<%BANNER%>

Diario de Pernambuco ( Saturday, May 28, 1870 )

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/12125

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Saturday, May 28, 1870

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:12125

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/12125

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Saturday, May 28, 1870

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:12125

Full Text


-----------;____

T
ANUO XLVI. NUMERO 119.
Of8
l :w ix. %>

I
TkU 1 CAMU E lUGAjfes OSDE IAO JE ?At}A fOlit
*or tUri Bienes dltirtados .^,
-.....:.;:: ::.':: : ,Sgt-
.................. 24*000
.....'........... 320
S " ocia uuus
fumino*; lein.
da mumro avulso
i. r
' SABHDO 28 DE MfllO DE 1870.
----------* -i------------------------%----------------------------------- ,______________
PABA DEHTBO FOBA DA PROVUCIL
Por tres meze atontados ...........'.
' Por seis ditos dem. ..,....*...
Por WH ditos idem .' \ *
Por nm ino id* ....-.... ......*
|_
201280
27*000
Faria
Os Srs. Gerardo Anton.o Alves d- Filhos, no Para ; Coopta Puto, no Maranhao ; Joaquim Jos de Oliveira, no Ceara ; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty Jo*> Maria Jolio Chava, a a
, ^^.e**^ Antonio,,^ da Pe-,a TUZ L .^JZ^^
m Nazareth ; Frarfcisco Tavares da Costa, em Aiagoas; Dr. Jos Martins Aives, na Baha ; e Jos Bibero Gasparinho no Rio de Janeiro.
RECIFE 88 DE MAIO DE 1870.
Noticia* da Europa.
Recabemos hontein, pelo vapor inglez Oneida,
ornaes e cartas com datas : de Hamburgo 5, de
l'jns 7, de Londres 8, e de Lisboa ti do correte.
As noticia* qu9 daraot era seguida, reunidas as
mu publicamos era nosso n. do tere*-fe'ira, com-
plclam a primeir quieoa do correle mez.
iiKSQ.k.~-ConipirapS's contra a segur/inca do es-
tado e contra a vida do imperador. Convocarlo
do alto tribunal para julgamento dos reos. Ple-
biscito : sim por grande maioria. Tumultos e
barricadas em Parts.
BoJU K Italia.Vagas de cardeaes nio preencki-
das actualmente. Puitulatum. Agitaro maz-
r-niio ni Italia. Repressao de ger'rilhagens.
Eronomias. Empresento.
Svissa.Reforma da constituirlo federal.
Nfi.ATERRA.HJipara te cocederemdireitos elei-
toraes As mulaeies.
Au.emanha. O ni ia Prussia guer ser sagrado
imperador da Allemanha. Trabalhos do parla-
ment aduaneiro. Rebcoes entre a Austria e a
caite de Roma. Recompesicao do ministerio aus
triaco.
Okikkte.Novas ministerios na Roumania. As
votcncias europeas tomam urna acrao collectiva
na Grecia.
Ikspasiia. SHuartio critica por falta de candida-1 dias.
to apropriado.
.\MKRii:\.Catastrophe ao Richmond. Qtestao do
Alabama.
PoRTOfiAi..Minuciosa carta do correspondente.
FR-WCA.
O plebiscito desliuado a consagrar em Fran-
ca o imperio heriditario, nao poda levar-se a cabo
sera o concurso de circunstancias extraordinarias.
No m innato decisivo do povo se decidir a dizer
sim on nao descobrem-se tres conspiracoes todas
era enntinaacao da conspiracao de junho.
A primeir teve por autor presumptivo um ex-
otcial subalterno desertor no estrangeiro, chama-
do Beaury. O hornera foi preso por denuncia de
urna rameira, levava um revolver carregado, e
nao houve soluco mais curial de que declarar
que o rewolver era destinado a matar o impera-
dor, e que obrava segundo as ordens de FIou-
rens.
. O apuramento Anal das votacoes tem de ser fei-
to pelo corpo legislativo.
Na segn iafeira 9 s 8 horas da noite houve
numerosos ajuntamentosnos boulevardsenj arra-
balde do Templo e m Belleville.
"t 'e.rfa"f,>'ra 10 rebentaram novos tumultos no
arrsbalde do Templo mais grave que os das ves-
peras, as tropas tomaram quatro barricadas, Pican-
do mmta gente ferida, morreram tres populares e
um agente de poHcia. Tem bavido grande numc
ro do prisoes.
O ministerio nfl ser modificado.
Vai sor suspensa a lei que arredou de Paris
os membros da familia Bourbon de um e outro
ramo.
Foram sequestrados os nmeros dos jornaes
o Siecle. o Rereil e o Avenir natisnal por chama-
j rem embuste grosseirissimo proclamar*) do im-
: perador.
O Times desmente a noticia de que o emba-
xador de Franja pedisse que Flourens fosse per-
seguido. k
ROMA E ITAUA.
No sacro collegio dos cardeaes ha j dezoito
vagaturas, e as potencias catholicas que tm di-
reito a apresenUr candidotos ao cardinalato rno-
varam ultimameote o desejo de que o papa proce-
da a nomeacao de cardeaes para completar o
numero normal adjudicado lesralmente cada na-
cao.
A Austria e a Franca tem cada urna o direito
cinco representantes no sacro coliegio, e contam
hoje a Austria com tres vagaturas e a Franja com
A segunda conspiracao anda mais grave, o
descobrimento de urnas bombas Ossini, aperfeijoa-
das com um poder terrivej, com que os conspira-
doros deviam faier saltar Paris, segundo atrraa o '
Momteur.
A terceira conspiracao menos definida, mas de
mais largo alcance, tem segundo arOrma a polica,
nimilicacoes era toda a sociedad^ Os conjurados
sao membros da asssociajao internacional dos ope-
rarios, ioiraigos jurados da familia, da ordem e da
propriedade.
Das tres eon'piracdes dettinetas fez a polica
urna so, e prendeu todos os suspeitos ; tanlo em
Pars, como nos departamentos a polfeia procura,
visita e ameaca, todo- os que mostrara opiniSes
antibonapartistas eslo debaixo do gladio de urna
order.i de prisao.
Como muita gente se maravilhava da coinciden-
cia destas descobertas feitas tanto a proposito as
vesperas de urna volacio geral, e duvidava da
realidade de tamanhas eitao odiosas machinacoes,
o Journal Offkial publicou e todos os jornaes re
petiram as provas dessas conspiraeoes, e sao
.>, a ultima tentativa pro
! Um relatono de Emile Olivier, ministro ai\ votada em Pavia, Parma e Modena
jnstiea, ao imperador, no qual sob o pretexto de do norte estao inundadas de agentes
3timmo pontfice julga que toda a promociio
as actuaes circumstancias se poderia interpretar
?om'\m meio de augmentar a maioria favor da
infallibilidae, e addiou essas nomeaces at o con-
sistorio que se ha de celebrar em setembao prxi-
mo.
Acerca do boato que eorreu de que o papa nao
quena conferir a purpura' ao bispo de Orleans,
pela opposico deste definiclo da infallbilidade.
dizem de Roma que nao tem o menor fundamento,
Os cardeaes dividera se em duas cathegonas, a
primeir cornprehendendo os membros du sacro
collegio obrigados residirem em Roma, e por
iso chamados cardeaes romanos, e a segunda for-
mada d9 prelados das diversas naeoes. Os pri-
meiros podem ser eletos entre os prelados que s
tmliam ordens menores ; os segundos devem ser
arcobispos; por conseguinte Mr. Dupanlou. que
meramente bispo nao pode ser elevado dignida-
de cardinalicia, senao depois de ter sido nomeado
arcebispo pelo governo francez.
Monsenhor de Latour d'Auvergnc disse ao
summo pontfice em urna audiencia que em nome
dos collegas Ihe fazia presente que a discusso en-
tabo[ada fra do concilio havia tomado ura carc-
ter tao apaixonado tao proprio perturbar as con-
sciencias, que era urgente por termo ella por
raeio de um voto definitivo do Santo Snodo; elfec-
tivamente os delegados da maioria do concilioj
apresentaram ao pana o postvlatum alim de- se
pflr immediatamente em ordem do dia a questo
da infallbilidade.
Dizem de Florenca que apesar dos mdicos
terera aconselhado o rei Vctor Emmanuel que
permanecesse mais alguns das em Turin afim de
se restabelecer completamente, o rei quizera for-
cosaraente partir no sabbado 7 para Florencia por
causa da gravdade da situacao que tinha direito
de attender. O governo italiano adquiri a certeza
de que a conspiracSo tomada contra o imperador
dos Francezes tinha vastas ramificaeoes na Italia.
Apezar de se ter obstado
J.
azor publicamente justija, pede a attribuicao do
juizo da cmara alta, cmara que recoora}c,eu a
innocencia do principe Pedro Bonaparte, e vae ser
avocada para reconhecer a culpabilidade de ho-
rnens aecusados de terem- tido a tencao de ata-
car o governo.
i Um desreto de convocacaj da cmara alta
para csse fim.
i" Ura relatorio ae ministro da jnstiqa pelo pro-
bar ilor geral o Sr. Grandperret, ex-advogado of-
licial do principe Pedro Bbnaparte.
0 relatorio do Sr. Olivier que precede o decreto,
1 'ocebido nos seguntes termos
Paris 4 de mao de 1870.Sohor : Ha en-
tre nos nm partido revolucionario cujo fim esta-
b'locer a repblica democrtica; os meios qu>- pa-
ra i-so eraprega sao a dilTamacao systcmatica, o
ultrage, a calumnia, a desordem e o' assassinato.
As novas liberdades, longe de o acalmarem, teem-
no excitado anda mais, a ponto de nao vernellas
seno a faculdade de se organisar e estender.
Nao se d trabalho em oceultar-se. Nos seus
toroaes profustmente eipalhados, e as suas reu-
niocs, onde a ninguem perraittdo expender
\ urna opioiao contraria, eipde elle os seus projec-
tos e organisa os seus meios de aejao. Para pro-
var o atlentado e a conspiracao que se lhe im-
puta, bastara reprodozir os seus artigos e diseur-
is. Contra elle bastara s invocar o seu proprio
estemunho.
.< Esperavamos que a paciencia e a docura fos-
ai suflicentes para vencer paixdes que nao sao
il agora. Sendo porm laxada de timidez a nossa
p.p enca e de fraqueza a nossa depura, ti vemos
dtfeonvercer-nos de que urna repressao enrgica
inico rucio de restabelecer easa paz social e
r eito le, sem os qoaes o estabelecimento
isttuicoes libertes nao mais do que urna
fle.
luaodo o vomo governo ecretou o appello
ao piro, tinha terminado o summario do sea pro-
cassi; differimo* porm a sua vista, afim de qne
urna oincideacia involutaria foss interpretada
comoum manejo aleitoral. O armisticio legal que
estabwciamos nio deteve os revolucionarios. Jul-
aryjac supprimir por mel de um erlme o so-
oeram quando, abandonada a constitnicao anti-
ua> estava anda rotada a nova, equivala des-
trnirfuramente o proprio estado, e resolveram
exeeafc-, antes de 8 de maio, proiectos de ha mui-
W ooMUos.
' Metas circumstancias dever nosso fazer
um a#He publico justja da afio. O numero
dos acosados, a natureza o gravdade do assurap-
to, a SDssidade de concentrar as diversas iofor-
raajofli mecidas pelos tribunaes de Fraofa e
as exigewas da ordem publica motivam a convo-
carlo Mtapremo tribanal para qne Intenda nesla
causa.
'aelo nao privar os acensad* da garan-
i do jolgamento pelo jury, mas antes a
, eoi logar d seren os representantes
de, os jurados serio os representantes
Mnteira.
a honra de ser como mais profundo
respeito/*nhor, de V. M., mui dedicado servo.-
EmiliajLftr. ,
O reMwo do procurador imperial o Sr. Grand-
perret, oteando se afirma, urna violacao de teda
a justicAj.^ica aos ps a le e reproduz todos os
relatortodi polica, todas as denuncias dos afo-
liados da |
eoffi
Vei
rente o
A' data
nbecero
cumscrii
C >nhi
ifeitura todas as deelaraedes de bo-
e isto antes qne os presos tenham
I interrogatorio.
'- effeUvameite no domingo 8 do cor
as provincias
agentes mazzinistas
quem a firmeza inabalavel do ejercito contm an-
da, mas que renovaram os seus movimentos se-
diciosos se chegassem rebentar disturbios em
r ranea.
Na cmara dos deputados em Florenc,a pe-
dio-se a repressao da guerrilhagem. O Sr. Lanza
respondeu que segundo as informacoes que tinha
recebido, a guerrilhagem as Calabrias j nao me-
rece importancia. Accrescentou que apenas se
apresentam aguns factos solados.
SegunJo as informacoes do commandan'.e mili-
tar, os banjos que anda existem no campo con-
tam todos reunidos seus quarenla bomens.
Dilerenies depulados faflaram de um Inglez qoe,
ha annos, teve de pagar o seu resgate aos saltea-
dores que o apprehenderam; vieram a tela os l-
timos acon'ecimenlos da Grecia para mostrar a
urgencia da repressao das gnerrilhas que ainda
existem e que apparecem estrada para se apos-
sarem dos viajante.-.
Um bando de uns 300 facciosos qne existia.en
Catanzaro, foi disperso pelas tropas italianas ;
Menot Garbaldi e outros offereceram o seu con-
curso contra s facciosos.
_ Haviase descoberto em Roma urna conjura-
eo que tinha por fim fazer ir pelos ares a cuerna
da Ave Maria, onde estao aquartellados os solda-
dos da legiao de Antibes. 0 governo pontificio
descobrio a tempo os barris de plvora que de-
viam servir para a expiosao.
A commisso de guerra da cmara dos de-
pntados'de Floren?a apresentou o seu relatorio
Mjbre o orcamento militar. A commisso propoe
dillerenles reformas, das quaes sem rodzirem
redueooes nos quadros nein no effectivo do exer-
cito, resulta para o estado urna economa de cinco
railhoes.
Dizem que em consequencia de um accordo
feito entre o ministro, da fazenda e a regi dos ta-
bacos, a governo italiano espera realisar a sornraa
de 63 milhes por anlecipacao da regie.
SLISSA.
O cooselho federal da Soissa oceupando se
actualmeote da revisao da constitaicao federal, qae
deve ser discutida pelo menos no prximo mez de
julho pelas cmaras suissas, quasi certo que o
referendum (votacao obtida as eommnnas pela
adop^o ou rejeicao das leis votadas pelas legisla-
turas) que ate agora se hmitava s legislacSes na-
cionaes, seja igualmente introdnzido pa lei funda-
mental da consiituicao.
A questao t5o debatida da admissio das ma-
lheres ao ensino superior e aos diplomas embola-
res, est ponto de se resolver na Snissa cora as
applicacoes pratfeas; dizem de Berne que j se
acham inscriptas quatorze mulheres na facnldade
de medicina de Zurich, e seguiado o curso com os
Mudantes do sexo mascolino.
INGLATERRA.
A cmara dos cammuns adopton por 124 votos
contra 21 em segunda leitura urna proposta que
estende ao sexo femenino as condciles actualmen-
te exigidas pela lei pra a constituicao do direfto
eleitoral do sexo femeninp.
A proposta tem toda a probabilidade de ser tam-
bem approvada .na commisso.
Se esta proposta for definitivamente votada nao
augmentar seosivelmente por isso demasiadamen-
te o numero dos votantes, por isso qae todas as
mulheres casadas e todas as que nao sendo casa-
das nao pag^am as taxas ou os mpostos de domici-
lie*, que sao necessarios para es horneas serem
elertere, pao podem gozar dos beneficios da lei;
mas o prncipio rica votado.
Contnbaio maito para se conseguir este resalta
das vtaeSea em algump cir-
_ ido' a Argelia. Os resultados
, *m0Mim, 1:415,000 nao. m
PWW foi a vb^co rftTee * e 114,000 sim ; em
Bordeas 15 M nSo e nmil tm ^ mi jj}fteH.
do, o facto das muberes ttavas oq, celibaurias
ultimas notioias faluva anda a co-t que pagam certo censo, sao j eleitoras das mu-
nicipalidades. O Sr, BrifhL-lrmao do ministro
desle nome, e um dos ataiflaergicos defensores
do cmmioJfnU, arflumenten cora exemploa estatis-
listieos bastante frisantes: Na cidade dn,Bath ha
mnitas mulherea que vivem do rendimento dos
alugueres de orsas aos baohistas; all ha uihji elei-
tora por 3, 8 eletores; em Wolsall ha ura eleilora
por 22,9 eleitores obsevaudo as diversas listas
municipaes, ha, termo medio, urna eleitora por seis
ou oito eleitores.
ALLEMANHA.
Dizem de Berln que o re di Prussia est
firme no sea antigo projecto de perador d'Allemanha. Assevera-se qae est pro-
jectaia a Visita Berln do czar, do re da Baviera
e do rei de Wurtemberg.
Apesar do Sr. de Bismark j estar restable-
cido contina a prolongar a sua estada em Vaco
para evitar comparecer no parlamento aduaneiro,
pela responsabilidade que pesa no governo prus-
siano por ter augmentado o direito de imporiacao
sobre o caf.
O gabinete de Berln espera desta medida ren-
dimentos sufflcientes para compensar a dirainaicao
das entradas as alfandegas.
Devia j ter-se aberto a discusso, mas j se sabe
que a maioria contraria nova tarifa.
O espirito que domina no parlamento aduaneiro
hostil ao presidente da confederaejio da Allema-
nha do Norte e por isso o Sr. de Bismarck cenhe-
cendo o sea carcter arrebatado procara evitar
todo o contacto com o parlamento aduaneiro.
Foi, porm, adoptada urna propista apresentada
pelo Sr. Patou, afim de se manter a reduccao dos
direitos sobre o ferro em bruto, e sobre o
arroz.
A proposta aceita os direitos sobre os cafs
como havia sido proposto pelo governo. Por parte
da chancellara federal declarou o Sr. Delbruck
que annuia a proposta.
Dizem de Vienna que foi ltimamente lida
pelo nuncio do papa ao ministro dos negocios es-
trangeiro d'Austria, urna nota do cardeal Aotonelli
em resposta note que foi entregue ao governo
pontificio pelo ministro d'Austria om Roma, o con-
de Trautraannsdorf.
A pedido do ministro dos negocios estrangeiros,
o nuncio deixou urna copia da nota pontificia ao
chanceller do imperio. Parece que a nota pma
resposta nota austraca de 10 de fevereiro, rela-
tivamente ao negocio do concilio, nota, que, sem
que nenhum gabinete estrangeiro tomasse parte
nella foi expedida para Roma naquella poca, no
momento em que os caones do Schema De Eccle-
sia entravam em discusso.
A nota do cordeal Antonell sustenta com firme-
za, e sera nenhuma modiflcaco o ponto de partida
da santa s e torna-se notavel por urna eerta viva-
cidade de linguagem.
Acha-se j recomposlo o ministerio austraco,
sendo nomeado o conselheiro de estado o Sr. Holz-
getharo ministro da fazenda, Petrino para as fanc-
edes de ministro da defeza do paz, e o deputado
Von Widmann ministro da agricultura.
oriente .
Da Romana participa o telegrapho ter-se
constituido alli um novo ministerio definitivo pre-
sidido pelo Sr. Essaream; vinte e quatro horas
drpois participa-se a formacao de outro gabinete,
definitivo presidido pero Sr. Costaki.
Diz o Gaulois que a Austria, a Franca, a Pru*si
a a Italia lizeram saber Inglaterra que estavam
dispostas a urna aecao collectiva m Grecia, afim
de deixar a salvo, por urna unio eommum a sns-
ceptibilidade da Russia a tudo que se refere ao
Oriente e religio grega, e obrigar o governo
Srego a tomar disposieoes elBcazes contra o ban-
oleirsmo. O gabinete de S. Petersburgo nao se
assoeia s potencias occidentaes.
O gabinete hellenieo foi o primeiro em declarar
s potencias, que, em consequencia do triste acon-
tecimento de Marathn, reconhecht ter a obrigacao
de dar todas as satisfacoes que se podem dar a um
governo, a proposito de um facto, que lgou a sua
responsabilidade moral.
O governo. grego, manifestou-se ao mesmo tem-
po esperanca que tinha de que iientium procedi-
meDto haveria, que lvesse por consequencia o
enfraquecimento da sua autoridade em face dos
seus proprios subditos.
HRSPANHA.
O general Prm respondendo a Ardanaz, de
parecer que as cortes devem lew a cabo a sua
missao constitucional, mas declara qae nao sabe
se a eleico de re poder faser-se ; repeli que
nao qner ficar derrotado na questao da escnlha de
monarcha, e que por isso nao repellir solucae
alguma.
O presidente do conselho proraetteu tambem
tratar desta qnestao quanto antes de serem dissol-
vidas as curtes. Na sua opiniao, nenhum candi-
dato seria capaz actualmente de reunir maio-
ria.
Ardanaz feticitou-se por Prira declarar qne a
questo de monarcha seria levada s cortes antes
deltas serem aissolvidas.
As folhas Montpensleristas sustentem actual-
mente com mais vivacidade de que nunca a can-
didatura daquelle principe; e trabalham com toda
o affan para conseguir em que o regente passe
vida particular.
Houve um conselho a que foram convocado
? homens mais distados daquelle paiz; parece
ue para esse fim foram a Madrid o Sr. Olzaga,
embaixador em Paris, e o Sr. Ros y Rosas emba-
xador em Lisboa; parece que se tratou de candi-
daturas, e dos perigos que acarretaria a candida-
tura do principe de Hohuizollern.
Falla-se novamente de urna soluco portugueza,
escolhendo-se o pequeo principe D. AJfooso, filbo
segando de el-rei D. han.
Parece que tambem sao chamados Madrid es
ministros de Hespanha em Franga e Vienna.
AMRICA.
Os, jornaes americanos contam da meneira se-
guate a cataslropbe de Richmond : No dia 27 de
abril de maoba devia julgar-se no tribunal de
appellacao urna cauta celebre local em que se
acba interessada a maioria dos habitantes de
Richmond. A affluencia de gente era considerar
vel; a sala esta va apinhada de gente; de repente
e sem qae a madeira dsse o mais- pequno signal
do que ia acontecer, abateu o sobrado, o toda a
gente foi precipitada em baixo, na sala do con-
gresso, onde os deputados estavam em seasio. F-
caram sas e salvas urnas vinte pessoas, entre as
quaes se conta o governador Walker, osiuizes do
tribunal e alguns deputados; estao feridas algu-
mas duzentas pessoas, a maior parte gravemente,
eootando-se neste numero o governador Wells. O
numero dos morios anda nao conbecido. A ci-
dade est doloroiamente'commovida; a praija do
Capitolio atnibada de gente, estao todos a espera
que desembaracen] o tbeatro da eataslrophe para
saber se teem algum prente ou amigo entre as
Victimas.
Dizem de Washington que na sesso dos re-
presentantes de 2 de maio oSp. Calkins, republi-
cano de New-York apresentou urna raocio decla-
rando qae a oniuiao geral do povo americano re-
clama va urna reparacao i inmediata da Gra-Bre-
tanha pela destruicao dos navios pertencentes aos
cidaoaos dos Fstados-Unidos, levada a efleto pelo
vapor pirata Alabama, e outros da mesma especie
pedindo ao presidente que faca activar as reclama-
cSes pelo Alabama, para urna prompta soluco
afim de que os cidadaos possam ser indemnisados
quanto antes das suas perdas, e se conserve a
boora da naco.
Ditia-se que os tnonaotu estavam-se arman-
do secretamente, afim de resistirem a que se de
nova forca s leis nacionaes contra a polyga/
Jos Cardoso Vieira de Castro o orajor parla-
mentar e publicista notavel, assassinou sua mulher
D. Claudina Adelaida Guimares Vieira de Castro
de 21 aunos de idade, no dia 9 do correte de
madrugada.
a Vieira de Castro ontregou-se polirta e est
preso na eadeia do Limoeiro. Confessou o sen cr-
me aojoizdo2districto eriminal, dizendo qne
Conheeia hem ol cdigos, mas qne nao tinha outro
meio de lavar a affronta de quem o deshon-
rara.
A narracao e coramentarios desta he/rivel
tragedia circulavara por toda a cidade attonita,
muito antes que os joroies lhe contessem os pro-
menores.
O onensor da honra de Vieira de Castro nao
aceitou o duello de m re que o offendido lhe man-
dar propr pelos Srs. Allomo Rodrigues Sara-
payo e Ramallio Ortigio. Depois de confessar-se
ao geral dos padres Inglezinrns parti para Fran
ca pelo caroioho de ferro, declarando que ia entrar
n'um convento de jezutas. E'>obrinho do viscon-
de dAlmeida Garrett; chami-se Jos Mara de
Almeida Garrett, prente arad remoto de-Vieira
de Castro, e por elle protegido etonsiderado como
amigo I Offerecera-se mortO designando aos
padrinhos 8o offendido o caminhijque levava-at
estacao do caminho de ferro, mas negou-se ba-
ter-se com elle, como fica dito.
Em resumo, e este o lamentavel sucoesso
Eue serve de assurnpto s converiacoes de toda
isboa ha quatro das. Todos se condem de ta-
manho infortuno, que encheu de hielo duas fa-
milias respeitaveis.
Um talento de primeir naden rremediavel-
mente perdido, quand todos lhe reconheciam re-
cursos inlellectuaes e dotes oratorios extraordna-
nos que o elevHriam cedo aos primeiros cargos da
repblica que a sua reputacao Ibe conquistara,
asura que os arabcionasae deveras Dina menina
formosa, hem educada, nascida na opulencia e
ladada para a felicidado estrangulada ntf proprio
ihalaino por fuelle mesmo que anda ha tres au-
no a recebera por esposa !
A victima era filha do Sr. Antn Goncalves
Guipaaraes, naiaral de Fafe (Portugal) e ha pon-
eos mezes fallecido no Rio de Janeiro, onde exer-
eera por muitos annos a prolissao de commer-
cante. Ulmarnente possuio valiosas propriedades,
sendo um dos mais fortes capitalistas da- praoa do
Itio de Janeiro.
A fallecida era senhora de compleicao delica-
da, muito alvae sympathica physowmMa. Ha pou-
eos mezes fallegeu aqui em Lisboa, de urna phty-
sica pulmonar sea irmo, tambem eh verdes an-
nos, pois, tinha quasi a mesma idade de sua irma,
Seu pai mandan-o viajar por conselho dos mdi-
cos. Seu pai brevemente fallecen.
O cadver da desventurada esposa de Vieira
de Castro, lico, por ser ja tarde, quando chegou
ao cemiter dos Prezeres, depositado na casa mor-
tuaria. No da 11 foi cotlocado o fretro no jazigo
do c*W>re estadista Mantel Antonio Vieifa de
Castro, assistindo a esse acto pessoas de sua fa-
milia. Tinha-se procedido na vespera autopsia
para levantar o auto do corpo de delicio.
Votaram os depuudos na especialidade a pro-
posta de conlribuico industrial, em que se d
largt autorisacao ao governo para alterar as taxas
laucadas * industrias e ao commercio, cjassifica-
ra indnstrias como bem ihe pareen o alterar a clas-
silicaeao das ierras I A iniciativa de imposto?, qpe
em virtude d le fundamental do estado pertence
aos representantes do povo, foi ab&;ada as mos
do poder executivo. Assim deve ser, visto qa* o
povo, em vez de ter elegido representantes firmes
em pugnar pelos seus foros e prerogativasy (o
mero portador de listas em que o governo ao-
raeava os chancelleiros de seus arbitrios.
E pagar o povo novos impostes-?
A sorteaos industrias e dos industriaes fica
rnerc do governo, mas nao ser de esperar que o
governo eflctue as* respectivas cobrancas com a
l'acilidade qae imagina.
Ninguem sabe at onde pode ir o imposto,
porque o propno ministro da fazenda o nao sabe
tambem. Emquanto o ministro declara que o ac-
creseimo ser de 4OO:0U0, o relator da commis-
so aflirma que esse augmento seria muito maior.
V-se que depende ludo do aroitrio do poder exe-
cutivo. Para que serve enlo o parlamento ?.
< A mai ;ria votando assim, da a medida da sua
condescendencia, parque delegar em temanha es-
cala as attribuicoes parlamenteees, ainda o se nao
linha feito.
Emquaato isto se passa em relacao ao projec-
to de reforma e augmento do imp >s"io industrial,
reane-se em Coimbra o claustro pleno dos lentes
da univarsidade (foi a 9) para accordarem n'uma
representacao s curtes, contra a proposta n. 13
dp jubilarles e aposentagoes. A commisso nsmea-
da compoe-se dos Srs. Dss. Bernardo- de Serpa,
Bernardo de Albuquerque, e Vaz, para redigirem
a representacao.
Todos os lunecionariss civis tratara de repre-
sentar eom essa proposta, de lei.
Torna-se ontravea aJallar n'uma candidatu-
ra portugueza ao throno de Hespanha, e que por
06te motivo foram chamados a Madrid o Sr. Oto-
zaga e o Sr. Fernandez de los Raos, embaixador
de Hespanha era Portugal.
Parece qne o candidato o joven infante D.
Alfonso, segundo lilho do Sr. Di Luiz I e da Sra.
IX Mara Pa.
Veremoe, diz boje o Joui do Commercio :
Renova-se a iberismo?
c Procedeu-se hentem a iaunemo do cabo te-
telegrapbo estiver desempedido e de prevencao.
A colfocacSo do cabo da costa assistiram o
Sr. Depecber, represeotaote da companhia Fot-
mouth, Gibraltar .Malta Tetegraph, o Sr. Mon-
diolio, director dos telegraphos do remo, o Sr. Do-
re, chefe da eslacao da telegrapho submarino, e
um pequeo numero de convidados, entre os quaes
os pares do reino Coste Lobo e Barreiros, e o an-
tigo deputado s cortes e secretario da associaco
commercal de Lisboa, o Sr. Jos Dyoniso de Mel-
le e Faro.
Foram eleilos deputados s cortes, pela ilha
de Madeira os Srs. Luiz Vicente de Affoneca e
Ago.-tinho Ornellas, ambos d opposico. A elei-
pao destes cavalheiros foi disputada, chegando, se-
Sundo se conla, a haver tropelas e violencias in-
eco rosas.
O Sr. Pereira de Miranda, deputado por Lis-
boa, entregou ha poucos dia ao digno ministro do
Brasil nesta corte, urna felicitacao que a associaco
rommercial de Coimbra dirige ao Sr. conselheiro
Lisboa pela termraaco da guerra entre o Brasil
e o Paraguay.
Foi oosfo em liberdade o-Sr Jeo Antonio
Fusicrl, que effl Porfalegre matara um homem em
defeza propria. E' elvefo fiscal da alfandega da-
quella cidade. O jury absolveu-o. Esteve oito
mezes na eadeia. Su espesa tallecer de pesar.
filho da Sra. Pusich eescriptora distincta! Dei-
Ihes
mai.
noticia na iiiuiIm ullima do seu brado de
ma.
fOlTOfiAL.
Damos era seguida a* cartas de nc#gr, j^^r,
correspondente de Lishoa, em. dnjs a> \i e ii
torrente;
legraphico, submarino, que o vapor Investigador
trouxe ha, tres das de Inglaterra, para ser eolio-
cado desde a cosa na praia chamada da Senba,
cerca de cera metros a oeste de S. Juliao al dez
milhas ao mar, ende dever soldar eom o cabo
viodo de Malla, por Gilbraltar.
< A operac eorreu exeellentemente, ficando a
extremidade do cabo do lado do mar suspenso de
urna boia, al que a 25 do correte possa ligar
com. o cabo, que o Edimburg ba de trazer do sul.
* O Edimmg passou no dia 6 vista de Cas-
caes em direceo a Malta, onde, deve ter ebegado a
11, levando a bordo toda a linha que deve ser as-
sentada da Mi at Lisboa, onde provavel que
ohegue a 25 do correte.
t O cabo de Lisboa para Falmoath deve vir no
Hibernia que se espera no Tejo peuco mais ou me-
os pelo mesmo tempo.
< A collocaco desta ultima ecco da linha far-
se-ba de Lisboa para o norte, por ser a estaco
ainda um pouco de receiar na Biscaia e no canal
da Mdheha.
< Logo que tiver ebegado ao Tejo o Kuburg,
(cari Lisboa em cominunic.ic.ao telegrapbica cora
Gibalur, Malla, Aiexandria, Suez, Adem, Bom-
ba! ui, Ceylo e Rangoo, no imperio Rinnan. Em se-
"uida locara lanbwn em communicaoao eom Sin
apura, e dahi eom Houg Kong e Maco por um
too e Penang e Australia pel outro. Os cabos
para todas oslas liabas estao em va de ser collo-
cados. .
a Dentro em douco, gragas a este, poderoso meio
de communicaoao, pode Lisboa presenciar muitas
vezee o phenomeno de receber de vespera um des-
pacho telegraphico que lhe traosmittido da In-
dia da dia segainte. Assim por exemplo, um te-
le#ramma expedido de Goa, via Bombaim, para
LuMa, pode ser transmittido i| duas horas da
manhia de um dia, e chagar ao sea destino as dez
nor i.*np9le ** *ia anterior, iste pela razio
mnlto sabida da longitude, sebdo o tempo cinco
horas; e Untos minutos mais avanoado em Goa
que em Lisboa, e de vendo gastar-a kom % trans-
miss,ap 49 wspacb,^ quando. muito urna hora, se q
A junta consultiva de instraeco publica, tem
discutido ultimamaBte a reforma de instrucijo se
cundaria. Diz se que estao quasi concluidos os
trabalhos.
Houve ha das urna interpellacio na casa
electiva sobre as cousas da Zambezia. Tomaram
plena discusso diversos oradores, sendo muito no-
tavel o discurso do Sr. Thoraaz de Carvalho lente
da escola de medicina de Lisboa, e antigo parla-
mentar.
O Sr. Rebello da Silva, em sua resposta disse
que, para terminar a guerra contra o Bonga, con-
vero utihsar os recursos j existentes em Mozam-
bique, os restos da expediejo, e a guerra preta,
reforcaodo estes elementos- com alguma tropa do
batalho dos negros de Angola. Sendo importan-
te segurar a navegaglo do Z^mbeze, tratou o mi-
nistro de informar se em Inglaterra, acerca do-
custo de vapores de reboque e lanchas para aquel-
te rio. Podem adqnirir-se estes barcos por des
ou doze mil libras. Acerca dos aiigos aurferos,
oSr. Rebello da Silva, ioformou a cmara de que
mandara fazer um estudo geolgico pelo engenhei
ro allemao Moltke. Os resultados desle estudo
mostrarlo o qae deve fazer-se. Finalmente acer-
ca da estrada que liga o oosso estabelecimeoto de
Lou renco Marques, com o territorio dos boers, dis-
se o ministro que mandara abrir negociaedes com
a repblica hollandeza, afim dessa estrada ser
feita pelo governo dos dous paizes. Ha apenas
de difQculdadea n'um trato etn terreno infestado
pea mosca. Tambem se deu ordem para estudar
as commnnicacoes ffuviaes de- Lourenco Marques
com o Interior. Dado isto parece acertado.
Receberam-se cartas de Dtty fTimor), notician-
do ter alli chegado a escuna trincipe Carlos, com
25 soldados ineorregiveis e seis cnins condemna-
do3 a gales. A questao de lov est adiada at
que alli chegue mais- forca; Tarde se decidir
essa qnestao. Esperava se a corveta D. Joiio,
e logo que chegasse, partira para Macau a es
cuna.
Vai abrir-se em Lisboa no pavimento supe-
rior escola naval um musen colonial, destinado
exposicao de productos vegetaes, animaes e mi-
neraes de Cabo-verde, Angola, Mocambique, India
portugueza, S. Thom Prncipe, Macau e Amor.
O rhuseu consta de cinco vastas salas que correm
paraHlas ra do Arsenal, e de urna extensa ga
leria que d para a banda do mar.
Abrio-se no dia oito a exposicao das bellas
artes. El-Rei assistio a este acto solemne,, e des-
tribuip os diplomas ao artistas que o respectivo
jnry propoz por premio ou mencao honrosa. A
exposicao tem obras de grande mrito. Tern sido
Visitada por grande numero de pessoas.
Ultima hora,Tumultuosa eorreu a sessao
honlem da cmara dos deputados, dando-Ibe mes-
mo o descoato da linguagem violenta, enrgica,
desesperada das folhas da opposico,, esta roanhaa.
O Norfolk vapor da carretra d'Afnca, entrou hon-
tein de tarde, e-trouxe noticias de gravissimos tu-
multos na ilha da Madeira, de fuzilaroentos de
povo pela tropa da villa de Machico, onde houve
quatro mertes e muitos feridos no proprio templo
onde se tinbam refugiad)!
A dppo3ic,3o iuterpellou o governo na cmara
hontein, antes da- ordem do dia; a presidencia
ne spube manter a disciplina do dbate, ou nao
poude, o quo mais provavel, pois o conselheiro
PalraeTo Pinto homem cordato e estimado fra
elevado presidencia com applauso e a contento
dos gregos e^troyaaos. A maioria quera abafar,
a discnsso ; houve alarido ; as galeras pronun-
ciaram-se; o presidente mandou sabir os assis-
lentes das tribunas e galeras, o quasi todos os de-
putados da minora sairam tambem da salaa das
sessoes, protestando que nunca, mais l voltaam
sem.que se Ibes nao dessem salisfacio, o qae real-
mente appeUar para a revalta I
< Isto assim anarchico e nao se admiren de
qae, se nao houver circumspectifes nos poderes
pblicos se julgue, nossa revelia, muita cousa
grave e loomentosa que mil vezes nos tem sido
questinoada por teda a Europa calta 11
OSr. Luiz de Campos deputado fallara, rela-
tando os graves sucessos eleitoraes e trgicos da
Ilha da Madeira, complemento inexperado dos fu-
Zilaraeutos d'Arada e Castro Daire, por causa dos
arrolamentos, eom graade moderaco s- candar,
mas. comtnovido como-o pedia o assurnpto. Vozes
da maioria o interromperam com apartes facetes,
descortezes e incooscientissimos. Descreviam-se
seeaas de sangue. Era repugnante redarguir-se
a narrativa com chufas e riso. Parece que o Sr.
Jos Luciano de Castro ( ministro da jastica ) foi
nm dos interceptores, qua lineando de falsa ama
asserciodo Sr. Luiz de Campos, que depois con-
fessou ser vetdadiira, e dando a mela voz um
bravo quando se fallava em se ter fuziladp o povo.
Varios jornaes aflirmam este incidente.
< Seguo-se o ministro da justica, ao principio
brando e moderado, roas logo depois violento.
< Paree* que n'uma d estes violencias njn-
riou em nassa todos os deputados da opposico.
D'estes pedirn, aligaos a palavra para desaffron-
lar o grapo a que pertencem mas jo presidente
declaran que s passava ordem do da.
NVto momento diz urna folha que relata a
sesso : a opposigo que se via offendida, vilipen-
diada e privada dos seus direitos, saiu em massa
da sala. A gallera publica pronunciou-se indig-
nada, clamando alguna qae estavam alli -.chegou
a occastio de deseemos l aba.ixo. > ,
< Foi necessario que viesse a guarda para des-
peja-la. '
Parece que depois o ministro da justica e o pre-
sidente deram satisfacaos, que a parte sensata da
maioria coodemnou, aecusando o Sr. FreRas e
Oliveira o presideote por sua falta de energa.
< Urna orise parlamentar na occasiao em que
ge levam de assaito propostas de lei tributarias,
urna crise grave e de triste* consequenoias. As
r^ovooaedes suceedem-se as provcateos no pro-
prio seto do parlamento.
Os depuudos da minora 4 noute reumram-
se. Parte da imprensa pede-lhes qae voltem ao
parlamento para protestaren), propondo urna mo-
efio de censura e asaignando urna meqsagem a
ararpara que deraitla o. |abA9tev
Quanlo aos successos da Madeira resomem-
se em violencias das autoridades- administrava^
aleadas pela linguagem feroz e provocante das fo-
lhas iocaes que as defendiam.
A. i do correnb! na assembla eleitoral do Ma-
cuico, e feita ai eleieo, os. eleitores queriam ficar
de guarda a urna para nao ser violada pelos agen
ti'S d autoridades. Levantou-se coatestacao. t>-
administrador postou guarda? da alfandega junto
a3 aliar-rar e como o povo nao saiese deu vw
d? fogo sobre a muitidao (!ll). Dous dos eleitore
ficaram morios a porta da igreja, um ferido mor-
a I mente, quatro gravemente e outros de meoo-
gravdade.
O' ferido mortalmente experiou quando eru
transportado para a cidade do Funchai. No d
do enterro reuniu-se muito povo que indignado
quiz atacar o palacio do governador cwl, e foi
gente da opposico quem o dissuadiu do seu in-
tento.
O admnstrador.do Fnnchal, jalga-se qae fu-
gui para os Acores. 0> seerelarie geral fngiu en.
ama rede, dizeudo os que o transportavaj qne
era urna mulher qae tvera o sea bom soecesso.
O candidato governamental Aotonia Correa
Henedia esteve i das no palhabote da aifandeg
do Fuodial, ao largo esperaodo que o Noriolk ap-
parecesse. Os vveres escassearam. O plhaboie
nao abordou- o Porto Sanio cora receio da povoa-
cac albarotada. O vapor poude recebe-lo no ait
A ilha eslava em socego saida do vapor.
Diz-se que o Sr. Barjona de Freilas ser o
defonsbr de Vieira de Castro. O procurador regio
nao defer n a peticao que o reo lhe Uzera- paro
que seu irmao podesse ficar na eadeia fazendo-
Ibe conpanhia, nem ooncedeu quoos amigos do
preso se demorassem na eadeia alm da hora-mar-
cada para as visitas.
Deve hoje proceder-?a- exame de sanidade
na Dessoa do preso pelos- fasultetivos Kterek e
Brilo.
O processo segu os traraite3 legaes.
Acaboo hontem na relacao o julgamenm .
ex-secretario do governo de timor, Francisco Tra-
vassos Valder (filho do fallecido conde de Bom-
llm i sobre o qual recahiam graves accasa*6es.
O tribanal absolveu o aecasado por decisac* un-
nime, fundndose em falta de provas.
O telegrapho transmute o seguinte despacho:
Pariz 12.Honiem de tarde foram ocenpados
militarmente os dous faulwurg* do Templo e V
Belleville. Depois d'essas- precaucoes nao Iwuvk
mais desordens. Houve apenas ajuntamentoa. O
mp!rados escreveu uma-carta ao general Caoro-
bert. dizendo que nunca soffreu quebra a suaeon-
liaooa oo exercito, e outra ao general Lebcn, fe-
licitando o pela firmeza das tropas.
Chegou hontem de^tarde o La-Plata do Btrasil.
A praca anima-se cada vez mais com as noticia-
dos cambios.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
ASSSMBLEA PROVINCIAL.Hontem, ca boro
do expediente, a assembla regeitou um requer-
raento do Sr. Paes Brrelo, pedindo mforraaedes-
ao chefe de olieia sobre motivos que deram lu-
gar demisso do ara guarda da casa de deten-
cao, depois de orarem os Srs. Paes Brrelo, Oli-
veira Fonceca, R. d'Almei.la, e G. de Dronraond.
Passando a ordem do dia, approvou em l.J dis-
cussi o projecto n. 101 desle aooo, marcaodo os
limjtes da freguezia de Serinhaem; e de n, 10.
revogando o ari; 2. da lei n. 236 de de mai^.
de 1849, depois de orar o Sr. G. Drammood'; o V
o. 108 deste aooo, maodandoadmittir no gyranasio
diversos menores, como pensionistas da provincia:
regeitou o de n. 92, aatorisando o governo a con-
tratar a illnminaco .gaa da freguez. do Poco
da Panella ; approvou em 2." discusso, as emen-
das offerecidas em 3.", ao de n. 53 desle anno, que
concede licenca ao Dr. Manoel de Siquera Caval-
cante, emprendo da secretaria do governo; em
3.* o de n. 70. que manda continuar a estrada de
Mitribeca at povoaco do mesmo nome ; em !.
o de n 34, que appro'va o contrato eslebrado com
Jos II. da Trindade para o eslabeieeimeflto de
trilhos urbanos deste cidade ; dispensado o in-
tersticio requerimento do Sr. E. de Oliveira :
approvou as emenda offerecidas era 3;* discusso
do projecto n. 33 de 1864, que crea a freguezia de
Nossa Senhora la Graca da Capnnga.; em I. o
de n. 113 deste anno, qae autorisn diversos crdi-
tos sapplemoteres, seedo dispensado o intersticio
requerimento do Sr. G. Drummond.
Continuando a . discusso do .orcamento mu
oicipal, foram approvados os arts. 6., 7. e 8.
A ordem do dia para hoje : continuarlo da
antecedentes, e ." discusso dos.projeelos ns. 3'
e 113; 3.* dos de ns. 3o e 94 todos deste aooo.
FASULDABE DE IDIREITO- DO RECIFE.
Acham-se matriculados nesje estabelecimento n^
aono corrente 434 alumnos, sendo 58 no primeinj
anno, 102 no segundo, 80 no tereeiro, 99 n.
djuarto, e 95 no quiato, dividindo-se assim por nu-
turaliiades :
Pernambuco 159
Parahvba 62
Baha' 60
Cear 31
Sergipe 31
Alagas 2i>
Maranhao 18
Para 11
Pauhy 10
Rio de Janeiro 8
Rio Grande do Norte 7
Minas Geraes 3
Rio Grande do Sol 3
Espirito Santo %
Paran f
Montevideo 1
Portugal 1
SOCIEDADE DOUS DE JULHO.Bofe haver,
sesso desta seciedade, em casa do presidente da
mesma.
PORTUGAL, Chamamos a atteocao dos lecto-
res para a desxripco do grave atlentado commet-
tido era Lisbda, pelo orador e pubhcisla Vieira d.-
Castro, em su* propria mulher, a qual damos em
nossa 8.a pagina. .
AFFOGADO.Foihentem tirado do rio Capiba-
ribe, no porto da Lfngoela, o subdito mglea James.
carpinteiro, o qual fallecen por asphixia por sub-
mersao.
GNEROS DE ESTIVA.O vapor ingtex Omi-
ia trouxe hontem : 100 caxas cha e 30 barris
manteiga a ordem; 70 canias queos a Carvalho
Zenha & C -; 101 a Joo Martins de Barros, 43 a
Thomaz de Aquino F. & C, 15 a J. Fernandes Lo-
pes, 36 a F. Alves Monteiro, 41 aJ. .Ignacio da
Coste, 3 a J. M. Palmeira, 33 a Corga irraaos, ix
a Lima Silva A C., JO a J. 1 Goncol Beltrao, 14
a J. M. da Rosa k Filhos, 6 a Patea Nash k C,
40 a J. a Braga & , 40 a ordem, Ha Silva*!.
Felippe, 16 a Barbosa & C I
EH TBANSITO.-Vieram ia Borona, no Otan-
do, com destino ao sol do imperio, 158 passagei-
ros.
DLNHEIRO.-O Qmtia levoa denos pracx
para q Rio de Janeiro 4:000*000 r.
COMMENDAllOR.Pelo govwao aortuguex aca-
ba di ser agradado eom a comineada' da Coawtt-
5*0 o Sr. Antonio Petreira da Silva Mala, oommer-
citnte de nossa pra\a,




:


3 ItM


apava**
-
0QW842 '1%Q de PemariflA -ij Safcbader 2ft d* Maio de 1870.

nsi7v?ro f fY
-
< ^omMIBWMi-ai ' ii .* .....ni
' ' 3 "--------------------
UNDOS BRASlLElR05.-Erara assTl**
toa praca de Londres :
30/0?lMSi 89 1/2 90.
i 1/2 (Vado i8."-38-60 4 *87
I Vi 0/8 do lfi:i 79 8*
NAVIOS A" CARGA.Em LisboaMexatub*
Bemtlano, ao futiTriumpho ambos para Per-
nainlnrco.
NWI03 MESADOS. A' Lisboa Ambroee
/.vapor) do Para a 4 ; ao Porto Curfa drvPurnnni
hoco a ;8, AtijsJjca Adamastor doMaraiiliV,
4Wm Jo pernambuco a 10, S. ilanoH II teVni a
II. v >
NAVIOS S*niDQS.-D^ Libd-Retompa0o a
3 para Pernambuco, Jom (vapm) a 4 para o
sisar. -If"'' a 11 p-*a lVmamhueo; do Parto
Sacia* a 28 para Peroambuco.
. SAtPSIRE E CARBNSB.-Etcs
ImIu de Liverpool, erara es*rados
najaeMe de 82 a 25 do crrente em viawnV para
ferDambuco, o este de l a 19 para o Cear, Ms
ranfca* e Para.
RfiX*.\MPAG8.Esta Bivio sabido de Lisboa a
8 lo crreme pira o no-so> jporlo irar u seguinto :
M pipas, 134- barris c lcaixas vinho, 8 -dita*
azulejos, 130 Has ceblas. 80 ditas slearina, 120
>dfca* cera, 3* pinas, G radas e 91 arria vkiagre,
35 ditos azeite, 73 ditos toncinho, fi volumes pas-
sas, 14 ditos drogas, 7 barricas alpista, 1W6 sac-
aos fa relio. 624 podras de cantara, 31 ancorlas
teitonas.
AGUA.Este navio sahido de Lisboa a 11 do
enfrente para o nossa porto traz : 136 pipas o 90
larris vinho, 130 ditos totirmho e carees, 18 nal-
xas azulaos, S ditas cha,- 330 ditas batata*, 4 sac-
aa* ero-doce, 200 ditos farelh, 3i6.pednra (k la-j
godo.
UAIAI. Kte navio que Mea va aahir de Lis-
boa .para o nossa porto traz : 102 pipas, \ meias.
* cairas o 126 "barris vinho, 70 itos azeite, o
ditos Mueinho, Se ditos e SO pipas vinagre, 9 ca-
xas conserva-, 430 ditas eer.i, 230 Jilos btales,
13 saceos farelio, 10 ditos m|ho, 19 v diftnes
drocas, 400 pedras di cantara, 130 Barris c.iL
NOTICJA* WMMERClAES. as principaes
- pracas da Enropa nram assim rotados os gneros
de produccio doBrasil :
averpooi, 12 s9k.dat.
O algoda- esta lirm ais preeo* de 1 a 14 Vs
de IVrnamhnro, de 10 !/! a II 1/8 o da Parniyba.
de II ill a;8 o de Marei, de 11 1/4 n 12 'l o
do Manrnhae, de 10 3/i a 12 /i o dj Rio Grande
do Norte, e a ll n/8 o do Cear.
O sacar esta freuxo aos presos de 2i/ a 27/6
0 hraoee e de 13/6 a 23/ o mascavado.
1 rara do Para desanimado 'le 47/a3/.
Os e 'iwos seceos salaados ootm de 7/ a 9 1/f,
e > verdes de i l/f a 3 3/4.
/'.c/T, 12 as / h. da m.
O algodo vae em alea. O boin ordinario do Per-
namburo obtm frsc. 37.
LOTERI.LA quo e aCha a venda a 148"
beaeScM da bpejl da Santa Cruz do ecife, a qual
c*rreno da PAS-AGEIR05 O vapor inglez filicida, vindo
dn > .*:mioten o .-ortos iMetmedwe trouxo:
Lessnls Ircinlor n; CaHUcn-e da S.Guim:ira>,
Itenrv A. lioasicer, li :nt>- Skelton, f, Sielum, WJ
IVde.loaqMim de S. Pedr-iss, M. F. da Costa, M.
Puretn PMOeotn a, F. A. C. deSfcUo, J. Oooeal-
v-s Carneiro. Rita M ira de J. C wicao, Fkatk
cm-i Pinto Pe< a, babel la Mendeara Pea, V.
J. Ad(l)ho dr B; Con-';;, M. urea doMendonca,
I. H. Marques, Mara Cecilia, J. fioberto \. Eozeu-
do P. Sonza.
Sihiraui para os pecios doslo mesrao vi-
|Hir:
A. 4. Gtmcaves, Br. ". de Paata Salles. Dr. V.
1 .a me ha Lins.-A. (aiaes Forra de A., Ai.es da
Silv.i. MarooUao- F.ibw.
Veio da Rabia M brigue bra-ileiro Jfiwi-
uhn:
lir.acm Femantes Ventura.
CJHTEWU PUBLiGQ.Obittwrio do dia 2 de
inai i 'lo 1870.
Mana da Conceieio, Goyanna, <>6 anno's, sollei-
ia, Ueeife; pleiro (ineumonia.
Luciana das Virgen*, Pernaoibuco, 60 anuos,
solieiri, Santo Antewip; tumor.
Feltx Gomes casado. Recife; dwrrhrci.
eorateo quer abrir, proprietai* dtt namcano, e a oajer-lhe todos os tn.umphos pos-
siveia o iojposiveis/iue desejer sobre mm. Aeeit-
alegrcm|ie tudas as nnalifloa^ique nie queii*
elle dar passafe por erart. (Jwiprtnss,
rei por falsario (sosteutario empre que
pura vei bora |ufesquer doenracutos qua me pessara op-
[iorj : eaitm, snppurtatvi-twlai as cosoflnenciajt
'e meu propivito, de flear siImicoso dianle d^

>r>;irtelaro do C'0Kie Perwmbuomo, mas njo ti inteiCCSo de Vil
lulaM com ello.
Etre mira e a Dr. Henriqae le\-ant-se urna Mu-
ral lia, qoe julgo iveacivel, a das coosideracl
de ;tmizailr e res(ic'ik> que consagro i seus paran-
tes, espe laliooate ao \eneraodo anciio, o Sr. ba-
rao do Utmga '
Repito, naotatarei eom o proprietario do Geri
i. m
srer-t
t.. .
niwi
anda maia revelar - lu publica a% fit0l4ipn)mrciu e execncoes ctvos e privativo dos pro
CCMes <&. I$>6, t o prosete ; chamo a aUpcte Meado de Faiia
. itt.$ o pi
publica pan minha JusScaci. espfei-anda
em tempn fsze-Sa logo q mentos .em meu poder, os miatis trt(L4a
xtralitf do venti'v d
e estes pelo do. frreniuano
Cfiva Brit.
0 publico oois sotismdi, q'scu mto att^
que matdbe. com os ikKurqentos em punbo.
RecifdW dciinaiod-: i'870.
Peioft'(Ci#, sejam quaes forem as provoca
vapores da Abre ina de toja e ipialquer vnnt?m que 1
em Lisboa; podesso levar na dscu:sao, e que para mira s^
Mflapre ingioria.
Redfe, 8 do maio de 1870.
liufino Augusto de Atmeida.
Aviso em tempo
Constando que una tk3 offlciaes do con-
selh de qualilicacao da regueiw dos Abo-
gadas, quer (jpaltcw para o ser coactivo
da guarda nacional, un hetaem liberto,
afirn de poder sor ollicial, pedimos aos
Srs. capities J >s Pereira da Cmiha Jnior,.
Amonio de S,i Leitio e Adriano da S'tlvs
Fana, e alfares Paulino Ayres, como ma>-^
bros do roaselho, para se opporem a que
semeilranie mjeit soja ejuaficado.
O aflhttdodovigario.
r
coipA:
___
? Hazareth.
No Liherdl de 19 do corrente mea vem publicada
urna cowespadencia assiguada peloMoleiro
em otie o promotor dista comarca Dr. Mauoel Ba-
rau tfOlivcira Mallo infamo o inijeraveliRente
calumado. _
O tir. Barata est mststo cima dessas argoicoes.
falsas, que cem de leve podem locar-lhe, o todos
que conheccm fazem-lhe a devida justifa..
O aoSuio autor da coCrespijoenea, que toi
ootr'ora o aatot do J )L-, lora tido o cynismo do de
clarar nesta comarca perapte pessoas maiores do
tuda a e*Bpc3o que so l^m esoripto ontra a Dr.
Barata par* he zor raiva, pois que as pOSSoas
de boui scBso.niu polca) acreditar as suas u--u-
sares!
m efftilo, mentir, e mentir cotn tanto ovis-
id-i pifa faxer raiva! E' tira jiessif systema,
digno siaente dn aaracJar.jMp conbsido do Sn
Moieiro.
SeoBr. Baratative'SQ pr-eedimento dosse
ente rieaprasivol e BfseraveL cor:o roereceria urna
rave censura; roas proceda a Dr. Barata como
tem procedido at 5 -o pre.-cute, CWJ5 tura sempre
elogios o estar a salvo de qualquer aecusaaoj
justa.
Basta que o Dr, Barata tenha < sou favor a
piuia dos honteos sosalos, pois que a dos in-
sensatos de nada va lem.
(Juera ser o Kolero, quera foi a Job?
RUCIKE 27 DE MAIO.
DE 1S70.
\S 3 1/2 HOBAS DA TABliK
Abjodio 1Jnorte"S85 rs. porkil. (eraodia^wtr-
t fera 25 do correte).
Aloeao de aiaoei I' norte-983 rs. por kil. posto-
a bordo a fre"! de li2 sem capa (quarta-feira
^pois de 3 horas da urdf
atobio sobro Londres 90 d/v 2 d. per li 006
iata-teiM depoisdi-ljpras da urld).
Cambio sobre l'aris 90 p. 43.* rs. per tranco.
w>naHo Jos Affonso,
Presidente.
Mesquita Jnior,-
Secreuiio.
ENGLISH BANK
O Rio de Janeiro j^imited
Oascoata lettras lia praca i laxa a con-
'encionar.
Rebebe dinueiro- em conta correnta hia
l raso Sxo.
Saca vista *: a praso sobre as ctdadet
jrlacipaes da Boropi. teja correspondeclos
ca Sabia, Bueaos-Arree, Montevideo, New-
? New-Orleaas, e efliitte artas de credi
awa os raesir^s Ivgares.
UA DO CMMEHCIO N. 36-
aLPANDWa.
pndimento dodia2 a 2.
'dem do dia 577
061:4323926
47:084 M91
1,008:517*117
Francisco da Chagas Cavnlcinw Passoa, creados
s prioie.rosspela a^a regia de 30 de maio de
1815, e lei, provucjat n. 8o,' de 3 de jupho de
1863 eMJMndjs pela^carta regia snpraatta.
Oi preMant'is deverlo apreseaur no-pras-4*
sessenta dias, snas peticfes instruidas da confor-
midad* com o decreto n. 811 do 30 de acost de
i!L
5 V Roteo Coelfio da Silt, jola maaieipal do
termo Kplmia, por" Sda Magesiade Ini|>erial
etc.
Faz saber que rm observancia do artigo 11 do
decreto a 817, de 30 dp agosto de 1851, * acha
i concurso os olflcios primeiro tabelliio escri
vio 4o eivcl, crime e la-protestes de lastras deste
. termo, em comequemwa de havor fallecido o aer-
tentaario Felipe do N'ascimento de Faris, e pelo
presente convida os preteodentcs aos referidos ol-
flcios, a apresentarwn suas peticoes devidamente
instruidas com os documentos proscriptos pelo
artigo 14 e J 1 do supracitado decreto, dentro
do praso de sessenta Oa", a contar da data do
presente que ser anisado nos lugares do eos-
uto*.
Olinda, 28 de fevereiro de 1870.
- Eu Gbristcrao da Rucha Cumia Souto Maior, es-
jrivao intrrino o ecrevi.Coelho da Silva.
' Esta conforme eom o original.OliBda, 28 de
rieverdro de 1870.
Christov.ao da Rocha Cunha Souto Vaior.
Gaia.
0 Dr. Rufino Coelho da Silva juii municipal e de
orphiu e constitucional, que Deas guarde etc.
Fa$o saber a quera inleressar poesa, que se acba
a_concursa, na forma da lei, os ofncios de escri-
vao de rphaos, ausentes, residuos e capellas deste
termo, pelo que convido os pretndeme* aos re-
feridos llicios a apr.-'seatarem suas peli;oes ins-
truidas c docujBcotadas na forma do artigo 14,
Io, do decreto n 8S1, e if to dentro do praso de
sessenta dias presenptos peIa.mesoia lei.
E para que cnegue ao coobecimento de todos
mandei passar o presente edital que ser afllxado
no lugar do costume e publicado pela ifnpreasa.
Passado nesta cidade do Clinda, aos lo dias do
mea de fevereiro de 1870.
Eu, Joaqun) Hcrmillo Candido das Chagas, es-
crivao de orphaos interino o subscievi.Rufino
Coelho da Silva.
Ao sello, ex-officio valha sera sello x-cnusa.
Est couorme.0 escrivo de orphaos interino,
loaquim Heruiillo Candido das Chayas.0 secre-
tario interino, Elias Frederico de Almeida e Al-
buquerque.
Consulado provinttaL
Pele cajuulado prowmial fis^e publico que em
o mez prlntimoJa jooho cotuda, a eonser o praso
dos 30 dias otell para a cobranza bocea do co-
fre dos impostis da dcima urbana de 5 Op) sobrt
os bens de rali, de corporaeao de' mito-afcrU, e
do onsnmo de a?uardi>nte( relativos aoqprente
aono n'n-n-ririiitr fii" "f^iaarrrr'n li mi Hn
de 6 0|0 os onP'.ribuint-'s que nao iatis|Mrem
,snas quoias dr:ro de^te nraso.
' Consulado provincial 27 de maio de 1871.
O administrador,
> Antonio Carneiro Machado Rios.

i; o ver no do bispatlo. '
Para evitar certas duvjdas que se lem dado Da
cmara episcopal acerca de' dispensas matripio-
niaes, e tenJoo F.xra. e Rvm. Sr. bispo diocesano
encarregado dn recebunento e entregadas mes-
mas ao Sr. oflicial da mesma cmara Julio Cesar
Cardoao Avr-'s. f;ic.o ceno todas as pessoas que
viverem -d* entregar dispensas para serem envia-
das internunciatura apostlica quo se tntendam
com o referido offlcial da cmara, nico respon-
sarel por toda e qualquer dispensa d'esta dala em
diante, nao podendo nenbum outro empregado
receber ditas dispeosas, sob pena de ser responsa-
bilizado. O Rrd. escrivo da cmara, depois de
Idr esta portara perante os tmpregados, a man-
dar publicar nos ornaes offlciaes d'esta cidade.
Assignado Gomo.
IIXM
ov
0$ MILaGRES D S. APTTOPin
te todaafflpanhl-i
o, vestuario e accaanrios, sao nteira-
rae
IVCS.
ilbetes
Iro.
it*Doo
1*000
1*000
Camarote cotn 8 i
Cadeiraa
Platea
AVISO ESPECIAt
As pessoas ana rrorarem noBetife a era toda
a linha frrea,-t Apipncos, qaaado eomprareni
bilbeie de cauarote, uu cadeirav inraV passagens
gratis, ora wagn, antes e depois d*> espcjlacalo.
Prineip)ar as 7 1|J horas.
AVISOS MARTIMOS.
As pesso.ts que qnlzorem contratar o lorne-
cimenlo de carne, pao, effeitos de venda e de mo-
Ihados ao Asyk' de kendicidade, podero aprsen-
la r propostas em cartas fechadas ao Sr. caprtao
Amaro dr Barros Correa, mordoraoda Santa .Casa,
at o dia 30 minbailas para a alfmdega; onde o referido mor
domo ser diariamente encontrado. 6 contrato
ser realisado cora aquello que offerecer menos
preco, e no d.a 31 deveao^js proponentes compa-
recer no mesno Asylo, as 0 horas da manhaa.
OVIMENTO DA *LF>iNDEGA
Iolurncs eutrad^'S a**u fajau
Ideas idee com geueros
7olnraes saftidos cora fazeodaa
dem dem coro gneros
234
47'
129
1405
708
io3i
t"1(^carr,icam boje 28 de maio.
Brigue itaSanofViift Eujcniomercadorfes.
Brigue portuguezJwthmercadorias.
Barca inglezaRedbriastdem.
niotiesse poj de'cnvefgohhar a nobre Bripie hoflandejCer i uerience a-se ente de.-prasivel, dira Brigue w&ezTnj Agmtfnno.
classe, a que pnenos a-se ente, -e.^presiv
oseuuome: entretanto, soniado-me s faces o
rubor, o cjmpadpceudo-me das miserias do prxi-
mo nao declinarei b norae-d.sse infame calum-
niador.
O Sr. Moleiro rasid'! na cidade de Nazarelh. -e a
posicao que ocoepa digna yertamente de meihor
hCEBEDOKIA )E OBNDAS INTERNAS BAES DE PENAMBCO.
^n'imentado dia 2 o 25 53:5282493
dem dot, dia 27....... 293170o
38:460*108
Fcancisc-D.'Pernawtioe", 7 meses,4oaviata? u-
ia rtera.
Frantcim XULfOift VwBna, PTflantbuco, 20 aanos
Koavi-t.-i; uibercoUs failinonar.-)..
loaquim, PernanitHV, 8 tows/Boavisu, den-
tlcio.
"Jucnn-.\ Faoinda, Pocsambuca, uO annos, sohetra,
Boavista; earlb ehrfxiic*.
VBdr, Pasoainbn-vj 1 raoo, Beaife ; diarrhea.
-r-26
Monoel Itibsiro de CjHBpot, Osar, "i'i anuos sol-
tetro. Boavista ; pntjri^a p-riniaaar.
Aftredn, Prnam*oro. 18 mecas, B avista; gas-
tro "tHerUe.
S^-iin, -Peraambaoo, 22 annos, Boavista; coo-
ge4o :.3tn:ar.ar.
IfintdB, ..imc.-i,'70 innos, vw0, Boavista;
diirsftsji. ,
Atniioef/.phiin- 17 aeiii, cavado, ;!..*;sU ; derramamenio cere-
tirai.
Bento .'is; d Castra Antuties Maiatihao, W ao-<
ii -. 'it-iro. Sanio isntenso; febre dynamicros.
ka Slari.: ios Asm un, Peroaiabueo, 60 aunos,
vinr.i, S. I&6\ desiner.a.
I.oiireiico, iblliea, 31 anuos, sjlleiro, S. Josc ;
'!o pohooaar.
\ot.a ile Jasas Mitn. i'ernamlHCo', 36 annos'
Kan, Santo Aataafcc; tubrculos pulmonares.'
o-e. .-. o.i> ier.
- 0
Felii'ierto, rrnai,iiiu;o, 38 anuos, .olteiro, Ba-
i-ia : .Hitante (Ho-p&al Pedro l). *
la '.asado Lima frica, 78 annos, vuvo, Bos-
vi-ta; linterite. (BsspiaJ Pedro II).
Jos, Pernamtuco, 6 dias. Sanio Antonio ; es-
pa-tno.
Garasna, Pemarabn:o, i.'i annos, *oke*ra, Santo
Antonia; phthitica pulmonar.
ertrudes, frica. 90 annos, solteira, S. Jofi;
Miemia.
\mbrosin.-), Pernambuce, 28 anuos sollera,
l-uvisia; liem rr.igia uterina.
Eliam Laurencofiodrigues Peroira, Poruambuco,
49 amios, sol'eiro, S. Jos;,febre typaoide.
J i.i-.tdo. Bwavista nspatite.
Jwonsina Saniieo de Lyra, Pernambuco, y) an-
uos, vi uva, Jaboatao; de repente.
i.uiza, frica, 70 annos, soiteiro, Boavista; ca-
tlian o pulmonar.
Juvencio Gomes de Ahreu, Peraambuqo, casado,
i' dfe; estopor. .
M..noel, Pernambuco, 15 das, banto Antonio;
cinvuisoes.
Maria Digna de Vasconcell^, Pernambuco, 27
ibo& casaJa, S. Jo-.; tubrculos pulmousros.
ERRATA.
Na sessao de 14 do corrente, publicada no Da-
j-it de liontem, pag.l' col. * i. 9, o adAttivo
que est assignado pelo Sr. J. Mello llego, fol pre-
sentado pelo Sr. Manuel do Reg.
FUBLICACOES A PENDO.
to pnbltco
(loando escrevi o ligeiro artigo publicad;) no
imito de 23 do corrente. expondo e motivo de
ninha retirada da redaccao do Corrtio Ptrnam-
i ano n5o tivo em mente molestar por forraa al-,
-urna o prbprfetano d'aqnelle jornal* pois nao o-^
alia r xae para tanto, e quaado a>tiveese nao o de
Eslou habilitadssiino para afBrraar, que neahn
ma sociecado.existe entre o advagado Manoel, de
Macedo e e Or. Rarata. desde que foi eto nomea-
lo promotor publico de-ta comarca, e o Sr. Mo-
leiro nao pode pr.ivar o contrario,.do que afirmo.
Foi instaurado um processo crime contra Jos
Fr.inn.-d Rola por se acbar incurso no art. 205
do cdigo pona! pelo espancamento feito na pes'na
de Joao Uatbeus, par.:ate prximo do Br. Ba-
rata.
Depcserain oto testemunbas, e todas 'oram
contestes era afiirraar quo Rote nha sido aggre-
dido por Joao Matneus. Foi Rola pronunciado
pelo subdelegado de Larangeirao como iniurso no
referido art. 20.', cuja pronuncia foi sustentada
pelo-juiz municipal.
Al eniao Rola nao estaba preso, apezar das d-
ligoacias empreadas pela autoridade policial.
Pouco lempo depois, estando em ejercicio da
snbdelegacia de Larangeiras n tenente Pedro Fran-
cisco de Oliveira Mello, primo do Dr. Barata, de
Manoel Cabra!, do tenente coronel Jos Cahral, e
mano do epUao Jos Podro de Otivoira Mellor
presdeu Rola e remetteu-o para a cdeia da ci-
dade.
Prepasado o processo foi Rola submelido a jal
gamenlo e absolvido pelo conselbo de senten^a.
Na organisa^ko do conselho para o juicamente
tt Rola, nein o promotor publico o Dr. Barata e
ntsm o advogado de Rola Manoel de Macedo re-
cuiaram um so juiz de laclo, cotoo consta do pro-
cesso.
O Sr. Moleiro por cautela occultou^ era sua
correspoudeniia nao o nome do -ubdelgaao que
prenJeu Rola, ?j;iio t.iobera o pawntesco, $j-e ha
entre o subdelegado, o Dr. Baraia. o capiao Jos
Pedro de Oliveira Mello e Manoel Cabrat. etc.
Agora aprecie o Ilustrado publico, qual foi a
proteocao dada a *la pelo promotor pabiieo, e
f pelos prenles do promotor ; asslm como quat foi
a vMgjJinago que houvi entre o roesmo promotor
ie o advogado de. Rola, pan a absoJvicao d'esie,
nao tendo nem o Br. Barata e nom o advogado
Maoedi* recusado um s juiz de tacto na organisa-
<_:>i) do eooselhd.
Esl respondida a accusacJo felta ao Dr. Barata
relatiiyser.to ao processo Rola.
Tsnpn raais alguna couza a dizsr ; mas baten-,
me a porta, o son toreado a interramper por ura
pouco o meu trabalbo."
Mando entrar, e eis que vejo um phantasma, que
me assombraria, se ao tosse o habito que techo
de estar em contado com os negocies da igreja.
Quera eca esse phantasma '
Era a alma do D. (X, que andava denunciando
pelo mundo o assassioe da sna honra.
Estremecen, Sr. Moleiro, ao oavir proDonciar'
esse uotne, cuja leitca inicial nca escripia, e cuja
lenibraa.-a tanto deve perseguir a sua conscien-1
cia?
Consciencia I... Enganei-me, o Sr. Moleiro nao
tem consciencia, perqne se a Uresse, naopraca-
ria o borrorosoiacto que me'foi referido par esse
plunta&BU.
Dase ti*. Eu era orna pobre orpba, e o nico;
thesouro qae passaia, era a micha corda de vlr-
geni, que fol rouada por ura seductor iufernai.
Ea viva hiue-tameoie em rainha casa em dora;
pauhia de um ub5o, e de minba carinhosa m,
que le criou com todo aelo e cnidad.
Chegcu nesta comarca o Sr. Moieiro, e logo co-
aiccou a frequealar a csi de minba mi.iiequeo>
eraraarente jroxiina
Minlia ini dopos'utaplena confianza nes.se nal:.
vaV) seductor, j porque, era ou prente, jipor
que era casado, j porque se mastrara ura -au<
Bomeii), e linalmente ja porque tiaba restricta
Naeio.i entrados no dia 3S.
Rio de Janeiro10 das, barca aonifruense Capel
la, de 5114 toneladas capitao CHubtrt, equi-
pajera 11, em lastro ; . orden.
Babia6 das, hrigua ora ileiro ilarinho. de 26!
toneladas, oapo Juk) Pinto Montaita, equipa-
gera 10, carga 288S saccas eom farinha de man-
dioca ; Joaqnim Joso Gposalvns UeliTo.
AssII dias, hiate brasiieiro iasmunel, de 4-4
toante dan, aaailaa Vicente P. da Costa, equipa-
gem 4, carga sal e oulros gneros; Jos Lupes
David.
'Sowtaraptont e partos nterraaio-i18 dias, vapor
ingtVz Ou,-idu, de 1372 toneladas, eararaandante
Henry A. Uax, e otitros gneros; a Adensson Houzo 4 C.
Mavio salado no mesmo din.
Rio da PrataBrigne brasiieiro Fecidaie, capi-
o Joaqun) Antonio (adr, 'Mrga assuor e
agurdente.
Bii) da Prata e porto- intermediosVapor ioglez
Oneida. eommandanto Bax, carga parto da que
troaxe da Europa.
.Sfe passo continuar por agora.
veris tazor, por cwiii*mo9e'aue rnuilo aprecio, obrigacio de defender a.honra da pobre jrphia,
Sement espirito* ra Odnos pederiam vr no sua prenla. Mas minb mai foi.itedlda parease.
wu esrripso ssk infeaal oaaulu, qae pjreeam* xoastro dos monstros, a cu(a guarda ella me on-
r.im insinuar no espirito do collegp, a quera sem- lava, deixaodoine passar das em sua casa.
'*o4ril>u*ei c*uderacao e apBBpj. Dupois de ajgum tempo fui vencida pelas sedu:
Maar <)na fui nem asan'convite escrevenquar' fes. amimuadas desae raoustrp, qao arcancandor
-i todos os aftigos'de redaocie dornnie o espaco me a carda de virgem, atiroq-me no lodazal iai-
le perto da araanao, nao importa derraigan; mnndodiprostituicao.
nara o eoilega. 'Basta, intersoaipi a, e "disse-lhe, perdoai a ssp
insitsM jcrnallst.i- estraageiros, grandes es-, suon^tro.
(. ...uts, Win muiias vezes atrfie a redaocie; ; V4e, leiteres, quem oMaleiro.
s us joraana outraa pessoas, eWregaado-se
'as apanaa dos noticiarios, nos quaes se v
da seus talentos, e um que d'*tteifacialhes
U j*sa vir desur algum.
Itealio, o quo sto injurioso ou do emu) a
'-priatorio do Gmrm se qoar a loi-?a '.ver aw
-jiinbas palavra-, s pode ter aeeitatio em espiri-
' T^rriftito. M^Mtmmn^^.lwtrSti f-5 aos'negocios tendentes ao casal de mi-'
d" 4e4)ianax diteardia n sew.da amiwde. nba infeliz TJp5i a St3- B Francisca Ttio,-
Xaaoa rea&.aaJaia ^la iiaftrensa doi&d;Hoa^a..da.CoDcic5o Calw, 4*e o afluo-
fe 1MM. 4ew)iiria> jHMiear-BiB da mulita-
Hes deamatorias aoare quem de weitv
h que me canhecam de porto bw farao a juiaa.
Eslou, porm, dUposto a rscuar na lata, que
Perante a caraara municipal Cesta- Cidade es-
tar em praca tos dias 28 e 30 do corrente e 2 de
jnnho vindoro, para serera arrematado!1 por quem
maior proco oerecer os alugueis dos tainos do
acougue publico da ribeira de S. Jos os. 10, 11,
12 e 13.
Os prelendentcs devero se habilitar na forma
da lei para ftoderevn licitar nos masmos taihos.
Paco da caraara municipal do Recife 25 de maio
de 1S70.
Bento Jos da Costa Jnior,
Pro-presidente.
Augusto Genuino de Figueiredo,
Official -maior servindo de secretario.
SECLARACOES.
Diz o Moleiro-une o Dr. Barata trnsfuga do COK8LAB0 PttYNCAi.
partido ligueiro e pxicura ainda arraai-Ihe ou'.ras Rudimento d.. da 2-a 55. 80 542J099
intrigas. I4*8 Jj Jia -' 4:*7256zo
Nao perderai o meu tempo em responder a wsas ~~7I~ZTZ~^,Z
mentiras. Ellas nada prejudioam ao Dr. Barata,
ui; -i bem conhecido por algumas das pessoas,
cutes noraes foram indicados pelo infame MoleiD.
Mi rei apeoas poucas palavras a respeilo do pro-
esw ae Jos Francisco Itla, e da imaginada sn-
ciedade, que, dz Moleiro, exute entre o Dr.'Barata
o o advogado Manoel de Macedo.
m
MOVSMENTO DO PORTO.
ECITAES.
Conselho de compras Havaes
O conselho-promove era 30 do corrente, sob as
n numero, 1 barrica fava pe- C0ndjcoes do estylo e vista de propostes recebi-
ires rraneeaa Figvo, entrada em ^ at a3 tl horas da misAi a compra dos se-
A. l>aorS. cntlntpc *ia*na At\ material rii rniil-, '9\' ilm,,_
O in'peetor interino da alfandega faz publi-
co, que exisado no armazem n. C es voluraes abai-
xo declarados, no caso d% >erera arrematados para
consum, comprehendidoa as disposicoes do cap-
tulo 6 titulo 3 do regulamento de 19 de seterabro
de IfoO, os seus donos ou consignatarios deverio
despacha-lns w praaa de irinta dias, sob pena de
Ando elle serem vendidos por sua conta, sem que
Ibas fiqwc corapetindo allegar contra os effeitos
desta venda.
Marca M F as. Hae 1100, duaa barricas comf
queijos, viadas do Havre na barca franceza San-
io Anir, entrada em 9 de jnnbo de 1869, cbnsig-
nadas a H. Numezer.
. IderoCTFaam
chury, idem na barca
10 de agosto ; a
dem I1W BdeC n. 20a dnzenlas eaixa coa
vinho, idem no brigue fraifcez Beln, entradas em
20 de drzembrn ; a M. Willimer.
dem PABIC. 11. vinte barricas com eas-
tanhas, vmdas de Marsele na barca francesa .At-
Qiutin, entradas em 21 de Janeiro do crreme an-
do ; a E. A. Burla & C.
id ;m V n. mi, irinta e dous lardos com flos,
iem, idem, idem.
dem M B M ns. 102 e 103, duas eaixa s eatn
porcelanas e viadas do Havre na barca franceza
Cohgny, entradas em 4 de fevereiro ; a Berevel.
idem MBDH n.'l34S e 1347, datas barricas
?ora porceiaua. idem em 7; a M. Barroso de
MeJte.
dem J OB 4 C ns. 239 e 240, duas caixas con
vidros e agua de vichy, idem, idem; Joao da G.'
Bravo A C.
dem M B M ns. 96 e .97, duas barricas ora por-
celana e.fidro?, dem ; a Bernia*.
dem H I F G F R ns. 1 e 3, trezantas caixas
vinho,
Pela recebedoria de rendas internas geraes
'se f.iz pobliaa, que nesie corrente mez de maio
que se linca o prazo em que os contribuintes do
i rapos) pessoai. relativo ao segundo semestre do
exercicio corrente, eulre as qunes se conmrehen-
dem rKcnipregaios pblicos geraes, provinciaes c
municipaes, tecm de paga-lo " bucea do cofre e
livra Re mulla, e que lindo o referido prazo, ser
cobrado com a mulla de 6 por cento.
Recebedoria do Pernambuco, 2 de maio de 1870.
O administrador,
Manoel Carneiro de Soma Lucinda,
Lapitama do parto de Ptr.tam-
buco.
Era viriude da orJem de S. Exc. o Sr. vce-pre-
sitente da provincia, manda o lilil. Sr. capilo de
fragata a capilaj do porto nublicar o decreto n.
4502 de 2 de abril de 1876, que concede perdao
differante pracas dos corpos da armada, impe-
nacs mariaheiros, batalho naval e mariuhagem
quo veram a infelicidad de desertar da esqaa-
ura imperial, e o que .e segu :
Commiserando-rae das circjmstancias em que
se achara as dilTerenies pntcas dos corpos da ar-
mada, impenaes raarinbeiros, baulbo naval e
iinrinuagein, que tiveram a nTelicidade de deser-
tar da esquadra imperial, parlanUo-se de snas
bamloiras : Hii por bem, por elTabis da minha
impirial clemencia, indultar as referidas prac/s
com escapea? das que desertaran) para o iminigo,
o crime de desercao, apreseotando-se porm os
reos s autoridades militares ou civis, dentro do,
90 dias, contados da publ,cacao do presente de-
creto era cada urna das comarcas do imperio, ou
Lnos lugares em que honver/m capitanas de por-
tes, estaceos navaes ou navios surtos, indurado
naste indultos reos sentenciados, e o%que e>tao
pbr sentenciar.
O baro de Cotegpe, do meu conselho, senador
do imperio, ministro e secretario de estado dos
negocios da marraba, assira o teaba entendido e
faca executar.
Palacio do Rio de Janoiro em i de abril de 1870,
quadragesim nono da independencia e do im-
perio.
Cora a rubrica de S. M. o Imperador,
Bara de Cgti'gcpe.
Canitania do porto de Pernambuco i% de raaio
de 1070.O secretario.
Ote i o de Aquino enseca.
0 forinigo.
Ao publico.
.lando'resolvido a ffectuar a njmba de-
l'ea proaria asa ludo quaiito diz em' rala*.
forme1 Ibe foi determinado pete paftafi da thc
souraria de /azendan. 61 de 23 do crrante, tros-
mettindo o sitado decreto ecirentern. (fwMha-
soarn, datado dt 10 deste mez. m i
Alfabdega de PeTDambnflo 15 de mato eiWW.
Otospeetor interino.
Loiz de-0ar%K> P* 4o AndraAlf. '
.sec$ao.-cr
juco, em.J^jMl
% .
Aamqcn,
Ene esta
abalto tra
a vllaTifi
gulntes objeCos do material da armada : 20 almo-
telias de olha para azeite, 12 carnnhos de mo,
6 olei inglezes tendo cadanm 8 ps de compri-
ment e ea largo, 0 lencpes de ferro de 1|4 de
grossura, 6 ps de comprimento e 4 de largo, 100
pratos travessos de fotha, 10 du/ias de tahuas de
pao carga de 1 polegada, 6 barras de ac batido
de popoca de 2 1)2 polegadas da largo e 4j8 de
gioasur.i, barras de ac balido de z 1,8 p llega-
das de largo e Ij4 da grossnra, 40 arrobas de ale-
nagre, 30 pecas de brim, 20 baideadeiras de folba,
0 pelles 4 amurca. 100 cobertores de Hia, 100
colchas da algodSo, 20 caivetes de aparar peana*
40 cadeados de ferro sonidos, 100 croques de
ferro, 4 milbeiros de cravos sortidos para pipa, 50
caoecns ferrados para cada, MI earaas de vente, 4
escrivanias de metal, 100forqaetas de ferro. 60 T-'ma
barras de ferro inglez prnpra para grelhas, 300
vanes de ferro inglez de 1 7|8 de grosnra, 200
varCes de ferro inglez qnadrado de 2 a 4i8 de
rossora, 20 arrobas de graxa do Rio Grande, 2
livros granoes de tallo, papel pautado, de 280 fo-
Ihas, l livro grande, papel pautado, capa da con-
ro, e 200 folbas, 2 Irvros grandes papel pa.utado,
Crrelo geral.
Liverpool Brasil & Illver Pate
Hall Nteainera.
O -vapor inglez Kepler, do l,ii00 tonelada?, na
*ve chegar do Rio de Janeiro e Babia da 16 a
30 do corrente, logo que descarwgar a carga
riue traz para este porto1 seguir pava o Havre e
Liverpool.
Para frote ou passageiros tratse cum Saun-
ders Brothers dt C., praca do Cerpo Santo a. 11.
As accommodacoes para pasaagairoa sia x-
cellentos.
Relacn das cartas que-, registradas nesta adminis-
traba1) e destinadas s pessoas abaixo declaradas
as provincias do sul e norte do imperio, turara
devolvidas, em arasequencia de seus destinata-
rios as nao terera reclamado; portante os re-
metientes ou os proprios destinatarios, que se
acharem nesta provincia podara vir recebe-las
munidos dos competes certificados :
Antonio dos Santos lasan, Antonio R. Souza e
Silva, Antonio Joaquiq Frisa?, Antonio Turco,
Epipr-jinio Manoel de Carvalhn, Francisco Antonio
da Fonceca, Franeisw de Paula Rodrigues de Al-
ineida, Fabio Hio (-.'). Kelicia de Jess Mana.
Franciseo i'.i.dngues Pasaoa de MeMo, Henrfqoe
Vieira da Cunlu.Julio H. Correa de Miranda, Jos
T. Bastos Miig,ii:i'-s) load Alves Valenca, Joao Fa-
cundos de Ca-Uo Menees, Joa Lopes Leal, Lniz
Francisco do Jspiriio S.-rato, Manoel Cardoso de
Lima Figueiredo, Manodf Ignacio d Carvalhu Men-
donya, Maria Joanna Gomes Machado, Manoel Luiz
Goni,wlves Farreira. Manoel da Couna Sampaio J-
nior, Ser3iim . Madeira {%), Thoiuc Fernandes
Madeira do Castro, Thuinaz Perreira de Oli-
voia, Antonio Pereira da Coste
O encarrefiado do registro
Manuel dos Passos Miranda.
CIRCO
NO
PAVILHiO DES. ISABEL
CUMPANHIA
BQIlBSTRfi Wmm E ACOBWTKA
DIRECTOR
D. Marcos Oasali.
VARIABA FUNCCAO
wabliattt S da corrate.
As'oito h"ras era ponto.
Pela segunda voz tomar parte no espectculo o
pal naco Rodrigues.
PROGRAMMA.
1.* Syrophonia.
2.* A batuda americana, pelos artistas Aldabo,
Lui/. Vicente Juaoin, Rodrigues o Ctoar,
que pela primeira vez saltar; um pequeo arco
forrad de papel.
3. O Jo;koi, pelo pequeo Juauin, sobre o ca-
vallito mosca.
4.* Pela prmeira vez saltos por entre reos mu
.pequeos, pelo artista Luiz sobre ura ea vallo.
'. Ura novo intermedio, pelo artista Aldabo e o
pa Iliaco.
6. A percha anal, pelos equillbristras Tesari e
Vicente.
7." Mr. Pionolete a Patearn, scena jocosa e bur-
lesca executada pelos artistas Luiz, Cesar e Vi-
cente, sobre 3 cavalios.
Intervallo de 30 minutos.
8. Grande voltete, pela sonitonta Anaa, sobra
um cavallo.
9." O? appiaudidos exercicios, a escada aerea,
por Cesar e Vicente.
10." As posturas do chaile pela menina Juanita
de 7 annos, sobre um cavallo.
11. Finalisando-se com urna chistosa pamto-
raima.
N. B.As portas do circo abrem-sa s 7 ho-
ras da noute, daodo-se principio s oito em
ponto.
Domingo 29 de maio
Duas eseohldas funcees
As-4 1(2 da tarde e as 8 1|2 da noute
PROGRAMMA.
asi i|2 da tarde.
!. Symphoa:a.
f. O desafio dos volteadores sobre a batuda
americana, por Aldabo, Luiz, Vicente Rodrigues e
Jianin.
3-.Q Exercicios equestres, pelo artista Luiz, sobre
um cavallo.
4 Intermedio jocoso, pelo artista Rodrtguest
5. Mnrlho; cavallo amestrado, apreseuiado
liberdade pelo director.
U. Pela seguda vez ae subidas dos antpodas,
exercicios gynmastcps, por Aldabo.
7* Mr. e Madama Deois, seena jocosa, pelos ar-
tistas Lmz, Cesar o- Aldabo, sobre dous cavalios.
Interalo de 30 minutes.
8. O marinheiro naufrago, por Luiz sobre nro
cavarlo.
9. A asenta aerea, e^roietos da maior difficul-
dade e ligeireza, pelos appiaudidos gymnaslas 6a*
sar e Vicente.
10 Posturas acadmicas, pala menina Jnaaiti,
sobre nm cavallo.
11. Finalisando-se iotn urna interessante pamto-
( ompaartl.i anaerieaaa e bru
Iciaa de paquete* a rapor.
At o dia f de juobo esperado dos portosdo
sul o vapor americano ilirimack, o qual depois
da demora do costme seguir para New-York to-
cando no Para e S. Thomaz, para fretes e passa-
gens tra'a-sc cotn os aliantes lleury Forster A C..
mi do'Coramercio n. 8.
GOMP:LNHIi PErbAMUUCANA
DR
Navegando costara por vapor
Maeei escalas e Perjedo.
1) vapor Giqui, coramaadante Costa, S3gni-
r para os portes cima no dia 31 do corrente,
s o horas da larde. Recebe carga at o dia 39,
encommendas, passageiros p diaheiro a (rete
at s 2 horas da tarde, do dia da sabida. i,o ea-
criptorio'do Forte do Mattos n. 12.
CUMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegacdo costea por vapor,
Porto de Galliuhas, Rio Formse e
Tamandar.
O vapor Parahyba, seguir para oa nortes afu-
ma no dia 31 do corrente meianoite. Recebe
carga, encommendas, passgeiros edinheiro a fre-
te no escripteno do Forte de Mattos n. 12.
GOSPAMA BMSILEIRA
DB
Paquetes a .vapor.
Dos portes do norte esperado
at o dia 29 do corrente o vapor
Guar, commandante o capilao
lente Pedro H. Dnarte, o qual
depois da demora dd cestume
segajr para os portes do mi.
Desda j recebenn-se passageiros e engaja-ee a
carga que o vapor poder conduzir, a gnal devora
ier enmarcada no dia de suachegada. Encomraen-
las edinheiro a frete at as % horas do dia oa sua
< anida.
Nao se recebem como encommendas seao ob-
|ectos de pequeo valor eqveno excedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medieao.
rudo que passar destas limites dever ser enmar-
ado nomo carga.
Previne-so aos senhores passageiros que suas
passagens s se recebem na agencia, ra da Cruz
n. 57, 1* andar, escriptorio de Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C.
ParaoP rto
Vai sair a galera portugueza Tentadoru da qual
commandante o muito conhecido e acreditado
capitn Emigdio Jos do Oliveira ; receba carga a
passageiros : tratar com os consignatarios Car-
valbo & Ncgneira, na roa do Apollo n. M on com
o mesmo capit^o.
Para o referido porto pretejide seguir com mili-
ta brevidade o pauebo portuguez .Vonn Sore, por
ter a maior parto de sep carregame lo tratado, >
para o pouco que Ibe falte, qpe recaba a,, fretu
commoao, trata-so com o consignatario Jasquim
Jos Goo(a!ves Beltro, ra de Caawnereio nu-
mero 17.
GAIPA,NrUA PFJUU.MBCANA
na
NaTegaeSo eaasteirai inar vapor
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Maodhn, Ac^cA
Granja.
0 vapor Iporuc*, comauadanu>i
Moura, seguir pata osr portr-a
cima no dia 31 do corrente aa bhora
tarda. Raeoise carga at o dia 30, ai
neadas, e passageiros e dinhairo a frailo ,
2 horas da tarde do dia da sabida no *
rio do Fortado Untes a. 12. ______
Kiu-Grande do Sal
Prepara se para fakir com a poosivej brevjj
de o patacho Gyro, por ter a nuter parte da
ga, e para o resto aue Ihe faluy~tra-se
consignatario Joaqn-m tes Gaosarvs "
ra do Coraroerote n. 17.
eom viabo, viadas do Havre na barca fraacasa
Adelt, e ota*-da aajoa azul,
de caateB baaaca, 9 J p^n^M'^Theros de pf egtw de ferro de batei
52SMtita.*. *?' ** Jap^ *iTm *' fTaradTw amba> de pregos de ferro de 4 pole
"."'"-i ajif188 de *% WM Sidas. 2 resmas de papel lolteuda, 20 grossde
4-iiX^.a.o;^^,. aia. -,...* p>r4rasos'de meftl sonidos,'4 milheiros detaxas,
AliaaJefa^rtesna^bncc^dniraaiodBlS,^ tijotes inglezes, 40 libras
iJ* j, rm**0?'^v*nv'L j,^ *texas de obre, 40 garrafas de tinta de escre-
hi- ie Canana Paes ieidmJUtm ftf T(m iOfarrafas de ttola de escraver preta, e
O inspector interino da-affandga etnmer- 72 groaas de torcidas para pharol.
rancia do dteposto no art. 16 do rMulamentq M Sala Ha !ess* do conselho de compras navaes
19 de setewbro de.6, Cas scieata ao cnronlw,el4, W'ewaio de 1870.
e a qnem waw interessar pesn^M no i* do ta* O secretario,
pho proxloro-vjndonn coraecar tenexecorimtl Alejtaadre Rorigam dos Anjos
decretar.. Wl da d tejSFdjMo, me fef *----------. 7-,
diversas dispcsi^? do referido regutemeoto toa-* perio e regio < osaaartato da
\mnt la e o^herla la er-
as defamares pertencam ; compriodo me publico judicial e notas o escrivSo da chai, crime,
; uambaeo
Con decreo dd. 14 dicaobre 1869, veuue or-
fllnau nn anagrate del sudditi austro-ungarichi
si^ tro sano aB'e*lro. ,- ,
I nedesimi vengono qnindi invita ti col pnesputej
^MfrW^^k^OB^^^ raesidal tfor-'
WiCMi, presan,^ftestoX e R. cqasotew, muran
pe. daca ment ^onpro vanb.
* tscrsione na loogo libera d'ogeri spesa, ed
ssieura agli interesslLJl-diritto di nazioualit
---------Jtfl,8raav .
uami-yagata,
L' I. e R- consol,
fiarona do Livramento.
B.As 8 i 2 da noute baver o mesmo es-
peetaoulo.
TZ PRKCOS
Camarotes cora G ntralas........
Cadeiras.......................
Cadeiras avulsas para seukera.....
Geraes.......................... WOOC
Os bilhetes" de eamarotes, cadeiras e plateas
vendem-se no .mesmo circo.
AVISO.
Qs sophores que quierera, podero estar co
bertos as seus camarotes.
Tedaa as quartas-feiras, sabbados e domingos,
haver funeco no circo.
Ao pubieo.
Q dirtor D. liar coa Casalt, por iDdispoateJo de
sop saoda, e deaccocilo cora o empresario Jos
M. Znasal, se despede por nm paquean eaaaajQ de
tempo. dorespeitevoi publico, al se achar rste-
belecido dos seus incommodos, caudo como suc-
ceasor D. Ln THATRO
GYMNASIO DRAMTICO
(So Moateiro)
80P A ttCfJA0 jJO-ARtlSTA
i r^w^nw' i TTr ,.^vi
euutarepraaoteca>d.)
ma sacrpdfearanfle spaatecu!
quadros, ornado de m
ormacba a visoalidades, intitula
COMPAJIHIA PEryWiJWJ^A
Vavegaco eoat^ra p*r j
Manaaguape.
--wiw O vapor Qtumm a
Lik Silva, aaguir par o porto i
dlUiJnido enrreanaas ,
arde. Receba carga, encommandas,
r se dintteim afr*e ate a horaa
do da da salud : aaraJteri oo Farta
tjl_______'777.,
O avlo piftro Ewem
Babia a fres ommop :
Burle '& C.
Para o retejado -BPrto, OchWNiaTl
arga a frete o patadip. uf
ovo e de pTimeira classe
eousifnatacios Aaurim ki4t-4
najBsro 3.
-
Apaqfly
Seguir com a possive!
SoftraCTiff, ainda feenbe i^
gajwcamSLeilo irmos.
rrm
ew i aalaa _
ido de trans- |com>
(Santo n. 6,8 andar.
c m fe>
Barros i C, na tea 4o Carpo
/
!.;



.^. "vi

l


u
fc^H

=
LRIOES.
jlHf
de 4 AoHk*K.
. O eat* PmUq*e^^H tt risco
naairwr fnahd&da wrto vendidos em um ou
na lotes vootada: satobado U o crranle as
tiseras da nioaia ao largo do Corpo Santo n.
'barra M orante!ga lia-
OlfOSe P|nafar Idilio por coat e risco
*? atoo pertencer de 30 barris cora mantaiga in
f* vaa,"*a> vapor Pwco, e sarao vendidos
"t* a. It-aoras da maaha no ariaazem de
Aunes.
avisjs versos.
---------- ''I I
Seunio artstica.
trreytU^^^Hkn roto $e
|Tapaaa reoMMmeato aoi ara'stlp ^ob 'ais-
rara da i-ampaju de l'jragaay, ooaf ida a todo
os artistas un geral a se reuairam lomwao, 39
rrente, is J{ horas da manhSa, no sali onde
fanecion.i o Club Popular, roa Xova de Sania
Riu n. i.
0 secretario,
Juvencio Cttar.


*s feM
Acaba*
eoouomtep
essa de^ses- lao
ivcecv
Mudanpa.
Dr. Carolmo'Francisco de Lima Santos mu
sua residencia e ron-attorio para 4 ra do
Imperador a. 57f andar do sobrado cujo anua
tein conserva anda lioje o nome de Aliaaca,
tendo a entrada, que pelo lado da ponte Sete de
Setembro, o mesmo nntnero 57, da frente. Ah,
contmnando o dito Dr. no ejercicio de saa pro-
fisso de medico e- de eperaor, pode ser procu-
rado a qnalquer hora do da e da noute.
1AMQA OTSAt,.. -.n.
Ra oimptrUlor .i. IW
Xaror^|eictocar9 d'Aobwgler, '"
no. om. '^ EliS?^'J J,^^1*^
1ikPDr,eS9 I AeolaiHKk' mes. que
|> deopt^/na r* larga o> Rosario
phanaaci de TJartbolomer/ & C.
ene calmantes para os caaes, ea qt to
n3o pode osar to opio e de saos prepara-
dos, e moi convenientes para as criaos*
nos espasmos ;e convulsSesi
PHARMAG
ERA-
l)e !00 saceos cora arroz avariado (Tagua
salgada sendo SO marca J M P. e 50
J M P era quadro,
HpJE.
O afate Pettan.t l.r leilu-por conta e rieco
de qaem pertencer de 100 saccf cora arroz ava-
riado Trfgu. salgada da mareas cima viadas
peio vaper l'aited aturado neste jorto em 23 do
arrate, e serao vendidos huje 28 do crrante no
anri da arfandeja st3 11 hars da maaha.
LEILaO
na Littii
Que o Ferreira anaancia pcebtaeha, de tantas que
tem tido ee seos astigos freguezes aao tem dado
lagar a se anonadar, roaa desta ve* qae a porcao
e grande, elle quer servir aos seos novos fregue-
zes, por isso est vendando.
Para luto
Rorzeguins francezes para senbora, cano alto e
gaspiados a 6*000.
Ditos regulares com gaspia a 3*060.
Tambera ba de cores, mas como existam oulras
qualidadet de calcad js que seria enfadonho men-
ciona-los.'por isso s se limita aos nretos na ru
do Livramenton 37, junto a isreja, lojado sobrado
de varan.la de nao.
38.
Preparados d'aicatro em capsula, licor,
e xarope fairntri
l'SfRAtrWAl
oon x..
Pillas de VaHet. ^ ^
Plalas de anear. .. *
Piteras de-Bland.
Xarope formginoso de Wancard.
Coofekes de lactato de ferro.
Plalas de carbonato de ferro, lactado d
ferro, iodureto d ferro com magnezia.
. Ferro de Queveone.
Assocar frrOtaoso
'HARMA.CIA CENTR.\L BA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Vnbo e xarope de pepsina e diarthare,
excellente tnico para aaxiliar as digestes
difiieeis nos casos de debilidade do esto-
mago.
l>e ama casa de um andar com duas lojas
sita a raa da Palma n. i). rende annoal-
raeote 612-50W,
Verea-felra 3 i de malo as 11
horas.
Por interveooao do agente Piao, em' seu es-
LE1LA0
Do sitio denominado 4 lees na roa de Joo
Fernandes Vieira n. 1, com orna grande
casa de rim andar e solo, com muitas
accommodaces. quartos fora, cocheira e
estribaria, cacimba com agua de beber,
tanque para banuo e terreno, chaos pro-
prios.
T'Tfa-ftira 31 de mam as 11 horas.
Pi-r intsrveofao Jo agente P.nto, em seu es-
fiplorio roa da Cruz n. 38.
LEILaO
Das casas temas da ra da Santa Grnz ns.
fi4e 6t e Grftovello n. >, edificadas em
ciios propiios cora grande quintal mu-
rado seudu que os fundos da primeira
do para os fundos da casa da ra do
Cotovello, com porto.
Terca-feira 3 le mato as 11 horas.
Por rntervencao do sente Binf, em seu c-crip-
rorio a ra da i:-nz n; 38.
Laurino de Moraes Pinheiro e D. Anna G. de
Moraes Pinheiro agradecem eordialtnente a todas
aquellas pessoas que se dignaran) comparecer ao
enterro e acompanhar ao cmiterio publico os res-
tos mortaes do sea pa/ente e prezado amigo Jos
Gomes Coutinho Guerra ;*e especialmente ao
Rvm. guardio do couvento de S. Francisco pela
boa vontade e promplido com que ge dignoo
prestar-lhe sejjs servieos religiosos nos seus lti-
mos instantes. Convidam'aos seus parentes e ami-
gos para ouvirem algnmas missas do stimo dia,
que manda ni celebrar na igreja de .S. Francisco
no dia 30 do corrente, rolas 7 horas da manhaa,
pelo que se cmfessam desee ja agradec :oa
AQtonio Joaquinr d'Albuquerque Paes, vai
para Europa concluir seus estudos, no prximo
vapor.
I
Da casa terrea da ra da Gloria n. l edificada
em rlio.4 propri'.s.
Urna dita na raa da Mangueira n. 20. casa de es-
quina, chaos aroprios.
tana dita na mesma ra n. 18, chaos fareiros.
f.'ruadita na ra djs Prazeres n. iO, chaos pro-
pri s.
'I'effa-ffelra 31 de malo as 11
boras.
^or intervenco do agente Pinto, rna da Cruz
B. 38.
Os abaixo assguados fazom publico que
desde o primeiro de Janeiro do corrente anno dis-
solveram a.Tiipavelmente a sociedade que tinham
na leja Agnia Branca, sob a firma do Cmara de
Gniniaraes licando este desligado'da sociedade e
correndo toda a liquidacao por conta do socio C-
mara, a quem n>a pertencendo todo o activo, as-
sitn como todo-o passivo da mesma.
lecife, 35 de maio de 1870.
Francisco Jos Alves Goimaraes.
____________Marcolino Dornellas Cmara.
Orna pessoa que tem de vencimento annuai
3:000 precisa de 1:000jl a premia de 2 l| 0U
ao mez, afim de ser paga dita quamia em pres
tagoes mensaes de 80a : quem quizer deixe carta
nesta tvpngraphia a N. S. C.
Ama
Na ra da Alegra n. S precisase de nma ama
para comprar e cozmhar para pequea familia.
sophia e Jireit') doe melhores
< iais afamados autores, co-
mo ejatu :
t, Rosaeau, Bentham, Lamartine, Fe*al,
A. Dama?, E. Scribe, Guizo. Lamenais.Aim Mar-
tiu,-W. Seott, Voltaire, Castilho, Mirabeaux, Plu-
tarque, Michelct. Ancellon. Tbiers, Sch"espeace,
He, Huffon, Kant, Schelling. Charm, Du-
i io, \'v. vis, Madiaiel, Docurrroy. llacnn.Ortolin,
foatesqaiea, Jauflroy, Pereira 4 Saura, P. Bueno,
Crrela Tees, Merlin. Bacon, Ferreira Borges,
r\ Dr. Baptista, Bogron, Pardessus, P.
Baeno, Troplong, wialdeck e muitos outros.
- Qpinta-eira de junhQ.
'. V andar do sobrado da ra do Vigario n. 5.
O agente Pinto far leilao precedida a compe-
u'orisacao, en) lotes a vontade dos com-
pradores, d s irrros de direito, litteratura e phi-
:o.oph!a qae pn-leneeram ao Bna'dc Dr. Fei'.osa, o
-ora tlToiiiado no dia e lugar cima men-
Prneipiarl a* 10 hora? era panto por serem
aiuitpr- os lotes.
AVISO
LEILAO
De joias.
Mauricio Jos dos Santos Bibeiro estabelecido
ni casa do penhores praca da Independencia
c. 33. fsr leilao ua mesma casa por interVfencao
ilo agente Martins, no da 3 dejunho as 11 horas
:lo d:a, de todos os objectos dados em penbor
roaitan^s das cautelas ns. 130 B, 158 B, 161 B,
<6* B, 126 B. 170 B, 171 B, 17 B, 15 B, 18i II,
'.M ti, iy a 10i H, 201 B. 20i B, 216 B, 228 B,
229 13, 2S0 B, 93VB, V9. 236 B, 110 B, 13 B,
S , i:t B, 253 B-,^67 B, 261 B, 2tii B, 269 B,
4 B, 278 H. 28SJ.292 B, 102 B, 293 1!, 29* lt,
:< 11, 2i9 B, 303 H, 303 t] 311 B, 313 B, 318 B,
H9 I!, 219 B,?21 B. 323 B, 328 B, 329 B, 180B.
T'.t t, 76, 62. 3', 82, 71, 90,6i, 95, 39, 77, 92,
66, H'i, H6, 98, 102, podendo seus donos resga-r
Ur os objectos ou pagar o premio que estao de-
jado at ao acto do leilao e a vista da cautela.
O Sr. Ildefonso Lucio Monteiro da Franca qnei-
ra aparo/or na traves3a da ra das Crnzes n. 2
a nefucio que nao ignora.
Compaaiila de Beheribe
O caixa destacompanhia, eommendador Iboma:
de Aqui.-o Fonseca, acha-se aulrisadoa pagar no
seu escripto'rio ra do Vigrio n. 19, das 10 liaras
as 3 da tardo, o iV'divhl nJ> e-*ta companhia ua
propor^i) de 35 por cada accao.
Escriptono da compannia 8fde mato de 1870.
O secretario,
_______Dr. Prxedes Gome* d- Sena Pitinea.
Ama
Precisa-se de urna ama pira co;inhar < en-
gomtnar: na praca da Independencia ns. i e 6.
Precisa-: e
De nrn caixeiro de 14 a .16 annos : na ra do
Cotovello, esquina que d para a traves.-a das
Barreiras, venda.
Precisa se de um moleque ds 12 a lo an
no3 para servico de nma casa de piuca familia :
na rus da Juque de '.axi.tj n. 31. ! anar.
Jos de Soma Braz vai Portugal, e deixa
por sens.bastante*, pronrad res Praocisco C:oih->
Brandao, Antonio Pedroso de Lima e Francisc,
Jos Fernandes Marcos Bccife 28 de maio* de
1870.
PHARMACIA CENTRAL^RU DO
DOR. N. 38.
Agua hemostbalica de Lechelle. mu re-
commendala em qnalquer caso de heraor-
rbagia, e principalmente na thysica palmo-
nar, e as bemorrliagias uterinas.
PHARMAan)jAL'RUADO IMPERA-
DOR N. 38.
Xarop de rbano iodado excellente com-
binaco di iodo com o sueco de plantas
anti-scorbuticas.
Este xarope empregado com grande
soccorro contra as molestias da pelle, os
engorgitamentos escrofulosos, o racbJtismo-
cachloroso.
O vinho iodado de joly, e oleo iodado de
Personne, sao recommendadbs para os mes-
mos casos, e encontram-se nesia pbarma-
cia.
m%m%mmi ^^
PHARMACIA CKNTRAL RA !>0 IMPERA-
DOR N. 38.
Variado BorewQto de chocolate de ban-
nilba, salepo araru,ta, Ierro, e de sade, da
acreditada oflicina de Menicr.
Sabocetes d'aicatro, d'acido phenico, en-
xofre e camphora, recommendados para as
molestias de pelle como sarna, panos, em-
pinaos ele, sendo o uitirno de muia nlii-
d.:de para o uzo do loilette, por preservar
a pelle de ser manchada das macul;is, que
costumain accomettel-a.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Os mlhores vprmtfagos para ct janeas,
Pastbas de sanctoaina.
Ditas de Kemp.
Oleo vernifogo.
Tudo de melbor quali lde.
PHARMACIA CENTRAL Rb'A O j IMPERA-!
DOR N. 3S.
Variadf&stmo sociimenl'j de uuJas de
escellentequdade.
PHABMACIA'CE-NTHAL BIJA DO IMPERADOR
N. 38.
Pas^Uias de balsamo dQ tol e de seiv;
ASSUGARO&KfeOrME FR0 DE
0 assucar ferruginoso de Chanteand
obdo pela associa^o desoxido de rerro
teirameirte selovel uota o asaoear cuida-
der^merrte porificado. Este aasacar de
tw bella apparencracrystalrna, tem o shn-
pies gosto mm agradavel do assoear. sem
o menor sabor aslriagepte, nao lem ac-
Cao rritaate aobre a mocosa do eetamago
e iDtegtmos.erapidaHtjrrteabsorvIdopelo
apparelho digestivo sem cansar as conatiM-
c-es do ^tentre.
jj boje o-preparadode ierro de mais ac
cettaf3o para a calorse atonia dos orgSos,
perd.18 brancas, mensboragoesdifficeisetc.,
e tem i seu favor o jatzo autorisado da as-
ela de medicina de Paris, do cbmcos os
maisnoiaveis. Deposito especial poarmacia
e drogara de ftrtiwiomeo &C, na larga-
do Rosario n. *. *
SEGREDO ECONOMA E CELERIDADE.
obtm se)pem o uso t&i
. INJEGCAO LHOSTE,
nica bygienioa radical einfallivel na cura
certa da? gonorrbeas, flores brancas, e flu-
xos de toda a especie recentes oo ebroni-
cas, e que offerece com garanta de seus
salutares rasurados a antiga e cosnuada
appbcacao que sempre com a maior van-
tagem se tem faite deilas nos hospitaes de
Paris. nico' deposito para o Brasir, Srs.
Bartholomeo & G., ra larga do Rosario
n. 34.
Sabonetea d'alctrao.
De Antonio Heves de Castro.
Este acreditado preparado, que t3o boa
acceitaeo tem merect\lo nesta provincia,
muito se reoommencte para cura certa das
impigens, sarnas, estas, coceiras, e* todas
as molestias de pelle, sendo ainda preferi-
vcl para a barba, ostro qualauer sabo-
nete.
nico deposito do verdadeiro, na phar-
roacia e drogara de Bartnolome.. & C,
ra larga do Rosario n. 31.
CHIICOLATE VERMFUGO DE AXTOXIO NE-
VES DE-CASTRO.
Este acreditado preparado, que tao boa
accettacao tem merecido nesU provincia,
muito se reoramenda para cura certa e
eflicaz das bichas ou lombrigas, tanto as
crianfas como em pessoas de maior idade.
Ubico deposito na pliarmacia e drogara
de Bartholomeo - C.. roa larga do Rosa-
rio n. 34.
1
t'tqas, porcellanas e cryttae#
\w
BERlfADIWO DMRTE CAMPdS & C.
16Rna 1. de Marpo16
OVTR'ORl lio CRESPO
Os.propnetanos dest^bem conbncido estabeleciaento, procuiando cada ver
meIhor servir ao rospeitavel publico e particularmenie aos seus numerosos reemza
acabara de prover-se do mais importante e variado sortimento de loocaa finas, o^eal-
lanas franceaas e inglezas, vidros e crystaes,, de Baecarat, e outros fabrtcates^boto
em servigo para a mesa, como em pecas alisas a vontade dos senborts preteadBttes
Nv.rnesmo est;)belecimenfoeDCon!ram-se uinaavultadissiaia escolba de di-
versas especialidades para ornamentos de silla3, jardins e illuminacoes etc tndo nnr
presos muito comraodos. *^
Encarregara-SH mediante urna commisso razoavel, ou condicea prwiaaeote
estipuladas, de qeaesquer etioommendas para Paris, Londres, Hamburgo, New York lis-
boa e Porto., em cuiaspracas teem correspondentes habilitadsimos para as exoctiu do
modo mars satisfatoro. -~
'Recommenda-se especialmente a todos os senbores moradores fon desu
capital o bom acondeeionamento nos objeclos que se dignanm Comprar, para co.>6in
teai pessoas hahets. w
i HCA Io DE VllKO 16
Outr'ora do Crespo
I BAZABMMOBA !
SO-IDAIWYA-
'

Vm. PRENDA. Lindos objectos dourados de delicadt s gostos, nroDrio
par menmos, vndese no BAZAR DA MODA.
BAPTISADOS. Ricos chaposiobes; de se,tim brancos,-lindas toncas de fil
4g e setim, sapatmhos etc.
^ GAJiPURE. Ou croch em pessa, braueo e preto, com Knda ramagens e
Gg qualrdade muito superior. ,
PUXHOS. Para omisas de homens, fazenda superior com duas faces a
W par 6!0 rs. (pechincha !)
PERFUMARAS. Finos extractos para lencos, agaas de diversas qualida-
0 des, eabooetef., olos, pomadas, pos, tnico etc.. etc.
PERFUMES. Lindas -aixiohas para lovae contend) urna preparacao ero
que lhes d um agradavel aroma, por {J5D&
Grvalas, cintos, flores, plinnas, coques, tongas, litas, ooioes. i icose pen-
g tes etc., ele, e muitas outros arligos proprios th estabeieciment- vendendo-^e >
& tudo por commodos precos, no BAZAR DA MODA, ra Nova n. SO, esQuna da fir
G> de S. Amaro.

Nutrimento
EDICINA!
Julio Cardoso da Costa, morador em Tem-
bet, por ha.er outro de igual nome, se asignar
de hoje e:n diante Julio Cardoso da Costa Araujo.
Preci-a-se urna am., para oomprar e c >
zinhar : na ra do Queimado n. 22, loia.
------^----;------------------------'--------
Precisa-se de urna ama :
B osario n. 4o, Io andar.
na rna estreita d^
Caixa Qlial do Banco do Brasil era Pernamboco
em liquidacao. 2*> d. maio. ce 1870.
O liquidante da caixa avisa aos pretendentes s
propriedades annnnciadas veBda. sita ra Im-
rial, que de accordo com as instrucoos recebi-
das do banco, vai ao mesmo banco submetter a
maior offerta que leve de vinte contos fle reis pelo
sobrado n. 64.
Precisa-se de urna de leite forra ou escrava que
lecha bom leite e seja de boa conducta : na ra
do Duque de Canias, aatiga ra do Queimado,
. Em casa de THEODORO CHRISTI
iNSEN, ra dav Cruz n. 18, enconlram-st
jfiectivamente todas a3 qaalidadas de vinb.
3ordeacx, Bolrgogne edo Rb3no.
de pinho martimo, para as 2'ecc5es chro-'
nicas dos pnUnoes.
Paatha de 4j)erjdi para as Aosses agudas, e de carcter ervo-!
so, e para os vom-?o duran'e o poriododii.
gravidez, e qualquer Elfeccao nervosa!
Pastilhas de bypophospheto de cal mai!
utes na ibysica pulmuOi.
Pastilhas de angico nal', e de RpgnauU.
de I rl ''... :' iciit, e da V ;:!::. de pe-!
cacuanba e de Rermes.
PUAhMACM CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Cha purgativo de Chambard, ntceHenle
laxativo, e refigerante, que se pode usar
repetidas vez*s sem irritar os intestinos.
ESCOIA PHARMACUT1CA DE PARS
Mcdalha de Prata 1860
JHE3IIE
oeGO^u^iI

EXTRACTO-DE ALCATRAO.
nico Diedicamento opproiado por todos os
Hospilaex de Franca, Blgica e Espnnba como a
inelhor prparacio instantnea e regulada em
doses da AGUA, DE AI.CATKAO.
(Duas cotherudtu $r andel de liquida por cada
litro de agua, ou urna colIterada pequea por
cada copo grande.)
O inodliicador mal* rnrrilco das ma-
rnsns do enipalaco, dOk brOBcDlo* e a
Exiair a firm.i do inventor. 0 -
x>gfosito oaxAX <^^y^
Rut des Francs-Boargeois, 17
em r-Aitre.
Deposito : no Rio de Janeiro, Diiponchelle; na
Snnia, Silva Lopes; na l'ernambuco, p. Marvr
rt f"; na Va'anUn, fejrein el C"
PltKPABaDO POR
Lnuuutn S Kemp
PARA
Tisica e toda a
qualidade de do-
encas, quer seja
na garganta, pei-
to ou bofes.
E x p r e s s a-
mente escolhido
dos melhores li-
gados dos quaes
se ex'traiie o
leo, no banco
da Terra Nova,
purificado chi-
miralmente,. e
suas
propriedarte*
servad ii
com todo o cui-
fiasco, se garan-
te perfeitamen-
te puro.
Este oleo tem
!ibr;:.'ILi-'c
a um exame
muito^vera. Bftleil chiralcosde mais t.ile-n
ot, do govemo hespanhol em Cuba.fot de-
valgado por elle e conten
MAIOR PORGAO DIOfllNA
Jo que outro qualcjuer olea, ijuc elle Um
exammdo
IODLVO E'UM P0D"R SALVADOH
Em todo o oleo de ligado de bacalho,
enaquelle po qual eontein a maior norrio
d"esta invaluavel propriedade o' uraco
meio para curar todas as doencas de
GARGAJO"!, PE1T0, BOFES,FiG.U)0,
Tisica, bronchites, asma, catarrho, tosse,
- resf:'iamentos,etc. .
Uns poucos frascos d carnes ao muito
magro que sea, clarea vista.e d vigor a
todo o corpo. Nenhum outro artigo co-
nhecidq ua medicina ou sciencia, d tanto
nutrimento "ao systema e encomraodando
quasi nada o estomago
As pessoas cuja organisaco tem sido
desfruida pelas affeesoea das
ESCRFULAS O RHEUMAT1SM0
e todas aquellas cujadigesto se acba com-
pletamente desarranjada,devem tomar
O OLEO DE FIGADO DE BACALHO
DK
Lanniaa t: Kenip.
,
i
i

-

PILULAS
PEPSINA
PHCO 3 Ruy. e.STIGLIONE
RA R I S
H06G
P. MAUREB el C", m Pertamhito; JOS BELLO, em Porto
SILVA LOPES, m Baha; FERREIRA ct C-", em Marankao.
UA
DO
p, CABUGI
|H esquina
Iflda roltferga do
Rosario.
,,, ^.a hk joias iCABUGA
Este toportante estabelecimento no sen genero, tem sempre um sortmento sem itruaL esquina
tina TifiT T\t*aor\a nnn nonlmmn av.4-^^ -._______jj. a f *
u
10
emende por presos que nenhmm ontra casa pode vender.
vista da qiialidade e do pre?o das joias cada um poder-se-ha convencer da verdadte.^ ^^^
InuA. ^ Ser Compra** ouro, prata e pedras toas p^ p^os mnito da- Rosario.
A leja est aberta at s 9 hora da arate. ** '' ^


/
r
i

i
-
i
'-<
i
K
1810
GUSTAVE
CABELLEIREIRD FRANCEZ
Fogo tie bengala
da yutas varjedafles, e todo de efterto magnifico
as porcSes co_ ledo s
vendem-se em pequeas
ment, Unto para-casas d negocio' cono
(ares : no arraanem de bacalhao, oa ei
alfandega n. 3.
irtt-
rtjeu-
da
51Eua da Cadeia do Eeclfe61
Chama a attencSo dos seos innjimeros fregueies, e do repeavel publico^
geni, para a seguinte tabella dos presos de sua
maia barato do que em outra qualqtter parte:
Cabeileiras para senhoras a 5#,
36*. 350 e......405000
casa, s qes alo vinte por cen
Cadeias para relogio n
U, U, 9, M e.

151001
Corte de cabello,
Ditas para bomem a 35)9, 405 e 505000
Coques a-125, 155, 185, 205,
J*' tmJ a_ *i__ n_ 5(WOe C^ de cabello oom*icc5o.
CreBoentes a l5,155,185,205,
25J, 305 e.....325000
Cachos oa crespos a 35, 45, 55,
G 75, 85, 95 e. . 105000
Tranca de cabello para annel a
500 e....... 15000
ATTENCAO
Burro fagido.
Fugio de 12 para 13 do correle-do sitio deno
Precisa- se de aon'im **ai_ casa de
a tratar na ra de Santa Rila n
fniilia:
iiad
3?
inca
Mudanza.
Jos Joaqoim Lina Bairo raudea o sea escrip-
torio da ra da Cruz n. 18 para a'Toa do Vigario
a. 37, ! andar__________________________
O Sr. vigrie Baealbo que mora ou moro
na estrada de Joao de Barros, queira mandar a
esta typogragnla a negocio.________________
m
.501
Corte de cabello com lavagem a
champOu...... 1500
Corte de cabello com limpez da
cabeca pela machina elctri-
ca, nica em Pernamouco. 15001
Frisado ingleza ou i franceza. .501
Barba/........ 2
Tranca para braceletes a 105,
155,205. 25e.....305000
ASSIGNATURAS MENSftES
Espectfidade de pentedos para casamento
Bailes e solres
O dono do estabelecimento previne s Recopmenda-se a superior TINTURA JA
Exmas Sras. e aos cavalheiros qae ha um \ PONEZA para enegrecer os cabellos e bai
_!. n a~ -,i_iw h-ha as- Da> unica admittida na Ex^sicao Universal
sali para tintara dos cabellos e barba, as- ^ n3o prejrjdical sade> ^ 8ervc,
sim como um empregado smente occupa- latii, analysada e approvada pelasjctds
do nesse servico.
mias de sciencias -de PARS E LONDRES
A ESMERALDA
minado Piraj, junto ciiiade de Nazaretb e per-
tencente ao capitao Franklin Alves de Sooza Pai
va, um burro desella com os signaesseguin'es:
cnoulo, grande, casianho, muito andador de pas-
so, cheganda mesmo a andar saffrivelmente bai-
lo ; bom queixo, e quando anda,' conserva a ca-
beca em muito boa posicao; sent bem unto o
chicle como a espora ; tem a fasta do peador
de urna das roaos um pouco mais rossa do que
a outra 4 no quarto direito v-te um ou dous
ferros; est gord, cabelludo e cora a cabeca
bastante pellada. Naseido no ertao, perienceu,
at outubro do anno passado, ao capitao Fran-
cisco de Souza Reg. Pede-sen qaem o pegar o
obsequio de o mandar entregar em Nazaretb, a
seu dono o capitao Franklin Alves de Souza Paiva,
qde prometi urna recompensa. Fazendoo pre-
sente annuncio o mesmo capitao Paiva pro'e'ta
fazer valer o seu dueito onde quer que appare-
5a o dito burro.
Ama.
Precisa-se de ana ama de
Pescadores o. 33
lene : na ra dos
Sr. W<*ii Da*eo* lenba a bondae
de apparecer na ra do Queimado n. 7> negocio
que nao ignora. -:_________
L0J4 DE JOUS
&C
Este antigo estabelecimento, completa-
mente 1 reformado de novo, est as condi-
*ces de servir vantajosaiuente os seas fre-
,#nezes, visto que acha-se prvido com nm
szolendido sortimento de obras de ouro e
rata de le, assim como brilhantes e ou-
ras pedras preciosas, eujos presos sao os
a&is mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
&e em troca ou compram-se com pequeo
.bate.
\ 5RA DO I \ 5
LOJA DOS ARCOS
A
Ra do Crespn. 20 A.
Alvaro Augusto d'Almeida & C.
Este estabelecimento de fazendas finas e grossas j. bastante conhecido como
um dos mais bem sonidos desta cidade acaba de receber directamente de Paris alguns
artigos especiaes que passa a mencionar.
Ricos cortes de vestidos de blond para casamentos.
Cortee de vestidos de seda de cor, de gostos inteiramente novos.
Brochad, fazendas de laa e seda propria para vestido.
Foulard de seda de todas- as cores, tambem para vestidos.
Fitas largas de seda para cintos, gostos escoceses e lisos.
Cbapelinas de seda e de palha d'Italia. ,
Basquinas de seda e guipare.
Colchas de seda e de la e seda.
Cortinados de cambraia bordados muito ricos.
Paonos de verdadeiro croch para jardineiras, sof e cadeiras.
Toalhas de linho de superior qualidade.
Bramantes, selicias, sguies atoalhados.
Guardanapos, colchas, aaias bordadas camisas,
Cache-nez, baloes, camitinhas, sombrinha. .
Madapoides de varias qua idades, saceos para viagem, mallas, tapetes, capa-
chos, alcatifas e muitos outroi artigos que se vende por presos mdicos.
Tem tambem constantemente um completo sortimento de ESTEIRAS DA IN-
DIA para forrar salas.
Aos 20:000*5000.
ra do Cabug n. 1
Bilhetes do Rio a venda
vende Vieira & Rodrigues.
O abaixo assigoado, tacita-
mente dispensado da inspeceo da
pharmacia especial homeopathica e
consultorio do seu finado e Ilustre
amigo Dr. Sabino Olegario Ludge-
ro Pmho, de saudosa mimoria.e ani
mado por-alguns seu amigos pro-
poe-se a abrir um estabelecimento,
onde se encontraroas melhoresdro-
gas homeopathicas, para o qual des-
deja conta com aprotecejo d'aquel-
les que honraran-no com sua confi-
ao^a; podendo, entretanto, ser pro-
curado para qualquer mister, em a
casa de sua esieocia, ra da
Palma n. 55.
Recife, 18 de maio de 1870.
O professor homeopathico
Jos Alves Tenorio.
0EI1
de
mariuore. roa das Crnzea
n. lt.
O artisu Gamittoachase estabelecido na casa
cima, onde pode ser procurado para todos os
misteres de sua procissao.
ili
CabellereiiO,
Ruada Cruza. 94 1. andar.
pr coia da holira
Antonio Rodrigaes Rmamo acaba -de brlr a
concurrencia pnblica um espicoso e aqceiado sa-
lao para barbear e cortar cabellos, e afflahcs qu
nelle encontrarlo seus amigos, antigos fregueres,
e em geral todos os que quizerem frequenta-lo,
agrado, aetifidade e bom desempenbo do trabalbo.
Pedido.
Pede-se encarecidamente (sti assim) aos seoho-
res abaixo mencionados se dignem por especial
obsequio de virem realisar aquillo que teem pro
mettido por diversas vezes, pois j e tempo, e vis-
to que o nosso negocio de interesse para o
mesmo senhores, por isso os esperamo 0 mal
breve, advertindo porem, que nao retiramos esto
nosso pedido sera qve nao compare;am a ra do
Crespo n. 7 A, loja do Passo.
Albino de Jezus Bandeira..
Jos Luiz de Soaza,
Jos Antonio Miranda Guimaraes.
Luiz de Franca Belem.
Precisa-sej ve*
cana com quintal,
lres e mesmo na
immeoto n. 10.
Katnda de ierra deelf a
Compram-se doringrtes' de madeiras de reco-
nhecifla dera^ao paral oonstnr ?ao desu estrada:
trata-se na ra da Autora, escritorio da superin-
tendencia, nos das atis.
O superintendente,
Andr de Abreu Porto.
fora da cidade.
para
Urna pessoa estrangeira, casada, se propoe a en-
sinar em algum engenho ou povoaco as seguintes
W materias : primeiras letras, francez, a fallar e es-
_ crever, inglez, geographia e mathematica elemen-
tar, arithmetica, algebra, 8eometria e trigonome-
tra recteltnea : os pretendentes podem-se dirieir
ra do Queimado, loja das 7 portas n, 52.

GRANDES NOVIDADES
NA
LOJA DO TRIMPHO
PAR\ SENHORAS. Ricas poupeltnas de padrees hndUsjmos, e gosto navo.
Cambraias brancas bordadas para vestidos. Poil d'chevre de lindos padres por
barato preco de 560 rs. o covado. '
Grande sortimento de laas e alpacas de 320 rs. a 1^500 o covado.
Saiaa bordadas, ditas lisas j feitas com barra de cor.
PARA*MENINAS. Ricos vastidinhos de fustSo enfeitados braneos e de cor.
Vestuarios da fusto para meninos.
PARA HOMENS. Camisas inglezas e francezas, de linho bordadas e de pregas,
com collarinhoe sera elle, ditas bordadas para noivas. Chapeos de sol de cabo de
aaarfim e de canna ele,, etc., luvas de Jouvin para senhoras. .
Grande sortiment > de cortinados para camas e janellas. Croxs para sola e ca*
^iiras de braco e guarnicSo. Tapetes par sof e cama, para pianos e portas.
Colxas de croch para cama de noivas. Tapetes em pessa para forro de salas.
O onico e especial sohimentos das verdadeiras ESTEIRAS DA INDIA, s existe na
Loja do Trinmpho.
- Eua Duque ^ ^axias n.' 7.
ATTENCAO
m
i Jos Dativo dos Passos Bastos faz sciente ao res-
peitavel publico que tendo reformade a sua ofil-
cia sita ra do Brum n. 6i, aonde encontrarlo
com perfeicao toda e qualquer obra de caldeireiro,
ferrelro, serraleiro, latoeiro e fundicao de cinos e
mais metaes ; recebe-se encommendas tanto para
esta praca como para fra delta, t-ncarregando-se
do as transportar para onde Ihe for feita a encom-
menda, e tambem encarrega-?e de eucanameotos
para agua, tanques de ferro, etc., tudo por menos
preco que em ontra qualquer parte.
WllARIA FRANCEZA ^
55-Rua da Imperatriz-55
Tinge, lava, limpa, lustra e achamalo-
ta-se, com a maior perfeicao, fazendas em
pecas e em obras de todas as qualidades;
como sejam : seda, laa, algodo, linho,
chapeos de feltro e de palha etc. etc.
Tira-se neloas e limpa-se a secco sem
molhar os tecidos, conservando assim to-
do o brilho da fazenda.
Tintura preta as tercas e sextas fei-
ras.
Retalha-se, avantade dos cnmpradores.alguns
lotes de terreno, que restam, do sitio Aguasinha
em Beberibe. por precos asoaveis. A posicao tu-
pographica do terreno muito o recommenda, so-
bretudo por ficar prximo da estacao projectada
da via frrea. Os pretendentes poderao dirigir-se
informar-se do tenente S Peixoto, no mesmo
lugar, e para qualquer negocio ra de Crespo
n. 12, Io andar.
Agencia em Pernambuco
Do Dr. Aver
aj
Fetoral de Cereja
Cura a phthysica e todas as molestias do peito
Maisa parrilha
Cura ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
tros.
Tonteo
Conserva e limpa os cabellos.
Pllulaa eatbarticas.
Puramente vegees e sem mercurio, cura se-
zoes, curam e purieam todo o systeraa humano
Vende-saeffectivamente em casa oe SamuelP
hnston & C.rua da Sanzalla Nova n. 42.
Ama.
Precisa-so de urna escrava para -comprar e co-
zinhar: na ra do Dunue de Caxias o. 46, loja.
Para cartorio ou qualquer ontro estabele-
cimento.
Aluga-se as tojas do sobrado n. 48 da ra das
Tnnclieiras, onde o tinado escrlvo Motta teve car-
torio : trata-se no i andar do mesmo sobrado.
Ama.
Precisa-se de urna ama para cosinhare com-
prar, preferindo-se escrava : fallar na ra do
Alecrim n. 16.
Precisa-se de urna ana
cisca n. 54.
na ra de S. Fran-
Ama
Na ra do Torres n. 16, 2 andar, precisa-se de
urna ama que cozinhe, eugomme e compre para
urna pessoa.______________
- Precisa-se de ama ama para pouca familia-
na ra Augusta n. 74. ___
Preaisa-se de una ama para pouca familia :
na ra do Caldeireiro n. 56.
O abaixo assigoado faz sciente ao Sr. Anto-
nio Cavalcanti que nao corre risco de seu escravo
Francisco, o qual deixou em sea engenho em dias
do anno passado, e at o presente nao proenrou
dito/escravo. Engenho Bom Destino 24 de maio
de 1870.
Jos Felippe de Barros Cavalcanti.
Ama
Precisa se de urna ama : na ra do Vigario n.
33, 8* andar.___________________________
Sociedade patritica bjhiana
Duus de Julho.
Rivera hoje sessao as quatro horas da tarde
em casa do presidente desta sociedade.
Precisa-se de urna ama para cezlnhar e
engommar para urna pessoa: na roa do Amorim
n. 31,1 andar._________________ -_____
0 Sr. OMo, socio gerente da casa de Rabe
Schmettan & C. retira-se empoiariamente para
Euro
rega_
Ledebooi
Herculano Marcos laglez de Souza, Albo de
Dr. Marcos Antonio Rodrigues da Sooza, residen-
te no Para, roga encareewameBte . pessoa nesta
cidade, encarregada por nm negociante do Para
de ser seo correspondente, a bondade de o pro-
curar em casa do IIIm. Sr. Dr. Aprigio Justiniano
da Silva Goimriss. t.__________r
Na padaria da ra da Concordia n. 9 pre-
cisi-se de orna ama e deom caixeiro.
Francisco Jote Alvos Guimariai, iba moiher
e om fllho, retirara-?* para Europa.
meiuu a i* reura-se empoiwiaaieniti |Mr
opa, deixando durante a sua ausencia eocar-
ido da gerencia da dita cata o Sr. Hermn
o bom tom
Recebeo-se pelo ultimo paquete da
Europa, ricos cortes de seda ;. na lbja
das columnas da ra do Crespo n. 13,
"de Antonio Correa de Vasconcellos.
Alnga-se o l" andar do sobrado n. 43 da ra
Nova, devendo o pretendente prestar flanea idnea.
Aforara-se ou vendem se terrenos sitos em Be-
beribe, a um quarto de legoa da povoacJo, cami-
nho do lugar chamado Merueira por um ladee
por outro riacho Lava-iripa. Esees terrenos sao
m ptimo barro para o planto da canna, e ou-
t ros uisteres da agricultura, e de urna extencao
de 400 palmos, ende se encontram diversos corgos
a inaneira de riachos e madeiras proprias para
censiruccao quera pretender, pois, entrar era
negocio entre taes terrenos, appareca ra do
Hospicio n. 70, que achara com quem enteuder-se.
| Ra do Imperador
I N. 10. I
: Francisco Xavier Pereira- de Bntr-, ex- Jf
solicitador da fazenda nacional propoe-se Sgk
a agitar o andamento de qualquer pre- S
ten ao perante as repartieoes publicas, de R
causas civis, enrae, commerciaes e
siasticas.e de todo e qualquer negocio.que
precise a intervencao de um agente : en-
carrega-se tambem de qualquer cobran-
za fra e dentro da cidade : quem de
seu prestimo se quizer utilisar o pode
proeurar das 9 horas da manha e s 3
da tarde na ra do Imperador n. 10.
fl |" w
Ele um preventivo seguro e certo contr
Ela calvice,
p d e restaura for-;a e sanidade a pelle
da cabeca,
Elle de prompto faz cessar a queda prema-
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de fustro aos ca-
bellos.
Elle doma e faz preservar os cabellos em
qualquer forma e psito que se deseje
n'um estado formoso, liso e macio,
Ele faz crescer os cabellos bastos e com-
pridos,
Elle conserva a pelle e o casco da cabeca
limpo e livre de toda a especie de caspa,
Elle previne os cabellos de se tornaren)
braneos.
Elle conserva a cabeca n'um estado de fs&i
cura refrigerante e agradavel,
Elle nao demaziadamente oleoso, gordu-
rento ou pegadico,
Elle nao deixa o menor cheiro desagr-
davel,
Elle o melhor e o mais aprasivel artigo
para a boa conservaco e arranjo dos ca-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio para o pen-
teado dos cabellos e barbas dos senho-
res,
Nenhum toucador de senhora se pode con-
siderar como completo sem o
O CABELLO.
Tnico Oriental
o qual preserva, limpa, fortifica e aformosea
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, I. da C. Bravo & C. P. Maurer
& C, M. Barbosa, Bartholomeu 4 C, e em
todas as principaes lojas de perfumaras
e boticas.
Amas
PrecUa-sede duas amas, sendo urna pira a efe
zinha e outra para engommado : na ra do Quei-
mado n. 18, Io andar. ____________^_
Ama
Na ra di Concordia, taberna n. 23, dir-se-ha
quem precisa de urna ama, paga-se bem._______
Muita attenpao
Constando que o S/. Joaquim Salvador P. de Si-
queira Cavalcanti vai vender agora um dos seus
escravos, achando-se encarregada do compra a
casa eommerctal do Srs. Manoel Alves Ferreira
A C, e como aquello senhor nao possa fazer tal
venda porque ha penhor em taes escravos por
parte de alguns credores, sendo qualquer venda
nulla por ser feita em fraude da exeeucio. avisa-
se em tempo a quem quer qoe esteja contratado
para tal negocio, nao faca para nao nerde-lo.
Sociedade Conelllae&o.
De ordem da administra cao desta sociedade sao
convidados todos os seus socios para sessao ex-
traordinaria hoje (28)as 6 l\i horas da tarde, afim
de tomar posse a nova admmistracao : rogando a
todos os socios seus comparecimentos a hora indi-
cada, dando per mais esta vez prova do zelo no
cumprimento de seus devores.
O secretario interino,
Antonio da Cosa Reg Lima.
ATTENCAO
A mesa regedora da irmandade do Sr. B. Jess
dos Martirios da fregnezia de S. Jos desta cidada,
transferio a festa do seo padroeinMto dia 29 des-
mez para-o dia 12 do vindouro, em consequenei
do pequeo largo da igreja achar-se oceupado
com o eneanamento do consumo da,cidade, ficau-
do assim a frente da igreja privada pelo motivo
allegado.
0 secretario,
, Joao Amaro Vianna da Paz.
Precisa-se de urna ama de meia idade para
comprar e eoonhar para tres pessoas: na ra
das Florasro. 37.
wm i
A VIUVA DO DR. SABINO
proprietaria do antigo estabelecimento de
seu finado marido Dr. Sabino O. L. Pinho, |
previne ao publico que desta data em g|
diante nicamente encarregado de ins- ~n
peccionar a boa preparacaj e organisa- I
cao de sua pharmacia especial homeopa- H||
tbica o Illm. Sr. Dr. Jezuino Augusto dos j*
Santos Mello. !
utro sim que o mesmo Sr.
DR. SANTOS MELLO
quem dirige o antigo consultorio do Dr. 8
S Sabino O. L. Pinho. SU
Sj Consultas das 10 horas ao meio dia.
^ Gratis aos pobres.
Attencao
Na ra Nova n. 43 vende-se urna negrinha de
11 annos, bonita pega, e urna escrava com duas
lindas crias. .
20Ru.i da Imperatriz-
Farl & Lesna.
Temos a honra de participar ao respeitavel pu-
blico que fizemos destinguir a nosso noca loja de
fazendas finas com o elegante tituloa filie de
Paris; animados como estamos pelo desejo de
corresponder a melhor vontade dos freguezes, po-
demos asseverar sem receio, ao pobKco em geral,
que nao haver quem possa venjer mais barato,
attendendo aos precos e qualidade' da fazenda, e
mandamos as casas das Exmas. familias qual-
quer fazenda para melhor eseolherem ; damos
abaixo os preeos de varias pechinchas, que serlo
o bastante para justificar a nossa sinceridade j
Eor alguera recoohecida : satas brancas com ba-
ado frisado pelo baratsimo preco.de 3*000, ri-
cos corpinhos bordados, objecl de Hl, pelo pre-
co de 5*, cassas de cores, lindos padrdea, a 2iO
rs., chitas finas claras e escuras a 300 rs. o cova-
do, cambraias organdvs a 640 a vara, mandapolai
lino a fi a peca; toalhas felpudas para rosto a
8J a duzia, lencos de cambraia a 2*509 a duz,,..
cambraia victoria lina a 5J, S#500 e 64, complete
sortimento de grosdenaple preto, popelinas de seda
o que ha de melhor, ditas de laa, e varias quali-
dades de alpacas brancas.e de cores, cambraia Em-
peratriz, completo sortimento de chitas, madapo-
lao e algodaozinho, bramante para lences, es-
guiao, fustoes para.vestidos e roupas de menin .
camisas, ceroulas. m'eias,. grvalas, colarinhos, e
outros muitos objectos qne deixamos de mencio-
nar, tudo por commodo? precos.
"o DR. SVXTOS MELLO
HOUfEOPATHA
ML'DOU SE
Para rna \ov:i n. 43.
Antiga residencia e consultorio do Dr. Sa-
bino L. O. Pinho.
Consullas todos os dias das 10 horas da
manha ao meio dia; e chamados a qual-
quer hora do dia ou noute.
Gratis aos pobres.
13Ra Nova-13
Na praca da Independencia n. 33 se da o>
heiro sobre penhores de ouro, trata e pedras
preciosas, seja qual for a quantia; e na mesma
jasa se compra e vende objectos do onro e prata,
i igualmente se faz toda e qualqner obra de en-
:oinmenda, e todo e qualquer, concerta tender *
t mesma arte.
m
PRinGEZA
GASSE DO RIO DE JANEIRO.
A ra do Vigario n. 27, acaba de rece-
pelo ultimo vapor um sortimento do rap
gasse, tanto grosso como fino, assim corno
Paulo Cordeiro commum e viajado, que
tanta acceitagao tem merecido nesta provin-
cia pela sua excellente qualidade proveniente
das boas materias primas de sua composi-
cao,.tendo alm disso a propriedade de nao
ferir o nariz aquelles que fazem delle Uzd :
os precos sao o mais era, conta possivel.
Calcado nacional;
V IB Rna do ffardim \.
Jos Vicente G<>dtrtio com fabrica de calcado?,
avisa a ledos os seus freguezes, que contina a
vender calcado em sua fabrica em grandes e pe-
quenas por^oes como dantos, sendo mais barato 4o
que em outra qualquer parte. Assim como um
sortimento de pares de formas francezas chapea
das para ttomem, do ultimo gosto, a preco de
1*000.
Mofina.
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira escrivo na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir ra do [operador n. 18. concluir
aquelle negocio que V. S. se comproraetteu rea-
Usar, pela terceira chamada deste jornal, em lins
do dezembro prximo passado, e depon para Ja-
neiro, passou a fevereiro e abril, e. nada curaprio,
e por este motivo de novo chamado para o dito nm;
pois V. S. se deve lembrar que ete negocio de
mais de oito annos, e quando o Sr. seu lho je
achava no estudo nesta cidade.
CASA DA FORTUNA
Aos 5:000$
Bilhetes garantidos.
A roa do Crespo n.23 e casas do costme.
O abaixo assignado, tendo vendido alm de on-
das sorles, nm meio n. 738 com :O00* da lo-
tera que se acabou de extrahir a beneficio da
irmandade de Nossa Senhora do Bom Parlo da
cidade de Olinda (117*), convida aos possuidores
virem receber na conformidade do costume
sem descont algum
Acham-se a venda os felizes biihetes garan-
tidos da 1* parte da lotera beneficio da igre-
ia da Santa Crnz do Recite (118'), que se eitrani-
r segunda-feira 30 do torrente mez.
PrecosOs do costume.
Manoel Martins Fiuza.
SEGUROS
MARTIMOS
E
CONTRAFOSO.
Companhialndeoinisadora.estabeiecica
esta pra^a, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
sm edificios, mereadorias e mobilias: a
-na do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Attenpo.
Ainda se continua fornecer commedorias
para'fora com asseio e promptido, ma>
dando-se levar a casa dos assignantes que
nao tiver portador: ra estreita do Rosa-
rio n. 35, i andar casa particular de fa-
milia.
GABINETE MEDICO-CIRUKGICO
DO
Dr. Ignacio Alcibiades Velloso.
Pode ser procurado a qualquer hora do da i
danoite, presiando-se ais chamados fra da cida-
de, com toda a promptido. Pratica operacoe?.
D consultas das 6 s 9 horas da manha, ca
ra Nova n. 15, 1 andar.
Grande reuniao!!!
NO
Armazem do Campos
O Campos avisa aos seus numerosos amigos 9
freguezes que tem conseguido fazer urna Gran'e
reunido de gneros especiaes e inteiramente *
ridades, como sejam.
Queijos de manteiga.
Ditos de Coalba.
Ditos de Minas.
Ditos flamengos.
Latas de guizados francezes.
Frascos de conservas francezas.
Doce fino de goiaba.
Charutos do afamadissimo Costa.
Latas com agostas a 600 rs.
Cha perola verdadeiro.
Linguas sebeas a 210.
Ceblas a 800 rs. a tranca.
Quem tiver e queira alugsr um preto ieii -
bora de idade) que sirva para vender hortalk'?,
dinja-se ra da Amizade n. 18, na Capunga.
Cosinheira.
Precisa-se de urna cozinh'eira, na ra do Vigv
rio n. 7, T andar.____________________
AVISO.
Os Mutuarios possoidores das cautellas n-. 16 3,
17 B, 121 B, 71 B, 133 B, 137 B, 51 B, 66 B, 10-i
B, 93 B, 115 B, 67 B, 75 B. 12 B, 7 B, 18 B.
Venham receber o excesso que produzio em
praca noleilo de seus penhores no praso de oii>
dias, do contrario se recolher ao deposito geral.
Recife, 21 de maio de 1870.
Mauricio Jos dos Santos Ribeiro.
Precisa-se de um mestre de masseira que
seja boro, nao se olha a ordenado no pateo d)
Terco n. 38_________ _______________
Precisa-se de urna ama forra ou escrava pa-
ja eoziobar e comprar : na rna do Imperador
numero 9.
FARMACIA CENTRAL
Roa do Imperador u. 3.
Lamploughs Pyretic Saline.
A preparation of well knowtf utelity to ihe En-
glish Faculty. as a cooling and refreshios beverage
in ill cases of fe ver. The frequent usejof Ihis sa
line preserves foreigners from many diseases to
which they are leable before becoming acelima-
tised. May be obtained al ihe Pbarmacea Central,
ra do Imperador n. 38. ,
Alnga-se nma casa terrea na travessa do
Luca, com um excellente sitio, o qual tem algonias
arvores de fructo e campo para criacao de ani-
maos, com os seguintes commodos : 3 salas, 7
quartos, cozinha fra, cocheira, estriban* e ca-
cimba : a tratar na ra d Apollo n. 32, armasem
de assucar. '
Ama
Precisa-s para o servico de urna casa de pocca
amilia : no pateo de S. Pedro n. 18.
FURTO.
assa1-
22 do.
Furiaram do quinul da casa do abaixo
nado, morador na Capanga, na noite de dia
crreme, um boi castanho, meio aberto, o qual fo
comprado ao Sr. capitao Venceslao, acha-se ferf
do no vasio do lado direito com o ferro do v-
dedor, e tem marca de pea as duas maos : t>
ga-se as autoridades o apprehendam, e gran
generosamente as pessoas que o appreb
ou derem delle noticia.'
Ambrosio* da Silva Ribei
Irmandade acadmica
deN.S. doBom
Conselho.
De ordem de nosso irmo Jola convido a mesa
administrativa desta eorporacao i reunir-se no dia
2 do mez de junbo prximo futuro, as II horas da
manha, em o convente de S. Francisco, para tra-
tar-se de negocios relativos mesma. irmandade
Consistorio da Irmandade acadmica aos 27 d?
maio de 1870.
O secretario,
CaraiUo Corris Dantas.
Ama de leite.
Precisa-se dt nma ama de Wte livre en escra-
va, e paga-se bem : na ra da Ponie-velha n. 6
GaI)iete~Portuffuez de Leitura
em Pernamhiico.
De ord*n do Ulm. Sr. presidente do conselho
delibera'vo. convido os Srs. conselheiros a reuni-
rem-se^m sessao extraordinaria, segnnda-feira 39
do comente, pelas 6 4|_ horas da tarde, afim de
seren apresentados os balancNis e relatorio da
direiDria.
gfreuria do conselho deliberativo do Gabinetf
PoWuez ae Leituwi em Pernambueo 25 de maio
d< 1870.
J. R Fonseca, V
Socrertano. _
i
AMA
Precisa-se de urna
13, V andar.
na roa das

AH
va
Ama de leite.
Precisa-se de nma ama que
eagommar, prefere-e escrava :
ment n. 10.
saiba cozinhar e
na roa do Livra-
Precisa-se de ama de leiU :
Rosario n. 26, primeiro andar.
na roa larga do
-i- Traspasa-se urna hypotneca da quantia de
1:000* com seguranza am nma propriedade na
fregnezia de Santo Antonio ' a fallar a ruado
Duque de Caxias, loja da verdad a. 55.
'
I


Diarii) de "Peniambuco Sabbado 28 de Maio de 1870.
re
NEGRA
j
00
I
ai
BENTO MA
A AGIA NEGRA animada cora o bora accolhimento que te^e em seas araron-
sfos, vem novo participar a seos freguezes que, acaba de receber nm vanado soru-
ment de objectos de gosto os qoaes serSo vendidos por precos muito razoaveis, pois
quando fez os seas primeiros annucios, foi o que assegurou, e sem medo de errar,
orqne como j disse osla interesses ligada a ama casa importadoradesta praca, e
por isso poder ter ludo especial e vender por precos admiraveis.Chama pois a atten
o de seus freguezes para os arttgos possa descrever: .
Livros com o tmpo de marm, madre- Um Variado soi timents .de char
rola e tartaruga, proprios para, missa. 'palliteiros de porcelana,
Garafinhas vazias proprias para presentes
lonsa de gosto.
Indispensaveis Je palinha e de couro pro-
prios para senhoras e meninas trazer nos
?reos.
Binculos de madreperola, marm e lar
truga todos esmaltados.
tantos largos de setim, cousa mteiramen- jca
* nova.
Tentos para voltarete.
^engallas com marfim, cousa especial.
Sabonetes de alcatrSo.
Cofres de folhas para dinheiro.
Lindas caixas para costura.
Um completo sortimento deluvas de pe-
Fitas de sarja de todas as cores e largu- Talagorce para bordar.
-*s para lacos. UtQ completo sortimento de enfeites de
Toacas, sapatinbos meias de seda e mais seda para vestido.
oertences para baptisados. i Perfumaras de todos os autores os mais
Fitas com inscripcoes proprias para bou- acreditados em oxtractos, pomadas e leos
Ricos vasos com p do arroz. ( possivel mencionar ; mas com a vista se
Um variado sortimento de jarros de por- certiflearo do sortimento deste estabele-
tslana. cimento.
Aguia Negra, ra do Cabug n. 8.
014R4VILHOSO REMEDIO DO
DR. CHASDEGRATH
CTRICO
kl\Si OF PAN O RE DA
MR1 USO IVIKIt\H: l\TER\0
Cura chileraechofera mwbus,
Diarrhea, iluxo de sangne, era um da.
Dr de cabera, e dores de ouvido em
tres minutos.
Dor de dente, em um minuto.
Neuralgia, em cinco minutos.
Deslocaces, em vinte minutos.
Gargantas indiadas, em dez minutos.
Clica e cot.viilsOes, em cinco minutos.
Rheumatismo em um dia.
Febre e febre intermitente, em um dw.
Oor as costas e nos lados, en dez mi-
nutos.
Tosses perigosas e refriados, em um dia.
Pleuresa, em nm dia.
Surdez e asthma.
Hemorrhodas e bronchils.
Inflammaco nos rins.
Dyspepsia, erysipekis.
Molestias de ligado.
Palpitagao de -coracSo.
Reserve sempre este remedio em sisa ramilla
AS DOENCAS SE APRESENTAM, QUANDO MENOS SE ESPERAM.
OLEO ELCTRICO O K.1NG OF PA1N (O re da dor) aquieta e positivamente
dissipa mais de differentes molestias e dores, e allivia raaisossoffrimentose prodoz um
mais perfeto equilibrio no systema humano, o que nao se pode elTectuar no mesmo
lempo, com rjuahjuer outro remedio medecnal
Este muito popular remedio est agora usando-se 'oralmente, pela razao que
milhares de pessoas se tem curado gratis com o dito remedio pelo Dr. Grath e ontros
mais.
Este importante remedio nao se oterce para curar todas as doencas, porem t5o
smente para aquellas estipuladas as nossas direccoes.
Est operando nos principios da chimica e da electricidade e por isso, est ap-
plicavel para o curamento e para a restauraco da aegio natural dos orgos que solkem
la irregular circulacSo dos limos dos principaes ervos. Oleo elctrico O King o
Pain opera directamente nos absorventas, fazenilo desappareceras nchaoes das.glan-
Julas at em um lempo ncrivel, breve sem perigodo sen uso debaixo de qualquer cir-
eumstaneia.
O remt lio, tini3 medecina para o uso externo e interno, composto dos elemen-
tas enrativos, raizes, torvas, e cascas, taes, como se tem usado dos nossos antepassa-
dos, e das qoaes tem grande existencia m> mani, para curar todas as molestias, g-
mente > endose maes ellas sJte.
Foi om ;,". .-.! i eespecial desejo da faculdade de medecina durante nuitos annos
de experiencia paca aprender os melbores nudos que se deviam adoptar para curar as
spgaintes doer^as, o que proporsoei de medecina se devia usar.
mineo he psito
EM PZRNAMBCO
NA PHARMACIA K DROGARA DE
BARTHOLOMEO & C
N.=34 Ra
Larga do Rosario.-N. 34
ZAR ACADMICO
A
Tem a WBhrW^cTIIBficaRo res[
vei publico 6i geral, e aos seus cliente*
em particular qae eHe modou o'ueNgabi
netede consultas da ra Direita n. 12 para
a do Quefmado n. 31 primBiro artdttr.com
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
do ser procurado para os misteres de su
proflssao, todos os dias 'uteis das 9 horas
da manhaa s 3 da tarde.
Tambem previne, qae contina a prestar-
se a vontade dos clientes nao s na cidade
como nos seus suburbios, para onde as
idas ser3o precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenbo e a perfeicSo de
seas trabalhos, o que j bem conbecido,
assim como as commodidades dos precos.
Na travessa da roa
das Cryzcs n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nheiro sobre penhores
de ouro, prata e brillian-
(es, seja qual for a qnan-
lia. Da mesraa casa com-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
m^mmm mmmmmnm
ATTENQAO
Oabaiio assignado. itfventsrlante e tutor dos
orphaos tilhos do tinado seu sogro, Joaqun) do
Vasconcellus Pinto, roga ao Sr. Antonio dos Santos
Vicial, o obsequio da enleoder-sc com elle. Igual-
mente pede a todos que ficaram devenda letras e
cantas a virenrecolher seus debito?, do contrario
usar dos meos que ihe faculta a Tei. Gamellefra
23 de maio do 1870.
S/anoel Ferreira da Silva Viapna.
Travessa do Corpa Sanio n. 25
ARMAZEl
Ra Nova n, 28, loja Antonio
Pedro Je Souza< Sores.
Bandeira, Hachado & G, avisara ao respetUve
publico que nof> lugares cima encontrara no mes-
rao sempre grande quantidade de ditos poros, e
qae se acham habilitados para vender por menos
qae onlro qualooer, por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante Nertoo, de Londres.
As vantagens que offerecem os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser mocados den-
tro de casa u fra, com o trabalho de urna a duas
horas; segando, fornecerem os meemos agua pa-
ra e abudante, podendo serem removidos de um
para outro logar, quando assim convier.
Os annunciantes s reeebcrao a importancia dos
referidos pocos depois de collocadbs, satistazendt
espeeuuva do comprador. ^^_^_
i
ATTENC40
o
Urna familia que so retira para fra da provin-
cia, vende urna nubilia e Jacaranda em perfeito
estado, constando de 18 cadeiras de guarniere, 4
ditas de braip, 1 sof, i consolos e 1 jardineira,
com lampos de pedra ; e mais os seguiutes objec-
tos : 3 marquezas de amarello, candieiros para
gaz jarros para flores, lanternasde vidro e tapetes
Dar sala : quem pretender dirija se a ra da
Trempe n. 11.
Ada se justa a compra
Imperial n. 246 : quem se
queira annunciar. ____
da taberna da ra
julgar com direito
Formas de ferro.
Ptra purgar assucar : esperam-se al o Om
do mez urna pequea quantidade ; os senhores
que as pretender apparecam na ra da Cade'a n.
4, armazem de Silva Barroca.
Ama para engoinmado.
Precisa-se de irna : na ra da Cadeia n. i,
Precisa-se de urna ami de boa conducta
que sliba bem coser e engommar, para urna se-
nhora viuva :om um flllio : tratar na ra do
Amorini n. 33,1* andar.
Manoel Zeferino de Sale-, faz publico que
desde o lia i de m%io prximo passado, foi des-
pedido da loja de seu cunlrado Luiz de Franca
Sonto, o caiMTO Joo Felippe da Costa eque pes-
soa alguna pague dividas, ou venda qualquer ab-
Jecto que possa ser comprado em nome do raesmo
seu cunliado Soulo.
ESCOLA
DE
In^trucqao primar
9PATEO
DO PARASO N.29
Io andar.
Anna Senhorinha Monteiro Pesada,
Professora parlieniar.
! HR9I
Precisa-se
de urna pesoa para passar a f urna prea escrava que entenda alguma cousa de
engommar e que sealugue pjr me! : a tratar na
tinturara franceza, ra da Imperatriz n. o'
Dam se amo tras na ra do Queimado r^.1, loja
de Gaspar Antonio Vieira Guimaraes._________
Precisa-se de um caixeiro de 12 a li annos,
com pratiea de raolhados; para informacSes
ra da Cruz n. J6.
IOS IUBIIHES DO
Imperio do Brasil.
Grande exposiqao na cidade de
Cordove*
REPBLICA ARGENTINA.
No dia 18 do outubro de 1870 ter lu-
gar a abertura da expsito nacional em
Gordova.
Previne-se, portanto, a todos os produc-
tores, agricultores, fabricantes, artistas e a
todos aquelles que exercam qualquer indus
tria, que na dita exposic5o se recebem todi s
os productos da industria e agricultura
brasileira, assim como todas as machinas e
utensilios que quizerem reme .ter.
Estes productos esto isentos dos direitos
da alfandega na Repblica Argentina e po-
dero ser dirigidos cidade do Rosario, de
onde sero tranportados pelo caminho de
ferro central.
Para mais explicares dirijam-se em Per-
uambuco, ra da Cruz n. 3, ao consulado
argentino.
Confeitaria dos ananazes.
16Ra da Cruz16
Santo Aolonio. S. Joo e S. Pedro.
Amendoas, as mais apropriadas para sortes,
vndese em arrobas e libras ; papis j promp
los com estallos para surtes ; recbese encom-
niendas de bolos paes-del enfeitados; as eneom-
mendas recebe se com antecedencia e as amendoas
em arroba terrao abalimenlo no preco.
TJoaquim Rodrigues la-
vares iftiSelto,
Prara do Corpo Santo
!V: 17.
Ttm para vcner:
Cal de Lisboa.
Potassa paBussia.
Vinho Bordeaux de 1."
qualidade.
Farello de Lisboa.
&
A
&
Confeitaria dos ana-
nazes.
16==Rua da Cruz16
Ha presuntos de superior qualidade e dito em
fiambre.
Augusto C de Abreu vai a Europa e deixa
por seas procuradores, em primeiro lugar o Sr.
Gregorio Paes do Amaral e em segundo lugar o
Sr. Antonio Jos Leal Res.
Gratificapao de 200$
res.
Contina a est fgido o escravo Procopio, ten-
do j sido apprehendido o seu parceiro de nomo
Luciano que com elle tinha fgido. Segundo as
informacoes adquiridas, tem o Procopio seguido a
caminho para Jaguanbe, fazenda do Boqueirao do
Cunha, da provincia do Cear. Os signaes de
Procopio sao os seguales : mulato, de estatura
baixa, gordo, barbado, com as macaos do rosto
salientes, pescoco muito curto, hombros levanta-
dos, ps pequeos, bastante ladino, e representa
ter 38 annos de idade. Quem aprehndelo, rece-
ber a gratifleaco cima mencionada, no enge-
oho Massuass, termo da Escada, ou no escripto-
rio de 3ernarino de Sena Pontual, ra da Stn-
zal n. 38.______________________________
loaquim Jo de Oliveira Apolio, vai Por-
tugal tratar de sua sade, e deixa nesta cidade
por seus procuradores em Io lugar o Sr. Antonio
Ferreira Praga, o cm 2o o Sr. Antonio Joaquim
Barbosa Vianna. O annunciante declara nada de-
ver nesta praca oa fura della, mas se alguem se
julgar seu credor aprsente sua conta ou Ululo
na da Penha n. 33, no prazo de oito dias, para
>er pago incontinenti.
Recife, 21 de maio de 1870.
Joaquim Jos? de Oliveira Apolin.
Prtcisa-se de urna ama que saiba cozinhar
e engommar para cesa de pouca familia : ra
do Jardiin ri. 3.
Rival sem segiyidot
RA DO DTQUE DE CAXIAS N. i9
Estou disposto a continuar a vender todas
as miudezas pelos baratsimos presos abai-
xa declarados, garantindo tudo bom e pro-
cos admirados.
Pacote com 20 quadernos de pa-
pel amisade a...... aOO
Caixas com 20 cadernospapel pac-
tado 'a........ 700
Caixas com 50 novellos de linba
do gaz a. ....... 400
Duzias de meias cruas superior
qualidade a.......3l00
Pecas de bjbadinhos com 10 va-
ras a.......... 300
Pe^as de liras bordadascom 12
metros cada pea a IdSOO e. 000
Pegas de fitas para eos de qual-
quer largura com 10 varas a. 500
Escovas para unbas fazenda fina a 500
Ditas para denles a 240, 320,
v400 rs. e....... 500
Pechas retranca li^as. brancas e
de cores a....... 40
Caixinbas de madeira com alfine-
tes fazenda superior a. 400
Libras de lia para bordar de to-
das as cores a......6?500
Duzia de linba fooxa para borda-
dos a 400 rs. e..... 500
Pares de meias cruas para meni-
. nos diversos lmannos a. 320
Caivetes unos com 4 folhas fa-
zenda superior a..... 1500
Duzias de meias braceas muito
finas para senhora a.. 4^500
Pares de sapatos de tranca do
Porto........2#000
Pares c'e sapatos de tapete a. 15500
Livros de missa abreviados. 1i580ii
Duzias de baralhos para vultarete 35000
Sylabarios portuguezes a. 400
Grvalas de crox todas as qna-
lidades a....... 500
Redes lisas para senhora a, 320
Redes com contas muito boa qua-
lidade a....... 640
Cart5es com colxetes 2 carreras a 20
Abotoaduras para colltte diversas
qualidades....... 400
Caixas com penna de a<;o muito
boa de 520 a...... 500
Car toes de linba 00 jardas grosa 400
Duzia de linha 20O jardas Alexan-
dre de 40 a 200 e, 15200
Caixas com superiores obreis a. 40
Duzia Oe agulha para machina a. 2000
Libras de pregos francezes todos
os tamanhos a...... 240
Talheres para meninos a. 320
Pares de sapatos de tranca para
meninos a. ,' ". ?. I 500
N\
COMPRAS.
13 Ra da Imperatriz 13
Ulysses Irmao propietarios deste bBl conliecitfo e acreditado estabelecimento
tn a bonra de participar ao Ilustrado corpo ACADMICO e aos seus numerosos fre-
gaezes, tanto desta praca, como de fra, que tendo sido elegantemente reformado do
estabelecimento acha-se completamente sortdo e eco condifSes de bn servi-los dos
seguintes artigos:
CHARUTOS
saperiores de Havana, Hamburgo, Baha e
Rio de Janeiro etc.
Cigarros
4* palha de S. Paulo, de 35500 a 75500,
4) milheiro, Daniel 4o Rio Novo, Maurity,
Jperiae8,.Tenentes*do Diabo, Duque de
Caitas, Gandan etc.: de papel, de fumo
de Daniel, General Osorio, Conde d'Eu,
Rocambole, Radicaes, Acadmicos, Macham-
bomba, Montevideo, Orientaes, Baep^ndy e
jnuitas outras qualidades.
FUMO*
Afamados de.BAEPENDYem caixres de
20 libra* 15400 rs. a libra, em pacotes
a 25, de 30 para cima a 15800 e em maior
porteo 15500 o pacote de 1 libra, dito
em lata dequartaa 640 e 300 rs.. e outras
muilas qualidades cerno sajara : Daniel do
Rio-Novo, do Pra, de S, Paulo, Caporal,
etc. etc.
VVRIEOADES
PONTERAS para charutos e cigarros de
todas as qualidades gostos e precos.
CACHIMBOS de sop.erior espuma, de ma-
deira (raiz> de 35 at 65, a duzia e de ou
tras qualidades a retalho.
DITOS p de gallinhados melhores que
ha neste mercado a 35 e 35500 a duzia, e
com grande abatimento em maior porcSo..
ditos de louca, gesso, barro, etc.
BOLSAS de borracha e couro de diversos
gostos e precos, para guardar fumo.
CARTEIRAS para cigarros de todos, os
systemas.
PHOSPHOROS de cera, era caixas de to-
dos os tamanhos, de seguranea a balo etc.
PAPEL de milbo, de a^roz, san-nom, Per
san, pintado, de linbo etc. palha demilho de
Fernando a ra'elhor possivel.
Fugio d) lugar Caicra, termo de Santo Ama),
o escravo de neme Justino, com es signaes e-
guintes : idade 6 annos, pouco mais ou menof,
cor fula, corpo gresso, e b >a altura, barba rata,
beico grosso, nariz hato, cabello carapinho, den-
tes perfiles, (ternas regulares e ps ehalos e lim-
pos, tem u.ia mar^uinha de ferida j veiha em
urna das pernas abiixo do joelho e dj parte de
fra, tem pelas costas pequeas marcas de tas ti-
fo. Este escravo fugio no dia 8 do marco do cor-
rente armo, e nao se sabe se esi nesta cidade oo
fra della : roga se a quem o apprehender leve o
ao ae*mo lugar a seu ?enlior, abaixo assignado,
que receber a quanade 300 de gratieacao.
____________ Herculano de B. Lima.
lrmandade de anta Cecilfc, no
Livramento.
Tendo a mesa rege lora deliberado reformar a
tabella -ji nos tem regido, para este lim convi-
da a todos os nossos iruios professores, a apre-
entarem no praso de seis dias, a contar da dala
deste ; -suas proposias tendentes a reforma da
mesma.
Consistorio da innandaJe de Santa Cecilia, 2?
de maio de 1S79.
O secretario,
Sabino Venustiano Romo de Luna Freir.
Alm dos artigos mencionados eneontraro nossos /reguezes outros muiloc no ge-
nero de nosso negocio, que se vende em grosso e a retalho e que com suas presenca
serio satisfactoriamente bem servidos: bem Como nos enea/regamos de qualquer en-
commenda de nessoi cigarros de seda e linho, etc.
13Ba da Imperatriz18
Joao Felippe da Cesta faz ver ao respeilavel fu-
blico em virtude d"e ara annuncio no Diario de
hontem de Manoel Zeferoo de Salle?, qua ver-
dade ter deixado desde o dia i do correnw me;
de ser oflicial do estabelecimento de meu compa
dre e amigo Luiz de Frasea Stuto, nao que fose
despedid , mas slni de minlia livra e espontanea
vontade, onjuenao quero me sujeilar s impru
drncias deSlles. Se o Sr. Soulo uj esiiveese
impoifbilKado de dirigir sen negocios, afsevwo
3ue oontiboaria a estar no estabelecimento gozan
o de estima, consideraco e crdito, que dorante
oiue annos me dispeosou meu compadre e amigo
Sot, nosso dar disto exhnberanls prova. Ha
prevengo de Salles para qne fe me nao pague
dividas ou e me nao venda qualqoer objeto ert
nonw de Santo (quem per si se julga a mim me
nao offende) di re que sou incapade semelbanle'
prdcedlmenlo. Nao esleja lio ulano Sallas com a
dhrcio< govorno da cas de seu unhado e pro-
jaftwan .fe srw&
nao sufllcienle para desacredilar me ou formar
mao juizo a meu respeito,
i
O muzeo de joias
Na ra do Cabug n. i compra-se ouro, prata
pedras preciosas por precos mais vantajosos do
(ue em outra qualquer parte. ___________
GOM-l 1
Compram-se e vendem-se diariamente para lora
i dentro da provincia escravos de todas as idades,
:ores e sexos, com tanto que sejam sadios : no
.erceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cruzes,
'reguezia de Santo Antonio.________________
Lom muito maior vantagem compram-se
ouro, prata e pedras preciosas e a obras velhas: na
loja de joias do Co.-acao de Ouro a.-2D, ruado
Oabng. ______
Compra se urna casa terrea Doa, situada em
Santo Antonio ou Boa-vista : na ra da Florenti-
na n. 6. 0
Compra-se
urna mobilia de Jacaranda em meio uso a Luiz
XV, sendo i sola, 4 cadeiras de braco, ii de guar-
nilo e 2 consolos, e poder ter mais algumas pe-
cas : quem tiver annuncie por este jornal para
ser procurado, ou tratar necta typographia com
o Sr. Hermenegildo.
Compra-se um trepador de coqueiro
ra larga do Rosario, loja de calgadrs n. 22.
na
Compra-se urna casa terrea, na freguezia de
Santo Antonio : tratar no arco da Conceicao nu-
mero 6.
Na travessa da ra das Cruzes o. 2, casa de
Ssnoores, compra e prata e ouro vellio per mais
o que em nutra qualquer pai te. _____
i\a loja de Vianna & Guima-
rftes
RA DA' CADEIA.DO RECIFF. N, 9,
Compra-se nm arreio para um cavallo com pou-
co oso.
Conipj-d-se
Jornaes para embrulho : ra do Crespo n.-23,
loja da esquina. .
Loja Flor da Boa-vista
48--Una da lperatrlz.8
Chitas de multe bom panno., limlissiir.os padrees
proprias para a praca. covaJo a
t barato 210
. t 240
2W
Ditas escura-, eovado a 200. a 200, a 200 r?.
Pecas de niadapolfo algodio a i, 5i e :
unto *a padaria francez. _____________
Cantara Je Lisboa
Soteira, lic-mbreiras e capitei para frenles de
casas, o que ha d melhor : venda no arma-
zem da travessa do Corpo Santo n. 2o. de Joaquim
Lopes Machado A C. .______
A ra do Duque de Caxias n 21.
(ANTIGA RDA ,10 OFIlWADQ)
Nao foi s m frJn^^H que' a NOVA
ESPF.nANCA tem deixa di
annuflclos, a raz5o c sin^pfe's, cfla criter
qce todo em demasa iborrcce... por fes o
como j tinba dito sciefljfiado sua boa
freguezia O que constantemente ia reetben-
do, ou livesse feito muitas \fzes, receiou
toraar-se massaiite, assfm pcis rtcolheu-se
um pocco ao silencio, mas nui ca deisando
d'eo pregar osvenladeir.is esfurgos, j con-
tratando maior numero de correspondentes
oa Europa, j descobrindo objectos do mais
apurado gosio e linalmento assignando o
Jornal das Familias, o qual vem empre
ornado com flgurinos, moderrtos moldes para
vestidos etc,. etc. para desta forma melher
seivir a sua constante freguezia ; e com es-
pecialidade ao bello sexo, h qtitm a SOVA
ESPERANZA ufanase em otftrecei^lhe
seus servicos, apressando-se tfesie j m
declarar que tem rtcetido ultimamenle
entrimeios e babados bordados transparen-
tes e tapados, chaposmnos de setim para
baptisados.
Finas toncas de cambraia bordada para
o mesmo fim.
Meias de seda e fio de escocia para friti-
cas.
Dedaes d'osso, marfim, ac o madrepe-
rola.
ptimas navalhas, afiadores c mass pra
as mesmas.
Finas esponjas para o rosto e para La-
nlios.
Bonitos sapatinbos com biqueira, sendo
com salto, para meninos e meninas de dois
a doze annos.
Boas lentes com emeo rrelimetros, para
contar-se os fios de qualquer fazenda.
Tesouras para frisar vestidos.
Carretas para tirar rtoldes de vestidos- .
Mollas para segurar costuras.
Bonitos linteiros de nevos incide?,
Meks de !aa para homens e si nlioras.
Finas e bonitas ligas cara meias.
Fil de iinlio e de sdn, sendo preto e
branco, liso e de salpicos, e outros muitos
objectos expostos a venda ra ttaque
de Caxias n. 21, na NOVA LSPEHAN^A.
Mabo d'alcatio.
Vinde-se na roa Duque de Caxias u. 21..
PARA LUTO.
Brincos, broches, voltas, pul citas, fuel-
las, i entes, botoes para pimhos o cwias
para relogios.
A NOVA ESPERANCA, tjuertndo aasfa-
zer sua freguezia, nosmente tm otjectos
d'ahgria ou de laxo, quer tambem acom-
panbar aquetles, que infelizmente perdendo
alguem de sua familia, ou a'guem de sua
amizade, precisam de taes objectos, assim
pois a NOVA ESPERANCA, mandou viro
que ha de melhor tiesto genero, poique
sendo taes objectos de cor negra, sendo-
de m qualidade, nao somonte tornam-su
tristes como at repugnantes, o que d.j
acontesce aos da NOVA ESPERANCA. por
que apenas exprime o sentimento pela cor
porem como que traz um lenitivo pelo gost i
e pcrfeic-So com que taes objectos sao Ira-
balitados.
Collar s anodin s.
CONTRA AS CONVLLCOES OAS CHUNCAS
Nao esla a pi imcita vez que a NOVA
ESPERANCA s:ieutifica aos senhores pas
familias, que os seus collares so os ve;
deiros de Vjer.. .recobhles dilectamente.
e por consiouincia de umfleii eflicaz qua
desnecessarii mais aprogoar, assim p>
aquelles qua nio quizerem passar pelo dis-
sabor do verem seus lilliiulius exlrucerem-e
as teiriveis conMiicSes, logo que a este
comessem nasser-lhes os denles apressem-se
em comprar os ditos collares, na ra do
Drqnc de Caxias n. l
CABELLObBRAN OSSOTEMQDEM (JUER
A NOVA ESPERANCA recelwu o ve.da
deiro chrum^come de William para Ungir
cabellos, para pretosoucaatanlios, assim p >H
cabellos blancos s tem quem quer!
FJaula.
A NOVA ESH-RANCUi-m para vtflder
urna tlauu
Boum.
Vende-se nm
TEHIIE.N03.
t :rreco na ra
de Luiz do Reg',
em Santo Amaro, con 3Q0 palmos de frenle e OiO
de fundo, com urna casa terrea edificaba no mes-
mo terreno quem o pretender dirjase a ra
Nova, casa n. 22, que achara com quem tratar.
Vende-seum cabriolet de duas rodas, eoberto,
com a'reio* para urn cavallo e em bom estado ;
na coebeira pa ra de Sanio Amaro n. 1._______
Vende-se um terreno proprio, com 138 pal-
mos de fren'.e e 160 de fundo, para o lado da e
trada de ferro, cujo terreno tem al cerce feito pa-
ra cinco moradas de casas na ra de Motocolom-
b dos Afogados a trotar na mesma ra, ou na
ra Direita dos Aogado* n. 13.
Compra-se unta preta de niela idade que
saiba eodnhar perfeitarrente : na ra do General
Vietorino n. 39, antiga ra do Sebo. ______
(Compra-se ama casa lerret em br>m wta-
do, aue seja sitiad* na fregexia de S. Pedro Mar-
4 r da cidade de Olinda : ao 3' andar o forra-
do n. 36 da ra da Cruies.
tfgSP'WM Ull"H T !' ...... f u.li!| l 'Jllti'--
I il l I >'"" <
VENDAS.
Saceos cem farinha da
torra
Maia & Landf lino veno a farinha
de mandioca : na roa do Duque de Caxias, tra-
vessa do Rosario, loja n, Hf B.
ATTEN&AO
Fazendas baratas para
acabir
Caiubraias maiisada* superiores a 280 rs. o
eovado.
Algodozmho a Z a peca.
MaJap)lo largo a Si a peca.
Diio de superior qualidade com pequeo loque
de a varia a 74 a peca.
Algodae de lisira< americano superior com pe-
quea a varia a 28(1 o eovado.
Bareg"? a 380 o eovado.
Chitas escur.is e claras a 430 o eovado.
Mussulinis ile hndopadre-> superiores 440o-
eovado.
Chitas brancas superi res a 420 o envaro.
Vende se urna casa i rrea na ra da Espe
ranea, defronte da eslacao dos trilhos urbanas na
Soleiade : quem pretender dirija-so a esla typo-
graphia.
Farinh de mandioca
-A Ik-rdo da polaca ,Vii inho ha muito boa fa-
rinha venda (em saceos i : a tratar com Joaquim
Jos (lotcajves Bellro ra do Trapiche n. 17,
ou a bordo._______________ __
Vnde se urna eirava (cabra; com afu-
mas habilidades, tendo um fllho d qu.iiro rne-
zes praprla para amameotar algnroa crianra, por
ser sad, e tpr ahondante lete : no 3* andar do
sobrado n. 3o' da ra das Grures.
CHARUTOS
'DE
para
J'i-bano clu afamad,! fabricante
LEGTIMOS.
Cbegaram ra da Cadeia do Recite a. 13.
Eival sem segunda,
(Aiilip risa do Queimadi))
Contina a vender tudo muito bern e
muito barato a saber:
Novello de liulia de 100 jardas a. 00
Caixas com 100 envelopts muito
superiores a...... 00
Pentes volteados para meninas a. 210
Thesouras muito finas para coi tu-
fe a......... C0
Tinteiros com tinta preta a 80rs. e 400
Pecas de fita elstica muito fina a SOO
Resmas-de papel pautado a. 45000
Ditas dito liso muito superior a. icuiv
Lata com superiur banha a 100 e. 200
Frascos de oleo Philocomo muito
fino a. ... ,..... 500
Ditos ditos dito grande a. 1,5000
Frascos de macaca perola a. 210
Frascos de extracto muito bonitus a 500
Duzia de sabonetes muito' finos a. 720
Sabonetes inglezes a 000 rs. e. 1^200
Frasco com agua decolcnia Pivera 500
Dilo de oleo baboza a..... 500
Caixas de lamparinas a. 40
Sabonetes a forma menino muito '
superiores a....... 240
Lartilhas da doatrina fazenda nova a 400
Libras de linba sortidas do todos is
nmeros a....... 1)5800
Duzia de pomada do Porto muito
superior a. ..'.... 280
Babados do Porto, largos a 100 e 200
Capachos muito bonitos e grandes a 700
barritis de retroz preto, com 2
oitavas a....... 6W
Agulheiros de osso enfeitados a, 240
Papis de agulhas douradas e b-
lao *.........
Gamitis de linba 200 jaras, Ale-
xandre a........ 10
Duzia de agulheiros do Par a. 240
Libra de l'itha franceza superior
qualidade a....... 2$400
Caixas de palito do gaz a. 20
Uonecas de cora muito bonitas de
500 rs. . ........ 20C0
Vendera-se para quem qoier ser tK-in sen
duas exccllenlee escravas reeothidas, si
insigne tngommadeira, costureira 9 coi.nbeira.
bellsima ligara, de idade 44 annos, a outra b
cozinheire, sabendotodo o arranjo do ui
urna bella mulatinha de idaoc 9 w.n-
vo bom ferreiro, moiio preciio emueuabo
na travessa do Carao a. I.
i



^^^^HltbtA
t>

1.1 ar 10 ue r ernaiiumco i^uppao


' de uuio
ae twu.

A VERADE
Rna Duque de Caxiasn. >5
Na toja da VERDADE conlinna-se a ven-
der por baratissimos precos todos os arli-
gos de miudezas e perfamarias do sen
grande e variado sortim -nto, garantindo aos
compradores toda a sinceridade.
Lindas bonecas de cera e massa por ba-
ratissimo preco.
Espelhos doarados para pendurar a
160 rs.
Agulhas de osso para crox a 200 rs.
cabello, a
Bravatas de 9eda preta d\ 400 e 800-rs.
Ditas de croxe, brancas e de cores 500 rs.
Dita de gorgurSo de Cores a 800 rs.
Na Verdad riw liuque de Ca-
llas n. *.
-------------- i m; m * ----------------------. ^. +m .
Cal nova
de Lisboa ohegada ltimamente na balea Juilh :
vende-se na ra do Apello n. 40.
segurar
de
Peutes finos para
320 rs.
Charains para gaz a 320 rs.
Garrafa com tinta atizarme a 40COO.
Dita cora agua florida a 105CO.
Dita com dita dita a 15o u.
Tnico de Jayme a 4)5500 o frasco.
Frases somoleo expresso de babosa,
240 a 640 rs.
Dito com agua de Colonia de 300 a I0GOO
Dito com extractos finos a i-JOCO.
Dito com sndalo verdadeiro a 4 #00.
Latas com baohi muito fina de 420 a
240 rs.
Ssbcstes muito finos e diversas quali-
dades a 80, i 00, 240 e 320 rs.
Finas escovas para dentes de 320 e 500 rs.
Ditas para faci de 500, e 600 rs.
Ditas para cabello a 500 rs.
Pentes para alisar com costa de metal i
320 rs.
Ditos ditos ditos de.bfalo a 240 e 320.
Pentes para tirar piolhode 460 e 240 r3.
Pavius para gaz, duzia a 240 e 320 rs.
Brincos de cores, inleiramente modernos
de 460 e 40 rs.
Peunas caligraphicas muito finas a 45400.,
Ditas de anca e niosinba a 800 rs.
Lindos babadinhos e ntremelos de 500
e 4-5500.
Grosas de botoes de louca de 460 e
200 rs.
Ditos ditos para cal?a a 240 rs.
Ca;:a com papel amizade a 700 rs.
Ditas com enveiopes a 4S0 rs.
Ditas com obreias a 40 rs.
Ls com agulhas fundo dourado a
28'J rs.
Thesoura para costura a 240 rs.
Liaba de marca eaixa a 280. rs.
Caruteis de inlias de Alexaadre de n. 70
a 200 a 10 rs o
Grampos multo finos, com passarinhos du-
ziaa 200 rs.
Cartas francezas para jogar doxia 3>000
D;;.i3 portuguesas, doaa 40400
Papel a;ma;o superior qualidade resma
4:>0.'().
Lam muito fina para bordar libra 60600
Filas para debriii desapato, pessa 160 rs
Ditaa -2 hm para debrum de vestido pega
400 rs.
Caivetes r;r ndos rom mola a 400 rs.
Ditos grandes con. 2 folhas por 320 rs.
iv tas preas para lato, o par
Milho das Ilhas
E
Feijao do Porto
em saceos granees, das qualidades abaixo men-
cionadas, e por menos preco do que em mira
parte.
M1LUO NOVO
Feijlo mua liona Peijo preto.
Dito bram'o Dito rosado.
Dito amararlo Dito frade.
VENDEM
Jos di RfgoBor,"* A C, a na do Vigarto n. 44.
LOUCA
CJrsnde armazem aa rna da
lmperalriz n. #1
Neste grande armazem vende-se louca mgleza
finas e ordinarias, apparelties de porcelana para
jamar e para cha, jarros para flores os tnais boii-
tos i> de testos modernos; assim como grande
.'ortiruni'.t de vidros finos c ordinarios, que ludo
se vender tanto a retalho come por atacado pelo
mais barato preco que em outra puahjuer parte :
chamamos a altenejio dos freguezes, que t*ri
convenientemente servidos tanto os commodos
precos como na boa aualidade das fazendas.
I
Cabriolets.
Vcndeoj-sc don cabriolets, sendo uro coberto e
do (juatro rodas, e outro Dogcarl, ambos com to-
dos os arreius e pertences : ni cocheira de Tho-
inaz Lins, ra de Santo Amaro.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joao
Graade estabelecimeoto de faaendas e roupas bitas e por medida, ra da Im-
peratriz n. 52 junto a Neste estabelecimento eqeontrar o respeitavel pablic) um bonito sortimeoto. de
roupas de todas'as qualidades,
Palilot de alpaca preta e de cores a 30000, 3SQ0 70000, ditos mirin preto
de 7*000 ato 260000, ditos de cisemira de odres finas e ordinarias, de 60, 46*000,
ditos de panno finos de 60 S0 40* e 2< 0000. sobrecasaco dito do 20;> a 50*000
Completo soitimento de calcas debriai pardo de 4*600 a 6*000, ditas brancas
de 2*. 400000 o mais superior, ditas meia casemira, ditas catemira de 5*, 42*000,
ditas casemira preta de 60, a 46*000superior, dita de merino diversas qualidades para
lulo. Assim como um bonito sortimeoto de coltetes de brua de cores, ditos braceos,
ditos de casemira de cores e pretas, ditos de merm para lutofazenda superior. |
Sortimeoto completo e camisas francesas de algodo, de 1*600 3*000, e de
linho de 38*000 a 70*000 aduzia.
Sortimeoto competo de croulas francesas de algodo de 1*603 a 2$500,
ditasde bramante a 4*800, 2*500 e 3,$000, ditas de Hmnburgo, francezas, fazenda su-
perior de 25*000 a 35*000 a duzia. Soriimento de colarinhos de algodo e linho, etc.,
assim como meias de algodo para bomem de 9*, a 10*000 a duzia, gravatas de mul-
tas qualidades. Na roa da Inperatriz n. 52, oja do
Sortkaento de clwpos de sol de alpaca, e seda, ditos inglezes cabo de marfim.
. Toalhas para rosto. Sanimanto de mallas para viagem. .
ATTEJAO.
Neste estabotecmento encarrega-se de mandar fazer qualqoer obra por medida
e para esse fin tem hbil mestre cncarregado da officiua, que seencarrega do trabalho
com perfeifo e pontuajidade.
SORTIMENTODE FAZENDAS.
Chitas de 240 rs. o covado on 40f$000 a pessa com 42 covados, ditas miudes
para camisas e tiroo de menino 260, e 280 rs., e outras muitasqualidades de 320, 360
e 400 rs. o covado, neste mesmocstabelecimento coegaram, urnas bonitas chitas da
victoria com barra, a qnal paraflhos ecompetente enfeite para corpinho. Cam-
braia lisa de 3*, 4*, 5* e 40*00 a pessa, e outras omitas fazendas de todas as quali-
dades.
ALGODO E MADAPOLiO AVARLYDO.
A 4*000 o algodo, e 4*500 omadapolao, a lambem chita escura boa 240 o
covado por ter grande porco, rfa roa da Imperatriz n. 52, luja com portaes encarnados,
intitulado
Le&o de Duro.
tumis nm
COSTURA
Acabara de chegar ao GRANDE RAZAli
UNIVERSAL, roa Nova a. 22carneiro
vian.vyum completo sortimeoto de ma-
chinas para costura, dos autores mais co-
G ande pchincha.
Na rui do Duqoe de Casia?, amiga ra do Quei-
raado n. 49, feodein-s alpacas de todas as cores
lamias a 500 rs. o corado, chitas de bons panos
a MO o covado, cambutas miudiahas e de flores
a S00 S0 rs. o cowr, t lias miudinhas a 400
rs. ; baratissimo.
OURO,
'Ra do Imperador n. 26
O respeitavet publico encontrar neste
estabelecimento diariamente um completo
sortimento de pastelaria, bollos inglezes
podtns, pds-del, prgsentos dos ltimos
ebegados ao mercado, salame de lion, bo-
linhos finos de todas as qualidades para cha,
amen loas c mfeitadas, confedos, bomboins.
nnecidos, as quaes esto em expsito no i pastilhas, chocolate francez em libras, pas-
mesmo Bazar, garantindo-se a suabaqua- tilbas do mesmo .carluxos, e carteiras com
de Nictheroy.
nico deposito em Pernambuco caes da
dega veiha o. 2, 1" anda.
altan
Milho novo e barato.
Mais barato do que em outra parte : para ver
no trapicho do Dantas, e tratar a ra do Apollo
numero 4.
lidade, e tambern ensina-se com perfeigu
a todos os compradores. Estas machinas
sao iguaes no seu trabalho ao de 30 costu-
reiras diariamente, e a sua perfeifo tal
como da melhor costareira de Paris. Apre-
sentam-se trabalhos executados pelas mes-
mas', que muito devem agradar aos preten-
dehtes.____________^______^____^
Vende-se orna easa terrea na ra da Senza-
la-velba n. 41 : a fallar na ra Duque de Caxias
n. 55, loja'da verdade.
Of cina e armazem de
ma!,more
Caes
n. 57,
seis charutos de cho-oate cada urna, este
sortimento de chscolate do mais acredita-
do fabricante de Paris e o melhor qae at
boje tem viudo ao mercado.
Yinhos portuguezes, figueira muito supe-
rior. Os mais genoinos e superiores vinhos
do Porto, moscatel e Setubal, o Ilustrado
publico encontrar neste estabelecimeoto
por commodos precos, fazendo-se abalimen-
to a quem -.omprar em porfo.
Licores de t<>das as qualidades, as mais
finas, entre elles o afamado Aiapana, este
licor o mais saboroso e superior, at
hoje condecido. Xaropes de groselhe, rosa,
maracuj, caja etc,, vinhos de Rordeaux de
todas as marcas, o mais superior que se
pode ene >ntrar, champagne de Cbevernt
muito superior, os mais finos e superiores
cognacs francezes, old-tom, de todas as be-
' bielas alcuosas, esto a mais salutar para
Trancas de lam de caracol branca e de
c.'t' de ';0 a 100 rs.
Fitas p"ra cs, peija 480 rs.
Alfioeis de lato, caria 100 rs.
Sapetinhos d 1 aro para creantja de 400
a 80li r.
Ca!^;ju'3iras a 40 rs.
Aos cem mil azulejos
Portuguezes, hespanhes e franceses : na ra
Primeiro dn marco n. t6, ontrora do Crespo, ar-
mazem de louca "de Bernardina Duarto Campos
&C. ________________
Caf do Osara*
Vende-se ptimo caf da serra d'Arata-
nha, Cear: ra da Cadeia do Recifc
n. 5.
Nao mais cabellos brancos.
A tintura jnponeza para tingia os cabellos
da cabera e da barba, foi a nica admittida
400 rs. ExpoJfdo Universal, por ter sido reco-
nhecida superior todas as preparacoes at
hoje existentes, em alterar a sade.
vende-ee a 4*000 cadn frasco na
Rna da Cada n. 51,
1. andar.
Vinte e dous de novembro
(ontr'ora armazem allianca)
Ha para vender pedras marmores de todos os
taannos c gr ssuras, tijilos de diversos ta-
manhos, soleiras e saccadas, assim como solei-
ras e saccadas d; pedra de Lisboa. Tambern con-
trau-s) e faz-se qualquer obra, como monuuen- ; quem soffre do estomago,
Conservas de legomes. portuguezas, fran-
inglezas, mlbos
mesas e
ludo o mais ledente mesma "arte, por mdicos
procos. _____
ci

N.3ARIJID0CABUGAPII.
II '
S-
a
vndese ou troca-se por caas nesta pra^a
o sitio denominado dos Boritiz, antiga casada la-
vagem de rotipa, com grande casa de vi venda,
scnzala para preto?, estribara, banheiro de pedra
e cal com agua corrente, baixa para capim e
grande terreno para plantacSes : quem o preten-
de." dirija so praca da Independencia n. 33.
m m gaz
>
Com este titulo acha-se aberto e inleiramente transformado este antigo
estabelecimenio de jotas, onde os fregueses e amigos encontrarlo ludo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de (Juro
observar delicadeza no trato e senciridjde e modecidade nos preeos.
Espera que o respeitavel publico venba ver o que existe de melhor em
aderados de brilhantes, esmeraldas, robjas e perolas, meios aderecos, pul-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata de lei faquei-
ros, colheres, pajileiros salvas e outros muitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se rjpro, prata, brilhanles e pedras finas, pormaior preco do
que em ouira qualquer parte, treca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertenccnle a esta arte.
Chegou ao antigo deposito de Henry Porster 4
., ra do Imperador, um carregamento de ga:
de primeira qu.ilidade; o qual se vende em partida^
e a retalho por menos preco do que em outra qual
quer parte.
MM
111^^
|iaii;aa
[11
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vieente Fer-
reira da Costa & Pilho, defrente do arco da Con-
ceicao. em barricas grasdes
Tasso Irmos & G.
Vend'm oleados prctos para forro o guardas-chu-
va de cirros.
Ditos de. euros.
Portas de pinlio almofadadas, tara.inhos diversos.
Cadeiras americanas de varias qualidades.
Tnico para cabellos.
Agua de Floridi.
Madiadiolias americanas.
Vende-se urna escrava de
' de, e soffrivel engomraadeira :
Nova n. 57, Io andar.
10 annos de ida-
a tra'ar na ra
cezas e inglezas, molhos mostrada etc,
huelas seccas cristalisadas e em calda, na-
cionaes e estrangeiras de todas as qualida-
des, charutos dos mais acreditados fabri-
cantes da Babia e Rio de Janeiro, cigarros
de S. Paulo e Rio de Janeiro, muitos su-
periores, e finalmente tudo quanto se dese-
jar tendente a este genero de negocio com-
prometemo-nos a satisfazer toda e qual-
quer encommenda com a maior promptido
e asseio : Como sejam para casamentos,
baptisados baiies etc., tambera se recebem
encommendas de pes de l ou bollos de
qualquer especie enfeitados o decorados,
bandeijas de bolinhos com armago de as-
sucar, assim como de papel, pecas monta-
das, gellatinas de fruetas amendoas, leite
etc..
Os dono deste estabelecimecto nao se
tem poupado a despezar para mellicr me-
recerem a acoadjuvaco do Ilustrado pu-
blico.
Telhas de ferro.
Na ra do Crespo n. G. ha para vender
por presos muito i azoaveis um grande sor-
timento de telhas de ferro galvanisado, de
diversos tamanhos para cobrir casa e te-
Iheiros que alm de ser mais barato do
que as telhas de barro e aformosear mais
qualquer obra mofr^ais limpo.
(este
-J)HmL_
estabe!a'."imeato sn-ontrar o
RA DA IMPERATRIZ
^^^_____ _____ DE_______
HljBM JEMj11K]jOO <& *J,
gra ida estabetaeimeato encontrar u respeitavel publico, uu grande sortimento de fazendas," do mais apurado gosto assim como de todas as de primeira necasidade que selhes promltte vender or ofecoa mui ) mais barato c. f
n n jojlmier parto, ato que os novos soctDs Hasta Broa adoptaram o systema de s venndarem Dl\m:iaO ; para poderem vender pelo custo, lititnndo-se apenas TSarem o descanto. As pessoasZ w*!nmTwSb^i toi
derem ^C $ * P me3m8 PMfiB ^ ^^ T" 6^nDiem[ ^ ma0'" *iiai das ^xmas. familias, de todas as fazendasP se VSSSS das ostras, cu CSUS VSZSSJ^S^J&j
I CROCHE'S PARA CADEIRAS E SOFA'S. i GnOSDRXAPLES PRETOS DE 1-600 AT 74000 CHAPEOS DE SOL DE SED V A 10?000
0 Pavo tem um grande sortimento dos I Na laja do Pavao enconlra o respeitavel
mais bonitos crochs para cadeiras, sofs 1 publico um grande sortimento degrosde-
naples pretos de todas as larguras e qua-
^ &% ^WWM^^WM Organdy braaco com lislras lar-
&
s
fe

g ALTAS flOVIDADES *
PATIO
<^ BONITAS FAZENDAS PARA A FES-
M TA DE.
SANTO ANTONIO, S. JOAO E S. PEDRO.
X Venden se as mais imd' poupeli-
* as de linho o seda com o goslos
W otis novos que tan vindo a esto
mercado, pelo barato preco de___
% !,() o covado.
* S^das lislradis, de furta cores, fa-
^ sendas oe muita phautasia a 2^000
v 'vado.
S di bsmark, larga fazenda muito
encornada o covado a 25300. $
Bonitas lasinhas larcas com palma k<
de seda, covado a 4^000, 5
^Lindas agraciando lavradis covado S
i I^CGOO. g
Alpacas lavf.id-'s de todas as c- ^
res, covado a tSW, 80.) e l!00) 4^
\\' taslissnhas cscos^zas com
luadros e litros dj seda, covado a
:>iY).
FI^ij a'' .-i !i-..is, sendo cor bis
ro ;!: i yi o, verde, roxo, cinza, can-
na, a..:t etc., covado a6*0,
Ditas furta edres cora as mais bo-
u tas cores, covado 50D rs.
',.' I tbreges lisas, e cc:n lista
^ da ovsma i.-, fazenda ioteiramoar
ir te n )vi. cova.'o a 563 a 640 rs.
^ Bonitas l-isinlias lapadas e trans-
a urentes com grande diversidade, o
ivadn a 000 rs.
Ll*sinb*s lustrosas com lindas cft-
^ res :i fmitaci de seda, o covado a
3fO.
Jn'os cortes de anadine, sendo
f zen la nova e transparente e de
murta phantasia, com 18 covados a
i >>:o.
Fiui.i.-imos crtes*de vestidos bran-
30' vj! dados com todos os enfeiles
'Vane /.;.s a 42.OOO.
C.'rt--s de ganga indianos, fazendj
i iiji nte nova a 7<5OO0'
Dit'jS cliinezes com duas saias a
7 > 1 0.
m
gi Todas estas Fazendas, sao inteira- w
areola novas e se vend-'m muito em S
cotila, ra da Imperatriz n. 60, xR
luja 3 armazem deSilvj e Figuei- ^
S te 4C S
de 2,)000 rs. cada um, pechmcha.
CASEMIRAS ESCOS8EZAS.
O P.wo tera boni'as casemiras escosso-
zas cora qnadros grados e midos e oulras
lisas com listras ao lado, sendo fazendo
muito lina que se vende mais barato, por
haver giande porco.
CORTES DE C\SE\IIRA PllETA A 4:500,
O Pavo tem os superiores cortes de ca-
semiras pretas enfeitaaas pelo barato preco
de 4#50O rs. o cort,
CASEMIRAS RASPADAS A 8G0 RS. O CO-
VADO.
O Pavo "ende excellente fazenda de pura
la com as cores escuras muito propria3
para calcas, palilots, col leles e roupa para
meninos que frequ^ntam a escolla por ser
urna ftzenda leve, escura e de milita dura-
<;o, pchincha a 80J rs. o covado ou a
24800 o corte de calca para horneen.
FINAS OARGES A CO RS, O '.OVADO.
O Pavo tem as mais lindas bareges do
laa sendo meias transparentes, com urna
s cor, tendo : lyrio, azul, rosa Rismarck,
roxo, etc., tendo muito boa largura e liqui-
mosas, almofadas etc., proprios para co
br ir presntese vende-se mais barato do
qu3 em outra qualquer parte.
Algodo eiifestado.
Vende-se urna grande porco de algodo
siaho americano com 8 palmos de largura,
proprio para lences e toalhas, tendo liso e
trancado, que se vende por preco mnilo em
conta.
LAAS ESCOSSEZAS
LAASESCOSSEZAS
LAAS ESCOSSEZAS
A 560 rs. o covado.
Chegou para loja do Pavo, o mais
elegante -sortimento das mais lindas lazi-
nhas escossezas com flos de seda, as quaes
fazem o mais delicado effeito, para vestidos
de duas sa'as, e vgndem-se pelo baraiissi-
mo preco de 560 rs. o covado.
SEDAS DE LISTA
SEDAS DI LtSTA
SEDAS DE LISTA
a 2,5000 o covado.
Chegou para a I ja do Pavo um grande
e bonito sortimento das mais lindas sedas
de listas coai as mais delicadas cdrps, tendo
entre ellas algumas que servem para luto, e
vendem-se pelo barato preco de 2,JWO0 o
covado, pchincha.
FAZENDAS PARA LUTO NA LOJA PAVO
Enconlra o respekavel publico neste es-
lidades, tendo de 1,^00 o covado at 7,J0OO
e 800j, que se vende por preco muito
em conta.
CASSAS FRANCFZAS.
Chegaram para a loja do Pavo as mais
lindas cassas francezas com delicados pa-
drees, tendo para todos os precos e quali-
dades, dndose todas amostras, assim como
um Ronito sortimento das mais lindas chi-
tas francezas escuras e alegres, que se ven-
dem muito em conta, e tambern se do
amstras.
CHITAS A 240RS.
Na loja do Pavo vendem-se bonitas chi-
tas francezas claras e escuras e cres'fixas i
240 rs. o covado, e pchincha.
LAaSINHAS A 320.
O Pavo fez urna grande compra de cha-
peos de sol de pura seda, inglezes, com as
haspras parago, sendo neste genero os
melhores que tem vindo ao mercado, e li-
quidam-se cada um pelo preco de 105000.
ROUPAS PARA IIOMENS PARA TODOS
OS PRESOS.
N'este grande estabelicimento encontrar
o respeitavel publico um grande sortimento
de roupas, sendo palitos e sobrecasacos de
panne preto e cazemira, calcas o coletos de
brim branco e de cores, que tudo se vende
mais barato do que era outra qualquer parte ;
assim como um grande sortimento de ca-
rnizas francezas e inglezas, e croulas tanto
de linho como do algodo e abundante sor-
timento de meias cruas.
VESTIDOS INDIANOS COM DUAS SALAS.
ALPACAS LAVRADAS A
4,000 RES.
610, 800 E
Chegou para este grande estabelicimento
o mais bonito sortimento das mais moder-
nas alpacas lavradas de todas as cores, que
se vendem a 4$, 800 e640 reis o covado,
assim como um grande sortimento de alpa-
cas lizas de todas as cores
Basquinas.
LAlSnth\s3A320 I Pav3(> vende uma ?rande porco de
Na loja do Pavo vendem-se elegante "sor-!co.rtes ,de ,vlstifos, 'ndi:T' Undo doas
tmente das mais lindas lasinhas lustrosas, I a,a9 e ton'10 basan e tada'com ? 808"
comlistrinhasaimitaco de poupelnas dei^SSl Tniq" "1 e l,qa'a"5e
seda e com as cores mais lindas m. tm'! oS0 ]0>lendo cada ura sea competente
vindo ao mercado, sendo fazenda
r-Ki" '^fi"? -^., S1SSE1
- de l escosseza f.'zenda mui-
i n.m os de seda a 7<$0 O
na''S organdys com lista de
.-. i pico, senio
iiantasta, o metro
to uma grande compra, assim como ditas
mais estreitas de uma s cor com listras
imilaco de seda a 560 rs. o covado, e pe-
chincha.
PEgAS DE MADAPOLAO A 30500.
O Pavo vende pessas de muito bom
1 madapolao, tendo 12 jardas cada urna, pelo
barato preco de 30500.
PSCHINCHA EM ALGODO A ifOOO RS.
O Pavo est vendendo pecas de algodo-
I sinho francez, tendo 4 palmos de largara e
com 4 4 metros cada peca, pelo barato pre-
do 4000 rs.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se superior cera de carnauba era
saccas, mais barato do que eiu outra qnal-
' quer parte, na ra da Imperatriz n.00,
loja do Pavo.
OS SETINS PO PAVO
Vende-se as mais: bonitos settni de cores
fazenda de &' mais encorpados, proprios para vestidos
l^SO. & tendo de diversas cores.
zendas pretas, como sejam cassas france-
zas e inglezas, chitas preta de todas as
qualidades, fazendas de la de tedas que
tem vindo, proprias para luto, sendo lasi-
nhas alpacas lavradas e lisas, canto, bom-
basinas, merinos, etc. que tudo se vende
por preco barato.
PARA BAPTISADOS
Na loja do Pavo vende-se bonitos en-
chovaes para baptisados.
Cortes de casemira a 40000, cada um.
Vende-se bonitos cortes de casemiras
claras e escuras pelo barato preco de 40,
ou a 20400 o covado, tendo duas larguras!
que
maito mais dinheiro, e liquidam-se a 320
rs. o covado, pchincha,
PECHI1CHA
EM CAMISAS DO PAVAO A 40500 RS.
ques:S''edoada
CASEMIRAS MESCLADAS A 30 0 COVADO
O Pavo tem para vender bonitas case-
miras mescladas e bastante encorpada para
roupa de homens e meninos pelo haraio
Roupa por medida.
Na loja do Pavo manda-se fazer qualquer
Vonde-se um bonito sortimento de muito, Pre,c de 3f"00 cad? covado ou s*m
finas e modernas camisas inglezas com pe- corl ,ara homem-
to e coharinhos de linho e punhos, pelo
baratissimo preco de 40500 rs. cada uma
e aos freguezes que comprarem dnzias se
Ihe far am abatimento, garantindo-se que Ipeca de"obra a vontade do freguez," para
fazenda que vale muito mais dinheiro, {quo tem um perito alfaiate, responsabelisan-
liqaida-*a par este preco por se ter fetodo-se os donos do estabelicimento por qual-
uma grande compra: assim como se vende quer falta que possa haver, quer por de-
um bonito sortimento de ditas tambern com' mora, quer por qualquer defeito na obra;
peito de linho bordadas e ditas de algodo e para isto encontra o respeitavel publico
um grande sortimento de todas as fazendas
que desejar.
RRAMANTE A 4800.
para todos os precos.
PANNO PARA SALAS A 10000, 40280 a
40600 RS.
Vende-se bonitas fazendas |proprias para
saias sendo com bordados e pregas a um
, lado, dando a largura da fazenda o cwnpri-...
ujkiinaihis para LAMAS E JANELLAS \ ment da saia e vende-se pelo barato preco; do a largura d'esta boa fazenda o compri-
de 80, 100,120 e 160000. J de 10uO, 402SO e 10600, cada metro sen-1 ment 4o lencol, sendo preciso para cada
uiegoii para a loja do Pavo nm grande do preciso apenas 3 oo 3 4/2 metros para um apenas 4 e 4/2 metros ou 4 e 1/4 pe-
sortimento dos Somtos neos cortinados' cada saia pchincha.
bordados, proprios para camas e janellas, VesUdos branca a 1MOOO r.
que so vendem de 80000 o par, ate o mais O Pavo vende flaissimos cortes da vas-
rico que vem ao mercado, a vende-se mais tidos de cambraia wanca, ricamente borda-
- -. barat0 1ue em oatra quaflqner parte. i das e com moitajhzenda pelo barato preco do barato pre?o de 50000 at~8O0O.
A loja do Pavao est constantemente aberta, das 6 horas da manhaa s 9 da noute
Vende-se superior bramante com 10 pal-
mos de largura, proprio para lences, dan-
chincha pelo preco.
ESPARTII.HOS A 5*000.
Vende-se um bonito sortimento dos me-
lhores e mais modernos espartilhos tendo
Chegaro as mais modernas basquinas
ou jaquetinhas de seda preta, ricamente
enfeitadas a vidrilho, tranca e setrm preto
tendo de todos os raodellos, os mais novo
que tem chegao e vendem-se por procos
muito razoaveis.
POUPELNAS DE SEDA
POUPELNAS .DE SEDA
POUPELNAS DE SEDA
a 20000 o covado.
O Pavo acaba de receber o mais ele-
gante sortimento das mais lindas veidadei-
ras poupelinas de linho e seda com os pa-
dr5es mais delicados que tem vindo ao mer-
cado, tendo entre ellas cores proprias para
alliviar luto, e vende-se pelo barato preco
de 20000 cada covado, pchincha.
Cambraias brancas
Vende-se um grande sortimento das me-
lhores cambraias tanto victorias como trans-
parentes tendo de 30500 i peca ate a mais
fina que vem ao mercado.
CAMBRAIAS BRANCAS A 4*000, A PEA.
S o Pavo vende pecas de cambraia
branca transparente, tendo mais de vara de
largura, com 40 jardas cada peca, fazenda
que sempre se vendeu a 70 e 80000, liqui-
da-se pelo barato preco de 40000.
CHITAS FINAS DE 320 A 800 .US.
Vende-se o mais elegante sortimento das
mais modernas e bonitas chitas tanto mi-
das como gradas, com cores claras a es-
curas, dando-se de todas amostras.
FCSTES BR ANCOS A 640, 800 E IffOO.
Vende-se muito bonitos fustoes braceo
muito flexivel proprios para vestidos da
senhoras e roupa para meninos e veade-aa
a 640, 800 e 10200 rs. o covado.
cassas a !* rs.
O Pavo est vendendo bonitas cassas Al
cares fixas a 240, 0 a MOrs. oftrodo.
1 vm }
Cmm
\
1


)
I
'3
.-
I
4
\
\
Diario de Pernamliuco SaLbadg 28 de MaiV de
1870.
re
3XBC
ic-^-te
A HU DA IMPfK iVRIWj H* f?
uiiiatlarua
Eaq
fc-ajM ,^N'^tV'W e uJm)tuo*o eslabe-ecim-onto de fojendas oncoatrar3o as Exmas.
WB^puMMdeaq^uato eui artigos do mais rigorosa ItKo, como em toda*
Mi. 4a.1lh1.1des do lazetidas,
Mr Indos n*A^2J6aW iaGSH*,n PIWM* (1 ^ dC mc,hor Se ,-nConlra nPst Hartado,
^InmS^L bar0|'a' n!ceSem dire"fflnto qe ?m artisos de moda e
-8 M tt,woalra b:a par,B W* v*m cada 'J'a augmeotar s proper-
de^diaim^teestabatecuaenio para hem servir sai numerosafregucX

^
Cj-
JSf?^^SK e,t0albas dfl Gase com,isu,as **" *"!> **
Ofc ffllB costuma Vir ao mer- da. inieiramente aova para vesiidos de batfe.
Grvalas- para sennoras a hemena, o niws
completo surtimeoto que se poete desojar.
Guipure prelo e branco,. diversas larga-
ras edileriites.gstos.
dolas e puobM bordados para senhoras.
Guardanapos de linho pequeos e gran-
des.
Gorguro de seda pelo e de cores.
Grosdenaples preto e do cores, haven-
do diversas qualidados e goalos.
Japonezes para senhuras, o radhor
do.
Alpacas de todo* 03 padrn? e qualida-
*es wo Tarra'rjfts que se n3o podem dusnrever.
Aroanscom musfess pjra corlocarrfeti'atos,
.ebcrlo presento para rpialqner pessoa de
dftoflltydo de linho e algodo, branco e
Basquinas de seda pretas e moito ihodsr*
as, bem como de crochet, UM de apurado
> ^SL rn0.$er,na,madapol3o,brancos to. efazeoda propria para as eslas nosar-
a de cores, pura senliora e meninas, : rabaldes e passeios alarde.
areges de ores vanado sortimento. ~
8abadinhos on tiras bordadas em todas as! (ananas de todas as qualidades, cores
'rfflS,'- a Ve ffosto8> n3 cando nada a desejar, utl
we Dotma de todas as cores. o sortimento que e.\Me para escolber.
Bolsas de tapete pira viagem. grande! Lencos, ludo quauto pode haver desde
'anjdaoe de tamannus e gostos. esguio ao algodo commum
ombazina preta de todas as qualidades. Leques de madieperola e osso, o mais va-
Braraante de Imho de 11 palmos de lar- riado sortimento.
flora, e todas as nfais- qualidades. Ligas d seda, tardadas, para senhora.
Bretaunas de Imho e alodio, grande sor- Luvas de Jouvia, ebegadas por todas'os va-
aj r u k pore8' semP'0 novo sori-imemo, quer era
ffrtns de iobo branoo e de cores, do mais peJlica*para liomens o senhoras, quer em fio
.ommodo ao mais caro emqualidade, affian- d'Escocia, brancas e de cores.
*sndo o que ha de melfaor na especie. xvit
Brins d'algodao completo sortimento e. Madapolo; indcsoriptivel o grande sor-
-^nedade de pre;os. limento que ha ueste genero, desJe O mais
ro. a* ,\ ~, <:2i- cievado Prec ao menor, que so venda em
.2*? ,u eS' ma,or sor!,mento- P"- Peca e rctalho por menos do qoo tm ou-
:,ndo pelo bom gosto e barateza, attentas tra qualquer parlo.
"S^haMK J ManUu de bIondt W* WM o apurado
Umbraias brancas, apadas/e trarsparen- gosto dos nossos correspondentes em Paria
V^iSnALT K;"1eS tV* ^tjto-noa a dizer, qoe tamos em nosso
uimisinhas de cambnua de Imho e cassa eslahelecimenlo o que de melhor se dese-
t^rdadas ricamente enfeitadas para Sras. ja para vestir ornar urna noiva.
Camisas para- hoirens e meninos, to va- Mantas pre!as de blond.
Su.
(
* Quimaot
I

".ado sortimento que vai do mais ordinario
madapolo ao mais perfeito bordado de !i-
(e cambr3ia.,
Camisas de meia, de flanella, braneas e
e cores para homem.
Casemiras nietas e de cores, o melbor
"ae se pode imaginar, sendo d'isso a me-
aor prova o grande consmalo dellas na
Iflcina da casa.
Capailas de orcs, para noivas e bailes,
*esde a mais candida or de larangeira at
mais ioteressante grialda.
Ghapelinhas no melhor gosto, da todas a
Urea hoje preferidas pelas senhoras de
aais apurado rigor na moda.
Chapeos pretos de velludo, para senhoras,
"kimo gosto de Paris.
Chapeos de sol, para s.nhorss e homeos,
de todos os pre;os e variados gostos.
Gfcalj com rios padroes para vestidos.
Chales de todas as qualidades, avultado
nmero e nao menos variedade de gostos,
Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos pretos, trancaMos lisos.
Musselina branca e de cores, lindos e va-
riados padroes.
33
Pannos pretos e de cores, desde o mais
barato ao mais superior, por preco muito
commodo.
Pannos de crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de casemira muito finos
mesa.
paro
Peitos bordados de iinbo, lisos e de al-
godao para camisa.
Moteta! pretas e Je cores.
Popelioa do seda a linho, com iis'.ras e
llores; fazenda lindissima.
Pelherinas para senboras, do ultimo.
gosto.
Perfumaras ; os mais finos eitracto3 o
que de melhor e mais agradavel sa pode
encontrar nesle genero, e de mais fragante
e suave no olpbato, tem o PAViLHO DA
Chitas, impossivel descrever o sortimen- AURORA, desde a verdadeira agua Flori-
?.!-Varid.a.lle.'ie,Pacl,'ies 8 n?\os gostos, da at o mais boBouqiiet d'Amour, final-
e de cores por
U oeste artigo ludo quanto se pode desojar.
Cintos para senhoras o que se pode ima-
inar de melhor.
Coques, o melhor no gosto e nos enlei-
es, varios tamanhos.
Colchas de soda com borlas, o mais apu-
?do gosto e lavor.
Ditas d8 fusto branco
"recos commodos.
Corpinhos de cambraia, ricamente borda-
'los para senhoras.
Cortinados de cambraia bordados e de
(110,0 que de melhor se pode desojar.
Coiarinhos de linho bordados e lisos, o
matar sortimento.
CE
Dmasco'de 12a de 9 palmos de largura
uas c6res e ricos padroes.
Espartilhos braaoos e de cores, para se-
aboras e menBus,.o melbemese gaitero ;
jeohuma $ra. deixar por certo de muir
e de to precioso auxiliar perfeico de
'.m corpo delicado.
Entremeics bordados.
Escomilba preta.
Enfeites para cabeca,- urtima moda de
Faris, recebifia no ultimo paquete.
Esguiao de linho, completo sortimento de
odos os nmeros.
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
-tie de gostos e lindos padr5es,
Fichas de crochet, modernos com cintos
i capas, oque ba de melbor.
Fil de seda, Imbo e algdo, de todos
s gostos e padres.
FosWo de todas as cores e qualidades
;rande sertimento.
Flanella branca e de cores.
Flores, o que ha de mais rico, quer
otes, quer em ramos, tem oPAVIUUO
3A AURORA am permaoente jardim a
'.aspqsiflo das Exmas. familias.
mente tudo quanto deve oceupar o touca-
dor de urna seahora de gosto.
Saias bordadas, brancas, lisas e de cores
com fuihos e sem elles, o melhor possivel,
Sahidas de baile, de todas as cores.
Sedas pretas, de quadros, lavradas, lisas,
de listras de todas as cores e qualidades e
o mais barato possivel.
Sanrelim de todas as cores e qualidades.
Tapetes grandes, lindas pinturas para 8
cadeiras, mais pequeos e de todos os ta-
manhos desejaveis, e em pe$a para co-
vados.
Toalhas de labyrintho, do maior e mais
fino trabalho ao mais barato.
Toalhas de linho e algodo de todos os
tamanhos, lisas e felpudas.
Tarlatana branca com palmas e de cores,
fasenda muito nova, e gostos delicados pro-
pria para baile.
Vistuarios bordados de fusto brancos
de edres para meninos, de cambraia para
baptisados, o que de melhor tem vindo a
este mercado.
Vestidos de la escoceza de 2 saias,
novidade pelopadrao, gosto e forma; ditos
de linho com barras de cores, e d cam-
braia de cores cora 2 saias, todo mteira
novidade, trazem os raotellos juntos para
mostrar a forma de os farer.
Veos de blond para noivas e pretos para
luto.
Vestidos de blond para noivas: podemos
asseverar as nossas Exmas. Ireguezas, qoe
somos os nicos em Pernambuco que pode-
moa offerecer ao Ilustrado publico, o mais
apurado gosto em semelhante materia, gra-
cas ao bom gosto do nosso fornecedor em
Paris, podemos garantir que ninguem neste
genero o possue melhor, nem mais em
conta.
Ornato a AGWA IRKNCA, mais precisa sdenflar to respertavel poblfco em
gera), e em particniar a sua boa fregnezia, da immensMade de objectos que ltimamen-
te tem recebido, justameilequando olla menos o pode fazer e porque essa falta invo-
luntaria eila-confia e espera na benevolencia de todos que fh'a afferrderSo e relevar3o,
continuando pertaeld a dirigiram-se a bem'conhecida Ir ja da AGUfA BRANCA ra do
Queimndo n. $, onde sempre acnarSo atoandaucia em sui'timento de superioridade em
qualidades. modicidadeem precos frottununjea desmeutido AGRADO E SIXCKRIDADE.
Do qoe cima Qoa dko aa^OUeea qae o teiapo de qoi a AGIA BRANCA pode
dispr, empregado apezar de seos astos no desempenho de bem servir a aquehes que a
bonram procWando pr#(er-se'te dita teja duque ucessilam, eiitretanlo'sem ennume-
i-ar os objectos qu'per 8ua natorezasio mal conliexiilos ali, ella resumidamente indi-
car aouelles cuja importancia, eiegincia >e aavidade os tornam recommendaveis, como
bem seja :
Corpinhos de cambraia, prmoresmenle
enlejiados com fitas de setim e obr.is eesas
cuja novidade de molde eperfeiclo-de ador-
nos- os lornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhoe, tal
6 o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao tnassar o preieir-
dente se Ihe apresentar o que poder-de
melhor.
Entremeios em pecaste l tiras.
Guipare branco e preto de vdnds qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodSe com fiore? e Isas. '
Vs de seda para cbapelin&sV'OKmta-
ria.
Mslss de seda parafhorfs.
Ditas abortas de fio de Escosda.' .
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisadV*.
. .Gipeilas brancas para meninas.
, Grandes sortimento de flores finas.
Fri de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento da dita,
sempre melbor quajidade.
Lindos vasos com pp de arroz a piase!,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecoa e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
; Thesouras para frisar babadinhos.
Aspa para bal3o.
Ki'vos slereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por om machinismo.
urnas substitiiem as outra.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas oaixnih3S de vidro eneitados-tom
podras.
mn d madra enveraisada com vispo-
ras* e com domin,
Bollas de borracha para brinquedo de
X MOLflUlOS
Touquinhas de fil, sapatinos bordados criancas.-
e meis para ditos. Diversos objectos-de porcelana, proprios
Camisinnas bordadas para ditos. ^para enfeites de mesa e de lapinhas.
SORTIElTTClPLlfn
NOS GRAM
CONSERVATIVO
N. 23Largo do Ter^o.S. 23.
: DE
SIMO DOS SANTOS ft C.
PROGRESSO
10 Pat.o t!a *euha
DE
10
SANTOS & FERREIR.
Os prcprietario6 destes bem sortides armazens participara aos sfos innmeros
freguezes tanto desta prai;a como do matto que tendo eito grande dimiouico de pre-
cos as suas mercadorias esto por isso resolvaos a vender por meno* de O e 20 y0,
do que ex outra qualquer parte, garaiuindo-se portanto a s perior quaiidade de qual-
quer genero comprado uestes-ous eslabelecimentos. Mencionamos alguns dos nossos
gneros e a vista destes sao comprebefldidos os outros, porque enfadonho seria men-
cina-los.
Se alguem duvidar venha van
Gaz amarici-no marca Deves a 8^800 a
DO
GALLO VIGILANTE
Roa n Crespo d. 9
_ Os proprietarin deste bem conheoido estabele-
i-imento, aJm dos amitos objectos qn tinhaiu px-
postos aprcieao do respc-itavel publico, m#n-
danun vir e n.ajiam de recober pelo ultimo vapor
da Europa ara completo e varador sortimento de
filias e mai de i cadas especialidades, as quaes e-
tao rtsohMos a Vender, como d sru oostnme,
por preces muito baratinhos e comflodo para to-
ldos, com tanto que o Gallo.ai
Muito ssijiei ii.r.' iuva do pellica, pretas, brau-
ca e de aui licas cores.
Mnl'l/oas ejjonitas pHinhas e pnnhos para ser
nhura, nesle Reewre o que ha de mais moderno.
Supariaren pentes de' tartaruga para coques.
Lidos e riquissWM eueites para eabecas da>
Exmas. sen!.
Snperinre trancas pretas e de cores com vidri-
Inos e sem elles; esta fazeuda o que pod harer
de r.ie*e>r e mais bonito.
Superiores e bouitoa leques de madreperola*
marhrn, s?.i(!aJo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes preto?.
Muito superiores mcias fio de Escossla para -
ahoris, as -lea .-empre se vsnderam, por 300f
a duzis; ejUrtanto que nos as vendomos por 20t
aim desta::, teos tambcui grande sortimento de
outros qualidades, entre as quaes algumas muito
as.
Boas benaUs de superior canna da InSia e.
Castao de martlaa com lindas e encantadoras figu-
ras do inesino, ueste genero o que de meliioi s i
pode desejar ; a!cm destas temos tambem graodi
qaanUdad de ostras qualidades, como sejam,ma-
deira, baleia. nssx, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos cbicotiuhos de cadeia e
de ouirasqiiiii'i.ules.
Lindas c superiores ligas de seda e borracbr,
narasegur.ir as oieia.
Boas rae:.-.- de seda para senhora e para meni-
nas de I a i'.' anuos de idade.
Navajas catto de marfim e tartaruga para fazer
barba ; san wuo boaa,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo flir.cante, e nos por nossa vez tam-
bem asseg'jrainv.s sua qaalidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox
Linha muito aba da peso, rouxa, para eneer
Jabyriutho.
Bons laralho? de cartas para voltarete, assiin
contos lentos para o meaos flm.
Grande e variado sortimento das raelhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elcctrieos magnticos contra as couvulsoes, e
fa<*ilitam a denticio das innocentes criaucas. So-
mos -desde neaito recebedores destes prdiciosos
coliaros, e contiuamo a recebe-los por to'dei. oc
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
romo j tem acontecido, assim pois podera aquel-
les qne deiles precisaren, vir ao depositando gaHo
vigilante, aonda sempre encontraro destes verda-
deiros collares, e os quaes attendeudo-se ao Qm
para que o a|.pcados, se renderao com um mu
diminuto h-.cro.
Rogamos, oois, avista dos objectos que deixanu*
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar p;ir presos muito raleareis loia do galio
vigilante, ra do Graspo n. 7.
L'jado L'o de Ouro
O.egarara a esteb^in i*rhpciflo pm>| elecimen-
to. as mais tmrvrt lisiilias tnin lislsts v d.i
nilite bum fKH'jh, fer.da que watrns vpndein pelo
piecofl xot' r* o portd -, iqui se vendan |k-j
imnilis-im) preco # 400 res o cuvndo pechio-
'I a, grand perhincha v.-nhores frtfvtutc ve-
ntam ver A venlade, vend^n-se por este burato
preco pi.r i-r gratido porcao quen-r gantiar me-
nes e vender n.uilo para atibar rtepressa ^ a ella*
Haberos p senhoras antes fjoe se arhrm. So na
Na L.u'. i!p Ouro, a ra da lpetatrh n. 5i de
Pan-de< Pi.rtn (ue se vende barato p fazenda
boa. S o ni a visu i- qo poderao seriil-aiHi,-:..
Na loja do tm> de Ouro
Cbegararo a> mai* modernas rapan pretas d*
tilo bordada-i e te dil-rentes sustos, tpiu g.aod.-
p..rca) para os s-nle.x-s e senhoras mtUirtm,
leodeOftW pelo baraii-timo-preeo de 8, \o e
125 mil reis carta uns, por le grande porrijo,
quer ganliar menos p;.i.- e.-tbar dfpressa, - rie--
ta e bem cmihecida Inj. .i Leii de Otir m.i
da Ini|n-r.lian. 3 di- l';redes Porto: que te
encowram ileslas pectiin ;.a.-, i>i'>r|e-se *o* smino-
res e enboras que Ipi.Iihu a bondade di* virem
a este Ps'alic|pe;ir.ento para com u rtsta BMlili .-.-
rem-se '.'a vpidadf.
FJLI-
i.iaia l.aiiilebno ven :e
mandil r.i : na rus Bu Duque de Calta, irawsxi
do Hftwri". l.-ja n 1H i;
com
Qneijcs doserto.
Vi-nile-se Da roa fla Iroperatrit n. 80,
zeio de moibadoa.
inrifi.-s-
Att
O Til

F
O verdadeiro portlan*.
ra da Madre de Deus n.
Joo Aartins de Barros.
o:cao
Ka rna do Daqne dn ftxis, ootr*ora -.* k.
Qoeimado n. 19, vende-so cambraia* roiudinbs
e de flnres. bonitos pMrdcB e finas a 300 .KM
o covado. batan,
i ara baile-. <- e;is.n,tutos
A' loja di- Aiicn-t'' Porlo chegnii iii.vo sor:-
mentf i!.-Iindns bourims para sahida de? bailes;
superiores cuites da seda. n>felina, vestid s d.-
blomle, fil i sida brweo preto, liso e de Buraa,
robus de datnavt) doeda para camas, cortina-
dos, vestidus braneot bordados e moitas outra-:
fazends que se v-ndem oor inni.o barate pem.
Nesta loj.i tem senpie pande soriimenia das
melhores esleirs |aia fonar sallas, liua p Jju-
(|ne de >'.axias. amiga re.a do Quei'nadon. II.
se vende a
armazem d
Vinagre branco mandado vir por conta
propna yindo de Lisboa, a 320 a garrofa*
480 o litro.
dem tinto Fgueira, Lisboa e Porto a
320,280, 240 e 200 rs. a garrafa e 480 306
rs. o litro.
lita, 380 rs. a garrafa e 560 o Uro.
Azeite doce de Lisboa a 900 e i000 a.
garrafa em ;.orco faz-sa grande abatimen-
to.
Caf em careco a 220, 240 e 2=0, a
THHln nFk&SSf grande e v?r,ado ^rf^nto Qe os proprietarios do H-
L A AURORA se apresentam ao publico declarando desde j que a sineerida-
* e o bom eosto-o novel nico de seus negocios. w"
ama Jlri^ *?J .Profptos sem9re a Prover-se do que por veouka lhe
aete ri^^L P^Lne?nos 4efite sumPWoso estabelecimento recommendam-sa
vS^J^tS!<oaI^ToUaUm es^ar-sepor continuar a merecer
^^^^Sntente ^P608** i <*s a, tnmSrS^^St offlJ*-*^ dirigida por om dos mais babeis ar^-
UnmSiTtZ0*?*0*0 b0m gosto ualuer trabaiho^qu lbe'stia
na mod.sta especialmente occupadfc nos trafcrtos do PAybA0 Di A-
bom gosm qal^uer trabalho*\u lbe'stia
^opada nos trabados do PAYILBAO D l A-
A noitt
Mito qoe se dispen
*?* ** rcebtoos por todos os paqa'eles. os
latmias nossas frepwzas, afim de fescolherem,
quaes enviaremoa para aerean vistos as
com padrap 4a farenda o gesto na ferma.
-^^ ** Pd P^qa nos apresenabos pediad* a proleceSo do nstwao,
l^nS,!f,S-,^20 -W ^^'Wss excetlenlSsSas a vjsi-
#> vo^^^6^ "ff" *-9** - **m pedioa. visto
wto das 6 s 9 toras da noile.
Vinho Figueira, Lisboa, Porto Estrato , (
a 560, 500 480 e400 a garrafa litro a*W'$ ^J^LlL^'J40 e b'
760, 720 e 600. I^jSOOO, 7oG0 e800 arroba.
Vinho branco puro de Lisboa a 640 560 i Mi,p0 aiPisa 20 rs- a ,ibra e 44 ki"
agarrafa, em por^ao ha abamento. logramma e 5J800 a arroba, eraporco ha
Vinho do Porlo, engarrafado das melho-, ^stinento.
^semaisacretadasmarcaaaiOOeei^' ?^.Sfmd0Blni>T,,por **m
14*00 e m a garrafa. |e ,,0 ada wn'
dem Bordeaux, Medoc e St. Juliea at,.uAle^iaA.mlcarr5?ltalharra a50rjs.a
7^500 e 6*500, a duzia e 640 rs. a rala. I ^ra eJ*100 ^'ogrammo em caixae ha
Genebra de Holland e larnja doce aro- a
macaa 6*500,7,5, lW509fca frasqueira.
Serveia Bass, IUers & Bell a 9,5800 du-
zia em porcao ha grande abatimento.
dem marca (I e 1* e oulras marcas a
5*500 e 6, a duzia e 500 rs. a.grrula.
Assim como ha outros muitos
gbao wassa de I* e 2* quaiidade a 220
e 240 rs. a libra em caixa ba abatimento
Toucinho de Lisboa "muito alto a 400 rs.
a libra e 880 o ki'ogrammo, em arroba ha
grahde dfferen?a.
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,1
I

passas e figos, charutos finos de diversas marcas, marraelada, bolachinhas de todas as
qualidades, perola, Francj-cracynel, a, b, c, Mdium, mixed, soda Fancy-nic-nac, pa-1
lace de Vanetes, combination, Britania, doce de goiaba fina, chouricas, manteigas finas
franceza e ingleza, banha de Baltimor, phosphoros de Sycuryt, Cognac, cha de diver-
sas qualidades, Oanella, pimenta do reino, ervadoce, pomada, enxofre, breu, peix
am IaUs de todas as qualidades, farinha de mimo americana, grandes molhos de sebol-
tas, nestes dousarmazens existe tambem.grande sortimento de loucas proprias para ne-
gocio, que pelos seus commodos preco faz vantagem aos compradores.
Deposito effectivodos productos da compatthia das
iVHas de Vkky toma tyam :
Agua Sourte Celestins.
pila dito Hanterlve.
Dita Chateldoo eh. etc.
^#^^.^^^^.1^011* con tome
lo-eM yionta, era cas de 1^rd^4^o-et' ^**v** vv* ^W
terco n.'9. -q Bm l|A tTArift
mesaos lee para veadaroafate.nparior/e "? *** i*Y|i>ft-Xfa
" dediyrw^gajidadep. ...,,.,. ; lMMb.^0 FM-a4*. U e 6* a pa*.
Oi USTRA8 AMERICANO pafareapa
IfflftmW'CABRAU oraneva finos a 2*606
ajauiia.___
CKTAf 8D0R&S 1HATIXADAS E MIDI5HA8
a 240 o covado.
i MiPJaPtf,,a a ra. do Crespo n. J5, loja le
.Haeol Dias Xavjer.
Em casad* Mills Latham i C, raa'da Crn'
*8. vendem-sa romas de ferro galvatristdao.
, teildJte d'cai Wrea b. U. ^hJbgi.ptt-
pr*>9, alta ettiOnaa i roa no oiOa da Ainw
tom 4 (puros, corredor ao loeio^ duas salas: a,
r no 1? andar n. 5 a na da *
Dcoreiro previdenti
Rna do dnelmado u. 1<5.
lovo e variado sortimento de perfuman*
finas, e outros objectos.
Alm do c.!?mpieto sortimento de pen'i
marias, de que effectivamente est prvida
loja do Cordeiro Previdente, ella "acaba
receber um outro sortimento que se ton
ootavel pela v?riedade de objectos. soperio:
dade, qaaB e commodidades ds nr
Oos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pee
e espera continuar a merecer a apreciac!
do respeitavel publico em geral e de sr
boa freguezia em particular, nao se a/*
"ando elle de sua bem conhecidamansidi
a barateza. Em dita loja encontraro t
preciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de 'oiogne ingleza, americana, fr
ceza, todas dos melhores e mais acreditad
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgia) para conservaco a
sseio da bocea.
Cosmtiqaes de superior quaiidade e cht
ros agradavis.
Copos e atas, maiores e menores, coi
pomada fina para cabello.
Frascos cora dita japoneza, transparerr.
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
francezs em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel cii
o de violeta.
' Ontrs concentradas e de cheiros igua;
ente finas e agradaveis.
Oleo phiiocome verdadeiro/
Extracto d'oleo de superior quadad
ota escomidos cheiros, em frascos de din*
rentes tamanbos.
Sabonetas ca barras, maiores e meno:--.
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em fifi
/as de meninos.
Ditos muito finos em caixinba para barb.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitan
fj actas.
Ditas de madeira invernisada contendo t
as perfumarlas, muito proprias para p,-'
sen tes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tan
oem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos," e i
moldes novos e elegantes, com p de ar?'
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentei.
Pos de camphora e outras differeau
cualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Atedia wnl coque.
Um outro sortimento de coques da n<
Vos e bonitos moldes com fllets da vidrilhi
/alguns d'elleB ornados de flores e fita
9Bt3o todos expostos apreciaco de qaai
ne pretenda comprar.
GOLLPHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de multo gostp e perfeicSo.
Flvellaa c fitas para cinto*.
, Bello e variado sortimento de taes objn
toa, ficando a boa escolha ao guato do coi
pndor.
Vende-se por baloto preco a pmpviadade na
camba ds Itemedies, que f"i de loi Aaastaejo
Camello Pessoa, Ami nina grande laria de peflrsi
e cal. que laslra 16 pona 2j',0), cen escolenle barro para toda e
qualqner obra, cmn duus excellentes viveiro
um grande acudk. ('agua doce, iendo una ca de
sobradn de um andar e solio : as |iessoas qa
preiendi-rem, diiijam-se a referida pronciednde a
f nlejider-se cim u capiiao Delllou Luis Cava ean-.
Pessoa consenlior da mesma propriedadi.
Para escriptorio
Vende se urna ba grade' com balaustres, pr:>-
pria paia escriptiTio. teodo tr>-. faces, rom du.i-i
pi rtas tratar na ra da Impertira n. i>0, loja
do Pavan.
PEORAS.
Vudp-se una porcao de pedras .ic LMhna qi!>
foram de calcada : a tratar na ra do Hepici
n. 26.
ES3RATOS FGIDOS.
.
t !
Farinha de man-
dioca.
Chegoo praca do Corpo Shtol
n. I7,taadai,e8-iptorio(lef)a-
cfaaa Radriguos Tvires da MUoy
"-- firiaaa da trra.
Zambi, (Torre) em solo renflerro : tratar na ra
Imperial n. 233.
UlsUpWidratW: ium da fedei* do
ecifo numero 8. .
Em fuga part ^ Ico, donde
natura!.
AuzenDu-se drsde a da 9 de abril do contle
anno, a molata acaboculata rsula, de idade pon-
a mais ou mems 30 anuos, ebeia do empo. ca-
hellis corridos, lem os denles da frente f rsitos,
falla descantada e o maior sigual urna impigem
em um dos bracos de^de o cotovello ale a mu-
nhea da mi, suppoe-se ler seguido para o ieo
donde natural, leveu vertido de chita escuro
com listas eucarnadas, acoslnnuda a dar-lhe a
gotta : quem a pegar leve ra da Matriz da
Boa-Vista o. 46, ou ra da Gru n. Hr, ijiie ser
giatiflcade.
Cnntintia a eslar inpido o mnleque Greporo.
de 17 annos de idade. crirnlo. com falta di^b-?'-
tes na frente, testa ridnoda, cilios vivos, etm ai .
marca do (lueimeriura na barriga, e ontaa na raxa
ae urna estrrpada j aniiga : gost.i de andar cnii
caximho : quem o pegar pae levar aoy tttgnim
California em SerinhSeui, a sea senhor Jn*n t\>-
rentino O. de Albuuuerque. ou a ra da Praia n.
31. que ser bem n-com pensado.
AVISO
100*000
I
Contina a estar fgida desde o da 18 de jane -
ro do corrente anno a escrava Sveria, cnoula, .i-i
idade de 25 a 30 annos. com os signae- seguintes:
altura regular, beicos rossos e lebitudtts, rosto
saliente, orelhas pequeas, falla mansa, corpo del-
gado, quando anda rocheia. foi e-cravona villa do
Cabo do Sr. Joao dn liego Barros, foi vendida n-'s-
ta cidade pelo Sr. Plere, comav-procurador do dw
Barros, j foi vista para bandas do engenho More-
nos em companhia de um cabra ex praga oe c*.-
vallaria, julga-se que o seductor que elle dis
que a dita escrava se tinba forrado : rogase a au-
toridade pocial e capitaes de campo a captura da
mesma, lava la i ua da 'Soledade n. 86, (t ru
do Amorim n. 64
'
Jichas hamburgnezas
Neete novo dapouto reoabe-w por todos os pa
qtietes traneJanticos bichas de qaalidade soperioi
'e vendara se e catta en porto'tti pequea,
enaieaaraiodoqueerBOQtr* qtraltaer parte
~ rna-da Cadeia do Recife n. SI, i- addar.
Cabellos
Vendem-sd cabellos de todas aa rana, foalqner
I ciompruMBto, qaaitdada anaKror, n cana ou
[porcao mis peques*,: na a da Cadaia da Re-
etrZ.
Qaalidade superior e sonido em cores
se aa roa da Cadeia n. SI, i* andar
vende-
Vende-se

ama machina de costura prop/ia de coser
coivo: na roa da Assumpcao a. 82.
Kugio no dia 4 do correte o mulato Satur-
nino, offlcio de carreiro, cor avermelhada a espe
ci ee ac por ter os cabellos vernelbus, estafara
media e forte do corpe, cara ou, *e>ta rugosa,
falla apenando os canto da bocea, idade 2o a 11)
annos, ps chale, vestido com cerna e canosa d-j
panno de algodo entrancado de cores, e Da-
tara! do serian. O anno psssado este mulato ia
esteve fgido 2 me7.es e tei pegado no engenho d
& Jiode Po-d'Alho dopois de U-r v ga4o r>*.
ras desta cidade por bastante lempo, lem cnnli-
cimento na ra da Senzalla etc. P< de se aee ca-
pitaes de campo e as autoridades poNciaes a cap
turado mesnw para ser entregue a sea seuh-i!
no sitio da Sapucaia em Beberihe.
Fagio Hdia (i de marga i crreme am
o eecravo Praaciaco, cabra, de idade 30 auno*,
com os signaes seguimos : cabellos eaiap nh-h,
rosto descarnado e com marcas de bexiea ioiiiu-
Ivsc ser fivre, revon calca braoca, paleto! Oe al-
paca de oor, enapo de chile, iwlural.da Parafer-
ba ; o atesrao tai oenprade ao Sr. Dnmro AHn
Maia, morador na Parahyba, e j .ten se ler ido
para o mesmo lugar. Desde j proles a e cjtra
a pessoa que o ti ver oceultade ; e r> g- se aos c?.-
pliaes de earna, assim cerno s aet- ridane* prd>-
ciaef ave o tragan roa Direita a. 16, que ser
generosamente gratificados,
Ptgio no dia 18 deste crreme atea, is 9 b>va*
da omite, a escrava mulata, de i# Jnpttt,
blixa, cor scura, cabelles carupinfe faa re-
dondi, olhos empapujados, nari
grosos, dmis dHrteS de ftfnte aatln-ssallos
raeio dos ditos denles um pMs p- ebatis. o*
dedos cotopf Idos, es calcanheres iigmdo i
rachaduia9, rtpre?enta ter 19 anm s. leveu
tido de cbiu escura, diales de merino esian
Al ai.nl, nao acostnniada a aa^ar na'nia. e por
ised na adewonteeida; o annnneiam.- su
a?4*str*edoatda por alguem e eMej (i
en algomacasa particular, o desde i pn
a aira quem" quer que aslm prorVd. r
taok refa-s amorlded s pollclae< .
de- c imffe a captura da referida escr ;*
do-a na rna do Imperador n. 19, ,2' andar
jer f ratificado.


I

/



.
!
'\
Diario de Pernambnco Sabbalo 28 de Maio de 1870
-1*.
_4_
J
XiL*---
YUDEDADE
.
CRIME HRRIVEL EM PORTUGAL. ADUL-
TERIO. ASSASSINATO DA MULHER
ADULTERA PELO MARIDO.
Damos etn seguida a descripco do as-
sassinato da Sra. D. Adelaide Caudioa Gui-
arles Vieira de Castro p>r seu marido o
Ilustrado mador Iportnguez Jos Caldoso
Vieira de Castro, extrahida dos jomaos de
Lisboa:
Corra bontem (II) muito de manh
por toda a ridade que o Sr. J >s Caldoso
Vieira di! Castro tinli .assassinado sin es-
posa. Di/inm mis que empreara o chloro-
formio, outro* que a cstrangulaco, falla-
vam era um tiri de rowolver e tambera ci-
tavam o pnntial. O caso que ninguem
acreditara no crime.
Vieira de Castro era fogoso, arrebata-
do, e ciuiuento, mas do seu viver intimo
nio transpirava um nico fado que pndesse
deixar Mspeita de que um da a serinidade
rio seu lar fosse alterada por um crime
iiorrivel. Ninguem o acreditava, e tinham
razio. Era elle um dos ornameutos da
tiossa tribuna, escriptor ameno e flurnle,
curacio que pareca aberto a acolber e de-
fender todas * ideas grandes e generosas ;
a esposa acomp.mhava-o quasi sempre, nos
passeios, nos bailes, e nos tlieatros : p;rc-
ciam anda recem-casados, e ella era 19o
ormosa e li joven que bera se pedera
ji.lgar que a rehice os sorprendera muito
an;es do aborrecmienlo da vida em coa-
mar.
t Foi no sahbado destruido ludo islo
ue uos suppunhamos a mais completa feli-
tidade. Pela lardinha desse dia o Sr. Viei-
ra de Castro entrn em sua casa, na ra das
{'loros. Os criados estavam na escada ; ss
salas erara tapetadas e proposito para
ue os Dataos nao fossem presentidos.
Vieira di. Castro ebegou ao quarto da es-
posa ; ella eslava escrevendo, mas logo que
o marido se llie approximou esconden a
carta. Era natural a estranheza da parte
delle por um facto que a qualquer pareca
pouco regular, e por isso pedio que llie
fosse mostrada a carta. A senhora recu-
800-86 a faz-lo. o mariJo imistio e afinal
loi-llie entregue a carta.
Quem sabe o que ella dizia ?
Parece que depois se seguio contesta-
*,ao entre os dooa esposos, e o contedoda
carta foi esclarecido por declaracoes da se-
nhora. Vieira de Castro sahfc) de casa. No
outro dia parecia anda existir a mais com-
pleta harmona entre ambos ; nao constan
iem aos criados urna palavra da scena da
vespera ; e segundo se diz, a senhora, es-
peranzada de que a soliirDo daquella dis-
cordia fosse regressar ao Brasil, sua patria,
estove tocando piano. O marido andou no
domingo de tarde passeando no aterro, tris-
te e so; i noite voltou casa, e hora de
se deitar encaminliou-se para o seu qaarto.
Durante a noite entrn repetidas vezes no
quarto da esposa, e ella accordava sempre
sobresaltada, apexar da premessa que se
diz elle tei -Ihe feito, de que ludo termina-
ra com urna separaco, ficando elle em Por-
tugal e regresando a senhora ao Brasil.
Era na madrugada de segunda-feira.
Adormecer, talvez vencida pelo lutar inti-
mo durante perto de qnarenta horas, a Sra.
D. Adelaide Claudina Vieira de Castro. O
marido entrn Ihe no quarto, que come^ava
a ser aliumiado pe'a luzdamanha.
A senhora acordoo, e pela ultima vez;
o marido approximou se do leito. Aqoi
differem as versees, e ninguem pode dizer
qual a verriadeira.
-a-Ab, ests a escrever!
* fahio, encaminhandetse para' nina
botica onde comprou chloroTormio.
Oquesepassou desde entab at se-
gunda feira nio se sabe; conta-se que o
Sr. Vieira de Castro domingo i noite foi
visto passeiar no Aterro da Ijoa-Vista.

Segunda feira, pela maha, appareceu-
llid,eii casa o Sr. C..., que era visita do
Sr. Vjeira de Castro, a casa do qual costu-
niava ir timar cha quasi todas as noites.
O Sr. Vieira de Castro eslava pallido e
inquieto.
Joe tens tu ? perguntou-lbe o re-
cem-iiegado ao descobrir-ltie.no rosto todos
os signaes de quem tinha tido urna noite
tormentosa. Passaste mal a noile?
Passei, responden ejle seccamente.
Mas que foi que ttveste?
Nada, iasomnia. Nio pude dor-
*
mu*.

Sr. C.
Como est tua mulher ? tor*ou o
i mudando de tom.
- Est all morta naquelle quarto.
iMate-a anda agora.
Esta resposta, borrivel na soa extre-
ma conciso, deixou alordoadoo Sr. C ..,
que sabio immediatamente para a na, e
veto contar o que se passava aos amigos
mais ntimos do Sr. Vieira de Castro.
t Segundo esta versao, o Sr. Vieira de
Castro esperara que a esposa pegasse no
somno, e, vendo-a adormecida, ensopou um
lenco em chloroformio e applicou-lh'o ao
nariz.

t Esli de accordo todas as versSes do
que loca ao comeco e termo desta espantosa
catastrophe, ter o Sr. Vieira de*Castro no
sabbado encontrado a esposa a escrever e
le la morto n segunda-feira de madru-
gada.
Variara, porm, as opinies acerca do
modo porque ludo isto se passou.
Urna das versoes que corra bontem
com mais insistencia era a seguinte; mas,
repetmos, nao garantimos nenboma deltas,
porque a que temos razoes para julgar mais
prxima da verdade a narrativa,que vai
em primeiro lugar.
i Segunda-feira pela manhia, entrou o
Sr. Vieira de Castro no quarto da esposa, e
esta acqrdon.
Para que isso ? perguntou-lbe ella
ao v-lo cora um frasco na mo.
O frasco continba chloroformio.
para ver se me tira urnas dores
de cabeca com que estou.
E tbegou-lhe ao nariz o frasco.
Ella repellio-o. Mas elle tornou a ap-
proximar-lhe o frasco do rosto, e quiz en-
turnar-lh'o pela bocea abaixo.

Nesta occasiio, segundo se conta, -
que se travou a lura em que a esposa do
Sr. Vieira de Castro suecumbio ; elle, lar-
gando o frasco do chloroformio, lancou-lhe
as maos ao pescoco, apertou-lh'o, e s olar-
gou quando sentio o coracao da sua victima
deixar de bater.
Depois do crime, segunda-feira de ma-
nha, reso'veu o Sr. Vieira de Castro man-
Har desafiar o Sr. Jos Maria de Almeida
Garrett, que ha tempos figurou como here
principal na historia de um rapto que andou
as folhas do Porto, onde antes dra j que
fallar por ter insultado, na platea do thea-
tro de S. Jo5o, um militar do nosso exer-
cito.
Antes, porm,
pessoas de que se
de mandar chamar as
tinha lembrado para
necessano que morras, para des- suas lestemunhas, escreveu urna carta onde
aggravo da tninha honra. Eu morrerei de-
pois.
Eis o que corre, como mais certo, ter-
be elle dito naquelle momento de suprema
angustia, e depois atirou-lhe com o lenco
impregnado de chloroformio. Houve luta,
porque o Sr. Vieira de Castro tem urna das
maos arranbada : o chloroformio nao pro-
duzio resultado, e depoise nisto sao con-
cordes todas as versoeso Sr. Vieira de
Castro ravou os dedos no pescoco da vic-
tima at Ihe suspender de todo a respi-
rarlo.
Parece q-.ie em seguida o marido fe-
chou a porla do quarto chave, dizendo ao
criado que a senhora liaba sahido.

Correm outras versSes, com quanlo
esta narrativa passe pir ser a mais exacta.
Eis o mais que se diz.
Sabbado, entrando etn casa o Sr. Viei-
ra de Castro vio a esposa a escrever. Dei-
too os olhos para cima do papel, e excla-
mou :
FOLHETIM
OS DRAMAS DA ALDEIA
PH
Ponsou du Terrail
(Continuaco do n. I8).
XXXIX
O beleguim, inclinando-se ao onvido de
Juval, disse-lbe :
Vem pedir moratoria.
Mas nada de tolices !rdarguio-lbe
aquelle.
Nena urna hora Iacudi o Mulot.
Anatole sau Ion Loiseau com a sua habi-
tual delicadeza e disse-lbe :
Constoa-me que o senhor ficava esta
noute em S. Florentino e procurei-o na es-
talagem, onde me disseram que o encon-
trara aqui. Descolpe-me, se asslm evito
urna digresso a Lorris.
Senbor bario,disse o beleguimde.
pois de oito horas da noute n5o me ocenpo
mais de negocios.
Nem mesrao quando Ihequerem entregar
dinheiro ?redargoio Anatole, sorrmdo-se.
O official de, joitica deu um puro sobre
a cadeira e Joval deixou cabir das maos o
copo.
Nao recebo por conta I disse o
Mulot pan. Loiseau.
Anatole, laagando-lhe um olhar de des-
preso, acudi logo :
Perdi, senbor, mas entre nos nada
ha a tratar. |
E, dirigindo-se a Loiseau, prosegoio :
Se tem abi o meo titulo de div em
conta das despezas, vamos a saldar todo.
Que diz balbeciou Loiseau.
Digo que voo pagar-lbe, [se tem abi
conW e o meo recibo.
contava ao Sr. Almeida Garrett que assas-
sinra sua mulher, e onde hava estas pala-
vas, pouco mais ou menos :
Dei.ro llie o remorsodos dos victimas
(uc fez, e a loucura que elle deve produ-
zir-lhc.
O intento do Sr. Vieira de Castro era
deixar-se matar pelo seu adversario no
duello que llie propunba.
Encarregados os Sis. S... e 0... de
proporem um duello de morte ao Sr. Al-
enla Garrett e munidos das respectivas
condices, procuraran) aquelle senhor no
hotel Braganca, onde viva.
Ainda bera que ebegou a bala que
cu ha tanto lempo esperava, exclamou o
Sr. Garrett ao ser informado pelos Srs. S...
e 0... do lim que all os levava.
o Mas, pondo-se em seguida a refleclir:
Nada, nao acceito o duello. Tenho
dado tantos desgostos a minha rai, que no
quero causar-lUe mais este. Hoje noite
parto para a Franca, onde voo entrar n'um
Sem duvida respondeu o beleguim
estupefacto.
Anatole apresenlou seis cartuchos de mi
fraucos cada um.
Os frequentadores do botequim, de ater-
rados que estavam, ficaram entusiasmados
e bateram as palmas.
Porm acrescem setecentos francos
degustas disse Loiseau, que se tomara
lvido.
Tambera vou pagar-lb'os.
E com a mesma placidez e delicadeza
Anatole lirou um stimo cartucho de di-
nheiro, que collocou sobre a mesa.
Ento os applausos rebentaram como
urna tempestade, e Juval ebegou a receiar
que se aiirassem a elle e o tizessem em
postas.
XL
Anatole de Misseny retirra-se, levando
comsigo o titulo de divida assignado por
seu av aos Jauberts. '
Os partidarios de Juval haviam-se ausen-
tado, mas o usurario, Maurel e L' iseau
ainda se conservavam no botequim estupe-
factos, e contemplando o ouro espalbado so-
bre a mesa.
Estamos burlados disse Loiseau,
rompendo o silencio.
O Mol t Dio responden. >
Mas onde foi elle buscar o dinheiro ?
acudi Juval enfurecido.
Se urna hora antes disse Loiseau
algnem quizesse apostar cinco francos con-
tra a miaba cabeca, eu apostara em como
elle Dio era capaz de arraojar o dinheiro t
Pois perda a aposta I resmnngon
irado Juval.
E prosegnio :
Oh I se en soubesse que foi Bouteville
quem Ih'o empreslou I...
Qual historia !exclamou Loiseau.
En era capaz de arruinar quem me
fez Ul traicio !
Loiseau encolheu os hombros e prose-
goio :
collegio de jesutas. Queiraa diter tsto sa moa carta na fletoluco de Settnatrro a
fliesmo ao Sr. Vieira de Castro. Staia de um deputado amigo seu. esaaga-
Depois o Sr. Garrett indicou a hora a va com a mais* sarca-rtica objurgatoria o roi-
que tencionava sabir do hotel, o itinef|rii|altf ^a Jotiea actual.
a esaptf **IlJe, piioccupa*) com os oltimos ais
que hayia de seguir para ir
de ferro,
par
do carainho de ferro, e disse :
^ou desarmado; o ir. Vieira de
Castro, se quizer, pode tr maiaMBe ao ca-
rainho. ,
O Sr. Garrett dislriboio por seos pa
rentes as joias e dinheiro que possoia, e
ceden sua irmaa o bens da soa heranca,
reservando para si o necasario para sea
viver.
i ...
Esta resposta deixou desorientado o
Sr. Vieira de Castro. Ao saber da bocea
dos Sis. S... e 0... o mallogrodo encargo
que estes baviam tomado, deixou escapar*
estas palavras : ,
Assassiaa-lo e urna cobarda. Ella
tambem j est morta f
c Nao foi percebido pelos que o ouviram
o verdadeiro sentido destas palavras. Tanto
o Sr. S... como o Sr. O... sahira de casa
do Sr. Vieira de Castro persuadidos de que
ella eslava morta, mas morahneme.
A Sra. D. Adelaide Claudiaa de Gui-"
maraes Vieira de Castro contava 20 annos,
e era natural do Rio de Janeiro. Ao pro-
ceder-se autopsia eslava a victima embru-
Ihada na roupa da cama, e com a camia
enrolada em vojta da cabe?a. Os medico')
que fizeram a autopsia foram os Sr. Drs.
Brurquein e Mesquita. No cadver, segun-
do nos dizem, apenas se encontr um
contusa'.) na testa. O auto de autopsia foi
levantado pelo digno juiz Aragio M'ascare-
nhas, escrivio Fragoso, e jnweleito da- fre-
gnezia da Encaruario.
Entre o sabbado e segunda-feira o Sr.,
Vieira de Castro telegraphwi duas wzes
para o Porto a seo irmo. para vir a Lisboa
o mais breve possivel. O irnto so ebegou
bontem.
Pela 1 hora- da tarde de hontem *>i o
Sr. Vieira de Castro apresentar-se ao-Sr.J
commissario geni de polica e perante elle
confessou o crime. O Sr. commissario
geral de polica aeorapanhou-o, em seguido
Boa-llora e i procuradora regia, e depois
para o Limoeiro.
O Sr. Vieira de Castro est acabrunba-
dissimo. A algomas pessoas que estiveram
no Limoeiro ouvimos que a lembranca de
sua mi be arranea copiosas lagrimas. *

Tomadas as declarares do Sr. Vieira
de Castro pelo Sr. Luiz Waangton, com-
missario geral da polica, e lavrado auto
deltas, foi a occorrencia participada aojuiz
do 2o districto criminal, o Sr. Aragao Mas-
carenhas, o qual, depois de interrogar o
preso, o mandn recolher 'cada da cida-
de, onde deu entrada, acompanhado pelo
commissario geral de polica, ficando n'mna
sala junto enfermara.
O jniz foi em segnida, acompanhado do
escrivo Fragoso, e das demais autoridades
competentes ao andar da casa n. 109 da
ra das Flores, morada des conjoges, le-
vantar o auto do corpo de delicio directo,
e proceder averiguacio medico-legal no
cadver. A justica encontrou a vctima so-
bre o proprio leito (de casados) onde a in-
feliz tora assassinada. As roupas estavam
em desalioho e revotas. O corpo tinha al-
gumas contuses e esta va paludo e arroxtar
do. Depois da autopsia foi conduzido
n'uma sege preta ao ctmitario sem mais
acompanbamento que o encarregado dos
enterros, o qual seguia n'ontra sege.
t Assistio a este afflictivo espectculo um
irmo do Sr. Vieira de Castro que elle
mandara chamar pelo telegrapho.
< Vieira de Castro tem apenas 31 annos.
Aos 26 (na sessio legislativa de 1865) ex-
altara a tri una parlamentar que licra orfia
de Jos Estevo, e elevoo a sua reputacio
de orador ao opice da celebridade. Cinco
annos depois, cedendoauma paixioque se
nao discute, geme em ferros a sos com o se
remorso viuvo da sua victima, e prostrado.
Ha poucos raezes, concitando nm meeling
na cidade do Porto, applaudido e victoriado
por mais de 2 mil espectadores, senio for
debellar pelos seus esforcos os manejos dos
ministeriaes contra a sua candidatura que
desejara fazer triumfar, conseguir que a
torrente da opino se fixasse em dois pontos
graves de direito pratico constitucional^: a
reforma da cmara dos pares e a le de
responsabilidade dos ministros da cora,
propostas estas que o governo se va bri-
gado a prometter no discurso do throno
pela voz do proprio chefe do estado, na
abertura da actual sessio das cortes geraes.
* Ha menos de quinze das, elogiando
Bouteville um homem de bom sen-
so e quem fez tal cousa est louco por
certo.
Ou meu mortal inimigo 1 replicou
Juval.
Bem sabe que Bouteville c dos
nossosdisse Loiseau.
Ah I se venho a saber quem foi o pro-
curador que forneceu o dinheiro, arruina
lo-hei i
Estas palavras na bocea de Juval nio eram
vis ameacas.
Cont com o meu apoio disse Loi-
seau.
Agora facamos as nossas contas -
disse Juval.
E, voltando-se para o Mulot, accrescen-
tou :
Como fui en que adiaotei os fundos,
tomo posse do mea dinheiro.
E despejou no bolso os seis montinhos
de ouro.
E eu faco o mesmo ao que me per
tence acudi Loiseau, embolsando o ae
mo cartucho, que representiva o importe
das despezas, cusas e honorarios.
O Mulot, em cojo nome se flzera toda
aquella estrategia, nada tinba a embolsar,
por quanlo os dous cumplices apenas hi-
viam deixado sobre a mea os papis a
que o dinheiro viera enrolado.
Joval foi o primeiro que se ergueu, di-
zendo a Loiseau :
Creio que est lnar ; por Unto aro-
veita-lo e ir para casa. En vou-me dei-
tar ... Adeos, amigo concloio elle, vol-
tando-se para p siulot.
Assim se dissolva o pacto, que ligara
aquellas almas.
Boas noutes, meu constujote Loiseau ao Mulot, modulando os gestos t
a vpz pelo gosto de Juval.
E, dando o braco a uto, saturan am-
bos.
O Molot, como fulminado nio se afreten
a dete-los,
de sua victima, coafessa aos seis ntimos
que Ihe nao saem dos ouvidos aquelles
gritos suppbcantes. Qoal o estado do
preso, dlzia esta manMa o Diario de Noti-
cias ?
Derrama as vezes [lagrimas por soa mai
e pela familia de sua mulher. Diz-se per-
dido para o orando. Nao se lastima. Nao
gusta que o deixem s. Falta aos seus n-
timos, se a isso o instigara, bem que se
liarte a faze-lo, no- facto, e resome a syn-
ihese da sua tragedia n'esta phrase :"
Mitei a mulher que me desbonrou
Nio busca defenderse. Kz que referia
ludo saladamente ao Sr. jai/. Atagio Mas-
careabas, e que nc*ndo-ll>e este a respon-
sabilidade em quef hava incorrido perante
as- leis sociaes, Iba responder que conhece
bem os cdigos, mas-que se jugara infame
e infamado, seuo' izesse o que fez.
sumniario lo p.-oeesso- segredo de justica.
N'elle est por certo feita nwudamente a
narracio da mortal luca da ra das Flores.
Eis o resultado da autopsia:
O resultado da autopsia feita< ao cada-
ver da esposa do Sr. Vieira de Castro, e a
que ante-hoolem, sob a presidencia' do Sr.
juiz do 2o districto criminal, se proceden
na propria casa del les. ra das Flores, n,
11C. foi que amorte fr resultado de con-
geslos, hemorragias cerebral e pulmonar,
que, na opiniae dos peritos, fra occasiona-
da talvez pela inbalacio e grande quanti-
dade de chloroformio, e continuada prova-
velraenle pela ingestao desta substancia no
estomago, como o denunciavam e prova-
vavam situaco de todas as ecbimozes
que se nutava no cadver, principakaenle
das azas do nariz e a dos- labios, e o as-
pecto particular da lingua: e com certeza
completada com a sullucacao praticada com
a roupa.
Quando chegou a juslioa, o cadver
achava-se no dno fle urna cama de easa-
dos envolvido apertadamnte na roupa da
mesma cama, notndose que a roupa esla-
va em grande desordem, misturada revolta-
mente urna com otra. O cadver nio apre-
sentava feridas nem signaes de estrangula-
Cao. O quarto da cama exhalava muito
forte cheiro de ebloroformio
.No lencol de baixo havia urna grande
mancha de sangae j secco, prximo ca-
beca de cadver.
0> habito externo do cadver, era:
cadver de mulher que denotava ter 20 annos
de estatura regular, constituicio fraca e bas-
tante magra. No rosto apresentava echymo-
ses, na regiao malar direita, as palpebras
do olbo do mesmo lado, no olho correspon-
dente, sobre ossos proprios do nariz com
as azas deste orgio fortemente echymosa-
das, e nos labios, havende nestas ecbymo-
ses pequeas feridas; apresentava nutra
ecbymose na r9giio temporal direita, e ou-
tra no labio esquerdo, prximo ao rebordo
da regiao maxilar. A lingua estava rida,
braneo-amarellada, parecendo que esla co-
lora$ao lbe fora disposta s manchas, e es-
tava situada eatre Os dentss e por estes fe-
rida em dois pontos. As unbas eslavara
de um azul anegrado; tinha grandes man-
chas de bjperemicas cadavricas na cara,
oreHias, pestoco, hombres, parte superior
e anterior dopeito. e em quasi toda a parte
posterior do corpo.
c Havia derramamenlo sanguneo no ce-
rebro, o qual corren com abundancia ao
primeiro golpe da duramater; grande i n-
jeccio desta membrana e mais da arachnoy-
dtkt e da piamater. Grande iajecco na
parte superior do cerebro e menor na infe-
rior, e signaes de rajeccio mais ou menos
pronunciados em toda a sua substancia; pe-
queo derramamento de sorosidade as
fossas occipitaes.Havia grande derrama-
mento de sangue na cavidade thoraxa, e
os dois pulmoes fortemente congestadbs em
quasi todo o seu pariuchyma. O coracao
estava no seu estado normal.
No interior do estomago" encontrou-se
pequea quantidade de liquido sanguinolen-
to, com pequeas porcoes de alimentos e
fragmentos de urna substancia braneo-ama-
rellada e muito moli, que os peritos nao
conheceram. (Este liquido foi tirado do es-
tomago e guardado com cautella dentro d'um
frasco).O estomago, depois de lavado e
enchuto, apresentava na sua membrana mu-
cosa tres manchas largas de vermelho vivo,
as quaes estavam situadas urna no. pylro e
duas na grande cervatura. As demais vis-
ceras, atm do esophago onde se observou
urna mancha produzida pela byperemia ca-
Quando se vio s, o miseravel teve um
accesso de raiva,
D'esle mododizia elle ser o fi-
dalgo que possuir a mestra ? Pois nio!
S se nio bonver ora grao de plvora l em
casa I
E dispunha-se a sabir quando de repente
se sentio possuido d'essa sede ardente que
costuma assaltar as pessoas devoradas por
urna grande paixo, e, batendo um marro
sobre a mesa, gritou :
Com mil diabos, tragam-me de beber!
O bolequineiro nio era amante de bara-
lbo nem polmicas e julgou prudente servir
o Mulot, apresentando-lhe urna garrafa de
agurdente e dizendo ao mesmo tempo
comsigo :
Bebe-la toda e (cares como um ca-
cho ser urna e a mesma cousa, mas antes
quero isso do que altecar conmigo.
E o Mulet comecon a beber a pequeos
tragos, laucando em roda de si um olbar
feroz.
i N'aquelle momento sentia-se j lio indig-
nado contra Juval e Loiseau como contra
Anatole. .
O botequineiro foi tratando de cerrar as
portas do botequim, sem se importar mui-
to com o fregus.
O Molot gesticulara e fallava s.
O botejuim estava vazie, e, toacas ao
atado de embriaguez, que progredia, ia elle
fazendo protestos de vinganca contra Ana-
tole, oceupando-se ao /amo tempo em
amarrotar entre os dedos os boceados de
Tqae baviam encerrado o dinheiro.
repente aquelle olbar j indeciso fi-
xou-se sobre urnas letras escripias n'ua
dalles e poz-se a deerfrar macbinalmente o
sentido d'ellas.
Eis o que len em um dos papis:
A dezesete de maio recebi d* Lelo
Monterean a quantia de trinla e cioco fran-
cos, renda, do terreno de-
Que $ istq T^xclsmou. <, Molot, dan-
iaverica em quasi toda a sua este
contraram-se no estado normal.
< Ski bavia gravidez. >
en-
Proerso de Pedro B nanprts.
ACCDSCO DE A9SA9SIM0 BE
TENTATIVA DE A9SASSIMO
(Audiencia do dia 26 de* marco.)
As 11 horas, abrio-se a audiencia.
Teve a palavra o prosurador geral Mr.
Grandperret qae usou d'ella n'estes termos:
Senhores: tendes de julgar urna scena
trgica. qop tomou as prop >rcoes de in
acontecimento publico, e que alvorocou todia
a Franca. Este acontecimento tem sido at
hoje commentado, discut lo, e apreciado
conforme as paixes cegas e rancorosas.
Vos, senhores jurados, Mes caracterisa-
lo pelo vosso veredictum en sonformidade
eom a justica, e faaer prommciar a legitima'
sentenCa esperada pela opinio-pnblica. Nio
hesito emdizer-vos que ha de o julgado re-
ceber de vos urna suprema aotborilade.
Nio faltaro protestos contra a vossa ju-
risdiccio excepcional. O proprio aecusado
foi o primeiro a declinar urna jurisdieco,
que diziam- que elle solicitava corno um
privilegio, no momento em que exaclamen-
te se arreceava como Hnraunidade perigosa
do que chamavam um f>vor.
Sens amigos solicitavam tambem que
fosse remettido jurdicco da direitD
commom, isto , ao tribunal de jury ordi-
nario1.
Os proprios adversarios do prinope pro-
testavam contra o que cbamavam um acto
de io>ustica.
O principe, os seus adversarios, e os
seus partidarios todos estavam de accordo
em protestaren) contra vossa juriediceo.
O digno presidente caracterisou com ex-
actidao a vossarjorisdiceso:
O meu dever pedir "justica direita, e
por iss me apresento com-confianca diante
d'estes- magistrados elevados ao mais alto
grao da hierarcSia judicial' e diante d'esta
jurisdiccio que a verdadeira expressio
da n;vo.
O que hoje se chama aecusado um
principe, qualidsde terrivel qm, tonge de
ser pora, elle um motivo de proteccio, urna
fonte deesperancat tornase um pesado en-
cargo, porque se um prncipe de egualdade
tivesse de se modificar, a justica antes o
modificara contra elle do qpe a seu favor,
e posso affirmar que a jerarchia do aecusa-
do o que mais inquieta a defeza.
A acousacio recela que se'aproveite o
sentintento de indignacao que produsio este
acontecimento para se injuriar o principe,
sem se attender sa s.tuacio de aecusado.
Ponho de parte o partido que poltica
quiz arar, e a colera que- se excKou ni
multido.
Vimos no proeesso, e vimos reproduzi r
aqui o desejo de esmagar o aecusado con
a violencia dos ultrages, com os insultos 3
com as calumnias.
Nos que axusamos o principe, que re-
queremos contra elle a eondemnacio que
Ihe compete, ped-nos que vos conservis
solados d'estas violencias-.
Vamos investigar comvosco qual a ver-
dad n'esta causa, quaes foram os prelim -
nares do drama de Auteuil, quera foram os
actores que n'elle tiveram parte, finalmente
quaes foram as circumstancias que acorc-
panharam esta entrevista, que acabou com
a norte de um homem.
Quaes foram os preliminares ?' polmicas
ardentes de jornaes, exageracoes de pare
a parle.
Quera foram os actores? de um lado
dois jornahstas do partido mais exaltado, e
do outro o principe.
Um dos dois jornahstas foi ferido, e
cahio morto dame da casa do principe : o
outro sabio a gritar contra o assassino .'
Quem foi o primeiro que injriou f Foi
o padrinho que vinba propr um cartel, ou
o principe, que sem provoeacao das tato*
munhas, commetteu um tal acto de cruel-
dade?
Examinemos a versio do aecusado e de
Fouvielle. O orador expoz urna e oulra.
A duvda que se tem levantado sobre a
verdade das declaracoes do principe nao
por certo um dos menores desgostos que
tem soffrido aqui.
Pelo que diz respeito a Fouvielle, aos se-
nhores jurados pertence apreciar se foi ou
nio imparcial, ou se, sendo aqui chamado
para depor, nio tomou a atlitude suspeita
de adversario poltico, e se pode ser con-
siderada desapaixonada urna lestemunha,
que proferio as palavras ameacadoras que
ouvistes.
Logo que a autoridade teve conhecimen-
todo crime dea ordeno para se-prepder o
principe para todas- asestacoes efronteiras.
Frecaucio intil, porqne i tarde o prin-
cipe se deu vodntarwmente a prieio.
Coapre examinar en que circuastanoias
teve lugar a pro*ocac3e> de M. Grousset:
seria e- seu fim obter satisfaco de urna
offenM' por meio- da armas, ou qpereri;;
elle por odio excitar um escndalo, de que
quera tirar proveto para o seu par-
tido?
Nio posso deixar de declarar que a-pro-
vocaco de M. Grousset veto moilo tarde.
O jornal que contm a carta- do principe e
que excitou as susceptibilidades de M.
Grousset, de 30 de dezeabro, e s- no
dia 10 de Janeiro pensou< em dirigir urna
provoeacao. Bem sei qne d que s rece-
beu o jornal no dia H de Janeiro. Mas Mi
de la Bocea assevera que maedou o nume-
ro do Avenir de la Cwse ao jurnal a Mar-
selheza no dia 31 de dezembro.
Aceres ce porm qae esta carta do prin-
cipe j tinba-sido objecto de criticas.
Se era digna de censura e violenta nao foi
commentada pela Manelheza com o tempe-
ro que Ihe - particular ? Nio tenho duvida
de dizer que Grousset soleve unvtim quan-
do pedio urna reparacao* e era promover
um grande escndalo. Havia a'guoa cousa
disposta para isto, se dermos crdito ao
depoimentode Vllou.
Teve algama culpa na morte de V. Noir
o grupo exaltado que o mandou Auteuil,
e a> imprensa injuriosa que inulta todos, e
cujos ataques envenenados sao ua verda-
dero perigc-para a naci. !Ruidosa appro-
vagio na tribuna.)
Presidente.E' prohibido qualqper sig-
na!' de approvaco ou roprovaQio. ds |es-
pectadores ouvem em silencio.
procurador geral.A-versio do prin-
cipe parece-nos ter melhor fundamento:
mas nem por isso deixa de haver crime.
Se V. Noir fosse primeiro espancado pelo
principe, como se quer fazer acreditar, V.
Noir tena imaediatametUe investido contri
o aggressor. Quem pode admittir qoe V.
Noir levju una bofetada e nio se lancou ao
principe, e nio o agarroo, e pelo eoatrario
sperou tranquilamente que este secoasse
para Ihe fazer puntara *'
Ocorpo de Vctor Noir foi cuidadosamente
examinado. Nio tinha vestigio algum de
pancada, pelo contrario bavia no rosto do
principe o signa! de urna pancada. Nio
deve esquecer que sobre este ponto se fi-
zeram todos os esforcos para meUer ri-
diculo o depoimento do Dr. Morel, que foi
o primeiro que verificou este vestigio de
violencia ; mas foi trabalbo perdido; o Dr.
Morel um verdadeiro bomem de bem.
O Dr. Pinet tentou diminuir o valor do
depoimeDto desta testemonha. N8o atacou
elle de urna maneira singular as declara-
cues do Dr. Tardieu? Neste ponto o Dr.
Pinel faltou cortezia, que julgo lbe ha-
bitual. S tenho urna resposta a dar a M.
Pinel, e que o Dr. Tardieu nm bomem
que tem importancia na scieneja e que M.
Pinel ha de ainda tel-a.. .talvez t. (Susurro.
O orador tratou de demonstrar qoe o pri-
meiro actode violencia parti de V. Noirpe-
losdepoimentos das testemunbas, qoe affir-
maram ter ouvido der a Fouvielle: Ma-
tou-o, verdade, mas levoo urna valente
bofetada.
Fouvielle, que na presenca do principe
nio teve sangue fri, nem decisio para fa-
zer uso da arma qne tinha na mi, na ra
recobrou animo para compor a histo-
ria do que se haiia passado de um modo
favoravel sua causa.
Peco a eondemnacio do aecusado. O
assas3inato . desculpavel quando foi pro-
vocado. A pena modifica-se muito ueste
caso Vas a absolvico nao pode ter tagar
quando os fados sao tio evidentes.
A criminalidade do aecusado attenua-s
pela disposic/k) da le, mas ir alem, senho-
res jurados, seria dizer que o acensado es-
tava no caso da legitima defera, o cjae nio
verdade. "
Digo que nio caso-de legitima defeza
isto , nao se deu a circomstancia de de-
fender a vida contra urna aggress>.
Aecusado.Havia um ataque coatra a mi-
nha vida! (Susurro.)
P. geral:Dir-se-bia a legitima defezo
se o principe se acbasse diante da pistola de
Fouvielle quando deu o primeiro tiro, de
queresaltou amorte de Noir. Mis Fonvielb
nio tinha a arma na mi quando entrn em
casa do principe. Fez mal, na verda-
de, em nio a deixar em casa, qnando se di-
rigi a Auteuil, do mesmo modo qae o prin-
cipe fez mal em nio largar a sua pistola
quando se apresentou s suas visitas.
(Continuar-se-ha.)
do um pulo sobre o banco, como se bou'
vera recebido um choque elctrico.
E, pegando em outro dos cartuchos va-
zios, leu:
t Aos mesmos dezesete de maio paguei
a Joio, da Granja Queimada, por seus jor-
naes, dezoito francos.
Ah com mil diabos Isto agora
serio Iexclamou elle furioso.
Aquellos bocados de papel baviam sido
cortados thesoura de um livro de contas.
E o Mulot acabava de reconhecer n'elles
a escripta do defunto comraandante Ri-
cardo.
Joio da Granja Queimada era ara traba-
Ihador que o commandante oceupava mili-
to no sea serrico e Leio Montereaa um
pequeo rendeiro da Raposeira.
Aquelles papis tinhara viudo, portatito,
da Raposeira, devendo tambem o dinheiro
serd'a procedente.
O Mulot, convenido de que era urna
vinganca da Martina, sahio do botequim fu-
rioso, depois ter mettido no bolso os pa-
pis, e esquecendo-se, da mesma forma
que Juval,. de pagar a despeza.
botequineiro deixoo-o retirar-se, con-
tente de se ver livre d'elle per tal preco,
O Mulot, desaperado, e depois de ter
dado algons trambu atravessou para encartar distancias, ebegou
finalmente Bella-Vista, e, reparando que
havia luz no andar superior, calculou qae
seria a Martina que ali estivesse; lembrou-
se tambem qae poderia ser a Cabrita e disse
comsigo que ella pagara pelos outros.
E, dando um empurrao na porta, preoi-
pitou-se no interior da sasa.
Era, com effeito, a Cabrita, que, sabep,-
do do- lugrr em que o tfalot costuuuva
guardar a chave da porta, se introducir, pm.
casa e se achava agora IranquiMameoto'^
mendo mesa.
Aquella creatura selvagem vinba. a*r">ai
de cinco em cinco das passatfft axVjinas
horaB, nio |he permfttlndo a. %M fraile
selvtica estar ausente moito tempo dos
bosques.
O que tens ta ? perguntou,ella ao
Mulot, vendo-o transtornado.
Ah s tu ?gritou elle.
Bom respondeu ella, rindo-se
Est bebado o meu homem 1
Voh dar-te ama aova r- bradou elle,
acoramettendo-a de olhos esgazeados e mur-
ro fechado.
A Cabrita, pdrm, saltara de um polo
para o outro lado da mesa.
O Mulot queri saciar a furia sobre aN
guem. e, falta de outrem, dirigia-sa a
ella.
Persegua a, pois, era volta da mesa
qnando deparou repentinamente com a es-
pingarda pendurada no panno da cbamin.
Entio pareceu modifiear-se-the a furia e
disse :
Sou tolo em querer baler-ve ; nao. a
ti que en quera castigar.
Mas que tens *perguaton ella, rn-
servando-se prudentemente a distancia.
= E Anatole djuem eu quero raptar I
respondeu elle.
E, correndo para a espiotavda, apode-
rou-se d*ella.
Perdeste o juizo Idr^sa a Cabrita.
Hei de mata-lo 1 repetia o Mulot,
dingino-se paja a porta..
A Cabrita deeve.o, >^>rem elle repellio-a,
gritando :
A,Bas'ka-te p;a nwto-t I .
Ainda, deu ra pasa, aa a embriaguez
pertufuara^) .'c,hio e a eapiogrda soltoo-
se-Rie das- mos. L ; ,
E?'i coaaleumeato bebado I ra-
wr.0'i SBu. ai* **vZ2
ef'4r a porta, receiea de que a outtae
o 'oirolbo na roa. 4i-i-Ma _A.
Q Malot nem tentn ergar-i. c
vaIselbecerrarosolha,venciupor
TYTD^inT-fiADUtf^IW UAMA
<

.'
'





;., V
I.