Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12124


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AMO XLVI. NUMERO 118.
:ft>
>u
*t> n-
!/-.'>
i
1
.1.'/
PABA A CAPITAL E LGAHES QIDE 110 SE PAGA PORTE.
Por tras meses adiaoudor................ GMQOO
Por aaiutoi>idea ../............ 12)W00
Por un no Meo................... 24OOf>
' adi omeroavolio........... ........' 320
SEXTA FEIRA 27 DE IMIO DE 1870.
Por tres raezas adanUdos
Por seis ditos dem. .
Por nove ditos- idea .
Por um auno idem .
PA1A OUTIO E F01A DA PMYIICIA.
.' .' %

......

131500
201250
27)9000
DE PEMAMBIM
Fropriedade de Manoel Mgueira de Faria & Filhos.


SAO ACBMTK:
O. *.. Gerardo Antonio Alvee Filhos, no Para ; Goncalves d- Pinto, no Maranhlo ; Joaqoim Jos de Oliveira, no Cear ; Antonia de temo, Braga, no-Araca* ; Joao Mana Mi Chavea, no Aee ; Antonio Marqoes da Suva, no ; Jos tetin
Pererra d'Aimeida, em Mamanguape; Antonio Alejandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa 4a Penha; Belarmio dos Santos Bulcio, em Santo Anta; Domingos Jos da Oosta Braga,
^^^^^^ em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Martins Alves, na Baha ; e Jos Ribeiro Gaeparinho no Rio de Janeiro.

PERNAMBUCO.
ASSEMBLCA PROVINCIAL.
SSSAO ORDINARIA'EM 14 DE MAIO.
- PnKSIDEXOIA DO SR. OONCALVfS LIMA.
Ao meio da, eita a chamada, aeham-se presen-
t os Srs. Ribeiro Vianna .Oliveira Fonceca, Ama-
ral, i'aes Brrelo, Correia d'Araujo, Eduardo de
Oliveira, Felippe de Figueira, Firmino de Novaes,
rreurique Mamede, Gaspar Drnmmond, Gusmao
Lobo, Vieira do Araujo, Augusto da Cota, Barres
Vt auderley, Hermogenes, Vieira de Mello, Manoel
Arthnr. Gongalves Lima. Antonio Luiz, Cavalcante
uo.Tolentino de Carvalho, Manoel do Reg, Affin-
m) Ferreira, Miguel Pernambuio, Barros Reg, Cu-
nta Cavalcante, Pinto Jonior, Ignacio Joaquim,
Mello Reg, Joao Cavalcante.
Abre-se a sessao, o lida e aprovada a acta da
anterior.
0 Sr. 1. secretario d cota do seguinte
expediente.
Um offlcio do secretario do governo, transmit-
iendo por copia a infbrmacao ministrada pelo en-
~-ni;eiro cnefe da reparticao das obras publicas,
relativamente ao encanamento que esta assentan-
dn a companhia de Beberibe.A quem fez a re-
nuisigo.
Outro do mesmo, transmitindo por copia o offl-
i-.io do inspector da thesonraria provincial, dirigido
.4 presidencia e bem assim a resposta desta, rela-
tivamente insnffieiencia da quanlia que resta do
crdito rotado peto art. 29 da lei do orcamento vi-
gente, para as despezas com o Asylo de Men-
dinda le. A' commissao de ornamento provin-
cial.
Outro do mesmo, remettendo por copia o offlcio
oo) que a cmara municipal da villa do Granito,
xpo> a necessidade de um editicio para a cele-
bracio de suas sessoes, propondo a compra de-
um predio pertencente ao vigario Jos Modesto
Pereira de Brito.A' commissao de negocios de c-
maras.
Urna petico de Joaquim Feroaades de Azevedo,
,'apitao do corpo provisorio de polica, pedindo sua
reforma com o sold que actualmente percebe.
A' commissio de petices.
'luir de Jos Peres (Umpello de Almeida, Au-
juste Cesar da Cunta eserives d'apoellacoes da
relacio, pedindo urna gratifieagao deoO.mensaes.
A commisssao de petiedes.
Sio lido e approvados os seguintes pareceres,
c A commissao de petiedes, i quem foi presente
i de Miguel Xavier de Souza Foneeca, requerendo
pretilegio pr vinte annos, para pesar o algodao
em pluma, que do interior desta provincia bouver
Je ser vendido nesta praca, de parecer que seja
4 < irar.iereio e obras publicas, como a nuis eompe-
vnte para sobre ella dar o seu parecer.
< Sala da< comraisses, 13 de maio de 1870.
i'mra de Mello.Henrique Mamede..
c A comraissao de Delicies, a quem foi prsen-
le a de Antonio Carlos de Almeida, escrivio do
delegado de polica desta capital, pedindo a remu-
nracao de 6001000 annuaes, em recompensa de
seos servicos, de opiniio que seja dita pecao
enviada a commissao de orcamento provincial, co-
mo a mais competente para dar sobre ella o seu
parecer.
Sala das sessdes das comraissoes, 13 de maio
de 1870. Vieira de MelKHenriqae Mamede.
< A commissao de instruccao publica, sendo-
l'ie presente um abaixo assignado de alguns pro-
resgona pblicos de nstruccao primaria que pe-
dem o augmento de seos vencimentos. deixa de
ir parecer sobre este objeclo, porque ja o tevena
devida conslderacio no projecto de reforma que
uitiir.amente apresentou, e cuja approvace nessa
paite importar o deferimento do referido abaixo
asstgaada
Sala das comrassoes, 12 de maio de 1870.
enraices Lima. Oliveira Fonceca. Hollanda
Jcanle.
A commissao de instruccao publica, lendo a
i em que Manoel Braz Odorco Pestaa, pe-
I hcemja para fundar nesta cidade um eoHagio de
^Struejao primaria e gratuita, deixa de dar pare-
tvr porque ao director geral da instruc^So publi-
ca compete a concessao do que pretende o peticio-
nario.
Saladas commissoes, 18 de maio de 1878.
(oncalves Lima.Oliveira Fanceca. Hollanda
Cavalcante.
0 SR. G. DRUMMOMD (pela ordem diz que ten-
do-ae inscripto para fallar sobre o project de ti-
xacio de forca policial, cabe-lhe a plavra em Io
, ut;ar, entretanto, achando-se encommoiado pede
ao Sr. presidente, se digne deferir para a sessao
iesrninte a discussao desse projecto.
SR. PRFSIDENTE : Atteoderei ao requer-
ment do nobre deputado.
ORDKM DO DA.
1' discussao do projecto n. 52 deste anno, que
approva'na parte civil o compromisso da irmanda-
de do.Santissimo Sacramento da freguezia de San-
ie Amara de Jaboato.E'approvado.
1" discussao do projecto n. 53 deste anno, que
autorisa o presidente da provincia a conceder seis
mezes de licenca com vencimentos ao escriptura-
rio da secretaria do governo, baenarel Manoel de
Siqueira Cavalcante.
Vao a mesa e apoam-se as seguintes emen-
das .
Em lugar de seis mezesdiga-se um anno.
Vieiro de Araujo.t
< Igual favor Qca concedido ao professor pri-
mario de Gamelleira Joao Laudelino Dornellas
('.amara.F. de FigueirSa.
Encerrada a discussao, pprovado o projecto
o emendar
2* discussao do projecto n. 62 deste anno, sen-
tando dos impostos provnciaes a la de carneiro
que for exportada da provincia.E' pprovado.
2* discussio do projecto n. 82 deste anno, deter-
minando que os offlcios de contador e destribu-
dor do foro desta capital, continuem a ser exerci-
aos separadamente.
O SR. CORREIA DARAUJO. Sr. presidente,
unda que eiteja quasi admittldo como estylo nesta
asa, que nao se deve mostrar a utilidade e con-
remencia de qualqner projecto, sem que primeiro
tenham sido ellas contestadas ; com tuito me parece
mais rasoavel e mesmo lgico que quem apresenta
urna idea deve justifcala, para que embora nao
liaja quera a Impugne, seja aceita sem escrpulo.
Por isso, como signatario do projecto qne agora
se discute, entend de meu dever dar casa al-
guns esclarecimenlos sobre a materia, que nelle
ae contera.
Diz o projecto : os ofllctos de destnbuidor e con-
tador, tos de partidor destt capital, continuarlo
a ser exeicidos separadamente, nlo Ibes sendo
spplicavel o dispasto no art da le n. 50i de 29
de maio de 1861. .
Como sabera os meus* collegas, o art. 1" da cita-
da lei determina a creacio de dons lugares de par-
tidores em todos os termos da provincia, devendo
um delles aceumnlar as fancees de distribuidor,
nos termos em que houver deslribuiclo,^ o entro
as de contador; salvo o direito adquirido pelos
actuaes serventuarlos.
Por sua redaccao poseo pensada ten sido este
artigo da lei interpretado de dous modos inteira^
mente oppostos, ajamo por pessoas ai mais habi-
litadas. ^ "
Alguns, eataadaO que, elle nao pode wrPpJ<'
caeJo ao termo da capital, por isso que dizi-
cam creadose desde ha muito lempo que o*
lagares de partidor foram creados por urna lei
gerai.
-Oairos'an contrario, pensam que nao tendo o
legislador feito excepcao algama, a lei consagra
urna medida geral, e por conseguale a sua dtspo
cao applicavel a lodos os termos da provin-
cia.
A npiniao dor priraeiros iilude, mas, desde que
attendermos propnia letra da lei, nao podemos
deixar de considerar como verdadeira <% dos se-
gundos ; as s (jorque o legislador nao fez exce-
pcao alguma, eomo tarabem e principalmente por
que salvagnardou o direito dos serventuarios exis-
tentes, donde se v. mesmo nos termos em que
ja tinham sido creados offlcios de partidores, logo
que fallecessem os actuaes distribuidores e con-
tadores, seriam servidos estes cargos pjr aquellos
funecionarios.
Por pensar assim foi que resolv apre irojecto, abrindo urna excepgao para o termo do
lecife, que est em circumstancias muito diffe-
rentes da de todos os outros.
Aqui na capital desde o anno de 1833, se me n5o
engao, os cargos de contador, distribuidor e os
de partidor tem sido exercidos separadamente :
ha um distribuidor e contador do crirae, civel e
coromercio, um distribuidor de notas e contador e
distribuidor do juizo de orphaos, e dous parti-
dores.
Ora, se JA naquelle tempo eram precisos quatro
serventuarios para o bom desempenho daqnelles
misteres, auanto mais huje, que o servico est in-
contestavelmente em escala muito superior, hoie
que o ffo trabalha muito mais ? Reunir haje
os offlcios seria querer o atropello d servico, pre-
judicando desta arte os interesses das partes.
Sr. preldeate, a razan de ter a le reunido aquel-
los cargos, foi sem duvida considerar o legislador,
que nenhum delles s por si seria sufflciente pa-
ra manter um serventuario, mas essa razao nao
prevalece para aqu, por isso que segundo son in-
formado o menor destes offlcios est otado em
600000.
Ora, sendo feita a lotacao pelo mnimo, c :mo de
costume, manifest que um s destes lugares
basta, seno para o empregado passar foigada-
mente, ao menos para viver com decencia, ama
vez qu nao seja onerado de familia numerosa.
Em todos os demais termos nao acontece o mes-
mo : ha muito pouco traba I ho, e conjegu internan
le o reodimento dos offlcios separados nao pode
chegar para a subsistencia de um serventuario.
Aceresce alm dsso, que em circumstancias es-
peciaes, quando no foro houver muito servico, o
o que se d aqui nao raras vezes, impossivel,
que um s empregado d vencimento ao trabalbo.
O Sr. Pinto Jnior :D perfeilamente.
O Sr. Corrka de Arauio : Ea mostrarei ao
oobre deputado, que me honra com seu aparte que
nao di.
Em murtas oeeasioes pode o partidor estar oc-
cupado na feitura de urna partoa em casa do
juiz de orphos ou municipal, e Ihe ser apresen-
tada para distribuir urna petiean de embargo, por
exemplo, que cousa que nao deve ser demorada ;
pergunto eu : o que far neste caso o partidor ?
De duas urna : ou deixar a partilha em meio
para ir eu cartorio fazer a distribuioio, e nisso
pode haver grande 'inconveniencia, ou entio nao
distribuir immediatamente a peticao, com o que
pode prejudicar o interesse das partes.
O Sr. Ges Cavalcante : Mas o partidor nao
obrigado fazer a partilha com o juiz.
O Sr. Correa dk Araujo .A lei assim deter-
mina ; nao sei se observada a sua disposicao : se
nao devia ser.
Poda anda apresentar mntas razes justifica-
tivas da utilidade e conveniencia deste projecto ;
mas creio sufficientes as que j expend, e espero
que meus nobres collegas, tomando as na devida
considerafo, approvem o projecto na presente
discussao.
Encerrada a discussao o projecto pprovado.
i* discussao do projecto n. 100 d^ste anno, que
revoga os arts. 1- e 2 da lei n. S9B de 1868.
E' pprovado.
1" discussao do projecto n. 83 deste anno, que
concede diversas loteras.E" pprovado.
1* discasso do projecto n. 92 deste anno, que
autorisa o governo da provincia contratar a I-
luminacan a gaz de toda a freguezia do Poco da
Panella at povoacao de Apipucos.E' ppro-
vado.
1" discussao do projecto n. 76 deste anno, que
autorisa o governo a contratar a construccao de
urna estrada de ferro de Gamelleira Barreros.
O SR. F. DE FIGUEIROA :-Sr. presidente, sou
essencialmente amigo dos caminhos de ferro e em
geral de todos os meios que tendam a facilitaras
communicacoes na provincia, mas nao levo esse
amor ao ponto de querer sobrecarregar por modo
extraordinario os seus cofres.
Um Sr. Depitado : Em segunda discussao
aprsente emenda.
O Sr. F. de Fioueiroa :Nao me levante! para
contestar a utilidade do projecto, porque dzendo-
rae amigo, como disse e como realmente sou, dos
caminhos de ferro, nao seria eu quem fosse negar
a utilidade deste projecto, que autorisa o governo
contratar urna estrada, que partindo de Gamel-
leira v terminar era Barreros.
nicipal da cidade da Victoria para a eonstruecio
de nm cemiterio.E' pprovado.
3' discussio do projecto n. 8 deste anno, que al-
tera os limites da freguezia e municipio de Ca-
brob.E' pprovado.
3' discussio do projecto n. 48 desta anno, qne
crea o lugar de contador e distribuidor do juizo
dos feitos da faienda.E' pprovado.
3' discussio do projecto n. 28 deste anno, que
crea urna cadeira de instroccan primaria para o
sexo masculino na povoacao de Sanhors da co-
marca de Cimbres.
Vio mesa e apoiam-se os seguintes artigos
auditivos :
Pica creada mais urna cadeira para o sexo fe-
minino em Caaholinho de S. Benlo. /. Mello
Reg.
Fca creada mais urna cadeira para o sexo
masculino na freguezia de Sanio Antonio desta ci-
dade. Gusmao Lobo.
Artigo addiiivo. Eicam tarabem creadas duai
cadeiras de instraccio primaria do sexo femmino,
umaparaa Treguezia da Lux e outra para a Con-
ceicio dos Milagres da freguezia de Mamanguape.
J. Mello Reg.
Fica creada urna cadeira de instruccao prima-
ria para o sexo masculino ha 2* sessio da ra Im-
perial do bairro de S. Jos.G. Drummond. .
aft,aAdd(v5s- Os projectos ns. 15, 26, 56, 71,
so, 88 e 90 deste anno e 2o do de 1869.i. Mello
Reg.
Encerrada a discussao pprovado o projecto e
os arts. additvos.
3.' discussao do projecto n. 33 de 1864. que
crea a freguezia da Capunga, desmembrada fia
da Boa-Vista, desta cidade.
Vai mesa e apoia-se o seguinte requer-
ment:
Requeiro que seja ouvido o governador do bis-
pado sobre a igreja designada para matriz..Mu*
noel do Reg.
Posto votos o reqaenmento pprovado.
Havendo dado a hora, o Sr. presidente designa a
ordem do da e levanta-se a sessao.
Todo o mundo sabe que todas as estradas de
ferro que forem feitas, dirigindo-se para a estrada
do Recife ao S. Francisco, que nella se forem en-
troncar, sem duvida nenhuma serao um forte au-
xiliar para a provincia e para o governo geral,
porque trarao augmento de renda para esta estra-
da, diminuindo assim os encargos da garanta de
juros ; mas dizendo o art. 6o do projecto, que a
provincia garantir corapanhia o juro de sete
por cento do capital empregado, eu creio que dahi
vr um grande onus para ? provincia. Sei que
nao occasio opportuna para mandar urna emen-
da, e reservo-me para faze-lo na 2" dscus^ao,
porque acho exorbitante essa garanta de juros,
alm de que nao est as forras da provincia.
Eu concordara em que a provincia dsse urna
subvengan ; nao teria duvida em estar por isso;
mas a garanta de juros de sete por cento me pa-
rece umonus muito pesado.
Un Sr. Deputado :E nao ss sabe qual o sa-
criflcio.
O Sr. F. de Fioueiroa. Sempre que o governo
garante juros urna companhia, estbelece impl-
citamente u.na fiscalisacio, e leva erapreza mul-
los embaracos era sua marcha ; e essa fiscalisa-
cio faz com qne o governo carregue com urna des-
peza mais avultada do que a garanta, porque-tem
de crear um pessoal estipendiado para esse Um.
Disse, e repito anda urna vez, sou amigo das es-
tradas de ferro, e voto pelo projecto em primeira
discussio; mas reservo-me o direito de votar con-
tra o artigo que citei, e mandare! urna emenda
jubstituindo a garanta de juros por urna sabven-
ro ou cousa semelhante ; porque estou disposto
votar contra todas as possiveis garantas de juros.
O SR. G. DRUMMOND diz que ni lera duvida
em aceitar qualquer emenda ao. projecto, e que
nao tendo sido contestada a sua utilidade, nada se
Ihe offerece dizer em sua l/utifloacio.
Encerrada a discussio, o> projecto pprovado e
dispensado do intersticio, \ requerimento do Sr?
G. Drummond.
1' discussio do nrojacto n. 98 deste anno, con-
cdasete tima lotena. para as obras da matriz da
Boa- Vist destt cidade.E' pprovado.
3* discussao do projecto n. 58 deste anno, auto-
riaaqge um eropres^Qo de 5:000* i cmara um
SESSAO ORDINARIA EM 16 DE MAIO.
i'Residkxcia do sr. dr. aguar.
Ao meio dia feita a chamada acharam-se pre-
sentes os Srs : Manoel do Reg, Ferreira de
Agniar, Correa de Araujo, Augusto de Oliveira,
Fehppe de Figueira, Goncalves Lima, Miguel Per-
nambnco, Vieira de Mello, Nicolao Tolentmo, Hen-
rique Mamede, Oliveira Fonceca, Antonio Panlino,
Firmino de Novaes, Conha Cavalcante, Mello Re-
E), Rufino de Almeida, Ribeiro Vianna, Augusto
osta, Gaspar Drummond, Cnoha Figueiredo,
Cavalcante de Albuquerque, Barros Wanderley,
Joo Cavalcante, Manoel Arthur, Paes Barreto,
Gusmao Lobo, Goes Cavalcante, Vieira de Araujo,
Pinto Jnior e Ignacio Joaquim.
Abre-se a sessao, lida e approvada a acta da
anterior.
O su. 1* SECftttiai d conta do seguinte
expediente.
Um offlcio do secretario do governo, remetiendo
por copia a informacao ministrada pelo engenhei-
ro chufe da reparticao das obras publicas, acerca
do estado do edificio em que funeciona a assein-
bla.A' quem fez a requisicSo.
Outro de mesmo, remettendo em aditamento ao
offlcio sob n. 61 de 18 de abril prximo passado,
as cuntas da receila e despeza da cmara munici-
pal da cidade de Nazareth.A' commissao de or-
camento municipal.
Outro do mesmo, declarando por ordem do Exm.
Sr. vice-presidente da provincia que hoje receber
no palacio^ governo, a commissao da asserabla
que tem de apresentar alguns actos legislativos a
sanecio.Iotrada.
Urna peticao de Domingas Paulina Ayres, pro-
fessora publica da Conceitao dos Milagres, pedin-
do que se marque na lei do orcamento quota, nao
s para pagamento dos seus vencimentos, como
tambero para prover a sua escola de movis e
mais utensilios.A' conimisso de ornamento pro-
vincial.
Outra da mesa regedora da irmandade do Se-
nhor Bom Jess dos Martyrios, pedindo preferen-
cia para a extractan de urna lotera que Ihe foi
concedida.A" commissao de orcamento provin-
cial.
Sao lidosejulgados objectos de deliberado e
mandados imprimir os projectos seguintes (101 e
Sao approvados os seguintes pareceres :
A commissao de petisoes quem foi preiente
a de Joaquim Fernandes de Azevedo, capitao da
5' companhia do corpo de polica desta provincia,
pedindo que se Ihe conceda reforma no mesmo
posto, e cora o sold que ora percebe ; attendendo
que o objecto da peticao da competencia da com-
missao de forca policial, a esta devera ser remet-
tida para deferir como for de justica.
< Sala das commissdes, 16 de maio de 1870.
Vieira de Mello.Henrique Mamede.
A' comraissao de pelicoes, depois de ter lidoe
examinado a que esta assembla dirigi Joaquim
Herculano Pereira Caldas, ex-lente do corpo de
polica desia provincia, solicitando -aposentadora
no mesmo posto com os vencimentos, que Ihe
competirem, segundo o tempo de servicos por elle
prestados no referido corpo; attendendo que o
objecto sobre que versa a mesma peticao mais
da competencia da commissao de forga policial,
esta deve ser remettida para dar seu parecer
como for de justica.
Sala das commissoes, 16 de maio de 1870.
Vieira de Mello.Henrique Mamede.
O SR. GASPAR DRUMMOND requer que sobre
o projecto n. 101 seja ouvliio o governador do ras-
pado, antes de ser dado para ordem do dia.E*
pprovado o requerimento.
Sao idas e approvadas as redaccoes dos pro-
jectos ns. 2. 5, 31, 33,4o e 54 deste auno e 616 de
1862.
Entrando em discussao a redaccao do projecto
n. 19, que crea os municipios de Bezerros e Panel-
las lizeram algumas observaedes aos Sis. A, Per-
nambuco e Mello ttego, sendo approvada a redac-
cao e rejeitada a seguinte emenda do Sr. A. Per-
nambuco :
, t Em vez da palavraprestardiga-setiv*-
rem construido. >
ORDEM DO DIA.
Continuacio da 2* discussao do art. 1 do pro-
jecto n. 94 deste aono, (lixacio. de forca po-
licial).
O SR. G. DRUMMOND (pela ordem) diz acbar-
se prompto para a discussao do projecto de fixa-
cao de torga policial, entretanto julgo dever apre-
sentar um requerimento casa, pedindo o adia-
manto dessa discussao. quereado assim manifes-
tar a sua deferencia para coru e honrado mem-
oro pelo 3* districto que impugnou o projecto
visto como se nao acha elle presente e acaba de'
recebar desse senhor debutado, a telegramma
nns seguintes termos :pordi o irem; peco o
adiamento da discussao do projecto de forca po-
licial. v
Vai mesa.e apoia-se o seguinte requeri-
mento.
Nao tendo comparecido D nobre deputado pelo
3* districto, Dr. Pedro Affo/jso, que impugnou o
Drojecte, requeiro o adiar/,ento da discussao por
,24 horas at qne eorapaieca o nobre senhor depu-
tadoG. Drumnrmi. ,
Posto 4 votos o rtquerlrointo pprovado.
EdT* edC0'5sao e sao approvadas as emen-
das onerewdAs u0 projecto n. 28 deste anno, crean-
a v*a* fadeiras de iwtruecio elementar.
*^ sw.sssao do projecto a 57 deste aqn,o,
que aforova diversos crditos snppJementa-
res abarlos pela presidencia da provincia.E' p-
provado.
t." discussio do projecto n. 69 deste anno,
que autorisa a cmara municipal do Recife, oon-
trahir um emprestimo de 300 contos de res, para
eonstruecio de nm mercado publico.
Vao mesa e apoiam-se as seguintes emendas :
a Ou contratar com qnem-melbores vantagens
i.fferecer.a construccao do dito mercado,Manoel
ito Rego.T. de Carvalho.
Ao art. 3.*Em lugar de dez contos em 5
anmi, diga-se 25 contos em dous annos.Manoel
do Rego,T. de Carvalho.
Encerrada a distussio pprovado o projecto
e emenda, sendo dspensado o intersticio reque-
rimento do Sr. Mantel do Rege.
1* discussao do projecto n. 78 deste anno, que
manda continuar na eonstruecio da estrada de
Muribeca al a povoacio do mesmo nome.E' p-
provado.
3-discnssio do prqjetto n. 73 deste anno, que
autorisa a cmara municipal do Recife despender
a quantia de 4:0004000 com a celebracio de u
offlcio solemne por alma dos bravos que pereceram
na campanba do Paraguay em defeza da honra
nacon.l.
Vai mesa e apola se a sejuinte emenda :
Em vez de 4:000|000-n*a-se a quantia que
for necessaria.F. de Figueira.
Encerrada a discussio, o piojecto pprovado e
rejeitada a emenda.
'.discussio do projecto n. 93 deste anno, qne
autorisa o governo da pr ivincia contratar com a
companhia dos carris de ferro para Jaboato a
prolongaco dos mesmos carris ar a cidade da
Vfctoria.
O SR. F. DE F1GUEROA faz algumas conside-
racoes contra o projecto, dando asserabla infor-
males a que se Julnava obrigado.
O SR.60ES CAVALCANTE :-Sr. presidente, a
primeira vista as consider?c3es feitas pelo meu
nobre collegn parecem ter algum fundamento, mas
para aqaetles qne tiveram conheciment da estra-
da da Victoria, o projecto nao pode deixar de ser
de reconbecida utilidade.
O Sr. Figueira :Nem eu conteste!.
O Sa. Gs Cavalcantb :E' verdade que ha
urna lei aulorsando a presidencia contratar a
eonstruecio de ama estrada Limoeiro com nm
ramal pira Santo Aoto, mas essa autonsacio
toda hypothetica, apenas suppde a possibilidade
de se fazer essa estrada tirando-se um ramal para
a Victoria. Desde, perm,,que urna outra empre-
za apparece para a construccao de urna estrada de
ferro Santo Amaro de Jabuaiio, localidade que
dista da Victoria apenas seis legoas, accrescendo
que o prolaogamemo dessa estrada al aquella
cidade amito mais fcil, com elle a companbia
deve auferir grandes lucros, Dio podeudo talvat
1:600<000, acha-se hoB capitalisado em.....m aTamii** -" ^---i->- .___,. ,,
2:0162O; e em via de fecunacao em um esta- sE e] % da. **'. ,aval d Siiv
belecimento bancario juros* em conta cor-
rente.
manler-se sem esse prolongamenio, porque a es- duas prs cas do governo, que se suppoe nao esea
Irada aia.Jaboiio nao pode colber grande numero
te cairayjiuefjto nem de poasageiraa, e nao es-
lando resolvtu a construccao do ramal da referida
estrada de Linueiro e dahi' Victoria, en tendo qne
a autorisaco concedida pelo projecto est no caso
de ser adoptada.
Alm de que, se por acaso for contratado o pro-
longamento da estrada de Sanio Amaro para a Vic-
toria, a subvencio que ter de conceder-se es-
trada do Limoeiro ser muito menor.
Un Sr. Deputado :O presidente est autoriza-
do por lei para conceder.
0 Sr. Goes Cavalcante : Sei que est autori-
zado ; e por isso digo que sendo muito mais fcil
o prolengamento da estrada de Jaboato para a
Victoria, oflerecendo muito menos difflculdades o
terreno, por onde passa quasi em linha recia, nao
havendo grandes Udeiras cortar, e por tanto dis-
pendendo-se menor quantia na eonstruecio dessa
estrada, a subvencio devera ser muito menor do
que aquella que se teria de conceder ao ramal do
Limoeiro.
Como sabemos, Limoeiro um ponto j muito
distante desta capital, e daqui que a estrada che-
gue at la primeiro, para entao se construir o ra-
mal Victoria, muitjs annos terao decorrido; en-
tretanto que com a estrada de Sanio Amaro nao
suceede o mesmo, por ser mais fcil a sua cons-
truccao, que deve ser realisada era muio menos
tempo.
Santo Antio um lugar central por onde passa
todo o commercio do alto sertao, que ter de offe-
recer grandes productos para alimentar o trafego
dessa estrada, que sem este prolongamiento nao
subsistir.
Parece me, portante, que nao havendo prejuizo
para a provincia, urna vez que concedida subven-
cao estrada de Jaboato pelo ramal da Victoria,
nao ser concedida do Limoeiro, e vista das
outras razoes que aprsente!, parece-a que o pro-
jecto est no caso de ser pprovado.
Encerrad t a discussio o projeeto posto votos
e pprovado.
O SR. GUSMAO LOBO (pela ocdeua) declara que
a commissao encarregada de apresentar sanecao
da provincia varios projectos compr o seu dever,
obleado em resposta que seriam tomados na devi -
da consideracao-
1* discussio do projecto n. 78 deste anno que
autorisa a cmara municipal de Agoa Preta .con
ceder um abate Enstaquio Antonio Gomes, arre-
matante do imposto de bebidas no mercado da-
quella villa.
Verificando-so nao ha ver numero fisa a discias-
O SR. PRESIDENTE designa a ordem.do dia, e
levanta a sessio.
CASA DO CONSULADOPROVrNCIAL.A parte
do edificio, ocenpada per esta reparticao publica,
tem Meado innundada com as chuvas que tem
cnido, imposibilitando o trabalbo e estragndoos
papis qne por all correm.
Admira por certo que nm* reparticao publica
funccione em edificio no estado,. em> que se acha a
parte de que tratamos III
SUUMCUIQUE TRIBUERE.-0r. Dr. Rufino de
Almeida pede-nos que declaremos, que o artigo
da redaccao do Correio Pernamtuoano, sobre o
pnssamento do Exm. Dr. Braz, Coi escripto ped-
do_sea pelo Sr. Dr. Francisco Leopoldino de Gus-
mao Loboe que bem pode ter accontecido, que
algum^ raro escripto de produceao de outro collega
tivesse sido publicado como da redaccao, mas que
presentemente se nio rocorda de-oulro, alm do
de que cima tratamos.
LARGO DO HOSPICIO.-Moradores- deste lugar
rclamam contra o estado lastimoso em que elle se
acha, aps a copiosa chnva dos aliinios das, com
agglomeraeio de aguas estagnadas, das quaes j
eumecara a desprenderse miasmas impuros. Para
melhorar esse estado desagradavel, pode-se com
facilidade abrir um reg que eonduza as aguas
at o orificio do cano de esgto que passa na ra
Firmosa, evilando-se o desenvolvimento de alguma
molestia
TRILHOS URBANOS DE APIPWCOS.Do 1. de
junho em diante comeca a vigorar urna nova ta-
bella de horas de partida dos trena, a qual pode ser
procurada pelos passageirosna estar ao da praca do
Capim.
BREJO DOS PADRES.Temos cartas desta lo-
calidade. da comarca de Tacaratde IKdo corren-
te, que nos dizem:
(i Estes sertdes esto bem chovidos, e a planta-
cao seria sufflciente se as lrgalas nio tivessem des-
truido urna grande parte. Os indios deste aldeia-
menta ficaram muito satsfeitos comas sementes e
instrumentos que a presidencia da provincia Ibes
mandn dar, e acham-se trabalhaado com gosto e
animagao.
O estado quasi de ruinas era qne se acha a
igreja deste lugar, sob a invocaci do milagroso
Santo Antonio, insta por alguns reparos urgentes,
qne bem podem ser feitos eom o- prodneto de urna
lotera de 100:0004, mandada- correr de preferen-
cia em um dos prximos mezes.
No dia 1.* do crrante una forra vlnda da Ba-
bia, commandada por um aleres, leve, no lugar
Tapua de Paulo Alfonso, nm eneoatro com os fa-
migerados criminosos conheeidos por Barroqui-
nh.is, batendo-se elles com a terca cerca de urna
ora. Dessa lata aabiram feriaos- gravemente
Magalhaes, Manoel Feraaodes de Carvalho, Pedro.
Lopes M. e dous criados, Bernardo Preire, J. Lino
do Couto.
LOTEfM A-.A qne se acha a venda a 148'
beneficio da igreja da, Saina-Crua d teeife, a otul
dia Si da
REVISTA DIARIA.
ASSEMBLA PROVINCIAL. Quarta-feira a
assembla oceupou-se eom a 2* discussao do orna-
mento municipal, sendo approvados os arts. 2 a 5
depois de orare sobre o art. i o* Sn. Henrique
Mamede, Gusmao Lobo e Oliveira Foaseca.
A ordem do dia para hoje : continuacio da
antecedente, 1" discasso dos projectos ns. 3a,
113,104, 105, 106, 109, 110 108 e 79 deste asno
e 3" dos de ns.63, 70 91.
INSTITUTO ARCHEOLOGICOiEGEOGRAPMICO
PERNaMBUCANO.No anno acadmico qu ter-
mnou de 186^ 1870 a receila deste cornasocie-
tario, effectuada de abril do anno Ando marco ul-
timo, montn t:026425, inclusive o saldo que
passou do anno anterior na importancia de... *v
992*805 ; e a despeza realisada no raeemo espaco
subi 2:184*380, resultando por coaseguinto m
dficit dd 157*955.
Este dficit todava nio resultado da insuffl-
cienca das fonjes de rendimentov e ceasequencia
inmediata de aocrescimo de despeza- Esta effec-
tivameale tevo augmento em algumas verbas, cujo
ssrvico urga por adiantameni; mas nio dessa
origera que procede principalmente aquelle des
equilibrio, que at hoje te/n sabido manter o Ins-
tituto em sea tnovimento fiaanoeiro annuo, nina
vez que liga-se elle no ter sido effectuado an-
da o reoebiraento total, da subvencio votada pelo
corpo legislativa.
Nestt apreeiaci'j.nio incluimos o beneficio de
uma parte extrahida da loteria concedida en la-
vor do Insytofxi, visto ter es'^ assentado daHhe
unta appli cagrao especial emir enteraenle patritica;
de sorta que, acha-se esse produelo m deposito
juro, toir^ ncleo para Tealisacio do fim de per-
patear por forma vtil a memoria dos hroes da
papa pernambueina.
'''je producto, qne ordinariamente, era de.....
ario. Felizmente forum capturados dous desse
malvados, os quaes seguiram para a cada de Pe-
nedo, que offerece mais seguraaicay o mesmo por-
que se dizia que oscompanbeirasasviriamlirarda
cada. E' o quanto por aqui oecorre.
FACULDADE DE DIRETO.Ittrminou na qnar-
ta-feira o concurso para preencntraenio de ama
vaga de lente substituto, sendo es conrorrentes
elassifleados em primeiro lugar o Sr. Dr. Fran-
cisco de Paula Sales com 9 votos, e em segundo
o Sr. Dr. Joo Thora da Silva com 6 votos.
RIO CaHBARIBE.Com as chovas copiosas dos
tres ltimos das o rio Capibanbe augmento mui-
to o volume de suas aguas, trasaordando por so-
bre a estrada na Porta d'Agua, ao Montoin e era
Sant'Anna, e cobrindo quasi totalmente diversos
sitios de suas margens.
Em consecuencia desse trasbordamentot oe trens
da estrada de ferro de Apipucos- limitaran! o tran-
sito, durante todo o dia de honteat, at a estarn de
Parnameirim.
tarde j as agnas baixavaok muito.
ESPIRITO SANTO.Poi honftem hastBndo o es-
tandarte do Divino Espirito Santo, eomeeando
noite as novenas no convento de S. Francisco.
INSTITUTO ARCHEO*OGK.A sessao desta.
sociedade, que devia ter lugar boje, fc transfer Jo-
para quinta-feira prxima (.idejunlioi-.
THEATRO GYMNASIO'DftAMATICJO espec-
tculo que devia ter lagar htftem, lieou transferi-
do para quandn de novo se annuncisr.
NAVEGACAO.Segundo nma tradiegao aati-
guissima fo'Usus, que habitav.i Tyro, quem pri-
meiro, tendo a idea de excavar pe 3vgo um g?on-
de tronco, se aveuturou ao mar aessa grosseira
canda.
A inveneao. pois. desee meio d vencer as dis-
tancias e de estender es relagoes devida aosPhe-
nicios; os quaes cora a experiencia forara^o ms-
Ihorando e aperfaicoando, de sorta que su>poe-se
tere ni si Jo elles anda quem primeiro servase de
velas nos barcos.
Foram os Phencios igualmente os primsiros que
navegaran! noite, segniud -> rumo das estrel-
las : e para isto observaram a ennstella'io boreal
da Ursa maior, que se consenvava quasi sempise
de verao e de averno sobre suas caecas, e ao
depois passaram.a observar a outra mais ao nor-
te e a Ursa menor, tomando-a-por guia, anda que
sejam menos briihantes as estrellas que a com-
pem.
Nos lempos modernos ac Venezianos rievido
o melhoramento da arte de consumir navios ; e
hoje pawce qoe esta tea. recebido dos inglezes
toda a perfeico havendo-os preoedido neste im-
pulso os portuguezes e h^spanbee no secnlo X.V,
os noNandezes no principio do secnlo XVII; e os
francezes no melado do taesmo soculo.
ESPELHC8. Os primeiros espelhos foram de
metal, attoitaindo Cicero a sua. invengin Escu-
lapio, dena da medieiaa; e na tempo de Pompen
-qae sofabricaram em Roma os pnmeicos de
Uarata.
Os priraeiros espelhos de vidro apparece-oam na
Europa no fim das cruzadas, sendo obra dos Ve-
nezianos, pelo anua de 1360- de nossa era.
ART1LHA1UA.E' provavel, qua |os rabes se
eva. a invengao d'ella; pois a historia Irata pela
primeira vez desea arma eomo empregada pelos
Mouros sitiados, em Algeziras, eajo sMio s trmi-
nos em 1344. Ha no entretanto quem pretenda
que os Inglezes seserviram della na batalha de
Crecy em 13I&
E' de admirar, qne se ignore donde precisa-
mente veio nm segredo, que fez mudar toda a arte
da guerra.
LITTERATURA DE QUARTEL.Esses hroes
beijande. o solo, nio voltavam a face ao inimigo.
Ora, sargento, isto um pouco duro I Sup-
pande que alguem se diverte em fooinhar pelo
chao, pergunto como poder ao mesmo tempo fa
zer face ao inimigo ?
Como s tolo I Nio vs que uma mami-
ta de dizer, qoe para um francez nao ha cousa im-
possivel t
PASSAGEIROS.O vapor Mandah, entrado do
Aracajd, trooxd oa seguintes :
Miguel Joaquim Carlos Cardoso, Luiz Jos de
Araujo, Dr. Domingos Jos Goncalves Ponce de
Len e um criado, Francisco Cabral Cassiaa. de
Oliveira, Antonio Pontes Marrano, Antonio Ciernen-
tino Coelho Catanbo e um criado, Antonio Jos da
Cunha
O vapor Cururipe, entrado de. Mamanguape,
troone os seguintes :
Francisco Egydio Peixot de Va^opaeellos, sua
corro no dh 36:
CEMITERIO PUBLICO.-Obitario db
maio de 1870.
Um prvulo, cujo nome igoora-s-e, Pmambueo
2 mezes, Santo Antonio. e:apesio;. convoisoes.
Mara, Pernambuoo, 5'metes, S. Jbs conml-
ses.
Antonia, Peraambucoj 25- annos-, solteira, Boa-
vista y oengeslio cerebral.
LuiM,Pernambuco,.2ranco3;soltera, Boa-vista
tubereurss pulmonares.
Mara,frica, Mantus, solaeire, Bea-visa; bv-
drodelhera.
Mariana Manteiro Xeves,Pernambuco, 44>aaaos
casada^Poco da Pauella ; melestias chonieas in-
ternas.
22
Mara'Eugenia do Nascimento, Pernarobuco 25
annos, casada,.Bea-vista ; alieoacae mental.
Rit Mirada LuzPernaincaeo,' 4a annos, sol-
leira, SrJes\
FlorcneadaSilva Valente, Pernambuco, Pan-
nos, casada, S.- Jee;. estupor.
Izidoray Prnambueo, 8- dia, Recife ; coaral-
soes.
Manoel Garlos da Bonseea, fieroambuco '.* an-
uos, solteiru, S. Jes ; ttano,
Caelana Mara do Bom Partov Pernambuoo> 40
anno?, vuva, S. Joe ; broochi**.
Victoria Rufiaa de Azevedo, Pernambueo, 70
annos,viuva, Olinda; diarrhea.
Alexandrina Herencia de Albaquerque Mdllo,
Parahyka, 52 anuos, viuva, Bea-vsla ; hepatit
chroniea. ,
Mtnoel.da Costa-Machado, frica, 6annos> se4->
teiro, Bu-vista; hydropezu.
23
Jos-Gomes Coutmho Guerra; Pernambuoo, 2
annos, soiteiro; h/pertrophia.
Francisca Mara da Gonceicao Bwges, PeTnans-
buco, 42 asnos, caaada;. phlysiea pulmonar.
Hfppolito Antonio da Silva, Fernambuco, 34 an-
nos, casado, Pogo da Pnella ; nhtysica tur Rece-
losa.
Justina, Pernamaoto, 11 mezes: espasmo.
Seraam Jds- de-Sauza Ribeizo Parnambuoo, 29
annos, viuvu, hospital Pedro II % intente ohro-
nca.
Satyzo Jos Cardse, Pern&mbaco, 30aanw,
soiteiro; turbercuiee pulmonares.
Pedro, Pernambuco, 5 mezes, toa-vista ; ana-
zarca.
14
Fran*iseo Loursafo de Seixas,. Aanca, 72 aauzao
viuvo ; .aspbyxia por submersae.
Thomaz, Pamanaaco, 7 man, Meeife ; ace-
phaliler.
Manado Carro, PernambuM, 4*annos, aaai-
ra, Santo Antonio r congeslao do lajeado.
Agasbaho Alexadrino de Sonaay Pernanoaeo,
12 annos, bospinl Pedro II; bepaaaa.
Antonio Fnneiscode Paula, Peraambaco, Pan-
nos, soiteiro, hospital Pedro Mi, tubrculos pulmo-
nares.
Juia, Pernambueo, 7 mezes,. Iba-vista ; inte-
rite:
Aalorao Pereira Seares, Portugal 50 anno3>-oa-
sata, Boavisu ttano traumatiao.
CfflMKICA JfSKRIl.
Tllllinil, I %-IlFLA, rSK
SESSAOBM 24 DRMAJGBDE 1870.
BBIDKNCIA DO- M. SR. OONSBLHEfflO ABTlttO
SANTIAGO.
As 10 hor.".s da manhiav presentes os Srs. desem-
bargadores Gitrana, Guerra paocurador da cora,
Lourenco Santiago, Almeida, Albuquerqr*, -Moita,
Doria, Domingues da Silva^Regneira Costa e Souza
Leao,. abri-* a sessao,
Passados o* testos, denam-se-os sieguiaas jura-
mentos :
AsGR^vc m kticaoAggravante, Lsandro Ho-
norio Jos de- Sampayo; aggravao, o juizo.Re-
lator o Sr. de*mbarg>dor Souza Leeo, sorteados
os Srs. deseoobargaihores Seguekra Casta e Guer-
ra.Derara provimecte, andando i juiz. aqu.
conceder, a vista pedida era auto apartado, carao
de direilcv
ArPE!>e6Es crij*bsppellante, o juizo; ap-
pellado, Manoel Ferreira de Maraes.A' nevo ju-
ry. Apptlbnte, o juizo; appellado, Arancisco Jos
de Rarros.A' novo jury. Appei-nnle, juizo;
appellado, Manoel Francisco das ChapasA' novo
jury. Appellante, Jeo Pereira da Silva ; appella-
da, a justija.Improcedente.
Apkulacoes cvEis.Appellane,- ABtooio Mo-
reira dos Res; appellada, Feliciana Mncia Olym-
pia.Receberara. os embargos. Appeilaate, Joa-
quim Monteiro Suedgs Gnndin; appellado,Virginio
Horacio de Frwtas.Conlirmadaa sentenea. Ap-
peilanie, Mara. Amelia Candida Correa; appellado.
Jos Candido de Barros.Desnresados os embar-
gos. Appellanle, Alexandre Vorgu; appellado,
Jos Ignacio de Mendonca.Rcebezam os embar-
gos. AppeUanaa, D. Francisca das Chagas Bandei-
ra de Mello;:appellado, Antonio Lopes de Alcnta-
ra.Despxesarara os embargos. Appellante, Feli-
ciano Cavalaante da Cunha lego; appellado, Vic-
toriano Jcs de Mello.Refotraada a sentenea. Ap-
pellanle, Jos Rodrigues Paes; appellada, Helena
Mara d.Carmo.Despresados os embargos. Ap-
pellante, 1). Joaquina Benedicta Vieira da Silva ;
appellado, Joaquim Ribeiro Pessoa de Lacer-
da.Despresados os embargos. Appellanle, Jos
Bernardo Bezerra ; appellado, Ignacio Alves Bir-
reiraConfirmada a sentenea. Appellanle, Ga-
briel Germano d'Agniar Moniarroyos appellado.
Estavao Jos Parretlo.Despresaram es embar-
gos. Appellanle, D. Herraelinda Mana da Concei-
gao; appellada, 1). Clara Sophia Fintoa.Despre-
ram os embargos. Appellanle, o juiao e Manoel
Goncalves Ferreira a SuvaDespresados os em-
bargos.
Da dr apparvceji-.Appellado, o. padre Jos Ja-
cintbo Borges Barros; appellante, Antonio Silverio.
do Nascimento.Diserta a appelttfio.
9ASSAGBNS.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desen>
bargador GuerraAppellacdee eiveis : appellanta.
a Santa Casa de Misericordia j appellado, Candido
Jos da Silva Guimaries. Appellantea, Cludio Du-
beux e outros; appellado, Joaquim Jos de Miran-
da. Appellante, Jos Francisco Barros do Ro-
go ; appellado, Francisco Manoel de Sequeira.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago, ao
Sr. desembargador Almeida Albuquerque.Ap-
pellacoes eiveis: appellanies, Jos Antonio de Oli-
veira e sua mulher; appellado, Francolino Lau-
reotino do Bemfica. Appellante, Alexandre Au-
gusto de Fras Villar; appellados, viuva Revs &.
Cardoso. Appellanle, Joao Baptista da Costa Coe-
lho ; appellados, Anna Ignacia, saut flinos e ne-
to. Appellante Antonio Joaqokn da Lima; ap-
pellado, Jos Sebastin da Suva Maanero.
Do Sr. desembargador Almeida AJtaauerq&e ao
Sr. desembargador Motta.-Appaalaces eive
appellante, Joaquim Jos de AlMida; appellado.
Francisco Caetano de Abren, AppaHaaaa,. iase
Gomes Rodrigues de Albuqoarqae; appellados.

**
"












.
r
y
i-

Manoel, Maria e oorroa.
Do 9r. desembargador Motto ao 8r. aeflahar-
senhora e uma criada, Joa$ Pereira, de Castro Pln? | aador Dorta,-lAppl Oivel: appellanlaa, **.


*

'.*--
.;
mt


rsi
f-
Ao Jos* de CarnUio e outro*, appeUda, ttethet
de Son maCavalcai.to.
A SrWWmbargador -Iemia**e da I-
wlAfptb#;*vel : arpellante, i""* Francisco
4e OHveirt,J#pa#ado!i. ttoraiagos de Barros Bras-
dioeoniKk ....
Do Sr. safiwirgador Domingas? da Silva ao
Sr. desembaraador Regoeira Costa.Apjtellare
crimes: appellaute. JurHl de 4#t*V%o; apeai-
lada, a jo'stira. AoJUaip, Frpcisco Kerrojra
Braca ouir><; appmaaa, a JBStfcn.
Do Sr. de-eutkargaalr Regaeiru Corta o Sr.
irsembnrgador Soua Leo.-Appdlaodes civeis :
appellaute, Luit Mrquez de Lima ; apabilado
hn esquita Cardos; epaellade, Ignacio Pedro das
Keve* AppelUnte, o KnAarH Antonia Ferrelra
Mua Ribeiru; empellados, faltada nacional c
outro-.
Do Sr. desembargador Seuzn Lea* a Sr. des-
embargador Gittrasa.>AppeUacocs civtis : nppal-
lante, los de Souza Nes Braga; appelladns,
Francisco GeneMves Sitveira e/ratro. Appellarfte,
!Wdao Antonio Braileira Mace i* ; appellado,M.-
ario da Owta Moris. Appollante, Sebastian los
Games Penas-, appellados, os menores Miriam Jo-
vina. AMtMae.'io crinw: appellante, o juico; ap
pelUdo, talo: de Seuta Matto-Orosso;
Uh.r;e>ctv cmMR.Ao Sr. desembargador pro-
motor te (ustica : appellantc, o jo**; ppeilado,
Jos Carneiro de Sfla.
Dkmgkkcix civi'.Ao Dr. curador geral: ap-
EHanu-, D jo.-uraisa Trauwsca de S; appellado,
sFurtado d*'La>tna Jantor.
Assigiwu-se ilir. para jsSgameato das seguate
rf Bfl \ AfllJ* ATXMUi% do PemammiCd SexU fra 27 de Mal
o de
1870. 81! 0B1MUM !JX OHM
^4-*. apropiei-
me de scravos albefos, minea malei a ainauetn alqaelre* de, fann de mandioca; a WnWlf- Me| dias, stw petiedra instruida de Confor-
P*^_"^:,hc <><"? sen, naneaim*pd'i*te*<*L 'motfc'C ngaafe com ode-jreto n. 817 de 30de agosto
de mandioca cisa carro* mudos ftnua'lBfm
a minha cifsiinr cavados alheios trancadas i, na,
casa de purgar 1.!.
Para que e Unge pobre* perseguido, Sr. *po,
dizendo que o Sr. inajor Cunha flie quer arrancar
Midi
quarl;
eUgpnguaga
Sipo, es*as suas '
"iltio; thic ja
^(|ur revsti(
1 doMOirom o
MO toneladas, capftiie C. A. Liode, cttfx rtojftfv ,0 pendentes devora o apresentar no prasr> de
AwbujicksovnisAppcJIante, a tiienda; ap
psMtdcs, Luir. Antonio da Silva Vi.vina a na
tros. Appellan*s, Manoel do Sonza'S'Wa Serodio
otros; aapetlados,rancisce Pereira e ou-
tro?.
A"* u.na hora e tres qnarlos da tarta encerro-sc
arciaa.
PUBltCACdES A f EDIDO.
Gageato Casatlo da nnha Lima
a Mr. aocquia '-Iri^nc de
.Irauj Wlpd (e pnblica.
O Sr. loar-nim Rodripues Be Aranjo Sip-ohri-
fa-ni" a mostrar -^uranle, o publico at o HWa desfsrfw de am ente, ha nwito conhe-
ddttpor suas fw-auhas de requintada pervrd-
di\peto reprovado proceirrwiito (|U ha a*Wf*t*j
tid e pelos metas crinuees de que tetn lao^ado
mi para aposar-s} 4etae*i* alheiosl
Quer a todn tran^n o Sr. Araujo Sipo, embo-
bado na e*pa de Ungida pebreza, awr srw Tortn-
na e d'aqni-rfc-: que por cenluio se maneomniuna-
rat para ida-lo na improba tarefa de se lo-n-
pleiarem cora o draheve bens do muito "rar
r mpr Mannel da Canha Lima Ribeiro,
f'Tiricafldi) contra este honesto cidariao pleitWju-
ihrwes sob os mais ptianatteos e disparatado* pre-
te^h'S, esf ircand i->e ixr subverter a vefdade dos
faet^is, como pnWi<*< e otario !
?a acoiMco que no biberat n. 89 de W do
m"r. p*aito ii-me frrtA diz o Sr. Sipo 'e o'Sr.
-major ttarnel da C'mba Lima Ribeiro se louvrn
-em miin para perito de-sua vistoria, sendo eu seu
mormlnr fi-suh'irdiadx Diga-me o Sr. Sipo, e
todos quaat-i ;t-si 'Vme. j prsvonidn cwm sua* portas Tagua-e san
tri.tilouros feciados aitn de que por es*s ardil
rr .hU ii'varfs i>m questao?!! Nao dar provade
urna conseiencia elasca, e interessada o reronhe-
-enrseu tt Inuvailo Hanoel Fernanles da Justa
Santos, q<9 rn goas emn desvwtas que por
i--' prejuJiniram sua moagenitt Diga-me o Sr.
Ssbye-s* eonsfienriato km vado par onde 'haviam
de desiiejar a aguas do rio, estn lo presa* tojas
.as sahiJa--, piando o dito louvado nao assjWUe nem
io .i Rmugpin V. ls -s.tr*r, mas sim dar iim laudo de preveocSo e pro-
posito.
Hiwwiheceu mais o 3.* louvado que os assuca-
reaeran de ma qunlidade por demora docosi-
mentrt p usa atdacao ou srtviohai;o do Sr. ')." louvado,
que maravilha I Vio pnrventura o Sr. louvaJo,
seeba se honvo Mi falta d'agna ? "Sao seria
es-a m quadade do a-iicar. dpvida i falta de
caimas no enpenhe. ou hvle.nha nu do senhor do
engentn, ou de bom inesire d'assuear? liie e-
ria MMes a m qtalulade dos assncare? devida
-aos acedos e s rmnas seccas |ielo rigor do verao
ou ao curte das eaanas que ii.'a->em poetas no
cannavial ao rigor para o mgenhtrrl Isto j nem mesmo atila;ao
ou sdvmnacao, laudo a geito, contento e atisfa-
vio do Sr. Sipo e fie queui mais iuteresse linha em
tal Unto I E dipa-ini", Sr. Sipo, porque milgre
tinhi Vine algu* pt? de asuntar buit e outros
m*5, nomo reomnecen. o seu I. Ion vado o Sr.
ion P-rcira da Silva ?.....Pois ha vi a agua para
un* c nfi'i para oolros 1
IJ.'sp,iota uie, Sr, Sipo, como que Vmc. b>-
tmil i o seu engeakn n^s lins do mez de Janeiro
desie anuo e 'atode -ua vistoria em narco, j Il-
uta onsfguidn moer nesse t'-mpo nao todas as
cannas do sen enpi-nlio, como tambem todas as do
OMte-SkMtfH de-ven- cunhados, ;stando antes da
sua ixifiida aerla a Invada em questo.,;.....
K' cioisaincomri;hi'nsivel I
'orqii-i naotiiostnu e Sr. Sipo ao juizo louvado*
-as eannat qne tinba mi ampo perdidas I E' por
Rn-.nheeeii o.- louvado do Sr. Sipo que as
miv ilo seu represo p-ii.no inundado caimas dos
trradres do Sr. inajor (3unha para > ou 30
pt era ama c*i:-:a 411c nunca tinha sido planta
da......... Nunca londii ido dita baixa o Sr.
3*louvado, tornas.; escandalosa e admiravel esta
sua assercao! Mas aceitando so a wotissao do 3
I uvaiio, perpunu se, se cora a levada "berta per-
ileram te caunas para 5 ou 30 pies, qnanlas se
perderiam se a levada estivesse tapada e consc-
guintoment> rauodadas todas as vargens f
NoadMifr tirovado que o Sr. 9.* hiuvdo nem
tmba exthecimento dos factos nem das ocaliJa
de; mas Bra escolhido adrede; pois qne o !.
Imvrdo o Sr. Joiio Pereira da Silva, apesar de
adiar se na presenra de Vmc. e do sen advogado
p u ;ara-se rom multa dignidaJe e lodos eonhece
mm quao wxadose achava por nao poder satis-
htttwr cabalmente todas as disparatadas eiigencias
do V v. i. e do seu advogado que carant descon-
tentes rom elle I
Tantis e tio satnicas sao as maqumayjes e
tramas do Sr. Sipo (sempro acobertado eom a ca-
a c fingida pobreza e pelie de cordeiro) qae nao
(vusirel d^screverem-se todas....
Como Sr. Up, que Vmc. e ipiem > gata
qm'rem inculcar e persuadir ao publico que o seu
."I- louvado Manoel Fernn les da Costa Sanios
amigo e errei tgionari j poltico do Sr. major Cu-
nha, dizeado ^ue talvoz agora liqne o Sr. Santos
fra las grac-is do dito major 'I.....
E' osla mis una miseravel estrategia, saa ede
aa-m o insina I
Para rebate-la ara forgado a revelar 3 |ue a
mode.-tia di Sr. major Cunha o de seus amigas
tranam oceulto.
Quaodo subi a poUtica conservadora, o Sr.
Maaoel Feraaudes da Costa Santos ineuloou-se
roiMcrvador decidido, IRudMo a boa f do api-
lan Antonio Ventura, tobrinhe do major Cunha,
resonando daM *er o-tr. Costa Sanios proposto
para aap.iijlef rxtViem qae ucouna pulo Sff
major Canha contra -matado de seus amigos
o iliti ms que auito descaunavara do mesmo Sr;
Jjsta Santo'.
Nao a infundada a descouianra. poisqiw>ha
-0TD110 tmn-m a Sr. Coste Santos declarado liberal
-decidido, procaraudo i aarma ir attaicoando os
oioresses do partido onuaraandor no municipio
da vida do Xorte, entreteado intimas re!acoes'de
amlntde cora o Sr. Dr. R. I.-flibelro do Hi-nezes e
eom o seu parenu a aaufo eapilo Jos Antonio
Vteira da,Silva,, ao.juaes bedeee cegaraente.
vado alias ato aJmo o juir. da causa de qae se
trata 1
Sie atea, Sr. Sm, s amigos do Sr. Costa 3au-
tas o nao o Sr. aaajor fluaha .juo muca non elle
entreve re i?oea de-anisade o omito pouoa o co-
afeecia.
Peste atrtMa>, 8r. Sipa, e n. oeiaara-
. crodulitede pnbuca cora seus estaados
embustea atiwrtiiiae I
'.uanto aaitataa pasaaadesignadamente leoho a
responder Sr. Sip jpaedMi|ae pobre como
wn e settllar aacapuio Xtaayoaices -oeiaes aou
maito caatetmdd'Daa)it>vm8ia 9 a minha vidatipn-
bliaa a paftetotar njfniaabida: homeas-datem-
p-ra do Sr. Sip per jnate de intrigas,
e eahBaias ettengairac na ou. kma raeruaado
niri rtoftioda tomptra d
.altbalajwNfhnWw> obtivaram aniquilara
intrigas, embostes e caJurida 1 d gen M
vete teda a tmnrn, pantnra-e bimtmado aavane
o-ton nio -terade pp, |co todos os Has ao A!ffsimo roe me (i-
te deasa flarasf
1
o
i:onriosx SEnpnfiTf
iiiurtea saateurr-na, i1 c
nmite oohajMi'. per ais
dos.%p|es da pastor lados
paite pello do>nna:i^i*n Desegae-se, Sr. Sipo, que Van. a mn
(!itde.
Cem que flm smiatrn ti-ut o Sr, Sp6 roMklii
*. .mas venas a aiicaatttoa.st iarer, prscfln>|i
ft outras raejaudas falsidanes f Sera para Tazn-
ao major Cunha (do site Mara Santissima o Ua.
dc hvrai) o mesmo qne faz pobre v^M[9n^
viuva Maria Joamina, a quem tompu >s escras
vinhos, uuicos ntas 4ae a pobre Cfiga possuia, co
tinado de qi.i-s, a mais a vida le seu Irh '.'...
Aeonsolhn ao Sr. major Cunha, a toda a sua
familia e amigos que se acaoteilem o tiqueen
alerta, pois o Sr. Sipo ltimamente parece ter chegado ao emth do des-
esptjro de aanh-ao, instigado por um feem rnltrl 1
do ma pjinador ilos mai ten.-limsos tramos 1
PhanUviou oSr. Sipo toroar-n.tic- terca, e
em vez de trdhalhar para ssos trata de litigar,
calumniar e uloroi-aiar aos aens viinhos : seo
lilbojud 1 ;ub.s fazaeaao raagnobar, soowambu-
liter> e calumniar asseotuido ambos em inevm-
mod;ir par'tedos os modos at Sr. mijor Euuba
para verem se por tal mrma fanem Torttma.
Qne phaniaMioa pei-wguK'/.o- i-s.-a, ge rada so
mente iw perversa iuiaginacao doSr. Sipo ? Quai
foi a perseguicao J por v-rntur.-i io.-aou-llieiotv.is, cavallos. bu ou |
e9eTav^s, J fez algum trocado u;plauai;ao em
suas^ let-raa
Nao, Sr. Sipv,essa invrntada perseguicao tem um
in sinistro; qaer Vmc. fater-se 'Victima interes-
sante e innocente perseguido, uuano alias Vmc.
o airahiliariu egressor, que prirtoitos os modos
procura apurar a paetenciado sen paeilko c ge-
neroso visinho.
iA persegucao de que se queixa o Sr. Sipo 1 era
porque o Sr. major -Canha procura salvar da
innnda*io as camas de sen? lavrVi(teres pie o
Sr. Sipo lera tentado alugarvom as nguas do svu
represo 1 Pois nao sao aqtHles lavndores mnito
mais pobres do que o St. Sipo T... Ento para
aquelles pjies do familia n?( ha pobres, miseria e
falta de pao quotidiano para, o filhinnos, dignos
at da randado publica euruonsequenna dos rom-
tantos veixames e atrope!Inmenlos lo Sr. Sipo ?...
Concluuvi dizendo-ine,-Sr. Sipo, que pote con-
tinuar a emprear todas ae suas arlimanbas, tri
cas e eilumnias no empenho de lornar-se rico,
como deseja : nao se use norm do futir* tte curro
romo sou c: stume : pos Vmc s e r*-posavel porm sim tambem o l'atja-
phudo mancebo que p r tantas vezes tem botona-
do as vargens de S tlos, desaliando ceos e terrn,
amelando com fueira do que alli ainda nao e haver militas morios I
Fiquem |Wis cenosos Srs. p**, (pai etilho)
do que son na realidntie pobre de bens da fortu-
na ; mas tenho familia bous amigos: nunca re
cuei em prestar mou fraco auxilio em pro! da hon-
radez, piohidade. Justica e honestidade contra os
botes da calumnia o os tenebrosos tramas da^mr-
versidade e malvadeza.
Pilar li de maio de 1870.
00lt)(Tr40.
Sin-tejuwenm sabidas.
Xaue* ealrdnino <*, 2^.
Aracajfl e B*tesJ li.is, vapor brateiro lan-
idra. de S1J toneladas, covunandanif Guilher-
de
juiz municipal Jo
Sua lagestade Imperial
Copia.
9 or. Rnflno Coellio da Silva
termo de Olinda, per
etc. _
Kir?:f5iTOe, Pm "bmrrcte4o arttejp n
iteervto ii^P, do 30 da agoslrt te 1851, se ac
srfoiriS- oncum s offlcios de pruna!* tabeHo esr
, oip Gt Uab", rvao do oivel, crune e de proteslN de letlras darte
s da carne letmo, emjtenseitiienria dd haver fallecido o ser-
viUatuano Pipi c do Nascimente de Farte, e palo
presente patilla os prelenitentes aos refafidos of-
ticios, a apsentarem suas petapSes devidamante
instruida ten es docamfntoa frescriptes pelo
artigo lie | 1 do supracitado tereta; dentro
do praso teafsenla dia,., eoMar da data dn-
presente que ser afflxado no lugares do eos
- *. L"\l".iL.: !jWaajMdtoaeiiteii. ,
Trandera wx-putm- j^a (jhristoiio da Rocha Cunha Soni
nes aba.-, xruo tetarino-o etgrevi. Coelho da _
"*>s P"? J"*,conforme com o original.-Olinda, 28 de
**PH etembro Christovao da. Rocha Cunha Souto Maior.
que exiMinde no armatem n. 6 os volumes abai
xo declarados, no raso de serem arrematados para
consumo, comprvhendidos as disposioof
tulo G titulo 3 do regulamento de 49 de :
de, IMW, sous danos., ou auasipnatarkii devn*o
Jes pacha-tes no pr.izo de trinti aas,/s6b pena de
lado i'Uu st-rem vondidos |ior mu ept*:*"(1ue
Ins liqne competindi afleg.tr contra os eueitos
ite>ta,wda. j /.
Marca II F ns. I1S9 e iJO, duas barricas com
queijos, vrmlas do Havre na rbarca rancnu Son-
to A*d7ntrada eni 9 de junho de 1869consig
nadas an. Wumtrcr.
silem GT'Fsem rutmeo, I barrica tovas ner
ctiory.sdeot na barca franceza Fiutuo, entrada et
10 de agosto ; a A. Caors.
Mem 1f W B 4 C n. SOO, dnzentas alxas coot
*inho,dt-m no bripne franeez frfr, eafradas em
20 de dezemhrivjf a B. WHIimer.
fdeiT! f tll n. II, vmte harricasetnn cas-
taimas, viudas de WarseiMe na barca franceza Au-
gwttn, entradas m 2t de Janeiro 4o corrente au-
no ;E.A. .Burle V C.
W-m V n. 103i, trinta e'dcrai Tardos Com os,
dem, hlem, idem.
dem MAM.ns. lOi 15 f3, 4uas caixas twm
porcelanas e rindas do Havre ia barca franceza
Ceftim/. entradas em V de fewreiro ; a BerevH.
dem \ II I) li li. 1316 e irfT, duas barricas
com .porcelana, dem em 7; a'lL Barroso de
Mello.
dem J r, B h 0 ns. i39 o 246, das eahas eom
vidros e agua de vichy, idm, i1em ; Joo da C.
Bratro 6t C.
Jdem M il M ns. 8e 97, dnas barricas com por-
celana e vWriM. dem ; a Befevel.
dem H I F 1 F R ns. le, Wizwiljte caicas
rom vinhi, vimlasdo Havre nx barca franceza
H-iViV, entrada* em 17a H. Leger.
Som ntjrra, os seijuintes obiectov, entrados para
o annazem em 22 de junho do asno prximo pae-
sado e perlencentes ao eapiRo do navio inglez
Colma, 23 carnizas de !aa azul, W Utas de baela,
0 das de I a a hrasca, V dilas te algfcd-lo azpl,
47 enlj*t de dlio, ii ditas da castor hranco, Ji
ipiotoa's Uo baMa azul, 8 japonas. 22 pares- d
meias de lia, Mcapoles Je eniefido, *t sastei e
11 pares de sapatos.
Alfaudega d l'wnambocq, 2 de maio de 1879.
O wpoetor interino
Luis dr Cartalh Pttes e Atutrade.
AO PUBLICO
C<>m grande admiratjao de ininba parte li so
Diario de PernaNbaeo tdehoje, urna publicacao a
pedido, assignada [lelo-Sr. Di. ilulino Auxtu-io de
Almeioa. ex redactor do iflaffwa Pcrnamtrucimo, a
qual encerra ura acervo te IdaidBal que respou-
derei em lempo, cun documentos necssartos jue
trato de adquirir.
Susp, uiia. porlaato, o publico o sea respeitavel
juizo cum relacao aquella pubHcajit patente a verdade acerca da retirada de Sr. lr.
Kutino da re Jacoo do Correa) PernatulMcano.
Kecii-, 2.'> de maio de 487u.
Henr/i/ueJf'iwtf.
Ao prublico.
Estanto resolvido a eft'ectoara ininrta l't/.a ;pi( ?3o aos negocios teadentes ao casar de mi-
aba infeliz w\ a Sra. B. Francisca Tb>
mazia da Coneeicao (Jimba, desde o auno
de i>.r>6, deveodo justificar-me de imptita-'
Cues defamatorias sobre quem de direilo
mas del'ama(;oes pertencem ; cumprindu me
ainda mais revelar luz publica os factos
desagradaveis, e inc invenientes, senaeinde-
centes que se tm dado desde aquella data
de 18, at o prsenle ; chamo a attenco
publica para minha ju&iilicaco, esperaodo
em tempo faze-la logo que leutia os docu
mentos em raeu poder, os quaes trato <1e
extrahir do ventre do? autos io inventario
de interdicto de minha eufeliz rn.ii.--Es-
crivo Brilo.
0 publico pois suspenda o seu juizo ate
que marche com os documentos em junho.
Recife 5 de mato de 1870.
Antmio da Cunlia S. Guimares.
G3MMERCI0.
MOVTME.NT9 DA ALFANEiBfiA
r /olumes eotradoe co faiendas M3
dem idem cota gaar*a 74
foluaeasahidoscora fazendas 72
Idea i dam oom geaevoa 987
ENGLISH BANK
Of Rio de /aneiro Limited
Deseo ata lettras da praca taxa a con-
'eneiooar.
Recebo dinheiro em conta corrente hi;
I raso fixo,
Saca vista eu a praso sobre as cidade
jrlncipaes da Europa, tem correspondente),
ia Bahia, Beuos-Ayres, Montevideo, Nev
j New-Orleans, e emitte cartas de erudito
para os mesraos lagares.
RA DO COMMERCIO N. 36-
ALPANDEGA.
endimentododiaa. 93C:087* dem do dia 3o.....S:3i5*M9
bandeiras : aat p
|imperi*l elemancia
com excepeidas
o crime di dtaserc
reos s autoridades
~4opia.
0 Dr. Rufino Cocino da Silva juiz municipal e de,
orpi'ios do tmine de Olmda por S. -H. imperial
e constitucional, que Deus.gusrde ele.
Paco saber qaam imerussar possa, que se aba
a_concurso, ua forma da lei, os ullkios de escri-
-vio de cn,orraos,ausentes residuos e capellas deste
tarmo, peto, que oonvido na pretendemos aos re-
feridos offkios a apresentorem suas petigoes ins-
truidas e deoumeritouas na forma do anigo li.
1, do decreto 1 .831, e ttodanu-o do praso de
sisssenta dias presenptus pela aaearaa lei.
K par* que ebegue ao conhecimento la todos
mandei pasaar o presenil' edita! que ser aluxado
no lugar do cosiume a .publicad* pela prensa.
Pascad* neata idade de Olinda, aos 16' dias do
mea de ferereiro de 1870.
Eu, Joaquim Heunilkt Gandido daa Chegas, es-
nvio de orphaos interino o subaereri.-Patino
Cmdb da Suva.
Ad sello, ex-offlcio valba sem sello ex-causa.
Bst conforme.Ousceiva de orpbaoe iolerino,
Paipira Uwmill Gandido daa Ghaga'O secre-
tario interino, Elias Frederico de Almeida e Al-
boquerqua
DECLARACOES.
i difrreuw prias la WBriPa amSaife.
naes tnarinhpiros, hatalliao naval e raarinhagem,
que tiveram a mfelicidade de desertar da "esqta-
dra imperial, e do que se segu :
Coiam'werando.me- da* cireninstancias am que
seacuam;is dilferentos prac,is dos.c irposda ix-
mada, importaos marinheiros, btalhao naval e
Jmirinhagem, lujjiverat
lar da esquajpl miafrial
m
r-
as
a
s
desamuam fiara o lakigo.
apraa-indt>* porea os
romum tu civia, (Tetara d-.
W dias, contados J pulflicacan .1 pevscnte de-
creto em cada u:na das ;omaroas do hup-irio. nu
nos lugares em qua bouveram caphaniasgde per-
tos, est.-icoes navaes ou navios surtos. incltuBdo
*este indulto matees senfeu^Wos, e os que estao
por sentenciar.
. 0-bacao de Cotegipe, do meu conselho, senador
. lio icpetajfliini^iro e secretario de estado nos
negocios da raarintia, assim o lenha entendido e
- taWkV *"*""*
nal i Ancorar.
Palacio do Rio de Janoiro em2 de abril de 1870,
quadragesimo nono da independencia e do im-
perio.
Gom a rubrica deS. V. o Imperador,
, Baria de CijUqim.
Ganitsnia o porto de Peraarrrbuco a de raa
de 18J0.0 secretorio.
________necio de Aqmno F*9seca.
- O ioapAviur inuriim da alfaudega ew oD-er
vaocia do disposto no arL 169 do regulamento de
\ 10-de satoiubixi de 1850, Lu sciante ao Cumqiarcto,
e a quem ruis interessar pjsa, quo no i" toju;
nho prximo riodouro comegara a terxijonc 1 o
decreto n. KIO de 20 de abril ulUmo, (jue altera
diversas di.-w sienes do referido rvgl-ojon:"', con-
forme toe >i detern.inado pila portaiia da ibe-
souraria de fawmda n. 61 de 2-1 do correJ, brana-
meuinao o citado decreto e circutor 10. 12 da l'ue-
souro, daUdu do 10 deste raez.
AJfanJega do Pernambuco i' de maio de 1870.
0 inspector interino.
Loiz de Carvalho Paes de, Andrade.
Santa asa de Misericordia
doBecife.
iHndicirn a alada.
A lllma. jubta-admmtsirativa da santa casa de
misericordia do'i'.ecife, na sala, de anas seseos,
pelas 3 horas da tarde, recebe propostas para o
forneeiment da aranear qae hnurarem de consu-
mir os estabelecimentos pios seu cargo unta
eitMo.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia d<
Recife, li de maio de 1870.
Pedro BMdri$u9* de Souza,
Escrivao.
, Peta reeebedoria de rendas internas geraes
se faz publico, que neste corrente mez de maio
que se Onda o prazo em qua 03 contribuintes do
imposto nessual, relativo ao segundo semestre do
rxercicio corrente, entre os quaes se c dem o empregaJos pblicos geraes, pmvncae3 o
municipaes, teem.de,naga-lo boceado cofre e
livre ife muita, eqb nodo o referido prazo, ser
cobrado com a multa de 6 por eento.
Reei'b*oria de Peroamtamw, i de maio de 4870.
Pernote a cmara municipal do-u -i"la te e-
lam em praitav no; das 28 o 30 do corrente o 9 de
junho vi nrtmiro, para seren arrematados prr qnem
maior proco oereoar ns alntzueie dos all >s do
aeougue publico da ribeira de 3. Jos ns. lo, II,
li e 4
Os pretandenies deverao ^e babiltar na forma
da lei para poderem liriiar-coa roesiaos uhw.
JacoKla caara municipal do Heeife 2'i de mam
de 1870.
liento Jo-.- da Cosa Jim r.
Pro-presidente.
Augusto Genuino de Figupiredo,
Omcial-maier s*rs-indo de srcreta! io.
J61:432a926
87
l
Desearregm boje 97 dw -mato
Vapor mgez--T>a*va -faznadas.
drigne iu 1 aboPcUo luq;ua-~mereaderias. v
Brigue porlugueztotomeroadoxiaa.
Barca inglezaRtfbriostidm.
bVigne 00 ladei-5ortAari--farinba de trigo.
Brigu*4nlezTry Ag AEGEBEDOKIA DE ttENDAS OTB81U8 tinV,
RAES DE PEBNAXBPCO.
tendinieniodo dia 3 a V oi: 715*606
Idem dcidia 25....... 8i*49S
T-
33:5284103
OOIfSIJlDO PROVINCAL
0 cidadao Fnmcisco da Silva Res'1, jiz de paz dti
2* auno em exercicio, da freguzia do Saatis-i-
mn Sacramento do Barrro de Santo Antonio
da cidado do lenle, provincia' de Perwambuco,
em viritide da lei etc.
Face saber a que a presente carta de edictos
virem, ou d lie noticia tiverem.iquc por parte de
Carlos Jos de Medeiros 4 C, me foi feita a peti-
jan do tbeor segrate :
Illm. Sr. juiz de paz da freguezia de 'snto An-
tonio.- Carlos Jo- de Ifedeiros 4 C, negociantes
de fazend.is ra do Qnelmado n. 17, leudse
constituido credores de Leoncio Florteneio Cabral
da quant'a constante da inclusa letra e cunta cr-
rente, proveniente de fazendas aos suplicantes
comprados para negocio, e ignorando se presente
mente o lugar de residencia do supplrcado, que-
rem os supplicanies fazer a citnclo para coneilia-
cao e pagamento de sen dcbHo, premio e costas
por edictos nos logares e jonraes mais pblicos
desta cilade. e para este fim requerem ser admit
tidos jm tincar o seguinte :
Que nao aabemoude reside e supplicado Leoncio
Hortencio Cabral, nem ha noticia certa de seu
destino. Que ': elle pessoa inierla e est no caso
de ser citado por editos.
Pedem a V. S. que provado qoanto baste se
sirta de julgnr por sentenca a certidJo edital pelo
praso que Y. 8. jufgar convenieate. E reee-
Iter merc*.
Recife 19 do .naio de 1870 Carlos Jos de Me-
deiros 4 C
Eslava a peticao sellada com o devido sello.
Justiliqnem.
Fregnezia de Santo Antonio do Recife, 17 de
maio de 1870.Francisco da Silva do fieoo.
Em virtude do qoaldespacbo se proceden a in-
quirirn de testemunhas, que depoteram-ob o ju
rameot dos SantosEvangelhos artspeitoda au
sencia e incerteza do lugar da residencia do jos
tincado Leoncio Hortencio Cabral, e eendo indo
aurhoado e preparado rae vieram os autos conclu-
sos e por mim lidos, nelles prefer a senlenca d
tbeor segnmte:
Visto provar-se pelo depenento das
nbas de faina*, que o justificado Leoncio Horten-
cio Cabral aeba se ausente em parte rocera, bei
por justificada a sua ausencia; o escrivao passe
os editos do estylo com o praso de 30 diai, pagas
as cu-tas pelos justificantes.
Freguezia de Santo Antonio da cidade do Recife,
17 de maio de ItflllTYancisco da Sttoa Reg.
Nada mais se oqtinha em dita sentenca, dada
nos autos por trem do (jua! se passou aosjustili-
uantes o presente di tal, oom o praso de oddiaa,pelu
qual se chama Ua o referido justificado, par*
roa dentro dos M itca, eoaaaarec por ou \*>t
* bmuaota procurador, papa se proceder aos tor-
mos de ctKaciliaea a forma d?. pecao. e a oual-
qer ouira a**aoa, para que Ibe fafta saber desta
mesraa ciueo. aftm da qne He no u\jue todea*.
Oporteir dssie^uizo ipuplnjar esto nos loga-
res mais pulicos do-to fregurna 00 afflaara ^aa-
sando eertidao m (orna.
Freguezia de Sauto Antonio do Recife, .17 de
maio de 1870
Eu Julio Cagar Pan-ira da ^cbatacrivao inte-
rino que o liz e escravi. 1
V. S. S. ex- causa.Silva. J^go.
15 nada mais s continha era drteoajgiuai a ipao
J reporto e clou fe. finaj ut tupra

""NAIIBCIVNA
Navtgagt ;corfWh^jor vapor
faeeM estalas
6 vapor Gi'dirYS. Wnluaimu "ama, segui-
r para os portos cima no dia 31 do correte,
at o dia iM>,
heiro a frete
sahida, no es-
i
O administrador,
IfmaW Cnrmho de Swta Laerrda.
O inspector interino da alfandega faz publico
a quera ijitere-.-ur possa, especialn^eoto ao com-
mereio. que as altoracSes feilas na tarifa das al-
f.indegas polo decreto n. V499 de 2 da abril pr-
ximo passado, principiarlo a vigorar du 1 de
julho vinitntaro, mediante como diKe a circular
n. 9 de 32 do referido mez, devendo continuar 8
ser oljsi rvad 1 o dpos.to na circular n. 1 de 11 de,
jarneirn deste anno, a rspeito da eobranca dos
dirritoa da carne se ca (charque) e do bacallao.
Alfandega de Pernaml uco II de maio le 1870.
O jqapabtor- interino,
L. de C. Paes de Aodrado.
Vai a praca perant o Sr. Dr. juiz da l
vara linda a audiencia, osobradinhn n. 7 da ira-
vessa do Cario*, quem no mesmo quitar laucar
2otpareoa as 11 horas na salla das audiencia-,
que achara o escriplo em m lo porteiro.
Rendiraaato do da 2 a 21
dem do dia 25 .
87:4ol#*6?
:0875i30
W-3ti099
MOilMENTO 00 PORTO.
HaviosMirados n.4ia2<
Manuayuap3-10 floras, vapor-braMltjiro-Cai-
l*Vde*i! toneladas, coiwudanle Jos Hen 1-
que da Silva, equipagem 17,carga 148 faidpt.de
alaodao, a Kimpaabia Pa/aamboeaua.
Rio Grande do Bulia da.',; 'brigua ^portugaet
Ltalduie, i*m tooeiadBs, oaja Manuol V.
dos Saatoa, eqajpasam i i, argl 13,560 arrobas
dd earne ; a Bailar, Ojiwtra k C.
SANTA CASA DA' MISEKICORDIA DO
RECIPE.
A Iilm.a. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda faaer publico que
na sala de sua* sessoes, no da 7 de maio, pela-
't iioras da larde, toga de er arrematadas a quem
mais vantagons offrrecar, pelo tempo de ura a tres
autios, as rendas dos predios em seguida declara-
dos:
ESTABF.LECIMEMTO DE CARIDADE.
Pa do Ampuo (Olinda)
Casa terrea n. iS. ..... UOOOO
Roa d Cabug,
Lnja d. 1 C........_. oOrfOOOO
PA1WMGMO DOS 0RPH-\0S.
Ra do Rangel.
Casa terrea n. 38........ 360*000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. lOi......202z000
Casa torrea a 110..... 04*000
Os preteudentes deverao apresentar no acto da
arrematacao das suas .bancas ou comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secrataria da Santo Casa da Misericordia do Re.
:ife, aO de abril de l0.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza,
Vai praca sexta reir, 17, a ou de sobra-
do da travessa lo Carioca n. 7 por 4:000* : quem
na mesma quizer lancar compareca na sata das
audiencias as il hora*.
Conseibo de compras navaes
O coo-ellio promove em 30 do corrate, sob as
condicoes do estola i vista de propostas recebi-
das ato as 11 huras da mantea, a coman lo i-e-
guinte> objectos do material da armada : SO almo-
loria-' de folba para azeite, 12 carnokoi a mi,
6 foles wglezes tendo cada ura 8 p*s de oompri-
menta e o e torito, 90 lenones de ferro da l|i de
grossura. 6 ps da e.oroprimento e i de largo, 100
pratos travessos de folba, 10 duzas Je taboas de
pao carga de i polegada, 6 barras de ac balido
de popoea de 8 lf2 polegadas de larga e 4(8 de
grossura, 6barras de ac batido de 2 1)8 polega-
das de largo e 1)4 de grossura, 40 arr ba a ate-
nattre, 30 pecas de bnm, 20 baldeadeiras do faina,
10 pelles de caraurea. 100 cobertores de la, 100
coJcbas de algodio, 20 caivete de aparar penaa.
40 cadeados de ferro sonidos, 100 croques le
ferror 4 milheiros de cravos sortido para pipa, 50
canecos ferrados para caf, 10 '.amas de vento, 4
eserivanias barras de foro ingloz proprias para gxelbas, :IOO
va roes de ferro itiglea de 2 78 de grossura, .00
varoes de ferro inglez quadrado de 2 a 4|S de.
zrossurw, 20 arribas deyraxa do Riu uranio, 2
livros granoes de talao, papel paulad, de 00 o-
Ihas, t livro grande, papel pautado, capa de cou-
ro, da 200 folias, 2 livros graudr papal pautado,
capa do couro, de ISO o has, 10 livro* graiuwi*,
papel pautado, de 200 foi lias, 20 livros ^raudos,
papel pautado, de l.'ii folbas, *0 livros peijupoos,
papel pautado, do M foltias, 8 arrobas da la bar-
riguda, 40 milheiros de pregos de* ferro de batel
pequeo. 4 niiiheiru do pregos de. ferro de balei
grande, 10 arrobas de pregos do ferro da 4 pote
gadas, 2 resinas Je papel hollanda, 20 grosas de
parafusos de m-'tal sorlidys, 40 milUeiros de i^xa
de bomba de Ierro, 200 lijlos inglezes, 40libras
de laxas de cobre, 40 garrafas de tipia de escre-
ver roxa, 40 garrafas de tinta do esa'aver prcu, e
72 grosas de torcidas para pharol.
Sala dassessoes do conselho de compras ca,vaes
i' de maio de 1870.
O secretario,
___________Alejandre Rodrigues don Anjus.
Coiisnludo provincia!.
Pelo consulado provincial faz-se pubt w que em
o mez prximo de. juuho comeca a correr o praso
dos 30 ilias utti para a eobranca bocea do ga>
fra dos impasims da dtoim* urbana do .> G|0 sobre
o* neos de rau, de corucraijao de moruiorta, e
do consumo de attuarilento, relativos ao corrente
anno rinauceiro de 1869-70, incorrendo na multa
de 6 OjO os contribuintes que uko ati^ixeram
suasqpoiasdeBtro desie.praso.
CousuUdo provinoial 7 de.maio de.1870.
0 administrador,
_____________Antonio Carreiro Maettad Ras.
ImperH e reglo *-onrsufatto da
lust la e Ungberla la i*cr-
naaibaeo
Con decreio di" 14 dicembre 1860, venne or-
dinato un anagrafe dei andditi austro-ungarichi
si trovano aU'estsro.
I aiedesimi vengono quindi invitati col presenta,
di annunsiar-si, nel termine di tre mesi ial gior-
no d'oggi, presso questo I. e R. conaolato, mimili
dei documenii conprovanti.
La i-crisi.iue ha luogo libera d'ogcri spesa, ed'
as.sic.11ra agli inloresaati il diritto di nazionalrta
presso l'l. o R. UtDci consolan nel Bra-iiC.
Imperiale e Regio consolato d*Auiria-Uogaria,
in Peroarabuco 2 aprile 1870.
L' 1. e li consol.
Barn do Livramentn.
CANA
Navegando cdKtira por vapor,
Porto de GaWntMM( Rio Woroioso e
.TamHar^.,.
O vapor Parahyta, seguir para os porto ata-
a no dia 31 do corrente meia noite. Receba
carga, encommendas, passageiros edinheiro ajan-
te no escriptorio do Forte de Hados n. li.
COlPAirA WMM
DE
Dos porto do norte esperad
at o da SO do corrente o vapor
Guar, c immandanle o capitao
ter.enlo Pedro H. Duarte, o qual
depcis da deuwra ki cosiume
seguir para os per tos Vftrt.
las e dinheiro a frste at ai i toras d l dia dama
sahida iIff/nyfk
Noserccebemp-mo enconmieatia3 enao ob-
ectos de pequeuo valor e que rato escedam a>duas
irrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
Cndo que passar teetos limite* tever ser mbar-
ado como carga.
Prevrae-sa aoi; senhores pa6adfro que saas
passagens s se rei-ebem aa agencia, ra da Cruz
n/67, andar, escriptorio 'de Antonio Lote 4
Olivrira Axevedo & C.
Papa o P rto
Val salr a galera portugueza Tentadora da qual
commanrjante o muito conhecido e acreditado
capitao Emigdio Jos de Oliveira ; recebe carga o
passageiros : tratar com os consignatarios Car-
valho A Nogueira, na ruado Apollo n 20 ou com
o mesmo canillo.
Santa Gasa da Misericordia
do Bacife.
Dhthei'O vista.
me
Eu Julio Cesar Pereira da Rocha, aserWao inte-
rino qae subserevi e asslgno.
Reeife 17 di maio de 1870
f eccao.Secretoria da prestewoi* de Pr-
nambuco, em 23 de mato.
EWTAL.
Por ela secretaria se faz puahao nara oonbe-
cimento de uuom posea tote remar as d toes d*
juiz municipal e de orpLaos do termo de Oi i oda,
abaixo transcriptos, ponoo em coonurauaserren-
tia vilaiteia dos offiooa de pniatiro tobelbao do
publico. jodiaiai aoja 1 escrtvaoTdo ciwl, rnm.
iraento de Pa/ia e esttlS2o7JbtSr* '
Pranciaco das Cbagas Ci^
os primaros, pato,aru r>
1815, e lei provincial b.
Basta CaihariaaM dias, brigue sueco Olaus^ de J1868 e o segundo* peto carta regia upradto.
oda Junho de
A lllma. junta administrativa da santo casa
de misericordia do Heoie, o mteresso de alargar
o circnlo das pesgoas qne concorrem a arremata
cao de fornecimento de genere* qne tem de *on
sumir os estobeteeimentos pws sea cargo, manda1
tazer publico que o mesmo orneciroento da
qnantia de 30:060* atrnualinente, e que pagt
mensalmente eom din bei o vista.
Recebe, portan, a mesma junta pmpostas para
testetoo- foraecimaato indicad n* mea de jirahe prximo,
na sala de mas -seoes, e petes 3 boras da larde
do dia 2? do correal*:
Assucar refinado kilogrammo.
Dito 2* swtn4dem.
Dito torran-idan.
Aletri em.
Arroz do Maralo idem.
Azeiledeoe litio.
Agurdente idem.
Azetita de carrapalo tero.
Aiho reste.
Bacalho kilogrararao.
Batatas Mem.
Cha verde tem.
Dh bysmw mam.
tMto preto idem.
Ceblas eento.
Carne seeca kilogrammo.
-farmtM de mandioca litro.
Pumo do Rio kilograramo.
Feijao roulatinho liVo.
Farello tecco.
Ma melga f recaa kllogratMM
Milbo sacco.
Parra fresco kildframtne- ''
PbtesaWem. >4
>abii idem.
ki liTo.
Vetos do carnauba kilogrammo.
Mate stearinae idea. -
Vmagre litro. ? ,
Vioho tinto idem.
Bate Maco Mam.
laaanho kilogrammo. '
Taptooa Mem.
O4 pretendentes apresentaro suas proposu ea
techadas, aa quaes de****) tdr i rdW s-
labelecida no presente anonncio
Swrtaaria da &aataCa*a de MrefiddrU de He
latdVaVmaiod* 1870.
A
.________' .
bum:
Adiuinfsraco dos crrelos de
Pernambuco tt de ma o de
Malas pelo vapor de guerra brasil?10 Magi.
A correspondencia que tem de ser expedida ama
nha pelo vapor cima mencionado, para oMara-
uhao, ser recebida pela maneira seguinte :
Uassos de joraaes, impressos de quaiqaer nata-
reza e cartas ordinarias at as 8 horas da man-iaa,
caitas a registrar at as S horas da tarde de
hoje.
O administrador.
________ Affnnso do Reg Bmros.
Correio geral.
Relajo'das cartas que, registradas neaia adminis-
traro e destinadas as pessoas abaixo declaradas
as provincias do sul e norte do imperio, orara
devolvidas, cm conseiraencia de seas destnala
rios as na terem reclamado; porianl 0$ re-
metientes ou os proprios destinatarios, que se
acharera nesta provincia podem vir recebe'las
munidos dos competes certificados :
Antonio dos Santos Lessa, Antonio II. Snu;.a e
Silva, Antonio Joaquim Frisas, Antonio Tureo,
Epiphanio Manoel de Carvalho, Francisco Antuaio
daFonceca, Francisco de Paula Podrigues de Al-
meida, Fabio Rio (2), Felicia de Jesos Marta,
Francisco Rodrignes Pessoa de Mello, Jlenrique
Vieira da Cunha. Jjilo H. CorrOa de Miranda, .'los
T. Bastos Magalhes, Jos Alves Valenca, Joao Fa-
cundes de Ca>tro Menezes, Juai Lopes Leal, Lote
Francisco do Espirito Santo, Manoel Cardes te
Lima Ftoueiredo, Manoel Ignacio doCarvalhoMen-
donca,.Maria Joauna Gomes Machado, Manoel Luiz
GoualveaForreira. Manoel da Cunha Sompaio J-
nior, Seralim D. Madeira (4), Tbom-Fernandos
Madeira de Castro, Tlwmaz Ferreira te Oli-
veira, Antonio Pereira da Costo
0 encarreiiado do registro
Manoel das Pasaos Miranda,
1-9
Para o relerido purt preteula seguir cem mu-
ta brevidade o patacho portuguna hooa borle, por
ter a maior partt do seu carrejarse to tratado, a
para o pouco pie Ihe falta, que recabe a ft*ta
cjiimodo, 'raia-se com o cuntifuaiaiio Joaquim
Jos GoncaUes Beltrio, ra do Gommeroio ata-
mes.) 17.
COMPANnU FERNffie4UA
%'avegacio costteira por vapor.
Panhyba, Natal, Maco, Mossor. Ara-
caty, Cear, Mandaba, Aearac e
Granja.
O vapor Ifqjiua, commandante
Moura, seguir para os portes
cima no dia 31 do corrente as o horas
(a tarde. lUcehe carga at o da 3'', eneom-
nentlas, e passageiros c diuheiro a frete at aa
! horas da tarde do dia da sahida no escripto-
rio do Forte do Mattj n. 12.
Kio-Grande do Sul
Prepara so nara fakir cora a po^rei arenada-
do o patacho C.'.vo, por ter a mator hartada ar-
pa, o para o reblo pie ihe falto, trata-G* coa >
eonsignauro Ja iu ra Jos fteasalves Bellro : a
ra do Cummercio n. 17.
c5manhia PHWAMWCflS
DE
\'avega?o costera por vapor.
Mamanguape.
fllk* O vapor Contris*, iiimaniiiiteam
SVti s'lv, **gulr*aa'#iM*> Masa.
smm ma ;g do correzu as 6 horas da
tarde. Recebe carga, encommendas, paaingiii
r s f dinheiro a frete al as i horas da tanto
do d a da sahida : escriptorio eo Forte do testas
n.tt._________
. CARGA.------------------------
0 navio Pielro Eugenio recebe errga para .
Bahia a frete corarood : para tratar com E A.
Burle & C.
iWBilL.
Para o referido porto fica prometo < noeber
carga a frete o patucho portguez Rocha, navio
novo e de prnmira classe : tratando-se oom a
consignatario? Amorim Irmos C, ra da Grwz
numero 3.
Rio de Janeiro
Para o referido porto .pretende seguir osa oai-
ta brevldade o patacho AratV, por ter a raater par-
e da carga tratada, e para o resto que me (ana e
escravos a frete trata-se com o consignatario oa-
uuim Jos Goncalvcs Beltrao, ra do CoaMi.ro.
U.17.___________________________________^
Aracaty
Sesuir cora a possivel brevidade o aamaboto
Sobralensc, ainda recebe algnma carga a ftftq a
tratar com S Leitao Irmaos, roa 4a Madre Dos n. i.

K Tiraad* aVardaa.da S.'
4602 de 2
i Sr. tteemr-
ir. tSpifio de
prto publicar o decreto n.
abril a* 1870, que concaae perdi
AVISOS MARTIMOS.
de movis, loucj*, vidros e am
carro am ricauo.
lloje 9 de amar
.No sobrado n. Ida travessa da arroda <*V
Joo Fernanda, Viera.
Oieilo anuuncja paca hootomm.ai
residencia do Sr. J. A. Tbom, uoot
para boje impmerivelmetu*.
Principiara aa -10 hsms.
Liverpool Brssll iiivcr ria.te
Hall MiBaoje s.
OTaporinatezii>pfer,*> 1,300 ttmeladas, (pie
^wcbflgar ao Rio de Janeiro e Babia de 2; a
00> me ItHjf e^to*porte seguir' para o Hwvre c
Para frete en passageires trata-se cora Sam-
ters roifcers di C, praca do Cerpo Sanio n. 1!.
A aeeommodaooes para passageiros sSo ex-
Para Maranho
A barca portngneza Josephina, pie est a ehe-
gar do Rio de Janeiro, d'ande j saoto, aagmra
para Maranho era toda prestosa, aera que.
desde j enganja a carga frete barato : trata.
oom Marques, Barros de C, no larg do Qarpo
Santo n. 6, 2 andar.
LEILOES.
De 30 canas caca frtucoa do Maioo para
cabe! o de Mr. Aysr, 4- otfiss cota gar-
rafas de salsa rwrrrba de'Mr Arer.
HOJE.
O ageate Pastara far toifio por rea tm*
de ora perieaaar da* merad*ria a*tkuta*finu-
few aS-do crrante a* 15 boraaam yeatearS-
teaie Saatt toabel armaiem dos $ra Tan* *
mies.
O .......1
De 40 caiws iconi. IJO BaaaaAabas, wt
ps de ferio <5abo lofijo, *> pecas de
lona, 3 ancoras de cepo '.de ferro, 2 -
eortttes dUo, diversos cabos de ai-ame, 2
amarrad de ferreeom 1*0 araaaa cada
---------- orna, ffvtrsts corrunies ims, nwioee-e
CosapaaUla ataerleaoa o (aoojil cadernaes. agolhas, i bitacola, .2 caixas
lataa de paiiriieaeaa Tapa*. comboiioas, l^gSo. aUroodesn>
At da i* jusno e e*psmate tei^a>ao W"8-
sul o vapor americano Mtrrinack, (Mpte d|mas. O geate Pastas far topaVper sate e rtee
da deraera do eostoMe seguir iinli'TBa-il'Jnb as*, de quem pertencer do* objectos cima roeniteaa
eaado do ParaS. Tftomat,para ratos O fBM)te-ariate*ira ti do eorvte,e1ss'M
Forster CJsteaeta ao
gene traia-se eom os agentes Henrv
raa do Commercte o. 8.
__________arautem dos Srs. Taaa traaios em
I frente a ponte de Santa babel.
I





I


**"
^
1/
110 saceos
^"' 'ITT'. '-'i
2E
lm
^t aguasal-
io, J
eorrenta
;P"rem 'risco
see* com arros ava
Madanca. W****^^
SBL--;,^ ____
f**r vapor* A*W(MrMH porto era SO *i
carrele, e serio Tendidas no da eMtlMhr tf
de correa, rirtatfo 'li'Aftande as 11 huras da
*!&*'*' nAl'W lchM' *****
Q Br. G&rolino Praa*w<> de Hr. SMMw-mif
ion sua residencia e consultorio parra roa'*
imperador n. S7, r andar do sokrawrajo arma
tera conserva.WdiUtia too* de Alianca,j
StXuifo, o tnsjAr njnro 5* 8a" Ireniev hl
continnanA<*74MslK MHArMMe sna pro-'
9 i* de me* de operador, pode ser procu-
rad* a qMl I fcl i.i II ...... I i .,
Mr
MOt.a^.aak ^ V i
I
lilil! 7
SabMfe &de torrente.
^ QporflMto'ti''Mlhe-'p<>r cenia e risco
|!V5W{SlgSr'le''f cheos do Chyl de
eeaarmrqiulWkfe e sett vendidos em um ou
mas Iotas a Vj*de ? saeteado do corrate as
H%ga< ftjpiefcia. aw^terfo do (Vpo ^aato n.
Que o Ferreira armuteia pecnincha, de tantas que
tem tido os seos amigos freguees nao tem dado
ligar a se awnunciar, mas desta vee que a porfo
o grande, elle qoer servir aoe seas novo fregu-
es, por Use su vesddo.
Pata luto
Borrepnts franceses para senhora, cano alto
pipiados s 6*000.
Ditas regulares cosa gaspia a 4*400.
TambpRrna de ores, mas como existara ontrat
qualidades de cafos que seria enfadonho men-
ciona>-los."Bor isso sese limu aos pretos : na ra
do LivramenWB p, juMO a igreja, loja do sobrado
de varanda^de.p
Os sitia (knoBMada 4 lees na ma deJoo
fVnjwdgs Viten n.- i, com urna grande
em e um andar e sotao, cora murtas
accostnodaoes. qaartoS fura, coefaeira e
estribara, cacimba coa agua do babor,
tandee para bao e terreno, chaos pro-
prtos.
erffl-f'r 31 de maio as 11 horas.
Por intervengo do jente i' ato, eui seu es-
onatorio ra da Cruz u. 38.
LEILaO
Das casas terreas da ra ra Santa Cruz ns.
ofe8e OrJWveHn n. 2, edificadas em
eWfos proprirjs con grande quintal mo-
rado sendo que os fundos da primeira
do para os fundos da casa da roa do
Cotovtllo, com porta.
nrea-feirm 31 U maio as 11 horas.
Por inierveaclo do jenle Pinto, em sen eserip
torio i ra da Onz n. 3S.
laurino de Morael Piabelro e D. Ansa G. de
Moraes Pinueiro agradece cordialmente a todas
aquellas pessoas que se dignaram comparecer So
enterro e acompannar ao cmiterio publico os res
tos mortaes do seu prente e prexado amigo Jos
Gomes Cou'njlo Guerra ; e especialmente ao
Uvai. guardio do convento de S. Francisco pela
boa vonlade e. promptidao com que se dignou
prestar-tbe seas servicos religiosos nos sens lti-
mos instantes. Convidan) aos seas prenles e ami-
gos para ouvirem algunas missas do stimo da,
que manda m celebrar na igreja de S. Francisco
no da 30 do crrante, pelas 7 horas da manbaa,
pelo que se eonfessam dosce ja- agradec'ios
\S^Mm^Vpm^'t gwtes, prfcprios
RicdBchaposinhds-de setittbrincos1. Ilbdas'tOf/jis de ffl
roc6 em pessak brinco e-prete, cora (indas rarrragens e
s de homedsV fttendsuperior cdta duas faces, o
Inos extractte pfar lencosv agrade- diversas qualida-
i$umto*.J^sfl jMfl*. pus, toteo etc.. et*.
FKR'UMfiS. TjMaTclIxInbas afa'Io^s conf'hdo^"uma prparacSo em
X que lhesTJ';rd'agrBo*avel aroma, por |K. *^
Gravau$, cWOS, Jttm, ptmnar, cetjoeB, tpao^i, ftu8, botSes, bieos e pen-
g tes etc.. etc o SiuitbsSotRros artigosjrdprtosjtl) estbelertfrfeMo' vendendo-se
Q ludo porfcfltelloiJSsprfjf*, no BAZAR DA IOTA, rrfaltbVa n. 50, esauina da
LA de S. Amaro. *
* Tose de Sonzi, Swrm &. C.
U
o** slbdja>te
Da casa terrea da ra da Gloria n. IG edificada
em chaos pr >prj. s.
t'mdMa uaTua da Mangraeira n. 20. casa de es-
quina, chads proprios.
(Tma dita na mejma rna a 18, rbaos fareiros.
l)inaii[3 na ra dos Praieres n. 40, chaos pro-
pri.'S.
Tea'^a-felra 31 de malo as 11
horas.
Por intervencao do agente Pinto, ra da Crnz
n. 38.
LEILUO
de livros de litteratura, philo
sophia e direitodos mehores
e raais afamados autores, co-
mo sejain :
Doderot, Risseau, Bentham, Lamartine, Feal,
A. Diima?, E. Scribe, Guizot,Lamenais.Aime Mar-
tin, W. S'-ott, Voltaire, Gastillio, Mirabeaux, Plu-
tarqua, Micbelet, Ancellou, Thi.rs, Sch espeare,
1'oiiqueviHe, Bulln, Kant, Schellmg. Cliarm,Du-
pin. Ahrens, Macbaiel, Ducurrroy, Bacon,0tolio,
Moniesqaieu. Jauffroy, Pereira & Souza, P. Bueno,
Correia Tolles, Merlin, Bacn, Ferreira Borges,
t/iureiri, Dr. Baptista, RogTon, Pardessos, P.
Bueno, Troplong, Waldeck e mnitos outros.
Qainta-feira 2 de joaho.
No t andar do sobrado da rita do Vigario n. 6.
0 rigente Pinto f :ra leilao precedida a compe-
taoie ui.i ,r.acij. em lote a vontade dos com-
pradores, ? vios de,diraito, litteratura e phi-
losopjjia rrn pprteuf.arain ao tinado r. Feitow, o
leilo er effetuado no da e lugar cima meu-
cionados
- Principiar as 10 horas em ponto por serem
muitps os lotes. ___________________
~LlLA0
Ba jolas.
Maaricio Jos dos Santos Ribeiro estabelecido
com tasa de penbnres praca da Indepen-iencia
n. 33. sr leilao na mesma casa por intervencao
done-rito Martius, no da 3 de junho as 11 horas
dn dit, de todos os objectos dados em penhor
constantes das cautelas ns. ISO B, 158 B, 161 B,
J61 B, 126 B, 170 B, 171 B, 174 11, 143 B, 184 B,
l!tl M, 134 B. ICi B, 201 B. 204 B, 216 B, 228 B,
229 !i, 230 B, 234 B, 237 B, 838 B, 110B, 113 B,
78 B. SS3 B, 255 B, 167 B, 261 B, 264 B, 269 B,
94 0. 278-B. 283 B. 292 B, 102 B, 293 B, 298 B,
302 II. 249 B, 303 B. 303 B, 311 B, 313 B, 318 B,
319 B, 219 B, 321 B. 325 B. 328 B, 329 B, 180 B,
331, 76, 62, 34, 82, 71, 90,64, 9o, 59, 77, 92,
66.114. 116, 93,102, podendo seus donos rasga-
lar os objectos ou pagar o premio que esto de-
vendo at ao acto do leilo e a vista da cautela.
AVISOS DIVERSOS.
tsf mrro abcheologigo e geographigo
ITOAMBiCAXO.
Haver sesso ordinaria sexta-feira, 27
do corrente maio, pelas 1 ^ horas da ma-
nha.
URDE do da
Discossao do oreamento que tem de vi-
gorar no annosocftl de 18707i;
Pareceres e mais trabalhos de com-
misses.
Secretaria do Instituto, 24 de maio de
1870.
Jo$ Soaret d'Azevedo.
Secretario perpetuo.
Antonio Joaquim d'Albuqoerque Paes, vai
para Europa coocluir seus estudos, no prximo-
vapor.
Irmandade acadmica Gat,net* Prugu* de Leitura
o lt d A* "n^rv i efc 'Perianfbilteo.
UC ll. O. a UOHl Dcordfmd,. Ilm. Sr. presidente do couselho
W' ~ iti detlbertive, convido os Srs.conaelheiros a reuoi-
vOQSGlilOt rem-se em wssao pxtraordinarla, segunda-tara 30
do corrente, pelas 8 ![2 ftoras da tarde,
BEWIADIWO DUARTE CAMPdS & C.
'jeBoa r. de Mareo1
OIJTHOKA IDO REPO
. i Os proprietanos deste bero conuecido estabelecimento, procuratdu. cad vea
mflior servir ao respeitavel publico e particularmenie aos sqs numerosos freguezes
I acabam de prover-se do mais importante e variado sortimento de locu finas, pbrcRl-
^auas francezas e inglesas, vWros e crystaes, de Baecarat, e outros fabrictrtes. fefito
sam servicp para mesa, como em pecas avuzas a vontade dos settbors, pretendtetes.
No iaesiBo est'ibelecimenfueocotitrain-se uma avultadi->i,na esrolha do di-
versas eepeciafiddes para ornamentos de salas, jardios e iltuminar;5es etc., todo por
preco? muito commodos.
Encarregam-sa mediante urna commtosio razoavel, oa condic6r; pifcvMintB
estipulada?, d quaesquer enmroehdas para Pris, Londres, Hamburgo, New^oifc fcjs-
boa e Pbrto. em cojas pracas teerfi correspondentes babilitadissimos para as exedSSe dtr
Wbdo mais sat^fatorio.
Ax>mjnenda-se. especialmente a todos os seuhores moradores fra desta
capital o bom acondeeiotKiiBenio tjos objectos qae se dignar teja pessoas habis.
IttRUUIIE U ARCO f
Ou^r'o'ta do Oespo
De ordem de nwso irmJo jot convido a mesa
administrativa desta corporacao i reanir-sa no da
2 do mei de junho prximo rotura, as 11 horas da
manhia, em o convento de 8 Francisco, para tra-
tar-se dehegociM relativos mesma irmandade
Consistorio da Irmandade acadmica aos 27 de
maio da 1870.
O secretario,
Camillo Correia Dantas.
, afim de
serem apresentados os balancefes e relatorio da
direciorla.
Secretaria do conseibo deliberativo do Gabinete
PoriorJez ae Leitura em Pernambco 2o de maio
de 1870.
J. l\. Fqdsccu,
\ Srtrerlano.
i'iV tfi|i -. ------ .-, iti

Ama de
leite.
va, e paga-ae bem : na ra da Ponte
re gu
-vclha
Precisa
engomma
menlo n.
i- de m
f, prefor.
19.
AMA
ma ama que saiba eozinhar o
se escrava : na ra o Livra-
Os abaho assignados fezem pobtieo qnc,
desde o primeiro e Janeiro de corrente auno dis-;
sulveram amigavlmente a soetedade que liabam
na loja Aguia Branca, sob a firma de Cmara &
Guimaraes ficando este desligado da sociedad* e
correado tdda a Mquidacao por eouta d > socio C-
mara, a quem fia pertencendo todo o activo, as-
sim como todo o passrro da rawina.
Kaeife, 33 do maio de 1870.'
Frapciseo Josa Abras Griimares.
Mareolltto Dofthllas Cmara.
Ama
Na ma da Alegra n. 5 precisa-e de-1
para comprar o cozinhar para pequena.jfiUB,
O bilhete ioter i de n. 2049, da 4*.' parte da>
lotera a beneficio da igreja da Sama iva, que
corre no da 31 deste me, pertence ao Sr. f. J.du
Andrade Poggi. Reeie 24 de maio de 1870.
AVISO
lima pessoa que tem Ud vencimeiito anauai
Ks^mensaerA PquSn & defxe SS |" a"Pareeer Da-Irave"a Jh ^ "as CrWa. 1
Ita lypograpbia N. S. C.
EXrOSIQO UNIVERSAL DE 1855
EDALHa DE !' CLASSE
ALF. LABARRAQDE & G"
ks-*
k!855
*l

QUINIUM LABARRAQUE
APPROVADO PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARIZ
O Oiiliilnm I.:il;irra<|iir, um
vinho eminentemente tnico e febrfugo que eleve
ser preferido todas as outras preparacoes de
quina.
Os vinhos de quina ordinariamente emprega-
dos na medicina preparam-se com cascas de
quina cuja riqueza em principios activos extre-
mamente variavel; parte disso, em razao de seu
modo de preparacao, estes vinhos contem ape-
nas vestigios de principios activos, e em propor-
foes sempre variaveis.
0 Oiiliil.mi Liabarraquc, approvado
pela Academia de medicina, constitue pelo con-
trario um medicamento de composicao deter-
minada, rica em principios activos, e com o
qual os mdicos e os doentes podem sempre
contar,
0 Qulniim Labarraquc proscripto
com grande xito s pessoas iracas, delibiladas,
seja por diversas causas d'esgotamento, seja por
antigs molestias; aos adultos fatigados por urna
rpida crescenca, s meninas qui tem difficuldade
em se formar e desenvolver; s mulheres depois
dos partos; aos velhos enfraquecidos pela idade
ou doenca;
No cazo de chlorosis, anemia, cores plidas,
este vinho um poderoso auxiliar dos ferrogi-
nosos. Tomado junto, por exemplo, com as piu-
las de Vallet, produz effeitos maravilhosos, pela
sua rpida accao.
a negocio que nao ignora.
(aniliciiov e gar econoaait
Acaba de etiegar nova remessa des<4Mo
desejados candieiros em porcelana, bro-
ces e de cores, os quaes muito se recea-
mendam pela seg ranea asseio e economia,
e aindapela excelleni luz prefervelmil ve-
s ao kerosene. Venhtni; antes que se
aoabem.
nico deposito na na larga dn Rosario
n. 31, pharmacia de BarthoTomeo & C.
ASSUGtt DE OXIDO DE FEltKO DE
CHANTKACD.
0 assucar ferruginoso d Cbanteaad
oblido pela associago do oxid" de ferro
iriteiramente soluvel com o assucar cuida-
dosamente purificado. Este assucar de
urna bella apparencia crjtaliua, tem o sim-
ples gosto min agradavel do assucar. sem
o menor sabor adstringente, ftao tom ac-
Cio irritante sobre a mucosa do estatusgo
e intstinos, e rpidamente absorvido pelo
apparellio dig-.stivo sem causar as constipa-
Cies do veutre.
E' boje o preparado de ferro de mais ao
ceitaco para a clilorose itinia dos orgaos,
penlas brancas, men^bru/^oifidifliceis etc ,
e tem t,eu favo- o ju" ^B^ da es-
cola de medi :ina de Pari.<,^Kcbmicos os
mais notareis. Dep sito e^pwlal pharmacia
e drogara de Barlholora-'O & C, ra larga-
do Rosario n. 34.
SEGREDO ECONOMA E CELEWDADE.
obtm-s?\com o uso da
INJECQO LHOSTE.
nica hygieuica radical e infallivel na cura
certa das gonorrliees, flores braecas. e flu-
jos de toda a cspicie recentes ou chroni-
cas, e que oflen-ce com garanti de seus
salolares resultados a amiga e continuada
tpplicacj que sempre com a oaakr van-
tagem se tem feiio deltas nos huipiiaes de
Pars. nico deporto para o Brasil, Srs.
llartbolomeo & C, ra larga do Rosario
n. 34.
Saboneles d'alcatrao.
De Antonio Noves de Castre.
Este acreditado preparado, que tilo bOa
acceitaco tem merecido nesta provincia,
muito se recommenda para cura certa das
impigens, sarnas, estas, coceiras, e t.wlas
s mol.stias depelle, sendo ainda preferi-
vel para a barba, oulro qualquer sabo-
nete.
nico deposita do verdadeiro, na phar*>-
macia e drogara de Rartboloffie) & C,
ra larga do Rosario n. 31.
:hhcolate vermfugo de ANTONIO se-
VES DE CASTRO.
Este acreditado pieparado, que to boa
acceitaco tem merecido nesta provincia,
muito se recommenda para cura certa e
eflicaz das bichas ou lombrigas, tanto as
criancas como em pessoas de maior idade.
nico deposito na pharmacia e drogara
de Bartbolomeo & C. ra larga do Rosa-
rio n. 34.
Precisase Rosario n. 45, 1 andar.
Precisa-se de una ama torra ou escrava pa-
ra conBhar e comprar-: na roa do Imperador
numero 9.
Deposito em Pars, L. TRERE, ru Jacob, 19
Rio Janeiro, Dnponchelle; 'hevolot.
Pernambco, P. Manrcr y f.
Babia, Hasw y C".
Ouro-Preto, Candido Wellcrson.
Maranhao, Ferreira y C*T.
Peltos, Anteiro I^lvaa.
Maceio, Paleo Das.
Porte Alegre, Francisco Jos Bello.
na ra estrena da
Caixa filial do banco do Brasil em Pernambco
em liquidacao, 23 de maio de 1870.
O liquidante da caixa avisa aos pretendoate as
propiedades annnnciadas a veada, sita ma ba-
ria!, que de accordo com as nsirucoes receba-
das do banco, vai ao mesmo banco snbmetier a
maior offerta qub teve de vinte contos de re pelo
sobrado a. 64.
Precisa-se de urna q"e leite torra ou escrava qoa
^nha bom leite e seja de boa conducta : na roa.
ilo Dnque de Casias, aotiga roa do Quenado,
n. 69.
da roa
Rosarlo.
ni
.
LOJA S2
Este importante estabelecimento no seu geaero, tem sempre um sortimento sem igual,
mde ppr presos que nenhua outra casa pode vender.
ftarante*se ser tado de lei.
#._ .podMHM-k convencer da feriadle.da raa lwado!
Gompra-s onro^ prata e podras finas por presos mxio elle- Rosario.
esquina
A Joja asta bera at s 9 ;;his da noite.
i
r


4'


m
4
Dinri "de PernimbMo exta feira 27 de Maio de 1870
. ?
GSTAVE
CABELLEIREffiO FRANCS
51Rna da Cadeia do Eecife51
Chama a tten?lo dos seas innmeros freguezes, e do respeitavel publico
feral, pan a seguinte tabella dos presos de sua casa, os qaaes sio vinte por eeou
mis barato do que em outra qualquer parte:
25*,
40*000
50(5000
OabeUeiras para senhoras a
301, m e. .
Ditas para bomem a 35*, 40* e
Coques a l*, 15*, 18*. 20*.
Crcsceotes a 12*. 15*,'i8*, 20*!
25*. 30* e.....
Cachos oq crespos a 3*, 4*, 5*,
4tV7*. 8*. 9* e. .
Tranca de cabello para annel a
560 e.......
Tranca para braceletes a 10*,
15*, 20*, 25 e.....30*000
50*000
32*000
10*000
1*000
Cadeias para relogio a 5*, 6*,
7*, 8*, 9*. 12* e.....15*001
Corte de cabello, ..... 50
Corte de cabello com frcelo. .. 1501
Corte de cabello com lavagem a
champou...... 1*001
Corte de cabello com limpez da
cabeca pela machina elctri-
ca, nica cm Pernambuco. l*00t
Frisado ingleza ou francesa. 501
Barba. ,.....' 25*
SIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
colorees
Recommenda-se a superior TINTURA JA
PONEZA para enegrecer os cabellos e bar
ba, nica admittida na Exposicao Universa)
como nao prejudicial sade, por ser ve
lat), analysada e approvada pelas acad*
mias de sciencias de PARS E LONDRES
Fogo de bengala
e multas variedades, e todo* deo ma
hvendera-se em pequeas porcoes -com te
Voiento, unto para caas de nefpcie como_____
ires: no arroazenl detaealhio, na escadinba 4a
Ifandega n. 3.
ATTENJAO
Burro fagido.
Fugio de 12 para 13 do corrente do sitio deno-
minado Piraj, junto icldade de Jazareth eper-
lencente ao capillo Franklin Alves de Souza Pai-
va, um burro de ella com os Biguaes seguintes:
erionlo, grande, castanho, muito andador de pas-
to, ebegando mesmo a andar sofTrivelmente bai-
xo ; bom queixo, qnando anda, conserva a ca-
beca em muito boa posicio; sent bem tanto o
chicote como a espora ; tem a junta do peador
de urna das roaos um pouco mais grossa do que
a outra ; no quarto direito v-se um ou dous
trros; est gordo, cabelludo e com a cabeca
bastante pellada. Xascido no sertao, pertenceo,
at outubro do anuo pastado, ao capitao Fran-
cisco de Souza itega. Pede-se quem o pegar o
obsequio de q mandar entregar em Naiarelh,
seu dono o eaprtao Pranklm Alves de Souza Paira,
que promette urna recompensa. Fatendo o pre-
sente annuncio o mesmo captao Paivi protesta
fazer valer o seu dueito onde quer que appare-
ca o dito burro.
Bailes e
O dono do estabelecimento previne s
Exmas. Sras. e aos cavalbeiros que ha um
safio para tintara dos cabellos e barba, as-
tn como um empregado comente oceupa-
do nesse servico.
A ESMERALDa
LO. DE JOIAS
DS
H
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado de novo, est, as condi-
*6es de servir vantajosamente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com nm
ascendido sortimento de obras de ouro e
/rata de lei, assim como brilhantes e on-
tras pedras preciosas, cujos preqos sao os
~ais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
os em troca ou compram-se com pequeo
*&hate
\ 51114 00 CANGA N. 5
LO JA DOS ARCOS
A
Ra do Crespo n. 20 A.
Alvaro Augusto d'Almeia $ C.
Este estabelecimento de fazendas finas e grossas ja bastante conhecido como
um dos mais bem sortidos desta cidade acaba de receber directamente de Pars alguns
artigos especiaes que passa a mencionar.
Ricos cortes de vestidos de blond para casamentos.
Cortes de vestidos de seda de cor, de gostos inteiramente novos.
Brochad, fazendas de laa e seda propria para vestido.
Foulard de seda de todas as cores, tambem para vestidos.
Fitas largas de seda para cintos, gostos escoceses e lisos.
Chapetonas de seda e de palha ditalia.
Basquinas de seda o guipare.
Colcbas de seda e de la e seda.
Cortinados de cambraia bordados muito ricos.
Pannos de verdadeiro croch para jardineiras, sof -e cadeiras.
Toalbas de linho de superior qualidade.
Bramantes, selicias, sguies atoalhados.
Gaardanapos, colcbas, aaias bordadas camisas,
Cache-nez, bales, camirnbas, sombrnba.
Madapoioes de varias qaadades, saceos para viagem. mallas, tapetes, capa-
chos, alcatifas e muitos outros artigos que se vende por precos mdicos.
Tem tambem constantemente-um completo sortimento de ESTEIRAS DA IN-
DIA para forrar salas.
Pvacfu-M de non toa para cata do
familia : a tratar na roa de Santa Rila n
'iludan
ilimaBiirior
Itrio da ra da Obi i
i. 37, i* andar
mudeu o seo escrip-
ia para a ra do Vigario
M
esta
O 8r. vigarjo Bacalho que mora oa moruu
estrada de Joo de Barros, queirt mandar
i rypogfapfcli a negocio.
PEIIIOO
Pede-se aos administradores da ma jsa Taluda de
Antonio Pedro de Helio, que hajam de recolher -
um banco, onde pos?a render algum jaro, a naa
pequea qoantia de mais de 10:0002, de que esli
na posse mansa e pacifica, coja eontnuacao o
urna ameaca expressiva de nunca mais terminar
se a liquidado da infeliz massa em que tem tam-
bem seu qiunhae.
_______________________Um credor.
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Rio venda : ra do Cabug n. I.
vende Vieira A Rodrigues.
0 abaixo assignado, tacita-
| mente dispensado da inspeccSo da B pharmacia especial bomeopalbica e i
g consultorio do seu lnado e Ilustre
B amigo Dr. Sabieo Olegario Ludge- 1
3 ro Pinho, de saudesa mimoria e ani |
| mado por alguns seus amigos pro- jjgj
| poe-se a abrir un estabelecimento, aa
onde se encontrarlo as roelhoresdro-
H gas homeopatb/cas, para o qual des- |
1 de j corita con a protecc3o d'aquel- 2
j les que bonraram-no com sua confi- fij
g anca; podeido, entretanto, ser pro- H
ub curado para qualquer mister, eioa <
5 casa de sua residencia, ra da 'z
* Palma n..5.
Recife, 18 de maio de 1870.
O professor homeopathico f
Jos Alces Tenorio. Sfi
ATTENCAO
o
Jos Dativo dos Passos Bastos faz sciente ao res-
peitavel publico jue tendo reformado a saa otli-
cina sita ra do Brum n. 6i, aonde encontrarlo
com perfeigo toda, e qualquer obra de calleireiro,
ferreiro, serraleiro* latoeiro e fundico de cinos e
mais metaes ; recebe-se encoramendas tamo para
esta praca como para fra della, encarregindo-se
d- as transportar para onde Ihe for feita a encom-
menda, e tambem encarrega-se de encanamentos
para agua, tanques de ferro, etc., tudo por menos
preco que em jntra qulqu3r parte.
1
I
^ TI\TLRARI.\ FRANCEZA
55-Rua da Iraperatriz-55
Tinge, lava, iimpa, lustra e acurnalo-
tase, com a maior pereicao, fazendas era
pecas e em obras de todas as quadades;
como sejam : seda, laa, algodae, lino,
chapeos de feltro e de palha etc. etc.
Tira-se naioas e limpa-se a seecosem
molhar os tecidos, conservando assim to-
do o brilho da fazenda.
Tintura preta as tercas e sextas fei-
ras.
Retalba-se, avantade dos compradores,alguns
lotes de terreno, que restara, do sitio Aguasinha
em Beberibe. por precos lasoaveis. A posiejio te-
pograpbica do terreno muito o recommenda, sc-
bretudo por flcar prximo da estacao projectada
da via frrea. Os pretendentes podero dirigir-se
informar-se do tenente S Peixoto, no mesno
lugar, e para qualquer nego:io ra do Crespo
n. 12, 1 andar.
Agencia em Pernambuco
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cereja
Cura a phthysica e todas as molestias do peito.
salga parrllha
1IMD1 MAO
Paga ogaz.
II
de marmore.
ra das Crnzea
o il.
O artista Gamitto acha-se estabelecido na casa
cima, onde pode ser procurado para todos os
misteres de sua prociesao.
para fora da cidade.
Urna pessoa estrangeira, casada, se propoo a en-
sinar em abjnm engenho ou povoacao as seguintes
materias : prmeiras letras, francez, a fallar e es-
crever, inglez, geograpbia e mathematica elemen-
tar, arithruetica, algebra, geometra e trigonome-
tra recteltnea : os pretendentes podem-se dirKir
rna do Queimado, laja das 7 portas n, 52.
Ao bom tom
Recebeu-se pelo ultimo paquete da
Europa, ricos cortes de seda ; na loja
das columnas da ra do Crespo n. 13,
de Antonio Correa de Vasconcelos.
Alnga-se o Ia andar do'sobrado n. 43 da ra
Nova, devendo o pretndeme prestar flanea idnea.
Ba do Imperador
N. 10.
Francisco Xavier Pereira de Brito, ex-
solicitador da fazenda nacional prope-se
a agitar o andamento de qualquer pre-
termito peranie asreparticoes publicas, de
causas civis, crime, commereiacs e eccle-
siasticas.e de todo e qualquer negocio,que
precise a intervencao de um agente : en-
carrega-se tambem de qualquer cobran-
za fra e dentro da cidade : quera de
seu prestimo se quizer utilisar o pode
procurar das 9 horas da raanhaa e s 3
da tarde na ra do Imperador n. 10.
Caixeiro
Precisa-se de nm caixeiro de 13 20 annos,
para padaria ; a tratar na padaria allemaa, em
San to Amaro.
$>%&&
Cura ulceras e chapas amigas, impigecs
tros.
dar-
TodIco
Conserva e limpa os cabellos.
Plalas eatbartlcas.
Puramente vegetaes e sem mercurio, cura se-
zoes, curam e purificam todo o systema humano
Vende-se effectivamente em casa oe Samuel P
hnston & C, ra da Sanzalla Nova n. 42.
AMA
Precisa-se de urna ama para o servido de umi
casa de pouca familia : ca ra da Senzala-vellu
n. 42, Io andar.
GRANDES N0V1BADES
NA
LOJA DO TRIUMPHO
PARA. 6ENHOR.4.S. Ricas poapelinas de padres Itadissmos, e gosto bs*o,
Cambraias brancas bordadas para vestidos. Poil d'chevre de lindos padrees por
barato preco de 560 rs. o cotrado.
Grande sortimento de lias e alpacas de 320 i. .a l500 o cesado.
Saias bordadas, ditas lisas j bitas com barra dswr.
PARA MENINAS. Ricos vestidiobM de fusto afeitados braeos e de cor.
Vestuarios d fastao para meninos.
PARA HOMENS. Camisas inglezase rancezas, dejnho bordadas ede pregas,
com collarinho e sem elle, ditas bordadas para noivas. asgos de sol de cabo de
marfim e de canna ete etc., lavas de Joavin para senhoras.
Grande sortimentji de cortinados para canas e janellas. Croxs para sola e ca-
ruras de braco e guaroso. Tapetes par sof e cama, tfara pianos e portas.
Corsas de croch para cama de noivas. Tapetes e.^i pessa para forro de salas.
O nico e especial sortimentos das verdaderas ESTABAS PAINDJA, s existe na
Loja do Triumpho.
Eua Duqua e parias n. 7.
Ama.
Precisa-so de orna escrava para comprar e cc^
zinhar: na rna do Dunue de Caxias n. 6, loja.
Para cartorio ou qualquer ontro estabele-
cimento.
Alnga-se as lojas do sobrado n. 48 da ra du
Tnncheiras, onde o tinado escrlvao Motta teve or-
to rio : trata-se no 1 andar do mesmo sobrado.
Ama.
Precisa-se de urna ama para cosinhar e con
orar, preferodo-se escrava : a fallar na ra do
Alecrim n. 16.
Precisa-se de urna ama : na rua.de S. Pan-
crsce a. 84.
D-ee um cont de reis a juros sobre h'po-
tneca : quem precisar derija-se ao entrar da For^ na estrada do Chacn, a fallar com oem
pregado.
Precisase de urna ama que cozinhe e en-
gorame eom perfeicao : tratar na estacao das
Cinco PobUs, etm Joaqnim Domingues da Osta,
paga-se bm, agradando.
AMA
Precisa-se de ama ama forra on captiva jara
casa de familia, que saiba cozinhar e engomo! :
na roa da Cadeia do Recife, toa n. 86 A, se {ir
Aqu
Na ra do Torre* n. l, andar, precita-^de
eompre
ara
esi-
urna ama que cozinhe, engooune
nm pessoa._____________________
Manoci Carlos SaoboMte, mtmtii t.l
te na inmesu 4$ Escada, neridof oa i ge
nao Amaragi do mamo termo, faz seieit kmtiotiim
\
*>nxa. Permmb.'K w
Em tempos modernos nenhum descubri-
mento operou maior revolu^ao no modo de
curar anteriormente em voga do que o
PE1T0RVL DI APACAHIITA
TANTO NO TRATAMENTO DA
tosse, atoro,
ASTHMA, THISICA,
R0VQUID0, RESFRIAMENTOS.
BRONCIUTES,
TOSSE CONVULSA,
DORES DE PEITO,
EXPECTCRACO DE SANGE.
Como em toda a grande serie de enferme-
dades da GAriGAMA, do peito e dos ORGAOS
da respiraco, que tanto atormentam e fa-
zem soffrer a humanidade. A maneira an-
tiga de curar consista geralmente na appli-
caco de vesicatorios, sangrias,sarjar ou ap-
plicar exteriormente ungentos fortissimos
compostos de substancias vesicantes, alm
deproduzirempolhas; cujos differentesmo-
dos de curar, nao faziam seno enfraque-
cer e diminuir as forcas do pobre doente,
contribuindo por esta forma d'uma maneira
mais fcil, e. certa para a enfermidade a des-
truicaoinevitavel de sua victima Quem dif-
jerente pois o effeito admiravel do
PEITORAL- DE ANACAHUITA I
v* eJez de irritar, mortificar e cauzab
INAUDITOS SOFFRIMENTOS AO DOENTE,
CALMA, MQDIWCA E SUAVIZA- A DOR.
ALLIVIA A IRRITACAO
DESEMVOLVE 9 ENTENDIMENTQ,
FORTIFICA O CORPO
e faz com que o systema
Desaloje d'uma maneira prompta e rpida
at o ultimo vestigio da enfermidade. Os
melhores votos em medicina da Europa (os
Lentes dos Collegios de Medicina de Rerlim)
testificam serem exactas e verdadeiras estas
relacoes analgicas, ou alm disso|a experi-
encia de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com
este maravilboso remedio, slo mais que
suficientes para sustentarem a opinio do
PEITORAL DE ANACAHUITA 1
Deve-se notar que este remedio se acha
inteiramente izento de venenos, tanto mine-
raes, como vegetaes, em quanto que porm,
alguns d'estes ltimos, e particularmente
aquelles que sao dados sob a forma de Opio
e Acido Hydrocianico, formam a base da
maior parte dos Xaropes, com os quaes t5o
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
bliGO. A Composigo de Anacahuita Peito-
a acha-se liada e curiosamente engarrafadas
m frascos da medida de cerca de meios
quarulho cada um, e como a dose que se to-
ma s d'uma colher pequea: basta ge-
ralmente a applicaco d'umiou dous frascos
para aeffectuacio de qualquer cura.
Acha-se venda nos estabelecimentos de
P. Maurer 4 C, J. C Bravo Caora, B. "M. Barboza e Bartholomeo t C.
Precwa-se de urna ama
Pescadores n. 33.
Ama*
de
lene : na rna dos
Cabellereiro.
RiadaCruzn. til1 andar.
par caaa da fcotiea.
, Antonio Rodrigues Ramalho acaba de abrir a
concurrencia publica um espacoso e aceeiado sa-
lan para barbear e cortar cabellos, e affianca que
nelle encontrarlo seos amigos, antigos freguezes,
e em geral iodos os que quizerem, frequenn-lo,
agrado, actividade e bom desempeBho do traoalho.
Pedido.
Pede-se encarecidamente (s assim) aos senbo-
res abaixo mencionados se dignem por especial
obsequio da virem realisar aqu I lo que teem pro-
mettido por diversas vetes, pois ji lempo, e vis-
to qoe o nosso negocio de interess par:, os
raesmos senhores, por isso os esperamos o mais
breve, advertindo porem, que nao retiramos este
nosso pedido sera qve nao comparecam a ra de
Crespo n. 7 A, loja do Passo.
Albino de Jezns Bandeira..
Jos Luiz de Souza,
' Jos Antonio Miranda Guimares.
Luir de Franca Beleni. ________
Aforara se ou vendem se terrenos sitos em Be-
beribe, a um quarto de legoa da povoacao, canil
nho do lugar chamado Merueira por um lado, e
por outro riacho Lava-tripa. Esses terrenos sao
em ptimo barro para o planto da canna, e ou-
tros n isteres da agricultura, e de urna extencao
de 408 palmos, onde se encontram diversos eorgos
a maneira de riachos e madeiras proprias para
censtruccao: quem pretender, pois, entrar em
negocio entre taes terrenos, appareca ra do
Hospicio n. 70, que achara com qnem entender-se.
A V1UVA DO DR. SABINO
propietaria do antigo estabelecimento de
seu fmado marido Dr. Sabino O. L. Pinho,
previne ao publico que desta data em
diante nicamente encarregado de ins-
peccionar a boa preparaco e organisa-
cao de sua pharmacia especial homeopa-
tbiea o Iilm. Sr. Dr. Jezuino Augusto dos
Santos Mello.
utro sim que o mesmo Sr.
DR. SANTOS MELLO
quem dirige o antigo consultorio do Dr.
Sabino O. L. Pinho.
Consultas das 10 horas ao meio dia.
Gratis aos pobres.
Attencao
Na ra Nova n. 43 vende-se urna negrinba de
11 annos, bonita pera, e urna escrava com daas
lindas crias.
^^B
9 DR. SIM MILLO
iiOTiKoririiA
MDOUSE
Para ra Nova n. 48.
Antiga residencia e consultorio do Dr. Sa-
bino L. O. Pinho.
Consultas todos os dias das 10 horas da
manhaa ao meio dia; e chamados a qual-
quer hora do dia ou noute.
Gratis aos pobres.
13Ra Nova43
O Sr. Jos Gandi Dabeux tenhi a bondade
de appareee a ra do Qaeknado n. 7 a negocio
que nao Ignotfr. ___________
Precisa-se comprar urna casa com quinul,
prefere-se as ras do Sebo, Pires e mesmo la
Soladade: a tratar na rna do Limmeuto n. 10.
Kttrada de forro d lUclfe a~
Comprara.* dorantes de madeiras de reco-
ahecida duracao para a constru ci desu estrada:
trata-se na rus da Aurora, eseriplorio da superin,
tendencia, das 6 hora da manfaaa s da tarde,
dos dias uteis.
O superintendente,
Andr de Abreu Porto.
20Ru.i da Imperatriz20
Farl & Lcaaa.
Temos a honra de participar ao respeitavel pu-
blico que fizemos desnguir a rusia nova loja de
(azendat finas com o elegante tituloa VilU t
Pars; animados como estamos pelo desejo de
corresponder a meibor voolade dos freguezes, po-
demos asseverar sem recelo, ao publico em geraJ,
que nao haver quem possa vender mais barato,
attendendo aos preces e qualidade da fazenda, e
mandamos as casas das Exmas. familias qual-
quer fazenda para meibor escoiierem ; damos,
abaixo os preeps de varias pecbmehas, que serao
o bastante para justificar a uossa sinceridad* j
Et alguem recoohecida : saias brancas com b-
ado frisado pelo baratissimo preco de 34000, ri -
eos corpinbos bordados, objecto de iU, pelo pre-
co de Sf, cassas de cores, lindos padroes, a 240
i% chitas finas claras e escuras a 300 rs. o eova-
do, cambraias organdys a 640 a vara, mabdapolao
fino a 6< a peca, toalbas felpudas para rosto a
8f a duzia, lencos de cambraia a 2*800 a dozia,
cambraia victoria fina a 54, 54500 e 64, completo
sortimento de grosdenaple preto, popelinas de seda
o que ha de melhor, ditas de laa, e varias quart-
dades de alpacas brancas e de cores, cambraia im-
peratriz, completo sortimento de chitas, madapo-
lao e algodaozinho, bramante para lenc,es, es-
guiao, fustoes para vestidos e roupas de meninos,
camisas, ceroulas. meias, grvalas, colarinhos, e
outms muitos objectos qoe deixamos de mencio-
nar, tudo por coramodo precos.
Na praca da Independencia n. 33 se da di-
aheiro sobre penhores de ouro, prata e pedras
preciosas, seja qual for a quantia; e na mesma
casa se compra e vende objectos de ouro e prata,
i igualmente se faz toda e qualquer obra de en-
ommenda, e todo e qualquer concert tendente
i mesma arte.
RAP PRINGEZA
GASSE DO RIO DE JANEIRO.
A ra do Vigano n. 27, acaba de rece-
pelo ultimo vapor um sortimento do rap
gasse, tanto grosso como fino, assim como
Paulo Cordeiro commum e viajado, que
tanta acceitacao tem merecido nesta provin-
cia pela sua excellente qualidade proveniente
das boas materias primas de sua composi-
co. tendo alm drsso a propriedade de nao
ferir o nariz aquelles que fazem delle uzo :
os precos sao o mais em conta possivel.
Calcado nacional.
M. t Ra do farflitn \. 19
Jos Vicente Godinho com fabrica de calcados,
avisa a ledos os seus freguezes, que contina a
vender calcado em sua fabrica em grandes e pe-
quenas porgues como dantes, sendo mais barato do
que em outra qualquer parte. Assim como uro
sortimento de pares de formas francesas chapea
das para bomern, do ultimo gosto, a preco de
AMA
Precisa-se de urna ama que engomme com per-
feicao e aceio, que >; para casa de pouca familia,
e a tratar na ra Nova n. l
Mofina.
Roga-se ao film. Sr. Ignacio Vieira de Mello,
escrivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir ra do Imperador n. 18, concluir
aquelle negocio que V. S. se comprometteu rea-
Usar, pela tereira amada deste jornal, em fins
de detembro prximo passado, e depols para Ja-
neiro, passou a fevereiro e abril, e nada cumprio,
e por este motivo de novo chamado para o dito fim;
pois V. S. se deve lembrar que este negocio de
mais de oito annos, e quando o Sr. seu filho se
achava no estudo nesta cidade.
CASA DA FORTUNA
Aos 5:00011
Bilhetes garantidos.
k rna do Crespo n. 23 e casas do costme.
O abaixo assignado, tendo vendido alm de ou
tras sorles, um meio n. 738 com 5:0004 da lo-
tera que se acabon de extrahir a beneficio da
irmandade de N'ossa Senhora do Bom Parto da
cidade de Olinda (147*), convida aos possuidores
virem receber na conformidade do costuroe
sem descont aJgum.
Aeham-se a venda os felizes bilhetes garan-
tidos da 4* parte da lotera i beneficio da igre-
ia da Santa Cruz do Recite (148a), que se extrahi-
r segunda- feira 30 do corrente mez.
PrecosOs do costume.
Manoel Hartins Pinza.
SEGUROS
MARTIMOS
CO VI R A FOGO.
A Companhia Indemnisadora, estabeiecida
testa praca, toma seguros martimos sobre
aavios e seus carregamentos e contra foge
?m edificios, mercaduras e mobilias: a
roa do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Attenqo.
Anda se continua fornecer commedorias
para fora com asseto e promptidSo, man-
dando-se levar a casa dos assignantes que
nao tiver portador: ra estreita do Rosa-
rio n. 35, Io andar casa particular de fa-
milia.
GABINETE MEDICO-CIRUKGICO
DO
Dr. Ignacio Alabiados Velloso.
Pode ser procurado a qualquer hora do da ou
danoite, prestando-se a>s chamados fra da cida-
de, com toda a promptido. Pratica operaa--.
O consultas das 6 s 9 horas da manhaa, na
ra Nova n. 45, i- andar.
Grande reunio!!!
NO
Armazem do Campos
O Campos avisa aos seus numerosos amigos e
freguezes que tem conseguido fazer urna Granti
reuniao de gneros especiaes e inteiramente 10-
vidades, como sejam.
Queijos de manteiga.
Ditos de Coalha.
Ditos de Minas.
Ditos llmennos.
Latas de guizados francezes.
Frascos de conservas francezas.
Doce fino de goiaba.
Charutos do afamadsimo Costa.
Latas com lagostas a 600 rs.
Cb perola verdadeiro.
Linguas seccas a 240.
Ceblas a 800 rs. a tranca. _____________
HL0RAL
Esta substancia, sendo entre os medicamentos o
mais efficaz como anestbetieo, hypnotico, sedativo
e calmante at agora eonbecida, eujo effeito foi
descoberto pelo lente da Uoiversidade de Berlu>
o Dr. Osear Liebreich, recommendam Peckott a
Duvel a todos os senhores mdicos e pharraaceuti-
cos que se queiram muir de lo importante como
precioso medicamento a dirigir-se a nossa casa
no Rio- de Janeiro, ra Direita n. 59, por ser-
ums os nicos agentes no imperio do Brasil como
prova o documento abaixo :
O abaixo a-sigaido declara que os Srs. Peckoit
& Duvel, com a pharmacia imperial e drogara
no Rio de Janeiro, ra Direita n. 59, sao e;
nicos agentes no Imperio do Brasil para venutr
o Chloial hydratado; preparado pela minha re-
ceita e cora a minha garanta da pureza e etfica-
cacia da preparaco, e nenhuma outra pessoa bo
Brasil est autorisada usar do meu nome para
este lira.
Berln, 28 de fevereiro de 1870.
Dr. Osear Liebreich.
Kunheira & C, agentas geraes em Berln.
Dr. Mendelssohn, Bartholdy. ,
Dr. C. A. Martins.
Directores da fabrica de cbimica em Rum-
melsbnrg.
IRTO
FARMACIA CENTRAL
Rna do Imperador n. 38.
Lamplougbs Pyretic Saline.
A preparation of well known utelity to tbe En-
glisb Faculty. asa cooling and refreshng beverage
in all cases of fe ver. Tbe frequent use'of this sa-
line preserves foreigners from many diseases to
which they are leable before becomirfg acclirna-
tised May be obtained at tbe Pharmacea Central,
ra do Imperador n. 38.
Na madrugada do dia Ift^do corrente furtaram
da margem do ro Gapibaribe, nos fundos do sitio
dolllm. Sr. major Albuqaerpue, em Apipucc-.,
duas trouxa? de roupa suja com differentes mar-
cas, sendo I. L. J.M. C L*-M. C. LoboLobo
o outras : rogase a qnem tiver eonhecimento do
referido furto, o favor de indicar na loja n. 32 da
ra da Cadeia, pois alera do devide agradecimenio
se gratificar. __________
Quem tiver e queira alugar uro preto (eo>-
bora de idade) que sirva para vender hortalice,
dinja-se rna da Amizade n. 18, na Cspunga.
AJuga-se nma casa terrea na travessa do
Luca, com um exilente sitio, o qual tem alguioas
arvores de frueto e campo para cracao deani-
maes, com os seguintes comandos : 3 salas, 7
quartos, cozinha fora, cocheira, estribarla e ca-
cimba : a tratar na ra do Apollo n. 32, armazem
de assucar.
Ama
Precisa-si para o servico de urna casa te pouca
no pateo de S. Pedro n. 18.
amilia
Amas
Precisa-se de duas amas, sendo urna para a co-
zinha e outra para engommado; na ra do Quei-
madona*. fapdy. _______l_________
Ama
v* ordo, taberna n. 23, dbvse-ha
1*s|i*i FURTO.
Furtaram do quintal da casa do abaixo asig-
nado, orador na Capanga, na noite do da 25 do
correte, um boi castanno, meio anerto, o qaat fbi
comprado ao Sr. capito Venceslao, acha-se ferra-
do no vaaio do lado direito coa o ferro do ven-
dedor, tm marca de pea as duas raaos : ro-'
ga-se as autoridades o appreheodam, e gratinca-se
irosainente as pessoa que o appraheadarun
ou derem delle noticia.
Aubroije da silva Ribeiro:
Paga-se bem.
Precisa-se de urna ama para cozinhar e coin-
prar para duas oessoas : na rna Nova n. 11.
Cosinheira.
Precisa-se de urna cozmneira, na rna do To
rio 9. 7, i andar.
AVISO.
0* Mutuarios possuidorts das camellas n. 46 f,
47 ft 124 B, 74 B, 133 B, 137 B, 51 B, 66 B, lio
B, 9t B, 115 B, 67 B, 71 B, 12 B, 7 B, 48 B.
Venham receber o etcease que prednzio em
raen no leilo de seu pehbar no preso de o
:A do contrario se mudjg* deposito geral.
le, 21 de mato de 1870.
Mauricio Jos dos Santos Ribeiro.
S*
Precisa-se de no mestre de
na se olna a ordenado
n. 38
1T
Precisa-se
alocar um raofeque de idade de 12 a 14 asaos pa-
ra o servieo temo doesminet, paga-se bes:
i
\s

' \
\
i
l


n
BENTO MACHADO ft C,
A AGUIA NEGRA animada com o bom accolhiraento que te ve em seas annun-
ciM. vam novo participar a seos freguezes que, acaba de receber nm variado, sorti-
eoto 4* objectos de gosto os qoaes serio vendidos por precos muito razoaveis, pois
{Dando fez os seas primeiros annucios, foi o que assegurou, e sem mdo de errar,
porfne como j disse os interesses ligada a orna casa importadoradesta praca, e
por isao podar ter todo especial e vender por presos admiraveis.Chama pois a atten-
tfo de seos fregoezes para, os arttgos posea descrever :
Lrvros com o tampo de marfim, madre- Um variado sortiments .de charuteiras e
parola a tartaruga, proprios para missa. palliteiros da porcelana,
Tem a brW fcefclciWrrespeita-
vai publico esa garal, a aos seos cuate*
em particular que alie mudon o tm gabi,
nete da consullas da roa Direita n. 12 para
a do Qyaiaaado n. 31 primeiro andar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II, onda po-
de ser procurado para os mistares de sua
profisso, todos os dns uteis das 9 horas
da manbaa s 3 da tarda.
Tambem previne, que contina a prestar-
se a vontade dos clientes nao s na cidade
como nos seus. suburbios, para onde as
idas serio precedidas de ajaste. Elle ga-
rante o bom desempanbo a a pereiclo da
saos trabamos, o que j bem conhecido,
assim como as commodidades dos precos.
Garaflflhas vazias proprias para presentes
eooaa da gosto.
aasspansaveis de palinha e de eoure pro-
prioa para senhoras a meninas trazar nos
arcoa.
Binculos de audreperola, marfim e tar-
taruga todos esaultados.
Cintos largos de setim, cousa inteiramen-
t non.
Fitas de sarja de todas as cores e larga-
as para latos.
Toacas, sapatinhos meias de seda e mais
pertences para baptisados.
Fitas com iriscripcoes proprias para bou-
uat de noiva,
Ricos vasos com p do arroz.
Um variado sortimente de jarros de por-
celana.
Tentos para voltarete.
Bengallas com marfim, cousa especial.
Sabonetes de alcatrao.
Cofres de folhas para dinheiro.
Lindas caixas para costura.
Um completo sortimento de lavas de pe-
lica,
Talagorce para bordar.
Um completo sortimento de enfeites de
seda para vestido.
Perfumaras de todos os autores os mais
acreditados em oxtractos, pomadas e leos
e finalmente outros muitos objectos que nao
possivel mencionar ; mas com a vista se
certificaro do sortimento deste estabele-
cimento.
Aguia Negra, ra do Cabug n. 8.
0 MMVILHOSO REMEDIO DO
DR. CHAS DE GRATH
OLEO ELCTRICO
IIM OF PAIN o re da dor
PARA USO IVFKKX 9 E l\ I i It VO
Cura cholera e cholera morbus,
Na travessa da roa
te Cruzes n, % pri-
meiro andar, da-se di-
nheiro sobre penhores
de onro, prata e taita-
tes, seja qeal for a quan-
a. Na mesma casa com-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
ATTENCO
O abaixo asignado. ioventariante e 10101*003
orphaos lllhos do finado sea sagro, Joaquim do
Vasconcellos Pinto, roga ao Sr. Antonio dos Santos
Vidal, o obsequio de enlender-se com elle. Igual-
mente pede a todos que Ikaram devendo letras e
cantas a vireai recolber seus dbitos do contrario
usar dos meiosque ibe faculta a le. Gamelleira
23 de maio de 1870.
Jfanoel Ferreira da Silva Vianna.
Twessa dftbrpo Santo n. 25
ARMAZEM
Ra Novan. 28, loja Antonio
Pecjro de Souza Soares.
Bande, Machado 4 C, arisam ao resptate
puDiico que ao* logares cima encontrara no mes-
10 sempre grande muntidade de ditos pocos, e
que se achara habilitados para vender por menos
an uro qualqoer, por isso qoe os recebem di-
nctuatttt ao fabrican Nertun, de Londres.
As vantagens qoe offerecem os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser coilocados den-
>do casa atora, cora o trabalho de urna a duas
ooraa; segundo, fernecerem os aamoa agua pa-
ra e abarjame, podando seren removidos de um
pura outro lugar, qnando assim convier.
us annaneiantes s reeebcrio a importancia dos
depois de coilocados, sasttzende
do cemprador.
referidos
T m vmim do
Imperio do Brasil.
Grande exposiqao na cidade de
Cordova,
REPBLICA ABGENTDTA.
No da 15 do oolobro de 1970 ter lu-
exposicSo
nacional em
Diarrbea, tlaxo de saogue, em um da.
Dor de cabera, e dores de ouvido era
tres minutos.
Dor de dente, em um minuto.
Neuralgia, em cinco minutos.
Deslocaces, em vinte minutos.
Gargantas incbadas, em dez minutos.
Clica e coavolses, em cinco minutos.
Rheumatismo, em um dia.
Febre e febre intermitente, em um dia.
Dor as costase nos lados, en dez mi-
nutos.
Tosses perigosas e refriados, em um dia.
Pleuresa, em um dia.
Surdez e astbma.
Hemorrhoidas e broncbitis.
Inflamraaco nos rins.
Dyspepsia, erysipelas.
Molestias de figado.
Palpitafo de coradlo.
Reserve sempre este remedio em sua familia
AS DOENCAS SE APRESENTAM, QUANDO MENOS SE ESPERAM.
OLEO ELCTRICO O RING OF PAIN (O rei da dor) aquieta e positivamente
dissipa mais de differentes molestias e dores, e allivia mais os sorimentos e produz um
mais perfeito equilibrio no systema humano, o que nao se pode effectuar no mesmo
tempo, com qualquer outro remedio medecinal
Este muito popular remedio esl agora usando-se geralmente, pela razo que
milbares de pessoas se tem curado gratis com o dito remedio peio Dr. Grath e outros
mais.
Este importante remedio nao se oerece para curar todas as doencas, porem tSo
smente para aquellas estipuladas as nossas direcces.
Est operando nos principios da cbimica e da electricidade e por isso, est ap-
plicavel para o curamento e para a restaurado da acfao natural dos orgaos que sofirm
da irregular circulacao dos fiuxos dos principaes ervos. Oleo elctrico O King of
Pain opera directamente nos absorventes, fazendo desapparecer as inchaces das gln-
dulas at etn um lampo incrivel, breve sera perigo do seu uso debaixo de qualquer cir-
cumstancia.
O remedio, urna medecina para o uso externo e interno, composto dos elemen-
tos curativos, raizes, hervas, c cascas, taes, como se tem usado dos nossos antepassa-
dos, e das quaes tem grande existencia no mani, para curar todas as molestias, so-
mente sa endo-se quaes eilas sao.
Foi um gnnda e especial desejo da faculdade de medecina durante muitos annos
de experiencia para aprender os melbores modos que se deviam adoptar para curar as
segaintes doencas, e que proporces de medecina se devia usar.
UMICO DEPOSITO
EM PERNAMBCO
NA PHARMACIA K DROGARA DE
N.-
BARTHOLOMEO & C
.34 Ra
Larga do Rosario.-
N. 34
BZAR ACADMICO
13 Ra da Imperatrz 13
Ulysses & Irmao proprietarios deste bem conhecido e acreditado estabelecimento
tem a hoDra de participar ao Ilustrado corpo ACADMICO e aos seus numerosos fre-
guezea, tanto desta praca, como de fra, qoe lando sido elegantemente reformado dito
estabelecimeoto acba-se completamente sonido e em condic5es de bem servi-los doi
segnintes arligos:
CHARUTOS
superiores de Havana, Hamburgo, Baha e
Rio de'Janeiro etc.
Cigarros
depalha de ^ Paulo, de 30500 a 7^500,
o mitoeiro, Daniel do Rio Novo, Mauriiy,
Imperiaes, Tenentes do Diabo, Dnqne de
Caxias, Gandon etc.; de papef, de fumo
de Daniel, General Osorio, Conde d'Ea,
Rocambola, Radicaes, Acadmicos, Macbam-
bomba, Montevideo, Orientaes, Baependy e
muitas ostras qualidades.
FUMO*
Afamados de BAEPENDY em caixes de
O libras 10400 rs. a libra, em pacotes
a M, de 20 para cima a 15800 e em maior
poreSo J500 o pacote de 1 libra, dito
em latas dequarta a 640 e 500 rs.. e ootras
US qualidades como sejam: Daniel do
Rio Noto, do Para, da S, Paulo, Caporal
ate. etc.
VVRIEDADES
PONTEIRAS para charutos e cigarros de
todas as'qualidades gostos e presos.
CACHIMBOS de superior espuma, de ma-
deira (raiz; de 35 at tij, a duzia e de ou
tras qualidades a retaibo.
DITOS p de gailinbados melhores qoe
ha neste mercado a 35 e 35300 a duzia, a
com grande abatimento em maior porgio,
ditos de louca, ges,so, barro, etc.
BOLSAS de borracha a ooaro de diversos
gostos e precos, para guardar fumo.
CARTEIRAS para cigarros de todos os
systemas.
PHOSPHOROS de cera, em caixas de to-
dos os tamanhos, de seguranca a balSo etc.
PAPEL de milbo, da arrot. san-oom, Per
san, pintado, de linho etc. palha demiho de
Fernando a melhor possivel.
Alm dea artgw mencionados encontrario neasos fregusxes outros muitos no ge-
aaro da aowo negocio, qna se vende en grosso e a retamo e qoe con soas presencas
sero saUsactanaoente bem servidos .bem como noa eocarragamos de qualquer d-
eommeodas de wssos cigarros de seda e linho, etc.
13Ba da Imperatrz13
ATTENCAO
ma familia que se retira para fra da provin-
cia, vende ama mobilia je Jacaranda em perfeito
estado, constBdo de 18 cadeiras de gaamicao, 4
ditas de bra*p, i sof, 4 consolos e 1 jardineira,
com lampos de podra ; e mais os seguirnos objec-
tos : 3 marquezas de amarello, candieiros para
.gai, jarros para flores, lanternas de vidro e tapetes
oara ala : quem pretender dirija se a ra da
Trempe n. 11.
gar a abertura da
Cordova.
Previne-se, portnto, a todos os produc-
tores, agricultores, fabricantes, artistas e a
todos aquelles qoe exercam qualquer indos
tria, qoe na dita exposico se recebem todos
os productos da industria e agricultura
brasileira, assim como todas as machinas e
utensilios qoe qoixerem remetter.
Estes productos esto isentos dos direitos
da alfandega na Repblica Argentina e po-
dero ser dirigidos cidade do Rosario, de
onde serao trasportados pelo caminho de
ferro central.
Para mais explicacoes dirijam-se em Per-
nambuco, roa da Cruz o. 3, ao consolado
argentino.
Codfeitarta dos ananazes.
16Rn* da Crut16
Santo Antonia S. Joo e S. Pedro.
Amendoas, as mah apropriadas para sorte,
vende-se em arrobas e libras ; papis j promp
tos com estallos para tortes ; recbese encom-
mendas de bolos pes-del enfeitados; as eneom-
mendas recebe se cora antecedencia e as amendoas
em arroba terrao abatimento no preco.
Achase justa a compra
Imperial n. 246 : quem se
queira annunciar.
da taberna da ra
julgar com direito
Os abaixo assignados teem amigavelmente
dissolvido nesta data a soeled*de que tinbam no
estabelecimento de seceos e molhados sito ra
da Imperatrz n. 80, sob a Arma de Joaquim Fer-
reira Lobo & C, cando o activo e passivo da
mesma a cargo do socio gerente Joaquim Ferreira
Lobo. Recife 19 de maio de 1870.
Joaquim Ferreira Lobo.
________________Dnarte Antonio de Miranda.
Alugam se duas boas escravas para servido
domestico : na roa do Imperador n. SO, 3 andar.
Formas de ferro.
Os abaixo assigndos declarara ao respeita-
vel publico e com especia lidade o corpo do com-
mercio, que tem justo e contratado a taberna sita
roa AgusU n. com o Sr. Jos Patricio de Sl-
queira Varejo, livre e desembarazada de qual-
quer onus : se alguem se- achar com direito
mesma, appareca na rna de Santa Bita n. 1, ao
praso de tres das, findos os qaaes por nada res-
ponden]. Recife 21 da maio de 1878.
Jos Antonio Barbosa.
__________________Belarmino Lonreoco da Silva
Augusto G. de Abreu vai a Ekropa e deixa
por seos procuradores, em primeiro lugar o Sr.
Gregorio Paes do Amaral e em segando lugar o
Sr. Antonio Jos Leal Res.
COMPRAS.
Pjra purgar assucar : esperam-se at o lira
do mez urna pequea quantiiade ; os senhores
ue as pretender apnarecam na ra da Cadeia n.
armazem de Silva Barroca.
5
Ana para engommadu.
Precisa-se de q,ma : na ra da Cadeia n. i,
Precisa-se de urna ami de boa conducta
que siib.i bem coser e engommar, para urna se-
nhora viuva rom um flluo : tratar na ra do
Amorim n. 35,1 andar.
Manoel Zeferino de Sale.*, faz publico que
desde o dia 4 de maio prximo passado, foi des-
pedido da loja de su cunbado Luiz de Franca
Souto, o caixeiro Joo Felippe da Costa e que pes-
soa alguma pague dividas, ou venda quulquer ob-
jecto que possa ser comprado em nome do mesmo
en cunta do Souto.
ESCOLA
DE
In>trucQo primaria.
29-PATEO DO PARASO N.29
1* andar.
Anna Senhorinha Monteiro Pessoa,
Professora particular.
VlNHO, PlLUtAS, Xarope e Tintura
de jurubeba simples e ferruginoso |
Oleo, Pomadas Emplastro da mesma
planta preparados por
BARTHOLOMEO & C
Ph a rmaceuticos- Droguistas
l>KK\4MIII4 4
A Jiirobeb : esit pliaU hoj* reconhecid
como o bmi [.aderuio tnico, cono o melher
desobMrueatc.e como ul appliudt uos padeciaeLlot
do ligtdoe btco, beptli.i, durosj, lumore (eter-
no* especitiiaenu do aura, jdrop*j, erjii.
pellu, le; e ittociidi ao farro uul ou piiliu
cores, colorse* e bit* de menstruico, dcimo-
jo* do eiomi|o, etc., 6 qoa ditemoi titeiti*
naamen* car** imporleou* otlid* *oa aowo*
preparado* j bem cochecido* e osados pelo* :,
diicto* iMieo*4o pni a Porto|*l. Em iodo* o*
I ao**o* deyoaito* diaUbaimoa antis foihatos qa*
melhor biaai coohacar Jirakaka *eo* raaaiudo*
O muzeo de joias
Na roa do Cabug n. 4 compra-se onro, prata
pedras preciosas por presos mais vantajosos do
ue em outra qualquer parte.
GOMPRM-SEB VEIH
mCBAYm
Compram-se e vendem-se diariamente para iora
dentro da provincia escrayos de todas as idades,
oree e sexos, com tanto que sejam ?adis : no
:erceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cruzes,
Yeguezia de Santo Antonio.
Com muito maior vantagem comoram-se
ouro, prata e pedras preciosas e n obras velbas: na
loja de joias do Co.-acao de Ouro a. 2 D, ra do
Cabug.____________________________________
Compra-se urna casa terrea Doa, situada era
Santo Antonio ou Boa-vista : na ra da Florenti-
na n. 6.
Compra-se
urna mobilia de Jacaranda era meio uso a Luiz
XV, sendo 1 sof, & cadeiras de braco, 12 de guar-
nido e 2 consolos, e poder ter mais algumas pe-
cas : quem tiver annoncie por este jornal para
ser procurado, ou tratar nefta typograpbia com
o Sr. Hermenegildo.
Compra-se um trepador de coqueiro : na
ra larga do Rosario, loja de calgadcs n. 22.
Compra-se urna casa terrea, na freguezia de
Santo Antonio : tratar no areo da Conceiro nu-
mero 6.
Na rna do Hospicio n. 38
grinha de 10 a 12 aanos.
Mumbanda
compra-se urna ne-
Na travessa da ra das Cruzes n. 2, casa de
penhores, comprase prata e ouro velho por mais
do que em outra qualquer parte.
VNDAS.
CHARUTOS
DE
HAVANA
LEGTIMOS.
Cbegaram ra da Cadeia do Recife n. 1".
PEDRAS.
Vende-se urna porcia de pedras de Lisboa que
foram de calcada : a tratar na ra do Hospicio
n. 26. i
Para escriptorio
Vende-se urna boa grade com balaustres, pro-
pria para escriptorio, teodo tres faces, com duas
portas : tratar na ra da Imperatrz n. 60,- loja
do Pavo.
Aviso s autoridades policiaes
e a quem competir
No dia 20 de maio do corrente^anno
fugio o scravo Eieqniel, orioulo de 30 3
anuo de dade, estatura regular, reforjad*
cor bem preta, cabera redonda, trajava, ca
misa azul a cal^a de. cassemira cmzenta t
durante o dia costuma andar ganbando nat
roas, ou em armajens de aasucar oa na la-
boro* a conversar e a beber; dpran j
iioiU'XecoIbA-se.a telbetros abertos, oa pw
nelrawig, a casas em construccao e a outro
lmafi|ier logares, oodo-je oossa abriga,
quem apprebendertenha a bondad de >
condujia a roa da Aurora n. 26, ou na d(
mperador n, 40, onde ser gratificado
Para bailes e csame ni os
A' loja de Augusto Porto chegou novo sorti-
mento de lindo* bourous para sabida de bailes ;
superiores cortes de seda, popelinas, vestidos de
blonde, fil de seda brinco e preto, liso e de flores,
colxas de damasco de seda para camas, cortina-
dos, vestidos trancos bordados e muitas outras
azendas que se vendem por muito barato preco.
Nesta loja tem setnpre grande sortimento das
melbores esleirs para forrar sallas. Ra de Du-
que de Caxias, antiga ra do Qneimado n. 11.
ATTENC10
\ende-sa por larale prtco ajjrnpriadade na
camboa dos, Remedioi, que foi, de Jo.i Aastacio
Camello Pessoa, com una grande olaria de pedra
e cal, que lastra 16 000 tijollos e fmo que com-
porta ij.OftO, c^m exceliente barro para toda e
qualquer obra, cora dooa excellentes viveiros e
um grande acude d>gua, doce, lendo uia ca-a de
sobrada de ,um nndir e sotio : as pessoas que
jKniena,. dlr|jain-s*y i referida prupriedade a
eoteoder-se cora u capitw DeWoo Lms Civalcante
'Pewoa con^eobor da ragma prppri;
Vende-se
Joaquim Rodrigue Ta- %
vares de ileiio,
Pracja N. 17.
Tem para vender:
Cal de Lisboa.
Potassa paRussia,
Vinho Bordeaux de 1
qualidade.
Farello de Lisboa.
Loja do Leo de Ouro
Cbegaram a este bem conhecido estabelecimen-
to, as mais modernas ISsinhas com listas e de
mmto bomgotfo, fazenda qoe outros vendem pelo
preto de 800 rs. o covado, aqu se vendem pelo
haratisslrao preco de 400 reis o covado pechin-
cba, grande pechiocha senhore freguezes, ve-
nham ver a verdade, vendem-se por' este barato
preco por ter grande porcao e querer ganhar me-
nos e vender muito para acabar depressa ; a eilas
senhores e senhoras antes que se aeabem. S na
loja Lelo de Ouro, rna da Imperatrz n. 52 de
Paredes Porto que se vende barato e fazenda
boa. S com a vista qne poderlo sertificarem-se.
Na loja do Leao de Ouro
Cbegaram as mais modernas capas pretas de
fil bordadas e de differentes gostos, tem grande
porcao para os senhores e senhoras escolherem, e
vendem-se pelo baratissimo preco de 84, I0t e
12< mil res cada urna, por ter grande porcao,
quer ganhar menos para acabar depressa, s nes-
ta e bem condecida luja do Leao de Ouro rna
da Imperatrz n. 52 de Paredes Porto: que se
encontram destas pechinchas, pde-se aos senho-
res e senhoras que tenharn a bondade de virera
a este estabelecimento para com a vista certifica-
rem-se da verdade.
i
com 1 ti i\h%
Mata Landelino vende saceos com farinha de
mandioca : na ra do Duque de Caxias, travessa
do Rosario, loja n. 18 B
Rival sem segndo(
RA DO DUQUE DE CAXIAS N. 49
Estou disposto a continuar a vender todas
as miudezas pelos baralissimos presos abai-
xo declarados, garaDtindo tudo bom e pre-
cos admirados.
Pacote com 20 quadernos de pa-
pel amisade a...... 500
Caixas com 20 cadernos papel pau-
tado a. ...... 700
Caixas com ."JO novellos de linha
do gaza....., 100
Duzias de meias cruas superior
qualidade a.......3J600
Pecas de babadinhos com 10 va-
ras a.* ........ 500
Pecas de liras bordadascom i2
metros cada peca a 1*500 e. 20000
Pegas de fitas para cs de qual-
quer largura com 10 varas a. 500
Escovas para unbas fazenda fina a 500
Ditas para dentes a 240, 320,
400 rs. e....... 500
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a....... 40
Caixinhas de madeira com alfine-
. tes fazenda superior a. 400
Libras de 13a para bordar de to-
das as cores a......C$500
Duzia de linba frxa para borda-
dos a 400 rs. e..... 500
Pares de meias cruas para meni-
nos diversos tamanhos a. 320
Caivetes finos com 4 folhas fa-
zenda superior a.....l->500
Duzias de meias brancas muito
unas para senhora a. 4500
Pares de sapatos de tranca do
Porto........2*000
Pares de sapatos'de tapete a. IjloOO
Livros de missa abreviados. $&Q'S
Duzias de baralbos para vultarete 3.3000
Sylabarios porluguezes a. 400
Gravatas de crox todas as qua-
lidades a....... 500
Redes lisas para senhora a, 320
Redes com contas mmto boa qua-
lidade a....... 040
Cartoes com colxetes 2 carreras a 20
Abotoaduras para colltte diversas
qualidades....... 400
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a...... 500
Cartoes de linha 200 jardas grosa 400
Duzia de linha 200 jardas Alejan-
dre de 40 a 200 e, 10200
Caixas com superiores obreias a. 40
Duzia e agulha para macoina a. 20000
Libras de pregos francezes todos
os tamanhos a.'..... 240
Talheres para meninos a. 320
Pares de sapatos de tranca para
meninos a. ..... 10500
BARATO
Na
Loja Flor da Boa-vista
t lina da Imperatrz..
Chitas de muito bom panno., lindissimos padroes
proprias para a pr.'ica. covado a
barato 240
* < 240 .
240
. Ditas escuras, covado a 200. a 200, a 200 r?.
Pefas de madapolo algodo a i, 5/ e 6*5 :
unto a padaria franetza.___________________
Queijos do sertao.
Vende-se na ra da Imperatrz n. 80, no arma-
zem de molhados.
Cantara de Lisboa
Soreira?, hombreiras e capiteis para frentes de
casas, o qne ha de melhor: venda no arma-
zem da travessa do Corpo Santo n. 25, de Joaquim
Lopes Machado & C.
urna machina de J^^^^^M
couTO i oa ra da Assump
TERKEN03.
Vende-se um terreno na ra ^e Luiz do Reg \
em Saato Amaro, com 300 palmos de frente e 640
de fundo, com urna casa terrea edifica'a no mes-
mo terreno auem o pretender dirija-se a ra
Nova, casa n. 2, que achara com quem tratar.
G ande pcbineha.
Na ra do Duque de Caxias, ntiga ra do Quei-
nudo n. 19, vendem-se alpacas de (odas as cores
lavradas a 500 rs. o covado, chitas de bous panos
a 240 o covado, eambraias miudinhas e da flores
a 300 e 360 rs. o covado, e lias miudrahas a 400
rs.; .baratissimo._______
Confeitaria dos ana-
nazes.
16=Rua da fuz1(>
. presuntos de superior qualidade e dito em
fiagbxe.
ama mm-

A ra do Duqiie de Caxias n jil.
(AITIGA BA DO QDEIMADO)
Nao foi sem fundamento que a .NOVA
ESPERANCA tem deixado de fazer os seus
annancius, a-razio simples, ella entende
que todo em demasa aburrece... por isso
como j tinna dito e scicntiOcado sua boa
freguezia o que constantemente ia receben-
do, ou tivesse feito muitas vezes, receiou
tornar-se massante, assim pois recolbeu-se
um pobco ao silencio, mas nunca deixando
d'empregar os verfladeiros esforcos, j con-
tratando maior numero de correspondentes
na Europa, j descobrindo objecUjs <}o mais
apurado gosto e finalmente assignando o
Jornal das Familias, o-qual vena sempre
ornado com figurinos, modernos moldes para
vestidos ele,, etc. para desta forma melbor
servir a sua constante freguezia; e com es-
pecialidade ao bello sexo, qoem a OVa
ESPERANCA ufanase t;m offerecer-lne
seus servidos, apressando-se desde j em
declarar que tem reeebido ltimamente
ntremelos e babados bordados transparen-
tes e tapados, chaposinbos de selim para
baptisados.
Finas toncas de cambraia bordada para
o mesmo fim.
Meias de seda e fio de escocia para crian-
Cas.
Dedaes d'osso, marfim, ac e madrepe-
rola.
ptimas navalhas, afiadores e massa para
as mesmas.
Finas esponjas para o rosto e para La-
nhos.
Bonitos sapatinhos com biqueira, sendo
com salto, para meninos e meninas de dois
a doze annos.
Boas lentes com cinco roelimetros, para
contar-se os fios de qualquer fazenda.
Tesouras para frisar vestidos. ,
Carretas para tirar moldes de vestidos.
Mollas para segurar cusliiras.
Bonitos linteiros de novos moldes,
Meias de la para homens e senhoras.
Finas e bonitas ligas para meias.
Fil de linho e de seda, sendo preto e
branco, liso e de salpic.os, c outros muitos
objectos expostos a venda rna Duque
de Caxias n. 21, na NOVA ESPERANCA.
Mabo d'alcatro.
Vcnde-se na roa Duque de Caxias n. 21.
PARA LUTO.
Brincos, broches, voltas, puleiras, fivel-
las, pentes, botoes para putbos e cadeias
para relogios.
A NOVA ESPERANCA, querendo satisfa-
zer sua freguezia, nosmente em objectos
d'alegria ou de luxo, quer t.imbem acom-
panhar aquelles, que infelizmente perdendo
alguem de sua familia, ou alguem de sua
amizade, precisam de taes objectos, assim
pois a NOVA ESPEBANCA, mandou vir o
que ha de melhor neste genero, porque
sendo taes objectos de cor negra, sendo
de m qualidade, nao tmente tornam-se
tristes como at repugnantes, o que n3o
acontesce aos da NOVA ESPERANCA. por
que apenas exprime o sentimento pela cor
porem como que traz um lenitivo pelo gosto
e perfeico com que taes objectos sao tra-
bajados.
Collar' s anodin s.
CONTRA AS CONVULCES DAS CRIANCAS
N5o esta a primeira vez que a NOVA
ESPERANCA scientica aos senhores pais de
familias, que os seos collares sao os verda-
deiros de Vjer. reccbidws directamente,
e por ciinst-qutncia de um eleito offieaz que
desnecessario mais apregoar, assim pois
aquelles quj nu quizerem passar pelo dis-
sabor de verem seus filliinlios extrucerem-se
as terriveis convtilgoes, logo que a este
comessem nasscr-lhes os denles apressem-se
em comprar os ditos collares, na ra do
Duque de Casias n. 21
CABELLOSBRAN OS SO TEM QUEM QUER
A NOVA ESPEItANCV receftea o veida-
deiro chrom.come de* Wdliam para tmgir
cabellos.'para pretosou castanhos, assim pois
cabellos brancos s tem quem quer!!!
Flauta.
A NOVA ESPERANCE tem para vender
urna flauta d'ebano do afafixdu fabricante
Boom.
Rival sem segundo,
(Antiga ra do Oueiuado)
Contina a vender tudo milito bom e
muito barato a saber:
Novello de linha de 400 jardas a. GO
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a ..... (100
Pentes volteados para meninas a. 210
Thesouras muito finas para cof tu-
ra a......., .",00
Tntenos com tinta prela a 80 rs. e 100
Pecas de fila elstica muito fina a 200
Resmas de papel pautado a. 4A0OO
Ditas dito liso muito superior a. i($O00
Lala com superior banha a 100 e. 200
Frascos de oleo Pbilocomo muito
fino a......... 500
Ditos ditos dito grande a. liJlOOO
Frascos de macaca perola a. 2iO
Frascos de extracto moiio bonitos a 300
Duzia de sabonetes muito finos a. 720
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. 10200
Frasco com agua de colonia Pivera 500
Dito de oleo baboza a..... 500
Caixas de famparinas a. 40
Sabonetes a forma menino muito
superiores a....... 240
Larlilhas da doutrina fazenda nova a 400
Libras de linha sorlidas de todos os
nmeros a....... 1(5800
Duzia de pomada do Porto muito
superior a. ....... 280
Babados do Porto, largos a 160 e 200
Capachos muito bonitos e grandes a 700
Carriteis de retroz preto, com 2
oitavas a. ....... 640
Agulheiros de osso enfeitados a, 240
Papis de agulhas domadas e ba-
ilo a.........
Carriteis de linba 200 jardas, Ale-
xandre a........ 10
Duzia de agulheiros do Para a. 240
Libra de linha francesa superior
qualidade a....... 20400
Caixas de palito do gaz a. 20
Bonecas de cera muito bonitas de
500 rs. ........ 3i50C0
Vendem-se para qne aaer ser twtrv servid j
dais excellentee escravas recolhidas, sendo urna
insigne enaommadeira, costureir e coxlnheira. d*
;ura, e idade 4onos, a ontra boa
todo o arraajo de urna ea^a,
una 1 mha de klauo 9 annos, um escra-
ro b >, muito preciso em nm eugenho :
na travessa do Carao n. 1.



6
Diario de
Peinambuco
Sexta feira
A VERDADE
Raa Duque de Caxiasn. 55
Na loja da VEttDM)E continna-se a ven-
der por baratissimos procos todos os ar-
gos de miudezas e pe fumarias do sea
grande e variado sortimunto, garauWndo aos
comp:ad ircs toda a sinceridade.
, Luidas bonecas de cera e massa por ba-
ratsimo preco. ,
t-'sutilhos douradbs para pendurar a
160 rs.
Agulhas de osso para crox a 200 rs.
Penles finos para segurar cabello, a
320 rs.
Cli icfiins para gaz a 320 rs.
Garrafa com tinta alizarina a IfjfOOO.
Dita uou agua orida a i ->k0.
Dita com dita dita a !-?0:'.
Tnico de Jayine a 15300 o frasco.
Frasco conioleo expresso de babosa, de
240 a 040 rs.
Dito com agua de Colonia de 300a 15000
Dito com extractos finos a 15000.
Dito com sndalo verdadeiro a 15200.
Latas com nauha muito ua de 120 a
240 rs.
S-.bosctes multo Pio n diversas craali-
dades a 80,160, 240 e 320 rs.
Finas escovas para dentes de 320 e 500 rs.
Ditas para fac,to de 500. 600 rs.
Ditas para cabello a 500 rs.
Pcntes para alisar com costa de metal a
320 rs.
Ditos ditos ditos de bfalo a 240 e 320.
Peutes para tirar piolhode tO e 240 rs.
Pavios para gaz, duzia a ftfl e 320 rs.
Brincos de cores, inteiramente modernos
de 180 e :40 rs.
Peonas caligraphicas mnito finas a 15400.
Ditas de anca e ciosinha a 800 rs.
Lindos babadiubos e entremeios de 500
e 15500,,
Grosas de botoes de louca de 160 e
200 rs.
Ditos ditos para calca a 240 rs.
Ciixa com papel amizade a 700 rs.
Ditas com envelopes a 480 rs.
Ditas com obreias a 40 rs.
Ditas com agulhas fundo dourado a
230 rs.
Th'isoura para costura a 240 rs.
Liaba de marca c^ixa a 280. rs.
Camteis de liabas de Alexandre de n. 70
a 200 a 10 rsq
Grampos muito finos, com passarinhos du-
ziaa 200 rs.
Carlas francezas para jogar duzia 35000
Ditas portuguezas, dnzia 15400
Papel a mago superior qualidade resma
41000,
L-'Hi muito fina para bordar libra 65500
Fitas para debrum desapato, pessa 160 rs
Ditas de lam para dtbrum de vestido peca
100 rs.
t'-wivetes pvndes com molla a 400 rs.
Ditos grandes com 2 folhas por 320 rs.
Rosetas pretas para luto, o par 100 rs.
Trancas de l.im de caracol branca e de
co;.:; de 0 a 100 rs.
Ft!s pan ees peca 480 rs.
Amete* de kilo, carta 100 rs.
Saoatinhoa de lam para creauca de 400
a 800 rs.
Calcadoras a 40 rs.
(ravatas dir seda prctu de 400 eMOrs. i
Ditas dd cruxo, brancas e do cores 60 rs.
Dito de gorguro do cores a 800 rs.
IVa verdade rm asaque de Ca-
sias B. *5.
-------------------------------- ,',, ,----------------------------;----------------------
ij&\ nova
de Lisboa anegada ltimamente na baro Jui$* :
WDde-e na roa do Apollo n. 40. _.',
...... !
Milho das Iihas
E
Feijao do Porto
ein saceos grandes, das qoalidades abaiao mea-
eionadas, e por meos pcef o do que ai outra
parte,
MILHO NOVO
Feijao mulaliolra Feijn preto.
Dito braneo Dito rosado.
Dito amarello Dito frade.
VENDEM
Jos do RegoBorsesA C. a roa do VlgafiO"-af4fi

Maio de 1870.
--------
WRO
GW- esdjflMiMnMs 'fcwfedas e roaaas feitu por medida, ra da Im-
peratriz n. 52 junto 'toja de ourives.

.

Grande armazcm aa ra da
lmpc> atrlz o. G
Neste grande armazem veude-se louf mglexa
Qnas e ordinaria-, app&relh jantar e para cha, jarros para flores os mais boai-
tos e de gesto, niodemos; asjioi orno gmade
sortimento de vidros finos o ordinarios que todo
se vendei tanto a retalbo como por atacado pelo
mais barato precy que em outra puaiquer parta:
>'tiamamos a atteueao dos freguezes, que serao
convenientemente servidos tanto nos ccnnwdos
precos como na boa nualidade das fajeada.
Cabriolets.
Vendem-se dous cabriolis, send um coberto c
de quatro rodas, e outro Dogcart, ambos oom to-
dos os arreios e perteaces : ai coebeira do Tho-
maz Lins, roa de Santo Amaro.____________
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
de Niiheroy.
nico deposito em Pernambuco caes da altan
dega velha n. 2, anda.
Neste estabefciDfn.WH8aCflntrar o respeitavel publico um bonito sortimento de
roupas de todas as qualidades..
Mlftrt de alpaca pret ede res a 35000. 35500- 750GQ, ditos mirin preto
de 7,5000 at 255000dffos d csemfra de cores Gata e ordinarias, de 6& 161000,
ditos de panno Unos de 80 85 101 e 2 (5000. sobrecasaco dito de 205 a 3O500O
Completo srtitaeiito da caifas dtate parda de 15GG9 a 64000, ditas brancas
de 25, 10500 o mais superior, ditas meia casemira, ditas caemira de 55, 120000,
ditas casemira preta 8e/^t, a f6KWOsuperior, dita de merina turereas qualidades para
lulo. Assim como um bonito sortimeoto de ooUeles do brim de cores, ditos brancos,
ditos de caseawra de cores e pttae, ditos de marin para luto fazenda superior.
Sortimento eonmtoto m camisas francesas de altodio, de ltiQO i 3(S0O0. e de
lfnho de 38|5000 a 7O0TO a thahr. Acabam de chegar ao GRANDE BAZAA
Sortimento completo de. ceronlas fraacezas de algoda de 1/1600 a -iAsnn UNIVERSAL, ra Nova n. 22cARimae
rwo,
MACHI!
COSTURA
erador bb. 26
M encontrar neste
atatutecHttento djlaniams un completo
sorttaawto de paatataaiav bollos inglezes
podios,, pds^aaeV ppnu>us dds- uUimos
qbofadaa m aaaafla, aalime de I ion, bo-
acuM fta da todasas qoalidades para cha,
cinwndoM canfcitadas, confeilos, bomboins.
paatithas, cboeolate francez em Fibras, pas-
tillas do mesmo .cartuxos e carteiras com
neis charutos decbo'olate cada' urna, este
sortimento de chscolate do mais acredita-
do fabricante de Paris e o melhor que at
2fi500 univcuoal., a ra iova 11. zzcariwhh -------. ------------~v
diUsde bramantes U8O0, 2300a3/jOOO ditas de namburgo, francezas, fazeoda m- vunNA-um completo sortimento de ^i^5fSZrtua5S?flanai mni.n .n^
perior de 25,5000 a 38#900a duna. SoKimentodecolarinhas dealgodao e hnho, etc., <* P coslura' dos aatores mais^!_=.:'" 5JI ma,t0 ?-Pe"
assim como maisa de aigoSo -pera homem de 3#, a 10^060 a duzia, gravatas de mui-
Vende-se una escrava de meia idade, cou-
nha e engorama sofTrvelmente : a tratar na ra
do Pugne de Caxias, loja n. i.____________.
Milho novo e barato.
Mais barato do qne em outra parte : para ver
no trapiche do Dantas, e tratar a ra do Apollo
numero 4.
Aos cem mil azulejos
Portugueses, hespanhes e francezes : na ra
Primeiro de marro u. 16, ontrn do Crespo, ar-
ma7cui de louca de Bernardmo Daarte Campos
&C.__________________________
Caf do Ceara'
Vende-se ptimo caf da serra d'Araia-
nha. Cear: ra da Cadeia do Recife
n. 5.
a todos os compradores. Estas machinas
s5o iguaes no seu trabalho ao de 30 cestu-
reiras diariamente, e a sua perfeicao tal
tas qualidades. Na. roa di Imaeratnz a. 5t, laja da
Sortinranta de chapeos de sol-de alpaca, e seda, ditos inglezes cabo de msrfim.
Toalhaa para rosto. Soatimento de mallas para viagem.
ATHlCio.
N6ste estabeltjefmento encarrega-se da mandar fazer qualquer obra por medida
e para esse flm tem WaOtTmestre encarregadb da oficina, quase eDCarrflga do trabalho como da melhor costnreira de Paris. Apre-
com perfeicSo e pontuadade. sentam-se trabalnos executados pelas mes-
SORTIVfENTO DE FA2ENDAS. t mas, que muito devem agradar aos preten-
Cliitas de 210 rs. o covado ou 10^000 a pesia cora 42 covados, ditas miudes, dentes.
para camisas e timSo de menino 260, e 280 rs., e outras nanitas qmlidades de 320, 360
e 400 rs. o covadit, neste mesraoesUibelecirnento chegaram, umas bonitas chitas da
victoria com barra, a qnal .6 para flhis ecompetente enfeile para corpiofio. Cam-
braia lisa de Z&, 44, 5# e 1Q00 a pessa, e outtas muitas fazendas de todas as quali-
dades.
nnecidos, as quaes estSo em exposicao no'r,or- 0s mm giraos e superiores vioho
mesmo Bazar, garantindo-se a sua boa qua-1d(> Port0' moscalBl e Setobal, o Ilustrado
hdade, e tambem ensina-se com perfeicSo ', PuMfco encontrar oeste estabelecimanto
por commodos preros, fazendo-se at
to a quem omprar era poreao.
Licores de todas as qualidades-, as mais
finas, entre elles o afamado Aiapana, este
licor o mais saboroso e superior, ate
boje conbecido. Xaropes da groselbe, rosa,
maracuj, caja etc., vinbos de Bordean de
- Vende-se urna casa terrea na roa da aoza- J" marcas' 0hmais SBperior que se
la-velha n. 44 : a fallar na ra Duque de Caxias Pde encentrar, Champagne de Chevemt
n. 85, loja da verdade. muito superior, os mais finos e superiores
ALGODAO E'MADAfOLiO AVARIADO.
A 4)5000 o algodao, e 4;)300 omadapolo. e tambem chita escura boa a 240 o
covado por ter grande porco, na ra da Imperatriz n. 52, loja com portaes encamados,
intitulado
; Leio de Oiiro.
Affirti AMVMAf.^-m j. wgnacs francezes, old-tem, de todas asbe-
illClIa e armaZem (le bidas alcuosas, este a mais salutar Dar
ma?,more
Caes
para
quem sofifre do estomago,
Conservas de legnmes, portugue8v fran-
Vinte e dous de novembro n. 57, ^eMS e ing'ezas, moibos mostrada etc.,
(outr'ora armazem allianca) I ffaclas seccas cnstaiisadas e em calda, na-
Ha para vender pedras marraores de todos os cionaes e estrangeiras de todas as qualida-
tamanhos e gressuras, tijolos de diversos ta-1 des, charuto1 dos mais acreditados fabri-
raanbos, soleira e saecadv,, assim como solei- cantes da Bahia e Rio de Janeiro, cimrros
ras e saccada de pedra de Lisboa. Tambem con- j. c D,irt a a;n a ;- JL .'*,UB
trati-w e faz-se qualquer obra, como monumen-1 de ?' Pau,0,e R, de Janeir0- ma'OS 8U-
: tos, tumoios, estatuas, pas, lavatorios, mesas e' penores, e finalmente tudo qoanto se dese-
tudo o mais tendente mesma arte, por mdicos jar tendente a este genero de negocio com-
pnC'is.
-c3
O
o
J
r\. 3 4 RA DO CABUGA N. 3 4.

Nao mais cabellos brancos.
A tintura japoneza para tingia os cabellos'
da cabera e da barba, foi a nica admittida'
Krposifo Universal, por ter sido reco-!
nhecida superior todas as preparacoes at
hoje existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a i ,5000 ca. frasco na
Bna da Cada n. 51,
1.
r.
co
>-
Com este titnlo acha-se aberto e inteiramente transformado este antigo
estabeleeimento de joias, onde o? freguezes e amigos encontrarlo tudo quanto
a moda e o bom ^osto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos procos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o qne existe de melhor era
aderacos de briihantes, esmeraldas, mbios e pernlas, meios aderecos, pul-
ceiras, brincos, aifinetes e anneis de todas as qualidades, prata de ei faquei-
ros. colheres, palileiros salvas e outros rauitos objectos que seria enfadonbo
mencionar.
Corapra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior prego do
qu em outra qualquer parte, treca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencenle a esta arte.
vende-se ou troca-se por caas nesta praqa
o sitio denominado dos Uontiz, antiga casa da la-
vagem de roupa, com grande casa de vivenda,
senzala para pretos, estribara, banheiro de pedra
e cal cim agua crreme, baixa para capim e
grande terreno para plantacoes : quera o preten-
der dirija se praca da Independencia n. 33.
m GAZ GAZ
Chegot ao antigo deposito de Henry Forster t
I, roa do Imperador, um carregamento de ga:
de primeira qualidade; o qnal se vende em partida)
e a retalho por menos preep do que em outra qnal
quer parte.__________________________
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicenta Fer-
reira do Costa & Filho, defrente do arco da Con-
ceicao. em barricas grandes
m
Tasso Irmos & C.
Vendem oleados preos para forro e guardas-ehu-
va de carros.
Ditos de cores.
Portas de pinho almofadadas, tannos diversos.
Oadeiras americanas de varias qualidades.
Tnico para cabellos.
Agua de Florida.
Michadlnhas. americanas.
# Vende-se urna escrava de 19 annos de ida-
de, e soffrivel engomraadeira : a tratar na raa
Nova n. 57, Io andar.
prometemo-nos a satisfazer toda e qual-
quer encommenda com a maior promptidao
e asseio : Como sejara para casamentes,
baptisados baiies etc., tambem se recebem
encommendas de pes de l ou bollos de
qualquer especie enfeitados e decorados,
bandeijas de bolinhos com armaoao de as-
sucar, assim como de papel, pecas monta-
das, gellatinas de fructas, auiendoas, leite
etc..
Os donos deste estabelecimecto n3o se
tem poupado a despeza* para melhor me-
recern a acoadjuvacao do Ilustrado pu-
blico.
Teihas de ferro.
Na ra do Crespo n. (5, ha para vender
por precos mnito razoaveis ura grande sor-
timento de teihas de ferro galvanisado, de
diversos tamanhos para cobrir casa e te-
lheiros que alm de ser mais barato do
que as teihas de barro e aformosear mais
qualquer obra muito mais limpo.
Retroz.
Qualidade superior e'sr.itido em cores : vende-
se na ra da Ca'eia n. 21, l" andar. _________
Vende-se urna psTava sm vicios nem acha-
ques, com 24 annos de idade. engomma, cuinha
e faz todo a servico de w;\ casa : a tratar aa rna
do Visconde de Pellas, casa n. 7.
\^fk
9
RA DA IMPERATRIZ
TMGILJKSMSUE]
CU
Neste grande estabeleeimento encontrar o respeitavel publiao, u:u grande sortimento de fasendas, do mais apurado rasto assim coran di TC* nr^cirrTT^To;a,a, "TT" '^r^^?
era o:!tra qualqoer parte, visto que os dovos socios rtesta flr.oa adoptaram o systema de s6 vennderem a l\Ui:iaO ; para poderem vendeJ Mtocusto Imitando ,pP TZl TITn^it *Z 8e "!eS PmeUe vn',er por prfcC0S m'jit0 maIs bral03 do W
e armazem podt ro fazer os seus sorlimentos polos meamos precos que comprara as casas estrangeiras. Para maior commodidade das Exmas familias toSmT^S^^^SS!!! ? n pessoas 5ue ne60C!ara eiB ,ner,or esca,la. sta Joja
derom escolher. "*' B MKWS as HMB CROCHE-SPARACADEIRASESOF.V5 6R0SDENAPI^8 PRETOS DE 1600 AT 7^000 CfUPOS DE SOI DFSFDV A inJWnn i ir Dir' ,minW
O Pavo tem um grande sortimento dos Na loja do Pavo eocontra o respeitavel A l )0-'ALPACrtS LAVRAD.VS
mais bonitos crochs para cadeiras, sofs publico ura grande sortimento degrosde!

^
S
FAVO
BONITAS FAZENDAS PA1U A FES-
TA DE
SANIO ANTONIO, S. JOO E S. PEDRO.
Vendem-se as rnais lindas poupeli-
nas i!e Kobo e seda com os gostos
mais novos que tra vindo a este
mercado, pelo barato preco de....
24000 o covado.
f?c J:is listradas, de furta cores, fa-
zendas de muita pliantasia a 2^000
o ovado.
S da bismark, larga fazenda muito
enoorpada o covado a 2;)500.
Uonitas lasinhas largas com palma
de seda, covado a i000,
cD Lindas agraciando lavradas covado
g a t/1600.
w Alpacas lavrada3 de todas as c-
^ res, covado a 610, 800 e i ^003
v Bonitas lasinhas escossezas com
>t miadros e litras de seda, covado a
S 560.
p^- Finas a'pacas lisas, sendo cor bis-
mark lyrio, verde,.rojeo, cinza, can-
^ na, aul etc., covado iGiO.
0 Ditas furta cores com as mais bo-
>*< riitas cores, covado 5>0) rs.
y Lindas bareges lisas, e tan lista
^ da rai'sma cor, fazenda inteiramen-
%k le nova, covado a 560 e 6i0 rs.
j Bonitas lasinhas tapadas etrans-
^ j? ircotes cora grande diversidade, o
m covado a 600 rs.
w Lasinhas lustrosas com lindas c-
>j res eraitaco de seda, o covado a
ZH JnJos, cortes de anadine, sendo
5 "Z6n(^a no*a e transparente e de
x% ranita phantasia, com 18 covados a
15000. i
^ Finissimos crtes'de vestidos bran-
W eos bordados-com todos os enfeites
3 francezes a 12^000.
^ Cortes de ganga indianos, fazenda
2R lateramente nova a 7)5000*
> Ditos cbineaes com duas saias a
Ditos de la escosseza fazenda mni-
to o nt t com fios de seda a 7dO0
Fini>simos organdys com lista de
r e salpico, sendo fazenda do
>$ muita phaotasia, o metro 1*5(280.

Organdy braneo cem listras lar-
gas e quadrinhos, a va>"a a lOOO.
Todas estjs fazendas, sao inteira-
^ mente novas e se vendem muito em
conta, 'rua da Imperatriz n.'GO,
0 do & c m
wmm mmmmmm
de 12^000 rs. cada um, pechincha.
CASEMIRAS ESCOSSEZAS.
0 Pavo tm boni as ca>einiras escosse-
zas com quadros grados e midos e outras
li-^as com listras ao lado, sendo fazendo
muito lina que se vende mais barato, por
haver grande porco.
COBTES DE CASEMTBA PUETA A 4:500,
O Pavo tem os superiores cortes deca-
semiras pretas enfeitadas pelo barato preco
de 45500 rs. o cort,
CASEMIRAS RASPADAS A 800 RS. O CO-
VADO.
O Pavo epde excellente fazenda de pura j
la com as cores escoras muito proprias
para calcas, palitots, colletes e roupa para
meninos que frequtratara a escolla por ser
urna fazenda leve, escura e de muita dura-
co. pechincha a 800 rs. o covado ou a
20*800 o corte de calca para homem.
FINAS BARGES A 640 RS. O COVADO.
O Pavo tem as mais lindas bareges de
la sendo meias transparentes, com urna
s cor, tendo : lyrio, azul, rosa, Bismarck,
roxo, etc., tendo muito boa largura e liqui-
da-se por 640 rs. o covado, por se ter fei-
to urna grande compra, assim como ditas
mais estreitas de orna s cor com listras
imitacao de seda a 560 rs. o covado, e pe-
chincha.
PECAS DE MADAPOLO A3500.
O Pavo vende pessas do muito bom
madapolo, tendo 12 jardas cada urna, pelo
barato preco de 35500.
PECHINCHAEM ALGODAO A UO00 RS.
O Pavo estrvandendo pecas de algodo-
sinbo francez, tendo 4 palmos de largura e"
com 11 metros cada peca, pelo barato pre-
de 45000 rs. 7
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se superior cera di carnauba em
saccas, mais barato do que em outra qnal
quer parte, na ra da Imperatriz n.gjOO,
loja do Pavio.
OS SETINS PO PAV.lO
Vende-se os mais bonitos sel i ns de cores
e mais encornados, pr.tprios para vestidos
tendo de diversas cores.
mesas, alraofadas etc., proprios para co-
brir presentes e vende-se mais "barato do
que em outra qualquer parte.
Algodao eafestado.
Vende-se urna grande porco de algodao
snho americano com 8 palmos de largura,
proprio para lences e toalhas, tendo liso e
trancado, que se vende por preco moito em
conta.
LAS ESCOSSEZAS
LAS ESCOSSEZAS
LAS ESCOSSEZAS
A 530 rs. o covado.
Chegou para a loja do Pavo, o mais
elegante sortimento das mais lindas lazi-
nhas escossezas com os de seda, as quaes
fazem o mais delicado effeito, para vestidos
de duas saias, e vendem-se pelo baratissi-
mo preco de 60 rs. o condo.
SEDAS DE LISTA
SEDAS D1'. LISTA
SEDAS DE LISTA
a 25000 o covado.
Chegou para a loja do Pavo um grande
e bonito sortimento das mais lindas sedas
de listas cora as mais delicadas cores, tendo
entre ellas algumas que servem para luto, e
vendem-se pelo barato preco de 25000 o
covado, pechincha.
FAZENDAS PARA LUTO NA LOJA PAVO
Encentra o respeitavel publico neste es-
tabeleeimento um grande sortimento de fa-
zendas pretas, como sejara cassas france-
zas e inglezas, chitas pretas de todas as
qualidades, fazendas de 13a de todas que
tem vindo, proprias para luto, sendo lasi-
nhas alpacas lavradas e lisas, canto, bom
basinas, merinos, etc. que tudo se vende
por preco barato.
PARA BAPTISADOS
Na loja do Pavo vende-se bonitos en-
chovaes para baptisados.
Cortes de casomira a 40000, cadaom.
Vende-se boaitos cortes de casemiras
clans 6 escura* pelo barato preco de 45,
oo a 2f ion o-covado, tpndo dnas larguras,
CORTINVDOS PARA CAMAS E JANELLAS
de 85. 105.1 5e 165000.
Chegou p.ra a loja do Pa*o um grande
sortimento dos bonitos e ricos cortinados
bordados, proprios para camas e jaoellas,
qu se vendem de 84000 o par. at o ans
'ten que vem ao mercado, o vende* mais
barato que em outra ^ralqner parte.
naples pretos de todas as larguras e qua-
lidades, tendo de 15300 o covado at 750O0
e 85000, que se vende por preco muito
em conta.
CASSAS FRANCFZAS.
Chegaram para a loja do Pavo as mais
lindas cassas francezas com delicados pa-
drees, tendo para todos os precos e quali-
0 Pavo fez urna grande compra de cha-
peos de sol de pura seda, inglezes, com as
basaras parago. sendo neste genero os
melhores que tem vindo ao mercado, e li-
quidam-se cada um pplo preco de 105000.
ROUPAS PARA HOMENS PARA TODOS
OS PRECOS.
N'este grande estabelicimento encontrar
o respeitavel publico um grande sortimento
dados, dando-se todas amostras, assim como de roupas, sendo palitos e sobrecasacos de
nm Bonito nrHuMfitn Hac mole linHi i,: _____r ^ .
om Bonito sortimento das mais lindas chi-
tas francezas escuras e alegres, que se ven-
dem muito em conta, e tambem se do
amstras.
CHITAS A 240 RS.
Na loja do Pavo vendem-se bonitas chi-
tas francezas claras e escuras e coresjflxas
240 rs. o covado, e pechincha.
- LASLNHAS A 320.
LASINHAS A 320
LASINHAS A 320.
Na loja do Pavab vendem-se elegante sor-
panne preto e cazemira, calcas e coletos de
brim braneo e de cores, que tudo se vende
mais barato do que em outra qualquer parte ;
assim como um grande sortimento de ca-
rnizas francezas e inglezas, e ceroulas tanto
de linho como de algodao e abundante sor-
timento de meias cruas.
VESTIDOS INDIANOS COM DUAS SAIAS.
O Pavo vende urna grande porco de
cortes de vestidos indianos, tendo duas
j saias e tendo bastante fazenda, com os gos-
A
1,000 RES.
640, 800 i
Chegou para este grande estabelicimerno
o mais bonito sortimento das mais moder-
nas alpacas lavradas de todas as cores, que
se vendem a 15, 800 e640 reis o covado,
assim como um grande sortimento de alpa-
cas lizas de todas as cores
timento das mais lindas lasinhas lustrosas,',
com listrinhas a imitacao de poupelinas de | toL" nt0VJ quVem vmd0, e ll(Julda-se
seda e com as cores mais lindas
vindo ao mercado, sendo fazenda
maito mais dinheiro, e liquidam-se a 320
rs. o covado, pechincha,
PECHEVCHA
EM CAMISAS DO PAVO- A 45500 RS.
quetem;J5?00'tendocada
que vale fiur,no-
i seu competente
CASEMIRAS MESCLADAS A 35 0 COVADO
0 Pavo tem para vender bonitas case-
miras mescladas e bastante encorpada para
roepa de homens e meninos pelo barato
Vende-se um bonito sortimento de muito: Preco de 35000 cada covado ou 55000 o
o------a________:... :__i___________: corte de caca nara nnmp.m.
finas e modernas camisas inglezas com pei
to e coliarinhos de linho e puahos, pelo
baratissim preco d 45500 rs. cada urna
e aos freguezes que compraron) duzias se
corte de calca para homem.
Roupa por medida.
Na loja do Pavo manda-se fazer qualquer
Ihe far um abatimento, garanndo-se qne peca de obra a vontade do freguez, para o
e fazenda que vale muito mais dinheiro, !qae tem um perito alfaiate, responsabelisan-
nquida-.e por este preco por se ter feito do-se os donos do estabelicimento por qual-
uma grande compra: assim como se vende qaer falta que possa baver, quer por de-
ura bonito sortimento de ditas tambem com mora, quer por qualquer defeito na -obra;
peito de linho bordadas e ditaSilo algodao e para isto encentra o respeitavel publico
para todos os precos. i ma grande sortimento de todas as fazendas
PANNO PARA SAIAS A 15000< 150 e que desejar.
Vende-se iJffSJL Jproprias para I BRAMA A 1800'
saias $|ndo com bordados e prega a-Hm Vende-se superio bramante com 10 pal-
lado, dando a largura-da fazenda o cotapri- mos de largura, proprio para lences, dan-
TlrtS e vead6-8e Pe, barato preoo! do a largura d'esta boa fazenda o compri-
de 15000, 15280 e 15600, cada metro en- ment do lencol, sendo preciso para cada
d^preemapeaas 3 ou 3 1/2 metro para' om apenas 1 e 1/2 metros ou 1 e 1/4 pe-
cada saia pecbincha.
Vestido brancos a 1 r.
O Pato venda flnissimos cortes do fos-
ados de carabraia >raoca, ricimonte bwd*-
pelo preco.
ESPARTILHOS
chincha
A *O00.
Veode-so um bonito ortimento dos me-
lhores e mais modernos espartilhos teade
loja do^Pavao est constantemeate aborta, das 9 horas da mnha, s 9 da nonte
Basquinas.
Chegaro as mais modernas basquina
ou jaquetinhas de seda preta, ricamente
enfeitadas a vidrilho, tranca e sethn preto
tendo de todos os modellos, os mais novos
que tem chegado e vendem-se por precoa
muito razoaveis.
POUPELINAS DE SEDA
POUPELINAS .DE SEDA
POUPELINAS DE SED \
a 2000 o covado.
O Pavo acaba de recebar o mate ale-
gante sortimento das mais lindas vei dadei-
ras poupelinas de linho e seda oom os pa-
drees mais delicados que tem viada ao mer-
cado, tendo entre ellas cre- proprias para
alliviar luto, e vende-se palo barato preco
de 25000 cada covado, pechineba.
Cambraias brancas
Vende-se ura grande sortimento das me-
lhores cambraias tanto victorias como trans-
parentes tendo de 35500 peca at a mata
lina que vem ao mercado.
CAMBRAIAS BRANCA* A 4*000, A PECA.
S o Pavo vende pecas de cambraia
branca transparente, tendo mw de vara do
largura, com 10 jardas cada peca, fazenda
que sempre se vendeu a.75 e 85000, liqaa-
da-se pelo barato preco de 45000.
CHITAS FINAS DE 320 A 500 RS.
Vende-se o mais elegante sortimento da
mais modernas e bonitas chitas tanto mn-
elas como gradas, com cores claras e os-
curas, dando-se de todas amostras.
FUSTES BRaNCOS A 640^800 8 JOO.
Venda-se mnito bonitos fastoos brancoa;
muito flexivel proprios para.-vestidos da
S3nhoras e roupa para meninos' venctesaa
a 40, 800 e 15200 rs. o covado.
Cuma rs.
O Pavio est vendeado booitataaaaaa
csws flxat a 240, 2 300 rs. o covada
T
^r



I

mi iU itlf -si Xi V ooadjiuunA al oh*
Diario d Pemamhuco Sexta iehz 27 de Alaie 4* 1270.
O

EiqtMai ,fflefttio e wmptuoso estabelecrniento de fnzend.Ts encontrado as Exmas.
m^q^SXA^T^ ***** "T0S d maS rg0r0S|US0' mo m lodas
,am todo* n *^Ul *'S *8ire, Pwdos do fine de melhor i encontra neste mercado,
S^!r!r. T**9U,tt "-i!, recohem direcl.Hwnte o que era arlaos de moda e
^ZSZz*? S* T*'1 B,apa. <> qu vtm cadadia augmentar s propor-
9* MqMedMp^MtftflstateiBciiaBL-ta para tan serrirsua numerosa fregaezia.
i ''^ ra%.
!S?^?^,f^i^!'' rque costuma vir ao mer- da inteiramente nova para venidos de baile..
Grvalas para sennotas e homens, o mais


I:
^"*3J5iB"
cade.
AJpica de iodoi os padrees e quada-
dwfl o variadas que se nao podem descrever.
AJwtecoBJ-m'j.sicas para collocar retratos,
' pwsente para qualrjuer pessoa de
ts;ima.
dtoaftrjo d linlio e algodo, branco e
acres proprios para toalhas.
completo sortimenlo que so pode desojar.
Guipure ptwto e branco, diversas larga-
ras e differentes gostos. ,
Gollas e punbos bordados para senhoras.
Guardanapos de liuh o pequeros agran-
des.
Gorguraode seda preto e de cores.
Grosdenaples preto e de cores, baveo-
JLOJA
no
u
^ $UIMAt>6
5.
GALLO MEANTE
Roa do Crespo a. 9
Os propr'.;i._n'-s deste beio conhecido estaoele-
cimente, alni dos mutas objectos que tinhaiu ex-
posts aapr.riaeao do respeitavel publico, mfc-
daram vir e aoanam di roceber pe\(t ultimo vapor
da Europa, un completo e variado sortimenlo de
Anas e raui delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvimos a vender, como' de seu oostnme,
por precos inuito baranhos e eonimodos para lo-
dos, rom tanto que o Gallo....
Muito superiores lavas de pellica, pretas, bran-
ca* edeawii lindas cores.
Mu boas e bonitas golliius e punhos para se-
nbora, ueste genero o que ha de mais moderno.
Superiores entes de tariaruga para coques.
Lindos e riquissimos, enfeites para cabeeas da.'
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores eom vidri-
Ums aunadles; Ua Cazouda o que pode haver
OBI
Itaeqiuaae de seda pretas e muito moder- do diversas'quadadus agostos.
ms, tan orno de jefrt, lati do apurado t0oLoLfjl10' -^u. a. Japonezes para sennnras, o melbor gos-
t de nraseetaa, madapelSo, brancos to, e fazenda propria para as festas nos ar-
de eeres, para senliora e meninas, rabaldes e passeios a tarde,
trefes de cores variado sortimento. ^
Habadmhos ou tiras bordadas em todas as Laazinbas de todas as vialidades, edres
grande!
:a*gurw.
Belbutina de todas as cores.
Bolsas de tapte para viagem
*ariadade de tamanhos e gOBtos.
Bombazina preta de todas as qnalidades.
Bramante de linho de H palmos de lar-
enra, todas ;s mais qnalidades.
Bretanbas de lintio e algodo, grande sor-
e gostos, nao Gcando nada a desejar, tal
o sortimento que existe, para escolbcr.
Lencos, ludo quanto pode aver desde
esguiao ao algodo commara.
Leqnes'dc madrepcrola e osso, o mais va-
riado sortimento.
Ligas d seda, bordadas, para senhora.
Luvas de Jottvin, ebegadas por todos os va-
pores, sempre. noto sortimento, qeer em
arma de linho branco e de cores, do mais pellica para homens e senhoras, quer em'.o
ommodoao mais caro emqoalidade, affian- d'Escocia, brancas e de cores. '
**ndo o qutfba de melbor na especie. m
Brins d'alsrodilo completo sortimento e Madapol*); indescriptivel o grande sor-
*aried /-. ja <3i. elevado preco ao menor, que, se vende ea
latos de cores, o maior sortimento, pri- peca e retalbo por menos do que em ou-
oando pelo bom gosto e barateza, atientas tra qualquer parte.
qaahdades Mantas de Monde para notas : o apurado
LamDraiasOreiiras, tapidas, e iransparen- gosto dos nossos correspondentes em taris
*s de todas as qualiclades e precos. habilitnos a dizer que temos em nosso
uamuinhasde cambrata de Imho e cassa estabeiecimento o que de melhor se dese-
Dordadas ricamwtte enfeitados para Sras. ja para vestir e ornar urna noiva
geral, e em
tetem rerebido
luntaria ella confia c espera na benevolencia de todos que aVatlenderao o relevar3o,
continuando portante a riih'girem-se a bemeonhecidabja da AGIA BRANCA ra do'
Queimado n. 8, onde sempro acbarSo abundancia em sortimento, do superioridade em
quididades, modicidade era precos e o seu nnnea desmenttido AGRADO E SINCBRIDADE.
Do que cima fica dito se ronhecequeo tempo de que a AGUA BRANcVpode
dispr, etnpregado apezar de seos castos no desempeiiho de tiu-servir a aquelles que a
honrara procurando prover-se em dita-loja dn que nucessitam, eniroianto sem ennume-
rar os objectos qae por sua natureza sao mais conbecidos ali, ella resumidamente indi-
car aqncHes coja importancia, elegancia e aovidade os toruam lecomraeudaveis, como
b- m seja :
ADNB.EH
Grande quidaejio na loj-t ar-
mzeiti do
Camisas para iiorrens e meninos, tSo va-
':ado sortimento que vai do mais ordinario
aiadapoto ao mais perfeito bordado de li-
te cambra ia.
Cimisas de meta, de flanella, brancas e
e cores para liomem.
Casemiras pretas e de cores, o melbor
aue se pode imaginar, sendo d'isso a me-
or prova o grande consummo dellas na
cKcina da casa.
Capellas de flores, para noivas e bailes,
:esde a mais candida flor de larangeira at
i mais interessante griaalda.
Ctapelinha? no melhor gosto,de todas asj
-3res hoje preferidas pelas senioras de
a-ais apurado rigor na moda.
Chapeos protos de velludo, para senhoras,
ultimo gosto de Pars.
'^hap*crs>de sol, para s-nhoras e bomens,
e todos,os prejos e variados gostos.
Chaly cora ricos padroes para vestidos.
Chales de todas as qualidades, avultado
caero e n3o menos variedade de gostos,
Chitas, impossivel descrever o sortimen-
n e variedade de padroes e novos gostos,
u neste artigo tudo quanto se pode desejas.
Cintos para senhoras o que se pode ima-
pnar de melhor.
Coques, o melhor no gosto e nos cnlei-
'es, varios lmannos.
Colchas de seda com borlas, o mais apu-
rado gosto e lavor.
Ditas do fusto branco e de cores -por
precos commodos.
Corpinhos de cambraia, ricamente borda-
ios para senhoras.
Cortinados de cambraia bordados e de
Ll.o que de^m^lbor se pode desejar.
Colarinhos de linho bordados e lisos, o
c.a>'or sorlimento.
Damasco de la de 9 palmos de largura
.adas m e ricos padres.
Espartilhos trancos e de cores, para se-
toras e meninas, o melhor neste genero ;
enhuma Sra. deixar por certo de muir
*e de to precioso auxiliar perfeicao de
z.m corpo delicado.
Batremeios bordados.
Eseomilba preta.
Enfeites para cabeca, ultima moda de
faris,.recobida no ultimo paquete.
Esguiao deiinho, completo sortimento de
*u>dos os nmeros.
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
dade de gostos o-lindos padroes,
Fishs de crochet, modernos com cintos
e capas, -o que ha de melhor.
Pil de seda, linho e algodSo, de todos
os gostos e padroes.
Fusto de todas as odres e qnalidades
grande sortimento.
Flanella branca e de cores.
Flores, o qoe ba de mais rico, qnor
tonas, qner-'eni rtmo3, fem oPAVILHaO
DA AOHOftA om permanente jardim a
cispoeico Mantas preias de blond.
Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos pretos, trancados e lisos.
Musselina branca e de cores, lidos e va-
riados padroes.
Pannos pretos e de cores, desde o mais
barato ao mais superior, por preco muito
domando.
Pannos do crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de, casemira muito finos para
mesa.
Peitos bordados de linho, lisos e de al-
godo para -camisa.
Princetas pretas e ,e cores.
Popelina do seda e linho, com Iistras e
flores; fazenda lindissima.
Peloerinas para senhoras, do ultimo
gosto.
Perfumaras; os mais unos extractos o
que de melhor e mais agradavel se pode
encontrar neste genero, e de mais fragante
e suave no olpaato, lera o PAViLHO DA
AURORA, dosde a verdadeira agua Flori-
da at o mais fino Bouquet d'Amour, final-
mente tudo quanto deve eccupar o touca-
dor de urna senhora de gosto.
Saias bordadas, brancas, lisas e de cores
com folbos e sem elles, o melhor possivel,
Sahidas de baile, de todas as cores.
Sedas pretas, de quadros, lavradas, lisas,
de Iistras de todas as cores e qualidades e
o mais barato possivel.
Sanrelim de todas as cores e qualidades.
O
Tapetes grandes, lindas pinturas para 8
cadeiras, mais pequeos e de todos os l-
mannos desejaveis, e em peca para co-
vados.
Toalhas de labyritho, do maior e mais
fino trabalbo ao mais barato.
Toalhas de linho e algodo de todos os
tamanhos, lisas e felpudas.
Tarlatana branca com palmas e te cores,
fasenda muito nova, e gestos delicados pro-
pria para baile.
Vistuarios bordados de fusto brancos e
de cores para meninos, de cambraia para
baptizados, o que de melbor tem viudo
este mercado.
Vestidos de la escoceza de 2 saias,
novidado pelopadro, gosto eforma; ditos
de linho com barras do cores, e de cam-
braia de cores com 2 saias, tudo inteira
novidade, trazem os modellos juntos para
mostrar a forma de os fazer.
Veos de blond para noivas e pretos para
luto. .
Vestidos de blond para noivas: podemos
asseverar as nossas Exmas. freguesas, que
somos os nicos em Pernamboco que pode-
mos offerecer ao Ilustrado publico, o mais
apurado gosto em semelhante materia, gra-
tas ao bom gosto do nesso fomecedor era
Pars, podemos garantir que ningnem neste
genero o possue melhor, nem mais em
conta.
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com Otas de scim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeico de ador-
nos os tomam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cfes e qua-
lidades para cintos.
Loques uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree o desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para no massar o pretn-
deme se lhe apreserttar o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipure branco e prcto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodo com flores e lisos.
Veos do seda para cbapeiiaas e monta-
ra.
Meias do seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costantes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortheento de flores finas.
Fil de seda, preto.
EERFUUARIA
Grande e constante sortimento de dita,
sompre melhor quajidade.
Lindos vasos com p "de arroz e pinsel,
Caixinbas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos- de plaquee.
Adrenos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesooras para frisar babadinbos.
Aspas para barSo.
Noves stereoseopos cora )8 vistas, as
qu8*s sao movidas por um machioismo
urnas siihstituem as outras.
Visus para stereoseopos.
Bonitas i-axinhas de vidro-afeitados com
pedras.
Ditas de madeira euverttisada com vispo-
ras e com domines,
Bollas de borracha para brinqnedo de
Tguquinhas de fil, sapaiiuos bordados. enancas,
e-meis Para ditos. Diversos objectos de porcelana, proprios
Camisinhas bordadas para ditos. para enfeites de mesa e de lapinhas.
1
i!mize\s
NOS GRANDES
1>E SUCOOS
?J1
OLIEAOON
CONSERVATIVO
N. 23Largo do Terpo.BT. 23.
DE
S1MA0 DOS SANTOS & C.
PROGRESSO
10 Pato da Peuha
DE
10
legues de madreperola,
sendo aquelles branco?
_ estes pretas.
Muito superiores meias to de- Escossia par se-
uhoras, as quaes sempre se vendej-am por 3*0K
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20Z,
aiem destas, temos tambera jrrande sortimenlo de
outras qualidades, entre as quaes alcumus muilo
ilutas.
Boas bengalas de superior canna da India e
casta de mariu eom. lindas e encantadoras tigu-
ras do mesmo, Oeste peero o que de melhor s
pode desejar ; aim dess tomos tambem prand.
uanlidade de oui ras qualidades, como sejam,nu-
ueira, baloia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e s-nperiores lipas de seda e borracha
para segnrsr as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas^ de i a 12 annos de idade.
Navatlras cabo do marfltn e tartaruga para fazer
barba ; sao nuilo boas,e de nuis a mais sao ga-
rantidas pelo.fabricante, e nos por nossa vez tam-
ben asseguranws sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agalhas para machina e para crox
Linha muito btia de peso, frouxa, para enchef
labyrmtho.
Bon haralhor de cartas para vollarete, assim
como os tontos para o inesuiu fim.
Graiide o variado sortimento das raelhores per-
fumarias e dos melbores mais conhecidos per-
fumJstas.
COLARES DE ROEH.
Electrices magnticos contra as cunvulsoes. e
facilitara a denticao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por toaos os
vapores, am de que nunca faltem no mercado,
eoino ja tem acontecido, assim pois poderlo aqael-
tes que dalles precisare, vir ao deposito do gai!<
vigilante, aondo sempre encontrarao destes verda-
deros collares, o os quaes attendendo-se ao fim
para qne jo applicados, se vendero com nm ram
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ra da imperatriz n. <52, poriaes encarnado,de
farades Porl.., junio i l.ja do uUlive.
>ainir-in aduiimn arinmem.
Admirem ntrniren artm>rero.
Admirem ailiriuin a.inirein.
tirando porcao d; chitas.
(r.oide porcao da rbtoe.
a ^on a Grande porfo de chitas.
A OO e ?40 rei n r A 200 e JiO res o cavado.
A 200 e 340 res o cavado.
A 200 e StiOreis o cuxario.
l'aia ac.iliar depresfa.
I'ara acatar pnfi4.
rtira araliar tcpTft'i'a.
'ara acabar depieta.
Vende barato para vendir muito.
Vendo barato para vender muito.
Venda barato para vender m itf>.
Vende barato para vemlf r nsito.
A |n*fsa cun te l-/ anvaoVll a '.'l e (Ojt
A ptssa emn te iii cnv,-:dos a Bj ;t
A pifsa emn 42 l|ti ruados a 94 if
A pcffa cun 4 l\ cvvadua ;; 9| t U)f
Alpaca de cores r*rnra ( rlans.
Alpaca de cofe> e-cin:i- e rl.iris.
Alpaca de cores escuras tirm,
Aiiiuv a -'O .'1'O n riwai.
Adinra a 2NI ,- :O c. eva,..
_, Adiura a 2i-0 e 3i o covndo.
Ao Ifio de nnrn,
No i'.'im de ooro.
-No leao de ouro.
lilla il i liiiperalri/. n. {>?.
Atten^o
Na ra do Duque de f'aias, ooirora roa do
Queimado n. l'.i. vende-ao cambraias micdMha*
e de fl >re-. bonllM nadtSeS e finas a ^00 e 3C0 rs.
o corado, barato.
ESC3AV6S FG1C0S.
CEMENTO
O verdadeiro portland.
ra da Madre de Deus n.
Joao Martins d Barros.
So se vende n
22, armazom
i mtpondod Ufo grande e variado sortimento que os proprietarios do PA-
fTMAO BA AURORA se apresentam ao pblico declarando desde j que a smcerida-
4e e o bom gostoo movel anteo de sens negocios.
Prvidos de* todo e promptos sempre a prover-se do qoe por venlbra lhe
aqa neeeseario, os proprietarios deste sumptuoso estabelecimento recommendam-se
en i"eoei de serera contradictos e protestan esforcar-se por continnar a merecer
proteao que se Ibes tem dispensado ; certos de que do seu estabelecimento nSo sahinl
o freguez despntente.
Contina sempre a officina de alfariate dirigida por um dos mais habis artis-]
'4, wwipto tecnur com promptldao e bom gosto qualquer trabalho qne lhe seja
cmujho.. w modista especialmenteoceppada nos trabaihos do PAVILHO D\. AU-
',UA, dirige os que Iheslo concernentes, garante por seu apurado gosto e nromndo
eeofae e a mars completa perfetcSo nos seos trablhos. ^
^__.Vrim,!l0!*"fr8,ietia ?? "M nonra urna prova de qne merecemos ecn-
omo rae ee p| noMoestabelecimeme, conceito que procuraremos finaar cada
*t SSL^^-L*^SifLI,ELi concaettao^do fim que nos propomos, temos no nosso
subeteameoM os iHtonos %urinos de Raris, qoe recebemos por todos os paquetea, o
SflenvS5!S2f S!^Jerem *?** *5 fi"nilias n(resas fre^zas, fim de escotterem,
coa o pMvsao>*a fazenda o gesto na forma.
___. *" Officina de alfeiate, jont ao estabelecimento, ba igualmente es urinos
Wkoaeoaqoe por tWos es vapores se-reoebem.
^M. v e*frTB8e^porqa nes apresentamos pedindo a proteccSao alastrado
? rtfcatfe respdto convidamos s exceUentissimas Sras. a visi-
nend J9*"0"10' certa> wcontrarem nelle pelo menor preco possife-
.sa .uuJ!*-1.....u.u e*M|,w !* eendas eamostras onde fbrem pem'da,
io podermot especificar tudo qoanto tenes.
XmU3, Sobrttto &C.
Aborto
visto
6 s 9 horas da noite.
SANTOS & FJERREIRA.
Os proprietarios destes bem sortido^ armaztns partiopam aos seus innmeros
freguezes tanto desta prarja como do matto que teodo eito grande dinnui$o de pro-
cos as suas mercadortas est5o porissoresolvidos a vender por menos de JO e 20 \,
do que ea: ouira qualquer parte, garantindo-se portauto a s pt-rior quadade de qual-
quer genero comprado uestes dous estabelecimentos. Mencionamos alguns dos nossos
gneros e a vista destes so comprehendidos os outros, porque enfadonbo seria men-
cina-los.
Se alguem duvidar venha ver.
Vinagre branco tnandado vir por conta
propria. rindo de Lisboa, a 320 a garrafa e
480 o litro.
dem tinto Figueira, Lisboa e Porto a
320,280, 240 e 200 rs. a garrafa e 480 300
rs. o litro.
Vinbo Figueira, Lisboa, Porto e Estreito
a 560, 500 480 e 400 a garrafa litro.a 840
"60, 720 e 600.
Vnho branco puro de Lisboa a 640 560
agarrafa, em porcoha abatimento.
Gaz americano marea Deves a 8800 a
lata, 380 rs. a garrafa e 560 o litro.
Azeite doce de Lisboa a 900 e 10000 a
garrafa era porco az-s3 grande abatimen-
to.
Caf em caroco a 220, 240 e 2^0, a li-
bra o kiiogrammo a 480, 540 e 600, e
i 70000,.7*300 e 84800 arroba.
Milho alpista 200 rs. a libra e 440 o k
I logramma e 5*800 a arroba, em porcao ba
Vinbo do Porto, engarrafadodas meihp- ^batimento,
res e mais acretadas marcas a 1*000 o 1*200' -Quei,os frescos do ulttm-va>or a ^m
1*500 e 3* a garrafa.
dem Bordeaux, Medoc e St. Julien a
7*500 e 6*500, a duzia e 6M> rs. a garafa.
Genebra de Hollanda e laranja doce aro-
mtica a 6*500, ?*, 11*500, a frasqueira.
Seroja Bass, Illers & Bell a 9*800 du-
zia em porco ba grande abatimento.
dem marca OeTe outras marcas .a
5*500 e 6*, a duzia e 500 rs. a garrafa.
Assim como ba outros muito s
i e 3*400 cada um.
Ale tria, macarro, talharim a 500 rs. a
libra e 1*100 o kiiogrammo em caixo ba
abthnento.
Sabo massa de Ia e 2a quabdade a 220
e 240 rs. a libra em caixa ba abatimento
Xoucinbo de Lisboa muito alto a 400 rs.
a libra e 880 o ki'ogrammo, em arroba ha
grande differenca.
gneros, vinbo em ancoretas, azeitonas,
passas e figos, charutos finos de diversas marcas, marmelada, bolachinhas de todas as
qualidades, perola, Francy-cracynel, a, b, c, Mdium, mixed, soda Fancy^ionac, pa^
lace de Vanetees, combination, Britania, doce de rfoiaba fina, chouricas, manteigas finas
franceza e inglea, banha derBaltimor, pheephoros de Sycuryt, Cognac, cb de diveri
sas quaiiaaues, uaneUa, pimenta do reino, ervadoce, pomada, aniofre, breu, peixe
om laus desdas as qualidades, farinba de milho americana, grandes molhos de sebol-
jas, nestes doos armazens extete ambem grande sortimento de loucas proprias para, ne-
gono, qne peles seus commrwtos proco fci vantagem aos compradores.
Veposita tffectico dos productos da oompanhia das
aguas de Viehij como stjam :
Anua Source Celestina.
Da dit Uanterive.
DiU Graieldon etc. efc.
Saes de Vhy para bachos,
flastilhas de Vichy eto. etc., tudo por procos mui-
to em conta, em cai* de.Tjssetlrreg, ra do Com-
aercio n.".
Os mesroos leem para vder coctiac suoerior *
viHf dedwero qntiidadas. '
T
Em casa de Mills Latham & C, ra da finan
i 38. v*od*ra-*.foihasi Vende-m a casa terrea n.-H. em chSos pro-
prio,, mta aiBi Oinda ra no oilao do Amoar i
oom 4 arte*oorrt!dor ao mel a duas salas
ratar no 1 andar n. 54 roa da Cadeia do FUcki
mmmnmmmmm msmm
m IPnha de man- i
dioca.
fibegoo i ypracado Corpo Santo
A. 17,1" Mdar, escriptorio de Jos-
quim Rodrigues lavares de ello i
saperiocfirteba-d Ierra.
fmperil n^SS}6 MT '' Ira,arns raa
Fzendas com toque
de avaria
MAOAPOLAO FL1A a 4*. 9| e 6* a peca.
(L\MBH^1AS MAT1SAAS a 180 r o covado. ,
CAMBRAIAS FIA AS TliAMSPARENTESa 4*000
a pc'i
ACGODAOZIWIO rom 18 lardas a 3*a peca.
..GODAO LBTRAS AMBRICANOear*MUp
de escravos a 2*0 o covid. ,
LEACOS JDE CAMBRAIA braocos finos a 2*600
a duzia.
CHfTAS ESCORAS AUATBiffiAS EB0BI5BA
a^JMOfleofado.
' Do-se amostras na ra do Crespo n. 25, loja de
Manuel Das Xavier. ,. H
Jcordeiro previdenti
Risa do Novo e variado sortimento de perfumajii
finas, e outros objectos.
Alem do completo sortmento de perfc
alarias, de que efl'ectivamente est provida
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba (
receber um outro sortimento qoe se ton
ootavel pela variedade de objectos, superior
dade, qualidades e commodidades ds p.-'
eos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pee
e espera continuar a merecer a apreciac
do respeitavel publico em geral e de k
boa freguezia em particular, nao se afa:
tando elle de sua bem conhecida mansidl
i barateza. Em dita loja encontrarlo <
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Laminan.
Dita de Cologne ingleza, americana, tn
ceza, todas dos melhores e maisacreditad
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Exir odontalgia para conservado t
sseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e ch*
res agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, coi
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparen.
d outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel en*
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igra
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidad
oom escomidos cheiros, em frascos de difl
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menon
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em figt
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barb.
Caixinbas com bonitos sabonetes imitan^
fructas.
Ditas de madeira invernisada cotendo 1
aas perfumaras, muito proprias para pr>
lentes.
Ditas de papeleo igualmente bonitas, tas
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e
moldes novos e elegantes, cem p de arre
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para deotei.
Pos de campbora e outras diflerenu
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada HMb f o|.
Um outro sortimento de coquea de n<
fes e bonitos moldes com flete de vidrill
e alguns d'elles ornados de flores e fita,
esto todos axpostes i.apreciaeao de qoei
os pretenda comprar.
GOLLTNHAS E PKHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeic3o.
FIvellM e Atas +*r lutos.
, Bello e vanado sortimento de taea objs
tos,- ficando a boa eecolba ao gosto do cea
prado*.
A
Em fuga para o Ico, donde
natura!.
Auzentiu-se desde o da 9 de abril dii-enrr atino, a muala acabnralada rsula, de idade p-n-
eo ruis nu menus .".0 amos, <|)Ha di, rorpn. ep-
itelios eorridi'S, tem os denles da (rento | rfiio--,
falla descansada e u maior signal MU i>|ii|ietH
em um dos htafflS rte>de o cntovello a mo-
nhca da mi, suppoe-sc ler seguido para o )r*>
donde natural, lero vertido 'de chita rsruri
com lisias encarnadas, o acuslumsd.i a dar-ILc -i
pitia : qutm a pepar b\e ra da Matriz da
Roa-Visla n. 4G, ou iua da Cruz n. SG, que ser
piatificado.
Contina a e.-i.ir Hipido o inoliquo Gregono,
de I" innos de dade, rricnlo, com bita de den-
tos na frente, testa redonda, olhos vivos, e.ni orna
nuircn de qoHmediu a na barriga, o oWm na rOx i
ce urna estrepada j antipa : osla de awtaf c-nr>
caximlio : iuem o pegar pone k-ar ao enpeAno
C;ilifoniia mi Serinliaem. a seu Mihnr Jofi Flo-
rentino 0. de Albuuuerque, ou a raa da Praia n.
31. (|ue ser bem n compensado.
- Fngo na iere. para qnartx IVira do enfpnb.
Olho d'Agua. villa de Pedras de Fufo, um wr.
to de n bia, liaixc cheio do eoipo. pi'do ler Ifi :> -i" an-
uos, usa pera. ue.pa que elle >?hei d'.-.-.in llii de
Igiidin tirwm-o. levuu urna trouxa O ni t' li-ioo.- .
de algiiodisitth'i, um chale de incriti aztii iti
veslido que havia de fogir para o liccife e que en barca-
va | ai a outras ierr::s. :issim pele e : quaiquoT i-:,.
pitao de campo e autoridade poticiaf' de n :, .n--
pender UvbikIo aoililo tngenho, qoe sera geiirru-
smenle rncomperaado,
Itecife ti de main (te i'.'O.
AVISO
100*000
Contina a e.-tar fgida desde o da 18 de Janei-
ro do correte anno a cscrava Sveria, crioula, du
dade de 2o a 30 annos, com os sirnae> seguirles
altura regular, beieos rossos e iebitbds, rosto
saliente, orelhas pequeas, falla Mana, corpo del-
gado, quando anda coeheia. fui e>cravona villa d..
Cabo do Sr. Jeio do liego Barros, fui vendida oes-
la cidade pelo Sr. Plexe, como procurador do i!it.
Barros, j foi visia para bandas do engenhu Moie-
oos em companhia de um cabra ex praca ce ra-
vallana, julga-se que o eductor r- qu^e^ di
que a dita escravase linha fonailo : roga-se au-
toridade policial e capitaes de campo a captara ,1.
mesma, e leva la ra da Seleriade n. G, ou ra
do Amorim n. 04
TeodeB>weineo duztat fetores de Jacaranda
ilprego commodo : para ve* 'atar, na roa Di
I
raita *<&f arioaaem.
JA(]AR^A'
Saptrior tta findemx
Batana 4#t..iulion:.aa la da.AA^
da cada da,
iWCBstiaaas
brane^faBIrados, de i
propnos para igreja e capeils
eos competentes jarros: na roa Dreitai.
loja de pintor.
Bichas hamburgnezas
Neste novorJefoalo racebe-w por todos'oa pa
qnetas u-aosiantiMa bioitac de qaahdade saperioi
o vendem ae em caixa e mais barato do que em ontra qualquer pal;
na raa da Cadeia dn Reoife : 51, andar.
Caballos
Vendem-se cabellos de toda aa eores, qualqoer
camprinienio, qnabdae aopwtar, a cnHMni
p*rc4o mats peqmna : a na ida Cadeia 4> Re.
pho
ee-Ms4aao#o.a V&a do utamo modello
tambes a gesto da aowoa ; na offlti-
ocaHsta, onTives ViNRailor de
de Parias, roa das Larangeiras
Fugio no da 4 do crreme o onlato Satur-
nino, offlcio de earreiro, cor avermelbada a epe
ci de ac por ter os cabellos vero Hlios, eslaiui i
meJia e forte do corpo, cara ou torta rn*g"S.
falla apenando.os canto da bocea, idade o a 30
annos, ps chato, veslido com cerna e camisa de
panuo de algodo enirancado ae core?, e na-
tural do Ferian. O anno pastado este mulato j-.
estove fgido 2 mer.es e tui pegado no engenb U>-
5. Joao de Po-d'Alho' depois de t-r v.-gado na<
ras desta cidade por bastante leni|o, lem ennbe-
cimento na ra da Senzalla etc. Pide-se ai s ra-
pilaes de campo e as autoridades policiaes a cap-
tura do mesrno para ser entregue i seu enhnr
no i ti. da Sapueaia em Bcberibe.
Fugio no dia 11 de niaica di convine aun
o escravo Francisco, cabra, de id;de 30 anuos,
ora os signaes eguinles : cabellos earapnirx,
rosto descarnado e com marcas de besiga-, iotim-
la-se ser livre. levou calca branca, palelot de al-
paca de Jor, chapeo de chile, nalural da Parala-
ba ; o mesmo foi ceiniirado ao Sr. Delmiro Alve-
Maia, morador na Parahyba. e julga se ter id
para o mesmo lugar. Desde j pntes'a-'e contra
* pessoa que o ti ver occoltado : e n ga-se aos ca-
san* de eampo, assim cuno as aul' ridades poli-
fiaos que o tragan ua Direita n. 16, que scij
ger.erosamente gratificados,
Fugio no da 5 do correte da casa do ahai-
x asignado a escrava Lniza qne representa ler
20 a 82 annos de idade. cr fula, c- roo regula!,
cabellos carapinho, costuma trofalos adianie e
abri-los no meio, tem no pescoco junto da (tu I
nm signal visivel que diz ser de queimadnra o>
fogo era pequea, levou chale de casemira rol-
de rosa e saia e casaveque de chita Har, a qual
foi escrava do Sr. Lydio Arisiides Alves Baaipai,
e que veadeu ao Sr. Sehastiao parques d-i Nasfi-
n eirto, morador nerta cidade e e-te vendeu ao Sr.
Man el Jos de Cont, nerader ao engenho da-
ineaba, comarca do Rio Formn, a erte vendeu
ou permiitou.com o Sr. Franesro-de Pauta S.-n-
tos, tambem morador nesta cidade quem rom-
ptei obra de um nnz; rogo perianto a todos os
capitaes de campo, *& antbordade-< e a qaliiivi-
pessoa qne della toaba noticia, que a facam apre-
hender e cunduzir ao seu senhor Luiz Solano, de
Mello, morador atiaz da matriz da Boa vista n. '!'
prmeiro andar, que ahi so recompensar cem ce-
nerusidade.
Ilfa-f"!
Fogio no dia K deste correnia mer, s 0 b
da ooate, a escrava molala. de nomo Joeph-,
nita, cor escora, cabellos cara pinto, cara re-
donda, olhos empapuciados, nar troco, br
grossos, dous dentes de frente awatesaadi*
inno dos ditos dentes nm ndre, (>e^ fbitt-
dedos comprldos, os ealeaoMce* ngtado i;
racBfdnm, n presenta ler 19 <". Ievr.ii
tkfci de clHu escura, chiles de merino estn
do azul, nao acostomada a an'ar na ra, e
toso tornase desewbedda ; o annonelaote susr
ta i|ue toa Mduatot por algmm eestej.i icen
a em alguma casa panicular, a desde j prote
ta oontra aera qoer que assim proceder
tanto roga e *a animidad s pllfafs o crp
de campo a captura da referida escr. va, fntn.
do-a na roa do Imperador n. 19, 2* andar quo
mt fratifleado.

r=

i
/


8
Diario de Pernambuco Sexta
feira
------hi*u-
~L*
-u-
-
27 de ftfaio de 1870
_
UTTERATDBA.
AO EXIMI POETA DR. ANTONIO DA
CRUZ CORDEIRO.
..............Deixai que 6s zoilos
Torpe, infames, despreiiveis, fraeo,
Sol lem lajdos vaos que pune o riso.
*F. Castilho. ,
Quem o vale, qo'em sublimes cantos,
Da patria immortalisa lanas glorias,
Esses feitos d'heies, tantas victorias,
Off recendo um laurel seus vindouros ?
Quem que as turbas a brilhar seu genio
Com heroica inspiraco, s'ensuberbece
O brasileo cantor que 'inda floresce
Que seus cantos se curvara mil thesouros ?
Quem que c'ra verdejante louro
As futuras gerages legando um oome
Que a pesada m do tempo n5o consom
Escripto com seu genio em lettras d'ouro ? I
Quem s, oh genio ? que teu canto cima
as vastas amplidoes d'immeosas plagas
Como aquel le, que repele as tunas vagas
Rebentando na face dos rocbedos!...
Aguia potente voar no espaco,
Desprendem-se de ti scentelhas d'astro,
Deixando aps si sublime rastro,
Em cantos ilivinaes, cantares ledos.
Talentos como t te ttam quedos
Se corvam respeitosos sciencia,
Que repelle de si com imponencia,
Do mundo engaador os vis torpedos.
Quem ?... Dizei-o solitarios chos
Companheiros do vate enternecido,
A' sombra do rypresto estristecido,
Os tum'los dos valentes voluntarios
As ruinas d'Humayt. por cojo feito,
Cantado por elle, o mundo inteiro
Sada o valor do brasileiro,
as lulas de inorte temerario ;
Dizei-o da patriao voluntario
Por elle soraenie imaginado,
As flores com que elle foi c'roado,
O seu sublimado santuario t
Erguei-vosruinas, espectros, guerreiros,
(ligante de pedra por ierra aneado,
O dorso espumante do leito do Prata,
Sublimes assumptos por elle cantado;
Dizei-nos seu norae com voz estridente
Que oucam no mundo do grande Cabral;
Dizei-nos oh astros de ttricas Inzes,
Ruinas do Prata, seu nome immortal ?!
' vate nascido as plagas brasileas
E' astro que pousa no co de saphyra,
E' genio que adeja nos mundos ethereos
Cantor sublimado que a patria o inspira.
Seu nome!... Se queres pergunta natura
Cantada por elle as tu ras de amor ;
As glorias que inspiram o vate divino,
s pet'las nativos de mgica flor.
Procura-o na historia dos Albos das lettras
Pois deltas filho, valente e guerreiro :
Vers flammejante cercado de per'las
Em lettras douradas: Poeta Cordeiro.
Mamanguape, 25 de abril de 1870.
J. V. Neves Filho.
LUZ.
Tu, s tu existes. Se aqu nao
eslivesses o universo nao leria
razio de ser.
V. Higo.
Anjo do come orvalha de esperanzas,
omba de amorperfuma-me de rosas,
Baoha minlia alma das manilas risonhas,
Brota em meu seio as vibraces maviosas.
Emanago dos clierubins fulgureos,
Vivo reflexo do Supremo Autor,
Viora-me as cordas da partida lyra,
Canla-me endeixas de infinito amor !
Teu seio encerra a msica das auras!
Provoca as harpas e desmaia a lyra !
Quando tremeas estrellas mais fulguram,
co de azul se torna, o bardo inspira.
Tem a brancura da nitente espuma!
Encerra dos arijos louros o condpr,
Quando pulsasapplicam o ouvido as fadas,
Soluga o vento e Deus sorri de amor!
Quando scismasformas um poema de luz!
Quando fallasestrophes canta o raio !
FOLHETIM
OS DRAMAS DA ALDEIA
pon
Ponson du Terrail
(Continuago do n. 117).
XXXVIII
Era quasi noute quando Loiseau parti,
e por conseguinte quando chegou ao pateo
do palacio aquelle personagem que Anato-
le de Misseny vio pela primeira vez, mas o
qual, anda assim, lhe inspiroa orna vaga
esperanca.
A' primeira vista nao era fcil conhecer
aquelle individuo.
Trazia elle o rosto encoberto com a gola
de um casaco de pe le de cabra e a cabeca
occulta por um grande chapeo redondo.
O cavallo em que vinba montado era urna
d'essas alimarias orno ha em todas as her-
dades, e por isso difficil de conhecer-se a
quem pertencia.
Este individuo nao viera pela estrada
real, mas sim pelas veredas que atraves-
savam as fazendas, e por isso ninguem da
aldeia o vira.
Apeiou se, entregou a redea ao criado
da lavoorauqoeaiuda liaba oa mo o edi-
ta! para a ata du propriedades, e d.sse-
Ihe :
Preciso fallar j ao Sr. de Misseny.
Porm.. acudi o criado.
Tenbo dito lreplicoa o recem-che-
gado. *
Em quanto o criado assim hesitava, en-
trou do pateo Ansile.
Seobor baro, disse aquelletenho
que fallar-lhe imoediatamente ; trago-lhe
boas novas.
E, sem esperar que o mandassem entrar,
avancou para o interior da casa, como quem
queria evitar mais explicacdes.
Anatole recbese da mo do criado o
edUal.
Quando sorrisempallidecem os astros,
E (lea o espado em lnguido desmaiu I
Quando soahasauroras mil resplendem 1
Deas o tea leito junca-te de rosas.
Tresela incens a natureza inteira,
Cantara-te os anjos msicas formosas!
Quando choraschovem perolas do co 1
Torna-se orgo o espaco e ent&a bymnos!
O mundo um altar, todos se prostram,
As harpas gemem cnticos divinos.
Lutu s a luz que me d vida I
Sem ti seria a trra ahysmo escuro 1
Luz de Uma luz melbor da eterna luz,
Brilha em meu ser, aponta-me o fuluro!
Maio-1870.
Souza Oliveiba.
A os bravos voluntarlos da patria
do 42 E terminacho da hierra.
Meus Srs., nao obstante estar na presen-
ta de tantas llustracoes, consent que, er-
ga-se da obscuridade para a luz do dia, um
nomem do povo, um simples cidadSo, para
dirigir-vos duas palavras ungidas pelos sen-
timentos patriticos que imperam em seu
coiacSo.
Srs.. o faustoso dia 27 de abril de 1865,
marca urna pagina de gloria na historia da
nossa heroica provincia.
Foi neste dia, senhores, que os bravos
pernambucanos recordando o seu passado
de glorias immorredouras, subiram mais
alto do que o espirito satnico, denominado
poltica interna pessoal, fez valer as suas
forcas acudindo ao reclamo de sua mi pa-
tria ; e, lanzando mos s armas, presurosos
transposeram as aguas do Prata, para em
plagas inhspitas darem batalhas em des-
affronta dos brios da nossa hospitalera
Hacao.
.Foram estes bravos guerreiros, de quem
falla o memoravel dia 27 de abril daquelle
anno, cuja legio de bravos pertenceu o
benemrito b a cha re Jos Paulino da C-
mara.
Foram estes, senhores, a quem o amor da
mi patria, e a liberdade, fez calar no co-
raco por tempo indeterminado, os carinbos
dos filhos, da esposa, mi, pai e amigos,
para custo, nao s de seu sangue, como
de suas vidas, vingando o nltrage naco;
e libertando a um povo valente, e infeliz de
seus principios, indevidamente escravisado
par diversos governos despotas.
Senhores, contar urna historia de cinco
annos em duas palavras, impossivel; ape-
nas aponta-se a gloria: foram estes que
serapre caminharam na vanguarda dos com-
bates, e que tiveram a felicidade de serem
olhados com dislinccao, nao s pelos seus
bravos camaradas. como pelos invictos ge-
neraos, cabendo-lhes a gloria de serem con-
siderados hroes pelo intrpido e temido
general Osorio.
Cinco annos de lutas I e entre a fome e a
peste, entre a morte e a vida, surgiam os
hroes: cada urna destas batalbas no de-
correr daquelle perodo, foi sempre corda-
da pelo melhor dos resultados para as ar-
mas adiadas, cujos feitos heroicos impor-
tan! um poema de glorias.
Deus, que sempre protege a Ierra da
Santa Cruz, disse aos hroes brasileros ;
Basta ; tendes cumprido risca a vossa
honrosa msso; tendes cumprido com o
dever de verdadeiros patriotas ; basta. Jun-
tai, reun agora as vossas glorias e nellas
veris a mais sublime, a mais importante e
meritoria epopa, digna de toda conside-
raco no presente, e ainda mais no futuro
aos imparciaes e justiceiros da posteri-
dade.
Agora direi:
Como bello, magestoso, sublime, pat-
tico emfim, ver os bravos dos bravos, dos-
s3 irmos, cobertos com as purpuras das
glorias!
0 seu diadema I Olna, vede, reparai que
haveis de encontrar urna inserpeo pela
mo do Eterno, em oito caracteres, os
nicos que symbolisam os nomes dos guer-
reiros, os quaes exprmemVencedor.
Portanto, Pernambucanos. um brado en-
tusistico : Vivam os hroes vencedores!
Jubiloso, prasenteiro,
0 nosso charo Brasil,
. Hoje exulta, hoje ajlanero,
Mais do que nunca e gentil:
Saudando os lees do norte
Que nao temeram a morte
Defensores da naco;
Pode entrar, senhor disse elle ao
desconhecido.
E ao mesmo tempo abri a porta da
sala ao rez do chao, que lhe servia de es-
critorio.
O desconhecido entrn.
Anatole ignorara o que aquelle hornera
lhe quera, e, nao obstante, senta renas-
cer-lhe urna esperanca.
Fechou a porta e offereceu lhe urna ca-
deira.
O recem-chegado ficou de p, mas trou
o chapeo,
Enio, ultima daridade do crepsculo,
pode Anatole ver um rosto j velbo, mar-
cial e bronzeado, cabellos grizalhos corta-
dos escovinba e bigodes brancos.
Este bomem nao poda deixar de ser mi-
litar.
Onde vi eu este diabo ? dizia com-
sigo Anatole.
A reminiscencia, porm, tornara-se-lhe
rebelde.
Senhor baro,disse o desconhecido
eu nao son um fidalgo que saiba pbrases
delicadas, mas vou dizer-lbe em duas pala-
vras a razo da minha presenca. O senbor
tem urgencia de seis mil francos e eu tra-
go-lb'os aqu.
Anatole ficoo perturbado ao ouvir isto.
Vejo que se admira ,=-proseguio aquel-
le-porm nao ha tempo perder com ex-
plicacoes. O senhor deve seis mil francos
e, addicionando-lbes as despezas, passa de
seis mil e quiabentos. Eston encarregado
de emprestar-lbe sete mil pelo praso de
dez annos sobre um simples recibo seu.
E ao mesmo tempo aqueHa extravagante
figura desabotoou o casaco de pelle e puxou
por urna bolsa, d'onde tirou seis ou sete
rolos de dinheiro, que contou sobre a mesa,
dizendo :
Pode acceitar sem recelo.
Mas quem o senbor ? perguntou
Anatole, como petrificado.
N5o son mais do que um criado e o
meu nome nada o poderia esclarecer. Nao
son eu quem lbe faz o emprestimo. Aqu
est o titulo i favor do Sr. Chivot, tabelliJo
E ebeios de herocidade,
Plantaram a liberdade
No slo da eseravido.
k* *'
Cabio emflm o
E parasdfcpW
Para o slo americano
A aurora da paz surgi ;
Portanto cante-se hosanas,
Nestas plagas soberanas
J nao ecuoa o canho ;
Vossa gloria est firmada...
E a oveja desesperada
Nao pode sumida, nao.
Em tudo v-se alegra,
Reina, acta, e turbilhona;
Ha no sol que irradia .
Por sobre estrangeira zona:
Ha nos passaros, no espado
E do tbrono em seu regaco;
Ha dos anjos, na canelo
Em torno do bomemDeus!
Abencoando aos Antbeus
Apostlos da redempeo.
Raqniou a iniquidade I
nos sacode do co
O anjo da liberdade
Da victoria o ureo veo !'
Hosannas! povo do norte.!
Hosonnas I povo mavorte I
E repercutndo na ierra
O echo da immensidade,
Protector da humandade,
Diz : Brasil venceste a guerra.
DlOGENES PkSSOA.
POTJCO DE TUDO.
SOBRE CERTAS DOENCAS DUAS CRI-
ANZAS.N'um relatoro dirigido acade-
mia de medicioa de Pars, o Dr. Bartbez,
disse : frequentes vezes somos chamados
para dispensar aos nossos cuidados a crian-
cas, que, sem manifestaren! doenca bem
determinada, nao se acham todava em con-
dices de saude perfeita, e offerecem urna
sequencia de phenomeaos ligeiros que pa-
recem depender exclusivamente de sobrex-
citado do systema nervoso.
O Sr. Moutard-Martin, no seu trabalho,
que apresentou academia, declara que se
lembrou de oppor esses accidentes o bro-
mureto de potassio ; para o que tem por
costume dar s criancas mais novas a dse
de 10 a 20 centigrammas, em duas ou tres
vezes, dissolvidas n agua com assucar, ou
em jarope de flor de laranja; devendo a
crianca mamar depois de se lbe ministrar
o remedio.
A accao sedativa deste remedio, to f-
cil de supportar, e que apparece logo pri-
meira ou segunda noile, estabelece-se e per-
siste nos das seguintes:
O bora xito tem sido constante, comple-
to, e rpido, nos casos de insomnia sim-
ples ; e tambem se obtm, mas menos
constante, e nao to rpidamente na insom-
nia agitada. Durante os accidentes do tra-
balho da dentcao, o bromureto presta ver-
dadeiros serviros, socegando, por bastantes
das, as criancas.
Finalmente o Ilustre medico suppe
mesmo que, por semelhante meio, se p-
dem prevenir as convolsoes, por causa da
accao anestbesante do medicamento ;e
declara que a aeco sedativa do bromureto
de potassio efficacissima sobre outros in-
commodos a que esli sujeitas as criancas
de peito.
O ESPIRITO E O CEREBRO.O Dr. Ro-
bert Mayer, n'um discurso pronunciado no
congresso dos naturalistas, reunido em Ians-
bruck, e publicado pelo jornal Revue des
cours scientifiques, disse : erro crasso
identificar duas actividades que se produ-
zem paralelamente, como acontece com a
do espirito e com a do cerebro.
O seguinte exemplo esclarecer comple-
tamente a quesio. E' (acto incontestavel
que despacho algum telegraphico pode ter
lugar sem a prodcelo concomitante de urna
ac?5o chimica,: mas o que diz o telegra-
pho, isto o contedo do despacho, nao
pode de maneira alguma ser considerado
como funccSo da accao electro-chimica. Eis
o que podemos dizer, ainda com mais ver-
dade, a respeito do cerebro e do pensamen-
to. O cerebro apenas um instrumento.
GAZ DE MADEIRA.Residindo no cam-
po, escreve ao jornal L'Engineer, um dos
seus assignantes: Fabricando para meu
uso gaz de carvo de pedra, lembrei-me ha
das de fazer a seguinte experiencia :
de Lorry, circunstancia esta que, ainda
assim, nao esclarece mais o negocio.
Porm...
Como deve suppor, nao falta quem
saiba dos seus erabaracos e deseje acudir-
lbe ; todava Juval muito temido. A pes-
soa que o coadjuva deseja guardar o incg-
nito e pede-lhe mesmo para que se nao
saiba a casa do tabellio por onde o senhor
recebe o dinheiro.
Mas eu n3o posso acceitar sem dar
urna garanta.
Quem lbe empresta este dinheiro co-
nbece bem o seu carcter e sabe que a sua
palavra vale mais do que urna hypolbeca.
Anatole seotio innundarem-se-lbe os olhos
de lagrimas.
Muito bem, senhor barSo proseguo
o desconhecido.Receba o dinheiro e ama-
nha queira mandar o recibo casa do ta-
bellio de Lorry. En reliro-me.
E ainda Anatole se achara submerso na
maior estupefaeco quando o desconhecido
retirando se e mettendo o chapeo pela ca-
beca abaixo, monta va cavallo e desappa-
recia atravez do arvoredo da alameda.
Parece-me Isto nm sonh I dizia
Anatole, contemplando os seta csstellos de
ouro que se achavam sobre a mesa.Ab I
mea Deas, prosegaio elle, ajoelbando-se
queris salvar o meu velho solar 1
E como um louco nrecipitoa-se ao quarto
da velba Sra. de Misseny.
XXXIX i
Pelas oito horas d'essa noute o caf Uni-
versal apresentava urna espe;taliva extraor-
dinaria.
' Estava completa a reunio, faltando ape-
nas Juval e Maurel.
Alm dos frecuentadores habituaos, vjam-
se ali alguns cidados pacficos, attranidos
pela novidade do dia.
Esta novidade consista no grande cartaz
amarello de que Loiseau fizera entrega no
palacio, affixando um exemplar porta da
autoridadee outro ta parede doboteqaim.
O povo as vezes estnlto, mas ha occa-
sies em qne justo e sabe insurgira so-
beranamente.
Metti na retorta de ferro, em vea de car-
vio, ama porclo de madfeira; o gaz appa-
receu pelo menos dez vezes mais depressa
JlaTql Miftgijliiiiiiiiiii lili se tira do car-
vSa ; a tbaaaba, comquanto bastante forte
e muito azul, produzio ama atraocpbera que
) se poda supportar por moito tempo.
Quando depois abri a retorta, acbei carvo
vegetal de primeira qoalidade tendo tres ve-
zes o valor da madeira consumida.
Resulta de semelhante experiencia, diz c
Cosmos, que a madeira pode prodozir bom
gaz, e qoe,,se fr convenientemente purifi-
cado, o seu uso, no campo, onde o carvo
de pedra caro, ser muito aproveitavel.
A quest3o saber como se lhe pode aug-
mentar a forca de luz, e lirar-lhe todo o
inconveniente pelo lado da bygiene.
EXTRAORDINARIO.Um caso estranho
e mysterioso, acaba de prodazir um pro-
funda commoco no arrabafde de Santo
Antonio, de Paris.
Habiiava certo pedreiro om modesto
quarto no numero 13, da ra de S. Nicolao.
Havra prximamente tres mezes que o in-
quilino participoa porteira que ia partir
para a sua trra, mas que estara de volta
ao cabo de algamas semanas. Nao o vi-
rara voltar para casa.
Cbegado o trimestre de abril, ignorando
o proprietario da casa os sgnaes do pedrei-
ro, e nao sabendo o qne delle fosse feito,
mandpu proceder ao arrombamento do
quarto onde morara ; foi efectivamente cha
mado um ferrageiro, que logo depois de ar-
rombar a fechadura, ficou estupefacto.
Por traz da porta encontrou-se nm tabi-
que de tijollos. Cbamaram-se outros ope-
rarios, deraoliram o tabique, e ao entrar no
quarto, impregnado de um mo clieiro, vi-
ram pendente da janella o cadver do des-
gracado pedreiro, em completo estado de
putrefacto.
NOVA PUBLICACO. Accaba de sabir
da typographia nacional o 2." volume da
compilago de Consultas do conselho de es-
tado sobre negocios ecclesiaslicos feita por
ordem do Sr. ministro do imperio. Contm,
meldicamente coordenados, assumptos
dos mais importantes ; sendo notaveis as
consultas do conselho de estado pleno, prin-
cipalmente as que verso sobre a complica-
da materia da coilago dos beneficios ec-
clesiaslicos.
O plano seguido foi o mesmo do 1. vo-
lume. Para clareza da exposi<;3o, facilidade
do estado e maior proveito do trabalho,
abandonou-se o systema da poblicacao chro-
nologica e reaoiram-se todas as consultas
sobre a mesma materia, sem observar outra
ordem que nao a da importancia de cada
urna deltas. Sempre que ha mais de ama
consalta sobre a mesma materia, a que o
leitor tem primeiro dtante dos olbos a
que contm o principio car leal. Apresen-
to-se conjonctamente o direito e o tacto, e
firma-se a doctrina establecida.
ainda este volme um thesouro, devido
aos esforcos intelgentes dos nossos mais
destinctos concidados, que se achava oc-
culto nos archivos das secretarias, e de que
o publico pode agora utilisar-se. Cresce
o seu valor por tratarse de um dos ramos
menos coobecido da nossa administracQ.
Consta-nos entretanto que a despeza feita
com este volme foi, como a que se fez com
o primeiro, smente a de mpresso.
Applaudimos j a resoluco do Sr. mi-
nistro do imperio de mandar fazer a com-
pilaca destas consultas. Agora o felicita-
mos pela actividade que tem bavido neste
servico, tanto mais quanto sabemos que j
est no prelo o 3." e ultimo volume, cuja
primeira parte trata de questoes relativas
s religies differentes da do Estado.
Contm este volume 31 consultas sobre
os segaintes assumptos:
I. Nomeaco de sacerdotes estrangeiros
para vigarios encommendados.
II. Collago de beneficios ecclesiaslicos.
III. Embargos ao cumprimento de urna
carta de apreseotaco em beoifico ecclesi-
astico.
IV. Representado acerca de incapacidade
do sacerdote apresentado em beneficio ec-
clesiastico.
V. Propostas para provimento de benefi-
cios ecclesiaslicos.
VI. Propostas para provimento de varias
igrejas parocbaes postas ao mesmo tempo
em concurso.
VIL Propostas para provimento de bene-
ficios ecclesiaslicos feitos pelos gover ado-
res dos bispados e pelos provisores.
VIH. Recurso cora interposto por sa-
cerdote approvado np concurso, mas nao
incluido na proposfa.
IX. Provimento das dignidades das ca-
tbedraes em que ha conegos da prebenda
inteira e eoaefos de meia prebenda.
X. Concurso para provimento de benefi-
cios. '
XI. Pagamento da congrua ao vigario da
parochia nova.
tXII. Pagamento de congrua ao vigario
collado d3 parochia extracta.
XIII. Pagamento de congrua ao vigario
collado que se ausenta de sua igreja.
XIV. Pagamento de congrua ao vigario
collado suspenso das fun^cSes paroeniaes
em vrtude de pronuncia por crime com
mum, e afina! absolvido.
XV. Pagamento de congrua ao vigario
collado suspenso por acto do ordinario.
XVI. Pagamento de congrua ao vigario
collado que obtem do bispo diocesano
perdao de pena de susp nso, a que fra
condemnado em processo que correa no
juizo ecclesiastico.
XVII. "Pagamento de congrua vigario
encomraendado eraquanto serve sem pro-
viso.
XVIII. Descont nos vencimentos dos
monsenhores e conegos da capella imperial.
XIX. Tomada de contas aos fabriqueiros
das catbedraes.
XX. Confirmacao de coropromissos de
irmandades.
XXI. Eleco dos merabros das mesas
administrativas das irmandades.
XXII. Beneplcito dos breves apostlicos
de censura a autoridades ecclesiaslicos.
XXm. Nomeaco do governador do bis-
pado feita pelo hispo logo depois de sua
confirmacao.
XXIV. Cemiterios pblicos.
VARIEDADE
O general i rqulza.
(Continuaco)
A legislatura de Buenos-Ayres recusou-se
a reconhecer a convenco.Entretanto o con-
gresso reunio-se em Santa F, e Urquiza
leve de comparecer elle. Na sua ausen-
cia, appareceu urna revoluco em Buenos-
\yres e a provincia separou-se da confe-
deraco
O congresso foi aberto por Urquiza a 20
de fevereiro de 1852 e aceitou a constitoi-
Co qual devoraos a cndilo florescente
e prospera da Repoblica Argentina,
A modestia e a magnanimidade da falla
qne o general Urqoiza dirigi ao congresso
foram inexcediveis. (Sentimos nao poder
reproduzi-la por nos faltar espaco.)
Seos sentimentos sao to nobres, apol-
tica que nella revella to assisada e concilia-
dora, que foi acolhida com a mais viva salis-
facao pelos amigos da liberdade do pro-
gresso de todos os paizes.
Entretanto marebava urna expedico de
Buenos-Ayres para a Concepcin, a ti m de
toma-la de assalto, mas essa expedico nao
foi bem snecedida, e os navios regressaram
para Buenos-Ayres, deixando parte da sua
goarnico na maior desordem.
Buenos-Ayres foi sitiado, e a cidade pro-
vavelmente se vera obrigada a entregar-se
por cansa da revolta de Urquiza, que ven-
de u a esqaadra sitiadora aos cidados, eqoe
fez cessar o cerco.
O cime de Buenos-Ayres pelas suas van-
tagens commerciaes continuou, e quando
Urquiza abri o porto do Rosario e a nave-
gaco do Uruguay e Paran, em vrtude de
tratados decommereio de 13 dejulbo de
1&53 com os Estados-Unidos, Inglaterra e
Franca a ihdignaco augmentou.
A constituico argentina foi votada em 1
de maio de 1853 e o general Urquiza foi
proclamado presidnete por seis mezes.
A reorganisaco das provincias do inte-
rior foi ento especialmente attendida. e as
reformas de todas as especies introduzidas ;
as financas foram regularisadas, e os com-
promissos do Estado pagos.
O presidente Urquiza cercou-se dos ho-
mens mais eminentes e notaveis da Rep-
blica, e em seis mezes conseguio equilibrar
a receita com a despeza.
O paiz fez progressos rpidos e o novo
governo ganhou a estima nao s dos seus
governados como dos estrangeiros e das
nages extranhas.
Fizeram-se tratados de coramercio com a
Sardenha, Portugal, Brasil, Cbili e o Para-
guay.
O progresso interno foi tal que o valor
dat propriedades augmento, e aaw
trias fabril a industrial cres^eraa. em q
to osjwrtoi e iJadti obfMnx'J
|Mhcfo em poocos annos.
Notos centros commerciees sero
especialmente no Rosario, cuja popal,
sendo limitada, em 1859 chegou a 2,C
e lionas de vapores dorad impulso aos
portos do Uruguay, Paran e Paraguay.
O grande projecto de ama estrada de
ferro do Rosario a Cordova merecen toda
attenc3o do governo e proceaWse s res-
pectivas medices. A
Novas estralas foram tambem projeela-
das de Mendoza e outros logares, e cons-
truiram-se fortalezrs nos pontos mais ex-
postos da fronteira.
O Dr. De Monny na sua importante Obra
oo excedeu ao anno de 1859; por isso
continuaremos a nossa exposicb conlorme
nos fr acudindo memoria.
A hatalba de Cepeda foi ferida em oulu-
bro de 1859, sendo os exercitos de ambos
os lados iguaes em numero, eo de Bnenos-
Ayres commandado pelo coronel Bartholo-
meu Mitre, ento ministro da guerra deata
provincia.
A infantara de Buenos-Ayres combaten
valorosamente, mas a cavallaria foi destro-
cada no primeiro choque, e' o coronel Mitre
te ve de juntar suas forcas esparcae, embar-
cando-as om S. Nicolao, com drecca a
Buenos -Ayres.
O general Urquiza appareceu poseo de-
pois com suas forcas victoriosas, e atraves-
sando a Puente Marques, sitiou novaaente
a cidade.
Por intervengo do general Lopes, en-
troo-se em combinages e o tratado de S.
Jos de Flores, assignado a li de novem-
bro, estipulou que Buenos-Ayres pertence-
ria ao gremio da federaeo argentina.
Concordou-se na reforma da constituieo.
pondo-se de parte qjiaesquer queixas que
mutuamente bouvessem.
Em maio de 1860, o general l'rqaua
tendo acabado o seu tempo de exercicio e
sendo substituido na presidencia da Rep-
blica pelo Dr. |I)erqoi, teve lugar a formal
reconciliado de Buenos-Ayres.
O general Urqniza e Derqui celebraram
nessa cidade o grande annversario nacional
de 25 de maio, e foram recibidos coa toda
a bospitalidade pelo governador Mitro e
pelos cidados della.
Em 1861 occorreu ootra desavenfa, por
occasio de se fazerem as eleices para di-
putados do congresso e Buenos-Ayres, o
que deu em resultado ama declaracao de
guerra.
Ao presidente Derqui attribuo-se grande
parte desse acontecimeoto, por ter feito
preparativos asss activo e determinado
que o general Urquiza se apresentasae en
campo.
Este assumio o posto de commaadaote
em chefe dos exercitos da repblica, a fui
obrigado coa reluctancia a encetar as ope-
races militares.
Os doue exercitos eacontraram-se nos
campos de Pavn 17 de setembro de 1861,
e depois de wn pequeo eombate, Uuquiza
cedeu a victoria a seu adversario, o general
Mitre, qne foi proclamado no campo da ba-
tatba presrtfente da repblica, sendo uaani-
raemente eteito pelas 14 provincias, pro-
mettendo-tbe o general Urquiza a sua coad-
juvago na reconstituigo da repblica.
Em differentes pocas esperou-se ojoo a
forca dos acootecimenlos arredasse o gene-
ral Urquiza da sua recloso em S. Jos, e
que novamente o atirasse no vrtice das
paixoes.
Mas o general Urquiza desejava tanto con-
tinuar a permanecer em paz nos seus ulti-
mes das, que ne n a guerra de Flores, na
Band i Orieotal, era a revoluco das pro-
vincias argentinas o instigaran) tomar parte
na poltica.
A guerra do Paraguay, no principio, col-
locou-o em urna posico falsa, c o presiden-
te Mitre convidou-o a tomar parte nessa luta
com a sua famosa cavallaria, se bem que o
espirito dos entrerianos fosse interameote
hostil aos alliados e adepto do Paraguay.
O general Urquiza, instado pela necessi-
dade, debandou o seu exercto em Basualdo.
Este passo foi o primeiro a demonstrar
que a sua influencia em Entre Ros tinha
diminuido.
O general Urquiza viveu inteiramente re-
tirado da poltica durante seus ltimos 8
annos de existencia.
Como Cincinnato travou do arado, e s
cuidou em obsequiar aquellos que o proca-
ravam. {Continuar-se-ha.)
Os invejosos, aqnelles que nao gostavam
de Anatole pelo simples facto de elle ser ti-
tular e de se mostrar independente com
seus parcos haveres, foram os primeiros
que experimentaram a reaego.
A horrivel crise em que Missseny se
achava para obter os seis mil faancos j
nao era segredo para ninguem.
Havia quinze das que por toda a parte
se dizia baixinbo :
Aqullo urna estrategia de Juval,
que qoer possuir o palacio.
N'aqaella noote repetia-se- isto mesmo,
mas em voz alta e Anatole comegava a ter
defensores.
O* l, to Bouteville, dizia om ren-
deiro dos arrebaldes Vmc. qne tem mais
dinheiro do que um negociante de porcos,
de certo se arreceia bem de Javal, e por
isso nao empresta os seis mil francos a
Anatole.
E porque lh'os nao empresta Voc,
Jos Miguel ?acudi o to Bouteville.
Nao os tenbo, senio...
Sim, atahou o tanoeiro nao con-
vem jogar contra Javal.
Isso l verdade, acudi um ter-
ceiropois todos lbe estamos na unba.
Menos eu observou o to Boute-
ville.
N'esse caso, empreste Vmc. os seis
mil francos.
Fico-lhe moito obrigado pelo conse-
lho, redarguio Bouteville mas quando
eu precisar do dinheiro terei que demandar
Anatole e arrostar com o mesmo odioso qne
agora pesa sobre Juval.
T? Qoa velhaco I resmangon o inter-
locutor, que nao era hornera de hyper-
boles. \
O tanoeiro prosegaio :
E, ao flm de contas, nao sei porqoe
bo de censurar a Javal. Nao 6 elle quem
obriga Anatole a vender o sea predio, mas
sim Maurel.
a mesma coasa redarguio o ou-
tro. Javal e Maurel fazem om.
k prava de que Javal nada tem com
issodisse outro que Loiseau e Maurel
ceiam ambos esta noute era casa d'ella.
E que significa isso ?
Que um conluioresponderam seis
vozes ao mesmo tempo.
Ulysses resmungou ainda algumas pala-
la vras, mas cessou de defender Juval.
Ento a reaego chegou ao seu auge.
Fallou-se semrodeos do usurario da al-
deia, d'esse comprador de bens que ha
quinze annos vexava aquella povoaco. e
de Maurel, que outr'ora to desprezado
era, quando apenas se cbamava Mnlot, e da
Martina sua irma, que roubra a heranca
da joven mestra de escola ; mas assim como
a apparicSo nos ares de urna ave de rapi-
a reduz ao silencio o bando de passsaros
pousados no arvoredo, assim tambem logo
qae se abri a porta do botequm para dar
passagem a Juval todos os insurgentes se
tornaram humildes e taciturnos.
Juval, tendo ceiado alegremente, vinha
agora tomar o caf com a sua sociedade.
Compunha se esta de Loiseau, o terrivel
belegum, e Maurel, o credor implacavel.
Juval trazia o rosto afogueado e o olhar
scintillante.
O Mulot vacillava sobre as per as, em
razodo muito que se dedicara s dffereo-
tes pecas da frasqueira de Javal.
O proprio Loiseau tinha nos delgados la-
bios um maligno sorriso.
Foram recebdos com significativo silen-
cio ; s Ulysses se ergneu e com ar lisoa-
geiro disse a Loiseau :
O senhor ha um mez a esta parte nao
se tem descuidado.
O oficial de justica correspondeu-lhe
com um jovial cumprimento.
Ainda assim,disse o tio Bouteville
entre a affixaco dos editaos e a adjudi-
cado da propriedade medeia urna grande
distancia.
Oito dias interrompeu Juval, olhan-
do de traveseara o interlocutor.
Em oito dias faz-se muita cousa.
Sim, de certo.
Dorante elles nao seria impossivel
que, Aaatole obtivesse o djnneiro.
Tanto melhor para elle, se o conse-
guissereplicou o Mulot.
Magano Ireplicou Bouteville Se
elle o obtivesse, mal lbe ira ao senbor.
Porque lu'o nao empresta ? disse
Juval.
E o senhor ?redargnio Bonteville.
Porqueprosegua Juval, lancando
em volta de si um olhar aterradorteuno
emprestado muito em crcomstancias idn-
ticas : nao ha ninguem n'estes sitios que
me nao deva e qualquer dia precisa
tratarmos do embolso de tudo isso, nao
verdade, amigo Loiseau ?
Pela minha parle estou s ordena-
respondeu o belegum.
Todos os circumslantes se sentiram am-
piados com tal ameaga e os mais dedica-
dos partidarios de Anatole, jaigarim pru-
dente disfarcar o interesse pela causa d'eUe.
Servio-se o caf Juval e toe seas doas
convivas, qae ambos se achavam contentis-
simos..
Anatole deixra passar o praso da lei, e,
a nao ser que tivesse arranjado o dinheiro,
o palacio tinha que ser vendido dentro de
oito dias.
Maurel e Juval haviam largado a mas-
cara.
Loiseau comprazia-se e regosijava-se den-
tro d'aquella gravata branca, mensageka da
tristeza e da desesperacab.
Acabavam de soar dea horas e tratava
cada um de se retirar quando a porta do
botequim se abri, dando entrada om
bomem cuja presenca lancoa a assembla
n'um verdadeiro abysmo de admirado.
Era Anatole de Misseny.
Nao havia memoria de que o mancebo
tivesse ali entrado.
Eia, pois, forcoso qoa a desgraca fosse
grande para assim proceder.
Deteve-se nm poaco entre portas, pro-
curando divisar alguem atravez das nuvens
de fumo que toldavam o ambiente, e, Ihaa-
do vista sobre Loiseau, dyigio-se para
, rC lP. DO DRalO A0VQU8 QK,."gQaA

i
I
\

^m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EABZHKQHP_YTE05K INGEST_TIME 2013-09-14T03:01:32Z PACKAGE AA00011611_12124
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES