Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12139


This item is only available as the following downloads:


Full Text
>
mu npi m i ir
ANN XLVI. NUMERO 133.
di 9) OtJff. 1. *-.> ')
FA1A A CAPITAL E MGAHES. OBU IA0 SE, ?ASA POHTE,
Por taes mezes adiaotadoa................ 6,5000
Por seis ditos id*m................... I2000
Por um anuo idem.. .......,.....'..... 244000
Cada mumero avulso.........* .......... 320
.n TEipUIRA 14 DE JUNHO DE 1870.
...... -- ---.- i......-..-a. ii^ '
PA3LA-. DE5TB0 E FOSA DA PBOVUTCIA.
Por tres me^es adiantados-................-. 65750
Por seis ditos idem.................... 13*500
Por tme ditos idem................... 200250
Por um armo idem .............. 27/9000
Propriedade de Manoel Figneira de Faria & Filhos.

W40 AGENTES:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para ; Gon?alves 4 Pinto, no MaranhJo ; Joaqoim Jos de Oliveira, no Cear ; Antonio de Lmos Braga, no Aracaty ; Joao Mara Julio Chaves, bo. Ass ; Antonio Marques da Silva, do Natal; Jos Justino
Pereira d'Almeida, em Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na VHla da Penha; BeJarmino dos Santos Bolcao, em Santo Anta; Domingos Jos da Costa Braga,
em .Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martins Alves, na Babia ; e Jos Ribeiro Gasparioho no Rio de Janeiro.
OlftRlO DE PERNAMBUCO
RF.CIFE. 11 DE JUNHO DE 1870.
\oticias dos Kstados-I nidos e
lo Para.
'C"''v hnntem pela nnnlm o vapor america-
n' South America, trazenrto jornaes de New-York
at 13 e rio Amazonas al 28 do passado, e do
Para at 8 do carrente.
ESTADOS-UNIDOS.
0 senado voto-i o bil flxando estado efferrti-
v do e.vereito em 30.000 homens, e addiou o bil
sobre a tarifa da< alfan lega*, e onvio a leitura de
um bil de Mr. Sumner garantindo aos cidados
de todas as reres .gualiade completa de direitos
Das liante de caminhns de ferro e de navegara),
a-stm como as escolas publicas, as insliluices
autorisadaj por le, as igrejas, nos theatros e nos
cemiterwt, b?m como a tomarem parte no jnry e
na magistratura sob pena de 500 dollars que se-
ra paga por quem quer que a isso se opposer.
A commissao das relacoes exteriores do senado
jeciipava-se com o estado do projec'o do telegra-
pin sob-marinlio entre os Estados-Unidos e Chi-
na, dizemlo-se que serao preferidas as ilhas Aleou-
'. inos para es X oficial o conde Lniz Corte, enviado extraordia-
r i e ministro plenipotenciario do rei da Italia,
'Viciando nessa oceasiao o ssguinte discurso:
Sr. presdante.S. M. o rei da Italia, meu au-
gusto soberano, designando me para a alta raisso
de representa-lo junto do governo dos Estados-
i nidos, ineumbio-me de exprimir V. Exc. seas
voto- pela prosperidade e augmentos deste paiz, e
ao me^mo assegurar lhe seas protestos de amiza-
de e vmpathia pessoal. Aprsente-vos a carta
de mea augusto soberano que me acredita junto
a rio e ministro plenipotonciario. Ufanando-me pela
subida honra de representar mea paiz, envidare
todo- os eslorcos para manter e desenvolver as
rola dea de cordeal amisade que serapre exisliram
entre os dous paites.
O presidente responden :
Conde Corte.Lisongeio-me de receber-vos
eofao representante diplomtico do soberano de
om paiz pelo qual se interessara todos os povos
civilizados. Eu e os meus coneidadaos fazemos
iguaes votos aos do vosso soberano pela prosperi)
dad?, eograndecimento do paiz que representis,
e para que cada vez mais se estreitem os laros de
amisade que uemos dous paizes
f.orreram placidas as eleires do dia 17 em
S > -York, obtendo os candidatos demcratas de
Tainmany grande maioria sobre os seus come-
dores.
Mr. Hamiton Frish e o ministro ingiezem
'\ ashington tem lido diversas conferencias para
combinar nos meios de acabar d'uma vez as atro-
cidades commettidas em Cuba, vingando a execu-
cao do general Goicouria
As torcas do general Montaner bateram os
lus'irgcntes em Santa Crnz, matando-mes 90 ho-
rnos, tomando tres pecas, e capturando o gene-
ra turgente Ralfetti prximo de Porto Principe,
0 qual foi fuzilado.
Foram guillotinados os generaes insurgen-
te- Diego e Gaspar Agnero, no labbado 14 de
maio.
A camra das communs do Canad, Jappro-
vou o bil creando e nrganisando o novo territo-
rio de Manitouba antigo paiz do rio Vermelho e
1 vVmnipeg.
MXICO.
PERNAMBUCO.
ASSEIBBLA PROVINCIAL.
SESSAO ORDINARIA EM 31 DE MAIO DE 1870.
PRF.SIDKMIIA DO Sil. DR. AGL'UR.
Ao meio din feita a chamada acharam-s* pre-
sentes os Srs. Kibeiro Vanna, Antonio Paulino,
Eduardo de Oliveira, Gaedes Gondim, Oliveira
Andrade, Teixeira de S, Firmino de Novaes, G.
Drummond, F. de Figueira, Manoel Artbur, Ni-
colao Tolentino, Pinto Jnior, Rufino de Atraeida.
Correia de Araujo, Ges Cavalcante, Cavalcante
de Albuquerque, Augusto Costa, Ferreira de
Aguiar, Gonrjalves Lima, Ignacio Joaquim, e Gus-
mo Lobo.
Abre-se a sessao, lida e approvada a acta da
antecedente.
O Sn. Io Secretario da centa do seguinte :
EXPEDIENTE
Um ofQcio do secretario do governo, remetiendo
por copia a deliberacao do Exin. Sr. vice-presi-
dente da provincia, pelo qual resolveu prorogar
a presente sessao da 'assembla al o da 1-5 de
junho viadouro.Inleirado*
OHtro do meiino, transmitlindo por copia o of-
flcio do superintendente da estrada de ferro do
Recife a S. Francisco, em resposta ao aviso do mi
nisterio da agricultura, sobre a oceurrencia all
havida no dia 2." de fevereiro ultimo.A' quem
fez a requisico.
Urna pelicao de Joanna Cezar de Santa Izafiel,
pmfessora publica de Garanhans, pedindo que se
marque quota para pagamento das despezas do
expediente da aula seu cargo.A' commiseao
de ornamento provincial.
Outra de Jos Vicente Lins de Rarros e oatros
ex-pracas do corpo de polica, pedindoque se mar-
que quota para pagamento de gratilicacoes que
se julgsm com dirdito.A* comm sso de orgamen-
to provincial.
ORDE DO DI A.
3' discussao do projecto n. 9i deste auno i ri\.a-
caode forca policial)
O SR. GASPAR DRUMMOND acceitando e con-
vindo plenamente na reclamacao qne fez casa o
sea intimo amigo, o nobre relator da commissao
de lixacao de forrea policial, aproveita a discussao
3ae se abre ao projecto para offerecer as emen-
as qne pede ileenca para ler e que, traduzindo o
pensamento da comiaisso, correspondem as as-
piracoes manifestada na 2" discussao pelos no-
bres depuiados que impugnaram o prejecto. Des-
de que a questo posta ra do terreno poltico,
desde que os retoques e reparos ao projecto nao
exprimen) menos plena confianza, a commissao
acceitar com recoohecirnenio, qualquer modifica-
cao que nao ollenda o pensamento capital e domi-
nante do mesmo projecto.
Foi esta a dedaracao e ultima palavra
lator da commissao ; lambem o voto do
que em seguida justifica as siias emendas.
Vao mesa e apoiam-se as seguines
do re-
orador
das
seguines eraerv-
l que sustentramos em prol da liberdade eonhecer por ella r,ue sobre os offlciaes a quem
da ciVilisacao de um doto despticamente es- hoje o p.ojecio manda aposentar, pesavam imputa-
Cartas de Vera Cruz, do 1. de maio, diz
que a Mxico acha-se mais do que nunca cheio de
salteadores, sobresahindo o grupo commandado
pelr a coafea Bello e Icininer, o qual, depois de ter
ado os arredores de cbilapa, foi derrotado
:io da Santa Maria do Monte.
AMAZONAS.
i'oi festejada com um solemne Te-Deum, pas-
e illarainacdes, a termioacao da guerra.
Na Besao de'2" do passado foram apresenta-
assembla provincial, as segnintes mo-
DoSr. deputado Sympson. Iudicoque ame-
meie na corle urna commissao de. cinco mem-
para eomprimentar a S. M. o Imperador por
1 -i i a-embla e dos povos de>>a provincia
pe i iionrosa terminagao da guerra.
t Do Sr. depatada Aprigio : O santo enthu-
i i li.r.aca; suprema de que todo o paiz
i reveste com as noticias da coachasao d"
e d i eivilisacao de um povo despticamente
cravisado ; gralidao que todos os corac5es bra-
s tributar! a S. A. real o Sr. conde d'Eu,
traram aBrUtaote e immorredoura pagina di
historia do je.ven e beroe geaeral. sao lhe o trium-
pho de su?, abnegacao e patriotismo, sao-lhe a
I '-iuuibr.-.nte corda de gloria de sua moeidade.
Ao voto de gratidao que a nacao inleira deve
dirigir ao joven general a assembla do Amazonas,
devs t ambem, como representante do povo, uaani-
meraente unir-se.
Assim requeiro que a assembla nomeie na
'.rte urna commissao que por sua parte compr-
meme a S. A. real o Sr. conde d'Eu.
-Dos Srs. deputados Ribeiro e Ferraz : W-
i|ueremos que se nomeie na corle urna cummis-
sj para felicitar o visconde da Pelotas pelos ul
tiraos feit03 d'arraas qaa se deram no Paraguay. >
\< comml senador Ambrosio Leitao da Cunha, deputados
seraes por eeta provincia Angelo Thomaz do Ama-
ral c Leonel Martiniano d'Alencar, deputado pelo
Para c volido na lista trplice para senador por
esta proriecia; eonego Manoef Jos de Siaueira
Mearles, comraendador Je&o Wilkens de Matto.
D Sr. deputado Farraz: Requeiro que esta
i'-m.rjla suspenda os seus trabalhos por dqm
dia, a conur de hoje como manifeslacao de in-
ten'.o jubilo qne se acha possoida esta provincia, e
o paiz inteiro, peta raU noticia da termmar-ao
hoarosa dessa asperrima campanha, em que esta-
va coropromeltida a honra nacional. >
i Do Sr. deputado Tapjoz : fRequeiro que se-
ia nomeada raa commissao dentre essa assem -
olea para levar ao Exm. Sr. vice-presidente da
provincia um voto de congratulacao que taz as.
Exc. esta assembla, pela victoria alcanijada pelas
untas brasileiras no dia de marco do corrente
armo, em cuja accao pagon com a vida tirano L-
pez afron que bavia feito ao Brssil.
EsU mocao passou com a eoienda do Sr. de-
putado Aprigio para ir a aaserabla toda eompri-
mentar a S. Kxe.
a O Sr defutado Tapaioz apresentou urna ontra
mocao nara que a assembla toda em acto sueces-
sive fosse comprlnenur o Exm. Sr. 3.' vice-
presidente, pelo acabamento da guerra, bm con-
equencia tirigiudo-ie todos os depuudos a casa
do Eira. Sr. vice-presidente, ahi em presenca tle
S. Ec. o Sr. Dr. GqUvo fez am discurso analo-
a i. que 8. Ex, raspondeu, agradecendo, em norae
de S. M. o Imperador as Inequvocas provas de pa-
trMsmoqae acabaids dar a assembla provincial.
paba'.
No dia 2 do correte seguio para lianfls, o
presidente da proviaca do Amazonas, coronel Mi-
randa Reis.
Aalfandega renden no mez de mato..
*n*W8, e de l a 6 do corrate 128:300*278.
Ao art. 2. Em lugar 600 prac(asdiga-se 800
supprimidas as palavras pudendo ser elevada a
800 pracas se exigirem as conveniencias do ser-
vico.
Ao art. 6." Supprima-se as palavrase 30
comporao urna seceso de polica montada, que se-
r commandada por um olflcial.
Ao art. 7. Aceressente-sed completo o corpo de polica.
Ao art. 8. 2- em lugar de cora todos os ven-
cimentos, diga-secom o sold correspondente.
Ao mesmo art. e Accrescente-se quaesquer
outros que tenham prestados servicos de campa-
nha at a sua terminacao.
A) mesmo art. e Diga-seem lugar de ven-
cimentos do sold correspondente.Ilnsmao Lobo.
G. J>>'umwoR>f.
. Ao art. 6. Em lugar de 200 pravas ou mais
diga-se 300 pracas destinadas ao servico da capi
ta e suburbios.S. [{.Pinto Jnior.'Rufito de
Almcidn.C. de Araujo.F. de Figuetrn. To-
lentino de Carralh >.llollanda Cavalcante
O SR. GOE3 CAVALCANTE :Sr. presidente,
ped a palavra para ollerecer urna subemenda
aquella que foi apresentada pelo meu du-stincto
collega, membro da commissao de forca policial,
e creio que ella digna de ser adoptada.
Sr. presidente, esse meu destnelo collega que
me precedeu na tribuna, quando na 2" discussao
do projecto de lixacao de forr;a policial, o deifen-
dia eloquentemente como membro da commissao
.que confeccionou o projecto, leu nesta casa o pa-
'recer de urna commissao que examnou os nego-
cios do corpo de polica em outra sessao, tazando
abamos apreciar o ment, ou por outra que em
vez de pelos meios que nos competem, procurar-
mos fazer punir o crime. pelo contrario, aolorisa
mos esse mesmo crime fornecendo um incentivo
),ara ipie elle se reproduza, premiando aqoelles
que nao cumprem fielmente cornos seus deveres,
esbanjando o* dinheiros pblicos I I
Neste sentido, Sr. presidente, eu oflerecn con-J
sideraeao da casa urna emenda, que nao tem essa
imporlmca poltica, que talvez se lhe quera dar,
considerando-se um voto de desean llanca a admi-
nistrabas, nao, Sr. presidente, a emenda t> tem
por fim forear es-es offlciaes, especialmente o com-
mandante do corpo de polica, a darem explicaeo
plena de seus actos, isto mostrarem qual o des-
tino que teve esse dinheiro- confiado sna guard,
a que foi applicado, em que- maos llcou deposita-
do quando se retirou para a campanna do Para-
guay o corpo de polica.
A minha sub-emenda coocebida neste termos:
(le).
J se vc\ Sr. presidente, que nao ba iojustica
alguraa nesta sub-emenda, nom vai prejudicar di-
reitos adquiridos por esses offlciaes que cumpri-
ram fielmente os seus deveres no campo de hata-
Iha, que se distinguirn! peto-seu comportarnento;
pelo contrario, desde o momento em que elies se
justificaren d'essa imputaeao que sobre si pesa,
adquirem o direito que nos pelo projecto aulori -
samas.Jsto t; a serem aposentados. Se, poror,
elles nao se liverem justiido das accasaeoes
graves e bem merecidas que sobre si pesam, en-
tralo, Sr. presidente, que nao leem direito a se-
ra,m aposentados, e pelo contrario, devem respon-
der peanle os trbunae pelos crimes praticados,
e sobre elles deve cahir o auathema social, o es-
tigma de prevaricadores.
(Ha um aparte.)
O S. Goes- Cavalc.vtti :.E' esla nma condi-
c^o, sem a qn.ti talvez elles rtradlssem a nossa boaj
f, e assim admittida, elles Deeessariaraente bao de
procurar delender-se, e nessa defeza o publico
conhecer seetles si ou na criminosos, e, se fo-
rero, innocentes, o publico nada ter de dizer con-
tra nos, pelo contrario, dir qae somn sempre-
cautelosos quando tratamos- de conceder favores
da ordem-destede que trata o projecto.
A'vista, portanto, Sr. presidente, d'estas eonside-
raeoes, eu creio tar justificado a sub-emenda apre-
sentada, e espero que a casa, convencida como
deve estar da necessidade de urna justifica^ao
por parte d'esses ofliciaes, nao hesitar era votar
por ella.
Vai mesa e apoia-se *. seguinte sub emenda :
Accrescente-se -.--depois de se justificaren)
perante o presidente da provincia das imputaos
que pesara sobre os mesaaos,Goc. GaralcantL
O SR. G. DIU-,">1M(IND faz largas consideracoes
contra a sub-emenda eflorecida pelo Sr. Goes Ca-
valcanti.
O SR. GOES CAVALGANTI :Sr. presideete,
apresentando nma sur>eroenda a-aquella que- foi
suoraeuida cousiderarv da cae pelo meu dis-
tincto collega que acaba de tallar, nao pensei que
ella soffresse opposicao da parte d'este distiucto
membro da commissao de tixaciod forca poSeial,
porque eatendi que a minha sub-emenria ni. era
seno o complemento do pensaraento da eoomis-
roisso de tLxaco de forca policial, e, por conse-
qoencia, opensamento-d'esta casa.
Dous fctos, Sr. presidente, foram IraattOi
esta casa, on por outja, esta casa toraou eonheci-
mento de dous fados : uru que no- airtorisa a
premiarroos aquelles que distvnctaraente eumpri-
ram no campo da honra os seas deveres, o outro
que nos obriga a coodemnar o procedimento da-
quelles que os nao eurapriram e, at peto contra-
rio, ahusaram da confianra qne o poder publico
nelles depositou, dando dscaminho urna somraa
considera vel de dinheiro- entregue sua guarda.
Portanto, se estes dous factos foram trazidos ao
conhecimento d'esta casa, e se ella tomou conhe-
cimento d'elles, como era seu dever, pretendando
providenciar para, que se coniira o premio aquel-
les qu6 cumpriram os seus deveres, deve tambera
laucar o estigma contra os que abusaram da con-
nanoa que nelles depositou o governo. E. assim,
berantes de que confia plena e inteiramente na
pessoa qoe- administra a provine^
O S. Ignacio Lr\o :Nao so- por isso. por-
que a emenda mesma em si nao encerra deseo-,
flanea nenliuma. n
O Se. Gn* Catai.casti : Sr. president, como-
disse, a .presidencia nao ode ver nsta sob-emen-
da falla de confiaer-a, porque est;> coiivencida lar-
gamente da confianra que,esta casaJhe tem mani-
festado.
Portanto, a cnsa, adoptando a emenda, s tem
um fim, 6 mostrar ao publico que asskn como
sabe recompensar aqueHes que cumorem fielmente
os seus deveres, e tornain-se bons eidadaos, tam-
bem sabe eeacorrer con as medrdns de que pode
disjtT, para que aquelles que o* naa curopriram
e.'abusaram da eonliaoca nellej dei03itada, sejam
devidamenle punidos.
Portanto, rae se falta de confianea na admi-
nistracao, porqtle a emenda em sima demens'ra
essa falta de eonfianea, emendo' qae deve ser
adoptada ; uorquanto-. como j diese,- nos na te-
mos necessdade- algn 'te occoltar o noseo peo -
smenlo, ou por outra, fnaDife3tarm)-nes de forma
que para podermos ser entendidos neja neeessaria
urna interprelacae. Por conseguinle, se aassem-
bla qoer mo-tar ao pobfieo que sabe recompen-
sar os bons eidadaos. nuritoetn a assembla deve
revelar o sen pensamenc- com retacad a aoeelles
que nao cumprem com esactido os seos deveres,
e- por isto que eu aprsenlo a sub-emenda.
A' vista, portaato.Sr. presidate, ilestos conside-
rares. eu cre que eaaa nao tar-, duvida ne-
nliuma em adoptar a sub-inenda, mesmo. porque
en, romo autor lella, declaro que- nao quero- por
Trma algnma e.meolr-a coofiwiea. que nos por
murta* vezes temos manifestado dtaositar no ttual
presioenle da provincia.
O SR. CUSM.V)'L0BIX applaraln lo- os esrraou-
los de que se mostre possaido r> nohfe deputado
pebterceiro districti,aator da esenda, pedees-
paco para algamas rehVioes que mo justificar o
seu voto. Parece ao orador que, por mais graves
quesejam as imputaeoes argidas-1 um offletai
ou i alguns olSeiaes do-eorpo de pDira, no-coo-
vro qpe se adopte, no termos em qne est con-
cebida, a emenda enojaestao. Sendo urna autori-
saca |ae o projecto consagra,, actvdita o orador
que o presidente da piwriacia nao >*> servir, della
a respeite de ofliciaes que estejpm snspeitades de
um delicio. Restringir a aut^risacao com a elansa-
la de liear depenaeete da jusii(ic;M(ao precisa de
uns offlciaes a faouldade de ajse i lar, em ser-
lo modo exprimir ua estado de dovida sobre o
uso discreto que se Tan dessa facnliade Esta dn-
vi Ja parece nao tradar pen onl'anea Da admi-
nistracio. MeUior j aifar aassemfwa, potm. esta
lica sendo a opinio da commissao.
0> orador estenJe-e em largas consleraeoes
para demonstrar que o resoltado do exaraer om
que se verifieou o extravio de-din<:iros qpe esla-
va cargo do- oraoiandante do corpo de poli-
ciay a desorg*#isa#todarc**iwi!Teledade
e oe vicios dai escnptnracao, nao conslue senao
nma (ares umpeio t]tae pode ceder verdad de ou-
tro modo probada. N:i ausencia de um processo
regular, em qne, salvaguardados os direitos de
defeza dos a declare a vordade por nraa seatenca, que passe
em jnlgadu, haveria urna certa precipitacao em
alladir esaas irapotagae em am projecto- de le,
e lei que deve traduzir crmfkinea na aduiinstracao.
Isto seria antecifar o julgamento, previni-fc) al-
gara tanto. No estado da queslao, nmgjiem pode
afflrmar como mnguem. pode negar.
Demonstra anda o orador que v presidente da
provincia nao a autoridade competente para
julgar dessas argaiqoe-s qe constaem on p dem
constituir um crime. Desde que o juiz- eriminal
declarou a sua incompetencia, s ao foro militar
compete a ultima palavra. Fiea assim evidente
que, nesta parte era que a emenda faz depender
a aposeotadoria de urna previa jusficaeSo peran-
te o administrador, elle attribue um arbitrio des1
medido, inverteodo a ordem das jursdiccoes.
0 orador comprehende que, desde o momento
em que a imputaco.pde tomar uro eerto carac-
entendo que nao pode soffrer ceu-ura alguma a! ter de gravidade. lcito ao presidente decretara
emenda, alm das razoes que vou apresenlar. (demissao do funecionario suspeitado. Esto nesle-
caso, ou podera estar, aquelles offlciaes quem se
mo professores do Curso Commercial at que se-
jam de novo apro venados.
Vai mesa e apoia-se a seguinte emenda :
t Igual favor se conceda ao proffessor de dese-
nlio do gymnasio provincial Joaquim Jos de Si-
queira Varen.Ges Cimalcnnt.
OSB. GOBS- CAVALCANTE : Sr. presidente,
tendo apreseBtad> urna emenda ao projecto que
se discute; ju^o dever dar algumas exptieaeea,
porque lalvez a casa nao eseja bem convecida da
justica que assiste ao prossor lc desenho do
g;*nnasir>.
Se os professores do extiacto curso commercial
tem direito aosseos vencimentos. pelo faeto de
lhe ser garantida a vitaliciedade, roaior razad tem
o professor de desenlio do gymnasio,. como passa-
rei a demonstrar.
Ha alguns anuos foi supprrmida a cadeira de
-lesenho df> gymna-tio, e gosando os professores da-
quelle estafteleciraento das niesmas garantas que
gosavam os-do carso commercial, sto. da vita-
liciedade; segue-se que o professor de desenho do
gyranasio tem tanto- direito qoanto aquelles de que
trata o projecto. Arerescendo que a cadeira de
desenho do gymnasio foi restabeleoida passadbt
dous annos, e o frofessor chamado de novo ao
exercieia de seu emprego, o qae mais urea ra-
zo para se lhe- eoaceder o favor qne a emenda
consigna; o qpe espero da coherencia o- equid&de
dest* casa.
Encerrada diseasso approvadoo-art. do-
projecto con a emenda.
Vo a mesa- e apeiam-se as seguines- emendas
ao art>. 2*.
Em lugar de todos os seus vencimentosdiga-
seordenado nicamente.8.-Drummond'.
Sabstitufrvodesde qae os mesmos professo-
res. sendo noaeades para logare* de igual cathe-
gorianaoos aontaaem. enlender-se-ha que re-
nunciam o favor da pre>ente le-.Gustado Lobo. >
Encerrada > discussao sao-approvadas as emen-
das.
Verifuaido-se-no ha ver numero, o Sr. presi-
dente designa kordem do dia e levanta.a- sessao.
A assembla provincial devia por cerlo autori-
sar o presidente da provincia a aposeotadoria dos
ofliciaes que voltaram do Paraguay depois de cum-
prirera l os seus deveres como militares, defen-
dendo a patria, alim de recompensar, premiar
aquelles que justamente o merecem, assim enten-
deu a commissao de flxaco de forca policial, in-
terprete do ponsam-uto d'esta casa, e apresentou
o seu projecto autorisando a aposeotadoria desses j
ofliciaes, mas aie devia querer confundir esses
cues e imputaeoes muito graves...
Um Sr. Deputado : Fallou somonte em uro
offlcial
O Sn. Gks Cavalcante :De um s nao. El-
le nos revelou naquella occaso, e al mostrando
documentos, que do corpo de polica desappare-
oeram, perto de 19 contos de ris.....
Um Sr. Deputado :Onze.
O Su. Goks Cavalcante : Creio que 11 de
urna vez e 8 de outra. Mas, seia como for, des-
appareceu essa quantia cujo destino nao se pude
saber qual foi.
A' vista disto, Sr. presidente, em quanto^esses
offlciaes se nao justficarem plenamente dessa im-
putajo, isto nao mostrarem qual o destino que
leve essa quantia, a que fim foi applicada ou a
quem os offlciaes encarregados de sua guarda en-
tregaram esse dinheiro, eu emendo que elles de-
vem ser considerados como prevaricadores, como
esbanjadores dos dinheiros pblicos,,.
Um Sr. Deputado :Mas nos nao somos os com-
petentes para jnlgar disso.
O Sr. Goes Cavalcante :Entenlo, Sr. presi-
dente, que nos muito desairoso remiinerarmos ou
premiarraos aquelles sobre que pesam acensares
to graves.
O Sr. Gusmo Lobo :Nao ha nada verificado.
O Sn. Goks Cavalcamte :Em quantono pro-
var-se o contrario, suppoe-se que sao os verdadei-
ros esbanjadores, porque nao mostrararo que des
tino teve ese dinheiro.
Nos desairoso, repito, premiarmo3 aquelles
qae sao considerados como dilapidadores dos di-
nheiros pblicos.
Tambem entendo que nos (icaria muito mal se
nao concedessemos urna vlvula de salvacao a
esses horneas sobre as quaes pezam semelbantes
imputaces, isto autorisarmos as suas aposen-
tdoras, porra, com a coadigo d'elles se justfi-
carem primeiro dessas imputac3es aue soffrem.
0 Sr. Gusmao Lobo :A?ho que isto urna
desconfianija para com a admlnistracio.
O Sr. Goe* Cavalbante .Nao obriga-los
jastiflcarem-se plenamente e para essa justifleacao
ser conhecida de todo o publico, que est ancioso
para ver o resultado desta questo. Era todos os
lugares, em todas as reunioes publicas, em todos
os estabeleciraentos aonde se rene qualquer gru-
po, aponla-se principalmente o coramandante do
corpo de polica qae chegou da campanha como
o esbanjaor dos dinheiros da provincia, e, entre-
tanto, at esta data nio appareceu defesa aiguma
que o justificase. E qae nio dira, Sr. presiden
te, o pavo a quera nos temos de dar contas dos
no3sos actos, porque somos os seus representan-
tes, os seas mandatarios, de nos aqu se visse re-
muuerarmos aquellos que acabara de extraviar os
dinheiro3 pblicos confiados sua guarda f Di-
ra, Sr. presidente, qeoessarlaraente que nos uad
que bem ro::receram da provincia
apenas sao digftos de severa puuicao.
E nao se v que ha no projecto urna falta, urna
I acuna que merece ser preencbda r Sim, porque
todos ns vemos aqu o premio, mas nao vemos 'o
castigo. E qual deve ser este ?
A assembla nao pode coodemnar, porque nao
tribunal competente para isto; mas deve mostrar
quo nao quer recompensar a aquelles que abusa-
ra, n da confianca publica, que nao quer concor-
rer para que taes crimes se reproduzara, e crimes
graves, como sao os de que se trata Portanto, da
mesma forma que eslabelece um premio para
aquelles que se distinguirara, que cumprrara os
seus devores no campo da henra, tambem deve
determinar na mesraa autorisar;o que se nao con-
ceda essa aposentadora seaao depois que esses
offlciaes se ju3ti8carem das acensarles que sobre
elles pesara, aocusacSes muito bem merecidas, Sr.
presidente,' porque desde que desapparece do cor-
po de polica a quantia de onze contos e tanto e
nao se sabe que deslino teve ella, emquanto o
commandante e offlciaes sobre cuja guarda ella
eslava nao se justicarem, nao mostrarem que
destino leve, deve-se entender que o commandante
e offlciae3 de polica foram os esqanjadores d'ella.
(Apoiados.)
Quando urna imputaeao vaga vera ferir a repu-
taco de um individuo, nos, Sr. presidente, devo-
raos, verdade, nao acreditar logo nella ; mas
quando nma imputaeao d'estas, urna imputaeao
precisa, urna Imputaeao cercada de provas, ba-
seada em documentos valiosos, nos devemes acre-
ditar emquanto nao apparecer a justifleaedo em
contrario.
Jase v, Sr. presidente, que a minha sub-emen-
da nao senao o complemento do pensamento da
commissao, e deve ser tambera o d'esta casa.
O nobre deputado membro da commisao, que
rae precedeu na tribuna, nio pode sustentar a in-
conveniencia da minha sub-emenda, apena disse
que ella nao era necessaria, porque essa palavras
podan se subentender na emenda por elle apre-
sentada.
Ma?, Sr. presidente, que neeessiade temos nos
de OCcaltar os nossos pensamentos, quando, pelo
contrario, esta casa deve raanifestar-se sempre
com a maior clareza possivel em todo quanto de-
cidir para qae o povo coaheca quaes foram as
nossas intenedes, como curaprirraos os nossos de-
veres? Que desconveniencia ha em qne a assem-
bla mostr claramente qual foi o su pensa-
mento Que neceesidade ha de urna interpreta-
rlo, quando nos podemos legislar de forma que
nao precise interpretado, que chegue ao alcance
de todos qoal o nosso pensaraento ?
O nobre deputado diz que a sub-emenda revela-
va falla de confianca na presidencia.
N5o, Sr. presidente, a presidencia nle pode en-
xergar isto na sub-emenda, nao pode descobrir
urna falta de eonflanea, porque esta assembla
teai dado mais de ama ver provas e provas axt-
refere o exame- da rnramisso que l'oi eleita ha al
guns annos do san desta casa. Mas. para innocen-
tar ou para condemnar, uo tem o administrado*
nenliuma competencia.
Estas sao as razoes pelas quaes o orador e a
commissao, negam o seu voto emenda.
Vai mesa e apoia-se a seguinte emenda :
i Ao art. 8, sub emenda, accr;scen te-sede-
pois de justificarem-se das taitas de que foram r-
cora os quo guidos pela commissao de syndicancia que exam-
nou o estado do corpo de polica. Teixeir* de
S.
O SR. GUSMAO LOBO vem tribuna para.de-
clarar que a nova emenda, sob una forma mais
aceita vel, consagia o mesmo pensaraento que se
traduz na que acabou de impugnar. Negando o
seu voto urna e outra, insiste em. deixar claro
que a commissao de lixacao de forca policial, nao
julgando nesta parte o projecto digno de reparo,
nao v nesta questo, uroa questo de confianca.
X'o renunciando o direito de discussao, a corarais-
sao declarou, e-declara ainda assembla, que
aceita em reconbecimento todos os retoques e mo-
difleacoes que possam. convir. O seu pensamento
fazer urna boa lei ; e neste empenho confia ser
ajanada.
O SR. GOES CAVALCANTE :Ped a palavra
para declarar que estou disposto a retirar a mi-
nha sabemenda, apoiando a emenda apresentada
pelo meu nobrecollega pelo primeiro distrito, por-
que ella encerra o mesmo pensamentoe apenascon-
tm urna pequea restric^o, cora que concordo,
para nao cahir no vicio de que fui aecusado pelo
raeu nobre collega, que combateu a minha idea,
isto por consignar a soib-eroenda o pensaraento
de nma confianea demasiada ao presidente da pro-
vincia. ,
Em primeiro lugar tentou-se combater a minha
sub-araenda debaixo do ponto de vista de falt de
confianca, mas felizmente para aim nao se pode
sustentar que ella ia de encontr aos votos de
confianca que constantemente temos dado no dii-
tincto administrador da provincia, e como nao se
pode sustentar isso, porque raalraente era insus-
lenta vel vista dos termos em que se acha conce-
bida a sub-eraeada, procurou-serae outro meio
opposto pretendendo-se sustentar na casa que a
sub-emenda em si encerraya urna conoauca de-
masiada, porqjne conceda ao presidente da pro-
vincia urna aitribuicao que. loe nao compet, a.at-
tribalco de julgar, a qual pertence aos tribuaaes,
conforme a UM tem determinado. Concordo com
isto, nao quero que o presidente estej* superior
aos'tribunaes nao quero tirar este privilegio dos
jaizes eompetenu, por isso admiti a eraeuda. e
peco a retirada da sub-emenda dispondo que a
justificacio fosse feita perante o presidente da
provincia. Comtudb devo declarar com toda fran-
queza que nao confio muito no tribunal que se
chama conselho militar (nao apoiados).
Dito isto ea ento-me e teco para que me seja
concedida a retirada da minha sub-emenda.
Consultada a casa conseute na retirada da
emenda.
Eocerra-se a discussao, e approvado o projec-
to com as emend is oflerecidas pelo Sr. Gaspar
Druramond. fleaudo empatada aa rotceo a emen-
da offereoida pelo Sr. Teixeira de S.
* discussao do projecto n. 3 de 1869, que
manda pagar aos Drs. Manuel de Figtteira Faria
e Francisco Pinto Pessoa os seos vencimen03 co-
REVISTA DIARIA.
ASS-ilfil.EXPfcOVIN'Cl VL.-Hontem a assem-
bla approvou. em priraeira discussao. o projecto
n. 125 deste anao, qne autorisa o governo a con-
ceder urna ndemaisco a* Jtaquira. Manoel da
Costa, arremata* da obra da ponte de Mdssan -
gana.
O Sr. Oliveira Fonceea requeieu. e obteve
urgenom para ser dado para ordem do da o
projecto n. 6 deste anno, qoe transiere a sede da
fregucsia de Cimbras para* povoacao de Pesqaei-
ra, orando soare a urgeacia os Srs. ( Drum-
mond, Oliveira Fonceea, e- Millo Reg, sendo ap-
provado mu substitutivo a mesmo projecto, que
foi justificado peto Sr. Vieira de Ajaujo, e comba-
tido peto Sr. (usmo Lobo.
Continuando a segunda discussao do orcamea-
to provincial, 6oi approvado o art. 6* oom alga-
mas emendas, depois de orarea os Srs. Pedro
AITonso, e Oliveira Fonceea, Ucando-anda por vo-
tar aJtjumas emendas a mesmo artigo.
A ordem do dia para hoje : continnacao da
anterior discussao das emendas ao projecto n. t.
FREGUEZ1A DE S, J0SE'.=.Vo domiago pro-
ceden a irmandade do Sncramento-dn matriz dessa
freguezia eleicjio dos funecionarios para o auno
de 18701871, recabindo a escolba nos Srs. :
Luiz Manoel Rodrgueo-Va lenca, juiz : Lydio Ma-
rianno de Albaquerqoe, escrivao ; loo Martins
da Silva Vileila, thesonreiro ; Dr. Joaquim Jos
da Fonseca, procurador geral.
JURY DO RECIFEDeixo-u^ honJem de fune-
conar, por falla de numero legai de juizss de
fasto.
NOVO ATHEXEU:Teve lugar no sabbado 11
da corrente, no palacete do pateo de S. Pedro a
sessao magna d'esta socieAde, em solemnisacao
;o 1 anaiversario de sua installaco. (ksalad,
elegantemente decorado, vergava sob o peso de
un numeroso cosco rs >, notando se tambem al-
gumaa familias. Pronunjiaram discursos anlo-
gos ao acto os seguines senhores, que eram de-
pon saudados por duas bandas de msica, que
tocavam alternativamente : o presidente Argemi-
ro Galvo. o orador Vic*nte Lemos, o Si* secreta-
rio Eduardo Jayrae, o socio he noraro Dr. Godo-
frdo Autran. os. effec'jvos Bellarmino Carneiro,
Amerito de Carvalho, Madureira Juntor, os ora-
dores das sociedades D\s de Julho, Instituto
Histrico, Club Popular, Jfinerva Pernambucana,
Mycrocosmo, ParthenoD. Gremio Philosophico,
Uniao Philosophica, e os Srs, Guinunns Baptista,
Flix Ribeiro de Orvalho. Manoel Ferreira da
Silva, Jos Pinto e Eugenio Telles da S. Fontes, en-
cerrando-se a sessao 1 hora da noute.
SEMINARIO DE OUNDA. O- Rvm. Sr. rcitoc
celebra hoje, com os alumnos do estabelecimento,
ura iwnulo solemne pela alma do;Exm. e Rym.
Sr. D. Francisco Cardojo Ayres, por ser o trigsi-
mo dia aps seu passamento em liorna,
DINHEIR0l=O vapor So-Mh America levou de
nossa pra^a para a do Rio de Janeiro 17:150>OO.
JOGO.Pedem-nos qne chamemos a attencao
de quem compete para o jogo no Campo Verde,
no qual ja se tem dado diversos disturbios e feri-
meotos. Para isso devo olhar o Sr. subdelegado
da Boa Vista.
ESTRADA DE FERRO DO RECIFE AO S.
FRANCISCO.Esta vta de communicacao no pr-
ximo flndo mez de maio renden.. 78:0615170
Despenden.......41:682*731
nova reflnacao de assucar, estabelecida nesta pra-
ea ; ao contrario, como que de proposito o in-
ecmmodo dos visinhos tem sido maior, porque
angmentou-se o voluine da fumafa. O Sr. fiscal
dew aecudrde prompto, lembrando-se da dispo-
sieao termname de u.n i postura municipal.
CARLOTA PATTLPassou hontera para o R-
de Janeiro, bordo do vapor americano South
Atutiiea. esla insigne cantora, que se tem celebri-
sado quasi umversalmente pelo seu reconhecido e
admirado talento, nao s ua Europa como nos
Estados Unidos, d'onds volu coberta de loaros e'
de phreneiicos applausos. Acornpaaam-a cinco
anisas lyricns.
EM TRANSITO.=Vieram de Ney York com des-
tino ao sul do imperio, iv> South America, t't
passageiros.
ERRATA.Na discussao do orcamenjo munici-
pal, no artigo que se oceuna da Becada, por en-
gao sabio o Sr. Ges Cavalcante justificando urna
emenda assignada pelo Sr. Cavalcante de Albu-
querque, quando foi este senhor quem a justi-
licou.
PROTESTOS DB LETTRAS.,-0 e^crvd dos
protestos Jos Mariano,- est de seroaoa, na ra.
de Santo Amaro i>. 20.
LElLO.=Hoje efectua o agente Martins o
leilo de duas canoas de carregar lijolli-s as 11
horas do da, na rampa defronle da ruadas
Flores.
LOTERA.A que se acha ajeada a 150
a beneficio da igreja da S. Sebasiio do Bonito, a
qual corre no dia 18 do corrente
PASSAGEIROS.Vndo dos Estados Unidos n i
vapor South America:
Alberto Damon e duas fllhas.
Saldo 3fi:378l3d
Na djspeza est enmprehendda a verba dilTo-
renra de cambio por 'i.'.t jOtii.
A despeza foi. 53,4; 0/0 da receita.
No mesmo perodo trans tarara na linha 20,196
passageiros, e foram transportados 4,202 volumes
de bagazem, pesando 83,569 kylogrammos,.....
4;950,7J9 kylogrammo de mercaduras.
as mercaderas esto comarehendidas 2,867
saccas de algodo pesando 220.T32 kylogrammos,
e 28,829 saceos d'assticar pesando 2; 181,1*3.4 ky-
logrammos.
MONTE PO POPULAR PERNAMBUCANO.
Teve lugar na dia 12 do corrente, o annivenario
da padroeira desta pa instituijle, eelebrando-se
na forma do esiylo ama missa rejada em louvor
da Santissma Trindade ; aps o que procedeu-se
urna subscripeo para a raanumissao de urna lia -
da menina de dous annos, escrava da Exma. Sra.
D. Candida Maria de Luna, ficando ella incumbida
de sua educacao, com o producto espontaneo nao
s dos socios do mesmo instituto, assim como de
cinco benemritos cavalbeiros all presentes, os
quaes inspirados pelos santos principios da verda-
dera earidade evanglica mui espontneamente
se quizeram prestar a to grandioso acto.
COMPANHIA PERNAMBUCANAHoje o ul-
timo dia em que recebera carga os vapores Pira-
pama e PoUngi para os portos do norte e sul,
conforme o annunoio da mesma companhia.
CONSELHO DAtlUARDA NACIONAL DA FRE-
GUEZIA DE S. FRE PEDRO GONC ALVES DO
RECIFE.Hoje as 10 horas da manh, ter logar
no consistorio da matriz d'esta freguezia a inspec-
clo dos guardas nacionaea do*l." batalhlo de ar-
tilharia que requereram passagem para a reserva,
conforme ji foi publicado por edita!.
PUBLICARES k PEDIDO.
Uespoata a falsa evp*!vr'< e
Manoel do Amparo Caja, -
cerca tle sua celehrc fallcncia.
A' vista de uns folbetos immnndos que por ahi
leem sido distribuidos e da publoacao dos mesmo-
no Diario ae Pemumbum de seguoda-feira 6 do
eerrente mez, contra mim e oontr-a pessoas que
muito acato e venero, julguei do meu dever es-
clarecer ao publico um negocique visto pela face
que est ornada de flores parece por em duvida a
minha reputaco e crdito adquirido com tanto
zelo e sustenia'do ltimamente com mnilissiraos es-
torcos, dilacerado agora por urna kingua ferina,
porque a sua linguagem toda cheia de falsida-
des, audacias, mentiras e requintado atrevimento.
pois qae nao aprsenla, nena pode apresetitar pro-
vas que justifiqaem o qne avancou dizer.
E' verdade qe paguei praca as dividas qne
Manoel do Amparo Caj.devia (do qne me tenh .
mil vezes arrependido) ej para isto- elle rae offere-
ceu fazer urna h.ypptheca em todos os seus bens, a
com os prasos dos vencimentos de 6, 12, 18, 24,
,30 e 36 mezes, seis preslecdes de quatro conto>
setecentos e tantos rail ris cada nma, e no caso
de falta de pagamento, vencer os juros de 1 1|2 ao
raez at real embolso ; o-que suppunha eu que
elle bem podesse cumprir, segundo o balanco que
rae mostron, o qual na? verifijuei, no que muito
mal fiz, pois as fazendas que elle tiuha na loja
erara muito antigs, tinham mais de 30 annos.
rauitas dellas deviam estar sem serventa aiguma,
como de faoto assim succedeu, e como os meus
leitores adenle vero.
O mesmo succedeu com as dividas. Porm r>
homem s.quena illudir-rae e Uvrar-se da fallen-
cia, qne lhe queriam.abrir oscredores ; pois para
esse negocio de falleacia, disse-me el'e, qae linha
consultado a urna pessoa e qae essa lhe havia dit
que nao Szesse tal i callo o nome dessa pessoa
porque nao quero, nem dovo publica-lo. !'< i
tambem nessa occasio que elle contou-me que u-
nha deitado a niulber para tora de casa, por aa -
poder atura-la, (uo linha um genio muito mao :
porm oneg.cio foi outro, pois consta-me que ess.i
senhor-a tem vivido com a maior honesdade pos-
sivel apezar de saa pobreza.
Foi-tambem nesse dia, e porque quera obler de
uiini os meus favores que elle me descobrio que o
sitio, denominado Gortume era e sempre tinha kVf
seu, porque a Via s tinba figurado nes e negoeio
o .tomn* ; porque elle nao quera que, por sua
morte. sua mallier nem os prenles desia herdas-
sm causa alguna delta, e por issctinlia traspa--
sado fantsticamente i soa tia a eserptura da hy-
polheca do seu cunhado Joaquim Correa, para ella
o execitiar e ficar cora o sitio para depois doal-o
si e as suas Uhas com exrluso de sua mulher, e
quo o sen compadre Dr. Vilellacra guem tiaha da-
do as forras da eserptura de doacao.
Tornemos ao homem solTredor de injuslkjas, que
j estimo* muito longe delle. Concluida a hypo-
theca, as lettras dos seus credores me foram en
iregues com os recibos, e eu dono dellas tendo por
uarantia a dita bypotheca ; deb pois se v que
nao houve innovarn de crditos, e sim as mesmas-
lettras, que Cij devia pagar passaram a ser de
minha propriedade, c eu as paguei cora lettras por
mim acceitas, eom os prasos das preslacoes da by- .
poibeca.
Finda a primeia prestacao da hypetheca, que fin
aos 20 de setembro de I8M, tive logo de pagar as
lettras, que tinha acceitado com o raesino prasc.
porque o dinheiro que Caj me deu nessa occa-
sio foi 6O000, aos 12 de outubro do mesmo
inoo recebi maii 400*000 e aos 16 de noverabro
2504000, prefazendo o dinheiro recebido por cont
da priraeira prestacao, em varias datas a quantia
de IJoOOOO.
Aos 20 de marco de 186 venceu-so a segunda
prestacao ; recebi 520*000, e aos 30 de abril do
raesmo anno por mo de Figueirdo & Irmo...
6005000 prefazendo a quantia de l:12000O.'
Na terceira prestaeo veacida aos 20 de setem-
bro do mesmo anno nada recebi e s aos 20 de
outubro recebi a quantia de 700*000, parte pr
mo de Fignetrdo & Irmo, e o resto para pre-
fazer esta quantia era tijellos de alvenaria grossa.
Depois desia data, foi quando alguns rcedores de
pequeas quanlias, que se nao quixerara sugeitar
a abatimeato algum, comecaram a execota-lo, e
elle vendo-se perseguido veto ler commgo, e dis-
se-me o que lhe eslava succedendo, eu que j an-
dava cem a pulga na orelha, (como diz o valgo
pois qne j tinha pago tres preslacoes, e elle s m
tioha dado por coota 3:070*000, tendo dar-roe
quatorze contos e tanto, disse-lhe : que o chama-
ra juzo e qoe em elle confessando a divida eu
manda va faier-rae pennora no que me eslava hy-
potnecado, elle annuio, e assim se fez; porm ain-
da nao quiz continuar a execucao ver se elle me
pagava por bem; mas s recebi a quantia de
2:569*700, 14 mezes depois do penltimo paga-
mento aos 31 de dezerobro de 1863, sendo por
mo de Figueirdo & Irroao 1:287*540 e o resto
para prtfazer a somma cima dita em urna cont
de tijollos, que a tenhe com o competente recibo,
prefatendo toda a quantia receida at esla data,
em dinbero e tijollos 5:639*700, e faltando menos,
de 3 mezes para dudar a ultima prestacao da hy-
otheca, e Bao recebi mais am s real, nem un
) tijollo, apesar da diligencia que flx. Porm so
depois de mais de 6 mezes dp vencimento da bypo-
theca foi qae continuei a exeencio, portrae nao
era possivel deflrir por mais tempo, pois o dinhei-
ro que tinha recebldo l era muito inferior aos jo-
ros estipulado e vencidos.



i--
PRACA DO CONDE D'EU. Nenbama prov- .- c,^u,.
dencia se deu para iw aupeniado o cano da I Fotam. a praca os bens qne rae estovam. nypo :
UpJM
-


Divio d Pernambuco Ter<^ feira 14 de Junho de 1870. .'El 0&33IUH .IVil QfWi
..


""Ihecados, u -como nao onvesse quem os arrema-
ia<%T)or serem muito bous,,me /aram adjudi-
cados.
New nccMio foi qne apparecei em campo a
ti de Caj Latea Teixeira de Lima cora urna pre-
ferencia rundida em urnas lettras ja prescriptas no
valor de 10 ou 12 contos de ni, une dina ella ter
emprestado a Caj para as Denrteitorias feitas por
Hto no sitio Crteme, eMllM) que Su mani-
passasse a cana do aqudtcaco, lettras que
tambam forara arranjadas por preven rao contra a
mulher do Cajd, porm que agora serviain de
armas cimtra niim, lo que ca fiqtiei muito sur-
preso. pois Cajd na sua hypolheca disse que o
predio ao tinha onus algum e que estova Itvre e
desembarazado ;-oppin-nie, e come elle vio que
a arma iras lettras presoriptas era Iraca, anptreceu
Pedro das !fe*es twla urande troantia de 8*5 ape-
sar de serem wraveis; e consta-me que o Sr.
Neves aa.vonoVni an-Sr. Antonio Jarcmth'i Borgei,
pessoa de Oaj, por 460*. a troco do lijlo?; eram
lio cobrareis, que o jwopria Cai as nao pode re-
ceber, enwuanto estava na liquidacao da casa, po-
rm censta-me que *$an est promevebdo a
sua cobranza.
As provas do qne acta ft*ei, eslo- n eartorio
do escrlvioda Taileacia, queN o Sr. Paesde An-
dra> e. Leia o publico com atteneo o que elle es-
creve, diz: reeebi deFigueiredbtres recibidos por
cosita das fa-eodas cima1865 julho 14 600*,
1869 oetubro 31 S841863 dezembro 31...
1:287#5U). n pas-sei igoae recibos a Figueiredo &
Irmao acreitando estes nos mans IWres etc.
Ksle dinheire.rccebdo das fazendas cujasproma
~ii -----------j.....* "" "-~-, <.ut.~ r.Mo mimen v.ivrriruu ns liienu* raa sumla
ma era camp Scverina Emilia com a sua ing-, 2:i35|3tt, come cima luso, nao faz Caj abat-
da doaco pugnando cora embargas de terceiro^
^pelas suas ditas filhas menores *ano9la e Ignez,
e note-se que tuio isto era movido por Caj. *
He tnesmo Toi quea se fez chamar pela tia ao jariz
Ue paz dos a Togados e comessou que devia, nao
*e lembraado que Unlu hypathecado o predio
vreti desembarazado, e que en poda, epo-so
imlajlar-lhe urna denuncia de estellinnato. Fi-
quei tao indignad* com estaevtficancia, que resolv
abrir IheaTalleiRia, como de Tacto liz; cenlinu-
ando eato a I otar cora falleuciae os embargos de
nerceinis opposfos por Severina poc snas Blfcas.
Si ni!.i eu noroeado pelo eniao juiz do cemmer-
nieiito desta quantia naenia mentiros* e infame
que nos apresent, pcrra anda ligramos.....
12:882il qse diz ter eu receido de fazendas
entregues a nreus lilbos ? E aprsenla nesta dolo-
sa coma como *e eu Uvesse reeebide a quanta de
2:!M).ilC3. que diz elle star em poder do tdmi-
nistnidiv da massa I
Nao so pode dar trapaca mator 1
Quando eu nada Unhanem tenho com as fazen-
das, e em as tomei para o mea pagamento ".'
porque antes prder do que receber seme.lhante
peste de Tazondae:; que o resto Toi vendido por
:00i 1
V falsid&des para desconceituar um hoaiem, que
apezar destas e. outras tratantices, lem sabido con-
servar o sea crdito tiloso.
A 'tvspoito do que diz esta vbora do Exm. Sr.
desembargador Araripe c do me amigo o Sr.
Vicente Jos de Brito, digo que distara da sua pes-
saa tanto, qnanto o sol da torra, e por isso a sia
peronhenta (baba, era o seu alito pestfero pode
eaegar-lhes; porque nao so ecupamem fallar de
outras pessoas, quanto raais de tira ninguem.
"^o quero fir(dar a presente sera mostrar ao
respeitavel publico, dous ponto* que exislem nos
autos da fallencia ; que sao os seguintug : do
exame t,vie se procedeo nos livros do fallido, veri-
llciHi^se alm de outras cousinhas boas que muito
honrara a este probo, modesto e bem conceitaado
hornea, que uo bataiiip (lado por elle em sua casa
aos28 de inaio de 1860. importoum Taze.ndasebens
era 6t:17Sj830 e em mitro de Y'.veroiro do anno
se^uinte quando elle soliuilava de seas credores
urna moratoria, mBortou em 32:o75l8, lendo
de uiTerenea era 9 mejMs a quantia do 19:o72186
para menos, e nao tendJ pago nesle espa^* dr
tempo aos sms crederes sunio 6:2i3*320, pro-
duzona raass.t um desfalque da qaanttA de.....
1S:8285. Segundo, que as despezas particulares
(leste modesto fallido loram to limitadas, que
apenas importaran! do anno de 1851 a 1860, na
pequea quantia de 3G:377,So6S, Tora os retvli-
menlo? da olaria, o que s pile verificar pelos do-
cumelo que exislem no airtorio de Paes de Aa-
dr.-de.
Concluir! dizondo que, ser esta a primeira e
derradeira vez que venho ao- prelo co este tna-
nequim, que movido p*ralheias raaos, pois es-,
toa certo que os sens dentes nao poJem morder-
me porque quem tem tanta moral e vergonha
que aprsenla ao publico a sua vida privada cora
Umanho desearamento, Riostra bem a sua mise-
rH."ni.(s o publico pon ce se importa qae elle le-
flha 6 ou 12 lilbos adalterinos; e o se incul-
que neste deplorave.l estado de ogeajia, porque
se esliv^sse nao disuria dinheiro com publica-
ces imitis, ? eom o fira de me desfeitiar, e en-
gaar raais alguem.
Os objeclos i|ue.elle allude, sai todos mnlilisa-
dos, as quatr > canoas elle bem sabe que as deixon
sem serventa l no -siio Corrume, bu tafvcz Tos-
iera troca-las iir oalras imitis, os pranehoes de
amarello e as bandas de canoas tudo arruinado
doterapo, e furado do gusano, a Mita mobilia de
Jacaranda e mais objeclos, quem quizer pode ver
a sua belleza e estado, por cima do armazem dos
Srs. Perrer\& MatUeos onde est depositada. A
bomba da eaoNnhi e loM tina grande de amarello
era p ilerde Caj, snbstituindo a lina por um cu-
bo, etc.
Era qnanto as escravas de que elle irala, nma
mnrre:i, (assim como tambem morreram duas.
(jne me estavam hypothecadas e em seu poder) a
outra fugio e eu requer ao juiz do commercio.
desistindo da bypethaca. que nella linha e entre-
guei-a para a massa, porque nem pela ciza eu a
quera, e dizem que ella est em casa do fall do
ti de sua lu Luiza Teixera de Lima. A escravB
Melania
-ci agora deserabirgador o Extn. Sr. Dr. Trisito
de Alencar Araripe curador fiscal, nomeei para
procura** d* falleneia o los Pererra de Burgos, eotao raeu procuraaor na
questode Caj. E' es nesmo procurador qne elle
ni norueia no seu inmundo aranzul. porque elle
i je est ligado cora elle, como administrador da
massa Talh'da de Caj, ugar pira o qaal eu o no-
meei porque na occasia nao tinha octro credor
.nresente. floje se voJtflu "contra mira e fabricou
sera autosisacao urna segunda classifioacao de cr-
ditos e onde me excitan de credor ha-puthecario e
ara caixa a malho Liza Teixeira de Lima como
crodora privilegiada apesar de teredo excluida
de credora da faHewia, e de ter -cahido a sos
pretendida preferenosa opposta por ella na minha
exiTOcao contra sen snlirraho Caj.
Euiqnanto aos embargos de Severina, como eu
fsse a curador lisiial, nos pronrios Irvros do filudo
encontrei a. nrovas era contrario a essa fingida
doaco. No copiador de cartas, e por um docu-
mento assignado pelo proprio Caj uo qual diz^
loe o sitio Coriume elle coinpr.ir.i Esies docu-
mentos esto nos autos da execuro no cartorio do
esciffio Jos Mariano.
Caj com a faKencia aberta'fez tudo quanto
polo fazer tirabomem desesperado. Aggravuu
para o Extn. Sr. pre idente do tribunal do com-
niercio da sentenra ih abertura da falleneia, ale-
gando que nao estava fallido, nao se lembrando qua
inda tinha fazendas a vender-de por sua conta, e
<|iie estava liqui jando sua casa, r. por isso llaln
um livro escripmrado at njuella data. .Nao leve
; o-1 vi ment o seu aggravo.
Fui entiio nessa oecasio, que elle e mais dous
.: ivogados, seos amigos, forara ao escriptorio do
raeu advogado, para implorar os seus bons olllcios
para com elle, o gue n$o tinha Mala lugar.
Fui tambem nesta occasio que Caj dsse ao
ineu advogado que se nao lerabrara de ter assig-
nado escriptura da hypolheeaameu favor. Quem
;->m cara para l.il, tem tiara tudo. porque de si j
i.-.nio os sentimeatiis. Fo com effeito jnlgads, se
-'nsidi) as provas dos hAos, cnlpasa e Traudulenla
: -ua Tallencia, e o seu adeogado recorren ao tribu-
nal da relaeao, centio estiva o Caj presoi. O Iri-
I :nal julgou que Caj nao Haba crime. Compre
'tender qae o trlounal da relaeao s tem jun.-drc
cao no crime, e uao no comraercial.
Foi Caj posto'3m libeMadc, e quando requer
para ficar de nenhnm effrito a Talleocia. e como
p 'lo juizo comraercial Ihe foi ella sustentada, o seu
advocado susciten para a relaeao, nra cnnflicto de
i'i-li-cii. o qmv! tambera decidi a relaco que
na i liava.
Os embargos de tere^iros a vista das provas de-
ran no juizo eommareiaL e fui oniirra.ida
ja sentenca por unaniraidade de votos no miri-
l iiiij tribunal ci'i c nnrnercio (nota-se que forain
tres embargos). CHimainaats foi-lbe netrado pro-
viraento no supremo tribunal, para onde haviam
rci>rrido.
i'.oitinuando o prooesm da/allenca, e anda
nao dad j, lembroB-si' C.ijtt, ou o seu advogado de
reijuerer ao tribtiml do commerein a sua rohabili-
Ucao, sera tersalisfeito aos seo; aradora*. Foi Ihe
^r-m^ foipenhorada era I
t, lito fizera o tribuna,, porm' ;4e radefenmen- JIXMZnWlS^K! X PF ES
o. B- entao quando elle .ronwe-rae tuna celebre ,lle'^ ?*}***&:*** de alf"rria P"M,to
aeeia reoteona, formulando nm. conta seu geito ^. *".''? rt "''"^r d0 ^JU.
t e miento por onde raostrava. que Boesiioam J^J^^J^^^S^SL^MSL
> Ihe requer a Meneia, elle s, rae devia m, ITZ'r ,'',l,l,r:l4;i,an!e:i qb"lur'' ** ,"'M-
eia de Caj, a_ jual fet aberta depois de linda a
minha execu;.io cora a adjadicacao. Aextraecao
da respectiva c*rta tambem se oppoz o mesmo
Caj depais de julgados contra o* embargos de 3o e
ds resituicao opposta por parte de seus fimos ; mas
essa onposico de Caj sftndo desattendida pelo
Br. Araripe, o mosino Caj aggravnu deste para-o
Ekm. presidente do tribunal do eommercio que
Ihe negou proviraenio a esse aggravo, e eoiiur-
mon a deciso daqnelle integerritno juiz. E assim
forain todas as suas decisoes, de queCaj Unto se
queipa, e maldiz, confirmadas pelos tnbunaes su-
periores : o que elle maliciosamente cala na sua
t.wpe poblleacao ; ou antes no seu pasquim elibej-
lo f:n:.< .
Recife 13 de junho de IS70.
Miguel Arckrw'O de Fi&eiredo.
O abaixo asaignado professor homoMpath ;o coln
30 anuos de habitaran n este vasto imperio tem
a_ honra de partecipar ao respeitavel publico
d asta provincia que se acfca estabelecido c >m sua
Pharmacia homoeoathica no lugar Gato brabo do
termo de S. Beato. Ah encontrara! todas aqusl-
las pessoas que do set>s aonhecimeiltos mdicos se
quizerem utilisar, tolo cuidado e desvelo pessivel.
Os documeat.is que abaixo transcrevo sao a prova
mais Cabal das habilitares medicas que adquerio
da escola do celebre Bj'mplant, d'elles ver o pu-
blico que o aiesmo abaixo assignado est habili-
tado para curar qualquer ertraiidade. O raesmo
abaixo assiguado se obrig'a a receber era sua casa
para serem tratados eseravos de ambos os sexos
garantindo todo desvelo poseivel iio seu trata-
nienlo.
Recife, 13 de junho de 1870.
Demasnre iatt.ph Adolpbe.
Dosumento o. L
Atiesto que q Sr. Demasnre Joseph Adolphe,
cidado francez proTessor em bmiaeopaihia, sen-
do por mira chamado para tratar miaba se-
nhora no feriraento proveniene de um fatal
caso fortuito do disparamento de urna pistola
com bala e chumbo ao da 29 do abril passado,
ferimento que tornon'-se grave* pela regiao em que
cabio, por quanto empregou no peito ou mama es-
querda um caroco de chumbo grosso, e no dre-
to olto carocoi tambem de chumbo grosso e urna
bala, a qual internando-se efn direccao as costas
fi*ou collocada na volia da p entre a pelle e a
carne, um pouco vjsivel; tornando-se por isso os
s^ffriraentos da senhora dolorosos e serios; foi
ioeansavel no tratamento no qual houve-se com
tal pericia e zelo, que durante todo o curativo
nao leve a paciente febre algaina.embirasollresse
todos os das tenteamentos e xeringatorio as Te-
ridas ; seBdo todo mais tratamanto homoeopalbico ;
c nio obstante todas _js chases porque passon,
como snporacao e outras operacSes, no lim de
um mez acbou-se completaraent restaholecida
Com as Teridis cica trisadas sem soffrer dor algu-
ma e ne-n fteoii defeiiuosa, sendo todos os seos
movimentos regalares como d'antes, curativo este
que me tornou excossivamente {rato para com o
mesmo Sr. Demasure pelo seu ineansatfsl cuidado
e delicadeza no (ratamente pois passou at noites
sem dormir quaido entenda tornar-se a gravida-
dede do mal mais $er. Eleetuou-se todo sse
curativo sem passar a paciente por novas doras
na exiraccio da bala, ao que se oppoz o naasmo
Br. Demasure. E para cooster passo o presente.
Villa do Brejo i de Junho de 18.
Francisco Btrinner Cuar it \%drade.
. *
Lourenco Francisco de Almeida Canho, com-:
mesdador da imperial ordem da Rosa e juiz da
direilo da eimarca do Braja da Madre de Den
d'esta provincia, por Sua Magestade Imperial e
Constitucional o Sr. t. Pero II, qne Deas,
guarde, etc.
Atiesto; por me ser pedido, que o Sr. Dema-nire
Joseph Adolphe, cidado francez, professor ero.
homeogaibia, lem nesta coroaroa ,etto eacelloptes
curativos, niOiraodo basiante pbilantrop e can-
dada para com os miseravets, i, quem trata gra-
tuitamente, tenda boa conduela civil e moral, o
que ludo aBrmo na f*de meu cargo.
Villa do Brejo, i de junho de.fTO.
Laureano Framtitco ie Almeida Catanho.
iV. 3.
O baeharel Antonio Hertrioues de Miranda, juiz
de direite da comarca ie Camela, por Sua Mi
gestade o Imperador ele.
Atieste, em f do mea cargo, qae 0 subdito
francez Demasure Joseph Adolphe tem prestado re-
levantes serebos, curando gratuitamente e co*
feliz suceesso era grande numero de pes-
soas atacadas de febres intermitentes nas rio
Mnpy e Jaoapelc|,d'esie termo, Tazendo, nao pe-
puena dospeza dorante sua estada nesses lugares,,
e em repetidas viagens que fez esta cidade a vr
remedios, voltando de prompto para acudir aes
daentes.-
Caraet4, 27 de Jnnho de W60.
Antonio fmrtqvis di Mirandas
Francisco- de Paula Lina dos Quimiraes fcixoto,
bacharl fcrtnado em sdeocJas soc.iaes e jur-
dicas qfltfeaderBia de Inda, Jaiz municipal e
de orphios -e dsiegado de polida ao termo da
cidade (Camela, per 'Soa Magestade o Impe-
rador, etc.
Atiesto que o subdito traheex Demasure Jeseph
Adol|*e, residente nesta cidade, curou gratuita-
mente aa pessoas moradoras nos ros Mupy e ja-
capeteaa, que tenics malignas no mez de abril do anno crrante.
Os bons sarvicos pre^ lados aos infelizes affectados
pelo mesmo Demasure, me feram authenticados
j pelas communieaces wfflciaes que reeebi i ji
por cartas de outras pessoas de Mupy e Jaeape-
tena.
Cidade de Camet, 24 de junho de 1860.
Fruncwco du P*m Jn* doi (Mmarars Puxoto.
N 5
Atiesto que (tarante dos mezes- que esteva em
minha casa o Illm. Sr. Demasure Joseph Adolphe,
Tez boas curas com os remedios homeopathicos de
que Taz uso em sna clnica, tonto em rainfia pes
sea como em minha familia, e em varios eseravos
atacados da epidemia das bexigas e febres inter-
mitentes, e por ser verdade e este me eer pedido,
atiesto sob minha palavra de honra.
S. Jos, 2 districto de Casias, 13 de novembro
de 1836. .
Pretxtate Jas da Suva.
N 6.
Jos Guilherme d'Almeida, capitao da 1." cora-
panhia do corpode polica da provincia do Ma-
rauaao, commandanie do destacamento e delega-
do de polica da villa do Brej, por nomeaco le-
gal, ele.
Atiesto, sob a f dos meus cargos, (ue o sub-
dito francez Demasure Joseph Adolphe, tem-se por*
lado bem durante a sua residencia nesta villa,
onde chegou a 10 de outubro d'este anno, que
iratou homeopathicatnente com bom resultado
limites doenles da pesie de bexigas e oulras mo-
lestias, entre os quaes algumas pracas do desta-
camento sob meu commandq gratuitamente, nao
recebando sequer o valor de seus medicamentos
que afipbcou, e que usou a mesma liberalidade e
piulantropa para com os pobres.
Atlesli linklmeme que o dte Sr. Demasure ras-
peitou sempre as auteriades e as leis do paiz.
Para eonsiar e por me.ser pedido, passo o pre-
sente, que assigno.
Villa do Brejo, 22 de dezembro de 186o.
Jote Guilherme d'Almeida.
(Estavam sellados recoabecidos.)
i

duzia
cento

um
kil'og.
am
duzia
EBxams .........
Frecaaes........
Jacaranda (coucoeiraa) .
Lente n achas......
Idera n toros......
Linhas e esteios......
Lour s (pranchSes).....
Pao Brasil........
dem de Jangada. .
qums : .....
Vinhatieo eostodinho de 25 a 30
millimetros de grossura. .
dem praneMes de dous costa-
dosat 51 millimetros de gros-
sura L.......
dem taboado de menos de 25
millimetros de grossura .
Taboado diverso......
Tatajuba ........
Travs.........
Varas para pescar. .
fdem para aguibadu .
dem para canoas.....ama
Cavernas de sucupira(em obra)
Sixos de cicupira para carro. par
feff yf? .
Mel deabelha......
iloo.........
Ossos........ ,
Palha de carnauba ..'.'.'. motaos
o^lLuryi V......kil0-
Pedras de amolar .....
dem de filtrar...... >
dem de rebollo
Pennas de ema. ......
Piassava........ motaos
Pontos ou chifres de novilho ou
vaoea......... cento
Sabo ......... kilog.
11500
5*000
93*000
3*000
12*000
6000
10*000
103
009
6*000
I0S0
um 16*000
16*000
duzia
toteg.
urna
dutia
kilog.
COMMERCIO.
EPLISHBANK
i>f Rio de Janeiro Limited
Descoota lettras d prar^a taxa a con-
'encionar.
Recebe diafceira em conta corrate hia
I raso file.
Saca vista ou a praso sobre as cidadet
principis da Europa, tem correspondentof
oa Babia, Bueoos-Ayres, Montevideo, New-
3 New-Grreuns, e einitte cartas de crdito.
para os mesmos lagares.
HA DO COMMERCIO N.
144*000
96*000
33
6*000
2*400
6*000
1*000
3*300
16*000
50
320
68
16
1*000
817
31
18
34
4*796
160
.
kilog.
>
cerno
duzia
Sal. ...,...,
Salsaparrilha.....
Sapatos de couro braneo .
Sebo ou graxa em rama .
dem era velas. .
Sola e vsqueta .
Tapioca. ......
Unnas de boi .
Vassouras de carnauba
dem de piassava .
dem de imb. i ,
Alfandega de Pernabrabuco, II de junho de 1870
O l.'confereote.Fmncisct%te P. G. daSilca.
O 2." conferenteJoo de Freitas Barbosa.
Approvo.A.lfandga 4 de junbe de 1870,=Po>j
de Andrade.
Conforme. Joaquim Tertuliano de Medrirot.
RECEBEDORIA DK RENDAS 1NTEKNAS ttfi-
HAES DE PERNAMBCO.
Sendimewodo da 1 a 11. 28:341*789
dem do dia 13...... 9:031*291
2*800
348
10
2*043
800
340
476
l*00
204
380
768
1*200
9(10
fado e passado nesta cidade do rflo-Form
ao- 10 de maio de 1870.
Eu Augusto Rufino de Almeida, escrtvo b
subscrevi.Jcs Juliao Rigueira Pinto de Souza.
Nada mais contmha em dito edita), aqu fiel-
mente transe nulo do original o qbal me reporte
dia, era ut-supra.
=:
Eu Augusto Rudo d'Almeida, eserivao stihsere-
'o e assigno eqp<)ubco e rata me seaialsse'.--Kan
testemunho de verdale X II. O^tabeThao ptiUwo
Augusto Itufiao de Atoieida (assignado) Elias Pre-
derico de AldasM e Albnquerqae.
ilCLMAMES.
37:373*080
CONSULADO PROVINCAjT"
Rendimento do dia 1 a 11. 48 099*308
dem do dia 13. 11:116^361
MOVIMENTO DO PORTO.
ALFANDEGA.
Aendimentododiala 11. ., .
dem do dia 43..... .
i
36-
429:66S*20i
36:6,S3*02i
i66:333*229
MOVIMENTO PA ALPANDE&A
q ie liaba muitu ata que pagar- ne, Ul a ci
nio o dia ~-r a presentada em seu nome, porque
verdadeir&mente elle estava fallido; e por isso
o. Recorren <~ iju ao supremo tribunal dejus
fea, f.ii i;i-st:i necasio que elle andava muito
pi-r.Ki -i !.. mostrando urna carta, a quera a
'". de um !:gur?odn Rinde Janeiro, em
' Ihe dina qm tata o que estivesse seu al-
para elle sabir victorioso, eque podia con-
e iii o seu vaHiMOlo; porm a aegn era tan
cantMosa i- aposar do tudo Um I lie foi nega-
: 11 p|n soprem i tnfcunal o pnvimento que elle
esoerava
Quando elle lows osla derroto duaa aqu que
i reeebi lo cartas do Rio dando-lhe os senti-
nloa e npe oes raimas ihe diziara que os depu-
'. de Pernambueo foram o culpados dis-
mi ;na i se p Ih ti^ tar asnoira raaior Alm de
cas costas infame:. qe Caj espalhou por esto
i dado, a respeito de docs deputados disse cousas
i a honra me obriga a calar; mas que elle bem
sabe.....
Todos os tribanaes teem feito injaslica Caj,
- i seri possivel ? creio que nio."
Tudo quanto tenho dito, posso provar com do-
araentns, que existem nos autos de aseeueio e
: H da falleneia c que Cajt nao ple fazer com a
la iramunda e calumniosa historia feitae enfeito-
';: nome; porque elle nao sabe o que faz, nem o
' quer, era tambem o que diz. Caj s sabe
i-ntir, e a prova diste que roostra pela aceito
Koria qae s me deve 600*, na classilieaco de
rditos feita pilo administrador da massa, liguro
i como credor de 8:0003 e tantos, em um docu-
rtu que tenho em mira poder feito a geito e
signado por Caj, 7:374*004, e agora ea sua
generosa xposicao ae publico j Ihe son devedor
' 7:331*446, e isto-sen/se fundar em documento
Igooi, m por sua vontade e desejo (note-se, que
ile faz tudo isto, porque quer pagar-me urna hy-
ti '!ieca de 28:400*, com juros de mais de 4 anaos
a*.e a abertura da sua falleneia, imente com a
istia de o:39*70il).
Que disparate !
Tend demonstrado as falsidadec argidas por
elle, agora s me resto o potito ma6 sensivel que
!- vitirou no eoraco ja bera ni3goado de ludo
uto tenho soiTrido de Caj, o qual ter elle
dte e dizer anda qffe eu qiteria mandar assassi-
na-lol assassioar a Caj i porque? por en o ter
venc lo no pleito judicial t nao postivel I toda-
va elle para me desfeitear, foi queixar-eo de mim
-io Sr. Dr. chefe de policio, qoando "U eslava
iiem descancado, recebo uma-cartinba do secreta-
no da polieia dizeade-rae, qae o chefe rae queria
'llar com preateza, fui i inmediatamente lar com o
befe onde eacontrei Caj e mais alguem; purera
o chefe, hornea) delicado, s depois que se retira-
ram a pessoas qne a estavam, dis*e-me: que o
*aj linba ido qneixar-e que es qneria mandar
.is 1 Mvidas as miabas razies, e conheeendo o ebefe
longe de ser um assaesioo, (como lizia Caj)
"i era urna pessoa que gosaaa de algum crdito
i ociedade, tanto na minha vida privada, como
publica, o que o seo recete era infundado, e que
pelo contrario era elle quem andava dizendo que
:e hara de assassiuar, come di*sera a vanas pee-
oa (o que o proprio Caj connnou por urna n-
rroflario que Ibeflz empresenea do chefe). De-
:iw do Caj haver feito a sua coaflsso, pedi-Jbe
cj:ie me inostrasse os precedentes que o antorita*
- ira a suppr-me aesatsino; foi quando elle veio
om esta raenfirosa historia de um corneta, que
agora araba de publicar. s
0 ebefe conheeendo a falsidade da queixa, diace
,ie:xoso (sem qne eu o pedhws) qna o respon-
bitsava per tod o mal que me noceedesse.
Agora qne o publico esta sciente do que se pas-
sou na secretoria de polica; eenvm continuar
no desenvolviawnto* da nossa questfio e esclare-
-lainals.
12:882*416 da* fazendas que Caj airada em
~eu aranzel erara t2o bas que mais de melade
foram vendidas, e bem apuradas segundo sea es-
: do prodazindo 2:433*340, e as outras qie anda-
van por mai de 6:000* foram mandada* ven-
'ler em leifio pelo juiz do commerjML as quaes
rsm arrematadas pelaflcuna de'jflw.
As dividas que elle den a hypotheca no valor d
12:'iKlj, como tambem aprsenla na sna publica-
cao, foram vendida em leifio publico a Iguacie
/oliunes entrados i-ora fazendaa i33
dem dem com gneros 434
'ulurces sanias com fazendas 82
dem idrra cora gesteros t'>7
^87
U49
Descarregaro boje 14de junho.
Bar a francezaRio Grande-mercadorias.
Barca tngleza/ndiumdem.
Lugar norte-aiieniaoAlfredo dem.
Briftue tui tuiiLi /. Helampuijo dem.
Brigue inglezMarlhu dem.
Brigue iaglezHele Uehardidem.
Barca portuguezaSoaialidem.
Patacho aaslriaeo=>Amfarioha de trigo.
Brigue norueguenseU/ferfarinha de trigo.
Krigue dinamarquez.Uneidem.
Brigue inglezCau/roicarvao.
Eseuna portuguezaA/mamercadorias.
Barca dinamaiqueza Foreningen larinha de
trigo.
Unidades.
. duzia
. kilog.
>
/ um
>
. kilog.
ama
Valores.
300
200
872
4*000
2*000
68
577
1
436
i*000
5*000'
TABELLA dos precos dos gkkkbos sljeitcs a di-
EBITO DE EXPORTACA0. SEM.CNA M 13 A 18 DB
DE JU.NBO DE 1870.
Mereadorias:
Abanos .......
Algodao em caroco .
dem em rama ou em laa.
Carneiros vivos.....
Porcos idem. ... .
Arroz com casca. .
dem descascado ou pilado
Assucar braneo ....
dem mascavado. .
dem refinado.....
liallinbas......
Papagaios.......
Azeite de amendoim ou men-
dobim......"... litro
dem de coco ......
dem de mamona...... *
Batatas alimenticias. .... kilog.
Baunilha....... >
Bebidas espirituosas efarmentadas:
Agurdenle cachaca. .... Iltr.
dem de canna...... .
dem genebra ........
dem restilada.......
Idom alcool........
Idem cerveja........
emvinagre ....... >
dem vinho de caj...... >
Bolaeha fina comprehendidos os
biscoitos......... kilog.
dem ordinaria, propria para.
937
tw.
St
O
5*4.90
aaoi
m
mu
387'
690
'OO
660
476
Naoiot entrados no da 3.
New-York e porlos intermedios20 das,
vapor americano South America, de 2000
toneladas, comraandaute Teuklepaugk,
equipagem 60, carga differentes gneros;
Henry Forster A C.
Balita(3 dias, patacho inglpz Resolition,
de 138 t noladas, capUIo Stabell, equi-
pagem 6. carga carne; Amorim Irmo.
Baha8 dias, escuna ingleza Siberianas,
de 121 toneladas, capitad John D. Whtte,
equipagem 5, carga 9880 arrobas de
carne; Amorim Irino.
Terra nova25 dias, barca ingleza Savinia,
de 251 toneladas, capitlo Peter Me, Ken-
zie, equipagem 15, carga 3750 barricas
com bacaluao; Sawnders Brothers A G.
Ricbmond32 dias, barca dtnamarqueza
Forcningm, de 265 toneladas, c.tpitao
Arentren, equipagem 8, carga 2650 bar-
ricas com farinha de trigo; Phipps
Brothers & C.
Maco7 dias, hiate bnseiro Graciosa,
de 96 toneladas, cap5o Manoel C. d
G ista, equipagem 9, carga sai e outros
gneros; Bartholomeu Lourenco.
New-York42 dias, patacho hrasileiro Ja-
hoatdo, de 245 tonelad is, capitao Dupr^t,
equipagem 9, carga differentes gneros;
Henry Forster & C.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio da PrataPolaca brasileira Marinho,
capito Joo Pinto Monteiro, cerga assu-
car e gurdente.
Rio Grande da SolPitacbo portuguez
Rocha, capitao Francisco Jos de Sampaio
Jnior, carga assucar e agurdente.
Jo de Janeiro e BabiaVapor americano
South America, commandante Tenklepan-
gk-
Santa CatharinaPatacho brasileiro Cyso,
capitao Antonio Alfonso da Costo; carga,
varios gneros.
EDITAES.



.. cento
. kilog.
emh arque.
Caf bom......
Idem escoma ou restol ho .
dem torrado on moide. .
Cal branca.......
dem preta.......
Carne seeea (surque ). .
Carvao vegetal.....
Cera amarella. .
dem de carnauba em bruto.
Idem idem em velas, .
Cha ..-...:.. .
Cocos seceos ......
Colla.........
Couros de boi, seccoa salgada*.
dem iden espichados.
Idem idem verdes ....
idem de cabras corridos .
dem de osea......
Doces em calda.....
dem em gela ou maesa. .
dem seceos.....
Es Baadores de pennas grades
dem pequeos.....
lem de palha........
Esleir de carnauba ....
dem preprta para forro ou estiva
donavio.........
Estopa'nacional......
Farinha de aramia.....
dem de mandioca...... .
Feijao de qualquer quajidade. >
Fnmo charutos......centro
(den cigarros ...... ,
dem em folha bom kilog
dem em i folha, ordinario ou ros-
tolho ........ ,
Identem rolo em latas bozo >
dem, ordioarioou restla.
5*?*...........
GOMina demauKoca. (poWio). ,
Ipecacuana (rale ).....
Angico (toros). .^. duzia
Caibros ........nnt
Perante a cmara municipal desla cidade
estaro em praca nos dias 11,13 e 15 do correte
para serem arrematados por qnem menor preco
offerecer, o ealeamento das entradas db ibatadou-
ro publico da Cabanga, bem como a constroecao
de um paredo e aterro para o tapamento do rom-
bo feito pedas aguas das grandes mares : e Io or-
eado na quantia de 423*500 e o 9a na de 605*.
Os pretenden tes devoran se habilitar na forma
da le para poderem licitar as mesmas obras.
Paco da cmara municipal doTtecife 8 de junho
de 1870.
Bento Jos da Costa Jaaior,
Pro-presidente.
No impedimento do secretario,
O offlcial-maior,
Augusto Genuino de Pigueiredo.

*
nm
>
kilog.
>

.
>
cento
MU
476
443
936
36
27
186
168
442
4a6i
/763
4*360
4*000
1*438
575-
640
300
'O
10*000
1*13
784
14460
fxHMk
wpuw
24*000
12*000^
16*660
^ O tenente-coronel Francisco de Miranda Leal
Se ve, commandante do 3 batalho de infamara
da guarda nacional do municipio' do Recife, e
presidente do conseibo de quauffeacao da fregue-
zia da Boavista, faz publico para conhecimento dos
nteressados, que ao dia lo do correte, s 10 ho-
ras da manha, tora lugar a inspeegio do satide
para 09 guardas nacionaes que reqnereram pas-
sagem para a reserva.
Mhg.
4.- seccao.Seceetaria da pcejideneia.de Peraaa-
buo, em 11 dejuqho de 1870.
Por esto secretoria se faz publico para cooueoi-
mente de quem interessar, o edital abaixo trans-
cripto do joiz municipal e de orphios do term
do Rio Pormoso pondo em concurso os oflicios de
partidor contador e destribnidor do dito terme
dependo os pretendentes aprese&ur as petieoes,
devidraente informadas no praso de sessenta das
a contar do presente.
Copia.Edltol.O Dr. Jos Juliao Rigueira Pinte
de-Souza, juiz municipal e de orphaos do ter-
mo do Rio-Formo&o, da provincia de Psroara-
bico por S. M. I. C. o Sr. D. Pedro U, a
' quem Deus guarde etc.
i Paco saber a quera interessar possa, que achara-
se vago os oflicios reunidos de partidor e cinta-
dor, bem como os da partidor e destnbuidor des-
ito ternjo.do.Rio-Pormoso, croados pela le provin-
a 'cia, B- ** de w ^ ""^ ^ l86* M PrimeiriM
lau ipor nao ier o secveaiuatio nomeado Jos Joaquim
68ii da Silva Barretto, lirado o respectivo titulo no
praao legal como, foi declarado por portarla do
K enverno imperial de 7 de ouiubro do auno fiado
3*000' e os segundos por blleciaaento do serventuario
iJSi v4'WjHMijb FraaciKo zdJNA uiti|Jo,portaato, aguajes qae pretendwem os
_ provimentosvtajiciosaocreforidos officiosapre-'
fSZ a SL'V *' f>*Wto.n, *i7. de 30 do agoste,
Jnfl **-4*^rfl *>*W-4M0 im contadcs da
Wm la^bMcaodiPMsaoipeditol
, .2 _*|#*%oeebega.,ao coobtcunenlo >;todo,
JwASrP"**1**?** ojW^eqW.Mi aiaxado no
*S22! -g*r8s mail P*hcos deste termo e publicado pela
360liniprensa. ^
S.\NTA CASA I)E MISERICORDIA DO .
RECIFE.
Dinheiro vista.
A fiara. jTMita administrativa da Santa Casa de
Mierteordlk do Recife, no intuito de alargar o
circulo das pessoas que concorrem a arrematocao
do fornecimento de medicamentos que tem de con-
sumir a botica do hospital Pedro 11, manda fazer
publico que o mesmo fornecimento da quantia
de 5:000* anualmente, e qne pago mensalmente
com dinheiro vista :
Absinth killogramma.
Acafrao, grarama.
Acido actico, killogramma.
Dito ctrico christalisado, idem.
Dte marinbo, idem.
Dito ntrico puro, idem.
Dito oxlico, idem.
Dito sulfrico,i lem. r" f
Dito tartrico, idem.
Dito bensoico, grarama.
Dito pbenico. dem.
Ac preparado, idem,
Acnito, killogramma.
Agua de colonia, duzia
Dita de flor de larangeiras, idem.
Dita de rosa, idem.
Dita de Sedelitz, garrafa.
Dita de Seitz. idem.
Dita de Vicby, idem.
Dita ingleza d"e Lisboa, idem.
Alcalrao, litro.
Alcool de 36 graos, idem.
Alecrim, killogramma.
Agua-raz, litro.
Alfazema, killogrammo.
Algalias inglezas de gorama elstica, duzia.
Almii-car. killogramma.
Aloes, idem.
Alvaiade de chumbo, idem.
Ameisas passadas, idem.
Aramoniaco lquido, dem.
Angelim em p, idem.
Aniz, idem.
Arsnico, dem.
Assafetifla, idem.
Assuear candi, idem.
Dito de leite em p, idem.
Avenca idem.
59:215*669 AzouSue, dem.
llagas de zimbro, dem.
Balsamo de copaibs, idem.
Dito de Tol, gramma.
Dito peruviano, idem.
Dito tranqnillo, killogramma.
Banha de porco, idem.
Bardana, dem.
Beijnim, idem.
Belladona, idem.
Bicarbonato de soja, dem.
Borracha de gomma elstica, duzia.
Botoes de rosat- rubras, killogramma.
Barbante fino, dem.
Barbante grosso, idem.
Breu, idem.
Bromurelo de potassa, gramma.
Bncanina, dem.
Cabacinbos, duzias. "
Cabecas de papoalas. killogramma.
Caixas para plalas ifrancezas), grosa.
Cal virgem, killo?ramma.
Calomelanos Ingieres1, gramma.
Canpbora, killogramma.
Casca de raz de cvaogloss, idem.
Canella,idem.
Custicos flihos 'tubo*), vdro.
Cantridas em p. gramma.
Capsulas de copaliyba, caixa.
Carbonato de magnesia, killogramma.
Dito de potassa, dem.
Caroba idem. ; '
Centaurea menor idem. *
Cera branca em gramos, dem.
Dita amarella, idem.
Cevada, dem.
Cevadraha, idem.
Clorato de potassa, idem.
Cloroformio, gramma.
Cbochlearia, killogramma.
Codeina, gramma.
Colla de (landres, killogramma.
Confeitos de ltate de ferro, duzia.
Cremortataro em no, ir!logramma.
Cubebas em p, idem.
Cyamoreto de potossn, gramma.
Confeitos de tfege, vidfo.
Digitalis, gramma.
Dulcamara, killogramma.
Eniplastro de aquillo estendido, yard.
Dito de dit) gommado, killogramma.
Dito comrnum, dern.
Ergotina pura, gramma.
Esfralulas de ac sortMa, urna.
Esperraacete em rama, killogramma.
Essencia de aniz, grarama.
Diia de canella. idera.
Dito de cidra,'dem.
Dita de flores de laranjeiras, idem.
Dita de hortelS pimeota, idem.
Dita de rosas, idtm.
Dita de amendoa? amargas, dem,
Dita de bergamota, dem.
Dita de tlierebentina, garrafa.
Dita de salsa-parrilha, viflro.
Escamonea, grauma,
Estoraque liquido, killogramma.
Estramona, idem.
Eiher cnrobrydico, gramma.
Dito sulfrico, idea.
Dito uitnco, dem.
Extracto de acorito, idem.
Ditodeacacuz, idem.
Dito de belladona, idem.
Extracte de camonilla, gramma.
Dito de cicuta, idem.
Dito de doce amargo, idem.
Dito de favasde caiaoar, iciem.
Dito de fumaria, dem.
Dito de genciana, dem.
Dito de gramma, idem.
Dito de ipecacuanbs, idem.
Dito de iurubeba, dem.
Ditodelabaca, dem.
Dito de noz vmica, idem.
Dito de opio gommoie, dem.
Dito de poligula, idem."
Dito de quina, dem.
Dito de ratanha, idem. "
Dito de scilla, iderc.
Dito de salsaparrilha, idem.
Dito de saponaria, dem.
Dito de sennej idem
Dito de tridacio. dem.
Pito de valeriana, idem.
?ito de nteuinendr negro,>dem.
ecula de batata, killogramma.
Ftzes de ouro, idem.
Figado de eoxofre^ idom.
Fioravante (balsamo), dem.
Flor de ail, idem.
Dito de enxofrej idea.
Flores lie rnica, idam.
Dito de malvas, dem.
Dito de sabugueiro, dem.
Dito de tilia, idem.
Dito de violetas franeezas), idem *
Folhas de capllara, idem.
Ditos seccas de tabaco, idem.
Fumaria, idem.
Fundas para os ladoa.djrei'.o e esquerdo, duzia.
iDitos.duplas, uma.
Funis de vidro paradas e, quatro oncas, um.
Dito de.bocea para 2 e 16 cucas,, ttm.
Galbas, killogramma.
Genciana, idem.
Glyeeriaa branca, dem.
Gomma rayrra, idejt.
,Dtogmia,.iderp.
,Dita, alquitira, graictna.
Dita amraoqiaca, -viliqgrampa.
iDitade batata, idem.
un^rabjca. intlra, ,idi}in.
Dita diia. em p. idem.
Graos de vidro para 4 e 6 cocas, ntn.
Dito de porcelaoa, dio.
Herva terrestre, kiljo^ranjina;
Hwttoqntorato de jppr^h'na, grarama,
Hysopo, killogrammn.
Iodo puro, gramma.

Incens, killogramma.
Innlo eampaoay dem,
lodurato de potassa, idem.
Dito 'de bombo, idem.
Ipecacuanha preta, idem.
Jalapa em pe, iden.
Kermes mineral, idem.
Laba^kil^gramiB*. __ am.''
Dito (vomitorio), vidfc.
Licor de labarraaor, ga#lfa.
Uphanca inieirn,\i||ogrWBlia.
uita em p, dem
Luparo, idem.
Maci-lla gallega, idem.
Magnesia calcinada, idem.
Dito de Henry, vidro. *
Mann commum, killpgramma.
Dito em lagrimas, derti.
Maoleiga de cacao, gramma.
Massa caustica, dem.
Mel de abelhas, garrafa.
Mercurio doce, killogramma.
Mieriao, idem.
Mostarda, idem.
Musgo islndico, idem.
Nitrato de prata em lapis, gramma.
Dito dito christalisado, idem.
Nitro paro, killogramma.
Njz moscadas, dem.
Noz vomica.gramma.
Oleo de alfazema, kiliagramma.
Dte de amendoas doces, idem.
Dito dito puro, idem.
Dito de baiiptiia, idem.
Dito de era ve. gramma.
Dte de ligado de bacalho (de Chivier) vedre
Dito dito ferruginoso, idem.
Dito de linhaca, killogramma.
Dito de ricino, den.
Dit) vermfugo, vidro.
Olbano, killogramma.
Opio bruto, grarama. r
Oxido de ziaco, killogramma
Papel azul para embromo, resma.
Dito braneo, dem.
Dito paulado para escrpta, idem.
Dito para filtro, killogramma.
Parietaria, idem
Pasta dejujuba, dem.
Pastilhas deBelloc, caixa.
Dita de ipecacuanha, gramma.
Dita de Kemp, vidro.
Dita de Kermes mineral, gramma.
Dita de Naf, caixa.
Pedra divina, killogramma.
I'edra hurai, idem.
Peneiras de cabollo, uma.
Dita de seda, idem.
Pessario, un.
Perchloruieto de ferro, gramma..
Perolas de ter, vidro.
Ps de borgonha, kilogrammo.
Phosphato ue ferro (Leras), vidro.
Phosplwros em cyliudros, grammo.
Pillas de Allisuns, caixa.
Ditas de carbonato de ferro e raag., vidro.
Ditas de Uolluwoy, caixa.
Polpa de roariiidos, kilogrammos.
Poligula senega, idem.
Pomada mercurial, dem.
Pontos de vealio calcinadas, dem.
Pos de Rogg, vidro.
Potassa caustica, grammo.
Potes e 1 a 8 por cento, duzia.
Precipitado rubro de mercurio, grammo
Protoiodorureto de dito, idem.
Purgantes de Seidlitzs, garrafa.
Quassia, kilogrammo.
Quina em casca, idem.
Dita em p, idem.
Raiz de alcatraz, kilogrammo.
Dita de canica, idem.
Dita de althea, dem.
Dita de espargo, idem.
Dita de genciana, idem.
Dita de ratonis, dem.
Dita de lutbito, dem.
Resina de angico, idem.
Dita de batato, grammo.
Rolhas de cortina, cento.
Ruibarbo em p, grammo.
Sabo braneo amydalino, kilogramo.!.
Dito de alcalrao, duzia.
Dito para opodeldoc, kilogrammo.
Sal amargo, idem.
Salsa bortence, Jera.
Salsa parriiha, idtm.
Saccharureto de oleo de bacalho, caixa.
Sassafrs, kilogrammo.
Senne, idem.
Sementes contra vermes, idem.
Serpentaria, dem.
Solucao de pemiagonalo de potassa, vidnx
Dito de protoiodureto de ferro, kilogrammo.
Subnitraio de besmuth, grammo.
Sueco de groselhas, garrafa.
Sulfato de quiarao, grammo.
Dito de magnesia, kilogrammo.
Dito de ferro, idem.
Dito de neutro de atropina, grammo
Suspensorios escrotaes, duzia.
Tansagem, kilogrammo.
Tafet inglez, cartoras.
Tamiz, nm.
Tanino, grammo.
Trtaro emtico, kilogrammo.
Dito de potassa e soda, idem.
Ungento de Hollowoy, pote.
Terebentina de Veneza, dem
Vidro para opodeldoc, um.
Ditos ordinarios de 12 a 6/, duzia.
Dito cora rolha de 1/i a 6/, idem.'
Vinho de Corviza, garrafa.
Valeriana em folhas, grammo.
Dita em p, idem.
Xarope de Burgois, vidro.
Dito de cordina de Berth, idem.
Dito de bydraphosphito de soda, idem.
Dito de (ianrtri'i, idem.
Dito de antijcorbutco de Portal, garrafa.
Dito de pontos de espargo, idem.
Dito de Boutigny, idem.
Dito de guz, idem.
Dito de Labellony.ldem.
Dito de Lamounny, dem.
Dito de naf, idem.
Dito de digitales, idem.
Dito peitoral inglez, idem.
Dito de quina ferruginosa, idem.
Os protendeirtes > verlo apresentar as suas pro-
postas em cartas fechadas, as quaes deverao tef a
ordem estabelecida no presente annnneio, no dia
17 do crreme, pelas 3 horas da tarde.
Satjta Casa de Misericordia do Recife, de janho
de 1870.
O escrivo,
P. R. de Souza.




-

jfc
administrador da Recebedoria uC
rendas internas geraes faz publico que be
neste corrate mez de janho qae os deve-
dores da decima addicional de mao morta,
em cojo numero se compreheodem as com-
panbias e sociedades aiionymas, teem de
pagar a mencionada dcima sem multa, e
i que fiado o referido mez, ser paga cois
a mua de 6%.
Recebedoria de Pernambueo, 10 de junco
de 70.
Manoel Carnciro de Sama Lacerto.
Arrematapao
Perante o Sr. Dr. jmc municipal da 2 vara, de-
pois da audiencia no da 15 do crrante, tem de-
ser arrematado em nraca publica os movis pe-
nbordos Clementinu, Goncnlvee de Farias para
pagamento de alngueis da casa perteucente Ma-
noel Antopio de Jen, da qual foi o mesMo inqe
lino.
SAJSTA USk DrV AQseWGOBOU W

mmr
A Illm.a. junta admaoiaonirra di Saeta Casade .
Misericordia do Ptoctte aaaaiht facer pobaico fo*
na sala de suas seseos, no da 16 dajanho, pelas
i bebas da tarde, tem de aer arrematadas aqam
ais vaMaflbns offereoer, paloteanioda um. a ns
annos, as. rendas doapndios aaa seguida dactora-
EgTAMbftmiBaWO M OAMDADE.
Trawasa da S..mi. '
Casa tornan.*.......U*W6D
Iflemn. 7.........tHm
auad"*-
Caaateman., .. .... *****>
Ra do PadGB.9Joriano.
lasa torrea n. 63. ... 177*100
Ideqrnv'W......, 171JQ69
Rna larga do Botarle.
, !. andar e leja do sobrado n. M.
2.* dito do sobrado n. 2i A. i00<06
t
ILEGIVH.


%**> ,* ,*"** ^"vf* ^Silfr ,de 187a
242*0(10
800OpO
150*00$
270*000
602*000
3." dito do sobrado n. 24 A. .
ua do Impsrudrf.
sobrado de um acidar u. 24. .
Ra das Calcadas.
**** terrea a, 30. .
dem i. 3.....
dem i. 34.........
Roa das Cinco Pontas.
Casa terrea d. 94......
Traversa de S., Pedro.
Sobrado de Saldare n. a. .
Ba de Sanu Thereza.
Ca terrea n. 4 S*Q0O
(dem n. 5.........172*Q0(I
Mem a. 7........ 205*000
Roa do Amorim.
Casa terrea n. 26.'......304*000
Roa da Ifoeda.
Casa terrea n. 41.......304*000
Roa do Amparo (titada)
Casa terrea n. ........ 140*000
O sitio do Forte na Venda Grande. 16*000
PATRIMONIO DOS ORPHOS.
Praca de Pedro H.
Sobrado de 2 andares n. 33 .
Uua da Madre de Den?
Loja do sbralo n. 1 .
Casa tortea n. 20.....
Ideo a. 14.......
Ra da Lapa.
Casa terrea n. 11......
Raa da Senzalla.
Sobrado de t andares o. 1)6 .
Casa trra d. 18......
Ba da Cruz.
Sobrado de 2 andares n. 12 .
dem de 2 andares n. 11.....800*000
Travessa da Madre de Deus.
Casa terrea a. 15.......450^000
Largo do Paraso.
1* andar do sobrado n. 29. 252*000
2' loja da travessa......122*000
3" dita........74000
Ra do Rangel.
Casa terrea n. 58........ 360*000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 102......202*009
Casa terrea n. 110..... 204*000
0 pretendentes deverao apresentar no acto da.
arrematacao das snas bancas ou comparecerem
acompanhadus dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, lOdejunho de 1870.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souzn,
502*000
1:000*000
6033000
604*000
180*000
601*000
240*000
881*000
THEAfRO
GIMNASIO DRAMTICO
(No Monteiro)
IOB A ntREC^AO 00 ARTISTA
Qnarta fetra I i
BBCtEPl
o corrate.
o
O
Representar-se-ia o axcallente drama em 5 ac-
tos intitulado ;
o *tfumo
DAS i
Pretena>s*||
tacto portugna
carga prompta, e
(rete commodo, trata-se com o consignatario Joa-
qnim )o8*6onoalves Beltrao, roa do Commer-
o,n.J7.
r con
para a pouca
o pa-
parte da
dito dV 4 roda* coberto para 2 e 4 pessons, ar-t
,-eios, t silbes o 4 rodas pira tarro, 1 bomba de
PY>nci.>, I dia o> reg .r, 1 cus [.ara pombos, e
miii.-. oiriros objecio*.
JJihVemcs .jatidjiaes de vinbo* engarrafa*)*.
Terca elra 91 de janho as 11
Rio de Janeiro
Segu Com hrevidadc o patacho nacional Eifto-
fla> tem parte do sen carregamento engajado; para tos
o resto que IbeJ<a trata se com os coneignata- J
rio AfMo LuU de Oliveira Aievedo & C, raa
d Cruz n. 57, 1 andar..
ata. *<3T(
O inspector interino da allandega faz publico
>}u>; qo da 15 do corrate mez, depois do meio
da e porta da raesma repartcaa ser levada
hasta publica livre de direitos ao arrematante,
urna caixa marca triangulo B7A com 50 carreta*
para frascos de genebra, vinda de Hamburgo no
navio norle-allemao Vmtas, entrado neste porto
Joo Martins de Barros o avalada cu 42OO.
Alfandega de Pernambuco 11 de junho de 1870.
O inspector interino,
__________L. de C. Paes d; Andrade.
De orJain do lllin. Sr. conselneiro, inspector
la thesouraria de azenda desta provincia se faz
publico, que tem de ser contratado no dia 25 do
ute mez, as 2 boras da tarde, perante a jun-
ta Ga mesma thesouraria, por quem por menas n-
zer o fornecimento de meJicamentos enfermara
militar desta capital no semestre de julho dezem-
aro prximo vindouro.
O* pretendentes deverao dirigir suas propostas
em cartas faenadas ao lilm. Sr. cmselheico inspec-
tor at as 10 Doras daifuelle dia, e ser-lhei-ha
franqueado na secretaria da mesmi reparticaoo
receituario que contera os medicamentos prepara-
dos e os seus grecos, afim de que possam regula-
reui-se as suas propostas.
Secretaria da thesouraria de azenda de Per-
nambuco 10 de jani i de 1870.
Servindo de offlcial-maior,
Manoel Jns Pinto.
Terminar o espectculo com a interessante- e
muito applaudida comedia em um acto, orna Ja
da msica, denominada : r r
A criada impagavel.
0 resto los bijheles acham-se na estarlo do
Recife e no theatro. pelos preces estabeleoidos,
dando-se passagem,grajis em wagn aojes e de-
pois do e.-pectaciilo.
Principiar as8 horas.
dJMt'ltt.UlOS.
COMPAJN4A MjMiAMJ'UCANA
Navegagtfo cosfeirq, por vapor,
Macei escalas, Penedo e Aracaj.
0 vapor Pottng, coramandante Mello, se*
gira para os portos aeiraa no dja 13 da janho
as 5 horas da tarde. Recebe carga at o da i i,
encommendas, passageiros e dinneiro a1 frote at
as I"horas da tardo do <}ia da^ahidi do escripto-
rio do Forte do Matfos n. 42.
cmpaiia mmm
DE
s a vapor.
Dos portos do sil' i esperadc
A barea portugueza Josephina sahir para Ma-
ranbao impreterivelniente quinta-feira 16 do cor-
rente mez, recebendo soraeale a carga que, appa-
recer-lhe at terca-feira 14, afim de coaferir em
15 do referido mez : tratase com Marques Barros
4 C, no largo do Corpa Santo n. 6,2* andar.
LEILOES.
a-e
*4-
De 450 caixas com rebolas novas marca
M J .
Hoie as 11 hora*.
O ageat Pestaa far leilo por conta e risco
do ttapm pertencer de 150 caixas com ceblas de-
sembarcadas hontem e serao vendidas em um ou
mais lotes vontade : boje as 11 horas da manhaa
mi largo da alfandega._______^_^__^___
-----------
at o dia 21 do crreme o vapoi
Cruzeiro'ao Ski, comraandante J
P. Gnedes Alcoforado, o quaJ
depois da demora do costume se-
guir para os do norte.
Desde j recebem-se passatreiros e engaja-se i
carga que o vapor poder cnnduzir, a quai deven
"er embarcada no dia de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro afrete at as duas horas do dia d;
jua sahida.
. Nao se recebom como ancorameudas senao oJ>
lectos de pequeo valor e qne eo exeeiam a 5
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medi-
cao.
Todo que passar destes limites dever sei
ambareado como carga,
Previne-se aos Srs. passageiros que sna3 passa
fens.s se recebem na agencia raa da Cruz n. 57
andar, eseriptorio de Antonio Luiz de Oliveirj
Azevedo dt C.
LEILAO
1 ho:
De daas canoas de caxregar tijolps.
O agente Martins far letlao por ordetn 'do Sr.
Dr. Claudin de Araujo Gaimaraes coasul de
Portugal, das qanoas cima per/encentes ao es-
pofio do subdito portuguez Francisco Joaquira, de
Carvalho.
As 11 horas do da na rampa defronte Jda ra
das Flores.
"LEILAO-
Quarta-feira 15 do correte
concluir-se-ha o Jeilao de joias. a praca da Inde- *duas.eiu execneao a >aber : Antonio Corroa
pendencia n. 33, por intervenco do agente Mar- "
(ins.
O resto de joias dados em penhor na casa ci-
ma serao vendidas em leilo sm limites, preve-
ninde se aos concorrentcs que lizercm o favor de
comparecer que ainda ha muito boas obras a sa-
lisfazer as pesfoas que dellas precisarem.
Em concluso our>> por menos de seu valor
pechincha.
PAU
f
O brigue portuguez Apriglb sahir brevemente ;
para o re3to da carga trata-se com Pereira Viaa-
D.1 k C-, ra do Vigario n. II. 1., andar.
flaspeceo do arsenal de
niarinha.
Faz-ge publico que a commissao de peritos,
j.vainin.'indo na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 do 5 de fevereiro de
1854, o cseo, machina, caidiira, "apparalho,
oustraaejao, veame, amarras e ancoras do va-
por Poteng da companhia Pernambucana de na-
vegaeio costeira, achou todos osses objectos em
astado de pasto o vapor navejrnr.
lnspeci;o do arsenal de mariuha de Pernambu-
.o 13 de junho de 1870.
O inspector,
II. A. Barbosa de Almeida
Conseiho de compras navaes
O conseibo no dia 17 do corrale mer. vista de
praposta.i reeaWai at as 11 horas da manhaa e
18 coadifSes do etyl), contrata os servieos de
jiruciro enfermara de niarinha o lavagem de
roupa dis eatabetecimentos de marinha, durante o
erercio prximo vindouro da 1870 a 1871, hem
i prora tve a compra dos cbjectos do ma'erial
da aro; ida. segointes : 0 barras de ac latido de
pop i-i : l2 pulegalas de largo e 48 de gros-
ma, 0 barras' de ac batido d 2 1(8 polegadas de
largo e 4|8 de grossurs, 20 almotolias de olha pa-
ra azeit, 10 baUeadeiras de folha, 10 camas de
vento. 6!) barras de ferro inglez proprio para gre-
Ihas. :i) varoes de ferro inglez de 2 a 7|8 de gros-
sora, 200 varoes de ferro inglez de 2 a 4|8 de
rrosura, 20 lenfoes de ferro de 1|4 de grossura,
de com])rimento e 4 do largo, 2 livros gran-
le taQo, papel pautado, capa de couro, de 200
tlhas 1 livro grande, papel pautado, capa de
cauro, de 200 fainas; 2 livros grandes, papel pau-
capa de couro, de 150 ralbas : 100 pratos
travesas de folha, 13 paos de ginipapo de 13 pal-
dos de coaortmento, 2 resmas de papel hollanda,
40 garrafas da tinta de escrever rxa.
Sala das sessoes do conjelho de c impras navaes
i.'! de junho de 1870.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
= Perante o Sr. juiz de paz do 2J distncto da
H ia-Vista tem de serein arrematados no dia 15 do
rorrente diversos trastes penhorados a Antonio da
Silva Souza por execucjio de Jos Antonio Vel-
loso.
RdlacSo das cartas registradas, procedentes
do sol e norte do imperio, existentes na
repartiera do correio em 10 de junho
de 1870.
A' tonio Manoel Xavier Bitencoart. Antonio Jos
''erreira MSntciro, Antonio de Souza G. Filho, Al-
varo Augu-to de Almeida, Antonio de Mello e Al1
huquerque, BelrSo ca, Francisco Antonio das Chagas, Guilherme de
Souza Campos, Juaquim Augusto Ferreira Jacobi-
na, Joaquim Eduardo Pina, Joo Jos Luiz Wan-
derley (a), Jos Coelho da Silva Aranjo, Jos Paulo
Maciel de Carvalho. Jos Manoel Correia de Bar-
ros,- Luiz Manoel ao Oliveira Mendes, Lniza de
Jezas Cavalcaati da-Albnquerqje, Manoel Gomes
de Mello, Manoel Cardoso de Souza C.
Slatioel dos Passos Miranda.
O encarragado do registro
Boa compra.
Ven.le-se o patacho nacional Palma, de lotacao
de 10,000 arrobas de carne, cujo navio se acha em
perfeito estado, e appireihado para emprehender
qualquer viagem ; o qual ebegou ltimamente do
Rio Grande do Sul co.n cari. ganiento de carne, e
se acha fundeado em frente ao caes de 22 de No-
veaibro : os pretendentes poden)- all ir ve lo, e
tratar com Jos Victorino de Rezende & C, ra
da Gadeia n. 52, eseriptorio.
do^Msolff"
logo ehi e aseqdearia d serein rmnlo* es lotes,
.co_ntiotiaejPdo mesmo l^,ro2ian^o0do8Dob?
cima descriptos. "
concorrenles ao referido leu3o eocoolrarao
na praca doeommerclo ommbc pira traospor-
ta-'0,8 (gratis) ao Mondejw, devendo partir d'jlli
s 11 horas m pooto do dia cima dlfc.
de fazendas anariadas.
Quartg-feira 15 d j^anho as 11 horas.
0 agente Pinto levar a leao por copta e risco
de Jlf?8^ pertencer de quas. caixas marca C F4 C
n- W 9qm chales d njerinfi Uso a,variadps a
bordo do yapor inglez Pascal', na sna nltimn via-
gem a este porto, o leijao sera effectuado as 11
Wfftz dia. cima dito no eseriptorio do refer
pceda Maiitjn .
Genv;.!i> j irn:;os deta arande corporaro
para 8b dia 44 do crrente, as ti horas da twde,
compaiBjererB na sala das suas sessoes para dar
compiapaato ao art. 39 des seus estatutos : na
ra dajrjgario n. 22, t andar, de ordem do pre-
sidente da raesma.
' fli" ocretario interino,
Manoel Lopes Ferreira.
Alug -sp
Precisa-se d> om cabteira com pratica de fa-
zendas. para om esubelecimento no centro desta
provincia : tratar na roa da Livramento, loja
' TRECHOS CUSSIC08
Chesaram e acbanase renda
NA
Livraria iranceza.
do agente.
3 casas terreas a ra Imperial
O agente Martins far leilo por^authorsacao, de
tras casas terreas sem numeracao, sitas ra
imperial quasi confronte a casa do Sr. Moreira.
teodo cada nona 22 palmos de frente e 60 de
fundo, todas sem repartiracnto e com cosinba fra
(terreno de marinha) muito hem construidas e ha
pouco acabadas, rendera 25*000 raensaes.
Sexta-feira 17 do crrente,
O 'eilo ter lagar ra da Caoeia do Becife
n. 9, eseriptorio do dito.agente, as 11 horas do
dia cima.
Do sitio na travessa do Remedio n. 21 fre-
Rtiezia dos Afogados.
Unarta-feira 5 do correte ao meio dia.
O agente Pestaa legalmeute autorisado far
leilao por conta e risco de qiein pertencer do si-
tio cima mencionado, tem3"i8 palmos de frente o
500 de tundo, tem casa, mas acha-se desmorona-
da, tem alguns arvoredos, os Srs. pretndanles
podem examinarlo e o leilo ter lugar quarta-
feira 1." do correte as 12 horas em ponto w, lar-
go do Corpo Santo jnnt* ao cafa commereial.
de
uua
Cosapanhla americaaa c brasi-
leiaa de paquetea a vapor.
At odia 15do curente -esperado de Xe\r
York por S. Thomaz e Pwir o vajior americano
Spntli America, o qual depois da demora de cos-
tnme seguir para os portos do sul, para freUs e
passagens trata-se com os asentes Henry Forster |
& C, ra do Commerci')n. 8.
fazendas geraes.
A 15 do crreme.
Magalhes Irmaos faro lilao por intervento
do agente Oliveira, de grande sortirmrato de fa-
zendas de seda, la, linho e de algodSo as mais
proprias do mercado, esperando por isso a con-
currencia de seus prestrnosos treguezes.
Quarta-feira
as 10 horas di manlia em sen armazem a ra da
Gadeia do Becifr.
De Impor antes dividas n Jjlin-
loraaeiadeJi*'45 I* 1M
agente M-irtins competentemente autorisado
far leilo das imponamvs dividas abaixo des-
criptas no valor do 21a.47l408 rs.. perlenceutes
ao casal do Gaetano Pereire Goncalves da (jonha
coustaado quasi todas de notas promissorias e
uas.em execneao a sabir : Antonio Correia de
Nrenha Bravo 2:620a, herdeiros de Pedro Ca-
valcanti de Albuquerque Lins 2:4603, Jos Jus-
tino Feruandes de Souza e J s Joa.juim de Al-
meida Guedes l:0I3600, Joo Victorino Hers-
che 6723, Elias C ielhu Cintra 1:2577."50, Joa-
quim Mauoel Caraero da Cunha 363S543, Joa-
quim Francisco Cavalcanti 88i040. padre Fran-
cisco Rodrigues Machado 1:080J800 Joo Bap-4
tista Paes Barreto 703 3, Jos ,'Joanuim d js Santos
3:925*234, Francisco Caetano Proh o 2c27T4325.
Antonio Ruliuo de Araujo Cavalcaati 2:934.
herdtiros de Joo da Koclia Carvalho 668, Gas-
par de Albuquerque Maianlo 1:179*536, her-
deiros de Joaj Lins Cavalcanti de Aliiuquepque
3:800p50, h rieiros de Luiz Antonio Pereira
Cbcoa 60L1100, Joo Januari v Dono 38875i77,
Manoel Antonio C utinho 2:302*890, Antonio
Biges da Fonseca 1003, berdeiiw de Joo Bap-
tista da Silva 13:899ji'Jo, heraeiros de Antonio
Alvas S>res 2:0065^ 5, ditos di Seha.-tio Anto-
nio de Meo Reg 7:843925, herdeirosde Ignacio
Paulino da Cunha IjprflMlj, Dr. Flix Peixoto de
Biito 200, Joaquim Jus BelU 4:8073520, Afa-
noel Francisco do Monte 3:3523476, Tniago Del-
lino Dnrao "1:8593592, Diniz Jos Hereulano e
Jos Carlos do Meudonga 57:ti5356, . tra a menor Paulina lilln de Mauocl Matnias de
Freitas eoutros 7:8833784, ,'ex;cu5ao de hypo-
theca em um engenho t- mais oens de Jos de
Barros CampcUo 22:0003, urna apolice do extinc
to banco do Rio de Janeiro i:' 005, brigadeiro
Antonio Borges Leal 8205, Tnytnaz dos Santos
Estima Lessa 1:8493490.
Terca-leir,21 do cji-rente.
.-. dividas cima serao vendidas em um on
mais litei no eseriptorio do dito agento a ra da
Gadeia do Recife n. 9. s 11 uoias do dia, orti-
lulos poderao ser examinados pelos pretendentes
t:n m do mesmo aguato que dir em que car-
torio exisleos autos das questoes em juizo.
COMPANUIA PERNAMBCANA
Xavegaeo cosieira por vapos*.
Parahyba, Nata', Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
Ovapo; Pirapama, commandantt
Azevedo, seguir para os porto
cima no dia 15 do corrente as 5 hora*
la tarde. Recebe carga ".t o dia i't, enoo -
nendas, e passageiros e dinheiro a frete at as
2 horas da tarde do dia da sahida no eseripto-
rio do Forte do Maitos n. 12.
COMPAHA BRASILHIU
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o da 30 do corrente o vapor
Amos, commandante Guilherme
Waddengton, o qual depois da
demora do cosame seguir pa-
Sortos do sul.
e j recebern-se passageiros e engaja-se
:arga que o vapor poder conouzir, a qual deveri
*er embarcada no dia de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as 2 horas do dia da sua
jahida.
Nao se recebem como eacommendas senao ob
lectoade pequeo valor eqaenoexcedam a dna;
robas da peso ou 8 palmos cbicos de medicao
Todo quepassar desloa, limites dever ser embar
^ado como carga.
Previne-se aos senhores passageiros quo suas
passagens s se recebem na agencia, ra da Cru
n. 57, Io andar, eseriptorio de Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo

Para Lisboa
Segne com todk! brevWade o bem conhecido lu-
gre portuguez Julio ; para a carga e passagei-
ros trata-se enm^s, consignatarios Thomaz de
A jUaoJ?onseca & C. roa dorVigario n. 19, l1
an
1S3 MOVIS
Urna mobilia de Jacaranda composta de 18 ca-
deiras de guarniefu, 4 ditas de bragus, soff e
consolos com maruwre, 1 piano de jaesrand (ar-,
mario) 1 santuario, 1 estante, I commoda de ja-
caranda guarnecida do pao setim, 1 secretaria
de amarello propria para eseriptorio, 1 guard::
louca, 1 toncado* de. nogna con o competen!
espeino, 1 guarda vestido de amarillo, 1 cofre
francez, 1 mobilia de Jacaranda (goslo antign) 1
dita do amarello a Luiz XV. 36 cadelras de ama-
ro,lo para salla do aotar, 2 camas de .anjareii i.
para casal, 1 marqoetao, 3 marquezas, I mesa pa-
ra jantar, 1 marhinha de costara, 1 meia commo-
da, 1 candelabro de vdro, 2 espelh is, 5,pares de
lanternas, 1 relogio de psrede. jarees consolos,
mezas redondjs, louca para almo^o e jamar e
muitos outros oyects que 'estaro patentes na
occasio do leilo.
Quarta-feira 15 do corrente
No armazeco do ieiioes ra do Imperador n.
16,_as Ll hora-, Augusto C' de A. Sexas, fat
leilo por in'ervencjo do agente Pontual dos ob-
jectos cima, por antorisaco de urna pessoa que
retirou-se para fora da provincia.
LEILAO
De movis, carros, lustros, tapetes e ou-
tros objertos (em cqntiuacio ao do d:a
7 do corrate no sobrado da na .do
Mondego n. 101, casa em que residi o
Sr. P, F. Needban.)
Constando de
Um grand; e rco lus:re [de bronze com 6 glo-
bos, 1 alcatifa, forro da sala da frente, 6 langas e
finos cortinados, 1 *lto de damasco, tapete e es-
leirs, forros das: salas e gabinetes, caudieiros Ue
gaz cora 1, 2, 3e4 bjeos, arandelas, v5uezianas,
..Jflflft
--Jwi
Beunio ar suca.
Domingo 19 do corrente, s 11 horas da ma-
nhaa, haver renio artstica^ ali:n da levar-so a
effeito o voto de gratido que te,n de dar os ar-
tsticas aos seus irmaos valos da campanlia do
Paraguay.
ilecife'lO de junho de 1870.
O secretan*. Juveneio Cesar.
pratileira, 1 magnifico fugo de ferre afnerii-a!; vm lo intern e erterno dt'nina casa : na
e 1 tapete grande de Coso, 1
djg-cart, 1
im'i

O Dr. Garolino Francisco de Lima San-
f.> tos mudou sua residencia e consultorio i|a
g para a ra do Imperador n. 57, 2 andar cS?
SfS do sobrado cujo arnazem cou-erva aja- }^
gg da buje o nome de -nAlrac,-p teudo a f^3
j~ entrada, que pelo lado da ponte Sete 4
;}l de Setembro, o raesmo numero 57, da }J1
fflj frente* Ahi continuando o dito Dr. no jj|
J!s exorcicio de sua prolisso i\c medico e
^| de operador, pode ser procurado a qual-
jigji qaer hora do dia e da nocte.
M
m
Bernardino da.Silva Cos.a Campos tendo de
rotirarse h'ie para a Eurjpa no vapor francez
SndA e nao podendo despedir-s.?. pessoalmente
de todos seus amigos e pessoas que o honram
Com seus ofllcios, depede-se pelo presente, pe-
dindo-ih'os desenpa or. seraelhante falta, filha
soment' de identicas'occasioea e apreveita a op-
ivirtuni'jade para offerecer-lhes seus limitados
-crvio is onde qner que for residir.
Precisase de ama ama (h meia idade para
cozinhar, sendq de boa^con lucia : na rna de Hor
tas n; 94. ______-______________
..Existe no. coltu^ip de .V. S. do fjom Conse,-
Iho urna carta para o Dr. AlToaio Sergio de alga-
ra Mattos._
,ia cas'n-' de pone
ou hotel, >er-
trMP
sa d S. Jos n. 4.
A CIGANA.
rol
SECUNDA EDfCO
GoasitleraveJmente melhorda e augmenta-
da com novas ctiaradas e logogrypaos
Um bonito volume
Ditidamente impresso e brochado.
Rs, i,J000
A aceitaco qoe do respeitavel publico mereeeu
a Cigana, coja primeira edico se esgotou em dons
aanos, nos leva a fazer esta aova, mais correcta e
augmentada.
Esse fado, tan raro entre nos, indica que a Ci-
gana tem qualidades que a recommendam e tor-
nara-a beraqnista aos laitores.
Com elTeilo essa fifha da Bohemia sabe gaardar
conveniencias, e i^rocnra, dizendo a ssrte de cada
um, agradar % tndo-<.
A presente edico, ioteiramante meihorada, fui
augmentada gom oras charadas e logogryphos,
e_bem asslm algumas poesas recitativas, que hoja
sao to apreciadas no < saloes.
E>peramos qne a Cigana continu a merecer a
mesma a-eita ao, e qae em breve possamos ver
esgotada esta nova editan.
Bua do Crespo n. 9.
LIVRA-RIA FRANCEZA.
iimt ras-n i^mi grandes o^nmo \c* paraffjiilra. tn
iUia d,/ l-!iri(Pa-^3gr-mr: a uatarBoa da
Si-nz.-'l-i'iiivaji. i. ,
Nui^Hqento
MEDICINA!
PHEPAaAK) POR
Lanman &Kemp
PABA
Tsica e toda a
qualidade dedo-
eneas, querseja
na garganla.pei-
to ou bofes.
Expressa-
mente escoibido
dos meluores fi-
gados dos qnaes
se extrahe o
oleo, no banco
da Terra Nova,
purificado cbi-
nMcalmente, e
sua
propriedades
conservada
com todo o cui-
dado, em todo
frasco, se garan-
te perfeitamen-
te pur.
Este oleo ten
sido submettido
a um exame
muitosevero, pelos ciiimicos de mais Ule-n
ota do governo- hespanhol em Cuba.foi de-
' vulgado por elle e contera
MAIOR P0RGO DTODINA
do que oulro qualquer oleo, que elle tero
examnado
IODINO rM PODEll SALVADOR
Em todo o oleo de ligado de bacalho,
e naquelle no qual contm a maior porcao
d'esta invaluavel propriedade o nico
, meio para curar todas as doencas de
GARGANTA, PEITO, BOFES, FIGADO.
Tisica, bronchites, asma, catarrho, tosse,
resfriamentos-^ti-.
Uns poucos frascos d carnes ao muito
magro que seja, clarea a vjeta,e ds vigor a-
todo o corpo. Nenbum outro artigo co-
Falleceu naquella V'Voacao' o negociante Jero- "hecido na medicina ou sciencia, d tanto'
nymo Alvos de Paivi, o, o abaixo asolanado na nutrimento ao systema o eucommodaudo
qualidade de sen entinado e procurador da viuva, quasi nada O Cstomaco
coovido os credores e devedores do fallecido para As iips-ivk cura nroanioarJin tem siiln
virem ou maudarem liquidar suas comas. Natal, AS
Ama
PrecUa ce de urna ama, que saiba cosinhar com
perfe^o : tratar na ru.i do Crespo n. 1.
de junho de 1870. .
Antonio Pinto l' M. Castro.
destruida pelas affeccoes das
ESCRFULAS OU REU.VIATISMO
Precisa-se de uia ama de meia dado para e todas aquellas cujadigesto se acliacom-
(nnrar e cozinhar p.ra tres pessoas: na ra pletamente rlesarranjada.devem tomar
O OLEO E FIGADO DE BACALIIAO
Dr.
Lannuaa ai Kcuip,
O Sr. Dr. FraacUco Jos ilabeu tem Se que desejam vet-selivres eexepasai
urna carta nesta tvpofixaphia de nnfermidades
las Flores n. 37.
Na ra do Ho~(iioio n. 46 precisa-se de urna
ama que saiba cozinhar, paga-se bem.
0 GiUMAO KRBtt
Fredarico Maya
A abnixo assignada, na qualidade de curadora Tm a ll0nf"a ^ SdentiOcar ao respeita-
de seu marido o Sr. Antonio Jqnim de Paria, Wi publico 650 geral, e aos SBU8 clienten
declara a respeitavel puhlico desta provincia, em particular q'ie elle iii;:-r.>i o seu gab
alira de evitar duvidas > difncv.ldades futuras, que netejB cnnsu]las ci, roa Direila I). 12 para
o mesnw si-u marido nao tem ale a presente data "'"""."* .' i
assignado -em sciencia sua documento algum. a do Quemiado D. >! piirueau andar, com
como letras, escripturas pubhcas ou particulares, a entrada pelo pateo de Pedru II, ondft 00-
doai;oes, cartas de li'jerade, etc. etc., relativa- de ser procurado para OS HMStfreS de sua
proisso, todos os dia-- uteis daa 9 boras
da manlia s 3 da tarde.
Tambem previne., que contina a prestar-
mento aos liens de seu casal, dos quaes eile nanea
dispoz lie forma algQHta, alicuando, vndenlo on
perniuiandr., durauto o tempo que os adminis'rou.
A mesma abaivo assignada convida, portanto, a
qaein quer que se julgue, firacado em algum lta-
lo, com direito a taes bens, a apresentar no jaiz>
competeato dentro doiimprorogavel praso de cito
dias. e a contar da presente data (10 de-jiabo do
lS7) os documentos r'ie tiver semelhantc res-
peito : Jicando de nentmra effeito toda e qnalqaer
allega(;o que for bita poteriorniente, visto eow
fcil com o actual systema de estampabas sellar
documentes ante-datados, e eitrquidos para fins
reprovados. Recife 10 de jnnho de 1870.
Henriqueta Amalia do Paria.
se a vontade dos clientes ca i s Da cidade
como nos setts suburbios, pata onde as
idas serao precedidas de ajaste- Elle ga-
ote o bom desempenbo e a per-.nicao de
seos trabalnos, oque j bom conbeeido,
SSSim como as commodidaties tos nrecos.
Previne-se ao respeitavel publico e a quem in-
teressar possa, qie diagdao faifa negocio com vn
letras aceitas por Francisco dj Paul Cavaleanti
Lins, proveniente do arrendamento do engenho
Matheas da tregnezia de Gamelleira do termo do
Serinhem, visto como taes letras esto sujeitas ao
p.TgamPnto das bemfcitorias feitas no raesmo en-
genho de conforuiidade com a respectiva escrip-
tura.
Irmandade do S3. Sa-
cramento da matriz
do Santo
Imperio do Brasil.
! Grande exposiqao na cidudede
Cordova,
REPBLICA AEGSNTIIJA.
No dia (8 do outubro de 1870 ter lu-
gar a absrtura da exposir;o nacional em
Cordova.
Previne-sor portanto, a todos es produc-
to-es, agricultoes, fabricaotes, artistas e a
toios aquelles qjse exercara qalqoer iodos
tria, que na ditaexpnsico-se receben tod s
os pmdoctos Ja industria e agri.uLuiJ
brasiteira, assimeorao todas as ma.hias e
utensilios que Qtiizerem reme'.ter.
Estes productos esto is3n*.os dos direitos
Pelo, prseme sao convidados todos osnossos ir- a alfandega na Repblica Argentina e po-
naos comparecerem qninta-feira 16 do corrente, derSo ser dirigidos a ctdade ao Rosario, de
as 10 dioras da maauai, e as 3 horas Ja tarde, no
consistorio da mesma irmandade, afim de assisti-
rem afesta e acompanharem a pro^isso de Cor-
pus Cristi que tem de sahir desta matriz.
Cobsisti,io da irmandade do SS. Sacramento da
matriz de anto Antonio 14 de junh j de 1870.
O escrivao,
Modesto do Rogo Baptista.
Irmandade
S. <9os
onde sero traoportados pelo caminno de
ferro central.
Para mais Ktficacoes dirijam-se em Per-
nambuco, ra da Cruz u. 3, ao consulado
rgenti n o._________________________
Arrenda-se um excellenle mio coiu mutua
aryoredos fractiferos, baixa para capim o verdu-
ras, muito boa casa, alera de nutras para.ewra-
vos e estribara ; nn mesmo sitio tem tres, cacim-
ba?, sendo urna dellas fcrrea, e fica perto do
c.minho de ferro : tratar com-o Sr. Cota na
roa Nova, loja de charutos.
do SS. Sacramento c
o tlecfe.
De ordem no nossn inno juiz convido aos chafi- i i[Y.nia\ Aa r>ahollo^m -
rissimos irmaos psra comparecerem na quinta-fei- VfllCldl ue txiuei, wniy.
ra 16 correte as 3 horas da tardo no consistorio >'a ra da Crux n. 2i, andar, prm-a-se do
da irmandads, alimde encorporados acompanhar- umofflcial de cabeeirein-qne soja bom, espe-
ran*' a procisso de Carpas Chnsti. | cUlmente de cabello e barba.
Consistorio da irmandade do Santissimo Sacra- 1
menio da matriz de & Jos, aos 13 de junho de
1870._______
O enetrivSo,
Lidio Mariano de Albuquerque.
'Offerecc-se,e:ua muiher*T)ara ama da
i servico- interno de casa de pouct famiba,
! menos cosinhar e engomar: a tratar na ra
do gadre Floriano, n. 40 loja.
P"<3 nMjl IJtS giwK
k&mai'Ztvuili&ip
esquina
da roa larga
Bosario.
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre um sortimento sem igual,
e vende por presos que nanhutna outra cas^ pMe vencer,
A.|fjfi,j qualidade e 4o..p^^.l^)^.oad-m'^ Bopveneer 4a rerlade.
ser tudo de lei. Compra-se mro., prata e podras finas por presos muito ie-
Oaran
vados.
ra larga
Bosario,

A
loja est aberta
.
T-r
iteras da oate.
A f1 H





Ditto de Pemamiuco Te*, teir 14 de Jnho de 1*70'
BAZAR ACADMICO
13 Ra da Imperatriz .13
Ulysses & IrmJo proprietarios deste bem conhecido e acreditado estabelecimento
tea a honra de participar ao Ilustrado corpo ACADMICO e aos seus numerosos fre-
goezes, tanto desta praca, como de fra, que tendo sido elegantemente reformado dito
stabelecimento acba-se completamente sortido e em .condicSes de bm servi-los dos
seguintes artigos:
CHARUTOS
superiores de Havana, Hamburgo,
Bahia e
Rio de Janeiro etc.
Ci ganos
de palha de S. Paulo, de 30500 a 7.100,
o milheiro, Daniel do Rio No,vo, Maurity,
Imperaes, Tenentes do Diabo, Duque de
Caxias, Gandon etc.; de papel, de fumo
de Daniel, General Osorio, Conde d'Eu,
Kocambole, Radicaes, Acadmicas, Macham-
bomba, Montevideo, Orientaos, Baependy e
muitas oulras qualidades.
FIMOS
Afamados de BAEPENDY em caixoes de
20 libras 1)9400 rs. a libra, em pacotes
a 20, de 20 para cima a i 5800 e em maior
porcao I-500 o pacote de 1 libra, dito
em latas dequarta a (10 e 500 rs.. e outras
muitas qualidades mmo sejam: Daniel do
Rio Novo, do Para, de S, Paulo, Caporal,
etc. etc.
VVRIEDftOES
PONTEIR*AS para charutos e cigarros de
todas as qualidades gostos e procos.
CACHIMBOS de superior espuma, de ma-
deira (raizj de 3 at 6, a duzia e de ou
tras qualidades a retalho.
DITOS p de gailinhados melhores que
ba neste mercado a 35 e 3J500 a duzia, e
com grande batimento em mior porcao,
ditos de loucsu gesso, barro, etc.
BOLSAS de borracha e coaro de.diversos
gostos e preeos, para guardar funjo.
CARTEIRAS para cigarros de todos os
systemas.
PHOSPHOROS de cera, em caixas de to-
dos os tamaitos, de sqguranca a balSo etc.
PAPEL de milbo, de arroz, san-nom, Per
san, pintado, de Jinbo etc. palha de milbo de
Fernando a melhor possivel.
Alm dos artigos mencionados encontrado nossos freguezes outros muitos no ge-
nero de nosso negocio, que se vende em gro6so e a retalho e que com suas presentas
serio satbfactoriamente bem servidos: bem como nos encarregamos de qualquer en-
commendas de nessos cigarros de seda e linho, etc.
13Ra da Imperatriz13
GRANDES NOVIDADES
NA
LOJA DO TRIUMPHO
PARA SENH0R4.S. Ricas poupelinas de padroes lindsimos, e gosto nevo.
Cambraias bramas bordadas para vestidos. Poil d'chevre de lindos padroes por
barato preco de 560 rs. o covado.
Grande sortimento de 15as e alpacas de 320 rs. a 1)5500 o covado.
Saias bordadas, ditas lisas j feitas com barra de cor.
PAR.* MENINAS. Ricos vestidinhos de fusto enfeitados brancos e de cor.
Vestuarios de fusto para meninos.
PARA HOMENS. Camisas inglezas e francezas, de linho bordadas e de pregas,
com collarinho e sera elle, ditas bordadas para noivas. Chapeos de sol de cabo de
itarfira e le canna etc etc., luvas de Jouvin.para senhoras.
Grande sortiment > de cortinados para camas e janeas. Croxs para sola e ca-
rairas de braco e guarnic5o. Tapetes para sof e cama, para pianos e portas.
Colxas de croch para cama de noivas. Tapetes em pessa para forro de salas.
O nico e especial sortimentos das verdadeiras ESTEIRAS DA INDIA, s existe na
Loja do Triumpho.
Ra Duquo e Caxias n. 7.
m
ti
CO
t>
Com este titulo acha-se aberto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontrarlo tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nGS precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderados de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderemos, pul-
ceiras, brincos, allinetes e anneis de todas as qualidades, prata de ei faquei-
ros. cotheres, palileiros salvas e outros muitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, pcrmaior preco do
que em outra qualquer parte, trcca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arle.
mrnM
StF
SABIO A' LUZ A OBRA SEGUISTE:
DICCIN-* RI8
DE
DAS SC!E\US VCCSSORIAS
cuotendo a descripco das causa?, symptomas e
tratamento das molestias, um reeestuario especial
para cada molestia, e muitos conhecimentos uteis,
i' ediccao
reformada e consideravelmente augmentada
PELu DR.
Pedro Luiz \apt>leo Chernoviz
Dous grossos vokumes encadernados. contendo
* materia de quatro volumes ordinarios, com um
total de 2,296 paginas e 422 figuras no texto :
vende-se na livrara de Jos Barbosa -da Craz n. it.
Tendo melborado o cambio, o prero da obra
-est redazido a 25W0U.
SEGUROS
MARTIMOS
COMTRAFOCO.
k Companhia Indemnisadora, estabelecid
jeesU praca, toma seguros martimos sobre
navios e seos carregamentos e contra ogc
em edificios, mercaduras e mobilias:
roa do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Precisa -se de urna ama
'.meo-Pontos n. 71.
Amas
Precisa-e de urna ama para lavar e engommar,
e fazer o servido interno de urna casa, preferese
e-=crava : na ra da Imperatriz n. 2o.
Thomasia Barbosa Goimbra, sua filha, entiados
e genio, agradecem cordialmente pes,soas que
se dignaram assistir os ltimos sofTragios de seu
prezado marido Jos Antonio Gomes Jnior ; e de
novo convidam para assitirem a missa do stimo
dia, que lera lugar na matriz da Boa-Vista lerca-
feira 14 Jo cotrente. as 7 horas da maaha, pelo
que se confessam eternamente agradecidos,
mwa .
* R V *
Manoel Card jzo Ayres .e seus irmos convidan)
aos seos prenles e amigos para assistirem as
missas que mandara celebrar Das quatro fregu-
zias d'eeta idade, s 7 horas da manha de 14 do
corrente, trigsimo dia do faJIeci ment do nosso
Exm. hispo.
Atten$o
para eoziohar : ,na#
ESCOLA PB4RMACE0TICA DE PAB18
Medaflaa de Prata 1860
Precisa-se alagar unritio nos seguintes arra
brides : Maagninko, Ponte de Ucboa,
Novo e Soledad* : uem tiver dirija-se
Craz n. 38, armazesi.
Caminhn
roa da
DE'
UQUEUB
GOllDML^ffl
GTJYOT
EXTRACTO DE ALCATRAO.
nico atteuMnto appren*> por iodo* ot
Houiue de Franca, Beic. efiip,nhi, como a
jatlhot prparacao imUmnUn^ t rentad* em
^iotm da AGUA DE ALCATIFO.
( Duas eoUieraiai granda di liquido por cada
litro de a/ma, ou urna eoVttrada pequtna por
teda copo grande.) .
O weodlemlmr mte*e ncrfle* t* -
555.. *"" *^ ***-, m ,
Exieir e firma de imtinter. /?*
DBPoarro Oiaux gL^C^y
lie des Frwa-leirgMtt, 17 c-^^~2*.
Em PAIM.
Dwwro : m Me 4c Jmmtire, Putcnefla; nal
Bak, Sifre htftn m fernamtnet, 9. f
el C"; ni Herenkt, Pemira el i
Na fu Yelda n. 15 arecisa-se de urna ama
dosajwra comprare eoziohar para,easa de pouca
familta.
Precisa-se
De od homem portogaez u brasileiro. que
fueira ir com um tnoeo doente jwra Garar para
fazer todo e servico necessario delle, no,pateo do
jLHrrment0 4i. 36.
Irmandade Ao SS. Sacramento da matriz
de Santo Antonio,
Tendo a mesa regedora desta mundade do ex-
por vista dos neis na tarde de dia 16 do eotv
reole a solemne procisso do Corpo de Deas, ra-
ga aos moradores das roas per onde tem de pas-
car a meama .se dlgnem de as mandar linjpar,
cujas sao as seguintes : roa do Cabag, roa do
Rosario, Duque de Casias, travessa do Ouvidor,
roa do Imperador, Livramenio, trareasa de S.
Pedro, largo do Carmo, roa das Flores e Nova ;
assim eomo de eaaaervarera as suas varajidae or-
nadas com a pompa e rilhantismo devido ao culto do
mesmo Deas sacramentado.
0 eserivo, '
_______________Modesto do fiego Baptista.
Par bllca.
Precisa-se de urna pessoa eom alguma pratica
de pharroacia: a traur na roa da Gadeia n. 12.
Precisa-se de ama ama para o sejrricjp in-
,-Urno e externo de ama easa de pouca familia,
jjreferindo-se de meia idade : a trttar ca rnji da
^r*i*.n. 4*. pandar.
J. Ferrara VilleLa
PIIO TOCRAPIII 1 IMPERIAL
18RA DO CABUG48
A entrarla peto pateo da matriz.
Os trabathos da reedificacaa desta phutographia,
e que se prolongaram per tanto lempo, acham-s
felizmente terminados e ella aberta ao servico do
publico desde 7 de abril passado.
O predio em que est collocada esta photogra-
phia aeba-se mmto augmentado, e s a parte desti-
nada ao estabelecimento canta ciuco salas, inclu-
sive as do laboratorio. Todos ps concertos e aug-
mentos tendo sido feitas xpfessamente para se
montar ecnviojentement a photographra, e-nose
podendo melnor modelo escolher do que a PAoo-
(rcifiia Imperial de Sr. Iasley Pacheco do Rio de
Janeiro, o primeiro phatographo do Brasil, e um dos
primeiros do mundo, segundo a opiniao dos mais
abalisados raestres, a nossa photographia acha-se
dlsposta e reedificada pelo mesmo plano da do Sr.
[. Pacheco, a qaal fot montada sob todas as regras
recommendadas pelos mais desuncios professores
de accordo com as modificares necessarias ao
clima do Brasil, reconhecidas e estndadas pelo ha-
bilissimo e pratico Sr. I. Pacheco.
Todo o interior do predio em nne est nossa
photographia foi mudado desde a soieira da porta da
ra at a coberta, tend-se demolido todas as pa-
redes interiores para se fazerem as novas salas,
edificndose um novo terfaeo envidracadomui
espagoso e elegante.
Gomo isabiao, zemos urna viagem expressa-
mente corte para examinamos as melhores pho-
tographias all, e fof a do Sr. I. Pacheco, a que
melhor corresponden aos nossos desejos e aspira
cOes, e da qaal trouxemos os planos depois de
all estarmos todo um mez esiudandoS apro-
veitando as liedes de tiio dlstincto mostr. Pen-
samos qne juntando os nossos estados e tonga
pratica de 15 annos de photographia s utissimas
lindes ultiman ente recebidas do Sr. I. Pacheco,
tendo montado a nossa piotographia como se
acha, podemos offereeer o Ilustrado publico
d'esta cidade e aos nossos min.erosos freguezes
trabalhos de photographia tao per.'eitos, como se
poder desejar, e disjo conveacidos, esperamos
que coDliuaem a dispensar-nos a mesma pro-
tecQao com fue ba 15 annos nos tem honrado e
ajudado.________^_______
Attencjo.
Anda se continua fornecer commedorias
para fora com asseio e promptido, fman-
dndo-se levar a casa dos assigoantes que
o5o tiver portador: ra estreita do Rosa-
rio n. 35, Io andar casa particular d fa-
milia. __________^_________
O Sr. vigarie Bacalho que mora>u morou
na estrada de Joao de Barros, queira mandar a
esta typographia a negocio._________________
Precia-se alugar um escravo que seja co-
peiro, esperto, e que enteoda t comprar : no
caes de Santo Amaro n. 42, ou na agencia geral n.
21, praca do Corpo Santo.
PHARMACIA CENTRAL
Rua do Imperador n. 38
: 'Xarope de lactucario d'Aubergier, e d
ihery decio d'Abbidie recommendados,
como calmantes para os casos, em que se
nao pode usar do opio e de seus prepara-
dos, e mui convenientes para as crianzas
dos espasmos econvulsSes.
iNTRALltirA D^
DOR N. 38.
Preparados d'alcatrSo en capsutes, licor,
a xarope fmudooso. '
PrURMAClA CENTRAL Rl DO IJPERA-
DOR N. 38.
Pitlas de Vallet.
Ptalas de Blancard.
Pillas de Bland.
Xarope furruginoso de Blancard.
Confeites de lactato de ferro.
Pilulas de carbonato de ferro, laclado de
ferro, iodureto de ferro com magoezia.
Ferro de Quevenne.
Assucar'ferruginoso.
PHARMACIA CENTRALRUA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Vinho e xarope de pepsina e diarthare,
excellente tnico para auxiliar as digestes
difficeis nos casos de debilldade do esto-
mago
Paul ChauviR.
Mecha nico conhecido a 10 annos nesta cidade,
partecipa ao pnblico que tendo dissolvido amiga-
velmente a sociedade que tinha com o seu cunha-
do Carlos Pluyn contina a se achar a sua dis-
posigo para b que diz respeito a abprtura de
burras, machinas do costuras, armas, fechaduras,
colloca^o de campanhiuhas e todo qualquer con-
cert : praca do Conde d'Eu n. 24, outr'ora da
Boa Vista.
Deseja-se fallar
Aos senhores abaixo declarado*:
Coronel Manael Carneiro Cavalcanti de Albuquer
que Lacerda.
Jco Jos de Miranda.
Joaquim de Menna Cardoso.
A rua doDuque de Caxias n.
7.
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Rio venda : rua do Cabug n. 2,
ende Vieira & Rodrigues.__________________
CASA DA FORTUNA
Aos 5:0005
Bilhetes garantidos.
A rua do Crespo n.23 e casas do costume.
O abaixo assignado, tendo vendido alm de ou
ras sones, um meio n. 1032 cora 900# da lo-
tera que se acabou de extrahir a beneficie d
irmandade de Santa Anna da Madre de Dos (149)
convida aos possuidores yirem receber na con.
formidade do costame sem descont algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garan-
tidos da 2" parte da lotera beneficio da gre-
ja de 5. Sebastiao do Rmito (150), que se extrahi-
rsabbado 18 do corrente mez.
PrecosOs do costume.
Manoel Martins Fiuza
Urna eng. ramadeira
Precisa-se de uina eegomraadeira : na rua da
Cadeia n. 4.
CLUB POPULAR
Escola primara eratuita.
No salao do Club Popular, na rua nova de San-
ia Riti n. 1, Io andar, estara aberta todas as ter-
cas-feiras, das 7 s 10 horas da noite, urna escola
de primeira* letras para todas as pvssoas do povo
sem distraerlo e sem contribuir alguma.
PROFESSOR
Vicente de Moraes Mello.
ADJILvTOS
Antonio Augusto de Froi Menezes.
Manoel Francisco Honorato Jnior.
A, Clodoaldo de Souza.
Manoel R. Brrelo de Menezes.
Manoel Pereira Magalhaes.
Manoel Odorico Pestaa.
Joo Cancio Gomes da Silva.
Misael da Silveira Amara!.
Secretaria do Club Popular 9 de junho de 1870
O secretario,
Misael da Silveira Ara ral.
AMA
Precisa-se de urna ama para o servico interno e
externo de ama casa de pouca ramilla: a tratar
na rua das Cruzes n. 6. 2* andar._____^^^^
Juo lines i-inieata e sea
privilegio.
O privilegio por 10 annos requerido por Joao
Simoes Pimenta assembla provincial, alim de
que seja elle o nico nesta praga que possa ex-
portar fractas, macacos, doce, batios passaros
etc. etc.
ara alternado Contra a berdade de commer-
eio, ora revoltante monopolio. Convicto oo bom
juizo da Ilustre assembla, podemos Ibe dizer que
as bichas nao pegam Sr. Pimenta, porque os dig-
nsimos tem por thema dar expangao ao commer-
cio, e nao comprimi-lo. Os lempos dos Morga-
dios oa feadalisma, j se foram : boje predomina
o direito de todos pan esta, ou aquella profissao
licita.
Monopoliar o que traduz os seas anhelos
ser melhor cuidar em outra invencao.pois que nes-
ta perdeu seu lempo, papel e tinta, e encommodoa
a cmara eom sua peticSo, roabando-lbe 6 lempo
8 cudarera em materias mais atis, e qae muito
Ihe feram favor coasignar a sua burla oo expe-
diente At casa.
Adeus Sr. Pimenta, at breve.
Recite, 8 de jonbo de 1870.
Seu apreciador,
O fhantastna braaco.
Agencia de leudes
Rua do l'iiperador n. 16
Nesleifmaiem re. **- Pr serem vendido
em Jeilao, o am partic ''*' J*01* 80Dt de seM do"
nos'. movis usadds, lo *S* ehristtl, oa oatro
qualquer objecto de prom '^da ; assim como
mbem compra-se trastes' Fai-se qualquer negocio c *.,0Ja n. 42, eiU
a roa da cadeia do Recife, pn ^w P arroazem
de groco trato, por se achar e, *9 melhore k>-
cae ; 4 tratar na mesma. ,
Preeisa'86 de ama ama p to* servico
de duai pessoai : ia rua do Duqui '<* Gacia en-i
irada peto beceo do Onvidor n. 22, aniar.
Calpado nacional.
X. 19 Iludo 4ar Jos Vicente Godinno cora fabrica de oalcido?,
avisa a ledos os seus Iwgaezes, qae continua a
vender calcado em suaijmlyic* em ."grandes e pe-
quenas porjoes coma dantes, sendo mais barato do
que em outra qualquer parte. Assim como um
sortimento de pares de fdrntae francezas chapea
das para homem, do altilo gosto, a prego de
Confeitaria dos aoanazes.
16Rua da Cruz16
Saoto Amonio. S. Jo e S. Pedro.
Amendoas, as mais apropradas para sones,
vende-se em, arrobas e libras ; papis j promp-
tos com estallos para sortes ; recbese eneoin-
mendas de bolos paes-del enfeitados; as ensoin-
mendas recebe se cora antecedencia e as amendoas
em arroba terrao abaiimento no preco.
Mofina.
Roga-se ao Illra. Sr. Ignacio Vieira de Mello,
escrivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir roa do Imperador n. 18, concluir
aquella negocio qne V. S. se comprometteu rea-
Usar, pela terceira chamada deste jornal, em flns
de deiembro prximo pastado, e depois par;. Ja-
neiro, passou a fevereiro e abril, e nada eamprio,
e por este motivo de novo chamado para o dito fim;
pola V. S. se deve lembrar que este negocio de
mais de oito annos, e quando o Sr. seu Qlho se
achava- no estudo nesta cidade.
PHARMACIA CENTRAL RUA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Agua bemoslhalica de Lecbelle, mui re-
commehdada em qualquer caso de hemor-
rbagia, e principalmente Da thysica pulmo-
nar, e Das hemorrbagias uterinas.
PHARMAQA DENTRAL RUA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Xarope de rbano iodado excellente com-
binago do iodo com o sueco de plantas
anti-scorbuticas.
Este xarope empregado com grande
soccorro contra as molestias da pelle, os
engorgitamentos escrofulosos, o rachitismo-
cachloroso.
O vinho iodado de joly, e oleo iodado de
Personoe, s3o recommendados para os mes-
mos casos, e encontram-se nesta phanna-
cia.
PHARMACIA CENTRAL RUA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Variado sortimento de chocolate de ban-
Dilha, salepo araruta, ferro, e de sade, da
acreditada oCDcina de Menir.
Sabonetes d'alcatro, d'acido phenico, en-
xofre e camphora, recommendados para as
molestias de pel^e como sarna, panos, em-
pingens etc., sendo o ultimo de muia utili-
dade para o uzo do toilette, por preservar
a pelle de ser manchada das maculas, que
costumam accomeltel-a.
PHARMACIA CENTRAL RUA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Os melhores vermfugos para enancas,
Pastilhas de sanclonioa.
Ditas de Kemp.
Oleo vernifuga.
Tudo de melhor qualid.de.
PHARMACIA CENTRAL RUA. Di) IMPERA-
DOR N. 38.
Variadsimo sortimento de fundas de
excellente qualidade.
PHARMACIA CENTRAL KA DO IMPERADOR
N. 38-
Paslhas de balsamo de tol e de seiva
de pinho maritimo, para as affeccoes chro-
Dicas dos pulmes.
Pastilhas de therydocio e louro cerejo
para as tosses agudas, e de carcter nervo-
so, e para os vmitos durante o periodo da
gravidez, e qualquer affecco nervosa.
Pastilhas de bypophospheto de cal mni
uteis na tbysica pulmonar.
Pastilhas de angico naf, e de Regnault,
de hortela, pimenta, e de Viccley, de pe-
cacuanha e de Rennes.
PHARMAQA CENTRAL RUA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Cha purgativo de Chambard, excellente
laxativo, e refigerante, que se pode usar
repetidas vez?s sem irritar os intestinos.
1ARMCI4 CENTRiL
Rua do Imperador n. 38.
Lamploughs Pyretic Saline.
A preparatioo of well kuowo utelity to the En-
glish Faculty, as a cooling and refresbing beverage
iu all cases of fever. The frequent use'of th3 sa
une preserves foreigners frora many aiseases to
which they are leable before becoming acciima-
tised. May be obtained at the Pharmacea Central,
jaa do Imperador n. 38.______^_________
Para Santo Antonio, 8. Joao
e S. Pedro
Na roa estreita do Rosario n. 33 preparam-se
bolos de encoramendas, proprios destes das, sen-
do encoramendados dous dias antes, e tambem en-
fetam-se, tudo por preco commodo. Na mesma
tem sempre um grande sortimento de beuquets de
cera de differeates qualidades, e qae se vende
tambem por preco commodo.
Precisa-se de am moieaae qae entenda de
cozinha, e para o servico interno de ama casa de
pequea familia: na rua Imperial n. 130.______
Na rua Nova n. 30, !' andar, preciss-se alu-
gar um escravo de 14 16 annos para a servico
de casa.
D. Anna Joaquina de Mello Carioca declara
pelo presente que desta data em diante seu pro-
curador o seo sobrinho Jos Rodrigues de Olivei-
ra Lima, ao qual outhorgou plenos poderes para
Serencia de todos os seus negocios, ficando desta
ata em diante revogada toda outra e qoaiquer
procuracao anteriormente pela annunciante pas-
sada a quera quer qae seja. Recife 9 de junho
de 1870.,
D-se 2:00 a premio sobre hypoiheca em
alguma casa : na roa Direita n. 24, padaria, se
dir quem da
ENGLISH BANK OF RIO DE JANEIRO
LWITED.
O abaixo asignado tendo de retirar-se para a
Europa no prximo vapor inglez, declara que os
uegocios deste banco serio dirigidos dorante a
sua ausencia pe Srs. Joseph S. Karanley e
Lessels Henderson como gerentes interinos.
F. B. Bloxham,
Gerente.
---------------------------
Ama
Procisa-se de urna ama qae cozinbe : na roa do
Queimaflo n. 12, 1* andar._______ .
0 Dr. Santos Mello a seus
clientes.
Ausentme por 10 oa 12 dias, indo al a Ba-
hia aeorapanhar um dot ote amigo e importante :
peco, pois, aos roeus dimites qae se entendam, du-
rante mioha carta auscocia, ou com o Sr. Henri
qn qae' reside ni pharraacia e esta muilo habili-
lado, ou com qualquer oairo callega mea, ainda
que de systema d,lversc
Ama de leite.
Precisase de urna ama deleite : no Corredor
do Bispo, casa n. 13.
Na travessa da roa
das Cruzes n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de onro, prata e brilhan-
tes, seja qaal for aqnan-
tia. Dia mesma casa com-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
Precisa-se de urna ama para todo servico de
nm casa de pequea familia : na roa do Aragao
n. 38-
Na rua Primeiro de Marco n. 15, escriptorio,
recbese proposias para a collocaclo de vidros e
pintura no predio n. 23 rua da Cadeia.
Desapnareceu no dia i de junho crreme
duas beatas com os signaos seguintes : urna mel-
lada, nova, magra, dinas pretas, cauda aparada :
outra russa. magra, pequea, poldra, e ambas com
o ferro triangular na anca do lado direito : quem
apprehende-las avise no engenho Cordeiro, que
ser generosamente gratificado.
0 Sr. Jos Claudio Dubeux faca favor de traiei
o objecto que levou amostra da rua do Quema-
do n. 7.
Irmandade do Divino Espirito Santo da
igreja do Collegio.
De ordetn do nosso irmao juiz convido todos
os nossos irmos para assislirem ao officio paro-
chial que, de conformidade eom o corapromtsse,
ser celebrado no dia 14 do correle pelas 7 ho-
ras da manba pelas almas dos irmos fallecidos.
No dia 15 haver memento e missas pela alma
do fallecido irmo Jos Ferreira da Silva Maga-
Ihes, para cujos actos sao convidados o lestamet-
teiro e amigos do mesnm finado.
No dia 17 do mesmo mez haver missa com
memento pela alma do irmao Sebastiao Jos Go-
mes Pena ; e para este acte sao convidados os
parentes e amigos d'este finado.
0 eserivo,
Luiz Epipkauio Uauricen.
INSTANTNEOS
Travessa do Corpo Santo n. 25
ARMAZEM
Rua Nova n. 28, loja Antonio
Pedro de Souza Soares.
Bandeira, Machado & C, avisam ao respeitave
publico que nos lugares cima encontrara no mes-
mo sempre grande quantidade de ditos poces, e
que se acham habilitados para vender por menos
que outro qualqoer, por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante Norton, de Londres.
As vantagens que offerecem os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser collocados den-
tro de casa ou fra, cora o trabalho de ama a duas
horas; segundo, fornecerem os mesmos agu i pu-
ra e abundante, podendo serem removidos de um
para outro lugar, quando assim convier.
Os annunciantes s reeebero a importancia dos
referidos pocos depois de collocados, satistazendo
espectativa do comprador.
0 Dr, Sarment Filho
mudou-se para a rua do Imperador n. 29,
2o andar.
Consaltas e operacoes todo3 os dias das
10 horas ao meio dia.
Chamados por escripto a qualquer
hora.
U&3 ^3S
Precisa se de urna ama para comprar e co-
zinhar : na rua do Queimado n. 22.
75!
TINTURARA franceza
55-Rua da Imperatriz-55
Tinge, lava, limpa, lustra e achamalo-
ta-se, com a maior perfaico, fazendas em
pecas e em obras de todas as qualidades ;
como sejam : seda, la, algodo. linho,
chapos de feltro e de palha etc. etc.
Tira-se no-loas e limpa-se a secco sem
molhar os tecidos, conservando assim to-
do o brilho da fazenda.
Tintara preta as tercas e sextas fei-
ras.
Retalha-se, avantade dos compradores,alguns
lotes de terreno, que restam, do sitio Aguasinha
em Beberibe. por precos lasoaveis. A posica:> to-
pograplitca do terreno muilo o recommenda, sn-
bretudo por ficar prximo da estacao projectada
da via frrea. Os pretendentes podero diri(.'ir-se
informarse do tenente S Pei-xoto, no mesmo
lugar, e para qualquer negocio rua do Crespo
n. 12, 1 andar.
Agencia em Pemambuco
Do Dr. Ayer
Petoral de Cereja
Cura a phtbysica e todas as molestias do peito.
saisa parrilha
Cura ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
tros.
Tnico
Conserva e limpa os cabellos.
Plala catbartlcas.
Puramente vegetaes e sem mercurio, cura se-
zes, curara e parificara todo o systema humano
Vende-se efectivamente em casa oe Samuel P
trasloa A C.,raa da Sanzalla Nova n. 42.
AMA
Na rna da Peana n. 13, lava se e engomma-
se para fra.
Precisa-se de urna ama para servico de donlro
e fra de casa de pouca familia, preferese escra-
va e paga-fe bem agradando : na roa Velha nu-
mero 66.
Dividendo
Paga-se o 5* dividendo da massa fallid de
Araorim, Fragoso, Santos 4 C. a rasao de 0|0,
no escriptorio da roa do Vigario n. 13, i andar,
as tercas e sextas feiras das 11 horas da mmha
i d urde.
ATTENCAO
Urna pessoa qae vai provincia da Baha ofTe-
rece se para tratar de qualquer negocie, dando
fiador : appareca na roa de Hortas n. 94.
Engommado, .
Na rua da Imperatriz n. 88, 3o andar,
defronte da matriz, engomma-se roupa para
algnm collegio de men nos.
Padaria.
Em que se offerece soeiedade a urna pessoa qae
esteja habilitada para a sua administracao, e tam-
bem se Ihe cede a casa, se assim convier a am*
bos : a tratar no caes da aMandega o. 3.
Attentjao
Na remoao da rna do Raogel n. 43 preci;ia-se
de trabalhadores para a mesma.
Criada
Precisa-se de ama criada hvre oa eserava,
qae saiba bem eegommar e tratar do servico in-
terno de urna casa de punca familia : a iraur no
Maogombo, casaneva dos Srs Carpinteiro ou
ao eies d'alfandega ve se bem. "'
AVISO
O Sr. Joaqnira de Siqueira Cavalcanti pede-me
que declare a seu irmo Francisco de Siqueira Ca-
valcanti, tenente honorario do exercito, cfaegado
ltimamente dos campos do Paraguay, qae eile -e
acha presentemente residindo na villa do Aquira.*,
provincia do Cear, onde csperi abraca-lo, fazen-
do votos pela sua feliz chegada sua trra natal.
Octavio Alfonso do Mello.
COMPANIIIA PERNAMBUCANA
DR
%avcgai?5o costera por vapor
Os Srs. accionistas que tizeram a primeira en-
trada de 20 00 sobre o valor das accoes que
subscreveram, qutrendo realisar o lotal das raes-
mas podem faze-lo, dingindo-se ao escriptorio da
companhia no caes da Assembla n. l, onde >-\{i
tal caso Ihe sero entregues os respecivos litu: >s
Recife 13 de junhj de 1870.
O gerente.
F. F. Borges.
Precisa-se de urna ama para casa de a:ia
senhora viuva cora um (ilho : a tratar na roa do
Amorira n. 35.___________^_____________
Deseja-se saber onde inora ou ise existe Vi-
cente Ferreira dos Res : na travessa do Marisco
n. 16, freguezia de S. Jos^_________________
Precisa-se comprar urna casa terrea em
bom ou mo estado sendo as ras do Coxo,
Aljube eMathias Ferreira da cidade de Olinda .
nesta typographia se dir qual o pretndeme.
Do terreo em que o abaixo asigia-
do tem sua olaria no Beco das barre,ras,
desapparecero dois cavallas de sua proprie-
dade, na noite de 5 para 6 do corrente,
com os signaes seguintes : um russo, e
grande, com a mao esquerda achacada, es-
tando es^ mo sem ferradura, e a direita
com ella, he nafego de todos os dois quar-
tos: o oulro he russo pedrez, he e tama-
nho meian, bastante carnudo, com ambas
as mos achacadas, cujos achaques j foram
queimados ha muito tempo; todos dois sSo
iuleiros. Consta ao annunciante, que estes
dois cavallos foram ter ao sitio de seu visi-
nho Marcelino Jos Lopes, d'onde foram
langados fora do porlo d'aquelle sitio alta
noite, ordenado por tal visinho a seus -s-
cravos; por isso quem souber onde elles
se acham, oo der noticia, apprehendendo-os
leve-os a casa do annunciante no dito Beco
das Barreiras, que o mesmo saber gratifi-
car
Recife 8 de junho de 1870.
Antonio Martins Salilunha.
FEITOR-
Precisa-se de um feitor que entenda
de arvorelo, e jirdim, na rua do [taque
de Cixias (antiga rua das Cruzes), n. M,
. andar._____________________________.
Aluga-se na rua do Hospi io esqui*
da rua do iiaqhuelo, urna preta de SO
annos, que sabe coser, engommar e fazer
o servido interno de urna cas de familia,
sendo muito carinhos p^ra crasne-s.
Na rua do Marcilio Dias, oul'rora rua Direi-
ta n. 88, 2o andar, precisa-se de urna eserava pa-
ra lavar e engommar para pequea familia.
Na rua do Nogueira n. 23 precisa se alugar
urna eserava para cozinhar e comprar.
Precisa-se de um copeiro : no hotel de Flan-
ea n. 10, na rua das Larangeiras.___________
O juiz da irmandade de Santiago eonvidi a
todos os irmos da dita irmandade para no dia 19
do corrente, as 10 horas do dia, comparecerera no
consistorio da igreja do Pillar, para se proceder i
eleico da nova mesa regedora, isto em cumpn-
raento do despacho do Dr. provedor de capella,
que raarcou o praso de dez dias para o dito fim.
como foi-nos intimado.
Marcelino Pereira Soares,
Juiz.
Ama.
Precisa-se de urna ama qne saiba lavar e en-
gommar com perfeico, para casa de ponca fami-
lia ; na rua dos Pires n. 23.
Irmandade do SS. Sacramento do Corpo
Santo.
Era nome da mesa regedora convido a todos os
nossos irmos i comparecerera no consistorio da
irmandade no dia 16 do corrente mez, as 3 horas
da tarde, aflm de encorporadps aeompanharmos a
procisso de Corpas Ghnsti ; para o qae fomos
convidados pela irmandade do SS. Sacramento da
matriz de Santo Antonio.
O eserivo,
Maaoel Jos dos Santos.
VENERAVKL ORDKM TERCEIRA-D4
PENITENCIA DO SERAPHICO PADE
S. FRANCISCO DA CIDADE DO RE-
CIFE. :
A mesa regedora desta Veneravel ur-
den), manda por esta secretaria, envi-
dar aos nossos charos e respeitaveis ir-
mos, para rennirem-se na nossa greja
no dia 16 do eorrente pelas 3 horas oa
tarde, paramentados com seas hbitos,
afim de eocorporados .c^mpanrwrraos
a solemnissima procisso de, Wrpos
Christi, que tem de sahir da rea ma-
triz do SS. Sacramento do bairro de Sao
to Antonio. .,.
Secretaria, 13 de jnobo de 1870.
O secretario. Jte.B.CIimaco da Silva.
C8M t* PLORES.
Esta nova loja tetilulada Cesta de Plore!, loado _
ama da principaea modista, aproafpara com
exacudio e conforme o gosto de qnalVW pes0*'
tado qnant3 pertoncer a urna senhora de toir.
Aorompu vestido, chapoa, e todo com a maior
braridade e preco commodo. Tem todo manto e
preeiM aera este nm e naptados, do qoe ha com
aaMidade : na rna da Imperatriz n. 31.
i
i -



AO ARMAZEM

17-1M
Ama.
Preclsa-s* da ama ama' para cozinhar : na roa
da Scnzsda-telha o; 8*
PrtefcB-ie d um cpeiro: no boel de Frar,:
5*. ra do Commercio n, 11.___________ ,
Precrea-s de ama mulher livre para cozinhar em cija de tt*
mMa, pagase bem : quem pretender dlrija-se
ra do Torres n. 11
Acaba de caegar a este esiabeleeimento novas facturas com importante sortimento
anifos abaixo mencionados preces os mais resumidos que-* possivel.
FOjGO CflINEZ DE SALES
Para os festejos de Santo Antonio e S. Joo
Graade'variedade destes Irados foguinhes de artificie chinea, de vista de cores e -eSeitos ma-
goiucos de serpeheader, fabricados propiamente papa sates e serem sollados por meninos e me-
ninas sem o menor receio de serem onendidos.
BALLfiES AEREOSTATCOS
Estes mtmssan les tooHJes de papel de seda de cores feitos na Cima, cora 6, 8 e K) al-
mos de altueo, "ito elefantes e facis de subir com espirito de vrano, pcdem ser soltados das
varandas.
FAPBIi PARA E\FEITAK BOLLOS
. Papelirendado mnrto -bonito de diversas larguras para afeitar bollos de S. Joao, aereos
LUYAS DE PELLK
Do afamado fabricante Jouvin.
Sortimento complete-de brancase de cres, maito boas de se escolher, em uanto eso bem
frescas e sortidas. "
Para senhoras tr meninas.
Bolinas.pretas, brancas e de muitas utras cbem surtidas e bonitas, do ultimo gosto da
KOT1 VIS, BOTAS E PK\EIHAS
Fara hornease meninos.
Botinas de bizerro, cordavao, rustro -pellica, botes rasamaavde tnierro e de lustro, per-
neiRts de lualro.tanto pardmeos como paca meninos.
Sapatos
i-. j> 22?" ** borracfca para horneas, senhoras e meninos, -sapatos de invern ara horneas,
uitosde lustro eoi alto para bomens, ditos de tapete aveladado, de casemira e de ranea trn-
celes e poruaguezes para horneo?, para senheras e para meninos.
PEEFMAElJiS
Fims -extractos, tambas, leos, agua divina, de cotogne, de tavaotie, e de florida, untara
para abellos, pomada anfreise para bigodes, ps de arroi jabonetes.
ftuinquilharias
E peHios grandes erpequeoos. leques, albons e caixlhos para retratos, eslerioscope-i wn
lias wstas escotadas, becgallas, chicotes, correles de plaqn para relogios, gravatas, ocnlos
mnet*-, caixmhas de costara ornadas com msicas, pbolographias. mgicas, colTre^mhos mgicos
para desiapparecer aunis, ditos ditos para relogios, joges de domin, bagaietla, redetcs, e outro*
mitos joguinhos francezes e allemas, jarros com bouquels de flores de porcelanas para san-
tuarios, eestinUas diversas para braco de meninas, objectos de pbantasia dourados para loiletes ri-
cas escoras para cabello, para vestidos de senbora, para chapeos e para barba, pontetras de moma
para agarros e para charetos, abat-jnr para eandieiros agaze para lanternas de piano, caixinhas de
msica-t,c dar-se corda, ps de vidro para pianos, realejos grandes e pequeos, aecordions, cosmo-
iama3 ecm as mais importantes vistes, molduras deuradas para cuadros, bonitas eslampa* de pai-
^agens,de figuras e de santos, carriahos de 3 e de i radas para conduzir meninos4 passews, ma-
e Dolas para viagens, bercos de vimes os mais commodos que ha para enanca-
Para este artigo ni) ha espaeo nem tempo para a massante leitara da infiniade ds gene-
de nnnquedos fcbncados em divepos pases da Europa.
Antonio Nones Beiro de Rezeotle retira-se
para Portugal.
Ama
Precia-se de ama ama para casa de pouca fa-
milia na ra do Crespo a. 18, seando andar.
AMA.
Prerisa-se de una ama forra mi escrava de
meia idade : a tratar na ra do Duque do Casias,
aatiga ra do Qneimado n. 69.
Precisa-se le um caixeiro
roa Augusta n. t6.
na taberna da
Trabajadores.
Na reiinacao da ra da Senzala-nova n. i pre-
cisare de trabalhadores qn saibam trabalhar.
Precisa-se de um amassador: na padaria
allemaa : na travesa do Lima n. 2, em Santo
\ nutro.
_JN______ 1 II 1
COMPRAS.
0 muzeo de joias
Si roa do Cabug o. 4 compra-se ouro, prata
pectras preciosas ipor procos mais vantajosos do
p em outra qualquer parte.
'Compran-M vendan-se diariamente para -sra
reentro d* prorincla escravos de todas as tdades,
tares e sesos, -com tanto que sejam sadios : no
rceiro andar do sobrado u. 36, rua das-Cruaes,
fregueria de Santo Antonio.
Com muito maior vantagem comp
ouro, prata e pedras preciosas n obras vehas: na
Soja de joias do Coracao de Ouro a. 2 D, roa do
Cabng.
Compra-se urna casa torrea boa, situada em
>>auto Antonio ou Boa-vista: na ra da Florenti-
na n. S.
Santo Antoaio : i tratar no arco da Coneeieao nu-
mero 5.
ris, dando o anaunoianie os ascos: na ra ?ova
de Saata Rita (riberra do perxe) armazem n. 19.
Ja=
ros
ODAS.
As segruintes obras
A tirgem do mosteiro, e as memorias de R-
ckelieu, per Jo6 Victorino, ambos encader-
nados em um so vo!. por 3000. Colas
cont suisso, ene. i vol. por 1)5000. Como
d'tvorad*. poesias por M. da Rocha, i vol.
ene. por SJOO. Flores singlas, por Paes
de Andrade. Ultimas paginas, por P. de
Calasans. Illusws perdidas, por C. de
Azevedo, todo encadernado em um s vo-
lume, por 81JOOO. Jovita a voluntaria da
wrie por J. C, e Alberto, scenas de um ro-
mance, por J. Gandido, ambos ene. em s
vol. por 3i$000. Palmyra>i ceguinba bra-
sileira, romance em 7 cantos por Dr. Boni-
facio de Abreu, ene. em um s vol por 5.
O cavathen d'Harmentat por A Dumas, i
vol. encadernados, por 10#OGO.
Tambem vende-se as oollecces de leis
provinciaes faltando apenas 3 annos, por
OdOOO, tendo 27 vol. me broebura, tam
bem tem entras obras que a vista se mos-
trar*), qae tudo se vende por preco em
conta. Quemquizerdiiija-se a esta typogra-
gtwa-qne se dir" quem vendft.
PecEcha ~
No pateo do Garmo n. armazem do
Ribeiro.
MaMga inglesa a 900, l 408 e 1*300 a libra.
Diu Trncela a 7S0 rs. a libra.
'Cha nerola o flue ha de mfeer a 2j e -300
a libra.
Dito hysson a 35 a ltbra.
Queijos flawengos novos-a i400.
Volas de espermacete a 730 rs, a libra.
IIUIIII!)
Noarmatem do Sr. Antonio Annes Jacome ven-
de-sa mais barato do que eui qualquer outra par-
te : a tratar na ral' da Cruz n. 38, armazem de
Meills Lathan & C.
Vende-si a casa torrea n. II, em chaos pro-
prios, sita em Olioda ra no oito. do Amparo,
com 4 quartos, corredor ao meio e das salas : a
ratar no Io andar n. o ra da Cadeia do Recife.
irc\i
Engenho.
Vende o engenbo 'R*eirab da freguezia de
Santo Anuo, situado pouco mais de urna legoa
a'strada da-Victoria, de torras mui'o producti-
vas, podendo saffrejar para mais de 1001 paes an-
anaes, com oom cercado toito todo de vallados, e
moito boas obras; o engenbo d'agna e est
leme e correte : qnem pretender esto negocio,
dtnja-seao-mesmo engeribo, oa a roa da Concor-
lia n. 13.
a
Fjrrlohn de naMHoca.
Saota Caharma bordo do bgne sneco O/ous,
qne se acha fondeado em frente do trapiche Ba-
Compram-se { pipas de mel de faro em bar-; rao *> Uvremento; seos consignatarios Amorim
h-maos 4 C, ra da Cruz n. 3.
Vende-se
^^PJiaulaasgoria'!!!... p^
Pes de roseiras de varias qualidades, de cravei-
-i-as, de potis, de Wgueiras, de abacates, de i-
obaros, de palmeras, de laranja cravo, por ba-
rato preco : tratar na Boa-vista, roa do Mon-
ago n. SI.
NA
Loja ingleza.
50Passeio Publico_.60
Jieste grande eslabelecimento encontrara o res-
peitavel publico um grande sortimento do fazen-
das de todas as qualidades, sendo ioglezas e fran-
cetas que se vendem por muito mtnos do que em
outra qualqusr parle.
COMO SEJAM :
Chitas escuras e claras, finas de cores flxa a 240,
260 e 280 o covado.
Cambraias de cores, padrSes modernos a 280 e
320 o covado.
Laazinhas muito finas, padroes de goslo a 400 o
covado.
Madapoldes finos de 4060 para cima.
Algodao branco a 31 e i.
Cortes de fusto para calca a I .
Ditos de brim^ardo a \, l200e UoOO.
Ditos de casemira preta a oOOO.
Calcas, paletots e colimes de tedas as qualidades
e presos.
Na loja ingleza do Pa-seio Publico.
Lade canna.
Vende-se la de canna bem secca por pre>?o com-
modo, phosphoros do gaz a 280 a duzia : no pateo
do Carmo, esquina da ra de Hortas, armazem
numero 2.
Madapolao encorpado proprio para saias e len-
pecas com 20 varas, por o* : na ra do
po n. 2o, loja da esquina.
1
FOGOS,
ATTENCA
O dono desle tabetocimento pede ao publico em gera! ncanaa as qualidades os projs baratos de ditos -objectos por-eeram viaios em direilura e de
(.onta propria.
O Campos da ra do.Imperador d. 28
reoebeu da corle fe vende em sea estabe-
ciweno diferentes fogos proprios para sa-
loes : foo Aleiras vmx'i&ades itcsia pro-
vmoia.
Ainda vende que.ijos a 5300, sao os me-
lhores que ha no mercado, sao ostnais ten-
ros e frescos.
Tambem vende pescada a 300 rs, li-
bra
TODO NO ARMAZEM DO CAMPOS.
Farinha deinandoca
Chegadas ,'timamente do Rio de Janei-
ro, em saceos grandes e mais baratos que
em outra qualquer parte: trata se na ruai
do Vigario a. 11 Io andar.
Sortea Para S. Joao
U raa*d Coneeieao n. 30 e ra dos Ourteis
a. 22, vende-se lindas sortes para-g. Joao por pre-
ces mao cemmddo. Na mesma ra da Gcmcei-
oo prepara-se qnakjuer encoromenda de bolo de
ijualquer qualidade cera muito aeeio, promptidio,
e modteos' precos.
Paiinha de mandioca
igual a de Murifceca.
Em tecos de \)us alqueires o de panno -de
igodaa, cuja medida corresponde de oa 8 Oi0
mais de que a medida daqui e do Rio de Janeiro,
vende se a preco menor do qne em qualquer ou-
tra partote : tratar com Joaqcirn Jos Goncal-
ves Belnxio, em sen-esciHptorio a ra do Contraer-
cw n. 17.
CABELLEIREIR FBANGEZ
51-----Sua da Cadeia do Eecife-
A 5^000
Vendo-e botinas do cires para enhoras, pelo
diminuto preoo de neo mil reis o par, 40 ejres
muito boBiia.% obra bem feita : wesham a-rua da
Cadeia n. SO A, loja da Madre de lien?.
51
eral,
v^ama a attencao dos seas innmeros fregaezes, e do respeitovel publico e
parar a seguinte tabellir do6 precos de sua casa, ofe quaes t3o vinte por cecto
mais barato do que em outra- Cabelleiras pra seuhoras a 5<& Ca
30i5, 355 e. .
Ditas para hornero a
Coques a l, J5,
255, 305 e .....
Cresceutefi a ir>& 15VJ, 185, 05,
255, M| -.'.. -.
Cachos ou W, 75, 85. 95 e. .
Tranca de cabello para annel a
500 e. ....
Tranca para braceletes a 105,
15&205, 25o.....304000
355, 405
405O09
505000
5050OO
325000
405000
5000
Cadeias para uelogio a 55, 65.
75, 85, 95, 125 e. .
Corte de cabelle, ....
Corte de cabeile com frieco.
Corte de cabello com lavagem a
champou......
Corte de cabello-com limpez da
cabeca pela machina electri
Frisado ingieza ou franceza.
BarJu.........
1550
1500
ASIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para easamedito
Bailes colorees
O dono do estabelecimento previne
Exmas. Sras. e aos cavalheiros qae ha oib
Recommenda-se asoperior TINTINA JA
PONEZA para enegrecer os cabellos e baj
clao para datura dos cabellos e barba, as-jba' aD^ admittida na ExposicSo mversil
orno nao prejudicial i sade, por ser vo
san como ara empregado smente occupa-'iatil, analysada e approvada pelas acadfr
do nesse servico. I mas de 6dencias de fARIS E LONDRES
s-fg^&s -
B O S B ~-
zz.1.- S s 3 a
5S^ B9-D "
J t que deiwaria.
A' na -do Cropo n. 5.
1 Cmbraias braceas victoria de ns. 12 a
* 30.a 3* e US'M a peca.
5 Madapolao uno a 4500, ij,, 5*500
2 OSO a peja.
SAlgodoznho a 34000 a.pe^a.
Algodao trancado braaco americano a
t 3S0 rs a vara.
. Algodao amecicano de liseras para rou-
t pa de e.-cravw a 40 o cavada M
i Aigodo atul. cuai oi eovados a 5 u SgS
peja. w
i CamLraias m^tisadas de cores a 280 o "&
i covado.
. Mui^c.iinas brancas a iOO rs. o covado
t Basquinas de-^rosdenaple e gorgnrao
I de seda ricamente enu-italas a 18000 ;
, cada (iBia.
! QiiU matizadas claras e mindinhas a
i 240 e 380 o covado
Leneos brancos Anos, urna caixinna
i conloado una duzia. .por 230O.
Crtenle cambrajae barra enm duas
saias jfjo corte.
Do-se amostra na ra do Ceespo d.
15, loja de Manoel Dias Xavier.
Cavailo.
NKa eccheira da rea de Santo Amaro n.
de-sn um exelente cavaho de cabriolet.
I ven-
Para Santo .lntonlo,
S. Joo
S. Pedro.
Grande deposito de fogos artitkiaes para os M-
.uedos desenhoras e enancas nos dias de Sant <
Antonio, S. Joao e S. Pedro, a saber: pistolas
brancas de 3, i, o e 6 balas.ditas coloridas de 3, i,
a e 6 balas, rodinhas brancas e cloridas fontanas,
cravoiros, chafarizes em nonio pequeo, rodinhas
com illuminacao colonias, fogos de bengala,fogos
do arde I e bombas, ditos de bemba real, tan-
ques chtaezes, baloeszinhos de 3 e 4 palmos, pro-
prios para soltar em varanda com espirito de vi-
nho ou mesmo gaz, alem de oulro maior sortimen
to que s com a vista do comprador : na ra L)
reita n. 53. loja de Lenidas Tito Louryro, antiga
loja do Braga.
""MTjoHT
lina DI reita n. 53.
Completo sortimeritode facas e garlos de batan-
eo de 1 e 2 botSes, bandejas chinezas com lindos
esmaltes, culheres de metal do principa para cha
e sopo, trens para cozinha, salitre, breu, barbante,
enxofre e papel, a!em de um completo urtitncnio
de erragens, miud.-zas, cntiblelrias, mach as pa-
ra descarocar algodao, moinhos paia caf, etc.,
todo-por menos preco do que em mitra qualfiuer
parte : na ra Direita n. 53, leja de Lenidas Tilo
Loareiro. antiga loja do Braga.
Em casa de Mills Latham"& C. 1 ua da Cruz
'18, vende-se sabo mglez de diversas qualida-
Lojala Bella-vista, ra da Imp-ratriz n. 13 A.
Xeste'Bovo estabelecimento vende-se por barat-
simo preco um grande sortimento de redes de lu-
cum viadas do Par.-i.
nico deposito
Ru. do Figario n. 1, sbralo.
Vende-se eom abatimento, autorisado pelo fabri-
cante, o rap fino, assim como ha juca vender o
nagninho, nuijado, e meo.jrosso.
LilLVSS
. ," c>'SBe A rna d> fmperatriz n. t4. acaba do r
'.negou pele vapor franoez, urn *rruide sorti- [-eber pelo ultimo vaper lindos e modernos cortes
mito 4e Ium fie pellica de Joovia, brancas! prtas ede cores. Era casa de Andr Oelsuc, ca- '-dos, os
CORTES 0 SEO
befeireiro, ra do Priraeirode marco n. 7, l an
dar.
Terrenos
\ede-se um terreno na na de Luiz do Reg
em Santo Afliaro, de ruado, oom urna asa terrea edilicada ao mes-
mo terreno.: quemo pretender/ denja-se a ra
Nova a 29. qjie achara com quem tratar.
lisos e mati-
modicos.
quaes vende por presos
Calcados baratos.
Vende-se sapatos de tranca de Lisboa para no-
wns e senhoras a 23*000 a duzia. e a 'OO o
par, garntesela boa qualidade : na raa do u-
de Caxias n. II.
Rival sem segundo,
Rl'i DUdl'KUE CAXt** \. 49
(Amiga rna tio Queimado)
Contina a vender tu muilo barato a saber:
Quadernos de papel pequeo a. b
Libras de areia preta ruitoboo. 130
Tesouras finas para nnhas e co*tu-
ra a......... 509
Papis de agulbas franeczas a bi-
lla 1.......... 60
Caixas com seis sabonetes de fruta l>0Otf
Libras.de la para bordar de tod;s
as cores a.......G000.
Caivetes finos para aparar penas
lapis a 500, U e.....
Carrileis de lmha Alexandre a. .
Frascos com azeite para machinas
Gravatas de cores muito finas a .
Grozas de botoes madepersla -fi-
nissimos a.......
Pares de luvas de cores muilo .fi-
nas a 320 e.......
No vello rJe linha de iOO jardas a.
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a......
Pentes volteados para meninas a.
Tinteiros com i>nla preta a 80 rs. e
Pecas de fita elstica muito fina a
Lata com superior banha a loo e.
Frascos de oleo-Philocomo muito
lino a......'. .. .
Ditos ditos dito grande a. ... .
Frascos de macaca perola a. .
Frascos de extracto muito b nitos a
Duzia de sabonetes muilo finos a.
Sabonetes inglezes a 000 rs. e. .
Frasco com agua de colonia Pivera
Dito de oleo baboza a.....
Caixas de lamparillas 0. .
Sabonetes a forma menino muito
superiores a.......
Lartilhas da doctrina fazenda nova a
Libras de linha surtidas do ttdos as
nmeros a.......
Duzia de pomada do Porto muito
superior a.......
Babados de Porto, largos a IGO e
Capachos muitu bonitos e grandes a
Carrileis-de reros preto, com i
oitavas a........
Agulheiros de osso enleitados a, .
Libra de linha franceza superior
qualidade a.......ri-yi-"
Caixas de palito do gaz a. j.-i
Bonecas de cera muito bonitas tk
500 rs. ....... 2-50C0
A ra do Duque de Caxka h 2).
(ANTIGA RA DO 0CIMAD0)
Nao foi sem fundamento que a NOVA
ESPKRANCA tem deludo de l'szer os seos
annuncios, a razio simples, ella "eoteode
que tudo em demasa aborrece... por isso
como j-tinba dito -e sciwtificedo Vi sua ijo.
freguezia o que-constantemente ia receben-
do, ou tivesse feito muitas vezes, receioo
tornar-se massaute, assim pois receheo-se
um potco ao silencio, mas nunca deixando
d'eaprcgar os verdadeiros esfoigos. j con-
tratando maior numero de correspondentes
na Europa, j! descobrindo objectos do mais
purado gosto e Imalmento assigoaodoo
Jornal das Familias, o qcal vero EOBlpre
ornado com iui inos, moderaos moldes par.
vestidos etc. etc. para dcsla f-rma mtiher
servir a sua constante freguezia; ecom es
peciilidade ao bello -xc, qutm a NOVA
ESPEANCA ufaMse em qdrrecer-lbe
seus serviros, apreseando-fe desde j era
declarar que lem recebido ltimamente
Mitremeio e bata-ms bordados trans,oa!'::
tes e lapadjs, chaposinbos o> setm para
baptisados.
Finas toncas do cambraia bordada para
o mesmo lim.
Meiasde seda e fio de escocia para cri;->
Cas.
Dedaes d'osso, marfim, ac e madrepe.
rola. '
ptimas Davaibaf, a/adores e massa Da-a
as ict-sms. ^ '
500
l(K>
500
5CH)
00
oC'O ,
80-
(00
40
100
200
200
500
1000
2i0
300
720
1,5200
soo
500
40
210
iOO
I48O0
280
atOO
"w
640
210
a "* S r i.
es 2.3 g erg
ff 2 S
.5=
s
f
si.
3 o C^.S
Bg ?. B
*
a
SS|S
"8
5 o.S 3
o S
hu in t,
i ii un 11.
A ttengao
Vendem-se oa trocam-se por casas nesu pra^a
on me; o por -sitio perio da cidade dnas bareacas
. de lote de 30.caixas, bem apparalbadas e promp-
' tas navegando : a trajar a ra do Passeio na-
mero 36.
rame de ferro galvanisado em rede para cer-
cas, faiota?, gallinheiros etc.
Chapas de ferro galvanisado para cobrjr casas.
Tachos de ferro eaanhado para eogenhos.
Cofres de ferro de .Milner e oalros autores.
l.huQibo en i cano.
Dito em Jencol,
Dito em barras.
Dito em ercudas.
Estanho em barra e argninha.
Folha de fladrea.
Arados amerieaiios para Jadeira e area
Carrinhos de oao.
V>upziana.< para anelU?.
Machinas de descarocar algodao de facSo
Bitas de serra.
Ditas para cortar,Auno.
Ditas a vapor de forea de 3 eavallos e motores
pnra 2 cavado?, para mover as machinas de al-
godao.
Cadeiras de ferro.
Cama* d ferro.
Prenas para copear cartas,
Bataneas para pesar.
Oleo de linhaca em latas de ferro.
Trilhos de ferro para eogenhos e um grande
amimeoto de ferragens e catilaria. '
Vende-se por metade do sea valor nm terrano
forniro, onde se acha edificada parte da eidade
do Rio Formoso ; ealuga-se, ou vndese o so-
brado n. sito na roa de S. Pedro Marivr de
linda : a tratar na rna do Imperador n. 50.
A econemia das fa-
milias.
Acaba deakrir-se de novo a loja e armazem da
Arara, oa roa 4a mperatrir n. 72, que tendb con-
cluido todos os seos egocios ommerciaes; ago-
ra vai fazer urna -liquia^ao da -todas as >uas fa-
zendas-sem reserva de preco?, s cora o lira de
liquidar ; por isso se .convida a todas as familas
para mandar ver as amostras de tadas as fazeaias
para ver as qualidades.
A SABER:
Alpaeas de cures para eslides, das de coree,
atoalhado de Unho, bramante de linha, organdis de
.cores, eassas rancezas finas a 210 o ewado, chi-
tas francezas escuras e claras a iti, 280 e 320,
grosdenaplos pretos de todas as qualidade?, ril
iw-aoco liso e lavrado, brim pardo a 300 o metro,
bnm branco de liuho fino, gangas para calca a
32d o covado, castor para calca a 160 o covado,
casetniras pretas para calcas, paso fino preto de
todas ae qualidadra, casemira* de cores, roopas
feitas de todas as quadades, paletots Je ganga a
2000, dilos de brim a 2jJO00, ditos de alpaca a
2*000, algodao a 4/000 a pessa,* madapolao a
8f, cobertas de chila a t{, cobertores de algodao
MMDADES.
Cltegaram a ra Primeiro de Marco n. 3, loja
a mOnSearaes C's Rices cortes de seda lisos e mateado?
superiores casacos de faia preto?.
Chapeos de seda de cores para senhoras sora-
bnnbos) bordados e lisos.
dadeUd ,"m de CreS de difrereDles! *
Faia pret e branca, lavrada e lisa.
Ricas saias bordadas, brancas e de core*
Precalas, cambraias, brilhanlinas e fujtcs de
oores modernas.
Leqoes brancos e de madeira preto?
J.-30 RA DO IMPERADOR N.-30
Ao ounves.
isS^f5 e garfos com cab0 de Parla. o par
Brincos de cora! a 20, 4-5,0$ e 180.
D.t-os de fantasa, obras de gosto 80000
Pulsaras para meninas 16:5000.
Ditas oou esmeraldas e brilhantes.
Rozetag de ouro de 18 quilates a +H e
10,K)00. w
Attengdo.
Carne do serto muito nova, manteiga franceza
a 720 rs. a libra, dita ingleza a U300, l00, 900
e 800 rs. : na camboa do Carato a. 2. esquina da
rna das Flores, armazem de Siqueira St Irmo.
Vende-se urna taberna com poneos fondos,
propria para um principiante, com commodos para
lamilla, com quintal, cacimba e muilo fresca- na
ra Imperial n. 20o para examinar, e a tratar na
rna da Prata, hoje de Pedro Alfonso n. 76.
Engommav.ra
Vende-se urna crioula de 28 annos, robusta fiel
e sadia, engomraa perfeitamente, coxJnba, lava e
cose costura ehaa ; e motivo da venda se dirt ao
eomprader : no Forte do altos, ra do Codorniz
numero 9.
se/n reserva de precos, para liquidar.
Na frente da loja ter cloui letreiros com letras
encarnadas e que diz Jiquidaelo, que principiar
hoje.
Veede-se bea farinlia de mandioca em sae-
cos com dous alqueires, e colla do Rio-Grande dn
Sul. no escriptono de Jos Vicforino de Rezende
ft C. : a roa da Cadeia n. 52.
Ricos brtfteos pretos
160000.
para luto a 80 e
Cacoletas com inscripc5o (amizade sanda
a ]U)0 e oatras muiu? fazenda que se vendem o lembranfa.)
e 4A0OOO Cm PdraS' Para men'naS' 3 **
Na mesma casa troca-se e cpmpra-se ouro
velbo e pedras preciosas, tambem conec-
ta-se Jeqoesde qualquer fabrico.
"GWfiplOpDT
PARA AS NOCTES
Finas.esponjasr;r 9 r,:>tc oay ba-
nhos.
Bonitos sapalitbos om biqfic'irt, stncc
com san, [taramenipos : m-niuas de deis
a doze annos.
Boas lentes com cien melfmetros, para
coniar-se os ios de qualquer ateoda.
Tesouras para frisar vestidos.
Carretas para tirar rroldes de vestidos.
Mollas para segurar CO&luiS.
Fna^ehna,Par;-,,0niensesenh0"-
,nf.e.mtas '^s paramlas.
iJnl d,,nno-tos(fa, sendo preto -
branco, liso e de salpicos, e outros maLl
objectos expostos a venda ra C
ax,as i! na/0VA kperImca? fl
lalia d'alealrSo.
V'nde-se na roa "Duque de Caxias-n J
PARA LUTO.
Bnncos. broches, voltas. pui.eiras, 'fivel-
^^^^^"^
ANOVAESPERAxgA. querendo satisfa-
zer sua freguezia, n5osmente em bjec.os
tS*Jl! IUX0>- qUer la^emTom
aTnem T "eSr' q?,e Wntopelendo
alguem de sua familia, ou algur m de qia
frlcSf quallda,,e' "3(> someote ioraam-s
tristes como al repugnantes, o qm u5o
acontesce aos da NOVA-ESPERANCA, por
que apenas exprime o sentimento pela cor
porem como que traz-um lenitivo pelo gosto
bafhaos Cm qUe ^ lbje0t0S 3 tra-
Joaqi
Antonio Josa Sarniento.le Bnevides e seu ir-
mao Lou Jos de S flenevides, moradores e nego-
ciantes estabeleciJos com lija de rateadas na ra
do Commercio da cidade i'e Souu, provincia da
Parthyba do iXorte, fazem sciente ao respeitavel
Snblics e especialmente ao corno do comm"reti
as pracas do Radie, do Oaa*. que de hoja em
ante se acham assoejados e mnluaraeote obriga-
dos a perdas e ganhos, eosjratose obrljacSes ten-
dentes a mesma sociedade, qua gyrar sob a firma
Sarment de Benevidei 4 FrmK Cidad d >"u-
ta l demaio de 1870.
Sanio lntonlo H. JoSo e *. Pedro
Grande sortimento de fogos artificiaes
nunca vistos nesta provincia, n3o s por
serem de paiz estrangeiro, como tambem
por serem a&dos de novas espe.ialidades
como sejam para soltar'-se sobr'agua etc'
Acham-se venda na ra Nova n. 20 na
bem conhecida e acreditada Jr-ja de Almei
da d Vianna,
Venderse a taberna da ra
n. 7i, com poneos fundos propria
cipiante,: irajar di mesma, e
para familia.
do Sanio Cruz
pira um prin-
em commodos
mm Rodrigues la-
vares de Mello,
Prac^ do Corpo Santo n. 17i
TEM PAfiA VEMOER : S
Cal de Lisboa. 5
Potassa pa Russia.
Vinh Bordeaux.
Farello de Lislwa.
. Parlaba de aadloea.
Vendem-se Uescravoi, sendo 5 pretos de 1*
a jo annos, proprios para todo eqnaiqntr emic..
unto de casa como para agricultura, assim co
um mnlatinho de 17 annoc, perfeite oopeiro,'&et-
cravas de 14 a 30 aonn, tedas prendadas : a.rna
estreiu do Jtoario n. 43.

, v


I
6
Diario de Peinamboco Terqa Jeira 14 Je Juulio de 1870.


A VERDADE
Rna
rs.
, a
de
Duque de Caxiasn. 55
Na loja da VERDADE continna-se a ven-
der por baratsimos presos todos os arti-
gos de miudezas e perfumaras do sea
grande e variado sortimento, garaotindo aos
compradores toda a sinceridade.
Lindas bonecas de cora e massa por ba-
ratissimo prego.
Espelhos dourados para pendurar a
160 rs.
Agulhas de osso para crox a 200
Peutes finos para segurar cabello
320 rs.
Chamins para gaz a 320 rs.
Garrafa com tinta alizarina a 10COO.
Dita cora agua florida a 10500.
Dita com dita dita a 10010.
Tnico de Jayme a 441500 o frasco.
Frasco comoleo expresso de babosa,
210 a 640 rs.
Dito com agua de Colonia de 300 a 10000
Dito com extractos finos a 10000.
Dito com sndalo verdadeiro a 10200.
Latas com banha muito fina de 120 a
2i0 rs.
Sabonetes muito finos e diversas quali-
dades a 80,160, 240 e 320 rs.
Finas escovas para dentes de 320 e 500 rs. j
Ditas para fado de 500. e 600 rs.
Ditas para cabello a 500 rs.
Pentes para alisar com costa de metal a
320 rs.
Ditos ditos ditos de bfalo a 240 e 320.
Pentes para tirar piolho de 160 e 240 rs.
Pavios para gaz, duzia a 240 e 320 rs.
Brincos do cores, inteiramente modernos
de 160 e 240 rs.
Pennas caligrapbicas muito Das a 10400.
Ditas de langa e mosinha a 800 rs.
Lindos babadinhos e entremeios de 500
e 10500.
Grosas de botes de lonca de 160 e
2G0rs.
Ditos ditos para calca a 240 rs.
Caixa com papel amizade a 700 rs.
Ditas com envelopes a 480 rs.
Ditas com obreias a 40 rs.
Ditas com aguiuas fando dourado a
280 rs.
Thesoura para costura a 240 rs.
Linha de marca eaixa a 280. rs.
Carriteis de linlias de Alexaudre de n. 70
a 200 a 10 rs.q
Grampos muito finos, com passarinbos du-
ziaa 200 rs.
Cartas francezas para jogar duzia 30000
Ditas portuguezas, duzia 10400
Papel almajo supeiior qualidade resma
4:>000.
Lam muito fina para bordar libra 60500
Fitas para debrnm de sapato, pessa 160 rs
Ditas de lam para debrum de vestido peca
400 rs.
Caivetes grndes com molla a 400 rs.
Ditos grandes com 2 folhas por 320 rs.
Rosetas pelas para luto, o par 100 rs.
Trancas de lam de caracol branca e de
c s da 40 a 100 rs.
Fitas para cs, peca 4S0 rs.
Alfloeics de latiio. carta 100 rs.
Saoai'mhs de lam para creanca de 400
a 800 rs.
Calcadeiras a 40 rs.
Grvalas de seda preta de 400 e 800 rs.
Ditas de croxc, raneas e de cores 500 rs.
Dita de gorgorito de coree a 800 re.
Ma verdade a raw Vaque de Ca-
sias o. **
Cantara de Lisboa
Solera3, hombreiras e captteia par frente de
casas, o que ha de melhor : venda no arma-
zem da travesa do Corpo Santo n. 15, de Joaquim
Lopes Machado & C.__________________
Vendem le diverso e*cravos pe$as vjndos
do Cear, proprios para engenho, assim como
urna cabrpeha por t:000, de 18 anuos de idade,
i bonita figura, est um pouco descorada de frialda-
de, e diversas mulatas cora habilidades: a tratar
I na roa da Crui n. 53, *> andar. ___
Armazem dous irmos
s ua da Penha8
Manteiga ingiera superior a 1#500 a libra, idem
franceza a 800 rs., cha miud* bom a 3$i00, idem
grosso a 3, velas de esrermaoete a 640 a libra,
rafe em earoco bom a 900 e 40 rs., toucinho a
400 rs., talarim, macarrio e aletria a 500 rs., quei-
jos frescos a 2*500, idem prato a l a libra, vinho
em pipa a 400 rs. a garrafa, idem S. Julien Me-
doc a 640, grandes latas com boiachinhas a 11400,
lagustinhos a 600 rs. a lata. Neste armazem ha
tempe grande deposito de gneros de piimeira
qualidade, e vendera-se a precos moito resumidos.
LOUCA
*>
Grande armazem ua roa da
Imperatriz a. tt
Neste grande armazem vende-se louca mgleza
finas e ordinarias, apparelhns de porcelana para
jantar e para cha, jarros para flores >s mais boni-
tos e de gestos modernos ; assim como grande
sortimento de vidros Anos e ordinarios, que ludo
se vender tanto a retalho como por atacado pelo
mais barato preco que em ouira pualquer parte :
chamamos a attencio dos freguezes, que serao
convenientemente servidos tanto nos commoos
precos como na boa ana I idade das fazendas.
DE OEO
MAUBINAS PARA
COSTMU
Grande estebelecimento de azendas e roupas feiUs e por medida, roa da Im-
peratriz n. 52 junto a loja de ourives.
.Neste estabelecimento encontrar o respeitavel pabiieo am bonito sortimento de
roupas de tedas as qnalidades.
Palitot de alpaca preta e d cores a 30000, 30500 75000, ditos mirra preto
de 70000 at 250000, ditos de casemira de cores nas e ordinarias, de 60, 180000,
ditos de panno finos de 6$ 80 100 e 2< 0000. sobrecasaco dito de 200 a 500000
Completo sortimento de calcas de brim pardo de 10000 a 60000,. ditas brancas
de 20, 100000 o mais superior, ditas meia casemira, ditas casemira de 50, 120000,;
ditas casemira preta de $0, a 160000 superior, dita de marin diversas qnalidades para
luto. Assim como um bonito, sortimento de colletes de lrim de cores, ditos brancos,
ditos de casemira de cores e pretas, ditos de merino para loto fazena superior. I
linho toSsSS** 5u0oCa ZzT *"*""" ** ^^ '^^ 8|000'e de j Acabam > cfcejar ao GRANDE |AZA1
Sortimento completo de Woulas francesas de algodo de 10600 a 20500,'WIVERSAE, ^^0^*^"!?"?
ditasde bramante a 10800, 20500 e 30000 ditas de Hamburgo, franca, fazenda su'- ^Z'^TSi os^Z^m^Z
perior de 25*000 a 350000 a duzia. Sortimento decolannhos deal?odo e linho, etc.. SiKiSU flSSS!
assim como meias de algodo .para homem de 30. a 100009 a duzia, grvalas de mu.- ^^^^^J^JSSS^m
tas qnalidades. Na ra da Imperatnz n. 52, loja do MaT'?^S72S2 coToMfeto
Sortimento.de chapeos.d sol de alpaca, e seda, ditos ingleses cabo de marfim. \**f' e f^rSSSFsS? maS
. Toalhas para rosto. Sortimento^aHae para viagem. ^aes ooTJ[ taL a^e SfoS
Neste estabelecimento encarrega-se de mandar fazer qualquer obra por medida re'ras diariamente, e a sua perficao tal
e para esse flm tem hbil mestre encarregada da oficaa,,,aue seaawrega do.trabalho como (la melhor costureira de l aris. Apre-
com perfeico e pontualidade. sentam-se trabalhos escotados pelas raes-
SORTIMENTODE FAZENDAS.
Chitas de 240 rs. o covado ou 100000 a pessa com 42 covados, ditas roiudes j ^Pi6!:______________________________
para camisas e'tim5o de menino 360.e280 rs.. e outras muitasquaidades de320 360 A-ffi^^o /> ormovAm A a
e400 rs. o covado, neste mesmoestabelecimento chegaram, urnas bonitas chitas da UIIUJJ&CT C iriuitZcIll lio
Yellas de spermacct
Verdadeiro americano uda orna caixa trinta
e cinco incias duzia.s de vtilas, uu-210 vellas, por
trinta e cinco mil res. No armazem de Tasse Ir-
^og & C, ra do Amorim._______________
Farinha a 6$00~
7eoe-se na ra da Praia, taberna n. 43, saeco*
com farinha de mandioca da trra com o peso de
7 klos por 6*000.
JPeehincha a
de-se calgadft francez obra
diminuto preso de 7* e 9*, assim
par ancas a 3*. baraUssirr
les antes qpe se aeabem, na tem
nuudezas da roa da jCadeia n.
na da Madre de Dc^. j
RT
e
muito boa
pelo
i calcado
ibam a el-
ecida loja de
confronte a
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joao
de Nictheroy.
nico deposito em Pernambuco caes da alfan
dega velha n. 2, Ia anda.
FARINHA DE MA.NU10LA,
Vende-se farinha de mandioca chegada do Ma-
ranhao no ultimo vapor do norte, por menos do
que em outra qualquer parte : a tratar no escrip-
torio de Joaquim Gsrardo de Bastos, a ra do Vi-
gario n. 16, v andar.__________^^___^_
victoria com barra, a qnal para flhos ecompetente enfeile para corpino. Cam-
braia lisa de 30, 40,50 c 10000 a pessa, e outras muitas fazendas de todas as quali-
dades.
ALGODO E MADAPOLlO AVARIADO.
A 40OO!> o elgodao.'e 40500 o madapoiao. e tambem chita escora boa 240 o
covado por ter grande porco, na ra da Imperatriz n. 52, loja com portaes encarnados,
intitulado *
Leao de Ouro.
LOJA DOS ARGOS
DE OURO,
Imperador n. 26
O respeitavel publico encontrar neste
estabelecimento diariamente Km completo
sortimento de pastelaria, bollos inglezes
podjns, p8ds-del, prgsentos dos ultimo
chegados ao mercado, salame de lion, bo-
linhos finos de todas as qnalidades para coi,
mas, que muito devem agaaiar abs preto- j amfhdoas oonejtadas, confeitos, bomboins,
paslilhas, chocolate francez em libras, pas-
tabas do mesmo .eartu.tos e carteiras com
seis charutos de chocolate cada urna, este
sortimento de cbscolate do mais aeredita-
do fabricante de Paris e o melhor que at
hoje tem vindo ao mercado.
Virikes portuguezes, figueira muito supe-
rior. Os mais genuinos e superiores vinhos
do Porto, moscatel e Setubal, o Ilustrado
neste estabelecimento
n.67,
maimore
Caes Vinte e dous de .novembro
(ootr'ora armazem allianca)
Ha para .vender pedras marmores de todos os
Umanhos e groaras, tijohB de diTersos ta-
raaahos, soleiras e saccadas, assim cmo sotet- puwico encontrara
ras e saccadas de pedra de Lisboa. Tambem con-' por commodos precos, fazendo-se abatimen-
tra-se e faz-se qualquer obra, como raonatnen- it0 a q,!era ,;0mprar em porcSo.
tos, tmulos, estatuas, pias, lavatorios, mesas e ^^ de todas as qua|dades> as ma9
mesas e
tudo o mais tendente mesma arte, por odeos
prjeos. ______________________^_^_
finas, entre elles o afamado Aiapana, este
- >eude-se ou troca-se por casas nesta praca 'cor o mais saboroso e superior, at
o sitio denominado dos Boritiz, antiga casa da la- hoje co^hecido. Xaropes de groselhe, rosa,
vagemde roupa, cora grande easa de vweada,),naracj, caja etc,, vinhos delordeaux de
pretos, estTibaria, banheiro de podra todas as marcaS) 0
senzala para
e cal cora agua
corrente, baixa para capim t
grande terreno para planlacoes : quem o prete
der dirija' so praca da Independencia n, &!.
Ra do Crespo n. 20 A.
Alvaro Augusto d'Almeida & C.
Este estabelecimento de fazendas finas e grossas j bastante conbecjdo como
am dos mais bem sortidos desta cidade acaba de receber directamente de Paris alguna
artigos especiaes que passa a mencionar.
Ricos cortes de vestidos oe bloud para casgmentos.
Cortes de vestidos de .seda de cor, de gostos inteiramente novos.
Brochad, fazendas de la e seda propria para vestido.
Foulardde seda de todas as cores, tambem para vestidos.
Fitas largas de seda para cintos, gostos escoceses e lisos.
Chapclinas de seda e de palha d'Itaiia.
Basquinas de seda e guipure.
Colchas de seda e de la e seda.
Cortinados de cambraia bordados muito ricos.
Pannos de verdadeiro croch para jardineiras, sof e cadeiras.
Toalbas de linbo de superior qualidade.
Bramante?, selicias, esguines atoalhados.
Guardanapos, colchas, aaias bordadas camisas,
Cache-nez, beloes, cauminhas, sombrinha.
. Madapoioes de varias quaidades, saxos para vjagem, mallas, tapetas, capa-
Estamuilhas Ichos, alcatifas e mnitos ootros artigos que se vende por precos mdicos.
Vende-se na ra da Cadeh do Recite n. 58, loja! Tem tambem constantemente um completo sortimento de ESTS1RAS DA I.N-
de azulejo. DA para forrar salas.
Aos cem mil azulejos
Portuguezes, hespanhes e francezes : na ra
Primeiro de maceo n. 16, outr ora do Crespo, ar-
mazem de louca*de Bernardmo Duarte Campos
& C.__________________________
Caf do Osara'
Vende-se ptimo caf da serra d'Araia-
nha. Cear: ra da Cadeia do Recite
n. 5.
GAZ GAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster A
0., ra do Imperador, um carregamento de gas
de primeira qualidade; o qual se vende em partida
e a retalho por menos prego do que em outr* qual
qner parte.__________"____________________
Vende-se um terreno propriu. eom 138 pal-
mos de frente e 160 de fundo, para o lado da e<
trada de ferro, cuj terreno tem alcorce feito pa-
ra cinco moradas de casa, na ra de Motocolom-
b dos Afogados : a tratar na mesma ra, ou na
ra Direita dos Afogados n. 13. *____
1
I
Vende-se farinha muito boa chegada hontem
em saceos grandes e panno da fabrica da Bafiia.
nos armazen- da companhia P.'rnainbueana : a
tratar no mesmo e na ra da Cadeia casa n. 1,
cem Jis Gonralves Torres.
mais superior que se
pfie encontrar, champagne de, Chevernt
muito superior, os mais anas e superiores
cogoacs francezes, old-tom, de todas as be-
bidas alcuosas, este a mais salutar para
quem soffre do estomago,
Conservas de legumes, portugnezas, fran-
cezas e inglezas, mlhos mostrada etc.,
fructas seccas cristalisadas e em calda, na-
cionaes e estrangeiras de todas as qnalida-
des, charutos dos mais acreditados fabri-
cantes da Babia e Rio de Janeiro, cigarros
de S. Paulo e Rio de Janeiro, moitos su-
periores, e finalmente tudo qn-anto se dese-
jar tendente a este genero de negocio com-
prometemo-nos a satisfazer toda e qual-
quer encommenda com a maior promptido
pohtland. e asseio : Como sejam para casamentos,
Vende-se no armazem amarello de Tcente Fer- baptsados bailes etc., tambem se recebem
reir da Costa & Pilho, defrente do arco da Con- j cncommendas de p3es de'l ou bollos de
cercan.em barricas grandes________________'qualquer especie enfeitados e decorados,
Tocf> "IVmnlna Rr f! ibandeiias de bolinbos com armaco de as-
dfc^V lidio Cu V. Isucar>assimcomode p3pei. pecas monta-
Vendem oleados pretos para forro e guardas-chu- das geHa^as de fructa;, arcendoas, leite
va de carros.
Ditos de cores.
Portas de pinho alrrofadadas, tamanhos diversos.
Cadeiras americanas de varias qnalidades.
Tnico para cabellos.
Agua de Florida.
Machadinhas americanas.
etc..
Os donos deste estabelecimecto n5o se
tem poupado a'tfespezas para melhor me-
recarem a acoadjuvacao do Ilustrado pu-
blico.
.xi.'L-'"-. j

J r----
WW / m
t..-
,;' 1 '
.Jta-
60RA DA IMPERATRIZ
T
MMEEM1B
grande estabelecimento encontrar o respeitavel publico, um grande sortimento de fazendas, do mais apurado gosto assim corro de todas as de primeira necessidade que se ibes promette vender por precos muito mais baratos do qu#
: o i ter parte, visto que os novos socios desta firma adoptaram o systema de s vennderem DSXSIKSRO ; para poderem vender pelo custo, liaitando-se apenas a ganharem o descont. As pessoas que negocian em menor esculla, nesta loja
rao fazer os secs sortimentos pelos mesmos precos que compram as casas estrangeiras. -Para maior commodidade das Esmas. familias, de todas as fazendas se do os livros das amostras, ou se mandara levar enfsuas casas, para melhor po-
derem escoiher.

m MiTAS INOVIDADES i
,> 350 PATIO
fSt BONITAS FAZENDAS I'ARA A FES-
0 TA E
^ SANTO ANTONIO, S. JOO E S. PEDRO.
;$ Vendem-se as mais lindas poupefi-
2 as de linho e seda com os gostos
K mais novos que t-,m vindo a este
mercado, polo barato preco de-----
K)o covado.
Sedas listradas, de furta cores, fa-
zendas ce muita piantasia a 23000
o covado. S
Seda bismark, larga fazenda muito
encorpada o covado a 2-3500. $
t Bonitas lasinhas largas com palma ^
w de se a, covado a 10000, W
^ Lindas agraciando labradas covado S5
1:3000. S
$& Alpacas lavradas de todas as c6- %<
ros," covado a 640, 800 e 10003
B mitas lasinhas escossezas com
quairos e litras de seda, covado a
660.
Finas alpacas lisas, sendo cor bis-
mark lyrio, verde, roxo cinza, can-
na, azul etc., covado a 610.
Ditas furta cores com as mais bo-
nitas cores, covado 503 rs.
Lind;'sbaregos lisas, e com lista
da mnsma cor. fazenda inteiramen-
te nova, covado a 560e GiO rs..
Bonitas lasinhas tapadas e trans-
parentes com grande diversidade, o
;.covado a 600 rs.
Lasinhss lustrosas com lindas co-
res emitac3o de seda, o covado a
320.
Lindos cortes de anadine, sendo
f.izenda nova e transparente e de
muita phantasia, com J8 corados a
154000.
Finissimos ertes'de vestidos bran-
cos bordados com todos os enfeites
francezes a 120000..
Cortes de ganga indianos, fazenda,
iateiramente nova a 7-500O
Ditos chioezes com daas saias a.
100.
Ditos de la escosseza fazenda mui-
to h nita com fios de seda a^fiO O
FinUs'uDos, orgaadySIJom lista de.j
cor e salpico, sea Jo fazeida de I
^ muita phantasia, o metro 10280.
Organdy branco com listras lar-
gas e quadrinhos, a vara a 10000.
Todas estas fazendas, sao inteira-
mente novas e s vendem muito em
conta, ra da Imperatriz n. 00,
dja e armazem de Silva e Figuei-
iloiC.
de 12:>000 rs. cada um, pechincha.
CASEMBtAS ESCOSSEZAS.
O Pavo tem bonitas casemiras escosse-
zas com qaadros grados e midos e outras
lisas com listras ao lado, sendo fazendo
muito fina que se vende mais barato, por
haver grande porco.
CORTES DE CASEMIRA PRETA A 4:500,
O Pavo tem os superiores cortes de ca-
semiras pretas enfeita las pelo barato preco'
de 40500 rs. o cort,
CASEMIRAS RASPADAS A 800 RS. O CO-
VADO.
O Pavo vende escellente fazenda de pura
la com' as cores escuras 'muito proprias
para caigas, palitots, colletes e roupa para
meninos que frequ'ntam a escolla por ser.
urna fazenda leve, escura e de muita dura-
co, e pechincha a 80J rs. o covado ou a
! 0800 o corte de calca para homem.
' FINAS BARGES A 640 RS. O t.OVADO.
O Pavo tem as mais lindas bareges de
la sendo meias transparentes, com urna
s cor, tendo : lyrio, azul, rosa. Bismarck,
roxo, etc., tendo muito boa largan e liqoi-
da-se por 640 rs. o covado, por se ter fei-1
to urna grande compra, assim corao ditas
mais estreitas de urna s cor com listras
imitaco de seda a 560 rs. o covado, e pe-
chincha.
PEQAS DE MADAPOLQ A 30500.
O Pavo vende pessas de muito bom
madapolo, tendo 12 jardas cada urna, pelo
barato preco de 30500.
PECHINC0A EM ALGODAO A 4000 RS.
0 Pavo est vendando pegas de algodo-
sinho francez, tendo 4 palmos de largara .e
com 11 metros, cada paca, pelo barato pre-
da 40000 rs.
CEM DE CARNAUBA.
Vende-se superior cera do, casujiuba em
saccas; mais barato do que en outra qual-
quer parte, pa ra da Imperatriz n,g60,
loja do Pava.
OS SETINS DO PAVAO
Vende-se es mais bonitos satina da cores
e mais encorpados, proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
[ CROCHE'S PARA CADEIRAS E SOFA'S.
O Pavo tem um grande sortimento.dos
mais bonitos crochs para cadeiras, sofs
mesas, alraofadas etc., proprios para co-
brir presentes e vende-se mais barato do
que em outra qualquer parte.
Algodo eafesado.
Vende-se urna grande porco de algodo
sinho americano com 8 palmos de largura,
proprio para lences e toalhas, tendo liso e
trancado, que se vende por prego muito em ,
conta.
GROSDENAPLES PRETOS DE i 5300 AT 75000
Na loja do Pavo encontra o respeitavel
publico um grande sortimento de grosde-
naples pretos de todas as larguras e qua-
lidades, tendo de 10600 o covado at 70000
e 80OOJ, que se vende por prego muito
em conta.
CASSAS FOANCFZAS.
Chegaram para a leja do Pavo as mais
| lindas cassas francezas com delicados pa-
5 droes, tendo para todos os pregos e quali-
LAAS ESCOSSEZAS
LAAS ESCOSSEZAS
LAS ESCOSSEZAS
A 560 rs. o covado.
Chegou para, a loja do Pavo, o majs
elegante sortimento das mais lindas lazt-
nlias escossezas com fios de seda, as quaes
fazem o mfe.delicado effeito, para vestidos
de duas sajas, e vendem-se pelo baratissi-
mo prego de 500 rs. o covado.
SEDAS DE LISTA
SEDAS D* LISTA
SEDAS DE LISTA
a 20000 o covado.
Chegou para a 1 ja do Pavo um grande
e bonito sortimento das mais lindas sedas
de listas com as mais delicadas cores, tendo
entre ellas algumas que servempara luto, e
vendem-se pelo barato prego de 20000 o
covado, pechincba.
FAZENDAS PARA LUTO NA LOJA PAVO
Encontra o respeitavel publico neste es-
tabelecimento um grande sortimento de fa-
zendas pretas, come sejam cassas france-
zas e inglezas, chitas pretas de todas as
qualidades, fazendas de la de todas que
tem vindo, proprias para luto, sendo lasi-
nhas alpacas .lavradas e lisas, canto, bom-
basinas, merinos, etc. que tudo se vende
por prego barato.
PARA BAPTSADOS
Na loja do PavJo vende-se bonitos en-
cbovaes para baptisados.
Cortes de casemira a 40000, cada ora.
Vende-se bonitos cortes de casemiras
claras escwas pelo barato prego de 40,
ou a 20400 r>.ovado, tendo duas larguras,
CORTINADOS SARA (MMS3E JANELLAS
d8 8i;O0,2ell8|K)OO.
Chegou para a loja do Pavo am grande
sortimento dos bonitos e ricos cortinados
bordados, proprios para camas e janellas,
que se vendem de 80000 o pac al o mais
rico que vem ao mercado, e. vende-se mais
barato que era outra qualquer parte.
um Bonito sortimento das mais lindas chi-
tas francezas escuras e alegres, que se ven-
dem muito em ceota, e tambem se do
amstras.
CHITAS A 240 RS.
Na loja doPavo vendera-se bonitas chi-
tas francezas claras e escuras e cres'fisas
240 rs. o covado, e pechincba.
LASINHAS A 320.
LASINHAS A 320
CHAPEOS DE SOL DE SEDA A 100000.
O Pavo fez urna grande compra de cha- j
pos de sol de pura seda, inglezes, com as i
haspras parago. sendo neste genero os I
melhores que tera vindo ao mercado, e li-]
quidam-se cada um pelo prego de 100000.
ROUPAS PARA HJKNS PARA TODOS
OS PRECOS.
N'este grande estabelicimento encontrar
o respeitavel publico um arande sortimento
de roupas, sendo palitos e sobrecasacos de
panne preto e cazemira, caigas e coletes de
brim branco e de cores, que tudo se vende
mais barato do que em outra qualqoer parte ;
assim como um grande sortimento de ca-
rnizas francezas e inglezas, e ceroulas tanto
de linho como da algodo e abundante sor-
timento de meias cruasi
VESTIDOS INDIANOS COM DUAS SAIAS.
ALPACAS LAVRADAS A 640, 800 B
1,000 RES.
Chegou para este grande estabelicimento
o mais bonito sortimento das mais moder-
nas alpacas lavradas de todas as cores, eme
se vendem a 1(9, 800 e 640 reis o covado.
assim como um grande sortimento de alpa-
cas lizas de tedas as cores
Sasquinas.
O Pavo vende urna grande porcjfo de
> cortes de vastidos < indianos, tando duas
LAASINKAS A 320. ,
Na loja do PavSp vendem-se elegante sor- 93a8.0 tendo ^^ fm cnin og
tmente das mais iradas lasinhas lustrosas, tog mais novos e tem vnd e 1qad|.se
comlistrinhasaimitagao de poupehnasde!a 55000, tendo cada um seu competente
seda e com as cores mais lindas que tem gaurno
vindo ao mercado, sendo fazenda que vale c;^!^ MESCLADAS A30"QCOVADO cado3
maito mais dinbeiro, e quidam-se a 3J0 allivr*
Q. Pavo tem para vender bonitas case-
miras mescladas e bastante encorpada para
roup*.df homens e meninos pelo bara.o
prego de 30)00 cad* covado oi50OOO o
i corte de caiga para homem.
rs. o covado, pechincha,
FECHIXCHA
EM CAMISAS DO PAVO A 405,00 RS.
Vende-se um bonito sortimento de moito
finas e modernas camisas inglezas eom pe- -_ .
to e coliarinhos di linho e puahos, pelo | JtOUPfl DOT XI1611(1<1*
baratissmo prego de 40500 rs. cada urna j
e aos freguezes que comprarem duzias se. Na loja do Pavo i
ihe far um abatimento, garantindo-se que [pega de obra a von
fazenda que vale muito mais dinbeiro, i que tem um perito ;
liquida-se p* este prego por se ter feitq do-se os* donos'do estabelicimento potf qual-
. Cbegaro as mais modernas basquinas
ou jaquetinhas de seda preta, ricamente
enfeitadas a vidrilho, tranca e sethn preto
tendo de todos os modells, os mais novos
que tem chegado e vendem-se por precos
muito razoaveis.
POUPELINAS DE SEDA
POPRLIXAS 'DB SEDA
POUPELiJAS DE SEDA
a 20000 o covado.
O Pavo acaba de receber o mais ele-
gante sortimento das mais lindas veroaldei
ras ppupelinas de linbo e seda com os'pa-
droes igiis delicados que tem vindo ao mer-
lo entre ellas coces propriassara
te, e vende-se palo barato freco
de 20OO cada covado, pecfiincha./
Cambraiat brancas
Vende-se um grande sortimento dawne-
Ihores cambraias tanto victorias como ten-
parebtes tendo de 30500 peca at arabais
fina que vem ao mercado.
CAIJBRAIAS BRANCAS A lOOO, A '.
S o Pavo vende pecas de cae
nda-se fazer qualquer
'ate Sffin0 branBa.trafispareateJte"ndomais de v
....neSiciSS? porua1!: LTSLfr' S" TiLT^'
urna grande compra: assim como se vende!quer-*Ua o/^possa haver, qner por (to- &^lo barate SrPmdni^'
um bonito sortimento de ditas tambem com, nwa,--auer por qoalquer deffeite.na obra; P pref0
peito de linho bordadas e ditas de algo43e pwaaieto encoijtra o respeitavel publico
para todos os pregos.
PANNO PARA SAIAS A 10000, 10280 e
10600 RS.
Vende-se bonitas,fazendas |proprias par|
saias sendo com bordados e pregas a uro
lado, dando a largura da fazenda o compri-
mente da saia e vende-se pelo barate preg
de 10000,10280 e 10800, cada metro sen
do preciso apenas 3 ou 3 1/2 metros par,
cada saia pechincha.
Vestido branco a 13*000 rs
O Pavo vende finistiimos cortes da ves-
tidos de cambraia arania, ricamente borda
das e com muita fazenda pelo barato ore
am grande
i sortimento <
qufi.desejar.
BRAMANB
de todas; as fazendis
i
A 1800.
Venderse superiorAramante com 10 pal-
mos de largura, proprio para lences, dan-
"o ajjfi[ura.d!sta Ma fazenda compri-
eqtejp lencol, sefio precisow|ra cada
s 1 e 1/2 rfletros on 1 e5/4 pe-
hincha pelo prego.
m ESPARTILHOS A 5#000.-
Vtndce am bonito sortimento tos me-
lhores e "mais modernos cspartStos tendo
o bSHfrj prego de 50000 at 8Q00.
A loja do Pavao est, constantemente berta, das 6 horas da anhaa s 0 da noute
CHITAS FINAS DE -320 A 500 H*
Vende-se o mais elegaBt sor^mente das
mais modernas e bonUas cfiiUs-tantoto-
das como gradas, cora cores aras ^es-
curas,'; Jando-so de todas amostras. .
FUgfOES BQaNGOS A 810, O E lt.
Vgnde-se mnite bonitos fustoes br
muito flexivel proprios .pira xestid
senhoras e roupa pra[:mnto.o6 < ve
a 640, 800 e 102OS rs. s> ovadoi
castas m rs.
0 Pavo estvo4eiulo bonitas casada
cares fixas a 240, 80 e 300 rs. o cqgl
i
f
^WikW^MWkW^^^Pk^lWTiW^Pa^^TlliT ^F^fcW^W^B'lk^r^B^^k^lW W^Wt^ 9



Empina ila na da Aurora, *m frente to caf Imperatriz.
__. L ^"es^iWvo e samptuoso estahetecimento de fazendis cnconfrarrt a p,m
rss sarrasr^ -*J55SS5Srss
SmAipW^fot Xa d,rKm"f 1'" de moda
J^J5a7dXSrml*tr9 aCT *~ '^ ^da e flores' '"
cado. juo-Losraraa Mr ao mer- da meramente nova para vestidos de baile.
Alpaca* de todos os' naoVre ras e differentes gostos.
Gollas e puntos bordados para senboras.
Guardanapos de liaho pequeos e gran-
Quando a.AGtlA.BaKNCA. mais precisa scieotificar ao respeita^l publicoem
SSm Pffcaiar a saa boa freguezia, da immensidade de'objectos que ltimamen-
te tem recebido, ejustaraente/quanao ella menos o podefazera porqueessa falu invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que Ib'a tteoderao e relevaro
cootmuando portanto a dingrem-s a bem conhecida le ja da AGIA BBANCA ra d
limado n. 8, onde sempre acharo abundaucia em sortimento de sperioridnde em
quaiidades, inodicidado era procos e o sen nunca desmenttido'AGRADO E SINCERIDADE
rl.nAr a Q qe f""* &ait0 se C0DheCe qJne temP aispor, empregado apezar de seos cusios no deserapenho de bem servir a aquelles aue a
pT"raJro?unmdo Prover-se em dila 13a d? que necessitam, entretanto sem ennume-
2 t n 9 Pr Sua .natureza s mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
a aquelles cuja importancia, elegancia c novidade os tornara jpwnunendaveis, como
Gorguro de seda prelo e de cores.
Grosdenaples pret* e de cores, baven-
do diversas qualidades' e gostos.
Japonezes para senhoras, o melhor gos-
Albuns com msicas para collocar retratos]
encado presente para qualquer pessoa de
sama. r
Atoamado delinho e algodao,
te cores proprios para toalbas. '
Basquinas de sed* pretas e muito moder-
nas, bem como de crochet, tudo de apurado
costo e eitio.
Bareges de cores variado sortimento. paSbu0S ^^
Babadmos ou tiras bordadas em todas as LSaanhas de todas~a7 qualidades, cores
' RAlhni.na a* tA- e gostoS' n3 fica[ldo nada desejar, tal
ftC5 JSV.8 C0,'eS- S,rli,nent0 ** ,te Para colh.
lri!to d Snn* V'afm' grantk LenCS' tQd0 qm[ Pde h3Ver deSde
rIkV ta"?a-"ho8 ,08to8. esguio ao algodo commum.
SSKflfl ?'< t0nS 3S. ^ual,dadS- jeques de madreperoia e osso, o mais va-
Bramante de Iinbo de i I palmos de lar- nado sortimento.
^&fJ, I8 i.318 9ua,dades- I "gas d seda, bordadas, para senhora.
Bretanhas de linko e algodao, grande sor- Luvas de Jodvit,. ebegadas por todos os va-
Rrinc a* i- u i pores' semPre novo sortimento, qner em
mSri,nh br3DC0 6 de W d0 mais pellica para homeM e eihoras, quer em'fio
commodo ao mais caro em quahdade, afilan-. d'Escocia, brancas e de cores. '
iado o que ha de melhor na especie. I e
Brias d'algodao completo sortimento e Madapoln; indescriptivel o grande sor-
unedade fc prejos. tiraerrto que ha nste genero, desde o mais
r.Qe,0 ,jf .. a i3*- .. elevao preco ao menor, que se vende em
ando nPin r^'S^l so,},raento' Pr- Pecs e a lalho por menos do que em ou-
mando pela bom gasto e barateza, attentas tra qualquer parto.
bem seja
Corpinbos de cambraia, primorosamente
enfeiados com fitas de setlm e obras essas
cuj novidade de molde e perfeico de ador-
uos os tornam apreciados.
. Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenbos, tal
e o grande e variado sortimento que acaba
d chegar, mas para nao massar o pretn-
deme se Ihe apresentar o que poder de
melhor.
Caivetes finos para abrir latas.
ntremelos em peca^ dfti tiras. Thesouras para frisar babadinhos.
Capellas brancas para meninas..
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
, PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor qajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Caixrabas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderemos e brincos de madreperol
Guipure braneo e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Aspas para balo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
Ditos de algodao com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-lUmas substituem as ouh-as.
ria. Vistas para stereoscopos.
Meias d seda par* noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costuraes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
ToUQTlinhaS de fil. Kanatinhns hnrrla
uquinhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordada para ditos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de rcadeira envernisada com vispo-
ras e cora dminos.
Bollas de borracha pafa brinquedo de
crianzas.
Diversos objectos de porcelana, proprios
' para enfeites de mesa e de lapinhas.
SHTDKNTO COMPLETO
Mantas de'blonde para nGivas : o apurado
(S qualidades.
JSi.8 ^farica^ tapadas, c trausparen- M^iS'tmt^Sti ei
s quahdades e preCos. illta-nos a dizer aue temos ern nosso
dese-
-J?SeDhaS de *amI,r?? delnho'"e cassa MtbcIccTmcntoTque'1^? mShor
.ordidu ricamente afeitados para Sras. ja para vestir e ornar urna noiva.
Camisas para horneas e meninos, tao va- Mantas prelas de blond.
rtado sortimento que vai do mais ordinario
madapolSo ao mais perfeito bordado de li-
cambraia.
ern
se
Camisas de meia, de flanella, brancas e
Ae cores para hornera.
Casemiras pretas e de cores, o melhor
?ue se pode imaginar, sendo d'isso a me-
.nor prova o grande consummo deiias na
taEcina da casa.
Capellas de flores, para noivas e bailes,
esde a mais candida flor de larangeira at
k mais interessante griaalda.
Capeiinhas no melhorgosto.de todas aa
efiras hoje preferidas pelas senboras de
sais apurado rigor na moda.
Chapos pretos de velludo, para senhoras,
ritimo gosto de Paris.
Chapeos de sol, para senhoras e borneas,
e^ todos os pre;os e variados gostos.
Chaly com ricos padroes para vestidos.
Chales de todas as qualidades, avultad
camero e n5o tenos variedade de gostos,
Chitas, mpossivel dfiscrever o sortimn-
o e variedade de padrfles e novos gostos,
La oeste artigo tudo quanto se pode desejar.
Cintos para senhoras o que se pode ima-
finar de melhor.
Coques, o melhor no gosto e nos entei-
s, varios tamanhos.
Colchas de seda com borlas, o mais apu-
rado gosto e lavor.
Ditas de fusto branco e de cores por
fregos commodos.
Corpinhos de cambraia, ricamente borda-
dos para senhoras.
Cortinados de cambraia bordados e de
C,o que de-melhor se pode desejar.
Colarinhos de linho bordados e lisos, o
.aior sortimento.
Damasco de la de 9 palmos de largura
idas cores e rieos padroes.
aa
Espartilhos bran:os e de cores, para se-
unoras e meninas, o melhor neste gei.ero ;
utnhuma Sra. deixar por certo de muir
de tao precioso auxiliar perfeito d
ua corpo delicado.
Entremeios bordados.
Escomilha preta.
Enfeites para cabeca, ultima moda de
Paita, recebida no ultimo paquete.
Esguio de linho, completo sortimento de
dos os nmeros.
53
Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos pretos, trancados e lisos.
Mussena branca e de cores, lindos e va-
nados padrSes.
13
Pannos pretos e de cores, desde o mais
barato ao mais superior, por preco muito
cotmodo.
Pannos de crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de casemira muito finos para
mesa.
Peitos bordados de linho, lisos e de al-
godao para camisa.
Princetas pretas e ^e cores.
Popelina do seda e linho, cora listras e
flores; fazenda lindissiraa.
Pelherinas para senboras, do ultimo
gosto.
Perfumaras ; os mais finos extractos o
que de melhor e mais agradavel se pode
encontrar neste genero, e de mais fragante
e suave no olpbato, tem o PVILHO DA
AURORA, desdr a verdadeira agua Ron-
da at o mais fino Bouquet d'Atnour, final-
mente tudo quanto deve oceupar o touca-
dor de urna senhora de gosto.
Saas bordadas, brancas, lisas e de cores
cora folhos e sem ees, o melbor possivel,
Sahidas de baile, de todas as cores.
Sedas pretas, de quadros, lavradas, lisas.
de listras de todas as cores e qualidades e
o mais barato possivel.
Sartrelim de todas as cores e qualidades.
Tapetes grandes, lindas pinturas para 8
cadeiras, mais pequeos e de todos os ta-
manhos desejaveis, e em peca para co-
vados.
inMAZE]IS
NOS GRANDES
DE SKCCOS
-1IOI/HL1DOS
CONSERVATIVO
N. 23rLargo do Ter^o.S. 23.
DE
S1M0 DOS SANTOS ft C.
PROGRESSO
10 Pateo da Penha 10
DE
UHTOS & FERR IRA.
Os proprietarios destes bem sortidoi armaz*ns participara aos seus innmeros
freguesas tanto desta praga como do matto quo tendo feito grande diminuico de pre-
eos as suas mercadorias esto por isso resolvidos a vender por menos de 10 e 20 u,
do que eit outra qualquer parte, garantindo-se portanto a superior qnalidade de qual-
quer genero comprado nestes dous estabdecimentos. Mencionamos a^uns dos nossos
gneros e a vista destes sao comprehendidos os i outros, porque enladonbo seria men-
cina-los.
Se algraem duvidar venha ver.
Gaz americano marca Deves a S800 a
Vinagre branco mandado vir por conta
propna vindo de Lisboa, a 320 a garrafa e
480 o litro.
dem tinto Figueira, Lisboa' e Porto a
320,280r 240 e 200 rs. a garrafa e 480 300
rs. o litro.
Uta, 380 rs. a garrafa e 560 o litro.
Axeite doce de,Lisboa a 900 e l#000a
garrafa em porcSo faz-se grande abatimen-
to.
Vinho Figueira, Lisboa, Porto e Estreito
Cal era caroco a 220, 240 e 2S0, a li-
a 560, 500480 e400 a garrafa lio 7840! bra k!grammo a 480, 540 e 600, e
760, 720 e 600. j 70000, 7 Vinho branco puro de Lisboa a 640 5G0! Mho-alpista 200 rs. a libra e 440 oki-
a garrafa, em porcao ha abalimeito. logramma e 5800 a. arroba, em porfo ha
Vinho do Porto, engarrafado das melho- abatneato-
res e mais acretadas marcas a i^OOO e 1,5200' .ft!e0S K^0* do ultimo vapor a Um
\mo e U a garrafa. |e mo cada "*
dem Bordeaux, Medoc o SL Julien a i -AIetria' macarro, talharim a 500
70500 e 65500, a duzia e 6*0 rs. a garafa.
IOJA
VIGILANTE
R:i.i do Crespo n. 9 -
Os proprietarios teste bem coobecirto estabele-
ament, alm-dus muitos objectos que tiubam ex-
03ios a apreciado do. respeitavel publico, man-
ara m *r e acabain J receber pelo ultimo vapor
da Europa um dompleto e vanado sortimento de
finas e rnui delicadas especialidades, as quaes es-
tao resolvidos a vender, como de seu costume
por precos muilo baratinhos e commodos para to-'
dos, com tr.nto que o Gallo....
Muito superites luvas de pellica, pretas, bra-
cas e de mui lindas cores.
Mu boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e nq-nspimos enfeites para cabecas das
Expas, senhoras.
Superiores traumas pretas e de curo eom vidri-
inoB e sem elles'; esta fazeuda o que pode haver
de melhor e mais bonilo.
Superiores e bonitos leques de madreperoia,
marflm sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias lio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderarn por 30000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20
um deatas, temos tambem grande sortimento d
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
Boas bengalas de superior canna da India e
caslao do marGm com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor S!
pode desejar alm destas temos tambem grand
auantidade de oatras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Fmos, bonitos e airosos chicotinhos de cdeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias do seda para senhora e para meni-
nas de 1 a t annos de idade.
Navalhas cabo de marm e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramt.'3 sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linna muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bous baralhor de cartas para voltarete, assim
como os lentos para o mesmo flm.
Grande e variado sortimento das melhores per-
fumaras e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
racilitam dentico das innocentes criancas. So-
mos desd muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de quo nunca faltem no mercado,
remo ja tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delies pi-ecisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que cao appl.cados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Eival sem segundo
ra ao DPQfjK ni! ;axcas x. o
Eston dispustu a continuar a vender todas
as miudezas pelos baraiissimos precos abai-
xo declarados, garantiudo tudo bom e pre-
cos admirados. (
Pcete com 20 quatlern de pa-
pel araisade a. '., .
Caixas com 20 (.'dernospapid pau-
tado a........
Gaitas eom 60 no*eHos de Imha
do gaz a........
Duzias do meias croas superioi
qualidade a.......: ><;< o
Pecas de babadinhos eom 10 va-
ras a. .'......
Pejas de liras bon'.ula.scom 13
metros cada p.r.i -4 HfSO c.
Peras de fitas para cS de q al-
quer largura com 10 varas a.
Escovas nara anbasfazeoda lina a
Ditas para denles a 24<), :120,
400 rs. e....., .
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a.......
Caixinhas de madeira com alfile-
tes fazenda surerior a. .
Dozia do linha fixa para borda-
dos a 400 rs. e.....
Pares de meias crua para moni-
nos diversos tamanhos a. .
Duzias de meias brancas muito
finas para senhora a. .
Pares de saptos de tranca do
Porto........2*000
500
700
400
500
2000
500
500
500
40
400
500
S0
4500
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamos
decar*Ios, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precc.3 muito razoaveis loia do gallo
vigilanie. ra do Crespo n. 7.
Pares de sapatos de tapete a.
vros de raissa abreviados. .
Duzias de barallios para vultarele
Sylabarios porluguezes a. .
Redes com conUis muito boa qua-
Gartcs com colxetes t carreras a
Asoloaduias para coiltU diversas
qualidades.......
Caixas com penna de ac muito
boa de 30 a......
Duzia d linha 200 jardas Alexan-
dre de 40 a 200 e, .
Caixas com superiores obrei?.s a.
Duzia de agulha para macnina a.
Libras de pregos francezes iodos
os tamanhos a. .... .
Talheres para meninos a. .
Pares de sapatos ue trauca > para
meninos a. .
I 300
13.I
oHKX)
iOO
90
400
500
1:)200
40
2*000
'.40
:,20
150O
LA mu DI
CEMENTO
O verdadeiro portland. S se vende n
ra da Madre de Dos n. 22, armazem d
Joao M3rtins de Barros.
Toalhas de labyrintho, do maior e mais
fino trabalho ao mais barato.
Toalhas de linho e algodo de todos os
tamanhos, lisas e felpudas.
Tarlatana branca com palmas e de cores,
fasenda muito nova, e gostos delicados pro-
pria para baile.
Vistuarjps bordados de fusto brancos e
de cores para meninos, de cambraia para
bapiisados, o que de melhor tem vindo a
este mercado.
Vestidos de la escoceza de 2 saias,
novidade pelo padro, gosto e forma; ditos
de linho com barras de cores, e de cara-
braia de cores com 2 saias, tudo inteira
Genebra de Hollaoda e laranja doce aro-
mtica a 6,5500, 75, H05OO, a frasqueira.
Sen-eja Bass, Illers & Bell a 900 du-
zia em porco ha grande abatimento.
rs. a
libra e iiJOO o kilogrammoem caixoha
abtimento.
Sabo massa de 1 e 2* qualidade a 220
e 240 rs. a libra em caixa ha abatimento
Toucinho de Lisboa muito alto a 400 rs.
khSS*. m*lC3 ? eT Loutras marcas aa 1* e 880 o kilogrammo, em arroba "ha
5>500 e b-$, a duzia e 500 rs. a garrafa.
Assim como ha
'grande dilferenfa.
como ha outros muitos gneros, vinho em ancoreUs, azeitonas,
passas e figos, charutos finos de diversas marcas, marmelada, bolachinhas de todas as
qualidades, perola, Francy-cracynel, a, b, c, Mediom, mixed, soda Fancy-nic-nac, pa-
lace de Vareteos, combinal.on, Britania, doce de goiaba fina, chourifas, manteigas finas
lnCeZar '5,eza',barba de Baltimor, phosphoros de Sycuryt, Cognac, cb de diver-
sas Qualidades, ^nolla pimenta do remo, ervadoce, pomada, enxofre, breu, peixe
em latas de todas as quahdades, fannha de milbo americana, grandes molhos de sebo!-
las, nestes dousarmazens existe tambem grande sortimento de loocas propnas para ne-
E^q^lPe'L.si commdos preco faz vantagem aos compradores.
Fitas largas escocesas para cintos, vare- novidade, trazem os modelos juntos para
tade de gostos e lindos padrSes,
Fidis de crochet, modernos com cintos
t capas, o que ba de melhor.
Fil de seda, linho e algodao, de todos
us gostos e padroes.
Fusto de todas as cores
pande sortimento.
Flanella branca e de cores.
mostrar a forma de os fzer.
Veos de blond para noivas e pretos para
luto.
Vestidos de blond para noivas: podemos
asseverar as nossas Exmas. reg;uezas, qoe
e qualidades somos os nicos em Pernimboco que pode-
mos offerecer ao ilustrado publico, o mais
apurado gosto em semelhante materia, gra-
Flores, e o que ha de mais neo, quer: c-as ao bom gosto do nosso fornecedor <
n 'ttdad6111 tam03, tom oPAVILHaO Pars, podemos garantir que nioguem neste
DA AURORA ora permanente jardim a genero o poasoe melhor, nena mais em
tisposico das Exmas. familias. I conta.
TitBXrxJF ^P0^0 de o 8^ e variado sortimeito que os proprietarios. dePA-
vLHAO DA AURORA se aprOsentam ao publico declarando desde j que a sinoerida-
te e o bom gostojo movel tnico de sena negocios.
Prvidos de todo e promptos sempw a provaNse do qae por ventora lhe
wia necessano, os proprietarios deste sumptuoso estBbelecimento recommendam-se
wem receio de serem coatradictos e protestara esforcar^e por oontirar a merecer
^rotecao que se Ihes tem dispensado ; certos de que do sen. esubelecnento ole sahira
freguez descontente.
Gontma sempre a offioina de alfaiate dirigida or um dos mais habis arti*
as,jrompto executar com promptidao e bom gosto qttalquer trabalho que lhe seja
u*aa j*ORA, dirige os que Ibe sao coocernentes, garante por sa apuratb geste e prompdo
weiecucao e a iaais cempleu perfeifo nos seos trabalhos. i
-A nnmerosafreguezia que nos honra urna prova de aumereemos ocoa^
no que se dispensa ao nosso eetabelecimeoto, conceito que procuraremos Armar cada
Tez mais. Para faahtar anda a concecu?5o do fim que nos propomos, temos no nosso
stabeleamento os ltimos figunnos de Paris, que recebemos por lodos os paqnelw, os;
aaes enviaremos para serem vistos as familias nossas freguezas, afim de escolherem,
o padrao da {jfzeoda o gesto na forma.
Na offioma de alfaiate, justo a e*_
i honras- qoe por todos os vapores wrecebem.
... E* este o nwdo porque nos apresenUmos paiaia t a
^*o ecooo tnaif proundo retpeito convidamos as wclftn
eeiBeotD, certas de encontraren! nel}e pelo mei
* ""*peoiWBB$ejF. T-
.i n*A*J?mmmi.t cail^0, tenr M naa3 e^mostras oade, ocem p in, visto
io pdennos especificar todo qvaato iemot. ^ '
Aberto asta 6 s 9 horas da noite.
BAZAR IA IDA
50 RA MA--50
UMA PRENDA. Lindos objectos dourados de delicados gostos, proprios
para meninos, vende-seno BAZAR DA MODA.
BAPTISADOS. Ricos chaposinhos de sem brancos, lindan toncas de fil
^ e setim, sapatinhos etc.
m ,.,GFIPU?E- 0q crocD em pessa, branco e preto, com lindas ramacens e
w qualidade muito superior.
PUNHOS. Para camisas de homens, fazenda superior com duas faces, o
par G40rs.Jpechincha!)
PERFUMARAS. Fmos extractos para lencos, agnas de diversas qualida-
des, sabonetes. olos, pomadas, pos, tnico etc..'etc.
& PSRFUMIS. Lindas caixinbas para lavas contendo urna preparaco em
^ que Ihesd.um agradavel aroma, por 14500.
S Grvalas, cinto?, flores, plumas, coques, transas, fitas, booes, bicos.e peo>
w tes etc., etc., e muitds outros artigos proprios do estabelecimento' vendendo-sa
tudo por commodos pre?os, no BAZAR DA MODA, ra Nova n. 50, esquina da
m de S. Amaro. H
S fna de Souza Soares Se, C. A
t armhk de mandioca
q fianrinofl,
pBolaccfO'do alastrado
llenssims Sras. a visi-
De Caravelas e Alcobaca, chegada hornera e hoje.
nal a da trra nova, redonda e sem cheiro *
iraor no esertptorto de ot Mara Palmeira, lar.
todoCofpo.Sanlo n. i, f aSdr, eu a bordo das
barcas Linda, Dhaliix 'Bvttira e S. Joo H, anco-
radas no caes d iRami.
Jiapede
vanas quafidados
Priooe Reoba.
tasse atosM.
fiaste npo.
Faulo Cordeiro commum
Dfto Conteiro vajaft.
Rotfto ranetz.
Princsa lino 4a Baha,
Ditb mel grosso da Babia
Princesa de Lisboa,
b.^^S*fla,1*dW -* ^^sqae,
W-NAnroaiiiTWrh^aae Roaario n 38..
Pharmacia na ra larga 4o Rosario n. 3. '
MUS
com nm\n\
Mala Landelno vende saceos cora farinha de
mandioea : na ma do Duque do Caxias. travesea
do ftosario, loja n.,18 B
------------
Palitodo.(M a 3Ms.a datia de oaixinhas, ba-
rato : o raa o ngel u. 39, tabena.
aoto Antomlo. Jefi* e *.
Umlb de ferro em vidro* muilo nova,
de aotan viiro omita mm.
de afultaa de Uwu amito id ova.
o tre refinado de 1 quSlidarie.
leda a deOMi prpaM(oae para (ogsr<.
tfc*: wdaae u fmmm e drogaria de
Bariooloawu 4 C na ra larga do Rosario n. 34,
J cordeiro previenti
Ra do Queimado n. to.
Novo e variado sortimento de perfuman
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perli
manas, Q que effectivamente est provid?
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba
receber um outro sortimento que se torc
aotavel pela variedade de objectos, superior
dade, qualidades e commodidades de pr<-
eos; assim, pois, o Cordeiro Prevideate pee'
e espera continuar a merecer a apreciac
do respeitavel publico em geral e de su
Boa freguezia em particular, nao se afai
tando elle de sua bem conhecida mansidi
e barateza. Em dita loja encontraro o
apreciadores do bom:
Agua di\ina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, frai
ceza, todas dos melbores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de or de larangeiraa.
Dita des Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservaco i
sseio da bocea.
Cosmetiqies de superior qualidade e cha.
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, coi
pomada tina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparem.
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanoi
francezes em frascos simples e enfeiados.
Essencia imperial do fino e agradavel cha
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros iguaj
mente finas e agradaveis.
Oleo pbioeome verdadeiro.
Extracto d"oieo de superior qualidadv
com escomidos cheiros, em irascos de diii
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menor*
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em flgt
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barb
Caixinbas com bonitos sabonetes imitand
finetas.
Ditas de madeira invernisada contendo i
aas perfuicarias, muito proprias para pr
Dtes.
Ditas de papelao igualmente bonitas, tao
bem de perfumarias finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e i
moldes novos e elegantes, com p de arro
e boneca.
Opiata ingleza eranceza para dentei.
Pos de camphora e outras difietenu
cualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada mtm coqoes.
Um outro sortimento de coques de nt
vos e bonitos moldes com filets de vidrilno
e aiguns d'elles ornados de flores e fitaf
esto todos expostos apreciafo de quai
og pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
FiveUas 6 fitas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes obia4
tos, ficando a boa escolba ao gosto do coi
prador.
20Ru.-i da Im^ieratriz20
Fari d- Lessa.
Acaba de clugar a esta naufl nota toja r fn-
zencUis finas um ariade sortimento Ce. fazenda- ile
laa e seda, como sejam : gnmadines do ultimo
gofto, popelinas de urna s cor. lipaCM .; lau.
nhas de cores, o que ha un mais moderno, lado
por baraiissiniLS prcros, brilbantiip- de coic-, le-
cidos das. indias, fazenda nova a milacio de per-
calia.baloesd.1 elina Ungido saia de cor com lin-
das barras, fosles proprios para ve>ti de meninos ; agora grandes e admira ;e> pocin-
chas, saias brancas cun lindos fn>adus a 34, li-
eos C( rpinhos bordados mult Bnos a f>. bafci 5
modernos de irco a 2, ricas eiNch.is para cama
alcochoadss. sendo branca e de cores, a S. 6 e
~t, cambraia virinria lina a 5. ditas ir.,n-.arer.-
tes ao, G e 7,cliiias Qnicsimas escaras e claras
a 280, 300, 320 e 360 o covado, casias de cures a
240, lencos luanco de csea a 25"iOO, ditos chi-
naca a 3*500 a duzia, maSapuli. tino a I
6fii)00, e moka superuv a 7, 7*1.00 e S, a,a.-
daozinbo largo proprin para leles a (i. panno
de algodao brinco trancada proprio para 1 iaihas
de mesa a l'iOOa vara, nranwnle para leu 6
2000 e 35500, o que ha de melhor, espnao i-
nissnno a 2^200 e 2."0 a vara. Mandamos as
casas das Kxmas. familias para meinor poderera
eseolner. Tambem temos cnmpleto soitimeni" d^
perfumarias dos primeiros fabricanie francezes e
inglezes; zs pessoas que ?e dignarem vir a esta
loja terao occasiao de reconbecer a rtaiidaue ilo
que anniinciamos para os justilicar.
FOttOS
ni
4'
0.
Para anto .ftutooSo, H. foo
s. Pedro.
Ka muilo conhecida loja de ferrgensna ra No-
va n. 39, de Sonta & GuimarSes, adiase um lin-
do e variado sonimento do todos os fogn arfi.
ciaes dos melhores fabrisaotes desu cidadf, con-
tenda radiabas, pistolas de todos os Uauanoa,
brancas e de cores, craveiros, illuminaao e tra-
ques, etc.; assim como um lindissimo e variad*
sortimento de fogos chinezes recentemente checa-
dos, proprios para criancas, os quaes podem ser
soltados em salao. Avism mais que existe tam-
bera urna grande quanfidade de sortes de toda?, as
qualidades, como sejam, sortes com estampas, ditas
sera estampas, ditas em cariOes com pergunta >
resposta, ditas em livros, tudo por preco? anlu
commodos, que admira : na ra Nova n. 39.
Buhar.
Vende-se um bihar com todos os pertencef
ver e iratar na rua estreita do Rosario n. II.
Grande pechincha
Na ma do Duque de Caxias, antiga rua do
Queimado n. 19, vendera-se alpaca de todas, as
cores e lavradas pelo preco de 300 rs., cuias de
bons pannos a 240 rs. ; assim como tem nc(.s
djrtes de eambraias bordadas de cores a 7000 o
corle com 10 varas, baratissirao.
Farinha d-. mnd'oca e milh
chegado ullimamente do Rio de Janeiro, em saejos
grandes, e mais baratos que em outra qualquer
parte : trata-se no trapiche Foates.
A13600 "
Saceos grandes com superior feijao mulatinho :
no escriptorio de Jos Joaquim Lima Bairao, tz
do Vigario n. 27.
ESCRAVOS FGIDOS.
Bichas hamburguesas
Neste novo deposito recebe-se por todos os pa
qnetestranslantieos bichas de qualidade superioi
e vendera-se enf-caa oa porcao mais pequea,
e mais barato.do que em outra qualquer parta :
na rua da Cadeia do Recife n. 51, i* andar.
Cabellos
\endems6 cabeJios de todas as cpres, qualqqer
:omgrimento, qualidade superior, em canea ou
oreao mais pequea : na roa da Cadeia do Re-
nte n. Si, 1* andar.
Suprior \\nka Ikrdeaw
St.Stmtm4S. Jaban: na rua da Cadeia do
Recife numero 5.
Fugio no dia 11 de marco do crrante an
o escravo Francisco, cabra, de idade 30 annos,
com os signaes seguintes : cabeUos earap-nho^,
rosto descarnado e com marcas de bexipas, iatrtn-.
la-se ser livre, levou calca branca, paleto! de ai-
paca de cor, chapeo de chile, natural da Parahy-
ba ; o mesmo fbi comprado ao Sr. Delmiro Alves
Maia, morador na Parabyba. e jnlga se ter ido
para o mesmo lugar. Desde' j protesta-se contra
a pessoa qne o ti ver oceoludo ; e roga-se aos ca-
pitaes de eampo, assim cemo s autoridades pq-
ciaes que o tragam rua Direila n.-16, quo serio
generosamente gratificados,
Fogio do engento Bom-fim, freguezia dr
Ecada o escravo de nome Domingos, o qual tem
os signaes seguimos : falta de dantos na tome,
pes incitados e com bichos, cmbatela quando an-
da, alto, corpulento e tem nma marca de ferrda
ooi um dos ps, idade de 45 a ,'iO anuos, nurai-
to caxaoeiro, trabalba em chapeos-de paliw, dps-
canfia se que veio para o Recife pela via-ferrea ;
quera d aprehender e leva-lo ao dito engenbo,
ourua Estreita do Rosario n. 47, em casad
Hodrigus Mmeida & C, tara generoearaente
graiifioado; assim ooaao protesta-se con ira quam
o aceitar.
GratificapSo de 200^
res*
Fugio do anpiha Maodar na Parbyb o es-
cravo Cosme, crioule, d 35 anuos de idade, jifa
barbado, tem multas marcas de bexigas no n
e muito ladino, quera o pegar e levar no refe-
rid engenn, -ou iMBta cidade aa praca do Camie
d'Bu a. D, ao Sr. Jos omes da Fonseca, teta
a graflcacao cima.


8
Diario de Pejrnambeo Terqa
feira 1A
. .-
e J mino
de
1870
____
,i
ASSEMBLEA GEML
CMARA DOS DEPUTADOS
S1SSA0 F.M 2,7 DE MAIO.
ffyntinua'co)
Nioguem m3s pedindo a pateara, e indo
se proceder volacio do artigo, reconhe-
ce-se niobaver numero l.-gal ; pelo que o
Sr. presidente declara a discussio cacar-
rada.
Entra em discussio o art. 2o da nvsma
proposta.
Vem mesa, sio (idas, apoiadas e enfram
conjunetamento em discussio as segiiinles
emendas :
Fica o governo autorisado a crear des
de j urna compaohia de aprendizes mari-
ilieiros na provincia da Parahyba do Norte
A. S. Qirnpiro da Cunha.
o Fica o govern i autorisado 3 crear des
de j urna coropanhia de aprendizes man-
Dbeiroa na pro*o:te do Amazonas..1. T.
', Vmaral
E" permanente a d sposicio do art. 3
da iei 1,080'de 28 de agosto de 1809,0-
xando a forca naval para o anno flnanceiro
de 1870 a *87i Lamego. ,
Ninguam pedindo a palavra, fica a dis-
ecaste encerrada, igualmente nao se volea-
do por falta de num-ro legal.
Dada a ordem do'da, levaala-se a ses-
sio s dez lioras da noute.
nao foi da
SBSSiOME l 1>K JUMIO.
Entra ea dtanaslo o projecto sobre pro-
Mmento de oficios de justica.
5>9iu Benjamn : Sr. presidente, este
projecto dfe ve ser aceito. A provincia de
Minas gosa da prerogativa de nomear os
i -i ventuarios de justica desde muitos annos.
?eus legisladores, aproveitando-se do< Mr-
cnos vagos do acto addicioaal, deram pre-
sidencia da provincia a attiibaigo de no-
mear os serventuarios de jusiica. A Iei da
mrpretaco d i acto addicional respeilou a
Iei provincia!. Se a memoria n3o me en
gana, a provincia das Alagoas tem a mes-
oa prerogativa.
justo que se estenda s oulras provin-
cias, o fav.>r deque gosam as provincias de
Minas e Alagas ; nio s por ser urna id
i:til,como para imprimir administraco das
provincias urna marcha harmnica. A uti-
dade do projecto est verificada com a
experiencia fciu em duas provincias.
A cenlralisacao administrativa levada a
sxaesso,. como entre nos, am mal, um
grande mal;. cumpre pr-lhe cobro.
Mas, Sr. presidente, nao ser este pro-
jecto urna amarga decepco para o paiz ?
L:m triste laclo de um partido ?
Vjssos adversarios, os liberaes. estur-
giiam os ares cora promassas espantosas
de reformas. Cahiram dexando-nos um
projectinho de rtforma judiciaria firmado
pelo es-ministro da justica o Sr. Marlim
Francisco, que foi rejeilado por esta cma-
ra com bilaridade.
Bem solemnes foram essas promessas de
reformas. Demais, ell .s esto na conscien-
cia publica; todo o paiz as pede. No mo-
mento em que reluctarmos em vota-las, j
io represeuiamos o paiz. O que temos
feito ? Votamos o anno passado algumas
leu ; nenhuma dellas, porm, consultou
as grandes aspirares do Imperio.
Pouco ou nada temos feito. A situacio
que se levantou to popular no dia 16 de
julho, comega a descambar a olaos vistos.
A cmara est falseando a sua misso, des-
de que nao trata de satisfazer as grandes
aspiraces do paiz.
O Sr. Fontes : A colpa nao
.amara. .
0 Su. 15k.\jamim : = Nao indago neste
momento a origeid do mal. Elle existe ;
rega-lo impossivel. Pouco ou nada ie-
mos feito.
1 [MA yo/ : Eolio a cmara esta sem
direcco ?
(iS. Benjamim: Respond ao no-
bre deputado que as reformas nao foram
votadas.
Km 1850 o ministro da justica o Sr.
, onselheiro Ensebio, de saudosa memoria
[oomeroeos apoiados) em urna s-sssio con-
segu que a cmara vota--se reformas, que
at hoje fazem a gloria do partido conser-
vador.
As circunstancias sao as mesmas, cmara
coaaime e gabinete de sua intima con-
fianca.
Porque, pois, nao havemos de registrar
no corpo de nosso direilo, leis que satisfa
sendo as necessidades da civilisaco e do
progresso, constiloam a gloria do partido
conservador ?
O Sn. Psbbba da Silva : Nao leu o
retetorio do Sr. ministro da justica ?
0 Sh. Bknjamm : Li e aprecii-o de-
idamente. Mas ha 10 annos que os rea-
nnos de todos os miniaros fazem promes-
sas de reforma, e de promessas o paiz
est tarto. (Hilaridad-'.)
O Su. Parama da Silva : As fallas do
throno de lia 10 a anos contem sempre as
mesmas promessas. .
O Su. Bknjamm : Venhamos faclos. L
preciso satisfazer as aspiraces do paiz, re-
erguer o espirito da cmara.
N5o viemos aqui s para votar pensoes,
naturalisaces. A nossa grande misso e
outra, e ainda nao foi desempenhada.
Que da reforma da Iei de 3 de dezem-
bro, da Iei dagutrda nacional, da leieleito-
ral e das municipalidades ? Pooco nos
imporla que a outra cmara pocha obsla.-
culos sua passagem. Teremos ertio o
direito de dizer naci, que comprnos a
risca o nosso dever. .
Como e.t presente o honrado Sr. minis-
tro da justica a quem voto profunda ami-
zade, ha de a cmara permitlir-me que pe-
ta-lhe algons esclarecimentos.
Tem S. Exc. preparado algam proje;to
de reforma judiciaria ? Pretende apresen-
ta-lo brevemente consideracio da ca
mar ?
Com as minhas fracas frcas estoo prom-
pto a auxiliar o nobre ministro cumprir a
promessa solemne que o ministerio de 16
de julho fez em seu programma, e apartar-
me delle desde que faltar aos compromissos
de honra qae cootrahio parante a naci.
Aguardo a resposta de S. xc. Assim
tila acabe com as apprebensoes qae o mea
espirito, j bastante desilludido petes mais
amargas decepces tem soffrido oltima-
raeote. .
O Sr. Nebus (mraislro da justica):
Sr. presideote, a discosslo deste projecto
nao me parecera a iqais propria para a-
tisfazer as aspiraces do nobre deputado
(apoiados), porque trata-se apenas de urna
discussio circomseripta a am ramo do ser-
tico publico fapotedos) sem davida muito
importante, mas que ni cortamente de
or Jem a proocar-o debate em que o no-
bre deputado se entranhoi, discutindo a
materia.
Sobre o projecto, c eio que nada tenbo a
accre6centar, porque o nobre deputado nao
o impugnou.
O Sr. Benjamim : Nao senhor.
O Sn. Ministro da Jl-stica :Attendendo
e res;undendo s suas obssrvaces, devo
declarar a S. Exc. q ie o governo tambem
reconbece a necessidade de saptisfazr ao
reclamo da opiniao e do paiz, acerca de
muitos assumplos importantes de qae o
nobre deputado se oceupoa ; os relat* nos
dos diferentes ministerios basUr para sa-
tisfazer ao nojare deputado e cmara,
como tambem'ao paiz.
Nao queremos dormir o somno dos ada-
mentos eternos ; alguma cousa lia de fazer-
se, e est preparada para ser apresentada
cmara.
Respeitando e apreciando muito todos os i
projectos apresentados as sesses anterio-
res, que bem mostrara a gravidade da ma
teria e a complicacio do assumpto, para
ser bem reso'.vido, devo. no entretanto de-
clarar ao nobre deputado que pela] rninUa
parte tenho tambem estudado alguma cousa;
e posto que na > pretenda, nem me julgue
capaz de apresentar um projecto (muitos
nao apoiados) um projecto apparatoso e
completo, debaiso de todas as relaces da
administraco da justica. comtudo attenden-
do a algumas das mais palpitantes reclama-
ces que, at como magistrado teuho tido
occasiio de observar, trarei um projecto
simples e modesto com algumas disposices
e garantas, que ma parecc-m efficazes, e que
pode ser, talvez, sem grande demora, adop-
tado pela cmara.
Este projecto foi j submeltido aos meus
companheiros do conseibo de ministros, e
chegmdo a um accowJo sobre algumas dis-
posices que me parecem mais novas ou
diffieeis, devo dizer au nobre deputado que,
deutro em poneos dias, terei occasiio de of-
ferecer cmara essa medida.
Posto que eu seja considerado como
hornera emperrado, nio devo esperar que,
na discusso desta ou da outra casa do par-
lamento, se importem muito com aquillo
que eu disse em outra poca, mas cora a
materia que porentura tem de ser objecto
das discusses.
Assim, c iraprehendemlo ea que a le de
3 de dezembro muito salutar, muito bem
concebida (apoiados), podendo mesmo di-
zer se que ella para seus reformadores o
mesrao que a luz para a mariposa, com-
tudo, eu que pens assim, que reconhpco
a bondade e a sabia confeccio dessa le,
tenho algumas alteraces por necessarias
(apoiados), e j indiquei-as com generalidade
no relatorio.
Procurando satisfazer a espectativa pu-
blica, ou esta anciedade que ha tanto lempo
devora o paiz, ou parte delle, ouyindo
mesmo aos homens mais ou menos exigen-
tes dos partidos, apresento algumas medi-
das tendentes a separar a justica da polica
e a limitar a prisio preventiva, objecto do
clamor mais ampio donde vem talvez as
maiores queixas, e por ventura mesmo (
maiores abusos (Apoiados)
Tambem desejo aproximar da perpetra-
dade constitucional a magistratura no seu
primeiro grao.
Nio oossivel no nosso paiz. emprean
der urna reforma radical e completa, mas
alguma cousa poderemos fazer por ensaio,
admittindo desde j um systema mixto, para
conservar em parte os juizes municipaes,
em parte voliar aos juizes perpetuos da
constituyo.
Assim, a respeito da Banca, que tambem
urna garanta preciosa, nos procuramos
alarga-la e torna-la mais effectiva, de ma-
nera que seja propriamente ama garanta
individual, que em qualquer parle do paiz.
e seja qual for a sua partecipacio em um
acto criminoso, livre o cidado de certos
soffrimentos que a le: nio quiz, quando
tratou de declarar afiancaveis taes e taes
delictos, parecendo que por isso merecem
ma s algum privilegio e isencio.
Ootro ponto. Sr. presidente, relativo
sorte da magistratura.
Nos nao temos podido chegar ao ponto
de constituir a magistratura essencialmente
independente, que a base capital desta
materia ; mas ao menos vamo* garantir a
sua sorte; entre outras medidas, eu declaro
cmara que o augmento dos ordenados
essencial... (Apoiados.)
G Sr. Bknjamim : E indispensavel.
O Sn. Ministro n* Jcstica :No estado
actual, comquanto a independencia seja mais
do carcter ou natureza do homem, a ma-
gistratura bem retribuida concorre muito
para que esses bons caracteres se desen-
volvi e forlefiqum mais e mais, nessa
honrosa .vida, fra do perigo e tentacio da
miseria. .
O Sr. Beajamim : -lia juiz municipal que
tem menor ordenado do que um por-
teiro.
O Sr Ministro da Justica :Isso tudo
est providenc ado no projecto, assim como
era outros projectos anteriores alguma cousa
j existe dependente da approvacio do se-
nado.
Pretenda tambem, desde ja, annunciar o
estabelecimento de mais algumas relaces
no Imperio. urna necessidade palpitante.
Eu que neste momento tenho a -honra de
oceupar a aitenci') da cmara, desde o prin-
cipio da minba vida parlamentar, tenho pe-
dido essa providencia com instancia que
dizio tomar a especie de mama; aos meus
amigos, alguns dos quaes j deixram tra-
dces gloriosas no paiz, fallei sempre com
franqueza, mas algums mais amestrados,
mais conbecedores da boa administraco me
diziam sempre que nio convioha multiplicar
as relaces.
Hoje creio que essa opioiio tem variado:
e todo o mando reconbece, e todas as re-
formas tem concordado que prec.so crear
mais algumas relaces. Nio laxo, nio
para Iludir a vaidade desta oa daquella
provincia; para assim collocarmos os re-
cursos mais perto das partes.
Sio estas, em resumo, as ideas qae hei
de apresentar aos meus amigos brevemente.
Desejarei aproveitar algumas das medidas
que tem sido apresentadas oeste cmara e
muito estudadas. Posso tambem garantir
aos nobres deputados que os meos Ilustres
collegas do governo tratam de outros pro-
jectos que devem ser concn minantes e
tanto reclamados.
Temos essa reforma municipal qae est
pendente da 3.* seccio-
O Sr: Benjamim : Que nio fique em pro-
messa.
O Su. Ministro da Justica: Sim, senhor.
O mea nobre collega, o Sr. ministro do
imperio, tambem trata com todo o cuidado
e com todo o esmero da um projecto de
reforma eleitoral.
Assim, poist creio que as aspiraepes do
nobre deputado podem por emqoanto flear,
senio satisfeitas, ao meaos em urna espec-
tativa ....
O Sr. Bk.namin : Syopatbica.
O Sr. Ministro da Justica r ... sym
patbica e bem fundada.
Sobre a guarda nacional temos de apre-
sentar ideas qde. tendendo a desembaracar
o cidado do peso do servio, dos sacrifi-
cios e vexames, v3o restituir Ihes na maior
escala sua liberdade que cumpre garantir
nos actos da vida, bem como no compare-
ciraentb s urnas eleiioraes,
Sao as lgeiras observaces que tenbo
offerecer neste momento ao nobre depata-
do. (Muitos apoiados.)
O Sn. Perora ba Silva : Nao me
pareceu propria e nem curial a qoestio,
que o nobre deputado pela provincia de
Minas suscitou a respeita das reformas po-
lticas reclamad da iuterpellacio ao Ilustre Sr. ministro da
justica- Tratava-se apenas de um projec-
to que satisfazla em um ponto certa ordena
de necessidades publicas, de um projecto
cujo assumpto pertenoia materia adminis-
trativa exclusivamente (apoiados), de am
projecto que devia contentar as aspiraces
dos habitantes das varias provincias do Im-
perio, porque tendia a cortar am dos nos
da terrivel cadeia da ceotrali5acio admi-
nistrativa (apoiados). Diterm/wa o pro-
jecto em discussio que d'ora em diante
provessem os presidentes de provincia cer
tos empregos de jastica. Nao poda ser
outra questio levantada senio a de conhe-
cer-se e apre;iar-se a utilidads e vanta-
gen? da materia. (Apoiad >s) Concordava
o nobre deputado na sua disposicio ? Adop-
tava-a como um melhoramento ? Como
um progresso o reconhecia ? Pareceu-me
oovir essa opiniio ao Ilustre representante
de Minas. Para que, pois, demorar, pro-
crasliiiar sua approvacio, levaudo o debate
para o terreno allseio ao sea assampto e
materia ? (Apoiados.)
Masj que o nobre depotado abrio-nos
esse espaco e campo, peo a V. Exc. Sr.
presidente, e rogo cmara que me per-
mitan, acompanhar os doas oradores que
me precederara, e offerecer igualmente ob-
servaces que julgo convenientes e adapta-
das s circumstancias.
Sabe a cmara o que pens a respeito
das reformas polticas e administrativas re-
clamadas pelo paiz. Nio as quero do nu-
mero das denominadas contitucionaes; por
ora a constituicio como est nio carece de
transformar-se ou modifiesr-se. Nio, ha
necessidade de tocar nella. (Apoiados.)
Mas, alm de outras leis de organisacio, nao
exige imperiosamente a opiniio do paiz,
nio de um.partido s, mas de todos os
partidos, que se trate de reformar a le qae
rege o processo eleitoral ? Nio esta a
base do systema representativo e do rgi-
men parlamentar ? Ha hoje eleicio livre,
genuina expressio do povo ? Nio, de cer-
to. (Apoiados). Todos o sentimos, e mais
quando nos achamos em opposico. E,
portanto, argente rehabilitar, restaurar o
systema representativo, e s se conseguir
isto com a liberdade inteira do voto. (Apoia-
dos.) Basta, porm, a reforma da Iei elei-
toral ? Nio, de certo. (ApoiadosO Com
ella se ligara e se prendem a de 3 de de-
zembro, sobre organisacSo judiciaria, a da
guarda nacional e do recrutamento. Sio
concomitantes, e influem-se poderosamente
pela accio que exercem sobre a socie-
dade.
Da do recrutamento j a cmara, na ses-
sio passada, approvou urna reforma, em
minha opiniio escolente. E essa reforma
trar como consequencia inevitavel a da
guarda nacional, que est boje miltarsada,
que pesa horrivelmente sobre as classes do
comraercio, da industria e da agricultura,
que curva o cidadio a urna obediencia e a
trabalhos e gravamos que o tornam verda-
dero soldado de primeira linba. Adopta-
da que seja felizmente a reforma do recru-
tamento, nio haver remedio seno ou aca-
bar com a actual guarda nacional, ou redu-
zi-la posicio das antigs ordenanzas, que
s nos casos extremos de necessidade ou
perigo vinham soccorrer tropa de linha e
autoridade, e nio estavam constantemen-
te sobrecarregadas de servicos pesados de
disciplina e destacamentos, como a guarda
nacional de hoje. (Apoiados.)
Mas a Iei de 3 de dezembro de 4841, so-
bre a organisacio judiciaria e polial, nao
das qua mais carecem de ser modificadas ?
Sim, concordo com o Ilustre deputado, sera
urna reforma que separe a polica do judi-
ciario. que defina a prisio primitiva, que
facilito o habeas-corpus, que d indepen-
dencia ao magistrado, mudera comoquize-
rem a le eleitoral, a influencia administra-
tiva ha de predominar e a polica decidir o
pleito com a sua autoridade discricionara.
(Apoiados.)
Sou o primeiro a reconhecer qne a Iei
de 3 de dezembro urna das obras mais
sabiamente paticadas, mais patriticamente
concebidas ; salisfez urna necessidade pal-
pitante da poca, qqe ento as paixes
anarebicas prevalesciam, as ideas revolucio-
narias revolviam a sociedade, as desordens
se commctliio por toda a parte, a autori-
dade estava desmoralisada e enfraquecida,
e o governo, sem a menor accio as loca
lidades entregues a juizes de paz, que exer-
ciam attrbuices poticiaes, administractivas
e judciarias e que nio dependiam do go-
verno.
Tratava-se de salvar a sociedade amea-
Cada pelas faces, de plantar a ordem es-
tremecida a cada momento, e de crear tra-
dices governamentaes e costo raes regula-
res, que garant'issero as pessoas e os direi-
tos de todos,
A' Ui de 3 de dezembro de 1841 cabe
essa gloria. (Apoiados.) Mas a Iei de 3 de
dezembro de 1811, ao passo que prestou
esse relevantissime servico ao paiz, e ful-
guren por algumas providencias e .bases,
que a experiencia tem feito geralmente
adoptar como escellentes e proveitosas,
cootm tambem disposices que a mesan
experiencia tem condemnado, qae s tem
servido para abaso das autoridades, e que
todos os partidos reconhecem hoje indis-
pensaveis de reforma E nem podia deixar
de ser assim, quando a le de 3 de dezem-
bro nio deixoa de ter um carcter de cir-
cunstancia. Mudada a situacio, as partes
que devinhavam a poca, e s a epocua
devem desapparecer, modificando-se com
o andamento das ideas.. Entio este-
va a autoridade desmoralisada, carecia-se
de rehabilita-la, mas hoje est repleta de
Torca; entio cade cidadio, cada grupo ca
da faeco, npunna pela audacia e pela vio-
lencia a Iei. e predoanava ; hoje a, essa
licenca nio|uocedeu convenientemente a
lberdad*, antes a liberdade do cidadio fal-
ta diante da exhaberante robustez da auto-
ridade. E.nio ha aqoi' divergencia entre
os homens polticos.
Todos marenam hoje cora as mesmas
ideas. Os ministros de diversos
grupos oa opinies dzem as mesmas
cousas, exigen as mesmas providencias,
islo proclamam a necessidade indecli-
navel e argente da reforma da Iei de 3;
de dezembro, e em pontos determinados e
accordes. As fallas do throno de ha dose
annos a esta parte sio copias urnas da ou-
tras, incliiem no mesmo rol de necessidades
publicas a reforma da Iei de 3 de dezembro,
da gnarda nacional, do recratamena e da
eleicio. Parece que tem estado no poder
sempre e constantemente o mesmo partido
ou os mesmos homens, sera que tenham
conseguido cousa alguma at agora, qqando
todos os par dos tem governado. (Risadas)
P'onde provm este fado? Dos governos,
das cmaras ? Como at agora nada se fez ?
Tem toda a razSo o nobre deputado por
Minas flea tudo em palavras e o que nos pre-
cisamos de obras, de actos efficazes. Mas
ea digo qoe nio, sio as cmaras culpadas, sio
os ministros. Recorde-se o Ilustre mera-
bro do que se veriflcou ainda na passada
sessio da actual legislatura. Existia nesla
cmara em 3.a discussio um escellente pro-
jecto approvado em 1866 em 2. discussio
consignando as reformas da Iei de 3 de de-
zembro. Todas as providencias lembradas
pela experiencia des ministros dos diversos
partidos polticos, e que eram geralmente
acceitas, acnavam-se consignadas no pro-
jecto Siparaco das aitribuices polciaes
das judciarias, garantas de seguraba pes-
soal por hafoas corpn* fiancas e explicares
e condices da prisa) preventiva, fixacio
das funeces dosjuizes de direilo as causas
civeis e commerciaes, augmento de tribu-
naes de seganda instancia, mellioramentos
de ordenados para a magistratura, etc. En-
tendem alguns deputados, que o meio
mais expedito de votar esta reforma era to-
mar por base da discussio ess; projecto
depois de esludado por ama commissio, e
ouvido o Sr. ministro da jnstica de ento.
Combinadas as modieaces oa opinies
e em urna s discusso, teriamos cumpndo
o nosso dever, teriamos mandado ao sena-
do ama expeliente reformada da le de 3
de dezembro. (Apoiados)
Mas oSr. ministro da justica da 186!) to-
mou este accordo e oppiniio como censura
s suas luzes, falla de confianca na sua
pessoa. e fez da passagem deum simples
requerimento de ordem mais regimental
que geral, urna questio de gabinete, e le-
voa a maioria a regeita-lo (Apaiados). O
que resultou d'ah ? Nada se decidi na
sessio perdendo-se tempo precioso em dis-
cusses interminaveis desses projecto* des-
tacados do filustre ex-ministro, que niofi-
zeram dar am passo ao assumpto. (Apois-
dos.)
Para que, pois, laucar a culpa sobre a
cmara ? Bem quizemos execular essa parte
importante do programma poltico do nosso
partido, qae deve provar que sabe dar ao
paiz as reformas exigidas pela opiniio geral,
quando os seus adversarios no poder tantos
aunos nio foram capazes de leva las a
effeito.
Foi o governo culpapo de nao compra-
mos a nossa obrigacao.
E' por isso, senhores, que eu quero real-
mente que se verinquem as reformas con-
signadas as fallas do throno desde 1857,
eu, que sou reformista, e nio estacionario,
estremec ao ouvir o nobre ministro da jus-
tica declarar que trazia novos projectos
cmara acerca da le de 3 de dezembro....
O Sr. Presidente : Peco ao nobre ora-
der qoe se cinja materia do projecto.
O Sr. Pereira da Silva : Recorde-se
V. Exc. que, quando o nobre ministro da
justica pronunciou essa phrase, que me
refiro, eu dei-lhe um aparte, dizendo qe
por piedade nio apresentasse mais projec-
tos. (Risadas). Em attencio cmara,
em consideracio at a V. Exc. preciso ex-
plicar esse aparte. (Risadas).
Sim, senhores, minha opiniio que te-
mos j na casa projectos de sobra res-
peito, e nao precisamos de mais nem um.
A experiencia do anno passado nos deve
bastar. Urna licio deslas deve aproveitar.
O qus de novo se nos vai lembrar o que
se nos lembrop o aono passado ? Para que
perder mais tflmpo ? Para que mais demo-
ras ? S pe > gosto de apresentar novo
projecto e dizer:tambem tenho um pro-
jecto. (Risadas)
Demais ea li o relatorio do honrado Sr.
ministro da justica actual. A respeito da
lei.de 3 de dezembro nio tem urna so idea
que nao esteja consignada no projecto de
1866. S. Exc. declara at que adopta to-
das as providencias deste projecto. Para
que, pois, novo projecto ? Vamos estudar
esse projecto, e na 3a discussio, a que se
deve elle submetter, modifiqaemo-lo regu-
larmente, emendemo-lo e tornemo-lo mais
apropriado s verdadeiras necessidades pu-
blicas. E' quanto basta, e assim ganhare-
mos tempo em vez de cocsumi-lo em dis-
cnsses mais atrazadas de novos projectos
ou propostas, repetindo o qoe tantas vezes
e tao bem se tem dito. (Apoiados). O de-
leito dos parlamentos gastar tempo em
palavras repetidas. Poupemos o tempo, e
trabalhemos seriamente, que o qoe o paiz
quer e a'opiniio pablica o exige. (Muito
bem).
O Sr. Presibcte.: O nobre deputado
por Minas nio pode mais ter a palavra
perqu na primeira discussio s se fall
urna vez.'
O Sr. Benjamim :Bem.
O Sr. J. de ALKNCAR:-Peco a palavra.
O Sr. Presidente :Tem a palavra 0
Sr. Alencar.
O SR. J, DE ALENCAR :-Sr. presi-
dente, nio conlava entrar nesta discusso,
porque, embora estiv'esse disposto a sus-
tentar o projecto em discusso, todava
suppuz que a disposicio nelle contida
fosse tio aceita pete oamara que nio se es-
tabelecesse debate a respeito. Mas o no-
bre depotado pela protineia de Minas-Ge-
raes, qae abri a discussio encaraiahon-a
por nm terreno que, abrindo largo borison-
te ao nobre deputado pete provincia do Rio
de Janeiro, deo-lhe ensejo de dirigir ao ex-
ministro da justica varas censuras, censuras
qne indirectamente tintara sido feitas pelo
honrado preopinante.
Senhores, renovoq-se a questio j to
'debatida em diversas sesses do anno pas-
sado : renovoo-se a censara dirigida ao ex-
ministro da justia, nor nio ter obdo qae
a cmara dos senhorw dejaotados votasse
a reforma piiirisna. Esta censura se din- aeawns -4-.003 roalberes attentaraa con-
ge,, qSo isoladamente- ao ex-ministro da
justica, mas- -todo o gabinete de que elle
fez parte. (Apoiado*.) Sao materias moi-
to importantes e de interesse poltico ;: as
reformas respectivas nio podiam ser apo-
sentadas e discutidas nesta casa senio de
accordo conhtedo o gabinete. (Maitos pota-
dos).
Por mate inflaeocia que tenha qoalqoer
membro de um gabinete, e eu nio me con-
sidere! neste-caso quando ti ve a honra- de
pertencer ao-milito Ilustrado ministerio de
Ift de julho; por.mais influencia, por mais
preponderancia qqe exerca o memoro de
gabinete sobre urna cmara era grande par-
te composta de seos amigos, nio pode elle
s, desde que to oceupe a.gosico de
presidente do conselho, dirigir a.maioria e
dirigir o espirito de urna, assemblik tio au-
torisada como esta. Portanto, se o ex-mi-
nistro da jusca nio conseguio que se vo-
tassem nesta.casa as reformas por elle apre-
sentadas, a- ealpa deste fado nio pode ser
atribuida nicamente elle-. envoKe tam
bem todos os.ministros,, ao gabinete de
Ift de julhp..
Reparei, portanto, que o Sr. ministro da
justica tomando, a, palavra* nesta discusso,
nio defendesse o gabinete de que elle faz
hoje parte e ornamento; porque sou do^
pnmeiros a apreciar o talento e os dotes
do nobre minis'ro. (Apoiados).
S. Exc. nesta occasiio fa tou solidane-.
dade ministerial, deixando indefezo o pas-
sado gabinete; faltn i solidariedade go-
vernameotal para com o seu ex-collega,
qu3 traba o direito do esperar de S. Exc.
urna palavra de justica nesta materia.
O Sr. Rodrigo da Sh.va:-A aecusacio
foi posterior.
(Ha outros apartes). .
O Sr. J. de Alexcar : A censura ap-
pareceu antes. O nobre deputado pela
provincia de Minas, encelando este debate,
laraentou que nos, representantes de urna
situacio que se havia inaugurado com tanta
pujanca, nao tivessemos ainda dado satisfa-
go s necessidades do paiz e realisado a<
aspiraces muito legitimas e maito vigoro-
sas da opiniio pablica. Apoiados.) Disse
S. Exc. que nio era culpa da cmara, mas
sim do governo que devia dirigi-la.
O Sr. Fontes d um aparte.
Sr. J. ue Alencar :=>E o nobre de-
putado que neste momento me fez a honra
de dar um aparte o secuodou neste pensa-
mento, repetindoa culpa nio nossa, a
culpa do governo. Talvez o nobre-
deputado quize indivdualisar a censura do ex-ministro da,
justica.
O Sr. Fontes:Nio apoiado.
O Sr. J. de Alencar :Mas nio o con
seguir ; a censura ha de cahir inteira so-
bre o gabinete de 16 de julho, de que eu
ento faza parte; sobre esse gabinete que,
segundo o declararam, nao eu, porm
membros muito Ilustrados, e nesta mesma
cmara, era solidario e estreitamene unido
pelos tecos de urna estima reciproca.
Portanto, tive razio de me doer d) no-
bre ex-ministro da justica (ob!....) Tem
razio... do nobre ministro da justica, a
queu peco desculpa de o ter inadvertida
mente confundido neste momento com o
humilde orador (uio apoiados) que se dirige
cmara.
O Sr. Ministro da Justica:Tenho mol-
la honra nisso.
O Sr. J. de Ai.encar :S nhores, o no-
bre deputado por Minas lancou sua censa-
ra de leve, quasi no vago, deixando pers-
picacia da cmara encaminha-la. Mas o no-
bre deputado pela provincia do Rio de Ja-
neiro, esse foi mais positivo e terminante ;
levantou-se para vir urna vez agitar urna
questio que a cmara j decidi o anno pas-
sado, urna questio a que a maioria desta
casa tinha imposto o silencio. (Apoiados.)
Senhores, tambera e ex-ministro da justi-
Ca do gabinete de 16 de julho nio poda ser
isoladamente censurado pelo nobre deputa-
do por ter aqui formulado urna questio de
gabinete, que esta augusta cmara aceitou
sem besitacio e votou por grande maioria.
(Apoiados.) O nobre deputado pela provin-
cia d> Rio de Janeiro ni podia dirigir ao
ex-ministro da justica essa censura sem at-
tingir o gabinete de 16 de julho, e igual-
mente a seus collegas e amigos, membros
todos da mesma cmara e do mesmo par-
tido. (Apoiados.)
Senhores, nio foi sobre materia do regi-
ment que eu coljnquei urna questio de
gabinetejaio senhorap. A confianca cou-
sa muito delicada (apoiados), a mecor cir-
(urastancia pode abala-la profundamente. O
modo por que se apresentou o requerimen-
to...Nao quero renovar urna questio que
pode de alguma maneira despertar extinctos
resentimentos ; nio dexo.
O Sr. Andrade Figueirr :A verdade
nunca despena recentimentos. Pode expr
tudo. Tiido consta dos annaes.
f O Sr. J. de Alentar:-O modo porque
t> apresentado o reqierimento, sem cin-
sulta nem sciencia previa do ministro ,dic-
tou seu procedimenlo. Talvez se possa di-
zer que ella fo susceptivel de mais.
O Sr. A .Fioueira :Isso sim : apoiado.
O Sr. J. de Alencar : Mas, senhores,
pela consciencia que tioha da sua insnffi-
ciencia (nio apoiados), receiava com razio,
ter desmerecido da confianca de urna c-
mara lio Ilustrada, vendo algnns nobres
deputados adiantarem-se em apresentar
um projecto d" reforma judiciaria, isso
quando pelo relatorio desse ministro da
justica e por seas trabalhos vnlgansados,
e escarnecidos pela opposico no senado,
se sabia qae elle havia preparado bases para
os trabalhos legislativos. Nestas condices
apresentado o requerimento, sem combiua-
Cio alguma, entendea o ex-ministro da jus-
tica qae a resolucio da cmara, adoptando
para base de sua,discussio um projecto an-
terior, importara um voto de desconfianca.
Na sua opiniio e de seus amigos semelhan-
te deliberado da cam*ra signataria o se-
grate : Nos nio temos confianca as lu-
zes do actual ministro da justica (nio apoia-
dos) ; nio acreditamos que elle possa tra-
zer para esta discussio qualquer caheda|
de estados e experiencia.
(Gootilw&har-sk).
tr os seus- das, a aabr : ._
tobme* e 4#,albires..apodos;
t,T72 homens e 33*nlberes Bfc*eados ;
*37 hora** e 3 moflieres por meio de tiro
de pistola .despedazara O celebre; 25t
homens e2 mulheres mataram-se com es-
pingarda ; 192 horneas e li mafteres
por meio de carvSo ; 176 homens- e 33 ma-
Iheres pon.meio de.instrumento* cortantes;
74 homens e 4i raulneres por meio de ve-
neno ; Gl> bomeDS-o 55 mulhenes- fer pre-
eipiticio.de janellas e de pontos elevados:
31 homens e 10 mulheres deitaram-se sob
trens de caminho de ferro ; e finalmente 10
homens e 7 mulheres deixaram-s morrer
de fomo'.
V-so por estajearla exposico pie o ge-
nero da morte preferido foi a esforcacao,
depois-a por aspnyxa n'agna, seguindo-se-.
Ihe a do carvio, e finalmente a do veneno.
A ciasse mais.affectada foi a dos traba-.
Ihadones e a dos, operarios,, quo formam a,
somma de l,4ft nomens e 375. mulheies.
PO IX PA&A REEEtfFIGADOR. N5a m
faz idea em geral dos- trabalhos de cons-
troccio realisados por este grande pontfice
atravez de lempos ti calamitosos. Beppis-
do acabamer.to d nwgestosa baslica de S.
Paulo, monumento digno do grande apost-
lo, das gentes, succederam se muitas oulras.
sendo as ultimas a de S Lourencoextra-
murosSanta Mari* in TranstevereSanta
Maria MaiorS. Prxedes. Pi IX em to-
das as baslicas tem feito obras, e urna das
cousas que causa aduiiracio como os seos,
fracos raaios para tudo Ibe chegam. Agera
est, elle sustentando cerca de 300'bisos,
ej'Ihes. tem assegucada a substancia at o
fina do anno.
DBSCORERTAS EM OSTIA.Dapois das
magnificas dos mporium dos marmoresqoe
os Cesares pagios faziam arrancar por ios
de escravos enristios, e que desenterradas
servem de ornamento na renovaeio dasigre-
jas pela magnificencia do papa, vieran de-
pois as descobertas em Ostia, i foz do Ti-
bre, e que amigamente era como o arra-
balde commercialde Roma. Aii toi ultima-
mente dscoberta em om terreiro em frem>
de urnas magestosas ruinas de um templo
'de Jpiter, ama casa que panece cousa sin-
gular, ter escapado a toda investigacio e-
espoliac3o- Este achado precioso devido
sagaciebado do archeologo Visconti, qne
mandou, fazer excavados onde nmguem
suspearia edificios.
Surgi, porm, de sob-a trra a casaso-
bredit e as preciosidades archeologicas. ex-
cedem toda a espectacio.
J se extrahiram utensilios de toda a sor-
te, estatulas de execucio e arte peifeitas.
Um Apollo iVomis, representaci> rara e
importante.Urna figura de Vesta admira-
velmente vestida, am Marte, am Pollax, am
Bacho, ou cavallo laucado a galope, doas
panteras, cujas malUas sio incruslaces do
prala, sendo as figuras todas de bronze.
Encontraram-se mais 5,000 libras de
chumbo, marmores inscripces; as. exeava-
Ces continuam.
A INSCRIPTO MOABITA.A imprensa
tem divulgado' a descoberla de um stelo de
basalto contemporneo de Mesa, rei de
Moab de Jgsaphat. rei de Jud de
Achab, Ochosas e de Joram, rais de Israel.
A columna tem urna inscripeo phinicia qae
concorda com a Biblia na narracio dos.
f uctOS.
A iiiscripcio tem 34 liabas, qne foi em
parte copiada e interpretada seuaelhante-
menle em Londres e Paris. Mr. de Yogue
que a publicou e traduzio, fixa-lhc per data
o -2o anno do reinado de Ojhosias, oa se-
gundo a usual chronologia 896 annos antes
da er.a christia e declara ser um documen-
to incomparavel e um dos mais amigos tes-
temunhos da historia em pedra.
Os pormenores da dscoberta segundo o
relatorio da academia das inscripces sio
os seguintes )
Desde alguns annos que se fallavaae
um bloco de basalto, azul escaro, de 1,000
kilos de peso, com traeos pouco profundos
qne parecan de inscripcio, que estava jun-
to do Mar-morlo em Diliban.
Era perigosa a exploraeio pela ferocida-
de da tribu beduina do sitio. Mr. Gauneaa,
chan;eller do consulado de Jerusalm, em-
penhou-se na dscoberta ; comprou por
bom preco alguns rabes para irem tirar a
estampa' da inscripcio ; estes obteem por
grossa qoantia a autorisacio dos chefes da
tribu ; no entretanto durante a operario
traves urna rixa ; os rabes fogem; am.
mais fino, finge-se ferido de morte ; cahe
do cavallo em um fosso ; e em quanto os
beduinos perseguera. os rabes elle tira o
papel da estampagem bem que em fragmen-
tos : Mr. Gauneau reconbece ahi ama ins-
cripcio escripia ,em heb'reu com caracteres
archaicos dos phinicios ; o governo ottoma-
no exige dos beduinos a pedra ; estes por
nio reconhecerem o governo do sultio que-
brarn-na e nio se explicando o modo, os
fragmentos veem parar s mios de Mr.
Fauneau, que consegue quasi toda a ins-
cripcio menos 30 palavras.
A primeira circumstancia notavel qae,
contra a opiniio dos sabios allemies a ins-
cripcio mostra que os hebreas se serviam
do radicado alphabeto.Em segundo lugar
elte confirma a narracio bblica da revoRa
de Moab contra Israel, depois da morte de
Achabda recusa do tributo a Qcosias fi-
Iho deste. A inscripcio conta e celebra
estn revolta com mais particularidades
Mr. Renn, presidente da academia das
inscripces, ao dar a palavra a Mr. de Yo-
gu, para fazee o relatorio," accrescentan:
Trata-se da mais importante das deseo-
bertas em epigraphia oriental. >
Assim, apeaar de todo o orgfllbda
acMcio, os, monumentos se encarregam de
confirmar a Biblia ? '
UTTERATuTlA.
^UCODETTJDO.
UICIDifc.Acerca Ua mana do suici
dio qae e?;ie anno se tem desenvolvido em
Franca, a .libert pablica a jegnlnte estatis-
tica des suicidio fllo asno passado: 4*008
RUSSIA.Est-se fazendo neste imperio,
um noiavel trabaUo typograpbico. A im-
prsnsa da academia das scieaeias de S. Pe-
teisburgo imprime em 325 lidguas e idio-
mas differentes algumas orneos ; esta p*
bl cacao, da qual s *a tirario 200 eaem-
pl ares, contera tambe prona dos traba-
lhos typographicoa, deade a infanta da arte
alo aos nossos. dias.
\
i

i
.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBZ9N522G_AIE2I0 INGEST_TIME 2013-09-14T00:10:38Z PACKAGE AA00011611_12139
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES