puuho.
    O Sr. Eaiva aceedeu de bom grado ao men pe-
    dido, e dnrante doas meses ludo currwi as rail
    raaravilhas : chegaei a depositar era sea poder
    quantias nao pequeas, e nunca descobri no sea
    todo, sigaaes alguns de trabiaio.
    Mas nao sai qaa ravolucio mental se operou na
    idea do infelis Paiva, que de um da para oulro.
    aguando menos sa aspara va, cbama a si o diahei-
    ro que Unha para pagar as contas de seu com-
    promisso, que se vencera hoje, o dmheiro qna eu
    lita confie, tan ti do mea suor como dammlii
    responsabidade, e mette-se a bordo do vaper-in-
    gles Douro uaminh) de Monta vdeo I...
    Esta gente, porra, que aa admira do pobre ter
    o seu mealheiro, entendeu que o diaheiro que
    Paiva subtrahira era da compaohia, e propalou
    logo por toda parte qne eHa f6ra roubada na
    quantia que Ibes vinha a cabero..
    Saiba pois o Mostrado publico que o nico di-
    nheiro %ae o Sr. Paiva levou da companbia ; isto
    , de emprezario, forara 82JJ.80U reis; e so por
    minha infelicidade nao posso j entrar com e-sa
    quantia, espero que a enipreza nao ha de sollrer
    cinco res de prejuizo commigo, pois anda teDho
    oesta pra?a patricios que podem muilo, se por
    ventura a companbia nao me devesse somma com
    qne cobnr seiuelliante desfalque.
    J veem pois aqaelles que faziara disto um rays-
    tero, que se ea me attrahisse pelo o uro, s eu II-
    zesse caso de^se brilho que a lusao de mui-
    tos, poda, sem medo, dizer que o dinbeiroda
    :oinpanhia tinha sido todo roubad)...
    E o que me faziara Y Qiam desde o nerco naj
    costumsdo ao alhoio, nunca a vista llio foge para
    o que nao llie pertence.
    Queiram, Srs. Redactores, dar iasersao a estas
    apressadas linhas, que rauilo obrigaro ao de Vs.
    Ss. respeitador e reconhecido servo.
    Recife, 30dejulhode 1870.
    Jos de Catiro Ribeiro.
    .
    kilog.
    a
    a
    um
    kilog. #

    daa.

    >
    cenjo
    U480
    48JO00
    24*080
    iUODO
    16*000
    12*000
    136
    681
    92
    1**
    545
    2*180
    170
    1*703
    60*000
    360
    U5W
    5*000
    96*000
    3O90
    1M0
    6*000
    10*000
    103
    5*000
    6*000
    um 16*000
    PUBLiCACOES A PEC'DO.
    Ainda o 3 batalho.
    Smpre q te cliamatnos a altenco da au-
    CoridaUe lopeAtr, to era irt'de d'algu-
    raa falta que ella tenha cotnraettido, alim de
    ai) oltrapassar a sua justa e>ph-ra, nlo,
    aaicaaiente para procurar sanar ou corrijir
    o> abusos pr.ni tados por aqueliea que esto
    debuto d sin juiidK'o, ou t-titao para
    aigiar cuidado.saratfll sobre aquillo que est
    sub sua iutatt' liata nspecitSo, por isso mes-
    rao que ha curtos actos que s5o praticados
    lo danlestin^netite. que es;apam a atieo-
    ^io da aatoridade competente, e que entre-
    tanto afumas vezes raais fcilmente caliem
    no dominio pub ico.
    As auiodains cujas attences pedimos,
    siao os Kois. geu;iral comiaandante das ar-
    mas, coronel i;irnmanlante superior, e ins-
    peon:- da th 's;mr;i:h, e nos vauofi oci'uparso, segun-lo nos consta,
    pracicaiios no 3. batalbo, do qual com-
    snaadante'o Sr. teneoN coronel Francisco
    d M.randa Leal Sove.
    essi batalho que esl aquartelado,
    compele o servido da guarnico. Neste sei-
    vigo,#iucltisive aguardo do quartel, empr-
    g^m-se i c.pilaes, 5 subalternos, 4 inferi
    res, i3 cabos,-84 soldados e 4 tambores; de
    sorte que todas as raais pracas que forem de-
    liradas em servido, nlo dever ser attendido
    pelo empregado da thesouraria, na occasio
    da revista de mostra.
    Infeliznente, po-m, segundo dizem, tem
    twntecido algumis vezes, que por occasio
    da revista de mostra, as g tardas da guarni-
    ;.o liara snente com as sentinellas, indo
    jmsHBtaficaaaeate o resto das pracas para
    $ qairtel, adra de perfazer o na ero men-
    <:iaaa.l > ao pret.
    Aindi dizem, que as vesperas da revista
    de mostra, pegam gaardas le ontros corpos
    t3m!u:iH":s3nos, para os apresentarem
    1)01 o farda manto do 3." na dita revista,
    iaato qne at pegaram um escravo do Sr.
    teaente-coronel Pinto, e apresentaram-n-i
    fardado ; isto em um dos aquarlelamentos
    pastados.
    Finalmente ainda notara, que ha pravas
    dilluODilssil do aquarteamento, sem outra
    abrtgaco mais do que apresentarem se as
    revistas de mostr, afim de que o sildo
    >;alre para a caixa do bataifeo ; de sorte que
    a9 raais pracas fazem ervico qne nao Ibes
    compete a al levam mofa ai 3 o raais das,
    -oqa ni i se doria talvez. sen5o houvessem
    sjta-das dispensados por darem os cobres
    C invffi, portante, qne a autoridad com-
    (elente trate de saber se sao ou nao exactos
    ses tactos, para no caso de serem verdade-
    ros, procurar sana-los.
    fe 29deJalhode 1870.
    Um oficial da guarda nacional
    Attendez, moi cher
    %r. Br. Francisco Lucas de on-
    za Rangel,
    Sito se daspeija tai co, oihe que nao lise res-
    ii, apenas ped lempo para I he preparar o meu
    |o, explicando-lhe corao-V. S extarqaio o di-
    i de seu .adlhado profUr pecunia^ Se h*
    -onehavo era miohis ideas o algumDnsa de
    -turnia porquo nao esl bsra claro, nao a3-
    tu
    Pois em breve ver ludo em pratos limpos, afim
    n> pensar que soa'algain louco semelhaote
    ti da Parahyba.
    i seja t) andaz, era lio imoo, offondendo
    as cinzas dos tinados, pois a sua znicana e subti-
    i nao Ihe autorisa a perturbaar o silencio dos
    '.amol?.
    >' mnilo breve,
    ecie, 30 dejnlho de 1870.
    Jeao Baptitta Gomes Peana. w
    Hofa W) HiijrtO.
    O abaixo assignado, ashando-sc quasl ceg, por
    .er de piervgion em ambos os olhos, e lendo
    >rrido ao hbil e, mnilo. iniejligente Sr. Dr. Cos
    ie S Pereira qne eom todk a maestra e ama-
    veis maneiras ijne Ihe sa>) caraoteristlcas, prati-
    -Ihe a apencao ajndado pelos seos collegas es
    e Francisco Jo-
    por este meto.tributar
    . as diminutasJ^H
    terno agr: Plo complsv -, ...
    3. Batalbo da guarda nacional.
    N5o tendo pod do responder aos constan-
    tes pedidos que pela impreosa se me lera
    feito, visto ter sido e continuado a ser gran
    de o atropello do servido, ( como sempre )
    com tudo querendo obedecer a ordem de
    um official do meu batalho, para publico:-
    um fado concernente ao dito batalbJo, passo
    a exp lo : No Jivro da qu Brazilino Jos de Paria digo ti Monteiro,
    de forma que nao se pode saber qual o
    qualificado, e quera 0 o ti Monteiro, sendo
    que affirma-nos' pessa fidedigna, qua foi
    prezo um hornea de nome differenle e que
    n5o est quajificado, dizndo-se ser o tal ti.
    Monteiro.
    Sinto-me envergonliado em trazer ao pu-
    blico semelhaote laclo, que revela ainda o
    quanto s5o frequentes as irregularidades no
    meu batalh3o.
    Quartel do Hospicio i!> ia Julho de 1870.
    Um guarda do 3.a batalho.
    dem de carnauba aa bruto,
    dem dem em velas.
    Cha.....
    Urna seceos ......
    Colla..... -...!.l
    Couros de boi, seceos salgados.
    dem idem espichados. ,
    dem idem verdes .....
    dem de cabeas oortidos .
    dem de onca.......
    Doces em calda......
    dem em gela ou massa,. .
    dem seceos .......
    Espanadores de pennas grndes .
    dem pequeos......
    lem de palha.......
    Esteiras de carnauba ....
    Idem propria para forro ou estiva
    de navio........
    Estopa nacional......kilog.
    Farinha de araruta.....
    dem de mandioca..... *
    Feijo de qualquer qnalidade.
    Fumo charutos......centro
    Idem cigarros......
    dem em folha bom kilog,
    dem em folha, ordinario ou res-
    tolho........
    dem em rolo e em latas bom
    dem, ordinario ou restolho.
    Rap..........
    Somata de mandioca, (polvilhoj. >
    fpeeacnanha ( raz ).....
    Angici) (toros)......duzia
    Caibros ........un
    Enxames.........
    Prechaes........
    Jacaranda (coucoeiras) duzia
    Leaha em achas......cento
    Idem em toros...... >
    Linhas e esteios......bm
    Loor s (pranchesk .... >
    Pi Brasil........kHog.
    dem de jangada......um
    Quris ......duzia
    Vinhatico costadinho de 25 a 30
    millimetros de grossura. .
    dem pranchees de dous costa-
    dos al 50 millimetros de gros-
    sura .........
    Idem taboado de menos de 23
    millimetros de grossura .
    Taboado divarso......
    Tatajuba........
    Travs .....
    Varas para pescar. ....
    dem para aguilbadas .
    Idem para canoas.....
    Cavernas do sucupira(em obra)
    Eixos d-* cicupira para carro. .
    Melaco.........
    Mel > abelha.......
    lilbo..........
    Ossos......,
    Palha de carnauba.....
    Pechury.......
    Pedras de amolar .
    Idem de liltrar......
    dem de rebollo .
    Pennas de ema. ...'..
    Passava.........
    Ponas ou cintres de novilho ou
    vacca.........
    Sabao .........
    Sal. ...,....,.
    Salsaparrillia.......
    Sapatos de couro branco .
    Sebo ou graxa em rama .
    Idem em velas. .*....
    Sola e vsquela.....,
    Tapioca.........
    Unhas do boi.......
    Vassouras de carnauba .
    Idem de piassava.....
    dem de imb. j .
    Alfandega ae l'emabmbuco, 30 de jnHio > 1870.
    O L* canferente. .Inionio C. de Pinh Borges.
    O 2." conferente llerculano C. D't-ni.
    ^pprovo. A.lfandga 30 de julho de 1870. =
    Paes di Andrade.
    Conforme. Joaquiutt Tertuliano de Wdesiro
    ^EEUEDOltlA DE RENDAS 1NTU.\A6 a-
    RAES DE PERNAMBUCO.
    Aecdimentodo dia 1 a 29. 67:5794903
    lan do dia 30....... 5:114*484
    | twV-^^H
    dito md* SoalliSpon | zembe de, I8tif), eoB^'/nadas a Goftno Gloli: .Tno
    mrado cn>27 de junn-o > i ra -! o confeti
    ^. f dita ti.-,.I.i .1 *wilwntwj
    Joliosioo l'Ster &
    de jtrttto-de im, consignada a
    C. : ignora se o contedfv
    dem tnangnl J-. 1/30, I caixa vioda de Li-
    verpool aa bareaJfjU,. Gatifa entrada em 24
    de agosto de ,1889-: guara-se o eaalado e a eoo-
    sigoacao.
    , dem H l~sea aomere, I totume vindo de
    Imbargaai barea none-alloraao Aatke. enlrado
    sm 28 de agesta de 18 : ignora-se o eontedo e
    t consignaos*.
    Mera triqlgBl a Las. 22##Q, 3 caixas Vio-i
    Leger : ignora &e o aootadu.
    dem A. DruaisBoadi. 6 m 53, 1 erabrulho
    com amostras tiado de Smlhamiiiou no vapor iu-
    glez Dawro, entrado ein 39 da outubro de 1800:
    272 igaaw-se o eontedo e a msiaoacao.
    3*00. He HLA F-ns. 1060,rOTO. 4 calas viadas
    3Pl .da Bavre na barca fraadsss Solide, entradas em 5
    de notambro de 1869 : fgwra-se o coatetiio e a
    consigaaco-
    Ideal triangulo travesio Ln. 101/103,3 ea*-
    das do Havre na barca franceza Solidf, os-
    a em 10 de novembro de 1869 : ignora-s o.
    eontedo e a eonsignacao.
    dem O.-dttan. 7a, 1 euibrullto indo de Liver-
    pool no vaaac Salniim, ntralo eai 1S de gotera-
    bro de 186'J : ignera-se o eontedo e a consigna-
    ran.
    dem S-BD E-n. 1713, 1 caixa tlnda do Ha-
    tee na barca franeeza Santo ndr, entrada era 19
    as) noMtmtiro de 1819, coos^nada a Severtaao Ber-
    nardo dr. M'llo : ignnra-se o conteio.
    Ideiaqoa Irado HL-a. 59, i dita viuda no ms-
    alo navio do Havre, era 24 de novimbro de 1869,
    consignada a H. Leger : ignorase o conten lo.
    dem-diamanto N E-as. 27/31 32/30, 2 einbru-
    Ihos vindos de Glasgow na barct ingleza Mar-
    nliao, entrados em 1 de dezembro de 1869, com
    amostras asignadas a Jjhnston Pate'r & C
    IdemHardiBg 4c Machay. 3, 1 ouo viado de
    Liverpool ao vaporinglez Saphue, entrado em 3
    le dezembro de 1860 : ignura-se o coote lo e a
    ^''t'i entrada euf
    or*-m '.
    ^Kandega de Pernainbuco 20 de juliio de 1870.
    O inspector interino,
    Lmz de Carvalio Paes de Andrade.
    4rjHbalio do llego Barros de Lacrela, juiz
    da dijto especial do comraercio oesta cidade
    da Recife de Pernambuco. e seu termo, por S.
    & L que Deas gaarae etc.
    Pag saber pelo presente que Joio de Azovedo,
    Peraira, dirigi-me a peticao seguinte :
    IHai. Sr. Dr, juiz do commercio. Diz Joao de
    Asevada Ptreira, crue sendo credor de Theophilo
    20*000
    duzia 1444000
    96*000
    kilog. 33
    urna 63000
    duna 25400
    t 6*000
    urna 1*000
    3^500
    par 16*000
    kilog. 50
    320
    t 68
    c 16
    molhos 1*000
    kilog. 817
    31
    > 18
    > 34
    i 4*796
    molhos 160
    cento 2*800
    kilog. 348
    a 10
    t' 2*043
    par 800
    kHog. 340
    > 476
    i 1*200
    > 204
    cento 380
    duzia 768
    1*200
    i 960
    72:694*387
    CONSULADO PROVINCAL
    Sendiment do da i a 29.
    dem do dia 30.
    127:356*745
    206*904
    127:563*649
    COMMERCIO.
    ENGLSH BANK
    >>f Rio de /aneiro Limited
    Deseo ata lettras da pra^a taxa a con-
    'eocionar.
    Recebe dinheiro em conta crrante hi
    I raso xq.
    Saca vista ou a praso sobre as cidadef
    ?rlncipaes da Europa, tem correspondentes
    la Babia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-
    3 New-Orleans, eemitte cartas de crdito
    jara os mesmos lugares.
    RA DO COMMERCIO N. 36-
    ALFANDESA.
    .iendim9ntododiaU29. 958:72 em do da 30..... V 30.838*649
    989:561*273
    JIOVMENTO DA ALFANDEGA
    f olum.es entrados c-m /azoadas 234
    dem tiara cota gneros
    /ohynes sabidos com faiendas
    Idam idem cora gneros
    -----1191
    159
    104
    -----263
    Desearregaro hoje Io de agesta
    Vapor iuglezGladiulu: uieroadorlas.
    Patacho inglezAta/antadem.
    Brigu'e suecoBereidem.
    Patacho norte^llemaoLevonleidem.
    Patacho inglezBnsl>dem.
    Brigue suecoMina idem.
    Barca nglezaWithc ofthe Feiganidem.
    Lugar inglez Rkeidal Quen idem.
    TABELLA dos presos dos gneros sjmtos a di
    UEITO DE EXPORTAOKo. SBUANA DK 1 A 6 DE
    AGOSTO BE 1870.
    Mercadorias: Unidades. Valores.
    Abanos.......... dzia 300
    Algodao em carolo kilog. 200
    dem em rama o em laa. 680
    Caroeiros vivos,...... um 4*000
    Porcos idem......... 2*000
    \rroz com casca..... kilog. 08
    dem descascado ou pilado 177
    Assucar branco ...... 2
    dem mascavado...... 120
    dem refutado....... 436
    Gallinhas........ urna 1*000
    Papagaios....... 5*000
    Azeite de amendoim ou men-
    dobim......... litro 937
    dem de coco ...... 675
    dem de mamona...... > 525
    latatas alimenticias..... kilog. 102
    Baunilha ...,...- S*50
    Bebidas espirituosas efarmentadas:
    Aguardante cachaa. .... lilr. US
    Idea dscanna ."..... > 300
    dem genebra...... >
    dem restilada......
    dem alcool........
    dem cerveja.......
    eravinagre.......
    dem vinho da caj...... 660
    Bolaaha fina, coraprehaudidos os
    biscoitos......... kilog. 476
    dem ordinaria, proppar-aria
    embarque........ 204
    Caf bom....... 476
    dem escol tolb.0.. W2
    dem torrado o.i moide. ... < 959
    Cal branca........ 39
    [dem preta........ 27
    Carne secca (xarque ). > 258
    Carvo vegeta ... 168
    . 442
    Navios entrados no dia 30.
    Para e partos intermedios 9 das,vapor brasleiro
    Gu.r de 999 toneladas, cominulante capio-
    tenenle Pedro HipolyUo Duarte, equpagem 62,
    carga difieren!:* gneros; a \. L. de O. Aze-
    yed e & C.
    Macei e porto- intermedios14 horas, vapor bra-
    sleiro Parahyba, de 104 toneladas, comman-
    dante O.ivuira, :j,uipagem, 14, carga alguns g-
    neros ; compaohia l'eraainbucaua.
    Navios sahidos no mes un di i
    Portns do noria Trausporte nacional vapor
    Marsilio Das, cotnraandante o capito-tenenle
    Franca.
    Rio de JaneiroBarca ingleza D. M. Pherson, ca-
    pitao Masson, carga parle da qus trouxe de
    Cena.
    Granja o portos intermedio* Vapor brasleiro
    Ipojuca, commandante Monra, carga varios ge-
    nero-.
    Navios ntralos no dia 31.
    Babia 3 dias, barca ingleza Frank Milu**, de-
    325 tonelada.--, cpjtao Dowell, eqipagem 10,
    em lastro ; Wlson Hott & C.
    Aracaty20 dias, hiate brasleiro S. Jo8 Baptis
    ta, de 64 toneladas, capito Joaqutm FeHppe de
    N. Goedes. equipagem 6, carga lenha e outros
    gneros ; Gomes de Mallos..
    Observarao.
    At mcioda nao ooote saiiidas.
    Apnarece ao sul um patacho portuguez, e ao
    norte duas embarcagoes.
    lo Gomes de Almeida Jnior, Joai|uim
    FefU de Mesquita, Antonio Pedro de Atelno,
    JooCins da Silva, Francisco Sercundo fsallacao,
    Theotonio Gomes da Silva, Joo Antonio Leile, da
    quantia de 3:730*370 constantes das lettras pelos
    saaaotos aceitas, acontece que nao tendo podido
    eUar sen pagamento a pesor de estarem todas
    vestidas, e como est prximo o praro em
    qise deve prescrever o sea direito, na forma do
    art. 390 do regulamentn commenial, vera pela
    presente contestar para conservaco e reserta de
    seu direito, e assim pede a V. S. qoeira mandar
    tomar por termo o seu protesto, faaendo intimar
    as partes ioteregsadas por editaos, em virtude de
    morarem os supolicantes era lagares desconheei-.
    dos, marcando V. S. dia e hora, aliui de ter lugar
    a inqnisicao das leslaraunhas. Asstm pede a T..
    S. deeritneuto. E receber merc. Estava sella-
    da com a estampilla de 200 rs., e inuliiisada pela
    maneira seguinte.Recife, 18 de julho de 1870.
    O solicitador, Jos Xavier Coelho.
    E mais sa nao tinka en dita presarip$o, aqai
    transcripta, na qual dei o despacho do ieor se-
    guinte :
    Juntando procuracaa, destribua-se, o tomada
    por termo o protesto, justifique no dia 20 do cor
    rente, na casa das audiencias, ao meh dia. Re-
    cife, 19 de julh o da 1870.Barros de L tcerda.
    E nada mais se contnha em dito despacho, em
    virtude do qual foi a peticao destribuida ao escri-
    vo deste juizo. Ernesto Silva, que lavrou o e-
    guiote termo de protesto.
    Termo de protesto.
    Aos 19 de julho de 1870, nesta cidade do Recife,
    em meu cariorio porania miabas lesleiuuiibas in-
    fra assRnadas, comparaeea o supplicant: por seu
    bastante procurador, Jos Xavier Coelho, e por
    esle foi dito que reduzia a termo o cuote lo de
    sna peticao retro, que ofterecia como parle do pre-
    sente, em que de pois de lido se asslgnon com as
    indicada testemunhas de que lavrei esle ter-
    mo :
    Eu, Ernesto Machado Fre'ra Pereira da Silva,
    escrivo, escrevi. Jos Xavier Coelho, Francisco
    Xavier de Souza Ramos, Felinto do Rogo Barros
    Pe;soa, e lenio o supolcante produzid.* suas tes-
    temunas, que justQcaram a ausencia dos suopli
    ;ados em lagar nao sabido, e subindo in atios a
    a minha conclu.-fto dei a 'senlenca do theor se-
    guinte :
    Proceda a justificado dada, seja intimado o pro-
    testo de fl quatr; au ausente, passanlose para
    sso editaes de M das 1"e sr^o atBxados e pu-
    Wi;ado<. Cusas ex-canaa. Recife 26 de julho de
    J870. Sebastio do Reg Barres de Lacerda. E
    raais se nSo rontinha-em dita senten^i aqu copia-
    da e em virtude da qual o referido escrivo f z
    nassar o presente edital com o praso de 30 das pelo
    ili^or do qual cbamn, cito, e ei por citod >s os sup-
    plcados ausentes para que dentro do referido pra-
    so coraparecara neste juizo para allegar sua de-
    fes por todo eontedo na peticao cima irans-
    cripta, sob pona de proseguir a causa, seas ter-
    mos a sua reveiia, portauto e qualquer pes prente, amigo, ou conbecido dos referidos sup-
    plicados, podera fazer-lhea scieute do que cima
    tica dito.
    Eparaque chegue ao conhecroentode lodos man-
    dei passar editaes que sero afflxados oos lu-
    gares do costme, e pubiica-los pela imprensa.
    Dado e passado ne-ta cidade do Recife de Per-
    nambuco. aos 29 de julho de 1870.
    Eu, Ernesto MtcUado Freir Pereira da Silva,
    escrivo subscrevj.
    Sebastido do Reg Baos-de Lacerda.
    EDITAES.
    O inspector interino da alfandega, taz publi-
    co que existiudo na mesuta os >oluraes abaixo de-
    clralos no cao de serem arrematados para con-
    sumo de conforraidade com o disposto no cap. 6."
    til. 3." do reglamento de 19 de setembro de 1880,
    os seus douos ou consignatarios deverao despa-
    clial-os no praso de 30 dias, sob pena de lindo
    elle, serem vendidos por sua conta, sem que Ibes
    fique competindo allegar contra os tITeitos desta
    venda.
    Armazem n. 1.
    Marca Bastos1 Tata sem numeep, com amos-
    tras, vinda de New York, na barca americana C'is-
    mirado no armazem em t de dezembro de
    1868 : i?aora-sa o eontedo e a quom-coofgnada.
    dem M. B. & G.ns, 151/300, 1 embrulqo; a-
    mostras, vndo de Liverpool ua barca ng_lea Sa-
    phe, entrado em 16 de Janeiro de 1869 : ignora-se
    o eontedo e a eonsignacao.
    dem H Nn. 1 dito, idem, vndo de Hamborgo,
    na escuna norts-allemao Catharina, entrado em 4
    de feverero de 1869 : Ignora-se o eontedo e a
    eonsignacao.
    dem K 4 Lsem naaiero, 1 dito, idem vbjoi
    *e Antuerpia no patakbo allemo Anna, entrado
    em 15 de marco de 1869 : ignora-se o eontedo e
    a eonsignacao.
    dem diamante N Fns. 56/60,1 dito, idem, viu-
    do de Liverpool na barca ingleza lavante, entra-
    do em 9 de abril de 1869 : ignora-se o eontedo e-
    a eonsignacao.
    Sem atareasem numero, 1 sacco com amos-
    tras vndo 4e Liverpool na barca ingleza llantn
    Cland, entrado m fS d abril de 1869: Ignora-se
    conieodo e a eonsignacao.
    Marca diamante F Pn. 83, 1 caixa com cha
    vinda de Liverpool no vapor inglez Gladeator, en-
    trido em 23 de abril de 1869 : ignora-se o eonte-
    do e a eonsignacao.
    dem GAP Tn. 3, 1 embrnlho vindo de An-
    tuerpia na bafea inglesa flrtt>, entrado em 24 de!
    abril de 1869 : ignora-sa o eontedo e a consig-
    Mem A Fas. 117/138, 1 caixa vinda de Liver-
    pool no vapor inglez Ann Wliaton, entrada em 14
    de abril da 1866 : ignora-se o eontedo e a eon-
    signacao.
    dem G. A. Ah
    vindo de Southam]
    abl---------
    Alves Filhot^sM
    :i8, i embramo
    Sl'U Uo '
    rilA Bi consignado
    morad '9 cot
    eonsignacao.
    dem sirolisk Forendsem numero.il embrulho
    vindo de Liverpool no sobre dito vapor, enlrado
    em mesma dala : ignora se o conteio e a eonsig-
    nacao.
    dem XX S M-ns. 4276/80 e 4296/395. 1 em-
    brulho viudo de Tri?ste na barca norU'-allemo
    Btrnurd, entrado om 4 ced-zeuibf de 1860, con-
    tendo amostras de papel: a ordem.
    dem V LA C 11 L n. 31, 1 caixa vinda do Ha-
    vre na barca franeeza Sphere, entrada em 9 de
    dezembro de 1869 : a ordem, ignora-se o con-
    teio.
    dem R Z C -ns. 7777 7779, 2 embrulhos vindos
    de Sou'hajnpton no vapor inglez Rikaia, enlrado
    em 15 de deumbro de 1869, contundo amostras,
    consignados a Monhard A C.
    dem J. L. Saylorsea numero. 1 embrulho
    vindo do Liverpool no vapor inglez OUnda, entra-
    do em 21 de dezembro do 18o9, coutendo amos-
    Iras : igaoea-se o conteio i* a eonsignacao,
    Armazena n. 4.
    Marca E A B A Cn. 2l, 1 sacco coatendo pi-
    menta viudo de Marselle na barca franeeza Angus-
    Un, entrado em 21 de jaaeiro de 1870, consignad*
    a E. A. Burle A C.
    Armazem n. 8.
    Sem marca2 Cardos viudos de Liverpool no
    vapor inglez Saphira. entrado em 31 de marco de
    1869; e raais 1 volme sem marca e numero, con-
    signados a S. M. Britanaiaa : ignora-se o con-
    e Jo. .
    Marca B B Jn. 1 6 2. 2 gigos vindo de Liver-
    pool no brigue inglez Belleof fi Cleijde, entrados
    em 29 de malo de 1S69 : ignora- sa o eontedo e
    a eonsignacao.
    dem Triangulo H L 7S aixas viudas do
    Havre na barca oiHexa A jBtembro do 18(39; mais 11 caixas da mesma
    marea, idem idem entradas em 21 de selembro de
    1869, mas 11 dita-, idem dem ntralas em 24 de
    setembro do dito anuo, consignadas a H Leger :
    ignorase o eontedo, (dstS em do-pacbo).
    dem M F A C10t> barr* viudos de New-York
    na barca amerieana Herard, entrados em 10 de
    feverero de 1870, censi^nados a A. F. da Costa A
    C, ignora-se o eontedo ; mas 100 saceos da mes-
    ma marca vades do Londres na escuna-allema
    Maru ElitaUelk* entradv>s em 7 ite Janeiro de
    1870, e 20 saceos da mesma procedencia, e ines-
    mo navio, entrados em 8 de Janeiro de 1870, epor
    signados a M. J. di Costa A C ; ignora-se u eoft-
    tedo. t
    Armazem n. 9.
    Marea A CN. 1 4 -4 tai xas vindo do Pari
    na bares poriugnoza BttfX^m If. easradas em 11
    de feverero de 1869, consonadas a Albin.i Jos
    da Suva ; iitnora-sao conteuio.
    dem T R X-sem uumer:\ I caixa vinda do
    Porto ua barca portuguesa Triumpho, entrada em
    29 de maio de 1869, consignada a Jos Ferreira :
    ignora se o eofueudd.
    Idom A C L A C N. 121 barrica viuda de
    Liverpool uo vapor iuglez OUnda, entrada em 5
    deoiuubro de 1869, consignada a Adriano Castro
    A C, conlendo pregos; mais 2 barricas, da mesma
    mares,ns. 13 e 14, di mesma procedencia e vapor,
    entradas em 8 do dito mez e consignadas aos
    mesaos. -^
    M.noe! Parladaseta numero, 1 caixa viada
    Je S Miguel na escuna poBrugOiM D*w, entrada
    no armazem em 26 de novembro Uo 196'J, coniig-
    n.ja a Manocl FurtaJo, coutendo 1 q;iadn do
    Senhor Santo Christo.
    Mira Jos da Costa Mellosem numero, 1 gigo
    vindo de S. Miguel na sobredita escuna, enlrado
    em 26 do novembro de 1869, consignado a Pedro
    Jos de Mello, contendo peneiros,
    Marca J P S -1 barrica sem numero vinda no
    sBpraAilo navio, entrada em 27 do dito mez, con-
    signada a Jos Piuto de Smua, conlendo batatas.
    Letreirosera numero, 1 e:ixa vtoda de New-
    Tork no patacho americano/sa, entrada tm 18
    de dezembro de 1869, eoasignadaa Heury Forster
    A e : ignora-se o e.mtede.
    Marca CBsem uumero, 1 dita vioda de Liver-
    pool m vapor incjei Ol'nda. eutrada em 22 de
    dezembro de 18G9, consignada a F. de A. Ponseca:
    ignora se o ^onte;lo.
    Idem J P M-sem nnnvro. 95 ditas viudas de
    Hamlvurgo na asenoa alle.mfa Belfa entradas em
    8 de fevereiro de 1S70 ; mas 5 caigas, da raesma
    marca, sem num-ro e da mesma procedencia e
    navio, entrada.* em 10 *i mesmo mez : ignora-se
    o eontedo e queiu con>igqadas,
    Sem marca sem numero, i dita vinda do
    Porto no brigue portuguez Unio, entrada em 4
    demarco de 1870, consiguadi a Francisco Moreira
    Pinto Barbosa, contendo um geriai.
    Marca 5sem numero, 2 ditas viudas do Porto
    no sobredito braue, entradas em 7 de marco de
    1870, oasigoadis a Thomaz de Aquino Fonseca
    A C : cout.'aJo cebollas.
    Sera marca se; numero, 1 grad vinda de
    Liverpool na barca ngleza Imogene, entrada em 26
    de marco de 1870, consignada a Wilsons,
    Marca 1 M A Csem numero, 1 caixa vinda
    do Liverpool no navio inglez Suphire, entrada em
    30 de marco de 1870 : ignora-se o eontedo e a
    censignacu.
    Armazem n. II.
    Marca letreiro sem numero, I caixa vinda do
    Ro da Janeiro no vaoor inglez Sene, entrada em
    15 dejqlho de 1868: iguora-se o conteio e
    a eonsignacao.
    Sem mareasem numero,354 yassouras viada
    de Terra-nova no vapar ingles UsoIuIo/, eatradas
    em 15 de junho de 1869 : ignora-se o contedlo e
    a eonsignacao.
    Marca HAGn. 152, 1.caixa. viuda de Liver-
    pool no vapor inglez S'tlremaure, ntrala era
    3 de junho de 1859 : ignora-se o cometido e a
    eonsignacao.
    Uem L A C-n. 1,1 dita viada de ordeatu no
    sobredito vapor, entrada em 14 de matyi <$ 1869:
    ignora-se o eontedo e a consi-tnaca i.
    dem M F sera numero, 1 iita: viola da liba
    de S. Miguel na escuna Olivara, entrada no ar-
    mazem cm29 de abril de l#69::ign3ij|-|se e eon-
    tedo e a eonsignacao
    Idera Jos Pires da Crui^a nuj|, i dita
    v|nda na sobredita escuna, procedente do m^smo
    tporto, entrada na mesma data : igneta-se o con-
    tida-ea eonsignacao
    dem letreirosera numero, 1 dita vinda de Sju-
    ihampton no vapor inglez Oneida, entrada era 27
    de marp de 1868 : ignora-se o ntedo e a con1-
    slgnacao.
    dem Johnston Patern-543, 1 rdila vinda de
    Southamplon no vapor inglez La Piala, entrada
    em 27 de setembro de 1869, cofsignad* a Johns-
    ton Pter A C : ignora-se o eontedo.
    ra CC- n. It", 14 caixa- Bordeanx
    no vapor francez /Jx/reawaWt,' altada-- en
    de dezembro de 1869,. consgaseos a -Ge
    : ignora-se o coute
    dem aaeraH. Ij4,4 dius tindas
    deaax no sobredito vapor, entradas t
    A entrada do jardn ssr marrada por trampa-
    HivtT* bl.-tt*. i las s oasrt3
    bebida-.
    l'riu.-ipiirai as 8 naris da acmle,;" Hu a mei't
    Boato.
    Preco da entrada 1*003 por eada pessos.
    ltenlo,
    No caso de haver chuva as noates annnam-
    das flea o concert de segunda-feira Iranslerido
    para terca-feira e o ou'.ro para quarta-feira.
    ..... I I Bf-ggg
    AVISOS MARTIMOS.
    COMPANHIA. PEHNAMBUCANA
    M
    %avega3o eosteira por vapor.
    TRANSFERENCIA.
    A viagera do vapor nacional Mandaha para os
    portos do ao^ at Penedo, que de va realisar-w
    hoje a tarde, flea transferida por ordem do gover-
    oo para o da 2 de agosto prximo as 5 horas da
    urde.
    Receber alo 4a carga at o dia r, enees mana-
    das, passageros e dmheiro a frele' at as t koraa
    da tarde do dia d sahida. \
    Maranhao
    Segu eom btatidede para porto cima o-aa-
    Ihabote nacional Joven Ar'thur, anda pc-le reeeaer
    alguma carga e tratarse rom os coosigoaiano*
    Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C, roa da
    Crm n. 57, 1* andar.___________~-,
    RIO aiilE DO SilL.
    Para o indicado porto recebe alguma caria a.
    rete a barca nacional Santa Marta : tratandi>. S
    com os seus consignatarios Auiorim Irmios A C a
    ra da Ouz n. 3._______________
    Karanho
    E' esperada do Rio de Janeiro em poneos dtss a
    barca porlugueza Mara, que traz j alguma car-
    ga para o referido porto ; e descarregando a que
    Ljtira estOj conduzir. recebe aqu a qne fur pos.-
    sivel obter para o Maranha, c com pouca demo-
    ra : por isso quera dselar aproveitar esta- bu
    occasio de-embarque, dr| se ao con-isuatarit-
    Joaquira Jos Goa^alves Bellre, ra do Com-
    men'io n. 17.
    RIO DE JA)
    Para o referido p> rio tsla pro.i prn a receber
    carga frele o brigue brasleiro Otheto : tratar
    com sens consignatarios Amorim Irmaos A C. a
    ra da Cruz n. 3.
    LZCLARACOES.
    Juiz3 dos feitos da fazenda
    De ordem do Illm. Sr. Dr. juiz dos feitos da fa-
    zend desta proviucia, faco saber todos os arre-
    matante- dos be as do extracto vinculo de Itamb.
    ) bein assim seus ladores, que dentro do praso
    de Vi das, a contar da dnta deste, e sob as penas
    da le, deverao comparecer por si ou pot seus pro-
    caradores na thesouraria de fazenda ; aqnelles
    que 3rrei2atarara nata para secoluerem aos co-
    fres da mesma thesouraria em dinheiro de contado
    o respectivo preco, c aquelles que arremaiaram
    praso, e seus Madores para assignarem as letras,
    que se obrigaro aceitar e garantir.
    Recife 26 de julho de 1870.
    O escrivo,
    _________Luiz Fancisco Barrr to de Almeida.
    De ordem do lilm. Sr. conseltieiro inspector
    da thesouraria de fazenda desta provincia se faz
    publico que lici transferida para o dia 10 de agos-
    to prximo vinluuro a arrematacao dos conceitns
    de que precisa o proprio nacional que serve de
    Lazareto na liba do Pina, ornados em 834*700.
    Suretana da tuesuunana de fazenda de Per-
    nambuco 28 de ju ho de 1870.
    Servindo di offlaial-maior,
    Manoel Jos Piuto.
    LTIMAMENTE
    CHEGADA DO RIO. DE JANEIRO
    NA
    IHPEII4L
    FABRICA DE CERVEJA
    35-Roado General Vicloriao-S
    Na segunrla-feira Io de agosto e terrea-
    feira 2, ha ver concertos msirameniaes pe-
    la reoommada orchestra allerna dirigida
    pelo seu director C. Keppeliaann.
    Progrmala de ^egaii 1:>-elra.
    l'RIMEIRA PARTE.
    N. I. Marcha da opera Somraernachistraam
    de Meftnersohn.
    .N." II. ( nvertura da opera Le Domino noir,
    de Aubi-r.
    N. III. l'uipourri da opera. Un Rallo in Mas-
    chera de Verdi.
    N* IV. Valsa as margene do Danube, Straus.
    SEGUNDA PARTE.
    N. V. Ou venara da opera Casamento de F-
    garo, de M-ozart. '
    N. VI. Potpourri da opera H. Trov3tore de
    Verdi.
    N. VIL Sonhpi phantaiticos de Lnmby.
    N. Vl(I. Marianna. polka da Egeling.
    ' TKRCEIRA PART.
    N. IX. Ouvertura da opera Semiramis de Ros-
    siq,. .
    N. X Potpourri da opera da granie Duchesse
    de Gerolstoin de Offeabach.
    N XI. Ftnale da opera Belisano de Donl-
    sbb.
    N. XII. Qtadrilba do Fmulos da opera Faast.
    Progca.auaa de terca-feira.
    PaiMSIRA PARTE.
    N." I. Marcha da opera, Tannhaeuser de Wag-
    ner. % n A 11
    N. II. Oaverjaira de Bgraont de Bethoven.
    N. III Potp.orrida opera. La Filie du Regi-
    raent, de DonizeUi.
    N.* IV. Cavatina da opera Erman de Verdi.
    SEGUNDA PARTS.
    , N. V. Ouvertura d opera Poeta e Bostico, de
    Supp.
    N. VI. Walsa. StAos das nootes de vern
    Gungl.
    de
    N. VibQuodlibet Chines de Maschak.
    N. VI1LUki de Spinlug.
    TERCIRA PAUTE.
    N. IX. Ouvertura da opera Nebucadoecar d?
    Verdi
    . N.' X. Potpourri da opera, Don Juan de Mazar
    N-* Xt. A mil a postal awlo para troabata de
    Scaiaefer
    0 XII. GaloppedeE-lYer.
    0 jardim ser brubanlaaasnl>illamiikado gas.
    nu1
    Para o referido porto pretenda seguir com bre-
    vidade o patacho nacional Pro'.ettor, por ter a
    maior parte da carga prompla ; e para o resto, a,
    frele mdico, trala-se com o consignatario Jwa-
    iraim Jos Gon^alves Reltro, ra do Commercio
    n. 17. _____________ _
    Rio de Janeiro
    Pretende seguir para o referido porto com a
    possivel brevidadtMi patacho Monteirt-pnt ter por-
    efio da carga engajada ; e para a que Ihe falta e
    -cravos a (rete, trata se com o consignatario Joa-
    quira Jos Goncalves Beitru ra do Commercio
    o. 17.
    PARA.
    Para o referido porto, pretende seguir com a
    possivel brevidade a barca porlugueza 5. Joo,
    por ler j porcn da cargo, e psra a que Ihe falla
    a frele comraodo, tratase e ui o coasignatariu
    Joaquira Jos Gongnlves Reltro : a ra do Com-
    mercio n. 17-

    Das casas terreas da ru i de Santa Cfnz ns. 6i
    o 66 e Cotovelo n. 2,eJlicadas em chaos propasas
    cora gran Je quintal morado, sendo que os fua-
    das primaras dio para o fondo da casa na ra.
    do Col vello com porto, tend urna das casas
    grande solo. *
    - HOJE
    Segunda-feira 1 de agosto as II horas e meta em
    ponto
    Por nlervenco do agente Pinto, em sea escrit-
    orio na ra da Cruz n 38.
    da grande casa terrea n. 11 da ra'do Santa The-
    rezaem Olinda com 11 palmos dn frente 88 de
    fundo, cora urna meia agu pelo lado do sul conv.
    177 palmos do frenle e 53 de fundo-, grande
    pombal no mesmo correr cora 05 palmos, quin-
    tal grande e todo murado, o un grande vi-
    veiro
    HOJE
    As 11 toras em >onlo
    por inlervencao do appnte Piuto, em seu escripto-
    rio, ra da Cruz n. 38.
    Movis, loufti o*crystaes
    A SABEfl
    No {wiuieiro andar
    Um piapo, urna raobilia de jacarandi, donse-s
    pellios, duas estante-, duas eadeiras de bakanco
    quatro candeiros a az (fino-), qualao ricos jar-
    ros para florea, quatro fraseos para cheiros, qua-.
    tro Hguras. enl'etes de mesa, escarradeiras, tape-
    tes, panos do croch, doas serpentinas, seis vasos
    e quatro casticaes.
    Urna outra mobilia, um thereoecopo, orna pis-
    tola, dous albuns, urna exci-lente secretaria, urna.,
    estante, differenies livros, dous candeiros e dous
    tapetes.
    Urna cama franeeza, cpula e cortinados, om
    toulet, um tapete, um guarna vestido, nm guarda
    roupa, om lavatorio e (wrtences, um prta-toalhas
    e eutros objetos.
    No segundo andar
    Urna mesa elstica, um exeellente guarda louca.
    om aparador, hm sof, dua< eadeiras de bracos-a
    doze de guaraicao, um relogio de parede, duas es.
    tantee, dous candeiros a gaz, um oculo de alcan-
    ce, dous meios apparelloos de porcelana para jan-
    tar, dous ditos para cha, copos, clices, garrafas
    compoteiras, porta queijo, galheteiro e .bandejas.
    Um guarda louca pequeo, um aparador de can-
    to, orna mesa com abas, dous espelhos, urna mar-
    queza, deze eadeiras. nm relogio, nm lavatorio,
    um guarda-comida, flrandres, bacas, trera de v-
    ziahae muitos objeetos existentes noSOBRADO-
    DA BA DIREITA N. 3i.
    Terqa-feira, 2 de agosto
    Jos Jeronymo da Silva, tendo-se retirado pan-
    a Europa com sua familia, lora leilo por inler-
    vencao do ageoje Pinto, dos movis, louca e mais
    objeetos cima desenptos, existentes no priraeiro a
    segando andar do sobrado da ra Direita n.34,.
    onde se effecluar o leilo do dia cima designado.
    Principiar as de? horas em ponto por sera*
    muitos os lotes.
    ava-
    LEILAO
    DE
    375 saceos com ruilho
    riado
    Ter^a-feira i de agosto.
    t> agente Pestaa far leilo por conta
    ds quera pertencer, de 375 saceos consta
    marca Peroambuco, 2 106 mar
    13 avadados vindos *JJj^^^PsV> bo vap
    zein&Sul, entrada oesta | so m
    passado mez, e seria vaw namoumali
    risco
    Itlkn


    I

    F--
    i
    *-
    .1
    i

    wmmmm


    . C.
    gwada fcira l de Agosfco Me
    '**.
    Qoaita-feira 3 do conecte.
    0-fnte Pestaa fara leilo pircouta e risco de
    uem pertencer, de alguma* duzias de cadeiras
    ovas, de armceao, de balanco e de meninas, as
    quu serio -vendidas pelo tnaior preeo. sem re-
    serva, quarta-feira 3 de agosto, s 11 hars da
    warmaa, no largo do Corpo Santo n. 19, Caf
    CoMMieteL
    v*nv
    AVISOS DIVERSOS.
    A viuv e fiHros do finado ommendsdor Ma-
    uoel Figoeiroa-de Paria convidara a-todos os pa-
    rantes e amigos e aus do seu sempre tanbrado
    marido e pai, para ouvirem s missas qoe por sua
    alma maodamrezar, na segunda-ifeira t"de agos-
    to, 4 aaoivemrio do seu fallecimento, das 6 s
    8 horas da manha, na igreja da rdea Terceira
    de S. Franeiseo.
    2^
    i je; rvy
    Cm amigo gctto a memoria do faHecido com-
    mendador Mano?I Figueiroa de Faria, manda ce
    librar no dia 1' de agosto futuro, 4o anniversario
    do sea passamenlo, na igreja da Veneravel Or-
    den Terceira de S. Francisco, s hocas da ma-
    nhaa urna isca, e convida a Exma. fatnila e aos
    amigos do dito iLnado a compareeereiB*ao niesmo
    acto.
    i recsa-se
    de nm pequeo *\ae tenha alguma pratiea de mo
    Ihados: para mfurroacoes ra da Cruz n. 16.
    Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar
    bem para casa de familia : a tratar n ra do
    Duque de Calas n. 50.
    -. Do puno em frente aosobrado do abaixo~as-
    signado, junto lbrica do gat, furtaram urna
    anua de earreira, que anda conserva resto de
    tinta encarnada cora que fni pintada: gratillca se
    quem dr noticia ou a levar ao mesino abaixo
    assignado.
    ___________tti's Manoel Rodrufueg Vale rta.
    Fologfaphia imperial
    Este antigo estabelecimento, aeha-se hoje montado n'uma
    escala de poder servir vantajesamente os seus freguezes, atien-
    to o grande sortimento de joias d'ouro, prata e brilhantes, que
    sempre tera e recebem mensalmente das principaes fabricas da
    Europa- cujos presos sao em competiveis e as obras garantidas
    de leL
    MOREIKA HITARTE .
    m simmwmmmmmm mmmmmmm&mm niisiie
    S-Bg-gerg
    ti o u -
    zzM *? 5 3 33
    " w sr ^
    3 2 5' 2L a 3 a
    -o"g a>
    5.C
    o
    iis-ii:
    si-
    -S-JS.
    ce 3
    - S. S. 3 g o- g
    ALERI.&
    E
    DE
    DE
    PI.VTURA
    /. Ferreira Villela
    Desde o dia 7 de abril payado acha-se aberto o
    novo estabelecimento ihotograpliico sito ra do
    Cabug n. 18, esquina? dopaten da matriz. Ostraba-
    Ihos que desde entao, tem sabida de nossa offleina
    lera geral.nenie agradado, sendo recefeidos por
    alguna com admiraeo pelo extraordinarh pro-
    gresso que ltimamente tem lido a phot grankia,
    e por outros crin alegra, por verem a provincia
    dotada com um estabeiecimenlo digno daa, e in-
    contestavelrr.eulfi o p*i hojepossue : tambera So nos poupamnsem cousa
    alguma para monta-lo no u em que se aclis, es-
    perando que o publico da Pcrnambuco saber
    apreciar du&sob esforzse recompensar oossos sa-
    crificios.
    Convidamos a todas aquellas pessoas, n.ncionaes
    e estrangeiras que gostain das arte?, ou tivefem
    necessidade da trabalhes de photographia a Visi-
    taren! o nosso cstab leeimeato, que estar sempre
    aberto e suadi?posieo todos os dias desde as 7
    horas da masa at "as 6 da tarde.
    Paraos trabalhos de plioiograi>liia possuipicm di
    versas machinas dosmelhor-es autores franoezes,
    ingleaes e allmnaes, como sejam : Lerebours ei
    Secretan, Hennngis, Thomaz-Ross, Voigtlander ol
    Sonh eWulf. Cltimamente recebemos tres novas
    machioasi sendo ijma dellas ,propria para tomar
    sobre o mesmo vidro i ou $ imageos diversas e
    soladas, e outra de 6 a 12 itnagens diversas e
    igualmente boladas, de norte que no caso de
    grande concurrencia poderemes retratar sobre
    urna nica chapa a 8 pessoas diversas e sola-
    das para eartuss.de.7i vua quarto de hora despacharmos 8 dilerentes
    pesseas que per;am eada urna, urnadutia de cartoes
    mais on meaos, cora os seus retratos smente, ou
    em grupo eom outras.
    Encarregaraos-nos eselusivamente da direceo
    e eteura dos trabalfcos de pbotogrephia d'ei-
    xaado pericia o uloitos do disUncto pintor
    alleuio, o Sr.
    A- Roth
    C S
    o 9
    2
    3 o
    og
    a3
    09 "
    fe-*
    O es
    ^
    O. a
    *> a
    ao es
    as
    u
    O
    -i
    et>
    a, o
    . a
    3 o d 5a i. -
    CS CB
    3
    i o g' _.
    P" o g
    "O
    -. 2 Z, O
    * s; ~ a ca
    "a-9 o 0
    o o 2
    9 -e 2.
    = 3 18.
    2 i
    M
    3
    O 3
    a o n a o
    a i-i S M -
    o, a o a
    3 OJI Q.T3
    Precisa-se fallar com -o Sr. Jos de Barros
    Accioly a negocio de sen interesse : na praca do
    Corpo Santo n. 17, Io andar.
    MOFINA
    Roga-se ao l!lm. Sr. Ignacio V.eira de Mello, es-
    crivo na cidade de Nazareth desla provincia, o
    favor de vir a ra do Imperador n. 18 a lonclnir
    aqnelle negocio que V. S. se compromelteu reali-
    sar, pela terceira chamada deste jornal, em flns
    de dezembro prximo passado, e depois para Ja-
    neiro, passou a fevereiro e abril, e na Ja cumprio,
    e por este motivo de novo chamado para dito
    fim ; pois V. S. se deve lembrar que este negocio
    de mais de oito annos, e quando o senhor s*u
    filho se achava no estudo nesta cidade.
    I.' I'ravessa de S. PedroI
    Jerge
    os trafealhos de pintura, a aquarea, a cleo, e a
    pastel. *
    O Sr. P.oth aefease ligada a nossa empresa por
    nma escriptura publica, e at o presente-tem-se
    desvellada na ex*oucae de seus trabalhos.
    No nwsoestabeleeimentoadiam-se exposloe oa-
    tros trabaifcos im|ioriantes do Sr. Roik, tanta em
    miniaturas aquarella coma oleo, reiratos
    leo, qnadros sacros e diversos utros trafealhos.
    Tomamos eommendas de retratos oleo at o
    taronho natural, assim como de quadros sacros
    para ornameotacao de grejas oa capellas. Tam-
    ban aceitamos ncommendas de quadros histri-
    cos.
    Aseguramos que os precos dos diversos ira-
    balbos da nossa casa sao mui rasoateis.
    CAKES DE VISITA NAO OI.OBJDOg IOiJOO A
    DUZU
    CARTUES BE VISITA COM O COLORID AO NATO-
    RAL A_ 16^000 A OU2HA
    Retrates em miniatura oleo ou aqurella de
    16 20*300 cada um, iodo convenientemente en-
    caixjlhado em moldura dourada e regulando o
    husto da pessoa retraUda de 3 i pollegadas e
    todo o quadro palmo e meio de tamanho.
    Julgamos que bastaro os presos, cima para
    daaos dea da baratera dos trabalhos do nosso
    establec ment, quanto sua perfeieao cada um
    vcataa julgar por seus proprios olhos.
    A melhores oras para se tiraren) retratos no
    nosao estabelecimeoto sao das 8 horas da manha
    1 da tarje; entretanto de urna hora s 5 da tarde
    m asos especiaes pde-se tambera retratar qual-
    qner pessoa.
    Nos dias de chuvs, ou por tempo sombro po-
    demos retratar, e asseguramos que esses dias sao
    os mais favoraveis aos trabalhos de photograpbia
    jtela dojara e persisteneia da luz, e pt r termos o
    nosso terrec construido com taes proporcSes e
    melhoramentiis, que anda chovendo jorros ne-
    nhum inconveniente ha para, fazer-se bellos re-
    trato?.
    _______J. F.rreira VMela.
    wmummmmmmmmmmEjB
    13 Ra da Imperatriz 13
    DE
    ULYSSES & IRMftO
    Os proprietarios deste bem coahecido e a creditado estabelecimento avis5o aos
    seaj numerosos fregnezes tanto desta pra^a como de fora, e especialmente ao Ilustrado
    corpo ACADEAIICO, que este e6tabelficimento acha-se sempre bem prvido de todos os
    artigo? de seu geaeros abaixo mencionados e que vendemos por mdicos precos, tanto
    avarejo como por atacado para negocio, para o que se podem derigir por carta a nossa
    casa que sero saptisfactoriamente servidos.
    CHARUTOS
    Trecisa-se de urna ama de lene para amamentar
    urna crianca : quem estiver nesta circumstancii
    dirja-se ra Nova, casa n. 22, que achara com
    quem tratar,. Sendo de fra da cidade prtfe
    rivel
    HOMEM DE MELLo
    ESCR1PT0S HISTRICOS E LITTERARIOS
    Ia A Conslituinte perante a historia.
    2 30 de julho de 1832.
    3o Diversos.
    1 volume 8o brochado.
    Rs.-3000.
    LIVRAR1A FRACEZA._________
    Vendas on permutas
    Vende-se a propriedade Guarapes no Rio-
    Grande do Xorle, com trras casas e armazens
    de um e outio'lado do rio, lugar berr. conhecido
    pela sua importancia commercial, cjo porto ofte-
    rece muita facilidade para enbarque e desembar-
    que de gneros.
    Igualmente se vende o engenho Jundihahy (na
    mesma provincia) tuoente e corrente, com cinco
    leguas de trras de maltas virgens, oito escravos,
    bois, bestas e alambique ( ou smente o emgsnbo
    cora as trras que convier to comprador). Estas
    propriedades vendem-se por baratissimos precos.
    e lambe h se permutam por engenhos nesta pro
    vincia, Parahyba e Alagoas, ou por casas as ca-
    pitaes das mesmas: tratar com o proprietark
    major Fabricio ornes Pedresa ra da Cadeia
    n. 25, ou com os seus procuradores no Rio-Gran-
    de do Norte.
    RETRATOS.
    Estaro expostos na bem conhecida livrana do
    Sr. De.Lailhacar na ra do Crespo, at o dia 7 de
    agosto prximo futuro, qualro retratos photogra
    phicus feitos no nos^o estabelecimento de photo-
    graphia ra do Cabng, esquina do pateo da
    raalr z ; peco para elles a attencao do Ilustrado
    publico de:ta capital.
    J. Ferreira Vi le la
    AMA
    Precisa se de urna ama : na ra de Ilorta?, so-
    brado n. 50, Io andar.
    Criada
    Precisa-se alugar urna escrava para engomraar
    e andar com crianzas : na roa da Cadeia n. 8
    A luga
    se
    superiores de Havana, Haoburgo, Babia,
    das acreditadas marcas fiegalia Britnica
    Imperiaes &: .do do Rio da bem -conhecida
    marca Opera e outras muitag feitas aqu de-
    safamados Beberibe e outros que se vendem
    em porces.
    Cigarros
    de ralba de S. Paulo, de 3,5000 a 7<$000,
    o mitbeiro; verdzdeiros do afamado Daniel
    do Rio Nova, Mauriy, Imperiaes Visconde
    de Herval, Duque de Caxias, (aadon etc :
    de papel, de fumo de Daniel, General
    Osorio, Conde d'Eu, aromticos, e peito
    raes, Rocambole, fiadicaes, Acadmicos,
    Machamjomba, Montevideo, Orientaes, Bae
    pendy e nuitas outras calidades.
    FUTIOS
    Afamados de BAEPENDY em caixes de
    10 libras 15400 rs. a libra, em pacote
    2 quarta a 640, e a SOO ris; dito Daniel do
    Rio ovo, do Para de S. Paulo, Caporal,
    e muUas outras qualidades.
    VARIEDADES
    PON.TEIRAS de espuma finas para cha-
    rutos a cigarros, completo sortimento.
    CACHIMBOS de superior espuma, de ma-
    deira (raizj de 30 at 3,500, ditos grandes
    a 13,000, a ddzia ditos finos diversas quali-
    dades a varejo; dito pdegallinhasdo que
    ha no mercado a 2,800 e 3,200 a duzia;
    ditos de loufa, gesso, barro, ete, ete.
    BOLSAS para guardar fumo, de borracha'
    e couro de diversos modelos e gostos.
    CARTEIRAS de
    cigarros.
    todos os sistemas para
    na ra de
    urna ecrav para o serviip domestico
    Hospicio n. 29.
    Precisa-se de um homem. portuguez,
    para feitor de um sitio, o qual entenda de
    plantaces; a tratar na ra do Imperador
    n. 15 das 9 horas da manhia s 3 da tarde
    dos difs uteis, ou qualquerhora do do-
    miego ou dia santo, no Arraial, sitio da casa
    amarell?.
    PHOSPH0R0S de cera, dos meteoros qoe
    ha, em caixas de 500 a 5.500 a duzia, em
    caixas de 400 4,900 a duzia, em caixas
    de 2,500 2,400 a duzia 0 militas outras.
    PAPEL de milho, de arroz, san-non. Per'
    san. pintado, e palha de milho, de Fernando,
    e papel de linbo.
    Contra ananaclo.
    O engenho PoiUfible, no termo de Serinhaem,
    perlence aos herdeiros do fallecido bachaxel Ju
    venci Alves Ribeirn da Silva, ci ntra quera pro-
    proi a famigerada Feliciana Mara Olyrapia accao
    decendial; ac;ao que eou parada ha mais de
    oito annos, s anitnando-se fao estupenda creatura
    a proseguir n'ella depois do fallecimento do diio
    bwharel: por isso nada signilicam os annuncios
    publicados no kir) de Pernambaco de 26, 27 e
    38 de julho.
    PHARMACIA CENTRAL
    Ra dQ Imperador n. 38
    Xarope de lactucario d'Aubergier, e de
    thery decio d'Abbadie recommendados,
    como calmantes para os casos, em que se
    nao pode usar do opio e de seus prepara
    dos, e mui convenientes para as enancas
    nos espasmos e conyolsoes. \
    pSrmaSa^^al^^do LMPEM-
    DOR N. 38.
    Preparados d'alcatrao em capsulas, licor,
    e xarope ferruginoso.
    PHARMACIA CTRA'L RA DO I
    DO'R N. 38.
    Pilulas de Vallet.
    Pillas de Blancard.
    Pilulas de Bland.
    Xarope furruginoso de Blancard.
    Confeites de lactato de Trro.
    Pilulas de carbonato de ferro, lactado de
    ferro, iodureto de ferro com magnezia.
    Ferro de Quevenne.
    Assucar ferruginoso.
    MSt
    PHARMACIA CENTRAL BA DO
    DOR N. 38.
    Vinbo e xarope de pepsina e jdiarthare,
    exceilente tnico para auxiliar as digesles
    difficeis nos casos de debilidade do esto-
    mago.
    wm
    PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA
    DOR N. 38.
    Agua hemostbalica de Lechelle, mui re-
    commenda Ja em qualquer caso de hemor-
    rfaagia, e principalmente na thysica pulmo-
    nar, e as hemorrhagias uterinas.
    PHARMAQA DENTRAL RA DO IMPERA-
    DOR N. 38.
    Xarope de rbano odado exceilente com-
    binado do iodo com o sueco de plantas
    anti-scorbuticas.
    Este xarope empregado com grande
    soccorro contra as molestias da pelle, os
    engorgitamentos escrofulosos, o rachitismo-
    cachloroso.
    0 vinho iodado de joly, e oleo iodado de
    Personne, sao recommenda'dos para os mes-
    mos casos, e encontram-se nesta pharma-
    cia.
    PHARMACIA CENTRAL RA DO'lMPERA-
    DOR N. 38.
    Variado sortimento de chocolate de ban-
    Dtlha, salepo araruta, ferro, e de sade, da
    acreditada officina de Menir.
    Sabonetes d'alcatrao, d'acido phenico, en-
    xofre e camphora recommendados para as
    molestias de peL como sarna, panos, em-
    pingens etc., sendo o ultimo de muita uiili-
    dade para o uzo do toilette, por preservar
    a pelle de ser'manchada das maculas, que
    costumam accomettel-a.
    PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
    DOR N. 38.
    Os melhores vermfugos para crianzas,
    Pastilhas de sanctonina.
    Ditas de Kemp.
    Oleo vernifoga.
    Tudo de melbor qualid de.
    _5_
    PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
    DOR N. 38.
    Variadsimo sortimento de fundas de
    exceilente qualidade.
    FARMACIA CENTRAL
    Ra do imperador a. 38.
    Lamplough Pyretic Saline.
    A preparalion of well known utelity- to the En-
    glish Faculty, as a cooh'ng and refreshing beverage
    iu all cases of fever. The frequent use'cf :\3 sa
    line preserves foreigners from many dist^.-es to
    which they are leable before becoming acclima-
    tised. May be ubtained at the Pharmacea Central,
    jua do Imperador n. 38.
    PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERADOR
    S. 38.
    Pastilhas de balsamo de tol e de seiva
    de pinho martimo, para as a*ecc5es chro-
    nicas dos pulmoes.
    Pastilhas de therydocio e louro cerejo
    para as tosses agudas, e de carcter nervo-
    so, e para os vmitos durante o periodo da
    gravidez, e qualquer affec?3o nervosa.
    Pastilhas de hypcphospheto de cal mui
    uteis na thysica pulmonar.
    Pastilhas de angico naf, e de Regnault,
    de hortelaa, pimenta, e de Viccley, de pe-
    cacuanha e de Rermes.
    Na travessa da roa
    das Cnizcs n, 2, pri-
    meiro andar, da-se di-
    nhelro sobre penhores
    de ouro, prata e bridan-
    tes, seja qual for a quan-
    ta. Na mesma casa com
    pram-se os mesmos me-
    taes e pedras.
    Agencia em Pernambuco
    Do Dr. Ayer
    Peitoral de Cereja
    Cura a phthysica e todas as molestias do peito.
    salsa parrllha
    Cura ulceras e cbagas antigs, impigens e dar-
    tros.
    Tnico
    Conserva e limpa os cabellos.
    "PIIiilas eatbrticas.
    Puramente vegelaes e sem mercurio, cura se-
    tes, enram e puriflcam todo o systema bnmano
    Vende-se efectivamente m casa ae Samuel Ft
    hnstoo & C, ra da Samalla Nova n. 44.
    Aluga-se urna preta escrava boa cozinheira:
    a tratar na ra Duque de Caxias n. li, amigado
    Queimado, loja de fazendas.
    TINTURARA franceza
    I 55-RuadaImperatriz-55 ]
    || Tinge, lava, limpa, lustra e achamalo- |
    ata-se, com a maior perfeieao, fazenda* em ma
    pecas e em obras de todas as qnalidades ; 1
    I como sejam : seda, laa, algodao. lnbo, g
    chapeos de feltro e de palha etc. ete. mm
    Tira-se noJoas e limpa-se a seceo sem I
    I molhar os tecidos, conservando assim to- |
    do o brlho da fazenda. a*t
    Tintura preta as tercas e sextas /ei- 1
    lllIIIIIIIlIIft
    Te Liverpool & Lop-
    don & Globe Insu-
    rance Company.
    Companhia ingleza de seguros conlra-fogo,
    estabelecida em 1839.
    Capital e fundos de reserva
    Rs. 3&,3SO:9SO*.
    Os agentes desta companhia tomam seguros so-
    bre propriedades, gneros e fazendas armazenadas,
    mobilias, etc., etc., e estao igualmente autorisados
    a saldaren] aqui quaesquer reclamaroes.
    Sauntlers Brothers & C,
    Prara do Corpo Santo n. II.
    Precisa-se de urna pessoa que saiba escrp-
    turacao mercantil e queira empregar-se em urna
    casa fra da provincia : quera pretender deixe
    carta fechada nesta typographia com as niciaen
    M. M: para ser procurado.
    Alugam^e as casas : n. 101, tema, da rn
    de Santa Rita, e o sobrado de dous isdare eso
    n 32 da ra da Aurora a tratar nista mesm
    ra n. 38.
    r- Precisa-se de uina nina
    d) Corredor dn Rispo n. t3.
    do Itite : na ra
    Prevengo
    FABUIC 1 DE CICiARROfL
    Coaa proraptid5o apromptamos qualquer encommenda dos a/amados cigarros de seda,
    Baependy, linbo, e de outras quau'dades da nossa bem conhecida fabrica, e bem atiesta
    guperjoridade o nossos cigarros, numerosa fregoezia dos nosso establecimentos.
    N. 1 Travessa de S. Pedro N. 1
    Aaando me restabelecido, continuam com a
    costuaiada regularidade. e sem a menor alieracao
    os trabalhos de minha orlcioa de piotographia sita
    ra do Cabug n. 16, esquina do pateo da
    matriz.
    J. Ferreira Vilalla.
    David w. wm
    EWGEMEIRO
    Com fundico
    RA DO BRUM 52
    AO PUBLICO
    O abaixo assignado tendo aeeitado urna letra aos
    Srs. CarvalhoCentra 4 C, saetada em i6 de ou
    tubro de 1869 i seis meees de praso, e vencivel
    em 16 de abril ae 1870, da quaotia de 2694750,
    a manduu pagar em l"> de novembro do referido
    asno de "1-869, com o devido descont, de aja m-
    gortaocia passaram os mesuaos senhore Carvalho
    Zentra t C. recibo em separado, allegando terse
    extraviado a referida letra; portanto achaudo-se
    quite eom a referida casa, qaer com relami a esta
    letra, e quer eom relaco a outra qualquer tran-
    saccao que tive com os mesmos senhores ; e Caz a
    presente declaraco para evitar duvidas /aturas.
    Recife 29 de julho de 1879.
    Jos Francisco Coelho da Paz.
    Mananto Xavier Carneiro da Cuaba.
    Misa resada no dia stimo do fallecimento do
    tenante coronel Marianno Xavier Carneiro da Cu-
    nta, na igreja matriz do SS. Sacramento fia Boa-
    visto, as 8 horas em pinto do dia quarta-feira 3
    IH
    Ah nao do sobrado da roa de Hor
    a. 48 ; tratare no i* andar.
    Paseando o cha Cariz.
    Chama a attencao dos Srs. de engenho para seus acreditados machinismos e
    x>m especalidade para seus vapores que anda urna vez tem melhorado.
    O vapores lornecidos por elle e j funecionando Ihe bao de fazer melbor apre-
    ciado do que qualquer ditoproprio.
    Desoja todava mencionar que vista do cambio agora mais favoravel do que
    na pocba dos apontamentos do aflno passado tem feito opa jedac;o sensivei em todo
    seos precos.
    1 "*
    AOS SRS. ALFAIATES
    Chegou i fofa das Colunnas, da rm do Crespo u. 13, de Aotoaio Corria de
    Vasconsellos, superior eJIodo preto de seda.
    Associaoo CommerciaJ Bene.fi-
    cente.
    A direceo da Asdoeiacao Cowmercial Benefi-
    ceme de cnLrmidade com o dispesto no art. 20
    dos estatutos, convida aos senhores asociados
    reunirem se em assembiea geral 00 dia de
    agosto ao meio dia, no aalao do edificio, da mesma
    usocia^ao, am de proceder-se a leitura Jo rela-
    torio annual e eleico da nova direceo.
    Associae^o Commercial Benefleente 28 de ja-
    lao de 18J0. ^
    Daniel C Ramos,
    Secretario.
    PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
    DOR K. 38.
    Cha purgativo de Chambard, exceilente
    laxativo, e refigerante, que se pode usar
    repetidas vezes sem irritar osratestinos.
    XaROP IYPNTICO DE CHLORAl'.
    Ochloral um agente therapeutico recen-
    temente experimentado, mas cujos benefi-
    cios v5o sendu largamente aproveitados pe-
    los praticos em quasi todas as affeccoes ner-
    vosas, calmante e somnfero poderoso, tile
    sempre empregado com vantagem nos
    casos de dores nervosas intensas, e as de
    insomnia, em que elle produz um somno
    calmo e profundo.
    Elle recommendado as clicas, na cho-
    rea, no ttano, nos partos laboriosos, na
    clampria, as queimaduras extensas, nos
    accessos agudos de gotta, na asthma, na
    tosse convulsa, e em muitos outros casos,
    DOSE.Da*s a oito colheres do sopa
    por dia, conforme o effeito que o medico
    qoer obter.
    Encontra-se na Pharmacia CENTRAL ra
    do Imperador n. 38.
    VINHO DD O.UININNO DE LABARRAQUE
    Poderoso tnico hoje to aconselhado nos
    gozos de,' debilidade geral, e mui usado
    como antifebril.
    PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERADOR
    N. 38.
    Monsenhor Dr. Gregorio Lipparoni, reitor do
    seminario episcopal de Ollnda, legitimo adminis-
    trador da capella de Sant'Anna do Itio Doce, termo
    de Onda, nOssuindo as necesarias faculdades,
    tem resolvido de arrendar os dona sitios de co-
    queiros contiguos e pertencentes esta capella,
    Ccim casa de pedra e cal : tudo conforme ao edilal
    relativo que se ach na cmara episcopal de Olin-
    ds, pode at ao dia 25 de agosto do corrente anno
    (1870) se recebiro as proponas de dita arreoda-
    ment.
    (MDANinN
    Aos 8:000S
    Bilhetes garantidos.
    A ra Primeiro de Marco outr'ora do Cres-
    po n. 23 e casas do costume.
    0 abaixo assignado, tendo vendido alm de ou-
    ;ras sones, um meio n. 199i com 8:000 da lo-
    tera que se acabou de extrahir a beneficio da
    Santa Casa de Misericordia (154*), convida aos-
    posuidores virera receber na conormidade do
    costume sem descont algum.
    Acham-se a venda os felizes bilhetes garan-
    tidos da 3* parte da lotera, beneficio da Santa
    Casa de Misericordia (155') que se extrahir sab-
    bado, 6 do corrente me- vindouro.
    PREgoS.
    Bilhete inteiro 103000
    Meio bilhete 3000
    Quinto 24O0O
    Em porcao de iOOjOOO para cima.
    Bilhete int.iro 95000
    Meio bilhete 45500
    Quinto U800
    Manoel Martins Fina._____
    Gabinete Portugus
    de Leitura.
    CONSELHO DELIBERATIVO.
    De ordena do Illm. Sr. presidente convido aos-
    senhores conselheiros reunirem-se na sala das-
    respectivas sessoes, segonda-teira 1 de agosto,
    pelas 6 1|2 horas da tarde, para de conformidad-
    com o art. 51 dos estatutos, ser empossado o novo
    conselho deliberativo eleito em 2i do corrente.
    Seoretarla do conselho deliberativo do Gabinete
    Portuguei de Leitura aos 28 de julho de 1870.
    Secretario,
    J. B. Fonceca.
    Arma#io
    Quem precisar e quizar comprar urna rica ar-
    macao de amarello, forrada de louro, para qual-
    quer estabeleeimento, dinja-ee ra DireiU, cas
    n. tf, que achara com quem tratar
    Roga-se ao Sr. Francisco Cardoso da Cunha
    qiw annuncie sua morada para aer procurado a
    negocio de sea interesse ; e isto coro urgencia.
    Precisa-se -um menino portuguez qce ne
    exceda de doze annos e idade, para caixeiro de
    urna tafcerna : quem quitar 6 propoY di rija-se
    esta typograjihia entenlivse eom o Sr. Ferreira.
    O bacbarel oaqbul Goncalve* Lint, tem es-
    *rptorie de advogado ra no Imperador n. 33.
    Ama de eite
    p>ecsa*-se de urna ama de leile : ra 4.3 I-
    perat.rit n. 68, que seja Irvre oa gcrava,<
    Ama de leite.
    Precisa-s.1 de orna ama de lelta sera f^jo, o
    ga-se bem : a rraVar na ra da Cadeia de RiVife
    o. 18, 2* atada.-.
    Publicacjao jurdica.
    Repeticdes escripias sobre o direito aJministra-
    Uvo brasileiro, para servirem de exptieacaoe com-
    plemento aos elsmentos da mesma ciencia, que
    servem de texto s respectivas proleccoes na la-
    culdade de direito da cidade do Recife, pelo Dr.
    Vicente Pereira do Reg, lente catbedra'.ico da
    terceira cadeira do quinto anno na_ mesma facul-
    dade, seguidas da principal legislacao administra-
    tiva citada em ambas as obras. Subscreve-se para
    e.-ta publicacio, que entrar para o-prelo logo que
    hajam assignaturas sufflcentts para cobrretn as
    despesas da impressan, a 105000 que sero pago
    no acto da entrega do primairo volurae, as llvr-
    ras franceza e econmica, ra do Crespo nume-
    ros 2 e 9.______________________________
    Precisase de um rapaszinho de lia 14 an-
    nos de idade, que tenha pratiea do taberna, pre-
    forindo se portugaez dos ltimamente chegadaf :
    no pateo do Carmo n. 13.
    . Precisa-se de ama ama
    ra larga do Rosario n. 40.
    para cjzinhar : n*
    Ainda est por alugar a casa n. 34 na roa
    da^Ventnra, na Capunga, com commodos para
    grande familia : a tratar na ra do Queimado n.
    2, oa na do Rangel n. 41.
    Ainda se precisa de um caixeir de 14 a 16
    annos, com pratiea de taberna : na ra da Con-
    cordia n. 9$.
    Precisa se de am caixeiro que tenha praca
    de taberna, de idade de 14 a it annos, e d conbe-
    cimento de sua conducta : oa rtra dos Gu&rarape
    numero 14.-
    4*
    J>
    <
    'i'


    *
    '
    II
    fio de Pwiwunbuco Segunda feira
    AO ARMAZEM
    DO
    1
    Esteonbecido estabelecimnto acha-se constantemente bem sortdo, em virtnde das
    facturas i|ue recebe por todos os vapores navios francezes, dos artigos abaiso menciona-
    dos, precisos mais resumidos que possie.
    CALCADO IRIKE/
    Boticas para caberas e meninas.
    Botinas pretas, brancas e de rauitas outras cores, sorlidas e bonitas, do ultimo gos
    to da moda, e i precw mais barates do que em oatras partes.
    Botinas para noaiens e meninos.
    Botinas de bizerro, cordavao, lustro e pellica, das melbores fabricas escolhidas.
    Botas e perneiras rnsslanas.
    Botas e perneiras para mantaria, fias melhores qualidades, de coaro da Russia, lus-
    tro e bizerro.
    Sapatos de borracha para homense senhoras
    Tandu chegado grande porcao de sapatos de borracha vende-se pelo custo atim de
    desempatar o dinbeiro nelles empregado, sao barasamos.
    Sapatos de lastro para bomens. ,
    Sapatos de estrada baixa de eoure de lustro com salto, de muito'boa qualidade.
    Abotinados para meninos e meninas
    Sapatos abotinados de diferentes modelos, de mnito boas qualidades e fortes, wati
    para meninos como para meninas, muito baratos.
    Sapatos de tpete.
    Sapatos de tapete aveludado, de casemira, de charlla e de trasca francezes e-por-
    tugnezes -para horneas, para sentaras e para meninos.
    PERFUMARAS
    E*cetente extracto?, banbaa, leos, agua de cologne, florida, dmna, lavaTKte, don- a
    triflee, de toilette, abneles, tintura para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de 9
    arroz etc., tado isto de primeira qualidade, dos afamados fabricantes, Confiray, Piver e-Lufow. I
    Quinquilharias
    Lavas de pellica do coohecido fabricante lonvin, espelhos para-sallas, qaartose ga-
    binetes, toucadoro? de diversos tamanhos, leques para -senhoras para meninas, abridores
    de luvas, brincos, pulceiras, bolees, crrenos e naves de retegios o tranceln, tud) de
    ouro de lei, correnes e brincos de>plaqu, a imitacao e de mais gosto lo que as de onro,
    caixinhas de costura ricamente guarnecidas e ornadas com lindas pessas de msica, albuns
    e caixilnos dourades para retratos, caixinhas com'vidro de augmento para distinetamente
    ver-se a perfeicao dos retratos, objectos de phantasia para toilettes, bolsinhas e cestinhas
    deeda, de velludo e de vimes para bra^> de meninas e senhoras, ditas para costuras, pe-
    queos registres muito finos e detrados, bouquets de flores de porcelana, jarros proprios,
    para gabinetes e santuarios, quadros promplos para collocar-se vistas, molduras douradas
    para quodras, estampas finas de pajsagens, cidades, figuras e de santos, vidros para cos-
    raorama, malas, saceos e bolsas de viagens, esporas,-chicotes, bengalas, oculos, lunetas ou
    pensinez de prata donrados, grvalas pretas e de ores, abotoaduras de collete e deiptinbos,
    carteirinhas para notas, tbcsonnnbaa e caivetes finos, pentes, eseovas, ponteiras de espuma
    para charutos e pata cigarros, Joaas de domin, rodetes, bagatelas e ouiros differentes, ve-
    nezianas modernas muito conveniente para ports e janellas, cosmorama?, lanternas mgi-
    cas, estepieopos com interessaoles vistas de figuras e das mais bonias rnas, boulevards,
    pravas e passeios de Paris, photozraphias e caheinhas mgicas, reverberos para candieiros,
    tapetes de vidrilho e de 15a de cores para ps de lenternas, realejos grandes e pequeo?,
    harmnicos, acordions de todos os lmannos, berros de vimes para crianzas, sapatinhos &
    toucas de fia, carrinhos de 3 e i rodas muito eleganies para conlusir enancas passeio ; e
    outras maitas quinquilharias de phantasia, francezas e allemae?, precos muito em conta.
    Para este artigo nao ha espaco nem tempo para a mascante lertara da infinidsde de
    gneros de brinquedos fabricados em diversos paizes da Europa.
    Joaquim Jos Gon ves Beltrao
    Ra do Trapiche a, 17, i* andar.
    Sacca por ledos ps paquetes sobre o banca linho, em Braga, e sdbre os segninles lugares em
    Portugal :
    ifttoa.
    Porto.
    Valenca.
    {taimarle?.
    i"' Coimbra.
    Chaves.
    Viseo.
    Villa de Conde.
    Arcos de Val de Vez.
    Vianna do Castello.
    Ponte do Lima.
    Villa Real.
    Villa-Nova de^Famelicao.
    Lamego.
    La nos.
    Coyilhaa-
    Vascal (Valpasao).
    Miran ilejla.
    Beja.
    Barcellos.
    - ArrnH
    . h.-.i
    COMPANHIA
    DOS
    TRILHOS RBAHOS
    REC1FE A* OLT*I>A.
    Domingo alterada a tabella.
    MANH.A
    . IdaAs S horas, e 10, 8 e 8 10 oq.
    Volta-7 b., 7 10, 9,9 10 m.
    TARDE
    IdaAs 3 h. 3 e 10, 5 e 7, 7 10 tu.'
    Volta'i' b. 4, 4 e 10,6, 6 e 10. 8 e
    8 10 m. : ba um trem de classe es-1
    presso para Oliodc, smente, e os de 1*
    classe tocar era-odos os pontos, tanto na
    ida come na volta, pede-se aos passageiros,
    qoe nao podem sr conducidos nos carros
    senao o numero passageiros para wem deNinda dar mais
    viagens expreseas at coadazir toda a
    a gente que ti -estiver,
    O saprenstendente.
    A. de Abrrn Porto.
    Na ra tfima. <\a Matea a>. Santo Antonio n.
    18 1. andar, cariaba-se para fra com asseioe
    prompMo e por mdico rese.
    MOFIM.
    1TTENCA0
    i
    O 4ono deste estabelecimnto pede ao punteo em geral que continu a vistalo
    verificando as qualidades e os precos baratos de ditos objectos por serem vindos em di-
    reitura e de conta propria.
    wmmwm& $mm$^m
    GffytMDE
    A PRiMEIRA EM PERNftWlBUCO
    11Ra Nova11
    Antonio Jos de AwVedD, acaba de fundar era stu grande armazem de pianos e
    instramenti s, utna
    hppre&do para gravar e imprimir mostea,
    de cujo trabalbo se aeha encarregado o distincte gravador e impressor o Sr. Xicacto
    Garca, que por muitos annos foi empregado das primeiras casas do Ro de Janeiro, de
    LAFORGE 6 SlOW.
    Nesta casa sero impressas b3o s as melhores novidades que vierem da fcuropa,
    como tambera as msicas originaes dos melhores professores e amadores desta cidade,
    qaer por nossa conta ou por conta dos seus autores.
    As primeiras msicas que se gravaram e mprimiram ew nossa casa, tendo sido
    muito bem acceitas pelo respeitavel publico, ti5o s pela perfeita gravara e boa impres-
    sSo.como pelo superior papel que empregamos, faz com que boje publiquemos a lista
    abaixo e que se acham a venda era nosso armazem. Continuando a poblicar-se sema-
    nalmente pelos joraaes as novidades que formos imprimindo.
    ANNETA polka brilhante pelo insigne maestro I. Smoltz, preco.
    MINERVA, polka brilhante pelo insigne professor Colas Filbo .
    CMCO IABO, linda polka por *.........
    UMA LAGRIMA, raazurka.............
    LA GRA.N JE DUCHESSE polka..........
    Tres lindas polkas do Circo Equestre de M. Cjsali. (Esta colee-
    $o coona^............ IjjiOOO
    Est-sa gravando para sabir a luz oestes dial, duas lindas pecas de mo&ica para
    piano; compusico do insigne e syiupthico maestro chegado da Europa peto ultimo
    vapor o Sr.
    E. Casalbore.
    Valsa SOVENIB. I Polka CHNT D'OIREAUX.
    A Imprensa Nacional de Msica tambera recebe
    A33lftlU!fJJM3 .
    por seis mezes e por um anno. brigando-se a foroacer a seot assignaotes duas ou
    tres pe?as de msica pormez, para piano so, e para cantoe piano.pela tabella seguinte;
    Assignatura por seis mezes Assignatura por um a.nno
    AdmiremlJ'! Admire 11! e vo admiracJo
    o que-eu von contar extraorAnario, eousa min-
    ea visto, e quem duvidar venba ver. i visam
    j um tasal de kiik; mandando Techar as invernas
    as 8 e meia lloras da noate impond logo as res-
    pectivas mollas, e ameacando com proeessos a-
    quelletrqne nao satisliaerem ditas multas1? .Ad-
    mire;! !! Admiren) J 11... o que mais admira
    a astucia de tal bichinlio fazer tudo isto sem ser
    fiscal. Admiren) os cffeitos do prugreSeo, sabem o que um casal peelor do.quai'teirao amasiadO"CUii) oescrivao do
    juiz de paz. Agora o lugar aoaJe o tal biohinho teni
    esta saheJorta eu nao digo neai meu amigo \i v;
    fm.v;a se metta no ra-io, s digo urna e^bsa e
    quem quizer .que advinhe, que -o tal lugar fre-
    guezia e nao tein cura,^ neinleiu os siloilos de
    tal bk:hiil"ni.
    wmmmmwmwmm
    M A:
    ^3 portas n. 53, tas n. 53, antiga leja do Braga.
    K O abatxo assignado, dono deste anfcgo
    B-estabelecimento, tendo em vista apresen-
    ter um completo sortiraento de ferrageas,
    3 4Dindezas e eolileria, tem-recolvido man-
    S-4ar bascar em oiversos poa:osda Europa
    -as melhores objectos de seu esUbeleci-
    meuto dos fabricantes mais c>mhecidos ;
    pelo que convida ao reipeitavel publico
    -,, e a seus numerosos freguezes, virem se
    U| ?rvir dos oljecWs de ua carencia, aan-
    g de encontraro por meaos 48 0(0 do que
    ^S-em outra ijualquer parte, um surlimeuto
    |^ completo de machinas para descarecar
    !fct algodo. do bem conliecido fabricante
    35 Cottcrr Gio te C, ditas para costura, mu-
    38 tores para animae, ditas para fogo, moi-
    fMf i'ifos p.-.ra caf de todos os tamanhos, da
    S fabrica do Japi, espingardas do dons ca-
    B nos e de um, tanto iagtezas eumo fran-
    g cetas, louca de porcelana, lacas e garios
    S de diversa qualidades e precoe, bandejas
    ^| ebiaazas, salitre, brea, barbante, enxolre,
    S p:i*'l e timalha de ftrro, ac, e agolha
    S para fogneteiro ; assim como enconlra-
    15 rao constantemente grande porfo de fo-
    mm go do ar, e recebe se enoommenda de fo
    '2 ?"s de vista, alem de um cem numero de
    objectos, que se tornara- enfadonho nu-
    a n. 37 na roa de
    i Bequeno sitio
    ", jnuito boa
    agua, irias : trata-se
    no eseriptorio a ra 731
    Ra estreita do Sosa-
    rio n. 36.
    Hotel de Ilespanha.
    O proprleurio deste eftabelecimento faz publico
    aos seos respeiuvels fregnzes, que lbe acabsm de
    ehegar da Europa um famoso coanheiro, e nm
    bello serveate, tatuado este ultimo diversos idio-
    mas ; e por tanto offerece ao muito Ilustrado povo
    desta cidade constantemente mesa aberta com toda
    a decencia, e serio servidos com toda limpeza,
    promptidio agrado, com comedorias eptimas.
    Acharo tambem nesta sua casa diverlimento de
    domin e bebidas das melhores qualidades. Ad-
    mittem-se assignantes i pagar por mee, e prepa-
    ram-se encemmendas de gosto para bodas e bap-
    tisados. Aateeipaiido-se desde j a agradecer o
    bom acolhimeoto dos seas hospedes.
    Fallencia
    Os curadores flseaes da fallencia de Silvestre
    Heuriqne Paiva, tendo de formular o bataneo da
    massa, rogam a todas as pessoas que ferom credo-
    ras Ae jpreseotarem seas ttulos de crdito, na ra
    de Imperador n. 12, 1 andar, das 8 bofas s 3 da
    tarde, aesles oito das.________. ________
    Instruc<$ primaria.
    O professor Manoel Roberto avisa aos pais de
    seus alumnos que tendo espirado o praso de sua
    licejica, a^afha ao exercicio de suas funecoes.
    Santo Aman das Salinas t* de agosto da 1870.
    20*000
    I 000
    500
    1-OOO
    4,3000
    mora-tos : venbam ra Dirrita n. 53.
    hja de Lenidas Tito Loureiro, ulica loja
    do f{raf,-a.
    Attenco
    Continua -se a fornecer aimpco e janur : no so-
    brado da roa estreita do Rosario n. 3o.
    Duas pe^as por mez
    para pianno s
    Tres pecas por mez
    sendo orna para
    canto e piano
    seis mezes
    CARA
    Recile Provincias
    85000 I0000
    100000 4*0000
    Tres pecas por mez
    sendo urna de canto
    e piano
    i Doas pe?as por mez
    1 para piano s
    Recife
    205000
    150000
    fA\
    Provincias
    214000
    i?:SO0O
    O preco da assignatura, apresenta aos Srs. assignantes, tna grande economa:
    or aae se forem a comprar avolsa a msica que fornecemos no decurso de um anno,
    lhe castaria 503 a 600. ou talvez mais. Porianto cuvidamos a todas as pessoas, qaer
    desta cidade, oa de outras provincias, que qaizerem ser assignantea, a dirigirem-se di-
    rectamente a nossa casa, que promptamente lhe serao remettidas a seas domicilios,
    pelos vapores ou correios. _
    Igualmente onvidamos aoj Srs. negociantes de jptiicas, quer desta provincia on
    de otttras, qae quzerern entrar mrecoes de negocio com possa casa, lhe taremos
    sobre o Drecos marcados na najca nm grande descont, muito yantajoao.
    F NESTE GRANDE ARMAZE4 TEM SEMPRE :
    0 maior a mais explendido sorliaiento de pianos de A. Btapdel, de quem somos
    nnicos arente*, Qmaiore mais explendido sortimento de musi;as para piano, edices
    da Enropa* o Rio le Jaaeiro, o maipr e mijs explendido gortimeato de iDftromentos
    de msica para hwi militar orchastra.
    Ao bacharel Xiquiuho da roa qu1 n5o
    torta.
    tdie.ta, imbcil, bestunto, fedorento, julgas que
    temo as tuas bravatas, a la preeanisada respon-
    sabiidade ? enganas-ie ; nao narrei o facto da-
    quelia doacio a pedido de um amigo sincero de
    leu pai, e que por amor das suas cintas procura
    occuRar o leu ajenlo crime. Nao julgoes que a
    taa fallada respoosabihdade, que os leus proces-
    sos nunca comec^dos, produzain em mim s raes-
    mos eflnito, que senlem aquelles ignorantes, em
    cuja roda vive?, guando qnizeres, como tens
    prometlido, espera-me onde passo todos os dias
    para tomares satisfaco. e vers como de impro-
    viso e sem fastio arrumo-le as bochecbas am
    em numero de tabefes. E' isto que prometie fa-
    zer, quero de linao se reeorda seno para terTo
    mi.os.
    El mano.
    Pele se ao Sr. procurador que recebeu do
    Sr. escrivao Manoel Maria algumas pruvises de
    seus ollegas para Ibe as entregar, que se digne
    de fte-Jo eorn a mesma eloeio-idade com qae as
    recebeu.
    Ifova padara
    ameri^iaa, ra dos Pires n. 50 ; dora em diante
    continuar a fazer .pao e bolacha de farinha espa-
    cial de l* sorte para mellx agradar a sens re-
    gnezes.______________________
    Precisa-M de urna ama que >aiba cozmhar e
    ogommar, para casa de pouca familia : na ru
    as Crnzes n. iO._________________________^
    Prectsa-se de urna ama para caa de pouca
    familia, para cozinnar e engommar : a tratar na
    praea da Indes.endfBtin, loja de chapen* na. 8e_10.
    Manoel Monteiru da Cunta lem a honra de
    participar ao respeitavel corno como ercial aesta
    praca que iaterewou em seu a*tabelecimewta de
    fazenJas, silo ara Nova n. 48, ao tea caiwiro
    Antonio Luiz de Parias desde o Io do corrate,
    euja razio s ecial daquella data n diante ser
    Moateiro da Gonba 4 C.
    ____,-------------------------'--------------------------ji
    AVISO
    As contas da eonmanma de Marcos Casali sao
    pagas na ra larg. do Rosario n. 48, 2a andar, lo-
    dos os dias otis al as 2 horas da lar le.
    *
    TRES VAPORES
    , O Campos da ra do Imperador n. 98, recebeu
    petos ltimos tres vapores chegados a este porto,
    differentes gneros qoe vista das suas especiaos
    e diversa* qualidades. Merece fazer-se delles es-
    pecial men^o j e avisa nao s ao sea crescido
    numero de froguezes e amigos, corno tambem
    aquelles que uo tein querido honra-lo com su.is
    freguezias, encontrando por e-se mol vo serias dif-
    flculdades em scppnrem-se de bon3 genero?, por
    falta talve de quem Ihes indique cam firmeza um
    eslabelecimento que coreo o sen, possa com ga-
    rantia, bm latisfazer as instas exigencias do res-
    peitavel publie i desta capital; que se ach o sen
    armazem prvido dos mais novos e variados gane-
    ros, e limita-se a nomear o seguinte :
    Carne e qoeijus do serlao.
    Prezuntos ingieres e portuguezes.
    Gondolo (nova marca de bolachinhas).
    Petit Pois ao Beurte (erviibas em manteiga).
    Chocolate hespanhol a UuOO a libra.
    Conservas a 700 rs. o frasco.
    Caf chambado e de moka.
    Rap Paulo Cordelro (viajado e coramnm).
    Guizados francezes (Truffe).
    Superior champanhe.
    Doces finos de goiaba, larnnja, limo e bananas.
    a 2C0 rs.
    cabello, a.
    I0COO.
    e
    c*m
    Um amigo do finado Dr. Jos Antonio Rabia da
    Cnnha maa4a celetrar em sua^ntencao urna mis-
    sa as 7 horas da manha do da 4 de agosto, na
    igreja da Santa-Cruz : convida os amigos do fina-
    do para e^se acto.
    DROfilli HNDOPATniCV
    Largo do Paraizo n. 8, no pri-
    meiro andar.
    O abanto assignado, propietario deste estabele
    cimento avisa aos seus repneies e mais pessoas
    que recebeu carteiras e tinturas por preco com-
    modo, e por isso vende a 360 rs. o tubo de qual-
    quer dresa, e l um vidro de tintura, e compran-
    do de rOOS para cima tem (05 de abate.
    COMPRAS.
    0 muzeo de joias
    Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
    pedraa preciosas por precos maia vantajosoa do
    rae em ontra qualquer parle._________-________
    Com muito mator vantagem compram-se
    ouro, prata e pedras preciosas e n obras vainas: na
    loja ae joias do Coracao de Ouro n. 2 D, ra do
    Cabog. ______.
    Compra-se um jabuty : na ra das Cruzes
    n. 41, Io andar, das 10 eras da manha as 3 di
    tarde, ou na Capunga, ra das Crioulas o. 7.
    ODAS.
    fiefinatfio
    Na ra 4a Seazala-aova n. 4 precisa-s* de ba-
    tedarea. _________________________
    Na praga da Independencia ailsai*
    heiro sobre penhores de euro, prata e pearaf
    ireeosaj, soja qoat ft>r a quaujia; e na mes.aj
    asa se compra e veade objeetoa de ouro e prata
    i igualmente se fa toda a qualqaer obra de en
    sommeada. e todo i mesma aria.
    IJLTIM HORA
    0 Costa, na das Cruzes n. 'ti, participa a
    todos os seus numerosos freguezes, que pelo ulti-
    oo vapor recebeu a'guns gneros de primeira jua-
    lidade. a saber :
    ukuos flamengos o que. do meihor se pede en-
    contrar.
    RoLAomsBA do fabricante Gondolo, pela primeira
    vez vinda a e^te mercado, pelo preco mdico de
    i a lata.
    MaqXas de qualidade apreciavel.
    Ameixas em latas e frascos.
    Ga -de p>rimeira qualidade, que se vende a
    400 rs. a garrafa o 8J a lata.
    Alem das muitas e variadas qualidades de mas-
    cas para sopas, conservas,' quer de herva, quer
    i!e carne ou peixe, doces, vinhos, licores, etc., etc.,
    tem velas estearinas a 640 rs. a libra._________
    ATTENCAO
    Causa -espanto o sortimento
    Di lojapaula moxtfjro,
    E o meihor o seguinte:
    Tudo por pouco dioheiro.
    De ParisPapelera
    E' um bazar feticeiro,
    Tal c o gosto apnrado
    Do artista Pauta Monteiro.
    Tem roil sortes de registros,
    Tem toda a celeste corte;
    Cada qual mais primoroso,
    E por diminuto importe.
    Horaens, mulheres, menino'.
    Por qualquer meia-pataca,
    Podem trocar um santinho
    Que os proteja ante u macaca.
    Chamo macaca a pobreza,
    Mu estado financeiro,
    De que vos quer ver eseapos
    O amigo Paula Monteiro.
    Peanas, lapis e caetas,
    Papel, envelope e tinta ; .
    Todo bom, tudo por preco
    Que a qualidade requinta.
    O que ba de meihor em pastas
    Tinteiros de porcelana,
    De vidro, metal e p*edra,
    De preces que fazem gana
    Uvros em brancos e carteiras.
    Tudo de mil qualidades.
    Por precos que mais augmentan)
    As grandes utilidades.
    Venham todos, venham t)dos
    A lojaPaulo Monteiro
    . Porm, por va das duvidas,
    Quem vier traga dinheim.________________
    Por l#oOO
    Lindos cortes de chita para camisa a li&OO : na
    raa do Crespo o. 5. loja da esquina.___________
    ATTENCAO
    Vende-se urna taberna em boa iocalidade, afri-
    guezada para a praca e com alguma rreguezia
    para o mato, com os fondos existente?, ou ;om
    aquelles que eonvierem ao comprador, e o motivo
    pir que se ende- se dir a quem prct-JBder : a
    tratar no largo do Terco a. i i.
    Vende-se a casa terrea mei-agua n. >7, e
    uma parte da casa n. 33, sitas ra la Esperan-
    >, as quaes f irara do finado Joo Antonio Paes de
    loura, e hoje de sua mai a Sra. D. Maria Moara,
    residente na Hespanba : a tratar na menina na,
    com Bernardino da Coala Campos, procurador
    bastanifl da mesma >.>jihnra.
    .Oeo de linhaqa
    SVende-e em casa de Milis .atham 4 C 'raa da
    Cruz b.'38 _______________ I
    Vende-si urna baJan.*j decimal eiu nerfeito
    estado, que pesa 300 libras': no armaiem de Pau-
    lo los Gomej 4 Clima, caes H de N;-embro
    numero 14.
    0 proorietario do estabelecioiento de modas de
    ra da Imperatriz n. 31, pretendendo retirarse
    para fra da cidade aflm do tratar de sua saude, a
    vende dinheiro ou praso, sendo que a arna-
    co tao eegaaie que pode servir para qualquer
    outro estbelecimento, seguado a vontade, do pre-
    tndeme : trata-se no mesmo eslabelecimento.
    A Nova Esperanza
    tl-Rna Duque le Caxiasi
    Quando a NOVA-ESPERANQA faz os seus
    anuncios expondo aos seus freguezes e a
    todos em geral o grande sortimento e su-
    periorvdadede sens objectos nao com vis-
    tas de atrair a attenco de uma grande fre-
    guezia, como a de que actualmente despoe,
    e sim para scientificar a interese de todos)
    a qualidade de seus objectos os quaes sao
    sempre de apurado gosto e perfeiyo; tor-
    nando-se quasi indispensavtl para aquelles
    apreciadores (do bom) frequeatarem a No-
    va Esperanca, pois que ella capricha em re
    ceber constantemente, o que ha de meihor
    relativamente a sua repariico : o que se pe-
    der verificar quando em qualquer reuiiiSo
    de pessoas (amantes de xique) v-se um
    bonito enfeite em um bonito veslido, um
    aroma agradavel escapar d'um alvo lenco,
    um moderno e linde laco, um dilicado ra-
    mo de finas flores, ete, etc, todos olhnm-se
    reciprocamente e dizem com sigo (e as ve-
    zes uns aos ontros) estes sao objectos
    comprados aNOVA-ESPERAN^LV: realmen-
    te !!! 1 procurar descrever em annuncios os
    artigos que contem- dita loja, seria trabalho
    insano e nunca o fariami s com aquella
    graga e perfeicao com que sao elles fabrica-
    dos, assim pois a NOVA-ESPERANCA con-
    tenta se era convidar a todos geralmente,
    visitarem-na para eutao ficaram inlei-
    rados do que ha exppsto na mesma loja.
    Sil Uua Eduque de Caxias*.l
    Joaquim Rodrigues Ta- S
    vares de Mello, S
    Praqa do Corpo Santo n. 17^
    TEM PARA VEXOER: 2f
    Cal ds Lisboa, a
    S Potassa pa Russia. ^
    ^ Vinho Bordeaux. jsc
    Farello d^ Lisboa.
    Farinha de usandloea. >
    Bichas hamburgnezas
    -N'este novo deposito recebe-se por todos os pa-
    quetes translanticos bichas de qualidade superior
    e vendem se em caixa ou porcao mais pequea,
    e mais barato do que em outra qcnlquer parte :
    na ra da Gadea do Recife n. 51. I* andar.
    Aviso.
    No armazem n. 2o da n a Duque de Casias tem
    grande porteo do palha para empalhar cadeiras,
    vende-se muito barate.
    Vidros para vidracas de todos os lmannos
    e em caixas, vende Barlholomeu d C, em sua
    pharmacia na rna larpa do Rosario n. .''i.
    Grande liquiiacfio de
    fazendas baratas
    8" A' RA I0 DE M\RC0 N. 25. S
    MADAPOLAo fino superior a peca a J5
    51000 e 63
    ALGODAOZLNHO com 18 jardas a J800 a pega. M
    d ALGODaGZINHO suoeriof marca T W
    em eorn 20 varas a 6j'00 a peca. n
    g CAMBRAIAS brancas transparentes a
    0 31 a peca. j*.:'.
    S CAMBRAIAS finas de cores, modernas ae
    a 280 o covado.
    CHITAS escuras matisadas e d3 cures |
    SmiuiliiiliasTa 220 e 240 o. covado.
    CHITAS iniperiaes do ultimo gosto com
    cores seguras a 280 o covado.
    CHALES de merino pretcs e de. todas qb
    _ a cores a 2500.
    LENCOS fino s de cambraa a 2O0 a g
    ^b duiia m
    H COLXAS adamascadas superiores, de *
    cores e brancas a 35. S300 e 6.
    CHALES de cassa bordados de cor a !
    aooo. m
    BRAMANTE de linho de urna largura m
    com 27 varas a 234, e com toi(ue de cu- 2E
    pim a 145.
    Do-se amorras com penhor ra 1 I
    de Margo n. 35, loja de Manoel Dias Xa- S
    B vier.
    jEstampilhas.
    Veade-se na ra da Cadeia do Recife n. 58, loj<
    de arulejo.
    A VERDADE
    Rna JJuque de Caxiaen. 5
    Na loja da VERDADE continna-se a ven
    aer por baralissimos pregos tdos i
    gos de miudezas e pernmarias do
    grande e variado sortinMOto, garaotindo a(
    compradores toda a sinceridade.
    Lindas nonecas de cora e massa por bs-
    ratissimo preco.
    Espelhos dourados para pendorar a
    160 rs.
    Agulhas de osso para crox
    Pentes finos para segurar
    320 rs.
    Chamins para gaz a 320 r?.
    Garrafa com tinta alizarina a
    Dita am agua florida a 1oC0.
    Dit com dita dita a td Tnico de Jayme a 1(5500 o frasco.
    Frasco com oleo expresso de babosa,-
    240 a 6i0 rs.
    Dilo com agua de Colonia de 300a 1JC00
    Dito com extractos finos a l/000.
    Dito cora sndalo verdadeiro a i200.
    Latas com banha muito lina de 120 a
    40 rs.
    Sanonetes muito finos e diversas quali-
    dades a 80, ICO, 2i0e 320 rs.
    Finas escovas para dentcs di*. 320 e 300 rs.
    Ditas para facto de 500. e 000 rs..
    Ditas para cabello a 5C0 rs.
    Pentes para alisar cora costa de melal a
    320 rs.
    Ditos ditos ditos de bfalo a -i'iO e KO. |
    Pentes para tirar piolho de lrj e 240 rs.
    Pavios para gaz, duzia a 240 e 320 rs. ,
    Brincos de cores, inteirameele modernos
    de 160 e 240 rs.
    Peonas caligraphicas muito firas a 15100,
    Ditas de lanca.e mosinha a 800 rs.
    Lindos babadinhos o enlremeios de 500
    a 15500.
    Grosas do botSes de loafa de 160 a
    200 rs. v
    Ditos ditos para calca a 240 rs.
    Caixa com papel amizado a 700 rs.
    Ditas com envelopes a 4S0 rs.
    Ditas com obreias a O rs.
    Ditas com agulhas fundo do irado a
    280 rs.
    Thesoura para costura a 240 rs.
    Linha de marca caixa a 2SO. rs.
    Carriteis de linhas de Alcxaodte de n. 70
    a 200 a 10 rs o
    Grampos muito finos, com passarinbos du-
    ziaa 200 rs.
    Cartas francezas para jogar duzia 3:5000
    Ditas porluguezas, duzia 15400
    Papel aimaco superior qti3idade resma
    45000.
    Lam muito fina para bordar libra G.'i(i>
    Fitas para debrum de sapato, pessa ICO rs
    Ditas de lam para debrum de vestido pega
    400 rs.
    Caivetes gr ndes com molla a 400 rs.
    Ditos grandes cora 2 folhas por 320 rs.
    Rosetas pretas para luto, o par 100 rs.
    Trancas de lam de caracol branca e de
    oies de 40 a 100 rs.
    Fits para cs, peca 480 rs.
    Alfine;cs de lalo, carta 100 rs.
    Sapatinhos de lam para crcanca de 400
    a-800 rs.
    CalQadeiras a 40 rs.
    Gravatas de seda preta de 400 e 800 rs.
    Ditas de croxe, brancas o de. > ores" 500 r?.
    Dita de gorguro de cures a 801) rs.
    Ta Vcrdado vva fiafjiie xlast^*.__________
    Eival sem segundo,
    RUI DUQUE&f2 CAXlAW ?S. A9
    (Anliga ra do ^eiisado)
    Cont-na a vender tudo mnito bein e
    muito barato a saber:
    Libras de arcia prela muito boo. .
    Tesouras finas para linhas e cata-
    ra ..........
    Papis de agulhas francezas a b>
    io a.........
    Caixas com seis sabonetes de frua
    Libras de la para bordar de'tud;s
    as cores a.......
    Carriteis Me. linha Alexandrfl n. .
    Frascos QOm azeite p:ru i;i; liim S
    Grvalas de cores muito tinas a .
    Grozas de botoes madepeisla li-
    nissiinos a.......
    Pares do luvas de cores jnuito .i-
    nas a 320 e. 1.....
    Novello de linha de 100 jardas a.
    Caixas com 100 envelopes muito
    superiores a.....i
    Pentes volteados para meninas a.
    Tntenos com tinta prela a 80 rs. e
    Pecas de fita elstica muito fina a
    Lata cum superior baoba a 100 e.
    Frascos de oleoPhilocomo moito
    fino a......... 500
    Ditos ditos dito grande a. 15000
    Frascos de macag perola a. 240
    Frascos de extracto muilo benitos a 500
    Duzia de sabonetes minio finos a. 720
    Sabonetes inglezes a 600 rs. e. 15200
    Frasco com agua de colonia Piver a 500
    Dito de oleo baboza a. ..... 500
    Caixas de lamparillas a. 40
    Sabonetes a forma menino muilo
    superiores a.......
    i.artilhas da doutrina fazenda nova a 400
    Libras de linha sorlidas de todos os
    nmeros a. ..... 1800
    Babados do Porto, largos a 160 e
    Capachos muito bonitos e grandes a 700
    Carriteis de retroz preto, com 2
    oitavas a. ......
    Agulheiros de osso enfeitados a, 240
    Libra de linha franceza superior
    qualidade a.......25400
    Caixas de palito do gaz a. 20
    8.2
    m
    X
    A
    = a
    as-
    Objecto8 para carros.
    Solas de lustro.
    Vaquetas de lustro.
    taides largos e eslreitos.
    Oleado preto para guarda chuva.
    Dito de cores para forro.
    Lanternas e vellas.
    Botoes de osso de cores diversas.
    Cigarros da imperial
    fabrica de S. Joo
    de Nictheroy.
    nico deposito em f'emambuco cae; da alfaa
    dega reina n. S, 1* anda.
    120
    500
    BO
    15000

    GTOOO
    100
    500
    500
    500
    Os accredtados cylindros americanos para pa
    dara.
    Machinas para descarocar alpndao.
    Canos de ferro galvanisados, para agna
    Carrinhos americanos para iran^portar fazenc
    Farinha de mandioca
    de superior qualidade, e em saceos trrande? : ven
    dse nos armatens da Companhia P rcambocana
    por preco commodo.
    BASQUINAS
    De Cluny, brancas e pretas, do ultimp
    de se na loja da Fila Azul, ra do Cabug a. 2.

    IB
    Mi



    uiai
    enuuwmuu oeguna tetra i ae Agost
    -------:-----------Li_____________________________
    i:
    *
    Pechincha sem rival!
    Ra da Cadeia n, 45
    R bem conhecida e acreditada toja de Santos
    MafeC
    Bortegoios francezas de Cordavio para horneo,
    a perferto estado a 7*000 o par.
    Borzeguins a 7#000 !
    Quem deixar
    tfe eomprar bombazioa preta de duas largaras a
    900 rs. o covado : na loja das seis portas era fren-
    I do Livramento.
    Roa
    DEPOSITO
    da Cadeia
    n. o.
    Vende se por menos preco do que em ontra
    patquer parte, de 10 killos para cima, as seguin-
    it qualidades :
    Sant.Qualit fine, fine snperienr.
    Snrtine.Par excellence. Vanille.
    QuaJit fine.
    ! Machina para cos-
    ' tura.
    Vende-se ama machina eom poaro, nso o cosen-
    do perfeiumente todas as costaras de alfaiate, sa-
    nateiro e seileiro ; o dono presta-ae a ir na casa
    pa pessoa que a comprar para ensinar a coser :
    da loja da roa da- Cadeia n. US.
    ---------------------------------------------,-----------_
    Sitio em Parnameirim
    | para vender
    Anda est para se vender o sitio Olho de Vi-
    dro, em Parnameirim, on Ponte de Ucha, cora
    sobrado de nm andar cora 10 quartos, fogdes e
    tornos de ferro, sonzalla para todos os arranjos,
    bastante arvoredos de (rucios, terrenos para
    plantacSes, boa baixa de captm, agua de beber,
    tanque para banho etc. : quem o pretender com-
    prar entenda-se eom Jos Antunes Guimaraes.
    na roa do Aragao n. 13 (hoje Viscende da Pelo-
    : tas) at 9 horas da manhaa e das 3 as 5 da (arde,
    na (alta, na ra de Queimado n. 1 loja, boje Bu-
    que de Caxias.
    CEMENTO
    O verdadeiro portland. S se vende na roa da
    ladre de Dos n. 42, armazem de Joao Martin de
    tarros
    Farinha e milho.
    No trapiche Bario do Livramento existe boa (a
    rinba de mandioca e exeellente milho em saceos
    grandes : a tratar ni roa do Vigario n. 16,1* an
    dar, escriptorlo de Joaqaim Gerardo de Bastos.
    W ~" ii i ^ .-
    Estampilhas
    Vende- se no cartono do tabelliao Almeida
    roa do Imperador n. 73.

    GRANDE MWM
    Qaando a AGUIA BRRNCA, mais precisa scientificar ao respeitavel publico mi
    feral, e em particular a sua boa freguezia, da immensidade de objectos que altimameo-'
    le tem recebido, justementequando ella menos o pode fazer e porque essa falta invo-
    luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que lb'a attendero e relevarlo,
    continuando portento a dirigirem-se a bem conhecida leja da AGUIA BRANCA ra do
    Qoeimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sortimento de superioridade em
    qualidades, modicidade em precos e o seu nunca desmenttido AGRADO E SINCERIDADE.
    Do que cima fia dito se conhece que o tempo de que a AGUIA BRANCV pode
    aspr, empregado apezar de seus custos no desempenho de bem servir a aquelles que a
    honram procurando prover-se em dita loja do que necessilam, entretanto sem ennume-
    nr os objectos que por sua natureza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
    cara aquelles cuja importancia, elegancia e novidade os tornam recommendaveis, como
    tem seja
    LEO DE ORO
    Grande estebelecimeote de [nenias e ronpas feitas e por medida, i roa da Im-
    peratriz n. 52 janto a loja de ourives.
    Neste estebeleeimento encontrar o respeitavel publico nm bonito sortimento de
    roupas de todas as qualidades,
    Palilot de alpaca preta e de cores a 3,5000, 30500 70000, dito mirin preto
    de 70000 at 255000, ditos de casemira de cores finas e ordinarias, de 65, 165000,
    ditos de panno finas de 60 80 400 e 2*5000. sobrecasaco dito de 200 a 500000
    Completo sortimento de calcas debrim pardo de 10600 a 60000, ditas brancas
    de 20, 105.000 o mais superior, ditas meia casemira, ditas casemira de 50, 120000,
    ditas casemira preta de 60-, a 165000superior, dita de merino diversas qoalidades para
    lulo. Assim como um bonito sortimento de clletes de brim de corea, ditos brancos,
    ditos de casemira de cores e pretas, ditos d merino para luto fazeoda superior.
    Sortimento completo de camisas francezas de algodo, de 10600 30000, e de
    linho de 380000 a 700000 a dozia.
    Sortimento completo de ceroulas francezas de algodo de 10600 a 20500,
    ditesde bramante a 10800, 20500 e 30000. ditas de Hamburgo, francpzas, fazenda su-
    perior de 250000 a 350000 a duzia. Sortimento decolannhos de algodo e linbo, etc., I
    assim como meias de algodSo para hornera de 30, a 100000 a duzia, grvalas de mui-
    tes qualidades. Na ruada Imperatriz n. 52, loja do
    Sortimento de chapeos de sol de alpaca, e seda, ditos inglezes eabo de marfim.
    Toalhas para rosto. Sortimento de mallas para viagem.
    ATRNCAO.
    Neste estabelecimento encarrega-se de mandar fazer qualqoer obra por medida
    e para esse fim tem hbil mestre encarregado da officina, que se encarrega do trabalho
    eom perfeio o pontualidade.
    SORTIMENTO DE FAZENDAS.
    Chitas de 240 rs. o covado oa 400000 a pessa eom $2 covados, ditas miudes
    para camisas e timo de menino 260, e 280 rs., e outras mudas qualidades de 320, 360
    e 400 rs, o covado, neste mesmoestabelecimento chegarara, urnas bonitas chitas da
    victoria eom barra, a qaal para fihos ecompetente nfeite para corpinno. Cam-
    braia lisa de 30, 40,50 e 10000 a pessa, e outras muitas fazendas de todas as qoali-
    dades.
    ALGODO E MADAPOLiO AVARIADO.
    A 40OQO o algodo, e 40500 o madapolao. e tembem chita escura boa 240 o
    covado por ter grande porcio, na roa da Imperatriz n. 52, loja eom portees encarnados,
    intitulado
    Leao de Ouro.
    no armazem de E. A. Burle & C. ra 4a
    Cruz n. 48 o seguate ;
    Vinho Bordeaux superior qualidad, pro-
    cos de 70500 a 200000.
    Cognac fino, diferentes precos.
    Licores de differentes qualidades e pre-
    cos.
    Frutas e conserva em frascos.
    Corpinhos de cambraia, primorosamente
    Afeitados eom fitas de setim e obras essas
    coja novidade de molde e perfeicio de ador-
    aos os tornam apreciados.
    Fitas mni largas de diversas cores e qua-
    Sdades para cintos.
    Leques uesse objecto muito se poderia
    dizer querendo descreve-los minuciosamente
    por suas qualidades, coree e desenhos, tal
    o grande e variado sortimento que acaba
    de chegar, mas para nao massar o preten-
    dere se lhe apresentar o que poder de
    melhor.
    Entremeios em pecas de 12 tiras.
    Guipure branco e preto de diversas qua-
    lidades e desenhos.
    Capellas brancas para meninas.
    Grandes sortimento de flores finas.
    Fil de seda, pretn.
    PERFUMARA
    Grande e constante sortimento de dita,
    sempre melhor quajidade.
    Lindos vasos eom p de arroz e pinsel,
    Caixinhas eom ditos aromticos.
    Bonitos e modernos pentes dourados
    para circular o coque.
    Bonitos brincos de plaquee.
    Aderecos e brincos de rnadreperolr.
    Caivetes finos para abrir latas.
    Thesonras para frisar babadinhos.
    Aspas para balo.
    Novos stereoscopos eom 48 vistes, as
    quaes sao movidas por um macbinismo
    Ditos de algodSo eom flores e lisos.
    Veos de seda para chapelinas e monta-1 amas substituem as outras.
    iia> Vistes para stereoscopos.
    Meias de seda para noivas.
    Ditas abertes de fio de Escossia.
    Costumes ou uniformes para meninos.
    Enxovae3 completos para baptisados.
    Touquinhas de fil, sapatinhos bordados
    e meis para ditos.
    Camisinhas bordadas para ditos.
    Bonitas caixinhas de vidro enfeitados eom
    pedras.
    Ditas de raadeira envernisada eom vispo-
    ras e eom dminos,
    Bollas de borracha para brinquedo de
    criancas.
    Diversos objectos do porcelana, proprios
    para enfeites de mesa e de lapinhas.
    LOJA DOS ARCOS
    A
    Ra do Crespo n. 20 A,
    Alvaro Augusto d'Almeida $ C.
    Este estabelecimento de fazendas finas e grossas j bastante conbecido como
    am dos mais bem sortidos desta cidade acaba de receber directamente de Paris alguns
    artigos especiaes que passa a mencionar.
    Ricos .cortes de vestidos de blood para casamentes.
    Cortes de vestidos de seda de cor, de gostos inteiramente novos.
    Brochad, fazendas de la e seda propria para vestido.
    Foulard de seda de todas as cores, tembem para vestidos.
    Fitas largas de seda para cintos, gostos escoceses e lisos.
    Chapelinas de seda e de palha d'Italia.
    Basquinas de seda e guipure.
    * Colchas de seda e de 13a e seda.
    Cortinados de cambraia bordados muito ricos.
    Pannos de verdadeiro croch para jardineiras, sof e cadeiras.
    Toalhas de linho de superior qualidad.
    Bramantes, selicias, sguioes atoalhados.
    Guardanapos, colchas, aaias bordadas camisas,
    Cache-nez, baloes, cambinhas. sombrinha.
    Madapoioes de varias qna idades, sa;cos para viagem, mallas, tapetes, capa-
    chos, alcatifas e muitos ontros artigos que se vende por precos mdicos.
    Tem tambem constantemente um completo sortimento de ESTEIRAS DV IN-
    DIA para forrar salas.
    MACHINAS PARA
    COSTURA
    Acabam de chegar ao GRANDE BAZAn
    UNIVERSAL, 4 roa Nova a. 22cabneibo
    yunnaum completo sortimento de ma-
    chinas para costura, dos autores mais co-
    nhecidos, as qoaes es t o em exposico no
    mesmo Bazar, garanndo-se a sua boa qua-
    lidad, e tembem ensina-se eom perfeicio
    a todos os compradores. Estes machinas
    sao iguaes no seu trabalho ao de 30 costu-
    raras diariamente, e a sua perfeicio A tal
    como da melhor costureira de Paris. Apre-
    ; sentam-se traballios ejecutados pelas mes-
    mas, que muito devem agradar aos preten-
    dentes._______________________
    i Cera de Lisboa em velas
    Tamashos differentes desde a 16 por libra, em
    ; caixas de ama arroba : no armazem de Tasso Ir-
    j raaos & C. roa do Amorim n. 37.
    j Sacaos de estopa
    Vendem-se ptimos saceos de estopa, propriot
    para assncar, milho, farinha etc.: no armazem de
    Adamson, Howie & C., roa do Hommercio n. 40.
    Farello.
    Vendfl-?e saceos eom 90 libras de farello no-
    vo do Chile a 4*500 : roa da Madre de Deas
    B. 7.___________________________________
    Cidade do N*t*l 19 de julho
    de 1870.
    Por precos commodos vende-se:
    41 paos de pinho de exeellente qualidad
    cumprimento de 3'i palmos 83 ;gros-
    sura de 2& 52 polegadas; sendo raasta-
    ros, vergas e mastro de navio.
    65 pedras marmores, differentes tama-
    nhos, sendo: o cumprimento da maior, 79
    polegadas, largura 19 ditas, altura 3 ditas.
    30 taboleiros tambem de marmor ee tea-
    do o cumprimento do maior 80 pollegadas,
    largura 40 ditas, grossora umae um quarto
    de pollegada: a tratar no escriptorio da
    agencia da companbia brasileir? de paquetes
    vapor, ra da Alf andega.
    WWW,
    Chegou ao amigo deposito de Henry Forster *
    ti, ra do Imperador, um car regaiente da p j
    de primeira aualidade; o qual se vende em partida i
    e a retal ho por menos preco do que em ontra qoa
    qnor parte
    Azeite doce fraBcez,
    garrafas.
    em caixas de 19
    Vend-se a casa terna n. ii, sita em OI
    a rna do Urgo do Amparo, coa axceHaMes i._.
    modos e grande quintal, solo pcoprio : a tratar av
    Ueife, ra da Cadeia n. 5.
    ATTENCAO
    UF INDO VITO
    IDE
    A VILLA IRMAO & C.
    40 RA NOVA DE SANTA RITA 4
    PEKNAMBUCO.
    Ha para vender ueste estabelecimento caf moi
    do a vapor e torrado a ponto eerto, sem mistara,
    empacotado em papel de estanho para se conser-
    var sempre fresco. Garante se a sia primeira
    qualidad. Os apreeiaderes do bom ca'> podero
    procurar nos principaes armazens de molhadee.
    Para evitar falsificacao, previne-se aos senhores
    apreciadores que todo* o? pceles te rao am rotulo
    eom a firma do estabelecimento.
    Calcado muito barato
    Botinas de cooro d lustre, eom atacadora para
    senhora a 2500 o par.
    Botinas da pao e lustre, eom ditas ditas, a ii
    o par : ra do Livramento n. 13. Na mesou
    loja comprase urna machina de costura eom pou-
    co uso e em perfeito estado, do autor Sinjmr.
    BRACO
    Sahidas de baile.
    Chegaram loja do paco as ricas ,sahidas de
    baile, assim como os ricos enchovaes d cambraia
    bordados para criancas se baptisarem, artig este
    o melhor que ha no mercado, assim como temos
    grande sorlimento de outras muitas fazendas de
    Sosto e novidades pr>r todos os vapores : na loja
    o paco ra Io de Marco n. 7 A.
    DO
    DE OURO,
    Ra do Imperador n. 26
    O respeitavel publico encontrar naete
    estabelecimento diariamente um completo
    sorlimento de paste laria, bol-Ios ngleiee
    podins, pds-del, prgsentos dos ultimo*
    chegados ao mercado, salan* de lion, bo-
    linhos tinos de todas as qualidades para eii,
    amen loas confeitadas. confeitos, bomboine,
    pastilhas, chocolate francez em libras, paa-
    tilhas do mesmo .cartuxos e carteiras coa
    seis charutos de chocolate cada urna, este
    sortimento de chscolate do mais aciedita-
    do fabricante de Paris e o melhor que at
    hoje tem vindo ao mercado.
    Vinhos portuguezes, figueira muito supe-
    rior. Os mais genuinos e superiores vinho
    do Porto, moscatel e Setubal, o Ilustrado
    publico encontrar neste estabelecimento
    por commodos precos, fazendo-se abatimeo-
    to a quem comprar era por?5o.
    Os doraos deste estebelecimecto nao a*
    tem poupado a despeza para melhor me-
    recerem a acoadjuvacao do Ilustrado po-
    j blico.
    60RA DA IMPERATRIZ60
    ^_____m___________ _________ DE
    MlLJEMmEM &
    H DO PAVAO
    ISS* tar os""!0rliD,eo,os pelos mesmos presos ,aecomprimQas casase8lrM6eiras- paramaior am&M'ias a^*a*'T&ZSIte'SttiXSUt TZS, BSZgLml^T?.
    ALTAS NOVDADTi
    1IO PATliO
    8f BONITAS FAZENDAS PARA A FES-
    f TA DE
    SANTO ANTONIO, S. JOO E S. PEDRO.
    Vendem-se as mais linda-; poupeli-
    nas de linho e seda eom os gostos
    mais novos que tem vindo a este
    mercado, pelo barato preco de....
    2^000 o covado.
    Sedas listradas, de furta cores, fa-
    zendas de muita phantesia a 2#000
    o covado.
    Srda bismark, larga fazenda muito
    encorpada o covado a 20500.
    Bonitas lasinhas largas cora palma
    de seda, covado a ItfOOO,
    Lindas agraciando lavradas covado
    a I 600.
    Alpacas lavradas de todas as co-
    res, covado a 6i0, 300 e 1)5003
    Bonitas lasinhas escossezas eom
    quadros e litras de seda, covado a
    560.
    Finas alpacas lisas, sendo cor bis'
    mark lyrio, verde, roxo, cinza, can-
    na, azul etc., covado aiO.
    Ditas furta cores eom as mais bo-
    nitas c5res, covado 503 rs.
    Lindas baregus lisas, e eom lista
    da m.isma cor, fazenda inteiramen-
    te nova, covado a 560 e 640 rs.
    Bonitas lasinhas tapadas e trans-
    les eom grande diversidade, o
    (Ovado a 600 rs.
    Lasinhas lustrosas eom lindas co-
    res emitaco de seda, o covado a
    20.
    Judos cortes de anadine, sendo
    f.iz.'iia nova e transparente e de
    muita phantesia, eom 18 covados a
    )00.
    Fuiiss'mos cortes de vestidos bran-
    ,coa bordados eom todos os enfeites
    Itbcezes a 124IOOO.,
    tes de ganga indianos, fazenda*
    .runenle nova a 70OOO-
    Ditos chinezes eom duas saias a
    >o.

    Organdy branco eom listras lar-
    gas e quadrinhos, a vara a 1(5000.,
    Todas estas fazendas, sao inteira-
    mente novas e se vendem muito em
    conia, ra da Imperatriz n. 60,
    oja e armazem de Silva e Figuei-
    do & C.
    de 12#000 rs. cada um, pechincha.
    GASEMIRAS ESCOSSEZAS.
    O Pavo tem bonhas casemiras escosse-
    zas eom quadros grados e miudos e outras
    lisas eom listras ao lado, sendo fazendo
    muito fina que se vende mais barato, por
    uaver grande porgo.
    CORTES DE CASE OTRA PRETA A 4:500,
    O Pavo tem os superiores cortes de ca-
    semiras pretas enfeitadas pelo oarato preco
    de 4)5500 rs. o cort,
    CASEMIRAS RASPADAS A 800 RS. O CO-
    VADO.
    O Pavo ?ende exeellente fazenda de pura
    la eom as cores escuras muito proprias
    para calcas, palitots, clletes e roupa para
    meninos que frequentam a escolla por ser
    urna fazenda leve, escura e de muita dnra-
    co, pechincha a 800 rs. o covado ou a
    5800 o corle de calca para homem.
    FINAS BARGES A 610 RS. 0 AOVADO.
    O Pavo tem as mais linda? bareges de
    la sendo raaias transparentes, eom urna
    s cor, tendo : lyrio, azul, rosa. Bsmarck,
    roxo, etc., tendo muito boa largura e liqui-j
    da-se por 640 rs. o covado, por se ter fel-
    CROCHE'S PARA CADEIRAS E SOFA'S.
    O Pavo tem um grande sortimento dos
    mais bonitos crochs para cadeiras, sofs
    masas, alraofadas etc., proprios para co-
    brir presentes e vende-se mais barato do
    que em outra qualquer parte.
    Algodo enfestado.
    Vende-se urna grande porco de algodo
    sinho americano eom 8 palmos de largura,
    proprio para lences e toalhas, tendo liso e
    trancado, que se vende por preco muito em
    conta.
    LAS ESCOSSEZAS
    LAAS ESCOSSEZAS
    LAAS ESCOSSEZAS
    A 560 rs. o cpvado.
    Chegou para a loja do Pavo, o mais
    elegante sortimento das mais lindas lazi-
    nhas escossezas eom os de seda, as quaes
    fazem o mais delicado effeito, para vestidos
    de duas saias, e vendem-se pelo baraiissi-
    mo preco de 560 rs. o covado.
    SEDAS DE LISTA
    SEDAS DK LISTA
    SEDAS DE LISTA
    a 2<5000 o covado.
    Chegou para a 1-ja do Pavo um grande
    e bonito sortimento das mais lindas Sedas
    de listas con as mais delicadas cores, tendo
    entre ellas algumas que servem para luto, e
    vendem-se pelo barato preco de 25000 o
    covado, pechincha
    FAZENDAS PARA LUTO NA LOJA PAVO
    Encontra o respeitavel publico neste es-
    GROSDENAPLES PRETOS DE 11600 AT 7*000
    Na loja do Pavo encontra o respeitavel
    publico um grande sortimento de grosde-1
    ROUPAS PARA HOMENS PARA TODOS
    OS PRECOS.
    uaples pretos de todas as larguras' e qua-! N'este. grf de fstabelicimento encontrar
    'idades, tendo de WOO o covado at 75000 A resPeilavel poblico nm grande sortimento
    e 85000, que se vende por preco muito (
    em conta.
    GASSAS
    Ditos de la escosseza fazenda mui-
    to b mita eom Sos de seda a 7A0iX)
    asimos organdys eom lista de
    cor e salpico, senuo fazenda de
    muita phantesia, ojmetro 15280.
    to urna grande compra, assim como ditas
    mais estreitas de urna s cor eom listras
    imitaco de seda a 560 rs. o covado, pe-
    chincha.
    PECAS DE MADAPOLAO A 35500.
    O Pavo vende pessas de muito bom
    madapolao, tendo 12 jardas cada urna, pelo
    barato preco de 34500.
    PSCIIIXCHA EM ALGODO A i000 RS.
    O Pavo est vendendo pecas de algodo-
    sinho francez, tendo 4 palmos de largura e
    eom 11 metros cada peca, palo barato pre-
    de 45000 rs.
    CERA DE CARNAUBA.
    Vende-se superior cera de carinuba em
    saccas, mais barato do que em outra qual-
    quer parte, na ra da Imperatriz n. '60,
    loja do Pavo.
    OS SETINS PO PAVO
    Vende-se es mais bonitos setins de cores
    tabelecimento um grande sortimento de fa-
    zendas pretas, como sejam cassas france-
    zas e inglezas, chites pretas de todas as
    qualidades, fazendas de la de todas que
    tem vindo, proprias para luto, sendo lasi-
    nhas alpacas lavradas e lisas, canto, bom
    basinas, merinos, etc. que tudo se vende
    por preco barato.
    PARA BAPTISADOS
    Na loja do pvo vende-se bonitos en-
    chovaes para baptisados.
    Cortes de casemira a 45000, cada um.
    Vende-se bonitos cortes de casemiras
    claras e escuras pelo barato preco de 45,
    ou a 25400 o covado, tendo duas larguras,
    CORTINADOS PARA CAMAS E JANELLAS
    de 85, 105.125 e 165000.
    Chegou para a loja do Pavo um grande
    sortimento dos bonitos e ricos cortinados
    bordados, proprios para camas e jaoellas,
    at o mais
    Irco que vem ao mercado, e vende-ee. mais
    barato que em outra qualquer parte
    _ FRANCFZAS.
    Chegaram para a loja do Pavo as mais
    lindas cassas francezas eom delicados pa-
    drdes, tendo para todos os precos e quali-
    dades, dando-se todas amostras, asim como
    um Bonito sortimento das mais lindas chi-
    tes francezas escuras e alegres, que se ven-
    dem muito em conta, e tambera se do
    amstras.
    CHITAS A 240 RS.
    Na loja do Pavo venden^-se bonitas chi-
    tes francezas claras e escoras e cres'fixas
    240 rs. o covado, e pechincha.
    LASINHAS A 320.
    LASINHAS A 320
    LAASLNHAS A 320.
    Na loja do Pavo vendem-se elegante sor-
    timento das mais lindas lasinhas lustrosas,
    eom listrinhas a imitaco de poupelinas de
    seda e eom as*cres mais lindas que tem
    vindo ao mercado, sendo fazenda que vale
    muito mais dinheiro, e liquidam-se a 320
    rs. o covado, pechincha,
    PECHOTCHA
    EM CAMISAS DO PAVO A 45500 RS.
    Vende-se um bonito sortimento de muito
    Snas e modernas camisas inglezas eom pe-
    tb e coliarinhos de linho e punhos, pelo
    baratissimo preco de 45500 rs. cada urna
    e aos.freguezes que comprarm duzias se
    lhe far um abatimento. garantindo-se que
    fazenda que vale muito mais dinheiro,
    liquida-se por este preco oor se ter feito
    urna grande compra: assim como se vende
    um bonito sortimento de ditas tembem eom
    venue-se es mais Donitos setins de cores w"* w a qr ,
    i mais encorpados, proprios para vestidos! 1ue se vendem de 8(T Par' ?t c
    tendo de diversas cores. r,co Ia6 vem aa mercado? e *eade-ee
    ^m l barato qjue em outra qualquer parte.
    aborta,
    para lodos os precos.
    PANNO PARA SAIAS A 15000, 15280 e
    15600 RS.
    Vende-se bonitas fazendas Jproprias para
    saias sendo eom bordados e pregas a ttm
    lado, dando a largura da fazenda o compri-
    mento da saia e vende-se pelo barato preco
    de 15000,152SO e 15600, cada metro sen-
    do preciso apenas 3 ou 3 1/2 metros para
    cada saia pechincha.
    Vestidos brancos m 1*4000 rs.
    O Pw$o vende 6nissiraos cortes de ves-
    tidos de cambraia tranca, ricamente borda-'
    das e eom muita fazenda pel barat preco
    de roupas, sendo palitos e sobrecasacos de
    panne preto e cazemira, caifas e. coletes de
    brim branco e de cores, que tudo se vende
    mais barato do que em outra qualquer parte;
    assim como um grande sortimento de ca-
    rnizas francezas e ingtezas, e ceroulas tanto
    de linho como de algodo e abundante sor-
    timento de meias cruas.
    VESTIDOS INDIANOS COM DUAS SAIAS.
    0 Pavo vende urna granda porco de
    cortes de vestidos indianos, tendo duas
    saias e tendo bastante fazenda, eom os gos-
    tos mais novos qu tem viudo, e liquida-se
    a 55000, tendo cada um seu competente
    flurno.
    CASEMIRAS MESCLAOAS A 35 O COVADO
    O Pavo tem para vender bonitas case-
    miras mescladas e bastante enwrpada para
    roupa de homens e meninos pelo barato
    preco de 35ooO cada covado ou 55000 o
    corte de calca para homem.
    Roupa por medida.
    Na loja do Pavo manda-se fazer qualquer
    peca de obra a vontede do freguez, para o
    que tem nm perito alfaiate, responsabelisan-
    do-se os donos do estabelicimento por qual-
    quer felta que possa haver, quer por de-
    mora, quer por qualquer defeito na obra;
    e para isto encontra o respeitavel publico
    um grande sortimento de todas as fazendas
    que desejar.
    BRAMANTE A 1800.
    Vende-se superior bramante eom 10 pal-
    mos d largura, proprio para lences, dan-
    basquina
    ricamente
    pe,ofc o bordad* e diu, d, afcodo .taSTJ&TK o co,.p
    merto do lenco!, sendo preciso para cada
    um apenas 1 e 1/2 metros ou 1 e 1/4 pe-
    chincha pelo preco.
    ESPARTHJIOS A 5*000.
    Vende-se um bonito sortimento dos me-
    lhores e mais modernos cspalbos tendr
    do barato preco de 55000 aj 8000.
    Cachenez.
    Na loja do Pavo vende-se um grande
    sortimento dos mais bonitos cachenez de
    pura la proprias para senhoras, vendem-se
    a 65000 cada um, na ra da Imperatriz
    o. 60.
    ALPACAS LAVRADAS A 640, 800 u
    1,000 RES.
    Chegou para este grande estebelicimeac
    o mais bonito sortimento das mais moder-
    nas alpacas lavradas de todas as cores, qn*
    se vendem a 15, 800 e 640 reis o covado,
    assim como um grande sortimento de alpa-
    cas lizas de todas as cores
    Basquinas.
    Chegaro as mais modernas
    ou jaquetinhas de seda preta,
    enfeitadas a viarilbo, tranca e setim pretc
    tendo de todos os modellos, os mais novoa
    que tem chegado e vendem-se por preco
    muito razoaveis.
    POUPELINAS DE SEDA
    POUPELLN'AS DE 8EDA
    POUPELINAS DE SEDA
    a 25000 o covado.
    O Pavo acaba de receber o mais ele-
    gante sortimento das mais lindas verdade-
    ras poupelinas de linho e seda eom os pa-
    drees mais delicados que tem vindo ao mer-
    cado, tendo entre ellas cores proprias para
    alliviar luto, e vende-se pelo barato preco
    de 25000 cada covado, pechincha.
    Cambraias brancas
    Vende-se nm grande sortimento das me>
    lhores cambraias tanto victorias como trana
    parentes tendo de 35500 peca at a mai
    fina que vem ao mercado.
    CAMBRAIAS BRANCAS A 4*000, A PECA.
    S o Pavo vende pecas de cambraia
    branca transparente, tendo mais de vara de
    largura, eom 10 jardas cada peca, fazenda
    qoe sempre se vendeu a 75 e 85000, liqni-
    da-se pelo barato preco de 45000.
    FUSTES BR-NC0S A 640, 800 E 1*200.
    Vende-se muito bonitos fustes branco
    muito flexivel proprios para vestidos ds
    senhoras e roupa para meninos e vende-es
    a 640, 800 e 15200 rs. o covado.
    Cassas a 40 rs.
    O Pavo est vendendo bonitas cassas da>
    cores fixas a 240, 280 e 300 rs. o covado
    Brilhantes lasinhas.
    S o Pavo, 640.
    Chegaram as mais birlhantes lasinhas coa,
    as mais lindas cores, eom palminhas raiod-
    nbas, assentadas as mais delicadas cores de *
    lyrio, cor de canna, cor de ganga e branco,
    sendo estas novas lasinhas de muito boa.
    qualidad, tendo largura de alpaca e vende-
    se 460 rs. o covado. rna da Imperatrii
    a. 60 loja do Pavo.

    m "


    m

    I MUTILADO I
    ...
    *

    *,
    \


    40 R
    *>** <* Puuu]>uco Segitad
    feir
    a i dt
    Cf
    Unidas
    PUBLICO
    I *
    fii a de novo bre o* seu* esi-b^i** de Canudas
    Mdfipam< de Garibaldi-sArar e leudo VmS
    tic* dito. JJ Gar,ba',,,. P^ra car tneote cum a da Aroro, cumo cima
    Attenpo. CDVLES
    Vende-se cimas/raricezas a 210. 280 :j->n
    ^J!.0.^'3'1" "a '"Ja do Arara.
    IKVf AXft^N DE
    __
    u
    .*m
    _____V

    BRANCO3 DE CASSA A J*000
    <;u>.\ mi.
    COBERTAS CH1XEZAS DE CHITA A35000.
    Vende-so urna grande
    " wauf n( (illa fio Aran \i ----.----......-(/vv\i.
    ORGANDYS DE LISTA DF COMK t ? 2a ?-a sn,nde P0^ Ue cober-
    23
    ito modernas a 440 rs.
    ahoros
    o* nado.
    "iP*"*1?8 au ""* e cor
    _ \ftMe-se hnlhajiiina ou niussulin* de
    WT M vestidos a 0 n envade
    RUCADOS FitXCEZES A 300. '
    vende-so riscrfos frjwcezes para vestidos
    00 rs. ti covado.
    CJi tas largas a StO.
    vende-te chitas escuras linas das largas
    para vestidos de saibores, a 320 o covado.
    Uilas niHiis.-nlas oscuras* a 280 o covado.
    ALPAGAS LISAS A 500,
    vende-se lpicas lisas para mtidos de
    enhoras a.%06i0 rs. o ovado.
    ' l
    covadp para liquidar.
    ALPACAS DK LISTAS A 300 RS.
    \ende-so alp:.:as .Id listas para vestidos
    aJO rs o cavado.
    BMLHANTIXA BRANCA A 500 RS
    .>p*5-sb brillantina branca para vestidos
    > oUOVs, o cavado.
    ALPACAS AHUSADAS A G40.
    \eade-se alpacas mateadas para vestidos
    de MHhora a lito rs. o covado.
    CORTINADOS PARA JANELLAS 65000.
    Veodo-SL' cortinados para ianellas a 60Q0
    par para rqui.Lr.
    SEDAS UE.CORES I 000.
    Vende-se sedas p.ira vestidos a I >000 o
    covado.
    WIITINADOS PARA CAMA A 140G0.
    Vande-SH cortinados iara rama a faJOG
    MLLWHAS l'Ai;A SG^BUBA 100. '
    Vende-so iKua. Brande poreSn de goilmias
    para seolioras e meninas, a O e 300 r
    cada urna para liquidar.
    CUITAS PARA C08ERTAS 330.
    Y*?^ chiU ,J*8 Para iberia a
    *J e JIjO rs, o corado.
    ' MANGUITOS E COLLAS 500.
    \ ende-se manguitos e gollinlias para se-
    ahora a 500 rs. ditas da linho a OiO e 800
    rs: cada orna. #
    CUALES ESTAMPADOS 20000.
    *!ndes'} W rt incrin estampados a
    2*000 para liqod.r
    CAMBRA l.\S VICTORIAS C$000.
    An.!n7*tanCaL,,;'i,S Vxtorias finas a
    6*X 0 Cv>300 e 7300 >. por ser liqmdacao.
    ALPACASCOM PALMAS DE SEDA A 15000.
    Mde-se alpacas com patinas de seda pa/a
    vestaos de senoora a JQOOorovado
    C0RrES DE CHITAS DE CORES A 2i00.
    \cnde-se corles de elidas de coros com
    Ocovadosa *50d.
    Vende -e na toja do Ame 3 balcoes para
    quaujiier estabeiecimento por barato presso
    por nao se precisar d'elle o eptabeleci-
    fnwHo.
    RETALHOSDE CHITAS PRETAS E CASSAS
    A O 0 COVADO.
    i Venderse nina gnarnia por^o de reta-
    , Ih08 de chites e eassas pretas a I0 rs. o
    'covado para liquidar.
    COBERTORES DE ALGODAO A 1^400'
    tutu!?** COerIore8 dfl algodao cada um
    BR.VMANTE DE LINHa FINO A BARATO
    PRESSO.
    llgoduo lajeado de Imis lar-
    guras i S.VSOA
    Vende-se algodSo transado de duas lar-
    guras d 10200.
    JIADAPOLO ENFESTADO A 3^500.
    Vende se pegafl de ma lapolao de 12 jar-
    das a 350O a p. ca.
    ALGODAO A 45000.
    Vndese pe,- s de, algodao encorpadoa
    45. 55, 05 e 75000 a peca.
    Hadapolo a ..SOO.
    Vende-se pe,;as de madapolo de 24 jar-
    2a* A1.35 t;? m00' dit0 l,l',,il0 fmo a U
    H 95 e 105 a peca para liquid r.
    ALGODAO DE 8 PALMOS DE LARGO.
    Vende-se elgodo cora oilo palmos do
    largura proprio para leni'fs e toalbas a 0O0
    is. o metro.
    ALGODAO DE LISTA A 160 RS.O COVADO.
    Vende-se algodo de lista proprios para
    saias oti vestidos para escravas ou caigas e
    carnizas [.ara escravos p;,r ser rauito forte a
    loj rs, o covado para liquidar.
    Cartea de castor
    Largo do Ter^o.F. 23.
    S1MA0 DOS SANIOS ft t
    PROGRESSO
    .Ja Europa n completo ^a^soSnW
    finas e mu dc^adas especialidad^ ? de
    taoresolvidos vender, comeTS^SS,^
    por proco nmito baratinhw e commoS SSS
    dos, cora tanto quo o Gallo... para to"
    Muilo superiores lavas de pellica, nrefts. hr,.^
    ye de mai lindas cores. ^ P ^ "**
    a m r
    A ra co Duque Je Casias n '21.
    (AinGA RDA DO OEIMABO)
    de mattax
    i cas
    Pateo da Penha
    DE
    10
    S A H TOS & FEHBEIR1
    Os proprietarios destee bem sortdw
    anauens parapam eos seue irmumeros
    fregoeaes tanto desta
    508 as saas
    aira qsetquer narte. aaranlindo-w nrii ^ IUe"8 ?.. ? e. 2U V
    st, visu ^ .--i ^rsr^a: s,r
    i'ina-los.
    Se alguem duvidar venha ver.
    Vinagre branco mandado vjp n0r ^^
    480Poa|iIrod detSba> a 320 garrafa o
    teJ?S'?Figt2ra' Lisboa e Porto a
    -0, 28T), 940 e 200 rs. a garrafa e 480 300
    rs. o litro.
    . SbnFAUlra' Lisboa Porto e Estreito
    ~ o, 720 e 600.
    Vinbo branco puro de Lisboa a 640 560
    3 prr? 'j em porfao ha abatueoto.
    Vinbo do Porto, engarrafado das melho-
    rSPnnraaSc,a1(Cretadas marca a W00 e 15200
    15500 e 25 a garrafa.
    dem
    Gaz americano marca Devoes a 85800 a
    UU, 380 rs. a garrafa e 560 o Itro.
    Azeite doce de Lisboa a 900 e 15000 a
    garrafa cm porcao faz-se grande abatimen-
    Caf em caroco a 220, 240 e 2>0, a U-
    'SSui ,%r,anUDOa 48- 50 00, e
    75000, 753GO e 85800 arroba.
    Milbo alpista 200 rs. a liera e 440 o ki -
    logramma e 55800 a arroba, em porcao ba
    llui bas e bonitas gollmhas e punhos Dar a.
    ntora, nesto genero o que ha de L moS^o
    sopenurea pantos de tartaruga para coques."
    Lindus o nquissioios enfeites para cabecasdat
    Exmas. seuhfiraa. *^"e\asaaf
    Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
    aos a son elles esta fazeuda o que pode baver
    de mclhor e mais bonito. *^
    maSrUfi^rD0re8. ,e bonit03 leIues de madrepercla,
    ^n^H3"^810 ue osso' "^ amelles braneos
    com lindos desenhos, e estes preos.
    Muite sniieriores raeias fio de Escocia para se-
    ooras, a quaos sempre se venderam por 30*000
    a ozi, eniruUnto que nos as vendemos por 20
    nnt^,^Ite?10SUmbem 8rande sortiinento de
    finas qna!"lades' emre laaes algumas muito
    ra^3.benBaias de **&**<* canna da India e
    casuo de mrru cora indas e encantadoras limi.
    n^p0rt^le'ra, v!e genero 1ue de melhor%>
    necebiu spguiti_
    liosgranU-
    Carieira, eharntir.
    qnlidadef.
    Itrmia* pa Boas raixa va>tas para t-osiura cuaj sua ermbe-
    tente chave.
    Delicadas caetas de nurfim com o bocal de
    prat.
    M'Mternns pente. de tsrtanifa, sc-bresahindo en-
    tre lies o* mimn*o.* iHtefia.jliisu?.
    Conimodo tt-ucadores cu> dua gavetas e Um
    espi'lho.
    c,un Lju P.>rt relogio de muiLis .ina/ldades.
    H'ns Ulceres para rriaw
    m7,|*5 -liapuztnl.u.-, touras, sap.itos e meias
    para oapiisadot.
    Toalhas e fi onhas de labvriolho
    Uiapai cchapelinas para HW3ra, Befes a
    c ornos.
    Cliapozinbos
    meninas.
    Cbiitr
    caica a
    para calca a
    cor para
    para
    54>o rs.
    Vende so coitos de castor
    >0O rs rada nm.
    CORTES DE BRUI PARA aLCA A 15400.
    Vemle-se cortes de briin de
    calca a 15*00 cada uffi.
    Briai pardo liso a &OO rs.
    Vende-se brim pardo liso, meio linho para
    calcas para traball u a 500 rs, o metro
    angas para calea aSSO rs.
    Veode-se gangas inglesas para calcase
    patnots a 280 r*, o cnvaHo para linoidar
    CORTES DECASEM1RA DE CORA hm.
    Vende-se cortes de casemira de cor para
    caifa a 35400 cada m. F
    Dito3 mui o finos -om listas do lado a 5-?
    PERCALAS FLN US A iC
    Vende-se perca as finas, para vestidos de
    senu-ias a 440 rs. o covedo.
    C'assas fta-cezas a 40.
    Vende-se cassas i'rancezas para vestidos
    a 840 rs. o covado.
    75500 e 65500, a dozia e 640 rs. a garafa.
    Genebra de Hnlfanda e larania doce aro-
    mat.caa 65500, 75, 115500, a frasqueira.
    Serv-eja Bass, Illers A Bell a 95800 du-
    aa em porco ba grande abalimento.
    JSWP eT e outras marcas a
    5500 e 65, a dezia e 500 rs: a garrafa.
    Assim como ta ouiros muitos
    abatimento.
    Queijos frescos do ultimo vapor a
    e 5400 cada um.
    Aletria, macarrSo, talharim a 500
    35200
    rs. a
    o kilogrammo em caixo ba
    e 2a qoalidade a 220
    passas e figos, charutos finos de diversas tnr^r'm^7n^l"u'^r^iS' ai8U0D
    quajidadej. perola, Francr-cracvne a h ? 2?* marme,ad*' holachiohas de todas ,
    iac5 de y^,tS^SS;^tSS Snf;10^ ********
    franceza e ingleza. banha ri LiS^.* ^f.5? 0,a^a ^ CG0Ur'C
    libra e 15100
    abtimento.
    Sabo massa de Ia
    o 240 rs. a libra em caixa ba abatimento
    Touciiiho de Lisboa muito alto a 400 rs.
    a libra e 880 o ki'ogrammo, em arroba ha
    grande differen<;a.
    eneros, vinho em ancoretas, aieitonas,
    as
    fioae desejar ; a.m destas temos lambem gi
    2S?'Sil,00 U!ra.S 1M,idades' =oma sejam, ma-
    ueu-a, baJeia, osso, borracha, etc. etc. etc
    i-mes, bonitos e airosos chicotinhos Ue cadeia e
    nnrtM1;,:nnres lipas de seda e Dn-acha
    pjra segurar as mcwas.
    ,,S rt'fa de iedaipa ?enhora e PaBa mmi-
    aas de 1 a 12 annos de idade.
    Aavaihas cabo do marlim e tartaruga para fazer
    ri.H '"^ Ti10- bas>e de mais a 'ais "sao ga-
    ranudas pelo fabricante, e nos por nossa ver tam-
    oem aseguramos sua qualidade e delicadeza.
    Lindas e bellas capellas para noiva.
    bapenores agalhas iara uuwbina e para crox
    labyVninthomUlt0 a ***>, toux*, para encher
    Bons baralho? de artas para voltarete. assim
    como os lentos para o meamo fim.
    gorres e baets para menino *
    as convulsos tms
    (*ri;il;;is
    vfr(b(ie:nis flfttterr* na Kvn K.pe-
    na d Duque ile C.,xis< n. ||,
    barba
    Vende-se os
    ranea, ra
    PAISA TI.NOll CABELLOS
    para pretiw nn CMlanbi-a, nndwa < Xvn &pe-
    laura a verdadera Rui* indeu
    PA11A ACAB.ll .OM AS SARDAS
    on pannos, lem xHw Bsperaiira u ver.ladeir.
    leila do rosn> ir.inc;.-.
    _ A(;L-AI)KFI.O!II)i'I..\[!A.VI,\.
    ven.!!-" na .Nova Eperauea, la iii Bnnae de
    Caiis n. 21.
    PAPEL PAIIA KXFliJTAll-SE liOI.S
    rercboH-os muito lindos a Suva Ksperanr rea
    do Duque de Caxias n. 21.
    PAI'.A AMAi:iAU E ArOi!Mu$i:.\!l A PELLF.
    tem a Nova Esperanca es sabom-les do po, (Je
    arroz.
    ihm^.* e ?r'ado ,?>rlimenl0 das melhores per-
    rumanas a "-"--------- -
    romisa dS meIhores e mais eonhecidoa per-
    COLARES DE ROER.
    magnticos contra as convuisoes, e
    aencjo das innocentes enancas. So-
    iranceza e ingleza, banha de BaltimniTr >o?A.^k gu'da ina' CDOUr'Cas, manteigas finas
    sas qualidades, anella mnT SZ* SS ^^ cha diver'
    gocio, que Pe,os seus ^^^^,^1^ ^ -
    Elctricos
    fadlitam a
    .u-f*10 ,n^10' recebedo',es de^tespTodJgio^
    va' e ontranamos a recebo-Ios poV tol
    apores, '
    como j i
    les o:
    LOJA DO PAPAGAIO
    Novo estabeiecimento
    OE FAZENDAS E ROPAS FEITAS
    linperalnz n. 40,
    esquiua do
    DS
    I TI
    )et-co dos Ferreiros.
    RA DO DUQUE DE CAXIAS
    N. 7, (OUTR'ORA DO QUEMADO)
    DE
    ujvilLIfiii \x ji.i
    i novo ostabelftcimento j bem conbecid
    so. is^fsvs2;de blond dj sda bM'didos de dua? saias v *> w
    i braceo da seda, superior qualidada
    -" >t*a de Man I rom capellas do flor de laranja : s na
    Loja do Triumpho.
    ______ Ba do Duque de Caxias n. 7.
    desta IrSJES^^^ Publico
    tissimos, as antigs fazenda, que exSm n? tee^ai?JS?' a P.r pr8tS bra_
    vao relacionadas, cujos preco's merecem tnd? f i lBemeat0' alm da 9 abaixo
    mais apurado e escomido goslo, que vender mais
    cise.
    na*, o continua a sortir-se das do
    barato que qualqoer outra loja.
    ^~~E5=^^i^-r
    rico e
    SZr.p2^2"SS.vr~*.* 55ETS cFa
    um
    dei nos
    mestre alfaiate perito so
    aer
    para a loja, e manda-se
    A LOJA DO PAPAGMO tem contralado
    um
    Z^!2 E? *f* **>? mST^ .tt pereceo e esmer, e qual-
    I
    BIL DA flO i I
    Tacho? .le ferro estanhado para enitpnhos
    gns *a r.;rro de Milner e oulros auiore.
    '.nurnho em cano. ,
    Dito em lcn(;j|.
    Dito em barras.
    Dito ':!) etfaa ba,
    Brtanlw em i.arra e vsrguinha.
    Follia de Plandrea.
    Arados americanos para ladeira e varzea.
    1 .armios da B>aa
    Venezianas pura janellas.
    Marhinas da descarupir algodao de faco.
    Ditis de serra.
    Ditas para cortar fumo.
    CaStnran de ferro.
    Gamos de farra.
    Pen.- is pa.-a copiar cartas.
    Halani;as para pesar.
    Oleo d'! linaca em latas de ferro
    Trilhos de ferro psra engenhos
    Bombas americana'. .
    Macacos de e>livar.
    Jtalajicas e pasos decimaes e outras
    Fogofi* 'le patanle. '
    Enxofre.
    Salhre.
    - Estopa larga o de boa qualidade.
    Picaretas para caminaos d ferro.
    Um grande sortimento de ferragens e cutilaria
    fazer mT ^ *" V0Wa* dS regUezes
    Atoalhado de linbo fino,
    e de algodo a 5.
    Algodaosinbo largo, para lences e toa-
    lbas a 15000.
    Alpacas pretas, de cores, lisas, de furta
    cores, e de Ostras.
    Bareges com lislrinhas de differentes co-
    res a 320 rs, o covado.
    Bols sde tapete aveludadas, para viagem,
    o pre<;o e conforme o tamanho.
    Bombasinas pretas. lisas, e trancadas.
    Bramactes de linho, francez e ingiez a
    Bales de mussulina,
    Ksguio de linho de 15660 a 35 a vara,
    de merino pretos muito grandes
    estampados de 4,500 para
    preto liso, e de
    a :i> o metro,'
    Cb.les
    a 35.
    Dito dito
    cima.
    fil de linbo branco e
    salpico.
    Gravaos de seda pretas e de cores, da
    mais modernas qoe tem viodo ao mercado
    buardanapos de .inbo braneos e pardos
    Grosdenaple preto de differentes pr eos'
    Laasml.as em cortes com palmas com 14
    co?adopor65.
    Madapolo mglez de 55 at 105 a pera
    Lencos de algodao, braocos de 25 a 35
    duza. "
    Ditos decambraia de linho de 65 a 125s
    Ditos de esgeiao de 5 a 85.
    petera para 2 aMtUee, para mover as
    Basquinas de grosdenaples preto
    lernas e de croch muito enfeitadas.
    Bretanhas de linho. e de algodo!
    B.ins de linlio trancados beancos
    core^.
    cores"18 ^ algd3 tranfadS braDC0S e de o covalo.
    mo-
    e de
    eoKva':n de ,,,ie uun'--a fJtem no mercado,
    ii a acom'.(-'lu0- *Mim pois poderao aquoi-
    f^ fn,0(lele8,PrCC'3arera' Vr a 'Pasito do5o
    d iros AtfJ Se"lpre ""trario^eates veta
    Sari non S fn' 1! h qUae9 a"enflcndo-se ao flm
    SuSo ES?* ?**> com nm mui
    dcfla?X''2h; aVSta dosobJtos que deixamos
    3 cordeiro prevideati
    Ra do Qucimado a. i e.
    Novo e vanado sortimento de Derraman
    finas, e outros objectos.
    AIem do completo sortimento de perft
    manas, de que efectivamente est provida
    ja do Cordeiro Providente, ella acaba d
    receber um outro sortimento me se tora
    lotave! pela variedade de objectos, superior
    naoe, qualidades e commodidades de pr
    tos; assim, pois, o Cordeiro Providente peo
    e espera continuar a merecer a apreciad
    do respettavcl publico em geral e de se
    00a freguezia em particular, nlo se afa?
    lando elle de sua bem cocheada mansid
    a barateza. Em dita bia encQtra:3o o
    apreciadores do bpm:
    Agua divina de E. Coudray.
    Dita yerdadeira de Murray d- Laminan.
    Dita de Cologne ingleza, americana, fr
    eza, todas dos melhores e mais acreditado
    fabricantes.
    Dita da flor de larangeiraa.
    Dita dos Alp.es, e vilete para toiiet.
    Star odontaig-co para conservacSo
    sseio da bocea.
    Cosmetiques do superior quslidado e cbs
    ros agradaveis.
    Copos e latas, maiores e menores, coi
    pomada fina para cabello.
    Frascos com dito japoneza, transparem
    ?. outras qcalidades.
    Finos extractos inglezes, americano
    rancezes em frascos simples e enfeitadoa
    Essencia imperial do fino e agrada val cb?
    ro de violeta?
    Ontras concentradas e de cheiros igna,
    mente finas e agradaveis.
    Oleo philocome verdadeiro.
    Extracto d'oleo de superior quslidad
    ;om escolhidos cheiros, em frascos do dift
    "entes tamanho.
    Sabonetes em barras, maiores e menor
    para mos.
    Rival sem segundo
    HIJA DO DUQUE DE CAXIAS N. 49
    Estou disposto a continuar a vender todas
    as miudezas pelos baratsimos procos abai-
    xo declarados, garantindo ludo bom e pre-
    cos admirados.
    Caixas^om 20 cadernospapel pau-
    tado a........
    Caixas com 50 nove I los de linha
    do gaza. x. .. .
    Duzias de meias cruas superioi
    qualidade a. ......
    Pecas de babadinlios com 10 va-
    ras a........ .
    [Pecas de tiras bordadasrom l
    metrog cada p ca a 15000 e.
    Pepas de fitas para cs de q< quer largura com 10 varas a.
    Escovas para unhas fazenda lina a
    Ditas para deotes a 240, 30,
    400 rs. e....., .
    Pecas de tranca lisas, brancas e
    de cores a.......
    [ Uaixinhas de madeira com alfine-
    tes fazenda superior a. .
    Duzia de linha frxa para borda-
    dos a 4U0 rs. e. .
    Pares de meias croa* para nii>
    nos diversos tamanhos a.
    Duzias de mekis brancas inoito
    finas para senhora a. .
    Pares de sapatos de tranca do
    Porto........
    Pares de sapatos de tapeto a. .
    Livros de missa abreviados. .
    Duzias de baralhws para vultjielc
    Sylabarios porttBgwetes a. .
    Cartts com colsetes tjnrreras a
    Aootoaduias pera Loilete. dtvtfras
    qualidades .......
    Caixas com penna de ac milito
    boa de 320 a......
    Duzia de linha 200 jardas Alejan-
    dre de 40 a 200 e, .
    Caixas com superiores obreias a.
    Duzia 0e agnlha para machina a.
    Libras de progoe rancezes todos
    os tamanhos a......
    Pacote de papel com 20 quader-
    nos...........
    Caixas de phosphoros seguranca
    muito superiores a .h
    Rerma de papel pautado superior
    Resma de papel liso muito supe-
    rior a.......... .
    Garrafa com agua Tlonda verda-
    deira a ,......
    Qnaderno de pape' liso amizade
    Carretis de 'inlia de cores com
    100 jardas a ........
    700
    400
    25000
    . 500
    600
    40
    400
    SKI
    ::_
    20I0O
    !:
    40''
    4u
    2#80(i
    400
    40* >
    '10VVI
    15600
    20
    .Mussulinas brancas e de ceres a 500 rs.
    Combraias brancas tapadas
    Gorguroes de lia com listras, fazenda In-
    e transpa- tetramente nova no meroadn a wv\ r-
    rentes, sendo inglezas % suissas de 8 pal- covado. a 800 rs"
    uc.N(|uudU. ; como de ajguda0 para cams,q A. Unmorn
    Um.s,nbas brancas de. cimbris com di- Mrineet pretas de Entes DZ'
    beados bordados, e encadas de c6r para; Cambe. anca tapada StodargTS
    T u Pre8a? rt cordado, ba de tres qualidades
    Lambrotas de cores a 400, rs. o metro e ProPr,a Para sa'as de Sras., o preco ba-
    CASA CAUVIN A mRihier
    lloulevard
    PbormaesuUco privilegiado
    t Buccecaor s
    Sebastopol, BB. PARS.
    NOVAS ESPECIALIDADES A MARIMIFR
    IMJECCO 2^^'iBgtelZtA
    MOLESTIAS^CONTAGIOSAS
    de Panno e Sehinsa sem o
    frmgiaado.
    ira fs*r do
    iTIVi das
    800 rs. a vara.
    Camisas inglezas, e francezas de linbo. e
    de algodao de pregas, lisas e bordadas.
    Chauos de sol de seda, merino e alpar-
    ca de diflerentes cores, e muito baratos.
    Chitas para vestidos, francesas, de 240
    ate 400 rs.
    Chitas para cohertas de 320 at 640 rs.
    Cortinados de cambraia, e de fil borda-
    dos para camas e janelas de 105 para cima.
    Col, has de fusto bancas a 35500.
    Ditas de cores a 25800.
    Colarinhosde linhos, inlezes, ealemaes.
    lisos e bordado?.
    Damasco de 15, encarnado, a zul e a ma-
    pello, escomilba preta.
    Espartilhos de linho bronco para Sras.,
    de differentes procos.
    para vestido a
    rato.
    Sedas pretas lavradas
    25500 o covado.
    Sargelim francez e ingiez de teda ao co-
    res.
    Toalhas de algodao e de linbo de dif-
    fereDtes qualidades e tamanhos
    Punhos de oho para homem muito fi-
    nos.
    Meias; ingles para Sras., e para meninos
    e para horaene, de d-ffereotes qualidades
    e de todos os tamanhos.
    Para quem comprar pega oa duzia da
    qualqoer faztnda seu preco o costo Dar
    diminar o retalho. 'v
    p.m-s1 as amostras de quUquer fazenda.
    A oja do Papaga.o acha-se aberta todos
    os das, ate as 9 horas da noute
    Francisco Teixerra Mendes
    Ditos transparentes, redondos e em fifi
    ras de meninos.
    Ditos muito finos em caixinha para barb.
    Caixinhas com bonitos sabonetes imittnrt
    fructas.
    Ditas de madeira inveraisada coatendo i
    aas perfumaras, muito proprias para or-
    ientes. *
    Ditas de papelo igualmente bonitas, tai
    bem de pe-fumarias finas.
    Bonitos vasos de metal coloridos, e t
    moldes novos e elegantes, com p de srrr
    a boneca.
    Opiata ingleza e francezapara denles.
    Pos de campbora e outras (ferar.u
    qualidades tambem para denles.
    Torneo oriental de Kemp.
    Alada zaals coques.
    Um outro sortimento de coques de n>
    vos e bonitos moldes com filis de vidrilnr
    a alguns d'elles ornados de flores e fita
    estao todos expostos apreciaco de mv
    os pretenda coriJprar.
    GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
    hras de muito gosto e perfeiQJo.
    Flrellasc flas para cintos.
    rieilo e vanado sortimento de taea obia.
    tos, fleando a boa escolha aosoato do coi
    prodor.
    Milho novo d
    nando
    Fer-
    Oraves inconvenientes de
    COI
    ESTOJOS '.' llffMja-** m
    Contra as affeccois uas palpebraa, preparado spb a mwma fiwma.
    90L0IEO % (* DeposHario. geral pafa tf BHASIL e PORTUfiAI.
    Em saceos grandes a preco comando : no ar-
    maiem de Tasso Irmaos & C, raa do Amorim na-
    o ero o 1
    Cabellos
    Veadem-se cabellos de todas as cores, qoalauer
    componiente, qualidade superior, om eaixaoa
    rr^f mf181?e<,ufna : n* raa da C^ei do Re-
    cife n. 51, i andar.
    * 7 y^P.^ "f)-.*rn azem de HoDert Lighlbown
    ^S^m'Jorm e rossura^ en, grandes ou
    e IwST eStPM de t0das a9%Mlid ....... -:
    U1L11 Mis,
    20Ru:i da Imperatriz20
    Far & Lessa.
    Acaba de chegar a esta nossa nova loja de
    zendas finas um variada sortimento de fazentlas rie
    laa e seda, como sejam : grauadines do uH
    goslo, popelinas de urna cor, alpacas e laazi-
    nha< de cores, o que ha de mais moderan, tod>.
    por baralissimos precw, brilliantina-' de curo, lu-
    cidos das india?, fazenda nova imitarao de p^r-
    calia,balde* de dina lingicdo saia de cor com bo-
    das barras, fustoes proprios para vestido e nu;,.-
    de meninos ; agora graades e admira veis perlim
    chas, saias brancas com liodos frisados a 3. ri-
    cos ccrpinbos bordados muito linos a ai, bal
    modernos de reos a 2#, ricas colchas para ci
    alcoehoadas. sendo brancas e de cores, a 06, 6* >
    7t, cambraia vieiuria fina a ai, ditas BMMparoR-
    ,e* a o. 64 a 7*,chiias flnissimas escaras e cto
    a 280, 300, 320 e 360 o covado, cassa da co: es ;i
    240, lencos braneos de cas-ai a 250O, ditos chi
    nezes a 3*500 a dnzia, madapolo flm a 6 .
    6*300, e muito superior a 7A, 7*600 e 8*, tiyv-
    daozinho largo proprio para lences a 6*, pa
    de aljido branco trancado proprio para toai
    de mesa a 15600 a vara, tyamante para lenco,
    2*000 e 3500, o que ha de melhor, esgniiio fi-
    nissimo a 2*200 e 2*500 a vara. Mandamos mu
    casas das Eimas. familias pira melhor podertm
    escolher. Tambem temos completo?sojtunento
    i perfumaras dos pr;im iros fabricantes franceze- c
    inglezes; as pessoas qne se dignarem vir a esia
    leja terao occasiao de reconhecer a reahdade to
    que annunciamos para us jnatiicar.
    Farinha d^ tiandioca de Santa
    Cathariita.
    Da superior, vinda pefo patacho inglp M
    Block j ha parte ensacada para comiuodidadf
    compradores, e vende-se nos armazens de T:
    Irmaos & C, no caes do Apollo, e ra do Ara rrm
    numero 37.
    FazendaS baratas
    Ra do f abitad n. 10
    LVAS
    r^S ,.,BVM d0 JoUTn brai' e dadores,
    ll!f rSVfS^i W: M 'ja dS m
    Cabug
    Pecas de algodao com 18 jardas a
    Ls Mucamhique. covado
    Ditas de nma ; cor, faxenda de gosto,
    covado, i 1
    Ditas com listras de sed, rs.
    Chitas de bm panno e coros linas, n.
    Ditas percales Onns, rs.
    Chales de ganga bordados, duzia
    Colchas de diversas cores-a
    Do-se a anm-

    22KII'
    um
    Gravatinhas de serla de e<
    mens e senhoras a 320!!! : oa ra do
    Caxias n. as.




    8
    Diario de Pernambuco
    Segunda
    :mr
    feira 1 de Agosto de
    1870
    UPTERaTBA,
    I
    POTJCO DE TTTDO.
    PEROLAS.El* o qae acerca da creado
    das perolas diz Mr. de Molins, na sua via-
    gem a Java :
    Yi m Surabaya orna cousa cuno?a de
    historia natura!, que multo extraordinaria
    e pouqui-simo couhecida, anda queja al-
    "iins naturalistas tem tratado d'ella. Fallo
    das perolas vivas; que se alimentara cora
    arroz e se reprodjuera. Vi cora os meas
    proprios olh..s. em casa do urna uohura
    europea, sete perolas reunidas n'uma r*H
    xinha ; daas d'ellas eram o pai e a mai (la
    familia nascida 'aquella uniao.
    i Infer das noticias que sobre isto pudo,
    comer, que os indios e os chias possuem
    urna especie do perolas muito semejantes
    s perolas tinas, que distinguem o sexo
    d'ellas ; encerram um macoo e urna femea
    n'uma caisa, com aljiuns graos de arroz
    de urna especie particular, e que ao fim de
    oerlo tempo a perola femea varia geira-
    mente de forma n'um dos pontos da sua su-
    perficie. ...
    c A escrescenc a, que ao principio e
    muito pequea, torna-se em breve mais sen-
    sivc.1, engivssa, arredonda-se, e separa-se
    depois da perola roi, para continuar viven-
    do, e reproduzir-se a seu tempo
    Para crear urna familia de perolas,
    basta dar-lhe com regularidade o alimento
    que Ihe convem. e banhos de agua do mar,
    pelo mer.os tres,vezes cada semana, e res
    cuarda-la dos cheiros fortes, taes como o
    abaco, o mbar, e especialmente a agua de
    colonia.
    NqVO MEIO DE ROUBAR. Lemos no
    Journal de Pars :
    Quanto se tem inventado para se apo-
    deraren do albeio Uns querem roubar,
    outros no querem ser roubados. A astu-
    cia dos primeiros esbarra com a vigilancia
    d-s segundos, que por rauita que seja non-
    ra bastante, como prova o numero das
    victimas dos cavalbeiros de industria.
    Eis o metbodo ltimamente posto em
    pratica em Paris : ,
    Para urna luxuosa carruagem a poitaua
    loja de uin ourives ou joalbeiro e apeia-se
    urna ou mais senhoras elegantemente vest
    Tudo n'ellas revela riqueza.
    FABRICO DO PAO. A calta Inglaterra
    aventn entre onlras cousas o meio fie
    nar <>|jy com oque se faz d'elle
    um manjar delicioso, digno dos deuses.
    Extiahe-se para isso, por meio da ma-
    china pneumtica, o ar contido nos buracos
    do milo, e em seu lugar irftrodoz-se um
    volume igual de oxigeneo. Suxede qu
    pao assim preparado aecca depress
    larnbem ocaur^eram a este
    conservando os pes em
    n'uru papel impregnado em acido wmcf
    Basta metter no estomago um so pedago
    de pao oxigenado, para se sentir um appe-
    tilt ilevorador e iraa sesago agradabils-
    ima uo epigastrio-.
    da aujr mas
    inconveniente
    caivas cobertaa
    MORTE.-NoEgypio fallecen oconhecia
    poeta Teraistocl-s-Solera, autor dos libertos
    das operas de Verdi Sabuco e AUila.
    Conlava cincoenta aanos. o desempea
    n'aquelle pata o cargo de director gral da
    polica.
    MEIOS DE VIATAR.-Tem chegadoa
    ta|.car.breaartilhenanaval quenod.
    a triste humani-
    no mar, -nao
    religio
    encontrava issi* _
    religio em Roma e a reli <>
    entretanto qae a dotaos cathoheos a
    religio de S. Paul-
    . Eu escutei-o. Exfoz me que os princi-
    nins de S. Paulo, principios sem duvjda
    menos rigorosos, Ihe tioham sido eosmados
    pela V.so do panno chelo de lutmaes mun-
    dos e immundos. T.ve que ensinar a es e
    doutor que a viso de que fallava tmha sido
    feita a S.Pedro a nao a.S M^e
    estes dois grandes santos trabara trabalhado
    sempre de accordo assim.em.Roma como
    no mundo. Accrescentei que S. Paulo, ci-
    dado romano, n.* tiba manifestado a saa
    cridado escreveado cartas, pregando o
    Evange lio e consummando aqu o seu glo-
    rioso martyrio pela priso e soffnmentos,
    das.
    rives d-se pressa em Ibes oferecer os seos
    servicos. Pedem annes, alfinetes, brincos,
    t oqlros objeclos pequeos ; escolbem com
    muita demora, porque Ibes custa, na appa-
    rencia, preferir esta ou outra joia. butro
    tanto, apparecem varios mendigos, a quem
    asseuborasdoesmola. O mendigo nunca
    vai com as mos vazias. Depois as senho-
    ras oscolbem um objeclo de pequeo valor,
    pagara, vao-se, e ento que se nota o
    desapparecimento de varias joias.
    Os mendigos, ou para melhor
    os fiogidos mendigos, sao cmplices
    mola que receberam foi o dono da loja que
    a pagou. As elegantes senhoras ao mette-
    rema mona algbeira, nao tiraram flinod-
    ro, mas sro as joias roubadas que entrega-
    ran! aos seus cmplices.
    ilizer,
    : a es-
    MAESTROS O Gaulois refere a segura-
    te apreciado feita n'um concert em Pars,
    acerca do mrito respectivo dos' grandes
    maestros:
    No reino da msica. Mozart era pro-
    clamado rei por direito divino, Rach, minis-
    tro da justica ; Haendel, autor das oratorias
    Messias. Judas Macabeu e outras, ministro
    dos cultos ; Beethoven, generalsimo dos
    exercitos; Weber, ,monteiro-mor ; Meyer-
    beer, banqueiro da cora ; Rossini, joalbeiro
    de SuaMagestade ; e Offenbach, cozraheiro-
    mor.
    ESTADOS-UNIDOS. O governo ameri-
    cano mandou imprimir as listas de todos os
    soldados sepultados nos seus cemitenos
    nacionaes, estabelecdos depois de 18oo,
    vibre os campos de batalba do sul, e no-
    oemiterios do norte. Estas listas enchem
    mais de 2Q volumes, e por este meio os
    parentes dos soldados mortos por causa da
    ur.io, podem encontrar as suas sepulturas.
    O governo deseja agora accrescentar a
    etas listas os nomes dos officiaes e dos
    soldado* mortos no norte, era coosequencia
    das feridas ou enfermidades adquiridas na
    camDanha, e que foram enterrados nos ce-
    miterios civis. Para esse fim, o general
    Howert, major general no excrcito dos Ls.-
    tados-Unidos, poblicou urna. circular convi-
    dando os cidados a subministraren! Ihe os
    dados opportunos.
    Triste consequencia dos erros da humam-
    dade, que parece desejar nicamente pro-
    curar a verdade e assentar a justica sobre
    lagos de saogue !
    um
    em que infelizmente para
    dade se der urna batalha
    fcil calcular os horrores que se presen
    ^O^canlkies geralmcnte adoptados e que
    temhoje todas as fragatas da mar.nha. f.an^
    oeza e as batera; fluctuamos, sao de um
    calibre de 21 centmetros e podem dispa-
    rar balas macicas de ferro, do peso de 14
    kilocraramas. ..
    Os n.vioscouracados de pnmeira classe
    montara caohSes do calibre de 27 centme-
    tros, que poJem disparar balas d) peso de
    216 kilograramas. mnn
    E se isto pouco inda, como se augmen-
    ta tolos os dias a espessura da couraca dos
    navios de grande lote, que de 22 ccnime-
    iros temcl.egado j a 30 e 35. est-so fa
    zendo a experiencia de um canbao aoci-
    libre de 30 centiiaetro. que pode disparar
    balas da bagatela de 25i kilogrammas,
    As experiencias feilas com o citado ca-
    nbao, que s pesa 28 toneladas, tem sido
    salisfatorjas.
    HORRIVEL ASSASSINATO. Uro novo
    crime, que enriquecer os annaes dos dia-
    rios especialistas, diz o Telegrapho auto-
    gmplu, de Paris, occorreu no da M e
    luoho em Auteuil.
    Ha muitos dias que urna mulher. a qnera
    o mo procedimento de sou marido obri-
    ara a abandonar o domicilio conjugal, re-
    ceiava que aquello exercesse para com ella
    algum acio de violencia, com o fim de evi-
    tado, estabeleceu-se n'um quarto. ondese
    oceupava nicamente do seu trabalbo e ae
    educar dous filhos menores com quem
    "Ante-oootem (30) depois de algumas
    scenas desagradaveis occorridas entre am-
    bos os conjuges, o marido, completamente
    embriagado, deu trinta e seis punhaiauas
    em sua mulher. no meio de seus dous -
    lh)S, a quem salpicou de saogue.
    Ao entrar a autoridade. achou o assas-
    sino contemplando com estpida impasst-
    bilidade as ultimas palpitares da sua vic-
    tima.
    O assassimo deixou-se desarmar e con-
    duzir priso de Mazas, sem deixar perce-
    ber a menor commoco.
    QUE RATO Elogiando um quadro
    de Wagem, dizia um individuo, que os
    passaros, engaados pela semelhanca, vi
    nham cantando pousar-se as arvores.
    Pois eu, responden dm dos ouvintes,
    vi na exposico de Pa/is um paiz nevado,
    pintado tanto ao vivo, que aproximando-se
    d'elle, principiava o thermometro a baixar.
    Eu tambem vi isso, accrescentou ou-
    tro. e por tal signal, que tendo-me eu ap-
    proximado mais sem chapeo, para o ver
    raelbor, principie: a espirrar e durou-me a
    conslipaco quinze dias.
    EXPEDIQO POLAR. Segundo noti-
    cias ltimamente recebidas, o professor
    Nordenskiol est organisando outra exped-
    cao polar para 4871 a 1872, e trata, entre
    utras cousas, de intentar ocaminho ap
    polo Norte, sahindo'de Spitzberg ou outro
    ponto prximo, na primavera, e viajando
    pela costa oa no mar gelado.
    Diz-se que deseja visitar este anno a Groe-
    latidia para comprar caes para a sua era-
    preza ; de temer que nao consiga melbor
    resultado que os seus predecessores, e at
    ser difficil qae possa obter o numero le
    caes necessario, em vista da grande mor-
    tandade que os mesms esto tendo, por
    causa de urna epidemia.
    EXECUCAO DE SALTEADORES GRE
    (JOS. Segundo escrevem de Atbenas, no
    dia 18 de junbo foram 'executados cinco
    salteadores da quadrilha de Orupos, que
    foram condemnados morte pe'o tribunal
    criminal. O tribunal tinha julgado e con-
    demnado sete ; mas suspendeu-se a execu-
    cuQao de ura. de quem se espera obter re
    velacoes que podero esclarecer a justica
    as pesqnizas que se fazem para descubrir
    cmplices. Quanto ao stimo, que tora
    apriMonado antes da carnificina de Mara-
    thn, a pena foi-.he commutada na de tra-
    balhos toreados, por toda a vida.
    A execoro teve lugar no campo das ma-
    nobras, em presenta de urna enorme mul-
    tido de espectadores. Ordmariamnte na
    Grecia, quando os condemnados sobem ao
    cadafalso voltam-se pa^a o publico e pro-
    nunciam estas palavras : Perdoai me e
    que Deus vos perd&e e os assistentes.
    pur um movimento de caridade christa,
    muito natural em frente da mirle, respon-
    dem : Cjie Deus te perdoe! Desta
    vez o primeiro que subi ao cadafalso pro-
    nunciou as palavras de uso, mas um mur-
    murio de increpacoes se ergueu de todos
    os lados. .
    E' que o senlmenlo de canlade traba
    sido substituido nos espectadores por urna
    justa indignaco contra os autores de nm
    crime que attrahio sobre a Grecia tantas
    ameacas, e a reprovacao da parte, dos go-
    vernos e das noces do mund civilisado.
    cuja mmoria e monumentos conservamos.
    t Digo, pois, que muitos dos erros do
    nosso tempo, proceden da ignorancia:
    porm, quem dew dissipa-la ? A quera per-
    tence Iluminar a trevas que sobem ai s
    alturas ? A quem senlo a mim e a vos t
    Super muros tuos posui custodes ; tota *e
    et tota nocte tacebunt. Compete-nos desfa-
    zer os erros que existem at as almas boas
    mas que nao conhecem a transcendencia de
    certos principios e o pwigo de certas don-
    'Tv's sois as sentinoiias establecidas por
    Deus para vear pela salyaco do povo
    Porm entre estas sentinellas (com doro
    digo) as ha que es^uecem a magoitude do
    seu dever. ate ao ponto de de.xar o ensno
    com que as honrou a igreja para tomar o
    do secuto e viver com elle. Outros transi-
    tem e paetuam com o mundo, esquocenoo
    a palavra de ouro do S. L>3o : Pacem eum
    mundo non niti amlores mundt haberepos-
    sunt, e nao qu*ndo sober que o mundo e
    nimigo de Jess Christo o que dictou a b.
    Joo esta torrivel phrase: munim non cog-
    notit. E por ventura 6 o mundo qoem os
    olevou sua augusta divindade ? Receberam
    do mundo os sentimentos e os dons da sa-
    bedora. emendimento, conselno, fortatez',
    sciencia e piedade ? __
    t A terceira classe de sentinellas compre-
    hende-se dos zelosos pastores, que empre-
    gam toda a sua actividad e vida no cam-
    primento de sea augusto ministerio.
    i Eu avoco sobre todos a bencao do &e-
    nhor I Para os primeiros imploro a luz, e
    que um raio de expen !or Ihes faca conhe-
    conhecer a m situaco em que se encon-
    tram ; para os segundos imploro o espirito
    de fortaleza e decis$o, para qae cessem de
    fluctuar perpetua nenie inter duas partes,
    e saibam eraancipar-se de certos principios
    pouco segaros e de outras vanas considera-
    cues. Em quanto aos terceiros, que sao o
    maior numero, s tenho que pedir urat gra-
    Ca para ellas, a perseveranca. Qoe os que
    at agora teem marchado pelo camiabo da
    virtude e cumprido fidmente seu dever li-
    a comtudo mais valorosamente : mgi-
    nites currant vias suas, para que irradiem
    com a formosura da gloria em que espero
    torna-Ios a ver. Perseveremos todos n este
    caminho de unnime accordo: o Senhor nos
    psde que estojamos de accordo em desejar
    a suade da igreja "e da sociedade.
    c Recebei n'este desejo e com esta espe-
    ranza a benco que vae descer sobre vos.
    Benedictio Dei Oinnipot&ntis ; Pater, et
    Filii.
    ze
    ermneas, enja idade variava de tres semanas
    a tres mezes.
    m dellei e3tai 10b a innuancia de iun
    narctico ajinistrdo peta mulheres. Tmha
    aabocca aberta, as pnpillas contrahidas e
    os. msculos imraoveis cerno os de ura ca-
    dver.
    Outro de tres semanas rhaloaava n um
    vidflnhrf cheio de um osbranquica-
    do, que, segundo averigoou o Dr. Pope,
    era farinba diloida em agua.
    Assim tratadas, viviam as crianzas de ires
    a qafflro mezes, quando muito.
    PARS!Ha nesta grande capital de se
    estabelecer um systema de relogios elctri-
    cos, anlogos aos que existem em Mar-
    seiba.
    Estes relogios compem-se de um qoa-
    draate de vidro, cujos ponteiros recebem o
    movimento por meio de um fio elctrico.
    De cinco em cinco metros se collocaro por
    baixo dos candieiros quadrantes igoaes.
    voltados para as casas, aiim de que a hora
    seja visivel, tanto de noite como de da.
    Todos os fios elctricos, collocados no
    interior' das columnas que susUntam os
    candieiros, se communicam com os flos sub-
    terrneos, que se prolongam al estacao
    central da casa da cmara.
    que se azia, adiantaranvs* para preodremipar
    O ttlTIVei intOf.'
    Arabos.*pe nava* na praa do Argonj.
    teria podido, depois da sa dasfazar do um-
    chadHegar alaT porU do Oranu.. f Jf
    a toda e qual(|a>r pers*goi?ao. desde qoe
    eslivesse fora da cidade.
    N'este comeos, deo-se ^"Sgojiead-
    miravel valor: nm dos soldalos d quem
    rallamos prectpitou-sesem "nas. d.aniedo
    assass.no agaVroo-o e o obstante urna e-
    rida que receben na cabeca, consegnto do-
    tel-o at que o outro soldado chegando
    por detraz, o znrz.o at elle cahir.
    Este animal feroz fo. levado para a esta
    C3o mimar, onde pouco depois chegaiam as
    autoridades civis.
    a LBopoldina ^ bola JowwmittM 4aa
    mu arrobas, propi^^Bk> cidado Case-
    lW ^0!*0
    de S m'h ilfePes
    Antonio di Canoa Eaaa-
    nuel de 2 mil arrobas, pert> ao smV
    dito italiano Rapbael Ponginioni -estes dons
    ltimos nao desceran para o Para, ficando
    um em Santa Mara; e o ootro em Leopol-
    dina, em va de eoncloso. Existem mis
    no rio seis botes destinados ao-eomaeroo
    local e distribuidos pelas diversos portoa,
    numerosas embarcacofs pequeas para sar-
    vico. de pesca e outros awteree- dos bata-
    ta riles.
    Se este material ainda pequeo em
    vista do consumo das populacSes ( se
    tem de servil da navegaco d rio, com-
    haviam capitaes e nem popolacao no* bar-
    rancos do Araguaya, e qao ha apaas
    FURTO DO PREMIO GRANDE.-O Han
    deis and escompt Bank de Vienna soflreu
    um furto consideravel de 350.000 francos
    pela seguinte forma :
    No dia 23 de junbo apresentou-se na tne-
    souraria deste banco um individuo com o
    numero que teve o premio grande da lote-
    ra do estado de Rrunswick ; dingiram-n o
    a Mr. Dutchska, banqaeiro do ducado de
    Bruaswick, que.depois de examinar minu-
    ciosamente o bilhete, deu ordem aos direc-
    tores do Handels Bank para fazerem o pa-
    gamento. O banco deduzio ama avultada
    commisso, fez o pagamento, e o sugeito
    cumprimentou e retirou-se.
    A' tarde o banco parlcipou para Brun-
    swick, que traba pago o premio grande; e
    teve era resposta-que esse premio estava
    pago havia muito tempo.
    O bilhete foi examinado por peritos, e co-
    nheceu-se que era falsificado.
    Foi promeltido um premio a quem des-
    cobrsse o autor da falsificado.
    PHENOMEN0 MUSICAL. De Grey-
    Town, m America central, diz um oioiai
    de marinha : ...
    Desde que lancamos ferro nesta Dama,
    todas as noites ouvims sabir do mar es
    tranhos sons melallicos, urna msica, em-
    flm, bastante ruidosa, que acorda os nossos
    fatigados marmneiros por mais adormecidos
    qu3 estejam.
    t Pode deslingnir-se certa cadencia e a
    regularidade de um compasso em tres tem-
    pos. Isto dura duas horas prximamente,
    e depois tudo tica em silencio ate noite
    immediata. ; ,
    Julgou-se principio que isto tosse
    produzido pelos peixes, apezar de todos
    sabermos que ama especie muda ; mas
    como cada dia se descobre urna sragulari-
    dade na natureza, nada mpossivel.
    Este phenomeno musical lora maiores
    proporces n'outras localidades. O capitao
    americano John White eslava nos mares da
    China, quando um singular concert deixou
    ouvir formida?eis sons, entre os quaes jui-
    gou destinguir um orgo, sinos e o ruido
    de ama grande trombeta.
    t Todos se pozeram de pe atterrados.
    Julgoa-se qae aquello raido vinha debaixo
    do barco, e como a navegando, pouco a
    pouco se extingui o ruido.
    < Pescaram-se varios peixes de um me-
    tro de comprimento, e falta de outra ex-
    plicaco. altribuio-se-lhes a faculdade mu-
    sical.
    c No mar do sul, o navio Uruguay ou-
    vio o mesmo concert.
    t O naturalista Castelnau estava a bordo,
    e ouvio primeiro urna especie de lamento
    sonoro; seguiram-se outros, e aquella
    symphooia logo se tornou discordante*)
    formdavel. -
    Como pode isto explicar-se? Um ora-
    da! do Shannon, estacionado na baha de
    Grey-Town, fez algumas conjecturas que
    podem approximar-se da verdade.
    Ancorada a embarcaco duas milbas
    da cidade, nao se pode attribar os sons
    aos sinos da igreja. Nem Grey-Town os
    tem.' Observou tambem qoe s nos navios
    de ferro se observa o phenomeno, e cita o
    Wye, o Thne, o Eider e o Danubio, todos
    vapores de ferro da mesma companhia, cu-
    jas tripolacoes teem oovido msica igual,
    deduzindo disto que pode ser o resultado
    de crrentes galvnicas que obrara sobre o
    metal.
    O que torna mais provavel a sua con-
    jeclura que nenhum navio de madeira tem
    observado o phenomeno. Sendo isto cirto,
    deve inferir se que a citada crreme e mais
    eaergca n'aigoom paragens do mar da
    China, porque o concert ouvido pelo capi-
    to John White era mais atroaior que os
    outros.
    tras, mais oa menos feridas
    serios cuidados.
    O rabe proso ^m vadio qoe viva de es-
    molas. Em quanto realisava a sua obra de
    c/uel selvageria, excitva os rabes a que
    o imilassein.
    CALCULO CURIOSO.^-Um soldado anda
    passo de carga, 6 kilmetros por hora, e
    3 a passo ordinario.
    O soldado romano andava a passo
    marcha uns 5 kilmetros por hora.
    O cavallo anda a passo ordinario 5 kil-
    metros por hora; a trote, 11 ; a gallope'
    23 ; a toda a brida. 48.
    As locomotoras percorrem ordinariamen-
    te 50 kilmetros por hora, e 100 na gran
    de velocidade.
    As pequeas mares percorrem por bora
    24 kilmetros, e as grandes mares do >cabo
    682. te ido por conse-
    de
    da Boa Esperanca
    quinte urna yelocidade seis vezes maior que quer de commumeacoes, porqi
    os trens mais rpidos. se pode conhecer pracamente
    Os navios a vapor percorrem por hora de
    7 a 2 kilmetros.
    0 vento de 3 a 104 kilmetros. O som
    ao ar, da 1O0 a 148 ; em trra, pelo con-
    trario, percorre de 100 a 410 kilmetros.
    A ele;tricidado pode n'um segando dar
    ama volia roda da ierra. D'onde se sega)
    bala de canh3) lanca la pela pe-
    de ariilheria de mais forca representa
    que ama
    ca de arui lena ue maia iuiy -r*-r
    a millesima parte da velocidade do fluido
    elctrico, e que a trra, que percorre urnas
    iOJou 500 leguas por minuto, pode com-
    parar-se com a velocidade da electricidade.
    EMBAIXXDA AMERICANA.-Acha se em
    Washington nma singular embaixada da
    tribu dos Lioux. cajos principaes persona-
    crens se denominara : a Novem-pardacenta,
    o Co-encarnado. o Urso intrpido, o Ursi-
    nho, o Urso-doirado, o Carro-compndo, e
    a Espada-lerrivel. Estes phaniasticos em-
    baixadores esto-encarregados de celebra-
    remum tratado de paz. que o governo
    norte-americano tenciona concluir a torca
    de alguns dollars e de algumas pipas de
    agurdente.
    BLOIS.A cerca desta povoaco franec-
    za lemos no jornal de Htstoire :
    Nenhuma das povoac3S que o Loire
    atravessa apresenta um aspecto mais pltto-
    resc > do que Blois, construido em ampb!-
    theatro sobre urna costa escarpada. O dita-
    do popular- os lobos de Blois, tem a sua
    origem em que o lobo era o emblema mais
    antigo d'aquella cidade ; bleiz oablais, que
    a etymologia de Rois, signilica lobo na
    lingua cltica. Na poca em que as cidades
    liveram brazoes, o lobo adornou o escudo,
    e quando Luiz de Orleans, conde de Blois.
    quiz sabstitni-lo pela flor de liz real, con-
    servou se o lobo como supporte.
    Urna das curiosidades de Rlois e um
    enorme tumulus, no cimo do qual existe
    um olmo collossal denominado dos Lapu-
    chinhos. i i 0
    Aquella povoaco foi theatro de alguns
    entrou
    fas de
    vezes qoe a wvegaco a vapor omou al-
    cuma regularidade e comeeou a traaer vida
    ara estas esplendidas zooas doTocantinse
    Araguaya, gracas generosa n*
    da provincia do Para em aw>loJ1
    Govaa. cujas peqaenas Jorcas nao eram
    Sanie- para vencer a difficuldades qoe
    as grandes distancias despovoadas, as ca-
    choeiras, e os indios selvagens oppuabam
    a realisiCo desta idea.
    Importando e exportafdo
    As cousas por grandes qoe venbain a
    ser, tem sempre um principio pequeo, e
    alm da curiosidade que inspira o conneci-
    mento dsse principio, quando essas cousas
    se tem tornado grandes, interessa ao com
    raercio e industria do paiz conhecer o que
    se exporta e importa por urna Iraha qoai-
    porque so assim
    lente a utilidade
    delia, organisando um a escala ascendento
    ou descendente, e que d os termos ae
    comparaclo entre os fados.
    1869
    Noensaio feto o anno passado a expor-
    taco do Araguaya foi apenas de 8005OOO.
    Consisti em alguns poucos coaros qae
    sahiram de S. Jos e Santa Mana. A mpor-
    taco foi de cerca de 30,000,5000.
    A do Alto Tocantins, antes de sua janc-
    co no Araguaya foi. pelos dados que obtive
    ao Para, de cerca de duzentos contos ae
    ris, a saber: cracoenta contos das povoa-
    ces do interior do Maranho que se servem
    dos porlosde Santa Theresa e Carolina:
    cento e vinte contos da parte da provincia
    de Goyaz que se serve dos por tos do Porto
    Imperial, Pexe. Palma, etc., etrratt con-
    tos dos sertes do Piauhy e Rabia, qoe
    exportam e importam pela mencionado To-
    cantins. _n
    Janeko. Feoemro e MarfO de liftu
    De 800,5000 que foi a exportaco por es
    te rio no ensaio do anno passado, elevou-
    dezouo contos de ris, e
    fac}os histricos importantes; nella (
    JOHNSON.Os norte
    americanos do de
    vez em qaando aos exemplos summamente t P^"0."'1
    raros. Se a segoiate noticia exacta, ex- u
    cede os limites do realisavel.
    v O antigo presidente dos Estados-Unidos,
    Johnson, comproa ha poucos das em
    Greenville um snmptaoso palacio, no intui-
    to de tornar i oceupar-se. n'elle em grande
    escala do sea officio de alfaiate.
    Tenciona dirigir em breve urna circular
    a todas as testas coroadas, das qaaes era
    collega ha pouco tempo, para Ihes oferecer
    os seus servicos til
    ROMA. Eis, segundo o Univen, o dis-
    curso do Papa ein resposta as felicitaces
    que Ihe foram dirigidas, em nome do Sacro
    Collegio, oelo cardeal Patrizzi, no anniversa-
    rio da sua eleiQao ao pontificado. Esle dis-
    curso, em que tudo grande e sublime,
    produzio em Roma muito effeilo :
    t Eu agradego ao Sacro Collegio os sen-
    timentos que elle me exprime pela vossa
    bocea. Que os vossos votos se cumpram
    conforme agradar bondade divina. E ver-
    dade, "este pontificado foi desde o seu co-
    meco, combatido por urna terapestade du-
    plicada. E pedara-a violentamente, com
    adulacSes 6 com enlhusiasmo mentiroso.
    (Jai beatum te dicttnt, ipsi te seducunt. De
    pois, quizeram a emancipaco religiosa, e
    to la a gente sabe quo vergonhosos e cro-
    is forara os meios e que excesso chega
    esta loucura. Entretanto, os males e os er-
    ros nao chegavara ainda ao sea termo Nos
    temos d'aquees que queimam incensos
    deusa Raso, que nao querem snbmetter a
    razo f, nem que a sciencia seja regulada
    pela revelaco. Outros" porm nao fogem
    tanto da verdade, ( non vanno tant' oltre ),
    mas vivem debaixo da tyrannia de certos
    horaens ou veneram o que elles chamam a
    opt'nio publica, mesmo quaado esta se op-
    p5e ao que direito justo e santo.
    A primeira causa d'isto a ignorancia,
    os cootarei duas anecdo-
    LINCOLN.N'uma correspondencia dos
    Estados-Unidos encontra-se um dado curioso
    acerca do antigo presidente Lincoln. Mr.
    Martin cita as palavras que Ihe dizia monse
    nbor Lefevre. bispo de-Dtroit, faranaodo
    assassinio do referido presidente.
    Ah desgrasado Lincoln! Sehonves-
    se seguido os meus conselhos. nao tena si-
    do to deploravel o seu fim Porque nao fi-
    cou elle em casa na sexta-feira santa conti-
    nuando a rezar a sua cora ?
    A sua cora! respondemos nos. se
    Lincoln nao era citholico!
    Nao o era j, tem razo ; hzera-se
    infiel, accrescentou o bispo; mas na su
    juventude tinha sido baptisado como catho-
    lico por um missionario do Ilinois, e eu
    mesmo ouvi varias vezes a sua confissao* e
    tambem disse muitas vezes missa em casa
    de seus pas.
    Mais tarde asprou s honraras, casou
    com urna senhora que.pertencia a seita pres-
    biteriana, e^filiou se entre os macons.
    Tivemos enlo de quebrar as nos*as re-
    la?oes.
    C\MINH0S DE FERRO 0 penodreo
    intitulado Annaes Industriaes publica urna
    interessante estatistica dos caminaos de fer-
    ro da Europa. Por ella se v que a longi-
    tude total das linhas actualmente explora-
    das de 92,841 kilmetros, e que as quan-
    tias gastas na construeco desta immensa
    rede ascende a 43,932 milhoes, isto. per-
    to de 472 francos por cada metro de va.
    Nestes algarismos figura a Gra-Bretanba
    com 22,755 kilmetros, e com a quantia de
    12,500 milhoes; a Franca com 16,17b ki-
    lmetros, e perto de 8,000 milhoes ;a
    Prussia e a Allemanha do Norte com 11,87
    kilmetros, e 1,175 milhas ; a Austria
    com 7,087 kilmetros, e 1,636 milhoes; a
    Russia com 6,907 ki.ometros, e 9,473 mi-
    lhoes ; a Belgia, com o seu pequeo terri-
    torio, nao tem menos de 3,725 kilmetros,
    nos quaes gastou 1,245 milhoes. Pelo con-
    trario, nos Estados-Unidos da America, a
    longitode total das linhas em exploracao e
    de 96,000 kilmetros, e o preco de cada
    metro s de 140 francos.
    solemnemente Joanna d'Arc pelos
    abril de 1499, e foi all que ouvio a mys-
    teriosa voz ordenando-lhe que arvorasse o
    estandarte em nome do ri do cea.
    Em 1512 promalgou-se era Blois a bulla
    do concilio scismatico reunido por Luiz
    XII o Maximiliano d'Austria, bula pela qual
    se suspenda o soberano pontfice, que res-
    pondeu a ella congregando o concilio de
    Latro, que decretou o interdicto da Franca
    * Era 1559 Catharina de Medias dea
    grandes festas dramticas no castalio de
    Blois, e um anno mais tarde, effectuava-se
    a famosa conurago que fez exclamr suio
    cando a Faancisco 11:
    * Que fiz eu ao mea povo, para elle
    me querer tanto mal!- -
    Finalmente, foi tambem em Blois que
    setramou outia conspirado, a dos Guizes.
    que terminou por um homicidio no da 20
    de dezembro de 1588. .
    < Taes sao os antecedentes historeos ta
    cidade em que vai ter desenlace o drama
    revolucionario francez de 1870. ___ *
    se este anno a _
    imporlaco que ainda nd chegou, mas^ ca-
    jas receitas passaram, a excepeo de ama.
    por minbas raaos, monta mais qu menos
    sem os fretes em 50*00*000 e em 6\000
    arrobas de peso, que ao rete de WW
    por arroba, imporiam em 4.0txwuw.
    Sue d o lotal de 80:0000000 pira a im-
    porlaco. E' pouca couca; mas para come-
    co j grande cousa quando tudo esta ara-
    da por assim dizer iocerto.
    A exportaco do alto Tocantins, eu a or-
    co este anno em 200:000/(0p0, soppond(H
    pelo menos igual do anno pa-sado, a
    imporlaco, porem, tem de *mf
    20:000^000 com o consumo crescido aessa
    cifra, pela presenca dos vaporea no Ara-
    guaya, que desloca dalli parte da importa-
    cao para traze-la para este valle:
    Cora esses clculos que organise o
    seguite: Mnnr
    Quadro comonratko da exportaco e impor-
    taco da bada do Tocantins superior
    s cachoeiras.
    Exportaco.1809.
    Alto Tocantins.Exportou
    em couros de boi e vea-
    do, gado cavaliar, muar,
    Araguaya, Exportou
    como ensaio.........
    Imporlaco
    Alto Tocantins.Importou
    em genero de ultramar.
    Araguaya. Dito, nao
    comprehendidos os ob-
    jectos que vieram para
    a empreza de navegaco
    1870
    Jilo Tocantins. Exporta-
    Cao calculada pela do
    anno passado........
    iiaguaya. Exportaco
    verificado no 1. trimes-
    tre de Janeiro a Marco.
    200:0000000
    800^000
    200:0000000
    3O:OCO0OOO
    200:0000000
    VARIEDADE
    tas.. Serei breve para nao imitar certos
    oradores.
    t Aconteceu, nao ha muito tempo, o re-
    ceber dous personagens destinctos pela sua
    posico social nos paizes a que elles perten
    cera. Um, depois das Drimeiras palavras,
    disse-me que era catholico, at a acreditar
    no inferno. Nao com tudo no inferno tal
    como nos o imaginamos, mas em nm estado
    de perpetuo e profundo aborrecimenlo, e
    nada mais. O ontre personagem fallou,me
    MO MEIO DE Y10A.Contara os jor-
    naes de Londres qae duas mulheres, cha-
    madas Ofiva e Willis, annanciaram ha ai-
    gum tempo nos jornaes que desejavam crear
    um menioo de peito e que se encarreganam
    delle mediante 125 francos, pagos por urna
    vez. Como de presumir, offececeram-lhes
    muitas criancas, e ellas acceitavamn'as to'
    das, deixaudo-as morrer de fome.
    Quando a polica entrou em casa, dellas,
    appareceu a Willis com um menino nos
    bracos, envolto n'alguns ferrapos, horrivet-
    mente magro, com urna cabeca enorme e o
    corpo to fransino e dbil, qae pareca um
    rAisvcr
    No primeiro andar estsrvam estendidos,
    sobre ama especie de sof muito velbo.
    cinco meninos envoltos em trapos, atravez
    dos quaes se viam os seus descarnados
    membros.
    Mettia horror contemplados. Tihbama-
    becas cadavricas, elhos esbugalhados.as
    palpebras inchadas, e respiravam a muito
    custo. Todos eram de tres oa quatro se-
    manas de idade. Doas deltas parecam es-
    [sobre djversos negocios da igreja e da reli-ltar na agona,
    e os outros tres no'offefe-
    DR\MASANGUINOLENTO.-0 Courrier
    duran publica os seguintes pormenores a
    cerca de um espantoso drama succedido em
    Mascara. ? -
    No dia 27 de maio, pelas 7 horas da ma-
    nha, nm indgena, depois de se ter senho-
    reado de um machado no estaleiro de um
    negociante Jodeu, mandou aial-o e escon-
    dendo-o debaixo do fato foi por-se na pon-
    te de Argoub. .
    Aquella ponte especialmente sexta-taira,
    est completamente ebeia de gente, que vai
    u vem do mercado estabelecido a porta de
    Oran. Em tal sitio, os rabes, os Judeus,
    os Eoropeus, as mulheres e at as criancas
    confundem-se n'uma turba compacta onde
    difficil distinguir qualquer coasa.
    N'essa multido que o Arabo pr'racipiou
    a saa obra de destruico, descarregando o
    machado, sempre por detraz, sobre as pes-
    soas qae, poda alcancar.
    Em menos de dez minutos hava feito
    quatro victimas! J o terror se espalhava
    por toda a parte; fechavam-se os armazens
    dos arredores da ponte; es feridos eram
    levantados e levados d'ali, sem que os agen-
    tes da forca publica podessem por fim aquel-
    la carnificina, em que s as rabes eram
    poupados !
    Finalmente foi visto o assassino ao sahic.
    da ponte, dianta da estaco militar rabe ;
    doas soldados, que estavam porta da es-
    tacao, e cuja, attenco fora chamado pelos
    gritos de soccorro e pelo espantoso tumulto
    RELATOMO DOS NEGOCIOS DA NAVECACO NO
    A1UGCYA DE 1 DE MAIO DE 1869 A 1 DE
    ABBILDE'1870.
    (Concluso).
    Temos igualmente agencia em Itacayo e
    aqu em Leopoldina, que. como se sabe,
    o ponto de estaco dos navios. Em S.
    Jos e Santa Maria 03 negocios sao confia-
    dos ao agente que vai fiscalisando as tran-
    saccoes do navio em viagem. Pretendo
    crear urna agencia e armazem de deposito
    em Jerupensem, urna outra no rio Cnxa
    Ass, como meio de relaees para Grixs.
    Pilar e Amaro Leite, e outra em S. Joo de
    Araguava. As necessidades do eommercio.
    assim como a receita da empreza que me
    hahilitaro a executar estas medidas em
    maior no menor espago de. tempo.
    Material de navegaco.
    Possuimos 2 vapores, o Araguaya, e re-
    bocador Christovo Colombo, e as seguin-
    tes embarcaces do reboque, apopriadas
    ao servico das cacboeras entre Santa Mana
    e Belm do Grao Para ; bate S. Joo Ara-
    guaya, de duas mil arrobas da arqoeaco,
    Jurupensen de 800. Anco de 800, eCutaba
    de 600: temos para servigo no rio urna
    laocha da 300 arrobas e ygarit* chatas e
    embarcaces miudas de que nao vale a pena
    fazer especial,menco. Como fim da em-
    preza seja o de dar reboques a embarca-
    ces particulares, creio nao ser fra de pro
    psito mencionar os que j tem o rio, des-
    tinados ao Para e actualmente em viagem
    partr*all; bote Rio-Vermelho, de duas mu
    arrobas de carga, propriedade do capitao
    Joaquim Alves de Oliveira ; bota Dr. Louw
    de 4,000 arrobas de carga, propnedao? uo
    capito Jos Manoel da Silva Marques ; bote
    tonta Maria. de 800, .o waojlje
    acompanhou o Colombo efc saa viagem ao
    Total
    Imporlaco
    Alto Tocantins.Importa-
    go calculada pela do
    anno passado...*...*
    Araguaya. Importaco
    calculada pelas receitas
    enviadas por intermedio
    da empreza de navega-
    gao, inclusive fretes at
    Santa Maria.........
    18:0000000
    a7ooo0ooo
    220:0000008

    80:0000000
    Total 300:0000000
    Concluso.
    Pela exposico que os Srs. commercian-
    tes acabara de ler, v-se que os factos boje
    contrmam aquillo que foi previsto a um
    seculo pelo marques de Pombal, isw e, a
    possibilidade pratica da communicacao o
    duas grandes bacas do Rio Pdi raU e Ama-
    zonas por meio do Araguaya. ne um ,m
    raenso futuro commercial sei prende a esta
    navegaco,jembora o graflde commercio nao
    naraonta tercos ^*Jgft
    f mPrsem E$SeiCSio
    caminbop ^'embargado por qualquer
    STSndes potencias martimas domando,
    Spr Slr recursos de irtilharia,
    P mu&ces pesadas de guerra, do Para para
    no7a fronteira do sul, sem. dependencia
    das repnblicrs vizinhas do Prata, onde a
    antipathia de ragas de governo causa cons-
    tante de embaracos para o Brasil ?
    Me pareco que estas consideracoes hao
    de pesar no animo dos estadistas brasilei
    e que procuraro dar os recursos nao
    sarios para que, esta -empreza passa
    nuar a esses resultados.Dr.
    Couto de Magalkaes, mprezar.
    W. U DAKM) RA Dt'QOKDg GAJUAS


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID E4RM685LZ_64VK78 INGEST_TIME 2013-09-14T02:31:27Z PACKAGE AA00011611_12151
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES