Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12093


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*
i

l
i

,_______ANNO XLVI. NUMERO 87.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------.-----------------------------------------------------------------------------------:------------------------------------------------------------------
PARA ; BAJIAL E LUGARES f* IAO SE PAfiA PORTE.
-ToriM^ttei. agudos ....... '.**
l*or swa-ditos-dkl ............' ,*T
O
Vf >f> ohftki.
QUARTA FEIRA 20 DE ABRIL OE 1870.
PARA MITRO E jJOjU b FHRriICIA.
IfctVJ'il '
***#* tris mezes adiantados
tor sms ditos idem..... f^^'^^f .....
Por nove ditos idem .
Por um anno idem .
____
. I
W7sa
13,5500
204250
27*000
Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.

'mh
A AGEXTEK:
*
rHerardo Antonio Alves & Filhos. no Para ; Goncalves & P.nto, no Maranbao ; Joaqaim Jos de Oliveira, o Cear ; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty/ Jofo Maria Julio Chaves im
Pereira d'A.meida, em Mamanguape; Antonio Andrino de Lima, na Parabyba ; Antonio Jos Gomes, na ViOa da Peona; Be.armin0-dc* Saatos Bulc.o, em Santo AnJ; mS^M^ '
r.._______________________________" Nazaroth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Martins Alves, na Babia; e Jos Bibeiro Gasparinhono Bio de Janeiro.
Jos Justino
PARTE 0FFKIA1.
i

overa* da provincia.
B.ELATOBJO udo pelo exm. sr. senador
KREDERICO DE AI.MEIDA E ALBUQUEBQUK,
NA ABERTURA DA PRIMEIRA SESSO DA AS-
SEMBLA LEGISLATIVA PROVINCIAL, NO DA
1* DE ABRIL DE 1870.
(Concluso).
OBRAS GERAES.
' j Executaram m na alfandega as da coberta da
ala d*bertora, os reparos do telhado da rea
raparos da sala do guarda-mr, os da coberta da
rea da stereoraetria, e os dos animen* ns. 6 e
40, os repares da rampa do caes Pedro II, e as
pinturas das ponas de Santa Isabel e Sete de Sa-
le wbro.
Esto em'andamento : na alfandega os reparos
da ponte de descarga, a collocacao djs trilhM da
mesma ponte, e a construega j de umi casa forte ;
e na ponte Sale de Setembro o enchimento das co-
lamnas que o sustentan.
OBRaS MILITARES
Por esta repartico exeeutaram se de a de no-
vembro ultimo a II de margo lindo, os segrales
trabalhot : eaagao, pintura e extincglo de tr-
imgueiros da enfermara militar, concert! da ca-
sa do fabrico e da guarda do laboratorio py roteen-
ico, obras e eoncertus de todo o quartel do de-
pasito de remitas; e esto em execuclo estes
outros : canearte de tolo o quartel das Cinco
Ponas,-obras e coneertos de todo o quartel do
-Hospicio, e os reparos da capella e guantas do
forte do Buraco.
CAES DA ESCADI.NHA DA ALFANDEGA
Ao ministro'da azenia, por competir-lhe a de-
ciso, oi ubmettdo o pedido de concert para
este caes, segando fui declarado por aviso do mi-
nisterio da agricultura, commercio e obras publi-
cas, de 12 de marco Ando.
THEATRO DE SANTA ISABEL
Como sabis, esse bello Uieatro, que tanto servia
para distrahir c divertir os habitantes desta capi-
tal, em poucas horas fui devorado pelas chammas.
O meu illustre antecessor deu algumas providen-
cias no sentido de promover a reedifleagao do mes-
ai theatro, o que Hie nao foi nossivel conseguir.
Convencido como estou da uinidade que resulta
de um theatro nesta populosa e mui importante
cidade, todava nao estou de aecord > eom os que
eatendem qae deve ser reedificado o de que trato.
A miaba opinfio que se deve construir um thea-
tro em ontro lujar.
A praca mata importaatente mais espacota
que ha nesta cidade, sem duvida o largo das
Priocezas, onde se acham as ruinas do theatro ;
nao conven que aqueMe eipago seja oceupado
por edificio algum, devendo ser aproveilado para
um passeio publico, do que resalta mxima utili -
dade publica ; tanto mais nao havendo localidade
mais adaptada para is3o, visto jser o ponto mi is
central com relacao aos tres bairros em que est
dividida a cidade.
TELERAPHO ELCTRICO
O Dr. Guilherme S. de Capanema acha-se en-
carrregado de dirigir a collocacao da linha tele-
graphica, que deve ligar a capital do imperio
eta cidade. Com os raeios forneeidos pela pro-
vincia do Rio de Janeiro, at o mez do julho, se-
gando informa o mesmo Dr. Capanema, deve a li-
nha chegar at a fronteira da provincia dj Espi-
no Santo.
Convm, pois, que auxiliis semelhante melho-
ramento de mxima importancia, restabelecendo a
consignagao de 26:0)03, que fra votada na lei
provincial do orcamento do anno lindo.
ESTRADA DE FERRO DO RECIFE S. FRAN-
CISCO
Contina como fiscal o destnelo engenbeiro
Manoel Buarque de Macedo. Por portara do mi-
nisterio da agricultura, commercio e obras publi-
cas de 19 de maio ultimo foi o engenheiro Jos
Cirneiro da Rocha exonerado do Ingar de ajudan-
te daquelle fiscal, e elevados a 300* mensaes os
vencimentos do outro engenheiro ajudante Felippe
de Figueira Faria. Por aviso do mesmo ministe-
rio de 21 dejunho foi o referido engenheiro fiscal
autorisado a ter um escreveate com a gratifieaglo
mensal de 60*.
Durante o anno substituiram-se 1039 dormentes
da 1* seceo, 1921 da i', 1876 da 3a e 631 da 4*.
As pontos de ferro offerecem a precisa solidez.
Por falta de trabalhadores nao esti completa-
mente desobstruido, e com as proporgdes devidas,
o grande vallado que auxilia o escoam anto das
aguas as enchentes do rio Pirapama.
Outros vallados precisam ser igualmente desobs-
ruidos.
Fizerara se nova ponlilhSe; para o fcil esgoto
das mesmas aguas. Ainda nao foram. porm, subs-
tituidos por (rithos ornarios com dormentes, os
das pontos de Afogados e Motocotmb. A esta-
Cao das Cinco Pontas resente-se da falta de espaco
e commodos para o movimenlo que por ella se d,
apezar do ultimo augmento que leve era suas pro-
poredes.
A esta?ao da villa do Cabo precisa de um ar-
mazem para mercadorias.
Em muits pontos da estrada
levantar o leite, e em outros ha
lastro.
indispensavel
necessidade de
Dkspkza.Subi 826:121*783 rs. como se vjo eonqesstnario, e menor conseguintementeades
do quadru que segu, porm licara redusida a... peza, o-preiuisn da nmvinci
402:084*323 rs. h "
duzir-se a somma
differencas de cambio
para Londres
das remessas de dinheiro
DKSPEZ.V
Os rins da abobada do viaducto n. 9 e as suas
azas estao fendidas e exigem um dispendioso e
prompto reparo ou reonstruccao
A estacao do Olinda tem tomado grande desen-
volvimento." J sao insumientes para o servido
as accommodacoes do actual edificio. A cons-
truccao de um grande armazem de deposito all
indispensavel e urgente, como declarou o enge-
nheiro fiscal ao inspector superintendente.
Devem brevemente comegar os trabalhos da
substituido dos armazns de niadeira da villa da
Escada.
Tambem precisam de armazns de deposit
algumas das estac5es da seccaio principalmente em
Frecheiras, onde insafflciente o que existe, o
qusl vai ser removido para a estacao de Agua
Preta, afim de construir-se all um outro de alve-
naria.
Providencias idnticas se tomaram acerca das
eslacoes de Aripib e Ribeirao.
Foi prolongada e elevada a 0-.33 cima das
maiores enchentes a ala de revestimento d > talude
que borda o rio Sermaem na 41 seccao. Muits
outros taludes da mesma seccao precisam ser
desobstruidos.
A estacao terminal de Una, que readquirio o sen
antigo movimento, nacessita de accommodacoes
que se effectuara) no correr de3te anno.
Com os reparos dos damnos causados pelas
ultimas indemnisacSes e obras de proteccao feitas
no anno que acabou despendeu-se 13:022*408,
como se v do Conservacao da linha
Tracco .........
Trafego.........
Reparos de carros e
wag6es..........
Administrago......
Telegrapho elctrico
Reparo de edificios..
Passagens e ajudas de
cust............
Indemnisagoes......
Diflerencas de cam-
bio .............
Despezas sanitarias..
Ditas judiciaes.....
1869
Total.
111:346*264
131:3895268
99:873*501
31:916*733
13:667*832
8:363*460
747*400
145*560
124:038*450
184*930
2:247*400
526:122*785
108:894*038
128:4Gi*706
83:964*724
28:340*056
17:674*984
7:271*941
1:046*062
368*390
291*233
34:454*443
3045400
2:3035600
B
-
J
r
1
^c te 9* o 3
36 H i o *t
Sn*os
} <* -4
ce co i;- o
a
TI
O
i

5

i
9
S
1
SON-0
t^o ai t^> i^ co
g||S|S
T? ^> 1* CJ5 3
S S m i^ n
00
JO
-
en
9
'6981
iflifl
-3 -j 3 c o
Trafego. Por deficiencia do trem rodante e falta
de habilitacao do pessoal das estacoes nao se fez o
seu servico com a regularidade que para deso-
jar, e que o publico tem direito. Quanto aopri-
ineiro ponto o governo imperial declarou por aviso
de 31 de agosto j ter providenciado e que oppor-
tunamente daria sciencia do resultado; quanto ao
segundo cumpre a companhii provr.
Receia. O seguate quadro comparativo
demonstra o seu augment progressivo.
A relagao por tanto entre a receita e a despeza
(incluida nesta todas as verbas) est na razao de
61,98 /., ao passo que a do anno anterior foi de
70,39 /..
Telegrapk. Fez-se com regularidade o sea
servico: porm, conveniente collocar apparelhos
telegraphicos era algumas das estacoes de 2* e 3*
ordera, para facilitaras ccramunicacoes em casos
de accidaates ou irregularidades no servico da es-
trada.
Trem rodante.Coat* de 11 locomotivBS, 14
carros o 160 wagoes. excellente o estado do
material de traccao. Sua conservado e reparos
se fazem cora a maior promptidao. Outro tanto,
porm, se nao pode dizer dos carro3 e wag5es qae,
por circu a rem quasi diariamenie, mal recebara os
reparos iodispensaveis para que nao perigue a se-
guranea dos trens.
Oficinas e almoxarifado.Rso bem montados
e prestm ptimos servicos, mas pouco espacoso
o edificio da foodicao, e convm construir outro
maior.
Accidentes.Em 21 de Janeiro partio-se urna
ce rrente do trem de mercadorias, deixando quem
da estacao de Afogados o cafpo de freios, que foi
depois impe'.lido pelo trem de passageiros.
Era 16 de marco qaebrou-se a corrente do mes-
mo trem prximo estacao de Afogados, ficando
na linha os tres ltimos wagoes, que foram igual-
mente impedidos at a estacao central pelo trem
de passageiros.
A 13 de abril o trem de mercadorias passea
sobre um boi, entre as estacoes de Aripib e Fre-
cheiras, desencarrilhando se nm wagn vasio e
dons carregades, o qae damniftcou ama parte da
via permanente, e causn ama dsmor* de cerca
de cinco horas.
. Em 9 de novembro, por occasio de fazer se a
mudanza dos wag5es na estacao das|Cinco-Pontas,
a roda de um delles passou sobre o p do traba-
jador Jos Joaqaim da Silva, que falleceu das
depois.
Em 7 de Janeiro deste anno o trem de passa-
geiros, que descia de.Gamelleira para esta cidade.
esmagou urna raulher de cor preta, que se achava
sobre os trilhos as immediacdes da estacao de
Frecheiras, a qaal fallecen pouco depois; e em 22
do mesmo mez, o trem de passageiros da 4a seccao
esmagou as proximidades do engenho Plana,
um preto que eslava deitado margem da estra-
da, envolto em urna bala e com as pernas sobre
os trilhos, o qual tambera suecumbio.
Contas de garanta.Do Io semestre de Janeiro a
junho
Receita liquida................. 443:241*670
Dspeza idem.................. 260:852*110
.cNn.an?IVle 1868 foi de 613:636*390, maior
i ii? que a Jd0 anno de 1867' e menor
233:lb2*5IO que a do anno findo. que foi de
rs. 848:798*900 W
RECRITA.
Passageiros.
1.a classe....................
'2.a ...................
:. ...................
De assignatura..................
Trens especiaos.................
Total......
Bagagens......................
Mercadorias
1.a classe......................
1.' ......................
i' algodo..............
Tarifa n. 2.
Assucar........................
Diversas....................
4.a .....................
a." t madeiras.............
Tarifa n. 3.
Diversas.....................j,
*> .....................
Total......
Aiimaes.......................
flavajlos e caes.................
Diversos.......................
ToUl......
Armazenagens..................
Transportes do governo, militares,
presos, empregados civis, e
cavallos.
Bagagens......................
Telegrapho elctrico.............
Maltas........................
Transferencias de acedes.........
Despea geral annollada.........
Juros de depsitos...............
Receita nao classifieada..........
50:146*800
47:002*590
170:323*070
1:216*600
1:671*800
11:852*320
40:0i4*360
19:694*674
267:531*080
140:098*140
7:454*080
12:454*300
25*440
8:345*480
13:307*060
1:582*040
270:560*860
37:0306980
1868.
507:413*320
14:889*100
4:737*680
2:338*160
5:690*300
600*000
1*120
45*600
4:433*960
757*810
43:241*600
45:293*590
1^8:927*020
623*920
1:881*400
6.947*460
27:039*630
19:583*960
160:798*940
82:117*660
7:131*700
17:630*5i0
100*900
5:358*920
10:969*780
1:402*350
229:967*530
31:381*330
Somma
tidos
5 % do governo geral........
2 % do governo provincial___
Importancia do juro de 7 % do
Saldo devido companhia
Semestre de julho a dezembro :
Receita liquida.................
Despeza idem..................
2 .n7/:tcd,a recelU'-Se. d.f" Na^constderi procedente a objeeeao que con- '
de 124:038*460, proveniente de siste em n*> se julgar obrigtorio o contrato raen-
' c'?na*>>P(>r nao baver ainda o concessionarioob-
tldo *> poder legislativo do estado, os favores de
.que trata oart. 31, pelas razfles segrate; .em
primwro kigar.nio se tendo raarcadoo pr'aso,*n-
1869 lro# ipial aquelles favores devl&mser oblido-,
nac w pode rigorosamente concluir.que o cpn-
cessionnrtotenfia deixado de cumprir semelhanie
eondicao ; em segundo lugar, porque emendo qae
aquella condico, i men ver, pouco regular se re-
rere anies ao concessionario di que provincia,
visto que nao foi ella, esini o concessionario qaem
se obngo,u a solicitar essas favores
Nao me parece, com effeito, conforme com os
oons principios de administracao, que um contra-
to celebrado pela presidencia em virtude de auto-
nsacao legal, e approvade po.- urna lei provincial,
dependa para ser jujgado obrigajdrio, da circua-
uecia da cbriceslp d' taVofe e fsencoes concedi-
das pelo poder legislativo do imperio/
De mais como conciliar essa disposigao de que*
trato com a obrigagao imposta provincia pelo
art. 29 do contrato de rademnisar o conceliorio
do valor dos trabalhos graphicos, ainda na Ivypi-
433:3755691, lese de nao ser o contrato approvado por lei pro-
vincial?
Rescindindo, porm o contrato, tratei como me
cumpria, de dar execnjai ao que estipulara no
termo da rescisao. Noraeet como arbilro da pre-
sidencia o engenheiro Manoel Buarque de Macedo,
o qual com o arbitro nomeado por E. de Mornav
arbitrariam a indemnisacaS de-que trata o art. 32,
para logo depois iratar do outro arbitramento de
eonformidade com o art.29. Tendo, porm, o Dr.
Buarque de Macedo toe declaradp por offlcio da-
taade 21 defeva/eiro, qae afim de poder dar o
?eu parecer na priewira questao. linha necessida-
de rigorosa de examinar a outra questao de in-
demnisaelo, visto ser elle tambem o arbitro delta,
e jalgando atlendifel o qne representoa o arbitro
da presidencia,"assim o resolv, e communqaei
Mornav semjlhante resolacao, afira de que no-
measse elle ojn arbitro, ao que se oppoi o mes
mo Mornay, sbb o pretexto de nao haver aqu pes-
so#habilitada quem elle podesse momear para
sea arbitro, e allegando que eu aaVia, com esta
resorafao, alterado o que se estipulara no termo,
da rescisao : Jeito o que se retiren desta cidade
mandando plfcficar no Jornal do ecife urna peti-
cao, na qual proiestou por perdas e damnos : peti-
co sobro a quar nenhuma resolacao me fm possl-
vel tomar, porque nunca me toi apresenlada.
A sem razao do procedimento de E. Mornav
evidente, a ailegacao de nio haver aqu pessda ha-
bilitada a quem nomeasse sea arbitro inadrois-
sivel, e o prova claramente a crcumstancia de nao
haver elle disso tratado na occasio era que fra
o eonlralo rescindido.
ESTRADA DE PERRO DO RECIFE A LIMOEIRO.
- Deixei de aceitar a primeiras propostas para a
coHsfrnccio desta estrada, aut irisada pela lei n.
85de 5 dejunho de 1868, apresentadas pelo ba-
eharel Bento Jos da Costa e o engenheiro Ma-
noel Buarque de Macedo, por exigirera os pro-
ponentes garanta de jaros, e entender que os co-
fres da provincia nao podiam actualmente com-
portar um semelhante compromisso; e poredital
de 24 de dezernbro, mandei abrir nova concorren-,
efa para essa empreza, com o praso de trinta das.
Apresentaram-se sele propostas, sendo : a Ia de
Jos de Vasconcellos, a 2' do bacharel Bento Jos
da Costa, a 31 de Jacques Bonnefond, a 4a
do engenheiro Manoel Barros Barreto, a 5a de
Theodoro Just e Gustavo Adolpho Wurffbain, a 6a
de Miguel de Figueira Faria, Andr de Abreu
Porto e o Dr. Antonio de Vasconcellos Menezes
de Drummond, e a 7a do engenheiro Manoel Buar
que de Macedo e o bario do Lirramento.
Depois de abertas estas propostas, apresenlou-
me o referido Bonnefond um requerimento que in-
defer, em que pedia que fosse aberta nova con-
corren.-ia para a construccao da estrada que al-
indo, allegando haver quem quizesse apresentar
condados superiores s offerecidas nas propostas.
Tendo, porm, examinado aquellas sete propos-
tas vista das informales ministradas pela re-
partico dus obras publicas e thesourara provin-
cial, eattendendo que duas dellas, a do bacharel
Rento Jos da Costa e de Jacques Bonnefond, nao
po liara competir com as ontras, porque exgiam
subvencao kilomtrica de 1/8 sotire o valor das
obras oreadas, ou garanta de juros na razio ile
quatro por cento, emquanto que nas outras ne-
nhuma subvencao ou garanta pretendam os pro-
ponentes : 2'que a proposta do bario do Livra-
mento e engenheiro Manoel Buarque de Macedo,
s admittindo fisealisaclo da presidencia relativa-
mente seguranca publica e polica do serrico
respectivo, coar:tava de algum modo a accao da
mesma presiiencia, sendo que por essa se torna-
va menos aceitavel ; 3* finalmente, que as demais
propostas, achando-se qaasi nas mesmas circums-
tancias relativamente nmau s outras ; achei-me
embaracado em dar preferencia algama dellas
por me faltaren os meios de saber qaal dos pro-
ponentes offereceria nelhores garantas de exocu-
cao semelhante empreza, alias da mxima utHi-
dade publica; e para resolver sem injustica aos
proponentes, tjmei a deliberarlo de mandar abrir
nova concorrencia com o praso de trinta das pa
ra apresentagao de novas propostas, acompanha-
das de ama exposigao em qne os proponen-
tes demonstrem os meios de que podem dispr
para levantar capitaes e dar execacao cnpreza,
e deelarem quaes os seos fiadores, bem como que
se obrigam a diminuir os preces das respectivas
tarifas, logo que os lucros da mesma empreza ex-
cedan de dez por cent.
las de preparatorios annexas mesma|Faeol-
; TFILHOS URBANOS PABA APIPUCOS.
mpreza assim denominada, augmentott o
Saldo......... 182:289*560
devida pelos juros garan-
191:043*774
136:4595838
54:583*936
emprestirao de 400,000 devidas
pela companhia.............. 124:444*446
66:599*328
403:774*130
263:123*075
142:649*0j.)
848:798*900
326:729*710
12:372*130
3:889*610
3:639*690
4:485*480
330*000
3*360
93*980
1:614*770
7)8*600
6'.8:636439Q

Saldo.........
Somma liquida pelos juros garan-
tidos ....................... 230:684*279
5 % do governo geral.......... 164:774*483
2 % do governo provincial...... 65:909*794
Importancia dos juros de 7 % do
emprestirao de 400,000 devidas
pela companhia.............. 124:444**46
Saldo devido companhia....... 106:239*833
Foram ministradas ao governo imperial as in-
forraacoes que exigi por aviso de 12 de fevereiro
ultimo, acerca das estacos que precisam de rae-
Ihoramenlo
Pende de ulterior deciso do mesmo governo, o
prolongamiento da estrada at o centro desta ci-
dade.
CONTBATO MORNAY.
De accordo com o meu nobre antecessor o Exm.
Sr. conde de Baependy, qne, no final do artigo do
seu relatorio com que abri a sesslo do anno pro
ximo passado, se mostrou dispost a rescindir o
contrato ce.ebrado entre a presidencia desta pro-
vincia e Eduardo de Mornay em data de 23 de
maio de 1866; de accorde ainda com as opinioes do
inspector e procurador fiscal da thesouraria pro-
vincial, que opinam por essa rescisao; consul-
tando o parecer da maioria da commissao encar-
regada do exame de alguns ramos da administra-
gao provincial, maioria qae em vista de observa-
g5es mui sensatas se pronuncion inteiramente pelo
alyitre da rescisao ; eonformando-me com a opi-
niao i idividual de pessoas notaveis da provincia :
julgue que attenda bem aos interesses da mesma
provincia, rescindindo esse contrat, que reputo
mu oneroso, e qae acarrettria despezas superio-
res, nas circunstancias actuaes, aos recursos fl
nanceiros, pondo assim termo exigencias, por
ventura, exageradas e importunas do concessio-
nario.
Em data de 19 de fevereiro deste anno assignei
o termo da rescisao do referido contrato, o qual,
como veris, sugeita a provincia s indemnisagdes
de que tratam os arts. 29 e 32 do supradtto con-
trato. E' para sentir, com effeito, qae a provincia
soflra e se sugeite essa despeza em pura perda.
Achando-me, porm, collocado na coHisao de dous
males, evitei o maior, e resigneime com o segun-
do. Nao me toi possivel descobrir um terceiro al
vitre; ou rescindir o contrato como o fiz, ou exi-
gir que o concessionario corrgese os seos traba-
lhos para comecar a obra.
Poderia ter exigido qae o concesionario com-
pletasse os se^us trabamos, reputadas defectivos
pelos engeoheiros qae os exarainaram,; mas, desde
qae a julgava conveniente a rescisao, o que im-
portara emelhante exigencia tantmals qae daria
ella, talvez, lugar outras reeUmacSes de indem-
nagao, em consequencia de aocrescimo de traba-
Iho e de despezas. De mais, se aquellei trabalhos
graphicos sao incompletos e menor deve ser tndemniwclo j que- tem direito
LINHA FRREA PARA JABOATAO.
Depois de ouvir o engenheiro ehefe da repart-
gao das abras publicas, conced ao empresario
bacharel Bento Jos da Costa, em 24 de mar-
go prximo nodo, a prorogago por seis me-
zes que requeren pare comego dos repectivoe tra-
balhos, afim de levMtar navas plantas e fazer o
orgamenao, visto que oe estados feitos com direc-
gao pela freguezia dos Afogados, fizera inutiliza-
dos era eonseqaeneia do protesto que fiaera su-
perintendente da estrada de ferro do S. Fran-
cisco.
TRILHOS URBANOS PAR A OLINDA.
jlpanguraramse em 8 de novembro os trabalhos
tWtinlia. Esto- concluidos os atorros da estra-
da de Joo de Barros, Campo-Grande e Santa
Thereza, e em Breve estar prorapta a ponte dos
Arrombados.
A companhia tem j realisado cineoenta e ein-
eo por "/<> o respectivo capital, tem adquirido
grande parle dos terrenos por onde deve passar
a linha, tem recolhido 450 toneladas de trilhos,
diversos apparelhos e accessorios, e espera por
outros oefectos e machinas; suas offleinas provi-
sorias tem preparado as ferragens necessarias para
i ponte de que cima fallei, e os carros para con-
duceio de materiaes; e cerca de dous mil palmos
de trilhos se acham assentados, de modo que em
mato prximo vindouro, pretende a mesma com-
panhia, segundo informon o presidente da respec-
tiva directora, fazer chegar Olinda o primeiro
trem.
Por deliberaclo de 29 de Janeiro, e a requeri-
mento dos proprielarios do predio em que fanc-
ciona a Faculdade de Direito, depois de ouvida a
companhia, a eamm municipal desla cidade e o
ehefe d* repartifao das obras publicas, permitti
mpdWear a direoeao geral da linha, passando este
sotre aquele predio o em qae fuacckro as au-
seu rrera rodanle com oito carro* e uma-iocomo
va, qoep prestaram servicos nenies ltimos me-
zes; e reconhecendo a insufllciei>cia dos mesmos,
mcoromeuJoa mais dezessei carros e duas loco-
motivas./ Commegaram a funceionar no Io de
margo oe trens de carga i bapagem. Foram
substiMdoe por outros inei fortes e apropria-
ow ao grande movimenlo do- trafego, os trilhos
primitivos na exlensao da ron, d& Aurora s ofnu-
nas; melhoramehto que continuar a ser oppor-
tunamente feto em toda a licba.
Foram tambem substituid a travs e dormen-
tes longnudinaes da ponte sobre o rio Capibaribe,
e igual substituigao.' pretenda empreza fazer nos
tormentes da linha. Outros mclhoramentos se
tizeram na estagao desta cidnde, construindo-se
plaiaformas para embarque- e desembarque de
passageuos, carga e*agagen ; assim como, csta-
co> nos lugarf OIBonas, Caminho Novo e Tor
re, e-modilica^s em algumas curvas no intuit
de Ibes dar maiores raio. Nada, porm, se ha
reno quanto ao alargameno da estrada nos luga-
res em qae se tornou mais eslrela pela m eol-
tcacao dos trilhos, como na encrusilhada da Car-
roe, e em muits outios entre o Monteiro e
Apipucos^naxrae em toda a exlensao do balde,
melhoramento indispensavel e de que a mesma
empreza jamis e deve esquivar.
As offleinas esto providas d machnismo ne-
cesario a facilitar os reparos dos carros e loco-
motivas em qualquer emergencia.
CARRIS DE FERRO ENTRE A CAPITAL E
SEUS SUBURBIOS.
Aberla a concorrencia para o estabelechnento do
ystema de carris, autorisado pela lei n. 879 de
23 de junho do anno passado, apresenta-
ram-se duas propostas, sendo urna do bacharel
Zefenoo d'Almeida Pinto e Andr d'Abreu Porto,
eoutra de Jos Henrique Trindade. Contratei
com esle ultimo, em 19 de margo, por ser o que
melhores vanlagens offereceu, depois de ouvido o
parecer div engenheiro ehefe da repartico das
obras publicas, e guardando' as bases estabeleei-
das na lei cima citada.
Tendo o gerente do Brasilam Street Railway
Company Limited apresentado um protest meu
verunfundado e sem razio de ser por ter linha
de carris a que alludor direegao inteiramente di-
ver" da que est cargo d'aquella companhia, e
alem dio nao starem ainda determinadas as
ras e estradas por onde a mesma linha de oar-
ns tem de faier o-sea ctrso, deixei todava era
despacho laucado*o mesmo protest direito sal-
vo a referida cornaanha, para delle usar quando
e como Ihe convier.
1LLUMINACO A GAZ PARA AS CIDADES DE
OLINDA, GOYANNA E RIO FORMOSO.
*Der,apela segunda vez a concorrencia para a
raaminagao agazn'aquellas cidades por edtal de
w de- abrrl de WW, deixei de aceitar as propostes
de Adolpha Cavalcanti d'Oliveira Maciel, Williafc
Richards e Joaqaim Pires Carneiro Monteiro: a
do l. por ter sido apresenlada fra de lempo, a
do 2. por exigir pagamento conforme o cambio e
juros pela mora, e a do 3. por nao marcar as ho-
ras da illuminagao, e fixar um numero de com-
bustores nas cidades de Goyanna e Ro Formoso,
superior ao determinado na lei n. 833 de 22 de
maio de 1869 e mandei abrir nova concorrencia
por edital de 13 de dezembro.
Apresentaram-se quatro proposlas : duas do
referido William Richards, sendo ama para a ci-
dade de Olinda e ontra para a de Goyanna, urna
do mesmo Carneiro Monteiro para as tres cidades,
e a 3.a de Theodoro Just c Gustavo Adolpho Wurf-
fbain. Propondo-se estes dous ltimos a fazer a
illuminagao por um novo sysiema de gaz, denomi
nadohydro-carbonico, cuja luz afflrmam ser
mais clara e intensa, alm de mais barata que a
do gaz extrahidp do carvlo de pedra, por ser o
seu fabrico mais simples e menos dispendioso, e
prometiendo fazer as necessarias experiencias no
aparelho que esperam at o mez que hoje princi-
pia, aguardo o resultado das mesmas experiencias
para resolver de modo conveniente aos interesses
da provincia no intuito de jamis grava-la com
despezas que talvez possam ser consideravelraente
rcdusiJas pela adopglo do novo sysiema deque
venho de tallar.
ENCANAMENTO D'AGITA POTAVEL PARA A
CIDADE DE OLIXDA.
Em vista das ponderosas razoes que me expoz
o contraante desla empreza Justino Jos de Souza
Campos, concedi-lhe em 23 de fevereiro urna pro-
rogago de noventa das para apre3entagIo das
respectivas plantas.
COMPANHIA PERNAMBUCANA DE NAVEGACO
COSTEIRA A VAPOR.
Esta empreza tem prestado servigos ncontesta-
veis, desenvolvendo o commercio entre esta provin-
cia e aquellas em que tocam os seus vapores. No
decurso do anno passado dea 193 vagens, sendo
102 aos partos do su! e 91 aos do norte, 67 mais
do que aquellas que obrigada. Transportou
nos dose mezes ltimos 8751 passageiros entre os
diversos portos de sna navegacao, e mercadorias
no valor de 13,301:655*000, alm de............
6,404:938*768 em dinheiro. O seu servico por
dez vapores feilo com pontualidade e contento.
Nao ten, porm, por falta d'agua no rio S. Francis-
co, segunde informou o respectivo gerente, podido
daf caraprimento nessa parte ao contrato de 17
de julho de 1868, approvado pela lei a 868 de 12
de junho. do anuo passado.
Para occorrer s despezas dos armaaens e tra-
piches que se esli edificando nos portos de Jara-
gu, em Mamanguape na Parahvba, Penedo nas
Alagas, e no largo da Assembla, onde tem seu
escriptorio, emitlio algumas de suas aegoes, das
quaes apenas cerca de urna quarta parte se acha-
va distribuida no anno anterior; e o- mesmo ge-
rente informa que para ellas concorteram capitaes.
estraugeires.
A respectiva directora, em attencao seeca que
assola.va a zona da sua navegacao, reduzo os fro-
tes de alguns gneros de pnmelra necessidade,
como farinba de mandioca, milho, teijao etc., aba-
tendo era alguns casos entre 26-a 30 0/0 ; acto.
digno de louvor por ter sido inteiramente expon-
teneo.
Na remessa que por ordera da presidencia se
fez de gneros de primeira necessidade em soc-
corro dos habitantes indigentes dos municipios de
Cabrokk, Salguelro, Granito Boa vista, Ourieurv
por intermedio da provincia do Cea, -a, a directora
da companhia por meio do gerente offereceu o
transporte de taes gneros daqui al cidade do
Aracaly gratuitamente; etferecmento que aceitei
e agradec.
ABERTURA E CANALJSAgO DO RIO GOYANNA.
A lei n. 878 de 23 dejuiiho ultimo autorisott, a
presidencia a contratar com Manoel Polycarpo Mo-
reira de Azevedo, oa com quem melhores vanta -
gens offerecesse, a abertura e canalisacao do rio
Goyanna.
No edital de 2L.de outubro mandn o mea ante
eessor abrir coneorreucia para a realisacao dessa
empreza. Nenhum* proposta fot. apresenlada.
A cmara municipal de Goyanna, porm. enlen-
deu qae a contratar poda, e efectivamente o fez,
contratanda com aquehe Mpreira de Aievedo a
abertura do rio, e submettendo o contrato i ap-
provaoao da presidencia, oom offlcio de 14 do re-
ferido roez de outabeo.
Faltando quell. caraira municipal competencia
para oontractar uma.oura que so a presidencia
liuh sido autpriadA faze-lo, deLiei de pprovar
o contrato, e mandei, po edital de 25 de feverei-
ro, ahnr de novo concurrencia para realisaciv
desse nielhoramento.
COMPANHIA DthfEBERlBE.
A requerMBeolo de diveisos proprielarios e mo-
radore, do povoados de Sant> Aona, Casa Forte e
aldeireiro, perlencentes > fregnezia do Poco da
anella autorwei em 3 de Janeiro a companhia. do
iieuerie, desos de a ouvrr a-constrnir mais dous
niatarizes, sendo um no largo do terceiro daqnel-
les povoados,. e o outro no- largo em frente da
igreja matriz daquella fr'egneaia mediante a pro-
rogago de que trata o I.& do art. 2 da lei n 40
de 14 de junho de 1837.
COMPANHIA VKILANTF.
Tem esta companhia dous vapores Camarambe
e Wleqne, de fergs o primeiro de 80 e o segundo
e O cavallos, com a marcha regular de 7 i/t1
e 3 1/2 milhas por hora, tmente coro accommoda-
coes para a respectiva tripolacao, e empregara-se
em rebocar navios e alvarengas para dentrae fora-
do porto e soorrer os que precisam de seus ser-
vigos.
m&J&I6! Lsua renda brute 6 re8ila de.....
p3:000*000 a 60:000*000 e de 5,00*.a 8:000*)
liquida tambem variavel, e sugeita conceites
Os estipendios que percebe pelos servigos que .
prestara os seus vapores sao- os marcados na ta-
bella approvada pelo meu antecessor em 29 de
setembro de S869, que.vos ser, apresenlada.
ILLUMIEACAO DA CIDADE.
pifflcilmente pode fazer-se n.servico da sua is-
calisagao, di o respectivo engenbeiro fiscal, sem o
auxilio de agentes especialmente oceupados em
vigiar o seu estado durante a note por todo os
pontos por onde ella se estende.
Convm alterar o respectivo contrato no sen-
tido dse a cidade Iluminada por toda a noite,
para nao ficar em trovas como tem acontecido
muitas veas, e succeder sempre no invern,
quando a la por qualquer cireumstanca do lem-
po se nao deixa ver.
ESGOTO DA CIDADE.
Esta empreza deu comego aos seus trabalhos 00
lugar das Cinco Pontas da freguezia de S. Jos;
esti construindo all o edificio em que devem ser
assentadas as machinas da elevacao d'agua para
seu respectivo reservatorio, e assentando e encana-
mento. at a Cabanga. Presentemente contina os
trabalhos do mesmo encauamento no areai do For-
te e na ra Augusta : e j pedio designaglo de
localidade nas outras freguezias para collocaglo de
machinas idnticas das Cinco Pontas, o que pen-
de de resolucao desta presidencia.
BIOGRAPHIAS DE PERNAMBUCANOS 1L-
Ll'STRES.
Tendo_ o meu antecessor, depois de ouvida a
commissao que nomeou para dar parecer sobre o
merecimento das oilo biographias de que trate a
lei n 831 de 22 de maio de 1868, autorisado a
thesouraria provincial a contratar nos termos da
citida lei com o commendador Antonio Joaquim
de Mello a otBpra d'es trato em 15 de novembro, e aguardo infrmaces
que exigi para providenciar sobre a impresso das
mesitas.
ESTATISTICA DA PROVINCIA.
Por deliberarlo de 23 de dezembro do anno
passado, eattendendo s ponderagdes feitas pelo
contratante da confeegao da estalistica deste pro-
vincia Dr. Jos Joaquim Tavares Belfort, resolv,
de eonformidade con a primeira condigao do con-
trato celebrado em 18 de outubro de 1867, proro-
gar por um anno o prazo eslabeleeido na referida
condigao para concluslo dos trabalhos da mesma
eslalistica, continuando em vigor pelo tempo da
prorogaglo as condigSes.
SECRETARIA DO GOVERNO.
Acha-se no gosn de urna licenga de 4 mezes
sem vencimentos, concedida pelo governo impe-
rial, o secretario da presidencia Dr. Joaquim Cor-
rea de Araujo, e qual est sendo interinamente
substituido pelo secretario que interinamente no-
meei, o bacharel Elias Frederico de Almeida e
Albuqnerque.
Importante auxilio me prestou, durante o seu
exercicio, o Dr. Joaquim Correa de Araujo, na
qualjdade de secretario da presidencia. Sua Ilus-
trara >, a fidelidade propria do seu carcter, a de-
dicago no servigo publico o tornam digno da
mais destineta consideracao.
Esta repartirlo funeciona com a regularidade
que possivel, no meio dos multiplicados trabalhos
que por ella correm, e diariamente cada vez mais
se augmeotam. Por ella se expediram no anno
prximo findo offlcios dirigidos aos diversos minis-
terios 1,113, portaras s differentes autoridades
10,304, deliberagoes 873, offlcios do secretario
2,720, ttulos 864, ditos de ordens do thesouro
269, do ministerio da guerra 66, e offlcios de di-
rectoras geraes 20, leis da assembla provincial
51, total 17,154, alm das portaras de navios,
passaportes, circulares, termos de contrato, minu-
tas de cada peca offlcial expedida, e do extracto
de todo o expediente para sua publicaglo.
Ainda nio est em da o registro do expediente
at a data em que principiou a ser impresso.
Continuara a ser copiados os livros antigos do
archivo que se achara em rao estado, alguns dos
quaes esto ininteligiveis e completamente inuti-
lisados pela qaalidade de tinta com que foram
criptts.
Auxilio muito efflcaz me ha prestado tambe j
offlcial -maior bacharel Antonio Annes Jacome Pires.
A sua elevada intelligncia, sua probidade, o ieh>
e dedicagao pelo servigo publico o tornam assaz
reeomnijndado e digno de toda a consideracao.
K' neeessario que consignis um crdito para o
melhoramento material, aceio, decoraglo, compra
de movis e livros de que temo precisa e indis-
pensavel prover a principal repartgao da pro-
vincia.
Tambem eomparlilho a idea da que os emolu-
mentos que por ellase arrecadam e fazem parte dos
vencimentos dos respectivos empregados, passem
a ser cobrados pelo cofre da thesouraria, compen-
saado-se os mesmos empregados com urna letri-
buieao correspondente s vantagans que deixareta
deperceber. No relatorio apresentado o anno
passado por meu autecesser, encontrareis as bases
para, esta medida, que convm realisar.
C racluindo, cabe-rae dizer que tenho ido auxi-
liado por todos os ehefe de repartigues.
Sao estas as inbrraagdes que vos notso minis-
trar, as indicages que me foi possivel fazer Mste
trabalho, sem duvida incomnMe defectivo ; o
que se deve attribuir nio s i miaba inuifflffhw-
eia, como escasse do tempo de minha"Vlmiiiis-
tricao, de cinco mezes nao completos. Estes faites,
serao, porm, convenientemente snppridas pela.
vossa illustracao, e pelo eonhecimeoto profundo
que leudes dos negocios da provincia.
Fago votos, sniores, afim de que o resultad
de vossos trabalhos seja assai fecundo em benefi-
cios para a provincia que vos elegeu, e que eu te-
nho a honra de Administrar.
Palacio da presidencia de Peroarabuco, 1* de
abril de 1870.
Frederico de Alwutdu e Albvquerqe.
i
DBSPACHOS DA rMSiDINCIA OA PR0VWCIA W KA U
DB ABRIL DI 1870.
Alfredo Cardoso Pereira.A'viste da ioformaci
use o supplicante dos raeios ordinarios que a le
Use faculte.
Americo Olvmpio de Macedo.-O requerimeak
do supplicante foi remeitido a thesouraria de te-
te Oda em 2 do corrente para informar.


I
i


Diario de Peraambuijo ^ Quarta fera 20 de Abril de 1870.
flUU I
Bario do Livramento.Expeca-se ord|
o supplicante ser exonerado.
. Amo Carneiro da Cuoha.Informe o Sr.
nei coaonodanle superior injer oo da guarda na-
cional d municipio do Recife.
Eogeoiieiro Gustavo Adolptao.Informe Ti cma-
ra nimcial desta ciiade.
H.iuriquet Margarida do Naseimento.Dirija te
ao Sr. desembargador provedor da Santa Gasa de
Misericordia em sesakula junta.
Heraclo Constonflo de Paula Monteiro.Solici-
Toase da asseinHa legislativa provincial crdito
p*ra o pagamento de que trata.
Joaquina HugoMao da Silva Fragoso.-Goma re
2=

Padre Lourenco de Albuquerque Loyola.Fica
expedida a conveniente ordem.
Bachnivl Marros Correa da amaraTamarind.
A'visla das informarle* Bcau. abonadas as faltas,
nao para o Hm de recebe:- ordenado durante os
dea das era que estam fra do ejercicio : a este
respailo prove o supplicante o direito que tiver
aerante a thesoutaria de fazenda.
Thaodoro Jusl e Dr. Gustavo Adolpho.Posto
que pelas experiencias feitas peranlo miin e enge-
oneiros me "pareja que o contrato c<>m os snppli
cantos v.mtajoso a provincia, todava nao icnh >
lempo para enVctualo : mea successor provi-
denciar como eulender cinvenmle.
Tenente Torquato de Soma Ramalho. Nao ha
por ora emprego algum vago, quo o supplicante
peeea oceupar, quando liouver, requeira que sera
alten 11 Jo.
Antonio Juaqaim de Almeida Guedej Alcoforado.
Eucaminhe-se.
Sarao de Palmares.Expedio-se ordem no senil
4o que o supplicvate roquor.
Carlos Martius de Almeld*Dirija-se ao Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
leucnte Ht nrique Tiberio Cai'rystano.Dirija- se
ao Sr. regador do Gymnssio provincial.
Luiz Antonio Fernandos Pinheiro.Ao Sr. Ins-
pector da thesouraria de fazenda com a portara
ilesta data.
Paulo Mirtins de Almeida.Gomo reqaer.
Abiixo assignados proprietarios e moradores da
freguezia do Poco da Panella.Remella se a as-
semidea legislativa provincial.
Padre Antonio da Cunha Figneirdo.Ao Sr.
inspector da thesouraria de fazenda com a pjrla
ria desta dala e o requerimento anterior.
Padre Antonio da Gunha Figneirdo.Ao Sr.
inspector da thesouraria de fazenda com a porta-
ria desta data.
Ctpitao Firmino Correa Pessa de Mello.Expe-
ga se ordem oara ser dada a guia.
llnente Fernando Francisco d'Aguiar Montar-
royos.Defirido com a pillarla desta dala do
inspector da ihesourana de fazenda.
J.o Baptsta do Amaral Jnnior.A' vista das
m)rmac5es deferido.
Capitn Jos Antonio Pereira.A' vista das in-
formacoes nada ha que providenciar.
Jos Stares Montelro.Ao Sr. in-pector da the-
souraria de fazenda rom a portara desta data.
Jus Antonio de Leo.Ao Sr. inspector da the-
souraria de fazenda com a portara desta data.
Jos Joaquim Fermra de Souza.Ao Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda com a portara
desta data.
A (Teres Laurentino Feliz de Oliveira Lima.In-
fern-e o Sr. lenle coronel commandante do
coi no provisorio de polica.
Slanoel Antonio de Jesns. Pediram-se provi
dencias a assembia legislativa provincial.
Pedro Cavbante do Repo e Albuquerque.A'
vista das inf-rmaVOes ndef-irido.
Set>as iao Gomes Barbosa.-Informe o Sr. Dr.
juiz municipal da primeira vara, declarando le o
supplieaBte tem de ir para Fernando.
Alt- res Tiburtino Pinto de Almeida Jnnior.
informe o Sr. inspprtcr da thesouraria pn vincial.
Victorino Antonio de Alcntara. Expeca-se
ord< ra para cessar o descont.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
ASREMDLEA PROVLVf.lAL.-Hontem approvoq
a asseinlila em !.' di~ciis>5) o projeclo n. 16
de te anno, que aut risa o governo a contratar a
recorntrncgao do iheatro de Santa Isabel; o de n.
18 deste anno, qne an.torisa o pi>verun a emprestar
cmara municipal da Victoria^ 5:000 para a
c/'U-lrucean de um remiten, nrsVti'ns Srs. Gns
m> Lobo, Cues Cavalcanti,' Felippe de PigueirC'-
o A. Cavalcante, e mandando se onvir wbre a
materia a commisao de ornamento municipal
Entrando em dtaarsln o projecto n. i do anno
oassaift; que a pre-idencia da provincia negou
sain-ci a reqoerimento do Sr. Manuel do Reg.
fi rvmeliido c nnmissao de constiinicao, bem
como w nulros em idnticas circunstancias.
A rdem do lia para fenje : pareceres ada
-V*; 2.a di-cnssa i do- projectos n. 6, 7, 8, 9 e 12
d'.-fte a'-no; 3.* dos do ns. 10 e 11 do mesmo an-
n i; o do de n. 16.
GUARDA NACIONAL Por deliberacan da pre
fidencia da provincia da 16 do corrente, mandou1-
rc dar guia de pa-sgem para o municipio d^
itecife, Ptonlno Corr i Pnssoa de Mello capitn
do halalhao n. 11 do municipio de Limopiro.
AUTORIDADES POLICIAES.-Por dcliberagao
ia 16, furain noineados para o l. li-iricio da suh-
Ji legara da freguezia dos Af 'gados : l. e 2."
sii|iilentes os actnaes 2. e 3. Tri-lao Jacomo de
Araoj e Jos Lucio Lins, e para 3." Manoel Gome
Pereira Guerra.
FESTEJOS POPULARES.Comecam amanbaa
> sr'Hdes festejos pela lu'ilhanle terminarn da
Rnrrra rarntay, para os quaes as comrnissoes publicas e
particulares nada tem poupado, e que promettem
^r snmptunsas e sorprendentes.
De acord cm a presidencia da provincia, a
cantara municipal e Dr. chefe de polica, as com-
missi's enrarregadas dos fesiej >s reo|veram ajan
MtHHl elles: felo solemne Te-Deum mandad'
nei irar pela municipalidade na matriz da fregue-
zia do Santo Antonio, no dia 21; segralo se Ihe
a iiasseiati dns batalhoes patriticos, no dia 22'e
os festejos parciaes da ras d i cidade, no dia 23;
e concloind >-se pelo extraorlinario fugo de arti-
lin,., novo na maior p;rte das p^cas a seren
Mm. das. e a mageslosa illuniiiiac.w gaz de
Carca do dez mil luzes. no dia 24 a noute, entre as
p-mb-s da Boa Vista ede Pedro II.
ftirnte os intervaHos desses festejos, tocio de
da como nonte, pedoro haver passoatas p e
a c.-iva.i com recitaedes de discarsos e poesas,
bfm como qnaesquer onlms festejiw |oe tiverenv
~jd > nrenarados por algumai sociedades ou cer-
neraeSes.
A cmara municipal o as commissoes snpra
wm-ionndas convidara toda a px^pnlaco a illnmi-
ava ft frintes das suas ca-as durante as nooles
d-ses das.
Par mai.ir com nodidade da populaciio o Sr.
!r. cbi-fo de noticia nni>*ioo tran .juer Tehiculo dentro ota mas da Cidade na non-
tes dos fe-tejos para assira evitar os atropello
desastres.
O 5DEM DO DIADamos em seguida a d>
Exni. Sr. commandante dadrvUao pitriotica da
cid.de do Recife :
Y'va n nago brasileira I
t Q lariel do cuminando da divlsao patritica da
fidade do Recife.Ontem do da n 1.
-0 coronel, fbaixo asslgnodo, commaddanlB (Ja
rri-o compisl dos biw(H6es patriticos drga
pisados, e que s houvefem de organisar nesta ci-
ihden snharbos. s'b o infltrxn da bri'isa secied-
ile ^ni- de Seteibro: para o flm te fclej^r fe-
liz e glorioso deseiflace pm-ftosa gnerra qtt? n,
Rrasii leve de pel-j.r ?ntra o tyraimo ch.'-ie da
repblica do Paraguay, em desnggratode ua fioq-i
ra e digni'tade, desejan*' fiaf inesma divisao,
urna oranisa'cft <5ouveniente, de modo a satisn-
ier o< a>< a que se destina c a preeneber as visti
da nienna snciedad*, c e nambncano, ijue por nraitns e valiosos tilutos s
regosijar ebm a tnrmitiacS da guerra, re-;
rmprmha de iftras brig-j
patriticos que estrve-
dwe
^ve:
I.* Que i dlvisli
ila% e wia 'dos batalhos
rcm organisailos,
r Que i batalhoes do Santo Antonio, *
HMUt' e i" cors>0 dc ten? rrigail-,xmn commind do Sr. eoroncl ATxn.1
j de parro* e .Uburjiu-rque, e>js balalhoes fh-
ata. Hemiqne Oas, b corno Se cavallaria
fie, pertcn^m ai* brigada, que serem-
I pe!.) Sr. (enenteci.ronol Apolinari. Fio-
Hfc AfbWiJnfcrqae MirsnhSn S ^A divisa'kwnn nv'C'tamnas cerradas
no ea aocansL 4 horas ia,urie4odia
nte, e d'ahi seguir para a rui oV lip
ebor o carro do triurapio, quo leve
roas da cidade, dew-nd para at a
jta ta cniVxar-Q na (cante do carro,' e*
retaguarda.
. i. Sjinira a divlsao em dircfQira ao palacio
ftPM|N|i d'ahi ekpoit*de Pedro U.ruai
Aurora, Forraos, Hoipteo, Impcratriz, Nova,
Cabug, larga do Rosario, estrella do Rosarlo,
Duque de Cala}, Crespo, Imperador, 4bu-
dar.
8. Sao nomeados para servir junto este
commando :
Ajodantes de campo os Srs. major Luiz Au-
gusto Coelho Cintra e capitu Joa Joaquim Coe-
o Assislnle-ajadante do qnarlai-mestre general
o Sr. major Jo 4 Luiz Pereira.
< Assistente do ajudaate general o Sr. Joa An-
tonio Pinto.
Cirurgiao-;-mJr da diviso o Sr. Dr. Joao Ma-
ra 8eve
t Ajudantes de ordens os Srs. Manoel Menoleo
Pinto, Dr. Heni ique Hamede L'.ns de Almeida, Joa-
quim Das dos Santos, e Antonio da.Silva Naves.
Paraservirem junto ao commando la l* Bri-
gada : j
Assistente do ajudante general o Sr. Joa de
S Leillo Jnior.
\ssistente do ajudantu quartel-mestro ge-
neral o Sr. Amaro de Barros Correa.
< .\U'iante do ordens os Srs. Severiuo Duarle, e
Lourenco de S e Albuquerque.
Para servirem junto ao commando da 2* bri-
gada:
Assistente. do quariel general e Sr. Jos Gui-
iherrae Guimaraes.
t Ajudantes de ordens o Sr. Dr. Antonio Domin-
gos Pintos Jnior, e Manoel Januario d'Arruda.
O cumian Jaute da diviso nutre a espera&ca
de quo os Srs. comman Jantes das brigadas e ba-
talhoes se esfircarao para que os inesinos bata
Ihoes imrchsni com o maior no mero de pracas
possivel. guardando na marcha a ordem e regula-
ridide precisa ao realce dos festejos.Assignado.
Coronel, Jas Marta Ildefonso Jacom da Vetqa
Pessa e Mello.
TKDKl'M.A commssao da Cmara Municipal
encarregada do mandar celebrar o Tecwn,
amanba, tem envidado todos os tsfii jos para
apresentar urna fefla na altura do objacto.
Teiu sido convidados varios amadores de um e
outro sexo, para tomaren! parte na execmjo da
msica : assim os solos de contralto sero execu-
lados pelas Exma?. Sras. D. Maria Braga, D. Ade-
laide Wanderley e-D. Mara Teixeira Lopes, os
sios de lenor pelo Sr. Dr. Paulino Chaves; os
le barylono pelo Sr. Claudio Ideburque Carneiro
i.eal ; o os de haixo profundo pelo Sr. Manoel
Servino Marineo Falcan.
O Sr. Dr. Lobo Moscoso tocar na sua mavosa
flauta um slo antes da onacao sagrada, que ser
lita pelo distincto pregador pnego Dr. Nobre
Pelinca. '
l'es 6a entendida, que tem assistido aos eAs.- ios,
alIi.ioe,-in- que as Exinas. Sras. tem desenp
nhado' as suas paites com tuda a mestra, bem
como os demais amadores. Devenios, prtanlo,
esperar urna testa como nunca houve.
O templo, acha-e irnan entado cojn o maior
gosto e brilianismo, e estar aberto at depois
das 9 horas da noite para ser vis tado por aquel
las pesadas que o nao poderem fazer durante o
dia.
Estamos cerlns que a cmara municipal desta
cidade desempenhar a sua fesia com .toda a
grandes e magnitude, e desde j Ihe damos os
n os so i em boras.
MORTE CASUAL. -No dh 14 do corrente, uo
logar Culrim do termo do Cabo, fallecen a preta
liberta Anna Domingas da Trindade, victima de
urna api'plexu fulminante.
ANMVERSARIO.-&impletam-se amanbaa 49
annos que el-rei D. Joaa VI deixou o Brasil em
busca de Portugnl.
THESOURARIA DE FAZENDA.-rNo dia 25 do
corrente mvi deve ter lugar o concurso para
preenchimento dos lugares do praticantes des*a
i'ejarti<;ao, da alf inJcga e da meza de rendas, ver-
sando elle sobre leilura, analyse grammatleal, or-
tographia, arithinetica e suas applicaae9 ao com-
Hercio, con espixialidado a redueco de pesos e
medidas, calculo de descont, ja/os simples e com-
pustos, tbeoria de cambios n suas applicaciV-s. "
COMMEMRAGO FNEBRE -Tem hoje lugar
Smissa e meim-uio que a irmaudade acadmica
s Nossa Seuhora do Boin C oeelho manda cele-
brar pelo eteruu rep.-o do Exm. Sr. Dr. Braz Flo-
rnntipo Henriqut'S de Suuza, inembro de.-sa cor-
pora(o.
LEILO.O senle Martins faz hojeleilo as II
horas d<> da, de duas casas, terreas na Baj a
Verde.(Capuuga) no armazem n. 18 da ruado
Imperador, e ao ineio dia de urna armacao gaze
utensilio no pateo da Penha n. 8.
LOTERA.A que se acha venda a 144%
hcnelii'in da igreja, da Casa Forte, a qual corre
no da 26.
CEMITERiO PUBLICO.Obtturo do dia 19 de
abril de 1870.
Manuel J'iaqmm de Sant'Anna, Pernambuco, 20
annos, solti-iro, Boa-Vista; enlero hepalite.
Hermencgild >, Pernambuco, 6 das, Boa-Vista ;
espasmo.
Ignacio, Pernambuco, 30 annos, solleiro, Boa
Vista ; amolecimenio cerebral.
Barnib, Pernambuco, 40 annos, s>lteiro, Bo-
Vista; phtysica.
Mara, Pornair.buco, 38 annos, soltera, Boa-
Vista ; nydruperiRardte.
babel Tlureza de lesa*. Pernambuco, 70 annos,
solteira, S. Jos; tubrculos pulmonares.
Josrpha Maria da i; nci-icao. Pernambuco, 50
anuos, casada, Boa-Vista ; cancro no tero
Luduvinii, Pernambuco, 1 anno, Boa Vista;
gfstro enterile,
Recife, 18 de abril de 1870.
Un Pernomoucaiw.
are. redactores.A bem da verdade do meu
p declarar que logo que aqu ohegou, em o
Dua* pa TraaaWbM dlstlactoj
teaieaite erafdl Prlas Villar e>
latUffereattamo das Per-
aalicoc*
Qoandp nm 1865- o Brasil se apresenUva irado
e se ergua como um so Itomem para desaronlar
sna honra vingar o ultrajes atirados a sua
lace pelo maier despota deste seculo, o dictador
do Paraguay, enrgirara emo por neaatodt seu
seio as phatanges de voluntarios que se arroja-.
ram ao fervor dos combates e de triumpho em
triumpho cumpriram gloriosamente e seu dever
A provincia de Pernambuco, cuja historia
raempraveh acudi presaurosa ao redan da patria
enviou sons carpos de voluntarios, o seu contin-
gente de guarda nacional.
* Foi eseolhido entlo para commandar e organsar
0 priraeiro ccMiiingente u major do 4a batalno de
artillara da guarda nacional Alexandre Augusto
de Fras Villar, pelo presidente Dr Castello Bi-anco
que por sua admiiitracao ja-icera adquiri as
sympathiaado povo lVrnambucano.
Organisado o batilho era agosto, foi elle no-
aieajo a 30.de selembro leaento-coronel eflectvo.
A* 23 de outubro oinbarcou cora o batalbo para
a corte, onde chegon a 3u do mesmo moz; atilde-
morou-se 18 das, o embarcou com o mosmobs-
latho a 18 de novambro com destino ao theatr
da guerra.
iu?r^.KunffA cascavel, la-
rea, Prias Villar linha de eamprir um duplu
dever, urna ordem do governo imperial, e o dever
cjmo Brasilero de sustentar por exempl> de co-
ragem, do instruwio e do honra a disciplina e a
dignidade do batalbo me commandava e por
lauto uianter iutacloe pea conBaoca que mereeeu
os brioso* da provincia -de Pernambuco na peisoa
do mesmo balalho.
Vejamas agora como rumprr essa mssao.
A 23.de novembro chegou elle com seu batalha
passado, o Exm. e Rvm. Sr. & abbade de.S.
lento, fre Eugenio de Santa Eaenelastica, fe-me
o favor de rae precurar e tere para comigo a de-
licadeza de me consultar a proposito de concert
da gnita le Nossa Senhora 'do Mmte em Olinda e
dos matos de o realisar; e paz ento disposic^i
de S. te.0 producto da primeira parte da lotera
por mim obtida para o concert d'aquella igreja,
em materiaes ja comprados e o produjo da se-
gunda lotera, producto inda recolhido aos cofres
provnan mas S. Exc. o Sr. D. abbade, procu-
rando por si oulros meios nessa occasio, nao os
poude obler, at que, ha um mez, pouco mais oo
monos S. Exc, o Sr. D. abbade de novo procren-
me e ooncocdainos em quo, logo que cessasse o
invern, se desse principio aquella obra, dizen-
do-me S. Exc que, mnito embra houve-se demo-
ra, na extracijo da lotera, pois que lendo ella si
do concedida pela lei n. 593 de 1866 c s tivessem
corrido duas parles da dita lotera, o concert da
igreja se faria.
Recife, 49 de abril de 1870.
O juiz perpetuo
Ikinotl Luiz Viris.
ALFANDEOA.
fteadimenio tedala 18. 477:324*736
dem do dia 19. 4l:967t48
522:291il84
MOVIMENTO DA ALfANDgGA
'olumes entrados com fazendas
dem dem com gneros
olumes manidos com fajeadas
dem dem cora gaeres
36
461
--------- 497
131
441
'------S77
Descarregam boje 20 da abril
Patacho In JezClldentnreadorias.'
Barca inglea ntora-dem,
Barca ingleza Talismnfarinhade trigo.
Brigue norte allemo//farinna de trigo.
E-cuna iaglmiJfnry .4/innfannha de trigo.
Escuna austracaWotarinha de trigo.
Patacho noruegueuseFavoritaidem.
Galera ingleza /fc/mion*roercadorias.
Brigue norte allemo roomercadorias.
Patacho porluguezSeixasidem.
Brigue inglesMUid-m.
Rarca ingleza/mon/ncarvo.
Escuna aortuguezaDias ralho.
'EGEBEDURtA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
tendimento do dia 2 a 18. 37:299**36
dem do dia 19....... 1:417*095
PUBLICAOES
A PEDIDO.
iWfsi7i3 M deserto I
cesseg.
clama nao
Suppl;menlo ao embargos publicados no Diario
dc 14 do crrente.
P. que, ninBiieir. se pode apegar ao direito ulheio.
P. que, as padanias palean a lercoro por anin
de compra ou heraoca. e nao por arrendament de
casa j (indos e feUos atraz da porta...
P. que, o forno e mais obras enraizadas nao
[lertencem casa, como pretende o embargado
-m ser o dono de ama nm di outra... (certidoes
ft-.6i eMO.)
P. que, as pananas sao garantidas nos lugares
em que se acham por leis ?spcciaes; e se asim
nao fosse', o salteador vendera por 1:000*080
urna simples licenca para construir mn fumo
quina do beeco do Rosario, mubando assim o dono
ao predio...
P. que, os atensBios e movis d padaria n. 38
san enmurados em 1863, parte pelo prnprio em-
bargad que os desceatou nos alugueis. (Recibo a.
1.88.)
P. que, nao existe acto judicial, de ter sabido
da padaria o. 88 object algum para deposit (cer-
tidoes a fi. 7 e Uj e bem assim na i existe nella
iiteneilio8 era duplcala ou abandonados, v-lindo
nicamente os necesitarlos ao trafico, (vistorias de
1864 e 4869 a ft. 7 e 118)
r. que, os uteneilue velaos presentados ao jai/
do enumerei> na casa n. 98 (que urna xidurtu
iesalteador) co.no se da de n. 38. a ella per
lancen, e nao a esta, eomo reconhecen n jniz, e
lirova a vistorian II 7o.
P. que, embargado s depois que tutnguecen,
n /mude io contrato, que Um acka itfeitox.
P. que, jiaa dm roobo estes seca oiafirraa
do por nm trtbnnal tan justiceeiro e moralisado
eomo o tribunal ia commercia, atorawnle extan-
do mais calvas as circurasbmetas apgravintes do
Ffluh'i, e havendo vm-ar,sto; e assim
P. que o restanie da melhor gosto e em maior
acalla llca para o snalentacao.
Espera feceber jifstio, jusuca, justiea, o advo-
gado mgoeiro, sopbimista o meniiroso
DroxeUas da F.
O nventureiro pos^uidor n podaras dc gruca
e o* rtfiueiros atadantts, estao omnadox com o
gemde dos ypos(exenplo de *88**t806.-^-
mo yistam dar. tricas), que poblicaram es arti
fuimos oo castello de asnearas levan la do porra
mente no Jornal do Heafe n. OS de SI do margo
prximo passado. 'Como escaparam fases Judas
aii romper da Ateiuia 1 I.! I Seria pelos -puaW-
mkotm... itf...
V le. leitoros, com que direito litiga o al-
MB*MI
Vdde, Jeir.rps, Bem se diz, eaaa qual d o qne tem.
E. na# havendop^ifta ora (arele, nnsero m-
lados toiromundD l:rrejWn que t idiam at< -
*ai>xi Bartulaba nutro Tumo ase face-tos saltar
ra mometm-t usorer-hiertoe direitt-w**
Hum bas do pessa...
O advogado tngwiiro 3opbhni8ta e mentiroso
a Montevideo, o d'ahi parti para Corriente onde
chegou em li de dezembro. m
A 17 de abril do 1866 foi a grandiosa pJnageni
do exercifu brasilero pelo rio P.ran, passagem
que foi realizad i pelo grande general .Ozono com
reliz xito, pericia e denodo militar.
O balalho 51 sob o mando de Fras Villar
seguio lamhem neste dia para o territorio inimgo,
e acampou em Tuyuty.
Deram-se a- batalhasde 2, 20, 22, 24, e 28 de
mau daquelle anno, mortferas, encaroicadas, as
prmeiras da Araerica.do' gnl I
0 exerclto imperial* forte de 4000 homeos.
fui. assaltado em torca superior pelo inimgo sel-
vajjem defndend'Vse eum denodo; a victoria foi
sna ; .?.
Neste. dia o batalbo 51 cabrio se de kraros, o
vulto que se destaca va na ordem do mando foi
de .sea chefe qne no ineio das metralhas, ao clan-
gor das trombotas, cercado do bayoneta", saino
triumuhanle, provandi com a sua bravura o
balalho, a bravura de seu commandante I
0 nimigo depois desta operaco recolbeu-se
aos baluartes, e com fortes canboneos bombar-
de.av.-i o acampamento brasilero.
Ah na vanguarda assistio aquello commandante
todos os bombardeamento que se seguiam.
Picando gravemente doente a 17 de junho, foi
para Corrientes, e logo depois regressou ao exer
cito era Ia de setembro unile outra vez o dever
o chamava.
Por decreto e 21 dd setembro foi nomeado ca-
valheiro da ordem de S. Rento de Avz.
Tuvo antes a sua prowoco de ^apito do estado
piaior por decret del'de junho em queogo
verno promoveu os effi.iiaes do. exercilo por sei -
vicos reievanles.
Houve o reconhecimento das ^riilkaQoes de
Tuyu-Cu a 30 de jullio, o sea. batalbo tomn
parte no comb te t dia segralo na vanguarda
do exercilo que eslava confiada o genetal awio.
Tendo-se distinguido de uilr modo brimaoie
(.Oeste di, fui andado comprimentar e Wliciiai
pelos jeueraes marquoz le Casual. e Oz ir que
nao arateiaoi elogios era todo rigor militar e de
guerra I
Santo o decreto das 'condeeracoe', foi elle
agraciado com o grao da orden de Cbristo.
quando at j era ofricial da ordem da Ro-a,
salido que ouiros foram noineados com raen d alto-
res pelo- roesuis servc/is I
Surgi o auno de 1868, continua va a malfadada
guerra, era j commandante era chite do exer-
cilo o venerando narquez de Casias, que ne>t-'
penodo tinha de cumprir com o mandato aura
droso que I lie fui condado pelo governo imperial.
Depwsde quatio anuos de lulas ince-janam e
de sacrilicios dos brasileiros uas inhspitas plags
do Paraguay, parece qun se devia qoeknsr e ui
limo caituxo ou suecumbir glorioso na desaffroala,
na campaaha pi-rtlada e sanguinolenta pela qual
converja a aitcnco da Europa, da America ou
do mundo oteiro I
Que periodo e-te de heroicas esperan cas, du
lloras de triumph-i, de conquista dos baluarte e
derrotas do ininigo, em quo cada soldado um
bravo, cada chefe, omm-uidanie ou general o in
irepilu de'Vi a.-or do sea corpo, do exercilo e da
honra do Brasil t
Comecam un a serie dc feitos brhantes ueste
periodu : os ataques da liona negra, do estabele-
cioumto, de Pasio-Pnc, 4e Huma)la e Angostura,
em lodos eNes o batalbo 51 aahio victorioso, e
distmgurado por seu ardor na peleja voz ener
gica e o sangue Irio do seu bravo coramandanie
Fras Villar que, j major de linha por servico
reJevanle, fc.i manilado felicitar era ordem do
da do general era chefe,. depois do forte ataqu i
dado pelo nosso exercilo no reconhecinente .U
sepa-tupil paraguya, chamada Huinayt, que
cabio fulminada, calando aos seos imiuen-o-
canhoes, cmn.j um dos offieaes que mais fe dis
linguio neste ataque f
Foi necessaria a pcrseguijo do nimigo tenaz,
do tyranno Lpez, atravez dospampo3; por eon-
sequencia, novos ataques que s podiam ter lagar
no chaco, e .le.Ti deste inmenso territorio caber-
lo de matas upem-traveis e de pantanos
Aquello batalha. fez com o nosso exercilo a
passagern do chaco, embarcando em Palmas.
Vamos agora apreciar depois da passagem do
chaco, duas grandes opera^oes militares quedeci
dir.'in da grande can>panba do Paraguay.
A primeira foi o combate na ponte do llore r
em ti d" dezembro, combate reunido era que .o
exercilo travun corpo a corpo com a tropa do ini-
mgo feroz, esforcajido-se pr gaohar aponte, re-
cuou 6 vezes, quando o bravo Caxias com heros-
mo de nm vetorano, decidilo a honra do impe
rio, manda cum o gladio em punbo, pela ultima,
vez o seu exurcito n > ineio do urna tormenta de
fugo carregac sobre o inwiigo; ate recua a tioal,
expavori Ju e derrotado I A victoria nossa I
O 31, aiuda desla vez leva a siw parte bnlhan-
te culhendo mais louros para a sua Ironte de guer-
rerus i
A ulUma batalha, a. de Lomas Valentinas, una
das mais brllantos que se seguio, conipletou a co-
ri3a de glorias de>te.eorpo.
Frias Villar elevua-se>ne um bravo, do nm militar deslindo !
F elle no ardor da peleja que com hbil mano-
bra e iutrepi lei, mandanda o sea balalho formar
quadrado, involveu o inimgo as suas bayonetas
salvando o general em chefe e o seu estado-maior
quando corriam eminente pefigol
Abi estSo asparte offioiaee qne attestm, o o
proprio genoral qne o nbr}ou, e os sena oamara-
-da que o admira van,.sendo no campo ia bata-
Jlu pur actos de bravura prvm*ido a tenenle-co-
ronel Je linha, e eoodecoraa rom a nmdulba ds
mrito railiiar.
Ao lempo que via em Lomas a sen bulo o sao
naatircabir mera, o1ie:solitadna, loi elle fe
rido por bala defuaii, equndo aeabun a actas
estaa na freme de son puntado a% bravos.
Picando o seu batalno muito resnmido, foi a*
noraeada KnamaiinaHte aoAPala t0Om de li-
ona, e entrn com o exeroito era Assi
tal do Paraguay em 5 defjaneiro <}e it
Emquanto antros oeste longo pertodo da guerra
afeauoaram licemja para vire ao Braiil, Ha so
era 22 de abril desse anno foi qne obteve ama li
cenca, depua da grande campeaba, e e ter oca-
do sera o cjrpo pie bnobetu comnaadav^, .poto
qual at ofim esmprio a sua gtoriosa raissae, o
dever que I he fui imposto.
Gosou poneos mezas a licenca a voltou logo
para o theatr* da guerra, mi ebegnu a io eom-
mau.iaro 10^lini*aflptoaa.Warioa4abi
removido para Anmp(io por orAira 4* JWMJ
general afim de assomur o remamndb do Jl de
unhx
Dasempeabon pwtaato todas mas eofmuissjws
ai.'. Janeiro do eosrttnie anno quasi ao aonoloira
guerra, cummne ^aao apre o se ievor.
E deste militar brioso, deste patriota destina-'
to desfe brasiieiro f na amneM a-palna -a-p.
o exclusivismo, qon ios 9%, hvmm*
de dapjeciar o saa-> aar^ps tthmtm at ,a.ia
cro. etc.
.\adn alsto melle horror.
Depois de quasi um anno de espera,
venbo eamprir a promesa que fiz ao publ -
co, de expor venda a pedra de exlrahir
veneno, a qual denominoImn do veneno
No espafo de 42 annos tenho applicadu esta
pedra pessoas e animaes mordidos de
cao damnado, cobra, etc., etc., que |seria,
enfadonho enumerar : tendo obtida em to-
dos o mesmo resultado, isio a cura infal-
livel.
0 publico est certo de que, ainda n3o
ha muito, foram curados seis caixeiros das
ras da.Cadeia e Encantamento, mordidos de
cao damnado, cujus nomes deixo de publi-
car, n3o s porque nSo preciso de allesla-
dos para piova da verdade, como porq e
eiles teto o cuidado de o fazer patente a
todos.
0 Imn 'do veneno, olhado a primeira
vista, parece quo nada maie que um pi'-
daco de cbilre queimado ; mas engaase o
teitor se assim pensar. Se fosse to fcil
como parace, a fabricacS do Imn di ve-
neno, eu nao legara tanto tempo a prepa-
ral-o.
Ai fazendeiros, senhores de pngenho e
lavradores deve utilisar o tnw do v-neno,
mais que a pessa alguma, pelo facto d
perder-m es-es senh res pessoas de suas
familias, -escravos, bois e cavados mordidos
por cues damnad, cascaveis e ouir s co-
bras, para cujas mordeduras o t"/' do
veneno tao prompto que, em poucas miras,
faz a cura, ainda que a p*ssoa ou animal
mordido estej- prestes a suecumbir.
EU pedra pile durar de 50 a 60annos,
Uantio-se (lie o trat-uoento prescriptoem um
impresso: qun acompanha a mesma pedra,
e t claro e expirado, que qaa quer
pssoa pode curar, seta perjfunlar a oubem.
Recommendo mulo ao pub'icoqueleiiha
lodo o cuidado cum os falsiiicado es pois
j lia por alii quem diga que sabe fabrica las,
eu nao me respunsabiliso pe.lo resaludosi-
nisiro que o publico venha ter de urna tal
falsidade, por isso declaro qne o imn d>) ve-
neno s est venda na luja da Boa Fama n.
35, ra do Qoeimado, pelo preco de S05
cada urna; assim como eston i'romtrto faz r
qualquer cura em pessoas mondidas de cao
damnado ou cobra, em minba casa ra
da prai. d S Francisco em Olioda.
Fttipme Manoel do Cristo Leal.
:)9:716,U>31
CONSULADO PROVINCAL
Condimento do dia 2 a 18.
(dem do dia 19. .
5*903.1948
4:012,1691
57:008*639
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 19
Trieste75 dias, esciina none-allema EUsa, de
132 toneladas capitao Lindemann, eqnipagem 6,
carga 1,100 barricas cum fannha de trigo ; a
Henry Forsier A C.
Montevideo26 das, escuna norte -ailema Anna
Gesina, de 126 toneladas, capito C. Fletter,
equipagem 6, em la-tro ; a ordem.
iVurio sahido no mesmo dia.
BahiaCurv^ta brasileira Sitheroy, commandan-
te capito de mar e guerra A. S. da Molla.
Observaijo.
Fnndeou no lamaro um brigue norte-allemo,
mas nu leve communicago com trra. Appa-
rece ao norte urna barca franceza.
1803000
Roa do Pilar.
Casa terrea n. 73......
fina do Pbarol
Casa terrea n. 71......180*000
Casa terrea n. 102. 8 20fflOOO
Ra da Upa.
Casa terrea n, 2 .... 2404000
Os preteudentes devero apresentar no acto da
acrematai^o di ,iT*Jr*np* u comparecer*
aeaapaiihadot Jos rijriPctiwa fiadores.
Secntaria da S.mta Casa da Misericordia do R-
cie, 6 de ahril O.aarivio,
Pfdro Rodritu$ de Souza,
Pela reeebedoria de rendas internas se
publico qne. neste corrente mex e no de abril
prximo futuro, que os c niribointes do impost
sobre industrias e profis-es tena de paga-lo, li-
vre de mulla, e que lindo o referido praso ser
cobrado com a multa de 6 Ofl.
Reeebedoria de Pernambuco, 3 de roano i
1870.
O administrador,
Manoel Carneiro de Scuza. Lacarda.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fazenda
desta provincia, em virtude da ordens en vigor,
manda fazer publico que temaureadu o dta 2C
de abril prximo vindouro para o concurso qoe
se tem de abrir na mesma thesouraria para pre-
enchimento das vagas nella existentes de prati-
cantes da inesma, assim como da alfandega e da
rec bedoria de rendas : versar o exame sobre
as materias de que trata o j 1 do artigo i* oV
decreto n. 31 li de 27 de junbo de 1863, a saber:
leilura, analyse gramniatical e orthogrsphia, aa>
thmetica e suas pplicaeoes ao coramereio, con
especialidade redueco de moedas, peso e om-
didas, clenlo de descont, juros (imples e eom-
postos, theoria de cambios e suas applicacSeS. O
concurrentes dnverso previamente apreseotor seos
requermentos instruidos de documentos que pro-
vem Idade completa de 48 annos, Isencao de pa-
na e culpa e bom comportamenlo na forma o
irt. o do decreto n. 2549 de 14 de maro de
1860.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
aambuco, i de marco de 1870, -
Servindo de ifflcial-maior,
Manoel Jos Pint ?
a i*
Mit.delegaria de polica da fregoeata
faz publico que foi afreben-
Pela
S. Jos do Recife, s faz
d'do nm carneiro em mo de um iodivdna qne
deu suspeitas de o ter lurlado quem ae jnlga'
com direito provando Ibe ser entregue.
Recife, 19 de abril de 1870.
O subdelegado,
___________ Antonio Moreira de Mendonca.
ECITAES.
Protectora das Familias,
AssociacSo bi*a-ileira dc seguros mutuos
sobre a vida, approvada por decreto do
govorao impefial de i3 de juubo de
i 864.
Geriia pelo banco rnral e hypQihecaro do Ro de
Janeiro.
Essa ass.wia Ao caiaMia as vas de pros heri-
da le, nao sem os eniraves inherentes omprezas
novas.
Em 31 Je dezembro d 18ti8 tinha effectuado
sssa associacao B342 contratos.
Inscripto nm a pilal de 8,OV2:104S890.
Capital realisado a convertid. em apolices da
divida publica nacional ao 6 0 0 2,35'i: 7001000.
At 31 de dezvmbro do 1869 tinha elTecmado
essa atsoeiaco 7722 contratos.
Inscripto um captol de 11,537:3505580.
Capital realisado e convertido em apolices da
divida publica nacional de 6 0.0 3.774:700*600.
Para mais esclarecimentos dirigr-se-ho ao
escriptorio dessa associacao, roa do Livramento
n. 19, i andar.
O atiente.
Narciio Francisco de. Vidal.
Oleo puro medicinal de fig* de bacalhoo de Lanra^n &
Kemp.
Ninguem pode dizer quando nm pbtysico tem
chegado lal extremo que nopie s-r corado
coai oleo de ligado de ha cal bao. Eile sempre
produz allivio. Anda mesmo aquelles j desenga-
ados, vivero muito mais lampoe oo i menos
dorescom o oleo, do que sem elle. Com quemo
exislam nnmera.veis artigos espuri sos, do mesmo
nnme, coma 1o pde-se alcansar e legitimo, elle
merece a conlianca qne nella se deposita, qtaer
neste naiz, quemo estrangeiro. Existemdnas qna-
lidudes diHle, branoo e negro, porui, nenlium dal-
les conlm urna gota de oolra cou-a que nao soja
o finido vi vi limador e curativo extrahido dos liga-
dos frescos e saos da melhor es&.lh* de peixe. 0
seu effeito para alliviar c curar a tosse a aas
obstinada, verdaJeiramenie pasmizo. 0* suore-
nutnrnos oes ornado algumas gnalas delle.
O doente adqoire carnes e fnreas, uracjs ao seu
benfico influxo. fistos resollados -o uniformes vi
seguros. As pendas que sufren) de affeoijo pnt-i
mona rea ao do Aado, adiarlo nelle um auxiliar
sagoro eum remedio poderoso e affieaz.
Acba.BB i venda em todas as prinoipaes boticas
a lejas de drogas.
A cmara municipal deste municipio
tendo de mandar celebrar nm Te-Deum
Laudamos do dia 21 do corrente mez ao
ineio dia na igreja matriz de Santo Antonio
lesta cidade, em acc3o de gracas ao Todo
poderoso pela feliz terrajnaclo da guerra
do Paraguay, convida a lodos os seos mu-
nicipes para camparei^rein a este acto.
Paco da cmara municipal do Recife i-i
de abril de 1870.
Manoel de Barros Brrelo,
Pro presidente.
Dr. Joao Maria Seve.
Bento Jus da Costa Jnnior.
Ignacio Pessa da Silva.
Caelano Ciraco Costa Moreir.
Dr. P. de Athavde L. Moscoso.
COMMERCIO.
:por
rHAV-t DO RSCiFR 18 DiC ABRIL.
DE 1870.
as 3 1/1 nasas da am
Asenr mmcavada pangad ragnlarW#*t
ti-kil.
2anbm sobre Londres 90 d|v. J IfJd.por
1**0 (bontcm e bojej.
Mesqaita Jnior,
Peto prasideate.
A. P. oe Leos,
Pelo sacraurio,
ENGLISH BANK
3f Rio de Janeiro Limited
Desenla eara d praca tasa a con
'encionar.
OCLARACOES.
Por esta repartirn e de ordem do Exm Sr.
conselheiro director geral interino se faz publico
iiue, em virtude de resoluc.io do conselho direi't>r
tomada em *erto de 6 de novembro de 1868.
as ferias para as escos pub'icas de instrui-ca>
primaria se regulem pelo ai tigo 21 do regiment
interno de 30 de julho de 1869
Secretoria da insiruccao publica de Pernambuco
18 4e abril da 1370.
O secretario,
Anrelian Augusto Pereira de Carvalho.
anbdelegaela da iov da ra-
adla.
Por esta subdelegara foi apprchpndido um ca-
valto, o qual se acliava em poder de Marcelino oe;
tal : quem sejulgar com direito a referido ca-
vaHo, e provando ser seu legitimo proprietanu,
aposntese para Ihe ser entregue.
Conseibo de compras wamu s
O consebu no dia 13 do corrente iii'-z, vista de
nroposta* recebidas at as II horas da maiiiia e
sob as oondkjitos do eslylo, contrata os servicos de
harbeir enfermara de mariuha no trimestr
corrente, e o fornecimento no mesmo trimestre de
velas steannas de 8 em libra para completo do
de viv-n-s, dieias e outros objeelos de consumo
aos navios da arnimla e eslabelecimento de ma-
riuha ; as velas proprias para lanternas, assim co-
mo promove a compra dos abjeems do material da
armada seguiutes : almutolias de folia para azei-
te, 4 arrobas de agua raz, 12 bandeiras naciimaes
do 2 pannos. 8 bandeiras nacionaes de 4 panno-,
12 bandeira* narionam de 3 pannos, 10 barris de
alratrao, 100 broclias sortidas, 8 barris de Jxeu.
*50 barris de gal 200 caetas, 20 caaemans bb
de i a 12 polegadas, 500 caibros de qualdade <}
U) a 43 palmos de comprmenlo, 3 ca-'-saroias dV
ferro e^anhido, 12 carrinhos de iiaq, 100 ahioei-
res de cal branca. UG bracas de crreme d> nrra
de l|2 polegada reforgada, 2 piv^is de encerado,
20 arrobas de estopa de algodao, 10 flmulas .!
navio, 10 fechaduras de ferro de broca para por
la, 2 arrobas de I] > de algodao, :il)rt covados d*
lili'li encamado, 300 covados to lilelt azul, l'-Hi
covad.is de lileli verde, 6 fules inglezes tendo cada
um 8 pes de comjiiinento e 6 de largo, 4 jarras
de madara de amarado, tendo 30 palmos de ahu
a, 23 de diamalro n-i tundo e 19 na bocea, 50
livros de 80 folhas, 10 arrobas dp linha aloairoada,
8 arrobas de linha de nana, 8 arroba* de merlim,
8 arrobas de mialhar, 20 moitoes bb de 4 a 12
polegadas. 10 libras de brelas francezas, 2 ocu
los de alcaiwe, 12 podras de amolar de 3 pos de
dimetro e 6 a 8 polegadas de grossura, 4 arrobas
de plvora fina, 100 pratos travessos de folha, C.
panellas dc ferro estauhado, 600 remos de faia, fO
duzias de tabeas de pinho de resina do 3 polega-
das tO dnzias de tabnas de pocarga de 1 pole-
gada, 1,200 libras de tinta verde ingeza, 1.600 li
bris dr tinta branca de zinco. 800 libras de tinta
preta, 2 pcs de tapete, SU travs de qualdade.
de 42 a 45 palmos de rornprimenlo e 10 polegada*
de grossura em quadro, 1.000 lijlos de fogo, 0
vergnnteas de pinbo para paos de cutello, tendo dc
compxiujcolo 33 ps e grossnra np.iiaiaZpuIega-
rtasde dimetro, t vergonteas da pinbo pata mas-
icos do e9caieres, endo de comprimonto 25 ps e
grossnra no meto 6 IjS polegadas de dimetro.
Sala das sesses do conselho de compras navae.-
18 de abril de 1870.
O secretario,
AlexandreJlodrlguas dos Aojos.
Relajo das cartas registradas prooedentes do snl
e norte do imp correio era 7, 10 e 12 de abril de 1870.
Anna Eugenia de Queroga, Anna Ferreira (tos
Santos Bulgir, Anna Clara Joaquina Barreto, An-
tonio Buarque de Gusmao, Antonio Jos Rodrlgoen
de Souza, Alvaro Ucha Vieira Brasil, Barao Oe
Guararapes, Claudino de Araujo Guimaraes, Cy-
priano P. Guedes Alcoforado, Dnamerieo Augosto
do Reg Rangel (3), Francisco A. das Chagas,
Francisco Carneiro hachado Ros, Fraoeiseo r
Assis Pereira Rocha, Fr. Felippe de S. Luiz Patos,
Francisco Muniz la Silva Ferraz, Francisco JrW-
reira Borges, Fortunato Ribeiro Bastes. Franeisao
de P. Bezerra Cavalcanti, Gabriel Aflunso Rosna-
ra, Guilherme Ci.ia A C, GeBhl Angosto to Ma-
raes Bitanconrt, Hermenegildo Antonio 6. de Al-
meida, Joaquim Ferreira dos Santos, Joaquina Ma-
ra de Sacramento, Jos A. S. GalvaO, Jos Aoao-
nio de Figueiredo, Jos Augusto de Awujo, Uab
leronymo Mintiiro. Jus Joaquim Pi-reira de Oli-
veira.Jos Alfonso M nueiro, Joo Gabriel Bautis-
ta, Joao Chrisostomn G. Rosa, Joao da Silva na-
mos. Joan Jos dn Espirito Santo Joao Prajdsc
de Barros, Luiz Jos de Oliveira Diniz, Luiz f*er
reir Maciel Pinheiro, Lniza Maria do Rosario,
Luiz de Carvalho Paes de Andrade, Luiz Antonio
Ir Sequeira, Manuel G. de A. Astran. Manoel
Francisco de Maltoa, alaria Joaquina da Sil na Mel-
lo, Miuoi'l Josc Doimngues Codeceira, Mannejl AJ-
ves Barbosa. Manool G. de Mello, Manoel Mximo
dos Santos Torres, Narciso Francisco Vidal, Octa-
vio de Souza L"ilao, Plaaido de l'inho Pessa, Pe
pro Manoel da Trindade, ttaymundo B. Peres Li-
ma, Samuel de 5a Montenegro, Seixas Borgo.
Toldas Brrelo de Menezes, Trajino de Fgueireii
Lima, Viauna k Guimaraes, Vi.-ente F. RariK/*,
W. Luiz e Araujo. Xsto de Pauto Baha.
. encarregado do registre,
Manoel dos Paseos Mi/aada.
TWEATRO
GYMMSIO DRAMTICO
(No Monteiro)
HOJE
SOB A IiIKECCo DO ARTISTA
fieoelM idiohairo. em coaU corrate ^iaj
l*aso fiso.
aaca vala'o''-prasocobre aa dad;
priotpaes da jE^ropi. tem wrrespondeM^
ia Babia, Boajaos^ras, Montevideo, New-,
gr^^.^,?.ff^^^ cartea de atk\
guio no 'f"riiTTiir lUnnioati aWjriiriuaaiaai' ^3 os ansiaos locares.
ateto uiT^^rTyXJr.^Zr Wh DO !S?5ERaO N. 36-
pos de batalhai. _
SANTA C\S.\ BK RBSEUIGOH1A DO
IlECII/E.
A lllm.a. junta administrativa da Santa Casa di
Misericordia do .Hecife manda hzer publico que.
na sala de suas sessSes, no da B8 de abril, peta-
i horas da tarde, tem de ser arrematabas, quem
ais anlagens otTt-recar, pelo toippo de nm a tre^
annos, as rendas des predios em,seguida declara-,
dos:
E&TABELEniMEMTO BE CARHiABE.:]
Ra do Pilar.
Casa torrea n. 73.......180OOQ.
Ra do Pharol.
Casa terrea n. 72.......180^000
.Dua dc Mathias Ferreira lUMIjunJa)
Caea terrea n. 14.......j 86.W0Q
Ra da Virado.
G**i terrea n. 7........ 192400Q
Rup do Padre Floriano.
^lea n, 43......,.aU 1*000
1.-6S...... ;2i7*0(X
Ra dc Hortas.
Lcija do xMaado n.41.....ntjnvv
.fTRIMGXIO DOS ORWtA,OS.
Ra do Pilar.
Casa torrea n. 110 .
- Ra do Vigario.
Primeira andar do sobrado n. 37 .
j^gjjo
Casa terrea n. 38.
Ra do Ranga!
240*000
360*000
lispoelaculo emregosio chegada do beieieo
Baalbio 30
Honrado com as presencas do benemrito eom-
maadante e briosos offiriaes do referido bataltwu
Depojs da or^hesira execular o
Hymno nacional
Ropresenur-se-h pela 1* ve;, o magaifleo dr,'.
ma em actos, intitulado :
0 CxO eocobcuiida
Os prin:pa;s pip.-is serao desempenhados pela
Sra. D. Mara de Lcenla Baha, D Oiympia e ou
Srs Xisto Baha, Peregrino, Braga, Eduardo o Do
Giovanni.
Termi .ar o espectculo com a liada cansnaiJa
0 CAF CANTANTE
Desempenhada pela Sra. D. Jesuina.
O especlaoulo principiara < 7 '1/4 ox anoto
Os hilhetes acham-se na statjnn do Rwrf e
uo tbeatro, pelos procos seguinles:
Camarote, com 6 ingresaos, mcliiindo -paasogein
em wagn, ames e depois do espectculo, 18*.
Cadena, rom passagem antes e depuin.. espectculo, 2* 00.
Platea, com passagem para antes e depois dn
espectculo, 1*500.
Camarote, nao inclnindo passagem, 12*.
Cadena, sem passagem, 2*.
Platea, sem passagem, 1*.
CIRCO
NO
PAVLHODES.ISAim
Companhia eftiestre ftyaislica e acrobatka
do palacio de cbrystal do Porto.
DIRECTOR
D. Mareos Gaaa.
AAMOE FNCO
Uii;irtii taira 2 de ah ii de 4870.
As 8 112 da noute.
PROQR-AKHA.
Syiqphon. -
Pauto o Virginia, pelasanhari Anna e
Sr. Luiz, sobie Bnu* cavallos.
3 i Intermedio jocoso, pelos oaJnajjas Cesar a
Aldabo.
4.* Excrcicioa. equeslres. pela menina .i
de .7 annos. sobfe atn cavalio.
3.* Munlho, iv lio ajnestrado, apxesentad.
Ilbcrdade pelo pirector.
6. 0 trapcsio>,peJo.gymn.as|ico.o SftMaaaa
7. 30 annos pu, v#i,i de. um jngadon ao*
contempornea, por Lw, sobre oa-oavallp.
Iitorvallo de^b minutos.
8 Grande tiipalho nos ,1106 do.arcavM**
de frenio comotde.5Qslas,. .pox Coae- oaa>,an
cavalio. -
9.- La Amazana^pelA seobo/Oajaon' foailUii"
bre um cavalio! ...
10. A barra fiAa, ejercicios 4*mim,.iPBr
Cesar, Aldabo, Y'.cenU? e itaaa^
11. Urna graiosa pamtorairaa bufa, inmolada :
Hm abli'n'" d\ onlrn nin1"1"
PKI(OS
a com 6 eoli-aJas........ JMai
ladeiras.......................
Geraes.....,....................
Cadeirss avulsas para senhora..... 1JN0
N. B.As portas do circo abrem-se as 7 Ipt lp>-
t
'
aaMIM



s
Bmrio de iPemtndoo QHa fcini-94 de Ahr', d* I*70.
1 ------------- r-
cas di noate,
pomo.
buhles
>rtade-se no m
:iras e platas<
(Ruh da Florentina)
J GENERO"
JOSJUIAS
tuarta-felra *
*nlat Mra 4.
O apremio deste, thealro acodeado M pedi-
da de algn* aiig,**, oniaaie* doate diverlimenU,
rrsolveu, dar tuajstostas duas noule.
O programm o momio dos bailes tranzados.
O pprezario previne a todos os Sr. ano ab-
otoraeate prohibido tunar '. -airo da **l, ten
* para ess> ftm a roeia rea existente entre o
anoto salo e o botoquim.
O baile cba s 2 hora* do rotuboa.
Presos os do costume. (
m
AVISOS MARTIMOS.
Liverpool Brftxiii.V Itlver Pinte
iiail MeaMfs
At It do c jrrent" espera so de Liverpool por
L.shoao vapor ingle* Kepler, dir 1199 tonelada?,
" V*' s|i|pali:ir^e*w toda breviJaoV para
Beaena-se dintk'iro e eacwnrnenda*. afrete na
"ffc lela,
K>to vap)r tem cxceliea'.es acr-ouiraodaroes pa-
ra passageiros : os aget<* Sr.muter. Bromer
3 C, largo do Corpo Santo .>. 11.
(OTA BliASLBIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos p.ri -3 da sul esperado
at oda 21 do corrente o vapor
Atmot, i:,! oondante o primeiro
_ teuento Jos C. Duarte, o qnal
';43llSfiS** depois da demora do costume
u;r para os portos do norie.
Ocsae j recebom-se passawros e engaja-s
carga que <> vapor poder onduzir, a qual deven
ser embarcada no dia de sua .megada. Encomman
das e (liiiheiro a frete ato as duas horas do dia di
sua sabida.
Nao m recebem cr>mo enconimendas senio oh-
xtos de pequeo valor e que nao excedam a 5
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de med-
ci.
Fado que passar (testes limites deveri se;
jt^oaroado como carga,
Previne-se aos Srs. pasagoiros que suas passa
feu s se receben! na agencia ra da Cruz n. 57
wiibns escriptorio de Anior.idl.niz de Oliveir:
A*.vodo& C.
ompau!i!i americana e bras!-
letra le paquete* a vapor.
At o dia 15 do crranle esperado de A'ew-
"York por S. TtioiniJL c Par, vapor americano
Kurtk /l/m'/V.', o ,jn:ii dop.iii da demorado cos-
tume si'puira para uspoptoa di sul, para.fretes
k passagen tratase Cjim o* agentes Henry Fors-
):: & C. na do Commercio n. 8.
Maranhao.
Para o referido p irlo segoeen poneos dia? o
hiate R'j-iIh p>r ter a inaior parle da carga engao
jlda : e para o res) i "o" ilm falla lrata- >nstffoLtario Joaquim Jos Goncalves Beltro
ra do Commercio n.J7.___________
mm mam
uetes a vapor.
Dos portes do norte esperado
al o dia 2; do correnle o vapot
Cruzeiro do Sul, commandante. J.
' ^?4Hbbb *'" **nede* Alcoforado, o qual
**'^2eSHP depois da demora do costme se-
;;:r para os portos do sal.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
-arga que o vapor poder eonduzir, a qual de ver
M embarcada no dia de uachegada. Encommen-
l,i". e dinheiro a rete al as 2 horas do dia da soa
'la.
vio se recebem como encommendas senao ob
fectos de pequeo valor quenao excedam a dua?
irr^bas de peso ou 8 palmes cbicos de raedicao
Yndo que passar dsto liaules dever ser embar
c*do romo carga,
frevine-se aos senhores passageiros que sua?
igens s se recebeui na agencia, ra da Cruz
p. 57, Io andar, escriptono do Antonio Luir de
Gliveira Azevedo & G.
COMPANIILV PEHNAMliUCANA.
d:;
Suvcgagdo costeira por vapor,
Macei ere dircitura e Penedo.
O vapor Mandah, commandante Julio, seguir
'?ra o? portos cima no dia 22 do correle as 4
twns da tarde. Recebe carga at o dia 21, en-
.i'.nmondas, passageiros o dinheiro a (rete at as
3 iioras da tarde do dia da sahida, escriptono
d' Forte df Mattos n. 12.__________________
CMFANLV PEIINAMBUCANA
DE
Xavegaco eostelra por vapor.
Porto de (allinbas, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor Pmrahyba, seguir para os portos ci-
ma no dia 30 do correte meia noite. Ikoebt
arga, encommendas, passageiros e dinheiro a (re
e no e?criptorio do Forte do Mattos n. 12.
COMPANHA H^BIf|ttBiJCAr(A
di: ..
\avegaeSo eostera por vapor.
Goiarn.
. O 'IKr P"'"*l*, seguir para r
porto cima no dia 26 do correla.
jbsjp hos dyaoiM.
,tto?
horas da-nnite.
R***#l| eMWnnfndag, pussafetro
r, a-/rate o estnip*-to o Frf Jo
i. ________
COMPANBIA PIRHAMBeAlU
ir
di:
JfaregacSo costeira por vapor
Maman.juap.
O vapor Cm-prpe, commandante
Si|*s, sogui para o porte ac roa ne^
dia 28 do. correpte .as I horas da
lard." ftcebe capga, eacom.mendai passagei'
r s* mheiro a frete- al .s 2 horas da tarde
do da da sahida : esoriploriouo Fort do Molos
*33L
iarda.7 "fiect
1L
la u
COMP.VNHU HEIWAMHUQAN4
I .
\avesaeio costear por -vapor.
Parabyba, Nata', Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Maaah, Acarac e
Granja.
O vapor Ipojura, commandantt
Muura, segnira para os porto*
acjma no dia O do rcenle as o hora;
la tarda, llecebe cargt at o dia 29, encom-
oendas, o psssageire? o dinheiro a frete at a;
2 horas da tarde, do dia da sahida, no escripto-
rta do Fort do MaUi i IL ___________
P0ICTO POR LISBOT
S^yuira em poucos dias a barca portoaaeza
Noca Sijmpalhia de elasse e marcha por j ter
prompU) quasi toda sua carga : para a pouca que
lie falta, assim como para passageiros aos quaes
.ifferece ricos e excelentes commodo-, trala-se
com Bailar, Oliveira & C, ra do Vigario n. 1,
primeiro andar.
Riu re Janait'O.
- Pretendo ssair em poucos das., para o referido
porto o veleira pataehe brasileiro Protector, por
ler a mnior parto do seu carregamenlo engajado; e
para o pooco que Ihe falla e escravos frele
lrstv.se com o iousijirvatario Joaquim Joso Goa-
galv Beltrao ra do (onmereio n, 17.
Ma'anh <
Segu com brevidade pira o porto cima o pa-
Uiabote Jocfn Ar/Avr, pira o resto da carga que
Ib" falta iraU-s,' aun o soasignatarios Antonio
Luiz de Ofiveira A^evdo & G ra da Cruz n. 37.
CEARA
O palhabote Garibaldi segu em poucos
tratar com Tasso Irmass & C.
dias
Rio de Janeiro.
Para o porto cima segu em poucos das o bri-
gue nacional Isabel, tem prompta a maior parle
do seu carregameoit, para o resto que Ihe Taita
trata-so com os consignatarios Antonio Luiz do
Oliveira Azevedo & C. ra da Cruz n. 57, primei-
ro andar.
LEILOES.
De I.OOO sacco vacos para as-
sucar (avariados.)
HOJE
Qtiatta-feira 20 de abril ao meio dia.
Por iotervencao do agenie Pinto e por conta e
risco do qnem perlen or cm seu e-criptorio a ra
da Cruz n. 118. ________
De 11 eaix-i eom brfnqiicdos.
HOJE
Quarta-feira 20 de abril ao meio dia.
Por intervenco do agente Pinto e por conta c
risco de quem pj rlencer em o escriptorio do re-
ferido agente, ra da Cruz n. 38.
LEIL/VO
De tres partes do sobrado de 2 andares e
soto da na da Penha n. 19 fas quaes
partes correspondem a mais de ruetade)
edificado em solo proprio.
iiojrs^
Por intervenco da agen :e Pinto, ao n ci dia e
cni seu escrijtorio .i ra ta Cruz n. 38.
LEILAO
De fariuha de trigo (conta varia)
Hoje.
Quarta-feira. 20 de abril as 10 horas.
Tasso Irmaos & C. faro leilo por intervenco
do agente Pmfc e por corta'e risco de qnem per-
'tencer, de cerca de 150 barricas com farinha de
;trigo avariada a bordo do navio Pelegrim, na sua
ultima viagem de NewYork a este porto, o leilao
ser ellectuado no da e hora cima ditos no ar
mazem dos raesmos senhores no caes do Apollo
n. 7.
LEILAO
cilios cima no utfgord Paoh* o, i, em limiU^-
Ao melo-dia M mesma casa.
;
Sraroifw. ar$or; d I a?
L-aeilo corr.'di
tBio ararides,
i rom cal^a
Do duas casa terreas no M o 13 na Bal-
xa Verde e foui. temuos-.annexos as
jnescws, e mu* quatts part da eas *.
d da na da Bsperanca.
O agente Martn* em consecuencia, do (toe foi
iliberaflo pelo lm. Sr. Dr. itilz ofphos a
reqerJHWBio da viuva da Izidoro dos Aojos
De. aiadapoloes Anos e brl*s
forneos dealgndao traneado
Hoje 20 de abril ao meio dia.
Por intervenco do agente Pinto, em sea es-
criptorio a rna da Cruz n. 38.
I
De urna aimaco envidraca.la, gaz, balanza
e canterros propria para qualqaer esta-
beleciroento, garantindo-se a casa ao
comprador da armac3o, no largo da Pe-
nha n. 8.
O agente Martins far leilao da arraacao e uten-
lTibraflo' pelo Dir. Sr. Dr. inlz B" orpl..
"aijos di
Parcioncula aos autos do inventario dos hens do
oiesmo far novaraente leilo das casas o terrenos
perlencentcs a dte finado para pagamento de di-
vida?, sob a base una que appireceu para taes
bens no valor de 2 dos em 5:570. .
BOJE.
No armazem da raa.do Imperador n. 10, a H
horas-do dia.
SOCIEDADE HIAO BEMEFCENTE MA-
RTIMA
Pela directjrio sao convidados todos os socios
para comparecerera a assembia geral no domingo
doxnrren.te, as 10 horas da maOhX na sala
de suas sesses, para se tratar dos ateresses da
mtsma.
Socrelaria da sociedade Dnio Beoeflcenle Ma-
rtima cm PornatuBuco 19 de abril de 1870.
O 1" secretorio,
______________JoSoBodrignes Ban'eira
Gonlntia agenciarle a c mpra e venda de
predios em panicnlar, na ra Direiia n. 112, em
cuja casa ha.para vender-so urna grande ca.-a na
freguezia do S Jos : pode ser procurado das 7
horas at as 0, o das i al as 8 ; no andar
tarreo._________________________________
Na rna Vdha da Boa-vbt n. 17 ha orna
ama eom prallca de todo a servico de casa do fi-
inilia, e ase raya, para alagar-se..
Sociedadp trioi'caDzed
Seteinbro,
A commisso central dcstasociedade faz publico
que no dia 21 do corrente, as S horas di tarde,
ter lugar o seu fu-dejo j anmmciaou.
Nao podend > o Exm Sr, gpoeraj Fonles por
justos c valiosos niulivos catiunao lar a diviso,
ser substituido pifio Sr. curonel Jos Maria Ilde-
fonso Jacorae da Vaiga Pessoa, que de bom grado
accedeu ao convite que a comraissaj Iho fez para
tai la
A comioissio espera que a briosa populagao
desta eidode eoncorra co:n ssus esforcos para o
hrilhantlsmo desta festa patritica, Iluminando a
frente de suas casas, o manifestando o sea entino-
siasmo pe honrosa soluc? que leve a lacia glo-
riosa que sustentamos com o goveruo do Para
guay.
Secretaria da Sociedade patrtica DzedeSe
tembro 20 de abril d 1870,
A. L'amenha,
_____________________Secretario.
Proeisa-se do urna ama paracosioliar e com-
prar para urna pesso : na ra estrefl,; do Kosa-
rio n. 27, 1* andar.
AMA
Na ra Nuan. l't, primeiro andar, precisa se
de urna ama forra ou escrava, inas qae saiba bem
cosinbar e engommar; na mema casa, compra-
se urna e?crava com as mesmas abilidades a^ima:
quem liver npresente-a.
Offerecc-se um rapaz de 16 a 13 auno para
caixeiro para fra da provincia, ar-n pralica do
qualquer negocio, que yeja lugar Milio, dando fia-
dor de sua conducta : qnem quizer utilisar-se es-
creva com as ini iaes G. S. oesia typcgrapbia.
tsmp, da ir iva-fcj a roa da Aurora n. 30.?egoDdo andar, que
facetara boa paga _______' _______'
} __ prsprietsrlo dt cale . roada floreotina n. \fmi9 imnSf coat de um
ir-i e d'aqoell
pretondet>- a
outro UboliiaeBto,'ft|t-} de'fBOer-ie d'aqoell
fprisso coovHfcififalic
se ra da IoiOwH
iS.
A vjuva limas e ijcnro- do
V'rtella de ll.*tr Tavaros,
las por soa alma no convento
Caroio, a 7 horas da manhaa
reote, 1 aBoiversario'do ?e*t 1
Om a. Isdos os parapte? o .ui>ia.
dp; fiara -iMsisn>em-ns, c(Wfes
soMnaujAuUL auadacidos
mu cronyino
eslobrar mil-
N. Seahora de
a i do cer-
ni, t con-
s d dfcto- tina-
J'i-so dwde j
.laijwassifnad-', tend perdido ui m__
bhete do numero #9; 4#(oerr a, Infrie se
lem de exlrahir a benodcio ifagreja da Casa For-
te, previne at^Sr, iHesourtro das Ipayiavoife nio
pague se por acaso sabir alguin prcmlb erri dita
namero
Gamullerrs, ldo abril V 1870.
Jrronymo Itorreiips, ga.'.u^l.
1
Sociedade,
Uni3o Commercial da ra de Pedro AITonso
(iutr'ora da Praia).
Tendo a mesna seciedaje de formar a 8' com-
panhio.do h.italho patritico o* freguezia de San-
la AniQBio do Rf cifc para Os festejos do dio 21. do
corrente, convida-se os icnhjjres socios, caixeiros
e mais pesso.-w.ijuo. queiram morir parte em se
melhanle resosijo publico, dirigir-so mesma ra
as 3 horas da tard do referido dia,
Gonuino Jo?^ da. Bosa,
__________________1* secretario.
Batalho patritico da
freguezia de Santo
Antonio.
-
Por ordem do commandante previno as
pessoas que compoe oH batalho que se
devero apresentar rp dia 21 do correnle
n 3 horas da tarde na pra^a de Pddro.K,
unilornwsados para marcltar na conformi-
dade das ordens.
O tenenle secretario.
______________GHJimrftes Peixolo
Ouereee se una seohora haiiilada no ensi-
llo primario, para leccionar em algoma casa par-
ticular, nena cidads UQ lora ddla : quem preten-
dor dirlj^-se a e>ta typogr.ipl:.1.
George G. Slarr, terlamcnteiro do finado C-
Sarr, laz publico ao resp-Jtivel corpa commercial
e a quera po>sa "'nteressar, qn o sUbelecirnento
de fundicao sito na cijade n iva de Santo Amaro,
cootinoar a ser da mosmafnsa geri'do po!o an-
nuncianio sob a mima firma C. Srr 6c C. em
liqulJacao: o qn para compras vendas e rece-
bimenlos tambem ;ontinuar o antini caixeiro
Joaqnim do Olireira Mello.
COMPANHIA
Piecisa-se de um caixeiro,-preere se portuguez,
que tenha aiguma praiica d- tabiirca, de 13 a li
annos: na rna do Custa n 8.
m escravo.
Vende-so um escrav.- pardo de dado de 23
30 annos, ou figura, bastant- intelligenie, pela
quanade 1:000000 ; a razo de se vender por
esta quanlia o esenvo ser i:itellienle de mais
para soa condicejb o n) servir para todo* os
Srs e i.ambem por ter do re.neltor-se a c.nta da
venda para o seu senhor 110 Cear : tratar na
ra do Crespo n. 17, loja, ou na da Penha n. 1,
3" audar.
Jos Vctor da Silva Pimonlel, sea) (raros lilboi
e D. Bernardina Francelina do Carvallio, pungi-
dos do mais doloroso sentimenlo, veni do nliui.i
d'alma agradecer a todas as pessoas, c com espe-
cialidad*' aos Rvmp, Srs. Carmelitas e Francisca-
nos, e a irmandade de Nessa Senhora do Terco a
prova de caridade quo deram, em asMFf ao fu
neral e acompanharam ao cemiterio puolico, os
restos mortaes de sua njai. pregada esposa, mai e
lltu, D. Maria Mxima de CarvalhoPimeniel, euo-
vamente se convida a todos os seas pnrentes e
amigos para que se dignem comparecer sabbado
23 do corrento as 7 horas da manha, na igreja
matriz da Biatvista, para as?islirem a missa e
memento que mandara celebrar por soa alma,
pelo que desde j antecipam os seus agredecimen-
tos.
Escravo Izac.
Eqjpo a 18 do coweate o escravo pardo, de
nome Izac, com os signaus srguintes : representa
ler 40 annos de idde, barbado, testa larga, po-
rm p barba ponco espessa, a eabsca j pintando
e principiando a calvejar, trabalha de carroceiro;
esteve na Casa Forte em companhia de urna taful
parda clara, conhecida por Nanlnha, e nltima-
mepte mora va no becco das Miudinhas da fre-
guezia do Becife, constando terse ella modado
00 nitsmo dia da foga do pardo, de crer que a
acompanhara. Quem o pecar podo leva-lo a ra
m
Nova n. 69, qae ser gratificado.
Rim iiegiicio
Vende-so urna taberna na fregu;ia de Affoga-
dos.jnesmo naprac* do eapim, ou mente a ar-
mago, como convier aa comprador, 30 qua| so
dir o.motivo da yenda,
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
RECIPE A9 OLI\l.
Porordom.da directora sao convidados
todos os Srs. accionistas pra ; o dia 29 do
correte, as 10 horas da mauliaa, no sallo
do Club Pcrnarabucano, se renirera em as-
semla ge-al, segundo esubilcce o art.
13 dos estatuto- da comp.uihia.
Escriptorio da comnaiHiia, 1(5 de abril
Joo Joaquim lves,
Io secretario.
Hoga-se ao Sr. .. rendeiro do engenho B. S-,
na freguezia da Csca.da o a outros senhores quo
costumam mandar por ?eus escravos vender reite
todo? .) dias na villa da mesma freguezia, que
vendam o leito do sua? v.-.cas fio preeo que Ibes
convlor, porm na manv!o:n garrafas cheias de
metade lejle e meta de agua, para serem vendidas
ao povo, porque isto d.^poe confa o carcter dos
meamos senhores, e dcmai?, devem lembrar-se
que se at hoje n > flzeram f nana, nao ha de
ser com esla agua quo lotar mi leite que ho de
fazer. p irque o quo agua da. agua (ira, e o rest
que tica o dibo incumbe^e do eonduzir.
Um dos ijU'; solTre.
\o publico.
D. Carila Marinlm da Rocho Falcao, faz sciente
ao ri-speitavel publico, que nao facam transaeco
alguraa com urna lettra na mesma senhora, que
levedoi'aaoSr. Fimiuo AKvs Pauhco, da quan-
lia de 123. A mesma senhora faz scieote ao pu-
blico, porque tun OonJa? a encontrar, com o mes-
rao, o por isso qualquer pessoa que faga aiguma
transaego com a dita letra, ser uulla. Becife, 18
Je abril de 1870.
Alhel o, Olireira & C.
Joaquim Rodrigue* lavares de Mello, praca
do Corpo Santo n. 17. Io andar, tem para vender
cal de Lisboa, pota sa .la Russia da mais nova,
vinho Bordeaux superior qualid.ide, e farinha de
mandioca.
ADVOCADO
O advogido Antonio Pedro Pcrreira Li-
ma, de vulta de sua vi igeui ao Rio de
Janeiro, contina em seu escriptorio de
advocacia ra do Imperador n. 32, Io
andar, onde pode ser procurado para o
ejercicio de sua proflssao, das 10 horas
da manha s 3 da tardo.
Precisa-se de urna ama que compre e cosi-
nhe para duas pessoas: na ra Augusta n 7i.
N3 ra do Imperadur 11. 75, primeiro andar,
deseja-io fallar aos seguintes senderes negocio
de interesse : Jos Rodrigues Fernandos, Manoel
Luiz de Lima, Francisco Jos Correia Guimares,
Joaquim Speridio da Silva Guimare JOSo de
Castro Oliveir* Guimarae?, Ravmondo Nonato da
Costa, Jos Jjaquim Fernandes da Silva, Joaquim
Lopes Ferr.eira.o Jos! Ignacio do Val.
LOJA DE JOUS
DE
M B11ABT & C.
Este antigo estabelecimento, completa-
aente reformado de novo, est as condi-
ioes de servir vantajosamente os sens fSre-
fuezes, visto que acha-se prvido com nm
esplendido sortimento de obras de onro 6
rata de lei, assim como brilhantes e on-
ras podras preciosas, oujos prepos sao os
aais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
e em troca on compram-se com nequeno
vbate.
\ S IDA DO CAIIJG PL 5

HMRlmHOso mimo W~
DR. CHAS. DE GRATH.
CTRICO
KINGOF PAIN
0 RE DA DftR
Pili USO IVrERXO K KXTGR.\t>.
Cura cholera e cholera morbos.
Diarrhea, flUXO dO SaOgUd, em Um da. i DOI uaa ooaUa c 'tmm h*\ja,
Dores de cabeca, o dores do onvido em natos.
res minutos.
Dor de denles, em um minuto.
Neuvralgia, em citco minutos.
Deslocacoes, em vinie minutos.
Gargantas inch3da., em dez minutos.
Clica e colvulses, em cinco minutos.
Rheumajismo, em um dia.
Febre e febre intermteme, em um dia.
Tosses perjg!;sas e refriados etn ora
Piueresia, em um dia.
Surdez e asthms.
Ilemorrhoidas e bronciiite,
Imfljm"c3o nos rins.
Dyspep-ia, erysipelas.
Molestia do figado.
Palpilafo de oracSo.
Reserve sempro este remedio na soa familia
AS DOENQAS SE APRESENTAM, QUANDO MENOS SE ESPERAM.
OLEO ELCTRICO O ipa mais de dilTerentes molestias e dores, e allivia mais os sorTrimentos e prodn
nais perfeito equilibrio no systema humano, o que nao se pode eftViloar no mesa*
>o, com qualquer oulro remedio medicinal.
Esto milito popular rem dio est agora asando-sc gramenle, pela razo
miliares de pessoas se tem curado gras com o dito remedio pelo Dr. Gra'h
najs.
Este importante remedio nao se offerece para curar todas as doeocas,
4o somente para aquellas estipuladas as nossas direcces.
Est operando nos principios da chimica e da eletricidade e por isso, <
ipplicavei para o curamento e para a restaurado da acc3o natural dos orgos qut
frem da irregular circulagao dos fluxos dos principaes ervos. Oleo elctrico O f
f Pain opera directamente nos absorvenles, fazendo desaparecer as ioctiaces
(landulas etc. em um tempo incrivel, breve sem perigo do sen aso debaixo de qnafqDer
ircumstancia.
O remedio urna medecina para o uso externo e interno, composto dosdo-
nentos curativos, raizes, hervas e cascas, taes como se lom usado dos nonos aatapas-
tados, e das quaes tem graodes existencias no mando, pao corar todas as wtiotim
rnente sabendo-se quaes ellas sao.
Foi um grande e especial desojo da faculdide de medicina dorante muitos atv
ios de experiencia para aprender os melbores modos que se deviam adoptar para cavar
:s seguintes doencas, c que proporcoes de medicina se devia osar.
NICO DEPOSITO EM PERMMBUCO
NA PHARMACIA E DROGARA DE
Bartholomeu & C.
34Ra Larga do Rosario34
INJECTION BRO
naki
1
CABOBA
esquina
ra larga
Sttsajrio.
,.% DimoKUi i CABUGA
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,* esquina
nde por prepos que nenhuma outra caaa pode vender. L
A vista da qiialidtode e do prego das jeiaaeada em podrid Aa conveneer da verdade. rm *
flaraiite-s& ser tuda de le!. Comprarse ouro, prata e ledras finis por presos muito ele- Rosario.
vad&t. il Jl
A ioja esto absrtsvafc ^;9 1m** fe ffgK


aalBaai


4
Diario de PerBAmbnco ~- Qoaria f eir .40 de Abril de 70
I

-.
..
I

i
I
Presa-se
de ara bratileiro de 13 4 K\ anno?, com pratica
oanio : na taberna. 4a roa dos Pescadores nu-
ero 43.
Reaommenda e a cer mal dizente qae se evi-
te de andar calumniando a familias honeetas, vis'o
qae elle nao encheffa as nodoas negras que tem
o soa, e v aovillo que ni. ha na dos outros, ca-
balo-nos aqui responder-lite com a doutrina de
Jeies Christo ; f*e, wm a medida que medir-
des servia medido, com o uno que jnlgnrdes tereU
futfados.
(BasU por agera.)
fftK*tt
Precisa-sede um forneiro e de um ainassa
der que saiba trabalhar : na pedaria alleraaa, em
santo Amaro.
-
tr
Nutrimento
MEDICINA!
PREPARADO POR
1 ai nma Kemp
PARA
Tsica e toda a
qualidade de do-
eneas, quer seja
na garganta, pei-
to ou bofes.
Express a-
mente escolhido
dos melhores fl-
gados dos quaes
se extrae o
oleo, no banco
da Terra Nova,
purificado ohi-
micalmente, e
suas
p ropriedades
conservadas
com todo o cui-
dado, em todo o
frasco, se garan-
te perfeitamen-
te puro.
Este oleo tem
sido submettido
a um exame
mutosevero, pelos chimicos de mais tale-n
ot, do*governo hespanhol em Guba.foi de-
vulgado por elle e contem
MAIOR PORCO DTODINA
do que outro qualquer oleo, que elle tem
examinado
IODINO E UM PODER SALVADOR
Em todo o oleo de figado de bacalho,
e naquelle no qual contm a maior porejio
cPesta invaluavel propriedade o nico
"meio para curar todas as doencas de
GARGANTA, PEITO, BOFES.FIGADO,
Tsica, bronchites, asma, catarrho, tosse,
resfriamentos.etc.
Uns poucos frascos da carnes ao muito
magro que seja, clarea a vista.e d vigor a
todo o corpo. Nenhum outro artigo co-
nliecido na medicina ou sciencia, d tanto
nutrimento ao systema e encommodando
quasi nada o estomago
As pessoas cuja organisaco tem sido,
destruida pelas affecces das
ESCRFULAS OU RIIEUMATISMO
e todas aquellas cujadigestao se acha com-
pletamente dcsarranjada,devem tomar
O OLEO DE FIGADO DE BACAL11A0
DE
I -*)m*~ 4r aU' Se que desejam ver-selivres e exepasm
de enfennidades
DI
LNCEROS.
Todas as pessoas alistadas para fazer parte des-
te corpo devem comparecer na quinta-fcira 21 do
corrente as :t horas da larde em ponto, para se
eneorporar a divisao que nesse dia tem de mar-
char acompanhando um carro triumphal.
A reuniao leri lugar ra do Imperador em
renie a ea-a n. 12.
D-fe itgo.ni dnheiro a premio sobre hypo-
theca em pedrios n'esta cidade : ra do Crespo
n. 12, loja, e dir qoem d.
A peesoa qae no sabbado de aleluia levou
por engao um chapeo de sol da casa no Sr. Cha-
ves, nos Afilelos, iueira mandar entregar na ra
da Madre de Dlas n. 22.
.ho Francisco da Silva Novaes retira-se dej-
ta provincia por algum lempo, ficam ?eus procu-
radores os Sr?. Pereira V'anni & C., Manoel Fer-
nandes da Costa & C. e Joaquim Ferreira Valente.
O annunciante julga nada dever a esta praca, nem
sua firma est comprometida em titulo algum ;
se, porm, tiver esquecido pagar a qualqner con-
ta miu tiradores que tem ordem de satisfazerem.
Aluga-se urna es rava para todo servico de
casa : na ra do Imperador n oO, 3o andar.
O DR. SANTOS MELLO
Medico homfopalha, recem ebegado da
' corte, flxou a soa residencia nesta
capital, roa estreita do
Rosario n. 3if*>
andar. _
D consultas todos os djas das 9 as 10
[toras da manlia, e receea"recados por
escrjpto qut,lquer hora do dia ou da
! noute.
Aos pobres d eonsulta s mesmas
? horas e medicamentos gratis.
-an-aini ,,
Na praca da Independencia .33 se da di
heiro sobre penbores de ouro, era e pedral
jreciosas, seja qual for a quantia; e na mesmi
as se compra e vende objecto de ouro- epratt
> igualmente se f;z toda e qinlqjer obra de en
jommenda, e todo e qualquer oencerto tendente
i megffla arte.____________
x Aluga-se urna excellente loja na ra
Nova, propria para um grande estabe leci-
mento de azen Jas, tratar na ra da Cruz
n. 18, 1 andar.
tinturara frangeza m
55-RuadaImperatriz-55 j
Tinge, lava, Hmpa, lustra e achntalo- |
ta-se, com a maior perfeicao, fazendas em g
. pecas e em obras de todas as qualidades ; 1
I como sejam ; seda, laa, algodao, faho, jg_
_ chapeos de leltro e de palha etc. ele. em
Tira-se noloas e limpa-se a secee sem g
I molhar os tecidos, conservando assu to- |
Mdo o brilho da hienda. ag
Tintura preta as tercas e sextas fei- g
mmmmmmmmm&m*MW
CURA RPIDA E INFALIVEL DOS CALOS
PFI A
POMADA GALOPEA.
Deposito especial
Pharmaciai de Bartholumeu fy C.
34Ba larga do Rosario34._______
AMA.
Precisa-se de urna ama: na ra do Pires n. 5.
i mocacia
O bacharel Augusto Carlos Vaz de Oliveira
tem o sen escristorio ra do Imperador
n. 67, primeiro andar.
Protectora das Familias.
Em cumprimento do prevenido no art. 29 do
regulamnito, se convida aos Srs. contribnintes
dessa associacao que nao tiverem apresentado as
certiddes de idade dos seguros, para que mandem
fozer entrega d'ellas na ra do Livramento n. 19,
Io andar, afim de ser expedidas o mais breve pos-
sivel para a inspectora geral do Rio de Janeiro
As certiddes devem ser selladas e reconhecidas
por tabelio.
Recite, 30 de marco de 1870.
Narciso Francisco de Vidal.
~v
mar more, raa das c nuces
a. 11.
O artista Gamilloachase estabelecido na isa
cima, onde pode -ser procurado para todos, os
misleres de sua procis*ao.
Bartholomeu & C,
INSTANTNEOS
Travessa do Corpo Santo n. 25
ARMAZEM
Ra Nova n. 28, loja Antonio
Pedro de Souza Soares.
Bandeira, Machado & C, avisam ao respeitave
publico que nos lugares cima encontrar no mes-
mo sempre _rande qnantidade de ditos pocos, e
que se acham habilitados para vender por menos
que outro qualquer, por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante Norton, de Londres.
As vantagens que offerecem os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser collocados den-
tro de casa on fra, com o trabalho do urna a duas
horas; segundo, fornecerem os mesmos agua pu-
ra e abundante, podendo seren removidos de um
para outro lugar, quando assim convier.
Os annunciantes s reeebcrao a importancia dos
referidos pocos depois de collocados, satistazendo
espectativa do comprador.
O CIRERGIAO DENTISTA
Frederico Maya
. Tem a honra de scientificar ao respeita-
vei publico ;.,! geral, e aos seos clientes
em particular qae elle mudou o seu gabi)
riele de consullas da ra Direita n. 12 para
a do Queimado n. 31 primeiro andar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
do ser procurado para os misteres de sua
profiss5o, todos os dias uteis das 9 horas
da manha s 3 da tarde.
Tambem previne, que contina a prestar-
se a vontade dos clientes nao s na cidade
como nos seus suburbios, para onde as
idas ser3o precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenbo e a perfeic5o de
seus traba Ihos, o que j bem conhecido,
assim como as commodidades dos precos.
VlNHO, PlLULAS, XAROPK TlNTURA
db jchcbeba simples b ferruginoso;
Oleo, Pomadas Emplastro da misma
planta preparados por *
BARTHOLOMEU & C
PhARMACEUTico s-Droguistas
iEU.V4.HBL< O
A Jumbeb : esu pliau i boje reconhecid
cbmw o mais poderoso Inico, como o melbor
iletofciruenic, e como Ul pplicada aos psdecimentoi
<) fluidoe bifo, bepatiles, durests, tumores inler-
* e pecialuienta do alero, bjdropesiu, erjsi-
pelU, te.; e Hisociadi ao farro mil naa pallidaa
cotm, chloroses e falla de menslrnaco, desarran-
jtt tlu csioiuago, ele, o qae disemos altala*
aMHaoeraa curas mparuutes obUdaj oa domo*
atnsaarados j be- coubecidos asado pele* aai
atisci msticos do pan Porlifal. Em lados aa
" depotiioa disiribuimos palia olhataa qaa
*or fasea coakacar a Janbaba seos resaltados
afpUcaclo.
PO'S DE ROG
Jpprovatlot pela Academia imperial
it medicina de Par*
m frasco do Tm 4 Uf, diaolvido
em nma girrafa d'agua, di ama limonada
agrdate), qae porga rpidamente e da
um modo certo, sem cantar a menor
ao come acontece com a maior
i dos outroa purgante. r m
to ioalteravais por Uto empre-
fam-se tMa-Mleean nagem.
iamm'
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRAVOGO.
A Companbia Indemnisadora, estabelecid)
jesta prafa, toma seguros martimos sobrt
aavios e seus carregamentos e contra foge
em edificios, mercadorias e mobilias: i
roa do Vigaricn. 4, pavimento ter eo.
Aluga-se ou compra-se um escravo com
pratica de servil domestico -qae tenha de 15 a 20
annos de idade :' na roa de 8. Francisco n. 71
Ama de leite.
Paga-se 20J rnensies por ama boa ama de lei-
te sen llllio : na ra da Imperatriz n. 39, tegun-
do andar._____________________________
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
taberna, de idade de 15 a 19 annos: tratar na
Passagem da Magdalena unto das garapeiras.
'rmandade do SS. Sacramento da freguezia
da Boa-vista.
Em conseqnencia da copiosa chava que nces-
santemente cahio no dia 13 do corrente, nao fjde
ter lngar sabir nes?e dia, como eslava determina-
do, a procisso do Senbor jos enfermos, a qual
ficen transferida para o t ii 14 alo corrente, pelas
6 horas da manhiia, o que se faz publico para co-
nheeimento de te dos os nossos irmaos e mais pes-
soas que quizerem acompanhar dita praeisslo.
Consistorio da matriz da Boa-vista 48 de abril
de 18:0.O escrivo,
Simplicio da Orai Ribero.
twarn j_K_HB <_L_W_|
travessa da nw|
das Cruzes n, % pri-
meiro andar, da-se di-
nheiro sobre peahores
de onro, prala e brilhan-
tes, seja qual for a qoan-
tia. Na mesma casa com-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
3}jM__a_ti_>3_gg ai saaai j_w_n_j
Cabelleireiro
Ra da Cruz n. 24, 1 andar, por cima da
botica.
Antonio Rodriguas Ramalho acaba de abril a
concorrencia publica nm espacoso e asseiad > salao
para barbear e cortar cabellos, e afianea que nelle
encontraro seas amigos, amigos fi eguezes, e em
geral todos os qae quizerem frequenla-lo, agrado,
aclividade e bom desempenho do trabalho.
AOS HABITAXTES DO
Imperio do Brasil.
Grande exposiqao na cidade de
Cordova,
REPBLICA ARGENTINA.
No dia 15 do outnbro de 4870 ter lu-
gar a abertura da; exposic3o nacional em
Cordova.
Previne-se, portanto, a todos os produc-
tores, agricultores, fabricantes, artistas e a
todos aquelles que exercam qualquer indos
tria, que na dita exposico se recebem todt s
os productos da industria e agricultura
brasileira, assim como todas as machinas e
utensilios que quizerem reme'ter.
Estes productos esto isentos dos direitos
da alfandega na Repblica Argentina e po-
derlo ser dirigidos cidade do Rosario, de
onde serao tranportados pelo caminho de
ferro central.
Para mais expcaces dirjam-se em Per-
nambuco, ra da Cruz n. 3, ao consulado
argentino.
CASA DA FE.
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Rio venda : rn* do Cabog* n. 1
vende Viefra & Bodrignes.
PEDIDO
Pede-se ancareeidaroenle aos Srs. Domingos
Theodoro Riguira e Aristides Florentino Gaval-
canti de Alboquerque (de SennhSem), que venham
i ra do Vigario n. 14, a negocio qne se precisa
ultimar
O abaixo assignado avisa ao publico que tende
obiido llcenca do Exm. Sr. cooselheiro inspector
da thesourana da tazenda geral, para vender es-
tampilhas em sen estabeleciment a roa do Crespo
n. 23. pelos mesmos precos que se vendem na re-
cebedoria geral; assim pois, podom as pessoas
residentes nesta cidade e fra della dingirera ao
abaixo assignado, suas encommendas em qualqner
quantidade que ser promptaimnte satisffeitas.
_______________Me noel Marti ns Fiuza.
Irgencia.
Pede-se ao Sr. Francisco de Salles e Silva quei-
ra apparecei a negocio que Ihe diz respailo, no
Bazar da Moda, ra Nova n. 50.
Manoel Pedro de Norooha retirase para
Portugal com sua senbora, e deixa como proca-
rador encarregado de velar pelos destinos de sua
ca commercial aos Srs. Antonio Francisco dos
Santo), Jos Pinto Ribero e Manoel Pereira de
Carvalho. Recife i de abril de 1870
AYISO
BA
Tinturara Franccza
&5--Rua da Iiuperatrlz-55_|
O proprietario deste estabelecimente fS
. previne as pessoas qae depositaran) |
| nelle alguns objectos antes do primeir.ro {
I de Janeiro do anno corrente, que os vao &5
i bascar impreterivelmente no praso de S
I um mez da data da presente publica- 9
i cao, do contrario serlo os ditos objectos SjjR
! considerados como abandonados para pa- S
I gamento do trabalho, e seus donos nao g
i tere direito nenhum em reclama-los em BB
l lempo algnm. SS
Recife, 29 de marco de 1870.
A imperatriz regente.
Com esta denominacao chegaram a loja do Pas-
so pelo ultimo paquete os mais ricos chapeos de
palhinha prelos com enfeiles de cores, objecto es
te o mais moderno de Paris, cheguem antes que
se acaben): a rna do Crespo n. 7 A. _____
Aluguel
Aluga-se um grande sobrado por acabar, tra-
vejado sem assoalho, com porto de embarque,
proprio para qualquer offlcia, sito nos Coelhos
defronte ao hospital Pedro II tratar s ra do
Mondego, olaria n. 13 ; tambem serve para mo-
radia.
Publicado na corte pelos Srs; Angelo Inonutz de
Amar al eJSduardo Augusto de Oliveira.
Esta torta et) cada numero contera artigo; de
fundo obre a noliticaGazetrtoaEcho da cida-
de FolbetimVariedadesRevista eoamercial
annuneios, etc.
Assigna se nwnno144000
Setaineaei- 7*000
Tres oeaea 4*000
Irmandade acadmica de N. S. do Bom
Conselho.
De ordem de nosso irmao juz convido a todos
os irmos desta corporacao para assistirem a mis
sa e memento que se deve celebrar as 9 hars da
manha do dia 20 do corrente, em a igreja de S.
Francisco, pelo eterno repouao de noaso irmo o
Bxm. Sr. Dr. Braz Florentino Henriques de Souza,
tallecido aos 29 do mei passado, na cidade de S.
Lniz do Maranho.
De ordem do mesmo jeiz convido a todos os
amigos do mesmo fallecido assistirem esse acto
de religio.
Consistorio da rmandade acadmica aos 18 de
abril de 1870.
Servindo de secretario,
_________Francisco Jos Meira Sobrinho.
AO ARMAZEM
DO
Rna .\'ova n. V,
acaba de chegar pelos ltimos vapores novas re-
rnessas dos seguintes :
Calcado francez
Para senhoras.Botinas brancas, pretas, e de ou-
tras multas differentes cores i ultima
moda.
Para meninas.Botinas das mesmas cores e qua-
lidads cima.
Para homens.Botinas de cordavo, bezerro, ver-
niz, pellica, o melbor sortimento qne se
pode desojar.
Para meninos.Botinas das mesmas qnalidades
mencionadas para homens.
Para homens.Botas rneanas, meias-botas e per-
neiras.
Para homens, senhoras e meninos.Sapatos de
tapete, avelndados, charlte, casemira
preta, tranca de Lisboa etc. etc.
Para meninos e meninas. Abotinados fortes de
muitas qualidades.
Quinquilharias e Brinquedos
para crianzas.
GLOBOS
LOBOS
GLOBOS
De papel de cor para as grandes illumloaroes
geraes que devem ter lagar nos tres dias dos
festejos ; vendem-se baratos no armazem do
Vapor Franoez ra nova n. 7.
i.uvas de Pellica
i.uvas de Pellica
i.uva* de Pellica
Do vordadeiro fabricante Jouvin, brancas, pretas
e de outras mu las cores, bonitas ao ni timo gosto
e chegada) de novo ao armazem de Vapor Fran-
cez ra Nova n. 7.
CflATONI PURGATIVO B DEPURAtIVO
DE
4 II \ HECtltD.
Composto das plaas as mais odorferas e as
mais virtuosas dos montes os mais elevados, o eh
toni-purgatiro de Chambard} possue um gosto sa-
boroso e um aroma suavissimo, e as propriedades
as mais nota veis sobre os emba reos do estomago,
dos intestinos e do figado o desobstruente por
excellencia na constipaco do ventre e nao tem
resguardo nenhum.
Depurativo especial e directo da bilis e dos hu-
mores, iefresca o sangae depurando-o.
O uso do ck-Chitnbard pode ser continuado
por muito tempo sem o menor receio e sem ra-
commodo nem mudanca no modo de vi ver.
NICO DEPOSITO EM PERNAMBUCO
NA
PHARMACIA E DROGARA
M
Bartholomeu & C.
34RA LARGA CO ROSARIO34.
Ama.
Precisa-se de nma ama de leie : a tratar na
rna do Imperador n. 63, 2o andar, oa Passeio Pu-
blico n. 60.
Feitor.
Precisase de um trabalhador para tratar de um
sitio pequeo ; d-se casa propria para morar, e
pagase a secco, preferindo nomem casado : a Ira
tar na rna Nova n. 19, 1 andar._____________
Panno de algodao da fabrica Todos os
Santos do Illm. Sr. commendador Pcdroso, j
chegou ao escriptorio de Joaquim Jo3 Goncalves
Beltrao : ra do Commercio n. 17.__________
Precisa se do urna ama para cozinhar : na
ra do Caldeireiro n. 68.
para casa de
a tratar na ra da
Cosinheiro.
Precisa se de um bom cozinheii o
pouca familia, e paga-se bem
Cadeia n. 20.____________________________
Ama
Precisa se ae ama ama para servico de urna
casa de pouca familia, que saiba cozinhar : diri-
ja se a ra do Crespe, livrana econmica._____
Precisa-se de urna criada qne seja perfeila
engomrnadeira, para casa de pouca familia : na
ra do Imperador n. 51, 2 andar, ou do Crespe
n. 8, loja ae 4 portas.
ssassinato
0 abaixo assignado, senhor do engenho
Matary, do termo de Goyanna, recommen
da a todas as autoridades policiaes desta e
outras provincias, a captura de um escravo
que Ibe servia de criado, de no me Belarmi-
no, de idade de 24 annos pouc > mais ou
menos, cabra escuro, de cabellos carapi-
nhos, pouca barba, olhos empapussados e
amortecidos, falto de um dente na frente do
queixo superior, tem urna sicatriz no rosto,
e de estatura ordinaria, ebeio do corpo, o
qual na madrugada de 7 do corrente mez,
assassinou no referido engenho a um par-
ceiro de nome Francisco, e se evadi, nao
tem sido possivel a sua captura, mesmo a
despeito dos meios empregados pelo abaixo
assignado e pelo sob-delegado de polica de
Goyanninha, cojo districto pertence o lu.
gar do delicio. Engenho Matary i I de abril
de 1870.
Seraphim Velho Camello Pessa de Albo-
querque.
Ama.
F&erara
Precisa-te alugar urna escrava para o servico
de pouca fam.lia, agradando paga-se bem : a tra-
tar na roa da Cadeia hi. 15, kj*.
Algamas pessoas que precisaren) dar ronpa
para lavar e engommar.oirljam-se a i1 travessa da
fundico da Aurora n. 18
Engenho para arren-
dar.
Arrenda-se ou vende-se o engenho Conceicao,
outr'ora Canasdnba, na freguezia de Jaboalo, dis-
tante da povoaco tres quartos de legua, me en do
com agua eqpeiro, com abundantes trras na
extencao e legua e Del em circunferencia : a
w> ff rnni nihjasilnrn i sera previo psg*- Iraur na ra da Cadeia n, i, ou no mesmo enge:
Precisase de urna ama de leite
D. 30.
na roa Bolla
TRILHOS
DO
URBANOS
ment.
LIYRARIA F8ANCEZA.
fbo eom o eo proprJeUiAi Jos lo Rego Danlas
Coaiinlio. jt a.
Recife a Apipucos.
AVISO.
Da segqnda-feira 18 at sabbado 23 do corren-
te serao supprlmidosos trens de .7.20 e 9 horas
da noile do Recife e de 7.20 e 9.SO de Apipucos,
sendo uppiido pelos seguintes :
Do Recife 7.30 8.30 f .30 10.30
De Apipncos 7.35 8.35 9.35 10.35
E nos dias de festejo 21, 22 e 23 havero trens
e ora em hora das 0 oras da manha a meia
aoite tanto de Ida como de voto.
No segundo andar'do sobrado n. 2.' da roa
a_SBita do noaario precisa-se de ntea ama forra
os scrara.
GUSTAVE
CABELLEIREIRO FRANCEZ
51Ena da Cadeia do Becife51
Chama a attenc5o dos seus innmeros fregoexes, 6 do _
geral, para a seguale tabella dos precos de soa casa, os quaes sao
mais barato do que em outra qualquer parte:
Cadeias para relotio a 54, ti,
Cabelleiras para senhoras a 25)),
300, 38/ e......404000
Ditas para hornero a 354, 40 e 504000
Coques a 124, iU, 184, 204, Corte de cabello,
oELSiiu,iki84,2W, *om>s?f***>-
254, 300 e.....324000,&>** de cabello con Impii
Cachos on crespos a 30, 40, 50, *???, _- : _:
60,70, 80, 90 e. i0A000CrtedecabeHocoml,^-*"
Tranra de 'cabello para annel a
500 e.'...... 10000
Tranca para braceletes a 100,
cabeca pela machina elctri-
ca, nica em Pemamboco. .
Frisado i inglexa oa I franccza.
150, 200, 25 e 300000 Barba. ,....... Uf
ASIGNATURAS MENSAES
Especialidade de pentedos para casamento
Bailes e eolree ______
0 dono do estabelecimento previne s I Recommenda-se a superior TUffOaU 1A
Exmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um PONEZA para enegrecer os cbeles lar
salJo para tintura dos cabellos e barba, as-| Da Dnic/ admitda na Exposcio Cnsm
. i como n5o prejudicial sae, eer sern>
sim comoum empregado smente occapa-iatii, analysada e approvada
do nesse servico. 1 mas de sciencias de PARS E
MIMO. 17 DE ABRIL
GRANDE COSMORAMA
28--Camba do Crmo28
Paraguay.Visla da passagem de Curupaity, bombardeio e tomada de Curof, mmti
mavi, abordagem dos enconracados, passagem de Mercedes, abordafea* 1
do Alagos, combate de Riachuelo e passagem de Cuevas. Todo ser vM 1
vidro.
Paraguay.Glorias do exercito brasileiro e tomada ce Lombas Valentinas.
Rio de Janeiro.Vista do Castello.
Portugal.Vista do Porto.
Italia.Presa de Palermo por Gribaldi.
fiatia.Vista de Milao.
Hespanha.Visla de Madrid.
Franca.Scena da opera de Pariz.
Inglaterra.Visla geral de Londres.
Todas as vistas serlo modadas aos fabbados e segundas-feiras.

____3_
OPPRESSO SOFFOCQO
* Pcroias d'rhrr do dodtor Clertar approvsdas pela Academia iapetaal
d.> medicina de Cariz acalmam quasi sempre instantneamente os ataques d'aaaaa.
oppressao, soffocacao, assim como as dores de cabeca e enxaquecas. atMaV
cente na occasiSo em que apparecer o mal, o engolir-se urna ou duas peroles
com uma pouca d'agoa. com certeza o medicamento mais fcil de tomar para
este genero de doencas.
As Perolaa de terebcnlhlauk DO DOCTOR .IRTAJ! sao impregadas itliriaifH
com grande xito para a cura das neuralgias, rheumatismo, sciatico e catarrfoM
da bexiga, Estas perolas foram sempre recommendadas por nm grande amanera
de mdicos e especialmente pelo Doutor Trousseau, que indica este medara
ment cohio o mais effcaz. conveniente tomar de K at 8 na occaso das
comidas.
A approvacdo da Academia imperial de medicina sem duvida a Balar
garanta da boa preparaco d'stes medicamentos e de sua efficacia.
Depotito em Rio-Jaseiro, Duponchelte; Chetolot. Ein Pekxaelco, Naurtr O".
ZAR ACIDEMICO
13 Eua da Imperatriz 13
Ulysses & Irmos proprieta ros deste bem conhecido e acreditado eslabHeaav .t-
tem a honra de participar ao Ilustrado corpo ACADMICO e aos seos nnsKrosos fre-
guezes, lanto desta praca, como de fra, que toado sido elegantemente retomado dito
estabelecimento acba-se completamente sorlido e em conditdes de b^m servi-los w
seguintes arligos:

CHARUTOS
superiores de Havana, Hamburgo, Baha e
Rio de Janeiro etc.
Cigarros
de palha de 5. Paulo, de 30300 a 70500,
o milheiro, Daniel do Rio Novo, Maurity,
Imperiaes, Tenenies do Diabo, Duque de
Caxias, Gandoa etc.; de papel, de fumo
de Daniel, General Osorio, Conde d'Eu,
Rocambole, Radicaes, Acadmicos, Macham-
bomba, .Montevideo, Orientaes, Baependy e
muitas outras qualidades.
Fumos
Afamados de BAEPENDY em caixoes de
20 libras I0JOO rs. a libra, em pacotes
a 20, de 20 para cima a 10800 e em maior
porcSo 10300 o pacote de 1 libra, dito
em latas dequarta a 640 e 500 rs., e outras
muilas qualidades como sejam: Daniel do
Rio Novo, do Para, de S, Paulo, Caporal,
Variedades
PONTEIRAS para charutos e ofarras di
todas as qualidades gostos e pretos.
CACHIMBOS de superior tsmmm, de nw-
deira (raiz^ de 30 at 60, a don e Je ev
tras qualidades a retalho.
DITOS pe de gallinbados
ha neste mercado a 30 e 30*4)0 a
com grande abatimento em
ditos de louca, gesso, barro, etc.
BOLSAS de borracha e cooro ele
gostos o precos, para guardar
CARTEIRAS para cigarros le
systemas.
PHOSPHOROS de cera, ea canas de to-
dos os tamanbos, de seguraste* a feaBo ele.
PAPEL de milbo, de ar ros, saaM se. Tu-
san, pintado, de linbo etc. palha de aaVs
Fernando a melbor possivel.
es
etc. etc.
Alm dos artigos mencionados encontrarlo nossos fregoezes ooiros
ero de nosso negocio, que se vende em grosso e a retalho e qoe coa i
ser5o satisfactoriamente bem servidos: bem como nos encarregase de
commendas de nessos cigarros de seda e linbo, etc.
13Ra da Imperatriz13
BAZAR M MOIA1
50 RA NOVA
Os abaixo assignados proprielarios deste esUbetedoMBdev
que, continuam a vender muito barato e em vista ao grande
miudezas da melbur qualidade chamara, a alinelo dos Srv
de retalho afim de comprarem o que lhe for conveniente ; ce
10 tyo pagamento realisado no mez da compra.
$ Jos de Sovza Soares StC.
VESTIDOS PRETOS
Superiores cortes de gorgur5o de seda preta bordadat, o qoe ka de ceaer i
naior gosto em Pernambuco. ____
Bons grosdeoaples pretos de sede.de40600 a i ir_|
mnas, roa do Crespo n. 3, de Antoef ("orre.* de* VascetW.
id, m toja




Diario de fernambuco Quarla eira 20^ da Abril de 1870.
FAZENDAS PARA A QIJARESMA
LOJA DO TRIMPHO
7=Rua do Queimado7
DE
UERA 4 BASTOS.
Chego pelo ultimo .vapor da Earopa o mais bello sortimento de fazendas preta
mcoo sejam;
Grosienaples pretos de todas as larguras e qualidades.
Gorgarao preto para vestidos, o que tem vindo de mais superior nesta faienda..
Pequia da China, de seda pura preto com listras de setim o que ha de mais moderno
a fazeada preta para vestidos.
Mantilhas brasileiras de renda de sed* preta o quotera vindo de mais moderno a
esle morcado. ,
Jleterniques do croch preto cora ricos lagos de setim e. de modello completamonte
novo.
Casacos de croch pretos, compridoscom grande roela e de regaco que finge segunda
saia sobre o vestido.
Ricas mantas pretas para cabeca de senhoras.
Um grande sortimento de fil preto de seda com flores, neste mesmo estabeleci-
mento tambem ha um grande sortimento de poupelinas de ricos gostos, sedas lisas de
lindas cores, saias bordadas, finas para seohoras, luvas de Jouvin de todas as cores
para bomens e senhoras, grande sortimento de cortinados bordados para cama e janellas,
tapis para sof, camas, pianos, janellas, e grande sortimento das afamadas csteiras
da India para forrar salas, s existe na ra do Queimado n. 7.
Loja do Triumpho.
juja u iriumpiiLu.
imiiiin imnii
Z HtU m & m
lH?ftl9 ^ JS
f&
ce

EX__
O 6 a "Z'
*< cp
Q
- K a n
u 2 (C -i
S. 2. 3 W g
b 8* e i a
2.a p g
pOO" OH
a a> ..,2
o 2. S1 2.
fs-fS-lf
3 S B S
O-S O o
2 8 o-
hihi
a a 3 |8
il"i
fifis?
03 H C3 3
oo oo
>3 i 11
rO u a
te o b P ..
o> o.- g
0? a a. a-
s>m o o paja
.

Precisa-se dejpm n
dos arranjos dirfiasa tnem (mi
prar e cozinhar ) e qae seja xelosa no senieo a
sea cargo : ra das Cruies n. 9., segando an-
dar.
GASA DA FORTUNA
Aos 5:000$
Bilhetes garantidos.
.i roa do Crespo n. 23 e casas do tame.
O abaixo assignado, tendo vendido alm de on-
tras sorle, dous quintos n. 660 com yOOJOOO da
lotera qae se acaboa de extraur a beneficio d
igreja de S. Amaro do Scrinuaem (143-), convida
aos posstudores virem receber na conformi-
dade do costme sem descont algura.
Acham-se a venda os telizes bilhetes garan-
tidos da 2* parte da lotera beneficio da igreja
da Casa Forte (til*), qae se extrahir na terca -
fera 20 crreme mea.
Procos.
Bilhete 6*000
Meio 3JO00
Quinto #200
Em porcao de 1004 para cima.
Bilhete 3*300
Meio 14730
Quinto 14100
_______________Manoel Martins Finia.
Nao s descuidem
Como at hoje que mutos socios pedera di-
rectora do Monte Po Portngnez era relaeao a con-
yocacao da assembla geral, mais cuidado e acti-
vidade, cesse a indilTerenca e cumpra o Sr. se-
cretario o art. 49.
Joaqaim Ion icie Gomes e Jos Vicente Go-
diilmeute a todas a* pessoas
aram acor ihar e assislir aos lti-
mos sufragios na oroi e 8. Francisco, por sua
esposa lllha A"gejka Rodrigues Gomes, e de
Q vWam para assisifr a ama mta que por
ma-tem ser celebrada no dia 21 do cor-
>. horas da maohaa na igreja cima
meneii-----
o
&
AHENCAO
Precsase alagar ora moleque de 12 a 14 anuos,
poaco mais ou menos, de idade, para mandados e
alguns servicos de casa, que tenha boa conducta :
na ra da Roda n. 48, sobraco.
Licciio de francez.
Urna pessoa bastante habilitada offerecese para
ensinar a lingua franceza, tanto nesta praca como
fra delia : procure se na praia do Caldeiro n. 31
junto a urna tenda de marcineiro.___________.
Attenoflo
Na roa da Praa n. 34 ha para vender grande
qaantdade de saceos de farinha de mandioca da
trra Dor menos preco do que em oatra parte.
Na ra da Cadeia do Recife n. 50 precisa-se de
Orna ama para cozinhar.___________
Atajra-se oprmeiro aodrr do sobrado da ra
da Sencalla velha n. 30 : a tratar na loja de mes-
mo.
Em casa de THEODORO CHRIST1-
LNSEN, roa da Gnu n. 18, encontram-st
jflectivamente todas as qoalidades de vinhf
bordeara, Boorgogne e do Rheno.
ATTENQiO
Declarase pelo presente que o eogenho Mus
saba nao pode ser vendido, por isso que o seo
proprietario tem diversas execnc5es contra si.
Fute, 36,RuaYlTtenno, W
CHABLEmedecin
>*
CD
ifflE W3SS3B wamwmmB
N.3AH]iNCMEG4N.3Jt.f
Cutiieiroearmeiro
O abaixo assignado proprietario da calcina de
entilara da ra Nova n. 34, avisa aos seus fre-
guezes e as demais pessoas que quizerem se utili-
sar do* seus servicos, que mudou a dita officina
da roa Nova para a da Gamboa do Garmo n. 36.
Joao Francisco de Oliveira Santos.
Attencio
Ao Sr. Antoco Pires da Silva Jnior, portuguez,
de Villa Franca, deseja-se entre|ar urna carta
chegada de Poitugal pelo annunciante : na ra
das Cruzes n. 9, 2 andar.__________________
Na noite de 15 do correte, pelas 11 horas,
apparecen na casa n. 24, da estrada de Joao de
Marros, ama mulatinha que diz ser captiva, nao
saliendo o nome de sea senhor: quem for seu
senhor appareca, que dando os competentes sig-
nae< e testemnnha, ser entregue.____________
:OO0OOO
Precisa se a juro? da quantia sopra, dando-se
ama hypotheca em eferavos : a qnem convier an-
nnncie por este jornal indicando a morada.
Oaixeiro
Precisa-se de um caixeiro que tenha ortica de
taberna : i tratar na roa Nova n. 53. _____
Quem pracisar do um mogo apto e habilita-
do para ensinar o franeez e as primeirss letras
fra da cidade, dirija se fregoezia do Recife, ra
do Vigario n. lo.
Ama
Precisa-te do urna ama para o servino interior
de pequea firoiha : na ra da Amizade n. 21.
Ga ponga. -
Attemjao
Precsa-fe na ra da Praia n. 33, 2o andar, de
ama ama que saba be n cozinhar somente, que se
pagar bem, podendo ser procurada na mesma
ra e sobrado.
EsquadrSo patritico 12 de selembro.
A lonnatura desle esqoadrao ter logar ao dia
21 do crrante as 3 horas da tarde, no largo do
Hospicio.
Luiz Goncalves da Silva,
Secretario.
'
\

Com este titulo acha-se -aberto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimeot de joias. onde os freguezes e amigos cncontrarao todo qnanto
a moda e o b observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos presos.
Espera qoe o respeitavvi publico venha ver o que existe demelhor em
Idneos de brilhanies. esmeraldas, robins e perolas, tneios aderemos, pul-
ceiras, hriooot,alfloeles e aunis de todas as qualidades, prata delei faquei-
ros, eolhores, paiileiros salvas oulros muitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-sc uro, prata, brilhantes e pedras Qoas, -pormaior prego do
que em ouira qtwiqner parte, treca-se e coocerta-se todo e qualquer objecto
portenecnte a esta arle.
Ama
Precisa se de urna ama que cozinhe perfeita-
mente para casa de h( mem solleiro, e paga-se
bem : na ra da Csdeia n. 39.
Ama
Precisase de urna ama :
mero 22.
na ra da Praia nu
No armaaem da travessa do Corpo Santo n. 25, ha senpre um completo
eortimento e objeotos para carros, e que se vendem por pregos muito rasoaveifi, como
ejam:
Vaquetas de .lustros, grandes e muo boas.
Solas dem dito.
Oleado preto e de cores.
Colleiras de lustro o que ba de melhor.
Guarnicoes de tio lato para arreios, completos.
Lanlernas e vellas para as mesmas
Eixos pate*tes jMra sebo.
JoaQuim Lopes Machado & C.
O abaixo assignado tendo j ha tempo res-
pondido pelo Jowial do Recsfe um annuncio que
chamava a sen filho Thomaz R3rreto Lins de Bar-
ros para fallar a negocio na ra das Cruzes n 9,
v com pesar de novo no Diario de Pernambuco de
13 do crranle se o chamar, nao (bstantetero
abaixo assignado convidado o annuncianle a en-
tender-se com elle-sobre qualquer negocio de sen
filho, visto que este se acoa fra du provincia, ou
se assim entender o /annuncianle, declarar qual
o negocio que tanto se refere.
Jos Candido de Barros
io corno acadmico.
O abaixo assignado pede aos senhores acadmi-
cos que no dia 11 de mez prximo passado aloga-
ra in a casa n. 3, sita -na Capunga ra da Amiza-
de, e que tendo pago um mez adiantado, nao ap-
pareceu mais, o favor de apparecerem com sua
carta de fianca ou a chave da dita caca, na mssma
rua n. 9, urna vez que o mez est j finde ; e se
nojiraso ds tres dia?, a contar de hoje, os respec-
tivos senhores nao o tzerem perdern o direito
dita-casa, mandando o abano assignado arrancar
a techadora debaixo dae formalidades da le.
Maaeel Jsoare Gaimares.
VERDADEIRAS
^
PLULASoeBLANCARD
COA IOOHETO 00 FERRO MMLTtlUVEL
AlfflOVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DI PARS, ETC.
Possuindo as propriedades do Udo I do arr, connem especialmente nu AfmooM
iMCiorvLOSM, a Tsica no principila fraqutia d$ temptruntnto tamben no* otea te
(tacta di cor, AMEtfO&SHEA.em que precisaREAonoonut e lAMOos seja era reetitnlr
the a ana riqueza e abundenefa oormaes, ou pira provocareregalar oseoeono perodiM.
ff. 0. O 4ara de ferro impara > teriAo i a audicuMBl* iibl,
. jrrjumv. C m> pm# de parta de aoiheneidad dw wiililm WU
jfctoM nnr, or** (xir ovj Mil* prata mitin
Bfftts ano*. ^i* froovzida, irue M *Hi na parta inferior aaa
wmtm!m rerd*. Deaa diteonfiar da falaiflceoaat.
k ilth^-^.t?^J?!*Jt?m'!^_^*!?***te, ri Jaearfa, 40, PmrU
o i. wm\
nico hotoenpatha, pode ser procurado no sea
consultorio.especial homeopathico no largo da ma-
triz de Santo Antonio n. i, i andar.
No meemo -"un- u I torio teto sempne grande sor-
timento de-medicamentos de meopathia, tanto em
lobos como em tintura.
Trtpicheiros
Alerta,
Oho vivo eoni o .armazem que nao lodepen
deneia.
O mmigo dos traficantes.
Attenpo.
A pessoa que annuocioi por este jornal preet
sar de orna escravinoa naca andar com enanea,
pode dirigiMe rua das >yrnphas n 17, Sol
dade.
Pede-e i Sr. Jos Alvis Ferreira, morador
no engenho Mauo Grosso, o fa*or do apparecer
na rua do Brum a. Si.
Precisase de uui criado prorio para sitio:
tratar na rua estreita de Rosario u. &
ILLUMINAQAO
Lindos GLOBOS de vidro de cor, e braacos com flores, para illnminao&es a gaz carbnico e para gaz porttil, assim
como machinas de oaael de dififerentes tamaohos e cores, vendem-se muito barato para liquidar : na rua da Cadeia do Recito o.
O, ARMAIEM EXWSrC) BE LENDRES.
BASranaVaUDADAS DESSEXUAES, AS i
M OrrAWEAS, E ALTEHACOtSDO SAH0B
lOOSenrudutepiifM
littu/ai. A*rpt, MTM
CC*niXOt$,*ClhUH*,ft
lierfou, ommmu e um
______lgu; im, < Jatrcfetl
io tanguf. (Xarope vagetat um Hartarla).#
rmtUaa r(rt>M Bi.lHtf MlIVimAU
loaao-aadous per aamau, aagiiid* traetamaaS
Depurativo : i eapregada bu mumn olaaiiae,
Bita Xarapa Citraata O
ferro da CHABLK. adiatuemeaulfaa]
DEPURATIF
ln SA1VG
PLUS d:
COPAHU
ante oa ftuxoi /lora branca* daa aalaeM
Esta lajeceao benigna tmprigt-ae con Xarapa
Citracto i* toro.
u,rrMu, Penada e,ae u un ea trae
POMADA ANTIHERPETICA
Coatrai aaa ejlttfew mteaiaaM e
PILULAS VE0CTAB8 DEPUPATIYA
ie v CautMej. da fraaaa vai liaHiide i
HASSA e XAROPE
DECOOEINADEBERTHEI
Prcconilados por todoa os mdicos contra o |
DErXDXOS, CATHAnROS, E TODAS ASI
IRR1TAQOES DO PEIT0.
N. B. O Xarupe de Codeina tut merecen a I
konra, alta bem rara entre ot Medicameniul
novot, lie ter registrado como um doi medica- [
mentoi officiat* do Imperio Francs dispensa |
qualquer elogio.
AVISO. Por cansa da reprFhensivH falsl-l
CcacJo que tem suscitado o Mal resultado do [
Xarope e massa de Berlh somos Toreados al
lembrar que este aiedicamentot tao justamente I
conceptuados s se
fi-iidem em cnitin-
basen-.iscoclevando "~~^~\Q *&lf'^,
a assignatura en *
Olote.
45, Hut da cotes, e na Pharmacia Ceulial
de Kranea. 7, llue Je Jomj, m|
lo^la^ as Pbnimacias pi iuciuaea lo Knuil.
PIIiULES
DE VALLET
As Piioiaa ele TeJIct, approvadas pela
Academia imperial de medicina de Pariz,
saS empregadas com e maior
xito para curar a chlorosis,
e fortificar as constituicoes
fracas. Nunca este ferrugi-
noso ennegrece os denles.
Para a garanta da sua authentcidade,
o nome do inventor vai gravado em cada
pilula como margera.
m>m' I em Paa-iiaacoo, IfaurfrtC1".
um uo ra u,
;MT4-ESlIAS HYPPHQSPHITOS
ddDrCHRGHILL
XAROPE de HYPQPHOSPHITO de SODA
XAROPE de HYP0PH0SPHITO de CAL
PILULASdeHYPCPHOSPHITO de QUININO
GHfeOROSE'ANEMIA
CORES' PLIDAS
XAROPE de HYPQPHOSPHITO de FERRO
PILULAS de rlYPOPHOSPHTTDde MAWSAWE51A
T0SSE >:- -BRONCHITIS:
OEFLUXOy- ASTHMA
PSTILHS PECTORAES-.b CHURCflllL
Exigir para oa soaropm e (rateo quadrado i em
iodo* o productos a assignatura do D" CHUeV-
OHZXX, e o letreiro com a marca de Mrica da
Pharmacia tVWAMM. U, rua Castifto**. PARI
COMPRAS.
Farinha nova
de mandioca ltimamente chegada, vende-tea bor-
do do brigue esenna Mentor fundiado entre o ces
do Ramos e trapiche Bario d3 Livramento : a tra
tar com o capitao a bordo e com Bernardo Jos
de Aranjo, no armazem do Annes defronte da al
fandega.
Milho e arroz de casca
Vende-se mflho e arroz de casca novo cw ?ac-
tos, no trapiche da companhia : a tratar na rua
da Cade'ia-veJba, casa n. i, 8* andar.
COGNAC
da muito acreditada marca Rouyer Guillet & C. de
cognac. nico deposito em Pernambuco, em cisa
de Carlos P. d Lemos C, raa do Vigario Ho-
mero 10.
Vendem se duas barcacas de lote de 30 cai-
xas cada nma : na roa do Passek) n. 56, luja.
Vndese um preto crioulo proprio para o
servico de urna casa : na rua do Crespo n. 12.
Casa terrea.
Conwra-se ama casa terrea : tratar na rua
da Madre de Deus n. 16, loja.
Compram-se moedas de ouro e prata de to-
los os valores, ouro e prata em obras intil isa das,
Drlbantes e mais pedras preciosas : na loja de
)urives do arco da Conceicio, no Recife.
((Mi-i E H
ESCEAYOS
Compram-se e vendem-se diariamente para fra
i dentro da prowncla escravos de todas as idades,
oros sexos, com tanto que sejam sadios : no
:erceiro andar do sobrado n. 36, rua das Cruzes,
'reguezia de Santo Antonio.
Oom maito maior vantagem compram-se
noedas de ouro e prata: na loja de joias do Co-
rceo de Ouro n. 2 D, rua do Cabug.
Comprare urna canda de carreira ou abena.
Preeisa-se comprar urna casinlia com quio
tal, e prefere s na ras do Cotorello, Pires, S.
Goncaio, eu em qaalqner parte da Soledade : a
tratar na rua do Livramento n. 10, loja.
0 miizeo de jogs
Na rua do Cabug n. i compra-se ouro, prati
pedras preciosas por precos mais vantajosoa-do
f* em oatra qaafquer parte.
Compra-se urna Hteira : a tratar na rua do
Crespe n. 18.
Compram-se oim janellas promptas cem seus
competentes caixlhos,as$im como portas partidas :
no earterio do 8r. Portocarreiro, rua do Impera-
dor.
VENDAS.
- Brincos e aWnetea de papel, obra delicada e
vista pela primeira vez tiesta etdade, feitos por um
curie se : vende-fe a 1*500 a pec^ ; na loja da
Aguia Negra, rua o Cabug n, 8.
Brincos e enfeites
de papel, obra delicada e vista pela primeira vez
nesta cidade ; feitos por um carioso, vende- se a
14300 a peca, na loja da agaia negra, rua do Ca-
bug n. 8. '_____________________________
Vende-se um sobrado na rua Direita dos Ar-
rogados n. 7. Vende-se mais uu sitio na traves-
sa do Molocolomb n. 9, com boa casa de viven da,
mnitos coqueiros e muitos arvoredos de fructo,
e com grande viveiro no fundo : tratar na rua
Imperial n. 122.
Vende se urna earroca de molla para ca vallo
com os pertencentej arreios : rua do Brum nu
mero 79.
I m 390O mu
Grande factura de chapeos de palhinha aman-l-
a, propri para os corpos de voluntarios da pa-
tita, pelo diminuto preco de 34800 : na rua Direi
ta n. 61.
Grande armazem de louca na
roa da Imperatrlz n. 6
Neste grande armazem vende-se louca inglcza
finas e ordinarias, appareUios de porcelana para
jantar e para cha, jarros para flores os mais boni-
tos e de gostos modernos ; assim como grande
ortimento de vidros finos o ordinarios, que indo
se vender tanto a retalho como por atacado pelo
mais barato preco que em outra pualquer parte :
chamamos a attenrao dos freguezes, que convenientemente servidos tanto nos cemmodos
precos como na boa qualidade das fazendas.
GRalTOE KOIIIIK
NA
Vende-se nma casa terrea, em chaos proprios
na freguezia de S. Jos : na rua de Hortas n. 30
se dir quem vende.
Cortes de vestidos de
blond.
Acaba de chegar loja dos arco3 rua do
Crespo n. 20 A. de Alvaro Augusto de Almeida
& C, os mais ricos cortes de vestidos de blond
que tem vindo a este mercado para c?samentos,
assim como cortes de vestidos de seda de cor de
gostos inteiramente novos, e tambem um grande
sortimento de chapeos de velludo para senioras
vende-se ou troca-se por casas nesta praca
o sitio denominado dos Bcritiz, antiga casa da la-
vagem de ruupa, com grande casa de vvenda,
senzala para preto?, estribara, banheiro de pedra
e cal com agua corrente, baixa pora capm e
Srande terreno para plahtac5es : quem o preten-
sr dirija se praca da Independencia n. 33.
Cintos modernos.
A' loja de fazendas de Paes Mello & C. acaba de
chegar un completo sortimento de cintos pretos >
de cures, que se vendem por precos commodos,
RUA UQUE DE CAXlAS N. 13
(amiga do Queimado).
Bunito adorno para senliora de bom gosto
para os bailes o fesiejos pelo acabamento
da guerra.
Venae-se na rua do Imperador n. 67. urna gran
devlta contendo 362 bonitas perolas de custo de
7004. Tambem plem-se relalhar a 24 cada urna,
e formar-se tres voltas mais pequeas, qnc anda
assim chegam para o pescoco de qualquer senliora.
Vende-se um bonito moleque de 16 a 18 an
nos. na rna do Imperador n. 30, terceiro and&r
Vende-se ou associa se a labernn da rua do
Conde dj Herval n. 96 : quem quizer, drja-se
mesma.
PILULAS, VkNHO, XAHOPE DE JURUBE-
BA DE PINTO.
Superior todos os tnicos conhecidos contra a
anemia, chlorose, hydropisia, obslrticco do ab-
domen. E tambem empregado nos casos de mens-
truacao dirlicil ; ns catharros da bexiga, etc.
Rua larga do Rosario n. 10
Junio ao quartel do torpo (Outr ora rua dns Quarteis)
Deposito tffecliro dos productos da companhia das
aguas de Vichy como sejam :
Agua Source Cele>tins.
Dita dito Hanti-rive.
Dita Chateldon etc. etc.
Saes de Vichy para banhos.
Pastilhas de Vichy etc. etc., ludo por precos mui-
to em conta, em casa de Tisset frres, rua do Com-
mercio n. 9.
Os mesmos teeo para vender cognac superior, e
vinhos de diversas qualidades.
Milho e f-irelo.
Vende-se milho e farelo mais barato do que em
outra qualquer parle : no armazem da estrella,
largo d) Paraizo n. 14.
1$000 o chapeo.
Chapaos de brim branco para os batalhoes pa-
triticos : na praca da Independencia ns. 23, 23,
li e 16, na loja de Jos Pequeo.
Pao ingiez,
Pao allemao.
Vende-so na confeitaria do braco de ouro n. 26.
rua do Imperador, o melhor pao que se tem fabri-
cado nesta provincia.
PATRITICOS
Ferreira da Cunha & Temporal tem em sna loja
na rua do Duque de Casias n. 63, grvalas verde
e amarella, propria? para estes batalhdes, pois se
vende a 14000 cada urna. A ellas, antes que se
acaben.
Veude-se por un cont eseiscentosmil res,
um preto roi;a: tratar na ru da Imperatri- n. 13.
Vende-se um cabriolo! americano em per-
feito estado de dous e quatro acentos, tendo quatn>
rodas novas e mais qnatro de sobrecelente & m
lanca e arreios para um e dous cavalloi ; tra-
tar narua do Imperador coieira n. 23.
Vende-se urna escrava de 30 a 35 annos,
com habilidades, outra com 10 para II annos,
bonita, cose bem e pospona : na rua Direlta n.
31, armazem.
Vende-s a loja de funileiro da rua Direita
o. 38 : a tratar m-unesma rua n. 31.
Vende-se urna burra pequea propria para
cabriolet id relia : a tratar as Ciuco Pon'as nu-
mero is6.
Vende-se ou aluga-se nm cavallo bom an-
dador, proprio para os amantes dos festejos pa-
triticos ; ponanto quem pretender, dirija-se ao
armazem n. 30 do caes do Ramos, que a;har
com quem tratar.
Vende-e urna negrinha de idade de.12 an-
nos, propria para andar com crianca, e compra-
se urna negra de mola idade que nina cozinhar e
engommar: na rna do General Victorino (antiga^
rua do Sebo) n. 29.
I ------------------.___^---------i ----------------------_____________
Vende-se ama casa terrea na rua da Espe-
ranca : quem pretender dirija-se a esta typogra-
phia, que fe indicara quem vende.
DO
BRACO DE OURO,
Rua do Imperador n. 8$*
Os don os deste estabekc
do por em pratica nesta cafal
mes das confeit3rias das piJanirai c
da Earopa e Brasil (Rio de Janeiro)
sciente ao Ilustrado publico esta
que na prxima semana sania
estabelecimento pi mormaneen*
e enfeitado com um completo
sortimento de caixmbas de rfiffcreafc
lidades e gosto, um tx.mpfft> ai
de amendoas confitarlas de toias
dades, conferios e pastilhas as qaars ser-
vem para enchimenio das anasaus cahiaavs
adverlindoao Ilustradopublico qaaMrMa
des, cima meociorradas rsti iaaetnaaaBSB
em uzo brindar senhoras com rsle >fcr>*->
presente e vendo nos' que at a rpnea ar*-
sente anda nao honre algor ipie trre?-^
a lembranca de proporcmar aos asaanaa*
do bello sexo nesta cidade o tosejo io dr
suas demonsiracoes de esiiaw, graaoft -i
amisade com nm bello prsenle, ao k ata-
mos a nosso cargo tao ardaa larrfa atVr -
dendo as duvidas do b<*ai oa ataa raaaata-
do, que pdennos eolher.
0 publico encontrar lodo atis a* r->-
latava o antigo annoocio aesle Iksrri, n
Exmas. familias na occasiao ie viwa>r oa
templos poflero vir foitalecer-a o
lanches, vinhos, licores, Gbaaiaagw
ja e refrescos todo do meitior qae a<>
vel. Esperamos pois da oacarreacu :>
respeitavel publico em geral.
\ m\ m\\W~
A rua do Duque de Casias n 21.
(ANTIGA RA DO QBEflUMj
Nao foi sem fundamento qae a JOV \
ESP4KANCA tem donado de faser as
annuncios, a razio simles ella eaieao>
que ludo em demasa ab*>ntce... pr nao
como j tioha dito e si-Mitineado a saa aa
freguezia, o que constantemente a reerfcfn-
do, ou tivesse feilo omitas vezes, rerw-
tornar-se massante, assim pob rreothei
um po&co ao silencio, mas nortea dehaai>
d'expregar os verdadeiros esfureos, ja eaa-
tratando maior numero de eorrrspeaaVat*
na Europa, j descobrindo i.bjectoa do ata i
apurado gosto e finalmente asignanri> >
Jornal das Familias, o qual sraafr-
ornado ern figurinos, mrlf roo moldrs par i
Vestidos ele,, etc. para drta naa Beetiit'-
servir a sua conslantc fregoezia ; e cai ns-
pecialidade ao bello sexo, a qoeai a WV\
ESPEIWNCA ufanase em oaVrccer-aaa
seus servidos, apressando-se desde ja (ai
declarar o que tem receido alnanava^
entremeio e baba.o bordado transpar*nU*
e tapados, cbat.osinhos de setim paraaag-
lisados.
Finas trancas de cambraia lardada part
o mesmo lim.
Meia de sdi e lio tle escocia para crian -
Cas.
Didais d'osso, marm ac c Budrrr -
rola.
ptimas navallias, aliadores uiassa
as mesmas.
Finas esponjas para o rosto e para bu-
olios.
Bonitos sapalinhos com biqoeira, arado
com salto, para meninos e meninas aa m
a doze anr.os.
Boas lentas com cinco melimetros parJ
i'ontar-e os (jos de qualquer bzrada.
Thesouras para frisar vestidos.
Carretas para tirar moldes de teslidos.
ollas para segurar c s-uias.
Bonitos lintotos d novse e oanaJafl
moldes.
.Meias de la para bomens e seeaoras.
Finas e bonitas ligas para a*ias.
Fil de linho e de .-eda, sendo rame
branco, liso e de salpico*, e Hilros oa-<
objectos ex postas a vt.nda i rm Daajaa
de Caxias n. 21, na NOVA ESPErtANt'A.
MU1TA PERrTMAHIA.
A NOVA ESFERANl.V a roa Ump i
Caxias n. I, acaba de receber BMa per-
fumara dos inelhores e mais faansi fa-
bricantes, como sejam linos extrae!*"pora i
lenco, escencias con-eniradjs de BMailaa aaa
liaddes olhos de ag adatis rlwims para a
cabellos,^bonitos vasos coa) Nn baaoa, Sa>
dissimos vasos com pos de arroz, sabuoe**
de diflerenles qualidades ele., elr., aanai
pois os apreciadores do boa), veaaraas*H *-
fazersuas precisoes na NOVA ESPERAS*!!.
PARA ALYKJ \I1 E CONSERVAR 08 aWATES
P de carvo de rosas : vendeos-** i raa
Duqne de Caxias n. 21 na NOVA ESPE-
BANCA.
Para acabar com as sardas, oa panaa
recebeo a NOVA ESPERANCA roa Ra-
que de Caxias n, 21, o verdaeiro ka *W
rosas brancas.
Mabia d aleacra
Vende-se na rna Duque de Caxias o. 21.
PARA LITO.
Brincos, broches, voltas, pafeeiras, fear-
las, pentes, botoes para paabos a ranos
para relogios.
A NOVA ESPERANCA oaereaaa i
sua freguezia, nao soroeote em
d'alegria, ou de luxo, quer
panhar aquellos, qne ioieli
alguem de sua familia, oo algara
amizade. pncisam de tara ""
pois a NOVA ESPERANZA,
que ba de melhor neste
sendo laes objectos do cor
de ni qualidade, nao
tristes como al repugna****, ana aaa
acontesse aos da NOVA ESFERA**!A. omc
que apenas exprime o seouaMa** aaaa cor
oorem como que tm ora laaojoaalj a*a>
pereiiP com qoe toes oajettee si *a-
balliados.
CALCADOS UlATf
Brozeguns pretos anteas para
a 45000.
Ditos de duraqoe de cor
senboras a 4|00O (todos a
do).
Brozeguins de lastre
iiOOO, e vende-se na Prata
dencia n. 30, loja de
Basto. ___]
Veode-se um sera
urna mulatinha de idade
crava, um moleque
na iravssst o CaraM a. I.



I




*
- v**


6
Diario de peinambuco Ouarta feira 20 de Abril de 1870.

A VERDAD!
55Ruado Queimado5c
A VERDaE tendo era deposito grand
quaotidade de miudezas e perfumaras, e de
cejando apurar dinheiro e adquerir boa frtf
guezia est rssolvida a vender muitissimt
barato, ; por essa razSo convida ao respe
Uve! publico a vir competentemente mu
do a sortir-se do bom e barato. Pois quar
do a Verdade apparece, tudo mais de
apparece
Grande sortimento de bonecos de cera t
missa as mais lindas possi veis vestidas a ca
racter.
Abotoadurs moderuas para col-
letea....... 321
Es#lhos donrados pepnenos. 26(
Agulhas de osso para crox a 20(
Peutes para regato com csntas a 32
Ricos globos para candieiro de gaza I08G
Cfcamins a....., 321
Grande sortimento de objetos de
loufa para brinqucdo de menino lOt
Garrafa.com tinta a. 80
Dita com agua florida verdadeira a 1<$3(X
Dita com dita dita a iiSOX
F Kieo coa; oleo de babona a 500 e 72(
Dito com agua de Colonia a 300 e KX
Garrafa com agua divina a. 1^30
Frasco com extractos finos a l^OCK
Latas pequeas com banba muito
tina a 120 o 16
Sabonetes de diversas quali iades a
80, 1 60, 240 e...... 32i
Final escovas para denles de 120 a 60
Lindos roques modernos a. 2d00<
Pavios para gaz, duzia a 240 e 32(
Escovas para facto a 500, 600 e 7(K
Ditas para cabello a..... 50(
Pentes para tirar piolho a 160 e. 24*
Brincos de cores, bonitos a 160 e 20f
Pecas de tranca de 13a com 8
varas por....... 8(
Oleo para machina de costura,
frasco a........ 60(
Pennas d'aco finas ca xas a 800 e IdOOi
Dita d'aco Perry, caixa a. 1#40(
Galo de algodo peca .... 40(
Lindos babadinhos e ntremelos
peca de 500 a...... 1^50(
Ditos de loufa muito fino a 120 e 20(
Ditos para calca a 160 e. 24(
Caixa com papel amizado a. 70(
Ditas com envelopes a. 48(
Ditas com obreias a..... 4(
Caixa com agulhas fundo dourado 28(
Ditas de ditas ditas a..... 16(
Thesoura para costura a 240 e 50
Caixa cora linha de marca a 28
Liiha de c6res em novellos (li-
bra) a........ 50(
Carreteis de linha Alexandre de 70
at 200. ....... 10.
Grampof muito finos com passa-
ros, duzia a...... 20(
Cartas portuguezas, duzia a !5iO
Ditas francesas a 2200 e 3500(
Papel almafo e de peso, resma a
3t09, 1006 e 4550
La ramio !na para bordar, libra 6050;
Fita de aigodo para debrum de
sapatos, peca a..... 16(
Xa verdade rw* o Quelmatif
n. &&.
tres ilo roquelres
a 3C0 rs., e o ceoto 2, u 0 uwihor tempo pos-
sivel para plantar : na rw Dimita n. 45
Vendeos farello muio novo, atecas grandes,
gaz depnnrwra qualid^ee, barr com bar ha de
porto de Balumore, ludo por presos raioaves e
por^oes a vonlade dos compradores : no annnzea
de Maibeus Austio A C. ra da Sanzalla V*ltat
n. 106.
AVISO
.
Em casa de Mills Latliaiu & C. ra da Cruz n.
38, vendem-se Mhas de frrro galvanisadao.
Estampilhas.
Vendo-se na roa da Cruz a. 8, 1 andar.
KAP1 POPtTIfieJL*
DA
tmn wm m tm
DE
Teixaira UlduricofyC.
Acha-se venia este ptimo rap, nnieo qt,
pdc suppnr falta do princeza de Liba, por s
de mu agrada vel para me, viajado^ e a preco 1
mais mdico possi vel; e por iaio ten sido asea-
acomido naa pracas da Dabia, do Rio de Janeiro <
em outras do imperio : no escriptorio de Joaqiii
Jos Gongalfes Beltrao, rea do Commarcio m
mero 17.
Bichas hamburgnezas
Neste novo deposito recebe-se por todos os pa-
quetes translanticos bichas de nuadade superior
e vendem se em caixa oa porco mais pequea,
e mais barato do que em outra qualquer parte :
na rna da Cadea do Recifr n. Si, t andar.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Jofio
de Nieilieroy.
nico deposito em Pernambtico cao? da alfan-
dega velha o. 2, anda.
ousa de gosto.
Indispensaveis de paliiiba e de couro pro-
jros par senboras e meninas trazer nos
>racos.
Binculos d madreperola, marfim e tar-
itroga todos esmaltados.
5;000
A roa Nova n.' 60 vendem-se botinas
para senbora a 3#)00 o par : a filias em
guardo n3o se acabara.
Cantara de Lisboa
Soleiras, hombreiras, e ca pitis, o que ba de
melhor para frentes de predios: venia no ar-
mazem da travessa do Curpo Santo, de Joaquim
Lopes Machado A C.
11
1
Venie-se po sea jcslo valor na roa da Ca-
deia do Reciten. 88, loja do Azulejo.
Farinha de mandioca
Vende se de superior qualidade. no escriptorio
de Joaquim Rodrigues T vare- de Mello, largo do
Corpo Santo n. 17 ou no trapiche do Gnnha, For-
te do Manos._________^^
Coasldera^es geracs obre a
EMANCIPACAO DOS ESCRAVOS
No imperio do Brasil e Indicaro dos meios para
realisa-Io
Por Pcixoto de Brito.
1 volnme 88 bncnura 300 rs.
________ LIVRARIA PP..WCEZA.__________
ATTENCAO
Vendc-se o engenho Mussayba? livre n deem-
barajado, e bem como a proj.riedade Propreto
separada do mesmo engenho : a tratar com o sen
propnetario na rea do Apollo n. 47,1 andar.
BENT6 MACHADO ft C,
A AGUIA NEGHA animada com o bom acculbimenta que teve em seus annun-
;ios, vem novo participar a seus freguezes que, acaba/ de receber um variado sorti-
aento de objectos de gosto os q&aes ser2o vendidos por precos muito ratoaveis, pois
uando fez os 6eas primeiros annucios, Coi o qne assegurou, e sem mdo de errar,
jorque como j disse ost interesses ligada a urna casa importadoradesta praca, e
por isso poder ter tuda especial e vender por precos admiravcis.Chama pois a alten-
;5o de seus fregueses para os arttgos possa descrever :
Livros com o tampo do marirn, madre Um variado sortments jle charuteiras e
>eroto e fniaraga, proprios' para missa: pallitciros de porcelana,
Tontos para vollarete.
Beogallrs com marim, consa especial.
Sabonetes de alcatro.
Cofres de folhas para dinheiro.
Lindas caixas para costera.
Um completo sortimento de luvas de pe-
untos largos de setno, cousa tntetramen- ,u. v *
neviL ,MCS'
flUsde sarja de todas s-cor trgo. I Tatagorce paraiwrdar.
is para5 lacos. Um completo sortimento de eafeites de
Toacas, sapalinhos meias de seda e mais seda para vestido.
>erteooea para baptisados. Perfumaras de todos os autores os mais
Fitas com inscnpcBes proprias pars bou- acreditados em oxtractos, pomadas e leos
raet de noiva, j e finalmente outros muitos objectos que nao
Ricos vasos com p do arroz. possivcl mencionar ; mas com a vista se
Um varrado sortimento de jarros de por- certiQcaro do sortimento deste estabeie-
;elana. cimento.
Agnia Negra, rna do Cabug. n. 8.
M1IH8MNM
Chegou a loja de Paredes Porto, a ra da Imperatriz n. 52, (Porta Larga) uin bo-
nito sortimento de toallias de lirrho para mesa, assim como os competentes guardanapos
que se vendem a pre?o baixo.
PAREDES PORTO veude lasinlias a 240 o covado, fazenda de 500 rs, para acabar
na ra da imperairiz n. 52.
PAREDES PORTO vende algodSo com pequeo toque de avaria a 3^500 e 4O00,
a peca ra da Imperatriz n. 52.
PAREDES PORTO vende chita preta para luto a IGO rs. o covado na roa da Im^
peratriz n. 52. Porta larga.
CHALES
Vende-se -chales preto de merino a 3(J000 fazenda superior, na ra da Imperatriz.
PAREDES PORTO vende meias para senboras a 2500 a duzia p' r ter um peque-
no mofo, na ra da Imperatriz n. 52 porta larga.
PAREDES PORTO vende cortes de calca de casemira preta a 3J500 e 4000.
PAREDES PORTO lem para vender panno preto superior e casemiras de cores e
pretas que vende por prcos commodos."
CHALES, GRANDE PECHINCHA.
Chegou a loja da ra Imperatriz n. 52 de Paredes Porto um bonito sortimento de
chales chinezes fazendas muito boas para senhoras trazerem em casa, est vendendo
por 5A000, eslo acabando-se na
Travessa do Corpo Santo n. 25.
Os acreditados cylindros americanos para padaria, por doos diffemitcs ,,
Machinas para dascarocar agodao pelos melboros fabricantes de Wew York.
Machinas de vapor systema de locme iva e polias para as aeanas.
Carrinhos americanos para transportar volumes em armaaeoa. Todo Mr fu-
cos razoaveis. *^ *^
TRAVESSA DO CORPO SANTO N. 25
Joaquim Kipes M>ich*>to Vende-se nra boi e earr
regar assorar oti poneros :
Ramos n. 31 cora Antonio Jos ,
t>r para retirw w par Kawp^
Cal nova de Lisboa
descarrrgada hoje do patarho Mitin ; twnA
'oaqoim Jos Ramos, na na On a. % Mt-
rreiro andar.
Loja do Leo.
MACHINAS PARA
COSTURA
Acabam de chegar ao GRANDE BAZAB
UNIVERSAL, a roa Nova n. 22carnkiro
via.n.naum completo sortimento de ma-
chinas para costura, dos autores mais co-
nhecidos, as quaes esto em exposico no
mesmo Bazar, garantindo-se a sua boa qua-
lidade, e tambera ensina-se com perfeico
a todos os compra('>' >. Estas machinas
s5o iguaes no seu traba I no ao de 30 costu-
reras diariameRte, e a sua perfeico tai
como da melhor costureira de Paris. Apre-
sentam-se trabalhos execulados pelas mes-
mas, que muito devem agradar aos preten-
dentes.
Vende se a armara da taberna do pateo da
Penha n. 8 : tratar junio n. 10.
Candido Alberto So-
dr da Motta & C.
com escriptorio e armazem m travessa da Madre
de Dos n. ti, tem para vender o seguinte :
Cemento Portlf.nd de 1* qaalidade, o melhor que
tem vindo ao mercado, barricas de 12 a 14 arro-
bas por lOOOO.
Vinhos Bordeanx das seguintes qualidades :
St. Julin.
Fronsac.
Lormant.
St. Emilion.
Margaus.
('.hatean de Bovcherelle.
St. Lamber!.
Lalonbere.
Duplessis. i
Cauor.
Dnarsesai.
Vinbo dd Porto de quali lade muito especial.
Az;ite doce refinado em caixas de 12 garrafas.'
Fumos de todas as qualidades, se encontrar
neste cstabelecimento em latas, rolos e fardos.
Papel de tudas as qualidades proprios para ci-
garros.
Vende-se nina parte
ae grande prodnceio pan ni*>, sit>
freguezia de Ictiarasa. assim como m
tra narte do engenho Corto e
purgatorio, que muito ronrem rniapf
tratar no Remedio oom o Sr. Ai oa>
deiro de Gninao. ______
PARA A FESTA
3 portas, 1 ja de fvribftm
53~Bua
Neste grande ettahelt cimle, ha y
nm completo sortimento de ierra*em, i
finas e grossas, como sejaa kaadja
quadrada* e ovaes, facas e garfee elSI
toes, baianco intjiro e i/3 bataneo; pernal, el
Iheiras, caearoilas, frigideiraii, a lietrn, m
de ferro como de urcetaaa, mnktm pana ca*
diversos lmannos do fabricaate iav,eeseki
graomos tanto de ferro eooie de lata, 'nert
para medir fazenda lano de (erro caen e M
salitre, breu, barbante, enxofre,
do, do veradeiro Picardo,
mear r.lgodao; alera de ot
gem, mlnderas eutilarias finas, qa* ** efe-
la se verifica ; na rna direita n. 33 feto de 3 wm-
tas de Mano^! Hento de Orveirar Braca* C
Jo Maria Palrm ira lem para .
sen escriptorio no largo do Corp Santo *.,#
andar.
Vnho Bordeanx fino, caixa de 12 garrafas.
Aze te doce, idoui dem.
Lona de 1' quali ade, da Rnssia
Brinzoc, dem idem.
Brins, iili-m idem.
Eslampas de Sanios em qnadnnh y*.
Pianos de excelentes rozes.
Fio d vella.
Enxofre.
Salitre.
Cemento Porlland.
Bito Romano.
Vellas stearinas (spermaectr).
Pelles de carneir .
Etona pa?a fardos de algodo.
Cha II\ -un 1' qualidade.
Oleo di' linharn.
Laa barriguda.
Canella da India.
Fardo* de fumo em folha. (-o so Tfnde de Sftfer
dos para cima.
(AZ taz CAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry F
C, roa do Imperador, nm earregaawtja
de primeira qnalidade; o qnal se vende i
e a retalho por menos preco do qne a i
quer parte.
60RA DA IMPERATRIZ
DE
em ootra aaatoaw rnne ^^mS^SlS^SJ^SS^ l |?JSPeilavel Pub:ic0' UJU nde sortimento de faiendas, do mais apurado gosto ass.m como de todas as de primeira necessidde que se ibes promette vender por precos muito mais baratos do <
"1; !l ,'f 7 '.'nV "rLtiZ,;- no 2 tJ m topn Jtema de s vennderem l\m:mo : para poderem vender pelo custo. lia itando-se apenas a ganharem o descont. As pessoas que negociara em menor escalla, MMa S
e ..ii'hliii pfuuao iiizei os seus sortimentos pelos mesraos precos que comprar?1 "" *' ^t n______:._ _______a-.j^a* aw. o_____*__* j. ,.a.. .. ..hi >a ax i;... j_____._.. __ .____
derem escolher.
CROCHS PARA CADEIRAS ESOFA'S.
O PavSo tem nm glande sortimento* dos]
mais bonitos crochs para cadeiras, sofs
de 12>000 rs. cada um, 6 pechicclia.
CASEMIRAS ESCOSSEZAS.
0 Pavo tem boni as casemiras escosse-
COM 8 PALMOS DE LARGURA A 1:600,
2:000 e 2:500 RS.
C'iegaram as fim'ssimas cambraias suissas'zas com quadros grados e iddos e outras
tranpar rttes, sendo o que ha de mais fino lisas com listras ao lado, sendo fazendo
par.i vestidos e veade-se palo barato preco muito tina que se vende mais barato, por
de 1 yY).\ 25000 e 2/5500 o metro, tendo' haver grande porco.
tamh^m das m^sma^, porm inglezascomj GANCS D2 LINIIO.
a mesma largura que se vendem a 1^0(0, Vende-se ganga de linho com quadrinhns
e I.->280o metro, sen lo apenas precisos des-muito boa fazend. para roupns da homens
ta larga fazenda para so fazer um vestido e meninos pelo barab preco de G00 rs. o
i ou i 1/2 metros, pechincha,
SAiAS bordadas
Vende-se urn bonito sortimento de saias
bordadas com 4 pannos, assim como ditas
j proraptas, de lasinha,
bonitns barras bordadas a
mnito era conta.
PANNO PARA SAIAS A 1,5000, 1*280 e
1*600 RS.
Vende-se bonitas fazendas 'proprias para
saias sendo com bordados e pregas a um
lado, d.inlo a largura da fazenda o corapri-
nv-.nto di saiae vende-se pelo barato preco
de 1,0000, JrH'O !-?a00, cada metro sen-
do preciso apera 3 ou 3 I/i metros para
cada saia pechinffta.
Crtl.ii'ahos.
covado.
PECHINCHA EM PANNO PRETO A 2*100,
O Pa o vende superior panno prc;o fino
para palitots, calcas colletes etc., pelo ba-
enesga laa por precos
Vendo-se nm bonito sorlimento de cola- de 1;>000 rs.
CORTES DE CASEvIMA PRETA A 4:500,
O Pavo tem os superiores cortes do ca-
semiras pretas enfeita las pelo Jarato preco
de 4;5300 rs. o cort,
PEQAS DE MADAPOLAO A 3;550O.
0 Pavao vende pessas do muito bom
madapolo, tendo 12 jardas cada urna, pelo
barato preco de 3,5500.
P2CIIIXCHA EM ALGODO A 4.000 RS.
O Pavo est vendeudo pecas de algodo-
sinho francez, tendo i pticos de largura e
com 11 metros cada puf a, pelo barato pre
800 ff
ram as casas estrangeiras. Para maior commodidade" das Exmas. familias, de todas as fazendas se do os livros das amostras, ou se mandam levar era snas casas, para meter >
5>5a(\ Bk W&W&MI ALPACAS LAVRADAS A 640.
Grosdenaples. 1,000 RES.
Sedas pretas lavradas.
Fazendas pretas de la.
Para o PavSo chegou um grande sorti-
tado. como para vemier era covados, assim como ment de grosdenaples pre tos de pura seda
rco de algodao [ nm bonito sortimento das mais bonitas se-: que se venden de 1^500 rs. o covado at
masas, almofadas etc., proprios para co-
brir presentes e vende-se mais barato do
que em outra qualquer parte.
Algodo eufestado.
Vende-se urna grande porco
Chegou um grande sortimento das mais
modernas poupelmas oa gorguro de seda
0 linho, com os mais elegantes padrees que
Mn vindo a este mercado: sendo miadas.
o gradas, tanto em cortes para vestidas
sinho americano com 8 palmos de largura,-das listradas, que se vendo tudo muito S^ c 6^000 ; sedas pretas lavradas do dif-
proprio para lenfes e loalnas, tendo liso e ;em conta.
trancado, que se vende por preco muito era Merla* de eordSo.
PANNO DE IINHO Vende-se merino preto de cordo, pro-
Chegon um'sortiraento de pe'fas de pan-'pr0S para calcas' pdl,tols e colletes' Pel
no de linho do Porto, que se vendem de
rinhos tanto de rmho como de algodo pro
prios par.i bonttm, assim como tambem nm
bonito sortiinTito do; raesmos p:irameninos
e seRhoras e todos vendem-se por prefo
muito barato.
CHALES DE MOCAMUIQUE A 1:280 RS.
Vndese urna grande qoantidade do cha-
les de mocarabiqae, com padrocs escossezes,
sendo moito grandes e levesinlios pelo ba-
rat i proco de I#280, C3da ora 6 grande
pechincha por se ter feito urna grande
compra.
Piones e caemira pretas.
O Prvo vende gi'ande porfo de pannos
pretos do mais baixo at o mais Ano, por
CAMBKAIAS BRANCAS A 4*000, A PECA.
S o Pavo ven lo pecas do carnbraia
branca transparente, tendo mais do vara de
largura, com 10 jardas cada peca, fazenda
que sempre se venden a H> e 8#000, liqui-
da-se pelo barato prefo de 4-5000.
ALPACAS BRILHANTE5 A 15010 E 800 RS.
O Pavo tem o mais bello sortimento de
alpacas lavradas, com as cores mais deli-
cadas que tem vindo ao mere.-do c tendo
bastante largura, vendem-se pe > barato
preco de 1*000 e 800 rs. o covado.
Com palmas de seda a fl 090.
Para o Pavo chegou am rico sortimen-
lo das mais bonitas toasinhas cora palmas
prefo que admira, assim como um graide de seda te.ido de todas as cores e pidroes,
sortimento de casemifas pretas para caifas sendo fazenda bastante larga e vende-se a'
que se vende por prego mis barato do que 1-5000 o covado.
em outra qualquer oarte.
GORGIFiAO PRETO.
Vende-se o metbor goiguro de seda
preta para colletes e vestidos, sendo nesfe
genero o melhor qeo tem vindo ao mercado,
mais bnratodo que em outra qualquer parle.
Vestidos forneos a lt00O rs.
O Pavo vende Qnissimos cortes de ves
tidoa de cambraia oranea, ricamente bord?-
dai e com HoMaJnenda pelo barato preco
Eloiipa part escravos.
O Pavo vende um bonito sortiaento de
roupas para escravos.
AS POUPELINA8 DO PAVAO A 500 US.
Chegaram as mais lindas p-mpolmas de
la cora imitaco de poupelraas de seda, urna
fazenda muito leve, com as man lillas co-J
res, sendo : verde, Bismarck, rosa azul,
lyrio, ciozento, parola <)te. etc., e vende-sc
pete baratissimo preco deSOOrs. o covado.
700 rs. at 1.-5000 a vara, garantiodo-so
que em fazenda de bobo nao ha nada melhor
nem mais propto para leoces e toadlas.
PECHINCHA EM CHAPEOS DE SOL.
Chegou um grande sortimento dos me-
bores chapeos de sol de seda, inglczes
sendo neste artigo o melhor que tem vindo
ao mercado, asim como un grande por-
fo de ditos de alpacas de todas as cores
e todos se vendem por precos muito ra-
zoaveis por haver grande porfo.
OS BALDES DO PAVAO A 2f>90P,
Chegua nm grande sortimento de bales
ou crinolinas do feitio mais moderno, muito
proprios para vestidos enesgados, qne se
vende pelo baratissimo preco de 2^000 rs.
cada um, grande pecnincba.
CRETO.NES MATIZADOS PARA VESTIDOS A 640
E 800 RS,
Para o Pavo chegaram os mais bonitos
cretones escuros matizados, proprios para
vestidos, roopo, chambres etc. qne se
vendem 800 rs. o covado. assim como o
mesma fazenda com padres claros proprios
para vestidos e roupas de meninos a 640
rs. o covado, sendo os padres mais mo-
dernos que tem viudo a mercado
OS SBTIN6 DO PAVO
Vende-se es mais bonitos setins de cores
e mais enoorpados, proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
FAZENDAS PARA LUTO NA LOJA PAVO
Encontra o respekavel publico neste es-
tabelecimen o um grande sortimento deYa-
zendas pelas, como sejara cassas rance-
zas e imttaas chitas pretas de todaa as
quidades, fazendas de.laa de toda qu*
tem vind.i, proprias para luto, sendo Ilaai-
nhas ulpaca> lavra U e lisas, """n haa
basinas, merino-, etc. qne tudo se vende
por preco barate.
baratissima prefo de L5000 o covado.
CRETONES COM 1 PALMOS DE LARGURA A
25008 RS.
O Pavo tem urna nova remessa aa mui-
to acreditada cretone, propria para lenfes
tendo 10 palmos de largura, dando na lar-
gura o comprimento do lenfol e vende-se
pelo barato prefo de 25000 o metro, sendo
preciso apenas para ura lenfol um metro e
urna quarta ou metro e meio.
Chapeos a 15000.
Chapeos a 1$000,
Chapeos a 14000.
S o Pa^o vende bonitos chapeos de
todas as cores p ira homens e rr eninos com
a forma mais moderna que ltimamente
tem chegado, pelo barato prffo de 1^000,
cada um, por terem chegado com um pe-
queo loque de avaria, grande pechincha.
rECITIACIIV
EM CAMISAS DO PAVO A 4,5300 RS.
Vende-se am bonito sortimento de muito
finas e modernas camisas inglezas com pei -
to e coliarinb.08 di linho e puabos, pelo
baratissimo preco de 4&>00 rs. cada urna'
e aos freguezes que comprarem duzias se!
Ihe fari um abatimento, garantindo-se que
fazenda qne vale muito mais dinheiro,
liquida-se por este prefo por se ter feito
uma grande compra : assim como se vende
um bonito sortimento da ditas tambora rom
peito do linho bordadas e ditas de algodio
para todos os prefoa.
BRAMANTE PARA LENCOES A 2*000, COM 1
PALMOS DE LARGURA.
0 Pavo vende superior bramante de al-
godo tendo 10 palmo* da largura, coja lar-
gura da para o comprimento do lenco!.
Bendo preciso para cada um.seaio cama-de
solteiro, i 1/4 e para casal i 1/2 metro, 6
pecnincba.
ferentes precos e qualidades, 13 isinhas pre-
tas, alpacas bombasinas, canles etc. etc.
assim como um grande sortimento de pan-
nos pretos finos e casemiras pretas de todos
os pn?fos e qualidades que se vende muito
mais barato do que em ootra qaalqner
parte.
NOVAS POUPELINAS A 400 RS, O COVADO
O Pavo vende um grande sortimento
das mais bonitas poupelraas com listrinhas
de todas as cores e com lustre imitacao
de seda, facilitando esta bonita fazenda a
fazer-se um bom vestid} de mnita fantasa
por pouco dinheiro, islo por ter-so feito
uma grande compra e vende-se a 400 rs.
o covado.
ROUPAS PARA HOMENS PARA TODOS
OS PRECOS.
N'este grande estabelicimento encontrar
o respeilavel publico om grande sortimento
do roupas, sendo palitos e sobrecasacos de
panno preto e cazemira, caifas e coletos de
brim branco e de cores, que tudo se vende
mais baralo dgqne em ootra qnalqner parte ;
assim como um grande sortimento de ca-
miaas francezgs e inglezas e ceroulas tanto
de linho como de algodo e abundante sor-
timento de meias oruas.
Soupa por medida.
Na loja do'Favtte manda-se frer qaalqner
peca de obra a vontade do fregus, para o
quo tea am perito alfeiate, responsabelisan-
do-se os donosdo cstabeliciraento por qual-
qaer taita que-poasa haver, quer per de-
ntera, a|ier por xjoatquer defeito na obra ;
e para feto encontra o respeilavel publico cuasrdanlio-M"* todas'aaiosrafr
un grande sortimento de todas as fazendas
qat dasejar.
BRAMANTE A 1800.
Chegon para este grande estabelkim*
o mais bonito sortimento das mais moder-
nas alpacas lavradas de todas as cores, qat
se vendem a I 800 e 640 rcis o eovade,
assim como ara grande sortimento de alpa-
cas lizas d? todas as cores
CELEZIAS E BRETANHAS.
Vendem-se as mais finas celeaas de
linho puro oa pessas rom 28 metros, a??'
como, Onissimas bretanhas de linho
f5 varas, por prefos quo fazem
em relacfo qualidade.
Basquinas.
Chegaro as mais modernas basqa;i
oa jaquetinhas de seda preta, ri-ameate
enfeitadas a vidrilbo, Iranfa e seta prete
tendo de todos os modellos, os mais aovo
que tem chegado e vendem-se por perros
muito razoaveis.
ORGANDY COM SALPICO.
Chegaram os mais ricos organdys de ce
res cora lpicos o mais bonito qee tea
vindo para vestido, qne se vende a I#2*0.
o metro, ditos brancas mnito Saos ca
listras largas a 1)5000.
Cambraias brancas
Vende-se am grande sortimento das Be
lhores cambraias tanto victorias coa trans-
parentes tendo de 3br0 i pera at a saris
tina que vem ao mercado.
ESPARTILOS A 8J0OO.
Vende-se um bonito sort ment das ass-
lhores e mais modernos capa-tubos
do barato preco de SjkjOO at 8000.
CHITAS FINAS DE .120 A 800 RS.
Vende se o mais elegante sortimeato <
mais modernas e bonitas chitas tasto mi
das como gradas, com cores claras a
FUSTOES BRaNCOS A CttO, 800 E
Vende-se muito bonitos fastSes
, muito flczivel proprios para vestidas
Vende-se superior bramante com 10 pal-1 senboras c ronpa para meninos e
mos de largura, propno para lenfes, dan- a tf40 oq e i(iiM ri, 0 co^jo.
do a largura d'estt boa fazenda o compri-1 ^_ mMm
malo io lenfol, sendo praeiso para cada! *ssaa a mmw ra.
ora apeoai 4 a ift metros ou 1 e 1/41 pe-j 0 Pavo este ssadmda bonitas
hiners peto prer;o. reres flxas a MS SO e 300 rs. o
A loja do Pavo est, constantemente atarte, da* 6 horas da manhSa As 9 da noute*




III I





Diario de Pernambuco Quarta feira 20 de Abril de 1870.
I'
r
s
**-

"r-
m
A RA DA mPERITRlIZ &
Esquina da ra da Aurora, em trente do caf Imperatriz.
N'este novo e sumptuoso estabelecimento do fazendas encontrarlo as Exmas.
familias ludo quanto possam desejar, tanto em artigos do mais rigoroso luxo, comoem todas
18 mais qualidades de fazeudas,
Alio de se actaarem prvidos do que de mcllior so eccontra neste mercado,
por todos os paquetee da Europa, reeeoem directamente o que em artigos de moda e
do mais apurado_ gosto se encontra em Maris, o que vem cada da augmentar s propor-
(des de que dispe este estabelecimento para bem servir sua numerusa fregueaia.
Algodo largo para lences e toalhas de Gase" com listras de seda e flores, fazen-
todas as qualidades que costuma vir ao mor- da inteiramente nova para vestidos de baile.
C4(J0- Gravatas p Alpacas de todos oj padrees e qualida- completo sortiraento que se pode desejar.
des Uto variadas que se nao podem dcscrever. Guipure preto e tranco, diversas largu-
Albuns com msicas para collocar retratos, ras e ditferentes gostos.
presente para qualquer pessoa de
delicado
sima.
Atoalbado de linho e algodo, brauco e
de c6res proprios para toalhas.
. Bas jumas de seda pretas e moo moder-
nas, bem como de crochet, ludo" de apurado
gosto e feitio.
Golfas e punbos tardados para senhoras.
Guardanapos de linho pequeos e gran-
des.
Gorgurode seda, preto e de cores.
Groedenaplea preto ede cores,
do diversas qualidades e gostos.
Japoneres para seuh Tas, o melhor gos-
Batcs de musselina, madapolao, brancos to, e fazenda propria para as festas no* ar-
rabaldes e passeios a larde.
>
Laaiinbas do todas as qualidades, cores
e gostos, nao ficando nada a desejar, tal
o sortimeuto que existe para escolher.
Lencos, ludo quanto pode baver desde
esguio ao algodo commum.
Leques de madreperola e osso, o mais va-
de cores, para senliora e meninas,
Bareges de cores variado sortmento.
Babadinhos ou tiras bordadas em todas as
larguras.
Belbutina de todas as cores.
Bolsas de tapete para viagem, grande
tariadade de tamanhos e gostos.
Bombazina prela de todas as qualidades.
Bramante de linho de II palmos de lar- riado "sortiraento.
fura, e todas as mais qualidades. | Ligas de seda, bordadas, para senliora.
Bretanhas de linlio e atgodao, grande sor- Lovasde uuvtn, chegadas por lodosos va-
tBeoto. pores, sempre novo sortimeBto, quer. em
Brins de linho branco e de cores, do mais pellica para homens e senhoras, quer emiti
commodo ao mais caro em qualidade, afilan- 'Escocia, brancas e de cores,
(todo o que ha de melhor na especie. i :
Brins d'algodio completo sortiraento e Madapolao; indescriptivel o grande sor-
rariedade do pre;os. tmenlo que ha neste genero, desde o mais
es elevado proco ao menor, qae se vende-em
Cassas de cores, o maior sorlimento, pri- pega e retalho por menos do que em ou-
taando pelo bom gosto e barateza, atientas ta qualquer parte.
u qualidades. Mantas de blonde para noivas : o apurado
Gambraias brancas, tapadas, e trar.sparen- gosto dos nossos correspondentes em Paris
tes-de todas as qualidades e presos. habilita-nos a dizer que temos em nosso
Gamisinhas de cambraia de Indio e cassa estabelecimento o que de melhor se dese-
bordadas ricamente enfeitados para Sras. ja para vestir e ornar urna noiva.
GMNUE
i
guando a AGIA BRRNCA, mais precisa scientificar ao respeitavel publico em
geral, e em particular a sua boa freguezia, da Unmensidade de objectos que ltimamen-
te tem recebido, justamentefquando ella menos o pode faaer e porque essa-falta invo-
luntaria olla ona e espera na benevolencia de todos que lhra attenderao e relevarlo,
continuando portanto a dirigirem-se a bem conbecida leja da AGIA BRANCA raa 8o
Queimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sorlimento de superioridade em
qualidades, modicidade era precos e o seu nunca desmentlido AGRADO E SINCERIDADE
Do que cima fica dito/se conheceque o tempo de que a AGIA BRANCA pode
havenr dispor, 6 empregado apezar deseos castos HOdesempenho de bem servir a aquelles que a
honram procurando prover-scim dita loja do qoe necessitam, entretanto sem ennume-
rar os objectos que por sua natureza slo mais conhecidos al, ella resumidamente indi-
car aquellos cuja importancia, elegancia e novidade os tornam recommendaveis, como
Camisas para hoitens e meninos, t3o va-
riado sortiraento que vai do mais ordinario
madapolao ao mais perfeito bordado de li-
te cambraia.
Camisas de meia, de flanella, braneas e
de cores para homem.
Casemiras pretas e de cores, o melhor
que se pode imaginar, sendo d'isso a me-
lhor prova o grande consummo deltas na
cfficina da casa.
Capellas de flores, para noivas e bailes,
desde a mais candida flor de larangeira at
i mais inieressante grioalda.
Cbapelinhas no melhorgosto.de todas as
cores hoje preferidas pelas senhoras de
mais apurado rigor na moda.
Chapeos pretos de velludo, para senhoras,
alttmo gosto de Paris.
Chapeas de sol, para snhoras e homens,
de todos os presos e variados gostos.
Coary com ricos padrees para vestidos.
Chales de todas as qualidades, avistado
numero a nao menos variedade de gostos,
Chitas, impossivel descrever o sortmen-
to e variedade de padroes e noves gostos,
ha neste artigo tudo quanto se pode desejar.
Cintos para senhoras o que se pode Ima-
ginar de melhor.
Coques, o melhor no gosto e nos enlei-
ics, varios tamanhos.
Colchas de seda com borlas, o mais apu-
rado g'isto e lavor.
Ditas de fusti) branco e de cores por
precos commodos.
Corpinhos de cambraia, ricamente borda-
dos para senhoras.
Cortinados de cambraia bordados e de
l.o que de melhor se podo desejar.
Colarinhos de linho bordados e lisos, o
maior sorlimento.
Damasco de la de 9 palmos de largura
lindas cores e ricos padroes.
Oi
Espartilhos bran;os e de cores, para se-
nioras e meninas, 6 o melhor neste genero ;
aenhuma Sra. deixar por certo de muir
ee de tan precioso auxiliar perfecto de
am corpo delicado.
Entremeios bordados.
Escomilba preta.
Enfeites para caboca, ultima moda de
Paris, recebida no ultimo paquete.
Esguio de linho, completo sorlimento de
ledos osnumeros.
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
dade de gostos e lindos padroes,
Fims de crochet, modernos com cintos
e capas, o que ha de melhor.
Fil de seda, linho e algodo, de todos
os gostos e padroes.
Fusilo de todas as edres e qualidades
grande sortimento.
Flanella branca e de cores.
Mantas pretas de blond.
Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos pretos, trancados e hsos.
Musselina branca e de cores, lindos e va-
riados padroes.
Pannos pretos e de cores, desde o mais
barato ao mais superior, por preco muito
Commodo.
Pannos de crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de casemira muito finos para
mesa.
Peitos bordados de linho, lisos e de al-
godo para camisa.
Princelas pretas c v.e cores.
Popelina do seda e linho, com listras e
flores; fazenda lindsima.
Pelerinas para senhoras, do ultimo
gosto.
Perfumaras ; os mais finos extractos o
que de melhor e mais agradavel se pede
encontrar neste genero, e de mais fragante
e suave no olpbato, tem o PAViLHO DA
AURORA, desde a verdadeira agua Flori-
da at o mais fino liouquet d'Amour, Anal-
mente tudo quanto deve oceupar o touca-
dor de urna senhora de gosto.
taZS
Saias bordadas, brancas, lisas e de cores
com folhos e sem elles, o melhor possivel,
Sabidas de bailo, de todas as cores.
Sedas pretas, de quadros, lavrzdas, lisas,
de lisiras de lodas as cores e qualidades e
o mais barato possivel.
Sareelim deludas as cores e qualidades.
O*
Tapetes grandes, lindaspinturas para 8
cadeiras, mais pequeos e de todos osta-
manlios desejaveis, e em peca para ca-
vados.
Toalhas de labyrintho, do maior e mais
fino trabalho ao mais barato.
Toalhas de linho e algodo de todos os
tamanhos, lias e felpudas.
Tarlatana branca com palmas e de cores,
fasenda muito nova, e gostos delicados pro-
pria para baile.
Vestuarios bordados de fustlo brancos e
de cures para meninos, de cambraia para
baptizados, o que do melhor tem vindo a
este mercado.
Vestidos de 15a escoceza de 2 saias,
novidade pelo padro, gosto e forma; ditos
de linho .com barras de cores, e de cam-
braia de, cores com 2 saias, tudo Lite ira
novidade, trazem os modellos juntos .para
mostrar a forma de os fazer.
Veos de blo id para noivas e pretos para
luto.
Vestidos de blond para noivas: podemos
asseverar as nossas Cimas, fregoezas, que
somos os nicos em Pernambuco que pode-
mos oterecer ao (Ilustrado publico, o mais
apuradogoslo em semelhante materia, gra-
Flores, o que ha de mais rico, quer' cas ao bom gosto do nosso fornecedor t-m
soltas, quer em ramos, tem o PAVILHaO Paris, podemos garantir que uinguem neste
DA AURORA om permanente jardim a genero o possue melhor, nem mais em
disposiclo das Exmas. familias. conta.
E' dispondo d to grande e variado >ortmento que o proprietarios do PA-
VILHO DA AURORA se apresentam ao publico declarando desde j que a sineerida-
de e o bom gostoo movel nico de seus negocios.
Prvidos de tudo e promptos sempre a prover-se do que por ventura Iba
teja necessario, os proprietarios deste sumptuoso estabelecimento recommeadam-ae
em recelo de serera contradictos e protestara esforcar-sc por continuiir a merecer
protecSo que se Ibes tem dispensado; cortos de que do seu estabelecimento nao sabira
o freguez descontente.
Contina sempre a oflkraa de alfaiate dirigida por un dos mais habisartis-
tae, prompto execntar cora promptidao e bom gosto qualquer trabalho que Jbe saja
oonfiado. Urna modista especialmente oceupada nos tratamos do PAVILHAO D i AU-
RORA, dirige os que me slo concernentes, garante por seu apurado goslo.^ promptidao
na execuco e a mais completa perfeiclo nos seus trabamos.
A numerosa freguezia que nos honra uina prava de que merecemos ^ con-
cert que se dispensa ao nosso estabelecimento,, conceilo que procuraremos firmar cada
tez mais. Para facilitar anda a concficuclo do fim que nos prppomoj. temosjw ao$M(
stabejeeimento os ltimos figurinos de Pars, que recabemos.por, todos os paquetes, os
qaaes enviaremos para serem vistos as familias nossas fregucas, afim de eacotterem,
com o padrlo da fazenda o gosto na forma.
Na olDcina de alfaiate, junto ao estabeieeMento, a igualmente os fgannos
para homens que por todos os vapores se re ;ebem.
E' esfiso modo porque nos apresenmos pedindo a prpteccjo.da astrado.
publico e com o mais profundo respeiio convidamos s cxcellentisslmas Sxas. a vlsii
ttrem O nosso estabelecimento, cartas de encontraren! nelle pelp menor preco po si ve-
lado qoe podem desejar.
Mandaremos caixeiros levaf as fazeadas e amostras oade forcm pedidas, visto
lo pdennos especificar tudo quanto temos.
Jjdo Imz, SobnnhQ & C.
Aborto das 6 s 9 horas da noite.
b m seja
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com filas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeiejo de ador-
nos os tornam apreciados.
Filas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao massar o pretn-
deme se lhe apresentar o que poder de
melbor.
Entremeios em pecas da 12 tiras.
Guipure branco e-preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodo com floras e lisos.
Veos de seda para chapelioas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de o de Escossia.
Coslumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores unas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortiraento de dita,
sempre melhor quajidade.
! Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Caixmhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes doarados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de raadreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para bailo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes slo movidas por um machinismo
urnas substituem as nutras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
podras.
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dominas,
Bollas de borracha para brinquedo de
Touquinhas de' fil, sapatinhbs bordados \ criancas.
e meis para ditos. Diversos objectos de porcelana, proprios
Gamisinhas bordadas para ditos. para enfeites de mesa e de lapinbas.
NOS GRANDES
iie surcos
JE UOLUA1IOS
iitntzF\s
i
N. 23Largo do Ter^o.N. 23.
DE "
SMO DOS SANTOS & C.
id
DE
10
SARTOS & FERR IBA.
Os proprietarios destes bem sortiuVarmazeas parUcipam aos seus innumeios
freguezes tanto desta pra^a como do maltu que .toado ftsito grande, duniauicii da.pre-
r issoresolvida*i vende' por.mano,*.da tO.e 20 i0,
do que ou. ou ra qualquer .parle, garantndo>-se portanto a s p rior qua idade de qual-
quer genero comprado iest> dous estabelecimentos. Meacioaamos alguns dos nossos
gneros e a vista destes- sao comprehendidos os outros, porque eofadonho seria men-
eina-los.
Se alguem duvidar venha ver.
Vinagro branco mandado vir por conta Gaz americano marca Deves a 8?JB00 a
propria \ndo de Lisboa, a 320"a garrafa c
480 o btro.
dem tinto Figueira, Lisboa e Porto a
320,280, 240eOO rs. a garrafa e40 300 garrafa emporclo faz-se grande abahmen-
rs. o libo. jt0- a>rt '
Vmno Figueira, Lisboa, Porto e Estrello Caf e,ra C*TS a 220, 240 e 2-O^a I.
7Gf7^Ze4W38arr^0a80^
Vinho branco puro de Lisboa a 640 360 i i Mi,n0 a>Pisia 'S? n' a ?" e 4i0
a garrafa, em porcia ha abatrraento. logramma a 5^800 a arroba, em,porcao ha
Viobo do Porto, engarrafado das *melho- ab^mento.
Queitos .frescos do ultimo vapor a 3200
e 3^400 cada um.
Aletria. -raacarrlo, talbavim a 500 rs. a
libra a 15100 o kilogrammo em- caixo ba
JLOJA
1 ta, 380 rs. a garrafa e S60 o Ttro.
Azeite doce de Lisboa a 000 a 14'XK) a
res e mais acre'adas marcas a lfJOOO e 1-jjifiOO
t^SOO e U a garrafa. |
dem Bprdeaux, Mcdoc e St. Jufien a
7io00 e 655O, a dozia e lf> rs. a gara/a.
Genebra de Holl nda e laranja doce aro-
mtica a 6500, 7,. i 15500, fra.vqueira.
| Serveja Bass. lllers B.-ll a 9^800 da-
zia em porclo ha grande abalimento.
dem m rea H e T e outras marcas a
5^500 e ta, a duzia a 500 rs. a garrafa.
Afisim como a ouiros auiitoe
btimento.
Sabio massa de i* e 2 quadade a 220
e 240 rs. a libra em caixa ba abalimento
Toucinho de Lisboa mito alto a 400 rs.
a libra e 880 o ki ogrammo, em arroba ha
grande differenca
gneros
vinho am anca re tas, azeitonas,
DO
GALLO VIGILANTE
Roa do Crespo m. 1
Os proprietarios deste bem conhecido citabele-
cimcui'i, alora duH milito objectos que tinhara ex-
postos a aprcciacJo do respeitavel publico, man-
uaratn vir e acabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento df
Suas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de seu cosame.
Sor precos muito baratinhos e commodos para to-
os, com tanto que o Gallo....
Muito superiores lavas de pellica, pretas, brau-
eas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punbos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Liados e riquissimos enfeites para cabecas da
Exmas. senhoras.
Snperiores trancas pretas e de cores com vidri-
os e sem elles; esta fazenda o que pode bave
de raeHror e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola.
raarflm, sndalo e os?o, sendo aquelles branco?
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias o de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30*0011
a dttzia, entretanto que nos as vendemos por 20*,
aim destas, temos tambera grande sorlimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muitu
toas.
Boaa bengalas de superior eanna da India t
casta de marliin com lindas e encantadoras figu-
ras do niesmo, neste genero o que de melhor s i
pode desejar ; alm destas temos tambem grandi
Juantidade de outras qualidades, como sejam, na
eir, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinbos de cadeia >
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de Seda para senhora e para meni-
nas de i a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marOm e tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam
bem asscguramxs sua qualidade e delicadeza. '
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralbof de cartas para voltarete, a3sim
como os lentos para o raesmo fim.
Grande e vanado sortimento das melhorcs per
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsSes, e
facilitara a denticao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigioso>
collares, e continuamos a recebe-los por lodos o>
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderlo aquel-
les que delles preeisarem, vir ao deposito do galb
vigilante, aonde sempre encontrarlo destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderao com um mni
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a viren,
comprar por precos muito razoaveis leja do galle
vigilante, ra do Crespo n. 7.
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredit*
da fabrica de Bisquit Dubouch A C, et
cognac urna das que mais agurdente <
cognac, fornecem para o consummo d<
Reino da Inglaterra.
Veude-se em casa de Th. Just. ra di
commercio n. 32.
CEMENTO
O verdadeiro portland. S se vende n
roa da Madre de Deus n. 22, armazem d
Jofio MartHisde Barros.
passas e figos, charutos finos- de divarsas marcas, marmelada, bolaceabas de todas as
J cordeiro previdenti
II ua do fovo e variado sorlimento de perfuman
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de parh
alarias, de que efectivamente est provida
oja do Cordeiro Previdente, ella acaba
receber um outro sortimento que se ton
otavel pela variedade de objectos, superior
lade, qualidades e commodidades de pr>
;os; assim, pois, o Cordeiro Previdente pee
i espera continuar a merecer a aprecia^
io respeitavel pubbco em geral e de st
ooa freguezia em particular, nlo se afa
(ando elle de sua bem conhecida mansidi
a barateza. Em dita loja encontrarlo t
ipreciadores, do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray t Lamman.
Dita de Cologne ingteza, americana, fra
;eza, todas dos melhores e mais acreditad*
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para coaservaco c
isseio da bocea.
Gosmetiques de superior qualidade e cht
os agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, coi
Tada Gna para cabello,
rseos com dita japoneza, transparem
t outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel cb
*o de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igui.
mente finas e agradaveis.
Oleo pbilocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qoalidad
Bixas de Hamburgo
Por meao 4u que en Mttn m
vrndem r e aliigam-se '. a rat d
28, armaren) do Cair-pi s.
GrwKie reuniJlo!n.w
O Campos da na dn lrm-*railor
respeiiavel publico a ejprriMiwi* am *>
merosns f epiiites qn <-tn visia da OM
peixe fresco no meitvid drsla pt\mrm, m
puio fazer rm seu nin.c^im orna prawV
de Oran de diversas i|iilidao
dilTentes manriras a atwr : m trnuma,
ntolho e em afwi^, da- sefuinl> qnMa4e>:
dinha?, cavallinhas, harenqup, rataih, p
rhernes, savel, pescada besogo, chtclMlv, tai
congro, salmn, lagsta, ele., el;, ex.
A elle I
AeWelf
No armazem rio Ca
Ra do Queimado n. 31
o
o
Exrellenifs ebapm *> rasaar,
blancos e nn-liw, pelo Itaratbnaao ?-
preco de IQifTO.
Lija de Anton'o de Moara
4C.
Ra do Queimado n. 31
VInita alleooa.
i i HMtiUtfio dn Auroro a m da Imperatma
3, acaba de- receber pelo nliiim pa<|Bett aja t-
riado sortimento de fazenda^ prpna 4o
tftMn eoaw luva de. petir pretas a mentes <
hi'mens, Nahaaai a meninas.
Para iwiilir aos attaj da semana
Cheparam para a lija it miudria*
o M"< curio, roa da Imperairiz a. H. Wr- ate a
matriz, as mui procurad: s luvas a dwasatt **
senhora, ditas p ra boniem, e p ranle t*
das mui fresci>< por ler<:m vindo no vapor
tilitmamrntc chegado a este porto.

ESCRAVOS FUGIDOt.
Fu io do enpenbo Rmi-riitn. a* n'marea i
Painarapibe e provincia das Aiap Nicolao, idade 34 annos, altura reanbr, i
corpo, andar banzeiro, t--m ta u e
frente, ro*io larpo, barbado, cosiim a a na ta
ter toda a barba, e lem nma eirairix na ieu, a
os ps prossos ; csle escra o anda fiipido nt t
dia 16 de Janeiro do correnle anno : rof aar
trnt" as autoridades pohriaes e a- catatar V
cmpo a prisio deste escrav e ntrefar m aa-
genho acuna mcnrirnado, no m-u nraeai a raa
do Vi pari n. 12. ou travesa do Ora
25, primeiro andar, qoe se praiihVara
mente.
Ansenu>u-se a p*no de ana* anaa> aaa
de seu senhor a e;rrava preta fula V noatr aWo,
com pe lo de 50 ai.ii"- de idade, alta. cor*, ami-
to reprista, M esenva doSr Dr. Amaro, rntwta
3ii" anda nesla ridade e tem *M vista ao kaini
a Boa-vista e em S. Jo> rom tab^a-am aa ra-
b (a : quem a >pprebei>o>r e delia pt-der ar aa>
ticia exacu, dirija se ao paleo de S. PeaVa a II.
que fci gratificad.i.______________________
Fuitio do engenho Camr.raeil'e na fregnem
de Sennhem penenrentes a Gaspar Haarirk
Wanderley os esrravos segnint -* : Samar i rraa
lo haixo. proco, nariz chalo, diz ser a Carta aar
ter sido ci tnprado pequeo, itin Caboenl t i*a-
de irinta e tanUs annos, ps rhat. s. valar- *ta-
bitadas, eslalora t>. ixa, rr fcixala. poora aarha
e esta na i" na do qneixo. Felipp* mtalo a> iaV
de de 16 annos punco mais mu ni-n *, aaixn, mmo
so. sem defeilo algum, leve bixos em pafaraa. aa
rm pouco apparece ; por i> pede se as amu-n
dades poheiaes e cpitaes de eamp a ra| lura aVr
mesmos e h'vaio.i no ntesmo eiiprnlm tm aa na
da Moeda n. 5. 2o andar esrrptri'> *> F
ves Ferreira & U. que sern praiili-art- *.
quaiid des. parola, Franea^racynel, a, i>, c, Mdium, mixed, soda Fancy-nic-nic, pa- m escolhidos chetros, em frascos dedifl'
lacu de Var.'etes,cx>mbiaatjon, Britania, doce de guiaba tea, chonricas. manteigas finas
franceza e iogleza, banha.de B*ltimor, pbosphoros de Sycuryt, Cognac, cha de dtvar
m qualidades, Oanella, pimetua do reino, ervadoce, pomada, enxofre, bneu patio
em tatas da todas a? qualidades, farinha da milho americana, grandes molbos de sebol-
las, nestes dousarmaiens existe tambem grand sormeiito da loacas propr.as para ne-
g- h, que pelos seus cmodos preca faz vanUfe aos rnatarailora.
VENDE-SE ou arrenda-se o engenm
$. Gaspar, silo na freguezia de Serinhem
comarca do Rio Formoso, prximo do om
barqtie, com grandes partidos de pal t
massap i roda da moenda, mattos mangue*
para madeira necssaria, bom pasto, etc.:
a tratar na ra d'Aurora n. 26, oa na d(
Imperador n. 20. ___________
Vande-te ou negocia-te o enarnho: G.Mnportat,
moanie9rranie, silo freguesa de Muribeea,
arojimo a estrada de ferro, ielo excellente cer-
cado, matas e as melhores trras de plantacao
1 Eie eapnh( alera d ranito sltms de la^ra-
larrt, tem das grandes partido*-aa (a. nda, cada
om dos quaes lava aia de l*Oicarro,de,eeraan-
te, sendo oltpdesses partios excluvataent de
(ertiassimas vaneas, mee com nm dos
Venda de lampeoes
p ra iHumioaQo.
, Na loja de funileiro de Antanio Moreira Pialo,
na traversa da roa. do Viga rio n. 3, tem para ven
der WO 400 lampeOes pmmptos, muito econ-
micos por serem para gaz liquido, e o exedllea-
te luz: elles antes que se acabem, senhores en-
oarre?adt's de Hlunrinacoes, trae "?5o'baratos.
Mez de Mara
Cauiico* hyao<- devotos para ou
de Mara.
t'm ntido votme encadernado de cotjro
De marroqum aauraio
L\TtAB'A FRANCEZA.
..i i- ..----I* -ni,.-* ,M.. ^ ,----,aa^.. ,,m 4
Siperior vinho Bordeanx
St. Es'tephe i'St. Julien : na roa da Cdeia do
melhores- Recite numero 5.
aier sa bons cu/raes no rio JatAato,
'HHatao'ram _
o *irraaodw,ara Jamilia,.._
1 boa -aendo a entrada por um corredor, de
trra co,
armarro
tera|6,
pabnus
l
VES* ^*^***e para "mal, as; Zhtofa. q nm baabv3
C.WOpaes de assncar, depois dssraaui notha- na 9 quintal com sabia par* otI,. na raa. 4*
ramefll* fob* nt lasiorra*. 9om rH tmMMe 0> ataaiaaguafe : a aur
t^gtga^n^ W^1- >****
U^t; U^^lL^. r'!J'J'i''L '"'''"' -,' ." '.------------------*-------'!;...... .
mentes tamanhos.
Sabonetas era barras, maiores a meaort
jara mos.
Ditos transparentes, redondos a am fig
ras de meninos.
Ditos muito nos em caixinha para barb.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitanC
firnetas.
Ditas de madeira invernisada contando i
aas perfumarias, muito proprias para pr
*entes.
Ditas de papeo igualmente bonitas, ta
oem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e
moldes novos a elegantes, com p de arrr
s boneca.
. Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de carapoora a outras diflerenu
paalidades tambem para dantas.
Tnico oriental de Kamp.
Anda mala ooajttca.
Um outro sortimeuto de coques da m
os a bonitos moldes com filets da vidrilh-
a alguns d'elles ornados da floree a fila,
*tao todos axpostos apreciacio da quai
pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obra de muito gosto a parfeicio.
Firallaa e mmt paira ntprtTf
Bello e variado sortimento de taas abjai
tos, fiando a boa ascolhaao oslo do coa
tflrador.
Ftigm do en|tinh>> Mmh raa> da -i4i.af- |
Santo Aula, no da 20 oe jnnh.. do snn. \a-~,
o escravo de nome Francehno, rrpirsruta er
annos do idade, erm os signaes rgviin n
preta, bati, corpo reforjado, rara larga,
tarhado. oihos pequeos, nan? rr>otn fft adVv, I
ca regular, denti-s curu>s e lunai* amia al
ta e andar apres-adu ; i->n-ia andar ara* maar-
hios da cidade de Olinria, rogrnho Frag>-i>. Ca
i-a, Beberibe na Apipocos, amatada anr
Jos de Sai t'Anna. aeu rovo barrio. > qaai km
om sua c impanhia urna rab- rlh r Uto'** A m**-
ma, e por oolru irmao de nome l s Bafta,
o rondnztra para os logarrs arinw m
al'-m de nm ouiro serio do Bme J>>s
da Silva, conhecido por Jw l'aj*n, p-r a-r aa>
daguella comarca. Roga-w r aoli-ndadm r ra-
pitaes de campo que o apprebem'am r n k*rw a
ra do Rangel n. 17, ou no rnf>*nno HaViras. a
piiireprir a -eti Mahor J' 5o O.neta a> Q>r
Mmiteiro. que ser?o g*Drrnsanirair granara* a.
100 de gratificaco
Fiiriarain d ei BalBa Arandii r iv>. 4- lar
mu de Santo Antao. -1 rav; li .s. na n< uk- aV Caa>-
ra 7 do correnle os quaes Un i* signan jigaw
tes :
t." i-taiilio claro, grande, anlr.to, ra4ra4>.
com urna cstn-llinha na le-la e cum a letra C ai
cad< un a das nuca.'.
2. Preto andrino, .astradn. b<>m r rp", aoaralo,
com igual ferro, lan bfm s< bre as an *.
3.a Ainda poldo, io eiro. carda vrrmHan, p~t-
do, crinas prelas, corlo, bom tatam rai a av-t
mo ferro dos outros, mas ,i bre i- qnan #,
em vez de ser ti s arcas, andad* r baisn
Quem os pegar e frooxer ao abis assigwHn
no referido eop>nh, irr a grai^-ara ? 3*
P'T ada nm, e se prender o ladran < nir.'r
a aut i idade c. mpetcnto u-r naaia a graiaVa i
de eem mil reis.
ai .,iidii de baixo. 7 d* abril d> ".
Ambrosio Mar id da C Carairas*.
FUGA
ParawaaaoiB rp%'
ra Dircita n. '
! seu e**riptoVfe, roa'^rhmWfel n. 48,
qe flalew *#*> 97 : 1 guintes arligos : cera em v*Us e bagias, dita iw
gnuao e pes, reiroi prelo superior.
Vende-sanoar^aB amarello de Vicente Fe*-
reira da Costa St Fimo, defrente do arco d Coa-
ceicio, em barricas grandes.
Pugio da rasada roa de S^nt-i Aaaarn,
n ti, no dia 3" de marr.i do r>*iM aaa<>
o preto eroulc de nmne J *> Nb>da aV 39
aira s ptioco mais oo en<. ci-mm sajams
Si'guiritps : haixo, che do rurp-. p- w a
barba, rosto aun marca da h* xig?ag. <
dedo de me-nos na Di3o drnila. o qnal fu
escrevo do Sr. Antoaio Uiawrn laVx'i a
Temporal, e julga-s assisiir n'aaw i*aa
qnalro freguezia da ridade. R -p p a>
s autoridades romrcteate e p-rt-ala>*a
obsequio de apprrbrml^rHD *> lfva-1 >aa
do Ciepo n. "i qoe generosagaent- m
pensar.
E-l fngidn i escravo PhiietiN.a aaa M
Or. Julo Honorio, nardo claro V IH
idade, estatura regalar, sece do r ip
sudo e com ama naqaeaa a aatig.i <*r*
do do nariz, sabio auia ralea parda, nmm* ja-
quota branca, e cbapo redondo r hala a> aa*-
ca prela. Suppo- -w qae anda pA> Mar 4a
Biavi-ta > arrabaldes, aatan* sal v>a> T*-
gu- se pois aa aata- redadas patinan, m a fgmi
quer particular a favor da o prea W a aaa a
rusa nova junto as jlDciaas do* irh aHi <%
do Apiparos, ou roa da S>nzat a W
eicriptorio, ande m *.ri a gralia cenu mil rri*.
" Acba se fgida desde a wnfc a ta>aVr-r-
rentc urna nima*aa* ,4a aB> Una > ajaV a
ib annos, tem rabfaaa am pparo r..rnaV a. ax
quena eicairU de taate aa larr. aa*B >9 *,
boi* grandes e vrvrw.lraaa -ooaa ***+ Max
|iem o apprebender dirija-se i i Lat m a
la.darwda.AariMra.faMiaM *Vad Mt^a-
|o Jos Gomes do Cumia a 13, ojn arta >
los do.
aMto
com os signaea srfOiaKe
n*a desoaraaa i
Hila se ser lifflkJ
alpaca de
P.'tnHrjrba,
gaia, morador aa Pfala* a jnlaa m ata
pitra o ornaron lajtar ti djM Ji, (mm*ta-f. mama
a nesoa flue o trgr ora***. W#a am mmja-
ijes da campo, w^.fflRL ,s aaa-nlata r*
ae qoectrfai-1 iWWraaaaH?
geueroiajntnie grabfieaaai.
caoanaaoaaaavawrw da artigas, asa-


8 .
:\
Diario de Pwnambuco QuaHa eira 20 de Abril d 18?0
o
-
TTERATE^
BISCU80 ACADMICO PROFERIDO KM PKESKNCA
DB S. M. O IMPERADOR NO DIA 22 DE MARCO
IXTIMO, POR OCCASlAO DA ABERTURA DO
CURSO DE EiTHBTICA PBOFESSADO l'KU
l'RLMEIRA VEZ NO BRASIL, DO DR. PKDRO
AMERICO DE EISUEIREDO E MBM.O, PIIOIF.S-
SOR DE EsnilriCA I ARCIIEOLOGIA NA ACA-
DEMIA DAS BKI.l.VS AUTK8 DO 1110 DE JaNI'.IHO
(Continuacao)
Entretanto, serra )rcs, para que o genio
nacional se desenvolva, o talento se fortn
que, e brotem do slo patrio os fui-tos
aprimorados das artes liberaos, que otit'-as
nacoes obtkerain a troco dos maiores es-
forcos, nao basta cominentarem-se catiie-
dralmente os annaes das bellas artes, dival-
garVm-se entre os mancebos predestinados
Ipu^ik dos res-pastores, e da inauguraci"
deTim.1 pooa do reoasemenlo nacional.
A arte helnica prodaz suas obras pri-
mas pelo meado do V seculo (tambem an-
tes di Chrislo), poca em que, aactividade
patritica, exaltada pelas victorias ganhas
os Persas, deseovolve-se em todo o seu
esplendor.
A arte roaiana, particularmente caracte
risada, pelas grandes obras arcbilectonicas
de origem elrusca, cheg ao ssu apogeo
sub o reinado dos Flavios. os quaes depois
da tyrannia d-3 ero e Tiberio, dio ao as-
tad > um gj -linio mais perduravel, e ao im-
perio ma forma de algum modo mais con-
sentanea com o espirito da sociedade ro-
mana. Aera de Trajano marca ao mesmo
terapj o mais alto ponto de desenvolvi-
mento nacional c artstico da Roma dos
i theorias da esthel ca, e encher-se de um
estril onthusiasmo o corado do artista ;
mister que o publico se interesse pelo pro-
gresso da arte, nao deixando baquear o
mrito, que tanto o honra, para enthronisar
a mediocridad?, sempre orgulhosa e loquaz,
e entretanto incapaz de comprehender as
grandes ideas.
E' indispensavel o entusiasmo da nacao,
para exallir o engenho, dando-lhe a con*-
ciencia de sua forga, como indispensavel
ao artista o reconhecimento e a estim do
povo, para suster sua alma, abrasada as
dolorosas lutas, que ostenta com o proprio
l'insamento, donde nascem as granles
obras. A propria thiara inclinou-se, pres-
tando homenagem ao genio de Miguel An-
gelo, da melle gigante cuja abnegaejo f-lo
esqueccr-se por vezes do mundo em que
Mvia, para trabalhar sem companheiro, en
cerrado na solido e no silencio da noitc,
s, com um torrao de arga, de que,
como Jehovah, formava um bomem.
Quando um novo livro de Goetln, ouj
de Scliiller, apparecia, era um acontec-1
ment nacional para a Allemanha: ella ol-
vidava at as guerras do imperio, e os seus
proprios desastres. O povo comprehendia
instictivamente, que Ihe faltava urna littera
tura, essa primeira condico de urna naci-
nalidade, e que, urna vez lancadas as bases
do edificio intellectual, alcancar-se-hia fcil-
mente elevar-se sobre ellas o edificio po-
ltico. A nacao inteira deixava avanzar o
terrivel exercito de Napoleo, to entretida
pareca com as bellezas do Wallenstein.
Chegou entretanto a sua vez, em 1815, e
Tchiller, creando urna Allemanha esp'ritual
pela communidade das ideas, bem se pode
ufanar de ter lutado t3o directamente pela
indepedencia da sua patria, como Blocher
c Stein. Trabalhando em vesperas da
grande lula de que sahira a Allemanha ven-
cedora, o poeta senta a presenca da nacao
que sella va as suas creares com trans-
portas de enthusiasmo, e na justa satisfa
c5o que isto Ihe causava, sua delicada na-
tureza aehou, qual segundo Miguel Angelo,
a forca de um tito.
Infelizmente ainda nao estamos educados
para que se proporcionen! aos artistas se-
mejantes emboras; porm a circumstan-
cia de se elevar no paiz mais um altar aos
sacrificios da arte, no momento em que se
recolhem victoriosas as nossas phalanges,
autorisa-me a crer que teremos de assistir
em breve ao alvorecer de mais urna poca
de gloria para o Brasil, cujos incommen-
suraveis destinos tanto S9 frota no pro-
gresso das bellas arles, como nos respec-
tivos progressos de todos os ramos da tos-
trueco publica.
Crer que a Divina Providencia baixar
sobre nos, derramando em urna reg5o, j
ta) dilosa pelos mimos que Ihe fadou a
natureza, os beneficios, quer das artes,
qjer das sciencias, S8m que se desenvol-
vam os diversos elementos de que depende
a futura prosperidade do imperio, eotre-
ler no proprio espirito urna illuso infantil,
qu cada dia a experiencia vai tornando
mais illocavel.
Com effeito, p)r toda a parte onde a arle
chegou a um alto grao de perfeicao, foi
n'uma poca de prosperidade geral, e de
dasenvolvimento intellectual em que, im-
pellida pelo sopro das ideas patriticas, a
imaginacao publica foi revestihdo de formas
sensiveis e determinadas o ideal que a im-
portunava, involto no vago manto do sen-
timenlo. E a historia nao nos offerece um
so exemplo, pelo qual nos seja permittido
crer, que no meio da ignorancia, ou mesmo
da indifferenc-a, se possam erguer engenhos
comparaveis a Leonardo ou Miguel Angelo,
verdadeiras ala vaneas moraes, capazes,
quando erguidas, de mover a humani-
dade.
A trra dos Pharas, por exemplo, attnge
O ponto culminante de sua arte original no
XV seculo, antes de Chrislo, da decima oi-
tava a decima nona dynastia, depois da ex-
Cesares.
FOLHETIM
OS DR4HAS DA LDEIA
POR
Ponson du Terrail
(Continuado do n. 85.)
IX
Os primeiros lampejos da aurora rever-
Leravam as arvores da floresta.
O commandante viva anda, mas a res-
pirado enfraquecia-lhe gradualmente ; o
olhar tornava-se envidracado e inerte ; mas
anda assim, o enfermo nao perder o uso
da razio.
O padre orava ainda e a Martina conser-
vava-se de joelbos. Quanto ao pequeo,
esse adormecer com a cabeca reclinada no
travessero do moribundo.
Que horas s3o ? perguntou este no
momento em que o cura interrompeu a reza
paca voltar orna das folbas do breviario.
Quasi sete responden o cura, er-
guendo os olhos para um relogio eolio ;ado
sobre a cbamin.
A que horas parti Sagra ?
Era meia noute.
Ja devia estar de vola balbuciou o
commaadante. ,
O padre continuou a orar ; a Martina n5o
disse palavra.
O dia continuava a resplandecer e as
f orfas do moribundo diminuiam progres si -
vamente.
Tentou dizer alguraas palavras, mas os
labios nio articularam som algom.
O cora Duval bem vio que se apprexima-
va o momento supremo.
Fecbou o livro e tomou as suas as m3os
do veibo companheiro de armas, mas as
sombras da morte annuviavam-lhe o olhar,
A arte do renaschnento surge na Italia,
no momento em que, tendo cessado a
guerra dosguelfose dos gbelinos, urna es-
pecie de equilibrio poltico emfiaa deter-
minada pelas rivalidades das repblicas
italianas; sendo nessa poca a prosperidade
eomraercial da Italia sem igual em todo o
mundo. Tambem foi a poca em que, des-
pertos pelas lutas da rsforma, e sahindo da
lelhargia religiosa, os espiritos tornaram
aos estudos scientificos, elevando a imagi-
nacao publica a um augedeebuliejo, a que
jamis tornou o povo italiano.
Schakespeare eleva-se na Inglaterra sob
o glorioso reinado de Elisabeth, quando,
apos a destruii;3o da armada hespanhola, a
consciencia do povo inglez se recolhe pela
primeira vez no senlimentodo poder nacio-
nal.
Na Franga, posto que adulteradas pelo
despotimos, a arte e a lilteratura se desen-
volvem sob o sceptro do Luiz XIV, logo
que, atravessando numerosas Iotas relgio-
sas, e outras tantas guerras cvis, a nacao
consegne fundar a sua unidade intellectual,
entre outras que ainda nao a tinham.
Na Allemanha, as guerras do lutheranis-
mo baviam quasi dissipado os primeiros vis-
lumbres d i litteratura e da arte; porm
logo que as teudencias liberaes e as victo-
rias de Frederico o magno despertaran! o
genio patritico, appareceram Lessing. Goe-
the, Sohiller, Kant, e mutos outros inaugu-
rando urna acola de cultura intellectual,
que apezar de ter aberto caminho ao po-
sitivismo, nao foi a menos tdicaz, nem a
menos popular; porque dalla sahiram direc-
tamente CorncKo, Overbeck, Schnorr, o
poeta dramtico que soube dar urna forma
visivel s maravillosas legendas do Niebe-
hui jen. Kaulbach cuja imaginacao abracou a
historia da humanidade as suas soberbas
composicoes do museu de Berlina: Schinc-
kel, o emulo de Visconti, Svanthaler, o
Lisippo da Allemanha moderna, e tantos
outros, qu ajudaram a salvar a gloria das
artes germnicas, arriscada ante os louros
de Wierlz, Delaroche, Caoova, Bartholini.
Mas, bast de divagar por esses paizes
que viram a infancia da humanidade, e qua
ora jazem minados dos vermes da decrepi-
dez; porque, ouco a voz sonora da minba
patria volver-me a trra do meu berco e
derramar-me n'alma um como orvalho be-
nigno l das regios da Esperanca. Acho-
me no seculo XIX, assentado nos degros
de um monumento gigantesco, que se me
afigura ser o templo da Paz e da Concor-
dia. As inscrpees gravadas na sua base
me levam mentalmente s nobres origens
desle grande imperio ; eu cruzo os bracos e
digo para o sol: volta f_0 astro esplendente
illumina-me todo o passado, cujos arcanos
desapparecem ante os seus raios; e eu
posso contemplar, do cimo do Corcovado,
onde me collocara ineffavel arrebatamento,
o grandioso quadro, que se vai estendendo,
muito abaixo dos meus ps. desde a base
da montanha, at a orla sinuosa do hori-
sonte.
De um lado eslSo as feracsimas pene-
das, que comecando a se elvarem em
torno da immensa baha, v3o formar urna
serra gigantesca, cujos empinados penedos,
de forma stalagmitica, trazem-mo mente
a dea de um orgao, com suas variadas
flautas; do outro lado est o nrar, que no
seu rugir continuo, pareee indifferente ao
blido, que l na culta Europa se appelli-
da civilisac5o Entre o mar e a serra est3o
a3 selvas virgen?, de cuja ensombrada como
sahem vagarosas e trmulas as melancli-
cas phalnas, e exhalam-se, com o perfume
dos myrtos agrestes, as suavissimas melo-
das das aves, que enchem os ares, com
o -opro incessante dos ventos, o arruido
longiquo das catadupas, a que se vem ajun-
tar de quando em quando os agudos da eru
bia.
Tudo grande nesta trra dapromss3o.
As palmeiras e as gramneas attingem, p ir
centenares de especies as proporcos mais
colossaes, e elevara a lustrosa grimpa at as I
regios andinas, por onde se debrocam os
vaporos conglobados, quando inielHdoe
pelas brisas do invern. Dostroa ega-
Ihos das arvores, dele vinte Vezes secula-
res, pendm vicosas as soberbas parsitas,
entre as quaes as hmidas bromelifsappa-
rec m como princezas desse reino Je flores
e perpetuas delicias. Abaixo, na noite das
selvas, cresce o eto arborescente? at riva-
I S3r em tananho com as pilmeiras do Me-1
diterraneo. Banha-lhe as raizes, arteriolas
de sua humilde existencia, iira delicioso ar-
roto, originado luartochas dos penhascos,
que lavam de continuo as-aguas da atmos-
phera. Parecem lagrimas- de ;CoDtqtamento,
quando, ainda perlo das suas nascentes.se
deslisam christallinas pelas faces dos roche-
dos, ensombrados pelo rogar dos seculos,
e enrubecidos pelos raios do sol.
Abysmado na prodigiosa riqueza, que
exhibe ante os meus olhos o magestoso tri-
umvirato dos reinos naturaes, eu ergo os
olhos ao ceu, como para agradecer ao Al-
tissimo o favor de t3o ineffavel contempla-
|3o, porm ainda all eu depar com as ma-
ravillas da trra. S3o asviriegjdas borbo
lelas, que perderam o slo, atiradas nu
vens pelas refegas de leste ; s3o os abutres
colossaes, que se balangSo pelos ares,
espera que o leopardo Ibes deixe, borda
dos precipicios, os restos dos seus festins ;
sao as aguias destruidoras, que, suspensas
pelas alturas vertiginosas do espaco, e de-
jando incertas pelas sommidades da cordi-
Iheira, bax3o e elevo-se rpidas, e vem
por vezes rocar com as pontas das azas as
negras protuberancias das fragas sertanejas,
em cujos bicos construem suas perpetuas
guaridas ; depois v3o-se elevando n'um
lento e meneado redemoinho, e, gigantes
que s3o, desapparecem microscpicas na ara
plidio dos cus.
Ali quanto nao grandioso o espect-
culo das malas virgens, quando o astro da
saudade caminha vagaroso pelas campias
do firmament, e mira-se, debrucado orla
dos vapores, no dorso rsplandecenle do
ocano I Quanto nao sublime, quando,
envolto na sua gloria diurna, o monarcha das
luzes passa triumphante pelas bsides do in-
finito, para depois ir deitar-se no leito de
ouro, purpura e brilhantes, que Ihe prepa-
ram as meigas e voluptuosas tardes dessa
ierra de virgindade I
Jual o povo a quemDeus permiltio-ba-
bitasse esse afortunado continente, que sow
aliara Sneca, na sua Media, Rogerio Ba-
con,no seu Opus Majtts, Tocanelli, nos
seus clculos, e cuja existencia, affirmida
por Copernico, e corroborada pelos desco-
briment05 mecnicos de Galilo, tornOu-se
urna realidade para o immortal Colombo ?
E' um povo brbaro, agreste, simples, in-
culto, porm hospitaleiro at coa o proprio
inimigo que o procura ; esse povo zoloso
mais que tudo da sua independencia, audaz
e bravo nos combates, impvido e hroe
em face da morte, generoso e leal para com
as nacoes estranhas, mas implacavel contra
a escravidSo.
^ Estrangeiros, que velejis incertos mer-
c das correles occeanicas, ro vos apro-
ximis to cedo desle vergel (te BfiH*ias ;
volvei a leste, que l esto, e nao nesta
trra de liberdade, os imperios destinados
por Deus, para fartar durante seclos
vossa colossal cubica!
Entret nto,a rnina do gento estava es-
cripta com caracteres de sangue no livro
dos decretos eternos: os estrangeiros des-
ceram trra, e com elles a avidez do ga-
oho, o facbo da destruic3o, a escravatora,
mas tambem o lbaro sagrado, a cuja som-
bra se foram obligando, urna apz urna, as
tradicoes humanas, a moral, a philosopbia,
as sciencias astronmicas, n'uma palavra os
diversos elementos da civilisac3o europea.
(Continuar se ha.)
VARIEDADE
que- anda se ergueu algumas vezes para o
mostrador do relogio.
Coragem, meu amigo I disse o pa-
dre com voz sentida.
O moribundo responden apenas com um
so luco e desde logo a respiracjto se Ihe co-
mecou a supprimir.
Veto o delirio.
A Martina, at ali silenciosa, ergueu-se,
chorando, eexclamou :
Meu Deus, vai expirar f
0 padre nao respondeu.
Enio phrases sem nexo e sem significa-
cio, acompanhadas de solucos, sahiram do
peito do commandante ; o olhar tornou-se
fixo ; depois teve urnas contorsoas, a que
se seguio silencio mortal ; com todo viva
anda, posto que o espirito se houvesse au-
sentado para essas espheras myslerosas,
d'onde nao mais volta. Era o corpo s a
lutar.
A Martina rompen em solucos e o pe-
queo acordou. Ella, lomando-c nos bra-
cos, collocou-o jun',0 ao moribundo.
A enanca, parecendo comprehender a
solemnidade do momento, approximou o
rosto do do commandaote. Este como que
recobrou os sentidos por um instante, mas
nio passou de um abrir e fechar de olhos:
o delirio continuou.
Tire d'aqui esta criancadisse o cora
Duval Martina. demasiado joven para
presencear esta scena.
A Martina obedecen e chamou Miguel.
Miguel e Bigorno ha muito que sa acha-
vam immoveis entrada da porta.
Miguel tomou o pequano pela mi e
levou-o.
EntSo o sacerdote deitou ao moribundo
a absolvicao in exlremis.
Um raio de sol penetrava pela janella e
comee a va a reverberar no leito.
E, como se aquello paludo sol de iqver-
dal do Uontelro
Eu sou actualmente um bomem bisonbo,
inspido, insociavel, que vivo no meu canto,
lendo os meus livros, fazendo meus inno-
centes castalios no ir... e saudoso do pas-
sado, aborrecido dojjpresente, e. sonhando
com o futuro.
Mas n3o vio l pensar que sou algum
velho; menos iss.
J tive meus das de gloria; dansei mui-
to ; fiz muito espirito nos sal5es; desin-
qnietei muito roslnho tentador e travesso ;
levei muta forquilha, passei muitas outras;
esahiafinal de tudo isto, aos23annos,
muito aborrecido, com o tedio n'alma, e o
vacuo no coraejio.
no o houvesse por um instante reanimad0
o moribundo abri os olhos.
N'esse momento dava o relogio horas.
Eram oito. k
O commandante estrebochou.
Saurin ? rumorejou elle ainda -
Saurn ?
E um arquejar supremo Ihe sabio do
peito : era a alma que acabava de separar-
se do corpo.
Fiel promessa feita, o cura cerrou os
olhos do seu amigo. Terminado este pie-
doso dever, agarrou a mi de Martina e
disse-lbe:
Minha Alba, necessario escrever
sobrnha inmediatamente. Coovm que
ella venha quanto antes. Quer que eu me
encarregue d'isso ?
Como quizer, senhor curarespondeu
a Martina em solucos.
Algamas horas depois o cura Duval dei-
xava a Raposeira.
Um cura da aldeia nio lera momento de
seo ; cada hora de sua vida pertence aos
parochiaoos. Acabando d recitar aqu
oraces pelos morios, logo carece de ir acoli
levar as consolacoes da religiio quelles
que, apezar de vivos, se sehtem vergar sob
o peso da desgrana. Com ludo o padre
nio deixra a Raposeira sem tomir varias
precauces.
Escrevera a Pamella, pobre contra-mes-
tra n'um collegio de Orleans.
Miguel partir cavallo para entregar a
carta.
Mandara Bigorne fallar com o cora de
Soury por causa do enterro.
Tudo isto levara lempo e eram ooze ho-
ras quando o cora de S. Florentino man-
dou apparelhar o cavallo.
E, todava, SauriQ anda So regre*
sra.
tJirmamente linha resohido tornar-me
serio, grave e circunspecto, casando-me.
K vardade andava com minhas cocegas
coojugaes DO sensorio.!
A tal idea de amistar-me com o santo
atrimonio. atascacar se de tal modo em
meo espirito, que apenas esperava certos
irranjos para realisa-la.
Palavra de honra! ia alienar cora toda a
paciencia a minha doce liberdade de celiba-
I tarto I
^A cousa este ve por um triz, o por um
triz l se foi tudo qio alindava o futuro
provavel de minha vida, e' eu iquei rebal-
sado as trevas de um futuro incerto I
Mas -qovem tudo isso, que nao nos
interessa? pergunt ir-me-ho os que houve-
rem lido a piedosa paciencia de 1er isto que
ahi vai.
Esperem l ; eslou contando a minha
historia, como entendo que devo faz-lo; e
n3o poda prescindir desta especie de apre-
sentacSo de minha individualidade.
Agora sim ; vou entrar na materia em
regra.
Era quatro horas da tarde da quarta-
feira de trevas. Chuvia com goslo ; e eu
estava em meu gabinete, bem agasalhado,
fumando para aqoecer-me, e lendo para es-
quecer-me da chova, que me faz muito mal
aos ervos.
De repente, brese a porla do meu pro-
pugnculo, c sinto passos, que avisinhavam
de mim : conservei-me namesma quietacio
beatifica, nSo me dando nem ao trabalho de
voltar a cabeca para ver quem era.
Passados alguns segundos, anlolha-se por
entre a fumaca do meu cachimbo a sympa-
thica figura do meu amigo Goncalves, que
me contemplava com urna certa expressio
de compaixo.
Que v.da esta, homem ? perguntou-
me depois que se cansou de observar-mo.
Que pergunta esta ? inquir no mes-
mo tom.Que diabo queres t que eu faca
n'uma tarde de invern, com um co chum-
bado como este ?
O meu amigo n3o me deu a honra da
resposla no mesmo caso em que fiz a per-
gunta ; mas deu um assalto formal minha
caxa de charutos, escolheo alguns, accen-
ieu um ; e, ainda se n3o hava desvanecido
em mim a dr daquella fianpa to sem ce-
remonia, quando me disse elle com o tom
mais natural deste mondo :
jf Has de ir ao club do Montero, sab-
leado da Afleluia.
Ein ? f o que ? !!!
E levares afgana familia do teu co-
nhecimento, e que tenba em sen seio mocas
bonitas.
Misericordia I ests doudo?!'
Tenbo dito : toma os convites, e con-
t comtigo.
Terrivel tritimatum aquelle, ao qual res-
pond affiietssimo :
Homeu, pois t vieste hoje aqui, as-
sim em un tarde fra e chovosa, para me
apoquentares com o teu club e os teus con-
vites ? I Pelo amor de Deus! deixa-te ds-
so!... Peie-roe antes dinheiro, vida;
d-me pancadas, se isso te apraz, porm nio
exijas de mim o estupendo sacrificio de ir
urna partida dansante, e, o que mais ,
levar urna familia, e familia que tenha mr-
Cas bonitas r... quata difficoidado junta,
justos cosr.... a
E fiz urna pausa porqoe estava fra de
mim, atterradissimo.
Oh f brbaro, t exiges de mim um
impossivel, um impossvel physico e moral!
Eu ir ao club, e levar mocas bonitas! E
esta ?! Onde irei busca-las, meu Deus I...
Pois nio sabes, caro amigo, que as fazendas,
os cintos immensos, as rendas, as fitas, as
botinas, todo est por um preco fabuloso ;
e que os papis dzem consternados, que
nao podem com tal enormidade de despe-
zas ; accrescendo ainda a da machambom-
ba para conduccio, e a da machambomba
de cabellos, com que as mocas topetam
agora a cabeca, e encanudam a testa e o
pescoco at os hombros ?! Oh isto hor-
rivel! Nio me pecas tal cousa; mata-me
antes I...
O homem olhou-me admirado do meu
terror, que sem duvida considerou pnico,
e sabio deixando-me os convites, estirndo-
me coro um laconismo desespeFador estas
fataes palavras:
At sabbado.
Fiquei transido I quelles convites
excretara sobre mim o effeito da cabeca de
Meduza: davam-me frios e febre I E o caso
era grave.
Abaixei a cabeca,
sobre as agruras da
tuaeio.
Passada urna hora de profundo scismar,
eu hava tomado urna resoluc3o heroica :
vesti-me e sahL
Percorri seis casas de familias conhecidas
(onde hava mofas bonitas); foi lo-
quete desde o gracioso at o ptthelico;
pedi, totei, lagrimejei; mas nada ; obtv
deaculpas, consolacbes, Iamentac5e; po-
rm mofas, nem urna, nem urna s pelo
amor de Deas I...
Esta familia nio poda ir ao tal club,
porque Yiy estava com dr de denles, e
promettia continuar a^sira por toda a sema-
na ; aquella porque tendo dejejoar sexta-
feira da Paixio, estara fraca, magra e aba-
tida no sabbado; orna disse-me que ia ao
barraco do campo das Princezas, porqi e a
av gosla muito de cavallinbos; aquella,
porque o papai n3o tinha ainda recebido o
ordenado ; emfim, um p desmentido, a
chova provavel, um dos cachorrinhos favo-
ritos da casa, que havia morrido tres das
antes, a enxaqneca da mami, o rheumatis-
mo do papai, o nervoso da tilia, a dr de
cabeca de urna prima em 6o grao, tudo,
meu Deus, tudo se hava conspirado des-
esperada e cumulativamente para me roubar
as familias com que mais contava.
Cheguei ao extrem de puchar furioso
pelos cabellos! Estava prestes a enloque-
cer e resclvdo a entrar urna por urna, o,m
todas as casas habitadas da cidade do Re:i-
fe, e pedir, modo de missa para as almas,
urna familia para r ao club do Montero !
Lembrei-me at de por um annuncio pelo
Diario, fazendo um ultimo appello aos co-
rajes sensiveis e philantropicos de lodos
os responsaveis de mocas bonitas!
E estava assim, esgrouviado de cansaco,
congoxado de espirito e amorfanhado no c:o-
rac5o, quando vejo passar pela calcada op-
posta da ra Nova, um amigo as condicSes
exigidas : voei at elle gritando :
- Ola I oh I meu querido, meu caro,
meo precioso.amigo, acuda-me! salve-me
pelo amor de Deus, ou enlio eu suicido-me
naquelle lago immenso, que as chuvas tem
formado no campo do Hospicior,..
Mas o que? salva-lo como?
Frz um discurso com todas as suas qua-
tro partes componentes, primando na pero-
racio, em que toquei o sublime do palheli-
co, e conclu pedindo ao meu amigo que
por todos os santos de sua particular devo-
c3o lovassea familia ao club do Mooteiro.
Fui atlendido ; e sob jnrameotoque exi-
g, fo-rae garantida a satisfacio domen pe-
dido.
Ah depo de tanta labutac3 eu mereca Providencia, e do amigo a
quem me dirigir como o naufrago a taboa
salvadora, aqueHa merc I aquelle favor
immenso, impagavel1, superabundante P 1*1

e meditei seriamente
minha lamentavel sir
Onde estara ? Porque motivo urna tal
demora ?
O cura Duval, posto que comecasse a
inqoietar-se, promrou, com tudo, achar
bons argumentos para se tranquilizar.
Escravo das inslrocces recebidas, o
velho soldado, nao tendo encontrado o ta-
belliao e nao querendo- confiar o-testamen
to a um escrevente, achar-se-hia provavel-
mente espera do offical publico. De
certo encontrara Saurn tarde quando
voltasse, por quanto prometiera i Martina
desolada regressar n'esse mesmo dia ou
na manbia do inmediato para assistir ao
enterro.
N'estas conjecturas e entre varios pce-
sentimentos ia o cora transpondo a floresta,
o s descancoa quando chegou porta da
Ceifeira, cujo accesso de febre declinara de
todo. Depois continuou o caminho sem
dar conta a Bigorne das suas inquetaces.
Alm de que, Bigorne igoorava o motivo
por que Saurn partir da Raposeira pelo
meio da noute o nem o cora se dra ao tra-
balho de Ih'o diier.
A floresta de Orleans, bastante estreita
era partes e cuja extensio superior a
quinze leguas, possue dous ou tres boslel-
los espessos, sem outros camiohos, a nio
serena passagens, apenas tiilhadas por ca-
tadores e guardas. N'esles lugares ella
como urna verdadeira moralha da China em
relacio s aldeias limitrophes, de forma que
as povoacoes do norte estio de todo sola-
das das do sol.
Duas aldeias4 distando entre si apenas
cinco oo seis leguas, nio tem a menor
commnnicacio desde o momento em que a
floresta as separa.
Eis o motivo porqoe o cora Duval, achan-
do.se, bavia cerca de trintt aonos, em S.
Florentino, ennea oovira fallar do seo
velho amigo o commandante Ricardo, qoe
havia seis aonos habitava pa Raposeira.,
Chegou o sabbado da Alleluia. Acabava
de escoar-se na aapulheta doHempo o ulli-
mo grao de areioy que marcava nove- horas
da noite.
A elegante casa, sede do club, estava bri
Ihante de luzes, sonora de urna orohestra
excedentemente tangida, e decorada com
simplicidade e gosto campestres.
Os cavalheiros cruzavam-se com as damas,
e- trocavam-se gestos, sorrisos, ornares e
palavras, em que s vezes ia de envolta
muita cousa do intimo do coracio.
A animacio ia comecando. J se notava
no semblante dos diversos pares, que se
arraslavam gentilmente pelas salas certo
desembarazo, e enthusiasmo, eerto calor
febril, que de ordinario somente apparece
em meio dos soires. As conversas iam
descahindo do serio e trivial para o jocoso
e interessante; e os discursos longos ba-
viam cedido lugar s phrases coacisas, elo-
qpentes, e quasi sempre nio terminadas___
Os cavalheiros curvavam-se cada vez mais
para as- damas, como se receiassera ser ou-
vidos... e estas,ondeando inolleraente os
delicados corpinhos, desciam os olhos ora
lnguidos, ora scintillantes- para o chio, e
cooservavam nos labios um constante sor-
riso de bemaventuranza.
De urna janella, onde eu me havia negli-
gentemente recostado, observava todos
quelles mysterbs,. esplendores, perfumes,
e harmonas, quando por diante de meus
olhos passou primeira, segunda, e tereeira
vez urna moca morena, conduzida por um
cavalheiro, cujo-tiomeigoonK
Conhece aquella senhera ? perguntei
a um moco, que se approxirara de mim.
Qual ?
Aquella de vestido branco e cinto
azul.
Nao ; a primeira vez que aqui vem;
impressionou-o, cavalbeiro?
Talvez-fr o que me parece que esto
qnasi conferindo-lhe o sceptro da rea-
leza ...
E fugi d'alli, temendenovas perguntas do
meu interlocutor.
Eu j nio era o mesroo. Senda um (to-
sejo irresistivel de penetrar na sala, dirigir-
me aquella senhora, e pedir-lhe urna dansa
qualquer. J nio me conhecia!
O cura entrou no presbyJerio depois do
meio da. Mioon a velba criada, j o
estava lamentando bem e espera va-o impa-
cientemente.
Os- parochianos, que nao tinham ouvido
tocar para a missa, como de ordinario, ao
romper do dia, estavam inquietos, por tio
prolongada ausencia do. seu. pastor.
Mftrrer de repente um aldeio que tinha
de enterrar-se na maohia segointe.
J nio posso ir Raposeira disse
o cura a Bigorne. Tenbo que cumprir.
aqui com as minhas obrigaces ; mas irs
tu acompanhar o meu infeliz amigo ao ce-
mterio.
E quem me substituir aqui ? per-
guntou Bigorne.
Um dos meninos do coro replico o
cura.
Bigerne foi-se deitar e na manbia imme-
diata parti para a Raposeira.
O cura Duval, depois da missa, fez o
enterro do tio Gerard, que morrera na ves
pera.
Regressando do ceraiterio, encontrn um
camponez sua espera. Vioha chmalo
para levar o Sagrado Viatic orna mu-
Iber de urna aldeia affastada.
O infatigavel cura poi-se caminho.
Quando voltou ao presbytero era j
bem tarde e ali encontrn Bigorne de volta.
Bigorne vinha paludo e transtornado a
tal potito, que o cora flcou sorprendido.
Que tens ? Que isso ?
O senhor respondeu o sacristio
ser a unioa pessoa que saiba onde o com-
mandante mandou Saorin algumas horas
antes de morrer t
Sim, sim, e eotao ?
Eolio ? Saurn nio voltou mais I
O cara flcou estupefacto.
Se soubesse o que aconteceu 1...
-Falla. m
QuandQ cheguei Raposeira eocop,-
E atlrahidojofi sei pqraoi {ooa aaj-
nelicos, alravissei cottettMirii O)iov
tro, c dirigindo-nq lif ayiiiii aiiiaa, iz
ama supplica fervoroa, osfanio.
Retirei-me feliz : oaa qaaMba ao
schottish havia coroado as miabas upara
Cas.
Voltei para a calcado; recoIbHai a*-
ditei alguns momentos; o deaoo turne aabi
convencido de qoe se bavia operado em oaa
urna transformaco e reviraaento do a*
completas.
Esquecra o passado, qoe soHia em>
como a tenoe nuvem acontada pelo voato.
e somente viva do presente o aoakaifi eem
o futuro, onde via brilhar nao sei qm m-
rora de felicidade.
Os preludios da orcheatra annaociaraa a
contradansa almejada: corr ao mee por, e
passado algom lempo qoe me parece fo-
nas alguns segundos, en tinba j danoo o
quadrilha e a schollish.
Oh aquella moca Uvera o condab, a aaa-
gia de me preoDer junto a si qoaz eem har,
que voou para mim com a rapoVf ia eioc-
iricidade deixando me encantado,
do e feliz!
Eu nio vira urna dessas bellezas
ras, que pousa ora momento aas bees da
raulher, na aurora das paixes, a aaa loan
se esvae como a gota do unalbo aaa pao-
las da ro belleza celestial dos aojo, os Iracas aaal-
mes, que sao a expressio da candidos oTaf-
mi, e o esped i liel onde se niacoaa ao
sen timemos castos e puros do ora fariiaja
de donzella, c que nos altrabe cooso a
ma a borbuleta.
Era um ideal aprimorado peas rrtass,
que nao produz arroobameotos de
masgera orna propenso suave, uom
sincera e inalleravel.
Seus olbos pret< s, expressivoo rasgados,
como que peosavam sob as avellanados pes-
taas, ora se irradiando de ora arriba por
e argentino, como os brando raios da ha
da madrugada, ora emmodeceodo aaoriga
languidez, em ora quebrntenlo ebeio da en-
canto e melancola. Oh I quelles olbose-
pediam settas invisiveis, qoeerivavaosesce-
racoes submetlendo-os i mais deliosa ia-
fluencia.
E as audeixas opulentas, tongas o dea-
sas, naturalmente calarais Iradas, ajas so
trelacavaa-artisticaraeote era lindo e
penteado, onde algumas floresiinhas
das pousavam engranadas, parec-ndo
as estrellas-, que illominavam
d'aquelles cabellos.'
E a baroooia raellifloa da voz, a gyaga do
sorrzo, a elegancia das formaj, a raaejesta-
de do porte, e sobre lodo o aoreao deli-
cado da tez assetinada. ntretecida ds-Ba*-
simos veto azulados, e assombreada pato
tenue colorido-da faces l
As gracas d raios dadas coa as vina-
des, se ha viara esaerado na creacao d'aqad-
la mulher I o bello artstico o o bello aaaaai
se haviam ideaficadoaaqoella creatoradig
na de urna realeza, e de orna adoracaoaya-
tica!
As vozes d'alraa se denonciavaa sa- sos
rosto antes que seus labios e eotreabtis-
sem para dar egresso msica saava de
sua- palavras, qoe prodoziamestranhas-seo-
sac&es, enlevos- descoobecidos t
Que direi mais ? Aqaelb f nnosora aso
se pinta, sente-se com os olbos da
Ci intima para depois curar-se a
respeitoso, e emnodecer-se os labios
de tanta magestade!
Silencio, pois ; o najbj de prooasro
sanctuario daqoella modestia deria ter que-
brado os bicos da peona, coa qoe escravo,
antes de haver eu bosquejado perfei;css qoe
nao sio da trra.
Seja a confissio sincera de minha indis-
crpeo um motivo para o perdi nse im-
ploro.
E agora, diganwoe a leitoras, aqt moito
em segredo se-depois- distoposso peasat
ainda em meu antigo casamento e raoit.
menos realisa-lo?
De certo que no f re-ponder-rae nao
Vv. Excs.o antigo prejecto cahiay porqoe
seria d*slealdale ir levar para o rocesso do
lar conjugal un cora ro e alma, qao Ihe ni
pertencem.
Obrigedo pelo aonseiho, qu i rae allrvia
de certos Kmorsinhos; e fui contando con
elle que eu dise no- principio deste folhe-
tim i|uepor um. tris l se fra todo qoe
alindava o futuro provavel de rainha vida.
Meando eu rebalsado as trevas de um. Io-
ta ro incerto.
Comome heidt arranjaragora, qoe3oda
nao sei,. tal vez logo voile a ocupar a alten
cao das leitoras fv?mosas, narrmdo o caso,...
talvez.......
Watf.
trei a'menina Pamella toda em lagrimas, o
igufll, torcendo o bigode, d zia : Estes
canalhas de cacadores ladroes assassinaram
o mou pobre Saurin t
Assassinado I exclamou o cura, wo-
pallideceodo.
NSo se p le affiraar, por quanto nada
se encootrou ainda. Os guardas tea batido
a floresta, revolvido todo e aada de novo t
Nio desapparecem assim au bomem
e um cavallo.
O cavallo appareceu smabora depois.
da minha chegada Raposeira.
Onde o encontrara ?
N'uma maroeira qoe toa trata ps.
de profundidado, no caiobo de Lomo.
Morto ?
Sim, seafaor, coa orna bala nos, pai-
tos.
E Saorin ?
D'elle nem vestigios I Encoalroo-se
um loro quebrado. Os gendarmes, o o joiz
li estiveram. Depois qoe se fez o enterro
do commandante e se pozerara os sellos
fez-se ama investigacio. O chafa dos gen-
darmes explica o negocio i seo modo. O
cavalleiro re:ebeu urna bala qoe o maion
redondamente, e com o peso do corpo qoe-
brou-se o loro. E cahio morto antes do
cavallo, sobre o qual se faz fogo. ootos
depois, quando passava espantado prximo
mina. A prova d'issocontinooo Bigor-
ne que se achoo vnte pasaos da atoa
uma poca de sangue.
Mas o cadver nio ?
Nem indicios.
Sella-me o Cc -- disse o cora.
possivel ?acudi a velba Manon.
Pois o senhor cura j torna i sabir ?
Vou onde me chama o dover ros-
pondeu-Ihe o cora.Nao estoo n'este moa-
do para outra cousa.
(ContinnaT-tr-hM,)
TVP, PQ DTAIUO WA WW P< C*JUAS
tade. \
pasta.
i

\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EM3UM1S77_Y3MBGH INGEST_TIME 2013-09-14T02:58:21Z PACKAGE AA00011611_12093
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES