Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12083


This item is only available as the following downloads:


Full Text

f
r
km m mmo n. *w *> 5* -^<.^^m^jmmjm.jm.
i>y
*+Mmm v
*nmMno.i*m.............. ..... I2ooo
Cada momero avalso. mirria ni* ; ; ; oqni^n nr 7.
.............
ikO E FOBA DA WK)?IWI.
' cjrioM'. b en." j,-
Put tres mezea adwUdbs.......,,.
Por seis ditos dem........."
Por d<3t ditos idem......


.
.......
Por um anno iah .........,..
.................. ..
.-
730
204250
27,1000
Propriedade de Manoel igneira de Faria & Filhos.
NAO ENTE*


Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para ; Goncalves Pioto. no Maranhio ; Joaqun Jos de Oliveira, no Cear ; Antonio de Lemos Braga,




PAITE OFnCIAl.
**. *,, MmaTe. ^ A0 < Lima, M ParahJta, KM0 ^ mmi da PeD, ;B:n; SKS SU SS 5 ,:;rrrNatl: ,Mt 'u,8m
_______________ 8mNmrclh j PraMisro Tres Cosu, en llw. ; Dr. ta Martin, Ata, na Babia JM Ribeiro Casparinbo o Rio de Janeiro. .
r~
J.ELATOWO MDO PELO EXM. SR. SENADOR
rftKDEBICO DE AI.MEIDA E ALBUQUEHQUB,
NA ABKfUTU.Y DA PltlMKllt.Y SKSSO DA AS-
E.UIUA LEGISLATIVA PROVINCIAL, NO DA
1* DE ABIW. DE 1870.
(CoHlintwco).
00RPO PROVISORIO DE POLICA.
-Est sob o commando do activo c zeloso leen-
te-coronel Francisco Carbeiro Machado Ros J-
nior, o coniava em 10 de marco prximo findo,
atin de seu commandante, os offlciaes e pragas
que se seguem :
- *....................
Tenste ajndante..........
Dita secretario............
Dito quartel-mestre........
Dito eirargB.............
Sarg po ajudante
Dito <
l
jua/tel-mestre........
Corneta tnr..............
Capites..................
Tenentes...............
Alteras ."................
1.' sargentos.............
1" ditos.................
Furriei..................
Cabos....................
Soldado?.................. 331
Cornetas................. 6

n
i
i
]
Fallavam para completa lo : ,
Cabo.........
Soldados......
Cometan. ....'.
.......
462
I
rifo, 1 escrivao, 1 eserplurario, i esciivao das
ofBcnas, 1 amanuense, 1 fiel, i apontador, 1 por-
teiro, 1 ajudante do mesmo, 3 guardas de arma-
zn s, i dito da plvora.
A companhia de aprendizes conla 73 menores,
fallando 47 para coupletar o numero de 120, de
que se-*levmpw. Occupjtii-se nesta compa-
nhia es seguintes empregados : 1 pedagogo, 1 aju-
dante do mesmo, 1 professor de primeiras leltras,
1 dito de msica, 1 dito de geometra, 1 capellio,
c 2 guardas.
Por faecimento do ajudanto do pedagogo Jos
Joaqum do Oliveira Baduem, nomeei interinamen-
te para servir esse lugar o servente Joaqun) An-
tonio de Oliveira Baduem.
A tvmpanhia de operarios miniares tem, com-
prehendidos os 10 quu seguiram para a campanha
do sul: 1 commandante, 2 chelea-de turma, 'i ca-
bos de esquadra, 13 soldados, 19 mancebos.
A seccao de sapadoies e bombeiros tem: 1 chefe
de turma, 2 cabos ds esquadra, 4 soldados e 7
mancebos.
O laboratorio pyrefecknico fabricou 14.000 car-
luxos de adarme 13, 8,000 de adarme 17 e 4,000
de 14-66 sem balas .'para carabinas.
A casa de habilaca j do director precisa de con-
certos.
ARSENAL DE MARINHA.
Antonioestao no caso de prestar senrico; as mi-
tras estao em minas.
Segundo informaciio do respectivo commandan-
te, tem-se feto- nos edificios pblicos os reparos
possiveis; convm, porm, fazer-se mullos mclho-
ramentos indispensavel^-
INSTRDCgAO PUBLICA.
Est sob a inspeccao do muilo digno director ge-
ral r. Joaguira Pires Machado Poi tella, que nao
iem noupaijo esforgos para seu engrandecimento.
sonre este assumpto chamo a vossa attncao p-
efaborUd|in0-S-re'"0r-(,Ue V-S Ser* aPr?seiItodP
"Topulacao como sabo^ perfeiiaraenie, um po-
uwoao obstculo, que seoppee. ao nosao proaxes-
so, ijuer na ordem iniellectual c moral, quer na
raen, physica ou material. Traiar, pws, dedebi-
aar
Total.......
Addios:
Capilo.....
Tenenles___
1 sargento.
i
2
l
Nio estA completo o numero de pracas do cor-
eo de polica, nao obstante ser inteiramente insuf-
-licieMe pata o servicp que dastinado. A' pe-
quenez dos venciroentos se dee esto cirenmstan-
ca. Ccm elTeito com o vencimento diario de 1.a 100
que percebe cada praca, em una cidade como
esto, onde qualguer homem applicando-se qual-
quer K-nrico; naoobtem menos de U600 42*000
por da, e a vista do devadissimo preco dos gene-
res de primeira necessidade, mu difficil se nao
impossnel encontrar horneas, de cumportament
rematar, que se queLram alistar n'aquelle corno.
Julgo indispensavel o numero de 600 pracas para
o corpo de polica, com o vencimento de 1*300
J;artos para, cada, acaga,
A despeza ter-se-ba de racakontar mhIwi.-
velmento, mas convm faier toda e qualquer eeo-
uomia em outros ramos do servico publico, com
tanto que tenhamos um corpo de polica, com
um pessoal que inspire confianza, e com o nume-
ro de pravas sufflcente para o servico.
Este corpo cencorr muito para a manutentao
da seguranca individual e de propriedade, |que
'constituam, como sabis perfeitomente, as princ-
paes necessidades socaes, e para cuja salisfacao
devemos envidar todos os nossos esforgos, e fazer
mesmo sacrificios.
Devendo, de conformidade cora o dsposto no
art. 2 nico da le provincial n. 611, ser dissol
vid o corpo provisorio de polica, logo que volte
a provincia o corpo permanente que marchou
para guerra, acontece que chegaram esta ci-
dade no dia 13 do mez findo, o commandante
daquelle corpo, coronel honorario do exercito Ale-
xandre de Barro* e Albuquerque, assim como o
i'apilao Joao Francisco da Cunha, e segundo me
i-insto rnais um ou dois subalternos.
Ora, nao tendo voltado o corpo, nao me acho
habilitado para dissolver o que existe. Convm
|)is, que providencio*? com urgencia este res-
p'eito, tanto mais por que consta que o jcorpo que
U'aqui marchou, fra dissolvido. A urgencia de
w-ssas providencias anda necessaria, nao s
para que o servico pnhlico se regalarise, como
aflm de que sejam attendidos os dircitos do coro-
nel Barros e Albuquerque, e dos mais olllciaes.
Ha necessidade de armas para o corpo de que
trato. Convm, pois, que consignis crdito para
compra de armas, nao s para esse corpo, como
para se enviar algumas autoridades policiaes do
interior da provincia, que constantemente as re-
quisitam, alim de poder, em cumprimento de sous
ueveres, armar guardas naconaes e mais cidadaos,
que em certas circumslancas se empregam em
diligencias para captura de criminosos, sendo
certo que a presidencia nao pode dispor das ar-
mas que existem no arsenal de guerra, i visto
do que determinou o governo imperial, por aviso
do ministerio da justica expedido em 22 defeverei-
ro do correte anno.
FORCA DE PRIMEIRt LLNHA.
Alm do pequeo destacamento de.... pravas de
artilharia existente em Fernando, de algumas pra-
cas invalidas, e de alguns soldados de cavallaria,
que no quartel do deposito especial de iostrucelo
aguardam opportunidade para seguir seu desti-
no, nenhuma outra n.
HECRL'TAMENTO.
Durante minha adminlstrajao tem sido reraetti-
1I03 para a corte com destino ao exercito 29, e com
de?tino .i armada 16 r*crutas.
FORTIFICACOES E QAftTEIS.
E' o seu estado o mesmo descripto no relatorio
que esta assembla foi apreSentado o anno pas-
fado. S os quarteis das Cinco Puntas, Soledade
e Hospicio sofTreram alguns reparos.
Continua no commando das armas, o muito dig-
no general Joaqun. Jos Goncalves Fonles.
PAJOES DE PLVORA.
Ja ao governo imperial foram ministradas as
intormaces que exigi por avisos do ministerio da
guen a de 9, e da faunaa de 2 de outubro, para
resolver sobre os reparos, on rwnocao dos paies
Continua sob a inspeccao do chefe de divso
Hermenegildo Antonio Barbosa de Almeida.
Conservan) se paraifcs as obras da crvela de
guerra em construccao, a casa para habtagio do
inspector, e os concerlos do caes do norte : as pr-
meiras por se achar o respectivo constructor em
commissao do governo; as segundas, por baverem
atiingido as condieSes marcadas pelo aviso da ma-
rraba de 14 dejulho de 1865; e as ultimas por
falla de pedreiros e serventes, que se.queram su-
geitar ao Jornal lixado por le
Anda nao foram definitivamente prvidos pelo
mesmo governo os lugares postos em concurso de
escrivao, ajndante de escrivao do almoxarifado e
amanuenses da lecreUria da inspeccao.
Por faecimento do padre Primo Feliciano Ta-
vares, nomeei interinamente, em.'24 de novembro,
para o logar de capelln o padre Jos Gregorio da
Silva Carvalho, que foi definitivamente n?>meado
por portara do ministerio da marinha de 11 de Ja-
neiro, e se acha em exercicio.
Cbegou a 72 o numero dos aprendizes marinhei-
ros da companhia desle nome, no anno que findou.
Nao admittindo concert a barca comprada em 1862
que Ibes servia de quartel, foi o seu casco vendido
como determinou o aviso do 7 de dezembro ; pas-
sando a companhia a aquartelar-se no arsenal, con-
forme ha va recomendado outro aviso de 13 de
outubro.
A companhia de aprendizes artfices te ve 47
aprendizes e 28 avulsos. O seu peculio deposita-
do na thesouraria de lateada, de 9:422*934. in-
clusive o de 4:604*045 pertencente aos 17 avnlsxts.
e o de 817**6.) a 3 aprendizes que, cono volun-
tarios da patria, marcharam para o theatre da
campanha contra o go\emo do Paraguav. _
A vii luW.-a'J-Tl rfg^uruiaar *",,j*' -
por 53 alumnos, e a ele geometra applicada, me-
cha nica e desenlio de machinas por 7.
Nao chegou anda da Europa o mostrador de
vidro eocommendado para substituir o que se
qnebrou do relogo do observatorio.
Na enfermarla respectiva foram tratados 330
doentes, dos quaes 330 sahiram curados, 7 fallece-
ram e'restavatn 13.
Durante todo o anno se trab ilhou nos reparos
dos damnas causados pelo mar rauralha da ilha
do Nogueira.
MELHORAMENTO DO PORTO;
Segundo ostou informado, achararse promptos
todos os trabalhos graphcos necessaros para esr
clarecer o governo imperial d/i escolha do aaelbo-
projecto a adoptar.
O engenheiro Raphael Archanjo Galvo Filho,
quemfoi encarregado o estudo desta im portante
questao. va brevemenis submetler consideraco
do mesmo governo, o relatorio final dos seus tra-
balhos.no qual demonstrar que sem o emprego de
profundas alteracoes no rgimen dos rios Capiba-
ribe e Bebeiibe, pode-se conseguir dar este por-
to as melhores ondic/jes de umbom porto de com-
mercio.
O governo imperial, solicito em promover o pro-
gresso do paiz, nao deixou e nem deixar desreg-
lar a sua attncao, alim de que se realse um me-
Ihoramento de to grande alcance e importancia
para esla provincia.
CAPITANA
pelo conselhe'iro Francisco de Paula
Haptista, quando no exercicio interino da directo-
ra em janeiro, por occasiao da licenca de alguns
aias de que goson aquelle director elTectvo. Como
muito bem disse o mencionado couselheiro, nao es
tao em rea cao com a elevada e importante mis-
sao da directora geral da iostruccao publica, os
mesquinhos vencraentos de 2:2804000, ao passo
que a directora da Bscola Normal, de cathegoria
e attribuiySes inferiores e mais limitadas, tem ven-
cimentos .superiores.
Entre entras consideracSes all olTerecidas, no
m uno de alargar o circulo das attrbucoes dadi-
reioria geral da inslrnccao publica, e poder esta
''.ungir ao seu escopo, e que deves igualmente
apreciar para prover o que for conveniente, vena
a necessidade de consignar urna verba para des-
pezas de viagem, quando o director gerl migar
conveniente visitar pessoalmente qualquer punto
do interior da provincia.
UKLEGACIAS LITTEOARIAS.
sob proposla da directora creei mais urna na
poyoacao da Boa-Viagem por deliberacao de 12
de janeiro, pelo que existem actualmente 70.
AULAS PUBLICAS DB INSTRUCCAO PBIMABIA.
Mistem actualmente 136 do sexo masculino, in-
clusive a do gymnasio, a que annexa Escola
formal, e a do collegio dos orphaos, e 96 do sexo
femenino.
Destas estao providas definitivamente 93, inte-
rinamente 1 o sem exercicio 1 : e daquellas estao
dehuitivamente providas ill, interinamente 15 e
io sem exercicio.
c j!araer? dos Inmnos foi : do sexo masculino
b,239 matriculados e 165 habilitados, e do sexo
femenino 3,084 matriculados e 39 habilitados.
nomeaca.
Em visto do resaludo do concurso, que se
proceder em^unho, nomeei a Guilhermina Fran-
cisca de Araujo Lns, por deliberacao de 11 de
novembro, para professora da cadeira da villa da
Boa-Vista.
RE.X0C0K3.
Por dehberacoes de 16 de novembro, 17 de de-
zembro, 3 e 8 de Janeiro, conced : a que pedio a
professora Idalina Escolstica Guedes Aleoforado,
ao Salgueiro para a povoaco de Nazareth do Ca-
ho, e aprofessora Maria Leopoldina, a 9. a quo pe-,
dio do Granito para Pesqueira. Ao professor Juven
co de Barros Correa, da Alago de Baixo para i
povoacao do Bebedouro, e ao professor eoclecia
no Ferreira dos Santos, de Correnles Daja a oo-
Ju Po el'ADitti
PER1ITAS>
Por deliberabas de 4 e 11 de dezembro, per-
mitu que permutassem entre si as respectivas ca-
deiras, as profssoras Guilhermina Francisca de
Araujo Lins, da villa da Ba-Vista, e Lisbella de
Albuquerque Mello, de Villa Bella, bem como a
da primeira cadeira da freguezla de S. Jos desla
cidade, Joanna Justina de Siqueira VareiSo, com a
do Buique, Anna Laurinda de Siqueira Varejac.
ESCOL.W NOCTURNAS.
Existem 4, sendo 1 em cada freguezia desto ci-
dade ; as quaes se matricularan. 198 alumnos,
habilitando-se somente um na da Boa-Visto, e
sendo o numero dos matriculados o que se se-
fue : '
reguezia de S. Fr. Pedro Goncalves...... 51
Dita de Santo Antonio................... 48
de plvora, que existem no forte do Buraco.'
VOLINTARIOS DA PATRIA.
Chegou esta cidade, oo dia 13 do mez findo,
no transporte de guerra tapicur, o balalhao n.
53 de voluntarios da patria desla provincia, o qual,
Jepois de enthusiastica |e pomposamente receido
no dia seguate, se foi alojar no quartel das Cinco
pontos, que para esse fim havia sido preparado,
e no dia 19 foi dissolvido, sendo a respectiva ban-
deira recolhida ao arsenal de guerra, e d'abi con-
ducida do dia 27, por urna guarda de honra da
guarda nacional, ate catbedral em Olinda, onde
licou depositada, de conformidade com as orden?
expedidas pelo governo imperial em avisos da mi-
nisterio da guerra de 25, 16 e 28 de fevereiro, e
i e 5 de mareo. A's respectivas pracas tenba
mandado dar transporte por mar ou por trra
al sens domicilios, nos termos dos meamos avisos.
ARSENAL DE GUERRA.
E director deste estabelecimento o major do
estado- maior da primeira classe Francisco- Ra-
phael de Mello Reg. Para ajndante foi nomeado
Sor portarla do ministerio da guerra de 18 ae
ezembro, o captio Tiburco Hilario da Silva Tava-
res, sendo dispensado desse servico o capiao refor-
mado do exercito Jos Ignacio de Medeiros Reg
Monteiro.
Ha oeste arsenal, alm dos coadjnvantes de es \
cripta, mais os seguintes empregados: l almoxa-
II

DO PORTO.
Exerce as funccSes de captao do porto o cap-
tio de mar e guerra Jos Manoel Picaneo da
Costo.
Nao lisongeiro o estado do porto. Em alguns
pontos do ancoradourc, como em frente da alfan-
dega, onde ha pouco airacavam navios de 13 ps
de calado, s podetn ir actualmente os de menos
de 12.
Diversas sao as causas que para isso concor-
rem, e eu tenho expedido terminantes ordens para
remogao das que cabera em minba lgida.
Depois dos ltimos iparos fonos no pharol da
barra contina este a lunccionar regularmente.
Autorsado por aviso da .marraha de 7 de Janei-
ro, elevui em 4 de fevereiro de32000 2*500
diarios 03 vencimentos dos patrSes das erabarca-
coes da praticagem nio comprehenddos no aviso
de 6 de mato de 185(1, correado a despeza pelo
cofre da respectiva assocacao, cujo estado finan-
ceiro animador por mostrar urna cifra em fun-
dos pblicos do valor de 83:737*609
Naufragou, na tarde de 3 de marco,'a barca n-
gleza Foam, ao sul porto em cima do arrecife,
ao norte da Barreta, per occasiao de suspender em
lastro com destino provincia da Parahvba, sai-
vandose a guarniejio e os passageiros.
Em 19 dejulho encalhou o brigue inglez Glawn-
tel, ao norte da barreta de Itamarac: porm,
sendo a lempo soccorrido pelo vapor Camaragibe da
companhia Vigilante, que para all segua'imme-
diatamente com o ajndante da capitana e o da
praticagem, salvou-se e velo reboque para este
porto depois de allivi id i parle da carga, que era de
carvo de podra.
Tambenvencalhou o brigue francez Rossini, no
da 3 de dezembro, sobre o arrecife em frente aos
navios de descarga, p>r occasiio de fazer-se ve-
la, em consequencia d baverem arrebentado as
amarras de dous ferro com que fundera na ves-
pera daquelle dia ; mas para esse baldados foram
todos os esforcos humauos,pois que perdeu-se com-
pletamente, salvando-se toda a equipagem.
Occupam-se da pesca nos res 186 individuos
em 16 canoas e 85 jangadas; e no alto mar 223
em 96 jangadas.
PRK3IDIO DE FERNANDO.
Contina sob o commando interino do tenente-
coronel Sebastiio Antonio do Reg Barros. O seu
pessoal compoe-se de: 1 commandante, 1 major
da praca, 1 secretario, 2 capetlaes sendo um pro-
foseor de pnmeiras letlras, 1 profassora, I almoxa-
rife, 1 cirurgiao, 1 pbarmacenlieo, 1 escrivao do
almoxarifado e 2 guardas do mesmo.
Existe all alm do lectaeamento da guarda na-
cional de qu j falle, um outro de 75 pravas de
1' linhi commandado por um capitao, forga raa-
ifestaraente insufitenle para guarnigaj de um
presidio cuja popula<^o oe 1,884 habitantes, n-
elosive os empregado, suas familias, os commer-
cantes e familias des.es, e os sentenciados de di-
versas provincias em numero de 1,237, sendo 248
militares e. 1,009 de iusnea. Nio tenho, porm,
podido Mieoder & essa necessidade.
Di fortftcacSes 6 as dos Remedios e Santo
Dita de S. Jos....
Dita da Ba-Vista,...............'.'..'.'.'.
58
41
198
AULAS DE LATI1I.
. 7\id0 GJ'ranas0 teve 122 alumnos e a de S.
Jos 10. As de Garanhuns, Ouricurv e Villa Bella
esto) sem exercicio, pelo que emende a directora
da mstrucfao publica, que podem ser supprimidas
sem inconveniente.
ESCOLAS PRIMARIAS PARTICULARES.
Existem 51. do sexo mascolino com 993 alum-
nos matriculados, e 73 do femenino com 553.
ESCOLA NORMAL. '
Matricularan) se no primeiro anno 31 alumnos,
dos quaes foram approvados plenamente 4, sira-
plesmenle 6 e reprovados 10, perdern) o anno
3 e deixaram de fazer 8.
No segundo anno matricularam-se 20, e destes
foram approvados plenamente 7, simplesmente 8,
reprovados 2, perderam o anno 3, deixou de fa-
zer exame 1, levantou-se do acto 1 efoi despe-
dido 1. K
No terceiro anno matricularam-se 22, dos quaes
foram approvados plenamente 14 e simplesmen-
te 8.
A escola pratica funecionou regularmente e deu
evidentes provas de que necessaria.
GIMNASIO PROVINCIAL.
Conced ao Dr. Joaqum Jos de Campos da Cos-
ta de Medeiros e Albuquerque, a exonerago que
pedio do cargo de regedor, e ao padre Tito de Bar-
ros Correa, do de censor. Para o primeiro desses
lugares nomeei o bacharel Alvaro Ucba Caval-
cante, e para o segando o Rvd. Dr. Luiz Ferreira
Nobre Pelinca.
Matricularam-se as diversas aulas 220 alum-
nos, sendo 127 internos, 28 meio-pensionsias e 63
externos. Retiraran) se durante o correr do anno,
19 internos, 6 raeio-pensionislas e 8 externos. Fo-
ram examinados 32 internos, 1 mel-pensionista e
14 externes.
Nio foram anda preenchidas as cadeiras de his-
toria e geographia e a primeira de seiencias na-
laes.
O augmento constante da receita deste estabe-
lecimento, que no anno findo foi de 40:889*600,
sendo a despea de 40:450*000, o numero sempre
crescente dos alumnos internos, meio-pensionistos
e externos, prova o seu incremento constante e a
sua uiihdade em urna provincia rica, populosa e
Ilustrada como esta.
Algunas reformas no regulamento deste insti-
tuto sao necessarias, aflm de haver mais ordem
nos estados, mais regnlaridade no servico interno.
Occupc-me deste assumpto.
B1BLIOTHECA PUBLICA.
Possoe 767 obras em 3,022 volumes, alm da1
obra de Dalloz em 61 volumes, cuja compra anto-
risei em fevereiro.
Foi Irequentada no anno que terminou por 594
pessuas, qne consultaran) 654 obras. O respectivo
bibliothecariopBde nm empregado qne se encar-
regue do asseto e arrnmacAo dos livros.
COmiDERACdES.
A nstruccao publica primaria, principal ele-
mento da feliedade dos povos, ha sem duvida me-
recido toda solicitude das legislaturas provineiaes.
Em .todas as povoaedes de algn importancia
existem cadeiras de primeira latirs para os me-
ninos de ambos os sexos : a despeza com se-
melhante servico j bem tvultada ; temos
dado oeste sentido nm grande passo as vas
do progresso. Muito, porm, anda nos resta
fazer favor da feducacao e instrueoio do povo,
em um pas como o nosso, colkxado a muito res-
peitos, em crcumstoocas especias e exeoMio,
naes. _
M vastidio do nosso territorip,e a disptftS da.
a accao de seinelhaqle obstbalo, que so
a tomptv peder- renjpver,' sera duvida .um
aos aovere daquelles. que.se acham cucarrega-
aon aa missao mui.diiTlcil, porm ao mesmo lem-
*V**'48!nobre e boor:iS*' de governar o paiz.
ao sbstanto essa grande quantidade de cadei-
ras de arimeiras leuras, acontece que o naior nu-
mero t meninos que existem na provincia, que
sao todo>os lilaos dos horaens menos favorecidos
i[-"",a,,'iue habita> n*>s campos, ficara na mi-
possioi idade de receber ipstrucsao primaria, pet-
manocenja assim no misero estado de completa
gnorancia e semi-barliaria, pois tal a siluacao
oaqnelles que nao sabem le"r e eserever !
Nao me licito provar con) dados estotislcos
que a populacao dos campos maior do que a
das- povoafaes, porque.infelizmento nao lomoj co-
nhecimenio exacto do receniearaenlo da provin-
cia ; creio porm, que isso nao deve entrar em
duvida. Comparai,. senhores, a populacho das
diversas cidades, vil* e mais povoaedes exis-
tentes nos municipios, com excepcao' do desta
capital, com a dos campos, e vos convencereis de
que a ninlia proposicao verdadelra. E podere-
inos consentir que a maior parte dos habitantes
da provincia, continu anda por um mu longo la-
pso de lempo, aosto siluacao verdadeiramenle de-
pioravel da mais supina ignorancia 1
Desde que se conhece a existencia de ura mal,
e mal gravissimo, cumpre Jralar de combate-lo,
se nao para extingu-lo, ao menos para minorar e
eufraquecer a sua aegao damnosa.
Conven,pois, senhores, quo desprendende nos
do espirito de rutina que directo e positivamente
retarda e entorpece o verdadeiro progresso, adop-
temos medidas, que sendo, indispensaveis |a pros-
predado da garacao actoa, attendam ao melhora-
mento das vindouras. Quando a nossa populagao
se tomar tao densa, que as escolas das povoacoes
poderio ser frequeniadas pelos meninos habitan
tes do campo ? Esse futuro e^ t mu distante de
DOS.
m grande e*forco, um sacrificio mesmo, na-
cessaro para ollocar o nossd paiz as vas do
progresso. Sera esforcos e sacrificios nao se po-
de) consegu noiaveis melhoram.entos.
0 estabeleeimento, pois, de um impjisto, com ap-
plaacao especial para o Um de se ir fundando na
provincia algn ou alguns intrnalos, onde os fi-
los dos pobre* campooezes recebam nstruccao
primaria, em minha opinlao, urna medida de
Srande alcance e importancia, e de mxima utl
ade publica.
A despez?, verdade, deve ser mu avadada,
esta a objeceao que todos occorre : contente-
me-nos por ora com o pouco. para o futuro ire-
mos augmentando taes eslabelecimeotos : convm
lo caso, comecar. K' ama sement vigorosa
Uda em slo ubrrimo, a perseveran?, e o
'farao o mais.
CONSBLHO.
Este collegio, com que dotou a provincia em
1833 o virtuoso e Ilustrado padre mestre Fr. Cae-
taoo de Messina, acha-se em prospero estado, pre
enchendo perfeilamente o seu fim a'sss caridos-
e civilisador.
Segundo ioformagoes recentes que se dignou de
ministrar-me o digno padre mestre Fr. Venancio
Mana de Ferrara, 35 meninas que attingiram a
sua maioridade, e tendo a sua educacao completa,
sahiram do collegio e foram entregues s respec-
tivas familias. Igual numero de meninas desvalidas
foram admittidas.
O mesmo padre mestre Venancio, autorisado
pelo Exm. e Revm. diocesano, fez no3 estatutos
algumas modificagoes, que a experiencia ha acn
selhido.
Nao podendo, porm, subsistir o collegio de que
trato, sem a subvengao de 6:000 com que au-
xiliado pelo orcainento vigente, recommendo-o
a continuaran de semelbantc auxilio.
THESOURARIA PROVINCIAL.
Para substituir o 1
H2:073958
182:3423150
50:304-3189
la normal___:..............
Estabelecmentos de caridade e re-
coraimento?, sustento e curativo
dos presos pobres.......,___ 103:2743426
l-ulto publico.................. 23:2823173
cobrauea, arrecadagio e fiscal isa-
gao das rendas...............
Aposentados e jubilados......'..'.'
Publicacao e impressao dos traba-
mos das repartigoes provineiaes,
inclusive as discussoes da as-
sembla.......:............
Bjstituicoes de impostos!.......
Asylode Mendicdade (em depo-
sito)...............;.....|^
Obras publicas.................
Nesta ultima acha-se compreieudida a impor-
tancia de 46:971*416 que se despenden com a
respectiva repartigio; excluida a qual, Crear seu-
les obras deSpea feit CQra ^ se8uin-
Raparos e couservagao das estra-
das, pootes, caes e edifleios p-
Mb,l|C03-v.................... 139:830*642
trises e outras grejas......... 16:633jo50
que entrn em exercicio em 16 de lezembro. Por
porianas de 14 de fevereiro foi cancedMa a Eduar-
do t-irmmo da Silva a exonratelo oue pedio do
cargo de ajudante contador, e demittido do lugar
ae porteiro Antonio Jacimho tereira Jufflor : e
por portaras da mesma data, foram orneados :
para o lugar de ajndante contador o offleial pape-
lista V cente Ferreira vJa Porcraicula-, que nina
33:1196*443
6:062,3 147
52:4515048
480:232*764
130:640*922
9:997630
1:102*260
119:1003682
1:953*662
acham se in-
(algamento da cidade do Recife!.
Gymnasio................
Levantamento da carta da'prov'n-
cia..................._
Obras novas......
Estudos graphcos...!!!!!...]..
Na despea do referido exercicio
i&n.^S? ^PWdidasas seguintes quantias:
uu. oiU*922 para oceorrer s despesas com o cal-
camento das ruai desta cidade, sendo 120:0003000
da conyignacao votada e 10:640*922 da renda do
imposto de 15 % ; 20:000*000 destinados para o
tardamente do corpo provisorio de polica ; c___
o :4o 1*048 do impost) de 3 % do Asylo do Men-
dicdade ; as quaes por terem urna applicacao es-
pecial roram passadas para differentes caixas. Nao
se tendo arada despendido aquella ultima mpor-
r?51? S -d(licionando.selhe os saldos de.......
1:179*949 e o de 1:920*867 das duas primeiras,
ve-se que a despeza real effectuada de conformi-
dade com a le do orgamento foi 1,783:752*453,
mais do que a ore da 35:358*832 e menor do que
a decretada 665:120*431; ficando anda por pa-
gar por omissao dos credores 16:811*105. .'
Comparada a receita com a despeza do referido
M^uS&tt' que hoave um ^^o nsquell de
Jos* J*0O6 qoe, de confjrmidade com o disposto
no art. 2" da le n. 575, lera de ser applicada ao
augmento das consigoacoes votadas para obras
publicas no corrate exercicio.
Para oceorrer diversa despezas que por se-
ren de natureza eventual nao poderam ser votadas
exactamente, abriram-se diversos crditos supple-
mentares conforme veris especficamente no ua-
lango fornecdo nela thesouraria.
RECEITA E DESPEZA DO l* SEMESTRE DO COMENTE
EXERCICIO.
A receita do 1 semestre Uo actual exercicio ele-
vou-se a 871:421*598 ; abatendo-se narmr ,,
85:OOOJJOOO de movimento de fundos, 2:7ll6$t
mjr iiiiuiti..r> m.otmjom saldo *> tobtctcio
findo, vira a importar a renda propria do referido
semestre era 749:830*938.
escriturario Francisco Ge-
raido Moreira Tmpora que falleceu, nomeei o 2
esc ipturario mais amigo Bernardo Carneiro Mon-
teiro da Silva Santos; para substituir este no-
meei o 3 escriturario Laadelino de Luna Freir;
e para o lugar deste ultimo nomeei como effectivo
o adddo Ignacio Bento de Loyolla com a condigao
do art. 60 do regulamento de 21 de julbo de 1860.
Os negocios cargo desta repartigio tem mar-
chado regularmente, acbando-se em dia o trabalbo
concemente secretaria e a pagadoria. Outro tan-
to se nao pode dizer quanto contadoria, nao obs-
tante os esforcos dos respectivos empregados.
O atrazo, segundo informa o inspector, coinpre-
hende nao s o exame de 29 contas do consulado,
collectorias e agencias, relativas aos exercicio de
1865 a 1869, mas tambera o da eseripluragao dos
livro-mcstre e diario dos 3 ltimos exercicios e do
1 semestre do actual, o do registro de 5298 pa-
pis, o do as?enlamflnto dos proprios provineiaes,
e o do inventario dos documentos de receita e des-
peza dos exercicios de 1847 1857.
Para vence-lo pede o inspector nao s a creagio
de mais 2 segundos e 2 terceiros escriturarios,
mas anda autorsagao para o engajamento de pes-
soas habilitadas que se encarreguem de por em
dia o trabalho' atrasado.
Outras providencias pede o procurador fiscal em
seu relatorio annexo ao do inspector, para a secgao
do contencioso, e o escrivao reclama um ajudante.
O requerimento deste ultimo vo3 ser presente,
para ser tomado em consderagio com as medidas
propostas pelos dous primeiros.
RKi:i:iTA E DESPEZA DO EXERCICIO PRXIMO FINDO.
Segundo o balanoo que aeompanha o relatorio
do inspecior a receita do exercicio prximo findo
foi de 1,873:153*323, excedendo a orgada em...
103:863*323.
Excluindo se, porm, a importancia de 64**407
saldo de 1867 a 1868. i i 4640 de movimento de
fundos, e 7:431*000 de rstituigoes perteoceates
aos anteriores, tar-se-ha como renda liquida da-
quelle exercicio a quantia de 1,865:022*276.
Comparada esto receita com a do anterior exer-
cicio que importou em 1,682:381*169, v-se que
houve naquella o augmento de 182:641*107 ; para
o qual concorreram pnackjjMfonte os excessoe
de 65:9*5* 124:344*353 no sello de herancas e legados, e o de
14:506*807 no imposto de 3 /. destinada ao Asylo
de Mendicdade.
No mesmo perodo despendeu-se, com os diffe-
rentes ramos do semeo publico, a importancia de
1,839:304*317, a saber :
Assembla Provincial...........
Secretoria da presidencia........
Instmcgio publica..............
Subvencoes ao Instituto Arcbeolo-
gico, Companhia Peroambaeaoa,
e sociedad* dos Artistas Me-
cnicos.....................
Administrado do theairo, a sub-
vencao t^eompanhias dramati-
37.-03*696
41.797*033
313-133*708
63:000*000
eaelyri*...:...._........ 2*160*000
Corpo provisorio de polieia e auxi-
lio ao effectivo............... 238:1681764
Guarda nacional destacada....... '.0:858&184
Cadeias, quarteis para a forca des-
tooada, servic da poheia e
: condKcio dos presos.......... 27973*034
Illumi'jacaa das cidades d Recife,
Olinda Goyanna, thesouraria,
casa de- detencao, quartel do cor-
po provisorio d polica, e e?co-.
Confrontando-se esta somma com a de igual se-
mestre do exercicio findo, que foi de 531:295*323,
nota-se naquelle a dilTerenga de 218:535*615 para
?n?xli /94:1643706, inclusive 506*613 de movimento de
fundos, 40:226*080 que passou para a c-aixa do
calgamento das ras desla cidade, e 5:5143889
para a de depsitos provenientes da renda do
Asylo de Mendicdade ; mas abatendo-se esto ul-
tima quantia que anda nio fu despendida, a do
movimento de fundos, e o saldo de 694*149, que
no ultimo de dezembro findo exista na caixa do
calgamento, vira a ser de 787:449*055 a despeza
propriamente dita effectuada no referido semestre.
Addicionando-se ao saldo de 77:256*892 que
mostra o balancete, o da caixa do calgamento ele-
va o da receila do referido semestre a 77:951*041;
ficando por pagar 176:812*974, inclusive 60:000*
tomados dos fundos de deposito para oceorrer
despozas urgentes.
Esta divida incluida a que se liqadou at 15 de
janeiro do crreme anno na importancia de......
32:4353706, elevou-se 209:248*680; ficando
porera naquella dato reduzida 166 004*377, in-
clusive os 60:000*000, por ter-se pag) 43:244*303.
Segundo informa o inspector cobrouse no exer-
cicio prximo findo a.quantia do 59:6113713 pro-
veniente da divida activa liquidada, sendo.......
53:771*543 pelo juizo dos feitos da fazenda.
A divida resallante dos impostes decretados no
referido exercicio e liquidada pelas repartigoes
respectivas importou em 52:997*621, e que adi-
cionada dos exercicios passados monta a.......
506:327*141, contina a ser cobrada com regla-
ridade.
At o l. semestre do correte exercicio foi li-
quidada a divida passiva pertencente exercicios
nudos, verlicaodo-se ser de 1,497:543*282, sendo
1,481:601*956 proveniente do juro de 2 / ga-
rantido pela provincia companhia da estrada de
ferro do Recife S. Francisco vencidos at o ulti-
mo de junho do anno pas?do ; e o excedente, de
vencimentos de empregados, de contratos e outras
despezas.
Alm desta divida existe a de 195000*000 das
apohees eraittidas at o exercicb prximo findo,
para pagamento do calgamento das roas desta ci-
dade.
O juro de 7 % que Ihe relativo acha-se pago
em di.
O saldo verificado na caixa de depsitos monta
a 591:241*002 inclusive 03 60:000*000 j referi-
dos ; e comprehende tambera 257:734*204 em le-
tras, 118:8534080 em diversas apolices das divi-
das geral e provincial e de companhias. e.......
215:653*708 em dinheiro. -
Concioindo este artigo chamo a vossa atteo-
tae para as consideraedes que o inspector apr-
senla no final do seu relatorio acerca de diversos
impostes.
FINANCAS&ERAES,
Dos qoadros ministrados pela thesouraria de fa-
zenda desta provincia, v-se que a receita geral do
exercicio de 1868 a 1860-, arreeadada at dezembro
de 1869, Importou em 1*,767:485*760, sendo
11,822:766*906 de renda liquida, 12:650*778 de
operac&es de crdito, e 9M:0684fW6 de movimen-
to de fundos; e a despeza elevou-se no mesmo pe-
riodo a 12,545:208*994 sendo 4,783:733*32 de
despeza propriamente dita, 11:737*290 de opera-
ces de crdito, e 7,749:738*375 de movimento de
fundos.
O saldo existente d'aquelle exercicio fc......
222:276*766,
No piimeiro semestre do exercicio crrante ar-
roeadou se a quantia de 8,826:867**41, inclusive
14*454 de eperaede de crdito, 8*168 de renda
nio classiikada, e 1,421:450*000 de movimento
de fondos; e despendeu-se a importancia de-----
7,447:182*187, incluidas as de 909*982 com ope-
rantes de crdito e 5,318:946*71 com movimento
de fundos; resultando nm saldo de 1.379:685*134.
Por decreto de 4 de mareo findo foi Francisco
Xavier Pereira de Brito exarado do lagar de soli-
citador dos feitos da fa oda nacional, e para o
substituir nomeei interinamente, por deliheragio da
19 do mesmo me, i Macario de Lana Freir.
REPARTKAO DO CORREIO.
Por decreto de 27de outubro foi Domneos dos
Passos Miranda aposentado no lugar de adrarais
trador, e paca, o substituir toi, por decreto de 27
de noverawo, noraeJidn. Affonso do Reg Barros,
ero exercicio em 2 de marco y para o deste o pra-
licante Manoel dos Passos Miranda, para o de pra-
iicanm Joaqum Pres- da Silva, e para o- de por-
teiro Salustiano Severiano Ramos.
AGIIieULTCRA.
Km nada se falla mai?, e em nada se cuida me-
nos do .que da agricultura, asm o disse nm no-
lave publicista, com relacao Franca: eu farei
apphcacao de semelhanto' Densamente ao nosso
paiz. Nao tratarei de provar aqullu que evi-
dente, pon o que evidente nao se demonstro, In-
dica-se sraente.
_Vs conheceis perfeilamente-, senhores, a sitna-
gao desfavoravei da nossa lavoura. As cansa ge-
raes de seu atraso e-deeadeocia saV) patentes: falta,
de bragos, e, como consequeocia necessaria, mui
elevado prego do trabalho, que, comparado com o
uos productos, deixa ao lavrador niinimo proveito
do emprego de seas eapitaes ; falto do vas de-
communicacio e de transporte: falla de eapitaes,
para o que concorre a ausencia de verdadeiro eco-
noma, e a nio existencia de estabelecmentos nan-
earlos, que sirvam para auxiliar os lavradores, e
emiira a falto de instruegao proflssoual, com a anal
os lavradores so tornaran) mais habilitados para
oDler do emprego de seus eapitaes e do seo. lem-
po as possiveis vantogens.
Nos paizes aotigos e adiantados- em civillsacao.
a, iniciativa privada, o interesse particular, esse-
rac-vei das aeges humanas sob a esphera- econ-
mica, esse motor infatigavel e incessante, sao suffl-
cieotes para desenvolver os interesses indastriaes :
a grande missao do governo all se redoz a man-
,er a ordem e seguranca publica.
Nos paizes ivos, porm, mal va o governo
que confiar somente na iniciativa- privada : con-
vm auxilia-la, preparando estudos e indicndo-
me os verdadeiros metboramentos pie se devera,
adoptar. Esta accao do governo Unto mais be-
nfica, qne, sendo sensatamente dirigida, nao en-
torpece e nem paralvsa de modo algn o saiuttr
prineipio da liberdade, principal elemento da pros-
peridad* industrial.
A tutela systematica do governo, com relacao x
industria, nreseatemente um anaebronismo in-
to eravel, um peosamento condemnado peto ci-
vihsagao moderna : entre, porm, esse erro dos
antigos lempos, e q completo aUandoooyqne se tra-
duz pela formula bem condecida da Unutz faite,
laissez passer ha um meio termo, que devenios
seguir.
Sem me occapar de outras causas geraes da
decadencia da lavoura, que aJguma eousa se ha
foito, ou nio cabe em nosaas attrbuicoes provi-
denciar, tratarei sement da falla de'instraccc
f. W '*1"WI imuiun.!! i. -----
oareis adoptar.
A industria
por excellencia do nosso paiz,
fonte mais importante da noss* riq.ueza. a oceu-
pagao da maioria dos habitantes da provincia,
assim como de todo o imperio, como sabis
perfeilamente, a agricultura : a immcnsidade do
nosso territorio, e em geral a fertilidade do slo,
nos habilitan) para podermos competir ventajosa-
mente com qual-juer paiz agrieola.
Lutamos, porm, com grande inconvenientes,
como j vos pondere!, geralmente sabido, sendo
um dos mais considera veis a tolla de sufficienle
instruegao dos iavraderes, que nao pdem sabir
desse estado de ignorancia que tanto os prejudica,
por nio Iiaverem escolas agrcolas.
Era quasi todos os paizes da Europa, onde, alm
da industria agrcola, existe a manufacturera,
aquelle* que se appiicam lavoura encontrara
meio* de se instruir. Na Franca, na Hespanha,
em Noruega, e em tantos outros paizes acuam-se
estabelecidas essas escolas. Eaire nos, porm, na-
da, ou quasi nada se ha feilo. Creou-se, ver-
dada, em dato recente, urna pequea escoto ni
cola le do Jmz de Flora, da provincia de Minas,
expensas c sob a direccio da companhia L'niao e
Industria. Aquella esla'beleoiraento sendo, porm,
de proporgocs muito acanhadas nio pele attingir
ao seu lira.
Semelliante olvido de interesses tio momentos*
ao paiz, senhores, deve- cessar. O estabelecimento,
pois, de ama escola agrcola, com um intrnate.
nesta provincia, tendo come complemento urna fazen-
da normal, onde se ensinem nao s os principios
geraes, como a pratica aperfeicoada da agricultu-
ra na minha opiniio, urna medida de mxima
utilidade publica, e de urgente necessidade.
A escola devera ser mantida pelos cofres provin-
eiaes ; a fazenda normal, porm, por meio de urna
corapauhia anonyma com a garanta do mnimo do
interesse dos eapitaes empregados na razio de 7
por cento, lirailando-se o capital garantido a.
500:000*. Alm das vantagens evidentes quedevsm
resultar da providencia com qne tenho occopado
vossa benvola attengio o relativamente instrue-
gao prufissionaL devemos obten urna outra vanla-
gera de grande alcance, e vem aser fazermss, com
a fazenda normal, um ensaio, urna experiencia da
applicacao do mui poderoso e fecundo principio
de assooiacao- lavoura, o qne ser sem duvida,
um meio asss adaptado, posto que indirecto, alim
de attrahir eapitaes para a lavoura viste como
desde que a- fezenda normal prosperar, o qne tora,
lugar se fr dirigida convenientemente, os particu-
lares, independentemente de garanta dajuros, irao
.erganisando suas companhia* anonymas, o que
deve concorrer para augmentar a produegio agr-
cola, e conjunclaraente a riqueza e prosperdade
di provincia. O* meninos orphaos, que actual-
mente se acham no collegio cargo da Santa Casa,
da Misericordia, deve ser traospertados para o
i ntrsalo da escola agrieola : all elles adqlrirao
instmcgio que deve aproveitar mnito mais elles,
assim como provincia.
Deixo de entrar-era questes de detolbe, posto,
que bem importantes, por jolgar issa inoppor-
tuao.
A' visto das ligeiras observages qaa acaboid
expender, me parece qne attendereis .uma das.
legilimas aspisacoes da provincia, qpe promove-
ris um de seos mais v.taes interesses, habihtando
a provincia com a necessaria autorisagao e credi-
tos, aflm de que se possa levar afeito o rnetho-
ramete da que trato.
INSTITUTO IMPERIAL PERNAMBCANO DE
AGRICULTURA.
Por decreto de 25 de novembro foram nomea-
dos o conde da Roa-Visto presidente efectivo de
Iostitato, e o Dr. Francisco do Reg Raxros Barrete
v ice -presidente da respectiva directora, e por
decreto de 31 de dezembro foram tombem nomo-
dos : o visconde de Suassuna presidente do conse-
Iho fiscal, o bario do Rio-Formoso vice-presideswe
e o visconde de Camaragibe tbesoureiro.
fisto baila insttiuieao, ebnpabida sob nspiracao
de verdadeiro patriwisux e qne lio til se deria
tornar lavoura, pouco ha falto, e segundo ae
consto ha raaito lempo o respectivos meatbros
se n|o reunem.
GoRvra, pas, que semelhante insttuicao seroa-
nime, e trate de prestar i lavoura os beneBclos a
que ella tem direito.
Um dos servicos, qne me parece, pode prestar o
mesmo Instituto, empregar os fundos qoe Hw
pertncem, e qoe se acham depositados na tbasan-
rari provincial, em auxilio da escola agrcola, cujo
estabeleeimento acabo de solicitar de voj.

- m *-


1






ur m ^ a ism Pm*
lirio
d Pernambuco --.
Qarta
j|___
feira 6 de Abril de 1870.
T Qfl
0RH&

i.. .
C>nslando-me de parllclpacoes **"^ ."
o notoriamente sabido, que os ndifeotei narntan-
tos de *at*n-, Bttirme, S-Bento, Bop-Gonselho.
Flores, ^urVOTe, Villa-Bella. B\>a-Visla, Oun-
eury rj$roMk Kx e Salgaelro se achavatn abra-
rw con u feilo da secca e amonedes d* pere-
cer fome*r^erem raros os-genaro* de primoi-
ra neessidde,*e s por procos exorbitantes po-
derem ser oblidos os dae appare^ianvzios mercados
tio pude ser inmafreple a autcu sitaacao
aaquees infelizes.
Knteodendo que este a* dos caaos ai fue o
enverno deve prometo ssccorro aos que soltera,
aliri em 10 de marco sob inhiba respoasabitldade
um crdito de WOOOjl nos termos do f t" do
art. 5 do decreto .n. 2884 do 1* de evaeeire de
186, pata seremempregados na compra*trans
porte d .s vivares eeessarios, e effectinmente re-
wetti para serem coro iguatdade destofenidos pela
pobreza, por commissoes, que para ene fin no*
meei em cada ama daqaellas localidades, os pne-
les seguimos :
/ Saceos com fariwha...... 40
1 > > millio........ 90
i b feijio....?... *
i Carne secca, arrobas...... 60
i Saceos com farinha...... SO
tros, ues como alguma terra^-ji pVJl 0 traba-
lao,ete
PRONUNCIA. _$& subdelegado de Traen-
nbaem tora;;,, poBttwiados : Jes* Victorino Ra-
bello, cuno iocarso as penas do art. Itt do c-
digo criminal, pelo homicidio praticado era Jpno
Das, e Leonor de Souxa Garca como cmplice
neie erinre.
iNFftACCAO 1>E POSTURAS.Porque razio se
aiotomam pro'rtaeecias contra peasocosr
que tom os baeilantos dto" roa, de Uncar
ponidas no meic deUa, oom grave iacommodd
transentes, e prejuizo da sade publica t %
mames para issoa atteneo do Sr. fiscal reapee-
Wro.
FSSTBJOS PAraTICOS.-Um amigo nos'aa-
vi os seguintes dsticos em Terso paii seram enl-
locados nos arco> columnas e outros trophosjue
se armarem por ocensib des ttotoi"* P*M1P
pels terminan la guerra. Bames-tos e segui-
da para que os respectivos encarregados os apro-
veitem :
4 DE
Garanhun?
Buique..
8
S. Beato.
Uom-Con.-elho.
'Garr
/Saec
;
VCan
Flores...
Villa-Baila.
Bt-Viep.....
r mimo........
I i feijao........
Carne secos, arrobas.....
Saceos rom farinha.
> > miiho....... 10
> feijao........ 2
Carne secca, arrobas...... 40
Saceos com farinha...... 100
raimo........ I
> feije........ i
> arroz........ 6
.Carne secca, arrobas...... d
'Saceos com farinha...... 140
i mimo....... 40
* feijao........ 10
> arroz....... 4
Carne secea, arrobas.
Saceos com farinha...... 490
* mili*)........ SO
> feijao........ W
arroz........ 2
Carne soea, arroba-.------. MX)
[Saceos com farinha...... 100
> mime........ 30
feijao........ 10
* arroz........
Carne secca, arrobas...... 1*0
/Saceos com arintaa...... 400
Ouricuiy.
Cabrbu.
Salgueiro.
Es.
Bai xa -Verde.
30
10
2
120
160
30
10
*
1
wo
30
10
mi Ido........
,{ > feijao........
i arrte........
'Carne secca, arrobas......
tSaceos cora farinha......
> miiho........
> feijao........
> > afrz.......
(Carne secea, arroba-......
fSaceos com familia......
miiho........
feijao........
> arrz,.......
'Carne secca, arrobas...... #20
r Saceos com farinha...... 100
miiho........ 30
u fejio........ 10
arn")/........
LCaroe sece, arroba?...... 120
Saceos com farinha...... 100
roilho........ 30
feijao........ 10
arroz........ 2
l Carne secca, arrobas...... 120:
Nao posso deixar de mencionar com louvor por
lao manifesla prova de philantropia que os 100
saceos com farinha enviados para Rom-Conselh&
l.ram nffertados pelo major Joao M. Pontual J-
nior, e qoe os soccorros destinados aos monicipios
da Boa-Vista. Ouricury, C.ibrob,5algneiro e Exti
oram Br.i(uiltinent>transportados al cid.idedo
Ara-aty p ir otfcrta do gerente da companhia Por-
ii i.n 11 -:i=i.. Kianei- vi Perreira Borges.
(Camtinmarse-hii.)
Itcjiartico 4a polica.
2- secen.Secretaria da polica de Pernambu-
co. o dtrfafcrfl de 1870.
N. 4 illm. e Exm. Sr.Levo ao conbeei-
n ito de V. Exc. que, segundo consta das narti-
jipicdc- recebidas boje neeta repartico, oram
res ihidx casa de detencio, os seguintes indivi-
.. ,.^-v,. "IifOO lo nuonr, vmunia,
e-t.v\m do or. Vructuoso de tal, por andar fa-
*''- -
A nrJem do de Santo Antonio, Hamede Jqaquim
do- Santos, por desordem.
\ "rdem do de 8. Jos, Candido Pascoal Bailo,
p >r disturbios.
*' ordem do da Boa vista, Belisario Francisco da
Costa, por desordem
O d''legaJo do termo de Nazarelh dec!arou-me
om offlcio de 29 do rnez ultimo que pelo sabdele-
jrado do dis-trioto de Tracunhaem foi pronunciado
Jo Victorino (tabello, como incurso as penas do
art. 1!I2 do cdigo criminal, pela morte de Joo
Dia-, de que traclei em minha parte sob n. 316
de o do referido mez; bem como que .foi tambem
prenunciada Leonor de Soaza Garca, corno cara-
plic- no mesmo crime.
Deus guarde V. Exclitro, e Exm. Sr. se-
nador Frederico de Almeida e Albuquerqae, pre-
sidente da provincia. O ehefe do polica, Luiz
Antonio Fernandes Pinheiro.
ii
FERNAMBCO.
REVISTA DIARIA.
ASSEHBLEA PROVINCIAL.Honlem presta-
r un juramento e lomaram assento os Srs. Drs.
Mi^m:l Jos de Alie da Pernambuco, diputado
efeita pelo Io districto, e Dr. Antonio Francisco
Gemda da Araiijo, eleito pelo 2 districto.
BMBMmWe osdem do da, fr eleila a oom-
iiii-s;: i de lixaoo de finu policial, que licou coas-
tilu Ja dos Srs. Gaspar Drumraond, Gusinao Lobo,
o Pedro Alfol-!)
Approvou se em i' diseussao o projeslo n. 6 de
IH'i, que revoca a le n. 703 de 11 de abril de
18i>1 a qual impue a multa de H)#000 aos que
cti-iiprarem algoao fra do lagar determinado na
cidailo de Goyanna, sendo igualmente approvado
na requeriraento do Sr. Mello Reg para que seja
mvda a amara municipal respectiva, orando
favur do rcquei imento o Sr. Gaspar Drnmmoad.
Approvoa-se em 1' diseusao o nrojecto n. 16 de
ISO!) aut'irisando o gnveroo dispeader 2O:O00j!J
'o a a conslruccao de un acudo as proximidades
do villa do Bom Jardim, orando os Srs. Ges e
Amarr.l.
V bou-s eiu 1* dUcuasao o psojeeto n. 25 de
I'i.i'i que crea urna cadeira para o sexo femenino
na p ivoar. i de Alliano.i. epois de breves refle-
\iW- dos Srs. Uuemiio Lobo e Amarad.
Approvo-se em e* monassao o projecto n. 26
de 1:869 Qtorisanoo a coastruccao de um cemite-
rio aesta cidade para as pessoas que. nao devam
tsr sepultura ecclesiastica, rnandando-se ouvir
cair.ara municipal.
Adieu-se em i* discassao o projecM n. 31 de
1M99 que autorisa o gsverno a despender a qaan-
tia de ';:000^000 com as desapTnpriacde* secesos-
rii eiinstruceao de nm acode aa eidade da Vrc-
tori, orando o Sr. fios Ca,Taleante.
i-'oi retirado, pedido do seu autor, da 1* dis-
cu'*i;\ o projacto n. 33 de ifft9, que amorija a
conirraccao de urna bomba na ra Bella da ritiade
d-i Itin FVirmoso.
Julgou-se prejudicado em 2* diseus-ao o pro'
eflo n. 2 de 1060, que ortabeleee prorv*>nei*s^
para a croaeao de nm Asylo de Mendicidad'.
-Oru nmond. orando* em fiy^r ,do projecto
Jo-nao Lobo.
Adkm-se ero 2*di-ci-ss30 r5ineuen()n-se a com-1
rms*e de agrfcuHrn, b prnjeeto n. f$ d-; 169 que
.iut aja a creaeio de um f^irso Agrcola nesta
yrn;-,ncia, orando os A ordem db da pnr.hoj : J* disensifi^ dAs
ir. jetos s.-85,t7f, 0* e 86 de tft5 fi de 1068,
'% !! ftltWt, '*. Jen. fle m\ e mate-
riH i8r3da.
SWifihROS PARAO SEITAO. -3. Ej-jm. oSr.;
H^^^BFairc na'eorhaca <\m#
i re
pncli
.lOJTua ivla.
marfafluthes
iVo o-(d'nm lado).
Aos fllhos me vatentes a vingaram
Um templovota a patria agradecida ;
as febris ovaedes d'um povo nobre
Tinham todo) o palma mtroeido.
[D'oHtro todo).
Aquelres que na lata succumliiram,
A patria defendendo wrao hroes,
Cumprndo o seu devertem oes cos pabaas
K bcikcaos que volamos todos nos, /
.4" PHtro Agbiuo
De frente ae imigosoldado brioso
Morreu pelejando qual bravo leao ;
Foi martvr da patria I verteado sen saoguo
Na heroica defeza de seu pavilho.
Ao coronel Barros
Velhoi lnur^i reverdescoia
Dos teus feis na pujanca I
Be bem servir nossa patria *
O ten braconao so canea I
Ac general Victorino
A' frente dpi bravos-arTronlas taincoeiras
Vencendo as priowirasno ardor marcial
Emboca ferelotu gladio valenle
Teria ido a frente...nao fosse o signa!!
A Paulino Cmara
Da patria amontada ouviudo o reclamo
Feichasles o Irvro p'ra o ferro tomar!...
O exemplo foi grande! Milhares da bravos
Bo slo fecundofizestes brotar I
.4' Decid Madeira
Deixando a cbarnudo campo o soeego,
Armaste* o isa braco.p'ra a patria servir
Mancebo brioso, tau neme, tesis feilos
Nos fastas da faina nao se nao de dilir.
A Vidal iOtiveira
Na fronte a scieacU, no peito a oosadia
Desprezas do migo certeiro canhao I...
O pranlo da |Mtna que aflict> te chora
Far do leu uome eterna braso !
.lo De Marroco? nos combates
Aprendo-tes a batalhar, JTj
Para na patria adoptiva
\*ir a victoriafirmar I
A' Hertal
juera resiste toa lacea ?
?uem um noro lem igua I ?
e I as tornado legendario,
Bravo dos bravosNerval 1
jf Porto Megre
O soldado de Caseros
Nao sabe rosto voluar...
Com tua espada soubeste
Imigo piano abortar I
A MaurUy
Heroico mancebo I Do dia ao fulgor*
Dfruidas ufano brasjleo u;,nao .
Transpoos as correinee, oesprosaemrned^
E passas avanteao som do caobo f
A' Casias
Dste a patria novos lustres,
Datas de gloria supinas...
Basta dizer : commandavas
Itoror, Valentinas I
A Pedra
Qual rochedo inabaiavel
Das ondas rindo ao embate...
Assim tu e o teu quadrado
Tem as honras do combale.
.4' Gruanal
Crianca inda erapo"m destemiJo
Senta o seu peito pulsar com valor ;
A morte ceifou-o de gloria coberto
Ao pe da bandeira que o enche de amor.
A Manslio Dios
A espada valente do bravo soldado
Ferozes contrarios derruba em montao I
Hoavesse mais do/equal elle---es/orcados
Que nada ternera brasileo pendi ?
Ao bardo do Triampko
A' victoria condazias
Sempre o teu bravo esquadrao...
Foste hroe nunca vencido -
Urna gloria da naci.
Ao viscoade de Pelotas
Transpondo desertos, banhados e ros
Te entranhas as serrassen nunca parar...
lual anjo de morte co' o sangue da ra
bjurias da patria jonbesfes hmx I
.4o eftt'eo diabo
Do soldado di stemido
O forro foi castigar,
Os crime3 desse tyranno
Que ba de os ecos espantar 1
A Riachuelo
Trava-se iuta tremenda
Trove] a fro o canhao :
As bicadas do Amazonas
Vence o nosso pavilho.
LE1LAOAmanha (7) deve ter lugar o leilao
dos olqectos de electroplate, louca, crystaes, mo-
vis e muito outros opjectos que serao vendidos
or fiqidaco, no 1 andar do sobrado da ra da
a, a- 47.
i-.A que S3 acba a yenda a 143'
o da Ignua de Santo Amaro de Seiaaaou,
a qual corre tro dia 12.
CEMITERIO PUBLICO.ObUuario do dia 3 (fe
abril delS0.
Ju8Braab>8iO,oJ> Sanios, Pernambaco, 35 sa-
nos, soltare, Reefflf; tubrculos palrnonares.
Iabel. frica, oO annos, solteira, Boa vista; ho-
patite ebronica;
Isabel, frica, 7 annos, solteira, Boavi?u; con-
CHRONKA JUMQAUA.
rRIHl \4L c
ACTA DA SBSS^O ADMINISTRATIVA DE
ABBIL DB 1870.
mtf twciA no xa. sr. ofonain vboabob a.tsblmo
FBANCISOO PKRETTI.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. depu-
tados Rosa, Basto, Miranda Leal e barao de Croan*
gv, S. Exc. o Sr. presideate declarou aberta a ses-
Poi iida e approvada a acta da sessao de 31 de
marco ukimo. ,
EXPEDIENTE.
Oflicio do presdeme e secretario la junta Jos
corretores, armado de 2 do corren"", apresen-
lando o Iwleliio commereal da semaoa prxima
inda.Ao archivo. ^
Mmmi &f!cM de n. 62 a 70.-Mem.
Am Srs. epatados foram distribuido* os seguin-
tes lwos Diario e Copieder de GsOa Soaret,
Diario do H. C de Paula Monteiro.
OBSPACIWS.
Reqaerimento de Cesta A Soaros, pedindd o re-
gi*tro de sen contrato social, que jontam.Vista
ao Sr. desembargador fiscal.
De Adalpho Francisco Lavra e GrataDano dos
Santos Vital, pediado igualmente o registro de seu
contrata-social.Vista ao Sr. desombargador fiscal.
COM INVORM&QAO DO SR. BkSBMBABOAUOR HBC.AL.
De Narciso los Monteiro e Manoel Mves Cor-
rea, contrato social para ser registrado.Registro-
so* na forma d.o decreto n. 4,394.
De Monteiro, Gregorio Je C, contrato social pa-
ra mesmo Bm.Deferido na forma do pirecer
fiscal.
De Avila Irmaos & C, contrato tambem social
para dito lim.Satisfacam o parecer fiscal.
Nada mais sendo sabmettido despacho, S.
Exc. o Sr. presidente encerrou a sessao e 11 ho-
ras o meia do dia.
Mara, Pernambaco, 70 annot, solteira, S. Jome
nflaraacao.
Mara d'AiinuociacSo P.ibeiro, Pernambaco, 10
asnos, casada, S. Jos; phlysica.
Vctorio, frica, 80 annos, Boa-Vista; conges-
lo cerebral.
Mara, Pernambuco, 2meses, Santo Antonio;
raflamacao de intestino.
Jos, Pernambuco, 7 raezes, S. Jos ; diarrhea.
Manoel la. Uio-GrandMo^ofte, dO aano, vm-
va, sTJos ; teuno.
Jos, Peraameuco, II metes, Boa-Vista; entero-
calite.
Eufrosina, Pernambuco, 10 annos, Por;o ; es-
pjmm
Joaqum, Pernambaee, 90 annos, slteiro, Reci-
fe; vaHce.
LONDON & BRASILLAN BANK, (LIMITED.)
Capital doBanco IS,000 aceftes
de 100................. 13,333:333^330
Accfies emittida< 13,000...... H,55o:5oV,#550
Capital pago a o por acedes. 5,200:000*000
BALV.NCO X CXA FILIAL M PHRJIAMBCCO EM 31 DR
MARCO BB 1870.
Activo.
Letras descontadas.......... 1,393:493*050
Crditos diversos, outros bancos
e caixas fiaes........ 1,215:1931270
Caixa:
Em moeda corrate......... 214:548#850
Hs.
2,823:235*170
Passino.
Capital fornecido pola >;aixa
matriz......;.. .tTT .....".
DepositOB:
888:888X890
Em coma coi-
rente......
Depsitos flxos
e por aviso.
J93:708*050
989:881*800
SBSSAO JUDfdAHlA EM 4 DE ABRIL DE
1870.
PUSaWlfCIA DO EXM. SR. DRSRMBARfiADOR A. T. R-
RETTI.
Secretario, Julio Guimariies.
Ao meio dia declaren-se aberta a sessao estando
presentes os Srs. desembargadores Silva Guima-
raes, Res e Suva e Aeeioli. e os Srs. depntados
Rosa, Basto, Miranda Leal e bario de Cruangy.
Lida, foi approvada a acta da precedente sessao
com a reelam.vao infra do Sr. desembargador Sil-
va Guimarrs.
O Sr. desembargador Silva Gnimaraes vista da
leitnra da acta da sessao anterior, na parte qne
trata da peticao de Gaspar Cavalcante de Alba-
merque cboa que recorre da decisao do Sr. de-
sembargador relator por Ihe luver denegado vista
para embargos de restitaico. depcis de varias
consideracoes reclama qne alo est e->tabelecido
por lei o recurso para o Exm. Sr. presidente das
decisoes proferidas peles Srs. joizes relatores, e
que S. Exc. se digne propr a mesa que se escre-
va na acta da presente essio esta reclamacao. E
o Exm. Sr. presidente declarou que ja tinha inde-
ferido a indicada peticao ; e que julgando fundada
e attendivei. a reclamacao, ordenaba que ficasse
ella escripia m acta.
O eserivao Albaquerque registrn o nltimo pro-
teslo de letra a 30 do mez passado sob o numero
2,023 ; e o ecrivio Alves de Brito a 2 do presente
nwz ob o numero 1,990.
niLfiAMRNTOS.
Juizo especial do eommercio: appeame reo,
Joo Pinto de Lemos Jnior; appellado autor, o
administrador da masa fallida de Mamede & Mar-
tins : janes es Srs. Reis e Silva, Accioli, bario de
Cruangy e Miranda Leal.Foi reformada em par-
le a sehtenca appellada, sendo voto vamudo 6 Sr.
Miranda Leal. -.
Juizo especial do eommercio : desislejncia^fiat
banxaato, r. ataaiuBBetro a snv a Son tos;
embargados, os adiiuniHradarea da massa fallida
de Siqueira & Pereira : jnizes os 9tf. SHva Gai-
mares, Reis e Silva, Rosa e bario de Crnangy
Ordenou-se urna deligencia.
Appellantes, Tasso Irmaos ; appeiladi', Antonio
Moreira lteis: appellante, Jos Pinto Rrbeiro ; ap-
pellados, Maury Hornaguera Rijo & C.: appellan-
te autor, Jos Targino Goncalves Plalho ; appella-
do, Joaquim Ignacio Ribeiro Juior : appellante,
Andr de Abren Porto ; appellados, os adminis-
tradores da massa fallida de Amoriro, Fragoso,
Sames ft C. : appellantes, os ditos administrado-
res ; appellado, Domingos Francisco Ramalho.
Adiados a pedido dos Srs. depntados.
O Sr. Miranda Leal nao apresentou o feito adia-
do a seu pedido na sessao de 28 do mez passado,
ntre parle?, appellante, Jos Gomes Villar; ap-
perlado, Antonio Herculano de Almeida.
r AGRNS.
De Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. desem-
bargador Accioli : appellante, Joaquim Salvador
Pessoa de Siqueira Cavalcante; appellado, Salva-
dor de Staaerra Cavalcante.
Do Sr. desembargador Accioh ae Sr. desembar
gador Silva Gnimaraes : appellantes, os adminis-
tradores da massa fallida de Jos de Castro Redon-
do; appellado, Jnao Alves Pe Iroso.
DISTRUWICXO.
Ao Sr. desembargador Silva Gnimaraes: appel-
lantes, a vmva c l.erdeiros de Diogo Jos da Cos-
ta ; appellado, Antonio Duarte Carneiro Vianns.
Encerrou-se a sessao urna hora da tarde.
Ofindd. Iavasao da provincia argentina de Cor-
rientes e das provincias brtislleiras de Matto-Grosso
e Rio Grande do Sal pelos metmos. Tomada e oc-
copacio do forte de Coimbra e das povoac5es de
Corumb, otac e Miranda na primeira destas duas
provincias, e da cidade de Uruguayana na segun>.
Musi do Sr. conselheiro Oclaviaqo Rosa. Trata-
do da trplice allianca. Reslarao de Uru-
guayana, derrota e aprtstonaraento do extreito
iniego a
Capitulo segundo
Pas-afem do exercilo iuperiai pira o territorio
argentiao. Rostauracao de Corrientes do poder
dea Parafwyos. Operac^ies da esquadra nacional
as agns do Paran. Combate de Riachuelo.
Pas=ag-m de Mercedes e do Coevas. Passageu do
exercito brasileiro para o territorio paraguayo.
Capitulo lerceiro.
Tomada de Curuzu. Operacdes di esquadra
contra a fortaleza de Curupaity. Passagera de par-
te da esquadra pela frente dessa fortaleza. Toma-
da de Curupaity. OperaeSes contra Humayta.
Pamagem de parte da esquadra pela frente deesa
fortaleza. Tomada do Eslableciment por forcas
brasileiras. Occupacjio do Chaco por forcas do
exercito alliado. Ataque do monitor Alagos pelos
Paraguayes. Ataque dos encouracados pelos mes-
mos. Tomada de Humait.
Capitula quorto.
Segunda misso do Sr. conselheiro Prannos.
Combates de llerur, ivaby e Lomas Valentinas.
Occupaco da cidade de Assumpcao, capital do Pa-
raguay, pelas forcas aliiadas.
Capitulo quinto.
Es lab ele cimento do governo provisorio na capital
do Paraguay. Cantinuacao das opracoes contra o
presidente Lopaz. Combates de Peribebny, Bar
reir Grande, Caraguat], Nhugass s outros.
Morte do dictador no campo de batalba, (ka da
guerra, i^eflexoes.
Escusado seria procurar encarecer a ntilidade e
mesmo a necessidae de tal obra, pois que nenbura
Brasileiro a pode desconhecer.
Diremos apenas que est escripto de modo con-
veniente, de accordo com os documentos olHciaes
e cora as diseussoes ha vidas na iraprensa e no seio
da representacao nacional, e o que mais fra
de todo o espirito de partido, como tem sido reco-
nhecido por differentes pessoas a quera o autor tem
lido varios trechos della, pois que sua opiniao
qne a gloria que resulta dessa guerra, na qual lo-
maram parte Grecos e Troyannos, nao perience a
nenhuma garcialidade, mas ao corpo inteiro da na-
ci qne nao recnaado diante de nenham sacrificio
necessario para sua sustenta cao, mostrou ao mon-
do que sabe viogar as offensas feilas sua honra
e sua dignidade.
A impresso ser feta com o maior esmero, em-
pregando-se para este lim typo novo, bom papel e
tinta superior, de encommenda espeeisi, o que todo
j se aeha recolhido a respectiva typographia.
Para maior interesse c brilbaotismo ser a obra
enriquecida com o retrato de S. M. o Imperador
em ponto grande, om finas estampas representa-
tivas das principaes operacdes da esquadra e do
exercito nacionaes, e bem assim com os retratos
dos differentes generaes, almirantes e cheles de
diviso que dirigiram cssas operacoes e com os dos
ministros plenipotenciarios que representaram o
Brasil as margens do Prata durante o periodo das
mesmas.
Se o autor encontrar da parte do publico o
apoio qne espera, ser obra anda mais enrique-
cida com os retrato; dos differentes ministras de
estado qne nesse perodo dirigiram os negocios do
paiz, com os de todos os presidentes e viee presi-
dentes que admi.iistraram as provincias do impe-
rio no mesmo tempo e com os de todos os cora-
mandantes de navios e commaudantes de baialhoes
que fizeram parte da esquadra e do exercito em-
penhados na nobre misso de desaggravar a bosra
e dignidade do Brasil, to infamemente ultrajadas
pelo governo do Pafa.iy, qaer esses bata'hoes
berlencessem forja ue linha, quer guarda na-
oional, quer aos chamados voluntarios da patria.
Finalmente scio nella mencionados em lista
alphabetica os nomes de todos os ofnciaes gene-
raes, officiaes superiores e officiaes subalternos,
assim de mar como de Ierra, que serviram na
guerra, com d.chracao das recompensan quelive-
ram, dos ferimentos que receberarn, etc. etc.
Nesta lista serio tambem mencionados os nomes
dos differentes cidadaos, que sem terem marchado
para o tbeatro da guerra, foram, todava agracia-
dos, oa condecorados, pelo governo imperial por
servicos prestados de qnalqner modo em sustenta-
ci da mesrna guerra, para que a todo o lempo
conste quaes erles foram.
A. obja constar do^doos volumas em_ quartn
francez com tres cdtdHinas de impresso a imita-
eao da Ilustrando cu do Mundo Ilustrada de
Paris.
A-signa-se para ella as principaes livrarias des-
11 cidane razio de 20*000 pagos em duas pros-
tacee, a primeira entrega e recepeo do pri-
nviro volnme, a segunda entrega e reccpQb do
segunlo.
Logo que naja-numero suffl'icnte de asignatu-
ras para cobrir raetade das despezas que eem a
impresso desta monumental obra se presume fa-
zcr, entrar ella para o prelo pois que para isto j
se arha proropta.
Os Brasilerros que a tantos sacrificios se sujeita-
ram para a sustentacao da guerra nao podem re-
cusar-se a mais este sacrificio que tem por lim im-
pedir que seas esforcos c gloras caiam no csqae-
ciraento, pois seria isto privar nosos Albos e netos
da melhor parte da heranca qne lhes podemo
deixar.
ssafsLestrjsssri IMS!!.*"**
iva Gmmaraes, eacitri
1,333:689*910
350:056*370
Crditos diversos, outros ban-
cas o caixas Oliaes........
?Ee0 R..... 'w*:mto>\
Pernambaco, 5 de abril de |7t.
T. mikinson,
Acc/nrjtant.

Cosm^pPerpambuc, 1 anno, S. Jos ; espasmo.
Antonio, frica, 00 annos, Recife; desioieria.
Mara, Pernambiico. 2 annos, S. Jase > varila.-.
4
Joo Jos de Mallos, Jlio do Janeiro, 40 annos,
soltoiro. Boa vista ; ooejiiaiile;
Venceslao Bernaidino de Sena, Pernambuco*
.'O'nuosj.sokoiro, Pecifo; -hepa'lite chtonira.
Maria Francisca tos Praceres, frica, 60 anuos,
viuva, Boa vista: pneumona.
Maria do Rosario, Aftica,0r annos, vuw. Boa-
vieja ; ca|aarro pulmonar.
[liana, Arica, IV) anaps, floltB>a, iS. Jos; con-
pulmonar.
colina, Pcrnaribaco, W armes, solnii, Boa-
vista Vmalaeia.
Mwu, eernambui, l ataje, Boaytt ; broa-
Maria Joaquina 4i fJopcejria, Pernambuco, 35
nros, solteira, S. Jim? : vanla?.
PUMJCACMS k PEDIDO.
~ ; i i
Pubiiea^olitteraria.
Historia da guerra do Pawgoay a corangar des-
do a, guerra onlre o BrasH e a repblica do Uru-
guay, que para ella servio do pisstoxto.
Obra ofTerecida e dedicada aS. M. o Imperador,
como pnnieiro represenuma da aaco braseira
sou defoneor perpetuo.
k PAfiTE
CAH^AmU BO IUIMUAX.
: Estado das relaces #uire o Brasil e a repul^ica
Misso do Sr conselheiro Saraiv., VHimetun
apresentado por-ello ao goverae de-, Montevideo,
tiimooo da hostilidades, Excee>.os V governo
oriental contra o Brasil- Convenio om o gtnrai
Flor*. AttqiK' e tomada dePyaejd, Invasio
dos Qrientoes no lli.o. Grande deiSoJ, -Misso de
Sr. conselheiro Prannos. Hloe.aei; irondicio de
Montevideo, capital derepabjra. Fj djt'jmom:
traUdedBz. Reflexoes..
i' PAJnTJ.
rvwaifa ne*Aiu*iv.
Caaifa prmeiro.
Comeco das liostidadrs porsarto. dos Para-
guayos peta captara do vapor naeonal Mrquez de
Protectora das Familias,
Associaf3o brasileira de seguros motaos
sobre a vida, approvada por decreto do
gvorno imperial de i3 de junbo de
1864.
Gerida pele banco rural e hypothecario do Rio de
Janeiro.
Essa associaco o a minha as vas de prosperi-
dade, nao sem os entreves inherentes emprezbs
novas.
Em 31 de dezembro de 1868 tinha effectaado
essa associaco 3342 contratos.
Inscripto um capital d 8.012:101 890.
Capital realisado e convertido em apohees da
divida poblira nacional de 6 0/0 2,331:700*000.
At 34 de dezembro de 1869 tinha effectuado
essa aieoeiacin 7722 contratos.
Inscripto um capital de U,537:3o0o80.
Capital realisado e convertido em anolices da
divida pubbea naeonal de 6 0/0 3,774:7W)iO0O.
Para mais esclareclmentos dirigir-se-ho ao
escriptork) dessa associaco, ra do Livramento
n. 19, i* andar.
O agente.
Narcizo Francisco de Vidal.
Agora que o sacerdote da lei, e t orgo da jus-
lica publica acabara de r-conbecer plenamenle'a
minha innocencia ;.e que en nao era mal-, do qne
urna victima da taialidade nealcujada; e em
quanto me nao dado levar ao conh6Cimento do
tribunal da opiniao dcialhdamente os manejos e
tramas ambiciosos de aqjuns que deram era resul-
tado a minha rec|usao, o deibaraio couipleV) de
raioba pequea fortuna, e as angustia ipcessan-
l:s de minha innocente familia,; julgo me obriga-
do desde j a apresentar um voto de gratidd- e
reconbecimento eterno ap Sr. commenuador Dr.
Rufino Augusto de Almeida, pela cavalfeirismo,
pbJUnlroprua c araabioade que me uispenson na
qualidade de administrador da casa de dotenco.
Ontro voto nao mono reconhecido ao Sr. Jos
Elias de Oliveira, seu ajudanto, pelas maoeiras
sempre graciosas, sua ofDcijiiIa nunca deamcnida era araenisar minhas amarga
ras.
Fina neme, au Sr. Joo Piriejro Catqle es de-
mais empregados do esUbelocimento, o mea re-
coiiliccimeruo por =uas doeadas attengqes, res-
peito e consideraoao que s'ernpre ms frib.d^rau)
Nao e^qnpcerei lambe/n nesle momonto um pu-
blico e solemne toiteiauuh.i de gralido a doa
collegas no raariyM os-Srs. Franciscq Avalado
M-nSoiica e Rodolpho Tavares de Souza, pelos
obsequios e servicos constantes de que me cbnfes-
*o devedor e que jmala-Qlvjarei.
Becebam, porUnto, os Srs. mencionados coa
Reeife, 5 de Oril de 187 * Alfonso Albuquerque Mello.
Aviso em tempo
Consta-nes que o ;commandante de um
b&lalhdes da guarda nacional do Recife, oz
posta e nejja inoiuio pata alferes a um
que, segundo dizem na rrefnezia iot Affi
liberte, pe que josto o legal qa
proposta ae seja submettaa a aopreva
Exc. o Sr. presidente da provincia.
O afinado do Vigor*.
Oleo poro medicinal de ligado
de bacalho de LanmtB &
Kemp.
A pbtysica una molestia insidiosa. Urna vez
que tenba principiado a deslruico dos pnlmSes,
a eofermldade segu a sua marcha rpidamente,
e isto sem qne a snipeite.
Todos os mdicos confessara que para essa mo-
lestia ludo inntil, excepto o oleo de ligado de
bacalho. A difitouldade porra s est em se
ebter o artigo puro. A adulteraco qnasi uni-
versal ;. porra os que se deixara engaar, devem
pi>r a culpa era si meemos, pois que bem sabido
Jue nete mercado o oleo puro medicinal de figa-
o de bacalho, de Lanman & Kemp, tanto o pre-
to como o branco, extrahido do ligado de peixe
fresco, e em todos os sentidos o typo mais fino
oeste admiravel putmoaieo, o qual om aeubnm
ontro paiz se pode conseguir.
Nenbura risco se corre, qaando a sade se aeha
em perigo, provisto que se tenha mo um reme-
dio conhecido da maior excellencia. Esto o
grande Antidoto para todas as molestias dos pol-
moes e da garganta, para as aorados do ligado e
das escrfulas. Assim o aflrmara centonares de
mdicos c Innnmeravels doentes.
O oleo paro medicinal de Sgado de bacalho,
de Lanman A Kemp, nunca se deteriora em clima
algum, e como nm remedio de primeira ordem,
acna-se a venda em todas as principaes lejas de
drogas.
miases t CorcaltodMam ttm9o.
O Dr. Abilio Jos TavantiJbi priwert
dos foitos da fazoate aactonak ______
Faco sabor aos que esto Tri, fp a requer
COMMERCIO.
por
PRACA 00 RECIFR 5 DB ABRIL.
DE 1870.
AS 3 1/2 HORAS OA TAM.lt
Assucar americano bruto bem 21780 rs
15 kil.
Assucar americano baixo 2*680 rs. por tf kil.
yoncallo Jos Alfonso,
Presidente.
A. P. do Lomos,
Secretario.
ENGLISH BANK
)f Rio de /Janeiro Limited
Descosta lettras da praga laxa a con-
enciocar.
Recebe dinheiro em cocta correte hia
Iraso fixo.
Saca vista oa a praso sobre as cidade >
principaes da Europa, lem correspondente*
aa Babia, Buenos-Ayres. Monlevideo, New-
3 New-Orleans, e emitte cartas de crdito
jara os mesmos lugares.
ttUA DO C0M.MERGI0 N. 36-
menti do tenete-coroel Justino "iwefra d fi-
na e Baro do Livramento, se vender en praca
puMca destojoiw no djf "^glo toewo, o di-
mito creditorio no valar de IPoW*#*8 "^ J8
tem Joaquim Jos de lrand* >. sobradodhi3 an-
dares e leja na ra io LivrMMBto n..*K da> eav
sal do finado Joaquim Leocadto do Oliveara Gal-
maraes, onde fez penbora o dito Mir*no^_e_JP*>
ora foi penhorado peioo dito tenento-eeeoaal e-
Barao para pagamento do resto da exeeaeao a.
fazenda nacional contra o mencionado Mtoaodla.fr
pago por aquel les- como hadme ; o> qual dawiM>
foi avaliado por 7:230*000 reto. ^^
E para qne chegue ao eonaoctoaento de todtoe,
mandei passar o presente, que ser publicado *eb
imprensa e aunado nos lugares do cos"nme.
Dadoe passado nesta cidade do Recife, aos JG d>
marco de 1870.
Eu Lu.: Francisco Barrete de Almeida, esen-
vo subscrevi.
Abilio Jos Tarare*. ^^
O Otra. Sr. inspector da tbesoararia naieod
desta provincia, em virtude das ordeas. am viojor
manda fazer publico que tem mareado o da SS
de abril prximo vindouro para a eonenrso ojae
se tem de abrir na roesma tbesoaaaria para pre-
enchimento das vagas nella oaJatoato da arti-
cantes da raesma, assim coma da alfandega da
rec-bedoria da rendas : versara o eaame soar
as malarias de que trata o 1* do artigo i* dc-
decrtb n. 31 li e V de junbo de VS63, a 3aeer
leitura, anayse grammaticaf e ortbogiapftia ari-
uneliea e suas applicaeoes ao conamefetov ees
aspecialidade redneco de moedas, peso* po-
didas, calculo de descont, juros .'iealto eow-
postos, theoria de cambios e snas appenaSoe. Os-
eoneurrentes deveran previamente aproiantar tea
requerimentos instruidos de dociiBualP ajaayo-
vera idade completa de 18 annos, isenco de pe-
na e culpa e bom eomportomento na. ferma do
art. ; do decreto n. 2519 de- Mv da- marro de
1800.
Secretaria da tbesonraria de fteenda- dte Per-
nambuco, 4 de marco de 1870;
Servindo de ofcial-aaior,
Manoel Jos Pinto.
DECLARACOES.
Al.PANDEGa
Rendiniento do dial a 4 .
(dem do dia 5 ....
47:701*077
7:310*873
Il5 0tia960
MOVfHKrVfO DA ALFANDE6A
'olumes entrados coro fazendas
dem idem com gneros
7oiume9 sabidos com fazendas
dem ideo coro gneros
m
797
------M3
139
780
------ *
Descarregam boje 6 de abril
Barca inglesamooenemercadorias.
Vanor jnglezbumnirt dem.
Barca fran"zaSottaenwm.
Lugar inglezCitkarme Latic Uiinha de trigo.
Barca inglezaJfaperndorfarinha de trigo. _,.
Patacho inglezJrenlamercadorias.
Barca rancezsMousse de Nantesidem.
Patacho bollandezGeraldine fariah; de trigo.
Patacho bollandezMetaidem.
Barca pertngoeaaS. Miguelmercadorias.
Sumaca hespanholaDuas Madalenas farinha
de trigo.
Patacho inglezJulto Blackdiversos gneros.
Barca portuguezaLealdai' idem.
ECEBEDORIA DE RRNfiAa INTERNAS UE-
EAES DE PERNAMBUCO.
aendiraento do dia 2 a 4 7:3to*908
Idem do dia 5....... 1:970*823
9:106*731
CONSULADO PROV1NCAL
dendimento do dia 2 a K 5:827*941
idem do dia 8...... 6:353*055
11:180*996
MQVIMENTO DO POBTB.
Navios entrados no dia B.
Bahia6 das, escuna brarileira Annu, de 127 to-
neladas, capitn Joo Vieira, equipagem 7, c.r-
ga farinha e outros gneros; a Joaquim Jos
GoncaIve3 Beltriio.
Navios sahidos no mesmo dia.
AracatyHiato brasileiro .Yorn Espelunca, capi-
to Manoel Francisco I alies, carga differentes
goneros.
BahiaHiate inglez Monford & Trtobbe, capitao
M. Culloch, carga, parle da que trouxe de
New-York.
Obsrrracdes.
Saspendeu do lama rao para Cork, a galera ame-
ricana Cruzado, capillo D. Rradford, com a raes-
ma carga que trouxe de Baker lsland.
Fandeou no lamar um brigue, ignora-se a na-
cao por nao icar bandeira. '
Apparece ao norte a barca brasileira iVora Ca-
rolina.
eloBrmell
Cali* Filial dio)
em rornammi-e. ea V*_
cao. 30 de uraco t !
A Caia Filial do Banco do Brari. leoiir
de proceder .-ua lipuidaco, vende por com
modo preco > sobrado sito a roa Imperial
n. 64, com grandes e excedentes acorn-
daces, assim como vende a nasa tenca
contigua, n. 66, a tratar na mesr&a caixa *
ra do Gommercio n. 34,
EOITAES.
O Dr. Francisco de Carvalbo Soares Brando juiz
de orphaos e aaaoate do lermo do Recife, por
& M. o Imperador o Sr. D. Podro II, quera
eu* guarde ele.
Fago saber a quera o prese:-.le edita' vir e delle
milicia ti ver que finaos tres audiencias deste juiai,
do dia 7 de abril prximo, rao a praca e venda a
reqneriiiienlo da viuva meeira e ravenlariaate D.
Senhorinha Emilia Jorge, para pagamento dos cre-
nuros do sen casal por falleciraenio de seu mari-
do Henrique Jorge, as seguales propriedades, a
saber :
O terreno devoluto, foreiro, sito aa roa do Bar-
timlomeu freguezia de Santo Antonio, com 113
palmos de frente para a mencionada ra e 183 de
fundo fazendo esquina para o na do Caos da Gasa
de Detenco, avaliado ana 2:294*000, dividido era
5 lotes, 4 de 30 palmos o i de 33.
Ontro- terreno devoluto f reiro, com a trente
para a ra do Caes da Detenco, com 121 paleaos
lie frente e 260 de fundo, nao comprebeadeado o
tilheirn que nelle existo, avaliado o dito terreno por
2:500*000, divdalo em 4 lotes, sendo 3 ao 30 pah
mos o 1 de 31 pannos.
| Oatros dous terrenos forciro no lugar denomi-
nado Quboc no Monteiro, na freguezia dn Poco da
Panel la, com as frontes para o rio do Capibaribe,
especiahdade, e om geral todos os hatotopto. dessa- com ug p>haoB de frente e L37 ue tondo, exrsiin-
casa, donde sahi sem 0 miauap resentiraento de
nenb,um, os meus sinceros agrad<;em*nto, TP
nui>ca osqmcerei qnaj^uer qu<'seja a minha i-
luaco.
tWfe, S de abril de 187a
A.,\LtrCQ*nelU* -
txnhort!srtdaei<>Ke3,Tr soHteguidao par ab^je o documento aue olTe-
ni guarda no Jnstitam Aroheologico fenafn
bjtoaao (.d*aaJ.;icaJio a honra da
corrtsiwaidmiteLiera ser abente quaado o ler
mname,, pterr .eom o Paraguay poraaaoto *
guerra com o Paraguay nao esta terminada, ,,oie o
Parajamy aiada ast-oeetaad pelo exerei bm-
silero, e os pristorwiros paraguayos ainda se
estado, avahados ditos terrenos em I: 00*860 ce-
do um, divididos em 4 lotes de 73 palmas Cada
lim.
amais o sitio de torras foreiras em aborto aa
travessa da estrada ao Monteiro lugar denooaiaado
i hmartio, com 2uo' palmos da frente; acornar do
oitao da casa do efanod Anantaeio da Costa o 38* f ra, Pedro Marivr Mautv. Viceacia AletJttdria
de fundo rom omimadocaixiede can de paden rertli Datra, To'bia*' flarret? de Heaecr: *
ee.-aa-n & cal om forma o palacete eai aarade reepalda e-Paala Babia,
sai soen aval i4o por :080di00.
Bp.ir.ique cliegue ao canheciraeato do todo
mandei passar o presoateaa ser adUado ao lo> tf.VT .^*ca n"
gar do costume e parteado pela iroprensa. I ^Aw-iA -**A **l
f>ado o passado neetl eidade d Recife, a ^9 '
de marco de 1870. A Olma, junta
Imprtele regia consiilat*
d'ustria etJnglieris, ii>
Peraambuco
Con decreto dd." 14 Dicembre 1860 vean* owti-
nala :un'anagrafe dei -nddi Austro-Ingarietii si
trovanolll'estero.
1 medsimi vengono qpindi invitati col prsame.
di annunziarsi, nel termine di tre. raeei ai I porao
d'oggi, prosso questu I. e R. Coosolato, aaoaib dw
documeati comprovanii.
La iscrizione ha laego libera d'ogoi sposa, ert
aeieu agii interessati ii diritto ai aaatoaalrf:.
presso l'l. e l\. Httci Consolari ael Bras.
Imperiaie e Regio Ctsolato d'Austria-Uagaru
ia Pomambiico, 12 alano 1870.
LI. e R. Consol,
_______ Baroao do Livraiaqatok
Santa Casa da MisemorSa
do Recife.
nlahHro vlsa.
A Illma. juma administrativa da sanip caes o>
misericordia do Recife no intuito de afargare Sr-
culo das pessoas qne concorretn a anapanjaei
do fornecimento de gneros aue tem do eoaajpeir
os estableeimentos pi? sen cargo nos asean ik
abril junbo, manda fazer publico que o mean
forueciraeBto da quanlia de trinta contos jpa-
tos mil ris annnaltnente, e que page- mwpfil
men e com dinheiro a vista.
Recebe, portanto, a raestna jnnta propostas pjira.
o fornecimento indicado na sala Je suas sas^oe.-
pelas 3 horas da tarde do dia 1 do corrento.
Assucar refinado, kilogrammo.
Dito 2* sorto idem.
Dito torrad idem.
Alctria idem.
Arroz do Maranhiio idem.
Azeite doce, litro.
Agurdente idem
Azeite de earrapato idern.'
Bacalh kilogrammo.
Ratatas idem.
Cha verde idem.
Cha preto idem.
Dito hysson idem.
Ceblas, cento.
Carne secca, kilcgranmo.
Farinha de mandioca, litro.
Fumo do Rio, kilogrammo.
i l-Vija.i mulatinlm, litro.
Farello, saco.
Mantciga franceza, kilogrammo.
Peixe fresco idem.
Sabo idem. y
Sal, litro.
Velas de carnauba, kilogrammo.
Ditas stearinas idem.
Vinagre, litro.
Vinho tinto dem.
Dito branco idem.
Toucinbo, kilogramo;
Os concurrentes apresentaro snas proposi*.-
era cartas fechadas, as quaes deverao Ur a orW
estabelecida no presente annnncio.
Secretoria da Santo Casa de Miserieottia d
Recife, 2 de abril de 1070.
0 escrivJOy
PcJji Rodrigues de Soasa.
Arrematando judie**!1
No dia 6 de abril linda a audiencia do Sr. ftr.
provedor dos rezidnos, juiz municipal da t vara
se proceder a arremataco por venda aa casa
terrea q. 72 do lateo de S. Jos pertaneeafc? ies-
tamenuria da Aada Clara Maria de Caldas Bra-
do, avahada em 1:400000, a reqnerinomo d,
testa uenleiro dadivo, como consta do daacript
em poder do partoiro.

.
Pela recebedoria de rendas na oraos sa fas
publico que aeste correato mee e o ti abr,
prximo futuro, qae os coutribuiatos-do. unpostr
sobre industrias e proUsiOes toeaa da aaga-lo, li-
vre de multa, e que lindo o referido pauso sera-
cobrado cora a mulla de t> 0|0.
Recebedoria de Pernambuco, 3 de maego do
1870.
aiminietradori
____________Maneei Carneiro de Serna aiacerda.
Relacao das cartas registradas proce-ieaa do sul
e norte do imperio, existentes na reparticSodc
correio, em 20 e 31 de marco de WO.
Arestle Jos de Ijeo (1), Antonio 0-xnioge*
Pinto, Abreu Camra'.iTavares da Silva, Alcoforadf
& Irmo, Adeiio Luiz IVreira da Silva, Angasto
Gomes Netto, Arlindo Franeiseo Nogueira, BarSr-
do Livramento, Candida Jos* da Suva1 Liberal, !>-
mingos Alfonso Perreira. Domingos Arilofle VWn-
ea, Kuthymio Pereira de Albuquerqne, Vnei*(i>
Leas de"8ouia Rangel. KVancIseo CaraerroVa-
hado Ros, Pelix Antonio PJnto Sem*, aaaeei-
Cio Paes lilendonca, loaqium Jos (*!"WiWater,
Jd# edrigoas de Sra/Sr Jos Leandro d* KmSt-
da Dantas, Jos MigiH Itastos Ramos, Jos* Ayiv*
do Nnsoimenio Ou Rendo de S Baneto' Sadmai.
Jos Vk>trB o Lira, Jo.* Glemeolino H. da Si-
do oqs mesmos terrenos urnas meia agaas em mae m, Jos Domingues o tarmo Silva Jvao tfrajw
de MeMo, JoRe Gabriel npiisto, JoSo- Fi'rdaaK
Cavalr.aati dO Albonfuenjne, Lnix Perreirs N. P-
finea, Leandro Francisco Xogneira, T.nla fMira'
Maciel Pinheiro, Lennoldp B7 Qarvan lcafia, 3b-
i eiil Jos Moreira, Manbrt Atves Fe'rrMM *C..
laneel Franeiseo de Hattos. Manoe* Joaijuim A-
Oencarregaau dw registro;
Manoel d P-4 Tr
Kr'i'.tiWkb
da Sania Casa i
W
L
<
J




frtib fe NAatirto QtorlW fira <+ 4w A*r I IMfti
m...--.
8BS
"jsalwwa
96|66
i9DtoOV[
19M0O
171*000
71886
121*000
340*000
203*000
'Ohwia.
e^ssaierre* n. 28. 8 .
Boa *a Vtraeio.
Hmnwm* n> 7.......
Ka* do Padre Floriano.
Oasaienre n,43......
N id?m b, SB.......
Roa de tems.
toja do -obrado n. 41 ....
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Roa do Vigario.
Manare indar d sobrado n. 17 .
Ras do Rnge?.
Roa do Pilar.
asa terrea n. le.......
Uta da Lapa.
*:>* temw .......240*000
Casa Ierra* m.Jfc. .... O 380*000
teten. .1 noForw& da Cal. 0 130*000
dsiuvteudcntes deveru aprsenlar no arto da
HMiuiiaa dar na* laooa* ouTmpameercn
ansemanhados dos respectivos fiador:"?.
Seerauria da Santa Casa da Misericordia; do Re-
.fe, 6 de marro de 187tSr
O MMivio,
_____Pedro-Rodi^ifuet di Svuz*,
Santa casa da miserkwto
do Recife
\ Rima junta admiuisrrilva da santa casa de
afterirr-ll* d* ReeMe, aa sala de soas sesses,
as 1 borus da-tarde do di* 7 de abril contina
tteceber propostus para a arrematado da renda
-darmaz WMW s.os estabatoetineutos de carldaJe, *errta-
* H*efaiw:ia qwMIe que, alem desia, entras vanta-
ests elft recer.
9*H*r%i Oa sama na do riserieordia do-
:ife fi de at*il e 1870.
O" eserhfco,
Pedro flodrigaes de Souia.
GMPAH1A l'EWWttl'CAPM
^BK I*itt. Hado, fissor, Ara-
ce*f, Cearl, JRindlHifr, Acarac e
^.i&rtsrtr*g#
Wm aftbne n fla W-an-eeTrenm aMwrm
gante o da H, Incom
e italrefro-rfleirai a>
pessoas : ra
Troca-so
ka Me.
' Cvllfra tratHH
Roeebe ca
THEATRO
CY1R ASI DRAMTICO
(No Konteiro)
sd a Matelo no artista
1)E-II0VAII.
QUARTAPK1RA 6 DO CRREME
Segunda repra>eiiracao do mteressante e mu*
-- i-plaud'do drama era 3 actos, intitulado :
LICIA IIIIB
O* rincipaes papis seio desempenhados pela
Sra. o. Mari* do Lcenla Rahia, D. Olympia o os
Si, \i-ln Bania, Peregrino e Braga.
Segu-se a l*x! ^ ij da lin o to tokquato
fcsenpOTihando o.- prineipae papcis a Sra. D.
Mrto do ,acerda Baha e os 9fs X$to Baliia e Pe-
'TCWiBA.
Depois represe mar-se-ha a graciosa comedia
n 1 .vio :
PORUMTRIZ
t-.-. cent ando os prinripats papis os Srs. Baha-
e Perefriqo.
Terminar n emeetacnlo como espiriinbso da-
taya fnebre, oriental d* distrae') poeta mara-
hense Joaquim Serra, denominado :
0 sallo de Leucadc
HeereseaUdo pelos Srs. Baha c Peregrino.
O billetes acliam-se na csca do Rente e no
yieatr p, pe* preces establecidos, haveudo trem
>-ois do espectculo.
Principiar 8 horas.
AVISOS MARTIMOS.
coran mmm
DK
Paquetes a vapor.
Dos portes do sul esperado
al o di 7 do correnta o vapor
i'.mzt-iro do Sul, commandante J
!'. Guedcs Aleoforado, o qual
depois da demora do costme se-
^uir pira os p-r!os do norte.
Dosdo j r: c-i eai-se passageiros e engajado a
carga qu o vap^r poder conuuzir, a qual deven
*vt embarca-.la m diade suachegada. Encommen-
tas e dinheiro a (rete at as 2 horas do dia da soa
-aiiida.
Nao se receban como encommendas senio ob-
;-ciisdo peqneno valor eqae nao excedam a dua?
srrehas i", peso ou 8 palmos cbicos de medicao
lado que pascar destas liinitas dever ser eibar-
ado corri carga.
l'revino-se aes senkores passageiros que suas
iMagens so .-* reeebea ia agencia, ra da Cruz
*<. 37, i' andar, esrriptono de Antonio Lai de
illiveira Atovudo i C.
GOMPANHIA PERNAMBCANi1,
DE
%avesaf*> eosteira por vapor.
I'orto de (illiiiba, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor Pai u\yba, segoir para os portos ci-
ma ao dia 10 do correnlti meia noite. Recebe
-jwga, rjcommcnda?, passareiros e dinheiro a fre-
ir no escriptorio do Forte de Mitos n. 12.
C'J.Mi'ANHIA l'ERNAMBCANA
M
Xavesa^o eoatelra por vapor
Mamanguape.
^Tltr O vapor Gwutipe, commandante
'TA ^li'i' 3*?"ira par Por, ac wan0
' 'HMMS dia 12 do crranle as 6 horas da
ire. Reeel r se diubeiKi :i frete at *s 3 horas da tarde
U d a ila ahida : escriptorio co Forte do Matos
x 12.
acaaat e auMgeiroa
2 horas da tarde do dia da sahida so escrlpto-
Tte db WuriB-do Mattw e. H.
mnm\ msm
m
Paquetes a vapor.
Dos portoa ib norte 'esperadi
at o da-9 80 crrenle o-fspor
Ttmnlins, commaninte J. M. P.
Fmacc, o qnal depois da deno-
ra do cestume seguir para o.< 1
portos do sai:
Desae j fecebem-se passMehs e engaja-se 1
oara(|ne o vapor poder eoadaiir, a uaud deven-
*er embarcad* no dia de suacheflada. Encommea-
las e dinheiro a ftetfe ate as daa* hwa> do dia d>
ua sahida.
Nao se recebe como enooauaendas senas oh-
eotas-de pequeo valor o que ao excedam a 1
im*as de peso- ott 8 palmos coblrog-de nftdi-
tindb passar estes limites dever ser
embarcado coinb carga.
Pfevine-se aos Srs. passageiros que suas passa
ceas seso recebem na agencia na da Cruz n. 67
r andar, escriptorie de Antonio Luiz de Olivein
finTiAi i r
GOHPANHIA PERNAMBUCANA
Navegagdo costea por vapor,
Macer era diroitora e Penedo.
O vapor MmdaN-, cominandante Julio, seguir
.para os portos aciota no dia 8 do corren te a s. 4
iteras da tarde. Heeebe carga at o4ia 7, *a-
commendas, passageiros e dinheiro a frete at as
2hnrs da tarde da dia da sahida, escriptorio
no Forte do Mallo? K 12.
m
Proeaa* pr omnrer o cezinbar1 \fiil tes
da (.aaWa/ig, loja.
Mififl- .^K.
de Lisboa, e ylje-se 4vt BBu dos melho-
des os ferro e*por proco mu I em conta, na mes-
roa casa coM-e vestaos para calamentos da ul-
tima moda ejartleulafs; umbffhl se Vende tu
ch'arone vindo do' senao para curar dieleitia do
Jeito e hanh e OrlaV cabellos : raa dflCoTro-
or dN iBspo easit do^i*. 1 Sa Tatefe' vBefc;,_
1, per'oceMfo de ter'#&>
Tdralro
disolvida a soci
..Jado commercial, que yrara
sob a firma Joaquim Antonio Pereira i Sobrinno
no armazem de lenca V 28, sito ra larga do
Rosario, fa? publico que nada deve a pesfoa al-
gum*, por oualqser proveirieawa qne seja, se,
porm. alguem se jtUgar seo oredor.lenha a bou
dade de npreseaW o sen titulo ou coma- ao aba
xo assignado, qne let inamidtaianlw pago para
[1 de abril crJrfS XSlIfelrs pnrf.
mal rio'ser venidos mn-pra^, perne 1
[o Dr. juli d orpWo*, na safa ptMM i
das audiencias, do-meto is a orna bor
da larde, eKlteMe :erros deixadoi
pelo Hotdo ifcorinne iorge, Uato nerta
cldad rea- do SattlMtemeu e eaas da
Deton^So, como no arrebalde do enteK
ro, segund M edHaec pnWtoaioi nerta
Bmro e no Jornal do Rtf, sneeemi*a>
mente desde e dia M do toes prximo
passa do.
Alufa-M nm
vejado sem
proprio para
defronte ao"
Mondego, ota
Alttfial
0*> tobraifo por" acabaf, Ira-
* oenijieito de embargue.
nffioaa, sito nos Coetian
W: i tratar a ra 6>
13; tambera serve para mo-
EnpMllmadira.
Kai%do-AMb|it, 1
urna ma^uOatbrengom _
neiUeMt QnUra, pagarse bom
mi M' horas da manhia
de effl diaffle.
npago
o que pode ser procurado no paesmo armazem cu
primeiro andar dosebtadon.il, sito a ra das
Crnzes.
Recife, f di abqrdnyo. ^
mam^l^MBr^ vMHnW J^^l'^Pa^w
Precisa de uirnranta cozinliar, na
mn-d Plorentin v. 2.
Precisa-so de urna an para compran) Co-
linhar : no n*too de Tdrijo n.. 61, padhria. ___
Proeisa se de 001 amasador na padana o
palea da Terna n,4* ^^^^^
O proprielario do encouraoado de Olinda
previne ao lrnns. Sts. asignantes e passageiros
que do dia 6 do cerreule-em diante deixar de
ler imnibus as 6 hora da tarde.
~COMRAMiIA l'ERNAMDLl^NA
XavegafS eoitera por vapor.
Goianna.
Slw O vapr r Parahyba, teguir para e*
^^f-tf porto cima no dia 6 do crrante,
atamanhaf as 9 Inras da noite.
R cebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete no eseriplorio do Forte do Mallos
n. 12.
Mitranb
Segu com brevidade para o porto aeima o pa-
Ihabote Joven Arthui. para o resto da carga que
Ihe falta trata-so com os consignatarios Antonio
Loiz de Oliveira AzevMo & C. ra da Gnu n. 57.
PORTO POR LISBOA
Seguir crh poucos das a barra portgueza
Sova Sympathia de iJ classe e marcha por j ter
prompto quasi toda sua carga : para a pouca que
lhe falta, assim como para passageiros aos quaes
offerece ricos e cxcellentes 'commodo?, trata-se
com Rallar, Oliveira & C, ra do Vigano n. I,
primeiro andar. _^_^_^^^
Lisboa e Porto
A barca Fhr <<# S. Smto sane intpreterweimen-
te para os porto- cima al o dia 12 de abril cor-
rente : para o resto da carga e passagens, trata-
se com os consignatarios Carvamo & Nogueira, na
raa do Apollo n. 20.
LE1L0ES.
Continua<;ao do Icilao de boas
pcrceiaivas, finos crystaes e
ricos ohjectos de elec'ro-
piaW.
Quinta-feira 7 fio abril as 10 horas sr
i>ontQ. .
O agente Piolo ievar a leilo p..r conta o or-
deirt'dos Srs. A. Milhet Filho & C do Rio de Ja-
neiro, um variado 9 completo sortiraento dos ar-
tigos cima mencionados, existefTtes no grande
estabelecimeilo da rua da Imperalriz n. 47, 1*
andar, os quaes ao podetnm ser expostos no
leilao do dia 2 do crrante por falta do lempo e
por serem rauik* os lote;.
Para qne possam ser vendidos lodos os artigos
de gost<; n'aquelle da, ser preciso principiar o
referido leiiao as 10 horas em ponto, tondo os
arrematantes apenan \ horas para retiraran seus
lotes, visto serem laos artigos vendidos para li-
quidacao da casa aqu estabelecida ha poucos
mezes.
Torquato Augusto de flSiveira, natural do
Pcrtugal, (villa da Figueira) e residente na Rahia,
precisa saber noticias de seu irmo Hogerio
Augusto de Oliveira, que lhe consta reside
na provincia de Pernambuco : no pateo de S Pe-
dro 11. 17, sobrado de 1 andar, existo urna oarla
que Iho dever inte
erassar,
Achao
A Pessoa que perdeu Oma.pulseira de ouro,
pequea, na sexta-feira de Passos dando os sig-
naos e pagando a despeza Oeste Iho ser entregue,
na rua de Hurtas n. 110, ou rtia d^ Vigprfo uu-
mero 33._____________^_^^_^______
Ama de eite.
Precisare de nma: trntar na rua do Amorim
n. 4:<. _______________________;________
O abaixo assignetio fat- seieirte ao potico,
e-pecialmente ao corno do commereio, que tem
justo e contratado com os Srs. Azevedo 4 Mello
comprar a taberna sita na rua da Guia n. 3t, h-
vro e desembaracada. Se alguem se juliar com
direito mesma qnera apresentar-se no praz de
tres dias, contados da data deste : pornuamo lindo
o referido prazo nao ser mais attendido, em vista
do presente annuncio."
Recife de Pernambnco, 5 de abril do 1870.
esvino Carneiro da Cunha.
Atten<.ao
No paleo do terco n. 31, loja, coze-Se com as-
seio e promptido todas as cosiuras penencentes a
senhora mais em conta do que em outra qualqucr
parto.
licencia.
Pede-se ao 9r. P-ranciseo de Salles e Silva quei-
ra appjrece- a negocio que lhe diz respeHO, no
Bazar da Moda, rua Sova b. 50.
Ama
Precisa se de urna ama de bate : na rua Velba
n.62.__________________________________
Precisa se de um caixeiro-do 15 a 30 airaos
que tenha pratica de taberna : no pateo da Santa
Cnun.2. _______________
Precisa-se de urna ama eserava que saiha
cozmhaj e la> ar bem : na rua da OidHa de Re-
cife n. 51, t andar.
Ay
riso
Antonio Jos Ferreira Alves despedio o seu
criado o cobrador Candido Jos da -lunba no dia
! do corrente,e ficoa no lugar o Sr. Braz Fernan-
des de Feij, sublo hospanlud._____________
Precisa-se de ndmiii) j** comprar e cos-
ubar e, fazer o mais aervko de casa, > para um.
hornera e meninos : da rtri'd ortas MO, eni
rua do Vigario n. 33.
-------------^
AMA
1
Na travessa di Cbneedft, sobrad n. 19, nre*
clsa-.se de una ama que cnzinbe.______
Precisase de nm moieV'tue de t a 30 aaoee
nara seni^ode-iima rclmauw. entregar-eaie^ene-
socar : na rua imflrrfrd n> 2tT... ___________
Coainfcerro.
Precisa-se de ara bom cozihHeim, paga-ge bem:
a tratar na ma do aolto m 24. S^nfriar. das 6
as 10 horas da manhaa e das 4 horas da tarde em
dmme._________________________________
Irmsmdaile efe ~* er moleda-
e* Hean-vlnla.
Pelo presente sio eouwdalos os seotmres mes-
tres de carpina epedneir.'is que quizerem con-
tratar, as obras de doin aimres, arem e forro da
igreja da Sola dada- *re'ni4imi suas pro-
nealae em car fechada, em meza de quinla-feira
7 do corrente ; podend para isto coasullar aa
lilantM que se aebam na sacrestia da, mesma.
'__:_________________________________
Precisa se de ama ama pan oociefar : na
rua do CaMeireiro n. 68.
^ Veiieravei orfem. tr'-
eeira d Nossa Se-
nho a do Carmo do
Mteife.
PftOClSSO DE .TBHJMPI10.
R> Tendo a veneravel orden ter-
cetra de Nossa Senhora do Carato
& desla cid:id de apreseatar vista
dos fiis a solemnissima j>roeis83o
de Triumpho-di's l'assos do Senhr,
no (fia 8 do corrente tez (sexta-
feira) as 3 horas da tarde, o dese-
quido a mesa regedora que este
acto seja revestido de toda a pompa
e magnificencia, manda convidar
todos os char'hssimos rroos, para
qne, paramentados cota seus hbi-
tos, comparecam na 'greja da nossa
ordem no refeiwlodia, s 2 e meia
lio ra da tardo, alim de cacorpora-
dos acoinpanh:rrem a met>ci9r>ada
procisse, cooperando por esta for-
ma para o sen maior explendor e
Uallunlismo.
Secretaria da veneravel ordem
kirceira do Carino, em 't de abril
de 1870.
O secretario,
Jcronymn da Cosa Lima.
BHIripii Iwneea
* Wmmr*trto~9l
O pittjitt'mian tefe ettabcleeimeme !
previne m neeoee qne depoeitaram r
jMfe aigan eijedCos antes do prkneirro
de Janeiro "do aano corrente, que os van i
buscar hnpreterivelLnente no praeo de j
um me da dala da presente puWia-
cao, do contrario ser os ditos objeo*-'
considerados como *tmatinados para pv
gamento do trabalhe, 9 aeoje donos nao *
terao direitcnenanmem-jnclama los em
lempo algnm.
Recife, 2 de ara reo de jj79.
AiaMr
Na praca da indepesdencta ns. 1 e 3, precisav
se de urna ama para engoamar.
A imptratrfe Tt%ft&.
Com esta deaomraacao chegaram a loja do Pas-
so pelo uUlsao paquete os mam reos chapeos de
paminha pralos con* afeites de eres, objecto es-
te o mais maderoo de Pars, ckegnem antes que
se aeabem : a rua do Crespo n. 7 A.
Precisa-se alagar n
dueta para o servco de u
raa do Crespo n. ffj A.
r, precisase n
var, para rma
jada : a tratar
1 horas da tar-
ara de be* can-
de fazendas; na
rAlupa-Sftuma eanaa nava a atoarello coa44>
palmos do comprido : na praajs da fnJependeneia
0. 2.
FfiA.
8
Aluzase um mulato cop-tro, uina escrava
para o servico domestico, e um moleque de 14 an-
nos : na rua da Imperalriz n. 34, 2* andtr.
Precisa ;e de un caixeiro i{ue tenha pratica
de taberna, na rua da Aurora n. 56 : a tratar na
mesma.
de fazendas geraes
. A 7 do corrente.
Henry Wilieier rara leilao por mterveueao do
apante Oliveira, do mais oompleto sortfmcntj de
faxenda? de todas as qualidades.^
Quinta-f ira'
as 10 horas da manhaa em seu armazem rua da
Cruz do Recife.
Grande exposiq&o em leilao
Una rico apparelbo para cha, 1 faqueiro, ricas
bandeijas. casticaos. salvas, fructefras, garfos,
facas e colheres, ludo de elecuo-plate.
Appareliws de fina porcelana para cha e j'Mar.
guarniiie3 para toileis, garrafas, copos, clices,
compoteiras, fruteiras, tudo de fino crystal.
Qninla-feiri 7 de abril
Por ioterveneao do jente Pinto no 1* andar do
sobrado da rua da Imperalriz o. 47.
Ama
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar :
na roa nova de Santa Rita n. 51, serra fia a vopor.
Jos Dativo dos Passos Bastos faz sciente ao
respeitavelcorpo de commercio que lem justo e
coniratddo com o Sr. Antonio Victorino da Rocha
sua taberna sita rua daSenzala nova o. 6 uuem
julgir-se credor de dita taberna dirija-se no praso
de tres dias rtia do Brum n. 64, ou rua da
Senzala-nova n. 22 ; Ando os quaes nao atinde-
se reclamadlo alguma.
Prectsi-sede um menino i|ue tenha praiica
de taberna, de-14 a lo anus, para uiua taberna
na rua da Seuzalanova n. 22 : a tratar na
mesma _______________________________
COZINHlRA.
Precisase de urna ama smente para cozinhar :
na rua da Cadeia do Recife n.57 ou 6f).
CASA FELIZ
Aoe 20t0004000
4 casa feliz do arco da- Ceneeib tomn' a ven-
,der nos seni murto feram bhetes da rntena a.
135, em Detonlo das casas de detoaeio, as sortes
seguintes
460
2612
t.mim
800*W>
wamm
mtmr
tmtm
loewoo
TRIL
r{*\< caSft da rua i icatn Amara W>
no dia- 30 de marco do corrala auno o
dame Jlo, idade dt JKpflranos pouco 1
00 menos com os signaes segnjiRcs : baixo,
* eorp, pouca barba, rosto ecm marcas de ae-
ataa,. um dedo da- menos na man direita. Mo?
|b>m pofs as autoridades anniDetentes e paroa-
"ns, o obseqox de o apretwnde lo e levada a>
a de Crespo av 5 que enaenaamenfe se recant-
^f osar.
Precisir-se d urna ama-para casa de ptJbW
tarailia : a tratar ee- raa. de Aguas-verdes a, SI,
! andar. _______
**- Preejsvse de orna ama para todo o serviea
dr casa dfe p|uk)na familia : na rua das Grnaar
numero 4.
Precua-se alugar uro pequeo cilio neaar
rabaldes da cidade : na rua da Cruz n. 55; Ia
andar.
Pncisa-se de una ama >p seiba coziauar-
e engomrnar paracisa de home;n sotce\i: na raa
da Cruz n. 53, Ia andar.
,
i
IB.URUL
Candido' Vattriano' rta $Hea Futir
ADVOGADO.
Eseriptora) rua do Riiperedor a. 3fe>
das 10 horas s 3 da tarde ; residencia
no largo do Oanno n. tu
-^naasa-se de tira ca'ixeirii qe lean*
de taberna : na rua'do Sebo n. 54.
I
Recite a Apipucos.
Tendo principiado o novo systemj de
venda de btlhetes. as estafos/ cessando
assim a venda nos trens, roga-se aos Srs.
passageiros o obsequio de coairpivaFem a
empieza em levar a elTeito este systema,
comprando seos bi lhe tes coma precisa'an-
tecedencia, pata assim evitaren a>demora que
pode apparecer nr> caso de nifo>e8Harea dil-
les munidos.
Ai pessoas que liverem de toitwr o trem
nos poBto8.de paradaRita Pormosa e Por-
ta d'Agua terao a boadade de levar comsigo
seus bilbetcs, visto que nestes logwe nao
lia estaco para venda dtlles.
Escriptorio da coeopanaia, 24- de marco
de 1870.
W. Rmolinson,
GereDte.
AO PUBLICO
O abaixo assignado ainia una vez vem im-
prensa para fazer publici que no dia 29 do crran-
te, em ronsequencta de accorJo da mesma dala
herido entre elte e os Sr. Bernaidino Duarle Cam-
pos e Joaquim Feruandes da Silva Campos, era o
qual foraniTcSoavelmenio attehdilo' os legtimos
interesses do abnix assignado, foi pago da parte
que por direito lhe coubc na soeiodade, que fjyra-
va sob a Urina Duarte Pereira & C. no armazem
de tonca u. 16, silo rua d Qrofpn; (toando as-
sim iateiramente desligado dodia sooiedadc e des-
om-rado de toda e qtiab|iier r*isabilidade delta,
enjo activo e passivo llcarain earfo dos referidos
seuliores.
Oulrosim, o abaixo assignado es! convencido do
que nada deve pessoa :.luraa : se, uorni, al-
guem se juljiar son credor, |)er quaJvwer titulo,
tenha .1 bondnde de apresenla-lo a.i abaiso a?sig
LEILAO
Antonio Alves de Souza e Antonio Dias de
Alineada Costa compraram ao Sr. Francisco Jos
Alberto Braga sua toja de funile 1 sita a rua di
Cruz n. :0, Tivre c desembaracada de qualquer
onus ; pnr sso se alguem se julgar com direito a
algura deoito, aprsente se no praso de tres dias, a
contar desta dala. Reeife 5 de abril do 1878.
Pede-se a ordem terceiro de N. S. do Carme
que traga a pi ocislo de Triumphi ao Recife, pois
cora grande anciedade devocaoesperar os
Moradores desse bairro.
Porguola *e aos encarregadjs dos festejos
da rua da Cruz da freguezia do Recife se fazem ou
nao os festejos, se nao fazem entao digam o sn
que derara ao dinheiro.
Um que entrou c*m o cobre.
DAS
les^fies inperiates.
At '- da tt rqaa ovap>r franc- .hnazone, qual aepeis da
emar-t de osturae seguir para Buenos-Ayres
w.an.o na Baha, Rio de Janeiro e Montevideo.'
Pjra coadij-3, fretej e passagens trata-se aa
ajeacij rua dt Commereio u. 9.
Ale'.- dia 1* Jt corrate mez espera-s dos.
aartas da auhe upor haaeaz ffirmjaV, eamana-
taiiic do' Simer, o qual depon da demora do cos-
vune sjjuir p:ra lordani imaado nm Dakar
(Oore) e Lisboa. .
Para cjadioes. -toi*wmw
afeacii ra do C.itiimarearm. .
RMife iraoefr
F.spira-se Mladc o noraenlmo
al ii--l, omoImJJW1 Vl
H log" para f or rfma poifier
4x carj: i engajia, para o resto que lhe
ta-ie roa os consignatarios Antonio Luiz
-neira Awvcdo 4 C. mu da Om n.
De du3 grandes mesas de louro, duas ar
macoes. 2 sofs de amarello, e 6 cadei-
ras do lona. >
Quinla-feira 7 de abril a f hora da tarde.
Per iuiervenci do agento Pinto, I rua da (m
peratru 11.47, jade luver anleriormenta leila<
de touca, vidros, crystaes, e objejtos de electrj
piate tudo por ftqoidacao.__________________
LEUO
De tees partes do sobrado de 2 andares e
sotio da roa da Penha n. 49 t,as quaes
parles correspoadem a ra; is de metade)
edificado em chaos proprios.
Terga-feira 3 de abril m ti horat.
Por iaterrencio do agente Pinto, em seu escrip-
torio rua da Cruz n. 38.
_-
AVISOS DIVERSOS.
Aluga-ee oh coropra-se um escravo com
ptalsca de tarvteo dpniestico que tenha de 15 a 20
na rua de S. Francisco n. 72.
annos de idade
Oowfstftieo-dd cmlla-
ria dn cidiide do Recife,
As possoai qae qaiaasmm faier parte des-
tcorM, qne taia da fazer parte da J.
ngada da oiMe ftatriatlca da Sociedade
Dos* de Setembro, queiram dirigirse
rua 4a deia do Recile n. 39, 1 aniw,
para vereji sa/Ugnnno e darem teas nonwe.
Lwtz G. da Silva.
nado, :i rua das Cruzes n. 23, ott rua larga
Rosario n. 21, que ser immediutainente pago.
Reeife, 2 d abril de 1870.
Manoet Jm- da Co st'tPerrtva.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama de leite sera fimo : a
tratar aa rua Direita n. 84, padaria.
ti abaixo assignado tendo justo e contratado
a venda de seu hotel rua do Conimcrcio n. 2 A
com o Sr. Alfredo Gasscr, mra a quera so jul-
gar credor apresenlar suas cootas no praso de|8
dias, a contar da data desto, para serem pagas ;
assim como roga o todos qne lhe esto devendo a
virem pagar no mesmo praso, visto o mesrao abai-
xo assignado se retirar para a Franca. Recife !
de abril do 1870.
Mederie Arnout.
COMPANKIA
Na travessa do Campelto o. 4, 1" andar, se
offerece urna mulher para ama de oouca familia,
sabendo cozinhar.
- .
Francisco Joe Alberto Braga lenflo justo e
contralado cora os Srs. Antonio Alves de Souza e
Antonio Dias de Almeidn Costa, sna loja de Tuni-
leiro sita rua da Cruz n. 30, pede a quem se
julgar com direito a algara debito, qne comparece,
no praso de-tres das, a eontar desta data. Reci-
fe o de abril de 1870.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama que tenha bom ahon-
dante leite : na rua do> Sebo n. 24.
r ;
^arannao.

1 segare *****
Miau
ej
SecMUrio.

Precisa-e de nma muTaar qae se eaoarragae
daa arrapjo da eae* de a*a aaaem (menos gnsa-
Ltf ^mlHiIlatoln^ oom -Ipmr e ozlnhar' e que seja aetosa no erv|l
Antonio.Leonardo Menezes de Amorim, Emi-
lia da Piedade Albnquerque Ramos, Joaquina
de Albuquerque Mello, Antonio de Albuquer-
que Meito, Francisco de Albuquerque AJllo e
Fraocisea de Paula Pes Ramos, sedera
seus amigos o obsequio de assUlirem urna raissa
de stimo dia qne mandara celebrar na matriz de
Santo Atttoaw, ao dia G de cocreoW, m 7 hpra
da manhaa, por alma de sua presida mulher, fl-
DOS
TRILHOS URBAKOS
00
KEC1FE A9 OUIDA.
ior ordem ea directora sao convidados
os Sis. accionislas para, no praso de Odias
uteis, contados do dia > do corrate, a
ttrmiaar em 8 de abril, eloctuarei a 8.a
presUco de snas C(;es a azo de 10" O/O.
Para esse fim ser encontrado' o Sr. toe-
souretro, das i I horas da manba s 2 da
tarde de todos os da-, no esoriptorio da
companbia rua Nova 11. 35 i andar, entra-
da pera rua das Plores n. i.
Recite 26 de marro de 1870.
Joo Jbq^w't Alees,
* secretario.
a-as-EBsasra
I
TNTLRAWA FK.VIE2A
55-Rua ila ImpeFf-55
|iage, Uva, lisnpa, lustra acbamato-
ta-se, cosna i9aiar;rJecan, fasendjs rn
pacas e em olira difeona^ as laaliladei;
.coma sejasn: wda,.;la, lgodo. boa,
chapeos de Seliro e de palha etc. etc.
Tira-se no loas c limpa-se a seccose
rnolbar os tenidos, cooserva'lo assim te-
do o brilho. da fazenda.
tintnra preta as terc-as o sexta mi-
ras.
Ao commercio.
Os abaixo aisignados fazem ver ao respeitavel
publico, e especialmente ao corpo do commercio,
que dissolveram amigavetracnte a sociedade que
girava sol a firma social Joaquim Amonio Perei-
ra & Sobrinno, em a loja de touca n. 26 rua
Larga do Rosario, tlnalisada em 31 de dezembro
do anno prximo pissado,. fijando a casa cargo
do socio Joaquim Antonio Pereira, e por isso res
ponsavel pele activo e passivo da mesma. lendo
sido embolsado e socio Manoel Joaquim Pereira
de seu capital e lucros, e desouerado do toda e
qualquer responsabilidade. .
Recife, 2 de abril de 1870.
JiHitftim AiUonio-Ptreira.
Manoel Joaquini Pereira.
SSSTSM
Travessa do Corpo Santo r. %
ARMAZl^r
Rua Nova 11. 28, oja Antonio
Pedro de Souza- loares.
Bandera, Machado & C. avisara ao respetare
publico que nos lugares cima encontrara ao mes-
mo sempre grande quantidade de dhr.s pocw, e
que se acbam habilitados para vender por masas
qae oulro qualquer, por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante N-rton, de Uomres.
As vantagens que offerceora os po?:>s rrr.-unta-
neoB sio : primeiro, poderem ser roHecadoe Va-
tro de casa 011 fon, com o fabalho de eme a oas
horas; segundo, fornecerem os mesmes- agna as*-
ra e abubdanto, pudendo serem removidos de om
para oirtro lugar, quando assim convier-.
Os annnnciantes s reeeb.-ro a importancia dos
referidos pocos depuis de collocados, saastaarado
espectasiv 1 do comprador. _____
MARTIMOS
COMVRA FOfoOi
A Corspanhia Indemnisadora, esiajaiauaa
esta pra^a. toma seguros maritanoa eeore
aavioe e eeus enrreaamentos e coi>S>a> tag
Li edicios, merca dorias e mobiitae: *
,*aa do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Nao mais cabellos branous.
A tintura japoneza para tingia os caoeiio*
da cabera e da barba, fot a nica assitda
Expsita Universal, por ter sido e*"o-
ahecida superior todas as preparaoona ata
aoje existentes, sen alterar a sade.
Vende- a i 000 cada frasco na
Rtia da Caa n. 51.
1. andar.
-%
M .600 a 700*000.
D-se 600 a 700*000 por um silio perto da
rac.a : na rua de Santo Amaro, taberna nova jun-
a* Machambomba.
,0-tU IV "a.
Na martea de chapeos da. rua largt 4> Rosario
Iha, sobriah* o irma, Amelia Libania Ramos de U..S4, 1* andar, precisare do i^stnreiras.
Amorim.
ssssmmmmmtsmmmmatma
0 annonciante da rua do Nogueira n. 47.
que chara* uro ofllcial do carpo provisorio a ea
i.-egar o quo pedio, haja.de declarar por ea fclha
se se emende cum os abaixo asignadas.Tsnenle
Luiz Fehppe Cavakanto de Albnquerdue. *li ___
Marcoiino da Costa Raposo, Frahofeeo Borges Leal^ $,)$
Manoel Candido de AmoqneriiBo
Mariana
D. Francisca Mara
pa bw^i^bw "Mwv wiTem
faz s tiento aos em
notla e D. Gracjndj
ytTBmoenjK
enhota
Inerme Jtonge da
Jtremc8JWdoer..oa.-
CASA DA FORTIJA
Aos 5:0001
Bhetes garantidos.
\ roa do Crespo n.23 e casan do costme
O abaixo assignado, tendo vendido alm de ou
iras sones, um inteiro u. 3260 oom lJOO000 da
lotera que se acabou de extrahir a benefieio da
igreja de S. Amaro das Salinas- (142"), convida
aos possuidores virem recener na conforma-
dade do costume sem descont algum
Acham-se a venda os felizes bimetes garan-
tidos da 1" parte da lotexia beneficio da igreja
de Santo Amaro de Serinhera {14*), qne se ea-
trahira terca-feira 12 do crrante mez.
Procos..
ilUele 6*000
_mto iSoo
Em-porfjia liej panuaima.
nhele 8*500
io 2*750
to 1*100
Manoel Martins Fiuza.
5
I.
ES45RAVA.
Na rua da Cadeia.. 7, preciaa-se alugar
urna escrava que cozinbe e engomme para
pouca familia.
Desappareceu do sitio do abaixo aseignado, ua
estrada dos Aflicto*, na dia do eoaneato mes,
Sara amaobeeen no da 3, um cavalto eastaonn,
e cabriolet, coaamarcas no petto da eoleira, in-
tetra, andada )MMt, cora o ferro ABaa jwrn* dl-
reiuasaaoal|(m*elfaaea: naamdbNe aen-
ber noticia, nneira fcuer o fsvor d# dirior-se n
meffld^ftfcv* a*aa da hnperatz n.
ter tuna gratfcaclo.
Chavea Jnwer.
Solicitador.
Manoel ftuiz da Veiga solieirador provi
acceita partido das cata commereiaes, para
que disser reepeM-i ao seu cmpregn, e isfa
mdico prec-i ped ser procurad. em sna
raa da Gloria n. H, todo* os dias ib* > a. 9
ras da manhaa. *n ao meto dia aa sai dea
dienews nos dia uieis.
O D* SANTOS MELLO
Medico hormopalha, rerem ehegaaV le
corte, tiwiu a ?na residencia aatta
capital, rua estreita do
^Rosario n 32, 2*
andar.
D consallas todos os das d*:- 3 H>
horas da meaJa, e rec.-he nftaiws pe
^, escriplo i qualquer hura do avooda
5 noute.
Aos p'>bes d ronsidlas
_ horas e oodu-aoicntos graii*.
lIWBaiL_._.
GURA RPIDA 6 INKALIVEL.M CALOS
PF.LA
POMADA GALOPEA*
_cpoailo eaaesotol
Pharmae-d de Barthohmeu C.
|^BjaaJ^^3^_
F

Asnovidade
PARA A UUAIBBSaA.
Chegaraa peto ultimo pifa os.
IhSes de gorgofao pretos'. liiajdwss
ricos l*oos de sera, nil ShQ be
de gorgoro a croxe, e manMsmi I ~
compaas para cabera, dm
ri pretos e aofatjpe
de cftado de Rstae
o aesaiment
r eseolber a
suaartor,
atoan.
traaajtiaslc do aallaao K
Maato erecta b<> ttmw
m. 1 raaclaoo la clade
Me.
Aaterisao pela mesa regadora nenveao a to-
dos o noases nhaeisstoio* irmos para me so dig
iera caanaaneeewtodeia >8 do *ureote, talas
ras da tarde, u^eoosietocio u>, ucua rraaanaa-
de, alim de oueorpora.tos ioeonganhsrmos apro-
cissllo deTrlumplio aue lem <0 sahir da ordem
terceira de N. S. ido lUrmo *to Recife, para enjoj
Santo, d^VPrancUoo 5 &*Mr" de 170.
maa>airii
II
se di


>m
DUt 4. Pcraa**!*^ Qttftlr* fetf*Ai It
tm
All

IM DE MS



ffi /.
ac.
D. Mar/HtftfcBMg\Machado,
viava do nS*|HlBlwMMachado,
achando^lyptfittliialtilo de sea
easil por Calleeimeoto de sea marido, es-
tabWecido que foi c,orn padaria ra da
Santa Cruz n. dda fregueiia da Ba-vista
avisa a quem auer flue se julgae c redor.
da casa como do cas!, qi\ ge aprsente
cora sea titulo de crdito n~ praso de 13
das da dala do presente, tob peo de na)
poder mais ser attendido do juizo do in-
ventarlo, o da 3* vara municipal e prove-
doria dos residuos. Igualmente tu. scien-
te a seos dewdores, que em se nao apo-
sentando pagar seas dbitos dentro do
mesmo praso de 15 dias, serac rgnstrau-
gidos a faze-lo pelos meios judiciaos. Re-
cite 4 de abril de 1870. i
Criado.
SjPrecisa-se de um criado de boa conducta : na
ra nova de Santa Rita n. 50.
AoaiM$boO.
Bllhetes do Ro venda :
vendo Vleic ..Rodrigues.
ra 40 Cabug n. 1
PEDIDO
Pede-se encarecidamente aos Srs. Domingos
Theodoro Rigueira e Aristides Florentino Caval-
canti de Albuquerque (de SennTem), que venham
ra da Vigarto n. 14, a ^godo qUe se precisa
ultimar
_--------------------------------------------------1----------------------------------------------------
Na praca da Independencia n. 33 se da di
aheiro sobre penhoret Vouro, prata e pedra
preciosas, seja qual lp ountia; e na mesma
asa se compra e vende objectos de ouro e prata.
i igualmente se faz toda e qualquer obra de en
wmmenda, e todo e qualquer concert tendente
i mesma arte.
CABELLEIREIRO FRANCEZ
51Rna da Cadeia do Recifa61
Chama a attncao dos seos innmeros freguezes, e do iespoaml
geral, para a seguinte tabella dos presos de ana casa, os quaes sao
mais barato do que em outra qualquer parte:
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado de novo, est as condi-
Eeses, visto qne acha-se prvido com um
plendido sortimento de obras de ouro e
prata de lei, assim como brilhantes e on-
tras pedras preciosas, cujos presos sao os
mais mdicos qne se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
os em troca on compram-se com pequeo
bate.
N. 5 RA DO CABUGA N. 5
0 MARAVILHOSO REMEDIO DO
DR. CHAS. DE GrRATH.
OLEO ELCTRICO
KINGOF PAIN
o re da dor
!MHl USO IXTERXO 12 i:\Ti:it\0.
Cura cholera e cholera morbus.
de marniore, ra das Crnzes
n. II.
O artista Gamitto acha-se cstabelecido na casa
cima, onde pode ser procurado para todos os
misteres de sna procissao.
REKMH6S PATENTE INGLEZ PARA PARBDE
49-RA DA CADEIA DO HEC1FE-49
E. A. Deloueke.
Acaba de ebegar urna porcao de relogios paten-
te inglez proprios para sala ou escriptorio, dos me-
mores gosto?, tem tambem grande sortimento de
relogios americanos para cima de mesa e parede
por proco razoavel.
Advocado.
sangue, em ora dia.
dores do ouvido em
Diarrhea, fluxo do
Dores de eabeca, e
Iros rotamos.
Dor de (lentes, em um minuto.
Neavraigia, em cinco minutos.
Deslocafes, em vinle minutos.
Gargantas nchadas, em dez minutos.
Clica e colvulsoes, em cinco minutos.
Rbeumai?mo, cm um dia.
Febre e febre intermitente, em um dia.
Dor as costas e nos lados, em dez mi-
nutos.
Tosses perigosas e refriados em um dia.
Pluefesia, em um dia.
Surdez e asthma.
Hemorrhoidas e bronchites,
Imlamai>j nos rins.
Dyspepsia, erysipelas.
Molestia do figado.
Palpilaco de

corceo.
Reserve scoipre este remedio na sua familia
AS DOENgAS SE APRESENTAM, QUANDO MENOS SE ESPERAM.
OLEO ELCTRICO O Kmg of Pain (O Rei da dor) aquieta e positivamente dis-
ipa mais de differentes molestias e dores, e allivia mais os soffriments e produz um
ais perfeito equilibrio no systema humano, o que nao se pode effeituar no mesmo tem
po, com qualquer outro remedio medicinal.
Eite multo popular rem dio est agora usan Jo-fe geralmente, pela razo que
aunares de pessoas se tem curado gratis com o dito remedio pelo Dr. Grath e outros
MIS.
Este importante remedio nao se offerece para curar todas as doencas, porm
tio lmente para aquellas estipuladas as nossas direcces.
Eta operando nos principios da chimica e da eletricidade e por isso, est
el pera o curamento e para a restaurado da acelo natural dos orgos que so-
da irregular circulado dos flnxes dos principaes ervos. Oleo elctrico O King
in opera directamente nos absorventes, fazndo desaparecer as incbaces das
.^aodulas ele. em um tempo incrivel, breve sem perigo do seu uso debaixo de qualquer
^rcamstaum.
O ttmedio urna medecina para o uso externo e interno, composto dos ele-
mentos curativos, raizes, hervas e cascas, taes como se tem usado dos dqssos antepas-
ados, c das quaes tem grandes existencias no mundo, para curar todas as molestias
-asento sabedo-se quaes elas sao.
I-Vii um grande e especial desejo da facuklade de medicina durante muitos an-
de experiencia para aprender os melhorcs modos que se deviara adoptar para curar
seguiotes doencas, e que proporges de medicina se devia usar.
*v, 1IC0 DEPOSITO EM PERNUHBUCO .
NA PHARMACIA E DfiOGARIA DE
Bartholomeu & C.
l*iys 34Ra Larga do Rosario34
O bacharel Francisco Augusto da Costa
mudou o seu escriptorio da casa n. 69
para o de n. 31 na ra do Imperador,
onde ser encontrado das 9 horas da roa-
nhaa as 3 da tarde.
Nesta mesma casa se encontrar urna
pessoa que se propoe a fazer cobrancas,
e que se encarrega de qnestoes no inte-
rior da provincia.
i
Na travessa da roalj
das Crnzes n, 2, pri-
nieiro andar, da-se di-
nheiro sobre penhores
de ouro, prata e brilhan-
tes, seja qnal for a qnan-
tia. Da mesma casa com-
pram-se os mesmos nie-
laos e pedras.
AMA
Precsa-se do urna ama para comprar e cozi-
nhar para duas pessoas : a tratar na ra Nova
n. 52.
Cabelleireiro
Ra da Cruz n. 24, Io indar, por cima da
botica.
Antonio Bodriguas Ramailio acaba de abrir
concorrencia publica um espacoso e asseiad) sali
para barbear e cortar cabellos, e afianca que nelle
encontrarao seus amigos, antigos fieguezes, e em
geral todos os que quizerem frequenta-lo, agrado,
actividade e bom desempenho do trabalbo.
AO ARMAZEM
DO
Ra Mota a. ,
acaba de chegar pelos ltimos vapores novas re-
rnessas dos seguintei : -
Calcado francez
Para senhoras.Botinas brancas, pretas, e de ou-
tras multas diferentes corea i ultima
moda.
Para meninas.Botinas das mesmas cores e qua-
lidadjs cima.
Para homens.Botinas de cordavo. bezerro, ver-
niz, pellica, o melbor sortimento que ae
pode desejr.
Para meninos.Botinas das mesmas qualidades
mencionadas para homens.
Para homens.Botas rucianas, meias-botas e per-
neiras.
Para homens, senhoras e meninos.Sapatos de
tapete, aveludados, charlte, casemira
preta, trasca de Lisboa etc. etc.
Para meninos e meninas. Abotinados fortes de
muitas qualidades.
Qumquilkarias
Finos artigos de Pars, de gosto e phantazia,
como sejam :
Legues para senhoras e meninas.
Luvas de pellica (do fabricante Jouvin.
Espelhos de differentes tamanho?.
Perfumaras finas do fabricante Condray.
Caixinha de costura com msicas.
Albuns o caixilhos para retratos.
Pulceiras de ouro bom de lei.
Brincos e trancellins.
Correntes e chaves para relogios.
Botoes de punhos e de abertura.
Correntes e brincos de plaqu.
Bolcinhas e cofres de seda e velludo.
Caivetes e thesourinbas finas.
Lunetas, oculos e grvalas:
Chicotes do baleia e de outros, sortimento.
Bengallas de canna, baleia e junco.
Ponteiras de espuma para cigarros e charutos.
Escovas para fato e para cabello.
Escovas para denles e para unhas.
Pentes finos de roarflm para tirar caspas.
Pentes de tartaruga para desembarazar.
Malas e boleas de viagens.
Estjos com naval has (paraviagens.
Carteirinhas para notas.
Gaiolas de rame para passarnho*.
Abaurt-jo transparente para candieiros.
Oleados para mezas.
Molduras douradas e quadros.
Estampas de santos e cidades.
Bureos de vimes para enancas. <
Cestinhas de vimes para braco de meninas.
Caixinhas de msicas e realejos.
Cosmoramas e lanternas mgicas.
Esteriocopos com interessanles vistas.
Objectos de mgicas e cordas de violSo.
Jarros e flores de porcelana para santuarios.
Volas a gaz para lanternas de piannos.
Accordions e concertinas.
Diversos jogos francezes e allemaes.
E nu'ras quinquilleras semelhantes.
Brinquedos para criangas
Carrinhos de 3 e de 4 rodas para passetc?, bo-
ecas de todos os gostos e precos desde 160 rs.
at 205000, e nm sem numero de brinquedos de
differantes precos para intretimento.
Para evitar a massante leitura de tantos artigos
expostos venda neste estabelecimento, o dono
pede ao publico em geral que se digne entrar de
passeio alini de veriflearem nao s a grande va
ridade como os precos baratsimos por serem
odos chegados de conta propria.
Cabelleiras para senhoras a 250,
m, m e. .....
Ditas parahomem a 350, 400e
Coques a 120, 150, 180, 200,
250, 300 e.....*
Cimentes a 120,150,180,200,
250, 300 e .....
Cachos ou crespos a 30, 40, 50,
80, 70, 80, 90 e. %
Tranca de 'cabello para anel a
500 e. ..*... .
Tranca para braceletes a 100,
130, 200, 23 e
40S000
500000
Cadeias para relogio a 50, W,
70, 80, 90, 120 e. .
500000
Corte de cabello, ....
i Corte de cabello coa friccJo.
320000 crle de cabell coa>
100000
10000
champou. .
Corte de cabello com limpezi da
eabeca pela machina elctri-
ca, nica em Pernambuco. .
Frisado iagleu on I fraoeaa. m
300000 Barba. ,.......
ASSIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Mlrea _____
Recommenda-se a laperior TOCTOUI JUs-
PONEZA para enegrecer os eataflti la
ba, nica admittida na ExpoaicSo 1
como nao prejudicial aaMe, por I
lalil, analysada e approtadt pelas
mias de sciencias de PARS I
Ballet e
O dono do estabelecimento previne s
Exmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um
salSo para tintura dos cabellos e barba, as-
sim como am [empregado smente oceupa-
do nesse servico.
f-iXU
/'Ua-
*^
VESTIDOS PRETOS
IMS
Imperio do Brasil.
Grande exposiqao na cidadede
Cordova,
REPBLICA ARGENTINA.
No dia 15 do outubro de 1870 ter* la-
gar a abertura da e.\posc5o naiional em
Cordova.
Previne-se, portanto, a todos os produc-
tores, agricultores, fabricantes, artistas e a
todos aquelles que exercam qualquer indos
tria, que na dita exp.>sicao se recebem todcs
os productos da industria e agricultura
brasileira, assim como todas as machinas e
utensilios que quizerem remetter.
Estes productos esto isentos dos direitos
da alfandega na Repubca Argentina e po-
derlo ser dirigidos cidade do Rosario, de.
onde ser5o tranportados pelo caminho de
ferro central.
Para mais explicacoes dirijam-ise em Per-
nambuco, ra da Cruz n. 3, ao consulado
argentino.

torea cortes de gorgurSo de seda preta
o-em Pertramboco. -"-* -
Bons prosdenaptes pretos 4e seda, de 20000 a 70000 rs. o cevado,
mnas ra do Grespo n. 13, de Antooio Correia de Vascellos.
bordadas, o que ha de melhor e d
na loja das
b


"
CURAS
NTES
D i I
ROSARIO. ?4
Em casa de THEODORO CHRIST1
4NSEN, ra da Cruz n. 18, encom\ram-
eflectivamente todas as quadades de tinhc
Bordeaox, Bourgogne e do Rheno.
AVISO
Agostinho Albino Becerra declara a seos anti-
Sos fregnews, qae se acha trabalhando na rna
o Imperador n. 69, joja de Sr. Ribeiro Vianna.
I
35RA ESTREITA DO ROSARIO35
Fornece-se comidas para fora com asseio
e promptid3o e manda se levar em suas
casas na ra estreila do Rosario n. 35, ca-
sa particular confronte a casa do Darbeiro.
Na mesma cafa fazmse flores para en-
feites de anjos para procisses, sipos de
flores, rosas, capacetes enfeitados, e todas
as flores de panno e papel, para ornamen-
to de igrejas e andores ludo por barato
proco, boquels para noivas com fitas bor-
dadas a ouro, bandejas de bollos finos com
armado para casamentos e bailes, pudins,
p5o de l enfeitado para presentes e toda
a qualidade de doces de ovos tambem en-
feitados, vellas ricas para baplisados por
barato preco, bouquets de flores de cera
para c nfeites de bollos e para offertas.
CHA T03V1 PURGATIVO E DEPLMtlVO
DE
(II1UBAIU).
Composto das plantas as mais odorferas e as
mais virtuosas dos montes os mais elevados, o eh
toni-purgativo de Chumbar, possne um gosto sa-
leroso e um aroma suavissimo, e as propriedades
as mais notaveis sobre os embaracos do estomago,
dos intestinos e do ligado o desobstruente por
cxeellencia na constipacao do ventre e nao tem
resguardo nenhum.
Depurativo especial e directo da bilis e dos bu
mores, refresca o sangue depurando-o.
O uso do ch-Clumburd pode ser continuado
por mnito tempo sem o menor receio o sem in
commodo nern mudanea no modo de viver.
UNHX) DEPOSITO EM PERNAMBUCO
NA
^PHARMACIA E DROGARA
DB
Bartholomeu 4k C.
34RA LARGA CO ROSARIO34.
Ama*
Precisa-se de urna ama de leite : a tratar na
rna do imperador n. 63, *> andar, ou Passeio Pu
blico n. 60
Vegetal imcrcuo, de
irlMva tafUMt doeiita _
um, m spoMikiliton i* eJJr!:xlJ?l!!

i cuur da enpreza Ijrka,
ilecin
do memo larope.>oii de Jurer wc.rrid7 m
tr.um.nioe. DeMJerei qo. ortroe em en JonS
o fea urepe per* u Tarea ali-iaJoe ta tatiM
rafia eMUao a car de Vf. S. atiene, .arador a
delSe!" Cr"W'U' *" '^WdVSSSiS
Illmi 8n BartholoiaaakC.-O xarape Veaul *
rkiao qae V. Sa. Um omh 4 TeTd atada a.
emt para o coratirc d*ailfema, eaaforme kaarvei -
eatjdo-e m libo Joaqnim. mesor de qrutro
arapw
0 abaixo assignado
itido licenca
da thesonrana da laxenda geral, para venderes-
_ avisa ao publico qne teodc
oblido Ikenea do Eitm. Sr. conselheiro inspector
tarapima em seu estabelecimento a roa do Crespo
n. 27). pelos mesmos precos qne se vendetn Ba re-
cebedoria geral; assim, pois, podem as pessoas
residentes nesta eidade e lera della dingirerd ao
abaixo assignado, suas encemasendas em qualquer
cpiaotidade que seri promptarnflte satisffeitas.
Manoel Martins Fina.
No da 19 de abril do corrente anno deve-
| rio ser arrematados parante o fiara. Sr. Dr. juiz
[de djreiloespeciai do commercio, os escravos Lou-
reaco. pardo escuro, de pouco mais de 30 annos,
afcoa; vieuma d*eue tagello, qae ate aatiopar Maa
U (Mod* tMda. OtMiraai atas. Vv. Se.
exprs lio iltaroente lineara de mea mnaaiiu
e
e VlentiA, erionla, de 42 anuos, arabos de boni-
ta ligara, e esU oliima mnito prendada : quem
pretender arrematar esiea exeeHemes escravos,
queira enviar suas propostas rasoaveis perante o
mesmo Exm. r. Dr. juii de dtreito especial do
commercio, na eonformidade do decreto 1695
de 13 de setembi.o de 1869.
AMenSo
Precisa-se alngar or.na escrava para oservieo de
^aa4e pequea familia: na rna das Crntes m-
meTol.______________________________
' Mdame Theard, ra, Nova d. 3S, precisa e
de costureirae.
PHENIX PERNAJIRUCANA.
Companhia de seguros martimos e terrestres
Ra do Commercio n. 34.
Capital Reis 1,300:000(1000
SeguraMovis.
Merca doria s.
Navios de vella.
Vapores.
Predios.
Em vapores at ris 100:0004000
Em navios de vella at ris 75:000*000
Em cada predio at reis 100:0004000
Pernamboco, 7 de marco de 1870.
Pela companhia Pheni- Pernambueana
J. J. Tasso.
P. F. Bortw,
_________ J, H; Trindade.
OooraiHja de alugueis.
Ha quem se encarregue da cebranca dos alia-
gneis 4e predios desta cidade por mdica pprcen-
tageralncluindo os ser vicos de solicitador nos ca-
sos de despejos judiciaes, podem procurar na roa
da Gloria n. 94 das 6>s 9 da manhaa.________
Preci-sa de urna eccrava quesaiba coxinhar
o fazer ornaras e o mais servico de casa : na ra
da Cadera do Recite n. '
No armazem da travessa do Corpo Santo n. 25, ba aeaprt M
sortimento de objectos para carros, e que se vendem por precos muilo naotraf,
sejam:
Vaquetas de lustros, grandes e muito boas.
Solas dem dito.
Oleado preto e de cores.
Colleiras de lustro o que ha de melhor.
Guarnices de fino latao para arreios, completos.
Lanternas e vellas para as mesmas
Eixos patentes para sebo.
Joaqnim Lopt$ Machado at C.
A LOJA D)S ARCOS DE ALVARO AUGUSTO DE ALMEIDA Cara*
Crespo n. 20 A, alm da grande variedade de fazendas de pbantasia de que trapn *
acha prvida, tem actualmente nm completo sottimento de fazendas pretas, propraa para
os actos da quaresma, como sejam i
Ricos cortes de seda preta de superior qualidade.
Goxgurio de seda prelos de diversas qualidades.
Girosdenaples pretos de differentes qualidades.
Sedas lvradas.
Rasquias de seda preta de modello inteiramenle novos.
Ditas de guipure ricamente enfeitadas.
Pelerinas.
Fichs e mantas de fil para a eabeca.
Mntilhas brasileiras ou mantas de fil para cabec*. de modelo inte'raaurv
novo.
Eil de seda branco e preto.
Guipure branco e preto.
Rafees a vicioriense modello inleiramente novo.
Chapelinas enfeitadas de preto.
Luvas de pellica preta para homens e senhoras, e outros muitos ar.ir >
bons gostos e qualidades o que tudo se vender por preces rasoaveis
Tambem contina a ter um grande sortimento de tapetes*, alcatifas e as ver-
adeiras estea dirasjlparandia forrar salas.
HENR1QIE PFLAEGING
ESPEGRL AFINADOR DE
I]
rece chegado do Rio offerece seus pre limos ao Illm. publico tanio na cidade eoao o
matlo ou nos engeahos, pode ser procurado no salo de pianos e de msica* m i
vx n. o 8 lo andar.
BAZAR ACADMICO
13 Rna da Imperatriz
13
Ulysses & Irmos proprietarios deste bem conhecico e acreditado ei
tem a honra de participar ao Ilustrado corpo ACADMICO e aos seos rbwmm fre-
guezes, tanto desta praca, como de fra, que lendo sido elegantemente tthnmo iiu>
estabelecimento acha-se completamente sortido e em condieSes de bfoi servi-los es
seguintes artigos;
CHARUTOS.
Superiores de Havana, Hamburgo, Baha
Rio de Janeiro etc.
CIGARROS
depalha de S. Paulo, de 3^300 a 7A300,
o mimeiro, Daniel do Rio' Novo, Maurity.
Imperiaes, Tenentes do Diabo, Duque de
Caxias, Gandoor etc.; de papel, de fumo
de Daniel, General Osorio, Conde d'Eu,
Rocambole, radicaes, Acadmicos, Macham-
VARIEDADES
POKTEinAS para charutos e cigarros de
todas as qualidades gostos e

a
Caxi.mbos de soperior espan, <
ra (raiz> de 34 at $, a azis *
qualidades a relalho. Ditos pi 4s
dos memores qne ba oeste merca*
e 3^500 rs. a duiia. e coa graaos
ment em maior porcao, ditos ais
gesso, barro, etc.
Bolcas de borracha e cooro rrerson
gostos e precos, ara guardar faajao.
Carteiras para cigarros de todos os ys-
temas.
loiaja.
Phosphosos de cera, en caias e
os lamanbos, de seguraoca a baOo ele.
Papel milho, de a'ro. sao-roo,
pintado, e linho etc. palba do i
Fernando a moihor possirel.
bomba, Montevideo, Orientaos, Raependy e
muitas outras qnalieades.
FUMOS
Afamados de Baependy em caixes de
20 libras I 5400 rs. a libra, empacles
a 20, de 20 para cima a 1(5800 e en> maior
porcao 10500 o pacote de i libra, dito
em latas dequarta a 640 e 500 rs., e outras
muitas qualidades como sejam: Daniel do
Rio Novo, do Para, de S, Paulo, Caporal,
etc. etc.
mm~ Alm dos artigos mencionados encontrarlo nossos fngmrm ootros
ero de nosso negocio, que se vepde em grosso e a retamo e qoe coa i
serao satisfactoriamente bem servidos: bem como nos ene regamos ds
cotbmendas de nessos cigarros de seda e linho, etc.
13Ra da.Imperatriz13
UM BA MOflA
RU4
Fritar.
Precisa-8c.de re trtbalhador para tratar de um
sitio pequeo ; di-se casa propria para morar, e
pagase a seeco, Brereiindohamem casado : a tra-
tar na roa Jtovaav i, asear.
Os abaixo assignados proprietarios deste
que, continuam a vender-muito baram e em vista ao~
miudezas d* umKm* qualidade chamJm a attenfio m* Sr
de retamo afim de comprarem o que lhs for coovenieote ; coa
10 Oto pagamento realisado no mese da compra.
e, Sov tren k
J


DfiaW f-ferimiAoA a QoHtf>feira V^qftftS! i
==Rua do Queuiado7
DE
SEIBA i BASTOS.


ap vapor da Europa o raaii be.Uo scitimento de jcndas prcta
Grosieaaples pretos de todas as larguras e qualidados.
Gorgorito preto para vestidos, o que tem vindo de mais superior nesta faiendi.
--. t quJQ da. linade seda Pura Pret0 com lislras de setim o que ba de mais moderno
ara fazenda preto para vestidos.
Mantilhas brasileiras de renda de sedi preta o que tem viudo de ma s moderno a
este mercado.
Meterniques de croch preto com ricos lacos de setim o de modello completrnoste
Casacos de croch pretos^ eompridoscom grande roda e de regaco que age secunda
sana sobre o vestido. (T <
Ricas mantas pratas paraeabega de senhoras. k
Um grande sortimento da fil preto de seda com .flores, neste mesmo estabeleci-
memo umoem ha um grande sortimento de poupelinas de ricos gostos, sedas lisas de
i ndas cores, saias bordadas, finas para senhoras, lavas de Jouvin de todas as cores
para bomens e senhoras, grande sortimento de cortinados bordados para cama e janellas,
tape'es para sof, camas, pianos, janellas, e grande sortimento das afamadas esleirs
da India para forrar salas, so existe na ra do Queimado n. 7.
Loja do Triumpho. tl^il:
I MSMSSHBSi & fiKBSS HHHHlISfi
"BS^ftg __^
*0
w w *< 3. Er.. -g"
e s ^2 o
_B-cc ero a
llKt5
___8"'d
BT3
si
I
Subllme
oh o
Boiu
Bra_
Acha-oe venda na loja da ra do"Creg-
po n. 2TA, esquina da do Queimado a p '
morosa Memoria do Bom Jess do Monte
Braga, ornada de gravuras finas, sea
dicao, obra da penna oro domu
trado lente da universidade de Coimb
Exm. Sr. conselheiro Dr. Di
Forjaz de Sampaio Pimente!. Qura
[noticia da extraordinaria devocao que exis
te em Portugal para com aquella milagro^
sissima tmagem, affluindo sempr para o
seu mag#,stoso templo em romaria o nume-
roso poto de todas as panes desse reino;
quem soober avahar as brilhantes descrip-
cdes, e o bello estado daquelle consumma.
do jurisconsulto e eximo litterarioportugtiez
nao dcixar de procurar, qoanto artes pro
ver-se de um exemplar da dita memoria..
elo diminuto prego de 3^, na loja indica
a, onde ha pequeo numero dallas.
Na mesma loja cima ha ontras estampa,
muito perfeitas e grandes do dito Senhor
Bom Jess de Braga, por preco conmodo
O* abaixo assignados declarara a quera poi
sa Interessar, qae sao os nicos habilitados a li-
quidar as transaccoes pertaneenles a extracta lir-
ma de Maia Monieiro & C.
Recife, S de abril do 1870.
\ Joao Fernandes Lopes.
______________Manoel Jote da Silva Maia.
Quem precisar de ora mojo habilitado para
ensinar as priraeiras letras fra da capital: pro-
cure na ra da Saudade, casa n. 1
Rat
A!
B

i*
2 S^."
-1
r
o
sQsa
1
3
Es


co
ss
o.
sa
**
su
ca
O
o'
e

-- *** i
S.2.3gtr3
b o srS.ss.
B> 09 co CB
o > o B -,
' B
Sa.Q B o ST
" S S*
tG i. M 09 O. W
2 lili,
c?1!sb
B ce ^ w o
2bdSb'
B|.8pg-'go
09 ffl _
o, a w o
w a> S "2 t ..
Si? D t &
U-N H U 9 Al




^ Faz*rn-se capas, batinas, chamarras e capas
viatorias : na ra do Rangel n. 58. Sendo o mes-
mo alfaiate que resida no Recife.
Jos Ta'ares Pmheiro, subdito de S. M. Fi-
delissima.vai a Europa, e durante sua ausencia
deixa por seus procuradores os S*9. Joaqun) da
Costa Pinto, Joaquina de Azevedo CardiaJ e Ma-
noel Jos de Miranda.
JSM
I
S
e
g
9
S4

O CIRL'RGIA DENTISTA
Frederico Maya
Tem a honra de scienlificar ao respeita-
vei publico ea geral, e aos seus cliente
em particular que elle mudo o seu gabij
netede consultas da ra Direita n. 12 para
a do Queimado n. 31 primeiro andar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de sus
profissao, todos os da; uteis das 9 horas
da manha s 3 da tarde.
Tambem previne, que contina a prestar-
se a vontade dos clientes nao s na cidade
como nos seus suburbios, para onde as
idas serSo precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenho e a perfeic5o de
seus trabalhos, o que j e bem conhecido,
assim como as commodidades dos precos.
SttSiilttKlimWWH
Preciosa ublicacao
T
o-
\..lifilAMiBII4N..lU
G
O
CO
^ auvuiiiiiivu lllJlllvu ^
Com este titulo acha-se ab rio o nleiramcntc transformado este anligo
eslahelecimenlo de joias, onde os freguezes e amigos cncontrarSo ludo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de otnivesaria, o Collar de Ouio
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de raelhor em
ideracoa de brrlhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pul-
ceiras, f rincos, ailinotes o anneis de todas as qualidades, prata de lei faquei-
ros, cuiores, paltiros salvas e outros muitos objectos que seria enfadonho
meneiriur.
(^ompra-se orno, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco do
que em ou'.ra qnalquer parte, trcca-se e concerla-se todo e qualquer objecto
peilencente a esta ait'.
junaica,
Cummentario do Cdigo Commercial Portu
guez e Brasileiro.
Vende-se na loja da ra do Crespo n.
25 A esquina da do Queimado, a impor-
tante e moderna obra sob o titulo de an-
notaces ao cdigo do commercio porluguez
em 6 voluntes pelo Exm. Sr. conselheiro
Dr. Diogo Pereira Forjaz de Sampaio Pi-
aentel, lente; cathedratico na universidade
de Coimbra. Osjjsubidos crditos de que
goza muito merecidamente aquello eximio
commercialista por si s bastaran) para re-
commendar 130 importante obra, qAndo
nao concorresse mais para isso a grande
vantagem de ser um ptimo commenlario
ao cdigo commercial brasileiro (na falta
absoluta que ha de qualquer outro) pelamo-
xima homogeneidade de entre muitas das
Mas disposices, e as do mencionado cdi-
go portuguez, que Ihe servio de texto.
t orrci pressurosos, distincta mocidade
do 4." anno da Faculdade de Direito desta
cidade e nolaveis jurisconsultos, a prover-
vos desse poderoso auxiliar para vossos
trabalhos da sciencia, e pelo preco commodn
de 203, toda a obra em 6 vol.
PRF.PJ^DO POR
Lanman Kemp
~#ARA
Tsica" e toda a
.alidade,de do-
encasv.quer seja
na garganta, pei-
to oq bofes.
Eib^ressa-
mente escolhido
dos memores li-
gados dos quaes
se ertrafhe o
oleo, so banco
da Terra Nova,
purificado chi-
micalmente, e
suas
p ropriedades
conservadas
com todo o cui-
dado, em todo o
frasco, se garan-
te perfeitamen-
te puro.
Este oleo tem
sido submettido
a um exame
muitosevero, pelos chimicos de mais tale-n
ot, do governo hespanhol em Cuba.foi de-
vulgado por elle e contem
MAIOR PORgAO D'IODINA
do que outro qualquer oleo, que elle tem
examinado
IODINO E'M PODER SALVADOR
Em todo o oleo de ligado de bacalho,
e naquelle no qual contm a maior porcSo
d'esta invaluavel propriedade o nico
meio para curar todas as doencas de
GARGANTA, PEITO, ROFES.FIGADO,
Tsica, bronchites, asma, catarrho, tosse,
resfriamentos.etc.
Uns poucos frascos d carnes ao muito
magro que seja, clarea a vista.e d vigor a
todo o corpo. Nenhum outro artigo co-
nhecido na medicina ou sciencia, d tanto
nutrimento ao systema e encommodando
quasi nada o estomago
Asj^essoas coja organisac5o tem sido
destruida pelas afreccfies das
ESCRFULAS Q RHEUMATISMO
e todas aquellas cujadigest3o se acha com-
pletamente desarranjada.devem tomar
O OLEO DE FIGADO.DE BACALHO
DI
Lanman c Kemp,
Se que desejam ver-selivres eexepasm
de enfermidades

-#*.


sYftPSEs
Bloquencia e potica
nacional
Acompanhaitas de alguroae no?5es de critica
Iliteraria,
Exlrahidas de varios a'ulores e adaptadas ao ensi-
llo da mocidade brasileira
pelo
Conego Dr. Manad da Costa Honorato
Preco... iOOO.
DEscmrvlo
llha do Bom Jess da cidade de
Mi.il Comentes
E'tO
Asylo dos invlidos da patria com urna es-
tampa e manpa
pelo
Conego Dr. Manoel da Cosa Honorato.
" Preco... 3000
Acabam de chegar estas obras recenlemante
publicadas no Rio de Janeiro e vende-se na livra-
na econmica, ra do Crespo n. 2 deronte do ar-
co de Santo Antonio.
ATTECAO
Pede se a certo onTcial de corpo provisorio de
poeia, que tenha a bondade de ir tevtr na na
do Nogueira d. 47 a<|uillo qne pedio no Aia t5 de
fevereiro proxia o psssado, do contrario ter de
ver seu nome por extenso neste Diario.
&&&&&&&
Innocentissima resposta
mwm
un
Ot verdadeirw OOXXAKH KOTXm, AfAftat de Medicina, ton aada cobo ot ncoi outroi prodactcn
Urtfaido cnpida do Alsificadorn, qne pira facilitar sua crimino
Muttih nao M pcjaO, nem receiifl annanciar Tender falso Collaui
oom mu loni. En prefino a* tunili para iatemte de teu filho
para eritar bliilcaoflet, deveai exigir, qae meu> OoxxaJUS Ibei
teje* re4Mo em caixat- de taaaba* de acalle e eorredias cobertai
per rttiqactM com a minha marea de fabrica e encerrando na
prmaneto dreunauociado, e aellada por ama awnalka com o letireire.
COLLAR ROTEB. Ra St-Mirtii, 225. Pir.
MDALHA A EXPOSIQAO UNIVERSAL DE 1867
Para a Superioridade d'a
IiiTentsia par LE GR AND, Periffliita Iaperaw o. Frucexei,
PABIS. M7, Ron Snlmt-Homor. MT. riHIN.
ORIZA. LAOT
orP:mb oriza.
DE NiKON M LENCLOS.
Para ir (ritcurt d ytll, ittlruir ti re da cara,
mnmrcar tlirnamnUt* rllexa da jufnlnd:
LBITB NTCPHELICO
^ra rtfrtictr, tmn^uiai I aducir a pttti, (aun*
ttupfrtctr i ncdtai ai Mrdat.
SABAO ORIZA.......Vama mataa nce^lramente ua*e e d'om porfume doi mai delicado.
OrilZt-C:iEACooae. Hasta etnedalmente preparada pera os bando e a barba.
IUZ \-Fi,tiD........ Hornada fortucaU:enutrtia para conxrvaroscabelioa'ftmpedUmde quebrare,
ORIZ 4 PHH.OCOM15. Tettino de boi e oleo de aveta coui base dt quina para os cabellos.
OBiZ.i-OIl........... feo riiiisaimo peifumado para lualrar os cabellos e empedilo* de quebraren.
ORlZA-BI'.IIXAiMl.Nf.. Crtatlisado cun violeta, para dar brilbo apa-cabellos a barba.
ORIZ,i -FLOWERS.. Afea < ompirajrel de um perfume suave e delicado, pira forficardo la pelle.
OR/ i-A4'.IDUUN... Vmaajre do toocador, aromo e anlcpWiliro.
ESSKtfi-ORIA..... Reriume conentrado para os teneos prodato multo de icado.
ORIZ/i-I.YS.......... Perwanedo bom lom e da alta sociedade para o* lencos.
ORlZ/L-l'QrarJM. flof j+ aero* da Carolina para a cara e a belleza da pella.
ORIZii-btStlFRiCK.. Para aliebras nenese conservar as feailraa.
AU,-DE?T1RE ... Nava massa para alrejor oa deniesrean destruir o enbalte,
AGUA TNICA DE QU.MA E POMADA DE BALSAMO DE TANNINO
iHwsiTogsralMc7* &>37ou aDiTafi tuina m:
E em di de iodos Perfumistas 4o Braz. rm^km
A ex-rua do Queimado : hoje do Duque de
Caxias muito se ofrenden com a crassa e pyramt-
dalmente parva pergunta de um anonymo que de-
soja saber se _os commerciantes nella existentes
festejara ou nao a conclusao da guerra. Senhor
incgnito, urna rita nao anda I e como que V.
S. depois deste ridiculo disparate : t os negocian-
tes da ra do Queimado nao desmentem a con-
fanos que o publico desta cidade os considera fisto
s a bolos I ) termina desta maneira e a ra do
Queimado nao deve ter partida de leao e saluda
de sendeiro f !
Se tanta parvoice merecesse urna seria resposta,
eu, sem ser Dra tanjo autoriaado, nao a V. S.,
riis ao publico,"deria'que os commerciantes da
ria do Queimado, como os das deniais ras, fes-
tqjarao condignamente o glorioso flm da guerra
se a isto se nao offereccrem obstculos insupera-
veis, e que a aatiga ista acha-se um pouco en-
fraquecidada pela auzencia de algn commer-
ciantes, marte de outros e algunas firmas novas
qne nao quered) lornar-se solidarias pela asig-
natura dos que se retiraran), porm nada direi,
aconselhando o- todava que nao encoaimode mais
ao publico eom os sensaborieos (rnctos do sen des-
sarranjo mental.
Tchimbung.
XAflPE de HYPOPHOSPHITQ de SODA
XAROPt de H YFCPKOSPHITO de CAL
PiLULASdeHYPOPKOSPHITOdeQUININO

XAROPEdeHYPOPHQSPHITO de FERRO
PILtfLAS de HYPOPHOSPHITDdelWAI'teAilESIA
TGSSEv ,; BRONGr
-- OFFLUXOS : 'i ASTHWfi
TERCEIRA Da PEMTENCIA
do
PATRIARCHA S. FBA1TCISC0
DA
QDADE DO RECIFE.
A mesa administrativa manda por esta
secretaria avisar a todos os seus chars-
simos irmaos, que Ihe foi presente e aceito
o convite feto pelos nossos charissimos
irmaos terceiros carmelitas, para acom-
fanharmos a procissio de Triumpho dos
assos do Senhor, que tem de sabir da
igreja daqnelta veneravel ordem, na tar
ae do dia 8 do corrente mez, para cuio
acto esperamos e descansamos no zel de
nossos irmaos, que jamis deixarao de
comparecer paramentados com seus ha-
bito?, na igreja de nossa ordem. pelas 2
horas da tarde do dia cima mencionado,
Siaraeneorp rados acompanharmos a re-
prida procissa; dando per tal modo pu-
blica demonstrajlo de que entre nos rei-
na os mesmos lacos de reciproca e fra-
ternal unio que em seu cilicio confessa-
ram existir para comnosco.
Secretaria 2 de abril de 1870
O secretario,
Jos Rufino Climaco da Silva.
Contraria dopatrlarcha %. f
le Agona, recta no conven-
to lo (armo.
Por ordem da mesa regedora, convida-se a to-
do.- os nossos irmaos a comparecerem em nosso
consistorio, sexta-feira 8 do corrente as duas e
meia boras da tarde, nlim de incorporados acom-
panharmos a procisso de Triumpho que sahir
da Ordem Tercetra do Carmo, para o que tornos
convidados.
Secretaria, 5 de abril de 1870.
O secretario,
Francisco de Medeiros Raposo.
Fugio do engenho Boa-vista, na comarca de
Camaragibe e provincia das Alagoas, o escravo
Nicolao, idade 3i annos, altura regular, grosso do
corpo, andar banzeiro, tem falta de denles na
frente, rosto largo, barbado, costuma as vezes fa-
zer teda a barba, e tem urna cicatriz na testa, o
os ps grossos ; este escravo anda fgido desde e
dia 16 de Janeiro do corrente anno ; roga-se pol-
ianteas autoridades policiaes e aos capitaes de
campo a prlsao deste escrav) e o entregar no en-
genho cima mencionado, ou nesla praca a ra
do Vigario n. 12, ou travessa do Corpo Santo n.
23, primeiro andar, qae se gratificara generosa-
mente._________________________________
Precisa-se. de um hornera hbil para dirigir
os trabalhos de urna' padaria a vapor e que ca-
lenda de maceira, e dous trabalhodores para a
mesma, fallar com Nicomedes Hara Freir, no
Caes do Apollo, assim tambem um caixeiro, na
ra da Cadeia do Recife n. 4, 1* andar.
PSTILHAS PECTORAESj.b'CHORCBILI
Exigir para os xaropet o fratco quairado $ em
lodoi ot productot a assignatura do O*' CHUH-
waaaaX, e o letreiro com a marca de bbrica da
r^imaCtoiWAMII.il.rsaCMijtwo.PARIS
XAROPF. DEFiDrCOSO,BO PINTO
I-.' iJ>: tiii:.1cllicaciavc'it;iilui[-iinentu mara-
vilhos;iCdf.!o Ciiin,ar;U(iOysUin;i nervosoe
applicndu contra n puralisio, nslbma, losse
convulsa oti roquelr.f he. Iospo rcenles ou an-
lipns sufTocicoi*, catnrrhosbronchicos.etc. e
a linnl contra lodos o? sofTrimenlos das \-iag
respiratorias, c naphtisica pulmonar.sua vir-
t tide con ira o ttano ou espasmos, e con vulges.
inconlcslavel o ningem ha que o desconheca.
nico deposito, ru larga do Rosario, n. JO,
junto ao quartel de polica. Pernaonbuco.
Continuadamente sc,nosopresentarrjnovos
testL-munhos daefficacia do fedegoso Pernam-
buco.
PILLAS, YNHO E XAROPK
IIE JltUBEBA
rKnDos reto rotaaictOTico
JOAQI 111 IE I.MEIDA PUTO
As preparogoes de jurubeba sao hoje vanta-
josamente corihecidas e preconisadas pelee
mais habis mdicos, tanto da Europa como
do poiz, pela sua efflcocia nos casosde anemia,
chloroze, hydropesia, obstrucoao do abdomen,
c tambera nosdemenslruacao difcil, catbarro
na be.xiga, etc. ele.
, Vendem-se em poreao e a retalho na cidade
do Recife, pharmacia do seu compositor, ra
larga do Rosario, n. 10, jujitp ao quartel de
polica.
PIITO PHABMACBUTICO
XAROPS DE SALSA PARRILHA DO PARA
00
IDEPRATJVOooSANGUE
L Uvada* u*m+\miitt de Pelle, imc^ens, rhenraaticM,e ulceras venrea.
KLA LAUti | DO ROIKARIO, ff. 10.
"Ped io
CONTRATA-SE com quem por menos
fizer, a descarga do brigue norte allemr
Augusto, chegado de Buenos-Ayres com
agua aberta, composta de
86 pipas
51 meias pipas [com sebo.
209 barricas j
5300 chifres de boi.
(I 1/2 toneladas de ossos,
de bordo do raesmo navio para um arma-
zem alfandegado, arrumacSo e conservavo
no mesmo armazem e condcelo da mesma
carga ou paite della para bordo do mes -
mo, ou qualquer outro navio.
. Propostas em cartas fechadas sero re-
cebidas boje (6 de abril) at l hora da
.tarde no consulado da Confederago da
Allemanha do Norte.
liv/o e .variado sorL_
au, e uros*
Alem do completo
trias, de que eflec*tt_
loja do Cordeiro hinMnn,
receber um outro sortn
aotavei pela variedad*><
iade, qualidades e
vos; assim, pois, o Gmm
9 espera continuar a
do respeitave] publico em geral i
boa freguezia ea partioaaV, ai* a* ate
ando elle de sua ben rimiisiHiBui m
a barateza. Em dita loja mimUm* m
tpreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de aiorraf I
Dita de Cologne mgfesa,
eza, todas doamelbores ai
fabricantes.
Dita de flor de Ia.-angeiraa.
Dita dos Alpes, e vilela pora
Elixir odontalgico para
Meio da bocea.
CosmeUqoes de superior i -filias .-*%
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e:
pomada fina para cabello.
Frescos eom dita japooea,
a outras qualidades.
Finos extractos ingleses,
francezes em frascos limpies e i
Essencia imperial rln flnn nagitiasalite
ro de violeta.
Outras concentradas a de catiro* ajnav
mente finas e agradaveis.
Oleo phi locme verdadeir*.
Extracto d'oleo de upen,- oaM**
com escolhidos cheiros. era frs *** *
rentes tamaubos.
Sabonetes em barras, maiores a
para mos.
Ditos transparentes, redondos c sai tfi
ras de meninos.
Ditos muito fines em caii.ia pare %*r .
Caixinhas com bonitos sabo les Bauaiai
fructas. .
Ditas de madoira invernisada tvjaan^- i
aas perfumaras, muito propria* pan fn
entes.
Ditas de papello iguahnen> r^rn. imy
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metaJ co>c ridaa,
moldes novos edeglutes, ctm w>da trie
s boneca.
Opiata ingleza e (ranceza para eav*.
Pos de camphora e outras ,B*r*.
cualidades tambem para denles.
Tnico oriental de Kemp.
%iada anal* e*n*jea,
Um outro sortimento de txqaaa *V
vos e bonitos moldes com fiWde vidr. '-
3 algans d'elles ornados de 0r>na a "
st5o todos eipostos i aprecp.;ic da y*x
)8 pretenda comprar.
GOLLINIIAS E PUNHOS BORDADO
Obras de muito gosto e p*rfeka>>.
FiTellaa e flias para rato*
Bello e variado sortimento e aea oiyi
los, ficaedo a boa escoiha ao govta 4o u*
prdor.
Vfcndem-.- d*M ba*| MMM, *tmm*
hoa bozinluira e -em vicio ner.i afavque, a
ina liso, bonita fignr?, ostra mtin tmtm
iloceira, faztod'io frvrro fi.-urna i\.a. m:. r
(el, ara maia ioho de 13 anuo-, am inc4pj ..
18 annos : na travesa do (Jar o o. I.
r
Irmaiularie
do Meahor dos Pasaos na matriz
do Corpo tafo.
Em nome da mesa regedora convido a todos os
irmaos a comparecer no dia 8 do presente mez
is 3 horas da tarde, em noiso consistorio para
encorporados acompanharmos a procissa de
Triumpho que tem de saliir da Ordem Tere eir
do Carino para a qual se digaou convidar-nos a
respectiva Urden).
O ercrivo,
/. /. Urna BatiCio.
AMA.
Precisa-se alugar tima eserava que cozinhe e en-
gorme, ama negrinha e um moleque, paga-se
bem ; na ra do caes de Capibaribe, casa nova
com porlao de ferro ao lado.______^^^___
Dase 10:0005 a premio so >re hypotheca em
predios nesta idade : rus do Crespo n. 12, loja,
se dir quem d.
COMPRAS.
Casa terrea.
Compra-se urna casa terrea
da Madre de Deus n. 16, loja.
tratar na rus
Compram-se mooda Ue otiro e prata de to-
los os valorea, ouro e prata em obras inulilisadas,
arilhantes e mais pedras jireeiosas : na loja de
inrives do arco da Conceicao, no Recife.
Pelo presente sao rogados todos os Srs. credo-
res da massa fallida de Antonio Mara O'Connetl
Jersey, a apresentarera aos caradores tiscaes, es
seus crditos no praso de oito dias para serem
devidamente qualifcados: ra da Cruz n. 18.
AMA.
Precisa-se de ama ama : na ra do Pires n. 5.
Bartholomeu & C,
JfAftl
*
tftitf
VlNHO, PlLULAS, XaROP C TlNTURA
de Jurubeba simples k ferruginoso;
Oleo, Pomadas Kmplastro da mesma
planta preparados por
BARTHOLOMEO & C
Pharmaceuticos-Droquistai
>Eli\tilUI( O
A Jarubeba : esta planta boj* raconbecidi
carao mais aadsroso inico, cobo o melkor
dctokslraaiiU. e como Mi appjjaaiia dos padec inanto*
do ligado e ba^u, bepaliles, lurests, tumores toler-
aos c eipecialuisate do otero, hrdroaetias, rj;i-
pelli, te; issooada < ferr a til oas palliaM
cores, chtoroses e falta de menstrorcao, desama-
jos Jo estoaiaro, ele.. o qas dnenio altaslio
iuouioaras curas impelanles ofeudaa aoaa aotiot
fripradus ja bem coubsei^a a asados pelas am
saelbor fasem conbecer a Ja
spplicatao.
1
CHAYOS
Compram-se e Tendero-se diariamente para fra
i dentro da provincia escravos de todas as idades,
res e sexos, com tanto que sejam sadios: no
rceiro andar do sobrado a 36, roa das Crines,
.'rt-.guezia de Santo Antonio._______________
Lom maito Riator vantagem compram-se
i e prata : na loja de
i. D, roa do Cabng.
noedas de o\u*o e prata : na loja de joias do Co-
acAO de uro n.
m DO AL
Na ra Imperial1 o. 19.
Gaspar Jos le M.Ilo lew 1,700 lana (
de ogo do ar para vender j-^r m*s pr
que em ontra gualajr-r parte.
CEMENTF
i-OfrlLAND.
Vende-se no annazem amarle de VTsre'e
reir da Costa & Piltro, defriote 4o arco *a
ceigao, em banr-as grnoV?._______
liiho e arroz de easce
Vende-se milho e arroz rasca aro
eos, no tTspMK da ci>mpnhia : a tratar au
da Cadeia-w.ki. rasa n. I, i' triar.
rw
\i
i_
No armazra Jo caes da alfaidejta a. 7
se saceos granJrs SMal l'.uiuha i> na*nti>
trra irttiit>> superior e |i*>r i.re';>> ximarV.
Grande ptehinhn
Basquinas da onaM eom tnfe.les t nri"
do ultimo froslo, que san pr-T > M rie UH, *
se veudem pelo barato preot it 84 : a I i
Figueiredo A C, ra da luiperatriz m. *0, m\:
do becco dos Ferreiros.
Cal nova de Lisboa
descarregada hoje do patacho JUaria ; e rs-^
Joaquina Jos Ramos, na rus da Cros a *.
rreiro andar.
Bilhard.
Vendi'-.-e um eom punce ucj e em arj.
bom estado : a ra ifc Imprraer e. 31________
proveitem a oeaitto
Vende-se a taberna Ja rae A
arraacio da fabrica de jhirles
O miizeo de joias
la rna do Cabag n. 4 compra-se onro, prau
i pedras preciosas por precos mais vantajosos do
me em oalra quatqaer parte.
Uompra-se
duas casas .terreas as ras Concordia, Palma,
Caldeiri'iro, Santa Thercza e Sin la Hita : a tratar
na rna estreita do-Rosario n. 35, cartorlo.______
Compra-se om.escravo de 5 a SO annos de
dade : na ra de S. Francisco n. 71
VNDAS.
__,------_,---------,-------------.-------------.------------
Vende se a rmacao da taberna do pateo da
Penba n. 8 : a tratar junto n. 1_. _________
Ferreira & Irmaos donos do armazem Inde-
pendencia, tem resolvido etu vista do alto preco
qne esto os gneros a limen lelos venderem a (a-
rinha qne constantemente recebem, pele proco de
8*000 o sacco outr'ora onze e oito ceios rei o
meio decalitro.
Arroz de casca e milho novo ; vende-se era
saceos, no trapiche da Con panbia : a tratar na
rna da Cadeia-velba n. 1, t andar.__________
Vende-se urna caleche nova, ainda nao ser-
vida, com arreios tambem novos com forragens de
metal branco : na cochelra de Vieira C. na rna
Ndva n. 59.
Veende se nma negra pifa
Dirstten. 77.
a tratar na roa
Vende-se a ermaci i 6 sea* rttencllios da tt-
toda envjdTacada,
ou para 0*_H
para arrancar, garantes: b .'. ';'.rael, 'o lugar
magnifico : a tratar junto n. 10.
ts&'&ti&t:
que n. 7, ambas livres e Sewbara i*>p,
se todo o negocio a praso < o a
me se eoavencionar: a tratar aa
m. %, *. *
Jos Mara Pahneira lem pava TeaVr
sen eserptorio no larf Cora* Sssa n. i
andar.
vinho Bordea ux lino, eaixa 4e 13 fSSfle^.
Azeite doce, dem dem.
Lona de Ia qaaliiade, da Rnssia.
Brinzoes, dem Mea.
Bros, dem ideas.
Estampas de Santos em
Pianos de excelentes
Fio d vena.
Enxofre.
Salitre.
Ceneoto Portland.
Dito Romano.
Vellas stearinas (pernueele).
Pelles de carneir .
Estopa pa. a fartt* de
Cha Hysson 1' qnaiidade.
Oleo de linba;a. _PS
Lia barriguda. _^ '
Canefla Ha India.
Fardos de rao e* tmm, nos par cima.
Venda de
n,ratlluniiua4;o.
Na loja de coiAeiro
na travesea da ra do'
der
micos por i
vai_
ama
para todo.o
caes do Ranea, srssa
n.i.
BaTaTaaTI


^*-
ias

6
Diario de Pewamkuoo Quart* feira 6 e Abril de 1*30.
A VERDADE
55Ruado Quemado51
A VEfiDADE toado em deposito grand.
quantidadie de miudeas e perfumaras, e d*
sejando aparar dinbeiro e adquerir Ma ttt*
guexia est rssolvida a vender muitissanc
barato, ; por essa raaSo convida ao respe)
tivel publico a vir competentemente nmn<
do a sortir-se do borne barato. Pots que
do a vnrdade appareoe, todo mais de
apparece-----
Grand sortimento de bonecos de cera.
massa as maislindaspossiveisvestidas ac
rector.
Abotoaduras modernas para col
letea.......
Espelbos donrados pepnenos. .
Agulhas de 08so para eron a CK
Pontos para regado rom csntas a 32'
Ricos globos para candieiro de gaz a 1680
Cbamuts a ...... 321
Grande sortimento de objetos de
loura |ra brinqoedo da menino 1 Ot
Garrafa cora tinta a..... 80(
Dita com agua florida verdadeira a ld30t
Hita corr dita dita a idOK
Frascrfcomcleo de babosa a 500 e 72(
Dito com agua de Colonia a 300 I 50t
Garrafa com agua divina a. i50
Frasco com extractos finos a 1A0CX
Latas pequeas com banha muito
fina a ISOe...... *f
Sabonetas de diversas quali Jades a
80, 160,210 e...... 32*
Fulas estovas pera denles de 120 a 60
Lindos coques modernos a. 2#00t
Pa>iosparagaz,dHzia a 2*0 e 32(
Escovas para facto a 500, 600 e 7(K
Ditas para cabello a..... 50(
Pentes para tirar piolho a 160 e. 24(
Brincos de cores, bonitos a 160 e 20(
Pecas de tranca de 13a com 8
varas por....... 8(
Oleo para machina de costara,
fiasco a........ 60
Peanas d'aco finas caixas a 800 e 100(
Dita d'aco Perry, caixa a. 1/540
Ga!3o do algodao peca 40f
Lindos babadinbos e entremeios
poca de 500 a...... 105OC
Ditos de louca muito fino a 120 e 20(
Dito^ para calca a ICO e. 24C
Caixa com papel amizade a. 70(
Dilas com envelopes a. 48(
Ditas com obreias a..... 4(
Caixa com agulbas fundo dourado 28(
Ditas de ditas ditas a..... 161
Tlifisotira para costara a 2401 50(
Caixa com linba de marca a 2S(
Linbi de cores em novellos (li-
bra) a........ 50
Carreteis de linha Alexandre de 70
al 200. ....... 10(
Grampos muito finos com passa-
ros, duzia a...... 20i
Cartas portugnezas, duzia a 1#4(K
Ditas francezr,3 a 2*5100 e 3#XX
Papel almaco e de peso, resma a
3*400, 3^500 e 4550(
Un muito fina para bordar, libra 6050
Fita de algodSo para debrum de
spate*, peca a..... 16(
Ditas da 13a para dobrum de ves-
tido, peca a...... 48
Peritos finos paca engatar ca-
bello a....... 321
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 2*0, 320 e...... J
Ditos para tarar puma *W
Rosetas pretal, par a ... 10
Tranca de 12a eearteol peca* 40 e 10(
Fito de eos peca 480 e *6(
Alfinetes de latao a.....
Sapatos de lia para crianca*400e
Gravata de sedas de cores a 20(
Caloadeirasa....... *
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio de borracha poi
100 ris f MI-l 11
Xa verdade rw* do uelmad
n. h.
___-----------
HA
FABRICA NACIONAL DA BJfflIA
DE
Teixeira UldurncofrCl
Acha-se venda este ptimo rap, nico q
pode suppnr falta do prmcea de Lisboa, par m
de mui agradavel perfume, viajado, e I reco i
mais mdico possivei; e por' isso tera sito ana:
acolhido as pracas da Babia,, do Rio de Janeiro i
em outras do imperio : no eseriptorio de Joaqnii
Jos Goncalve* Beltrio, i ra do Commercio ai
mero 17.
AGIA NEGRA
00

Travesa do
mmn
Santos.

BETO MACHADO a C,
pois
de errar,
Bichas haraburgnezas
Nte nvodpo?ito recebe-?c r*r W> os pa-
quetes tramlantlcos bichas de qnalida*e sopertor
e venden -se em caixa on porgas mais peoJfam,
e mais barato do qoe em nutra (|oaf^er pane
na ra da Cadia do Recifr n. 51, t andar.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
de Nictheroy,
nico deposito em Pernamhnco caes da alfas-
depa velha n. 2, Ia anda.
5060
A ra Nova n.' 60 vendem-se botinas
para senbora a 31000 o par : a ellas em
qnanto nao se acabam.
Cantara de Lisboa
S'Meiras, bombreiras, e espitis, o que bn de
raelhor para frentes de predios: ven la no ar-
mszem da travesea do Corpo Sanio, de Joaqun)
Lopes Machado & C.
Sal do Assu
A bordo do palhaho GaribnliH ancorado na
volta do Forte de Mattos : tratar com Tasso lf-
mo & ('..
Farinha de mandioca
Vende se de superior qnalidade, no escriplorio
de Joaqun) Rodrigues Ta va r<--- de Mello, largo do
Corpo Santo n. 17 ou no trapiche do Gunrha, For-
te do Mattos.
Vendo-se diversos eseravos peta?, vnoos do
Cear e do Piauhy, propnos para enjrenho ; as-
sim como diversos cabroclias de 12 x 18 annos.
com habilidades e sem ellas c um casal de es-
crios pardos gar na ra da Crut n. 33 e 85, 3" andar.
ATTENCMI
o
Yendc-se o engenho Mussayba, litr*, e desem-
barazado, e bem como a propriedade POco-prctn
separada do me-^mo engenho : a tratar com o seu
proprietario na ra do Apollo n. i 7,1* andar.
A AtUI NW^Mlida*cr)m o bwn csolliimatii iua-teva em seua annun-
aos, vem novo parliTpar a sfl freguezes que. acaba-de neceber uui vanado so
nenio d Objectos d gosto os-^fcaes serao vendida-pw precos muito razeaveis
joaodo feos seas prlrtetro atinucios, fol o que a*sfturou, a sem m6do
porqpe corto ti <\\m> oMft intetesses ligada a um casa irorwrtdoradtista praca, e
>f isso poffra ter ludo edfXfeU! e vender por precos adroiraveis.Cbama poisa alten-
;5o de seos Tguezes para os rttgos |)ossa- desewver: ^ ^- ,Wi_
Livros com o tatnpr^ I* aflicn, madre- Ura-rilo sortirnents ,de cbaruteiras e
terola tartaruga, proprlos para missa. pelliteiros de porcelana,
Tentos para vollrete.
BengaMas co marran, cousa especial.
JlTUvUUIvd Uv aTTVWT OTTa
Cofre de folhas para dinlieiro.
Lindas caixes para coslaftl.
rri competo sortimento de Invas de pe-
nca.
Fitas de sarja re -to>1as as Vn r irgo' ?tawia>rft"h*!!'' lft ^m, m
*f para lacos. I ^B lomptoto sortimento de eifflRtes ae
Tocas, sapanhos mii'm d s-^la entais s*la< par1 vestido.
lertenres |ara baptsados. I Perfumaras de todos os atOfes os mais
Fitas cow inacripces propfia pa bou- acreditados em oxlraetos, pomadas e leos mesmo Balar, garantindo-se a sna boa qua-
raatd noiva, e finaimento-mit^is muK6s objectos que nao dade, e lamber ensina-se com perfeico
Os acreditados cylindros americanos para padaria, por dous diflrealea
Machinas para descarocar algodo pel03 raelborcs fabricantes de New York-
Machinas de vapor systema de locomotiva e palias para as meaanas.
Garrinhos americanos para transportar volme era airaaxeas. Todo par pea).
eos razoaveis.
TRAVESSA DO CORPO SANTO N. 25
Joaquim Kepes Machado dt C.
Vcnde-se una parte l
de grande prodnecio para
freguezia de Ignaras*!, ajana
tra parte do eafeaho Otra a
purgatorio, qne muito conreni
tratar no Remedio com o Sr. Ai
de1rndeGu*3U).
Garafirhas. vazias proprta par; pfesentes'
ousa de gosto.
Indispensavis le ulintn e de coprt pro-
>tm pfs setdtora'e- flWUtwii trstef rw*
tneo;. \
Binculo:, d ma !r,M,. ,.i. nmim irtar-
;ar Cintos lardos d sethtf. >V> MrrtterfSaWJ-
4 ji>va.
A
ntcHiws tm
COSTURA
. Acabara de cliegar ao GRANDE BAZAb
WlVERSAL, ra Nova n. 2caunmro
viANNA--um completo sortimento de ma-
chinas para costura, dos autores mais co-
nhecidos, as quaes eslo em exposic5o no
PARA A FaTCTA
3 portas, loja de ferragea
53-Rua Dirata-3
feaae crasne
um compito sortiraenio de
Anas e groaaas, como
cuadradas e ovaes, faca* i
toes, balanen interro e l/S
Iheiras, cacaroHas, MRMeinta,
de ferro como de parcelan*, me
diversos lamaalMs do fabricaste
gratomos, tanlo de farra
para medir
ruTm
faienda Unto de farra i
salitre, bren, barbante, mnbe,
do, do Terdadehro Picardo,
ro^ar alfadas; alian de
gem, mindem cotilarias fteas, fM id casa a te-
la se verifica; na roa dh-eita n. 51 late ate 3 par-
tas de Maooei Pentn da Oanreira Braf* C
tiieos vasos com pod> arroz. posai*el mencionar ; mas com a vista se'
Ua variado sortimeot de jarre* de por- certiircard do Sortrntento desto esrabele-
alana. cimento.
Agjta Negra, ma do Cabug n. 8.
Ctiegoa a loja de Paredes Port, a ra da Imperan i n. 52, (Part Larga) um bo-
nito seftimento de tonllrts /o linbo par mesa, assim como o? competentes guardanapos
qa' se- veadem1 r preco laix* .
PAREDES PORTO vende iaasinlias a 240' o covado, faznda de 500 rs, para acabar
na na da Imperatfi n. 52. .jL.mi tA
PAREDES PORTO vende ntgodSb com pequeo toque de avana a SjrjOD e 40OUO,
a peca ra da Imperalriz r,. 52.
PAREDES PORTO vende chita prcta para lutoa 1(50 rs. o covado na roa da Un-
peratriz n. 52. Porta larga.
CHALES
Vende-se diales preto de merino a '30O) fj7.?nd;t wperior; na roa da Imperalriz.
PAREDES PORTO vende meias para se/moras a 2^500-a dniia p^r ter um peque-
no mofo, na ra da Imp'rairiz n. 52 porta larga. '
PAREDES PORTO venda cortes de calca de wsemira preta a 3$500 e 4*000.
PAREDES PORTO tem para vender panno prcto superior e casemiras de cores o
pretas que vende por orcos commodos. ^
CHALES. GRANDE PECIHNCHA.
Che^ou a loja da ra Im>eratiiz n. 52 de Paredes Porto
cantea cliinezes fazendas muito boas para senboras trazerem
por 5^000, eaNn acabando-e r.a
ura bonito sortimento de
em casa, est vendeqdo
Loja do Leo.
a todos os compradores. Estas maehinas
sao iguaes no seu trablbo ao de 30 costu-
re iras diariamente, e a sua perfeico ta!
como da nrelhor costureira de Pars. Apre
sentam-se trabalhos execulados pelas mes-
mas, que maito fletera agradar aos preten-
dentes.
Candido Alberto Se-
dr da Motta & C.
com eseriptorio e armazem na travessa da Madre
de Dcos n. 14, tem para vender o segrate :
Cemento Porllind de 1* (juahdade, o melhor que
tem vindo ao mercado, barricas de 12 a 14 arro-
bas por 10/000.
Viiibos Bordeanx das seguinles qualidade :
St. Julin.
Fronsac.
Lonnant.
St. Emilion.
Margan^.
Chateau de Bycberellc.
St. Lambert.
Lalonbere.
Duplessis.
Cauor.
Dearsesai.
Vinho do Porto de qnalidade muito especial.
Ai'Me doce retinado em caixas de 12 garrafas.
Fumos de todas as qualidades, se encontrar
neele cstabelerimento em latas, rolos e fardos.
Papel de todas as qualidades proprios para ci-
garros.
Engenho a yenda
Vi-nde-se o engenho S. MaKieai,
rente, com boas obra* e en perfrte
com agua eesti a um qnarto de tegoada
\ a-frrea de Gamelleira. Vende ae por
sendo 8 (JOtUOOu viste c li.O*!Od
tos de 2:0O0d annnae*. ih
dirigirse a ra do Livramcnto n. 19, a
Laurenlinu Jos Miranda.__________________
Xarope de fetlegoso de Pinto
Sem contestaran o primefra xarope naam a
losse chronica e recente, nnico depusit > paurma-
cia de sen autor, na na anega doa Oaadeia, kd
rfta larga do Rosario n. 10 junio ao (piarte! la
polica. __________________
GAZ
Vende Joaqun Jrsc Ramos :
n. 8, andar.
na roa da Crw
CAFE
Vende Joaquim Jos
n. 8, 1 andar.
Ramos: a* rae i Cran
AVISO
Em ca*a de Mills l,.iiham tt C, rna da Crat a
38. vendem-se follias de fem> gatTaat-aJa.
~OT(iAZ CAZ
Ghegou ao antigo deposito de Heonr <
No ingnito S. Francisco da Vanea lia
rez vender-so para o apangue.
10
C, roa do Imperador, um carrefaaaeaM da
de primefra qnalidade; o qual m veade tai
e a retalbo por meaos preep do aaa aaa em
quer parte. .
DO PAYAO
60--RUA )A IMPERATRIZ60
DE ___________
PEMaEIKA l^^LV SKMA.....,feJB-
Neste grande estabelecimeato eocoSrart o respeitavel publico, um grande sortimento de tadas, do mais apurado gosto assim como de todas as de primeira necessidade que se Ibes promette vender por prefos muito mais baratos do
nrn oatra qaaJauer parte, visto que os novos socios -esta firoaa adoptaram o systema de s vennderem a OIXIIKIitO ; pa*a poderem vender pelo casto, luitando-se apenas i |
o armazera poderSo faier os seas sortimentos pelos mesmos precos que compram as casas estrangeiras.
trrem escolhcr.
Cambraia sulsaa
GOM 8 PALMOS DK LARGURA A 1:600,
2:000 e :,m RS.
Ches-aram as finissimas cambraias suissas
tranpar-ntes, sendo o que ha de mais fino
para v jstidos e veada-sa polo barato preco
da i5fi0), 25000 c 25500 o metro, tendo
tambara das ra^smai, parara inglezas com
a ratania largara que se venden a l<5t0t-0,
e tf$80o metro, sendo apenas precisos des-
ta iarg fatenda para sa azer am vestido
4 on ifi metros, pechincha,
SAIA8 BORDADAS
Vende-se um bonito sortimento de saias
bordadas coro 'i pumos, assim como ditas
ja p.'omptas, de (aasmba, enesgadas com
bonitas barras bordada; a la por precos
muito em conta.
PANN) PARA SAJAS A tSOOO, H280e
i&0o US.
Verile-so bonili.i rateadas Jpropriaspara
saias sendo com bordados e pregas a nm
lado, dimdo a largura di fattftffa o compri-
mniitr da saia e vendo-so pelo barato preco
do IIJOO, I92SO e 800, cada metro sen-
do preciso apenas 3 ou 3 1/1 metros para
cada saia 6 pechincl a
Ooiarlahos.
Vende-se um bniiio sortimento de cola-
rinbos tanto de linhn co'mo de a'goda pro
prios para bom?rn, assim orno tambera nm
bonito sortim nto do i mesmos para meninos
e eenhoras e todo.> vendem-se por preco
mudo barato.
OALES DE MOOAMWQE A 1:280 RS.
V-'iidft-se urna grand9 qnantidade de cha-
les de moc-ambiq>ie, com padres escossezes,
sendo maito grando c levesinhos pelo ba-
' rat preco de i^SR^), cada nm grande
peeiuafiaa por so ter fito urna grande
eatapra.
anos e eaeeaalras pretal.
0 Prvo vende grande porcao de pannos
preto" do mais bajo at o mais flno, por
preco que admira, asfm como um grande
ortiiiifot de caciairas prta para calas
ojea se vend por proco mais barato do que
ta-tnnra q-iManer a#rte.
tORCWUtO PRETO-
V'':idrt-w o mimar, poiguro de seda
preta jnrr wHl*4; vestidos, sendo nesfe
genero o raelhnr que l:m viadoao mercado,
rnai' ^n'todjqne emontra qaalqtiermrie.
VesJ Jo brancas a lAo r.
O P^- v- iido ftmaiiaoa corts de vea
ti loa d -anraraia mmw, rieamentenordu
da o c m maita fnndi peabaraW prec.)
de I2-VJ00 rs. cada um, pechincha.
CASEMIRAS ESGOSSEXAS.
0 Pavo tem boni as casemtras escosse-
zas com qnadros grados e miio3 e outras
lisas com listras ao lado, senda fazondo
muito tina qu se veade msis barato, por
haver grande porcao.
GANGAS D2 LINHO.
Vende-se ganga de linho com quadrinhos
muito boa fatmni para roupas d homens
e meninos palo barat) preco de GOO rs. o
covado.
PECHINCHA EM PANNO PRETO A 24100,
0 Pa'o vende superior pumopre'.o fino
para palilo'.s, caigas colletes etc., pelo ba-
ratissimo preco de 254-0 o covado.
CORTES DE CASEuTRA PRETA A 4:500,
0 Pav3o tem os superiores cortes de ca-
semiraspretasenfeitaias pelo barato preco
de 4j00rs. o cort,
PEgAS DE MADAPOLO A 35500.
O Pav5o vende pessas de muito bom
madapolo, tendo <2 jardas cada urna, pelo
barato preco de 3.4500.
PSCHIXCHA EM ALGODO A 4 090 RS.
OPav3o est vendando pagas de algodSo-
sinho francez, tendo 4 palmos de largura e
com II metros cad peca, palo barato pre
de 4400H rs.
CAMBIUIAS BRANCAS A l000, A PEt}.\.
S6 o Pav5j ven le pecas de cambraia
branca transparente, tendo mais de vara de
largura, com 40 jardas cada pera, fazenda
que sempre se vendeua74e8.4)0O, liqui-
da-so pelo birato preco de 4,4000.
ALPACAS BRILHANTES A I.S00O E 800 RS.
O PavSo tem o mais bello srtimento de
alpacas la.radas, com as cores mais deli-
cadas que tem viudo ao mere-do e tendo
bastante largura, veadm-se pe! > barato
prtco de 14000 e 800 rs. o covado.
Com palmas le seda a i>*000,
Para o Pav3j cliegon um rico sortimen-
to das mais bonitas iSasinhas com palmas
de seda" teado de todas as cores e padroes,
sendo fazenda bastante larga o veude-sc a
1)9008 o covado.
Roupa para es travos,
0 Pjva) vende um bonito sur>inonio de
roupas pira eteritfet.
AS FOUPELINAS DO PAVAO A S00 RS.
Chegaram as mah 'odas piirpelmis da
Uacotn imitacao de poupslinas d sida, urna
fazenda muito leve, com as raai; lalas co-
res, sendo : verds, Bumarck. rosa, azul,
lyrio, cinzento, perolaetc. etc., e vende-se
peto baratissimo preco deSOOrs. otovado.
Para maior commodidade das Exraas. familias, de todas as fazendas se dio os livros das amostras, ou se maoam levar em.suas casas, para melbor po-
ALPACAS LVVRADAS A 6M).
CROCHS PARA CADEIRAS E SOPA'*. f ALTASNOVIDADES EM SEDAS
O Pavita tem um' g-aode sortimento dost Chcgou um grande sortimento das mais
mais bonitos crochs para cadeiras, sesjmaiernaspepelinas ou gorguro de seda
mesas, almofadis etc., propnos para co-ije linho, com os mais elegantes padrSesque
brir presentes e vende-se mais barato- do 5 tem vindo a este mercado : sendo miias
que em oatra qna'.qucr parte. ic gradas, tanlo em corles para vestidos-I
Algoilo eafestad. como para vender em covados, assim como
Vende-se urna grande pirci) de algodo S nm bom'to sortimento das mais bonitas sc-
sinho americano comS pa'mos de largura, das lislradas, que 0 vende tudo muito
proprio para lences e toalhas, tendo Eso e em conta.
trancado, que se vende por preco maito en! c-ino de cordSo.
conta.
Grosdenaples.
Sedas pretas lavradas.
Faaendas pretas de 15a.
Para o Pavao chegon um grande sorti-
mento de grosdenaples pretos de pura seda
que se vendem de 44500 rs. o covado at
54 e GiJOOO ; sedas pretas lavradas de dif-
ieren te* precos e qualidades, 15 isinhas pre-
tas, alpacas bombasinas, cantes etc. etc.
PANNO- DE LINHO.
Chegou um sortimento d-i pecas de pan-
no de linho do Porto, que se vendem de
700 rs. at 1?5000 a vara, garaotindo-sa
que em fazenda de linho ni In nada melhor
nem mais proprio para lences e toalhas.
PECHINCHA EM CHAPEOS DE SOL.
Chegou um grande sortimento dos ine-
Ihores chapeos de sol de seda, inglozes
sendo neste artigo o melhor qua tem vindo
ao mercado, assim como urna grande por-
Co de ditos de alpacas de todas as cores
e todos se vendem por precos muito ra-
zoaveis por haver grande porfSo.'
OS BALDES DO PAYAO A 2400/', _
Chegou um grande sortimento da bales
ou crinolinas do feilio mais moderno, muito
proprios para vestidos cnesgados, que se
vende pelo baratissimo preco de 24000 rs.
cada um, grande pechincbv
CRETONES MATIZADOS PARA VESTIDOS A 6i0
E 800 RS,
Para o Pavio chegaram os mais b mitos
crotones escuras matizados, proprios para
vestidos, roopio, chambres etc. que s
vendem 800 rs. o covado. assim como o
mesma fazenda com padres claros proprios
para vestidos e roupas de meninos a 640
rs. o covado, sendo os padras mais mo-
dernos que tem vindo aa mercado.
OS SETINS PO PAVAO
Vende-se os mais bonitos setins de cores
e mais entornados, proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
FAZENDAS PAR* LUTO N\ LOJA PAVO
Encentra o respeitavel publico neste es-
tabelecimcn'o um grande sortimento de fa-
zendas. pretas, como sejam cass3s france-
zas e inglezas, chitas pretas de todas as
qualidadesj fazendas de ISi de toda que
tem vindo, proprias para luto, sendo lasi-
nhas alpacas lavradas e lisas, cantSo, beta-
basinas, merini, etc. que tudo se vende
por preco barato;
I assim como um grande sortimen'.o de pan-
'!nos pretos finos e casemiras pretas de todos
Vende-se merino preto
pnos para, calcas, pditolse colletes, pelo i 0 alidades que sevende rauit0
baratissima preco da i4'JOO o covado. m9a h.^^J miA ,, nntra ai11(M,
E LARGURA A
precc
CRETONKS COM 10 PALMOS
2#000 RS.
O Pav-oo tem urna nova remessa aa mui-
to acreditada cretone. propria para lences
tendo 10 palmos de largura, dando na lar-
gura ocomprimonto do ieocol e vonde-se
pelo barato preco de 2^000 o metro, sendo
precisa penas para um lencol um metro e
urna quarla ou metro o meio.
Chapeos a 1*000.
Chapos a 10000,
Chapeos a 1,5000.
S o Pavo vende bonitos chapeos de
todas as cores p ;r< homens e a. eninos com
a forma mais moderna que ultimampntc
tem chegado, pelo barato preco de 1,5000,
cada um, por terem chegado com um pe-
queo loquo de avaria, grande pechincha.
EM CAMISAS DO PAVO A 40DOO RS.
Vende-se um bonito sortimento de muito
finas e modernas camisas inglezas com pei
lo e coltarinhos di linho e punhos, pelo
baratissimo preco de 4A500 rs. cada dma
e aos freguazes que comprarem dozias se
I lia faja um abatimento, garantindo-se qoe
fazenda que val muito mais dinheiro,
urna grande compra : assim como se vende
um- bonito sortimento de ditas tambero, com
paito de linho bordadas e ditas do algodao
par tedos os precos.
BRAMANTE PARA LEXC0E3 A OOO. COM I0!
PALMOS DE LARGURA.
0 PavSo vende superior bramante de al-
godSo tendo 10 palmos de largura, cuja lar-
gura di para o comprimento do lencol.
senda preciso para cada nm, san la cuna de
solteiro, 1 l/l e para casal.! l/ metro,
aeonmcaa*
mais barato do que em oulra qualquer
parte.
NOVAS POUPELINAS A 400 RS, 0 COVADO
O Pavo vende um grande sortimento
das mais bonitas poopelinas com lislrinbas
de todas as cores e com Instre imitaclo
de seda, facilitando esta bonita fazenda a
fazer-se umubom vestid) de inuit fantasa
por pooco dinheiro, isto por ter-se feito
urna grande compra e vende-se a 400 rs.
o eovado.
ROUPAS PARA HOMENS PARA TODOS
OS PRECOS.
N'este grande estabeheimento encontrar
o respeitavel publico um grande sortimento
de roupas, sendo palitos c sobrecasacos de
panno preto e caaemira, caigas e coletes de
brim branco e de cores, que tudo se vende
mais barato do qne em outra qualqaer parte ;
assim como um grande sortimento de ca-
rnizas fraucezas e inglezas, e ceroulas tanlo
de linho como de algod3o e abundante sor-
t i m nto de meias cruas.
Roupa por medida.
Na leja do Pavao manda-se fzer qualquer
peea de obra a vontade do fregus, para o
que tem um perito alfaiate, responsabelisan-
Uqaida.se por este preco por se ter feto ^-*e os donos do e*UbalicimeBto por qual
quer falta qne possa haver, quer per de-
mora, quer por qualquer defeito na obra;
e para isto encontra o respeitavel publico
um grande sortimento de todas as fazendas
que desejar.
BRAMANTE A 1800.
Vende-se superior bramanle com !0 pal-
moa de largura, preprio para lences, dan-
do a largura d'esta boa fazenda o compri-
mento do lencol, sendo preciso para cada
ua apenas 1 e 1/2 metros on i e 1/4 pe-
enfrena pelo preso.
LAVRADAS A
1,000 RES.
Chegou para este grande estabelirnraaa
o mais bonito sortimento das mais
as alpacas lavradas de todas as cores,
se vendem a i&, 800 e GiO res a cavada,
assim como um grande sortimento de alpa-
cas lizas da todas as cores
CELEZIAS E RRETANUAS.
Vendem-se a mais finas cetarias a
linbo puro on pessas com H metros,
como, iissimas bietanbas de linbo
25 varas, por precoi qne
em relcelo qualidade.
Basquinas.
A toja do Pavo est& constairtemeate aberta, das 6 horas da manhaa s 9 da nonte

Cliegarao as mais modernas
on jaquetinaas da seda preta,
enfoiladas a vidrilbo, tranca a
tendo de tedos ot modaalai, mlmWmmiA
que tem chegado e veadem-e por preces
muito rawiaveis.
ORGANDY GOM SALPICO.
Chegaram os mais ricos orgaadjs da ce
res com salpicos o auia boaa ote lena
vindo para vestido, que se venda a !9.
0 meta, ditos brsueos matw fiaos ceaa
listras largas a IdOOO.
Cambraias brancas
Vende-se um grande sortimento das aaa>
1 hores cambraias tanto victorias cnata
prenles tendo de 35500 i peca al a
fina que vem ao mercado.
EPARTiLHOS A
Vende-se nm bonito sort ment dos
Ihores e mais modernos capa ilbos ttm
do barato preco de WOOO at 8000.
CHITAS FINAS DE 3*0 A 500 RS.
Vende-se o mais elegante aaiBesnledi
mais modernas e bonitas chitas i
das como gradas, com corea
curas, dando-se de todas
FISTES BRaNCOS A6W.MII
Vende-ee muito bonitos fastosa
muito flexivel proprios para -
senboras e roupa para meamos e
a 40, 800 e 1*200 rs, a cavada.
canas # wm.
O Pavee ea vasidendo ReaRna i
cares finas a MR, *0 a
i
'n^aaaaHMBHBMiHBHMBHdHMaaVBVBr
eea-



"


..'.
Diario de Pernambuco Quarta eixa 6 de
I H
Atril
de 1870.

0 riTILIM II1
A M(J A HA IMJPBIIAT1H2 m. f
fefwina'li ra la Aurora, ei frente do caf Imperatiz.
N'es*.' novo e iuaaptaosnc.;kiMcrtnunt fUMJiM ido quaiu resana atajar, tar.tu em artigos do mais riitoroso' luxp, corno em todas
tt ais qaaiidaiks do f.utudas.
Alera de sa acharua pm\ tos do que de melljor :>e encontra ueste marcado,
por lodos os paquek* i!a Europa, rece km dim-.t.imente o que em artigos de moda e
ap dmus apurado gustse ettoactro ohi Paris, o jtie vena cada da augmentar s propor-
oe de que ditpoe este attatMsIacimanto para heru servir siia numerosa freguesa.
.......
<*
Algodao largo pariTeoces e toalhas de
todas as qualidades que costuras vir ao mer-
cado.
Alpacas de todos o padrSes & qualida-
des tao variadas que se nao podem desc/ever.
C
Gase com Iistras de seda e flores, fazen-
da inteiramente nova para vestidos de baile.
Grvalas para autoras e hemens, o mais
completo sortimento que se pode desojar.
Guipure preto e branco, diversas largu-
Albuns com msicas para collocar retratos, ras e diferentes gostos.
acucado presente para qualquer pessna de Gollas e puohos bordados para senboras.
wama- Guardanapo8 da Imbo pwoiojws egran-
Atoajiado de linbo algodao, branco a des.
=
=
*G $UtllA**
Quaado a AGUIA BRNCA, mais precisa scieniificar ao respeitavel publico era
geral, e em particular a sua boa freguezia, da immensidade de objectos que ltimamen-
te tena. recebido, jusUaento'quando ella menos o pode faer e porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que lb'a attenderao o relevarlo,
continuando portanto a diriglrem-se a bem conhecidakja da AGUIA BRARGA ra do
Queimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sortimento de superioridade em
qualidades, modicidade em precos e o seu nunca desmentido AGRADO E SINCERIDADE.
GorgurSo de teda preto e de coros. Do q0e ^ma &* dito se couaeceqae o lampo ie que a AGUIA BRANCA pode
Bcsquina de soletas e muito moder- do^^a^tte!^*5, lspr" P*jP a*Mr de '""^T!"^ beBJSlLaqnenes qB *
aw, bem como de crochet, turto de apurado q*aMaa*a*nataa. (,, procurando prover-se- em dft toja da que neeamitaa, rtretarto sem enmiaa-
, <*"* .. rar os objectos que por sua naturea sao mais conuecidos ali, ella resumidamente indi-
' /"" cara aquellos coja importancia, eleg ncia e novidade os tornam recommendaveis, como
bem seja
tost e feftio.
Balos de musselina, madajjolo,brancos lo, efoienda propra"paras"featM"nos8ar-
rabaldes e passeios a tarde.
Efe
Laazinuas de todas as qualidadea, cores
e gostos, nao ficando nada a detejar, tal
o serlimento que existe para escollier.
Lencos, ludo quanto pode ha ver desde
esguio ao algodao commum.
Leques de madreperola e osso, o mais va-
de cores, para senhora e meninas,
Bareges de cores variado sortimento.
Babadinbos ou tiras bordadas em todas as
larguras.
Belbotina de todas as cores.
Bolsas de tapete para viagem, grande
uriadade de tamanhos e gostos.
Bombazina preta de todas as quadades.
Bramante de linbo do II palmos de lar- riado "sortimento.
gura, e todas as mais quadades. Ligas de seda, bordadas, para senhora-
Bretanhas de linho algodao, grande sor-, Linas de Jouvio, chegadas por lodosos va
fcnento. pores, sempre novo sortimento, quer ea
Bros de linho branco e de cores, do mais pellica para homens e seaboras, quer emTio
commodo ao mais caro emqualidade, affian- d'Eseocia, brancas e de cores,
ando o que ha de melhor na especie. i arm
Brins d'algodao completo sortimento e Madapolo; i idesoiptivel o grande por-
varedade de pre;os. tmenlo que ha nesta genero, desde o mais
<33 elevado preco ao menor, que so vende em
Cassas de cores, o maior sortimento, pri- peca e retalho por meaos do que em eu
ando pelo bom gosto e ba/ateza, alientas tra qualquer paria.
u qualidades. Mantas de blonde para noivas: o apurado
Canabraias brancas, tapadas, e transparen- gosto dos nossos correspondeItes em Paris
tes de todas as qualidades e presos. habita-aos a dizer que temos em nosso
Camisinbas de cambraia de linho e cassa estabelecimealo o que de melhor se dse-
bordadas ricamente enfeilados para Sras. ja para vestir e ornar orna noiva.
Camisas para homens e meninos, tao va-
nado sortimento que vai do mais ordinario
madapolo ao mais perfeito bordado de li-
Camisas de meia, de tlanella, brancas e
de cores para hornera.
Casemiras pretas e de cores, o melhor
que se pode imaginar, sendo d'isso a me-
lhor prova o grande consummo dellas na
officiaa da casa.
Capelras de flores, para noivas e bailes,
desde a mais candida flor de larangeira at
m?js interessante griaalda.
Chapelinlias no melhor gosto,de todas as
cores hoje proferidas peras senboras de
mais apurado r-igor na moda.
Chapos pretos de velludo, para senhras,
ultimo gosto de Pars.
Chapos de sol, para senhras e homens,
de todos os pre;os e variados gostos.
Chaly com ricos padrSes para vestidos.
Chales de todas as qualidades, avultado
camero e nao menos variedade de gostos,
CSitas, impossivel descrever o sortimen-
to e variedad de padfoes e novos gostos,
aa noste artigo tudo quanto se pode desejar.
Cintos para senhras o que se pode ima-
ginar de memor.
Coques, o melhor no gosto e nos enlei-
ies, varios tamanhos.
Colchas de seda com borlas, o mais apu-
rado gosto elavor.
Ditas de fusto branco e de cores por
procos commodos.
Corpinhos de cambraia, ricamente borda-
dos para senhras.
Cortinados de cambraia bordados e de
fil.o que de m<-lhor se pode desejar.
Colarinhos de nbo bordados Je lisos, o
maior sortimento.
Damasco de la de 9 palmcsje largura
lindae corea e ricos padroes.
zm
Esjwrtilhos braaeos e da coros, para se-
nboras e meninas, o mollior res te genero;
aenhuma Sra. deisar por certo de muir
e de to precioso auxiliar a perfeiao de
om corpo delicado.^
Entremeios bordados.
Essomtlha preta.
Eneites para cabeca, ultima moda de
Pars, recebida no ultimo paquete.
Esguio de linho, completo sortimento de
todos os nmeros.
Mantas preas de blond.
Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos pretos, trancados e lisos.
Musseliaa bracea e de cores, lindos va-
riados padroes.
Pannos pretos e do cores, desde o mais
barato ao mais superior, por preco muito
commodo.
Pannos de crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de casemira muito naos para
mesa.
Peitos bordados de linho, lisos e de al-
godao para camisa.
Prirtcetas iwutas ^e cores.
Popelina do seda e linho, com iistras e
flores; azenda Hudissiroa.
Pelberinas para senhras, do ultimo
gosto.
Perfumaras; os mais finos extractos o
que de melhor e mais agradavel se pode
encontrar ueste goero, a de mais fragante
e suave no olpha.o, temo PaVILHO DA
AUHORA, desde a verdadeira agua Flori-
da at o mai tino Bouqiiel d'Autour, final-
mente tudo quanto deve ocoupar touca-
dor de urna senhora de gosto.
so
Saias bordadas, brancas, lisas e do cores
com folhos e sem ellas, o melhor possivel,
Sahidas de bailo, de todas as cores.
Sedas pretas, da quadros, lavradas, lisas,
de Iistras de todas as cores e qualidades e
o mais barato possivel.
Saraelim de todas as cores o qualidades.
orjp
Tapetes grandes, lindas pintaras pare 8|
cadeiras, mais pequeos e de todos os ta-
manhos desejaveis, e em peca para co-
vados.
Toalhas de labyrintho, do maior e mais
fino trabalho ao mais barato.
Toalhas de linlio e alcodao de todos os
tamanhos, lisas e felpadas.
Tarlatana branca com palmas e de cores,
fasenda muito nova, e gostos delicados pro-
pria para baile.
Vistuarios bordados de fustao braaeos e
de cares para meninos, de cambraia par
baptizados, a que de melhor tem viado a
este mercado.
Vestidos do lia escooeza do g saias,
novidade pelo padro, gosto e forma; ditos
de nbo com barras de cores, e de cam-
braia de cores com i saias, tudo inteu a
novidade, trazem os modellos juntos para
mostrar a fraw de os fazor.
Veos de blood para noivas e pretos para
luto.
Vestidos de blond para noivas: podemos
asseverar as nossas Exmas. freguezas, que
somos os nicos em Pernambuco que pode-
mos olferecer ao Ilustrado publico, o mais
apuradogosto em semelhante materia, gre-
cas ao bom gosto do nosso fornecedor em
Paris, podemos garantir que ninguem neste-
genero o possue melhor, nem mais em
conta.
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com filas de setim e obras essas
coja novidade de molde e perfeico de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni targas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosament
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao otassar o prcten-
dente se Iba a presentar o que poder de
melhor.
Bntremeios em pecas de l tiras.
Guipure blanco e preto de diversas qua-
lidades o desenhos.
Ditos do algodo com flores e lisos.
Capailas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil ue-seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Caixjnhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderemos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos paia abrir latas.
Thesouras para irisar babadinbos.
Aspas para baRo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
Veos de seda para chapenas e monta- urnas substitaem as outras.
na.
Meias de seda para m*vas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baplisados.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envernlsada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brmquedo de
Touquinbas de fil, sapatinnos bordados enancas.
e meis para ditos. I Diversos objectos de porcelana, proprios
Camisinbas bordada* para ditos. para eneites de mesa e de tapiabas.
~lSmiTCOHTO
ianizi;\s
NOS GRANDES
DE gECCOS
E HOlHADOS
CONSERVATIVO
K. 23Largo do Ter^o.K. 23.
DE
SIMAO DIIS SANTOS ft C.
PROGRESSO
10 Fat o.-A Feaha O
DE
1 ARTOS & FERR IRA.
Os proprietarios^destos bem sortid s armnens participtm aos sens innmeros
freguezes tanto desta praca cemo do raatio. que tendo feito grande diminuiQio de pre-
Cos as suas mercadoiias esto p< r isso resolvidos a vendar por menos de fO e 20 r0,
do que ene outra qualquer parle, garantindo-se porlanlo a s perior quasidade de qual-
qoer genero comprado restes tfous psiabdecimentos. Mencionamos algtins dos nossijs
gneros e a vista dastes silo comprehenddos os- outros, porqne enfadonho seria men-
cina-los.
Se algnem duvidar venha ver.
(Jat amerresno marca Deves a 8|>800 a
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
dade de gostos e Imdos padroes,
Fiihs de crochet, modernos com cintos
o capas, o que ha de melhor.
FM de seda, linho e algodao, de todos
as gostos e padroes.
Fustlode todas as cores e qualidades
randa sortimento.
Flanella branca e de cores.
Flores, o que ha de mais rico, quer
celtas, quer em ramos, tem o PAVILH\Q
Dk AURORA am permanente jardim a
disposicao das Bxmas. (aminas.
E* dispondo d tSo grande e variado frumento que os proprietarios do PA-
VILHO DA AURORA se apresentam ao publico declarando desde j que a sracerida-
de e o bom gostoo movel onico de seus negocios.
Prvidos de tudo e promptos sempre a prover-se do que por ventara lhe
aoja nftcassario, os proprietarios deste suroptuoso estabeleciraento recommendam-se
em receio de serem contfadictos e protestara esforgar-se por continuar a merecer
protejo que se Ihes tem dispensado; cerlos de qffe do sea etabelecimento n5o sahira
a freguez descontenta.
Continua sempre a oficina de alfaiate dirigida por um dos mais habis artis-
tas, prompto execotar cora proraptid3o e bom gosto qualquer trabaftlo croe lhe seia
confiado. Urna modista especialmente oceupada nos trabalbos do PVJLHAO D V ATJ-
ROBA, dirige os que lhesSo concernentes, garante por sea apurado go9to epromptidSo
na awucao e a mais completa perfeicSo nos seos trabalhos.
A numerosa freguezia que nos honra urna prva de qye erepDmos ocon-
ceitoqua te dispensado nosso estabelecimento, conceito que pj'ocuraremos firmar cada
vez mais. Para facfWar anda a concecuco do flm qu nos' propomos, temo'sno nosso
esta^lecmwouj os amraos figurmos dearis, que recebemos por todos os paquetes; os
qaaes enviaremos pafa serem tistoa as familias nossas freguis, afim de egtwem,
com o padrao da fazwda o gasto na forma. ~
Na'oflcRr^e affaiate, junto ao estabelecimento, ha 'igualmente os figudaos'
gura homens que por todos os vapores se recebem. '
E* eifa 0 modo porque nos apresentamos pedindo nrotc^a/j do Ilustrado
poblico e com o mais profundo respeto convidamos s excelfenfissitaas Sras. a vsi-
iom o bosso estabelecimento, certas de er.conirarem nefle'p.jlo menor preco'Do^-;
toda <\m poden datajtr. ?rrw'
JftttdBrema'cal^iroS levaras fazendas earadstras onde forera pedidas, visto'
alo podormos especificar Wdo quanto temos.
JjoLuiz, Solwr&o & C. '[
Aborto das 6 s 9 heras 4a noite.
Vinagre branco mandado vir por conta
propria rindo de tisbda, a 320 a garrafti e
480 o litro.
dem tinto Figoeira, Lisboa e Porto a
320,280, 240 e 00 rs. a garrafa e 480 300
r?. o litro.
Vhho Figueira, Lisboa, Porto e Estreitn .
a 360, 500 480 o 400 a gairafatra 84.0 lr^k^?mZJlm
7(L 720 e 000.
V a garrafa, em porcao ha ahatimento.
Vinbo do Pudo, engarrafado das wclho-
res e mais acre!ados marcas a 1^000 a 1*200
I tiO e U a garrafa.
dem Bordeamt, Medoc e St. Jukien a
7^(900 e CJ5C0, a duzia e 40 rs. a garata.!
Genebra de Hwtl.nda o Uraaja doce aro-
mtica a 6)i;iu0. 7*. {to500, a fraaqaeira. Sabo massa de 1* e 2a quahdade a 220,
So-veja Bass, Klers A Rett a 9#800du- e 240 rst a libra em caixa ha abatimento
ziaam porco lia grande abatimentu. j Toucinho de Lisboa muito-alto a 400 rs.
Jdem marca B. T e otr* marc- a a libra e 880-o ki'ograramo,. em arroba ha
5(5500 e 60, a dazia e 500 rs. a garrafa. grande difieronca.
Assim. como ha outros muitos gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
passas c figos,, charutos .tinos de diversas marcas, maraielada, bolachinhasdo todas as
qnalidades, parola,. Franccr-oracyoel, a, b, c, Mdium, raixed. soda Fancy-nio-nac, par]
laca da.Varieioa.combination, Rrrtaaia, doce de goiaba tica, chouwcas, mantoigas finas [
fraaceza a ingkza, banba de BaUimor, phosphoFos de Sycurjt, Cognac, cha de diver-,
sas qualidades, Janella, pimenta do reino, ervadace, pomada, enzafre,, breu, paixe
em latas de todas as qualidades, farioha de milho americana, grandes molhos de sehol-
lae, neates dous armazens existe,tambera grandesormerdo da loueas propms para ne-
gocio, que pelos seus comaiods pioco faz vantagem aos,;fflmpdoresi
l>ta,, 380 rs. agarrafa e 560 o litro.
Azeite- doce de Lisboa a 900 o WOOOa
garrafa em porcao faz-sa grande abatimen-
to.
Caf em carneo 220, 240 e 20, a li-
540 e 600, a
?000, 7dS60 c 80800 arroba.
Milho aipista 200 rs. a libra e 446 oki
logramma e 5^100 a arroba, em porco ha.
abuitiiento-
Queios Ceseos do ultimo vapor a 30200
e 30400 cada um.
Aletria. raacarro, talharim a 500 rs. a
libra t I ij ItK) u kilogrammo em caixto ha
i abtimento.
f
PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
MAaiUClDTICO, 1, IU Kl UtW-tlIT-fOTl, PA1.
XAROPE DEPURATIVO
N CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
iiaiatre de MTAlllt
r a)l*m* potata4 verdtdeiro Morante, um deparador e incoatattavei M-
eaeia; combinado com o xaropa da oaaoaU larcnlaa Kmmrgwm, atawad*
aem pertorbacAo algnma peto* temperamentos os mais freos, sem alterar as faawoiaf
'd* estomago. As dose*mathematicas que elle oontem permittem aos mdicos de receiul-e
para todas u eomplicacOes atas affeece rrnfnln. tnrinrniile oaiioa1
roa* nos aoolderntaa kitermittemtes) refldroa; alea* d'isso, 4
afala o mais poderos coaira as doen$a rheumattloa.
XAROPE FERRU61N0S0
dictMM taranj a* uaat aauaa-aa.
B-s*o.fbrnulk,a^ia,ueioaMfJli-
te se aseimila o ferro; n'esU forma A praae-
rivel a pilulaae^taUlbasan todoaoacasos
em que s50 precriplo os ferrugiooaos.
XAROPE TNICO ANTI-NERV0S8
oaxoaa laraoja* mata 3Aaaaoa *e saccessosifctto afaua efi-
cacia para curar: os doenpat wrvoaos,
jtpUat o* rhroniem. V ftulnlet, gutral-
uu y $ facilitar a digeito
DENTIFRICIOS LAROZE
WIA. rtRIFBJtO KftAUCQ
HIJA
DO
VIGILANTE
Raa lo Crespa) n. 9
Os proprietarios deste bem conhecido estabele-
cimeDto, alai dos muitos objectos que tinham ex-
potos a apreciado do respeitavel publico, man-
dama vir acaram d receber pelo ultimo vapoi
da Buropa am completo e vanado sortimento de
finas a mu delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de seu costante
por precos muito barannhes e eorunodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores loras de pellica, pretas, bran-
cas de mui lindas cores.
Mu boas e bonitas golinhas e pnnhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindes e riquissiraos eneites para caberas da.1
Exmaa. senboras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
lhos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de memor e mais bonito.
Superiore e bonitos tqnea de madreperola,
marftm, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhras, as quaes sempre se venderam por 304000
a duiia, entretanto qae nos a vendemos por DI.
aim destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boa Beafsias de soperler caima da India e
c&stao de. misara com liadas e encantadoras flfu-
rasdarmesno, ueste genero o qae de mehors
pode desejar ; alm destas temos tambem granN
Juantidade de outras qualidades, como sejam, ma
efra, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de i a 12 annos de idade.
NavaJhas cabo de marthn e tartarnga para fazer
barba ; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bera asseguram s sua qnalidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agu has para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhof de cartas para voltarete, assim
como os lentos para o mesmo fin.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumaras e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra s convulsdes, e
facilitam a denticao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigioso
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, aflm de que nunca faltem no mercado,
eomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que dees precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fin
para que sao applicados, se venderao com um mni
diminuto tuero.
Rogamos, pois, avista dos objectos qae deixamo
declarados, aos nossos freguezes e amigos & virem
comprar por precos rauito razoaveis Aloja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Granee irumfto!I!..
O Campos da roa dn tnparader a. at avian tn
respeitavel publico e e^pfeialaasBk au ttm as-
Dierosos f.egwzn qae ra Hala da earavan a
peixe fresco oooscrcado denla ptwiatia, reae-
guio fazerem ata awaczaau aata grande rrantln
de poues de diversas >inliades c prepara toa de
differenles maneitas a sabtr : em aliaoara, fia
molho e em areito, aa- segnaaseo qnaMades : sar-
dinas, cavallinhas haianqnes, (avaha, n>n.*,
chernes, savel, pescada besugn, rh elurro, Uhsl.*i
congro, salmn, lagot-ta, etc., el;., e*.
A elle ti
Arik
No armasen! do Gaoipe*.
ESCRAVOS
. -
COGNAC.
Acha-se fra da can Ae toa senhora deadro
dia 3 de fevereira prximo Baado, o escra vo Fot
talo, T,m ti annos de iiiade, c ah, estsrtra
regular, cor np re forrado, c.m algnma narra de
becliigas unt ponen apagada no roMuy tiain-
bons, dedos grossos e rombados, .-uro certa cenaa
no fallar qne hem se nSo pode d-tinir e signado
parece, ron fallas -de esbelto ni rahei-a n en
barba algnma. Indo cota carias de aasaear *>
engeun> Concaira de Maribrra para o Recito,
apartou-se do rombuy para ir a casa de um atu
padrioho, Joao de Barros Ntiu., ri-m estae eei-
menio de conrerlar e aSnar pianc. na ron da Im-
pera ira n. i7, aes&pparereado desde easlo: re-
couMBenda-Ms a so captor, e prontoie- se aea
recompensa a qnrm o levar a dito eogenh C av
reicao ou dede-df r Dedcia a Sr. Manoel Klana-
Jerw do Hego Barros, aa nr do Aleerim nS>;
proteslando-se qie -e proceder rrindaela
centra nuem o liv. r aoiolado.
Anda fgido denle itf do leverriro prji-
mo parsado o escravo Joan, preto, ^lalura baixa,
ledo picado de bexigas pelo mh e falla de den-
tes : levou vestido rama branca, e li ron maW
outra de riscado de listas, ijuem o pegar leve- a
praca da independencia k>ja de I'orlo A Basles,
que ser recompensado.
Ausenlon->e a perio de don* meses de can
de seu seobor a e: era va prea fnla dn aune Mario,
com perto de 50 annos de idade, alia, girda, ami-
to regrista,. fot enera va do Sr. Br. Amaro, eocsta
que aoda nesta cid a de e lena sido vista no b.vrro
da Boa-vista e em S. tose com laboielro aa ca-
b>ca : qnem a un p re hender e delta poder dar no-
ticia exacu, dirija-se ao paleo de S. Pedrt n. II,
que;era gratificad".
Fugio do engenho Camaragi'i' na freguetn
de Sermhaem pertonceMes a Gasear Maoricio
Wanderley os escravoaseguiatea : Samuel -non-
io baixa grooo, naris enalo, diz ser da ii.ua w
ter sido comprado pequeo, Joao Caboculo de ida-
de trila e tantos annos, ps chatc.s, ventas arre-
hiladas estatura baixa, eer feixa Ja, orara barba
e esta na poma do eueixo, Feiippe mualo de ida-
de de 16 annos pouco otis ou mej, Uais, groa-
so. sera deleito algura, leve bixos em pcquiao, po-
rm pouco apparece; por isso pede se as -uiiori-
dades pobciaes e c-ipise de camp^> a caprora dos
mesmos e lvalos no mesmo engebo un na ma
da Maeda n. 5, 2* andar escripiorio de ataooei Al-
ves Ferreira & u que serao gratificados.
De superior qualidade da mni accredit
da fabrica de Bisqait Duboacb & C, en
eogaac urna das que mais agurdente di
cognac, fornecem para o consummo di
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Jasl. rea
comnaercio 32.
A
BRACO DE DURO,
Ra do Imperador n. 26
Nata no va estabelecimento ejscontra-s
diariamente nm variado sortimento de bo
Irnhas para cb, pastis, podios, bollos in-
gieres, "pies dej, presantos, ditos fm fiam-
bre, superior cha Hysson, preto, e miudi-
nho. Vinhos finos de todas as qualdartef
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingiera, froctas maito boas, por-
tuguezas e francezas.
Um completo e variado sortimento de
caixinhas de todas os gostos e precos pan
mimosear senboras, estas caixnnas recen-
temente chegadas de Paris s5o de primora-
do gosto, offeresse-mo-las aosgalanteadoiej
do bello sexo pois nellas acharao nm dign(>
e serio presente para as donas dos seus
pensamentos. Tambem os apreciadores d
boa fumaca encontrarao charutos dos me-
lhores fabricantes da Babia e de Havani
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, enristalisados e d(
calda, ditos de caj ede outras qoalidades
Nesta casa recebem-se encommendas par?
bailes, casamentes e baplisados e qualquer
encommendas avulss, como seja pao de \l
e bollos enfeitados e outros muitas couzas
que enfadonho mencionar.
CEMENTO
0 verdadeiro porttand. S se vende n
ra da Madre de Deus n. 22, armazem di
Jlo Martins di Barros.
Estampilhas.
Vendo-sana ra da Cruz n 8, Io andar.
Sement de hortali-
ces.
99Roa I i Inpernirlz 7 9
Na botica de C Clao ft li
TelUas de frrro.
Na ra do Crespo n. 6, ha para vender ; per
preco rauit rasoavel, um grande sortimento d
telhas de ierro galvunisado de diversos tamanhos,
para cubrir eaans e tetaeiros, qne alm de ser
mais btalo do que as telbas de barro, mono
mais limpo e aformoseia muito mais, etc.
Bixas de Hamburgo
Por menos do que em outia qualquer parte
veudem se e aiugam-se : na ra do Imperador n.
ift, arrnaiem do Campos.
^fefDE-'E ou arrenda-se o engenu
S. Gaspa>,. sito na freguezia de SerinhSem
comarca Ao Rio Formoso, prximo do em
barque, com grandes partidos de panl i
massap i roda da tnoenda, mattos mangnei
para madeira oecssaria, bom pasto, etc.
atrataTnarn-d'Anrora n. 26, on na'jjt,
Imperador n. 20. w
Fugio no dia 26 de fevereiro, pela V vea, a
escrava crionla de nome Belizaria qne repar^enla
ter 10 annos, estatura baixa, com grande falta de
denles e cora rnna sicalrt de ouetmadiini ao bra-
(0 direilo. tendo levado don chales, sendo nm
verdee oalro lisiado de azul c I rano : nurm
a capturar sirva-se tova la a Punte de UcliAa
silio de Joao /os Rodrigues Mende, on a ma
da Madre de Deas n. tt, que sera generosamente
recompensado.
Fugio do eageabo Minaros, da comarca de
Sanio Anln, no di JO de junao do aane passado.
o escravo de nome Francelino, reprsenla ei 33
annos de idade, cota os signaes segoiules cer
preta, baixo, corpa reftircado, cara larp^, banant
harnado, olhos peanenee, uar muito a I i ado, boc-
ea regular, dente corto limado, mnito ytotm
ta e andar apresuda; cousu andar pelos sobur-
bios da cidade de Olinda, engenho Fragi>o, Carn-
ea, Beberibe on Aplpueos, acontado por toaqitn
fos de Ser t'A una, seu iratao liberto, u ma l to)
era suaompanhu urna cab. clli e filhneda mea-
ma, e por outio irmode nome Jos Bgoi. que
o condnztra para os logares cima indiratfo,
afcm de nm ooiro soiio de nome Jns Z.-irhsnv
da Silva, coabeeido-per Jos Pajeri, nnr ar vid?
da queda comarca. Rogare anlnridades e ca-
pitaes de campo que apavebandam e o leven a
ra do Rangel n. 17, on no engenho Minhoras, a
entregar a sen senbor Joao Corris d> Qoeimz
Monteiro. qne serio prnerosaaienu graiinVM%.
Bi nenelo, mulato, cem idade de trinia e
untos annos, j. vasotaado, tem a cali < peque-
a, cabellos quasi bons, altara regular grusse,
bem barbado, tem fallas de denles, inn no rosto
uns panos pretos. e no braco direilo un a ciotrb,
consta que este mnlato est com o nni<- randado
para Joao, e tem andado entre Ierras do Fragoso e
cidade de Ulinoa trabilheado e pa*torand gad :
roga-si-a- autoridades ou particulares a capta a
deste escravo ; fazendo entrega au Sr. M.-n. el Ca-
valcanii de Albuquenrae Gadelna, moradr.r era
Nova Cruz (amiga Mara Farinha), lernM. do Igma
rass.que sera bera reeoiapaaMdo o seu trabalao.
No dia 3 do correle per volta das 2 horas da.
urde, fugio o mulato de norae Mainel. sMguinde a
estrada de Santo Amaro de Jabeatao t-ra -eguida
ao seriao de Papacaca aonde vein v-i.lni > em
1865 pelo 3r. Juio Cavalranti de Aibnqnerow,
onde diz tem pai livre, e tem os signaes rema-
tes : baixo, grosso, cora bastante b-rba, e falt> de
inuilos denles, rosto comprido, p penenos, e
muito esperto, idade de 22 anuos, ha inform^cAe--'
que comproa roupas nona e sapatos, e i-vim ana
em dlnneiro, pouc* mais a merKs, qne 'nha
recebiil de versos frvgaeas onde v-ndia pao, e
levava bolachas, suppoe--s qne seguio c >m algnns
volunlaiios da patria daqnellas paragens com qo. ,n
linha relacoes todos os (Hasquamli ia vender ; *
no logar das aras do fliqni : pede a Mut-ri-
dades policiaes e capiaes de campo, e Aqnelli- Sr.
Albuquerque de-Papaeaca. captura de .V.m es-
cravo, e remelted a seu aenber n> i- Direila
dos Afogados n. 6 i, que se rnanaspen-ara
N.' ala 25 do cnente fagirara on ence.ho
California da frefuezla'lo Sraihfavii <>< seiumies
eseravos ;
Germano, crioolo, cora ida-
de, bem preto, cabeca-pequena e afino ada coj-
serva semarmo eanbb>riaafeientiw. |i^ grandes,
E'rnas compriqas, lera am pftpTeiio amigo u-
o na lesla, na nadegsw marca de :.'.'. o.uto
scenles, sabio c m urna laofreni n "Mor.' o
qne naturalmente ja nao a deve eon-ei v.-.r v, a
vestido calca de algoda aaaai san >m .Ir ri-ia
mnio usada, este.escravo,vei..do I.--j uv l. *-
neiras na provincia da.Parahiba e i amp le
ao Sr. Joaqnira Mauricio Wandrl v. i i-ni. ir-
engenho S. Prauciseoa cidade da *
Gregorio tambera oriento, cor fu > id "o
nos da idade, dhos bem vivos, ps >i -- > ma-
queos, bonita figura, lun-uaia ma' i. m
urna das Ofelias, proveniente de n da,
muitos signaes dequeimadara pila linr* i*wi-
hera tem atareasde.oesfo palas, n Ihem sahto coa oorreote ato ect^. ,m.^o>- - que tenUajn tfluido para.oa Was dr >Im.,"V.. (hj
ou Guabira sftrahyba : auem os rrr,i- )*-
v- o ao refer* -ngeabe ItoHoroi -< >. ,r
Dr. AniouioiHooantiao tnaiilaanli di .a'^nneaspie,
ou no Reeife ao Sr. JoA) Floreii. uti
Jnior, que saca ^en^wsaiueiiie i.
Prevlne-seaos senbors eapitV mp
tenham-tod* vgltancia eaccasH os ditos eseravos, visto-qoejipor iW iJunei '
COM
, para a alvure. a con-I i
da iiierii'i
>*FS!5Z
praeneoadoe
aamdoi" "dba" denfea, curando u 'daMlpaan a alvnra
caneadas pesa caria on prodaiidas pe^jlpranaiHaaa *
aaaaadad atar oa do fri I tarttro de que.
Itopesi mRitdt Jmrir: jai ownisu: e^^JWsaatoianVMrtHT>il,a.iA>ii it saastosatoJiiaai
Ra do Queimado n. 31
ti*
Exccllentes chapeo} de castor,
breneosi'o aretes) peto baratiaslnie
preco de iOitaa.
Ruado aueimadon, 31
rara, prefos ^etqaisaranaMiraaiar-se.
protesta com todo o rigor da.lej c:
acoufar.

1)
-le
a
1

asa aasai|ii
lieaaat
vaaaa4-
loja de Aftlpo de JIoma HoUrn
lo dia 19 de mareo
Ldar
ixe; i
nde, uios
abMpj;.
tfjj?3fcl
Vandaie pelPW!-* "JdiS) vaj".r naTrna da-ft^i Hbem o a
deia do Reciten. 58, toja do Azulejo. n. J6, qae



m
8
m
Diario .
.0C8 sL
iefnSro^ty^
BISCr'RSO Ql'E NO DTA DA ABERTCR DO CO.V-
CJLIO 00 VATICANO, HF.CITOl: DIA.NTE DO
SUMMO-l'O.NTiriCE E DOS PADRES ALI.I COM-
'.ItF.OADOS, MONSENIlOn Ll'IZ Pl-ECHER PAS-
SAVAI.I.I, ARCEBISPO DICO.MO IN PAIlTillLS
EVIGAWO DA BASLICA VATICANA.
Beatissran padre.Ehito para dar ptin-
cipio a urna obra de (fie om todo o mvmdo
i.io pode talvez haver outra nem mais santa.
uera mais grave, fonfosso
me logo inferior altura deste encargo
desanime i a ponto, que nao tena uiii.llidu
rada para o dedicar de miua, se voz
d'aquelltt, que lom o respfloso biiio de
toda a raagestade sacerdotal preside a este
nosso ajuntamento, me n3o tivese consola-
40 e animado. Portanto, ainda que nem
peia idade, nem pelo talento, nem pela au-
toridade, nem pelos merecimentos possa ser
comparado com 03 meus collegas no epis-
copado, assumi todava esta commss5o con-
fiado principalmente no que disse o Espiri-
to-SastQ : O homem obediente cantar a
ctttriq. (Prov. XXI28).
\1js ha outra razo tambem que con'cor-
riiu nao pouco para a tomar sobre mim.
V jis como nasei na cidade onde a igreja
ldfica leve o sea ultimo concilio, que
.'tamente apregoado com grandes louvo-
, e a todos pareceu quasi um prodigio,
arreu-rae a idea de que aquella mesma I
I Mtorlar ? U*+. seeirTmiz*nr-ante-(W(ta*rpa-sroraIsahir m cortBraeTavrM proph'ticas j desdeS nrincioio
U m0% o^nVJlS-ifelas COl,8aS' ."5 1 Un T'? G?naoIo? Qua q5o grande igreja, como vimos o seu pimisimo C(
_- me fdlt.itia dta^srm-Y propria lingo, sabedona rebentar d'aquimagflio, m*d Jllijy>tofdosorte que pode o apostlo
do con-, pois sao mnomcraveis. e masi diris inelfa- encamithaodo nara n^ifi..,nXX02llll|R,c,.wLlJ, i.....j.L
pois sao innumeraveis, e juasi diris ioeffa
vais. Nio sei o ijue direi, perfutava o
proprio S. Joao Chrysostomo, a qum a
coitinrta meita?aoi cido e manifest, nao sei o que direi, ou o
alte lUscursnri'i, contemplando as vossas
a'ffl cales. Quanlas mas morras santificas-
tes? Quantos grillies ennobrecestes? Quan-
tos auppliem padecestes ? Quantos impro-
ue conbeeendo-IpmVw toleras/es? Como lebastes a atristo ?
Como
videncia, da q\ial todos sabemos, que
Hi:uas vezes se apraz de brincar no inundo,
me elevara a este careo por obra do viga-
iio de Quisto com preferencia a todos os
Muros, para trazer vossa memoria, ao
manos pela minlia insignificancia, os muilo
siiiitares beneficios que daquelle mesmo
concilio redundaram entSo para todo o mun-
do christao, com cuja lembranca pudesse
em vossos coracoes calar a mais ampia es-
fiuranca de que a mesma Providencia vos
assistir tambem agora, e que por setis oc-
otitos consellios dispor tudo a bem da
foja.
.Nao pouco alliviado com esta considera-
do, cobro animo, e alegremente enceto o
encargo que a obediencia e tambem a Pro-
videncia Divina, me impoz, preludiando este
syuodo da igreja universal pelas palavras
de David : Andando iam, e choracam se-
mando sitas sementes: mas vindo viro
com regozijo trazendo os mis feixes. (Ps.
CXXV, 78}. Pois com estas palavras me
p .rece ver pintado quasi a grandes traeos,
e como que desenrolado e posto diante dos
odios assim o nosso deporavel estado ac-
tual, como tambem o alegre successo das
cousas futuras.
Senlium de vos, veneraveis padres, pen-
sa que possa ignorar que as palavras que
pouco antes citei, forana por especial e sa-
bia razo pela mesma igreja applicadas aos
aposlo.os e sua divina misso. Porque
Lera sabis como estes, logo que se viram
plenamente cheios, e como que retempera-
dos pelo dom "do Espirito-Santo, que Ibes
fora promettido por Jess nestas palavras :
E Su vou a mandar sobre vos o dom que
vos est promettido por meu Pai: entre-
;.uio ficai vos de assento na cidade at que
i'jais revestidos de virtudel do alto (Luc.
XXIV, 49), foram por todo o mundo annun-
ciar o Evangelbo. Bem sabis como enri-
quecidos pelo proprio Verbo com a divina
sement da celeste dootrina, abundantemen-
te a espalharam por onde qoer que anda-
rn, lancando-a sobre aquella trra queja
desde o principio do mundo, qaando foi
amaldicoada na obra do homem, pelo espa-
to de quarenta seculos, como LeSo Magno
confessa da propria Roma, se tornara n'uma
r-alia de feras, e n'um mar de turbttlentis-
.. i-i i profundidade. (Sorm. I de SS. Ap.
; etr. et Panl.)
Sabis tambem e com os vossos proprios
olbos me parece que estis vendo esses
pobres pescadores,desprovidos de lodosos
auxilios em que se funda a confianca hu-
mana, ora sulcar szinbos os mares vaslis-
.-, mos, ora penetrar inermes em trra aqui
cimas, acola de montes inaccessiveis, ora
[jrcorrer provincias e reinos immensos na
:'>'.do. interrainaveis nas distancias, sem
Ncstao nem alfo/ge; e todo isto, quem o
ooderia ter acreditado eotao 1 com o fito
nicamente em livrar povos em parte bar-
l aros por sua fereza, e crueis por seus cos-
tumes e ritos, em parte, posto que cultos
pelas lettras e scicncias, todava afolados
em vicios e em toda a casta de torpezas,
como todos os outros, para livra-los, digo,
deste jogo ignominioso e tyrannico, e su-
jo ta-los cruz do Senhor.
F quem haver que nao conceba quantos
t.abalhos tiveram elles de vencer em tudo
> !o n qtiantas calamidades de soffrer, e fi-
nalmente quantas injurias e perseguicoes de
coih a vossa pregaco alegrantes as
//rejas ? (Serm. m Metapnras).
Verdadeiraroenle, pois, verdadeiraraente
digo, vaticinara o Real Prppheta, que an-
dando iam e choracam espalhando as sitas
sementes. Mas olhai, padres veneraveis,
para os effeitos claramente maravilhosos
deste apostlico pronto Era elle tal em
vrdade como nas maiores seceuras a cho-
va da noite, que cahindo mansamente sobre
o slo rido faz brotar as hervazinbas, re-
verdecer as folhas, levantar as Adres, suas
desfallecidas cabcc.as, abrir seus a'rocha-
dos clices, que no entretanto fazera por
toda a parle rescender o arcom a soavidade
de mil cheiros fragranlissimos. Pois a se-
ment da verdade lardada naquelles cam-
pos baldos, dt'pois do regados com as la-
grimas doi apostlos, deram fructos to co-
piossimos, que onde s medonha esterili-
dade se encontrava d'antes, via-se depois
FOLHETIIW
OS DRAMAS DA ALDEIA
POfi
urna fecundidade admiravel; e onde so se
levnntavam abrolhos eespinbos, vastas sea-
ras reluziam pedindo a mSodos ceifadores,
que enfeixando-as as encerrassem nos cel-
leiros.
E tal foi sem duvida, como sabis, o
successo que tiveram as innumeraveis fadi-
gas dos aposto'os. Porque o seu pranto
com a vista da abuodante colheita tornou-se
um jubilo, a alegra' desterrou a tristez",
que de certo havia de, com tanta maior
consolagao, suavisar o coraejo de cada um
dalles, quanto rnais profunda fra a afllic-
Co que os opprimira, e lano maior recom-
pensa esperavam que conseguiriam destes
fructos, quando se apreseotassem ao Senhor
do campo carregados com elles: mas vindo
viroscom alegra trazendo os seus feixas.
Nestes termos en nao duvido, veneraveis
padres, represenhr naquella condic5o dos
apostlos a vossa propria actual. Pois vejo
que at das mais remotas partes do mundo
acudisles pressurosos a este augusto con-
gresso, mas com o rosto macerado e c> m
a cabeca inclinada sob o peso dos cuidados,
om o covacao opprimido de tristeza, por
causa dos terriveis estragos qnj s mos de
antigo inimigo do genero humano teera sof-
frido as almas, e pelos maiores que ainda
para o futuro elle Ibes prepara. Vejo que
dstes entrada nesle mystico cenculo, para
recolber, pela uniao das torcas e dos cons-
Ibos, mais abundantes sementes de verdade
e de justica. E n5o ser baldada a vosea
expeclac3o, pois abertamente vo-Io mostra
a gravidade das materias que h3o de ser
tratadas oeste srnodo.
Mas longe mim que eu queira preve-
nir as vossas sapientissimas deliberares, se
seguindo as pisadas luminosas amplamente
assignaladas do nosso tugosto pontfice,
ousar agora aflirraar, que poderets von-
tade colber desle concilio riquissima colhei-
ta de sementes celestes. Porqoanto ba de
aqui tratar-se do modo como podereis tirar
o povo christao d .'ssas cisternas ptridas e
viciosas pela alli-viao de todos os erros, e
reconduzi-lo s aguas lmpidas e inosgola-
yeis do Salvador; como a acc3o benfica da
igreja, quer vestida de novas formas, quer
fornecida de novos auxilios, se possa tor-
nar mais robusta para, segundo o fim por-
que foi instituida, se abalancar a caminhos
at al'i nao tentados e abrir urnas aps ou-
tras novas boceas, pelas quaes a virtude e
graca do Espirito-Santo se possa mais segu-
ra e fcilmente transfundir emeada um dos
membros do corpo mystico de Christo;
como tambem as forfas vigorosas dos fiis
se ho de tao estreitamente colligar entre
si, de sorte que possam resistir aos esfor-
Cos desatinados do atheismo, da hypocrisia
e da impied.ide, frustra los, e al desfaze-los
e anniquila-los inteiramente ; como final-
mente, para tudo dizer n'uma s palavra,
deyer restaurar se o espirito-e vida dos
chrislos, para que resplandece com a mes-
ma divina luz com que outr'ora brilhou na
trra, quando esta nossa religio, filha for-
mosissma e predilecta de Deus, com o sa-
cramento da agua e do sangue que manara
do costado do Redemptor, desceu do monte
calvario purificada para se apoderar de todo
o mundo qne recebOra em beranca.
Nem outra cousa por certo se deve argir
deste nosso grandioso ajuntamento. Pois
quem poder conceber qual e quanta cari-
Ponson du Terral
(Continuacao do o. 76.)
n
Quem era a Ceifera ?
Urna pobre viuva, urna pobre mi com
dous lilbos menores, tendo por nico ga-
ii.ia-p3o urna pequea granja, que tomara
de renda um proprietario da locadade,
o Sr. de S. Juliao.
Chamavam-lhe a Ceifera, do appellido
do marido, que era Jos o Ceifeiro.
Jos tinha morrido na anterior primave
ra, e, para bem o dizer, de desgostos.
Quando um simples cultivador empre-
hende especular e innovar, fa lo com mais
dedicacao e arrojo do que o industrial pro-
priamenle dito.
Jos o Ceifeiro tora um cultivador mais
que med), quasi rico : ebegra apos-
soir uns trala mil francos.
Quando casoo, consideraTWHio o me-
luor partido do logar.
Destacadamente, emprehendeu agricul-
tor em escala desproporcioaal aos seus ha-
veres. .
vgiai herdades, adu-
e guanos, esgo-
Tomou de renda
bou as trras
tou-is pelo syi
machinas de
charras mod
v iou-ne.
Dnroo esta situ
dos quaes estava
igis, estabeieceu
giio, mandou vir
tm resultado iodi-
y
l&co annos, no fim
Pira o costeamento de uaa agricultura
eiperiraentai Un da rotraa e iodispinsavel
ter grandes c trmittam espe-
rar ofrqcto de dnS ^H(os.
Jos o Ceifeiro circumscreveu-se entSo a
ter de renda urna pequea granja denomi-
nada o Sapal, situada quem da floresta,
n'um sitio ermo e de urna tristeza profun-
da. As febres paludosas faziam ali os seus
estragos, ainda mesmo durante o mez de
setembro e os immediatos* ate ao invern.
Por espaco de dous annos lutou o pobre
agritultor arruinado contra a torga da des-
gract.
Depois o desalent, as aflicces, os pra-
sos fataes de pagamentos, a insolvencia das
rendas e por flm as febres levaram-no se-
pultura, deixando a malher ainda joven e
duas creancas, das quaes a mais velha tinba
apenas seis annos. Era, portento, a viuva
d'este infeliz que o cura Duval ia ver tanto
a pressa.
carteiro da aldeia foi quemo avisen do
eslaflo lastimoso em qne a viuva se achava.
Foi o bastante para que ovelho sacerdote
se pozesse caminho, como vimos, sem
embargo do horrivel lempo que fazia.
Quando o cura Duval e o sacrlstao Bi-
gorne, seguindo pelo atalho indicado por
Lebouteux, chegaram granja do Sapal, o
aspecto interior da casa era pungente.
A viuva, sentada junto i orna escassa
fogoeira, tirita va com o fri precursor da
febre.
A mais nova das crianzas dorma com
a cabeca reclinada sobro os joelhos da
A mais velha, conscia do soffrimento
maternal, segurava-lhe urna das maos e der-
ramava silenciosas lagrimes.
Junto da mesa, a nica existente no
qnarto, que simaUantamente servia de
casa de dormir e de cozinha, duas pessoas
se repartiam 1 ojj^ra refeidle, oMn^oe|a
de sopa de ferjoes m tocado de queijo.
Estas* erara urna rapariga de quitorze
annos, chamada, a Tordue, qne coidiva das
gailinhas, e um camponez ji velho, quedes-
empenhava o servico de carreteiro, traba-
quimesjQo, m>;
encamiihando para o benqGmunJ|gi
os sentimentflKle aija ons, "nSs"os
affectos do cawcao, disculirdes d.
mente, epinderarde^p toda a at!
aquellas gravissimM cessidadesde"
horr.anidade ? CeJ| dos vos,
de acabado tudofl je Rima,
desta nova JerusslK. pai ssas dio-
ceses, ricos de grainJB
e de vinudes.-^De novo os reinos da Eu-
ropi. de osfH confias da Asia e da Ocea-
nia, de novo vos receber3o as regios' da
frica e daHmerica, e vos verSo a todos
ardendo no fogo do Espirito-Santo, e bem
como lavradores incessantemente desvena-
dos desbravar Ierras, a' aqui acuitas, se-
mear os campos, podar as vinna, para qu
produzam ou novos .ftuctos, 00 em maior
abundancia os dispnsem.
Mas d'aqui viro, veneraveis padres, tra-
baldos, das amargossimos e innumeraveis
angustias; d'aqui principiaro a preencher-
se em vos aquellas palavras de David : an-
dando iam e choravam lancando as suas
sementes. Pois entao Analmente, quando
liverdes de por raaos obra, ?e ver manj-
festamente com quaes e quantos inimigos
bavereis de corabater. Por um lado os cha-
mados philosophos e polticos, por outro os
prncipes e os res, e os mesmos povos cons-
pirarii de maos dadas, para qne os esfor-
cos da vossa piedade, c os beneficios da
vossa industria sejam baldados e demais
por outra parte os bomens pervetjos, pro-
fessando o atheismo ora abertptointe, ora
embocados com a mais vergonzosa hypo-
crisia, e colligadqs entre si, temario todos
os meios para destruir desd os fundamen
tos, se tal podesse ser, a propria religio
catholica. A|if que guerra, e quSo feroz"e
duradoura n3o se atear d'aqui! Ah que
inimigos e quo perlinazes e implacaveis!
Juntai a isto tambem, e esla talvez de
todas a chaga maior, o indifferentUmo de
minios, que opprimifido a igreja de Jess
Christo, ha de forzosamente dentro em pou-
co esterilisar os mais cultos e ricos paizes,
e trnalos em pavorosa solidao onde am-
plamente dominarao s a tristeza e a
norte.
E por entre estas ondas, abertamente o
digo." por entre, estes cachopos engaosos,
deveis caiinhar, veneraveis padres; sim,
pelo meio destas tempestades, que ameacam
levar a ruina a tudo, devereis andar como
firmes rochedos ; assim deve ser mareada
a vossa barca, e impellidos os vossos remos;
assim Analmente devereis trabalbar com
todo o esforz, para que a mesma barca se
conserve inteira, eseja restituida com usura
ao pai de familia qqe vo-la confiou.
Nem para admirar que isto assim seja,
veneraveis padres, sendo vos mesmos suas
tesiemunhas, e sabendo vos bem nao s
pelo exemplo dos ootros, mas tambem, ao
menos em alguma parte, pela vossa pro-
pria experiencia, se esta tao grande em-
preza se poder, nao direi concluir, mas
nemseqtier principiar sem cahir n'um vasto
mar de penas e amarguras. Por quanto
na verdade seria preciso, ou nunca ter apren-
dido o que significa a misso de Christo, e
sobre que versa o sublime encargo episco-
pal ou, o que seria totalmente indigno,
dever-se-hia ignorar de todo quantos e uo
grandes males opprimem a homanidide,
para que qualquer deixe de perceber
priraeira vista a que perigos e contradietces
deve estar exposto quem desempenha este
ministerio, ou como se n3o possa esperar I
bom resultado se no coraejio nao nouver as
disposices que tinha o d utor das gentes,;
que de si confessava publicamenle: compro
na minha carne aguillo que resta a pade-
-cer Jess Christo, pelo seu corpo que a igre-
ja. (Coloss. 1, 24).
Mas eia, padres respeitabilissimos, reves-
t-Vos de grande animo e esforco. Pois
se est escripto nos oceultos designios de
Deus, que a mystca sement da doutri-
na evanglica n3o p)ssa brotar ou crescer,
ou pela belleza das folhas e vico das Ares
ganhar vigor, sen3o com a coodicao de ser
serapre banbada e regada com as lagrimas
e o sangue dos homens apostlicos; vonta-
de tambem do m smo Deus, que as la-
grimas que se derramam pela causa da jus-
tica e da verdade sejam copiosamente com-
pensadas por piedosas e santas consolacoes
do co, pois est escripto : Bemaveutura-
dos os que choram, porque elles sero con-
solados. E se dos discpulos de Christo o
dos outros prgadores do evangelho est
dito, que caminhavam e Mam chorando e
espalhando as suas semwtes,*delles tambem
est escripto que ao roltarem para Jerusa-
lem viro com o maior jubilo trazendo os
seus feixes. E se est'outra parte das pa-
ja inoss co'races se inflammem
Ihador- e todos os mais, pois que, era o
nico criado que restava na casa.
Logo que o cura appareceu porta, um
sorriso assomou s faces lvidas da enfer-
ma, que, erguendo as mos para o co,
exclamo a .
Ah Deus nunca abandona os des-
granados t
A crianca que dorma, acordon, (han-
do no padre olhos espantados. A ontra
dirigio-se elle e beijoo-lhe respetosamen-
te a mao.
Rosa fez um esforco para se ergner, mas
tal era o seu estado de fraqaeza, que cabio
immediatauwnte sobre a cadena.
Entao come que desappareceu a entida-
de eedesiasti :a para dar. lagar te. velho
pratico que havia'trinta annos luava, inde-
pendefUmente da falta de um diploma
scienti^co, contra aqulla enfermidade cha
mada etes, ficando quasi sempfe trlum-
phante.
Observo4.ypoU,.a deej^te, vio-lhe a lin-
gua brenca, tomou.-ihe o pulso febril e cou-
cluio dizeado-lbe :
2j J^ ,i. f
O periodo do- Irte tai passaado'e nao
urda e actesso da febre ; preciso que va
deitar-ee para poder tomar um remedio que
aqui trigo ; urna bebida qne deve ser to-
mada s c"
cor
que pode o apostlo es-
tt%coajo abundam em nos
m 1 dfi%!2f*(,l4im 6 tan*bem
rtsio abundtu I Cor. t, 5), manifest qne o mesmo
Ifcito se dar, em vos, se movidos do
mesmo espirito dos vossos Predecessores,
seguirdes intrpidamente as suas pisidas,
sabendo que assim como s-ns companheiros
>s padecitmntos, assim e seris tambem
nascontolacdes. ffd. 7.i
E que realmente ainia nesia vida have-
mos de consegair amplissimo galardo dos
[nossos trabalbrB, e que demais Deus nos
tern reservado grande recompensa no co,
claramente se deduz do proprio penhor que
agora se nos aprsenla, isto~ do modo
verdadeiramente admiravel, com que se che-
gou a reunir este solemne concilio dos bis-
pos de toda a christandade. Porquanio
quem haver que n3o veja que por este
fado, comeado com t3o prsperos auspi-
cios no meio de diffi;uldades de todo o ge-
nero, Deus qner dar-nos um indicio ceriis-
simo do que podemos esperar n) futuro,
cem tanto que n3o ponhamos nos mesmos
impedimentos torrente de verdade e de
justica que em breve devora romper da ro-
cha do Vaticano ? E aqui soja-rae licito, eu
o peco, recordar as dores sublimes do pai
e dos filhos com affecto de commisera-
fo.
E com effeito nos reunidos, como em
abrigo sombra sagrada do Vaticano, ad-
miravamo-nos das mmensas ruinas que
Satanaz ampia e rpidamente amonloava em
roda dd nos; admiravamo-nos de ver ang-
mentarem todos os das as ondas lurbu-
lentissimas da impiedade, e al ameagarem
este asylo da paz, e por isso nos todos, so
bresaltados e gemendo, e cheios de tris-
teza, pensavamos que tambem nos sentados
nas ruinas despedacad s do Snctuario esta-
varaos prximo a exhalar o espirito com as
vozes lamentaveis do amigo dos irm3os:
como jaz solitaria toda a cidade cheia de
povo; tornou-se quasi em viuva a senhora
das gentes ; a princeza das provincias est
feita tributaria. (Tren.) Qaando eis que
um raio de luz purissima rasga as densas
trovas, e levanta de novo a nossa esperanza
quasi extincta. Pois ao pensamento do
no-so Supremo Hierarcha.quo est ao leme
da barca, acudi a idea de chamar para
junto de si os ancios.do novo Israel e
co-juizes da f, para de commum consenso
de todos se prover quanto antes ao Santo
Tabernculo de Deus, assaltado, at nos
seus mais ntimos desvos e recnditos lu-
gures, por inimigos innumeraveis e terribi-
lissimos.
Era isto ao principio um como nevoeiro
que apparece deinanha, e de repente se
desfaz todo, como clarao que percorre os
espaeos dos cos." Mas o Espirito Paraclyto,
que procede do Pai e do Filho, e ampara
perpetame, te cora a sua proteccao esta
cadeira augusta, para logo a fecunda com a
sua luz vivificadora e septiforme; e, oh
maravilha! esse pensamento, bem como grao
de mostrada, que, segundo atiesta o Evan-
gelho, na verdade a mais pequea entre
todas as sementes, mas que etn crescendo
o maior de todos os arbustos, e tornarse em
aroore, a ponto que as aves do co vem e
habitam em seus ramos (Math. VIII, 32);
esse pensamento, repito, pela virtude pode-
rossima do Paraclyto, apenas apparece,
vinga, e se faz gigante mais-depressa que
nio o digo, E eis que de todas as partes
da trra nos adiamos j aqui reunidos nesta
immensa Baslica, que um prodigio da
arte ebrisla ; eis-nos junto do tmulo do
principe dos apostlos, donle ainda respi-
ra e tdm vida o sopro perenne de- todas as
virtudes episcopaes : eis nos junto dos t-
mulos de Le3o, dos dous Gregorios e de
Chrysostomo, donde drieis que ainda hoje
est sahindo, depois de to longa serie de
seculos, um rio ainda recente de eloquen-
cia para regar ouira vez os campos da igreja
catholica. Mas eis-nos, e isto mais deve
servir-nos de consolaco, e ferr mais os
nossos co -aces, eis-nos perto da pssoa de
Pedro, que ainda presente e vivo nos seus
legtimos succesores : com o mesmo trans-
porte de amor com a mesma f de outr'ora
parece estar bradando : Tu s Christo Filho
de Deus vivo; ao que tambem se ouve de
novo a sublime resposta do Redemptor l
dos cos, onde est sentado direita de
seu pai: E eu \e digo que tu s Pedro, e
sobre est pedra edificarei a minha igreja,
e as portas da inferno noprevalecero con-
tra ella.
Todas estas cousas, veneraveis padres,
quiz eu trazer vossa memoria, para que a
nossa confianza, como que alentada por es-
tes estmulos, se avive ainda mais, e os
e, m mar a
esta S lo SyapioTKn qo
80e, os 9"Of fwno!
ncas de todoo mondo,
por nm !add ha deprodinir em
v's, pela causa da justica, muitas graves
affiiccoes e talvez algom dia vos rednza a
extremas angustia; por outro lado ha de
abrir-vos ama fo'nt de jinvissimas consola-
coes, e aplanar e preparar o caminho lam-
bem para os mais jubilosos triumphos.
Campre porm que agora entre a dor e
o pranto ponhais hombros a esta empreza;
mas vira depois tempo em que, e o pro
prio Filho de Deus quem no-lo attesta, vira
tempo em que a alegra su:<*jder a nos ja
tristeza, por qua est escripto : Em ver-
dade, em verdade vos digo, que 00$ haveis
de chorar e gemer, e que o mundo se ha de
alegrar, e que vos haveis de estar tristes,
mas que a vossa tristeza se ha de converter
em gozo. (Jo XVI. 20.)
E esta espe;tac3o, assim o creio, n5o po-
dor falhar, se collocarmos sempre a nossa
attengo no fim qne se prope este concilio
ecumnico, que tojo consiste na gloria de
Dus, e eterna salvaco das almas; se pro
curarmos sobre lado que este mesmo conci-
lio seja a mais esplenlida joia entre tantas
outras que enfioram a cabeca do venerando
e mignanimo Po; se finalmente os fastos
da igreja puderem algum da em letras de
ouro entregar memoria dos vindouros, que
a paz dos coracesj a concordia dos pensa-
mentos, a moderacao das emprezas, a digni-
dade das discusses, a equidade do juizo.je a
sabedoria de todas as delberaces, guiaran)
de modo tal os c races e as intelligencas
dos veneraveis padres, qne quando as por-
tas que sobre nos se fecham de novo se abri-
rem para annunciar ao mando inteiro: As-
sim parecen ao Espirito Santo e a nos ( Act.
XV, 23,) a mesma trra a final sinta o im-
pulso do Esp rito Creador, pelo qual se re-
conheca plenissimamente renovada, segundo
as palavras: Mandai o vosso espirito, e as
cousas sero creadas; e renovareis a face
da trra.
Tudo isto. mediante especialmente a in-
tercess3r da bemaventorada e gloriosa sem-
pre Virgem Marta, o mystero de cuja Im-
maculada Conceicjo se celebra hoje com
grande exultacSo de todoo mande, se digne
de conceder a todos nos o Eterno Deus Fi-
lho, senhor I redemptor Nosso Christo Je-
ss, que com o Padre e o Espirito Santo
vive e reina na eternidade perpetua, Assim
seja.
colheres tres \eM ao dia ; creio
que assim cortaremos a febre dentro de
vinte e qoatro horas.
Rosrc"htemplou-o com olhar raelanco-
co e aflictivo, dizendo :
Foderei trabaJhar ,d*lqi tras
dias ?
O padre ergueu os olhos.ao co, qomo
xzr um poder superior.
la simples, pergunta.da enferma
e um poema complac* ,
boma da miseria e da desesoera-
cJo. ^^
O padre, engroaeaodo a voz, cora ar Ja desagrado :
para
r N'a
resum
Era
Entao quer recahir da saa enfermi-
dade?
E que, mea bom senhor cura, re-
darguio Rosa meigamentetenho tanto que
fazer...
Veremos o modo porque ha de ser
coadjuvadaacudi o cora Duval.
N3o se afflijadisse Bigorne, que al
ali se conservara respetosamente atraz do
padre.O senbor cura dir a missa mais
cedoe eu virei aqui prestar-lhe e meus
servicos por alguns dias.
Es um guapo moro, Bigorne I disse
lacnicamente o padre.
Ora veja: -^-acudi a enferma est- a
fiodar o anao, e eu sem meios de pagar a
renda ao senhorio. OffC| * ; Eu verei isso disse o padre. '
Mas Rosa, qu conhecia o carcter do
Sr. de S. Jato, raeneou tristemente a ca-
beftf. ,w"*1#%
b oriado sahtra para recolher o cavallo.
A criada carcunda, chamada a Tordue,
arrumava os pratos a Bigardo eontioaava
na espectativa.
O cura puchou de urna cadeira 0 seoJou-
se ao lado da enferma.
Rosa tinba apenas vinte e seis anuos, e,
apezar das afflicces e enfermrdades, era
anda formosa.
A pobre mi, hoje sem apoio e redolida
miseria, fra outr'ora urna risonha elle-
gre rapariga.
Rosa, minha filha dizia o velho sa-
cerdote, tomando*Ihe a mao nao deveaaos
desesperar nanea da bondade de Deut, qae
sempre ccode aos que'soffrem.
Para mim nada quera, responde a
infeliz ra5rmas estas pobres, criancat... o
quesera feito d'ellas ? Estop. bem ra,
senhor cura, ]ge nao as var/i BiailQi^m-
po... a enlo...
Aftaste de vessa ila, mtaha ha.
^TU'"BTt*Hta M aoobeaee o que
eq tenh? aofindA-.v
C^clsomlna.
PKLO BABA'O K BAZANCOURT.
Se depois de visitardes os esplendidos
qoarteires de aples, a Chiaia e a Strada
di Toledo, no meio dos quaes a vida elegante
corre em toilettes e em sumptuosos trens,
vos resolverdes a entrar em o velho ap-
les (vechio Napoli), santuario inviolavel das
antigs tradices, atravessareis era primeiro
logar la Strada del Mercanti, e essa parte
da cidade velha qae se chama o quarteirao
del Porto ; acbando-vos entao na Piazza di
Pennino, centro real da vida napolitana.
Em urna das extremidades dessa praca
ergue-se o palacio da Moeda (la Zecca), qoa
no principio foi residencia do famoso Pietro
delle Vigoe. ministro de Frderico II; por-
que s em 1333 foi que oRei Roberto, ten-
do-o comprado, ibe dea o destino qae ain-
da hoje conserva.
Na outra extremidade, atraz da fonte, as
casas afastam-se e formam un qaadrado que
contrasta, pelo seu asseio, cora a lama pre-
ta da praca. Era alli que morava a doozel-
la, cuja historia triste vou contar. Cbama-
vam a Gelsomina bella e a plebe aceres-
sen la va :santa.
necessario ter visto o que sao as In-
bitacoes das familias napolitanas, nesse tris-
te e populoso quarteirao, para ter d'ellas
urna simples idea. Desce-se quasi sempre
dous ou tres degros antes de se chegar a
esses reductos, muitas vezes sem janellas,
que podertam servir tambem de cocheira ou
de estribara.
Quanto a mobilia, compunha-se ella :
De urna cami com um comprimento e
largura descomedidos, de urna imagam de
Nossa Senhora, defronte da qual arde urna
lampada resinosa, de urna especie de com-
moda e de duas ou tres cadeiras.
Na cama deita-se toda a familia; na cora-
moda guarda-se a roupa; as cadeiras servem
para as raulheres, e o chao para as creancas.
A imagem serve para todos.
Esqueci-me de dizer que em um canto
estro um esquentador, duas bilhas, um pra-
lo de barro, um dito de louca e urna faca;
a baixelia da communidade.
Mis como pode urna familia inteira deitar-
se em urna s cama ? me perguntareis.
N3o foi feliz cora seu marido ?
Rosa, erguendo os olbos ao ceo, respon-
den :
O mea pobre e bom marido estma-
va-me devoras ; todo o mal proveio de meu
pai. Deus Ihe perde, mas se elle voltasse
a este mundoeme visse n'este estado...
O padre cooservava-lhe a mi aperlada
e dizia-Ihe :
Vejamos, minha Alba; conte-me as
suas raagoas. Talvez ea possa allivia-la.
Quantaa vezes tenho eu pensado
n'isso I Respondeu Rosa. Ainda nao sof-
fria das febres quando disse comigo :. Vou
fallar ao senhor cora, dr-lhe-hei todo e elle
escrever a Jo3o.
Qae Jo3o ? pecguntou o cura sor-
prendido.
Um ligeiro rubor colorio as faces palu-
das da enferma, mas os seos olharee re
cahiram sobre as duas crianzas agrupadas
junto chamin e Rosa ergueu a fronte,
como se a voz do dever maternal houvesse
fallado mais alto cjue as ioapresses da mu-
Iher ferida no mago do eoracSo.
Joio pro8eguio ella a o homem
qua ea amei, 1 qnem coasagrei o coracao
aerante Deas e o nico que me faria feliz.
Minha filha! exclamou o sacerdote
em tom de severidade,
Ah t senhor cora, uSo me censare !
As minhas intencOes sempre foram boas, e
por isso me curvei ante a vontade de mea
pai. Jlo era um pobre camponez de So-
fonha. Nascemos na mesma aldeia e era-
mos da mesma idade ; amavamo-nos e por
certo casaramos, visto qae elle nao era
mais abastado do qae ea e os casamentes
entre pobres nSo encontrara dfculdades.
Mas eisara dia o Sr Jos Ceifeiro (entlo
davam-lhe o tratamento de senhor) appare-
ceu na nossa trra a comprar gado. Apai-
xonou-se por mim e pedio-me em casa-
mento. Meu pai Acou desorientado-com
proposta. Pedi, sqppRqoei dabtide : tive
la 1
mi
ec
as
-s, qae le tftpqfta m
com a cama em que se tem de"estender e
cora o tecle debaixe d.:traal do|tne soa fa-
milia, se Deus creou para todos esse bello
co azulado, e se aples ten para cada
um do seus Alhos um lencol em^jue s) pode
dormir e sonhar ao pino do sol ? A pobreza
a essenca e pode se dizer a necessidade
desse povo, qne nao procura sacudi-la de ai;
pelo contrario, ella agrada-lhe ; elle vive
a par d'ella como sua amiga ; a compa-
nbeira fiel que assisliu ao seu nascimeoto e
que deve presidir sua morle. Contanto
que elle trabalhe pouco, qae possa olhar
para o co, oavlr o mar, e rezar qae Ib?
importa o resto ?
Em um d'esses quartos t3o ns e despi -
dos de ornatos, pobre e silencioso, umadon-
zetla, sentada junto da porta, trabalhava
constantemente e com ardor.
Horas inleiras decorriam sem levantar,a
cabeca, e sem despregar os olhos do seu
trabalhe.
Pela sua imm bildade pareca a estatua
do trabalho.
Essa donzella Gelsomina. *
Nella se v esse typo vigoroso, qae dom
particular da pura raca italiana. Suas fei-
Ces s3o enrgicamente accentuadas, e o
sol de aples dourou sea rosto desse co-
lorido amarellado, lgeiramente atrigueirado,
que se encontra nas mulheres do Meio dia.
3o s3o essas cores frescas e rosadas que
parecem Aorescer como as ptalas embalsa-
madas das Ares da primavera ; nao esse
sorriso perpetuo que graciosamente issoma
nos cantes purpreos de urna bora elegante
e breve ; n3o esse olhar vivo, gil, bri-
Ihante dos felizas da cidade.
Os pobres raras vszej sorriem, seus ros-
tos s3o, como suas existencias, tristes e som-
bros; elles trazea o cunbo do trabalho e
das vigilias, e muitas vezes o da miseria e
das lagrimas. Sea olhar pensativo e des-
confiado, velado pela inquietaco incessante
de um viver incerto e precario; porque
cada dia que passa nao deixa aps si o
somno e o descanso, mas a duvida do dia
seguinte, que torna ainda mais terrivel a
lembranca da vespera.
Tal o viver da pobre Gelsomina, calma
e resignada na sua miseria, nao roubando
ao trabalho quotidiaoo se n3o o tempo ne-
cessario para ajoelbar-se na presenca da
imagem da santa padroeira e orar por seu
pae, velho e cgo; por sua m3e, velha e
enferma. o aojo do amor filial que bai-
xou trra. Ella vive tranquila e alegre
entre esses dous velhos que a amam, que
a veneram e a abencoam, nao se importan-
do com o viver dos mais, que sussurra em
torno de si, dos cantos e dos gritos que a
cercara, n3o connecendo se n3o a voz de
seu pae quando a chama, e as lagrimas de
saa me quando solre existencia piedosa e
santa, coraco puro e sem manchas, alma
grande e orgulhosa na sua pobreza e no
seu labor, natureza forte e resigoada, qae
nada faz cansar, nem abater, nem desani-
mar. Quando a noote cae, accende ama
lampada e contina no sea trabalho. Mui-
tas vezes a oitava ou nona horas da noote
acham-a curvada sobre o seo trabalho, e
do fundo do u jico quarto qae todos tres
oceupam, o velho e a velha gritara-lbe :
Gelsomina, vem descancar; caneas-
te mnito minha filha, e por fim adoe$eras-
Em um dia do mez de setembro, a 5.a
hora do dia resoou na igreja prxima, e Gel-
somina trabalhava.
Apezar do ardor e da activdade coa que
o fazo, seus grandes olbos negros erguiam-
se muitas vezes, resplendentes como dous
raos ardentes, e olbavam para a roa pela
porta entre-aberta. Em urna o casio ella le-
vantou-se, e foi encostar-se janelta.
(ConttHuar-st-ka.)
POUCO HE TUDO.
BOIA NOVA.Verificou-se em Toulon a
experiencia d'um apparelho de safvacio cha-
mado boia de phosphire de calctm>, e oexito
foi muilo satisfactorio. O mrito da boia con-
siste em incendiarse, e quanto mais se mo-
lda mais brilba, dorando a saa luz urna bora.
cada vez mais forte. A boia nio queima o
homem que a ella se agarra, e, Auotuado,
serve ao mesmo tempo de sigoal para des-
cubrir e soccorrer a pessoa que oair a'agua
de noite ou n'uma tempestado, ede guia para
os rme vo soccorrer os nufragos.
de ceder. Case com Jose> a- o> resto sabe-o
toda a gente balbocioa a pobre em so-
lucos.
E Joao ? perguntea o cara enterne-
cido.
Joo quiz. malar-s mas ara rapaz de
genio e assentou praca. Se vive ainda,
pois, nunca mais tive noticias d'elle, estou
certa de que me amar sempre. Deve es-
tar a acabar o tempo de seivic.o, podo ser
que volte esta trra e eolio...
Entao- desposa-lo-ha? acuda o
cura coramovklo.
Nao. pens n'issorodaryoio aliatris-
temente.Sinto fogir->me a vida, mas Jo3o
om grande corac3o, trabalhador, activo o
protgela os meas dous filhos...
N'este ponto iaterrompeuse a viuva. *
\cabavam de baier a porta, qoe ara se-
guida se abri, dando entrada m hAvMn
todo alagado de chova.
Qae ladrlo de tempo IBoas noutes,
santa genteNio me ensinam onde fica o
logar das Tilias ? Creio que ah onde
reside o medico mais prximo. Sao bem
parvos estas mdicos da aldeia f Mas quan-
do nao ha outros... tanto mais qua para o
caso talvez nem o melhor de Paria servase.
Parece-me qae meo amo ebegou coola...
oito zagalotes e orna bala no corpo...
O homem que pronunciara toda esta al-
garaviada de om so mego, e ao qual nin-
goem responden palavra, avancen sem ce-
remonia para a chamin.
O cura voltou-se e flxou avista-no r-
cem-chagado, .
Bom Iprowgato ella. Temos pa-
drecas! t
O sacerdote ergueu-se, ancaroo-o bondo-
samente, mas com gravidada, disse-lbe :
Porqna me trata as^im injuriosa-
mente, meo amigo ?
(Continuar-se-ha.)
TYP. DO
*AIH^ClPiCAXUS
t


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELMNJ1GRV_AGR7ZW INGEST_TIME 2013-09-14T03:46:20Z PACKAGE AA00011611_12083
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES