Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12141


This item is only available as the following downloads:


Full Text
r
ANNO XLVI. NUMERO 136. -j ''' ,


*H SEXTA FEfRA IT DE JIHO DE 1870. *
r
1

PASA CAPITAL LCAE2S OHDE NAO SE PAGA PORTE,
*or tres mezes adiaotados................. 60000
...... .^...... 12,5000
....... : ..... 240000
Pon seis ditos dem
Por un auno dem.. .
Cada mumero avulso.

?

MU
PAS DE5TB0 t mi. DA BSVUClA.
Por tres meze adittdos ..................
Pop sei ditos idera....................
Por nove ditos idea.....
Por ota anno de .
.
0750
430500
200250
*70OOO
Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.

SAO ASESTES:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves Filhos, no Para ; Goncalves & Pinto, no Maralo ; Joaqaim Jos de Oliveira, no Cear ; Antonio de iemos Braga, no Aracaty ; JoSo Maria Julio Chaves, no Ass ; Antonio Marqnes da Sih, no Natal; Jos Justino
Pereira d'Almeida, em Mamanguape; Antonio Alejandrino de Lima, na Parabyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulc5o, em Sknto AnUo; Domingos Jos da Costa Brega,
em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martina Alves, na Bahia ; e Jos Ribeiro Gasparinho no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL
Commaado das armas.
QUARTEL-GENKnAL DO COMVA.NDO HAS All.M AS NA
PROVINCIA DK PEH.NAMBCO, 15 DK Ju.MIO
DE 1870.
Ordem do da n. US.
O brigadeiro commandanta das armas publica
pira conhecimoto da gu.irnicao e interessados o
aviso circular do ministerio da guerra abaixo
transcripto que por copia lite fui enviado pela pre-
sidencia desla provincia com offleio de 11 do mez
crrente.
Copia.Rio de Janeiro.Ministerio dos negocios
da guerra em 28 de maio du 1870.
Circular.lllm. e Exm. Sr.Tendo sido enea-
mrahadoS a esta secretaria de estado'requerimfn-
tos que nao se ach.im cumptenteroenie sellados,
assim como os documentos, que os instruem, de-
claro a V. Exe. para seu donhecimento e fins con-
venientes, qae a nenhuma peticao as referidas
((ndi^es se dar andamento na mesraa secretoria
de estado.
Deas guarde V. ExcBario de Muritiba.Sr.
presidente da provincia de Pernambuco.
Coafere. Antonio Annes Jacome Pires.
AssignadoJoaquim Josi Goncalves Fontes.
ConformeEmiliano Ernesto' de Mello Tambo
rtm, tenente ajudante de ordens encarregado de
detalhe.
PEMAMBUCO.
ASSEMBLEA PROVINCIAL.
SESSO ORDINARIA EM 2 DE J.NHO.
PRESIDENCIA DO SB. AGIAIt.
(Continuaca)
O SR. M. PERNAMBUCO sustenta a sua emen-
da, supprimindo a verba para pagamento do offl-
eial de gabinete.
O SR. MELLO REG : -A' vista das observa-
cSs que ac- b.i de fuer o nobre deputado que me
precedeu, nao posso deixar de dar as raides que
influirn) no animo da coramissao para fazer a
pruposta de um official para o gabinete do presi-
dnte.
E' reennhecido que o presidonte precisa de um
empregado de sua inteira conlian;a que esteja
seu lado e sirva pira fazer a sua correspondencia
reservada, para lanzar despachos, etc. : e atten-
deodo iato fui que a coramissao julgou conve-
niente prepr essa creacSo.
Nao tendo o presidente official de gabinete, ou
ha de deixar de oceupar-se cora negocios muito
uu importantes para dar despachos e dicidir es-
sas qnestdes de interesso secundario, que consom
muito tempo; ou ha de fazer como se tem feito
actualmente, lancar piiio do secretario, tira-lo da
;. (usici i e colioca-lo seu lado para fazer o
servico do expediente, com preju*o e trabalhos
muito importantes que correm pela secretaria,
servico aquel le que inferior certamente psi-
to e cathegoria de secretario.
I'm Su. Deputado : J ha precedentes.
O Sn. Mello Reg :E' urna necessidade an-
tiga, reconhecida desde muito tempo, e em relat-
nos de algn* presidentes se tem feito o pedido
da creaco de um olQcial de gabinete.
Por conseguinte me pareceu que convinha pro-
porcionar este meio de facilitar o expediente da
secretaria, mas a commissao, pelo menos de mi-
nha parte, e creio qne os meus dignos collegas
esto do mesmo accordo, tendo procurado cum-
i ir o seu dever, estudou com attenco toda a
materia do orcamento, e apresentou suas opinies
a, de quera espera a deliberago, sein fazer
questo de conlianca por nenhuma das ideas que
'.-indigna no projeeto em dis,-.u9so.
O Su. Ai.mkia. Pernamuuco : Se faz, eu retiro
i emenda.
O Sn. Millo Reg : Agradeco ao nobre depu-
a sua atttnco; a coramjso nao fez questo
>nlanca.
Se a casa uo aceitar esta idea, ou quajquer ou-
tra que esteja no orcamento, a coramissao nao se
ra com isto desconsiderada.
Nao concordo, porm, com a objeccao apresen-
tada pelo nobre deputado, de que a despeza com
o *ffical de gaahineie devo ser feita pelo cofre ge-
ral. A secretaria dos presidentes sao repartieres
provinciaes, ap'-uas o secretario empregado ge-
ral, e o governs treral al hoje nao tem querido
tomar seu cargo as despezas feitas com as secre-
tarias.
O facto de trazerem es presidentes quasi sem-
-pre coinsigo pessoas de sua intima conanga para
o lugar de official do gabinete, nao quer dizer
qae essa pessoa de coulianca seja empregado ge-
ral- ,
Um Sn. Deputado : Tambem nao e provincial.
O Sn. Mello Reg .Porque nao ha de ser ?
Queta qaalilica ese fanecionario de empregado
geral ou provincial
L'si Sn. Deputado :O que se segu c que o
presidente manda pagar sem que o lugar esteja
creado.
O Sr. Mello RegJ temos ejemplo de todos
o ofnciaes de gabinete que os presidentes tm
tr.izido seren pagos pela provincia.
Depois nao e um empregado permanente, um
empregado que o presidente pode ter ou deixar
de ter.
L'm Sr. Deputado : Mas tem cathegoria de
empregado. '
O Sn. Mello Roo: Nao, o projeeto ate du
(ue nao sera considerado empregado, o presidente
n:io obrigado ootnea-lo, ser chamado quando
or julgado necessaflo.
O 9r. Almeida Pernamduco .Desde que nos
marcarmos o ordenado, nunca mais deixar de
haver am official de gabinete.
(Trocam-se muitos apartes).
O Sr. Mel Rhgo :A questo se ha ou nao
necessidade do lugar: se ha, e o governo geral na
paga, pague a provincia.
Ca Sb. Deputado :Pague o governo geral.
O Sb. Mello Reg :Mas a commissao nao leve
em vista augmentar a despeza, tanto que manda
supprimir os rugares de collaboradores, e eu en-
tendo que os collaboradores sao muito menos ne-
cessarios do que om empregado desta ordem, que
deve ser pessoa de certas habilitacOes.
O Sb. AlmeTda Pernavbl'co :Os offlciaes de
gabinete quas que nnlliflcam os secretarios, fa -
jem-nos desmerecer na consideracao do presidente.
0 Sb. Mello Rkgo :Nao, senhor. O secreta-
das quaes o pre-
o tem soas fonc^oes e^peciaes,
sidente nao ha de distraht-lo para emprega-lo no
ervico de seu gabinete, servico este, que, como
ia dse, est abaixo da posicio de secretario.
Pelo lado da economa a suppressao do3 lu-
ffiTes de collaboradores satisfaz perfeiumente
Um Sr. Deputado i-^ eollaboradores sao cnui-
to necessarlos. _
O Sr. Mello Rboo :No Unto quanto o offi-
cial de gabinete.
Dewdinario sao estes lugares preencnidos por
mocos novos, que nelles qoerem fazer o seu tiro-
cinio. ...
Um Sa. Deputado :Isso um abuso e" com
abusos nao se argumenta.
0 Sb. Mello Reg:Em nossopaiz quas que
mais seguro argumentar com os abasos, porque
elles constftuetn, por assim dizer a regra.
Feitas estas consideracSes, eu nao eontinuarei
abusar da paciencia da casa, ella que delibere o
que for mais conveniente.
O SR. M. PERNAMBUCO responde ao prece-
dente orador, ainla sustentando a sua emenda.
Encerrada a discus-ao approvado o artigo com
a emenda.
Art. i. Instruccao publica :
, 5 i." Empregadus da diretoria
geral...................4..... 6:180100O
2." Expediente e asselo da
casa.......................... 4OS0O0
3. Diaria do servente....... 7300OO
4. Empregados e professores
do (iymnasio Provincial......... 43:480*000
5." Expediente e GO ao sr-
veme ......................... 9201000
6.a Museo, inclusive o ordena-
do do preparador.............. 1:600*000
7. Mensalidade dos alumnos
poores........................ 5:680*000
8." Empregados e professures
da escola normal............... 15:680*000
9. Expediente e asseio da
casa.......................... 1:000*000
| 10. Aluguel da casa........ l:2O0*OC0
11. Diaria de 1*600 a cada
servente..................... !: 168*000
8 12. Professores de latim.... 7:386*000
13. Aluguel de casa........ 555*000
5 14. Professores de instruccao
primaria, inclusive a quota preci-
sa para as cadeiras providas e
creadas, do sexo masculino, 4" da
Boa-Vista, do Olho d'Agua dos Bre-
dos, de Sinhr.r, de Cabrob, do
Exti, de ftninb e de S. Pedro de
Pao d'Alho, e do sexo femenino de
Sinhar, Canhotinho, Santo Amaro
de Serinhem, Nossa Sentara do
Livramento da Victoria, Olho de
Agua dos Bredos, Nossa Senhora
da Concei^ao dos Milagres, Laga
dos Gatos, Torre e Quipap...... 289:978*332
j 15. Aluguel de casa, foraici-
menlo de movis e expediente das
escolas....................... 41:620*000
3 16. Bibliothecario..,........ 1:000*000
17. Expediente e asseio da
casa e remonta de livros........ 700*000
18. Subvencao ao Instituto
Archeologico.................. l?2O0*00O
Vo a mesa e apoiam-se as sagnintes emendas:
Ao 14supprimam-se as palavrasde Ca-
brobe accrescente-se esta mesma palavra no
final do paragrapho, e accrescente-se mais as pa-
lavrase de Petrolina.
f Depois das palavrasPao d'Alhoaccrescen-
te-se as palavrasde S. Vicente a serra do Ven-
to. Ftrmino de Novaes.
Ao 3 14accre3cente-see para as cadeiras
novamente creadas em Santo Antonio, 2* seccao
da ra Imperial de S. Jos, ambas desta cidade,
c*sa de detenco e n icturna de adultos na povoa-
cao do Barro, augmentando-se para este fim qno-
la. Gusmo Ijobo.innoel do Reg. F. de Fi-
gueiroa. E. A. de Oliveira, Ribeiro Vianna.
Teixeirh de S.Pernambuco Filho.Pinto J-
nior.Jolenlino de Carvalho. >
t Ao 3 14inclua-se quota para a cadeira do
sexo masculino da Torre. Cunha Cavalcante.
Ao 15 do art. 4o accrescente-se expe-
diente e luz para as escolas nocturnas desta cida-
de- Tolentino de Carvalho.Pinto Jnior.Gus-
mo Lobo.
t Ao 3 Io accrescente-se no final do paragra-
phoinclusive a gratificacao de 500* que pelos
orcameotos anteriores tem tido o secretario da
instruccao publica.Oliveira Fonceca.
Ao 14.supprima-se a palavra Torre, Olho'
d'Agua dos Bredos e Nossa Senhora dos Milagres,
C. de Araujo.
O SR. G. DRUMMOND manifesta-se contra a
emenda que consigna ordenado para um repeti-
dor no syinnafio, visto que de nove lugares de
repetidores que existe naquelle esubelecimento,
apenas dous tem vencimento, sendo os demais
gratuitos ou habilitandospara as vagas desses dou*
lagares retribuidos; equanto do individuo de que
trata e emenda solicitou o lugar, sabia que nao ti-
nha a perceber vencimento>.
O SR. GUSMAO LOBO nao obstante a distincta
consideracao que vota ao nobre autor da emenda,
cujo espirito se tem revelado sinceramente preoc-
cupado pelo florescimento da instruccao publica,
tendo pezar de negar o su voto mesma emen-
da, dando as razoes porque nesta parte, est em
desaccordo com o honrado deputado pelo quinto
districto.
O SR. RIBEIRO VIANNA diz que se achava em
duvlda ou nao conhecia_ bem as circumstancias
que regulavam a admissio de repetidor do gym-
nasio, agora, porm, acabando de ser esclarecido,
nao duvida pedir a retirada de sua emenda.
Consultada a casa cnsente na retirada da
emenda.
Encerrada a discussao, sendo approvado o arti-
go com as emendas, excepto a do Sr. Oliveira Fon-
ceca, que consigna urna gratificacao ao secretario
da instruccao publica, e a do Sr. Correa de Arau-
jo que manda supprimir a verba para as diversas
cadeiras.
Art. 5 Auxilio industrial:
3 1.* Subvencao companhia
Pernambucana................. 60:000*000
3 2. Dita companhia de rebo-
que........................... 6:000*000
3 3." Dita sociedade artista
mechanici,................... 2:000*000
O SR. OLIVEIRA ANDRADE : Sr. presidente:
Acho exagerada a cifra consignada no projeclo
da lei do orcamento para subvencao companhia
pernambucana.
De urna letura rpida que fiz do contrato aqu
mesmo na casa, vejo que a companhia obrgou-se
com o governo da provincia a fazer-seis viagens
redondas aos porios de Itapessuma e Goyanua ;
entretanto eu sei que ella nunca mandn a Itapes-
suma seus vapores, e nem mesmo ao porto de
Goyanna tem feito as viagens do contrato.
cho, Sr. presidente, exagerada a subvencao,
attendendo a qualidade dos vapores, quasi lodos
arruinados, pelo menos aquellos que techo viajado
para Goyanna.
Um Sn. Deputado :Nao diz isto o arsenal de
marioha.
0 Sb. Oliveibb Andrade : Digo-o u, que
tenho viajado nesse vapores, e posso, portanto, dar
informacoes.a casa, sendo alias notorio que o Ma-
mnnguape que fazia a carreira entre este porto e
o de Goyanna achava-se em pessimo estado.
Son, Sr. presidente, natural de Gnyanna; e,
portanto muito justo que deseje o augmento de
seu commercio e desenvolvimento de sua riqeza :
pens que a navegacao a vapor facilitando como
facilita as communicacoes, um meio poderosis-
simo para se conseguir aquello resultado, porm
isso nao me deve impedir de querer urna justa e
parciraoniosa destribuico das rendas da provincia,
e de dizer que excessiva a subvengo da com-
panhia pernambucana.
Um Sr. Deputado .Mas ha um contracto.
O Sb. Oliveira Andrade : Nao importa. 0
contrato pode ser rescindido ou modificado. Son,
Sr. presidente de parecer que oeste ponto se 4e-
vem aeceitar as ideas emittidas pelo nobre mera-
bro da commissao de orcamento em divergencia
com seus collogas.
O Sr. GusnaojObo :(Apoiado). Nesta parte,
sira senhor....
opiniao que, seja' reozida a subvencao dada a
cempanhia pernembucana, supprimindo-se para
este fim as viagens de Itapessuma-
0 Sr. Prdro Affonso :Assim como a do Ta-
mandar.
O Sn. Oliveira Andrade : Diz muito bem o
nobre deputada : no mesmo caso est Tamandar.
Realmente, Sr. presidente, portos sem impor-
tancia, e que nao podem entreter com esta praca
um commerchr mais ou menos consideravel, nao
preciso que vio os vapores da companhia, salvo
se se quizer era pura perda para a provincia, e s
em prcvelto da companhia, sustentar urna navega-
cao meramente luxuosa.
Sopprimindo-se portanto, a navegacao desses
portos sem importancia pode a companhia, fazendo
outro contrato, ci ntentar-se com urna subvencao
mais razoavel, e s mandar seus vapores at os
portos que entretem com esta capital commercio
j nm pouco consideravel.
Eu, Sr. presidente, por ter viajado nos vapores
da companhia pernambucana daqui at Goyanna,
que, alm de irregularidades, mos conunodos e
outras cousas que nao me ocebrrem agora, tera-
se ai a desgraca de nao se chegar ao termo da
viagem por se quebrar alguma das rodas do
vapor....
Um Sr. Deputado : listo pod dar-se com
qualquer vapor.
0 Sr. Oliveira Andrade :Talvez bem prova-
velmento por nao se examinar o estado deltas
antes de se emprehender a viagem.
Sei perfeitamente que um accidente desta ordem
pode dar-se com nm vapor novo e bem cons-
truido ; porm, com maioria de razio, com um
vapor vefho e arruinado.
Um Sr. Deprtado :=Quasi todos os vapores sao
novos.
O Sn. Oliveira Andrade :O Mamanguupe
novo ? outros vapores da companhia sao novos ?
Em geral Sr. presidente o servico feito pelas
eoropaohias de navegacao que conbeco mal
feito. Companhia brasileira, companhia pernam-
bucana, e assim por diante, todas qoerem ter
gordas subvencoes e lucros fabulosos : nana mais
do que isto.
Contra a companhia pernambucana eu posso
dizer na parte que conhe^o que, seus vapores
nao se demoram nos portos o tempo" necessano ;
vo receber carga no embarcadouro de urfi enge-
nho, deixando o porto onde deviam estar e os
passageiros sem meios de embarque, ou sujeitos a
procurarem o vapor no dito embarcadouro e fa-
zerem um embarque muito mais difficil.
Um Sn. Deputado : Isto urna infraccao do
contrato.
O Sr. Oliveira Andrade :Depois, com refe-
rencia a Goyanna pergunto eu: que vantagens
podem resultar para o commercio que o vapor
chegue at o porto de Japomim, lugar alagado du-
rante o invern o de difficil commumeacao com a
cidade, salta aos olhos, Sr. presidente, que, nao
chegando os vapores da companhia Pernambuca-
na seno al o armazem que ella tem em Japomim
eonduzidas pelos
rom
44:700*000
3:500*000
85:000*900
5:000*000
10:000*000
nova no mesmo rio 10:000*0d0,
para abertura do canal da Boa-
Viagem 6:000*000 ; 15:0005 pa-
ra urna cadea em S. Benlo......
10:000*000 para a do Bonito;
8:000*000 para a de Garanhuns,
8:0005 para a compra de urna casa
que sirva de cadeia e quartel na
villa de Cabrob ; 6:000* para um
acude em Raposa, 6:000a para um
acude em S. Bento, 6:000* para
um acode em Pesqueira, 3:000*
para a abertura de estradas do
Ex para a cidade do Crato, villa
do Jardim, Santo Antonio, Brejo
Secco e Ouricury, 10:0005 para a
estrada de Jabolao e Luz, 15:000*
para urna caJa em [tamb, 3:000* ,
para um acude em Bom-Jardim,
8:p005 para um acude de gasto e
urna fonie d'agua potavel em Naza-
reth, 8:000* para urna cadea em
Villa Bella, a:000* para urna pon-
te sobre o riacho Caxilo em Nossa
Senhora do 0' de Ipojuca, 4:000*
para urna ponte sobre o Rio Doce,
500* para a ponte do Espinho na ,
estrada do sul. 6:000* para mn
acude em Huiqae, 4.000* para n
eiicannaroento do rio Taquara al
a povoacao do lltirtlio, 13:000i
para o empedramiento da estrada
de Olinda, e o resto desta verba
para obras diversas............ 165:000*000
Vo a mesa e apoiam-se as seguimos emendas :
t Ao 7diga-se 2:000* para a igreja da Ga-
punga e 2:000* para a de Jaboato em vez de
1:000*.Dr. Manoel do Reg.E. A. de Oliveira.
< Ao 3 ""em vez de 1:000* para a igreja da
Capungadiga-se 2:000*.E. A. de Oliveira.
Ao 3 7accrescente-se : 2:000* para as
obras da capella da Casa Forte, 2:000* para as
obras da irmandade de Sant'Anna da Madre de
Deus.F. de Fijueira.Rufino de Almetda.
Teixeirade Su.
Ao 7opara as obras da matriz da Escada
1:080. Ftgueiredu.
t Ao 3 7o accrescente-se 5:000* para as
obras da matriz da Boa-Vista desta cidade ;----
2:000* para a igreja de Santa Rita de Cassia ; e
1:500* para a igreja da Casa Fore. Tolentino
dt tartalho.Pernambuco Ftlho. '
Ao 7oaccresefente-se no lira do paragrapho
1:000* para a d^ Cabrob.Firtnino de Novaes.*
Ao f 8-dign-se : em lugar de 10:000*
15:000* para a estrada de Jaboato Luz.Dr.
Manoel do Reg.
Verificando nao haver numero fica a discussao
adiada.
08R. PRESIDENTE designa-se a ordem do dia
e levanta a sesso.
REVISTA DIARIA
nao tendo as mercadorias eonduzidas pelos ditos
rapores tran^porte_ fcil para a cidade durante AltOBMPLBA I>ftOVINOhfe-~ffa^nrri-fiHr a
0 Sr. Oliveira Andradf
todas as estacoes, nao podem elles concorrer
as barcacas, pequeas ombareaces proprias para
a navegacao do rio Goyanna, e que dio embarque
e desembarque fcil as portas da cidade; tauto
mais quanto nao ha quasi nenhum negociante que
nao tenha sua barcaca pela qoal remette a carga
que tem, e recebe aquillo de que precisa para
alimento de seu commercio.
O nico melhoramento real e importante para
Goyanna a abertura e canalisacao do rio deste
n une. coodicao indispensavel para o engrandec-
ment da segunda cidade da provincia, e para
bom resultado da navegacao vapor. Alm disso,
pagarffios subvencao a companhia Pernambucana,
, como j disse, sustentarmos urna navegacao
luxuosa, e dar-lhe de presente dinheiro, que pode
ser melhor applicado. Assim, pois, vou mandar
a mesa urna emenda, limitando-me as considera-
Coes que agora fiz muito da sorpreza e aguardan-
do-me para a discussao do additivo.
O Sr. GysMAO Lobo:Tem justificado plenamente.
Vai a mesa e apoia-se a seguinte emenda :
. Em lugar de 60:000*-diga-se 40:000*.
Oliveira Andrade.
O SR. MELLO REG justifica e manda a mes;,
o seguinte requerimento :
Requeiro o adiaraento da discussao deste ar-
tigo para ser votado em ultimo lulgar com o adi-
tivo apresentado
O SR. G. DRUMMOND faz largas consideraces
em opposicao a emenda, declarando nao ter duvi-
da em votar pelo adiameoto proposto.
O SR. OLIVEIRA ANDRADE pede a retirada da
sua emenda que lhe concedida.
Encerrada a discussao approvado o requeri-
mento de adiamento.
Art. 6. Obras publicas :
3 1." Empregados............
3 2 Expediente, inclusive os
serventes .....................
3. Calcamento da cidade e
juros das apoliees...............
3 4. Estudos graphicos.......
3 5." Gymnasio provincial.....
3 6. Reparos e cnnservaco de
obras e edificios pblicos, inclu-
sive 2:500* para a exlinccao de
formigas e concert do acude de
Villa Bella, tres contos de ris
para o concert do acude de Ca-
ruar, 1:000* para "reparos do
acude de Garanhuns ; 600* para
reconslruccao da cadeia de Paje
de Flores, 6:000* para a recons-
truecao do acude de Bezerros;
2:000* para concert da cadeia
de Tacarat................... 160:000*000
3 7. Para obras de matrizes e
igrejaa, sendo, para a matriz de Se-
rinhem 1:000*, para a igreja, de
Nossa Senhora do Rosario da Boa
Vista 1:000*, para a capella de
Nossa Senhora da Conceco do
Outeiro de Ipojuca 1:000*, para a
capella de Santo Amaro 1:000*,
para a capella de Nossa Senhora da
Piedade'de Santo Amaro 1:000* ;
3:000* para a matriz do Rio For-
mse. 1:000* para a matriz de Una,
2:000* para a matriz de Quipap,
1:000* para a igreja da Capunga,
1:000* para a matriz de Tacarat,
4:000* para as obras do seminario
de Olinda, 1.000* para a matriz
do Bonito, 1:000* para a matriz de
S. Pedro Martyr de Olinda, 1:000*
para a matriz de Jabolao, 2:000*
para a igreja de Santo Antonio de
Itamb ; 1:000* para as obras do
Caraarira dos Passos do convento
do Carmo de Olinda, 1:000* para
a igreja de S. Goncalo desta cidade,
1:000* para a igreja do Amparo
de Goyanna, 1:000* para a igreja
do Carmo de Olinda, 1:000* para
a igreja de S. Goncalo e 1:000* ,
para a matriz de Grvala,....... 37:000*000
8. Para obras novas.sendo pa-
ra abertura dabarrade Serinhem
at o porto do Aojo 25:000*. para
o empedraraento da estrada da
estado da Escada villa do mes-
mo notne 5:000*, para a reoons-
truccio da ponte sobre o rio Pira
asserabla apurovou, em l.* discussao, o projeeto
n. 83 deste anno qae determina que a companhia
de trilhos urbanos de Orinda nao possa est.ibelecer
cstaco terminal sena > no lugar que lhe fur desig-
nado pelo emirato, depois de oraren) os Srs. Oli-
veira Fonceca, Teixeira de S, Mello Reg, P. Af-
fonso, G. Drummond, sendo dispensado o intersti-
cio requerimento do Sr. Mello Reg.
Continuando a 2" discussao do orcamento pro-
vincial, votarain-se os arts. 10 15, orando diver-
sos Srs. deputados.
A ordem do dia para hoje : continuacao da
antecedente; 2* discussao dos projectos ns. 117,
83, 55 e 125; 3' dos de ns, 38 de 1869, e 97, 104-
e 114 deste anno.
CLUB POPULAR.Haver hoje sessao familiar
hora do costume.
REUNIO ARTISTICA.-Domrago deve ter lu-
gar a reunio artstica, para se levar effcito
voto de gralido dos artistas desta cidade aos bra-
vos defensores da patria nos campos do Paraguay.
GUARDA NACIONAL.Por deliberacoes da pre-
sidencia da provincia de 9, 10 e 13 do corrente :
Mandou-se dar guia de passagem para um dos
batalhoes do Recife, ao tenente do 18." de iofan-
taria Ladislao Rodolpho de Araujo Cesar.
Foi nomeado, sob proposta do respectivo cora
mandante, 2o tenente da 2' companhia do l ba-
taiho dearlilharia do municipio do Recife, Caetano
Jos Goncalves da Fonte.
Fo demittido por ter sido oondemnado por cri-
me de falsilicacao, em vista do 3 1." do art. 66 da
lei n. 602 de 19 de setembro de 1830, o alferes se-
cretario do 2.* corpo de cavallaria do municipio
do Brejo, Jos Correa de Araujo.
Foi nomeado, sob proposta do major coraman-
dante, Antonio Ribeiro de Andrade, alferes da 2."
companhia da seccao de reserva n. 15.
AUTORIDADES POLICIAES Por deliberacoes
da presidencia da provincia, de 9 e 13 do corren-
te, foram nomeados: Virgilio Carneiro da Cunha
Albuquerque, subdelegado do 2." districlo de San-
to Amaro de Jaboato ; i., 3." e 5. supplentes do
o qaal del pama 10:000*000, para urna ponte
subdelegado do 1." districto do Bonito Jos Cy-
priano Bezerra de Mello, FraBcelino Cabral de Mel-
lo, e Francisco Jos do O'.
FOLHETIM.Encelamos hoje a publicacao do
interessante romance A viva depois de torta, do
sympathieo escriplor franeea Xavier de Montepo,
no qual se encontra um facto histrico bem conhe-
cido na Franca, e mencionado as Cautas Celebres
sob o titulo de Prcctsso do marquez d* Saint-Mai-
xent. Recomraendamo lo mui especialmente aos
nossos leitores, para que coohecam mais um typo
digno de estudo, pela sua finura e intelligencia.
GOVERNO DO BISPADO.Acha-se no ejerci-
cio de governador do bispado, desdo o dia 15, o
Rvm. Sr. conego Joao Chrysostomo de Paiva Tor-
res, vigario capitular da diocese.
CANTOR, A' bordo do navio Lata II, veio
para esta cidade, onde pretende dar aigons
concert*, o bartono portnguez o Sr. Vieira, cuja
voz diaem-nos ser mu'rto agradavel. Baldo, como
est o Recife de distraccoes, mais que nun-
ca agradavel essa boa vinda.
paROGACOPor deliberacao da presdenc'a
da provincia, de 15 ilo corrente, foram prorogados
at o dia 25 os tranalhos legialativos da assembla
provincial.
JUAY DO RECIFE.Deixoa de funecionar na
quarta-lelra, por falto de numero sufflcienle de
juizes de facto.
QPRPJJ5 CHR13TIA irmandade do sacra-
mento da freguezia de Santo Antonio celebrou
honiem oom grande brilhantismo e esplendor a
festa de Crpo de Deus, orando ao EvaBgelho o
Rvm. fre Joaquim da Espirito Santo, e ao Te-De-
um o Rvm. Joonego Dr. Pelinca. A orchestra foi
dirigida pelo deslineto professor Jos Coelho Bar-
bosa, cantando o Sr. Manoel Silvino de Barros
Falco um dos solos.
A' tarde percorreu algumas ras da freguezia a
respectiva proeisso".
EXAME DE HBILlTAgO. Comecou na
quartaferra o exame de habilitaco das concor
rentes as cadeiras vagas de instruccao publica d<
sexo femenino.
MINERVA PERNAMBUCANA.Nao tendo po-
dido haver sesso ordinaria na quinu-feira, sao
convidados o Srs. socios a comparecer as 4 horas
da tarde de amanha, na casa em que costuro*
funecionar esta sociedade.
MACEIO'Chegou hootem o vapor Geqwi da
companhia Pernambncana, trazendo datas at 15
do corrente.
Foi exonerado, seu pedido, de promotor publi-
co da capital o Dr. Joaquim Pontes de Miramh, e
momeado para substitu-lo o Dr. Luiz Monteiro de
Amoro) Lima.
Naufragou, no dia 9 do- eorrente, na barra d*
Caimragibe, o paladn inglez Louise, carregado
deasaucar, que ia de Juragu pira i Canal.
Em S. Miguel.dos Campos lavravam.com alguma
intensidade as varilas, tendo fallecido de 1 a 9
nove pessoas e bavendo 20 atacadas.
A cmara municipal da capital tinha comprado
farmha para n-talhar ao povo preco mdico, em
vista da disposico da lei provincial n. 510 de 33
de abril ultimo.
Achava-se na capital o Rvm. misionario capu-
chinho Fre Fidelis de Rognano, que ia promover
a concluso do cemiterio publico.
Lemos no Diario das Alagos:
Pelo subdelegado de polica do districto de Igra-
ja-Nova foi capturado o criminoso de raorte Ma-
noel Das de Oliveira. que se acha recolhido a>
cadeia da cidade de Penedo.
Participa o respectivo delegadoque j nao exis-
te na serra da Maraba um s-dos individuos que
ali se haviam acoutado desde poca remota, fa-
zendo depredacoes e correras, com grande terror
da populacao. >
Pelo tenente commandaote do destacamento
da comarca da Imperatriz foi capturado na Lage
do Canhoto o celebre criminoso Antonio do Reg
Barros, pronunciado no termo de S. Bento, pro-
vincia de Pernambuco, e aceusado de haver fur-
lado 20 e tantos cavallos em Canhotinho e 13 na
Lage.
0 mesmo official fezUambem prender, depo
de urna lula de meia hora, o indiciado Francisco
Pereira Guerra, e seus irroios Manoel Francisco
Guerra e Antonio Pereira dos Santos Guerra, os
quaes, lomando os sabres de 2 soldados, e auxilia-
dos com cceles e urna taca de ponta, ferirara
gravemente a 1 soldado e levemente a 2. Cons-
ta que sao criminosos em Paje de Flores da Pa
rahyba do Norte.
LOTERA.A qne se acha a venda a 130*
a beneficio da igreja de Si Sebasuo do Bonito, a
qual corre amanhaa.
PASSAGEIROS.Vindos de Macei no vapor
brasileiro Cequia :
Luiz Gonzaga Pereira Augusto Vavigerme.
CEMITERIO PUBLICAObituario do dia lOde
junho.
Ignacia, Pernambuco,. 2 annos, Santo Antoaio,
caea dos expos'os; phthysica.
Amaro, Pernambuco. 4 mezes, Santo Antonio ;
convulsoes. ,
Antonio, Pernambuco, 6 das, Santo Antonio;
eclampsia.
Joao, Pernambuco, 17 irioies, Boa-visla; on-
vulsdes.
Ura prvulo encontrado junto igreja de Si Pe-
dro ; ttano.
Francisco, Pernambueo, 13 mezes, Boa-vista;
eonvalses.
Joao Evangelista Lima, Minas Geraes, 58 annos,
viuvo, Boa-vi-ta ; entente chronico.
Germano Ramos os Santos, Pernambueo, 50
annos, casado, S. Jas ; hydropesia.
Francisco, Pernambuco, 17 mezes, Santo Anto-
nio ; diarrha.
Jos, Pernambuco, 9 mezes, Boa-vista ; enlerite.
Joao, Pernambuco, 4 mezes, Boa-vista; espasmo.
Anna Maria da Cooceico, Pernambuco 45 an-
nos, viuva, Recifa; pencardite. '
Joe Evangelista do Nascimento, Pernambuco,
78 annos, viuvo, Boa-vista ; gastro hepatite.
Francisco, Pernambuco, 9 mezes, Santo Anto-
nio ; gangrena.
Esfphania Eufrozma Ferreira, Pernambuco, 7
annos, Boa-vista; gangrena as fauces.
Maria, Pernambuco, 22 mezes, Santa Antonio;
enterite.
Balbina, Rio de Janeiro, 33 annos, solleira, San-
to Antonio; pneumona.
Antonio, Pernambuco, 6 mezes, Boa-vista; es-
pasmo.
Luiz de Franca Moreira, Alagas, 41 annos, ca-
sado, Boa vista, hospital Pedro II; infiammaco no
figado.
Margarina Francisca Paes de Mello Aecioli, Per-
nambuco, 66 annos, casada, S. Jos; enterite
chronico.
Maria, Pernambuco, 2 annos. Boa-vista ; gastro
enterite.
Felippa, Pernambuco, 3 mezes, Santo Antonio ;
phthysica.
Antonio, Pernambuco, 1 anno, Recife; denticao.
12
Maria, Pernambuco, 2 annos, Santo Antonio ;
infiammaco no figado.
Anna Chrispiniana Tavares Coutinho, Per-
nambuco, 8f annos, viuva, Santo Antonio; velhice.
Manoel Marques da Costa Soares, Pernambuco,
37 annes, casado, S. Jos; diarrha.
Marii Joaquina do Nascimento, Pernarabuco> 30
annos, solteira, Boa-vista ; congestao cerebral.
Luzia Ferreira Pereira Lagos, Pernambuco, 85
annos, viuva, Atogados; diarrha.
Um prvulo encontrado, cujo nome ignor-se,
Boa-vista.
Umbeln., Pernambuco, 1 anno, S. Jos; fnal-
dade.
Manoel, Pernambuco, 1 hora, S. Jos; conges -
to cerebral.
Maria, Pernambuco, 3 dias, Santo Antonio ; t-
tano.
Mara, Pernambuco, 17 dias, Boa-vista ; es-
pasmo.
pela grande rapidez com que cura a tosse eni In -
dos os seus periodos.
A academia medica de Berlim leve muila razi-
en) considerer o sueco d'esta baslsamica arv -
re, como um especifico absoluto para as irrita-
taces e"nflam.ijoes da garganta, ou vasos bron-
chios.
Nenhum caso de rompidao, astbraa, eatarrh",
dr da garganta oa Dronchite, ptfc resistir -
suas propriedades contra-irritantes. Resistiluej
restabelece a voz, qaando por affecees da trache i
ou larynx se che ga a perder ou debilitar; faz pa-
rar a expectoracao sangunea, e impee a aggio-
meracao de mucosidades nos tnbos da respiracao,
que cenduzem aos pulme.
Inteiramente rom difireme essea peitorae-
compostos principalmente de fructas aeres e ad-
tringeDtes, etc., finalmente na sua delicada e ela-
borada composico nao entra nenhum accid>
prussico, nem tao pouco ingrediente algum de es-
pecie cu carcter venenoso.
fos Ruano de Araujo e MMMM
inioilgos.
APUNTAMENTOS
PARA A HISTORIA DOS SALT2AB0Bfc.~
DO A.V.t i SBRTO.
COMUNICADOS.
Ao Liberal.
0 Liorof tem se oceupado da mnha humilde
pessoa e de um discurso que na asserabla pro-
vincial pronunciei por occasiao de discutir-se o
projeeto de torca policial.
Eu estava deliberado a no oceupar-me com o
Mestr Braz, signatario dos artigos Jera que so*
vilipendiado, e dpixa-lo morder-me e morder-me
tanto e sem que obtivesse-resposta mnha, que aft-
oal acabasse elle por morder-se e devorar-so a si
mesmo como os caes tydrophobicos. Lendo po-
rm o Liberal n. 17 de 15 de juuho, onde se me
faz urna aecusaoao mais seria, julguei necessario
vr imprensa e faco-o com o Om de provocar o
auctor de laes escriptos que os assigne.
Se Mestre Brat tirar a mascara, eu responder-
Ihe-hei; se o nao Qzer pode dizer o que de mim
qoizer, porque conservar-me-hei indiffereute
quauta calumnia e insulto elle julgar proposito
attirar-me.
Se tem pundonor e honra, assigne Mestre Braz
es seus escriptos; se porm nao tem, deixe-se fl-
car envollo no mysterio, porque a couraca dos
misera veis, e porque deve elle saber qae quem se
presa nao (uta com miseraveis.
Recife, 15 de junho de 1870 .
FeHppe de Figvema Faria.
PUBLICACOES A PENDO,
Anacahuita peitoral.
Est fazendo patinar lodos os nossos mdicos
2.* parte.
Invoco intilmente o auxilio das autoridades /
Salgueiro. Louvavel' proveitosa coadjvanan
do delegado do Jardim. Captura de dous cm-
plices de Jos Barbosa, ntenencao dos Corva-
llws a favor delles. Diligencias infructuosos.
Manoel de S exige com instancia a entrego dV
presos, e solla-os em caminko. Um documenta
importantissimo.
Como simples particular, e sem o conenreo da-
antoridades policiaes, eu nao podia emprehender ;
perseguco e captura de Jos Barbosa e seos se-
quazes.
O major Raymundo de S, que ora o delegado
do Salgueiro, por umita- vezes me tinha convidado
para que fosse perseguir laes criminosos; mas eu
lhe observava ser elle o mais proprlo pare isso
como auloridade policial, e porque os Carvalhos,
seus prenles, eram os protectores de Jos Bar-
bosa.
Era junho de 1868, depoh dos aconteeimentos
que me incitaran) a emprehender o restabeleci-
raento da ordem publica no Salgueiro, fui fallar ao
major Raymundo ; o qual me prometteu ppestai
auxilio.
Depois d'esta promesa fui villa do Jardim (aa
provincia do Cear), onde entend-me com o dele-
gado, o Sr. Dr. Antonio Lopes de Barros, sebre o
assumptoque me preoceupava.
O Sr. Dr. Barros, applaudindo meus desejos,
pedime que eu i'j'srao me encarregass* das di-
ligencias que se deviam fazer ; para o qne oftre-
cia-me a torca policial de que podesse dispor.
Referi-lhe o qne j se tinha dado entre mim e sen
primo o major Raymundo ; e accrescentei que, se
nao fosse bastante a forca por este offerecida, eu
oediria mais a elle Dr.Barros.
Depois que sahi da villa do Jardim, indo l meu
irmao Galdino, o Dr. Barros fez com que elle le-
vasse logo urna forca de vinte pracas para o Sal-
gueiro- Mas entendendo-me de novo.Jcom o major
Raymundo, damio-lhe conta do resultado de m-
nha conferencia com o Sr. Dr. Barros, elle me
disse, que nada poilia fazer naquella tcnsio.
porque nao confiava na gente do lugar, e pretisav
de procurar gente de [ora. que fosse de sua con-
fianra.
Isto era nm pretexto muilo ftil, que bem trn-
duzia a nenhuma vontade de que se eliectuasseni
as diligencias, qae eu me dispunha ;. era uim
prova da insincerdade do offerecimenlo anterior-
mente feilo.
Com este desengao voltei para minba casa.
onda encontrei raen irmo com as vinte- ancas.
Enao mandei un outro irmao meu ter com o ma-
jor Raymundo de S, e pedir-1 he com tod? a ins-
tancia, que rae prestasse algum auxilio de pe>
soas, e tambera de armas, se fosse possivel. Ma-
elle apenas mandou-me a seguinte carta, e ditas
espingardas :
lllm. Sr. Jos Rffino.Recebt a sua eartu
a nada posso FAZEn por razj de eatnr bastante
aduentado eslou al lie hojem en* remedio e o mais
despnnha da quem preza ser com estima Sen
Amigo Criado (Assignado)Rutjmunih de Su
Araujo.
Nada posso fazer 1
Bella resposta de um delegado de polica, que
presencia os attenlados barriten diariamente cotn-
raetlidos por urna numerosa quadnlka deTassassi-
nos e roubadores '
Fez-soa diligencia sob a direceode meu rm:
Galdino, e leve em resultado a captura de Manoel
Caboclo, irmo de Jos Barbosa, o qual em casa
desse se acuitava, e Martinho, cunhado de Manoel
Caboclo.
Sr. Manoel de S, tendo noticia disto, foi in-
mediatamente minha casa, onde estavam os pre-
sos, pedr-o-e que os soltasse. Mostrou-se bs-
tame irritado pela priso de Manoel Caboclo, e
disse, que este ero vaqueiro de seu sogro o Sv. Jos
-' Carvulko ; e que prender-te um vaqueiro de
homtm, anda que ticesse crivu, era urna descon-
sideracao para o orno.
Respond, que nao soltara Maaoel Caboclo, em-
quaolo nao estivesse decidida a captura do Jos
Barbosa. Emo o Sr. Manoel de S, mudando
de tctica, declarou querer ajudar-rae na captura
do Jos Barbosa, e acompanhar a diligencia. Seu
fim era dar escpula Manoel Caboclo, apenas
aohasse opporlunidada ; tanto que, voltaudo fa-
zenda.de eu sogro,. l eucentrou Jos Barbosa e o
avisou de tuno que havia a seu respeito. Em se-
guida lo o Sr. Manoel de S villa, do Salgueiro,
e voltou minha casa com urnas vinte pracas.
Combinamos fazer ma diligencia aos Paos Bron-
cos, do termo de Cabrob, onde se acoitavam Jos
Barbosa, Jos Lua e muitos outros as-assinos.
No dia seguinte sabiram meu irmo Galdino e
Sr. Manoel de S com todas as pracas. em numero
de1 quarenta ; Vas chtgados aos Paos Brancos nao
encontraran) nenhum dos criminosos (porque Bar-
bosa tinha sido avisado), mas rnente as omitie-
res que com elles viviam.
Determinaran) voltar, e foram dormir na dis-
tancia de duas ou tres leguas, em um lugar meu
irmo com as 20 praca, que recebeu do Sr. Dr.
Barros, e em outro prjimo o Sr. Manoel de S
com a torca qne obtivera.
Ao amauhecer, meu irmo, sem ada dizer ao-
Sr. Manoel de Sa, de quera desconfiava, voltou
cora as vinte pravas ao valhacouto dos assassraos,
e nao encontrn mais as omitieres ; mas conhe-
ceu por indicios, que se haviam retirado para o
lugar Coaceicaa dos Creoulos.
Para ahi se dirigi, e fez cercar diversas casas
intilmente. Quanao voltaram descobriram qne
Barbosa se evada de um pequeo casebre, o que
conseguio, apezar de doos tiros que lhe deram
sem resultado.; l.
Voltou mea irmo Galdino para Paos Brancos.
A casa, que nesse logar servia de abrigo ao*
assassinos, pertencia urna flava, que elles tinhan
desalojado torca : meu irmao Antonio, aBm de
os arastar dalli, dirwio-se i mesma viuva, com-
prou-lhe a casa por iOM e lancon-lhe W-
De Pao Brancos voltaram todos da diligencia.
O Sr. Manoel de S, dirigindo-se em sua voiu
ao lugar onde estavam os presos, ejigio a soltura
delies, e eonw aiada por esta vnao fot sapi-
5
*
-.^1


1
p
\ff\ Piario Pefambuco Se*U feira 17 de Junho de 1870.

i
fe*, exigi qae )he tossctn entregue, afim de os
oeaduzir eadeia do Salguero (e tul nomo mere
e uro casebre arruinado.)
A rla-desta insistencia foram-lbe entregan,
- nueh os sollou eni aminho.
Bopew 4a prisao d'esees criminosos, eutinha
TBcehto a se|nmte caru do Sr. Dr. Barros, pro-
amtitTa, delegado do 3a>dm,'e paredte dos 'Car-
ymOmt, roas hornera honrado u dedicado ao bem
publico. E' um doeuaaento iiuporrHiiis>imo,que
prcva a veracidad' de minha exposieio, e a con-
lianza qae em miro e meus innaos deposlteva o
Sr. Dr. Barros.
Amigos Marto e JoS Rufino. Jardim, 11 de
julho de 68.Depois de suas cartas e officios, tico
lateirado do resultado das diligencias, -
Vejo a de.-ercao que tem havido des soldados
que lhPsienhoenvi*(k>. Meosamigos, voces beta co
nhecem as diflleoldades cun que urna autoridade
conla quando serve-te de gente tiesa ordem, que
nao conhece nem respeita disciplina militar. Alm
disso orca ei nfessar, que uo estando essa gente
destacada, o seu servido de diligencia ao pode
nf -uio deixar de ser temporario e de poucos dias.
c Elles enienderam que estava feiu a diligen-
cia, e que por isso ja se achavam desobrigados.
Devenios, portaato, ter paciencia com essa
fcntr, para que de outra vea elles se prestem com
aaetia boa voulade com qae fl'aqui partiram.
Com a chegada d'elles eu requistoei nova forca
para os substituir ; porm, meas amigos, nao ten*
du eu gente do polica, e nao podeadu laagar man
da guarda nacional indejiendente de requisito,
lentio me visto para adquirir com presteza agente
que reqaisilei. Nu entretanto pade reunir a qut-
lhe remeti, e tico em diligencias de uestes tres
das mnndr-lhe mais-gente, mesmo para substituir
alguns que estiverem com ancias para voltar.
Reoiettu lainbem uina carga de rapadura e
'Mitra de farinba, e tontea os meus amigos qae
nao os abandonare!. Qualqner auxilio que prec-
*areoi pecam-me, que .serio satisfeitc*, conforme a
urgencia com que fr pedido. S sinto se-acharem
vc* Jora do termo de mirfha jurlsdiccao, porque
at em prnpria pessea sempre appareceria por
ahi. Requisitei a vinda dos presos qae o Sr. N
4 Manuel de S) carregoa, e ameaeei-o de mett-io
*m processo e dar --arte ao cht-fe de polica de
Pernambueo para o rcsponsabilissr. Vou pro-
cessar o Caboclo como cmplice do roubo de Per-
leras, e do outro nao -ei, porque iem an menos
me mandaram dizer rimo se ohmam, limitando-se
apenas em dizerem ctn. Face quesiao de gabinte pela vinda dos
presos, e se nao vierem, protesto-que as autorida-
des policiaes do Salgoeiro nao sesatiirao bem nesse
negocio. Dirigi-ihe um ofllcio exigindi -os. pns-
sei-lbe urna dose homeopatbica de qus elle (o Sr.
Htmotl 4e S, suhtrlegado do Eofgneiro) tama de
i'-r tcado ardendo-ne o costados.
Na > Ibes mando a opia d'esse otEcio, por
ser mito extenso, mas logo mes mostrara.
Vou ufli:ur para Oabrobo, nao so dando o
m jtivo por que minha forca entrou naquelle ter-
no, como mesmo petindo-lhe auxilio a perse-
gfala d'esses facraorn*os; igual pedido von fazer
delegado de Villa-Bella e facaratn. Mea mane
capitao Xiqninho nao est ah, desceu ara a Tetra
ootn gados, mea pai ha mais de do'is mezes que
vive em cima de urna cama ; portante nao posso
voerar d'elles um auxilio que por nalureza me
trviain prestar. No entretanto voa sempre esore-
ver-lhee. Do Salrurico !* vem <3t;c nada mais
ha a espeiui\ SEAD *FPOsigAo. No entretanto
aciM bora Mr to Alexandre, que delegado, pedindo-ltae .au-
xilio em mes nome.
Minha fri'sumpco que se elles (os astasii-
nos) tiverew de se reunir e de vir atacar nao
ja ; e per isso devein (eu e ams iitiwos) ter
vigas e pouteiros para o lado d'onde presumirem
que elles possam vir, tira de serem avisados com
tenipo e de me avisarem lambem.
Kemettolhes docs oflicios, um para o delega-
do de Belnionte boMm para o delegado de Villa
l^dla, nos quaes peco auxilio para a perseguicao
o'esses monstros, e tem bem facuidade para entrar
i tiii.'iba forja nos rustrid is da jarisdiccao d'elles.
Tanioeinescrevi para Cabrobo, nao' s oommuni-
ando o facto de l* a minlia escolta enloado na-
quelle termo, eomo (ambeiu peaindo auxilio e f*-
uldade.
Voris devem saber as difHeuldades com que
.'uto por falta de g'iitff, e por isso au mando pe--
s almenle esses iuih ofcins.; voces d'aui os
nanJem deixar ao subdelega*) de Beluwnte para
esse mandar ao delegado.
Nao Ihe posso mandar o deprecado ^ue pede,
l-or nao serem ossrs criminosos pronuociadus nes-
"xe termo, s o J >s Uarbuia ; porm esse- mes-
mo estando o processo affecio ao juiz de direilo,
s elle poder expedir o deprecado ; uae leudo eu
relacao com elle e estando o Franklin deente, nao
pude amia mandar fallar-lhe a respeitu-----
CoHttm comigo que estou e estare sempre
promp'o pura os anxUiar em iudo por Sudo. Vo-
'' por miaba, ordem manden), matar urna rez do
mjjor Francisco da Cruz, e outra do Joao Izidro
j.iara a tro,a cawec, que teoho d'elles laculdade.
.VVtiiii maedo chumbo, porque squt nao ha
; 'i; luuin al.' : porm vou mandar compro no
O-ato. Cada suMado leva :i eu 4 carlaxos.
- Nasut quairo dias mando-lbe mais dezhomens
ataca renderem os que quizerem vohar ; e asslm
irei fazendo.
Vo me lefflbrando algumas providencias que
j ilar.-m t:o .veaientes porque eu vivo aqui em
nota roda viva, a bracos com um recruta-
vento brbaro e vinlento eito por.------ nao te-
* iii t''iiiio para dormir.
Elle Dunda a carta juota para ser entregue
sm s.dados iie bamaf os soldados. V'o-e nao entregue a carta
-"lo quando elles houvorem de voltar, e faoa-
t:es semir que elles esto minha ordem e por-
;.mto devem sahir de la quando nao fr mais pre-
ciso. Soube que voces acharan) cartas no coito
dos crinMnijsos, de circumsUncla ; guarde todos
-sai documentos, que preciso d'elles.
Adcus, muita sad^ e /elicidade Ibes deseja
>eu etc.p-(assignado)^ntni'o Lopes de barros. >
Com-i j disse, esta carta um documento im-
j.ortantissimo ; ao Sr. Dr. Barros pero desculpa
de a publicar ; mas o faco porque ella.'muUo lon-
ge de o comprometter, ao contrario urna prova
la elevacao de sea carcter.
Vejam-se as dbculdades com que eu e o Sr.
Dr. Barros laciavamis para o restabelecimento
da ordem e da segaranca individual e de proprie-
luencias officiaes ; as autoridades do Salgoeiro
su" mamfestavam apenas negligencia ou deleixo,
'us a mais pronunciada connivencia, a ponto de
tirarem de sob a aecao da jastica os pareles e
cmplices de Jt/s Barbosa I
Honra ao Sr. Dr. Barros, que, sendo aatoridado
nmgrewstai lastimara se doia do recratamento
riotenlo e barbar* qna se fatia naqnebe tempo I
II Mira ao Sr. Dr. Barros, em quem a conside-
racoe.* de raoralidade e de ordem pnhli: fallavam
mis alto qne os lacos de parentesco I
Honra ao Sr. Dr. Barros, que nao va em mim
> adversario poltico, mas o alliado sincero, cons-
tante e dedicado na Inta q te empreheBderamos
. ntra os salteadoresdo alto serlao f
Basta por boje.
Becife, 5 de jnnho de 1870.
Jos Rufino-de rmij*.
minar os autos Ae execaeaa, de fcHeaaia e de das*
^iflcacterMe crdito?.
Suneu apenas leria a deleea do .Sr. Miguel
sem mais me assoaibrar; inte* asna leitart pro-
vecar-me-hi o riso- senao a compaixae
cados em urna audiencia, mandando o Sr. juiz, qoa
eu fizasse alteracJo nessa classiftcafSo, emendan-
do no sentido da referida peflc&o, o Sr. Miguel,
mal acabando a audiencia, veto a minha mesa,
com um tira de papel, dltendo ser, a copia desaa
Entretanto. ueUa depari'i com o seguate trecho nova-. elassificaCao, para que por ella a^fizesse
''.F.SPOSTA DE BCflGOS PONCE DE LEN AO TE-
CHO DR UMA POBtlCACO FBItA EM-NOME 80
SR. MlL'KL ABCHANJO DE FIGEHtEDQ.
O Sr. Miguel, despeitado em extremo contra a
-bribuicao de uns folhetos do Sr. Maaoel do
Amparo Caj acerca de sna fallehcia que chegou
a rlebrisar-se por snas espantosas proporcoes,
~em a calma e honestidade precisas para defender-
sa das arguiedes que rae foram feitas, enteijdeu
srbir-se victoriosamente tratando psr inmundos
esses meimos folhetos, que em seu jnizo insuspit
mtinha somente falsedades, audacias, mentiras, e
requintado atreeimento!
O publico Ilustrado e sensato como com ra-
7i> se nao illnJindo, poe sempre de parte esse,
licito alacio de que eonslantemeate se serve aquel*
te qae eneontra serios embaraces para cora honra
e dignidade defender-se daquillo qne parece por
m davida a reputa^So e crdito adquiridos com
unto zelo e sustentado ulttmamenl* com auttusi-
mis esforcos,
Com ludo me nao importara a polmica que in-
convenientemeoia pelos jornaes houvesse de se es-
ta belecer entre esees senhores, si o Sr. Miguel, nes.a
subrilhante, edificantee asseadissima aefeSa que
a drede lhe arraniaram, nio trouxesse neu nome
;. balha
Eu tinba, depois que assnmi o verddero car
racter de administrador da masaa de Caj, adquir
rile toda selencla das operorSes btmtalculadas do
Sr. Miguelpor isto, nao e'tranharia que do mes-
mo modo encontrase elle meios condignos, para
d-leBder-se a todo o transe, nem fio ponco o es-
torvaria njsse prazer ephemero ante aqaeHes que
quizessera se conreneer da verdade dos faetos,
iodo, por si, imparcial e escrupulosamente exa-,
em referencia a mim.
i Sendo a omeado pelo eiilao juiz ao com-
mercio e agora desembargador o Exm. Sr. Dr.
k Tristao dr'XtoBtVATaripe, coraicr fiscai, BO -
mcri para prowrsdor da fallaaeia o solicUador
Into.u-CfrrTMrV/wtra Am* entia roen
procarador na qaesiae de Caja. E este mesmo
nrocurador qireHe nao noaiaia no seu m*smm-
io arante!, porque elle * elle, como adininistrador da massa fallida'de
Cajlugar paran qnal m e aomefi, porque na
occastaouo aba outro eredor presente, Hoje
1m> ndtou ronUr* alima faln-ram Sem autorisa-
f, uina ingma^lassifleKa dw crditos a on-
t de nte exclw de eredor hypotkeo&rio e em cauca
nalho Luisa TVixuira de Lima, como aredor*
< privilegiada, apezar de ter sido excluida diere-
' oa da fallencia ede ter catado a sua prelen-
dd prefereneia pposta per-eUa na micha exa-
c cucao contra seu sobrinho Caj.
Analysemo lo.
Sr. Miguel depois de secutar um mandado
de precedo por eonOsead -Contra o Sr. Caj, do
quem se dizia eredor bypotttecario, de coios autos
fui por lie eoastitnido sea procurador judicial e
o Illm. Sr. Dr. Vicente Pereira do Reg advogado,
ein vmdicu, pela opposicio do meslno Caj reqae-
reu e foi aberta a fallencia deslenote-se bem
nao por este titulo de qcese servio para executat-
o, mas por amigas leitnts dos primitivos credoros,
que devendo esUr em ptrder de Caj, segundo a
exqtressa eonvencao havida com este desde que lhe
foi feita abypotheca, acbam-su ainda mal c indi-
vidaiueuie em seu peder I
Aberu a fallencia, o Sr. Miguel nomeado cttra-
di>r liscjtt, censtituio anda nessa causa a mim e
ao lllm. Sr. Dr. Vereira do Rege, procuradores
para defendermosno os seits inAu'nses, saa.sim.
os da ntassa.
Parece que asmm devia ser.
Se, como procurador aa execocao cumpri meu
dever inherente a mea emprego de solicitador,
lamiiem nao dvrxei de o cumprir exactamente nos
autos de fallencia at o dia Mi qne fni, i mi
grado mea, tntencionalmeatf pefo Sr. Uixael *-
mtfdo administrador da massa, -sendo qne-atina1!
sostente acoertei semelhame cargo a pedido de
Exm. Sr. desembargador Araripe, entao digno juiz
do commcroie.
-Mas Mte?t me nomeava admiitistrador, So
sendo eu ceedor da massa, por nao lhe con vir
iKuhum dos outros credores, porque nao ou-
jeituria ao -que sem duvida em sua mente ha va
de sujeitar-se aqueHe qve fmfca sido stu procu-
rador I
Com efeitn. o Se. Miguel, nabil calculista, .em
su bem combiaadas excogilacoas pensou e pen-
soa bem que o fallido rilando muri civilmente
'.iia po&.T em sea proprio nome reqaerer o que
julintsse -a bem de sua massa, nao poda do ma-
nen u alguma desfazer as suas ambiciosas preten-
edes, porquanto tinba de um lado seu advogado,
qtii' o era igualmente n cansa de-fallencia e de
outro contara com a obediencia passiva do admi-
nistrador, que baria* do par elle nomeada, tendo
alfin d'isto sido anteriormente sen procurador !
Nao, nao era possivel, qae este procurador ti-
resse a dignidade d repelhr com indignaeo as
perlidas iusinnaedes. para que voltasso contra si,
fazemi > patente, dos autos, a< mais espantosas ex-
torsi.es feitas por elle a massa de quem, em con-
sequtncia da lalleaeia. estava sem aecao, morto
civilmente.
Quaudo eu digo narer extorses espantosas,
me nao exprimo vagamente, ellas sao em verdade
tao tremendas e escandalosas, qaesetornam bem
visireis a U'dos os oihos. cimiputeando-se nao s
os autos de execuejio, cujas ongiuaes estao no car
lorio d o Sr. capiM Jos Mariano, eserrro do tri-
bunal do commeruio, como Urabem os da faileacia
no cartorio do Sr. Falcad escrivio interino do
jaizo do commercio. E para mais fcilmente se
ronliecer da verdade que venho de dizer basta
ler-se as observaedes que fiz na classificacao de
oreditos, aonde mui claramente as indico, sera
fue possa o Sr. Miguel seriamente contestar.
Dir, perem este Sr. Miguel, que se havia, come
ha de-sua parte actos Ira adlenlo--, com o lim de I
espoliar a massa, dovia ter tu sabido como sen
procurador na quesio com Caj, mesm- antes
de ser por elle nomeado administrador.
A isto declarara em alto e bom som que abso-
lutamente nao sabia porque como solicitador'mi
con pelia nicamente apreseaur em aadincia
lodos og seus requeriraentos, aecusar as aoedes.
[imIiii- r"s e as deltgencias effectaadas em sea
favor e nada mais, e smente o advogadt* o oon-
selbeiro das partee leligenles, iniciador das causas,
cujos direitos sustenta, sendo elle o depositario da
conftanca de teu* clientes, que muttas vezes lhe
revelara segredo de smnma importancia e trans-
cedencia.
E quan lo por ventura, me fossem descoberto
nasal segredos do Sr. Miguel> eu naotrahiria essa
J Ilimitada coiifianca, nem mesmo seria obrigado a
depr como testemunna, aquillo, que eomo procu-
rador, me houvesse sido dito e confiado.
Ora, pelo facto de ser, peto proprio meu eons
tumte, o Sr. Miguel, ento curador fiscal da massa
de Caj, nomeado administrador da mesma massa,
devia en continuar nos teraws da fallencia, como
procurador, cuja procuracao eslava desde entao
revogads, para recebar as suas orden ? ou deve-
ria assumir o carcter do .administrrdor, para
zelar e defenderos iateresses da massa contra as
exigencias exageradas e os assaltos perigosos dos
espirites industriosos ?
Est a raiao por jue, nao tendo eu querido,
como administrador annmr as repugnantes e espo-
liativas pretenses do Sr. Miguel, como faria al-
guern, que sendo advogado de urna certa massa,
se apre-entou com espanto geral em favor de um
dos credores contra a mesma massa, diz o Sr.
Miguel, nu alguem por elle, estar o fallido ligado
comigo.
Neste caso, antes assim, do que estar ligado
com o Sr. Miguel, que em nada me honrara, em
presenca dos fados evidentemente provados bos
autos.
E' falso qne cu izesso urna segunda classifica-,
cao de crditos sem previa autorisaco do juizw.
Fi-la com autorisaco legal, por haver se apre-
seotado diversos credores com seas ttulos- de di-
vidas, os quaes, segundo o preceito jadiclj
contemplet n'ella.
-londe pois esta aqui men erro ?
E porque o Sr. Miguel, que havia raconhecido
como credoRss, inclusive Luiza Tixeira de Limai
tia de Caj, guando desle obteve a escriptura de
hypotheca, nao os conUrapUa quaado carador
lisc.l da maesa ?
E' que eulao estava com a faca e o queijo, e
ludo lhe ia correndo a mil maravilhas.
Mas, que importa ter eu por engao ou de pro-
posito classilsado esteou aqoelle eredor, com
privilegiado, se elle o nao e tenlia mesmo sido j
excluido d fallencia ao tempo qae e Sr. Miguel
fora o prepotente curador fiscal T
E' agora apurar cada um sen direlto, os tribu-
naes do paz, que decidiam como' julgar de jos
tos.
EntreUato.-tode.-ira do Sr. Miguel, provera de
haver eu o classiUcado tate? simftles, dizendo-
se elle eredor hypotheca rio.
Teria eu tido subeja raaio de assim proceder ?
Vejamos;
Quando acced aa pedido de acceitar o cargo
adminisfrador de setemante massa. eonffndq'
nessa honradez' e probidade dj Sr Miguel, lh
d[*se qae smente acceitana, sob a eondic^e dd
nao tomar eu nenhuma iniciativa nesses negai
dos que eorrerlam por sua conu 5 porque nad roe
restara tempo para dalles cuidar seriamentei
mas que estara semore promb, para lhe serrit
e a seu adrogado, que era da massa, copiando e
'Qbserevendo tudo .qnanto enteadessem ser aaister
para o devido andamento desea fallencia.
O Sr. Miguel, que nisto, rio ter jnsumente'4
soupa eahidano mtl, tolo radiante de alegra,
me asegurou qae era erta com effeito a sua int
ten;o, para assim llrrar me de iaeommedos e em*
baracos nos seos trabalhos forenses, poh que ba
ura-lhe fazero favor de seromnattiiirtf adii-
nistrador da massa,
Eo o confesso, era o instrumento innocente do
Sr, Miguel, nao havia papel algum elto por ell
oa pelo advogado da massa, qae immediatamente
nao copiaste e assignasse I
Nada, e nada ahsolntamenft desconfiara.
Um dia-,' me apresenton o Sr. Miguel um pape),
dizendo ser a copia da elassfneaeao des crditos,
que devia ser (exhibida. Copiei e asslgnei, era a, 1*
classiflcacln.
DBprjTlirlito, nroa peticSa MMIialMIUUiurg
loga.-
Esuva eu nessa occasiao atarefad/) com nego-
cios de alguns constituintes que me eercaram e
queriam ser sai viqos^ m oasequeacla do que
recebendo essa copia da mi do Sr. Miguel, lhe
rogupi votaste mais tarde para ser sat.sfeito, un
que no dia aeguinto krariq, em limpo e por- iiin
assignada ao respecUto cartorio.
Masa Sr. Miguel, am me deixar, insisti obsti-
nadamente para qi*a en logo e sem demora algu-
ma, fte dsse prompu essa clas>ii*at;o, e por-
que nao o podesse aatlsfazar de momento, mos-
irnu-sa fio irritado 4 ponto de ser estrauoado seu
procedlmento I
Desde este momento me senti inspirae, de que
o Sfi Migval, abasara da conriaoea ueNe deposi-
tadaque otnqaantn at etttao nio hournse pre-
sentido a inalda-de de seus manejos, deveria me
precaver de alguma rilada armada pela descom-
medida ambicio contra a minha ropntacio.
Assim pesto, declarei soienraemente em resposU
aos seiu arrancos descoanaunaesqua dah em
diante nao seria mais um administrador app&renie,
pois que liaba conscieocia de saber cumpnr meas
deveres sem seh auxilioconsequentemeote dara
a z* cUssiticacoo em tempo pportaaoe desu
vez alada dqnei^para n-emorVn com o yascnnho
fisl deas* chssillcacio feita por seu proprio pu-
nho!
Nos dias subseqoentes lie examinei ewrupnlo
smense pela primeira vez-os autos de execuco e
de faencu e com verdadeira sorpresa e indigna
i*o vi o qne nanea pensei ver.
Oh? sim! parece mertrel que o Sr. Mlgael po-
desse ter levado as consas do modo porque levou
para consegair com oppareucias legaes, extor-
quir violentaaaente lodos os bens da massa de
<:aj I 1
E tudo isto, por ama faulidade, deu-se na pro-
pria capital desu provincia I
E' verdade, que na claseiflcacao de crditos,
considere! o Sr. Majuel como eredor simples, e
por uina quantia u.uito inferior que exiga.
E poderia en contempla lo, como eredor hypo-
lliecarw T
Nao;e nao porque rerifiqnei dos proprioS au-
tos de fallencia, que na escriptura de hypotheca,
iuterveio a fraude e slmulaco.
Caj, ao lempo do passar tal esoriptara, era de-
vedor de 56:86|000 diversos, e j estava em
estado de insolvencia, porqua todo seu activo so-
memo monuva em 32:5724100.
E quando isto nao fosee basunts para a invali-
dade do contrato* feitoeom quem iBconhecidamea-
te era inhbil para contratarv-se que versando
a hypotheca permite a le sobre bsns {mmoveis, era
a escriptura milla por falta da asignatura da mu*
Iher de Caj, meeira nesses bem)
Accresce mais, que tendo Miguel expressamente
declarado, que sena o anteo erador de Caj, por
que remeria iodos os seus crditos pela metade de
sea valor, cajo abatirneato de 60 0|0 revertera em
favor do mesmo Caj, aprespntonse com aqnella
escriptura no valor de 28:W9##00, como se hou-
vesse esgoUdo taes crditos na importancia de...
6:800^000, quando resgatou alguns no valor
de ll:50f000, pelo que nao ficava sendo o unieo
creaor, nem o era de mais de 20:752000, haven-
do conseguintrnente urna extorsao fuperor a___
8:000a090 contra a massa I
E aa mais urna ciregmstaneia importante do
facto, e vem a ser: ,
Caj talvez persuadido que Miguel houvesse
pago todas as suas dividas segando a convenci
feiu com seus credores, ou que Aoiirado con
soava sernao deixaria de assim o fazer, tanto
mais quanlo j lhe hara passado a escriptura, co
ino se elle houvesse resgaudo todas suas dividas,
nao duvidou se confessar por termo no juizo con
eiliatorio, de vedor d'elle por toda d importancia
constante da diU escripturade 8:4OO30t) I
O Sr. Miguel, homem de um trato ameno e per-
aasorio, pelo que tem sabido conservar o sea cr-
dito illeso d'essas tratantiers, nio podia deixar
de influir no animo de Caj, para d'elle obter essa
eonfisso, que nao nenhuma em face das proras
em contrario.
Paramos aqui.
O publico que aprecie e julgne o procedlmento
do Sr. Miguel Arcbanjo de Figueiredo, em relacao
mim.
Recife, 13 de junho de 1870..4nzon Pereira de Sungos Ponct de L$m.
COMMERCfO.
i-HACA DO RECIFE lo DE JUNHO.
i DE 1870.
* AS a i/2 HORAS DA TABDI
Algodao i* sorte9W rs. por kil.
Cambio sobre Londres 90 d/v 22 d. por iJOOO
(hoje).
Cambio sohre Paris 90 d|v. 438 rs. por franco
do banco (hontem).
Dilo sobre dito 90d|v. 440 rs. porfranco (boj-),
nmcallo Jos Affonso,
Presidenta.
MesquiU Jnior,
SecreUrio.
ENGLISH BAM
Jf Rio de Janeiro Limited
Deseo ata lettras da praga taia a cod-
enciooar.
Recebe dinheiro em conta corrente hia
I raso fixo.
Saca vista oa a praso sobre as cidades
prlncipaes da Europa, tem correspondente*
ia Babia, Buenos-Ayres, Montevideo, Nexr-
j New-Orleans, e emitte cartas de crdito
Dar os musmos lagares.
RA DO COMMERCfO N. 36-
aLFANDEGa.
lendimentododiaia 14. 52&29233>
dem do dia 13...... 36:933*344
gaid, de 223 toneladas, commandante Franoiseo
M. da Cosu, equipagem 23, carga varios gene-
roa; acompanlila Pernambacana.
Ooseroafio.
At m^o dia nao bouveram sahidas.
EDITAES.
COMMaNDO das armas.
De ordem de S. Exe. o.Sr. brigadoiro commaa
dante das armas, a bem do servajo chamado
eomparecer com urgencia no quartal goneral o Sr.
y-ieana do 3 baulhio de artilberia a p Joa
quim Joados Res Lima, que a 21 de maio ultimo
veio da corte para esla provincia com dons mezs
de liceaca, que termiaou a 11 do corrente mee,
segundo a declaracao que fez ao apreaentarae o
raesmo Sr. tenente.
Secretaria do enramando das armas de Pernajn-
baco 16 de jant de 1870.
Francisco Camello Pessoa de Lacerda,
___________Tenente- coronel secreUrio.
.S. Exc. o Sr. presidente da provincia inauda fa-
zer publico, para conheciment de quem possa
interessar, que no prass de 90 dias contados es-
ta data receber propostas para a venda da
empreza do encanamanto d'agua do riacho Luiz
da Sila, confoeme a le* provincial abaixo trans
cripta.
Secretana do goveroo das Alaga, 23 de maie
de 1870.O secretario, Joaquim do Reg Barros.
LE N. 550
DR 19 DB maio dk 1870
Jos Bento da Cunha Figueiredo Jnior, presi-
dente da provincia das Alagas : Faco saber a
lodos os seus habiUntes que a ssembla leiiisl-
tiVa provincial decretou e eu sanecioae a le se-
grate :
Arl. 1." 0 goveroo da provincia fica autrisado
a ceder por venda em basu publica a empreza do
encanamento d'agua do riachoLaii da Silva-
para esu cilade servindo de .base o preco de
130:000*000 como o raioimo p r que deve ser
feiu a venda.
Art_ 2. Para a hasta publica preceder a pu-
blca^an de ediues no jornal official da provincia
e das principaes capiUei do imperio com tres me-
zea de antecedencia.
Art 3..O arrematante ser obrigado a substi-
tuir os actuaes chifarizoa por outros de melhor
syslema e elegancia, podeodo aproveitar aquelles
parados suburbios da cidade.
Art. 4.* O mesmo arr miauante nao poder re-
cebar mais de 20 res sobre cada barril ou pote
d'agua vendida ao publico, assim como se obriga-
r a vender toda a que fiir necessaria para as-re-
partiedes do* estabelecimenios provinciaes a pre-
co de 30* annuaes pela pena sendo feita casta
da provincia a collcacao dos canos e toroeiras ; e
fornecer ualmonte sera pagamento algum a
agua precisa em casos de incendios.
Art. S." Concede se ao arrematante o praso de
50 annos para auferir todos os lueros que possa
produzir o encanamento. e lindo este praso icar
elle perteqcendo provincia, sendo entao forneei-
da agua ao povo gratuiumeute.
Art. 6.* Docorrido o tempo, de que traU o arti
go antecedente, o arrematante entregar a enpre-
za em estado perfeito de funeconar, juizo de
urna inspeccao de professii naos, sob mulu de
20:000*000.
Art. 7.' O producto da venda do eucanameato
sor convertido em apolices da divida publica do
Estado, e >eus juros ai cumulados anoualmente
serao tambera empregacks da mesma forma.
Art. 8.* As apolices mencionadas no artigo an-
tecedente serio depositadas no cofre da thesoura-
ria provincial e nao podurao ser vendidas ou ter
applicacao sem, expressa autorisaco da aseem
Art. 9. -Nio havendo quem arremate a empre-
za na conformidade desu le, tice o presidente da
provincia autorisado a mandar concluir a obra do
eucanamentu pela forma que julgar raas econo
mica.
Art. 10. Ficara revogauas todas as leis e dispo-
sijoes ern contrario.
Mando, porunto, a todas as autoridades a quem
o conliecimenlo e execocio da referida le perten-
cer que a cumprara o facam cumprr lio inteira-
meate cono nella se conln.
0 secreario desu provincia a faga imprimir,
publicar e correr.
Palacio dp governo em Macei, aos 19 de inao
de 1870, quadragesimo nono da independencia e
do Imperio.
L. S.Jos- Bento da Ciinha Figueiredo Jnior.
Nesu ecreuria fot pubH ada a presente lei am
19 de maio de 1870.Joaquim do Reg Barros.
Registrada a folha 141 verso do livro 4. de leis
provinciaes.
Secretaria do governo em Macei, 20 de maio
de l87Q.-Ptdro da Silva Hachado.
Parante a cmara municipal desu cidade,
estarao em praea nos dias 18, 20 e 22 do corren-
para serem arremaudos por quem matar proco
olerecer os alugueis dos tilhos do aojugne pu-
blico da Ribeira da freguezia de S. Jos, ns. 10,
11, 12 e 13. Os pratenaentes devero se habilitar
na forma da lei para poaerem licitar nos inesmos
Ulhos.
Pa^o da cmara munici|l do Recife, lo de ju-
nho. de 1870.
Bento Jos da Costa Jnior,
oro-presidente.
Xo impedimento do secreurio
O ofDcial-maior.
Augusto Genuino de Figueiredo.
ECLARACOES.
380:223*679
MOVIMENTO DA ALFANDECA
'olames sahidos com fazendat 82
dem idem coro generes 285
367
Descarreganrhoje 17 de junho,
Escuna partugueuAguiamereadoria.
Brigne inglezJfartAa-*-4dem..
Brigne iaglezHe4en Richardidem.
Brigue portngaezflfcMupogjidem.
Brigae inglezCawfroidem.
Brigue noriregaenseUfterfarinha de trige.
Pataoho austriaco=/fifarinaa de trigo.
Barca dinamarqneza Fbreninien farinha de
trigo.
Escuna hollaadaza-Aiiy Ha ver b Midem.
Paucho nacional Jaboatao farinba e mais g-
neros.
Brigue portuguezlaia Idiversos gneros.
Brigne inglezJolm^Bauoharidem.
ASCEBEDORU D REHDASI INTERNAS GK-
RAJjS DU PURNlatBL'CO.
.ieodimeatodo dia I a 14. 38:638*858
dem do dia 13....... 2:060*185
De ordem do lllm. Sr. conselheiro inspector
da thesouraria de fazenda d'esta provincia te faz
publico para conhecimento de quem interessar,
que no dia 25 do correnle, s 2 horas da urde,
ir praea para ser arrematado por quem maior
lanco offerecer, o aluguel por nm a tres annos di
casa qne serr de cavallance em Santo Amaro
da fregu ia da Boa-vista. As pessoas quem
convier, deverao eomparecer na referida thesou-
raria no dia cima indicado. Secretaria da the-
souraria de fazenda de Pernambueo, 15 de iunbo
de 1870.
Servindo de offleial-mabr,
^^^^ Manoil Jos Pinto.
Deposito especial de inslrucfo
Tendo de contr?.Urse o fornecimento decapim,
fareio, millu e me] para a cavalhada do mesmo
deposito no secando semestre de julho a dezem-
bro do corrente anno, convido aos Srs. que qui-
zerem ie propor a fornecer os gneros cima in-
dicados, a comprrecerem aa secretaria do referido
deposito, no dia 20 s-10 horas, com as suas pro-
postas fechadas, advertindo que os pesos e medi-
das devem serbio syslema decimal. Quartel no
Campo das Princezas", 17 de junho de 1870.
Jos Joaquim Colho,
Capilao roramaudante.
taao, capa de couro, de 150 folhas ; 100 pratos
travessos de folha, 13 paos de ginipapo de 13 pal-
mos de comprtuiento, 2 resmas de papel hollanda,
40 garrafas de linU de escrever rosa, 6 tales in
glezes, tendo cada nm 8 pos de eomprimefito e 6
de largo.
Saladas sesadas-do conselho de compras navaes
13 de junho de 1870.
0 secretario.
AlexandroRodriguaa dos Anjea. _
SANzVCASDE MISERJCORDIA00
RKCI.FE.
Dinheiro vista. *
A lllm*. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife, no intuito de alargsr o
circulo daa pessoas que concorrem a arremat icio
do fornecimento de medicamentos que tea de con-
sumir a botica do hospital Pedro 11, manda fazer
publico que o fhesmo fornecimento da qaantla
de 5:000* anualmente, e qae pago mensalmente
com dinheiro vista :
Ab*inihi, killogramma.
Acafrio, gramma.
Acido actico, killogramma.
Dito ctrico cbristahsado, idem.
Dilo marrano, idem.
Dilo ntrico puro, idem.
Dito oxlico, idem.
Dito sulfrico, idem.
Dito tartrico, idem.
Dilo bensoico, gramma.
Dito phenlco, dem.
Ac preparado, idem,
Acnito, killogramma.
Agua de colonia, duza.
DiU de flor de larangeiras, idem.
Dita de rosa, mem.
Diu de Sedelitz, garrafa.
Dita de Settz, idem. '?
Dita de Vichy, idem.
Dita ingleza de Lisboa, idem.
Alcatrio, litro.
Alcool de 36 graos, idem.
Alecrn, killogramma.
Agua-raz, litro.
Alfazema, killogrammo.
Algalias inglezas de gomma elstica, duza.
Almscar, killogramma.
Aloes, idem.
Alvaiade de chumbo, idem.
Ameixw passadas, idem.
Ammonaco lquido, dem.
Anuelim em p, dem.
Aniz, idem.
Arsnico, idem.
Assafetida, idem.
Assucar candi, idem.
Dito de leite em p, dem.
Avenca idem.
Azotigue, idem.
Bagas de zimbro, idem.
Balsamo de copaiba, idem.
Dito de ToJ, gramma.
Dito peruviano, idem.
Dito tranquillo, killogramma.
Bantu de porco, idem.
Bardana, idem.
Beijoim, idem.
Belladona, idem.
Bicarbonato de sola, dem.
Borracha de gomma elstica, duzia.
otoes de rosas rubras, killogramma.
Barbante fino, idem.
Barbante graso, idem.
Bren, idem.
Bromureto de poUssa, gramma.
Bucanina, dem.
Oabacinhos, duzias.
Cabecas de papoulas, killogramma.
Caixas para plala (franeezas), grosa.
Cal virpem. killonramma.
Cahime hu is inglcze*, gramma.
Canphora killogramma.
Casca de raiz de cyaoglossa, idem.
Canalla, idem.
Custicos fllhos itabos), vidro.
Cantridas em p. ?rarama.
Capsulas de eopayba, caixa.
Carbonato d>* raagreia, killogramma
Dito de potassa, ide.m.
Caroba idem.
Centaurea menor, idem.
Cera branca em gramos, idem.
Dita araareila, idem.
Cevada, idem.
Cvadinha, dem.
Clorato-de potassa, dem.
Cloroformio, prarrrana.
Chochlearia, killogramma.
Codeina, gramma.
Colla de Oandre^, killonramma.
C<>nfeitn3 de lauto de ferro, duzia. *
Cremortataro era- p, killogramma.
Cnbebas em p, idem.
Cyamnreto de poussa, gramma.
Confeitos de Mege, vidro.
lgiulis, gramma.
Dulcamara, killogramma.
lmplastro de aquillio estendido, yard.
Dito de dit iror.iniado, killogramma.
Dito commum, ideth,
Ergotina pura, gramma.
Esl'ratulas de ac sortidas, urna.
Espermacele em rama, killogramma.
Essencia de aoi, gramma.
Diu de canella, idem.
Dita de cidra, idem.
Dita de flore; de laranjeiras, dem.
Diu de hortela cimen, idem. ,
Dita de rosas, ib*:n.
Dita de arnendoas amargas, idem,
Dita debergamoU, idem.
Dita .13 therebenllua, garrafa.
Dita de salsa-parrilha, vidro.
Escamonea, gramma,
Estoraque uncido, killogramma.
Esiramonia, idem.
Ether chr^brydico, gramma.
Dito sulu:ic), leu.
D;tu alineo, dem.
Extracta de acorito, idem.
Dito de alsasaz, idem.
Dito de beiladoaa, idera.
Extracto de eamnnilla,.gramma.
Dito de cicnu, idem.
Dito de doce amargo, idem.
Dito de Javas de calabar, idem.
Dito de famaria, dem.
Dito de gevciana. idem. ^
Dilo de grauini:, idem.
Dito de ipecacuanha, dem.
Dito de iumbeba, dem.
40:69**041
Readimento do dia 1
dem do dia 15.
COWSOtADO PROVIHCAL
11.
65:133*393
5:78lfK2
70:923*141
MOVIMEHTO- 80 PORTO.
\/nwrfotifreaantaa, p$*r*m ster asare a
legado, isto sa era alliWiaaJa-aaaiadiziam
de ama quantia superior da que se achava decan
rada .'nessa cla*8itka5ao--masttei ao Sr. Miguel,
o qual assenton nio se dever fazer a menor oppq-
sicaorespond portanto, qne a pretencio de Al-
ves Hamburg, era jasu, cajos aaioi sendo publi-
a, o j ti**"trotona d 15.
Baburr-^diM,baBa raglea Ajiac**rt, da 561
b*eldavc*Bjto Wilianv equipagam 13, em
lastro; a Saunders Bromen *\ C
Navios sahidos no mmmo dia.
(.rama e portos intermedies Vappr brasileiro
Pirajwma, commandanto Azevado, carta difTe-
rentes gneros.
Aracaje portos intermedios Vapor brasileiro
Poteng, commandante Ib, earg rartos mi-
neros. *
Mao$r BrtfU.e 'D,,' OUunm%- eapifler Menri
Bowden, emlastro.
HMnbargoBrlfae norte-allemao Gerard' Stot-
pho, caplio Albraadtiartaalgodao.
Aaoio entrado no da 19.'
Penedo por Mceid-4 dias, rapor brajUeiro Ge-
De ordem do lllm. Sr. cqnseleiro, inspector
da thesouraria de fazenda desu provincia se faz
publico, que tem de ser contraudo no da 23 do
corrente mez, as 2 horas da urde, perante a jun-
la da mesma thesouraria, por quero por menas fi-
zer o fornecimento de medicamentos enfermara
militar desu capital no semestre de julho dezam-
bro prximo vindoaro.
Os pretendentes deverao dirigir saa& propostas
em carUs fechadas ao lllm. Sr. cooselheiro inspec-
tor at as 10 boras daqnellft. dia, e ser-lhei-ha
franqueado na secreuria da mesma reparticao o
receituario que contm os medicamentos prepara-
dos e os sens preco?, afira de que possam regula-
rem-se as suas propostas.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuio 10 de junho de 1870.
Serrmdi) de officiat-maior,
Manuel Jos Pinto.
Conseibo de compras llaves
0 conselho no dia 17 do corrente mez tis de
proposus receidas at as H horas da raanbaa e
sob as condices do estylo, contoaU os servicos de
barbeiro enfermara de marinna e. lavagem de
roupa dos esubeleeimentos de marraba, durante o
exercio prximo vindouro de 1870 a 18tl, bea
como promeve a compra ded objectos de roaferlal Diu dita era p7 idiT
da armada, seguioles : 6 barras do ac baiMo de ~
popoca de 2 1|| Relegadas de largo eirSdegros-
sura, 6 barras de ac batido de i li8 poladadas da
largo e 4(8 de grossura, 20 alraotolia de folha pa-
ra azeite, 10 baldeadeiras de folba, 10 camas de
vento, 60 barras de ferro Inglez proprio para arre-
Inas, 300 vardea daferro ln?et da 2a 7|8 d gres-
Dito de labaga, idem.
Dito de noz vmica, idem.
Dito de opio goramoso/iaem.
Dito de poligula. iderp.
Dilo de quina, idem.
Dito de raUnhJa, i3em.
Dito de scilla, idem.
Dito de salsaparrilha, Idem.
Dito de saponara, dem.
Dito de senne? idem
Dito de tridacio. idem.
Dito de valeriana, idem.
Dito de menmeadro negro, idem.
Fcula de batata, killogramma.
Fczes de o aro, idem.
Figado de enxofre, idetn.-
Fioravatife (balsamo), idera.
Flor de ail, idem.
DRo de nxofre, idem.
Flores da rnica, idam.
Dito de malvas, idem. *
Dilo de saiiogueiro, idem.
Dilo de tilia, idem.
Dito de violetos (franeezas), idem
Folhas de apilara, idera.
Ditas seccas de tabaco, idem.
Fumaria, idem.
Fundas para os lados direilo e esquerdo, duzia.
Ditas duplas, urna.
Pais de vidro para daas e quatro oncas, mn.
Dito d tocca para 2 16 oncas, um.
Galha, killogramma.
Genciana, dem.
Glycerina branca, dem.
Goninia ravrra, idert.
Dlugdtta.'idem.
Dita-alquitira, gramma.
DiU ammoniaca, killogramma.
Dha de batata, idem.
Dita arbica inteira, idem.
Labaca, killogrammu.
Le Roy (purgante), garrafa.
Dito (vomitorio), vidro.
Licor de (abarraque, garufa.
Linhanca inteira, kiHogramma.
Dita em p, idem.
Laparo, idem.
Mac-lla gallega, idem.
Magnesia mlauan1*. idaai.f.
Diu de Hory, ridrcy : *
Maan commum, killpframma. |
Dito em lapxima, dem.
Manteiga de-caeo, gramma.
Mas-;a caustica, idem.
Mel de abelhas, garrafa.
Mercurio doce, killogramma-
Miseriio, idem.
Mosurda, idem.
Musgo islndica, idem.
Nitrato de prau em laps, gramma-
Dito-dito christalisado, idem.
Nitro puro, killogramma. v
Noz moscadas, idem.
Noz vmica, gramma.
Oleo de alfazema, killagramma.
Dito de arnendoas doces, idem.
Dito dito puro, idem.
Dit de baliput, idem.
Dito de cravo, gramma*.
Dito de gado de bacafbo (de Chirier) vediro.
Dito dito ferruginoso, dem.
Dito de linhaca, killogramma.
Dito de ricino,, idem.
Dit) vermifugor vidro.
Olbano, killograuma.
Opio bruto, gramma.
Oxido de lineo, killogramma
Papel azul para embrulho, resma.
Dito branco, idem.
Dito pautado para escripU, idera.
Dito para filtro, killogramma.
Parietaria, idem
Pasta dejujuba, dem.
Pastilhas de Belloc, caixa
Dita de ipecacuanha, gramma-.
Dila de Kemp, vidro.
Diu de termes mineral, gramma..
Diu de Nafa, caixa.
Pedra divina, killogramma.
Pedra hnmi, idem.
Peneirasde cabollo, urna.
Dita de seda, idem.
Pessrio, um.
Perchlorufeto de ferro, graramc
Perolasde ter, vidro.
Ps de horgonha, kilogramrao.
Phosphato de ferro (Leras), vidro.
Pliosphoros era cyliudros, grammo.
Pilulas de Allisons, caixa.
Ditas de carbonato de ferro e mag., vldr,.
Ditas de liollowoy, caixa.
Polpa de tamarindo*, logrramos.
Pollgula senega, idera.
Pomada mercurial, idem.
Pontas de vealio calcinadas, idem
Pos de Rogg, vidro.
Potassa caustica, grammo.
Potes e 1 a 8 por cenlo, duzia.
Precipitado rubro de mercurio, grammc
Protoiodorureto de dito, dem.
Purgantes de Seidlitzs, garrafa.
Quassia, kilogrammo.
Quina em casca, idem.
Dita era p, idem.
Raiz de alcacuz, kilogrammo.
DiU de canica, idem.
Dila de althea, dem.
Dita de espargo, idem.
DiU de genciafta, idem.
DiU de ratanhia, dem.
Diu de tnrbito, idem.
Resina de angico, idem..
Dita de batata, grammo.
Rolhas de cortica, cento.
Uuibarbo em p, grammo.
Sabio branco amydalino, kilogrammo
Dito de alcatrio, duzia.
Dito para podeldoc, kilogrammo.
Sal amargo, idem.
Salsa hortence, dem.
Salsa partilna, idem.
Saccharurelo de oleo de bacallao, caisav
Sassafras, kilogrammo.
Senne, idem.
Scraentes contra vermes, idem.
Serpentaria*. dem. '
Solucao de pernagonato de potassa, vidnx
Diu de protoiodareto de ferro, kilogrammo-.
Sabmtrato do besraatb, grammo.
Sueco de groselbas, garrafa.
Sulfato de quinioo, grammo.
Dito de magnesia, kilogrammo.
Dito de ferr, idem.
Dilo de neutro de atropina, grammo.
Suspensorios escroues, duzia.
Tansagem, kilogrammo.
Tafet inglez, cartoiras.
Tamiz, um.
Tanino, grammo.
Trtaro emtico, kilogrammo.
Dito de poUssa e soda, idem.
Ungento de Hollowoy, pote.
Terebentina de Vneta, idem.
Vidro para podeldoc, um.
Ditos ordinarios de 1/2 a 6/, duzia.
Dito cora rolha de 1/2 a 6/\ dem.
Vinho de Corviza, garrafa.
Valeriana era folhas, grammo.
Dita era p, idera.
Xarope de Burgois, vidro.
Dito de cordina de Berth, idem.
Dilo de hydraphosphito de soda, idera.
Dito de liandrio, idem.
Dilo de antisoorbutico de PorUl, garrafa,.
Dito de pontas de espargo, idem.
Dito de Boutigny, idem.
Dito de l'uz, dem.
Dito de Labellony, idera.
Dito de Lamoun'ny, dem.
Dito de naf, dem.
Dilo de digitales, idera.
Dilo peitoral inglez, idem.
Dito de quina ferruginosa, dem.
Os pretendentes verao apresenUr as suas pru-
posus em carus fechadas, as quaes deverao ter a
ordem estabelecida no presente annuncio, no dia
17 do corrbnte, pelas 3 boras da tarde.
Sanu Casa de Misericordia do Recife, de jucho
de 1870.
O escrivio,
P. R. de Sauza.
rH
\

administrador da Recebedoria de
rendas internas geraes faz publico que be
nesle corrente mez de junho que os e\e-
dores da decima addiciooal de mo mora,
em cujo numero se comprehendem as com-
paobias e sociedades aaonymas, teem de
pagar a mencionada decima sem multa, e
que Ando o referido mez, sert paga co
a multa de 6%.
Recebedoria de-Pernambueo, 10 de iunbo
de 1870.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
SANTA
DO
ara, 200 vare* de ferr. inglez de 2 a *|8 de lale campana, idem.'
frossura, 20 leneoes de'ferro e 1(4 ddrossura,
ps de compriBjloe 4 de largo, 2'lirros-grlBi^
des de talio, papel pautado, capa de conro. de 200
folhas ;l livro grande, papel pastado, capa de
couro,de 200folhas; 2linos grandes, papelpau-
Graes de vidro para 4 e 6 eneas, am.
Dito de porcelana, dito.
Herva terrestre, killogramma..
HydrocMcwte de raorphioa, gramma.
gvsopo, killogramma
Iodo pur, gramma.
incens, kHTogramu.
Iodureto de potassa, idam.
Dito de chambo, den.
Ipecacuanha preta, idem.
Jalapa em p, idem.
Kermes mineral, idem.
CASA DA .MISERICORDIA
RECIFE.
A lllm.. junu administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que-
na sala de suas sessoes, no da 17 de junho, pelas
i horas da tarde, tem de ser arrematadas a quero
.mais vaougens offerecer, pelo lempo de um a tres
annos, as rendas dos predios em seguida declara-
dos :
ESTABELECIMEMTO AE CARIDADE.
Travasaa.de S. Jos.
Casa terrea n. 5. ..'... 173*000
Mem n. 7.........160*000
Roa da Roda.
Casa terrea al ...... ^itSgOOO
Ra do Padre Floriane.
Casa errea u,,63.......177*000
dem n. 47......, i7l*dP0
Roa Urja do Jtosato.
ir anda* e leja do sobrado n. 24, WWOOO
3. dito do souaado n. 24 24JWOCO'
l.dUQdosobrdon.24 A. 4W400O
2. dito do sobrado n. 24 A. 40Q*OW
3.*dimdb80braaAB.14A. I*W>
, Roa do IijjDerador-
Sobrado d um jton.; 800*000
Roa de Sanu Mu. _^,
Caaan. 34 .... lWaBO
Roa daa Calcadas.
Casa tontea rv, 30.......182*000
dem n. 32........131*000
dem n. 31.........79*0i0
Ra das'Clnoe Pontos.
Casa, terrea n. 94 u, 27,0*000
travessa tS. Pedro.
Sobrado de 2 andares n 2. 6O*000
Pa de Santo Thereza.
Oaaa terrea n. i.......140*000
Idemn. S. .....17*000
dem n. 7.......201*000


IMi '
DiarioIde 'PrifnaAuW fosa^etm 17 d it.nhc deiW.
SdfJOOO
3011000
301*000
nu as i
M do sobrado o. 1
_ Roa do Aroorim.
CasaxerreaU. 56......
_ Raa da Moeda.
Cas* terrea a. li. j .
Roa 4o Amparo (Olioda)
t^aea torrea n: 9........ liOjOOO
O auo do Porto Bt Venda Grande. 16*000
PATRH40NIO DOS ORPHAOS.
Praga de Pedro I.
isegunao andar lo sobrado o. 33.
Roa da Madre de Den;.
.... 1:0001000
..... 803^000
Idea n. 14........604*000
Ra da Upa.
tas toma U....... iseaOOO
L a Raa da Semilla.
girado de f andares o. 136 601*000
(.asa ierran. 18.......240*000
Ra da Cruz.
beferaJe le 2 andares n. 11 .
!dra de 2 andares o. 14.....
Travessa da Madre de Deas.
'.jasa terrea a 1S.......
Largo do Paraso.
* andar do sobrado W19. -. .
2* toja da iravessa......112*000
* *u.......
"Roa do Karteel.
Casatorrean. 88.. .....
^ Roa do lar. '
Cana terrea n. 102.....
Casa terrea n. 110..... 204*000
Os preteodenfos devero apresentar no acto da
arreautocao das anas naneas ou coniparecerera
aeompanhados dos respectivos fiadores.
Secrataria da Santa Casa da Misericordia do Re
afe, lude jnnho de 1870.
O eserivio,
____________ Pedro Rodrigues de Souza,
*&
ra os
** DE
Paquetes a vapor.
, Dos portos do norte esperado
>*tv at o di 30 do correte o vapor
Annos, commandante'Guilberme
Waddengtou, o qoal depois da
demora do costume seguir pa-
Ttos do sol.
Desde j recebein-se passageiros e ngaa-ae i
arga que o vapor poder conduzir, a Val deven
r embarcada no ala da na charada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as 2 horas do da da su
ahida.
N5o se recebem como eacommeadas senao ob
|ectos de pequeo valor e que nao excedam a duai
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao
ludo que passar destes limites dveri ser embar
tado como carga.
Previne-se aos senhores passageiros que sua?
passagens s se recebem na agencia, ra da Cru2
0.57, l' andar, escriptono de Antooio Luir de
Oliveira Azevedo 4 C.
:&*a3M
7**
~~x^*.
881*000
800*000
4504000
232*000
122*000
74*000
36O*0B0 o brlgue portrjguez^rip-o~sahir brevemente ;
20000 Parf o "esto da carga trata-se co) Pereira flan-
f ca C, roa do Vicario n. H, l0 >ndar.
Consulado provincial.
Pelo consulado provincial ai-se publico que em
Jos 30 das ntois para a cobraaca boeca do co-
fre dos imposto* da decima urbana de 5 OjO sobM
os beas de rair, de oorpofacao de mao-uiorta, e
* consumo de agurdente, relativos ao correte
amo finaneeire de 1869-70, incorrendo na mulla
4e S 0O os conribuinlHs que nao satisflterem
suas quotas dentro deste praso.
Consalado provincial 27 de rnaio de 1870.
,0 administrador,
Antonio Careeiro Machado Ros.
f
(
oa compra.
Venase o patacho nacional Palma, de lotacao
de 10,000 arrobas de carne, rajo navio se aclta em
perfeito estado, e apparelhado para emprehender
Sualquer viagem; o qual cbegou nliimamente do
lo Grande do Sul com carregameuto de carne, e
se acha fondeado em frente ao caes de'22 de No-
rerabro : os pretndeme? pojem alli ir V lo, e
trar com Jos Victorino de Re
da Cadela n. 52, escriptorio.
O Dr. Carolflo Francisco de Lima, San- \
tos mudW soa residencia e consultorio 1
para a ra do Imperador n. 57, l*1 andar:j
do sobrado cujo armazem conserveain-
dr. hoje o nome de Alianca, tendo a-j
entrada, que pelo lado da ponte Sete
de Setembro, o mesmo ame 87, da
frente. Ahi continuando o ditoDr. no
exercicio de sus proflss?w de medico e
de operador, pede ser procurado a qual-
quer hora do da e da noute
Alugaje urna eserava para todo servido de
nma casa de familia, excepto cozinhar ; a tratar
na ra do Crespo o. 12, 3odar, das 11 horas
1 da tarde.
Aviso particular^
Ausentou-se da casa de sua lia no da 26 de
maio prximo passado, um menino pardo de no-
me Mannel, de II anuos de idade, levando vestido
camisa de chita rdxa e caiga de casimira de qua-
drinho e chapeo de castor ciqzento, cuj) menino
tem sido encontrado no Monteiro u Appucos e
lambem na cidade de Olinda,-por isso roga-se a
qualquer pessoa que encontrar ou der noticia
deHe participar no becco do Rosario de Sano
Antonio n. 28 ou a ra da Concei?ao n. 2, qne
$ra gratificado, e protesta-se Contra quem o ti
ver occulto.
_(iO
Pi^rib i? ihentb n. :)G loja di-
tera. \:,j,}-i.t f,;.V KH a S ;i. D. Hen u
lina Gandida Capitao 9fem5o negoo tfat nao igbora.
r A ia i As abrll"^.? rto M4b tara-
jrio o escravo de tome MareolJfle com os ig-
baes segointci : crioulo, tem .preto, .bafo^aacco,
barbado, falta de dente?, MU manso; iar^e 50
amos, qera o pegar'erai{a n> engenho Manntrao
a /ao de Souza Leao, proprtttario do mmo en-
fBgnoqne ser bem gratlncalo.
oiumuwso mim m
DR. CHIS DE GRATH
Aluga-. -, taraent), proprlo para algam armazem ou outro
;gameuto de carne, e | qualquer nstabe eciraento, oode so occnpe das 9
horas da manhaa em chante ; no 3 andar do so-
brado n. 36 da ra da Cruzes.
zende & C, ra
C0MPANHL4
no I.
O caixa desta companhia, commendador
Taomaz de Aqoino Fonseca, acha-se auto-
rsado a pagar no seu escriptorio roa do
Vigario n. 19, das 10 horas s 3 da tarde,
o i4* dividendo esta companhia na propor-
$3 de 3^i por cada ac^ao.
Escriptorio da Companhia do Beberjbe
t8 de maio de 1869.
O secretario,
Dr. Prxedes G. do Souza Pitonga.
Santa (Jasa da Misericordia
do Recife.
Diubelio Tlsta.
A lllma. junta administrativa da santa casa de
misericordia do Recife, no intuito de alargar o cir-
culo das pessoas que concorrem arrematado do
roraccimento dos gneros que tem de consumir os
ertabelecimentos pios seu cargo, manda fazer
publico que o mesmo frrneeimento da quantia
de 30:0005 annualmente, e que pago mental-
mente com dinheiro vista.
Recebe, portante, a mesma junta propotas para
fomccimento indicado no trimestre de julho a
setembro prximo, na sala de suas sessGes, e pelas
horas da tarde do da 17 do crreme.
Assur.ar r{fradn kilogramm.i.
Dito 2'sorto dem.
lo torrao idem.
Aletria dem.
Arroz idem.
Azeite doce litro.
Agurdenle idem.
Azeite de carrapato Idem.
Alho-3 restea.
Bacaiho kilog.
Batatas Idem.
Cha verde idem.
Cha hysson iaera.
-. preto dem.
.as cento.
Be secca kilog.
Fariaha de mandiuca litro.
Pumo do Rio kilog.
Feijlj mulatinho Jlitro.
Farelo sacco.
Mantiga franceza kil.r.
Milho sacco.
Peixe fresco kilog
^a idem.
Sabao idem.
Sal litro.
Velas de carnauba kilog. lasa
! Mas stearinaa idem.
Vinagre litro.
Vwbo tinto idem.
Ifiobranco idem.
Toucinho kilog.
Tapioc idem.
'- pretendentes apreseutarao suas proposias em
ti lechadas, as quaes devero ter a ordem es-
abeleciia no presente annunclo.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
i i de junho de 1870.
O escrivao,
Pedro Rodrigue* de Souza.
A barca portugueza Josephina sahir para Ma-
ralo impreterivelmento qomta-feira 16 do cor-
rente raez, recebendo somente a carga que appa-
recer-lhe at terga-feira 14, afira de conferir em
15 do referido mez : trata-se com Marques Rarros
A C, no largo do Corpo Santo n. 6, 2 andar.
Pretende sahir em poucos das com a
carga que tiver a barca portugueza Social,
por isso quem desejar ajroveitar frete com-
moJo, dirjale ao consignaUr o Joaquim
Jos Gonplves Beltro, A na do Commer-
to n. 17, assim como recebe passageiros,
para os quaes tem bons commodos.
LEILOES.
Tendo-se extraviado do poder do abaixo as-
signado urna letra da quantia de 426*600, saada
por Domingos Jos da Costa Guimires, aceita
pelo mesmo abaixo asignado em data de 23 de
julhn de 1868, e vencida no dia 23 de Janeiro de
1869, vem pelo presente prevenir que pes.oa ne-
ahuma faca transaccao com dita letra ; e desde
ji protesta contra qualquer negocio que-seja feito
a respeito. Recife li de junho de 1870.
_________Alexandre Rodrigues da Silva.
Desapparecea da' raa do Comtnercio um ca-
chorro ioglez com coleira de sola e chapa de lato,
tendo as inieiaes M. C, cojo cachorro pertonee ao
director do Circo,: quera o apprenender e levar
ao mesmo, era bem recompensado.
D9claraco
Monoel de Barros Barrete, declara em nome
de snamae, qoe n5o se refpousabiliaa pagar
conta alguma de objectos comprados por sen es-
crave PampWlo, o qual achve fagldo. Oatro
sim, pede as autoridades polidaea e qualquer pes-
soa (fue encontrar o dito scravo de o entregar
i casa de Dettonco, ou ra ila Aurora n. 10, eo-
fle se pagar todas as desoeta-i da aprenensao.
Ao Siv, Rodrigues de Soiva.-
Previne-se ao Sr. Rodrigues de Souza que, po
pague premio aloum se acaso sabir nos, na. 2108
meio e intein 3265 da lotera qne ae extrahir no
da 1 do correte, pois pertenco ao abaixo assig-
pado e gratiflca-se .h quem o achou e levar no
pateo do Terco n. 41
_______ Alfonso da Cruz Muniz.
kl.\G OF P.4IX 0 RE DA DOK
pab% o im i:ie\ e i:\t*:h\o
Cura cholera e cholera m bus,
TRECHOS CUSSICOS
Chegaram e acham se h vend
NA. ./
Livraria irnceza.
venda
Ama de ieite.
precisa-se de urna
Xa ra do Hospicio n. 80
ama de leite se>m fllho.

DE
3 casas terreas a ruz
Imperial
O agente Martin? farleilao por ;,uthorisacao, de
tres casas terreas >em numeraran, sitas ra
Imperial quasi confronte a caa do Sr. Moreira,
tendo cada urna 22 palmos d frente e 0 de
fuodo, todas sem reparnwntu a ftom rosinha fra
(terreno de marinha) mairn h?n construidas e ha
pouco acabadas, rendem 253000 mensaes.
HOJE.
O eilD ter lugar ra da Cadela do Recife
n. 9, escriptorio do dito agente, as 11 horas ao
da cima.
!*-
Lii
de fazendas graes.
Em eontinuacn.
^ HOJE17 DO CORRSXTE.
Magalhes Innaos continurao por intervengo
do agente Oliveira, o 'en leilao de fazendas de
linho, la, seda e de algodSo as roata pro)ia> do
mercado.
Sexa-feira
as 10 horas da manhaa ew, gen armazem a ra da
Cadeia do Recife."
De
LEILAO
AVISOS MARTIMOS.
MAMA BRASILEIM
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperade
at o dia 21 do corrente o vapor
' Cruzeiro d Sul, commandaitte J.
P. Guedes Alcoforado, o qual
depois da demora do costume se-
.uini para os do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se i
Targa que o vapor poder conduzir, a qual deven
das e dinheiro a frete ate as duas horas do dia di
sua sabida.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
jectos de pequeo valore que nao excedam a J
arrobas, de peso ou 8 palmos cbicos de medi-
Tndo que passar destes limites dever ser
emarcado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa
ens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57
andar, escriptorio de Antonio Lujz de Oliveiri
Azevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
3aregacSo tostel ra por vapor.
Parahyba, Natal, MacO, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
. O vapor Pirapama, commandantf
Azevedo, seguir para os porto!
cima no dia 15 do corrente as 5 bJra
da tarde. Receb carga at o da 14, encom-
mendas, e passageiros e dinheiro a frete at a
i horas da tarde do dia da sabida no escripto-
rio do Forte do Matt* n, 12.
sebo do Rio da Prata.
A 18 do corrente.
O capitao Sl^phen Goodman, da barca ingleza
Ariel, far le lo por intervencSo do agente Oli-
veira e conta u nsco dj quem perteocer, cu pre-
senta do representante dos c msignatatbs Srs.
Johnston Pater & C. precedida a competente au-
torisacao da alfanlega com assisteov'ia de nm em-
pregado liscal desta reparticao, da porco Je sebo
ou graxa em cascc, quanto baste para occorrer
ao costeio e mais despezas oeste porto ci-ni a dita
barca, arribada cora agua aborta na sua recente
viagem procedente do Rio da Prata cora destino
a Liverpool.
Sabt)ado
ao meio dia em ponto no armrzem alfandegado
do Exm. barodo Livranrento aoT|ces d'Apollo.
PARA'
Pretende seguir com a possivel brevidade o pa-
ucbo portuguez Jote, por ter a maior parte da
carga prompta, e para a pouca que lbe falta, a
frete commodo, trata-se com o consignatario Joa-
quim Jos Gonijalves Baltro, 4 raa do Commer-
io a. 17.
Rio de Janeiro
Segu com brevidade e patacho laeional Etfro-
fe, tem parto do sen carregamento engajado; para
o reato que rae falla trato se com oe consignata-
rios Antonio Luiz de Oliveira Atevedo a, ra
4a Cruz a 87, andar.
LEILAO
De movis, carros, lustros, tapetes e ou-
tros objectos (em contiuacao ao do da
7 do corrente no sobrado da na do
Mondego n. 101, casa em que residi o
Sr. P. F. Needhan.)
Constando de
Um grandi e rico lustre de bronze com 6 glo-
bos, 1 alcatifa, forro da sala da frente, 6 tancas e
linos cortinados, 1 leirs, forros das salas e gabinetes, candieiros de
gaz com i, 2, 3 e 4 bicos, arandelas, venezianas,
lancas, cortinados, tapetes deescada com. os com-
petentes ferros de latao, i boas estantes para li-
vro?, 2 camas de fertb, marqneza, 1-cabide, lt
pratileira, 1 magnifico fugo de ferro americano'
e 1 tapete grande de coco, 1 carro dog-cart, 1
dito de 4 rodas coberto para 2 e 4 pessoas, r-
reios, 2 silSes e 4 rodas, para carro, 1 bomba de
repucho, 1 dila de regar, 1 casa para pombos, e
muitos outros objectos.
Dilerentes qualid^des de vmhos engarrafados.
Terca feira 91 de Janho as 11
horas,
Nao tendo sido possivel expor no leilao do da 7
do corrente toaos os objectos constantes do cata-
logo em c nsequencia de serem moitos es lotes,
deve ter logar no dia terca-feira 21 do correte a
continuacio do mesmo leilao constando dos eb-
jectos cima descriptos.
Os concorrentes ao referido leilao encontrarlo
na praca do coramercio mnibus para transpor-
tados (gratis) ao Mondego, devendo partir d'alli
as 11 horas em ponto do dia aeima dity.'
Avisos diversos;1
Keunlo artstica.
Domingo 19 do corrento, as U horas da ma-
nhaa, haverreonioartstica, afim de levar-so a
effeito o voto de gratido que tem de dar 0sN ar-
tsticas aos seos irmSos vindos da carapanha do
Paraguay.
Recife 10 de jonho de 1870.
O secretario, Juvencio Cesar.
Alugase om bom cozinheiro
imperador o. 50,3* andar.
na ra do
Jos do Reg Roages vai a. Europa tratar do
sua saude, e deixa como seus procuradores, em
1 lagar fj Sr. Manoel Jos da Silva Oliveira, em
2* o Sr. Thouaz Soares .de Almeida Sarsedas, e
em 3* o Sr. Joaquim Alves da Silva.
Pteetoa-sed om menino para eaiseiro do
ltimos eegados, de idade de 12 anaos: a tra-
tar na taberna sita no Chora-menino n. 2. Na
mesma veode-tt une armaeSo com iodos os seus
pertences :'l tratar na ttoda Qpqulita n. 1.
fnena-se aragaf urna preta pera todo o er-
tlco de cesa : na roa do Pogo a. 16.
Em tempos modernos nenhum descubri-
tnento operou maior revoluco no modo de
curar anteriormenteem' voga do que o
l'EIMVL BE ANACAMJITA
TANTO NO TRATAMENTO DA
TOSSE, CROCO,
ASTIIMA. THIStCA,
ItOUQUIDO, RF.SFU1.\MF.\T0S.
BIIO.NCIIITES,
TOSSE CO.WULKV.
DOItES DE PE1TO,
KXPE CTLT.ACO DE SANGCE.
Como emboda a grande serie de enfermi-
dades da raiganta. do peito e dos orgao<
da respiraco, que tanto atormntala e fa-
zi'msoffrera humanidade. A maneira an-
tiga de curar consista geralmente na appli-
caco de vesicatorios, sangras.sarjar ou ap-
plicar xteriormente ungentos lorssimos
compostos de substancias vesicantes, alm
de produzir empolhas; cojos diferentes mo-
dos de curar, nao faziam seno enfraque-
cer e diminuir as forcas do pobre doente.
contribuirido por esta forma d'uma maneira
mais fcil e certa para a enfermidade a des-
trtriclO inevitavel de sua victima Quem dif-
erente pois o effeito admiravel do
PE1TORAL DE ANACAHUITA !
VM E.EZ DE IRRITAR, MORTIFICAR E CAZAP
INAUDITOS SOFFRIMENTOS AO DOENTE,
CALMA, MODIFICA F. SUAVIZA A DOR.
ALI.IVIA A IRRITACO
DESEMVOI.VE" | ENTENDIMF.NTO,
FORTIFICA O CORPO
e faz com que o systema
Desaloje d'uma maneira prompta e rpida
at o ultimo vestigio da enfermidade. O
melhores votos em medicina da Europa (os
Lentes dos Collegios de Medicina de Berlim)
testiicam serem exaclas e verdaderas estas
relacoes analgicas, ou alm dissfa experi-
encia de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com
este maravilhoso remedio, sao mais que
suflicientes para sustentarem a opini5o do
PEITORAL DE ANACAHUITA!
Deve-se notar que este remedio se acha
inteiramente izento de venenos, tanto mine-
raes, como vegetaes, em quanto que porm,
alguns d'estes ltimos, 'particularmente
aquelles que sao dados sob a forma de Opio
e Acido Hydrocianico, formam a base da
maior parte dos Xaropes, com os quaes tao
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
blico. A Composigo de Anacahuita Peito-
a acha-se linda e curiosamente engarrafadas
m frascos da medida de cerca de meios
quartilho cada um, e como a dose que se to-
ma s d'uma colher pequea: basta ge-
ramente a applcacao d'um ou dous frascos
para a effectuacSo de qualquer cura.
Acha-se venda nos estabelecmenlos de
P. Maurer & C, J. Q. Bravo A C. A.
Caors. B. M. Barboza Bartholomeo 4 C
ATTENCAfT
O abaixo assignado, corador da heranca jacente
Jue ontr'ora pertenceu ao casal do1 finado tenente
os Joaquim Lopes de Almeida, faz scienle a
quem convier, que no dia 17 do corrente, pelas
11 horas da maoha, ho de ser arrematados os
bens movis e simoventes da mesma heranca.
A arrematacao ter lugar na casa de vivenda do
mesqw tenente, ra do Varadouro, perante o
Illm. ar. Dr. juiz de orphos do termo.
Olnda 14 de junho de 1870.
___________Manoel Joaquim de Miranda Lobo.
ins nm i ,iiio.
A CIGANA.
SEGUNDA EDICAO
Consideravelmente meJhor da com novas cnaradas e logogrypbos
Um bonito voltmne
ntidamente imprfisso e brochado.
Rs, 14000
A areitacao (jue do respeitavel publico merecen
a C/r annos, nos leva i fazer esta nova, nftis correcta e
augmentada.
E gana tem qualidades que a recomraendam e tor-
nam-a bemquista aos laitores.
Com efteiio essa fllh da Roliemia sabe gnardar
conveniencias, e procura, dizeudo a sorte de cada
oa, agrajir a todos.
A presente editan, ioteiramanle meihorada, foi
augmentada com notas charadas e logogryphos,
ebem astm algomas poesas reciurivas, que hoje
sao tao apreciadas nos saloes.''
Erperamos que a Cigana continu a merecer a
mesma a-eta o, e que em breve pojsaraos ver
esgotada esta nova edieo.
Ra do Crespo n. 9.
_________LIVRARIA FRANCEZA.
Precisa-se de urna ama ue meii idade para
comnrar e cozinhtr p das Flores n. 37.
ATTENCAO
A abaixo assignaja, na qualidade de curadora
de sen marido o Sr. Aotmio Joaquim de Paria,
declara ao resp.Mtavel pohlco desta provincia,
alim de evitar duvidas e dilliculdades futuras, que
o mesmo seu marido nao tem at a presente data
assignado -em sciencia sua documento algum,
como letras, enripiaras publicas 'ou particulares,
dnagoes, carla< de liberdade, etc. etc, relativa-
mente aos bens de seu casal, dos quaes elle nunca
dispoz de forma alguma. alienaudo, vendendo on
permutando, durante o totopo que os adminislrou.
A mesma abaixo asstgnada convida, portante, a
quem quer que se jolgue. flrrtdo em algum titu-
lo, com ilireito a taes bi, a ?presentar no juzo
ciimp-leote demrodo iniproroijivel praso de oilo
nas, e a contar da prsenle dala (10 de junho de
1870) os documentos que tiver semelbante res-
peito : Ji cando de nenhum effeito toda e qualquer
allegacao que fnr feita po.-teriormente, visto como
fcil com o actual systema de estampilhas sellar
documentos ante-datados, e exljrquidos para fins
reprovados. Recife 10 de junho de 1870.
Henrqueta Amalia de Faria.
Diarrbea, fluxa de sangue, em um da.
Dr de cabera, e dores de ouvido em
tres minutos.
Dor de dente, om um minuto.
Neuralgia, em cinco minutos.
Destocares, em vmte minutos.
Gargantas incoadas, em dez minutos.
Clica e cofjVTilsoes, em cinco minutos.
Rheumattsmo, em um dia.
Pebre e febre intermitente, em om dia.
Dor as costas e nos Jados, etn dez mi-
nutos.
Tosses perigosas e refriados, em nm dia.
Pleuresa, em um dia.
Surdez e asthma.
Hemorrboidas e bronchitis.
Inflammaco nos rins.
Dyspepsia, erysipelas.
Molestias de ligado.
Palpitaclo de corceo.
Beservc sempre este remedio m m Innifia
AS DOENCAS SE APRESENTAM, QUANDO MENOS SE ESPERAM.
OLEOELECraiIOO KNGOPPAN (O re da dor) aqnieta e positivamevtt,
dissipa mais de diferentes molestias e dores, e atavia mais s soffrimentos e produz om
mais perjeito equifbrio no systema homano, o que nao se pode effectrrar m mesmo
tempo, copa, qualquer outro remedio medecinal ^^
Este muito popular remedio est* agbra usando-se geralmente, pela razo que
milhares de pessoas se tem curado gratis com o dito remedio pelo Dr. Grata o outros
mais.
Este importante remedio n3o e offerece para corar todas as doen^as, porem o
gmente para aquellas estipuladas as nossas direcces.
Est operando nos principios da chimica e da electricidade e por isso esti p-
plicavel para o curamento e para a restaura^SD da aceito natural dos orgaos que soOrem
da irregular circulado dos-Husos dos prncpaes ervos. Oleo elctrico O King of
Pain opera direoiamente nos absorvenes, ftzendo desar>parecer as intnaces das gln-
dulas at em um tempo incrivel, breve sem perigo de sea uso debaixo de qualquer cir-
cumstancia.
O remedio, urna medecina para o uso externo e interno, composto dos elemen-
tos curativos, raizes, hervas, e cascas, taes, como se tem usado dos nossos antepassa-
dos, dasijuaes tem grande existencia no mundo, para corar todas as molestias, so-
mente sabendo-se quaes, ellas sao.
Foi om grande e especial desejo da faculiade de medicina durante muitos annos
de experiencia para aprender os melhores m;dos que se deviam adoptar para curar as
segaintes doenfas, e que proporces de medecina se devia osar.
ITMICO DEPOSITO
EM PERHMBCO
NA PHARMACIA V DROGARA DE
BARTHOLOMEO & G
N.-3^Raa Larga do Rosario.N. 34
9
j
a-
Criada
Oozmlieiro
Na loja do sobrado da ra das Trincheiras, pre-
Cisa-se de om cozinheiro e um preto que seja IM
Alug.-se
urna casa rom rrandes commodos para familia, na
ilha do Retiro (Passagem) : a tratar na ra da
Senzala-nnva n. 4.
Precisare de urna criada livre qu eserava,
que saiba hem eegommar e tratar do servico in
ternode uraa casa de p>uea familia : a tratar no
Manguinho. casa nova dos Srs Carpinteiros, ou
ao caes d'alfandega ^velha n. 2 escriptorio, paga-
se bem.
Precisa se da alegar nina eserava, quem a
tiver botando o nome Basto ivpi irraphia ser pro-
curad j.
CLUB POPULAR
Hoje, sexta-feira, haver sessao familiar as 7
horas a noite, na ra Nova de Santa Rita n 1
1* andar. '
ORDBM DO DLA.
Discursos de toserip^o.
Revista de jornaes redigld lida pe Sr. Dr
Almeida Nobre.
Biogranhia de T. Ottoni lida e commentada pele
Sr. Cerreia de Brito.
Secretaria do Club Popuhr 17 de jueho de 187.
O secretario,
^_^_ Misae' da Silvelra Amaral.
Officialde caberieeriro.
Na ra da. Cruz. n. 54. andar, precisa-se
df
nm offtoial de eabeli-eirei'ro que aela bom, esoe-
cialmente de cabello e barba.
ATTENCAO
Joaquim Ferreira dos Santos Coimbra Guima-
raes como procura or da viuva de Domingos Jo
da Costa Guimafaes declara qm inexa ta a
assveraclo e prevencao que ne Jornal do liecifi
n. 1.15 e no Diario de Pernambuco a. .134 de 15
do correle fez Alexandre Rodrigues da. Si Iva, re-
lativamente a urna tra'nsaccaoeeno dio fallecido
Domingo Jo da Co^ta Guimaraes, por quanloa
letra que diz o dito Alexandre ter-se extraviado,
letra que ronstitue o nbj co da transaceao em
que>lo, existe im po er do sacado e credor, a
viuva do dito Domingos Jos da C sta Gu maraes
v -tu como anda nae fai paga essa letra. Pro-
testando contra a referida assevor?cao de Alexan-
dre Rodrigues da Silva, asseveracio tao infunda-
da que, atienden1^ se as condico s da letra e
comparndose com aquellas que diz o referido
Alexandre, ser a letra, se v logo que o titulo nao
fra anda pago e era estivera em poder do dito
Alexandre : o abaixo assigaado declara que o
annuncioem queslao e a que agora responde
um simples ardil e que vai promover a cobranca
da dita le ra judicialmente, tao legal o titulo e
liquidar a divida do dito Alexandre.
Recife 15 de jun'o de 1870.
Joaquim F. dos Santos C GuimarSes.
0 CIRUMO DMSTA
Frederico Maya
Tem a honra de scientifiear ao respete*
vei publico em geral, e aos seas clientes
em particular qae elle mudou o seu gbi
netede consultas da roa Direita n. 12 para
a oo Queimado n. 31 primeiro andar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de Soa
prosslo, todos os das uteis das d horas
da manhaa s 3 da tarde.
Tambem provine, qne contina a prestar-
se a vontade dos clientes nao.so na cidade
como nos seus suburbios, para onde as
idas serSo precedidas de ajaste. Elle ga-
rante o boto desempenbo e a perfelcao de
seus trabarnos, o quej bem conhecido,
assim como^ as comiuodidades doa oreos.
Feitotetrabalkor
ffecisase de um feitoron trabalhador para
um sitio, prelerese estraageiro : quera quiter dt-
rija-se a ra do Imperador n. 1S defronte de S.
Francisco, nos das uteis das 9 horas da raanbJa
at as 4 da tarde, ou ao meiroo sitio que ao
Arraial case amarelU, das 5 horas em diente no
dias uteis, e nos olas santificados, a qualquer
hora.
Precisarse de un crudo
par Mal de pooea familia :
estreiu do Retarla a 28.
de todo o servico,
luflmna-se aa roa
a'
t
<'<'.
i
Este antigo estabelecimsnto, complet-
bante reformado de novo, est as condi-
oes de servir vantajosamente os sens fre-
;uezes, visto qu<9 acha-s<> prvido com um
x hendido sortimento de obras de onro e
rata de lei, assim como brilhantes e on-
fas pedras preciosas, -hijos pre?os sao os
nais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
e em troca ou compram-se com nequeno
\ S BIJA DO C4BHGA N. 5
SB.il" mm k
ni ti mi i j.
' T
I
Kv*)
rame de ferro^ galvanisado em rede para cercas, gaiolas, gallinheiros etc.
Chapas de ferro galvanisado para cobrir casas.
Tachos de ferro estanbado para engen'Qos.
Cofres de ferro de Milner e ontros autores. i
Chumbo em cano.
Dito em lencol.
Dito em barras. *
Dito em enxadas.
Estaoho em barra e verguinha.
Folha de Flaadrea.
Arados americanos para ladeira e vartea.
Carrinhos de mo.
Venezianas para janellas.
Machinas de descarucar algodo de facao.
Ditos de serra.
Ditas para cortar fumo.
Ditas a vapor de forc de 3 cavados e motores para 2 cavallos, pan mover as
machinas de algodao.
Cadeiras de ferro.
Camas de ferro.
Prensas para copiar cartas.
Bataneas para pesar.
Oleo de linbace em latos de ferro.
Trilhos do ferro para engeahoe e um grande sortimento de ferrarais e entilara.
Bombas americanas. *
Macacos de estirar.
Bal ticas' e pesps decimaes e ostras.
i de patento.
'&afe


w
'T-

I
toa* e Penmnibuco Sexta (oir 17 de Junho de 1870

1*
Ulysses
Ra da Imperatriz 13
, Iraaio proprieterios deste besa conhectoo e acreditad^ estabelwimento
tem a honra de participar ao ilustrado carpe ACADMICO e tos, seus cuatrlos fre-
guezes, lanto desU praca, como da fra, que tendo sido elegantemente refonmaflo dito
estabelechnento acha-se completamente sortido e tm condicj&es de lwm sewwos dos
seguintes artigos:
------------------- VARIEDADES
PONTEIRAS para charutos cigarros de
todas as qualidades gostos e procos.
CACHIMBOS de superior espuma, de ma-
deira (raizj -de 34 at 60, a dueia e de ou
tras qualidades a retalbo.
DITOS pe de gallinbados memores que
J Tei reir Tllela
Babia
CHARUTOS
superiores de Havana, Hamburgo
Rio de Janeiro etc.
Ci garros
depalh de S, Paulo, de 30500 a 70360,
o tnilbeiro, Dniel do Rio Novo, Maurity,
Imperiaes, Tnenles do 'Diabo, Doque de
Caas, Gandon etc.; de papel, de fumo
General Osorio, Conde d'Eu,
de Daniel, general osono, ha neste mercado a30 e305GO a duzia, e
com grande abamento en maior porco,
ditos de louca, gesso, barro, etc.
BOLSAS de borracha e couro de diversos
gostof e precos, para guardar tomo.
CAUTEIRAS para cigarros de todos os
systemas.
PHOSPHOROS de cera, em carxas de to-
dos os tamanhos, de seguranca a balSo etc.
PAPEL de milbo, de arroz, san-i.om, Per
,., .Aa rto iinhn ti. nalha ra mtlho de mente a corte para examinamos as memores pno-
san, pintado, de linho etc. pama aemimoae as 8|, e foi a do Sr Pachec0i a que
Femando a melhor possivel.
bomba, Montevideo, Orientaos, Baependy e
muitas outras qualidades.
fijmos
Afamados de BAEPENDY em caites de
20 libras 10400 rs. a libra, em pacotes
a30, de 20 para cima a 108OOe em maior
porcao 14500 o .pacote de 1 libra, dito
em latas de quarta a 40 e 500rs.,e outras
muitas qualidades como sejam: Baniel do
Rio Novo, do Parr., de S, Paulo, Caporal,
p.tr fttC
' Alm dos arijos mencionados encontrrSo nossos freguezes" outros muitos no, ge-
nero de nosso.negocio, que se vende em grosso e a retalho e que com suas presencas
sero satisfactoriamente bem servidos: bem como nos encarregamos de quaiqner en-
commendas de nessos cigarros de seda e linho, etc.
13Ra da Imperatriz13 ,
GRANDES OVIDADES
NA
LOJA DO TRIUMPHO
PARA SENHOIUS. Ricas poupelinas de padroes lindsimos, e gosto novo.
Cambraias brancas bordadas para vestidos. Poil d'chevre de lindos padrfjes por
barato preco de 580 rs. o covado.
Grande sortimento de I3as e alpacas de 320 rs. a 10500 o covado.
Saias bordadas, ditas lisas j feitas com barra de cor.
PARA MENINAS. Ricos vestidinhos de fuslo enfeitados brancos e de cor.
Vestuarios de usto para meninos.
PARA HMENS. Camisas inglezas e francezas, de linho bordadas e de pregas,
com collarinho e sem elle, ditas bordadas para noivas. Chapeos deso de cabo de
marfim e de canna etc etc., luvas de Jouvin para senhorss.
Grande sortiment > de cortinados para camas e janellas. Croxs para sof e ca-
Oras de braco e guarnico. Tapetes para sof e cama, para pianos e portas.
Colxas de croch para cama de noivas. Tapetes em pessa para forro de salas.
O nico e especia sortiraentosdas verdadeiras ESTEIRAS DA INDIA, s existe na
Loja do Triumpho.
Ra Duqua e Caxis n. 7.
PUOTOCRAPIII V IMPERIAL
48RA DO OUGA18
A entrada pelopaen da matriz
Os trabthos da reedificabas desta photographia,
e que se prolongaram por tanto tempo, acham-se
felizmente terminados e ella aberta ao servieo do
publtce desde 7 de abril passado.
O predio ero que est ollocada esta photogra-
phia acha-se muito augmentado, e so a parte desti-
nada ao estabelecimento conla cinco salas, inclu-
sive as do laboratorio. Todos os concertos e aug-
mentes tendo sido feries expresamente para se
montar convenientemente a photographia, e nao se
podendo raelbor modelo escolher do oue a Photo-
grafa Imperial do Sr. toeley Pacheco do Rio de
Jaaeiro, o primeiro phatographo do Brasil, e uin dos
prhneiros do mundo, segundo a opiniao dos maisi
abalisados mestres, a nossa pbotographia acha-se
dfsposta e reeiiflcada pelo mesmo plano da do Sr.
I. Pacheco, a qual foi montada sob todas as regras
recommendadas pelos tnais destinlos professorej
de aecordo cora as modifteaedes necessarias ao
clima do Brasil, recoohecidas e estudadas pelo ba-
bilisslno e prateo Sr. I. Pacheco.
Todo o interior do predio em que est nossa
photographia foi mudado desde a soleira da porta da
ra al a coberta, lendo-ee demolido toilas aa pa-
redes Interiores oara se faierem as novas salas,
editicando-se um novo terraco envidracado mu
espacoso e elegante.
Como sabiao, fizemos urna viagem expressa-
PHARMACIA CEBTRAL
Ra do lmperiidor n. 38
Xarope e4aetucark> ifl'Auhwgier, e de
ihery dedo d'Abbadie recommendados,
como calmantes para os casos, em que se
nao pode osar do opio' e do seos prepara-
dos, e mu convenientes para as enancas
nos espasmos e convulsSes.
PHARMAfflA CENTRAL RA DO LMPERA-
DOR N. 38.
Preparados d'alcatrao em capsulas, licor,
e xarope ferruginoso.
pharmaciX1:entral rua'do impera-
dor n. :t8.
Pillas de Vallet.
Pillas de Rlancard.
Pillas de Bland.
Xarope furruginoso de Blancard.
Confeites de lactato de ferro.
Ptalas de carbonato de ferro, laclado de
ferro, iodureto de ferro com magnezia.
Ferro de Quevenne.
Assucar. ferruginoso.
Calcado nacional.
K. 1 Rui do Jardim W. 1
Jos Vicente Godmtio com fbrica de calcados,
avisa a ledos os seus freguezes, que onti
Confeitara dos ananazes.
16Ra da Cruz16
Santo Antonio. S. Jo5o e S. Pedro.
Amendoas, as mais apropriadas para sortes,
vende-se em arrobas e libras ; papis j promp-
vender calcado en sua fahrica em grandes. e pe- ,og (m est|Jlos forU3 ^^.se eDeom.
quen5 por?oes como dantes, sendo mais o M nAm
que em outra qualquer parte. Asiiro como um
sortimento de pares de formas francezas chapea
das para bomem, do ultimo gosto. a preco de
4OO. _____:
Mofina.
Roga-.e ao Ilim. Sr. Ipcio Vieira de Mello,
escrivao na cidade de Nazareth desla provincia, o
favor de vir ra do Imperador n. 18, concluir
aquelle negocio qu V. S. se comprometteu rea-
Usar, pela terceira chamada deste jornal, era flns
de deiembro prximo passado, e depols para Ja-
neiro, passoofevereiro e abril, e nada enmprio,
e por este motivo de novo chamado para o dito fim;
pois V. S. se deve lembrar que este negocio de
mais de oito annos, e quando o Sr. seu filho se
achava no estudo nesta cidade.
melhor correspondeu aos bosso6 desejos e aspira
coes, e da qual trouxemos os planos depois de
all estarmos todo um mez estudandoe apro-
veilando ai licSes de tai dlstinclo mestre. Pen-
samos qe justando os nossos estudos e longa
pratica de 15 annos de pbotographia s utilissimas
licoes ultiman eme recebidas do Sr. 1. Paeneeo,
tendo montado a nossa pbotographia como se
acha, podemos offerecer ao Ilustrado publico
d'esta cidade e aos-nosos nnii.erosos freguezes
trabalhds de photographia lio perteito?, como se
poder desejar, e disio convencidos, esperamos
que conliuuem a dispensar-nos a mesma pro
teccao com que ha 15 annos nos tem honrado e
ajudado._______________________________
Attenpo.
Ainda se continua fornecer commedorias
para fora com asseio e promptido, man-
dando-se levar a casa dos assignantes que
nao ti ver portador: ra estreita do Rosa-
rio n. 35, Io andar casa particular de fa-
milia.___________________________
O Sr. vigario Bacalho que moram morou
na estrada de Juao de Barros, queira mandar a
esta typograpbia a negocio. ______________
Precisa-se alugar oro escravo que seja co
peiro, esperto, e que entenda di comprar : no
caes de Santo Amaro a 42, ou na agencia geral n.
21, praca do Corpo Santo,_____________^
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N*. 38.
Yinbo e xarope de pepsina e tdiarthare,
escellente tnico para auxiliar as digestes
difficeis nos casos de debilidade do esto-
mago
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Agua hemosthalica de Lechelle, mni re-
commendada em qualquer caso de hemor-
rhagia, e principalmente na thysica pulmo-
nar, e as hemorrhagias uterinas.
PHARMACIA DENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Xarope de rbano iodado excellente com-
binado do iodo com o sueco de plantas
anti-scorbuticas.
Este xarope empregado com grande
soccorro contra as molestias da pelle, os
engorgitamentos escrofulosos, o rachitismo-
cacbloroso.
O vinho iodado de joly, e oleo iodado de
Personne, sSo recommendados para os mes-
mos casos, e encontram-se nesta pbarma-
cia.
.5IUMCAIU.IN.3
1'
J
:J
i.l
Com este titulo acha-se aberto e oteiramente transformado este antigo
estabelecimeuto de joias, onde os freguezes e amigos encontraro tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderacos de briihantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pul-
ceiras, hrincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata de lei faquei-
ros, colheres, paliteiros salvas e outros muitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco do
que em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
m
2
o
I
Excellente alcatifa com 4 palmos de largura pelo baratissimo preco de 800 CD
o metro.
Chapeos de castor brancos e pretos a 9000.
Chitas francezas, cores lixas e bonitos pidroes a 300 rs. o metro
Cortes de cassas de cores com 7 e 8 varas a 3*500
5
CO
^ Loja de Antonio de Moura Rolim & C.
Acaba de ebegar nova remessa desses tao
.Jesejados cand.eiros em porcelana, bran- acceitagao tem merecido nesta provincia,
CHHCOLATE VERMFUGO DE ANTONIO NE-
VES DE CASTRO.
Este acreditado preparado, qne tao boa
eos e de cores, os quaes omito se recom-
mendam pela seguranca asseio e economa,
ainda pela excellente \ai preferivel mil ve-
ices ao kerosene. Venham antes que se
acabem.
nico deposito na ra larga do Rosario
n. 34, pbarmacia de Bartbolom^o & C.
ASSUCAR DE OXIDO DE FERRO DE
CHANTEAUD.
SEOREDO ECONOMA E CELER1DADE.
oblm se"om o uso da
O assucar ferruginoso de Chanteaud
obtido pela associaco do oxido de /erro
inteiramente soluvel com o assucar .cuida-
dosamente purificado. Este assucar de
urna bella apparencia cristalina, tem o sim-
ples gosto rou4 agradavei do assucar. sem
i) menor saber adstringeote, nao tem ao
fho irritante sobre a mucosa do estamago
intestinos, e rpidamente absorvido pelo
apparelbo digestivo sem causar as constipa-
.oe* do ventre.
INJECCO LHOSTE.
Cuca bygienica radical e infallivel na cura
certa 4as gonorrbeas, flores brancas, e flu-
xos de toda a especie recentes ou chroni-
cas, e que nfferece com garanta de seus
salutares resultados a aitiga e continuada
applicacSo que sempre eom a maior van-
tagem se tem feito dellas nos hospitaes de
Pars. Unieo deposito para o Brasil, Srs.
Bartholomeo & C, ra larga do Rosario
d. 3.
Sabonetee d'alcatrao.
De Antonio Neves de Castro.
Este acreditado preparado, que tao boa
acceitaco tem merecido nesta provincia,
omito se recommenda para cura certa das
impigens, sarnas, castas, eoceiras, e todas
as molestias de pelle, sendo ainda preferi-
vel para a barba, outro qualquer ab-
nete.
nico deposito do verdadeiro, na pbar-
aacia e drogara de Bartholomeo & C,
*aa larga do Rosario n. 31.
muito se recommenda para enra certa e
efficaz das bichas ou lombrigas, tanto as
crancas como em pessoas de maior idade.
nico deposito na pbarmacia e drogara
de Bartholomeo & C. ra larga do Rosa-
rio n.34.
E' hoje o preparado de ferro de mais ac
ceitaco para a chlorose atona dos orgaos,
perdas brancas, mensbruaees difficeis etc.,
e tem seu favor o juizo autorisado da es-
cola de medicina de Paris,e dos chimicos os
mais notaveis. Deposito especial pbarmacia
e drogara de Bartholomeo & C, ra larga-
do Rosario o. 34.
Afc
Paul Chauvin.
Mechanico cbnhecido a 10 annos nesta cidade,
parlecipa ao publico que tendo dissolvido amiga-
vilmente a sociedade que tinha com o seu cunha-
do Carlos Pluyn contina a se achar a ?ua dis-
posicao para o que diz respeito a abertura- de
burras, machinas de costuras, armas, fechaduras,
collocacao de campanhinhas e todo qualquer con-
cert : praca do Conde d'Ea n. 2i, outr'ora da
Boa Vista.______________________________
Deseja-se fallar
Aos senhores abaixo declarador :
Coronel Manael Carneiro Cavalcanti di Albuquer-
que Lacerda.
Joao Jos de Miranda.
Joaquim de Menna Cardoso.
A' ra do^Duque de Caxias n. 7. ________
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Rio venda : ra do Cabag b. 5.
7ende Vieira Rodrigues.
CASA DA FORTUNA
Aos 5:000*
Bilhetes garantidos.
i ra do Crespo n.23 e casas do costme
O abaixo assignado, tendo vendido alm de ou
a-as sones, um meio n. 1032 com 900* da lo-
leria que se acabou de extrahir a beneficio di
irmandade de Santa Anna da Madre de Dos (149)
convida aos possuidores a virem receber na con.
formidade do costume sem descont alguna.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garan-
tidos da 2' parte da lotera beneficio da igre-
ja de S. Sebastiao do Bjnilo (ISO), que so extrahi-
rsabbado 18 do cor rente mez.
PrecosOs do costume.
Manoel Martins Pinza
Urna eng^mmadeira
Precisa-se de urna eegommadeira : na roa da
Cadeia n. &.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Variado sortimento de chocolate de ban-
nlha, salepo araruta, ferro, e de sade, da
acreditada officina de Menir.
Sabonetes d'alcatrao, d'acido phenico, en-
xofre e camphora, recommendados para as
molestias de pelle como sarna, panos, em-
pingens etc., sendo o ultimo de muita ulili-
dade para o uzo do toilette, por preservar
a pelle de ser manchada das maculas, que
eos turnara accomettel-a.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Os melhores vermfugos para criancas,
Pastilbas de sanctonina.
Ditas de Kemp.
Oleo vernifug.
Tudo de melhor qualid de^
PHARMACIA CENTRAL RU~D0 IMPERA-
DOR N. 38.
Variadsimo sortimento de fundas de
excellente qnalidade.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERADOR
N. 38.
Pastilbas de balsamo de tol e de seiva
de pinho martimo, para as affeccoes chro-
nicas dos pulmoes.
Pastilbas de therydocio e louro cerejo
para as tosses agudas, e de carcter nervo-
so, e para os vmitos durante o periodo da
gravidez, e qualquer alfecco nervosa.
Pastilbas de bypopbospheto de cal mui
uteis na thysica pulmonar.
Pasiilhas- de angico naf, e de Regnault,
de hortela, pimenta, e de Viccley, de pe-
cacuanha e de Rermes.
Agencia de leudes
Ra do Imperador n. 16
Nestearmazem recbese para serem vendidos
em leilao, ou em particular, por conta de sens do-
nos : movis usados, louca e christal, ou outro
qualquer objecto de prompta venda ; assiin como
tambem comprase trastes osados.
Faz-se qualquer negocio com a loja n. 42, cita
ra da cadeia do Recife, propha para armazem
de groco trato, por se achar em dos melhores lo-
caes : tratar na mesma._________________
Precisa-se de orna ama para todo servica
de duas pessoas : na ra do Duque de Caxias en-
trada pelo becco do Ouvidor n. 2J, 2 andar.
i.ra botica.
Precisa-se de urna pessoa com alguma pratica
de pharmacia : a tratar na ra da Cad-ia n. 12.
AMA
Precisa-ge de urna ama nicamente para co-
sinhsr : tratar na ra dos Gnararapes n. i.
AMA.
Precisa-se de urna ama forra ou escrava de
meia idade : a tratar na ra do Duque de Caxias,
antiga ra do Queimado n. 69.
Muita attenpo
Vende-se ou permuta se por casas, nesta cida-
de o sitio n. 5 na roa de Jjao Fernandos Vieira,
peno da soledade. com casa de vi venda para
grande familia, cacimba com boa agna, tanque
para baoho, muitas fruteiras de diversas craaiida-
des, eento e tantos ps de coqueiros. muitas bai-
las eom capitn e trras para p|ntacoes, um gran-
de vtveiro com muito peixe, e muitos mangues
para lenha etc. : para ver e tratar os pretenden-
tes dirijam-se ao mesmo sitio.
Precisa-se de um amassador: na padaria
allemaa : oa travessa do Lima n. 2, em Santo
amaro.
AYISO
Ao Sr. Dr. Galvao pode interessarlhe o compa-
recer na raa larga do Rosario n. 44.
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRAFOGO ,
A Gorxtpanbia Indemnisadore, estabelecid
aesta pra^a. toma segaros martimos aoBrt
lavios e seos carregamentos e contra fog(
edificios, mercadorias e mobilias: t
roa do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Cha purgativo de Chambard, excellente
laxativo, e refigerante, que se pode usar
repetidas vezes sem irritar os intestinos.
FARMACIA CEMM
Raa do Imperador o. 38.
Lamploughs Pyretic Salne.
A preparation of well known utelity to the En-
glish Faculty, as a cooling and refreshing beverage
in all cases of fever. The frequent use'of this sa-
lne preserves foreigners from many diseases to
which they are leable before becoming acclima-
tised. May be obtained at the Pharmacea Central,
jua do Imperador n. 38. _______
Para Santo Antonio, 8. Joo
e S. Pedro
Na roa estreita do Rosario n. 35 preparam-se
bolos de encommendas, proprios desies das, sen-
do encommendados dous dias antes, e tambem en-
feitam-se, tudo por preco commodo. Na mesma
lem sempre um grande sortimento de beuquets de
cera de differentes qualidades, e que se vende-
tambem por preco commodo._________^_^_
D. Anua Joaquina de Mello Carioca declara
pelo presente que desta data em diaote seu pro-
curador o seo sobrinho Jos Rodrigues de Olivei-
ra Lima, ao qual outborgoa plenos poderes para
Serencia de todos os seus negocios, ficando desta
ata em diante revogada toda outra e quaiquer
procuracao anteriormente pela annnnciante pas-
sada a quem quer que seja. Recife 9 de junho
de 1870.
ATTEN&fiO
Previne-se ao respeitavel publico e a quem in-
teressar nossa, que dingttem faca negocio com as
letras aceitas por Francisco de Paula i^avalcanti
Lins, proveniente do arrendamento do engenho
Matheus da freguezia de Gamelleira do termo de
Serinhaem, visto como taes letras esto snjeitas ao
pagamento das bemfeitorias feitas no mesmo en-
genho de conformidade com a respectiva escrip-
tora.
Precisa-se de urna ama
Cinco-Pootas D. 71.
para eozinhar ; na
Existe no collegio de N. S. do Bom Coase-
iho urna carta para o Dr. Alfonso Sergio de Mou-
ra Mallos.
Arrenda-se um excellente sitio com muitos
arvoredoe fructferos, baix.i para capim e verdu-
ras, muito boa casa, alem de outras para escra-
vos e estribarla ; no mesmo sitio tem tres cacim-
bas, sendo urna dellas frrea, e flea perto do
carainho de ferro : tratar com o Sr. Costa na
ra Nova, loj de charutos-_________________
AMA
Precisa-se alugar urat aroa qne seja escrava
Sra aervico de pouea familia : a tratar na roa da
dejado Reeife n. 15, \c-_______________
Na ra da Aurora n. 34, andar, precisa-
se de um bom coriobeiro.
mendas de bolos pes-del enfeitados; as encom-
mendas recebe se com antecedencia e as amendoas
em arroba terrao ahatimento no preco._______
Precisa-se de'uma ama para todo servieo de
urna casa de pequea familia : na ra do Aragao
n.38._______________________
Na ra Primeiro de Marco n. 15, escripiorio,
recebe-se propostas para a collocacao de vidros e
pintura no predio n. 23 ra da Cadeia._______
Desappareceu no da de junho corrente
duas beslas com os signaes seguintes : urna mel-
lada, nova, magra, dinas pretas, cauda aparada ;
outra rassa, magra, pequea, poldra, e ambas com
o ferro triangular na anca do lado drreito : quem
apprehende-las avise no engenho Cordeiro, que
ser generosamente gratificado.__________
Na travessa da roa
das Crnzes n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nholro sobre penhores
de ouro, prata e brilhan-
tes, seja qual for aqnan-
tia. Na mesma casa com-
pram-se os niesmos me-
taes e pedras.
NK TIUMS
INSTANTNEOS
Travessa do Corpo Santo n. 25
ARMAZEM
Ra Nova n. 28, loja Antonio
Pedro de Souza Soares.
Bandeira, Machado & C avisam ao respeitave
publico que nos lugares cima encontrara no mes-
mo sempre grande quantidade de ditos pocos, e
que se acham habilitados para vender por menos
que outro qualquer, por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante Ndrton, de Londres.
As vanlagens que offerecem os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser collocados den-
tro de casa ou fra, com o trabalho de urna a duas
horas; segundo, fornecerem os mesmos agua pu-
ra e abundante, podendo serem removidos de um
para outro tugar, quando assim convier.
Os annunciantes s reeebi-ro a importancia do?
referidos pocos depois de collocados, sattstazendo
espectativa do comprador.
0 Dr, Sarment Filho M
Si mudon-se para a ra do Imperador n. 29, |l
! 2o andar. jg
Consultas e operaeoes todos os dias das B
| 10 horas ao meio dia.
E31 Chamados por eseripto a qualquer S1
9 hora. 'M
shii
m^mmmwrmmmmmmm
TIHTUEABIA FRAIEZA
55-Rua da Imperatriz-55 S3
Tinge, lava, limpa, lustra e achamalo- jjj
ta-se, com a maior perfeicao, fazendas em m
pecas e em obras de todas as qualidades ; B|j
como sejam : seda, la, algooao, linho, Wi
chapeos de feltro e de palha etc. etc. ata
Tra-se noioas e limpa-se a seccosera
molhar os tecidos, conservando assim to- W
do o brilho da fazenda. B
Tintura preta as tercas e sextas fei- SI
ras. m
u I
G Sr. Jos Claudio Dubeux faca favor de trazei
o objecto que lewu amostra da ra do Queima-
do n. 7. ....*
COMPANHIA PERNAMBUGANA
N
Xavegaco costera por vapor
Os Srs. accionistas que fizeram a primeira en-
trada de 20 0|0 sobre o valor das acc5es que
subscreveram, querendo realisar o total das roes-
mas podem faze-lo, dirigindo-se ao escripiorio da
eompanhia no caes da Assembla n. 12, onde em.
al caso I he sero entregues os respectivos titdros.
Recife 13 de]unh)de 1870.
O gerente.
____________________F. F. Borges.________
Precisa-se de urna ama para casa de uma-
senhora viuva com um Gibo: a tratar na ra do
Amonm n. 33._______________________
Precisa-se comprar urna casa terrea em
bom ou mo estado sendp as mas do Coxo,
Aljube e Malhias Ferreira da cidade de Olinda:
nesta typographia se oir qual o pretndeme.
FE1TOR
Precisa se de um feilor que entenda
de arvoreo, e jirdim, na ra do Duque
de Cixias (antiga ra das Cruzes), n. 36,
I. andar.________________________
Aluga-se n* ra du Hospicio esquina
da ra do Riachuelo, urna preta de O
annos, que sabe coser, engommar e fazer
o servieo interno de urna casa de familia,
sendo muito carinaos* para cranos.
Retalha-se, avantade dos compradores,alguus
lotes de terreno, que restam, do sitio Aguasinha
em Beberibe. por precos lasoaveis. A posico to-
pographica do terreno muito o recommenda, so-
bretudo por ficar prximo da via frrea. Os pretendentes poderlo dirigir-se
informar-se do tenente S Peixoto, no mesmo
lugar, e para qualquer negocio ra do Crespo
n. 12, l'andar.
Agencia em Ternambuco .
Do Dr. Aver
Peitoral de Cereja
Cura a phthysica e todas as molestias do peito.
salsa parrilha
Cura ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
tros.
Tnico
Conserva e limpa os cabellos.
Plalas catbarticas.
Puramente vegetaes e sem mercurio, cura se-
toes, curam e purifican) todo o systema humano
Vende-se effectivamente em casa ae Samuel P
hnston & C, ra da Sanialla Nova n.42^_____
AMA
Precisa-se de nma ama para servieo de dontro
e fra de casa de pouca familia, prefere-se escra-
va e paga-sebem agradando: na ra Velha nu-
mero 66.____________________^_____
" EngommaMo,
- Na ra da Imperatriz n. 88, 3o andar,
defronte da matriz, engomma-se roupa para
algam collegio de meninos.
Attenqo
Na refinacao da ra do Hangel n. 43 precisa-se
de trabajadores para a mesma.
IURB DO
Imperio do Brasil.
Grande exposiqao na cidade de
Cordova,
REPBLICA ARGENTWA.
No dia 15 do outabro de 1870 tere lo-
gar a abertura da exposicao nacional em
Cordova.
Previne-se, portanto, a todos os produc-
tores, agricultores, fabricantes, artistas e i
todos aquellos que exerfam qualquer indos
tria, qae na dita exposicSo se recebem todos
os prdoctos da industria e agricnltora
brasileira, assim como toda/as machinas e
utensilios que quizerem remetter.
Estes productos est3o sontos dos dfreitos
da alfandega na Repblica Argentina e po-
der3o ser dirigidos cidade do Rosario, de
onde serio trasportados pelo caminho de
ferro central.
Para mais explicaces diryam-se em Per-
bambuco, ra da Cruz n. 3, ao consolido
argentino _______
Trabalhadores.
Virgullno Jos de Almeida, com hotel e ta-
berna na cidade da Victoria, at aua residencia
desta dala em diante em sea sitio Oitisinho, no Na refinacio da ra da SeuaU-nova n. i pre-
mesmo lugar. iotaa-ae de trabalbadore que saibam trabalhar.
Na ra deMarcilio Dias, out'rora ra Direi-
ta n. 88, 2o andar, precisa-se de urna escrava pa-
ra lavar e engommar para pequea familia.
Na ra do Nogueira n. 23 precisa se alugar
urna escrava para eozinhar e comprar._________
O.juiz da irmandade de Santiago cunvida a
todos os maos da dita irmandade para no dia 19
do corrente, as 10 horas do dia, ecmpareeerem no
consistorio da igreja do Pillar, para se proceder a
eleico da nova mesa regedora, isto em cumpri-
mento do despacho do Dr. provedor de capellas, e
que marcou o praso de dez dias para o dito lim,
como foi-nos intimado.
Marcelino Pereira Soares,
Juiz.
Ama.
Precisase de urna ama que safoa lavar e en-
gommar com perfeicao, para casa de ponca fami-
lia ; na ra dos Pires n 23.________________
CESTA DE PLORES.
Esta nova loja intitulada Cesta de Flores, tendo
urna das pnnclpaes modista, apromptar com
exactido e conforme o gosto de qualquer pessoa,
tudo quanU pertencer a urna senhora de lom.
Aprompta vestido, chapeos, e tudo com a maior
brevidade e preco commodo. Tem tudo quanto
preciso para este fim e baptisados, do que ha com
uantidade : na ra da Imperatriz n. 31._______
Attencilo
Precisa-se alugar um sitio nos seguintes arra-
baldes : Manguinho. Ponte de Urha, Caminho
Novo e Soledade : quem tiver dirija-se ra da
Cruz n. 38, armazem.______________________
Na ra Velha n. 15 precisa-se de urna ama
idosa para comprar e eozinhar para casa de pouca
familia.
Precisa-se
De um homem portuguez o brasileiro, que
qneira ir com um moco doente para Caruar para
fazer todo o servieo necessario delle, no pateo do
Livramento n. 36^_____________
Burro para vender
Vende se um burr : na fabrica do gaz.
do lm-
Sortes
Para S. Jo3o e S. Pdro.
Acham-se venda sortes para as noiies de S.
Joao e S. Pedro, impressas em papel de cor^e por
preco o mais commodo possivel: n ra
perador n. 15, defronte de S. Francisco.
~PARA DIVERT1MEXTO.
Acham-se venda na ra do Imperador n. 15,
derante de S. Francisco, um rico sortimento de
folhetos, de Magalona, Joao de Callis, Poriena o
outros muitos que nao se enumerara por nao alon-
gar rmiitooannuncio._____________________,
A'tengdo.
Vende-se a taberna da ra da Amizade n. 26,
na CapuDga, propria para principiante por ter boa
arma cao e poneos fundos : a tratar na mesma.__
lurinha de nandloca.
Da melhor qualidade e mais barata do que em
outra qualquer parte : vendem Amaral, Moreira
& C., no caes da alfandega n. 7._____________
Futidicao de ferro e bronze, e fabrica de
machinas da ra do'Brum n. 104 de
Cordeiro 4 Irmaos.
Neste amigo eslabelecimento faz-se e concerta-
se toda a qualidade de machinismo para engenbis
de assucar, machinas a vapor de ierra e do mar,
raoenda8 iuteiras e meias moendas, e lodos os
pertenecas mesmas e necessarios a agricultura,
pedindo a atlencao de seus numerosos freguezes e
amigo, senhores de engenho e ao publico em ge-
ral para os artigos que ja tem expostos venda,
como sejam:
Machinas a vapor vindas da Europa de forra de
4 e 6 ca vatios, superior constraccao. /
Taixas de ferro fundidas e batidas.
Reguladores e apitos para vapores.
Moendas e meias moendas.
Rodas d'agoa e rodas dealadas de espora,
Rodas angulares de todas as qualidades.______
Escrava cosinbeira.
Vende se urna escrava boa cesinheira 6 en-
gom ad-ira d 35 a 40. anoos e um filho mulato
de 18 a 20 annos, s se vendem ;ant>s : na ra
do Livramento n 14.______________
Sacpos de estopa
Vendem-se optlmosjaceos de estopa, proprios-
para assucar, raho, farmha etc.: no armazem de
Adamson, Howie A C, ra do Commercio n, 40.
Ferro gaivanisado
Vende-se em casa de Adamson, Howie 4 C, n*
ra dd Commercio n. 40, (albas de ferro-gaivani-
sado de 6, 7 e 8 ps de compriroento.
"ATTEfjAT
Acha-se depositada urna cabra fbicho) que f i
apdrehendida : quem se ichar coni direito a ella,
dando os signaes certoa snbdeNfaaa do z dw-
tricto da Boa-viaU, loe sera entregue.
" ^ESTRADA DE BELEM.
Arrenda-se nm sitio pfcqteno adianto da capel-
linba e em lugar onde deve haver nma estacao
intermedia dos trilhos urbanos de Olrada, tambem
se vende o mesmo sitio : na ra do Duque de
Caxias, outr'-ra das Crmus n. 30, t andar.

Precisa-se de nma escrava boa, qae eoxrabe,
niealg
fano
tnme alguma cousa e compre : na raa


Diario de Perntmbuco Sexta feira 17 de Jin.lo H l7.7l/(
_-_

'/
/
AO ARMAZEM
VAPOR FRANCEZ
COMPRAS.
0 muzeo de joias
Na roa do Cabag n. 4 ompra-se c*ro, praia
i pedras preciosas por procos mais vantajosos do
ine em outra qualquer parte._______.
GOMPRAM-SE IHHE
Acaba de chegar a este estabeleimento nova3 facturas com importante sortimento dos
artigos abaixo mencionados presos os mais resumidos que possivel.
FOGO CHINEZ DE SALDES
Para os festejos de S. Joo
Grande variedade desles lindos foguinbos de artificio cbinez, de vista de cores e efleitos ma-
gnficos de sorpebender, fabricados pretoriamente para salces e screm soltados por meninos e me-
ninas sem o menor receio de serem oflendidos.
BALLOES aereostaticos
Estes interessantes boloes de papel de seda de cores feitos na China, com 6, 8 e 10 pal-
mos de altura, muito elegantes e facis de subir com espirito de vinho, podem ser soltados das
varandas.
PAPEL PARA EMFEITAR BOLLOS
Papel rendado muito bonito de diversas larguras para enfeitar bollos de S. Joao, precos
liara ti ssimos.
LUYAS DE PELUCA
Do afamado fabricante Jouvin.
Sortimento completo de brancas e de cores, multo boas de se escolher, em quanto estao bem
frescas e sortidas.
BOTINAS
Para senhoras e meninas.
Bolinas pretas, brancas e de muitas outras cubera sortidas e bonitas, do ultimo gosto da
moda.
BOTINAS, BOTAS K PEBNEIBAS
Para homens e meninos.
Botinas de bizerro, cordavao, lustro e pellica, botas russianas de bizerro e de lustro, per-
neiras de lustro tanto para homens como para meninos.
Compram-se e vendem-se diariaiente para tora
dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejara sadios: no
terceiro andar do sobrado n. 36, ra das Crnzes,
fregneria de Santo Antonio.
Oom muito waior yantagem compram-se
ouro, prata e pedras preciosas e n obras vehas: na
loja de joias do Coracao de Ouro n. 2 D, raa do
Cabag.
Compra-se urna casa terrea boa, situada em
Santo Antonio on Boa-visla
na n. 6.
na ra da Florenti-
Compra-se urna casa terrea, na freguetia de
Santo Antonio : tratar no arco da Conceicao nu-
mero 6.
Oompram-se
Hoedas de ouro e de prata de todas s nacoes : ua
ra da Cadeia do Recite n. 58, loja de azulejo,
VENDAS.
Sapatos
;gjP**Phautamasgoria !!...
0 Campos da roa do Imperador n. 28
recebeu da corle |e vende em seu estabe-
cimento differentes fogos proprios para sa-
loes : sao inteiras navidades nesta pro-
vincia.
Ainda vende queijos a 2iJ300, sao os me-
lbores que ha no mercado, sao os mais ten-
ros e frescos.
Tambera vende pescada a 300 rs, li-
bra
TDO NO ARMAZEM DO CAMPOS.
segulnter curas
A tirgenudo mosteiro, e as memorias de Ri-
chelieu, por Jos Vktorlno, ambos encader-
nados em um so vol. por 3*000. Colas
cont suisso, ene. i vol. por idQOO. Canto
daivorada, poesas por M. da Rocha, i vol.
ene. por 3,J000. Flores singelas, por Paes
fle Andrade. Ultimas paginas, por P. de
Calasans. IUusdes perdidas, por C. de
Azevedo, tudo encadernado em um s vo-
lunte, por 80000. Jovita a voluntaria da
morte por J. C, e Alberto, scenas de um ro-
mance, por J. Candido, ambos ene. em s
vol. por 31000. Palmyra,* eegumhabra-
silera, romance em 7 cantos por Dr. Boni-
facio de Abreu, ene. em om s vol por 50.
O cavalheirs d'Harmental por A Dumas, 4
vol. encadernados, por 100000.
Tamb6m vende-se as eollecces de leis
provinciaes faltando apenas 3 annos, por
iQfiOOQ, tendo 27 vol. me brochtira, tam-
ben tem outras obras que a vista se mos-
trarao, e qne tudo se vende por preco em
conta. Quem quizer dirija-se a esta typogra-
pdaque se dir quem vende.
-Noarmaicra do Sr. Antonio Aones Jacome ven-
de-se mais barato do que em qnalquer outra par-
te : a tratar na ra da Cruz n. 38, arujazem de
Meills Lathan & C.
Vende-se a casa terrina n. 11. em chaos pro-
prios. sita em Olinda ra no oito do Amparo,
com 4 quartos, corredor ao meio e duas salas : a
ratar no i* andar n. 5 rqa da Cadeia do Recife.
A
M
NA

Pechineha
No paleo do Carmo n. 9, armazem do
Ribeiro.
Manteiga ingleza a 900,1M00 e 1J0O a libra.
Dita franceza a 720 rs. a libra.
Cb perola o que ba de melhor a 2* e 320
a libra.
Dito hysson a 3| a Itbra.
Queijos flamengos novos a 2*400.
Velas de espermacete a 700 rs, a libra.
Loja ingleza.
60Passeio Publico_C0
Neste grande estabeleiraento encontrar o res-
peitavel publico um grande sortimento de fazen-
das de todas as qualidades, sendo ioglezas e fran-
cetas que vendem por muito menos do que em
outra qualqnsr parle.
COMO SEJAM:
Chitas escoras e cl?ras, tinas de cores dxa a 240.
260 e 280 o covado.
Cambraias de cores, padrSes moderno? a 280 e
320 o covado.
Liazinhas muito finas, padrSes de gosto a 400 o
covado.
MadapolSes finos de 4*000 para cima.
Algodao branco a 3/ e i*.
Corles de fustao para caiga a IJS-
Ditos de brim pardo a 1, l200e l500.
Ditos de casemira preta a 5 000.
Calcas, paletots e colletes de tedas as qualidades
e precos.
Na loja mglcza do Passeio Publico.
'.()
120
5C0
60
1,5000
C1T00O
I
Engenho.
Farinha de mandioca
Chegadas ltimamente do Rio de Janei-
ro, em saceos grandes e mais baratos que
em outra qualquer parle: trata se na ra
do Vigario d. 41 Io andar.
Sapatos de Borracha para homens, senlioras e meninos, sapatos de invern para homens,
ditos de lustro com salto para homens, ditos de tapete aveludado, de casemira e de tranca fran-
ceses e portuguezes para nomen?, para senhoras e para meninos
PERFUMARAS
>, leos, agua divina, de cologne, <
>ara bigodes, pos de arroz e sabom
Quinquilharias
Finos extractos, banhas, leos, agua divina, de cologne, de lavaade, e de florida, tintura
para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de arroz e -abneles.
E pelhos grandes e pequeos, leques, albuns e caixilhos para retratos, esterioscopos com
bellas vistas escomidas, bengallas, chicotes, correntes de plaqu para relegios, grvalas, oculos,
luneta*, caixinhas de costura ornadas com msicas, photograpnias. mgicas, colTresinhos mgicos
para desapparecer anneis, ditos ditos para relogios, jogos de domin, bagatella, redetos, e outros
rauitos joguinhos francezes e allemes, jarros com bouquels de flores de porcelanas para san-
tuarios, cestinhas diversas para braco de meninas, objeelos de phantasia dourados para toileies, ri-
cas escovas para cabello, para vestidos de senhora, para chapeos e para barba, ponteiras de espuma
para cigarros e para charutos, abat-jur para candieiros a gaz e para lanternas de piano, caixinhas de
muica de darse corda, ps de vidro para pianos, realejos grandes e pequeos, accordions, cosmo-
rama3 com as mais importantes vistas, molduras douradas para quadros, bonitas estampas de pai-
zagens, de figuras e de santos, carrinhos de 3 e de 4 radas para conduzir meninos a passeios, ma-
las e boleas para viagens, bercos de viroes os mais commodos que ha para crianzas.
.MQQiQaiaas eaiaa Gasraos
Para este artigo nao ha espaco nem tempo para a mas-ante leitura da infinidade ds gene-
ros de brinquedos fabricados em diversos paizes da Europa.

ATTENCAO
O dono deste eslabelecimento pede ao publico em geral que continu a visita-lo veri-
ficando as qualidades e os precos baratos de ditos objectos por serem vindos em direitura e de
unta propria.
CABELLEIREIRO FRANCE2
51Sua da Cadeia Uo Secife51
Chama a attenco dos seus innmeros freguezes, e do respeitavel publico el
geral, para a seguale tabella dos precos de sua casa, os quaes sao vinte por cen
mais barato do que em outra quaiquer parte:
Sortes Para S. Joo
Na ra da Conceicao n. 30 e ra dos Qurteis
n. 22, vende-se lindas' sortes para S. Joo por pre-
cos muito commodo. Na mesma ra da Concei-
cao prepara-se qnalquer encommenda de bolo de
qualquer quaiidade com muito aceio, promptidao,
e mdicos precos.
Vendem-se 12 escravos, sendo 5 pretos de 18
a 30 annos, proprios para todo e qnalquer servico,
tanto de casa como para agricultura, assim como
um mulatmho de 17 annos, perfeito copeiro, 6 es-
cravas de 14 a 30 annos, todas prendadas: na ra
estreita do Rosario n. 43.
ATTENCAO
Carne do sertao muito nova, manteiga franceza
a 720 rs. a lihra, dia ingleza a 1300, 1J200, 900
e 800 rs. : na camba do Carmo n. 2. esquina da
ra das Flores, armazem de Siqueira & Irmo.
Vende-se urna taberna com poneos fundos,
propria para um principiante, com commodos para
familia, com quintal, cacimba e muito fresca: na
ra Imperial n. 205 para examinar, e a tratar na
ra da Praia, hoje de Pedro Affonso n. 76.
Engommaieira
Vende-se urna criuula de 28 annos, robusta, fiel
e sadia, engomma perfeitamente, cozinha, lava e
cose costura cha ;.c motivo da venda se dir ao
cormprader : uo Forte do Mattos, ra do Codorniz
numero 9.
Economa domestica.
A loja lo Passo da Patria do caes 22 de Novem-
bro n. 32 e ra do Imperador n. Cl, chegou ura
importantsimo ^ortiraento Be chitas que se ven-
dem a preco de 200, 240 e 280 rs. o covado; che-
guem que se estao acabando 111
Vende-se o engenho Ribeirao da fregnezia de
Santo Antao, situado ponco mais de urna legoa
da estrada da Victoria", de trras muito producti-
vas, podendo safrejar para mais de 2,0f0 pes an-
nuaes, com boin cercado feito todo de vallados, e
muito boas obras; o engenho d'agua e est
moente e corrate : quem pretender este negocio,
dirija-se ao mesmo engenho, ou ra da Concor-
dia n. 13.
Vende-se
Laade carina.
Vende-se la de carina bem secca por preco com-
modo, phosphoros do gaz a 280 a duiia : no pateo
do Carmo, esquina ta ra de Horta?, armazem
numero 2.
FOGOS,
Ps de roseiras de varias qualidades, de cravei-
ros, de sapotis, de figueiras, de abacates, de pi-
nheiros, de palmeirw, de laranja cravo, por ba-
rato preco : tratar na Boa-vista, ra do Mon-
dgo n. 51.
A ttencao
Vendem-se ou trocan-se por casas nesta praca
ou me:mo por siiio perto da cidade duas bareacas
de lote de 30 caixas, bem apparalhadas e promp
tas navegando : a tratar na roa do Passeio nu-
mero 56.
Farinha de mandioca
igual a de jftTuribeca.
Em saceos de dous alqueires e de panno de
algodao, cuja medida corresponde de 5 a 8 OjO
mais do que a medida daqui e do Rio de Janeiro,
vende-se a preco menor do que em qualquer ou-
tra prtete : tratar com Joaquim Jos Goncal-
ves Beltro, em seu esenptorio ra do'Commer-
ci n. 17.
A5*000
Vende-se botinas de cores para senhoras, pelo
diminuto preco de cinco mil reis o par, sao cores
muito bonitas, obra bem feita : venham a ra da
Cadeia n. 50 A, loja de miudezas, defronte da ra
da Madre de Deus.
Cavallo.
Na eocheira da ra de Santo Amaro n. 1 ven-
de-se um exceltonte cavalto de cabriolet.
Vendem-se duas parelnas de mua (bichos),
mansas e muito bonitas, proprias para carro, che-
gadas ha pouco do Rio Grande do Sul, as qnaes
esto na coeneira do Sr. Joao de Dos rna do
Imperador, aonde podem ser vistas : para tratar
com Jos Victorino de Rezende & C, ra da Ca-
deia n. 52.
Cabellaras para senhoras a 250,
305, 355 e......400000
Ditas para homom a 350, 400 e 5O0OO
Coques a m, m, 130, 03,
250, 305 c.....500000
Crescentes a 120,150,180, 200,
230, ::i0. e.....320000
Cachos oa crespos a 30. 40, 8
"60, 70, 80, 95 e. 100000
Tranca de cabello para annel a
500 e....... 10000
Tranca para braceletes a 100,
150, 200, 25 e.....300000
Cadeias para relogio a 50, 60,
70, 80, 90, 120 e. .
Corte de cabello,
Corte de cabello com friccao. .
Corte de cabello com lavagem a
champou......
Corte de cabello com limpez da
cabeca pela machina elctri-
ca, nica em Pernambuco. .
Frisado ingieza ou franceza.
Barba. ........
150001
50
50t
10001
10001
.504
it
SIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Baile e
O dono do estabelecimento previne s
Eimas. Sras. e aos cavalheiros que ha um
ulao para tintura dos cabellos e barba, as-
sim como um empregado smente oceupa-
soires
Recommenda-se a superior TINTURA JA
PONEZA para enegrecer os cabellos e bar
ba, nica admittida na Exposico Universa
| como n3o prejudicial i sade, por ser vo<
latil, analysada e approvada pelas acade-
i mias de ciencias de PARS E LONDRES
Attenpao.
Vdese a laberna da ra da Soledade n.
tratar na raesma.
46
Vende-se urna taberna na ra Imperial n.
27 : tratar na mesma.
Veude-se
A taberna da ra de Sania Rila n. 53, muito
boa. para negocio, vndese por sen dono na po-
der eontmuar por falta de saude, propria para um
principiante por ter poucos fundos : quem a pre-
tender dirija-se a mesma para tratar qualquer ne-
gocio que se possa fazer.
Farinha de mandioca
de Santa Catharina
O que se pode desejar de boro, a gamela bor-
do do patache ioglez Mttry tlock : tratar com
Tasso rmos 4 C. ra do Araorim n. 39.
Vidros para vidracas de todos os tamanhos
e em caixas, vende Bartholomeu 4 C, em sua
pharmacia na ra larga do Rosario n. 34.
do nesse servico.
f MKHMK aaSKH* M3 ffiMKftBMf
F3
5 O fi> 3
zz^" r g 3 3 a
a> B a "g o
rt;l3i*ia
2-8 o. a" p. g.
ZJSS.sg-'aS'
18-.l
US co ^ os CP
Seo;- o b
o 9
i
o
o,3
5 *
85
si
S 18-^5
o. 2. s o. f
ff-gss-sa
P
I
iB

CS.'SS? SO
iiiim iss {BHmm
Vende-se urna casa de taipa, na baixa do
Zumbi, (Torre) em solo rendeiroj tratar na ra
Imperial n. 233.
Farinha
Vende-se farinha muito boa chegada hontera,
em saceos grandes e pannb da fabrica da Babia,
nos armazeos da companhia Pernambncana : a
tratar no mesmo e na ra da Cadeia, casa n. 1.
com Jos Gomjalves Torres.
nico deposito
Ra do Vigario n. 11, sobrado.
Vende-se com abatireento, autorisado pelo fabri-
cante, o rap fino, assim como ha para vender o
vinagrinho, viajado, e meio grosso
Luvas.
Chegou pelo vapor francez, ura grande sorti-
mento de luvas de pellica de Jouvin, brancas
pretas e de cores. Em casa de Andr Delsuc, ca-
belleireiro, ra do Primeiio de marco n. 7, Io an-
dar.
Terrenos
Venije-se um terreno na ra de Luiz do Reg,
em Santo Amaro, com 300 palmos de frente e 640
de fundo, com urna casa terrea edificada uo mes-
mo terreno : quem o pretender, denja-se a roa
Nova n 22, que achara com quem tratar.
Para Santo .tnlonio,
$. Joo
S. Pedro.
Grande deposito de fogos artificiaes para os fol-
nedos de senhnra* e enancas nos dias de Santo
Antonio, S. Joo e S. Pedro, a saber : pistolas
brancas de 3, 4, 3 e 6 balas.dilas coloridas de 3, 4,
5 e 6 balas, rodinhas brancas e cloridas fontanas,
craveiros, chafarizes em ponto pequeo, rodinhas
com illnminacao colonias, fogos de bengala,fogos
do ar de l e 3 bomba, ditos de bomba real, tan-
ques chinezes, baloeszinhos de 3 e 4 palmos, pro-
prios para soltar em varanda com espirito de vi-
nho ou mesmo gaz, alem de nutro maiorsorlimeo
to que s com a vista do com orador : na ra Di-
reita n. 53, loja de Lenidas Tito Loureiro, antiga
loja do Braga.
Rival sem segundo,
RA DUQUE ME CAXlAM IV. 49
(Antiga ra do Qoeimado)
-Contina a vender tudo muito bom e
muito barato a saber :
Quadernos de papel pequeo a. .
Libras de areia preta-moho boo. .
Tesouras finas para Untas e costu-
ra a.........
Papis de agulhas francezas a ba-
15o a.........
Caitas com seis saboneles de fruta
Libras de la para bordar ie todas
as cores a.......
Caivetes finos para aparar penas
lapis a 500, 1 e.....
Carriteis de lidia Alexandra a. .
Frascos com azeile para niadiinas
Grvalas de cores muilo finas a .
Grozas de boliies madepersla li-
uissimos a.......
Pares de linas de cores muito fi-
nas a 30 e.......
Novello de linha.de 400 jardas a.
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a......
Pentes volteados para meninas a.
Tinteiros com t na preta u 80 rs. e
Pecas de fita elstica muito fina a
Lata com superior banha a 100 e.
Frascos de oleo Philocomo muito
fino a.........
Ditos ditos dito grande a. .
Frascos de macaca perola a. .
Frascos de extracto muito b nitos a
Duzia de sabonetes muito fino-i a.
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. .
Frasco com agua de colonia Pivera
Dito de oleo baboza a.....
Caixas de lamparinas a. .
Sabonetes a forma menino muito
superiores a.......
Larlilhasda doutrina fazenda nova a
Libras de liaba surtidas de t"(!us )s
nmeros c.......ftjsOO
Duzia de pomada do Porto muito
superior a.......
Dabados do Potto, largos a ICO e
Capachos muito bonitos e guildes a
Carriteis de reros preto, com
oitavas a. ......
Agulheit'us de osso enfeiUdos a, .
Libra de linha franceza superior
quaiidade i. ..... 2400
Caixas de palito do gaz a. 0
nonecas de cera muito bouitas de
300 rs. ........2)000
500
100
500
500
500
500
CO
600
240
100
200
200
500
1000
240
500
720
10200
500
500
40
240
00
200
700
CO
240
Ra Direita n. 53.
Completo sortimento de facas e garfos de ba'an-
co de 1 e 2 botoes, bandejas chinelas com lindos
esmaltes, culheres de metal de principe para cha
e sopa, trens para cozinha, salitre, breu, barbante,
eaxofre e papel, alem de um completo sortimento
de ferragens, miudezas, cntihleirias, ma h as pa-
ra descarocar algodao, inranos paia caf, etc.,
tudo por menos preco do que era outra qnalquer
parte : na ra Direita n. 53, loja de Lenidas Tito
Loureiro. amiga loja do Braga.
TTENCAO
Em casa de Mills Latlnm'A C. ra da Cruz
n. 38, vende-se sabio inglez de diversas "qualida-
des.
REDES
Loja da Bella-vista, ra da Imp?ratriz n. 13 A.
Neste novo estabelecimento vende-se por barat-
simo prego um gran le sortimento de redes de tu-
cum vindas.do Para._______
CORTES DE SEO!
O Cysne ra da tmperatriz.n. Ci, acaba de re-
ceber pelo ultimo vaner lindos' e modernos cortes
de vestidos de seda pretos e de cores, lisos e niati-
sados, os quaes vende por precos mdicos.
Calcados baratos.
Vndese sapatos de tranca de Lisboa para ho-
mens e senhoras a 233000 duzia, e a 25200 o
par, garntese a boa quaiidade : na ra do Du-
I que de Caxias n. il.
Livros de sortes
Orculo de Detfr. o melhor que tem appareci-
do, Livro dos Destinos, Paeotilha Potica, Revela-
quer a 11 : na ra da Crnz n. 82, livraria eney-
clopedica
liJMBITO
A economa das fa-
milias.
Acaba de abrir-se de novo a loja e armazem da
Arara, na rna da Iraperatriz n. 72. que tendo con-
cluido todos os seus negocios commerciaes ; ago-
ra vai fazer ama liquidacao de todas as suas fa-
zendas sem reserva de precos, s Com o lira de
liquidar ; por isso se convida a todas as familas
para mandar ver as amostras de todas as fazendas
para ver as qualidades.
A SABER:
Alpacas de cores para vestidos, sedas de cores,
atoalhado de linho, bramante de linbo, organdis de
cores, cassas francezas Anas a 2i0 o covado, chi-
tas francezas escuras e claras a 240, 280 e 320,
grosdenaplos pretos de todas as qualidades, ril
branco liso e lavrado, brim pardo a 500 o metro,
brim branco de linho fino, gangas para calca a
320 o covado, castor para caiga a 160 o covado,
casemiras pretas para caigas, pao fino preto de
todas as qualidades, casemiras de cores, ronpas
fetas de todas as quaiidade, paletots de ganga a
25000, ditos de brim a 2*000, ditos de alpaca a
2*000, algodao a 40OO a pessa, madapolao a
o, cohertas de chita a 15, cobertores de algodao
a 1*400 e outras muitas fazendas que se vendem
?em reserva de pregos. para liquidar.
a frente da leja ter dous letreiros com letras
encarnadas exi que diz liquidaran, qne principiar
hoje.___________________
Vende-se boa farinha de mandioca em sac-
eos com dons alqueires, e coila do Rio-Grande do
Sul. no esenptorio de Jos Victorino de Rezende
& C. : rna da Cadeia n. 32.
I Fzcndas baratas eoM to-
que de ararla
SRA DO CRESPO N. 25.
CHALES de merm lisos de toda as co-
res a 800. 1*, 4*100 e 2* cada um.
MADAPOLAO algodao, chitas e cam-
braias brancas.
DAO-SB amostras na ra do Crespo n.
25, loja de Mansol Dias Xavier.
Na ra do visconde Ae Pelotas, casan. 7,
(antiga ra do Aragio) vende se ama escrav* cou
23 annos de idade, a qual lava, engomma oo-
zinha e tem principio de costara, na mesma tasa
se dir qoem vende urna mobilla de Jacaranda
em perfeito estado, sendo 12 oadeirag ie guarn-
gao, 2 de bracos, 2 consolos com ttmpo de pedra
e um sof.
A 14500
Vendes w>atos mladado para homen* e m-
nboras, pelo diminuto prego de 1*300 o par : v-
ttham a ra da Cadeia d. 50, loja de miudezas.
Antonio Jos Sarment de Benevides e sen ir-
mo Luiz Jos de S BeneVides, moradores e nego-
ciantes estabelecidos com loja de fazeodas na ra
do Commercio da cidade de Sonza, provincia da
Parahyba do Norte, fazem sciente ao respeitavel
publica e especialmente ao corno do commercio
das praca do Recife, do Cecra, que de hoie em
diante se acham associados e mutuamente obriga-
dos perda e ganbos, coniratos'e. obrigaooes ten-
dentes mesma sociedade, que gyrar sob a firma
Sarment de Benevides & lrmo.' Cidade de Sou-
za 21 de majo de 1870. _______
GRANDE NOVIDADE
PABA AS NOUTES
DI
Santo mnloof o w. lo&o e*. Pedro
Grande sortimento de fogos artificiaes
nunca vistos nesta provincia, nSo s por
serem de paiz estrangeiro, como tambera
por serem todos de novas espe;ialdadeg,
como sejam par solUr-se tsobr'agaa etc.
Achim-se venda ni rui'Novt n. 20 ni
bem conhftcida e acreditida loja de Almei-
da d Yianna,
ATTENCAO
; Fazendas b ratas cora !
t.que deavaria.
| A' ra do Crospo n. A. m
Chales de cassa bordados a 1 .
Cambraias braucas victoria de ns. 12 a 5
20 a 3* e 3*300 a pega. m
Madapolao fino a 4*300, 5*, 5*300 e
6*000 a pega.
Algodaozinho a 35000 a peca..
Algodao trangado branco americano a JE
560 rs a vara. 8
! Algodao amecicano de listras para roa- jH
pa de escravos a 240 o covado.
' Algodao azul cora 54 eovados a 5* a 80
peca.
Cambraias matisaJas de cores a 280 o ^
covado.
Husselinas brancas a 400 rs. o covado jjN
Basquinas de grosdenaple e gorguro S
de seda ricamente enfeitadas a 18*000 1
cada urna.
Chitas matizadas claras e miudinhas a S3
240 e 280 o covado
Lengos brancos finos, urna caixinha i
contondo urna duzia. por 2*500.
Cortes de cambraia de barra com daas I
saias a 6* o corte.
Dao-se amostras na ra do Crespo n.
25, loja de Manoel Dias Xavier. '
K.OS
l?.
Para Manto Antonio, ft. Joo e
S. Pedro.
Na muito conhecida loja de ferrgens na ra No-
va n. 39, de Sonza & GuimarSes, acha-e um lin-
do e variado sortimento d9 todos os fogos artifi-
ciaes dos melhorps fabrieanles desta cidade, con
lenda rodinhas, pistolas de todos os tamanhos,
brancas e W cores, craveiros, Uluminagao e tra-
ques, etc.; assim como um lindissimo e variado
sortimento de fogoe chineaes reeentemente chega-
dos, proprios para criancas, os qnaes podem ser
sollado em sato. Avism mais qne existe lam-
bem ama grande quanfidade de sortes de todas as
qualidades, como sejam, sortes cora estampas, ditas
sem estampas, ditas em cartes com pergunta e
resposta, ditas em livros, tudo por pregos maito
commodos, qae admira : na ra Nova n. 39.
Grande pechineha
. Na ra do Duque. de Caxias, antiga rna do
Qneimado n. 19, vendem-se alpaca de toda* a
core e lavradas pelo prego de 500 rs., chitos de
bons pannos a 240 rs. ; assim como tem ricos
corte de cambraias bordadas de cores a 7*000 o
corte com 10 raras, baratissim.
A MA L,
A ra do Duque de Casias n 21.
(ANTIGA PA 1)0 QEIMADO)
Nao foi sem fundamento que a NOVA
ESPERANZA tem deixado de fazer os seus
annuncios, a razo simples, ella entende
que tudo em demasa aborrece... por isso
como j tiaba dito e sctentilicado sua boa
freguezia o que constantemente ia receben-
do, ou tivesse feitoy muitas vezes, receiou
tornar-se massante, assim pois recolbeo-se
um potco ao silencio, mas nunca deixando
d'emprpgar osverdadeiros csfcicos, j con-
tratando maior numero de coriespondenles
na Europa, ja descabrindo t.bjectjs do mais
apurado gosto e llnalmeote assignando o
Jornal das* Familias, o qual vem senpre
ornado com flgurinos, modernos mwldes para
vestidos etc,. etc. para desta forma mdbor
seryir a sua constante freguezia : e com es-
pecialidadc a bello sexo, quem a NOVA
ESPEItANCA ufanase em ofcrecer-ibe
seus servicos. apressando-se desde j em
declarar que tem recebido ltimamente
entremeios e babados bordados transparen-
tes e tapados, chaposinbos de sem para
baptisados.
Finas toncas de cambraia bordada para
o mesmo fim.
lelas de seda e fio de escocia para crias.
Cas.
Dedaes d'osso, marfiai, ago e madrepe-
rola.
ptimas navalhas, afiadores e massa para
as mesmas.
Finas esponjas para o rosto e para ba-
ndos.
Bonitos saponbos com biqneirf, sendo
cora salto, para meninos e Bteninas de dois
a doze annos.
Boas lentes com cinco memetros, para
contar-se os fios de qualquer 'fa^nda.
Tesouras para frisar vestidos.
Carretas para tirar moldes de vestidos.
Mollas para segurar costuras.
Bonitos linteiros de novos moldes,
Meias de la para bomeus e senhoras.
Finas e bonitas ligas para meias.
Fil de linbo e de seda, sendo preto e
branco, liso e de sal picos, e outros muitos
objectos exposlos a venda ra Duque
de Caxias n. 21, na NOVA ESPERANCA.
Aabo J'alcarSo.
Vende-se na roa Duque de Caxias n. 21.
PARA LUTO.
Brincos, broches, vo^as. pul eiras, fivel-
las, pentes, bites para puchos e cadeias
para relogios.
A NOVA ESPEBANgA, querendo satisfa-
zer sua freguezia, naosmente em objectos
d'alegria ou de Iuxo, quer tambem acom-
panhar aquelles, que infelizmente perdendo
alguem d sua familia, ou a'guem de sua
amizade, precisam de taes objectos, assim
pois a NOVA ESPEBANCA, mandou vir o
que ha de melhor neste genera, porque
sendo taes objeelos de cor negra, sendo
de m quaiidade, nao somente tornam-se
ti isles como al repugnantes, o que n5o
acontesce aos da NOVA ESPERANCA. por
que apenas exprime o sentimento pela cor
porem como que traz una lenitivo pelo gosto
a perfeiejo com que taes objectos sao tra-
bajados.
Buhar.
Vende-se nm bilhar cora todos os perlences ; a
ver e tratar na ra estreita do Rosarion. II.
mmm mmimkm
JoaquimRodr'gues 'la-
vare* de Mello,
Praqa do Corpo Santo n. 1'
0 TEM PARA VENDER : '
Cal de Lisboa.
Potassa paRussia.
Vinho Bordeaux.
Favila & Lisboa.
Farinha de nanrlloea.
Farinha d* mdnd oca e milhn
ebegado ltimamente do Rio de Janeiro, em saceos
grandes, e mais baratos qne em outra qual utr
parte : trata-se no trapiche Fon te?. ,
l


N
-v
Diario de Pemamb&co ...Sexta eira 17 Je Juuho de 1870.
I i ,
A VERDADE
Rna Duque de Casias n. 55
Na loja da VERDADE eontinna-se a ven-
de* por baratsimos presos todos os arti-
gos de miudczas e perfumaras do sea
grande e variado sortimento, garaotindo aos
compradores toda a sinceridade.
Lindas bonecas de cera e massa por ba-
ratissimo prego.
Espelhos doarados para pendurar a
160 rs.
Agulhas de osso para crox a 200 rs.
Pentes linos para segurar cabello, a
30 re.
Chamins para gaz a 320 rs.
Garrafa com tinta alizarine a 10000.
Dita com agua florida a I)515C0.
Dita com dita dita a 150C0.
Tnico de Jayme a 1)5500 o frasco.
Frasco com oleo expresso de babosa, de
240 a GiO rs.
Dilo com agua de Colonia de 300 a 10000
Dito com extractos finos a 10000.
Dito cora sndalo verdadeiro a 10200.
Latas com banha muito fina de 120 a
20 rs.
Sabonetes muito finos e diversas quali-
dades a 80,160, 240 e 320 rs.
Finas escovas para deates de 320 e 500 rs.
Ditas para facto de 500, e 600 rs.
Ditas para cabello a 500 rs.
Pentes para alisar com costa de metal a
320 rs.
Ditos ditos ditos de bfalo a 240 e 320.
Pentes para tirar piorno de 160 e 240 rs.
Pavios para gaz, dazia a 240 e 320 rs.
Brincos de cores, inteiramente modernos
de 160 e 240 rs.
Pennas caligraphicas muito finas a 10400.
Ditas de langa e mosinha a 800 rs.
Lindos babadinbos e entremeios de 500
e 10500.
Grosas de botoes de louga de 160 e
200 rs.
Ditos ditos para calca a 240 rs.
Gaixa com papel amizado a 700 rs.
Ditas com envelopes a 480 rs.
Ditas com obreias a 40 rs.
Ditas com agulhas fundo dourado a
2S rs.
Thesoura para costura a 240 rs.
Liaba de marca eaixa a 280. rs.
Carriteis de linhas de Alexaudre de n. 70
a 200 a 10 rs.p
Grampos muito finos, com passarinhos du-
ziaa 200 rs.
Cartas francezas para jogar dozia 3$000
Ditas porluguezas, dazia 10400
Papel almaco superior qualidade resma
10000.
Lam muito fina para bordar libra 60500
Fitas para debrum de sapato, pessa 1G0 rs
Ditas de lam para debrum de vestido peca
400 rs.
Caivetes grrndes com molla a 400 rs.
Ditos grandes com 2 fulhas por 320 rs.
Rosetas pretas para luto, o par 100 rs.
Trancas de lam de caracol branca e de
cifcs da 40 a 100 rs.
FiUs para cs, peca 480 rs.
Alfinetts de latas, carta 100 rs.
Sapanhos de lam para creanca de 400
2 SO rs.
Calcadeiras a 40 rs.
Grvalas de seda preta de 400 e 800 rs.
Ditas de croxe, brancas e de cores 00 rs.
Dita de gsrguro de cores a 800 rs.
Na verdad i roa Duque de Ca-
stas n. &*.
Cantara 'Je Lisboa
Solelras, hombreiras e espitis pare frentes de
casas, o que ha de melhor : venda no arma-
zera da travessa doCorpo Santo n. 35, de Joaquim
Lopes Machado & C______________________
Vendera se diversos ecravos pecas viudos
do Cear, proprios para engenho, assim como
nmacabrocha por 1:0004, de 18 aonoi de> idade,
bonita figura, est nm pouco descorada de frialda-
de, e diversas mulatas com habilidades : a tratar
Ha ra da Cruz n 63, 8 andar.________-
Armazem dous irmos
M=na da Pcnha
Manteiga ingle:a superior a 1J500 a libra, idera
franeeza a 800 rs., eh miudo bom a 3lOO, dem
grosso a 34, velas de esoermacete a 640 a libra,
caf em caroco boro a 100 e 540 rs., toaeinho a
400 rs., talarim, macarrao e aletria a 500rs., quei-
jos frescos a 2*500, idem prato a 12 a libra, Tinho
em pipa a 400 rs. a gatraa, idem S. Julien Me-
doc a 640, grandes latas com bolachinbas a 1*400,
lagustinhos a 600 rs. a lata. Neste armazem ha
semp:e grande deposito du gneros de primeira
qnalidade, e vendem-se a precos muito resumidos.
LOUCA
O
Grande armazem na roa da
Imperatriz n. H
Neste grande armazem vende-se louca ingleza
finas e ordinarias, apparelhos de porcelana para
jantar e para cha, Jarros para flores os mais boni-
tos e de gestos modernos ; assim como grande
.'ortimento de vidros finos c ordinarios, que tudo
se vendera tanto a retalho como por atacado pelo
mais barato preco que em outra pualquer parte :
chamamos a alteneao dos freguezes, que serao
convenientemente servidos tanto nos commodos
precos como na boa aualidade das fazendas.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
de Nictheroy.
nico deposito em Pernambuco caes da altan
dega velha n. 2, 1* anda.
FARINHA DE MANDIOLA,
Vende-se farinha de mandioca chegada do Ma-
ranhao no ultimo vapor do norte, por menos do
que em outra qualquer parte : a tratar no escrp-
torio de Joaquim Garardo de Bastos, a ra do Vi-
gario n. 16, 2 andar.
Aos cem mil azulejos
Portuguezes, hespanhes e francezes : na ra
Primeiro de marco n. 16, outr'ora do Crespo, ar-
mazem de louca de Bernardino Duarte Campos
&C.
Caf do Ceara'
Vende-se ptimo caf da serra d'Araia-
nba. Cear: a ra da Cdeia do Recife
n. 5.
AtteD^ao
Fogo fogo e mais fogo
No largo do Carmo n. 4 existe o verdadeiro
fogo artificial fabricado fra da cidade com licen-
<;a da cmara municipal : no largo do Carmo nu-
mero 4.
Na mpsma casa vende-fe massa secca para bol-
los de Sao Joao.
JEstampilhas. .
Vende-se na ra da Cadeia do Recife 58, loja
| de azulejo.
Grande estabeleciraeoto de fazendas e roupas feitas e por medida, roa da Im-
peratriz n, 52 jonto a loja de oorives.
Neste estabelecimento enconttrar o, respeitavel pabilo am bonito sortimento de
roupas de todas as qualtdides.
Patot de alpaca preta e de cores a 3*000, 34500 47,5000, ditos mirin preto
de 75000 at 255000, ditos de ciscara de cores finas e ordinarias, de 65. 16,5000
ditos de panno finos de 65 8,5 105 e.2< 5000. sobrecasaco dito de 205 a 50,5000 '
Completo sortimento de alcas debrm pardo de 15600 a 6*5000, ditas brancas
de 2*5 105080 o mais soperior, ditas meia oasemira, ditas- casemira de 50, 125000,
ditas oasemira preta de 65, a; flOOQ superior, dita de meriD diversas qoalidades para
luto. Assim como .un bonito sertimento de colletes de brim de cores, ditos brancos,
ditos ide casemira de cores e pretas,, ditos de merino para loto fazenda soperior.
Sortimento compteto de camisas francezas de algodo, de 15600 35000, e de
linho de 380000 a 700000 a duzia.
Sertmentooompieto de cerclas francezas de algodo de 10600 a 20500,
ditasde bramante a 40800, 30500 e 30000, ditas de Hamburgo, franelas, fazenda su-
perior de 250000 a 350000 a duzia. Sortimento de colarmhos de algodo e tinho, etc.,
assim como meias de algodo para hornera de 30, a 100000 a duzia, grvalas de mili-
tas qualidades. Na ruada Imperatriz n. 52; loja do
Sortimento de chapeos deso de alpaca, e seda, ditos inglezes cabo de marfira.
Toalhas para rosto. Sortimento de maltas para viageni.
attencAo.
Neste estabelecimento encarrega-se de m3ndar"ftrzerqaa.lqner obra por medida
e para esse fim tem hbil mestre enxarregado da officina, que soencarrega do trabalho
com perfei^ao e puntualidade.
SORTIMENTO DE FAZENDAS.
Chitas de 240 rs. o covado ou 100000 a pessa com 42 covados, ditas raiudes
para camisas e timo de menino 260, e 280 rs., e outras militas qualidades de 320, 360
e 400 rs. o covado, neste mesmoestabelecimento chegaram, urnas bonitas chitas da
victoria com barra, a qnal para fmos ecompetente enfeite para corpinho. Cam-
braia Usa de 30, 40,50 e 10000 a pessa, e outras maltas fazendas de todas as quali-
dades.
ALGODlO E MADAPOLO AVAHADO.
A 40000 o algodo, e45500 o madapolo,'e ttrabem chita escora boa 240 o
covado por ter grande porco, na ra da Imperatriz n. 52, loja com portaes encarnados,
intitulado
MAMAS PARA
i COSTURA
Acabam de chegSr ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, roa Nova n. 22cabneiro
viannaum completo sortimento de ma-
chinas para costara, dos atores mais co-
ndecidos, as quaes estao em exposieao do
mesmo Bazar, garantindo-se a sua bda qoa-
lidade, e tambem ensina-se com perfeico
a todos os compradores. Estas machinas
sao iguaes no seu trabalho ao de 30 costu-
reiras diariamente, e a sua perfeigo e tal
como da melhor costureira de Paris. Apre-
I sentam-se trabalbos executados pelas mes-
. mas, que muito devem agradar aos preten-
1 dentes.______________________________
Officina e armazem de
Velas de spermacet
Verdadeiro americano cada nm; caixa trinta
e cinco meias duzia* de vellas, ou 210 vellas, por
trlnta e cinco mil reis. No armazem de Tasse Ir-
maos & C, rna do Amorim. ________
A 5^000"
Madapolo encornado proprio para saias e Ien-
coes, pecas com 20 varas, por 54 : na ra do
Crespo n. 25, loja da esquina.
Pechincha a 7$ e 9$
Vende-se calcado francez obra muito boa pelo
diminuto prego de" e 9, assim como aleado
para changas a 3/, baratissimo venham a" el-
le j antes que se acaben), na bem conbecida loja de
miudezas da ra da Cadeia n. 50 A, confronte a
ra da Madre do Dos.
BRACO
maimore
Caes
n. 57,
Le&o de Ouro.
Vinte e dous de novembro
(outr'ora armazem allianea)
Ha para vender pedras marmores de todos os
tamanhos e grossuras, tijolos de diversos ta-
mantios, soleiras e saccadas, assim como solej-
ras'e saccadas de pedra de Lisboa. Tambem con-
trala-se e faz-se qualquer obra, como monumen-
tos, tmulos, estatuas, pias, lavatorios, mesas e
tudo o mais tendente mesma arle, por mdicos
pneos.
LOJA DOS ARCOi
A
Roa do Crespn. 20 A.
Alvaro Augusto d'Almeida C.
Este estabelecimento de fazendas finas e grossas j bastante conhecido como
am dos mais bem sortfdos desta cidade acaba de receber directamente de Paris akuns
artigos especiaes que passa a mencionar.
Ricos cortes de vestidos de blond para casamentos.
Cortes de vestidos de seda de cor, de gostos inteiramente novos.
Brochad, fazendas de 19a esedapropria para vestido.
Foulard de seda de todas as cores, tambem para vestidos.
Fitas largas de seda para cintos, gostos escoceses e lisos.
Chapelinas de seda e de palha d'Italia.
Basquinas de seda e guipare.
Colchas de seda e de 13a e seda.
Cortinados de cambraia bordados muito ricos.
Pannos de verdadeiro croch para jardineiras, sof e cadeiras.
Toalhas de linho de superior qualidade.
Bramantes, selicias, sguioes atoalhados.
Guardanapos, colchas, aaias bordadas camisas,
Cache-nez, bales, canminhas, sombrinha.
Madapoioes de varias qua idades, sa:cos para viagem, mallas, tapetes, capa-
chos, alcatifas e muitos ootros artigos que se vende por precos mdicos.
Tem tambem constantemente um completo sortimento de ESTEIRAS DA IN-
DIA para forrar salas.
vende-se ou troca-se por ca;as oesta praca
o sitio denominado dos Boritiz, antiga casa da la-
vagem de roupa, com grande casa de vivenda,
senzala para preto?, estribara, banheiro de pedra
e cal cem agua corrente, baixa para caplm e
grande terreno para piantacSes : quem o preten-
der dirija se praca da Independencia n. 33.
GAZ GAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Porster
C, ra do Imperador, um carregamento de gas
de primeira qualidade; o qual se vende em partida
e a retalho por menos preco do que em outra qual
quer parte.
Vende-se um terreno proprio, com 138 pal-
mos de frente e 160 de fundo, para o lado da es-
trada de ferro, cujo terreno tem allcerce feito pa-
ra cinco inoradas de casa>, na ra de Motocolom-
li'. dos Afogados a tratar na mesma ra, ou na
ra Direita dos Afogados n. 13.
POTTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
rara da Costa & Filho, defrente do arco da Con-
ceicao. em barricas grandes
Tasso Irmos & C.
Vendem oleados pretos para forro e guardas-chu-
va de carros.
Ditos de ccres.
Portas de pinho almoMadas, tamanhos diversos.
Cadeiras americanrs de varias qualidades.
Tnico para cabellos.
Agua de Florida.
Machadinhas americanas.
DO
DE OURO,
Ra do Imperador n. 26
O respeitavel publico encontrar neste
estabelecimento diariamente um completo
sortimento de pastelaria, boHos inglezes
podins, pads-del, prgsentos dos ltimos
chegados ao mercado, salame de lion, bo-
linhos finos de todas as qoalidades para cha,
amendoas confeitadas, confeitos, bomboros,
pastilhas, chocolate francez em libras, pas-
tillas do mesmo .cartfixos e carteiras com
[ seis charutos de cho :olate cada ama, este
sortimento de chscolate do mais acredita-
do fabricante de Paris e o melhor que at
hoje tem vindo ao mercado.
Vinhos portagaezes, figueira muito supe-
rior. Os mais genoinos e superiores vinhos
do Po-to, moscatel e Setubal, o Ilustrado
publico encontrar neste estabelecimento
por Commodos precos, fazendo-se abatnen-
lo a quem comprar em por?3o.
Licores de todas as qualidades, as mais
finas, entre elles o afamado Aiapana, este
licor o mais saboroso e superior, at
hoje conhecido. Xaropes de groselhe, rosa,
maracuj, caja etc vinhos de Bordeaax de
todas as marcas, o mais superior que se
pode encontrar, champagne de Chevernt
muito superior, os mais fines e superiores
cognacs francezes, old-tom, de todas as be-
bidas alcuosas, este a mais salutar para
quem soffre do estomago,
Conservas de legumes, portuguezas, fran-
cezas e inglezas, mlhos mostrada etc.,
fructas seccas cristalisadas e em calda, na-
cionaes e estrangeiras de todas as qualida-
des, charutos dos mais acreditados fabri-
cantes da Babia e Rio de Janeiro, cigarros
de S. Paulo e Bio de Janeiro, muitos su-
periores, e finalmente tudo qoanto se dese-
jar tendente a este genero de negocio com-
proraetemo-nos a satisfazer toda e qoal-
quer enccmmenda com a maior promptido
e asseio : Como sejam para casamentos,
baptizados baiies etc., tambem se recebem
encommendas de pes de l ou bollos de
qualquer especie enfeitados e decorados,
bandeijas de bolinbos com armacSo de as-
sucar, assim como de papel, pegas monta-
das, gellatinas de fructas, amendoas, leite
etc..
Os donos deste estabelecimecto nao se
tem poupado a despezas para melhor me-
recerem a acoadjuvac,5o do Ilustrado pu-
blico.
MM^
60RA DA IMPERATRIZ
UGUEIIIEDO
Neste grande estabelecimento encontrar o respeitavel publico, um grande sortimento de fazendas, do mais apurado aostoas^ihiTvm? ri
tra qualquer parlo, visto quo os novos socios desta firma adoptaram o systema de s vennderem DIXHEIRO para Doderem wnS 11. nX a pr,meira necessJdade W? se !hes 1>[omM& to Por VW 00 mais baratos o qat
e ara :r3o fazer os seas sortimentos pelos mesmos precos que comprara as casas estrangeiras. Para maior commodidade das Ernas familias n> fnda ^^h^ r*"0, fi0n0- S psSS0Mi1"6 n,egoc,am.em mh0T escal!a' nesta !oj
derem escolher. ^nias. iammas. ao todas as fazendas se dao os livros das amostras, ou se mandam levar em-suas casas, para melhor po-

B8K3 }#m mmm
ALTAS JSOVIDADES 0 K
S do PATIO 88
A BOXITAS FAZENDAS PAMA FES- SK XX
8 TADE. ^r8
SANTO ANTONIO, S. JOAO E S. PEDRO. K ?X
<5 Vendem-se as mais lindas poupeli- ^ <^
^5 as de linho e seda com os gostos *q
W mais novos que tam vindo a este fok
' mercado, pelo barato preco de-----$f$
20000 o covado. *
Sedas libradas, de furta cores', fa- *%
zendas oe muita phaotasia a 2^000 X
o covado.
Sjda bismark, larga fazenda muito
encorpada o covado a 25500. jj
Bonitas lasinhas largas com palma a
de seda, covado a 15000, y*
Lindas agraciando lavradas covado c$
a 15000. m
Alpacs lavradas de todas as c- j^
res, covado a 610, 800 e 1500)
Bonitas lasinhas escossezas com
qaa iras e litras de seda, covado a
56 J.
Finas alpacas lisas, sendo cor bis-
mark lyrio, verde, roxo, cinza, can-
na, azu! etc., covado a6i0.
Ditas furta cores com as mais bo-
nitas cores, covado 500 rs.
Lindas bareges lisas, e cora lista
da m-sma cor, fazenda inteiramen-
te nova, covado a 560 e 6i0 rs.
Bonitas lasinhas tapadas e trans-
parentes com grande diversidade, o
covado a 600 rs.
Lasinhas lustrosas com lindas co-
res emitaclo de seda, o covado a
! 3-20.
Lindos corles de anadine, sendo
fazenda nova e transparente e de
muita phantasia> com 18 covados a
155O0O.
Finissimos crtes'de vestidos bran-
cos bordados com todos os enfeites
frarcezes a 125000.
Cortes de ganga indianos, fazenda
ioteiraraente nova a 7#000:
Ditos chinezes com duas saias a
7:>J0. '
Ditos de la escosseza fazenda mui-
to b mita com fios de seda a7OO'c:
Finissimos organdys com lista de **
cor e salpico, sendo fazenda de m
jj multa pliantasia, o metro 10280. J
Organdy branco com lislras lar- ig
gase quadrinhos, a vara a 15000. y^
2 Todas estas fazendas, sao inteira- <2
S mente novas e se vendem muito em ffl
xx conta, ra da Imperatriz n. 60, xx
x^ loja e armazem de Silva e Figuei- ^
de 125000 rs. cada um, pechincha.
CASEMIMS ESCOSSEZAS.
O Pavao tem boni'as casemiras escosse-
zas com quadros grados e midos e outras
lisas com listras ao lado, sendo fazendo
muito fina que se vende mais barato, por
haver grande porco.
CORTES DE CASEMIRA PRETA A 4:500,
O Pavao tem os superiores cortes de ca-
semiras pretas enfeitadas pelo barato preco
de 45500 rs. o cort,
CASEMIRAS RASPADAS A SCO RS. O CO-
VADO.
0 Pavao vende excellente fazenda de pura
13a com as cores escuras muito proprias
'para calcas, palitots, colletes e roupa para
i meninos que frequontam a escolla por ser
: urna fazenda leve, escura e de muita dura-
| cao, pechincha a 800 rs. o covado ou a
i 25800 o corte de calca para homem.
FINAS BABGES A 640 RS. O COVADO.
O Pavo tem as mais lindas bareges de
la sendo meias transparentes, com urna
s cor, tendo : lyrio, azul, rosa' Bismarck,
roxo, etc., tenflo muito boa largura e liqui-
da-se por 640 rs. o covado, por se ter.fei-
to urna grande compra, assim como ditas
mais estreitas de urna s cor com listras
imitaco de seda a 560 rs. o covado, e pe-
chincha.
PECAS DE MADAPOLO A 35500.
0 Pavo vende pessas de muito bom
madapolo, tendo 12 jardas cada urna, pelo
I barato preco de 35500.
PECHINCHA EM ALGODAO A 4*000 RS.
O Pavo est vendendo pecas de algodo-
I sinho francez, tendo 4 palmos de largara e
com 11.metros cada peca, pelo barato pre-
de 45000 rs.
CEM DE CARNAUBA.
Vende-se soperior ceta de carnauba em
saccas, mais barato do que em outra qual-
quer parte, na ra da Imperatriz n.g60,
loja do Pavao.
OS SETINS DO PAVO
Vende-se es mais bonitos setins de cores
e mais encornados, proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
CROCHE'S PARA CADEIRAS E SOFA'S.
O Pavo tem um grande sortimento dos
mais bonitos crochs para cadeiras, sofs
mesas: almofadas etc., proprios para co-
brir presentes e vende-se mais barato do
que em outra qualquer parte.
Algodo entestado.
Vende-se urna grande por?5o de algodo
sinho americano com 8 palmos de largura,
proprio para lences e toalhas, tendo liso e
preco muito
e 8500o, que se vende por
em conta.
CASSAS FRANCFZAS.
Chegaram para a loja do Pvo as mais
lindas cassas francezas com delicados pa-
traero", que se'vende por preco muito" em i rles' !? para odos os Prefs e conta. aaaes, aando-se todas amostras, assim como
um Bonito sortimento das mais lindas chi-
GROSDENAPLES PRETOS DE UGOO AT 75000
Na loja do Pavo encontra o respeitavel,
publico um grande sortimento de grosde-'
naples pretos de todas as larguras e qua- r."""""*U*T v"v,.'""a,a
lidades, tendo de 15800 o covado at 75000 A resPeitavel pobhco am grande sortimento
o*nrw -------- -___.. de rOUpaS, SendO palltOS e snhrpcaenfnc Aa
ROUPAS PARA HOMEXS PARA TODOS ALPACAS LAVRADAS A 640,
1,000 RES.
OS PRECOS.
N'este grande estabelicimento encontrar
conta.
LAAS ESCOSSEZAS
LAS ESCOSSEZAS
LAlS ESCOSSEZAS
A 560 rs. o covado.
Chegou para a loja do Pavo, o mais
elegante sortimento das mais lindas lazi-
nhas escossezas com fios de seda, as quaes
fazem o mais delicado effeito, para vestidos
de duas saias, o vendem-se pelo baratissi-
mo preco de 560 rs. o covado.
SEDAS DE LISTA
SEDAS D"? LISTA
SBDAS DE LISTA
a 25000 o covado.
Chegou para a loja do Pavo um grande
e bonito sortimento das mais lindas sedas
de listas com as mais delicadas cores, tendo
entre ellas algumas que servem para luto, e
vendem-se pelo barato pre?o de 25000 o
covado, pechincha.
FAZENDAS PARA LUTO NA LOJA PAVO
Encontra e respeiiavel publico neste es-
tabelecimento um grande sortimento de fa-
zendas pretas, como sejam cassas france-
zas e inglezas, chitas .pretas de todas as
quadades, fazendas de Ha de todas que
tem vindo, proprias para luto, sendo lasi-
nhas alpacas lavradas e lisas, canto, bom-
basinas, merinos,' etc. que tullo se vende
por preco barato.
PAM BAPT1SAD0S
Na loja do Pavo vende-se bonitos en-
chovaes para baptisados.
Cortes de casemira a 45000, cada um.
Vende-se bonitos cortes de casemiras
claras e escuras pelo barato preco de 45,
ou a 25400 o covado, tendo daas laaras'
CORTINADOS PARA CAMAS E MNBLLAS
. de 85, 105,1 e 165000.
Chegou para a loja do Pavao nm gjande
sortimento dos bonitos e ricos corfinados
bordados, proprios para camas e jaeRas,
qae se vendem de 85000 o par. at o mais
rico que vem ao mercado, e vende-se mais
barato que em outra.qualquer parte.
tas francezas escuras e alegres, que se ven
dem muito em conta, e tambem se do
amstras.
CHITAS A 240 RS.
Na loja do Pavo vendem-se bonitas chi-
tas francezas claras e escuras e cres'fixas
240 rs. o covado, e pechincha.
LASINHAS A 320.
LASINHAS A 320
LASINHAS A 320.
Na loja do Pavao vendem-se elegante sor-
timento das mais lindas lasinhas lustrosas,
com listrinhas a imitaco de poupelioas de
seda e com as cores mais lindas que tem
vindo ao mercado, sendo fazenda que vale
raaito mais dinheiro, e liquidam-se a 320
rs. o covado, pechincha,
PEcnracHA
EM CAMISAS DO PAVO A 45500 RS.
Vende-se um bonito sortimento de muito
unas e modernas camisas inglezas com pei-
to e collarinhos de linho e pnaos, pelo
baratissimo pre?o de 45500 rs. cada urna
e aos freguezes que comprarem duzias se
Ihe far um abatimento, garantindo-se que
fazenda que vale muito mais dinheiro,
liquida-se por este preco por se ter feito
urna grande compra: assim como se vende
sobrecasacos de
panne preto e cazemira, calcas e coletes de
brim branco e de cores, que tudo se vende
mais barato do que em outra qualquer parte;
assim como um grande sftrtimento de ca-
rnizas francezas e inglezas, e ceroulas tanto
de linho como de aigodo e abundante sor-
timento de meias cruas.
VESTIDOS INDIANOS COM DUAS SAIAS.
O Pavo vende urna grande porco de
cortes de vestidos indianos, tendo duas
saias e tendo bastante fazenda, com os gos-
tos mais novos qu tem vindo, e liquida-se
a 55000, tendo cada um seu competente
figurino.
CASEMIRAS MESCLADAS A 35 0 COVADO
O Pavo tem para ^vender bonitas case-
miras mescladas e bastante encorpada para
roupa de homens e meninos pele barato
prego de 35000 cada covado ou 55000 o
corte de caifa para homem.
Roupa por medida.
Na loja do Pavo manda-se fazer qualquer
peca de obra a vont que tem um perito alfaiate, responsabelisan-
do-so os donos do estabelicimento por qual-
quer falta que possa haver, quer por de-
mora, quer por qualquer defeito na obra;
e para isto encontra o respeitavel publico
am grande sortimento de todas as fazendas
qae desejar.
BRAMANTE A 1800.
Vende-se saperior bramante com 10 pal-
800 t
am booito sortimento de ditas tambem com mos de largura, proprio para lences, dan-
peira de linho bordadas e ditas de algodo do a largura d'esta boa fazenda o compri-
para todos os precos.
PANNO PAM SAIAS A 15000, 15280 e
5600 RS.
Vende-se bonitas fazendas Jproprias para
saias sendo com bordados e? pregas a un
lado, dando a largura da fazenda o compri-
meoto da saia e vende-se pelo barato preco
de 15000,15230 e 15600, cada metro sen-
do preciso apenas 3 oa 3 1/2 metros para
cada saia pechincha.
Vestidos braneo a 13AOOO m.
( O Pavio tende finissimos cortes de ves-
tidos de cambraia aranca, ricamente borda-
das e com muita Anuda pejo barato prego
ment o lencol, sendo preciso para cada
nm apenas 1 e 1/2- metros oa 1 e 1/4 pe-
chincha pelo preco.
ESPARTILHOS A 5*000.
Vende-se um bonito sortimento dos me-
lhores e mais modernos espartilhos tendo
do barato preco de 55000 at 8000.
Cachenez.
Na loja do Pavo vende-se um grande
sortimento dos mais bonitos cachenez de
pura la proprias para senhoras, vendem-se
a 65000 cada am, na roa da Imperatriz
n. 60.
A 1^' J t ~ .ua.-^que emuuira.quaiqaer parte. das e com maita Anuda pejo banto prego n. 60. *
A loja do Pavao est constantemente abertar das 6 horas da manhaa s 9 da noute
Chegou para este grande estabelicimento
o mais bonito sertimento das mais moder-
nas alpacas lavradas de todas as cores, one
se vendem a 15, 800 e 640 reis o covado,
assim como um grande sortimento de alpa-
cas lizas de todas as cores
Basquinas
Chegaro as mais modernas basquina
ou jaquetinhas de seda preta, ricamente
enfeitadas a viurilbo, tranca e setkn preto
tendo de todos os modellos, os mais novos
que tem chegado e vendem-se por preco
muito razoaveis.
POPELINAS DE SEDA
POUPELINAS DE SEDA
POPELINAS DE SEDA
a 25000 o covado.
0 Pavo acaba de receber o mais ele-
gante sortimento das mais lindas verdadei-
ras poupelinas de linbo e seda com os pa-
drees mais delicados que tem vindo ao mer-
cado, tendo entre ellas cores proprias par3
alliviar luto, e vende-se pelo barato pre?o
de 25000 cada covado, pechincha.
Cambraias brancas
Vende-se um grande sortimento das me-
Ihores cambraias tanto victorias como trans-
parentes tendo de 35500 peca at a mai
fina que vem ao mercado.
CAMBRAIAS RRANCAS A 4*000, A PECA.
S o Pavo vende pecas de cambraia
branca transparente, tendo mais de vara de
largura, com 10 jardas cada peca, fazenda
que sempre se vendeu a 75 e 85000, liqui-
da-se pelo barato prego de 45600.
FUSTES BRaNCOS A 640, 800 E iJOO.'
Vende-se muito bonitos fustSes branco
multo flexivel proprios para vestidos de
senhoras e roupa para meninos e vende-M
a 640, 800 e 15200 rs. o covado.
Cassas a *40 rs.
0 Pavo est vendendo bonitas cassas dm
cores fixas a 240, 280 e 300 rs. o covado
Brilhantes lasinhas.
S o Pavo, 460.
Chegaram as mais birlhantes lasinhas com
as mais lindas cores, com palminhas miodi-
nhas, assentadas as mais delicadas cores de
lyrio, cor de canna, cor de ganga e-branco,
sendo estas novas lasinhas de omito bda
qualidade, tendo largura de alpaca e vende-
se 460 rs. o covado. i roa da Imperatrir
o. 60 loja do Pavo.
i


.
Diario de PernamLuco Sexta [eir 17 de Junho de 1870
&'
*i
i
Esquina da ra da Aurora, em frente do .caf Iraperatriz.
. ... N'este novo e amptuoso cstabeJeciinanto de fazendas encontrarlo as Exmas
twilias tudo quautopo&tam desejar.tauto em artigos do mais rigoroso luxo, como eni todas
a mais qualidades de fazendas.
Alin (lose aobarem prvidos do que de melhor se eocontra neste mercado,
por todos os paquetes da Europa, recetara directamente o que em artigos de moda e
4o mais apuradogosto se eocontra em Paris, o que vem cadadia augmaotar s propor-
we8 ae que dispoe csUj estabeiecimento para bem servir sua numerosa freguesa
^
ca-
AJgod5o largo parTTences e toalhas de Gase cora lstras de seda e flores, fazeo-
ooas as auades que costuma vir ao mer- da inteiramente nova pata vestidos de baile.
Gravatas para sent>ora e hmeos, o mais
CMO.
Alpacas de todos oj padroes .e qualida-
es to variadas que se nao podem descrever.
Albuns com msicas para collocar retratos,
telicado presente para qualquer pessoa de
suma.
Atoalado de linho e algodo, branco e
e cores proprios para toaibas.
_ S3
Basqatnas de seda pretas e muito moder-
nas, bem como de crochet, tudo de apurado
Costo e feitio.
completo sortimeoto que se pode desejar.
Guipure preto e branco, diversas largu-
ras e diflerentes gostos.
Gollas e punbos bordados para sentaras.
Guardanaposde linbo pequeos e gran-
des.
GorgurSo de seda preto e de cre9.
Grosdenaples prelo e de cores, haven-
do diversas qulidades e gostos.
Japonezes para seuboras, o melhor gos-
Baloes de musseima, madapolo, brancos. to, efazenda propria'para as festas nosar-
rabaldes e passeios a tarde.
o
Lazinbas de todas as qulidades, cores
e gostos, nao icando nada a desejar, tal
o sortimentoque existe para escolber.
Lencos, tudo quanto pode haver desde
esguio ao algodo commum.
Leques de madreperola e osso, 6 mais va-
cores, para senhora e meninas,
Bareges de cores variado sortimeoto.
Babadinbos ou tiras bordadas em todas as
argnras.
Belbutina de todas as c&res.
Bolsas de tapete para viagem, grande
rarisdade de tamaitos e gostos.
Bombazina preta de todas as qulidades.
Bramante de linbo de H palmos de lar- riado'sortimento.
fnra, e todas as mais qulidades. i Ligas d seda, bordadas, para senhora.
Bretanhas de !nko e algodo, grande sor-' Luvas de Jouvin, chegadas por todosos va-
amento, pores, sempre novo sortimento, qoer' era
Bnns de linho branco e de cores, do mais pellica para homens e senhoras, qoer em'o
oaiaiodo ao mais caro em qualidade, allian- d'Escoeia, brancas e"de cores,
.sudo o que ha de melhor na especie. I *ry-^
Brins d'algodao completo sortimento e Madapolo; indescriptivel o grande sor-
ariedade de pre;os. tiraento que ha neste genero, desde o mais
. CEi elevado preco ao menor, que se vende em
Cassas de cores, o maior sortimento, pri- pega e retalho por menos do que em ou-
aundo pelo bom gosto e barateza, attentas tra qualquer parte,
i qulidades. Mantas de blonde para mira : o apurado
Cambraias brancas, tapadas, e transparen- -gosto dos nossos correspondentes em Pars
es de todas as qulidades e precos. habilita-nos a dizer que tomos em nosso
Camisinhas de cambraia de linho e cassa estabeiecimento o que de melhor se dse-
rodadas ricamente enfeitados para Sras. ja para vestir e ornar urna noiva.
Camisas para liorcens e meninos, tao va- Mantas preta-s de blond.
GH NM1B4WE
Qmndo-a AGWA BflRNCA; mois precisa sdeirtifier ao resptate! publico em
geral, e em particular a sua boa dregueaia, da iraraepskladd'de objectos qoe oltimamen-
te tena recebido. justamantelqitando ella menos o pode fazer e porque essa faRa invo-
luntaria ella connie esper na'benevolencia de todos que lh'a atfenderao e relevaro,
continuando portanto a dirigirem-se a -bem-conhecida oja da AGIA BRANCA roa do
Queimado n. 8,' onde sempre achara abundancia em sortimento de superioridade em
qulidades, modiCidadeem precos e o sen nunca desmenttido AGRADO E S1NCERIDADE.
Do que cima fie* dito se couheceque o tempo de que a AGUIA BRANCl pode
dispr, empregado apewr de seu9 custos no desempenho de bem servir a aquelles que a
honram procurando prover-se em dita loja do que necessitara, entretanto sem ennume-
rar os objectos que por saa natureza sao mais conhecidos ali,\ella resumidamente indi-
car aquellos coja importancia, elegancia e novidade os tornara recoramendaveis, como
pem seja :
Corpinhos de cambraia, primorosamente] Capellas brancas para meninas,
enfeitados com fitas de setim e obras essas Grandes sortimento de flores finas,
cuja novidade de molde e pereie3o de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qu-
lidades para cintos/
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qulidades, coree e desenhos/ tal
o grande e variado sortimento qoe acaba
de chegar, mas para nao massar o pretn-
deme se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipare branco e preto de diversas qu-
lidades e desenhos.
Ditos de algodo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
na.
Meias de seda para noivas. I
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costumes on uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Touqninhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos -vasos com p de arroz e pinsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderece* e brincos de raadreperolr.
Caivetes finos para .abrir latas.
Thesouras para Trisar babadinhos.
Aspas para balao.
Notos stereoscopos som 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
urnas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de raadeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas. 4e borracha para brinquedo de
crianzas.
Diversos objectos de porcelana, proprios
para enfeites de mesa e de lapinhas.
SORTIMENTO COMPLETO
NOS GRANDES
suecos
iado sortimento que vai do mais ordinario
cadapolo ao mais perfeito bordado de li-
Camisas de meia, de flanella, brancas e
te cores para homem. '
Casemiras pretas e de cores, o melhor
rne se pode imaginar, sendo d'isso a me-
tar prova o grande consummo dellas na
.Sicilia da casa.
Capellas de flores, para noivas e bailes,
lesde a mais candida flor de larangeira at
mais interessante grinaida.
Chapefinhas no melhor gosto.de todas as
res hoje preferidas pelas senhoras de
ais apurado rigor na moda.
Chapos pretos de velludo, para senhoras,
: :imo gosto de Pars.
Chapeos de sol, para senhoras e horneas,
ce todos os pre;os e variados gostos.
Chaly com ricos padroes para vestidos.
Chales de todas as qulidades, avultado
tornero e nao menos varedade de gostos,
Chitas, impossivel descrever o sortimen-
o e variedade de padroes e novos gostos,
M neste artigo tudo quanto se pode desejar.
Cintos para senhoras o que se podo ima-
{:jar de melhor.
Coques, o melhor no gosto e nos entei-
s, varios tamanhos.
Colchas de seda com borlas, o mais apu-
rado gosto e la vor.
Ditas de fusto branco e de cores por
precos commodos.
Corpinhos de cambraia, ricamente borda-
ios para senhoras.
Cortinados de cambraia bordados e de
fa.o qoe de melhor se pode desejar.
Colarinbos de linho bordados e lisos, o
iiior sortimento.
Damasco "de 15a de 9 palmos de largura
inte cores e rieos padroes.
aa
Espartilhos bran:os e de cores, para se-
Dhoras e meninas, o melhor neste genero ;
.'.fcnhuma Sra. deixar por certo de muir
i* de tao precioso auxiliar perfeicao de
'^m corpo delicado.
Entremeios bordados.
Escomilha preta.
Enleites para cabeca," ultima moda de
Paris, cecebida no ultimo paquete.
Esgnio de linho, completo sortimento de
todos os nmeros.
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
Fi:hs de crochet, modernos com cintos
capas, o qoe ha de melhor.
Fil de seda, linho e a!god5o\ de todos
s gostos e padrBes.
FustSo de todas as cores e qulidades
pande sortimento.
Flanella branca e de cores.
Flores, o que ha .de mais rico, quer
citas, qner em ramo3, tem o PAVTLHaO
OA AURORA
Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos pretos, Trancados e lisos.
Musselina branca e de cores, lindos e va-
riados padroes.
Pannos pretos e de cores, desde o mais
barato ao mais superior, por ppeoo muito
commodo.
Pannos de crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de casemira muito finos para
mesa.
Peitos bordados de linho, lisos e d al-
godo para camisa.
Princetas pretas e ^e cres.
Popelina do seda e linho, com listras e
flores; fazenda lindissima.
Pelherinas para seifuoras, do ultimo
gosto.
Perfumaras; os mais finos extractos o
que de melhor e mais agradavel se pode
encontrar neste genero, e de mais fragante
e suave no olphato, tem o PAVILHO DA
AURORA, desde a verdadeira agua Flori-
da at o mais fino Bouquet i'Amour, final-
mente tudo quanto deve eccupar o touca-
dor de urna senhora de gosto.
Saias bordadas, brancas, lisas e de cores
com folhos e sem elles, o melhor possivel,
Sahidas de baile, de todas as cores.
Sedas pretas, de quadros, lavradas, lisas,
de listras de todas as cores e qulidades e
o mais barato possivel.
Sargelim de todas as cores e qulidades.

Tapetes grandes, lindas pintaras para 8
cadeiras, mais pequeos e de todos os ta-
manhos desejaveis, e em peca para co-
vados.
Toalhas de labyrintho, do maior e mais
fino trabalho ao mais barato.
Toalhas de linho e algodo de todos os
tamanhos, lisas e felpadas.
Tarlatana branca com palmas e de cores,
fasenda muito nova, e gostos delicados pro-
pria para baile.
Vistuarios bordados de fusto brancos e
de cores para meninos, de cambraia para
baptisados, o que de melhor tem vindo a
este mercado.
Vestidos de la escoceza de 2 saias,
novidade pelo padro, gosto e forma; ditos
de nho com barras de cores, e de cam-
braia de cores com 2 saias, tudo intuir
novidade, trazem os modellos juntos para
mostrar a forma de os fazer.
Veos de blond para noivas e pretos para
luto.
Vestidos de blond para noivas: podemos
asseverar as nossas Exmas. freguezas, que
somos os nicos em Pernambuco que pode-
mos offerecer ao Ilustrado publico, o mais
apurado gosto em semelhante materia, gra-
tas ao bom gosto do nosso fornecedor em
Paris, podemos garantir que ninguem neste
genero o possue melhor, nem mais em
conta.
am permanente jardim a
isposico das Exmas. familias.
_ E*" dispondo d 136 grande e variado sortimento que os proprietarios-do PA-
VTLHAO DA AURORA seapresentam ao publico declarando desde j que a siacerid-
*e e o tara gostoo movel nico de seus negocios.
Prvidos de todo e promptos sempre a prover-se do qoe por ventura lhe
ja necessario, os proprietarios deste sumptuoso estabeiecimento recommendam-se
o receio d seren contradiotos e protestam e6forcar-se por contmuar a merecer
proteco que se Ihes tem dispensado ; certos de qae do sea estabeleeimente nao sahira
o freguez descontente.
Contina sempre a officina de alfaiate dirigida por um dos mais habis artis-
as, prompto executar com promptidSo e bom gosto qualquer trabaiho que lhe seja
'-^* i- modista especialmente ocenpada nos trabalhos do PAVILHO DA AU-
t.ORA, dirgeos qae lhe s2o coacernentes, garante porseu apurado gosto epromptido
aa execucao e a mais completa perfeicSo nos seas trabalhos.
A numerosa freguezia que nos honra urna prova de qoe mereceaaos o con*
ciato qae se dispensa ao nosso estatatecimeato, conceito que procorareaos firmar cada
*ez mais. Para faeihtar anda a concecuco do fim qae nos propomos, temos no nosso
staheleamento os uHimos figarinos de Paris, que recebemos por todos os paquetes, os
oaes enviaremos para serem vistos as, familias nossas freguezas, ate de escolherem,
com o padro da fazenda o gesto na forma.
Na officina de alfaiate, junto ao estabeiecimento, ha igualmente os figurinos
ara homens que por todos os vapores se recetara.
E' esta o modo^porque nos apresentamos pedindo a proteja do ilustrado
'001x0 e com:o mm profundo respeite convidamos s excefienssimas Sras. a visi-
ium o nosso estataleeaneato, certas de encontrarem uee pelo menor preco possive-
aao que podem desejar.
Mandaremos caixeiros levar as jzendas eamostras onde owm pedida, valo
lo podtriBoft eapeeipcar todo quanto temos.
m Uuz, Sobrmko <& C. *
Aberto das 6 s 9 hora* da nofte.
AltJsUXKiVS DE SKCCOS C MOni SIOS
CONSERVATIVO
N. 23Largo do Ter^o.N; 23.
DE
S1MA0 DOS SANTOS 8- C.
PROGRESSO
10 Pateo da Pnha
DE
10
SARTOS & FERR IRA.
Os proprietarios destes bem sortido armazens participara aos seus innmeros
freguezes tanto desta praca orno do matto que teado feito grande diminuico de pre-
cos as suas mercadorias estio por isso resolvidos a vender por menos de iO e 20 i0,
do que es outra qualquer parte, garantindotse portanto a soperior qualidade de qual-
quer genero comprado uestes -dous estabelecimentos. Mencionamos alguns dos nossos
gneros e a vista destes sao comprehendidos os outros, porque enfadooho seria men-
cina-los.
Se alguem duvidar venha ver.
Vinagre branco mandado vir
por conta
propna vindo de Lisboa, a 320 a ganaa e
480 o litro.
dem tinto Figueira, Lisboa e Porto a
320,280, 240 e 200 rs. a garrafa e 480 300
rs. o litro.
Vinho Figueira, Lisboa, Porto e Estreito
a 560; 500 480 e 400 a garrafa litro'a 840
760, 720 e 600.
Vinho branco puro de Lisboa a 640 560
a garrafa, em porco ha abatimento.
Vinho do Porto, engarrafado das memo-
res e mais aeretadas marcas a 1^000 e i200
iiJoOOe U a garrafa.
dem Bordeaux, Medoc e St. Julien a
70500 e 65500, a dozia e 640 rs. a garaa<
Genebra de Hollanda e laranja doce aro*
matica a 6,5500, 7(, li500, a frasroeira.
Serveja Bass, Illers & Bell a 90800 do-
zia cm porco ha grande abatimento.
dem marca H e T e outras mareas a
5500 e 60, a duzia e 500 rs. a garrafa.
Assim como ha outros muitos
Gaz americano marca Deves a 80800 a
lata, 380 rs. a garrafa e 560 o litro.
A zeite doce de Lisboa a 900 e 10000 a
garrafa em porco faz-se grande abatimen-
to.
.Caf em carooo a 220, 240 e 2S0, a li-
bra o kiiogrammo a 480, 540 e 600, e
70000, 70500 e 80800 arroba.
Milhoalpista 200 rs. a libra e 440 o ki-
logramma e 50800 a arroba, em por?o ha
abatimento.
Queijos frescos do ultimo vapor a 30200
e 30400 cada um.
Ale tria, macarro, talharira a 500 rs. a
libra e 10100 o kiiogrammo em caixoba
abti ment.
Sabo massa de Ia e 21 qualidade a 220
e 240 rs. a libra em caixa ha abatimento
Toucinbo de Lisboa muito alto a 400 rs.
a libra e 880 o kiiogrammo, em arroba ha
grande differenca.
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
passas e figos, charutos finos de diversas mwcas,- marmelada, bola*hinhas' de todas as
qulidades, perola, Francy-craeyne!, a, b, c, Mdium, mixed, soda Fancy-nic-nac, pa-
lace de Vareteos, combination, Bfttania, doce de goiaba fina, chouricas, manteigas finas
franceza e ingleza, banha de Baltimor, phosphoros de Sycuryt, Cognac, cha de diver-
sas qulidades, Oanella, pimenta do reino, ervadoce, pomada, enxofre, breu, peixe
em latas de todas as qaalidades, -farinba de miiho americana, grandes molhos de sebol-
las, nestes dous armazens existe tambem grande sortimento de loucas proprias para ne-
gocio, que pelos seu6 commodos preco faz vantagenv aos compradores.
UMA PRENDA. Lindos objectos dourados de delicados gostos, proprios
para meninos, vndese no BAZAR DA MODA. >g
BAPTISADOS. Ricos chaposinhos de setim brancos, lindas toncas de fil $
e setim, sapatinhos etc. q,
^ GUIPURE. Oa croch em pessa, branco e preto, com .lindas ramagens e a
w qualidade muito superior.
PUNHOS. Para camisas de homens, fazenda superior com daas laces, o
g par 640 rs. (pecbincha!)
9 PERFUMARAS. Fino6 extractos para lencos, agaas de-diversas, qoalida-
^ des, sabonetes, olqs, pomadas, pos, tnica-etc.ete
*& PERFUMES. liradas, caixinhas para lavas conterHlo urna pipareco 'em^
* que Ihesd um agradavel aroma, por I,*00.
g5 Gravatas, cintos, flores, plumas, coqnes, trancas, fitas, botoes, bkoe e pen-
?g tes etc., etc., e muitos outros artigos proprios do estabelecimeato' veodendo-se
9 tudo por commodos precos, no BAZAR DA MODA, ra Nova o. 50, esquina da
J de S. Amaro.
Jos de Souza Soare* & C.
Farnh de mandioca
De Carayelas o Alcoba^ .qhfegada hornera'e boje,
ignal a da tem nvaf, rfdiaa e sem chelfO:
tratar no escriptorio de Jos Mara Palrte4r,:W-
o do Corpo Santo o. ij il" andr, ou' a toree das i
barcas Lmda, Dhalia,,Paakirat St'Jto II. anco-'
radas no aes do Ramos.
-*-
Novas pechinchas
Loja flor da Boa-vista
M
Paialo *. e m. atanwics,
Chitas escaras e claras, a 200 e 240 o e4i4o(
Laa com palminhas, 100 e 320 o coyado.
Seda pfetis destas milit eacorpidk a 2. iden.
Cortes de brim partf-eriea^ 12W.^ '
Fugtes DU9>9P90m dttaenioos 880 o eovad6-
Grande sortimento de roopas ieiiia assim orno
se fazem per medida, precos mallo gnmajff
rfarua 4a Imperatri n. fjofflS aTsnrla
francesa. r
COM I \C IVIL\
-, Mala Landelrao vende saeeos coa farinba de
mandioca : na roa do Duqne de Calas, travessa
. do Rosario, loja n. 18 B
.f.....nii.......''.......
Vende-se
Palitos do gai a 320 rs. a duia de caixinhas, ba-
tato V ni roa da' Itngel u. 39, taberna.
turnto AatonU, ft. ieo-e 8.
Polvo
LirnaUade errp-ea vidros Hiaitonoya.
pit pe aso em viaros matto ta:
Di&Uie Eniofr* em tobos.
Satfe refitaOo^le f qualWad*.
E todas u deraais prepuicSes para fogoiar-
tifie: -ttidB'srna1 pflfmacta e drogara de
Bartholomeu 4 C. na ruajarga do Rosario n. 34.
DO
GALLO VIGILANTE
Risa do Crespo u. 9
Os praprietaris desta. bem conhecido estabele-
eimente, alio dos muitos objectos qae tinhain ex-
postos a aprecaeao do respeitavel publico, man-
aram vir e acabam de receber pelo ultimo vapor
"ua Bnropa um completo e vanado sortimento de
Unas e mu delicadas especialidades, as quaes es-
tao resolvidos a vender, como de seu costume,
Sor presos muito baratinhos e commodos para ten
os, cora" grato qae o Gallo....
Muho superiares lavas de pellica, pretas, bran-
ca e de mu lindas cores.
Mu boas e bonitas gollinhas e pannos para se-
nhora, neite genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para cabecas das
Exmas. senhoras.
Superiores tranca pretas e de cores com vidri-
Inos e sem elle; esta faznda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias lio de Escossia ptra se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30COO
a duzia, entretanto que nos as vendernos por Z0$,
aimdestas,'temos tambem grande sortimento de
outras qualidadesj entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canm da India e
castao de marfim com lidas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero f o que de melhor si
pode desejar ; alm destas temos tambem grandi
Suantidade de outras qulidades, como sejam,ma-
eira, balea, osso, borracha, etc. etc. etc.
F:nos, bonitos e airosos chicotnhos de cadeia e
de outras qaalidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de i a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas,e de mais a.mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramus sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bollas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralho? de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo fim.
Grande e variado sortimento as melhore3 per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Electrices magnticos contra as convulsoes, e
facilitara a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tamo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
los que delles preci*rem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deros coljares, e os quaes attendendo-se ao fim
paraqr.e ,5o applicados, se Tenderlo com um mu
diminuto lucro.
Rogamcs, pois, avista dos objectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
CEMENTO
Rival sem segundo
RA DO DUQUE D CAXIAS X. 49
Estou dispostu a continuar a vender todas
as miudezas pelos baratissimos precos abat-
i declarados, garantindo tudo bo:i e pre-
cos admirados.
Pcete com 20 qua lernos de pa-
pel amisade a. ...... 50J
Caixas com 20 cadernos papel pau-
tado a. (. : 700
Caixas com 50 novellos de linha
do gaz a........ iOO
Duzias de meias croas hupcrioi
qualidade a.......3J600
Pecas de tabadinhos cum 10 va-
ras a.........
Pecas de tiras borriadaaenfli \->
metros cada p.^a a l->.*iCO c. ZjfmQ
Pecas de fitas para coa de q- al-
quT>r largura cem 10 varas a. SoO
Escoras para unlias fazenda fina a 5()
Ditas para dentes a 20, 320,
400 rs. e....., 500
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a. ..... u)
Caixinhas de inaden a com aline-
tesfizenda superior a. it.
Duzia de linha &xa pora corda-
dos a 400 rs. e..... 500
Pares de meias crua- para to'-'
nos diversos tamanhos a. :;.)
Duzias de meias brancas muito
linas para senhora a. 4|5500
Pares de sapatos de tranca do
Porto......*. 20O0
Pares de sapatos de tapete a. i500
Livios de missa abre\ailos. I8O0
Duzias de baralhos para vultarele '
Sylabarios porluguezes a.
Redes com conlas muito boa qua-
Cartoes com colxetes 2 carreras a -yi
Aootoadwas para rllete diversas
qulidades....... 400
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a...... 500
Duzia de linha 200 jardas Alexan-
dre de 40 a 200 e, !200
Caixas com superiores obris a. 40
Duzia e agalla para -niacniia a. 20000
Libras de pregos lbncezcs todos
os tamanhos a...... *40
Talheres para meninos a. 320
Pares de sapatos de tranca para
meninos a.......I500
O verdadeiro portland. So se vende a
ra da Madre de Dos n. 22, armazem di
Joo Martins de Barros.
3 cordeiro prevident
Boa do Queimado u. la.
Novo variado sortimento de perfumarh
finas, e outros objectos.
Alm. do completo sortimento de perh.
alarias, ce que effectivamente est provida
loja d&Cordeiro Previdente, ella acaba o
receber um outro sortimento que se torr.
Qotavel peia variedade de objectos, superior
dade, qaalidades e commodidades de pr*
C-os; assim, pois, o Cordeiro Previdente pee
e espera continuar a merecer a apreciac*
do respeitavel publico em geral e de sn
boa freguezia em particular, nao se afai
tando elle de sua bem conhecidamansidi
i barateza. Em dita loja encontrarlo o
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Coiogne ingleza, americana, frai
ceza, todas des melhores e mais?.credtadc
fabricantes.
Dita de fic-r de iarangeiraa.
Dita dos Alces, e vilete para toilet.
Elixir odontaigico para conservac3o
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chai
ros agradaveis.
Copos e latas, maioree e menores, eos
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparenti
a outras qulidades.
Finos extractos inglezes, americanos
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel cha
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros iguai
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidar:
com escolhidcs cheiros, em frascos de diSi
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menort
para mo?.
Ditos transparentes, redondos e em fig:
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barbt
Gaixinnas com bonitos sabonetes imitand
fructas.
Pitas de madeira invernisada contendo I
oas perfumarias, muito proprias para pr<
lentes.
Dita de papelo igualmente bonitas, tas
bem de peffamaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e 4
mold'novos e elegantes, com p de arro
e 'boneea.-
Opiata ingiezae franceza para dentee.
Pos de camphora e outras differenti
craalidads tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Ata<*n mato coques.
Um outro sortimento de coques de ni
vos e bonitos moldes comfllets de vidrtc
e algans d'elles ornados'de flores e fiut
8st8o todos expostee i apreciacio de quei
oa pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS, -
Obras de muito gosto e perfeicio.
FlTeilas e fitas para Hoto*.
Bello e vanado sortimento de taea obj
tos, fleaBdo a boa escolha ao gosto do coa
pradow
-Rn.i da Iraperatriz20
Farsa iv ILessst.
Acaba de chegar a e?ta nossa nota Ifj /i-
zendas finas um variada HTiiaHBia Je blendas tt'
laa e seda, como sejao): granadiq^i do ulliuij
gono, pypelioas de urna f cor, alpacas e laari-
nhas de cores, o que lia de n;ais moderno, lud
|)or baratissimos priTos, brilhanlina- de coi 6.,
cidos da-; indias, fazenda nova a iaiittaio de pe: -
cala,baloes do dina Qogindo saia d.' cor c ii l>. -
das barras, fusloes preprits para ve.-tido a ;
de meninos ; agora grandes e admirareis p< i
chas, saias braucas com lindos frisados a Z. ri-
cos corpinhos bordados muito linos a S, i:;.
modernos de arcos a Si, rica? colchas para ct:a
alcochoadas. sendo brancas e de cores, a o. H
~l, cambraia victoria lina a .*i3. ditas iranspan :.-
les ao. 6 e 7|,chit.is tinissimas escuna e cterai
a 280, :i00, 320 e 360 o covado, cassas de tav* 3
240, lencos brancos de casfa a 2S0Q, di! s
necea a 3ii00 a duzia, madapoln finw a
liaOO, e muiu superu r a 7, "SCOO e 8, i -
daozinhn largo propri para lenci's a 8, |
de algodo branco (raneada pioprio para t .. .
de mesa a lC00a vara, oramanle para lence- .
200 e 300, o que hs de melhor, efgaiai
nissimo a 2200 e 2o0 a vara. Mandami
casas das Kxmas. familias par3 melhor poder ra
escolher. Tambem temos completo sojtm.e.n:.:
perfumaras dos primeiros fabricanes franccZ' s t
inglezes; as pessoas -que se dignareai vir a .
loja terao occasiao de reconhecer a rcaidade uj
que annuociamos para nos justificar.
Bichas hamburgnezas
Neste novo deposito reeelim por to os pa
quetes translanticos bichas de qualidade soperior
e vendemse em caixa ott porclo mais pequea,
e mais barato do que em entra qualquer- parte :
na rna da Cadeia do Recit n. Si, ( andar.
Cabellos
Vendemse cabellos de todas as cores, qualquar
comprimen, qiaudade suserior, em caixa ou
porco mais pequea : na ra da Cadeia do Re-
cife n. 51, Io andar.
Superior vinto Bordeaux
da Cadeia
St. Es'tepne 4 St. Julien: na rna
Recife numero 5.
do
A 13^000
Saceos grandes com superior feijao mnlatinl
no escriptorio'e Jos Joaquim Lima.fiairio, na
do Vgario n. 27.
E30RAVOS FGIDOS.
Fugio no da 11 de marca do correte ? "'
u escravo Francisco, cabra, 'de idade 30 annos,
com os signaes seguintes : cabellos araprtio-,
rosto descarnado e com marcas de bexiga;, btte-
la-se ser livre, levoo calQa branca, pajetot de ai-
pata de sor, chapeo de chile, natural da Para!" -
ba ; o mesmo foi comprado ao Sr. Delmiro Arvi ;
Maia, morador na Parahyba. e jnlga se ter id i
para o roeamo lugar. Desde j protesta-se contra
a pessoa que o t ver oceultado ; e rega-se aos cs-
pites de aampo, a3sim como s autoridades i
ciaes que o tragam ra Direita n. 16, que ser
generosamente gratificados.
Frigio do engenho Bom-tkn, freguezia "
Escada o escravo de imme Domingos, o qual te.n
os signaes seguintes : falla de dentes na fren: ,
ps ochados e ira bicho?, cmbaleia quando an-
da, alto, corpulento e tem urna marca de ferida
em um do? ps, idade de 45 a 30 annos, e mili-
to caxaceiro, trabalha em chapeos de palha, des-
confia se que veio para o Recife pela via-ferrea ;
quem o aprehender e leva-lo ao dito engenh ,
ou ra Estreita do Rosario n. 47, em casa da
Rodrigues Almeida C, ser generosamcn>
gratificado; assim como protesta-se contra qu^d
o acoitar.
Gratificapo de 2004
res.
Fugio do engenbo Mandar na Parahyb" o es-
cravo Cosme, crionle, de 35 annos de idade, al:j
barbado, tem muitas marcas de bexigas no rosto,
e mnito ladino, quem o pegar e levar no refe-
rido engenho, ou nesia cidade na praca do Cond
d'Eu n. 20, ao Sr. Jos Gomes da Fonseca, t?ra
a graticacao cima.
Fngio n i dia 20 do mez passado um escravo
de nomo Lino, de na cao Costa, de 45 aooos de
idade, trabalha de marcineiro e carapina, usa bi-
gode e brba por baixo do queixo, tem sido visto
na freguezia de S. Jos em casa dos prenles, -,
as mas desta i idade. Protesta-se contra quem
o tiver em seu poder : pede-se polica e capi-
laes de campo a sha apprehenso e levem-no a
ra da Cadeia do Recife, casa n. 1, que ser pago
o seo trabalho.
No dia 26. de dezerabro do aone prximo
passado fugiram do engenho Bosque, fregnezia da
Eseade, os e?cravo$ seguintes : Reginado, mulato,
que representa ter trinta e tantos annos, falla man-
sa, barbado, tem todos os dentes, corpo e fei()
regulares, foi do Acari do S-rid. Bonifacio, ca-
bra, qoe representa ter vinte e untos annos, tem
ponca barba; esbeltos carapinbos, falla hem espli-
cado, fui da Espinharas. Franciseo, mulato, que
lepresenta ter 18 a 20 annos, tem urna cicatriz em
cima do nariz pendendo mais para o lado diceii ,
tem mais amas cicatriies nos tornozeros dos bra-
|iede-se s autoridades policiaesou aos eapitaes de
campo a apprehenso dos ditos escravos; e quem
os apreseniarao dono no engenbo do Besque, on
na cidade do Recre roa do Apollo n. 43, 2 an-
dar, ser recompensado com generosietde.
Tebdo viudo trra o escravo Manoel, tn-
pulsBte da barca Idolmo, no domingo 11 do cor-
rente, nao vettou para borde ; e come se presu-
ma esteja fgido, roga-se s autoridades eompe-
lentes a sua captura, levando-o a bordo ou rea
do Commercio n, 17, que se gratiffear 0 escra-
vo tem ns seguintes signaes : altura regular, ca-
bello carapiobo e-grande, rosto oval, olhospardos,
tfWa.-frvFf, naris regular e bocea granee, di ser
natural d Cotinguiba, mas da Babia, veio ves-
tido de paletot e calca de casemira j usada, ca-
misa franca, chapeo de feltro preto, e ia calcada.
!
i


%*
8
Diario de Pernambuco Sexta feira 17 de Junhp de 1870
ISSEHBLEi GERAL
CMARA DOS DEPUTADOS.
SESSO NO DA 1 DE JUNIIO.
(Conlinuaco)
O Sn Andbade Figueira : Nao censu-
rai ; (teseava v-to para saber o que dizia
respeito ila questo.
O Sh. Minish.o vnA agricultura:ViSlSl
declarar i> ncbre depuladj que nao exii a-
nhu a demora o apems exiga csse docu-
mento como forte de esludo, encaran-i a
sua interpetlaco, nicamente por e.ta lace.
Sr. presidente, a quesio que se ventila
presentemente em .ido debatida to larga-
mente tem por tal forma preocupada nao
SO o governo e a nbasas cmaras, seno lani-
bem a imprmsa, a opinio publica dentro
e fra do paiz que o nobre deputado estu-
dioso, versado, coaao, em todos os ramos
da admiuistraco, nao pode ter necessiiad*
dos poucos esclarecmentos que se compre-
hen-lam qo relatorio da agricultura oeste
auno para eimuir com segoranca e brilhan-
lamente o seu juizo, como j fez, mostrando
que est periVitamente ao correte da sr-
tuaco da estrada de ferro de Pernam-
buco.
No relatorio nada de extraordinario, adian-
to a tai respeito. o principio do anno
passado par o presente nenhumfjcto de
maior gravidade tem occorrido. Nem sobre
urna quesio j examinada e apurada, cuno
ten, sido este, dj augmento de capital garan-
tido, poderii adiar o nobre deputado inor-
raaces especiaes.
Entretanto, Sr. presidente, procurar-i sa-
tisfazer ao nobre deputado, noticiando Ihe
algoma cousa da data do relatorio do anno
passado para este.
A renda de estrada de ferro de Pernam-
buco, no semestre que findou a 31 dezem-
bro ultimo, leve o augmento de 52 % so-
bre o resultado obtido no periodo corres-
pondente d2 18ti8, e este augmento que
tem continuado nos ltimos mezes lauto
mais notavel quanto a empreza hita com
serias dilliculdades especialmente pela falla
do trem rodante.
O Sh. Andrade Figueira :E porque nao
tem comprado, tendo a renda augmentado
assim?
OSr. Ministro da Agricultura:J vou
responder perguata do nobre depu-
tado.
Mediante essa vantagem habilitou-se a di-
rectora da companh'a a destribuir aos seus
accionistas un dividendo de 3 %, o maior
at o presente, ficando ainda de sobra Ibr.
1,200 e tantas.
O emprestimo de 150:000)5, ltimamente
concedido couipanhia para accrescimo de
seu material rodante, ainda nao foieffectua-
do, por causa das duvidas suscitadas quanto
ao modo do pagamento do capital e juros. A
directora tem-se esquivado a chegar ao ac-
curdo que Ihe foi proposto, e tendo j ura
rodante superior ao que est obrigado, re-
cusa augmentado casta da companhia.
V portanto o nobre deputado que o es-
tado da estrada, se nao prospero, porque
a sua renda ainda nao a habilita a dispensar
a garanta de juros, por parle do governo
imperial, animador e induz os poderes
oublicosa auxilia la concedendo, ao menos
por equdade, essa garanta ao capital des-
pendido boro ble, da qual j foram elmi
nadas as despezas nao justificadas.
O Su. Anorade Figueira d um aparte.
0 Sr. Ministro da Aoiucoltcra :Do es-
tado animador em que se acha a empreza
coocloe o nobre deputado que devemos aban-
dona-la aos seus proprios recursos, sendo
por isso supertaos os favores. Eu enlen-
do, pelo contraro, que por isso mesmo que
a compauha entra em urna senda, pelo zelo
que mostra por seus interesses, pela boa
admioislraco, cojos resultados acabo de
expor : por isso mesmo que se abre um
tnrisome mais risenlio ao futuro da estra-
da de ferro, o gnerno deve ser benigno,
e, a temiendo ao'reclamo instante dos accio-
nistas : nao s estabelecer em p de segu-
ran: a e harmona as sua relacoes recipro-
cas, mais ainda corrigir os erros do passa-
do, e, oque essencial, regular as intermi-
naveis qutstoes pendente*.
Este resol.ado ser proveitoso tanto ao
governo como a empreza, e ainda mais ao
desenvolviaiento da provincia de Pernam-
buco.
O Sr Andrade Figueira :V. Exc. com
isto torna a companhia mais exigente.
O Sn. Ministro da agricultura :Nao
se pode suppor que semelhante coasa suc-
ceda, porque o governo, aproveitando o en-
FLHETIM
\ V1VA DEFIIS DE IMITA
pon
Xavier de Montpiu.
PARTE l'RIMKIHA.
0 MRQUEZ DE SAINT-MAIXENT.
i
Ja ra da linterna.
Entre as ruazitas infames, asylo do vicio
e do crime, que de dia para dia vo desap-
parecendo de Pars, arrasadas pela picareta
e pelo machado, abrindo campo ao luxo e
s coramodidides das novas construeces,
era urna das mais hediondas, das mais es-
curas e sinistras, a chamada ra da Lan-
terna.
Em meiads do eeulo XVII existia j
n'aquella ra a casa, ou para melhor dizer,
a immunda espelunca onde se enforcou
Gerardo Nerval, o terno e melanclico
poeta, e o aspecto d'ella era j esse tem-
po pouco mais ou meos to repugnante,
como ao tempo em que a demoliram.
Morava em 1645 no segundo andar d'essa
casa urna mulher, condecida pelo nome de
Smoa Raymundo, qu adquirir com a sua
industria a mais pessima fama. Simoa era
claramente urna bruxa, porque se prestava
a ler sinas, a interpretar sonhos e a outras
habilidades semelhantes. E se devemos
dar crdito fama, o grande livro do por
vir nao tioba segredos para el'a. Todava,
nao era esse o nico emprego da bruxa,
nem o mais lucrativo. Consagrava-se tara-
bem certas operares de medicina secre
ta, e tiuha os conhecimentos e a carta exi-
gidos s assistentes Era alm de todo isto
rauito dotada de superior intelligencia ; em
vez, porm, de empregar to^ boas disposi-
sej" e de accordo com o que prevenio o
Si'. conselfveiroCansanso de Sinimb, suas
relacoes coa cntela, eonfurme acat.ei de ex-
por, e por esta forma impedir futuras com-
pljcaces. m
Fallou-se em favores exorbitantes com-
panhia. Quaes sao ?
O Snr Pereira da Silva :Basta a hsto-
toria della.
O Sr. Ministro da Agricultura :Quaes
sao os favores exageradla que se tem feto
estrada de ferro de Pernambuco ? O cari-
tul garantido actualmente 1,200,000 : e se
for concedido o augmento, com que nos o;-
cupamos, elevar-se-h1 a 1,685,000, pouco
mais ou menos. Os seus trilhos raedera
121 k. ou 77 i/2 milhas.
A estrada de ferro da provincia da Babia,
pouco menos extensa que a de Pernambuco,
tem o capit d garantido de um milho e oi-
tocentas mil libras. A de S. Paulo, com
pouco mais extenso do que a de Pernsm-
buco, pois cunta com 127 k|c-o 80milbas de
trilhos, tem de capital garantido dous mi-
Ihes e seisceut-s mil libras.
O Sr Pereira da Silva .'A de S. Paulo
tem de subir serras; o terreno ahi nao
plano como em Pernambuco.
O Sn. Ministro da Agricultura:Por esta
forma sempre seacharo explicares para as
differenf3S que se notao.
A respeito d ^dilliculdades de conslrucco.
se a estiada de ferro da S. Paulo as tem maio
res em virtude dos planos inclinados da ier-
ra de Cubato, nem por isso deixa a estra-
da de ferro de Pernambuco de tedas e muito
serias, nao inferiores s da estradas de ferro
da Baha.
O Sr. Andrade Figueira :Y. Exc. tem
dados cRiciaes na secretaria sobre este pon-
to qu* dizem o contrario.
O Sr. Ministro da Agricultura :0 que
deve regularsj os accidentes edifficuldades
do terreno.
O Sn. Pereira da Silva :Veja-se o exa-
me dos engeneiros nomeados pelo governo
em Londres.
O Sn. Ministro da Agricultura :0 fado
que a estrada de ferro de Pernambuco pesa
menos que a da Babia sobre o thesouro pu-
blico.
O Sn. Andrade Figueira :Veremos.
O Sr. Pereira da Silva : A questo a
somma de favores que tem recibido a estra-
da de ferro de Pjrnambuco, muito superior
em numero e qualidade de favores cence-
didos a cutrasestradas.
O Sr. Ministro da Agricultura :A falla-
da prodigalidade de favores concedidos com-
panhia da estrada de ferro de Pernambuco
urna asserco som base ; o capital que Ihe
ro garantido anda muito interior ao das
outras estradas,,como jdemonstrei, etende
a diminuir com a amortisaco, embora len-
ta, do emprestimo de 1860, que nelle figura.
O S. Augusto de Oliveira e outros se-
nhores :Apoiado.
O Sr. Ministro da Agricultura :Pergnn-
tou o nobre deputado qual omeu pensamento
relativamente aos ramaes convergentes para
a estrada de ferro de Pernambuco, bem
como se persisto na idea de appdcar sua
construcelo a importancia da divida em que
se acha a provincia para com o governo ge-
ral em virtude da garanta addicional de
2%. Respondo ao nobre deputado que o
ministerio contina a entender qae a cons-
trueco de ramaes para a estrada de ferro
de Pernambuco, como para quaquer outra
nao pode deixar de ser elemento de vida e
prosperidade. (Apoiados.) A companhia nao
tem descurado este servico ; mas nao tenho
meios para coair a assembla provincial de
Pernambuco a tomar esse negocio na consi-
derado merecida. Confio no seu zelo pelos
legtimos interesses da provincia. (Apoiados.
Conheco a provincia de Pernambuco; sei
que tem grandes necessidades" a attender
na parle do servico concernente obra1;
publicas ; sei que urgente desenvolver o
seu systema de viaco, e que tem nesie as-
sumpto eonstrueges de maior interesse do
que os ramaes paia a estrada de ferro.
(Apoiados.)
O Sr. Andrade Figueira :Alm do me-
Ihoramento do porto nao conheco obra
mais interessante para a provincia de Per-
nambuco do que a estrada de ferro.
O Sn. Ministro da Agricultura:Perdo,
a estrada de ferro de Pernambuco apenas
utilisa a zon do sul, entretanto que o centro
e o norte da provi ca, de .mmensa impor-
tancia pela sua industria e produeco agr-
cola, precisan! de ser attendidos convenien-
temente quanto aos meios de transporte.
Os ramaes para a estrada de ferro sao uti-
lissimos, ninguem o contests, mas apro-
veit5o a urna pequea extencao.
O Sn. Andrade Figueira : razao de
mais ptra nao darmos estrgarant;a de que
falla o projecto. .ir A */
O Sr. Ministro da Agricultura :-rDisse
o nobre deputado baver nova reclamacSo da compaobia da es-
trada de ferro de Peroambu ;o relativamente
ao augmento do capital garantido.
Informo ao nobre deputado que nunca
cessaram reclamacoes, econlinuam tao im-
pertinentes, que collocam as relacoes do
governo com a d rectora da compona em
um p desagradavel. A companbia liga
mximo interesse soluco favoravel deste
negocio, e actualmente mesmo acha se nesta
corte o superintendente da estrada de ferro
com o empenho de chegar a um accordo
sobra esta e outras questes pendente.
Em Londres, por occasio da ultima assem-
bla geral dos accionistas, foi argido o go-
verno do Brazil do modo o mais inconveni-
ente por causa da demora que tem havido
na deciso do augmento do capital garantir
do.
O Sr. Pereira da Silva :De modo que
nos insulto, e para que ni) nos insultem
ra&is devemos accrescentar mais este favor I.
0 Sn. Ministro da Agricultura : Quena
que rae iocina por esse modo ? Para que
o nobre deputado quer emprestar-nos se-
melhante motivo impulsivo ? Estou expondo
0 interesse que demonstra a companbia re-
lativamente a este negocio, quando nao s
pede instantemente sua decisao, como mui-
da o superinteudente da estrada reclama-la,
e na assembla geral dos accionistas cen-
surado o Brasil pda notavel demora uavida
at agora. Nao pojs, que o clamor e in-
vectiva tenho forca p ra determinar o pro-
cedmento do governo. (Apoiados.)
Disse o nobre depilado, e ainda agora
acabou de repetir em aparte, que a compa-
nhia da estrada de ferro em Pernambuco
tem fav res extraordinarios, tem urna cbn-
cesso perpetua, e conseguintemente nao
digna de novos favores, de novas eon-
cesses, e especialmente da,naturez! desta
de que oceupamo-nos.
Sr. presidenta, realmente na concesso
primitiva para a conslrucco daquella estra-
da como as modificacSes posteriores, nao
lomaram-se as camelias convenientes alim
de. sem sacrificio dos seus interesses, pre-
raunirem-se os do governo. As alteracoes
feitas pelo decreto de 13 de outubro de
1853 concorrram principalmente para o re-
sultado a que ebegmos, porquanto annul-
lram a fiscasnco que o decreto de 7 de
agosto de 1852 tinha estabeiecido para ve-
rificarem-se as despezas de construeco, as
pocas e modo de pagamento de juro, etc.
Dahi veio o germem dos males que presen-
temente deploramos.
O Sr. Pereira dr Silva : Acoo o con-
trario, acho que essas alteracoes foram pro-
veitosas.
O Sn. Ministro da Agricultura :Acho
que foram inconvenientes na parte que tirou
ao governo a faculdade de inspeccionar as
obras (apoiados); porque intuitivo que,
desde que nao poda fiscalisar os trabathos
da estrada, nao poda tambem saber como
fazia a companhia a sua admioistraco,
como giria os seus negocios, nem como era
applicado o capital que garanta.
Fra disto, quaes tem sido as grandes
concesses e favores outorgados estrada
de Pernambuco ? Falla-se em concesso per-
petua, mas o que significa ella cora o direi-
to de resgate, com a cessaco do privilegio ?
Nestas condices o augmento do cap tal
garantido nao favor excessivo, e vira, re-
pito, fornecer ensejo, no caso de ser con-
cedido, de o governo tomar as cautellas
ind spensaveis, a fim de regular as suas re-
1 Cues com a companbia, resolvendo as in-
terminaveis questes pendentes.
Era isto compromisso tomado positiva-
mente pelo Sr. Cansanso de Sininb, quan-
do no seu aviso de 24 de julho de 1862
manifestou o pensamento do governo com-
panhia, e compromisso que eu solemne-
mente tomo perante esta augusta cmara :
nao usarei da autorsaco que se descute,
sem estabelecer condices proprias a acabar
por orna vez com as questes existentes
entre a companhia e o governo, supprindo
aquillo que falta para que as suas relacoes
nao se desviem de urna senda regular e
permanente.
O Sn. Pereira da Silva:Ninguem
ainda pode conseguir isto.
O Sr. Ministro da Agricultura :Assim,
empenharei esforcos para que a companbia
aceite a fiscalsaco creada pelos decretos
de 1857 actualraento em vigor, mas sempre
contestados; procurarei fazer com que se
adopte um systema regular da liquidaco
das contas de receita e despeza que eslao
em ser desde a nauguraco da estrada, e
ces no all vio da bumanidade enferma, s
se servia d'ellas paaa o mal.
Simoa fabrieava e vendia peso de ouro
(litros mysterosos, remedios secretos, be-
beragens (Je diversa applicaces e terriveis
resultado?, de man ira que mais de urna
rapariga havia ido a sua casa, levando s
na consciencia o peso de urna falta, e ao
sahir, cheia de espanto e desespero, tinba
que se aecusar de um crime.
No dia 10 de abril de 1645, por volta das
oito horas da npute, parou um bomem
defronte da casa onde viva Simoa, empur-
ron a porta, subi a escada, cojos degros
muito gastos eram tristemente allumiados
por urna lanterna suja de fumo, e ao che-
gar ao segundo andar bateu de um modo
especial.
Passaram-se alguns segundos, ouvio-se
dentro bulha de passos, abrio-se um pos-
ligo estreito e aramado, e perguntou urna
voz :
s tu, Lzaro ?
Com todos os diabos I Pois quem
havia de ser seno eu ? volveu o sugeito
com impaciencia e mo humor. J nao co-
nbeces o raeu modo de bater ?
A porta gyrou nos gonsos, e o recem-
vindo entrou n'uma casa pequea, de todo
em lodo ooa e sem movis; passou depois
outro quarto de maiores dimenses, cujo
singular aspecto devia impressionar bastan-
te quem o visse pela primeira vez.
As. paredes e o tecto eram- pintados de
encarnado. As cortinas da tnica janella e
das duas portas eram tambem de vivissima
cor vermelha. A mobilia consista n'um
armario antigo com arabescos e entalhados,
algomas cadeiras de pao santo e urna mesa
redonda, cobe'rta com um tapete cor de
purpura que chegava at-, ao chao ; toda
ella cheia de baralbos, capsulas e outros
ohjectos de forma exquisita e utililade sos-
peitosa.
Um velno corvo, que pelo menos teria
dona oa tres seclos, esteva pousado na
borda de ao gratifle vidro cheio d'agua e
movia melanclicamente a depennada cane-
ca. Ao p d'elle, tambem sobre a mesa,
dorma pacificamente um gato preto e es-
qualido. Dentro do vidro agitava-se um
peixe encarnado. 'Por sobre aquelle sin-
gular conjuncto espargia tenue e sangrenta
claridade urna lampada de ferro com dnas
torcidas e vidros vermelhos.
Simoa Baymundo completava admiravel-
mente o quadro, e nm grande artista diffi-
cilmenle baveria encontrado figura mas
de molde. As sobrancelhas, que ella tinha
sombras, e os rasgados oloos pretos, um
tanto sumidos por baixo d'um circulo azu-
lado, contrastavam notavelmente com a
lvida pallidez das faces, que pareciam mo-
deladas n'um pedaco de cera virgem, e
com a roxa e espessa cabelleira que Ihe co-
roava a fronte. Vesta Simoa um fato en-
carnado com extensa cauda, aperlado na
cintura por um cordao preto. Pelos hom-
bros cahw-lhe ura capuz transparente, com
que podia moit bem tapar a cara. Em
summa, aquella mulher era formosa ; mas
a sua formosura, sinistra e singular, havia
de produzir.em quasi todos os que a vissem
urna repulso instinctiva.
O homem que vimos introduzr-se em
casa da bruxa pareca ter qaatro ou cinco
annos menos que el(a. jl suas feices
eram regulares e bem parecidas; mas pre-.
judicavam-n'as bastante as rubicundas ^res
do nariz, e certa expressio de impdica
baixeza, que inspiravam grande descoo-
fianca.
A expresso de que fallamos notava-se-
lhe especialmente nos olbos, que olhavam
sempre de rfivez, e na bocea, de labios
irnicos e delgados, sempre dispostos a di-
zerem urna insolencia ou urna calumnia.
O tal sugetto vesta Kbr de criado de
casa rica ; mas, apeear do pouco uso, toda
rota, cheia de nodoas e feita quasi om far-
rapo. Por cuna dos aristocrticos borda-
dos viam-se caldeiradas de vinho, e as
mangas, forca de rocarem pelas mesas
das tabernas, loziam como om espelho.
igualmente om methodo para a classificaco
des despezas do custeio. Procurarei termi-
nar a qnestSo de augmento de material ro-
dante, crear om fundo de amortizacao e de
reserva, resolver tambem a conlinuaco da
estrada das Cinco-Pootas, onde para pre-
sentemente, al o porto do Recife ; bem
como do seu prolongmento ao rio de S.
Francisco, que o seu destino definitivo, etc
Era summa, fixados claramente todos os
direitos e obriaacoes da companbia e resol-
vido, como est, o governo imperial a dar
fiel cumprimento aos. contractos, de sup-
por que a estrada da-ferro de Pernambuco
continuando na senda de prospe; idade em
que vai. colloque suas relacoes com o go-
verno no terreno das conveniencias, como
deve. -
Disse o nobre deputado que o favor exi-
gido pela companbia, a ser-lhe concedido,
importa urna doaco de trezentos e tantos
contps por 90 annos, e que nao ha idea de
favor semelhante a nenhuma empreza.
Esta proposito do nobre deputado in-
tegramente errnea, fallecem-lhe fundamen-
tos.
O capital addicional conforme a resolu-
co vinda do senado, de 4,3l6:977$777
ou 485,660, o juro annual razio de 5
por cento ser 215:848(5(888 ; mas como o
estado possudor de quasi um quarto das
60,000 aeces emittidas, o desembolso real
do thesouro ficar em 160:000)J, mais ou
menos.
Ora, devendo o pagamento da garanta
comecar da data da resolnco. nos termos
desta, e sendo j decorridos 17 dos 90 an-
nos da concesso, vemos que a somma to-
tal a pagar ica muito quem dos milhes
que o nobre deputado calculou. Mas ac-
cresce que o governo tero a faculdade de
resgatar a estrada de 1883 em diante
O Sn. Andrade Figueira :Isso se se
quer resgaiar, se se nao quer, o raeu calsulo
est em p : o raelbor resgatar.
O Sr. Ministro da Agricultura:...
e eoto ou a estrada contina a prosperar,
como tem prosperado, e a garanta ser no-
minal, ou decahir em um estado de com-
pleta infelicidade, infelicidade tal que a in-
habilita de dar o menor dividendo, e ento
o governo que deve garantir em sua pleni-
tude os juros a que est obrigado...
O Sn. Andrade Figueira :Isto o que
ha de mais certo.
O Sr. Ministro da Agricultura :-..
recorrer ao resgate. Mas nio ha funda-
mento para este resultado. A companhia
da estrada de ferro de Pernambuco logo
que tiver material rodante sufficente, logo
que, desembarcada das questes que pen-
dem entre ella e o governo, puder augmen-
tar as suas estaces, e fazer o seu servico
com regularidade e seguranca, ha de neces-
sariaraente apresentar resoltados muito mais
favoraveis do que aquelles que j aprsenla.
Se devemos descrer do fuluro desta estrada
de ferro, percamos as esperancas fundadas
em todas as estradas de ferro do Brasil.
O Sr. Andrade Figueira :O que des-
creio da boa admnistraco da compa-
nbia.
O Sr. Pereira da Silva : Tend ella
garanta de juros que se importa ? Este
um meio captatorio.
O Sr. Ministro da Agricultura :Nao
vejo, portanto, fundamento plausivel para
que to eocarni;ada opposico se faca a esta
concesso que de alguma raaneira vea por
a estrada de ferro de Pernambuco em igual-
dade de favores com as outras.
Os Sus. Pereira da Silva e Andrade Fi-
gueira :Em igualdad nao ; nenhuma
companbia tem favores to grandes.
O Sr. Ministro da Agricultura :Nao
sei se me falta responder a alguma das in-
terpellages do nobre deputado. Creio ler
tocado nes pontos prncipaes de que S. Exc.
se oceupou, e sobre os quaes quera expli-
caces. Naturalmente, conforme prometteu,
tem de disputar palmo a palmo o terreno
nessa questo; eu lmito-me por ora a es-
tas observaces, e se entender necessario
voltarei a replicar aos novos argumentos
que porventura produza. (Muito bem, mui-
to bem).
A discusso fica adiada pela hora.
Dada a ordemdodia, levantase a sesso
s 4 horas da tarde.
"SF.SSO EM 2 DE JIMIO.
Contina a discusso do requer ment de
adiameato offerecido pelo Sr. Andrade Fi-
gueira ao projecto do senado, em 21 dis-
cusso, autonsando o governo para conce-
der garanta de juro de 5 por cento ao ca-
pital addicional da companhia da estrada de
ferro de Pernambuco.
O Sr. Pereira da Silva :Discote-se
O chapeo j perder a forma primitiva, e
sobre a camisa en'tre-aberta e o collete com
botes de braso, caba descoidosamente
urna grvala, cuja cor nao era fcil de des-
tinguir.
Simoa Baymunda, depois de ter fechado
a porta, crozou os bracos, deitou a cabeca
para traz, e franzindo as espessas sobran-
ceibas, perguntou com entonaco breve s
imperiosa :
Que me queres, Lzaro ? Por que
vieste agora f Por que motivo, tendo es-
quecido por oito dias o caminhO d'esta casa,
appareces de: novo, quando eu esperava
nunca mais te ver ?
Dizendo estas palavras, a bruxa deitou
investigadora olbadella ao nojento fato do
recem-chegado. Depois, dan lo aos hom-
bros, accrescentoo com viveza:
E em que estado, sawto Deus Dr
sehia que sais da corte dos milagres.
Olha para esse casaco e para essas calcas,
a rirem-se por todos os lados ; o trapeiro
mais consciencoso nao dara por toda a toa
farpella nem sequer nm tosto. Que tueste
l por fra todo esse tempo, e por que nao
ficaste onde estevas tanto teu gosto ?
Lzaro, que era este o nome do homem,
dexou-se cabjr para cima de urna cadeira
com a maior desenvoltura, desatando gar-
galhada.
Oh t queridinba da minha vida, ao
menos, deixa-me tomar folego I disse elle
passado um instante. Com todos os dia.
bos f Qoffchuveiro de pergontis! Pa re-
ce mesmo que est urna pessoa atorado
o mterfogatorio dos mui reverendos juizes
do Chatelet... Teffl um poucoj'lho de
paciencia, meo anjo... Facamr/3 as cou-
sas com methodo ; e j que sora0s pessoas
da cabeca melhor priaciF tonos pelo
prindoio.
Respondes ou nao ? gntoa Simoa ba-,
tendo com o p no chao,
Pois nio fcei do r.esponder, com to-
dos os diabos I Ben\ sabes que son a paz
d'alma en carne p, 0880j e qae 0s teas
agora o rwjiFrimento do mea nobre e dis-
tinctissimo amigo, ^depi'tado pelo 48 distric-
to da provincia do'Rio de Janeiro. Tend
o requerimento a adiar-se o debate do pro-
jecto que nos oceupa, at se destribuir na
cmara o relatorio do Sr. ministro da agri-
cultura. O projecto determina que o go
verno imperial conceda garanta de juro de
5 por cento um capital addicional de cerca
de 5,000:0003100 ou 447,000, que a
companhia da estradaN de ferro de Pernam-
buco declara ter despendido alm do preep
contratado de 1,200, que est concedi-
da a garanta por convenios anligos.
O nobre deputado pela provincia do Rio
de Janeiro, posto que se bouvesse declarado
contra a pretenco da companhia. por con-
sidera-la Infundada e iojusta, desej todava
que antes de resolver a cmara, o projecto
se esperem esclarecmentos que deve pres-
tar o relatorio, que pela constitoico do im
perio deve o respectivo ministro trazer ao
corpo legislativo, e que nos nao foi presen-
te ainda at este momento.
Minuciou o honrado representante e meu
amigo a serie dos esclarecmentos que pre-
cisava, e que eram particularmente sobre
os emprestimos j verificados e garantidos
pelo governo a essa companhia, como favor
particular, a estatistica dos rendimentos da
estrada at o ultimo anno, comparados com
a receita, a somma de aeces que possue o
thesouro publico, e que trocou no mercado
por apolices, da divida fundada ; declarou
por fim o digno deputado que esses escla-
recmentos Ihe nao mudarin a opiniao con-
traria sempre pretenco da companhia.
mas poderiam servir cmara de auxiliares
para substituir o projecto actual por outro
que, ou impuzesse condices, ou transfor-
masse os novos favores requeridos, ou de-
lerminasse que o governo encampasse a
companbia, pagando a importancia das ae-
ces que circulara uo mercado, e a incorpo-
rasse nos proprios nacionaes, como o prati-
cra em relaco estrada de ferro de D.
Pedro II.
Conven- aqu declarar que nos ltimos
dias da sesso passada veio do senado este
projecto, e no derradeiro dia da sesso do
anno foi nesta cmara offerecido discus-
so. Eu me oppuz com todas as toreas
para embargar-lhe a passagem, visto como
a cmara estava cansada de debates, nao o
podia estudar e nem deliberar conveniente-
mente sobre sua materia. Aberta apenas a
presente sesso apresentado de novo
soluco da cmara, e antes de destribuido
o relatorio do ministerio cujo cargo se
acba o assumpto, antes de esclarecmentos
completos que instru-am a cmara, sem mes-
mo se responder ao discurso que profer no
ultimo da da sesso do anno passado, pro-
vando que seria um desperdicio do thesouro,
seria malbaratar os dinheiros pblicos, dar
de favor a esta companhia orna to crescida
somma pecuniaria, e sem dar nem mesmo
o Sr. ministro da agricultura urna razo por
que adopta, o projecto, pretende-se faz-Io
approvar pela cmara f
Applaudi, portanto, muito e applaudo o
aiiamento requerido pelo nobre deputado
pelo Rio de Janeiro. Presto-lhe cooscien-
ciosamente o meu apoio e o meu voto.
(Apoiados). Concorro com rainba palavra
para convencer cmara da necessidade de
approva-lo. #
Pense sempre, senhores, que o Sr. mi-
nistro da agricultura no desejo de bem es-
clarecer a cmara, de procurar jastieaco
a seu parecer de que deve o projecto ser
approvado, afiri de que esta soluco tenba
o cunti da sabedoria, e affronte a impopu-
laridade da medida, de modo a desvanece
la, acceitasse o adiamento, que importa so-
mente na demora de alguns dias, dentro em
cujo intervallo teremos tempo para deseo
brir o meio mais regular de solver a ques-
to, emendando ou substituindo o projecto
por outro menos oneroso aos cofres pbli-
cos, que a nos todos compre zelar, e mais
particularmente ao ministerio. (Apoiados).
Passei por urna verdadeira decepeo, e
decepeo em todos os sentidos. (Risadas).
O nobre ministro deu vocalmente commu-
nicaco de alguns esclarecmentos, deixando
de prestar outros pedidos pelo nobre de-
putado pela provincia do Rio de Janeiro, e
alguns mesmo dos fornecidos foram to in
completos que nada ganhou a discusso
com a sua resposta. Disse tambem que
seu relatorio nada mais adiantava do qu<3
elle communiera, e era, portanto, intil
esperar por sua destribuico e leitura. Ac-
crescentou todava que era mister approvar
j e j este projecto, porque a companhia
continuava pertinaz as suas reclamacoes,
fazia reunies em Londres, dirigindo aecu-
saces e invectivas ao governo, e compro-
menores desejos sao leis para mim. Mas
o caso que tenho o gasnete mais secco
d' que as areias de um deserto, e por
tanto nao posso dizer duas palavras segui-
das se tu m'o nao humedeceres com um
gole do famoso vinhinho de Hespanha, que
j por vezes tem feto as minbas delicias.
Compadeces-te de mim, Simoa ? A tua
araabildade chegar ponto de me pores
aqu urna garraforia ?
Pelos modos, a bruza nao costumava
oppor grande resistencia aos caprichos de
Lzaro. Toda a sua raiva se dissipou co-
mo por encanto, e, julgando talvez muito
justa a pretenco, tirou do bah urna ho-
juda garrafa cheia de vinho de Xerez, cor
de mbar, encheu at cima um copo de
regulares dimenses edeu-o ao rapaz, que
logo traton de o despejar com manifesta
sensoalidado.
Agora, minha querida, proseguio L-
zaro dando um estallo com a liogna, agora
que, gracas ao raio do sol que bebi, entrou
o meu corpo em ordem e se me despegou
a lingoa, pergonta-rae o qoe quizeres, na
certeza de que satisfarei a tua justa curic-
sidade.
Pois ento, dize-me primeiro quoludo
d'onde vens.
De certa bodegazita muito conhecida
e frequentada pela minha humilde pessoa,
on-je en as ia pastando pela mo, em com-
"panhi* de outros sugeitos do meu alto co-
thorno. As cartas sao o nico motivo que
me afastou do ten apreciavel trato.
- De manera qoe estes jogando 4 oilo
dias ?
- Senv nentram intervallo. So devz
em quando para va algum segundo para b;-
ber urna golada, qoe me restaurasse as
forjas.
, E ao menos ganhaste ?
Ridicula pergunta essa, minha
belleza J te esqueces do rifointeiiz,
ao jogo, feliz nos amores ? Ora, techo cu
a incomparavel fortuna de ser amado por
ti, havia de perder forcosamentc-, Para
metiendo o seu crdito, e as relacoes entre
ella e o governo eram as mais desagrada-
ves e embaracoeas, convndo terminar-se
quanto antes esta sityaco. Creio que re-
sum perfeitamente, o discurso do nobre
ministro..,
O Sr. Andrade Figueira e outros senho-
res :Apoiado.
O Sr. Pereira da Silva :Espantamo-
nos todos, senhores, com esta resposta do
Sr. mnistro. (Apoiados). Pois to incom-
pleto seria esse relatorio que se nos devia
apresentar, que era ao menos dos appen-
sos, como os seus antecessores, nos dara
esclarecmentos sobre o estado das relacoes
do governo com a companbia referida, so-
bre os seus rendimentos, sobre a divida
que Ihe garantimos, sobre a parte que no
seu capital possue o governo, sobre o que
fez no intervallo das sesses de 1869 e
1870 o commissario do governo em Lon-
dres, que foi demttido no principio deste
anno, e tinha de dar antas da sua agencia,
e sibre as noas instrneces dadas aonov
commissario nomeado ?
O Sr. Ministro da Agricultura :Per-
do, o nobre deputado nao comprehendeu
a minha declaraco. Eu disse que para se
decidir a materia nao era necessario mais
do que aquillo que eu tinha adiantado.
O Sr. Pereira da Silva :Cora esta nova
declaraco muda inteiramente o honrado
ministro a minha argumeniaco. Fiando-me
na sua palavra de hontem, que pense en-
tender no sentido a que alludi, pretenda en
dizer que nada esclarecendo o relatorio a
respeito, nao linha mais razo de ser o re-
querimento do meu nobre amigo. (Risadas).
Agora, como se enuncia o Sr. ministro, sus-
tento eu que mais que nunca deve appro-
var se o adiamento (apoiados). 0 que o no-
bre ministro disse hontem nao bastava para
perfeito esclarecimiento ,da cmara, e un
mesmo pronunciou S. Exc. palavra sobre
varios pontos lembrados pelo Ilustre depu-
tado pelo Rio de Janeiro. Como rejeitar o
adiamento quando o relatorio com os docu-
mentos que deve trazer pode aclarea-los '
Pois s o relatorio deste anno nada dira .'
Estao esquecidas as boas tradices de da-
rera os relatnos ampios, desenvolvimentos
e sobre questes tao importantes como es-
tradas de ferro e companhias estrangeiras .'
Nao ha um s dos relatnos anteriores qne
nao lance alguma luz sobre estas questes
interessantes. (Apoiados).
Espere-se, portanto. pelo relatorio, e
mais Ilustradamente decidir a cmara so-
bre o assumpto do projecto (apoiados). O
adiamento por alguns dias nao termina (
quesio, demora-a apenas.
Trata-se, senhores, de urna questo gra-
vissima, qualquer que seja a face porque se
encare, material ou moralmente. Nio
urna quesio de somenos importancia, des-
tas que, sem prejuizo dos cofres pblicos,
e nem quebra de direitos. se podem resolver
logo. Nao mesmo urna questo s pecu-
niaria, posto que muito importante para o
thesouro, que vai onerar extraordinariamen-
te ; at urna questo de digndade, de mo-
ra lidade, de crdito publico. (Apoiados).
Basta enuncia-la rpidamente para se conhe-
cer o com quanto criterio, consciencia e es-
tudo se deve decid-la.
Contratou a companbia com o governo
fazer a estrada de ferro do Recife, garan-
tindo-lhe o governo 7 por cento pela somma
de 875.123 pelo espaco de 90 annos, fi-
cando ella proprieteria permanente das
obras, e tendo o governo fiscalsaco no
seu andamento : isto em 1853.
Em 1855 requereu que a garanta de ju-
ros fra elevada a 1,200*, porque se en-
gaara no seu orcamento da despeza : o go-
verno accedeu a seu pedido, mas inserto no
contrato de 11 de agosto que ella se com-
promettia a nao exigir mais augmento de
garantir, quando mesmo mais despendesse
do que esperava do capital, e que tambem
quando nem 1,200,900 libras gastasse, nao
diminua o governo a garanta essa somma.
porque considerava empreitada, pelo qu
abandonava a fiscalsaco das obras.
J foi ura grande favor do governo, O para
lindar com novos, exararam-se condices no
contrato.
Eis que em 1860 vem de novo a compa-
nhia requerer que se eleve ainda essa ga-
ranta a mais 447,000 libras, porque gastou
mais do capital do que calculara.
(Conlinuar-se-ka.)

isto nao preciso virar folha. e consegunt
mente andam estas algibeiras mais vazias
que tripa de mendigo.
Ou por outra, ponderou Simoa com
pronunciado azedurae, a fume que c te
trouxe. nao ?
Nao a tome, nao, com tojos os
diabos, o amor I A dama de copas e a
dama de paos podero levar-me o tempo
todo ; mas o enraco e ser sempre
teu... Mesmo com as cartas na mo.
nunca deixei de pensar em ti; davam-me
cuidado os teus interesses ; e a prova sem
replica do que esto. dizendo, que te ar-
ranjei um negocio famoso.
Um negocio famoso, tu ? bradou Si-
moa com irnico sorriso. Muito nova seria
para mim essa fructa I
Debaixo da carapuca celeste nao ha
nada novo. Ouve e aprecia..
De que se trata ?..
Ahi n'esse mundo de Christo, existe
urna fidalga, inmensamente rica, e um tanto
ou quanto aparentada, por parte do man-
do, com meu amo o marqnez de Saint-
Maixent.
Como se chama essa fidalga t
= a coodessa Mara de Rabn, nem
mais nem menos. '
A mulher do conde Luix de Rabn,
teoente general dos exerctos do rei, e pos-
suider de um magnifico senhorio na Aaver-
nia?
Tal e qual.
Contin'.
Pois este noute ou araanha o mais
tardar ha de vir ter comtigo a condessa de
Rahon, talvez disfarcada ; mas nao tanto
qoe, gracas este aviso, deixes de a co-
rahecer.
(G$o*tiiikar-u.h)
:
.

TYP. DIARIO D RA WW& DE CA'
-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVM4DKAVM_HTLH00 INGEST_TIME 2013-09-14T00:57:29Z PACKAGE AA00011611_12141
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES