Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12095


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLVI. NUMERO 8'9. ""' |;""- i;

fABA i. Oiam E L&ARES OTOfl ttfr'~ t***, PORTE.
2
V
'
/
lllJil .1 .
Por pro .jnap dem
:jriK/'U'! nUYJ'XOJ
f .Y04|1.T
.' 240000
ftiHtjftog f**V>ft:gft
ii
'i oh O;
SEXTA FEIRA 22 DE ABRIL DE 1870.

PAlU DMTRO E FORA DA' PHOVUCIA.
Por tres mezes adan lados ......
Por seis dito dem.', i
Por nove ditos idem i .

61780
noo
.
Pw um anno idem................... 271000

l< fi.
#71 II
-------.--------
t
Propriedade de Manoel Fgnelra de Faria & Filhos.
-
SAO AG
ENTES:
Os 9p. Gerardo Antonio Alves 4 Filhos, no Para ; Goncalves & Pinto, no Maranhao ; Joaqnim Jos de Oliveira, notar ; Antonfc de Lemo* Braga, no-Aracaty ; Jlo Mari Julio Chaves, no Assu ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos
Pereira d'Alraeida, em Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, n Villa da Penha; Belarmino dos Santos Buko, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nanrreth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martins Alvea, na Bahia ; e Jos Ribeiro Gasparinho no Rio re Janeiro.
PABTE OFFICIAL.
Gorcruo da provincia
JBSP ACM O DA PltKSIDENCIA DA PROVINCIA DO DA 18
DE ABRIL DE 1869.
Alfares Francisco Antonio Rodrigues.Informo
o *. coronel commandanio superior interino da
guarda nacional do munieido do Recife.
(srtrudes Maria da Coneeigo Mendes.Junte
cer lidio de idade do menor de que trata, que se-
r attendida.
Ignacio Vieira da Silva Coqeiro.Informe o Sr.
regedor do gymnasio.
Bachirel Joaquim los de Carvalho Siqueira Va-
rejio.iafonue o -Sr. inspector do arsenal ma-
rinha.
Joo Rodrigues Duro.Informe o Sr. comman-
dante do corno de polica.
Joaquim Francisco de Paula Esteves envai-
nante.Informe o Sr. L)r. juiz de dimito da pri-
rueira vara.
Manoel Francisco da Silva Guinares.informe
(i Sr. juiz commissario de medica) de trras do
municipio de Agua-preta.
Bacharel Manoel Franco Fernandes Vieira.
Coacoda-se a licenga requerida.
Manoel Lopes de Souza e Manoel Cardoso dos
Santos.A' vista das informacoes remetta-se ao
Sr. jiiz commissario de medico de trras do mu-
niepiode Agua-preta, para attenderao direitoque
os supplicantes possam ter.
PERNAMBUCO.
ASSEMBLEA PROVINCIAL.
SESSO ORDINARIA EM 11 DE ABRIL DE 1870.
PRESIDENCIA DO SR. DR. AGUAR.
As ti I/i horas da manliaa, feita a chamada
acl.am-se presentes os Srs.
Vieira de Araujo, Guedes Gondim, Goes Caval-
canil, Fermino, Barros Wanderley, Ferreira do
Aguiar, Paes Brrelo, Teixeira de S, Tolentino de
Cirralho, Vieira de Mello, Correia de Araujo, Ru-
fiao de Almeida, Oliveiri Fonceca, Oliveira An-
drade, Mello Reg, Ribeiro Vianna, Cavalcanti de
Albaquerque, Tavares de Vasconcellos, Martiniano
de Alencar, Gusmo Lobo, Pinto Jnior, Miguel
Pernambuco, Manoel Arthur, Henrique Mamede,
Gavalcante" de Albuqaer'que, Canha Figuciredo,
Cunta Gavalcante e Augusto Costa.
Abra-3e a sesso lida-e approvada a acta da
anterior.
O Sr. 1* secrulario d coala do seguinte
EXPEDIENTE
Um offlcio do secretario do governo, remettendo
por copia a inlormago da cmara municipal de
Dunda sobre a petigo de Luz Jos Pinto da Costa.
A commisso de uegocios de cmaras.
Outro do mesmo. transmittindo 15 aatograplios
das rcsolagdes da assembla do anno patara, tjiHf
nao foram sanecionados.A commisso de consti-
i ui cao c poderes.
Outro do mesmo, transmiilindo por copia, o re-
lalorio da cmara municipal do Recife, e bem asr
sim o balanco e orcamento da mesma cmara.A
coiaraisso de orcamento municipal.
Outro do mesmo, transmittindo por copia o offl-
cio da cmara municipal da villa de Cimbres em
que pede providencias no senlido de habilitar a
mesma cmara com os meios necessarios para fa-
zer valer os seus direitosjudialmenle.A commis-
so de negocios de cmaras.
Outro do mesmo, declarando em respoUa ao al-
ucio sob n. lo, a exeeugao que leve a le n. 838
de 21 de maio de I8>3.inte-irado.
Outro do mesmo, remetiendo por copia o aviso
do ministerio daagrimllura de 31 de marco pr-
ximo lindo, em que solicita a consignago de.....
21:270*000, para acguisigo das cclleccoes dos pa-
dro>s dos pesos e medidas.A commisso de orea-
ment provincial. ..
Petigao de Joio Joaquim de Siqueira Varejao,
cscrevente da repartirlo das obras publicas, pe-
dindo se Ihe mande pagar a gratideacao de.....
2.(.333, a qas se julga com direilo, por ter subs-
tuuido o secretario.A commisso de peticoes.
outro, de Joaquim Manoel d'Oliveira e Silva,
professor publico de Tigipi, pedindo que os seus
vencimentos sejam igualados aos dos professores
habilitados pela escola normal.A meina com
missio.
Foram julgados objeclo de deliberacao e manda-
dos imprimir os seguimos projectos:
A commisso de ordeaados attendendo justa
rcclamaco que a esta assembla faz Hermelindo
l.uiz de Carvalho, eserivo da casa de detenco
desta cidade, acerca do seu ordenado, e a que Ihe
sao favoraveis as informacoes da repartico com-
petente ; de parecer que seja adoptado o seguin
le pr jjecto de lei.
t Art. i* Fica marcada ao eserivo da casa de
delenco a gratificagao annual de 2 0000- Re-
vogadas as disposicoes em contrario.
Sala das coraroissoes, 11 de abril de 1870.
Tolentino de Carvalho, Pinto Jnior, Paes Bar-
reno.
A commisso de legislago examinando a ta-
bella organisada pela gerencia da companhia Vi-
qilanle para regular o prego dos servics dos
seus vapores de reboque, approvada por acto da
presidencia de 29 de setembro do ultimo anno ;
veriQcou que entre a amiga e nova tabella, foram
diminuidos em 20 0/0 os precos dos frates, e soc-
corros e transportes de que trata o decreto n.
lll de 1851, cando por este modo preenchido
pela referida companhia urna das condicoes com
qae Ihe foi concedido pe) art. 60 da L. n. 891 de
de 25 de juaho de 1869 o auxilio de 500S men-
>- por lempo de dous annos.
Assim, i commisso de parecer que se adop-
to a seguate resoluclo :
Art. aoico :Fica approvada a tabella orga-
sida pela companhia Vigilante em 28 de setembro
le 1869, para regular o preco dos servcos a que
*e,destinam os vaporej de reboque da mesma com-
pinhia. Revi gadas as disptuicoes em contrario.
Sala das eommissoes, 11 de abril de 1870.
Gutmao Lobo, Barros Wanderley, Henrique Mame-
de. *
O SR. PRESIDENTE .Convido os senhores se-
cretarios sapptentes a irem receber na ante sata
o Sr. Dr. Joaqaim Correia de Oliveira Andrade,
depulado eleilo pelo 2 districto eleiloral da pro-
vincia.
Receido com as formalidades do euylo, o illus-
tre rnembro presta juramento e toma assento.
OHOEM DO DA
Ia diseussao do projecto n. 10 desle anno, que
revoga a lei n. 600 de 13 de maio de 1861, a qual
desme.nbrou da freguezia de S.Lourencoda Malla
atmexou da Vanea diverses territorios.
O SR. HOLLANDA CAVALCANTE fez algumas
observaedes, demonstrando quaes os motivos que
levaram assembla provincial eiu 1864, reta-
Ihar a freguezia de S. Loarenco, com o flm de
afasur della influencias polilcas, com grave pre-
juizo da mesma freguezia; aem que o territorio
desmembrado aproveitasse freguezia daVarzea,
quejui podena lucrar cora a annexaco que
foi feita na mesma occasio.
Encerrada a dtaeussio. o projecto posto a vo:
tos e approvado, sendo dispensado o intertticio a
reauaritMnlo do Sr. Gusraao Lobo.
1' discusso do projecto n. It desle anno, que
revoga o art. i* da lei n. 793 de t de maio de
1868.E' approvado, e dispensado c intersticio despeza algnma, sem grande ou algarnn ulilidade
reiiuerimento do Sr. Correia de Araujo.
2* discusso do projijcto n. 17 deste anno, auto-
risando o goveroo da provincia a contraciar, com
as condigoes que ja'gar mal convenlenl? a aber
tura do rio Goyanna, caso se nao realise o con-
tracto autonsado pela L. n. 878 de 23 de junho de
4869.E' approvado o dispensado o intersticio
requariment 4 Sr. 11 i mn^onnri
2' discusso do projeclon. 4 deste anno, crean-
do na pnvoaco de Ralxa Verde nina freguezia
desmembrada da de Plore?, e elevando cathego-
ria de villa com a denominaco de villa do Tri-
umpho a mesma poveaglo.' approvado.
1* disrassiodo projecto n. 19 de 1838, restitua-
do ao termo de Cimbres os territorios delle des-
membrados para o de Garanhuns.
O SR. M. PERNAMBUCO.Sr. presidente^ nao
conhecendo a aititudo do projecto em discusso, e,
pelo contrario, oie parecendo que elle, de algum
modo, vai offender direitos j adquiridos, nao
posso votar a favor delle sem que so justifique a
sua ulilidade de modo a convencer-se-me da ne-
cessidade da revogagao da le a que o projecto se
refero. Dosde que niguem se aprsenla susten-
tando a utilidade da revogaro da le de 23 do ju-
Iho de 1837, desdo que observo que este projecto
ficou esquecido por doze anuos sem que tivesse
sido discutido me parece que nao eoconlraram
utilidade nelle. Alm disto, pens qne estas des-
membrarnos de territorios, que se fazem aqui to-
dos os dias, algumas veres podem apenas expri-
mir interesses individuaes, ou quaodo muiio, io-
teresses polticos. (Nao apoiados.)
Notem bem os nobres deputados que apenas dls-
se que algumas veies e nao que sempre assim era
e nem me referia directamente a sesso actual.
Emendo que se deve restas alteragoes c estas di-
visos territonaes attender principalmente ulili-
dide que dahi pode vir aos habitantes dos territo-
rios, que se demembram de um termo para ou-
iro.
A diviso dos territorios, como se sabe, estas
alteragoes constantes que se fazem trazem ao ci-
dado duvidas sobre qual o seu foro domiciliario.
Alteram as jurisdiegoes e muias vezes fazem com
que causas Iniciadas em nm lermo, tenham de ser
julgadas em outro, isto com prejuizo das partes que
litigam.
Assim, pois, nao estando demonstrada a ulilida-
de do projecto, nao se tendo apresemado razo al-
guma que o justifique, e desde que este projeclo
estove em silencio durante doze annos, voto contra
elle.
Encerrada .a disus$o, o projecto icgeitado.
1' discusso do projecto n. 5 deste anno que
transfere para povoago de Pcirolina a sede da
villa da Boa-vista, bem como a sede da freguezia
de Santa Maria Rainha -dos Anjos da Caxoeira do
Roberto, e, Analmente, creando na mesma povoa-
go urna cadeira para o sexo femenino.
O SR. CNHA FIGUEIREDO :Neste projecto
trata-se da transferencia da sede de urna freguezia
| para outra, e me parecendo que nao deve elle pas-
sar sem a "ii li nriaa iln poder .ecclesiastico, vou
nesse senlido offerecernm requerinjenlo.
Vai mesa e apoia-se o seguinte requeri-
inento :
Requeiro que seja ouvido o Exm. governador
do bispado acerca da transferencia da sede da fre-
guezia de Petrolina, sem prejuizo da 1 e 2' discus-
so.Cunka Figueiredo.t
O SR. OLIVEIRA FONSECA justifica o seguin-
te requerimento:
Requeiro que seja ouvido o Exm. governador
do bispado, sem prejuizo da l\e 2* discussoes.
Oliveira Fonseca.*
Encerrada a discusso approvado o projecto
com o requerimento do Sr. Oliveira Fonseca, e
regetado o do Sr. Cucha Flgueiredo.
2' discusso do projecto n. 44 de 1865, que eri-
ge em matriz a capella de Nossa Senhora de Be-
lm do tenup e comarca de Cabrob.
O SR. RUFINO DE ALMEIDA diz qae se oppoe
ao projeclo em discusso, porque reconhece nao
ter elle razao de ser: est no caso dos projectos
de que baria pouco fallara onobre deputado pelo
1' districto (o Sr. Pernambuco), filho t3 smente
de mesquinhos interesses partidarios, e nao da
conveniencia ou do bem estar dos habitantes da-
quel.'a localidade : que o flm nico que se teve em
vistas em 6o com a apresentago do projeclo em
discusso, foi por motivos polticos, supprmir a
aclual freguezia de Cabrob, tirando-se Ihe quasi
todo o seu territorio para a nova freguezia : que
em 62 tirou-se para a freguezia de Petrolina todo
o lerritorio banhaao pelo riacho Carahibas, a fa-
zenda desle mesmo nome, e una outra do cojo
nome se nao lembrava o orador : que anda depois
se tirou de Cabrob o territorio necessario para
formar a nova freguezia de Sant'Anna do Sacco e
se presentemente fosse d-lla retirado o territorio
para ajreguczia, de que trata va o projecto em
discusao, que lica ia redazida a freguezia de
Cabrob?
Disse mais que constava ler sido ouvido o viga-
rio capitular da diocese a respeito da utilidade do
projeclo, e que a sua informago, que deveria
existir na secretaria da casa, fra contrara a pro-
jectaddiviso; e que por tanto em face das ponde-
ragijes que acabava de fazer, e das informagoes
que obtivera de varios collegas de circulo, votava
contra o projecto, do qual nenhum beneficio re-
sultava aos habitantes da parte da freguezia de
Cabrob, que se pretenda desmembrar.
Encerrada a discusso, o projecto regeilado.
I' discusso do projecto n.40 de 1858 que man-
da vigorar o art. 4 da lei n. 212 de 16 de agoste
de 1848, que marca os limites do termo de Ca-
ruar.
O SR. ANTONIO PAULINO :-Sr. presidente, o
projeclo que ora se discute nao tem razo de ser.
O 4 da lei a que elle se refere, assim dispOe :
(le)-
As mutagdes, essas continuadas alteragoes dos
limites de freguezias, a transferencia de soas sedes
acarretam gravissimos.prejuizos, serias demnta-
gens s quaes nao saL'em attender as paixoes e in-
teresses partidarios, que, a meu ver, foram as ra-
zos determinantes do projecto em-discusso.
Bonito constitue boje umi comarca; S. Caetano
da Raposa, a que se refere o projecto, tambera
urna freguezia. Perianto, creio que o projecto,
sem visar um lira ulil, vai alterar urna ordem de
cousas j existente, contra a qual, alias se nao tem
levantado nenhuma qneix, nenhum clamor. As-
sim, voto contra o projecto por julga-lo innnlil e
sem razo de utilidade as actuaes circumstancias.
Nao carece de mais largas considerages para jus-
tificar o meu voto.
Encerrada a discusso, o projecto regeitado.
i.* discusso do projecto n. 43 de 18S8, man-
dando que a parte pertencente freguezia de
Santo Aulo, desmenbrada pela lei n. 422, para a
nova freguezia de Grvala, fique perlencendo no-
vameate a Santo Anto.E' regeitado.
1* discusso do projecto n. 4 de 1865, creando
freguezia na povoaco de Timbaba.
O SR. CORREA GONDIM : Sr. presidente, o
projecto que est em discusso, e que consigna a
idea da creaco de urna freguezia em Timbaba,
inleiramenle inconveniente e anti-economico.
O projecto inconveniente, porque, devendo
crear-so urna freguezia nicamente quando o ser-
vigo divino e as necessidades locaes exigem no
caso vertente, tal exigencia nao ha.
A comarca de Itamb, Sr. presidente, peque-
a, j tem duas freguezias, cojos parocbos admi-
nistrara tempo o pasto espiritual. Para que
crear-se mais outra freguezia ?
E' anti-econmico, porque, nSe devendo fazer-se
a ereago dessa freguezia vem a onerar inutHmen
te os cofres geraes.
Das duas parochas actualmente existentes na
comarca de Itamb a mais rendosa certamente
essa, que deu o nome comarca, essa que se
quer cercear tanto ; porm, esse cerceamento
pouco pensado. Que imp >rta que seja a mais ren-
do ? Na6 Me owto ponderes pera- ser des-
falcada, porque devenios attender para os nobres
senlimentos, que caracterisam o parocho da fre
guezia de Itamb : um homem excellente, mni
caritativo ; saas portas esto sempre abertas po-
breza e orphaudade. Devenios, Sr. presideote,
concorrer para a dhninuicao des emolumentos
desse vigario, em quem se notam dotes to ap.re-
ciaveis ?
Eu, Sr. presidente, que sou maito avesso s io-
consideradas multiplicacoes de freguezias, voto
contra o projecto em discusso, e desuppr que
do mesmo modo procedero os meas collegas.
O SR. R. DE ALMEIDA pede qae seja lida a
informago da auloridade occlesiaslica que, se-
guodo a synopse, foi remeltida casa, e que ser-
vir talvez para corroborar o que acaba de dizer-
se contra a conveniencia do projecto.
O SR. PRESIDENTE diz que do offlcio do secre-
tario do goveroo, encontrado na secretaria, dqnsta
que essa informago foi remeltida casa, mas que
a mesma se nao cncontra. '
Encerrase a discusso, e c regeitado o pro-
jecto.
Tendo dado a hora, o Sr. presidente designa a
ordem do dia e levanta a sesso.
REVISTA DIARIA. .
FESTEJOS.Hontem o dia foi de gala e de com
pletas fesias. Fecharanm-se as repartieses pu-
blicas desde pela manha, e fechon-se o cominer
ci ao meio da; os navios surtos no porlo em
bandeiraram; os cnsules icaram seus pavilhdes;
as fortalezas e navios de guerra salvaran); os si-
nos tocaran); incessantes logeles subiram ao ar;
cantou-se um solemne Te-Deum laudamos na ma
triz de 8anto Antonio; houve a grande passeiata
da diviso patritica organisada pela patritica
sociedade Doze de Setembro; e Analmente a cidade
illurainou-se como um brinco noute; e cantou-se,
danwu-se, rio-se e folgou-se bom folgar.
Foi pois, um completo e perfeito dia de regosijo
o de hontem, em que o povo que tem a fortuna de
habitar esle torro do imperio da Santa Cruz, leve
a indisivel ventura de glorificar o termino honro
so d'essa titnica e homrica peleja que tivemos
rom o infeliz Paraguay.
Foi grande, foi soberbamente bello ver o povo,
fraternisado, nos mais doces .implexos, entre os
maiores ex pin dores do regosijo, innundado de
risos e de flores, depr no altar sagrado da patria
ludo quando poda dar, tudo quanlo se contm em
seu nobre corago
Mil vezes parabens Ihe rendemos, nos imprensa,
nos a vlvula de seguranga da opinio publica,
por essa fraternidade, de onde foram excluidas as
nafastas dissenges polticas, de onde foram hani-
dos os odios eos ressentimento-, para entoar-se
conjunctamente e santamente o hymno universal
que as najes civilisadas, e s ellas, sabera erguer
entre nuvens de incens patritico aos ps do
hrono do nico senhor dos homens, do Redemp-
ttor Divino.
Salve, pois, vos povo de patriotas, que tanto
soubesteis comprehender o grande e o bello, o no-
bre e o heroico, no dia em que se commemorava
as glorias da patria, em que se reverenciava os
feiios guerreiros de nosso paiz, sem macular-lhe
os louros, e antes illumidando-os com as lumino-
sos chamraas do vosso grandioso corago I
Salve tambem vos, heroicos defensores da
patria, ditosos Briareos, que vos cubristeis de glo-
ria nos campos da honra, conquistando com os
vossos peitos de espadas tantos louros para o Bra-
sil, quanlos thronos de amor no peito de nessos
patricios e rome para vos mesmos f
DIVISO PATRITICA.Como foi annunciado,
organisou-se hontem, e sahio a fazer o pesseio da
ordem do dia, a grande diviso patritica, do com-
mando do Sr. general Jos Mana Ildefonso Jaco-
me da Veiga Pessoa.
Por motivos attendiveis nao sahio a passeiata
hora fixada, mas sim s o e meia da tarde.
A diviso eslava luzida e oplimam nte organi
sada, o.marchou com garbo e bizarra verdade-
ramente militares.
Compunha-se ella de duas brigadas, comman-
d.idas a 1* pelo Sr. coronel Alexandre de Barros
e Albuquerque, e a 2J pelo Sr, teoente corooel
Apolioario Florentino de Albuquerque Maranho
Sobrinho.
A 1* brigada compunha-se c marchava na se-
guinte ordem : esquadro de lanceiros do Pogo,
batalho de commerciantes de Santo Antonio e ba-
talho de artistas.
A 2" brigada compunha-se e segua na disposi-
go seguinte: batalho de negociantes da Boa-
vista, corpo de polica, batalho de Henrique Dias
e esquadro de commerciantes do Recife.
Entre as duas brigadas segua o carro trium-
phanie tirado pelos invlidos da patria.
Puchava a diviso o seu general comroandante,
acompanhado do seu estado maior.
O uniforme geralmente adraittido foi o branco,
com as seguintes variantes: o batalho do Santo
Antonio levava chapeo de palhinlia com fita creta
e lagos verdes e amarellos no peito, o dos artistas
bonet preto, o dos negociantes da Boa-Vista bonet vermelho, o de polica gorro pendente com as co-
res nacionaes, jaqueta em vez de palitot e tinlia
por porta-estandarte um cabolho gallardamente
ataviado, o de Henriques Das gorro penden e de
verde e amarello, o esquadro do Recife bonet
branco, e finalmente o esquadro do Pogo jaquela
e bonet vermelho.
O carro triumphante foi adornado com a pri-
morado gosto e bizarra. Era formado de cama-
das sobre-postas de fil, gazes, cambraias e sedas
formando nuvens, arrematando se por urna ang-
lica, do centro de cuja coroila sahia um pequeo
throno, onde descancava a figura emblemtica do
Brasil, cober'.j por um capacete guerreiro e tendo
aos lados os pavilhdes das nagdes alliadas na
guerra contra o Paraguay. De entre as nuvens
qne formavam o corpo do carro sahiam escudos
contendo as datas celebres da campanha e us no-
mes dos lagares onde mais se pelejou e onde as
armas alliadas mais brilho conquistaran) para a
santa causa da allianca, Nos quatro ngulos do
carro erguiam se lindos trophes, de onde desta
cavara as bandeiras alliadas em harmonizo con-
ianeto; e duas ordeo3 d? bellas lanternas diver-
samente colorida-' e com allegaras desenhadas
perojeelavara a necesssaria luz sobre o todo ma-
gesteso do bello carro triumphal.
A diviso pozse em marcha, como j diseemee,
s.S l/t horas da tarde, partindo do caes Vinte
Dous de Novembro em busca do palacio presiden
cial pela ra do Imperador. All chegando, S.
Exc. o Sr. viee-presidente ergneu os vivas apro-
priados, que foram phrenelica e enttausiasticamen-
te correspondidos. Em seguida recitaram lindas
poesas patriticas os Srs : Leopoldino Antonio da
Fonseea, Dr. Adolpho Lamenha Llns, Victoriano
Palhares, Dr. Albino Alvares Anbnso e C F. F.
Jnior, cujos fiases foram sempre seguidos de en-
vezos interrompido pelas continuas paragens que
fazia a div-;ao para ouvir discursos e poesas
ebeias de amor patrio, louvaodo os nossos fetos
bellicosos e a bravura de nossos generaes e sol-
dados, cabam flores sobre os denodados cdados
qae cmpunham a passeiata.
Cantero que digamos, em abono da verdade,
que grande numero do eslrangeiros tomaram par-
lo n'esse ptriotieo festejo, dando aseim- sobeja
copia do amor que tributara ao paiz que adopta-
ran) comj segunda patria, e em cujas glorias se
revem como earnhosos filhos adoptivos. E'
que a glorja nao tem patria ; que a vardadera
patria aquella onde o homem gosa do celestial
dom da liberdade sombra de livres instituicoes
como as que possuimos ; que finalmente o povo
e um e o mesmo em toda parte, e as glorias do
povo, aquellas que elle proprio cooquista, derra-
mara-ae igualmente sobre gregos e troyanos, por-
que op>vo tem a sai soberana cuja base a
igualdade c a fraterodade, isto a chave da har-
mona universal.
ILLUMINACOES. Amanha daremos noticia
sobre as illuminagdes havidas hontem, e que se
tem de reproduzir hoje c amanh.a. Por hoje li-
mitarnoshemos em dizer que a Veneza Americana
nao ficou qnem das ontras vezes em que tem
vestido um luminoso manto para festejar as
gloras e- os fetos braileros.
TE-DEUM.Teve hontem lugar, ao meio dia,
na igreja matriz de Santo Antonio, o nolemnissi-
mo TetDenm Laudamus, que, em acgo de gragas
pelo fefiz xito da guerra esua honrosa conclusao,
mandn celebrar a Illma. cmara municipal d'es-
la cidade do Recife.
A igreja achava se rica, singella e artsticamen-
te decorada. Formavam seas principaes ornatos,
alm das alfaas' ricas da irmandade do Santissimo
Sacramento, lindos festoes- de flores, mais do 800
luzes, banbinellas e pendentes de selim das cores
nacionaes, bellos trophos de armas, mnmeros pa-
vilhdes das potencias alliadas contra o Paraguay,
um rico docel na capella-mor, onde se achava o
busto de S. M. o Imperador, e diversos enquadra-
menlos de selim verde e amarello collocados sobre
as tribunas, incerrando os nomes dos lugares onde
se feriram as mais crueis pelejas e onde maiores
triumphos alcangaram os alijados e bem assim ai
mas.memoraveis dalas da tremenda campanha
que Issistio ltimamente a America do Sal. Tudo
isto achava-se elegantemente combinado e dispis-
lo, de forma que o aspecto do templo era magos-
toso..
Iacetou essa fesla religiosa um bello sollo de
flauta, toeado pelo Sr. Dr. Lbol Hoscoso. Seguio-
se a orago, que foi i collada pelo Revd. Dr. Pe-
linca, que, com proflsciencia e eloquencia que
Ihe sao recoobecidas, prendeu o auditorio por mais
de ama hora, derramando-IIh torrentes do enlhu-
siasmo que Itie arda no peito. O Sr. Dr. Pelinca,
depois de fazer ricas consideracoes sobre a Provi-
dencia Divina e sua b-.'iieii ;a influencia era todas
as obras da ereago, especialmente no que diz res-
peito ao imperio da Santa Cruz, para quera se tem
seMpre mostrado inclinado o paternal olhar de
Deas, iacetou um rpido esbogo histrico sobre a
America, desde sua descoberla al esse grande
acontecimento, que presenciou a-sombrada a pa-
tria dos Francias e de que foi theatro um infeliz
porgo do continente americano. Tratando da
guerra o Sr. Dr. Pelinca fallou como ministro de
um Deas, que todo misericordia e bondade,
e como brasilero, sio como lillio de um gran-
de imperio to cheio de aspiragdes quo enobreci-
do de dgnidade e de bros. Essa parte do seu
discurso foi eloquentissima, e nao o foi menos.a
invocagao que fez ao co em prol dos hroes que
fallecern na lula, edos orphos e viuvas que
deixaram esses centenares de bravos que morde-
ram o p, defendendo a patria.
Terminada a orago, foi entoado o le-Deum,
cuja msica foi lindissina e perfeitamenie execu-
tada, sob a regencia do maestro Smolths. Cania
ram sollos e daos entre ontros, os Srs. Ideburque,
Dr. Paulino Chives e Falca), o as Exuns. Sras. D.
Liobna, filba do Sr. Carvalho, D. Maria Braga,
D. Adelayde de Wanderley e D. Maria Teixeira
(^opes; todos os quaes foram executados com
apurado bom gosto.
Ao comegar o cntico sagrad.) urna enorme gy-
randola de fugeles, que fez coro urna salva de
arlilharia das fortalezas e navios de guerra surtos
no porto, atroou os ares, e repicaran) os sinos.
Ao terminar o Te-Deum foram alforriadas 3
criangas do sexo feminino, sendo 3 baplisadas na
occasio, expensas de alguns empregados e des-
pachantes da nossa Alfandega ; e este acto, em
s mesmo de apriraorado eiTeito, cngranleeeu
ainda mais essa festa religiosa, que vio assim
alliada si a festa d'essa outra grande religio
que se chamalberdade.
Depois disto a brigada de tres batalhes da
guaraa nacional, que fez as honras do estyllo,
deu tres descargas, destinando em seguida.
O templo continha cerca de 2:800 pessas de
todas as ordens e gerarchias sociaes, entrando
n'esse numero crescida porgo de senhoras, que,
tanto as tribunas como no corpo da igreja, abn-
Ihantavam a expen lida reunio que foi render
cullos ao Deus dos exercitos pela terminago da
guerra e pela consequente aurora de paz que
irradiou sobre a America do Sul o sol da civi-
lisacao representado pelos fxercilos alliados.
Assistiram o Te-Deum o Exm. Sr. vice-presi-
dente d provincia, Dr. chefe de polica, o corpo
consular, varios senadores e deputados geraes e
provinciaes, commandante das armas, offlciaes
de marinha, ofliciaes do exercilo e da guarda na-
cional, chefes de repartico, dezembargadores, e
juizes de direito e muoieipaes, muitos titulares e a
Illma cmara municipal.
MINERVA PFRNAMBUCANA.-Hontem reuni-
se esta associacao litteraria para tratar de urna
propesta que fra apresentada pela commisso de
redaego composta dos Srs. Bandeira, Penido e
Gama, sobre a publcago j resolvida de urna re-
vista destinada a trabalho dos socios.
Depois de lida foi approvada a proposta. Servio
interinamente no lugar de 2o secretario o Sr.
Franco ; em seguida o Sr. Agostinho Penido, pre-
sidente d'esta assocago em algumas palavras
ue pronunciou, pedio aos socios que em signal
lo regosijo, de que devara-se achar possuidos
pela conclusa) da guerra, fossem assistir ao
Te-Deum, que ia ser celebrado na matriz de
S. Antonio por to augusto motivo.
Foi approvada a idea e logo foi encerrada a
sesso.
TERPRICHORE.A direcgo desta sociedade
transferio para o dia 30 do andante o soiro que
devia ter lugar no dia 24. em regosijo a termina-
go da guerra.
BRIGUE-ESCUNA TONELERO.-No da 20 en-
trou do canal-de S. Roque este navio de guerra
brasilero, que do tiosso porto sahira a 9 do cor-
rente, com o flm de reconhecer um baixo no canal
de sotavento onde hatera o navio norte-allemo
Minhtro da marinha Yon Jfaro; e. pelas observa-
gdes astronmicas e marcaedes feilas per esse
commandante, declarou-nos o digno capitao-tenen-
te Joaquim Nolasso do Fontoura Pereira da i,'.u-
nh, commandante do Tonelero, que tal baixo nao
existe, que esse navio s poderia ler batido nos
seceos da croa das Ureas das Cabocias, levado a
essponto talvez porongano de derrota ou pelas
tbuasticos vivas.
Km seguida dealMon a diviso peta ponte d> fortes correntes d agua para o N O. que se encon-
Santa Isabel para eontinuar o iltiuerario marca-
do na ordem do dia do eomraaitde da divisa.
Durante esse longo trajete, que'foi iB&ujpecai
tram constantemente na costa de sotavento.
RA DA ESPERANCA.Os. eocarregados dos
festejo, pela terrainaf da guerra, nessa rafa-
zem urna bellaenovailluminago asnoutesde25,
26 e 27 do correnle ; e convidam os batalhes pa-
triticos a fazerem por ah o seu passeio, afim de
sandarem as efflgies de S. M. o Imperador, S. A.
o Sr. conde d'Eu, e de outros bravos da aclual
campanha.
MUDANCA.O nosso amigo o Sr. Dr. Carolno
Francisco de Lima Santos, mudon de residencia e
acha-se actualmente na ra do Imperador n. 57
segundo andar, do sobrado cujo armazem con-
serva anda o nome de Alianga, sendo a entrada
pelo lado d ponte sete de setembro, e com o mes-
mo n. 57 na frente. Abi pode ser procurado a
qualquer hora a exercer sua proflsso do medico
operador.
INSTRUCCO PUBLICA.Em consequencia dos
festejos patriticos pela tcrminag > da guerra, foi
transferido para o dia 30 do corrente o concurso
para provimento das cadoras de nstrucco prima-
ria do sexo masculino, qae devia comegar hoje
perante a directora geral respectiva.
THESOURARIA PROVINCIAL.Perante a jun-
ta desta repirtico, no dia 12 de maio prximo,
ir a praga a obra da abobada do cano Je esgoto
que exfte ao lado da alfandega no largo da assem-
bla, avahada era 2:094j, devendo o contratante
comegar as obras dentro do praso de 15 dias, e
concluir no de tres mezes.
CMARA MUNICIPALA acta da sesso, que
hontem publicamos, do dia 6 de abril cor-
rente.
CARUARU'.Escrevem-nos desta cidade ~m 13
do corrente.
< Sabbado, foi um dia de regozijo publico para
os moradores desta cidade; porque, tendo aqui
chegado na sogunda-feira anterior a noticia da
morte de Lpez, e por conseguate do restabeleci-
monto da paz to necessaria ao nosso paiz, ao
qual de eerto aguarda um futuro Iisongeiro e
grandioso ; foi esse o dia designado para a de-
monstrado dos senlimentos que nos animavam
por causa to justa, qual a do iriumpho da civili-
sag contra a barbaria a mais atroz que tenha
podido existir.
Logo ao amanhecer do da umi salva de vin-
te eura tiros acompanhada de mu tos logeles
despertou os moradores deste lugar que pressu-
rosos corrern) a ornar as frentes de suas casas,
tocando ao mesmo tempe urna msica de panca-
daria o hymno nacional e outras pegas n'um ele-
gante coreto que se achava armado no pateo da
feira.
No pateo da matriz havia um bello arco com
crelo para a msica, e um outro arco em que
eslava pintada a ultima secna desso drama san-
guinolento que se representou no Paraguay, o qual
vio quasi todos os seus Albos immolados a perver-
sidade de um tyranno, qae innegavel ter exce-
dido a todos esses grandes celerados de que tra-
tara a historia amiga e a moderna. Pela novtda-
de da idea, fji muito apreciado semelhante qua-
dro, em que se via Lpez traspassado pela aguca-
da langa do heroico Chico ou Jos Diado, madama
Lynch fugndo com os filhos, os quatro padres qae
foram presos, ele. Um povo immenso que acudi,
por ser dia de feira, nao se fartava de contemplar
esse tosco esbogo feito por um rapaz sem regras
darte ; porque representava elle o termino de
ouro, como j i se disse, dessa guerra, em que tan-
to se engrandeceram os (linos da Santa Cruz, por
actos de herosmo nunca excedidos.
t Ao meio dia subi a msica ao corlo para
tocar, e da frente da igreja da Conceico, em cujo
pateo se retine a feira, subi um lindo balo de
cores verde c amarella todo circulado de bandei-
rolas das mesmas cores.
t A' noute ai autoridades e o povo em numero
muito aproximado a dous mil se dirigirn) com a
msica para a casa da cmara, onde se achava a
bandeira do batajho da guarda nacional n. 27,
que tinha de percorrer as ras. Eato o doutor
juiz de direito fez um discurso anlogo ao acto, e
toio compungido enlregou a um offl'al do mesmo
batalho aquella bandeira que symbolisava a na-
ca) brasileira que, seguodo suas palavras, seria
sempre o faoal que a levara iininortalidade pelo
herosmo de seus filhos.
t Nessa occasio um curioso qae igoora as re-
gras poticas, impellido pelos senlimentos de que
eslava possuido, recitou os seguintes versos, os
quaes foram muito victorados :
Exalta, Ura-l. a palma
Alcangasto da victoria;
E' sublime tua historia,
Inda mais o teu valor !
(Juando na luta empenbado
Por aggresso dura tyranno,
Com esforgo sobr'humano
Tu mostraste teu valor.
Em cada Dlho tiveste
Ura soldado destemido,
Brioso, de ti querido
Que prodigios praticou I
Foi completo teu triumpho,
Tua vindicla exeraplar;
Hoje podes exclamar:
c Maiei a quem me manchou.
Leo; e bem assim poesas feilas pea mhm r
rioso e por um outro, as quaes rao abeixecwi *-
signago das casas em que foram recitada. Y
mais cantado o hymno da victoria no oarrt 4
pateo da matriz por diversas senhoras, e a*r>
em casa do doutor juiz de direito, sendo qae m i
oulra senhora cao'.oii o hymno nacional em arwK-
da casa do Dr. juii municipal.
< Houve muito fugo do ar e oito elegaam la-
loes, todos de verde e amarello, os quaes se sella-
ra mem diversos pontos da cidade.
Resta-me dizer-Ihe que o festejo rofciag.Ki
al depois da meia norte, sendo recoNtia a tat-
deira a casa do Dr. juiz de direito, onde fas V
um segundo discurso, e onde tinha sido posta ana
mesa profusamente provida d- bebidas,
etc. ; assim como, i|ue ambos os penido* se i
ram para um lim lao justo, haveado entre ear a
mxima harmona. Era ama parte da grande fe-
mi lia brasileira mostrando ao mando qae,
do se trata de vngar os nacionaes, da
sar a herocidade de seus filhos, se esqaeeeat *--
senlimentos poltico? e pessoaes, s se nade em
vista o engrandec memo da patria
Versos recitados na frente da casa n >W!
de polica, major Antonio Vctor:
Cantemos, Pernarobaeaaos,
Dos bravos mavorcio hymno :
Viva o ausente patricio,
Viva o forte Victorino.
Hosanas, I
O adonai (
Vivara os bravos
No Paraguay f
Do Brasil a naiareza
De seiva luxosa e rica
Sorri hoje aos charos filhos :
Viva o grande Ilaparica (
I'arliram grupos de bravos
De suas diversas zonas,
Ao nosso primo triuinpao:
Viva o bario d Amazonas !
Nossos vapores s'eneberata
Desd'a proa al a r:
Viva o valente almirante
Visconde Tamandar I
Vi-conde de Port'Alegre
Em combate sem igual
Faz cahir o Inimifo :
Viva o velho general I
Hnmayti, este reducto
Que s jalgava sem ttm.
Vio suas cadeias quebradas:
Viva o insigne Alvim f
A todos causa espanto,
Nosso valor maravilla I
Viva o moilo i I lastra do
Polydoro Qiintanilha t
Sio ingentes nossos gosos ;
Entre suaves harmonas
Sandemos os n*?os cabos :
Viva o duque de Caxias'
Da boa cansa a iustieja
Triumphou ; e illasorio
E o poder dos tyrannos :
Viva o nclito Osorio (
Paraguayos libertan*.
Miseros, pobres ilotas,
as margeos d'Aqnidaban:
Viva o brioso Pelotas t
J nao existe o tyranao
J finou-se, j morreo :
Viva o principe aguerrido.
Viva o joven conde d'Ea I

Esse tyranno aborrido
< Sem iguil na raalvadeza,
Que aspirava a realeza
Do povo o mais servil,
J nao existe, foi morto
i Em luta muito leal,
t Seu poder de nada val,
< A Deus rendo gragas mil. >
Venceste, Brasil, venceste I
E' mui justo teu prazer;
J te dste a conhecer,
Sers hoje respeitado.
Essas naedes orgulhosas
Que te olhavam com desdem,
Mais valor ellas nao tem :
Avante, ests vingado !
Avante I Que te aguarda
Um futuro esperangoso,
Fulgurante, grandioso,
Como outro nunca o tere.
Ej de Deus o escolhido,
Es a trra do Cruzeiro
Que radiante, sobranceiro
Aos revezes sempr'esteve.
Carnario, Henrique Dias,
Vieira, o Tira-Dentes,
Sio loaros e mui virentes
De toa c'roa de gloria.
Osorio, o legendario,
Nunes, o sempre lembrado,
Caneca, Leo c'roado...
E' sublime a tua historia I
Avante, Brasil, venceste t
Surge p'ra ti nova era ;
J se foi a primavera
De tua primeira idade.
Pelo baptismo passasie
De saogue ; teas caros filhos
Vingarao sempre teas bros
Dos sec'los na eternidade.
O acompanhameato percorrea toda a cidade,
parando em diversa casas, onde houve discursos
pronunciados pelo Dr Aoiorim e Gpamiaonds,
professor Mendonea e oa moco da sebrenome
Versos recitado i na frente
Sr. vigario :
daca-j !> k
Exulta, Brasil, venceste.
Ferdo no teaorgnlho,
Fosle avante, nao correste ;
O mundo te contemplara,
Exulta, Brasil, venceste.
Mil privages, mil loriaras.
Resignado t soffresle ;
Sempre no posto de honra,
Exulta, Brasil, venceste.
Pago da Patria, Riachuelo.
Tuyu-cu nao temeste ;
Curupaly nao resiste
Exulta, Brasil, venceste.
Tuas termopylas seriam
Humayta, mas que tizeste!
Impvido atravessaste-a.
Exulta, Brasil, venceste.
Se eras grande, s sublime.
Maito na guerra colheate:
Louros vrenles te c'ram.
Exulta, Brasil, venceste.
Lpez, hrrido tvraaaa
Delle caso nao naesta;
E' grande a toa (lona.
Exulta, Brasil, venceste.
O Paraguay libertaste,
Lberdade Ibe trouxesle;
Tua missio gloriosa.
Exalta, Brasil, venceste.
A Europa te contempla, *
De pasmo o mando encnate ;
Horneas, aves, feraz bradaa .
Exolla, Brasil, venceste.
Versos recitados no arco do paleo da
defronte da casa do coUector Barra.
Quando na Iota emp
A todos vence sobranceiro;
Os seus bros sabe vngar :
Viva o Brasil, povo goerreiro.
E elle no sul tTAaNriea
Da civilisacio Inzeiro,
Denodados sao seos '
Viva o Brasil, povo

Que o diga o Paraguayo
Valente, cruel e matreiro ;
Os seas baluartes canina
Viva o Brasil, povo
Humayta desmoroaon-ee,
Curupaiti nm oiteiro;
Que e de Lomas-Valeatiaas
Viva o Brasil, povo i
Carosa i um
Ji nio existe o
Ond'Estabeieciawto T
Viva o Brasil, povo guerreen..
Em Aquidaban foi qae dea-se


T
Diarlo de Pernambuco Sexta eira 22 de Abril de 1870.
-

Da guerra o folio derradeiro i
Ahi cabo por trra o ty raoao :
, Bt o Brasil, povo guerreiro.
Yia. Osorio, Conde d'Ea,
Viva Cmara altaueiro,
Vm Argollo e Iuparica,
Vm 0 Brasil, poto goerreiro. "
Versos recitados -on frenta do casa a Dr
jii municipal por ato aaro carleo:
Na tace brilhanie dlmporio da Crui
lUivoso coba ri|e edo cuepio ;
Entio, sera mais tregoas, por montes e Talles
Fatal roaldrcSo p'ra sempr'o seguio.
Seus grandes castillos e ricas cidades,
Trincherras tasantes, reductos factes,
lamis o ganwitem ; tremern), eahiram.
Curvaramse humildes a nossas cohortes,
A cansa era santa ; vingar os ultrajes
Do iim monstro nefando, d'Averoo sabido ;
"tambera a victoria foi grande, foi nobre,
umpleta p'ra um povo brioso, aguerrido.
O S'rro,Htimayl, as celebres Lomas,
Hiachaello sangrento e inaja Curupaity,
tf) P.iso da Palrin,c Serr Oir,
Innmeros Pontos tambero Tuyuty:
Revelara ao mundo que a patria dos Dias,
Tidaes, Carnarios AnJradas f'Pintos
To.u liihns guerreiros que vinuam alTrontas,
Hrandinlo a espada, de glora Camines.
Alegres saudemos com todo o respeito
-a' nossoestandarte, brilhanie lazeiro,
i'em plagas remotas guin i victoria
Os filh'js dilectos do Santo Crtueiro.
O Dr. Epaminondas e o profesjor Mendonea
pronuiicitram discursos as frentes de suas caas
n I m assiin o Sr. Ceai na frente da casa do de-
legad supliente, o tenente Porto.
LOTERA.A que se a cha a venda a 144',
beneficio da igreja da Casa Forte, a u.ual curre
Bu da 26.
CBMITBMO PUBLICO.-Ohilurio do da 20 de
abril de I 870.
aria do Carino, Pernambuco, 80 annos, vulva*
Bo-vi Roberto, esclavo, l'emamriueo, 48 annos, soltei-
ro, llecife ; preumonia.
Mara, Pernarabuco, o mezes, S. Jote; convul-
fM,
Simplicio, Pdje, 70* annos, solteiro, Boa vista ;
Monte.
Manoel Duarte Pereira, Pernambuco, 71 annos,
asado, Boa-vista; laring trachute.
'do- ser bita a mesoia arreraataclo por lotea] Consolado de los Estados Unidos de Ve-
na vfthVde I tamb a contar do dia 5 de oezuela.
PUBLECACOES
A PEDIDO.
Protectora das Familias,
Assochco hra-ikira tic seguros mutuos
sobre a vida, approvada por decreto iU
Kovorno imperial de 13 de junbo de
1H4.
(i-riJa pelo banco rural e hypothecario do Rio de
Janeiro.
Essa associacita riminha as vias.de prosperi-
da Je, nao sem os en .revea inherentes emprezas
novas.
Eui ."i I de dezembro d> 1868 tiulia efTectuado
MU astooaia S342 contratos.
Inscripto um opital de 8 0i2:l 0**890.
t'.-ipifal realisado a convertiilo eiti apatice* da
divida publ-a nacional ce 6 0/0 2,354:70OS000.
At 3! de d.-zrmhro de 1869 tinba cffrcinanVl
essa a isociacii. 7722 contratos.
Inscripto um capital de ll,&17:350580.
Capital realisadti e convertido <-m apolices da
divida publica nacional d 6 0/0 3,734/708*000.
Para mata csclartciiuenlus dirigir-se-bao ao
twrtoterio dessa associacao, ra do Livramento
r. 10, I andar.
O apente.
Narcizo Francisco de Vidal.
As preparante- despre-iveis.
Apenas de rrdinnrij) es!aa em vopa por algnm
tenip-.i, |i< rm a -ua prol< ng-ca.i geralmrnto de
peora dura, c m breve pas.->a ; em qnanto pie,
um grande antidoto por- rxcelloi.eia como o p.itu-
ral un Anarbaita um o nlante perpetuo be-
neficio publico, nra verdadeiro Ibesonm inesgota-j
vel. Pode-se oeverar como um axioma iiicon-;
telavd, (i.cqualqiierrl-isse de t'>s,p, eonstipacjbij
oa ralarrno. se aiiivia e ciirn mediante o seu uso,
deotro ito espato de poocoi dias, e as vezo* dentro
effl peucas U.ras.
0> brunrhiles declarados inenraveis pelos me-
kos,se alliviam e as wiea so rnram em nina
semana, eom esta peciosa e excellenle prepara-
cao v geM ; a trelhor e a niais excellenle de todas
ijuant.'is andam era Tnga. Robustece o vigorisa
M 11>'5' s oa rrspirac.au; faz cxpellir luda? as mn
<_. iJades e a phlegma ; con aasibma clironica ;
n'uraa palavra nao ha nem exi-te um caso de
naarranjo oomoleaiia dos orgaos pnboonares oa
t;, garganta, que nao sejam corados logo a primei
ra dosc, e geralracnle ficam permancnlemcnte cu-
tnerco prximo futoro ero diante, e qoaoto
a comprebesSo denominada Caric proce-
der-se-ha a sna diviso em diversos eme-
ooroa lotes, segunda for mais conveoisote
aofi interesses da farenda, isto em virtude
de aHtoriugio cenGodid pela presideqois,
de conformidade com o | 4o do art. Io
das instrocSes citadas.
Outro sim na arrematac3o que prxima-
mente se ha de fazer das comprcheosSes
engenlio Novo, Pangao e Cumbe, no da
18 do roesrrio mez, e aoeeiuro. nos ter-
Pi da lei ile 1S da lelembre do anno
simo passado, propostas para venda dos
escravos, Bszilio, pardo, com "26 annos de
idade, carreiro, avahado por ltC00|600,
Ooncordia, parda escara, com 18, avahada
por 0005000, Aquilina, parda, com 4 annos
avaliada por 2(>0)J000, Damiana, parda com
ti metes de idadej ava'iada por 100^000,
. fcod s pertencenies ao dito eacapallado.
C cumprindo co -clulr-se as arrematarles
! qtie tiveram lugar m atril do anno passa-
do, as qua^siorsm ltimamente aoprovadas
pelo governo: faco igualmente saber aos
arrematanies ^ praso que dentro de 30 dias
contar de 15 de marco prximo futuro,
devem eltas, para poderem obter as compe-
tentes cartas de arrematado, prestar hipo
tlieca convencional, a qual ser celebrada
porescriptura publica, e inscripta no lugar
da situara dos bens hypothecddos, nos
termos da supradita ordem do thesouro.
exhibind') os mesmos arrematantes previa-
raentr!, perant este jnizo os documentos
uecessarios que pruvem a idoneidade e
sulliciencia dos bens que d5o para garanta
dos valores porque sao responsaveis e isto
seb pena de ficarera sem effeiio as mes-
mas arrematarles.
Cumpre Uimbem que os arr.',matanies a
dinheiro, dentro do mesmo praso e sob a
mesma comminaco, recolham a estacSo
competente o- rt-stanto do preco porque
compraram as eompreheosoes de que se
achato, de p^sse -olicitando as respectivas
cartas de arrematac5o,
E para que checue ao cenheciroento de
todos mandei passar o presente cdilal que
ser publicado pela imprensa e affixado nos
lugares do costme, bem como as comar-
cas de Goianna e Itamb, e seus povoados.
Dado e passado nesta cidade do Recife
de Pernambuco, aos 17 de fevereiro de
1870. En, Luiz Francisco Barreto de Al-
DMids, escrivao o escrivi. Pagar atinal
400 rs. de sollo.Luiz de Almeida.
Abilii) Josa Tacares da, Siloa.
No awewcta do consol desu repoatlca lea o
eonjolado cargo do Sr. A. L.*de Oiiwia Aieve-
do, Ticeconsifl de Roma
Consolado de los Estados Unidos de VMKtueU
em Peroamfcuco 20 de abril de 1870
J. J. da Silva ovies,
__________ ^.- Cajaaqj.
SANTA CBA tk MI98UC0RD1A W
ECIF.
,.-A i."?JJifto *5riva' da SaotaCm de^
MisencooHi de Recife manda fazer publico que
na sai de auas sassfin, no da 28 de abril, pelas
4 horas te urdo, harte er rrenaatadts a auem
mais vaattgens offerecir, palo tampo de nm a tres
annos, s rendas dos predios em sogaida dacUra-
aos:
ESTABELECfSfEMTO BE CAMDADE T
Ra do Pilar.
Casi ierrea o, 73....... mojaOOO
ua do Pharol.
Casa terrean.72......r 1801000
Ra de Mathlas Perreira fOlinda)
Casa terrea o. 14.......%000
Roa da Virajiu.
Casa.terrea o..7. i92dO0O
Ra do Padre Pleriano!
Casa terrea n, 43......17U000
dem dem n, 65.......247|000
Ra de llarus.
Loja do socrado n. 41 .... 1211000
TATRiMGXIO D9S ORPHAOS.
Ra do Pilar.
Casa urrea n. 110'......204*600
Ra do Vigario.
Pritneiro andar do sobrado n. 27 SiOOOO
Ra d i Rangel.
Casa terrea n. 38....... 360*000
Roa do Pilar.
Casa Ierre n. 73.......180z000
Ra do Pharol
Casa terrea n. 72.......180<000
Gasa terrea n. M)2 8 20211000
Ra da Lapa.
Casa terrea n. 2. ..... 240*000
0-* preteudentes deverlo apresentar no acto da
arrematacao das suas naneas on eomparecerem
acornpanhados dos respectivos fiadores.
Secralaria da Santa Cas da Misericordia do Re-
cife, 6 de abril de 1870.
O encrivio,
__________ Pedro Rodrigue de Souzt,
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DI
SlaiTegMcio cooteira rnaar Tar.
Goianna.
O vaper Parakyba^ seguir para c
porto cima no da J6 do corremv.
_ as 9 horas da noite.
R cebe carga, encommend&s, passageiros e di
obetro tftwe no escriptorlo do Porte do lautos
n. 14.
Rio de Janeiro
Pretende sabir em poneos dias para o referido
parto o'Metro patacho brasileiro Protector, per
ter a malar parte de seo earregmeoto engajado; e
para o penco que Ibe falta e escravos frete
traU-se eom o consignatario Joaquim Jos Gon-
calves Mario ra do Commercio n. 17.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
%ftvca< eofttrlra por vapor
Parabyba, Nata', Maco, Mossor.Ara-
caty, Cear, Mandah, Acaractt e
Granja.
*^?\to O vapor Ipojuca, commandant-
/Jifl/L Maura, seguir par os porm
aBBaBMaaa cima no da 30 do crrente as 5 hora
a Urde. Recebe carga At o da 29, en com-
Tiendas, e passageiros e dinheiro a frete at a-
i oras da tarde do da da sabida no aseripto-
rio do Forte do MaiMs n. 12.
paiopobmT
Seguir em poneos dias a barca portapueza
Sova Sumpatkia de l1 classe e marcha por ja ter
prorapto qiw-i toda sua carga : para a pouca que
he falta, assiin como para passageiros aos quaes
olTereco ricos e expelientes commodos, trate-se
com Rjltar, Olivoira & C, i ra do Vigario n. 1,
primeiro and/.
CEARA
O palbable Garibaldi segu em poneos dias :
tratar eom Tasso Irmas A C ____________
Rio de Janeiro.
0 Dr. Fianci-co de Assis de Oliveira Ma
ci jiiiz d:j direito da primeira vara cri-
minal, e substituto da do especial do
commercio n'esta cidade do Recife de
Pern;.mbti o por sua magostado o Impe-
rador, etc., etc.
Reo saiier pe presente, que dentro do praso
de 30 dias, contados da publicac/io deste edital re-
eeber este jobo propostas pof cartas fechadas
para a .irrematagiio por venda a quein mais olte-
rci'.-r da escrava seguinte :
Bernardina, cor preta, idado 40 annos do sor-
vico de ca*, avaliada em 4O0, a qual e ennstiloe lambim a massa fallida de Antonio
Mara O'Connel JT-cy; e vendida reqnerinent'>
dos administrad >res da dita massa fallida, e se
acha na ra Direifa n. 45, i4 andar; devendo as
prop'istas serem entregues ao apente de li ffiet
Francisco Comes de Oliveira, encarrOgado por
este ju7.o da re dada mencionada escrava.
Ejiara que chepue ao conhecimento de todos
mandei passar o presente, que ser publicado pela
imprensa e affixado no lugar docostume.
Recife. 17 de marco de 1870.
Eu Manoel Marii Rodrigues do as 'intento, os
crivao, n escrevl
' FntiteiBCO (TAtsit Otireira yiaanrt.
COMMERCIO.
RNGLISH BANK
O Rio de Janeiro Limited
Descosta lettras da prafa laxa a con
v.ncionar.
Recabe dinheiro em cotila corrente bis
I raso ixo.
Sa.-a vista ou a praso sobre as cdade
prlncipaes da Europa, tem correspondente
ua Babia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-
e New-0rle2n<:, e eraitte cartas de crdito
pato os mesmos lugares.
BA 1)0 COMMERCIO N. 36-
M9VIMENT0 DO PORTO.
Novio tn'.'-adm no iia 21.
R !W-York -32 dias, patacho inplt-z Wo\fvelle, de
24-'i l. heladas, capil Cook, eqnipapeni 8, car-
ga dinVrentes gneros; a A. Prederico de 0i-
veira A C.
Uio de Janeiro16 dias, brigue portuguez famo,
de 243 tonelada?, capilio Antonio J>>s Vianna,
equipapem 10, cirga larinha ile mandioca, roi-
lao e ontros gneros ; a Antonio L. de O Azc-
vedo & C
l^verpoul42 dias, brigue inglez Sigana, de 222
toneladas, capto II. Stbrader, t'fmpflgem n,
carga earvo ; a Mills Latham A C.
itin de Janeiro21 das, barca Ingleza Abbcls fen-
'ing, de 370 toneladas, rapitao I! Coestney, e-
qnipagem !2, em' lastro ; a Honslelinann AC
Navio sakidiu no mesmo da
Rio de Janeiru-^Marca anuricana jfbiman, ca-
pitao Bartfc rd, em lastro.
P.irahyba-Barca portagu^za S. ligue], cmpo J.
M. C. Pereira, carga diflerent-.j generof.
Observafo
Suspe.ideu do lamarao pira Maranbo(.o pa-
0 r. Trisio de Alencar Araripe, oflicial
da Imperial ordem da Rosa, juiz de di-
reito e especal do commercio nesta ci-
dide do Recife de Pernambuco, por S.
M. Imperial o Sr. D. Pedro II, a quem
Deus {.'turde. etc.
Faro saber aos qne o presente edital vi-
rem e dejle Delicia tivon-m que no dia 2
de maio do crrente anno se lia de arre-
matar por venda a quem mais der em prae
publica VsVjqeo depois da respectiva au-
diencia o seguitite:
Um soorado de d^us andares e solao;
sito no caes do Bamos n. 3 fregnezia de S.
Antonio, trido no primeiro andar duas
salas c seis qoartos cozinha fora, no segun-
do andar tatnb'iin duas salas e seis qoartos
no solao urna sala, no pavimento terreo
oceupado por tima preuca de algodo, com
qninlal murado cacimba meeira, avaliado por
8:000*000. O qual foi penhorado por exe-
COCSo de Mills Latham & C, contra a vmva
e herdeiios de Jos Higyno de Miranda.
E nao havendo lancador que cubra o pre-
co da avaliacSo, a arrematado ser feita
pelo preco da adjudicarlo na forma da
lei.
E para que chegue ao conhecimento de
to los mandei passar o presente que ser
publicado pela mprvnsa e affixado no lu-
gar do costume. Becife 16 de marco de
1870.
Eu, Manoel Maria Bodrigues do Nasci-
mento escrivo osnbscrivi.
Becife 1G d> mareo de 1870.
Trinto de Alencar Araripe.
Conselho de compras navaes
O conseibo uo dia 23 do crrente mez, vista de
pr po-ta recebidas atoas II horas da ruanta e
sob as coodr;d"os do eslylo, contraU 03 servidos de
barbeiro enfermara de mariuh?. no trunestr-
correate, e o fornL'cimsnlo no mesmo trimestre de
velas stearinas de 8 em libra para completo do
de vveres, dieias e outros objeelos de consumo
aos navios da armada e estabelecimenlo de ma-
rinha"; s velas proprias para lanternas, assim co-
mo promov a compra dos objectos do material da
armada segoiutes: al.notolias de folha para azei-
te,4 arrobas de aguaraz, 12 bandeiras nacionaes
de 2 ponnos. 8 bandeiras naciooaes de 4 panno-,
12 bandeira; nacionae de 5 pannos, 10 barris de
alcatrao, 100 brocha sortida^ 8 barris de bru,
30 barris de gaf 200 caetas, 20 caaernaes bb
de 4 a 12 polegadas, 500 caibros de qualidade de
40a 45 palmos de corbprinento, 6 casaro!as de
ferro esianhulo, 12 rarnoho de mJo, 100 alguei-
r-*s de cal branca. Ii6 bracas de corrcn'e de ierra
d" 1|2 polegida refon;a 20 arrobas de estopa de algodo, 10 fl imulas de
njvio, 10 fecbadoras de ferro de broca para por
ta, 2 arrobas de fl de alg >dan, 300 covados do
fileb encarnado. 300 covaios de fibra azul, 100
covados de HIHi Verde, 6 files inrlezps tendo cada
um 8 ps de corapri > ento e 6 di- largo, 4 jarras
de m-detra de amarello, tendo 30 palmos de altu
ra. 2j' de, dimetro nn fundo e 19 na bocea, 50
linos de 50 futis, 10 arrobas de linha .ilcatroada,
8 arrobas de linhi de barca, 8 arroba* de merlim,
8 arrobas de mialbar, 20 m.iitoes bb de 4 a 12
polepnda*. 10 libras de obreas/rancezas, 2 ocu
I os de alcance, 3 pedras de amolar de 3 pes de
dimetro e 6 a 8 porgadas de grossura, 4 arrobas
de plvora fina, 100 pratos travessos de fulha, 6
pandhis de ferr estanhado,600 remos oe faia, 10
noias de tahoas di praho d' resina de 3 polega-
das 10 rluzias de tahoas de pao-carga de 1 pole
gada, 1,200 libras de tinta verde iog eza, 1.600 li
DTts d" tinta branea de lineo, 800 libras de tinta
prela, 2 ne;is de tapete, ."W travs de itualida'le,
de 4i a 45 palmos de eomprimento e 10 pagada*
de grosura em quartro, 1000 lijlos de fueo, 6
vergonteas de linho para paos de cutello, tendo de
eomprimpnto 35 pe"s e grossura no meii 7 polega-
(ta^ de dimetro, (i vrrgonteu depinho para mas-
tros rio e grossura no mefo 6 t]2 polegads de dimetro.
Para o porto cima segu em poneos dias o bri-
fue nacional Isabel, tem prometa a maior parte
g sen carregamento, para o resto que Ihe falta
trata-se com os consignatarios Antonio Lniz de
Oliveira Azevedo A C. ra da Cruz n. 57, primei-
ro andar. i
LEILOES.
LEILAO
De um coup elegante, com ricas inter-
nas e arreios de metal principe.
Um cabriolet americano de 4 rodas, co-
berto, com lanca para um e dous caval-
los j3 arreios,
(ttinrtu-ici'a 9 de abril aa 11
horas em ponto.
Por intervenc- do agente Pinto, no largo do
Cirpo Sanio lado da sombra.
AVISOS DIVERSOS.
ATTENJAO
O annnncio que veio publicado no Diario de
hojr, declarand> que o engenho Mussavba nao
poda ser veudo, depois que elle f.d "vendido,
porque pendem diversas execucoes sobre o seu
proprietario, mais um miseravel ardil desse
annunciante, a prova nao equivoca do mullo qus
se tem dito por este mesmo Diario em varias
entras occasious.
Todos os meu.3 irm s devem-me, ninguem
deate foro e no da Escada ignora em qne sentido
correm diversas execucoes. qne crio i'; que
aoni sao eneentadea dons deeses meus irmaos, p
na fregu: lia da Encaja um, de cojos autos consta,
pie o abaixo (asignado o exequente Aqui, po
rftm, apenas correm duas demandas contra o abai
xo assignado, das quaes urna, cujo joito se acha
seguro, represpnta um capricho seno nma iriiqui-
dade, urna extorcio, que o autor des.-e aiin'incio,
i a que respondo, pretende levar a efbKfl a custa de
Sa'a das essdes do cmselbode compras neraes awwosiaa, embora tenha sido vencido desde a ns-
18 de abrii de 1870. laocia inferior at a superior, d'onde se acha pen
.dente por appellacao amw tal annunciante; a mi-
tra, eontra tereeiro de quem apenas o abaixo
asonado representa como abonador, eeste fevftei-
ro, a que.n o aonuncianle milito rahece, temteos
suDieieiites para pagar. O annunciante que por
tal fma quer insenr-se em neg.icis do abaixo
assignatio n.io passa de ura intrigante, a quem (1
nalmente, se avisa que nao continu era seinelhan-
la lauc* infernal........ Cuide em pigar o que
deve ao abaixo assignad', e bm assim de man
dar-lhe intreg r o eseravo lleno lelo Saracaia,
segunda re seJuzido desde o dia 13 do mez pro-
xnn. pisadq...... E nada mais digo a esse tal
senhor annunciante......
Kecife, 20 do abril de 1870.
Jorittuim Salvador Pmoa de Siqucira Cavalcanu.
O secretario,
____________Alexandrc II rdrignes dos Anjos.
Adoalaistraco dos corre'os de
'ernambuco 28ile ibrl de
Mvla peh vapor Mandah da companhia Per-
namhacana.
A correspond-racia que, tem de ser expedid hojp
pelo vapor cima mcnrii nados, para Macei e
Pnelo, ser recebida pela maneira segrate :
Uassos de jornas, impressos de qualqaer natu-
reza, e carta* a registrar, at as 2 horas da tardo,
cartas ordinirias at as 3 hjras.e estas at 3 1(2
pagando porte duplo.
0 administrador.
Af'itiso do Reg Barivs.
AVISOS MARTIMOS.
L
w
EtECLARACOES.
Pela recebedoria de rendas internas se fa>
.publico que oeste corrente mez e no de abril
proxim.- tuturo, queos contriborates do iropost.
sobre industrias e profissoes teem de paga-lo li
?re de multa, e que indo o referido praso sera
Sobrado cora a multa de 6 OjO.
Recebedoria de Pernambuco, 3 de marco de
1870.
9 administrador,
Manoel Orneiro de Sr.uza Lacerda

latn, cora o mesmo fasrrj que Ironxe p Rio de
Janeiro.
ECITAES.
O f)r. Abiq. J^T^ivajrps da Silva, nfficial
*ia Imperial ordem da Bosa, e iuiz dos
fetos da faienda nacpna! dajtaprovln-
na de Pefr^mqi^o, pqr S. M. Iujaeri-i! e
<>on titmcwna a q^eaiOeus Kljarde> ctc.
raco saber que- em vriude no arL 6* da
trilem do thesoero de 1^ je dez^Sno de
R3P, em qua^to. naVj, tlvefem, dRino os
t-rrenos d^ pflVftafiaUa Tmju*.eComu-
tanga e da villa de Itamb, pertencentes ao
oncapellado degte.brjjrjc, ?cr?^ "eimarren-
dados em hasta WW^MrWtM de s
anuos na i.irm-4**cl- 4J -das-iasUiuccies
de 30 de dezembro do I8^i, segundo a
avaliatjSo qm prevlamenie ter ga'r, devei-
Olllm. Sr. rasfieetorda th^souraria defazend-
desta provracia, en viruide da,a ordena em vigor
pianda fazer publico que tero marcad o da 25
le abril prximo vinowo para o concurso qot
e tero de abrir na mesma iheaouraria. para pre-
ncbmento das vagae nella, existentes de prati
antes da mesma, assim como da alfundeaa e da
plw_hollandez FrHkjnfna, p.tao V. i tam Dam ee bedoria dp randas ;' vemr* o exapie sobre
s materias di que trata o | Io do artigo d.
ecreto n. 3114 de 27 de junbo de 1863. a saber:
jeitora, analyse gramniatbai e. or>ographia, ari
hmetica e roas appticagooe ao coramareio, com
specialidafc ^ redccclp de moedas. peaes e me-
i idas, calculo de doacanto, jufo .-jupies e com-
fostos, theort'a de cambios e.suas appliicaves. O?
eoncurrentns deveriOrprevUoteole apresentar seu>
requerimentos instruidp d* dpeumeoto que pro
3em idadej;omple^ de 18 annos, iseacao de pe
a e culpa a bom comportuiento na forma do
t. do decreto a 3%9 o 14 de marco (
860.
Secretaria da theouraria, i* iazenda.de Per
aambnco. 4 do marco ^9.1976,
Servinili da. jfiWal.mawr,
____________ lfaaaeyaa:P4B>i?-
*abdelegai do H.eo d~ pv
atfla.
^ie#M.BMelaifl 1M apnteeeadirJo um ea
vaWflrP^afi eioaliaM cm poder do Marcolirio oe-
^.- .'Mi*r,jpJgaf con dirflfta ao referido ce-
VW*Vn-fterando sai sea legitimo proprietario
apruente-se para Ibe ser entregue.
Liverpool Braztl d Rlrer Pate
Hai! Steasjaers.
At 22 do correlo espera- se de Liverpool por
Lisboa o vapor inglez fonler, de 1499. toneladas,
o qual se tdespacb.u don toda brevidade para
Babia, Hio do Janeiro e Santos.
Hecobe-so dinJieiro e eaconuneodas a frete na
agencia,
Este vapor tem excelleutos accommodarOes pa-
ra passageiros : a agentes Saupders Brothers
A C, largo do Corno Santo n. 1|,
Maranho
Para o referido porto segu era poucos dias o,
hiate Rosita por ter a maior parte da carea eneao
jada ; e p^ra o resto que Ihe falta trata-se com -
consignatario Joaqujm Jos GoncaJyeg BeUa.
ra do Commercio n. 17. ^ ^^a
PERMUTA-SE.
Permuta se a res-id ocia de um primeiro andar,
com bons commodus para qualquer faino, silo
em ura dos mclhores pateos do bairro de Santo
Antonio, cujo alugoel 22*000 rs. mensaes, por
outra que seja timbera primeiro andar e no mes-
mo bairro, embora pague se snpsnr.r alnguel. 0
motivo se dir ao pretndeme, que pode dirigirle
ao paleo do Paraso n. 29, primeiro andar, defron-
te da igreja, esquina.
Mudanpa.
CWA1U BKASlLEIfi.4
DE
reros e engaja-se
% a qnal devex
Paquetes a vapor.
Dos porjos do norte esperad*
at o dia 19 de corrente. o vapot
Cruzeiro do Sul, coramandanle 1
9. Gnedes Aleo/orado, o qul
deaow da deinorn d costme se-
guir para os portee de sul.
Desde j recebeaa-ae
arga que o vapor peder
wr antfcareeda no dia de soa _
lahid"1 frete *t h0"~ Naoserecebemeota encociimendaa aeno ob .
leaos de pequeo vaior qnenioexceam a dnx-1
trrobas-de peso on 8 paknoT cobicos^nwdnia.
atSKSSl**" I^PrtaJnXI
pa|^?reT^^^
ni
HaTeaco eoolefra por vapor
dbdadaeahi|taftera>leri.ee-F
O Dr. Carolino Fraaeisco de Lima Santos mu
dou sua residencia e consultorio para ra do
imperador n. 57, 2o andar do sobrado cojo arma
zem consenra ainda hoje n nome de AHanca,
tendo a entrada, que pelo lado da ponte Sete de
Selorabro, o mesmo numero 57, da frente. Ahi,
continuando o dito Dr. no exerciri de sua pro-
nssao de medico e de operador, pede ser procu-
rado a qualqupr hora do dia e da unte.
No segundo and ir do sobrado n. 28 da ra
estreita do Rosario precisase de urna ama forra
on escrava. ________
O proprietario do caf Santa Isabel, silo
Ma da Florentina n. 2, tendo tomado couta de um
antro eataboleciment, deseja deslazar- e d'aquellp
caf, e por mo convida qualquer pretndeme a
iwrjgir-se ra do Imperador o. 32.
AMA.
I N'ESTA
r riiiii
MA al CRfcWTA**
FABRICA


lICil.lA || CHITlITIIIIIfl |,| CIIPLIfl ISITIIIIH M
01
. ClAPBtl B mk, /^W
g^ De toda as qualidadea I f/m M oaaV
Da todo* oa feitice I ^m^^mj0^^1
Da todas oe praco* I I
RA DO CRESPO N' 4 |
.
XA R O P E
VEGETAL AMERICANO
ESALIDADE
BARTHOLOMEOaC
rate a cara eem la tanet anidas e receatci, caUrraM pilmnir, utkaa;
WMcas, em goral castra tolos ti MSriaeakM das tm
DEPOSITO GER1L
SOTXOA JE3 OaOOA
34, ROA LAHGA DO ROZAMO, M
PERNAMBUCO
\
A therpotiei ts dlrerss moleitiis do pcito,dMd
i phrrngite oa mil di girganti ue tnbtrcolicio
polmonr, pasuodo pelag direisis bronchiles eaUrrhMf
o emphyseoi cab de ser enreqaecid eos mit
ste merficameDto, qne toairi t priaieir ordem entre
zoilos li boje cohecidos. O iirope Vegeul Americmo
iraniinilo pnrimenie vrieul. nao conten em iui
:ouipofico nn so tomo de opio, e sim someDte soc-
ios de pimas indigenis, eajis propriedides benetlcu
i car* da molestia* qne pertencem sos orgias de res-
pir?o roram por nos observadas por longo lempo
tom ptimos resallados cada ei mais crescenies ; pel
)ue nos jnlgamos antoriasdos a compor o tarop isa
lg0* aP"se'"Dio. e a oflerece lo aoa mdicos e ao
pnblico. Profamos com os alleslados abano o qne le-
amos dito, e comamos qne o eonceito de qne ii osa
t larope Vegetal Americano erescerl de dia a dia,
ienando mnito apo* de ai todos os pciloraes n'voga.
Illa. Sr. Barthalomeo k C.-O tarop vegeul Ame
.icano, preparado ea ana coaceitaadiasima pbarmicia.
am til remedio para eombater A lerrirel asibma.
Sofra en aquella molestia ba qoairo mexea. sen anda
ter combalido osauqnes mensaes qne linha ; este ni limo
que tive foi fortissimo qne me presin por 8 dias. nsei,
porem o sen milagroso tarop, tomando apenas tres
loses, e ato o presente nao foi de noo atacado Puss
ums, qu* en fique resubelecido por oa* a. Beadc-
Ibe, pois os meas a -dcimo loa asv a Mr itiataaa Ha
Uo borriTet mal. Cem a mais sinitcatm amata
snbscrao-me deVme*. trfcctsMM nnaiiitfc enana
- Swrtii uar(.-Sua Casa 14 asaverairt *aa>
Illas Srs Bartha4oroo*C. atentas saajntaaaik
mezes de soffrimenio com naa Iosm
eitrsordiaario, expecuracao 4* nn i
do. n perda toul daa foreae. qne naanr nanaf
me faligava completamente, cansad* J*Itanr au u.
iros renedios sen resellado ti.e a felwtaMco^anaaweaa.
mes. prenaraiam o tarop Vegeul AiMncaa. a
elle, gratas a Dens, ae acko resUsetsciaW ha aajaw V
dois meta, e robnsto como sa nada lirnaat iitr a, *
gratidio ma torca a esta daclaracAo, qne andssia Tsaa
fazer o oso qne qnireren. Son con estima ir mn
muilM respeiudor crudo. ------'- n mi g
Catira < Silca. Becife 8 de feTersir* sin 1868.'
Atiesto qne nsei de tarop Vegeul AaraaM,*V
oomposieio do* Srs Bartkolosneo C. pare ca Ora
forte defini qn* m-, trente naaa rooqodio asa*ans> a*3.
fazia edlender, inflainaacto e dor i
grande falla araspiracae. e Unwi
tabelecido con nn so tidro do a__
qee Ibes protesto eterna gratidio. Rceifs
neiro de 1868. Jofum Ptrtw '
Est* mconbecido*.
ur.M. ya*'
Noi cosminanios proenrar alleslados para acreditar
SUCSSr^ t,it'xlmo* qe applicacio e os
resollados obudo pelas pessoasqoe se digosramacreiU-
L2 "" T'1']' ""v Priu ** "*?" *
ttesiados considerados gratuitos, e del-s qne lanca
so o cbarlaumsmo; as ni qnerendo offender s pes-
-oasqneespontaneamenle nosoflereeeram.os qne abaijo
ao transcriptos, os taumos publicar manlfesunrlo-lhns
ossa gratidio pela aitM?|u, asparando qne vendan
les corroborar o conecilo. e accaiUcl qoe tem moro-
ndo nosw zarope. ioriAoleaja ft C.
iTTESUDOS.
ms Srs. Bartholomeo CE com a mais sabida
a.isricao que declaro ser o zarope Americano de urna
aneaela exilaordiuana. pnis qne soOiendo ba das de
ntens losse, a ponto de i so pod ltpeito mesmo de medi.nmntos q4ie lomava, a cll
ecorr>e na arcan colher lu allitia.!,.. e d- lodo rao
icb-> ho;e renabeurln coa o no tienen* de "nai
ar.tajtfca: grau) )H>( a es#e resultado ms-iife^o a
'v. --. n -a reo nhe, linalo. |ih Vv. m. mw ti.
:. ;" ^Untonin Vaaial
m< H. fenorm
li a] t i (])) .,, .. -
Nuteiinento
MEDICIFA!
.Setal Aaericiao. de ana comnosicAo, -
cliea batante doente de nma con tornon completamewe roneo e qne treose
tosse. e me imps.
de cantar da empr.-za lTrica, eon auraaccer-IW*
completo realabelecimento, qne eblire con na s
do mesmo. jarope, depnis de kaver racarrhU
Iraiamentos. Desejarei qne entren aaan* aa i
ao sen tarop psra ae eren almado. ate ato
incommodo, tio fatal nata pea. Coa
relo contino a ser de V. Ss. aliento .
de'tffis"' ~ ^^ C,,ID0,,,> ~ R#eM *'*
lllms Srs Bartholomeo 4C. O tarop TaaMal
ricano qne V. S*. l-n eipoMo I venda t
cacia para o enretito d'asihma, canfonre
ptcanao-o a men lilho Joaqun nene
annos; victima d'esse fl'-!|o qne at eottoper
eteed-nt* a Jous naos baiia resutido a oatres i
d linde Bornea*. Quciram pois Vv. Ss. a
eiplesto lilamente siocerj de meo rsceaaaei;
msriiie servan qne l: ptnMstaa con o"a
taren*-, ter* ilUvtnae p- -. ,r. a. w S w
ntrotw e oniitecV. r-w -, ;uUo de MCT!intt> _
s ..- satabeards s-:-.
N ra da Cadeia do Recife n. 22 procisa.Be
'iLffw* tina para cosinhar.______________
fbfM Poripez de Mm-
ca m ftmmtoti).
TenrJo de se miuL-lrar o sagrado, viatico, a ea-
termos desie hospital oo donoogo Si dj canete,
as oqrag da manhaa, manda o Wm. Sr.Brote-
ocT convidar aos memoro de junta aalnawslraii
ra e aos. sennores socios de tuda* as caseos, para
asfi-tirern a ste acto, concjrreedo as>irn paMo
ua maior solemnidade.
. Secretaria do Hospital PorUignat do Ikmagtea-
ia em Pernambueo 11 de abrii de B70.
t Oif^aawuno,
loaquiro Xavier Viej/a .Ligo.
/Sil
PEPeiUDO Pi^il
.anian rKmf i
Mta
Tisica c toda a j
qualidade do do-
ciii;as. quer seja i
nagorgaflrta.pei-1
lo ou bofe?.
Exprossa-
meiio escoliiido
los mellioros li-
gados dos quaes
se extralie o
loo. no liando
da Terra Nova.
parificado ohi-
mir.almente, e
suas
p i opriedades
conservadas
com todo o coi-
dado, em lodo o
frasco, se garan-
te perfeitamcp-
te puro.
liste oleo tem
sido submettido
a um exame
muitosevero, pelos ciiimicos de mais tale-ti
ot, do govemo bespauhol em Cuba,foi o-'
vulgado por elle e con tem
MAIOR PORCAO DTODINA
do que ouiro qualquer oleo, que elle tom
examinado
WDM) E'UJtf POOER &VLVA0H
Em tosi o oleo (te figado de bacamo.
e naquefle no qua! contm a maior porgft)
d'esia iavaluavel jiropriedad o antro
meio para curar todas as doencas de
GARGANTA, PEITO, BOFES,P!GAnO,
Ksica, broncJiites, asma, caiarrho, tosse,
rosfriaiiicntos.eU..
Um poneos frascos d carnes ao muito
magro que seja, clarea avista.e d vigor'a
todo o corpo. vcnhum outro artigo cor
nbecido na medicina ou scieacia, d tanto
nutnmoato ao systean e eflconwniKlando
quasi nada o estomago
As possoas cuja organisaco tem sido
destruida pelas aaop3es das
ESCRFULAS OL RiiEi'MATlSMO
e todas aquellae cujpdigestSo at> acbaconT
plotamente desanaijpda.dcvem tomar
O OLEO DE FGAOO )E BACALHAa
sLanma % Kcinp
8*ji que desejam ver-wlirres exepa-wi!

e uniptvioaiana ,
> | i mi,.........
AttHicft
-He um preventi\i- seguro e certo-
a caivic,
EB d e restaura forca e sanidad a
da cabera,
SBe de prompto faz ivssar a queda
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lastro
bellos,
Elle doma e faz preservar os cabeBos
qualquer forma e posirao qoe a
um estado formoso, liso e mao,
Ele faz crescer os cabellos bastn com-
pridos,
Elle conserva a pulir, e o casco da
limpo o livre de toda a especie de
Elle previne os cabellos de se
hrancos.
Elle conserva a cabera n'una estasi Je froj
cura refrigerante e agradare,
Elle nao 6 demasiadamente oleoso,
rento ou pegadiro,
Elle nao deixa o menor choiro>
da vel.
Elle o melhor e o mais aprasrwet artiat
para a boa con serva rao e irrinjn m 11
iiellos das setilioras,
Elle o nico artigo preprio par e fen
teado dos cabellos e barbas dea- anaarv
res,
Nonhum toucador tic senlion m pMp tfin
siderar come completo sem o
O CABELLO.
Tnico Orftaatal
o qual preserva, frmpa, fortificae
Acha-se a venda nos esi
A. Caors, I. da C. Bravo 6 C. 9l .
6 C; M. Barbosa, Bartholomeo 4r C 4
todas as principaes lojas de
c boticas.
-
1
Jos loio do A mortai coro soa firuti*
aoj seo pareotes e atJiDs aistsUn
mhsa qup, por alma de sen oread
oao de Amorim. mand* celeorar na
Corpo Santo, do dia M do correnie,
manhSki, prirrretro anni versa rio da m.
fm A2..^r- Antnio P'ra* da Suva Jnior, oortucnfa.
Uk^ UBMtotio eh-a para casa Se [de. VU Franca, di*i.viC entronar iuni^f
_ Jfc, p^ra leben : na ra do Apollb n. cheR,la de P,\TtuCal lo an'SSle
'daaCrutoin. 9, 2 andar.
lai^aaiar.
na roa
i'r-cwa-ae o> una arn iiaraudR*afear *
prar para urna omsoa : na ron etfewo* A I
rio a 27,1* andar.



ferio de #ffftbaeo fe>* fe*a M 4* bt' d lm$
P.uu oL<
o re da m
Marflea, Iki do angue,. em a da.
0res (te curaca, e dores do ouvido em
antamwutoa.
ffer de deBte6, -ejn oa. minuto,
ffeuvralgia, envcmco minutos,
locaren, ea-vinte minlos.
4Jnrgntas indiadas, m des mtmrtos.
Goliea e coWute&e, em-tmco nrinotos.
tftnenmajiso, emum du.
^**re e febre uftccaitenk', era tira dia.
Dot as cosas e nos lados, em der mK
DIMOS.
Tosses periosas e refriados em am di
Ptonresia, em um dia.
Surdez e astnua.
Hrrboda8.e bronclnles,
Imnamayio nos rira.
Dyupepsia,. erysipnlajfc
Molestia do Sgado
Palpitado de
.iorpcSp
taf semfiw este remedio na sua
AS-D8EN^ 9E VPftESSNtA*!, QfQO. MENOS 8JS ESPEBAM.
OLEO ELEGIRLO Q Kig.of Pain(0 Hei da dar) .ujuioU e positivamente dis-
^pmis de diferentes molestias e dores., e allivia mais os soffrirnentos e-produz uro
Htt perfeito eqnWbri no systema biimano, o qutulose pode elifeitoar no mesmo tem-
, oem qualquer ostro remedio raedi nal.
Este muito fnpular rem-dto esta a*era osando-se gera/mente, ptla rato qne
afutres de pessoas se tem-curad, gratis coro o dito remedio polo Dr. Grat e oetroe
Este importarte remedio no se ofjereee para corar, todas as doencas, porm
<* 5'Toiente para aqucHas estimuladas as nosaas direcvoes.
Est operando nos. priuoiptos da chimica -e da eletricidade e por isso, est
pplteBvet.par-L.o enrmenlo e para a restauracao da acc3o natural dos orgos que so
Ifrem da rregular^wcntacH) dos JuioAdos-priecipa*! ervos. Oleo elctrico O tKing
rf Pa. opera directamente nos absorventu, fazeoda desaparecer as inchacSes das
{(dulas etc. em um tempo incrifel beve sem perigo do seu uso debati de qualquer
MMUtanoia.
6'remedir urna inedeeina para o oso externo e interno, coraposto dos ele-
reates nonti vos. rai6c<;$, bertas e cateas laes como se tera uado dos nossos antepas-
dns, e das qaaes tem grandes existencias no mundo, par< curar todas as molestia?
*iwHte sabendo-se qnae* nas salo.
Foi um grande e esvoial desejo da faoaldade de medicina durante muitos an-
isas de experiencia paraaprituVr os nteUiures modos ijue se deviam ado,tar para curai
.ttgiwdes doencas. eque proporcoes de medicina se devia osar.
UltlCO DEPOSITO EM PERNAIYIBUCO
N i PHARMACIA E DROGARA DE
Bartholomeu & CL
34Ra Larva do Rosario34
VERDADE
5&
Dias francezas a 220Q e .
'apei al maco e de peso, resma a
UWQ, 3,5500 e .
i Laa muito una para bordar, libra
-Ra do Queimado5i Fita *a,godSo para debrum de
sapatos, pe?a a.....
A VERDADE leudo em -deposito grano
4 -jando apurar diiiheiro e afquerir boa frf
gavia esta rssoi-ida a vender muitissira-
benito, ; por essa razo convida ao respe*
tnvel Mibiico a \|r competentemente mu
< a -o tir-se du boai o barato. Pois quai
dh a Vcrdade apparece, tudo mais des
amanee....
Grande sortim.:.nto de bogeos de cera
Musa as mais lindas possirtis vestidas aea-
ler.
letoadnras moderuatt para col-
letea.......
Bs|U'iios doaradoa ppi tmosi
Ajfc.has de osso [tara orox a .
?entes para rogac i com esatas a
"a Ver dude
3*)0C
m
ron do iluelaiadi
n. SA.
Vende-se ou associa-sca tabenio (la roa do
i.uim'.p i!j Hervaj n. 96 : njiem quizer, dirjase
mesma.
Beosfi[l >bos para caaieiro de ^aza
'.. iwns a.......
Gcaade soetimtntd de ajajetas de
iouca para bviogoedo le mpoJM
i rom tinta a.....
li:zc im agua florida o;.Lieira a
Dita com dita dita a .
lomoleo de babosa n "^0 e
BiK com agua deColocu ^i. Ve
'Jir:i... oaoi agua divina a. .
:om extractos filies a .. .
.....nenas com banba muito
i ta a HOe......
metes de diversas q;;.:i I (es a
I 160,340 .....
escoyaa para denles de l0 a
roques nn lera a. .
ios para gas, dazia a 40 e .
Bscevas para facto a 500, 600 e
9 para cabello a.....
Pistes para tirar piolho a 160 e.
de cores, bonitos a 100 a
V, >s do tranca do i3a .om 8
vara;> por.......
9l o para machina de CSlura,
isco a........
Peanas d'aco finas caias ?. HO e
s-ia d'ago Perry, caixa a. .
(fdode algodo pega.....
los babadinhos e enlremeios
m- i de 500 a......
;>ito- de Iouca muito fino a iO e
JWtes para calca a 160 e. .
Caica com papel amizade a. ." .
Uttascom envelopas
n
3af
3i
10
im
:>U :
72'
tm>
l^OO
10
3---
88.
2(500.
32-
70X
50H
24'
0'
8(
60
mm
MV.
40
mine
m
2i(
70(
48-
u
i ni :;m)0 isiia
Gramle fnciurn de pfi3|ieus Je puihiBha amarel-
l:i, propria para os corpos de voluntarios da pa-
l'i;., pelo diminuto proco de 3800 : na ra Direi-
ta ;i. 61.
Cintos modernos.
A* lija de faieoda? do. Pacs Mello & C. acaba de
rofgartun ccmploii) sorlimenlo do ciBtos pretos fio cores, quo se vendoui por nrecos comiii..Jos, i
RA DUQUE DE CAXIAS N. I.J
. :~ (aiitiga do Qui'imadu).
yeode-se uma casa, torrea na ra d E'pe-
j ranoa : qncn proionder dirija-pe a esta lyfflgra-
qup, ;o inlicar qupm vendo.
Aoaeotoa- a pffto de dnus mezes de ras;
tic sea Mnhor a escrava nrota fula de nome Mrria,
Com porto de 30 anuos ce idade, alta,gorda; mui-
fo regrista, f.,i eserava doSr. Dr. Amaro, consta
que anda nesta cidade e tem sido vista no bairro
i da B> a-vi.-ta e em S. fe com taoleiro na ca-
bica : quem a apprehender e delta poder dar no-
; ticia exacta, dirija se ao pateo de S. Pedro n. U,
qne Fer grarilk-ado.
PATRITICOS
terrera da Cunta & Temporal tem em sua loja
na ra do Duque de Caxias n. 63, grvalas verde
e amarella, propria? para estos batalhoes, pnis se
vende a i000 cada uma. A ellas, antes que Sfl
acibero.
A MCI AFAMADA
AGA DE FLOrTIDA,
MlllRAl d L4JVA\.
He o mais delicado emimoso.sao mes-
mo tempe o mai estavel o> Me os per-
fumes, e eneas* emsi, no mu maier auge
ile excellencia, o proprio aroma-das verda-
deiras flores, quando atada na sua flores-
cencia e fragancia natarol. Gobio umroeJo
seguro e rpida a Minio contra cabeca, riervosiddc, flebilidadt, desmaios.
flatos, asim como contra todas as formas
ordinarias de accidentes byaterieos; d
summa effiaaeia a naw teta oorro qoe o
iguale. Igualmente, quando destemperada
com agua, torna-se um dentifriew o mais
agradavel e excellente, dando ae denles.
aquella atrorae aperolada apnaroacntie
altamente apreciada e desepda petas Se*
aburas.
Gomo um remedio contra o mau ttalito
da boca, depois de diluida em at, e
summamente excellente, faz remover neu-
tralizar todas as materias impuras que se
criam i roda dos deiites e das gengiras,
tomando-as duras, sadias e d'uma linda cor
encarnada. Quantu a delicadeza, -riqueza
e permanencia do seu fragrant aroma, ella
por certp no. tem igual: e a sua supe-r
rjoridade sem rival. Bfla igwtlmejite ter-
na-seum meioraui excellente para fazer
remover de sobre a pelle do rosto, toda a
qualidade de brotoejas, ebalieaBS, sardas,
pannos, mancbas, impgens e espiabas.
Quando se queira servir delta como reme-
dio para fazer desaparecer qualquer um
destes disfiguramentos, e que tanto desfei-
ama3rindas feicOes do belfo sexo; devera-
so usal-a n'um estado de dilluico, destem-
perando^t n'uma punca d'agua ; porm nc
trataraetto de qnalqper eipinba, usar-se-ha
della pura em toda a sua forca. Final-
mente como um admiravcl meio de com-
DftBnJMr as feicSes trigueiras e paludas,
uma pelle macia e d'uma transparente al-
vura, dando-llie uma linda cor de rosa :
para ura tal im, ella leva a pahua a todos
os perfumes que se tcein inventado at bo-
je, e existe em plena sobcrani sem rival.
Bein entendido tudo isto se refere nica-
mente a Agua nt Florida de Mirray
Lanman.
As imitacOes que se tem feito na Franca,
Allemanba, assim como em outras paites ;
sao inteiramente inuteis e uvaliosas ; por-
taato recommenda-se mui especialmente
s senhoras, que tenbam toda a precaucao
3 cuidado, de quando comprarem, estejam i
certas que compram.
A Gk.mina
AGUA DK FLORIDA
DE
MURRAY LANMAN,
A qual preparada smente pelos uracos
Proprielaiios^
LANM.\NN & KEMP. 08 OVA YORK.
Acha-se a venda nos eslaJjelccimentos de
A. Gaors, J. da C. Bravo, 4 C; F. Mau-
rer A C. A. A. Barboza Barlholomeu. 4- 0.
mmtm m khu.
comi rar nfji CAtosiexA^os nz* nenhud
4TTR0 mngML.
A grande nocessidade e falle de um ca*
tnaptico ou de- orna medWia. .purgativa, bs
mato que te, sido sentida, taoJo'^pelo po-
vOi coino mesmo per meo db fccnWade
medica.:; e por tuso, mfnio o |psto e
iwwer que. senimus, em podermos com
tara a fflflMvie^gui*We,,ifeoBiiMindar
piulas vegetan asticarada de BrisloL
*mp ama excniltete medicina pn(a, a
u^redwtes'eseewat, terMno-6e> m na
: periato, segu e agradavel ca toarte de
2? BstB hx1** *>o eemfoflte
dalias drogas ordinariamente usadw na
i'-aosi?3o dessas pifilas, que por aitt se
vmfkm, mas sim, sao preparadas coa ar
mars finas c superiores qualidades de reiaes
medicinaes, bertas o plantas, depois de se
baver ctiimicamente extndndo e separadb,
os pritteipios activos, ou aquellas partes
que ffwtem o verdadeiro valor medicina*,
dagueOas pwtoes fibrosas nortes e agres-
tes inteiramente destituida* da menqr virtu-
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dieolesL especficos, podeutos nomear a po-
dopkgtim, a qual segando a experiencia
mm demonstrado, possue um poder o mais
jaravlosv paasivel sobre as regioes do
figado, assim como sobre todas as secre-
foes odiosas, teto decombaacao cora o
leptandrin, e mais alguns extractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, consti-
tuem e formam uma.ptala purgativa, tor-
nndole por isso muitissimo superior,
qualquer uma outra medicina da mesma
natureza, que jamis fora apresentad ao
publico. As pilules vegetan assnearadas
de liristal, aelrar-se-ho sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente effi-
caz, para a enra de molestias, taes come
sejam as seguintes.
m JMAS
Dspepsia, ou indt-
gest2o,
dAstringencia, ou..
priso do vontre
liabitual,
Azia do estomago e
flatulcnria,
Perda do apetite,
Edtomago sujo,
Hydropesia dos mem-
bros ou do corpo,
Affeccoes do figado,
Ictericia,
Hemorrodias,
Mau balito, e irregu-
laridades do sexo
femenino,
Dores de cabeca.
Frptectora dus Familias.
Em cunnrimento do prevenido no ai!. 29 Jo
:egulamtDto, so convida aos Srs. ponjfibji
dessa associarao que nfw titerera aprcsrnlado as
reriidOes de idade dos seguros, para q:(^ tDaodetn
uzer eatresa d'cilas oa ra do LLYrameuto i. tn.
I5 andar, aura de ser expedidas o rnai- breve pos-
sivi'l para a inspectora geral do l!io de Jneiro
As eeriidoas devera ser sellada? e rccoiiheoidns
por tabebiio.
ItseMS, :)0 Je marco de 1870.
Narciso Francisco de Vidal.
Em todas as molestias que derivam
sua origem da massa do sangue: a salga
parrilha de Bristol esse melhor de todo
os purificad ores de ve ser tomado conjun
lamente com as pilulas, pois que estas
suas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas paraobratem de barmonia uma
com a outra, quando fielmente assim se faz,
n3o nos resta a menor duvida em dizer,
que no maior numero dos casos, podemos
afllancar nao s um grande alivio, como
tamlicjji uma cura prompta e radical, isto
est bem visto, quando o doente nao se
acn n'um estado-muito alm dos recursoc
humanos.
lendo-se entregado bftje-ftft, a um premia
nhad.r com um b.lbt'tc pora Fana A Gomes da
ra do Queimado ->o pteu de imlapoMo ora a
marca n:. ptfa de M. a c enaao at esta data nao
nparrr.i o preto e iu-i:i a fawia pode-e a quera
souber ljtunu cansa a ee rwpito,. participar
na casa de James Reyder c C. ma da Cruz n. 6.
por acaso algum logi.-ta teohi receb io esta fa-
zenda. qncna por*hrur parteeipar na casa aci.na.
.\.i,JJ :>| _>
- r t\
T*n 9tn:T'>
i/, u\i ni. i '
Vende-se uma escrava de 38 a 33 anuos,
com labilidades, oulra com 10 para 11 anao?,
bonita, cose bem e posponta : d.i ra Di relia d.
34, anuazem. -
\eode-se ura e^cravo pes'a para engtnbo
uma mulalinba de idade 12 airaos, uma boa es-
crava, um mob
ca travesa du
- *-.... uiiuu.., una uiij (3-
que de idade 18 annos por MOOj.:
i Carato.n. 1.
iiini luiiiiui
O abaixo assignado avisa ao publico que tende
i Mido licenca do Exm. Sr. conselheiro inspector
...mu uncwye < o da ,hes(.nraria da lazenda geral, pura vender es-
i;-..' Cun Oreas a..... 4.. : lampilbas era sen estabelecimento a na do Crespo
Caisi comagulbas tundo (iouradu
i de ditas ditas a.....
raoora para cestura a 240 e
dita com liaba de marca a .
tna de cores em nove'los (li-
bral a........
rebs de liaba Alcxaadre de 70
^ '.t-200. .,,....
irampos muito finos coro passa-
os, datia a......
Jaras portuguezas, duzia a .
23
W
w
a. 23. pelos mesmos prejos que se vendera na re-
! ccbedoi ia geral; assira pois, podem as pessoas
: residentes nesta cidade e fra della dingirem ac
' abaixo assignado, ras encommendas em (pialqner
1 quanlidade que sera proroptam'Ote satisffeitas.
Manuel Martins Fiuza.
Cutileiro h armeiro
O abaixo assignado propietario da offleina de
. cularia. da ra Nova n. 34, avisa aon seus fre-
; guezes e as dentis pessoas que quizerem se mili-
j ir do* seus servioos, que mudoo a dita ofBcina
da ra Nova para a da Camboa do Carino n. 36.
Agencia em Peniarabueo
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cereja
Cura a phthysica e todas as molestias .asa parrilha
Cura ulceras e chagas amigas, tnapigeos e dar-
tros.
Tonteo
Conserva e limpa os cabello.-.
Pilulas catrticas.
Puramente vegeta es e sem meraujo. cura se-
z6es, curam o "puritivam todo o systotua humano
Vende-se effcctivamenuj em casa de Samuel P
Jolmston AC, ra da Sanzalla Nova n. M.
Aviso s autoridades policas
c a quem competir
No dia 29 de maio do corrente anne
fugio o escravo Ezeqniel, crioulo de 30 3
annos de dade, estatura regular, reiorcadi
cor bem preta, cabeca redonda, traja va ca
mi-a azul e caica de cassemira cinzenta
durante o dia costuma andar ganhando na
ras, ou em armazens de assucar ou as ta
bernas a conversar e a beber; dtrante
noite recolhe-se a telben os abertos, ou pe
netraveis, a casas em construcfo e aoutroi
quaesquer lugares, onde se possa abrigar
quera o apprehender tenlia a bondadede
conduzia a ra da Aurora n. 26, ou na di
Imperador n, 20, onde ser gratificado.
i
.:- I': nlu niara-
v i : i .:,i \.' om nervoaoe^
t.;:r: iHbj aetbmi, (osse
"'. t r.u r ni!f1:.cl I. cenes 00 ;tn-
hsos sijfloci i.o-.-, ci!:,!. h :.: v?,ele. e
u lii;il i-oi,i;m ledtK i- se;.!-ie ;cs dns vios
respirnlorin, e an phtMn )il:nonnr,snnvir
liidecoulr;.otelMin;. uesp !-inos,cconv;ilges
incontcsiav e Dingeni ku miemicaconoeca.
nico deposito, ruc larga do Rosario, n. 10.
junto no qunrtel ilo polica. I'ornanibuco.
Conlinundnmenl; sonosnp'ese.' lamnovos
lesli.-mujihos da di caria do l'rdt-goso Pernam*
buco.
PILLAS, V1NH0 E 24R0PE
W JRlIRKBi
pi.ipi .idus ff.o ruirmciUTico
IOAQI': DE ALUL1UA PUTO
As pit-particesde jurubebaso hoje vanta-
osamente conhecidas prconisadas pelos
mais habis mdicos, tanto da Europa como
do paiz, pela sua elcacia nos casos de anemia,
.hlorozc, hydropesia, obstrucco doabdomen,
<: lambem nosdemenslruac^iotlifficil,catharro
ia bexign, etc. ele.
Vi>ndem-se em porgo e a retalho na cidade
lo Recife, pharmacia do seu compositor, ra
larga do Rosario, n. 10, junto ao quartel de
policio.
PINTO PHABMACKTTTICO
XAROPE DE SALSA PARRILHA DO PARA
oo
DEPRATIVODOSANGE
l'sadas as molestias de Pelle, impigens, dores
rtwmna^aa-Mlia^| nnMinti.
t'A unc no nosABm. m. 10.
&C.
Este autigo estabelecimento, completad
nente reformado de novo, est as confr
^oes 4a servir vantaj osaraente os seus frt-
jnezes, visto que acha-se provida com nm
axplendido sortimento de obras de raro e
prsta de lei, assim eomo brilhantes e ou-
*ras podras preciosas, sujos prepos sao es
nais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa receben-
e em troca ou compram-se com neqi
ibate.
N. S RIA DO ClBllii JL 5
Na ra do Imperador n. 75, primeiro andar,
deseja-se fallar aos seguiutes senbores negut-io
de ioteresie : los Rodrigues Feraandes. Manuel
Luiz de Lima, Francisco Jos Corroa Guimaic?,
loaquim Speridiao da Silva Ommarae Jlo de
Castro Oliveim Gumiaraos, Raymnndo Nonato da
Costa, Jos Jjaijntm Fernandes da Silva, Joaquim
Lopes Ferreira e Jos Ignacio do Val.. -
.>JoMitm Rodrigues Tavaiws o MefM; prca
do Cflrfnto n. 17. P andar, tem para vender
cal d Lisboa; pota-'sa da Rnssia da mais nova,
vinha Bordcaux sapertnr (inadade, e farinha de
mandioca.
AMA
Na ra Nova n. li, primeiro andar,,
de u i na ama forra uu e.-.-rava, iqm 41
cosinhar e cngoraroar; aa mesma casa, napn-
se uma escrava com as mesa,as abilidades acma
i|aem 'iver .iprestnlc-a.
Jos Joaquim dos Santo* Jaaior,
de abril correte deixou de ser eaixeiro da h|a
Fragata Amaaona, onde e^ttTa n*
carrogado da cobraaca.
H
1
esquina

Jlda roa larga do
Sosariou
Este
igual
importante estabelecimento no seu genero, tem semjre um
vende por presos que nenhuma outra casa pede vender.
vista da qualidade e do precio das oas cada um padter-se^ mmmmt da ^rlade.^
Garante-se ser tudo de le. Comprare ouw,, prate i pedras Snas ^or pretor muitoi ele
CABUdA
esquinar
ra larga
Rosario*
A to& at,brate'fr fr Serash-fc
ni


Ofefio de Pth*bo Sexta ffa m'-h Mril rde WTO
Tm U'inpos modernos nenhum d96cubri-
rarato operou maiop revoluco no modo de
corar^teriomente em voga do que o
TEITORVL DE mCAHWTA
TANTO NO TRATAMENTO DA^
TOSSE, P^ ^N
jy ASTHMA. THISICA,
'fi ROUQUIDO, RKSFHkMENTOS.
j br^nciiites,/
tosseNbqn'yul*.
dones de pe1to,
expecturaco de saxgue.
Como em loda a grande serie de enferme-
dades da GAIIGANTA, do PKFTO e d08 0RGA08
da rkspiraco, que tanto atormentam e fa-
zem soffrer" a humanidade. A maneira an-
tiga de curar consista geralmente na appli-
acSo de vesicatorios, sangrias,sarjar ou ap-
plicar exterformente ungentos fortissimos
compostos de substancias vesicantes, alm
deproduzirempolhas; cujos differentesrao-
tk de curar, nfio faziam senio enfraque-
.er e diminuir as forcas do pobre doente,
tribuindo por esta forma duma maneira
mais fcil e certa para a enfermidade a des-
tniiclo inevitavel de sua victima Quem dif-
lerente pois o effeito admiravel do
. PEITORAL DE ANACAHUITA 1
vm eJez de irritar, mortificar e cauzab
inauditas soffrimentos ao doente,
calma, modifica e suaviza ador,
allivia a irrttaco
desemvolve 6 entendimento,
fortifica o corpo
e faz com que o systema
Desaloje d'uma maneira prompta e rpida
at o ultimo vestigio da enfermidade. Os
memores votos em medicina da Europa (o
' Lentes dos Collegios de Medicina de Berlim)
testificam serem exactas e verdadeiras estas
relacoes analgicas, ou alm disso|a experi-
encia de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com
este maravilhoso remedio, sao mais que
sufflcientes para sustentarem a opini5o do
PEITORAL DE ANACAHUITA!
Deve-se notar que este remedio se acha
inteiramente izento de venenos, tanto mine-
raes, como vegelaes, cm quanto que porm,
alguns d'estes ltimos, e particularmente
aquelles que sao dados sob a forma de Opio
e Acido llydrocianico, formam a base da
maior parte dos Xaropes, com os quaes to
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
blico. A Composieao de Anacabuita Peito-
aacba-se linda e curiosamente engarrafadas
m frascos da medida de cerca de meio<
quartilbo cada um, e como a dose que se to-
ma s d'uma colher pequea: basta ge-
ralmente a applicacao d'um ou dous frascos
para aeffectuacjto deflualquer cura.
Acba-se venda nos estabelecimentos de
P. Maurer & C, J. C Bravo & C. A.
Caors, B. M. Darboza e Bartholomeo A C.
~^ Gearge O. Starr, tetlamenteiro do tinado C-
Sarr, fai publico ao respetavel corpo commercial
e a quera posa interessar, que o estabeIceimento
de fundijo sito na cidade nova de Santo Amaro,
continuar a ser da mesma furnia gerido pelo an-
nuncianto sob a mesma firma C. Starr & G. em
liquidaco:u que para compra*, vendas e rece-
bimentos tambem continuar o antigo caixeiro
Joaquim de Oliveira Mello.
tos mmp
recen* fJegotlo da
_i,TL,aua fi 'cI nesta
^w^^fW^Ki esir%*rlo
Rosario n. 3|r*
andar. *. L
D consultas todos 03*4% das 9 as 10
toras da manhaa, e recJaVkeados por
escripto qualquer naja do* da ou da
Bouta -
Aoa pobres d eonsul* M mesmas
horas e adicamentos gratis.
-*
Na praaa ds Inde
heiro sobre penUores
narMH
O artista esta|ielean9 na casa
cima, ondeKonfer procurado para -todos os
raisteres de sua pfoctal^
jreeiosas, sa qual for anaua;e na mesis
jasa se compra e vende objeto da ouro efcrtta
* nalmente se faz toda e qupJqawr obra de u
^Ignalnaenta
ommenda,^ todo e qualque
i mesma arte.
ncerto tendent*
Aluga-se nmaexcellente loja na ra
Nova, propria para nm grande eslabtleci-
mento de fazendas, tratar na ra da Cfz
n. 18, 4 andar.
HMI-.IH1I1K
tinturara frwceza m
^55-Ruadampe;atriz-55 j
Tinfe, lava, limpa, lastra e achamalo- g
tase, com a maior perfeieao, fazendas em cga
S pecas e em obras de todas as qualidades; H
I como sejim : seda, lia, aigodao. linho, gg
S chapeos de feltro e de palha etc. etc. ag
Tira-se nodoas e limpa-se a seccosem 1
I molhar os teeidos, conservando aBsim to-
5 do o brilho da fatenda.
Tintura preta as tercas e sextas fe-
ras.
s
AMA.
de urna ama : na ra do Pires n. 5.
Ka travessa da- roa|]
tacs n, 2, pri-
meiro andar, da-sc di-
nhelro sobre penhores
de ouro, prala e brilhan-
tcs, seja qual for a quan-
tia. Na mesma casa com-
pram-se os mesnios me-
taes e pedras.
ireekiamente aos rs. Domingos
eir e Aristides Florentino Caval-
(deSennhiem), qne vannam
gario n. 14, a negocio1 que sa precisa
Chama a attencSo dos sens innmeros fregueze*, e do respeitavel publico
geral, para a seguinte tabella dos precos de sua casa/ os quaes sao vinle por ~
mais barato do que em outra qualqder parte:
Cabelheireiro
Ra da Cruz n. 24, Io andar, por cima da
Precisa-se
g
9

comiwm
DOS
TRILHOS URBWOS
DO
REC1FE A9 Olil.VIlA.
Por ordem da directora sao convidados
todos os Srs. accionistas para 10 dia 2!) do
correle, as 10 horas da manba, no salao
do Club Pcrnambucano, se reunirem em as-
sembla geral, segundo estabelece o arl.
13 dos es la tuto da companhia.
Escriplorio da companhia, 10 de abril
de 1870.
Joo Joaquim Alies,
Io secretario.
A vluva, llia e genro do finado Dr. Jeronymo
Vilella de Castro Tavares, manJam celebrar mis-
sm por sua alma no convento de N. Senhora do
Carino, as 7 horas da manhaa do dia 25 do cor-
rente, 1" anai versa rio do seu passaraento, e con-
vidan] a lodos os prenles e amigos do dito fina-
do, para assnttirem-nas, confessando-se desde j
6ummamente .^radecidos.
o i. mmi
Medico homeopatha, pode ser procurado no sen
consultorio especial homeopathico no largo da ma-
triz de Saato Antonio n. 2, 2 andar.
No mesmo con>iiltorio tem sempre grande sor-
timenlo de medicamentos de homo?pathia, tanto em
globos orno em tintura.
Boin negocio
Veade-se una taberna na fr<'gue;ia de Affoga-
dos, meslo a piara do capim. ou sement a ar-
macao, como onwer aa comprador, ao qnal se
dir o motivo da venda,
Precisa-se de urna ama que compre e cosi-
ae para duas pessoas: na ra Augusta n 7i.
TERDADEIRO LE ROY
de IISICBCT, DocHur-Ufidn
Bu* da Sem. 51, A PARS.
S
la ai* girralt, H1.MK a fottt e o rape) *nil
aja fav* o mfu te, an rotulo lmr.rfo cin uu
|aj su* Wirawu. m wthno nuxeri.
lf. B.-!ititt.
terdotrumslrtlrt
ir too franrct sa-
braPiM-il.acciUTfl
------ OdiJdTi'i.
^V wm->no.roi>-M
salnlimcntoeao
O bacharel Augusto Carlos Vaz de Oliveira,
tem o seu escrntorio ra do Imperador
n. 67, primeiro andar.
POCOS THLUE5
INSTANTNEOS
Travessa do Corpo Santo n. 25
ARMAZEM
Ra Nova n. 28, loja Antonio
Pedro de Souza Soares.
Bandeira, Machado & C, avisara ao respeitave
publico que nos lugares cima encontrar no mes-
rao sempre grande quanlidade de ditos pocos, a
que se acham habilitados para vender por menos
que outr qnalqner, por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante Nerton, de Londres.
As vantagens que offerecem os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser collocados den-
tro de casa ou lora, com o trabalho de urna a duas
horas; segundo, fornecerem os mesraos agua pu-
ra e abundante, podendo serem removidos de um
para oulro lugar, quando assim convier.
Os annunciantes s reeeberao a importancia dos
referidos poc,os depois de collocados, satistazendo
espectativa do comprador. ______________
botica.
Antonio Rodriauas Hamalho acaba de abrilJi
concorrencia publica um espa^oso e asseiad) salao
para barbear e cortar cabellos, e afiatica qne nelle
enconlrarao sens amigos, antigos fi eguezes, e em
geral todos os que quizerem frequenta-k), agrado,
actividade e bom desempenho do trabalho._______
m HABITANTES DO
Imperio do Brasil.
Grande exposiqao na cidade de
Cordova,
REPBLICA ARGENTINA.
No dia 15 do outubro de 1870 ter lu-
gar a abertura da exposigo nacional em
Cordova.
Provine-se, portanto, a todos os produc-
tores, agricultores, fabricantes, artistas e a
todos aquelles que exercam qualquer indas
tria, que na dita exposico se recebem tod s
os productos da industria e agricultura
brasileira, assim como todas as machinas e
utensilios que quizerem remeter.
Estes productos estao isetos dos direitos
da alfandega na Repblica Argentina e po-
der3o ser dirigidos cidade ao Rosario, de
onde sero Iranporladcs pelo caminho de
ferro central.
Para mais expcaces dirijam-se em Per-
nambuco, ra da Cruz n. 3, ao consulado
argentino. _______
0 CIRURGIAO DENTISTA
Frederico Maya
Tem a honra de scientificar ao respeita
vei publico ea geral, e aos seus clientes
em particular que elle mudou o seu gabi|
nete de consultas da ra Direita n. 12 para
a do Queimado n. 31 primeiro andar, core
a entrada pelo pateo de Pedro 11, onde po-
de ser procurado para os misteres de sua
profissSo, todos os dia< uteis das 9 horas
da manhaa s 3 da tarde.
Tambera previne, que contina a prestar-
se a vontade dos clientes nao s na cidade
como nos seus suburbios, para onde as
idas serao precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenho e a perfeic3o de
seus trabalhos, o que j bem conhecido,
assim como as commodidades dos presos
AO ARMAZEM
DO
Una Nova u. 7,
acaba de chegar pelos ltimos vapores notas re-
messas dos seguimos :
Calcado francez
Para senhoras.Botinas brancas, pretas, e de ou-
tras multas differenies cores i ultima
moda.
Para meninas.Botinas das mesmas cores e qua-
lidadis cima.
Para homens.Botinas de cordavao, bezerro, ver-
niz, pellica, o raelhor sortiraento que se
pode desojar.
Para meninos.Botinas das mesmas qualidades
mencionadas para homens.
Para homens.Botas rucianas, meias-bots e per-
neiras.
Para homens, senhoras e meninos.Sapatos de
tapete, aveludados, charlte, casemira
preta, tranca de Lisboa etc. etc.
Para meninos e meninas. Abotinados fortes de
muitas qualidades.
Quinquilharias e Brinquedos
para crianzas.
GLOBOS
GLOBOS
GLOBOS
De papel de cor para as grandes ilIcminacSes
geraes que devem ter lugar nos tres dias dos
festejos ; vendem-se baratos no armazem do
Vapor Franoez ra nova n. 7.
I.vas de Pellica
i.uvs de Pellica
i.uva* de Pellica
Do vordadeiro fabricante Jouvin, braness, pretas
e de -outras moilas cores, bonitas ao ultimo gosto
e ebegadas de novo ao armazem de Vapor Fran-
cez ra Nova n. 7.
Cabelleiras para senhoras a 254,
300, 35tf e......405000
Ditas para bomem a 35$, 405 e 500000
Coques a M, W, W, 205,
255, 305 e.....505000
Crescentes a 125,155,185,205,
2.55, 305 e.....325000
Cachos ou crespos a 35, 45, 55,
65, 75, 85, 95 e. 105000
Tranca de 'cabello para annel a
500 e....... 15000
Tranca para braceletes a 105,
Cadeias para retogio a W, 65,
75, Si, 9, W. .
GJrte de cabello,.....
Corte de cabello com ricc3o. .
Corte de tabello com lavagem a
champou......
Corte de cabello com limpezi da
cabeca pela machina elctri-
ca, nica em Pernamboco. .
Frisado inglesa ou francesa.
1
155, 205, 25e.....305OOO!Barba. ,.....
ASIGNATURAS MENSAES
Gspecialidade de penteados para casamento
Bailes e solres
0 dono to estabelecimento previne s
Exmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um
salao para tintura dos cabellos e barba, as-
sim como um empregado smente oceupa-
do nesse servico.
90
SOI
1KK
1I0M
501
Recommenda-se a wperior TOiTIA JA
PONEZA para enegrecer os cabellos e fca
ba, nica admittida na Exposico Universa)
como n3o prejudicial, sade, por ser ve i
latil, analysada e approvada pelas* aeadaf
mias de sciencias de PARS E LONDRES
DOMINGO, 17 DE ABRIL
GRANDE COSMORAMA
28--Camba do Crmo-28
Paraguay.Vista da passagem de Curupaity, borabardeio e temada de Curos, passagem de Ha-
mayt, abordagem dos enconracados, passagem de Mercedes, abordagem do enceura-a-
do Alagas, combate de Riachuelo e passagem de Cuevas. Tudo ser visto em as *
vidro.
Paraguay.Glorias do exercito brasileiro e tomada te Lombas Valentinas.
Rio de Janeiro.Visia do Castello.
Portugal.Vista do Porto.
Italia.Presa de Palermo por Garibaldi.
iiatia.Vifia de Miln.
Hespanha.Visia de Madrid.
Franca Scena da opera de Pariz.
Inglaterra.Vista geral de Londres.
Todas as vistas serao mudadas aos abbados e segundas-feiras.
Urgencia.
Pede-se ao Sr. Francisco de Salles e Silva quei-
ra app-irecer a negocio que lbe diz re-peito, no
Bazar da Moda, ra Nova b. 30.
M9M
AVISO
Bartholomeu & C,
VlNHO, PlLULAS, XAROPE E TlNTURA
de jurubeba simples e ferruginoso;
Oleo, Pomadae Emplastro da mesma
planta preparados por
BARTHOLOMEO & CA
Ph a rmace uticos- Droguistas
l'EItMHBH
A Jurubeba : Ha planta hoja reconhecida
como o maia poderoso tnico, como o melhor
desobslruente,e como (ai applicada noa padacimentoa
do Ogado e bajo, bopatilea, duresas, tmaras inter-
nos e especialmente do alero, bydropesies, erysi-
pellu, ele; e associada ao farro uul aas pallidas
corea, chloroses e falta de menrtruacio, desama-
jos do estomago, etc., a o que disemos alteaUe
isinnmeraa curaa importantes obtidaa asan nosaos
preparados j bem conkecidaa e usados pela* ans
diatinctos mdicos do pan a Hortujal. Em lados ea
aoeeos depsitos diatrikaitanos gratis folbetos qna
Mriwr faaeai conhocar a JarabaM aeaa raamlttdoa
aaftie*eao.
Aluga-se ou compra-se una eseravo com
pratiea de servico domestico que tenha de 13 a 20
annos e idade : ni roa de S. Francisco n. 72.
D-se algum dioheiro a premio obre hypo-
theca em pedrios n'esu ciaade : ra do Crespo
n. 18, loja, se dir qacrod^^^
Tn^loplnto,
!H
Joaquim VTeira de Bello Pialo, toga aoa ami-
gos de seu presado irraao o inado Jos Gabriel
de Mello Pinto o caridoso obsequio de oavirem i
Siissa que pela alma do raesmo finado ser cele-
rada no eonveoto do Carato s 7 horas da ena-
avhaa do dia 83 do correte.
- ConUodiagaMiar-sea rajara e~ venda de
predios ero particular, na ra Direita n. 112, em
cuja casa ha para veader-se unta graade tata na
freguezia do s. Jos -. pode ser proearado das 7 aJiar.
horas at as 9, e dae t at as K ; n
terreo.
no aadar
iiM
AVISO
ton cotwqUscepla e is pasee*
9 OUiNiuM uaaatuov approvada
pela Academia imperial de medicina da
Pars Uuco por excelleflcia.
; em Hi-Jmnno, Oye,__
am rimaacca, Mtkrtr
DA
Tinturara Franceza
H|55-Rua da Iuif>eratri7-55i9
B O proprietario deste e?tabeleciment9 jB
2 previne as pe?soas que depositarara 2
I n'elle alguns objectos antes do primeirro
de Janeiro do anno correnle, que os vao
5 buscar imprelerivelmente no praso de
| um inez da data da presente ptibiia-
| cao, do contrario serao os ditos objectos
S considerados como abandonados para pa-
I gamento do trabalho, e seus donos nao
i teru direito nenhum em reclama los em
5 lempo algum.
I Recife, 29 de marco de 1870.
A imperatriz regente.
Com esla denominado chegaram a loja do Pas-
so pelo ultimo paquete es mais ricos chapeos de
palhinha prelos com enfeites de cures, objecto es-
te o mais moderno de Pars, cheguem antes que
se acabem : a ra do Crespo h. 7 A.
Engenho para arren-
dar.
Arrenda-se ou vende-se o engenho Concciyao,
outr'ora Cananduba, na freguezia de Jaboaiao, dis-
tante da povoa^o tres quartos de legua, moendo
com agua e eopeiro, com abundantes ierras na
extendi de legua e meia em circunferencia : a
tratar* na ra da Cadeia n, 4, ou no niesino enge-
nho com o seu proprietario Jos do Reg Dantas
Coutinho. >
CHA TOS PURGATIVO DEPLR AtIVO
DE
CHAMES ES.
Composto das plantas as mais odorferas e as
mais virtuosas dos monles os mais elevados, o eh
toni-purgalivo de Chambaril, possne um gosto sa-
boroso e um aroma suavissimo, e as propriedades
as mais notaveis sobre os embaTacos do estomago,
dos intestinos e do ligado o desobslruente por
excellencia na constipadlo do ventre e nao tem
resguardo nenhum.
Depurativo especial e directo da bilis e dos hu-
mores, refresca o sangue depurando o.
O uso do ch-Chainbard pode ser continuado
por muito tempo sem o menor receio e sem n-
comraodo nern mudantj. no modo de viver.
NICO DEPOSITO EM PEILNAMBUCO
NA
'^PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholomen A C
34RA LARGA CO ROSARIO34.
Ama.
Precisa-se de urna ama de leite : a tratar na
ra do Imperador d. 6o, 2o andar, ou Passeio Pu-
blico n. 60.
BAZAR ACADMICO
13 Ra da Imperatriz 13
U'ysses A Irm3os proprietarios deste bem conheciflo e acreditado estabeleemta:o
tem a honra de participar ao Ilustrado corpo ACADMICO e aos seas numerosos fre-
guezes, tanto desta praga, como de fra, que tendo sido elegantemente reformado I :o
estabelecimento acha-se completamente sonido e em condicBes de bpm ervi-los u 5
seguintes arligos':
-, Feitor.
Precisase de um trabalhador para tratar de um
sitio pequeo ; d-se casa propria para morar, e
paga e a secco, preferindo homem casado : a ira
lar na ra Nova n. 19, 1" andar.________________
Panno de algodo da fabrica Todos os
Santos do Illra. Sr. commendador Pedroso, j
chegou ao escriplorio de Joaquim Jos Gon^alves
Beltrao : ra do Commercio n. 17.____________
Precisa se de urna ama para cozinhar : na
ra do Caldeireiro n. 68.
Jos Vctor da Silva Pimeniel, seo tenros fthos
e D. Bernardina Francelina de Carvalho, pungi-
dos do mais doloroso sentimento, vetn do intimo
d'alma agradecerem atodasas pessoas, e com espe-
cialidade aos Rvms. Srs. CarmeU e Francisca-
nos, a irroandade de Nessa Senhora d Terco a
pro va de caridade que aeram, era assistirem ao fu
neral e acompanharem aocemiterio publiclos
restos mortaes de sua mu presada esposa, roai e
lillia, U. Hara Mxima de Carvalho Pimeniel, eno-
vameate os convida a todos os seus narentes e
amigos para que se dignem comparecer sahbado
i3 do eorrente as 7 floras da manhaa, na igreja
raatric da Boa-vista, para assistirem a missa e
memento que maadam celebrar por sua alma,
pelo que desde j anticipara os seus agredecimen-
tos. _._________________
V. PALHARES
Centelhas
Cotleecao de versos sobre a guerra do Paraguay,
venda na livraria Franceza, na livraria Pari-
siense e na loja de madama Falque.
Um eseravo.
' Vende-e um eseravo pardo de idade de 25 a
30 annos, boa Ugura, bastante intelligente-, pela
quantia de 1:000*008 ; a ratao de ae vender por
asta quantia o escrito ser intelligente de mais
para sua eandiccao bao servir para todos of
srs.. e tambem por ter de remetter-se a eonta da
venda para o seu senhor p i Cear : tratar na
roa do Crespo a. 17, loja, oa roa la Penha a. I,
AfTENCAO
Offerecese urna senhora habilitada no ensi-
no primario, para leccionar em alguma casa par-
ticular, nesla cidade ou tora della : quem preten-
der dirija-se a esta typographi.i.________________
Prejisa-se de urna criada qne seja perfeita
enjrammadeira, para casa de pouca familia : na
ra do Imperador n. 51, 2o andar, ou do Crespe
n. 8, loja de 4 portas. :________________
Assassinato
O abaixo assignado, senhor do engenho
Matary, do tormo de Goyanna, recommen
da a todas as autoridades policiaes desta e
outras provincias, a captura de um eseravo
que lhe servia de criado, de nome Belarmi-
no, de idade de 24 annos pouc i mais ou
menos, cabra escuro, de cabellos carapi-
nhos, pouca baiba, olhos empapussados c
amortecidos, falto de um dente na frente do
queixo superior, tem urna sicatriz no rosto,
de estatura ordinaria, cheir/ do corpo, o
qual na madrugada de 7 do eorrente mez,
assassinou no referido engenho a om par-
ceiro de nome Francisco, e se evadi, nlo
tem sido possivel a sua captura, mesmo a
despeito dos meios empregados pelo abaixo
assignado e peto sob-delegado de polica de
Goyanninha, ctijo districto pertence o lu.
gar do delicto. Engenho Malary 11 de abril
de 1870.
Serapkim Velho Camello Pessa de Albu-
qaerque.
CHARUTOS
superiores de Havana, Hamburgo, Bahia e
Rio de Janeiro etc.
Cigarro s
do palha de S, Paulo, de 3,5500 a 74500,
o milheiro, Daniel do Rio Novo, Maoriiy,
Imperiaes, Tenenles do Diabo, Duque de
Casias, Gandu etc.; de papel, de fumo
de Daniel, General Osorio, Conde d'Eu,
Rocambole, Radicaes, Acadmicos, Macham-
bomba, Montevideo, Orientaes, Baependy e
muitas oulras qualidades.
Fumos
Afamados de BAEPENDY em caixes de
20 libras IdiOO rs. a libra, em pacotes
a 24, de 20 para cima a 14800 e em maior
porc5o '14500 o pacote de 1 libra, dilo
em latas dequarta a 640 e 500 rs., e oulras
muilas qualidades como sejam : Danieldo
Rio Novo, do Para, de S, Paulo, Caporal,
ele. ele.
Variedades
PONTEIRAS para charutos e cigarros de
todas as qualidades gostos e preeos.
CACHIMBOS de superior espuma, de ma-
deira (raizj de 34 at 64, a duza e de oa
tras qualidades a relalho.
DITOS p de gallinhados melhores joe
ha neste mercado a 34 e 3 j'OO a dazia, e
com grande abatimento em maior por-;5o,
ditos de lo tica, gesso, barro, etc.
BOLSAS de borracha e coaro de diversos
gostos e precos, para guardar fumo.
CARTEIRAS para cigarros de todos o
systemas.
PH0SPH0R0S, de cera, em caixas de to-
dos os lamanhos, de seguranra a bala)
PAPEL de milbo, de aroz, san-r om.r-
san, piulado, de linho ele. palha de mili, le
Fernando a melbor possivel.
Alm dos.artigos mencionados enconlrarao nossos freguezes outros muitos ao ge-
nero de nosso negocio, que se vende em grosso e a relalho e que com suas presewas
sero satisfactoriamente bem servidos: bem como nos encarregamos de qualquer en-
commendas de nessos cigarros de seda e linho, ele.
13Ra da Imperatriz13
BAZAR DA MODA
--BII4 MVA--5SI
11 I
com descont de
TRILHOS
DO
URBANOS
a O abaixo assignado; morador no becej. da Tara
b do bairro da Boa-vista, sendo frequentemen
u eueoaunodado por alguns do seas fisiab**, que
ajroorJA mnehar a suarepntacaov mailfestan-
do arquillo 'Ia* se P'lsa P interior de s a
ata; pede; ae autoridades btfsileir? oem de fazer lhe a jasti^a de que precisar, para
o que invoca a sua attencao.
ieeife, 30 de ablril de 1870.
Uanoel de Olivejra i^rvalho., '
- -N?!3b^rja '
lep, >* rofi
para v*^easu.
Eecife a Apipucos.
AVISO.
Ha segunda-feira 18 at sabbado 23 do corre-
te serao supprimidos os trens de 7.10 e 9 horas
da nolte do Recife e de 7.20 e 9.'50 de Apipucos,
sendo suppridos pelos seguintes :
Do Recife 7.30 8.30 9.30 10.30
De Appneos 7.35 8.35 9.35 J0.4 ,
nos dtas le festejo 21, 22 e 23 baverio tren.*
de hora em hora'das 0 horas da manhaa a meia
noevunio de ida como de volta.
Em virludo de prohibi?5o do Illm. Sr.
Dr. chele de polica, no dia 4 do cofrenle
desde 4 horas da tarde at que se tindao
fogo artificial que se tem de queimar no
rio entre as pontes do Sr Isabel e da Boa
Vista, os trens partirlo da estaco das ofli-
cinas, e at a tu somonte cbegarSo na volta.
' Escriptorio da companhia, 31 de abril
de 1870.
IV'. RatclimoH,
*< VW .GoFiWte,
Os abaixo assignados proprietarios ueste eslabetecimento, pariicipam
\ que, continuara a vender muito barato e em vista ao grande sormeoto de
miudezas da melhor qualidade chamara a alteng5o dos Srs- commerciantcs
( de relalho afira de comprarem o que lhe for conveniente
10 0|o, pagamento realisado no mez da compra.
Jos de Souza Soares &.C.
SOCIEDADE NIAO BEIEnCEITE HA
BITIMA
Pela directora sao convidados todos os
ra comparecerem a assembla geral no dontiafv
do eorrente, as 10 horas da manhaa, na sata
de suas sessdes, para se tratar dos nieresses da
mesma.
Secretaria da sociedade Uniao Psaairsiilit Ma-
rtima em Pernambuco 19 de abril ate 1870.
O 1* secretoria,
Joo Rodrign
ilil
Publicado na curte pelos Srs. Angelo Thmaz do
Amoral e Eduardo Augusto de Oliveira.
Esta folha em cada numero contm artigos de
fundo sobre a polticaGazetlha Echo da cida-
de FolhetimVariedadesRevista commercial
annuncios, etc.
Assignase por annolijOOO
Seis mezes 71000
Tres mezes alOOO
Nao se aceitam assignaturai sem previo paga-
sato.
LIVRARIA FRANCEZA.
Precisa-se a jaros da quantia
urna hypotheea em escravos : a qoem convier sav-
nnncie por este jornal indicando a Mirad.
M^igio m
DE FiGADOS FRESCOS OS BACALHAO
Venda a tan fiaaiii
a mcio fraaeoa 1af
Imm, aauraacU MaM,
i, raa aW Caaaajlaaaw,
i h
< (cus fMardaa. a'u n clwini rr;e, e uui cmninaltlea I
.c como o csua arruli, u phma, a liza. u> o/* Jot **** ftrrt prmutortt.
I r :.-. no na Mfcirs, (oran iniajr-iaa>air os ^rr*m<\rlr a>l> *
l Irrar 4e *!<*a a Tr*W*. tsies nina* canaauna ata* "Tft
'I ii. -. i.'. c '- .ai^iT presos mu lui-.oa,ji<| .jiitc \w m v*roatlairo *tla #t SgnaVr^
W' (:i co t ni i v. ue:i.-.'. muito caro, visto |ae #tra obM!-a frttcof e ataaiafcaiir
frs'-.d'1 %Vilaii
U e Mr o maioree cuidado noa ,p i do 1849. ale |i iri ate Baiemlh* aW ya w Wi t^a J*
rn *ac .predoso meoUci.mcnto un. faa* 5nt*er.si naa mttrmt f*
f:fni>'j,c/iaor sao,data* |
flttwias
, i (MpimTiMt, a maoiats iot meiir.':r,aavja for ^aa,
A :- O V V- saj m'J 'di --------
. o -o Arro soavae .Mfcado, e VI Tmim
| O I aaowiwi do ekei' doa trabal)^ iiannateai i
n v Migue : Omito car de
riitt** ai. th do que oe oleot p>
rMA .ce **> Aairo -e jaaor.
WfcVt cus wi'aaaa
f *<4>N*'


tiSSi & VLao Sext.n ern M^X ftW
CHRISTI
contram-st
de vinfcc
o.
5

arraaaem da travessa do Corpo Santo
sortimento daobjectos para carros, e que se vchdempor pregos mait rasoaveis, como
sejam:
. e Vtquetas.iie lustros, grandes e muito boas.
Solas idem dito.
-JOleadfl preto e de c>res. 4% #% m
Colleiris da lustro 0 que ha de raelhor.
VJaGaawsJaesMs flnolaiao para arreios, completos.
Lanternas e vellas para as mesmas
Eixos patentes para sebo.
Joaquim Lopes Machado & C.
mim

m hiiiiiiii
S.BM&S
3. cr.2. g B
|S|"S'88-S
lll||3
ioO
a
i
3
II
B I
o
el
82
o.
O)
" n
aa o.
a
o
8
^3.
cu
I*V
oasg
g
p-
o
i

Cu
CS>
B o
se
ct o. 3 s* 2 o
"S'S O
!.BffS.
OQ *
3
o te
a 3
^s5s'
2
s B
5*3
B M g
cu ca
B
tu o
S
D O
2,0

B os tu
o, e
^ ^ u ..
s o.. o> g
&*-m w ai a> a*
2. *"
f
. bu cc>
H
P 0
H s
e w
* A
e
p< ,__,
0 fe5'
0 CT
O

Acham-3e!.jp- venda os feliJ
tidos da 2" parte da lotera n
,da Cata Forte"(t44,)) que se eitrahir
feira 20 corrJhte mez.
Procos.
lhete 6*000
o > 3*000
linto 1*200
100,1 para cima.
" Bilhete
Meio M
Quinto -v/ MO
jpnn*Mf. Manoel Martins

ATTENCAO
Precisa se alagar ni* tnolequ de II a 14 annos,
pouco mais 00 menos, de tdade, para mandados e
alguns servidos de ca?a, que lenha boa conducta :
na ra da Roda n. 48, sobraco.
liccao de franctz.
Urna pessoa bastante habilitada ciTerecese para
ensinar a lingua franceza, tanto nesla praca como
raa do Caldeiro n. 31
fra della
junto a
procure se na p
urna tenda de mareii
neiro.
Attencao
Na ra da Praia n. 34 ha para vender grande
quantidade de saceos de farinha de mandioca da
trra or menos prego do que em oulra parte.
Ama
engenjjo S.,
lenlces qu
ivos veaer le te
a frcguMa. que
precoSffle Ihes
ra garrafas ^ias de
Kd* agua, para serem Tendidas
povo, p Sj5e s memos Setraores, e demais; devem iMDrar-se
qne se at hoje u5o flzeram furtana, na> ba de
ser com esta agua qne botar no leite quajo de
faier, porque o que agua da, agua lira,-ufo reste
que Oca o di;.bo incumbe-se de conduzir^
1,'iD 4 que soffre.
Di-. 'Ignacio AM
Pode ser procurado a qualq do da ou
danoite, presrtliWo-se ajs ctinfMo de, Com toda i promptidao. Pratica peraedej.
D consultas das 6 a< 9 horas da manhaa, na
ra Nova n. 45, 1 andar._______
ESTABTO MENELECIE.AM832
Salsaparillia de Brislol.
LEGITIMA E ORIGINAL
EM FRASCOS GRANDES
ti UiOoqe
\o publico.
D. Carlota Marlnho da Rocha FaleSo, laz sciente
ao respeitavl publico, que nao facam transacQ
alguma com urna iettra .da mesma cenhora, que
deyedoraaoSr. Firraino Alves Pacheco, da quan-
lia de 125. A mesma sefnhora faz sciente ao pn-
blico, porque ttm contas a encontrar com o nw-
no, e por isso qnaiqnar pessoa qne faca alguma
transaccao eom a dita letra, ser aulla. Recife, 18
de abril de 1870.
Alheiro, OhreiraS C.
ADVOGADO
O advogsdo Antonio Pedro Ferreira Li-
ma, de volta de sua viagem ao Rio de
[ Janeiro, continua em seu escriptorio de
: advocacia ra do Impe 'ador n. 32, 1
| andar, onde pode ser procurado para o
! exercicio de sna profissao, das 10 horas
da manhaa as 3 da tarde.
Precisare de urna ama para o ervigo interior
de pequea ft milla : na roa da Am'zade n. 21.
Ca punga.
Ama
Precisase de ama ama que cozinhe perlera-
mente para casa de h> mem solleiro, e paga-se
bem : na roa da Gadeia n. 59.______________
Pede-se ao Sr. Jos Alves Ferreira, morador
no engenho Mallo Grosso, o favor de nppareccr
na ra do Bram n. 34.
m
-=
o
0 EIUA1II oni
Yr.AIIIADOIIIIi^..H,
r. Carolino Francisco de Lima San-
tos mudou sua residencia e coninltorio
para a ra do Imperador a. 5', V andar
do sobrado, cujo armazera conserva ainda
hoje o nome de flianca, e onde v-se
bem estampado o dito n. 57. Ahi, conti-
nuando o mesmo Dr. no exercicio de sna
profissao de medico e de operador, pode
ser procurado a qualquer hora do dia e
da noile.

P3

> m
Cora este titulo acha-se aberto e inteiramente transformado este antgo S
eslabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontrarao tudo qnanto g
a moda o bom gosto tena inventado na arte de ourivesara.o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeftavel publico venha ver o que existe de melhor em jjgj
aderaos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderegos, pul- ^
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata de le faque- S
ros, colberes, palileros salvas e outros muitos objectos que sera enfadonbo
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhanles e pedras finas, pormaior prego do
que emoutra qualquer parte, treca-se e concerta-se todo e qualquer objecto {
perteaoente a esta arte.
mi
S'l^il
TTEN$0
Declarase pelo prseme que oengenlio Mus-
saiba nao pde-ser ven-do, por isso qte, o -seu
proprietario tem diversas execugoes contra f i.
CURA RPIDA E INFAL1VEL OOS CALOS
PELA
POMADA GAI-OPEAD.
ie-i< especial
Pharmaa'd de Barfholnmm r C.
34Roa Jarga do Rosario-34.
CONFRARIA
no
do palriarcha S. Jos da Agona, erecta
convento de Pi. S. do Carmo.
Pea secretaria da mesma confraria sao convi-
dados todos os no*sos irmos a comparecerem m
nosso consistorio no domingo 24 do corrente, pe-
las 10 horas da manhaa, afim de reunidos em
mesa geral, darmos cumprimento aj disposto no
artigo 48 do nosso compromisso.
Secretaria d.i confraria do patriarcha S. Jo* da
Agonia 20 de abril de 1870.
O secretario,
Francisco de Medeiros Raposo.
Aluga-se oprimeiro andirdo sobrado da ra
da Senzalla velha n. 50 : a tratar na loja de me-
mo.
Pergunla se ao lllm. Sr. Dr. juii municipal
do termo de Agua Prela, porque razo ainda nao
poz em concurso o o(Dci3 de tabeliao e eserhan
do mesmo termo, vago ha quatro mezes por iner-
te do serventuario^Jos Noberto Casado Lima ; e
qual o interesse publico, particular ou local, que
prevalece ao cumprimento da lei.
O Curioso.
JoaquimJosGon-
(jalves Beltrao
ftA DO TRAPICHE N. 17, I. ANDAi
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban
jo do Minho, era Braga, e sobre os seguin
s logares em Portugai:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimar5es.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Casteiio.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova
Lamego.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.-
Beja.
Barcellos.
delFamalicio.
Lindos GLOBOS de vidro de or, e branGOS com flores, para illuminaces a gaz carjODico e para gat porttil, assim
como machinas de papel de dilTerentes tamanhos e cores, vendem-se muito barato para liquidar : na ra da Cadeia do Recife n.
60, ARMAZEM EXPSITA ) BE LENDRES.
Irmandade das almas erecta na matriz do
SS. Sacramento da Boa-vista.
De ordem da mesa regedora convido a todos
nosso3 irmaos para comparecerem em nosse con-
sistorio domingo 24 do oriente, pelas 6 horas da
manhaa, afim de encorporados irmos acompaubar
a precissio do SS. Sacramento aos enfermos que
tem de sabir da mesma matriz.
Consistorio da irmandade das almas erecta na
tnairizdo SS. Sacramento da Boa-vista 20 de abril
de 1870.
O escrivao,
Manoel D. da Silva Jnior.
Preciosa ublicapo
" \ jurdica,
Commentario do Cdigo Commercial Portu
guez t Brasileo.
Vende-se na loja da ra do Crespo n.
25 A esquina da do Queimado, a impor-
tante e moderna obra sob o titulo de an-
notaefes ao cdigo do commercio portugue2
em 6 volumes pelo Exm. Sr. conselheiro
Dr. Diogo Pereira Forjaz de Sampaio Pi-
tLentcl, lente cathedratico na universidade
de Coimbra. OsJlsubidos crditos de que
goza muito merecidamente aquelle eximio
commercialista por si so bastariam para re-
commendar to importante obra, qaando
nao concorresse mais para isso a grande
vantagem de ser um ptimo commentario
ao cdigo commercial brasileiro (na falta
absoluta que ha de qualquer outro) pelamo-
xima homogeneidade de entre muitas das
suas disposices, e as do mencionado cdi-
go portoguez, que lbe servio de texto.
Correi pressu rosos, distincta mocidade
do 4. anno da Faculdade de Direito desta
cidade e notareis jurisconsultos, a prover-
vos desse poderoso auxiliar para vossos
trabalhos da sceiicia, e pelo prego commodn
de 205, toda a obra em 6 vol.
Siiblline publ(cacao litteraria
sob o titulo de Memoria do
Bom le.Hiis do Monte, em
Braga.
Acha-ne venda na loja da ra do Cres-
po n. 25 A, esquina da do Queimado a pri-
morosa Memoria do Bom Jess do Monte em
Braga, ornada de gravuras Anas, segunde
edicao, obra da penna de ouro do mui Ilus-
trado lente da universidade de Coimbra, o
Exm. Sr. conselheiro Dr. Diogo Pereira
Forjaz de Sampaio Pimentel. Quem ti ver
noticia da extraordinaria devogao que exis-
te em Portugal para com aquella milagro-
ssima imagem, affluindo sempre para o
seu magestoso templo em romaria o nume-
roso povo de todas as partes desse reino;
quem soober avahar as brilhantes descrip-
goes, e o bello estudo daquelle consumma-
do jurisconsulto e eximo luterano portuguez
nao deixar de procurar, quanto artes pro
ver-se de um exemplar da dita memoria,
pelo diminuto prego de 31, na loja indica
da, onde ha pequeo numero dellas.
Na mesma loja cima ha entras estampa,
muito perfeitas e grandes do dito Senhor
Bom Jess de Braga, por prego commodo
Precisa-se de ama ama que saiba fazer todo
servico de casa de urna familia de 2 pessoas: na
travessa de S, Jos n. 3.
ELEPHANTE COM BOTAS
Grande armazem de pianos, msicas e instrumentos
ANTONIO JOS DE AZEVEDO
N. 11-RIJA NRVA-N. 11
Partecipa so respeitavel publico desta cidade e das mais
s,'acaba de ebegar um grande provincias visinhM, que o seu grande e ibera acreditado wazea de instrumMiios para mnsi-
0 que ha de Mais moderno, de. teclae fixo e nwbile, e com transposigo ob sera ella, de autores os suis acreditados esta cidade,iPtcmo sejam : os
llamados e bem cocheados pianos da fabrica do Sr. Bs *
AFFONSO BLQNDEL
assignado pelo Sr. Blondel, afim de provw a sua

dd Paria, de quera o annuociante o unieo agenfe nesta eidade, como prova com documento abati transcripto e nsignado pelo dito Sr. Bronde!. Estes pianos, fabri-
cados especialmente para o clima deste paiz, s5o os unios que ofterecem urna garanta segura de ssa darafo. filies sao aqu bastante conheeidos destie I8, para que
seja necssarip iofiislir sobre sua superioridade. As suas vozes sao muito tontadas e melodiosas. Elles possoem um teclado que se presta i todos (s caprichos do
seefcore pianistas.
Todas as pessoas que comprareis pianos nesta casa, sao rogadas a exigirem o certificado de rigem
anteacidade do numero de piano com o de certificado.
AO PUBLICO
Mr. Alpboose Blondel, fabricante de pianos
do Bacn, i RA NOVA N. H, armazera de Antonio Jos ds
nido por nn.
' Pars, 24 de jnlho de 1869.(Asssignado) Alphoaae Blondel "I O*
O annucianta tamhem troca e aluga pianos. E tem o maior e mais explendido sortimento de novos piauos
MSICAS PARA PIANOS
As quaos recebe directamente da Europa e do Rio de Janeiro ; das acreditadas caa dos Sns, Felipone *V Tdraaghi. -NaUci),. Arthor l-ipoieJto C,
etc. Tautbem tem grande sortimento de papel para mosica e desenho; cordas para todoB os instrumentos, ricas pavuras e w;para ornamentos de saiaa^J oleados para
MMalho de salas, ricos espelhos doorados, qudrados e ovaes, fxiacas de Msinca om jnusicj^ e sem a,resos,paxa vagaoL jUKifts com^ksjMtfiador, .dfo*. para
erwlhoa e todos os tamanbos, (alagarca, lias e agulhas para bordar, e amitos ontrosirligci que o respeitavel pub'fei ewtWWlmfie feWWweW^oal estst
aberto tedos os das al as 9 horas da noole, afim das Exma?, familias poder em ir apreciar oa rets pianos.
em PARS, deeclara ao respeitavel publico de Pernambuco, que 0 nico deposito de s na cidade
e Azevedo. Outro sim que-tdos^os seus .pianos irio aecompanbados de um certificarlo -!* oripem assig-
I
i fth .r.i
OGRANpE-PURIFICADOR DO SANGUE
Esta excelfente e admira ve 1 medicina, e
preparada d'uma maneira a mais scientid-
ca por Chiraicos e Droguistas mui doutos e
d'iiuiainstrucgo profunda, tendotido mui-
tos annos de experiencia ao par d'uma lori-
ga e laboriosa pratica.
A sua composicao nao consiste d'um sim-
ple extracto d'um s artigo; mas sim,
composta d'extractos d'um numero de rai-
zes, lienas, cascas, e follias, possuindo to-
das ellas, sua virtude especial ou poder
em curar as molestias as quaes teem sede
ou essento, no sangue ou nos humores;
e estes differentes extractos vegetaes, acham-
se por urna tal forma combinados ponto
de conservarem em toda a sua forga, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um de
per si possue. A raiz da planta de Salsa-
parrilha, produzida as Honduras, c a qne
nos usamos nesta prepararn, sendo a qua-
lidade que todos os mdicos mais prezam
e cstimam. Na composigo da Kalsa-
parrilha de Brlstol entra mais de 50
por cento deste concentrado extracto. Ella
n2o encerra em si cousa alguma, que pos-
sa por leve ser perigosa ou injuriosa
sade; e tanto n'este, como em quasi to-
dos os mais respeitos, ella inteiramente
diversa de todas essas mais preparages,
as quaes debaixo do nome de Salsaparr--
Iha, sao acondicionadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada em doses
mui diminutas d'uma eolher do cha por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARRIRA DE BRISTOL
em frascos grandes, e assim por este modo,
dividimos eom os consumidores, o grande
proveito e vantagem alcancado por aquelles
que acondicionam sua preparacao em gar-
rafas pequeas. Cada um dos frascos da
nossa Salsaparrllha de Brlstol
oonteem a messa quantidade igual porcae
contidanaquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue ainda muito mais forga e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa achar contida dentro de
seis garrafas de pequeo tamanho. Por-
tanto mui natural, que aquelles, que se
acham oceupados em preparar e vender as
suas produegocs, em garrafas pequeas,
murmurem e gritem contra os nossos fras-
cos grandes proclamando, que a nossa >*al-
saparrilha de BrEstol nao possue a
menor virtude; porm quo electivamen-
te sao elles postos em silencio, quando indi-
camos, ou simplcsmentc referimo-nos para
com essas centenares de certides e tes-
temnnhos autlienticos, por nos recebidos
de todas asclasses da sociedade, nos quaes
plenamente attestara o poder curativo e vir-
tudes maravilhosas da nossa.
SALSAPARRILHA DE BRISTOL.
A vantagem de termos os nossos pro-
prios agentes naquelles lugares aonde as
tlilferentes raizes, drogas, berras, e plan-
tas de que se compoem as nossas medicinas,
s5o produzidas, que nos habilita exer-
cer aquelle constante cuidado e disvello na
minuciosa escolha; e o que assegura e ga-
rante uniformidade de excedencia.
Em quanto que, por outro lado, nos nao-
nos poupamos nem dnheiro, neir dili-
gencias ; afim de alcangarmos o melhor
e nicamente o melhorde cada um artigo
ou ingridiente que entra na sua composi-
g2o; pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva conflaflca; que po-
demos afoutamentc dizer aos doentes de to-
das as nagoes, e de todos os paizes, que na
Salsaparrilha de Brlstol. possuem
um remedio mais eflicaz e seguro ; do que
nenhum outro, que vos tenha sido offere-
cido at hoje, e o qual por certo n3o hade
mallograr vossas expectativas, na prompta
e eBctiva cura das seguintes enfennidades:
Escrfulas,
Chagas antigs,
Ulceras,
Feridas Ulcerosas,
Tinha.
Syphilis,ouMal Ve-
nreo
Humores Escrofu-
losos,
Irrcgularidadesdo
Sexo
Feminino,
Nervosidade,
Debilidade Geral,
Febra e Malignas e
Febre e Sezes
Biliosas,
Tumores
Abscessos Apostemas,
Erupg5es,
Herpes,
Salsagem
Impigens,
Lepra, febres intermitientes e remittentes,
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, achar-se-h, que para o bom
resultado e perfeito curativo de todas aquel-
las enfennidades cima apontadas o adian-
lamento da cura, grandemente promovi-
do e apresurado; usando s ao mesmo
teiupo das nossas mui valiosa pllnlas
vegetaes assucaradas de Brlstol,
tomadas era doses moderadas em connec-
$0 ou conjunctamente com a Safsaparrilha;
ellas fazera remo\T3r e expellir grandes
quantidades de materias morbficas e hu-
mores viciados que se dsprendem e livre-
mente circulam espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso da Salsaparrilha; 9
por esta forma facilita a volta e o exercicio-
normal das operacCcs funecionaes,
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo & C, P. Maaajn
C, B M,4 A.arbosa, Bartholoraeu C A.
SEGUROS
MbRIJIMOS
comtra foco.
A Companta Indemnisadora,estabeecid
jesta praga, toma seguros martimos sobn
asyioa e seua carregaaentos e contra fogr
en) 'edificios; mercadoras e mobilias: :
TU do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Nao mais cahellt^ bram-oi.
; A tintura japoneza para tingia os cabellos
da cabega o da barba, foi a troica admtttka
Exposifo Universal, .pop ter sido rsto-
ihecida fuperiot i todas as-preparaegesa^
oje exiAsols,' dlfti alterar aVsnde
Vende-se a {OO cada frasco na
Ra da Catea n. 51,
1. andar.
nh
Ai-ha ?e fngida i?r~rfe a n.nte de I." Jo < .--
rente um molatinha de nome Lntai, de ida* te
14 annos, tem cabello um ponro eorriof, nina
pequea cicatriz do talho ;i tace, narix aftuy,
olhos grandes e vivos, levou urna treusa de r
qnem o apprehender dirija><> a cidade m
fim da ra da Anrora, cao pie fdra S< Sr. Snv
nio Jos Gomes do Correio b. li, iiue acra rtcwn-
pensado
COMPRAS.
Casa terrea.
Comnra-se nma casa terrea
da Madre de Dens n. 16, lja.
a Iratv na rsa
Compram-se mneda- de oajo e pTata d-
los os valores, onro e prata em obras inmiirsaas
irilhantes e mais pedras preciosas : na loja te
urives do arco da Conceicao, no Recite.
:v v
ESCSAYOS
Coropram-se e vendem-se diariamente para (ora
i dentro da provincia escravos de todas as idadt-,
ores e sexos, com tanto qne sejam sadios : u
xrceiro andar do sobrado n. 36, rna das Crn:e-,
"refruezia de Santo Antonio.
Lom muito maior vantagem cmnpram--
noedas de ouro e prata : na loja de joias do a<;o de Ouro n. i D, ra do Cabuga.
Compra-se urna canda de carrfira mi ahr, .
0 muzeo de joias
Na rna do Cabug n. 4 eompra-se onro, prata
pedras preciosas por precos mais ventajosos do
qne em outra qualquer parte.
Comprase urna east terrea em al fama Su
melhores ras da fregurzia de S. Jo-. mi n,
Santo Antonio : tratase na na Dinita n
luja de calcados.
VrNDAS.
k Wk m
A ruado Duque de Casias n 21.
(ANTIGA RA DO QUEIMADO)
Nao foi stm fundamento ESPKRANCA tem dsiiado de f;zer os smm
annuncios. a razo simples, da enic
que tudo em demasa aborrece... por isso
como ja tinl a dito e scicntiiicado sua bo i
fregiuzia o que consiantfmente ia recib ;.-
do, ou livesso feilo mnilas veica, itesi i
tornar-se massante, assim pois rcsolhiM i
um poico ao silencio, mas asaca Masad
d'errpregar os verdadeiros esforcos. j con-
tratando maior numero de cornspondent'-
na Europa, j descobrindo (bject^sdomais
apurado gusto e HnahuenU weignaBd
Jornal da Familias, o qual vem iSBIllt
ornado com ligurinos, modernos iiiuldes pat4
vesiidos etc,. etc. para desta firma mrilur
seivir a sna constante fre^uezia ; e conr e<-
pecialidade ao bello sexo, qseai a NOVA
ESPERANC.V ufana-se em oflvrecsr-
seus servicos, ipressando-se desde j em
declarar que tem receido uliimair.
eniremeios e sbados Bordados raospaj
tes e tapados, chafoeisbos de leltaa psrs
baalis&dos.
Finas toncas de cambraia bordada para
o mesmo fim.
Meiasde seda e fio de escoc para ensa-
cas.
Dedacs d'osso, rmrfim, seo e madrep -
rola.
ptimas Bsvalhs;, afladores e masa asi i
as mesmas.
Finas esponjas para o rssto e para ba-
nhos.
Bonitos sapalinhos com biqsevs, M i
com s.-il >, para meninos c meninas dsdois
a doze annos.
Boas lentes com cinco mdinv-tros, para
conlsr-se os (ios lie qualqner fiz-.nda.
Tesouns para frisar vesiitif. .
Carretas para tirar bi Mes tle totlibjs.
Mollas para segurar oisurafc
Boniis linteiros de novos moldas,
Meias de Ta para horneas e seabssas.
Finas e bonitas Rgas |*ard '.hjs.
Fil ile liiiho e d fds, -mk!o prtt
branco, liso e de salpCOS, u tnrtrss muil-
objectos expostos a venda ra Duqut
de Casias n. 21, na NOVA ESPERANCA.
MUITA PERFUMARA.
A NOVA ESPERANCA, a ra Duque i
Caxias n. 21, acaba de receber muila pes
fumaria dos melhores e mais afamadas lu-
bricantes, como sejam finos extractos paia i
lengo, essencias concentradas de muitas qua
lidades, olhos de agradaveis cheiros paia os
cabellos, e bonitos vasos com boabanha, lin-
dissimos vasos com pos de arroz, sabonetes
de dilTerentes qualidades et .. itc, assim
pois os apreciadoras do boro, venbam sas-
fazer suas paixoes na NOVA ESPERANCA.
PARA ALVEJAK E CONSERVAK OS DENTE?.
P de carvSo de rosas: vendem-se ra
Duque de Caxias n. 21. na NOVA ESPE-
RANCA.
Para acabar com as sardas ou pannos
recebeu a NOVA ESPERANCA, ra Du-
que de Caxias n, 21, o verdadeiro leite de
rosas brancas.
Sabao d'aleatrSo.
Vende-se na roa Duque de Caxias n. 21
PARA LUTO.
Brincos,, broches, vollas, puleiras, fivel-
fas; i entes, boles para ptmhos e cadeias
para ivl^gios.
A NOVA ESPERANCA, qoerendo salis-
zer-sua freguezia, nasomente em objectos
d'alegria ou de luxo, quer tambem acom-
panhar rquelles, qne infelizmente perdendo
algucm de sua familia, iu a'gmm de sua
amizade, precisam de tes 'objectos, assim
pois a NOVA ESPEBANCA, roandou viro
que ha de melhor neste geoero, porque
sendo taes objectos de cor negra, senda
de m qualidade, n5o someute tornam-se
tristes como al repugnantes, o que d3o
acontesce aos da NOVA ESPERANCA. por
que apenas exprime o sentimetiM pela cor
porem como que traz um lenitivo pelo gosto
e pcrfeicSo com que taes objectos sao tra-
bajados.
Vende-se i
nos, na ru do Imperad
- Vetide
quatro
"nileiro.
Vende ss a lo.
n. 38 ; a tratar na i


Diario de PeijianAu^B Sexta eira 22 de Ahrjl de 1870.

.
GMBE MIDADE
NA
BRACO
Estampilhas.
Vendo-se na roa da Cnu n.. 8, 1 autor. -
Pita de coquelroe
a 300 rs., e o ceoto a t*, o ine.lior Ujmpo ro-
sivel para piular: na ruaDiroita o, 45-
NEGRA
Ba do Imperador n. 26
(JOS donos daste estabeiecimento desejan-
o por era pratica nesta capital os costu-
raos das canfeitarias das primeiras capitaes
da Enropa e Brasil (Rio de Janeiro) fazem
setenta ao Ilustrado publico desta capital
que na prxima semana santa ter3o este
estabeiackaeuto primorosamente decorado
e enfeitado eom um completo e variado
sornateato do earainbw de difTerenles qua-
lidades e gosto, um complot so timento
de amendoas confeitadas de todas as quali-
dados, confeitose pastithas as qua-s ser-
vem para cnchimento das mesroas camnhas
adverlindo ao Ilustrado publico que na cida
des, cima mencionadas est inteiramente
em ozo brindar se nhoras cora este delicado
presente e vendo nos que atea poca pre-
sent" anda n5o bonve algoem que tivesse
a lemhranca de proporcionar aos amantes
do bello sexo nesta ridade o eosejo de dar
suas demonstrares de estima, gratido e
amisade com um bello presente, nos toma
naos rt nosso cargo to ardua tarefa atten-
dendo as duvidas do b m ou mo resulta-
do, qne pdennos colher.
O publico encontrar ludo mais qoe re-
latava o antigo aaooncie ueste Diario, as
Exraas. familias na occasio de visitar os
templos podero vir fortalecer-se com bons
lanches, vinlios, licores, Champagne, serve-
ja c refrescos tudo do meloor que possi-
vel. Esperamos pois da concurrencia do
respeitavel publico em geral.
Vende-s farellu inoilo doto, accas grandes,'
g de priirira qoalMadt, bamston bni* de j
porro de Baltimore, tildo por precos razoaves e ,
poroSes a vonlade dos compradores : no armarem'
de Matheai Aastia A & ra da SaaztHa Velha!
n. 106.________________________________i
Vendo um amnelo do Sr. Jo Gandid de
Barro; inserto Reste Diario, desejando saber qual'
era o negocio que a roa das Cruies a. i se cha-
raava o senbor neo fllho Thomaz.e >roo noa eon*
ta que o Sr. Jos Candido reside na eidade de
linda, a sendo penoso la irmos, podimoj a S. S.
mandar algaea) entenier-se a respeito
iiirft popuIAH
DA
FAbWA NACHIMAL DA BABIA
DB
Teixeira Uldurtco $ C
Acha-se venda este ptimo rap, anieo qa
pode s'uppnr falta do princ-za de Lisboa, por a*
de mut agradare! perfume, viajado,a a Mn
mais modieo possivel; por isso te ma aasi
acolhido as pracas da Babia, do Rio de Jaocfro
em outras do imperio : no eseriptorio 4 Joaqob
Jos Goncalve Belirao, ra do Commereio na
mero 17.
Milho e arroz de casca
Veiide-se milho e arroz da casca novo era sac-
eos, n i trapiche da companhia: a tratar na ra
da Cadeia-velha, casa n. I, 2 andar.
COGNAC
da Tuito acreditada marca Rouyer Guillet A C. de
cognac. nico deposito em Pernambuco, em casa
de Carlos P. de Lemos mero tO.________^^
Brincos e enfeites
de papel, obra delicada c vista pela primeira ve*
nesta eidade ; feitos por um curioso, vende se a
IjOO a pera, na loj;i di a guia negra, ra do Cr
boga n. 8.
Vende se urna carruca de molla para cavall.
com os portencentei amina : ra do Drum nu-
mero 79.
Bonito adorno para senhora de bom gosto
psra os bailes e festejos pelo acabamento
da guerra.
Veiae-sc na roa dn Imperador n. 67. urna pran-
de villa ron ten Jo 33* bonitas pernlas de cusi de
7004. Tambeni pJent-ce rc-talbur a 2 cada urna
e Ibraar-ae tres vollas mais pequf tas, (pie aindu
asai'fi ehegam para o pescoc^ de qualquer senhora.
J
Bichas hamburgnezas
Neste novo deposito recebe-se por todos os pa-
quetes translanticos Wchas de qualidade' superior
i'.vendem se ern caixa oo poreo mais nafdetm,
o mais barato do que em outra qualquer parte :
na ra da Cadea do Reoife n. St, l andar.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
de Nictheroy.
nico deposito em Pereamboco caes da alfan-
doga velha n. % Ia anda.
3;000
A ra Nova n.' 60 vendera-se botinas
para senhora a 3,5000 o par : a ellas em
quanto nao se acabara.
Cantara de Lisboa
Soleiras, hombreiras, e rapitis, o que ba de
melhor para frentes de predios: venia no ar-
marem da trafossa do Corpo Santo, de Joaquim
Lopes Machado & C.
Veniese pelo seu justo valor na ra da Ca-
leia do Recifeo. 58, loja do Azulejo.
Farinha de mandioca
Vende se de superior qualidade, no eseriptorio
ite Joaquim Rodrigues Tavare- de Mello, largo do
Corpo Santo n. 17 ou no trapiche do Gunha, For-
te do Manos.
u
Em casa de Mills Lilliam t C, ra da Cruz ti
38. v ndem-se folhas do f.'rro galvanisadao.
Brozpguins pretos fantasa para senhora
2 MKHX).
Ditos de duraque de cor enft itados para
roboras a 4Jt00 (todos era perfeito esta-
do).
Brozeguins de lustre para borne m a
ifiOK), e vende-se na Prarja da hidepcn -
iencia n. 39, loja de calca lo de Porto &
Bastos.
Wmti MACHADO C,
A AGUIA NEGRA aaintada cas o bom accolhimento que trra em seas annun-
;tos,- veos novo participar a cas fregueses qoe, acaba da reeeter om variado sorti-
oent dobjct mando fez os seos primeiros amractos, foi o que asaefirou, e sera mdo de errar,
jorqoe cobbo j4 diise ost iuteresaes ligada a urna casa inptrtadoradata praca, e '
}qt isso poder ter tudo especial e nender fttr pn&js admiRTre.Chama pola a atten-
:Jo- de seos fregaeiei pata os artt|na.po9* descrever:
Livros com o taiapo de marflm, madre- Um variado sortiujmtf t charaterras e
pjiliteiros o porcelana',
Tent para voltarete.
Bengallas com nurflm, ern* especial.
Sabopetes rte alcatro.
Cofres de folxis para dinbiro,
Lindas caitas pera castora.
Um completo sorthaento de }m de pe-
Travessa do Corpo Santo n. 25.
0 acreditados cylindros americanos para padaria, por doo* differento sMtem*.
Machinas para descarocar algodSo pelos melhores fabricantes de New TOrk.
Machinas de vapor systema de locomo'.lva e polias para as mesmas.
Carrmhos americanos para transportar volames em armazens. Tttdo per br-
eos razoaveis.
TRAVESSA DO CORPO SANTO N. 25
Joaquim Kops Mickd-) A C.
'erla e tartaruga, proprios para missa.
Garafinhas vazi prr^>rHrpar presentes
;oosa de gosto.
Indispcnsaveis le paiinha c de couro pro-
jrioe para senhoras e meatnafr trazernos
races.
Biaoeooj da raadreperrt^, martrne tar-
;araga todos esmaltados.
Milho -e- fnre!o#.
Vende-ae mimo e fareto mala barato *>
outra qualquer parle : no annazeei>da e
largo do Paraizo n. 14.

MIMIS PAIA
COSTURA
Cintos largos de setim, coosa iateiramen-',!,^
MT'de sarya .de todas-aseem eiat^l TabBorceparaborrJar. h^^ hJ Z.T^c^o
Jr?^:iT ^2 22* dt sedarema,s wd POTa vesl,u0- chinas para costura, do autores mais-co-
2^!J?* '**?"* Perfurnorias de todos" es autores e# mm neeidos, as quaes estao em exposicao no
riiw cora inscnpeoos-propTK pwa beo- acreditados em oxtractosv pomadas t leos ruesmo Bazar, garantindo-se a sua boa qua-
e Buakaenr outros muitoeobjectos qa nao lidade, e tambem ensina-se com peifeicao i
a todo os comprad": =. Eet-ts machinas
sao iguaes no seu trabalbo ao de 30 costu-
re iras diwiSHeDte, e a sua perfeico tal
como da melhor costureira de Pars. Apre-
sentam-se trabalhos executade* pelas mes-
mas, que rauito devem agradar aos preten-
dentes.
Vende se a armario da taberna do pateo da
Penha n. 8 : a tratar jnnto n. 10.
Cortes de vestido de
blond.
Acaba de ehefar i.loja das arcos amad*
l Crespo n. 20 A. e Alvaro Auguito do AkutiVi
; 4 C, os mais ricos cortes de vestid de. bfen*
I que tem vindo a e.ile mercado pan easaraeeioF,
: assim como cortes de vestido de seda da cor de
gostos inteiramente novo, tambem om fraaia
; aortimento da chapeos de velludo para sentir
Vende-ae ou troea-se por caas ntia pvac
o sitio denominado dos Bcritii, antiga ca-adali-
; vagem de roupa, com grande ea*a de viveada,
; senzala para preto?, estribaria, banbeiro de padre
i e cal c( m agua correte, baixa para capia e
grande terreno para plantarees : qne o pretea
derdiaija se i praca da Indepeadencre n. 33. .
' Vende-se um boi e carm prflpno para ear
regar assnear ou gneros : a B-aiar no cae 4a'
Ramo? a. 21, eom Antonio Jos- Par meo, por ea-
, tar para retirar se -para Europa.
(uet de noiva,
Ricos vasos com p6 do arroz. possivel raencionar ; ma com a vi9a se
Ui* vartado 9oriimenW de jarre* de por- certificaro do sortimento este estabete-
elana. cimento.
Agnia Negra, roa do Cabug n. 8.
Cal nova de Lisboa
descarrepa& aoje do patacho Mirria ; a vende
Joaquim Josa Ramos, na ra da Cruz n. 8, ri-
neiro andar. ___________
Vende-se urna parlado engento Purgatorio,
e grande preducrab para agrcuitara, sit> aa
fregopzia de piarass, assim como se vende oe-
tn parte do engento Curte de Cima, annexo ao.
! purgatorio, que muio eonvem comprar ambos: a
; trattir no Remedio com o Sr. An onio Mer.eiio Cor-
dfciro de Gusmao.
PIRA A FESTlT
Cbegou a loja de Paredes Porto, a ra da Imperatriz n. 52, (Porta Lavga) um bo- Cand do Alberto SO- S POrtaS, loja de fer &%QWL
nito sortimento de toafcns de linho para mesa, assim como os-competentes gaardanapos ar t>_,-, TMm*4-j* EO
dr da Motta & C. o-kua uireita-lHl
que se veadem a preco baixo.
PAREDES PORTOvende lasiobae a 240 rr covado, fazenda de 500 rs, para acabar
na roa da Imperalriz n> 52.
PAREDES PORTO vende algodie eom pe-jeeno toque de awaria a 3^500 e 40000,
a peca, ra da Imperatriz n. 52.
PAREDES PORTO vende- chila preta para luto a iGO rs. o eovado na roa'da Im
peratriz n. 5. Porta larga.
CHALES
Vende-se chales pret de merino: a 3J000 Taaenda superior, a ra da Imperatriz.
PARDES PORTO voDde meias para senorasa 2$500 a daa p r ter um peque-
no mofo, na ra da Imperatriz n. 52 porta largBi
PAREDES PORTO vende cortes de calca de cssemira preta a 3*300 e 4#OM).
PAREDES PORTO tem para vender panno preto superior oasemiras de cores e
pretas qwe vende por prcos o.ommodos.
CUALES, GRANDE PEGIHNCHA.
Chacn a loja da roa-Imperatriz n. 52 de Paredes Porto nm* bonito sortimento de
cbales chioezes fazendas rauito boas para seohoras trazerem em aasa, est vendendo
por 5^000', eslo acabane-se na
do Leao.
Neste modo estabeiecimento, ha para vender
um eompleto sortimento de ferragem, e miudeaa
finas e grossas, como sejam bandejas cbinexa
qnadradas e ovaes, facas e garios de 1 2-bb-
": toes, bataneo inteiro e Kft balanco; panellas, cha-
I iheiras, cacarollas, rhfideira?, assadeiras, taaSa-
! de ferro como de porcelana, rnoinhos para caf da-
. diversos tamanhos do faaricanie Japy, pesos kilo-
!graomos. tanto de ferro como de atao, metroa-
j para medir fazenda tanto de ferro como de lat,
'.salitre, breu, barbante,-saxofre, papel marca via-
da, do verdadi iro Picartto, m.tchinas para detea-
I rocar atgodao; alera de oalros artigos de lena-
' gem, mindezas catuanas Boas, que s com a via-
; la se verifica; na rua direita n. 53 loja de 3 por-
I tas deManoni H.^to de Oliveira Braga* C
Loja
eom eseriptorio eormaiem na travessa da Madre
de Dos n. ti, trm para vender o segurnte :
Sement Portlt ad'de t* qualidade, o meltor que '
tn vindo ao mercado; barricas de 12 a 14 arro
bas-por tOfOOO.
Vintos Bordea nx des-seguintes qoalidades :
St. Julin.
Fronsac.
Lortnant.
Sr. Emilion.
Marga us.
Chateau de oyebareite..
St. Larabert.
LaFonhere.
Duplessis.
Caaor.
Dearsesai.
Vinho do Porto do qualidade muito espeeia.
Azjite dnce relinadn-em caixas de 12 garrafas. Chegoa ao antigo deposito de Henry Forstar a
Fumos de todas ae qnalwlades, se encontrar <1, rus do Imperador, um carregamento de gaat
neste estabeiecimento-em lata, rolos e fardos. de primeira qualidade; o qual ge vende em partida
Papel de todas as cualidades proprics para c- e a retalho por menos preco do que em outr*quii
garros. quer parte.
OAZ GAZ 6AZ
Jte.
60RUA DA IMPERATRIZ
DE
Pe I
em aotra qual i
e armasen) n J rS i
(lerem escollter.
C.iEbi'.tSa suissa de I>)J0 ra. cada um, pechinclia.
COM H PALMOS DE LARGURA A 1:000, CASEMIRAS ESCOSSEZAS.
2:000 e 1:900 RS. j 0 Pav3o tem boni as casemiras escosse-
Ciie^ram as finissimas cambraias suissas ; zas com quadros grados e miJos e outras
tranpar otea, sendo O foe ba de mais fino lisas com listras ao la Jo, sendo f:\zenda
para vestidos e wade-se pilo barato preco | muito fina qua se vendo mais barato, por
de i#30>), ,OOO o 2#S00 o metro, tanda bter grande porclo.
un das mssmas, porm inglezaseoml GANGAS DS LIXUO..
a meama largara qne so vendom a Ii50!0, Vende-se ganga de linho com quadrinhos
e l.-5i80o metro, sendo apenas precisos des- rauito boa fazendi para rourus do homons
e meninos pelo barato proco de 000 n, o
cavado.
PECHINCHA EM PANNO PRETO A 2:H00>
O Pa o vende superior pmhopre.o fino
para paUlots, caigas coetes etc., pelo ba-
ratissimo preco de 2JhO o covado.
CORTES DE CASE MIRA PRETA A 4:500,
O I'avo tem os superiores cortes de ca-
semiras pretas enfeita las pelo aarato preco
de 4:5300 rs. o cort,
PECAS DE MADAPOLiO A 3&00.
0 Pavo vende pessas do muito bom
madapolao, tendo 12 jardas cada urna, pelo
barato preco de 3$50.
PSCHIXCHA EM AJ50DO \ UOOO US.
OPavo est vendeodo pecas de algodao-
sinlio francez, tendo 4 palmos de largara e
com 11 metros cada peca, paio barato pie
de 43000 rs.
CAMBRAIAS BRANCAS A 4*100, A PECA,.
S o Pav5o ven le pecas de cambraia
branca transparente, tendo mais do vara de
largura, com 10 jardas cada poca, fazenda
que sempre se veneu a 73 e 5000, liqui-
da-se pelo barato preco de 4#00O.
ALPACAS BRILHANTES A I000 E 800 RS.
O Pavo tem o mais bello^sormento de
alpacas la > radas, com as coras mais deli-
cadas que tem vindo ao morcado e tendo
bastante largura, vendem-se pelo barato
pnco de l->000 e 800 rs. o covado.
Com palmas de seda a 1-$0OO,
Para o Pavo chegoa um rico sortimen-
to das mais bonitas lasinhas com palmas
de seda teado de todas as cores e padroes,
sendo fazenda bastante larga e vende-se a
15000 o covado.
Houpa para eseravas.
0 Pavo vende nrn bonito surtirtento de
roupas pira escravos.
AS POPELINAS Di PAVO A 68 RS.
Chegaram as mai* talas p^apelinas de
15a com iraita^Wd-poupaf as1 d-seda, urna
fazenda muito leve, com as rnai 14in Jas co-
graode estabeleeunenta aanoatnri u respeitavel pubco, u grande sortimento de faendas, do mais apurado gosto assim como de todas
uer parte, visto jue os novos b-icios desta fir.na adoptaram o sjrstema de s vennder^m Dl^IIIaO ; para poderem- vender pelo custo. liiitando-se apenas a ganharem o descont.
azer os seos sortimentos pelos mesmos procos que compram as casas estrangeiras. Para maior commodidade das Exmas. familias, de ladea
z C
as de primeira necesstdade que se Ibes prometfe vender por-preces muito-mals baratos do qoe
As pessoa3 que negociara em menor escalfa, nesta loia
as fazendas se dao os livros das amostras, ou so mandam levar emboas casas, para melhor po-
ta larga fazenda para Sfl fazer um vestido
4 ou 4 l/ metro*, pechjneba,
SAIAS BOBOADAS
Vende se um bonito sortimento de saias
bordadas com 4 pannos, assim como ditas
j promatas, de liasiba, enesgadas com
bonitas barras bordadas a 13a por preoos
muito em conta.
PANNO PARA SAIAS A i-JOOO, 15280 e
4C00 RS.
Ven le-se bonitas fazendas jproprias para
salas sondo com bordados e pregas a um
la*'", dando a largura di fazenda o compri-
dienta da sata e veude-se pelo barato preco
de 10000, l|0 e 11600, cada metro sen-
do preciso apenas 3 ou 3 I/i metros para
ca:;.a saia pcebiacha.
Celarinhos.
Vende-se om bonito sortimento de cola-
rinlios tanto de linho como de algodo pro
prios para homem, assim como tambem um
bonito aortimeai dos tnesmos para meninos
e s-:.horas e todos vendem-se por preco
mirto batato.
CHALES OE MOZAMBIQUE A 1:280 RS.
Vende se uraa grande quantidade do cha-
les de mocanibiqoe, com padroes escossezes,
seodo muito. grandes e levesinhos pelo ba-
rat pceoa do 1^280, cada um grande
pechinclia por se ter feito tima grande
compra.
Pannos e eaaeulrag pretas.
O Prvo vende grande porc8o de pannos
pretos do mais baixo at o mais fino, por
preco que admira, assim como um grai.de
sortimento de casemiras pretas para calcas
que se venda por pre$o mais barato do que
em outra qualquer oarte.
GORGURXO PRETO.
Veade-se o melhor goi;>uro de seda
preta psra colletes e vestidos, sendo aesfe
genero o melhor que tem vindo o mercado,
mais barate do que om outra qualquer parto.
vestidos brancas a 19ooo rs.
O Pa\5o^vende fiuissimos cortes de ves
ti das-de cambTia oranca, ricamente bord;-
iJM'e com moHaJftuemla pefo barato prejo
conta.
PANN DE LINHO.
Cbegou tira sortimento de peca e pan-
no de linho do Porto, qae se vondem de
700 rs. ato d^OOO a vara, gara.itindo-sa
(>ue em fazenda de linhonao ha naife melhor
era mais proprio para lences e toaihas.
PECHINCtt-i EM CHLVPEOS E>E SOL
Chegou um grande sortimento dos me-
lhores chapeos de sol de seda, ing'czes
sendo neste artigo omelnor que tem vindo
ao mercado, assim, como orna grande poc-
cao de ditos de alpacas de todas as cures
e todos se vendom por preces muito ra-
zoavais per haver grande porco.
OS BALDES DO PAVAO A 2i0O0
Cbegou um grande sortimento dsaatoes
ou- crinolinas do feitio mais moderno, amito
proprios para vestidos enesgados, que se
vende pelo baratissimo preco de 2&000 rs.
cada um, 6 grande pechincha.
CRETOXES MATUAOS PARA VESTIDOS A CIO
E 860 RS,
Para o Pavo chegaram os mais bonitos
cretones escuros matizados, proprios para
vestidos, roupo, chambres etc. que se
vendem 800 rs. o covado. assim como o
raesma fazenda com padrSes claros proprios
para vestidos e roupas de meninos a 640
rs. o covado, sendo os padroes- mais me-
d ern os qae tem vindo i mercado.
OS SETINS DO PAVAO
Vende-se es mais bonitos satina de cores
e mais encorpados, proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
PAZENDAS PARA LUTO NA LOJA PAVO
Eacoatra o respeitavel publico oeste cs-
tabelecimen'o ura grande sortimento da fa-
zendas pretas, como sejara cassas france-
zas e inglezas, chitas pretas de todas as
quididades, fazendas de 13a de toda< que
tm vindo, proprias para luto, sendo liasi-
res, sendo : verde, Ramarck, tot, azul, nhas alpacas lavradase lisas, caato, bom
lyrio, cinzentn, pecla etc. etc.. e vende-se basinai, atermos, etc. pelo baratissimo preci de8t*Ors. o covado. (por praca barato
Grosdenaples.
Seda* pretas lavradas.
Fazendas pretas e laa.
Para o Pavo chegou om grande- sorti-
(aeotes pregos o quididades. Isinhas pre-
ta, alpacas borabasinas, cantos etc. etc.
assim como um grande sortimcnto.de pan-
nos pretos finos o casemiras pretas de todos
os precos e qudidades que se vende muito
mais barato do que em outra qualquer
parte.
NOVAS POPELINAS A 400 RS,0 COVADO
0 Pavio vende om grande sortimento
das mais bonitas poupelinas cora lislrinhas
de todas as cores e com lustre imitaeo
de seda, facilitando esta Ibonita fazenda a
fazer-se um bom vestidj de milita fantasa
por pouco deheiro, isto por ter-so feito
orna grande compra e vende-se a 400 rs^
0 covado.
ROUPAS PARA HOMENS PARA TODrS
OS PRECOS.
CROCHR'S PARA CA8EIRAS E SOFA'S. l- ALTAS NOVIDADES EM SEDAS I
O Pavao tem um g*ande sorimento dos) Chegoa um grande sortimento das mais
lis bonitos crochs para cadeiras, sof*s j morlernes poupelinas ou gorguro de seda
isas, akaafatlas etc., proprios para co-|e linho, com os mais elegantes padrees que
brir presents o \v.nie-se mais barato do! tem vindo a este mercado: sendo osudas:
que em outra qoalqper parle. e groadas, tanto em- cortes para vestidas!
Algotlio eufestado. como para vender e:a>covados, assim como!ment de grosdenaples pretasde pura seda
VendB-se urna grande porelo de algado \ nm bonito sortimento das, mais bonitas se- que se vendrm da 1300 rs. o covado at
sinho americano c ita 8 palmas de largura,-das stradas, que se vende tudo muito 55-e6r$0OO; seds pretas lavradas-de dif-
proprio para lences e oalhas, tendo Uso e! em eonta.
trancado, que se vende por preco muito ca nerine>> de cordo.
Vende-se merino preto de cordo, pro-
prios para calcas, paiitoU o colletes,. pelo
baratissima preco da l.->000o covado.
KSTOXES GOJI PALNIOS DE LABfiURA A
2:SOO RS.
0 Pavoo tea< urna niva remessa, aa mui-
to acreditada cretone, propria para lences
tendo 10 palmos de largura, dando na lar-
gura o comprimente do lencol e vende-se
pelo barato preco de ^OOO o roe Ir o, sondo
preciso a pesas para um lencol um metro* e
urna qaaru ou metro e meio.
Chapeos a 15000.
Chapeos a *f?000, i
Chapeos a l#000.
S o Pavo vende bonitos chapeos do
torLs as cores pirahomensaaeninos com
a forma mais moderna que ultimamfnto
tem ehegado. pelo barato prf$o de IjSOOO,
cada um, por terem chegedo com ora pe-
queo toque de varia, grande pechincha.
MECHI\ EM C.WHSAS DO PAVAO A 4^500 RS.
Vende-se om bonito sortimento de muito
Snas emodernas camisas inglezas com pe-!
V^VSriS}l\ ?onPa Pr cedida.
e aos freguetes que camprarem dozias se' Na Na do P*v8o raanda-se f^zer qualquer
Iba far um abamanto. garantiodo-se que P6^ de -jra a v<-ntade do freguez, para o
fazenda que vale muito mais draheiro, 9UC ,em um Perit0 alfaiate, responsabelisan-
litjuida.se por eate preco por so ter feito l''so os donos do estabelicimento por qual-
uma grande compra : assim como se vende
um bonito sortimento de ditas tambem com
petto de linho bordadas e ditas de algodao
para todos os precos.
BRAMANTE PARA LEXGOES A 2*000, COS 10
PALMOS DE LARGURA.
O Pavao vende superior bramante de ali
godio tendo 10 palmoade largura, cuja lar
gara di para o comprimeate do lencol
sendo preciso pera aada tan, tenia caaiail
olliiro,! l/UtmreauM'-.l/* aa,
pedrlnoba.
640, 800 B
co
ten
o metro, ditos brancos
listras brgasa lfS000.
muito finos coas
Chegaram. os mats ricos organdys
, res com salpicos o mais bonito qb
*, .^S ^"de fslabelictmento encongara ^ndo para vestido, que se'venda a i280,
o resperta\el publico um grande sortimento nma,in. nM'hLI, .,;-. -.-
de roupas, sendo palitos e solirecasacos de
panno preto e cazemira, calcas c coletes de
brim branco e de cores, qoe tudo se vende
mais barato do que em outra qualquer parte;
assim como um grande sortimento de ca-
rnizas francezas e iaglezas, e ceronlas tanto
de linho como de algodSo c abundante sor-
timfnto de meias croas.
ALPACAS-LAVRADAS A
1,000- RES.
Cbegou para este grande estabelicimento
o mais bonito sc-rtimento das mais moder-
nas alpacas lavradas de todas as cores, qne
se vendem a 1, 880 e 640 reis o covado,
assim como um grande sortiraento de alpa-
cas lizas d? todas as cores
CELEZIAS E BRETANIIAS.
Vondem-se as mas finas celezias de
linbopuroou pessas com 28 metros, assim
como, finissimas bretanhas de nho com
tS varas, por precos que fazem admirar
em. relacco mtalidade.
Basquinas.
Chegarao as. mais modernas basquina
aa jaquetinbas de seda preta, ricamente
8afeitadas a vidrilho, tranca o selim preto
tendo de todos os modellos, os mais novaa
'qae tem cheg.ido e vendem-se
muito razoaveis.
por pre?os
ORGANDY COM SALPIC0.
quer falta que possa haver, quer por de*
mora, quer por qualquer defeito na obra;
e para isto eneontra o respeitavel publico
nm grande sortimento de todas as fazendas
qoe desejar.
BRAMANTE A 1800.
Vende-se superior bramante com 10 pal*
mos de largura, proprio para lences, dan-
do a, largura diesU boa fazenda o compri-
atento do lencol, seado preciso para cada
nm apenas le f/2 metros oo I e 4/4 pe-
eWBcba pelo preco.
loja do PavSo est constantemenl aberta, das 6 horas da manhfta as 9 da noute.
Cambraias brancas
Vonde-se um grande sortimento das me.
lhores cambraias tanto victorias como trans-
parentes tendo de 3i5dOO peca at a mais
fina que vem ao mercado.
ESPARTILHOS A 5*000.
Vende-se um bonito sortimento dos me-
lhores e mas modernos espartiihos tendo
do barato preco de 5000 at 8000.
CHITAS FINAS DE 3*0 A 600 R&
Vende-so o mais elegante sortimento das
mais modernas e bonitas chitas tanto mia-
das como gradas, com cores claras e es-
curas, dando-se de todas amostras.
FUSTOES BfUNCOS A 0, 800 E JJJOO.
Vende-se muito bonitos fnetees breante,
muito flexivel proprios para vestidos dn
senhoras e roupa para meninos e vende-sa
a 640, 800 a 140O rs. o covade.
Caaaaa a ra.
O Pava est aadeoaa bonitas cassas de
cares fixas a S46, a 6 rj. o vado.
^
V
\
J
aasnaamm
.""


Diario de Peruambuco Sexta fera 22 de Abril de 1870.
ift
Tfl1
- 'm.
.....
3C
m rita a zm*vA\\ trise \, ;
Esquina da ra da Aarra, em freHtedo aif Imperatriz.
N'esto novo o samptuoso estbalecimento de fazendas encontrarlo as Exmas.
familias tudo_ quaoto podara desejaf,lano emartigos domis rigoroso laxo, como em todas
u mais qualidades de fazendas,
Mva de se acbarem prvidos do quo do mellior so eoconlra neste mercado.
aor lodosos paquetes da Europa, recebem directamente o que em artigos de moda e
o mais adrado gosto so encontra em Paria, o que vem cada dia augmentar s propor-
f5es de qae mspoe este estabelecaaeuto para hem servir i sua numerosa fregueiia.
JUgedao largo para tences e toalhas do Gase com listras de seda e flores, fazen-
as as quaiiuaesque costama vir ao mer- da inteiramente nova para vestidos de baile.
*"TL .. a-^m _. Grvalas para sonaoras e bemens, o mais
A pacas de todos o padrees o qoaMda. completo sortimeto que se pode desejar.
es tao vanadas fue se So podera descrever. Guipure preto e branco, diversas laru-
Adoos com msicas para oellocar retratos, ras e diflerentes gostos.
encado presente para quakfuer pcssoa de Gollas e pnnbos bordados para senboras.
asoma.
AtoaHtdo de Wlw o algodSo,
4e cores proprios para toalhas.
Basjwnas de seda pretas e muito moder-
aas< bem como de crochet, lado de aperado
fosto e fritio.
Guardanapos do linho pequeos e gran-
branco e des.
Gorgurode seda preto ede cores.
Grosdenaptes preto ede cores, reven-
do diversas quididades e gostos.
Japoneses para seoh iras, meiher gos-
Balees de raniselma, madapolao, brancos lo, e fazwnda propra para as festas uos ar-
d cores, para senhora e meninas,
Bareges de ores variado sortimeto.
"Babadinhos ou tiras bordadas em todas as
cargaras.
Belbulina de todas as -cores.
Bolsas de tapete para viagem, grande
ariadade de tamaitos e gostos.
* HUlIMA*
nomde
Quaado a AGIA BRRNCA, mais precisa scintificar ao reap geral, e em particular a su boa freguesa, da immqnsidade de objetos quewltimamen-
tetem recelado, jusmentefquaodo olla menos o pode fazer a perqu essa falla invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de lodos que ih'a attenderao e relevarte
continuando portanto a dirigirem-se a bem coabecida leja da A GUIA BRANCA i roa do
Queimado n. 8, onde sempre acbarSo abundaocia em sortimeto de superioriflado em
qualidades, modicidade era preco e o sen nunca desmenilido AGRADO E S1NCER1DADE.
Do que cima fic dito se conheceqae o tempo de que a AGOTA BRANC\ pode
dispr, empregado apezar de seuswstosao desempeoho de bem servir a aqoeltes que a
horam procurando provase em dita loja do que wecessAam, entretanto sem ennume-
rar os objectos que por sua natureza sao mais ooabecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles coja importancia, elegancia e novidade os tornam recommendaveis, como
Bramante de linho-de II palmos de lar- riado sormenlo.
bi m seja
Gorpinhos de cambraia, primoresamente
enfeitados com filas de setim e obres essas
cuja novidade de molde e perfeico de ador-
nos 'S tornam apreciados.
Fitas mrri largas de diversas coros e qea-
tidades para cintos.
Leques uesse objecto omito se poderia
ura, e todas as mais qualidades.
Bretanfeas de linhe e algodSo, grande sor-
Ligas dseda, bordadas, para-senhera.
Lu vas #e Jouvin, chegadas por todos os va-
e que pttder de
rabaldes o passotos a tarde.
Laaiwnas de todas ai cualidades, cores
e gostos, nao Gcando nada a desejar, tal '
o soriimentoquc existe para escolher.
Lencos, ludo qnanto pode haver desde
esguio ao algodo commum.
Bombazkia preta de todas as qualidades. Leques de tnadreperola e osso, o mais va-S Leques UJ^ 0Djecw, mflll sc P808
r- riado sorawntn '"= > dizer querendo descreve-los mmuciosameoie
por suas qualidades, coree e desennos, tal
o grande e variado sortimeslto qne acaba
nento. pores, sompre novo sortimeto, quer em de chegar'TOas "" nSo m,,ssar prx;tc,>
Brins de linho brenco e de coros, do mais pellica para horneas e senhoras, quer era fio
eommodoao mais curo em qualidade, affisa- d'Escocia, braness e de cores,
pando o que ha do melhor na -especie. i :rr-j
Btrs d'algodio completo sortimente o Madapolao; indescriptivel o grande sor-
variedade e pre^js. Matedlo que ha nesle genero, desde o mais
QB elevado preco ao menor,-que se vende em
Gassas de .cores, o maior sortimeto, pri- p.-c e retalho por menos do que -em ou-
aaando pelo bom gosto e barateza, atientas iraqualquer parte.
a qualidades. Manas de blonde para -norias: o apurado
Cambraias brancas, tapadas, e transpiren- $osto dos nossos corn-spondentes em Paris
s de todas as qualidades o precos. babilita-nos a dizer que tomos em nosso
Camisinhasde cambraia -de linho e cassa estabelecimento o que de melhor se dese-
bordadas ricamente enfeitodos para Sras. ija para vestir e ornar ama noiva.
Camisas para horcens e meninos, -tSo va- Mantas pi-etas de blond.
fiado sortimeto que \ai do mais ordinario
taadapolSo ao mais perfetto bordada de li-
ie cambraia.
Camisas de meia, do flanella,
4e cores para hornera.
Casemiras pretas e de cores, o melhor
oue so pode imaginar, -sendo d'ioso a me-
ibor prova o grande censummo dellas ns
oficina da casa.
Capellas de flores, psra noivas e bailes,
desde a mais candida "flor de laraegeira at
mais iatewsoaute grioalda.
Chapelirtli.'s no meltoor gosto,'de todas ai
/lres boje preferidas pelas seahoras de
mais apurado rigor na moda.
Chapeos pretas de velludo, para senhoras,
ttmo goso de Parts.
Chapeos de sol, para s mhoras-a borneas,
de todos-es pre;ose variados gostos.
Chafy cora ricos padres para vestidos.
Chales de todas as qualidades, avultado
jumero o bo menos variedale de gostos,
Chitas, impossivel -descreverosortimen-
to e variedade de padres e novos gostos,
ta oeste artigt tudo quanto se pode desejar.
Ciatos para senhoras o que se pode ima-
,gaar de Mibar.
Coques, o melhor bo gosto e aos entei-
ses, varios tcmanhos.
Colchas de seda' com borlas, o mais apu-
rado g.sloe lavor.
Ditas de futSo braeco e de cores por
precos coowBodos.
Corpinhos de cambraia, ricamente borda-
dos para seaberas.
Cortinados de cambraia bordados e de
^l,o que de m-dhor se pode desejar.
Colariohos de linho bordados e lisos, o
aior sortimeto.
Damasco de ia de 9 ^Imos de largara
indas cores e ricos padrocs.
sa
Espu;';lhos brasas o de cores, para se-
^aoras e meninas,* o melhor nesie genero.;
tenhuma Sra. deiiar por eerto de muir
ae de tao precioso auxiliar perfeico de
omcorpo delicado.
ntremelos bordados.
Escomillia pr^ta.
Eflteii'-s pa caheca, ultima moda de
Pars, resabida no ultimo paquete.
Esguio de linho, completo sortimeto de
-todos os nmeros.
Fitas largas escocesas para citos, varie-
dade de gostos e lindos padroes.
Fi mus de crochet, moderaos com cintos
a capas, o que ha de melhor.
Fil de seda, linbo e algodo, de todos
s gostos e padrocs.
Fus trio de todas as cores e qualidades
grande sortimeto.
Fianella branca e de cores.
Flores, o que ha de mais rico, quer
brancas e; todos paerroes.
Mantas para carros, om lindas pinturas.
Merinos pretos, traficados e usos.
MusseliKa branca e de cores, lidos eva-
P
Pannos pretos e de cores, desde ornis
barato ao mais superior, por preco muito
c>mmode.
Pannos de erocliet, para cadeiras e sofs.
Ditas de caseraira muilo finos
mesa.
para
Peitos bordados de linho, lisos e de al-
godo para camisa.
Prmeelas pretas r ^ cores.
Popelina do seda e linho, com listras e
flores; fazenda lindsima.
Peiherinas para senhoras, do ultimo
gosto.
Perfumaras ; os mais finos extractos o
que de mullior e mais agradavel se pode
encontrar neste genero, e de mais fragante
e suave no olpbato, .tem o PAV1LI10 DA
AURORA, desde a verdadeira agua Flori-
da at o mais fino Bouquet d'Amour, fiual-
mente tudo quanto deve oceupar o louca-
dor de urna senhora de gosto.
Saias bordadas, brancas, lisas e de copes
com flbas e sem elles, o melbor possivel,
Sahidas de baile, te. todas as cores
Sedas pretas, de quadros, lavredas, lisas,
de Its'.ras de todas as cores e qualidades e
o mais barato possivel.
Sareelim da todas asres e qualidades.
Tapetes grandes, lindas pinturas para 8
cadeiras, mais pequeos e de todos os ta-
BMUhos desejaveis, e em pe?a para co-
vados.
Toalhas de iabyrinlbo, do maior-e mais
fino trabalho ao mais barato.
Toalhas de.linho e algodo de todos os
tamaitos, li-as e felpudas.
Tariatana brsnca com palmas e de cores,
fasenda muito noi-a, e gostos delicados pro-
pria para baile.
Vistuarios bordados de fusto brancos e
de cores para raeunos, de cambraia para
baptizados, o quede melhor tem vindo a
este mercado.
Vestidos -de la escoceza de 2 as,
novidade pelo padra, gosto e forma; ditos
de Lulio com barras de corea, e de cam-
braia de cores com 2 saias, tudo iateira
novidade, traxem es modellos juntos para
mostrar a forma de os fazer.
Veos de bloa-i para noivas e pretos para
loto.
Vestidos de blond para noivas : podemos
asseverar as nossas -Exmas, freguezas, que
somos os nicos em Pernambuco que pode-
mos offereeer ao Ilustrado publico, o mais
apurado gosto em semelbante materia, gra-
cas ao bom gosto do nosso fomecedor tm
aftas, qaerem ramos, temoPAVlLHAO Paris, podemos garantir que maguera neste
DI AURORA um permanente jardim a' genero o possae melhor, nem mais em
disposicSo das Exmas. familias. I conta.
E' dispondo d to grande e variado .-ortimento que oj proprietarios do PA-
HLHAO DA AUROBA se apresentam ao puWico declarando desde j que a siocerida-
de e o bom gostoo movel nico de seas negnos.
Prvidos de tudo e proraptos sempre a prover-se do que por ventura lhe
teja necessario, os proprietarios deste sumptuoso estabelecimento recommendam-se
era reeeio de serem cootradictos e protesam esforoar-se por continuar a merecer
protegi que se ihes tem dispensado ; certas de que do seu estabelecimento nao sabira
o freguez deacoatente.
Contina sempre a offieioa de alfaiate dirigida por um dos mais habis artis-
tas, prompto eaecutar com promptidao e bom gosto quaiquer trabalho que lhe seja
soafiado. Urna modista especialment oceupada nos b*abalbos do PAVILIIAO Di AU-
iDRA, dirige os que lhe sao aooeerneatee, garante por seu apurado gosto e promptidao
M xeoBCao e a maw compleu ,perfeicio nos seus trabalhos.
A numerosa fregnezia que no honra urna prava de que merecemos o oan-
tofloe m mspena ao nosso esUbeleciaienlo, conceito que procuraremos firmar-cada
re mais. Para facilitar ainda a concecooo do fina que nos propomos,'lomos do nosst
sUbalecimanto os ltimos figorinos de Paris, que recebemos por todos os paquetes, es
qaaes enviaremos para seres mos as familias nossas Tregoesaa, afim de esColherem,
ym o padrao da fsuenda o gasto na forma.
Na emana da alfaiate, jonto ao estabeleoimeoip ba jgoalraenle os fitorinos
pira bomens qoe por todos os vapores ae reeebem.
E' etoo modoporqne nos apreseQtamos pedkKto aproiecoaodo Hastrado
pabso e coa o mais profundo respeito convidamos s exc3lLentissuaas Sras. a vsi-
dente se lhe apresentar
melhor.
Entremeios em pecas da 12 tiras.
Guipure branoo e preto de diversas qua-
lidades e desenbos.
Artos de algodo com-dores e usos.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimeirto de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande constante sortimeto da dita,
senpre melbor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e finsel,
Caarhas com ditos aromticos.
Bomtos e modernos pentes ourados
para circular o coqpe.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos brincos de madreperolr.
Canrvetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para balo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, aeJ
<5uaes sao movidas por nm macbinisrji
Veos de seda para diapefinas e monta-|UDI1?S sueslitnem as outras.
iu. } vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
na.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de fio-de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completes para bsptisados.
Touquinfcas de fil5 sapatiabos bordados
9 meis para ditos.
Camisiobas bordadas para ditos.
pedras.
Ditas de madeira enveroisaa com Vspe-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquerio de
criancas.
Diversos objectos de porcelana, proprios
para enfeites de mesa e de lapinhas.
SdRTIMTO COMPLETO
ARlIAJEiHVS
>{0S GRANDES
DE SKOS
UOIFI AIHfS
CONSERVATIVO
N. 23Largo do Ter^o.N. 23.
DE
S1MA0 DOS SANTOS ft C.
PROGRESSO
10 Pat o da1 Penha IQ
DE
SALTOS & FIRRE1B.
Os proprietarios destes bem sorlidos amiaztns participam aos seus innamerc
fregueies tanto desta praca como do mallo'que teudo foito grande diminuico de pre-j
eos as suas mercaduras estao p<>r isso resolvidos a vende-- por meno* da 10 e 20 %A
IiOafA
M>
GALLO VIGILANTE
fu do Crespo n. 1
Os proprietarios oeste bem contiendo estabele-
cneate, alm dos muilos objectos que tinham ex-
postos a apreciai'o do respeiUvel publico, man-
daran Vir e acabam d receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimeto d<
rias e mu delicadas especialidades, as quaes es-
ti rosohridos a vender, como de seu costume.
por precos muito baratinhos e coramodos para to-
dos, com tanto que o Galla....
Mntto superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e* de mii lindas cores.
Mu bols e bonitas golliuhas e punhos para se-
nhora, Baste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Liados e riquissiraos enfeites para cabecas da-
Exaws. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sem elles; esta faaenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola.
marnm, samlalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenos, e estes pretos.
Muito superiores metas no de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre 9e venderam por 30J000
a dnzia, oolretanto que ns as vendemos por 10/,
aim etas, temos -tembem grande sortimeto de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas' bengalas de superior canna da India e
casto de ruarfim com lindas e encantadoras figu-
ras da mesroo, neste genero o que de melhor s
pede desejar; alm deslas temos tambem grand<
nantidade de oairas qualidades, como sejam, ma
deira, balei*, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segarar as uieias.
Boas tncias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navslhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba ; sao muilo hoas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
ben asseguramws sua qualidade e delicadeza.
lndas e beilus capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox
tinha muito boa de peso, frouxa, para encher
l*.'iyrintho.
Bons baraliof de cartas para voltarete, assim
i^mo os ten3s para o mesmo im.
Grande e Taado sortimeto das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE OER.
Electrices magnticos contra as convuisSes, e
facilitara -a denti^ao das innocente* criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, continuamos a recebe-los por todos os
rapore*, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo'J tom acontecido, assim pois poderao aquel
les qno hiles precisarem, vir ao deposito do gat.
vigifante, aonde sempre encontrarao destes verda-
daros callares, e os quaes attendendo-se aoanm
aone sao applicados, se venderao com um'niui
minut3 lucro.
Rogamos, pois, aviste dos objectos que deixamos
("leclaraos, aos nossos freguezes e amigos a viren)
cwoprar por precos muito razoaveis loja do gallu
guante, ra do Crespo n. 7.
S
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredifc-
da faia-ica de Bisquit Duboucb A C, en
oagnac urna das quo mais agurdente d<
gnac, fornecem para o coosummo d.
fteino da Inglaterra.
Veade-se em casa de Th. Just. roa d.
commercio n. 32.
ceSetF-
O verdadeiro portland. S se vende n
rea da Madre de Deus n. 22, armazem d
Eua do Queimado n. 31
^ >
O Ex'ellfmes O brMcoe e iin-ios, pelo 1nrati8iino H-1
6. preco e WjOCO. O-
O "^
-i Loja de Antonio de Moura Rolim O
-a &a i
Rita do Queimado n. 31
Grxude srnairai de I tica un
na da liwpe alriz n.
Neste grande arniM'io vi^nde-e l"uca maleza
finas e ordinarias, apparelh- s de porcelana para
jamar e para cha. Jarros para flores os mais boni-
tos e de gustos modernos; assim como grande
ortimento de vidrns finos c ordinarios, qoe tudo
se vender tanto retalho como por atacado pelo
mais barato pre<;>> que cm outra pualqner parte :
chamamos a aircnco des frepoezt-s, que serio
'onwnientemente -frvidos- tanto nos e precos como na koa .-u.-ilidadeilas fazenda*.
Vende-se urna ca-.a torre em cHo* proprio*
na fregnezia de S. Jos : na ra de Hurlas n. 30
sedii quem vend:.
Farinha nova
de mandioca ult mmenle cliepada. vende-se a bor-
do do bfigue efOD Mentor fundiado entre o cas
do Ramos e trppiche Batirlo do l ivrnitenlo a ira
lar enm o capitfio n bordo e com Bernardo Jos
de Araujo, no armazem do Annes dffronte da al-
raodega.
Btinc s v alfinetoe tV [mpW, obra delicada e
vista pela pnmeira vez res'a cidade, feitos por nm
enrise ; vende-e a l'CO a pec,a : na loja da
gata Nigra. roa rio Calua n. 8.
IfOOOothairoT
Chapeos e liriin bmrn para os baialboo pa-
trioti.-o.n: na praca .da lodei endeneia-ns. 23, S5,
li e 16 ca loja de Jos l'.iiucno.
Venda-se por um cont e s< i-crnto'mil reis,
nm preto de 22 annos de iriade. (xeellente para
rota: tratar na rui da Iinppralri n.. 13.
Vende-so um cabriolel americano em per-
feito esiado de di us e i|U tro acento-, tr-nd'i quatro
n.das novas e mais quatro de sobrenlpnle m
langa e arreios para nm e dous eavallos : tra-
tar na ma do Imperador coxeira n. io.
Vndese ou aiuga-se aw caallo rTm an-
dad, r, prouiio para os amante- d>s t stejos pa-
triticos ; portanto quem pretiider, dirij:i-sp ao
armazem n. .10 do caes do Ramo?, que a:har
com quem tratar.
Vende--e urna'negrmha de idade de 12 an-
nos. pr"pria para and^r emn crianca. e con pra-
se una negra de meia idade que saibn ci-zirdiar e
engoinmar: na ra do General Victorino (ai/liga
ra do Sebo) n. 29.
do que-CiL ou ra quaiquer parte, garantindo-se portante a s p rior qua idade de quai-
quer genero comprado /estes dous eslabelecimentos. Mencionamos alguns dos uossms-
generos e a vista destes sso compreliendidos os otros, porque onadonbo aeria mea-
cina-los.
3 eordeiro previdenti
Koa do laciniado n. 18.
So finas, e outros objectos.
Alia do completo sortimeto de pert
aarias, de que Efectivamente est provida
oja do.Cordeiro Previdente, ella acaba o
recebar um outro sortimeto que se tort
otave! pela variedade de objectos, superior
Ha, 380 rs; a garrafa c 560 o l'lro.
Azeite doce de Lisboa a 900 e ifi'Xib*
garrafa em porc3ofaz-S3 grande abatime-
to.
Vinagro branco mandado vir por conta
propra viudo de Lisboa, a -320 a garrafa e
480 o biru.
dem tinto Figueira, Lisboa e Porto a
320,280, 240 e 2tO rs. a garrafa c 4M) 300
r. o litro.
Vinho Figueira, Lisboa, Parto c streito,,
a-S60, 500 i80 e 400 a garrafa litro a6iOlbri0 kilogummo 480. 540 e 600, e
760, 720 e <00. j 70GOO, 7*5f-0 e 8)5800 arroba.
Vinho branco puro de Lisboa a 60 m'< mboa'P'*13 20 rs- a ''bra e 440 o ki
a garrafa, em porcaa ba abatimento. 'gramma e 5^00 a arroba, em por^o ha
Vinho do Porto, engarrafado das melho- abatinaento.
res e mais acretadas marcas a iQ8G e f #200' -Q,,<1,os fresoos do aUm0 v?Por a 30
lade, qualidades e commoddades de pr*
M)s; aBsim, pois, oCordeiro Previdente pee
i espera continuar a merecer a apreciaci
io reepeitavel publico em geral e de &z
Soa frepiezia em partiealar, nao se afa.
ando elle de sua bem conhecida mansidl
barateM. Em dita loja encontrarn o
tpraeiadores do bom:
Agua divina de Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman
Dita de aeza, todas-dos mehores e mais acreditad!
Cafe emearoco a 220, 240 e 2 0. ;> h aricantes.
Se alguem duvidar venha ven
Gaz americ no marca Devcs a 8(5800 a
ESGRAVOS FGIDOS.
Fiiii'i do ergPiilifrBrw-m/i. na comarca de
Cama ra gibe e provincia das Alago?, o esrravo
Nicolao, idade 34 ;.nno?, altura regular, gr> tto do
corpo, Mwtr banzeiro, ti-m fa'ta de dente? na
fronie, m-to largo, barbado, coslnn a a- Wiw fa-
?er toda a barba, e tem urna-eicnrriz na testa, e
os pes grossos ; psIp escra o anda fg(ln desde e
dia 16 de Janeiro do corrente anne. : roca-^e por
tanto as autoridades potteiaes e no capitaes de
campo a prisao deste escrav c o rnircgar no en-
g^nho acuna mencnnsdo. nn nc^ta praca a ra
do Vigario n. 12. ou Iravessa do Corpo Sar" > n.
2o. primeiro andar, que se gratificar generosa-
mente.
Fncio do>engnnho Camftr8pihc na frppnezi
de Serinhaem pertencenlcs a Gaspr.r Mauricit
Wanderley os escravos segiiMrs : Samuel rriou-
lo baixo. toco, narir rtlWO, Viz ser da fiwtl por
ler sido comprad pi'quenn, Jf.o ('.aboclo de Ida-
de trite e lanos annos, p0- ctoated. vi acre-
bitadas, estatura ba>xa, rtr feixada. pi oca b'-rha
e esta na ponf.i do qt.'ix', Felippe mn'ai" de ida-
de de ?(> annos poner rf.'.is i>n nien >s, baixo. g'i.s
so. wni defeito alpiitn, isvfl b"c?rs em pennen^ po-
rta paveo pparece; yt/e iss> ** se as aunri-
dades poiici;.e< t capftaen de e^^mp a captura dos
me-iinos e lvalos no mesmo en genho cu na ra
da Mec-da n/.'. andsr pscripfr, rio de Manoc-1 AK
ves Ferrpfra St l, nm- ^n gnu irWi*.
Fugio do cow'-rriio Minh, c7, "da eon,area"X.
Sanio nlao, no da 20 dejnnho o eseravo de nome Fiancelino, ret femt$ b, "r
annos preti ba.xo, corpo re/orgado, cara larga, bt,nte
barbado olhs pequeos, n:,riz moi( arlado hoc
ca regular, denlos curtos e limados, mm'io oVo.ic"
te e andar apresado ; consta andar pelos bar-
bio? da ciifade de Olinda, cnpenho F:a bom & n
ja, Betierilie ou Apipaeos, acontado jwr Jnaoim
JoscdoSartAnna. sen irm5o liberto. nual f,m
ora snae?mpanhia urna cab. clh:. e Wnos da nos
ma, e por outro irmo de rime Jotf b e h rm
o con,! o ira para os Jugares cima fcii.di.-.-. l!"
alera de um nutro soo de nome J.,< detonas
da Silva, concedo por hf Pajeo, por ur vindo
dacnella comarca. Roga-so s autoridad,,
pitos de campo que o appnMiendam e
rna do Rangel n. 17, ou no engenho Minli..-,,
entregar a eu senhor J,.ao Correia de Qw Jl
Monturo. qno ser?o generosamente grpfinVsd .
e ca-
o leven
unid.o nosso estabelefiimeoto, cartas de eiKorrtrarem nellc.polo menor preco possive-
< yu podomaesijar,
Mandaremos caixeiros levar as fajeadas eamostras oh
Hojodermo, especificar ludo quanto temos. .^ ^^
Alerta das 9 s 9 horas da nott.
I^OO e U a garrafa.
dem BordeauE, Medoc e St. Juiien a
7^500 e 6^500, a duzia e 640 rs. 'garafa.
Genebra de Hall 'rtds e laranja doce aro-
mtica a 6500,7& tla^OO, afraMjuein.
Serveja Bas3, IHers Bdl a SjJ800 du-
zia em poreo ba rande abalimento.
dem m.rea Hef e oatras taarcas a
5;>300 e H, a duzia e 300 ra. agarrafa.
Assim como ba outros muilos
e :15'.00 cada Km.
abtimento.
Sabo ma^sa de i* e 2a qualidade a 220
e 240 rs. a libra ata caixa ba abatimenlo
Toucinho de Lisboa muito alto 400 rs.
a libra e 880 o ki ogrammo, em arroba ba
grande differeoca.
gneros, vinho em aucoretas, azeitODas,
Dita de Sor de larangeiraa.
Dita dos Ipes, e vilete para toilet.
Elixir odaatalgico para conseracao i
sacio da bocea.
Cosmetiquee de superior qualidade e che
as agradareis.
patata e figos, charuto finos de diversas ajarcas, marmelada, bolach.nbas e toas as
-qaalid-.4ies. parola, Francy-cracToeLa, b, c, Mdium, mixed, soda Fancy-nic-aac, mt-
tacd de V.r,eiees,combiaation, BriUbia, doce #e goiaba fina, ehouricas, maotatoit finas
franceza e logleaa. benha do BaWmor, pliosphoros de Sycorvt, Cognac, cha de diVer
Mi qualidades, Oanella, pimeota do reino, ervtdoee, pomada, enxofre, breo, peixe
em latas de todas as ,qualidadas, farinba de milito americana, grandes molbos de se bol-
las, nestes dous armazens existe tambem grande sortimeoto de-loucas pronras para flfr
go. io, qoe pelos seus commridos. preco faz vantagem aos compradores.
VENDE-SE ou arrenda-e o tgennt
S. Gaspar, silo na freguezia d Serinhem
comarca do Rio Formoso, prximo d m
barqne, com grandes partidos de pal <
massap roda da moenda, maltes mangue
para madeira necessaria, boin pasto, etc.:
a tratar na ra d'Aarra n. 26, u na d<
imtwradnr n. 20.
** apate* ae borracha
A UOOO.
45
TrtrM-
,?fra^Snn"s e^rapazes que calcero at'3^1: a
roaDlrpta ri." 45.
FILULAS, ViimO. X
fik DE pl
Superior i Mf os tnicos conhecidos eonrn'i
*em?, citase, tvjl#rdpt?a, dWh-neNW-drab.
lV^5n'|fHtaIbemmpr*,'h,,0'*>!, MB+enim-
truacao dfflcil nm catharros dabexiga, ett
Ra larjw do RosaFio n. 10
Junto k qartel do corvo Ae pac
:. _. (Oatr ora ma d s Quarteis)
das
aguas de Vichy como sejam .
Ago 'SoureB Cutamos.'
-di* Ikaidiivo.
na Cnateldon etc etc.
Saes de Vichs para banuos.
M*iwft^c% mm, i^,'p^'jjM*Cb>lmsi
to em conta, em casa de TMtr1KrB-,-ifaa dVfflStt
mercio n. 9.
tara
u-
\^\ \m
cognac auparior, e
Vende-se ama bur
cabriolet ou sella : a tratar
mero U(.
Copos e iatae, maiores e menores, coi
Aletcia, macarelo, talharim a 300 rs. ai0^" ^!i^tf^ ^
SEL!* ^..cgrammoemcaixaoba. a 0P^^datl,aP0DeZa'traD9pareDi
Finos extractos inglezes, americano
franeezes em frascos simples e enfeitados.
Essetmia imperial 4o fino e agradavel ch*
co de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igasi
mente finas e agradavaie.
Oleo pkilocme verdadeiro.
Extracto d'aleo do superior quafidad-
iom escomidos cnieiros, em frascos de difi'
-entes tamanhos. .*
Sabanetos em barras, maiores e menor*
oara maoa.
Ditos transparentes, redoados e em figt
ras de meninos.
Ditos mente finos em caijanoa para barb;
Caixinhas com bouitos sabonees imitan o
Cractas. ^^
Ditas de madeira intemisada contendb i
aas perfojharias, muit proprias para Dr>
?entes. *
Ditas de papeilo igualmente bonitai, tai
nem de perfumaras filias.
Bonitos vasos de metal coloridos, e
moldes nevos eelegantes, com pode arre
t boneoa.
Opiata ingiera e franceza para denlei.
Pos de camphora e outras difierenii
pulidades tambem para dentes.
Teaico oriental de Ketap.
Aluda mais caries.
Um outrO sortimeto da coquea da n<
da a bonittfl'moldea com filete de vidri*
a tjuna d'eUea- ornados de florea a fitat
nato todos apostes aprciatjSo de oui
wjwetendB ccnMtar.
GDLLINHAST) PINH08 BORBADOS.
Obras de teuitegaato a^rfeifaD.
livellasfltaaipara !:}.
Bello a variado sortmanto detaat bbjtt
", ficando a boa escolba ao gosto do eat
flor.
100^ de gratificaco
Forlaram do engenho Arand de a xo d. ter-
mo de Santo Anlao. 3 chv.H,,, na nou.e de 6 pa-
ra 7 do correnta os quaes tem os signaei ?,-cUin
io
Venda de lampeoes
p ra illumioaqo.
5a loja'de funileiro de Antonio Moreira rinta.
n travsssa da1 rtrjt do Vigarto n. 3, tropaV''vK
der 300 a 400 lartees profflptos, milito e'edno-
mieo por serem-pirra gaz liquido, e dio excellem
te luz: elles antes que se acabem, tensores ea-
earregados de nibroinai;8es, aue sao baratos.
Me2 de Mara
Crnicos e hymaos devoto para ornee
de 'Mara.
LVn-sMM vdlntt eneadernadd ffe coro-
rlfliO.
De marEomjim doorado
IlOBaR^A' FRAN-.BZA.
vinho forkm
om
F
St. E^fcpfae &St JaMet: ia ra da GadeJt1
fecife nnraert 5., u^ ^^^ ^
eicPta*W)dO*'pir*rmiIfa deba.to m
sendtya^rrtiadaTpr rr^tre t8i'
SOH&e '*A?wfat*A*. ***** y^mmu
oiiiiftaTora. qnarto para bnho, ca
rom',nmll'in.h0.olKr' "*5 DBlr'*>. MIW*I
com uma eslrelhnba na testa e com a tetra C .
cad^ nn a das ancas.
JL'SlS'tZSFSt 'a#,ra'10' bom c rpo, noirido,
tora igual frrrn. lab bem sobre as an.-as '
Hn ,rf. |M^d"' ,neiro- cadn vrrnielho 8"T-
dii, crinas preia, curto, bom corpo. com o 'mPS.
mo ferro dos ontms mas s.bre os dous J, ,4
em vez de ser n,s at-cas, o andador baix '
Uuf m os pegar e trouxer ao abaixn pn^o
pnr ada om, e se prender o fldrao e o eniresar
a a.itundade competente ter mais graS
de cem nul res. "" m
Arand de baixo 7 de abril de 1870
Ambrosio Machado da C. Cavalcanti.
i meema casa com seu proprielario lote Ifvaiu
)Wrtffo< ^.fdMfcoiub- .......... o..,.y..
la
Fngio da casadarna de Santo Amaro
n 2, no da 3" de marco do ^rranie ann
o preto ciioulo de nimb J.*| idMe de 30
aoD s pouco mais oo n tam, com ns tmutn
setuintet: baixo, cheio do cupo, p,,ura
barba, rosto cm marca de bniga,. ,,
dedo de menos na roa direila. o anal f
escrevodoSr. Anlonio Climam Moreira
Temporal, e jolga^e ataitttr n'nma das
quatro Ireguezia da cidade. Rnjra-s. n.is
s aatnridades comrejemes e partioolarf s o
obsequio de apprphfhderem e Ipva-i. i mt
do Crepo n. 5 qoe-getterosamente se com-
pensar.
---------'? \- 'W1' i'. ''j'lfi'i1
n~A :< 'P,do" ervo ^-hilemon M9 fj a0
Dr. Tillo Honorio, pirtfVr elaro de 18 ai>n ,te
idade, estatrft* reg6lKrv soecaido oerp. rosto rt-
Mido o com uma pequea e amiga sirattit pa< lin-
do do nariz, silua ,cm fl9.para, camisa e a-
queja branca, e cWpeo redondo e baixo d^ alro-
ta preta. Suppi -se qoe anda pelo hairr da
Boa-vlhBaarMBaldaaiOondetim'nd via> B.,-
"*" seA*5' ?8 "'jUy'dlf^Wfilitli, o* a quai-
quer particular o favor de o prenler e k.|o a
,de AplpWc*;rt MU VSHteHa-so.j B. 3f
eecrintofiij.-wde'se tfcirt a |ffafi(teacio ie c-i
roentamrers.^.^ ft ,,
OBM
POMlMlD.
do armazem ainarello de
Corta Filho, defrente do arco
gTumo o paee, reiroz preto wperior. 1 efticlo, tai bameas fraaai.
i esc
l'om o]
OH
ula ae ser
d4oMm*>.Mo
mi
Ss de camp-
es que o Irag^m ma
fCDsroitmente gruntt.
reita u

\
I


.0181
Diario de
rernainbupd -=- .Sexta fer 22
u X*
LPTERATRI
'
VM BBAOO SCIENWICO CONTRA OS l'ALSOS
l'EXSAMENTOS DA J&A ANTI-VACCINISTA, 1IE-
OSMnWflI OftGANlSADA MM ILHAS HIU-
TA.NNICAS, l'ELO OT. A*E*ICO AJ.VAr.S GUI-
MARAES.
/ dtirtiefifireconnnH
que je eroii itrl la rerii*
leul mtifpluine. >
:9irp ola"
Anda be ponen; occopando as colrtmnns
i!a imprensa, mostwi com o cnlhusiasmo,
que deve sempre cercar as phrases da es-
i- ptor. a via progressiva era que desass ira-
brada e rme marcha a humanidade pira a
Ma perfeigSo, adrede tratando da applica-
<;5o das leis -hydraalicas confeccSo de di-
versas obras gigantescas, que uestes ltimos
lempos so ha levado ao embalo da rcal-
dade.
Hoja, porm, tendo entre naos alguns
impressos. relativamente urna inconve-
niente e inhabilitada assocaco, que infeliz-
mente apresenta-so em Inglaterra, com o
lira, ficticio sera, duvida, de desvirtuar as
assaz notorias e benficas propriedades pro-
phylacticas da vaccioa, sanccionadas priori
e posteriri pelas sciencias medicas; de
increpar ^sse humor bovino qnaldades
sobremaneira perniciosas;n5o pofso, ab-
solutamente furtar-me, como sacerdote da
medicina, que muilo prza a humanidade, c
como grande e irreconciliavel inimigo de em-
bustes^ pedantismo, e embelecos de torpe
charlatanismo, e sem ferir a essen:iada-
quellas Biabas assercoes, 6 d'aqui, desle
canto do continente de Colombo, que nao
tardar muito representar no globo o
mesmo papel, que presentemente exhibe a
culta e decrepita Europa, lanfar om grave
brado de reprovacSo, manifestar nm solem-
ne protesto contra essas ideas oucas, estul-
tas, originadas sem duvida da maledicencia
ou crassa ignorancia de certas caberas pes-
simistas, de cerlos espiritos fracos, que
aproveitando-se da fcil credulidade e falta
de luzes de numerosa classe d'um povo,
excitara sua passividade, despertam-lhe suas
baixas acces, desenvolvem-lhe acres celeu
mas, contra ordens, contra leis do seu po
tente goveroo, que longe de serem adver-
sas seu bem-estar, s3o, pelo contrario,
utissimas seu magno desidertum, sua
sade.
0'grande Times, o Morning-Herald, e
muitos outros peridicos importantes da.|
Gra-Bretanha, occupam-se na actualidade
dessa questao, de feito grave, porque con-
cerne salubridade publica, ura dos mais
transcendentes assumptos, que certamente
devem captar a mais seria e accurada alten-
Cao das naces civilisadas. Aununciam
elles, que em Vetryhall, Brancorf, reunira-
se noite tima numerosa assembla, para
significar formal e raanifesta reprovae,o
lei obrigatoria da vaccina, e patentear as
desvantagens da inoculaco desse humor;
e que tivra por presidente o capito Camp-
bell, por secretario Sleplens, como adjuntos
HdmundBeales, B. Gibbs" e Haines, c por
oradores os Drs. Pearce e Collins, assistn-
do-a um auditorio de militares de pessoas
de ambos os sexos; isto urna assembla
constituida em mor parte por individuos n5o
profissionaes, leigos, baldos inteiramente
de oocoes medicas, e armados nicamente
d'umi resolufao to audaz, quo criminosa,
e onde apenas se mostraram dous mdicos,
que devem por certo ser averbados de sus-
jeitos, visto estarem sem duvida eivados de
evidente raalignidade, atados ao poste
d'um tenaz scepticismo, e surdos aos sa-
lares axiomas do doulo Hufeland, ao co-
<:igo dos deveres do medico para com a so-
eiedade.
Os membros constituintes dessa alludida
issembia, compatriotas todas do immortal
Jenner, audiciosa e publicamente, nao rae-
dindo o perfeito alcaace da nocividade, que
;am ao pub ico essas suas inconvenientes
e infundadas assercoes, no proprio berco
da vaccina, onde ha dtizenove lustros
aqaelte egregio here erigi to humanitario
monumento, ora se crguem para asseverar,
proclamar posto que falsamente, qae a
'accina (cow-pox) nao preserva das varilas
'bexigas) os entes humanos, e que antes as
pessoas vaccinadas, nao cando assim im-
munes dessa affecco, podem ser presas de
molestias mortferas, adquiridas por princi-
pios mrbidos por ella acarretados ao orga-
nismo, u originadas da nocividade ou per-
uiciosidade daquelle producto mrbido bo-
vino. Alera disso affirmam, que o predito
humor, de que servio-se Jenner, n3o foi ex-
trahida-pjimiuivamftnle do -pa 4o cm-pe(
isto 6, d-is l ,^a affecfSo eruptiva,
que apparte -as' Jetas das vaccas, e que
muilo simulam s pstulas varilicas no ho-
rnera ; mas slnMda^raa-a eBvvjda'etn tu
mores, que se iiotam nas pernal |a Mallo,
afielado de i.uberculps pnjmonares, e
que elles chamaragabarro.
Para corroborare m a primeira dessas
smis absurdas assercoes", isto a falsa im-
nninidad'""da vacciaa, respectivamente s
varilas, exhibe-mellas alguns fados, e (Ten-
Ir* estos os doos seguintes, que pisso
presentar,' conforme suas proprias palavras
icxtuaes : O Dr. Woodvillc, que era gran-
de n'dvog ido da vaccina, succumbto na idade
de o3 anuos um ataque de* bexigas, em
1805, 5o obstante ha ver sido vaccinado,
anles que o pqz, como dizem acontecer
agora, es!i*se deteriorado com a trans-
misso por auilos corp s humanos. Diz-se
que as bexigas eslo extinclas na Escossia,
e entretanto S. A. R. o principe Arthur apa-
nhou alli a doeiica. N5o pode haver duvi-
da, de que o lilho da rainha foi perfeitameo-
te vaccinado, e nao obstante leve as bexi-
gas com tanta vio encia, que foram precisos
n3o mcBos de tres mdicos para tratar
delle. >
Como provas do segando desses produc-
tos de gnorancia, ou scepticismo pernicioso,
mais pernicioso sem duvida que as proprias
molestias, que dizem elles originar-se da
ino:uiag3o vacciniea, mostrarao desenvol-
vimento espantoso da phtysica pulmonar, a
frequencia de epidemias de cholera-morbus
asitica, o abaixaraento da escala de vitali-
dade, etc.
Quanto terceira quesl3o, assim expr-
mem-se para atiesta-la. Que o humor
vaccinieo foi extrahido por Jenner da graxa
produzida por urna molestia pulmonar da
raca ca vallar, o que o proprio Jenner em-
bebeu trapos velhos no puz do gabarro, e
com elle fez a nocu!ac3o, havendoosta sido
a fonle original do puz vaccinieo, que nunca
foi tirado naturalmente da vacca, mas sim
transmitido esla, depois deextrahidjdo
cvalo.
Ora, todo este consorcio de disparates,
de ideas infundadas, de desal'rabavadas ex-
pressbes, e de palavras sem sentido defin
tivo, filhas de ca befas frias de senso, d'ondc
espavoridas correm a sciencia e consciencia,
e onde s podem aninhar-fe a supersticSo
e necidade, ou entao um tenebroso scepti-
cismo, para as pessoas que infelizmente
desconhecem a vasta e profunda sciencia do
memoravel medico de Cs, parecer iadubi-
tavelmiiiie um lindo thyrso de verdades,
provindas /e lmpidos mananciaes, entregue
por esses tantos verdadeiros apostlos
sahaguadar suas preciosas sades da prati-
ca de certas doutrinas, que Ibes estavam
minar a existencia.
Engao i Engao fatal!
uviroque
lerdadeira
humor do
b inglez, de
grande phi-
da humanidad
nic'nidaae dos ^he me
attencao" par^^i-
FOLHETIM
OS DRAMAS DA ALDEIA
POR
Ponson du Terrail
(ConlinuacSo do n. 87.)
XI
Rouziaol, por alcunba o Esquilo, era um
desses horneas baixos, magros e muscu-
losos que sob urna apparencia mesquinha
oceultam forca herclea.
Desembaracado e lesto, quasi to destro
na corridacomo o Mulot, gosava de m re-
pataco por todos aquellos sitios.
Estivera preso um auno por ladro e nas
aldeias ha menos indulgencia do que nas
cidades para com aquelles a quem a lei in-
fligi os seos rigores.
Rouxiool era calador furtivo e viva s
r.'uma choca, obra sua, situada na orla da
floresta, sobre um pequeo canto de terre-
i.o que comprara por baixo preco.
A sua profisso ostensiva era de Tacha-
dor de lenba.
Tomava de empreitada o corte e carre-
ga;3o de um lote de madeira comprado na
floresta, e ganhava os seus vate a trinia
sidos diarios.
O seo modo-de vida oceulto era cacar nas
contadas dsfezs.
Era raro achar-se em casa depois de
anouteeor. Passava as noutes a cacar
espera. .
Como os gendarmes Ihe tinhara dado em
casa varias buseas, nanea ali guardava a
espingarda, os lacos ou a caca.
A maceira dos selvagens do Orenoque,
jue falla Cooper, estabelecera o sen de-
posito em differeotei locaes da floresta so-
bre arvores s a elle accessivei.
Os lacos de reserva tioha-os guardados
avidade de um vidoeiro ; a espiogrda
ndia-a nos ramos de ama- arvore bem
cercada de folhagem e a cas* qae autava
oceultava-a igualmente.
Todos esses desconceituados discursos,'
todos esses sedicos escriptos, que por ah
correm impressos, infestam as popu!ac5es,
e sao divulgados por essa meia duzia de es-
peculadores sem sciencia e nem litteratura,
por esses pescadores d'aguas turvas, n3o
constiluem o entretanto, mais, que urna
corrupta rede traicoeiramente estendida
para sugar a seiva de povos incautos e que
pouco pesam ainda as espertezas deste
mundo. Elles nao constituem mais para o
areopago medico, nico capaz e habilitado &
perfeitamente aquilatados e julga-los, que
um sujo auto de expressbes sem coheren-
cia, totalmente heterodoxas, sera autorida-
de, despidas do menor vislumbre scientifi-
co, e que s servem d'um trislissimo e ig-
nominioso documento contra essas alrophia-
das inlellipencias, que os forgicaram, contra
esses acanhados cerebros, que os empre-
henderam.
Desejam elles com semelhante embroglio
de arguicoes, prenhes de ignorancia e fal-
sidade; desejam elles com tSo rude picar-
ta, destruir o solido e collossal monumento
de Jenner:creio, porm, que 13o ruins
obreiros, tao ineptos operarios jamis o
conseguiro.
Entretanto, consco estou de que tudo
isto deve effectivaraente traduzirurna des-
communal e criminosa onsadia dessa grei de
embusteiros, atirada ante os olhos da Ilus-
trada Europa, e especialmente da immensa
e populosa Londres, onde pullulam intelli-
gencias robustsimas, e onde est3o no apo-
geo ds seu primor as sciencias, industrias e
arles;ura cabal acervo de injurias, irro-
gadas insolentemente face do mundo pen-
sante, que estar sempre inabalavel em jul-
gar quenao sao semelhantes assercoes im-
Quando Saurn apparecea assassiaido,
havia algara lempo que Rouxinol deixra de
cafar com espingarda.
Estava-se em fins de novembro ; abun-
davam as gallimolas e Rouxinol entendia-se
raaravilhosamenle com a armafodas buizes
nos lugares hmidos por aquellas frecuen-
tados.
Havia mais de quinze das que a espin-
garda de Rouxiool nao funecionava nem
mesmo elle se dra ao trabalho de ir por
aquelle siti) onde ella estava escondida.
Quem, pois, se servir d'aquella arma
para matar Saurn ?
Eis o que ninguem poda explicar com
verdade.
O que facto que o chefe dos gendar-
mes sabio da Raposeira com destino a pren-
der Rouxinol.
A cabana era situada a dnas leguas da
Raposeira, na communa de Ingranne, que,
como dissemos, era urna povoacao de caca-
dores furtivos ; esta gente nio se limitava a
exterminar a ca?a Dor todos os modos, se
nao tambem que raatava os ces dos carda-
dores, proprietarios das viz'rahancas.
Rouxinol, que era visto com repugnan-
cia pela gente das outras a deias, era esti-
mado pela de Ingranne.
Cada qual pacha para os seas, mas como
igualmente diz o adagio que ninguem tem a
propriedade do dinhelro, sto, de agra-
dar a todos, tambem Rouxiool tinha um
nimigo na sua classe, um vadio chamado
Fernando, por alcunba o Mita-ces. Esta
tinbainveja de Rouxinol, porqae c compra-
dor de caca de Pay aux-Loges lhe paga va
peior a sua do que a d'elle.
6 gendarme, iirigindo-se cabana de
Rouxiiol, eneontrou Fernando.
O Mata-c3es, piscando o orno ao gen-
darme, disse-lhe :
Se quer fazer urna boa cacada, eu lhe
indico o lugar. )
Sim ?acudi o gendarme.
Conheca o Rouxinol ? i
Quem m'o dera pilhado redarguio
o gendarme.
procedentes sufficieqtes i '"desmoronar
soberbo e humanitario edificio.
Nao me satis fazen do dizerjsto t!
te ao publico, ejjejgnlil Hi
precisa
enunci
scienci
toncos*, e
vigorosissima
dcas, rogo a
bdiante passo
historia, origei
Eduardo Je.
Berkley, na
lanlropo e '
mais, sohci
lem,supplico-lbes
alias humildes e modestas palavras, que Ihes
vou igualmente lazer oiivir, acerca da immu-
nidade desse humor, relalivamenta s va-
rilas, e das pro^sque existem, para'evi-
denlemente demonstnr-se qneT otfip(e-
tamente falso dizer-se que a vaccina a
cana determinante do grande incremento,
que ha ltimamente tido a phtysica pulmo
nar, da frequencia de epidemias de cholota-
morbas, do abaixamento da escala de vita-
hdade, etc.-
II
Assim como, de tempos em temos ap-
parecem sobre a mystica face deste esphe-
roidal e opaco planeta, que habitamos, gran-
les cataclymas, que servem corrigiroes
lado natural de certas partes do globo, que
pareciam ler repugnancia obediencia das
inaltoraveis leis physicas, quo regem esse
mysterioso labyriniho de astros, que har-
mnicamente giram no espaco inundo ; da
mesma maneira, de periodos em periodos,
como que predestinados pelo supremo Crea-
dor surgem do meo da socedade homens,
que pelos fcus attributos intollejtnaes, seus
invenios e actos magnnimos, servem para
conduzr seu; siuiiari!es. rbita de seus
deveres soci es, ap caminho de sua felici-
dade. Jenner, o bcmav.-ntnrado Jenner, foi
effeetivamente um desses iramorredooros
hroes.
- Estava quasi approximar ao seu occaso
o seculo 18; era o anno de 1776: e ainda
gema toda a misera e frgil humanidade sot
aterrvel eferrenha press3o di grandes, e
incessantes epidemias, urna molestia dis
mais contagiosas, de que fallam a pratica e
annes mdicos, *s mais nauseantes, que
se ha visto, e das mais lethes d'entre os
diversos e multiplicados flagellos do genero
humano, a qual chama-se mdicamente va-
rilas, e vulgarmente iwxigas. EDtre asme-
donhas e agucadas garras de to berrido
raonstrb, que tantas vezes deixa, apos sua
luctuosa passasem na economa hura na : a
cegueira, a mudez, a sordez, os alejes, dt,
estorciam-se ainda nesses calamitosos tem-
pos grandes massas de membros da nume-
rosa familia humana, (i) e esta, cuitada!
horrortsada, em grande parte trucidada, n3o
sabia o que mais fazer no meo desse enea-
pellado plago d'infortuoios, de Nssgracas,
afim de n3o ser preza se nao implorar ao Omnipotente sua inex-
haurivel misericordia. Deus, porm, que
assim como fulmina a pena, o castigo, (2>
ministra tambem o conforto,, o alli vio, s suas
creaturaa, parece que compadeceo-se de
tanta calamidade, e ouvio as fervorosas pre-
ces dos povos vassalos do rei martyr do
(t) Apraxe roiiheira, q,ueat ento ope-
rava-se da inoculac3o do pus extrahido das
pstulas das proprias- varilas, quando eram
revestidas de symptomas benignos, era o
nico e pessimo preservativo, de que durante
esses pretritos tempos dispunharo os povos
o qual preservativo possuia, alm da enor-
me desvantagem de transmtlir similbante
molestia por seu immenso e voltil conta-
gio, darane os periodos da suppuracao e
excicaclo, esl'outroda molestia mostrar-
se nas pessoas, qae experimentavam sime-
Ihantes inoculaces, muitas vezes com um
cortejo d symptomas asss graves e assus-
tadores.
(2) Como se collige do diluvio universal,
pela corrupeo em que ento achava-se o
genero humano:da aniquilado completa
das cidades asiticasde Sodoma, Ninive,
Adama, Goraorrba.. Seboim eSegor, entcon-
sequenca da alta impudicicia de seus habi-
tantes :da su 'mersao sub ta pelas urentes
lavas do V^suvio das cidadesPompeia, Her-
cuianea e Itabica, da ant'ga Campania, hoje
Italia, em razo dos costumes devassos de
seus moradores, revelados dislinctomente
por esses obscenos hieroglyphicos- ltima-
mente desenterrados. &.
(J3U1U
de Abril
T j ol
Pois di ija-se cabana tfelle, que
hoje l da lauto.
Como assim ?
Recolheu esta madrugada com um
alentado sacco de galliaholas e- ja havia tres
das que nao vnha a casa.
Isso certo ?
Vi-o eu e pe* sgnal que pareca n3o
se ter nas pernas. Mo s.?i l o que elle
fez todas estas noutes pela matla, mas
trazia urna cara de defuoto.
Entao suppoe-l'o em casa ?
Tenho a certeza d'isso e at de que
est dormindo.
O chefe dos gendarmes seguio caminho,
nao sera observar o regosjo com que o
Mala-caes denuncia va o seu rival.
Com effeito Rouxinol passra tres nou-
tes fra de casa e to distante d'ella, que
nem sequer ouvira fallar do assassinalo de
Saurn.
N'essa maah3a, como era sabbado, era o
da em que o comprador de caca viaba a
iQgranna fornecer-se de toda aquella que
poda obler, e por isso Rouxinol, em vez
de deixar as galliaholas escondidas na mat-
ta trousera-as para casa.
Fernando bHra i verdade, Rouxinol,
extenuado de fadiga, alirra comsigo para
cima de um mente de palha, que lhe servia
de leito, e dorma profundo somoo, quando
o gendarme chegon i parta.
A cem passos da cabina este apera-se,
prendera o cavallo a urna arvore, encami-
nhra se para a barraca com precaufo, e,
pondo se nesbcos dus pes, espreitra para
dentro pelo nico postigo, cujo caxilho era
coberto por om cartSo esburacad.
Rouxinol dorma a somno'solto. BWava
completamente vestido e os sapatos tinham
urna mista de lama negra, que na floresta
de Orleans se encentra em'tedas as esta-
cos do anno.
O gendarme trou i tcaquHha da porta e
entrn.
R.uxinol acordou sobresaltado, abri os
oraos, soltou aoi grito, e/oedeodo ao pri-
meiro impulso 4o medo, fez signal ele que
otgotha, qoe contlnuanrentelbe failarfflhff-
ientrea humanidade surge, qu
d'lsrael, mitigando
iii ili podra d'Hi
urna das m
dellMor, extrahido
ffeccao eruptiva das
a outra, aceoando,
e dizendo aos po-
arao consolador de
ruis afflicces; eis o
P^ Deusjn'o entregoa para
vos mimosear eis aqwKe humor, que vos
'entrego, parapre>er*ar-vo5 di to horren-
idf fiTetlSBfttlesfla:inoculai-o em vos,
e tcansmittio s vossai geraf^s, como
urna valiosissima dadiva celeste. E elles,
exultam de prazer, de brac )s aberlos, pres-
serosos correm receber aquelle lenitivo
de seus padecimentos, por entre as mais
vhas demonstrares, de inexprmivel e ex-
tremo jubilo, e da mdelevel gratido. Jenner
era o immenso ber3 da epocha f
Entretanto com rasaos veloces, elctri-
cos, diffunde-se por todo o orbe tamanha
descoberta. Da povoado em povoado, de
paiz em paiz, de continente em continente,
de hemispbero em hemisphero, de polo
pola marcha incessante e accelerada a trans-
missSo de lio precioso humor (3),. e de
todas as partes s cornetas da fama faziam
unisonas echoar as virtudes prophylactcas,
ou immunitivas, que sao-lhe peculiares con-
cernenteraente s varilas. Urna s voz,
do meio de tantas e t3o variadas turbas, nSo
se ergaeu, conteste, dtssona, aos benficos
resultados operados por t3o assombrosa
dc-scoberta.
M, medida que o mundo perempto-
ramente observara isto, nota va tambem,
que appareciam de continuo -boraens e na-
cionalidades; que disputavam' a immarces-
civel honra do priraeirod'iscobrrdorda vac-
cina, e do seu celebre berco : qne seme-
lhante pleito cada vez tomava maiores pro-
porces;" e que tudo isto tinha por fim
roubar-se essa gloria Jenner e velha
Albroo. Qe torpeza e ignominia paraesses
paizes e fatuos pavoes ? Deslustrar o
nome, roubar a gloria de to eminente va-
r3o Eclipsar o berco de to eslrondosa
deseoberla f
No entretanto, Jenner, la- infeliz, eomo
se ser todos esse grandes vultos, que
presenleiam a humanidade com to precio-
sos don; Jenner, como Colombo, atassa-
Ihado, injuriado por seus vi detractores,
(3) Os dados histricos fazenr ver a tal
respeito o seguate.
Em Inglaterra foram os primeiros mdi-
cos propagadores da vaccinaos Drs. Jen-
ner, Pearson e Woodville, en* I7C8i
Ero Franca, o fcram, em T90, os Drs-.
ColladaOi Plnnel, e Thouret, director ento
da escela de medwina, sob os auspicios do
duque de La Rochefouoauld.
Em Ranover e resto da Allemanha foram
os Drs. Stomeyer e Balhorn, em> 1800.
Na Aostra> os Drs. Decarror e Cavena
em 1800:
Na Prussia, er 1800. os Drs. Heim,
Zencker, HUnfelandr e Bronw principiando
por vaceioar os do~ principe^ Albos db
Rei
Na Italia, os Drs, Scco, Scarpa, Mazzc*
nel, Rufliva, e Marsball, em 1800.
Na Turqua. o ftr. Sccoltr vaccinando
primeiramente um filbo de l^iord conde
d'Elgin, embaixador inglez, em 180S.
Na Russia, o Dr. Teck, concedendo a
iraperatriz d'ento ama penso ao menino,
que primeiro se vaccinasse, era 1801.
Na Hespanha, ;Dr. Pegoilher, e o &r.
Dom Batonis, que seguio em tal misso para
a Ara8rica hesprahola e possesses oceni-
cas, depois de haver inoculado o humor no
proprio ministro de Carlos 5?D. Aloozo
e em urna filha de Luciano Bonaparte, em-
baixador francez, em 1803.
Em Portugal, em 1804, o* Drs. Bento
Joaquina-de LemosCorreia Picaneo, Gmez,
Mello Franco, Castilho e Rodrigues.
Nas Indias Orientaes, os Drs. Deoarro e
Sacio, em miss3o esses lugares, em
1809.
No Brasil, em 18,04 sob os auspicios do
senador Felisberto Caldeira Brant Pontes,
os Drs. Moreipa Rosa, A,velino Barboza, e
Rodrigues Nunes, na Baha, e 'no Rio de
Janeiro, o De. Octaviano- Muzzi
Nos Estados-Uuidos da Amarte do Norte
em 1800, o presidente Jefferson mandou
vaccinar 18 pessoas pe sua iamiha, e depob
fez extensivo esse beneficio aos.seus gover-
nados.
mulos
dee
abjectos; "afluir, Com
aojmundp ineatculav
al apreseiitaflo del
mu fcrtil'ctntinei
hes de vidas e brai
vascas d* mott; lei
ner, como Calombo, emfim, quem as pro
prias pat(ias e as nitfSsi do globo foram
13o ingratas, e quem nem ao menos sou-
beram galardoar cora esses transitorios t-
tulos e honras terre has, com que sam
envernisar algnmas vezes a forca, a vaida-
de, a inepcia, o vicio e o crime ; (i)
grande, magnnimo, e nicamente ambicio-
nando, ahnejando as honras l do empy-
reo, a bemavenluranca celestial, e o bene-
ficio de seu3 semelhantes, ceg esses ven-
daves d'njurias, surdo essas vozes da
ignobil miseria, com afn prosegue em a
sua alta e philanlropica misso, tornando-a
iudelevel ante a populacho do mundo, com
a publicac3o de seq celebre opsculo//>-
dagaedes respeito das causas e effeito
da vaccina, publicado em Inglaterra em
junho de 1798, que nimiamente servio para
confundir seus detractores, essas notabili-
dades opacas, e que foi o primeiro 'trata-
do, que appareceu sobre a vaccina, al essa
poca.
(Continuar-se-ha).
VARIEDADE
rer fugir, porm o- gendarme, agarrando-o
pela gola da jaqueta, disse-lhe :
Tu, que tensmedo do.meu chapeo,
porque commetteste algum crime.
Rouxinol cobrou animo.
Sempre sou bem tolo I exclamo u
elleUm horoem honrad nao deve temer
os gendarmes I
ossa a mnha opinio redarguio o
gendarme, fichando a porta por dentro.
Rouxinol assumira toda a saa presenca
de espirito e pergnntou ao recem-ebegado:
O que maoda no seu ser vico ?
Venho aqui para que me des certas
informaces
Se estiverera ao meo alcance.. Mas.
de que se trata ?
Nao sabes nada a respeito de uns ti-
ros de espingarda que se atiraram a noule
passada na floresta ?
Rouxinol entendeu que era negocio de
algum javali morto espera e respoodeu :
Em todo o, caso, olo fui eu ; ba tres
diasque a3o saio de casa : tenho sezes.
Para qasm n3o sabio de casa ha tres
das, tens as botas bem enlmeadas tor-
aou-lhe o gendarme.
Rouxiaoi vio que se contradissera e pro-
seguio rpidamente:
Sahl, mas aqui ao p da porta, em
busca de urna pouca de leona.
Cm que eotSo repiicou o gendar-
menada sabes dos taes doos tiros ?
Nada absolutamente. Ser obra d
Femando, que nSo falta um s noule na
florala.
Ora diz-me : ha muito que nao vs
Saurn ?
Oh I tratante I Esse nunca por aqoi
passa I
Ora pois, faz de coala qae Saurn
affirma que foste ta quem atirou os taes
tiros.
O temperamento bilioso de Rouxiool ex-
citou-se e fe-lo gritar :
Mente o miseravel !
Es capaz de lhe dizer isso face, a
ace?
E gue duvida ?
Machioas a vapor para estradas
K0AD-3TAMERS
{Contmard)
O uso pois de machinas de tratcao, tea
encontrado muitos contrate rapos e causad!)
grandes despezas era consequeocia do cons-
tante damno causado s estradas e s ma-
chinas ero resoltado do seu contracto cons-
tante, e por isso, se bem que a primaria do
vapor sobre a conducc3o por bestas de car-
ga se manifestava quando se tornava neces-
sario mover grandes pesos, nao se poderam
eropregar machinas de traeco para trans-
porte em gera4 e para trafcgo ordinario.
A iavenco porm da machina a vapor
para estradas, venceu aquellas- dois obsta-
culos por isso que pode ser empregada ent
quakpier estrada*. Corre sobre estradas re-
sistentes e ras oalfadas sem- solavancos,
sobre terrenos reacios sem n'elles se enter-
rar, sobre caminhos-enlameados sem escor-
regar, e nao precisa* mesmo de estradas por-
que tde funecioaar, oom a mesma fcil ida-
de, em campos-com reivas, em terrenos la-
vradoe-, sobre nev, em rea soU; e sobre
nev oongelada. Se bem que pequeo e
eve em si, sobe as-mais ingriraes rampas
e leva enormes pesos. Deve todas* as suas
facilidades e isemf>e5o dos inconvenientes
das outras machinas de traeco, a urna in-
vencO'tao simples-como efficaz. As rodas,
que teem muita largura, sao debruadas de
aros d borraxa vi>lcanisada. Estes grossos
aros de borraxa habildam esta machina a
vapor a fluctuar sobre a superficie do ter-
reno sem o menor prejuizo para a estrada,
ao paseo que tambem protegem a machina
contra concusso. A'< intervencO'do aro de
borraxa elstica entre a roda e a estrada
produfr o mesmo resultado do quey se a ma-
china estivesse corn&ndo sobre carril de bor-
raxa.
O Sh R. W. memson E. C. de Edimbur-
go, inventor d'esU' machina, tendo experi-
mentado desgostos eom os defeitos das ma-
chinas de traeco, e vendo que nenhuma
d'ellas se poda destinar ao fim a que se
propunba, concebea e levou a effeito a idea
de guarnecer as rodas de urna machina a
vapor para percarrer estradas ordinarias,
com aros de borraxa de iaamensa grossura.
Quando e experimenleu a prinaeira machi-
() A Hespanha, a cojos servicos esteve
o cidado geno vez Cbrstovae- Colombo,
quando descobrio a Amerixa, foi o nico para
que lite conferio os ttulos do- almirante, e
vicorei das trras desc iberias; ttulos qoe
tiveram urna existencia bem.ephemera, era
consequencia das intrigas do- despresivel e
miseravel Bovadilha, e outros, que fizeram
com que elles Ibe fossem cassados, e que
se constituirn! a poderosa cansa da penu
ra e angustias, que para sempre cerraram
a porta preciosissma vida do grando Co-
lombo. A Franca, consta tambem, que
possue, ern-ama das galeras do seu Lou-
vre, um retrato deste here, ainda que
muito infiel.
Pois bem, meu rapaz, continuou o
gendarmevem Raposeira dar ali as uns
explicaces.
Isso que escusado ; nao vale mes-
mo a penaatalbou; Rouxinol.
Pois indispensavel que ali te apre-
sentes.
N3o tenho 14 nada que fezer.
Se Saurn te acensa injustamente, ser
elle quem pagar js custas, mas entretanto
ests preso.
Pois prende- me ?
E bem sabes quanto custa a rebel
li3o para com as agentes da forca publica.
O que dava maior cuidado a Rouxinol
era a saccada de gallinholas que tinha oc-
culta atraz de um mlho de lenha,
No fim de contas, proseguio elle
me indiffeote l Ir ; mas.se eo provar que
esta noote nao fai espera ?
Por-te-he em liberdade.
Vamos lidisse elle, agarrando no
chapeo, no burnal e no bordo.
Mas o gendarme disso-me :
Bra vs que nao posso deixar de te
por as algemas ; se te envergonhas de as
levar, metieras as maos debaixo'do falo.
As algemas !exclamou Rouxiool
Isso costoso f
O gendarme lirn as algemas do bolso,
e Rouxinol, que nao quera complicar o
negocio, subordinou-se s circumstancias.
obre
Duas horas depois chegavam ambos Ra-
poseira.
Seguiram pela floresta, nao encontrando
pessoa alguma.
A cem passos da casa vio Rouxinol ajun-
tamento de povo.
Vamos entrar pela porta de detraz
disse o gendarme, que nao quera que Rou-
xinol soubesse da descoberta do cadver.
Era precisamente esta descoberta qae
motivava aquelle ajuntamento. '
O magistrado judicial, tendo chegado
pressa, transportra-se ao logar do crime
em companhia dos guardas e de Miguel.
Tinham descido o cadver de ama da
arvore e transportado para a Rapowira, es.
n^-a vilof d
oteaj

caid
oecu
cftst
mundo.- os fguiiteaaMMlipinto
experiencias feitay nrf iWtr tw{
ros, agricultores e outros bomem
devem ser lidas com inteireza.
Urna machina da forca de 3 cavallo pa-
chn por uma caldeira pesando laP-toeta-
das por ama rama cima de I em 13.
sendo o terreno t5o escoTregadisso n'ifavlfo
occasi3o, em consequencia do gello, qne
os cavallos nao podiam terse" em p. A
machina correo sobre um terreno com her-
v sem deixar reg, e depois por
Ierras coberta de trra movetftca
profundidade de dois ps. lima
da forca de 10 cavallos, pesando 9
das, conduzio quatro wagons a i
de carvao distante I % militas da
go I receben alli carga pesando, a
qualro wagoos. :t toneladas, prafnnio
peso total de 40 toneladas, e regraaawa, i
bindo rampas de 1 en 19. para M
burgo. Pereorreo o cawrinbo, coa o
comboio de 90 ps, com a maior
atravez a estreitas roas da cidade Teda.
que por acaso eslavam apiadadas de vaai
culos comhrando passageiros para aaaa
fesa no campo. Virn toda a
de esquinas, desceu a ingrroe
Leitb, entrn rrtrm becco, e
portan da fabrira onde entrego a
Urna machina entrn n'um camperas
tas recentemente eavado, e ando- par ala
era todas as direcce*, Scando a temeaaaa
estava. Urna machina 4a forca dr 10 ca-
vallos com urna carga de 17 toaaMaa 4e
ferro pereorreo a estrada de Graatoor coas
a velocidade de 8 aIba por bar. A
mesma machina pereorreo as areiaaVSor-
tobello a Toppa esobre a areiasolta aaaata.
sobre a areia mcia motht-to e aeaaw alra-
-vea urna onceada "de agaa-qno corra, tem
lana facilidad*: como se estrresse aercor-
rendo urna estrada da P cUna.
por cima de extensas carnada de
brilada, que estava na estrada
Cao, e o movimento para eej
to suave e agraavel cobw se
percorrendo orna planicie, aaaa
dras ficassem esmgamadas.
da forca de 6 cavallos, pesano-frl
levou urna carga da 34 toneMai
rampa cima de 1 eaa 18:
machinas* puchando mnibus tem>a
do freqimtemente Edimburg pal
ingrime sabida de LaHh, e Haa aata
elseido a mas mais ingriBK da
sem se partir coosa algeaM. Mtmm
dacle de 8 a 10 mitbas por har ti
se constromde acta latenU a%aaa
emaibus vapor por este systeaa.
Em Leitb a machina a vapor .
das emprega-se constaatemeola aa i
co de calairas de vapores (|
toneladas),, parafosos d vaporcavl
vas de caraiobos de farro, a oom*
mes pecas- de machioisaao, par aa
oo para as estacos de- camichoa de foi
Depois de se lhe engatar a-carga !e*a-a
rectamente ao sen desaao, sea parar
caminho, esem interceptar por
forma o traego nas roas. Bata
tambem servem admiraveisaeele
Car as mas, arrestando atraz da m a
deira. O dono de uns amaba da kriafea
muito imprtanles teaaaaa desta BMcaaaa
de forca da 6 cavallos qoe trbame a 7
mezes entre Aberdeen e os samafoas. A
distancia, para cada lado, da 3-ajsfoaa a
percorre-a n'uma hora. A pracra fofoa
4 viagens- por dia, mas uliioiasacots asa
feilo G, levando orna carga de 10 tswlrla*
de cada vez. A estrada qoe pert>.re tat-
vez a peier estrada do reino, por ser es-
trella e tortuosa, variando as sabidas es
metade delle, de 1 em 9 a i m 8 Sesea .
rampa de 1 em 8, a macbu.a. que paaaf
toneladas, pucha por urna carga de !> to-
neladas. Pode ajodar a realisar o ajea I
em 8 representa mencionando qoe aonwr
altura ao atravessar o Simpln, da I eai
13. A machina j tem percorrdo
milhaj, e lera condnzido prmia
8:000 toneladas, percorrendo 6
dia as- ras priocipaei de orna
grande movimento.
/iokthm.T* km.)
tendendo o sobre orna cama na sala da es-
trada.
O medico- de qae o jais se tora i
panhar decarou ter sido a taorta
nea.
O cara Duval, que at a ale i
ca, chamou Miguel parle e
lhe :
Nunca desamparaste os
Nem um mnalo
Eslavas l qoaado descaras i
ver ?
De certo.
Nao o revistaste ?
N5o me lembroo.
Ora pois. esperemos
cora.
E n'esse momento eatrava
soa qae elle bem coobecia.
Este, ao ver o cadver,
agudo, que consideran
Ci, mas quando Ibe ar.
garda perturboo-se, vactHoo e foi
de tal commoco, qoe qoeria talar a i
poda ; s por fim exetasaoo :
Nio foi eu ; esloo inaoceaai
Mas os precedentes prodoafos iaaV
lio desfavoraveis contra ala, que josa
o dspensou da prsao.
Ioterveio o cora Doval, diz
Senhor joii, qoando Seario foi
sinado, dirigia-se a Lorrb
de om escripto lacrado, asa
outrera alm do
to deve achar-se ao
lado.
O casaco de Saoria
de baver sido
Desabotoaram-lb'o
traram cousa algoma.
apparecera.
Eolio o cora llxoo por.eee
tina, qoe se tornoo avso, i
a vozgeral aeeaM
demnavam, elcoi
cia deste hornea.
<
S

TYP. OOBlARIU^IW


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDLC672H8_449J8Y INGEST_TIME 2013-09-14T02:43:41Z PACKAGE AA00011611_12095
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES