Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12138


This item is only available as the following downloads:


Full Text

-
m
ANNO XLVI. NUMERO 132.
.ora i
FABA A CAPITAL E LUGARES ONDE VA<) SE FAGA POHF,
Por tres mezes adiantados................. 6,J00
Por sei. ditos km ........" .-....... i_SOOO
Por uro armo idem....... .......,....'.. 245000
Cada mumero avaiso................... 380
'
SEGUNDA FEIRA 13 OE JUNHO DE 1870.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------.----------------------------------------- ____________________________________________'
PIBA DMTBO I FOKA DA FR07DIC1A.' N
Por tres mezes adiantados ...........'....; 64750
Por seis ditos idem.................... 13JB0O
Por-Bove ditos idem .'................ 20#_5O
Por am anno idem.................... 270000
\.,
,-
Fropriedade de Manoel Figneira de Faria & Fiihos.
--

SAO ACSEMTES:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Fiihos, no Para ; Goncalves Pinto, no Maranhao ; Joaquim Jos de Oliveira, no Cear ; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty ; JoSo Mara Julio Ctaves, no Ass ; Antonio Marqnes da Silva, no Natal; Jo* Justino
Pereira d'Almeida, em Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha ; Belarmino dos Santos Bolcao, em Santo Anto; Domingos Jos da Costa Braga,
em Naxireth; Francisco lavares da Coste, em Alagoas; Dr. Jos Martins Alves, na Babia; e Jos Ribuiro Gasparinho no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL
iovcmo da provincia.
LE N. 9*3.
O desembargador Francisco de Assis Pereira Rocha, vice presi-
dente da provincia de Pernambuco : Fago 9aber a todos os seas ha-
bitantes, que a assembla legislativa provincial decretou e eu sanc-
cionei a re>olucao segninte :
Art 1.* Fica creada nma cadeira de instrucco primaria para
.sen raascolino na povcago de Sanhar
cmara municipal da cidade da Victoria at a quntia de 5:000*.
: para a construcgo de um cemiterio na mesma cidade.
Art. 1 A quantia de 1:000*, dada por S. M. o Imperador para
esse fim, ser lambem applicada mesma obra.
Art. 3. A cmara municipal da cidade da Victoria rica obriga-
da a indemnisar os cofres provineiaes da sobredita quantia de.....
5:000*, no esparo de quatro annos improrogaveis, a contar do dia
em que a ti ver reeebido, pagando nos tres primeiros annos tres
presiagSes de 1:2005 cada ama e no ultimo urna prestacao de..... presidencia de" Pernambuco os 2 de junho de 1870.
1:400*000. O secretario interino
Art. 4." Picara revogadas as disposigoes em contrario, j Elias frederico de Altneida e Albuquergue.
Mando, porlanto, todas as autoridades quem o conhecimen- LE 930.
to e execugo da presente resolugo pertencer, que a eumpram e fa- O desembargador Frahciseo de Ass's Pereira Pocha, vice-presi-
ria para o sexo masculino nos seguintes lugares : urna para o des-
tricto de Gamelleira da fieguezia do-Buique; outra nocturna, desti-
nada ao encino dos adultos para a pcvoago do Barro da fregueiia
dos Afogadcs; outra no lugarPropriedadeda freguezia de Una ;
duas, urna para a povoacao de S. Joao do Araripe, e outra para Ta-
bocas, ambas da freguezia do'Senhor Bom Jess do Ex ; outra para
o lugar denominad) S. Pedro, da freguezia de Pao d'Alho;
outra para a segunda secco da ra Imperial, do bairro de S. Jos
desta cidade ; outra finalmente para o povoado de S. Vicente, no da-
trica da Serra do Vento, da fregnezia do Brejo da Madre do Deus.
i." Fieam igualmente creadas cadeiras de instrucgao primaria
para o sexo femenino nos lagares seguintes : ama para o povoado da
Venda Graade, outra para a povoagao da Allianea. outra para o po-
voado de Santo Amaro da freguezia de Serinhem, outra no lugar
da Torre da freguezia dos Afogado, duas, urna para a freguezia da
Luz e outra para Nossa Senhora do O' de Maranguape, outra para
Canboliobo da freguezia Je S. Bento, e outra nalmente para a po-
voaeo d S. Jos de Ingazeira.
Art. 2. Fieam revogadas aj disposigoes em contrario.
Mando, portanto, todas as autoridades quem o conhecimen-
to e execucao da presente resoluco pertencer, que a eumpram e fa-
ram cumprir tao inteiramenle como nella se contm. O secretario
interino da presidencia desta provincia a faga imprimir, publicar s
correr. Palacio da presidencia de Pernambuco, 28 de maio de 1870,
49' da iudependencia e do imperio.,
L. S. Francisco de Assis Pereira Rocha.
Sellada e publicada a presente resoluco nesta secretaria da
presidencia de Pernambuco aos 28 de maio de 1870.
O secretario interino
Elias Frederico de Almeida e Albuquerque.
LE N. 926.
O desembargador Francisco de Assis Pereira Rocha, vice-presi-
dente da provincia de Pernambuco : Fago saber a todos os seus ha-
bitantes, que a assembla legislativa provincial decretoa e eu sane-
cionei a resoluco seguinte :
Art. 1." Fica creado um lugar de contador e destribuidor no
juizo dos feitos da fazenda.
Art. 2. Fieam revogada as disposigoes era contrario.
Mando, portanto, todas as autoridades, quem) o conherimen-
to e execugo da preseute resoluco pertencer, que a eumpram e fa-
gam cumprir tao inteiramente como nella se contm. O secretario
uterino d presidencia desta provincia a faga imprimir, publicare
rr-r. Palacio da presidencia de Pernambuco, 28 de maio de 1870,
19.* da independencia e do imperio.
L. S. Francisco de Assis Pereira Rocha.
Sellada e publicada a presente resoluco nesta seorctaria da
presidencia as 28 de maio de 1870.
O secretario interino
Elta* Frederico de Almeida e Albuquerque.
LE N. 927.
O desembargador Francisco de Assis Pereira Rocha, vice-presi-
de&t da provincia de Pernambuco : Fago saber a todos os seus ha-
bitantes, que a assembla legislativa provincial decretou e en sann-
Sioaej a resoluco seguinte :
Art. 1. U presiuente da provincia Gca autorisado a emprestar
Mando, portanto, todas as autoridades quem o conhecimen-
to e execucao da presente resoluco pertencer, que a eumpram e ra-
cam cumprir tao inteiramente como nella se contm. O secretario
interino da presidencia desta provincia a faga imprimir, publicar e
correr. Palacio da presidencia de Pernambuco, 2 de junho de 1870,
49* da independencia e do imperio.
L. S. Francisca de Assis Pereira Rocha.
Sellada e publicada a presente resoluco nesta secretaria da
do termo c freguezia de
Cimbres.
1.* Fieam igualmente creadas cadeiras de instrucgao prima- gamcumplir to inteiramente como nella se contm. O secretario dente da provincia de Pernambuco : Fago saber a todos os seus ha-
interino da presidencia desta provincia a faca imprimir, publicar e hitantes, que aassemDla legislativa provincial decretou e eu sauc-
correr. Palacio da presidencia de Pernambuco, 28 de maio de 1870,
49* da independencia e do imperio.
L. S. Francisco de Assis Pereira Rocha
Sellada e publicada a presente resoluco nesta secretaria da
presidencia de Pernambuco aos 28 de malo de 1870
O secretario interino
Elias Frederico de Almeida e Albuquerque.
LE N. 928.
O desembargador Francisco de Assis Pereira Rocha, vice-presi-
deote da provincia de Pernambuco: Fago saber a todos o.' seus ha-
cionet a resoluco seguinte :
Art. 1.* Fica creada na flflvoacao de Baixa Verde, do termo e
freguezia de Flores, urna fregufia que se denonvnar de Nossa Se-
nhora das Dores, comprehendepdo toaa a serra e suas abas do no-
do seguinte :
Desde a fazeoda da Lage Grande (nos limites de Plane com Pa-
je) pea estrada que vem para Flres at S. Jerony mo, d'onde se-
guir em rumo direito ao sitio Murabagas, d'ahi descera pelo riacho
deste nome at a estrada de Villa Bella, segurad) por esta at ao
sitio Lage, d'onde pros guiri pelo caminbo de Aboboms at esta fa-
bitantes, qae a assembla legislativa provincial decretou e eu sane- zenda, e d'ahi rumo direito latra do Leonardo at encontrar aguas
cionei a resoluco seguinte : de Pianc, inclusive todos os pontos mencionados nesta linha diviso-
Art. 1. O presidente da provincia fica autorisado a abrir er- ra, com excluso somonte da, fazenda Aboboras, que continuar a
ditos supplementares as verbas da lei do orgamento de 1869 a 1870, ^pertencer A Villa Bella.
na importancia de 53:272760, assim destinados :
Ao art. 2* 8 2*...
5 | *>.,.
6o 8 2o...
15 S 2...
16 i i"...
21........
30........
39 8 I*--
40 3...
47'.......
Ao art.
Ao art.
Ao art.
Ao art.
Ao art.
Ao art.
Ao art.
Ao art.
Ao art.
330*320
5255568
148190
769*271
l:868980
1:971*152
14:254*830
28:000*000
800*568
4:080*881
.53:272*760
Art. 2. O crdito de 20:000*, consignado na lei n. 913 do cor-
rente anno, para suppleraento do art. 16 2 da lei n. 891, ser ap-
plicado s despezas do 1 do raesrao artigo, que trate de reparos e
conservago das obras publicas.
Art. 3. Fieam revogadas as disposigoes em contrario.
Mando, portanto, todas as autoridades quem o conbecimen-
to e execugo da presente resolagao pertencer, que a eumpram e fa-
gam cumprir to inteiramente como nella se contm. O secretrrio
interino da presidencia desta provicia a faga imprimir, publicar e
correr. Palacio da presidencia de Pernambuco, 31 de maio de 1870,
49 da independencia e do imperto.
L. S. Francisco de Assis Pereira Roclia
Sellada e publicada a presente resoluco nesta secretaria da
presidencia de Pernambuco aos 31 de maio de 1870.
O secretario interino
Elias Frederico de Almeida e Albuquerque.
LEI N. 929.
O desembargador Francisco de Assis Pereira Rocha, vice-presi-
dente da provincia de Pernambuco : Fago saber a todos os seus ha-
bitantes, que a assembla legislativa provincial decretou e eu sanc-
cionei a resolugo seguinte :
Art. nico. Fica o presidente da provincia autorisado a contra-
tar a construego de urna ponte sobre o rio Una, na estaco terminal
da estrada de ferro, e bem assim o primeiro lanco da estrada de
Una Pimenteiras, comprebendido entre as referidas estagao e
ponte. j
Revogadas as disposigoes em contrario. -
Art. 2. Fica elevada cflthegoria de villa com a denominago
de villa do Triampho, a mesma povoagao de Baixa-Verde, tendo por
limites os mesmos 'da nova freguezia.
Art. 3. Fieam revogadas as disposigoes em contrario.
Mando, portanto, todas,as autoridades quem o conhecimen-
to e execucao da presente resolugo pertenesr, que a eumpram e fa
gam cumprir to inteiramente como nella se contm. O secretario
interino da presidencia desta provincia a faga nrpri.nir, publicar e
correr. Palacio da presidencia de Pernambuco, 2 de junho de 1870,
49 da independencia e do imperio.
L. S. francisco de Assis Pereira Rocha.
Sellada e publicada a presente resoluco ne-ta. secretaria da pre-
sidencia de Pernambuco aost de junho de 1870.
O secretario interino
Elias Frederico de Almeida e Albuquerque.
LEI N. 931.
O desembargador Fraoeisco de Assis Pereira Rocha, vice-pre-
sidente da provincia de Pernambuco: Fago saber a todos os seus
habitantes, que a assembla legislativa provincial decretou e eu sanc-
cionei a resolngo seguinte :
Art. 1.* Fica o presidenterda provincia autorisado i contratar
com a cbmpanhia de cerris de ferro do Recife a .laboatao, o proln-
gamelo da mesma estrada at a cidade da Victoria, tendo esta com-
panhia direito, neste caso, i ama nova subvencao de 20:000* an-
nuaes, por espago de cinco annos, a contar do dia em quo comega-
rem as obras da mesma estrada de Jaboato para a Victoria.
Art. 2. Fieam revogadas as disposigoes em contrario.
Mando, portanto, toda as autoridades quem o conhecimen-
to e execucao da presente resolugo pertencer, qae a eumpram e
fagam cumprir to inteiramente como nella se contm. O secretario
interino da presidencia desta provincia a faca imprimir, publicar e
correr. Palacio da presidencia de Pernambuco, 2 de janho de 1870,
49* da independencia e do impeno.
L. S. Francisco de Atsis Pereira Rtcha.
Sellada e publicada a frsente resolugo nesta secretaria da
presidencia de Pernambueo aos 2 d janho de 1870.
O seeretario interino
Elias.Frtdtrico di Altneida t Alb*q*erque.
_____________:__________________;_____________t -------_________
DESPACHO n.V PJIKSIDK.VCI V DA PROVINCIA 00 DIA 7
nr. junno dk 1870.
Anselmo Ferreira da Cruz e Jos Pereira de
raa.Apresentem-se o supplicantes ao Sr.
\ knioistndor da capatazia da alfaadega para se-
irera admittidos logo que han ver vaga.
Baclnrel Ayres de Albuquerque Gama.Ao Sr.
inspector da tiiesouraria provincial com a sua in-
forniaro n. 583 de 22 de setembro ullimo, e mais
papis pan dar parecer, ouviodo o Dr. procura-
dor fiscal.
Antonio Manoel Ribeiro Chalaca Remettido ao
Sr. '"apilan do porto para o llm indicada na porta-
ra desta dala.
Abaixo assignados moradores na fregaezia de S.
J v >l, ouvindo o Dr. procurador fiscal.
M-xandrina Ignaeia de Oliveira.A' vista da
inf'riaco, como requer, pagos os direitos fis-
Keiiietisro-se estes papis ao Sr. inspector
U tbeaooraiia de fazenda para os fins conve-
rtienl ts.
.Vnnio L'.iiz de Oliveira Azevedo A CInforme
i Sr. inspector di tiiesouraria provincial.
Francisco Antonio Correa Cardoso.Indeferido
i vista das informacus. irija-se, porm, o sup-
licante au juiz de nrpraos do termo desta capital,
a quem remeti nesta lata a crtido de baptismo
B6MV que eslava annexa a> presente requeri-
mento para providenciar como fr de direito.
J >io Dias Pinto Aleixo.DA-se.
Joio Mauricio de Sana.Informe a cmara mn-
ll desta cidade.
I. videgario Liberato Pereira Caldas.Informe o
Sr. tenente-coronel commandante do corpo provi-
sorio de polica.
Luiza Maria Eleuteria.Informe o Sr. comman-
dante do presidio de Fernando.
Bacharel Luiz Carlos de Magalhes Breves.In-.
forme o Sr. director geral da instrucco publica,
ouvindo o regador do gvnmasio.
Luiz Antonio Gongalves Penna.Informe o Sr.
inspector da thesoararia de fazenda.
Thomaz Jos da Silva.Dirija-se ao Sr. eonse-
Ibeiro director geral interino da inslrucgo pu-
blica.
Zeferino Muniz Salgado.Diga o Sr. inspector
10 .irseal de marrana.
8
Francisco dos Anjos Gomes.Informe o Sr. Dr.
uiz municipal da Ia vara.
Irauadade da Gloriosa Seuhora Sant'Anna na
reja da Madre de Deus.Encaminhe-se.
Jos Soares Monteiro Informe o Sr. inspector
11 :hesourarfa de fazenda sobrestando ni expedi-
<-o do titulo.
Joo Carneiro Monteiro da Silva Santos.Infor-
me o Sr. inspector da thesoararia provincial.
Javencio Antonio Gaia.Sim, passando recibo.
Manoel Figneira de Faria Fiihos.Ao Sr. ms-
0 Sb. Io SECRETAmo l o seguinte
EXPEDIENTE :
Um officio do secretario do governo, remettendo
os autographos das resol ugoes da assembla de
ns. 923 e 924 sanecionadas pelo E. presidente da provincia.A' archivar.
Um requerimento de Andr de Atireu Porto, pe-:
dindo um privilegio para estabelecar na cidade)
de Goyanna carris de ferro pelo systema ha pouco
contratado para esta cidade. A' commissao de
obras publicas.
L-se e anprovado o seguinte parecer :
t Acomniisso de ordenados tendo lido e exa-
minado attenciosamenie a petico de Alvaro Ucha
Cavalcante, porteiro da reparfico das obras pu-
blicas, na qual pede para serem os seus venci-
mentos equiparados aos dos ru-rdas da mesma
repartico, precisa a commissao para dar o sen
parecer, que pelos canaes competentes seja onvido
o ehefe da repartigo das obrss publicas relativa-
mente ao que requer o supplicanto.
| t Sala das co nmissSes. 25 de maio de 1870.
Tolentino de Carvalho.Pinto Jnior.Paes Bai
reto.
ORDEM DO DIA.
2a discusso do projecto n. 113 deste anno. que
approva diversos crditos supplementares.E' ap
provado o dispensado o intersticio a requerimento
do Sr. Mello Reg.
i Contina a segunda discusso do orgamento mu-
, nicipal.
Art. 10. A cmara municipal etlpojuca, au-
, torisada a despender com os ebjectos abaixo de-
clarados, a quantia de 1:085*200 :
1. Ordenado do secretario..... 250*000
8 2." dem do porteiro.......... 50*000
5 3. dem do fiscal............. 40*000
4. Porcentagem do porteiro... 60*000
8 5. Expediente............... 20*000
8 6. Jury e eleigo............. 20*000
7." Gustas de processos........ 100*000
8 8. Obras municipaes.......... 400*000
9." Compra de peso-, e medidas
pelo svstema mtrico.............. 90*000
10. Eventuaes................ 50*200
Vai a mesa e apoia-se a seguinte emenda :
Em vez de porteirodiga-seprocurador.
R de Almeida.
E' approvado o artigo e a emenda.
Art. H. A cmara municipal da cidade doAo
Formoso, autorisada a despender com os objec-
tos abaixo declarados, a quantia de 3:336*.
600*00!)
120*000
150*000
150*000
1905000
605000
80*000
500*000
200*000
505000
400*000
120*000
305000
130*003
80*000
9O5000
pector da thesouraria provincial para informar com jr"a'
urgencia, sobrestando a praca como pede o sup-
pNcantB.
Maria Bezerra de Mello.Informe o Sr. desem-
bargador pnvedor da Santa Casa da Miseri-
cordia.
1. Ordenado de secretario.....
2.* dem do prrteiro..........
3. dem do fiscal da cidade
4. dem do dito de Una.......
."i." I Jem do guarda ecorreio...
6. dem do advogado.........
7.* Porcentagem do procurador.
8 8.* Expediente e assignatura de
Jury edeigao.............
10. Pagamento de eustas, in-
durado 200* ao escrivo do erime..
11. Agua e luz para a cadeia...
s 12. Alngueldo pagoda cmara.
13. Limpeza da cidade e ebras
municipaes......................
% 14. Eventuaes...............
8 15. Pesos e medidas decimaes..
L' approvado.
Ait. 11 A cmara municipal da villa
reros, autorisada a despender com os
abaixo declarados, a quantia de 1:390* :
PERNAMBUCO."
ASSEMBLA PROVICIAL.
SESSO ORDINARIA EM 28 DE MAIO.
PHKSn_NCIA DO SR. DR. AGIAR.
Ao meio dia frita a chamada achara-se presen/
tes os Srs. : Manoel do Reg, Rufino de Almeida,
Firmrao de Novaes, Oliveira Fonseca, Barros
Wanderley, Correa de Antojo, Amara!, Eduardo
de Oliveira, Felippe de Figaeirda, Antonio Pauli-
no, Gongalves Lima, Forreira de Agniar, Giismao
Lobo, Nicolao Tolentino, Joio Cavalcante, Vieira r---------------------------
de Mello, Pinto Janior, Guales Gondim, Vieira de jornal oficial.....t...........
_ __._.! 1*_ ** _-------- r\ a.- (* __.!_.___ V____i A fia _> i Ordenado do secretario-
2." dem do porteiro..........
3. dem do solicitador........
4." dem do fiscal.............
3.a dem de dous ajudantes
6.* Porcentagem do procurador
7. Alnguel do pago da canttn.
8.* Expediente e assignatura do
400*000
150*000
4005000
200*000
150*000
2004000
300*000
60*000
60*000
500*000
100*000
120*000
546*000
80*000
90*000
de Bar-
objectos
300*000
50*000
130*000
130*000
100X000
100*000
1004000
Preta, autorisada a despender com os objecto;
abaixo declarados, a quantia de 2:9505
% 1. Ordenado do secretario.....
2. dem do porteiro...........
| 3. dem dos fiscal da villa
i 4." dem do dito dos Montes...
jj 3. Porcentagem do procarador.
| 6. Expediente e assignatura do
jornal official....................
7." Jary e eleigoes............
8." Custas crimraaes.........
i 9." Aluguel do pa^o da cmara
8 10. Limpeza emobilia do paco.
111. Par assentar o portan do
cemiterio e factura de tres catacum-
bas................f............
% 12. Ordenado do administrador
do cemiterio.....................
13. Limpeza das ras.........
8 14. Agua e luz para a cadeia da
villa e quartel do povoado dos Mon-
tes .............................
8 13. Eventuaes...............
8 16. Compra de pesos e medidas
decimaes........................
Vai a mesa e apoia-se a seguinte emenda :
Ao 8 1 do art. 13, em vez de 600*diga-se
400*.A. Pernambuco. >
E' approvado o artigo e a emenda.
Art. 14. A cmara municipal de'Nazareth, au-
torisada despende- com os objectos abaibo decla-
rados, a quantia de 5:568*900 :
8 1-* Ordenado do secretario.....
8 2.* dem do porteiro..........
8 3. dem do continuo,.........
8 4.a Idem do fiscal da cidade...
5 dem dos flseaes das fregue-
zia.............................
6* Porcentagem do procurador.
8 7. Expediente e assignatura do
jornal official.....................
8. Jnry e eleigoes............
8 9. Agpa e luz para a cadeia...
8 10. Custas criminaes..........
11. Comprado pesse medidas
pelo systema decimal.............
8 12. Obras manicipaes.. ......
8 13. Eventuaes................
8 14. Ordenado devido ao secre-
tario............................
15. Curativo dos presos pobres..
Vai a mesa e apoia-se a seguinte emenda :
Ao % 1*em vez de 5005 diga-se 400*
Paes Bar reto.
5003000
2005000
1508000
150*000
100*000
120*000
60*000
60*000
150*000
3505000
90*000
3:000*1100
150*000
300*000
188*900
O SR. GUSMAO LOBO ponderando que a re-
ceita na falta de outros dados, o tuerraometro
da importancia das cmaras municipaes, nao pode
prestar o seu voto emenda que redtiz 400* o
ordenado de 500*, proposto pelo projecto, quando
ao secretario da cmara municipal de Agua-Prea,
cuja receita est calculada aproximadamente na
razo de metade da de Nazareth, se votou igual
quantia. Advertindo que, para a cmara da Victo
ra cujo rendimento equivale ao da cmara de
Nazareth, se votou sem impugnagao o ordenado de
700* fraccionario de igual oaibegoria, o orador
procura demonstrar que, o trabalbo devendo cres-
cer na proporgao da arrecadagao, nao juUifica-
vel que se tente aqai urna reduegao de 100*,
quando ali nao se fez questao de migalbas. Tem
assim como justificado o voto que d contra ;
emenda.
Encerrada a discusso o artigo approvado, e I
Arauju, Paes Brrelo, Ges Cavalcante, Ignacio
Joaquim, Manoel ATthor, Pedro Alfonso, Mello Re-
g, Cunta Cavalcante, Henrique Mamede, Herrao-
genes, Miguel Pernambuco, Cunba e Figueiredo,
Teixeira de S, Oliveira Andrade, Gaspar Drum-
moni i
Aberta a sessao, foi lida c approvada, a acta da
antecedwUe,.
9.* Jury e eleico.............
10. Custas iudiciaes..........
11. Agua e luz para a cadeia...
12. Eventuaes................
13. Obras municipaet.........
13. Petos e medidas decimaes..
J* approvado.
Art. 13. A cmara municipal da villa de Agua
50*000
50,
100;
30
501000
50*000
90*000
regeitada a emenda.
Art. 15. A cmara municipal da villa da Enca-
da, e autorisada a despender com os opjectos
abaixo declarados a quantia de 3.6105 :
1.* Ordenado do secretario..... 500*000
1* dem do porteiro.......... 150*090
3. Porcentagem do procarador 150*000
4.* Ordenado do fiscal......... 100*000
5.* dem do advogado......... 100*000
6.a Expediente e assignatura do
jornal official .................... 60*000
"7* Custas de processos crimes. 500#0o0
8.* dem de processos munici-
paes ............................ 50*000
9. Jury e eleigoes............ 100*000
10. Aluguel do paco municipal 24O0OO
11. Agna e luz para a cadeia... 704000
12. Mobilia para Q pago munici-
pal'.............................. 200*OUO
8 13. Obras municipaes___...... 1 .-000*000
j 14. Eventuaes..............* 100*000
S 15. Compra de pezos e medidas
mtricas ........................ WfW
0 Sr. Gs Cavalcante :Nao preciso dar as
razoes que tenho para oflerecer a emenda que
vou mandar mesa, por isso que sao as mesmas
que ha pouco foram perfeitamente deduzidas pelo
honrado deputado pelo Io districto, o Sr. Dr
Gusmo Lobo.
Vai mesa e apola-se a seguinte emenda.
Em vez de 3005, diga-se 409*. Cavalcante
de Albuquerque.
Encerrada a discusso, e approvado o art. e a
emenda.
Art. 16. A cmara municipr.l do Bonito, e au-
torisada despender com os objectos abaixo de-
clarados a qnantia de -2:7945 :
8 1. Ordenado do secretario
12.* dem do porteiro..........
8 3 Idem do prpeurador.......
8 4 dem do mesmo de ordena-
dos atrasados, como determinou a
lei n. 901 de 25 de julno de 1869...
3." Ordenado do fiscal.........
8 6.* Expediente e asignatura do
jornal otcial.....................
7." Jury e eleigoes............
8 8, Agua e luz para a cadeia...
8 9. Custas judiciaes............
1 10. Obras municipaos inclusivn o
cemiterio publico .................
5 11. Mobilia para o pago da c-
mara ............................ 100*000
8 12. Compra de pezos e medidas
pelo systema mtrico...............
S13. Eventuaes.................
8 14. Reparos do agude publico...
Vae mesa e sao approvadas as seguintes emen-
das :
t Requeiro que, pelo 9 se pajrue a quantia de
39* que se deve de costas ao Dr. Joo de Castro
Ribeiro Madrado, promotor publico da comarca.
T. de Vascmcellos.-K
, Em vez de400*. diga-se 3005 Paes Bar-
reto.
O SR. GOES CAVALCAETE : Sr. presidente.
Pedi a palavra para manifesiar-me contra a
emenda presentada ao 1* do art. 16.
Vendo, Sr. presidente, que se fez grande celen-
ma pelo faeto de ter-se reduzido o ordenado do se
cretario da cmara de Agua Prea, de 600* para
400*, e *ndo tambera certo que a importancia de
urna cmara e o trabalho para o criptorio esto na razad directa de sua receita,
tenho bastante fundamento para votar contra a
emenda apresentada.
A cmara de Agua-Preta tem de rendimento
dous contos e unto, perto de treu...
U_ Su. Depdtado : Este argumento ja nao
procede. '
O Sr. Gas Cavalcaute :A cmara do Bonito
tem tambera quasi a mesma ou igual quantia de
rendimento ; portanto se se clamou contra a in-
justiga de se ter diminuido o ordenado do secre-
tario da cmara de Agua-Preta, como que se
quer reduzr o do da camaia do Bonito, que
.penas o projecto Dxa em 4004, para trezentos ?
Ser, por aespeito ? Devemos votar qui, egun-
do as razos de jostiga e de conveniencia pu-
blica ?
Se assim comtndo en sempre declaro que
400*000
100*000
1255000
400*000
80*000
60*000
100*000
100*000
114*000
500*000
905000
80*000
500*000
cretario da cmara do Bonito f Ser por espirito
smente de oppesigo *
Sr. presidente, en emendo que nos devemos- ser
justos, devemos aitender as circamstancias das lo-
calidades, devemos attender a que o secretario de
urna cantara un hornero de certa posigao, que
deve ter certas habiltagoes e um bomem nestas
condigoes nao quer sugeitar-se a ser secretaria
de urna cmara por urna quantia roesqninha, re-
dicula mesma, quando eerte*, como isse o nobre
depntado pelo l'.disrricto, que os ordenados con-
cedidos a esses fanctionarios nao estacv em rela-
gao eom o servieo que prestar.
Se assiiiH Sr. presidente, se aqui se fez urna
grande opposigao a diminuigo que sobren o secre-
tario da camar de Agn Preta, porque razo se ha
de apreseotar urna emenda diminuindo o ordena-
do dn secretario' da cmara do Bonito, de 400 para
300*?
Se o nobre deputado apresenta esta emenda por
ter pasgado a emenda relativa ao secretario da
cmara de Agua Preta, porque nao se oppoz
esta emenda ?
O Sr. Paes Barreto :Est engaado, eu vo-
tei a ,'avor dossa emenda.
(Trocam-se apafes).
O Sr. Goes Cavalcante :O nobre deputado
manifestou-se contra a deminuigo do ordenado
do secretario da cmara de Agua Preta.
J disse, Sr. presidente, o trabalho do secreta-
rio de nina cmara est na razo directa da recei-
ta da mesma cmara, e se o ordenado do secreta-
rio deve maie ou menos corresponder ao trabalho
que elle tem, eu emendo que a emenda apresenta-
da injusta, em proporgo aos ordenados que j
foram votados para outros secretarios de cmaras
municipaes. Apresentei o exemplo do seeretario
da cmara de Agua Preta, cuja receita penco ex-
cede do Bonito. Aprsente! tambem a do Cabo,
que tambem igual, oa pouco excede, e se a esse-
empregados se d 400*, deve-se tambem conces
der iganl ordenado ao secretario da cmara d-
Boaito, quando o trabalho deste nao deve ser
maior do que o daquelles; deve conceder-se a
esse secretario o ordenado de 400* porque foi o
proposto pela^cmara.
Parece, Sr.'presidente, a vista des'.as considera-
goes, ter justificado o meu voto contra a emenda.
O SR. PAES BARRETO :-Sr. presidente, por
mais que me esforc em dizer alguraa cousa so-
bre a materia que se discute, estou que nada fa-
rei, porque ella fel muito bem apreciado pelos
Ilustres oradores que acabaram de fallar ha pou-
co, nSo tenho mesmo interesse que a emenda pas-
se oa deixe de passar.
Um Sr. Deputado :Para qae a aprsenla ?
O Sr. Paes- Barreto :Refiro-me a ter dito o
meu illastre collega qae acaboa de fallar, que ha-
via capricho da minha parte na apresentagao des-
ta emenda. O meo illnstre collega disse que nao
conhecia outra cousa mais do qae mero capricho,
por esta razio que eujdigo que nao tenho inte-
resse pela emenda ; no'eoohego este secretario,
assim como nao conhego o de Agua Preta, por
isso j v o meu nobre collega que qui o que me
domina, nao s nesta questao como em outra
qualquer, nao o capricho, po'so garantir isso, o
meu fim nesta casa moito difireme, trabalhar
pelo bem da provincia, isto o qne-deeejo, pesar
de nao dispr dos meios necessarios para faze-lo.
(Nao apoiados).
Apresentei a emenda porque vi que o secreta-
rio da cmara da Escada tem de ordenado 400*
e os da comarca de Bonito tem tambem 400* ;
parece me nao haver proporgo ; por que sem du-
vida o trabalho do primeiro maior, e por cense*
guinte deve1 ser maior o seu ordenado.
Um Sr. Deputado .Falle antes no Cabo.
O.Sr. Paes Barreto : -O secretario do Bonito
nao pode ter o trabalbo que o do Cabo...
(Trocam-se apartes).
O Sr Paes Barreto :Eoto o nobre collega
est era centradiego com o que acabou de dizer
ha pouco, que as cmaras approvadoras tinham
mais trabalho do que as outras. Sendo a cma-
ra do Cabo apuraoora, deve ter mais trabalho da
que a do Bonito. Parece que isto lgico.
O Sr. Goes Cavalcante :Nao fui eu que dis-
se isto.
O Sr. Paes Barreto :Supponho nao poder di-
zer mais nada a respeito da materia, porque eo-
nheco que hu prevengao na casa contra qualquer
idea minha, (nao apoiados) mas se assim decla-
ro solemnemente que esta era a posigo qne eu
devia tomar, mas que sinto nao dispor dos meios
necessarios para faze-lo.
Encerrada a discusso approvado o art. com
a emenda do Sr. Tavares de Vasconcellos, e regei-
tada a do Sr. Paes Barreto.
Art. 17. A cmara municipal de Carumii. au-
torisada a despender com os objectos abaixo de-
clarados a quantia de 2:975*000 :
1.* Ordenado do secretario..... 480*000
8 2: dem do porteiro.......... 200*000
| 3. dem do fiscal............ 200*000
4." dem do administrador do
cemiterio........................ 200500o
5. Porcentagem do procurador. 200*000
| 6.* Expediente e assignatura d.>
jornal official.................... 60*000
7." Jury e deieoes............ 80*000
8." Aguae luz para a cadeia..... 0*'90'5
S 9. Custas criminaes.......... 25O000
10. Obras municipaes......... 200*000
11. Compra de pesos e medidas _^ <
decimaes........................ 905000
12. Para pagamento do secreta-
rio, por conta do que se Ihe deve de
seas ordenados anteriores......... *x9
13. dem, idem do fiscal....... o;>*0o(
14. Eventuaes................ ^* 15. Ordenado de um advogado.
7." Luz e agua para a cadeia... 55000O*
8. Cusas de processos deeahi-
dos.............................. 1305001
9. Aluguel do pago municipal. 160500
I 10. Eveatuaes..............___ -9*000
I 11. Pezos e medidas decimaes.. 1 90*00
i 12. Cora c principio de um novo
cemiterio.........,............... 300*090
13. Jury e eleigoes............ 30*00
' approvada
Art. 20. A cmara munic pal da villa do Bom
Gonseiko autorisada a despender cora os objec-
tos abaixo declarados a quantia de 1:430* :
Ordonado do secretario____.
dem do poriei^o..........
Pbrcentagem do procurador
Expediente e despezas miudas
Assignatura do jornal ollicial
109*800
30*00
60*000
20*00
27500
70*00
43500
8 6.a Custas de processos criminaes
8 7. Agua e luz para a cadeia...
|8 Coctimiago da obra do paco
municipal....................... 400*00
.9 Eventuaes, inclusive a limpe-
za das ras...................... 310*00
10. Pezrs e medidas decimaes.. 90*00
Vai mesa e apoia-se a seguinte emenda :
Ao 8 1.'* de art. 20erolHgar d% 400* uij-
se300*.-_ Mamede. >
Encerrada a diseusso approvado o art. e re-
jeitada a emenda.
Art. 21. A cmara municipal da vaia do Brejo,
autorisada a despender cornos obj*)os abaixo
declarados a quantia de 925* :
1.* Ordenado do secretario___ 230*00
I SE dem do porteiro.......... 6050)
f 3.a dem do ajudante do mesmo 20*0i>>
4. dem do fiscal............. 50*00
8 5." dem do procurador....... 70*900
6.' Luz e agua para a cadeia.. 90*00
I 7. Jury e eragoM............ 405000
8 8. Expediente e assignatura do
jornal official.................... 35*000
9. Eventuaes................. 40*00
10 Obras municipaesc........ 70*00
g 11. Custas judiciaes........... 40*00
8 12. Foros devidos pela cmara 70*00
I 13. Pesos e medidas decimaes.. 90*00
E' approvado.
Art. 22. A cmara municipal da via> de Pes-
quetra autorisada a despeuder som.es objecto-.
abaixo declarados a quantia de 970*-:
8 l.Ordenado do seeretario___ 200500
I 2.* Mem do porteiro.......... 30*000
8 3. Porcentagem- do procurador 45*000
8 4." Expediente e assignatura do
jornal official.................... 50*00
P 5. Jan- e eleigoes............ 30*00
6. Castas judisiaes........... 60*00' ?
S 7. Mercado publico e obras mu-
nicipaes......................... 343*00
8. Agua e luz para a cadda... 30*00
S 9. Eventuaes................ 50*00
10. Pesos e medidas decimaes.. 90*00
' approvado.
Art. 23. A cmara municipal de '/j.Uo Bella
autorisada a despender com os objedos abaixo
declarados a quantia de 1:390*.
5 1." Ordenado do soeretaaio..... 300*00
8 2. dem do pnrtoiro.......... 10*0*1
3. Porcentagem do procurador 50*001
l 4.* Ordenado do fiscal......... :10*00
3. Aluguel do pago municipal 60*00
% 6. Jury e eleigoes........... 30*00
8 7. Cusas judiciaes........... 160*00
. 8. Luz e agua para a cadeia.. 40*00
8 9.* Expediente e assiguatura do
jornal official.................
S 10. Obras municipaes......
11. Eventuaes............".
8 12 Pesse medidas decimaes.
vai
40*000
500*00
50*000
90500
a mesa e apoia-se a seguinte emenda
Diga-seporcentagem do procurador 6 por
cento.F. de Novaes.
E' approvado o artigo e a emenda.
Verificndose nao haver numero, liea a discu;-
so adiada.
O SR. PRESIDENTE designa a ordem do dia 3
levanta a sessc.
nunca voton-se segando 09 mem caprichos.
Um Sr. Deputado : Aqui nao ha caprichos,
ha justiga. a
0 Sr. Ges Cavalcante :S; o nobre deputado
iclik justa est' emenda, se niio reclama contra
ella, tambem nao devia reclamar contra a que
fdl offeredda a' respeho da cmara de Agea
Preta. ,
(O Sn.,H. Mamkde d um aparta.)
O Sr. Vieira dk Mu-to :AjiTesenta emenda
e reconhece que 6 injusta I
O Sr. H. Mm-dr :Como st nobre depu-
tado as ntrrens, no remo da lia NJo ful eu
quem apresentou a emendar.
0 Sr. Gs CAsALCAirr :~\ cmara de Cabo,
coja rflceha poaeo excede a di Bonito, deu-se ao
seu secretario 400*, nao 9*3 reclamou cantra isso ;
porque rarao je ha de diminuir o ordenado do se-
Vo mesa e apoiam-se as seguintes eraen-
c Em vez de 600*-diga-se-se 400*.Vieira
de Mello. ,. _,
Em vez de 4804-diga-se 400*.-H. Mame-
de. *
Encerrada a 'discassao, approvado o artigo
com a emenda do Sr. Vieira de Mello e rejeitada
a do Sr: 11. Mamede.
Art. 18. A cmara municipal da vi|la de Bui-
que, autorisada a despender com os objectos
abaixo declarados a quantia de 1:518* :
1." Ordenado do secretario..... 350*000
2." dem do porteiro;......... 50*000
3* dem do fiscal da villa..... 80*000
4.a dem do dito d'Aguas Bella 80f000
5.* dem do dito da Podra..... 23*000
6." dem do dito de Manoel Al-
res............................. 23*000
7.* Porcentagem do procurador. 108*000
9. Jury e eleigoes............ 100*000
10. Agua e luz para a cadeia... 100*000
U. Custas judiciaes........... 80*000
12. Expediente e assignatura do
jornal ...................V..... 60*000
I 13. Pesos e medidas decimaes.. 90*000
I 14. Mobilia................. 50*000
1 15. Eventuass................
E approvado.
Art. 19. A cmara municipal |da villa de S.
Bento, autorisada a despender com os objectos
abaixo declarados a quantia'de 1:4101 :......
SESSAO ORDINARIA EM 30 DE MAIO
PRESIDCttClA Dn SR. DR. MMRAB.
Ao meio dia, feita a chamada, acbaram-se pre-
sentes os Srs. Eduardo de Oiiveira, Antonio Ca-
valcanti, Felippe de Figueira, Correa de Araujo,
Rufino de Almeida, Goes Cavalcanti, Miguel Per-
nambuco, Firmino de Novaes, Oliveira Andrade,
Mello Reg, Cunba Ca'alcanti, Antonio Paulino,
Hermogenes, Pinto Jnior, Manoel do Re?o, Ribei-
ro Vianna, Henrique Mamede, Ferreira de Aguiar,
Paes Barreto, Gongalves Lima, Pedro Affons.o Ni-
olo Tolentino, Manoel Aithur, Augusto Costa,
Cavalcanti de Albuquerque, Oliveira Fonseca,
Vieira de MeHe, Gusmo Lobo, Gaspar Drum-
mond, Vieira de Araujo, Joo Cavalcanti, Barros
Reg, Teixeira da S.
Abre-se a sessao e lida e approvada a acta da
anterior.
O Sr. 1." Secretario d conta do ssgurate
EXPPDIK.-HK :
Um ofilcio do secretario do goverao, transmit-
tindo um quadro supplementar da divida passiva
remettida pelo inspector da thesoararia provin-
cial.A' commissj de orgamento provincial.
Ontro do mesa o, remettendo por copia o offi
ci o inspector da thesouraria provincial, eii
qtie pede dous crditos supplementares na impor-
tancia de 371:423*370 rs.A' commissao de or-
gamento provincial.
Urna petigo nos terceiros escriplurarios da.
thesouraria provincial, pedindo augmento de ven-
c mentos.A' commissao de ordenados.
Outra da mesa regedora da irmandade de Nossa
Senhora do Amparo da cidade de Oiinda, pedin-
do preferencia extraego de urna ou duas parte*
da oteria que rae foi concedida para as obras de
sua igreja.A' commissao de orgamento pro-
vincial.
Outra de Antonio Marques da Silva, pedind)
quota para indemnisagao dos prejuizos que sef-
fren como arrematante do imposto de farinba
neste manicipio.A' commissao de negocios d*
c imaras,
ORDEM DO DIA.
Contina a 2.a discusso do projecto de orga-
raento municipal.
Art. 25. A cmara- municipal da via de Sal-
tjutiro antonsada a despender com c* objectos
abaixo declarados a quantia de 630* :
1.* Ordenado do secretario *0a*9>
2.* Ordenado do porteiro..... 40*000
3.* dem do fiscal............ 70|000
70*000
40*080
40*0o
50*000
50*000
9O*O0U
30*000
quantia de 1:4-0* :
1 .* Ordenado do secretario..... 3o0al292
2.* dem do porteiro.......... 40*000
3.* dem do fiscal............. 70*000
4. Porcentagem do procurador. 86*000,
5. Expediente e assignatura do
jornal official.................... 30*090
Limpeza de mas.......... 50*000
f
1
1
4. dem do procurador.......
_ 5. Expediente e assignatura do
jornal official....................
" 6* Jnry e eleiedes...........
7* Eventuaes................
8.* Custas judiciaes...........
9. Pesos e meiidas-docimaes-
10. Ao ex-seeretario Antonio
Vugusto de Sonta e Si, peto que
,he devido do aeeresdmo de seus
vencimentos de 1867 a 1868.......
E' approvado. ,
Sio succossivatnente approvados os segrales
" Art 16. A cmara municipal da villa (tari-
i*rf autorisada a despender eom os objectos
abako declarados a quantia de 685* ^^^
" 1 Ordenado do secretario.....
V \a\-a do porteiro,
t**


*-*-
Diario e Vernambueo Segunda ieira 13 de Junho de 1870.
tr
S.* IJeai do ajadanle do mesrao
4. dem do fiscal............I
i 3." dem do prucurador.......
i 6.* Agua e luz para a cadeia..
7* Jar?.e eleirues :.......
8. Obra lonuaieipaes.........
'.'. Expediento...............
10. Pesos e medidas decimaes..-.
11 Eventnaes................
Ait. 27. A cmara municipal da
villa de Cabrob aoterisada a despender coas os
objecto-i abaixo declarado a qoantia de 70G* '.
zoJOOO
404000
iUoOOO
50*000
20*000
oOOOO
80/000
90*000
20d _ I* Ordenado do secretario
1* dem do portelro...".......
S 3." dem do Sal............
4. Ordenado di procurador...
S ')." Alugnet do paco municipal
fi. Agua e lu para a caduia..
sj '.' Jury eleicoes............
j 8." Expediente e asignatura do
jornal ..,.,.....................
. 9.* Cestas judieiaes...........
g iO. Pesus e medidas decimaes
i 1. Eventnaes................
An. S A cmara municipal da \illa de Tuca-
ml& i aniorisada a despender com os objectos
abtixo declarados a quantia de 973*
." Ordenado do secretario....
1" dem do penetro..........
5 3.' dem do procarador.......
S i" dem do lisraf............
% o" Jury e !eoecs............
SJ>-" Atattel do piro municipal
7." Agua e Iik (mi a" a cadeia...
3 8." Expediente e assgntura do
jornal otlicial. ..-................
S 9." Alugoel no acoogue.......
10. l,:mpeza da rnas e fontes.
5 i i Gustas jadiases..........
| 13. Obras municipaes.........
% 13. Eventnaes...............
3 11. Pesos e medidas decimaes..
An 29. Acamara municipal da villa de Floitsta
d autnrisada a despender eom os obj ectos abaixo
declarados a quaniia de 740* :
1 Ordenado do secretario.....
2. dem sj 3.* dem do procurador.......
sj 4* Ordeaado do fiscal........
jj o" Aluguel do paco municipal..
<." Obras municipaes.........
S 7." Expediente e assignatura do
jemal "oflioial....................
150*000
36*000
30*000
80*000
80 '
60
SO
40*000
60*006
9OJ00O
30*000
140*000
40*000
(000
MMOo
.'lOOO
40*000
80 000
40*000
lOiiOOO
50*000
90*000
1905000
40*000
fDjOOO
405000
00*060
950CU
Jury e 'leices............
'lOjMO
30*00J
WOOO
400030
20*00:)
91*000
- 8.
3 !l. Acua e lu pira a cadeia...
S 10. Oustas jadiciaes..........
S II. Eveninaes...............
S 12. Pesos e medidas decimaes..
Art 30. A cmara municipal da villa de Flores
>' ;.uto:isad: a despeoier com os objeolos abaixo
Clarados a qoantia de 1:160* :
? lv Ordenado do secretario....
i." Mein do portelro..........
- 3." dem do liscal............
I 4. dem ilo procarador.......
o" Agua e luz para a cadeia...
i 6. Expediente...............
I ".- Aluguel do pago da cmara
S 8. Costas judenles...........
I '.>" Pesas e m-'didas decimaes..
; 10. Eventnaes...............
Ar!. 31. A cmara municipal da
Vista
Abaixo
1."
> 2."
S '.
i |.
;':;"
J rnal
3WJO0O
80*0dO
30*000
200*000
ioo*oo
50*00.1
80*001
lOOflOM
0*000
60*000
Tlila da Ba-
e aatonsada a despender com os objectos
declaradas a quantia de 1316* :
Ordenada do secretario.....
dem porteir.j..........
dem d* fiscal...............
dem M procurador.......
Expediente e assignatura do
oficial.....................
40*000
60*000
300*00!)
2O.)*U00
80*000
209S080
000
w*ooo
s' 6." Aiuguel do paco municipal
s "' Jury e eleieee?.............
S 8" Gustas judiciaes.......
S 9." Agua s luz para a cadeia..
S 10. Obra municipaes.....____
jj 11. P-'sm e medida. mtricas.-
S 12. KtmMm................
Aft 32. Fram vijgurando para as cmaras mu-
i- Utgtaeira e lAmeean as disjw^toes
^ arts. II e 19 da le n. 698 de 18S3, para a de
ti naus, o ar!. 28 da lei n. 6SS de 3 de junho
tfe I86.5'- para a de Serinhaem as disposrjes do
riuiid orcjmento iprovado, sendo qae o orde-
^.mIv 300J dit ao fiscal se refere ao de Se-
naaoin e na ao <)- Gamelleira.
V.i i .i mesa o ap'iiam-se as eguintes emendas :
Aecivs v>-* ao art. 32 :| nico.-^f team
"-:.is -a.iiara- mi.irisadas a despender cada urna
i qnaaa ile .'i* psra .-.cqaisieao de um.iogo de
.->'te medidas doty l/.norf do Rrpc. 3
..Ao art. 32acerfseente-se : Picando acamara
Do I. nweiro aiitorisada a pajrr ao Dr. Adeno de
i Freir, joiz d* direito da comarca, o que se
"i '.'' de castas jciieiaes.Comea d Aravjo.t
Bncernda t disecsso approvado o artigo e
"mendas.
Art 33. As enmaras municipaes da provincia
' : actnrisadas a rrecadar durante o anao -
' !,ci : ; -i, le ;k rendas provecientes las dis-
; <'' wicadas nos sepuintes g.
i !' '' igaeis de predios municipaes.
i" mis e ladennos u> terrenos.
J.' i rieia de p-'sos e medidas.
j l.' ;. <. ,.;as pira ;'dificiteoi's e concertos;
di a e imaaa nsanielpal a mandar o seu cor-
,... ,),,; ,, |Qgar (jas edifiejeoee para o flm decor-
t ."i" Re K*n i'.)6 acougne?.
Xa de :5S'(6 paga annualmenle por ca-
, -y.- tiraren) as boceteiras para vende-
roo-i i iiii-s/i- pe G scales que venderem nomu-
i1'
7- 120 rs. [ior carga de farioha e legumes
udiitiis nos mercad->s publico?, sendo obrigadas
- -aliaras a fornecer aos vondedore de taes ^e-
a medidas di sistema decimal.
s 8. Tax* de 3*. por engenhoca.
!,.,' Ide.-n sobre passagens.
10. Multas por iifcacc5es.
} II. Impasto do capim de planta do muni-
i.iio de 0:inda que se-vender na eidade do Re-
-ie.
12. 300 rs. porcaOerj de gado vacenm, e20)
r*. por suino, iv^llium e cabrum.
s 13. Importo sobre fabrica de ogo de artifl-
, pagando o duplo as qae estiverem edificadas
- o.-o aas cireumscripcoee das villas e cidades.
14. dem sobre as casas de negocio.
C 13. dem sobre curraes de naife
y 16. dem det50rs. por cada pede yogueiro
.i ara negtoio.
17. Divida dos annos aateriores.
i 18. Saldo das rnesmas.
;; 19. Geiniterios pblicos.
j 20. Guatas.
i; 21. Multas das cmaras.
2. Imposto de 25300 rs. sobre depsitos.
! 23. dem, idem sobre Tornos de cal.
t; 24. dem idem egundo o artigo 22 22 da
a. 371 c 8 de junho de 1833.
15. Pedagio eu taxas sobre pantes
niinicipaes.
.
!: 26. 100 rs. por cada carga de carne secca,
liio e ontros peixas, frescos, aseados ou see-
-'.s, que forem expostos venda nos mercados
pabKeos dos municipios, que nao lonem o do Ke-
ifc, sontas deste imposto as carnes denominadas
sol.
27. A earaara municipal de Flores e todas as
outras do alto sertao continuarao a perceber o
imposto de miuncas e legumes, bem como /*>
ore a. rapaduras.
28. 6* por cada liceoca para soltar ogo do
ar, e 3* para fogo de vista.
29. 6* por cada carraca empregada n o ser-
vico da capital, salvo as que ferem empregadas no
serfloo da lavoura.
30. Qaaesnuer outras taxas qae as cmaras
mnidpaes estiverem autonsads a eobrar, por
'is anteriores, e que nao tenham sido deroga-
<'rfs por lei desta assembla.
31. 300 rs. mensaes (ou 3*600 rs. annuae)
pir cada pavimento ou andar de casa deutro da
dsdo Recife.
32. 10*000 por cada terreno dentro da cida-
'loKeeite e sens suburbios que nao estiver
'jltivado on edificado, embora se conserve mu
rada.
33. 3*000 sobre cada
i les -aroear algodo nati
assim 10* sobre as quee^
idas na eidade do Hecife
S 3i. 300 reif.fobre cabep dS gado vaceum
ue ss cortar o^i eidade- do Rio Formoso, sendo
tingada acamara municipal a fornecer aos mar-
--hantes aeougae, petos pelo systema decimal eba-
jaricas
g 33. Dez por cont pela iadevtda detencao da;
renda munieipaes.
Vai a mesa eapeiamse as seguint- emendas:
< Ao i 12 do art 33, accreacente-se que for
'alhada nos aeoogues pblicos e particulares.
fimito de fiovaet.Rufino de Almeida
o Ao 31 do art. 33 accrescenie-so ; exceptua-
du ai casas terreas e de sobradas, cujos allugueis
i machua vapor
,lai e cidades, e bem
ou forem mon-
iqualquer mijter.
sejam inferiores 300* annuaes.^,)W de Al-\
meida.
. Supprimv q 34 do art. 33.Rufino de Al-
Rncerrada discussao, approvado o artigo e
emendas;.
distosivoss QtnffiS.
Art. 34. Fica a cmara, municipal de Brejo au-
torizada a despender a'.d*200*, Com a limpeza e
reparo da cacimba pob'.ica.da villa.
B' anprovado.
rt 33. Fica aotorisadta mesmaeamara a ven-
der ou arrendar qnem otis olTerecer a casa que
servio de cadeia na mesina villa.
Vai mesa e apoia-se a seguinte emenda :
Ao art. 35. Ticam as cmara moeicipaes do
Brejo>. Cimbres aotorisadas a ceder mediantocot
trate por lempo rasoave! para seren reparados
por qaemmelliorescondieijes ufeteor as casas
em rainas, que serviram de cadetes na villa do
Orejo e povoacao do Cimbres, e oo caso do nlib o
poderem conseguir vender ditas casas.Vieirm
de Araujo.Ribeiro Viauna.
Eacerrada.a diecussao c approvado o art. e a
emenda.
Ai t. 36. 'Ijriisl autoriurio concedida cma-
ra municipal de Cimbres para vender ou arren-
dar a casa qne servio de cadeia namesma villa.
OSR. VffilHA DE ARAIO -Sr. presidente,
preciso justificar anda que multo tgeiramente nm
substitutivo, qne mandarei mesa.
O an. 36 fcjncede autonsacao a cmara de
Cimbres^ara vender ou arrendar a casa que ser-
vio di cadeia, mas ja se acha comproheadlda, esta
disppsicao na emenda additiva do art. 33, subs-
litutivo tjue vou mandar refere-se a eousa din>-
rento, eco s^gomle : (16).
A'canvira municipal de rVsqueir tem urna
IK)*0(H) 0*000 maaiuipal de Cimbres, que ada menos do que
200*000 o e&bullio de seu patrimooi soas que f haviam roquorido perante a presiden-
cia da provincia a eutregar desses uweaos com
Ble perioc<-ado, e tendo indeforimento a sua pe-
ticao, i urque a preidencta jul^a-se micoinpettm-
te para conhecer da questao, recorreram ao po-
| Jer judiciario. Nao rom a apello e nern me seria
licto_laiv<5e..qoeeu aqu manifestasse quem tem
ou nao raa i. mas, na eau.^a em ledo caso deve
aproveiur a occasiSo, i como quor que seja la-
vrar urna eespecie de protesto contra todas as tro-
pelias violoocias que Re tem oommetudo no tormo
do Cimbres, de ceo tempop'ara c, e que depom
muito centra as autoridades daqualle lormoqueac-
tualmente a I i admink-tram ju-'tica.
A amara mnnictpal cliaroada aj'uizo, nao ->'>,
nao podia defender o seu direito, porque .se Ihe
ogava ata despaches de eertides, como umbein
nao p.!i;. recorrer dos despaches contrarias que
obtuha, tal era inodo porque o juiz inunirv.ial
que fgaro a no feito destribaia a justica oo ter-
mo. Eu nao oi avaliar quanto a cmara precisa-
r para defender-', na questao, e a rariio poi que
quande se traloa da lixacio da despeza da ama-
ra de Pesqueira nao aprsente) ama emenda ao
que traa de cusas judkaes, aceotamos por-
tadlo, eu e o meu illustre collega pelo 3* dietiiclo
apresentarmo suas disposi^oes geraes urna autori-
sacio para a cmara despender at dois cuatos
de res.
Cm Sr.Dbw;tado:Gow-eastas.
O Sn. Van* wi Abacio :Sim urna flttestao
que versa sobre o esuulho do patrimonio da cma-
ra, nao poderi gastar mer.os; tem de appeilar
semencj, ou !j appellou, porque teve sentenca
250*000 contra,' decididamente teri a quesiao de vir re-
60*000 acao.
30*000 Um Sr. Diputado :Mas urna appeUariie nao
200*000 usa lio caro.
O Sr. Vn.mv de Abmn : Deve j costas no
termo de Cimbres, deve ao advogado qae abi tra-
ta da causa e naturalmente este se nao querer
ODCarrcgar da questao gratuitamerlte.
l)M Sb. Reputado :A cmara nao (emadvo-
tdo?
O Sn. Yieioa de Arauo : Aamara nao tem
advogado, porque urna lei do aano passado sup-
primio os advegados das cmaras.
O 3n. G.'Dbcmmoxd .Nao passou essa lei.
O Sn. ViaRA de Aiii.UK>:Sei que a cmara
csn'.ratou ura advogadu para tratar da causa.
A cmara nao esperava de modo algum que Ihe
fosse pr'jpota essa questio, porque nanea temon
ao serio.qae os seus contendores fizessem ques
fio daqoill que nunca f odera sor considerada
ouestio. A amara possue o seu patrimonio ha
oem ou daientos annos, e a duvida versa sobre
m terreno oceupado pera cmara ha ruis de
e-rn annos.
Entretanto, nao nao foi proposta a questao,
cono por orna accao de oemarcacao. ama accao
summaria iii-lho tirada a proprie'dade, isio, foi
;-; Miheetc u seu nao direito a essee terreuas e
reconhe^ide o direito de seus contendores, que
eem duvio\. nenliuma trataraoat de execntar a
sentenca, apezar da appell.ic.ao, tanto que se diz ijue
lies, vencedores na questao, j mandaram roca-
dos aos fretros da cmara para despejaren! os
terrenos, porque se acham com sentenca a favor, e
ueste caso parece que o meio mais summario
ei'.e despejo vocal.
A cmara dirigi urna representacao ao presi-
dente ,''.iido-lli nao sei -se meios para demar-
car o seu patrimonio, eu nao li toda cesa repre-
sentacao, nao sei se pede meio provincia ; a
provincia taivez lh'as nio.f ossa dar, porque nao
ba de dar meios a todas as cmaras para demar-
carem os seus patrimonios, tanto mais quanto c
um patrimonio -o dnvidoso boje, apezar de nunca
ter apparecide duvida sobre a iegitimidade do do
minio da oamnra. Essa reprerentacao veio aqui
a assembla com um officio da presidencia e foi
remedida nito sei se commisslo de ornamento ou
de negocios de cmaras; tal vez j ebegasse tar-
de i commissso de ."onamento e foi a razio por-
que essa commisso nao eitabeleceu alguma pro-
videncia no orcamento.
Em todo o ciso preciso dar um remedio para
que a cmara de Pesqueira nao perca o seu pa-
trimonio, 'ualquer medida que se aprsenle
neste sentido e que tenha como resultado o lim
que nos levou a presentar a emenda, nao teria
duvida nenhuma m acceita-la e volar por ella.
Vai mesaeapoia-se o seguate artigo substi-
tutivo :
< Ao an. 36. Fica autirisada a cmara munici
pal de Pesqueira a despender at aquantia 2:000*
para despeza das costas na questao que contra o
patrimonio municipal movem o major Pantaleo
de Skmeira Cavalcaote e outros.Vieira d'Artu-
jo.Ribeiro I'iua.
Encerada a discn^sao, approvado o artigo
sob'titulivo.
Art. 37. A cmara municipal do Bonito nao con-
sentir ijae na freguezta de PaneUas se crie gado
solt em terrenos nao cercados.
E' approvado.
Art. 38. A cmara municipal dq Hocile manda
r pagar a Candido de Sooza Miranda Couto, o
que se lhe dever de sua aposentadoria como ama-
nuense e portelro da mesma cmara, desde a da-
ta de sua aposentadoria.
Vai misa e apoia-se a seguate emenda :
vipprima-se o final, desde a data da sua
aposentadoria. Rufino de Almeida.'
E approvado o art. e emenda.
Art 39. O producto do imposto creado pelo art.
34 31 desta lei ser exclusivamente eftipregado
as despezas com o asseio das ras, pracas-e caes
da eidade do Recife,
Vai a mesa e apoia-se a segnime emenda :
< Accrescente-se depois do art. 39 o seguinte :
Art. i.* A cmara municipal do Hecife, Dea au-
tor sada a contractar com quem melhores vanta-
gen olTerecer o servieo da limpeza das ras, pra-
cas e caes do mesma eidade.Dr. Manoel do Re-
g.'
Encerrada a discussao approvado o artigo e
emenda.
Art. 40. O producto do imposto creado pelo
32 do art 31 ser applieado jumamente com a
verba votada no | 4 do-art 2o desta lei aoajardi-
nnmento do campo das Pnncezae.
E' approvado.
Art. 41. Os sald'M das rendas das cmaras dos
municipios do sertao serao applieados conatfuc-
cao de acudes, ou aos concertos e melhorameotos
dos ja existentes.
Vai mesa e apoia-se a seguinte emenda :
Aecrescente-se, appcandoa cmara munici-
pal de Cabrob o saldo de suas rendas a conti-
nuacao da cpa-iruccao do mercado publico.
Firmno de Novae$.Rufino de Almeida.
Encerrada a discusso approvado o artigo e
emenda.
Sao em seguida approvados os seguales arligos
additivQS :
Fica a cmara manicipal de Olinda autorisa-
da a aforar quem melhores vautagens offirecer,
os terrena devolulos da ra de S. Pedro Martvr e
do beceo do Cardim.Ru/tho de Almeida.
A cmara municipal do Recife mandar pa-
ramento provincia!.E' Ipprovado e dispensado o
intersticio requenmento do Sr. Gaspar Drum-
mond.
I" discusao do projecto n. 113 deste aroo, que
apprbva diversos crditos supplemonrares. E'
appTovada
O SR. PJUJSID.NLE desigua para a cammissao
quetnm de levar ijgnns actos a sancin o Sr. Ma-
Qoeldo Reg, Ges Cavalcaote e Antooto Paulino.
2* rscu.jM'OD projea Tj:ii^f dominio, que
fixa os lenvWes da frt^ezi* d SorinherrtE
approvado e dispensado o utefitkio roquerimeu
to do Sr. Drommond.
O SU. P. DE FIGUWROA (pola ordem) p-de ur-
gencia par serem lidas divert redaeefcs.
E' eonocdidaa urgencia e etn'iegoid.t approva-
das a* redaccoss dos projeetos na. 4 24, 93 a 113
todos deste anno
Verinoanlc-se nao haver numero, o Sr. presi-
dmie designa a ordem do di* e levanta a sossao.
KETtSlA DIARIA.
INGE.VDIO.Sabbado por volu de 2 horas da
tarde in3nffp.sTou>e um incendio na. parte inferior
do sobrado de um anlar e solio n. 8 da na d
Cacimba.
Ao loque de logo as groja* acendiram toJa9
as bombas que ha na claaife e vare destaca-
mento da guarda nacionai, orpo de polica e de
imperiaes marinheiros. AeJRr'am-sA presentes o
Dr. chefo de polio, delegado.sub-dstegados e va-
riqs inspectores de quarleirao, director da<
obras publicas e varios outras engenheiros algons
empregaaos pblicos diversos offlciaes de marinha
e i menso cortenrso de poro.
O fogo lavrou com int-nsidade e em menos de
1 hora devorou o predio, qne era de constroceao
auliga e moito arruinado. Sio foi possivel sal-
va-lo por que nao houve agea se nao qaando j
tinha o incendio assnmido vastas proporcoes. Fe-
lizmente consegufe-se cincentra-lo no predio onde
se manlfesiou, e para isso coocorteo asss o ter
chuvido nustes ultimus das e acharem-se moiha-
das as madeiras dos predio? visirihos. Nao obs-
tante, no sobrado que lhe fleiva aos fondos, da
ra do Encantamento, ende tinha armazem o Sr.
Jos Gttilheme, houvecomeco de incendio, navj se
aleando a esforcos de varios pesseas e pe auxi-
lio que allnal preston urna das btmbas.
Varios negociantes, caixeiros e algnmas pee-
soas dopovo qne acu.o, prestaram relevantis-
simos servicos ao edificio incendiado e aos visP-'
Wios, salvani-lhes as mercadorias e objectos de
uso domestico neh>s existentes, especialmeate do
Sr. los CflVrim>,
Varias pess vas flearam ferilas o outras entu-
sas. Entre estes vimos um preto com a mo direi-
ta bastante maltratada, e um menino portnguez
cern um pe "bastante esf rajado.
Mais nma vez preseneiamis o flesmantello qne
reina nessas occasiies entrenes. O numero dos
que prestan) servicos limitado, ao passo que o
dos mandos immooso. Ha urna balburdia in-
fernal ; as bombas estilo sempre com as martgoei-
ras rotas e as vlvulas desconcertadas ; a falta
d'agua t irna-se mais urna fente de atropellos'.
eraliuil ninguem s entende e todo monda grim e
gestttala I Terrivel babel que um incendio.
Dos qtteira que a assembla provincial no es-
quera o projecto que tem entre mos instltuindo
urna companhiade bombeiros, e qae J lhe mere-
cen das disenssoes e daa approvac5es. V esta
ama necessidade palpitante desta provincia e qae
enmpre nao deprear pos mais terapd.
CADVER.Aaie-hontem qaando se trata va
de extinguir incendio do predio n. 8 da ra da
Cacimba, desceu do V andar do predio visinlio
n. 6, um cadver de mnlher de cor preta, foi le-
vado para o Corpo Santo.
Espalhouse entre o pjvo que fora aquella mu-
Iher victima do inamdio. Este boito nenram
liindameoto teve, porque a raolher morrora nela
manha, logo cedo, e alm disso o fogo nio ebe-
gou ao predio n. 6.
DIVfDE.VDO.-A companhia da va frrea do
Recife S. Francisco paga aos respectivos accioo
nistaso 13* dividendo, relativo ao semestre find-
em dezembro do anno prximo passado, aa razio
de 3 / ao anno.
O pagamento realfsa-se na estarlo das C-neo
Pontas.
>A\
Bento Domingos Dias, cem Olyrapia Magdalor
Diniz.
Luiz Jos de Souza, com Alexandrina ';wnl1Q,
da Silva Masearenhas. > FraSca fS^"1 ,:haV6,> f- &ari"
Joao Martins Pjniesk wia Jogephj Francisca de l
Lima.
Beroardinc
de Deus.
dtx
i
osear, com Hennina Ros Ferreira
Jos Gonealvo^ da Croz, com losepha Mara da
Conceicao.
OCIBDAuE DOUS DE J JLHa-Teve logar, no
da 5 do crreme, a eleicao dos rnncciooario~ para
o anuo de II70-187, rocahinde a eseolha nos se-
nhores:
Coronel Rodolpho Joao Barata de Almeida, pre-
sidente.
Firmino Lopes de Castro, e Eduatdi Pires Ra-
mos, 1 e 2 secretarios.
Dr. Ignaelo Aleibiades VeHoso; mesooretro.
Directores-^Dr. Silvio Taiquinio Villas-Boas, co-
ronel Domingos Atrs Hal&stis, Dr. Pedro de A-
thayde Libo Moseoso, Jos Germano Mangabeira,
Francisca C. Passos Flbo, i^ndido Cesar da Suva
Leao.
Procuradores Manoel Pinto de S nza Dantas
Filho, Severino dos Santos Vieira, Joao dos Res
Souza Dantas, los Pinto Ferreira de Oliveira,.
Jos deOliveira Campos, Rodolpho Epinhanie Dan-
tas, Aristides Spiuola Jnior, Luii le Oliveira
Meades.
RA DQDE DE GAXIAS.E' de urgente e io-
declinavel necessldade o proceder-se, j e j, 4 no-
va nnmeracao das ras do Queimado e Croze?,
hoje reunidas sob o norae de Duque de' Caxias,
para evitar dovidas futuras nao s nos ttulos de
propriedade, como as transaccoes coramerciaes.
" cmara municipal do Recife lembramos a rea-
e estradas
CONSELfO DE QUALIFICACO.-Xo dia 23 do
coirente. reune-se o conseibo de qualificacao d
guarda jiacional desta parochia de Santo Antonio
em segunda sessao, para os efleitos da lei respec-
tiva.
DECIMA ADD1GIONAL DE MAO MORTA.Com
este mez finda-se o prazo para recebimento sem
multa desse imposto geral, a que est') sujeitas
tambem as companhias e sociedades anonymas.
IMPOSTOS PROVIVCIAES.-Os que ora se re-
cebem no eonsnlado provincial sao a dcima urba-
na, consumo de agurdente e mo morta, perten-
centes ao 2 semestre do anno de 100970, que
est a expirar.
MASSA FALLIDA DE AMOR1M, FRA60SO,
SAYFOS & C Os respectivos administradores pa
gam o 5 dividendo dessa massa na rio de 3 /,.
O escriptorio fica a ra do Vigario n. 13, sendo os
pagamentos realisados as tercas e sextas feiras de
cada semana.
JURY DO RECIFE.-Feram submettidos julga-
mento na sexta-feir. e sabbado os rjs Jacintho
Ramos Machado accu?ado por ter assassinaJo o
cabo de polica Jo'ioJosde Paiva, e Emygdio Jos
Pedro Mendes acensada por furto de fazendas, ten
do por advogados os Srs. DrsJfJoS) Francisco Tei-
xera o prime.ro, a Joao Joaquim da Fonceca Albu-
qnerqne o segundo Este foi absolvido appellando
o juiz ex-ofQeio, e aquella foi condemnadoa 14 an-
nos de preo simples
CIDADE DE MAMANGUAPE-Recebemos jor-
taes desta eidade ate 4 do correle. Nos dias 21
a 28 de maio forara copiosissimas aschuvas pro-
duzndo o desabamento de algumas casas e grandes
nriane d'agua no rio. Anda continuavam, mas
com menor intensdade. a grassar as febres bilio-
sas e intermitentes, como as cmaras de sangu*.
PERFUMARA.O estateJecimento de Piver,
fundado em 177i. soo a denomnacao deiiiida'
da* Flmvs, que foi adoptada por marca de faDrica,
tom'sempre conservado a razo comraercial de L
T Piver, e permanecido oa posse exclusiva de soa
famia.
.\ffjnso Piver, seu ebefe actual, tomn a diree-
cao em J837, fieaodo com a sua propriedade em
1844, e foi elle principalmente quem o levo* ao
grao de esplendor, em que ora se acha.
O jnry da expoicao universal de Londres em
1831 eoffferio-lbe apri.se medal; na exposleo uni-
versal de Paris do 1855 obtevese a medalha d=
1* cla*sc; e em jutho da 1858 o imperador Napo-
Jeao dignon--e de conseder-lbe o titulo de seu for-
necedor, em consideracao da superoridade de seus
productos, segundo reza a patente.
AiBda em 1862, por occasiao da exposicio de
Londres, foi deferido a sua easa a prist medal.
Alm da fabrica do boulevard, tem Piver mais
duas, urna em Villete e outra em Grasse. Ha
outras em Londres e em Briutejlas. tendo em Pa-
rs cinco filiaes nos Lairr.is mais elegantes e con-
sideraveis.
PROCLAMAS.Foram lidos no domingo na ma-
trii da ft-eguezia de Santo Antonio os proclamas
seguimos:
i.' denunciacao.
com Guhermina Ma-
lisacao desse trabalho, como cousa preferivel a
qualquer outro servieo.
AGUIA BRAXCA.Pelo ultimo vapor francs
vieram da Europa para a leja dessa denominacao,
siu ra Duqae de Caxias i.ontr'ora do Queimado)
n. 8, coques de retroz, mu lo grandes, para subs-
tituir as almofadinhas actualmente usadas; as
qaaes, alm da commodiiade e aeek da caneca,
sao de presente grande moda em Pars, e como tal
reeomroendadas pelo activo correspondente desse
estele-.ment. Tambem vieram fitas de 30 cen-
tmetros de largura, de cores diversas, proprias
para cintos, luven lo algumas eseossesas de lindos
gostos.
A's leitoras, que sabem apreciar o bora e o bel-
I), recommeniamos essas novidades.
HOSPITAL PORTUE Est de semana ues-
te estabdlecimento o Sr. mordomo Flix Pereira
da Silva.
GAMELLEIRA.Dessa localidade nos escrevem
o seguinte:
t Jo dia 16. do andante haver festa solemne de
Corpus Christi, feita pela irmanuade do Santissimo
Sacramento daqnella matriz, festa que a mesma
irmaodade obrigada a fazer pelo seu comprornisso
no dia do seu padroeiro com a pompa possivel.
Haver Te-Deum a noute com msica marcial, e
ser Orador deste, e da festa o .Rvdra. Sr. Joao
Grego. -
.Haver tambem na mesmo dia a tarde a hen-
ead solemne da croz, que deve ser collocada no
frontispicio da nova matriz, que felizmente se acha
quasi acatada, gracas ao inexcemvel zelo, e per-
severanca do Rv'dm. vigario da mesma freguezia, o
qual. sabeodo desembaracar-se das militas dilR-
culd.ides, que se lhe antorha-am, para levar ao cabo
a obra principalmente por falla de dinheiro ; visto
como lhe faiharam os recursos dados pela assem-
bla provincial em consequencia de nao poderem
os cofres pblicos satisfazer a quota p:ir ella vota-
da no anno passado para auttilio das obras das ma-
trizes,aeliou nos seus paroehianos, eem ontros neis
apoio, e poderoso auxilio, concorrendo todos com
obulos proporcioiudos as suas (breas : tal o es-
pirito religioso daqoella localidade, tal princi-
palmente a astilla, geral sjmpathia e considera-
cao, de que gasa o digno purocfco daqulla fre-
guezia.
E'de crer que seja imponente e brilhante csse
acto, nao s pela oceurrencia que se espera, como
pela protecro dos respeilaveis crdados escMhidos
para paraoympbos da cruz, os quaes sao os se-
guinles: coronel Coriolano Velloso da Silveira, Dr.
Gervasio Gon?alves da Silva, major Joao Baptista
Paos Brrelo, ten-rnte-coronol Cincinato Velloso da
Silveira, capito Jos de Castro Paes Brrelo, es-
pitad Felppe Benicio Alvos Perrera, Antonio Ma-
ra de Araujo e Felippe Raymundo de Lima, todos
como se sabe, proprietarios abortados e respeila-
veis daqoella freguezia, Rio Formoso e Agua
Preta.
Consta-nos tambem que no dia seguinte pre-
tende aquella incansavel parocho celebrar ura
officiu solemne pelo discanso eterno do nosso vir-
tuoso e sempre chorado prelado o Exm. e Rvdm.
Sr. D. Francisco Cerdoso Ayres, hacend oraco
fnebre, desempenuada pelo mesmo orador da fes-
ta. Nao sendo o parocho Gbrigado a mais que a
umoffleio paruchial, quiz o Rvdm. vigario de Ga-
melleira que esse acto fosse mais solemne, ( ex-
pensas suas), em signal do seu profundo seati-
laenlo pelo passamento do prelado, a qaem por
mais deum titulo era devedor de grande estima
e gratido, sendo esta idea geral mente apoiada e
applaudida por todos os habitantes da mesma fre
guezia, os quaes choios de gratido cooservaro
sempre a lembranea das visitas pastoraej, que o
finado prelado Ihes Dzera, ocjasio em que apre-
carara, e aquilataram suas virtudes, deixando os
gamelleirenses pinhorados pela Ihanesa e muita
bondade, com que a lodos tratara.
< Como cima fallamos da festa que ha de aqui
ter lugar no dia 16. occorre-uos tamoem fallar dos
exercioios do Mez Manano.'.que se fizerara nesta fre-
guezia com muita solemnidaie, j pelo concurso
de povo, j pelo numero de communhSes que ti-
verara lugar. A' noute apds os exercicios costa-
mados havia sempre predica; pelo nosso incansa-
vol vigario, e pela madrugada missa, acompanha-
Jda de argentinas vozes, terminando o mez por ama
solemne missa cantada e ladainha a noute. Foi
am acto tocante.
ARSENAL DE MARINHASobre odePernam
buco diz o relatorio do Exm. ministro da mari-
nha:
< Oecnpou-se, como o da Baha, no servieo dos
navios do 2* districto naval.
i < A constroceao da corveta hlice, que se acha
no estaleiro, est paralysada; e por esta causa o
numero de operarlos do estabelecimento mu
reduzido.
a As dimensoes deste vaso de guerra sao : com-
prime! t na Imha d'agua 202 ps e 6 pollegadas,
bocea 33 ps e 2 pollsgadas, pontal 20 ps, cala-
do d'agua 14 ps. Seu estado actnal o se-
guinte :
< Uuilha, roda de proa e coral levantados sobre
os picadeiros, 64 casas de madeiras colloeadas em
sem respectivos lugares; pregadas as amarrado-
ras dos topos curtos e dos compridoe, das caver-
nas; dos primeiros, e dos segundes bracos; do
con vs e da borda; cheios todos os vaos das casas,
desde o topo dos segundos bracas at os ps das
casas; apparelhados dous paos para cada extre-
mo ; um vio do con vez e seis da robera; promp-
ta a aparacao interna e externa da parte da corve-
ta que esl armada.
Seo systema mixto; deve montar nma ma-
china de forca de 2.W cavados, 22 bocas de-fog, e
ter acommodaeCe* para transporte de 512 pracas
de trilla.
Guardada debaixo da caberla de ferro do ar-
senal', est exposta smente :'i ventilarn, peto qne
soas madeiras ao teem senYido o monw estrago.
Existe no mesmo arsenal qussi todo o material ne-
ejssarlo para conchudo do navio, enjo plano f-
vez, conreaba s-r modificado para que sasfaca as
cendlgSes ora exigidas, principalmente na for^a
Aca-
nSo loffre nterrupcao, e seus eifaitoa sao bem
senslveis. E' necessano combat-lo, e exced-lo
por meio dos trabadlos da arte para conseguir um
resultado visivel, nao parando nunca,'sob pena de
ver perdidos todos os esforcos anteriormente era"-
pregados.
Assioi se explica o facto observado no porto
de Pernambuco.
Sendo a primeira nacessidada a oativatao
continua'e constaote, contrate! rom a Sacflwlon-
relie des forgm d tkanli:;rs de la meditm'hnle, em
9 de lieziTnbro, a cnnstin ;co d i dragas vap r
aperfeicoadas, e de 2 vapores conductores do 16do,
iguaes as qae usaram no slhfbo de Soez. Devem
licar prometas no praso do 8 mezes. e ser entre-
gues no porto da Sotri", tomando a sociedado o
encargo da conducead da ni *mas-<1ragas em
barcos de vapor ao porto do Recite, por sua conta
e risco. A montagem deltas neste porto por
Ceaia do governo imperial, portm a sociedado
mandar um ou mais meslres machinistas para
dirigir o servieo, vencendo oOO francos por
HfT
Foram ajustadas, tanto as dragas c>)mo os va-
pres, por 7t(t.ff)0 francos, i o capitlo-tenento
Bracooaot acha-se encarregido de liscalisar i
construeco.
'Ellas daro forte impulso escavacao, e quan
do cnegarem, talvez ja o governo imperial estej
por vos habilitadoja conunuar outras obras indis-
pensaveis do plano do melhoramento do porto,
tendo para isto os fundos necessar'ts.
o Acsa-se no Recife, em commisso do ministe
rio da agricultura, relativa ao porto, o engenheiro
Raphael Archanjo Galvao Jnior, quem o arsenal
do marinha tem prestado todos os auxilios por elle
reqnisitados para o bonv desempenho de sua
missao.
Foram cumprids as orden* que exped para
demolicao dos curraes de peixo que existan) en
tro a ilha do Pina, e o caes da estrada de ferr-
os qnaes eram bastante nocivos ao porte.
Prohib tambem qne se continuas*? a enea
lhr navios na Coria dos Pas-arinhos, para sereit
all desmanchados, como se eslava fazendo con
grande detrimento para o porto.
Em eonseqoeocia desta prohibico desig-
nou-se. para este servieo a praia do Bruna, an nor-
te da fortaleza, ou o recife ao norte da barre-
ta. Ainda na referida cora existem 9 cascos,
abandonados halango tempu.e de propriedade des-
conhecida, os quaes convm destruir completa
mente, por continuaren) a ser a causa do augmento
da mesma corda.
As providencias que dependen) da adminis-
tracao nao se demoram. E' indispensr-vel, porm,
o concorso da cunara municipal para remover
urna das causas permanentes da ob^truccao do
porto, que o despejo no rio de todo o lixo da ei-
dade, calculado em 60 toneladas diarias.
Em algumas localidades o ntulho j excede
De Joao Elysfe de Figoeiredo Cruz, concurrente
ao exame de aptijjio para o preenchimento do lo-
gar vago de. amanuense d'esie tribunal, pedindo
que se nv.nd jnntar este seu reqnerimento aos
ontros o;ae Rzera, aflm de melhormente podor-se
JU'gar qnal o carcter de sua letra,, visto ter estado
Wrnimodado na occasiao em que preston sna
prova escripia.Ser opparlonamente t madi tm
cof**|eracrt a redainaglff d a#plicant<-.
_ De Joau Qurino de Aguilar, ipresenuudo a re-
gutro urna |jrocarac3o bastante que lhe fura ou-
torgada" p.r Manoel Antonio Monteiro do Sano
Sellada a procuracao, Tolle.
De Joao do Reg Lima Jqnior, apresontando
tambem a registro a escriptura de dote feita
sua mulber por seu p 0 tenente coronel Antn
Marques de Hollajida Cavalcanli.Junle procara-
co o que asslgnon a petlco.
<%, /AP*la W ESTXVAM AlHMOS.
Officio de Carnero 4 Nogueira.Qo es ofi-
cio com os documentos archivados na secretarla,
se remeta ao Sr. administrador da recebedoria,
liistonando-se os factos occorridos com os couv
mercuiues Voz A Leal, por occasiao de apresenti-
rem a regiMro o distrato que celebraran) pela re-
tirada dr. socio Miguel Pereira Leal, e dizendo-se-
que tendo-se estes dirigido essa reuarlicao, foram
admittidos a pagar o sello proporcional, pelo qne
esta circumslan.-ia chamou a attencao do tribunal
para os papis do reclamante, que Juntos offcrecf-
consideracao 8o Sr. adminisirador.
Summaro contra o trapicheiro Aoacleto Jos 0>
Mallos.Foi absolvido, sendo condemnado u**
castas.
Roqu> rimento da companhia Reeife- Draioage^
limited.Ueifistre-se (assignando-sl vencido o Exm
3r. presidente.)
Parecer do Sr. desembargador liscal, proferido
em 2 do correntc sobre a petlco feita presiden-
cia pela companhia Ue seguros Liverpool and Lon-
don Insnrance Globe.Que se devolvesse dita pe-
tico ao Exm. Sr. vice-presidente da provincia.
remltendo-se dito parete, accrescenlandoe que
o tribunal se conformou com o mesmo, por enten-
der ter a supplicante sa'isfeiio os quesitos da lei.
Nada mais liouve, e toi encerrada a sessa ae
meio dia.
a altura di eaes, e concorre para quo as agoas.
espraiando-se na baixa mar, dcixera seis bracas
de terreno descoberto I
Te^m sido infroctiferus todos os esforros para
conseguir a prohibico dessa pratica pre'judiial
nao s ao porto, como belleza e limpeza da cida
de, e salubrdade publica.
LOTERA.A qne se ach a venda a 150'
a beneficio da reja de S. Seba-iio do Bonito, a
qual corre no dia 18 do corrente
PVSSAGEIROS.-Sahidos para os partos do
norte no vapor brasileiro Armn.
Bernardo C. de Freitase sua da Cunha, Joao N. Ferreira, Bernardo F- A. ilo-
reira e sua sinhora, M. do spirit) Santo e urna
illia., J. Goncalves de Souza, Man .'el M. da Costa
Soares, Defphino N. Ges, M. P. de Suuza, Dr.
J. C. Leao sua senhora, 1 lilho, urna ama, 1 cria-
do e 3 escravos, major Joaquim J. Barboza, M. F.
dos Res, J. Lana, Jos C. Monteiro. voluntarios da
patria Jo C. da Suva e J. Rodrigos Chaves, M.
Antonio da Costa, P. de Sa e Joao G. Pereira.
Viodo de Lisboa na encuna ivinugaeza Aguin.
J. Roque Corroa Monteiro.
Sahidos para Enropa no paquete francez
Sindh.
Bernardina da S. C. Campo?. Vctor G, I. An-
tonio de. Giacome, BiaseD, MaihiasG.Femaddes, N.
D-n'neisser, D. Buroardi, Vctor Creas, Jacques ti,
Antonio B. de Medeiros, Isidoro Bander uase-'
nnora, e urna criada, Carlos L. C. Julio P. e sua
sua mulher, Manoel R. Santiag), I. B., Joo F. da
Silva Albano sua mulher urna filha, as irmas de
caridadetDaudign e L.,Seraphin Antones R. G. e
sua Irmaa Francisca C. A. Guimares, Xavier Bao,
Antonio J. de Albnqoerquer, L-!?n Larderet.
Vindos dos portos do su! no paquete francez
Sindh.
Jos Gainet e F. A. Gtsullo.
Sahidos na barca Saphira, para Lisboa :
Antonio Jos Seixas e Antonio Jo*<
Saludos no vapor Parahyba :
S. Bente, Zeionos Prociaoo de Barros, A. Lina o
um escravo.
Sahidos paraos portos do sal n" vapor bra-
sileiro Tocatint:
Capito Antonio R. T. Cavalcaute. Dr. AlexanJre
I. da Costa Wabnt, Joaquim J. G. lilho, Carlos da
Silva Ferreira, J. A. J. Alves Gaimaies, Manoel
E. Alves, J. Lourenco, coronel Alexandrede Barros
Albuquerque, Manoel S. Leolort, Joaquim Antonio
Moreir, Joo J. dos Santos, Lino Bastos da Silva,
Augusto Cesar da Silva, f Eduardo Augusto Lis-
boa, Profiro Jos F., Odilon F. Romano, Antonio M,
Salgado, Francisco P. Camello, e sua senhora, re-
erutas Mancel Vicente Ferreira, Xo-i G. da Silva
Domingos J. da Silva, Jos Rufino de Oliveira, An-
tonio G. das Chagas, Joo F. Altiopho. Sabino de
Almeida, 3 reerulas para armada, Manoel Martins,
Domingos Lench, ellina do R. Costa, Maria Joa-
quina da Cmceioao, Eduardo Alxaime, Sebaslio
Mendonca de Araujo, Amonio P. de M, 2 escravos
a entregar.
(HRO.Mt A Jl'DllARIA.
rH!B\ll. DO (OtfWRCIO
tCTA DA SESS.iO ADMINISTRATIVA DE 9 DE
JUNHO DE 1870.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESE.W--JIO' Df B ANSELMO
FRANCISCO PERETT".
As 10 horas da manha, prsenles os Srs. depu-
lados Miranda Leal, Basto, baro de Cruangy
e Rosa, presente o Sr. desembargador fiscal, S.
Exc. o Sr. presidente declarou ai>erta a sesso.
Foi I ida e approvada a acta a sesso de 2.
EXPEDIENTE.
Offlcio do Dr. jnizwspecial do romercio, Sebas-
lio do Reg Barros de Lacerda, cnmmuoicando
tar na dau de 2 do corrente entraoo no eXercido
de seu cargo. Accuse-se.
CMARA MUNICIPAL.
SESSO EXTRAORDINARIA AOS 18 DE MAIO
DE 1870.
N'fSIDBNC1A DO SB. DR. COSTA JNIOR.
Presentes os Srs. Dr. Moseoso, Garaeiro, Costa
Moreira, Pessoa da Silva, Dr. Pitanga e Dr. Seve
fallando com causa os mais senhores, abre-se a
sasso, lida e approvada a acta da antecedenlr.
Len-se o seguinte
EXPEDIENTE
Um officio do Exm. vice-presidente da provin-
cia, de 17 do currente, declarando a cmara em
resposta ao que lhe dirigi em ($ do dito mez sob
n. 3t, que approva a arremataco das obras dr-
concertos da pnto do Maduro na importancia do
5I9PN9. luteirada, faca-se o termo do con-
trato.
Urna petiro de Belarmmo Alves d'Aroeha, com
despacho da presidencia de 16 do corrente, man-
dando a cmara para tomar em comiderac w>-
bre o que representa o supplicante relativamente
a arrematado dos nuatro talhos existentes no a-
cougue publico do lado do sul da freguezia de S.
Jos.A commisso de polica.
Um officio de P. F. Needham, acensando o offi-
cio de 3 do corrente. em que a cmara lhe con>-
municra haver nomeado para fazsr parle da
commisso que lem de agenciar no bairro do Re-
cife, urna suhscripco para o fim de levantar-se
um monumento nesta provincia; deciara acbar-se
impossibiltado de aceeitar o lugar para que fura,
nomeado pola razad da na prxima viagera a Eu
ropa, entretanto assegura que pode a cmara con-
tar com o seu bolo para que nossa ser levado a
effcilo to justo e patritico Bin.Inteirado, o Sr.
presidente propoz ao Sr. Eiuirdo Burle para o
snb'titoJr.
Outro do $r. Fdiclano Jjs Gomes, declarando
nio poder cceitar a noracaco para fazer parte
da commisso da Boa-vista, visto qoe o seu estao
de sade nao lhe permute o poder desempenhar
este cargo como mister.Inteirado, e foi nomea-
do o Sr. Jas Malheos Ferreira.
Outro do Sr. Jos Caelano de Albuqnerque, com-
municando que pelo seu mo estado da sade, nao
pode aceeitar a nomnaco delle feita para fazer
parle da commisso na freguezia de Muribeca.
encarregado de agenciar nma subscripeao para,
set levado a effeito o levantamento de um monu-
mento em memoria dos feilos na campanha do Pa-
ranuay.Inteirado.
Outro do engenheiro coi deador, remetiendo o
orcamento da despeza a fazer com a eonstruceao
de um paredo e atierro para o tpamento dn
rombo feito pelas aguas das grandes mares no
isthmo da Cabanga na importancia de 605000.
Que se pera autorsacao a presidenci?.
_ Outro do mesmo, remetiendo igualmente o or-
camento para serem calcadas as entradas do na-
tadouro publico oa importaocia de 423o00. A
mesma resoloco.
Mandou-se remoller ao advogado para emiilir
o seu parecer, urna peticao de Thom Hodrigo^
da Cunha e ontros, replicando do despaeho qne
lhe fra dado em sesso de 20 de abril ultimo, re-
lativamente ao prepo pr alies exigido pela desa-
propriacao do terreno no campo das Princazas.
Mandou-se tambem remetter a commisso de
saude, um requerimento de Candido de Carvalhn
Neves, pedindo liconca para estabtl.-eer urna la-
brica de sabo na ra Imperial.
Mandnn-se igualmente remetter a coiranissa*
da petiQoes um requerimento do ox-liscal da fre-
Suezia de S. Jos, Joaquim Cavaldante de Hollan-
a e Albuqnerque. pedindo ndemnisaco da qoan-
tia de 32600, que despender por occasiao da
cheia de 189.
Daspacharam-se as petices de Allam Paterson A
C. Antonio de Arauj-. Borges, Antonio Pialo Leite,
Antonio Moreira Res. Albino Jos Ferreira da Cu-
nha. Alexandrina Maria dos Santos, Adelino Ildef-
fonso de Souza Albuquerque, Agoslinho Pereira.
da Silva. Dr. Cosme de S Pereira, Carlos Pluyu,
Delina .Vendes Barbosa, Francisco Jos Moreira,
Francisco Cirneme, Galdino dos Santos Nunes de
Oliveira, Joaquim Manoel Ferreira de Souza, Jos*
Francisco de Souza Lima, Jod Luiz Yianna, Joe
Alves da Silva Guimares, Jeronym de Sonza
Leo, Jos Marcelino da Rosa, JoSo Pereira de A-
zevedo Braga. Joaquim Bernardo dos Reis, Joaquina
Francisco das Chagas, Jos Lucio Lins, Jos Cas-
siano de Campos, Joo Candido de Assis, Dr. Jos*
Bernardo Galvo Alcoforado (2). Joaquim Antonio
Manoel Jos dos Paasos
ria de Oliveira.
Romualdo Correa de Mello, com Dolmira Senbo
rinha dos Santos.
Simplicio Marianno da Costa Freir, eora Boza-
lina Maria da Conceiclo.
Custodio, exposto, com Maria dos Agios do Vas-
cimento.
Joaquim Gomes Jardn, com Xana da Conoel-
eo Jardim.
Jos Francisco de Souza Loite, com Amelia Roza de mBCnif|a. no armamento le artilhara.
/la l*OQffi Fin nrx rA*AnBnn4aa x tliiunlAa di* Loureooo Francisco das Chagas, cora Slyoria
Mario de Franca.
Beroardino Romo dos Santos, com Joanna Ma
ria da Silva.
2.' deunciaco.
Aotonio Forraira Lima, eon lasopba Taomaxia
Sopbia ViJIa-Xova.
Baldmno da Croz P.teiro, cjm Maria das Her-
eda Cysnero e Silva.
Fex Vicaoto Ferreira, com Malbildes do sjh-
nto-Santo.
Officio do presidente e secretario da junta dos da Silva e outros, Lucinda Mara de Albuquerqu.e
eorretores, firmado de i do corrente. remetiendo Manoel Benedicto dos Santos, Manoel Ferreira da
Antonio Ferreira da Goi, com Fortunata Maria
Soares.
Er a Antonio Marones da Silva o abatimooto que
i ioi concedido pela lei n. 906 de 25 de junho
de 1869, relativamente ao imposto de 100 r. so-
*re carga de farinha.Pinto Jnior.A. Paulino.
Rufino de Almeida.'
" discusso 46 projecto n. 102 deste anno (or-
Pedro Samuel Aunes Jacome Pires, com Fran-
cisca Gnilberraina de Souza.
Symplico de SaMAnua Clbp, com Anua de
Albuquerqoe Reg.
Joouo.duno Thomai Bargas da'Fnaec. com
Thomazia Candida de Lima.
Joaojde Aqaioo fofsoea, cfflHatia Eugenia da
bo de reeommendar ao director das eonstrnecoes
navaes do arsenal de marinha da corto, que apr-
sente estas modificares, se as jttlgar necessarias.
drsposto a mandar ccncloir a corveta.
Estio paradas tambera outras obras, como
Sao: a muralha da ilha do Nogueira. o oles ao
norte do arsenal, e a casa destinada a quartel do
inspector.
Pkra'que esto estabeleriroento fique cooV>e-
nientemente orgaoisado ba ainda que efectuar
nelle muitos trabamos importantes, qne sao indi
cWbspolo inspector.
Em tempo ooportano ser u'.il toma-losen
eonsideraco.
PORT DE PER^AMBI-CO.Sobre esso sump-
lo diz airida o rltorio cima mencionado:
Saapensos os servicos do melhorarqooto do
porto desde 1863, e oecupanxo-se s urna draga
na xtraeco de reas em 'ooo o anf radoiro,
saeeadap o que era de esperardirarauicad gra-
dual do fundd j b'tido. l'la sOOdagm deste
aano ooodarou o ecarregaJo da insp'aclo da
o boletim couimercial da semana prxima passa
daAo archivo.
Jornal oflicial de n. 106 a 122.Tambem ao ar-
chivo.
Ao Srs. diputados foram d;s:r,t>nido3 os sa-
grantes livros : Diario de Antonio Alves Labre ;
Copiador e Diario d Costa Maia & C., idem de
Marcolioo Pornelias Cmara.
Presente o proto;ollo dos aponlamentos de le-
tras a cargo do esonvo Jos Mariano de Albu-
qnerque, vio-se qoe o ultimo protesto por elle la-
vrado fra sob n. 2058, era 7 do crreme.
O escrivao Alves de Brito declarou que o seo
protocollo conserva a mesma numerarn e dala
indicada na acta da -esso jodieiaria em 30 de
maio ultimo.
despachos.
Requerimento de Joo da Rocha c Silva, com-
merciante matriculado, oflerecendo a registro o
contrato de locaco feito oom F.irraira & Araujo,
por iotermedio de sear bstanles procuradores
Adriano, Castro & CReaistre-se.
Da Adriano. Castro & C., pedindo que se lhts
registre a procurao bastante quB juntan^ com a
qdal foram autorisados por Ferreira & Aranjo do
Pars, a contrataren) oom Joao da Rorhae Sirva a
looaclo do predio sito roa da Gadeia n. 8.Re-
gistre-se.
De Mendes, Azevedo k C., pedindo. o registro do
contrato incluso de sua sociedade nostititiva da
do Manrique & Azevedo, pasando os memirds
d'eela a serem comraaodilarios naqualla.vista ao
Sr. desembargador fiscal.
Do Engli.-h Bank of Ro de Janeiro limid, por
seu gerente, podindo o registro de urna procura-
fo bastante que juota.Rogistre-se.
De Antonio Fran;isc Pereira Lyra, teqnerondo
o registro da nomeacio de seq^caiAelro Manoel
Fructuoso de Moraes Arruda.flagistre-se.
fo inosmo, pedindo que se fhe certifique so ea-
tao ou nao registradas as n>)meacooa de seus cai-
ioiroi linoel FraJJeisco das Chagas, Joaquim Ad-
- Rbeiro e Manoel Jos Ta vares.Como ro-
Cruz, Manoel Joaquim Ferreira Esteves, Mariano
de Castro Leo, Manoel Cosme de Morae>. Manoei
Camello Pessoa. Manoel Furtado da Novia, Mauoel
Jos da Silva Naiva, Paulo Jos Gomes. Segismun-
do da Costa e Mello, Severiano Jos Faustino de
Mello e levanton-se a sesso.
Eu, Augusto Genuino de Figueirda, officiai-
maiorservindo.de secretario, a escrevi.
Jos Maria Freir Gameiro, pr-presidente.
Dr. Prxedes Gomes de Souza Pilonga. Ignacio
Pessoa da Silva.Caetano Cyriaeo da Costa*Mot ei-
rDr. Pedro de Alhayde Ijobo Moscoto.
PUBLICACOES A PEDIDO.
. oBraa do porto mo p n'das de troT&iBidade,
Joao Luiz Nognoira, oom Wta Sana di Boa] em refago ao m passado.
t O trabalho da natureza p;.ra obstruir o canal
Mdrte.
lix Pertira da Silva, Lhji Abranehea de
iodo e Jos Maria de CarvaHio, oflereeando
, o seu contrato social.Vista ao Sr. oeH-
gador fiscal.
Jos Bernardo Mendos e Joaquim.Paefo
da Silvt> apresentando devidameote sellado, atini
de ser archivado, o sed contrat aoeaLCbia-
Sram os snpplicantes o disposto no art. 1*17.
o decreto n. 4505.
Srs. Redactores.Uo lia remedio seno sahi
aoje de meu silencio e obseuridade para oceupar
is columnas de seu eonceuuado jornal, narraodo
ii m faci, que teve lagar, em um dos ltimos dais
lo mea linda; (acto este que prova exuberante-
tiente o quanto o cidadao pacto o est sugeiio aa
oppressoes e injusticas de bomens peqnininos
malflvolos.
Bis o fado : .
Em a nonio do dia 30 para 31 do mez passado,
irrombara a cerca do sitio, em que moro, um boi
iwrteneenl ? Thomaz AnasTac* da Costa Pfmi*-
1 el. e abi passr a noute destruiado as ininnas
MantaeOes o WUKtowna grande prainizo. Peia
uanha, porm, mandel prende-to, visto con ^e?
ichava anda donlro dojmt M, olira de qne
l'ossp elle rtmTerrrab ao me p'arif dar-rne o riin
convenentb.
Neste inlerira, fi inlimado polo 4*snpplenle-
do subdelegado, que d mesrao Tfcomaz A. da
3a*ta*Pnmenfel, para entoegar dito boi,ao-que
espondi qoe. nao nOeftaka, ttajf Airo, io fisea*
para pagar a respectiva molla. Dito fsto, fui a casi,
de meu visihhoe compadr o llm. Sr. Dr. AJcofb-
i ado, pois desaiav* cnaqlU-la a tal resalto. Em
inioha volta p/Sm> ] lio coicootr o ftoi. o qual
nha sido lirado,pelo dono, aeompaBoauo de Ha-
noel Alves Mascafnvi8S,Jbitoto JiKl,um criado
ilo dito Toraaz Pimonlof'o tm outfo sugeito>cujo
lome ignoro, os qaaes durante a minha ausencia
I aviam acJntos e arWrarmenle invadido a mi-
li ba propriedade, ttoptio aWut um disi ireiloa
mais sgradW db dliSb >
s referidos enboros. oeento o criado de tbo-
oaz PmBntW. que eondozia o boi para easa de
j 130 amo, nao contentes do crime que haviam pra.



/
I


DiaYto' dOt*ru6 **L Segunda 'Mf 3 .Kmhr/tle 18t0.
5=
sAdo iaratfadn a miaba pnniriedade lera orAem
legal coa.stirvavjHii.su ainda em Crelo della como
< par Alienar ma vivaueLte quera eru^ o.*
antorea 4 sentelhante vandalismo: e o 9r. Tho-
eaaz PinmwHel a qne, orno dono do animal, eu
nao dirig fozendo, respeitosas censuras a'ron-rae
* tkee ama serie de improperios indignos de um
moaem me se presa.
Km vista 4o exporto resolv proceder contra se-
melbante aboso da maaein qoe me atentava a
lei. ueste masato da requer vistoria ea mea
sitie peraaie e joiz de pa, para ser iudemoisado
lpr de mandar qoe se loorassem as partes em
<#enles e desempatador, que avatiassem o damno,
a>mo 6 de direito, noraeou-ns logo sea arbitrio,
e nasa nameacio reeahio sobre pessoas que nao
tendeado-4a materia, elevado talvez por espi-
rito de parcialidad*, declararan) qoe nenhuraa
ierui$ae Uan sorido otea sido; pelo que fui
smdesMsdo oes oslas.
Jecia peseivel que, conservando maa sitio sem-
j*8, 'J?ai*"*0> con, Wdo* aqu sabem. deixasse
de sonrer avallado prejoiso, tendo sido dorante
uau noite inteira pastado por um animal?
laiter o contrario nunca vista jgueraucia oa
aapsuraada au f I
Em cousequencia pois, do nroccdimento irre-
gular do que di urna outra peticap, reqaerendo
vista para embargo e at boje 9 de juobo nao teve
Jt.-paehe a minha petieao.
e -f*el c sincera exposicao do fado.
Sou froniem paatrerrirao e estregado de nuraero-
satmirlia, e entretanto vejo-me forrado a deixar as
atetas oceopacBea, para trazer a' luz da publici-
dade este faca, em que. demasiadamente se pa-
tentea o proodinjenjo irregular da unta autorida-
>te >i a arrogancia do Sr. Thomaz Piraentel que a
lodo o traes* rooura anaiqnilar-rae.
C-jncluindo, dlrei, que somente a publico sen-
la-rae dirijo, e s com oseu juizo me conformo.
ffoeo da Panella, 9 de jnnbo de 1870.
oMtMfos Jos Marques.
Agradecimento.
Hearique k Azevedo aaradecem cordealmente a
todas as peasoas que se itajoaram salvar as suas fa-
eadasque sea^havam depositadas nu armaran dos
Srs. Jos Gullheroie C a roa do encantamento'
por oecasiao do-incendio do predio ra da Gacim -
i; pelo que se tornam eternamente reconheeidos.
dfime. Srs. Tedictores do Diario de Pernamlmeo.
Tendo assistido a ligadura da arteria axillar qne
o 8r. Joilo Arconio de Azevedo, publicou no Diario
Je boje ter sido feita, em sna senhora, devo snp-
oorque.affliito, como era natnral, nao podo re-
parar que a operacao foi totalmente exeeutada
pelo Sr. Dr. Sarment filbo, o nao pelo Sr. Dr. Pi-
laut, tacto de qae fui testeinuntia ocenlar, em-
ora o met mime nao ven ha mencionado uo refe-
rido annuncio.
eeife 10 da junho de 1870.
DannuielJas King.
Dr. em medicina,
Os abata assignados, testemunbas da gra-
vidaie e mpirtaneia dos superiores servicos vo-
.unummente prestados por seus amigo, confie-
'Nos e estranhi, na salvaeao das fazenda s deseus
Kiiocitus a ra do encanarento n. 5 e 7, ameaca-
dw ante-hontem de incendio, pelo lado posterior,
ven por este meio agradecer o denodo, prompti-
di i o i'xpuntaneldade com que aquellas pessnas se
ir>staram a minorar sea incommodo e prajuizo,
Jnixando de individuallsa-las por tornar-se impos-
-iv<-l faze-lo.
Radia 13 de junho de 1870.
Jos Guilhrrme & G.
Atfreio AC.
COMMERCIO.
ENGLSHBANK
Of Rio de /aneiro Limited
Deseoata leu cas da pra^a tasa a con-
*encionar.
Reoobe dinhtiro em conta crvenle hia
4 raso xo.
Saca vista on a praso sobre as cidades
,ns da Europa, tem correspondente?
aa Baha, Baenos-Ayres, Montevideo, New-
Orleans, eeraitte cartas de crdito.
i Sm lagares.
RA DO COMMERCIO N. 36-
posto a beriio a 97.1 r<*. par kiloyrtaima a frote
de /****/ Hr pYemir..
Otuprn.( IN'O a Migados venderatUrse a
573 rs. por Jtilugraiuaia.
Aaaoz.O pilado da India rendeu-se de 3*100
a 3/200 rs. a arroba, e o do Maranhao lambem.
AasiTE-DocBO de Lisboa 'rendeu-se a 3ji00 o
galio, a o do E-treito 43/100.
Ba.CAi.HAaE/u atacado vendeu-se a 15/ a bar-
rica, e aretalhode 13 20/.
Batatas.Vendeu-se a 3/ a arroba.
Bolaohinhasdem a 5/ a barriquinha.
Cat.dem de 5/100 a 6/WO a arroba.
Cha.dem de-200 a 2/860 a libra.
CsBvsjA.-4dem de ft/500 a 7/00 a dalia de
botijas.
Fahinha oe MAimiocA.Veodea-se de S/.a 9/ o
sacoo.
LougA.Veadeu-se aiugleza ordinaria com 360
rs. por oento de premio sobre a factura.
Mantbii-.a. A ingiera vandeu-se a i/250 a
libra e a franoeza a 610 rs.
Masas.Vonderaavse de 5/ a 7/200 a caixa.
Olbo de I.IHHACA.dem de 2/200 a 2/300 o
galio.
Passas.dem a 11/ a caixa.
Presuntos.4dera QuEiJos.Os flameogos venderam-se a 2/000
cada um.
Sabao.Vendeu-se a 120 rs. a libra.
Toucinho. Veudou-se o de Lisboa a 43/200
a arroba.
Vinache.-O de Portugal vendeu-se de 120* a
a-130/apH*.
Vi.iHos._ils de Lisboa enderam-se de 200/
a 220/, o tinto e de 230 a 260/ o brando, e os
de outros paizes de 180/ a 181/ o tinto, e de 120/
a 240 o branco por pipa.
Vki.as.As de composicao venderam-se a 540
rs. o pacote de 6 velas.
Descoitto.o rebate de letras regulou a 9
por cento ao anno.
Fretbs.Para Liverpool, carregando era nosso
porto s/,i4 por libra de algodo, i :/6 por tonelada
de assurar ; e de 23/ a 27/6 5 % Fr tonelada
pdo assocar, em outras parles de fra da provin-
cia, nominalmente.
!." /Uto do sartn. 24 A. ,
2t- JKo do sbralo t>. n A. .
3.'dito do si lirailo ii. 24 A. .
Sofcrado de m andar n, 24. SOO/000 r: '".w arnvws ile Sir_4reuji, nano >, ada m
Ra de Sanu Rka. ?/?,t0 e,do e apparalftadu par e'.npftheudei
Casan. 34 .._.. ...... 15010001 E?*5_____l,5;. I*"1 *lM uMn-ienle do
-*": u -.
Boa comipra.
enwn' r,a,;,cllrt B-tajijal Pal.ua, de lotera..
M
MOVIMIENTO 00 PORTO.
301*000
501/000
ALFAMD83A.
I ato de fia 1 a iO. .
ti. .
393:433*310
36:2344893
129:668/203
MOVI2IENTO DA ALFANDEG\
c )., azendas
' i oom gneros
v tota '^zendas
iilem ooai gneros
213
413
-----626
76
144
----- 220
j regara hoje 13 de junho,
frnm-jzdUo Grandemercadorias.
itarea inglezaIndimnidem.
r norte-aeraoAlfredo idem.
ngue portu^uezRdampagidem.
aiaclio oortuguezSapho pedra;.
atadlo inglezMary Cornellidoi.
1 i niriezMnrlhaidem.
ra ioglezHeten Richarddeta.
dio austriaco=fienfanuha de trigo.
>ri!iue nornegueaseUWcrfarinha de triga.
Irtgae aastriacoDie Zuei Pguderfarinha de
trigo
Hrigue dinamarquez.liieidem.
!trigue inglez(Jatifpscarvo.
iarca portuguezaSoeial -idem.
a.a.lEKiA DE IUSNDA3 ETERNAS GE-
RAES DE PEltNAlULGO.
to l.t*a do da 11....... 2:162<413
Navios ntrados no da 11
Lisboa11 dias, escuna portugueza Aguia,
de 1*0 toneladas, capto Antonio de
Carvaloo Couttim, equipageui l, carga
diferentes gneros; Euzebio Raphael
Rabello & C.
Santa Catharina15 dias, patacho inglez
Slary-Block, de 116 toneladas, capitSo
George Avery. equipagem 7, carga fari-
nha de mandioca; Tasso Irm3o.
Observando.
>'o hou verana sah das.
Navios entrados no da 12.
Penedo por Macei26 horas, vapor bra-
sileiro Mundah, de 222 toneladas, conv
mandante Julio G. da Silva, equipagem
15, carga diferentes gneros ; compa-
nhia pernambucaua.
Ass9 dias, hiate brasileiro Garibaldi,
de 1C9 toneladas, capito Custodio Jos
Vianna, equipagem 8, carga sal e outros
gneros; Tasso Irma.
Rio Forraoso. 6 horas, vapor brasileiro
Parahyba, de 104 toneladas, commnn-
dante Oliveira, equipagem 14, em lastro ;
companhia pernambucana.
Natos sahidos no mesmo din.
ParaBrigue portugus Coin, capito Jos
Januario da Costa, carga diferentes g-
neros.
Porto por LisboaBarca portugueza Sa-
phira, capito Jos Fraocisco da Cimba,
era lastro.
Crostanrlt Barca norneguensa Pera, ca-
pito D. G. Peitesen, carga algod.to e
outros goneros.
Roa das Qaloadas
Casa larrea n, 30.......182/000
Idea a. 32........13U000
dem n. 34. ......179/000
Raa das Cinco Pontar.
Casa terrea n. 94......270*000
Traressa de S. Pairo.
Sobrado de 2 andares n. 2. 602/000
Roa de Santa Thereza.
Casa terrea n. 4.....v. 145/000
dem n. 5.........172/000
I**n n. 7.........209/000
Roa do Araorim.
Casa terrea n. K.......301#000
Raa da Moeda.
:Casa terrea n. 41...... .
Ra do Amparo (Olinda)
Gasa terrea n. 29,.......
O sitio do Porte na Venda Grande. .
PATRIMONIO DOS ORPHlOS.
Praca de Pedro II.
Sobrad* de 2 andares n. 33 .
r Roa da Madre de *>eus.
iLoja do sobrado n. i.....1:000/000
Casa terrea n. 20......603/000
Mera n. 14........604/000
KM da Lapa.
Casa terrea a. 11.......180/090
Raa da Senzalla.
Sobrado de 2 andares n. 486 601/000
Casa trra n. 18.......240/000
. Roa da Cruz.
Sobrado de 2 andares n. 12 881/000
dem de 2 andares n. 14. 800/000
Travessa da Madre de Deas.
Casa terrea n. 15......450/000
Largo do Paraso.
1" andar do sobrado n. 29. 252/000
2' loja da travessa......122/000
3* dila...... 74/000
Ra do Kangel.
Casa terrea n. 58........ 360/060
Raa do Pilar.
Casa terrea n. 102......202/080
Casa terrea b. 110..... 204/000
0 pretepdentes daverao apresentar no acto da
arrematacao das suss Oancas ou comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secrataria da Santa Casa da Misericordia do Re-
site, 10 de junho de 1870.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza,
se aeTia^JoSdo em frJ2T3?S Po rfSfto-
vembro : os prtemientes "podern alli If velo,e
'ra*ri J Victorino de htteado & C, i roa
daCMaia n. 52, eacriptorw.
CnipaitAhi aaierleaiaa e
l*tat de paquete* a vapor.
A,t* *^ 1ldo cowente esperado de New-
o u! *?* "*"** P vrw americano
Sonth Aneriea, o qual epois da demora do eo*-
tumeseguir para os poxtos do sol, para frease
paasagens irau-se coca ks agentes Hnry Forster
A C^ roa do Commorcio o. 8.
GOVANHIA-PBRNAMBOCANA
avegaeSo eostelra por vapor.
Parahyba, Natal, Jfaco, Mosaoro, W
catr, Caar, Mandah. Aearac e
__ Granja.
*jn|r O vapor Krapama, comnandantf
sMi. Azevedo, seguir para os portof
mBkmkm scima no dia 15 do torrente as 5 hora*
la tarde. Recebe carga at o dia 14, eneom-
mendae, e passageiros e dinheiro a frete at u
i horas da tarde do da da saluda no oscripto-
rio do Porte do Maties n. 12.
Cdeia do Hcifc u.f. i* II ara do dia, a* ti-
tulos iKwrao fr fxamiaodi-'* pf*n< K'-'OOlot'>'<
! mli i-i me;nio#pai '|""iliri aHbr-
ri' existe .'s an; s u. iim-m/o* em jtiiz>.
vntoiMLJit*tt %'in* o fu ro o porcelana pa-
ra eafeito?, exeeiieav. <|IKh di me-
a. p'OJief od: dv.Ui-i'}' 'e viJro.
cauSji^yio i) L>-', sap>'i'ior\- cor -
i ,ejLOO?iiQi.f.; icMjfii,^, if; irt'llws >.
porcerna pan jautar, sobraiuesa, efc e eae, gar-1
rafas, copea e outros eryslaai e numerosos outros'
arUgos uteo eomo indispsnowoefc, fari e mesmo l
agente o indicado tetlSo r--------
as io hms d. uHalSUito 4 ra. do impe-1 ociedade TJuio Beiieflcent
rsdor n. 50, 2 e 3 andaros.
AVISOS DIVERSOS.
-
I
LEILAO
Quarta-feira 15 do correte
Maritim!).
concjulr-se-ha o leilJo de jolas, a prsp da Inde-1 "dente da mesma.
pendencia n. 33, por intervengo do agente Mar- .
m .......
O reate do joiao dados em penhor na casa aei 1 H
raa serio veididas era leilio sen limites, prev- -
ninde se aos concorrentes ima llzerem o favor de
comparecer que anda ha muito boas obras a sa-
tisfazer as pessoas qoe deltas preeisaram.
Boi eoocloso oaro por meaos de seu valor
peabincha.
i Convido aos irmaos desta grande corporaci
para no dia 14 do crreme, as 6 horas da tarde,
ce mparecerem na sala das sbbs sessoes para dar
eorapriroento ao art. 39 dos seas estatutos : na
ria do Vigario n. 22, 2 andar, de-ordem do pre-
0 1' -ecretario interino,
Manoei Lopes Ferrerra.
LEILAO
PABA'
Pretende seguir com a possiwl brovidade o pa-
tacoo portuguez Jase, por ter a tuaior parte da
carga prompta, e para a pouoa que lho falta, a
frete commodo, trala-se eom o consignatario Joa-
quim Jos Goncahres Beltrao, ra do Comraer-
ci n. 17.
O inspector interino da alfandegafaz publico
que no dia 15' do corrente raez, depols do meio
dia e i porta da mesma repartica ser levada
hasta publica livre de direitos ao arrematante,
urna caixa marca triangulo B7A eom 30 carretas
para frascos de genebra, viada de Hamburgo no
navio norte-altemap Ventas, entrado neste porto
em 28 de abril prximo passado, abandonada por
Joo Manins de Barros e avahada em 42/000.
Alfandega de Pernambuco 11 de junho de 1870.
O inspector interino,
____________L. de C. Paes d Androde.
De ordera do Illm. Sr. conselneiro, inspector
da thesouraria de fazenda desta provincia se faz
publico, que tem de ser contratado no da 25 do
crrente mez, as 2 horas da tarde, perante a jun-
ta da mesma Ihesonraria, por quem por menas fi-
zer o forneeiraenlo de melijamentos enfermara
militar desta capital no semestre de jullio dezera-
bro prximo viudouro.
Os pretendentes deverao dirigir suas propostas
em cartas fechadas ao Illm. Sr. conselheiro inspec-
tor at as 10 horas daqnelle dia, e ser-lhe?-ha
franqueado na secretaria da mesmi reparticao o
reeeiluario que conten es medicamentos prepara-
dos e os seus procos, alim de que possam regula,-
rem-se.nas suas propostas.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco 10 de junho de 1870.
Servindo de olucial-maior,
Manoei Jrs Cinto.
rara Lisboa
Segu com toda brovidade o aem onhecido lu-
gre portnguec JiHio para a carga e passagei-
ros trata-se com os consignatarios Thomaz de
Aqnino Fynseca 4 G ra do Vigario n. 19, an-
dar.
Rio de Janeiro
Segu com brevidade o patacho nacional Esfro-
ga, tem parte do seu carregamento engajado ; para
o resto que lhe falta trata se com es consignata-
rios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C, ra
da-Cruz n."57, andar.
Do sitio na travessa do Remedio n. 21 fre-
goezia dos Afogados.
(Juarta-feira i5 do correle ao meio dia.
0 agente Pestaa legalmeu autorisado far
leilio por conta e risco de quem perteneer do si-
tio cima mencionado, tem 30 palmos de frente e
500de fundo, tem casa, mas acha-sc desmorono-
da, rom alguns arvorodos. os Srs. pretendentes
poden examina-lo t o leilo ter lugar quarta-
I MDANCA.
O Dr. Carolina Prancisco de Lima San-
II tos nodou sna residencia e consultorio i
!! para a raa do Imperador n. 57, r andar
II do sobrado onjo arrmzsm conserva ajn-
I! da heie o nomo de Alianca, leudo a
entrada, que pelo lado da ponte Sote
de Setembro, o meame- nomefo 57, da
frente. Abi continuando o dito Dr. oo
exercicio de sua profi-s > de medwo e
de operador, pede ser procurado a qual-
qaer hora So dia e da nonte.
Bernardino da Silva Cosa Campos tendo de
feira 15 do eorrenteas i toras em ponte no lar- ?'TATse -oje ^"J* Euripaao vapor francez
go do Corpo Santo junto ao caf commercial. >%Mdh,e nao Podendo despedir-s-; pessoalmeote
de lodos seus amigos o pessoas qne o nooram
eom seas offlcios, despede-se pelo presente, pe-
dindo-lh'os deseulpa por semelhaate falta, flltu
somente de idnticas occasioes e aeroveila a op-
portunidade para ofterecer-lhes seas limitados
servicos onde quer qne for residir.
dfe fazendas geraes.
A l do corrate.
Magalhaes Irmios farao leilio por intervencao
do agente Ohveira, de grande sortimeoto de fa-
zendas de seda, II, ;iinho e de algodo as raas
proprias do mercado, esperando por isso a con-
currencia de seus prestrnosos freguezes.
Ooarta-feira
a 10 loras da maahaa em seu armazem a roa da
Cadeia do Recife.
Criado
Fecsa-se de nra preto que seja aseravo para.
Iodoservico de armazem : na travessa do Corpo
Santo n. 25._____________________
Precisase de urna ama de raeia ktaite para
coiinbor, sendo de boa conduela : na nu de Har-
tas n. 34.
A barca portagueza Joseplunc. sahir para Ma-
ranhao mpreterivelmente quin-feira 16 do cov-
rente mea, recebendo somente a carga que appa-
recer-lhe at terga-feira 14, alim de conferir em
15 do referido miz : trata-se com Marques Barros
& C, no largo do Corpo Sanio n. 6,2 andar.
Para Pon.:.
Para o referido ^orto pretende segair com a
possivel tire'vidade por ter sua estiva prompta a
barca portueueza Saphira, para o resto e passa-
geiros trata-se com o capito ou com os consig-
natarios Thomaz de Aquiuo Foa:eca & C., ra do
Vigario n. 19, 1 andar.
no a,
ESITAES.
Perante a cmara municipal ^desta cidade
estarao em praga nos dias II, 13 e lo do crreme
para serem arremtalos por qnem menor proco
offerecer, o calcamenlo das entradas do matadoa-
ro publico da Cabanga, bem como a BonstruccSo
de um paredao e aterm para o tapamenti di rum-
bo feto pelas aguas das grandes mares : o 1 or-
eado na quantia de 423/509 e o 2o na de 60oi.
Os pretendentes deveri se habilitar na forma
da le para.poderen licitar as mesmas obras.
Paco da cmara municipal do Rerife de junho
de 1870.
Beato Jos da Costa Ja mor,
Pro presidente.
No impedimento do secretario,
O offleial-matar,
Augusto Genuino de Figueiredo.
28:341/789
CONSULADO PRGVINCAL
.euiimeatododia I a 10. 39:873/168
em do dia 11. 8:2965140
48-169/308
PRACA DO RECIFE
ti* 11 DK JL'NUO DB 1870, AS 3 HORAS DA TABDE
RKl'ISTA *iKHl\AL.
Cambios.Sobre Londres ssccou-se pelo fran-
:es .le 22 a -22 '/, d. pir 1J, e de 21 *h 22 d.
h je iirefuerido um tjtal de 100,000 os sa-
-|us effeciuados dorante a semana.
Albodao. Vendeu-se o le 1J sorte desta pro-
ia de 919 a 925 rs. por kilogramma, o de Ma-
posto bordo de U(00t a 1/007 rs. por ki-
tagnanM o de !. sorie, e o da Parahyba tambera
^SURACOES.
O administrador da Recebedotia de
rendas internas geraes faz publico que he
neste correte mez de junho que os ileve-
dores da dcima addiciooal de mo morta,
etn cujo oitmero se comprehendem as cora-
panhias e sociedades anonymas, teem de
pagar a mencionada dcima sem multa, e
que Gndo o referido mez, ser paga com
a mu ta de 6/0.
Recebedoria de Peroanobuco, 10 de juobo
de 1870.
Manoei Garniro de Souza Laceria.
SANTA CASA DA MISERICORDIA 1)0
RECIFE.
A Iilra.a. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que
na sala de suas sessSes, no da 16 de junho, pelas
4 horas da tarde, tem de ser arrematadas a quera
mais vantagens offerecer, pelo lempo de um a tres
aanos, as rendas dos predios era seguida declara-
dos :
ESTABELECIMEMTO BE CABIDADE.
Travessa de S. Jos.
Casa terrea n. o. '. 1735000
dem n. 7.........1605000
Roa da Roda.
Casa terrea n. 1.......1S9/O0O
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 63.......177/000
Ideran. 47......., ,71/000
Ra larga do Rosario.
I.* andar e loja do sobrado n. 2i. 800/000
3. dito do sotirado a. i\ 242/000
Relaco das cartas registradas, procedeutes
du sul e norte do imperio, exiitentes na
reparticao do eorreip em 10 de juoho
de 1870.
Antonio Manoei Xavier Bttencoiirt. Antonio Jo
Ferreira Monteiro, Antonio de Souza G. Fllho, Al-
varo Augusto de Almeida, Antonio de Mello e Al-
buquarque, Beiriio C, Domingo entunes Villa-
ca. Francisco Antonio das Chagas, Guilherme de
Sauza Campos Joaqun) Augusto Ferreira Jacobi-
na, Joaquim Eduardo Pina, Joo Jos Lniz Wan-
derlty (2), Jos Oielho da Silva Araajo, Jos Paulo
Maciel de Carvalho, Jos Manoei Crrela de Bar
ros, Luiz Manoei de Oliveira Mondes. Lniza de
Jeius Cavalcanti de Albnqnerqae, Manoei Gomes
de Mello, Manoei Cardoso Je Sonza & C.
Manoei dos Passos Miranda.
O eocarregado do registro
Ncwegacdo
avisos martimos.
COMPANHI PERNA.VIBUCAN
DE
costei'ra por vapot.
Macei escalas, Penedo e Aracaj.
O vapor Potenj; commridante Mello, se-
guir para os portos cima no dia lo de junho
as o horas da tarde. Recebe carga at o dia 14,
encommendas, passageiros e dinieiro a frete at
as 2 horas da tard- do da da satiid* no escripto-
rio do Forte do Mattos n. 12.
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sol esperarte
at o dia 21 do corrente o vapor
Cruzeiro do Sul, eommaadante -'
P. Guedes Alcoforado, o quai
depois da demora do costume se-
guir para os do norte.
Desde" j recebem-se passageiros e engaja-se >
carga qne o vapor poder condozir, a quai deveri
r emba cada no dia desuachegada. Encoramen
las e diuheiro a frete at as duas horas do dia di
suasahida.
Nao se recebera corpo encommendas senao oL-
eetos de pequeo valor e qne nao excedam a !
arrobas de peso ou 8 palmos cnicos de medi-
;o.
Todo que passar destes limites dever se-
ambareado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros qne snas passv
gens s se recebem na agencia fna da Cruz n. 87
l* andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveir;
Vzevedo & C.
W
O brigue portuguez Aprigio sahir brevemente ;
para o resto da carga trala-se com Perelra Vian-
na & C, ra do Vigario n. 11, 1 andar.
Deve seguir dentro em poneos dias o patacho
nacional Bemftca por ter prompta a maior parte
de sua carpa, e para a que a inda pode receber
trata-se com Rallhsr, Oliveira 4 C. : a ra do
Vigario n. 1, priineiro andar.
AMIA IIKrlSILElfl'
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
l _- Anuos, commandantc Guilherme
Waddenion, o quai depois da
demora do cosame seguir pa-
ra os portos do sul.
Desde j reeebem-se passaseiros e eugaja-se s
:arga que o vapor poder conduzir, a quai deveri
ier emfnrradano diado suichegada. Encommen-
das e dlaheiro a frete at as a i ras do dia da sus
a! ida.
Nao se recebem como encommendas senao ob
lete \e pequeo vak-r e que cao excedam a duas
wrobas de peso ou 8 ualmos cbicos de uiodicio
Tado quepassar Acusos limitas dever ser embar
ado como carga.
Previne-se aos senhOMs passageiros que suas
paasagens s se resebem na ag< t-. ra da Cruz
a. 5'7, Io andar, esetipi htio de Animio Luiz de
Oliveira Azevedo & C
''i
De 8 canoas di carrega- tjolos
Oagenie Martins far leilai por ordem do Illm
Sr. Dr. C!a:idino de Aratij- Gaiiarles c nsul de
Portugal, de duas canoas de ca.regar tijolos per-
tencent.'s ao espjlio do sub3ito portugus Fran-
cisco Joaquim de Carvalho.
HOJE.
Na rampa dn caes defronte 'a ra das Flores
porto das canoas as II h.ras de dia.
nMTr
De ptima mobilia
A 13 do correte.
Em consequencia do Sr Joaquim Monteiro da
Cruz haver seguido para a Europa e fioado o
agente Oliveira incumbido de fa;-.er o Hio da sua
mobilia censistindo esta em ama esplendida guar-
nicao de Jacaranda para sala do visitas anda qua-
si nova, tendo a mesa do centro e 03 censlos
lampos de ricas pedrea marmore, outra dita tam-
bem completa em pooco uso. consolos diferentes,
bancas parajogo, lindas secretarias, eadeiras de
halartco. de bracos e outras, guarda vestidos e
guarda loucas, armarios, cnmmodaa, espalbo e
toucadores, esleirs e alcatifas salas, leito para
casal com cortinado, ditos menores, separadores,
mesa elstica para janlar e oatras differentos, la-
LEILAO
OB MOVIS
ma mobilia de Jacaranda composta de 18 ea-
deiras de guarnicao, 1 ditas de bracos, soff e
consolos com marmore, i piano de Jacaranda (ar-1
marta) 1 santuario, 1 estante, 1 comraoda de ja- i
caranda guarnecida de pao setira, i secretaria I
de amarello propria para escriptorio, 1 guarda
louca, 1 toucador de mogno com o competente (
espelho, 1 guarda vestido de amarello, 1 cofre
francez, 1 mobilia de Jacaranda (gosto antigo) I!
dita de amarello a Luiz XV, 36 cadeiras de ama-
rello para alia de jantar, 2 camas de amarello
para casal, 1 marqnezan, 3 marquezas, I mesa pa-
ra jantar. 1 machioha de costura, 1 meia comino-
da, 1 candelabro de vidro, 2 espelhos, 5 pares do
lanternas, 1 relogki de psrede. jarros cnnsalos,
mezas redonds, louca para aluioco e jamar e
ranitos outros objectos que estarao patentes na
oecasiao do leilio.
. Quarta-feira 15 do corrente
No armazem de leiloes roa do Imperador n.
MLas 11 hora;, Augusto C. da A. Sexas, fai
leilo por intervencao do agente Pontnal dos ob-
jectos cima, por autorisaco de urna pessoa que
retirou-se para fora da provincia.
I'recisa-se de um caixerre eom pratica de fa-
zer das, p;ia nm estabelecimwHo no centro desia
pn viiicia : tratar na ra do Livramente, teja
n. 6.
TRECHOS CLASSIC03
Chegjrasa e achat:t--s>e a
NA
Livraria rancezo.
venda
uns fin im
A CU. ANA.
3 casas terreas a ra Imperial
O agente Martins far leilio por 1 uthorisac', de
tres casas terreas em nuineracao, sitas ra
Imperial quasi confronte a casa du Sr. Momra,
tsudo cada u.-na 22 palmos de frente e
fundo, todas sein repartimento e com eosioha fra
(terreno de m:;rioha) mnitu bem cousiruidas o ha
pouco aeabada, reudem 2"i000 men.-aes.
Sexta -feira 17 do corrente.
O 'eilo ter lugar ra da Cadeia do Recife
n. 9, escriptorio do dito agente, as 11 horas 00
dia aei m a.
SEGUNDA E.'HCAO
ConsideravelmenU; moiburada. e a gmerita-
da com novas cnaradas e losrogryphos
Um bonito volme
nitidanjer.te mpressnw brochado.
Rs," 1-3000
A aceitacao que do resoeil ivel pabnco merecen
a Ligana, cuja primeira rdirao s.- esexitoBOm d'>os
anuos, nos leva a tazer alta aova, mais correcta ts
aii'mentada.
Nse Seto, t'i ram entre nj, tdica que a Ci-
gar.a tem qalidodei qne a recomneaiaB e lor-
nam-a bemquista a-is teitud .
Com eff-.'ito essa ftH>^ da li beroin sabe guardar
conveniencias, e procura, dizeneo 1 sorte de cada
um, agradar a todrs.
A presente edif f., inteiramaote meibora-la, foi
augmentada com novas ebiradas e h-g>gryphos\
le bem assiui algu-ias jums reertotrvas, i!e'n.'jn
J sSa lao apreciadas no; saldes.
Imperamos que a dgana c mtinne a memer a
mesma aceita ao. e que ein bren poseamos *er
i agotada esta nova edVa
Raa de Crespo n ;'
f.TV:. \IIA PRA.NCEZV.
LEIL
ta
De iuapor aates dividas saa im-
portaacS: deja 19*49 fi*48
O agente Martins ciMipetentemento aatorlsado
far leilo das importaules dividas abaixo des-
criptas no valor li .'I2,47li08 rs., pertenceotes
ao casal de Caetano Pereire Goncalves da Cunba
constando qnasi todas de notas promissorias e
duas em execucSo a saber: Antonio Correia de
Ama
I'recisa-se de urna ama, qiii- sai/:;-''0>iphar com
perfelcao : tratar na ra du Cr< .. > n. L
MACAHllt, .
Fallecen naqoella puvuaeau '><4K<^oeiaaei J^pj-
nyin Alv- de Paiva,e, > aba n a sitmadoM
i|urlidaiie de Sea lUinQado ;:"'.! -r j, viuva,
convido os redores ed.-v.-! t.- : Mi para
virera oa mandaren) liquidar ..!<. N.u,
1' de jnnbo do 1870.
Antonia Pinto r> 3*. (jei'ri.
O capito J.ise AutimiD :lanues cor-
Nownha Bravo 2:6204 herdeiros de Pedro Ca- (jp,|mente agradet a todos OS su lis amigos
valcanti de Albuquerque Lms 2:i60>, Jos Jus- ..ip,,.,. (,,IP ,Ver5n a nnlar',. ri asistir
tino FernanJes de Souza e Jrs Joaquurf de Al- i '^l\eg3S que tiverao a omiaot. Q8 asistir
Joaqi
rneida Gueites 1:013500, Joo Victorino Hers-
che 672, Elias Cjelho Cintra 1:2075730, .Joa-
quim Manoei Carneiro da Cunha 363^513, Joa-
ns exequias de 90a terna espoza D. Malvina
dos SiftttM Manraes, que tivera lugar no
dia 7 do correte, fe novamente -i'oga a
quim Francisco Cavalcanti 8845040. padre Fian- t H amioos p coIIpo-.* p imioa*
cisco liodrigues Machado 1:0803800 Joao Bao- !Ja:|1 Os, S.8US aaWgOS e tOllega e amigas
tista Paes Brrelo 73#, Jos Joaquim dos Sant da fallecida 0 cartiloso obsequio (Je irem as-
sistir missa qoe no stimo dia ( 'A) pelas
7 lloras da manha tem decelelebra-si'. na
Matriz do Corpo San.o
pajBJBJBJBJBjp
Na ra da
se para fra.
urna
3:93323, Francisco Caetano Profi o 2:2775323,
Antonio Rufino de Araujo Cavalcami 2:9345,
herdeiros de Joao da Rocha Carvdlho 6985, Gas-
par de Albuquerque Maranhao 1:1795536, her-
deiros de Joo Lins Cavalcauti de Albquerqu
3:8005310, h"r Jeiros de Luiz Antonio Pereira I,
Chacn 6015300, J"i> Januario Ourao 3887277,
HanoeJ Antonio C utinho 2:3025290, Antonio Precisa-se de urna ama o meia idade para
Borges da Fonseca 100*, herdeiros de Joao Bap- comprar e cozmhar para tres pessoas : na roa
lista da Silva 13:8995495, herdeiros de Antonio''1'- clores n. .,7.__________________________
rtlves Soares 2:00658 3, ditos de Sebastiao Anto- | ~ Na ra do Hospicio n. 4S preeisa-se
nio de Mello Rej:o 7:8945925, herdeiros de Ignacio i ama que saiba cozinhar, paga-se bem.
Paulino d Cunha 56:8405, Dr. Flix Peixoto de
Brito 2005, Joaquim Jos Bello 4:5673320, .Ma-
nuel Francisco do Monte 3:3325476, Toiago Del-
lino Duro.'1:8395392, Diniz Jos Herculano e
Jos Carlos de M^ndonca 37:1115336, accao con-
tra a menor Paulina filha de Manoei Matnias. de
Freitas e outros 7:8835784 'execucio le hypo-
iheca em nm engenho e maft bens de Jos de
Barros Campello 22:000*. urna apolice do extinc-
to banco di> Rio de Janeiro l:00f, erigadeiro
Antonio Bordes Leal 8205, Thomaz do3 Santos
Estima Lessa 1:849*490.
Terca teira 21 do carrente.
-j dividas cima serio veudas em nm on
mais lote? no escriptorio do dito agente a raa da
O Sr. r. Francisco JjsKabello tem
un carta nesta lypogr.ipbia____________
Sitio para alugar.
Aluga-se o sitio da estrada dos Alllicios n. 26.
con boa casa de maradia, contend 3 salas, 3
quartos, copia na freute da mesma, cosinha, co-
xeira, cacimba, e rauitos arvorodos de fracto, e
perto da estaco do Man^umlio : a tratar na roa
do Apollo n. 30. armazem de assncar.__________
Existe 00 collegjo de N. S. do Bom Coase-
Iho urna -carta para o Dr. Atloaso Sergio de Moo-
ra Maltes.
CABB6A
esquina
da rae larga do
Rosario.
LOIA 1E POMAS
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre nm sortimento sem igpaalJ
nde por presos qne uenhmna outra casa pode vender. L
vista da qufldade e do pre^o das joias cada tuto ^der-se-ha convencer da verdade. a raa *****
Garante-se ser tndo de le Compra-se onrt, prata e podras flnari por preijas mtto el- Eosario,
vados. m
A loja est aberta at s 9 liars da iiote W
-w
i;
.


-T
1

'<>


*
Diario de PemMi^lraoo Segunda ei 13 de Junho de 1870.;^
BAZAR ACADMICO
13 Una da Imperatrz 13
Ulysses Irmao proprieUrios deste bem conhecido acreditad.! estabelecimento
l?_ a honra de participar ao illastrado corpo ACADMICO e aos seus numerosos fre-
guezes, tanto desia praca, como de fra, que tendo sido elegantemente reformado Oito
estabelecimento acba-se completamente sonido e em condicSes de b< servi-los aos
seguintes artigos:
VVftlEDADES
PONTEIRAS para charutos e cigarros de
todas as qualidades gostos e preces.
CACHIMBOS de superior espuma, 4e nw-
deira (raiz; de H at 60, a ducia e -de ou
tras qualidades a relalho.
DITOS j) de gallinhados memores que
PHARMACIA CENTRAL
CHARUTOS
superiores de Havana, Hamburgo, Babia e
Rio de Janeiro etc.
Ci garros
de palo* de S. Paulo, de 30500 a 7o00,
o mimeiro, Daniel do Rio Novo, Maurity,
Imperiaes, Tenantes do Diabo, Duque de
Caxias, Gandon etc.: de papel, de fumo
? Daauie!' e?eral ?SOi0'- Conofm ha oeste ramudo a U e3*500 a *ia,
Rocambole.Radicaes, Acade os, Macnam- com grande abament0 em ma0r jwrclo,
bomba, Montevideo, Orientaes, Baependy e
mitas OUtras qualidades.
Finos
Afamados de BAEPENDY em caix5es de
20 libras 1(5400 rs. a libra, en pacotes
a 24, de 20 para cima a 1)5808 e em maior
poroso 1)5500 o pacote de I libra, dito
em latas dequarta a 640 e 500rs., e outras
muilas qualidades como sejam: Daniel do
Rio Novo, do Para, de S, Paulo, Caporal.
ditos de louca, gesso, barro, ele.
BOLSAS gostos e presos, para guardar fumo.
CARTEIRAS para cigarros de todos os
systemas.
PHOSPHOROS de cera, em aixas de to-
dos os tamanhos, de seguraoca a balSo etc.
PAPEL de milho, de arroz, san-aora, Per
san, pintado, de Iwbo etc. pa*a de mimo de
Femando a melbor possivel.
" *Jm dos rticos mencionados encontrara nossos freguezes outros muitoS no ge-
nere de nosso negocio, que se vende em grosso e a relalho e que ^J**^
serlo satisfactoriamente bem servidos: bem como nos encarregamosde qualquer en-
rommendas de nessos cigarros de seda e linbo, etc. ^
13Ra da Imperatrz13______
GRANDES NAVIDADES
NA
LOJA DO TRIUMPHO
gosto nevo.
PARA SENHOMS. Ricas poupelinas de padroes lindsimos, e
Cambraias brancas bordadas para vestidos. Poil d'chevre de lindos padroes por
barato preco de 560 rs. o covado. '
Grande sortimento de las e alpacas de 320 rs. a 1*500 o covado.
Saias bordadas, ditas lisas j bitas com barra de cor.
PARA MENINAS. Ricos vestidinhos de fustao enfeitados brancos e de cor.
Vestuarios de fustSo para meninos.
PARA HUMENS. Camisas inglezase francezas, de Iinho bordadas e de pregas,
com collarinho e sea elle, ditas bordadas para noivas. Chapeos de sol de cabo de
marfim e de canoa etc etc., luvas de Jotrvin para senhnras.
Grande surtiment > de cortinados para camas e janellas. Croxes para sola e ca-
tiras de braco e guarnico. Tapetes para sof e cama, para pianos e portas.
Colxas de croch para cama de noivas. Tpeles em pessa para forro de salas.
O nico e especial sortimentos das verdadeiras ESTEIRAS DA INDIA, s existe na
Loja do Triumpho.
Ra Duque e Caxias n. 7.
X Fereira blela
PIIOTOCIIAPHI V IMPERIAL
, 18RA DO CABUGA !"8
A mirada ptlopateo da matriz.
Os trabamos da reedificaefe des photoerapbia,
e que se prolongaran) por tanto tempo, acham-se
felizmente terminados e ella berta ao servido do
pnblice desde 7 d abril pasado.
O predio ate que est collocada esta photogra-
phia acha-se omito augmentado, e s a parle desti-
nada ao estabelecimento conta cinco Mas, inclu-
sive as do laboratorio. Todos-o.- concertos e ug-
menjos tendo sido fetos expresamente para se
montar convenientemente a ehotooraphta, e nao se
podendo melhor modelo escolher do que a Photo-
grafiia Imperita do Sr. Instey Pacheco de Rio de
Janeiro, o prmeiro pfutographo do BrasM, t nm do?
primeiro3 do mundo, segundo a optuiao dos mais
abalisados mestres, a nessa photograpbia acha-se
dlsposta e reedificada peto mesmo plano da do Sr.
L Pacheco, a qaal foi montada tob tedas as regras
recommendadas pelos mais destinctos professore3
de aecurdo com as niodificacoes secessarias, aj
clima do Brasil, recoithecidas e estuddas pelo ha-
bilissimo* pratico Sr. I. Paekece.
Todo o interior do predio em qoe est nossa
photograpbia foi mudado desde a soleira da porta da
ra ale a coberta, tendo-ae demolido todas as pa-
redes interiores 4>ara se fazeret as novas salas,
edificndose um novo terrado cuvidracado nmi
espaooso e elegante.
Como sabido, filemos ama viagem expressa-
mente corte para examinarme* as melbores pbo-
K.graphias all, e foi a do Sr, i. Pacboco, a que
melhor correspondeu aos nosses desejos e aspira
i;dcs, e da qual trouxemos os planos depois de
alli estarmos todo nm inez estuuandoe apro-
veitando as lic5es de to (Hstincto mestre. Pau-
samos que juntando os nossos estudos e longa
pratica de 15 annos de pbotograpbia s utilissimas
liooes ultiman ente recebidas do Sr. I. Pacheco,
tendo montado a nossa photographia como se
acha, podemos offerecer ao Ilustrado publieo
d'esta cidade e aos nossos nau.erosos freguezes
trabalhos de pbotograpbia to perfeitos, como so
poilera desejar, e disto convencidos, esperamos
|iie contlaaem a dispensar-Dos a mesma pro
teccao com que ha 15 anuos nos letn bonraao e
ajndado.___________________*_______
Attenpo.
Ainda se continua fornecer commedorias
para fora com asseio e promptidSo, man-
dando-se levar a casa dos assignantes que
nao tiver portador: ra estrella do Rosa-
rio n. 35, Io andar casa particular de fa-
milia. _______________
O Sr. vigario Bacalho qoe mor)u morou
na estrada de Joao de Barros, queira mandar a
esta typograpbia a negocio.________________
Ra do Imperador n. 38
Xrepe de lactucario d'Aubergier, de
tbery decio d'Abbadie recommendados,
como calmantes para os casos, em que se
n3o pode usar do opio e de seus prepara-^
dos, e mui coQvenientes para as crianzas
nos espasmos e convulsfies.
Calpado nacional.
H. 19 Rii do f ardlm M. 119
Jos Vicente Godinho com fabrica de calcadoj,
msa a ledos os seus freguezes, que contina a
vender calcado em sua fabrica em grandes e pe-
quenas porpes com<> Jantes, sendo mais barato do
que em ontra qualquer parte. Assim como um
sortimento de pares de formas francezas chapea
das para bomem, do ultimo gosto, a preco de
H13H14MG.UUGN.
4

3
^j
Con ese titulo acha-se abarlo e inleiramente transformado este anligo
estabelecimeuto de joias, onde os freguezes e amigos encontraro tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderaos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderemos, pul-
ceiras, trincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata de lei faquei-
ros. colheres, paliteiros salvas e outros muitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, permaior preco do
que em outra qualquer parte, treca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
perteneente a esta arte.
Amas
II
Arrends-M um excellente sitio com muitos
arvoredos fructferos, baixa para capim e verdu- ;
ras, moho li >a casa, alera de outras para escra-
vos e estribara ; no mesmo sitio tem tres cacim-1 e uzero ser"^ interno de urna casa,
Precisa-se de urna ama para lavar e enpommar,
preferese
Las, lindo urna dellas frrea, e (lea perto do,
oaminho de ferro : tratar com o Sr. Costa na
rna Nova, loa de charatas.
Precisa se de una ama para todo servlco
de duas psssoas : na ra do Duque de Caxias en-
trada pelo neceo do Ouvidor n. 22, 2o andar.
escrava : na ra da Imperatrz n. 25.
va
Ama
Na ra do Crespo n. I, pweisa-se de urna ama
|)^ra casa de homem soltetro que cozinhe com
jierfriro.
Fug" no di 26 de inaio d'este anno, do en-
penho Bnjary, pm Gsianna, a prela Bufina, eom
idade de 38 a -10 an jos. a quai tem o urnbigo
quebrado e as juntas dos ps um tanto grossas :
levan vestido de ahita j usade ; jnlga-se estar
nesta cidade: pede-se aos Srs. capites de cam-
po e auioridades policiaes que a capturarem, le-
-vem-oa ao dito engeoho, ao Sr. Manoel Cesarlo
dos Santos, que ser hem recompensado.______
fficialde cabelleeriro.
Na ra da Cruz n. 24, andar, precisa-se de
nm offlcial de eabelleireiro que seja bom, espe-
cialmente de cabello e barba.
Attengdo.
Ao Sr. Francisco Jos villa-verde, passageiro
da barca portugueza Social, ebegada ha dias da
cidade do Porto, pede-se o favor de vir a rna do
Brnm n. 92, pois deseja-se fallar-lbe com argen-
cia em objecto de sea Interesse.
Offerece-se urna mulher para ama de
servido interno de casa de pouca familia,
menos cosinbar e engomar: a tratar na ra
SAHIO A' LUZ A OBRA SEGUISTE : ~
DICCIOABIO
DE
E
coateado a descripcSo das causas, symplomas e
tratamento das molestias, um reeeitnario especial
para eada molestia, e mnitos eonheetmentos uteis,
i" edieco
reformada e consideravelmente augmentada
PELO DB.
Pedro Luiz Vapoleo Chernovz
Dons grossos voluraes encadernades. contendo
a antena de quatro volme ordinarios, eom nm
total de 2,296 paginas e 42J figuras no texto :
vende-se na livrara de Jos Barbosa de Mello, rna
da Crnz n. 32.
Teado melborado o cambio, o preco da obra
eela redundo a %MiQW.
Thomasia Barbosa Coimbra, sua lilha. ontiadjs
e genro, agradecem cordalmente s pessoas que
se dignaram assistir os ltimos sulTragos de seu
prezado marido Jos Antonio Gomes Jnior ; e de
novo convidam para assfctirem a missa do stimo
da, que ter lugar aa matriz da Boa-Vista terca-
feira 11 io corrente. as 7 horas da maaha, pelo
que se confessam eternamente agradecidos,

Glicino Pergentino da Silva Braga agradece cor-
dmlmente a todos os ieu9 prenles e amigos o fa-
vor que prestaran! em acompanhar ao cemiteno
publico o cadver de sua sempre chorada e chara
esposa Anna Clotildes de 'Figueiredo Braga ; e de
novo os convidam para assisttrem a missa do se
timo dia, as 7 horas da manha do da II do an
dante jia matriz da Boa vista.

Manoel Cardozo Ayres e seas irmaos convidam
aos seus prenles e amigos pata assistirem as
missaa que mandam celebrar as quatro fregue-
zias d'esta cidade, s 7 koras da manhaa de 14 do
corxenie, trigsimo dia do fallecimento do nosso
Eun- bspo.
Precisa-se alugar ura escravo que seja co
peiro, esperto, e que entena di comprar : no
caes de Santo Amaro n. 42, ou na agencia geral n.
21, praca do Corpo Santo, __________
Paul Chauvin.
Mechanico conhecido a 10 annos nesta cidade,
parlecipa ao publico que tendo dissolvido amiga-
vemente a sociedade que linha com o seu cunha-
do Carlos Plnyn contina a se achar a sua dis-
posicao para b que dn respeito a abertura de
burras, machinas de costuras, armas, fechaduras,
collocacao de campanhir.has e todo qualquer con-
cert : praca do Conde d'Eu n. 24, outr'ora da
Boa Vista.
Deseja-se fallar
Aos senbores abaixo declarados :
Coronel Manael Carneiro Cavalcanti diAlbuquer-
que Lacerda.
Joao Jos de Miranda.
Joaquim de Menna Cardoso.
A' ra doJDuque de' Caxias n. 7.
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Bio venda : ra do Cabug n. 1,
?ende Vieira 4 Rodrigues.
CASA DA FORTUNA
Aos 5:0001
Bilhetes garantidos.
i roa do Crespo n.23 e casas do costume
O abaixo assignado, tendo vendido alm de ou
ras sones, um meio n. 1032 com 9004 da lo-
tera que se acabou de extrahir a beneficio d>
irmandade de Santa Anna da Madre de Dos (149)
convida aos possuidores virem receber na con.
formidade do costume sem descont algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garan-
tidos da 2a parte da lotera beneficio da ip re-
ja de S. Sebastio do Bmilo (150), que se extrae-
r sabbado 18 do corrente mez.
PrecosOs do costume.
Manoel Martins Piuza.
PHB3AGlTTNfRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38,
Preparados d'alcatro em capsulas, licor,
e xarope ferruginoso.
PHABMAClTCEP 'RAL I DO IMPER'A-
DOR N. 38.
Pillas de Vallet.
Pillas de Blancard.
Pillas de Bland.
Xarope furrugiuoso de Blancard.
Confeites de lactatp de ferro.
Pimas de carbonato de ferro, lactado de
ferro, iodureto de ferro com magnezia.
Ferro de Quevenne.
Assucar ferruginoso.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Vioho e xarope de pepsina e tdiarthare,
excellente tnico para auxiliar as digestSes
difficeis nos casos de debilidade do esto-
mago.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA
DOR N. 38,.
Agua hemosthalica de Lecbelle, mui re-
commendada em qualquer caso de hemor-
rbagia, e principalmente na thysica pulmo-
nar, e as hemorrbagias uterinas.
PHARMACIA DNTRAL RA DO IMI
DOR N. 38.
Xarope de rbano iodado excellente com-
binago do iodo com o sueco de plantas
anti-scorbuticas.
Este xarope empregado com grande
soccorro conti as molestias da pelle, os
engorgitamentos escrofulosos, o racbitismo-
cachloroso.
O vinho iodado de joly, e oleo iodado de
Personne, s3o recomaendados para os mes-
mos casos, e encontram-se nesta pharma-
cia.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Variado sortimento de chocolate de ban-
nilha, salepo araruta, ferro, e de sade, da
acreditada officina de Menir.
Sabonetes d'alcatrio, d'acido phenico, en-
xofre e camphora, recommendados para as
molestias de pelle como sarna, panos, em
pingeos etc., sendo o ultimo de muia ulili-
dade para o uzo do ioilette, por preservar
a pelle de ser manchada das maculas, que
costumam accomettel-a.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Os melbores verm.fugos para crianzas,
Pastilhas de sanctonina.
Ditas de Kemp.
Oleo vernifugo.
Tudo de melhor qualid de.
PHARMACIA CENTF.AL RA D IMPERA-
DOR N. 38.
Variadissimo sortimento de fundas de
excellente qualidade.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERADOR
N. 38.
Pastilhas de balsamo de tol e de seiva
ATTENCAO
9
Os abaixo assignados. estabelecidos na villa do
Pillar das Alagoas com loja de fazendas, declaram
ao respeitavel corpo do commercio que desde o Io
do corrente mez de junho dissolveram a socidsde
que tnham no mesmo estabelecimentc cima, a
qual gyrava sob a firma de Mauricio & Goncalves,
flcando o activo e passivo pertencendo d'ora em
diante a Mauricio Mans. Rccife 9 de junho de
1870.
Mauricio Man?.
Domingos Jos Goncalves.
Urna engimmadeira
Precisa-se de urna eegommadeira : na ra da
Cadeia n. 4. ,
CLUB POPULAR
Escola primaria gratuita.
No salo do Cinb Popular, na ra nova de San-
ia Rita n. 1, Io andar, e-i.ira abena todas as ter
Ss-feiras, das 7 s 10 horas da noite, urna escote
e primeiras letras para todas as pessoas do povo
sem distiuceo e sem contribuicao alguma.
PROFESSOR
Vicente de Moraes Mello.
ADJUNTOS
Antonio Augusto de Prot Menezes.
Manoel Francisco Honorato Jnior.
A, Clodoaldo de Sooaa. *
Manoel R. Brrelo de Menezes.
Manoel Pereira Magalhaes.
Manoel Odorico Pestaa.
Joao Cenco Gomes da Silva.
Misael da Silveira Amaral.
Secreuria do Club Popular 9 de junho de 1870
O secretorio,
Misael da Silveira Amaral.
AMA
rara b*llea
IMeisa-se de ama pessoa eom alguma pratica
* aawmacia: a tratar na roa da CaaVia n. II
Precisa-se de orna ama para o sefvieo In-
tanao externo de orna casa de pouca familia,
rafcriado-se de mala lale ; t tratar na roa da
nm n. 47, i* andar.
Miguel Mo.'eira de Souza Maia, Joanna dos San-
tos Vital e Vicente Ferreira da Porciuncula, cu-
flhade, mana e primo do finado Domingos dos Paa*
sos Miranda, mandam celebrar missas por alma
deste no dia 13 de junho trigestmo de sea pasea-
ment, no convento do Carmo, as 7 horas da nu-
nhia, a convidam os seus amigos e do Onade para
asgistireo este acto de earidade.
tten^o
Precisa-se alugar nm sitio nos seguintes arra-
baldes : Mangnioho, Ponte de (Jehoa, Caininbo
Novo e Soledade : quem tiver dirija-se ra da
Cruz n. 38, armazem._____________________
Na roa Velha n. 15 precisa-se de urna ama
idota par comprar e cozjnhar para casa de pouca
familia. I
de pinho marilimo, para aj affecfSes caro*
nicas dos pulmoes.
Pastilhas de.therydocio e louro cerejo
para as tosses agudas, e de carcter nervo-
so, e para os vomites durante o periodo da
gravidez, e qualquer affecco nervosa.
Pastilhas de hypophospheto de cal mui
uteis na thysica pulmonar.
Pasiilhas de angico naf, e (le Regnault,
de hortelSa, piments, e de Viccley, de pe-
cacuanha e de Rermes.
PHARMACIA CENTS AL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Cha purgativo de Chambard, excellente
laxativo, e refigerante, que se pode usar
repetidas vez?s sem irritar os intestinos.
FARHACIi CENTRAL
Ra do Imperador n. 38.
Lamploughs Pyretic Saline.
A preparation of wel! known utelity to the En-
glish Faculty, as a cooling and refresbing beverage
in all cases of fe ver. The frequent use'ofthissa
line preserves breigners from many diseases to
which they are loable before becoming acelima-
tised. May be obtained at the Pharmacea Central,
jua do Imperador n. 38.
Para Santo Antonio, S. Joao
e S. Pedro
Na ra estreita do Rosario n. 33 preparam-se
bolos de encommendas, proprios destes das, sen-
do cncommendados don dias antes, e tambem en-
feitam-se, tudo por preco commodo, Na mesma
tem sempre nm grande sortimento de beuquets de
cera de differentes quildades, e que se vende
tambem por preco commodo._______________
Precisa-se de urna ama gne compre e cozi-
nhe : na ra de S. Francisco n. 34.
Precisa-se de um moleqae qae emenda de
cozioha, e para o bervico interno de urna casa de
pequea familia: na ra Imperial n. 130.______
Na ra Nova n. 30, 1* andar, precisv-te alu-
jar um escravo de 14 i 16 annos para o servico
le casa.
Precisa-se de ama ama para o servico interno e
externo de ama casa de pouca familia : a tratar
na ra das Cruzes n. 6, 2* andar.
Joo Wlmea Plateaita e sen
privilegio.
O privilegie por 10 annos requerido por Joao
Simos Pimenta auembla provincial, afim de
que seja elle o nico nesta praca que possa ex-
portar fruclas, macacos, doce, buzios passaros
etc. etc.
um alternado contra a liberdade de commer-
cio, nm revoltante monopolio. Convicto no bom
juizo da lnalre asseoibla, podemos Ihe dizer quej
ai bichas nao pegam Sr. Pimenta, porque os dV"
niseimos tem por thema dar ex^ancao ao commer-
cio, e nao comprimi-lo.' faTtwpDs dos Morga-
dios ou feudalismo, j se foram : hoie predomina
o dreito de todos para esta, eu aquella profisio
licita,
Monopolisar o qae tradaz es seus anhelos
ser melhor cuidar em ontra inveBcao.pois aa nes-
ta perdeo een terapo, papel e tinta, e encommodoo
a cmara eom sua peticao, roubwdo-lhe o lempo
a cuidarem em materias mais uteis, e que muito
Ihe flzeram favor consignar a sua furia no expe-
diente da eaia.
Adeus Sr. Pimenta, at breve,
flecife, 8 de junho de 1870.
- Seu apreciador,
O ptunusma braneo.
D. Anna Joaqun i de Mello Carioca declara
pelo presente que desta data em diaote seu pro-
curador o seo sobrinho Jos Rodrigues de Olivei-
ra Lima, ao qual oatborgon plenos poderes para
gerencia de todos os seus negocios, flcando desta
data em diante revogada toda ontra e quaiquer
procuracao anteriormente pela annanciante pas-
uda a quem qaer que seja. Recife 9 de junho
de 1870.

Moflna.
Di-se 2:000* a premio sobre hypotheca em
alguma casa : na roa Direita n. 24, padaria, se
dir quem da ______________^__
Roga-se ao Illtn. Sr. Ignacio Vieira de Mello,
escrivo na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de *r ra do Imperador n. 18, concluir
aquelle negocio que V. S. se comprometteu rea-
Usar, pela terceira chamada deste jornal, em fins
de detembro prximo passado, e depois para Ja-
neiro, passou a fevereiro e abril, e nada cumpro,
e por este motivo de novo chamado para odito fim;
pois V. S. se deve lembrar qae este negocio de
mais de oito annos, e quando o Sr. sea fllho se
achava no estudo nesta cidade.
Ama deleite.
Precisase de ama ama de leite
do Bspo, casa n. 13.
no Corredor
Confeitarla dos ananazes.
16Ra da Croz16
Santo Antonio. S. Joao e S. Pedro.
Amendoas, aa mais apropriadas para sortt-s,
vende-se era arrobas e libras ; pape J promp-
los com estallos para sortes ; recebe-se encom-
mendas de bolos pies-del enfeitados; aseneom-
mendas recebe se com antecedencia e as amendoas
em arroba terrao abatimento no preco.
Precisa-se de nma ama para todo servico de
urna casa de pequea familia : na ra do Arago
n. 38.______________ -_________
Na ra Prmeiro de,Mar$o o. 15, escriptorio,
recbese propostas para-a collocacao de vidros e
pintura no predio n. 23 ra da Cadeia.
Desappareceu no dia L" de junho correte
duas bestas cornos signaos seguintes : urna mel-
lada, nova, magra, dinas pretas, rauda aparada ;
outra russa, magra, pequea, poldra, e ambas com
o ferro triangular na anca do ladodireito : quem
apprebende-las avise no engenho Cordeiro, que
ser generosamente gratificado.
Aluga-se urna casa terrea na travesa do
Luca, com um excellente sio, o qnal tem algn-
mas arvores de fructo e campo para eriscao a
animaes, com os seguintes commodos : 3 balas, 7
quartos, eozinlu fra. coebeira, estribara e ca-
cimba : a tratar na ra do Apollo ni 32, arma-
zem de assucar.__________
Aluga-se na ra da Aurora n. 20, urna pre-
u de 20 annos, que sabe cozer, engommar e fazer
o servico interno de urna casa de familia, sendo
muito carraosa para criancas.
Na travessa da rna
das Crozes n, 2, pr-
meiro andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de ouro, prata e brilhan-
tes, seja qual Cor a qnan-
tia. Na mesma casa eom-
pram-se os niesmos nie-
laos e pedras.
POCOS TUBULARES
INSTANTNEOS
Travessa do Corpo Santo n. 23
ARMAZEM
Ra Nova n. 28, loja Antonio
Pedro de Souza loares.
Bandeira, Machado & C, avisam ao respeitave
publico que nos lugares cima encontrara no mes-
mo sempre grande quanlidade de ditos pocos, e
que se acham habilitados para vender por menos
que outro qualqcer.'por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante NQrton, de Londres.
As vantagens que offerecera os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser collocados den-
tro de casa ou fra, com o trabalho de urna a duas
horas; segundo, fornecerem os mesmos agua pu-
ra e abutidante, podendo serem removidos de um
para outro lugar, quando assim convier.
Os aanunciantes s reeeberao a importancia dos
referidos pocos depois de collocados, satistazendo
espectativa do comprador.
)r, Sarniento Filho
mudou-se para a ra do Imperador n. 29,
2o andar.
Consallas e operacoes todo* os dias das
10 horas ao meio dia.
Chamados por escripto a qualquer
hora.
5
${
Precisa se de ums ama para comprar e co-
zinhar : na ra do Queimado n. 22.
m
i TINTURARA FBAGEZA
^ 55-RuadaImpeiat.iz-55 ^
i Tinge, lava, limpa, lustra e achamalo- M
tase, com a maor perfeico, fazendas em m
3 pecas e em obras de todas as qualidades; 88
Mj como sejam : seda, la, algodlo. Iinho, f
chapeos de feitro e de palha etc. etc. g$
Tira-se noloas e limpa-se a seccosem w
gg molhar os tecdos, conservando assim to- g|
ag do o brlho da fazenda. B
2 Tintura pretu as tercas e sextas fei- fl
S ras- B
Retalha-se, avantade dos corapradores.alguns
lotes de terreno, que restam, do sitio Aguasinha
em Beberibe. por precos lasoaveis. A posico to-
pograpluca do terreno muito o recommerda, so-
bretudo por ficar prximo da estacao projectada
da via frrea. Os pretendentes poderlo dirigir-se
informar-s do lente S Peixoto, no mesmo
lugar, e para qualquer negocio ra do Crespo
n. 12, 1 andar.
Agencia em Pernambuco
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cereja
Cura a phthysica e todas as molestias do peijo.
*a.va parrilha
Cura ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
tros.
Tnico
Conserva e limpa os cabellos.
Plalas catirticas.
Puramente vegetaes e sem mercurio, cura se-
z5es, curam e purificara todo o systeina humano
Vende-se efectivamente em casa ne Samuel P
hnston A C.,rua da Sanzalla Nova n. 42.
ATTENCAO
Pornece-se comida.- com muito asseio para casa
de familia, loja ou alguma officina, mandando-se
buscar, ou mesmo levar em casa de seus donos ;
na mesma casa recebe-se roupa para lavar e en-
gommar tudo por prego commodo : na travessa da
ra dos Pires n. 5.
OJabaixo assignado, ex-esrrivo da irmandade
do Senhor Bom Jezus das Dores era S. Goncalo
desta cidade, no anno de 1867 a 1868, tendo'ex-
ttanido diversas patentes a pedido do thesoureiro
daquelle anno, Joao Manoel Lino da Rocha, e ten-
do ciencia das respectivas patentes a mesa rege-
dora do anno cima mencionado, o ex< escrivo
deixou de aorif os competentes assentos, visto que
perguntou ao thosoureiro Lino da Rocha por di-
versas vezes se tinha bu nao recebido as joias das
respectivas patentes, e a resposta daquelle thesou-
reiro era nos seguintes termos : nao tenho que lbe
dar satisfacao alguma a este respeito, que o res-
ponsavel para a irmandade sou eu como thesourei-
ro ; e assim foram-se passando mezes at que
chegou occasiao de dar posse nova administra-
cao ; o abiixo assignado tendo a sua consciencia
tranquilla de haver fielmente cumprilo os seus
deveres e ter prestado as suas contas legalmentc,
apresen^GU urna relaco de todas as patentes, que
foram extrahidas a pedido do thesoureiro Lino da
Rocha, declarando as razos como consta aos ter-
mos de nao ter abert) os assentos no livro compe-
tente, do que ficou aquella administraco sciente ;
mas acontece que a digna administraco actual
quer confundir esta verdade lio visivelmente es-
clarecida ; mas querendo o abaixo a-signado jus-
lificar-se perante o respeitavel publico e es seus
muito dignos e respeitaveis irmaos da irmandade
cima declarada ; pede a todas as pessoas abaixo
declaradas, que se acham de posse de patentes
passadas no anno de 1867 a 1858, que se dignein
declarar por este Diario a pessoa a quem entrega-
rara a quantia de 203, joia de suas respectiva!
patentes, assim como se deixaram de papar ; cu
se dirijam digna administraco actual, e taca-itie
sciente pessoa que receheu a mencionada qun-
ta, alim de que ella seja justiceira e de a wsai
o que de Cesar, e a Deu-o que de Deus; cuj?.
relacao consta das seguintes pessoas :
Augusto Cyriaco Villas Boas.
D. Luiza Mara do Espirito Santo. -
Arcino de Olivera Gma.
D. Balbina Leopoldina dos Simios.
Basilio Jos da Hora.
D. Claudina Alexandrina de Jezus.
D. Germana Mara do Uframento.
D. Joaquina de Miranda Castro e Silva.
D. Joaquina Candida da Conceico.
D. Mara da Penha S.
D. Hara Archanja Campelio.
Manoel Rodrigues Camposj
D. Mara Joaquina da Conc^i^ao.
Ponciana Canuto de Luna.
D. Ropera Mara de AlmeidaN
.Ricardo Manoel da Paz.
D. Valeriana Ignacia Santiago.
Manoel Antonio Santiago Lessa.
Jos Ignacio Ribeiro lir.s.
Leandro Rodrigues de Rarros.
Virissimo Fragoso da Silva.
Recife 8 de junho de 1S70.
Francisco de Araujo Caldas Lim >.
Attenpao
Xa ra Duque de Caxias n. 63, loja da bonan-
5, vende-se sortes de Santo Antonio, por precos
commodos, em porciio far abatimento no preco :
venbam freguezes antes que se acabem.
AMA
Precisa-se de urna ama para servico de dontro
e fra de casa de pouca familia, prefere-se escra-
va e paga-se bem agradando: na ra Velha nu-
mero 66.
Dividendo
Paga-se o 3* dividendo da massa fallida de
Amorim, Pragoso, Sanios & C ,a rasilo de 3 0|0,
no escriptorio da ra do Vigario n. 13, Io andar,
as tercas e sextas feiras das 11 horas da manha
a 1 da tarde.
Aoseoioo-se ao dia 10 do corrente
do sitio das Almas, um moleque de idade
de 10 anuos, de mme Marcos, e sendo
procurado e nao o tivesse delle noticia at
Santo Amaro, e qoe nao se tendo encontra-
do pede-se as autoridades policiaes a sua
captara,on a qualquer pessoa particular, qae
entregando-o no referido sitio sero gene-
rosamente recom pensados.______________
ENGLISH BANK OP RIO DE JANEIRO
LIMITED.
0 abaixo assignado tendo de retirarse para a
Estepa no prximo vafor inglez, declara que os
negocias deste banco serio dirigidos durante a
sua ausencia pelos Srs. Joseph S. Kamnley e
Lessels Senderson como gerentes interinos.
F. B. Bloxham,
Gereate.
ATTENCAO
l'ma pessoa que vai provincia da Baha efle-
rece se para tratar de qualquer negocie, dando
fiador : appareca na ra de Hortas n. 94.
Roga-se a pessoa que. na tarde de 5 do cor-
rente, aehou no cemiterio publico urna caixa de
rape, de tartaruga prela com firma de ouro, de
leva-la a fortaleza das Cinco-Pontas que ser lem
gratificada na razao do valor, e se afguem a com-
proa d-se-lhe o seu dinheiro sem mais proroe-
nores, visto possoir-se dita caixa como memoria
de um amigo fallecido.
Engommado,
Na ra da Imperatrz n. 88, 3o andar,
defronte da matriz, engomma-se roupa para
algom collegio de meninos.
Alma
Procisa-se de una am i qae auinhe : na roa do
Queimado a 12,1* andar.
Padaria.
Era que se offereee sociedade a tima pessoa que
esteja, habilitada para a sua administraco, e tum-
bem se lh cede a casa, se assim convier a am-
bos : a tratar no caes da alfandega n. 3.
Atte^ao
Na reilnicio darua do Rangel n. 43 precisii-se
da trabajbr,dores paraba mesma.
Precisa-se de um feitor que entenda de hur-
ta e jardim : tratar na ra da Cruz, armazem
n. 49._________________________________
Preci>a-se de urna ama de meia idade para
comprar e cozinhar perfeitamente : na ra das
Cruzes n. 36, armazem, se dir quem precisa.
ATTENCAO
9
Tendo sido publicado no Diario de 6 do corre-
te um annuncio em que se pedia a capuira de
urna mulata de nome Sophia, escrava da Exma.
Sra. D. Maria Thereza da Fonseca Cunha, recom-
mendando-se a entrega da mesma em casa do Sr.
Jos Carneiro da Canha, e tendo sido essa escra-
va de dita senhora que por acto de sua livre von-
tade me concedeu carta de manumisso aos cinco
dias do mez de novembro de 1867, a qual se acha
registrada em um dos livros de notas do tabellio
S, para evitar engaos da pane de alguera e prin-
ciplmcite do Sr. Jos Carneiro da Cunha, venbo
declarar, que actualmente resido na ra da Santa
Cruz n. 17, na freguezia da Boa-vista, e que a
mim se nao pode referir dito annuncio, nao ol-
anle haver me retirado da casa de minha patro-
na, pelo que protesto contra qualquer alintalo
que porveniura pessoas que me sao desafectas
queir.m fazer a minha liberdade. Recife 9 de ju-
nho de 1970.
Sophia (a liberta).
O Sr. Jos Claudio ubeux faca favor de trazei
o objecto que levou amostra da ra do Queima-
do n. 7.________________________________
Irmandade do Divino Espirito Santo da
igreja do Collegio,
De ordem do nosso irmao juiz convido lodos
os notaos irmaos para assistirem ao officio paro-
enial que, de conformidae com o comproraisse,
ser celebrado no dia 14 do corrente pelas 7 ho-
ras da manha.
No dia 19 baver memento e missas pela alma
do fallecido irmao Jos Ferreira da Silva Maga-
Ihes, para cujos actos sao convidados o testameo-
teiro e amigos do mesm? finado.
No dia 17 do mesmo mez hav,;r missa com
memento pela alma do irmao Sebastio Jos Go-
mes Pessoa ; e para este aete sao convidados m
prenles e amigos d'este finado.
O escrivo,
______Luiz Eptpkauto Miiuvicea.
Oozinheiro .
Precisa-se de um cozinheiro ou cozinheira para,
casa de homem solteiro : a tratar na ra do Quei-
mado n. 1, loja da esquina.
AVISO
O Sr. Joaquim de Siqueira Cavalcanti pede-me
que declare a sen irmao Francisco de Siqueira Ca-
valcanti, tenante honorario de exerciio, chegado
ltimamente dos campos do Paraguay, qae elle se
acha presentemente residindo na illa do Aqniraz,
provincia do Cear, onde espera abraca-lo, faien-
4o votos pell sai feliz ebegada asa trra natal.
Octavio Affanso ie MeUo.
1


* *
I
Diario de l*emanibuco Segunda feira 13 de junli de 1870.
AlM.
Precisa-se da urna ama par coziabar : Da rna
da Senzala-velha n. 8s.
9
Acaba de cheg
artigos abaixo mencionados
.Ol
i. 7-*l jih; 7
de cbegar a este estabelecimento novas factura com important
precos oimai resumidos qoe possivd.
mporiante sortimento dos

FOGO CHIREZ DE SALDES
Para os festejos de Santo Antonio e S. Joo
Grande variedade distes lindos roguinhes de artificio chinez, de vista de cores e effeitos ma-
gnficos de sorpeheoder, fabricados propriamente para salScs e serem soltados per meninos e me-
ninas sem o menor receio de serem ofrendidos. '
_ BALLES aereostaticos
Estas interesantes bote de papel de seda de cores feitos na China, com 6, 8 e 10 pal-
mos de altara, milito elegantes e facis de subir cora espirito de vinho. oodem ser soltados das
varandas. *
PAPE!* PARA ENFEITAR BOLLOS
Papel rendado muito bonito de diversas larguras para enfeitar bollos de S. Joao, precos
*" LUYAS DE PELLICA
Do afamado fabricante Jouvin.
Sorliment completo de brancase de cores, muito bas de seescolher, em quanto estao bem
frescas e sortidas.
Para acabara e meninas.
Bolinas pretas, brancas e de mollas onlras cbem sortidas e bonitas, do ultimo gosto da
AMHIffiHVir
Imperio do Brasil.
Grande expsito na cidade de
Cordova,
BEPBLICA ARGEITIHA.
No da 15 do outubro de 1870 ter lu-
gar a abertura da exposicao nacional em
Cordova.
Previne-se, portante, a todos os produc-
tores, agricultores, fabricantes, artistas e a
lodos aquellos que eierfam qualquer indus
tria, que pa dita expsito se recebem todcs
os productos da industria e agricultura
brasileira, assim como todas as machinas e
utensilios que quizerem remeiter.
Estes productos stao isentos dos direitos
da alfandega na Repblica Argentina e p-
delo ser dirigidos cidade ao Rosario, de
onde serlo tranportados pelo caminho de
ferro central.
Para mais explicac5es dirijam-se em Per-
aambuco, ra da Cruz n. 3, ao consulado
argentino.
As
Precisa-se de ura copeiro : no hotej de Fran-
ca, ra do Commercio n. 11.
" "Ts :-------------------------r
rrecisa-se
de urna rnulher livre para cozinhar em casa de f.i-
milia, paga-se bem : quera pretender diriji-se
ra do Torres n. 4S.
segumies ooras
Mnie annos depois, ou tres mosqueteiros,
por A. Domas, 11 vol. ene. por 150000;
,tir9*m *> mosteiro, ? as memorias de R>*
chelteu, por Jo? Victorino, ambos encader-
nados em um so vol. por 3,5000," Colas
cont suisso, ene. 1 vol. por IfiOQO. Canto
dalvorada. poesas porM. da Rocha, 1 vol.
ene. por 3.J0OO. Flores sirtgetas, por Paes
de Andrade. Ultimas paginas, porP.de
Calasans. lUuaSes perdidas, por C: de
Azevedo, tndo encadenado em um s vo-
Inme, por 8.5000. jovita a voluntaria dt
marte por J. C, e Alberto, scenas de um ro-
mance, por J. Candido, ambos ene. em s
vol. por 3(5000. Palmyra, ceguinhabra-
silera, romance em 7 cantos por Dr. Boni-
facio de Abreu, ene. em um s vol por 5#.
0 cavalheiro d'Harmental por A Dumas, 4
vol. encadernaflos, por 100000.
Tambem vende-se as colleccSes de leis
provinciaes faltando apenas 3 anuos, por
200000, tendo 27 vol. me brocbora, tam-
bero tem outras obras que a vista se mos-
trarlo, e qne tudo se vende por preco em
conta. Quem quizer dirija-se a esta typogra-
pbia que se dir quem vende.
No armasem do Sr. Antonio Annes Jacome ven-
. ;r outra par-
38, arfoazem de
de-se mais barato dq que eui qualiiuei
te : a tratar na ra da Cruz n. 3'
Meills Lathan dt C.
Vende-se a casa terrea n. H. em chlos riro-
prios, sita em 01 inda ra no oito do Amparo,
com 4 quartos, corredor ao meio e duas salas : a
ratar no 1 andar n. 5 ra da Cadeia do Recife.
ilH fIR
NA
Loja ingleza.
60Passeio Publico_60
que i
ll
a 580 e
gosto a 100 o
moda.
BOTIY i N, BOTAS E PE* EIRAS
Har horneas e meninos.
Botinas de biierro, cordavao, lustro e pellica, bulas russana? de bizarro e de lustro, per-
neirss de lustro tanto para homens como para meninos.
as Antonio Nunes Beiro de Rezende retira-se
para Portugal.
Allugam-se duas excellentes escravas para
cozinbar e engommar em casa de ponca familia :
quem precisar dirija-se em Santo Amaro ao sobra-
do junto do cemiterio inplez.
Ama
Precisa-se de urna ama para casa de pouca fa-
milia na ra do Crespo n. 18. segundo andar.
Sapatos
sapatos de borracha para homens, senhoras e meninos, sapatos de invern para homens,
ditos de lustro com salto para homens, ditos de pete aveludado, de casemira e de tranca fran-
ceres e portugueses para homen?, para senhoras e para meninos.
PERFUMARAS
Finos extractos, banha?, oleo?, agua divina, de cologne, de lavande, e de florida, tintura
para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de arroz e saboneles.
Quinquilharias
E pelhos grandes e pequeos, leques, albuns e caxilhos para retratos, esterioscopes com
bellas vistas escolhidas, bengallas, chicotes, correntes de plaqu para relwgios, grvalas, oculos,
luneta, caixinhas de costura ornadas com msicas, photographas. magieas, colTresinhos mgicos
para desapparecer anneis, ditos ditos para relogios, jogos de domin, bagatalla, rdelos, e outros
muitos jogumhiu francezes e alleme*, jarros com bouquets de llores de porcelanas para san-
tuarios, cestinhas diversas para braco de meninas, objectos de phantasia dourados para toiletes, ri-
cas escovas para cabello, para vestidos de senhora, para chapeos e para barba, ponteiras de espuma
para cigarros e para charutos, abat-jur para candieiros a gaz e para lanternas de piano, caixinhas de
msica de dar-se corda, ps de vidro para pianos, realejos grandes e pequeos, accordions, cosmo-
rama3 com as mais importantes vista*, molduras douradas para quadros, bonitas estampas de pai-
zagens, de figuras e de santos, carrinhos de 3 e de 4 radas para conduzir meninos a passeios, ma-
las e boleas para vijgens, bercos de vimes os mais cummodos que ha para criancas.
Para este artigo nao ha espaco nem lempo para a mascante leitura da infinidade ds gene-
ue bnnquedos fabricados em diversos paizes da Europa.
AF/iA.
Pechincha
No pateo do Carmo n. 9, armazem do
Ribeiro.
Manteiga ingleza a 900, iiOO e 1500 a libra.
Dita franceza a 720 rs. a libra.
Cha perola o que ha de melhor a U e 3200
a libra.
Dito bysson a 3 a Itbra.
Queijos flamengos novos a 2$i00.
Velas de espermacete a 700 rs, a libra.
Engenho.
Precisa-se de urna ama forra ou escrava de
meia idade : a tratar na na do Duque de Caxias,
anliga ra do Queimado n. 69.
Precisa-se de nm cafxeiro
ra Augusta n. 13.
na taberna da
ros
ATTENCAO
O dono deste estabelecimento pede ao publico em geral que continu a
licando a3 qualidades e os precos baratas de ditos objectos por serem vindos em
conta propria.
visila-lo veri-
direitura e de
CABELLEIREIRO FRANCEZ
51Ra da Cadeia do Eecife51
Chama a attenco dos seus innmeros freguezes, e do respeitavel publico e
geral, para a seguinte tabella dos precos de sua casa, os qua&s s5o vinte por centi
mais barato do que em outra qualquer parte:
COMPRAS.
0 muzeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 compra-se onro, prata
i pedras preciosas por precos ma9 vantajosos do
rae em outra qualquer parte.
Vende-se o engenho Ribeirao da freguezia de
banto Antao, situado pouco mais de urna legoa
da esirada da Victoria, de trras muito producti-
vas, podendo safrejar para mais de 2,030 pes an-
nuaes, com bom cercado feito todo de vallados, e
muito boas obra3; o engenho d'agoa e est
moente e corrente : quem pretender este negocio,
dirija-se ao mesmo engenho, ou ra da Concor-
dia n. 13.
Neste grande estabelecimento encontrar o res-
peitavel publico um grande sortimemo de fazen-
aas ae todas as qualidades, sendo mglezas e frarv-
ceias que se vender por muito menos do que em
outra qualqusr par-e. H
COMO SEJAM :
C S? esSfM e claras- flnas d crw nxa a 240
260 e 280 o covado.
Cambraias de cores, padrSes moderno?
320 o covado.
Lazinhas muito fina?, padrSes de
covado.
Madapoloes finos de 4000 para cima
Algodo tranco a 3 e 4j.
Cortes de fusfio para caiga a 14.
Ditos de brim pardo a i$, l200e liSOO.
Ditos de oasemira preu a 9J0Q0
Calcas, paletots e colleles de tedas as qualidades
e precos.
Na loja ingleza do Passeio Publico.
Laa de canna.
Vende-se taa de canna bem secca por prei;o com-
modo, phosphoros do gaz a 280 a duzia : no pateo
ao Urmo, esquina da ra de Horta, armazem
numero 2.
Farlnha de nandloca.
Ha para vender boa farinha de mandioca, en-
saccada, ou agranel, ehegada recentemente de
Santa Camarina bordo do brigue sueco Olaui,
que se acha fundeado em frente do trapiche Ba-
rao do Livramento ; seus consignatarios Amorim
Irmos & C, ra da Cruz n. 3.
Vende-se
II
ESCRATO.
Compram-se e vendem-se diariamente para iora
dentro da provincia escravos de todas as idades,
iores e sexos, com tanto que sejain sadios: no
erceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cruzes,
'reguezia de Santo Antonio.
Com muito maior vantagem compram-se
ouro, prata e pedras preciosas e a obras velhas: na
loja de joias do Co.-acao de Ouro n. 2 D, ra do
Cabug._______________
Compra-se urna casa terrea boa, situada era
Santo Antonio ou Boa-vista : na ra da Florenti-
na n. 6.
Compra-se ama casa terrea, ni .reguezia de
Santo Antonio : tratar no-arco da Conceicao nu-
mero 6.
Comprase por todo preco, o interessante ro-
mance de Octave Feuillet, intitulado Joaquim
Dick ou o batedor de estrada, o qual fe i ha tem-
pos publicado no folhelim do Diario de Pernam-
buco, cuja colleceao tambera se compra : tratar
na ruado Crespo n. 19 loja de fazendw.
Compram-se 3 pipas de mel de fnro era bar-
ris, dando o anuuncianie os cascos : na ra Nova
de Santa Rita (ribeira do peixe) armazem n. 19.
VENDAS.
Ps de roseiras de varias qualidades, de eravei-
ros, de-9apoti?, de figueiras, de abacates, de pi-
nheiros, de palmeiras, de laranja cravo, por ba-
rato preco : tratar na Boa-vista, ra do Mon-
dego n. Si.
Vende-se por metade do seu valor um terreno
foreiro, onde se acha edificada parte da cidade
do Rio Formoso ; e aluga-se, ou vndese o so-
brado n. 21 sito na ra de S. Pedro Martyr de
O'inda : tratar na ra do Imperadora. 30.
Farinha de mandioca
igual a de ir/uribeca.
Em saceos de dous alqueires e de panno de
algodo, cuja medida corresponde de 5 a 8 0[0
mais do que a medida daqui e do Rio de Janeiro,
vende-se a preco menor do que em qualquer ou-
tra prtete : tratar com Joaquim Jos Goncal-
ves Beltro, em seu esenptorio a ra do Commer-
cio n. 17.
A 5^000
Madapolo encorpado proprio para saias e len-
coes, pecas cora 20 varas, por S : na ra do
Crespo n. 25, loja da esquina.
Vende-se nma escrava de 23 annos de ida-
de, cozinha o ordinario de nma casa, tem princi-
pio de engomma lo, lava muito bem, sadia e nao
tem vicios : na ra do Pires, sobrado n. 27.
FOGOS,
A 5^5000
Vtnde-se botinas de cores para senhora?, pelo
diminuto preco de cinco mil reis o par, sao cores
muito bonitas, obra bem feita : venham a ra da
Cadeia n. 30 A, loja de miudezas, defronte da ra
Ja Madre de Deus.
Cavallo.
Na eccheira da ra de Santo Amaro n. I ven-
de-se um excellente cavado de cabriole!.
Fazendas
Cabelleiras para senhoras a L25f,
30& 35 e......40,5000
Ditas para bornea a 355, 40:$ e
Coques a i/5, I5& 18& 200,
m, 306 e.....
Crescentes a \t&, 15$, 185, 20&
255, 305 e .....
Cachos ou crespos a 35, 1$,
"W, 75, 85, 93 e. .
TraDca de cabello para annel a
500 e...... .
Tranca para braceletes a 105,
155, 05, 25 e.....
Cadeias para relogio a 55, 65,
75, 85, 95, 12* e. .
Corte de cabello,
>S,
505000
505000 ,
Corte de cabello com riecao. .
325000 Corte de cabello com lavagem a
champou......
jqoqqq! Corte de cabello com limpez da
cabega pela machina elctri-
ca, nica em Pernambuco. .
Frisado ingleza ou franceza.
305000 Rarba. ,......
15000
i5500
50
50f
i 001
1500*
501
2
SIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Bailes e soires
O deno do estabelecimento previne s I Recommenda-se a superior TINTURA JA
Eimas. Sras. e aos cavalheiros que ba um PONEZA para enegrecer os cabellos e bar
wllopara tintura dos cabellos e barba, as-lba' unica admittida na ExposicJo Universa!
como n5o prejudicial. sade, por ser vo<
tim como um empregado sement oceupa- lalil, analysada e approvada pelas acade
do nesse servico. mas de sciencias de PARS E LONDRES
mmmmmmmm hmmswrs mmssxiiMa ;
a a-a o. <> Mr-,
'Pliaulaniasgofia!!!...
0 Campos da rua do Iaiperador n. 28
recebeu da corte fe vende em seu estabe-
cimento deferentes fogos proprios para sa-
loes : seo inteiras navidades tiesta pro-
vincia .
Ainda vende queijos a 25300, sao os me-
lhores que ha no mercado, sao os mais ten-
ros e frescos.
Tambetn vende pescada a 300 rs, li-
bra
TUDO NOARM'ZEM DO CAMPOS.
Bantos ts.ravos
Vendem-se quatro escravas que sabem com per-
fecao todo o servido de ama casa, urna mulata
da 18 aunoa com um lindo filhinho, urna linda mu-
la tinha de 12 annos, um bom eneravo carreiro, um
dito meure ferreiro, um dito para todo servico :
na travessa do Carmo n. 1.
Formas de ferro
Para purgar assucar, vende-se a commodo preco :
na rua da Cadeia n. 4, armazem de S. Barroca.
2. a-S a
3. =r. 2
W O ts 3 "Z'
Z2B "* T g 3 X
u o T3 o
-cd s-o a
^9^5:
B
2 ""
S
-, t o o ^
ftSa.a.2!
~<
CE

S s ST. ?-
S 3-s5.ia-
83 S-sS*!;
&C "O-g O o
S:2-o n o-=2.
S 9 o T I
C-gg"'
p5.g,S',So
jo
> 3 2. a
3

A13OOO
Saceos grandes com superior feijo mulatinho :
no escripiorio<:e Jos Joaquim Lima Bairo, a rua
do Vigario n. 27.
loque
do Quei-
oiu pequeo
de avaria.
Rua do Duque de Caxias, antigaraente
mado n. 17.
Madapolo fino a 6jl a peca, cambraias de cores
lindos padrocs a 240 rs o covado, cortes de ves-
tidos de percalles com grande numero de covados
e de duas saias a 4300 o corte, chales de merino
estampados a 4J500, saias de madapolo tendo
apenas defeito pequeo a 3J300, e baloes de ma-
dapolo dos amigos, mas que a santa economa os
recommenda, a H I Offerece se amostras.
Vidros para vidracas de. todos os tamanhos
e ero caixas, venJo Bartholomeu & C, em sua
pharmacia na rua larga do Rosario n. 34.
Manto Antonio, S. Joao e S.
Pedro
Limalha de ferro em vidros muito nova.
Dita de ac em vidros muito nova.
Dita de agu ha de Len muito nova.
Enxofre em tubos.
Salitre refinado de 1 qualidade.
E todas as demals preparacoes para fogos ar-
tiliciaes: vende se na pharmacia e drogara de
Bartholomeu 4 C. na rua larga do Rosario n. 34.
Para *anto Antonio
s. Joo
v Pedro.
Grande deposito de fogos artificiaes para os M-
uedos de senhoras e enancas nos das de Sant i
Antonio, S. Joai e S. Pedro, a s-bcr: pistolas
brancas de 3, 4, 5" e 6 balas.ditas coloridas de 3. 4,
o e 6 balas, rodinhas brancas e cloridas fontanas,
craveiros, chafarizes em nonio pequeo, rodlnhas
com illuminacao colonias, fogos de bengala.fogos
do ar de 1 e 3 bomba*, ditos de btmba real, tan-
ques chinezes, balSeszinhos de 3 e 4 palmos, pro-
prios para soitar em varanda com espirito de vi-
nho ou mesmo gaz, alem de outro maior sortimen
to que s com a vista do comprador : na rua Di
reita n. 53, loja de Lenidas Tito Lourciro, antga
loja do Braga.
VIVA S. JOO
Rua Direita n. 53.
Completo sortimento de facas e garfos de ba'an-
co de 1 e 2 botoes, bandejas chinezas com lindos
esmaltes, culheres de metal de principe para cha
e sopa, trens para cuzinha, salitre, breu, barbante,
enxofre e papel, alem de um completo sorumento
de ferragens, miudezas, cutihleirias, maeh nas pa-
ra descarocar algodo, moinh.is paia caf, etc.,
tudo por menos preco do que em oulra qualquer
parle : na rua Direita n. .-.'I, loja do Lenidas Tito
Lonreiro. amiga lof.-i do Braga.
Rival sem segundo,
RUA duqi i:dk cax
(Miga na do Oueimado)
Contina a vender tudo muito bom
muito barato a saber :
Quadernos de papel pequeo a. .
Libras de areia prela muito boo. .
Tesouras finas para unlias e co tu-
ra a.......
Papis de agulhas francesas t ba-
ilo a........
Caixas com seis saboneles de fruta
Libras de lia para bordar de tod-s
as cores a .....
Caivetes finos para aparar penas
lapis a 500. 1 e.....
Carriieis de linha Ahxandre '.
Frascos com azeite pra machinas
Grvalas de cores muito finas a .
Grozas de boles madepeisla 1-
nissimos a.......
Pares de luvas de cores muito li-
nas a 30 e.......
Novello de linha de 400 jardas a.
Caixas com 100 envelopts muito
superiores a......
Pentes volteados para meninas a.
Tntenos com tinta prela a 80 rs. e
Pecas de fita elstica muito fina a
Lata com superior banha a loo e.
Frascos de oleo Philocomo muito
fino a.........
Ditos ditos dito grande a. .
Frascos de macaca perola a. .
Frascos de extracto muito b nitos a
Duzia de sabonetes muilo fino a.
Saboneles inglezes a 000 rs. e. .'
Frasco com agua decolcnia Pivera
Dito de oleo babaza a.....
Caixas de lamparillas a. .
Sabonetes a forma menino muito
superiores a....... go
Cartilhas da doutrina fazenda nova a
Libras de linha sortidas de todos os
nmeros a.......
Duzia de pomada do Porto muito
superior a.......
Babados do Porto, largos a IGOe
Capadlos muilo bonitos e grandes a
Carriteis de relroz preto, com
oitavas a........
Agulheiros de osso enfettadoo a, .
Libra de linha franceza superior
qualidade a.......20400
Caixas de pauto do gaz a. 0
Canecas de cera muito' bonitas de
500 rs. .........2*1000
I A* X. 49
1
10
800
60
15000
611000
1 500
100
oOO
500
500
500
00
(CO
240
100
200
200
500
1*5000
240
o'JO
70
iioe
too
o
400
1800
--
iO
700
640
2*0
TTENCO
Em casa de Mills Latham & C. rua da Cruz
n. 38. vend-se gabao inglez de diversas qualida-
des.
Luvas.
Chegou pelo' vapor francez, um grande sorti-
memo de luvas de pellica de Jouvin, brancas
pretas e de cores. Em casa de Andr Delsuc, ca-
belleireiro, rua do Primeiro de marco n. 7, Io an-
dar.
Terrenos
M9\i vmm mmmm
nico deposito
Rua do Vigurt n. ) 1, sbralo.
Veude-se com abatiraento, autorisado pelo fabri-
cante, o rap lino, assim como ha para vender o
vinagrinho, viajado, e meio grosao
Farinha d", mandioca
Vende-se um terreno na rua de Luiz do Reg,
em Santo Amaro, com 300 palmos de frente e 6i0
I de fundo, com urna casa terrea edificada no mes-
quera o pretender, denjase a rua
Nova n ii, que achara com quem tratar.
REDES
Loja da Bella-vista, rua da Emperatriz n. 13 A.
Nesle novo estabelecimento vende-se por baratis-
simo preco um granie sortimento de redes de to-
can vinda* do Para.
CORTES D SEDA
O Cysne rua d Emperatriz n. 6i, acaba de re-
ceber pelo ultimo vaper lindos e modernos cortes
de vestidos de seda pretos e de cores, lisos e mati-
sados, os quaes vende por precos mdicos.
Calcados baratos.
Vende-se sapatos de tranca de Lisboa para ho-
mens e senhoras a 3000 a duzia, e a 2200 o
par, garntese a boa qualidade : na rua do Du-
que de Caxias n. II.
e milhu
chegado ltimamente do Ro de Janeiro, em saceos
grandes, e mais baratos que em outra qualquer
parle : trata-se no trapiche Fontes.
Vende-se a taberna da rua do Santo Cruz
n. 74, com poucos fundos propria para um prin-
cipiante : tratar na mesma, e lera commodos
para familia.
A tteriQo
Vendem-se ou trocam-se por casas nesta praca
ou meimo por sitio peno da cidade duas bareacas
de lote de 30 caixas, bem apparalhadas e promp-
ta* navegando : a trajar na rua do Passeio nu-
mero 56.
Farinha de mandioca
Chegadas ltimamente do Rio de Janei-
ro, em saceos grandes e mais baratos que
em outra qualquer parte: trata se na rua
do Vigario b.1H' andar.
Antonio Jos Sarment de Bcnevides e seu ir-
mao Loiz Jos de S Benevides, moradores e nego-
ciantes establecidos com loja de fazenda na rua
do Commercio da cidade de Souza, provincia da
Parahyba do Norte, fazem cente ao respeitavel
publiea e especialmente ao eorpo do commercio
das pracas do Reeife, do Cear. que de hoje em
dianie se acbam assoeiados e mutuamente obriga-
dos perdas e ganbos, coniratoe> obrigacoes ten-
dentes mesma sociedad, que gyrar sob a firma
Sartnento de Benevides & Ermo. ChJade de Sou-
za l de maio de 1870.
Farinha a 6*000
7ende-se na rna da Praia, taberna n. 43, saceos
com farinha de mandioca da Ierra com o neto de
21 killos por 6J000.- *."F o pe ae
A economa das fa-
milias.
Acaba de abrir-se de novo a loja e armazem da
Arara, na rua da Imperatriz n. 7J, que tendo con-
cluido lodos os seus negocios commerciaes ; ago-
ra vai fazer ama liquidacao de todas as snas fa-
zendas sem reserva de precos, com o nm de
liquidar ; por isso se convida a todas as familas
para mandar ver as amostras de todas as fazendas
para ver as qualidades.
A SABER :
Alpacas de cores para vestido?, sedas de cores,
atoalhado de linho, bramante de lnho, organd de
cores, cassas francezas flnas a 240 o covado, chi-
tas francezas escuras e claras a 40, 280 e 320,
grosdenaplos pretos de todas as qualidades, fil
braoco lito e lavrado, brim pardo a 300 o metro,
brim branco de lnho fino, gangas para calca a
320 o covado, castor para calca a 160 o covado,
casemlras pretas par calcas, pao fino preto de
todas as qualidades, casemlras de cores, ronpas
fetas de todas as qualidade*, paletots de ganga a
24000, ditos de brim a 2*000, ditos de alpaca a
2#000, algodo a 4JC0O a pessi, madapolo a
5|, eobertas de chita a 14, cobertores de algodio
a 1/400 e oatra mnita? fazenda que se venden
sera reserva de precos. para liquidar.
Na frepte da leja ter dous letreiros com letras
encartadas ea qne diz liquidadlo., que principiar
Yeade-se. ba* fannha de nonoioca era sao-
cos cora dous alqueires, e cofia do Rio-Grande do
Sul. no esenptorio de Jos Victorino de Rezende
\ C. ; i rna da Cadeia n. 52.
N07IDADES.
Chegaram rua Primeiro de Marco n. 8, loja
de Vieira Guimaraes & C. s segrate.*, vindas pelo
vapor Gironde :
Ricos cortes de seda lisos e matisados.
Superiores casacos de faia pretos.
Chapeos de seda de cores para senhoras som-
brinhos) bordados e lisos.
Veludo preto e de cores de dfferenies quali-
dades.
Faia preu e branca, lavrada e lisa.
Ricas saias bordadas, brancas e de core;.
Precalias, cambraias, brigantinas e fuMoes de
cores modernas.
Leques brancos e de madera pretos.
GRANDE PECHINCHA
N.30 RUA DO IMPERADOR N.-30
Ao ourtves.
Facas e garfos com cabo de parta, o par
3^000.
Brincos de'coral a i&, 4)5,60 e 185.'
D tos de fantasa, obras dn gosto 8I000-
Pulsiiras para meninas 105000.
Ditas com esmeraldas e bnlhaiites.
Rozetas de ouro de 18 quilates a 25 e
104000.
Ricos brincos pretos para lulo a 8# e
164000.
Cacoletascom inscripto (amizade. sauda-
de e lembranga.)
Anneis couj pedras, para meninas, a 24
eiOOO.
Na mesma casa troca-see compra-se ouro
velbo e pedras preciosas, tambem concei
ta-se leques de qualquer fabrico.
A MI
A fuadoDuqaede08xisn21.
(ANTIGA RA 0 (OEMABG)
Nao foi stm fundamento que a NOVA
ESPERANZA tem deizado de fczer os sei*
annuncios, a razao simples, ella enteadt
que tudo em demasa bornee... por :?o
como ja tinha dito e scientticado ;i sua boa
freguezia o que coBSiaotemente ia reetben-
do, ou livesse feito mollas ezes, receieu
tornar-se massaate, assim pas recolbeu-te
um pocco ao silencio, mas nunca defraudo
d'ea pregar os verdaderos esforeos, j con-
tralando maior numero de correspondentes
na Europa, j descobrmdo hjectos do mais
parado gosto e rioa'.meole assignando>:
Jornal das Familias, o nual vera sempre
ornado com figtu inos, modernos moldes para
vestidos etc.. ele. para dena forma meihor
seivir a soacoiisianiefrepuezia; e com es-
pectalidade ao bello seso, qtun a NOVA
ESPERANCA ufanase em offerecer-lhe
seus servicos, apressando-se desde em
declarar que tem reeebido uiiimaniente
eolremeis o babados bordados transparen-
tes e lapados, chaposinhos de setim para
baptisados.
Finas toucas de cambraia bordada para
o mesmo fim.
Meiasde seda e Do de escocia para enan-
cas.
Dedaes d'osso, marim, ac e madrepe-
rola.
ptimas navalhas, aliadores c rtassa para
as mesetas.
Finas esponjas para o rosto e para ba-
nhos.
Bonitos sapatiobos com birjueira, sen lo
com sal para meuiuus a utvumas de dis
a doze aiii.iis.
Boas lentes com cinco oielimetros, para
contar-se os 6os de qualquer fazeoda.
Tesouras para frisar \-estidos.
Carretas para liiar moldes de vestidos.
Mollas para segurar costuras.
Bonitos lioleiros de novos moldes,
Meias.de laa para homens e senhoras.
Finas e bonitas ligas para meias.
Fil de linho e de seda, sendo preto
braoco, liso e de salpicos, e outros muitos
objectos expostos a venda rua Doqi;
de Casias n. 21, na NOVA ESPERANCA.
SabSo d'alcatro.
Vende-se na rua Duque de Caxiasn. 21.
PARA LUTO.
Brincos, broches, voltas, pubeiras, fivel-
las, (entes, botSes para puLhos e cadeias
para relogios.
A NOVA ESPERANCA, querendo satisfe-
zer sua fregueiia, nosmente em objectos
d'alegria ou de luxo, quer tambero acom-
panhar aquelles, que infelizmente perdenda
alguem de sua familia, ou afuera de sua
amizade, precisam de taes objectos, assim
pois a NOVA ESPEBANCA, mandou viro
que ba de melhor neste genero, porque
sendo taes objectos de cor negra, sendo
de m qualidade, nao somente tornam-se
tristes como at repugnantes, o que dSo
acootesce aos da NOVA ESPERANCA. por
que apenas exprime o sentimento pela cor
porem como que traz um lenitivo pelo gosto
e perfeico com que taes objectos s3o Ira-
bal hados.
GRANDE NOVIDADE
PARA AS NOUTES
0K
Baato Antonio H. Jo5o e H. Pedro
Grande sortimento de fogos artiliciaes
nunca vistds nesta provincia, nSo s por
serem de paiz estrangeiro, como tambem
por serem todos de novas espe:ialidades,
como sejam para soltar-se sobr'agua etc.
Acham-se venda na rua Nova n. 20 na
bem conhecida e acreditada loja de Almei-
da A Vianna,
Vende-se una casa de taipa, na baixa do
Zumb, (Torre) em solo rendeiro : tratar na rna
Imperial n. 233.
Joaquim Rodrigues Ta- g
vares de Mello, |
Pra TEM PARA VENDER :
Cal de Lisboa.
Potassa paRussia, S
Vinho Bordeaux. 0
Fai ello d^ Lisboa. ^
Parlaba de nasndloea 0
00000 ^rn^mm
vendem-se 12 escravos, sendo a pretos de W
a 30 annos, proprios para todo equalqatr serv?",
tanjo de casa como para agricultura, assim come
nm mulatinho de 17 annos, perfeito eopelro, 6 es-
eraras de H a 30 aano. todas prendadas : na roa
estreita do Rosario n. 43.

..-*



y
\
6
Diario de Peinambuco St^unda eira, 13 Je Junho de 1870.
A VERDADE
Rna Duque de Caxiasn. 55
Na loja da VERDADE continna-se a ven-
der por baratsimos presos todos os arti-
gos d miudexas e perfumaras do sea
grande e variado sortimento, garantindo aos
compradores toda a sinceridade.
Lindas bonecas de cera e massa por ba-
ratsimo preco.
Espelhos dourados para pendurar a
160 rs.
Agulhas de osso para crox a 200 rs.
Peutes linos para segurar cabello, a
320 rs.
Chamins para gaz a 320 rs.
Garrafa com tinte alizarine a 1*000.
Dita com agua florida a i ($500.
Dita com dita dita a 450C0.
Tnico de Jayme a 13500 o frasco.
Frasco com oleo expresso de babosa, de
240 a 640 rs.
Dito com agua de Colonia de 300 a 40000
Dito com extractos finos a 14000.
Dito com sndalo verdadeiro a 10200.
Latas com banha muito tina de 120 a
240 rs.
Sabonetes muito finos e diversas quali-
dades a 80,160, 240 e 320 rs.
Finas escovas para dentes de 320 e 500 rs.
Ditas para facto de 500, e 600 rs.
Ditas para cabello a 500 rs.
Pentes para a usar com costa de metal a
320 rs.
Ditos ditos ditos de bfalo a 240 e 320.
Pentes para tirar ^iolho de 160 e 240 rs.
Pavios para gaz, duzia a 240 e 320 rs.
Brincos de cores, inteiramenle modernos
de i 60 e 240 rs.
f'.nnas caligraphicas muito finas a 15400.
Ditas de anca e mosinha a 800 rs.
Lindos babadinhos e entremeios de 500
e I300.
Grosas de botes de loaca de 160 e
200 rs.
Ditos ditos para calca a 240 rs.
Caixa com papel amizado a 700 rs.
Ditas com envelopes a 480 rs.
Ditas com obreias a 40 rs.
Ditas com agulhas fundo dourado a
280 rs.
Thesoura para costara a 240 rs.
Linha de marca eaixa a 280. rs.
Carriteis de linhas de Alexandre de n. 70
a 200 a 10 rs.Q
Grampos muito finos, com passarinhos du-
ziaa 200 rs. /
Cartas francezas para jogar duzia 3*000
Ditas porluguezas, duzia 1*400
Papel almaco superior qualidade resma
45000.
Lam muito fina para bordar libra 65500
Fitas para debrum de sapato, pessa 160 rs
Ditas de lam para debrum de vestido peca
400 rs.
Caivetes grrndes com molla a 400 rs.
Ditos grandes com 2 folhas por 320 rs.
Rosetas pretas para luto, o par 100 rs.
Trancas de lam de caracol branca e de
coi es de 'tO a 100 rs.
Fitas para cs, peca 480 rs.
AJfio&eS de lato, carta 100 rs.
Sanatinhos de lam para creanca de 400
a 800 rs.
Calcadeiras a 40 rs.
Gravatas de seda preta de 500 e 800 rs.
Ditas de crexc, brancas de cores 500 rs.
Dita de gorgurSo de cftres a 800 rs.
Na Verdae riw Duejaa de Ca-
rias a. **.__________
Cantara 'Je Lisboa
Soleira, hombreiras e capiteis para frentes de
casas, o que ha de melhor : venda no arma-
zera da travessa do Corpo Santo n. 5, de Joaquim
Lopes Machado & C______________________
Vendem se diversos escravos pecas trineos
do Cear, proprios para eogenho, assn como
ama cabrocha por 1:000*, de 18 aonos de idade,
bonita figura, est um pnco descerada de fruida-
de,.e diversas maletas com habilidades: a tratar
na roa da Crm n 53, andar.______________
Armazem dous irmos
S=aada PenhaN
Manteiga ingleja superior a I 500 a libra, dem
francea a 800 rs., cha miud<, bom a 3!00, dem
frosso a 3|, velas de es-prmcete a 640 a libra,
caf em caroco bom a 200 e 240 rs., toucinho a
400 rs., lalarim, macarrlo e aletria aSOOrs., quei-
jos frescos a 24500, dem prato a i* a libra, vinho
em pipa a 400 rs. a garrafa, dem S. Julien Me-
doc a 640, grandes latas com bolachinbas a 1*400,
lagustinhos a 600 rs. a lata. Neste armazem ha
semp.-e grande deposito de gneros de primeira
qualidade, e vendem-se a procos muito resumidos.
LOUCA
o
Grande araaazeni na rna da
lniperatriz n. O
Neste grande armazem vende-se langa mgleza
Anas e ordinarias, apparelhns de porcelana para
jantar e para cha, jarros para flores os mais boni-
tos e de gestos modernos ; assim como grande
sortimento de vidros finos e ordinarios, que trido
se vender tanto a retalho como por atacado pelo
mais barato preco que em outra pualqner parte :
chamamos a atteneao dos freguezes, que serio
convenientemente servidos tanto nos commodos
precos como na boa aualidade das fazendas.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
de Nictheroy.
nico deposito em Pernambuco caes da alfan
dega velha n. 2,1 anda.
FARINHA DE MANDIOLA,
Vende-se farinha de mandioca chegada do Ma-
ranhao no ultimo vapor do norte, por menos do
que em outra qaalqaer parte : a tratar ne escrip-
torlo de Joaquim Garardo de Bastos, roa do Vi-
gario n. 16, 2" andar.______________________
Aos cem mil azulejos
Portuguezes, hespanhes e francezes : na ra
Primeiro de marco n. 16, ontr'ora do Crespo, ar-
mazem de lonca de Bernardino Duarte Campos
&C.___________________________________
Caf do Ceara'
Vende-se ptimo caf da serra d'Arata-
nba. Cear: ra da Cadeia do Recife
n. 5.
DE OURO
VeEas ce spermacet
Verdadeiro americano, cada nma caita trirr.
e cinco meias duzias de villas, ou 210 villas, por
trinu e cinco mil res. No armazem de Tasto r-
meos jt C, raa do Amorim.
Massa batida a'64rs.
Valdivioo da plvora vende massa batida e in-
mm\m nu
COSTURA
Acabam de chegar ao GRANDE BAZA
UNIVERSAL, ni* Nova n. 22ca*neiro
vtannaum completo sortimento de ma-
gleza para fogos : no sea armazem de sal da raa
toperiat._____________________________
JPechiacha a 7^ e 9^.
Vende se calcado francez obra muito bo mo
disimilo preco de 7* e 9*, assim com tafeado
pan enancas a 3i, baratistimo venham a el-
los antes que se acabera, na bem ooafacciit toja de
nuudezas da rna da Cadeia 5 A, cceatenia a i
rnt da Madre de Deot.
Grande estabelerjraeoto de fazendas e roupts feitas e por Hedida, ra da Im-
peratriz n. 52 junto a leja de onrives,
Neste estabelecimento enconlrara o respeitavel publico um bonito sortimento de
roupas de tedas as quabdades.
PaJrtot de alpaca preu e de odres a 3*000, 3*500 ,7^*000, ditos mirin preto
de 70000 at 26*000, dites de casemira de cores finas e ordinarias, de 6*. 16*000,
ditos de panao finos de 65.84 10* e 21*000, sobrecasaco dito de.20(5 a 50,5000
Completo sortimento de caifa debrim pardo de 10600 a 6)5000, ditas brancas
de 24, 10*090.0 ais superior, ditas meia casemira, ditas caemira de 55, 120000,
ditas casemira preta de 60, a 10*000 superior, dita de merino diversas qnalidades para
loto. Assim como um bonito sortimento de coetes de brm de cores, ditos brancos,
4itos de casemira de toes e pretas, ditos de merm para roto fazenda superior.
Sortimento eowpteto de camisas francezas de atgodo, de 10800 30000, e de
Kobo de 380000 a 700008 a duzia.
Sortimento aleto d eroulas francezas de algodao de 10300 a 20500,
ditasde bramante a 40900, 2051 e 30000, ditas de Hamburgo, francezas, azenda sn- ..
perior de 250000 a 330000 a-duaia. Sortimento de colarmhos dealgodo e linho, etc., I*"13! para costnra' .- aBtores "1 ^
issim como meias de algodSo para Iwmem de 30, a 100000 a duzia, gravatas de mui- \*hmos> as 9aes "** era exposigo no
tas qualidades. Na rea da Impwatnz n. 52, loja do esmo Bazar, garantmdo-se a sua Mii qtra-
Sortimento de chapos de sol de alpaca, e seda, ditos inglezes cabo de marfim.'M^ e tambera ef """p7 per v^ %TZl &^JnCO^3r ^f*
Toalhas para rosto Sortimento de mallas para viagem Dra- a todos os compradores Estas mach.nas, estbeledmento TlBNG. sao iguaes roo seutrabalhoao de 30 costo-(sortimento de pastelana, boHos inglezes
Nesle estabelecimento encarrega-se d mandar fazer craatauer obra por medida reiras diariamente, e a sua perfeic5o Ul Pp^tnS. p3ds-del, nrgsentos dos ltimos
e para esse fim tem nabil mestre eocarregado da officina, que se encarrega do trabalho "n" da melnor costureira de Paris. Apre-, ebegados ao mercado, salame de lion, bo-
DO
BRACO DE OURO,
Ra do Imperador n. 26
com perfeig.o e pontualidade.
SORTIMENTO DE FAZENDAS.
Chitas de 240 rs. o eovax|e a O0OOO a pessa com 42 covados. ditas miudes
para camisas e timSo dentuno-SeO, e 280 rs., e outras mui tas qualidades de 320, 360
e 400 rs. o covado, neste mesmoestabelecimento ebegaram, ornas bonitas chitas da
victoria com barra, a qnal paraflhes ecompetente enfeile para corpinho. Cam-
braia lisa de 30, 40,50 e 10000 a pessa, e outras martas fazendas de todas as quali-
dades.
sentam-se trabados executados pelas mes- linhas finos de todas as qualidades para cha,
mas, que muito devem agradar aos preteo- laenioas coneitadas, confeiloi, bomboins,
dentes. pastilhas, chocolate francez em libras, pas-
i tilbas do mesmo .carttrxos e carteiras com
seis charutos de chocolate cada ama, esta
sortimento de cbscolate do mais acredita-
do fabricante de Paris e o melhor que at
Oficina e armazem da
maimore
Caes
n. 57,
ALGODAO E MADAPOLO AVARIADO.
A 40000 o algodao, e 40500 omadapolio. e tambern chita escura boa 240 o
covado por ter grande porefo, na rna da hnperatriz n. 52, luja com portaes encarnados. | manhos, soleiras e saccac
intitulado
Vinte e dous de nofembro
(outr'ora armazem allianca)
Ha para vender podras marmores de todos os
lmannos e grasuras, lijlos de diversos ta-
assim como solei-
hoje tem vindo ao mercado.
Vinhos pertngaeies, figueira muito sope-
rior. Os mais gwniinos e superiores vinhos
do Parto, moscatel e Setubal, o Ilustrado
publico encontrar nesle estabelecimento
Leio de Ouro.
ras e saccadas de pedra de Lisboa. Tambera con-' por commodos prefos, fazendo-se abatimen-
trat-se efaz-se qaalqaer obra, como monamen- l0 a quem :0mprar em DorcSo.
tos, tmulos, estatuas, pas, lavatorios, mesas e :^^_ jn j .. K,-/ .
tudo o mais endente i mesra arte, por mdicos de iodas a,s qualidades, as mais
pncos._______ : nnae, entre enes o afamado Aiapana, este
licor o mais saboroso
LOJA DOS ARCOS
A
Ra do Crespo n. 20 A.
Alvaro Augusto d'Almeida C.
Este estabelecimento de fazendas finas e grossas j basiante conhecido
nesta praca
ida
Vende-se farinha muito boa chegada hontem
em saceos grandes e panno da fabrica da Babia,
aos armazi'ii- da companhia Pernambncana : a
tratar no mesmo e na raa da Cadeia casa n. 1,
erm Jos Goncalves Torres.__________
Estampilhas.
Vende-se na ra da Cadeia do ttecife n. 58, loja
de azulejo.
vende-se ou troca-se por casas
o sitio denominado dos Boritiz, antiga casa da la-
vagem de roupa, com grande easa de vivenda,
senzala para pretos, estribara, banheiro de pedra
e cal com agua corrate, baixa para capim e
Srande terreno para piantacoes : quem o preten-
er dirija se praca da Independencia n. 33.
GAZ GAZ GAZ
Chegon ao antigo deposito de Henry Porster
., ra do Imperador, nm carregamento de gai
de primeira qualidade; o qual se vende em partid)
e a retalho por menos preco do que em outra qnal
Como nnof parte
"? ^J^-^JIS..n^^ ^ rCCeber drCUmenle de PaFS a,"UnS Vende-se am terreno propno. com 138 pal-
artigos especiaos que passa a mencionar.
Ricos cortes de vestidos de blond para casamentos.
Cortes do vestidos de seda de cor, de gostos inteiramente novos.
Brochad, fazendas de la e seda propria para vestido.
Foulard de seda de todas as cores, tambem para vestidos.
Fitas largas de seda para cintos, gostos escoceses e lisos.
Chapelinas de seda e de palha d'Italia.
Basquinas de seda e guipare.
Colchas de seda e de la e seda.
Cortinados de cambraia bordados muito ricos.
Pannos de verdadeiro crocbi para jardineiras, sof e cadeiras.
Toalhas de linho de superior qualidade.
Bramantes, selicias, sguioes atoalhados.
Guardanapos, colchas, aaias bordadas camisas,
Cache-nez, bales, camifinhas, sotbrinba.
Madapoies de varias qualidades, saicos para viagem, mallas, tapetes, capa-
ihos, alcatifas e muitos outros artigos qoe se vende por presos mdicos.
Tem tambem constantemente um completo sortimento de ESTE1RAS DA IN-
I DA para forrar salas.
{raos de frente o 160 de fundo, para o lado da e*
trada de ferro, cujo terreno tem altane feito pa-
] ra cinco moradas de casa, na raa de Motocolom-
: li dos Afogados : a tratar na mesma roa, ou na
ra Direita dos Afogados n. 13.
CEMENTO
POBTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa & Filho, defronte do arco da Con-
eicac. em baiTicas erande3
Tasso Irmos & C.
Vendem oleados pretos para forro c guardis-chu-
va de carros.
Ditos de enres.
Porta* de pinho almnfadada?, tamanhos diversos.
Cadeiras americanas de varias qualidades.
Tnico para cabellos.
Agua de Florida.
'Machadinhas americanas.
e superior, at
hoje conhecido. Xaroprs de groselbe, rosa,
mancaj, caja ele. vinaos de Bordeara de
todas a marcas, o mais saperior qoe se
pode encontrar, champagne de Cbevernt
muito superior, os mais fines e superiores
cognacs francezes, old-tom, de todis as be-
bidas alcuosas, este a mais salutar para
quem soffre do estomago,
Conservas de legnmes, portoguezas, fran-
cezas e inglesas, mlhos mostrada etc.,
fructas seccas cristalizadas e em calda, na-
cionaes e estrangeiras de todas as qualida-
des, charutos dos mais acreditados fabri-
cantes da Babia e Rio de Janeiro, cigarros
de S. Paulo e Rio de Janeiro, mnitos su-
periores, e finalmente tudo qoanto se dese-
jar tendente a este genero de negocio com-
prometemo-nos a satisfazer toda e qual-
quer encommenda com a maior promptidao
e asseio : Como sejam parax casamentos,
baptizados baiies ele, tambem se recebem
encommendas de pes de l ou bollos de
qualqoer especie enfeitados e decorados,
bandeijas de bolinhos com armacSo de as-
sucar, assim como de papel, pecas monta-
das, gellatinas de fructas, amendoas, lerte
etc..
Os donos deste estabelecimecto nao se
tem poupado a despezas para melhor me-
' recerem a acoadjuvago do Ilustrado pu-
! blico.
Neste grande estabelecimento encontrar o
60RA DA IMPERATRIZ
_____________DE
FIjKtJEIRlUO t&
itra qaalqaer parto, visto que os novos socios 5o faier os seus sortimentos pelos mesmos precos que comoram as casas estrangeiras.
dereal pscolher.
Organdy branco com listras lar-
gas e quadrinhos, a vara a !#000.
Todas estas fazendas. sao inteira-
mente novas e se vendem muito em
conta, ra da Imperatriz n. (50,
lnj:: e armazem de Silva e Figuei-
do & C.
Vendem-se as mais lindas poupeli- $ SS^T^*?^ ^S^K^^^^^^
as de lii.ho e seda com os gostos ^1^^.^***** ^^^^^^ww
e de 12->00O rs. cada um, e pechincha.
ara o respeitavel publico, u.u grande sortimento de fazendas, do mais apurado gosto assim como de todas as de primeira necessidade que se Ibes promette vender por precos maito mais baratos do aat
firma adoptaram o systema de so vennderem 9>IX!IEIRO ; para poderem vender pelo custo, liooitando-se apenas a ganharem o descont. As pessoas que negonam em menor escalla, nesta Ion
Para maior commodidade das Exmas. familias, de todas as fazendas se d5o os livros das amostras, ou se mandara levar emanas casas, para melhor po-
m ALTAS JSOVIDADES g.S
^ DO PATIO
tk BONITAS F.\ZENDAS PAR.V A FES- m I m
m TADE W*&
SANTO ANTONIO, S. JOO E S. PEDRO. ^ ^
CROCHE-S PARA CADEIRAS E SOFA'S. r GR0SDENAPU5S PRETOS DE 1GOO ATE 75000 CHAPEOS DE SOL DE SEDA A 10*000. I ALPACAS LAVRADAS
O Pavao tem um grande sortimento dos I wa loja do Pavao encontra o respeitavel
mais novos que tem vindo -a este
mercado^ pelo barato preco de-----
2000o covado.
Sedas listradas, de furta cores, fa-
zendas ae muita phantasia a 2?000
o covado.
Sida bismaik, larga fazenda muito
encorpada o covado a 2-}500.
Bonitas lasihhas largas com palma
de seda, covado a 1*000,
Lindas agraciando lavradas covado
a 1*000.
Alpacas lavradas de todas as co-
res, covado a 640, 800 e 14000
Bonitas 15asinhas escossezas com
qnadros e litras de seda, covado a
500.
Finas alpacas lisas, sendo cor bis-
mark lyrio, verde, roxo, cinza, can-
na, azul etc., covado a 610.
Ditas f jrta cores com as mais bo-
nitas cores, covado 500 rs.
Lindas bareges lisas, e com lista
da mesma cor, fazenda inteiramen-
te nova, covado a 560 e 640 rg.
Bonitas lasinhas tapadas e trans-
parentes com grande diversidade, o
covado a 600 rs.
Lasinhas lustrosas com lindas co-
res emtalo de seda, o covado a
320.
Lindos cortes de anadine, sendo
fazenda nova e transparente e de
muita phantasia, com 18 covados a
15*000.
Finissimos crtes^de vestidos bran-
cos bordados com todos os enfeites
francezes a 12*000.
Cortes de ganga indianos, fazenda
inteiramente nova a 7*000'
Ditos chinezes com duas saias a
7000.
Ditos de la escosseza fazenda mai-
to b mita com os de seda a7*0.0
Finissimos organdys com lista de
cor e salpico, sendo fazenda de
muita phantasia, o metro 1*280.
CASE.MIRAS ESCOSSEZAS.
O Pavao tem bonitas casemiras escosse-
zas cora quadros grados e midos e outra9
lisas com listras ao lado, sendo fazendo
muito lina que se vende mais barato, por
haver grande porgo.
CORTS DE CASEMIRA PRETA A 4:500,
O Pavao tem os superiores cortes de ca-
semiras pretas enfeitadas pelo barato preco
de 4*500 rs. o cort,
CASEMIRAS RASPADAS A 800 RS. O CO-
VADO.
O Pavao vende excellente fazenda de pura
la com as cores escuras muito proprias
para calcas, palitots, coetes e roupa para
meninos que frequentam a escolla por ser
urna fazenda leve, escura e de muita dura-
Co, 6 pechincha a 800 rs. o covado ou a
2*800 o corte de calca para hornera.
FINAS BAREGES A 640 RS. O 1.0VAD0.
O Pavo tem as mais lindas bareges de
la sendo meias transparentes, com urna
so Cor, tendo: lyrio, azul, rosa. Bismarck,
roxo, etc., tendo muito boa largura e liqui-
da-se por 640 rs. o covado, por se ter fei-
mais bonitos crochs para cadeiras, sofs
mesas, almofadas etc., proprios para co-
brir presantes e vende-se mais "barato do
que em outra qualquer parte.
Algolo cafestado.
Vende-se urna grande porco de algodo
sinho americano com 8 palmos de largura,
proprio para lences e toalhas, tendo liso e
trancado, que se vende por preco maito em
conta.
LAS ESCOSSEZAS
LAS ESCOSSEZAS
LAS ESCOSSEZAS
A 560 rs. o covado.
Chegou para a loja do Pavo, o mais
elegante sortimento das mais lindas lazi-
nhas escossezas com flos de seda, as qoaes
fazem o mais delicado effeito, para vestidos
de duas saias, e vendem-se pelo baraiissi-
mo preco de 560 rs. o covado.
SEDAS DE LISTA'
SEDAS DU LfSTA
SEDAS DE LfSTA
a 2*000 o covado.
Chegou para a l ja do Pavo am grande
e bonito sortimento das mais lindas sedas
de listas co ai as mais delicadas cores, tendo
entre ellas algumas qoe servem para lato, e
vendem-se pelo barato preco de 2*000 o
covado, pechincha.
FAZENDAS PARA LUTO NA LOJA PAVA
Encontra o respeitavel publico neste es-
tabelecimento am grande sortimento de fa-
publico um grande sortimento degrosde-' O Pavo fez urna grande compra de cba-
naples pretos de todas as larguras e qua- i Pos de 8l de. Pura seda, inglezes, com as
lidades, tendo de 1*300 o covado at 7*000
e 8*00j, que se vende por preco muito
em conta.
CASSAS FRAiNCFZAS.
Chegaram para a loja do Pavo as mais
lindas cassas francezas cora, delicados pa-
drees, tendo para todos os precos e quali-
dades, dando-se todas amostras, assim como
um Bonito sortimento das mais lindas chi-
tas francezas escuras e alegres, que se ven-
dem muito em conta, e tambem se do
amstras.
CHITAS A 240 RS.
Na loja do Pavo veodem-se bonitas chi-
tas francezas claras e escuras e cres|fixas
240 rs. o covado, e pechincha.
LASINHAS A 320.
LASINHAS A 320
LASINHAS A 320.
Na loja do Pavo vendem-se elegante sor-
timento das mais lindas lasinhas lustrosas,
com listrinhas a iraitac'.) de poupelinas de
A 640,
1,000 RES.
800 1
Chegou para este grande esfabelicimento
o mais bonito sortimento das mais moder-
nas alpacas hvradas <\a todas as cores, ooe
se vendem a i*, 800 e 640 reis o covado,
assim como ora grande sortimento de alpa-
cas lizas de todas as cores
haspras parago. sendo neste genero os
melhores que tem vindo ao mercad >, e li-
quidam-se cada um pelo preco de 10*000.
ROUPAS PARA HOMENS PARA TODOS
OS PRECOS.
Neste grande estabelicimento encontrar
o respeitavel publico um grande sortimento
de roupas, sendo palitos e sobrecasacos de
panne preto e cazemira, calcas e coletes de
brim branco e e cores une tudo se vpndp cheara0, as a|s modernas basqomaa
m,ae i,.,. a. :.,, a nri, ?. Itend0 de todos os roodellos, os mais novos
Basquinas.
mizas francezas e inglezas, e coroulas tanto
de linho como de al^odo e abundante sor-
timento de meias cruas.
VESTIDOS INDIANOS COM DUAS SAIAS.
O Pavo vende urna grande porco de
(cortes de vestidos indianos, tendo duas
saias e tendo bastante fazenda, com os gos-
tos mais novos que tem vindo, e liquida-se
5*000, tendo cada
e com as cores mais lindas' que tem IJ**'tendo ^ um seu apelante
m mPrMlrt cxmdn fifonrU nna *ln i "gUrinO.
que tem chegado
muito razoaveis.
e vendem-se por prectm
POUPELINAS DE SEDA
POUPELINAS DE SEDA
POUPELINAS DE SEDA
a 2*000 o covado.
O Pavo acaba de receber o mais ele-
gante sortimento das mais lindas verdadei-
ras poupeiinas de linho e seda com os pa-
dres mais delicados que tem vindo ao mer-
lo urna grande compra, assim como ditas zendas pretas, como sejam cassas france-
mais estreitas de urna s cor com listras
mitaco de seda a 560 rs. o covado, e pe-
chincha.
PECAS DE MADAPOLO A 3*500.
0 Pavo vende pessas de muito bom
madapolo, tendo 112 jardas cada urna, pelo
barato preco de 3**500.
PECHINCHA EM ALGODAO A 4*000 RS.
O Pavo est vendendo pecas de algodo-.]
sinho francez, tendo 4 palmos de largara e
com 11 metros cada peca, pelo barato pre-
de 4*000 rs.
zas e inglezas, chitas pretas de todas as
qualidades, fazendas de la de todas que
tem vindo, proprias para lato, sendo lasi-
nhas alpacas lavradas e lisas, canto, bom-
basinas, merinos, etc. qoe todo se vende
por preco barato.
PARA BAPT1SADOS
Na loja do Pavo vende-se bonitos en-
chovaes para baptisados.
Cortes de casemira a 4*000, cada am.
Vende-se bonitos cortes de casemiras
I claras e escuras pelo barato preco de 4*.
ou a 2*400 o covado, tendo duas larguras.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se soperior cera de carnauba em! "iiJ2ffE' T^'nVS?. a18 ,,r?aras-
icas, mais barato" do que em outra q,l- i CORTADOS PARA CAMAS E JANELLAS
Imparatriz ajEL \ W, 10*, 12* e 16*000.
sacca3
quer parte, na ra
da
loja do
Pavo.
OS SETlNS PO PAVAO
Vende-se es mais bonitos setins de cores
e mais encornados, proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
Chegou para a loja do Pavo um grande
sortimento aos bonitos e ricos" cortinados
bordados, proprios para camas e janeHts,
que se vendem de 8*000 o par, at o mais
rs. o covado, pechincha,
PECHI1VCHA
EM CAMISAS DO PAVO A 4*500 RS.
Vende-se um bonito sortimento de muito S ih ^fJ 3dl covad"
Snas emodernas camisas inglezas com pei-!corte d "W Para homern-
te e coliarinhos de linho e pnnhos, pelo
baratissimo preco de 4*500 rs. cada urna
e aos freguezes que conaprarem duzias se
Ihe far nm abatimento, garantindo-se qe
Roupa por medida.
Na loja dorPavo manda-se fazer qualqoer
peca de obra a vontade do freguez, "para o
fazenda que vale maito mais dinheiro, que tem um perito ataiate, responsabeUsan-
liquida-se par este preco por se ter feito do-se os donos do estabelicimento por qual-
uma grande compra : assim como se vende iqner falta qoe-possa haver, quer $or de
um bonito sortimento de ditas tambem com mora, quer-por qualquer defeito na obra;
peito de linho bordadas e ditas de algodao e para isto encontra o respeitavel publico
um grande sortimento de todas as fazandas
para todos os. precas.
PANNO PARA SAIAS A 1*000, 1*280 e
4*600 RS.
Vende-se. bonitas fazendas proprias para
saias sendo com bordados e pregas a am
lado, dando a largara da fazenda o compri-
mento da sai a e vende-se pelo barato preco
de 1*000,1*2$0 e 1*600, cada metro sen-
do preciso apenas 3 ou 3 1/2 metros para
cada saia pechincha.
Vestidos brmeos a fl 000 rs.
O Pavao vende finissimos cortes de ves-
rico que vem ao mercado, e vende-se mais tidos de camfcraia aranca, ricamente borda-
barato que em outra qualquer parte. 1 das e com marta faienda pelo barato-preco
que desejar.
BRAMANTE A f00.
Vende-se superior bramante com 10 pal-
mos de largura, proprio para lences, ^an-
do a larguta d'esta boa fazenda o compri-
mento do lencol, sendp preciso para cada
um apenas 1 e 1/2 metros u 1 e 1/4 pe-
chincha pelo preco.
-WPaRTlLHOS A 5*000.
Vende-se am bonito sortimento dos me-
lhores e mais modernos cspartilhos tendo
do barato preco de 5*000 at 8000.
A loja do Pavao est constantemente aberta, das 6 horas da malha s 9 da nonte
mat marZtirredliSam-seU a 3*0' ^SEMIRAS MESCLADAS V3* O COVADO *. tendo entre ellas cores proprias par,"
mano mais uinneiro, e uquiaam-se a ao alliviar luto, e vende-se pelo barato nreco
O Pavo tem para vender bonitas case- de 2*000 cada covado, pechincha.
miras mescladas e bastante encorpada para P k k
roupa de homens e meninos pslo haja'o
ou 5*000 o
Vende-se nm grande sortimento das me-
lhores cambraias tanto victorias como trans-
parentes tendo de 3*500 peca at a mais
fina que vem ao mercado.
CAMBRAIAS BRANCAS A 4*000, A PBCA.
S o Pavo vende pecas da cambraia
branca transparente, tendo mais de vara de
largura, com 10 jardas cada peca, fazenda
que. sempre se vendeu a 7* e 8*000, licrai-
de>e pelo barato preco de 4*000.
CHITAS FINAS DE 320 A 500 RS.
Vende-se o mais elegante sortimento dea
mais modernas e bonitas chitas tanto mm-
das como gcadas, com cores claras e es-
curas, dando-se de todas amostras.
FusTEs Bancos a 6*o, soo e i*m t
Vende-se muito bonitos fostoes brancoa
maito flexivel proprios para vestido da
senhoras e reupa para meninos e vende-se
a 640, 800 e 1*200 ts. o covado.
Cassas a S40 rs.
O Pavo est vendendo bonitas cassas da
cares fixas a 240, 290 e 300 ra. o cotado *"
Mil IWmiHI
ai
<


#

Diario de Peruambuco Segunda Jeira 13 de Juhho de 1870.
8 Pili
A UVA BA IMPERAlwi H, *
Esquina .k ra da Auraru, em frente do ci Imperatriz.
?-n,, ^^6St'>.n0V0 e tmPlnos estaUalecimanto de fazaod encontrar) as Eim
*>es de que d.sp, e* caabeiaua^to para bata servir sua numere^ freguSi?. P
A!g0d5o Urgo rara |8nces e toaHm de
esa.
Gase cora listras de seda e flores, fazen-
MJ* as qoai.dades que eostm vir ao raer- da inleiramente nova para vestidos de baile.
Aln-xaa ri ta/W n, .^^ -J ^^tas para senlwircs e homens, o mais
tai^?riadS!?n?!2i f qDa"da' ^"to-sortimeiilo que se pode desejar.
A^^.q??0p8nil85erew' Guipare preto e branco, diversas lariu-
AJtoos cora 108.0 para collocar retratos, ras e differentes costos.
jo presento para .jualquer pewoa de Goas e pnnhos bordados para senhoras.
AtoalModelinhoe algoso, branco a' dwGuanhn'P de ^bo pequeos e gran-
de cores proprios para toalbas. i GergarSo de Kd9 pret0 e de cre,
juinas de sedeas e raoito moder. dott%Ed2 S^8' ^
s, bem como de crochet, tftdo de apurado quaiidadey gostos.
I2ir30mne.,i!. ~ a i k Japoneses para seoboras, o melhor gos-
. 25S? fr? ? ma<,aP0,?' brancos,to' e fc*^ Propria para as festas nos ar-
n, '/ar? 8e"ho memnas' rabaldes o passeios a tarde.
Bareges de cores variado sortimento. r^
Babadinhos oa tiras bordadas em todas as i Lazinhas de todas as qnalidades, cores
Ein, ln i a Ie gostos' nfi0 ficando nada a desejar, tal
Be butma de todas as cores. o sortimento que existe para escolher.
JSKL Apet F* Viagem' grandei LeCs, tudo quanto pode haver desde
anadade de tamanhos e gostos. esguio ao algodo corarnum.
222?"lnVV?\ ^todas as?ualidaaes. Leqws-de madreperola e osso, o mais va-
Bramante de Zmbo de 11 palmos de lar- riado sortimento.
lR;5d?,iaSi T18 qf alid-des- Ligas d seda' bordadas' Para senhora.
mS e algodao' grande sor" Luvas de Jouvi<>> ebegadas por todos os va-
n':; u pores, uempro novo sortimento, qoer em
Bnns de linho branco e de cores, do mais pellica para homens e senhoras, quer enfilo
wunodo ao mais caro em qoalidade, alan- d'Escocia, brancas e de cores
ando o que ha de melhor na especie. yyf-
Brins d'algodilo completo sortimento' MadapolSo; indescriptivel o grande sor-
anedade de prejos. timento que ha neste genero, desde o mais
rs. An .a (3S- elevado preco ao menor, que se vende em
m2*!t ?res' fma,orh sort^nto, pri- peca e retalho por menos do que em ou-
oando pelo bom gosto e barateza, atientas tra qualquer parto.
quahdades M^tas de b,on(je ^
*S???a\S ?eranc3^taPadas-e fansparen- gosto dos nossos correspondentes em Paris
r^n 1 h qual,da(!es f P.re,C0S- habilita-nos a dizer qu? temos em
CamiMnhasde cambras de linho e cassa estabelecimento o que de melhor se
aordadas r.camente enfeitados para Sras. ja para vestir e ornar urna noiva.
Camisas para homens e meninos, to va- Mantas prelas de bload.
Manas para- carros, cora lindas pintaras.
Merinos pretos, trancados e lisos.
Qwndo a AGUI.V BfRNCA, mais precisa sriearafcar ao respe itavel publico em
geral, e am parcular a sua boa freguezla, da imnietisidade de objectes que ltimamen-
te tena recebido, jastameoteiqnaiido ella menos o pode ftzer e porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera1' na benevolencia de todos que lb*a attentlrSo e relevarlo
continuando portanto a diriginem-se a bem conhecida Ir ja da AGOTA HRANCA ra do
QueK?1?0 D- 8' onde samPT* acbarSo abundancia em sortimento de soperioridade em
quahdades. modiciJade em procos e o seu nunca desmenttido AGRADO E SINCERIDADE.
Do qae cima fica dito se conhece que o lempo de que a AGITA BRANC V pode
dipr, erapregado apezar de seus cusios no desempenho de bem servir a aqoelles que a
ftonram procurando prover-se em dita lo/a do que necessium, entretanto sem ennume-
rar os objectos que por sua natureza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja importancia, elegancia e novidade os tornara recomtnendaveis, como
bem seja :
Corpinhos de cambraia, primorcsmente Capellas brancas para meninas.
enfeitados cora fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeicfo de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qna-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nSo massar o pretn-
deme se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodao com flores e lisos.
Graudes sortimento de flores finas.
Fil1 de seda, preto.
' PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre raelbor quajidade.
Lindos vasos, com p do arroz e pinsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes douradoa
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderemos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para bal3o.
Novos_ stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sSo movidas por um machinismo
Veos de seda para chapelinas e monta-'Dmas substituem as outras.
na.
Meias de seda para noiva*..
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos,
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordada para ditos.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas devidro enfeitados com
pedras.
Ditas de raadeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
criancas.
Diversos objectos de porcelana, proprios
para enfeites de mesa e de lapinbas.
JLafA
DO
GALLO VIGILANTE
Itua do Crespo b. f
Os propnelaris desie bem oonhecido estabele-
ciuient^ Mut dos limitoobjectos qae tinham ex-
postos a apreciacao o respeiUvel publico, raan-
daram vir e acaoaui de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento de
finas e mni delicadas especialidades, as quaes es-
tao resol vidat a vendan como de seu costme,
Sor procos muito baratinhes e commodos para to-
os, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, brau-
cas e de mui lindas cores.
Mui boa o bonitas gollinhas e punhos para se-
nbora, noste genero o que ha de mais moderno.
Supariores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riqnissirnos enfeites para cabecas da?
fc-xma. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ibos e sem ellos; es fueuda o que pode baver
de melhor e mais bonito,
Superiores e bonitos feques de madreperola,
marfim sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenlio*, e > estes pretos.
Muito superiores meias o de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30>000
a duna, entretanto que nos as vendemos por 20*
aiem destas, temos tambem grande sortimento de
outras yuadades, entre as quaes agumas muito
Unas.
Boas bengalas de superior cuma da India e
castao de marflm com lindas e encantadoras figu-
r'}t uiwmo, neste genero o que de melhor si
poco desejar ; alm destas temos tambem grand(
quantidade de outras qualidades, como sejam.ma-
aeira, balea, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos cLicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Liadas e sni>eriores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
nosso
dese-
cado sortimento que vai do mais ordinario
awdapolo ao mais perfeito bordado de li-
te cambraia.
Camisas de meia, de flanella, braneas e
e cores para homem.
Casemiras pretas e de cores, o melhor
rae se pode imaginar, sendo d'isso a me-
or prova o grande consummo deltas na
sfficina da casa.
Capellas de flores, para noivas e bailes,
esde a mais candida flor de larangeira at
mais interessante*griaalda.
Chapelinhas no melhorgosto.de todas as
fdres hoje preferidas pelas senhoras de
ajis aporado rigor na moda.
Chapeos pretos de velludo, para senhoras,
simo gosto de Paris.
Chapos de sol, para senhoras e horneas, gosto.
Mu8selina branca e de cores, lindos e va-
riados padres.
Pannos pretos e de cores, desde o mais
barato ao mais superior, por prego muito
commodo.
Pannos de crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de casemira muito finos para
mesa.
Peitos bordados de linho, lisos e de al-
godao para camisa.
Princetas pretas e e cores.
Popelina do seda e linho, com listras e
flores; fazenda lindissima.
Pelherinas para senhoras, do ultimo
NOS GRANDES

CONSERVATIVO '",s
N. 23Largo do Teco*N. 23.
DE
SIMO DOS SANTOS ft f,
e de cores por
<5e todos os prejos e variados gostos.
Chaly cora ricos padroes para vestidos.
Chales de todas as qualidades, avultado
camero e nao menos variedade de gostos,
Chitas, impossivel descrever o sortimen-
o e variedade de padroes e novos gostos,
ta neste artigo tudo quanto se pode desejar.
Cintos para senhoras o que se pede ima-
linar de melhor.
Coques, o melhor no gosto e nos enfei-
tes,^ varios tamanhos.
Colchas de seda com borlas, o mais apu-
nado gosto elavor.
Ditas de fusto branco
precos commodos.
Corpinbos de cambraia, ricamente borda-
dos para senhoras.
Cortinados de cambraia bordados e de
fi,o que de melhor se pode desejar.
Colariuhos de linho bordados e lisos< o
aior sortimento.
Damasco de lia de 9 palmos de largura
ndas cores e rieos padroes.
ai
Espartilhos brancos e de cores, para se-
caoras e meninas, o melhor neste genero ;
&enbuma Sra. deixar por certo de manir
e de to precioso auxiliar perfeico de
cjn corpo delicado.
Entremeios bordados.
Escomba preta.
Enfeites para cabeca, ultima moda de
3aris, recebida no ultimo paquete.
Esguio de linho, completo sortimento de
odos os nmeros.
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
ade de gostos e lindos padroes,
Fichs de crochet, modernos com cintos
capas, o que ha de melhor.
Fit de seda, linho e algodio. de todos
os gostos e padroes.
Fusta* de todas as cores e qualidades
grande sortimento.
Flanella branca e de cores.
Flores, o que ha de mais rico, qoer
oltas,
Perfamarias ; os mais finos extractos o
que de "melhor e mais agradavel se pode
encontrar neste genero, e de mais fragante
e suave no olphato, tem o PAVILHO DA
AURORA, desde a verdadeira agua Flori-
da at o mais fino Bouquet dAtnour, final-
mente tudo quanto deve eccupar o tGuca-
dor de urna senhora de gosto.
Saias bordadas, brancas, lisas e de edres
com folbos e sem elles, o melhor possivel,
Sahidas de baile, de todas as cores.
Sedas pretas, de quadros. lavradas, lisas.
de listras de todas as cores e qualidades e
o mais barato possivel.
Sargelim de todas as cores e qualidades.
O
Tapetes grandes, lindas pinturas para 8
cadeiras, mais pequeos e de todos os ta-
manhos desejaveis, e em peca para co-
vados.
Toalhas de labyrintho, do maior e mais
fino trabalho ao mais barato.
Toalhas de linho e algodo de todos os
tamanhos, lisas e felpudas.
Tarlatana branca com palmas e de cores,
fasenda muito nova, e gostos delicados pro-
pria para baile.
Vistuarios bordados de fusto brancos e
de cores para meninos, de cambraia para
bapSsados, o que de melhor tem vindo a
este mercado.
Vestidos de la escoceza de 2 saias,
novidade pelopadro, gosto eforma; ditos
de linho com barras de cores, e de cam-
braia de cores com 2 saias, tudo inteira
novidade, trazem os modellos juntos para
mostrar a forma de os fazer.
Veos de blond para noivas e pretos para
luto.
Vestidos de blond para noivas: podemos
asseverar as aossas Exmas. freguezas, que
somos os nicos em Pernambuco que pode-
mos offerecer ao Ilustrado publico, o mais
apurado gosto em semelhante materia, gra-
cas ao bom gosto do nosso fornecedor em
PROGRESSO
10
10
Pateo da Penha
DE
SANTOS & FERREIRA.
Os proprietarios destes bem sortidos armazens participara aos seus innmeros
freguezes tanto desta praca coaao do matto que tendo faite grande diminuico de pre-
cos as suas mercadorias esto por isso resolvidos a vender por menos de 10 e 20 iQ,
do que ett outra qualquer parte, garantindo-se portante a superior qualidade de qual-
quer genero comprado nestes dous estabelecimentos. Mencionamos alguns dos nossos
gneros e a vista destes sao comprehendidos os outroa, parque enfadonho seria men-
craa-los.
Se alguem duvidar venha ver.
Caz americano marca Deves a 8800 a
Vinagre braneo mandado vir por conta
propria vindo de Lisboa, a 320.a carrafa e
480 o litro.
dem tinto Figaeira, Lisboa e Porto a
320,280, 240 e 200 rs. a garrafa e 480 300
rs. o litro.
Vinho Figueira, Lisboa, Porto e Estrello .
a 560, 300 480 e 400 a garrafa litro a 840 bra Mogrammo a 480, 540
760, 720 e 600. WQI 7^500- e 8 "Vinho branco puro de Lisboa a 640 560 Mil0 alPisla 26 rs- a libra e 440 o ki -
a garrafa, em porco ha abatiraento. : togramma e 5-80O a arroba, em porco ha
Vinho do Porto, engarrafado das melbo- batimento.
res e maisacretadas marcas ai000 e l200' .5S?8 SrAeSGOldo ultimo vapor a Um
1^500 e 24 a garrafa.
lata, 380 rs. a garrafa e 560 o litro.
Azeite doce de Lisboa a 900 e 1 tX)0 a
garrafa em porco faz-se grande abatimen-
to.
Caf m carooa a 220, 240 e 2H0, a li-
e 600, e
Boas meias de seda para senhora e para ineni-
nas^ d> lata annos de idade.
Navalhas cabo do marfim e tartaruga para fazer
barba; sio.muito boas,e de mais a mais sao pa-
ranlidas pelo liricante, e nos por nossa vez tam-
bem assegurams t>ua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintbo.
Bons baralho? de cartas para voltarete, assiro
corno os tontos para o raesmo im.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melkores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsSes, e
facilitam a denticao das innocente* criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-lo? por todos os
vapores, aim de que nunca faltem no mercado,
eomo j tem acontecido, assim^ois poderao aquel-
es que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deros coUares, e os quaes attendendo-se ao fim
para qne sao applicados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois. avista dos objectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loia do galle
vigilante, na do Crespo n. 7.
^CEMENTO
O verdadeiro portland. S se vende n
ra da Madre de Deus n. 22, armazem d<
Joo Martins de Rarros.
Eival sem segundo
flUA 00 DUQUE DK CAXiXS N\ 49
Estou disposlo a conlmuar a vender todas
as miudezas pelos bariissimos presos abai-
xo declarados, garantido ludo bom e or-
eos admirados.
Pcele com 20 qoadernos de pa-
pel amisade a......
Caixas com 20 cadernospapel pau-
lado a........
Cateas com 50 novellos de linha
do gaz a.....f .
Duzias de meias cruas superioi
qualidade a.......3^6Q0
Pecas de babadinhos com 10 va-
rasa........._
Pecas de liras bordadascom 12
metros cada pea a LJ500 e.
Pecas de litas para eos de qual-
quer largura com 10 varas a.
Escovas para urinas lazada fina a
Ditas para denles a 240, 320,
400 rs. e.......
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a.......
Caixinhas de madeira com alfine-
tes fazenda superior a. .
Dozia de linha frxa para borda-
dos a 100 rs. e.....
Pares de meias woa para meni-
nos diversos tamanhos a. .
Duzias de meias brancas muito
finas pora senhora a. .
Pares de sapatos de tranca do
Porto......'. .
Pares de sapatos de tapete a. .
Livros de missa abreviados. .
Duzias de baralhos para vuiiarcle
Sylabarios porluguezes a. .
Redes com contas muito boa qua-
Cartoes com colxetes t carreras a
Atotoaduias para colltte diversas
qualidades....'...
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a......
Duzia de linha 200 jardas Alexan-
dre de 40 a 200 c, .
Caixas com superiores obreias a.
Duzia e agulha para maciiina a.
Libras de pregos liancezes todos
os tamanhos a......
Talheres para meninos a. .
Pares de sapatos de tranca para
meninos a......
500
700
400
500
Sjooo
500
500
SCO
40
400
500
30
Utsco
ooo
I 5500
400
so
400
B00
200
40
2.J0O0
240
320
1550;)
e oj?400 cada um.
iiffiEiT raffl03' ^oPAVILftAOParis, podemos garantir que maguera neste
DA AURORA am perma8ente jardim a genero
spostcSo das Exmas. familias. I conta.
o possue naelhbr, nem mais em
i nF ifm^n d grande e vanado srtnento que os proprietarios do PA-
^ILHAO DAAIRORA se apresentam ao publico declarando desde j que a sinoerida-
e o bom gostoo novel nico de seus negocios.
Prvidos de todo e promptos sempre a prover-se do que por ventora lhe
eja necessano, os proprietarios deste sumptuoso estabelecimento recommenda#-se
em receto de serera cootradietos t protestm esforcar-se por continuar a merecer
Hr2zX?cont 6tetem dispensado ; certes tn rftm?,naa.semppe a <,fficm, alfaiate diri8da P^ Bm dos mis habwsatlis-
SS^P^?iJ;ie!.aLcom fnaWMto e *><" goto qualquer trabalho que lhe seja
3n.irJ?S 3 especialotnte occup*da nos trabaibbs do PAVLHAO DA AU-
JcS a JE?. S C0DC fia execucao e a mais completa perfcicao nos seos trabalho.
ceitonnA Hin^06* fn^ti f ?os *" urna prova de que merecemos oeon-
^MtoP2^^eitaW~rl2' cnceiU) qe proctiaremos firmar cada
2Li^? ^JL08"?^50 d0 ftn *"" propows.temosaonolso
7am SSS figartn*6 ^ Pans' qae recebems P todos os paquetes, os
SKJSLST^l^ -saaa freguezas, a^de1^*^,
wbliea ecL^tle,?!tf(Tqae 5? ?PresenUmos petndo a pnotecciodo Uluetrado
ti^S55Pr8fad0 respert0 C0Q^anas eweiientiseiaasSraB.atiiS
taToeSra^r """ dWMDtrarem *"* mor prego pesaZ
i nAH-r^ff^S8 "i16''08 Ievar a azeada eamostras onde foren fedida, ^teto
lo podermoa espeofcar todo quanto temos. *^'
kao Ime, Sobntho &C,
Aborto das 6 s 9 horas da noite.
Aletria, macarro, talharini a 500 rs. a
libra e iiu o kiiogrammoem caixaoba
abtimento.
Sabio massa de Ia e 2a qualidade a 220
e 240 rs. a libra em caixa ha abatimento
Toueiiibo de Lisboa muito alto a 400 rs.
a libra e 880 o kilogrammo, em arroba ha
grande differenca.
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
passas e figos, charutos fiaos de diversas marcas, marmelada, bolachinhas de todas as
qualidades, perola, Franey-cracynel, a, b, c, MediWn, mixed, soda Fancy-nic-nac, pa-
lace de\anetees,combination, Britania, doce de goiaba fina, chouricas, manteig2s finas
franceza e ingleza, banha de Baltimor, phosphoros de Sycuryt, Cognac, cb de diver-
sas qualidades, Oanella, pimenta do reino, ervadoce, pomada, enxofre, breu, peixe
em latas de todas as qualidades, farinha de mlbo americana, grandes molhos de sebol-
las, nestes dous armazens existe tambem grande sortimento de loocas proprias para ne-
gocio, que pelos seus commodos preco faz vantagem aos compradores.
dem BordeauK, Medoc e St. Jolien a
7|5500 o 65500, a duzia e 640 rs. a garafa.
Genebra de Hollanda e laranja doce aro-
mtica a 6,3300, 70, i 10300, a frasquera.
Serveja Bass, lUers d Bell a 9-5800 do-
zia em porcao ha grande abatimento.
Jdem marca H e T e outrae marcas a
5<5500 e 65, a duzia e 500 rs. a garrafa.
Assim como ha outros mnitos
BAZAS M

RA NOVA-
MA PRENDA. Lindos objectos dourades dedelicados gostos, proprios
para meninos, vende-se no BAZAR DA MODA.
BAPTISADOS. Rieos chapeosinhos de setim brancos, lindas toncas da fil
0 o setim, sapatinhos ete.
0 qualidade muito superior.
& <.,^NH?S-. Para cimisas de bomens, fazeada superior com doas faces, o
? par 640 rs. (pechincha!)
9 PERFUMARAS. Fines extraetos para lencos, aguas de diversas qoalida-
g des, sabonetas, leos, penadas, p* inico etc.. ele.
Jtt PERFUMES. Lindas caixiobas para lavas coateudo urna preparaco em
w quelbes d um agradavel aroma, por 10aQO.
g Gravatas, cintos, flores, plumas, roques, trancas, fitas, botoes, bicos e pea-
W tes etc., etc., e muitos outros artigos proprios do estabeleciroeato' veadeodo-se
m. todo por commodos precos, no BAZAR DA MODA, ra Nova n. 50, esouioa da
4fc de S. Amaro. ^^
Jote d Souza Soarea & V.
i
arinha. de madioca
D Garayelas e Aioobaca, ebegada heouot Me,
igual a da trra nova, redond* e sem chiro : a
tratar no serptorio de JtaltarHi Pilmtt, lar-
* do Corpo Santo : 4, *flfti, ou aborto dt
tarcas Lindm, Dhatto, Pmfra &. Aoo7/; tQHw
radas no ctas do RaiiK>s- .. .
Jttape de varias qulidad^
Princeza Rocaa.
Gasse grosso.
Gaise Ble.
Faulo Gordiro eommon.
Dito Cordeiro viajado. ,.. .
Rolo iraneez.
PHoeera flno da Baha.
prto mpl'|rosoe BW.
Princeza 4e Lisboa.
-Na foja da AntM'a, fUa um a0 RoArio aH
^-Yend-se nma casa terrea
:harEtos
0 cordeiro previdentt
Rna do encimado n. i..
Novo e variado sortimento de perfumar
finas, e outros objectos.
ATm do completo sortimento de pera
marias, de que effectivaraente est provis
loja do Cordeiro Providente, ella acaba c
receber um outro sortimento que se tora
notavel pela variedade de objectos, superior
dade, qualidades e commodidades de pn
eos; assim, poie, o Cordeiro Previdente pe
e espera continuar a merecer a aprecia?.i
do respeitavel publico em geral e de su
boa.freguea em particular, nao se afee
tando elle de sua bem conhecida mansidl
e barateza. Em dita loja encontrarse o
jpreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita, verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, frt
ceza, todas dos njelhores emaisacreditac
fabricantes.
Dita de Cor de arangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toiiet.
Elixir odontalgico para conservacSo t
tsseio da bocea.
Cosmetiqnes de superior qualidade e che
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, cci
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparenii
a outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
franceses em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel ch?
ro de violeta.
Ouims concentradas e de cheiros ignai
mente finas e agradavei*.
Oleo pbilocome rordadeiro.
Extracto d'eleo de superior qualidadt
com escolhidos cheiros, em frascos de diffc
rentes tamanhos.
Sabooetes em barras, maiores e menora
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figc
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba
Caixinhas com bonitos sabonetes imitand
fructas.
Ditas de madeira invernsada contendo ?
aas perfumaras, muito proprias para pr<
lentes.
Ditas de papelao iguabnente bonitas, tu
bem de perfumaras finas. -
Bonitos vasos de metal coloridos, e 4
moldes novos e elegantes, com p de arre
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para denles.
Psrde camphora e outras difereatt
qualidades tambem para dente s.
tnico oriental de Kemp.
Alada mais eoqnes.
Um outro sortimento de coques de nc
voi e bonitos moldes com filets de ndrflhc
e alguns (Telles ornados de flores e fita;
eitio todos expostos apreciacio de quer
ho pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muitogosto e perfeiclo.
FiYellaa e fitas para cintos.
Bello e variado sortimento de taeg dbjat
tos, ficando a boa escoma ao gosto do eos
prador.
IA V1LLE DI FA
20Ra da Imperatriz20
Farfa & Lessa.
Acaba de chegar a esta noss-i nota loja e la-
zendas/inas um variada soriimen*.o de fnaada^ de
la e seda, como sejain : .'ranadines do u'.n
gosto, popelinas de una s cor, alpacas e lia: -
nhas de cures, o que ha de mais mederno, m i
por baratsimos pfefof, briihantina< de Coros, le-
cidos das indias, fazenda nova a iniitaoo de per-
cali;i,balCesde dina lingisdo saia du cor c:.m lie
das barras, fustoos proprios para vestido e rou^a?
de meninos ; agora grandes e admirareis pB(^ -
chas, saias brancas com lindos Meato a 3. ri-
eos corpinhos bordado-: muito tinosa i; i. balo
modernos.de ar&is a 2, ricas colchas \<,.-.i w<:.
alcchoadas, sendo brancas e de cores. ;. :>. C -
H, cambraia victoria fin. a -13. ditas iraiMsp*?n-
tes aSfi, 6| e 75,chitas BAissima esearas e dar!
a 280, 300, 320 e 360 o covado, cassas & core.- :.
240, lencos brancos do uwa a 2Jo00. ditce* Ai
nezes a 35300 a duzia, ma.Ianul'ao Bno a 6< -
6i.'i00, e moiti supencr a 75, 75600 o 85, a't;.-
daozinho largo proprio para lences a 0. ,1 i,
de algodo branco trancad, pnprio pata totltias
de mesa a l600a vara, nram:.ite para i-nce*'*
25lKK)e 35500. oque.hi de melhor, eSfc'Oiao '..-
nissimo a 25200 e 25500 a vara. Mandamos
casas das Exmas. familias para melhor poneris
escolher. Tambem temos completo sojimientu 9s
pe fumarias dos primeiro* fabricantes tnuteezec -
inglezesj es pessoas que se dignarem vir a esu
loja tero occasio de reconheccr a realidadu c
qw^ annnnciamos para nos justificar.
FOCaOS
n.56.
terrea na que pretander dirija-se a ra
Chgariri ru'aaeia ao Recife n. 15.
FAVIIHA
MiaildiMfM tM ceos 00a farinha de
mandioca : na roa do Duque e ChXfai. tta'
Jhiim'
Palitos do gaz a 3 rs. a dozia de caixinhas,
rato : oa ra do fiaagel a. 39, taberna.
ba-
13.
Para Santo Aatoaio, *. fod e
w. Pedro.
Na muito conhecida loja de ferrgensna roa So-
va a. 39, de Souza & Guimaraes, acha-se na lin-
do o variado sortimento da todos os f Ros arltft-
ciaes dos melhores fabricantes desta cidadf, eon-
tenda rodinha?, pistolas de todos os tamaahos,
brancas e de cores, cjaveiros, illumioa^o e tro-
que?, etc.; assim como um lindissimo e varia.13
sortimento de fogos cbinezes recen temen :_. ebegk-
dos, proprios para criancas, os quaes podem ser
soltados em salao. Avism mais que existe lam-
ben) urna grande quanfidade de sones de todas ac
qualidades, como sejam, sortes com estampas, dit>
sem estampas, ditas em carles com pergunia e
resiiosta, ditas em livros, tudo por precos mui'.o
commodos, que admira : na ra Nova n. 39.
Buhar.
Vende-se um buhar com todos os pertences; a
ver e tratar na ra estreita do Rosario n. 11.
Grande pechncha
Ka ra do Duque de Caxias, antiga ra do
Queimado n. 19, vendem-se alpaca de todas as
cores e lavradas pelo preco de 500 rs., chitas oe
bons panios a 240 rs.; assim como tem ricos
cortis de cambraias bordadas de cores a 75000 o
corte com 10 Taras, baratissimo.
Bichas hamburgnezas
Neste novo deposito recebe-se por todos os pa-
qnetes transan ticos bichas de tmaldade superior
e vendem-se ero caixa en porcao mais pequea,
e mais barato do que em outra qualquer parte :
na roa da Cadeia do Recffe n. 91, andar.
CabeU
08
Tendm-se cabellos de todas is cores, qualquer
comprimento, qualidade superior, em caixa oti
orfli ais fttqaata : Ha roa da Cade do Re
Superior vinho' Bordean
da Cadeia do
St. Estephe & St. Jolien: na rna
Recite numero 5.
ESCRAVOS FGIDOS.
Fugio no dia 11 de marca do corrente anno
o escravo Francisco, cabra, de idade 30 annos,
com os sipaes seguinies : cabellos earap nho-,
rosto descarnado e com marcas de bexigas iotltu-
la-se ser livre, levou caJe> branca, paletot de al-
paca de cor, chapeo de chile, natural da Paranv-
ba ; o mesmo foi comprado ao Sr. Delmiro Alves
Mai, morador na Parahyba. e jnlga se ter Ido
para o mesmo lagar. Desde j protesia-se contra
a peasoa ejM e liver oecultado : e roga-se aos es-
pitis de campo, assim como s autoridades pon-
ciaes que o tragam ra Direita n. 16, que serao
generosamente gratificados,
Fngio do eagenbo Bom-im, freguezla Escada o escravo de nome Domingos, o qual' tem
es sigaaw seguiates : falta de denles na firnte.
ps iacbados e com bichos, embaleia qnandu an-
da, alto, corpulento e tem urna marca de felina
em um dos ps, idade de 43 a 50 annos, e mui-
to cs.xaceiro, trabalba em chapeos de pilha. des-
coafia se que veio para o Recife pela via-ferren ;
quein o aprehender e leva-lo ao dito engenhn.
ou a ra fiatraita de Rosario n. 47, em casa de
Rodrigues Almeida & C, ser generaiamente
gratificad; assim como protesta-se contra quena
o acoitar.
GratifieaQo de 200^
res.
Fugio do engenho Mandan? na Parahvb o es-
cravo Cosme, erioule, de 35. annos de idade, alte
barbado, (em nanitas marcas de bexigas no resto,
e muito ladino, quena o pegar e levar oo refe-
rido engenho, ou nesta eidade na praga do Cwrae
d'Eu n. JO, ao Sr. oe Gomes da Fonseca, lera
a graWcaclo cima.______________________
Sanio de casa e nao voltou mais, no dia 16
de maio proxtao pasaado, o molato Jacob, lio,
seec3 do corpo, sem barba alguma, cabellosfran-
des -i usa de estrada, tem algumas marcas de pan-
nos (tem pescooo, tem oficio de alfaiate, eostmna
andar laapio e tem fl anos de idade peaeo
mai. oaaaMOj- Quera o apprehender leve praca da Independencia n. i, que ser gratifi-
cado.
:


r**
fc

Diario
de Pernambaco Segunda feira 13 de Junho de 1870
I
/
ASSEMBLA GER&L
CMARA DOS DEPUTADOS.
9ES80 ESI 27 DE MAIO.
Concluio o honrado deputado a3 su as ob-
servacoes tratando novamente do modo por
que se proce ia coa os espolios dos offici-
esda armadj fallecidos no Paraguay. Jj era
o anno prximo pasudo o honrado depila-
do fez algnm^s observacoes nessa sentid,
observacoes que merecen) o meu pleno
sentimenlo. O honrado deputado sabe
quanto magoou-me o que succedeu om
o espolio do infeliz 1 teqente Fiw.i, nao
pelo valor do espolio, mas por haver entre
elle prendas do familia, e urna consolaco
para quera perde um preme lo estimavel
como era aquelle cflicial rehaver essas pren-
das. (Apoialosi)
Acliei estabeleeido que fossem rem-ni-
dos ao juizo d ausentes os espolios de ofli-
MM8 e pravas moras no Paraguay. S
Uve de notar a inconveniencia dessa meci-
da, posto que pjrecssse a mis conforme
rom a lei. quando deu-se o fado a que se
referi o honrado deputado.
\s censuras que o honrado deputado fez
nao recahem sobre a reparticSo de mari-
nh.'i.
O Su. Ar.uvo Gbs :Apoiado.
Sr Ministro da Marinha :Reca-
ben sobre os agentes da jusliga. O que
eu pude facer fu; determinar que nenhum
espolio mais fosse remettido ao juizo do au-
sentes sera que as familias dos fallecidos
soubcssum que Ues espolios se acharan na
intendencia para reciama-los dentro de um
prazo mrcalo, lindo o qual nao posso dei-
var de dar destino a esses objectos. Tam-
bera tenho determinado sempre que s mu-
Iberas ou til h os do ollieial ou soldado, que
pedem a restituido do espolio e provara
esta qualidade. se entregue, sem depen-
dencia do juizo de ausentes, movis. algum
relogio e o pouco que ordinariamente cons-
titae esses espolias e que nao exige essa
liscaliso ou intervengan do juiso de ausen-
tes. Procedo assim para evitar que estes
bous caiam por urna bagatela as maos de
especuladores, que sao os nicos qae correm
as precas quando se annuncia a venda,
porque ninguera mais l vai. (Apoiados.)
Creio ter dado ao honrado deputado as
informicoes que me fez a honra de pedir
no seu discurso (Muito bem.)
O SR. CORREA :Sr. presidente, nao
*tranhem V. Exc. e a cmara que, sem
estudos sspeciaes da reparlicao da marinba,
eu me abalance a tomar parte nesla discus-
sao. Foi inspirada miuha resoluto pelo
notavel relatorio do nohre ministro, no q^al
se encontrara esclarerimentos uteis, e ideas
que devem ser trazidas ao debate do par-
lamento pira que o paiz, compenetrndo-
se de sua vantagem, auxilie eficazmente a
realisacao de medidas necessarias.
C'omecarei airabas observacoes pelo que
respeita ao quadro ordinario e ext?aord-
nario dos otliciaes da armads.
Sabe a cmara que as necessidades da
guerra trouxoram a creaco de um quadro
extraordinario que, pelo art. 8o, 4o da lei
i. 1,528 de 8 de setembrode 1867, com-
poe-se de 1 almiraute, 1 vice-almirante, 1
chefe de esquadra, 2 chefes de divisoes, 3
capitaes de mar e guerra ,66 capiles de fra-
gata e 12 capies-tenentes.
Com a proraogo realisada, em 2 de de-
zembro ullitn > foram preenchidos todos es-
tes postos, com excepco do de almirante ;
o que importa dizer que oforam igualmente
todos os do quadro ordinario, ai o posto
de capito-tenente, que o menor do qua-
dro extraordinario.
Cessando felizmente a guerra, podemos
ter por averiguado, vista dos terrenos da
autorisacao concedida a governo que o
posto vago de almirante nao ser preenchi-
do. Resta examinar o que cumpre resol-
ver agora cora reiaco aos outros officiaes
incluidos no quadio extraordinario.
Nao deverao mais ser preenchidos os
>ostos que. foram vagan lo emquanto nao
voltarmo> ao quadro ordinario quedeve ser
mantido em tenipo de paz ? Desojo saber
a opinio do nobre ministro sobre este
ponto.
Parece-me coateniente procurramos res-
tringir ao ordinario o quadro dos offiches
da armada, considerando que actualmente
.lo ha propon,-o entre o numero* de r.ffi-
ciaes superiores e o de subalternos; pode
dizer-se presentemente da corporaco de
officiaes da armada que a cabera grande
e o tronco comparativamente diminuto. Ao
passo que, na classe superior esto prvi-
dos todos os postos, com excepco smente
FOLHETIWI
OS DMMAS Di ALDEIA
POR
Ponson du Terrail
(Concloso).
L1I
O palacio de S. Florentino achava-se em
regozijo depois de haver passado todas as
phases da agona 6 desesperarlo.
Em quanto a Rapozeira arda, o pequeo
Augusto morria, a Cabrita fogia para o cen-
tro dos bosques ees gendarmes prendiam
o Mulot, a velha Sra. de Misseny, seu *so-
brinho Anatole e a formosa Pamella, igno-
rando todos aquelles tristes successos, re-
gozijavam-se por terera escapado s infames
itrigas preparadas por Juval.
A velha senhora jizia Pamella :
A menina o bom anjo desta casa, e
estou persuadida que, se meu sobrinho nao
livesse a felicidade e o bom gosto de a ado-
rar, nao teriamos obtido esses desgranados
seis mil francos, por causa dos quaes tanto
soffremos.
Pamella, sorrindo-se, responda:
E o bondoso cura Duval, qae l foi
para Pithiviers pedir aquella somma em-
prestada 1...
O dinneiro que elle trouxer"disse
Aoatoleser repartido pelos pobres da
aldea.
E assim passaram todos tres o da a fa-
zerem planos de felicidade futura.
A' opile Aualole acompanhou Pamella res-
petosamente at porta de casa.
Na manha seguioie Pamella voltou ao
palacio e anda all se nao sabia nada do
incendio da Rapozeira.
O da ia correndo alegre como o antece-
dente.
Pamella com quanto nao fosee anda a
barooeza de Misseny, nao poda eximir-se
permanencia quasi obrigatoria no palacio.
do da almirante do quadro extraordinario,
ha 49 vagas na classe dos primeiros tenep-
tes e 2 na de segundos tenentes. Re:
s'jlta dahi o inconveniente, com toda a ra-
zo condemnado pelo nobre ministro, de se
admittirem Da armada officiaes de commis-
so, tiem lodos brasileiros, e em geral sem
as precisas habilitacOes. }
A dificiencia de officiaes subalternos cha-
ma naturalmente a attenco para o estudo
da or^anigo da escola de marinlia, onde ex-
ctdsivamenle se habilitara os (aspirantes a
esta carreira. e na qual estao boje matricu-
lados somente 85 alumnos, 57 aspirantes e
8 pai-anos, numero insufciente para as
necessidades do servico.
O systema adoptado no regulamento vi-
gente nao facilita o accesso corporaco
dos officiaes da armada. NSo sao poucos
os preparatorios exigidos, e a accumulacao
de estudos do curso superior s permitte
que as melhores intelligencias se desenvol-
vam satisfactoriamente, E' por isso que o
numero de officiaes subalternos tem dimi-
nuido, comparada a pocha actual com a
em que comecou a vigorar o regulamento.
Em 1858 existiam 193 ; lioje apenas exis-
ten) 135; ha para menus adilTerenfade 58,
quando consideravel o augmento no nu-
mero de navios da esquadra. Nao se pode
entretarto dizer que ha em nossa mocidade
repugnaucia para o servico da marinha de
guerra, pois que este anno requereram fa-
zer exames preparatorios 220 candidatos,
dos quaes apenas 25 conseguiram matricu-
larle no Io anno'
Se outro frao systema, havendo embora,
como nao deve deixar de haver, escrupo-
sa apreniatSo das provas, maior seria o nu-
mero dos admitiids, e poder-se-hia dentro
de algum lempo completar com vantagem
o quadro dos officiaes inferiores.
Concordo, pois, com o nobre ministro em
que convm alterar esse systema, e pare-
ce-me que a idea que S. Exc. suggere em
seu relatorio da creado de um extrnalo
no arsenal de m.irinha, para facilitar o es-
tudo dos preparatorios, mais pratica do
que a em que assenta aquelle systema, isto
, a existencia de collegios navaes. Como
para levar a effeito a creaco do exlernato,
S. Exc, nlo julga necessaria quantia supe-
rior a 10:000(5, estimarei muito poder con-
correr com o meu voto para a realisaco
deste melhoramento. (Apoiados)
Acabando de tratar dos assumptos rela-
tivos corporaco dos offi riaes da armada,
passo a oceupar-me com os que se referem
marinhagem.
Diz o nobre ministro em seu relatorio que
o problema da acquisicSo da marinhagem
oara a armada est resolvido com o estabe
leciment das companhias dea prendizesma-
inheiros. Mas, para que ellas prestem o
importante servico de fornecero contingen-
te de pracos annualmente necessario, e que
o nobre ministro avaha em 1/5 do numero
total, torna-se mlispeusavel a existencia de
4,000 aprendizes.
Infelizmente nao ha agora seno 1061;
no ultimo anno existiam 1,001. O arcressi-
mo de 60 pouco satisfactorio, revela a
necessidade de maiores esforcos para con-
seguiroios das companhias de aprendizes
marinheiros todo o possivel beneficio.
Talvez se deva crear mais alguma ; e eu
desejo contribuir para a adopeo dessa ou
de outra providencia legislativa que d im-
pulso instituidlo. Basta, para justificar o
meu procedimento, a coosiderafo de que,
.se as companhias de aprendizes marinheiros
chegarem a fornecer o contingente de pra-
vas annualmente preciso para o servico da
armada, dispeusa-se o recrutamento para
esse fino, o que ha de tiazer a consequen-
cia da abjgao dos castigos corporaes.
Pode ser que a falta de edificios pro-
prios obste a que se colha todo o proveto
de taes compaas. Se assim podemos
votar alguma verba-par que se fa^am as
accommodacoes precisas. A despeza ser
productiva.
O relatorio refere que o actual comman-
dante do corpo de imperiaes marinheiros
julga ne:essaria a creac5o de um comman-
dante geral, a que sejo subordinadas todas
as companhias de aprendizes.
O nobre ministro com razo hesita em
adoptar a medida: e eu pe$o licenQa pa; a
dizer humildemente mnha opinio
Julgo que nao se deve crear este com-
mando geral; mas dar peridicamente a of-
ciaes superiores da armada a commisso
de examinar o estado das companhias, se
prospero e necessaria alguma providen-
cia se os commandantes sao zelosos, etc.
Considero esta inspeceo muito proveitosa.
Nao creio que devam li ;ar as companhias
Tinham acabado dejantar quando entrou
um criado na sala um pouco precipitada-
mente, dzendo :
Chegou o Sr. cura Duval, mas nao
vem s.
Quem o acorapanha ? perguntou
Anatole com cunosid de.
O criado nao teve tempo de responder,
porque logo se aprrsentou o cura, trazendo
pela mo urna mulher vestida de preto.
Pamella, vendo-a, cou sobresaltada e
empallideceu.
Aquella mulher era a Martina.
E, sem qae se bouvesse trocado urna s
palavra entre os que estavam e os que ebe-
garam, a Martina lancou-se aos ps de Pa-
mella, exclamando :
Venho pedir-lbe psrdao das miabas
faltas e restituir-lhe os bens que Ibe tirei I
E ao mesmo tempo entregbva-lhe um pa-
pel, que consista n'uma escriptora de res-
tituico da parte legada pelo defunto com-
mandante a sua sobrinba no testamento que
havia desapparecido e urna doago plena da
parte que pertencra ao pequeo Augusto.
Pamella, tristemente ;impressionada, quiz
que a Martina se ergoesse, mas ella Scou
de joelhos, duendo :
N3o me levanto sem opvir o seu per-
do! /
Ea perdo-lhe de terao o coracJo I
acudi a joven.
A Martina, conservando-se na mesma pos-
tara, proseguio:
Sea tio tinba feito um testamento, no
qual Ihe legava metade da fortuna. Pois
agora sou eu qae venbo aqu offerecer-lhe
a fortuna que elle deixou toda inteira, a
qual Ibe rogo que acceite.
Mas a senbora n5o pode despojar sea
filhoredargaio Pamella.
A Martina respondeu-lbe com um so-
luco.
Oe aojos nao carecem dos bens da
trra !acudi o cura, apootando para um
angalo do co qae se descobria pela ja-
nellf.
entregues smente aos cuidados dos com-
mandantes.
A parte do relatorio eo^qwB se,-trata do
quartel-general d-me octasiio a sugeitar
apreciacSo do nobre ministro ligeiras obser-
vacoes dictadas por alguma experiencia ad-
quirida no logar que exergo.
Diz S. Exc que acha prefervel ao pro-
jecto de regulamento qae existe para retiir
quartel-general ao conslho naval a idea
de constituido urna directora da secretaria
de estado; acrescentando que, se o quartel-
general fosse parte integrante da secretaria,
embora presidido por um chefe militar in-
depender do director geral desta, os des-
pachos do ministro serio immediatamente
executados; o que nao acontece.
O servico como feito traz delonga e
trabalho inuteis; mas, se o quartel-general
fr convertido em directora especial da se-
cretaria de estado, tendo entretanto um
chefe militar independente do director geral,
ha de isso trazer algum inconveniente. Os
empregados a quem h3o de obedecer de
preferencia ? Ao chefe militar ou ao direc
tor geral? Se a nova directora fr inde-
pendente do director geral, e subordinada
inteiraraente ao chefe especial, continuare-
mos a ter de facto duas repartieses.
Ta vez seja melhor adoptar o systema se-
guido as secretarias de estado compostas
de mais de urna directora geral. ou o que
se observa va, antes da creaco do ministe-
rio da agricultura, com a reparlicao especi-
al das trras publicas e colonisacao que, di-
rectamente sobord'tnada ao ministro, fazia o
seu expediente separadamente d > da secre-
taria do imperio. O nobre ministro dar a
estas observacoes a consideraco que mere-
cerem.
Encontrei tambera no relatorio alguns
dados sobre o censo martimo-----
O Su. Ministro da Marinha :Nao se
fie nelles.
O Sr. CoitRKiA :... que' dei imp r-
tancia por indicarero o pessoal que entre
nos se destina ao servico da navegacao, es-
timando ver que o numero de escravos
muito inferior ao de pessoas livres. Tive
porm bastante pesar notando que as infor-
maces referiam se nicamente a cinco pro-
vincias, Rio de Janeiro, Baha, Alagas. Ser-
gipe e Espirito-Santo^ Desejava que este
estudo se fizesse con maior desenvolvimen-
to. Assim como se obtivero as informaroes
que nos foram presentes, talvez o nobre
ministro, recommendando especialmente
este servico, pi ssa dar no relatorio futuro
informaces mais completas sobre este in-
teressante assumpto.
0 nobre deputado pela Bahia que ence-
tou a dscusso julgou opportuno dar um
passeio sua provincia. Imitrado-o, voa
tambera mnha, no empenho de tratar de
alguns mdboramentos de que ella necessita,
dependentes da reparticao da marinha. In-
felizmente nao sao os nicos.
Pedirei a attetfCo do nobre ministro para
o pbarol indispensavel na barra de Parana-
gu, e para a necessidade de desobstruir o
porto daquella cidade.
Sei que S. Exc j mandou contractar na
Europa pelo engenbeiro Zozmo Barroso um
pbarol de terceira ordetn, lixo, para a barra
de Paranagu, e estou persuadido de que
nao havera demora em sua collocaco.
Se porm houver algam embaraco, se
nao se puder conseguir a aequisico de
todos os phares contractados, rogo ao
nobre ministro que nao deixe de parte o
de Paranagu, talvez o mais necessario.
Alera disso convem dar andamento sem in-
terrupeo ao servico da illuminaco das
costas do Brazil: (levemos lembrar-nos de
que, para completa-lo, sao anda necessarios
70 phares, como se v do mappa o. 46
annexo ao relatorio da marinha.
A desobstruego do porto de Paranagu
de grande importancia para o commercio
da provincia, e para o melhor servico da
alfandega.
A renda da provincia vae em augmento
e a despeza Do pode ser grande; urna
barca de escavaco pode em pouco tempo
melhorar sensivolraente o porto.
Empenhando-me nesta discussJo julguei
cumprir um dever: nao tenho outro meio
de agradecer a honra que me lizeram os
ele lores parauaeoses senao dedicar-me
quanto possivel ao estudo das materias su-
geitas deliberaco desta casa. E exami-
nando o relatorio do nobre ministro, tive
satisfaco, porque, repito, elle, digno da
conslderaco da cmara. (Apoiados)
O Sr. Angelo do Amakal : Sr. presi-
dente, cora quanto Do seja eu inteiramente
hosp de nos negocios que con era pelo mi-
nisterio da marinha, nao venho nesta occa-
sio tribuna para discuti-los vista do
relatorio que acaba de ser-nos apresentado
pelo honrado Sr. ministro da marinha, o
qual no entretanto, J'olgo de reconhec-lo
com o Ilustrado orador que me precedeu,
e um documento qu? contm mais urna
prova do talento e l!ustrac3o de que S. Exc.
j lem dado tantas provas; n me pro-
ponho tambem a discutir em todos os seus
detalhes a proposta do governo que, con-
vertida em projecto de lei, est agora su-
geita deliberaco da cmara ; ped a pa-
lavra para tratar de um objecto que inte-
ressa inmediatamente provincia que tenho
a honra de representar ; e o fare em tanto
menor numero de palavras, quanto esse
objecto a mea ver, de primeira intuico, e
nao tenho por habito tomar casa intil-
mente o pouco tempo de que ella dispe,
e que melhor pode ser aproveitado.
Com razao, Sr. presidente ; assegura o
honrado Sr. ministro da marinha em seu
relatorio, que o difficil poblema da aequi-
sico de marinhagem para a nossa armada
est resolvido com a mstituic.a'o do corpo de
imperiaes marinheiros, completa com a
creaco das companhias de aprendizes ma-
rinheiros, que Ibe ser vem de viveiro, forne-
cendo-lhe todos os anoos um contingente
de jovens morigerados, e instruidos nos
primeiros rudimentos ta arte. Moito jud-
ciosas sao todas as observacoes que S. Exc.
faz no intuito de por em relevo as vanta-
gens desta iostitoiro, entre as quaes deve
merecer particular attenco. a que ella traz
de dar armaba a marinhagem de que
necessita sem dependencia do recrutamento.
sentando assim a populaco de um tributo
que ella paga com repugnancia, e qua boje
se torna mus oneroso pela falte de bracos
que sentmos.
Mas, permitta-me S. Exc. que o diga-, a
conseqaencia lgica tiestas suas premissas
nao como S. Exc. inri ca, elevar primeiro
as doze companhias j establecidas ao seu
estado completo, para depois crear, mais al-
gunws; esim crea-las em tolas as provin-
cirs do littoral (apoiados), porque assim se
ir firmando a instituir') em todos esses
pontos do Imperio, e a aequisico de apren
dizes marinheiros feta simultneamente dar
mais eonsideravel resultado. (Apoiados.)
Entre as provincias que podem e devem
ter companhias de a rendizes marinheiro?,
figura cortamente em primeiro lugar a pro-
vincia do Amazonas. (Apoiados.) Sem ca
minhos terrestres, tem ella em seus inn-
meros ros toda a sua viacao. Disso resul-
ta que o indio desde a sua infancia est
sobre a agua, nadando ou remando aa oga-
rit; e affeito navegado desses extensos
ros, que nao isenta de difficuldades e pe-
rigos, nem mesmo los grandes temporaes,
qpe os ha no rio-mar, quai do elle se acha
a bordo dos navios de guerra, em pleno
oceane, nao estranha a vi la martima e nao
acha nella competidor.
A aequisico do indio para a marinhagem
por meio das ompaobiasde aprendizesma*
rnheiros, nao s orna vantagem para o
servico da armada, lambem um poderoso
meio de civilisaco do propno indio, que nao
se civilisa bem seno tirado em tenra idade
da miloca para receber aieducaco nos di-
versos asylos.
S. Exc, considerando que a companhia
de apreudizes marinheiros-do Para, contan-
do em 1869, 44 praps. conta actualmente
53, admira-se desse facto e attnbue-o- a al-
gum preconceito local, que convm ser estu-
dado e combatido ; e talvez porque a pro-
vincia do Para irmia getnea da do Ama-
zonas, acredito que no Amazonas esse pre-
conceito tambem exista.
Os algarismos dos dous annos incomple-
tos, que nunca seriara suflicientes para au-
tonsar um juizo seguro, menos o se, re-
ferindo-se ao periodo de urna guerra que
sempre traz pertorbaces na successo
dos f aquella provincia forneceu ento muito* re-
crutas e voluntarios para o exercito e arma-
da, o que influindo na vida intima das fa-
milias, talvez tenha tambem contrariado a
aequisico de aprendizes marinheiros,
embora de menor idade.
Acredite S. Exc que nlo existe o precon
ceito local que soppe ; antes da provincia
do Amazonas, a instiluico das companhias
de aprendizes marinheiros devida-
mente apreciada ; e asseguro a S. Exc'
que alli o bom xito della depender intei-
ramente, como S. Esc mesmo observa em
seu relatorio, dos presidentes e das autori-
dades locaes.
O Sr. Pinheiro. Apoiado.
O Sr. Angelo do Amarai..E seno, v?ja
se o que alli acontecou com o asylo de edu-
candos ; desde que um presidente de->velou-
se por elle, o numero dos asylados que era
apenas de seis otJ orto crssceu consMern-
vehoonte.
0 9r. Pinheiro :Subi a setenta a cuatro.
0 Sr. Angelo do Amaral : O? indios que
confiara seus Albos sera difficuldade aos par-
ticulares, mais fcilmente os crafiam i tu-
telia da autoridade, e nem se preocupara da
carreira a que os destinan).
reide, pois, mandar mesa urna emen-
da proposta convertida em projecto de lei,
autorisando o governo a crear na provincia
do Amazonas, urna companhia de aprendi-
zes marinheiros; e peco ao honrado Sr. mi
nistro que enuncie francamente a sua opi-
nio sobre ella.
O Su. Baro de Cotegipe (ministro da
marinlia:)Sr. presidente, quando no anno
passado tive a honra de comparecer peran-
te esta augusta cmara para discutir as for-
ras de mar, um Ilustre deputado pela pro-
vincia da Babia propoz-se a apresentar emen-
das creando mais algunas companhias de
aprendizes marinhe/ros, e creio que espe-
cificadamentn urna na provincia do Amazo-
nas. (Apoiados.)
Eu ento respond ao honrado deputado
que as circmn-tandas em que nos achaca-
mos, as da guerra, nao me perraittiam acei-
tar urna emenda que trouxesse augmento
de despeza. Mas tendo esta razo cessado,
eu duvida nenhuma tenho em aceitar a emen-
da que o honrado represent nte do Amazo-
nas pretende apresentar (muito bem,) por-
que estou em completo accordo com elle,
nos sobre a conveniencia da creaco des-
tas companhias em mais algumas provin-
cias, como especialmente no Amazonas, onde
natural que baja urna grande quantidarte
de menores que se prestem vida do mar.
Comiudo. devo observarao honrado mem-
bro que, aceitando a autorisaco, nao me
compromeito desde logo a p-la em execu-
Co, porque para se crear urna companhia
de aprendizes preciso dispr principal-
mente os quarteis- necessarios para ella, e
essa urna das.drtticuldades com que tenho
lutado para com outras companhias existen-
tes em diversas provincias; vou dando al-
gum andamento apenas aos reelboramentos
dos quarteis; mas os recursos que tem a
marinha para estas obras sao muito dimi-
nutos.
Portanto aceito a emenda do nobre depu-
tado, se a cmara a approvar, e peco-lhe
ento, como a lei tem de regular de 1871 a
1872, que ponha na emenda as palavras
desde jpara o caso- de que se possa levar
a effeito essa creaco antes do anno em
que ha de vigorar a lei.
E' escusado qae ea indique as razoes
peas quaes as companhias'de aprendizes
nao tem chegado ao sen estado completo,
por que as dei no meu relatorio. Creio que
em parte devido pouca vontade das au-
toridades, porque tal o numero de meno-
res- abandonados, que eu nao sei mesmo.
como as companhias nO'se achara completas.
Quando os presidentes prestara maisattei-
C* a esse ramo de servico, nota-se diffe-
reaca nessas companhias; quando pornu
preocupados com outros assumptos, n i
ibes prestam a devida attenco, ellas deca-
bem. Os jatees de orphos, que deviam
para all mandar alguns menores, nao se
oceupam disso ; portanto. comodisse, o seu
progresso depende das autoridades. Estas
companhias nao esto debaixo da exclusiva
dependencia dos commandantess como peosa
o aobre deputado pelo Paran; esto tam-
bem sujeitas aos capitaes dos portos que as
liscalisain. Ha outras autoridades a quem
de lempos a tempos se incumbe a sua ins-
peccio ; ha o presidente da provincia que
o fiscal nato-de todas estas nstituices Al-
gumas destas companhias esto em excellen-
te estado e a do Paran urna dellas.
O Sr. Correa d um aparte.
O Sr. Ministro da Mari.vha: 0 illnstre
depotado, a quem me refer por ultimo, de-
seja saber como pretendo proceder a res-
peito do quadro extraordinario da armada,
precedendo a sua pergunta de muito judi-
ciosas consideracoes.
Na lei est marcado o modo de proceder
do ministro da marinha. A lei diz que,
emquanto subsistir o quadro extraordinario,
nao haver promoces, e as vagas que se
derem, no quadro ordinario sero preen-
chidas por guaes patentes do quadro ex-
traordinario.
Isto diz a lei. mas eu tenho urna duvida
a respeito destj modo de proceder tencio
no pedir ao corpo legislativo urna interpre
taco.
A le foi promulgada com o fra de remu-
nerar servicos de guerra, mas acontece que
nem todos os servicos de guerra podero
ser remunerados, como deviam ser, com o
Pamella comprehendeu, tomou a Martina
nos bracos, f-la erguer e deo-lbe um beijo,
e, como esquecida de todas as ofensas para
s se lembrar dos seus tempos infantis, ex-
clamou:
Chore, pobre Martina, chore As la-
grimas sao um grande unitivo I
.........-1........,.............
E com o perdo do co a mi que per-
der o filho encontrava na joven que per-
seguir um anjo que promettia ama-la, po-
rm a jusiira dos homens mostrou-se menos
indulgente do que a Providencia.
De repente entrn no palacio nm homem.
que pedio para fallar ao Cura Duval.
Este foi-lbe ao encontr, agitado por um
triste presentimeato.
Deparou no pateo com um sargento de
gendarmes, que Ibe dsse :
Custa-me faltar ao respeito devido
casa do Sr. de Misseny, mas carero de cum-
prir os meas deveres.
Entao o que pretende ?interrogou o
cara commovido.
Tenho a cumprir um mandado de
priso contra a Martina.
Ao mesmo tempo apparecia esta alli, e,
erguendo a fronte com toda a energa que
sempre la fra habitual, disse :
Estou protnpta I
Oh I mea Deui, ella no'crimhosa I
exclamou Pamella, chorando.. ,
E em qnanlo Anitole, coijferenciava com
o gendarme sobre o modo de adiar a pri-
so daquella pobre mulher, cajo Albo ac-
bava de ser enterrado, o cara Duval offere-
cia o braco Martina, dzendo :
Minba fifba, cont com o mea apoio
e receba esta dr como a suprema expia-
co I Crea qae a nao abandono e serei o
sea defensor. Direi aos borneas qae a ho
de julgar qual o seu arre pend ment, e
talvez elles, assim como a Providencia, tam-
bem lhe perdoem 1
E, voltando-se para o gendarme, disse :
Vamos, seahoT eauompanho apre-
sa i Orjeaos. ,
....
Lili
Tres semanas depois, no palacio da jus-
tica em Orleans, resoava de novo o norae
de Rouxmol, o Esquilo, mas desta vez o
pobre diabo o eslava no banco dos reos:
figurava como testemunha.
A enorme mnltido que um anno antes
assistia aos debates do sea processo vinba
agora ver julgar o Mulot e a Martina.
Estava alli toda a povoaco de S. Flo-
rentino, desde o virtuoso cora, que nao
abandonara a Martina nem naquelle dolo-
roso lance, at Juval, que tivra a audacia
de sentar-se n'uma das tribunas reservadas
aos espectadores.
S um acensado faltava no baoco dos
reos : era a Cabrita.
Em vo os guardas florestaes e gendar-
Ses haviam batido a floresta, as granjas e'
deas visinbas.
Em parte alguma se encontravam vesti-
gios daquella selvtica crea tura, acabando
por se espalbar a noticia de que ella se ha-
via a lirado a alguma laga.
Os debates foram longos.
O Malot, epezar de todas as provas que
o condettoavam, insista em negar.
Debalde se lhe apresentou o testamento
do commandante Ricardo, encontrado occul-
to no tronco de urna arvore, bem como a
argola da orelha, que se achara perdida
n'uma deveza prxima d'alli e que servir
a Rorjuinol para construir pacientemente a
obra da saa rehabiliticSo ; deblde a Mar-
tina confessou tudo.
O Mulot insista em affirmar qae era vic-
tima de orna vioganc e que toda a gente
lhe quera mal.
Dorante o iaterrogatorio voltou-se para
os espectadores, entre os quaes deparou
com Jo val, que se ra.
Ento, ao abatimeito que senta, succe-
deu-se. um calofro do raiva e exclamou :
Gis alli o hornera que me quer mal e
mepereeu!
E em seguida relatou a historia dos seis
mil francos.
Juval teve de sabir do tribunal e foi per-
seguido pelos apupos da multido.
O Mulot proseguio na negativa, mas o
jury estabelecra a sua convieco.
Gracas aos esforcos do advogado da de-
feza, um mancebo talentoso e sympathico,
o Mulot obteve o beneficio das circurastan-
cias attenuantes e salvou a vida.
Foi condemnado a trabalhos pblicos
perpetuamente.
A Martina nao aconselhra o crime, mas
tirara proveito delle, e por isso foi conside-
rada cmplice ; comiudo o depoimento do
velho sacerdote foi to acalorado e tocante ;
descreveu elle to entbusiasticamente os re-
morsos, o arrependimento e as agonas da
mi que perder* o filho ; relatou com to
eloqiiente simplicidade o procedimento da
Martina para com Pamella, que o advogado
pouco teve a accrescentar no seu dis-
corso.
Em resultado a Martina foi absolviera.
Sahio, pois, do tribunal pelo braco do
cura, que j sabia a sua resolueo.
Quera ella remir as faltas do passado,
recolhendo-se a ama ordem religiosa.
A multido que estacionava em volt do
palacio da justica acatou respetosamente a
deliberaco do jury, chegando a commover-
se quando a vio passar encostada ao braco
do venerando ancio.
Esta mesma multido apopoo o Mulot
quando regressava priso.
Quanto a Rouxinol. pouco faltn para o
levaren) em triumpho.
Juval nao julgou muito prudente voltar
logo para S. Florentino. Dirigio-se esta-
Co do caminho de ferro e tomou bilhete
para Pars, levando consigo o tio Ulysses,
tanoeiro, seu ultimo cortezo.
O termo desta historia, qoe um facto
recente, prev-se fcilmente.
Pamella pasaoo em breve a ser baronesa
de Misseny,
qaadVo extraordinario, porque elle ainda foi
diminirfo1 em relac*> aos servicos prestados.
Perguntcf eu t dve continuar o quadro ex-
traordinario emquanto houver servicos de
guerra a remuoerar, ou, pelo simples facto
da declararlo da paz, esses servicos deixam
de ser remunerados ? A lei nao clara a
este respeito, e por isso eu nao procederei
de conformidade com o que me parece ser
sua intenco emquanto o corpo legislativo
nao fixar o sentido em que votoo essa dis-
posico.
Nada direi ao honrado depotado a respei-
to da escola de marinha, porque estou de
accordo com suas ideas, que expend tam-
bem no meu relatorio.
O Sr. Corra :Mas ha emenda ?
O Sr. Ministro da Marinha:Devo dizer
ao nobre deputado que pretendo solicitar da
commisso um projecto com estas autorisa-
Ces para discnti-Ias separadamente e para*
Bao empatar a passagem da lei, por qae
quasi sempre.o que empata a passagem des-
tas leis sao os addrtivos que as acompa-
nham. (Apoiados.) Esta materia pdedis-
cutir-se separadamente e eu terei a honra
de solicitar essas autorisaces.
Podia dispensar me de responder ao hon-
rado deputado sobre as ideas enunciadas
no relatorio em relaco ao quartel general-
porqu nada proponbo actualmente apenas
direi que experiencia do honrado depu,
tado eu contrapdnho a minba.
O Sr. Correa d um aparte.
O Sr. Ministro-da Marinh :O honra-
do deputado fundou-se na experiencia que
tinha do cargo que oceupavaem urna secre-
taria : eu contraponho-lhe a mraha expe-
riencia tambem de chefe de secretaria,
porque o ministro o ebefe da seeretaria.
O Sr. Cwrea :Eu nao neg os incon-
venientes.
O Sr. Ministro da marinhv:Haver al-
guma ifficuldade no modo de conciliar o
servico, mas nao ha impossibilidade. Em
todo o caso, preciso que a communicaco
do quartel-general con o ministro seja di-
recta e que nao se precise de tres e quatro
avisos, preciso acabar-se com esta pape-
lada, que o que mata as repartiroes.
(Muitos apoiados). O ministro assigna ate
urna ordem para se pagar 600 rs e assig-
na aquillo mesmo de que nao pode terres-
ponsabilidade !
CHarei, por exmplo, um aviso dando des-
peza a urna amarra perdida noParagaay.lou
em qualqaer outro lugar. Pode o ministro
apreciar devidamente os motivos que justi-
fican) esta despeza ? Entretanto ha um pro-
cesso- que passa por tres ou quatro fieiras
para que o ministro digaapprovo. Isto
difliculta a marcha do servico, nao a sim-
plifica, sem interesse algum fiscal. (Muitos
apoiados.)
Qusnto ao censo martimo, sou o pri-
meiro a confessar qoe elle deficiente :
digo ao nobre depotado que nao taca cal-
culos sobre estes dados nicas que recebi,
que devia apresentar ao corpo legislativo.
Quanto ao pbarol e ao porto de Parana-
gu. pode ficar certp o nobre deputado que
applicare toda a minba attenco em bene-
ficio daquella provincia. Mas tudoisto de-
pende de tempo, e sobretodo de meios; eu
nao posso executar as obra3 de melhora-
mentos de portos, de phares, etc. sem
que me prestem os meios precisos. (Apoia-
dos. )
Desde que no orcament% futuro o hon-
rado deputado e a cmara dr os meios ne-
cessarios, eu farei o qoe for posrivel, e j
fiz o que estava ao meu alcance e quanto
permittia o orcamento que tive, por exem-
plo, mandei comprar a*guns phares. um
dos quaes para Paranagu e diversos ou-
tros portos do imperio. E tenho tenco.
conforme os meios de que dispuzer, nao
olhar s despezas, porque ent^ndo que
essas despezas sao productivas (apoiados),
sao para seguranca do commercio e da na-
vegaco, porque ha portos no Brasil para
os quaes nao ha associago de seguros que
queira segurar urna embarcacio : um dos
melhoramentos qne mais precisamos e em
que estamos bastan atrasados. Dem-me
os meios e en ou alguem promover esses-
melhoramentos.
Eis o que tinha a responder aos honra-
dos depntados que flzeramme a honra de
tomar a palavra.
Vozes :Muito bem! Muito bem!
{G Gracas opulenta fortuna da joven e u
posa, o fidalgo empobrecido restaurou
vetusto solar, onde sua'tia sent agora reju-
venescer-se.
Os novos conjugesno quizeram reedifi-
car a casa da Rapozeira por um sentimento
fcil de comprehender, mas promoveram o
melhoramento de todas as trras da sua
dependencia.
Desgranada mente, nao ha co sem nuvens
nem felicidade impertorbavel.
Anatole e Pamella, algumas seminas de-
pois do seu consorcio, sentiram urna grande
inagoa, da qual partilhavam todos os povos.
circum visinhs.
Foi transferido o cura Duval.
Havia quarenta anuos que elle resida
em S. Florentino, onde contava acatoar seus
das.
A autoridade eeclesiasHcs superior resol-
veo outra coosa, e eomo o velho sacerdote,
debolhado em lagrimas, se fosse lancar aos
ps do prelado, rogando-lhe qoe o oo se-
parasse dos antigos paroehianos, que a lodos
considerava como filhos seos, aquelle res-
ponden lhe :
Meo veneravel amigo, o apostlo de-
ve sempre estar prompto para propagar a
palavra de Deus sem nunca otbar para traz:
a parochia que lhe destino carece urgente-
mente dos seus valiosos servicos.
E o velho sacerdote nao pode deixar de
obedecer.
Felizmente para o bom povo de S. Flo-
rentino, S. Donato, a nova paroebia do cura
Duval, dista apenas tres leguas d'alli, cir-
cumstancia esta qoe tomou a soa despedi-
da menos dolorosa e lhe prpporcionou a
occasio de realisar a promessa qoe fiaera
aosjoveos esposos de vir a S. Florentino
baptisar o primeiro filho da barooea de
Misseny.
FIM,
TYP. WAfUDDO-RUArjUOUiM a*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ET13G0L5R_3ANXFW INGEST_TIME 2013-09-14T00:20:23Z PACKAGE AA00011611_12138
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES