Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12091


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XLVI. NUMERO 85. erar* u

PIBA A CAPITAL LUGARES ONDE UO SE PAGA P01TE.
*Por tres ttwdf Hianfados................. ($000
Por seia,Utos idem................... 12&000
>or ui arfho dem :................... n0M
Oda mumero vofeo................... 320
w .,; v,f ,i, ofMi DOMINGO 17 DE ABRIL DE 1870



* PA1A DEITBO E FORA DA PR0VI5CIA.
Por tres mezei achantados.................. 6J75G
Por sea ditos idem.................... 434500
Por nove ditos Mera i .................. 20JJ&80
Por um armo dam .............. 27*000
-.-
Propriedade de Manoel FigTieira de Faria & Filhos.





SAO AU
usAttjes
-
I
Os Srs. Gerardo Antelo Alves d Filhos, no Para ; Ooncalves & Pinto, do MaranhSo ; Joaquin Jos de Oveira, no Cear ; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty ; Jo3o Mar Julio Chaves, no Ass ; Antonio Marqnes da Silva, no Natal; Jos Justino
Pereira d'Almida, em Mamanguape; Antonio Alejandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha ; BelarminQ dos Santos Blelo, em Santo Antao; Domingos Jes da Costa Braga,
ftfll
.'
~r7]
em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, emsAlagoas; Dr. Jos Martins Alves, na Babia ; e Jos Bibeiro Gasparinho no Bio de Janeiro.
PARTE OFITCIAL.
Commaudo das amas.
QCAaTEL-GKNFNAL DO COMMANDO DAS ARMAS NA
PROVINCIA DE PERNAMBUCO, 11 DE ABRIL
r>a 87U.
Orden do da -n. 467.
O brigadeiro coiomandante das armas cno exe-
.ui'io as ardeos do governo imperial, e das que
!he foram expedidas pela presidencia, aquellas ua
dala de 30 do mez passado e e-tas na de 7 do cor-
rente, faz publico i guarnido, que hije fui dissol-
vido o corpo n. 30 de voluntarios da patria, que
em seu regresso da campanh.t do Paraguay, che-
gou esta provincia do dia 6.
O brigadeiro commandante das armas tcm como
supertluo repetir nesta occasiao, o que di se deste
corpo em orden do dia 7 dcste mez sob o n. 466,
apenas accresecntar que o? servidos que prestou
na campauln seus brlhantes feitos nos diversos
combates em que tremulou a sua victoriosa .ban-
deira, e seus continuados martyrios la porflosa
(uta i|u ;c;iba de ter o oais feliz desenlace, sero
em todo lempo recordados pelo paiz e pelos seus
aoncidadads, coino um padrao de gloria.
Deixando o mosquete do soldado para volverem
como simples cidadaos aos seus domicilios, e en
tre^areni-si como d'antes aos labores de suas
urofissoes, os bravos do 30, se eonsttuirara distinc-
tos pelo seu arierro as instituiroes juradas, e res-
pe to s leis.
Kutriado to grata esperanza, o commandante
das armas Ihes da o adeus de despedida, desejando
que lodos, ociaes e soldados, o tenham por seu
erdadeiro camarada.
AsignadoJoaquim Jos Goncalves Fontes.
ConformeEw rn, tenento ajudante de ordena encarregado do
detlhe.
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIFE, 17 DE ABRIL de 1870.
Vapor americano
Ouint-feira chegoa de New-York por S. Tho-
mxr. e Pari o vapor americano Norlh America,
trazando datas do ultimo porto at 9 do correte.
PARA.
Foi etilliujiaslicamente reflejada, na capital, a
terminaco da guerra, haveodo repelidas passeia-
t, poesas, discursos e logete*.
A empreza dos trilho urbanos da capital foi
vendida ao Sr. Manoel Antonio Pimenia Bueno, ge-
reate da companhia do Amazonas, por 190:0005.
Acerca da navegaeo do Araguaya encontra-
mos, no Diario de Belm, a segninte carta do Dr.
Go Magalhies, escripia da Leopoldina em 8 de
levereiro ultimo :
_ O Araguaya que na minha chegada era quasi
to solitario como o Tocantins na Itabca, j est
se transformando : as estaefies do vapor vam-se
povoaodo ; principio sao ranchos de palba, pou-
co depois casinhas de telha. Leopoldina, onde es-
ton, com suas casas brancas na barranca do rio,
calma, serena e ntida figura um bando de garcas
pausada margen de um pal.
Que cousa singular que a natureza humana
*u que soffri tanto na Iiabca, tenho saudades
dalli, doutor, le grandes, que me parece que
o lugar que raais amo cima de todos.
? Que differenea I
Quando por ahi passou a commissao Jo con-
de de Gastelneau, o Araguaya nao era mais do
que um horroroso deserto, infestado de tribus bra-
vias e ferozes. O desgracado que por ahi se aven-
turava levava longos mezes como perdido e segre-
gado do resto do mundo.
t id je j o vapor transpon esta distancia com a
sua proverbial rapidez.
O nosso governo tem gasto avultada somtna
pira crear e sustentar colonias militares no baixo
' "MiitiiH e Araguaya. A maior parte dellas ex-
tinguram-se, outras deflnharam : a apparigo do
vapor vai reergue Ia3 do nada.
c Dos sertoes do Cear, Bahia e Pernambuco,
passaraa-M muitas familias para o alto Tocantins,
qu;mdo a secca ou a fome as assolava.
a Agora que urna cruel calamidade pesa sobre
Mallo Grosso, Alagas, etc., tantos infelizes pode-
ra i encontrar refugio as margens explondidas do
Araguaya. >
O Dr. Aureh'ano F. do Carvalho j linha sa-
bido de Camela para a exploraco do rio Tocan
ti as,
Aehiva-se concluida a eleco de eleitores
ijm Camela, tendo vencido os conservadores por
gratule maioria.
A aifandega rendeu de 1 a 7 do correte
W):110jli7.
Lemos no Diario do Gram Para :
Ao dia lo de marco Ando achava-se o honra-
do Dr. juiz de orphaos no sitio Paraizo do Sr. ca
pitia Mareello Gomes Correa de Miranda, alim de
proceder ao inventario do seu casal, por fallec-
ment da senhsra do referido capito.
Na occasiao da avaliacao e descripcao dos
Deas o Sr. caaitao Mareello declarou ao juiz que
liberlava 4 dos escravos do casal, sendo dus
creaucas e dous adulto?. Os seus filhos, a exem-
plo do pai, libertaran! tambem urna cranla. An-
da nao fleou aqu : logo em seguida um mulato e
um rapariga pediram ai meretissmo iniz, que
qaeriam dar a importancia por que tioham sido
avahados, requereodo o mesmo Sr. capito a II*
berdade destes. Depois de ouvidos os interessa-
dos e cencordarem com o que requereu o Sr. ca-
pito, o juiz mandn passar carta de manumisso
para ambos.
t Assim, pois, flcaram libertas nesse dia 7 pes-
30t) que estavam condemnadas a morrer escra-
va.
PERNAMBUCO.
.____________________________________>
ASSEMBLCA PROVINCIAL.
SE3SAO ORDINARIA EM 7 DE ABRIL DE 1870.
PRKSIDEKCIA BO SU. DR. AGUIAR.
As onze horas da manhaa, feita a chamada,
aeham-se presentes os senhores : Ribeiro Vian-
na, Vieira de Araujo,Cavalcante de Albuquerque,
Pae< Brrelo, Firmino, Ges Cavalcanti, Texeira
de Si, Joao Cavalcaote, Gualter, Antonio Paulino,
Barros Leo, Ferreira de Aguiar, Gnsmao Lobo,
FeUppe de Figueira. Correa de Araujo, Manoel
Arthiir, Rufino de Almeida, Araaral, Barros Wao-
derley Oveira Fonseca Goedes Goodin, Cunha,
Albuquerque, AITonso Ferreira, Hermogenes, Mel-
lo Reje, Gongalves Lima, Barros Reg, Miguel Per-
nambaco, Gaspat Drummond, Pinto Jnior, Anto-
nio Luix, Cuoha Figueir-edo, Eduardo de Oveira,
Vieira de Mello, Tolentino de Carvalho, Augusto
da Cost.
Abre-ie a sesso, lida e approvada a acta da
anterior.
O 8a. l Secretario d cont do segante
EXPEDIENTE :
TJm offlc'io. do secretario do governo, remetiendo
contas e ornamento da cmara municipal do Bre-
jo.A* commissao de orcamento municipal.
Gatrodo mesmo, remetiendo cootas e or?ani' _.n.
Ws da enmara mnnieipal da villa do Bonito- __^
commissao de orcamento municipal.
Ooiro do mesiro, remetiendo a tabella, orcamen-
to e um projeeto do regulamento para o cemiterio
publico da villa de AguaPreta, remedido tudo pe-
la cmara municipaj daquella villa.A'commis-
sao de orcamento municipal.
Outro do mesmo, remetiendo copia do contra-
to celebrado em 19-e inarco ultimo, com Joa
Henrique Trindadd, para eslabeleciment de um
systema de carris de ferroqne ligue a capital com
seus suburbios.V commissao de obras publicas
Outro do mesmo, remetiendo balancos e orca-
mentus da cmara municipal da cidade de Ca-
ruar.A' commis-o de ornamento municipal.
Outro do mesmo, remetiendo por copia os offl
cios do chefe de polica e do inspector da thesou-
raria provincial, com as informaedes acerca do
pagament i do cirurgio encarregado do tratamen-
to dos presos pobres da cadeia da cidade de
'oyanna.A' commissao de orcamento provin-
cial.
Outro do mesmo, remetiendo por copia o odelo
em que a cmara municipal da villa do Bom Con-
seibo expoe as necessidades do seu municipio.
A' cumraisso de negocios de camaraj.
Outro do mesmo, remetiendo balanco, orQaraen-
to e contas da cmara municipal da cidade da
Victoria.A' commissao de orgamento municipal.
Outro do mesmo, remetiendo balanco e orca-
mento da cmara municipal da cidade do Rio For
moso.A' commissao de ornamento municipal.
Outro do mesmo, transmittindo por copia o offl-
cio emque a cmara municipal da villa, do Bom
Conselho solicita a designadlo de urna quota para
a conlnuacao da matrix de sua freguezia. A'
commissao de orcamento municipal.
Outro do mesmo, remetiendo um. abaixo assig-
nado de diversos moradores do lugar Papagaio, da
freguezia de S. Bento, o qual foi remedido pela
cmara municipal de Cimbres.A' commissao de
negocios de cmaros.
Outro do mesmo, remetteddo por copia o rea-
torio da cmara municipal da cidade de Goyanna,
o balanco da receita e despeza e o orcamento da
mesma cmara.A' commissao de orcamento mu-
nicipal.
Outro do mesmo, remetiendo balancos e orna-
mentos das cmaras municipaes de Cimbres, 8ui-
que, (tamb e Villa Bella.A' commissao de or-
gamento provincial.
Outro do mesmo, remetiendo contas, balanco e
orgamento da cmara municipal da villa da Boa-
Vista.A' commissao de orcamento municipal.
Outro do mesmo, reuniendo balanco do anno de
1868 1869 e o balancetepara o exercicio de 1870
1871 da cmara municipal da villa do Pao
d'Alho.A' commissao de orcamento municipal.
Outro do mesmo, transmitoodo contas, balanco
e orcamento da cmara municipal da villa de
Igoarass. A' commissao de orgamento muni-
cipal.
O SR. G. DRUMMOND justifica e manda mesa
o seguinte requerimento :
< Requeiro que se pega presidencia da pro-
vincia as leis do anno passado que nSo foram
sanecionadas.Gaspar Drummond.
Posto votos o requerimento approvado.
O SR. PRESIDENTE diz que tendo a assembla
approvado um requerimento no sentido de no-
mcar-se urna commissao na corte pata eumpri-
mentar Sua Magestade o Imperador e ao viseonde
de Pelotas, nesse requerimento nao se fez mengo
do modo porque deve ser nomeada.a commissao
nem de quantos membros deve ser compost ; por
isso convm que a assombla delibere.
O SR. MANOEL DO REG propSe, na qnalida-
de de autor da mogo, que a commissao seja enm-
posta de cinco membros: dou3 senadorese tres de
pulados, sendo a nomeagao feita pelo presidente
da assembla.
Consultada a casa approvada a proposta.
ORDEM DO DIA.
! discusso do projecto n. li de 1868, que
manda construir urna bomba sobre o riacho Agua
Fra, empatado na sessao anterior.
O SR. FIGUEROA :Sr. presidente ; pedi a pa-
lavra nicamente para dar urna explcago em or-
dem raclilicar o voto que honlem dei contra o
,projec*o, hoje navamente submetiido discusso,
poner ficado empatada a votaeao.
Quando disse algumas palavras hontem, deca-
rei qne tmha informagSes taes respeito da obra
consignada no projecto que me levavam negar-
Ihe o meu voto. Tive o pezar de ver alguns de
meus collegas, mesmo de dislricto, impugnarem
essas palavras e votarem pela adopgo do pro-
jecto.
O meu nico interesse aqui, Sr. presidente,
que a provincia nao esperdice em obras inuteis os
seus dnheiros, que nao percamos lempo com
cousas inuteis.
Quando daqui sahi fui ter com o Sr. director
das obras publicas, pessa muito cireumspecta e
engenheiro distincto, e tive a satisfagao de ouvir
sua opinio, qoe se acha inteiramente de accordo
com a minha. Examijiei tambem a planta dos lu-
gares em que hontem fallei, e por mim mesmo
convenci-me da sem razao da obra do projecto,
que pode ser substituida por um passadigo do
custo de 200/000 ou 300*000.
A estrada de Belm para Qeberibe offerece me-
Ihor e mais curto caminho quem vai para
aquello povoado ; e, pois, feito o passadigo, como
me promelteu o director das obras publicas,
nenhuma razao de queixa Picar aos raros via-
jantes que vo Beberibe pela Ponte de Ucha o
Cruz das Almas.
Em resumo contino votar contra o projecto,
evitando assim urna despeza de 5:000a provin-
cia, com a qual nenhum lucro ella anfre.
Encerrada a discusso foi o projecto posto a vo-
tos e regeitado.
I* disenssao do projecto n. 97 de 1867 interpre-
tando o art. 24 da lei n. 593, que regala os venc-
mentos dos proessores que contaren] mais de 30
annos de servico.E' approvado sem debate.
1" discusso do projecto n. 116 de 1867, elevan-
do a cathegoria de vihas as povoacSes de Bom
Jardim e Vertentes da comarca de Limoeiro.
O SR. C. GONDIM justifica e manda a mesa um
requerimento.
Vai mesa e apoa-se o segninte requerimento :
Requeiro que se peca informaedes ao presi-
ente da provincia acerca da materia consignada
no projecto n. 116, tendentes habilitar esta as-
sembla para conhecer que as localidades men-
cionadas no projecto tem a extengao, popalacao,
riqueza e mais condigdes exigidas para ser ele-
vadas a cathegoria de villas.Corren Gomlim. >
O SR. CORREA DE ARAUJO pede inforniagOes
sobre o projecle.
0 SR. MELLO REG.>',io son depntado pelo
segundo dislricto, e nao nevera por isto tomar parte
nesta discusso, que se.ria raelhor sustentada pelo
representantes d'esse dislricto...
O Sr. G. Dru'-.ond :_e' deputado da pro-
vincia.
iS2" M"u. Reg : Conheco, porm, as lo-
calidades de qae trata 0 projecto, e poderin dar
informagSe^ umpouco exactas sobre a convenien-
cia ou. io- con?eniencia da creago dos municipios
fcm re agio i Bom Jardim, os nobres deputados
3a9 me precedern) na discusso, eslao de accor-
0 qoanto ntilidade da creago de um municipio
' jli, e nio contestam a riqueza, extenso e impor-
tancia d'aquella freguezia. Sobre municipio em
Taquaritinga, sendo elevado o povoado de Verten-
tes cathegoria de villa, qae divergir m algum,
tanto.
En eoncordo que Taquaretinga nao esta na
condigdes de Bom Jardim, e que ainda ceda para
ser elevada municipio.
Mas nao entrare desde j no desenvolvimento
da materia, e apenas" notarei qae se esteja fazen
do questo, antes de tempo, relativa-mente
creago de joizados municipaes.
Ha difrereriga-entre municipio e termo, e a dlffe-
renga esta :a assembla crea o municipio, o
governo crea o termo.
Portante n5o ha bom fundamento no receio de
que a creago dos municipios de qae se trata ve-
nha onerar os cofres pblicos, e dar lugar no-
meagao de joizes, que fiquem sem vencimentos
bastantes para sua subsistencia
Nos crearemos os municipios que forem neces-
sarios; e o governo, por sua vez, paraos que esti-
verem em condigdes de ser constituidos termos,
dar os juizes
Uk Sr. Deputado :E de que serve ento o
mnnicipio.
O Sr. Mello Reg :Serve de muito, a rouni-
npalidade tem muita importancia, d mais vida e
influencia s localidades.
(Troeam-se apartes.)
O Sr. Mello Reg :A creago de manicipio
nao custa dinheiro ao estado, nao acarreta a me-
nor despeza dos cofres pblicos.
Um Sr. Deputado :Deve ter supplentes de
juizes municipaes, e por con.-eguinie vira a neces-
sidade de um juiz.
O Sr. Mello Reg : Ter sopplentes de juizes
municipaes se o governo Ih'os quizer dar, e se o,
municipio estiver em condigoes de ser elevadora
termo; mas isto nao torna neessaria a nomeagao
Je um juiz, ficar sendo termo annexo ao outro
em que naja juiz
Meu fim principal nestas poncas consideragSes
oppor-me ao pedido de informaedes de qae trata o
requenmento qne tambem se discute.
Se ninguem contest a utilidade do projecto em
urna de suas parles, votemo-lo em primeira dis-
cusso, para depois o emendar.|Para isto nao pre-
cisamos de informaedes qne penco adiantariam,
versando sobre aquillo que nio entra em dorida.
O qae, passando o requerimento, pedimos ao
presidente ?
Que mande talvez fazer ama estatlstica da fre-
guezia de Taquaretinga, alim de conheeer-se sua
riqueza, populagao e progresso industrial e com-
mercial.
Urna nformacio assim, tao cirenmstanciada,
quando vira ao nosso conhecimento ? Para o anno,
seguramente, e d'aqni at l flear adiada a solu-
go da mnnicipalidade de Bom Jardim, cuja ntili-
dade ninguem contest I
Acho, pois, mais curial que o projecto passe
segurda discusso, para ne I la ser emendado con-
venientemente. Nessa occasiao farei, se fdr prceso,
mais algumas consideracdes sobre a materia su-
jeit.
Voto contra o requerimento.-
O SR. WANDERLEY ainda faz algumas con-
lidanfdM.
Kncerrada a dlscussio, o requerimento re*
geitado e approvado o projecto.
1' discusso do projecto n. 6 de 1867, que crea
urna repartico de archive publico.E' regeitado
sem discusso.
2.* discusso do projecto n. 70 de 1867, que au-
toriza o governo a mandar fazer as despezas ne-
cessarias com os melboramentos precisos no hos-
picio de alienados em Olinda, de maneira a dar-
Ihe mais ampias accommodagoes.E' approvado
sem debate.
2.a discusso do projecto n. 58 de 1869, que esta-
belece algumas providencias sobre o ensino pu-
blico da provincia.
O SR. GU8MO LOBO justifica um requeri-
mento.
Vai mesa e approvado o segninte requeri-
mento :
Requeremos que v o projecto commissao de
instrucgo publica para o fim conveniente.Gus-
maa Lobo.Antonio Cavalcanti.
1.* discusso do projecto n. 68 de 1868, que
supprime a cadeira de instruego primaria para o
sexo feminino na freguezia da Pedra, creando-se
em seu lugar urna outra do sexo masculino.
O SR. GUSMO LOBO justica e manda mesa o
seguinte requerimento :
a Requeiro que, por intermedio do presidente
da provincia, seja ouvdo o Dr. director geral da
instruego publica acerca do projecto em dis-
cusso. Gusmao lj>bo.
Encerrada a discusso, o requerimnto appro-
vado.
i.' discusso do projecto n. 85 de 1868, que au-
tonsa o prosidente da provincia reformar a ca?a
de detengo 'esta cidade.
Vai mesa e apoia-se o seguinte requerimento :
Requeiro que seja ouvido, por intermedio da
presidencia, o chefe de polica, sobre a convenien-
cia de ser reformado o regiment da casa de de-
tengo. Correa Gondim.
O SR. OLIVEIRA FO.NSECA faz algumas consi-
daracoes, mostrando a conveniencia de ser adiado
o projecto que est em discusso ; e neste sentido
manda a mesa um requerimento.
Vai meza e apoia-se o seguate requerimento :
t Reiueiro o adiamento do projecto por 48 ho-
ras.Oliveira Fonceca.
O SR. RUFINO D'ALMIDA diz que se oppoe
ao requmento, em que se pede a audiencia do
chefe de polica sobre o projecto ero discusso, por
que entende ser desnecessaria essa audiencia: que
o chefe de polica nao desconheee a necessidade
da reforma do regulamento da casa de detengo
e alleracio do systema ali seguido at hoje : que
elle orador na qualidado de administrador d'aquel-
le estabeleciraento nao tem cessado de mostrar a
necessjdade da reforma projectada, reforma para
a qual desde 1861 que est o presidente da pro-
vincia autorisado pela le provincial n. 511 de 11
de junho, lei que foi o resaltado dos trabamos de
urna commissao de nquerilo, nomeada pela as-
sembla n'aquelle anno, para propor as reformas
que julgasse necessarias aquello esiabelecimeoio:
que a reforma autorisada tem sido aoVada at
hoje, nao s, porque nao se habilrtou na lei do or-
gamento, o governo da provincia com os meioe de
acudir despeza indispensavei em semetbaote re-
forma, como tambem porque tem sido necessaro
esperar a ewieiuso do edificio,conclnsao qne nao
est completa, pois qne ainda se faz preciso cons-
truir telneiros ou saldes para offlcinasy armazens
para arrecadaeoos, o collocar as grada de ferro,
que devem (echar os muros de circuito do edifi-
cio pelos lados norte e sul, que dao sahida pela
frente, onde existe o corpo da guanda, e ludo isto
exige despezas, para as quaes nao est o presi-
dente da provincia autorisado : que, quanto ao
projecto em discusso entende qne, coustando da
synopse dos trabalhos da casa, existir um projecto
sobre o mesmo assumpto, elaborado pela Ilustre
commissao de Inquerito nomeada em 1863 p ir esta
assembla para sindicar dos (actos calumniosos,
que immigos pequeninos the attribuiram, e tendo
o dito projecto sob n. &, melhores e mais sensa-
tas bases, entende que deve ser elle de preferencia
discalido, regeitndo se o qae se acha em discus-
so, qae smente foi apresentdo com o fim lodo
particular de hostilidade i pessoa dette orador, e
nao por amor ao bem estar dos detentes, e desejo
de que fosse reformado o regulamento qae alias
difflciente, e mesmo defeituoso.
O SR. G. DRUMMOND manifestse contra o*
dous requerimentos offereeidog por occasiao da
discusso do projecto, julgando o primeiro intil,
por nao serem necessarias iaformades do chefe
de polica com relago a oonvenie.cia da refor
ao a. por julga-lo prejudicial, viste? como tratan-
au-se da 1 discuti do projecto, pode o mesmo
ser approvado, e as discussoes seguintes serem-
Ihe fetas as al4era{6"es qae torera jalgadaj conve-
nicnics.
O SR. RUFINOcP'ALMEIDAdiz que existrqdo na
casa um outro projecto sobre n."99-,' que encerra
disposigfies mais ompleiai sobre o meimo objecto
de que se oeebpa o^ae se discute, por 3s'o
conviria aguardar isensso dSse outro projec-
to, en discuii-los^corjflntanVitl^ aflm de se eco-
nonusar trabalho. f
1) SR. G. DRUMMNi* ainda insiste as
observagSes. %
O SR. OLIVEIRA FOIteBCA insiste em suas
considerages e na justificaco ae gen requeri-
mento. *. >-
Vai a mesa e aponV-'se o seguinte requerimnnto:
Requeiro que^ sejam o projeejo que se diswnt,
bem como o de n.-Q^ remaUidos a commhsi* rn-
pectiva para dar oieupareceh Cunha Ftalei-
nao.
O SR. OLIVEIRA FONCECA pede a retirada do
seu requerimento, o que lhe*e concedido. >
Encerrada a,discusso; regeitado o requerimen-
to do Sr. Correa Goodin, e approvado o do Sr. Cu-
nha Fgueiredo.
O SU. PRESIDENTE pede novamente aos senho-
res membros da coramisso que apressem os seus
trabalhos, designa a ordem do dia e levanta a
sessao. i p
m
existente.
ameagadd' de eminente des
de all
truigo.'
A commissao entende igualmente devej sub-
metler consjderago desta assembla, como jus-
ta e aUendivel que a reclamaco ^df providen-
cias, que por intermedio da respectiva cmara
municipal, solicitam os plantadores e cultivadores
de algodio da villa e Jerme de Garaohuns, provi-
dencias tendentes a evitar 'os gravssimos prejui-
zos que dinturnamente lolfrem no commercio
desse genjro pelos abusos e ganancias dos arma-
I zentrios e compradores nesta capital. Pelo qne,
suas a commissao de parecer qne se decrete a creago
dngiraa estgao publica, d#na o peso e verificar a qualidadwdo algodo que con-
corraro mercado, dando-se-lue a respectiva do-
sigoag- do peso e qualidade. m -.
- < EJnalniMte parecen* .
motivos qae a determmam, a repre
ntsma Cmara, relativa extiDcg de dislriclo
de paz, creado na povoago do Pogo Con^|rido da
si
gufttgeja elle suppiimido. fj + M
**SPado as que ahi llcara ap miadas 04 oecessr-
dadls de maior urgencia para o municipio de Ga-
ranhuns, espera a commissao que sero eua^pon-
venientemen, attendidas. Sala das commssdes,
em 8 de abrrlNie 1870.-Antenw Paulino.Goes
Cavakance,Barros Wtnderlcy.
a. (Continuar-smha.)
DE
a.
ma"do regulamento 'da casa de de'lencJJo, e.quantQf ra'os" reparos impreteriveis s obras do nico agu
SESSAO ORDINARIA EM 8 DE ABRIL
1870
presidencia do sr. aouiar.
As 11 1/2 horas da manhaa, feita a chamada,
acham-se presentes os Srs.: Vieira de Araujo,
Hermogenes, Cunha Albuquerque, Get Cavalcan-
le, Barros Reg,. Oliveira Fomeca, Guedes Gon-
dim, Ribeiro Vjauna. Paes Barrete, Firmino, An-
tonio Paulino, Mello Reg, Barros Leao, Manoel
ArthuT, Felppe de Figueira, Eduardo de Ovei-
ra, Correa de Aranjo, Gongalves Lima, Barros
Wanderley, .jfejxiira de Si. Gusmo Lobo, Rufino
de Almeida, Henrique Mamede, Ferreira de Aguiar,
Vieira do Mello, Toleutloo de Carvalho, Cunha Fi-
gueiredo, Gaspar Drummond, Augusto da Costa,
Amaral, Pinto Jnior, Ignacio Leao, Miguel Per-
nambuco, Antonio Luiz.
Abre-se a sessao, lida e approvada a acta da
antecedente.
0 Sr. Io Secretario d conta do seguinte
expk-dikmtk :
_ Urna petigo da mesa regedora da irmandade de
Nossa Sonhora daSoledadc, pedindo preferencia
Sara correr urna lotera que Ihe foi concedida em
887.A' commissao de orgamento provincial.
Outra, do major Arminio Americo Tavares da
Cuoba e Mello, pedindo para qae seja admiltido
no gimnasio um sea filho de nomo Benicio Nelson
Tavares da Cunha e Mello.A' cammisso de pe-
tiedes.____
uiij,iw naiu-isco jse aiyo.-. ae Aiuuuueiquc,
conferente do consulado provincial, pedindo a esta
assem lea um anno de licenga com todos os seus
vencimentos para tratar de sua saude.A' mesraa
commissao.
L-se e sao approvados os seguintes pareceres:
1 A commissao de commercio, agricultura etc.,
tendo examinado a petigao era que Antonio de
Carvalho Santos pede privilegio para o preparo
da la de carnoiro, faltande-lhebase para emiltir
o sea juizo, requer que com urgencia se pega ao
Exm. presidente da provincia, informagSes sobre
semelaante preteugo. Sala das commissoes 8 de
abril de 1870A. Paulino.F. de Figueira.
Cavalcante de Albuquerque.
A commissao de exame das posturas munici-
paes, depois de examinar com a devida attengo o
projecto das posturas addconaes da cmara mu-
nicipal da villa do Brejo, e Ihe parecende ellas
regulares, de parecer que seja approvado o mes-
mo projecto, depois de discutido. Sala das com
mssoes, 8 de abril de 1870./.' F. de Ges Ca-
valcaute.Antonio Paulino.Barros Wanderley.'
A coramisso de posturas das cmaras muni-
cipaes, tendo examinado attentamente as additvas
da cmara municipal da villa do Baique, de pa-
recer :que sejam ellas approvadas sem modifi-
ca gao, ou quaesquer alteragoes, depoij de discu-
tidas. Sala das commssdes, em 8 de abril de
1870. Antonio Paulino.Ges Cavalcante.Bar-
ros Wanderley.
A commissao de exame das posturas munici-
paes, tendo cuidadosamente examinado o projecto
de posturas municipaes apresentdo pela cmara
de Granito, e achando ellas de conformidade eom
as leis que regrrtam as attrihuigoes das cmaras
muncipa.'s, de parecer que seja approvado o
referido projecto, depois de. discutido. Sala das
commissdes, 8 ere abril de 1870/. F. de- Ges
Cavalcante. Antonio Paulino. Borro Wan-
derley.
A commissao de commercio,. agricultura e
obras publicas, nao encontrando- bases seguaras
sobre as quaes poss assenlar o sen parecer sobre
a petigo de Antonio Carvalho dos Santos, precisa
que, com urgencia se pegam in&iTinagoes ao Exm.
Sr. presidente da provincia o que requer. Sala
das commissoos, em 8 de abril de 1870:.dfttoiu
Pauliuo.Felippe de Figueira.
Ficam addiadns os seguintes pareceres^,o primei-
ro por ler pedido a palavra o Sr. Gusmo Lobo, e
osdons ltimos, por ter pedido a palavra-o Sr. 6.
de Druoimond :
t A commissao de fazenda e orgamento tendo
examinado com a devida attemjao o* documentes
juntos petigo em qne Joaquim Manoel da Cos-
a, solcita des assembla urna indemoisago pe-
los prejuizos que Ihe causo a cheia- de 14 de
margo de 1869, as obras da ponte sobre o rio
Massangana, de qpe era arrematante; e confor-
mando-so com a opinio do director das obras pu-
blicas e inspector da thesouraria provincial, que
reconhecen ser de equidad semelhaote indemni-
sago; do parecer : qno seja ella concedida na
importancia de 6:006**0, segundo o orcamento
feito pelo emprezario encarregado daquelt obra,
marcndose a respectiva quota na lei do orga-
mento. Sala das commsoes, 8 de abril de 1870.
J. 3UU Reg. >
i A eommiso de exame das, posturas munici-
paesy examinando attentamente-> projecto de pos-
turas, apresentdo pela cmara mnnieipal de Ca-
brob* de parecer que elle seja. approvado, seedo
apenas snpprimid* e art. 31 do mesmo projecto,
por entender a cowmisso qon o referido artigo
envoive nma grate restriega ao direito de pro-
priedade e vai de encontr ao preceito criminal
que so torna responsavel o deliqoente pelo damno
causado, e nao outra pessda que nao concorreu
directamente para a perpetra?*> deste crime, co
mo dispoe o mesmo art. 31 do projecto, depois de
disentido. Sala das commissoes, 8 de abril de 1870.
J. F. de Goet Cavaleamtt.Antonio Paulino.
Barros Wanderley*.
A commissao de exame de posturas, repre-
rentagdes o negocios das cmaras municipaes,
lendo e examinando attenla e escrupulosamente a
representaeao da cmara municipal da villa de
Garanhons, e convencendose de serem argentes
e indispensaveis as medidas e providencias recla-
madas, pela dita cmara, de parecer, que'na lei
do orgamento provincial sejam votadas qnotas : i*
Para constroooao de urna nova cadeia na villa de
Garaonjans, fcndendo-so qne a existente acha-
to armiada da modo a nao poder ser reconstruida,
Manado aviso de diversos engenheiros. enviados
tpeja presidencia para o fim do examina-la. 1* Pa-
-V
> justa e attendivel, pelos
iresenaxgo da
BBVISTA DIAEIA.
PRESIOENCIA DA PROVINCIA.Hontem as-
sumi as redeas da admioistrago da provincia o
Exm. Sr. deserabargador Francisco de. Assis Pe-
reira Racha, Io vce-presidente; por ter de seguir
amanha para a Parahyba o Exm. Sr. Senador
FredericB de Almeida e Albuquerque.
ASSEMLA PROVINCIAL. Nao (unecionou
hontem, por falt de numero legal de membros.
NAVIO ENCONTRADO.A barca ingleza Aflfe
Scotl, em sua vlagem de Liverpool, fallou : a 17
do passado, na lat. N. 26* 7' e long. O. de Green-
wich 21" 46" com o brigue inglez Havarre indo de
Cardiff para Montevideo, com 22 das ; e a 13 do
correte, na lat. S. 6" 39' e long. 30* 14", cora a
barca Bogainville, procedente de Montevideo.
PASS AMENTO.Deu alma ao Creador, no dia
14, o Sr. Francisco Paes Brrelo Lamenha Lins,
amanuense da secretaria da assembla provin-
cial.
BATALHO DE VOLUNTARIOS.-Realisou-se
na quinta-feira a dissolugao do batalhao n. 30 de
voluntarios da patria, fazendo trates disso a entrega
da respectiva bandeira ao arsenal de gnerra.
JUIZO ESPECIAL DO COMMERCIO.Acha-se
no exercicio interino deste cargo, por haver sido
nomeado desembargador o proprietario, o Sr. Dr.
Manoel Jos da Silva Neiva.
i^smvOfXa-ouju uu- i i *-nfrn mu faL
adiado para o dia 22 do corrente o concurso asea-
deiras de instruego primaria do sexo masco-
lino.
TRANSFERENCIA DE BANDEIRA.Hoje pelas
7 horas da manba, com o mesmo ceremonial exe-
cutido por occasiao da transferencia da bandeira
do batalhao 33 de voluntarios da patria, ser le-
vada a do 30* corpo.
ANNIVERSARIO.Terga-feira (19) completa 62
annos de idade S. M. Napaleo III, imperador dos
Francezes.
DIPLOMATA. bordo do vapor americano
North America passou para o Rio de Janeiro o
Exm. Sr. conselheiro Joaquim Mara Nascente de
Azambuja, enviado extraordinario e miaistro ple-
nipotenciario do Brasil, no Colombia.
DINHEIRO.Os vapores americano Vorth Ame-
rica e brasileiro Potengi trouxeram as seguintes
quanlias para os Srs. :
Augusto F. de Oliveira 4 C. 50:000*000
Vianna & Guiraares 7:0003000
Pereira Vianna & a 4:8005000
S Leito 4 Irmos 4:1005001)
Jos Luiz Goncalves Ferreira & C. 2:6O9000
A. Alberto de Souza Aguiar 2:0005000
Martins & Leopoldo 1:7005000
Mendes & Coelho 1-664*000
Francisco Vieira Perdigao 1:1465'XX)
Caldas &C. 1:0005000
Jos Luiz Ferreira da Costa 1:000*001)
Fraga & Rocha 8005000
Cunha & Manta 595*080
Silva A Alves 5505000
Oliveira, Miranda & C. 3025000
Fernandes & lrmo 500*000
Manoel Alves Barbosa 330*000
Alheiro, Oliveira 4 C. 250*000
Bekro, Oliveira 4 C. 130*000
SANTA CASA DE MISERICORDIA. A sessao
mais proveito, pregn por espago de 14 das na
villa de Goyannmha e d'aili regressou villa da
Penha, onde jghavia missionado, alim de tratar
da coostruego depura magnifico templo, cajo pla-
no elle mesmo tragara, ajudado pelo digno vigario
da freguezia o Rvd. Manoel Januario Bezerra Ca-
valcaBte.
. A obra esta v em andamento at as ni timas
noticias que chegaram a esta capiul.
t Em Goyannmha a misso nao colheu todo3 os
tractos desejados, parque a. pz elpquente e pode-
resa do Ilustre mis-ionVio foi impotente para
converter alguns ignorantes e obstinados poten-
tados.
Os festejos pelos ltimos triumphos alcancado*
na guerra e pela paz continuaram al o dia 6 do.
corrente, em que so celebran um solemne Te Deitm.
em aegio de gragas ao Todo Poderoso pelo termo
honroso do terrivel flagello.
A este acto conipareceu o Exm. presidente,
assim como grande numero de cidadaos.
A commissao para tal fim nomeada, compost
dos Drs. Espinheira, Gomes da Silva e Octviano
Raposo, desempenhou cabalmente a sua misso.
A cadeira evanglica foi eccupada pelo Rvd.
=pafre Francisco de Paula Soares da Cmara, enjo
discurso esjeve na altura do importante acto, que
se celebrava e dos acontecimentos que o determi-
naran!.
S. Rvma. para maior realce da feta e para
que nada faltasse ao bello triumpho, que obteve na,
tribuna sagrada, acaba de, declarar aos membros
da commissao que o sea sermio o sea bolo da
festividade e que por tanto nephuma retribuiga
quera pelo seu trabalho.
Na noite. do mesmo dia grande numero da
pessoas reunidas na casa do capito Jos Antonio,
Praga da Alegra, com urna banda de msica,
festejaran) ainda os ltimos acontecimentos.
< Nessa occasiao a par de vivas entusisticos,
os Drs. Gomes da Silva e Henrique Cmara, toman-
do por varias vezes a .palavra, fizeram brindes i
S. M. o Imperador, S. A. o Sr. conde d'Eu, ao
duque de Caxias, ao general Cmara, ao conse-
lheiro Paranhos, aos soldados braslleiros, todos
os defensores da patria.
Chegou esta capital remettda pelo subdele-
gado do dislricto de Jeric, outr'ora Mellio, a r
Virtuosa Marii dos Prazeres, all capturada por
ter ferido gravemente a Joo da Costa Andrade,
3 supplente do mesmo subdelegado.
0 Sr. Dr. chefe de polica devolveu a crimino-
sa para o dislricto da eulpa, aflm de assistir a for-
raago do respectivo processo.
Por actos de 5 e 6 do corrente o Exm. presi-
dente, sob proposta do Dr. chefe de po.icia, conce-
deu a demisso que pediram Joaquim Luiz Fialh;
e David Manoel da Silva Leilo, aquello do cargo
de delegado de polica do termo de Port'AleaTe e
este do do subdelegado do distrelo de Govanni-
nha.
Para substituir ao segundo foi nomeado o ei-
pMne SOWMnW*^^^
Ojnverno contina copioso e abundante.
Nao ha rio no sertio que nao esteja replectn
Fallaceu no da 5 deste mez o chefe da 2" sec-
que devia ter lugar na quinta-feira 21 do corren-
te, celebra a junta hoje por ser aquello dia impe-
dido, em virlude do Te-Dsum que manda cantar
a cmara municipal desta cidade em aegao de gra-
tas pela feliz lerminago da guerra.
EM TRANSITO.Con dous recebidos em nosso
porto, levon o vapor americano JVorta America
para o sul 11 passageiros.
FEU1MENTOS.Na tarde de 10 do corrente, no
lugar Carop a Grande, da freguezia de S. Lou-
renco da Malta, passando Gabriel CarapeModa
Costa por casa de seo genro Francisco Baplist da
Costa foi por este insultado, travando-se ero segui-
da ama lata da qual sahir-am arabos ferios, esie
coa tinas facadas e aquello eom um lito e duas
faeadas. Constando a Paulino Campello da Costa,
IHho de Gabriel, que seu pai linha sido assassina-
dcv tomou este ama espingarda para rar a des
forra; ao approximar-ee, porm, da casa de Fran-
cisco Baptisia disparoo-se Ihe casualmente a arma
indo a carga empregar-so em sua irwa Joanna
Mara dos Prazeres, ntulher de Baptista. Os de-
Unquentes foram preso e vo ser processados.
SOCIEDADE TEfUrSlCHORE.Esta sociedade
recreativa, possuida de jubilo pelo acabamento da
guerra do Paraguay, e desejosa de manifestar sen
immenso regosijo pelas gloras all colhidas pelo
Brasil, envida lodos- os esforgos para tornar lio
brilhaute qnanlo possivel fr um soi're daasanle
que d nos seus saldes em a nolte de 24 do cr-
reme.
AGUAS PLUVtAES.Seria conveniente qae se
procurasse dat escoameoto s aguas ploviaes ac-
cumuladas ltimamente em algumas ras dos
bairros de S. Jos e Boa-vista, de forma a facilitar
o transito por ellas impedido
JURISPRUDENCIA.Sob este titula damos hoje
em nossa 8' pagina, urna supplica dos Srs. desem-
bargadores do tribunal da relago da corte Cae-
tno Vicente de Almeida e Venancio Jos Lisboa,
dirigida ao conselho de estado, sobre a forma do
julgameato de um feito pelo supremo tribueal de
justiga.
POTENGI.=Esle vapor da companhia Pernam-
bucana chegou quint-teira do Acarac e portos
intermedios, n>) adantndo noticias do Ceara por
ter sabido ante do TocanJins.
Da capiUl do Rio Grande do Norte eacreve
notso correspondente, i 11 do crreme :
t Nao Ihe fallei ainda da missao do Rvd./re
Serafim de Catania, que tantos servigos em diver-
sos terapos ha prestado a esta provincia.
c O Rvd. missionario, cuja illustragao e conhe-
oimento pratco dos homens e das cousas dest
trra ajuntm a seu bello talento mais bnltao e
Sao da thesouraria de fazenda desta provincia l'bal
ino Jos da Cruz, dexando ao.desamparo e em
completo abandono sua pobre familia compost de
filhas mogas.
t Os seus collegas de reparligo possnidoa do.
raais puros e caridosos sentimentos cotisaraaa-M
entre si, enterraram o finado eom decencia, e vio
transportar a familia delle para a provincia da
Bahia.
a No ultimo de marro exista na tbesonraria de
faienda um saldo de, 336:407*635.
i Durante o mesmo mez a alfandera rendeu...
36:894*275.
Nos das 1, 5 e 6 do crreme 8;I98*489.
PROTESTO DE LETRASO eterivio dos pro-
testos Jos Mariano est de semana, roa de San-
io Amaro n. 20.
LOTERAA que se acha venda a 144*, a
beneficio da igreja da Casa Forte, a qual corro
quando se anaunciar.
PASSAGEIROS.A escuna portogoeza Dhs.
entrada deS. Miguel irmixe os seguintes :
Jo de Medeiros Correa. Bento da Ponte, Arto-
no Caetano de Oliveira, Francisco Jote do Aakaral,
Jos de Souza Valente e iua muiher M..ria do Ro-
sario, Marianno da Ponte, Manoel de Medeiros Mon-
ra. Francisco de Rezendes Clemente, c Jos Bo-
telho.
Entrados da Granja e portos intermedios ac
vapor Potengi :
jeronymo Jos de Carvalho, Jos Cosiabeiro. Joa-
quim Aureliano Rodrigues, Franrisrr Dnmiapa
Correa, Bento Jos da Cost, Jos Baplisu Goncal-
ves, II. T. Grangeiro, Joaquim R' drigues Finio J-
nior. Francisco Ribeiro da Cosa VasconePos, Ba-
noel da Silva Ribeiro, nm filho e urna criada.
Raymundo A. de Olifeira, Manoel Joaqnim de
Almeida, Manoel Bastos de Aranjo Lina, Thnsia:
Teixeira Bastos e um criado, nm esrr^vo nV Ma-
noel M. de Oliveira B-, Francisco Pinto Tetxer
Chaves e 7 escravos a entregar.
Entrados de New-Torck, S. Thomaz e Para.
no vapor americano Xorlh America :
David Sarrat, e Antonio Jos l^xireiro.
Sabido no mesmo vapor para o sal:
Pedre Telles.
CEMITERIO PUBUCO.-OtHtnri do ** 13 de
abril de 1870.
Marcos Ferreira da Silva, Perneaba, m-
nos, casado, Santo Antonio; feacalo.
Mara do Espirito Santo, Penumbra, 39 aanwr
soltetra, Boa-vista ; escoslose no traaei.
David, frica, Su- annos, soiieiro, en-viet; ta-
bre ivphoide.
Luilovico, Italia, 36 annos, soJteira, Boa-vea;
anazarca.
Olympia Mara da Conceieao,
annos, solteira, S. Jn; gastro iatente.
Rosa, frica. 11 anuos, solteira, S. Jos ;
rhagia pulmonar.
Mana Joaquina da Coaceico, I
annos. vinva, Sanio Antonio;
Jos, Pemaroboeo, 3
soes.
Martiniaao, Pernamboca, 161
nio; anaaarea.
Flora, Pernambuco, ?i
pessia.
Mara da Cooceioio Carvala,
annos, solteira, S. Jos; pbtytie |
Josepaa Maglaleaa dos SmiHi, I
annos, solteira, Boa-vista ; phtysiea.
CHRONICA JUMOIUL
TRIBVMAL WA REJL,%V
SESSAO EM 12 DE ABRIL BC 110.
RKSIDSKC1A DO KXH. I
SAirrufio.
As 10 horas da manhaa,
bargadores Gilirana. Lonreaep Sai
Albuquerque, Mott, Asa, Dara,
Silva e Souza Leo, tallando aa Sr*.
doras Guerra procurador da carea a
Cost, abro-se a aaati
Pastados os (eilos, m
laealot: _,_
Rbcursos CBiaas.Reoeorreate, a
ridos, Antonio Jos Barbosa a
Sr. deserabariador Ahacida
des os Srs. deaaiaarfaaofa
Leao.IraDrooedaaH, B4ttarfiaaa, a
tUTTI

1


*

"-
GT8I 3p JI88* 30 fl 03KIM0G Dii d. Vernamkuc -Domingo 1? de Atril de 1870. .28 OJR JH JifJX 0HH1
--
:nie, are o iiceuc*-
ambj^pbieve ait
rala? sua sa>*7
din, para aura-
corrido. Joao Mondes Ferrera do Xsciaarrte.-I*.1mereeu lavan i teaeata, toadas ado o pos-
lator o St .desembargador Molla, sorteados os Srs. to de capitao, depois do sea brilhantt comporta
desenibarfidew Soma Leai, Almeida Albuquer- meato aas -heroica batalhas e cmbale, quejitas-
trar.ara.esse periodo da desastrosa, guerra,
< O joven e bravo general, o conde d'lu, centi-
nuou, comO os sus preo'ecssores.'a tr no me
Ihor conceHo o capilar) Oliveira Santos, -que sem-
pre acompanhou-o comoissisterite, at o licencia-
mente dos v
licaaea de tres ovaas .
deteriorada n'aquelte nesti|rn Alina, para
car os seo prente e arr
Bale neeso consarormclaaa lomou parte na s-
guatos batalbas e combates, alen de outroe
ni altos recontros minos importantes : S4 de maio,
16 18 de jucho do 1868, abordagem dos exoa-
ra dos em frente de Tai, conmate da ponte de
lutot, batas do Avbyrem 11 de dezemhro, 81
i 6 e f P,as Lombas Vajentlras,Jentmm
de .-\ngustura, ataque e asslto de Pirraebuy, a n
de agusto ejatalha do Campo-Grande a 16 du mes-
mo mez, em 1869. Ornam-lhe o peilo a madama
do mrito militar, a da campanha rtenlT e os
hbitos de Christo _e da Jtosa. A sua fe de offlcio
um documento tionrosissimo, Tle que elle pode
ter o mais legitimo orgulho. >
A 'vista dest.i noticia turnase desneeessario ac-
crescenlar mais alguioa cousa.
Receba pni- o capiao Oliveira Santos estas li-
nhas, como signa I do aprec era q;je o temos.
Recife, lde abril de 1870.
Atguns marafditntfi o oouuntrcio.
que e AsiJ;-4nmrocodeote.
AaciiATO.i| tjrrigXo.Aggravante, Anlonio por
seu crate; aagravado', o jauto.Relator osr.
dweubargaOT Phtirana, torteados o St. desem-
bargadores Assis e Motta. Deram provimen-
to. Aggravante, l>r. Jaaapim J s^-t! Fon
aggravado, o jnizo.>ffelaua o Si de-ejBhargajdc
Domingues da Silva, anrttos o* Srs. dasem
fiadores Motta e Almeida Alfeuqueique.Deram
provimento. AggrW>e, Manuel Jos da Mo'"
aggravado, o juizo.Relator o Sr. desembarga.
Souza Lelo, sorteados o Srs desemnarpdiB-es
Loorenco Santiago e Almeida AlfcuquerquO.Jao
caso de aggravo.
Ai'PELLAgESnRiMRS.Appellaeje, JosFrantis
o Carneiro Moateiro'; aggravada, a. urtca.fm
procedente. Appellante, FranciscoLlffz Paes de
Alinrida ; appellada, a ju>tica.Reformada a sen-
tenca. Appellante, Luiz Jos Maranhao; appella-
da. a justica.Reformada a senlenga.
Rabeas corpus.Concederam ordem a Jos Be-
zerra da Silva a Joao Fructuoso dos Santos para'o1
dia 30 do correte, ouvidas as autoridades.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
eitos:
AppellacSes crimes.Appellante, Jlo Flix dos'
Santos; appellada, a justica. Appellante, o mizo;
appellada, Paulina Jixepnina Club. Appellante,
Antonio Correa de Almeida; appellado, o jui-
co. Appellante. o juizo; appellados, Antonio Jos
de Soma o outros. Appellante, Jes Francisco
Cainojro Mrnteiro; appellada, a justica.
Afpmxkg.o am.Appellante, afazenda; ap-
pellaao, Antonio Norus Sinimbd.
MSSAGHTW.
Do Sr. desembargador Gitiraaa ao Sr. desem-
cargador Guerra.Appellaeao civel: appellantej
Ouuntino do Hollanda Lima ; appellado, Jos Pa-
cifico da Costa Caraco.
Ao Sr. desembargador Lourenao Santiago.Ap
pellaroes crimes: apelante, o julso; apelado, Joa-
qum Caxoeira. Apnollanje, o promotor; appellado
Aatoiio Jos das Nev*. *
Do Sr. desembargador Courene<> Santiago ao Sr."
fcseinbanrador Almeida Albuquerqae.Appolla
cao civel: appellantes, Silvano Jos de Carvafnoe
mtros ; appellada, D. nachel de Souza Lima Cv
valcante.
Do Sr. desembargador Almeida Alhnquornue ao"
Sr. d'semhargador Motta.Appellacio civel: ap-
pallante, Joaquim Salvador Possoa do Sequeira
Cavalcante; appellado, Jos Domingues Maia
Do Sr desembargador Motta ao Sr. desembar-
gedor Assis.-Conflicto dejunsdico entre os jai-
zes de orphaus, municipal o de direiio do Re-
cife. -
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Reguera Co-*ta.Da de ft
parecer: apiiellado. Jos fluedesNogueira; appel-
lante, lesd Antonio Pacheco.
Di Sr. desembargador Souza Leo ao cr. des-
einbirgador Gitirana.Appellacio oivj: appel-
lante, Miguel Francisco da Costa Machado; appel
lada, D Anna Joaquina Xavier de O i lo.
Demgemcia gnjk.Ao Sr. desembargador pro-
inoior da ju-lica : appellante Luiz Antonio da Sil-
va; appi liada, a justica. Appellante, o juizo; ap-
nHlJnl'". Maql FranVisco da Costa. Appellante,
Domingos Mximo da Trindade; appellada, a jus-
tica. Appellante, Joo Francisu3 da Silva; appel
lada, a justica. Appellante, o juizo; appella lo.
Ricardo d'AsMimpea -ima. Appellante, o juizri;
.ippellado, Elenierio los Bezerra. /ppellame,
JoS'i Pereira Barbosa ; appellada, a justica.
Delicbscia nvKt.Ao Dr. ruradnr genjl: ap
pell.tntcs, Sebvto Jos Gomes Penna e outros
ippelladas, a< menores Maria c Joanna.
A' 1 hora da tarde encerrou-se a sessao
Associaco brasikira da seguros muaos. -D'0 dfl /Mejroj djas, brigue brasiieiro isabti.
ceml-
t caaiara uauuiei|>al o
Srs. redactores. Kao cJrnmetlcrei a impru-
dniiia j| deixar formar opinio por generosiclale
mal entendida, ou por covardia vertpnlioia, que
me pode i ivulver ca dillleuldades serias, que
compra combatter e iuvidar esforeos para eneer.
Tenninei n,inlia correspondencia publicada ees
sen eonceituado Diario t Pfrnambuco m. St do
correato auno, acerca da qneiio susciud, na
cmara municipal, relativa as dimeaedes Icgae,
que devem guardar os tmulos consumidos no
oemiterio publifo. afiirmando a exieleucia* de
urna 3* planta do rsferido cenriterio, apreseatada
pela archile -.to Andre. fJHllmosr appruvacao cmara aos *J de ouWbro de 1831, p.r esta ap-
provada^is 91 do referido mea, e pcio presidente
la pojtlncia le agio o Exm. Sr. Vietoadvi-
voira sos i ,i, dito raotl anno, >compHn1ir
do seu alario oaxa a conAruecao das ejtaVimeM
as ruar*oflrlceado algumas modiflcac^! T
planta > supracitado cemiterjo publico aapro-
vada polo Exm, Sr simadjc Souza Ramc*
tT da^merco m 18.' grecao.^aiiipfcirica, nem" mesuw contra a.'
larW^d^e eaRuiria das ras e pracas projectlBa*
0*n ajprionide de seu permetro, cuja con-
s.-rvaco e ponnanenria da tragado aura I. loi viva-
mente recommendado pelo Eiw.fr. Victor de
Olivcira. se bein me recordle talve consten* lla-
mara do efBcio, em que S. Ex', tkva sua apprt
vago aesse tiaballio do ajKhitecto Andr Wiljine/,
devolvendo"-o' i'cainara, imlnicipal ;
gad o.se acha decidida em primeira e segnada ins-
uncia e unnimemente, por juizes competentes e
roa do ltoriugar que oceupara, leus clamores
VMM.
0 que dolencia, o que flffmatada kmeura,
pretenderes, yilao imnundo, o senhorio te pro-
priedad qne h5o la. Toma leus cacos, arru-
ma-os a ra, e tu obra cora elles, desdo qoe nao
achaque te eonfle uam cam para atoay.
Se aao Wt easa em propda uem aleada,
como tens estabeleciajeMo ?
A pelicia deve teripuiiado can um aliado,
Sue bern pode jogar padradas, para faze-lo reeo
ler aq competente hospicio, porque so atiesado
d|ria, que uas cacos velis e sem presumo, po-
dem vagar aris contos de res.
Perdaateo teu paJriBJw, meu Ifrapio, chora ia
cama cjae lugar quanie.
O oifcoa.ai Irigiuirte.stpkmjsto,
Bruxellas da F.
l^teetorf das Familias,
3E
6 da uWnwporto, vapor americano North Ame- &%- Ra do Padre Mariano.
sobre a vida, approvada por decrelu do
govorno imperial de 43 de jonbo de
Gerida pelo banco rural e hypothecario do Rio de
,i"'.'. Oneiro.
Essa associarao caminha as vias de prosperi-
dade, uto sem os entrares abronles eiupmas
novas.
Em 31 de deumbro d > 1868 tinha effectuado
8ia aisociau $3 contratos.
Inscripto um cipjtaj oV 8,012:10i>890.
Capital reaKsado a convertido eor apoljces d4
divida puWca uac.ioaaj de 6 0/0 :U3i:7OQ*Q0p.'
At 31 de dezembre de 1860 fnha effectuado
*>sa auociatiw 77^2 contratos.
Iuscriplo um; Capital realsjdu e-. convertido eni aoolices da
divida poblifana^iQual da. 6 0/p 3vJ74:700300l>.
Para, mais ec|areciumblos dirigir.se-lvio ao
, t'serlptcrip dessa e^oojac^ft rua do Livraraejito
n. 19, Ir andar.
* agenU.
Ifarcigo Francisco de VidSi.
rica, de J0O0 toneladas, commandapte Slocum,
e<|uipagem 68, carga differeOtes gneros; a
Henry Fosters k C.
Ilaceid2 das, hiato brasiieiro Den* t guarde.
de 96 toneladas, capitao Maooel Caetano da
Costa, equipagem 9, em lastro; a Bartholomeu
Lourenco.
mos takidos ao numodm.
gaelon*4umaca hespaobola Guadalupe, caa.
lo Mama Lleraonia, erga algodao. ^^
Liverpoolbarca ngleza G*zel\e, eapitie A. Par-
lar, carga assnear e algodao.
S. fbomaiBrigue inglez /. B. 8., capillo R, B.
woltri, am lastro.
Rio de Janeiro e BabiaVapor araerieano Norlk
America, aommandante Slocum.
Observaco
Suspenden do lamarao para New York a, k(*
ingleza indo, capitao Carmechal, com a mesma
carga que trouxe de Maatovidep.
SO dia W no houreram entradasoen ahia?.
iValn'or entrados no ia 8
PUBLICACOES A PEDIDO.
Coimiiwitus ih brtti explectl
lempore mulla.
Sab. cap. 4:
U uao existe o Exm. Dr. Braz Florentino Kenriquos
Je SOUM!
Ataca.11 de urna congeMao crebral na manhfu
doJIO do marco, na cpital da provincia d> Mar
ola \ cuja administraca > llie tinha sido confiad,?,
a Urdo ja a dura parca liaba corlado o fio iaquella
ref k>t exi3tcn:ia. ._
vincia da Paraliyba un dos seus mais Hlostres
i h'% o paiz um de seus mais prestrnosos ci U-
daba, a Ficuldade urna de >uas peclas, a srinnci.a
um de sf-us mais dedicados cultores, a rcligio um
de seus dedicados filhos, sua excellenti>*iiua fami
lia o ehefe mais compeneirado da seu* ver*,
sua illu-trc mil um fllbu exlremecido, seus irinaus
mn irinao extremoso, e seus amigos um amigo,
i* am'yo sincero,
No curto espaco do sua vida enobreceu a pro-
vincia, que o vio naseer, presten fltf\ o uliinxt
:.; meiii de sua vida, relevantissirnoiijaervlcos ao
mm paiz, r com|ienson a Faculdade o flulo scien
i.lico. que lie conferio, escreveu diversas ibra*
scicntilicas, prtstou a mais completa obediencia a
igreja ciih- lica apostlica romana, segaind en-
>inaalo seus preceites, publicando diversos escrip-
tus relativos, dos quaes o ultimo foi a Kfcir Acad-
mica. IT-recula cm 18GS Virgein di'Bm-Con.se-
llio, em nome da respectiva irmandade, de que fez
amiipre parle, e lucou sua familia nos >aos princi-
pios da religio do Cruxificado, e nos da mais saa
mural, cercou sempre sua Ilustre nrai do mais
pri.fondo respeito, dispensou a seu< irmaos o
iftater affecto, e presten amisbde um verdadeiro
coito.
A infausta noticia de seu prematuro passamento
foi-nos du lataenle sen-ivel. j pela dr, que nos
can on a perda de lao preciosa existencia, j pela
orpreza, visio nao termos sciencia do curto perio-
do de sua cnl'jnnidado.
Ni4 iinpossibilidade, pois, de do-folhar orna sau-
dade <->bre a campa de tSo prestimoso cidado e
caro amigo, que tio longe se finou, Iributam is
sua memoria urna sentida lagrima, e acompanhan
do saa illostrissima familia no juste pezar, que Ihe
occasion formar-se com os altos decretos da Providencia,
que se aprouve chama-lo ao seio do Creador, mo-
rada dis justos, na conlanca de que, se foi pre-
matura a sua murte, no curto espado de sua perl-
rina;o s.bre a trra, prehencheu dignamente
todos os de veres de hora cjdado, sob qualqtier
aspecto que se queira considerar:
i.oii-n uatn-. in brevi explevit terapore multa.
Recife, lo do abril do 1870.
Luiz Emigdto Rodrigues Kioniia.
O ali.iixo assignado, tendo de partir para
a i^r^hyba, no dia 18 do eorrenta, seguin-
do d'ali para a corte., e n3o tendo tido lem-
pn para pi ssoalmnto cumprimentar seus
aflajfns, c a lodos os st-obores que se r%-
ii.-taru de visita-lo, peda] a lorus perdi
por semelhante falla, e marMfeslando-IIU's
os sen agcadeciraealos, Ibes offercee o seu
aoanhado prestlmo na corle, ou oade qner
qoe so acbe.
Recife. 16 de abril de 70.
Frederico de Almeida e Albugwrqiic.
Um ottelal divinlo
Da passagera para o Rio de Janeiro, no vapor
Tocanlint estove uesta cidade o capitao de arti-
maa satvia Joaquim de Oliven-a Santos, dmo
da provincia do Maranhao. Este distinelo eff rial
merece ser conhecido aesta provincia, por; Unto
no-, os seas patricios, vimos dar ilie nma prosa,
do enaceito em que <> teans, por mein da impnra
ka, a ao mesrao lempo fazo-lo ctinhecido, appre
senundo-o como um dos oflkiaes que mais tem
servido ua pairia.
Para seu elogio, bastar tran-crever a noticia
que. .Me deu oJ? quando o capkio Gliveira Santos foi visitar soa
fmijti.
O capitao Otitelra Santos foi para 0 R!o de
iam no ha U aonos, tenio 14 do idadfl, c agora
),! deiMi de ter cmcluWo com distinccao o
corso J; sua arma o de cinco gloriosos annos do
ra:npanlia.
Matriculando se na eseoli/nihar em Ifldf,m
1161, preatados os villimos exames e j no posto
tenante de ariiiharia, marchou tiara a cam-
panM do R-udo prabtati
Terminada aquella campauha, f dos priaiiros
Te eorreram aos camps* pai'oyoa para/ Ves-
poader s provocacoe> do dictador d'aquelie osta-
'.", e all estove at d^-mbro dd l0U.
Rstevj era campa aba no exnrtite 4. ganara*
Osario, a cajo qaarlel goneVal Heon annexo. 6
lnstre general, apreciando o sea raereeimento e
iir/icos, concofreu par saa promovi a l.o,.e-
nento e o noraeou assistente do ajadantc general.
Sob o commando do duque de Caxias nada des-
icipal ; porem, rclali
van 9 ao destino Bn terreaw ^ajprfadof em o
los mpfos do ce/ifaVlo" para ous -
tfaccao de catacumbas, regularisande ua (dis
trinicap cmara, e as rnjandade?, e crendo
novos terrenos para esse royster, estabelecenao
igualmente regularidade em sua partilha.
E se assim nio fura, com qne autotidade a c-
mara (mstruio para si, o deixou as irmandades
construirera catacumbas as ras parellelas aos
rauroR t
Fui do plajip. de cataqupibas cqmpreuaqdjdo
n'esta planta, que por vezes vi e exaipinei as raaos
dos memoro* da commisso encarrgadados ne-
gocios concerpeotos a,o ceinitirio publico, cujas dj-
inenucs eraui de 9 palmos sobre 1,5, lendo as
dos ngulos 11 palmos sobro 15, que deduzi ra-
soavelraente que, os tmulos deviaifi ter ao menos
12 palmos sobre IS", iespeito das do art 21 do regulamento do cemiterio- prestar-
se talve'z mais exageradas proporgdes.
Recorto me at que esa planta e plano eslava
dactada e r bricaria pelo secretario da cmara de
"ento o Sr. Dr Joo Jos Ferreina d'Ajtui.ar, para
cuja memoria e inparuialidade apuejip coiu con-
fia ac, bein como para a do arclnleclo Andr
Willmer, que me consta, existir na provincia du
Alagfr s.
Portante a publicaba) da descripelo gcral do
cemiterio publico,"feila era seu Diario de Pmiarn-
buco n. 72, por ordam da cantata municipal,
remetida imsma corucuacao em tessao de 23
no Fnseca, tomando pi r base a planta appriTada
aos 18 de marco de 1851, pelo Exm. Sr. Souza
Ramos, parece, superficialmente considerando, im-
portar virtualmente rom um desmentido formal,
s minhas a-serc'esa respeito; porem, se consi-
derando com .-'alna o rellexo, se depreheudo
fcilmente, que ella se reporta com individuagao |
parte, propria e verdadeiramente geomtrica do
Iraeado do cemiterio, so ocoupand) apenas dos
terrenos dostii ados para as sepulturas reserva-
das, para_ as sepulturas de escravos e para as
sepulturas em comnun o > dos pobres, o das
catacumbas encostadas e arruinadas aos muros
do cemiterio, cujas dimeosoes nao prescreveu,
lendo precisado convenientemente as das sepul
turas reservadas.
Nao contesto a exactidio desta deseripcao
geral na parte verdadeiramente geomtrica do
tracado, porque e=t de accordo com a da planta
approvada p-lo Exm. Sr. Victor (POliveira, que
nao medtflcou sensivel e vislvelmente aquella,
se nao em consignar precisamente a distribuicao
dos terrenos destinados para catacumbas em
roda dos muros do cemiterio, creando aovo*
terrenos para catacumbas as roas parallelas
aos muros supracitados, regulando as dimens s
respectivas d'esa coustniccao, deixandu o mais
era vigor, conforme plaa approvada antece-
dentemente pelo Exm. Sr. Sonza Ramos.
Repito, se ella leve por objeclivo ferlr-me, errou
o alvo.
A innlilidade e improvidencia dessa publicacio,
rae parece, evidentemente manifest. "
Se ella indica mais alguma cousa, parece-me,
ser denanciar de algum modo evidentemente
ausenc a do pericia e capacidade do engenheiro
da cmara, prejudicando igualmente o rdito de
um hbil e inteliigcnto secretario, porqnanto o
Sr. Dr. Aquino Fonseca, a quera consagro syrpa-
thia e consideraci-i de tenga data, ulcientemente
e-e'arecid e profundamente convencida por aaaaa
runecionarios publico, nio insistira mr corto,
em seu pensamenlo fixo, de fazer permunicer ex
elusivamente a planta approvada pelo Exm. Sr. se-
nador Souza Ramos.
Srvam essas consideraQoes de cimentar slida-
mente a su ida existencia da 3' planta do cemiterio publico
approvada pelo Exm. Sr. Victor de Oliveira, e de
mn protest i contra o effeita resultante d publica-
.cao supracitada da descrqxjao geral do cemiterio,
lendo exclusivamente por base a planta approvada
pelo Exm. Sr. senador Souaa Ramos aos 18 de
marco de llb'l.
Gimo digo, se a cmara municipal fez e con-
senlio fazer-se catacumbas as ras do cemiterio
'publico, que pela planta approvada pelo Exm. Sr.
;Soza Ramos nao t liste aquella edifica cao, c'aro
que hove urna tere*ira planta, ata a qual se
iiitorisou a cmara iiimiicipal qoella edificacao.
E o oio ha, com que antonsacao o fez ella f
Esmarei sobroaaode terminar essa discussaa
com a publiOBcao de ininhas p gentes reflexoes,
provocado, porem, apresenlar-me-hei na estacada
a sustentar um proposite.
0 engenheiro,
Antonio F. R. Setti.
Erratas mais saliente que convem corregir ao
arttgos de embaacos pujikcados no Dnirm de
Ptvmmbuco de 14.do correntf na 2* pagina 3* eo-
%4ia>aa, lei, leia-se ojo. f
P piragrapbo, I rafias 7, ItgBtoo leia-se illtgi-
timi.
II paragrapho. linjiaa 9, querer leia-se quer ver,
2 paragrapho, linhas o, p sujeiteu, lease m-
'jeitou st.
2* paragrapho, liabas 8, slasse leia-se caoia.
4 paragrapho, linhas 7, arrestado, leia-se tw>
reta.
4 paragrapho linhas 9, do digno, leia-se dos do
igno. m
5" paaajraplio, lmha >, restringir, leia se tu-
tilmir.
3 paragrapho, linhas li, Trigpeiro, leia-so tri-
gwtro.
COMMERCIO.
ENGLISH BANK
Jf Rio 4e /^neiro Limited
Descoata lettras da
pra?a taza a
cen
encionar.
Recebe dinheiro era cootg, corrente hia
I raso ixo.
Saca vista oa a praso sobre as cidadf
jrlRcipaes da Europa, tem corresponden**!
ia Bahia, Buenos-Ayres, Montevideo. New
i New-Orleaos, e enjille cartas de crdito
ara os meamos lugares.
RA DO COMMERCIO N.
de 313 toneladas, capitao Jos M." Vanna, equ
paga 11, carga varios gneros, a A. L. de O.
Azevedo C.
RioGraoJedo sul-33 dia, patacho brasiieiro
JVotwj Sorte, de 184 toneladas, capitao Joaquina
Jos da fiiva Janior, atiipagem 8, carga SDW
arroas de carne; a ordem.
Liverpool3 das, bjiroa ipgteza ZeJora, do Bj7
toneladas, capitao William Evans, equipagem
10, carga vari genero; a Semp'son Brothrs
4C.
Cardiff 42 das, barca ingleza JessietScoU, de 3J
teueiadas, capitao LeSueur, cquipigem 12,carga
car*a>; a Welson ileiL
Trieste38 dias, escuna ingleza Mary Ana, de
144 toneladas, capitao WTam P. Quiek, equi-
pagem 7, carga loo barricas com fariaha de
trigo; a ordem.
liba de S. Miguel por Tenerife4Q dias do Io c 24
do ultimo porto, escuna portuguesa Djat, de
147 topeladas, capifio Francisco Jos de Melte.
equipagem 9, carga inilho e outros gneros; a
Joo da Reg Lima.
. Navios suidos no tnetmo ala.
MarseilleBrigue norte-ajlemo Corrtf, capitao
Vietin, carga assucare Jgodo.
BarcelonaPatacho hespaohul Luiza, capitao I. B.
Domenich, carga algodao.
CanalBrigue inglez Rttriece. capitio Davies,
carga a-socar.
Canal-Barca ranceza Merlinton, capitao Raz'
carga assucar.
MontevideoBarca americana Cosco, capitao Gard-
ner, carga assucar e agurdente.
Canal por MaeeiBrigue inglez Dante, capitao 1.
Ji zon, em lastrw.
MarseillePatacho austraco Elena P., capitao
l'eiraich, carga assucar.
..... n i i i i
ECITAES.
Casa terrea n, 43 : 171*080
dem dem n, 6*5. 247*600
Ra de Hortas.
Loja dosperadop. 41.....121*000
PATR1MG.MO DOS ORPHOS.
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 118......204*000
Primeiro ano* do%radqTl7 2e*e*00
I Raja do laafei.
Casa terrea s, 8......
Roa do Pilar.
Casa terre*.a. 102.....8
Roa da Upa.
Casa terrea a. 2. .....240*000
Os preteadentcs deverao apreseatar no ato da
arremataco |as suas fiaaeas ou cooparecerem
acinpanliadoa dos respectivo fiadoras.
Secrataria da Santo Casa da Misericordia do Re-
cite, 6 de atril de 1870.
O escrivao,
___________ Pedro Rodrigues de Souza,
loefreiro 9 -
tarab as aaajiiilcj ajadrbaa :
A linda qualrilhaGanbaldi.
A qoadrilha.--i*-aane.
A auadnlli
M0M
mm
-4*ela rocebedona do rendas internas se fu
publico que ne pruximo futuro, que os contnbuintes do imposto
sobre, industrias e profijsdea teem de paga-lo, li-
r* de multa, e que Ando o referido praso ser
cobrado com a multa de 6 OjO.
Reeebedorta de Pernambuco, 3 de marco di
1870, ^
O administrador,
Maooel Carneiro de Souza Lacerda.
>auta
4.* SBCCAO. SEBKTARU DA PRESIDBHC1A DE PEU-
.N.VMBUCD, 8 DK ADIIIL DE 1870.
Edita!.
D* ordem de S- Exc o Sr. presidente da pro-
vincia, e em curaprimuato de aviso circular do
ministerio da agricultura, commercio e obras pu-
blicas de 10 de margo prximo lindo, se faz pu-
. ico para conbecimente de quera iflteressar pos-
sa. o annuacio que voiu inserto qo Diaria Qflirial
daquolla dala, e qne abaixo se trauscreve cunvi
lando os expositores brasiieiros a apresentarem.
producto agrcolas a manufacturados para a ex-
pnsico, que tem de effectuar^e na cidade de Cor
dova, ua repblica Argentina, em 13 de outubro
do corrente anno.
0 secretario interino Elias Frederico de Alm-t-
u e Moqnerqne.
ALPANDEGa
tonoimento. do dja 2 a 13. .
dem do dia ii) .
36-
M6:79#578
22:073*339
MOVIME.m UA ALFAlfD^'
'ol urnas entrados cora fatendas
dem dem com gneros
128:842*937
y
''olumes sahido com fazendas
(dem idem cora gneros
13
13
136
308
------734
Descarregaro boje 18 de abril
Barca iDglezafwojHroercadorias.
Barca ingleza- Of/nda-mercaderas.
Patacho in lezCde mercaduras.
Barca ingleza rfff/smanfarinlia de trigo.
Brigue norte alb-maoilrfloplvora.
Galera inglezaerniione mercaduras.
- AfcCEBEUlllA DE KE.NDAS IKTEKNAS GF-
RAES'DE PERNAMBUCO.
tendimeuto do dia 2 a 13. 26:46759fl
dem de dia 16....... 6:2364
38:704*204
CONSULADO PROVINCAL
tendiraento do dia 2 a 13.
dem de dia 16 .
43 379*929
2:377*239
47-.757*i68
Conquista! sawKarlas.
Milln fedisem umdos seus melliores sonetos :
i A paz trm suas victimas
,* Nao menos celebradas que a guerra. >
As victorias qne a s?Isaparrilha de Bristol tcni
diariamente alsancado pelo espaco de triiua e
cinco annos, pertencem esa ciarse ; e teem oc
casionado a derrota e cxtermuiacn de qoasl to-
das Is melestras humanas. As efreeces escrophu-
losas, foram anniqniladas, os cancros extirpados,
os ab?e*sso?, as*emp^f5es desarraigadas, as affec"-
r5es do flgado desvanecidas, e'fib.ngsdas rpida-
mente. Utos as desordens produzdas pala coodi-
c3:j T(lotbida das secrecoee e daeorrupeSo do san-
gne. Centenares de casos desesperados, como
aqoelle do Atejo Rodrguez de Santiago, cuja lin-
gtta, bocea e muscotes fcaos haviam dsapparo-
cido quasi completameate ; tiveram um resultado
tnumphante, e bem saludo qns em mais de vin-
te mil casos, s enfernidades oxternas mais ma-
lignas, fornm permantmtemate curadas com a
sahaparrilha de Briatol.
Alia-.e venda tm toda as parle do univer-
so civilisado, em toda3 as prineipaes liqag de dro-
gas e boticas.
Clamas no deserto
Desde que a tua questSo, pobre e mieravel ras-
FRAC.\ DO RECIFE
KM 16 DE ABRIL DB 1870, AS 3 HORAS DA TARDE.
ihj vivrt SIHAVVI
Cambios.Saccou-se sobre Londres de 22 1/4 a
22 i/2 por 1*. sobre Pars a 9Q d/y. e 433 rs. por
fr, sobre Portugal a 90 d/v. e 140 r>. */ de pre-
mio, Cliagando o total Jas trapsacSes a........
7&000.
Algooo.-O do. Maeei, 1* sorte, posto a bordo,
regulou a 14*080 pot arroba ou 15 Integrara-
mas.
Assucar.Vendeu-se o de Canal a 2*400, e o
americano purgado de 2*5QQ a 1*750 por ar-
roba.
Arroz.O, pilado da India veadau-sc de 3*300
a 3*600 a arroba.
Axeitb-doce.Vendeu-se o de Lisboa, a 3*900
por galao.
Bacalho.Negociou-se em atacado a 21*500.
e a realho de 19* a 23*,a barrica.
SUnha oBpoaco. Vendeu-se a 600 rs. os
lo kil.
Batatas.Venderam-ee a 2*200 a arroba.
Bolachinhas.dem a 4*590 a barriquinha.
CAr.Veudeur Ca.dem de 2*200 a 2*700 a libra
Cbrtrja.dem de 5*600 a 8*200 aduziaile
garrafas ou botiias.
Kerosbne. -Vendeu-ae a 7* a lata de cinco
gales.
Lou*.Veadeu-se ainolezaordinaria com 440
rs. por oento de premio sobre a factura.
Mantbiua. A ingleza vended-se de 1*200 a
1*225 a libra e a rauceza de 740 a 750 rs.
Massas.Vcnderam.se a 7*600 a caira.
Oleo db muHACA.-den 2*200 por galao.
Passas.em a 12* a-eaiu.
Pbbsuntob.idea a 18* por. arroba.
Qtfflijos.*-0i flamengos fenderasa-se a 2*700
'cada um.
Sabao -O imjies regulou a 4170 r*,fr awm-
TooaNHo.Wendeu-se o de LisMa a 12*600
a arroba. ^^
VmAaa*.O de Powugal wndo-se a 130*
pipa.
Virraos.-Os de a 220* e o de outros pala a 104%* pipa.
Vblas. Aa;de composicao eaderam-se a
bzO n. o pacote de 6 em libra.
Bbsconto.-o rebate de lateas ragulou at
por cerno ao aantx a m
Fretb.Do algodao earregaiado deste para o,
port- de Lwerpoo, a vela, 4e<4ifc-, 8 o^ \ g/^
d. sem capa por uera, e a vaanr, i<8d. por liara
sem capa; do assucar para a mearan jkmq a 17*
por loualada fl 5 o/o, a vela; para-oGnala orden*
para o Iteino-Unido a IB/ por kaelada e 6 /U
vola; carregaado em Mace para o penltimo da
portes a 27/6 por tonelada e 6 /..a aT
M1MISTH10 DA AGRICULTURA. COilMEROlO E
OBRAS PUBLICAS.
i:\POSlCAO KM r.liRDOVA.
Devendo eHectuar-se aa cidade de Cordova. na
repblica Argentina, em 13 de outubro 4a corren-
te anno, a inaupurao dr urna eiposMjo de pro-
dnctos aurculas e manufacturados, para a imal
so convidados os agricultores e fabricantes ara-
sil' iros, cujos productos admiltidos as mesmas
eondifdea dos nacionaes e enviados at o Rosario,
sern daIIi reraettidos gratuitamente esem direilos
do alfandega, pelo camin) > de ferro central, at
a menecionada cidade de Coritova; nroem de
m. mx uar. conseiheir i, ministro e secretario de
estado dos negocios da ngriculiur, eommereio e
obras publicas, assim o fago publico declarando,
para conhecimente dos iiiteressados, que o govf r-
no imperial est no proposito de auxiliar ao trans-
porto dos productos al a cidade do Rosara os
expositores bra-iloiros que concorrer'm esse
certamen industrial, no qual senle que as actuaes
'HvinHancias financciras do paiz Ihe nao per-
mitiam tonar parte directa.
Confia entretanto o mesmo governo em que os
expositores brasileiios, aquilatando as vantagens
roaes que evem prevr ao-paiz de sua oo-parti-
c.ipacao nessa fe>ta de trabalho, nao pouparo es-
foreos para que, na ex pnsico do Cordova, seja o
Brasil condignamente representado.
Secretaria de estado dos negocios da agricul-
tura, commercio e obras publicas em 9 de maro
de 1870.-0 director geral, loso Agostinho Uorti-
ra Guimare.1.
-T- A cambra municipal desie mun cipio
tendo de mandar celebrar tira Te-Deum
Laudamus do dia 2i do correte mez ao
mjio dia oa igrfja matriz de Sanio Antonio
tiesta cidade, em arco de grggas ao Todo
Poderoso pela feliz terminacho da guerra
do Paraguay, convida a lodos os seas mu-
nicipes para campa rece rem a este acto.
Paco da cmara municipal do Recife 13
de abril de 1870.
Manoel de Barros Relo,
Pro presidente.
Dr. Joao Maria Seve.
Bento Jos da Costa Jnior.
Ignacio IVssoa da Silva.
Caetano Ciraco Costa Moreira.
l)r. P. ile.Athayde L. Mostoso.
casa da misericordia
Reeife.
Ptla secretaria da santa casa de misericordia de
Recife, de ordem da lllma. junta administrativa,
sao convidados os preme da* e ucandas do cola
legio das orpuias em seguida declaradas, para
que veniam requerer a sua retirada daquelle esl
ubeleoimeoto, viste que j tendo mais de 21 an-
nos de idade, devem ter o destino recommendado
pelo artigo 48 | 3* e 4 do respectiva regula-
mento :
1 Maria da Con&iieao Azevedo.
Anna Bezerra Cavalcaati.
Amelia Joaquina de Oliveira.
Emilia de Mello.
Cordolina de Castro Cirne.
Sopbia Mara da CoHcecao.
Fraacelina Rodrigue da Conceieao.
Secretaria da sania caa de misericordia do Re-
cife 12 de marco de 1870.
J) escrivao,
rigaes de Sonta.
Impelirte e regio consulto
d'Austria e Unghe ia, in
Pernambuco.
Con decreto dd. 14 Dieembre 1869 venne ordi-
nata ;un'anagrafe dei soddi Austro Ungarichi si
trovano aH'estoro.
I medfsiiin vengono qnindi invitati col presente,
di annunziarsi, nel termine di tre mesi dal giorno
d'oggi, presso qnesto I. e R. Consolato, muniti dei
docuraenti comprovanti.
La iscrizione ha luogo libera d'ogni spesa, ed
a-ienra agli interessati il dirtto oi nazionall
presso l'I. e R. fflc Con-olari nel Brasile.
[rrperale e Regio Cinslalo d'Austra-Ungaria,
in Pernambuco, 12 Mano 1870.
L'f. e R. Consol,
__^_^________Barone do Livramento.
i) Illiu. Sr. iuspecterdd thi-souraria defazeoda
leste provincia, em virtude das rdeos em vigor
manda fazer publico que tem marcad o da
de abril prximo vindouro para o concurso que
se tem de abrir na mesma thesouraria para pre-
sncbiuiente das vagas nella existeotes de pa ti
cantes da uiesma, assim como da alfandega e da
rec hedoria de rendas : versar o exarae sobre
as mataras de que trata o Io do artigo Io d.
decreto n. 31 li de 27 de junhu de 186:1. a saber:
Ittura, ahalyse granimalical e orthographia, ari-
thmetica e suas applicactles ao commercio, com
soecialida.de redueco de moedas, pesos e me-
didas, calculo de descont, juros simples e com
postes, tiieoria de cambios e suas applicacpes. 0-
coricurrentes deverao previamente apresentar seus
requerimentoa instruidos de documentos quapto
vem idade comjileta de 18' aenos, isenco de pe
na e culpa e boin comjiortamentq na forma di
irt. do decreto n. 2549 de 14 de marco d.
Secreta/ja da thesountria de fazenda de Per-
nambuco, 4 de margo de 1870,
Servindo de jfflcial-maior,
Maqoel Jos Pinto.
Aj
,3
ae
am
posaaa arenir-s*.
*
teerntw qne
na axeeutar aa
quadro sen, na
teri"arem outro a
O Sr. Ferrera das Sanios
qae servir de iatieiaiva para
Mate genero qae serio o ga
loa pblicos canaRaleaea.
O emprezario Coimbra, desda
*es numerosos amigos e
espectculos a sua assidnidade, e
que se portam dorante os seus
na de toda a consideracao.
O baile acabar s duas horas.
PRS.
As senboras mascaradas gratis.
As senboras nao mascaradas
Cavalleiros
Cavalbefros vestidos de dama
THEATRO
GIMNASIO DBAIAnCO
(No Monteiro)
0B A DiUO^aO DO I
LHMkm
Dominso 19 de abril le 1 ftle
Segunda repraaentee^e do ai
iissimo drama ea seis aoaeYw,
OS SEIS DECAIS
DENOMINAUO DOS QUADaX
1.*A oeioaidade.
!A moflieres.
3.'-Oio|to.
4.O roobo.
5.*O assasswato
.O cadafal-o.
Toma parte toda a compaobia.
Segu-se, a pedido, a liada ea
0 CAFE CANTANTE
a rapmeataaw
Desempenhada pela Sra. D. ..
Terminar c espectculo rom
da graciosa
COMEDIA
Na qual tomarlo parte a Sra. D. Maria aV
cerda Baha e o Sr. Aislo flato?.
O espectculo principiara s 7 I 2 ea
Os bilhetcs aniain-se aa estadio *> lacite
no theatrn, pelos preces segnintea:
Camarote, com 6 agres-os, iadaaaD aaaMflatn
em wagn, antes e depois do espectculo, I3&
Cadena, com passagera inli i i Vi-ia do
cspectai ulo, 2,5 00.
Platea, com passagera para:
espectculo, UoOO.
Camarote, aao iwlamdo aassa
Cadtira, sem paaaagem, U.
Pial; sem iiassagem, U
AVISOS MARTIMOS.
\
Belcao das carus registradas prooedentes da sol
e norte do imperio, exi-lontes na reparucao do
corre em 7, 10 e 12 de abril do 1870.
Anna Eugenia de Queiroga, Anna Ferrera dos
Santos Bulgir, Anna Clara Joaquina Brrelo, An-
tonio Buarque de (iu-mo, Aalunio Jos Rodrigues
do Soaza, Alvaro Ucna Vieira Brasil, Bario de
Guararapos, Claudinn de Araujo Guimares, Cy-
priano F. Guedes Ab-oforado, Dinamerico Augusto
do Bego Bangel (3), Francisco A. das Chagas,
Francisco Carneiro Maebado Utos, Francisco de
Assis Pereira Rocha, Fr. Felippe de S. Luiz Paim.
Francisco Muniz la Silva Ferraz, Francisco Par-
rafea Borges, Fortunato Ribeiro Barios. Francisco
de P. Bezerra Cavalcanti, Gabriel Alonso Reguei-
ra, Guilberme Costa & C, Gentil Augusto de Me-
raes Bitancourt, Herm^negdo Antonio R de Al-
meida, Joaquun Ferrera dos Santos, Joaquina Ma-
ria do Sacramento, Jos A. S. Gal van, Jos Anto-
nio de Figueiredo, Jos Atinusto do Araujo. Jos
Jeronymo M mteiro, Jos Joaquira Pf reir d Oli-
veira, Jos Alfonso Mmteiro, Joo Gabriel Baptis-
la, JoaoChriaostorun G. Rosa, Joo da Silva Ha-
mos, Joan Jos do Espirito Santo. Joao Fraicisco
de Barros, Luiz Jo> de Oliveira Dnia, Luiz Fer
rir% Uni'.itfl IHohair.i I.nivi ftfapii An D.^..;,.
Liverpool Brasil
li m
At 22 do correte esperase de
Lisboa o vap-ir inglez Krpler, de
o qoal se oVsnacbr.i rom toda
lialiia. Rio efe Janeiroe Santo.
Receb-se diaheiro e rarnmairadia
agencia,
R>tc vapor lera excelleales
ra passageiro* : os analas
& U. largo do Corpo Santo n. IL
IivafBMti

a ama m
BllSUJULU
Paquetes a vapor.

reir Maciel I'inheifo, Luiza Maria do Rosario,
BECLARACOES.
MMIMENTO DO PttrTO.

i.--
Amuw entrados w**f3
Granja a nortea mtormadiw-MII^ water, bia-,
jiteiro Prtengi4tU itonela*, aooiaaaadaaae
Mello, equipagem dO, carga apartante gnaaroa:
a corapanhia paraamtweana. 1
,. ""H0* entrados no isa 14 -
New-York port. Thcimat e RarA-M dias, sendo
I De ordem de Exm. Sr. conselhero director,
geral interino da jstruco publica, fago publico"
quera conver, que o mesmo Exm. Sr. conselhei-
ro em face de motivos que oceerreram, tranfeno
o concurso as cadeiras de instruccao primaria do
sexo mesculin-i para o da 22 do corrente, pelas
1 horas da madha.
Secretaria da instraeco pnblica de Perdarcbuco
13 de abril de 1870._________________________
Ccinmauiln das araias.
Os Sr. tenente Alavo Antonio Ferrera e al-
feres Jeo Gualberto Correia, ambos honorarios do
exercito, que perteoceram ae extinelo corpo n. 83
de voluntarios da patria, najara de comparecer no
qoartel geoeral para objeeto de servicu.
Secretaria do commando das armas de Pernam-
buco 14 de abril de 1870.
Francisco Canato Pesso de Lacerda,
___ Tvnento-comaai secretario.
Luiz de Gamillo Paes de Audrade, LqU Antete
fi Sequeira, Manoel G. de A. Autran, Mano l
rancisco de Mallos, Mara Joaquina da Silva Mel-
lo, Manee! Jos Domingues Codeceira, Manoel Al-
ves Barbosa, Manoel G. de Mello, Manoel Mximo
dos Santos Torre?, Narciso Francisco Vidal, Ocla-
vio de Souza Letao, Placido da Pinbo Peasoa, Pe-
pro Manuel da Trindade, rtaymuudo B. Peres Li-
ma, Samuel de S Montenegro, Seixa* & Borge-,
Tobas Barrete de Menozes Trajano de Figueiredo
Lima, Vianna & Guimaraes. Vicente F. Barro",
W. Luiz e Araujo. X'sto de Paula Babia.
O eocarregado do registro,
Man-iel dos Passos Miranda.
Dosportes ai tal
at o da 21 o eorr-laa*'
Arntoj, i-Mionyitte a
lenle Jos C Daan,
depois di
portes do norte.
Desde j recebem-se passa
arga que o vapor poder coa_.
*er embarcada no dia de saa ct..
las e dinheiro a frete at as dnas"
ua sahida.
Nio se recebem como
lectos de pequeo valor e que
|ajiTttbas de peso oa 8 j
cao.
Tudo que passar lestes
^mbar -ado como carga.
Previne-se aos Srs. passaajeiraa aja satas Maaav
^ens so so recebem na agencia roa 4b Croa a. tf.
i* andar, escripterio de Aoioaio La da Oaraaws
\zevedo & C.
Imapeetfsifi do ara.cual de
auaiiuha.
Faz^ae pubaxo que a coramissao da perito,
examinando na frma .determinada ao regulamentc
annexo ae decreto n. 1324 de 5 de fevereiro dr
o casco,, rnachraa, caideira, appareifao.
icSo, vtame, amarras e ancoras da va-
Pirapaaa da compaobia Pernainbucooa dena-
tvegarao onteira, achou lodos essea objectos am
stado de^peder o'vapor navegar.
Inspeccao do arsenal de marinha de Pernambn
co 13 do abril de 1870.
O aspactor,
H- A. Barbosa de Almeida
SANTA CtSA DA MISERICORDIA DO
RKCJFE. -
u- J?- ,unla daiiuistrntiva da Santa Casa.de
Uisertoordia do Recife mand* fazer publico que
na seta de soaa sessoes, no da l de abril, pelas
4 Horas da tarde,,tea de er arrematadas a quaui
w vantajjeas otereoor, pelo lempo de um a iros
anuos, as rondas dos predios em seguida declara-
ESTABELECIMBMTX) 8E,CAWDAJJB.J
_ R d.Pilar.
Casa lerrea n.73.......IBCOOOO
_ Jluadot ifbarol.
r^. loliL^* WrMaaUiM.- Fwnira (Olinda)
Gaea, terrea-a.-44.......DdlflOO
Casa terrea n. 7,
Ra da Vira gao.
192*000
THEATRj
DE
SANTO MOMO.
(Ruada Florentina)
GR.W BAILES IIU\HiD0S
NOS DJAS
16, 17 e 18
Sabbado de Alcluia.
Domingo de Paschoa..
Stguuda-eira.
O emprezario deste theatrn, autoriaad pelo
lllra. Sr Dr cete de polica, d tese dias de di-
veriimenlo no genero
Cepaalaia
le ira de ,
Al o da 13 do corrate
York por S. Thomaz e Para sapar
Nartk America, o qoal kpois da daaai
turne seguir para o portea do ms
c passagens traase coas os aya*
jer A C, ra do Commercio a. i.
Maranhao.
Para o referido porto segae aaa
bate Rosita por ter a maior paras
jada ; e p.ira o resto que Re falta
tmsigaalario Joaquim Jos
fu do Commercio a. 17.
COMPIW
M
Paquetes a vapor.
Dos aorta o aaa i
A ate o aHa 49 al wwaaa
0 salo achar-so-ba couvenenlomaoto docoa-
Uo, ,e illuminade a giorao.
! A ordam e mor.Iidado serao mantidas oomo
costuma fazer o empresario era lodos os saos es-
jpeetaealos e divprinentes.
; Haver lugar destinado e garantido para fami-
lias.
Tocar nestas tres noules banda marcial do
2 twtaiao de infamara, da qui-l director e
m&'lre o Sr. Mi ndonca.
As 9 112 horas ser dado o signaj-paracoraeco
do baile, tocando a msica urna escomida .paca,
como piludio ao divertiin nlo.
As 10 horas a sociapade
GaribaUiaa
magestosa, a o soro do urna
Tara a sua ntrada
marcha
Triampjial
Fm s'guida comecar
0 BAILE
A ociedode Garibaldina vem vestida a cante-
r\
aaaaa d J
nira para 03portes o sal.
Desde j recefcea-se passaaakTaa
larga que o vapor paaVv coaaMr, a
er embarcada no n o> saackffaA
lasediuhoiro a frete ate as t toras
lahida.
Nao se re ceben ramo
Bde pequeo valar aajaoi
is de peso ou 8 rnlanm cubiaaa da
que passar desta limites i
do cmi carga.
| PraWne-ie aos seohoi -
passagans s se raaabew n
. o-7, andar, eseriptort.) dm~
pliveira Azevedo & ti. __________
MTOPOH LISlflA
i Segara eia poras asas a
Nova SympoihM de i' daar
prompto quasi toda sra carga
Iba falta, assim cera para
rferecj ricos e exeelentas
boro Bailar. Oliveira G, -
primeiro andar.

SH' Ra de Janeiro
Pn\ei& uto m j*mg* m
pon. o fstsira pateca* aaj|ar
iWVmarir parto da ar fmm~
riara o pooeo qaa me falta e
trata-te rom o coTaarnatario
calves Beluio roa o Ciaaaaarrlii
O


Hf*W<>u4*P#Wb^i.i7mi|toH|d)ft/^j% |^((|870.
Segu
Uianote.
file falla
Luir e
-
*-*-
mm

id
LEILIO
Pojial compoteuteraeiue awariaadc
leSo (ntblira o, grarjilu iitio iflhn'la-.
ITidro, silo estradas Ll
. Jte-WP.iioponaHto.Mtio intitulado OlhQ da,
Vtdro cfl um magnifico pfedSo de on
andar, coxeira etc.
O agento
M<5ho de Vidro, silo a* esaradas da Gnz das
Almas e Parnameirim, o qtial tem um inagnifico
. gwedia de um andar, coxeir^, cacimba o umitas
Scwes fructferas, ma excedente baixa para
tapiro, deitando 9 pea> a frunteiara atorada
tendo o sitio dous mil e tantos palmos de frm
pouco mafe mi menw a'fondo ale a bomba em.
4B passa a liha, frrea, e eneanameoto das
afilas de iteberuie, dtvtUiudo o dito sitio cora o
Beeife a
sitio da Janueira, mas se quizt-rern os pretendente
Tender-se-ha taraban) o lente no qu dalla o fundo
ara a entrada de. Sam'An;i a a freolo para a
iuaha frrea ou fundo do terreno do sigo. A)m
de o sitio ser m dos neUiarn 4oa arwftaMes da
ktade, acresce que muito saudavol, ameoo
rlm.
Os Srs. pretendemos fvytev7rr> o,s*amhiar e flon-
correrem ao lebau.
Terca feira 19 do crranle.
No f andar do soorado n. GJ, ra da Cruz as
seganHa^fei
\&9t -I
nHl Rfrsabbado fi 9o corren*
e 9 hora
* ser suppriiiudaaoa, tri da 7.
d ouite d. .Recite a de 7.21) e 9,50 da. Admica?",
seido ijjpridos pelos seguintes :
&e ReeUe f. 8.J09.8P MM
De Apipaos 7.M8.35 .3S 10.36
. t ios das de ftisteio SI, 23 e 2* avora<> tren.
de liora em bora das.? boras' da manhaa a njeia
feotte tantode ida como de voha. '
sejsm
_-----------
y* movis e roipa frito constando de ves-
timentas completas ifr casemira, paono,
torioi de tinbo para tnmens e meninos,
obra fraoceaa-e degostw moderno..
Uuas grandes jasas ) ltiro, 2 sofito" :
cadeiras, meta* pequeas uiros ob-,
jectos qim serlo wmdidos para
Liquidaco. ^/
**-feira 1 le abril as ti
hora.
Por ntervenc,5a de agenla. Woto, no primeiro
andar do sobrado da, fu >h I :ti peralta n. 47.
Precisa-se de um caixeiro, preere se. portugwz,
[qua tonha alguma pratica de taberna, de 1J a li
anny: na ma dp -JaSta.p. &
e 11 calas com brlnqiiedos.
(Juarld-feira 20 de abril ao meio dia.
Por intervengan do agente i'into e por conta e
risco de quem p rtencer em o escriptorio do re-
brido aamia, a ra da Cruz n. 38.
Publicado na corte-pelos Src. Angelo Thmaz do
Ainaral e Eduardo Augusto de Ofceira.
Etta folha em cada numero eontaa artigos d<>
fundo sobre a noli|ja--Gflieiilb-.Echo da <*la
deFolhetimVariedadesRevista conwere:al>
annnncios, ettf.
Assigna se por aunoiljflttO
Seis njezes 7^000
Tres, tnazas- iaOOO
Nao seacetfam assignalura* sem previo paga-
mento.
_________LtVRAMA PRAWCEZA.______
-r Aula passeando por esta cidade um pardinlho
do U) aanos da idade, que sahio do cama ba tras
dias com roupa veiha de casemira aseara j rdt
pelo luda de detrax : quam o leyf aos Coetlios n.
28 ?ora recompensado.
No arrnazem da .Avessa do Coj-po Santo n. kSM ha tjnrjjrf1 um complgto
ortimento de ohjeotos par* iwos, e qae- s^^eadem r^or.precos multo rascareis, jmo
Vaxjuett de lustros, grtiides e mniioi)oas. t.
Soila ida dito.
Oleado prjto e da cre9.
Collejras de lustro, o que lia de meltaor.
Guaroicoes de n^1atlo para arreft*, comptetos.
LantefBts veila* para' as mesmas 1
Eixo pMeetoa paraaobo.
toanmm*Upi Manato. & C.
ftjppSflI REJUDO DO
Di. OHS. DE OfiAIB.
ELCTRICO
RING DF PAIN
re da dob
PiHi u*> 1 vri;n\o e sxTEm.1
Car chotera e cholera ruorbus.
Diarrh^a,, fluxo do sangue, em um da.
Ama.
Precisa-sede tuna'ama de feito : aa
. 36.
ra Bolla
I). Mla Cnndol da lo la Alraeidajelo
Bfesente declara que retira os nederas da peu-
racao qufo! subsrabeiecirJa por Jos do Reg Bor-
des na pessoa d ManoeLAvelino de Brrros Lima,
de htl de 1M0.
Oorea de cabala, e dores do ouvido em
tres minutes.
Dor de denle?, em 'am minuto.
Neuvralgia, em. cinco minutos.
Deelocavoes, em vinte minutos.
Gargantas indiadas, em dea minutos.
Colioa e eolvoteoes, em cinco minutos.
Rbeomapsmo, em um dia.
Pebre e febj;e intermitente, em um dia.
este
Ama de leite.
Paga se ffl| mensee por urna boa ama de lei-
te seai filbo : na ra da Imperatriz n. 39, segun-
do andar.
LEILAO
Joaquim Rodrigues Tavares de Mullu, praca
do Corpo Santo n. 17. Io andar, tem ,para vender
cal de Lisboa, pota sa da Russia da maj nova,
i vinbo Bordeaux superior qualidade, e arTtlha de
mandioca.
Da tre parles do sobrado de 2
sotao da ra da Peona n. i9 fas quaes
partes rorrespotulcm a mais de raetade;
edificado em solo proprio.
Quarta feira 20 de abril.
Por lalervaocao do agen'e Pinto, ao neio dia e
1 seu escrbtorio ra da Cruz n. 38.
Antonio Correia de Vajcoccllos vai a r?uro-
pa ne vapor Giromle que sahe hje, e despedese
talo presente de alguns seus amigos de que por
andares e falta de tempo deixou de despedirse pessoalmente,
pflo que pede dcsculpa.
LOJA DE MIS
DE
IC.
LEILAO
farlnha de ir go(com avaria)
QuarLi-ftira -20 de abril as 10 horas.
Tasso frmaos & C. farao leilao por inlervengao
A* asent- Pinto e por eoQtare risco lie quem per-
tcncer, de cerca de 150 barricas com farinha de
triso avadada a bordo do navio" Pek'jrim, na na
oltima viagem Je Xew-Vork a este porto, 6 leilao
ser efiastaada no da e Ik n cima daos no ar
Mea dos meatnoa senhores no caes do Apollo
n. 7.
b abaito assignado participa ao respeitavel
corpa do commercio que corrprou ao Sr. AntoBio
Martios Saldanba a sua taberna da ra do Hospi-
cio, livre e desembarazada do qualquer snus :
quem se julgar com qualquer direito, apresente-se
no praso de Iros dias, a contar da data desto. Re-
cite 11 de abril de 1870.
Henrique Jos Vieira da Silva.
ADVOCADO
O advogado Antonio Pedro Ferreira Li-
ma, de volta de sua viagem ao Rio de
Janeiro, contina em seu escriptorio de
advocada ra do Imperador n. 32, l1
audar, onde pode ser procurado para o
exercicio de sua profsso, das 10 horas
da manhaa as 3 da tarde.
tOMM
De dua3 rasas terreas n? II e 13 na Bai-
la Verde e dous lerrenos annexos as
mesmas, e urna qqarta parle da casa 11.
<> (1 rus :1a Esperanza;
O agente Mirliin eui eonsequencia do que foi
deUtarado pelo llln. Sr. Dr. a'n. d orpliaos a
requerir.lento da vitiva de Izidoro dos Anjos da
ParciuBcnla aos autos do inventario dos bens do
esmo f.ir no-ament leilao das casas o terrenos
pprtenci-.ites a dito fina > para pagamento de di-
ridas, sob a base nica que appareeeu para taes
*en$ iil. valer de 2:600 ichsudo se elles avaha-
dos em S:S70*.
Qaarta-feira O do crreme.
o armaem da rua do Imperador n. 10, as *1
boras do da.
AMA
Na rua do Amorim n. 35, 1 andar, prescisa c
Domingos Tasso de una ama para cozer e engo-
mar.
Em casa de THEODORO CHRISTI
4NSEN, rua da Cruz n. 18, encontram-st
jffectivamente todas as qualidades de vinht
Bordeaux, Bourgogne e do Rheno.
Bartholomeu Se C,
i>e tima armaco envidraca la, gaz, balapca
e canteiros propria para qualquer esla-
betecimeoto, garantindq-se a casa ao
comprador da armago, no largo da Pe-
i,ha n. 8.
O ageuto Martins fara leilao da arraacao e uten-
cio: cima no largo da Penha n. 8, sem railesi
Qart; -feira 20 do crrante.
Ao moto dia na ineeraa easa.
.......___________1______L_________LL1 .!_
AVISOS DIVERSOS.
O abaixo assignado previne a quem convier,
-que o engenlm Dous Bracos, sito na freguezia de
1, ni) pode *"r vendido ou alienado por
Br moda que fja, por quanto o mesjmo
Mslgnad 1 tem lo propor litigio a (|uen) o
t pelas ezoes o ouli'os vicios radicaes liavi-
xocuciu promovida contra o pai do raeamo
Signado Joaquim Correia de Aranjo, as-
ilo de accordo em julgamentoS do supremo
d jnstlda,os quaes nio teem sido execu-
1 pelas criticas circumstancias do mefio
l'assigiiad), principal victima de todos esW
raveis prejuizjs. Recite Io de abril de 1870
Joaquim Correia de Aranjo Jnior.
Precisa-se de urna ama para
!E!iar : na rua da Roda n. 16.
;ozinhar e e
VlNHO, PlLULAB, XaROPE E TlNTURA
OE JUHUUEBA SIMPLES B FERRUGINOSO
L0, POMADAE EMPLASTRO DA MESMA
PLANTA PREPARADOS POR
BARTH0L0MEO & C
Ph a rm ag uticos-Droguistas
PEIEIAMBIIC'O
A Jurubeb : eita planli i boj recoaiteoiit
i-.juiu o mais poderoso Inico, como o nielhir
rtesobsiriiente. e como tal applicada nos padeeiiaeDtoi
do1 ligada e b>fo, taparitos, dmesaa, tnmorea inter-
nos e especialmente do otero, hidropesas, erysi-
pellas, etc.; e associada ao ferro otil Das pailita
cores, chloroses e talla de meostruaco, desarm-
Gs do ealomago, etc., a o que disemos alesto
numeras curas importantes obtidas eom nosso
preparados j bem conbecidos e asados peles naii
distiaclos adieos do paii a Portugal. Em todos os.
Dossos depsitos distribuimos gratis folhetos c-t
melhor fasem conhecer a Jarubaba seos ramltadoa
1 applicaeio.
Este antigo estabeledmento, oompteta-
aente reformado de nove, est as condi-
oes de servir vantajosaniente os seas fre-
ruezes, visto que acha-se prvido com um
iolendido sortimento de obras de ouro e
rata de le. assim como brilhantes e ou-
ras pedras preciosas, cujos presos sao os
aais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
e em troca ou compram-se com pequeo
Dor as coalas e 00a iadoi, em
nulos.
Tosses perigosas e re&riaos em
Plueresia,em muda.
Surdez e asthma.
Hemorrtioidas e brooefaites,
Imflamaco dos rms.
Dyspepsia, erysipetas.
Molestia do flgado.
PalpitacSo de coracao.
renodio u sil iiilia
AS DOENgAS SE A>RESENTAM, QUANDO MENOS SE ESPERdJI
OLEO ELCTRICO O King of Pain (O Rei da dor) aquieto e
,pa mais de diiTewutes molestias e dores, e aUivia mata os soflrimentoa <
W* Peile*re|librio no systema humano, o que nlo se pode effcitnar no
o, com qualquer outro femedlo medicinaL
Este milito popular remedio est agora osando-se geralmente, pela
nabares de pessoas se tem curado gratis co" o dito remedio j>e!o Dr Grami 1
neis.
Este- importante remedio na se offerece para enrar todas 1
io somente para aquellas estipuladas as nossas direcedes.
Est operando dos principios da chrraica e da eietrieidade e por
ipplicavel para o cutamente e para a restaurac5o da accao natural dos
frem da irregular oirculacao dos fluxos dos principaes ervos. Oteo Hectnes '
,)f Pain opera directamente nos absorventes, fazendo desaparecer as
{Undulas le.-ett um tempo iaervul, breve sem perigo do sea aso debaixo de
ireumstaneia.
O remedio urna medecina para o nso externo e interno, commalo
entos curativos,^aizs, hervas e cascas, taes como se tem usado dos nossos
lados, e, das quaes tem grandes existencias no mando, pard corar todas as
tmente sabendo-se quaes tilas sao. *
Foi nm grande e especial desejo da faculdade de medicina doranto
ios de experiencia para aprender os melhores modos que se deviam adojiar
is seguintes doen?as, e que proporces de medicina se deria usar.
NICO DEPOSITO EM PERNIMBUCO
NA PHARMACIA E DROGARA DE
Bartholomeu & C.
34Rua Larga to Rosario34
N. s ma wmw
MEDALHA A EXPOSIAO UNIVERSAL DE 1867
Para a Supcrioridade d'a
InreBtaa por LEGUAND, Peruiisia de Imperador de? Franceroa,
PARS. 07. Rua Salnt-Honor, O?. PARS.
oi^ iJ; fsie OI^I za
D lfflOll DE I.ENCL0S
far iar frutara i prtk, driirir ai ruyaj rfa e*r,
oiui-rar eli'i'namrale a telina tn juvntui;.
OR XA I.AdT
LKITE ANTnPIlF.I.ICO
Fara rtfriiear, ir tiquear e adee.r a ntt$, fttni*
deiapparerer m naitoai i ai lardas.
SARAO OltIZA....... D'uma massa exccivamente suave e d'am perfiimc dos mais delicados.
liVZA-C'.KAM Moussiese. ttassa especialmente preparada-pina os baiilio? e. a b.irbq.
OTUZA-IM:1D........ Pottadarortrfirantcenutritiiipararoi)'.ervaroscahHosi.eiii|ifdilodequrl)mrein.
OltIZA PHIl.OtOME.. Tetui)o de boi e oteo de a*ela rom buse di quina para os i-abcllos,
tllZA-OII,.......... Ol<-o liiiissimn perfunia'.ifi para lusir.ir os cabellos : cmpediios ile i|aebrarm.
ORIZ \-r.UILI.ANTINE. CriJallisado enm vilela, pava dar brilho aos caliellos o a barba. -"
OttlZA l'I.OWnS.... Aunt-ncomparivel de un perfume sime e delicado, para fonificardb la pclle.
OltlZA-AMMJLINE.. Vin;itr; do loucador, aroma antepliico. _f
ESSENC.E OtilZA..... Perfumo cnnrenlrado pan o* lenco producto muito delicado. ."
OHIZAi.VcK......... Perfuine do boni lom e da alta sociedade para os lencos.
ORIZs-l'('[)t-;rrH----- Flor de arroz da Carolina para a cara e a bellea da pdlle. .,
OHIZ A-I-..N'nEHIGE.. Para aliejar os denles e c ORlZA-L)l'.vtAlItE.... Nova massa para alvtjar oa^lflrs sem destruir o e-malte.
AGUA TNICA DE QUINA E POMADA DE BALSAMLE TANNINO
fin luBfua e uhbrisWe ii fikeja. UiIcidi u cate le, es wialiidi ii cakir ssbiriirctatKr npidineli.
DEPOSITO GERAL na Caza de
E em Caza de todos Perfumistas lio Brazil.
SOFFKWENTOS D'ESTOMABO. COPISTIPAClO-
Cura em poucos- das pelo cnv*o de klloc empinan pa. t*t.
ENXAQUECAS; NEVflALGIAS. i aifc*,*.**-
'ipadiK rapid:.:nente pela NROtM D-tTra> srCUITU.
ANEMIA, A PALLIOE2 < einprego dot fu r.iginotos sa* scitpre combatidos coa o meiW i nataali
pelas pihuas de VAU.ET. Oda Pub tem inenrad o rtemerKUT.
PO DE ROG. Basta di-solTcr u.n fr.oc deste pI ra ataa*
jntil.i r\i ter clicas.
ViNNO OE QUINIUM u ib. m ama br a
poneos cuja coipposn;ao gai-antida consume, urna das m-Otoict pnv
pai-acoes de ilumino, sem acfSo noUtel sobre connleacei.:s, A*aaV
ilv:s lbr{at e aprersando i volla a saute. Cura as fclies ant./at fM
itio ao suHato de quinino.
"XLLSTIAS OA BEXIGA. i maior perte ^t'_. como as citicas, luibajros, catarrw, e tedas ts dures un naaaa tt
irera! .-jo curadas pelas pirlas DI CSIENCta be Til un maaM s
telha aspara scrc.i toma OLEO D\ FIGAOO DE BACALHAO OE BERTH.-
Gaiaiitioo piu-o e >lv primeira qualidade, oro dos poneos n niiaaVii arla
tcaciemia do medicina.
AVSO. -
estes medicamentos fortn aprovadm pti*
imperial de medicina de Paria.
DEPOSITO
aa Parla, IV RIEI, I, r. J. .
D-.-KNcnriii; HBM(.tH l Pemambuen. Sasasa at O.
TKi>orn.
Bassi et O.
;ia t C-.
OBaal it-, r*>4av-j
^| esquina
QUINIUM LABARRAQUE
APPROVAOO PELA ACADEMIA OE EOrCIIIA I
0 Qainiam L^barr^epia, eminentemente tnico e febrfugo
preferido todas as outras prepara^oes de quina.
Os vinhoo de quina ordinariamente einpregados na medicina
eom cseas de quina cuja riqueza em principios activos
vaviaYet; parte disso, em razio de seu modo de preparacSo, estes
tem apenas vestigios de principios activos, e em proporces
.0 Qniainm Labarraqna, approvado pela Academia da
titne peta contrario um medicamento de composicao detenmmda,
principios activos, e com o qual os mdicos e os doentes poden sempre
0 Quinlum Labarraqua prescripto com grande xito as pessoas
delibitadas, seja por diversas causas d'esgotamento, seja por antigs
tas; aos adultos fatigados por urna rpida crescenca, is meninas qm
culdade em se formar e desenvolver; as mulheres depois dos partas;
enfraquecidos pela edade ou doenca.
No caso de chlorosis, anemia, cores plidas, este vinho
auxiliar des ferroginosos. Tomado junto, por eznaplo, com
Vjoxsv, produs effeitos maravilhosos, pela sua rpida accaa.
epasito em Paria, L FISBJ, 19, roa Jacob
Ri+Jmtiro, frONHELLE; CHEVOLOT. Pmumimn, MALlflatC
SBSBSESSSSSELW
aLOJA he: hhas
pre um sortimento sem ignal,
UA
W, e vende por prepos que nenhuma outra casa pude vender.
ao vista da emalidade e do oreco das ioias cada um m
pedras finas per presos
CABU6A
esquina
,ardada.!awal^l
Rosario.
A lojs est abeita at as 9 iipr# # noite. iStartia^iati


Diario de Pehiatbooii Domingo 17 dferJAt'"& imti wLEeiE^fta
Silsapatihi de MsIoL
UJGinMA E ORIGINAL
U FRASCOS GRANDES
uer-88 alug .cor rge* -
iK fe 11 a 15 anuos, poueo mal ou
afectar o urna enanca : bo L-iaJo
to n. 49. Ti .
5**1 II
OGRANDE PURIFICADOR DO SANGUE
Esta excellente e admiravel medicina, e
preparada d'uma maneira a mais scientifl-
ca ijor Chinucos e Droguistas mu doutos e
d'umainstruccao profunda, tendotido mui-
tos annos de experiencia ao par (Turna ton-
ga e laboriosa pratica.
A sua composigao nao consiste d'um sim-
ple extracto d'um so artigo; mas sim,
t-omposta d'extractos d'um numero de rai-
zes, hervas, cascas, e folhas, possuindo to-
das ellas, sua virtude especial ou poder
em curar as molestias as quaes teem sede
ou essento, no sangue ou nos humores;
estes differentes extractos vegetaes, acham-
se por una tal forma combinados ponto
de conservarem em toda a sua Torca, o cu-
rativo especial de \iilude, que cada umde
per si possue. A raz da planta de Salsa-
parrilha, produzida nas Honduras, a que
nos usamos nesta preparaco, sendo a qua-
lidade que todos os mdicos mais prezam
e estimam. Na composico da Salsa-
parrilha de Bristol entra mais de 50
por cento deste concentrado extracto. Ella
aao encerra em slcousa alguma, que pos-
sa por leve ser perigosa ou injuriosa
sade; e tanto n'este, como em quasi to-
dos os mais respeitos, ella inteiramente
diversa de todas essas mais preparaces,
as quaes debaixo do nome de Salsaparr--
Iha, sao acondicionadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada em doses
mui diminutas d'uma colher de cha por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARRTRA DE BRISTOL
em frascos grandes, e assim por este modo,
dividimos com os consumidores, o grande
proveito e vantagem alcancado por aquelles
que acondicionam sua preparado em gar-
rafas pequeas. Cada um dos frascos da
nossa Salsaparrilha de Bristol
oonteem a messa quantidade igual porc>
cuntida naquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue ainda muito mais forca e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa adiar contida dentro de
seis garrafas de pequeo tamanho. Por-
tante mui natural, que aquelles, que se
acham oceupados em preparar e vender as
suas produeces," em garrafas pequeas,
murmurem e gritem contra os nossos fras-
cos grandes proclamando, que a nossa Sal-
saparrilha de Bristol nao possue a
menor virtude; porm quo effectivamen
te sao elles postos em silencio, quando indi-
camos, ou simplesmente referimo-nos para
com essas centenares de certides e tes-
temunhos authenticos, por nos recebidos
. de todas as classes da sociedade, nos quaes
plenamente attestam o. poder curativo e vir-
tudes maravillosas da* nossa.
SALSAPARRILIIA DE BRISTOL.
A vantagem de termos os nossos pro-
prios agentes naquelles lugares aonde as
Precisa-sede um criad') ou criada, forro i
cravo : na Cambia do Cnrmo n.ll, 1" andar.
|uma ama para
horaem olteiro
cozinhar e
na ra de
escravo
Preelsa-
compfar para sa
Santo Amaro n.
Precisase para casa de hornera solleiro de
ama ama para o servio interior de cozin
enfonmar : na ru e Sai
oto Amaro a. 30.
O DR. SANTOS MELLO
Medico homeopatha, recem ehegado
corte, ixou a tua residencia nesta
capital, roa estreiu do
Rosario o. 3J, 2*
andar.
D consaltas tudu* os das das 9 as 10
horas da manhaa, e recebe rucados por
escripto qualquer hora do dia ou da
noute.
Aos pobres d eonsultas s mesmas
i horas e medicamentos gratis.
li|V.,.> iiii,..- mvi'i ^liKwtnn
-Lir.-
lis (1
ea
tas (T que se cbmpoe'm ns nosss medicinas,
sao produzidas, que nos habilita exer-
<:cr aquelle constinte cuidado e disvello na
minuciosa escolha; e o que assegura c ga-
rante uniformidade de excedencia.
Em quanto que, por ostro lado, nos nao
nos poupamos tem dinlieiro, nem dili-
gencias ; afim de alcancarmos o melhor
e nicamente o melhorde cada um artigo
ou ingridiente que entra na sua composi-
co ; pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva confianca; que po-
demos afoutamcnle dizer aos doentes de to-
das as nacoes, e de todos os paizes, que na
Salsaparclha de Bristol. possuem
um remedio mais efGcaz e seguro ; do que
nenhum outro, que vos tenha sido offere-
cido at boje, e o qual por certo nao hade
mallograr vossas expectativas, na prompta
-S S&CiY? cura das seguintes enfennidades:
Escrfulas^ Tinha,
Ghagas antigs, Syphilis,ouMal Ve-
nreo
Ulceras, Humores Escrofu-
losos,
Feridas Ulcerosas, Irregularidades do
Sexo
Tumores Feminino,
Abscessos Apostemas, Nervosidade,
Erupces, Debilidade Geral,
Herpes, Febra e Malignas e
Salsagem Febre e Sezoes
Impigens, Biliosas,
Lepra, febres intermitientes e remittentes,
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, achar-se-ha, que para o bom
resultado e perfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades cima apontadas o adian-
tamento da cura, grandemente promovi-
do e apressurado; usando s ao mesmo
lempo das nossas mui valiosa punas
vegetaes assncaradas de Bristol,
tomadas em doses moderadas em connec-
c5o ou conjunctamente com a Salsaparrilha;
ellas fazera remover e expellir grandes
quantidades de materias morbficas e hu-
mores viciados que se desprendem e livre-
mente circulam espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso da Salsaparrilha; o
por esta forma facilita a volta e o exercicio
normal das operaces funecionaes,
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo 4C..P. Majo-m
., B M,& A.arbosa. Bartholomeu C &
Aos amantes do car-
naval.
Na roa estreita do Rorio n. 35 tem ricos ves-
tuarios para es bailes e alfgarn.se baratos : d-
minos novo? a iiOOO, e vestuarios de principe
bordados com cabelleiras a H rs.
Keeommcnda ;e a certo mal dizente que se evi-
te de andar calumniando a familias honestas, v.to
que cMe nao encherga as riodoas negras que tem
na sna, e v aqtiiilo que na > ha na dos outros, ca-
bendo-nns aqu responder-lbe com a doutrina de
Iros Cbriitu : que, com o metida que medir-
e$ tereis medido, com o juno que julghrdes terc
jwjgados.
(Basta por "g ra.)______
Precia-se de um furneiro e de um ainassa
or que saba trablhr : aa nadarla alternan, em
Sanio Amaro.
s
IH-Hl-ffMHiff
Xarope peitoral
DE
RABO 1112 TAT
contra a phtisica
nico deposito na pharmacia do Pinto, ru
larga do Rosario n. 10, junto aoquartel do
corpo de polica, (oulr'ora ra dos quar-
teis).
alfoV a
jasaiectonrae vende
9 igualmente se faz toda e
jommenda, e todo e qnalquer concert tendeott
i mesma arte.
n. 33 tedif
ipra* 6' petri!
f na oaai
m
VMA BA
Iota enra
er obra de en

de raarmore, ma da Cruzes
.11.
O artista Gamitlo acba-se estabelecido na casa
cima, onde pode ser procurado para todos os
misteres de sua procissao.
TINTURARA FRANCEZA
55-Rua da Imperatriz-55
Tinge, lava, limpa, lustra e achntalo-
la-se, com a maior prfeioao, fazendas em
pecas e em obras de todas as qualidades ;
como sejam : seda, laa, algodao. linho,
chapeos de feltro e de palha etc.. etc.
Tira-se nojoas e limpa-se a soccosem
moldar os tecidos, conservando assim to-
do o brilho da fazenda.
Tintara preta nas tercas e sextas fei
ras.
CURA RPIDA E INFALIVEL DOS CALOS
pelA
POMADA GALOPEAU.
Deposito especial
PharmacidL de Bartholomeu jf C.
34Ra larga do Rosario34._______
AMA.
Precia-se de urna ama : na ra do Pires n. 5.
llVOlitlH I
O bacharel Augusto Carlos Vaz de Oliveira ig
tem o seu escritorio ra do Imperador ?|5
n. 67, primeiro andar.
Protectora cas Familias.
Em cumprimento do prevenido no art. 29 do
regularmnto, so convida aos Srs. contribuintes
dessa associacao que nao tiverem apresentado as
certiddes de idade dos seguros, para que mandem
fozer entresa d'ellas na ra do Livramcnto n. i9,
1 andar, afim de ser expedidas o mais breve pos-
sivel para a insptcloria geral do Rio de Janeiro
As certides devern ser selladas e reconhecidas
por tabeliao.
Recife, 90 de'marco de 1870.
Narciso Francisca de Vidal.
POCOS TUBULARES
INSTANTNEOS
Travessa do Corpo Santo n. 2S
ARMAZEM
Ra Nova n. 28, loja Antonio
Pedro de Souza Soares.
Randeira, Machado & C, avisam ao respeilave
publico que nos lugares cima encontrara no mes-
mo semprc grande quantidade de ditos pocos, e
que se acham habilitados para vender por menos
que outro qualquer, por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante Nerton, de Londres.
As vantagens queofferecem os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser collocadus den-
tro de casa ou fura, com o irabalho da ama a dua-
horas: segundo, fornecerem os mesmos agua pu-
ra e abundante, podendo serem removidos de um
para outro lugar, quando assim convier.
Os annunciantes s reeeb referidos po$os depots de collocados, satistazendo
espectativa do comprador.
0 CIRlUGliO DENTISTA
Frederico Maya
Tem a honra de scientiticar ao respeita-
vei publico o geral, e aos seu clientes
em particular que elle mudou o seu gabij
netede consultas da ra Direita n. 12 para
a do Queimado n. 31 primeiro andar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de sua
profissSo, todos os das uteis das 9 horas
da manhaa s 3 da tarde.
Tambera previne, que contina a prestar-
se a vontade dos clientes nlo s na cidade
como nos seus suburbios, para onde as
idas serio precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenbo e a perfeicao de
seus trabalhos, o que j bem canhecido,
assim como as commodidades. dos precos.
ATTENCAO
As novidades do Passo
PARA A QARESMA.
Chegaram pelo ultimo paquete os ricos posti-
IhSes de gorgoro pretos, basquinas pretas cora
ricos laeos de setim, neste artigo ha duas especies,
de gorgoro e croxe, e mantilhas brasileira, ditas
compridas para cabera, chales de touquim e me-
rino pretos e bordados gorgoroes pretos lisos,
de cordo de listas asselinados, de flores, tanto
o sortimentj neste artigo qae o comprador pode-
r escolher a vontade Setim preto macau muito
superior, sabidas d-; baile de merino mfeitadas de
setim.
SEGUROS
RMrrmos
COVTBAFOCO.
A Gompanliia Indemnisadora, estabelecid
testa praca, toma seguros martimos sobre
avio* e seus carregiieitos e contri fog(
:m edificios, mercadorias e mdbilias: j
roa do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Aluga-se ou compra-se am escravo com
pratica de servico domestico que tenha de 15 a 20
annos de idade : na rna de S. Francisco n. 72.
- Date aJgum liahei,
thecaem partes n'usu
n. 12, loja, se dir quem
_ io sobrejiyp
: ra do
Ni travessa da ra]!
das Crines n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nhclro sobre penhores
de oaro, prata e brilhan-
tes, seja qual for a quan-
lia. Na mesma casa com-
pram-se os mesmos me-
[taes e pedras.
iumnw wlmw nmi
AMA
Precisa-se do urna ama para comprar e cozi-
nhar para duas pesoas : a tratar na ra Nova
n. 52.
Aos 20:
BilBetes do Ro i venda : ra do Cabugi a. X
vende Vieira & Rodrigaes.__________
PEDIDO
Pede-e encarecidamente asa Srs. Domingos
Tteodoro Rignelra e Aristides Florentino Caval-
canti de Albuquerque (de Sermhem), que venbam
roa 4o Vigario n. 14, a negocio que* se precisa
njn--------------------------------------------
AO ARMAZEM
DO
Ra Xot n. 7,
acaba de chegar pelos ltimos vapores novas re-
raessas dos seguintes :
Calcado francez
Para senhoras.Botinas brancas, pretas, e de ou-
tras multas differentes cores i ultima
moda.
Para meninas.Botinas das mesmas cores e qua-
lidadis cima.
Para homens.Botinas de cordavao, bezerro, ver-
ni, pellica, o melhor sortimento qae se
pode desejar.
Para meninos.Botinas das mesmas qualidades
mencionadas para homens.
Para homens.Botas rucianas, meias-botas e per-
neiras.
Para homens, senhoras e meninos.Sapatos de
tapete, aveludadoa, charlte, casemira
preta, trasca de Lisboa etc. etc.
Para meninos e meninas. Abotinados fortes de
rauitas qualidades.
Quinquilharias e Brinquedos
Cbelleiriro
Ra da Cruz n. 24, Io andar, por cima da
botice.
Antonio Rodriguas Ramalho acaba de abrir a
concorrencia publica um espacoso e aaseiad) salo
para barbear e cortar cabellos, e anadea que nelie
encontraro seus amigos, antigos fiegaezes, e em
geral todos os que quizerem frequenta-lo, agrado,
actividade e bom desempenho do irabalho.______
aos nuil i w i ;\ i
Imperio do Brasil.
Grande exposiqo na cidade de
Cordova,
REPBLICA ARGENTINA.
No dia 15 do outobro de 1870 ter lu-
gar a abertura da cxposicSo nacional em
Cordova.
Provine-se, portanto, a todos os produc-
tores, agricultores, fabricantes, artistas e a
todos aquelles que exercam qaalquer indus
tria, que na dita exposicao se recebem tod s
os productos da industria e agricultura
brasileira, assim como todas as machinas e
utensilios que quizerem rcmetter.
Estes productos est5o isentos dos direitos
da alfandega ua Repblica Argentina e po-
derlo ser dirigidos cidade do Rosario, de
onde serio tranportados pelo cammho de
ferro central.
Para mais explicaces dirijam-se em Per-
nambuco, ra da Cruz n. 3, ao consulado
argentino.____________^_________
A pefsoa que annunciou querer permutar
por urna negrinlta do 8 annos pouco mais ou me-
nos, urna outra escrava com urna cria, dirija-se
ra do Imperador n. 43, terceiro andar, que acha-
ra o que pretende.
O abaixo assignado avisa ao publico que tendo
obtido licenca do Exm. Sr. conselheiro inspector
da thesouraria da lazenda geral, para vender es-
tampidas em seu estabelccimento a rna do Crespo
n. 23. pelos mesmos precos que se vendem na re-
cebedoria geral; assim pois, podem as pessoas
residentes nesta cidade c fra della dingirem ao
abaixo assignado, suas encommendas em qualquer
quantidade que sera prompta m inte satisffeitas. -
Manee! Martins Fiuza.
GABELLEIREIR FRANCEZ
51Sua da Cadeia do Eeeife51
Chama a attencao doi seas innmeros frefoeics, e do
geral, para a seguinte tabella dos precos de sua casa, os qoaes A
mais barato do que em outra qualquer parte:
Cadeias pan relogio a 5#, 6
U, &&, H,tU: .
Corte de cabello,.....
Corte de cabello con friceSo. .
Corte de cabello con lavagen a
champou......
Corte de cabello con linpexi da
cabeca pela machina elctri-
ca, nica en Pernanbaco. .
Frisado i inglesa ou i
Barba. .....
Cabelleiras para senhoras a 25)5,
30*. 35/ e......400000
Ditas para homem a 35, 400 e 500000
Coques a 120, 150, 180, 200,
250, 300 e ... 500000
Crescentes a 120,150,180,200,
250, 300 e.....320000
Cachos ou crespos a 30, 40, 50,
60, 70, 80, 90 e. 100000
Tranca de 'cabellojpara annel a
500 e....... 10000
Tranca para braceletes a 100,
150, 200, 25 e.....300000
ASIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Bailes e aolres _______
O dono do' estabelecimento previne s 1 Recommenda-se a superior TOmaLA
Exmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um PONEZA para enegreeer oe cabdws ban
saiao para tintura dos cabellos e barba, as-ba' DDC/ *itda na txfuifU Uainaal
F como nio prejudtcul sae, por str ve
sim como um [empregado sement oceupa-. jatil, analysada e approraa
do nesse servico. 1 mias de sciencias de PAJUS E
Globos
para enancas.
Globos
Globos
De papel de cor para as grandes illuminacoes
!;eraes que devern ter lugar os tres das dos
i'stejos ; vendem-se baratos no armazem do
Vapor Franoez roa nova n. 7.
l.uva.H de Pellica
Liivaa de Pellica
HiTa* de Pellica
Do vordadeiro fabricante Jonvin, brancas, pretas
e de oulras muitas cores, bonitas ao ultimo gosto
e chegadaj de novo ao armazem da Vapor Fran-
cez ra Nova n. 7.
jeiicia.
Pede-se ao Sr. Francisco do Salles e Silva quei-
ra appjrece' a negocio que lhe diz respeilo, no
Bazar da Moda, ra Nova b. 50.
Precisa-se de um moleque de i5 a 30 annos
para servico de urna reinado, entregar caf e as-
sucar : ama Imperial n. 201.
Manoel Pedro de Noroaha retira se para
Portugal com sua senhora, e deixa como procu-
rador encarregadi) e velar pelos destinos de sua
ca*a commercial aos Srs. Antonio Francisco dos
Santo?, Jos Pinto Hibeiro e Manoel Pereira de
Carvalho. Hecife 4 de ?.bril de 870
IDU-l-^ll
AYISO
DA
Tinturara Franeeza
SoA-Hua da Im. eratrl-
0 proprietario desfe eftabelecimente ^
H previne as pessoas que depositaram S
n'elle alguns objeetos antes do primeirro 8
I de Janeiro do anno corrente, que os vo M
bascar impretervelmente no praso de 5
um mez da data da presente publica- j|E
(ao, do contrario se rao os ditos objeetos BS
considerados como abandonados para pa- 5
gamento do traballio, e seus donos nao |0
tero direito nenhum em reclama-los em m
; lempo algnm.
18 Recife, 29 de marco de 1870.
COMEERaO.
Os abaixo assigaados declaram ao publico e es-
pecialmente ao commercio d'esta praca, que em
31 de marco ultimo dissolveram amigavelmente a
sociedade que tinham na loja de fazendas e rou-
pas pretas sita ra Nova n. O. e que gyrava sb
a razao social de Gomes & Silva, retirndose
d'ella o socio Silva Cardoso pago e satisfeito da im-
portancia de seu capital e lucros, completamente
desonerado de qualquer compromlsso contrabido
pela mesma sociedade, ficando cargo do soeio Go-
mes todo o activo e passivo d'ella.
Pernambuco, S de abril de 1870.
Francisco da Silva Cardozo.
__________Antonio Gomes de Oleveira Silca
A imperalriz regente.
Com esta denominado chegaram a loja do Pas-
so pelo ultimo paquete os mais ricos chapeos de
palhinha pretos com enfelle? <1- cures, objecto es-
te o mais moderno de Paria, eheguem antes qne
se acabem : tt rna do Crespo b. 7 A.
Alugnel
Aluga-se um grande subr^d por acabar, ira-
vejado sem asswallio, eom- parto de embarque,
proprio pa/a qualquer otllcia. ko nos Coelhos
durante a Hospital Pedre II i tratar a rna do
Mondgo, olaria-n. 13 ; tambeni serv para mo-
radia. 1^_
A peSSo que diz neste Diario que permuta
urna eserava de 22 annos com um til lio de nra
anno por urna de 8, pJe dirigir-se a ra de
Hortas n. 96.
MtrcT
^
Precisa s de na eaixeiro<]ue tenmi.pratica de
taberna, de idade de Ib a IfjMgf Passagem da llaf dalena jantoitb?jaraplras.
CHA TON! P11GATIY0 E BEPLlAtlVO
DE
(HiUKUUl.
Composte das plantas as mais odorferas e as
mais virtuosas dos montes os mais elevados, o eh
toni-purgatiro de Chambard} possue um gosto sa-
boroso e um aroma suavissimo, e as propriedades
as mais notaveis sobre os embaracos do estomago,
dos intestinos e do ligado o desobstruente por
excedencia na constiparlo do ventre e nao tem
resguardo nenhum.
Depurativo especial e directo da bilis e dos hu-
mores, refresca o sangue depurando 0.
O uso do ch-Chambard pode ser continuado
por muito lempo sem o menor receio e sera in-
commodo nem mudanza no modo de viver.
NICO DEPOSITO EM PERNAMBUCO
NA
^PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholonieu A C.
34RA LARGA CO ROSARIO34.
Ama.
Precisa-se de urna ama de leite : a tratar na
ra do Imperador n. C3, 2o andar, ou Passeio Pu-
blicc n. 60.______________________________
Feitor.
Precisase de um trabalhador para tratar de um
sitio pequeo ; d-se casa propria para inorar, e
pagase a secco, preferindo homem casado : a tra
tar na ra Nova n. 19, Io andar._____________
Panno de algodao da fabrica Todos os
Santos do Illm. Sr. commendador Pedroso, j
chegou ao escriptorio de Joaquim Jos Ooncalves
Deltrao : rna do Commercio n. 17.__________
Precisa se de urna ama para cozinhar : na
ra do Caldeireiro n. 68.
Sociedade p Iriofrca Doze de
Seteinbro.
A commissao central desta sociedade faz publico
que tica transferido para o dia 21 do corrente o
seu festejo pela terminaco da guerra. Em lempo
competente ser publicada em ordem do dia do
Exm. Sr. general coramandante da divisao patrio-
tica.e mais detalhes.
Secretara da Sociedade patrktica Doze de Se
tembro de 1870.
A. Lamenha,
Secretarlo.
Attenpo.
Candida Thereza de Jezus declara a seu marido
Francisco Goncalves Fortes, que o relogio e a cor-
rente que ficou cm seu poder quando fugira de
casa, vender para dar de comer a ;eus 0 hos.
Cosinhero.
Precisa se de um bom cozinheiio para casa de
pouca familia, e paga-se bam : a tratar na ra da
Cadeia n. 20. _________________________
Ama
Precisa se ae urna ama pra servico de urna
casa de pouca familia, que saiba cozinhar : diri-
ja se a ra do Crespo, livrana econon.ica
Pre:isa-se de urna criada qne seja perfeita
engoramadeira, para casa de pouca familia : na
ra do Imperador n. 61, 2 andar, ou do Crespe
n. 8, loja de 4 portas.
iheatro de Santo Antonio
Manoel dos Santos Mello avisa ao respeitavel
publico que tem para aiugar vestuarios para os
bailes mascarados no theatro de Santo Antonio,
casa onde se vondem oj bilhetes. Acha-ie preve-
nido de dminos e outros trajos proprios para o
divertimento, por todo preco, e por preco comino-
do, menos de graca.
Manoel Pedro de Noronha e sua senhora
tendo se retirado para Europa, e nao podendo
pessoalmeme despedir se de todos os seus amigos
pela rapidez de sua viagero, pede esculpa por
meio deste, e oflerece os seus diminutos prestimos
aonde o de.-tino o conduzir. ^^^^^^
Assassinato
O abaixo assignado, senhor do engenbo
Matary, do termo de Goyanna, recommen
da a todas as autoridades poiiciaes desta e
outras provincias, a captura de um escravo
que lbe servia de criado, de nooae Relarmi-
no, de idade de 24 anuos pouc > mais ou
menos, cabra escuro, de cabellos carapi-
nbos, pouca barba, olhos empapussados e
amortecidos, falto de um dente na frente do
queixo superior, tem urna sicatriz no rosto,
de estatura ordinaria, cheio -do corpo, o
qual na madrugada de 7 do correle mez,
assassinou no referido engenho a um par-
ceiro d npme Francisco, e se evadi, n3o
tem sido possivel a sua captura, mesmo a
despeitn d is meios empregados pelo abaixo
assignado e pelo sob-delegado de polica de
Goyaaujba, cojo distrteto ^erlence o lu.
girde deScto. Engenbo Malary (i de abril
d -870. .. ,.
Serifhim Velto Camello Pestia de Abu-
1 'Twpi^^
IMHIIMill. 17 DE ABRIL
GRANDE COSMORAMA
28--Camba do Crmo-28
Paraguav.Vista da passagem de Curupaity, bombsrdeio e lomada de Crate,
mavt, abordagem dos encouracados, passagem de Mercedes, abordi _
do Alagos, combate de Riachuelo e passagem de Cuevas. Todo sen
vidro.
Paraguay.Glorias do exercito brasileiro e tomada te Lombas Valentinas.
Rio de Janeiro.Vista do Castello.
Portugal.Vista do Porto.
Italia.Presa de Palermo por Gribaldi.
Itatia.Vista de Millo.
Hespanha.Vista de Madrid.
Franca.Scena da opera de Pariz.
Inglaterra.Vista geral de Londres.
Todas as vistas serlo mudadas aos fabbados e segnndas-feiras.
ss
OPPRESSAO SOFFOCAQAO
As p*ro!n d"ii*r do DorTOB Cli'rtak approvadns pela Academia imperial
d\ medicina fie Pariz aralmam quasi sempre mstlnnianeamente os ataques d'asaa,
i oppiesso, sofi'nracao, assim como as dores de cabeca e enxaquccas. satt-
cientc nn ccrosiSo em que apparecer o mal, o engor-se urna ou duas ymlii
com urna pouca d'agoa. com certeza o medicamento mais fcil de lomar para
este jroriero de doencas.
A* F'rroia te terobentbSaa do touTOR Clirtah s3o imprecadas diariamente
com grande xito para a cura das nevralgias, rheumalismo, sciatico e eatanies
da bexiga, Estas perolas foram sempre recomnendadas por um grande numera
de mediecs e especialmente pelo Doutor Trousseau, que indica eatesmmtea-
mento como o mais clticaz. conveniente tomar de 4 at 8 na esMssmm das
comidas.
A approvaco da Academia imperial de medicina tem divida a nrlhar
garautia da boa preparaco d'stes medicamentos e de sua cfficacia.
Depoto em [t.-JANEino, uponchcllc; Cheviot Em PeK.NiR-r*. XiwreT C-.
ZAR AC DEMICO
13 Ra da Imperatriz 13
Ulysses A Irmos proprieUrios deste bem conhocido e acreditad > estakVkciaacetr
tem a honra de participar ao Ilustrado corpo ACADMICO e aos seos numerosos fre-
guezes, lanto desta praca, como de fra, que tendo sido elegantemente reformado tv
eslabeleciraento acba-se completamente sonido e em condices de hna servi-lo
seguintes arligos:
CHARUTOS
superiores de Havana, Hambtirgo, Babia e
Rio de Janeiro etc.
Cigarros
de palh* de S. PauTo, de 3500 a 7S0O,
o milheiro, Daniel do Rio Novo, Maurily,
Imperiaes, Tenenies do Diabo, Duque de
Caxias, Gandou etc.; de papel, de fumo
de Daniel, General Osorio, Conde d'Eu,
Rocambole, Radicaes, Acadmicos, Macbam-
i^omba, Montevideo, Orientaes, Baependy e
muitas outras qualidades.
Fumes
Afmalos de BAEPENDY em roixBeJ de
20 libras 1A400 rs. a libra, cm pacotes
a 2)5, de 20 para cima a li5800e nm maior
porclo 1($500 o pacole de l libra, dito
em latas dequarta a 640 e 500 rs., e outras
muitas qualidades como sejam: Daniel do
Rio Novo, do Para, de S, Paulo, Caporal,
Variedades
PONTEIRAS para charutos e cigarros de
todas as qualidades goslos e preces.
CACHIMBOS de superior espuma, e ma-
deira (raizj de 35 at Gil, a dozia e de os
Iras qualidades a retalho.
DITOS p de gallinhados memores
ha neste mercado a 3 e 3dM)0 a das, e
com grande abalimenlo em maior porclo,
ditos de louca, gesso, barro, etc.
BOLSAS de borracha e cooro de veno
gostos e precos, para guardar fumo.
CARTEIRAS para cigarros de IssJn o
systemas.
PHOSPIIOROS de cera, em cauas sk le-
dos os lamanhos, de seguranra a Mm> etc.
PAPEL de milbo, de a ro, taav: ees. Per-
san, pintado, de linbo etc. palha de i
Fernando a melhor possivel.
*
_ Alm dos artigos mencionados encontrado nossos fregueies outros
ero de nosso negocio, que se vende em grosso e a retalbo e que com toas
ser5o satifactoi ament bem servidos: bem como nos encarregamos de
commendas de ne'ssos cigarros de seda e linho, etc. ^
13Ra da Imperatnz13
BAZAR M MODA
SO RIJA NOVA
Os abaixo assignados proprietai ios eslB eslabetecimente,
que, continuam a vender muito barato e em vista ao grande sortarntal
miudezas da melhor qualidade cbamam a attencao dos Srs-
de retalbo afim de comprarem o que lbe for conveniente ; tm
10 0[p, pagamento realisado no mez da compra.
Jote t Souza Soaren^C.
VESTIDOS PRETOS
Superiores cortos de gorgurao de seda preU bordada, o qot s e
naior gosto em Pernambuco. M>,|
Bons grosdenaples pretos de seda, de l^H W c**7'
nasr ru* 'o CPspe r-


Diario de Pernamtuco Domingo 17 de brl de 1870.
RA A QUARESMA

Ra do Queimado7
DE
\ cb*<
M0RE1RA i BASTOS.
l
Caipau pelonlmo vapor da Europa o mais bello sortimeoto de tzendas frea
mcoo sejam : ,
Grosieoaples pretos de todas as larguras e qualidades.
Gorgarao preto para vestidos, o que tem vindo de mais superior nesta faend.t.
Peqoin. da China, de seda pura preto com listras de setim o que ba de mais moderno
em fazenda preta para vestidos.
Mantilbas brasileiras de renda de sedi preta o que tem viudo de mais moderno a
este mercado.
Meterniques de croch preto com ricos lacos de setim e de modello completamonte
novo.
Casacos de croch pretos, compridoscom gran ie roda e de regado que finge segunda
saia sobre o vestido.
Ricas mantas prelas para cabeca de senhoras.
Um grande sortimento de fil preto de seda com flores, neste mesmo estabeieci-
mento tambem ha um grande sortimento de poupelinas de ricos gostos, sedas lisas de
1 ndas cores, saias bordadas, finas para senhoras, lavas de Jouvin de todas as cores
para bomens e senhoras, grande sortimento de cortinados bordados para cama e janellas,
tapeles para sof, camas, pianos, janellas, e grande sortimento das afamadas esleirs
da India para forrar salas, so existe na ra do Queimado n. 7.
Loja do Triumpho. .......
m lUKtfMBBX BBttSBBUHMH !IBBSIB1B
ST.pj
-1 -1 co
o" a
O
t vP
D
3 M ._, o 2 v a

s,m
!
3 JE B o
S.2.Bb?B
* "*
ff
i S
B ST =-. S.
B3 CP .* KJ O
?S -
2.
_- S o
S = s
"O-g O o o>
i-, te
O 22 O o>
srs
= 22
52.
p
_. o a> a
co co _.
a.3.gg
a x o.
S"8 M g *
g a

Q
O
Cu

=dg
^-
*JS
a.
Precisa-se*nf ranlher que %a*igne
dos arranjosifc #afa#aiii) borne'
prar e cozinhar ) e qao seja zefosa no servio a
sea cario : ra das Crines n. 9., segundo ao
dar.
turran
vender grande
I firiha de mandioca da
HaMpMfem outra parte.
(ASADA
os 5:000*
Billetes garantidos,
II ruado Crespo n.23 e casas d*costana,;
0 abtixo assignado, tendo vendido Miore ou-
trtis surtes, dous quinto n. 660 eom 9DW
lotera que se acabou da extrahir a beneficio d*
igreja de S. Amaro do- Serinhero (143"), convida
aos possuidores virem receber na confornu-
dade do cosame sem descont algum.
Acham-se a venda os felizes bilbetes garan-
tidos da 2" parte da lotera beneficio da igreja
da Caja Forte (li4), que se exttabir quando Br
annnnciado.
j Procos
Bilhete JOCO
Meio 3*000
Quinto 1*100
Em porcao de 100J para cima.
Bilhete 5*300
Meio 3*780
Quinto 1*100
Manoel Martina Fina.
Nao se descuidera
Como at hoje que muitos socios pedem di-
rectora do Monte Po Portuguei em relacio a con-
vocaco daassembla geral, mais cuidado e acli-
vidaue, cesse a indlITerena e cumpra o Sr. se-
cretario o art. 49.
C0ZINHE1H0 F. JCOPEIRO.
jo da GonceicSo precisa-ia.de um <<)
peiro.
Vale mil ris.
Precisa-se de urna tm que cozmbe bein o r-
i de ama casi de ramilla ; assim como outra
amar, fofra ou escruva: na ra do Pi-
re?, obrado n. 7.
Cutileiro e armiro
7) abaixo assignado proprietario da offleina de
eulilaria da roa Nova n. 34, avisa aos sens fre-
gueses e as demais pessoas que quiterem se utili-
zar dos seus servicos, que mudoa a dita offleina
ds ra Nova para a da Cambra do Carmo n. 36.
Joao Francisco de Oliveira Santos.
600 a 700^000.
Dase 600 a 700*000 por um sitio porto da
oraca : na roa de Santo Amaro, taberna nova jnn-
.ta Machambomba.
vi

AMA
Precisa-se de urna ama para casa de duas pes-
soas : na roa das Calcadas n. i%._______ .
Precisa-se de urna ama para cosfnhar e
comprar ; na ra de S. Ftancisco n. 46.
Despedida
Os abaixo assignados nao pdendo despedir-se
de todas as pessoas de sua aoisade, pela prestara
de sua viagem, o farem pelo presente, offerecendo
seus servicos em Portugal.
Mannel Luiz da Cotia.
__________ Jos Tavaret Pinfreiro._________
CASA FELIZ :
Aos 20:000^000
A Casa Feliz do arco da Coneeicjfo venden nos
us mais felises bilhetes da lotera 315" benei-
sens
ci da irmandade do Santissimo Sacramento da
antiga s as sorles segnintes:
4491 2:000*000
" 3245 100*000
Figueirtdo Lee.
ATTENCAO
Roga-se pela segunda vez ao Sr. Thomaz Bar-
reto Lns de Barro?, que fui ou empregado em
casa do Sr. Theo: Just a comparecer no t andar
da ra das Cruzes n. 9 a negocio que nao ignora,
ficando certo que o nao fazendo se publicara qual
seja o negocio._____________________________
Perdeu-sehoje da ponte da Boa-vista at o
hotel de France, roa do Commercio, um pequeo
embrolho contendo um annel de ouro cora bri-
Ihante : a pessoa que tiver acbado ser bem re-
compensada, na imperial fabrica de cerveja, roa
do Sebo.
ATTENCAO
Precisase alugar nm moleque de 12 a 14 annos,
pouco mais ou menos, de idade, para mandados e
alguns servicos de caa, que tenha boa conducta :
na ra da Roda n. 48, sobraco.
Precisa-se de urna ama que compre e cosi-
nhe para duas pes?oas: na ra Augusta n 74.
i N. 3 A MAM CABAN. 3 A.|
Com este -titulo aclia-se aberto e inteiramentc transformado este antipo
estabelecimeolo de joias. onde os fregueses e amigos encontraro tudo quanlo
a moda e o bom posto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de duro
observar delicadeza no trato e senciridade c moecidada nos presos.
Espera que o respeitavcl publico venlia ver o que existe de melbor cm
aderocis de bnUiantes, esmeraldas, robins e pcrolas, meios aderecos, pul-
ceiras, rrincos, ailneles h anneis de todas as qualidades, prata de lei faquei-
ros, cnUicru^, palWeiros sal*s c outros muilos objeclos que seria enfadonho
menri ;iui'.
C'unpra-sc ouro, prata, brilbantes e pedias finas, pormaior preco do
qi;i> em outra qualqner parle, ticca-se e concerta-se todo e quslquer objecto
pertencente a esta arte,
mm-'ammm
VEGETAL AMERICANO
CSALIDADE
BARTHOLOMEO &C
Para a cota certa tai tenes aeiifii e recentes, ciUrrku pulmonar, asibmi; tone coraba, eatankei
iroDebiat, e en geni contra todos t* soffrimeotos das tjs reifiraterie.
DEPOSITA GERAL.
Licofl.0 dejrancez.
Urna pessoa bstame habilitada offerece se para
ensiuar a lingua franeeza, tanto nesta praca como
fra della : procure ge na praia do Caldeiro n 31
junto a urna lenda de mareineiro.
Joaquim Innoceneio Gomes e Jos Vicente Go-
dinho, agradecem cordialmerrte a lodas as pessoas
que se dignaran] acompanhar e assistir aos ulti-,
mos suffragios na igreja de S. Francisco, por sua
esposa e fllha Anglica Rodrigues Gomes, e de
novo convidam para assistir a nma missa que por
sua alma tem de ser celebrada no da 22 do cor-
corrate s 7 horas da manha na igreja cima
mencionada._____________
Compra-s
/Ti
duii casas terreas, tas roas eonwrdia, Palma,
Caldeirelro, Santa Therexa e Santa Rita : a tratar
na ra estrella do Rosario n. 3o, cartorio.
Compra-se nm escraro de 16 a 20 annos de
dade : na roa de 8. Francisco n. 72.
Cmpra-se urna eserava de meia idade que
saina cozinhar e lavar bem : a tratar na roa de
Hortas n. 30, sobrado. ^ _______
Comram e oifcj jaoell.il promptas com seus
competente! caixillios.assim como portas partidas :
ho cartorio do Sr. Portocarreiro, ra do Impera-
djr. __________________________________^
i) muzeo de joias
Na roa do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
pedras preciosas por preco mais vantajosos do
pie em outra qualquer paite.
MMriUaM

V:NDAS.
' Brincos e alfloetes de papel, obra delicada e
vista pela primeira vea nesta cidade, feitos por um
curioso ; vende-se a 1*500 a peca : na toja da
Aguia Negra, roa do Cabog n. 8. ________^^
Bai es d mascaras
: Grande sortiinenlo de eabelleiras Nenon.
Luiz XIV e Luis XV : Andr 1)61900, eabillei-
reiro de Pars, ra do Crespo n. 7 A, 1 andar.
Vende-se urna casa terrea na roa da Espe-
rane : qnem pretender dirija se a esta typogra-
phia, que ?e indicar quem vende. _______'
Farfolla nova
de mandioca ltimamente chegada, vende-se a bor
do do brigue escuna Mentor fundiado entre o caes
do Ramos e trapiche Barao o Livrainento : a tra
tar com o eapitao a bordo e com Bernardo Jos
de Araujo, no armazem do Annes defronte da al
fandega.______________^_____^
GRANDE IfOYIDADE
D. Anna Francisca de Mello e Souza, D. Custo-
dia Carolina Augusta de Souza ( auzente) Braz
Florentino Henriques de Souza Jnior e os Drs.
Tarqnlnio Braulio de Souza Amarantho e Jos So-
rano de Souza, convidam os amigos de ten falle-
cido fllha, esposo, pai e irmao o Dr. Braz Floren-
tino Henriques de Souza, para que Ibes facam a
caridade de ouvir as missas, que pela alma do
mesmo finado mandara celebrar na matriz da Boa-
vista, no da 18 do corrente negunda-feira) pelas
8 horas da manbaa. E por este acto de religio
e caridade se confessam desdeja agradecidos a to-
deejraej^xergtarem^^^^^^^^^^^^^
A marqueza do Recife, D. Tberea Augusta Lins
de Mello Tamborim, e o lente Emiliano Ernesto
de Mello Tamborim, convidam aos seus prente)
e as pessoas de sua amizade para assistirem a
urna missa que mandara celebrar na igreja matriz
de S. Jos, pelas 8 horas da manbaa do da 19 do
corrente, pelo repouso eterno de seu mu prezado
neto, irmao e cunhado Francisco Paes Barreto La-
meuha Lins._____
Vende-se ou negocia-se o engenho Comportas,
moente e corrente, sito na fregnezia de Muribeca,
prximo a estrada de ferro, tendo encllente cer-
cado, matas e as melbores trras de plantacao.
Este engenho, atem de muitos sitios de labra-
dores, tem dez grandes partidos de fa enda, cada
um dos quaes leva mais de 150 carros de cemen-
te, sendo oito desses part dos exclusivamente de
fertilissimas varzeas, ine com um dos melhores
vapores, assentado este anno, e lera os necessarios
preparos para moer com animaes; as obras eslo
em bom estado, o passadio muito bom e pode
fazer-se bons curraes no rio Jaboatlo, tem boa
destiladlo com um dos melhores alambiques, e o
engenho pode safrejar nnualmente para mais de
5,000 pies de assucar, depois dos grandes melho-
ramentos feitos em uas trras.
Quem pretender dirja-se roa da Concordia n.
23, das 8 horas da manhaa ao meio da.
BRACO DE OURO,
Ra do Imperador n.26
Os donos desle esUbtleciato tMpn-
do por em pratica nesta capital os cnsl..-
mes das confeitarias (tas prnras espiis
da Europa e Brasil (Rio de Janeiro) bra
sciente ao Ilustrado publico dpst e$fM
que na prxima semana santo lerto es*
estabelecimento primorosamente decorare
e enfeilado com nm com|iteto e rameo
sortimento de carimbas de dilferentes cua-
lidades e gosto, um complet so limtno
de amendoas confeitadas de todas as quali-
dades, confeilos e paslilhas as qoe ser-
vem para encliimcnto das mesmascanifibas
adveriindo ao Ilustrado publico que na n1
des, cima mencionadas est inteirssaent
em uzo brindar senboras com este defecado
present e ve*ndo nos que alea poca pre-
sente anda n3o houve alguem que MaN
a lembranca de proporcionar aos assactes
do bello sexo nesta cidade o eosejt t suas demonstracOes de estima. iatdi e
amisade com um bello presente, nos toma
mos a nosso cargo t9o ardua tarefa attec-
dendo as duvidas do boa ou mi resolta-
do, que pdennos collier.
0 publico encontrara indo mais que r'-
latava o anligo annonck neste Diario,
Exmas. familias na occasiao de visitar 03
templos poderlo vir fortalecer-se ro bons
lanches, \ inlios, licores, Champagne, serve-
ja e refrescos tudo do melnor que pos- -
vel. Esperamos pois da concurrrncta ie
respeitavel publico em geral.
Vende-se nma casa terrea em chans proprios
na freguezia de S. Jos : na roa de Hortas n. 30
se dir quem vende._______________________
45 =9apatos de borracha 45
A 1*000.
Para senhoras e rapazes qne calcem at 37 : a
roa Direila n. 45._______________________
Vende-se urna casa de sobrado oom terraco,
tendo no pavimento terreo dous grandes antazen.-
e comraodoa para familia debaixo do dito lerraco,
sendo a entrada por um corredor de 80 palmos
de fundo, e iadependenle dos referidos armazens,
cozinha fra. quarlo para banho, cacimba, estriba-
ra e quintal com subida para o rio, na r ja da
Ponte n. 20 da cidade de Mamanguape : a tratar
na mesma casa com seu proprietario Jos Martina
Fernandes Nogueira.
Manoel Ferreira da Sva Vianna, Marie Anna de
Vaconcellos Vianna, h>- Joaquim de Vasconcel-
os Pinto, Joaquina Leopoldina de Vaseoncellos
Pinto, Manoel Francisco de Vaseoncellos Pinto, e
Francisca M. de Vasc>;neellos Pinto,agradecem cor-
dialineute a todas as pessoas que se dgnaram
acompanhar e assistir Ida ltimos suffragios na
igreja desia Iroguezia, a feu sogro c pai Joaquim
de Vaseoncellos Pinto ; e de novo convidam a as-
sistirem a urna missa que por sua alma tem du
ser celebrada no di 18 do corrente, pelas 7 horas
da manha. .unelieira 11 de abril de 1870.
M
L*8 S
Os senhores sacerdotes que quizerem dizer mis-
fa -cora a esmola de 3#>, comparecen! a igreja ma-
triz do Boa-vista no da 18 do corrente. das 6 as
9 boras da manlia.
OTI<=.
ss
34, RA LARGA DO ROZARIO, 34
PERNAMBUCO
A thrpeutie pbirjngile ou jnal di gargtnl t tnbercnlifo
(4iln>onr, fttuaio pelas diiersu tronehrtes currhe
jt dpdvmok cmm de ser enraqoeetda com mais
ese Bedicamento. >ue loaara a primeira ordem entre
iodo* al boje condecidos. 0 xarope Vegetal americano,
farantindo paramente vegetal, nao conlem em sus
compeic4o nm s tomo de opio, e sim semenie sue-
cos de plantas indgenas, cajas propriedadea benficas
a cux da molestias qne pertencem ios orgios de res-
pirarlo foram por nos obserrsdas por longo tempo,
com optemos resollados-cada tei mais crescenies; pelo
qne nos jnlgsmo* aulorssdos a compor o xarope qne
agora aprasenUmos, e a offerece lo aos Bedwoa e ao
publico, Beramos com os Uestados abaiio o ene le-
-amos dito, e comamos que a conceito de que ji gosa
o xarope Vegetal Americano ereiceri de dia a dia,
Cenando mailo apos da si todas oa pailoraes esa vega.
Jila. Sr. BarlbalofMo k C-0 xarope Vegetal km-
liaajw, preparado ata mm concelttadissima pharmacia.
nm otil remedio para eombater i territel sstama.
SofrU en aqnelU molesa ha qnatra mexes, aea anda
ter combatido os suejaes mensaes qae tintas; este al urna
qne lite foi (ortiaainataine bm proslon por sas, awri.
erao a mm milagroaa laropa, tomando apenas tres
SW u o preaente nao ful de novo atacado. Prua
[^/^o^reaaetoaeporamatai.tUadc-
Iba, pois os meus sgrdecimeatoe por me ter aliviado dt
lio horrifel mal. Com a mais significaliTa gralidlo,
snhecrevo-me deVmcs. afleetnoso e reconhecido criad
Stvtrmo Dwrie.Su Cau 14 da fevereiro de 1661
IHma Srs Bartholomeo 4C. Depois de quasi seii
mexee Je soflrimento com nma totee incestante, (actii
extraordinario, expectoraclo de um calarrbo amarella-
o, a sarda toll dia foreaa, qne o menor passeif
me fatigara completamente, cansado de lomar muie ca-
iro? remedios sem resultado tire a felicidade de saberqut
Vmcs. pnpararam o xarope Vegetal Americano, e com
elle, gneas a Dens, me echo reslabetecido ha mais di
dois mexes, e robusto como se nsda liresee sofirido. A
grslidio ma foros a eata declaracio, qae podero Vmcs
laxar o nao qae quizerem. Sou eom eetima de Vmcs
muitos respeilador e eriido. Antonio /oaotum i,
Culr e Silre. Recife 8 de fevereira de 1868.
Atiesto qne asei do xarope Vegetal Americano, >
eomposialo dos Srs Bartholomeo I C. para cara de
forte defluxo qae me irouxe nma ronquidAo, qae ma ai>
faxia edtender, oflammeclo a dor na garganta, totat
grande falta derespiraco, e fiqnei completamente re
labelecido com nm so vidro do mesmo xarope; >)<
que Ihes protesto eterna gratidAo. Racifa da j
airo de 1848. /oofasm Ptrtkt Armlm*hmm. -
EsUo raconhecidos.
-O abaixo assignado tendo ja ha tempo res-
pondido pelo Jornal do Recsfe um annuncio que
chamava a sen fllho Thomaz Barreto Lins de Bar-
ros para fallar a negocio na raa das Cruzes n 9,
v com pesar de novo no Diario de Pernambueo de
13docorne se o chamar, nao instante ter o
abaixo assignado convidado o annuneiante a en-
tender-se com elle sobre qualquer negocio de seu
(llho, visto que este se actia fra da provincia, ou
se assim entender o annuneiante, declarar qual
o negocio que tanto se re ere.
_______Jos Candido de Barros
Ao corpo acadmico.
O abaixo assignado pede aos senhores acadmi-
cos qne no dia 11 do mez prximo passado aluga-
ram a casa n. 5, sita na Capunga ra da Amiza-
de, e que tendo pago um mez adiantado, nao ap-
pareceu mais, o favor de apparecerem com sua
carta de nanea ou a chave da dita casa, na mssma
ra n. 9, urna vez que o mez est j Ando ; e se
no praso ds ires dia?, a contar de hoje, os respec-
tivos senhores to o fizerern perdern o direito
dita casa, mandando o abaixo assignado arrancar
a fechadura debaixo das furmalioades da lei.
Maneel Jos Soares Guimaraes.
D. Brites de Albuqoerque Gama Lins muito
agradece s pessoas que assistiram ao enterro do
seu finado marido Francisco Paes Barreto Lame-
nba Lins eacompanharem o corpo ao cemeterio,
e pede tanto a estes como a todos os demais pa-
rantes e amigos do mesmo finado para assistirem
ai missa do stimo dia, a qual ter lugar no con-
venio do Carmo as 7 horas da manha de quarla-
feira 20 do corrente.
* arrV
O Dr. Joaquim Correia de Araujo cordialmente
agradece a todas as pessoas que se dgnaram
acompanhar ao ultimo jaiigo os restos mortaes de
seu muito prezado cunhado Dr. Jos Francisco de
Paula Correia de Araujo, e pede aos seus pren-
les e amigos o caridosi obsequio de assistirem a
missa do stimo dia, que ser celebrada ni igreja
matriz da Boa-vista, segunda-feira 18 do corrente,
as 7 horas da manha.
Irmandane de Nossa Senhora da Conceirao
dos'Militares.
A mesa regedora desta irmandade recebe no-
vamente propostas at o dia 21 do corrente para a
pintura e douramento dos dous altares lateraes e
arco da capella-mr da igreja de sua excelsa pa-
drocra. Os proponentes devero apresentar suas
propostas acompanhadas da competente flanea.
Consistorio da irmandade II de abril de 1870.
O secretario,
___________Emiliano Tamborim.
Irmandade acadmica de Nossa Senhora do
Bom Gunselbo.
De ordem de nosso irmao juiz convido a mesa
administrativa desta corporacao reunir-se no
dia 18 do correle, as 11 horas da manha, em a
igreja de S. Francisco, para tratar-se de negocios
relativos me-ma irmandade.
* Consistorio da irmondade acadmica ios 12 de
abril de 1870.
Servindo de secretario,
Francisco Jos Meira Sobnnho..
Tamanc s do Porto.
Vende-se tamancos do Porto para homem e se-
nhora, chinellas ditas, tudo de superior qualidade,
cnegados ltimamente ra da Senzalla Nova
n. 1. ___________________________________
Vende-se urna plnrmacia bem montada e si-
tuada na ra da Ponte n. 20 da cidade de Ma-
manguape : a tratar na mesma com seu proprie-
tario Jos Martins Fernandes Nogueira.
Grande reuniao!...
O Campos da ra do Imperador n. 28 avisa ao
respeitavel publico e o.-penialmrnte ao< seus nu
morosos f egntzes qne em vista da esrassss de
.pelxe fresco no mercado desta'provincia, conse
guiofazerem seu armezem urna grande reuui>
de peixes d diversas qualidades e preparados de
differentes mnneiras a saber : em salmoura, em
inolhoe em a/eite, das segrales qualidades : sar-
dinhas, cavallinhas, harenques, cavailas, govas,
chernes, savel, pescada besugo, chicharro, tainhas
congro, salmn, lagosta, etc., el;., e.c.
A elle I I
A elle! I
__________No armazem do Campos.__________
Ra do Queimado n. 31
*
VERDADEIRAS
PIULAS DE BLANCARD
CO IOOURETO 00 FERRO INALTEftAVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DI MEDICINA DI PARS, ETC.
PaufBdo u propriedades dd l*i al do farra), eonvem eepedalmente M* kmecot*
itv a Tsica no principio, a fraqwta dt temptnmmU tamban nos easoa
Tivik di c6m. hrnoruha, ein qu precia riaoi bm o SAltetn ie)a pan TealMaslJ
Iba a ana riflafca abtmdanaa normaes, ou pan provaear a regular o sen curto parioaw.
,.Jf.3. 0 iodoraia da Ierroimawoa alterada i axn zMdieaaMnia iaael,
trritanie. Cco prare d poretfl d aatbeneidaii das vwafraWa* 9%-
+*** watmimt*, d*vt-a nir Mata aatM U tafa. a a,
L naaaa ar, arioi reprodnrida, ejoa ta acba aa wa Infariot de a*
^l ratela nree. Dere-sa daeeonfiar dat faliificaaott.
at
v< ta Mu argamasa rainal.
fktrmttmtle, r%* laaitaart^ Ift
7*1'
0 DI. CASANOVA
nico homeopatha, pode ser procurado no sen
consultorio especial homeopathico no largo da ma-
triz de Sanio Antonio n. 2, 2o andar.
No mesmo con-ullvrio tem sempre grande sor-
timento de medicamentos de meopathia, tanto em
globos como em tintura.
CADET
C U RA
em TRES DiS
[Pix^Denaii

n
HliA.
No dia & de abril de 1870, do sitio do Arco da
travessa dt Ponte de Ucha, f gio o preto Isidoro,
de nacao Angola, de idade 42 annos, pouco mais
ou menos, baixo, corpo regular, cabeca pequea,
rosto redondo, com alguma barba no buco e no
queixo, mos e ps pegenos, qanellas finas, anda
apressado, porera cora os pessos curtos, levou
vestido blusa curta de algodozinho, calca de es-
topa e chapeo de palha de carnauba com abas
largas, pormconsti que anda cem camisa de
madapolo ordinario, calca de brim trigueiro, e
ehapo de feltro : roga-se as autoridades policiaes,
capitaes de campe ou qualquer pessoa, que o
prenda ou raandem prender, que levando ao mes-
mo sitio ou na ra das Cruzes n. 32, sero bem
recompensados.
Ama.
Na ra da Cadeia do Becife n. 30 precisa se de
urna ama para cozinhar.
O
O
O
o
Expelientes chapeos de castor,
brancus e pretos, pelo baratsimo
pre?o de I00"0.
Loja de Antonio de Moura P.olim'
& C.
O
O
o
Ba do Queimado n. 31
Para assistir aos actos da semana santa.
Chegnram para a loja de miudezas denominada
o Mercurio, ra da Ioiperatriz n. ftj, defrente da
matriz, as mui procuradas I uvas duqueza para
senhora, ditas pira liomem, e garante so serem
das mui frescas por terem vindo no vapor francez
ulitmamente chegado a este porto.
Cortes de vestidos de
blod.
A a!.a de chegar loja dos arcos ra do
Crespo n. 20 A. de Alvaro Augusto de Almeida
4 C, os mais ricos cortes de rostido! de blond
que tem vindo a este mercado para casamento-,
assim como corles de vestidos de seda de cor de
gostos inleiramenle novos, e tambera um grande
sortimento de chapeos de velludo para senrwras
COMPRAS.
Casa terrea.
Compra-se urna casa terrea
da aladre de Deus n. 16, loja.
tratar na ma
l.om|>ram-se moedas do ouro e prata de lo-
tos os valores, onjo e prat3 em obras inutilisadas,
irlhantes -e mais pedras preciosas : na luja de
mrives do arco da ConceiQo, uo Recife.
Onnprah-se e vendem-se diariamente para fra
t dentro da provincia estira vos de todas- as idades,
ree e sexos, com tanto que sejam adis: no
erceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cruzes,
'r^gnezia dg Santo Antonio: M ^ ^ .
cora muito mlibr vautagom 'eompram-Te
noedas de oaro e prata : na loja de Joias do Co-
a^-ao de Poro n. 2 D, ra do Cabug.
Ps de coqaefros
a 300 rs., e o cento a 23f, o melhor tempo pos-
sivel para^plan'ar : na ra Dire.ita n. 13-
Vende-se ou troca-se por caas nesta praca
o sitio denominado dos Horitiz, antiga casa da la-
vagem de roupa, com grande casa de vivenda,
senzala para preto-, e. n baria, banheiro de pedra
e.cal com agua corrente, baixa pira eapim e
grande terreuo para plantacoes : quera o preten-
der dirjase praca da Independencia n. 3.1.
Multa attrncad.
O Pacitho da Aurora ra da Ioiperatriz n.
2, araba de receber pelo ultimo paquete um va-
riado sirtimento de razendas proprias do tempo,
assim tomo kvan de pelica pretas e de cores para
bomens, senhoras e meninas,
Vendes farello muito novo, saccas grandes,
gaz de priireira qualidade, barris com banlia de
pono de lialtiuiore, tudo por presos razoaves e
porcSes a voniadc dos compradores: no armazem
de Wathus Anstin & C. ra da Sanzalla Velha
n IQft.________________________________
Cirande armazem le I tica na
roa Ja Impet afriz a. G
Neste grande armazem vende-se louea ingleza
finas e ordinarias, apparelhos de porcelana para
jantar e para cha, jarros para flores os mais boni-
tos p gostos modernos; assim como grande
crlimento de vidros finos o ordinarios, que ludo
se wrkler tanto a relalho como por atacado pelo
mais barato preco que em outra pualquer parte :
chamamos a ahencao dos Tregete* que sero
convenientemeula servidos laulo nos cimmodoj
precos tordo na boa qnalldade das fazendas.
E. k! (tabello & C tem pra venderem em
seu escriptorio, ra dolommercio n. 48, os se-
guimos-artigos : can *m velase hngias, dita em
grumo e taes, retrot ptelo snperior.___________
' Cintos modernos.
A' li ja tu fazendajje Paes Mello 4 C. acaba^de
Ichegar um ompea/foriiaiento de-cintos' (ireteVs
de cores, que se veodem por precos commodos,
RA DUQUE DE CAXIAS N. 13
(aftiga do Queimado).
A ra (!o Duque de Caxias n 21.
(ANTIGA RA DO QDEQUDO)
Nao foi sem fundamento qne a NOVA
ESPKRANOA tem deiado de f^zer os s
anoancios, a razio simples ella entente
qne tudo em demasa borrere.. p* s?o
como j tinhadito e scienliticatk) a soa !> *
freguezia, o que constantemetiie ia receben-
do, ou livesse feilo mnilas vea, reoi' J
tornar-se massante, assim pois rfcolheo-*
um poseo ao silencio, mas nunca deixarn!
d'empregar os verdadeiros es&>reo*. j enr-
tralando maior numero de correspjaenlr >
na Europa, j descobrindo tbject.iStloiaai-
apurado gosto e finalmente assigoando o
Jornal das Familias, o qtta! ven sompr-'
ornado com fgiirinos, modernos moldes para
vestidos etc,. etc. para desla forma melbc-r
servir a sna constante freguezia ; t com f?s-
pecialidade ao bello sexo, a quem a NOVA
ESPELUNCA ufanase em ollerecer-lhe
seus servicos, apressando-se desde p em
declarar o que tem recebido nliimameiite
enlremeio e habano bordado transparente?
e tapados, chaposinhos ile sr-tim para taf;-
tisados..
Fina? Irni'ras de iMmlrai;: tonlida pan
o mesmo lim.
Meia de seda e lio de esrocia para rnafi -
Qas.
Didais d*osso, raarlim ttfio Hsadrrr'-
rola.
ptimas navalba?, afiadores c massa pan
as mesm.is.
Finas esponJMpara o neto t para br-
nlios.
Bonitos sapalinnos com aVquett,
com salt *, para meninos e m< ninas de
a dozo annos.
Iloas lentas c ni cinco melm< tros pai i
conlar-se os Dos de quaiqtcr fczenda.
Tliesooras para frisar vestidoe.
Carretas pera tirar ir Mes d>' teft to*.
^ Mollas para segurar eMata aa.
Bouit'is link'iros de ntrriise e oBiroad
moldes.
Meias dj in.t para Itjmense seabnus.
Finas e bonitas ligas para meias.
Fil de ribo e i! fda, sendo prel
liranco, iisti 8 il snluM-na, < tu!ros n>ail> -
obji'Ctos i \|h;-i;s a tvi:ia a ua IU';i:--
de Callas i. \, na NOVA ESHFRA!Hl>.
MURA PEKH M'lA.
A KOVA ESPERANCA a raa Duque
Caxias n. -21, acaba da recabe muilapei-
fumariy dos melliorcs mus iamadus f.i-
bricantes, como sejam linos txiractospara
lenco, esecncias cunsantradas d militas qu :
ddes ollios de agiadaveii ebeiroa para i -
cabellos, .bonitos vasos com ba banda, li: -
dissimos vasos ci m pos de arroi, sa&oneb -i
de differentes qualidades etc., etc., as pois os apreciadores do bom, voubatns-t s-
fazersuas precisis na NOVA ESPERANCA.
PARA ALVKJVn E CONSERVAU 08 DENTTES
P do carvUo de rosas : vendem-se rr.t
Dnqne de Caxias n. 21 na NOVA ESPF.-
RANCA.
Para acabar com as sardas, on pannes
recebeu a NOVA ESPERANCA i rna Du-
que de Caxias n, 21, o verdadeiro eile di*
rosas brancas.
MabSo d'alcatria.
Vende-se na roa Duque de Caxias n. 21.
para luto:
- Brincos, broches, voltas, pulceiras. five!-
las, pentes, boioes para punhos e cadeias
para relogios.
A NOVA ESPERANQA querendo salisfazi^r
sua freguezia, n5o smente em objeetos
il'alegria, ou de luxo, quer larr.be m acom-
panhar aquees, qne infelizmente perdend
alguem de soa familia, nn a'guem de sua
amizafle, prtcisam de Ues objetos, assim
pois a NOVA ESPEBANCA, manou vero
que lia de melhor neste geoero, poras-}
sendo tacs^objeetos de cor negra, senda
de m qualidade, nao sonriente tornaai-s
tristes como at repugnantes, o qoc aii
acontessn aos da NOVA ESPERACA- p-r
que apenas exprime o senlimento pella r(r
porem como que traz um linltivo pelo gost-i
o perfeicao com que laes objeetos sao tra-
baihados.
Brozeguins pretos fantasa para senhora
aiXKK).
Ditos de duraqne de c6r enfeitados para
senhoras a 4?5COO (todos em pcrfe'to e
dencia n. 39, loja de
Basto?._______
Vende -se por mano do tea *'''
ci envidricada e aeos aleaciUea Jal
pateo da Penha n. 9, propria para onidfjMr aiite-
cipiante : a tratar junto a. 10.

I



Diario de. Peinaiabuco Pomitigo 17 Je Abril de 1870.
AV
55ftia do Cbieimado51
A VEUDADE tenso em deposite gran-
quaatidade de miudeaas e perfumaras, e de
ejaado apnrar dioheiro e adqnerir boa fm
guetiaest rssokida a vender muitissim
barato, ; por eses razio convida ao respei-
tavel publico a vir couipeteetemente muir
do.a sorUr*s6*> boroeiiMHMto. Peis quac
do a VtoNfode apparece, todo Daais de*
apparece------
Grande sortimento de bonecoe de otea ?
massa as mais lidas possiveis vestidas ac>
rector.
Abolladuras modernas para col-
letoa....... 32(
Espelhos donrados pepuenos. 2(K
A71:has de osso para crox a 2(K
Pent-s p;>ra regac> com csnlas a 32'
Rico* giohos para candieiro de gaz a 1^80
Cbaminsa....... 32t
Grande sortimento do objetos de
louca para brinqoedo de menino 10C
Garraft com tinta a..... 80(
Dita com agua florida verdadeira a lo-'lOi
Dita com -lita dita a ... ldODi
F..-.,.. o couioleo de babosa a 500 e 72(
Dito com agna de Colonia a 300 e 5(X
Garrafa com agua divina a. IodO
Frasco com extractos finos a-. 4d09<
Latas .-quenas com banba milito
fina a 120 e...... 46'
Sabonetas de diversas qnali dades a
80, 1 JO, 240 e...... 32*
Finas ejcovas para denles de 420a 60(
Lhv.is cnqnes modernos a. 8)500'
Pavios para gaz. dHzia a 210 e 32(
Escenas para facto a 500, 600 e 7(X
Bitas para cabello a..... 50
Pentes para tirar piolco a 460 e. 24*
Brincos de cores, bonitos a 460 e 201
Pe^as de tranca de 13a com 8
varas por....... 8(
O'eo para machina de costura,
(meo a........ 60
Penn-is d'aco finas caixas a 800 e 4i$00<
Dil d'aco Perry, caixa a. 440i
Ga!l' de algodo poca .... 4CK
Liadas babMastes e entremeios
peca do 500 a...... 105Oi
Dito^. Je louca muito fino a 420 e 20(
Ditos para calca a 460 e. 24(
Gaa com papoi amizade a. 70(
Ditas oom envelopes a. 48(
Ditas cora obreias a..... 4(
Can a cora agolhas fundo doarado 28(
Ditas de ditas ditas a..... 46i
Ttiesoura para costura a 240 e 50(
Caixa com linha de marea a 281
Linha de cores em novillos (li-
bra; a........ 50(
Carreteis de linha Alexnndre de 70
at 200........ m
Granos amito finos com passa-
ros, uzia a...... 20(
Cartas portoguezas, duzia a 140(
Das franceas a 2*200 e 3&HX
Panel almaco e de paso, resma a
3*400, 3*500 e 405O(
L~a .aaito fina para bordar, libra 605O
Fita de algodo par, debrum 'de
sapatos, peca a..... 46(
Pa Vcrdade a risa do Qneimadc
SEMANA SANTA
recebeu pelo ultimo vapor, ca^quinbo ttefll' pe-
lo de seda Froufrou ricamente enfeilado?. e
mamilhas da menma tazenda : vndese na rea.
do Imperador n. M, t andar.
i
Em casa de Mills Latham & C, ra da Grar n.
3ft vendem-i fainas de ferro galvanizada.
Estampilhas.
Vendo-se na nn da Cro* n. 8, 4o andar.
DA
FABRIfA SAMAL DA BAHA
DB
Teixeira dunco $ C.
Acha-se venda este ptimo rap, nico pdc snppnr falta do priareza ti Lisboa, por
de mui agradavel Wfume, viajado, a preejo r
mais mdico possivl; e por iseo ten sido asi
acomido as prat.as da Baha, do Hio d* taaairo i
em outras do imperio : no escriptorio Se Joaqai
Jos Goncalves Beltrao, roa do Comraercio m
mero 17. i__________
Bichas hamburgnezas
Neste novqdeposito recebe-se por todos os pa-
quetee iranslnlieos bichas de qnalidad superior
e vendem se em caixa ou porcao mais poqeoa,
e mais barato do que em ontra qualquer parte:
na ra da Cadea do Recife n. 51, l* andar.
Cigarros da imperial
fabrica de. S. Joo
de Nicttieroy.
Unieo deposito em Pernamboco cae? da alfan-
dega velha n. 2, 1* anda.
NEGRA
Travessa do Corpa Saato n. 2A.
Os acreditados cylmdros americanos para padaria, por doos differentes sjsteaaas.
Machinas para descaroear algodSo pelos melhores fabricantes de New York.
SS25 de va?or sy8tema de tocomoilva e polias para as mensas.
Carneo amernos para IraLsportar volme em anmmens. Todo por pl-
eos razoaveis.
5;000
A ra Nova n.' 60
para senhora a 3^000
qnanto nSo se acabam'.
vendem-se botinas
o par : a eltas em
Cantara de Lisboa
Soleiras, hombreiras, e capiteis, o que ba de
raelhor para frentes de predios: ven la no r-
mazera da travessa do Carpo Sauto, da Joaquim
Lopes Machado A C.
t
Venle-se pelo sen justo valor na rna da Ca-
deia do Reciten. 58, loja do Azulejo.
Farinha de mandioca
Vndese de superior qualidade^ no aoriptorlo
de Joaquim Rodrigues T va re- de Mello, largo do
Corpo Santo n. 17 on no trapicho do Guirha, For-
te do Mattos.
MNTO MACHADO 8: C,
A AGtlA NEGft-animada cora o bom accoWiimcntO'qtre te ve em seus annnn
lio*, vem novo partiapar a seus fregueses que, acaba-de receber ura variado sortt-
neoto de objectos de gasto' os qnaee ser5o vendidos1 per precos muito razoaveis, pois
mando fez os seus primelros- annacioft, foi o que assegnroo, e sem modo de-errar,
wnftmicon j diwe; oM ittteatMe* liffada a um* casa iroportadoradcsla praca, e
?or isso poder ter tudb especial e vender por precos admiraveis.Chama pois a atten-
*.5q de seus fregoefce para os arttgos possa deeerever:
Livros com o tampo tle marfim, madre- Um variado sortiments .de oharutelras e
lerola e tartaruga, proprios para missai
Garafinhas- varias propria3 para presentes
oosa de goste.
Inr'^-'^savis de palinba e de-coore-'f ro'
iric- iWra stinb'oras e menmas trazarnos
iraedii.
Bmocolos da madreperola, marfim-e tarv
ruga todos esmaMade.
Cintos largos de setirar; coasa itrteiramen-!,-,
pallitiros de porcelana,
Tentos para voltarete.
Bfeflgals com marfim; coosa especial.
Jabonetes de alcatro.
Cofres de foma para dinheiro.
Lindas cairas pata costura.
Um completo sortimento d kiva's de pe*
Fitas de sarja de tedas as cres e larga-f Taiagorce para bordar.
as para lacns. Um completo soTtirocrito de enfeiteside
Toncas, sapatlftbos meias de seda e mais seda para vestido.
Wtences para brisados. Prfumarias de todos os aatores os mais
Fitas com'iiiscnpcoes proprias para bou- acreditados em oxtractos, pomadas e oleo
rae! de fioivaj e finalmente outros muitos objectos que nao
Ricos vasos com p do arroz*.' possivet meneionar ; mas com a vista se
Um variado sortiment de jarros de por- certificacto db sortimento dste estabele-
alaeav cimento. '
Aguia Negra, ra do Cabug n. 8.
TRAVESSA DO CORPO SANTO N. 25
Joaquim Kopes Michado A C.
C'oasldrrafes grrxets sobre a
EMANCIPADO DOS E5CRAV0S
No imperio do Brasil e indicaeo dos melos para
rea)isa-lo
~ Por Peixoto de Briio.
1 votiime 8* broennra 500 rP.
_________LIVRARIA FRANCEZA.
ATTENCAO^
Vcno'e-se o engenho Hassayb, livre e detem-
baracado, e bem como a propriedade Pfo prete
separada do me^mo engenho : a tratar-coi o scu
proprietario na ra do Apollo n. 47, Io andar.
MCIIIMS nu
COSTURA
Acabara de chegar ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, ra Nova n. 2*CAnNEmc
viannaum completo sortimento de m
chinas para costura, dos autores mais co-
nhecidos, as quaes estao em exposicao no
mesmo Bazar, garantindo-se a sua boa qua-
lidade, e tambera ensina-se com perfeico
a todos ps compradores. Estas machinas
sao ignaes no seu trabalho ao de 30 costu-
reiras diariamente, e a sua perfeico tal
como da melhor costureira de Paris. Apre-
sentam-se trabalhos execulados pelas mes-
mas, que muito devem agradar aos preten-
dentes.
Vende se a armacao da taberna do paleo da
Penhan. 8 : a tratar junto n. 10.______^^^
Chegou a loja de Paredes Porto, a ra da' Imperatrfo n: 5K, (Torta Larga) ura bo- CElldidO AlbGrtO So
nito sortimento de toalhas de linho para mesa, assim con os competente* gaardanapos
que se vendem a precobaixo.
PAREDES P0RTO vende lasinlias a 240 o covado, fazenda de 300 rs, para acabar
na ra da mperalriz- n. 52.
PAREDES l'Uti 10 vende algodo com pequeo toque de avaria a 3^500 e 4#000,
a pe?a roa da Imp*rairiz n. 5.
PAREDES PORTO vende diita preta para luto a 1G0 rs. o covado na roa da Im
peratriz n. 52. Porta larga.
CHALES
Vende-se chales prelo de merino a 300G f vs.
Vende-se nra boi e carro
regar assoear ou gneros : a
Ramos n. 9t, rom Antonw Jos HiiBp. Mr e-
tar para retirar -te para Eurtpa.
Cal nova de Lisboa
descarrrgada hje do patacho Mmrm ; e vb4*
loaquim Jos Ramos, m rna da Crm m. a, pav
nceiro andar._______
Vende-se nina parte d eaacaru
fregueziaile I^uarase. a-sia coa se
ira parte do engenho Orte de Otaa,
purgatorio, que rrretto conven a
tratar no Remedio com o Sr. Aa
deirode Gosmai.
*> aa.
fko-
PARDES TORTO-vende.meias para senhoras a 25300 a duzia pr ter um peque-
o mofo, na ra da Imperatriz n. oi porta larga.
PAREDES PORTO vende cortes decalca de casemira preta a 3)5500 e 4000.
PAREDES PORTO tem para vender panno preto superior e casemiras de cores e
pretas que vende por prcos commodos.
CHALES. GRANDE PECHINCIfA.
Che?ou a loja da roa Imperatriz n. 52 de Paredes Porto um bonito sortimento de
chales chinezes fazendas muito boas para senhoras trazerem em casa, est vendendo
por 5->000, el acabando-se na
Laja do Lso.
dr da Motta & C.
com escriptorio c armaatm na travcfsa da Madre
de Dos n. ti, tem para vender o seguintc :
Cemento PorUsnd de Ia quahdade, o melhor que
temvindoao mercado, barricas de 12 a li arro-
bas por 1000.
Vinhos Dordeanx das seguintes qualidades :
Sf. Julin.
Kronsac.
Lormant.
St. Emilion.
Margaus.
Chateau de Boycherelle.
St. Lambert.
Lalonbere.
Dnplessis.
Cauor.
Dearsesai.
Vinho di. Porto de qualid:ide muito especial.
Az;ile doce retinado em caixas de 12 garrafas.
Fumos do todas as qualidades, se encontrar
neste estabelecimento em latas, rolos e fardos.
Papel de todas as qualidades proprios para ci-
garros.
aw-
PAHl AFESTA
3 portas, lija de fertagem
53-Rua DireitiV-98
Nesta. grande eataaeleciOMMo, ka pan
um completo sortimento de ferrageiT), a
finas e grossas, como aejam baadejaa
quadradaa e ovaes, focas e gata a I
les, Manco inteiro e 1/1 baiaaco;
Iheiras, caearollas, frigideiras, asi
de (erro como de portetaaa, motakoa para
diversos tamanbos do (abri
gra vimos, tanto d ferro cora* da'
para medir fazenda taMo de (erra
salitre, breo, banana, enxare,
do, do verdadeiro Pkardo,
rocar algodao; alea de antroa
gem, raiudezas entilaras loas, qne s
ta se verifica; na rna direta a. S3 laja da
tas de Manoel Bero da Oliveira RracaJt C
lo Mara Palmeira tesa para andar na
feu escriptorio no largo do Corpo Santo a. I, t
andar.
Vinho Bordeaux fmo, caixa de 12 farota.
Ae te doce, dem dem.
Lona de i* qnalidad, da Bussia.
Brinzo?, idem idem.
Hrins, idem idem.
Estampas Santos em quadnnh,.-.
Pianos de excelentes voms.
Fio da vella.
Enxofre.
Salitre.
Cemento Poriland.
Dito Romano.
Vellas stearinas (spermaeete).
Pe les de carneir .
Estopa para fardos de algodo.
Ch Hysaoa l qualidade.
Oleo do linhaca.
Laa barripnd.
Canella da India.
Fardos de fumo em Mha, (- se vende de!
dus para cima.

)r
IAZ GAZ (AZ
Chegon ao antigo deposito de
0., rna do Imperador, uin can-
de primeira qualidade; o qual se
e a retalho por menos preco do one
qner parta.
60RA DA IMPERATRIZ
DE
PAYAO
JFMOfcJEMMWEOO cC
em outra nHtaeflr S 5l?to%e^o^^)s^a^?m SSSfJS. UFgT'le ?orliracnt de ^^ S^t^^o^^oST^^^^l^^St^dB o^e^fes prSteinder por precos i
e armazen? podero W os SMtaSS ^^i^^m^^a^^TaJ BIM ; $"A ^T vender pelo casto liaitando-ee apenas a gan arera o descont. As pessoas que neniara em menor escall?, ^5 Z
derem escolher. !> i^evN que comprara as casas estrangeiras. Paramator commodidade das Exmas. familias, de todas
Camkr*2 snfssa 'de I2-000 rs rada nm f iiiaaMmlm
COM 8 PALMOS!M LAJERA A 1:600,1 WUS MaUSS^
r^V-!i u .1 Pavno tem DOnias casemiras cscosse-
Coejanm js iausin cambra.as amasas zas com quadros grados e midos e outras
tranpar ntes, sendo o que ha de mais fino lisas cora listras ao lado, sendo fazendo
Z^SSfSStS^SJfi0 baral m mui!0 fina iue se vende mais barat. por
W 2000 o 2,5300 o metro, tendo! haver grande p-ircao
tambem dts mes.ua*, porm inglezas com
a .nesina largura que so vendem a -50CO,
e |f?.280o metro, sendo apenas precisos des-
t l^rga far.enda pnra st fazer um vestido
4 ou 4 i/ metros, pechincha,
SMAS BORDADAS
Vende-se um bonito sortimento de saias
bordadas com 4 pannos, assim como ditas
j promptas, de ISasinha,
bonitas barras bordadas a
mnite em conla.
PANNO PARA SAIAS A 1&Q00, l ,5280 e
600 RS.
Venderse bonitas fazendas Jproprias para
saias sendo com bordados e pregas a um
lado, diodo a largura da fazenda o sompri-
meato da saia e vende-se pelo barato preco
de 1*000, J52S0 e (500, cada metro sen-
do precise apenas .3 ou 3 {/i metros para
cada saia pchin:ba.
Cdlarinhos.
Vende-se um bonito sortimento de cola-
rinhos tanto de linho como de algodo pro
orlos para homrn, assim como tambem ora
bonito sortinvnto do i mismos para meninos
e K'rihoras e todos vendem-se por preco
muito barato.
GRAS >!: MOCAMRQUE A i:280RS.
Vende-se orna grande quantidadede cha-
les de mocambiqae, com padrees escossezes,
send'>miito grandes e le'vesinhos pelo'ba-
rat preco di !#280, cada um grande
pechmcha por se ter foito tima grande
compra.
inaos e casenalrnt pretas.
O Prvjo vende grande porcao de pannos
prefiw do mais baixo at o mais fino, por
preco que admira, assim como um gra de
sortimento de casemiras pr tas para calcas
qoe se vea* por preco mais barato do qne
em outra qiulejoer oarte
GORGURAO PRETO.
V-nde-se o melhor gotguro de seda
preta para collet.es e vestidos, sendo nesfe
genero o melhor qoe ten vindoaomercado,
mais barato do que em ontra qualquer parte'
Vestidos brame*.? a aiJm rs.
O Pivao vebde flaissimos cortea de ves
tilos de cambraia aranea, ricamente bord <-
das e com mufla fazenda pelo barato prejo
GANGAS D3 LINHO.
Vende-se ganga de linho com quadrinhos
muito boa fazjndi para roupas do homens
e meninos pelo barat) preco de 600 rs. o
covado.
PECHINCIIA EM PANNO PRETO A 2A100,
O Pa ao vende superior pinnoprc.o fino
para palilots, calcas cohetes etc., pelo ba-
enesgadas com ralissimo preco de 2 i por precos CORTES DE CASEMIRA PRISTA A 4:500,
O Pavo tem os superiores cortes de ca-
semiras pretas enfeita las pelo barato preco
de IjSOO rs. o cort,
PEQAS DE MADAPOLAO A 3*500.
O PasSo vende pessas de muito bom
madapolao, tendo 12 jardas cada urna, pelo
barato proco de 3:5500.
P2C1IIXCIIA EM ALGODAO A 45003 RS.
OPavo est vendendo pecas de algodo-
sinho francez, tendo 4 palmos da largura e
com 11 metros cada psea, palo barato pre
de 4-5000 rs.
CAMBKAIAS BRANCAS A 4S0OO, A PECA.
S6 o PavSo venJe pecas da cambraia
branca transpareate, tendo mais de vara de
largura, com 10 jardas cada peca, fazenda
que sempre se vendeu a 7,-> e 80000, liqui-
da-se pelo barato preco de 4-5000.
ALPACAS BRILHANTES A !000 E 800 RS.
O Pavao tem o mais bello sortimento de
alpacas lavradas, com as cores mais deli-
cadas que tem vindo ao merado e tendo
bastante largura, vendem-se pal) barato
pr co de 1-5000 e 800 rs. o covado.
Coiu paimas de seda a fi00O.
Para o Pavao chegoa um rico sortimen-
to das mais bonitas lasinhas cora palmas
de sed tejdo de todas as cores e pidroes,
sendo fazenda bastante larga e vende-se a
lf000o covado.
Boupa para eseraras.
0 Pav5o vende um bonito suriiuento de
roupas pira eseravo.O
AS POPELfAS DO PAVAO A 500 RS.
Chegaram as mais lindas p pelmas de
15acora imitacan de potip! na< de sida, urna
fazenda muito lew, com as mai i tiaJas co-
res, sendo : verde, Btsmarck, itoa^j azul,
lyrio, clnzpQtii, ^aerla etc. ele, o vende-se
pelo baratissimo prego da 5 I CROCBFS PARA CADEIRAS E SOFAS. I ALTAS NOVIDADES EM SEDAS
I O Pavo tem nm grande sortimento dos' chegou nm grande sortimento das mais
mais bonitos crochs para cade.ras, sofs modernas poupelinas ou gorgurio de seda
&%& Bf' pr0pn0S ,para c^ h linho, com os mais elegantes padroes qoe
nn S n Vtn "Se ma, barat0 d0 tera vind0 a este mercado: sendo milas
que em outra qualquer parle e gradas, tanto em cortes para vestides
Algodao eufestado.
as fazendas se dao^os livros das amostras, ou se mandara tevar em suas casas, para melber p-
P5aQ5\ 5\ (3DiSS3a5A ALPACAS "VRAD.IS A MO, MR> K
Grosdenaples. 1,000 RES.
Sedas pretas lavradas.
Fazendas pretas de la.
Para o Pavo chegou um grande sorti-
I como para vender em covados, assim como ment de grosdenaples pretos de pura seda
a grande porcao de algodo [ nm bonito sortimento das mais bonitas se- que se vendem tra 1,5500 rs. o covado at
talmos de largura,-das listradas, que so vende tudo muito 5 e 60000 ; sedas pretas lavradas de dif-
lalll.l llilliln lici a t om mnh fni-nnlno r,t>rn>n<* ,v ..ni:,l.j__Is i______
sinho americano com 8 pal__
proprio para lences e toalhas, tendo liso e
trancado, que se vende por preco muito cm
conta.
PANNO DE LINHO.
Chegou um sortimento de pecas de pan-
no de linho do Porto, que se vendem de
700 rs. at 1A0U0 a vara, garantindo-sa
que em fazenda de linho nao ha nada melhor
nem mais proprio para lences e toalhas.
PECII1NCHA EM CHAPEOS DE SOL.
Chegou um grande sortimento dos me-
lhores chapeos de sol do seda, ingloaes
sendo neste artigo o melnor que tem vindo
ao mercado, assim como tuna grande por-
Cao de ditos de alpacas de todas as cores
e todos se vendem por precos muito ra-
zoaveis per haver grande porc3o.
OS BALDES DO PAVAO A 2-5000,
Chegou um grande sortimento da baloes
ou crinolinas do feitib mais moderno, muito
proprios para vestidos.enesgados, que se
cada um, grande pecnincha.
CRETOXES MATIZADOS PARA VESTIDOS A 640
E 800 RS,
Para o Pav3o chegaram os mais bonitos
cretones escuros matizados, proprios para
vestidos, roupao, chambres etc. qoe se
vendem 800 rs. o covado. assim como o
mesma fazenda com padroes claros proprios
para vestido e roopas de meninos a 640
rs. o covado, sendo os padrbes mais mo-
dernos que tem viodo ao mercado.
OS SETNS PO PAVAO
Vende-se es mais bonitos setraa de cores
e mais encorpados, proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
FAZENDAS PAB.A LUTO NA LOJA PAVO
Eocontra e respekavel publico neste es-
tabelecimeB o qm grande sortimento de fa-
zendas ptetas, como sejam cassas franca-
zas e inginas, chitas pretas de todas as
qudidadfis, fazendas de laa de todas qoe
tem vindt, proprias para luto, ,sen4o laasi-
nhas alpacas lamiase lisas, caaSe, boffl
bosina-i, merino, etc. qoe tato se vesdte
por preco barato.
em conta.
Merino de cordSo.
Vende-se merino preto de cordao, pro-
prios para calcas, pdlitots e cohetes, pelo
baratissima preco de 1000 o covado.
CRETOXES COM 10 PALMOS DE LARGURA A
2000 RS.
0 Pavoo tem urna nova remessa aa mui-
to acreditad 1 cretone, propria para lences
tendo 10 palmos de largura, dando na lar-
gura o coraprimento do lencol e vende-se
pelo barato prect) de 25O0O o metro, sendo
preciso apenas para om lencol um metro o
urna quarta 011 metro e raeio.
Chapeos a 15000.
Chapeos a 10000,
Chapeos a 1*5000.
"So-o PavSb vende bonitos chapeos de
todas as cores pira homens e nenios com
a forma mais moderna que ltimamente
vende pelo baratissimo pre?o de 2^000 rs. tem chegado, pelo barato pr*co de l,0')o,
t^SbSS^^B-^k^^^^L^k-
ente
cada um, por terem chegado com om pe-
queo loque de a varia, grande pecnincha.
IMIIIMIIA
EM CAMISAS DO PAVAO A 4.J5O0 BS.
Vende-se om bonito sortimento de muito
Gnas e modernas camisas inglezas com pei -
to e coliarinnos di linho e punhos, pelo
baratissimo preco de 4#H)G rs. cada urna
e aos freguezes que comprarera dozias ee
I he fari un abatimeito. garantiodo-se qae
fazunda que valo moito mais dioheiro,
liquidarse por este preco por se ter feilo
urna grande compra: assim como se vende
um bonito sortimento de ditas tambem com
peito de linho bordadas e ditas e algodio
para todos os precos.
BRAMArfBpARALENQ0E8 A 1S00S, COMI
PALMOS DE LARGURA.
0 fsrvao vende saperior Bramante de al-
godo tendo fO palmos de largura, coja lar-
gura i para o comprimento do lencol.
sendo sjvetso para cada am,se49cama de
solteirf4 1/4e para casal 4 i/i tnetro.
pechintba.
ferentes precos c qualidades, iSisinhas pre-
tas, alpacas bombasinas, cantoes etc. etc.
assim como um grande sortimento de pan-
nos pretos arios e casemiras pretas de todos
os precos e qualidades que se vende moito
raais barato do que em outra qualquer
parte.
NOVAS POUPELINAS A iOO RS, 0 COVADO
O Pavo vendo um grande sortimento
das mais bonitas ponpelinas com strinlm
de todas as cores e com lustre imitaclo
de seda, facilitando esta bonita fazenda a
fazer-se um bom vestid > de nnfta fantasa
por pouco dinheiro, isto por ter-so (arto
urna graade compra e vende-se a iOO rs.
o covado.
BOPAS PABA HOMENS PARA TODOS
OS PRECOS.
N'este grande estabelicimento encontrar;')
o respeilavel publico om grande sortimeni
de roopas, sendo palitos e sobrecasneos de
panno prelo c cazeraira, calcas o colotes de
brim branco*e de cores, qoe todo se vende
raais barato do que em outra qualquer parte :
assim como um grande sortimento de ea>-
mizas francezas e inglezas, e ceronlas tanto
de linho como de algodo e abundante sor-
timento de meias cru6.
Chegou para este grande estabulases
o mais bonito sortimento das mais moder-
nas alpacas lavradas de todas as cores, ama
se vendem a !, 800 e 610 reis o eova!r.
assim como um grande sortiaseato de arpa-
cas lizas de todas as cores
CELEZIAS E BRETANIIAS.
Vendem-se as mais finas eeiemas e
rabo puro ou pessas com 28 metras,
como, nnissiroas bretanhas de
25 varas, por precos qoe fazeas
em relaeco i qualidade.
Basquinas.
tK
Chegaro as mais modernas
ou jaquetinhas de seda preta,
enfeitadas a vidrilbo, tranca e
tendo de todos os modeRos, os asis
qoe tem chegado e vendem-se por
muito razoaveis.
OBGANDY COM SALPICO.
pstfe
toras da maniSc
Boupa por medida.
Na loja do Pa\ao manda-se fcaer qualquer
peca de obra iwtade do fiepiez, para o
que tem um perito alfaiate, responsabelisai:-
do-se os donos do estabelicimento por qual-
quer Mta qoe possa haver, quer por de-
mora, quer perquslqner detoito na obra;
e para isto etcontra o respeitavel publico
um gran* Sortimento de todas as fazendas
quedesejr.
BRAMANTE A 1800.
Vende-se soperibr bramante com 10 pal-
mo* de fargora, proprio para lences, dar-
do a .largura 4>sta boa fazenda o coratr,-
merto4iiMtoi, sendo prwtee fmttt
0Qjt3uamU lulj^<1Wtr08 ^ { 8 !^ pfl"
Q.egaram os mata ricos nifilji dt es
res com satpieos o mais bossas sjw tasa
vindo para vestido, que se vende a l#m>.
o metro, ditos branens aaito tnss
lisiras largas a.IfJOOO.
Carabraism brancas
Vende se om grande sortiments-
lhores cambraiae tente victorias a
parentes ten^o de 34900 i pera L
fltia que vem ao mercado.
ESPARTJtos A Htm.
Vende-se om bonito sort melo
Mores e sea* aderaos espa-
do barato preco do 5000 at
CHITAS FINAS DE .120 A 500 W.
Vende se o mais elegante orthasse das
mais modernas e bonitas chitas tarda nu-
das como gradas, com cores claras asa-
caras, dando-se de todas asaeslras.
FUSTBS BRAlfCOS a ets, SS E u
Vende-se moito bonitos aas0ssh
maitoflexivel proprios pars
senhoras e roopa pera 1
a iO, 800 e 1**
caaasssa 1
O-PavSostl vendendo
ssms fixis a 240, m s


^^^M
or
feiario ^"Mi^Li Domingo T ^Abril 1870.

lRlll)AI!IIKUIllil/\, *
Bsijuina a ra da Aurora, em frente do caf Imperatriz.
N'este novo e surnptaoso estabelecimento de fazendas encontrarao as Exmas.
mitas todo quiiHioposeam desejar, tanto em artigos do mais rigoroso luxo, como em todas
mata guadades de fazendas,
.. Aliii (tese aebarem prvidos do que'de melhor se encontra neste mercado,,
MTilottotes paquetes da Europa, recebem directameate o qce em artigos de moda e
do mais apurado gosto se encontra em Paris, o que vem cada dia augmentar s propor-
oes de que dispe este es.tabeIecimer.to para bem, servir sua numerosa freguezia.
?> 'y..? l
,' rwr^p /' '''<* "'
-rr*
11-
-----
.,
ca-
Algodo largo pacTfcnces e toalhas de Gase coralistras de seda e flores, fazan-
toaas aa .qualidades que costuma vir ao mer- da inteisameiue nova para vestidas de baile.
tadfi.
Alpacas de todos os padras e quaUJa-
4es to wriadae que senao podemdts.crever.
Alauftacommusicaspara collocar retratos,
hUoada presente para qualquer pessoa de
esna.
Atoaltaado de linho e algodo, brauco e
te. cores proprios para toalhas,
Gravatas para- seunoraa e homens, o mais
completo sortiraeoto que- se pode desejar.
Guipure prelo e branco, diversas largo-
ras e diferentes gostos.
Collas e ptiobos bordados para senhoras.
Guardanapos de linho pequeos e gran-
des.
Gorgorito de seda preto e de cores.
Grosdenapies preto ede cres,i haven-
Bas juinas de seda pretas e muito modar- do. diversas qualidjides e gostos.
aas, bato- coma de Crochet, ludo de apurado / dtr
gosto _* feftto. Joponezes para senh Tas, o melhor goa-
Baloes de mussehna, raadapoJao, brancos to, e fatenda propra para as festas nos ar-
t decores, para senbora e meninas, rabaldes e passeios a tarde.
Bareges de cores variado sortimento. rt^
Babadinhos ou tiras bordadas em todas as Laazinlias de todas as qualidades, cores
larguras, e gostos, nao tacando nada a desejar, tai
u
(RAM
IOJA
DO
Belbutina de todas as cores.
Bolsas de tapete para viagem, grande
tariadade de tamaitos e gostos.
Bombazina preta de todas as qualidades.
Bramante de linho de 11 palmos de tar-
eera, e todas as mais qualidades.
Brelanhas de linho e algodo, grande sor-
timento,
Brins de linho branco e de cores, do mais
wmnaodo. ao mais caro em qualidade, alliau-
tando o que ha de melhor na especie.
finos d'algodSo completo sortimento e
ariedade de pre;os.
o soFUmeutoque existe para escoiher.
Lencos, ludo quanto pode haver dede
esguiao ao algodo commum.
Leques de madreperolae osso, o mais va-
riado sorlimento.
Ligas d seda, bordadas, para senhora.
Lavas de Jouvin, chegadas por lodosos va-
pores, sempre novo sortimento, quer em
pellica para homens e senhoras, quer em^fiu
d'Escocia, brancas e de cores.
.re
Madapolo; indesoriptivel o grande sor-
timento que ha neste genero, desde o mais
elevado preco ao menor, que se vende em
Quinto i AGfA BRjlNCA, mais preciss-scientflcar ao respeitavel publico em
geral, e em particular a sua bea.fregaezia, da mifiemidade de objectos que uttrmamen-
tetem recetado, justament^quando-eMa menos: o* pode fazer e porque essa falta invo-
luntaria ejte eonfia e espera na benetotencta de Wds que Ih'a attenderlo e relevaro,
continuando perianto a dirigirem-se a bem conbetda Ir ja da AG/A BRANCA ra du
Queimado n. 8, onde sempre acbaro abundancia em sortimento de superiorrdade ett
qualidades, modiciefado em precra e-o seu nunca desmenttido AGRADO E SINCERIDADE.
Bo que cima flea dito seconbeceque o lempo de que a AGUIA BRANCA pode
dispr, etnsregado apezar dfeseus castos no esempenho de bmsertir-a aqueltBs que a
honrtm procurando prover-se-eo dH teja do qse.neessitam, entretanto sem ennume-
raros objeetos que por suaoatureza'sao mais coobecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquellos cuja importancia, elegancia e novidade os tomara reconwtendaveis, como
btm seja :
Cassas de cores, o maior sortimento, pri- peca e retalho por meaos do que em ou-
mando pelo bom gosto e barateza, atientas tra quaJquer parte.
ta qualidades. Mantas de blonde para noivas: o apurado
Cambraias brancas, tapadas, e trnsparen- gosto dos nossos correspondentes em Paris
ves de todas as qualidades e precos. habilita-nos a dizer que temos em nosso
Camisinhas de cambraia de linho e cassa estabelecimento o que de melfaor se dese-
bordadas ricamente enfeitados para Sras. ja para vestir e ornar urna noiva.
Camisas para homens e meninos, to va-
nado sortimento que vai do mais ordinario
madapolo ao mais perfeito bordado de li-
Cattisas de meia, de ilanelU, brancas e
''e cores para homem.
Casemiras pro tas e de corea, o melhor
que se pode imaginar, sendo d'isso a me-
lhor prova o grande consummo dellas na
fficina da casa.
Capellas de flores, para noivas e bailes,
cesde a mais candida flor de larangeira at mesa
Mantas prelas de blond.
Mantas para carros, com lindas pintaras.
Merinos pretos, trancados e Heos.
Musselina branca e de cores, lindos e va-
riados padres.
Pannos jrelos e de cores, desde o mais
barato ao mais superior, por preco muito
commodo.
Pannos de crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de casemira muito finos para
mais toteressaate griaakU.
Chapelinbas no melhor gosto.de todas as
cores hoje preferidas pelas senhoras de
mais apurado rigor na moda.
Chapeos pretos de velludo, para senhoras,
ciiimo gosto de Paris.
Chapeos de sol, para senhoras e horneas,
de lodos os presos e variados gostos.
Chaiy com ricos padroes para vestidos.
Pfitos bordados de linho, lisos e de al-
godo para camisa.
Princelas pretas e ^e cores.
Popelina do seda e linho, com listras e
flores; fazenda lindissima.
Pelherinas para senhoras, do ultimo
gosto.
Perfumaras; os, mais finos extractos o
que de tnumor e mais agradavel se pode
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
coja novidade de molde e perfeicSo desdor-
aos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para ctnlos.
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhosi tal
grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para n5o massar o preten-
dente se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Ealremeios em pecas de 12 liras.
Guipure braBco e preto de diversas. qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monla-
ria.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinbas de fil, sapatinbos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Gaixinbas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de raadreperoh*.
Caivetes finos para abrir latas.
The80uras para frisar babadinhos.
Aspas para balao.
Novos stereostopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por un machinismo
urnas substitnem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envrnisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
crianzas.
Diversos objectos de porcelana, proprios
para enfeiles de mesa e de lapiubas.,
U<
e
NOS GRANDES
he eccos
MOLHADOS
i _
N. 28Largo da Terpo.S. 28.
Chales de todas aa qualidades, avultado encontrar neste genero, e de mais fragante
numero e nao menos variedaie. de gostos, !e suave no olphato, tem o PAV1LHA0 DA
Chitas, impfssivel descroverosortimen- AURORA, desde a verdadeira agua Fto-
,o e variedade de padroes e uovos gostos,
ta ueste artigo todo quanto se pode desejar.
Cintos para senhoras o que se pode ima-
finar de melhor.
Coques, o melhor no gosto e nos enei-
:es, varios tamanhos.
Colchas de seda com borlas, o mais apu-
rado g.tsto e lavor.
Ditas de fusUio branco e do cores por
precos commodos.
Corpinhos de cambraia, ricamente borda-
dos para senhoras.
Cortinados de cambraia bordados e de
fil.o que de m-lhor se pode desejar.
Colarinhos de linho bordados |e lisos, o
maior sortimento.
Damasco de laa de 9 palmos|de largura
lindas cores e ricos padroes.
Espartilhos braacos e de cores, para se-
nhoras e meninas,' o melhor neste genero ;
oenhuma Sra. deixar por cerlo de muir pra para baile,
ae de to precioso auxiliar perfeico de
amcorpo delicado.
Ebtremeios bordados,
Escomilha preta.
Enfeitas para caneca, ultima moda de
Paris, recebida no ultimo paquete.
Esguio de linho, completo sortimento de
todos os nmeros.
a
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
dade de gostos e lindos padres,
Fi ;hs de crochet, modernos com cintos
e capas, o que ha de melhor.
Fil de seda, linho e algodo, de todos
w gostos e padres.
Fusto de todas as cores e qualidades
grande sortimento.
Flanella branca e de cores.
Flores, o que ha de mais rico, quer
da at o mais fino Bouquet d'Amour, final-
mente ludo quanto deve oceupar o lauca-
dor de urna senhora de gosto.
Saias bordadas, brancas, lisas e de cores
cora folhos e sem elles, o melhor possivel,
Saludas de baile, de todas as cores
Sedas pretas, de quadros, lavradas, lisas,
de lisuas de todas as cores e qualidades e
o mais barato possivel.
Sanrelim de todas as cores e qualidades.
Tapetes grandes, lindas pinturas para 8
cadeiras, mais pequeos e de todos os ta-
manhos desejaveis, e em peca para co~
vados.
Toalhas de labyrintho, do maior e mais
fino trabalho ao mais barato.
Toalhas de linho e algodo de todos os
tamanhos, li-as e felpudas.
Tariatana branca com palmas e de cores,
fasenda muito nova, e gostos delicados pro-
Vistuarios bordados de fusto brancos e
de cores para meninos, de cambraia para
baptizados, o que de melhor tem vindo a
este mercado.
Vestidos de laa escoceza de 2 saias,
novidade pelo padro, gosto e forma; ditos
de linho com barras de cores, e de cam-
braia de cores com 2 saias, tudo inteira
novidade, trazem os modellos juntos para
mostrar a forma de os fazer.
Veos de blond para noivas e pretos para
luto.
Vestidos de blond para noivas: podemos
asseveraras nossas Exmas. freguezas, que
somos os nicos em Pernambnco que pode-
mos offerecer ao Ilustrado publico, o majs
apurado gosto em seminante materia, gra-
Cs ao bom gosto do nosso fornecedor rm
toltas, quer em ramo3, lera o PAVILHaO Paris, podemos garantir que ninguem neste
DA AURORA am permanente jardim a genero o possue melhor, nem mais em
disposico das Exmas. familias. conta.
E' dispondo d to grande e. variado ortimeoto, que os proprietarios da PA-
VILHAO DA AURORA se apresentam ao publico declarando desde j que a sincerida-
de e o bom gostoo movel nico de seus negocios.
Prvidos de todo o promptos sempre a prover-se do que por ventura lhe.
eja necessario, os proprietarios deste sumptnoso estabelecimento recommendam-se
tem receio de serem ontradictos e protestara esforcar-se por cootinnac a merecer
protecjio que se Ibes tem dispensado; certos de que do seu estabelecimento n5o satura
o fregnez descontente.
Contina sempre a offleina de alfaiate dirigida por um dos mais habis artis-
tas, prompto executar com promptido e bom gosto qualquer trabalho que lhe seja
:onfiado. Urna modista especialmente oceupada nos. trabalhos do PAVILHAO J\ AUr
RORA, dirige os que lhe slo concernentes, garante porseu apurado gosto e promptido
na execu^o e a mais completa perfeico nos seus trabalhos.
A numerosa freguezia que nos honra urna prova de que merecemos, o con-
eioque se dispensa ao nosso estabelecimento, conceito que procuraremos firmar cada
vez mais. Para facilitar ainda a concecuco do flm que nos propomos, temos no.nosso
estabelecimento os ltimos figurinos de Paris, que recebemos por todos os paquetes, os
quaes enviaremos para serem vistos as familias nossas fregutzas, afim de escolherem,
com o padrao da fazenda o gosto na forma.
Na officina de alfaiate, junto ao estabelecimento, ha igualmente os figurinos
para homens que por todos os vapores se recebem.
E' este o modo porque nos apresentamos pedindo a proteccjlo. do Ilustrado
ooWjco e com o- m*3 profondo respeito convidamos s excellentissimas Sras. a ^si-
Unto o nosso estabelecimeoto, certas de encontraren! neJIe pelo menor preco possiva-
tadp que podem desdar. 7 v
- ^a Maw!,rttl0 caiMiros levar as fabadas eamostras ond torm,9fti&*y>M
to pdennos especificar tudo quanto temos. "m.r-w
Jj&Uflfet Sobrtnha &,
Aberto das 6 s 9 horas da noite.
1^300 e n a garrafa.
dem Bprdeailx, Medoc e St. Jolen a
7*?500 e 6/5500, a dnzia e 610 rs. a garafa.
Genebra de Holanda e laranja doce aro-
mtica a 64500, 7-5, ti(5500, a frasqueira.
Serveja Bass, {Iters & Bell a 9,5800 du-
zia em porco ha grande abatimento.
M-'iu m rea He T e outras marcas a
54500 e o,S, a duzia e 500. rs. a garrafa.
Assira como ha outros muitos
passas e figos, charutos finos de diversas marcas, narmelada, bolachinhas de todas as
qualidades, perola, Francy-cracjrnel, a, b, c, Mdium, mixed, soda Fancy-nicniac, pa-
lacc da Varietes,combinatioo, Britania, doce de goiaba fina, chourigas, manteigas finas
franceza e ingl*aa baoba de Baltimor, phosphoros de Sycurvt, Cognac, cha de diver-
jas qualidades, Ganella, pimenu do reino,, arvadoce, pomada, enxofre breu, paixe
em latas de todas as qualidades, farinha de mflbo americana, grandes molhoa.de sebol-
las, ne*tea dousarmazeas existe tambera grande sortimento de loucas propnas para ne-
go.io, que pelos: seus commodos preco fax vantagem aos compradores.
Pat< o da Peoha
DE
SANTOS & FERREIRA
Os proprietarios destes bem sortidc rmateos partrcipam aos seus innomeros
freguezes tanto desta praca como do matto que tendo l'eito grande diminuico de pre-
cos as suas mercadorias e6to p>r isso resolvidos a vende* por menos de tO e SO i0,
do que ea. ou ra qualquer parte, garanlindo-se porlanto a s p-rior qaa idadede qual-
quer genero comprado nestes dous estahelecimentos. Meoeionamos alguns dos-nossos
gneros e a vista destes sao comprchendidos-os outros, porque -^nfaUonho seria men--
cina-los.
Se alg-uem duvidar venha ver.
Vinagre branco mandado vir por contal Gaz ameneno marca f)eves a 8*5800 a
propna vindo do Lisboa, a 320 a garrafa e .___ rt ...
480 o litro I,,la' 38 r-a arraa 5uO o 1 tro.
dem tinto Figueira, Lisboa e Porto a' Azeite. doae. de sbua a 900 e ijjWOOa
320,280, 240 e StiO rs. a garrafa e 480 300 Br* era porco faz^ss grande abatimen-
r?. o litro. te-
Vinho Figueira, Lisboa, Porto e Estrello Gaf e caroca a 220 240 e (U li
a 560, 500 480 e 400 a garraalitro a 840 &.*!.** f40 e ^ 8
760, 7O e 600. i '"W00- 7*'0 **800 8troba-
Vinho branco puro de Usbaa a 640 560' Milho alP'sta 20 rs- a libra e 4* k,|
a garrafa, em porco ha ahalimeoto. i logramma a 5,5809 a arroba, em porco ha
Vinho do Porto, engarrafado, das melbo-, abatimento. nHnnn
re e mais aereadas marcas a l*0 i |200! e g^Xciaf um **" *
Aletria, macirro, talharim a 500 rs. a
libra, a 1(5100 o kilogrammo em caixao ha
ahmenlo.
Sabo massa de 1 e 2a qualidade a 220
e 240 rs. a libra em caixa ba abatimento
Toucinho de Lisboa muito alto a 460 rs.
a libra e .880 o ki ogrammo, em arroba ha
grande dill'erenca.
gneros, vinho em anceretas, azadonas,
Ra Jo Crespo n. 9
_ Os pruprietarioj de-;te bem eonhecido esubele-
eimflnte, alera Sos irraitos objectos que tinham ox-
postos a apreciacfo do respeitavel publico, man-
daraaivir e a-abin-de receber pelo nltimo vapor
da Europa uro completo e vanado sortimento ie
linas e mu delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de seu costume.
por prejes muito baratinhos e commodos para to-
dos, com tan que.o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, brau-
cas e de raui lindas odres.
Mal boas e bonitas golfinhas e punhos para se-
nhra, neste genero o que ba de mais moderno.
aaperiwM pente de tartaruga para coques.
Landos e riqusimos enfeites para caberas da>
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cSres com vidri-
Ihos e sem eHes ; esta fasenda o que pode haver
de melhor o mais.keaito.
Superibres e bonitos leques de madreperola
'raarflm, sndalo e osso, seno aquelles brancos
!com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Rscossia para se-
tohoras, as quaes sempre se venderam por 30*000
a taita, entretanto que nos as vendemos por 20*.
aim destas, temos tambem grande sortimento d>
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
flaas.
Boas bengalas de superior caima da India e
Castio do naarnm com lindas e encantadoras ligo
ras do mesmo, neste genero o que de melhor s \
pode dtjscjar ; alera destas temos tambem grand<
3uantidade de outras qualidades, como sejam, ma
ewa, bajeia, osso, borraeha, etc. etc. etc.
Fiaos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia t
de outras^pialidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borraclu
para segurar as nielas.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de i a l annos da idade.
Navalhas cabo de marOra e tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguratws sua qualidade e delicadeza.
Laudas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bens baralho de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo flm.
Grande e variado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Electrices magnticos contra as convulsdes, e
fa/htam a denticao -das innocente enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todes os
vapores, afim de que nunca fartem no mercado,
eomo j tem aeoitecido, assim pois poderlo aquel-
les que delles precisarem, vir a'o deposito do gaaV
vilame, aunde sempre encontrarao destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao flni
para que sao applicados, se venderlo com um mu
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamo!-
declarados, aps nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis Iqja do galle
vigilante, ra do Crespo n. 7.
ixas de HambiiTgo
Por menos Jb fao i
venden) e e alufam-se : aa ma
28, anszem o Campes.
totyteAr.
BCMvot mmr
Fugio do dia 26 de fewrriro, teia w,
esrrava crinula de mue BcHiaria qo" repcivMk
ter (0 anuos, enatnra bahu, coi graasto Ulta da
denles e reiu nma sirulriz te quitrutmt an hra-
c/> direito. tend levudo uao chatos, semdo wm
verdee outro listado de azul e kme>; J>oa>
capturar sirva-se leva la a Poala de OcMa
sitio de Joo Jop Rodrigues Mtadrs, *m a
da Madre de Dos o. 28, qae ser \
rei*oiii|H'iinailo.
Nvio d> mg<-nlai Bm-rmlm, m ra
Tamaragitie e provincia du Alpw,
Nicolao, idade 34 :inn..'s. altura regular, \
orpo. andar hanzelro, tem farta ie
frente, roto largo, barbado, rtwtnn a a wa
?er Una a baroa, e tem na eiririx
of ps grosso ; este esrra o anda foyi<__
dia 16 de jamim do correnle amo : nga-> |_
ta as autoridades potietars e ao nsAie* ia
campo a prisa deHe r*mv e o rnirrnr ~* m-
genho yi-.nia menif nado, < u ne*la prac* a ra)
do Vicario n. .12 ou iravesta do Obra Saaova.
25. primeiro andar, que su graiHirara ftarraa-
mente.
- Aosentou-se a prto de *>ns mete* di._
de mu senhur a esrrava prvl ma dr onsm Mofa,
cm pe to de 50 aaaus de iihi*-, alta. t> 4t, aasd-
t rctirista, foi esrrava i|ii" anda nesta ruladp trm i v?ta m> bairt
da Bi.a-vita e ein S. Jo- r -ni ub-'P'rT na ra-
b>ra : qurm appvehendere delta pr-dr dara*-
licia exaeu, dirija se s.> pateo da S. Padt a. II
qt:e m i;i graiiiicad'.
Funo do Hagt'iim OjnaranuH- kb
de Si niiliaein pcrtenceulirs a Gaspar Madrid
Wandrrlcy os escravos sej-nintes : Sar I rrw-
lo baixo. groen, nariz rha'o. di; *r da t>-ta par
ter sido a mprado peiiar,, Je, > de ida-
de triuiu e lanU'jL aun, ps cbati-s. wsdB* tm~
hitadas, estaluran>aixa, rr frisada. p..ura baria
e esta na penta do queixo, Felippe mu'M de ida-
de de 16 annos ponro mais o men", lfx>. groo-
so. sem deleito algum, lev bixns em pnpwio o-
rm pon.-o apparece ; put i?o ard se as auktv-
dades poln;.es e capuie* dr camp a captara dos
mesmos e lvalos no mesmo cngnl> da Mueda n. 5. 2" andar escripturin rte Mmwntl AJ-
i es Ferreira & t,. que sero graliaVadMi.
COGNAC.
De superior qualidade da mni accrediU-
cognac urna das qae mais agnardente d-
cognac, fornecem para o a>nsninmo di
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ra d.
omraercio n. 32.
~ CEWEMTO
O verdadeiro portland.
ra da Madre de Deus n.
Jo3o Martins ri*> Barros.
S
22,
se vende u
armazem d
\os forradores de carros, e dorios de co-
ehetras.
Ja coiAeira de Vr? A. C a ra oka a. 99,
tem para vender o seguinte : ptUes de vaqueta i vn
nuito grande.., encerado grossopara.jjuanla ebu- agSr gazo^Tom lo?"
completa ds fabriear
s apparelhoi, ha
mas que sufllJiente para producir 0 daziae tre
gamafas por dia. Basa aolualmeate traanlhaodo
na .cwte, na. ra do Lavradio a. 64, onde se pode
examinar : para nformai^Ses dirljam se ra de
S. Pedro n. 28, no Rio te Janeiro.
braucos e azues para, alcoxoar, prgo d cacea
de rnarfhn, escoras de palha para' lavar os ca-
vallos lanternas-para carro ollhpvprias para
as niesmas, bowuis ehttoies par awis, para
eabnottii, pnjles da ajnnrga, tapate ptaudo azul
para o faudo dos carros, encerado, grssso pintado
pira o mesmo- tira, latas com graixa para limpar
os arreio, mas par carro, ferragtns. compe-
,tas para arreio!branca e amarellav e amitps on-
firs objectos proprios de taes eslaDeieoimoato.

Milho e arroz da csea
Vende-se milho e arroz de casca.novo em sao-
os, no trapiche dk companhr : a tratar na rus
IdaCadeia-velba oasan l1, 2a andar.
VDE-.'SJE.ou arrendarse a' eogenni
Si Gaspar, sito na freguesa de Serinhiem
comarca do Rio Formoso, prximo do era
barqge,, com grandes partidos de pal t
massap roda da moenda, mattos mangue
nra m4e.ira pecsaria.bom...pasto, ele.V
tratar n8.maAurpra n. 26, ou na do
Imperador n. 20:
P.....'-j>-rv** ...... .._
jTarmna de mandioca
I Voodae) PoamA C, na ma .estulta, do Biario
u. 9 junto a igreja. <>
Veada de lampeSes
p re iJhiHrina Na loja de funileiro de Antonio Moreira, Plato,
nawaveseada ra.do Vlgwie-n. 3, tem parsvon-
dar 300**480 latnpees. prtimpitts, muito eoooo-
micos po sexeui paa.gaz, liquido, o do axceilen-
te luz elles antes que se acabem, seabqres en-
carregado de ilhinrinastes, aue So baratos.
Jttez deiferi
Ganrleos e bymiros devotos para o nrez
aa Marta.
Un ntido volante eoeadirnado decoaro
Be raawoqujm don rano
4HM6a pr-axce.
J cordeiro prevident
Roa do Qiielmado n. t G.
lovo e variado sortimento de perfumari
flhas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perh
arias, de que effectivamente est provida
oja do Cordeiro Previdente, ella acaba
receber um outro sortimento que se ton
otavel pela variedade de objectos, superior
lade, qualidades e commodidades de pri
fis; assim, pois, o Cordeiro Previdente peo
i espera continuar a merecer a aprecia?
io respeitavel publico em geral e de se
ooa freguezia em particular, nao se afai
'.ando elle de sua bem conhecidamansidi
^ barateza. Em dita loja encontrarao c
preciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fraj
^za, todas dos melhores e mais acreditad'
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Arpes, e vilete para toilet.
Elixir odontaigico para conservacao
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chi
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, coi
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japonesa, trnsparen i
o outras qualidades.
Finos extractos ingiezes, americanos
franceses em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel ch
'o de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igui.
inente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidadi
mux escolbidos cheiros, em frascos de diflt-.
-entes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menori
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em fig
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba
Caixinhas com bonitos sabonetes imitan
(rucias.
Ditas de madeira invernisada contendo)
aas perfomarias, muito proprias para pr<
lentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, Um
oem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e i
moldes novos e elegantes, com p de arix
a boneca.
Opiata ingleza e franceza para denles.
.Pos de camphora e outras difieren!
cualidades tambem para denles.
Tnico oriental de Kemp.
Alada mais coquea.
Um outro sortimento de coques da o>
vos e bonitos moldes com filis de vidrilia
a alguns d'elles ornados de flores e fitiu
istao todos expostos apreciacio de qoai
os pretenda cedaprar.
GOLUNHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicSo.
Ilvella e fitas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes. ob;<
toa, ficando a boa escolha ao gosto do coi
Arador.
^i i.-,.
FugK d enrenh-i MiaSt cas. da
Santo Ama, nn di* 20 de jnnho do
o rscravu de nooie FrancHino, repr>. i.u .
annos de idade, ci.m os signaes segni&les em
preta, baixn, curpo refer?adn, rara lar*, apiana
t-arnado, oiluis pequeos, nariz Mito airado, ba>
ra regalar, denles rortos e lisaadi, raitiiw irta-
ta e andar aprestado ; consta andar \> V* Um-
hios da ridade de Olinda, cngrnlio Pragi* Caz-
!'.', Heberilie du Apipncn, aromad. r J. |BB
Jos de Sai t'Anna. sen irmio liben, a ",i: i b-s
em sua c NUpanliia urna rak dl e lHn > da sm-
ma, e por outro irmio de ui me l m- llag-jia, qsa
o ronduztra para o? lugares acfoM icnj-ajai,
alem de nm nutro se.'io de neme *-r Zzrhanas1
da Silva, etnherido par Jos Pajeii. p< r t- r viada
daquella comarca. rV-ga-sr at aoiri pilaes de campo que o apprem-nd.-.m c a cese
ra do Rargel n. 17, ou no engenh M'nt-v*a, a
entregar a sen senhor J<*< (Virreia de Oiros
Mnnteirn. que ser generiair.enle ci..'.f-- -:.t .
Fugio do rngenho Jar tiw .ta I. ri'^ia do
Serinhem ) escravn rriiu.lu de >-i kurt'. t
com os -igiirfs -eguinles: tur fuU, alu.r.e rurpo
regulares, olhos pequeos, niriz cha!. Krra praa-
do, e o beicn superior um pnro fino, lesdentad
na fr nte, barbado, e tem marras >U> frula a*
canellas, ps euchados, dedos dn> i ranor,
deve ter signaes de castigi-s. i-lur.il da r ^neaia
de Bezerrus, onde tem prenles, ii-nd > a f''a eiwro
os naturaes desse lagar, i ranli."*,. e i.-iba da
b nqueiro < u mesm-> n>e>tie de acorar rm o
pronder ser reeompensailo grni-rn.enie aa ri-
c; de dn Itecile pelos Sis. Irf;il At Irma, n ru> i--
yenho Jardim pur Mariano X.ivi r Canuir da
Cunta.
No dia 6 do rerrenie M des nibarrnr a
arsenal de rfiarinha o 30* mrpn de v. inntsri-.. am.
dn o enmarada do lente i.iiMvi> Ln-i.< Oniwa
quina do referidocorpo enligad-iab a tmi rnii-
(lor urna mala contendo roupa e reii. $ pap>4< -
impcrianeia para levar ao qoarlel da- Crnm Pea-
las, econlere o camarada perde lo de vHra em ra-
zan do grr.nde numero de pessoas qr .illi i x!.aa
e o ganhador por se em fuga.
Pur isso roga-se s autor dades paVaMi l<-Ja a
attencao, e s pessTas qur della tivrr n. t-i. ijiiei-
ram fazer o favor de dirigirse roa Angosta a.
43, que ser generosamente. rceni| nsa4.
______________(hutaco Lhsmii IjHiHtiquirui.
100$ de gratificoslo
Furtaram doergenho Arand de la-io, <) lar-
mu de Santo Antao. 3 cav;!Ls, na n< ule dr Alia-
ra 7 do correte os quaes tem os rlgaasi sepom-
tes :
1." Castanho claro, grande, i.utrido, rastrado.
com urna esln-llinha na te- ia e toaj a letra C eni
cad un a das ancas.
2." Preto andrino, castrado, bom e roo, nnirido,
com igual ferro, tan bem sobre as aaVaa,
3 Ainda poldo, in eiro. cardan araaadMa, gor-
do, crinas pretal, curto, bom eorpo. n o aies-
mo ferro dos outros, mas sobre os d' as quart-t,
em vez de ser n^s ancas, andador baJtn.
Quem os pegar e trouxer ao abaixe assgn^do
no referido engenh, lera a gratifirar>- d* SO*
per ada um, e se prender o ladro e o enirear
a sat iridade competente ter mais i gratifica io
de cem mil reis.
Arand de baixo. 7 de abril de 1970.
Ambrosio Machado da C Cavatraati.
SH(wkr vlhia

St.Estephe.48t. Jnlloac naira*' d Cztei do
aocife numero S.
FUGA
Fogio da casa da rna de Santo Amaro,
n. 22, no dia 3" de marro do coirrn e n>rk>
o preto ciotilo de nome Joao id.de de 30
aon s pooco mais oo a enos, com os sipnaws
seguintes: baixo, cheio do curp>, p .m-a
barba, rosto com marca de bfxigas, nm
dedo' de menos na nio direila. o qual foi
escrevo do Sr. Antonio Climaco Moreira
Temporal, e julga-SM assisUt n'uaia da
q o alio freguezia da cidade. R< ga-f* p.-is
s autoridades competentes e p^rtirulai< so
obsequio de apprebenderem e leva-I-> i >ua
do Ciepo n. 5 que generosamente se com-
pensar.
pon-....
Vende-se oo rmate iDarello de Vicente Per-
reir da Costa A Filho,. defrcnto do arco da Con-
coicio, ora barricas grande!.
No dia 3 do correnle por valia da- 2 oras da
Urde fugio o mulato Manoel, segoimlj a e-trada
de Santo Amaro de Jaboatao, em segnida io er-
tao de Papacaoa, donde veio vendido em tfSS
pelo Sr. Jnao Cavalcanti da Aiboquercn, t ude
diz ten pai livro, e tem os signaes senaiutes : bai-
xo, grosso, com hstabt barba, cahel'o jfrrid'),
rosto comprido, talla de muitos denles, mi"* |is
pequettos, id.ido de 2S' afinos, mnit s*f**
alegre, cus& qae comprou cale dr brin> braieo
e pa etot de brim pardo, sa palos, e I von cbapo
de sol de alpaca asado e chapeo de cabera di meia
nvnilha j usado, levon para a-ais oe 60a em dr-
nheiro que Una reeebrad da diserto* tregi-e^es
onde venda pao e levava bolachas, ha m-ti-ias
c|uo seguio com alfuaa volua arios da taina da-
quetlas paragens com qnem tioba rela^oes 'rd.
os das quande ia vender pin as a iVi> dn fii-
qoia, nos Afeados : paie-s s autM idani pnli-
ciaes, capiiVs de campo, e quelle Sr. Albiiqurr-
que de Papacaca, a captar* jodii escravo, e re-
melle-lo a seu senhor nj| ra Direita dos A>ga-
dos n; 66 A, qa sera bofa recompensado.
E-j fgido o escrv64^wftdn que mi da
Dr. JoS Hbrforta, pira eliro d tf aun s d
idade, estatura regular, seeoo do oorpv iwo ra-
sudo e com umaaeqnoaae antig statrac pat lin-
do do nariz, samo com calca parda, camisa e ja-
quata branca, e chapeo redundo e banco d alpa-
ca prea. 9npp3.-se quo anda pe boirro da
Boa-vi>t e arrtaablat, otad lera sMTrio Ro-
ga-se poie, aa aulhiTidalw pooiae, ou a qnal-
qaer parilcnlar o favor-da o prenJere lovajto
casa nova, jnato as oraVic rtraos urbanos
do Aolpncoe, oa rfr *mUmto*n n. 3S .
escritorio, onde se d^-a'fjaJWacao ovis*
ooenla mil reis.
f




8

Diario

Pffi^amb
neo r- Domingo 17 de Abril de 1870.
_______._.___________________________________________________________________________I__________________________________________________________....._ ._ ..._...
JURISPRUDENCIA
k TODOS OS MAGISTRADOS E JURISCONSULTOS
OITEnECfcM OS DfcSEMlURG*B ^BNTE DE ALMEIDA E VENANCIO JOS* LIS-
BOA.
semhor, Caetaoo Vtente de Almeida e Ve-
nancio Jns Lisbi, desmbargadores da re
laco desta Cortil, vindicando a indep'nlen-
cia do poder judiciario, zelando a dg:iidade
do iribuaal i que se desvanecen! de porten
cer, e pefrom de sua nSo desmentida re-
putago d honestos magistrados, iovogab
o art. 179 30 da constttuicao do Imperio.
e os arts. 150 e 151 do cdigo do processo
criminal para submeiler sabedorra Jo go-
neroo de vossa magestade imperial um caso
gravissimo de excesso de autoridade com-
meltdo pelo Supremo Tribunal de Justica.
No feilo processado na cidade de S. Paulo
entre partes, recorrnte o bario de Mau,
recorrido o superintendente da estrada de
trro d'aquella provincia, concedeu o s-.ipre-
cio tribunal revista, designando para uovo
julgamento a relacao desta Corte.
Infelizmente, foi distribuido esse feito aos
suplicantes, e ao desembargador Manoel Jos
de Freitas Travassos, em confopmidade da
!;i de 18 de setembro de 1828 (art. 18).
pois que tratava-se de urna deciso de jota
singular, infelizmente dizem os supplicantes,
porque o caso era inslito e monstruoso.
Curaprram os supplicantes o seu dever,
toldo nicamente por norma do sea pros
dimento a le e o direito, e pronunciaram o
accordo transcripto na certido junta, sob
d. 1, que jalgou definitivamente a questo
Sujeila reviso, ficando em seu inleiro
vigor a deciso do jeiz de direito de S.
Paulok como caso julgado irrocorrivel. Nesse
estado de cousas, confiando os supplicantes
r.a observancia das leis, nao menos que Qu
trivial exemplo de casos semelhantes, deram
por acabada a sua tarefa, nao Ihes occor-
rendo sequer a possibilidade de algum pro-
cediiuento ulterior.
Como, porm, nao aproveitasse ao recr-
reme bao de Mau a concedida revista,
pois que melhores razies teve a relacSo re-
visora para nao conformarse com a subver
siva innovado do Supremo Tribunal de Jus-
tina, entendeu-se que, desta vez conviuba
olvidar os precedentes, usando-se fra do
terreno legal, de urna estrondosa represalia,
e ordenando-se, contra o preceito da consli-
tuicSo do Imperio, art. 179, 12, a resur-
reico de um processo lindo.
Alm de decretar a responsabilidade cri-
nu.il dos supplicantes, ousou o supremo
tribunal abrir sobre esse processo fiado
urna discusso arbitraria, resolvendo officiar,
o a antes notificar ao presidente da relacao
revisora para submetter o caso a segundo
j'.ligamento, e nao arripjando carreira a des-
peito das mais valiosas objecces, contra a
execuco de urna to inslita determinaco.
Um semelbante procedimento repugna
com a organisaco do nosso supremo tribu-
nal de Justica, para que os magistrados que
decretaram esta medida se contivessem, bas-
tara que tivessem lido o art. 17 da citada
lei de 18 de setembro de 1828. Ei lo :
Proferida a sentenca de revista sero
remetlidos os autos pelo presidente do
tribunal revisor ao juizo em que proferiu-
isca seutenca recorrida, fazendo officia!-
mente ao supremo tribunal participado
i da reroessa. *
Terminar assim o processo regular das
revistas por urna simples participaco ao
supremo tribunal da remessa dos autos ao
juizo inferior, bem denota que nada abso-
lutamente tem a fazer o supremo tribunal
depois do seu accordo de concesso, que
nada absolutamente pode innovar sobre a
-juesto soberanamente julgada pela relacao
i evisora, qualquer que tenha sido a causa
do derradeiro julgamento.
A misso do nosso supremo tribunal
nicamente negar ou conceder revistas: elle
decide, se sim ou nao o caso 6 de revista,
por injustiQa notoria ou nullidade manifesta,
mas nao julga a questo principal porque
nao instancia, visto como a consiituicSo
do Imperio, art. 158, so reconbece as re-
lagoes o poder de segunda e ultima instan-
cia.
Se o nosso supremo tribunal pode uaifor-
nrsar a jurisprudencia, s pelo sabio meio
do art. 19 de sua lei orgnica, referindo ao
corpo legislativo, por via do governo impe-
rial os vicios, lacunas ou incoherencias da
legtstacSo, segundo a experiencia, mis nao
coagindo a consciencia dos tribunaes revi-
sores, nem a priori por dctame inMlivel
de seus motivos de concesso de revista,
nem posteriori por decretos de segundas
revisoes.
Se n5o aproveitam aos litigantes as re-
vistas interpostaS pelo procurador da Gorda,
no nleresse da causa publica; se os jura-
mentos de taes revistas nao desfazem a au-
toridade o sentenciado eatre as partos,
como no caso vertente pode o supremo tri-
FOLHETIM
OS DRAMAS DA ALDE1A
POR
Ponson du Terrail
VII
(Continuado do n. 83.)
Este homem, que odiava os padres, e a
rada momento pugnava pelos principios re
volucionaiios e quo tinha ideas essencial-
mente feudaes em materia venatoria, nao
poda supportar os caladores clandestinos,
os quaes todos enforcaria, a cumprir os
seus detejos.
ComecQU, pois, a dar de mi a Mulot e
por fim declarou Martina que o nao quer a
em casa.
A Martina, teve que condescender.
O Mulot retirou-se, mas ao sabir disse a
Saurn:
tolo o commandante NSo lbe bei d#
deixar um veado nem um coelbo I
Apezar de tudo, a irmaa era-lbe affei-
coada.
Dolada de ndole pouco boa, seotia pro-
nunciada tendencia por aquello rapaz, cojos
instinctos vira dejenvolver.
cima de tudo estiva a neceesidade de
viver em harmona com o commandante, e,
portanto, foi Mulot o sacrificado, pelo me-
nos apparentemente.
Muitas noutes, depois do commandante
se deitar, vioba o Mulot Raposeira fallar
com,a irmla, a qual lhe ia abnr ama peque-
a porta do jadim, "por onde elle entra va.
De que se sustentava elle ? certo que
ab muto nao viva com o pai e nem se sa-
bnn-tl cogitar da interesses particulares para,
snb pretex'o da leso dellw. decretar ille-
galmente urna reviMa de revista ?
Os erros do p)der judiciario,. esjoUdos
os reowsos lories em materiacitfl, slo irre-
paraveis. Ka nypothese negada, de heve-
rem os sopWicaolS errado, mal n3o po-
da fazer o supremo tribunal, usatido ou
abusando do alto poder conferido pelo art.
28 du lei de 4$ de setembro de 1828, do
que decretar, como decretou, urna respon-
sabilidade criminal. Ir alni dessa reacio,
baixar suas vistas al a regio inferior dos
iulcresses privados, decretar novo julga
ment do que j'havia sido irrevogavel-
mente julgado, .i fado' sem apoio em lei
alguma, facto sem exemplo nos annaesju-
diciarios de qualquer palz regularmente
govurnado.
Qual foi, porm, o crime dos supplican-
tes? J que o supremo tribunal decretou
urna responsabilidade vaga, sem indi.'ar
disposicio da lei.
Cabe imputar-se-lhes urna denegaco de
justifa, ou um julgameuU contra lei ex-
pressa ?
Segundo a discussSo aberta no supremo
tribunal, parece que este qaer vedar aos
magistrados dos tribunaes revisores o di-
reito de certiacar-se de sua competencia e
jursdiccao para julgar as causas sujeitas
sua reviso, pois, que all se consideron
como cuso inslito e irregular o julgamento
dos supplicantes. pela solugo da questao
preliminar de sua incompetencia para emen-
dar um despacho nlerlociitorio do- juiz de
direito de S Paulo sobre recurso de ag-
gravo de petico.
No lempo da repblica franceza tambem
o triounal de Cassac'o foi assaltado por
igual ciume de autoridade, arguindo, em
caso anlogo, um tribunal de revisa o
crime de denegaco de justica, sem curar
porm de interesse de partes. Vejamos o
que sohre tal aresto diz o'Repertorio de Ju-
risprudencia de Dalloz, Cours de Cassa-
tion, n. 2198:
Sem duvida bouvera o tribunal revisor
commettido urna d- n^gacao de justica, se
fizesse urna recusa syslhematica; em vez
de deduzir os mo vos de sua incompeten-
cia. Declarando-se porm incompetente,
bem ou mal; por um accordo motivado,
sua deciso pode ser censurada por falta
de fundamento, mas nao constitue urna de-
negaco de justi<;a. >
Esta distinefo abrange todos os casos
em que os juizes nao tomam conhecimento
de meritis.
Se o primeiro dever de todo o juiz
certificar-se de sua|juiisdicco;como impu-
tar denegaco de justica a quem se abstem
de tomar conhecimento do feito porqae se
julga incompetente ? Denegar justica o
tribunal que nao entra na apreciado da
materia intima de uns autos, porqae o re-
curso nao proprio, porque extempor-
neo, porque ha urna nullidade, porque nao
caba a aeco proposta ?
Ah esto patentes na certdo junta n. 1
as- ponderosas razos que afastaram os sup-
plicantes de tomar conhecimento de um
despacho iuterlocutorio de provimeuto de
aggravo. Por elles, assim julgado o caso,
como cffectivamente foi, a supposta dene-
gaco da justiQi nao consiste om_denegac>
de julgamento, seno nicamente" no modo
pelo qual entenderam dever lavrar o accor-
do do seu tribunal ? E' o maior atteotado
que se pode commetter contra a indepen-
dencia do poder judiciario : um i tyrannia
contra a liberdade de consciencia.
Se a tal ponto sobe o poder do* supremo
triounal, nenhum juiz proceder em regra
seno repelindo servilmente doutrinas, em-
bora errneas, dos accordos de concesso
de revista. A implacavel realidade entre-
tanto pronuncia-se todos os dias em con-
trario. Como providenciar o tribunal na
infin dade de casos em que suas concesses
de revista sao neutralisadas pelas senten?as
das relacoes revisoras ? Corrigir tambem
taes relacoes, ou essa sorte estava reserva-
da para os juizes do malfadado accordo ?
^ Que, aos tribunaes revisores licito exa-
minar preliminarmente sua competencia,
uinguem duvida luz dos principios, ou
guiado pelos precedentes.
Pela nossa aniiga organisaco judie aria
em que a revista era graca do Imperante,
a soluco -affirmativa lirmou-se na jurispru-
dencia e consta de arestos indicados e
transcriptos no tratado do revistas de Pe-
reira, cap, 07 n. 7, quanto mais que era
permitlido oppr embargos de nullidade s
revistas concedidas pelo principe, visto
como deviam os juizes revisores estar cer-
tos de sua jursdiccao.
Em Franca sempre foi esta a jurispru-
dencia, e anda agora o depois da ultima
organisaco de seu tribunal de Cassaco,
em 1837. E' all doutrina corrente, que
os tribunaes revisores podem declarar-se
incompetentes para o julgamento das re-
vistas, salvo se a questo da competencia
:fi=
esth-er depuradi poraas c*33J$8er con-Vtros do uprean tribunal que pratkaram
bia que domicilio tivesse. A irmaa dava-lhe
algum dinheiro e elle coolinuava a cacar
furtivamente.
O Mulot, pela sua situaclo de filho do
guarda florestal, foi bella acquisico para
um bando Jde catadores furtivos, cujos ca-
becas residiam em Cbateauveuf-sur Loire,
Loury, Boiscommun e Lorris.
De lempos lempos fornecia-lbes infor-
macoes.
Mais de ama vez se introdozio elle em
casa do almoxarife, e alli, revolvendo-lhe
os papis, desabrir que em tal dia e a tal
bora es guardas da floresta, de accordo
com a polica, deviam dar busca a certa
herdade, cojo dono era suspeito de acober-
tar caca roubada e utensilios de cagadores
furtivos.
Estas diligencias aborlavam sempre.
O Mulot era ento rapaz de vinte e cin-
co annos, magro, gil e to veloz corra,
que n3o baveria gendarme que o apanhasse.
Era de tal destreza, que percorria n'uma
s noute distancias fabulosas.
Urnas vezes aqu, outras acola, dormindo
s noutes ora nos prados, ora as granjas,
i Iluda toda a vigilancia, e algumas vezes
apresentava-se beber o sea copo de vinbo
na mesma taberna onde estavam descansan-
do os gendarmes, que intilmente o tinbam
pro Mirado.
Ento ainda por cima os escarneca, e,
como nos deudos de caca defeza s tem
lugar a priso em flagrante deudo, l s
ia em liberdade.
Mulot tinba ama companheira de roubo
e vadiiee.
Era orna rapariga mais gil anda do que
elle, a qual se n'.o limitiva i armar lacos i
caca, mas al roubava leohis e pastos. Lo*
formes.
Diz o Repertorio de Jiirispruden
dalloz, Cours de cassatien fffk^iffl
bunal revisor, ttm incontestavelmnt
reito de examinar sua competencia
ler-se, se entende nao poj&f cool
negocio, ou em razio das pessoas,
razio da materia. > 3
Exerceram, pois, os sjipplicao^es.d
poderes de seu delicado ministerio, J
ciando-se incompetente para con:
reformar um inverloculoflo de juiz
toem provimeat"de.aggravo. Sua
ta, longe de ser "re(irehensivel,- pau
pela verdade dos principios e pelas di
Ces de nossas leis que o accordo revisor
expoz e que intil 6 reprodnzir.
Se o governo de vossa mages-tade impe-
rial, como se aguarda,.,iitfeirar-se comple-
tamente do pi ocedimeol dos diverso*jizes
desie processo, de certo se convenceri de
que toda a culpa recae sobre os raines tro.-
do supremo tribunal que votaram peli,pre-
I i minar da ad misso do recurso de revista.
Nao exercem agora os supplicantes func-
Ces de seu nobre ofBciode julgadores, para
que devam refrear-se na manifestago de to-
das as verdades tendentes a justificar seu
regularissimo procedimento, ou fundamen-
tar a presente denuncia aos altos poderes po
uticos do Estado, dos erros commettidos
pelo primeiro tribunal do Imperio.
Em sen accordo cingiram-se fixaco de
sua competencia, sem pronunciaren] urna pa-
labra allusiva exorbitancia da concesso da
revista; mas agora esto na liberdade, como
partos offe-xtdas, como simplices cidaaos
de nada pouparem para restaDelecimento de
nossas instiluites judiciarias.
O supremo tribunal tomando conhecimen-
to do recurso de revista, com violaco da
clara e positivaisposico do art. 122 da lei
de 3 de dezembro de 1811, e do art. 33 do
reguiamenlo 15 de marco de 1842, soc-
correu-se, para fegitimar sua Ilegal conces-
so da Ord. liv. 3." tit. 09 princ, conside-
rando com forca de sentenca definitiva(doc
n. 2) o despacho do juiz de direito de S. Paulo
(doc: n. 3.) o qual, disse o supremo tribu-
nal, poz Gm ao processo! Lida essa orde-
aaco acha-se logo-a impossibilidade de 9ua
applicaco aquello despacho do joiz de di-
reito.
Lida essa Ord., e no falso presupposto de
baver sentenca que puzesse fim ao proces-
so, a coocluso nao podia ser, tomar-se co-
nhecimento do recurso de revista. Urna sen-
tenca de provimento de aggravo de petico
sobre materia de competencia, ou qualquer
outra deciso como o mencionado despacho
do juiz de direito de S. Paulo, tem sido e
ser sempre um despacho meramente nter-
locutorio, por isso que oos termos da indi-
cada Ord. liv. 3." tit SO princ., em vei de
por fim ao processo, implica necessarUmen-
te sua conlinuaco.
Aqu est, Senhor, o ponto dominante da
serie de tortuosidades em que perdeu-se a
causa intentada pelo bero de Mau contra
a companhia da estrada de ferro de S. Paulo,
tortuosidades que a relaco desta Corte nao
tinba obrigaco de sanar custa de mais um
erro de oiicio. NSo, volte senda das leis
quem della se desviou.
O supremo tribunal confiando poooo no
seu primeiro fundamento,* invocou ada o
art. 5. do dec. de 20 de dezembro de 1830
e declarou ser o despacho do juido diieito
urna sentenca proferida em ultime instancia.
Este segur do fundamento, porm, alm de
contradictorio com o primeiro, igualmente
insustentavel, porque seodo toda a sentenca
proferida cm ultima instancia sempre defi-
nitiva ; np podia a deciso de que se trata
ser ao mesmo lempo interlocutor'!a e defini-
tiva, e porque nao havendo anda instancia
nesla causa, visto que a lide nao tinba sido
contestada, nao poda existir sentenca em
ultima instancia, muto mais dispondo o mes-
mo decreto de 20 de dezembro de 1830
bem claramente que a sentenca definitiva
da qual cabe o recurso de revista, ni-
camente acuella que decide causa princi-
pal, e nao um incidente oceurrido sobre a
consttuico do juizo, como no caso vertente.
De tudo isto segoe-se o corollario da res-
ponsabilidade criminal dos ministros do Su-
premo Tribunal de Justica que votaram pela
concesso da revista, contra as leis regula-
doras de suas atlribu ces, nao tratando-se
de sentenca definitiva, de stnieuc proferi-
da em ultima instancia, e depois de exhau-
ridos todos os recursos ordinarios.
Segue-se mais a aggravaco da responsa-
bilidade desses ministros pela caprichosa
decretacoda responsabilidade dos suppli-
cantes, e pela exorbitancia com que deter-
minaran! urna revista de revista, por urna
votagao verbal, destituida de todas as for-
mulas jurdicas na ausencia do processo, e
de que apenas d noticia urna acta assigna-
da smente pelo presidente e secretario do
tribunal.
Assim, pois, demonstrado que os minis-
todos os actos referidos, julgaram contra
#fc JtPWi^q'iaes as de 3 de dezembro
de 1841, 18 de seioabre da 1828 e 20 de
dezembro de 1830 e mesmo uVingiram a
const'jico do Imperio, devera ser punidos
com as penas que a lei mpe 3'taes erros.
"Os sopplicantes justamente confiados na
imparcialidade e justica dp governo de vossa
magestade impebi.vl, imploram reverente-
imnte que se' mande proceder na forma da
lei, levndo-se tambem este to extr ordi-
nario caso ao conhecimento do corpo legis-
lativo, se assim parecer acertado. E. R. M.
Rio de Janeiro, 1J de marco de 1870, Cae-
tao Vicente d Almeida. Venancio Jos
Lisboa.
LnTERATMA
POUCO D TUDO.
CARLOS LEMAITRE.No dia 16 de
m>rco, s 7 horas e um quarto da tarde,
Carlos Lemaitre, ador e autor dramtico,
filho do celebre artista Frederico- Lemaitre,
precipitou-se de urna janella abaixo da casa
onde resida ero Pars,- no boulevard de
Strasbourgo. fracturando o crneo no pas-
seo onde cabio.
Esta desgraca acontecida em um sitio
moito frequentado, e hora em que por
alli circula muita gerxte, causou grande im-
presso.
Muitas pessoas acudiram ao infeliz artis-
ta, mas- quando o levantaran) eslava j mor-
to. Suicidou-se n'um accesso de febre ar-
dente. Iavia oito dias que eslava "com be-
xigas, enfermidade que grassa em Pars.
O enfermo affl gio-se muUo com a doen-
Ca, dai/lo-llie grande cuidado o icar desfi-
gurado. De repente levantou-se e deitou
correr pelas casas aos gritos, a enfermeira
quiz tranqjiillia-lo. mas oo lbe foi possi-
vel. O doente correu para- a janella e
abrio-a, a enfermeira auxiliada por urna
criada tentou segura-lo, mas nao pode, ven
do-se obrigadae a larga-lo para o serem
arrastadas com elle na queda,.tal era a for-
Ca que elle empregava.
ACADEMIH FRANCEZA. Falla-se em
Pars qHe Mr. Emilio Ollivierser o substi-
tuto de Montaien.bert na cadeira da Aca-
demia.
DL'AS PERDAS. Um aldeo correu a
urna botica todo azafamado e com as lagri-
mas nos olhos. O boticario perguntoo-lne
o que o aflligia.
Que ha de ser? que guando a
desgraca entra em orna familia, aunca vem
s!
Ento que- lhe succedeu ?
qde minha mulher morreu ba urna
bora e agora tenho tambem doente o mou
jumento u jvo, que compre! ha oito-dias p r
urna libra. Ora para que este nao v pelo
caminbo de minha mulher, que eu venho
buscar remedio.
VARIEDADE
grando todos os guardas que tentavam ir-
Ihe no alcance.
Por isso denominavam-a Cabrita.
as aldeias marginaes do Loiro fre-
quente darem-se aos homens e mulheres os
nomes dos animaes, e s vezes com certa
propriedade analgica.
A Cabrita era engeitada e aos doze anno
qor meio da pilhagem, j arranjava o sus
lento quotidiano.
Do mesmo modo que Mulot. oo tinha
eir nem beira, dorma no bosque como
urna verdadeira cabra ; falta de outros
alimentos, sosientava-se de fruclas e ia ven-
der s aldeias prosimas o que roubava.
As naturezas pervertidas buscam-se, en-
contram-se e ligam-se reciprocamente por
lacos indissoluveis.
Havia qualro ou cinco annos que Mulot
e a Cabrita se amavam maneira de bandi-
dos.
Tinbam corrido os raesmos pergos, in-
tentado iguaes emprezas.
Muitas vezes havam tido por nico re-
fugio as sarcas e covas, s habitadas pelos
javalis.
Quando se encontravam, passavam um
ou dous dias juntos, durante os quaes ef
fectuavam algum roubo em commom, e,
epois obedecendo aos instioctos selgavens,
segua cada um destino diverso, voltando i
tarefa pessoal da rapia.
Estes dous seres havam estabelecido as
suas relacoes por singular maneira.
Um guarda qae por vezes dera caca
Cabrita, sem obter o resoltado que espe-
rava, e que jurara de cedo ou tarde a pilhar
lembrou-se um dia de lancar mo de um
estranho expediente. Largou doos des
em busca de to extraordinaria caca- Os
animaes tomaram a cousa a serio.,
llyglene publica.
O cow-pox, a vaccina e a revaccimeo.
Pretendida transmisso do virus.
O numero assaz elevado de casos de va-
rila que tem sido observado durante estes
dous ltimos annos, chamou a attenco para
a qaestSo sempre pendente .da necessidade
de revaccinaco, sobretudo em presenca de
casos relativamente frequentes de pessoas
vaccinadas atacadas pela epidemia das bexi-
gas, e para a necessidade de recorrer
fon te da vaccina, o cow-pox, varila das
vaccas.
A estas duas questes junta-se terceira.
Pode o virus ser modificado pela mistura
com outro de que esteja carregado o sangue
da pessoa que tenha pstulas de vaccina, e
augmentar assim a aeco vaccinal com a in-
feceo especial de um puz vaccinieo adul-
terado ?
Suppor-se-hia assim:
1. Que o puz vaccinieo pode alterar-se
com o tempo.
2. Que a vaccina, encarada actualmente
como nao podendo dar seno puz vaccnico,
podera transmiti' elementos mrbidos que
lhe fossem estranbos.
Examinemos primeiro se o puz vaccnico
tende a enfraquecer-se por transmssoes suc-
cessivas. J em 1840, segundo o extracto
de documentos prestados officialmente
commisso da academia de med ina, e o
relatorio do Dr. Gauthier de Chaubry, re
sultava que de 2,224 revaccinaces, 1704
nao tiveram resultado algum, ou foram so-
raente seguidas de um trabalbo inteiramen-
le absorvente e de prompto dissipado (ab-
sorpeo limitada parte que crculava a pi-
cada, com um pouco de rubor somente).
Que 273 vezes, emfim, se manifestaram
nos primeiros dias, pstulas cujo aspecto
1U I
s, se
Urna manba a Cabrita sahio frente do
goarda, fazendo-lhe um rapa p.
O guarda excitou os caes, qae eram dous
bichos valentes, mas elles, julgando que se
tratava de cacar algum cabrito montez,
largaram a estrada e metteram-se no mat-
a cacar larga. D'essa vez escapulio-
se ainda a Cabrita.
Mas no dia seguinte a cacada recomecou,
e ao terceiro a Cabrita, qaando saltava urna
valla, cabio sem forras e (aneando pela
bocea largos jorros de sangue.
J os caes se lhe approximavam e lhe iam
deilando os dentes saia azul, sua nica
roupa ; j a infeliz se via rremediavel-
mente perdida e ouvia os passos do guar-
da approximando-se-lhe, qaando se ouviram
doos tiros de espingarda: um fumo branco
envolveu a malta prxima, duas balas sil-
va rara successivamente e os dous ces ca-
hiram redondamente mortos. Ento o
Mulot sahio da matta, temou a rapariga nos
bracos, po-la s costas e fugio, abandonan-
do d'esta vez os lacos e mais utensilios de
caca prohibidos.
Desde entio, como de ajuizar, ficaram
ligados para a vida e morte.
Ora n'aquella nojite, em quanto Saurn
acompanhava o cura Duval Raposeira e
o introduzia precipitadamente no quarlo do
commandante Ricardo, o Mulot rondava a
floresta, onde se encontrou com a Cabrita,
a qual lhe disse :
Sabes que ha novidade na Rapo-
seira ?
Eoto o que ? percunton o Mulot.
0 commandante est 4 morrer.
Ob! que fortuna I xclamou o ve
Ibaco.
Feriase ao saltar urna sobe. Agora
psracia inlogo e al semelhanle ao das
Pf:ua| di yaceta ff alajr, o qufapanr de
sccapai fclpmf#ranynti, isto ^, pelooi-
tavo da, for-neceram m Suido coja innu-
lCo em individuos nao vacunados deter-
minoa 6 dtsenvolvimento d umt- vaccina
normal. _
O que por certo tendera a demohetrar
qae o virus nao perde seu valor, porque
quando innoculado em nm individuo cuja
precedente innoculaco nao tem tdo effeto,
produz empollas proprias para determinar
urna vaccina normal; mas v-se tambem
que a vaccina nao sempre um preservati-
vo, que seu effeto pode gastar-se, mas que
em todo o caso, assim como a antiga opera-
Clo chamada innoculaco, ella dminue o
effeilo da varila, limitando seus progressos
e sua intensidade.
Tem sido portanto recommendada a re-
vaccinaco,. e a pr.tica tem dado resultados
sempre semelhantes aos supra indicados e
confirmativos da attenuaco daenfernidade.
Na Prussa foram revacunados todos os
soldados.de 1834 a 1848. De 425,000 re-
vaccinaces obtiveram-se resultados positi-
vos em 198,000 soldados; isto 45,80
o/. Durante esse periodo contaram-se no
pxercito 77 casos somente de bexiga : nao
houve orna s morte dessa molestia.
A necessidade de remonlar-se fonte do
puz vaccnico, o cow-pox, descoberto por
Jenmr, nao parece justificada ; pois que
est sufficientemente demonstrado que as
transmssoes succeseivas nao teem alterado
a acc*> do puz vaeeioico; demais, fados
positivos provam que o virus tirado da pus
tula da vacca pode produzir, no primeiro
ndividue-que recebe a innoculaco, pustu
.las fle especie particular, singulares por seu
volurae, sua persistencia, demora na ioca
da desseccaco e na da queda das crostas;
o que pode provar-se em i36, c >m o em-
prego do'cow-pox, descoberto em Passy.
Estas cndilo! especiaes- em breve dei-
xaram de repfdozirse, e a vaccina tornou-
se d prompt de todo semelbante vacci-
na ordinaria.
Alm de quo, cumpre abster-se de con-
cluir d desigualdade do desenvo'vimento
das pstulas a insufficiencia do liquido e da
natureza innocolavel, mas levar em conta a
recepbilidade dbs individuos.
Outra causa leva tambem algnos mdicos
a remontar ao wub inicial, o cow-pox.
Pensava-se qae poz vaccinieo- nao podia
prodazir seno esse mesmo virus-, o nunca
outros phenomenoe mrbidos caractersticos
de urna infeeco estranha bem determi-
nada.
Os Srs. Vonnois e Depaal deram a co-
nhecer faotos muitoconcludentes, permittin
do-lhes admittir a transmisso da- infeeco
pela vaccina. Mas ser com effeilo o fluido
vaccinal que se acha alterado ? O Si. Bouar-
del suppeqae o poz vacciniea pdeconter
algnns glbulos sanguneos, e se o sangue
est infectado de virus pode tranemittir o
virus que contera.
Tornou-se; portan4o, da moda a vaccina-
Cao pelo cow-pox.
O desenvolvimento do cow-pox attribui-
do innoculaco da materia que em certos
casos recuma das pernas dos cavall- s, e que
transmittiram s vaccas, ordenhando-as, os
individuos que acabavam de tratar de ca-
vailos doentes..
Esta opinio muito combatida por ex-
periencias feita em Lyon. Algons- physio-
logistas suppem que a crnpco < amada
cow-pox, em Inglaterra, idiopatica ou es-
sencial especie-.
Jenner observou que as raparigas encar-
regadas de ordenhar as vaccas doenies, re-
cebiam nos dedos o liquido das postulas, e
que disso Ibes resultavam erupces localisa-
das no lugar da alworpco ; mas que ellas
ficavam preservadas da varila, o que era
fcil de verificar n'uma poca em que a va-
rila epidmica fazia to numerosas victi-
mas.
Demais, pde-se obter fcilmente o cow-
pox.
O Dr. Lanoix trouxe de aples, onde
existe desde o comeen deste seculo um
servico de vaccina, urna vitela innoculada,
que foi a fonte de innoculacoes animaes ul-
teriores.
Concluimos dizendo que nos parece til
ou prudente :
1. Proceder a revaccinaco ao cabo de
um periodo de doz annos subsequente
prime-ira vaccinaco. Deste modo, urna
enanca vacunada no berco sena vacunada
no comeco de seu undcimo anno ; e, che-
gando idade adulta, se-lo-ha talvez cora
utilidade aos 22 ou 25 annos.
A estatislica tem demonstrado que passa-
dos 35 annos, a ope aco d resultados ape-
nas apreciaveis.
2. Nao nos parece indispensavel recor-
rer ao cow-pox ; nao est por modo algum
demonstrado que o puz vaccinieo perca seu
poder por transmssoes successivas.
3. Posto que noosteja suficientemente
tem tua irnia bella occasio de deitar a
unia ao cofre.
Mas quando e!la dizia isto j o Mulot
estava distante e corra bom correr na
direceo da Raposeira.
Chegoa ao parque, saltou a sebe da hor-
ta, foi de gatas at junto das postas da
casa e poz-se escuta.
Ouvio a Martina gritar, Saurn despro-
positar, o pequeo Augusto chorar e o com-
mandante ralbar.
Em vez de bater porta ou mesmo en-
trar o Mulot cedeu ainda d'esta vez aos seus
instinctos de intratavel, e, affeito sor-
prender toda a especie de caca, subic-se
a uroi arvore qae fleava janto da jane la do
quarto.
Ali, peodurado n'um ramo pode pre
senciar a scena que j descreveraos.
A vidraca estava fechada, mas as per-
sianas nao estavam corridas. O Mulot nao
ouvio, mas vio. E vendo, comprehenden
todo. Compreltendeu que o padre que
ali estava, e que reconheceu pelo cura de
S. Florentino, tratava de fazer reconsiderar
o commandante sobre varios assumptos.
Qaando o.cura levou para junto do leito a'
banquinha sobre a qual se achfevam os
utensilios para escrever, e vio o comman-
dante pegar na penna, o Mulot confirmou as
suas suspeitas, e disse ;
Vai reformar o testamento.
Ento escorregou. pela arvore abaixo e
foi applicar o nariz de fuioba janella do
quarto da irmaa.
Achava sobre os joelhos e i chorar.
Saurn guardava por certo a porta do
quarlo. .
Miguel ijudava provavelmenle Bigorne
a melter qs. cavallos na cavallarica-
mssa ees-
de sal-
udo qO.o viras vaccinal
ser idenlco a i
certo- quf na trpsi
acompanhado de algumas gdjtinbl
gne viciado ior ara virus estraohl innocu-
lavel, sempre* prudente exraioar'o estado
da crianca ou adulto, de-caps poftulas de
vaedna se tem de extrahir o liquido qae ha
de servir para vaccinaco.
A escolha do individuo era portanto con-
fiada sempre a um medico. E' muito raro,
sobretudo as provincias, onde lodos se co-
nhecem, que o vaccinador nao esleja bem
informado da sade presente e anterior de
um individuo vaccinifero (portadogbde puz
vaccinieo).
Cu. Place.
Extenso dos camlnho de ferro
ciiropens.
Eis urna curiosa estalistica publicada por
um jornal allemo. Os algarismos, que
nao garantimos, parecem assaz verosimers.
Um trem de caminho de ferro formado
de todas as locomotivas e wages das com-
panbias europeas, poder eomefar em Pa-
rs e acabar em S. Petersburg. Poden
conter 400,000 viajantes, eoJWwages se-
riara seguidos de 400,000 carros de mer-
caduras-
Os caminbos de ferro da Europa passam
por 62,000 pontes pequea oograndes.
N5o foram precisos menos % 75,000,000
de kilogrammos de ferro pan eslabelecer
os carrisv O consumo annual" de earvSo
para aqueeer as locomotivas, que sao em
numero de* 18,000, de 400-.000.00 de
kilogrammos. O comprimento das via*fr-
reas, emfim, passa de 220,000 kilmetros.
* mllhos uhmer&on*
Urna interessante expedico sahio do por-
to de Nantes, e de certo agradari a nosses
leitores que Ibes fallemos della.
A historia refere que, no anno d (702,.
alguns galeoes hespanhes, para escaparem
s frotes combinadas da Inglaterra- e Hbl-
landa, foram voluntariamente mettido: pi-
que na babia de Vrgo.
A legenda accrescenta que esse gale>s.
precedentes da America do Sul, contmham
uns 420milbes de barras de prata.
Ha mais de secuio e meio foram esses
navios submergidos-a 17 metros de profQn-
didade, e esto qoasi inteiramente obertos
de arca ; sua opulenta carregaco, como
natural, -ambicionada de toda a parte.
At hoje, entretanto, nenhuma trotativa
seria' se tem feito, to impotente se reco-
nbece a seiencia submarina, quer pan-sus-
pender os navios, qaer para arranoar-lhes
do bjo os- thesouros que l esto.
Todava, no correr deste anno, coropa-
nhias inglczae e fraacezas se tem offarecido
para mandar fazer reconhecimentos decisi-
vos a este respeito, afira de fixar-sea opi-
nio sobre a realidade das riquezas afonda-
das na babia de Yigo, e no caso pessivel
explora-las.
Foi urna companhia franceza a eseolhida
pelo governo hespanaol, que estipoiou em
seu favor urna parte (43 l/ /) nes- sal-
vados.
Esta companhia tem por engenheiro um
dos homens mais activos, mais inteligentes
e mais habis deste tempo, o Sr. Ernest
Bazin, d'Angers, quemunio-se de una-pes-
soal escolbio para levar a effeto a obra
to consideravel confiada sua direceo.
Foi esse pessoal que parti de Nantes
em um excedente navio,o7u/ten Gabrielle,
capilo Hue, a fim de comecar em breve os
trabalhos, tendo a posse dos navios que
devem ser explorados sido j tomada em
nome de Sr. Bazin, por meio de boias an-
coradas por afi'outos mergolhadores sobre
cada um desses navios.
A esses mergulhadores vai-se onir um
chefe de reconhecido mrito, o Sr. Goutard,
que em tO metros de agua consena-se sub-
merso durante 3 horas, e cm k7 metros
durante hora e meia, tiabalhaado com
tanta preciio e seguranza como em Ierra.
Os trabalhos submarinos sero allumia-
dos por urna luz elctrica igital a 250 bicos
de gaz ; e facilitados por apparemos pyro-
technicos de forca enorme.
O Sr. Bazin conta visitar o interior dos-
navios com escrupulosa atlenco.camara por
cmara, poro por poro, a fim de poder
formar idea exacta do que elles contm.
Em todo o caso, semelhanle trabalh >
suscita interesse de ordem elevada.
Se os galeoes contiverem riquezas, serio
estas conquistadas; se estiverem vasies, a
parte da bahia que elles obstruem ficar
deserabaracada.
V-se que o servico prestado pelaaosso
honrado e sabio compatriota ser de todo
modo real e consideravel.
Tomaremos nossas medidas par poder
informar nossos leitores da marcha da ope-
raco, que nos offerece um interesse tanto
mais serio, quanto a Nantes que etia est
ligada.
O Mulot baten duas pancadas Da vidraca
da janella.
A Martina estremeceu e levaotou-se pre-
cipitadamente, e, deixando ali o filho, cor-
reu peqnena porta que dava paraojar-
dim.
Reconhecera a senha do iraao. Este.dis-
se-lhe baixiaho :
Eu nao entro ; nao convem qae me
vejara.; sei oque se passa : ovelbovai.
fechac o olho e dispe-se a fazer o seu tes-
tamento.
A Martina deu um grito.
Gala-te I disse o Mulot, laucando.
lhe as raaos ao pescoco Com barulbo nao
se faz nada.
O seu testamento 1 exclanuva ella
desorientada.
E nao em tea favor, disse o Mulot
porque j tinba feito um em que te dei-
xava tudo.
Oh que malvado I balbuciou a
Martina, cuja ndole violenta se exasperava
cada vez mais.
Nao cessas de gritar ? interrompeu
o MulotDiz me: onde est o testamento
que elle te deu ?
Tenho-o...
Pois bem. guarda*); deixa-o fazer
quantos elle quizer, quas esse ten effeilo.
At vista I.,.
E retirau>se apressadamente. Lnegado
sebe do quintal, abajxoajse, apanhou a
espingarda que deixra escondida as her-
vas e metteu-lbe duas baja? nos canos-
bre as cargas de chumbo grosso que ji ti-
nham, e logo desapareca na direceo da
floresta.
(Conmmr-9M.
TYP. DO DIAftfc) RA IHJU DE QAXIS
\\
*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EB6QQW20K_UAFRTA INGEST_TIME 2013-09-13T23:23:41Z PACKAGE AA00011611_12091
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES