Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12150


This item is only available as the following downloads:


Full Text
BMH
/
mo XLVI. NUMERO 144.
?
^

PASA A CAPITAL E CS6A1ES ONDE IA0 SE PACA POSTE.
Por tres mezas adiantados................. 6,3000
Por sois ditos idem........ i............ 4201)00
**or um anno idera.y.................f, 24jl000
Cada Homeroviiiso....... ."....... '. 320
Propriedade de Manoel
QUARTA FEIRA 29 DE JUNHO DE 1870.
'- ---------------------------- *"" 11 .i i i
PARA DEHTBO E FORA DA PHOVIHCIA. .
j
Por tres mezes adiantados
Por seis ditos idem. .
Por nove ditos idem .
Por um anno idem .
61750
13*500
20*250
27*000
Gs Srs. Gerardo Antonio Alves & Fiihos, no Para ; Gongalves & Pinto, no Maranhao ; Joaquim Jos de Oveira, no Cear ;
Pereira d'Almeid*. em Mamanguape ; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahya ; Antonio Jos* Gomi
em Nazareth ; Franciaoo Tavares daXosta, em Alagoas ; Dr. Jos Martins #vesj
PARTE OFFICIAL
overa da provincia.
i'i.'v:w)S Da
DA
DE
l'l'SIDSNilU D)
JOIWO D3 1870. \
Vat inio Joaquim dos Santas Andrade Iun"o
osle ao requenmento aaterior, volte ao Sr. inspec-
tor a thesouraria de fajeada, para informar.
Antonio Adolpho Leite do Reg.Informo o Sr.
ranal commandante superior da guarda nacio-
u.'l dj municipio do R >cife.
Abuso asignados moradores dos lados do canal
ib riacliiuho.Informe o Sr. engeuheiro ehefe da
: uriici- das obras publicas.
Antonio Jerouvini de Olireira.Informe o Sr.
: naadante supen<)r da guarda nacional da ca-
pital.
Francisco dos Aojos Gome?.Avista da infor-
m i i, como requer.
Irmandadu d> Senhor Bom Jess da Via-Sacra
da igreja da Santa Cruz.Informe o Sr. inspector
da fhes Hiraria provincial.
Bachure! Jos Ricardo Gomes de Carvalho.
Segundo o decreto u. 4302 de 23 de dezmbro de
IS68, o suplicante deve pretar juramento perante
a respectiva cmara municipal, se nao estiver pre-
i :nte nc termo o juiz de -lireito.
J i5o Baptista de Siqueira Cavalcanti.Conced-
is con ordenado na forma da lei.
] ni Alves da Silva Gjimaraes.Dirjase ao
1 da repartco das obras publicas.
Joaquim Agripino Hurtado de Mendonca. In-
. irme o Sr. commandante do corpo provisorio de
polica.
Joio Franeisej Paos Bnrreto.Informe o Sr. le-
nvrate-coronel commandante do corpo provisorio de
polica.
G Tonel Joaquim Cavalcanti de Albuquerque.
Informe o Sr. inspector da ihesouraria provincial.
Jiaquim Luiz Vieira.Sejara entregues median-
te recibo.
- 21
T neo te Bernardrao de Sena Wanderley.Con-
ceU-se a passagem requerida.
T'.-incisw de Paula do Reg Barros.Informe o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Francisco de Lemas Duarte Jnior.Seja n-
mealo o supplicaate para preeneber a vaga que
" leu.
Ridurel Joao Cavalcanti de Albuquerque.Fi-
ca.ii expedidas as convenientes orle as no sentido
que requer o supplicante.
Bacharel Joaquim Correa de Oliveira Andrade.
\o Sr. inspector da thesouraria provincial com
a portara d'etta data.
Gerente da empreza de Iluminarlo.Nenhum
contrato fez o governo com Gustavo, mas nenhum
privilegio tem a empreza, de que o supplicante
r-mole, seno a duraoo de 30 anno* do contrato,
? l'je ailude o art. 2> da lei n. 386 de 27 deju-
nh> de 1836.
Candida Francisca da Costa Res. Encami-
.l'lr-iB.
Commando das armas.
Ql'ARTEL-flMnAL DO COMMANDO DAS ARMAS NA
PROVINCIA DE PEHNAMBUCO, 28 DE JUNHO
DE i 870.
Ordem do dia n. 415.
0 brigadeiro commandante das armas,
determina que na manha do dia Io de julho
vindouro se passe revista de mostra em
seus respectivos quarteis, a companhia
'1 operarios militares do arsenal de guerra
e depsitos existentes nesta provincia pela
ordem seguinte :
As 6 1/2 a companhia d'operarios, s 7
n' deposito especial d'instrucco, s 7 1/2
ao de recrulas, e s 7 3/1 ao de prisionei-
ros de guerra paraguayos.
A simado letmlm Jos Goncalrex Fontes.
ConJunuEmiliano Ernesto de Mello Tambo-
nenie ajudante de ordens encarregado de
i italhe.
EXTEKIOK.
39demalodel90
*s cuup^ao.
latamos em plena w*i p.ieitoral n*11- f"r-
maeio do congresso que tem de dictar a nova
caria constitucional da repblica e eleger o go-
,) permanente do Paraguay.
i governo provisorio j decretou o modo por-
>i I de julho prximo futuro.
Dous candidatos, seno com iguaes direilos,
mas igualmente fortes, dispulam a cadeira presi-
dencial. Um, D. Cirilo Antonio Rivarola, raembro
i i -roverno provis rio, pirece reunir os melhores
predicados para exercer as funecoes de immensa
j.v (onsaiiilidade moral que propria do supremo
poder de um estado.
Este candidato festejado pelo pavo, que sabe
qne elle nVfoi instrumento da tyranna sangui-
naria de Lpez, e nao se apoia, para galgar o po-
der, na inlluencia eslrangeira que alonga oluos
jso pelo territorio de seu vizinho.
Apolado as sympatbias da gente sensata do
paz e dos estrangeiros que buscam antes de ludo
a- garantas do direito de propriedade e de segu-
raura individual para o pleno desenvolvimento do
.aercio, apoiado em tao bons esteios, o Sr.
RiVarcla nao pode dexar de receber das' urnas
r.raes a sacrosantamisso de rehabilitar are-
iirar os desastres da guerra que aniquiloo Ano-
.: e materialmente ete poyo digno do /,/hor
O iro candidato, D. Candido Bareiro, alm de
.-lar ligado a Francisco Solano Lpez por prxi-
mo parentesco, foi aurante a guerra seu agente
i- -.dencial e ministro diplomtico na Europa.
E; os dous candidatos. Flca opiniao publica do
i'iraguay, dos estados da triplece allianca, em-
i ,i do mundo inteiro, que oontenplou assora-
hrade os episodios testa guerra, a escolha entre
JUvarola e Bareiro.
lopois da agitacaoque reinou alguns da* nosta
capital, devida aos grupos armados que sahiram
i- ras dando vivas a Bireiro e morras Rivarola,
-iKCcdeu a tranquihdade, como por encanto, des-
il qoos desordeiros viram a attitude enrgica
iiue lomou o governo provisorio, e o apoio moral
je o digno general brasileiro visconde de Pelotas
ntenleu acertadamente dar ao governo, para que
.i perturbxeo da ordem pnblica nao passasse de
uuia brraria, como nao passoo.
O mais importante das ultimas oceurrencias esta
na chegada dos plenipotenciarios alliados, qtfe
vm negociar e firmar com o governo provisorio
o ajustes preliminares de paz. Se elle* : o coa*
.iieiro do estado Prannos, que ha mais de uto
aojw representa o Brasil de modo a fazer orgulho-
~i= os brasileiros.que aqu vivem, e o general
l. Julio ;le Vedia, que representa a Repuhlica Ar-
gentina. /
Nao veio o plenipotenciarie oriental, dizem-me
por enfermdade que obstoa-lbe aviagem.
ConsU-me que ser elle representado pelo minis-
*rj brasileiro.
A mi chegon o Dr. Roqn Prez, Ilustre advo-
gado do foro argentino, que foi em julho do anno
mo passadoo representante do goyerno ar-
gentino quando se installou o g'overno provi-
sorio. |
A chegada'do Dr. Prez d lugar a muitos com-
raentarios : querem esses que ello viesse tratar de
negocios da casa Milina que foi a forneeedora de
forragens para o exercito brasileiro, o que ver-
dade ; outros querem que elle tivesse vindo como
a egeria de um alto (rsonagem, que por suaca-
pacidade intellectuai affasta de si essa snspeita
que al;i; nada tem de deshonrosa, desde que se
trata de assumpto poltico da mis alta monta.
O que verdade, porm, que o Dr. Prez pe-
la franqueza^do seu^caracter pode muito bem ser
e-Jaco de nm.io entre os muito* nteres-es que es-
to se debatendo hoje nesta trra coberta de des-
trozos da guerra.
qne contrista o coracao no meio de tudo isto
a miseria que desoa este desgracado povo para-
guayo. Xas ras da Assumpcao morro de fume e
de falta de abrigo, aqui urna pobre erianca que
perdeu toda a sua familia, all urna mulher que
perdea marido e irmos nos combates, acola urna
ancian que sobreviveu ao derradeiro amparo que
Ibe restava na ierra ensauguefltada pelos seus I
O governo provisorio nao poupa esforcos de ba
vontade para minorar tamanhas e to tremendas
desgracas, mas seus recursos sao poucos, ou, mais
exacto nenhuns.
Em pjesenca de um quadro to triste, anda ha
quem queira especular com as m:eras deste
povo ?
Onde estara generosidade e mais sentimientos
cavalherescos que puzeram as maos da allianca
a espada vingadora da civilisaco contra os des-
mandos datyrannia quejaz sepultada em Cerro-
Cor 1 A esie povo, que foi grande e forte, Deus,
durante a guerra, retlroa a sua proteccao. Hoje
um sentimento religioso nos diz que a colera ce-
leste passou e que todos Ihes devemos ama par-
celia daquelle sentimento sublime que manifes-
tou-se na cruz do Golgotha.
A estreiteza do lempo de que dispdmos nos veda
a prodcelo de multas considerarles que em tal
assumpto pendem dos bicos inexperentes da nos-
sapenna.
Consta qne o nosso ministro Sr. consclhero Pa-
ranhos recebeu denuncia de una revolucao, que
deve estallar na Bolivia em inlho ou agosto com
o assassinato do presidente Melgarejo. Nao sabe-
mos o crdito que merece esta noticia, mas cer--
to que foram dadas ordens urgentes para a pro-
vincia de Matto-Grosso, onde dizem que a conspi-
racao tem alguns adeptos de nacionalidade boli-
viana.
9 de ;ho
O assumpto da paz oceupa anda 'a diplomacia
no Prata. Creio que urna ligeira modli:ar;io no
prolocollo, proposta pelo governo do Paraguay e
aceeita pelo ministro do Brasil, foi tambero aceita
pelo ministro argentino, ad rtferendum, visto que
o general Vedia tem instruc$5es muito restrictas
de seu governo.
E* de esperar que esse nao deixe de approvar
o que fez o sen ministro de erar, portanto,
que s no lm deste mez e principi do utro este-
ja asignado o aceordo preliminar da paz. So en-
lio voltar para o Brasil o Sr. couselheiro Pra-
nnos.
A eleicSo dos convencionales, ou deputados
coostituintes do Paraguay, foi adiada para 6 de
julho. Entretanto os partidos que se disputavam
presidencia da repblica se debatem por todos
os meios legaes por ora. A candidatura Barrero
anonamente apoiada pelos argentinos, como j
disse na anterior, dispije de dinhero e da Voz del
Pueblo, que at concita revolta. Nao obstante
estou convencido que a candidatura do Sr. Riva-
rola a que rene mais sympalhias entre os pa-
raguayos.
No meio daquella luta, o ministro brasileiro
guarda a posico que Ihe compete como elementa
moral a bem da ordem publica, e sem involverse
na questao eleitoraL Dahi vera o respeito geral
de que gasa e a que tem justo direito. Urna pro-
va evidente do prestigio benfico do conselheiro
Paranhos naquella cidade a seguinte. Coma
sua chegada a 16 de maio passado no foi mais
ameacada a ordem publica, manifestando conlian-
ea no estadista brasileiro os dous partidos que
pleiteam a presidencia do Paraguay. Fosse ou
nao effeito moral da presenca delle ahi, o cero
que o faci se realisou e aulorsa, portanto, a con-
secuencia que delle tiro aqui.
As ultimas noticias publicadas nos jornaes
dao a Lpez Jordn nos ltimos apuros em Entre-
Rios, e que elle haia mandado um emissario ao
general Conesa, otTerecendo a rendiejio de suas
faran, t peiHutto no fovwroo nacional pas&aporte
para o territorio do Brasil. Entretanto o Nacio-
nal, que o jornal do governo, pnblica nma carta
do mesmo Lpez Jordn ao general Almada d-
pois das bataina: de Sauce eWillas dizendo a esse
ultimo que guardasse a deteza do rio Gualeguay
contra Mitre, que para l marcha pelo lado do
Uruguay, ao passo que elle Lpez Jordac descia
para o Paran. O mesmo Nacional diz que por
cartas constt que Lpez Jordo passara das fron-
teiras do norte da provincia de Entre-Rios para a
provincia de Corrientes allm de subleva-la, con-
vulsiona -la, edistrahir para ah a attencao e as
torcas do governo argentino. Nao posso, portan-
to. formar um juizo seguro sobre a situarn de
Entre Ros. Um mysterio envolve aquella sedi-
cao, E' muito difflil descobrir a verdado como
costumo, transmitti-la aos leitores do Jornal do
Commercio.
Do Estado Oriental sao cada cada vez mais
desfavoraveis as noticias. A posi?o dos colorados
critica. Dizem os jornaes que os rebeldes rece-
beram retornos de Entre-Rios sob o commando do
general Medina. A sbita partida do bem conhe-
cido Mximo Prez, que abandonou Mercedes e
veio estabelecer-se em Buenos Ayres, onde publi-
cou hontem um manifest na Repblica, juslilican-
do-se de sua defecr,o, autorisa-me a concluir que
os blancos estao ga'nbando terreno. Mximo P-
rez vtndeu tudo quanto possuia no Estado Orien-
tal e vem residir aqui.
Nesta cidade estove por alguns das a cele-
bre Miss Lynch, tendo voltado depois cidaie do
Rosario para tomar dous filbos que all deixara
quando esteve naquella cidade. E' hoje esperada
aqu para seguir pelo Oneida no da 15 para In-
glaterra. Aproveitando a attencao publica que
despertara a afamada Lynch em Buenos-Ayres,
tiz eu publicar pelo Standart a carta della ao con-
de d'Eu para esse fim. A publicacao foi feta no
Standart de heje. E' o attestado vivo e eloquen
te da procedimento elevado do exercito brasileiro
e concorrer para desmentir a calumnia com que
os jornaes de Buenos-Ayres macularan) o exercito
do Brasil com o assumpto do ataque em Assump-
cao em Janeiro de 1869. A propria Lynch tem
confessado aqui qne foi muito bem tratada pelos
tirasiieiros. O inventario prora que tudo quanto
ella trouxe comslgo leva para a Europa.
O Dr. Stewart, medico inglez que servio a
Lpez, e que entabolcu aquellacausa celebre
com Miss Lynch, chegou a Montevideo da Euro-
pa evai rollar para o Paraguay.' Pelo que diz o
Standart segu para Assumpcao levando grande
quantidade de arados, ps e outros utensilios para
o desenvolvimento dot recursos agrcolas de seu
paiz adoptivo.
O governo provisorio do Paraguay publicon
nm decretu, seguindo as bases aceitas da repbli-
ca Argentina, para promover a immigraejio na'-
quelle estado qne renasce de suas cinzas.
Urna epizootia fez orna erapcSo no gado da
Srorncia de Buenos-Ayres nos ns do mz passa-
o, tend feo seas primeros estrago* em S, /oi
de Flores, que fica duas leguas distante desta cida-
de. Os annuncios da municipaHdaile e do tnsejo
de hygitne, tem assuslado a populaco que nao
quer fazer uso nem da carne de vacca, aem do
leilo. Dahi tem resultado nm grande lucro para
os vendedores de extractum antis e de leite con-
deasado. E' de crer que bai'xe o prego do gado
vaecum, e que os couros fiquem depreciados na
Europa, com o receio da transmisso faapizooia
para o gado naquella3 paragens. Tnibem a la
ha de baixar, porque a molestia est atacando tam-
ben) aos cerneiros, pelo que dizem. Hoje noite
vai haver urna sesso da tociedade rural (calle Pe-
r n, 92), para tratar da molestia do gado, e con-
siderar a materia em todas as suas fices.
Telegraramas de Montevideo dizem qne a epizoo-
tia appareceu tambem nos suburbios do Cerro
Pantanoso, perto daquella eidade.
Por esses telegraromas se sabe aqui hoje
que hontem chegaram a Mcntevido os transpor-
tes brasilei ros Anicota e Bonifacio, transportando
1,300 paraguayos queeram nossos prisioneros. E'
bom que esse faci demonstre como nos destingui-
mos dos argentinos em generosidade e altanera
em tal materia. J foram publicada' as notas
em que se provou que os governos argentino e do
Estado Oriental alistaram os paraguayos em seus
exercitos depois de concluida a guerra. Quando
olSr. Alberdi publicar outra edieco de sua obra
El imperio del Brasil ante la democracia de la
America, nao se esqueca de estudar esse facto e
emendar-se-
A inauguracao do ferro carril central argen-
tino tem trazid) maor ardor para a nova empre-
za, a que j me refer. Trata-se da conlnuacao
at Tucuman e Salto, ligando essas duas provin-
cias de Santiago. Entao ser muito fcil con-
duzir os productos do Jujuy e Catamarca, que 11-
cam immediatas.
Apreseotou-se no congresso um projecto para
que o governo contraa um emprestimo na Euro-
pa j e j, alim de comprar o ferro carail do Ro
sano a Cordova, e etnorehender por sua conta o
outro para Tucuman. Eu chamo a attengao do
imperio para este assumpto.
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIFE, 29 DE JUNHO DE 1870.
ta de Fara & Fiihos.
'ESI:
nic de Lemos Braga, no Aracaty ; Jo5o Mara Julio Chaves, no Ass ; Antonio .Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
na 'illa da Penba ; Belarmino dos Santo Bulcao, em Santo Anto; Domingos Jos da Costa Braga,
na Babia ; e Jos Ribeiro Gasparnbo no Rio de Janeiro.
Noticias do sal do Imperio.
Amanheceu hontem fondeado no lamarao o va-
por inglez Oneida, irazendo data< de Buenos-Ay-
res ate 16, de Montevideo at 18, do Rio de Ja-
neiro at 23 e da Baha at 26 do oorrente.
PARAGUAY.
O governo provisorio propz urna modifica-
ro ao tratado preliminar que por parte das po-
tencias adiadas lhe foi apresentado. Aceita im-
mediatamente pelo ministro do Brasil, esta medi-
(lcaco nao o pode ser pelo da repblica argenti-"
na, general Vdla, que tem instruccoes muito
restrictas, seoo ad referendum. Era de crer que
o governo argentino osa mf^juaxi aimoxti*-^
em todo o caso, porm, obligara este incidente o
Sr. conseineiro a mais alguma demora na As-
sumpcao, demora comtudo que calcula nao fosse
alm deste mez.
A eleigo da cmara constituinle do Paraguay
tinha sido adiada para 6 do corrente, e entretanto
continuavam os pretendentes presidencia da re-
pblica a empregar todos os meios de fazer vin-
gar a sua candidatnra. O governo provisorio pro
mulgou um decreto para promover a mraigracao,
cingindo-se s base3 da legislacao argentina sobre
este assumpto.
RIO DA PRATA.
O Jornal do Commercio da corte resume as-
sm as noticias das repblicas do Prata, trazidas
pelo Ptolemy :
Relativamente revolta de Entre-Rios poucas
noticias ha quo possam reputarse seguras. As
follias argentinas do como quasi todas dispersa-
das ou rendidas as forgas de Lpez Jordn e este
caudilho reduzido derradeira extremidade. En-
tretanto o general Conesa confessa que por falta
de cavalhada nao poda perseguir effkazmente os
rebeldes nem obriga-los a aceitar batalha.
Aliangava-se tambem que havia negociacoes
pendentes, tendo Lpez Jordn offarecido depr as
armas, concedendo lhe o governo um indulto, ao
que se diz ter respondido o presidente Sarmiento
que nao podia prescindir de submett lo ao jul-
gamento dos tribunaes pelo crime de complicidade
no assassinato de Urquiza, mas que lhe assegura-
ra a posse dos seus bens, que nao seriam confis-
cados. Como quer que seja, o qne parece ave-
riguado que, ccupiioa._elas forcas nacionaes
os pontos importantes da prorhreia, Lpez Jor-
dn, que effectivameute havia perdido aTgtmas
forjas, ns podendo sustentar-se em campo aber-
to, ria-se reduzido a fazer guerra de guetrlhas,
talvez mais temivel, comtndo, do que a outra.
Uns diziara que elle se embrenhra nos matos de
Monfiel, outros que tentava passar para Corrien-
tes, aflm de convulcionar aquella provincia e ope-
rar assim urna diversio poderosa.
Na provincia da Buenos-Ayres mnifestra-se
urna epizootia, que eslava cansando grandes pre-
juizose at invertendo a economa da vida da po-
pulacho, que repugnava fazer uso. da carne e do
leite cem receio da enfermdade. Principiava o
mal tambem a estender-se ao gado de alguns pon-
tos do Estado Oriental.
Nesie continuavam os Mancos cada vez mais
audazes as suas correras, tendo mesmo ooeupa-
do a Colonia. Segundo as ultimas noticias eslava
Apparicio em Cebollali.
< O presidente Batle tinha chegado a Florida
onde ia reunir urna junta de guerra pata assentar
novo plano de campauha. A divisao, porm, la-
vrava entre os ehefe* do partido do governo, di
m mu indo-lhe. os meios de accao. O commandante
da vanguarda Mximo Prez, ehefe de algum
prestigio, abandoaou de repente o seu posto, e
vendendo todos os bens que tinba em Mercedes,
passou-se para Buenos-Ayres, onde publicou urna
especie de manifest declarando qu, vista da
funesta poltica do governo, desesperado de lo-
grar jamis o sen nico desejo, a unio do parti-
do colorado, por cuo trinrapho havia pelejado ao
lado do general Flores, abandonava para sempre
o seu paix, sem deixar de fazer votos para que o
povo oriental possa dizer nm d*a que tem patria,
liberdade e constilwcao.
Receiava se tambem nova invaso de blancos
condutidos de Entre-Ros pelo general Medlns; as
ultimas noticias, porm, asseguravam qne esta
inrasae havia sido desvala por medidas que to-
mara o governo argentino. >
As noticias trazidas pela Oneida sao as se-
guintes :
t As folhas argentinas do a revolta de Entre-
Rios como quasi suffocada, asseverando que Lpez
Jordn, abandonado dos chafes de algum presti-
gio que anda o acompauhavam, e tendo se-lhe
dispersado a rniior parte das forcas, se refugiara
as matas sobre fronteira do norte da provincia.
Acr mesmo lempo, porm, outras noticias referem
que aquelle cau jilho tinha anda us 3,000 ho-
raen? que estara armando e exercitando como in-
famara. Nestas, circumstancias, convm aguar-
dar o correr dos acontecimentos. Ha comtudo
qm facto que parece indicar que o governo geral
se nao arreceia das armas rebeldes, e ter man-
dado reabrir ao commercio os portos flaviaes fe-
chados quando se deelaroQ em estado de sitio a
provincia da Entre-Jtios,
Toas asouiras provnoos- da repblica film-
en pa e o congresso- reunido em Buenos-
Jwenrolvia grande actividades occnpandi
e prytctits importantes. Eitre estes coala-se-
consinnando a somma^de 209/100 para aug
lo .la* r-colas gratuitas em todas as provin-
; ou4r<'0'stinando igual quawia por anno
pan despez^,!.! transporte di-immigrantes para
o mterior daTepublica ; novo prjeefo ote transfe-
refcia da ciioital para o Rosario-; oaro autori-
sajlo um empllfsimo de 30 mihoes de pesos, ou
3?; 6,00fi para a ronstrueco de nma estrada de
ferro de C-.rdovaa Tucuman e Jejuy,. e anda um
estabelecndo regas para cooverso dos mulos
da i divida publift, alm de outros pro jet-tos de
meaos importancia
O assumto d> immigraco preemtpa muito
especialmente o governo argentino. Alarla agora
o ministro d-; estraigeiros dirigi aos- cnsules da
repablca urna cinmar expoudo luudaotente as
condicSes do paiz Wincipalmente quinto s van-
iaj9ns reaes que oierece aos que vao-alli proc.u-
rarlrabalho, lauto La agrienltura como nos mis-
lerea mecnicos. Pelaque toca aoi litteratos e aos
quffprofe-wam as belks-artes, adverte- circular
que rriscam se a pener o seu tempoo^ <|ue fo-
rera bascar fortuna h'aquelle paiz,- onde estas
rlasses j sao assaz numerosas. Resulta deste
doenmemo que 9,000 mmigrantes linlwim chega-
do a Buenos-Ayres nos\rcs prmeros meies des-
te aano. .
O Estado Oriental n\o offerecia mndaoea sen-
sivel ia situarlo das censas. O presidente Batle
e>tara com o seu quartel general no Durazno. O
general Caraballo conselravase ao norte do Rio
Negro, cujos passos dizu er bem guardados. Os
deparlamentos do sul coninuavam a ser pereor-
ridoe pelos blancos de Apacio.
s. PAUU.
Alcanjam a 15 do crente os jornaes que
recebemos:
Os Srs. Augusto Carlos Gomes e Castro, S-
ror Francisca Carolina do Amor-Divino e Gakli-
no Heonqne Klein, senhores la parda Francisca,
conceleram Ibe carta de liberdade sem condi^o
alguma.
Coraecra a publicar-se ia capital a 14 um
peridico poltico e ltterario, intituladoJornal
do Poto.
O Crrelo Paulistano extraa de urna carta,
que Ibe fora dirigida do Capiran. o seguinte :
< Falleceu ja lia tempo nesta cidade St Anna
Vaz de Camargo, declarando livrts todos os seas
escraws, sm numero talvez de 8 110. Ha pouco
mais dk 6 mezes finou-se entre nt o Sr. Jos ha-
noel di Campos Camargo, deixand lvres M es-
era vos, cujos nomes sao: Joao, Rosa, Braulio,
Florentino, Guilherma, Felicio, Leoptldina, Leopol-
do, Brazilia, Eufrozina, Manoel.
c Poneos mezes fazem que o Sr. Joao Das de
Aguiar conferio generosamente liberdade na pa
ba 'tismal a nm pequeo, lilho de sius escravos
Paulino Brazilia. Sobre todos noiavel o pro-
cedimento qne tem lido o Sr. Jos-Das Pacheco
que, rolando desaflecao decidida escraridao,
contrahio cedo o habito de alforriar os escravos
ie i\ adquirifldo, e dos quaes consta possuir
.ipoiiasumf Ada mais : o Sr. Pacheco alem.de
libertar, tem promovido a <,a.,r.-i- mh alaaas dos
seus ex-caplivos.
A Revista Commercial, de Santos, em data
de 15 publica o seguinte sobre o movimenlo da
exportacao naquelle porto :
Do dia 6 ao dia 13 deste mez, carregaram ues-
te porto tres vapores da linha de Liverpooly a sa-
ber : o Tycho Brahf, para Liverpool com 2.870
saccas de caf e 1,298 fardos de algodo;. Satadm
para New-York com 6,017 saetas de caf ; Pos
chai para Liverpool com 15,48i saccas- de caf e
899 fardos s algodao.
O valor do carregamento a bordo do primeiro
foi de lo6:19"57io e os direitos que pagou......
14:516^292; dito dito do segundo de 209:097297
e direitos pagos 19:2335987 ; dito dito do tercei-
ro 589:7566144 e direitos pagos 54r329l86. At.
tendendo-se que o vapar Paschal nao aceitou mais
carga, por ter de receber no Rio de Janeiro e
Bahia cerca de 11,000. volumes, o que desta mes-
ma linha esperado neste mez o vapor Crite-
rion, e da linha allema o vopor Talismn, deve-
se concluir a progresso crescente de commercio
desta cidade, credor cerlamente da seria attencao
dos poderes do Estado.
RIO DE lAN'EIUO-
. O senado approvou, no div 13, a eleicao de
senador peio-ftio Grande do Norte, sendo declara-
do tal e tendo tomado assento o Sr. conselheiro
Salles Torres Hornera.
Na sessao de 18 foi lijo o seguinte projecto de
resposta falla do throno :
Senhor.O vivo jubilo de que V. M. Imperial
ficou possuido por achar-se rodeado da represen-
tacjLo nacional muito satisfei aoaeoado que exul-
tou ouvindo partir do throno express5es to sigm
ficativas da felicidade da noeji na mutua confian-
ra dos poderes constitncionaes.
O Brasil unnime rende gratis aoTodo Pode
roso, e com V. M. Imperial se congratula pela fe-
liz e gloriosa lerminacao da guerra, que sustentou
durante 3 annos contra oex-dctador do Paraguay,
sempre tom honra para as nossas armas.
Realsou-se com effeito a fundada esperapca
de V. M. Imperial de ver os soldados do Brasil con-
dutidos victoria final, sob o commando do muito
amado e prezado genro de V. M. Imperial o mare-
chai do exercito conde d'Eu. Esta esperanza, que
nao deixou um instante o throno imperial, f tam-
bem a de todo o paiz, que considera esse trium-
pho anda mais precioso -por ter sido akaneado
sobavalio3a direeao do augusto esposo da Prin-
cesa Imperial.
c Por actos de dedicagao e bravura, era tantos
perigos e privarles Sua Alteza justiticou, engran-
decen as sympathias que lhe consagra, anaci.
i Em extremo agradavel ao senado a convic-
cao manifestada por V. M, Imperial, de ter sido
completamente justificada a conflanca, que deposi-
tan na firmeza e patriotismo dos brazileiros. A
historia attestar sera duvida, em todos os lempos,
a constancia inabalawl da geracio actual no pen-
samento unanimetde desaggravar a honra nacio-
nal, bem como afsabia e patritica perseveranga
de V. M. Imperial em gnia-la no eatpenho de rea-'
lizar este pegamento do tnpdo mais digno e satis-
factorio.
t O regosto da populacho do imperio pelo glo-
rioso successos que puzeram termo a to nobres
sacrificios, e as demonstraefles da gratido, que
por toda a parte tem receido os voluntarios da pa-
tria,agaarda nacional, a exercito e armada, sao ou-
tras tantas homenagens devidas aojheroismo de sua
dedicacao, recompensa a mais justa e bera, mere-
cida, que pr-dera desejar loaes defensores da patria
t .Reconheeeudo como V. M. Impeeial, a valiosa
e leal cooperacao dos nossos bravos aliados na
longa e porfiada luta, em que nos.'empenhamos,
corapraz-se o senado na esperanca de qne ella mni-
1o concorrer para a confraternisacJo dos tres po-
vos, indspensavel ao futuro de paz reclamado
pelo desenvolvimeuto moral e material de paizes
tao favorecidos da Providencia-
O Brasil lamenta como Y. M. Imperial a perda
de muitos briosos fllhoi comprehendo porm
que taes sacrificio?, sao indeclinaveis, e que a me-
moria dos teitos pralioados, preclaros exemplos de
civismo e denodo, constitnem a gtoria da nacao
que elles tanta amavara.
c Aguarda o senado os ajustes, necessarios com
a repblica, do Paraguay, que de aceordo com o
tratado tja allian*a do Io de roaio de 1865 e pro-
locollos aneexos, fianc?m a permanencia e as
vanragens da paz ; e conlia qne anda neste pon-
to o governo de V. M. Imperial proceder de
aceordo cor as conveniencias nacionaes.
< uvio eom satisfar.} e- senado que a trac-
quillidadtt publica contina inalteravel. e o impe-
rio maMem com todas as potencias relarT.es de
mais perfeija amizape.
O progressivo crescimeito s rendas publi-
cas prora o inarto' que valem ae forjas producti-
vas do Brasil, e liicto de um orgaoieate, em que as-
despezas bSo esecedem os recurso ordinarios- de
tbesouro, ha de seguramente- augmentar a c*
flanea na exoanso industrial do paiz.
o desenvolvimento moral e material do Brasil de
pende essencialmente de dilTundir-se a inst^lcro
por todas as- elsses da sociedttde, da facilidade
das commuoteaQoes, do auxilio-d twacws lvres
lavoura, principal fonte de nossa riqueza.
Nao ser-portanto illa lida a msiura deV.
M. Imperial na desvelada attenrao- qae urge de-
dicar a estes asamptoo, assim como i reforma
eletoral. aoraelhoraiBento daadrnHiistracrio da
jnslica, .v orgamsacao municipal eda gnarda na-
cional, di'creta<*ao de meios para, levar a elTttilo
o recenseamenlo- de toda a popnlaco da mperio,
lei do recrumento, e ao cdigo penal e do pr-
cesso militar.
Senhor O senado, que preston srpre as
governo de V. M. Imperial amis leal coadjuva-
rao para vencer as difOcnldades da administracao^
nao podia deixar de o fazer cora eropenhoainda>
mais decidido,, quando a guerra a que fomoe pro-
vocados exiga de todos os Brasileos exiremos
de dedcacao.
A nova era de paz tem tambera suas eligen-.
cias. Cumpre quanto antes satisface-las, dando
vigoroso mpnlsoaos melboramentos qne ella pro-
mette.
t Os representantes da nacab nao peupario es-
forcos para bem. eumprir os deveres da< ora si-
tuago.
Ad ptando o Brasil as ideas V progresso,
compativeis cora seu desenvolvimento- interno, ba
de realisar com prudencia e criterio toda as in-
novares justificadas pela experiencia e peto re-
flexo.
_V. M. Imperial piecontar com toda-a ded-
cacao do senado causa pnblica, e pessoa de
V. M. Imperial.Bardo de S. Lourenco.^-Garnei-
ro de Campos. -'Firmino Rodrigues StUxu >
Na sessao de 301 foi approvado em 3* diseussao
o projecto de orcameato geral do imperio, sendo
remmettida commissao de redacca com as se-
guinte- novas emendas-:
1' substitua-se os-arls. 21, 22 e SXpeto se-
guinte :
Artigo. Os predios rsticos e urbanos, terre-
nos e escravos que as ordens religiosa* possuem,
sero convertidos no prazo de 10 anco*, em apo-
lices iniran-ferivei* de divida publica, interna.
c Nao se comprehendem nesta dieposicao os
conventos e dependencias dos conventos em que
residirem as coramunidades, nem os escravos que
as mesmas ordens Utmrurem aem olausula ou
com reserva de prestaco de serviles- nao exce-
dente de cinco antm. e as escravas- cujes fiihos
declararem quo naseem lvres. ZZTZ,,.
As alienacoes h-- ae r!rerlu^,rirce?:
isacao Jtwsto nesie artigo seao-alltviadas de-
nieMde do imposto- de transmisso da proprie-
dade.
O governo estabelecer o medo pralico de
effectuar se a converso no regulamento que expe-
dir para execueao destas disposic.5s.r Carneiro de Campos.
a 2.* Ao art. 4:
t !. Augmente-sea quan-
tia de 3:000j (proveniente do
augmento de aluguel de casa
que serve de secretaria), ficando ^^
a verba elevada a............ 139:7454000
t 2. Dimnua-se a quanlia
de 9:8008 (por ter-se supprim-
do a legar m nos Estados Unidos
de Colombia), ficando a verba re-
dunda a.................... 462:0735000
3. Augmente-se a quan-
lia de 3.-000& (por terem sido
postos em dispombilitlade al-
guns emnregarios), ficando a. _____
verba elevada a..?........... 12:9995900
4o Augmente-se a verba.
de mais 20:000-5 (por ter sido
1205000
74:000*WO
9:000*000
HfNWO
1:350C0(>
f:25040)
*:30050CO
700*000
66:000*000
.I7:000*00)
64:000*000
82:0002000
69:500,4000
60:0GO*00O
50:0003000
50:0003000
I
39,600:816*250
15,269:2663000
1,893:227*557
600:0000)00
1,000:0)0*000
xcedida n}s annos anteriores),,
licando elevada a.............-
5.a Augmente-se mais
'.10:000* (pela mesroa razo), fi-
cando elevada a..........
t 7." Augmente-se com
mais 10:000*, licando elevada a
Baito de Coleg pe,
3." Ao art. 10 :
Era lugar de1869 a 1870
diga-se 1870 a 1871, e em
vez de 83,601:39,*390 diga-se
Visonie de Itaborahy.
4. Ao art. 7*:
Em vez de 40,237:676*484
diga-se......................
2.' Em lugar de........
12,213:1045 (emenda da cma-
ra dos deputados) diga-se.....
t 3." Em lugar de......^.
1,805:470*182 (emenda da c-
mara dos deputados) diga-se..
c | 16. Seja substituido pelo
seguinte : Despezas eventuaes,
sendo 2,668:880>768, para dif-
ferentja de cambios............
19. Em lugar de.........
2,460:000* (emenda da cmara
dos deputados) diga-se........
20. Em lugar de 500:00*.
(emenda da cmara dos deputa-
dos) diga-se..............-
Fijconde dt Uaborahy.
5. Ao art. 10: .
Supprimam-se as emendas feias pella cmara
dos senhores deputados aos ns. 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7,
8, 9, tO, 12, 16, 19, 39, 40, 41, 42, 44, 46, 48,
49, 80, 51, 52, 53 e 02, e substituara-se os n-
meros, ttulos e aigarismos da proposia pelos se-
guales :
Ordinaria.
1 Direitos de iroportacio. para
consumo............... 50,800:000*000
2 Expediente dos gneros l-
vres de direitos de consu-
mo elevado a 5 0/0.....
3 Arraazenagebs...........
4 Prem.ios de assignados.,..
5 Ancoragam..............
6 Direilos de 15 0/0 de expor-
taoao do pao brasil......
7 Ditos de 9 0/0............
8Ditosdelel/O/0.......
9 Ditos de 1 1/2 0/0 de ouro
embarra.............
10 Ditos de 1 0/0 dos diaman-
tes...................
11 Expediente das capataxias.
12 Juros das acedes das estra-
das de ferro da Bahia e
de Peroambuco.........
13 Renda do correio geral....
14 Dita da estrada de ferro de
D. Padre i......,,,...
15 Dita da c?.sa da moeda...
16 Dita da sonhoriagem da
prata,................
17 Dita da Ikhographia militar
18 Dita da TVpographia Nacio-
nal....................
19 Dita do JXarw O/fietal___
20 Dita da casa do correccao.
21 Dita do Instituto dos meni-
nos eegos..............
22' Ditos do Instituto dos sur-
dos e mudos____...
23 Dita da fabrrea da plvora.
24 Dita idem da de ferro de
Ypanema.........-.......
25 Dita dos telegraphos elc-
tricos.....,.....;.......
26 Dita dos arsenaes...-.,,.,
27 Dita de proprios nacionaes.
2& Dita de terrenos diamanli-
nos.........___,.....
29 Dita do Imperial collegio de
Pedro II................
30 Foros de terrenos e de ma-
rranas excepto os de mu-
nicipio da corte e produc
to r>a venda de posses om
dominio uteis daquelle
terrenos de raanohas cu-
jo aforamento fr preten-
dido por|mais de um indi-
viduo a quem a le' oo-
maodar dar preferencia,
ou nao sendo esta reque-
rida em tempo, os quaes
serao postos em basta pu-
blica para serem cedidos
a qnem mais der.......
31 Lauderaies, nao comprehen-
didos os proveniente das
"rendas de terrenos de
marrabas da corte......
32 Decima urbana.......... l,713:0O*O(X
33 Di a idera de urna legua
alm da demarcarlo....
34 Dita addicional das corpora-
c5es de mo morta.......
35 Noros e relhos direitos de
raerees pecuniarias------
36 Matriculas das facilidades
de direito e de medicina.
37 Sello de papel fixo e pro-
porcional..............
38 Premios de depesilos pbli-
cos...................
39 Emolumentos.............
40 Imposto de transmisso de
propriedade...........
41 Dito pessoal.............
42 Dito sobre industrias e pro-
fissoes. ................
43 Dito de consumo de agur-
denle...................
44 Dito do gado de consumo..
45 Dito de 20 0/0 das loteras.
46 Dito de 15 0/0 dos premios-
das mesmas...........
47 Ditos sobre datas mneraes.
48 Taxas dos escraros.......
49 Yenda de trras publicas..
2* o ae penas nagua
51 Armazenagera de agur-
dente..................
32 Cobranca da divida activa.
Extraordinaria.
33 Contrbuco para monte-
po.....................
54 Indemnisacoes comprehen-
dida a amortisacao do
emprestimo de 1866 que
tem de ser effectuada pela
Repblica Argentina.....
55 Juros de capitaes nacienaes,
incluidos os dos empres-
timos feitos era 1865 e-
1866 mesma repblica,
nos termos do prolocollo-
de 16 de abril del86C.
56 Productos de loteras para
fazer face s despezas da
casa de correccao e d>
melhorameuto sanitario
do imperio-...%___.....
Dito de 1 0/0 das loteras
na forma do decreto n.
2.936 de 16 de junho de
1882..............*i.
38 Vendas de gneros e pro-
prios nacionaes........
Receita e ven tu al, e o m-
prehendidas as multas por
infraccao de lei ou regu-
lamento ..............
57
59
10:711*000
19:Q00*00O
713:000*000
48:500*000
173:500*000
20:000*000
158:000*000
3,130:000*000
18:900*000
236:000*000
3,193:500*000
584:000*000
2,050:000*000
235:000*000
170:000*000
1,103:144*000
326:925*000
100*000
C60:000*000
31:000*000
O.300*000
33:000*00--
564:000*000
800*000
2,342:000*000
1,276:000*300
66:600:000
40:800*000
127:0005000
800:000*000
305:000*000
140:000*000
41:000*000
310:000*000
21:0005000
18,180:000*000
47:400*000
2:800*000
37:500*000
30:0001000
Total.... 94,100:000*000
Suppriraa-se do capituloDepsitoso n. t",
e acrescent--m-s3 ao 2? depois da palavraausen-
tesas scgunte3e do evento.
Altere-se a uumeracio dos outros ttulos.
Visconde de ltabovaliy.
i 6* Ao art. 3* g 2o era vez de 105;700*diga-
se 151:700*000
| 3o em vez de 304:026*667, diga-se.......
4.41:9405000.
| 5o Em vez de 143:310*, dign-se.........
1,393:340*000.
Corrija-se a somma total do crdito.Ba* o
de Murit'ba.
7o do g. 3 do art. 6 :
Reduza-se a verba a 274:539*000.
Si 6 a t,680;865*280.
i 8o a 7,184:6795300armo de Uuriba.
;<;ieve a verba obras a 800:000*000.
Corrija-se a somma total do crdito.Bardo
de Muran. t -
!. Ao 8 do art. 3.Pessoal e material d
polica accrescent-se no algarismo respectivo
25:200*. de augmento dos vencimentos dos juzes
de direito, chefes de polica, concedido por esta,
le.fiorao deMuritiba.
2" subemdas : No 34 art. 10 era vez de-
Dita das corporaQoes de mo morsadiga-se
Dita addicional.V. de Uaborahy.
t 3. A verba do6 doart. 7* elevase com
600* para pagamento, do escrivo dos africanos
Iivre3. na lrma da rosolucao qu* o autorsou.-r
F. Octaviano.
Foi regeitado o projecto marcando o tempo para
a jabilacao dos lentes das faculdadel do imperio,
e a indicaco do Srv Silveira Lobo sobre a verifica-
cao de poderes de. senadores.
Na cmara dos deputados foram approradc*
em 3* discusao; sendo regeadas todas as emen
das, o projecto do senado antorsando o gorerno a
conceder garanta do jure de 5 / > capital ad-
disional da compaohia da estrada de ferro de Per-
nambuco ; e o projecto declarando;que aos cer-
dotes eleitos e confirmados bispos, sero abonadas,
ajudas de onsto, a primeira pa' conflrmacao,_a
segunda para transporte, e a terceira para pnmet-
ro eslabelecmnlo. a .
Approvou mais em 2* dlsoussau o projecto e
orijomento geral para o aano de 18711872,
parte relativa dos ministerios do imperio
P
na
da
ustca cora todas as emendas da commissao emais
3H S6TUDt63
. Na S 30 eleva-se o ordenado do bibliotbecario
a 2:000*. sendo obrigado a abrir a bmliottoea a
larde e noite, conforme-for estabelecido prto go-
veiEO em regulamento, e reduza-se a l:wu*, a
quot para completarem-se as colteccoes di re-
vista existentes na bibliotbwa.-An4>a 41:000*000, ). .
133:000*000
600;000*000
3,680:000*000
7:000*000

I



i

,-
/
....


I
m
T?
.
Diario d Pernambuca ftuarta feira 29 de Junho de 1870.
Art. 8. O ministro e secretario de estado Jos
nagecios blicas, etc., era vea de-12,O03:.-;nj;030 diga-seo
que se vencer.
N> $ 1." wtescealo-se seado desde ja____
10 09 1 j, para os wnei atentos de seis praticantes
creados pclo% decreto 4,487 de 9 de abril de 1868 e
de dous corre
t |5 diga se M:9i, seado 10:0003 de;do j
para acqai.-icao do padras do systoma Ineirico,
afira de executar-se a lei n. l,lo7 de *B de junho
de 1862 no raoniotpioneatro.
No J 8. a^-resesete-se. sendo desde i aug-
menta de :i:(7 jOOO pra conservado do material do curpo de bom-
teiri.
So ll.a:erescent<--se, sendo 31:038*, logo
o.ue sejam aoertas s esuees Je Sapucaia, Var-
xea- A logre e Pinh-int.
t Ro t digase.-m vez d.t 600:000a____
l,(H;):0K0.i, sendo desde ja iOd.OO* com a estra-
da dn Matto Broceo.
Xo 13 em vez de jilspecco feral das obras
jpuiilirai do municipio diga-se ultras publicas do
municipio neutro*.
Ho"5 i--) .vereseentve-desda ji.
llojj 17 aoensceai.--. sondo desde ja....
40:00^-3 para acquisii-fu de inisionarias, e estabe-
leeiin utos de aleamentos.
Noj 18 accfeseVnte-eenflo li6:009 des-
CayaMK
Vo 20 iccroscciiii'-sesendo desde j mais
2:8 *0 para <-agranito de alugiel da casa e orde-
nad;, dos Bfefanofea da cuuoinia poltica* eali-
grvphia.
i N 21 accrescente-sesendo desde ....
1S:280j para aequitcis do pfotktetos, scuarranjo
edassiiicaras.
Pac da cmara dos deptitt.ilo* em tS dn ju-
nho Ib 187(3.Barros Barreto.Cruz Machadn.
Alfonso de Cairallw.
Ai i i ">: B- iluia-se a verba, eUminando-sejl
a ijuantia de 600*,parasetrivio dos africanos
Unan*, cuj lagar ka supprknido.
Por decretos de 11, 13, lo, 20 e2 do cr-
reme :
Mand'tu-se contar ao 1" lente da armada Jota
B rnardiito de Araujo, anlq.uidade do respectivo
pasto dente 8 de deieoiur de I8.
Foi anteferida a pecaa o graca do roThoinat
Fernandos da Silva tiaroroba, condemnado pe i
w Campia (r.if. le, da provincia da Paqahyba, a
14 anuos de prisao, por erime de homicidio.
Rui exonerado de secretario do gtiverao de Per-
nambuco, o Dr Joaquim Currda de Araujo, sendo
orneada para a sofcatiUrr o Dr. Elias l'rederiio
de Almeida e Alii:iqui>r(fae.
Foi jubilado o coaaitetro Dr. Jos Benlo da Cu-
nlia Figaelre lo, no enappagw de lente da segunda
eadetra do tirano da t'aculdaJe de direito do Re-
CiN'.
Foram Borneados :
O lente suLsiiiiito.Dr. Aprigio lestiniano da Sil-
va Guimaraps, para o lugar de lale da 1* cadeira
do ; anno da inesma iculdade.
O eawlio-leneale .Va.iu.l Lipes da Cruz eoca-
pilinLuiz Jos da Foimeea llamos, civalleiros da
ertfem lo S. Heut'-delAviz.
Os l)r. Beato liara da Costa e Jos Firrtiino
Y,'II i ol -iaes da i odem da Rosa, em altowao
a s KMvantes servioei prestados a huinaaidade, o
prjwoiro no ex rcicio das funegues de director do
-rvico sanitario do hospital martimo de' Santa
lsibj|,p n segando no eseraeio das funecoes de
seiMTurio da nispecrao de saude do porto do Kio
le Janeiro, por occasio das epidemias une tem
grassado.
Foraru eooeed las as seguintes pensdes mo fi-
jara pendentes ue approvacao da assembla go
ral :
Ao eapitn honorario do ciereito e lenente-oo-
roiul da guarda nacional do lio Grande do Sul
Joaa AntoLio Uudrigues; a de 96*000 men-
sa* *.
Ao capitn do 23" corpo de voluntarios da pa-
tria M:i.ie; Eustaquio de tirito, a de 00*000 nien-
MH
ta alfares do 10 r. >rpa de cavaHarta da guarda
nacional do Rio GraaJe do Sul, Manoe' Jos dos
Sanios, a de 3Gi mensaes.
Fui a cedido ao areadiago da S de Olinda.Joao
Jim; Partir, nin anuo de lieenja. com o vencimea-
to da reRDMikra congrua, para tratar de sua saude
ume 'he euovier.
F.n-.-irn concedidas as honras dos postas milita-
res rio ejercito ana individuos .litaixo raencin-
Badas, tai litrnrjao ana relevantes servicos pres-
tad, ij na guerra contra o gsverno do Para-
guay.
De inajor, ai nr-jor de voluntarios da patria
homenagem nrestada aos bons filhosda e'jcolaqae da Gunha Meneies. As brigadas formara
Mioel Pmes CainpeHo do Almeida; ao capitao da
vtiarda naciona' '- ------:-----'- "-*-' *--
<"a uforincia do
.iTmoifia
d>
o inajor Fran.;isco Marques Xa-
Rio Grande
Sil!, Uenniicto *< .-011101713 Torres. M
li,. ,......:o, aos capitaes do 41* corpo de rolan-
tan is da patria Jos Jorge Pcrruclio; do 10 cor-
bm de cavaliaria da guarda nacional do Rio Gran-
de do Su1 Aceario Jeafoira Corri.
Foram os offlciaes anaixodesignidos pertencen-
tes 7* brigada de civallaria composta dos cor-
tu- ns. |, lo, 17 e 20 da guarda nacional do Rio-
Grande do Sul, agraciados com as seguinles con-
k oraciles, oa remunera^aj dos relevantes servi-
is mu prf staram na guerra do Paraguay.
Ordetn imperial do Oareim,-* Officiaes, o brl-
gideiro honorario Beato Marti ns de Menees e
a coronel Vasco Antonio da Fontoura Chana-
eco.
Cavalleiro,
vier.
O dem de Christo.Cavalleiro, o tenente-coro-
tiii Jonjuim tod.igues Braga.
-Grdem da Ro-a.C iminendador, o coronel Jos
Fi'rn.indes de Souza Doca.
ij.li/ial. o enroe! afaBoal Jos Siares.
Cavalleiro, o major Hermenegildo Lauriano da
S;lva.
Foi nomeado eng^nheiro de urna das seccoes da
Imlia telegraphica do sul. o capitao de engenhei-
Ma Alvaro Joaquini deOveira.
Omcedeu-se ao engen ;eiro aiadante de clas-
n da estrada de ferro de D. Pedro II, Julio Stank,
joatro mezes de licen^a, sendo tres na conformi-
oade do disposto do art. p do decreto n. 4,484
de 7 de marco deste anno.
Foi nomeado ene.irregado do deposito de arligos
-Jjellicos da cidade do Rio Grande, na provincia
de S. Pedro do Sul, o tenente do curpo de estado-
maior da 2" elasse Alexandre a I ves France Muniz
Barreto, e exonerado do eferido lugar o len-
te reforniedo do exercito, Manoel Verissimo da
Silva.
- Leraos no Jornal do Commercio da corte:
Sob o litnlo Centro emancipador o 2* anno
-medico fundou urna associacao manumissora euja
directora compite-ae dos Srs. J. A. O. Magioti, pre-
-idete, M. M. Braga, secreUrio, e S. D. B. Souza
Uarros, thesoureiro.
ileuuio-se hoje (16) as 4 horas da tarde no sa-
1ao do theatro de S. Pedro de Alcntara grande nu-
mero de cidadaos, afim de eombiuarem o meio de
lar-se urna demonstraco de apreco ao general
Osorio. Foi apreseotada pelo Sr. Octaviano Hud-
son o acolhida com enthusiasmo, a de offertar-se
urna lanca ao bravo general. Em seguida foram
nomeados para promover soDscripedes na elasse
acadmica o Sr. Lopes Trovao, estndante do 3"
anno medico, na elasse militar os Srs. ,'capitaes
Antonio Pereira Martins, Francisco Jos Machado
da* Reis e Manoel Rodrigues de Lima Gama, e
na elasse jurdica o Sr. Dr. Laiz Barbosa da
Silva.
a ella voftam, depois dos arduos trabamos
da fnerra. para c.incluirem os eu3 estndos da
scieneja militar. As 11 horas da manhAa chegou
3. M. imperial aeompauhado do seus eraauarios;
foi recebido, ao chegar a tortaleza por S. A. o Sr.
conde d'En, pelo commandaiue, lenles e*ofciaes
da esaola, generaes BiKcncourt, Msooel Antinlo,
Andrea, Juas de Souza, e muitos olflriaes e lentes
da esc-la central e dn inarinha. Sua IfagestaJa
dirigio-se a urjn saia simples e militarmente a-
dornada com u-nphos de armas, e all eelebrou-se
u acto soletnDo de abertura^proforindo o Dr. Tho-
mas Aive?, como orgin do consslho do iastruccao
da escola, nm disenro, a que se segnio outro do
alumno capitao Ainanho Olindo de Vascoucellos,
era nomodo/corpo escolar. .
Tcriaiatm o acto por nma salva de 21 tiros
dada pela fertuleza. A direita do jtortio da feria-
lela ac'iava-se postada com msica una latida
guardado Jtanra do deposito de aprendixes at'tr-
ftieiros.
S. M. imperial, Sua Alteza e os onvidados
percerveram tudas as dependencias do' edicio, e
retiraram-se a urna hora da tarde.
A -luja Silencio da circulo do Grande Oriente
do Brasil, no valle dos Benedictinos, em 18 do cop
rente niez, pelo acto de empear a sua nova ad-
uiiiiistracao, deu vinte usnWas de b"! cada urna
a viste enancas pobres viuvas desmuro** sdoptou
GOflM scus a tres-menores filaos dos .-cus inuac's e
tiberio!) tre- ca^as ; comriwvidos por estes ac-
tos de caridade, dous dos sas membras liherta-
raiti grataiataette, em nouie da' l"ja, duas guas
escraras de 8 a 10 anuos, eacarregaudo-se da sua
edu.racao.
Hontcm (t) o supremo tribunal de juslica
JQigou os Srs. desembariidores Caetano "Vicente
de Almeida e Venancio Jos Lisha, tomando as-
sento para completar o numero de seis juizes
desempelidos o Sr. cnusellieiro de.'.emhargador
Joao Lopes da Silva CoiKo. Fes*o relaiorio o Sr.
bafio de Montserrate.
" Dada a palavra aos defensores nson della ein
primeiro lugar o Sr. eonseljieiro Furtado, dizendo
n; se aehtva em difficuldades tendo de a|>resen-
laropinioes conirarias ao supremo tribunal, mas
estando eseripto noieordao lavrado no processo
em questo, cansa careca de ampia dlscussao,
pedia licenea para Tr as conskleraeSee que ttnha
a ulTerweer.
Lcndo-as, S. Exc. diseorre sobre a questo de
direito para mostrar que o caso nao era de resis-
ta diante da nossa le{risla?o, que o recurso de
revisu-t nao era admissivel do de aggravo, usado
por exeejteao de incompetencia : 1ii ilmeute que
oenbacatexto bavia as leis em vi^or que talori-
sasse a eurigacao zes processados de julgarem a causa par outro
modo
O Sr. Dr. Benlo .Lisboa declama que nada
nais poda aecresentar era fav.irde sea paialm
do que fura dito coea tanta prolisciencia pelo leu
ilustrado antecessor.
O Sr. consclheiro procarador da cora, tam-
ben) iee que potreo mais liuha a accrescenUr ao
que estiva nos auto* ; snjeilava-se portanto ao
que decidisseo trihnnal.
t Concluidos os debates o Sr. presidente eela-
roa que a conferencia tornaTipe cereta.
A urna ora da tarje proceden se a votaeao
era acto publico, sendo ns desem! arcadores absol-
virtos. Vot?ramos Srs. Veiga, Simo'-s, M. de Leo.
Barbosa, Villares e Cont.
Eis as nqticias commereiaes da ultima hora :
indurado tranecoes em cambio fleetaMas
hoje regulares sotire." Londres a 21 3/i. d., papel
bancarie, e a 21 7/8 e 22 d., papel particular,-e
pequeas sobre Franca a 432 e 435 rs. por franco,
sominam os saques para o iiaquete inglez Oneiin :
Solire Londres oerea dei80.K) a i* e 21
3/i d, papel bancario, e de 22 1/4 a 21 7/8 d.,
papel particular.
Sobre Franca carca de tr*. 2,700,000 aos ex-
tremoa de 42o a 439 rs. por franco.
Sobre Hambnrgo cerca de banco 100,000 a
803, 805, 8(2 e 8i\ rs. por banco.
t Sobre Portugal vigorou o premio da tabeila
qae publicamos na nossa revista de hontem.
t .\egimraiu-si!h'>jo60 apolices geraes de G
O/o a 83 1/2 O/o ex-dividendo e 21 ditas do em-
prestimo nacional de 1868 a 1:000*. i
Nada se faz luje qo mercad.) de metaos ; os s -
beranos ficaai a l#*9O0.
O vap ir South ntericj devia partir no dia
25 s 10 horas da nnlMiaa.
O Guar eslava anuunciado para o dia 1* de
julho.
Eslava carga para Pernambuco, o pnlha-
bote Dezenoce de Junlto.
Proeedenie de Pernarabnco chegou, a 18, o
brigue Siqaeira.
Para Pxrjiambo^a ^hio-, 40-(i, patacho
ceinmando do Exra.
urna
o de
diviso
Pass.
;o poro nahiano dar mais urna vez prJas de
seu acrisolado iiairiotism^coocorrondoparao bri-
Ibanthmo o ordem do Ua patritico festjoje mo-
do que na manifesU'o de seu jubito-aiostf como
sempre qne 6 un\ puvo tivre e civilisado.
Acha-Si cervindo'de cnsul da PoigaJ, o
Dr. Daniel da Silva Ribeiro, cbaucellor.drute a
fuspnsaa do iaffecuvo comineadador AuggtsPe
sote.
i!B Lemo* no Jornal: '
> Comiuunicam-nos as segaintcs nouci de al
forrias ltimamente conferidas :
t Em. Vakraea, ao ter-e, no da 5 le nraio
ultimo, o Inventario dos bens do fluado Garpar
d'Arraa Teizeira, entre os quaes ifra a liada a
menor escrava, Andreliaa, de 3 annos, c capitao
ROgario J>come de Barros teve a felii dea de
rnrnover paca a liberdade da dila mei r urna
Mibscripcao, que fcilmente cobrio o | eco da
avaliafao, passaado-se logo por ordem i juis a
carta de liberdade.
, Na freguezia de Guerm o lavrade Pedro
Francisco da SilvaGu'maraes libertuifi crayos,
o o fazeadeiro Manoel Alves de OveirsS, a sa-
ber : Luir, crioulo, Mara, africana ese filhos
desta.
Em Marih, Joaqaim Francisco Can so pas^
son carta de JiOerdade, em nonie da S ciedado
Liberialora Seta de Setenibru, a .sua ca fran-
cisco.
Em Camam. por occasiao d<| am opo de
agua ofFerei'ido no dia 2"> do passafo pi- tenen-
te-coronel Antonio Martins da Sil*4 aliaos vo-
luntarios daquella villa, que regresiaraujdo sol,
Mansel de Souza Vianna, que se acfjava presente,
fes entrega i cria fiavina, branca, d 3 aiaos, de
;ua carta de liberdade lambem passad em nomo
da Souiedade Libertadora. ;, /
Estes dous ltimos titulas acttjn-sej em
poder da Sociedade Libertadora, &fc foram re-
mettidos pur seu distincto commissaf o Dr. Jos
A Uredo d liveira.
A Exma. Sra. D. Joanna N^mnucena dos
Santos, que j tinha atmirldo o.Atulu ie socia
benemrita daqaella sociidade/ libertando em
maio ultimo quatro escravos aYultos, acaba de
pasear carta de alforrra aos qufflhe restavam, de
noraes Pedro, Jacintha e seusjOlnos Martiniano,
Lihania e Dorotha.
O cambio regalava : sob Londres 21 5/8 a
21 3/4 d ; sobre Pars 436 a/441 reis;,esobre
Hamburgo 810 reis. 1
Sahio para Pernambucq no dia 10, o pata-
cho Inglez Azaba,
pelos coraprimentos que ora me faz; a,gradecdndo
anda a delicadesa das expresas de qne se ser-
vera Vv. &s. a raen respeito, garanto a ilustrada e
patritica^ representaba i da provincia quo nao al
mejo senao o desenvulvimento moral e material
da nossa provincia, ajinaanhan.ln' assiai o bene-
leo pnsamanto do governo de S. 31, o imperador,
que so trabalh* pelo progresso e engrandecimento
da nagao.
Pelo presidente da provincia foi sanceioaad*
a segrate le da assembla :
Art, l* o imposto que era virtude do S 5* do
art, 2 lein. 381 de 12 de jalho de 1867 pagam a
fannha de mandioca, o milbo e o arroz, ezportados
d esta profUcia para qnalqoor dos portos do im-
perio sera" Cora em diauta cobrado a* razio de
-* P"r alqocire
Art. 2. Ardiir-renanntre o tapo/lo agora esim sujtuo estes gneros o qne
decretado pela presente lei ser aoplicado ora
-ra d'efles, afli
.'oic5as ti* aorc do imperio.
Tambera amanheceu honm fundeadn an porto
o vapor brasSeiro Arinot, dm datas : do Aman
as 9, do Para 19, do Manho 21, do Cear 2i,
do Riii-Gran-Je do Norte i6 e da Parahvba 27 d
correte.
jiomeii u.
Entrn hontem (19) procedente de Santa Ca-
tharina o transporte Isabel, eoadozindo o batalho
50, denominado Piauhy, composto de volnnlarios
dest provincia e de contingentes de ontros de va-
nas provincias do norte. Vem eommandado pelo
teoente-c ironel Joaquim Cavaleaoti de Albuaner-
que Bello, e dntt 53 officiaes e 708 pracas de
pret. v
S. M. o Imperador acompanhado des seas sema-
narios esteveabordo do transporte e asslstio ao
desembarque eaquartellamento do batalho no
ortume em S. Christovio.
< Fallecen hontem (19) as 6 horas da jarde o
padre-raestre provincial dos religioso? franciscanos
fre Antonio do Corado de Maria e Almeida, con-
siderado com justiQa om des ornamentos do pul-
pito brsslleiro.
< A loja raaconica Araisade Fraternal, no La-1
vrado em sessoes solemnes de 28 de maio e 18 do
corrente, entregou cartas de liberdade a dnas
enancas, sendo urna do sexo masenjino e ontra
do feminino, Meando a educaeao desta sob a pro-
leccao da mesfna loja. >
Abri-se hontem (20) solemnemente o earso
-superior da escola militar da Praia Vermelha, era
prejenca de S. M. o Imperador e de S. A. o Sr.
conde d'Eu.
Foi ama festa escolstica em regosijo pelo
glorioso tormo da guerra, na qual relevantes ser-
vicos prestou o noato primeiro estabelecimento
de instrnccJo militar. Commaudante, lentes, ins-
tructores e alumnos, em grande parte, liveram a
vwnpartilhar seu quinbio as glorias da nossa
torca armada
< A festa de hontem era ao mesmo lempo urna
BAHA.
No dia 26 comecou a eleico de elcitore.-, n
ra senador.
Fallecen, no dia 23, o visconde de Itaparic?,
marechal Argollo. O Jornal da Bahia diz o se-
grate sobre o seu funeral :
Teve lugar hontem pela manha o funeral do
eximio marechal visconde de Itparica.
Na tarde anterior viera da casa de seu digno
prenle para o hospicio da Piedade, o cadver de
S. Exc, recebendo desde entao da populacao as
mais significativas provas de horaen.-gera e pro-
fundo posar.
Um numerossimo concurso de pessoas de
radas as classes e proflssSes segua a p. deseo-
bertos todos, o caixo, nue era carregado pelo
Exm. Sr. desembargador vice-presidente da pro-
vincia, general commandante das armas e nutras
pessoas da maior distinetao.
t Hontem pelas 10 horas teve lugar o oIBcio
fnebre, sendo grande a concurrencia.
Porfiavam todos era dar ao Ilustre finado,
naquella hora extrema, ura tributo de amor e d.
Repetlndo o que praticara no dia da entrada
victoriosa do preclaro visconde de Itapanca nesta
cidade, o povo insisti cm carrega-lo, dispensando
os carros, e teve por grato dever ainda urna vez
de conduzir o distincto martyr da patria.
O servico funerario foi de rara pompa e da
maior solemnidade, estando o templo externa e
internamente preparado com moilo luxo e gnsto.
At o cemiterio o marechal Alexandre Gomes
de Argollo Ferro, o hroe do Chaco, f, objecto
das raaiores attencoes e de abundantes lagrimas,
por parte de centenares de pessoas, que fizeram
nm dever de leva-lo at sua ultima morada.
A presidencia da provincia, como provade apre-
eo ao finado, mandou eehar nesse dia todas as
reparticoes publicas.
. Foi publicado o segrate programma para
os festejos do dia 2 de julho :
fo dia 29 de junho, reunido no largo da La-
piona o bando de cavalleires e mascaras, urna oy-
ndola dar o signal da partida as 3 1/2 horas I
da tarde para annunciar os festejos do sempre
memoravel dia Dous de julbo, aniversario da
nossa independencia.
Depois de percorrer em ordem as mas do
coslurae at o Campo Grande, o bando tendo sua
frente o estandarte nacional, e urna banda de m-
sica marcial, vcltar praca do Conde d'Eu, onde .. ., lo.., oe30,D(
\?T,a?*a- tom resolvido, sempre de acord com "o'ne
No da 2 de lulho os carros, conduzindo es to do governo ia penal e com as ne^sEf do
emblenus patriticos farao sua entrada triumohal.- dovo nuranhenM n& Mi^m -SfS'K!??1 d0
_ inumphalf
acompanhados pelo povo e pela guarda nacional
que formar em grande parada e a frente da ca-
Ihedral. Nella ter logar um solemne Te-Deum ao
Todo Poderoso em accao de gra(is, pelo beneficio
}ue nos oulhorgou no sempre lerabrado dia Dous
a Julho de 1823, assisundo a essa solemnidade
religiosa as autoridades eivis e militares, cabido
clero, cmara municipal, corpo consular, offlelaes
do exercito e armada, empregados pblicos e to-
dos os cidadaos patriotas e amantes da indepen-
dencia e liberdade.
Findo o Te-Deum, os earros triumphaes serao
depositados nos pavllbSes da praja do Conde d'En
onde existir um elegante palacete, em que seri
collocadasno s a efigie de nosso excelso monar-
/ma o Sr. D. Pedro II, mas tambera a de seu au-
gusto pai o Sr. D. Pedro I, fundador do imperio e
de outros hroes da independencia.
O palacete ser illuminado as noites dosdias
2, 3,* 4, sondo desencerradas por S. Exc. o Sr;
presidente da provincia as cortipas do do:l, ao
som do bymno nacional, continuando a msica a
locar excedentes pecas.
* Wo dia 5 reunidos tarde na praca do conde
d En todos os batalboes patriticos, as 3 horas par-
tirn pela ra direita do Ooflegie, Misericordia
Praca de Palacio, ra pirelts de Palacio, ra de
Baixo, at ao largo da Piedade, voltando'pela La-
pa, Qnarte! da Mourarla, ra da Independencia,
Grvala. Praca dos Veteranos, Ladeira da Praca
ra direita da Misericordia, Praca do Conde d'Eu'
Porta do Carmo, Ladeira do Carmo e ras do eos-
turne al a .Lapnha, para serem depositados os
emblemas patriticos em seu elegante pavilhio.
Atraz dos carros desfllaro os balalhoes pa-
triticos na ordem seguinle :
Formando duas brigadas, a 1" commandada
pelo Ejud. Sr. bario de Sauhype. A 2 comman-
dada pelo Illm. Sr. tenenie-coronel Manoel Ignacio
AVAZOUS.
Tomara posse da pr/sideRcia da provincia o
Exra. coronel Jos da SilJi Miranda Reis, noIdia 8
do frrenle, sendo cuaoriraentido nesse mesmo
da pela cmara municiuU da capital.
Tambera assumio/o exercicio de cheft de
polica, o Dr. Jos Antono Rodrigues.
No dia 25 de maii' encerraram-se 03 traba-
mos da assembla provnciil.
A terrainac_aj d/ snerra tontra o Paraguay
foi rauito festejada en Tabatinga, lomando pella
parte o eommaodante \ a oicialidade de um navio
de guerra peruano q ahi eslava.
A sociedade Emncipadora libertu no da
?nl correnlei meior Paulina de 9 annos, por
00.
para'.
Fj nomeado promotor publico da comarca
do Mapac, o Sr. Anarp Augusto de Barros Cor-
rea.
A crvela Mtg chegou ao porto de Belm
no dia 11 do cnrrmte; tomando posse no rome-
Jiato o Sr. capili de fragata Mi noel Carneiro da
Rocha, do lugar de inspector do arsenal de ma-
rraba, x
Esperava-re todo o momento o vapor Tum-
bo e o hiate Dcceano Pe-trl, trazeado trilhus de
ferro para a empreza do rio Madeira.
Fallecen j agente de leilSes Joaquim da Silva
Castro Juuor.
Brevemente era esperado o transporte de
guerra peruaio Morona, am de fazer alguns coa
cortos de que predas.
O desia nta na praca regulava a 12 ~L ao
anno.
Eslava carga o navio Ligeiro para Lisha.
Lemas no Diario de Belm : A
' No dia 5 do corrente n*1* ndras da tinte,
na ccas*- que s eelbravam as vspera do
.yo no-Santo deu-se um fado depioravel:
Urna das lamparinas, que se achara collocada
dcbaixn de nina aas columnas do coro, illuini-
nada a oleo de kerozene lez urna explosao e as
charamas cahiram sobre uraa menina de 13 a li
annos de norae Bita, lilha do finado Alexandre
Correa, e inmediatamente os vislidos inflamma-
rara-se, a infortunada corren para a parte do al-
tar e ao mesmo instante retrocedeu querendo
sabir pela porta principal, onde algumas pessoas
quizerarn aecudir, mas sem poderem abafar as
chammas, que ja estav.ira carbonisando a pebre
menina; nessa agona ella corre para a ponte que
se acha a pouca distancia e abi poderam apagar o
fego as pessoas que a acompanharam. D'ahi le-
varam -a casa e apesar de todos os esforcos pro-
diga lisados plas pessoas que a trataran ella falle-
cen no dia seguate s 8 horas da manaaa.
A emocao foi tio grande que todas as pessoas
que I se acbavara (oeste dia a concorrencia foi
grande), gritavara, saltavam uns por cima dos cu-
tros e os que eslava m fora julgavam qae a igreja
estava incendiada e para I corren todo o povo
que tmha vindo para a festa. O snsto era tanto
que o povo nao presrava attencao alguma; as por-
tas; estavam acunhadas; logo apparecerao o dele-
galo e subdelegado cora alguma forca, e com
muito custo poderam dispersar agente fleando
mu las pessoas pisadas.
O vigario fallava do coro, acalmando ao povo,
animando- o, e apesar dos graades esforcos que
lizeram para vir em soccorro destes desgracidos
que ja se julgavam perdidos, ellos pouco alten-
diam e as perdas foram grandes.
O vigario depois de tudo acabado pedio s
pesjoas que achassem os objectos perdidos que
viessem trazer- Ihe para serem entregues seus
donos, o que fizeram mas os trastes estavam quasi
todos quebrados.
MABAKBAO.
A assembla provincial prosegua em sens
trabamos, tendo havido algumas sessoes tdThal-
tuarias.
No dia O do corrente nma commissab de 5
de seus membros apresenton, em nome da assem-
bla, a seguinte felicitaco ao presidente da pro-
vincia :
Illm. e Exm. Sr.-Aposicao que V. Exc. tem
assnmido pos destinos da nossa provincia, a tare-
i que tem desempenhado e as difflculdrdes que
para
maio,
povo marauhenM, nao podiam, passar desaperce-
bidas a assembla provincial, sem que de sua Dar-
le transmittisae aV.Ete. asansltto de anise
acha possuida. H
Denoto de urna guorra prolongada que o
pinto pnblico vo!u consideracio de sua ner-
das e infortunios ; depois de restahelocida a paz
que o cldadio pre vidente e niparador merece os
elogM'S do povo e dos seus delegados.
-L fi& "6* daMjvar su provincia de
urna calaraidade que amea^ava absorver todas as
snas forjas e aniquilar todas as suas einerancaa.
Ul como a anircfiia das ideas policas e a Inta
estril das pandes.
V. Exc pela dedicado de que tem dado oro-
vas e pela conllanca que Inspira sen nome, an-
segura unir osjsapiritos Indepondentes e laboriosos
na contemplacao do atrazo material e das medidas
que reclama a situacao milindrosa da nosaa nro-
vincia. ""
V. Exc. omfim tem dado tota, coragem e In-
dependencia a assembla provincial para que des-
assombradajle iptrigas e de (stwidoracSos estrel-
las, yisse tao somente as nescessidade. que nos
opprimem e ao futuro que nos ""y'
Compenetrada dostas verdades a commissao
que neste momente interprete da assembla pro.
vincial, tem a honra de dirigir-so a V. Exc com-
pre o mais sagrado-dos deveres,revelando a grati-
dao c o applauso que os actos de V. Exc. tem
grangeado na mesma assembla.Francisco Das
Carneiro.-Fernando Alvos de Carvalho.Jos Be-
lisano Hennques da Cunha.Joo Nepomuceno
de Souza Machado.Padre Thomazde Moraes Be-
go.
O presidente respondeu da seguinte forma:
a llms. Srs.Agradecendo cordialmento a se-
iprnca que me d a assembla legislativa pro-
vincial de^ontnnar a apoiar, como tem feito at
agora com toda a leildade, a minha administrasao
m de serem revdTos a populacao
por p/eco. mdico, no.caso de qne como, se raceia.
aagmenta sua escasez no mercado.
I, Art. ij.'O imposto cima estaheleefdo cetncit
a ser cobrado logo quo estiver em excuc'o a
presente lf.
Art. 4. Revogam-se as disposjc5es em contra-
rio.
Na assembla foi aprasoilaUo o seguim-
projecto :
Art. i. O governo da provincia fiea auciorisado
a despender al a quantia de 60:0003 com qual-
qer empresario que se propuaer estabelecer una
lintia de coinmnnicacio a rape da cidade de C:-
xias ao porto de S. Jos das Cajazeiras por qual-
quer des systemas conhecidos.
Art 2.' O empresario ser obrigado a zr
gratuitameqle o servico postal, e a org3aisar a ta-
bella das passagens e fretes de accordo com o
governo que dar os regulamentos ,que entender
necussarios,
Art. 3. Para realisar quantia deque trata
o art. l fiea o governo autorisado a emitiir apo-
lices at o joro dn 7 0/0.
Art. 4.. Fieam revocadas as disposicoes em
contrario.
Sala das sessSes da aasembla legislafira pro-
vineiaL junho de 1870
a Jnd Nepomucen da Souza Machado.Fran-
cisco Dias Carneiro.A. Carneiro de Silva Oli-
veira.Joaquim Jos Teixcira.los Beluario H.
da Cnnha. t fc
Lemos no Paiz:
O Sr. Antonio Jos Maia deu liberdade aos
sojW escravos Viente, mulato idade 13 annes e
Felippe, pre'o, dade 10 anuos, no dia de Santo
Antonio, em seu louvor.
O Sr. Ladislao Aranha alforriou nra escrava
sna de 1 e 1/2 anno de idade de norae Rayraunda,
lilha de sua ecrava fgnez, no da que erabarcou
para o Codo, para onde mudnu sua residencia.
No da 12 entrn arribado o patacho norte-
allemao .4fnnno, capitao Rahraann, que da Bahia
diriga se a Liverpool carregado de assacar quan-
do foi abalroado por urna galera.
Levava 1 das de viagera. ET de 193 tonela-
das e tem 6 pessoas de tripolacao.
Fui encontrado pelo hiate'da alfandega'Ciu-
zeiro, que tendo sabido a cruzar o vio nos baixos
da barra e guiou-o para este porto.
No da 14 tentou suicidarse o subdito porta-
guez Fortunato da Silva e Souza; estabelecido com
quitanda a Praia Pequea. Chamado as pressas
o Sr." cnsul de Portugal quando'este e ourras
pessoas pmcuravam distrahi-lo e tratavam de le-
va -lo para fra de casa, pedio licenea para ira
ura quarto do interior e la tentou enforcar-se
cora urna corda, A' muito custo as pessoas que
aecudiram attrahidas pelosgrilo?;de um dos mora-
dores da caa, poderam Irvra-lo da corda com que
apertava o pescoco.
Altiihuc-j este acto de doaespeco a dosarran-
jo mental, poto o dotnte estem boas arouuistan-
cias pecuiwrias, lem mosma urna soffrifel for-
tuna.
A casa foi fechada e no cofre que ficou la-
crado com os sellos do cooftulado, foram guarda-
dos Jinheiro, acedes, leltras e objectos de ouro,
que se caco tur a rain. >
A alfandega renden do 1 a 19 do crreme
187:332^630.
= Estavam carga os navios : Cautela
Lisboa e Santo Amaro para Porto.
cjcaba'
Nada occorreu na capital que mereca men-
co.
Fallecen em Maraanguape, a 21 de
Maria'Jos, com 128 anno ne idade.
RiO-OBAJtOS DE NOnTE.
Da cap:tal escreva nosso correspoadenlo -
O invern, que havia. escaseado em muitoi
l gares do.armt! serlas, reaupareceu lia lo dias
coproaj e abundane.
Como conseijuencia da mudauva, quo so ope-
rou na temperatura, j se nota grande melhora-
m.-oto no estado sanitario, que oul'rora tanto in-
quiitava o espirito publico.
Hoje, felizmento, raro o caso que apparece
de cmaras de sangue, typno, sarampo etc.
< Da fome j tambera ninguem se queixa.
Temos com abundancia a farinha arroz, m-
Ihu e feijo.
No serto do Acary, que foi um dos pontos
mais flagelados pela secca, o povo ainda sofre os
seus terrivcis elTeitos.
A esta hora, porm, os habitantes daquella
freguezia devem estar, senio iivres dessa cala-
raidade, ao menos melhorados consideravelmente,
atientas as providencias que de prompto foram
tomadas pelo Exm. Sr. Dr. Silvino, fazendo trans-
portar para all rauitas saccas de farinha, algu-
mas at para serem destribuidas gratuitamente
com a- pessoas pobres e desvalidas.
t Para isso S. Exc. nomeou una commissao
composta do Rvd. vigario Tbomaz, do delegado
de polica e do presidente da cmara municipal,
os quaes foram os mesmos que se dirigiram offl-
cialmente S. Exc. solicitando as medidas to-
madas.
O Exm Sr. Dr. Silvino infatigavel em acu-
dir aos reclamos de tal natureza.
Neste empenho S. Exe. nao encentra difilcul-
dades, nao poupa esforcos, nao escome dia nem
hora.
< A commissao de soccorros pblicos desta ca-
pital, composta do Bvd. vigario Barlboloraeu da
Rocha Fagondes, ao Dr. juiz de direito interino
Jos Ignacio Fernandes Birros a do presidente da
cmara, maj r Antonio Benevides Seabra de Mel-
lo, cooclnindo no dia 2 do corrente os trabalbos
de que se achava incumbida, deu disso sciencia
ao Exm. Sr. presidente, que se digne de respon-
der-Ihe com o ofhcto segrate :
t i scelo. Palacio do governo, 7 de junho
de 1870.Louvando a Vmcs. pelo zelo e dedica-
ci com que precederam na commissao humani-
taria de que foram encarregados por asta presi-
dencia em data de 16 de maio prximamente Ando
teaho a deciarar-lhes em resposta ao oCQcio, que
me dirigiram em 2 do mez actual, qne fleo inlei
rado da haverem Vmcs. distribuido gratuitamente
por 4019 indigentes as saccas de farinha que pa-
ra semelhante Dm mandei por i disposico de
Vmcs.
< Consta com certeza que no dia Id de maio
ao chegar em Porto-Alegre a ordem, que pela
repartico da polica se expedir para a captu-
ra dos pronunciados pelas mortes de Jos Marco-
lino de fiessa e Ricart Jote da Silva, foram -se
apresentar vol un tari mente prsio os individuos
Anuncio Jos de Bessa, Joaquim Luto Fialho, Joa-
quim Jos de Bessa e ouiroa, apezar do nao se
echar n'aquelle termo nao sor alli juiz o inte-
rumo t independente Jlo Forroira Nobre, a cu-
energia $ uceridade a opposigao para dasvir-
tnar o procedimenlo do Sr. Dr. chelo de polica
mandando caotnrar os pronunciados, auribuio a
prisao do capitao Navarro e dos 4 guardas de san
commando, co-ros no mesmo processo e dos
quaes j ihe del noticia.
Pode-ae dizer que todos, o* reos pronunciados
si bem ou mal, naquolle celebre processo, esto
boje recolhidos Is prsoes publicas, esperando o
momento de serem julgados pelo tribunal do jury.
i Eis nota demonstrac^o solemne do criterio e
nparcialidade com qno proeedem as actuaes au-
thoridades, aasim como da moraiidade do partido
conservador.
Tem-sedado uliimamente diversos toctos cri-
minosos, alguns dos quaes de summa iraporlaa-
aa e gravldade.
F verdade, porm, qno aa autoridades locaes,
tem sabido cumprir com os sena deveres.
. S. Miguel de Jacurut, comarca do Se
nao, Germano Pereira da Costa dra quatro fa-
cadas emJoio Alexandre, das quaes felizmente
este nao suecumbio. O delinquente foi preso mo-
mentos dopois, nm" vista das acortadas ordens,
que immodiatamenle expedio o delegado de po-
lica do tormo do Principe.
No dia 6 do corrente conjeguio evadir-so por
occasiao do servido da fachina, na villa do Cear-
lnm, o preso de justic* Joao Sablne, qne se
acnava sob a guarda do soldado JoSo Januario
de Lima, o qual foi preso logo e val ser procos-
Joaquim Tarto e Gimeio Alves, inimgos, v-
rom nm encontr no dia 31 de maio ultimo, e
travando-se loga entre elles urna lula, acoutecem
3ue este disp'.rasse um tiro sobre aquella dan-
b-lhe mais uma facada do qu lcou o pacieple
em perigo de ida !
Apezar das deligencias empregadas pelo de-
legado, nao se pule realislr i prisao' do" crimi-
noso, que so evadi inconlrnente.
t Diversos iardliiduos do tormo dg 4c*, provin-
cia do Cear, armados, reunidos em grupo sob a
direccio da n>n tal Franetoeo Nufc da (ami ia
Mitomeccm Xlldirico Mitome, dirigiram se ao di--
tricto de S. Miguel, pertenceaJe Pao dos Perros
deata proviacia e foram a fazenda Boa Unio de
propriedado do subdelegado Silvana Jos de Car-
valho no intuito di assassina-l ; o eertaaiente tu
riam realisado lo milevo-io e nefando intento se
aqueile snbdelegado nao tomasse o prudente ar-
bitrio de oeculiar-se eai casa, [ranendose por
dentro de um quarto.
Os malfeiiores pouco se demoraram n'aquelle
sitio, e nao encontrando a victima, que procura-
vam, desesperados, espancar^m brbaramente a
ura escrava da casa, doixanda-o quasi mono, e ao
depois (Itfecharara un bacaraarte sobre um va-
queiro da fazen Ja, que sU acba gravemente ferido.
Esscs perversos assassinos, segundo se diz,
voltarara ao termo do Ico e all continuara a per-
manecer.
OSr. Dr. Espinheira, quo com tanto acera,
prudencia e energa ao hiesino tempo, tera sabioo
curapi ir os importantes deveres de sea cargo, se-
gundo consta, j providencia to sentido de se
instaurar o competente processo contra os crimi-
nosos e da sa realisar a captura d'elles, requisi-
tando-a a seu ilustre collega na provincia do
Cei.
Peto subdelegado de p dieia do Brejinbo, Ma-
nuel Antonio Bezerra. Liain, ha pouco, presos 2
celebres criminosos lose Galdiac da Silva o Ma-
nuel Taixeira, conheeido per Mouel da Penfea; o
I. j mu seclonciado a 12 anuos de prisao cora
trabalho, e o 2" pronuncalo nos arts.' 207 e 208
do cdigo criminal.
i Aqueda antoridade digna de elogios, pele
zelo a aclividade que deseuvolveu no desemeabu
do to imporiante* deligencias.
Pediram demi-saa dos carpos de Io e 2' sup-
pleples de delegado de polieia desta capital los
mejores Alfonso de Paula Albuq'uorqne M.iranbni>
e Antonio Benevides Seabra de Mello, a por acto
de 22 do corrente foram substituidos, o 1 polo
Dr. Francisco Xavier Pereira de Britd e o 2 pelo
Dr. Joaquim Germano Ramos.
40040G0
363*000-
276*000
217*000
2OOJ0CO
200*000
160*000
152*460
qaantias :
6:37*000t
Rendeu a alfaudega no mez de maio,.......
lo:6Q0*210, e do da Io a 2'6 do corrente.......
iU:6373GO.
PARAHVItA.
Desta provincia apmtl encontramos
o seguate no Jornal da Parahyba :
D Bananeirai escrovem-uos o se-
guinte :
No dia 30-de mveo das 7.pa 8 ho-
ras da. riuitc, flzeraift-se onnr tres hnrrives
trovoadas. acompaaiadS de cbuva detiu-
siadas. relampagog, que nao se podiam en-
carar, e raios qaesobem a 16 pelos vesti-
gios que ueixaram tus. circumsvisin'ianca
desta villa e d;nlro iloila. toiUoiido-se oais
UjUveisos estragos de H grossas cajiseiras
que em grupo exjstiam no pequeo povo vio
de Pilos, de urna arvore desconhecida em
Cumaty, de grandes raizes, e outra ao enge
ntio Jardim, propriedade do tenante coronel
Estevao Jos da Doclia, e urna estar d-
fumo pouco espeto que.inda hoje se j
pelo oito abaixo 3a ca?a do capitao Pedro
das Noves, ;t um lugar eorrespoudente a
um prego onde se aciavsm arcos deba!5o
do ladi interior que foriim consumidos, -
cando brocada a parede ueste ponto, des-
cristos os arcos pav circuios carbonisados.
No logar Giro, freguezia de Araruna
deu-se o segrate tacto :
Manoel de tal, pardo, menor de 12 an-
nos, aproveitando a occasiao em que seu
pai descancava, ao mio dia, das fadigas do
campo, apoderou-se de urna espingarda que
se achava carregada e desfechoa sobre a
cabtca daqueUe, que esptrou iocoaiiaenta.
No interrogatorio a que proceden-se,
esse monstro confe?sa que foi levado a pra-
ticir tilo horroso attentado para cvitnr us
surras que Ihe dava a victima, e que depois
havia-se arrep;ndidopor nao termaisquem
ihe dese de comer!
O infeliz pai era bora homem, deixou
seis filhos inclusive o parrecida, que j est
recolhido a cadeia desta capital.
A mi. segundo nos informan), acha-
va-se doente em casa de um prenlo onde
trata va-se, e sabendo no occorrido, tal foi
a commoco que solfreu, que, dentro em
pouco, tambem faileceu
PERBAMBCO.
REVISTA DIAKIA.
ASSEMBLA PBOVl.NCIAL.-Hontm a assem-
bla approvou : em ultima discussio, as emendas
olferecidas em 3* ao ornamento provincial; as of-
erecidas em 3- ao projecto n. 14o, que approv o
contracto celebrado para canalisagao do rio Gov
anna ; a emenda ao pnjecto n. 114, que autorisa
o gjverno a prover o professor jubilado Joaquim
Antonio de Castro Jfnnes ; era 3* discusso, o pru-
jectq n. 82 deste anno, qae regula o exercici dos
ornaos de partidor e .coniador desta "capital ; as
emendas ofTerecidas era 3' ao projecto n, 110 dos-
te anno.aulorisando o governo a aposentar alguns
omciaesdo corpo de polica ; as emendas cffereci-
das em 3' ao projecto n. 104, qne crVcadeiras de
inslruc$ao primaria em diversas localidades ; em 3'
de n. 136, sobre o compromisso da irmandade de
Santa Bita de Cassia; e o additivo offerecido em 3"
ao projecto n. 38 do 1869 que manda pagar aos
professores do extincto enrso commercial os seus
ordenados desde que foram privados dos lugares
que exerciam.
Entrando em ultima discossao as emendas c flo-
recidas em 3' ao projecto n. 102, que manda trans-
ferir a .estaco central da empreza dos trilhos ur-
bauosdeOImda para o bairro de Santo Antonio,
dexa de votar-se por falta de numero.
A ordem do dia para hoje : conlinuacao da
anterior, e encerramento dos trabalho?.
TRIBUNAL DO COMMEBCIO.-A este tribunal
foi expedido pelo ministerio da jus dro Gomes de
Vianna 4 Gulmaraes
Custodio A. G. 4'C.
Manoel Moreira do Souza
Gomes de Mallos A binaos ,
A. Manoel da Silva liveira
Pereira Vianna A C.
S. Baymundo dos Santo* '
J. Pinbiro Tavares
Xrouxe maja esto vapor sogjWnlos
Para a Bahia
t o K,o (teJanoiro 221:338*890
sendo para o Ihesounj hayional *)l:38,,'.
FOR.NErriENTO.A junta administrativa da
Santa Casa, lime na ala de suas sessoes, pelas
3 horas da tarde recebe propostas para o furnec-
mento da carne verdf que titerero de consuma-
os estabelecimentes pios seu cargo, existentes
tanto nesta cidade tomo na da Olinda,. durante o
trimesire de julho a s.tembru vindouro, forneci-
mento que durante o anno anda pur trinla e tan-
tos contos de res, e que agora pago mental-
mente.
INSTITUTO HISTRICO E PHILOSOPHICO. -
.\a quinU-feira a 3 1/2 horas da tarde reune-se
esta sociedade em aosau ordinaria, semlo a ur-
dem dodiatxpnsici a segointe these do Sr.
Garcia : Ha vanlagem na separarte da arria e do
ettadu rea eleicau da directora que tero de n-ger
a sociedade nfstes seis mezes.
CLUB POPULAR.-Ouinta-feir.i haver sc.-sSo
familiar as Iwras e no lugar do costume. Ordein
do darevista-de jomaos pelo Dr. Almeida \o-
bre, Untura do i-vangelh ts cora breves coromen-
tarfos |jeIoSr. Misael AmaraL
PARA'O IJIO 8 JANEIRO, ~ Vwram do norte
no Aritos, fl e-i'r;:vos a entregar na cort.'.
PARA A EtlOPA.Com 21 recebido* em nus-
so parto. lftvou, Uneida para a Europa 173 -...s-
P1RAPAM\. E.-te vapor da compiohia l'er-
nambuenna liceu no porto da Fortaleza, em va-
gem para o nort, no dia 13 do corrente.
MADAMA Ll.VCH Esta celebre mulher che-
gou a corte, bordo do vapor inglez Cid/ of Lime-
riQh, no dia 22 do correte, em viaee'm para a
Enrona.
DENTADOS GERAES.-Pur avtto do ministe-
rio do imperio, de lo do corrente, foi ordenado
ao presidente da provincia do Cear que mande
proceder eleicao de dous deputadns assem-
bla eral, que sobstitUffl as vagas deixadas pelos
Figneira de Millo e Jaguaribe, cscolhidos se-
nadores.
PASSAMEMTO DO BISPO DE PERNAMBL'CO.-
Na Chronica Religiosa lemos o seguinte :
t Acerca da norte no Exm. bi-po de P.rnam-
buco cis o que p-'creviyn de Roma: '
^ F.illecpu o Exm. Sr. bi-po de Pernac.buco D.
Francisco Cardos Ayres; stava cheio de vida e
satJdo. no vgor/Ia idade, quando na madrugada
do dia 9 do corrente loi atacado de urna febre cuja
g-avidade os mrdieos l'goconheceram; apeiar dos
eswrc. w da raedieia o mal prog'edio espantosa-
mente e t;o dia 14 1 Jurada tardo deu alma ao
Crea lor.
Na vesper.a recebera o Sacramento da Eu-
clnnstia por viatico, ministrado pela arcebispo de
Udm.i, assisliftdn ao acto mais seis bispos, e todos
o religioso de S. Feppe Nerv, em cujo Cunvento
estav hospedado o illntre prelado.
Na sua cmara f.ti o sea corpo encommendado
pelo Exra. St. arcebispo, que, como metropolita,
dirigi nm convite todo o episcopado presente
era Roma para a-stsioncia do funeral. E.-te leve
l;*?ar na ipr.'j* dos mesmos padres de S. Felippe
Nery no dia 10, cantando missa o Exm. bi-po do
Para, por nao poder fazel-o o Exm. metropolist.
t Deu a olisolvieao o eainentissiraos cardeal
Cosino Coi si arcbispo de. Pisa. A asistencia
de bsbos foi rmmflrna. alem dos brasileiros e
e amoricaaos. Assj,-trnitjj t.irahom o nosso minis-
tro, sacerdotes brasileiros presentes em Roma e
os alumnos do Serainarin Latino Americano.
A noite foi o seu corpo levado capel'a dos
padres romimanos do instituto de caridade,
que pe tenca, o Ilustre fina Jo antes de ser no-
neado liisp.i.
Sna mm-fi" prernatnra surpreheadeu todos
e ca^ism profaoda impressio.
LE1L0.Quinta- feira (30 do corrente) ef-
lectua o .-.gente Pinto o leilao de movis, li.uca,
viJros e mais obiictus conforme est anuunciado
para o subrado da ra do Vigario n. 5.
PASSAGEIHOS.Vindo3 da Europa no vapor
inglez La Plata :
John Gallop, Charles Alexandre Gallop, Tbo-
maz Foster Knwles, Alberto Brown Ghewv, Adol-
pho Alcoorado e-nrairmao, Altredo Srailli de Vas-
concellos, Walter Vineente Harvey, Andr Manoel
do Arroda, Paulo Ignacio da Silva GumarSe?,
Man<.cl PranciH>o de Almrida, Francisco Pinto de
Castro. Marcelino Alves Henrignes, Manoel Rodri-
gues Frag. Manuel Blanco Caedo, Jos Dias da
jilva Cora, Franiisco Jos da Fonseea, Jos dos
Santos da Silva Barreiro?.
Vindns o*o Porto no brigue Tnumpho :
Arthur Gon<;|ves, Antonio Lopes Ferreira, Joa-
quim Lipes de Azevedo, Bernardino Rodrigues
amos, Antonio Joaquim Martins, Manoel Martins,
Manoel Gomes dos Santos, Juaqnira da Costa Ro-
dello, Manoel Pereira Bailar, Antonio Alves, Pauli-
no de Oliveira Maia, Jos de Aaevedo, Henriqoe
Goncalvef Dias, Manoel de Paula Ribeiro, Josepha
Ferreira Das, Uf de Castro Redondo e 1 tilho,
Jo? Mana de Vasconcelos. Albino Jos da Silva,
Manoel Tavares, Antonio Diat, Jos Antonio de
Souza, Domingos Jos de Carvalho, Alfredo Jos
Das. Antonio de Almeida Gomes. Ivo de F.iria,
Flormdo Marques da Silva, Claudino Co.ho Leal,
Mana Joaquina de Moora, Antonio Manoel da Sil-
va i.iiaves, J_o AIToao Moreira, Antonio Coll
da Silva. Manoel Das Ferreira da Cruz, Jos Anto-
nio da Costa, Christovao Monteiro.
Passageiros entrados do uorte no va-
por Arinus:
Jto Evr-ngelista Nery da Fonceca Jnior,
Francisco Ribeiro Barros, Albioo Augusto
Gtueroso Estreila, Jos Joaquim Coeiho
Borboza, i escravo Marqoes Barros, Jos
Alves da Silva, Manoel M- de Cesta Soares
e ama lilha, iguacio Ferreira da Assumpgo
Pedro Jos Dantas, 12 escravo?, entregar
a Gustavo L. F. de Mendonca, Benedicto
da Silva Garrido, Jo3o Cordeiro, U: Muller
Pedro Ferreira Brado, e um menino por
nome Izidoro, Antonio Baptista Rodrigoes,
Jo3o Francisco d'Albuquerqae Maranhio,
Edemundo do Reg Barroso e um criado,
Manoel Antonio Pires, Francisco Soares
da Silva Hetomba, Fracisco Goncalves Mar-
ques da Fonceca, Thriphonio Ferreira da
tva, Manoe Frencisco de Souza, e om
^iado. .
Seguem para os portos do sol:
Capitao de fragata Lniz da Canoa, tenen-
te coronel Joao Evangelista Nery da Fonce-
sado.
No lugar Merejo da villa de Pao dos Ferros,
Rio de Janeiro 91 do junho de 1870.Foi pre-
sente a S. M. o Imperador o officio de V. S. de
28 de fevereiro ultimo, transmittindo as seguales
duvidas do tribunal do commercio desta provin-
cia :
1* Se o dispoeto no decreto n 4,39a de 19 de
julho de 1869, extensivo a todos os tributaos do
commercio do imperio, mesmo aquellos em que ae
nao dao as circunstancias qne motivaran a con-
sulta radicada no referido decreto.
< t* Se, atando sellado com o sello proporcio-
nal um dos exemplares dos contratos e distractos
de sociedades commerciaes, Acara isentao do sello
0xo os ontros exomplares qno ae juntaren! aa
mesma eccasia
< E o mesmo augusto asnhor manda declarar a
V. S. que nao havendo distinecao alguma o cita-
do decreto, devem as snas dlsposicoes ser obser-
vados por todo3 os tribunaes do eommeroio ; o
que testa dala se trausmitte ao ministerio a la-
teada ama-copia da consalta, por sor de sua com-
petencia a solucao da segunda duvida suscitada por
esto tribunal.
< Dous guarde a V. S.Bario de Mwtttba.
TRILHOS UBBANOS DE OL!NDA.-Os aoeio-
mstas desu empresa sao chamados a fazer a dci-
ma e ultima entrada de dei por cento do capital
subscripto, dentro do praso de 16 dias contados
do 4 do julho prxima
COMPANHIA DO BEBERIBE.-Deve ter lagar
amanbia ao meio dia a arrematacao dos chafari-
zesda freguezia da Boa-vista, da Capunga, e da
povoaco do Monteiro.
DWHURO.O vapor Ariaor trouxo as aegnin-
tes quantias para os Srs.:
J. J. Goncalvea Boltrao 3:487aX)0
Luiz Goncalves da Silva A Porto 1:340*000
C. Albertu Sodr da Molta 360*000
Lyra 4 Vianna 569*000
Airea & U 463*000
Lnjx A, Sequeira N 460*000
Barros, tenente- coronel
Jlo Suriano Ribeiro, Franklin de Lima,
Dr. Antonio Firmo Figoeira Saboia.
O vapor (intida levou do Rio os se-
guintes passageiros:
Dr. Adolpbo Laraenua Lins, Michandon
loenri, Cbuisiian Lauritzen, Feliciano K
Francisco, Joo da Costa Pelicano Vaibor,
e Carlos da Silva Fereria.
Seguem para a Europa no paquete inglez
Oneida os seguinles passageiros:
D. W. Bowmam, sua filba e orna creada,
Alberto Vaz de Carvalho, Jrjfenoio Vz de
Carvalho, Mathieu Walker, Joatjuim Fernan-
des da Sil r Campos, Mr. Thompson e soa
senhora, francisco Xavier Carneiro da Cu-
cha e sua senbora, F. B. B., Jos de Oli-
veira Freitas, Antonio Pinto dos Santos,
Antonio Nuoes Beirfo de Reseade, Joaquim
M. de Oliveira Guimarae* e sua senbora,
Jo5o Jos Rodrigues Mendes. Jos do Reg
Borges e E. C. M.
Passageiros do vapor Parahyba entra-
do de Goyanna:
Henriqoe Deocleciano Tavares dos Santos,
Luiz C. de Albnqueaque Soma, commenda-
dor Joao Pinto de Lemos, Antonio Goncal-
ves Ferreira, C, Doolor Antonio Goncalvea
Ferreira, Francisco Ferrara de Mello e Cus-
todio Hearigues.
LOTEBJA.A que se acha venda a 131*,
beneficio da matriz da Escada, a qual corre ao
da 8 pela aovo plano novo.
CEMIIE O PUBLICa-Obilaario do dia 2 do
junho de 1870.

4
>s
,
1*
4

/
\
\ *


V
'
I
I
s
#

Diario de ^efnitudd *- Quarii
"r***1 '*- -
3C
mo Peixofc da Cunto*, rortugal, 37 annos" 'Jd** de L-us uiti:."a-..~.
o, Santo Antonio; leso orgnica.
Leonardo, Priuiubflco, 70 annos, S.Jos; os
pasmo.
Manoel Porcittncula, Pemambnco, 80 annos,
viuvo, Boa-Vista, hosoital Pedro II: epelepsia.
Perpetuo Ripo, Paraambaoo, 60 annos, solteiro,
Doa-Vita, hospital Pedro H; dosinteria.
Antonia Mana Bernarda, Pernambuco, 8o annes,
y-uva, Boa-Yista; gastro iaterile.
Loa, oscrivo, Pernnabuco, 13 annos, soheiro,
S. los; hronehite capilar.
Lidia, escrava. Pernambuco, 8 dias, Santo An-
tonio; nfiamacao.
Antonio, Pernambueo, 2 mezes, Recife; hepa-
Maria, Pernambuco, 1 da, Santo Antonio; con-
vulfoes.
- 23
lgnacia, escrava, frica. 32 annos, solteira, S.
Jos; gastrite.
Pracopio Kodolpho de Campos Cuaresma. Per-J
narabuco, 40 agnos, solteiro, Santo Antonio,;
Jiarrhea.
Antunio, Pernambuco, 22 mezes, Boa-Yiita ;
antzarea.
Gatharina. frica, 80 annos, solteira, Boa-Vis-
ta, hospital Pedro II; merite chronica.
Appejlante, Severlnel
ssessw 3t^'|^4!*"i5l*Sr W& wmmn do mm
!__ ., ni.. ..... ._ ii i '.. .. wUrlnr-,
Antonio Joaquim Pereira, 29 annos, solteiro,
Boa-Vista, hospital Podro II: tubrculos pulmo-
nares.
Antonio Valerio, PernambBoa, 63 annos, casado,
Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Antonio, Pernambuet, 7 mezes, Recife; eonvnl-
3063.
Jos de Azevedo Maia, Pernambuco, SO anuo?,
casado, Santo Antonio ; pthysica pulmonar.
Jesuino, Pernambuco, 3 mezes, B ja-Vista; es-
pasmo.
24
Anna de Jess Barios, Pernambuco, 30 annos,
casado, Onda; molesta cinica.
Maaoel Pa: Bezerra, Pernambuco, 75 anne,
vnivo, S. Jos; bronchite chronico.
Luix Goncalves, Pernambuco, 11 dias, S. Jos;
espasmo.
Rita, Pernambuco, 9 mezes, S. Jos; convul-
siVs.
Manon! Jos de Brito, Pernambuco, 36 annos,
solteiro, Santo Antonio; bepatite.
Fernando, Pernambuco, 16 mezes, Santo Anto-
nio; inflamacao inttestinal.
25
Jos, Pernambuco, 5 annos, Boa-Vista; hepa-
tte.
Manoel Jos Vieira, Portugal, 57 annos, casado,
Sanio Antonio; congestao cerebral.
Maria Joaquina da Fonseca. Pernambuco, 53
an.no?, solteira, Recife; congestao.
Joaquina Maria da Conceicao, Marangnape, i9
annos solteira, Boa-Vista, hospital Pedro II; tu-
brculos pulmonares.
Hartinha, Pernambuco, 26 annos, escrava, Sant
Antonio; tubrculos.
Candido Clemcnlino Pereira de Carvalho, Per-
nambuco, 43 annos, casado, Santo Antonio; bepa-
tite chronico.
Miguel Joaquim Machado Freir. 70 annos, Boa
Vista; congestao cerebral.
v. j il, Pernambuco, 30 dias, Santo Antonio;
durrnea.
Pedro, Pernambuco, 6 dias, S. Jos; ttano.
26
Emilia, Pernambuco, 1 mtsz, Boa-Vista; gas-
:r:.\
Jos de .Mello Costa Oliveira, Portugal, 5'i anno3
. lo, Santo Antonio; anazarca.
Viciorina Hara da Conceicao, Pernambuco, 35
annos, solteira, Recife; pthysica.
Uib afogado encontrado no caes dos Arricifes, 10
anu a, Reeift,
Hara da Annnnriacao, Pernambuco, 3 mezes,
Sanio Antonio; coiivulsSes.
27
Manoel Severiano da Silva Xavier, Pernambuco,
58 annos, casado, Boa-Vista ; pneumona.
Marii, Pernambuco, 5 raezds, Boa-Vista; den-
tieao.
P.rgmtinj, Pernambuco, 2 annos, S.Jos; in-
terile.
Frincisca, escrava, Pernamb co, 3i annos, sol-
teira, Boa-vista; totrerenlos pulmonares.
Domingo, escrava, Pernambuco, 48 annos, soltei-
ro. Boa-Vista; anazarca.
irine>, escravo, Pernambuco, 9 annos, Boa-Vis-
ta : ttano.
Candida Rosa Bistos e Silva, Pernambuco, 23
annos, solteira, Boa-Vista; tubrculos pulrao-
nares.
das Noves Miranda lhveir ; apellada, Ilusa Ma
ra da Conceicao. Aj;rIlicao crime : appellante,
o promotor; appellado, Dionisio Ferraira dos
Santos. v
Asgignou-se-dia para jiflgamento dos seguinlet
feitos:
Appbluooks civki.Appellantes, Claudio Da-
beux e outros; appellado, Joaquim Jos de Miran-
da. Appellante, Herculano Francelino Cavalcante
de Albuquerque ; appellado, Manoel Elias de Mau-
ra. Appellante, Jos Samico; appellado, Pelro
da Costa e Silva. Appellante. Man el de Mesquita
Cardoso; appellado, Ignacio Pedro das Neves. Ap-
pellante, D. Maria Joaquina da Conceicao; appel-
lado, Manoel Vicente Callado.
Conflicto de jubisdicao.Entre os juizos mu-
uicipal dedireito e de orphos desta cidade.
COMMUNICADOS.
icMor:'.i"*!* Ay.aJSB.'j (iip pP3p4d..i?j
solmneuiante 89 repelidas acepsage desie
mesmo Liberal, iocluindo na lista sestnpla
o nome do monsenhor Pinto de Campos.
Nio acorapalibaremos a redacto do Li-
beral no terreno era qoe collobu a 'discos-
sao, e no ijual, se quizessemos jogar
mesma arme o que jamis faiemos grande
mortandade poderiamos fazer em suas fiiei-
ras.
Demais, nao solicitamos para p monsenhor
Pinto de Campos proteeso dos liberaes: a
nossa coovH.'sa com os correligionarios,
^]ue saber ofazar a devida justica ao seu
velbo amigo, desprezando a grita de ad-
versarios mesqninhos e i&vejosos.
eita1 29 ck Junlic Je 187.
m
t=

CREONICA JUDIIARA.
TSIBUlAL. B>A IIBLA;iO.
SESSAO EM 5 DE JUXHO DE 1S70
frniliw 11 DO kxm. sr. coxselhsiro caetanc
BAHTIAOO.
Secretario interino Ur. Virgilio Colho.
A- 10 bocas da maniuia, presentes os Srs.desem-
j 'ai tres Gitirana, Gaecra procurador da cora,
Almeida Albuquerque, Motta, Doria, Domingues da
Silva, Begueira Costa e Souza Leo, fallando o Sr.
desembargador Lourenco Santiago, abrio-se a
aessi
Passtdos os feitos, deram-se os seguintes julga-
ni Otos :
AnoBAVO d?. PETigAO.Aagravante, Jos Muniz
Ferreira da Costa; aggravado, o juizo.Relator
o Sr. desembargadr Guerra, sorteados os Srs. des-
bargadorea Gitirana e Almeida Albuquer-
'i::.Deram provimenta.
Appbxl&CAO cuime.Appellante, Francisco das
!bag is Men lonca; appellada, a justiga. Nullo o
proeets*a
Ai'1'."llac5es civeis.Appellante, Manoel Joa-
qnn da Silva Lean; appellado, Ftancisco Ferrei-
r.i Bastos de Amorim.Despresados as embar-
..;. Aniiellante, Antonio Pedro do Rosario ; ap-
pillado, Joaqrnm-ftttato.di. M^ello.Cdniiniiada a
id nca. Appellarite, a fizencb ; appeilao, Anto-
nio Nitros Sinimb. -Nullo o processo.
Habas conpis..Negaram ordem pedida j>or
Jjaquim Botelbo.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargadr Gitirana ao Sr. desembar-
gadr Loureni-0 Santiago. Apoellacio crime:
appellante,o promotor; appeada,GenovevaFran
cisca de Souza.
Da Sr. desembargadr Guerra ao Sr. desembar-
g idor Lourenon Santiago.Appehaoes civeis :
appellante, Rodrigo Antonio Brasileiro; appellado,
Macario da Costa Moraes. Appellante,-Manoel
Florentino dos Santos; appellado, Barlholomeu
Rrandao do Sobral. Appellante, a preta Fabncia;
appellado, Jos Luiz de Albuquerque. Appellan-
te, Antonio Jos Pinto; appellada, D. Maria Fran-
cisc i da Conceicao Silva. Appellante, a Santa
i da Misericordia; appellado, Candido Jos da
Silva Guimaraes.
Ao Sr. desembargadr Almeida Albuquerque
Appellaeao civel: appellante, Jos Olympio Maria
de Seixas Borges; appellada, D. Mana da Concei-
cio Gome- Mariz.
Do Sr. desembargadr Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargadr Motta.Appollac,oes civeis:
appellante, Joo Francisco do Reg Maia; appei-
lad'is, Jos Affoaso Ferreira e outros. Appellan-
te, Manoel Goncalves da Cunha Lima ; appellado,
Manoel Francisco, Al* Gama. Appellante, Hen-
riqueta Elisa Banks; appollado, Jos Luiz deSou-
' irreira. Appellante, o commeudaiur Antonio
ue. Sequeira Cavalcante; appelhdo, Antonio Car-
los Pereira de Burgos. Appallante, Francisco
G incalves Netto ; appellado, Manoel Joaquim Bap-
tista.' Appellajoes crimes; appellante, o juizo ;
appellado, Cndilo Rodrigues Bezerra. Appellaute
ii juizo; appellado, Manoel Vidal de Xegreiros.
Do Sr. desembargadr Motta ao 6r. desembarga-
dr Domingues da Silva.Appellaeio civel: ap-
pellante, a Sauta Casa i Misdricoria; appellado,
nudede Suassna.
Do Sr. desaiabacgador Doria, ap 8r. desembar-
tjador Domingues da Silva.AppeUaGp'es crimes:
aopeilantes, o juizo. o Francisca Al ves de Miranda
Varejo; appellado*, Jos Antonio da Cosa e o
juizo. Appellante, cenizo; appellado, Antonio
Joaqnim Leite. Appellante, a jnstica appellados,
Joao Ferreira de Araojo e ontros.
Ao Sr. .dwoniltafgdor fiilira, Apaellaeio
eiv>|: Maria IgnasiadaConceijio; appellado, Ma-
n >"l Antonio Pinta't Silva.
D y Sr. desembargadr Domingues da Silva ao
Sr. desembargadr Rgueira iCo civel: appellado, Duing foriano de Azeie-
do; appellante, Manoel Francisco de Souza Amo-
rim. Appella?ao crime: appellante, o promotor;
appellado, Manoel Mandes da Silva.
Do Sr. desembargadr Reguelra Costa ao Sr
desembargadr Sodza Leao.AppellacSes civel? :
appellante, Antonio Velho de Ohreira; appellado,
Pedro de Barros Crfvalaajilg. "topellanles, Fran-
' cisco Jos Alvar-9uj9ufcll-do, Manoel Luiz
Pereira Brandan. Appellante, Francisco Antonip
S.jares; appellado, Vicente Ferreira Rabello Ca-
lomby.
D i Sr. desembargadr Soma Leao ao Sr. des-
embargadr Girana. Appeflajoes civeis: ap-
pellante, Manoel Oe Azeveo Pontes; appellado,
C'oSlaborafo.
.\3j nos surprehendeu a linguagem vira-
lenta do Liberal a proposito do nosso artigu
de23, relativo aos candidatos vaga de urn
senador por esta provincia. J a esperava-
mos, pois tensos de sofira tomado o pulso
aos cioilisd'los e delicadissimos escriptores
d aquella folba.
Cuntavamos com a repetic5o, em 5a ou
6 edic.'o, das diatribes taiiias vezes es-
criptas contra o monsenhor Pinto de Cam-
pos por pennas que j Ihe tracaram em ou-
tras eras as maiores defe/.as sobre o mes-
itiu assumpto, que hoje Ibes serve de lio-
rna para suas injustas accasaces.-
Esperavamos que o Liberal reproduzis-
se iniotum as verrinas que, ba pouco lempo.
publicoQ per occasiSo de apresentar-se
ante o corpo eleitorai o monsenhor Pinto
de Campos, sollicitando ser incluido, c,omo
foi, na lista sxtupla da ultima eleico se-
natorial.
Repetimos, nao nos surprehendeu o pro-
cedimeuto da redaegao do Liberal. O que
nos surprehenderia seria, rel-a empenhada
em I uta seria, calma e decente sobre o grava
assumpto de nosso escripto, esquecendo
odios partidario-, e respeitando a repntacao
alneia, tanto quanto desejar pode que se
respeite a sua.
Interroga-nos o Liberal em lingoagem
grosseira. Quando confundi o padre Cam
pos os seos inimigos! Porque meio os con-
fundi ?
Smente adversarios cegos pelo odio par-
tidario fariam semeliunte prgunta, fing-n-
do-se esquecidos de felos que se deram
nesla provincia e na corte do imperio.
O monsenhor Pinto de Campos nao
homem para recuar na luta .'.onlra os assa<-
sinos de sua onra, elle confundi os seus
calumniadores na imprensa, e na tribuna
parlamentar com aplausos at de seus adver-
sarios d'aquelles lempos, e dos proprios que
hoje escrevem contra a sua reputacao.
D'entre varios artigos, que na imprensa
appareceram n'aquelles tempos em defcza
do padre Campos, alguns foram de urna das
pennas que hoje escreve no Liberal, talvez,
do proprio autor do artigo que respon-
demos.
Nao precisamos lembrar, que alguns dos
actuies redactores do Liberal foram amigos
ntimos do monsenhor Pinto de Campos al
nao remota dacta, e qus o ajudaram as re-
nhidas lutas da imprensa no dominio da
praia.
O (acto de nlo terem sido levados aos
tribunaes os calumniadores -do monsenhor
Pinto de Campos, au prova d nao te-
rem sido elles confundido ante a opiuifo
publica.
Ninguem ignora o resultado entre nos dos
processos por crime de imprensa. Nunca
os calumniadores assumem a responsabili-
dade de seus escriptos: cedem sem.jre os
seus lugares aos testas de ferro.
Como a opino publica ha julgado as ac-
cusaces injustas feitasao monsenhor Piolo
de Campos nos o vemos, na importancia po-
ltica e social que Insempre elle merecido,
ainda mesmo dominando os seus adver-
sarios.
A gente do Liberal nao levar o seu odio
partidario ao poni de insultar os pernam-
bucaris, suppondo-os capazes de elevar na
hierarchia social, una homem coberto dos
crimes com que a malvadeza de ininrgos
mesquinhos quiz manchar o Monsenaor Piulo
de Campos.
As armas da calumnia sao agudas em am-
bas as extremidades: tanto fere o calumuia-
Jo cuino catamniatior. -
Os actuaos escriplores do Liberal nao se
lembram que esto hoja ferindo a om ho-
mem, a quem j defemleram por estes mes-
mos fados;e a quem sustantaram dianle das
urnas contra botes semelhantes, vibrados
por inimigos ento communs.
Al 1861 o se enjuriavam os Srs. Do-
mingos de Souza, e Epaminondas de terem
por companheiros de parlamento o padre
Campos, de o defeoderem dessas mesrr.as
accusaces; e hoje o julgam merecedor da
ilha de Fernando e dos ferros do gal 1!
Assim sao os horneas oeste mundo!
Se a caria, que se quer attribuir ao mon-
senhor Pinto de Campos, o devia levar ao
presidio de Fernando, at onde deveriam
nevar os documentos,e provas qae existirn:,
certos progressistas liberaes, especial-
mente um certo Ltular do famoso quin-
quenio da liga?
Para que pois a redacr-ao do Liberal,
ha de ir renovar insuUoa e calumnias, que
ella propria tem consciencia, que n5o offen-
dem o sea adversario poltico ?
Para que nao segu o exemplo que lhe
deram os conservadores, quando^ liga apre-
sentou os seus candidatos as vagas de se-
nadores por esta provincia ?
Entre os candidatos impostos pelos pre-
sidentas desta provincia, figuravam tres per-
sonagens mais distinctas da liga. Contra
ellas mnito tinha feto a cahimnia: mas
nao se disse, para as prejudicar ante o cor-
po eleitorai, que ama era de vida irregular,
que abusiva da conflanca que a amizade
nelle depositava : que outra fura processada
duas/ezes, e. em dtv9rsa.9 proFincias por
crimi de rouDo, e pelo crime previsto no
artigf; ^'do cod.; equs outra iraipontada
por seus inimigos como um crapuloso.
Nunca se serviram desta arma, mais
cruel que o punhal do assassino : nao, que
della Bao queramos conservadores tirar o
partido, que pretende tirar a redacto do
Liberal.
Conteste a redaceao do Liberal os servi-
gos polticos do monsenhor Pinto de Cam-
pos ao partida conteste swa inteHigencia,
a sua ilrastracSo, a sui fledicaco a monar-'
cha, e as instituictSes juradas: para este
terreno nos a convidamos, mas, para o dos
convictos, e das calumnias, nao, mil vezes
nao.
Deixe de mo a enferrujada arma de que
acaboa tfe nxar em seu ultimo artigo.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Agradecimeuto.
Fabrica de cerveja da ra da
Florentina n. 20
AO PUBLICO.
Constando a-Chais & Gassier, socios c
propneiarios da (NICA) fabroa de cerveja
qui existe na ra da Florentina, que urna
pessoa tem espalado o boato que era com-
manditario da dita fabrica, querendo talvez
desaa maneira realcar seu crdito commer-
cial, os abako asignados fazem a presente
declarado para fazer s'ciente ao publico de
Pernambuco, que nao devem nada a essa
pessoa nem a outra qualqner; porrn se a
dita pessoa se julgar com aigum direito a
ser credora na dita fabrica, tenha ella a p n-
dade de annuociar por esse jornal, que elles
lhe provarSo que suas asserces s5o to fal-
sas quanto mentirosas.
Chaix G'ssier.
Xo.i abaixo assignados, passageiros que lomos
do brigue Triumpho, procedente ao Porto, snmma-
mente p^uhorados para eooi o caoitao o Mlm. Sr.
Manoel Fraucisw Jnior, devido aos innmero fa-
vores, bom tratamento e e durpoki a viagam no9 presin, e alm disso pelo -
seu c&mportamento exemplar, resolvemos anani f l
memeote deixar-lbe eseriplo como lestemunbo de
eterna gratidao nossos nomes, como Mica e per-
miitida ofteru que est nossso alcance, e to in-
significante para compensaejio de sen obsequios.
Tambem nao podemos diiar de narrar aqu o
nome do piloto o Um. Sr. Amonio Fernandas do
Carino Sampaio, por Iba aermos suuamamenie
a(Ie$oados proveniente do seu elevado merec-
memo.
Queirara, pois, os Srs. capito e piloto aceitar,
anda que mal redlgido, nosso agradeclmento, o
qual filho do qne nossas coosciencias esaonta-
nearaenle nos obngam dizer.Antonio M. P. Cha-
ves.Manoel Pereira Baltir.Jos Maria de Vas-
coacello3.Aibino Jos da silva.Arthur Googal-
ej.Jos Antonio da Costa.Sernardmo Rodri-
gues Ramos.Antanio Alves.Antonio Colho da
Silva.Ivo de Faria.Claudin) Colho Leal.An-
tonio de Almeida Gomes.Manoel Gomes dos San-
tos.Antonio Dias.Jos Antonio do Souza.Joa-
quim da Costa Rodello.Antonio Joaquim Martins.
Manoel de Paula llibeiro.Manoel Martins.
Manoel Tavare^.^Domingos Jos de Carvalh -.
Joao AfTonso Moreira.Antonio Lopes Ferraira.
Alfredo Jos Dias.Joaquim Lopes de Azevedo
Heorique Goncalves Das.Paulino do Olivira-J
Maia.Jos Ferreira de Azevedo.Manoel Dias
Ferreira Cruz.Jos de Castro Redondo.Florin-
do Marques da Silva.
No Diario de hoje o autor de nm apedido, as-
signado *0 estellicmatario impnne> (escolheu um
i mi uome para si) depois de um prembulo que
urna omurrada de puerilidades e euepcias, pu-
blica duas cartas com que pretende provar pelos
jornaes cousa que nao conseguio fazo-lo nos autos,
isio que o Sr. coronel Franri.-co Antonio de
Barros e Silva comprara ao berdeiros de Antonio
Luiz Goncalves Ferreira o engenno Cassu.
Mas, quem lor com attencao a 1* carta v que
ella nada prova. O Sr. coronel Barros apenas
diz que comprou a pos$e da senhora de Joaquim
Salvador, e que fez campas (sem dizer de que)
aos herdeirus de Antonio Luiz. Nao diz, nem po-
dia dizer que compfou o Cassu, o qual os her-
deiros de Antonio Luiz, nao podiam vender com-
petiudo-lhes somente usar da acgu competente,
e nuuca ?poderar-se do engenho que por Anto-
nio Luiz fra vendido a Manoel Ignacio. E a pro-
va est em que de todo esse negocio nao se apr-
senla urna nica escriptura ; assim como nao apa-
rece sentenca obtida contra Manoel Ignacio pelo
vencimento da hypotheca no engenho. E se ca-
paz, aquelle que tao apropriada i-eote se chris-
mou com o epitbeto de eslellionatario impune, nao
duvidando assignar-so assim, se capaz, Sr. es-
lellionatario, aprsente e.-criptura, ou sentenca
com que prove o que est lodo da oizendo.
A segunda carta refere um. facto de que ao
seu signatario esqueceu urna circumstancia, sea-
do elle por isso levado a um equivoco, nao se
lhe declarou que o negocio com Manoel Ignacio
eslava acabado, o que nem era possivel, vito que
havia com> ainda ha qnestoes sjbre elle, o que
se disse foi que Salvadpr de Siqueira ( aquem
se pergunlara se se prestava a escriptura de Ten
da do Mussahyba ) nada tinha que ver com essa
venda, e que isto era l com Manoel Ignacio.
Finalmente o eslellionatario impune (laraos-lho
o nome que tomoupara si) deve publicara integra
dos annuncios a que se refere em seu aranzel,
para que se veja se ha ou nao as coiiiradiccoes
que falla e que s existem em um cerebro frtil
de euredos e mentiras.
Mas, faca o que quizer : os tribunaes ahi esli
para fulminar a chacana : elles devem e costu-
mam julgar pelo que se prova nos autos, e nao
pelo que so diz nos jornaes.
E nao lh d cuidado, Sr. estelliomtario impu
ne, que a me itira e o enredo, que tem empregado
para ludo confundir, nao disfarao a prova daquel-
la escriptura pela qual era 1867 foi o Cassu ar-
rendad!' a Antonio Pinheiro Paes de Lyra por Joa-
quim Salvador P. de Siqueira Cavalcante e afina I
a (im ha de surgir e a verdade apparecer clara e
pura como sempre.
Recife. 27 de junbo de 1870.
O faca que toma.
Nr.cio.1 e.ilr.'hj n> im 27.
Poi i do florte7 dias, vapor Drgrieiro
j i nos, de 600 toneladas, commandaote'
Irtenonte Doarle, equipagem 83. eirga
inga de mandioca e outros gneros;
Aionio L. de O. Aievedo C,
Rio fe Janeiro e Babia6 dias, vapor inglea
Ofida, de 1372 toneladas, commao-
dfte Henry A. Hax, equipagem 120, car-
'g|differentes gneros: Adamson Ho-
4^ c.
San Calharina13 das, patacho inglez
mliam Anning, de 166 toneladas, ca-
po.E, Hell, eqBipagem 7. em lastro:
j>rdm.
Goytona-t horas, vapor nacional Parahy-
ba de lOi toneladas, commandante
Mlura, equipagem 14, em lastro; com-
pitiia pernambucaoa.
Xaoios sakidos no mesmo dia.
a.=4>ogar portugoez Jtdie, capito
a de Barros, carga assucar, mel e
ros.
yba.Escuna iogieza Milln, capito
erman ; em lastro.
mpton e portos iotermedios.Vapor
Oneida, com/nandanie Bax.
'Je Ooda, dorante o trimestre de ju lio se^mbru
viniloor..
na ti porfant'. n qnifit iju'-cer f.zf-r dito for-
i)"i;li:< nf aproen 1.1' a* Nt Us fucuwJvna certeza di? aa pIio meus3ii0ii-
te de cerca de 3;0, e cojo pagamento folio
com diaheiro a vista.
Secretaria da sama casa de misericordia da Re-
cife 25' de junho de 1870.
' Oescrivio,
_______________Pedro Rodrigues de Souza.
CUJIPaNHIA
DO
COMPANIHA Ptt*AMIlUCANJI
I b;:
.MMga^fit) citfUlni |or vapr.
Parab/ba. Nata', Maco, Mossor, 3tra-
caty, Cear, Maodah, Acarac e
Granja. '
O vapor tpqjuea, eommandaata
Monra, 'setnlra para os porto
_ cima no dia .10 o eorrente- as 5 hora*
Ja tarde. Recdre carga at o dia 2S, entom-
mendas, e passafeiros e dinheiro a frele at as
2 horas da tarde do dia da sabida no ewripto-
rio do Foric do Maa n. 12..
i
16:605,5
EDITAES.
IZO DOS FEITOS DA FAZENDA
N.%CK)NAL.
) tit. Abilio Jos Tavares da Silva, ofllcial
d imperial Ordem da Rosa, juiz prvati-
v dos feitos da faienda nacional por 9.
'I I. e C o 8r. D. Pedro II a qnem
E sus guarde etc.
F co saber a todos- que este presento
edit 1 virem e eUe tiverem conbecimento,
que le acha a concurso, com opraso de se-
tnt dias, a cantar da riata' desle, o provi-
mer o definitivo do offito d*j contador e
dist ibuidor do joizo dos feitos da fazenda,
cralo por M provincial n. 926 de 28 de
mai do crreme anao.
0 pretendentes- aa me?mo ollicio, de-
vem no referido pasi, apresentar os seus
req< ermentos competntemenie instruidos,,
de informidad'! com o artigo 14 do de-
crehn. 87 de 30 de agosto de 65I, e
do rtigo n. 252 de 30 de dezembro de
10o..
E para que chegne au conhecimento de
tod s manei passfr o psente edital que
ser; afixado nos lugares o costume e pu-
blir do pela imprensa.
1 ido8 passado nesta cidade do Recife,
aos 27 de junho de 1610.
I eu Luis Francisco Barrito de Almeida
esc v3o o subscrevo.
Abilio Jos Tavares da Silva.
200(5
DECLAKACOES.
COMMERCIO.
PRAGA DO RECIFB 28 DE JUNtft).
DE 1870.
AS 3 1/2 HORAS DA TAHB
Cambio sobra Londres 90 d/v 21 12 d. por 13
banco.
joncallo Jos ASonso,
Presidente.
Pelo secretario.
A. P. de Lomos,
ALFANDESA.
tendimenlo do da 1 a 27. 845:001*860
dea; do (til 28..... 17;064i296
852:0661156
MOVJMJSNTO DA ALFANDEGA
folnmes entrados evfaxetfas 143
dem dem com gneros 414
folnmes saludos com fazendas
dem idea com geeras
O administrador da Recebedora de
reas internas geraes faz publico que he
neae eorrente mez de junho que o* deve-
doies da dcima addici nal de mo morta,
emmjOjnumero s comprehundem as com-
pai lias e sociodades artonymas, teem de
pajar a mencionada dcima sem molla, e
qutj findo o referido mez, ser paga com
a un ta de 6%.
lecebcdoria de Pernambuco, 10 de junbo
de 1870.
Manod Garneiro de Souza Lcenla.
Consulado provincia!.
Pp consulado provincial f^z-se publxo que em
0 m* prximo de junho cerneja a correr o praso
dos l) dias uleis p fre d^s impostos da dcima urbana de ;J 0|Osobr-
os bdis de raz, de eorporacao de mao-mora, e
lo c nsumo de agurdenle, relativos ao eorrente
annofinanceiro de 1869-70, incorrendo na multa
de 6 0|0 os conlFibuiutes que nao satisfizurem
snai quotas dentro deste praso.
Cpnsulado provincial 27 de rnaio de 1870.
O adiiiinistrador,
|___________Antonio Carreiro Machado Rios.
XA CASA DA MISEKItJtdRDIA D
RECIPE.
i IHm.a. junta administrativa da Santa Casa de
ericordia do Ri'cifo manda Tazar publieu que
na sala de suas se.-*oes, no da 30 de junbo, pelas
1 loras da tarde, tuna de ser arrematadas a quem
miis vantagens offt-recer, pelo ternpo de um a tres
anos, as rendas dos predios em seguida declara-
" ESTABELECIMEMTO BE CARIDADE.
Becco dos Boias.
Sebrado dedous andares n. 16 0. 36?000
Ra do Padre Plonano.
Casa terrna n. 63.......477,5000
dem n. 47...... 171*000
Ra larga do Rosario.
1." andardo sobrado n.2i A 401*000
2. dito do sobrado n. 2i A. 400*OOU
Ra de Santa Rita.
Casa terrean. 34........150000
Travessa de S. Pedro.
Sobrado fle 2 andares n. 3, 602*000
Ra de Santa Thereza.
Casa terrea n. 4.......145*000
Ra do Amorim.
Casa'terrea n. 26.......301^000
Ra do Amparo (Onda)
Casa terrea n. 29........ 140*000
O sitio do Forte na Venda Grande. 16*000
PATRIMONIO DOS ORPfiAOS.
Ra da Senzalla.
Sobrado de 2 andares n. 136 601*000
Casa terrea n. 16 -......207*000
Idsm P. 18........3404OOO
Ra do Ranget.
asa terrea n. 88.. ...... 360*000
Travessa da Madre de Deas
Sobrado de um andar n. 11. 1:300*000
la da Cacimba.
Csa Ierran, 12, J .| 7*000
Roa da Guia.
Casa terrea n. 27. ...... 147*000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 101......2O4SOO0
dem n. 104.......200*000
dem n. 102........ 202*000
dem n. 103........203*000
Casa terrea n. 110...... 204*000
dem n. 93.........204*000
Sitio da Mirueira n. 4......107*000
Os pretndeme* deverao (presentar no acto da
arrematacao das suas flaneas ou comparecerem
acompannados dos respectivos fladoresr
Secrataria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 20 de junbo de 1870.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza,
r*> dia 30 do correte pelas 12 horas
do dia- lera lugar no escriptoro da compa-
nhia rna da Cabog n. l, a arrematacao
dos cbaftrize8 da freguezia da Boa-Yista, da
Capunira, e da povoaco do Monteiro sen-
do as bases para as propostas as seguinte,
Bairro da Ba-fista
Chafariz db caes do Capi-ba.
ribe.......\
Dilo da ri da Aurora. .,
Dito da cidade nova de Santo
Amaro.....- .
Dito do lugar do Campo Verde
Dito do largo-da Soiedade. ,f
Dito da Caixard'Agua dos Pires./
Dito- da praca do dnde d'Eu,.|
Dito do ra de S. Ooocallo .)
Capunga
Chafariz da ra das Pernambucanas
Monleiro
Chafar desta loealidade .
Escriptoro da- compenhia do Beberibe,
20 de jjBbo de f870. O secretario,
Dr. Prxedes Home fe Souza Pkmga.
Val praca quinta (eir, a 1 hora da tarde,
em praga do Blm. Sr. r>r. jniz de orpbaos por ar-
rendameo, as casas seguintes-; 2* andar da roa
do Imperador a. 83. travessa da Mangueira n. 9,
Hospicio 1. 6, ees 22 de Novembro n?. 6 e 24, ra
larga do Rosario n. 1, as-tres da frente e do meio
da ra do faperador n. 29, e na Imperial n. 3R
SANTA GASA DE MISEHieORDJA_DO"
REOFE.
A Illraa. jacta administrativa da Sonta Casa de
Misericordia do- Recife, precisa contratar com
quem por menos preco flzer a obra de um muro
que feche os qniolaes das casas d n. 94 o.
1*0, sitas ra'do Pilar eavra ds Portas per-
tenceotes ao potrimonio dos. orphos, o qual de-
ver ter 10 paira' de altura sobre 4 de alicerce.
Os pretendentes devem apresentar as snas pro-
postas em cartas- fechadas nesta secretaria at o
dia 30 do correle peiiis 3 horas da tarde.
Secrlo;>ri da Soma Cssa de Misericordia do
Reeiie, 23 de jiiaflo re 1870.
O eserivaOi
______ Pedro Rodrigoes de Sonza.
Administraco dos correios de Pernambuco
29 dejunbo de 1870.
iluta feto vapor Afino da companhiit brasileira.
A correspondencia que tem de ser expedida boje
pelo vapor cima mencionado, para os portos do
sul, sera recebida pela forma seguinp :
Macos de jornaes, impressos de qualqucr natu-
reza, e cartas a registrar, at as- 2 horas da larde,
carias ordinarias at-as 3 horas-, e estas at 3 1[2
pactando porte duplc^
As cartas e jornaes qne forem dirigidbs ao Rio
da Prala pa?arao previamente, aquellas a taxa de
300 rs. por 15 grammas ou fracca'o de t5gram-
mas, e estes 40 rs. por 40 grrnmu* on fraccao dt
40 grammas ni progressao estabelecida as ta-
bellasC e D annexas s instruccoes do Io de
dezembro de 1866.
O administrador,
Affonso do Reg Barros
e
- 857
719
Descarregam hoje 30 de junbo
Vapor ioglez--8a*trrt=-mercadorias.
Brigue portnguez Laia /roercadorias.
Brigne inflezMarinamereaderias.
Brigne inglezHelen Richaridem.
Barca traneezaSpkereidem.
Patacho portnguezPorlobacalho.
Brigne portuguezTWampaodiversos gneros.
aBClBEDORJA DE RENDAS ItfTKRlNASi Uk-
RABS DE PERNAMBUCO.
aendimentodo dia 1 a 27. 6r0O4*3T2
dem do dia 28....... 4:367*129
64:271*301
COM8ITLADO KHINCAL
Rendimentolddla 1 a 27. |S9 575*008
dem do dia M.' ... 5:824*338
135:399*346
De ordem do lUm. Sr. conselheiro inspector
da thesouraria de faienda, se faz publico qne, nao
tundo comparecido licitante arrematacao do alu-
guel por um a iros annos da oasa qoe servia de
cavallarice em Santo Amaro da freguezia da Boa-
vista desta cidade, fiea a mesma transferida para g
dia 6 do mez prximo vindonro, as .2 horas da
tarde.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco em 27 de junho de 1870.
Servindo de offlciai-raaior,
Manoel Jos Pinto.
Santa Casa de Misericordia
do Recife.
ftlafadro i Ttrta.
A IBhu. ion Ol jfmmistativi >,-euita easa de
misencnrdf#iofBfe,Ti^al/4-iM sessdes,
pelas 3 horas da tardo do dia 30 do crreme, re-
C8>* propostas para o forneciqaenlo e carne verde
qae tiverem de consumir os esiabeieaimentos pos
a> sea ufo existentes tanto nesta cidade como na
eme
NO
PVILHlO DES. ISABEL
COMPANHIA
EQESTRE Vmmk E ACROBTICA
SOB A DIRECCAO
DE
D. Luis Casali.
Duas escolhidas fBisecos
QUE TliHO LUGAR
Quarta-i'elra 29 do e, rreate.
As 4 1|2 da tird. e as 8 1|2. da noute-
PROGRAMMA.
PBIMEIRA PARTE.
1." Urna lida svmphonia derigida pelo maestro
Martins.
2." Lindos jogos de arcos sobre nm cavalio em
sso. pelo joven Vicente.
3.' O estudante louco pela eqnitagao, pelo di-
rector.
4. Grande volteio sobre um cavalio a toda bri-
da, pela Sra. Anna Casali.
5. Alia eschola, systema Baucker, pelo direc-
tor.
6 O trapesio, jogos difflceis, pelos gymnasticoe
Cesar e Vicenie.
ntervallu da iO minutos.
SEGUNDA PARTE
A segunda parte, que ser precedida de urna
linda introduccao musical dengida pelo maestro
Mirtms, constara de tres actos, nn quaes se exi-
hirao pelairimeira vez nesta cidade, os magnfi-
cos qnadros vivos em grande apparato, cuja dis-
buicao ser a seguinte :
Acto primeiro.
Grande qnadro sobre a mytbologia, ornado de
msica e de escolbido fogo de bengala cujas di-
vindade- sero representadas : A densa da guer-
ra ou Bellona, pela senhorita Anna Casali.
Officialidade, pelos Sw. Luiz Gasuli e Cesar Ca-
ali.
Soldados, pelos Srs. Aldabo, Vicente Casali.
Abenno e Pietro.
Estatuas, pelos Srs. Rodrigues e Tesari.
Acto segundo.
O pai tyranno, o Sr. Luiz Casali.
Sua mulher, a senhorila Anna Casali.
O lilho faiutnto, o Sr. Rodrigues.
Os netos, os meninos Juanni, Ignacio, Juannita,
Virglia e Filomena.
Acto terceiro.
Magno, figura sobre um cbafariz, pela senhori-
ta Anna Casali.
Nymphas, suas subordinadas, Juannita, Virgi-
nia,, Filomena e Laurea.
Pedestaes, os Srs. Luii, Cesar, Aldabo e Vicen-
te Casali.
Dar Gm ao espectculo, nma linda chuva de
onro.
Precos
Camarotes com 6 entradas........ 12*000
Cadeiras ....'................... 2OCKl
Cadeiras avnlsas para senhora..... 2*000
Geraes.........m^tf..... U000
Os bilhetes de amarot^s cadeiras e plateas
vendem-se no maamo circo.
Ao publico
A companhia, tendo impWfado os esforcos pos-
siveis alim de montar oeste circo Os quadros vi-
vos, inconteelavelmenlo muito dispendiosos, mas
em tuao dignos do Ilustrado publico desta cidade,
cona muito na pfoteegao de todos, e espera con-
tinuar a merecer a mesma deferenoa que al- ago-
ra tem merecido.
AVISOS MARTIMOS.
Companhia americana e brasi-
leira de paqueteo a vapor.
At o dia 1* de julbo esperado dos partos d
sul o vapor americano South America, o qnal de-
pois da demora do costume seguir para New-
York tocando no Para e S. Themaz. para (retes e
passagens trata-se com os agentes Henry Fbrster
& C, ra do Coramercio n. 8.
Prec^J das passagens pafM o Para.
A passagens para o Para na 1' efasse casta 120f
na proa 60*
COMPANHIA PEKN'AMBUCANA
M
\avegaeo eosteira por
Porto de Gallinhas, Rio Pbnuoso
Tamandar.
O vapor Parahyba, seguir para ca portos aca-
ma no dia 30 do eorrente meia Roite. Receb
carga, encommendas, passageiros e dMfbeiro a fru-
te no escriptoro do Fort* do Mattos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBCANA
Waregaco cosiera por vapor.
Macei escalas e Penedo
O vapor Pbteng, commandante Mfelto, se-
guir para os ponos cima no dia 30 de iunl
as 5 horas da tarde. Recebe carga at o da 28.
encommendas', passageiros e dinheiro a frele ate
as 2 horas da tard do dia da sabida no escripto-
ro do Forte do Mattos n. 12.
lAMNHAlJ
Para o referido porto pretrne seguir con> pos-
sivol breTiade o patacho portnguez Elephmto-por
ter alguna carga tratada, e para o qne lhe falta
trata-se como consignatario Joajuim JosGocal-
vr- Rflirao ra do Com merejo n. 17.
COUPANHIA PCRNAMBCANA
DE
Navegando eosteira por vapor,
trttmo de Noronba.
O vapor Giqui, commandanlo Costa, segai-
r pan o porto aetma no *l;. 4 de julbo ao
mi'io dia. Recebe taria at o dial encomraea-
das, passageiros e diuboiro a frele at s !<>
hora da tarde do din da sabida, no escriptoro do
Forte do Mattos o. 12.
NAVIO A VENDA
_Vpnde-se o brigup- portugnea S; Joe, de lota-
sa de cerca de 1590 arrobas ; os pretendentes
noderao examina-lo no aneoradonro : na volla do
Porte do Matto, o tratai a respeit'.-, con o capitaa
a bordo, ou na praca do Curpo Santo n. 6, segan-
do andar.
PARA'
Pretende seguir rom a i>s taor.o portnguez Jok; por lar a maior parte da
ca.r;a prompia, e para a pooea qne Ibe falta, 1
frote OMtnodo, Irata-se eom o consignatario ear
qaira Im fionaivas Mitin, i roa do Commer-
cio n. 17.
Pa a Lisboa
S-sgue para o porto cima indicado com a possi
vil brevidade a aseuna i>"rtiuueza Agma : para
o rwto da carga que Re falta, trata-se cora os
esnsignaiarios E. I. i'.ahello & C, rna do Com-
mercio n. 48.
Porio por Lisboa.
A barca Vencedora d.-ver segr.ir fiafrn en
poacos das Boa a ifga qne tem : lion-so os
Srs c.irresadores e passageiros que ''lizt-rem
aproveitar e.-ta brevidndu e cominodidnde n.spre-
cos, pdem dirigirse aooscriptorio de S.ares Pri-
mos, ra do Vigari" n. 9.
LEILOES.
de um piano de armario, urna exe*tleafei
secretaria de taogno, um eoimorama e
muitos outros ohjertos
Quinta-eira 30 do correnle.
por intervenco da agente Pinto, na ra do Vip-
rio n. ">
~ LEIL40
de ama victoria, om cirro envidrando, ar-
reios, dous^ cavallos, tudo em bom, es-
tado
Qinntn-feira :10 do-eorrente;
Quinta-reir 3fcdo crreme, nma hora da ur-
de, ein trente ao sobrado da ra do Vigario n. 5,
DIVIDAS.
,Quinta-fdra 30;do correnU.
Ko 1 andar do sobrado na ra do Vigario n.
50, o agente Pinto levar a leilo por mandado do
Illm. Sr. Dr. juiz municipal ds 2' vara, e a reqne-
rimento da-inv>murante* <' meieira dos bns do
Qua.do Manoel Iziduro do Oliveira Lobo, as dividas
pertencentes ao mesmo casal, constantes do man-
dado existente no escritorio do rei'rido, roa da.
Cruz n. 38, onde pode:u ser desde j examinadas
as referidas djv eorrerem ao leilo, quo deve ter rugar ao meio Oa
do la 26 do crreme, no 1 andar do sobrado da
rna do Vigario n. 5, onde llavera, anteriermente
leilito de movis, louen e vidros.
tt 6 caixas com superior cha
preto e 22 saceos com feijao
de div;Tsas quididades;
Quinta-feira \\ do correnle.
O agente Pestaa fara leac por conta e risco
de quem pertencer de 6. caixas coro superior cha
preto e 22 saceos cam feijao de diversas quaJida-
dades, o que se vender no dia S dj eorrente, a
11 horas,mo armazem do Annes, defronte da al-
fandega.
-------------------
O brigue portuguez Aprtgio sabir brevemente;
Aracaty.
O palhabote flariftadi, capit> Custodio fos
Vianu : a traUr com Tasso Iraos& C.
de movis, louqa e vidros
constando de
urr piano di armario, 1 dito de' mesa, 1 rica es-
pe ho, 1 dito com columnas, -una mobilia do Ja-
caranda com 2 sofs 2 consolos, 4 cadeir de bra-
cos, 2 ditas de balancos e 12 de guarnido, 1
eandieiros de gaz, 2 ditos de suspensfeaga
mobilia de mogao com 1 sof, S naa w*
cadeiras de bracos e 18 de guarnioae,
serpentinas, 1 cama franceza de jacaraa (no-
va 1 bergo, 1 relojio de podra elvt3ocl>oon.
mbilia para gabinete, 2 mesas redondas cnanto
2 quadros, 1 mesa clastiea, 2 aparadores, t
\

.'
'N
l
t#
\

A. Jk

U^P


w^
i
.*"
\
WMBB*
a
T

-je."
^ -
fciarie d Pemamtuco -J Cuarta feira 29 d Junho de 1870
-c^r
li cadeiras, 4 consolos, 3 cabidos. 1 agpare'ho de
tonga dourada para cha, i dito para jamar, 4 gar-
rafas de chrystal, copos calix, e maitos outros ob-
jectos que estao ao exame dos concurrentes na
vespera e dia do leilao
Quinta-fe ira 30 do correle.
do sobrado da roa do Vgario n. 5.
O agente Pinto far leilao por conta e ordem de
urna familia que retira-se d esta provincia, dos
movis e mais objeetos existentes no primer
andar do sobrado da ra do Vigario n. ">, onde
se eflectuar o leilao, o qual principiar s 10
horas em ponto._____
LEILAO
DE
predios
V^
1 sobrado de dous andares e sotio, solo proprio,
roa do Kangel n. 5o.
1 dito de um andar idem dem, rna da Praia
n. 0.
i dijo de dous andares e sotao, solo foreiro, roa
das Aguas Verdes n. SO.
1 dito de m andar, idem ideai raa 4o Calabos-
e n. 15.
1 caa terrea no Caminbo Novo, solo proprio
ra da Esperanca n. 6.
1 dita solo foreiro, ra do Pilar n. 33.
1 dita idem idem, rna do Pbarol n. 36.
1 dita idem idem cora sota, solo proprio, roa
da Senzala Nova n. 21.
o sobrado de um andar, o qual Pica no fondo da
tasa da ra da Senzala Nova amunciada.
Na mesma occasiae veuder-se-ha duas vaccas,
sendo urna turina b<**. IHteira
^uiuta-feirct 0 do corrente.
Nn armazem rex horas.
O agente Ponina!, comctentemente autorisado,
vender os predios* vaccas cima.
ATTENCAO
Previne-se ao Sr. Wanderley do engenho Uba-
quinho. que ha mals de dous metes mandn fallar
ao abaixo assignado para comprar um sen escra
vo de nome Benedicto Sapucaia ausente, e etn sea
poder j ha dous metes, que o dito escravo livre
e desembarazado, como consta das certidoes que
I he foram remettidas pelo seu correspondente, a
quem mandou procuracio para vffecluar a com-
pra. Roga o abaixo assignado ao dito Sr. Wan-
derley que responda a carta de seu dito corres-
pondente no sentido de ser remetlido cem seguran-
ca dito escravo ao abaixo assignado com os dias
de servido, ou efectuar a compra quando assim o
nao qufcesse fazer.
Joaqnim S. P. Siqueira Cmlcanli.
Os administradores da massa (atilda de Ma-
noel Miranda da Preda convidam aos credares da
referida massa, para que no praso de oito dias da
publicacao deste,apresentem seus ttulos no arma-
cem da travessa da Madre de Dos, afim de serem
verificados e elassifleados, lado o mencionado
praso. Recife 28 de junho de 1S70.
Precisa-se de um rapaz de 14 a 16 annos de
idade, com pratka de taberna, sendo portuguet
que d conhecimento de sna conducta : no pateo
do Caimo n. 18._______
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar :
na ra do Qseimado n. 90.
J. Pe reir Yule
P1IOT4HJRAPHI \ IUP1I
UAL.
PKAMUCIA
LEILAO
'de ama raofellia de mogno com 12 ca deiras de
goarnicao, t ditas de bracos, 2 de balando, 2
consolos com pedra e 1 sof com encost de.pa-
Ihinh, 1 i:ma de Jacaranda para casal, 1 dita
de ferro, 1 bedel de mogno, 1 -imprtame guar-,
da-vestidos ie mogno,,! rrca commoda de mog-
no com pidra, 1 dita de amarello, 1 lavatorio
deamarelh com pedra, 1 dito-de ferro, 1 espe-.
l lio grainds com moldura de Jacaranda, 2 ca-
ieiras de*alanco, 12 ditas sera sala de jantar.
6ditas doaradas para gabinete, 1 mesa elstica
de amanillo, Iguarda-louca de mogno, 1 bersoJ
le pal na, 1 rico relogio para cima de mesa, A
porta'Heer, 1 quartnheiro >de amareUo. 1 rico
par de'jarros para flores, 1 dito de porcelana,
laateroas, quadros, bacas, bandejas, escarra-
deiras-e untos oatros objeetos.
Assim como um otimo piano.
Sexte-feira 1* (tejuino.
O agente Marttns far leitao por pudem de nraa
familia que se retira para a Europa, dos movis
ackna, no segundo andar do sobrado n. 1 -da raa
do flaagel, s 11 oras do dia.
Maris, Theedora de'Oliteira Mello, sea filho e
mais pareles, agradecendo sinceramente a todas
as pessoas, bem orno a distincta irmandade do
Espirito Santo, o se dignaram comparecer e
acomianbar ao oeraiterio o cadver de seu mu
preado esposo, pai e prente Jos de Mello Costa
e Ofcveira, humildemente convidam e rogara es-
sas'Biesmas pessoas queiram digna r-se ouvir a
missa do stimo dia, que tem de celebrar-se na
groja do Espirtto Santo, sexu-feira de jumo,
pelas 7 horas da manha, pelo que desde ja se
coafessam eternamente reconieoidoi'.
LEILAO
guiula-teira. 3K de jtmha.
O leilao de movis, pianos, louca, crysUes, di-
sidas, carros e cavallos, annunciado para terca-
feira, na ra do Vigario n. o, por intervengao'do
agente Pinto, 6cou transferido para boje 30 do
crrante, devendo comecar es 10 horas em ponto.
Conthraapo do leilao
no Cabo.
Sexta e sabbade
Por despacho do Illm. Sr. Dr. juiz municipal e
do oommercio da villa do Cabo, a requerimento
do curador fiscal da massa fallida de Severino
Jos dos Sanies Airaiar, foi designado o dia sex-
ta-feira Io de jaiba as .10 horas da manha
para na casa do niesmo estabdecmento se pro-
ceder em pra-a i>uhhea a venda dos gneros
e mais obje to> e pertences de padaria que fazem
parto da mesjaa massa e serao entregws pelo
roaiar precu. Omvidr.se oe pretendentes para
essa praga podendo irc-m ver a avaliacao no car-
tnrio do r-i-Mvi., \r;injo.
48RA DO UABUGt-4
A entrada e pelvpateo da \0tatriz.
Os trabathos da roejficacla desta ph|t graphta,
e que se prolongaran! por tanto tempoj cham-se
felizmente terminados e ella aberta aos rvico do
publico desde 7 de abril passado.
O predio wn que est enllocada esta ] oTognt-
phia acba-se muito augmentado, e s i [a te desti-
nada ao estabelecimento coma cinco sabt ioclu-
sive as do laboratorio. Todos os concert? e aug-
mentos tendo sido (tos expressamenti [para se
montar convenientemente a photographn, e nao se
podendo melhor modelo escolher do que Photo-
jra^wi Imperial do Sr. Insley Pacheco Ion Rio de
Janeiro, o priraeiro plutographo do BrasiLe um dos
pnmeiros do mirado, segundo a opinialos mais
abalisados mestres, a nossa photographa acha-se
dlsposta e reedificada pelo niesmo pianopa do Sr.
L Pacheco, a qual foi montada sob todas isregras
recommendadas pelos mais destnelos ptifessores
de accordo com as modificacoes nec arias ao rarrn iniiM,n j. _,,;
clima do Brasil, reconhecidas e esludadaTpelo ha- erI0' ^^ <** ferro com magnezia.
bilissimo e pratico Sr. I. Pacheco. rerro <** Uuevenne.
Todo e interior
CAVALLOS
FURTADOS.
Furtara do engenho Capianna do Porto Calvo,
no dia 7 de corrente, tres cavallos com os signaes
seguintes: uro eastanho amarello, bom andador
baixo, otas ps calcados a* o meio da caoella, a
man direita caigada at cima do peador, a mo
esquerda preta com urna sobre cannarpelo lado de
dentn encostado a junta e j queimada, urna es-
trella na testa em forma de coracao, urna beta, e
da estrella da testa para a beta um signal a ma-
neiri de linha, cauda comprida, cimas meio apa-
radas e datadas para a direila, signal em baixo,
com o ferro seguinteSno lado direito, est es-
camando para a ultima muda.
Outro eastanho grande e comprido. f.icca, canos
prelos, caaellas de viado, olhos grandes, grande
estrella na testa, urna grande tomadura na bechi-
ga, cauda,lina e tapete muito grandes, signal
em baixo, bom esquipador e pouco carregador
baixo, igualou ha pouco, e tem no quarto direito
o ferro seguinteS
Outro finalmente alasao, dous ps calcados at
o meio das canellas, cabera descarnada, olhos de
PQrco, anda baixo obrigado, cauda rimpada, fren-
te aberta e signal em baixo. Roga-se a quem os
apprehender ou delles souber, avisar ou manda-
Ios entregar no engenho cima dito jo capito An
tomo da ocha Wanderlev, que ser bem recom
pensado.
do predio em que esta nossa
photograpoia foi mudado desde a soieira porta da
ra at a coberta, teado-se demolido toda as pa-
redes interiores para se fawrem as ni^ % salas,
edificawdo-se um novo terracn envidrando mu
espacoso e eleganto.
Como sabido, fizemos urna viagem eipressa-
mate corte para examinarme as njelhcres pho-
(graphias all, e foi a do Sr. Pachec^ a que
melhor correspondeu aos nossos desejos ei aspira
cCes, e da qual trouxetnos es planos dtpois de
al estarmos todo um tnez esludandoi apro-
voitanao as liooes de lao distincto mestr Pen-
samos que juntando os nossos estados longa
pratica de 15 annos de photographia s ut issimas
li?5es ultiman ente recebidas do Sr. I. Iicheco,
tendo montado a nossa photographia ctmo se
acha, podemos offerecer ao Ilustrado tublico
d'esta cidade e aos nossos nun.erosos fi guezes
trabalhos de pbotograpb'a lao perfeitos, Dmo se
poder desejar, e disto convencidos, esj ramos
que contiuuem a dispensar-nos a inesim pro
teccao com que ha lo annos nos tem hoirado e
ajudado. ______________T
Precisa-se alugar um escravo que leja co-
peiro, esperto, e que ntenda do compra- : no
caes de Santo Amaro n 42, ou na agencia (eral n.
21, praca do Corpo S3M0.
Aos 20:000400a
Bilhetes do Rio venda : ra do Cabn|a n. 1
ende Vieira'A Rodrigues.
CENTRAL
Ra do Imperador n. 38
Xarope de lactucario d'Aubergier, e de
thery decio d'Abbadie recomrendados,
como calmantes para os casos, em que se
nao poda usar do opio e de seus prepara-
dos, e mui convenientes para as crianzas
nos espasmos e convulsSes.
PHARMGIA CENT" RALRUAM IMPERA-
DOR N. 38.
Preparados d'acatrSo em capsulas, licor,
e xarope ferruginoso. _________
PHARMAC1ACETRAL RA DO IMPErS^
DOR'N. 38.
Pillas de Vallet.
Plalas de Blancard.
Pillas de Bland.
Xarope forruginoso de Blancard.
Gonfeites de lactato de ferro.
Pilulas de carbonato de ferro, lactado de
V,
Agencia de leilo&s
Ra do Imperador n. 16
Nestearmazm recbese para serem vedidos
em leilao, ou em particular, por conta de sus do-
nos : movis usados, louca e christal, ou outro
qualquer objecu de prompta venda ; assiui; como
tambem comprase trastes usados.
Faz-se qualquer negocio com a lnja n. 4!, cita
ra da cadea do Recife, propria para artiazem
de groco trate, por se achar em dos melhofes lo-
caes : tratar n3 mesma.
Precisase de urna ama para todo rvlco
de duas pessoas : na na do Duque de Caxas en-
trada pelo becco do Ouvidor n. 22, 2o antfcr.
NOFINA
Da cesa o rr> olea e soto sita a ra do
Rangeln.v. em solo foreiro (paga 2
aaauaes) ;i Santa Casa de Misericordia de
Loenda.
Por cio.a reqoernucMo e com ulterior informapio dos
adounktradiires da massa fallida de Siqueira &
.'creira, n n^-u'- Oliveira far leilao do predio
supra (niu-'ora j-rtencente ,a viuva e hcrdeiros
do Dr Sgii.ii-jo .'..ry da Fonseca, e adjudicado
sutuequntementi a referida massa.
Nabbatdo, de julho
ao meio da em ponto, no esenptorio do raesmo
ageutea iu.i da Cruz n. 53, andar, poden-
do os pretendentes obter a chave para procede-
rem previo exame, em mao do S. Rezende, com
padaria i mesma ra do Rangel n. 9.
AVISOS DIVERSOS.
Urna pessoa da provincia das Aiagoas dese-
ja saber da residencia nesta ciiade do Mm. Sr.
Dr. Jacintho de Mendonga Jaragu : nesta typo-
sraphiase dir quem a pessoa.
imiTCABGIlEOLOGIGO E GEOGBAPHIGO
O Dr. Casanova pJe ser procurado a
qualquer hora em seu consultorio espe- 9$
cial homeopathico, no largo da matriz de B
Santo Antonio n. 2. .\este consultorio ffl
tem sempro sortimentos dos acreditados
medicamentos de homeopathia de Weber MS
& Catellan em tinturas, o era glbulos, e s|
judo quanto neeessario para as pesoas j^
H que seguem osle sy-iema.
r~ Os pobres.foram sempre e cuntinuam S
J125 a ser tratados gratuitamente.
Henriqueta Josepha Jacome, seus filhos e
robrinhos convidam aos seus parentes e amigos de
seu sobrinlio e irmao Jos Annes Jacome. fallecido
em Villa-Bella, para assi>tirem as missas que
mandam resar por sua alma no dia 1 de julho,
pelas G horas da mauha, na igreja da Madre de
Dos. E desde ja agradec m s pessoas queas-
sistirem a este to caridoso acto.
0j ijglgi{ig{!g}!g!l
Advogacia.
iM O Di: J. Corma de Araujo tem o seu
3 esenptorio ra do Imperador n. 67, _
js onde pode ser procurado das 9 horas da 55
ISf manha s 3 da tarde.
Coznheiro
Precisa-se de um coznheiro para casa de uir.a
familia : a tratar na praga do Collegio n. 6.
Roga-se ao lllm. Sr. Ignacio V.eira de Mel, es-
crivao na cidade de Nazareth desta proviniia, o
favor de vir a ra do Imperador n. 18 a i qicluir
aquelle negocio que V. S. se compromelteu reali-
sar, pela terceira chamada deste jornal, en fins
I de dezembro prximo passado, e depois para ja
' neiro, passou a tevereiro e abril, e na la cueprio
e por este motivo de novo chamado par dito
lim : pois V. S. se aeve lembrar que este nigocio
de mais de oito annos, e quanao o senho1 seu
lilho se achava no estudo n^sta cidade.
Assucar ferruginoso.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Vinbo e xarope de pepsina e diarthare,
excellente tnico para auxiliar as digestSes
difficeis nos casos de debilidade do esto-
mago
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Agua hemostbalica de Lecbelle, mui re-
commendada em qualquer caso de hemor-
rbagia, e principalmente na thysica pulmo-
nar, e as hemorrhagias uterinas.
PHARMACIA DENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Xarope de rbano iodado excellente com-
binacjfo do iodo com o sueco de plantas
anti-scorbuticas.
Este xarope empregado com grande
soccorro contra as molestias da pelle, os
engorgitamenlos escrofulosos, o racbitismo-
cachloroso.
O vinho iodado de joly, e oleo iodado de
Personne, sao recommendados para os mes-
mos casos, e encontram-se nesta pharma-
cia.
PHARMACIA CENTRAL RA D'lMPERA-
DOR N. 38.
Variado sortimento de cbocblate de ban-
nilha, salepo-araruta, ferro, e de sade, da
acreditada officina de Menir.
Sabonetes d'alcatro, d'acido phenico, en-
xofre e campbora recommendados para as
molestias de pel'. como sarna, panos, em-
pingens etc., sendo o ultimo de muita utili-
dade para o uzo do toilette, por preservar
a pelle de ser manchada das maculas, que
costumam accomettel-a.
Woleque
*!%&& ^mol-e3- -.M lo andos pa-
de Margo n.
ra um fabalho ',eve
7 A, 1 indar.
na roa do 1
I^uarass.
Ao Sr. Jos FrarjCiSCOde Anuda Fraga ser de
interesse apparecer no Recife, caes do Apollo
Ausientou-se um menino livre, de idaile 13 a
14 anno'j, chamado Francisco, com cabellos ruivos,
cor de caoella clara, ps compridos e meios tor-
ios, viariz chato, cara comprida, gago. vegUndo
calca branca, jaqueta de brim de cor, chipo de
t>ata j usado, julga-se ler sido seduzido : pede-
se a quem o liver em sua casa queira entrega-lo
no sitio do Monteiro, travessa de Beliem, pessoa
que est por elle responsavel.
Precisa-se alugar tima escra va para o ser-
vico interno e externo de urna casa de familia :
quem tiver annuncie ou dirija-se ao largo do
Terco n. 11. ____________________
O Sr. Dr. Jos Izidro da Silva Galro com
pareca para negocio de seu intoresse, ra ra
larga do Rosario n 44.
D-se a quamia de 3:500 a premio, sob hy-
potheca em lens de raiz: quem quizer annnncie.
AMA
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar bem:
a tratar na praca da Independencia n. 39, loja de
calcado.
COMPANHIA
DOS
TBILHOS URBANOS
DO
RECIFE A9 OM\ll 1.
Por ordem da directora sao convidados
os Srs. accionistas para, no praso de 10
dias contados do dia I. de julho vindouro,
effectuarem a 10.a prestado de suas aeges
razo de 10 %
Para esse fim ser encontrado o Sr. the-
soureiro, das H horas da manh5a s 2 da
tarde ae lodos os dias, no escriptorio da
companhia, ra Nova n. 35, i." andar, en-
trada pela ra dos Flores n. i4.
Recife, ffl de junho de 1870.
0 1. secretario
______ Joo Joaqnim Alves-
Perdeu-se um quaderno com diver-
sas preleccoes manuscriptas de portuguez e
litteratura nacional. Quem o tiver achado
e quizer res;itui-lo, ter a bondade de man-
dar leval-o ra Bella n. 37, sobrado de
dous andares, que ser gratificado.
Um sacerdote se propoe a ensinar la-
tim e francez, nao s era casas particula-
res como em algum engenho perto da
linha frrea ; pod ndo ser procurado na
ra das Cinco Pontas n. 152, das 9 horis
s 5 da tarde.
O LBUM
Jornal de mu sica para plano.
Publica-se era Lisboa, e recebem se assignatu-
rai na livraria econmica, defronte do arco de
Santo Antonio. Preco da assignatura 44 por si-
mestre (ou 12 nmeros).
Pede-se a quem acbou ou a quem souber
dar noticia de um relogio de ouro coberto, paten-
te.suisso, n! 84368, que foi perdido na noite de 23
do correle, desde a esquina do hospital portuguez
at a ra de Bem-liea n. 7 (Passagem), que queira
restitui-lo, pode dirigirse mesma casa da ra
de Bem-flca, que ser generosameute recompensa-
do, ou casa da esquina do hospital portuguez.
Um hornera ja de idade, e que tem alguma
pratica de ensino, offerece-se para leccionar em
alguma casa particular, mediante algum salario
pequeo: quem quizer dirija-se ra do Caldei-
reiro n. 10. (Prefere se fra da prac?).
No sabbado 25 de junho, as 3 horas da tar-
de, entregou-se um barril com urna arroba de
chouricas a um preto crioulo, chamado Galdino,
para levar ra da Guia n. 7, e como o dito preto
nao acertasse com a casa al o presente, roga-se a
quem descobrir, dar parte na mesma ra, taberna
de Jlo Francisco de Souza, que ser recompen-
sado.
AMA
Precisa-se de urna ama inteligente, livre
ou escrava, de muitos bons costumes, para
o servico inierno de urna casa de familia.
Dirigir-se ra Bella n. 37, sobrado de
dous audares.
Sitio para alugar
Aluga-se um sitio na Passagem da Magdalena,
com grande casa de sobrado, com 4 saias, 7
quarlos, sala para engommados, dispensa, cacim-
ba, quarto para pretos, estribar ia e coxeira, e b>as
arvores fructferas: tratar na ra do Vigario
n. 21, com Domingos Alves Matheus.
Precisa se lao somente para engommar : na roa
da Senzalavelha n. 96, padaria, achara com quem
tratar. ^
AMA.
JULIO DIZ
Acabam de chegtr do celebre author oas Pu-
pilas, da Morgadinlia dos canaviaes etc..
Os novellos da ta Phomela
0 espolio do Sr. Cvpriano inpressjes do
campo.
1 vnlume em 4o. brochado 25000.
1 diito dito, encadernado 3000.
As apprehensdes de urna uai
Urna flor de entre o gelo.
1 volume em 4o brochado 2S00.
1 dito dito, encadernado, 3000.
GtUMARES
(/. M. Das)
O poder do ouro
Drama em 4 actos original portuguez.
1 volume era 4o 25000.
AMA
Precisa-se de urna ama para servico de dontro
e fra de casa de pouca familia, prefere-se escra-
va e paga-se bem agradando : na ra Velba nu-
mero 66.
Haver sessao ordinaria quinta-feira 30 do
corrente pelas 11 heras da manh5a.
ORDEM DO DIA
Pareceres e mais trabalhos de com-
misses;
Di6cuss5p. gorar 00 auno social de 187071.
Secretaria do Instituto, 27 de junto de
1870.
Jos Soarss d'Azevedo.
Secretario perpetuo.
mmmmmmwmm mmm<
S MDANCA.
I O Dr. Carolina Francisco de Lima San-
Stos mudou sua .residencia e consultorio
para a roa do Imperador n. 57, 2* andar
do sobrado cojo armazem conserva ain-
| da hoie o nome de Alianea, tendo a
55 entrada, que pelo lado da ponte Sete
B de Setembre, o meeoo numero 7, da
W frente. Ah continuando o dito Dr. no
i xercicio de sua profiaso de medico e i
de operador, pede ser procurado a qual- j
quer hora do dia e da oooie.
Precisa-se de nma ama de leile, preferindo-se
escrava sem filho : na ra larga do Rosario n. 12
2 andar, junto a botica do Pinto.
Aluga-se o Io andar a casa n. 41 da ra do
Rangel : na mesma casa, ou ra do Queimado
numero 2.
Drama em o actos, por um escrlptor portuenae.
1 volume em 4o, brochado 1*500.
Livraria Franceza.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Os melhores vermfugos para crianzas,
Pastilhas de sanctonina.
Ditas de Kemp.
Oleo vernifugs.
_Tudo de melhor qualidp.de.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Variadsima sortimento de fundas de
excellente qualidade.
PHARMACIA CENTRAL "HUA
N. 38.
Pas'ilhas de balsamo de tol e de seiva
de pinho martimo, para as affeccSes chro-
nicas dos pulmes.
Pastilhas de therydocio e louro cereje
para as tosses agudas, e de carcter nervo-
so, e para os vmitos durante o periodo da
gravidez, e qualquer affecc5o nervosa.
Pastilhas de bypophospheto de cal mui
uteis na thysica pulmonar.
Pastilhas de angico naf, e de Regnault,
de hortela, pmenta, e de Viccley, de pe-
cacuanha e de Rermes.
Criada
Precisa-se de urna criada livre ou escrava,
que saiba bem eegommar e tratar do servico in-
terno de urna casa de pouca familia : a tratar no
Manguinho. casa nova dos Srs Carpinteros, ou
ao caes d*alfandega velha n. 2 escriptorio, paga-
se bem.
PRIMEIRO E ANTIGO CONSULTORIO
HOMEOPATHICO
FUNDADO PELO DH. SABINO
HOJE DIRIGIDO
PELO
DR. SANTOS MELLO.
43Ra Nova n.43
O r. Santos Mello de volta da Babia
contina a ser encontrado todos os dias
das 10 horas ao meio dia para consultas.
Chamados a qualquer hora do da ou
da noute.
Gratis aos pobres.
43Ra Nova n. 43.
StiSlS
Precisa-se de urna ama para lodo o servico de
urna casa de pouca familia : a tratar na r'ua de
Hortas n. 88.
Lisboa.
Geometra.
Compendio da escola normal.
Vollume encadernado
2*000.
Livraria franceza.
w
m
Ama
Precisa-se de urna ama que saiba engommar
bem e tratar do interior de urna casa de urna pe-
quena familia eslrangeira : a tratar no Iarg6 da
matriz de Santo Antonio n. 2.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Cha purgativo de. Chambard, excellente
laxativo, e refigerante, que se pode usar
repetidas vezes sem irritar os intestinos.
Livros adoptados pelo de-
ceto n. 4468 de 1 de fre-
vereiro de 1870.
Arithmethica. i
Coqueiro.Curso elementar.
1 volume encadernado 2000.
Grammatica.
Sotero dos Reis. Postillas de grammatica geral.
1 volume encadernado 3*000.
Leal.Nocoes grammaticaes extrahidas da gram-
matica portugueza de Sotero dos Reis.
1 volume encadernado 1*000.
Livraria franceza.
Ama
Precisa-te de ama ama pan
prar, para casa de penca
-Crespo n. 18, 2 andar.
cozinhar e com
fmula : na' ru do
AVISO
I-
O vapor La Piala tendo levado para o Rio da
Praia a eaixa contendo os jornaes da Franca
Allemanha, somente poderemos entrega-Ios aos
soahores assignantes, ni volta do vapor em 28 de
julbo prximo futuro.
Cozinlieira
Na ra do Commercio n. 3 Io andar pre-
cisa-se de ama boa coziobeira para a casa
le tres mogos estraogeiros em Casa Forte.
" D-se 1:0001000 a juros sobre bypolheca :
quem precisar falle coro o empregado da estacao
-doOucoo. ^
Aos seos parentes e -amigos.
Antonio Ramos vem por este meio participar,
que foi Daos servido levar desta para melhor vida
a sua querida esposa D. Anna de Jeras Rastos Ra-
mos, no dia 24 do corrente, as 6 horas da manha,
munida conaos devidos soccorres da religio Elle
suas lilhas e cunhadas agradecem muo a todas
as pessoas qe tem tomado parte na sua justa dor
e.rojttm anda aos eus parentes e amigos o favor
de asislirem, podendo ser, a santa missa, que deve
celebrar-se por alma da sua virtuosa esposa, na
ieja matriz de S. Pedro, em OHuda, qumto-feira
do corrente, .as 7 horas da maiftaa.
ffl i m i >i m
Escrava.
Na rna da Cadeia n. 7 precisa-se alugar urna
escrava para todo o servico de urna casa de pou-
ca familia.
CRIADO
Gamelleira.
^ Os Srs Antonio Augusto Maciel e Manpel de
Sonza Ribeiro sao convidados a comparecerem no
Recife, caes do Apollo n. 69.
Carvalho & Noguetra, ra do Apollo
n, 20 saco sobre Portugal, vista e a
praso.
Moleque.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite : na ra do
Duque de Caxias n. 49, lo]a do Rival sem segundo.
A verdadeira larinha peito-
ral de 8. Bento
Esta farlnha usada com vantajosos resultados
nos padecimentos dos orgos do peito, como as-
thma, oa puchamento de catharros, inllamaeao
de bofe, pleurizes e na phthisica. Recommenda-.-t
com igual proveilo as pessoas convalecenies.
nico deposito em Pernambuco
NA
Pharmacia e drogara
DE
Rartholomeu 4 C.
34Ra larga do Rosario3i
Rob-ante-j heumatico
Remedio efflcacissimo contra as dores rheema-
ticas at hoje o mais conhecido pelos seus mara-
villosos resultados.
Xarope de agrio,
E' um dos medicamentos que sua efficaeia na-
enferraidades, tosse e sangue pela bocea, bronrhi-
tes, dores e fraqueza no peito, escrobuto e moles-
tias do ligado, que nHhor tem aprovado.
Tintura de marapuama.
A celebre raz de marapuama, cuja energa e
efficaeia as paralysias, iuitorpecnjento,
muito se recomenda.
Todos esses preparados se encontram
NA
Pharmacia e drogara
DE
Barthulomeu & C.
______ 34Ra larga do Rosario34
etc. etc.
Precisa-se alagar ou comprar um moleque de
12 a lo annos, que seja flel e ntelligente. e sirva
para criado : a tratar na raa Nova n. 19, primei-
ro andar.
Precisa-se de urna ama para todo servico de
urna casa de pequea familia : na ra do Arago
n. 38.
Precsa-se de um criado de 12 a 15 annos, flel e
intelligeute. para servico leve : a tratar na roa
Nova n. 19, Io andar.
Aluga-se o Io e 2 andar do sobrado da ra
das Aguas-verdes n. 86 : a tratar no Io andar do
sobrado da ra do Duque de Caxias n. 9, das 9
horas ao meio dia.
Offerece-se urna pessoa para criado de urna
casa, para compras e mandados : na ra do
Caldeireiro n. 2, lja
Thomaua Mana da Coucelcio e Vieeate Atves
Moreira, cordealmente ngradecem a Illma. irman-
dade do Divino Espirito Santo da igreja do Collo-
go e as pessoas que se dignaram assistir os l-
timos sufragios do passamento de seu muito pre-
sado e sempre lembrado marido Candido Clemen-
tino Pereira deCarvalho, Jailecdo a 24 do Bor-
rante as 11 l|2 horas da nonti, e foi da mesma
igreja conduzido ae cemitero publico ai $ da
Urde, e de novo convida as mesmas pessoas para
assMtirem as missas do stimo dia que mandam
dizer no convento de Nossa SenWa do Carmo, no
i* de julho as 5 horas da manh, a raulher do
fallecido e o amigo do raesmo desde j agrade-
cem a todos por este acto de religio das almas
bem formadas,
roca-te ama imagem de Cbrhuo muito ^
mta, no Corredor de Bispo n. tambem ae ven-
de urna machina muito boa, aova, de costara,
urna cama de casal em meio nao, e o especial xa-
rope contra molesjja de pUP, vit*> do sertao,
O Campos da ra do Imperador n. u apresi
a concorrencia do respeiuvel publico os seguintes
gneros, que ropulaos especialidades, nao s por
serem muito desejados, como pelo preco porque
esta vendendo ; nao so os que abaixo menciona
como todos os mais que existem no seu armazem'
ESPECIALIDADES :
CamarSes seceos.
Pescadas em salmonra.
Presuntos de Lamegu:
Ditos para fiambre.
Rap Paulo Cordeiro viajado e eommum'
Velas para carro. '
Latas com legumes era coneerva.
DiU8 com guiados franeczes,
Ditas com salmn e ostras.
Chocolate de diversas qnalldades e precos.
Precisa-se de urna boa cozinheir e de urna
escrava para todo servico de ama casa : na ra
das Cruzes n. 22, segundo andar, entrada pelo
becco do Ouvidor.
Na ra Primeiro de Marco n. 15, escriptorio,
recbese propostas para a collocacao de vidros e
pintura no predio n. 23 ra da Cadeia.
I'arnba de uaudioca.
Da melhor qualidade e mais barata do que em
outra qualquer parte : vendem Amaral, Moreira
& C, no caes da alfandega n. 7. -
Urna engomniadeira
Precisa-se de uraa eegoraraadeira : na ra da
Cadeia n. 4.
Ama
Precisa-se de urna ama quo saiba engommar e
cozinhar para duas pessoas, casa de familia : na
jua de Apollo n. 51, 1 andar.
COMPRAS.
Precisa-se de um criado ou criada forra ou
escrava para casa de homem solteiro : na rna da
Camba do Carmo n. 21, Io andar.
Precisa se de urna ama
Rosario n. 4o, 1* andar.
na ra estreiu do
Precisa-se de urna ama para o servigo in-
terno e externo de urna casa de tres pessoas : a
tratar na roa estreiu do Rosario n. 35, cariono.
Ama
Precisa-se de ama ama para cozinhar : na ra
da Praia n. 53.
Precisa-se de un> criado que entenda de ser-
vico de quarto e de copeiro : na ra da Impera-
trian. 9, 2-andar.
Aluga-se urna escrava para todo servico de
ama casa de pouca familia, paga-se bem : .a tra-
Ur na rna Imperial sobrado n. 1, andar terreo.
Engommailetra
J*n ^VJ*!"*^: _* *> H0SPi
to n. 22 junte ao quartel, eontrau-se t
fommadeira.
6B-
N* "" da Madre de Dos n. 3 precisa-se de
nma criada para todo o ervico.
naeTSrra'nTchV = S"5
i.7nS alagar um cnado forro eu cap-
trauma rna da Cadeia do Hed n. 35
Ama de leite
Precisa'-se na estrada de Jojo de Barros sitia
O abaixo assignado declara que desde o dia 25
do corrente raez deixon de ser caixelro da pada-
ria do Sr. Bernardo Fernandes.
__________________Santiago Baviera.______
CASA DA FORTUNA
Aos 8:0001
Bilhetes garantidos.
k roa do Crespo n.23 e casas do costme
O abaixo assignado, tendo vendido alm de ou-
tras sortea, um meio n. 1263 com 8:000* da
lotera que se aeabou de extrahir a beneficio
ao recolhimento de Iguarasau (151') convida
aos posraidores virem reeeber na conformidade
do cosame sem descont algosa.
oa Jfelues bilhetes garan-
I beneficio da ma-
triz da Escada (152-), que se ttaair quinta-
7 do me: vindouro.
PRECOS.
Bilhete inteiro 10#000
Meio bilhete, 5*000
Jjuinto 2*000
Em porcSo de 100*000 para cima.
Bilhete inteiro 9*0M
HeioMbeie **tft00
Quinto i*800
Manotl Martins Fkua,
The Liverpool & Ion-
don & Globe Insu-
rance Company.
Companhia inglesa de segaros contra-fogo,
estabelecida em 1839.
Capital e fundos de reserva
Re. 3.3NO:7*0#.
Os agentes desU companhia tomam seguros so-
bre propriedades, gneros e fazendas armazenadas,
mobilias, etc., etc., e estao igualmente autorisados
a saldarem aqu quaesquer reclamagoes.
Saunders Brothers & C,
Praca do Corpo Santo n. H.
0 muzeo de joias
Na roa do Cabug n. 4 comp^ra-se ouro, praia
peoras preciosas por precos mais vantajosos co
iue em outra qualquer parte.
-II l VIDM
Compram-se e vendem-se diariamente para iora
dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com Unto que sejam sadios : no
lerceiro andar do sobrado n. 36, a ra das Cruzes
freguezia de Santo Antonio.
Uoinpram-se
Moedas de ouro e de prata de todas as naciies : ua
rna da Cadea do Reeife n. 58, loja de azulejo,
Compra-se urna casa terrea boa, situada em
Santo Antonio ou Boa-vista: na ra da Flurenti-
na n. 6.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite sem filho, a
3ual se far boa paga, tendo as condicoes exig-
as : tratar na ra Augusta n. 45, casa terrea
junto ao sobrado.
tmn
ATTENCAO
Deseja-se saber se existen) nesta cidade oa pro-
vincia os Srs. Manoel Jos Soares e Joo Jos Soa-
res, naturaei das libas dos Acores, os quaes, on
quem delles tiver nolicus, sao rogados compare-
cerem a ra do Brum n. 96, armazem, a negocei
de interesse.
Compra-se um casa terrea, na freguezia de
Santo Antonio : tratar no arco da Conceicao nu-
mero 6.
Com muito maior vantagem compram-se
ouro, prau e pedras preciosas en obras velhas: na
loja de joias do Coracao de Curo n. S D, ra do
Cabuga.
= Compra-se um candieiro
para oito dez luzes de gaz: na
ra da Gloria n. 3.
Compra-se uraa carrea e preparos para u
cavado, sendo esta muito maaeira e em muito
bom estado: na rna da Senzala nova n. 30.
ilUenQao
Os amigos ofBciaes do finado Francisco Pint
Ozono, esubelecerara-se na mesas ra n. 6 de-
fronte do becco do Rosario, e na mesma alugam-se
e applicam-se bichas de Hamborgo.
Vende-se feijio mulatinho e amarello,
em saceos por preco barato na roa do Apol-
lo n. 20.
-----------------------------------------~
Precisa-se de ama ama : na ra da Soleda-
5X
lo n
idea
VENDAS.
Atten^o
Vende-se a casa da raa da Conquisu n. 20
IraUr na Estancia n. 18.
Veude-se urna negra de 16 annos, eugoin-
madeira, ou trocase por ama que coriabe e com*
pre : na rna de Santo Amaro n. 6,2 andar.
Vende-se
O engenho Bomira, provincia de Pernambuco,
districto de Agua-Preta, disunte da estacao de
Uta quatro legoas, cora boas trras, moente e cor-
rente : tratar com Jos Joaqnim Dias Paredes,
no povoado dos Montes, (Una) on no engenta ca-
pricho com Joaquim Jos de Arolfa.
*.-

I
)



^^"

Diario de Pernambuco Ouaila feira 29 de Janho de 1870.

K
iririiiiiii
A RA DA EMPERATRIZ W, *
Esquina da ruada Aurora, em frente do caf Imperatriz.
N'este novo e sumptuoso esubelecimento de fazendas encontrarlo as Exmas.
familias tudo quantopossam desojar, tanto em artigos do inais rigoroso luxo, como em todas
u mais qualidades de fazendas,
Alm de se acharan prvidos do que de melhor se encntra neste mercado,
r todos os paquetes da Europa, recebem directamente o que em artigos de moda e
mais apurado gosto se encntra em Pars, o que vena cadadia augmentar s propor-
f&es de que dispoe este estabelecimento para bem servir saa numerosa freguezia.
AlgodSo largo para lences e toalbas de Gase com listras de seda e flores, fazeo-
todas as qualidades que costuma vir ao mer- da inteiramente nova para vestidos de baile.
cado. > Gravatas para- senboras e homens, o mais
Alpacas de todos 03 padrees e qualida- completo sortimento que se pode desejar.
des to variadas que se nao podem descrever. Guipure preto e branco, diversas largu-
Albuns com msicas para collocar retratos, ras e differentes gostos.
ieiicado presente para qualquer pessoa de Gollas e punbos bordados para senboras.
suma. Guardanapos de linbo pequeos e gran-
Atoalhado de linbo e algodo, branco e des.
4e cores proprios para toalhas.
GorgurSo de seda preto e de cores.
Grosdenaples preto e de cores, haven-
Basquinas de seda pretas e muito moder- do diversas qualidades e gostos.
oas, bem como de crochet, todo de apurado dJ
Costo e feitio. Japonezes para senhoras, o melhor gos-
Baloes de muaselina, madapolo, brancos to, e fazenda propria para as festas nos ar-
de cores, para senbora e meninas, i rabaldes e passeios a tarde.
Bareges de cores variado sortimento.
Babadinhos ou tiras bordadas em todas as j L5azinhas de todas as qualidades, cores
e gostos, n5o fleando nada a desejar, tal
largara.
Belbutina de todas as cores.
Bolsas de tapete para viagem, grande
variadade de tamanhos e gostos.
Bombazina preta de todas as qualidades.
Bramante de linho de i i palmos de lar-
pira, e todas as mais qualidades.
Bretanbas de linho e algodo, grande sor-
timento.
o sortimento que existe para escolher.
Lencos, tudo quanto pode haver desde
esgui ao algodo commum.
Leques de madreperola e osso, o mais va-
riado sortimento.
Ligas d seda, bordadas, para senhora.
Luvas de Jouvin, chegadas por todos os va-
pores, stempre novo sortimento, quer em
Quando a AGUIA BRRNCA, mais precisa scientiflear ao respeitavel publico em
geral, e em particular a sna boa freguezia, da mmensidade de objectos que ltimamen-
te tem recebido, jastamentejquando ella menps opodefazere porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia dfl todos que lh'a attenderao e relevarlo,
continuando portanto a dirigirem-se a bem conhecida leja da AGUIA BRANCA^ i ra do
Queimado n. 8, onde sempre acharao abundancia em sortimento de supenondade em
qualidades, modicidade em precos e o seu nunca desmenttido AGRADO E SINCERIDADE.
Do que cima fica dito se couhece que o tempo de que a AGUIA BRANCA pode
dispr, emprgado apezar de seus custos no desempenho de bem servir a aquelles que a
honram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem ennume-
rar os objectos que por sua natureza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja importancia, elegancia e no(vidade os tornam recommendaveis, como
bem seja :
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfei?3o de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se podena
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, cofee e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para n5o massar o pretn-
deme se lhe apresentar o que poder de
melhor. '
ntremelos em pecas de f 2 tiras. ,
Guipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodao com flores e lisos. -
Veos de seda para ciapelinas e monta-J
ria.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de fo de Escossia.
Costumes ou uniformas para meninos. j
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos. __
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderemos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas pera bailo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
urnas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de raadeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
criancas.
Diversos objectos de porcelana, proprios
para enfeites de mesa e de lapinhas.______
Brins de linho branco e de cores, do mais pellica para homens e senhoras, quer em?io
commodo ao mais caro em qualidade, afilan- d'Escocia, brancas e de cores,
ando o que ha de melhor na especie. I S2S .
Brins d'algodo completo sortimento e Madapolo; e indescnptivel o grande sor-
variedade do precos. timento que ha neste genero, desde o mais
(35 elevado prego ao menor, que s vende em
Cassas de cores, o maior sortimento, pri- peca e retalho por menos do que em ou-
ando pelo bom gosto e barateza, atientas tra qualquer parte.
s qualidades. Mantas de blonde para noivas: o apurado
Gambraias brancas, tapadas, e transparen- gosto dos nossos correspondentes em Pars
'es de todas as qualidades e precos. habilita-nos a dizer que temos em nosso
misinhas de cambraia de linho e cassa estabelecimento o que de melhor se dse-
aojadas ricamente enfeitados para Sras. ja para vestir e ornar urna noiva.
isas para homens e meninos, t5o va- Manlas Prelas de blond-
ado sortimento que vai do mais ordinario
aa^apolo ao mais perfeito bordado de li-
le cambraia.
smisas de meja, de flanella, brancas e
e ores para hoinem.
asentirs pretas e de cores, o melhor
se pode imaginar, sendo d'isso a me-
lhor prova o grande consummo dellas na
-oficina da casa.
Capellas de flores, para noivas e bailes,
desde a mais candida flor de larangeira at
i mais interessante griaalda.
Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos pretos, trancados e lisos.
Musselina branca e de cores, lindos e va-
riados padroes.
Pannos pretos e de cores, desde o mais
barato ao mais superior, por preco muito
commodo.
Pannos de crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de casemira muito finos para
me'sa.
Peitos bordados de linho, lisos e de al-
SORTIMENTO COMPLETO
AttMAZENS
NOS GRANDES
DE SCCTOS
E JIOIillADOS
CONSERVATIVO
N. 23Largo do Tenjo.H. 23.
DE
S1M0 DOS SANTOS ft C.
PROGRESSO
IiO JA
DO
GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo n. 3
Os propnetarios (leste bem eonhecido estabele-
cimente, alm dos muitos objectos que tinham ex-
postos a apreciacao do respeitavel publico, man-
daramvir e acabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento de
finas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de seu costume,
por precos muito baratinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas golnhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais modorno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para caberas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
lhos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e .estes pretos.
Muito superiores meias lio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30^000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
tinas.
Boas bengalas de superior canna da India c
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor s >
pode desejar ; alm deslas temos tambem grandi
Suantidade de outras qualidades, como sejam, ma-
eir, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos cbicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de i a 12 rumos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricanle, e nos por nossa vez tam-
bem asseguranws sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralho? de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulses, e
facilitara a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por toaos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarlo destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
Sara que .ao applicados, se venderlo com um mui
minuto lucro. ,
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.____________
10
10
Chapelinbas no melhor gosto.de todas as godao para camisa
cores boje preferidas pelas senhoras de
mais apurado rigor na moda.
Chapeos pretos de velludo, para senhoras,
aitimo gosto de Paris.
Chapeos de sol, para senhoras e homens,
de todos os pre;os e variados gostos.
Chaly com ricos padroes para vestidos.
Princetas pretas e ^e cores.
Popelina do seda e linho, com listras e
flores; fazenda lindissiraa.
Pelherinas para senhoras, do ultimo
gosto.
Perfumaras ; os mais finos extractos o
que de melhor e mais agradavel se pode
Patee da Penha
DE
SANTOS & FERR IRA
Os propnetarios destes bem sortidos armazens participam aos seus innnmeros
freguezes tanto desta praca como do nato que tendo fe'tto grande diminuido de.pre-
cos as suas mercadorias estao por tss* resolvidos a vender por menos de 10 e 20 i,
do que es. outra qualquer parte, garattindo-se portanto a seperior qualidade de qual-
quer genero comprado nestes dous es;abelecimentos. Mencionamos alguns dos nossos
gneros e a vista destes sao comprehendidos os outros, porque enfadonho sena men-
ciaa-los.
Se alguem duvidar venha ver.
Vinagre branco mandado vir por contal Gaz americano marca Deves a 80800 a
propria vindo de Lisboa, a 320 a garrafa e
480 o litro.
CEMENTO
O verdadeiro portland.
ra da Madre de Deus n.
Joo Martins de Barros.
S
22,
se vende n
armazem d
Chals de todas *as qualidades, avallado encontrar neste genero, e de mats fragante
ournero e nao menos variedade de gostos, e suave no oiphato, tem o PAVILHAO DA
Chitas, impossivel descrever o sortimen- AURORA, desde a verdadeira agua Flon-
'.o e variedade de padroes e novos gostos, da at o mais fino Iiouquet d'Amoar, final-
tta neste artigo tudo quanto se pode desejar.! mente tudo quanto deve eccupar o touca-
Cintos para senhoras o que se pode ima- dor de urna senhora de gosto.
nnar de melhor. *? i a -
Coques, o melhor no gosto e nos entei- Saias bordadas, brancas, lisas e de cores
tes, varios tamanhos. :cora folllos e sem ell<:s' melbor PSS-'V '
Colchas de seda com borlas, ornis apu-; Sabidas de baile, de todas as cores.
rado gosto e lavor. Sedas pretas de quadros, Imadas lisas.
Ditas de fusilo branco e de cores por de listras de todas as cores e qualidades e
precos commodos. mais barat!> P Corpinhos de cambraia, ricamente borda- Sargehm de todas as cores e qualidades.
dos para senhoras. <-Sfc
Cortinados de cambraia bordados e de Tnpetes grandes, lindas pinturas para
tl.o que de melhor se pode desejar. i cadeiras, mais pequeos e de todos os ta-
Colarinhos de linho borda-dos e lisos, o manhos desejaveis, e em peca para co-
oair urtime&to. vados.
E Toalhas de labyrintho, do maior e mais
Dannsco -le la de 9 palmos de largura j gn0 trabalho ao mais barato,
lindas crts e ricos padroes. Toalhas de linho e algodo de todos os
3 i tamanhos, lisas e felpudas.
Espartiros bnin-n? c rtc cures, para se-; Taratana branca com pateas ede cores,
aoras e meninas, o melhor neste gei.ero ; fasenda muito nova, e gostos delicados pro-
uenhuma Sra. deiiar por oerto de muir pria para baile.
*e de t5o precioso auxiliar perfeicao de: ry
im corpo delicado. Vi6tuarios bordados de fusto brancos e
Entremeios bordados. de cores para meninos, de cambraia para
Escorailha preta. baptisados, o que de mejbor tem vindo a
Enfeites para cabeca, ultima moda de este mercado.
Paris, recebida no ultimo paquete. Vestidos de la escoceza de 2 Mas,
Esgui5o de linbo, completo sortimento de novidade pelopadrao, gosto e forma; ditos
dem tinto Figueira, Lisboa e Porto a
320,280, 240 e 200 rs. a garrafa e 480 300
rs. o litro.
Uta, 380 rs. a garrafa e 560 o litro.
Azeite doce de Lisboa a 900 e liJOOO a
garrafa em porco faz-se grande abatimen-
to.
Caf em caroco a 220, 240 e 2S0, a li-
500, 500 480 e 400 a garrafa litro B 840 7W) .^ e smQ arroba
Milho alpista 200 rs. a libra e 440 o ki -
legramma e 5,5800 a arroba, em porco ha
760, 720 e 600.
Vinho branco puro de Lisboa a 644 560
a garrafa, em porco ha batimento.
Vinho do Porto, W"MH (^fre^*obino.v^or. JMM6
res eraaisacreladas marcas ald000el200 ^ 3*400-cada um.
1^500 e 25 a garrafa. I 1L .
ai t i-. ,, Aletria, macarro, talhanm a oOO rs. a
dem BordeauK, Medoc e Si. Julien a' & i&m .kilogrammoem caiso ha
7^500 ti 65500, a duzia e '640 rs. a garafa.; 'Cimento
Genebra de Hollnela e Uranja doce aro-:
raatica a 6<>500, 1&, l Iv^SOO, a frasqueira.
todas es nmeros.
de linho com barras de cores, e de cam-
braia de cores com 2 saias, lado inteira
novidade, trazem os modellos juntos para
mostrar a forma de es Tazer.
Veos de bload para noivas e pretos para
lulo.
Vestidos de blond para noivas.: podemos
asseverar as nossas Exmas. frejjuezas, que
Serveja Base, Illers & Bell a 9#80O du-
zia em porco 4ia grande abatimento.
dem marca H e T e outras aarcas a
5$500 e 65, a duzia e 560 rs. a garrafa.
Assim como ha outros muitos
Saho massa de Ia e 2* qualidade a 220
e 240 rs. a libra em caixa ha abatimento
Tcfucinho de Lisboa muit(falto a 400 rs.
a libra e 880 o kilogrammo, em arroba ha
grande differenca.
generes, vinho em ancoretas, azeitonas,
passas e figos, charutos finos de diversas marcas, marmelada, bolachinhas de todas as
qualidades, perola, Fraocy-cracroel, a, b, c, Mdium, mixed, soda Fancy-nic-nac, pa-
lace de Varietes, combisatin, Btania, doce de goiaba fina, chouricas, manteigas finas
francesa e ingleza, banha de Baltimor, phosphoros de Sycuryt, Cognac, cha de diver-
sas qnlidades, Canella, pimenta do rerao, ervadoce, pomada, enxofre, breu, peixe
em latas de todas ar qalidades, farinha fie milho americana, grandes molhos de sebol-
las, nestes dous armazens existe tambem grande-oortimento de loufas proprias para ne-
gocio, que pelos seus ommodos preco faz vantagem aos compradores.
33*
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
dade de gostos e lindos padroes,
Fhhs de crochet, modernos com cintos
capas, o qoe ha de melhor.
Fil de seda, linho e algodo, de todos
os gostos e padrOes.
FnstSo de todas as cores e qualidades. somos os nicos em Pernambuco que poae-
ande BOrtimento. mos offerecer ao illuetrado pubiieo, o mais
Elaaella branca e de cores. apuradogosto em semelhante materia, gra-
-Floras, o qoe ha de mais rico, quer cas ao bom gosto do nosso forneoedor em
*oltas, qaer em ramos, tem oPAVILHaO Paris, podemos garantir que ninguem neste
DA AURORA um permanente jardim a genero o possue melhor, nem
4isposico das Exmas. familias. conla.
ET dispondo d tao grande e variado sortimento que os propnetarios do PA-
^ILHO DA AURORA se apresentam ao publico declarando desde j que a eincenda-
i e o bom gostoo movel nico de seus negocios.
Prvidos de tado e promptos sempre a prover-e do que por ventora loe
Ma necessario, os proprietarios deste sumptuoso esubelecimento recommendam-se
em receio de serem coatradictos e protestam esforcar-se por continuar a merecer
jproteco que se Ibes tem dispensado ; certos de que do seu estabelecimento nao satura
o freguez descontente.
Contina sempre a oficina de alfaiate dirigida por um dos mais habis artis-
aa, prompto execular com promptidao e bom .gosto qualqoer trabalho aoe lhe seja
confiado. Urna modista especialmente occopada nos trabalhos do PAVILHAO D\ AU-
RORA, dirige os que lhe sSo concernentes, garante por seu apurado gosle e promptidao
na execucao e a mais completa perfeicao nos seus trabalhos.
A numerosa freguezia que nos honra urna prova de qoe merecemos o con-
yjio qoe se dispensa ao nosso estabelecimento, concert que procuraremos firmar cada
vez mais. Para facilitar ainda a concecucSo do fim qoe nos propomos, teows no nosso
stabelecimeato os ltimos figulinos de Paris, que recebemos por todos os paquetes, os
com o padrao da fazenda o gesto na forma.
Na oficina de alfaiate, junto ao esubelecimento, ha igualmente os figuraos
para bomens qoe por lodos os vapores se recebem. _.
E* este o modo porque nos apresenUmospedindo a protecco do iUastraoo
^iNico e eom o mais profando respeito convidamos s excellentissimas Sras. a visi-
taran o nosso estabelecimento, certas de encontraren! nelle pelo menor preso pove-
.udo que podem desejar. ,
Mandaremos caixeiros levaras fazendas eamostras onde forem pemaas, *isw
lio pdennos especificar todo quanto temos.
^ Jmo Luiz, Boton* C.
Aberto das 6 s 9 horas da noite.
0
i
5
&
i
0
BMAR BA MODA s
-RH4 M\i-50
i
i
*
*
UMA PRENDA. Lindos objectos dourados de delicados gostos, proprios S
pera menioos, vende-se no BAZAR DA MODA. S
BAPTISADOS. Ricos chaposiahos de setim brancos, lindas toucas de fil J
e eetim, sapatinhos etc. 0
GWPURE. Oa croch em pessa, branco e preto, com lindas ramagens e 0
w qualidade muito superior. gf
l'L'-NHOS. Para amisas de bomens, fasenda superior eom duas faces, o S
par<140rs.-(pechincha1) *
PERFUMARLAS. Finos extraotos para teneos, aguas de diversas qualida- $8
f& des, abneles, leos, pernadas, .pos, tnico etc.. etc.
ge PERFUMES. Lindas caixiubas para luvas contendo urna preparacSo em
| que Ibes d um agradavel aroma, per 10500.
M Grvalas, cintos, flores, plumas, coques, trancas, fitas, betes, bicos e pen-
& tes etc., etc., e muitos outros ariig06 proprios 4a esubelecimento' vendendo-se
^ tudo por commodos precos, no BAZAR DA MODA, ra Nova n. 50, esquina da
gt de S. Amaro. ,
Jos de Soma Soaree & C.
*

Novas pechinchas
NA
Loja flor da Boa-vigta
DE
aulo F. de M. CUilmarSes.
Cbilas encaras e claras, a 200 e 240 o cavado.
Lia com palminhas, 20f e 320 o covado.
Seda preta < de listas mnitu enenrpada a !|, idem.v
Cortes de brim para calea a 1280.
Fotoes para roupas de meoiaos a 800 o corado.
Grande aortimeoto de roupas leitas, assim como
se fazera per medida, prados multo commodos.
Na ra da Imperatriz n. 48, junio a padara
francesa.
Jacaraud
Vendemte 44 torp de Jacaranda de muito boa
qualidade, viudos pelo brigue Coufant;a ; para
COIfl FAU IIIIA
Mala Landelino vende saceos com farinha de
mandioca : na ih* do Duque de Caxias, travessa
do Eosario, loja n. 18 B.
Vende-se
Palitos do f ar a 320 rs. a doria de caixiohas, ba-
rato : na roa do Rangel a. 39, taberna.
Dcordeiro previdets
Ra Novo e variado sortimento de perfumari
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de peri
marias, de que effectivamente esU prvida
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba c
receber mn outro sortimento que se orn
Qotavel pela variedade de objectos, superior
dade, qualidades e commodidades s pn
eos; assim, pois. o Cordeiro Providente ped
i espera continuar a merecer a apreciac-t.
do respeitavel publico em geral e de su
boa freguezia m partiCHlar, no se jus?
tando elle de sua bem conhocida mlnsidi
e barateza. Em dita loja encontrarn o
jpreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
DiU verdadeira de Murray A Lamman
Dita de Cologne ingleza, americana, frsj
:eza, todas dos melhores e mais acreditad
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Mpes, e vilete para toet.
Elixir odontaigico para conservago
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e ch&
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, coi
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparen-
d outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americano*
francezes em frascos simples e enfeiudos.
Esseneia imperial do fino e agradavel ene-
ro de violeta.
Outras concentradas e de choiros iguiu
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidad-
com escolbidos cheiros, em frascos de difl*
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menor
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em flgr
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barb:
Caixinhas com bonitos sabonetes imitan
frucus.
DiUs de madeira invernisada contendo I!
oas perfumaras, muito proprias para pn
sentes.
DiUs de papeio igualmente bonitas, tai
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, 6 *
moldes novos e elegantes, com p de arru
e boneca.
OpiaU ingleza e franceza para dentei.
Pos de camphora e outras differenti
qualidades Umbem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda mala coqnes.
Um outro sortimento de coques de n<
vos e bonitos moides com filets de vidrilhc
e alguns d*elles ornados de flores e fltii
esto todos expostos apreciacao de quer
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeiclo.
FlTelIas e flis para cintos.
Bello e variado sortimento de taes obju
tos, ficando a boa escolha ao gosto do con
prador.
Rival sem segundo
RA DO DUQUE D12 CaMIAS N. -W
Estou disposto a continuar a vender toda?
as mindezas pelos bar;ilis?imos procos ab-
xo declarados, gaiantndo ludo bom e
eos admirados.
Pcete com 20 quadernes de pa-.
pe amisude a......
Caixas com i20 c.-dernospapel pau-
tado a........
Caixas com 50 do ve los de uha
do gaz a.....,
Duzias de meias cruas suporioi
qualidade a.......
Pecas de babadinhos con 10 va-
rasa. .' .....
Pecas de tiras bordadascora i2
metros cada prca a I450 e.
Pecas de litas para cs de qoal-
quer largura coro 10 varas a.
Escovas para unbas fazonda lina a
Ditas para denles a 20, 320,
400 rs. e....., .
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a.......
Caixinhas de madeira com alfine-
Scs fazenda superior a. .
Duzia de linha frxa para borda-
dos a 400 rs. e.....
Pares de meias crua* para me1'
nos diversos tamanhos a.
Duzias de meias brancas muito
finas para senhora a. .
Pares de sapatos de tranca do
Porto....... .
Pares de sapatos de tapete a.
Livros de missa abreviados. .
Duzias de baralhos para voltarete
Sylabarios portugus a. .
Redes com contas multo boa qna-
Cartes com colxeies carrerasa
Abotoaduras para colltte diversas
qualidades......
Caixas com penna de ce Iillllu
boa de 320 a......
Duzia de linha 200 jardas Alexan-
dre de 40 a 20u e, .
Caixas com superiores obreirs a.
Duzia 0e agnlba para machina a.
Libras de pregos francezes lodos
os tamanhos a......
Talhcres para meninos a. .
Pares de sapatos de tranca para
meninos a.
U YIL11 DI PAMS.
20Ru.i da Imperatria20
Fari & I^cfisa.
Araba de ch<-gar a't'sta nona ot'ii toja, c .'u-
zrndas finas um variad" sortimeoto de fazenda> ce
lia e seda, eomo sejam : grr.nadines do nllinM,
go>lo, popelinas de urna su cor. alpacas e aa;>
nha de cures, o que ha de mais uodemo, uc-
por Larailssinius preco?, brUhanlnas de core U
cidos das indias, fazenda nova a imilaeau a
cala, baire? de dina firgi-d saia de cor eom lin-
das barras, fustoes propri i para vestido e roopa
de meninos ; agora grand?s e admiraveis pechm-
chas, saias brancas com lindos frisados a 34, ji-
cos corpinhos bordados omito lin.^s a Sfi, baloV
modernos de ircos a 23. ricr.s colchas para cama
alcochoadas. sendo brancas e de cores, i Si
74 cambraia victoria una a 54, ditas transparen-
tes a 54,64 e 74,chlas Bnissimas escaras e clara"
a 190 300, 320 e SCO o covado. cassas de cores a
20, lencos brancos de cassa a 4500, ditos eni-
ceses a 34500 a doiia, na lapofio I n a W *
GSoOO, e mr.iti supere r a H, 74600 e 84, alg -
daorinho largo proprio para lenccs a b, paunt
de al odo branco Iranjada piopnu para i il
de m'sa a UCOOa vara, oramanle para lencoes --
000 e 34500. o une ha de melhor, esgmao i
Dis8moaS#S80c24S00 > 'ara. Mandamos -
casas das Exmas. familias para melhor pooereiu^
escolher. Tambem lemjs r mptel i nutirneui
perTnmarias des prmeiro* fabrira; l< [vane
inglezes; r.s [K?#soa< que ?cdignaren vir
TW5
400
3,5606
500
2i50W>
ooe
00
soo
4D
4)
500
320
2*006
ldo-0
3;>000
400
20
WC
m
I200
-
3*0
i 55C-0

ingle
loja tenio(t--;i-i;. i le i coi l -eer a i.
que annnociainos para nos justificar.
"Ferro gaivanisado
Vende-se em eaa de Adn n, 1 '' i C.
ruado Commerc io n. 40, Mhas de ferro gaivani-
sado de C. 7 e 8 r..', de comprimento. ______
Parlona ce laaaad ca_
Vende-se farinha de mai dii ra ebegada do Ms-
ranhao no ollimo raper d m re. por mi n eo do que em nutra qnahjaer parte : a lia: .. i a
escriptorio d9 Joaquim Gerardo de Bastos, a ra
do Vigario n. tfi. I- indar,______________
Satn .'. c 'j'il'.
Chegaram l.ji do ; ; 4 riras sabidas :
baile, assim como os rio* i-ep cam ;
bordados para criancas se '.:'. n. artigeste
o melhor que ha no mere:. bmhi como lem
gran e soMio.ento de nu'.r. muias fjiendas do
gosto e notidades por tu-'- vapores : aalr-ja
do pae.i ra i de Marcn v. 7 A.____________
Vende-so
Psde laranj.'.de ombigo, ?lera e da china,
de sapeti, sapota, paln > iras e cales ; tambem o:"
mesmo sitio vende-se ama vitella e urna garrou
tourina : na Ponte de Ueha n. 10,__________
Vende-se a casa le rea n. 11, tui chaos pr -
prios, sita em Oliuda ra do largo do Amparo,
com 4 quartos. corredor ao meio e, duas salas : a
ratar no 1" andar n. 5 a ra da Cadeia do l'.ecue.
Atteiicuo
No armazem de Meils Laihafn & C, na ra 'i
Cruz n. 88, vendem-se saceos vastos.
Vende-se urna escrava cuzinlieira ; a Iratr
na na Velha n. 20, 2" ailar._______________
Vende-se a padaria da ra da ftuia n. 5r;,
por seu dono querer retirar-se por e adiar doec'.i'
Vende-se urna escrava de bonita figura eom
habilidades : a Iratar no aimazem do tal da D-
vista.
Mais barato do qoe em outra qualquer
parte.
No porto da travessa dos CoMhos acba-se eons-
uatemenfa) ljelo rrosso fino, ttpamento, tenas.
ver, no trapiche do Angelo, e Iratar na ra DirelU e glande porco de areja, que se vede a vonude
n. 31, armatem. _______ .: do comprador po* menea prpico do que m outra
Vidros para vidracas de todos os tamanhos qualquer parte ; assim como- se encarregam de
e em caixas, vende Bartholomeu A C. em sua fjrnecer matenaes para as obras, para o que li?
pnarmacia na ra larja do Boetrio n. 31. canoas e earrocas.
Bichas hamburgnezas
Neste novo deposito recebe-se por todos os pa-
quetes transan ticos bichas de qualidade superior
e vendem-se em caixa ou porco mais pequea,
e mais barato*do que em outra qualquer parlo :
na roa da Cadeia do fiecife n. 51, i* andar.
Cabellos
Vendem-se cabellos de todas as cores, qualquer
comprimento, qualidade superior, em caixa ou
por;o mais pequea : na ra da Cadeia do He-
cife n. Bt, Io andar_______________^___
Superior vinho Bordeaux
St. Estephe & st. Jalieo: na ra da Cadeia do
Reeih numero 3.
ATTENCAO
Vendem-se as i arles dos engenhos Ra-
mos e Inhama, sendo a do engenhs Ramos
de (J:0O0d a 10:000)$: os prelendentes que
desejarem negociar queiram entender-se
com o senbor do engenho Carauba da fre-
guezia de Tracunliem, ou cora o Sr. Dr,
Laurino de Mraes Pmbeiro, morador no Re-
cife, para escrevor o fundamento do nego-
cio que pretende fazer. O mesmo seohor
do engenho Caranba offerece a fazenda de-
nominada Miniuiaiy de Grvala, para o Bre-
jo da Madre de Dens e Cralo do Bom Jar-
dim, a dita fazenda mnito acreditada pelos
habitantes do lugar, tem um acude feito e
varios tanques pelo dito senbor, e tem al-
gum gado na dita fazenda, os quaes enlram
na venda que se contratar com qualquer
protendente.
iATTENJA
{ Fazendas brat^oom
t que do atara.
A' na do C'rospo n. 5.
Chita-fustas decores a 160 rs. o cova-
w do : na ra do Cfespo n. 2o, loja de ala-
noel Dias Xavietf __
!







MUHIHnHH^BHHH^HHBb
^^HHI^HHIHHIHiHil
^^^^^^IB^^HI
..,,
^B I
I :*^S,"*
-**'*,/

Hi
MBH
-V
r '
^ 6
Diario de Peidambuco Quarla feira
29 de Junlio de 1870.

I

7
V ,
Rna Duque de Caxiasn. 55
Na loja da YERDADE continna-se a ven-
Jer por baratissiraos presos todos os arti-
gos de miudezas e perfumaras do seu
grande e variado sortimento, garaatindo aos
compradores toda a sinceridade.
Lindas bonecas de cera e massa por ba-
ratissimo preco.
Espelhos dourados para pendurar a
S60 rs.
/ Agulhas de osso para crox a 200 rs.
Peutes finos para segurar cabello, a
320 rs.
Chamins para gaz a 320 rs.
Garrafa com tinta alizarina a 10000.
Dita com agua florida a 13500.
Dita com dita dita a 10000.
Tnico de Jayme a 40500 o frasco.
Frasco com oleo expresso de babosa, de
240 a 610 rs.
Dito com agua de Colonia de 300 a 40000
Dito com extractos finos a 40000.
Dito com sndalo verdadeiro a 40200.
Latas com banha muito fina de 420 a
240 rs.
Sabonetes muito finos e diversas quali-
dades a 80,460, 240 e 320 rs.
Finas escovas para dentes de 320 e 500 rs.
Ditas para facto de 500, e 600 rs.
Ditas para cabello a 500 rs.
Pentes para alisar com costa de metal a
320 rs.
Ditos ditos ditos de bfalo a 240 e 320.
Peates para tirar piorno de 460 e 240 rs.
Pavios para gaz, dazia a 240 e 320 rs.
Brincos de cores, inteiramente modernos
de 460 e 240 rs.
Pennas caligraphicas muito finas a 40400.
Ditas de lan?a e mosinha a 800 rs.
Lindos babadinhos e entremeios de 500
o 10500.
Grosas de botes de louca de 460 e
200 rs.
Ditos ditos para calca a 240 rs.
Coixa com papel amizado a 700 rs.
Ditas com envelopes a 480 rs.
Ditas com obreias a 40 rs.
Ditas com agulhas fundo dourado a
280 rs.
Thesoura para costara a 240 rs.
Linha-de marca eiixa a 280. rs.
Carriteis de inhas de Alexandre de n. 70
a 200 a 40 rs.q
Grampos muito finos, com passarinhos du-
ziaa 200 rs.
Cartas francezas para jogar duzia 33000
Ditas portuguezas, duzia 40400
Papel almafo superior qualidade resma
3000.
Lara muito fina para bordar libra 63500
Fitas para debrum desapato, pessa 460 rs
Ditas de lam para debrum de vestido peca
400 rs.
Caivetes grandes com molla a 400 rs.
Ditos grandes com 2 folhas por 320 rs.
Rosetas pretas para luto, o par 400 rs.
Trancas de lam de caracol branca e de
c.'&s de 40 a 400 rs.
Piba para cs, peca 480 rs.
Alfineis de lato, caria 400 rs.
Sapathhos de lam para creanca de 400
i I O rs.
Calcadeiras a 40 rs.
"WT"
Gravatas de seda preta de' 400 e 800 rs.
Ditas de croxc, brancas e de cores 500 rs.
Dita de gorguro de cores a 800 rs.
Xa Verdade ra* Buque de Ca-
sias n. 5.
VENDE-SE
Farinh? e milho mais
qualquer parte : no trapich
barato do que em outra
a Cunha
/
Vendem se diversos wcravos pecas vindos
do Cear, proprios para engenho, assim como
ama cabrocha por 1:000|, de 18 aooos de idaefe,
bonita figura, est ura pouco descorada de frialda-
de, e diversas mulatas com habilidades : a tratar
na ra da Cruz n 53, 2o andar.
LOUCA
Grande armazem na rea da
ImperatE'fz n. O
Neste grande armazem vende-se tonca ingiera
finas e ordinarias, apparelhgs de porcelana para
jantar e para cha, jarros para flores os mais boni-
tos e de gestos modernos; assira como grande
ortimento de vidros finns e ordinarios, qne tndo
se vender tanto a retac como por atacado pelo
mais barato prego que em outra paalquer parte :
chamamos a attencao dos fregaezes, que serio
convenientemente servidos tanto nos cormodo3
preces como na boa naalidade das (azendas.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joao
de Nictheroy.
nico deposito em Pernambuco caes da alian
dega velha n. 2, 1 anda.
Aos cem mil azulejos
Portngnezes, hespanbes e francezes : na rna
Primeiro de marco n. 16, ontr'ora do Crespo, ar-
ma7oin de louca de Bernardino Duarte Campos
& C.
Engenho.
Vende-se o engenho Ribeirao da freguezia de
Santo Antao, situado pouco mais de ama legoa
da estrada da Victoria, do trras muito producti-
vas, podendo safrejar para mais de 2.0W) pes an-
nuaes, com bom cercado feito todo de vaHados, e
muito boas obra3; o engenho d'agua e est
moente e corrento : quem pretender este neg-jcio,
dirija-se ao mesmo engenho, ou ra da Concor
da n. 13.
JPechiucha a 7$ e 9$.
Vende-so calcado rancez obra muito boa pelo
diminuto preco de7 e 9S, assim coiuo calcado
paTa crianzas a 2500, baratissimo: venhamael-
les antes que se aeabem, na bem conhecida laja de
miudezas da ra da Cadeia n. 50 A, confronte a
ra da Madre de Dos.
A 5$000.
Vendem-se botinas de cores para 3enhora pelo
diminuto preco de 35 o par, sao cores bonitas e
obra bem feita : venham ra da Codeia u. 50 A,
loja de miudezas confronte a ra da Madre de
Deo?.
Farinha de mandioca
igual a de Mabeca.
Em saceos de dous alqueires e de panno de
algodo, cuja medida corresponde de 5 a 8 0(0
mais do que a medida daqui e do Rio de Janeiro,
v^nde-se a preco menor do que em qualqner ou-
tra prtete : tratar com Joaquim Jos Goncal-
ves Beltrao, em seu esenptorio ra do Commer-
cio n. 17.
. Grande, estabelecimento de fazendas e roupas feitas e por medida, ra da Im-
peratnz n. 52 junto a loja de ourives^
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel pablico um bonito sortimento de
ronpas de todas as qualidades.
L'a-*rv?,i!,?t-tfn!8?Ci-Pre 6 de ^ a ZS000' 3*500 7<*000' dlos mi Preto
de 70000 ate 2o3000, ditos de casemira.de cores finas e ordinarias de 60 465000
ditos de panno finos de 65 83 403 e 2*3000. sobrecasaco dito de 205 a 503000 '
a 0,nPjel0 sortimento de calcas de brim pardo de 43600 a 63000, ditas brancas
de 20, 405000 o mais superior, dita*, meia casemira^ ditas ca.'emira de 53 423000
ditas casemira preta de 63, a 463000saperior, dita de merino diversas qnalidades para
luto. Assim como um bonito sorlimeolo de colletes de brim de cores, ditos brancos
ditos de casemira de cores e pretas, ditos de merino para lato fazeada superior.
Sortimento completo de camisas francezas de algodo, de 40600 330OO ede
linho de 380000 a 700000 a duzia.
Sortimento completo de ceroulas'francezas de algodo de 40600 a 20500
ditasde bramante a 40800, 20500 e 30000, ditas de Hamburgo. franelas, fazenda su-
perior de 250000 a 350000 a duzia. Sortimento de colannbos de algodo e linho, etc
assim como meias de algodo para hornea de 30, a 100000 a duzia, gravatas de mili-
tas qualidades. Na rna da Imperatriz c. 52, loja do
Sortimento de cliapos de sol de alpaca, e seda, ditos inglezes cabo de marfim.
Toalhas para rosto. Sortimento de mallas para, viagem.
atiengaol
Neste estabelecimento encarrega-s de mandar fazer qualquer obra por medida
e para esse fim tem hbil mestre encarregado da oficina, que se encarrega do irabalho
com perfeifo e pentnaifdade.
SORTIMENTO t>E FAZENDAS.
Chitas de 240 rs. o covado ou 103000 a pessa com 42 covados. ditas miudes
para camisas e t'raio de menino 260. e 280 rs.. e outras umitas qualidades de 320,360
e 400 rs. o covado, neste mesmoestabeleeiraento chegaram, urnas boitas chitas da
victoria com barra, a qnal paraflhos ecbrapetente enfeile para corpinho. Cam-
braia lisa de 30, 40,50 e 10000 a pessa, je outras muitas fazendas de todas as quali-
dades. *
ALGODO E MAD4P0L0 AVARIADO.
A 40000 o algodo, e 40500 omadipolo. e tambem coila escura boa 240 o
covado por ter grande porco, na ra da Imperatriz n. 52, loja com portaos encarnados,
intitulado
Leo de Ouro.
LOJA DOS
O Cysne rna dj imperatriz n. Gi. acaba de re-
ceber pelo ultimo vaper lindos e modernos cortes
de vestidos de seda prctos e do cores, lisos e mati-;
sados, os quaes vende por precos mdicos.
Ra do Crespn. 20 A.
Alvaro Angusto d'Almeida 4 C.
Este estabeJecimento de fazendas flus e grossas j bastante conhecido como
ara dos mais bem sonidos desta cidade acab de receber directamente de Paris aleuns
artigos especiaes que passa a mencionar. 6
Ricos cortes de vestidos de blond rara casamentos.
Cortes de vestidos de seda de cr,ide gostos inteiramente novos.
Brochad, fazendas de la eseda propria para.vestido.
Foulard de seda de todas as cores, tambem pira vestidos.
Fitas largas de seda para cintos, fostos escoceses e lisos.
Chapelinas de seda e de pallia d'Itaa.
Basquinas de seda e guipure.
Colchas de seda e de la e seda.
Cortinados de cambraia bordados miito ricos.
Pannos de verdadeiro croch para jardineiras. sof e cadeiras.
Toalhas de linho de superior qualidide.
Bramantes, selicias, sgoi5es atoallndos.
Guardanapos, colchas, aaias bordadas camisas,
Cache-nez, bales, camhinhas, sombrinba.
Madapoies de varias qla'idades, sascos para viagem. mallas, tapetes, caoa-
chos, alcatifas e muitos outros artigos que se vende por precos mdicos.
Tem tambem constantemente um completo sortimento de ESTEIR^S D\ IV-
DIA para forrar salas. "
MACHINAS PARA
COSTURA
Acabam de chegar ao GRANDE BAZAft
UNIVERSAL, roa Nova n. 22carneiro
?iannaum completo sortimento de ma-
chinas para costura, dos autores mais co-
nhecidos, as quaes esto em exposico no
mesmo Bazar, garantindo-se a sua boa qua-
lidade, e tambem ensina-se com perfeico
a todos os compradores. Estas machinas
sao iguaes no seu trabalho ao de 30 costu-
reras diariamente, e a sua perfeico tal
como da melbor costureira de Paris. Apre-
sentam-se trabalhos executados pelas mes-
mas, que muito devem agraciar aos preten-
dentes.
Officina e armazem de
mairaore
Caes Vinte e dous de novembro n. 57,
(outr'ora armazem allianga)
Ha para vender pedras raarmores de todos os
tamanbos e gr ssuras, -tijalos de diversos ta-
manhos, soleiras e saccadas, assim como solei-
ras e saccadas de pedra de Lisboa. Tambem con-
trate-se e faz-se qualquer obra, como monumen-
tos, tmulos, estatuas, pias, lavatorios, mesas e
tudo o mais tendente mesma arte, or mdicos
pricos.
vende-se ou troca-se por ca-as nesta praca
o sitio denominado dos Boritiz, antiga casa da la-
vagem de roupa, com grande Casa de vivenda,
senzala para prelos, estribara, banheiro de pedra
e cal cora agua correte, baixa para capim e
grande terreno para plantacSes : quem o preten-
der dirija se praca da'Independencia n. 33.
GAZ GAZ GAZ
^ Chegon ao amigo deposito de Henry-Porster *
de-primeira qualidade; o qual se vende em partiaai
e a retalho por menos prejo do que em outr qna!
qner parte.
Vende-se um terreno proprio, com 138 pal-
mos de frente c 160 de fundo, para o lado da es
trada de ferro, cojo terreno tem alieeree feito pa-
ra cinco moradas de casa^, na ra de Motocolom-
b dos Afogados : a tratar na mesma ra, ou na
ra Direita dos Afogados n. 13.
Saceos de estopa
Vendem-se opti.nos s:oh do estopa, proprios
para asquear, miliio, Lriolia ele.: no armazeai de
Adamsnp, Howie & C., ra do Commercio n, 40.
,Vellas de spermacet
Verdadeiro americano cada urna caixa trinta
e cinco meias duzias de vpjlas, ou 210 vellas, por
inta e cinco mil res. No armazem de Tasse Ir-
niSos & C. roa do Amorim.
Grande pechincha
' Na ra do Duque de Caxias, antiga roa d*
Queimado d. 19, vendem-se alpaca de todas as
cores e lavradas pelo preco de 500 rs., hitas de
btns pannos a 2i0 rs.; assim como tem ricos
corles de cambraias bordadas de cores a 7*000 o
corte eom 10 varas, baratissimo.
PORTLAND.
Venfle-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Cesta 4 Filho, defronte do arco da Con-
eeicao. em 'narncs grandes
Cantara 'Je Lisboa
Soleiras, hombreiras e capite para frentes de
casas, o que ha do melhor : a venda no arma-
zem da traves-a do Corpo Santo n. 25, de Joaquim
Lopes Machad*' & C.
Vende-se uin.i casa de taipa. na baixa do
Zumb, (Torre) era solo rendeiro : a tratar n.i ra
Imperial n. 233.
BRACa DE OURO,
Ra do Imperador n. 26
O respeitavel public encontrar neste
estabelecimento diariamente um completo
sortimento de pastelaria, boHos inglezes
podins, pds-del, prgsentos dos nliimos
ebegados ao mercado, salame de lion, bo-
linhos finos de todas as qualidades para cha,
ani > ioas c afeitadas, confeifos, bomboins,
pasti.aas, chocolate francez em libras, pas-
tilbas do mesmo .cartuxos e carteiras com
seis charutos de chocolate cada urna, este
sortimento de chscolate do mais acredita-
do fabricante de Paris e o melhor qne at
hoje tem vindo ao mercado.
Vinhos portuguezes, figueira muito supe-
rior. Os mais genuinos e superiores vinhos
do Porto, moscatel e Setubal, o Ilustrado
publico encontrar neste estabelecimento
por commodos precos, fazendo-se abatimen-
lo a quem comprar era porco.
Licores lie todas as qualidades, as mais
finas, entre elles o afamado Aiapana, este
licor o mais saboroso e superior, at
hoje conhecido. Xaropes de groselhe, rosa,
maracuj, caja etc,, vinhos de Bordeaux de
todas as marcas, o mais superior que se
pode ene ntrar, champagne de Chevernt
muito superior, os mais fines e superiores
cognacs francezes, old-tom, de todas as be-
bidas alcuosas, este a mais salutar para
quem soffre do estomago,
Consejas de legomes, portuguezas, fran-
cezas e inglezas, mlbos mostrada etc.,
fructas seccas cristalisadas e em calda, na-
cionaes e estrangeiras de todas as qualida-
des, charutos dos mais acreditados fc-bri-
cantes da Babia e Rio de Janeiro, cigarros
de S. Paulo e Rio d Janeiro, muitos su-
periores, e finalmente tudo qoanto se dese-
jar tendente a este genero de negocio com-
prometemo-nos a satisfazer toda e qual-
quer encommenda com a maior promptidao
e asseio : Como sejam para casamentos,
bapsados baiies etc., tambem se receben
encommendas de pes de l ou bollos de
qualquer especie enfeitados e decorados,
bandeijas de bolinhos com armaeo de as-
sucar, assim como de papel, pecas monta-
das, gellatinas de fructas, araendoas, leite
etc..
Os donos deste estabelecimecto nao se
tem poupado a despezas para melhor me-
recerema-acoadjuvaco do Ilustrado pa-
blico.
60RA DA IMPERATRIZ
Neste grande estabelecimento encontrar o respeitavel publico, uuerande s^rtmf-nto rfp ftmmfhK rin^Tc am^, ^Z F^~*- *" -MLj^ JBLJI ^^SJI ^1^. ^m ^4snt '
a* f"zjr ossas sor"mentos pclos mesmos pre?os que compramnas rasas es,"""e.iras-pmai- ^idadepd,s raja 7biTrrdao^sfssL. s*szs s7*zr^seT ^
Organdy b-anco com listras lar-v*" ***'""' "'"-----------------
s
OO PAVlO
BOXITAS FAZENDAS PARA A FES-
T.v DE
SANTO ANTONIO, S. JOAO E S. PEDRO.
Vendem-se as mais lindas poupeli-
nas de lobo e seda com os gostos
mais novos qae t-;m viudo a este
marcado, pelo barato preco de___
- (00 o covado.
Sedas lastradas, de furta cores, fa-
zendas de muita puantasia a 2$000
o covado.
S^da bismark, larga fazenda muito
encorpada o covado n 23500.
gse quadrinhos, a vara a lf5000.
Todas estas fazendas, sao inteira-
mente novas e se vendem muito em
coma, ra da Imperatriz n. 60,
loja e armazem de Silva e Figuei-
do & C.
' de I2000 rs. cada um, pechincha.
C.YSEMIRAS ESC0S3EZAS.
O Pavao tem bonitas casemiras escosse-
zas com quadros grados e midos e outras
lisas com listras ao lado, sendo fazendo
muito fina que se vende mais barato, por
haver grande porco.
^ CORTES DE CASEAHRA PRETA A 4:300,
B .nitas lasinhas largas com palma $ O Pavo tem os superiores cortes de ca-
le .eda, covado a'13000, w semiraa protasnfeitadas pelo barato preco

CROCHE'S PARA CADEIRAS E SOFA'S.
O Pavo tem um grande sortimento dos
mais bonitos crochs para cadeiras, sofs
mesas, almofadas etc., proprios para co-
brir presentes e vende-se mais barato do
que em outra qualquer parte.
Algalao entestado.
Vende-se urna grande porco de algodo
sinuo americano com 8 palmos de largura,
<
V
\
Lindas agraciando lavradas covado
a I)!)00.
Alpacas lavradas de todas as co-
res, covado a CO, 803 e 1300D
Bonitas lasinhas escossezas com
quvlros e litras de seda, covado a
56).
Finas alpacas lisas, sendo cor bis.-
; mark lyno, verde, roxo. cinza, can-
na, azul etc., covado a6i0.
Ditas furta coros com as mais bo-
nitas edres. covado 503 rs.
Lindas bareges lisas, e cora lista
da mesma cp, fazenda inteiramen-
te nava, covado a 56!) e 640 rs.
Bonitas lasinhas lapadas e trans-
ites com grande diversidade, o
covado a 600 rs.
Lasinhas lustrosas cora lindas c-
j res emitaco de seda, o covado a
<5& ufados cortes de anatHne, sendo
fazenda nova e transparente e de
g muita phantasia, com 18 covados a
15300O.
Finissiraos crtes'ie vestidos bran-
; fraoowM a 12^000,
Cortes de ganga indianos, fazenda
X iflteiramarta ^ov a 7^000'
v Ditischinezes com duas saiasa
m Ditos de 15a escosseza fazenda mui-
S to b mita com Sos de seda a 730.0
"S Fusimos organdys com listado
g cor e salpico, sitn .o fazenda de
$ tiita phantasia, o, metro 10*80.
de 43300 rs. o cort,
CASEMIRAS RASPADAS A 8C0 RS. 0 CO-
VADO.
O Pavo ende excellenta fazenda de pura
la com as coros escuras milito proprias
para calcas, pautte, colletes e roupa para
meninos que frequsntam a escolla por ser
urna fazenda leve, escura e de ra-iita dura-
Co, pechincha a 800 rs. o covado ou a
23800 o corte de calca para hornera.
FINAS BARGES A 640 1S. O ;:OVADO.
0 Pavo tem as mais lindas bareges de
la sendo meias transparentes, com urna
s cor, tendo: lyrio, azul, rosa, Bismarck,
roxo, etc., tendo muito boa largura e liqui-
da-se por 640 rs. o covado, por se ter fei-
to urna grande compra, assim como ditas
mais estreitas de urna s cor com listras
!,imitaco de seda a 560 rs. o covado, e pe-
! chincha.
PECAS DE MADAPOLOA3350.
O Pavo vende pessas de muito bom
1 madapolo, tendo 12 jardas cada urna, pelo
; barato preco de 33300.
; PSCHINC1IA Eil ALGODAO A 000 RS.
I O Pavo est vendendo pecas de algodo-
sinho francez, tendo 4 palmos de largara e
! com 11 metros cada peca, pelo barato pre-
de 43000 rs. F
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se sup3rior cera de carnauba em
_ I saccas, mais barato do que em outra qual-
^ I quer parte, oa ra da Impsratriz n. 60,
loja do Pavo.
03 SETINS DO PAVAO
Vende-se es mais boratos setios de cores
proprio para lencoes e toalhas, tendo liso ^ as WS3fs francezas cm delicados pa-
troneado, que se vende por preco muito em T68' f ^ para fodos os PreCS e *laa,i-
dades, dando-se todas amostras, assim como
GROSDENAPLES PRETOS DE 15600 AT 73000 R0UP & P-VR \ H01FNS P\P. \ TOnn5
Na loja do Pavao encontra o respeitavel nuur-i;y ""J" T0D0S
publieo um grande sortimento degrosde- OS PRECOS.
naples pretos de todas as larguras e qua- este &rande estabeheimento encontrar
lidades, tendo de 13500 o covado at 73000 res,eilav'jl Public> um H^ sortimento
e 8300J, que se vende por preco muito li"Se "** A"
em coata.
CASSAS FRANCEZAS.
Chegaram para a.loja do Pavo as mais
lindas cassas francezas com delicados pa-
conta.
LAS ESCOSSEZAS
LAS ESCOSSEZAS
LAS ESCOSSEZAS
A 560 rs. o covado.
Chegou para a loja do Pavo, o mis
elegante sortimento das mais lindas lazi-
nhas escossezas com fios de seda, as quaes
fazem o mais delicado effeito, para vestidos
de duas saias, e vendem-se pelo baratissi-
mo preco de 560 rs. o covado.
SEDAS DE LISTA
SEDAS Dft LISTA
SEDAS DE LISTA
a 23000 o covado.
Chegou para a I >ja do Pavo um grande
e bonito sortimento das mais lindas sedas
de listas com as mais delicadas cores, tendo
entre ellas algumas que servem para luto, e
vendem-se pelo barato preco de 23000 o
covaJo, pechincha.
FAZENDAS PARA LUTO NA LOJA PAVO
Encontra o respeitavel publico neste es-
tabelecimento um grande sortimento de fa-
zendas pretas, como sejam cassas france-
zas e ingtezas, chitas pretas de todas as
qualidades, fazendas de la de todas que
tem vindo, proprias para luto, sendo'lasi-
nhas alpacas lavradas e lisas, canto, bom-
basraas, merinos, etc. que tudo se vende
por preco barato.
PARA BAPT1SAD0S
Na loja do Pavo -vende-se bonitos en-
chovaes para baptisades.
Crtfls de casemira a 43000, cada um.
Veode-se bonitos cortes de casemiras
claras e escuras pelo barato preco de 44
ou a 23400 o covado, tendo duas larguras!
CORTINADOS PARA CAMAS E JANELLAS
de 83,103,123 e 163000.
Chegou para a loja do Pav3o nm grande
sortimento dos bonitos e ricos cortinados
bordados, proprios para camas e janellas,
brim branco a de rW r,n tnrir, J na l selenclem a ,#' b0,e 64. re,s ?o*3do,
ALPACAS LAVRADAS A 640, 800 I
1,000 RES.
Chegou para este grande estabelicimento
o mais bonito sortimento das mais moder-
nas alpacas lavradas ds tod?8 r.s cores, qne
um Bonito sortimento das mais lindas chi-
tas francezas escuras e alegres, que se ven-
dem muito em conta, e tambem se do
amstras.
CHITAS A 240 RS.
Na loja do Pavo vendem-se bonitas chi-
tas franetzas claras e escuras e cres'fixas
240 rs. o covado, e pechincha.
LASINHAS A 320.
LASINHAS A 320
., 3 LASINHAS A 320.
Na loja do Pavo vendem-se elegante sor-
timento das mais lindas lasinhas lustrosas,
com listrinhas a imitaco de poupelinas de
seda e com as cores mais lindas que tem
vindo ao mercado, sendo fazenda que vale
meito mais dinheiro, e liquidam-se a 320
rs. o covatlo, pechincha,
PECHIKCHA
EM CAMISAS DO PAVO A 40500 RS.
Vende-se um bonito sortimento de milito
finas e modernas camisas inglezas com pe-
to e coliarinhos de linho e puahos, pelo
baratissimo preco de 43500 rs. cada urna
e aos freguezes que cmprarem duzias se
Ihe far um abaUmento, garantindo-se que
fazenda que vale moito mais dinheiro,
liquida-se por e^te preco por se ter feito
urna grande compra : assim como se vende
brim branco e de cores, que tudo se vende
mais barato do que em outra qualquer parte ;
assim como um grande sortimento de ca-
rnizas francezas e inglezas, e ceroulas tanto
de linho como de algodo e abundante sor-
timento de meias cruas.
VESTIDOS INDIANOS COM DUAS SAIAS.
assim como un grande sortimento de ya-
cas lizas de todas as cores
Basquinas.
Chegaro as mais modernas basquina
ou jaquetinhas de seda preta, rieamest
1 nfeitadas a vtariiho, tranca e setim preto
O Pavo vende urna grande porco de tendo de todos os modelos, os mais novo*
cortes de vestidos. indianos, tendo duas 5ne. tem chegado e vendem-se por preco
saias e tendo bastante fazenda, com os gos-
tos mais novos que tem vindo, e liquida-se
a 53000, tendo cada um seu competente
figurino.
CASEMIRAS MESCLADAS A 33 O COVADO
O Pavo tem para vender bonitas case-
miras mescladas e bastante encorpada para
roupa de homens e meninos pelo baraio
preco de 33000 cada covado ou 53000 o
corte de calca para homem.-
Roupa por medida.
Na leja do Pavo manda-se fnzor qoalquer
peca de obra a vontade do freguez, para o
que tem um perito alfaiate, respoosabelisan-
do-se os donos do estabelicimento por qoal-
quer falta que possa haver, quer por de-
mora, quer por qualquer defeito na obra;
e para isto encontra o respeitavel publico
ura grande sortimento de todas as fazendas
que desejar.
BRAMANTE A 1800.
Vende-se superior bramante com 10 pal-
iim hr.ntn 0rtrfi^T4 a r* 7 u w l veime-se superior Dramante com 10 pal-
.^.uw-oo va man uiimiusssirasae cores ------ t""F"ua f" ujuids e jaoenas,
e mais encorpados, proprios para vestidos H09 se TeQem de 84(000 o par. at o mais
tendo de diversas cores. nc0 Qoe vem ao mercado, e vende-se mais
i barato que em outra qaalquer parte.
para todos os precos.
PANNO PARA SAIAS A 13000, 13280 e
' 43600 RS.
Vende-se benitas fazendas |proprias para
saias sendo com bordados e pregas a nm
lado, dando a largura da fazeada o compri-
mento da saia e vende-se pelo barato preco
de 13000,13280 e 13600, cada metro sen-
do preciso apenas 3 ou 3 1/2 metros para
cada saia pechincha.
Vestidos hraacos a 19000 rs,
O Pavo vende finissimos cortes de ves-
mento do lencnl, sendo preciso para cada
um apenas 1 e 1/2 metros ou 1 e 1/4 pe-
chincha pelo preco.
ESPARTILHOS A 5*000.
Vende-se um bonito sortimento dos me-
mores e mais modernos espartilhos tendo
do barato preco de 53000 at 8000.
Cachenez.
Na loja do Pavao vende-se um grande
sortimento dos mais bonitos cachenez de
puraJ3a proprias para senhoras, veadem-se
um, na ra da Imperatriz
----------------- v iva- rpuia mu uiul
tidos de cambraia oranca, ricamente borda- a 63000 cada
Ino l/v T>S ~ l '-----HW T uu* qaa,qaer parte- das e com maita fezenda P^o barato preco' n. 60. ......-^-
A loja do Pavao est constantemente aborta, das 6 horas da manhaa As 9 da noute
muito razoaveis.
POUPELINAS DE SEDA
POUPEMNAS .DE SEDA
POUPELINAS DE SED 4
a 2,5000 o covado.
O Pavo acaba de receber o mais ele-
gante sortimento das mais lindas verdadei-
ras poupelinas de linho e seda com os pa-
drees mais delicados que tem vindo ao mer-
cado, tendo entre elias cores proprias para
alhviar luto, e vende-se palo barato preco
de 2;3000 cada covado, pechincha.
Cambraias brancas
Vende-se um grande sortimento das me-
lhores cambraias tanto victorias como trans-
parentes tendo de 33500 peca at a maii
fina que vem ao mercado.
CAMBRAIAS BRANCAS A 4#000, A PECA.
S o Pavao vende pecas de cambraia
branca transparente, tendo mais de vara de
largo ra, com 10 jardas cada peca, fazenda
que sempre se venden a 73 e 8000, liqui-
da-se pelo barato preco de 4^000.
FtSTES BRaNCOS A 640, 800 E 1J500.
Vende-se muito bonitos fustes brancos
muito flexivel proprios para vestidos de
senheras e roupa para meninos e vende-sa
a 640, 800 e 10200 rs. o covado.
Cassas a 40 rs.
O Pavo est vendendo bonitas cassas da
ceres fixas^ a ,240, 280 e 300 rs. o covado
Brilhantes lasinhas.
S o Pavo, 640.
Chegaram as mais birlhantes lasinhas com
as mais lindas cores, com palminhas miudi-
nhas, assentadas nas mais delicadas cores de
lyrio, cor de,canna, cor de ganga e branco,
sendo estas novas, lasinhas de moito boa
qualidade, tendo largura de alpaca e vnde-
se 460 rs. o covado. ra da Imperatriz
n, 60 loja do Pavo.
SJIOaX

\
* I
..-. v v. i.
i

I




nMi


i

ii'i'-rfm'i*
'

i
t
\
I *
t
1 D
iario de "Pernambuco Quarta feiraf 29 Je Junho de 1870.
'
__
T*
<

8A1IIO JL MjMjZ
Acaba le chayar .1 este estabelecimento nov.-s facturas rom importante sortimento dos
arugos abaixo mencionadla procos os mcis rcsumidr s que po*sivel
LVAS DE PELUCA
Do afamado fabricante Jouvin.
Sonirnentotompleto de branesse de cores, muito bas de se escolher, em quanto e-tfto bem
frescas e sortidas. *
BOTICAS
Para caloras e cxeaalaas.
Botinas pretas, brancas e de umitas outras cbem sortidas e bonitos, do ultimo gosto da
moda.
\ BOTI&AS, 310TAS E PERtf IIRAS
Para Jbouscaas e mcisiao*.
Botinas de bizorro, cordavao, lustro e pellica, bulas russiana* de% bizerro e de lustro, per-
neiras de lustro lauto para homens como para meaints.
Sapatos
Sapatos de borracha para homens, senfcoras e menhrs, natos de invern para homens,
ditos de lustro com salto para homens, ditos de tapete avHudado, de casemira e de tranca fran-I
eezes e porluguezes para horneo?, para eneras e pura meninos
a linda polka para piano.
fllMEIlVA
Composta polo distincto proessor
Colas Filho.
e offerecida por seu autor ao distincto
Corpo acadmico
da FncoWade do Recife.
Cada exemplar 1,5000.' Vande-se na IMPRENSA NACIONAL DE MSI-
CA e grande armazem de pianos de Antonio Jos de Azevedo.
Continua venda a liada polka composta pelo insigne pianista
INNOCENCIO SHOLTZ.
Ra Novan. 11.
fl a =-Q p.rt
C = a s ,-EF Q
c= x. <* S =}
3 f
> ~ en e 3 .
d=> ^
" w o C
Sofps T
.-T3 ^ a 3i _.
=3
o o-
-t 3 -
u I." 2. o 3 =
<- W u O "^ 6>
crs
e 3
Finos' extractos, banhas, oleo?, agua Avisa, de cote, de lavaade, e de florida tintura
para eaoellos, pomada angrose para bigodes, pos de arroz o sabonetes.
Quinqfuilharias

E-peltios grandes e pequeo, leques, atbnns e eaixilhos para retratos, esterioscopss com
pen vistas escomidas, bengallas, chicotes, correntes de. plaqu para relegios, grvalas, oeulo
.ueta-, caixinhas de costura ornadas cora mu-icas, phutogeapias. mgicas, eoffresiuhos mgicos
paraoesapparecor amis, ditos ditos para- relogios, jgos de domin, bagatetla, rodetes, e outros
...unos jofuinhns frarjcezes e allemaes jarros com bouqmts de llores'de porcelanas parao-
tuanos, cestiuhas diversa para hrago de meninas, obje*ctos de phantasis .librados rara toiietes, ri-
cas escoras para cabello, para vestidos de senliora, para Chapeos c para barba, pontoiras de espuma
para cigarros e para charuto', abat-jur para ca adieta a gaz e para lanternas de piano, caixinhas de
2L ar'se r"n*,e" de v,d,' &n pianos> realtJ' s 8randes e P^uenos, accordions, cosmo-
ramas com as mais importantes vntas, molduras dorraJas para quadms, bonitas estampas de pai-
uFnL, fflins e "e san*' rrrr"inO! de 3 e de i radas para eonduzir meninos a passeios, ma-
tas t Dolas para fiagens, herios de Times qs mai.- commadoa qne ha para criabas
@aQQ(Dasi98.L?aBa naasiiQas
Para este artigo nad ha espac neai tempo para a mas-ante leitura da i
ros de brmquedcs fabricados em diversos paizes da Europa.
S.2.3
4
i -i
fi. 33
inOnidade ds gene^
m..-. dono dest estabelecimento pede ao publico em a .-ral que continu a visita-lo \ct\-
,Cn., as.'.,na dadese S P<"^ baratos de ditos objectos por serum viudos em direitura e de
Da prupiia.
46
Rival sem segundo,
1 RITA DUQUE ftB CAXiAS K. &
(Anlga m o Oaeioado)
I Contina a vender tudo muito bom e
Intuito barato a saber:
V>uadernos de papel pequeo a. .
bras de areia preta muito boo. .
lesouraj finas para nnbas e cotu-
a a.......;'.
repcis de agu'bas francezas a ba-
lo a.........
Caixas com seis sabonetes de fruta
Oibras de 13a para bordar de todas
as cores a.....'. .
CanivetfllNBnQg para eprar penas
lapis a 500, 1 e.....
'iasriieis de linha Alexandre a. .
Frascos com azeite p;ra machinas
Grvalas de cores muito finas a .
Crozas de boloes madepersla fi-
nissimos a.......
Pares de lavas de cores muito fi-
nas a '-20 e.......
Movello de linha do 400 jardas a.
Caixas com 100 envelopes muito '
superiores a......
Pcnes volteados para meninas a.
Tinteiros com tinta prela a80rs. e
Pecas de fita elstica muito fina a
Lata com superior banha a 100 e.
Frascos de oleo I'hilocomo muito
fino ,a.........
Ditos ditos dito grande a. 4^000
Frascos de macaca pereda a. 240
Frascos do extracto muito b nitos a iO
Duzia de sabonetes muito finos a. liv
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. 100
Frasco com agua de colonia Pivera 500
Dito de oleo baboza a..... goo
Caixas de lamparinas a. 40
120 Sabonetes a forma jnenino muito
superiores a....... 240
500 Carlilhas da doctrina fazenda nova a 400
Libras de linha sortidas de todos os
80 nmeros a.......1(5800
I OOO Duzia de pomada do Porto muito
soperior a.......
'layados do Porto^ arcos a ICO o
Capachos miTo bonitos e granTes a
^2:2
w o 2. o -
o-a c o a
o-g ro -2 2.
0 < 3 23 a
~J CO o "i J O
g B'ftf "
a> re


a
er
&
es>
U r/j
nj s* 3 5 p
x-o i o,
3ao
s"s;
20
33
n

33
_ j 3 % 3*
3*N J u u a
1
500 Carriteis de relroz preto, com 2
JOO oiavas a........
500 Agulheiros de osso enfeitados a, .
oOO, Libra de linha franceza superior
I qualidade a.......
500 ,Cajas de paulo do gaz a. .
Bonecas de cera muito bonitas de
SCO; 500 rs. ........
60,
280
200
TOO
640
240
2400
20
20GO
QUEffl QUEIS TBlTHA
NA
Loja ingien
IPasseio ji-i'.jco a. O.
N'este grande estabcl;:cimen.to encentrar o ns-
peitavei publico um grande, sortimento do azendas
de todas as qualidad^es e procos p.ir menos do que
em ontra qualquer parto, como spjam :
Chitas tanto escuras como de cores, muito finas
a 240, 260 e 280 o covado.
Cassas de cares, padioe.3 muito bonitos, a 280 e
120 o covado.
Cambraia branca transparente para vestido a
45 a peca,
Laazinba para vestido a G0 o cova/lo.
Ditas para uito com ultras de seda a 800 rs.
Tii^Billla (ncia p.ini crrtrx^i S'0 Corte.
Ditas de cores a 4 J o covado.
Fusto de cores para calca a lf oitixle.
Madaooloes finos com [ eiueno tociue de avaria
a U e 5a. }
Algcdoes brancos a^i, :),")Q e a peea.
Paletots, calcas ecollptps .i,>. todas a< quafidades
PASSEIO i'LICO K. 60.
Joaqmm Rodrigues la-1
g vares de Mello, S
^Prar;a do Corpo Santo n. 17^
TEM PARA VENDER : jS
Cal de Lisboa. 0
Potassa paRssia. |
Viaho Bordeaux.
Farelio de Lisboa.
Farinha de mai
*K
idloea.
0
i
A HA __
A ruadoJ)uqtiodeCaxiash21.
(ANTGA EM DO QUEMADO)
Nao fot sera fundamento gue a NOVA
ESPI'RANCA lera deixado de fazer os seus
annoncios, a razo simples, ella entende
quo tudo cm demasa aborrece... por isso
como j tinha dito e scientitieado sua boa
fregnezia o que constantemente a receben-
do, ou livesse feito muitas vezes, receiou
tornar-se massante, assim pois recolheu-se
um pobco ao silencio, mas nurca deixando
d 03 pr/gar os verdadeiros esforfos, j con-
tratando maior numero de correspondentes
na Europa, j descobrindo objeetos do raais
apurado gosto e finalmente assignando o
Jornal das Familias, o qual vem sempre
ornado eom igitrinos, modernos moldes jiara
vestidos etc.. eje,, para desta lurma melbor
set vir a sna constante freguezia ; e com es-
rcmtt? a bt" S6X0' Uem a N0VA
tSbfERAFCA ufanase em oiTerecer-lbe
seus servidos, apressando-se desde j em
declarar que tem recebido ltimamente
ntremelos e babados bordados transparen-
tes e tapados, chaposinbos de setim para
baptisados.
rias toncas de cambraia bordada para
o mesrao fim.
Meiasde soda e fio de escocia para crian-
Cas.
Dedaes d'osso, marfim, ac e madrDe-
rola.
ptimas navalha, aadores e massa para
as mesmas.
Finas espoDjaspara o rosto e para ba-
nhos.
Bonitos sapatinhos com biqueira, sendo,
com salt >, para meninos e meninas de dois I
a doze annos.
Boas lentes com cinco memotros, para
contar-se os dos de qualquer fazenda.
Tesouras para frisar vestidos.
Carretas para tirar moldes de vestidos.
Mollas para segurar costuras.
Bonitos linteiros de novos moldes,
Bielas de la para homens e senboras.
Finas e bonitas ligas para meias.
Fil de linbo e de seda, sendo preto e
braceo, liso e de salplcos, ohjectos expostos a venda ra Duque
de Casias n. {, na NOVA ESPERANCE.
Sabio d'alcatro.
Vende-se na roa Duque de Caxiasn. 21.
PARA LUTO.
Brincos, broches, voltas,.pnl-eiras, gal-
las, pentes, botoes para puchos e cadeias
para relogios.
A NOVA ESPERANCA, quefedo satisfa-
zer sua freguezia, nosmente cm objectos
d'aI(gria-ou de luxo, quer lambem acom-
panhar aquellas, que infelizmente perdendo
alguem de sua familia, ou alguem de sna
amizade, precisam de taes ohjectos, assim
pois a NOVA ESPEBANCA, manrtou vir o
que ha de melbor neste genero, porque
sendo taes objectos de cor negra, sendo
de m qualidade, nao somente tornam-so
tristes como at repugnantes, o que nao
acontes^ aos da NOVA ESPERANCA. por
que apenas exprime o sentimento pela edr
porera como que traz um lenitivo pelo gosto
e perfeicao com que taes objectos sao tra-
bajados.
MilLo e farinha
Venden-se saceos com milho riov.. a 3|500, e
saceos eom frinha (22cuias; a 6500.no trapiche
da Companlii.i : a tratar r,o mesino.
Fazendas barata?, rua do Ba-
bugn. 10
La com Mitras de seda a 540 o covado.
Dita com ditas a 4C0 rs. .? evado.
Chita de cores tinas e bom panno a 380 o co-
vado. ,
Dita procales.lindos padrSes 400 r?. o covado.
C Ichas adamasca'?;:s <: 24(iO e 43800.
Caubraia para cortina Jos com 20 varas a peca,
fazenda iua a 13*080.
Cam sas inglezas bordadas piara homem.
Grande percao de chales de ganga, um 1^800.
Do-se a.'Hf-airas.
DOGE
De golaba, 'aranja e banana ; na ra Direita n.
91, constantemente.
Vende-se farinha muito boa chegada hontem,
fim saceos grandes o panno da fabrica da Babia,
no armazem da rompanhia Ptmamhacana : a tra-
tar no me-mo, n na ra da CaJeia, easa n. 1, com
Jos Gonr-aives Turres.
:8
t:
m
K
.'-.^ii^'iJ'..
Pngio no dia i do marca do crreme an
o esc:-avo FranciCi-, rahra. deMade 30 anno
com m Mjtnaea segninies ; cabellos carao nh rosto imcarnado e com marcas de lxica.-, i.ititu-
la-se ^er hvre, levoo calca branca, pnletot de al-
paca .te eor, chapeo de chile, natural da Parahv-
ba ; casmo f.i comprafl i i Sr. Admiro Aiv.:s
Maia, morador na Parabyba. c jnl'/a se trr ido
para c n.esmo logar. Desde j protesta-se contra
a pi'ssoa pitaes do eampo, assim c. mo as antiridades poli-
ciaes no o trapam ra Direiu n. 16, quo sera;
renpmsamente pratificadoc,
Gratifica^o de 200^
reis. .
Fogio do engenho Maiidar na Par;.li\b o os-
era vo Cosme, rrionle. de :j.' aunes de dado, alto
barbado, tem muitas marcas dofccxipas'no reato,
e muito ladino, quera o cegar e levar no refe-
rido engenho, ou nesia cidade na prafa do Conde
d En 11. 20, ao Sr. Jos Gomes da Funseca, tera
a graliflcacao cima.
'Pendo vindo a trra o eseravn Manoel, tri-
pulante da barca Llahna. no domingo 12 do cr-
rente, nao oltou para bordo ; e come .-e presu-
ma esteja fgido, rcga-sl s autorkladea compe-
tentes a sua captura, levando-o a nprdo ou ra
do Conniercio n, 17, que se gratificar. Oesera-
vo terr os fepuintes fignaes: altura iTguJar, ca-
bello carapinho e grande, rosto oval, i,',uU pardos,
testa biixa, nariz regular e bocea pian p, diz ser
natura1 de Cutinguiba, mas da Babia, veio ves-
tido do paletot e caiea de casemira j sala, ea-
misa btv.nca, chape. de feltrr pret?, t a ealeado.
Aviso
er1
^pecial
Aos amantes do bolo de S. Joao e S.
Pedro.
Manteiga flor a 800 rs., dita f anceza a 720: no
armazem do Ribeiro no pateo do Carmo n. 9.
Alta novidade
GOOf NA
240: Loja do paqo
00. Chegaram pelo ultimo vapor francez a* ricas
OO ichapelinas de palha de Italia, ultima novidade- de
200 Paris, cfcapeos de veludo o palha tambera os te-
iTios_de muito gosto, postilhoes o basquinas de gor-
rnn t0"0 Preto mf't0 superior eom ricos laces de
JOU s'iim : na ra 1* de Marco n. 7 A, loja do paco.
Vtfode-se urna armacau boa com seus cteneiljos
para taberna, com poneos gesero, propria para
on principiante, pois bem afreguezada, casa com
comraodos para familia, e ah-nel o m'ais baraiu
pooive.- a traiar ua ru do J^i ffruandes Viei-
ra n. 2'-.
Borro para veadr
Vende se nm burro : na fabrica, do gaz.
Vende-se
Farfulla de 31 age
Vende-fe em saceos grandes : no armazem da
trave sa do Carioca n. 2, caes do Ramo?.
Sementes nrvasde bortalices, garantidas, da socie-
dade de Horticultura Lisbonense, rnadoAmorim,
deposito da fabrica de cer rejas e espiritas da ra
do Brnro..
i Vende-se orna escrava moca com urna
filbinba de tres annos; e sabendo coser,
costnhar e emgommar com perfeicao: na
ra da cadeia n. 5.
Vendcm-se i esclavos, sendo o pretos de 18
a JO annos, proprios para todo equalquer servico,
tanto do casa como para agricultura, assim como
um mulatinho de 17 annos, perfeito copeiro, 6 es-
cravas de 14 a :!0 annos, todas prendadas: na ra
esireita do Kosario n. 43.
arinha de manioca
de Santa Catharina
O que se pode desejar de bom, a garnel a bor-
do do patacho, inglez Manj Block : a tratar com
Tasso Irmaos & C. ra do Amorim n. .19.
Estampilhas.
Vende-se na ra da Cadeia do Recife n. 58, loja
de azulejo. '
FarihaTde mandioba
Fugio do engenho Campo Alegre da .co-
marca de Santo Anti", um escravo, cri oto, edr
preta, estirara regular, pernas nm pooeo cam-
betas, olhos grandes, cabellos e e nm
pouco vermelho, falta dona dentea na (unte, de
nomo Nicolao, representa U r :,' anuos, cujo es-
rravo s-uponho estar acollado no engenho Joboa-
tao, de Pedro da Cunha, n i lugar CuHiiete, onde
tem parales, ji foi preto ama vez: quemo pe-
gar leve-o a engenho Campo Alegre que ser
gratificado, e o abaixo as;-ipn;.di. protesta proce-
der judicialmente contra quem o live iud
Enge-r.ha Campo-Alegre 0 dejan! o de II 70
__________Man.iel (Javaicante de Albuqi..
da Bahia.
3C.'0O rs.
No dia 'i de abril d< 1670, d ski i do Ave i .
traversa da Bunio de cha, fogio ,. ,,., .. .
de nacao Angola, de idade iS annos, noueo
ou menos, balxo, corpo refalar, eabe?a pequea,
rosto redondo, eom algama barba n i I d -1 e ti
qii.ixi). maos e .|.< p queros, canella< finas, anda
apressado, porm passos curtos, consta que tem
andado a galibar nesta prafa, levou vestido blusa
curta de algodaozinho, calca de estopa, e chape
de palha de carnauba de abas grandes, sendo ais-
lo com camisa de madapolo ordinario, calca do
brim escuro e chapeo de feltro : roga-se as auto-
ridades policiaes, capitaes de fampo, ou aoalqni r
pessoa o prendam ou mandeiv pegar, que levaodo
ao mesmo sitio ou na das Cruzes n. 32 'era
recompensado con 5'OOOO,
>o escriptorio de Joaqun Geraldo de Bastos
a ra do Vigario n. 16, primeiro andar, vende-s
rarmna muito alva, fina e torrada, saceos de dous
alqueires, por menos do que em outra qualquer
parte.
Disde o dia l do correle quo se au-entiti
a mulaia Rita, com es sipnaes segantes : beixa
cheiadj corpo, faltandolhe dous delites na fren-
te e do lado de cima, bumta figura, e deseon-
fia-se que est acoutado ; por isso se pede a cap-
tura dalla, ese protesta contra qualquer pessoa
que a rtenha cm seu poder : quem a apnrehen-
der leve-a ra Nova nr 21. 3 andar, que -er i
recompensado.
lOl O
a
r
DOS PREMIOS
. PREMS. -\S. PI
3 8J 177
4 78
10 16j 89
19 8* 202
24 8
28 10
.11 11
33 25
36 26
39 29
41 32
43 35
44 37
46 41
47 49
49 59
51
53 85
91
60 96
61 97
63 300
64 1
67
69 7
74 10
78 12
79 25
81 27
83 31
88 _ 39
97 45
100 48
16 53
17 61
18 70
22 77
27 93
39 95
42 400
48 1
53 16
2 21
66 - <
fl / *
R a
|A_U- PARTE DA LOTERIA^ONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 330, A BENEFICIO DO RECOLrlIMENTODEIGUARASS, EXTRAHIDA EM 28 DE JUNHO DE 870.
.\S. PREMS. SN. PREfc. NS. PREMS.
8*
16
8.
8#
16*
8*
436
37
50
57
60
61
66
72
78
79
80
82
83
84
508
19
21
91
25
s- -
4!
57
59
6
63
65
70
72
73
74
7
84
86
94
95
602
8
9
18
92
29
40
41
46
54
';/ '-
664
66
78
80
81
86
90
92
97
99
701
3
6
8
9
l 10
33
34
40
44
iti
14
17
8*
NS. PREMS.
872
8*
73
76 -
95
97
98
900
2
6
7
8
9
14
16
17
49
21
28
42
44
47
51
59
09
76
77
81
90
91
93
96"
1000
io
15
16
24
26
30
25
37
44
44
50
16J
85
NS. PREMS.
1057 8
59
61
62
69
70
73 -
76
84 -'
87 -
92
93 -
,94
95
.96 -
405
85
>165
1103
5
6
7
165
85
12
13
114 -
20
i29
.35
36 -
38
.152- *-!
175 -
83
87 _
89 <-
96
91
94
97
99
1208
AH
,15
16
23
24
27 -'
NS. i 'REMS.
1228 85
30
33
37
42
45 _
46 i
48
59
63 8:000,5
69 85
70
75 165
76 8*
80
81 16
85 85
87
i, 1307
*-
13
16
.17
28 h*
135
38 1:3005
45 85
49
M
63
'66 6065
71'
73 w
74 "
80
on 4
NS. PREMS.
1432 85
36
41 v
42
44
61
66 -
67
69
75
77
78
79
86
87
165
85
91
1408
~1
lo
18
19
27
29
30
165
91
1502
9
11
13
17
16
20
21
;' 25
'46
29
33
35
44
45
50
53
57
38
59
64
66
68
71
78'
19
81
83
405
(65
85
1005
85
NS. PREMS.
165
1591
92
98
1602
13
23
37
-60
56
57
59
63
65
67
74
82
90
95
99
1706
7
13
15
17
21
23
31
35
38
39
40
48
87
62
63
67
78
81
88
94
95
97
1802
6
7
85
1005
NS. PREMS- i NS. PREMS.
_
405
85 i
3025
85
405
85
1812
15
20
21
31
38
40
42
49
54
62
64
67
69
72
73
76
83
84
65
87
1907
9
11
15
17
31
36
37
'42
50
55
87
58
59
l
3
68
74
77
81
86
87
92
99
85
85
85
000
15
16
20
30
31
33
34
40
43
47
49
M
60
61
67
80
81
'84
91
95
98
2400
' 5
7
10
11
16
18
11
17
34
35
.43
47
49
54
59
67
74
77
79
91
94
2202
NS. PREMS. NS. PREMS.
165
85
2209
11
II
20
21
22
25
32
41
42
45
47
49
52
55
5
165
85
t
73
77
7
81
83
90
93
94
97
98
99
2300
5
6
13
28
30
31
37
40
44
45
53
53
56
62
.
16*
85
74
2375
77
78
81
82
85
89
. 90
99
2401
4
5
9
18
20
21
22
24
27
33
35
36
38
39
41
43
48
49
53
65
61
6i
64
67
80
84
87
1504 '
5
7
16
16
21
25
26
85
NS, PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
85
1W
85
405
2830 85
39
40
43
44
48
49
51
57
60
61
65
66
71
88
89
93
95
96
97
98
2902
5
13
17
18
29
34
35-
43
48
49
30
54
60
61
67
74
75 165
77 85
82
87
93
93 i
98

r
ILHft
V

.
\







- .>"

V
.#)
iario de Pernambuco Quarta feira 29
ASSEMBLEA GERM
do o primeiro 4:0005 e o segundo 2:0005
ammaes..
As casas e demais bene rendem 2:300,5
anmialmente.
E', portante, o rendimento total.....
8:5005000.
0 convento do Carino da cidade de Goy-
auna fui fundado em 1666.
0 actual edificio foi comecado em 1679
em consequencia de ruina do primitivo,mas
s te ni a frente e a igreja, a qual conserva-
re em estado decente.
0 patrimonio consiste em um sitio e en-
genho denominado Japomy, arrendado, e
12 casas terreas, na dita cidade ; trras de
plantaco, denominadas Agua Branca, na
ornara do Na arefh ; trras de criaco,
(Innominadas Pedenca, na provincia do
Cear; alguns terrenos foreiros em que
eslo edificadas casas na mesma cidade de
Goyanna. 0 rendimento de 1:5005000
animalmente.
O cjncento do Carmo da capital da Para-
In/ba fra fundado em 1670 ;mas em!763
foi reconstruida a igreja que hoje'existe.
0 patrimonio consista em duas casas ler-
alguns terrenos
foreiros na dita capital, e um terreno na
provincia do Rio Grande do Norte O rend'-
EXTRACTOS DO RELATORIO DO SU. MI-
NISTRO DO IMPERIO.
ORDENS RECOLARES.
(Conlinuarao)
Foi concedida licenca para a venda da
primeira. Sendo da maior conveniencia ven-
der tambem a i din- ultima* n-la diILul-
dade de sua administraco tendo (tendo ha-
viti j anda ltimamente na dePernambuco
mu levantamento de escravos para cuj
ago foi necesssria a intervenco das auto-
ridades, )ncumb a presidencia do Para d
dar as providencias precisas para a respec-
tiva arremataco na forma das ordens ante-
riores.
O numero dos escravos de todas as fa-
zendas, incluidos >. escolhidos pelo gover-
no para o servico do exercito, e 44 empre-
gados nos comentos, sobe a 871. .
Aeeressem aos bens immoveis os segoin-
les; os terrenos que conlituiram antigamenle
a fazenda Pedra no muuicipio da corte, afo- reas bastante arrumadas e
rados por l;0OO5 por anno mais ou meos;
um terreno com casa e capella na Juruju-
ba. em Nitheiohy : um grande trro na ci-
dade do Santo.-, de que nada pagamos fo-
reiros, que recusam reconhecer o dominio
directo oa ordena; um terreno no rio H;r-
(iiiga; em S. Paulo e onlros terrenos dentro
e fra da capital do Para.
Todos estes bens dam annualraente para
a ordem o rendimento approximad-i de
84:5005, liquido da importancia da decima.
A divida passiva que em Janeiro do ann
passado elevava-se a cerca de 150:000-5.
eslava em feveiviro ultimo reduzida a
115:0005000 mais ou menos, tendo-se
amortizado perto de 35:0005000.
Oi;dem Carmelitana da Baha.Tem esta
ordem 19 religiosos.
0 patrimon.o do convento ( a!m das al-
faias de prata e ouro pertencentes igreja)
consta destrrenos foreiros na capital da
provincia da Babia, dous engenbos de assa-
ear um dos quaes est em reparos, e outro
moente e crrente, bem montado, tem 130
escravos de ambost os sexos, 210 caberas
de gado vaceum ecavallar,raedindo os terre-
nos dos ditos engenh s a 20,000 trelas
mais ou menos ; quatro leguas de trras
com 30 escravos e 400 cabecas de gado
vaceum. e caval'ar nos Parmares, provincia
de Srgjpe; nove leguas de trras com al-
guna escravos e 300 cabecas de gado no rio
iie S:. Francisco, na mesma provincia,
0 rendimeal'i correndo favoraveis as es-
aroes, pode ser de 30:0005000.
Ha tambem uin convento desta < rdem na
cidade de Alagoas, antiga capital da pro-
viuda deste nome, e urna igreja. Estes edi-
cios nao ciiegaram a ser concluidos e
acliam-se hoje em ruinas, tendo sido o coa-
vento abandonado ha muito tempo.
Ordem Carmelitana da Reforma, de Per-
nambuco.Couid esta ordem 3 conventos
e 2 hospicios, a saber:
Os conventos de Nossa Senhora do Car-
mo da cidade do Recifee da cidadede Goy-
anna, em Pernambuco, e o da capital da
Parahyba.
O hospicio de Nossa Senhora da Piedade
da freguezia de vluribca, naquella provin-,
cia, e o de Nossa Senhora da Guia defron-
te da praia do Cabedello, na provincia da
Parahyda.
Sao 11 os rejigiosos : 5 no convento do
Recife, 1 no d"Goyanna, 1 ncrda Parahyba,
1 no hospicio da Piedade, 1 licenciado por
modestia, 1 que exarca o emprego de coad-
jutor de freguezia, 1 foi declarado apostata
ha mais de 15 anuos.
O convento do Carmo do Reafe.'ioi fun-
dado em 1690. O pairimonio consta de um
engenho de assucar, denominado Ubaca, na
freguezia de Scrinhaem ; um engenho deno-
minado Jardiin. as masmas trras daquelle
urna fazenda de criaco de gado, denomi-
napa Cannabrava, no serto do Ico, pro-
vincia do Ceara ; cinco casas terreas na ci-
dade do Re rife, um sitio no lugar denomi-
nado Sant'Anna, suburbio da mesma cida-
de ; unn casa terrea na praia de Santa Rita
da mesma cidade; terrenos foreiros em
que estao edificadas propriedades em diver-
sas ras ; tres apolices da divida publica,
sendo urna de 0005 e duas de 400?) cada
urna.
Os engenbos, rmenles e' correntes, astao
arrendados em consequencia da falta de es-
ravos e de bo s para o trabalho, renden-
mento annual apenas de 4005000.
O hospicio de Nossa Senhora da Piedade,
de Muribca, foi fondado pelo anno de 1741
ja existindo ento a capella. Ambos os edi-
tieios estao algura tanto arruinados. O pa-
trimonio consiste em cinco sitios da coquei-
ros e um sitio aforado. O rendimento da
5005 por anno.
O hospicio de No$stt Senhora da Guia,
na provincia da Parahyba, cuja capella pri-
mitiva est sendo reedificada, tem por pa-
trimonio varios sitios de coqueiros na praia
de Sanio Antonio, com 770 bragas, e urna
sorte de trras, denominado Gequy na ci-
dade de Aracaty, provincia do Cear. O ren-
dimento annual de 0005000,
Possue a ordem !0 escravos no engenho
Ubaca incluidos no arrendamento, e 7 nos
conventos a servico dos religiosos.
A divida, que lis alguns annos se eleva-
va a 56:0005, tem sido em parte amorti-
zada. '
Ordem Carinllitina do Maranhao.Esta
ordem conta 4 religiosos presbyteivs e 1
leigo.
O patrimonio consiste em fazendas de
plantario, d'.:as otarias e ',ba escrava-
tura.
Tem um convento, -sob a invocaco de
Nossa Senhora do Carmo. na cidade de S.
Luiz, construido em 1627, e outro na de
Alcntara.
Ordem dos Mercenarios do Maranhao
(Nossa Senhora das Mercs da Redempcao
dos Captivos.)Tem um religioso que est
fra da convento como parodio encommen-
dado na freguezia do Bacanga, prxima
cidade de S. Luiz do Maranhao ; e, segun-
do consta outro que est separado da mes-
ma ordem ha muitos annos, residindo na
capital de Pernamduco.
Tem dous conventos: um monumental na
cidade de S. Luiz, fundado em 1654; e
outro em Alcntara, j arruinado.
Possue quatro fazendas em Alcntara,
Cajapi. Anajatuba e Rio dos Cachorros,
e grande porcao de trras no Mearim; es
tas e as das fazendas estao aforadas e diver-
sos pequeos labradores. Possue mais uns
200 escravos, que pela mor parte trabalham
a jornal na cidade de S. Luiz : e cerca de
duasarrobas de prata.
Esles bens eslo. sob a administraco/ do Jacminga, municipio de Igoass. urna soe
PDIS DE MORA
ron
Xavier de Montpin.
Rev. bispo do Maranhao, que estabeleceu
era 1863 o pequeo seminario (cursi de
humanidades) no convento da capital, onde
tem feito muitas obras, modificando-o para
adapta-lo a sen novu destino.
Ordem Benedictina.Possue 11 mostei-
ros, sendo 7 abbadias e 4 presidencias, e
tem actualmente 41 religiosos, que esto :
12 no inosteiro de S. Sebastio e 1 no da
Graca, na provincia da Baha; 15 no da
corte, 4 no de Pernambuco, 1 no da Para-
hyba, 1 no de S. Paulo, 1 no de Santos, 1
no de Sorocaba, 1 como reitor do internato
do imperial collegio de Pedro II, 1 como
bibliotecario da bibliotheja publica nacio-
nal, 1 como capello no laboratorio pyro-
technico do Campinho, no municipio" da
corte ; 1 como capello da curveta Nythe-
rolty, 1 com licenca em Portugal. O mais
moco destes religiosos tem 34 annos, e o
mais velho 77.
Mosteiro de S. Sebastio (da Baha).
caneca de toda a ordem, e nelle reside o D.
abbade geral, que o administra directamen-
te. O patrimonio, cojo rendimento calcula-
se ejn perto de 60:0005000 por anno. :
na cidade da Baha, casas e trrenos forei-
ros ; no termo de Suto Amaro um enge-
nho ; no rio de S. Francisco, termo de
Alagoas, urna fazenda de gado ; em Porto
Seguro e margens do rio de Nazareth algo
mas trras; na Baha um engenho,. boje
oceupado pelo imperial iaslitnto bahianp de
agricultura.
O numero dos escasos empregadoj no
servico do mosteiro e das fazendas, que era
de cerca de 300, est reduzido a pouco
mais de 200, em razo de alforrias e
bitos.
Mosteiro de Brotas (na capital da Baha)
Est provisoriamente incorporado ao de
S. Sebastio por carecer de urgentes repa-
ros e nao ter patrimonio suficiente, visto
acbarem-se em mo estado as duas casas
que possue na cidade de Santo Amaro e te-
rem sido retirados os escravos que lhe per-
tenciam.
Mosteiro da Graca (na raesma capital.
E' administrado pelo respectivo abbade.
Algumas casas pequeas e poucos chaos fo-
reiros que possue sao situados na cidade, e
urna fazenda em Jequirif, termo de Valon-
ea ; os escravos nao passam presentemente
de 12.
Mosteiro de Nossa Senhora de Monser-
rate, da corte.A renda orea por 200:0005
animalmente. Possue nesta cidade: 164
casas, das quaes 52 terreas e 112 de so-
brado ; um terreno com urna casa arruina
da ; chaos foreiros em diversas ra?; todo
o terreno da ra Municipal e da dos Bene-
dictinos, e parte dos terrenos das ruis do
Mrquez de Abrantes o do Senador Ver -
gueiro, e da praia de Botafogo.
Possfi mais urna sorte de torras na iiba
do Governador, onde tem casa de vivenda
e capella, com pequea plantaco e criaco
de gado vaceum, em que esto empregados
48 escravos. A maior parte destas ierras
est, arrendada.
as freguezias de Jacarepagu e (jluara-
tiba possue outra sorte de ierras, divididas
em ires fazendasGamory, Vargem Peque-
a e Vargem Grande. A fazenda de Carao-
fry tem plantado de canna e fabrica de as-
sucar, em que sao empregados 151 escra-
vos, estando arrendada parte das trras. As
fazeDdas da Vargem Pequea e Vargem
Grande teem plantaces de cereaes, emqae
se oceupam 98 escravos, estando a mor
parte das trras arrendadas.
Possue na provincia do Rio de Janeiro :
em Nitherohy. o terreno denominado Cam-
po de S. Bento em Icuahy, todo aforado e
dividido em ras; na freguezia de Manca,
urna sorte de trras, com fazenda de plan-
taco de cereaes e criaco de gado vaceum,
na qual se empregam 49 escravos, sob a
administraco de um religioso professo, es-
tando parte das-terras arrendada; no mu-
nicipio de Campos, urna sorte de trras,
com fazenda de criaco de gado vaceum e
cavallar, plantaco de canna e fabrica de
assucar movida por vapor, com 457 escra-
vos, administrada por um religioso professo,
estando arrendada grande parte destas tr-
ras, e mais um terreno na cidade de Cam-
pos. Anda na mesma cidade. urna casa
terrea e um terreno, parte murado e parte
cercado, com urna pequea casa, a qual
serve de pouso acs escravos que veem da
fazenda. No municipio de Cabo Fro, urna
porco de trras, que esto arrendadas ou
aforadas. Na freguezia de Santo Antonio de
de trras com olaria de tijollos e plantaco
de cereaes, empregando-se neste servico 90
escravos, sob a administraco de um reli-
gioso professo, e estando parte das trras
arrendada e aforada.
Mosteiro de S. Bento de Olinda (Pernam-
buco).Os bens sao, alm do edificio do
mosteiro e duas capellas, urna de Nossa Se-
nhora do Monte da cidade de Olinda, outra
de Nossa Senhora dos Prazeres de Guarara-
pes nos montes Guararapes, ambas com
trras em torno para sua serventa e logra-
douro ; 19 casas de soorado'e 27 terrea ;
3 engenhos de assucar, o de Mussurepe
movido por agua, e s de S. Bernardo e
Goit movidos por animaes (o oltimo est
arrendado, bem como parte das trras do
de Mussurepe); o sillo Jaguaribe no termo,
de Iguarass ; o sitio Beberibe oas margens
do rio deste nome; urna porco de trras
no^Jugar Remedios, comarca da Pao d'Alho
(arrendadas); uijia legua^de trras, deno-
minadas S. Bento de Itapacor nos limites
da villa de Pao d'-Alh-i e Santo AntSo (ar-
rendadas) ; ma sorte de trras sob o no-
me de Terra-Nova na comarca de Nazareth
(arrendadas); urna faxa de trras fra dos
muros e cerca do mosteiro (arrendadas);
alguns terrenos aforados bo esntro da cida-
de de Olinda; um sitio denominado Gra-
mame na provincia da Parahyba ; um sitio
de criaco denominado Jaguaribe no serto
Panma, provincia do Cear (arrendado); e
orna fazenda de gado vaceum e-cavallar. de-
nominada Jaiz, no serto do Gear-Grande
no rio Salgado, provincia do Cear.
Calcnla-se em 40:0005 annuaes o que
rendem seus bens.
Mosteiro de S. Binto da Parahyba.Os
immoveis que possie este mosteiro cuja
renda prodoz cerca de 8:0005 por anno,
sao os seguintes:
Na comarca da capital da Parahyba, 6
casas pequeas na cidade ; 140 bracas de
trras, que se acham aforadas, tambem na
cidade; nos suburbios da capital, um sitio
com urna casa arrumada ; urna porco de
trras junto ao mesmo sitio, aforadas;
meia legua de trras denominadas Prazeres,
na freguezia de Jacoca, aforadas; um ter-
reno com plantaco de canna, no logar de-
nominado Gt, forado ; um sitio de co-
qneres, na praia di Lucena, arrendado.
' Na comarca.de Mamanguape, duas leguas
e meia de trras, de um e outro lado do
rio Mirty, estando urna porco destas ter
ras arrendadas ou aforadas, inclusive meia
legua com engenho de assucar; mais duas
leguas de trras, proprias para criaco de
gado.
Na comarca de Pedras de Fogo, orna le-
gua de trras com o engenho denominado
Mara ; 3,000 bracas de trras para criaco
no lugar Icarass ; e duas leguas no rio
Curimata, parle das quaes est arren-
dada.
Na comarca do Cabo, provincia de Per-
nambuco, os engenhos Cajabuss c Caja-
buss/.inbo, ambos arrendados.
Alm destes mosteiros existerp : os deS.
Paulo, Jundiauy e Paranahyba, cuj) rendi-
mento approximadamente de 6 a 7:0005
por anno, e que teem por patrimonio casas
e terrenos na provincia de S. Paulo, urna
pequea olaria nos arrabaldes da mesma
cidade, trras foreiras em Jundiahy e Para-
nahyba, e cerca de 60 escravos; o de San-
tos com algumas trras em litigio, de que
percebe apenas pequeos foros, e tres ca-
zmhas que pouco rendem ; e o de Sorocav
ba com algumas trras foreiras, e duas pe-
quenas casas, o que lhe rende cerca de
1:0005000 poranno.
CONVENTO DE KREIIIAS.
Convento de Nossa Senhora da Ajuda, na
cidade do Rio de Janeiro.Tem este con-
vento 16 religiosas, urna das quaes a ab-
badessa ; 8 educandas e 4 recolhidas.
Ha anda no convento 40 servas libertas,
10 escravas da communidade, 22 escravas
particulares, e algnns empregados no ser-
vico do mesmo convento e da igreja.
O patrimonio da communidade consiste
em 11 casas terreas e 24 de sobrado, todas
sitas nesta capital, 113 apolices da divida
publica do valor nominal de 1:0005 cada
urna, e diversos terrenos foreiros.
0 rendimento das casas de 57:3205 ;
o dos terrenos e das apolices sobe a 6:8625.
Goza o convento de urna penslo vitalicia de
4 religiosas na importancia de 4005; pos-
sue a juros a quantia de 8:0005 no banco
do Brasil, e tem 5 escravos alm das 10
escravas cima mencionadas.
Congenio das carmelitas descalcas de San-
ta Thereza de Jess, na mesma cidade.
Tem 18 religiosas, das quaes urna a
priora. ]
Alm ao convento, igreja- e suas depen-
dencias, possue urna capella sob a invoca-
Co do Menino Deus, sita na ra do Ria-
chuelo.
O patrimonio consiste em 12 casas ter-
rease 12 de sobrado, avahadas em 191:0005,
cojo rendimento de cerca de 26:0005,
precisando algumas de grandes reparos ;
em terrenos foreiros que rendem 8005 an -
nuaes; em 60 apolices do valor nominal de
1:000-5 carta urna, que rendem 3:6005, e
em 7 escravos.
Convenio de Santa Clara do Desterro, na
cidade da Baha.Ha neste convento 22 re-
ligiosas, urna das quaes. a abbadessa. Ha
mais 30 servas livres adstrictas aos miste-
res da cemmunidade, urna serva pertencen-
te mesma communidade e mais 125, das
quaes urnas esto empregadas no servico
particular de cada religiosa, outras conser-
=
vam-se no convento por terem querido all
Gcar por fallecimento de suas senhonis.
O patrimonio consiste em alguns predios
e terreno foreiro na cidade, cojo rendimen-
to nlo chega para a despeza do convento.
O convento tem 13 educandas.
Convento das Ursulinas de Nossa Snbo-
ra das Mercs. na mesma cidade.O astado
geral do edificio do convento e igreja res-
pectiva regular.
Ha nelle 17 religiosas professas, urna das
quaes a superiora ; 17 educandas e 70
servas.
Consiste o patrimonio em apolices da di-
vida publica que rendem 1:2005, e em 53
predios urbanos, muitos dos quaes em rao
estado, e qie rendem, deduzindo a decima,
as despezas com reparos, e as faltas de pa-
gamento, cerca de 6:0005 annual mente.
Convento das Ursulinas de Nossa Senho-
ra da Soledade, na mesma cidade.Conta
este convento 12 religiosas, urnas das quaes
superiora, 28 educandas, 48 servas da com-
munidade e 58 particulares.
Recebe de cada religiosa urna tenca de
500 annuaes, que por fallecimento contina
a ser percebida pela administraco do con-
vento por tempo de um anuo, fi ido o qual
volta para os parentes.
O patrimonio, que administrado pelas
proprias religiosas ou seus parentes, con-
siste em predios, os quaes teem so Trido
grandes deteroraces e rendem 4:000$ ou
pouco mais.
Convento de Nossa Senhora da Conoeic3o
da Lapa, situado na freguezia de S. Pedro,
provincia da Babia.Conta 9 religosas,
urna das quaes abbadessa ; 3 educandas, 3
mocas do coro e 23 servas, urnas chama-
das do numero e outras encostadas.
Consiste o patrimonio em 9 predios, dos
quaes 5 de sobrado e 4 terreos, e em ter-
renos foreiros. cojo rendimento de.....
4:5925 ; em 56 apolices da divida publica
de diversos valores, na importaniia,, total >ar que a corrida mais rpida (leve estabe
de 30:8005, cujo rendimento annual de
1:8245 ; *e em ttulos da soiedade banca-
ra Commercio, e da Caixa Econmica, na
importancia de 1:2005, que rendem annual-
mente, termo medio, 845000.
COMMISSO GERAL DA TERRA SANTA.
Esta commisso, cujo fim agenciar es-
molas para a conservaco dos santos luga-
res em Jerusalra, tem sua sede no predio
que possue ra dos Barbnos, conherido
sob o nome de hospicio de Jerosalm. Este
predio tem duas osas pequeas annexas.
Possue a commisso mais sete hospicios
para residencia de seus esmolers, o tem
alguns escravos a seu servico.
Esto empregados na commisso neste
imperio 6 religiosos e 4 irmos. O com-
missario geral Fr. Jos Damasio de S. Vi-
cente Ferreira est presentemente na Euro-
pa tratando de negocios relativos com-
misso ; os oulros esto assim divididos :
2 no hospicio da corte, 1 na provincia do
Rio de Janeiro, 1 em Ouro-Preto, 1 em S.
Joo d'EI-Rei, 2 em Sabara, 1 na Diaman-
tina e 1 em It.
Os religiosos da Terra Santa sao da or-
dem dos Franciscanos Observantes, e teem
por superior o geral da mesma ordem em
Roma.
MISSIIICS.
Communicou-me o prefeito dos misiona-
rios capuebinhos nesta corte que se conse-
guio a vinda de alguns missiooarios, afim
de serem aproveitados os seus servicos, to
uteis religi, mrmente em alguns lu-
gares onde sente-se falta absoluta de sacer-
dotes..
A misso no imperio conta actualmente
45 missionarios capuchinhos. Destes a:ham-
se : 2 no Para, 3 no Maranhao, 4 em Per-
nambuco, 7 na Bahia, 1 no Espirito-Santo,
4 na corte, 1 na provincia do Rio de Janei-
ro, 3 em Minas, 3 em S. Paulo, 3 no Para-
n, 5 em Goyaz, 2 em Mato-Grosso- (viga-
ros encommendados), e 1 em S. Pedro do
Rio-Grande do Su I: os 6 restantes esto no
Paraguay.
No xercicio actual autorsei a despeza de
1": 4525042 para obras de que caricia a
igreja de S. Sebastio do Castello, onde re/
side aquelle prefeito e pousara os missiona/
rios quando aqu se acham.
(Continuar-se-hi)
tados de Washington coocedeu a-inni
da misericordia- de Charleston urna indem
nisaco de cerca.de 19 contos de res par.
reedificaco do seu orphanado, destruidora
guerra civil, h proposta foi de um pro-
testante, mr. Qtifes, de Massachnsetts t
sustentou a ouirff representante da Caroli-
na do Sul, mr. Bowen; a votaco foi de
110 contra 45. Na discusso observou mr.
Bowen que os servicos das irmas nao se
pagavam comdinheiro.nem foram prestados
as esperanca fle rmuneraco terrestre,
bemque ndles as irmas jdemonstrassem a
ocragem do soldado e sabedoriado estadis-
ta... A igreja catholica sempre a rotea
dora das nossas fronleiras, trazendo civi
saco as bences da christandade... A^
irmis, que vivan no sul, nao conheciarr
sul nem norte, a lodos volaram igu-
atoor... Quando a febre amarella afugen-
twa tudo, os mesmos mdicos, ficaram s.,
as irmas a cuidar dos doentes e dos mor
bundos.
ACABA O VELOCIPEDE.Um sapatei
parisiense de fama acaba de inventar un
calcado munido de carrinhos, que permit-
tir ao homem andar to rpidamente come
o cavallo, e para instantneamente, o que i
urna enorme vantagem.
O meio que se empregou para obter este
magnifico resultado, to simples como en
genhoso.
As rodas adoptadas a este calcado teerr
uma forma especial: a sua circumferenc,
acha-se dentro d'um polygono composto de
vute e cinco linhas quebradas.
Estas quebraduras, que nao diminue:
sen-rvelmente a corrida, teem a vantage:
d'impedr urna rapi.de/ perigosa e de fac!,
tar paragem.
As rodas devem triomphar cora facilida-
de do gejo ; e, alm disso,. nao dexarc
passar o fro nem a humidade, e a corrent
01
t
I'IHIE I'ilMII.'KlA.
0 MROIEZ DE pMfflfflf.
(Continuaco do n. 142).
X
A cela.
Ola! Toca#l Vamos isto! Mos
j obra grlava 'Guilherme para a filha,
para o moco da cavallarlca e para a criada ;
qne esto voces ah pasmados de bocea
aberta? Julia, minha filha, accende urna luz,
vai adega, e traze seis garrafas de vinho
de Baaune para o senhor marquez. Tu,
Colassa, vai despensa e horta ; trase
saisa, ceblas, e mata os tres melhores ca-
pes que achares na capoeira. Tu, Jaco-
billo, toma conta dos cavallos; bota-ihe?
feno com fartura e v l nao baja falta
d'agua. Eu c vou acender as fornalhas.
E oestdajadeiro dirgia-se para a cosi-
nha ; mas antes de sabir da sala chamou
Dionizio, que logo foi ter com elle.
Senhor preboste, disse-lhe Gnilherme
ao ouvido, tome conta, olhe o diabo do
marquez nao illuda a sua vigilancia, e nao
se v safando como quem nao quer a consa,
porque n'esse caso Deus sabe que desor-
dem e borborinho seria na minha estala-
geni.
Estja descancado, compadre, repli-
cn Dionizio encolhendo os hombros e re-
torcendo o bigode com ar desdenhoso. Sai
ha que os presos guardados por mim es-
to muito bem guardados, e nunca fogem.
E deaais, mas isto digo-lb'o eu em segred
porque tenho confianca em Vmcs. acho ex
gtradas as aecusaces qa fazem ao senh
marquez. Ou eo me engao moito, f\
se grande criminoso, com que tanto b/u
Iho se fez, nao passa de um excellente e
perfeiio cavalieiru, implicado apenas n'al-
gum peccadilho, que nem vale a psna
mencionar. Ha de aquihaver porforca um
engao, que o senhor marquez explicar
fcilmente em cnegando presenca da jus-
tica, e nao duvdo que o ponham em lber-
flade, depois de Ibs haverem dado a mais
completa satisfaco.
Bem me quera mim parecer que a
sua cara nao era para outra cousa, disse o
e'stalajadero mais soceg'ado. Muito me
agrada isso tudo, senhor preboste. Desejo
de todo o coraco mil felicidades quelle
fidalgo, e vou arranjar-lhe urna ceia de
principe. E depois, creio que ha de gos-
tar do meu vinho de Beaune.
- Se fr intelligente, ha de gostar, vol-
veu Dionizio em ar de profunda convic-
Co.
O lio Guilherme foi-se para a cosnha, e
encontrn no caminbo sua filha Julia, que
carregada de garrafas.
vinha da adega
O' rapariga, muito paluda ests tu,
dsse elle ella. Isso de certo por
termos ura crira noso c m casa. Pois so-
cega, minha Alba. -Estive agora conversan-
do com o preboste, e diz elle que o nosso
fidalgo to innocente dos crimes que lhe
impotam como tu e mais eu.
Todo se animou o semblante da rapari-
ga, e rebrilharam Ibe os olbosde alegra.
Bem m'o dizia o coraco I mormuroo
para si. Mas se oflialgo innocente e se
o preboste o sabe, accrescentou em voz
alta, porque motivo o leva preso ?
Porque tem de obedecer s ordens do
senhor governador civil.
Que ordens to injustas 1
Nao digo o contrario." Mas o prebos-
te nao tem culpa ; elle, pela sua parle,
limita-se a fazer o que lhe mandam, a cum-
prir a sua obrigaco e mais nada. Se o
senhor governador civil o mandasse pren-
der-nos, obedeca logo, e faria moito bem,
pois nao assim ? E demais, eu c nao
tenho d nenhuma do preso ; vai regalar-se
com urna ceia, que ha de ficar a lamber os
dedos tres dias fio-; aposto que vlla por
c em se vendo solt !
Julia fez-se muito encarnada, e sem ac-
crescentar nem pi, entrou na casa de jan-
tar, e foi por as garrafas sobre a mesa,
qual j estavam assentaejos o preboste e o
preso.
Viva a alegra, senhor marquez 1 gri-
tou Dionizio enthusiasmado'. Olhe, olne-me
para estas garrafas, que soberba capa de
poeira e de teias de aranha I Ah s de
as ver tenho o coraco aos pulos !
Tero razo, o aspecto nao mo, re-
torquio Samt-Maixenl ; mas eu c, de certo
menos bebedor que o meu amigo, admiro
mais do qae tudo a linda mozinha que ali
as poz.
Ao ouvir aquella galantera, que tinha
mais valor pela entonaco apaixonada com
que foi dita, sentio roocoila urna sensa-
co'da mais deliciosa embriaguez, o qi?e de
certo deu motivo ella nao retirar a deli-
cada e alva mozinha, quando o atrevido
galanteador deu n'ella ura beijo, emquanto
o preboste, de costas voltadas, estava todo
azafamado a desrolhar as venerandas garra-
fas. Julia afastiu-se depois, mas varillan-
do e apezar seu, e foi ao aparador buscar
copos para os dous bebedores.
A gente vem mesmo soffocadinha pelo
calor e pela poeirada, pouderoa Dionizio.
Parece-me que o melbor, para desentopir
as goellas e refrescar o estomago, be-
bermos duas ou tres garrafas d'estas em
quanto nao vem a ceia, que' alvez se de-
more.
E-sem esperar a venia do marquez, que
estava certa, o digno preboste encheu os
dous copos, levantou o seu altura 'dos
olbos para admirar a lmpida cor do vinho,
chegou-o ao nariz para aspirar o perfume,
e terminadas estas observacoes prelimina-
res, exclaraou :
L vai saude do senhor marquez I
Agradeco-lhe sinceramente, volveu
Saint-Maixent; ha porrh aqui um objecto
muito mais digno dos nossos brindes, e ao
qual eu quero consagrar o primeiro copo.
Bebo saude'da nossa linda bospedeira I
Nos salSes de Pars, proseguio, depois de
haver despejado o copo, nos de Veraailles, o
at na corte do re, poacas damas ba, muito
poucast juro de cavalleiro, que possam
competir em belleza com esta donzella, e
nao ha nem urna s que se lhe avantaje.
Este exagero na bocea de um fidalgo
moco e elegante, tinha seus visos de mal
disfamada irona ; mas foi dito com tal en-
tonapo de convicta sinceridade, que Julia
sentio subiram-lbe cabeca os vapores de
ura orgulho nascente, e o proprio Dionizio
encarou alten lamente na filha do estalaja-
deiro, para saber como eram as damas de
Pars, de Versailles e da corte.
A rapariga bonitota. disse entre
si o preboste, depois de curto reparo ; mas
eu c tinha imaginado de outra maneira as
princezas, as duquezas e toda a fidalgaria.
Neste cmenos entraram na sala os an-
tros cinco homens da tropa, depois de te-
rem arranjado os cavallos no pateo interior,
debaixo do telheiro que servia de cocheira.
O marquez virou-se para os soldados e dis-
se-lhe:
Meus amigos, na verdade, fui eu a
involuntaria causa da comprida jornada que
teem feito. Devo-lhes, portanto, urna indem-
msaco, e, com licenca do senhor preboste,
offereco-lbes estes tres loizes, que espero
aceitaro, para beber minha saude.
Um dos soldados interrogou o preboste
n'um rpido relancear de olhos.
Nao ha nenhum inconveniente, relor-
quo Dionizio em alta voz. Consinto que se
aproveitem dos generosos offerecmentos
do senhor marquez, toda a vez qotpermt-
tam o servico e a ordenanca.
Viva o senhor marquez 1 gritaram
todos uma.
Trouxeram-lhes depois da adega uns
grandes copazios de vinho, e para matar o
tempo, em quanto nao vinha a ceia, tiraran
da algibeira uns sebentos baralhos, e abaa-
caram-se respeilosa distancia dos ontros
dous eommensaes. Julia, por quem seo
pai berrava para o ir ajudar a chamuscar os
frangos e preparar a salsa dos guisados,
teve de se ir embora da casa do jantar,
bem contra sua vontade, prometiendo voltar,
o mais depressa possivel.
O mofo fidalgo, sem pajar as continuas
libacoes do famoso vinho de Beaune, que
mereca realmente os' maiores elogios, tra-
vqu palestra- com Dionizio Robaste! e dea
LITTERATRA. /
POTJCO DE TUDO.
OS CONVENTOS E O GOVERNO DOS
ESTADOS UNIDOSA cmara dos depu-
mostras de estar to despreoecupado ale-
gre, que o digno preboste se confirmo! cada
vez mais na opinio da innocencia do seo
prisioneiro.
Se nao sentisse a cabeca mujto se-
gura nos hombros, dizia coinsigo ;o pre-
boste, podia l desprender-se tanto de todas
as desagradareis apprehensoes Ninguem
se ri com tamanha franqueza, qaano tem
era perspectiva verdugo e o cutello. De-
cididamente, tudo isto foi urna grande zom-
baria que armaram ao senbor marquez, e
en qaasi que me atreva a responder por
elle : o que mesmo assim nao obsta a vi-
ga lo muito bem vigiado, tal qual como se
houvera commeltido os mais l'eios crimes.
Ao cabo de meia hora tornou a appare-
cer Juba, anda mais bonita do que ao re-
tirar-se para obedecer s ordens do pai.
A mocinha, sem se descuidar do guisa-
dos postos debaixo da sua direceo, achou
meio de subir ao seu quarto e vestir em
poucos minutos o fato dos domingos, que
n'ella realcava encantadoramente, com as
vivas cores do rosto e o temo brilhar dos
olhos por baixo das compridas pestaas.
O fidalgo apreciou a garridice da rapa-
riga o'uraa olbadella que lhe deitou, mais
expressiva ainda que o mais comprido dis-
curso.
Julia esteodeu sobre a mesa urna branca
toalba cora listas azues, perfumada com o
cheiro do tomilho. Por sobre a toalba os
melhores pratos de louca com reluzentes
pinturas, todo o servico de.prata quo liavia
na estalagem, e de um e ootro lado quatro
casticaes de lato bruido,- que parecan de
ouro, com as suas correspondentes vellas
de cera. Terminado aflnal estes prepara-
tivos, appareceu o to Guilherme, dandb-se
grande importancia, cobrto desde osbicos.
dos ps at cabecaFcom um immenso
avental branco, e sustelo com ambas as'
mos um prato de eitanho, que despeda
desium dedicado aroma, capaz at de
agucar o apetite de um deunto.
O to Guilhgrme si mesmo se excideu
n'aquella occaslo.. Af ceia roi oppara : rei-
nou em toda.ella a rajs cordeal alegra ; o
vinho correa com abundancia, c de pales-
tra em palestra se gastn o tempo at s
lecer impedir suor, tornando o calcad'
mais sadio.
^ CATASTROPHE. Urna terrivel catas-
thophe acaba de succeder era Murg, peri
de' Laufenbourg, em consequencia do encon
tro de dois trens.
O trem mixto u- 22 que parte de Cons
tance s onze horas e qnarenta minutos d
tarde tinha entrado na gare era Murg, pert
de Laufenbourg cerca das quatrohoras. Um;
locomotiva com o seu tender, partida d-
Waldshut, segua isoladamente este trem e
devia dirigir-se a Bale.
Quando o trem n. 22 parou na gare rl -
Murg,. fizeram os signaos do costume loco-
motiva que segnia a alguma distancia, ma
o conductor da machina por nome Birkeln
de Fribourg, que estava embriagado, ac
que parece deixou d'observar estes sgnae
e a terrivel massa continuou o seu curse
Os viajantes tinham tomado lugar no tren
que seachava na gare, quando de repeni-
se faz ouvir um estampido medonho, qu;
foi logo seguido de longos clamores e !
de gemidos.
A locomotiva havia batido contra a trazei-
ra do trem, e despedacou tres wagn
ebeos de viajantes. Q ultimo wagn foi im
peludo com urna violencia tal, que se en:ai
xou, por assim dizer, no penulimo ; e z
pessoas que oceupavam, foram as quemai
soffreram.
Morreu urna rapariga, doze pessoss forar.
gravemente feridas. Um jardineiro que lev
a infelicidade de se lhe partirem as dua
pernas, viven poucas horas, depois de Ib
terem feito a dupla ampotacao. Um medie
de Waldsuth /o ferido mortalmente. Houv
trinta pessoas mais ou menos feridas o
contusas.
O conductor, a quem os viajantes qaa
riam mal tratar, foi encarcerado.
OUTRO.Com data de 3 do junlio dizer
de.Genova;
Urna enorme massa de gelo que se de.;
pegou do monte Monihoux, situado ent-
Tuizearbre e Crevette, cahio sebre a via n
momento em que passava o trem n. 65.
Os tres ltimos wagons foram acommett:
dos por esta massa, e reduzidos a mil p*
dacos.
Morreram tres viajantes e cinco ficar::.
mais ou menos gravemente ferid .
A nao ser a providencia do machinista
que forcou o vapor da machina, todoo tren
teria sido despedacado, porque elle vio
gelo balo csr-se alguns segundos antes d
caht'r no lugar do slnistro.
dez da noule. O bim do Dionizio, qn;
depois de sentado mesi e em tendo gar-
rafas farta, nao lembrava nem porsom-
br.is do cansaco, teria por sua vontade fi
calo ali mesa indefinidamente ; mas c
marquez de Saint-Maixent prestava j poi c;>
attenco ao intermioavel pairar do prebos
te ; esquecia-se de levar o copo bocea
as palpebras iam-se-Ihe fechando (de ce
mo grado s*eu), e afinal taes mostras et
de somno, que n'ellas reparou Dionizio
Quer-me parecer que o senhor mar-
quez est alguma couzta cansado.
E verdade, estou muito cansado,
estou, e tenho sobretodo um grande somn
red*rguio Saint-Maixent.
Ainda bem : melhor ha de dormir,
para amanha bem cedo estar animoso e
decidido ao camir.ho. Com licenca do se-
nhor marquez, partiremos ao romper da
alva, para aproveitar a frescura matutina.
Acho bem lembrado. Faca ento fa-
vor de verse melevam para o meu quarto.
quando nao adormeto aqu na cadeira.
Dionizio Robostel sorveu o ultimo gole.
e levantando-se da mesa, muito seu p
zar, chamou de parte q to Gailberme pai a
lhe dar algumas instruyes relativas ao
quarto do marquez. Emquanto lles dia-
logavam em voz baixa, Saint-Maixent levan-
tou-se a esfregar os olhos. Julia, que nao
deixra de trocar olhares ternos com o
elegante moco dorante a ceia. estava n'a-
quella o'ccasiao dous passos da mesa. G
marqnez, n'um movimento rpido, passou-
lhe o braco pela cintura, pnchou-a para si,
apezar de leve resistencia que ella oppez,
e collocando os labios as faces da motoila.
disse-lhe ao ouvido estas palavras:
Adoro-a... salve-me a vida... Em-
briague as sentraebas, e meia noute leve
ao meu quarto a chave d porta do pateo.
Faz-rae isto i
Sim... murmurou a rapariga, ferei.
(Cotmvtr- se-ha.)
YP.D0DAR1 -0 DWHUBEGAXU
V


-
^B


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZ4RJQV87_0XWPG8 INGEST_TIME 2013-09-14T00:43:09Z PACKAGE AA00011611_12150
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES