Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12063


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLVI. NUMERO 57
PABA A CAPITAL E IGABES OHDE NAO SE PAGA PORTE.

Por tras mczes ada.r
Por seis ditos idem .
Por um anno'idem .
Cada mumero avalso .

6000
125000
24^000
320
SEXTA FEIRA II DE MARCO DE 1870.
PARA DEITRO E TORA DA PROVKCIA.

Por tres mezes adiantados ....
Por seis ditos dem.......
Por nove ditos dem ..........
Por urn anno idem........-
.
...
.......
...
60750
130500
200250
270000
DIARIO DE PEMAMBU
Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.
SAO AGESTE*:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves d Filbos, no Para ; Goncalves d Pinto, no Maranhao ; Joaquim Jos de Oliveira, no Cear ; Antonio de Lemos Draga, no Aracaty ; Joo Mara Julio Chaves, no Ass ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
Pereira d'Almeida, cm Mamanguapc; Antonio Alejandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulco, em Santo Anto; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazarfch ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martins Alves, na Bahia ; e Jos Ribeiro Gasparinho no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL
Governo da provincia.
expediente asSJSA&o I'ki.ii kxm. sn. :m)!1 fue-
I BE ALMEIO.V K ALBUQUeRQUE, PMIN'OK.NTK
. PlUlTJjICU, KM I DE IHVEliEinO DE 1870.
1' seego.
i Portara ao Exm. Sr. general comman-
dale das armas.Em vista do que Y. Exc. expz
< u otflcio de 28 de janeiro ultimo sob n. 3i,
eoasidere ssm clfcito a deliberarlo de 2o do cita-
do mez, |iela qual havia nomeado o coronel refor-
mado do exercito Antonio Pedro de Sa Brrelo
para commandar interinamente o forte do Buraco
"ni subslituico do coronel Antonio Gomos Leal, e
ei paja esse fm o tenente-coronel do corpo
de engenheiros Sebastio Jos Basilio Pyrrho, o que
eoramitnico a V. Exc. para seu cjiilieeimenlo e
em rosotua ao seu citado oflicio.
N. i.^wna ao mesmo Commanico a V. Exc.
que atk vista de sue informarlo n. ot de 28 do
mez fiodo, c.ncedi ao 1 cirurgiao do corno do
sade do exi-rcito Dr. Joo I fon'rio Bezerra de
Mecezes, tres mezes de licenca nos termos do
decreto -n. 3,579 de 3 de Janeiro de 186G, para
tratar de sua saude.
N. 5.Dita ao mesmo. Ao engenheiro das
libras militares determino, nesta data, que roalise
os reparos oreados em 811,5010 da capaila e 3 gua-
ntas do furte do Buraco, autorisados por aviso do
ministerio da guerra de 17 de Janeiro prximo
tindo: o que declaro a V. Exc. para seu conhec-
menfe
.Dita ao engenheiro militar.Autorisando
o aviso do ministerio da guerra ue 17 do mez fin-
lo, junto por copia, a despeza de 895010 em que
foram oreados os reparos da capella e 3 guaritas
do forje do Buraco, proinova Ym.\ a sua realisa-
gao nos termos da lei.
N. 7 Deliberacao.O presidente da provincia,
temi em vista o o'flicio do brigadero eommandin-
te das armas datado de 28 de Janeiro lindo sob
n. 5'i, resolve considerar sem elTeit) a deliberacao
i 23 do citado mez, pela qual noaiea o corone'
reformado do exercito Antonio Pedro de S Brre-
lo para coramandar interinamente o forte do Bura-
co e nomear para esse fim o tenente-coronel
do corpo de engenheiros Sebastio Jos Basilio
l'vrrbo, e determina que neste sentido se expecam
as eonveuienles ordena.
2" seccao.
N. 8.Portara ao Dr. chele de polica.Preste
V. S. at o da 8 de marco vindouro, as informa-
les constantes do aviso junto por copia da repar-
tido do imperio de 25 de Janeiro prximo lindo c
111 raappa a que elle se relere.
X 9.Dita ao eommandante do corpo proviso-
rio de polica.Transmiti a Vme. para a devida
xecugo a sentenca da junta que em ultima os
Unca julgnn hoje o alferes do corpo sob o seu
i-ominando Basilio Luiz Colho.
X. 10.Deliberacao.O presidente da provincia
ii vtsta do ofcio do chefe do polica n. 14i/de
hoje datado, resolve conceder ao capitao Antonio
Augusto da Fonseca a cxoneraeo que pedio do
cargo de Io supplentc do subdelegado da freguezia
de Santo Antonio nesta capital.
N*. 11.Dita.O presidente da provincia con-
formandu-sc com a proposta do Dr. chefe de poli-
ca em oflicio n. 149 de hoje datado, resolve no-
mear o bacharel Miguel Lucio de Albuquerque
para o cargo de Io supplente do subdelegado da
freguezia de Santo Antonio nesta capital.
3' seccao.
N. 12.Portara ao inspector da thesourara de
lazead*.Communico a V. S. para seu conheci-
mento, que nesta data o secretario desta presiden-
cia Dr. Elias Fredtrico de Almeda e Albuquerque
ntrou no goso da licenca de 15 das sem venc -
nientos, que ihe foi concedida para ir a provincia
da Parahyba tratar de negocios particulares.
.V 13.Dita ao mesmo.Depei- de li |uidadas
'm vista da folha B pret juntes em duplicata, que
me remetteu o brigadeiro eommandante das ar-
mas, com oflicio de hoje sob n. Ci, mande V. S.
pagar os vencimentos do offlcial encarregado do
|J .'psitoe prisioneircs de guerra paraguayos, c
los mesmos prsioneiros, sendo os daquelle relati-
vas ao mez de Janeiro ultimo e os destes a 2'
quiazeoa do mesmo mez.
N. 14.Dita ao mesmo.-Expeci V. S. suas or-
dens para que depois de liquidados era vista da
folha e pret juntos em duplcala, que me remet-
teu o eommandante superior deste municipio com
officio de hoje aob n. 26, sejam pagos nao s os
vencimentos do9 ofliciaes e pracas do Io batalho
de infantaria aquartellados no hospicio, sendo os
dos ofliciaes relativos ao mez de Janeiro ultimo o
os das pracas a quinzena do mesmo mez, mas
tambera a importancia da despeza feila com o
fornecimento de agua daquelle quartel em todo o
gopracitado mez.
K. 15.Dita ao mesmo.Em vista da folha e
pret junto em duplica a, que me remetteu o briga-
deiro eommandante das armas com oflicio de hoje
sob n. 61, mande V. S. liquidar e pagar os venci-
mentos dos ofliciaes e pracas e calcetas emprea-
dos no deposito de remitas, sendo os dos ofliciaes
e calcetas relativos ao mez de Janeiro ultimo e os
das pracas a 2a quinzena do mesmo mez.
N. 16.Dita ao mesmo.Mande V. S. nao s
ajustar conias e passar guia de aoceorrlmento, ao
coronol Antonio Gomes Leal, que na qualdade do
eommandante das armas da provincia da Bahia,
val para all seguir no vapor Tocantins, mas tam-
bera abonar-lhe ajuda de cus'.o a que tem di-
reito.
X. 17.Dita ao mesmo.Communico a V. S.
para os devidos fin, que segundo participou o
bacharel Levino Lopes de Barros o Silva jniz mu-
nicipal do termo do Ex em oflicio de 5 do mez
findo nessa data assumio o exercicio da jarisdicao
d i vara de direito como seu substituto.
X. 18.Dita ao mesmo.Communico a V. S.
para os devidos tins, que segundo participou o ba-
charelVicente Janeen) de Castro Albuquerque, em
oflicio de 20 do mez findo, nessa data deixou_ o
exercicio do cargo de juiz municipal e de orphaos
do tf rmo de Ingaseira, por ter lindado o seu qua-
trienno.
X. 19.Dita ao mesmo.Communico a V. S.
liara os fias convenientes, que nesta data determi
no ao engenheiro das obras militares que realisa
os reparos oreado em 896010 da capella e 3 gua-
ritas do forte do Buraco, de que trata o aviso do
ministerio da guerra de 17 do mez lindo, junto
por copia.
N. 20.Dita ao mesmo.Exp'dindo ordem nes-
ta data a thesooraria provincial para indemnisar
ao ministerio da guerra da quantia '7311 em que
importaran! oii objectos mencionados na conta por
copa i!"-''!-a providencie V. S. para que seja
arrecida Nwdita quantia annu!lando-se essa
todo determinado no aviso de 17 de
i Mi :io findo, tambera por copia.
J^^Bvita ao mesmo.Communico a V. S.
. os fias convenientes, que segundo participou
o cemmandante superior da guarda nacional de
Cabreb e Ex ero officio de 2 do mez findo, no
dia antecedente, e de eonformidade eom as ordens
desta presidencia foi levado a 50 pracas o desta-
ment de Graaito, fleando 25 pracas ao mando do
alferes Cesario de Souza Leao, ni dita villa e ou-
tras 25 ao mando do sargento Jos Thomaz de
Vivciros em deligencia, segundo requisita o respec-
tivo delegado.
N. 22.Dita ao mesmo.Tendj considerado
sera effeilo a deliberacao de 25 de Janeiro ultimo,
pela qual nomeon o coronel feforaiado do ejercito
Antonio PeJro de Sa Barreto para coramandar in-
terinamente o forte do Buraco, o nomeado para
esse^ fim o lenente-coronel do cirpode engenhei-
ros Sebastio Jos Basilio PjT-rho, assm o commu-
nico a V. S. para seq conhcimenlo.
X. 23.Dita ao inspector da thesourara provin-
cial.De eonformidade cora determinado no
viso do mtnt**ef>o da gnerra-dr 17 do- mtrz lindo,
e junto por copia expera V. S. snas ordens para
que seja aquelle miDitcrio indemnisado da quans
ta de 57X311 proveniente dos objectos consuinte-
da conta inclusa por copia.
X. 24.Dita ao mesmo.Antoriso V. S. em vis-
la de sua informacao de 28 de Janeiro ultimo, sob
n. 46, com referencia ao requerinieuto que incluso
devolvo, a mandar pagar ao escripturario da se-
cretara do governo Fainino Herculano Baptsta
Ribeiro, o qae justamente se Ihe estiver a dever,
proveniente da gratificado que venceu a contar
de 13 de novembro .do anno prximo passado at
31 do citado mez de Janeiro, corno ulicial archivis-
ta interino da mesan secretaiia e deixou de ser
paga ao respectivo proprietaro Joo Valentim Vil-
lela por estar de h enea.
X. 25.Dia ao mesmo.Autoriso V. S. ern vis-
la de sua informacao de 29 de Janeiro ultimo, sob
n. 49,* a mandar pagar ao bacharel Joaquim Jos
Ferreira da (locha Jnior, a quantia de I:554J7B1
cm que, segundo os documentos que incluso de-
volvo, e a que se refere o oflicio do Dr. chefe de
polica daiado de 18 do citado mez de. Janeiro n.
8o, importara as desseaa no mez de dezembro do
anno prximo passada com a alliincntacao e dietas
fornecidas aos presos pobres da casa de deten-
cao.
X. 20.Dita ao mesmo.Pode V. S. de eonfor-
midade com a sua informacao de 29 de Janeiro ul-
timo, sob n. 48, cora referencia a da contadoria
dessa thesourara, mandar pagar a quantia de-----
i lo-ilio em que. seguudo a folha, que incluso de-
volvo e que me remetteu o tenente-coronel eom-
mandante do corpo provisorio de polica em oflicio
de 15 de jineiro ultimo, n. 31, importara as diarias
abonadas durante o semestre de julho dezembro
do anno prximo passado, aos quatro sentencia-
dos erapregados no servico de limpeza daquelle
quartel.
4' seccao.
N. 27.Portara ao director geral interino da
instruccao publica.Remella V. Exc. com a pos-
sivel brevidade, a exposico circumslauciada acer-
ca dos negocios da reparticao seu cargo, occor-
ridos no decurso do anno passado, como se exigi
a essa directora por oflicio de 5 de oulubro daque-
le anno.
N. 28.Dita ao engenheiro fiscal da estrada de
ferro.Remella Vmc. cora a possivtl brevidade a
exposico acerca dos negocios da estrada de ferro
do Recife a S. Francisco e a sua receila e despeza
no decurso do anuo passado a que Ihe foi e exigida
por esta presidencia era officio de 5 de outubro da-
quelle auno.
X. 29.Dita ao gereute da companhla Pernam-
bucana.Remeta Vmc. com a possivcl brevidade
as informaefies acerca dessa CBropanhia que Ihe fo-
ram exigidas por esta pre-ideucia em officio de 5
de outubro do anno passado.
N. 30.Dita a cmara municipal do Brejo. Xo
sendo urgente a malcra do projecto de posturas
que allude o oflicio da cmara municipal da villa
do Brejo, dirigido a esta presidencia em 13 de Ja-
neiro prximo lindo, e estando prxima a reunio
da as>embla legislativa provincial a qual vai ser
submetlido o referido projecto, nao pode ser provi-
soriamente approvado.
N. 31.Deliberacao.O presidente da provincia
attendendo ao querequereuoconego Joajuim Pin-
to de Campis, professor de eloquencia e potica do
Gymnasio Provincial, resolve conceder-lhe 3 mezes
de licenca com ordenado smente para tratar de
sua sade onde Ihe convier.
N. 32.Dita O presidente da provincia atlen-
dendo ao que requereu Marlinho da Silva Costa,
professor publico Je instruegao primaria'da povoa-
cao de S. Vicente e tendo em vista a informago
dodirectorger.il da instruccao publica de 12 Ja-
neiro ultimo, sob n.'29, resolve, usando da autori-
sacao conferida pelo art. Io da lei n. 887 de 23 de
junho do aun.' prximo passado, conceder ao mes-
rao professor, ti mezes de licenca cora lodos os seus
vencimentos para tratar de sua sade.
EXPEDIENTE ASSIGN'ADJ PELO Sil. OKFICIAI.-MAIOU DiX.
ANTONIO ANXES JAE0ME PIRES, NO IMPEDIMENTO DO
SECRETAIUO DO COVEKDO EM Io DE I'EVEllEUlO DE
1870.
2a seccao.
N. 33.Officio ao Dr. chefe de polica.O Exm.
Sr. presidente da provincia minda declarar a V.
S. em re-posta ao seu officio de 18 de Janeiro ulti-
mo, sob n. 8o, que a thesourara provincial tem
ordem para p?gar ao bacharel Joaquim Jos Fer-
reira da Rocha Jnior, a quantia de 2:554.5782
constante do citido officio.
X. 34.Dito ao eommandante superior da guar-
da nacional de Cabrob.O Exm. Sr. presidente
da provincia manda declarar V. S. em resposla
ao seu officio de 2 do mez findo que ficou inteira-
do de haver no dia anterior se elevado a 50 pracas
o destacamento da viila do Granito, de eonformida-
de com as ordens expedidas.
X. 35.Dito ao bacharel I.ivino Lopes de Barros
e Silva, juiz de direito interino de Cabrob. O
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
V. S., que ficou inteirado por seu officio de 5 do
mez findo, de ter nessa data assumido a jnrisdic-
cao da vara de direito da comarca de Cabrob como
Io substituto della.
X. 36.Dito ao bacharel Vicente Jansem de
Castro Albuquerque.O Exm. Sr. presidente da
provincia manda declarar V. S. que ficou inteira-
d) por seu officio de 20 do mez findo, de ter nessa
data deixado o exercicio do cargo de juiz munici-
pal e de orphSos do termo de Ingazelra, por ter fi-
nal3ado o seu quadrieunio.
X. 37.Dito ao Io supplente do juiz municipal e
de orphos do termo de Olinda, bacharel Francisco
Lins Caldas. O Exm. Sr. presidente da provincia
manda aecusar o recebimento do officio de V. S.
de 29 do mez findo, em que participa ter nessa
data assumido a jurisdiccao do cargo de juiz mu-
nicipal desse termo, e nomeado Joaquim Hermillo
Candido das Chagas para servir interinamente o
officio de escrivo de orphaos, capel las e ausentes
desse Juizo.
X. 38.Dito ao eommandante do corpo proviso-
rio de polica. -Nesta data autorisou-se a thesou-
rara provincial a pagar a quantia de 1155440
constante do officio de V. S. daiado de 15 de Janei-
ro ultimo, sob n. 21, o qual Oca assira respondido
deordem do Exm. Sr. presidente da provincia.
Reparticao da polica.
2' seccao.Secretaria da polica de Pernambu-
o, 10 de mar<;o de 1870.
N. 343.film, e Exm. Sr.Levo ao conheci
ment de V. Exc. que, segundo consta das parti-
cipares recebidas hoje nesta reparticao, foram
recolhidos hontera casa de detencao, os segura-
tes Individuos :
A minha ordem, Heleodoro Gomes do Mello,
alm de se verificar a sua verdadeira condicao.
A i rdem do subdelegado de Santo Antonio, Bra-
siliano dos Santos Miranda, por desordem, Jos,
escravo de Anna Joaquina Branca, por fgido.
A ordem do de S. Jos, Felippe, escravo do te-
nente-coronel Francisco Miguel de Siqueira, e Pau-
lo, escravo de Joaquim Pequeo, por fgidos.
A ordem do da Boa-Vista, Manoel Joaquim dos
Santos, por crime de ferimentos leves.
A ordem do de Poco da Panella, Auna; esora-
va de Antonio Ic- Rufino, por fgida.
Deus guardo V. ExcIllm. e Exm. Sr. se-
aador Frederico de Almeda e Albuquerque, pr-
ndente da provincia. O chefe -do polica, Ltit
\ntonto Fernandes Pinhsiro.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
AUTORIDADES POLICIAES.P>>r deliberacoes
de 10 do corrente foram nomeados :
2o a 6 sopplentes do subdelegado do 1 distric-
to de Garanhuns, Joo Correa dos Sant03 Rocha,
Pedro do Reg Chaves, Joo Jos de Araujo, Jos
Paes da Silva e Jos Correa Paes.
Io, 3o, 4o, 5o e 6 supplentes do subdelegado do
dislricto de Palmeiras, Jos Domingos dos Santos,
Manoel Tavares de Vasconcellos, Jos Vianna dos
Pasaos, Jos Gomes 'da Silva e Jos Germano de
Lyra.
ESTRADA DE FERRO DO RECIFE AOS. FRAN-
CISCO.Esta via de communicaco no prximo
lindo mez de feveroiro rendeu 99:259370
Despendeu 35:2255189
Dando de saldo em prolda garan-
ta de juros 64:0345181
A despeza foi de 35,48 por cento da receita.
Xo mesmo periodo transitaram na linda. 90,839
passageiros, i foram transportados : 4,450 volu-
mes com 85,910 kilograrnmas de bagagem,......
7,609:447 kilograrnmas de mercadoras e 610 ani-
maes.
Xas mercaderas estao comprehendidos :
64,381 saceos de assucar, pesando 4,910:799 ki-
lograrnmas e 3,797 saccas de algodo, pesando
282078 kilograrnmas.
TERMIXACO DE PRASO.Amanha termina
o praso da recepeo do imposto da decima urbana
das feuguezas do Recife e Santo Antonio, perten-
cente ao anno ndo de 186869, cujo pagamento
effectua-so com guia da seccao do contencioso da
thesourara provincial.
D'ahi por diante s judicialmente se podor fa-
zer esse pagamento com augmento nc tavel de des-
peza por parte do contribuidle, que nao houver
aproveitado o favor da lei na concesso do referi-
do praso.
A SECCA.As noticias do centro da provincia
sao de urna horrivel importancia^ pois do em va-
rios pontos a fome desenvolvida com lodo o seu
inedonho cortejo de desolacao.
Segundo as condiedes do lempo, nao se pode
assignalar a terminacao desse estado de afflicco,
que nao longe do desespero ; e este por corto
conselhelro de recursos extremos, cuja prevenco
se deve por tanto promiver.
Assim, pois, de urgencia, que o poder publi-
co se apresse a vir'em soccorro de tamanha mi-
seria.
A sua ntervencao exigida petas circurostan-
das, e em tal situacao ella um dever rigoroso
de humanidade e poltica social, de que nao pode
prescindir o mesmo poder publico.
Xestas condiefes, forca pedirmos a S. Exc.
providencias, qne levem aquellas paragens esfai-
madas alguns meos de lenitivo miseria e af-
flicco. de que ora estao ellas sendo o theatro ;
miseria e aflcco de que temos aqu mesmo um
espelho embaciado na caresta dos gneros ali-
menticios, e na difficuldade actual de passadio
por parte da pobreza.
Contamos, que S. Exc. nao ha de descurar dessa
providencia, e do contrario tudo envidar em prol
dessa parte faminta dos seus governado?, dando
assira mais urna vez cpia do coraco bem forma-
do, de que dotado, e de inleress pela provincia
que Iho foi confiada.
JURY DO RECIFE.Xao funecionou hontem o
tribunal do jury, por s terem comparecido 15
juizes de facto. Para completar o numero legal,
foram sorteados os Srs. :
Antonio Rufino de Andrade Luna. \J
Antonio Jos Silva do Brasil.
Dr. Antonio Esteva) de Oliveira.
Dr. Candido A. Machado.
Dr. Pedro Jorge de Souza.
Dr. Joaquim Ayres do Almeida Fretas.
Antonio Jos Leal Res.
Antonio Francisco da Costa Pernambuco.
Antonio Alves Barbosa.
Candido Autran da Malta e Albuquerque.
Antonio L. de M. Mesquita Pimentel.
Augusto Ribeiro de Lima Chalaca.
Christovo Guillarme Breckenfekl.
Corbiniano de Aquino Fonseca.
Caetano da Silveira Amaral.
Dr. Jos Antonio de Figueirdo.
Capitao de mar e guerra Jos Manoel Picaneo da
Costa.
Antonio Jos Cordeiro Simoes Jnior.
Antonio Goncalves Torres.
Major Jos Luiz Pereira.
Joaquim Aurelio Wanderley.
Dr. Joaquim Jos de Campos da C. Medeiros e A.
Firmno Pereira da Cunha.
Ceciliano Mamede de Almeda.
Antonio Feliciano Rodrigues Sette. vj
Manoel Cardoso Ayres.
Francisco de Assis" Monteiro Pessa.
Antonio Henriques Mafra.
Alexandre Rodrigues dos mos.
Dr. Silvino Cavalcante de Albuquerque.
Manoel Gomes de S.
Mainel Jos Goncalves dos Santos.
Francisco Paes Barreto Lamenha Lins.
DIXIIEIRO.O vapor Pirapama Iroux as se-
guintes quantias para os Srs.:
J. Jes Goncalves Beltro. 1:9905000
Jos J. de Paria Machado. 1:000500(1
Jos Luiz Goncalves Ferreira & C 6005000
Fonseca & Santos. 554*000
Bartholomeu & C. 4075000
Fernandes & Irmo. 3335000
Jos Joaquim Dias Fernandes. 2995000
Beltro, Oliveira & 2005000
O vapor Guar levou hontem as seguintes
somraas:
Parahyba. 10:0005000
Xatal. 20:0005000
Cear. 6255000
Maranho. 6505000
PHEXIX PERXAMBUCAXA.Esta companhia
de seguros martimos e terrestres acha-se func-
cionando na ra do Commercio n. 34. Segura
em vapores at a somma de 100:0005000, em na-
vios de vella, at 75:0005000, e em cada predio
al 100:0005000
Os accionistas desta companhia devera proceder
entrada de 20 por cento do valor subscripto at
o dia 15 do corrente.
JURY DO CABO.Hontem rennio-se o tribunal
do jury da villa do Cabo, e entrou em julgamen-
to pela segunda vez o reo aecusado por crime de
homicidio com circumstancias aggravantes Vare-
io, de que j nos occupamos por occasio do pri-
meiro julgamento, no qual foi elle condemnado
morte.
PEDIDO JUSTO Pedem-nos que lembremos aos
moradores da ra Xova que, para maior brilhan-
tisrao da fesla que se prepara para recepeo dos
voluntarios da patria, illuminem suas casas na nou-
te do dia era que elles aqu chegarem.
A5YLO DE MEXDICIDADE.Est mareado o
dia 25 do corrente, anniversarlo do i'arameuto da
conslituieo do imperio, para nelle ser celebrada
a cerimona da inaugurado desse imprtame es-
labelecmepto.
Felicitamos a provincia por esse grande passo
emlisador que vai dar. E* relmente contristado/
0 espectculo que todas as noites presenciamos
nesia cidade, ver homens e mulheres pelos adro
Mos edificios, tendo por leto a pedra fria e por co-
bertor o ci I
1 Todo o coraco bem formado deve estar satis-
'eito cora a ins'tituico do Asyl, e nao deve ter
duvida era dar, por urna vez'ao estabelecimento
a esmolla que dava por anno aos mendigos.
E' de esperar da philantropia dos habitantes
desta cidade que a insiallacao do mesmo Asylo
nao passe com indifferenca ; de esperar que nes-
so dia cada um concorra" com o seu bolo, na ra-
zo de seus roaos.
Para que todos facam sem constrangimento a
sua offerta ha ura meio, da-la em um involucro.
Assim, quera s poder dar rail res, o dar sem
acanhameuli, e quem poder dar ura cont, o da-
r sem ostentacao. E' deste modo que se pratica
a verdadeira caridide.
Quem nao poder ir an Asylo levar a sua offe-
renda, a poder mandar adoptado esle meio.
Dest'arte o Asylo de Mendicidade, protegido poj
todos, attingir ao p de engrandecimento deseja-
vel e vira a ser urna das mais uteis e importantes
instiiuicoes de beneficencia.
PIRAPAMA.Chegou hontem pela manhaa este
vapor da companhia Pernambucaua. procedente
do Acarac e portos intermedios. Tendo encon-
gado no porto da Fortaleza, quando em viagem
para o norte, muitas chuvas e grandes mares, foi
obrigado a deraorar-se ah quatro dias, afim de
realisar a descarga dos gneros que conduzia.
Por ter obtido licenca o Sr. desembargador
Jaguaribe, achava-se no exercicio de director ge
ral d instruccao publica o Sr. Dr. Jos Lourenco
de Castro c Silva.
Xa povoacao do Bom Jess, da freguezia da Te-
Iha, morreu Joaquim Gomes de Almeida, victima
de urna dentada de cobra cascavel.
Regressara do Acarape o Dr. Jos Lourenjo de
Castro e Silva, deixando ah pessas encarregadas
do tratamento das febres perniciosas que grassam.
Do Bom Jess escrevem, em 12 do passado,
ConstUuicHo:
Depon de um gnnde prejuizo nos gados vac-
cum e cavallar neste municipio, appareceram as
ehuvas no Io deste mez,tendo continuado at o pre-
sente sem haver falta, de sorte que j os creado-
res cheios de jubilo, \6em as campias cobertas
de verdura, e os gados que poderara escapar aos
rigores da secca, mais animados j pastam ~ver-
d paisagera, que com lo grande abundancia pro-
diz o nosso frtil e fecundo solo, qanJo ajuda-
do p^las ehuvas.
Do Aracaly escrevem em 24 do passado ao
Ctarense :
Contina por aqui a falla de ehuvas, e pr-
tatelo a caresta dos gneros de primeira necessi-
dfio, que aim de serem de pessma qualdade,
nao ehtgam para a pobreza, que nao se compre-
hende como pJe subsistir.
0 commercio em constante susto, pela falta de
seguranca individual e de propriedade estremece
simples idea de urna secca./ Felizmente o no
tem recebido porco d'agua, o que indica que pa-
ra o Crato, Ic o oulras paragens as cliuvas tem
continuado. Deus nos acoda.
O estado sanitario nao lisonKeirff. Tem ap-
parecido febres, coqueluches, dclluxfls e outras
molestias, que sao muito communs por esle lem-
po, com a mudanca do estagao, quando. o calor
toca ao seu maior grao entre ns, e mesmo pela
malimentaco, serapre prejudicial acconomia. .
O que nos vale que nao avultam* os casos de
morte, pois, que alm de urna ou outra creanca,
apenas suceumbio de urna dessas febres, o inglez
Jos Kordwie, marinheiro erapregado na galera
Aracaty que serve aqu de deposito de carvo pa-
ra os vapores da companhia Pernambucana. Com
o apparecimento das ehuvas provavel que des-
apparecam essas molestias. >
Da capital do Rio Grande do Nortu escreve
nosso correspondente, em 5 do corrente :
t ConiinTa na administracao da provincia, c
nella estar at o dia 17, o terceiro vice-presiden
te o Sr. Dr. Octaviano Cabial Raposo da Cmara.
Este, segundo dzom, conviden ao pnmeiro
vicepresidente Dr. Luiz Gonzaga de Brito Guer-
ra, para vir do Ass assumir o exercicio de seu
importante cargo ; maso Sr. Dr. Gonzaga regci-
tou o convite, reconhecendo-se insufflciento e al
impossivel para curar as chagas, que sem pieda-
de foram abertas no partido conservador pelo ex-
presidente Dr. Pedro de Barros.
O Sr. Dr. Octaviano, se nao tem remediado os
males de que todos se queixara, tambem nao os
lem augmentado ; pdose dizer que elle conserva
as cousas taes como as recebera do seu Ilustre
antecessor.
f era outra poda ser lnha do conducta de
S. Exc, desde que em seu contra manifest no
Jornal do Commercio de 18 do mez passado elle
nao duvidou manifestar o seu apoio c firme adhe-
sao ao Sr. Dr. Pedro de Barros.
Sao mysterios da poltica, que eu profano nao
posso penetrar.
t No da 2 de feveroiro ultimo insta!lou-se na
villa de Mossor urna sociedide composta de na-
conaes e estrangelros sob o nome Uniao Commer-
ctal Moisoroense, com o fim de tratar do engran-
decimento moral e material daquella villa.
< Por occasio da insiailacao os socios alforru-
ram tres creancas do sexo feminino, o o tenente-
coronel Luiz Manoel Filgueira alforriou tambera
urna mulata de 16 annos.
t Foi urna festa pomposo, a que concorreram
rauitos e importantes cidados.
O Sr. Dr. Luiz Carlos Lins Wanderley, na-
quella occasio, deu por mais urna vez robustas
provas de sua intelligencia pronunciando um bem
elaborado discurso. -
f Asociedadej orgamsou os respectivos esta-
tutos, contendo cracoenta e quatro artigos, cujas
disposicoes vo ser approvadas na frma da le n.
1,083 de 22 de agosto de 1860 e decreto n. 2,711
de 19 de dezembro do mesmo anno.
t Ao prestante cidado Joo Cordeiro,. all esta-
belecido em grosso, deve-se a iniciativa e incre
ment de lo importante melboramento.
1 A sociedade creada no districto da Macahiba,
com o fim de libertar criancis do captiveiro no
dia 13 do mez prximo passado alforriou tambem
treze escravos.
i Occuparam a attenco publica, com bono<
discursos annalogos, soleranidade do acto, os
Srs. Dr?. Jos Moreira BrandSo Castello Branco,
Jos Alves da Silva e Francisco Clementino de
Vasconcellos Chave;.
( No da 26 de fovereiro ultimo falleceu nesta
cidade o negociante Joaquim Gomes da Silva, que
no dia 19 havia chegado desse Pernambuco, onde
fura procurar remedio para os crueis soffrmentos
de que snecumbio.
Por acto de hontem (4j foi concedida a demis-
sao que pedio o bacharel Thomaz Lourenco da
Silva Pinto, do cargo de delegado de polica do
termo do AsuL e foi nomeado para substitui-lo o
capilo Luiz, jos Soares de Macedo.
c No districto de Touros desenvolveu-se urna
febre de carcter pernicioso, da qual j tem falle-
cido muitas pessas.
i O Sr. Dr. Octaviano mandn para aquella lo-
calidade o Dr. era medicina Jos Paulino Antunes,
que ainda nao voltou.
f Ante-hontem chegaram a esta capital e foram
recolhidfis respectiva cadeia, Joo Pedro de Cas-
tro, Jos Pedro de Castro e Francisco Pedro de
Castro, autores do brbaro assassinato, que prati-
earam na pessoa de sua propria irma Joanna de
tal no dia 26 de dezembro prximo passado.
A falta de ehuvas no sertao vai se tornando
bem sensiveL: to grandes os clamores dos serta-
nejos 1
Em Serra Negra, Campo Grande e oulros pon-
tos, files s se oceupam, por assira dizer, em tirar
euros das rezes que sao encontradas moras.
Somente no Ass, l para as partes da serra
Batatama, que tem cabido algumas cliuvas.
Mendtii a alfandega no mez prximo passado
20:1105000.
Procedeu-se no primeiro districto eleiloral
da provincia da Parahyba elcico de um deputa-
do a assembla geral, em substituico do Exm. Sr.
conselheiro Diogo Velho.
Era somente conhecdo o resultado do collegio
da capital, onde obteve o Exm. conselheiro 62
votos.
LOTERA.A que se acha venda a 140',
beneficio da matriz de S. Bento que corre no
dia 18.
LEILAOO de movis e mais objectos, anuun-
cado para boje H, por ntervencao do agente Pin-
to, e a ra dos Guararapes n. 76, ficou transferi-
do para o dia 15 do corrente.
PASSAGEIROS.Seguem para o norte no vapor
Giiir :
Dr. chefe de polica Heorique Pereira de Luce-
lia, sua.senhora, 2 criadas e 1 criado, padre Luiz
Ignacio de Moura, Dr. Flix Antonio Pereira Sen-
na, sua senlwra, 2 lilhos menores e 1 criado, Dr.
Salustino Gomes da Silveira o 1 escravo. Salviano
Ramos, Dr. Jos Vicente Duarte Brando e 1 es-
cravo, Francisco Jos Lopes e Dr. Francisco de
Assis Pereira Rocha Jnior.
V indos do norte no vapor nacional Pira-
pama :
Raymundo T. C. Branco, Dr. Francisco Antonio
d? Oliveira Lobo e 1 criado, Francisca Candida
Pacheco e 3 filhos, Dr. Francisco Leal de Miranda,
Dr. Domingos Jos Goncalves P. Leo e 1 criado,
Dr. Pompilio Numa Pessa, Virgilio da Costa Bra-
vo, Alfredo Severlno, Joaquim Teixeira Leite, ca-
pitao Flix Antonio de M. Vasconcellos e 1 cria
do, Dr. Arestides Cesar de Almeida, sua senhora,
4 filhos menores e 6 escravos, Dr. Augusto Pinto
A. Pequeo e 1 criado, Jos M. de A. Gondm, Dr.
Juvenal Rodrigues Pinheiro, 1 criado e 2 escravos,
Jos Nonato, Dr. Manoel Rodrigues Xogueira Pi-
nheiro, Manoel V. Benicio Pinheiro, Adolpho Pa-
gels, Raymundo Silvestre de Carva'ho, Alexandre
Jos Fernandes e 1 escravo, Bertoldo de Oliveira
Cavlcant e 3 escravos, Jor Raymundo ibrges
da Cosa, Lallino Feriato, J. Mondes Maciel, Jos
Joaquim Dias, Joaquim Xogueira da Costa, Fran-
cisco N. da Costa, 1 menor e 1 criado, Manoel D.
Baptista, Primenio D. Ribeiro e 1 criado, Dr. Al-
mino A. Affonso, Juvino C. Lima, Luiz J. S. de
Macedo, sua sogra e sua cunhada, Vicente F. de
Fretas, Dr. Placido P. Pessa, Dr. Domingos 0.
B. Cavalcanli, Jos Cupertino, Augusto F. da Car-
iho, Antonio P. de Mello,Francisco do Paula Ro-
drigues, Pedro Francelino de G. Filho, Manoel A.
da Silva Leito, Jos M. dos Santos, Dr. Manoel Q.
da Silva, Manoel G. de C. Pinto, Antonio A. de
Paula, Antonio X. M. de Arago, O. Jos Soares
Jnior, seu irmo menor, Henriqueta P. de Fran-
ca, Joaquim T. Barbalho, coronel Bonifacio F. P.
da Cmara e criado, Francisco Affonso Reg Mel
lo, Manoel J. Gorelho, Gibriel A. de Lyra Pessoa,
Francisco A. Reg Mello, Jeronymo A. do Paiva,
Jos Z. Vieira de Mello, Domingos B. da Costa
Moreira, Dr. Braz C. R. Barros, sua senhora, 1 fi-
Iho, 4 criados e doze escravos, Jos Bonifacio
Cabral de M. Cunara, Joo Paulino Pinto de
Aguiar, Manoel Leopoldo R. da Cmara e 3 filhos,
Dr. Joaquim Pacheco Mendes, D Quileria Pache-
co Mendes, D. Rosa Pacheco Mendes, D. Anna Pa-
checo Mendes, 1 cra c 2 criados, Charles J. Van-
duvez, Affonso Rodrigues de Albuqnerque, M. de
Araujo Costa, Joo do A. Costa, Joaquim Ferreira
Mallos, Eloy Castrciano de Souza, M. Modesto
Ferreira Lago, Francisco \Ios Gomes, M. Fran-
cisco Alhayde, Sebastio fzibino de Oliveira Sa-
les, A. Ferreira Bailar, J. M. Correiadas Nevos,
padre Emigdio Fernandes de Oliveira, Isabel M.
da Conceicao, Jos Dimingues C. Jnior, Mariano
Pereira de Souza, Francisco B. A da Fonseca c
1 escravo, Dr. Ignacio do Rogo "P. de Brito e 1
criado, Dr. J. Francisco Vieira de Mello, Osneville
Vctor de Moraes, Eneas de Arrochelas Gal vo,
Jos Varandas de Carvalho, M. Rodrigues Ramo?,
F. Rodrigues Ramos, Antonio A. E. Lima, Fran-
cisco Jos Meira, lente coronel J. Fernandes do
Carvalho e 2 filhos, Salviano Ramos, 1 escrava
de Manoel J. do Moura, 1 escravo do George Ja-
cob, 1 dito de.Ignacio G. da Silva, 1 dita de Fide-
lis Francisco de Lima, 1 dito de Antonio M. Leite,
1 dito de Augusto P. do Carvalho.
CMARA MUNICIPAL.
SE3SAO EXTRAORDINARIA AOS 2 DE MARCO
DE 1870.
PRESIDENCIA DO SR. DR. BARROS BARRETO, CONTINUA-
DA I'KI.O SR. DR. SODZA LEAO.
Presentes os Srs. Dr. Aquino, Dr. Moscoso, Dr.
Pitanga, Souza Magalhes e Gamero, abrio-se a
sesso, e foi lida e approvada a acta da antece-
dente.
L-se o segrate
EXPEDIENTE !
Um officio do Exm. presidente da provincia, de
22 de fevereiro ultimo, declarando cmara, que
pode contratar, como propoz, em officio de 16 do
corrente, sob n. 8, o servico de capello para o
cemiterio publico, com algum sacerdote que se
obrigue a eslar naquelle estabelecimento das 6 ho-
ras as 9 da manhaa, e das'4 s 6 da tarde.Que
.-r officie neste sentido ao governador do bispado,
para indicar um sacerdote.
Outro do mesmo, declarando cmara para seu
conhecimento e em resposta ao officio de 6 d'a-
quelle mez, sob n. 12, que na referida data de 25,
e de eonformidade com o regulamento de 2 de
junho de 1854, nomeou os Drs. Augusto Frederico
de Oliveira, Joaquim Goncalves Lima e Rvd. Dr.
Luiz Ferreira Nobre Pelinca, para em commisso
procederera no cemiterio publico aos exames de
que trata o citado officio.Inteirada, dse scien-
cia ao administrador.
Urna neticao do gerente da companhia Recife
Drainage, com despacho da presidencia, mandan-
do ministrar a informacao j exigida em outro
despacho de 8 de fevereiro passado, laucado no
officio do chefe da reparticao das obras publicas,
dandif o seu parecer acerca dos lugares onde se
devero fazer as freguezias do Recife e Boa-vista
os edificios para as bombas de esgoto.Posta em
discusso, o secretario aprsenla o parecer j dado
pela commisso quera foi remettido aquelle offi-
cio e se achava sobre a mesa, ao qual a mesma
commisso mostra a inconveniencia de se estabe-
lecer nos lugares dosignados pelo chefe da repar-
ticao das obras publicas as bombas de esgoto, e
sendo o mesmo posto a votos, foi approvado, re-
solvendo-se que com copia d'elle se informe a pre-
sidencia.
Outro do advogado, emttindo o seu parecer
acerca do requerinieuto feito pelo Sr. Dr. Aquino
na sesso de 4 de fevereiro ultimo.Ao mesmo
Sr. Dr. Aquino.
Outro do administrador do cemiterio publico,
communieando que o estabelecimento est reduz-
do a nU BtaR e dous serventes, faltando qua-
tro d'ejMB o numero completo, isto porque
nao possivel obter-se serventes com o salario d--
200 rs.A' commisso respectiva.
Outro do mesmo, communicando haver compa-
recido o Rvd. capello Leonardo Joo Greeo, de-
clarando que, tendo recebido ordem de Exc.
o Sr. presidente da provincia para entrar cinexer-
cicio de seu cargo al que recebesse exonerarn,
o fazia naquella occasio, etc.Inteirada.
Outro do'mesmo, dando a informacao que Ihe
foi exigida era sesso de 29 de Janeiro d'este auno,
relativamente representado feita pela junta ad-
ministrativa da Santa Casa de Misericordia.Pos-
to em discu9sao, fallaram acerca da materia os
Srs. Drs. Pitanga e Aquino ; e achando-se a mes-
ma discutida; resolveu-se informar S. Exc. com
a mesma d'aqraollas informales.
Outro do mesmo, remetiendo a relacao dos t-
mulos, como Iho fura ordenado em sesso de li
de fevereiro ulfimo.A quem fez a requisicio (o
Sr. Dr. Aquini.
Outro do mesmo, saisfazendo'a ordem que Ihe
ra dada em sesso de 16 de fevereiro passado,
isto que declarasse se no verso da guia que
acompaaos o cadver do allemo Romer, esta
escripto o numero da sepultura onde se acha bem
como se do livro de entradas consta numrico o
local emque sao enterrados todos os cadveres.
Inteirada.
Outro do engenheiro cordeador, informando so-
bro o requermento de David William Bowmann,
declara que nao ha incouvoniente no que pede o
sapplicante.Concedeu se.
Oulro do mesmo, informando sobre o que pede
em seu requerimeoto a junta da Santa Casa da Mi-
sericordia, tem a dizer que nao ha inccnvonienie
na concesso pedida. Concedeu-se.
O Sr. Souza Magalhes apresenlou o seguate,
requerimenlo :
a Sendo de notoriedade publica que os gneros
alimeoticios achara-se em seus preces to eleva-
dos, que o povo menos favorecido da fortuda dei-
xa de os comprar, e nao se prov convenientemen-
te, isto devido ao grande numero de atravessado-
res, que com escndalo apresentam-se como nma
praga nos mercados pblicos, a comprar para re-
vender por preces muito superiores taes gneros;
requeiro com urgencia que esta Illma. cmara
expeca terminantes ordens aos tlscaes, para que
nao consultara por forma alguina que nesses mer-
cados pblicos vendam os gneros os atravesa-
dores, mas nicamente os almocreves, fazendo re-
tirar aquelles, e emprogando para isso, se necea
sario for, a torca publica. ,
Igualmente requeiro, que diariamente se cot-
loquem as pontos da Boavista, Santa Isabel e na
ra Imperial, alm da fabrica de sabo, dous
guardas-fiscaes em cada um d'estes pontos, para
conduzirem ao mercado publico os almocreves eom
os gneros que entrarem para serem vendidos.
Recif>>, 2 de marco de 1870iFlix Francisco
de Souza Magalhes.Posto em discusso foi ap-'
provado, expedindo-se as necessarias ordens aos
fiscaes das freguezias de S. Jos e Boa.v*sta.
O Sr. Dr. Aquino fez tambem os dous seguintes
requerimenlos : o primeiro foi approvado, e o se-
gundo mandou-so remoller commisso encarre-
gada dos negocios do cemiterio.
1.Requeiro que se mande que o engenhei-
ro d'esta cmara municipal proced* com urgencia
medico dos terrenos de cada um dos tmulos
existentes no cejMnrio publico d'esta cidade, e,
confrontando o remero do terreno do cada um
d'esse tmulos com os titulode concesso, quan-
to terreno tem de mais ou do menos cada con-
cessionario.
Sala das sessoes, 2 de marco de 1870.Dr.
Aquino Fonseca.
t 2.Requeiro que se faca executar o que lilte-
ramenle determina o art. 24 do regulamento do
cemiterio publico d'esta cidade, de 2 de junho de
t854, que exige que todos os cadveres que teem
de ser inhumados, estejam encerrados era caixSes
convenientemente fechado*, e nao ernprega o termo
pregados, por_ quanto este, quo significa fechado
com pregas, nao synonimo daquelle, que significa
cerrado com chave, ou por qnalquer outro meio,
que nao pregos, e os caixoes raortuarios com tam-
pos pregados, como negligente e abusivamente se
lem permiltido, e nao fechados ; que possain ser
abortos com facilidade e quando se queira, que
o que se leve em vista empregando-se o termo
fechados, se prestam a abusos e mesmo a crimes,
3ue devera ser evitados para garanta da soceda-
e, alm de que nao consta que era paiz algum ci- *
vilisado, que possa ser citado, sejam permttidos
caixoes morluaros com tarapos pregados, como
esses que vo ao dito cemiterio e se parecem com
os de mercaderas, nem quera foi encarregado
pelo finado marquez do Paran, ento presidente
d'esta provincia, de fazer o projecto de regula-
mento que servio de base a esse que esta em vi-
gor, e leve de exlrahi-lo do regulamento dos ce-
mlterios.de Paris, traduzindo muitos de seus arti-
gos, nunca pensou que o termo fechado por elle
empregado e traduzido do francezfain, fosse
convertido na pratica pelos fornecedores d'esses
ccixes empregado, que naquella lingua signi-
fica clon o, e nao nem foi nunca synonimo ;
sendo sabido que nao s em diccionario algum
porluguez, que o regulador em taes casos,
esses dous termos tem a mesma significago, mas
tambem que o axioma do direito seguido por toda
a partedurum est, sed ita, lex scripta est,como
principio corrento queubi lex non distinguit,
nec interpres distinguit e potes!.
t Sala das sessoes, 2 de margo de 1870.Dr.
Aquino Fonseca.
O Sr. Dr. Moscoso |fe'. o requermento qne so
segu :
t Requeiro que se tome algumas providencia
para se fazer urna recepeo condigna aos volun-
tarios da patria que tem de voltar da prolongada
e reunida lula do Paraguay.
Paco da cmara, 2 de margo de 1870.Dr.
Lobo Moscoso.Posto em discusso foi approva-
do, Picando a comniiss) de polica encarregada
de paovdenciar convenientemente.
Despaeharam-se as petigoes de Albino, Amorim
& C. Barfo do Livrament, Baro de Bemfica,
Cosme Damio dos Santos, Domingos Ribeiro de
Oliveira, Francisco Pereira Raposo, Francisco Co-
lho de Araujo, Joaquim Jos de Sonta Anna, Jos
Alves Barbosa, Jos Pedro de Souza e Silva, Jos
Hasthileire cirurgiao dentista, Josu Maternode
Azevedo Santos, Jos Pereira de Miranda, Xapole
de Souza, e levantou-se a sesso.
Eu. Francisco Canuto da Boaviagem, secretario,
a subscrevi. Ignacio Joaquim de Souza Leo,
pr-presidente. Dr. Pedro de Athayde Lobo
Hoscoso.Jos Atara bYeire Gameiro.r. Joo
Alaria Seve.Dr. Joaqnim a"Aquino Fonceca.Ata-
noel de Barros Barreto.Dr. Prxedes Gomes
de Souz Pitanga.
PUBLICACOES A PEDIDO,
Agradecimento.
Pelo presente agradecemos a todas
aquellas pessas que voluntariamente se
apresentaram, nSo s para pagarem seas
dbitos contrahidos antes do incendio de
nossa casa commercial ra da Cruz n.
66, como tambem a aquellas que se tem
aecusado de quo nos s5o devedoras, forne-
cendo-nos os esclarecimentos precisos com
relacio aos mesmot dbitos.
.' v-
'I


t
Diario de Vernambuco Sexta (eir 11 de Marqo* de 1870.
Approveitamos esta opportonidade pan
pedirmos a todos os demais nossos deve-
dores que se digneiu prestar-se de igual
forma, di'iginuVse ao nosao provisorio es-
criptorio roa da Cruz n. 25, i andar,
par cujo favor desde j nos confessamos
agradecidos.
Recife, 8 de marco e 1870. .
Joao da Silva Faria 4 Irm3o.
Pharmacia Central, ra do Im-
perador n.#38.
Sabonetes d'alcatro do Antonio Noves
do Castro.
Superiores sabonetes francotes d'alcatro
encofre, carmph ora e de acido phenico.
Alguns destes sabonetes alm de sua
virtade medicinal, podem tambera ser usa-
dos em toillets, e o de acido phenico de
ma rneontestavel utilidade por combater
as caspas, panos, sarnas, ou quaesquer
manchas da pello. (6
COMMERCIO.
HACA DO RBCIFE 10 DE MARCO
DE 1870.
AS 3 1/2 HORAS DA TABDF.
Assucar de Macei 3*318 por 15 kil. posto a
tordo.
Mndio sortr"980 rs. por kil. (hontem)
Algoaio em inspeccao953 rs. por krl. inontem).
'JunriK. sobre Londres 90 d|v. 20 5|8 e do ban-
ro 20 i|2 por 1*000.
Avocs da divida publica 80 0/0
Goncallo Jos AflbnD,
Presidente
Mesquita Jnior,
Secretario
ENGLISH BANK
O Rio de /aneiro Limited
Descosta lettras da praca laxa a con-
"iocieoar.
Recebe dinbeiro em coota crtente liia
i raso fixo.
Smi avista on a prasosobre as cidadt^
pr.'ndpaes da Europa, tem correspondentes
na Baha, Buenos-Ayres, Montevideo, New
New-Orlearts, e emitte cartas de crdito
para os mesmos lugares.
RA DO COMMERCIO N. 36-
aLPANDEGa
HeBimeotodc dia i a 9 313.937*259
it>w 4o dia 10 / S8.874*878
Consellio le compras navacs
O ctJrvselho contrata no dia 12 do correhte mei
sob as cnndlcSe3 do estylo e vista de propostas
recebidas at as horas da manhaa, o forneci-
ment de lenha, e de velas stearinas de 8 em li
bras para completo do de vveres, dietas e outros
objectos de consamo aos navios da arpiada e es:
tabelecimentos de marinha no trimestre de abril
junho do corrente anno ; assim tomo o forneei-
mento no mesmo trimestre dos objectos de farda-
tnento, segrales :
Para aprendiies arlifices.
Bonets do uniforme, bonets do servico, blusas
de brim branco, blusas le algodao azul, blusas de
panno aiul, calcas de brim branco, calcas de algo-
dao aiui, camisa? de alodozinb, cobertores de
lia, cobertores de algodao, calcas de panno azul
colchoes de linho cheios de palha, fronhas de al
godaoz'raho, lencos de seda preta para grvalas,
lences de algodaoziuho, sapaloe?. saceos de guar
dar"roana e travesseiros de linho cheios de palha.
Para impe iaes marinheiros e aprendiies ditos
Bonets de panno azul, camisas de brim branco,
calcas de algodao azul, camisas de algodao azul,
calcas de panno azul, calcas de brim branco, ca-
misas de bfda azul para imperiaes marinheiros
tendo 4 1(2 palmos de comprimento no corpo e 3
as mangas inclusive os pfinhos, camisas de oaeta
azul para aprendizes marinheiroj, tendo 3 palmos
de comprimento no corpo e 2 as mangas inclusi-
ve os punhes, fardetas de panno azul, lencos de
seda preta para grvalas, sapates e saceos de
lona para marinhagein.
Para artfices avuluos.
Blusas de panno azul, blusas de algodao azul,
calcas de brim branco, calcas de panno azul, cal-
cas de algodao azul, camisas de algoaozinho, e
cintos .lo couio branco envernisados.
Ti mbenk por igual forma promove o conselho
no menciutiado dia 12 do corrente mil a compra
dos seguimos objectos do material da armada : 4
bandeiras naclonaes de 4 pannos, 4 ditas de 6
dito, licarrinhos de man, 109 alqueires de eal
branca, 120 bracas de corrente de ferro de Ivt
polegada re forrada, 20 arrobas de estopa de al-
godao, 10 flmulas 1 e navio 10 fechadores de
ferro de broca para porta, 20 lencoes de ferro de
1|4 de grossura. 8 ps de comprimento e 4 de
largura, 8 arrobas de merlim, 8 arrobas de mia-
Ihar, 10 libras de ebreias francezas, 2 oculos de
alcadee, 12 pedras de amolar do 3 ps de dime-
tro e 6 a 8 pologadas de grossura e 1,000 lijlos
de fogo.
Sala das esaSes do conselho de compras navaes
8 de marco de 1870.
O secretario,
Alexandrc Rodrigues dos Anjos.
Pela reeebedorii de rendas internas se faj
publico que neste corrente mez c no de abril
prximo futuro, que os &.nlnl.uiiles do imposo
sobre industrias a profissoes teem de paga-lo, li-
vre de mulla, e que lindo u referido praso ser
obrado con a multa de 6 |0.
Recebederia de Pernambuco, 3 de marco dt
1870.
O administrador,
Manoel Carneiro de Sr.uza Bacerda.
THEATRO
DE
SANTO ANTONIO.
Para sasfazer a urna dislincla commissao de
brasileir s e portoguozes, que m honren com v
pedido de um festira wmmemorativoa dos grandes
triumphos que ebraaram os nclitos voluntarios
da patria, qtte devein a qualquer hora, ehegar
do sul, e qne era j desejo lonco ora nos, que
todava, privados dos recursos passados, senlia-
mo-nos snenuibir, contemplando o thoalrinho de
Santo Antonio, e leaibrr.nl) nos do theatro de
Santa Isabel, onde por tantas veles manifestamos
entao condignamente a no por esses conulreu do paii; resolvemos solera-
nisar o dia da chegada dos voluntarios pernam-
buranos com um esplendido baile no salao deste
theatro, no segundo dia de sua estad na provincia.
O sali acha-se ricamente corado com tro
pheus pintados pelo muito conhecido senographo
Chapleo.
As 9 horas Principia o divertimenlo pela ma-
neira seguinle :
1."
A orchestra dirigida pelo Sr. Jos Coelho Bar-
bosa tocar urna bnlhante ouvertura, seguindo-se
depois cantado por dez meninas o -
Hymno da victoria
O Sr. Jo= Coelho. finio o hymno cantar a sce-
na e aria da opera II Trovator
Ah si ben mi
No Tira da aria a banda de msica do Io bata-
mo de intentara da qual mestre o Sr. Theoto-
nio Jos de Souza tocar duas lindas pecas do seu
vasto ropertono.
3."
A's 10 hora? com erar
I
Companhia americana e brasi-
lera de. paquetes a vapor.
At o dia !> do corrente (t esperado de New-
York por* Thomaz Para o vapor americano
South Amena, o qual depois da demora do cos-
ame segnir.i para os portos do sal, para fretes e
passigens trata se com os agentes Henry Forster
4 C, roa do Commercio n. 8.
372:812*117
JOV1MENTO DA ALFANEGA
Vtiumes oau ados com fazendas
dem idera' com gneros
VoiB.-nes saliidos com azoodas
l&*m dem cora genero?
234
71
30 o
116
660
----- 776
Oescarregam hoje II de marcJ
Btrea inglezaGateUemereadorias.
Vapor inglezOfrf idem.
Escona inglezaElena P.idem.
Rrigu! inglez3/an/baealho.
Escuna inglezaEraidem.
Iinporf ;U'o.
Papar brasileo v\r\\m\, viudo de Acarn-
em e parios intermeilns, manije*', m :
7 velocipedes; a Jorijc T.i-so.
1,200 esleirs, 12 mullios courmlios, 2 barricas
1 caixa vela, 19 saacoa carnauba ; a Manoel
Dmagos Bapiista.
.; s:i is algodao ; a Tasso Irmaoi.
I. ilit.is dito ; a Viviano d:i Silva Caldas.
: ditas dito ; a Manoel Rodrigues Cesta Maga-
'tiae?.
t dius Jita; a A. Cirrda 'i-. VaseoneeUoa.
1* lilas dito a Jo J^ijuim de Paria Ma-
iI dilis dito ; a Luiz Antonio Sequeira.
5 ditas dilo; a Goocalvei Irmao A 1;.
i litas dito, 307 meios do sola ; a Luiz Gon-
da Silva t Pinto.
dita* de dita ; a Gomes de Mao 1 & Irmios.
titos de dita ; a Juan Basan.
!6 dito; de dila ; a Fonseca ia Santos.
0 ditos do dita ; a Francisco Joo de Barros
r.
III di! 1 do dita ; a Joaqaim Luiz Vieira.
- de dila ; a Antonio Alves de Mora es.
-.'. 701 Jilos le dita ; a li Lopes Davin.
! sMi s do dita ; a Moracs St Iruao.
3 lil n de dita, 7 molhos courinhes, 9 coa-
idos, 72 sacras algodao ; a S Leitio &
23 iros salgados, OOi meios de soa; a Fer-
St Irm.
1 1 os de ilita, 8 molhos courinhos, 63 cou-
sil; idas, 13 raixas volas, 8 saceos e 17 bar-
(-. -naha ; a, Manoel Marques Pinto.
ixo ; a Jos Luiz Ferreira da Costa.
KCROOlta DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
icnto do dia 1 a 9 35:W5|453
, dia 10 ... 3:123^872
38:121432o
CONSULADO
'monto do dia 1 a 9
iwrci do a 10 .
PRVINCAL
r3:82o369
\ .322*836
48:148*203
M9VIMENT0 DO PORTO.
Natioi entrada no dia 10.
iranja o ptirtM intermedios 9 dias, vapor na-
Mkal Vira;, um, de ^112 loneladas, commandan-
dunte Guiltienne Costa, equipagem 32, egrga
d.fl rerrtes gneros; a companhia Pornamou-
m
Grande do Norte 10 dias, hiate brasileiro
ir da Hio/Qrtnde, de 45 toneladas, .apila.)
Vicente los da Costa, equipagem 6, carga va-
r diis, brigue inglez Mnrgaret
IVdktj. de 178 tonela Se G. Ilartery,
: lipageui II, car :i 2012 barricas com ba
calila 1 : a Saunders Brother & C.
Navio sahidu nu im-sino dia
'learIliat Brasileo Novo Invenctvrl, apilan
Vicente Fe 1 eir da Costa; eti ga carne secca
e outro- ((fimrns.
m do Borla Vapcr brasileiro Guar, com-
ante .i capitao-tenente Pedro
carga vro< gneros.
Hio-Gi.indi' On Sul patKi-h liespanhpl Joven
lirirdo. capiio Flix Bruga.ira; carga as
aar.
Juizo dos feitos da fa-
zenda nacional
Do dia 13 ilo marco prximo futuro err
diante, ter lugar na comarca de Goianna,
a venda em praca publica deste juizo, daj
compreliensocs do extincto encapellado de
Itamb. sendo a de nrme EngehoNovo, ava-
llado por 50:600/$00O. a de nome Pangau
por 13:000)5000, e a de nome CumbB por
9:000;}0i/0 : acceilar-se-ha nessa occasine
propostas para venda dos escrvos Basilio
pardo, com 26 annos, avaliado por-----
IruOOfJOOO, Concordia, parda escura, com
15 anuos, por GQ06000, Aquilina, parda,
com 4 -mnos, por 200)5000, e Damiana, par-
da cem G mezes, por I005000. nos ter-
mos aa lei de 15 de setembro do anno pas
sado, o em seguida ter lugar na villa d
Itamb, o arrendameato em basta publica
porannos, dos terrenos em que se achatr
situadas dita villa e povoacScs de Tinbaba (
GonatiDga, assim como lambem a vend;
de duas part,s da comprelionso Caric.
depois de dividida a mesma comprehens3t
en menores lotes, conforme o | i do art
das lii>lruccjes de 30 de dezembro dt
iSi-'i.
Recife, i 7 de fevereiro de 1870,
O escrivo,
Luiz F. B. de Almeida.
Pela contadoria da cmara municipal dest>
cidade, se declara aos proprieUrios de cstabele-
eimenlos de porta aberta, snjeitos ao pagamento
do imposto municipal, que no mtz do marco pr-
ximo vindouro, principia a arrecadaijao a" bocea
do cofre do mesmo imposto
Contadoria da cmara municipal do Recife, ,28
de fevereiro de 1870.
O coniador,
Hypolito Cassiano de Vasconcellos A. Maranhao.
Inscripto por tres pracas,
O porteiro do juiz>, Francisco Manoel do Al
meida, traga a pregao por tres pra;a>, afim de ser
arrematada por riuem mais der, a propriedade se-
gu ntc : ura grande sobrado de um andar n. 29
na ra da Praia, esquina Jo Caroca, freguezia de
Santo Antonio, cm chaos proprlos, com 46 palmos
de vio na larguia, 142 de fundo, sendo o pavi-
mento terreo oceupadn por nra estabelecimenu
de molhados, e ao lado deste por mnradia, e em
cima dividido em urna grande sala na frente, duas
menores atraz, um quarto, tendo um pequeo ter-
rajo e quintal, a qual casa com cornija moderna,
avista do estado, em que se acha, foi avaliada em
li:(KH)i, e vai praca com o ahatimeiito legii,
que de 11:200-3; penhorada a Gnilherme Au-
gusto Rodrigues Selle, por exeeucao do Dr. Joa-
qaim Jos da Fonseca.
Compra. Cidade do Recife 2i de fevereiro de
1870.Escievi e assigno,
Pedro Tertuliano da Cnnha.
A ultima prae.a para a anvmataco no dia 12
do crreme marco, a 1 hora da tarde, na audien
cia do Sr. tir l0"supplente do juiz municipal da
2* vara.
inspectora defazendi
"in vlrtu vigor,
ad o da 25
ocurso q te
* 1 ira para pre-
ii'es d>" prati
.< kifiRdfjra e d^
1 sobr
d.
iber:
ia, ari
rom
s -s o me-

0 BAILE
Nacionaes e estrangeiros que quizerem, j por
consideracao aquella commissao e ao emprezario,
j por demunstiaca) de j lato aprec, concorrer
lao expressiva festividade, poderao desde j diri-
gir-se ao theatro de Santo Antonio a munirem-se
dos respectivos cartees.
PRECOS.
Cavalleiros 2^000
Senhoras de familia 2000
Damas que venhain Janear gritis.
PAVLHAO
Para p P rto
Pretende seguir o mais breve possivel, para o
Porto, a barca portugueza tS. Manoel II capitio
Jos Antonio dos Sanios ; recebe carga frete e
passageiros : tratar com Marques, Barros & C.
na praca do Corpo Santo n. 6,2* andar, on cora o
capilSo bordo. ___________
Porto.
2L
Companhia equestre ginaslica e acrobtica
do palacio de cbrvstal do Porto.
DIRECTOR
D. Marcos Ca-ali, primeiro funmbulo italiano,
nico rival do celebre Rlondin, e artista que
pertenceu companhia Je Mr. Priz.
O director desta compan'.iia. desejando solera-
nisar a volta a esta provincia do heroico batalhao
de voluntarios poniambncanos, pretende dar um
grande o variado espectculo gymnastico e cn-
batico dedicado oiDcialidade do mesmo bata-
lhao, devendo ter lugar um espectculo na noute
do dia seglinte ao da ch"g.\da do vapor que-
trouxer os voluntarios.
PrMElRAJPARTE
1. O Irapesio, exereicios de equilibrio o de for-
^, pelo gwmasliQ Vicente.
2." A laboa equilibrada sobre a ponte clstica
pelo arti.-la Sr. Luiz Casali.
3, O director da companhia executar sorpre-
hendemos equilibrios com urna cadeira sobre a
corda tirante.
Inlervallo de 20 minutos
SEGUNDA PARTE
1." O pao voador, pelo artista Vicente.
2* Jogos indios pela Sgnenla Anna Casali.
3." a larra fixa, extfci :ioi de agilidade e forfa
pelos IrmSos Gesar e Vieeate.
Inlervallo -t f.'imini
LERGE1R,\ PARTE
I'inalisar->e-ha o e?pe:J.a:ilo cora o baile
ricato
ca-
De ordem do Exm. Sr. director faeo constar
aos estudantss que pretenderem fazer exarae de
linguas para se matricularem, que at o da 14 do
corrente -levero ser entregues nesta secretaria os
requerlmentos e documentos respectivos para que
possam ser attenlidos de conformidade com o
aviso imperial de 6 de dezembro do anno passado.
' Igualmente faeo constar aos que deixaram de
fazer exame de gcgraphia e historia por motivo
justificado em requeriraento dirigido directeria,
que no dia sexta-feira II do corrente, as 9 horas
da manhaa. deverao comparecer para sercra ad-
II. Duarte ;-\ mittidos aos referidos exaraes.
Beetetarfa da facaldaie de direito do Recife 9
de maree' do 1870.
O secretario,
Jos Honorio B. de Mnnezes.
orma
Je marco
Por. \? I
Relacao das carta* registradas vindas ou sul o
porte existentes na administrarjo to correiu
tota cidade
Anna Joaquina Ferreira, Antonio Eucliles da
SMveira, Antonio dos Santos Oliveira, Antonio Go
mes de Camp>s Pitico, Antonio Bodriguci de Al-
buquerque, Alvaro Uchd V4eira Brasil, Antonio
Pedro *tt ira Lima, Antonio Joaqnirn Campos,
:io Fausto Nevos Souza, Antouio Comas do
Araujo S, Antonio Marraho da Silva, RorniMjiDo
deSenna i'mtual (i), Francisco Antonio das Clia-
gas, Francisco Xavier Poreira de Brito, Francisco
Canut 1 da Bu vs^,;o, Guilhermina de Siquaira
e silva (), Guberne de Souza Campos, Henriooe
Ernesto Mariins. Justino Manoel da Silva, Joo
Feraaadet Cavalcaoti de Albuqaer|a6, padre Jo-
Leito, Jus Joaijnira da Silva Araujo Jnior, Jos
Mandes Vieira, jos loaquim Coetio, Jas Feltx da
fblra Fragoae, Jos Augueto do Azevodo, Joaquim
F-rr. ira Guimaraes. Kiaquim Goncalves Vioira
tries, Joaquim Augusto Ferreira Jacobina,
Villarouco, Mtnool Firmino
.anoeI Uibeiro de Carvuliio, AlarUnho da
xK-ta Jnior, Manoel Jos de S Arante. Ma-
a, Prxedes da Silva Onauaa
] Prxedes oam de Souza i'ilanga, Raynipado 8.
" aa Pires, Vieeneia Alejaiidria%JBere>ra
Precoi:
Camarote rom 6 entradas 1!*000
Cdeiras 25000
N, B. Os invrvallos serio preenchidos com os-
colhidas pecas exscnladas pela banda de msica
do 1 batalhao de infanlaria.
O director da companhia avisa ao respeitavd
publico que em hreve vo ter lugar no Pavilhiio
de Santa Isabel importantes raelhoramentos, de
modo a poder este comportar maior numero de
espectadoii's.
As pessoas que quizerem eneomraendar cama-
rotes ou cadeiras podero procurar no pavilhao.
Principiar as 8 horas.
THEATRO
GTHNASIO DRAMTICO
(No Monteiro)
sob A nmECf,A0 do artista
DE ttlOVAMMI
6J RECITA DE ASSIGNATURA.
Bomiugo 13 de marco de f 890
Espectculo em applaus? ao regresso do heroi-
co batalhao de
Voluntarios Peraambucanos
Honrado com a respcitavel presenca do Exm.
Sr. presidente da provincia.
A' chegada de >ua Exs. a orchestra executar o
Hymno nacional
Era seguida cantar-se-ha o
Hymno Prado o qual a companhia dramtica exhibir
o muito applandido drama era 6 quadro?, ornado
do msica, intitulado:
ser des-
Vai sahir breve a barca Laura para carga t
passageiros, trata-se com os consignatarios Carva
Iho Nogueira, na ra de Apollo n. 20._______
COMPANHIA l'EKNAMBUCANA
DE
.\'avegaeo coscira por vapor.
Goianna.
O vapi r Parahyba, seguir para e
porto cima no dia" 16 do corrent-'.
as 9 horas da n-ote.
R cebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete ao esuriplorio do Forte do Mallos
n.12._________________________________
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
Navegando costetra por vapor
Macei, escalas, Penedo e-Ar caj.
O vapor Giqui, cominandanle Costa, segui-
r para os portos cima no dia lo do corrente
s 4 horas da larde. Recebe carga at o dia 14.
encommendas, passageigeiros e drahoiro a frete
at s 2 horas da tarde do dia da sabida, no es-
eriptork) do Forte do Mattos o. 12.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
Vavegaco costeira por vapor.
Porto de Calimbas, Uio Formse e Taman
dar.
0vapor Parahyba, seguir para os portos ci-
ma no dia 10 do corrente meia noite. Recebe
carga, encommendas, passageiros e dinheiro a fre
te no escriptorio do Forte do Matos n. U.
WA1IA BRASILElrT
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
al o dia II do corrente o vapor
Cruzeiro do Sul, comraandante J
P. Guedes Alcoforado, o qual
depois da demora do costume se-
guir par3 os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
;arga qne o vapor poder conduzir, a qual deven
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia d;
Nao se recebem corno encommendas senlo ob-
iectos de pequeo valor e que nio excedam a i
irrobas de peso ou 8 palmos cbicos de niedi-
co
Tudo qne jiassar destes limites devora ei
embarcado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas pas=.n.
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. o'
v andar, escriptorio de Antonio Luiz de Olivoin
Azevedo A C.
Ilha de S. Miguel,
O patacho porluguez Jeorgense segae com umi-
ta brevidade para o porto cima ; anda recebe
alguraa carga frete, bera como passageiros pa-
ra os quaes tem bellos commodos : a tratar com
o seu consignatario, Joo do Reg Lima ra djh
Apollo n. 4*
LEUDES.
LEILAO
de farinlia de trigo avadada
A li do corrente.
O agente Oliveira fai leilao por conta e risco
de qnem mrtencer de 183 barricas de larinha
de trigo de Mchmond avariada d'agna salgada,
recentemente importadas d-; New-York pelo pa-
tacho americano Lizzie. II. Kumball.
HOJE.
as 11 horas da manhaa, no aimaz'm d s S s J
Quirino de Ayuilar & C, ao raes d'Ai oljo n. 67
De un sobrado de 9 andares e
soto a ma do HangelD. 'SH
O agente Martms far leilao competentemente
autorisado do sobrado de 2 andar.es e sotao da
ra do Rangel n. 38, o qual rende c'00# por an
no e o terreno proprio.
I1IOJE.
As 11 horas do dia a porta do predio qu 3 fo
Associacao Gommercial defroate do Corpo San to
-MJA ESTREiTA DO ROSARIO-35
Foroece-se comidas para fora com asseio
e promptidSo e manda se levar e sna
casas na ra estreita de Hoaatw n. 35, ca-
sa particular confronte a asa do oarbeiro.
Na mesma c^a fazem-s lores para en-
feites de anjos para procissoes, sipos de
flores, rosas, capacetes enlejiados, e todas
as flores de panno e papel &ara ornamen-
to de igrejas e andores todo por barato
preco, coqueta para noivas com itas bor-
dadas a 01110, bandejas tle bolkw linos com
armac3o parc:isamentos e bailes, pudtns,
p3o de l enleilado para presentes e toda
a qualidade de doces de ovos lamben -
feitados, vellas ricas para baplisados por
barato preco, bouquets de flores e cera
para c nfeites de bollos e par ofertas.
Em S. Jos do Manguinho g'tie, de
Jos Duarta das Neves, precisa-se de ana
bolieiro e um criado de 14 auno- para com-
pras e servi,o de casa.
Qj, O Dr. 'osla Molla de volta de sua vi.i-
^T gem da Europa onde dedicou-se s o
J9 lestias de enhora?, a partos e afleefies
de pello, pode ser procurado em soa casa &
" ra da Imperatriz n. 9. Da consultas S
das 10 hora? ao meio dia, sendo gratis
para os poLrp*. jai.
IIIJIIHJI/
O Jntere-sanie papel de Esmeralda
erapenhaio pela Sra. D Jesuina.
Terminar o espectculo com a enlhusiastiea
mente applaudida extravagancia burlesca, ornada
de mus a e dansa, denominada:
Una noute de carnaval
Exectitnda pela Sra. D Jesuine e De Giovanni.
Aviso especial
O beaemerito oynmaBdante. e illnsires ofUriaes
do distinelo bitalhSn ae voluntarios pernambuea-
Dos, >erc convidado- panf assiitirem ao d.ver
timentu.
N. B. A dir ce 1 tem o prazer de paricipar ao
Ilustrado publico desM capital, que n prest;
e muito conceituadn ariists o Sr. Peregrino Le os
de Meuezes faz liarte da companhia de-te theatro.
Os billx-tes achsm-Sfl na estaei lo Recife e no
thalro, peios precos estabule' 11

randa.
AVISOS MARTIMOS.
Porro por Liphoa,
Com muito pouca d>mora daver seguir viagein
a fitera pnrtugneza Lisboa, A* primeira martte.
e classilicada em primeira ciasse : para alguma
carga que llie falla, e passageiros, aqua
rece raagnificos commodos. tnta-e c*nn
Primo, ma do Vlgarion. 9.________________
PARA LISBOA
O patacho portugnez Vana, cpito P. M. Brac-
eo vai' sahir com treviJa-le e recebe carga fre-
te; trata-se eom oe coasignatarios E. R. Ratollo
4 C roa do Commercio n. 49.
COHPAffmA.
DA8
Sessgerics imperiales.
At o dia I i do correute mez esperase dos
portos do sul o vapor francez Uruguay, com-
mandante Massenet, o qual depois da demora do
costume seguir para Brdeos tocando em Dakar
(Gorce) e Lisboa.
Para condicoes, fretes e passagens trata-se na
agencia ra do Conmercio n. 9.
At o dia lo do corrente mez esperase da Eu-
ropa o vapor francez (ironde, o qual dep;is da
demora do costume seguir para Buenos-Avres,
tocando na Baha, Ro de Janeiro e Mont video.
Para eondcSes, fretes e passagens trata-se na
agencia ra do Commercio n. 9.
Para Maranhao e Para
O brigne nacional Santo Amaro, capitao Caeta
no Alves Uvas, pretende seguir com a maior bre
vidade possivel para Marsnhao e Para, por ter
parte da carga promta, engaja-se a que precisa
e recebe passageiros, a tratar com os consgnala
ros Marques Barros V C, no largo do Corpo
Santo 0. 6, 2o andar.
Para o Porto.
Deve sahir no dia 1S do corrente a barca por
tupueza Amelia, de primeira classe e marcha por
ja ter prompta quasi toda "a sna carga ; para o
pouco que Ihe falta e passageiros, aos "quaes offe-
rece os melhores commodos : trata se com os con
signatarios Bsltar Oliveira 4 C, ra do Vigario
n. 1, primeiro andar.
Para'
Pretende seguir em poneos dias pare o indicad
porto a barca portugueza Despique II, por ter
maior parte de seu carregamento prompto, e para
o restoque Ihe falta, que recebe a tretei rauito ba
rato: tratase cxim o consignatario Joaquim Jos
Goncalves Beltrao, ra do Commercio n. 17.
GOMI'ANIIIA PERNAMBUCAN/
2L
DE
Vavegaco costeira por vapor.
Parahyba, Nata'. Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
O vapor Potengi, commandanu
Mellos, egnir para os inorto;
cima no dia 15 do corrente as Shora'
ia tarde. Recebe carga at o dia li, enc*in
mendas, e passageiros e dinheiro a frete at a
2 horas da larde do dia da sahida no escripto-
rio do Forte do Matls n. 12._______________
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
Varegaeao coatelra por rapor.
Mamangoape.
O vapor Mandah, commandante
Julio, seguir para u porto ac ma ne
dia 12 do crrente as 6 horas da
tarde. Recebe car?a, encommendas, passa^ei-
r s> dinheiro 3 freie at 3 horas d 1 tarde
do d a da -aluda : escriptarto i-o Forte do "
n. 12. #
1L
Para o Rio de Jturo
vai sahir p ortttgaez '
iv.pf-.a 1 Juv Janu:ni i '. anda recebe al-
r m os C'>'!'-;jnata-
rios E. R.'ltabMll A C, hw rto C noiiercio'n. 48,
ou com oear,',;'i"-
Para o Porto
a barca poi d s-guir
a br?
trata-se com os >p; P\
Cjno largo do Cnrp o. 19. ou com oca
oitao na prai> dn co
~Bra o i'ortO
a barca Flor de S, Simo sahir brevmebte, por-
que ja tem parte da carga engajada : para o reate
e passagens, trata-se eom os consignatarios Car
valhf>4 Nognpira, na rna do Anollo n 50
Para o Rio Grande d Sal
aeha-sepropoat o brigne portagnez L'nilo : para
carga e paasageiros, trata se com os eonsigoata-
rioa Tbomaz de A^uino Faneca C. ra do Vi
gario n. W, andar.
ttE PRE^IOi
Um sobrado de 2 andares r sotao n. 70 da ra
das Aguas Verdes, solo foreiro, rende 880 por
anno.
Um dito de um andar n. 28 da ra de Horlas,
solo foreirn, rende 6i0$.
Urna ca9a terrea n. 1 da ra de -anta Therezn,
solo foreiro, rende 2I6|.
Urna dita dita n. 21 da rna do Nocn:oir, s .lo fo-
reiro, rende 360.
Urna dila dita 11 l da rna das Aguas Verdes, so-
lo lambem foreiro, rende 300.4.
Sexta-feira II do corrente.
O agente Martms far leilSo por autoris?i;ao do
Sr. Francisco Guedes de Araujo procurador de
Joao Fernandes Duarte herdeiro universal de sen
fallecido iho Antonio Fernandes Duarte do Al-
meida, dos predios cima, a poita do predio que
foi Associacao Commercial no largo do Cotpo San-
to, as 11 horas do dia, os pretendemos podcni
obter qualquer informacao do rtferido 3genle.
LEILAO
De 1101 carro de carregax gne-
ros e um bol.
O agente Martins far leilao por autorisacao do
Illm. Sr. Dr. Clauoino de Araujo Guimaracs cn-
sul de Portugal, de um carro de carregar gene-
rose um boi para o mesmo, pertencente ao es-
polio do subdito porluguez Francisco dos Sanios.
Sabbado 12 do. corrente.
No caes do amos cocheira de Jos; Pan!) dos
Santos, as 11 horas do dia.
Attenpao.
Alnga-se ou vende-se urna casa com bastantt-
commodos, na <*idade nova de Santo Amaro :
tratar com Joaquim de Souza Neves, a rna das
Cruzes n. 36.
No segundo andar do sobrado n. 25 da ni*
estreila do Rosario, precisase de urna ama Jorra
Ou escrava, paga s bem.
Ama
Preclsa-sn de tima atn; para casa de fRhn fa-
milia : na ra das "ruzes n. 25.
m
O Dr. Luiz Jo.- Correia de S conti-
na no exercivio de sna proQssao meJi-
ca, e resid;- ua das Nympnaa (Soledade)
n. 17, onde podar ser procurada.
lllli
mnibus de Ca- ,
changa'
Para melhor commodidade d^s passageiros, de
hoje em dianto o mnibus denominado Passageni.
partir para Cacl ang as 4 horas da tarde, e de
manhaa vira as 7 !' para o Recife.
O propietario,
Antonio Jos Coelho Carneiro.
Importante le ricos movis, boa louc-a, fi-
nos crysttaes, obas de prata e ouro com
brilhantes c perolas, am carro e urna
victoria, a saber :
Ura pianno forte, 1 mobilia de Jacaranda, i sof,
1 mesa. 2 consoles com podras, grandes esperaos,
16 cadeiras de guarnirn, l cadeira do bracos,!
poltrona, i cadeira de balance e 2 sofs estufados
forrados de damasco encarnado,, 1 cadeira para
pianno, 1 lustre, 1 candelabro c 2 serpentinas, '1
casliraes de electroplate com manga; opacas, jar-
ro-, frascos e tapetes.
Unta cama tranenza, 1 mesa de oabeceira, 1
guarda louca e guarda vestido de mogno e iguaes,
1 rico espelhocom columnas, I leador, I relopio
com figura o redoma, 1 cobido, 2 sois de Jaca-
randa, 1 mesa oval, 2 bancas de jog, i amara
paz, 10 cadeiras e 1 jardincn
Urna mesa elstica, 1 guarda loovv I jpardor,
1 sof de lasaran l e 10 cadeiras. 1 litas do ba-
lanco, 1 relogio de pa'ede, 1 caixa para cha.
Um apparelho do porcelana dourada para jun-
tar, 1 dita para almoc, 2 porta queijo?, i com-
poteiras, 10 garrafas, 21 cauces, 10copos e i frnc-
teiras.
lima burra de ferro (ccfre(, 1 realejo 1 gamo,
1 adereco com brilhantes e perohs, 1 apparelho
para eh, de prata, \ casticae-, 1 salva, colheros,
garfos e facas ludo de prata.
Urna excellente victoria com arreioj, 1 :oup o
1 par de lanlornas para cama (obra do gosto).
Terca-fclra. IA de mareo
Casa da ra dos Guararapes n. 76.
O agente Pinto levar leilao. pr>' 'idida a com-
petente antorisacSo, os movei lou?a, vidros, pra-
ta, ouro, camas e mais objectos cima menciona-
dos, exitentes lia casa que servio de residencia'do
Sr. Luiz Antonio Vieira, rna dos Ge ira rapes n.
7f>, onde se effectuar o leilao no dia cima dio.
O leilao principiar s 10 horas em ponto, por
serem mnitos os lotes.
LEILAO
PREDIOS
O agente Pontnal vender em leilao, por r.uto-
risaco do Sr. Francisco Guedes de Aojo, como
bstanle procurador do Sr. Joao Fernandas Orar-
te (residente em Portugal) um magnifico predio de.
dous andares, sito ra do Queimado n. 7, s6!,v
foreiro, e metade do predio de dons andaro.' sito
rna da Cruz do Recife n. 6.
Terca- feira, 15 do eorreBte,
no Io andar do sobrado n. 62, 1 ua Ja Cruz, s
11 horas.
O abaixo assignado avisa ao publico qne teiHk>
obtido licenca do F.,m. Sr. cooselheiro inspector
da Ibesourana da ... r.da geral, para vender es-
tampilhas e ihelechnento a ma do Crespo
n. 23. pelos mesmo; presos que se vendem na re-
cebednria geral ; isim pois, podem as pessoas-
residentes nesta cidade e fra della dingirem ao
abaixo assignado. 5 nieommcndas em qualqner
qnanlidade que ser promptam?nto satisffeitas.
Manoel Martins Pinza.
Ama
Na ma da Cdei* do Recife n.- 50, precIsa-*-
de urna ama para rorinhar e engommar,
cha TONi piifAtm 1 wmm
DR
CHAIIIBARD.
Composto das flautas as mais odonTeras e as
mais virtuosas dos montea os mais elevados, o r/<
toni-purgatiro de Cbambari. possue um gosto sa-
boroso c um aroma suavissimo, c as propriedades
as mais notaveis sobre os embarazos do estomago,
dos intellnos e de ligado o desobstrnente p excellencia na eonstlpacSo do ventre e nao tem
resguardo nrahum.
Depurativo especial e directo da bilis e dos hu-
mores, refresca o sanguo depurandoo.
O uso do cha-ti-zmbard prjde ser continuado
por mnilo len.po nera n menor reeeio e sen m-_
commoio rem randsnc no modo devirer.
NICO DEPOSITO EM PERNAMRUCO
PHARMACIA E DROGARA
DR
Rartholomea A C.
34RA LARGA CO ROSARIO34.
Precisa-se ib .-0 amassdor : na padaria la
Soledade n. 2.__________________________
-- Contina a pi -isar-se de um ;noteque : n*
ra do Rangel n W.
Massa fallida.
Os senhre? credorea da massa fallida de Mai
A Espirito Sanio s 'onvidados paja, em lodos
os dias uteis, de I a>- 3 horas da arde at 14 d*
corrente, impreterivcimente apresentar os sens t-
tulos na ri-ad^ Tiai leba n. 4, 1 andar, afim d
serem veri!ic?.dns.
Precisa-se de atn moleque para criado de
um hotel : a tratai na ra do Rangel n. 77. ta-
berna.
AVISOS DIVERSOS.
Cao perdido.
Desappareepu da nu do Destine n. 3 no dia 8
do -corrente, um eacborrroho preto cem o fucinlH
e peroas brancas, er.'ii.as grandes, cauda aparada,
e acode pelo nomo de ligeiro : quem delleder no-
ticia na mesma casa, oa na ra do Codorniz n. 14,
ser recompensado.
Consta-nos que prepara -se um" esplendido
l>aile no thentro de Santo Antonio, roa da Ploren-
tina, cm regosijo a chegada dos voluntarios da
patria, e espera-se que o hymno nacional ser'
cantado pelo insigne artista' o Sr. Jo- Coelho e
correspondido por um coro de virfrew.
O apologista.
i 'osmbe ro.
Precisa te altigar um preto qu<* ceinl)3 regu-
larmente : lr:*tar na ra do Commercio n. 48,
on na rna da Ami-aden. 18 (Capangir).
AUHAA
Ra (iu inpt-rat iz n 15
(liS|iir Imte t"-tn a honra da participar
ao n publ co qiw acaba de abrir'
a aova padaiia .iliwntt na < 118 os dias di-sde as 6 h'ras;
eoirvrt o bem conhecido]
i.'di
Q FINO ESI'RCIAL.
ibt!,.. de qnaesqrjr en-
comAiefldi
Ctub do Monteiro
Sal.bado 12 do corrento, liwert To!iiSkr|
familiar, e trem da ia frrea a tift.i fcra
depois de niela noit.
O emprealrlo.
P. J.Layme..
Pede-se aos arabrrea oonves e mesmo ana par-
ticulares, a quem k 1 itl'eiecida urna p'uhtira da
ouro de lei de 40 a'I'.' oitavas, largura do dons a
meio dedos, obra mci.o bem feita, onea, mas sen
betnme as pecas, e ii foi ha i bastante grossa, o
favor de apprrhondrr dita pnlseira, e de a man-
dar rna larga do Rosarlo n 48, lc andar, que se
recompensar.
Advegado.
O bacharel Fr; ncisco Augusto da Cosa
mtidou o seu es.riptorin da nasa n. 69
para o de n. 4 na roa -lo Imperador,
onde ser eeeot ido das 9 horas da ma-
nhaa as 3 da t
Nesta mesma caaa se enroolrara nma
I' pesson que se r op6 a faior cobr.ia^w,
e que se encarrcg'i de quesiSt* uo kiie-
rior da provir. r
Novo Atheneu
Por ord*m d:;
nhores socios te
te, na rtn do Padre F riano n. 40i (> 1
da manhia, para n^istirem a se>5o prfiirtrwun
Recifo 10 de mar o de 1870.
Joaenim Candido Ferreira Lishta,
! seerwario.
Attenpao
A pesara qae perdn dinhevo no barrT>.d
flWe nodi* p*ra 7 deste-ana, dando os signan
-*ms Hie-swl'nrreffoo na rna da Caovia do
Recife n. .35, pagando o annauno.
iSaqaes
Joan do flefn Lima sact sobre a praga "do Lis-
boa, rna de Apollo n 4.
J.^


Diario de Pem*tiibBCO Sexta f-jfra il de Maiqo d 1870.
*

Ama de leite
QUto c que
ra lar-
Frecisa-se de uina Ama
ga 4a Bo-ana. n. I^y n
All-1
d'Mho,eoui salas, 2 qur.no.-, -cozinha fura, quin-
ta, e.m cacimba, proxim ido grande ; a
irafcer com Bjroanlo TaxaresCoiSnho na mestoa
cK>._______________________________
Pmisa~st! de u de masseira e un
airassador para padarla, e que nao sejam nad-
me*, tora o Rio Forman : a tratar oesta praca
i u* Ainorim n. SU._________________
Procisa-se de un caixeiro para padaria com
l^ratka, eu mesino com pritica d; taberna, tra-
tar o ra Iuipe ial n. \~, o* na na Direila dos
AlTigados H- 66 A.________________________
~ Ngij a dia y do correte de Caxang, o
seravode BOBM Mannel, com OS sinaes siguiles,
idade de m nao, mulato bem claro, tem os
deoies alvos, tem dousaa frente dieituosos, olhos
randes, catoHe estirado, qnando anda perro o
palito esijnerA>, peritas ;: rocas, ; bonita tigura ;
reawimcnila-i a captura do dita eseravo, quem
pegar o I vando o Sr. Mauoel Ferreira Dantas,
na. visa di Inga na ral. ba, ou leva-lo a cadeia,
>er geaerosatnento gralicado,
1
.lira 'Francisca do s|iiriio -Jiiiu Afra, seus
ilhos c ora?, convidam as pessoas de sua ami-
ade, para a missa do 7' dia, de sua fallec-da (l-
*ha, mana e caoba da Lgnez Maria do Espirito
Saolu Agr, a qual lera l'^car na segunda feira I
> 4n Brrenta as 7 bnraaila manilla no convento
de S. Francisco. Apro* ..i o pujo paw agra-
decer aimundade do Espirita Sanio le S. I'ran-
v-t-r tanaando o taterro o cuadonaao o corpo a sua
utiima morada no ecmitorio publuo do Hecfe, vis
que tendo de hir buscar o eor*po fra da cida-
r. m iMMueram o mnimo obstculo ; ao juiz e
no iruiaos que le uv> boin gralo se prestaram
ssos sineei acradeeimeijto^____________
Preciosa ublicacao
jurdica,
CemoMKtarodo Codito OtmmerckU Portu
gttez e U ih,i)\-.
YonJc-se na toja d fau do Crespo n.
i.i A esquina da di. Queinaado, a impr-
tenle t moderna obra sub o titulo de an-
atafde* ao cotliffo d&eomntercioportugtm
em 6 voltHBflB pelo .tu. Sr. cotiselbeiro
Dr. Dioso Pereira Forjaz de Sampaio Pi
n.r.-itei, lente cathedratica na universidade
i)e Cimbra. Os subidos crditos de que
i muito men" : tente aquello eximio
comaftrcialista por si s bastariam para re-
commeodW tao ia,, 'ante obra, quando
tSo cehcorrese tt>ai= ara isso agn'.ndo
;fi!.uH'in de ser t:m ptimo commenlario
cdigo commeiTia brasileiro (na falta
otataqne ha de qua'qqer outro) pelamo-
xima homoffeneidade de entro mu i tas das
roas disposirc?, e as do mencionado codi-
.o portugoez, que Ihe servio de texto.
re re pwssui jos. distinela mocidade
do l.' aono da Faculdade de Direito desta
riikde e ootaveis jarisconeolto, a prover-
v.)^ desse podi'ro.'i .'itfiliar para vossos
(rabaios da sdeweia e peto i>rei;o cumniudo
lc 205, toda a obra :n H vol.
Joaquim Rodrigues Tavares de Helo, pra?a
do Corpo Santo n ir, Io andar, vende cal de
liisboa e potassa ca raais nova, e vinho Bordean*
de 1* qualidade, _____
Precisa-s'de tuna ama boa cosinheira prefere-
so eserava. paga-ee bem; na ra do Pires sobrado
n. 27.
AMA
Precisase de urna ama de meia idade para
comprar e Malabar para duas pessoas; na ra
Angosta n. 9._______.______________
lraudadc de .\ossa wenhera
da Soledade da Bea-vsala
A mesa regedora da irmandade de Xossa So-
nhora da Soledade convida pelo presente os Sis.
mes-tres de carpinas e pedreiros, que quizerem en-
carregar-se das obras de dous altares, arces e
forro da igreja, a apresentarem-suas propostas em
carta fechada em mesa, quinta feira 17 do cr-
rente rnez, podondo para isso consultar as plantas
que se acham em poder do guarda da mosma ir-
mandade.
5Coasistorio da irmandade de Nossa Senhora da
Soledade 7 de mar^-o de 1870.
Manee! Barbosa de Arauj i
Secretario interino.
ATTENCAO
Vende se a loja de calcado sita a rna Direi-
ta n. 45, a qual est bem afreguezada tanto para
a praca como para o matto e s se vendo por
sua dona se retirar de>ta praca, quem pretender
dirjase a mesma que achara com quem tratar
e tem tambem bastantes commodos para nume-
rosa familia por botar de ra a ra e por preco
muito rasoavel qneudmira. ____^________
A pessoa que tem em seu poder por em-
prestimo a collecc.ao de Janeiro setembro de 1866
deste Diario, queira mandar restitui-la no escri-
torio da typgraphia. ^^______^_^_^_
i oirespondcncia de Portugal
Os Srs. que inda devem suas assignaturas de
um, dous, e at 3 annos, nao obstante a deligen-
cia que se lia feito para receber, queiram mandar
pagar no escnptork) de Tasso, limaos & C. at o
lim do mez de Marco, quando ser enviado o
editor da mesma folba urna lista dos devedores
que nao o tenham feito at aquella dala^________
PERFUME INEXTINGUIVEL.
PaRA-0 IXNQQ, To^CVDOtl, E BaMIO.
Manoel da Silva Mendonca Vianna, tendo
justo e contratado rorr o. 8r. Castro Pagels &
i'., a >ua pharirracia da .m D'reita i. 88, livre e
nbaraeada r onus :
quem se julgar com direito a mesma cwipareca
para ser attendidn, no praso de tres dia?, (indo
este nao se attender a reclamarlo alguina.
AMA DE LEITE
Precisa se na ra da Ponte-Velba n. 6.
snt'.iiise pa>!ica^o. literaria
sah o SlsS- de Jaemorih do
lSoiM tSam* do lale, em
Bzraga.
ha-no venda na loja da ra do Cres-
pa n. 28 A, esquina da do Queimadi i pri>
mmrota Memoria do i i -' sdoMtmteem
itra 'dicao. obrada pei.;. de ouro do mu i illus-
fr.nio lente da universidade de Coimbra.o
Kxm. Sr. conselheiro Dr. Diogo Pereira
iz de Sampaio l'mentel. Quem liver
noticia da extraordioaria devoro que exis-
le em Portugal pan in aquella milagro-
-ismim imagem, afflindo sempre para o
s<"j tnagesioso templo m romana o nume-
: povo de todas ai parios desse reino;
queo souber avahar as brilhaotea desenp-
. eo bello estado daquelle consumma-
do jurisconsulto e eximo uerarioportuguez
n.io doixar de procurar, qoanto artes pro
vBMt de um exemplar da dita memoria,
pelo diminuto preco :\-\, na loja indica-
onde ha pequeo ,umero deas.
Na mesma loja cima ha ontras estampa.
lo perfeitas e grandes do dito Senhor\
Ihm Jrsus de Braga, por prego com modo
Precisa-se alugar um preto de niela idade ou
moleque at IOS por mez : na ra da Praia nu-
mero 27.
CASA Iti FORTIM
Aos 5:0003
Bilhetes garantidos.
K roa do Crcsno n.23 e casas do costme.
O ahfixo assignado, tendo vendido alm de nu-
tras sortea, dous quartos n. 4ft com 3:000|000
da lotera, que se aeabon de extrahir a beneficio
da matriz de Caraar 139a), convida aos pos-
suuioios virer.- recher na conformidade do
costume s-"m descont algum.
Acham-so a veod* os felizes bilhetes garan-
tido, da Ia parte Ja lotera benelicioda matriz
de S. I! ni> lio'), que se extraliir sexta-feira
18 do correrte mez,
Preros.
Bilhete 6000
3*000
Quarto 15U0
Em ooreao de I no i para cima.
Bilhete 3500
Heio UTM
Quarto 1*375
Manoel Martina Fiuza.
Phenix Pernambu-
cana
Os senhores accionistas da comp3nhia de segu-
ros martimos e terrestres Pbenix Pernambucana.
sao convidados a virem realisar at o dia 15 do
corrente mez. no escriptorh da compaohia, rna
do Commercio n. 3i, vinte p^r cento do capital das
accoes que subscreveram de accordo com o dis-
posto no ar;go 15 dos estatutos. _
Pernarcbucj 7 de marco de 1870.
Pela companhia l'henix Pernambucana
J. i. Tasso.
F. F. Borges.
J. II. Trindade
SRDADE1R0 LE ROY
Km rada garrafa, a.. filtre .i railll e o apcl 7>il
l o iiku in?tf, mi rt ao ;upMiij r.:a air-
naocomo ;-eli Utr911*1 u Uve-ho rv\>: 2.
A'B. iu.iX-
. ff tcnd^soiii:.: :.-i
d*- 5
brerari. jo-ilavn
1 60 4u .omuim..,::n.i-Je
4o ah.il.mi'iitccdo
aiar dtKoaio
V!JR-M!)CINS
^T PrA*MAC.EN
5SASSA c XAROPE
DE COOEINA DE BERTHEf
Precor.isados por todos os mdicos contra os
DEl'lXXOS, CATHARROS, E TODAS AS
IRKITAQOES DO PEITO.
II. B. O Xaropc de Cndna que mtrtciu a
honra, aliai bem rf emre o Uedieamentos
novot, de ter registrado enmo um doi medica- \
mena* o/liciocs do Imperio Francti iijyes:i^S
quaiiucr elo^iiK
W'lO' Por causj da rcprihcnsi.cl raM-JH
v!& qn iB-.'.ssa de Bi-.l'i IOPW8 fortail.
en::., ir .Tuccsiosmcdicameutos lajusiauciite
congeniados &6 se ^^~.
eudt-ai era caixin- 'c^^ X
hacfr.isr.iislevando ^~^jff Jl
ti--matura eui
frl-lili .
\ A6. Tii* des tdlH, t na Pliarmaciu Ceir
i de i'u:.'.a. ", <'''",
[lUtla .1- !'li.i!li-.u ...- i: >- ii.-1':
y&/t&>
AMl'I AFAMADA
4GUA DE FLORIDA,
DE
HI1U1AV A IaAWMAW.
He o mais delicado e mimoso e ao mes-
mo terapo o mais estavel de todos os per-
fumes, e encwrra em si, no seu maior auge
de excellencia, o proprio aroma das verda-
deiras llores, quando ainda na sua flores-
cencia e fragancia natural. Como um meio
seguro e rpido allivio contra as dores de
cabeca, nervosidade, debilidade, desmaios,
flatos, assim como contra todas as formas
ordinarias de accidentes hystericos; de
summa efficacia e nao tem outro que o
iguale. Iguabnente, quando destemperada
com agua, torna-se um dentifricio o mais
agradavel e excedente, dando aos dentes,
aquella alvura e aperolada apparencia tao
altamente apreciada e desejada pelas Se-
nlioras.
(jomo um remedio contra o mau lialito
da boca, depois de diluida em agua,
summamente excellente, faz remover neu-
tralizar todas as materias impuras que se
cram ;i roda dos denles e das gengivas,
tornando-as duras, sadias e d'uma linda cor
encarnada. (Juanto a delicadeza, riqueza
e permanencia do seu fragrant aroma, ella
por certo nao bem igual: e a sua supe-
rioridade som rival. Ella igualmente tor-
na-se um meio mui excorente, para fazer
remover de sobre a pelle do rosto, toda a
qualidade de brotoejas, ebulii;oes, sardas,
pannos, mancbas, impiguns e espinhas.
Quando se queira servir.della come reme-
dio para fazer desaparecer qualquer um
destes disliguranieotos, e que tanto desfei-
amas*rindas feinies do Indio sexo; devera-
se usal-a n'um estado de dilluico, destem-
perando-a u'tu na poma d'agua : porm nc
tralamento de qualquer espinha, usar-se-ba
della pura em lela a sua forca. Final-
mente como um admiravel meio de com-
municar as kMw.A ttiguciras e paludas,
tima pelle macia c d'uma transparente al-
vura, dando-lbe unta linda cor de rosa :
para um tal lim, ella levo a palma a todos
os perfumes que se tem inventado at bo-
je, e existe em plena soberana sem rival.
Bem entendido tudo isto se refere nica-
mente a Agua rip. lYon'.r.A ni: Miuuay &
Laman.
As imitaroes que se tem feito na Franca,
Alh'manha, assim como em outras partes;
sao inteiramente iontets e invaliosas ; por-
taoto recominenda-se mui especialmente
s senlioras, que lenliam toda a precauco
e cuidado, de miando comprarcm, cstejam
certas que compram.
A Gi:m INA
AGUA DR FLORIDA
ni:
A1URRAY & LANMAN,
A qua! preparada smente pelos nico:-
Proprietarios.
LANMANN dr kEMl', DE OVA YORK.
Acha-se a venda nos estbelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo, & C. P. Mau-
rer A- C. A. A. Barboza Bartholomen. & C.
COMPANHIA PERNAMBUCANA.
O" DIVIDENDO.
De ordem d> consellio de direco se communics
aos Srs accionistas que o pagamento do quinto di-
Qdo razio de 10 por cento, ter lugar do dia
8 de miren prximo vindouro em-diante, no es-
(ripltio 'da companhia no caes da AasamUi
n. 1-2.
O gerente,
__________F. F. fnrges.
lSiRfilAO DENTISTA
Frederico Maya
Tem a honra de scienlifi-ar ao respeita-
vei publico en al, e aos seus clientes
em particular que elle mudou o seu gabi',
nctede consultas da ra Direila n. 12 para
-a do Queimado n. 31 primeiro andar, corji
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres do sua
profiss5o, todos osada uteis das 9 horas
da manhaa s 3 da tarde.
Tambem previne, que contina a prestar-
se a vontadd dos clientes nao s na cidade
como nos seus suburbios, para onde as
das serio precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenho e a perfeigo de
seus trabalhos, oque.j bem conhecido,
assim como as commodidades dos preces.
O ateixo assignado Ux snPer ao corpo do
commercio e ao pul lien em geral. que tem justo e
contratado com or. Jos Mariin- ))ias a compra
da sua taberna sita travessa do Queimado n. 3,
livre o desembarazada de qualquer enu?, mas se
alguem se julgar com direito a mesma, queira
comparecer ao praso po ir* dia?.
Recife 9 de maren de 4670.
Joaqpim Fernandas de Oliveira.
_ Joaquim Bernardo dos Beis faz scmule ao
publico e ao corpo do contr.ercio. que iasde o
dia 7 do crranle deix >u OC ser seu eaixero Joa-
quim Jos dos Snti Athnydv._______
PHENIX PERNAMBUCANA.
Companhia de seguios martimos e terrestres
Ra do Commercio n. .'IV
Capital Res ,590:000*000
SeguraMovis.
. Mercaderas.
Navio* do velta.
V;i|mres.
Em vapores al ris 400.000000
Em navios de vella at ris 7o:O8Q000
Em cada predio al reis 100:000*090
Pcrnambuco. 7 de marco de 1870.
Pela companliia Plieni:, Pernambucana
J. J. Tasso.
F. I". Burees,
I. II. Trindade.
Pro isa-o de oras, no Caes de Capibari-
be n. 30, ou a ra da Cadeia do Recife n.
33. Paga se bem. _________________
Na rna das Laraugeiras 11. 30, precisase
aiuiar um escravo para todo servico.
Bartholomen & C,
%&i '.'* fia
* 28Camboa do Carmo36
Das seis e meia horas da tarde as onze da noute.
Nicolau Pungitore tem a honra de annunciar ao rospeHavel publico desta ca-
pital, que diariamente estar aberio a concorrencia publica um grande cosmotama ttm
variadas vistas e passagens dignas da attenco de todos por arharena-se entre ellas
as differenteg batalhas dadas pelas Torcas alliadas contra o governo do Paraguay, como
abaixo se ver.
O annunciante tem empregado todos os seus exforcos para que o respeihve?
publico encontr all um bello passatempo mediante urna pequea exprtala, tendo
entretanto direito a um objecto, gratis, de mais ou menos valor.
Todas as vistas serao mudadas duas vezes por semana, sendo as quarta
sabbados.'
BrasilVista do Rio de Janeiro (Prainha da Saiide).
Portugal-Vista da liba Terceira. ^
FrancaVista de Cherburgo.
FrancaVista, cafa do Urso.
Repblica OrientalVista do porto de Montevideo.
ItaliaVista ie Milo.
ParaguayPassagem de Curupaity.
DitoReconhecimdnto de 16 de julho de 1868.
Russia Batalla da Coernaia.
28Camboa do Carmo28
DAS SMS E MEIA HORAS DA TARDE AS ONZE DA NOUTE.
OP9B8ft0 *feOFFOCglO
& *J
a* rrm dxher do noi.Toh Clfitah approvadas pela Acodernia imjiarial
d' ineilic.iiia de I'ariz acalinain quaei-aerepre instantneamente, os utaipies d'aaaui, '
.sao, ^-oflocacao, assim como as dores de cabeca e enxaqucuas. K sofB-
(-imite na occasiao em que ippaiccer o mal, o engohr-se urna oa duas Petotas
r ni una pouca d'ogoa. com certeza o medicamento mais fcil de tu marinara
este genero de doencas.
Aa parolas ito cei-ehcnthinn no t.ouTis Ci.EBTAi so imprecadas diariamente
com grande xito .ara a cura das nevralgiae, rhemnniismo, scitico c cntarjrlios
da bexiga, listas petlas foram sempre recomniendadas por um grande numero
de mdicos e especialmente pelo lloutor Trousseau. que indica este medica-
mento como o mais eflicaz. conveniente tomar de 4 at 8 na occasiao das
comidas.
A approvagSo da Academia imperial de medicina sei duvMa a meihor
garanta da boa preparado d'stes medicamentos e de sua cficui ia.
Dapaaito i-m I!:"-Jmii:i. DupottcheMe; Chevotot. 11 Pnuimii), tn-irer SO".
f*^fW Vinho, Ph-t:i.as, S uidir Tintuha
. UOBDi. SIMPLES v. FfcKRUGlfb60;
0:.: V .\1.\f. EMPL.\ST[SO DA M.BSMA
DOS l'-'li
aARTHOLGSEG L CA
l'a.'.RMACF.l'TlOS-PliOOl'ISTA
FLU.\.4l't O
A Juiuhel : f>n plaail e hoje recuulieoil
i-oiin. o lows (ioOii im' i'ncii, ..u.i, mclbot
i|eol"-lrili:iitr.ecnmuMi :((! c>! Iiupaiieciuieu0
Im^n; ln-j.mii.-. ilnrriat., tniaMM intsr-
t c-;i:ci.iiiin;:ile iln ulero, kjUropeetU, erjsi-
I) no ferro i HUl ua< palljiias
eblotow! Falta de ion*lruai;ao, dc il da sslomaga. tic, o -loe diseiin's ailestio
muiimeras curas iiuuurialcs otlidas oom nosso
preptraitot j deiu conhfcnlos e usados pelos nuii
dlsliovnM mdicos do paz o l'oriagal. Eui lodos 01
nosoa lieposilos distribuimos gralia (olbetos qu
sor fasem coahecer a Juruboba eos resntMdor
t appRa(io.

34JR.
i


-
i
ap"
'aria, Sd.auaWvieinM, S
13
'ASKNKKHMillAli*
coas
PILULES
DEVALLET
As Ulula e Tnllet, approvadas pela
Academia imperial de medicina de Pariz,
saS empregadas com o maior
xito para curar a chlorosis,
e fortificar as constituicei
iracas. Kunca este ferrugi-
noso ennegrece os dentes.
Pera a garanta da sua authenticidade,
o nome do inrentor vai gravado em cada
piluUt como margem.
em Rio-abjo, Duponckellr; Chitlo!.
m ria>ABcoo, Mairee i C".
mi qb raru,
O Dr. J. S. Rebello, medico homeopa- H
91 tha, reside no 2o andar da casa n. 32 da SB
H Praca da Bao-vista, onde o podem cnsul- M
S tar. on mandar chamar, todas as pessoas, 2
W& que o horarem com a sua conlianca. E
Casa para alugar.
Na ra do Paco da Patria ou travessa do Mon-
teiro, aluga-se urna casa terrea nova com ciuco
quartos, duas salas, cozinha fra, quintal grande e
cacimba : a tratar na ra Nova n. 27, loja de
selleiro.____________________
Em Santo Amaro na estrada que vai par Belem
sitio n. 8, ha para alugar um sitio pequeo com
boa casa de vivenda : tratar com Antooio AI ves
Barbosa.
l .iK3. ASAfaa
.. ;. nJL^OESDOSaJMfai
i .rtjdisimpinatw
-ri, *
"TlF lixo'.'.jortmor.ia^t
icitleu do tmm
i. $ torsfM
-crcurio).
rJ...... vv>m tnnaut
:.:! ."^-.inila irtcUmtati
: j.i ctm inoltstiM.
; '. ..-. i. ... Sartpe Cu-ac 4
^ ferro .1* CiABLB. tu\
auaealejanlp
., rj.'aaof.
-.-.,.. ^5- mm .;..; '.'f.-R,-;u Jl lharai."!
i ti jregj-n eoa Xartts 6
f'rro
Ci.werralox. Poaaaa M cor tm Vt Mtk
P-JMAOA ANTIHERPETICA -
Castra. tt a/tn;oti t-slinea (Omtcaar
PLULA8 VEOETASS DEPURATIVA^
< t>- CiJiH* iiii rrmta r\ atoatksa* <&
-aaaa
POS I
Kna coslumamo procurar illestados para acreditar
nos^>- preparados, e deiamos que sua spplicacio c os
resoltados obtidos pelas pessoas que se dignaran) acceila-
los, Ibes deeia crdito e voga ; porque so sempre os
ittestados considerados gratuitos, e dcllcs que lanc,a
mo o charlatanismo; mas na qnereodo ofleodor as oes-
oasqueespontaBeamente dos otTereceram.os que abaixo
rio transcriptos, os fajemos publicar manifeslaudo-lbes
nossa gratulao pela atiencto, esperando que venhan
tiles corroborar o conceito. e acceilacao que tem mere-
cido nossi' xarope. arlAolomco k C.
ATTCSTADOS.
rllms. Srs. Bartholomeo tC. com a mais subida
iatisfa;ao que declaro ser o xarope Americano de urna
cfQcacia extraordinaria, pois qne sotTrendo ha dias de
intensa tosse, i ponto de nio poder dormir a noile a
despeito mesmo de medicamentos qoe tomata, a elle
reconie na terceira colbcr fui aluciado, e de todo me
icbo boje est.-.liclecido com o uso serente de quasi
acia fraseo: grata pois i esse resultado manifest a
. S. r;:ec recoiiiiccimenlo. De Vv. Ss. lajin, ve-
ser.ii' ',, Uanoel Antouio Viegas Jenior.
- Sua casa al da atril de IM8.
- Ba:l C. iUlQCOai
'\ .'. Je i-imsftiba a oso 'u sarape
Vegetal Americano, de sua enmposielo, qnaodo o
acheta baflama doeute de una eon-iipaco, qoe eo*
lornou completamente rouco e que trouxe nata foru
tosse, e me impossibilitoa de enmprir os Dees deten*
de cantor da emprna Irrita, tou a)radccer-lhe Btc.
completo reslabeiecimemo, qne oblite cun um so tier
do mesmo xarope, depois de hacer recorrido a anunoe
tratamentos. Desejarci qne outros como en reconaae.
ao seo xarope para se verem aliviados ds too larrirab
incommodo, to fatal nesle paiz. Com maior coa.tde~
raflo codibo a ser de Vt. Ss. att'nio, ernendor
obrigado. Lniz Cremona. Recife 25 de -eiembf
de 1868.
lllms Srs Bartholomeo tC O xarope Vegetal Abm-
ricano qne Vt. Ss. tm exposlo venda de toda eftV
cacia para o coralito d'asthma, cantorme obsertei aj>-
plicando-o a mea tllbo Joaquim, menor de qoMr
anaos; tictima d'essa flagello, qns at eclopor espoct
excedente a dous annos havia resistido a oniro xaroae*
de grande norneada. Oueirum \-os Vt. S<. coaitw t
expressao altami ni" sincera de mcu reconhecimanto a
ntaritnrio sertico que Ihe presiaram com o iudiead*
jarope. aoredttnHome par-i sempre de \'t. Ss. crisdei
alenlo eoh.igi.o. Americo >etlo de Mendoac.
Recife 2 ': outubio de I8l>'.
ROG
"*^, ^^^a""^ **aaaee**. r ui*> jw_.
psasH5asH5asEsasasE5E5asH
Approvados pela Academia imperial
di medicina de Pariz
m frasco do r le Boje, dissolvido
em urna garrafa d'agua, da urna limonada
gradavel, que purga rpidamente e de
nm modo certo, sem causar a menor
irritacao come acontece com a maior
parte dos outros purgantes. Oa de
Rog, sao inalteraveis por isso einpre-
am-se fcilmente em vagem.
. I em nio-Jissmo, DuponckeUe; Ckr.oltt.
fyte'* j m PrasAsaoco, aiirf t C". A
PILULESeSEECAUVIN;
fliraadea, K, boule'ird SftiKtopol. PiTla.
Isla precioso pargatlto vtgeiai to commodo I
Icono agradavel e n n-medin mais inlallivel para des-1
Itralr u eoauMapaxoea, a? nevralgla. as mais re
IkeMes, assim como Mil* e a viscosidades.
Elle enV-ai as gastritis, o^lrucc;oes enxa-1
I aaweae, asinina, drtre, ralarro. emplgens, |
I aoua e rkeanultstno.
I 0 merecinento das rllulaa Canvln pode rciu-
I arir-se Bestt palanas Meaiabelecer ou eonaer-1
I *ar a ude.
Ellas nlo pe4eB nem resguardo na comida sen I
I bebida; dose laxante e depttraUva, otase tomar I
I atlas asa reeeeoes ea dose aaraattva da nmte ao |
IdeKar-te.
| rrMatvco: UM afaorer at t>.
'rnnc^i^a. os oleo; punais, d'i lu im| icoti foitas com atv*%
r OfCt
para i .;.'. .,. oletw ir :'^axtoai
-i r:v:-.IU-.o f Tcrra-Wot -. 1 atii-cedtiijcoe sis
!...'.:. qn i I -ido d.- ImciilMo
lo i .... > HWt/nra. ciiinpm r-nvaja
- ruidadut noaproprim \. o' im remo manda '" > i
:,,._.. ;, i.. ,. jnnn -: Il ,1. ''-. a>It>e piu-oa lio i! loilSaato i!-. e;ia-\oie de Hugaj 5
/.'./o, U3 ti'fSi K
t l.;mrhniii,;j, c ymifjtnit ial UfttMU .'.e:e.,e por i I i,oV rom lagar k nocivas e desloaas I
. -- I) o!c< <".- asonfl mui i de digerir, UUnpie oi-t-e os cutres leos pe s.a :
.
...... sao p>(fl de sard
-".'.:!;. .-: te traba! i f.'.ciMUDE DE MFDICINA DE I
;:- nn |'i qwiki -' 0 pi'.lm de y. Uull outtu :r,n.i Urca part de prla-
.., v* oto/a 'o < M.'fo pardos e. iidn apre'hii Bigum atol iaatoaasMawle yur a*)'
...- i .;'."'.. "/, (-,i< r sithar.
,.(<--t.r rm riadtsa ata th<-itaaelaai m Vrssst^zi de* palaroa tMStraiaiat.lraal.
VERDADEIRAS
PILULASdeBUNCARD
COM lODURETO DO FERRO IRALTCRAVEL
APPROVADAS PELA ACADIMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
31
Possuindo as propriedades do lodo t do forro, eontem especialmente as n.
scaorOLOSAS, a Tsica no principio, a fraque** dt temperamento tambem no _
Falta de coa, AMErtoaaireA, em que precia reag 08111 o sargoi seja rjarareatug
Ihe a ana rifiieza e abundancia aormaes, ou para protocar regular o seu carao poras*.
M. B. O iodnrote da ferro impuro on alterado i m medicamento Infiel,
Rtante, Como prora de pnrewi do anthencidade das taladelraa i*
Blaaear., deri-sa exigir nossa lia da reaetWa
nosao Orata, aqni raprodajida, asa aa acha aa aarie lafanor da a
retala varda. Dere-aa daaconflar das talailteacoa.
AamacwKtco, nta Baturaarta, <0**
h
BIJA
|D0
CABG
esquina
Ida roa
Rosario.
AO
Este Importante estabeleciinento ao sen genero, tem sempre um sortimento sem igual,
. e vende por procos qne nenhuma outra easa pode vender,
larga tioi ^ ^^ ^ q^ajidade e do preco das joias cada um poner-se-na convencer da reraae.
w. ^_ __ ._ ._j. j. i- Oompra-se ouro, prata e podras finas por procos muito ele-*
af H .
|Oarante-se ser todo de lei.
.vados.
CB1J.A
esquina
da rna larga
Rosario.
A loja est aberta at s 9 horas da nonte.

fl|


4
Diario de Periianibuco Sexta eira 11 de Mar<^> de 1870
I
k ESMERALDA
,*Hte,
L0JA DE J0I1S
Di
NDIEIBA 9UABTE & C.
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado ote novo, est as condi-
ioes de servir vantajosainente os sens fre-
guezes, visto que acha-se prvido com nm
xplendido sortimento de obras de onro e
?rata de lei, assim como brilhantes e on-
tras pedras preciosas, cnjos presos sao os
ais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
te em troca ou compram-se com pequeo
bate.
N. 5 RA DO CABUGA \ 5
O MARAVILHOSO REMEDIO DO
DB. CHAS. DE GRATH.
OLEO EL
KINGOF PA
O RE da dor
TRICO
N
PARA US INTEHXO E EXTERNO.
Cura cholera e cholera morbus.
Diarrhea, lluxo do sangue, em um dia.! Dor as costas e nos lados, em dez mi-
Dores de cabera, e dores do ouvido eoi1 utos.
tres, min
Dor de iloutes, em um minuto.
Neuvralgia, ern cinco minutos.
Deslocages, em vinte minutos.
Gargantas inchadas, em dez minutos.
Clica e colvulsoes, em cinco minutos.
Rbeumaiismo, em um dia.
Febre e febre intermitente, em um dia.
Tosses perigosas e refriados em um dia.
Plueresia, em um dia.
Surdez e asthma.
Hemonhoidas e bronchites,
Imflamaco nos rins.
Dyspepsia, erysipelas.
Molestia do flgado.
Palpitado de corago.
Reserve somprc este remedio na sua familia
AS DOENGAS SE APRESENTAM, QUANDO MENOS SE ESPERAM.
OLEO ELCTRICO O King of Pain (O Rei da dor) aquieta e positivamente dis-
ipa mais de differentes molestias e dores, e allivia mais os soffrimentos e produz um
oais perfeito equilibrio no systema humano, o quena"ose pode effeituar do mesmo tem
po, com qualquer outro remedio medicinal.
Este milito popular remedio est agora usando-se geralmente, pela razo que
inilliares de pessoas se tem curado gratis com o dito remedio pelo Dr. Grata e outros
mais.
Este importante remedio nao se offerece para curar todas as doengas, porm
\ao somente para aquellas estipuladas as nossas direcces.
Est operando nos principios da chimica e da eletricidade e por isso, est
applicavel para o curamenlo e para a restaurarlo da aeco natural dos orgos que so-
ffrem da irregular circularlo dos fluxos dos principaes ervos. Oleo elctrico O King
of Pain opera directamente nos absorventes, fazendo desaparecer as inchacoes das
glndulas etc. em um tempo incrivel, breve sem perigo do seu uso debaixo de qualquer
circumstancia.
O remedio urna mede mentos curativos, raizes,.hervas e cascas, taes como se tem usado dos nossos antepas-
6ados, e das quaes tem grandes existencias no mundo, par* curar todas as molestias
rnente sibendo-se quaes ellas sao.
Foi um grande e especiaj desejo da faculdade de medicina durante muitos an-
uos de experiencia para aprender os melhores modos que se deviam adoptar para curar
as segaintea doen^as, e que proporces de medicina se devia osar.
NICO DEPOSITO EM PERNAMBUCO
NA PHARMACIA E DROGARA DE
Bartholomeu & C.
34Ra Larga do Rosario34
TINTA BE
ACORES E LA-5
TAGEM
TODOS OS
DIAS
TINTURARA
IB
TINTURA
PRETA AS
TERCAS E
SEXTAS--FEH
RAS
25-RIJ4 DAS PLOBES25
O dono deste estabelecimento tinge, limpa e achamalota com a maior
perfeico possivel todo e qualquer objecto de seda, laa, algodo, em pe$as
ou em obras., chapeos de feltro, palha e manilha etc., tira mofo das fazen-
das e faz todo o mais concerner.te sua proflssao, tudo com brevidade, visto
como se acha prvido dos necessarios machinismos e petreonos.
Otto Schneider.
Em tempos modernos nenhum descubri-
mento operou maior revolucao no modo de
curar anteriormente em toga do que o
PEITORVL DE AMAHUTA
TANTO NO TRATAMENTO DA
TOSSE, CROPO,
ASTHMA, THISICA,
ROUQUIDO, RESFRIAMENTOS.
BRONCHITES,
TOSSE CONVULSA,
DORES DE PE1T0, "
EXPECTURACAO DE SANGUE.
Como em toda a grande serie de enferme-
dades da GAjtGANTA, do peito e dos orgaos
da respiraco, que tanto atormenlam e fa-
zem soffrer a humanidade. A maneira an-
tiga de curar consista geralmente na appli-
cac5o de vesicatorios, sangrias.sarjar ou ap-
plicar exteriormente ungentos fortissimos
compostos de substancias vesicantes, alm
de produzir empolhas; cujos differentes Dio-
dos de curar, nao faziam seno enfraque-
cer e diminuir as forcas do pobre doente,
contribuindo por esta forma d*uma maneira
mais fcil e certa para a enfermidade a des-
truico inevitavel de sua victima I Quem dif-
jerente pois o effeito admirave do
PEITORAL DE AiNACAIIUITA t
v.u e|ez DE IRniTAR, MORTIFICAR e cauzar
INAUDITOS SOFFRIMENTOS AO DOENTE,
CALMA, MODIFICA E SUAVIZA ADOR.
ALLIVIA A 1RRITAC0
DESEMVOI.VF. ENTENDIMENTO,
FORTIFICA O CORPO
e faz com que o systema
Desaloje d'uma maneira prompta e rpida
at o ultimo vestigio da enfermidade. Os
melhores votos em medicina dTEuropa (os
Lentes dos Collegios de Medicina de Rerlim)
testificam serem exactas e verdadeiras estas
relaces analgicas, ou alm dissoja experi-
encia de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com
este maravilhoso remedio, s5o mais que
suficientes para sustentaren! a opini5o do
PEITORAL DE ANACAIIUITA!
Deve-se notar que este remedio se acha
inteiramente izento de venenos, tanto mine-
raes, como vegetaes, em quanto que porm,
alguns d'estes ltimos, e particularmente
aquelles que sao dados sob a forma de Opio
e Acido llydrocianico, formam a base da
maior parte dos Xaropes, com os quaes tSo
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
blico. A Composi<;5o de Anacahuita Peito-
a ;nlia-se lindae curiosamente engarrafada?
m frascos da medida de cerca de meio
quartilho cada um, e como a dosc que se to-
ma s d'uma colher pequea: basta ge-
ralmente a applicacao d'um ou dous frascos
para a effectuaco de qualquer cura.
Acha-se venda nos estabelecimenlos de
P. Maurer-C, J. C Rravo & C. A."
Caors, 6. M. Rarboza e Ra tnolomeo & C.
P TlLlI
INSTANTNEOS
Travessa do Corpo Sanio n. 25
ARMAZEM
Ra Nova n. 28, Joja Antonio
Pedro ce Sonsa Soares.
Bandcira, Machado & G, avfcarn ao respetare!
publico que nos lagares cima encontrar no mes-
mo sempre grande quantidade de ditos pocos, e
que se acham habilitados para vender por menos
que outro qualquer, por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante Norton, de Londres.
As vantagens que offereeem os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser collocadns den-
tro de casa ou fra, com o trabalho de urna a duas
horas; segundo, fornecerem os mesraos agua pu-
ra e abundante* podendo serem removidos de um
para outro lugar, quando assim convter.
Os annunciarO.es s reeetk-rao a importancia dos
referidos pocos depois de coocados, salistazendo
espectativa do comprador.
AO ARMAZEM
DO
Ra \ova n. 9,
acaba de chegar pelos ltimos vapores novas re-
messas dos seguintej :
Calcado francez
Para senhoras.Botinas brancas,"pretas, e de ou-
tras umitas differentes cores ultima
moda.
Para meninas.Botinas da9 mesmas cores e qua-
lidads cima.
Para homens.Botinas de cordavao. bezerro, ver-
niz, pellica, o melhor sortimento que se
pode desojar.
Para msninos.Botinas das mesmas qualidades
mencionadas para borneo?.
Para homens.Botas rucianas, meias-botas e per-
neiras.
Para homens, senhoras e meninos.Sapatos de
tapete, aveludados, charlte, casemira
preta, tranca de Lisboa etc. etc.
Para meninos e meninas. Abotinados fortes de
muitasjqualidades.
Quinquilharias
Finos artigos Je Pars, de gosto e phantazia,
como sejam, leques, espelhos, luvas de Jouvin,
caixinhas de costura com msica;, joias de ouro
bom de lei, ditas de plaqu, cofres de seda e bol-
cinhas para braco, estojos para viagens, bengalas,
chicotinhos de baleia, oculos, lunetas, correntes de
relogios, e perfumaras de Condray e de Piver.
Brinquedos para criancas
Carrinhos de 3 e de 4 rodas para passeios, eos-
moramas e realejos de diversos tamanhos, e um
cem numero de brinquedos francezes e allemes
para entreter meninis.
Para evitar massante leitura de tanto} artigos
ex costos venda neste estabelecimento, o dono
pede ao publico em geral que se digne entrar de
passeio afirn de verihearem nao s a grande va-
ridade como os precos baratissimos por serem
todos chegados de conta propra.
GLOBOS
GLOBOS
GLOBOS
De papel de cores em grande quantidade para
as illuminardes dos festejos nos das da chegada
do batalhao dos voluntarios; magnifico sortimen-
sortimento cliegado ao armazem do vapor francez
ra Nova n. 7, por commodo preco.
GUSTAVE
CaBKLLEREIRO francez
51Ra da Cadeia do Recife51
Chama a attenSo dos seus innmeros reguezes, e do respeitavcl publico e
geral, para a segiiinle tabella dos presos de sua casa, os quaes so vinte por cenU
mais barato do que em outra qualquer paiie:
Cabelleiras para senhoras a 200,
30(J, 354 e......40,5000
Ditas para homem a 39A '0i5 e 50)5000
Coques a 120, 150, m, 20,5,
25/1, 303 e.....50#>00
Crescentes a 120,15,?, 18^, 20,
250, 300 e.....320000
Cachos ou crespos a 30, 40, 50",
60, 70, 80, 90 e. 100000
Tranca de 'cabellojpara annel a
500 e....... 10000
Tranca para braceletes a 100,
150, 200, 25 e.....300000
Cadeias para relogio a 50, 60,
70, 8& 90, 120 e. .
Corte de cabello,.....
Corte de cabello com frico. .
Corte de cabello com lavagem a
champou......
Corte de cabello com limpez da
cabera pela machina elctri-
ca, nica em Pernambuco. .
Frisado ingleza ou franceza.
150OCI
501
50t
10001
10004
50t
251
PEDIDO
Pede-se encarecidamente aos Srs. Domingos
Theodoro Rigunra e Aristtdet l-'lorentino Caval-
canti de A[boquerque ideSenahaem), que venbam
ra do Vigario n. a negoeto que se precisa
ultimar.
(Jasa de commissao de esefavos
Na antiga casa de commissao de escravos, di
ibaixo assignado, ra de Imperador n. 43, conti
lua-se a nceber e?eravos por comtao, unte
lo mato como da praca para serem vendidos,
{arante-se o bom tratamento e prompta venda
jara o que se emprega todos os esforcos afim di
atisfazer em tudo s pessoa* que o quizerem hon-
rar com sua tonfianca. Nesta casa ha semprt
oara vender escravos 'de ambos os sexos, velhos <
ocos, as3im como ha t da seguranca para os ter
Antonio Jos v. de Souza.
Barba. ,.......
ASSIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casaraenio
Bailes c solres
O dono do estabelecimento previne s | Recommenda-se a superior TINTURA JA
Exmas. Sras. e Sos cavalheiros que ha um! PONEZA para enegrecer os cabellos e bu
sal3o para tintara dos cabellos e barba, as-
sim como um [empregado somente oceupa-
do nesse servido.
ba, nica admittida na Exposic5o Universal
como n5o prejudicial sade, por ser ve
latil, analysada e approvada pelas acadef
mias de sciencias de PARS E LONDRES \
AMA
Precisase de urna ama para o servico interno
de pequea familia : na ra do Vigario n. 5, ter-
ceiro andar.
Trilhos urbanos do Recife
Olinda.
Continua-se a comprar dormentes de sicupira,
oilicica, amarello e outras madeiras de duracao
para o chao, com as dimensoes seguintes : 10 pal-
mos de comprimento e 3 112 polegadas de grossn-
ra, de 7 lj2de largura : para tratar, no telheiro
da ra da Aurora, desde as 6 horas da manhaa s
4 da tarde.
O superitendente,
Andr de Abreu Porto.
Advogacia.
O advogado Ayres Gama contina ter
seu escriptorio na ra larga do Rosario
n. 26.
i.iauiiiaiica nacional
Primitivo de Miranda, esludante do 5o anno, d
l<;fes ra da Coneeicao n. 12 ; pode tambem
sur procurado no escriptorio do Dr. Jacobina, ra
do Queimado n. 33.
CASA DA FE.
Aos 20:000^000.
Bilhetes o Rio venda : ra do Cabug n. i
vende Vieira & Rodrigues.
Grande sitio para
alagar.
I Aluga-se um grande sitio na eftra-
a do Rosarinho, o qual tem muitos
rvoredos e grande baixa para ca-
pim ou creacao de gado, podendo
su>tenlar20 vaccas por ter um grande
brejo no fundo que vai quazi estrada velha de
Beberibe no lugar Agua-Fria, tendo o sitio urna
grande frente para a nova estrada de Beberibe
fazendo quina na ponte que all existe. A casa
nova, tem duas sallas e quatro quartos, grande
copia .quarto .de creado, oocheira e estribara, tu-
do de pedra a cal e edificada ha pouco tempo.
Quem pretender qaeira entender-se com seu
proprieiario o commendador Tasso, em seu sitio
na Cruz das Almas at s 9 horas da manhaa e
depois no sea escriptorio na ra do Amorim nu-
mero 37. ,
Precisa-fe de um caixeiro que afiance sua
conducta : na ra Je Horta; n. 1.
Na rna da Concordia, nadara n. 9, se pre-
cisa de urna ama.
Selecta brasilense.
Acaba dejiublcar-se o segundo e ultimo tomo
d'esta obra, 1 volume 8* br. 5000, contem bio-
grapha-, trechos de autores nacionaes etc.
____________Livraria Franceza.
Precisa-se de una ama d.) leile que seja
adia, na praca do Corpo Santo n. 17. segundo
andar.
Anda fgido desde_ 26 do fsvereiro prxi-
mo passado o escravo Joao, preto, astatura baixa,
tedo picado de bexigas pelo rosioe falta de den-
tes : levou vestido camisa branca e lnvou mais
outra de riscado de listas. Quem o pegar leve-o a
praca da independencia ioja de Porto & Bastos,
que ser recompensado.
TjRILHOS URRANOS
DO
Lindas e superiores bareges de cor, de qoadro e de listras, para vestidos fin-
findo seda, pelo baratissimo preco de .'00 e 640 rs. o covado.
Assim como superiores cassa* francezas de cor padr
6C na foja das Collnmias ra do Cres
(^apella dos noviqos da venera-
vel ordem terceira de N. S.
do Carmo
O abaixo assignado convida a todos os seus
ch irissimos irmaos novieos desta veieravel ordem
a comparecerem na igreja de nos#a ordem, no',dia
8 do abril vindouro, as S n- da tarde, devida-
mente paramentadosjsom seus hbitos, para acom-
paaharmos a procissao de triumpho que sahe de
nossa veneravel orleiu.
lote Joa7oim^de Azevedo.
Mestjfl des njvicos.
HTTEMCt
' lar un cupi'
3'.tai uoiea-
do Recife
Precii
mente
n. 37
ra de Arruda Cmara
iot de engento), tenha a hondade de dirigir-
se ;'i raadoCresjio n. 47, a negocio.
Recife a Apipucos.
A venda dos bilhetes nos carros conti-
nuar at o dia 24 de marco entretanto
roga-se aos^ Srs. passageiros o favor de
comprarem ios seus bilhetes as estacoes
antes de embarcarem nos trens.
A" conduci;o de bagagem principiar hoje
partindo o trem do Recife Apipucos ao
meio dia, e de Apipucos ao Recife a 1 li. e
tora, da tarde.
Recebe-se bagagem e carga nos dias uteis
das 6 horas da mnhSa as 6 da tard9 nos
seguintes pontos:
Recife.
Ofilcinas.
Manguinbo.
S. Jos (casa defronte da igreja).
Torre.
Casa Forte.
Caldereiro.
Monteiro (no hotel).
Apipucos.
A bagagem para os pontos de Soledade,
Ponte de Ucba, Jaqueira, Parna-meirim
Sant'Anna e Porta d'Agua, s ser recebida
com a condieco do remetiente manda-lo
receber na occasio da passagem do trem
por nao haver. ali quem o recolha nem es-
tagoes proprias para esse fim.
Qualquer reclamaco dirigida por escrip-
to ao gerente ter immediata aUenc5o.
Escriptorio da fompanbia, Io de marco
de 1870.
W. Hawlinson,
Gerente.
No caso de hegarem os voluntarios hoje,
haver trens extreordinarios de hora em
hora, deade ap lo horas da maohJa at i i
horas da note, tanto de ida como de volta
i^lm dos trens da tabella).
W. Rawlinsm
Gerente. !
TEZOURA DE OURO
mmwf sana m aaaaniiajiaaiiias)
_____ DO
A ra do Queimado n. 6, primeiro andar
8 pessoas para o servico e o maior acceio nos trabalhos de barbeamento.
O sal5o estar aberto, nos dias uteis das 6 horas da manhaa s 9 da noi>
e, e nos dias santificados das 7 a 1 hora da tarde.
" f FALQUE
N'ESTA ANTIGA E CREDITATA
FABRICA
n
IHCIITIA || COSSTIJIIIISTI IDI COMPUTO
CHAPEOS BE HOI,
De todas as qualidades I
De todos os fcitios I
De todas os precos I
RA DO CRESPO
j-r
No armazem da travessa do Corpo Sanio n. -2H, ha sempre ira congrteto
sortimento de objectos para carros, o que se vendem.por precos muito ra?xiveis, O
sejam:
Vaquetas de lustros, grandes e mnito bo.is.
Solas idem dito.
Oleado preto e (! Colleiras de lustro oque lia de melhor.
Guarnios de finolato para arreios, completos.
Lanternas e vellas para as mesmas
Eixos patentes para sebo.
X A R O PE
VEGETAL
C SAUDADE
BA R THOLOMEO &C
fra a tura certa tu losse inlij e retentes, ctarrhos pnlmonar, aslhmi; tos eoBYolia, eatirri
tronchs, o em goral contra todos os soffrimentos das tus respiralorif.
DEPOSITO GERAL
BOTICA 35 DROGARA
34, ROA LARGA DO R0ZARI0, 34
PERNAMBUCO
A therapeutica das dTtras molestia! do pello,desde
pharyngite od mal dt garganta ate a tuberculacio
pulmonar, paseando pelas diversas bronchites catarrbaes
o emphjrsema acaba de ser enreqnecida com mais
enreqn....
este medicamento, que tomara a primeira ordem entre
todos at boje eonbscidos. O tarop Vegetal Americano,
garantindo puramente vegetal, nao contem em sna
composic. Ao am s tomo de opio, e sim somente sue-
cos de plantas indgenas, cajas propriedades benficas
oa enra da molestias que pertencem aos orgios de res-
pirafio foram por nos observadas por longo tempo,
com ptimos resultados cada ver mais crescentes; pelo
que nos julgamos autorisados a compor o xarope que
igora apresentamos, e a offerece lo aos mdicos e to
publico, Provamos com os attesudos abaiio o que le
amos dito. contamos qne o cobceito de que ja gosa
o xarope Vegetal Americano crescer de dia a dia,
deuando muito aps de si todos os peitoraes em voga.
lllm. Sr. Bartbalomeo C.-O larope Vegetal Ame-
ricano, preparado em sua conceituadissima pbarmacia,
um til remedio para combater 4 terrivel asthma.
Sofria eu aquella molestia ha quatro mezes, sem anda
ter combatido os ataques menes que tinba; este ultimo
om tive foi fortissimo que me prostoa por 8 das, nei,
porm o sen milagroso zampe, tomando apenas tres
dses, e at o presente nlo fui de doto atacado. Prasa
Dw, que w dqie resubelKido por ui vez. Rendo-
Ihe, pois os meusagrdecimentos por me ter aliviaar :
Uo horrivel mal. Com a msis significan va gr
subscre*o-me deVmcs. afTectnoso ereconhecido
Sivtrino Dmrte.Sa Casa ti de fevereiro de 1' )
Illms Srs Bartholomeo 4 C. Depila de qn->
mezes de soffrimento com urna tosse iucessante.
exiraordinario, expectorac.o de um catarrho an>
do, e perda total das forcas, qce o menor ;
me faligava completamente, cansado Je tomar mnis 11 -
tros remedios sem resultado tive a felicidade de sabe: <-. >
Vmcs. preparavam o xarope Vegetal Americano, e coa
elle, gracas a Deus.me acho restablecido ba m;if
dois mezes, e robusto como se nada tiresse aoffr
gratidAo me forja a esta declaraclo, qae poder4o ?;,-
fazer o uso que quizerem Sou com estima de Vate
muitos respeilador e criado. Antonio Joaqun u
Cutr t Silva. Recife 8 de fevereiro de 1868.
Atiesto que usei do xarope Veretil Amcricanc. c
compositio dos Srs Bartholomeo C. para cara de i b
forte deduxo qne me tronxe ama rocqmdto, que me i *t
faiia edtender, inflamma;lo e dor Da gargaita, toi i >
grande falta derespirac.Jo. e fiqnei completamente ...
tabeleeido com am s vidro do mesmo xarope; u ->
que Ibes protesto eterna gratidJo. Recite 1(1 dt' -
neiro de 18(8. /ooouim Ptrrira 4rMUs*Jtmar _
Esto raconbecidM.
ElECTflIQE
. \^ERITABLES .
. ^?, "Pliarnia.'^ '^
! i.

'en--.

V^

Os verdadeiros OOLLABIS HOTIB, oa onlcoe apprcvados pela
AcaeMcnia de IfecUcuia, ten assim com oa meos outaM p-oducot
ttrahJdo a enpioV tos mlsificadorea, qne para aciUtar sv& erii
aadustrienao sepqjad, wa reeeia auiiaBiv *ndur nlaoit
m>* arevata. En previno u familias para ioteretsc it seus ill
para evitar aUiflcaedee, deveaa exigir, ejM I
aejao Tendidos em eaiiM 'ate lasabas ate saiaaisa t
PMtettiqMMC;
COLLAlWTIi t*rfll,lW:!


Diario de Pernambuco Sexla feira 11 de Rarqo de 1870.
5
AGUIA NEGRA
LOJA DAS MACHINAS
BENTO MACHADO ft C,
A AGIA NEGRA animad com o bom accolhimento que teve em seus annun-
aos, vem novo participar a seus freguezes que, acaba de receber um variado sorli-
Ment de objectos de gosto os qoaes ser5o vendidos por precos muito razoaveis, pois
quando fez os seus primeiros annucios, foi o que assegurou, e sera mdo de errar,
porque como j disse osla interesses ligada a orna casa impoi tadoradesla praca, e
por isso poder ter tudo especial e vender por presos admiraveis.Chama pois a atten-
Cao de seus freguezes para os arttgos possa descrever :
Livros com o tampo de marfim, madre- Um variado sortiments _de charuteiras e
perola e tartaraga, proprios para missa. 'palliteirosde porcelana,
Garafinhas vacias proprias para presentes T to voltarete.
soasa de gosto.
Indispensaveis de palinha e de couro pro-
tirios para senhoras e meninas trazer nos
bracos.
Binculos da madreperola, marfim e tar-
taraga todos esmaltados.
Cintos largos de setim, cousa inteiramen-'_,"'
i nova. llca'
Acabara de chegar grande quantidade das 'verdadeiras machinas americana
)ara descansar algodSo de lodos os systeraas e tamanhos seguintes : ^
12 serras g5 12 serras
14 ditas Eli ditas
15 ditas ^15 ditas
16 ditas i 16 ditas
18 ditas 18 ditas
20 ditas 20 ditas
22 dtlas 22 ditas
25 ditas 25 ditas
30 ditas 30 ditas
35 ditas 35 ditas
40 ditas 40 ditas
ts qaaes se vendem por precos commodos e roga-se as pessoas que dellas fizcram on-
.ommendas de alguns tamanhos, obsequio de as mandarem busca-las o raais breve pos-
ivel afim de nao haverem faltas.
RA DA CAMA N. 56 A
Bengallas com marfira, cousa especial.
Sabonctes de alcatrSo.
Cofres de folhas para dinheiro.
Lindas caixas para costura.
Um completo sortiraento de luvas de pe-
Fitas desarja de todas as cores e largu-
ras-para lacos.
Talagorce parabordar.
Um completo sortimento de enfeites de
Toncas, sapalinhos meias de seda e mais seda para vestido.
pertences para baptisados. Perfumaras de todos os autores os mais
Fitas com inscripc5es proprias para bou- acreditados em oxtractos, pomadas e leos
fuet de noiva, j e finalmente outros muitos objectos que nao
Ricos vasos com p do arroz. possivel mencionar ; mas com a vista se
Um variado sortimente de jarros de por-' certiflcaro do sortimento deste estabele-
celana. cimento.
Aguia Negra, ra do Cabug n. 8.
22
3
5.

D w
i
B
ai a ___ c_ o
c 5 c (C-
* S 85 2 tf 3 a
* "SS
roe

_*-
o

- o
"~ _J
s w i
O" p bs-2*
CL "2,
O
-> -J
"1 _!*
B
O
c
S
2 33
co
I
3
II
i
cg
3 =
B.--
O w
en "
O cj
es.5T
05 o
c-5
B S
f ^
"O
-1 O
3 a
3 STS
a>
g.i!i
fio g _.
' 3
w
" O
b'2.n2
ffoi _[S
8S-__ST
3 B
B CD ct>
cu a
o. to
I' o
O oa
c as
a
o -?= 3
5" 5-3=3
lis
' o 5
3 |. o
M
2,3 t"10
"1 S 3 o
S as 2. C5 as
S ^ ta. w
." 3 2
V. 7^ OS S
^ ai w s
as. N a, ai ec as
QUINIUM LABARRAQUE
APPROVADO PELA ACADEMIA DE MEDICINA OC PARIZ
0 QulBium Labarraqu, eminentemente tnico e febrfugo deve ser
preferido todas as outras preparares de quina.
Os vinhos de quina ordinariamente empregados na medicina preparam-se
com cascas de quina cuja riqueza em principios activos extremamente
variavel; 4 parte disso, em razao de seu modo de preparac9o, estes vinhos con-
ten apenas vestigios de principios activos, e em proporedes sempre variareis.
0 Qniniom Labarraqn*, approvado pela Academia de medicina, con.
ttitue pela contrario um medicamento de composico determinada, rica em
principios activos, e com o qual os mdicos e os doentes podem sempre contar.
0 Qnininm Labarraqu* prescripto com grande xito s pessoas fracas,
delibitadas, seja por diversas causas d'esgotamento, seja por antigs moles
lias; aos adultos fatigados por urna rpida crescenca, s meninas qui tem diff
culdade em se formar e desenvolver; s mulheres depois des partos; aos velhos
enfraquecidos pela edade ou doenca.
No cazo de chlorosis, anemia, cres plidas, ^ste vinho um poderoso
auxiliar des ferruginosos. Tomado junto, por exemplo, com as pilulaa i*
Yillet, produz effeitos maravilhosos, pela sua rpida acedo.
Deposito em Paria, L. FRERE, 19, ru Jacob
Rio-Janeiro, DPONCBHLLE; CHEVOLOT. Pernambuco, MiURER I C*
PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
PHARMACBDTICO, 2, IHE DES LIOMS SAINT PAUL. PARS.
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCAS DE HARN JAS AMARGAS
Com lODUllTO de POTASSIO
0 Iodureto de potassio um verdadeiro alterante, um depurador de inconteitavel effi-
eacia; combinado com o zarope de cascas de laranjas amargas, e aturado
iem perturbaclo algum pelos temperamentos os mais (reos, sem alterar as funccOes
do estomago. As doses malhematicas que elle contcm permittem aos mdicos de receital-o
para todas as complicares as affecfAes escrofulosas, tuberculosas, oanoe-
rosas e nos accidentes intermitientes e terceiroa; alm disso,
agente o mais poderoso contra as doenoas rheumatioas.
XAROPE TNICO ANTI-NERVOSO
de cascas d* laranjas amargas.
35 annos de s jecessos attestSo a sua effi-
cacia para curar: ai doencas nervosas,
agudas ou chronicat, as gatlrius, gastral-
gias ; e facilitar a digestio.
XAROPE FERRUGINOSO
d cascas de laranjas s quassla amarga.
E' sob a Corma liquida que mais fcilmen-
te se assimrla o ferro; n'esta forma prefe-
rivel as pillas e pastilhas en todos os casos
em que sao proscriptos os ferruginosos.
DENTFRICOS LAROZE
COM QUINA, PTRETHRO E GAIACO
JP6 dentifrieio, com base de magnesia
para a alvura e conservacSo dos dentes,
provenindo a descarnadura, provocando o
trtaro de que empede a reproducio.
aixir dto'.ifrUio, para a alvura e con-
servacSo dos dentes, curando as dores
causadas pela caria ou produiidas pelo
contado do calor ou do fri
Deposito em Ria ii Janeiro, B. ckevslst; em Pernambuco, 9. Nanrerc c"; em Haceio,
rale* Das; em Pelotas, Aaler* Leiiai; em Bai.ia, Da Rsrfaa; era Porto Alegre, mm
ella; em JfarasUo Perrclra C'j em Ouro Prelo, C /. V. Welerasa( em Sania CatKa-
nat, Schatel ( em Montevideo, G. rmherij em Butnoi-Ayrii, Elcherarrbsrda.
Travessa do Corpo Santo n. 25.
Os acreditad cylindrps americanos para padaria, por dous differentos syslcraas.
Machinas para descaroaf algodio pelos melbores fabricantes de New York.
Machinas Carrinhos americanos para transportar voluntes em armazens. Tudo por pre
ros razoavois.
TRAVESSA DO CORPO SANTO N. 25
55Ra da Imperatriz55
F. Gautier, proprietario deste importante estabelecimento tem a honra
de participar ao respeitavel publico que acaba de ebegar da Europa para on-
de liaba ido especialmente para contratar peritos ofliciaes c que conseguio
contrata-Ios na primeira rasa de Paris, por isto julga que todos ficaro satis-
feitos dos trabalhos do seu estabelecimento cujo escellente material anda
foi augmentado cora novas machinas que ja receben e tambem muitas drogas
novas corn as quaes se obtea est3S maravtlhosas cores modernas tao apreci-
das em Franca o em todo o mundo.
Tinge, lava, limpa, lustra, acharaalola com a maior perfeicao fazendas
em pegas e em obras de todas as qualidades como sejam: seda, 15a, algod5o,
linhas, cliapecs de feltro e depalha etc., etc.
Tira nodoas e limpa secco sem molbar os tecidos, conservan^ assim
todo o brillio da fazenda.
Impressoes sobre tecidos
com estp novo systema, os vestidos de seda e outras fazendas que at agora so
podiara :.igir-se decores lisas, podem receber um bonito desenho de cor
diversa, a cscolaa, o que realca a fazenda e Hie d mais merecimento.
Tintara preta, lerdas e sextas-feiras
aO da provincias liraitropbes que quiserem utilisar-se do sen
itjiiU> poder3o mandar o que tiverem, na certeza de srera to beui
servidas como no Rio de Janeiro ou na Enropa, e com mais prestesa por
causa da distancia.
MDALHA A EXPOSIQAO UNIVERSAL DE 1867
Para a Superioridade d'a
Idt
man
atada por
CRME
LEGRAKD, FeffDDiili do
MV, Ra Snisat-IIauor,
Imperador dos Fraocezei,
207. PARS.
ortiz.v
DE NIN0N DE LEKCLOS
Par ar fritura f.cte, drslruir ai rugas da tonierrar tiernamente a telliza dajutmtu.
ORIZA: LAOT
LEITE ANTEPI1EI.ICO
Para refrescar, Iranquear e ndveer a pte, fatendt
deeappareeer as nodoas t as sardas.
SABAO Oir.A....... D'uma aaSM exeewtwmente Utve i d'um perfume dos mais delicado.
OitiZA-CKAM moissicsc. Masa etpoalmcnte preparada pnra os bantiof e a barbn.
ORIZA-FLCIO........ I'omada tortfteBOtceawtnUM para conservaroscabooseempedilosdequclrarem.
Or.IZA l'!!!LOCME.. Tclui o <: i I :. o de tnil com base ik. qi'ina para os cabello,
OH!/. \-OH........... Ol o fumado para lustrar os cabellos l empedilos de quebrarem.
OH/A-III\IIX.AN11:M:. CriftilliM'io ci.m vilela, par dar brillio aos We!los e a barba.
OniZA l'I.OWKHS----- ARja iiucmparavel de um perfume suave e delicado, para forlifcardo la pelle.
0IZA-A('.I!H!LIN... Vinagre do icuearW, aroma c anlepliil'fo.
l'.Ss;N(;i: OI1IZA..... Pcrfusto concentrado para os lencos producto muito delicado.
OiUZA I.YS.......... Perfume de tan tom e da alia socledade para os lencos.
0RlZA-l'0\VI)F.r,S----- Flor de arroi da Carolina para a cara e a hcllea da pelle.
OIIZA-DKNTIKniCR.. I'ara olrejar c. cl"nles e conservar as gengas.
OHIZA-i:\''Air.E. ... Nova ma-,sa pr.ra alvejar os denles tefm destruir o esmalte.
AGUA TNICA DE QUINA E POMADA DE BALSAMO DE TANNINO
Pan \xfnt < silntridsdf j i;;c"r' HtHsJl is (ile'.lu, n (sitliidi k ubir i tuaii erntrr rapidisitli.
DEPOSITO GF.RAL na Cas de
Etm Caza dt todos Perfumistas do Brazil.
AMA.
Rrecisa->e Je turts ama de le! !e tuna para
sensco de casa : informase na '.rterna da roa
das Cruzos d, 4.1.
Nao uiais cabellos brancoa
A tintura japoneza para tng o? cabellos
da caneca e da barba, foi a onica admittida
Exptuigao Universal, por ter sido reco-
nbecida superior todas as preparacoes at
hoje exisentos, sem alterar a sade.
Vende-se a ^OQO cada fr,reo na
Rna da Cada il 51,
1. andar.
Precisa-s de urna ana que saiba compr
cozinhar para rapaza i usitar na pra
ca da Independencia ns. i e t.
AMA
Precisase de urna ama forra ou cscrava :
a tra ar na praca do Corpo Santo n. 17, primeiro
andar.
de uiarmorc. ra das Crnzes
a. 11.
O artista Gamillo achase estabelecido na casa
cima, onde pode ser procurado para todos os
misteres de sua procissao._________________^
Criado.
Na ra das Conquistas n. i se precisa de um
criado.
COMPRAS.
Compra-so
duas ou tres venezianas em segunda mao,porm
que estejam perfeits : a tratar na loja da ra Nova
n. 45.
Gasa terrea.
Compra-se urna casa terrea
da Madre dejDeus^n. 1G, loja.
tratar na ra
Compram-se moedas de ouro e prata de to-
dos os valores, ouro e prata em obras inutilisadas,
aniantes e mais pedras preciosas: na loja de
Hirives do arco da Conceicao, no Recife.
IH-1E
CozfiKkelro
Precisa se de um bomem para comprar, cozi-
tihar e fazer alicuns serviQ.')* Internos de aiiia casa
de pouca familia, prel'rtfe-se ewravo; iralar na
tua da Cadeia do RocV, loja do ferragens n. 44.
y

itIT
adnfrarei
l tiro un
anemem-
lodo ou i
nicoi M
. modifi-
i, ai herpes, u .
le refresea a asan do mgme e eoaisda o de. I
i u o mitmtBtejfiiwtitm M receats!
wk rsbeldM.
I f i' II!
Na padaria da roa d> fiaugel n. ii preeisase
de dous irabalbadores e um aj
MARTIMOS
m sMlf rsbelsi.
tOf IRA FOGO
A Companhia Indemnisdnra, estibel6cid
esta praca, torna seguros martimos sobr<
vioi eBen* #regamentos e contra fogt
jm edificios, nwrcadorias e mobiiias: i
rna do Vigaron. pavinMoto ter eo.
Po^os tubulares ins-
tantneos.
HeitorA Sampayo.
Rna Xova n. 38.
Os annur.ciantes acabatn ds preparar alguns
pocos tubulares instantneos, mais aperfeicoados
do que os vindos de fra do psiz, os quaes ven-
dem por preco muito mais commodo, encarregan-
do-se do sen assentamento at funecionar. Um
dos mellioramentos feilos poder servir qualquer
bomba. As pessoas que quizerem comprar um
u mais desses tubos devem dirigir-se oCDcina
4los annunciantes :\i ra Nova n. 38.
Para eugenlio
Prectsa-se de dous homens portuguezes para
feitares : na pra;a da Boa-vista o. 19. se dir.
Procis;.-se de um caixeiro de 18 a li annos
de idade, que teulia prtiea de taberna, dndose
bom ordenado : tratar no largo do Pilar n. 17
etn Foras de Porta.
Procissao do Senhor attado.
Domingo 13 do correte a irmandade de N. S.
da Soledade, eructa na igreja da c^nfraria de N.
S. do Livi>mento, tem dj expr vista do3 flei<
a solemne procissao de suas santas magens, per>
correndo ka seguintes rrlas : ai fallir em frente a
ra do Qu<'i;iiado, largo do Collegio, ra do Impe-
rador em seaaiuWBto as ras da Cadeia, Vigario,
Cruz, largo do arsenal, Apollo, caes do mesmo,
peale, ra do Crespo, praca da Independencia,
ra do Calinga, 'JVinxeiras, largo du Carmo, cam-
ba do mesmo, ra das Flores, Concordia, traves-
ea de S. Joan nm *etfHimento a roa Augusta, ao
aliir a ra Imperial, Cinco Poicas, Aguas-verdes,
largo de S Pedro, trave-sa do mesmo, a sahii no
largo da Pecha, Rangel e Livramcuto aorecolber.
Kjpera, perianto, o eompareeimento de todos
os irmoe aj 2 horas da tarde; e aos moradores
ii. ruis o aperuif amento e limpeza afinr de dar
r o fran-ito da mesma.
0 secretario,
L'inbelino Possidoaio de Barros.
ESGRAVOg
Compram-se e vendemse diariamente para fra
t dentro da provincia escravos de todas as idades,
oores e sexos, com tanto que sejam sadios: no
erceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cruzos,
Yegnezia de Santo Antonio.___________________
Lona muito maior vaniagem compram-se
noedas de ouro e prala : na loja de joias do Co-
acao de Onro n. 2 D, ra do Cabuya.__________
Compra seno armazem Pernarabucano ra
das Cinco Ponas n. 86, garrafas e botijas vasias, a
6<000 o cento.______________________________
0 muzeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 cempra-se ouro, prata
pedras preciosas por presos mais vantajosos de
jue em oulra qualquer parle
Compra-se
duas casas terreas as ras Cincordia, Palma,
Caldeireiro, Santa Thereza e Santa Rila : a tratar
na ruaestreita do Rosario n. 38, cartorio.
Compra-se i ma casa terrea situada em boa
ra de Santo Antonio ou Boa-vista, que tenha
quintal e cacimba, com bons commodos para pe-
quena familia, preferindo se que seja em chaos
proprios : na ra da Florentina n. 6.
V1NDAS.
Milho novo
Vende-se em saceos pandes, e por menos pre-
co do que em oulra qualquer parle ; para ver no
trapiche Dantas e para tratar, roa do Apollo.
Cal nova de Lisboa
descarregada hoje do patacho Maria ; e vende
Joaquina Jos Ramos, na ra da Cruz n. 8, pri-
meiro andar.
Vende-se a parte do sobrado da ra Di-
reita n. 127 : a tratar na ra das I.arangeiras
n. 31.
Antonio dos Santos Oliveira lena para ven-
der na ra Nova n. 6, machinas para descantear
algedao de 12, 44, 16, 18, 0, 25e30serras, as
melhores que veera a e^lo mercado.
Machinas para fazer costura de d.lTerents quali-
dades, sendo do melhor f Irisante.
Romb3s do Japi do todos ostamanh s.
Bombas americanas.
Roabas de cobre.
Chumbo em cano de todas as grosturas.
Alambiques de cubre.
Varoes de cubre para cavilhas.
Cobre de forro de navio.
Cobre para caldeireiro de todas as qualidades.
Espingardas inas/le 1 e 2 canos.
Revolvers de todos os tamaitos.
Formas de ferro para purgar assucar.
Moinhos para relinacao.
Forradores para caf.
Machinas para fazer caf.
Folies para ferreiro de superior qualidade.
Safras para ferreiros.
Tornos para ferreiros de patente.
Tarrachas para fazer parafasos.
Bandeijas finas.
Pesos de novo systema.
Ferros a vapor.
Torneiras de bronze.
Ac fundido de todas as grossuras.
Folhas de ferro.
Apparelhos do metal do principe para cha, e ou-
tros muitos artigos que s vistas.
EOGUVGO
Valdtmn da plvora.
Correi, Pernambucanos, ra Imperial n. 249,
e comprai fugo do ar para fe-tejar a volta dos
briosos voluntarios, que no campo da honra nun
ca desmentiram o nome dos Brasileiros, e que boje
cobertos de cicatrizes veera descancar aos seus
lares,____________________________________
Vende-se urna taberna na cidade de Olinda,
na ra do Amparo, com 3 portas na frente, n. 8.
Vendem-sc vaccas paridas e boas de leiie :
quem as quizer comprar, dirija-so ao engenho
Giqui. ________^^
Drogara
E-pecial hoiueopalliicjp
ItlA NOVA N
Acaba de receber ama ramo _| ;;.. .
colate bomeopalbico a 2 a libra.
Ltvros para eoimica bomenpathic, \ .
para apar.hamento de ymptonias etc. 2 pot
excmplar.
Aosdepulad sprivinciae.
Vende-se as colleceoes da* leis prcvincUM
de o primeiro anuo'do 1835 al 1857 pur'i
comincdo. R' ultl acquisn;o para os no\ i
da provincia e naia os advogados : na ra do Un-
parador n. 15, defronte de S. Francisco________
Vende se metade do silio Meloes distante i.'s-
la-pra^a duas leguas em iregtiezia de Maman?
avahado em o.OOO, o qual limitase ao bs*.
com o rio da Santa, confronte ao rio Doce, ao sel.
com trras da Sania, ao norte com o rio Paral!tt,
hoje denominado Paulista, e o sitio Cobu, ao i
te com o sitio Meldes de Cima. Tem boa ;
para ulnntacao em lodo o armo, e bom pasto pa-a
creacao de gado : quem o pretender, dirija s< a
Jos Joaquim da Silva, em :inda, na do P
Seguro : os pretendentes poderai ir ver e li
toda explicacao necossaria.
ESWILH4S
do sello adhesivo
A' venda na ra do Vicario n. 1, primeiro i o-
iar. ________
Vendem se duas machinas milito l~
chegadas para urna ene tumanda no Diurno
e duas ricas imagen*, urna o crucificado, e ..
gem da Conceicao. Na mesma casa nha contra a queda dos cabellos, e um sar:re *.-
pecial para molestias do nefttn, vindo i!o
que ja tom sido experimentado : no CorrtcLr do
B^lspo n. 55.
??? 15 por cetito de ecmoinia ???
Et filmo dar lueem
29-RA DO IMPERADO 29
Bicos econmicos, d boa luz, do 500 a OB
cada um.
Sementes
De hortalicas novas e sag a 120 r !
do Balisa, na do Livrnmento n. 38.
A 800 e -l'iO rs.eada um?.
Xa laberna da prac,a da Boa-vista n. 12, 1 l >-
vessa da Congiegaco n. 3, vendem-se lauei
de papel de cores, proprias para o acta] fcs;- n
da rccepfao dos voluntarios ; a ellas,,.:.;
se acahetit.
Velas do gaz
Xa ra larga do Rosario n. '18, laberna, rom -
se excellentes velas extr-bidas do carvffo do gaz,
oque ha de mais perfeito e uravel neste genero,
cnji luz o melhor dorsvcI. Ests velas, ce tit-
ferentes cores c lrmas, niio soltam pingos e -
dem muilo regular, e exalam, ao arder, uii ai -
rna axradavcl, durando urna lano lempo
duas de espermacole, sendo propriamente I
verdadeiras velas de sala.
Vende-se diversos wcravos pecas, vindos >
Ceari e do Piauhy, propn w para engenho ;
sim como diversos c do i! i 18 ...
cun habilidades e sem ellas e uai casal de
cravos pardos garantindo-se a 00 tdli 1 ; 3
ra rna da Cruz n. .*>; e 88. 8 andar.
Estampilhas.
Vendo-se na rna da Cruz n. 8, Io andar.
m UAZ AZ
Chegou ao antigo deposito de Ileary Forstcr (
C, rna do imperador, un: carregaiaento 4t {,.:
de primeira qualidade; o qua! se vende em c-
e a retalho p ir menos prt(,'0 do que em ouir;
cmer parte.
Para a quaresma.
Va loja do l*ssjo
Os propric.ai ;>* deste importante eslal e
to receberao pelu uitiino vapor francez rico* n ,--
tillies de gorgurio proto muito bem 1 .
inleiramente novidade, sedas e gorgoritos rr
temos sorlimenii) rompli tn, o nielhir a
l)irijam-se, pois, todas M que prwisai
comprar este* artigos, raa do Crespo i. 3 \.
Scienles de que, em pn c>>s nao se deixar di
ler negocio, i*io 'motivado pelo mallo sor:
que temos.
a loja do Passo
Os requisimos cor'.'- .' Monde de secx ccr:
manta e cjieila pat pto, sendo netfi
tigo o qn 1 m
ierno, : 1.1.1 (
res ii' outras mu!las fazemhts ib t
que clir I psk) tltmn v r l::i 1 1 ;;.
a I ; 1 do Pji a ra do Oe-no 11. 7 A.
[TllL
Vende-.v Jio Barao do I,v ~r.:-
eos edil milho, boa sacenria e por menos t^:
em outra qualquer. parte.
Barra Grap.de
Vende o tenenle-coronel loa. Baplisla
cinco sitios com coqueiros, tendo um delic- r ..
casa de vivenda, os pretendentes qneiraro i;
se ao dito lugar, que nao duvidar vende-los a
prazo.
Vende-se unta mobilia de Jacaranda a Luiz
XV : a tratar na rua'das Cinco Ponas n. 4i.
Vende-se de urna pessoa que se relira 1 es-
cravo crionlo de idade 20 anuos, bonita Ggura,
conducta afiangada, e tt-m habilidades ; 2 ditos
proprios para engenho ; 1 mnlalinho e 1 moleque
do idade 12 a 13 annos ; 1 escrava parda escura
de 25 a 30 annos, perfeita engommadeira e cozi
nheira : na travessa do Carmo n. I.
Vende-se una liarle do engenho S. Joo na
ilha de Itamarac, distante sete leguas desta pra-
ca, com ventajosas proporgoes taes como terre-
nos bastante extensos e productivos ; assim para
cannas como para mandioca, milho, feijao etc. ;
qualro grandes c Iwns viveiros, muitas mallas de
escolhidas madeiras de cnn*truc?c>, porto de em-
barque muilo peiio e enaunodo e urna uein assen-
lada machina a vapor que ir.oe ai mesmo tempo
cannas e mandioca. Tambem se vende um sitio
contiguo ao engenho com as ni.-saia* vsnlagens
productivas : os pretendentes ?e deverai dirig r a
ra da Aurora n. 88, Io andar, 0.1 ao jefeiido en-
genho : tratar com o annunciante Francisco
Raposo da Cunha Reg.
TEMDE-
urna escrava crioula recolhiJa, de 19 annos de
idade, a qual engomma, cose e faz labyrinlhos :
na rna da Praia n. 47. 1* andar.
Vndese o engenho Boa-j, por previ com-
moda, edificado Da propriedifde de Barra dj Jan-
gada do termo du Bonito, com trras suCQcicnles
e muito productivas, para as plantacdes de can-
nas e oatras proporcocs, de muito lucro, como
seja um maciiinismo de diicarc>ar algodo, mo-
vido pela agua que moe o mesmo engenho: quem
o pret nJer dirija-se ao mesmo tiigenlu a tratar
com o proprietario Antonio Francisco Lelo.
Vende-se urna preta crioula t idade de 18
annos, muito sadia e com algctnas habilidades :
quen a pretender, dirija-se a ra Imperial n. {,
taberna, que ajhaf com qnem'iratif.
Fariuha deinaadioca
s & C, na ra
a. 0, junio igivjd.
LHU'OVJlJ
I"ESTIJO NACIONAL
Festejo nacional
Fitas verdes o ainarellas para o festejo da c
gada dos voluntarios da p.alnae litas de dilTer- i-
es irguras na l> ja da Aurora, rna larga d Ro-
sario n. 38.______________________________
Paptl de impres-ao
Esti a venda na ra do Imperador n. !'j
fronte de S. Francisco urna grande porcio de pa-
pel de (opressao, >endo quadrupl Jesn, dupio
dito, e tambem do frmalo do Diario de mu.'.o
boa qualidade e por preco commodo.
Agencia era Pernambuco
Do Dr. AyeF
Peitoral de Cereja
Cura a plillijsica c todas as molestias do j
*asa pnrrilha
Cura ul 'gas anliga?, impigon
iros.
Toulco
Conserva e iimpa os cab
Pllulas e.itR.artucas.
Puramente vegelaes e sem mercurio,
zoes, curam e puriiieam todo o svstema hum
Vende-S'' OtctivameMe em casa de SmmueP
Johuston & C, iua_da S;inzalla Xova n. 42.
Milho novo chegado
da America.
Vendem se satc
dade, e ukimai
de farinba do elm :
Gabinete V
la mi
Armazem prog
Pateo da Pcaha r.u_acs'v IV
rios da iimm


6
Diario de Pei-nambuoo Sexla feira 11 de Murceo de 1870.
A BITA DA IUPEBATBIZ HU *
Esquina da ra da Aurora, em frente do caf Imperatriz.
N'este novo e sumptuuso estabelecimento de fazendas encontrarlo as Exmas.
jiras todo quanto possarn desojar,tanto ein artigos do mais rigoroso luxo, como em todas
a mais quali Jades de fazendas,
Alm de se actiaivm prvidos do que de mellior se encontra neste mercado,
por lodos os paqaetcs di Europa, recebem directamente o que em artigos de moda e
4 mais -apurado gosto se encentra em Pars, o que vem cada da augmentar s propor-
w$ do que dispo este estabelecimento para bem servir sua numerosa freguezia.
<^ c
Atgod > largo para lenccs c toalhas de
das as qualidades que cocinar vir ao mer-
otV.
alpacas le todos toi padroes e qualida-
*te 15o variadas que se nao podem dvscrever.
Albunscom msicas para collocar retratos,
ebvido presento para qualq er pessoa de
mkm.
Atoalh ido de linlio-c algodo, branco ej
i cores proprios para toaTlias.
XMM
t.is punas de seda pelas e muito moder-
an*, tem como de crochet, lulo de apurado
gi*>io e fiiitio.
Balos de muselina, madapo!i5o, brancos
o de cores, para senhora e meninas,
Baroges de cores variado sortimento.
Bafeuiabos ou tiras bordadas em todas as
atfnras.
eHrauna de todas as cores.
|} tiren de tpele para viagem, grande
aar.uhde de tamaitos e gostos.
Bmbaautf preta de todas as qualidades.
Bramante do linbo de \ I palmos de lar-
gor, e logias as mais qualidades.
Bretanhas de linbo c algodo, grande sor-
tinento.
Briaa de linbo branco e de cores, do mais
mci.nodo ao mais caro emqualidade, afian-
1 o que lia de melhor na especie.
Brii s d'algodo completo sortimento e
rariedadj de pro os.
Cseas do cores, o maior sortimento, pri-
atend p8o bom gosto e barateza, atientas
.des.
; tibraiu brancas, tapadas, e transparen-
93 de todas as qualidades e precos.
mhasde cambraia de linbo c cassa
burda-las ricamente enfei lados para Sras.
189 para horren* e meninos, to va-
riado ii ment que vai do mais ordinario
190 ao mais perfeito bordado de li-
itibraia.
s de meia, de flanelia, brancas e
- para bomcin.
nii is pelas e de cores, o nielhor
pode imaginar, sendo d'isso a me-
irova o grande cousummo deltas na
da casa.
I Has de flores, para noivas e bailes,
mais candida flor de larangeira al
amis interessaate griaalda.
Gbapelifluas no melhor gosto,de todas as
8 boje preferidas polas senboras de
nai apurado rigor na moda.
is de velludo, para senboras,
o gosto de Pars.
is do sol, para smhoras e borneas,
OS pre;os e variados gostos.
Chaly com ricos padroes para vestidos.
Cuales de todas as qualidades, avultadu
ero e nao menos variedade de gostos,
Chitas, 6 iaipossvel deserevero sorlimen-
e variedade de padroes e novos gostos,
.a oeste artigo tudo quanto se pode desejar.
Cintos para senboras o que se podo ima-
ginar de melhor.
Coques, o melhor no gosto e nos entei-
varos lmannos.
Colchas de seda com borlas, o mais apu-
isto elavor.
Ditas de fustao branco e de cores por
prfcC03 commodos.
Co:'pinhos de cambraia, ricamente borda-
para senboras.
Colimados de cambraia bordados e de
i que de mdhor se pode desejar.
Co'uWnhos do -linho bordados e
aaaior sortimento.
Gase com listras de s-jda e flores, fazen-
da inteiramente nova para vestidos de baile.
Gravatas para senhoras e homens, o mais
completo sortimento que se pode desejar.
Guipure preto e branco> diversas largu-
ras edifferentes gostos.
Gollas e punhos bordados para senboras.
Guardanapos de linbo pequeos e gran-
des.
Gorguro de seda preto e de cores.
Grosdenaples preto ede cores, haven-
do diversas qualidades e gostos.
Japonezes para seoh tras, o melhor gos-
to, e fazenda propria para as festas nos ar-
rabaldes e passeios a tar'de.
Oh
LSazinhas de todas as qua'idades, c&res
e gostos, nao ficando nada a dosejar, tal c
o sortimento que existe para escollar.
Lencos, tudo quanto pode baver desde
esquino ao algodo commum.
Lequesde madreperola e osso, o mais va-
riado sortimento.
Ligas d seda, bordadas, para senhora.
Lavas de Jouvin, chegadas por todos os va-
pores, sempre novo sortimento, quer em
pellica para homens e senhoras, quer em fio
d'Escocia, brancas e de cores.
SO
Madapolao; indescriptivel o grande sor-
timento que ha neste genero, desde o mais
elevado prego ao menor, que so vende em
pega e retalho por menos do que em ou-
tra qualquer parte.
Mantas de blonde para noivas: o apurado
gosto dos nossos correspondentes em Pars
habilita-nos a dzer que temos em nosso
estabelecimento o que de melhor se dese-
ja para vestir e ornar urna noiva.
Mantas pretas de blond.
Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos pretos, trancados e lisos.
Musselina branca e de cores, lindos e va-
riados padroes.
Pannos pretos e de cures, desde o mais
barato ao mais superior, por prec, muilo
commodo.
Pannos de crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de casemira muito finos para
mesa.
Peitos bordados de linho, lisos e de al-
godo para camisa.
Princelas pretas e de cores.
Popelina do seda e linbo, com listras e
flores; fazenda lindissima.
Ptriberhm para senhoras, do ultimo
IjOJA
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo a. 9
Os propnelarios deste bera-enhe*Mo estabele-
cimento, alera dos amitos objedos qae ti imam ex-
Sostos a apreciaeo do respeitavel publico, man-
arara vir e acabara de recebar pelo ullirao vapor
da Europa ura completo e vanado sorliraento de
finas e mu delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de seu costme,
Sor preces muito baratianos e commodos para to-
os, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas do pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas c bonitas gullinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riqnissiraos euites para cabecas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sem cites; esta fazenda e que pode haver
de mellior c mais bonito.
Superiores e bonitos Jeques de madreperola,
marnm, sndalo e osso, sendo aquclles brancos
com lindos desenlio?, c estes pretos.
Muito superiores meias lio de Escossia pitra se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm testas, temos tambera grande sortimento de
outras qualidades,- entre as quaes algumas muito
finas.
Roas bengalas de superior canna da India o
castao de marfim com lindas e encantadoras flgu-
ras dj mesmo, neste genero o que de melhor s i
pode desejar ; alm destas temos tambem grandi
nuantidade de ontras qualidades, como sejam.ma-
deira, balda, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de ontras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borrachn
para segurar as meias;
Boas meias de soda para senhora e para meni-
nas de l a 12 anuos de dado.
Navalbas cabo de niarQm e tartaruga para_ fazer
barba; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas peto fabricante, e nos por nossa voz ttni-
jem nsstgunuiK's sua iualidade e delicadeza.
Lindas e bollascapollas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para croxc.
Linha muito boa de peso, fi uxa, para anchor
labyrintho.
Bons baralhof de cartas para voltaretc, assir.!
como os tentos para o mesmo tlm.
Grande e vanado sortimenlo dx raelhorespor-
rumartas e dos mellior,-; e uiais couheeidos per-
fumistas.
COLARES DE ROEB.
Elctricos magnticos contra as conTulsoes, e
fa'-ilitam a dentieao das innocentes crianzas. So-
mos desde muit recebedore3 destes prodigiosos
collares, e continuamos a rcebe-los pr todos os
vaporea, atlm de que nuaca faltem no mercado,
como ja tem acontecido, assim pois poderao aquel-
es que delles precisaren), vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre eacontraro destes verda-
deros collares, e os quaes ttendendo-se ao fim
para qae sao applisados, se Tenderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que (Hxamos
declarados, aos nossos fregueses e amigos a virem
comprar por precos muito razoavei? loja do gallo
vigilante, rna do Crespo n. 7.
~
Grande anuazem de fazendas e roupas feilis rna da Inperatr!
n. 52, porta larga, de Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico mn bonito sortimenlo
de roupas de todas as qualidades, palitols de alpaca a U, 3(5500 at 64. Ditos de
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 5)5, 60, 8 e 10(5, de panno prole
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 3,5500 a 5(5000. Calcas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e prcla de 40, 55, 65 a loo*. Colletes de todas as qualidades e preco unto
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algod3o e de linho de 2f at 5f
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de linho e bramante a 2# e 2(5500.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a toios os presos, Meias sortimento completo a 3(5,
i(5 at 70 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto para homem, como
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazenda de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e outras murtas fe-
zendajs.
FAZENDAS
Bramantes de i I palmos de largura a 1(5800 o metro.
Catiibrnins de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a GO rs. o covado.
Poilde-clivre cora lista de seda fazenda de gosto a 1(5200.
Basquines de guipure enfeitadas a 18(5000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolao fino a 6#00, 70, 80 e 90000.
AlgodSo" peca.com 20 jardas a 4#5O0, 50500 e 60000.
Pera de algodo largo a 70500.
E .outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem roupa
feila querse est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (junto aloja de oorives) do
LEJO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
| Mikroskope achroma-
tisehen. ObjetivLin- ^St \^
con *~ S3=erw
gosto.
Perfumaras ; os mais finas extractes o
que de melhor e mais agradavel se pode
encontrar ueste genero, e de. mais fragant 3
e suave no olpbato, tem o PAVILIIO DA
AURORA, desde a verdadera agua Flori-
da at o mais fino Bouguel d'Amour, final-
mente tudo quanto deve oceupar o touca-
dor de urna senliora do gosto.
Saias bordadas, brancas, lisas e ai cores
com folhos p sem elles, o melhor possivel,
Saludas de baile, de todas a3 cores.
Sedas pelas, de quadros, lavradas. lisas.
de listras de todas as cores e qualidades e
o mais barato possivel.
Sargeiim de todas as cores e qualidades.
-O
Tapetes grandes, lindas pintoras para 8
cadeiras, mais pequeos e de todos os la-
lisos, o manhos desejaveis, e em peca para co-
vados.
Toalhas de labyrintho, do maior e mais
Damasco de laa de 9 palmos|de largura fin0 trabaiho ao mais barato.
fridas cores e neos padroes. Tua|h;is dl, [inll0 e algodSo de todos os
'-*a )tamanho3. lias e felpudas.
Espartirhos bramos e de cores, para se- Tarlatana branca com palmas e de cores,
sboras e meninas, o mellior neste genero ; fasenda muito noca, e gostos delicados pro-
Beohuma Sra. deixar por corlo de muir pra para baile.
se de to precioso auxiliar perfeiciio de ^r-
sm corpo delicado.
ntremelos bordados.
Eecomilba preta..
EritflHes para cabeca, ultima moda de
t*aris jcebida no ultimo paquete.
Eagaiio de linho, completo sortimento de
todos s nmeros.
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
dade de gostos e lindos padroes,
ns de crochet, modernos com cintos
9 capas, o que ba de melhor.
Fil de seda, linho e algodo, de todos
a gostos epadrSes.
Yo:l'o de todas as cores e qualidades
jrande sortimento.
Flanelia branca e de cores.
Vistuarios bordados de fustio brancos e
de cores para meninos, de cambraia para
bapli.sados, o que de melhor tem vindo a
este mercado.
Vestidos de laa escoceza de 2 saias,
novidade pelo padro, gosto e forma; ditos
de linho com barras de cores, e de cam-
braia de cores com 2 saias, tudo inteira
novidade, trazem os modellos juntos para
mostrar a forma de os fazer.
Veos de blond para noivas e pretos para
luto.
Vestidos de blond para noivas: podemos
asseverar as nossas Exmas. reguezas, que
somos os nicos em Pcrnambuco que pode-
mos offerecer ao Ilustrado publico, o mais
apurado gosto em semelhante materia, gra-
Flor^s, o que ha de mais rico, quer <;as ao bom gosto do nosso fornecedor un
soltas, quer em ramo3, tem oPAVILHa) Pars, podemos garantir que ningueranesle
DA AURORA am permanente jardim a genero o possue melhor, nem mais em
ispjsicao das Exmas. familias. conta.
E' dispondo d to grande e variado sortimento que o proprietarios do PA-
VTLHAO DA AURORA se apresenlam ao publico declarando desde j que a smecrida-
de e a bom gostoo movel nico de seus negocios.
Prvidos de tudo e proraptos sempre -a prover-se do que por ventura Ihe
#ja necessario, os proprietarios deste sumptaoso estabelecimento recoramendam-se
sem nceio de serem contradictos e proteslam esfor?ar-se por continuar a merecer
oroljco que se Ibes tem dispensado ; certas de que do seu estabelecimento nao sahira
b freuez descontente.
Contina sempre a offieina de alfaiate dirigida por um dos mais habis artis-
iv-ripio execntar com promptido e bom gosto qualquer trabaiho que lhe seja
raitii. Urna modista especialmente oceupada nos trabalhos do PAVILHAO DV ^U-
&ORA, lit:; os que lhe s3o concernentes, garante por seu apurado gosto e promptida >
%a_,e\ a mais completa periei(;3o nos seus trabalhos.
A numerosa freguezia qne nos honra ama prova de que merecernos ocon-
se dispensa ao nossb estabelecimento, conceitn que procuraremos firmar cada
Para facilitar anda a concecucSo do fim qae nos propomos, temos no nosso
estab io os ltimos flgurinos de Paris, que recebemos por todos os paquetes, os
para serem vistos as familias nossas freguezas, alim de escolherem,
da fazenda o gosto na firma.
e alfaiate, junto ao estabelecimento, ha igualmente os figurinos
>s os vapores se recebem.
>orque nos apreseutamos pedindo a proteceo do illaslrado
peiio convidamos s excellentissimas Sras. a visi-
ibolacimaoto, certas de encontrarem nelle pelo menor preco possive-
cjdo que podem detejar.
Mandaremos caixetros levar as fazendas e amostras onde forem pedidas, visto
tudo-quanto lemos.
Joao Luz,]Sobnnho & C.
das 6 s 9 horas da noite.
55Ba do Queimado5?
A VERDADE tendo em deposito gran*
quantidade demiudzasc perfumaras, e d*
sejando apurar dinheiro c adquerir boa frt>
guezia est rssolvida a vender muitissim
barato, ; por essa razo convida ao respei
tivel publico a vir competentemente.man
do a sortir-se do bom e barato. Pois qua*
do a Vertiadc apparece, tudo mais de
apparece<...
Grande sortimento de bonecos de cera i
massa as mais lindas possiveis vestidas a a
racter.
Abotoaduras moderuas para col
letea....... 3*
.Espelhos donrados pepnenos. 26t
Agulhas de osso para crox a 20t
Pentes pera regac > com esntas a 32
Ricos globos para candieiro de gaz a 1080
Chatiiins a.......
Grande sortimento de objetos de
loiiija para brinquedo de menino
Garrafa com tinta a.....
Dita com agua florida \ erdadeira a
Dita com dita dita a .
Frasco com oleo de babosa a 500 e
Dito com agua de Colonia a 300 e
Garrafa com agua divina a. ^
ICC
80
1030
10001
72i
sa
I05O(
Frasco com extractos finos a
Latas pequeas com banha muito
fina a 12*0 e...... 16(
Sabonetas de diversas qualidades a
80, 160, 240 e...... 32*
Finas escovas para dentas de 120 a 60<
Lindos coques modernos a. 20OO(
Pavios para gaz, duzia a 240 e 32(
Escovas para fado a 500, 600 e 70*
Ditas para cabello a..... 50(
Pentes para tirar piolho a 160 e. 24(
Brincos de cores, bonitos a 160 e 20(
Pecas de tranca de la .qom 8
varas por.....*. 8(
Oleo para machina de costura,
frasco a........ 60i
Pennas d'aco finas caixas a 800 e 1000,
Dita d'aco Perry, caixa a. Jm 1040
(falao de algodo peca 4^
Lindos babadinbos e entremeios
r peca de 500 a...... ^50(
Ditos de louca muito fino a 120 e 20i
Ditos para calca a 160 e. 24(
Caixa com papel amizade a. .
Ditas cora envelopes a. 48(
Ditas com obreias a..... 4(
Caixa 'com agulhas fundo dourado 281
Ditas de ditas ditas a..... 161
Thesoura para costara a 240 e 50(
Caixa com linha de marca a 28(
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........ 30<
Carreteis de linha Alexandre de 70
al 200. .,,.... 10
Grampos muito finos com passa-
ros, duzia a...... &*
Cartas portuguezas, duzia a 104O(
Ditas francezas a 20200 e 30OO
Papel almajo e de peso, resma a
30400, 30500 e 405O
Sa muito fina para bordar, libra 60501
Fita de algodo' para debrum de
sapatos, peca a..... 16<
Ditas de la para debrum de ves-
tido, peca a...... 48(
Pentes finos para segurar ca-
bello a....... 32(
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 2i0, 320 e...... 50f
Ditos para aparar penna a 10(
Rosetas pretas, par a ... !0x
Tranca de 13a decaracoi peca a 40 e 10(
Kiia de coz peca a 480 e JMK
Alfinetes de latao a..... 1CK
Sapatos de 13a para dionea a 400e 80
Grvala de sedas de cores a *20(
Calcadeirasa....... 8(
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio de borracha po?
lOOrislimil
TV* Verdade rna do 4nelniad<
. 55.
sen.
Barmetro e termos
metro. Centigrade
e reuumeure.
E oryatal de rocha do Brasil.
F. I. CJcranaan, reconunenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa
dos; porque, com estes vidros, a vista deseanca. fortifica-so e nao a canea como com
os vidros ordinarios. Urna vez escomido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez ais grossos, o que altera o crystalino do lho e determina quasi sempre do-
tes de cabca. O alcance ordinario da vista porto de 30 centmetros do lho, e,
louas as vzes que o objecto est mair perto ou mais loage, os raios que expelle sao
mu convergentes ou mui divergentes e a viseo nao perfeita. Um grande numero de
pessoas tejn o deleita de fazer convergir muito de sorte que a viso nao distincta.
Com a appSicacSo de meus vidros pde-se vencer estas difficuldades. Para os que tem
a vista curta e cujo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
longe), o ue se chama myope, por meio de um vidro concavo affasta-se o ponto de
vista, o qae faz divergir os objectos e deixa ver to longe como as outras vistas. Quan-
do o crystalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade.,
o que se chama presbyta, veeru mtihor de longe que de perto, e nlo enxergam seno
m nevoeih) na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergaro
tac distinctamente como na idade de 15 annos. Servindo-se destes vidros quando e
vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
F. 1. Cieruianu encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a e s
colher, a j)rimeira vista, seja quai for a idade egro de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
3 cordeiro previdentt
Huc do intimado n. O.
Novo variado t< de perfumanr
fiuas, e o*-
Alm do completo sortlraento de pent
oarias, de que efectivamente estprovida
teja doCordeiio Previdente, ella acaba d
receber am outro sortimento qae se torna
aotavel pela variedade de otjectos, superiori
dade, qwdidades e c.''rrraKPBie,adcs de pr*
Ooa; awim,pois,oCuKkw)Prvdente ped*
e espera continuar a merecer a apreciacH
do respeitavel publico em geral e de so;
boa frenis em particular, nao se afa
tando elle de sua bem conhecida mansida*
e barateza. Em dita loja encontraro o
preciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray 4 Lanunan.
Dita de Cologne ingloza, americana, ira
ceza, todas dos memores e mais acreditado*
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservac3o V
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qnalidade ecbet
ros agrada veis.
Copos e latas, maiores e menores, coa
pomada fina para cabelto.
Frascos com dita japoneza, transparente
s outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
francezes em frascos simples e enfeitadoa.
Essencia imperial do fino e agradavel che
-o de violeta.
Outras concentradas e de cheiros ignti
mente finas e agradaveis.
Oleo philoconie verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qaalidadt
com escollados cheiros, em frascos de difl
Tentes tamaitos.
' Sabonetas em barras, maiores e menor
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em fi$t
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barb*
Caixinhas com bonitos sabonetas imilanc-
(ructas.
Ditas de madeira invernisada contando I
aas perfumaras, muito proprias para pr*
entes.
Ditas de papelo ignalmente bonitas, t3*
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e 4
moldes novos e elegantes, com p de arre
boneca.
Opiata ingleza e franceza para dantas,
Pos de camphora e outras differeaU
qualidades tambem para der.tcs.
Tnico oriental de Kemp.
Alada mais coques.
Um outro sortimento de coques de im
os e bonitos moldes com filets de vidrhf*
j alguns d'elles ornados de flores e fita
isto todos expostos apreciadlo de qoer
is pretenda comprar.
G0LL1NHAS E PUNHOS BORDADOS
Obras de muito gosto e perfeico.
Fivcllas e lisas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes obj*<
tos, ficando a boa escolha ao gosto do cok
prdor.
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos sodesiguaes.
Para a vista que se turva com o traba-
iho e a lei|tura.
Para a justa presbyta (vistagalon ).
Para a vista que nao supporta .os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras esto cer
cadas do saugue.
Para avista que um dos olhos. myop
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
Sortimjinto de binculos
para thealro, e oculos de
alcance para o campo e ma-
rinha.
Tem
Lunetas, pince-nez e
face--main, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
tambem grande sortimento de relogios para parede, qae de horas e para
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prat
dourada ofoleada, inglezes, suissos e orisontaes dos melhores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. Em Pernambuco.
N.21=Rua Nova. 21.
FAfflMS PRETAS PARA A
11Ra do Quemado-11
AUGUSTO PORTO acaba de receber pelo ultimo vapor da Europa, superiores
sedas pretas proprias para os actos da quaresma seudo**
Gonguro preto de seda o que ha de melhor.
Grosdenaples preto de diversas largaras e qualidades.
Mantas pretas de blond muito lidas para senhoras.
Pannos e casemiras pretas, pannos zoes merinos, bombasraas, princelas e alpa-
cas pretas e de cores.
Basquines dejeda e goipura pretos das mais modernas.
Vestidos de blfend com manta e capella para noivas, fronhas de esguio e cam-
braia 1c linho bordadas, colchas de seda, ditas de sed; e lia, cortinados bordados para
camas ejattellas, vestidos para baptisados, enxovaes para enancas e superiores saias
bordadas.
Cortes de setim de cores e ditos de seda dos mais modernos.
Poupelinas de seda linbS lisos e com listras gostos elegantes.
Luvas de pelica pretas. de cores e brancas para homem e senhoras..
Malas de couro de todos os tamanhos para viagens,
Camisas bordadas r lisas para homens e meninos.
Grande sortimento de fazendas proprias pa fabricas de engenho que se ven-
dem muito barato, confiando ter sempre as afamadas
Esteiras da India para forrar salas, e tapetes de muitas qua-
lidades.
.....Rna A> tnrfmadoH
POPUIiAB
DA
FABIIfA NACIOXAL BA BABIA
q*
DE
Teixeira Uldurico C.
Acha-se venda este ptimo rap, nico
pdc suppnr falta do priuceza de Li?bca, por s*
de mui agradavel perfume, viajado, e a preso
mais mdico possivel; e por isso tem sido as
acolhido as pracas da Bahia, do Rio de Janeiro .
om outras do imperio : no escripiorio de Joaqub
Jos Gencslves fietro, rna do Commercio an
mero t7_______________________________
TASSOTRMAOSfC.
\endem em seos armazens, no eaes do Apolk
n. 7, Escadinha n. 1 e ra do Amorto n. 37, o
seguintes gneros:
Ac de Milao.
Milho em -acras grandes.
Farello em saccas de 90 libras.
Chumbo de muniyao sonido.
Metal amarello pa'ra forro de navios.
Machinas para descansar algodo de ?, a
serras.
Kerosene em latas de 5 gales.
Champagne do afamado fabricante Krttg.
Hormouth.
Vinho do Porto engarrafado.
Coac do afamado fabricante Gautier Frros.
Fogo da China, caixinhas, 40 cartas n. i. Extra.
Genebra ingleza Od ton
Cimento Romano.
Cimento Hidrulico.
Cimento Portland.
Gesso para estuques.
Cannos de barro para esgotos.
Gradeamentos do ferro para jardins, calcadas eta
Carros de mo para servidos de armazens.
Garrafoes com 8 galoes de vinagre tinto,
dem com 3 galoes de vinagre tinto.
Chumbo em barra.______________
Bichas hambnrguezas
Neste novo deposito recebe-se por todos paque
es translanticos bixas de quadade superior, ven-
le-se em caixa ou porgao mais pequea e mal-
barato de que qu2l(juer- oulra parte ; na na d."
iadeia do Recife n. 51. i* andar.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joao
de Nictheroy.
nico deporto em Pernambuco caes da aJfan-
dega velha n. 2, Ia anda.
Venda de una casa no povoado
dos Montes, em Una.
Vende-se urna casa terrea, sita .1 na Nova, do
povoado dos Montes ; de taipa, robera de tehW.
com a frente de tijolo, tendo esta vinte palmos so-
bre 50 de fundo, spndo o solo foreiro a propria: -
de Montes : tratar a ra da Cadeia do Recife
n. 10.


Diario de Pernambuco Sexta feira 11 de Marqo de 1870.
DE
BARATAS, NA LOJA E ARMAZEM
DO
DE
FEIIX FEREIRA DA 8II1TA.
Ra da Imperatriz n. 60.
0 proprictario deste grande estabelecimenlo, tendo dado balando no fin do
inno, como de costume e vendo que tinlia um grande deposito de fazendas, e juntan-
do a essas outras maitas que Ihe lem chegado este anno, tem resolvido fazer urna LI-
QUIDADO por precos iruito mais baratos com o fira de diminuir a quantidade e apurar
O respeitavel publico encontra neste estabelecimenlo, nao so um graude sor-
timcnto do mais apurado gosto e luxo, assim como todas as fazendas de pnmtira ne-
cessidade, e do todas so do as amostras com penlior: as pessoas que negcciam em pe-
quena escalla, nesta asa podem sorlir-se de um ludo, vendendo-se-lhespelos mcsmos
precos das casas inglezas.
SxplendidO SOrtimeiltO de Crochs para cadeiras o sof*
&6 MMA
IT
roupas teitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
9letamente sorlido das melhores roupas,
*eedo caifas palitots o coletes de casemira,
4e panno, de brim, de alpaca, o de todas
a mais fazendas qne os compradores pos-
um desejar, assim como na mesma loja
em um bello sorlimento de pannos csenn-
os, brine, etc. etc. para so mandar fazer
ipalqner peca de obra, com a maior promp-
do vontade do fiegaex, e nao sendo
O Pavo tem um grande sortimenlo dos
mais bonitos crochs proprios para cadei-
ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
como proprios para cobrir prsenles, e ven-
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte,
ALGODO ENTESTADO
Vende-se urna grande porco de algodo-
sinho americano com 8 palmos de largura
proprio para Icnces e toalhas tendo liso e
trrncao que se vende por preco omito em
conta.
Pastos de lluho
Cliegou um praide sortimenlo de pecas
11 V .1 M.VL
Quaado a AGUIA BRRNGA, mais precisaBcieniiGcar ao respeitavel publico em
geral, e em particular a sua boa freguezia, da immensidade de objectos que ltimamen-
te tem receido, justamente'quando ella menos o pode fazer e porque cssa falla invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que lh'a altendero e relevarSo,
continuando porlanto a dirigirera-se a bemconhecidakja da AGUIA BRANCA ra do
Queimado n. 8, onde serapro acharo abundancia em sortimenlo do superipridade em
qualidades, modicidado em precos e o seu nunca desmentlido AGRADO E SINCERIDADE.
Do que cima fka dito so couheceque o lempo ie que a AGUIA BRANCV pode
dispr, empregado apezar deseus cusios no desempenho de bem servir a aquellos que a
honram procurando prover-se em dita loja do que necessilam, entretanto sem ennume-
ra os objectos que por sua natureza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquellos coja importancia, elegancia e novidado os tornara recommendaveis, como
bf m seja
mums EM GROSSO
PAA NEGOCIO
POR PRECOS MUITO BARATOS
NO BAZAR DA MODA
Ra Nova n. 50
40,)O0
co
7,5300
220
)000
:;> oo
8)500
3"?500
abrigados a ac^Uu-l^, qaando nao stejam do fno de ihho ijoPorU) se veJdvem
-opletamenle aosui conteni, aspira cmo m ~ a[ {mi vara, garantindo-se
reste vasto amento encontrar o em fo2en(la f Q n3o' ^ naJa *
-espeHavel pubi o ara be lo sor.ment de rf, nem mns 0 le e3
-omisas urancezas e inglesa*, ceroulas de -
inho e algodo o o tiros muitos artigos
roprios para homens o senhoras proniet-
ndo-se-lhe veedor ruis barato do que em
mira qualquer p;'it>v. Na ra da Impera-
r n. 60, loja e arraazea de Folix Perei-
a da Silva.
Pechineha a 2^000
Para leii^es.
Na loja do Pavao v( nJe-so superior bramante
-,ora {Opalinos de largara, dando largara o com-
rmenlo do lencl, sendo apenas preciso para
rada lengol um e meto, <>u um o um quarto me-
ros ; alm desla aplicacao tem oatras muitas
:ara arranjos de familias e vende se pelo barato
.ireco de 25OO0 o metro, Na loja do Pavao, ra
U Imperatriz n. 60. De'Felix Pereira da Silva.
Gangas de linho
' Vende-se gangas do linho com qua trfeos
nuito boa fazenda, para roupa de homens
i meninos e vende-te pelo barato prego de
300 rs o coudo:
>ECHiNC!iA EM PANTO PRETO A 2:400.
O Pavo vendo superior panno preto lino,
para pallitots, calca?, colletes, etc., pelo ba-
'atissimo preco de 2:109, o covado, gran-
de perhinclia.
Crtes de caseiulr a preta a 4 OO
O Pavo vendo os superiores cortes de
asentirs pretas e.ifestadas, pelo barato
areco de 4:500, pechineha.
.'ECHINCHA, ALGODOSINHO A 4;000,
O Pavo est vendendo pecas de algo-
iaosinho francez, Icodo 4 palmos de largu-
ra com 11 metros cada peca, pelo barato
preco do ijJOOO.
Peces de madaitolo a 3:500.
O Pavao vende peras de muito bom ma-
iapolo tendo 12 jardas cada urna pelo ba-
rato preco de 3:300.
GROSDENAHLF.S PRETOS.
Chegou para a loja do Pavo um grande
ortimenlo de grosdeiiaples pretos, tendo
ie liJyOOat 51000 o covado neste genero
is melhors e mats largos ^ue tem vindo ao
aereado, assim como bonitas sedas prelas
avradas, reoireantiquesetc, todas esias fa-
zendas, vendem-se mais barato do qne em
jutra qualquer parte, por haver grande
oorco.
PERCALLAS E CHITAS BARATAS.
O Psvo vende um grande sortimento
das mais bonitas cbitas claras o escuras, mais
barato do que em outra qualquer parte.
'aseas a 2 SO rs.
Vende-se na loja do Pavao bonitas cas-
ias de cores filas a 240, 280 e 300 rs. o
aovado..
Cambraias brancas a i:090 a peca.
S o Pavo vende pecas de cambraia
branca transparente, tendo mais de vara de
argura, con*'O jardas cada peca, fazenda
jue sempre se vendeu a 7000 e eOOO,
iquida-se pelo barato preco de 4i5000.
4lpaeas brilhantes a JL<$, e 800.
O Paso tem o mais bello sortimenlo de
tipacas lavradas com as cores mais delica-
das que tem vindo ao mercado e lendo bas-
jnto larguaa, vendem-se pelo barato preco
te i$0>W, e 800 rs. o covado.
Boa pinga do Douro
A 33,OoeO
Flix Peraira da Silva, ru da Imperatriz n
W, acaba de re eber urna nova remessa do sen
nuit acrodiudn vinho puro do Douro, e muito
proprio para este clima or nao ter Qonfec^ao, e
ende en b3rri de 10 32*.
(3Hn palmas de eeda a f OO .
Para a luja do Pavo chegoo um rico
sortimento da* mais bonitas ISasinhas com
^alm da li ndo de todas a< cores o
eadroeo, semio litenda bastante laraa e
veode-se a i^K) covado.
AS CHITAS DO PAVO
Vendos" -111) biilhante sortimento de
rutas claras e escuras por prn.-os mais ba-
ratos do que -iii outra quiqu^r parte
RcHipa gtara eser^Toe
Vndese u leja n
sorliraento de n
\S i*OPELi^* DO PAVA K 500 RS
Chaipram
la eom im'!-ci
lascles, ge
yrio, >: n Je-se
x'.o baiesi, ; rs.
S
as lavradas
i)el0'>0,
Rsasde todas as cores a
avradas li-
Ihas.
PECIIICHA EM CHAPEO? DE SOL
Chegou um grande sortimenlo dos me-
jores chapos de sol de seda, ingleses ten-
do iesle artigo o melhor que tm vindo ao
mercado assim como urna grande porco de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
quo em oiilra qualquer paite, por haver
grande pcrfso.
Os baloes do Pavo a 2$000,
Chog""u um grande sortimenlo de baloes
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de -<000 ca-
da um grande pechineha
CRETONES MATISADOS PARA VESTIDOS
A 640 E 800 RS.
Para a loja do Pava tbegaram os mais
bonitos crotones escuros matisados, pro-
prios para vestidos, roupo chambres etc.
que se vendem 800 rs. o covado, assim
como a mesma fazenda em padroe& claros
proprios para vestidos e roupas de meni-
nos a 640 o covado, sendo os padro>s mais
moderaos que tem vinpo ao mercado.
AOHL-MV.lMgBi;
LAAS1NHAS LUSTROSAS A 400 RS. O CO-
VADO.
S o PavSo
Vende-se um grande sortimenlo das
aiais modernas e elegantes llaainhas para
vestidos, cora as cores mais novas que tem
vindo a este mercado, sendo com listrinbas
miudinhas quo parecem de urna so c6r e
com tanto lustro que imitara perfeitamente
is poupelinas de seda, e vendem-se pelo
barato preco de 400 rs.
Os setins do Pavao
;'ende-seos mais bonitos selins de cores
i mais encorpados proprios para vestidos
endo de diversas cores.
FAZENDAS PARA LUTO
Xa loja do Pavo.
Encontra o respeitavel publico neste eiabeleei-
ento um grande sortimento de fazendas pretas,
wmo sejam, ca?sas francezas e inglezas, chitas
iretas de todas as qualidades, fazenda de la de
odas que tem vindo, proprias para luto, como
tejam, iazinuas, alpacas lavradas c lisas, -eantao,
lombazinas, merino, etc., que luda se vende por
>reco barato.
Vladapolao francez a 7^000 rs-
Vende-se pecas de madapolo francez
x>m 22 metros pelo baratissimo preco de
'000 a pe$a, pechineha.
Alias novidades m sedas
Chegou ura grande sorlimento das mais
Doderoas.poupeiinas ou gorgoroes de seda
iinho cora es mais elegantes padrSes que
em vindo a este mercado sendo, miudos e
{raudos, tanto em cortes para vestidos como
para vender em covado, assim como um
lonito sortimento das mais bonitas sedas
iistradas que se vende tudo muito em conta
CERA DE CARNAUBA.
Vende-te ama grande porc5o de cera de
rnauba em saceos por preco mais barato
^e em outra qualquer: ua loja do
'aveo ra da Imperatriz n. 50. De Flix
ira da Silva.
Heria de cordSo
Vendes? merino preto de cordo pro
>rio para calcas, palitjt e colletes, pe'o
aratK :'mr. proco dol000. o covado,
-------------------------------------a-----------
Corpinhos de cambraia, primoresamente
enfeitados com fitas de setim e obras ^ssas
cuja novidadederaeldo e perfeico de ador-
nos rs tornam apreciados.
Titas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer querendo desereve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao massar o pretn-
deme se lhe apresentar o que poder de
melhor.
ntremelos em pecas de 12 liras.
Guipuro branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Dilos de algodo com flores e lisos.
Veos de seda para chapclinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio do Escossia.
Costcmes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de llores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sorlimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz o pinsel,
Caixinbas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderegos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Tilesouras para frisar babadinhos.
Aspas para balo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
urnas substituem as oulras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinbas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Rollas de borracha para brraquodo de
Touquinhas de fil, fapatinhos bordados criancas.
meis para ditos. Diversos objectos de porcelana, proprios
Camisinhas bordadas para ditos. para enfeites de mesa e de lapinhas.
me
Vende-se por menos de 10, 20 e
SO' NO
30
N. 23Largo do Ter DE
SIMAO DOS SANTOS 8' C.
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secco e molhados estSo re-
solvidos a fazere urna grande diminm'co di precos as suas mercadorias, como se apro-
xima a festa o sempre se fazem avultadas" compras para o centro e praca, por
isso previnem ao respeitavel publico em geral, que mande fazer suas despencas e cer-
tos de que vero a grande differenca em precos mais do que em oulra qualquer parte
e garantindo-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 93500 a lata, e 440, SEVADINIIA E SAG 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 660 rs. o litro. 620 rs. o kilogrammo.
VINHO VERDADEIRO FIGUEIRA 560; FARINHA DE ARARUTA VERDADEIRA
a garrafa, e 4#500 a caada o 800 rs o ti- 6i0 a libra e 15400 o kiloerammo.
tro. BOLAXINUA INGLEZA MUITO NOVA a
DEM DE LISBOA das melhores marcas,; 400 rs. a libra e 800 rs. o kilogrsmmo.
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 2800 e! VELLA^DE ESPARMACETE 720 rs. o
3^200 a caada, 660 e 720 rs. o litro. masso, em caixa ba abatimento.
DEM BRANCO DE LISBOA a 44000.' PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro. RANCA, 280,
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 10400,
1800 e 220O a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 70 a caada, e i#340 o litro.
MANTEIGA LNGLEZA FLOR 1400 e
1*280 a libra, 3,5060 o 2*780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 2,5100, 10980 e 10860 o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a li
bra, I^220 o kilogrammo, em porcSo
far abatimento.
RANHA DE PORGO DE BALTIMOOR DIVERSAS MARCAS 10500, l72OO,"!0e
720 rs. a libra, e 10560 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
400 e 560 rs. o masso,
30200 e 60500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 10280, 20500
30500, 40500, 50500 a lata e a retalho e 10
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso, e em caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA II|6LEZA MARCA II 50500
a dozia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS A
se BELL, 800 rs. a garrafa e 90 a dnzia.
VINHO DO PORTO ENGARRIADO DE
iTiASdaPEffi)
:jURCHIIL
...-: HYP0PHOSPH1TO de SODA
IfcHYPOPHOSPHITOdeCAL
KYP0PH03PHITQdepNINQ
porcSo se far abatimento.
ARROZ DO MARANILO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
30400 a arroba.
ALPSTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
bflograrnmo, e 65000 a arroba.
CAF EM GRAO 60 e 60500 a arroba,
200,240 e260 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se far abalment.
SABO MASSA 240 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PAR\ SOPA, MACARRO, TA-
LHARIN E ALETRIA. 560 rs. a libra e
10220 o kilogrammo.
BOLACHNHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola Lri-
Ihante, combination, Francy-cracynel, mixed
Britania. Mdium, Fancy-nic-gac, a, b, c, e
soda a 10000 e 10400, cada urna lata.
Assim como ha outros moitos
GUEZV 70 e 60 a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a frasqueira e 10 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
30000, 20800 e 20400 em caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MOTO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 110500 a arroba.
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 10000 rs. a lata.
LOMBODE PORCO ASSADO JAPROMP
TO a 10000 rs. a lata.
CHA FINO- GRAUDO E MIUDINHO
30200 o 20800 a libra, o 60100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 20000.
20200 e 10800, rs. a libra,
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
Coques mcao de cabello,
guarnecidos de bellos enfeites
ultima moda, a duzia .
Papel superior de quadrinhos,
em caixas com 20 es demos a.
Envtopes prTtelana, muito boa
fazenda o milheiros em caixi-
nbas de 100 .....
Boles de osso bem pulidos para
calcas, a grosa .
Ditos cobertos de superior setim
de todas as cores, a grosa dos
pequeos a 30000, e dos gran-
des a.......
Dilos com interessantes pholo-
graphias para punhos a duzia
do pares a......
Ditos de osso imitando o marfim
com lettras a duzia. .
Ditos /.os muito boa fazenda a
duzia.......
Abotuaduras para camisa sendo :
2 boies para os punhos, 3
para abertura e 1 para o col-
larinho brancos, escarlalates,
o pretos a duzia ....
Brincos de caes a balo, cousa
muito caique a duzia de pares.
Lindos frasqoinhoa empalhados
com bom extracto para lenco
a duzia.......
Ditos em bonitas caixinbas ca-
da frasco a duzia. .
Tinta para marcar roupa, muito
superior cada frasco em sua
caxinha a duzia. .
Liviiuhos com capa de metal
douradoe com bonitas oroces
para a musa a duzia.
Sabonelcs do amendoas amaa-
gas especialidad^ do BAZAR
DA MODA, a duzia .
Capis pretos de supeiior qnali-
dade, oitavados a grosa 30 e
EsCovas finas para denles a du-
zia a 10000 e......
Alrineles muiio bons, brancos e
pretos, a duzia de caixinhas a
Pentes pretos de muito boa qua-
lidado s grandes para alisar
a duzia.......
D los narollos fazenda superior,
para piolhos, a duzia.
Dilos de borracha com costas de
metal para repassar, a duzia.
Ditos enfeitados com contas de
coros a duzia a 40, 50 e. .
Intcresssanles coquinhos, capri-
chosamente escultidos dentro
com um bom e lindo rosario
a duzia 100, 120 o .
Grande sortimento de miudesas.
Grande sortimento de quinquilharias.
Grande sortimento de perfumaras.
Pagamento realisado no mesmo mez da
compra cora descont de IM o/0> ou letra
acceita a seis mezes de praso.
Jos Soare de Souza & C.
80000
10000
SH',}0
6>o
00000
7#500
costura"
Acabara de chegar ao GRANDE BAZAS
UNIVERSAL, ra Nova n. 22 cswam
viNiNA--Dm completo sortimento d en-
chinas [ara costura, dos aut, res mai:-
nhecidos, as quacs eslao em expc.-ico e
mesmo Parar, garantindo-se a toa boa qa*-
lidade, e tambera ensioa-te ao peifetffe
a todos os cempridores. Estas uutotes
sao iguacs no sen trabaIho so e 30 ooste-
reiras diariamente,;.' a sua peifeicSo la-
como da melhor costmelra r?e i pr
sentam-se traballios i .-. pdrs owt-
mas, que muito dtvem agr lar ao> [i-eiea-
dentes.
'i jooo
3o000
20800
700
10700
0400
61000
10OOO
Puftio do engruhu xHiiaiauiLc i.i a^ivaa
de Scnriliacm perlcncor.los a -. -, M:-.nrk*
Wauderlej os escravos rgnci : S3iinu'l orin-
lo buixo, gioro, ruii rba r da Co-f.i prr
ter sido comprado d, J ai ia *&.-
de trila o linioa mdom, pea abat vent-
hitadas, estatura baixa, cor fcisa ';.. \- ,, i I
e esta na pe na do qneiio, Pelippo mn'alo Ce id-
de de IC annos porteo mais un wvn >s, li:
96, Hiti dii-o algum, leve tng ,-hi pc{nm. }--<
rom pouco apparece; Mt me de se u Mtkin-
dades poaues e c.-.plaes decampj: raptnta 4
inesnius o lvalos no DMtmo omjHnfi i n m rsa
da Maeda n. 'i. andar nerlplorlo fte Manod A-
res Ferreira (>. que srao pralilii-a-li s.
Fogio do engentio lioavi-ta, na cioarca
Camaragibe, provincia d..s Alsgoas, o escra-vo Si-
colo, de iiiv 34 anuos, altura n,uilar, fm-m
o c.irpo, andar banzeiro, tem faJla de denteaa
Irente, rusto largo, barbado, cosluroa as vi^n fa-
zer toda a barba, lem urna cicatriz na tcs# os
pea grossos ; este esrravo ando fgido de?-'; odia
16 do aneiro do crreme anno : n .
s autoridades p-iciaes e ays cipitaefl dt can
approhensiio d sse ercravo, a cntrepr no >.
ntai aeim mencionado, na nest
Vigari> n. 12, ou travessa do Corp
I* andar, qne si gratificar gererot;
Arhase fgido o eserivo Fram, "o, p;
idade O annos risais ou menos, c*M (.s'eo t
una perna e braijo, este escravo veio ha pi
do Sobral, noiilo ladino, cneulca-se de t.-r
i!i'-i', fia-s estar aeoulado, o iiuc dosilo.'
testa epntra (aero o Iker feto. Grati
i|uem o levar ou dello der noticia na-toa da
dre de Deus n. o, andar.
Engenho Para'
Deste engenho Par.i, freguezi.i e [pofnm, I
no dia 21 do eerreote mez o ererawi o&tp
crii ulo, de dado de 20 annos, ba lisura, n...
barba, eabeea redonda, denles limados, f. i ejia 4-
Luiz Antonio Moiiteiro, da fa:-onda da Bieai
guezia da Peilra,' i i veniido ao Sr. Maoe4 Ca
valcanti de Albuoncrqne Baii.ao. e deM ao mo.
sobrinho Jos Alves Marinho falcan, de qu<
liouve por compra : quem o levar em dito enpe-
nbo, ou nesta praca ra da Cruz n. Si. i
boa gratifleacao.
_____________Jos Valenlim Vieira de Meiio.
Fugio no dia 26 de feveretro, pela I' wz, *
escrava crioula de nome Belizaria que re- o -
ter O anuos, estatura baixa, com grande talla
denles e com nina sicatriz de queimadun. no bra
eu direito, lendo levado dous chales, sendo um
verdee oulro listado de azul e brano; qurm
a capturar sirva-se leva la a Ponto de cha
silio de Joao Jos Rodrigues Mendes, ou z
da Madre de Deus n. 28, que ser geDcrosaiwm-
recompensado.
U1UI
De saperior qualidade da mui accrediu
da fabrica de Bisquit Dubouch & C, en
cognac urna das que mais agurdente dt
cognac, fornecem para o consummo di
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ra di
commercio n. 32.__________________
ion
DO
BRACO DE OURO,
Ra do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento encontra-st
diariamente um variado sorlimento de ho
linhos para cha, pastis, podin?, bollos in- [Sr. Antonio 6oncafves Ferreira Cascio nr. R
glezes, p5es de l, presuntos, ditos tmfiam-Da aDliencd'0U2 D' 30, que mn 6L'ucl's;,u,c,i;p
bre, superior cha Hysson, preto, e miudi-
nho. Vinhos finos de todas as qualidades
conage, licores, conservas, Champagne, cer-
veja ingleza, fructas muito boas, por-
lugnezas e francezas.
Um completo e variado sortimento de
caixinbas de todas os gostes e precos par*
mimosear senhoras, estas caixinbas rigen-
temente chegadas de Paris s3o de primora-
do gosto, oieresse-mo-las aos galanteadores
do bello sexo pois nellas acharo nm digne
e serio presente para as donas dos sem
Fugio do engenho Bicho-humen), do tertul-
io Bonito, no dia 28 de fevereiro prximo pasea-
do, o escravo de nome Zacaras, com os si
se:?untes : cor fula, nariz chato, bei^os gr ss
una pequea marea de bexiga no alto do nan.-
estatura b: ixa, ebeio do corno, pea grossos e w
Jeitos, idHde 16 a 18 aaBos pouco mais ou meaa
levando vestido calca parda, camisa de algoda
zinho chapeo de baea pardo. Julga-;e o inei-i,.-
escravo ler fgido por seduccaoile um homem tji>
di/. :er morad-r no engenho Diamante, termo di -
rinhaem, e iiue ha desconlianea de seguir e
mesmo. Pede-se aos Srs. captara de campo
antoridades policiae*, a captura de dito -
e o levan ao engenho cima, iu em ca-a d
Fugio no dia 1 do mareo o escravo Ar!
preto. ile idade 18 aanes, olhos grandes, i
cado. tem todos os demos, sem barba, f w
de jaqneta parda, camisa branea, cal';. caf
mira amarella cora vivos chapeo de fetiro ce
fila larga e Qvella, foi comprado ao Sr. lenenti
coronel ^rlr Cavalcante de Altmqaerqe Ar
co-verdo do R.iique, para onde se aupde tc-r fu
j sido : quemo pegar e Icva-lo a ra Direit:1. .
3, a Jraqoim Hngulino da Silva Fragoso, qt "
1 ser cen recompensado.
GENEDRA DE HOLANDA E HAMBUIV pensamentos. Tambem os apreciadores d
boa fumaba encontrar5o charutos dos me-
lhores fabricantes da Bahia e de Havana
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, christalisados o dt
calda, ditos de caj e de outras qualidades
Nesta casa recebem-se encommendas par
bailes, casamentos e baptisados e qualquer
encommendas avulss, como seja p8o de li
e bollos enfeitados e outros muitas couza*
que enfadonho mencionar.__________
CEMENTO
200^000.
O verdadeiro portland.
ra da Madre de Deus n.
Jo5o Martins Barros.
S se vende n.
22, armazem dt
J.A.
^HOSPHITO de FERRO
PillilAi tleHYPPPHOSPHTGdeMANBAWEBA
R0NCHITI5
PaSTS PECTWlES-CSRGHlll
Engir para os xarrfa 0 frateo qumtraciem
todo* o* prjdurtai a Mdguitara do 0" CTnTR-
OKnx, c o letretro coa otro* de Mrica di
PLaraack VWaag, ti, nu CuH^Uom. PAW8


MENT
PORT(,\ :,'!>.
'Vende- irello de Vicoute Fei-
re;ra
we .,' aiuareuo ce vieane re-
:te do arco da
tfk
rmazem do Pavao rva da Imperatriz n. 60,
muito novas, passas e figos novos, charutos de diversas marcas, marmelada, feita pelo*
melbores conserveiros em Lisboa, gela de marmello, p taguezas e francezae, vinho verde engarrafado retaih-. peixe em latas, bem como
pescada, tainha, pargo, goraz, lula, corvina, vezugo, rrivalla, sarda e sardinbas de Nan-
tes. Oanella, cravo, ervadoce^comii.'io, pjmeo) uoibos de eholia l<5500.
Finalmente muitos outros gneros que enfaadnoho e taeoctoe>-Ios.
PARA A FEST
3 portas, loja de tr agm
53-Sna Bireita--53
Ifeste grande estabeKcimento, ha para vender
um eomploto-jortmontode ferragem, emiudzas
(mas e prosas, como sejam bandejas ct-inezas
quadrada e ovas, facas e garfos de l 2 bo-
toe?, balancp iateiro e 1/ balanco; panrttes, ctia-
iheiras, cacrotlas, frigideira, asaadeiraa, taulo
do ferro corno de porcelana, moinhoa para caf e
diversos lmanteos.4o.fabricauta Jkpy, pe?o9kilo
^rammoe, tanto do ferro nomo do lauto, metros
para medir fazenda lauto de ferro eomo de latao,
salitre, bren, tewbaste, entofre, papel marca via-
do, do verdadeiro Picardo, mtckmM para desea-
ro^ar al^oiao; *Um de ootroe artigoj de terra-
jero, miudeas cntllarias (mas, qne 6 eom a vis-
ta se verifica: na ra direita n. 53 lol'da 9 por-
tea, de Kaeoel Beato de Ovetra Braga* C

oas
S-8E ou awvda-se o engenij'
S. Gaspar sito na freguezia de SerDh5cu.
comarca do Kjo Formoso, prximo do era
barqite, com grandes partidos de pan!
Hiasaap roda da moenda, mattos mangu.'
para madeira neoasaria, bom pasto, etc.:
a tratar na ra. d*Aurora u. 26, oo na di
imperador c. 20.
Lageco
Vende-se lagedo para calcadas e armazens por
preco commcio : na roa do Apollo n, i.
lem conslaulciuuntc em ^eu arm; zem, ua da
Cruz n. 2fi, um completo sortimento de
gas de'imaes.
DHas orisootaM.
Pesos de fetropelo Fyateroa decimal.
Itombas California para poeos, as melhores que
te n i-pparecido at hoj?.
ra randieiro! agaz.
Lorias de I aliu des.
Ajrua ll.i
Gretix I7.
I prial.
l.-que de madreperola com -'fia. e todos d>
madreiieroin, rouito prepri.. [mra n-i as, ehega
rain aloja ik, Pas.-o a ra do Crespo n.7 A.
sim como requissi;. Je louquim d<
oas as e- rdados de eambraii
para baptizado?, meias de aovidade) mui-
to bonitas para gostam andar
de sa, anuir, neo e ariigos de gos
to qne os prufhka. lecimento tees
reeebidn.______________________
-Veado-se urna t-rela b".i ^quilanJ-^raT^^H
sabio o varrella.e tem principio de c ./ni: : par
ver na ra de !?. Gonzalo n. 20 confronte ao el a-
taris.
Fugio em 23 de Janeiro de 1869 o wcravo M
theuj, de meia idade, cor preta, faiia gn <;'. i
xigoso, tem urna pequea berruga do i
nariz, olhos afogueiados, tinlia 4do dos senlior
Agoslinho Leocadio Vieira, em Panoil.is randa, fe do Sr. capillo Francisco rVdripuc? 3y
Freila?, em Pesqueira, nha vipdo de :
a poucos mezes e tf m la nm;. mulher, d< -i-!i
se que ande as serras de Sir.hara ; ped
anleridades e eapilaes de campo a ca|.;;u. <
escravo e iraaer m Hecife a scu eri. :. J -
Cardovide S, ra da Liuguer i n. i. O w
protesta conlra qualquer pessoa que b li
udo e grande se rm 200s a qnem o ;
lar ao dilo mn senhor.
Fugio lio engenho Minh'e; s. du W
Santo Antao, no da 20 de junho do
o escravo de nome Francf-lino. repre-u.!;.
annos de, idade. con ps signaes segoii ti
prea, baixo. rvvpa refereadri. eara lar'.':'. 19
barbad, cHh s pequena, laiit milito i .i ado,
ca regalar, dootes curtos e limadus, mn
U e andar apresada ; consta andar i I
tios da cida^'e d Olmila, engenho Pi
C, neleril.....u Af.ip )''"- acaledo pw
Jos de Si" i'Anea spii irmao bVito. o qu
em sua e ni.! ulna nina eb'c!ha e
rea, e por uulru irmao de nome J
ocondi'lra para nj Ingares acit
alem de ir- iutroso-io llenme J
da Silva,.n-nheeidu per J.i- Paj-. |
daqueila c .ruare. H.t-'- anj
pitaes de ramio qni apprceendain t
ra do t -i. l7,ouii' eogenii -, ?i..
entregara a eDbor J ao Cor.ri i
Monlriro.ii -

Ou fllg II' '
: 1111 .< f
sigues 'caniut
Um 8L.-a ---He ti. frenie n'--
cascos i .i.
la erina.' p
velha
passo, h' m
Um rn."' i elr z. gi
10 annos, c o a tina, e bal.
directo.
Ura rudado pequeo, inteiro,
com.o eyiihac^' grosso no logar
curvado o muiio sendiro.
Ura castanho sem sigua!,
meio, eoirefadw e tem du;
Um alazii 'iiaeiroado,g-"^T
d,o, de ifi anuo?, csrsega*
pouco.abftla?.
Ouera mio " ,dc Sjui Lei.
meio

t"


Diario de Pernambuco Sexta feira 11 de Margo de
1870
LnTERATRA.
O baile da* ni ni ais
lupru'.ssdr.s dv ueia noite. )
Meia noulo!... O triste bi-
Suasirou saudoso jl
Alm rangoram as campan
Algiam -.'.meu... (,
Na ogiva do campanil io
a mocho solitario
Soltou sangrenta caaco...
E a brisa ai.ares rjsgamh
a os labio?, biaspheman lo,
ntranhas d'amplido!...
Tudo silencio... Nos ares
Feio insecto perpassou...
Soam gritos... geme o echo
Como ura crneo que estalou !
(Jiieta ? Quem soffre a esta hora .'
Que condemnado ()ue implora .'
Sero plianlasmas de horror ?
Serio almas dispersadas
Das tumbas afugentadas
Inda as febres do amor ?
Somemseos astros nublados
Vela-se a face dos cos,
Surgem cavoiras de mumias
Das [endas dos mausoleos!
Como alampadas funreas
U-fulgem chammas aereas
Pendentes do salgueiral...
No romo clarim dos ventos
Tremem profundos lamentos
De urna lasciva infernd !
Meia noute hora de sangue.
llora de febres fataes,
llora em que gemem saudades
Dos lempos que nao vem mais!
Quando os paludos precitos
tequeimam labios malditos
Em taras negras de fel 1
Quando as boceas dos finados
Soltam gritos compassados
Pedindo sangue ao bordel!...
Silencio O baile oos morios
Vai agora comecar l
Das tumbas surgem gigantes
Para o tremendo walsar...
# soberbos se agitaram
Genios que outr'ora habitaran!
Veste mundo, como nos:
Por seus cabellos poerentos
Os vermes passeiam lentos
Requintado adorno atroz!...
Em torno a torre da igreja
Onde resa o furaco,
Negreja o bando agoirento
Das aves da escurido!
Erguidos, ebrios, sedemos,
Os phantasmas macilentos
Arrastam trmulos ps...
E o morcego agita as azas
Por sobre as lapidas rasas
Como o archanjo de revz!
Rompe a orchestra, o baile rompe,
A tempestade assobia;
Girara as walsas os vultos,
Arde a febre, vive a orgia!
Beta como um bando de gralhas
Passam as brancas mortalhas
Os convivas do festim !
E as gruas fundas, rasgadas
Respondem com gargalhadas
Ao sora da orgia sem fim!...
Avante, avante, consocios,
Genio das trevas, dansai!
Bebei nos crneos quebrados
Rubro licor, e folgai!
Ento, n'uia vrtice enorme
Gira doida a massa informe
Dos convivas sepalcraes...
Babona, sobera os gritos,
Fumegara lumes malditos
as grimpas dos pinheiraes!
Dansam as bostas dos genios...
Byron dansao collossal
Gigante das tempestades
Segredanio ao vendaval!
Grande, immenso, redivivo
Shakspeare dansa altivo
Encbendo a vasta amplido...
Do mar ao surdo ribombo
Dansa orgulhoso Colombo
Partindo os raios co'a mo !
FOLHETIIW
05 MISMOS DE.POLHUIES
PH
E o Dante paludo, immenso
Quebrando as campas co'os ps,
Pelos cabellos sacoie
Do inferno as furias crue
E depois, funreo... ingente
Salla Giethe omnipotente
Com mais dous vultos alm...
Silencio, abysmos!Sao elles!
j' Fausto e Meph stophles
Que ao baile voam tambem!...
E as damas fnebres dansam
Com redobrado fragor!
Com Petrarca dansa Laura,
Com Tasso dansa Leonor!
Romeo conduz Jufielta...
Com CamOeslaureado athleta
V'in Calharina ao festim...
E sobre as fras alfombras
Saltam anda mil sombras
D'essas phalauges sem fim I
Ruge a orgia. Tristes... graves,
Fendendo as ondas de p,
Homero e Millndous cgos
Nao dansam, nao, surgem so.'..
E depois, grandes risonho
Em negros corseis medonhos
Dos seclos rompendo o veo,
Ambos elles transportados
Vo como que arreb .lados
Cravar es.tri.phes no co I...
Redobra o baile das mumias,
Gritara as ondas alm...
Passam, repa^sam as sombras
Em furibundo vaivem!
Soam lgubres trombetas...
Dcbatem-se as nuvens preas!
Fras do espato a rugir !
Das fauces negras do abysmo
Rompe, salta o cataclismo
Que ameaea o baile engulir I...
t Bravo bravo diz o vento
Grita o irovo muito bem!,
Os cyprestes baiem palmas
Como applaudimlo tambera...
Sa o rufo... A lesta augmenta..
Deus sobre um raio se assenta
E vem as tumbas poisar I
Batera as lousas os crneos,
Somem-se os vultos titaneos,
Arde em fogo o lupanar I...
inieressar-se tanto pela sua melhor fazen-
da, como a chamava, tinha nesse momelo
o marlello suspenso sobre a cabeca da sua
mercadoria. Disse o preco : o cavalheiro
pareca hesitar ante a exagerada uura do
lanco, mas sem fazer a menor objecCio ti-
rou da carteira leltras do banco, e effec-
tuou a compra da escrava.
All esl o leu novo senhor ; segu-
o, obedece-o, se lens a mu- a teu corpo,
e medo do tronco o do azor rague.O le
loeiro dissera estas palavras a escrava, de
pois de passar- ao seu comprador os ti
lulos de venda competentemente autenti-
cados.
Ests liberta: o senhor nico de leu
corpo c de tua alma, c Deus; disse o ca-
valheiro, a escrava, dando-lhe por seu tur-
no esses documentos pos elle subscriptos,
nos quaes deva-lhe livre e espontanea li
berdade.
co purissim- : todas as canoas de pesca-
dores estavam ao largo ; viam-se ao longe
brancas velas reluzindo aos raios do sol.
Contemplando aqaelle espaep Ilimitado,
sempre movedico, sempre cintillante, ex-
perimentava eu o sentimero vago e solem-
ne do infinit), que produz na atoa o espec-
tculo do mar.
Um por un?, comecam a desfiar os pen-
samentos serenos e melanclicos; flucta o
espirito cm um devaneio inconsciente, o
olhar divaga por todo aquelle horisonte, in-
definido, vago como a primeira linha de
prata que separa a agua do co.
Leves rugas no mar, nascidas ao longe,
orladas de urna luz branca, vinbara cami -
nhando para mim; dentro em pouco for-
mavam entre si urna longa franja frvida e
espumante. Depois fazia-sevaga rumorosa,
que rebentava com grande estrondonos sei-
xos da praia; toda essa massa de agua im
Nada, porm, de tudo isso impresiona- ponente, agitada, vinha morrer ameusps,
va a misera que automticamente aceitando desfazendose em bolhas de espuma como
E as nuvens paridas, trmulas
Deitam depressa a correr
Medroso o trovao ao longe
Vaigaguejando morrer...
E os morcegos espantados
Fogem, correr dispersados
N'uma carreira sem fim...
E sobre as torres pousadas
As corujas debruradas
Espreitam esfomeadas
Os destrozos do festim !
S. Paulo.
Carlos Feiweira.
lie Berthet
(ContiouaQo do'n. 56.)
XVII
A irecoMpea&a do successo.
Nos tres dias immediatos ao d'estes suc-
cessos, Van-Best raras vezes vio Leonardo
e mais raras ainda Ihe fez perguntas acerca
d} veio Real.
Talvez o director nSo estivesse to mal
informado a este respeito como quera pa-
recer, porm nao deixava adevinhar os seus
sentimentos eo conductor detrabalhos teve
toda a liberdade papa levar ao cabo a sua
grande empreza.
Na manha do da em que Van-Best de-
\ia descer amina com Leonardo para veri-
ficar a realdade da des^berta, recebera-se
urna carta annunciando a chegada imme-
diata a Polignies do Sr. de Beaucourt c de
leo to o Sr. R.. Tratava-se agora de
preparar um oposento do edificio ; mas,
leado-se Amelia recusado a enca.regar-se
d'esse trabalbo, enteadeu-se Van-Best com
Gudula, afim de que o Sr. de Beaucourt
co tivesse que censurar a hospitalidade.
Foi n'esta occasio qae Leonardo, com o
fato do trabalho, se apresentou ao direc
tor.
Eslou s suas ordens disse elle re-
solutamente.Vamos ?
Os olhos de Van-Best sciollarara e pare-
cea disposto a dirigir orna pergunta ao jo-
ven mineiro ; mas, fazendo um esforco so
br si, limitou-se a responder com tranquil
l!dado affectada :
Est bem; vamos l.
Deu algumas ordeos a Gudula, fez urna
p?quoaa alteraclo no falo e seguio Leo-
carde
Desceram ao grande poco era um wagn
da servico. ,, .. ..
Os operarios, prevenid s da visita do di-
rector, estavam nos bous postas e recebe-
ram-tiocom todas as demonstracoes de
respeito; coa todo a sua attencao precia
itlle me renalo!
Passava por urna praca um cavalheiro
cuja attencao foi despertada pelos gritos de
um leiloeiro, que submettia a publico pre-
gara urna porro de escravos de todas as
idades e sexos; era urna hasta publica
desta que os nossos jornaes ha pouco cos-
tumavam annunciar, e coja scena comoven-
tediariameQle se tornava um protesto vivo
da civilisscSo contra a barbaria. Encaran-
aquelles infelizes, que se aggrupavam em
torno de seu esforcade vendedor, as lagri-
mas e os solucos de urna joven escrava
commoveram de tal sorte ao benigno tran-
sente, que elle se aproximou dessa feira
de almas, desse mercado de corpos, e per-
guntou a misera escrava a razo de
seu pranto, quando seus demais par-
ceiros mostravam-se indifferentes quelle
acto ?
Os ourros, disse-lhe ella, acosturaa-
dos a experimentar diversos senhores,
talvez gostem de variar de captiveiro ; mas
cu, at boje criada e educada com desvello
e carinho, nao posso resistir idea atterra-
dora de um mo senho;, que, abuse do di-
reito de vida e morte que vai ler sobre
mim!
O preco desta escrava? Perguntou
o cavalheiro ao vendedor, que vendo-o in-
dirigir-se particularmente para Leonardo,
que caminhava atraz de Van-Best. Aquella
gente acabava de apreciar a experiencia,
activdade e alta intelligencia do conductor
de Irabalhos: a sua receute descoberta
elevara ao maior auge o enthusiasmo que
elle lhes inspirava desde a catastrophe do
talho da Virgem Negra. Consideravam-o
um hornera superior no sea genero e sen-
tam-se orgulhosos de o lerem por compa-
nhero. Por este motivo Leonardo tinha
grande parte as demonstrares do respeito
prodigalisadas ao patro. So Grande Leo-
poldo, que andava trabalhando n'uma son-
dagem em lugar affastado, lhes deitou um
olhar carregado quando os vio passar, mas
Van-Best e Leonardo nao repararam, tal era
a impaciencia com que se dirigiam ;nova
galera.
Atravessaram a mina e chegaram ao po?o
dasescadas. Ali haviam-se operado al-
gumas alterares. J sabemos que o veio
fra encontrado a trinta metros prxima-
mente cima do talho da Virgem Negra,
isto a cento e quarenta ou cento e cin-
coenta ps cima da galera dos transportes.
Foi, depois, n'este nivel que comecaram os
novos trabalhos.
Afim de os tornar praticaveis, foi pre-
ciso levantar em certas pontos algumas
pranchas das que forravam o poco, opera-
Cao perigosa, em attencao ao estado de ip-
tustez dos antigos trabalhos e da naluresa
pouco solida de algumas carnadas de terre-
no. Para prevenir qoalqaer sinisiro, fizera
Leonardo escorar a parte inferir do poco
at altura do veio recentemente descober-
ta, e estes espeques ou escoras, assim como
as escadas, e outros aprestes, faziam que
a claridade que vinha de cima mal se dis-
tingese l em baixo.
Van-Best parara, e, assobiando de man-
sinho, ia examinando alternamente estes
arranjos. ,.
Tomaste as toas precaucoesdisse
elle afinal satisfeito e admiro como po-
deste fazer tanta em tao pouco tempo.
Fiz o que pude, senhor; mas nio foi
pequea a tarefa. Os emmadeiramentos
eato mais arruinados do que eu suppu-
uba.
Fazer se-blo de novo, se" a tua em-
preza der bom resoltado, como espero.
Vai wrdisse Leonardo, subindo ra-
a sua carta de alforria, humedeci esse ti-
tulo de seu resgate com as lagrimas que
ainda corriam de seus olhos; tinha naecido
escrava, nao sabia o que era liberdade ; e
imaginando-a atravez desse prisma d'alma
pela primeira vez, o pezo de felicdade era
tal que identi6cavara-se em suas lagrimas
o effeo da ntcnsidade do horror sem o
da ntensidade de ventura.
Finalmente j o cavalheiro ia partir do
meio da avidez da especiado que episo-
dios de a misera, como que desportando-e de urna
lethargia, Ihe diz, resolnnjamenta adiantan-
do um passo :
Meu senhor, seguirvos hi para onde
quer que seja : servir-vos-he emijuanto fr
viva, porque eu era captiva, e vos, meu
Senhor, me remistes. Oh! sim, elle me
ramio I Elle me rann; exclamava ella, er-
guendo os bracos, em cujas raaos a carta
de sua liberdade era convulsivamente aper-
tada.
A turba de curiosos applaudiaesta scena;
e os proprios parcoiros, bendizendo .com
tornos e hmidos olhares a generosidade do
desconhecido, abriram passagem ao cava-
lheiro, que l foi caminho de sua casa, se-
guido da escrava que libertara.
Nunca vio alguem mais dedicapo do que
essa, que era manifestada de dia em da
pela liberta, n> servico d'aquelle que a fi-
zera livre: tornara se o mais solemne exem-
plo de gratido ; e quando constantemente
era sorprehendida por algum olhar ou al-
gum gesto de quem quer que, frequentando
a casa do cavalheiro, nao poda deixar de
exprimir admiraco por tanta devotaco ; os
olhos da misera incendiavam-se de jubilo,
seu peito dilatava-se, e ella resuma tudo
nestas nicas palavras :ello me remio.
Leitor,h i um captiveiro mil vezes peior
do que o do Etiope ou Africano, em nossa
propria condicSo de senhores: escravos do
peccado, todos nos somos diariamente lau-
cados por pensamentas, palavras e obras,
hasta publica de satanaz, onde aossos
servicos sao disputados para o captiveiro
eterno do inferno.
Jess Christo, porm, alcancou pela morte
de cruz nossa emancipaco, comprou-a com
o preco de urna agona, que fez o proprio
sol oceultar ao mundo os seus raios; subs-
creveu a carta de nossa alforria com o san-
gue de sua fronte rasgada por espinaos, e
de suas mos e ps dilacerados pelos cra-
vos, e ha 18 secul-s que, por meio do
evangelho, elle offerece de graca esse res-
gate bumanidade agrilhoada ao captiveiro
do mundo, da carne e do arabo.
Elle nos remio!
Aprendei da gratido desta escrava, a se-
guir aquelle que liberta escravos e senho-
res, por meio da f no valor de seu res-
gate.
Elle nos remio.
Vou tentar, caro leitor, responder a al-ffe?am03 o inverso da experiencia precedente,
gum is dessas perguntas que fazia a mi |gabmettamM as nosaas duas especies de
a a urna temperatura crescente.
'Sub
agua de sabo. Singular phenomeno
aquella pulsado, regrada por periodos so-
noros do mar na praia, e aquella desappa-
riQao repentina, sempre no mesmo nivel,
da wga snbio domada e dcil!
De onde vera aquella onda com as suas
curvas azuladas e franjadas de prata ? Que
me vem dizer o^ensinar ? Talvez, pensava
eu, atravessou o golpho de Leo, repellida
pelas pedras de Celle. Talvez de mais
longe, dos penedos escalvados e cinzentos
de Alicante. Talvez caneada e offegante das
longas e continuas agilac&Vsdo ocano, aps
hav* bejado as ribas ardentes de Senegal,
atravessando o estreito de Gibraltar, vem
depr a meus ps os ses que traz no seio,
para repousar em nova metamorphose.
Arrebatada as azas dos ventos, no alto
dos ares, em estado de vapor tenue, pura
de todos os corpos salinos e orgnicos que
a acompanham, vai viajar agora, pela cem
millionesima vez sem duvda, em ligeiras
vesculas, ras grandes nuvens errantes, va-
pores quasi invisiveis que so'iem cima de
minha cabeca, e que vo, infatigaveis pere-
grinos, visitar as fras regies do norte.
Ahi o envolucro gazoso dessas gotas
d'agua contrahir-se-ha ao contacto do fri,
e reassumir a antiga forma liquida. De-
positadas como perolas de orvalho, demo-
rar se-ho algum tempo nos ramo3 dos pi-
nheros ou na herva dos prados. Ou ento
sbitamente encerradas, ao contacto das al-
turas geladas, em um envolucro de crys-
tal diaphano, verdadeiras chrysalidas, ei-las
presas muito tempo em filagranas de nev
aos Uracos dos rochedos, esperando, como,
Andrmeda as correntes. os beijos liber-
tadores de um raio do sol...
Livres ottra vez, carregada de alguns
ses calcados colhidos em caminho,tal-
vez com um pouco de ouro em palhetas
extrahido de aigum veio mysterioso,ei-las
que descem outra vez ao valle verdejante,
onde encontrara milhares de companheiras
colhidas em cuuva condensada pelos ventas.
Narrando entre si as grandes viagens que
fizeram, voltam juntas torrente, depois ao
ribeiro, depois ao grande rio, depois ao im
menso mar! Vo sacar de l outra porco
de sal, alimentar myriades de seres que
vivera deltas, e coraeco outra vez as pe-
regrinacoes circulares e eternas, ora oce-
nicas, ora aereas!
Mal pens eo era todas estas cousas
e j aquella golta d'agua vai distante, sem
que possa ouvir o adeus provavetmente
eterno que Ihe dou. Onde a encontrarei
novo e como a reconhecerei ?
Porque salgada a agua do mar.
d.
I.
Ainda me lembra, aps tantas* annos, o
dia em que esta questo me surgi no es-
pirito. Estava eu assentado na praia de
Sania Magdalena. Collocada no centro da
curva graciosa do golpho de Genova, reflecte
aquella aldea as aguas azues do Mediterr-
neo as suas casas pintadas vivas cores, e a
torre elegante de sua igreja. Naquelle dia
surga o sol resplandecente no meio de um
pidamente a primeira escada que dava in-
gresso para o interior" do poco.
Van-Best seguio sem hesitar, nao obs-
tante esta ascenco offerecer-lhe alguma
difficuldade. Tinla de subir urnas cinco
ou ceis escadas, e os degros estavaia h-
midos e escorregadios. Ora Van-Best, pe-
sado e obeso como era, nao podia firmar-
se em mais do que n'uma mo, porque a
autra sustinha a lanterna ; por tanto pode
fazer-se idea das suas fadigas, e, sob pre-
texto de examinar o estado do emmadeira-
mento, ia parando de vez em quando para
tomar o folego e limpar a fronte banhada
de suor. Terminou. finalmente esta penosa
ascencao.
Ao cimo de urna d'aquellas longas esca-
das vio-se de repente urna abertura regular
na qual Van-Best penetrou immediata-
mente.
A galera era estreita, pouco alta, e as
diagonaes ali collocadas nao permitliara ver
a sua extenso. Mas logo Van-Best trope-
Cou em cestos que obstruiam a passagem ;
abaixouse para ver o que continham e nao
pode reprimir urna exclamaco de alegra
vendo que estavam cheios de carvo, Leo-
nardo sorriudo-se, fez-lbe signal para avan-
Car e chegaram ento ao fim do corredor.
Ali que se deparou aos olhos do pro-
prieiario da mina um espectculo, arreba-
tador : estavam no centro de um veio de
carvo, mas um veio largo e fecundo: o
carvo era bastante negro e compacto, evi-
denciando a soa bella qualidade. Cinco ou
seis operarios que trabalbavam sob a direc-
cao de Antonio Robin acolheram alegre
mente Van Best e o seu companhero.
O director nao podia fallar : suffocava-o
a alegra. Em quanto assim se conservava,
Leonardo perguniav :
Ento, Antonio, uae direceo vai to-
mando o veio ?
Sempre na direceo ascendente., mas
a sua riqueza nao varia. Se me nao eo||no,
inesgotavel era dez annoa.
Essa direceo que o veio tomaacu-
di Leonardo, dirigindo-se a Van-Best a
melhor, porque menos dispendiosa aera a
abertura do poco de exploraco.
Afinar Van-Best exclamou :
E magnifico t effectivamente
Real, aquelle que te a fortuna de meu
pai I... Que abundancia de capia, que
Com que fim essas viagens repetidas ?
E esse sal depositado e de novo levado,
donde vem elle ? Vira das carnadas salinas
do globo, ou o mar foi sempre salgado ?
Quanto sal existe na massa do ocano, e
qual a utildade dessa substancia to pro-
fusamente espalhada ? Nao seria preferivel
que a agua fosse doce e lmpida em toda
a parte em vez de amarga e salgada ? Quan-
tas vezes o marinheiro, cercado d'agua por
lodos os lados, nao se vio condemnado a
morrer de sede em pleno ocano pela mais
irnica de todas as privacSe-s ?
Fazia cu todas estas reflexoes na praia.
Entretanto, dizia eu, por aquillo que eu
j sei das cousas da natureza, nao posso
duvidar de um motivo poderoso para o sal-
gado do mar ; natural que elle tenha urna
razo de ser, sabia e profunda. Cabe-nos
investgal-a.
mesmo, quando eslava assentado
italiana; sao questSes que me prooccopa-
ram sempre de entSo para c, al o dia em
que pude achar urna explicaclo satisfatoria ;
vou ver se vol-a transmiti.
Vou propr-vos urna viagem, e urna via-
gem America... E se quizerdes, levare-
mos urna bagagem composta de dous gran
des vidros, um tliermometro, um salinme-
tro e elementos para fazer fogo e gelo. Di-
vertir-nos-hemos em [caminho eslarecendo
alguns desses problemas.
II.
Ahi nos vomo3 nos, mar em fora, n'um
dos bellos vapores da companhia transatln-
tica para New-York.... As aguas sao bellas
e.verdes; o ar pufo. Mergulhemos o
nosso thermometro no mar, emquanto o
navio geme aos movimentos da hlice, e
vai abralo na superficie do ocano immen-
so urna longa esteira luminosa, estrellada,
phosphorecente. Notaremos que o mar
mais fri que o ar.
Deseamos ao camarote e mergulhemos
agora o nosso thermometro successivamente
nos dous vasos que trouxemos. cheios um
de agua do mar, e outro de agua de beber.
Emqunto os resfriamos ao mesmo tempo,
n Hemos successvrmente as ndicacoes do
salinmetro e as do thermometro. Os dous
lquidos se contrahem e se tornam mais
pesados.
Mas eis que chegando 4 graos, a agua
pura comeca a dilatar-sc, torna-se mais leve,
depois de ler cheg3do sua maior densi
dade. Depois vai-se convertendo cm gelo,
ao principio na sua superficie, depois at o
fundo, logo que o thermometro chega ao
estado de zero.
A agua do mar nao faz essa evoluco.
Contina a tornar-se cada vez mais pesada;
contcahe-se e s apresenta mudanca em sua
maneira de ser quando o thormometro des-
ce a 3 graos abaixo de zero. Nesse mo-
mento, flcos de gelo se formam no fundo
do vaso e sobeaa rpidamente superficie.
Prodftz-se em miniatura urna tempestade de
nev ; mas ao contrario do que acontece no
ar, a nev sobe. O themometro fica 2
graos abaixo de zero.
Aqui temos, pois, a cousa bem clara: a
agua salgada precisa 2 graos de fro mais
que a oguadoce para dar indi.ios de con-
gelaco. Assim, pojs, no interior do ocano,
quando este chegar a essa temperatura, es-
tabelecer se-hauma circulaco vertical de ca-
rnadas geladas, chegando superficie.
Nos mares polares que essa aeco ha
de ser frequente, mais do que nos mares
interiores, e esse movimento de pedacos de
gelo, puros de todo o sal marioho, subindo
do fundo, constituir a crosta de gelo exter-
na. As aguas dos mares polares sero, pois,
em sua superficie pouco salgadas, em rela-
Co ao fundo que o ser mais.
Voltemos ao convz do navio. Que mu-
danca na cor do mar I Que bellissimo azul I
O capito annuncia que estamos em Gulf
Stream. A agua parece mais veloz e menos
salgada. O therm metro mostra urna tem-
peratura da agua mais elevada que a do ar.
Era o contrario do que aconteca ba pouco.
O Gulf Stream que vamos atravessando.
um bello rio de agua quente que corre no
meio do ocano, com um volume do agua
maior, que todos os riosdo globo reunidos.
Tem perto de cinco kilmetros de pro-
fundidade, mais de nove kilmetros e meio
de largura e mais de sete kilmetros de ra-
pidez por hora.
Este rio vem do golfo do Mxico, ond i
nasce; tem alli urna temperatura igual do
sangue humano (36 graos). Corre para as
regies frias, dispersando por toda a parte
o calor que accuraulou, distribuindo climas
brandos e temperados aos nossos continen-
tes de Europa,principalmente Franca e
Inglaterra,dando vida a myriades de seres
quepolulam em suas aguas quentesecheias
de vitalidade.
Ahi vem a noite Vem sombra e silen-
ciosa ; as estrellas brilham no co. Vede
como a linha que separa a corrente de agua
quente do resto do mar, clara e phospho-
recente O calor que contm, dizem, que
maior que o que poderia sahir de urna tor-
rente de metal fundido do mesmo volume,
vomitada por inmensas e innmeras for-
ualhas!
Emquanto atravessa'mos o Gulf Stream,
bellesa, que espressura 1 Secco e scintil-
lante como um diamante J podem abrir-
se talhoes em diversos sentidos ; a despeza
dos emmadeiramentos nao deve-ser grande :
poder-se-ha trabalhar cm todas as direc-
CSes sobre a massa... Nao medisseste,
Antonio, que a camads tinha dous metros
de espessura?
Dous metros e cincoenta, sen'ior. Em
toda esta provincia nao seria possivel encon-
trar outro veio igual.
a ti, meu charo Leonardo, que
eu devo este thesouro 1 exclamou Van-
Best arrebatado de alegra e com os olhos
cheios de lgrimas. Olha, vem c, que te
quero abracar Tu s um genio, nao es
um operario s o meu amigo, s ura
filho meu !
E abri os bracos a Leonardo, que, pre-
cipitando-se n'elles, dizia:
Su filho ? Ah Sr. Van-Best, lem-
bre-se d'essa palavra, que eu talvez em
breve invoque!
Antonio, regozijando-se com o triumpho
do sen amigo, grita va alegremente :
Tem railo, Sr. Van-Best I um ho-
rnera desengaado este Leonardo Parece
que nao precisa de ver as cousas para sa-
ber e dizer tudo o que ha de succeder!..
Nao ha no mundo engenheiro que o exce-
da em saber !
Dous engenheiros 1 exclamou Van-
Best, recahindo nos seus antigos preconcei-
tos relativamente aos flomens da sciencia.
-V l a gento fiar se nos seus estudos
de gabinete Bernier vai cegar de inveja,
e ao Sr. de Beaucourt, que deve chegar
esta noute, sempre^lhe hei de dizer que
nao foi fim sabio que descobrio este thesou-
ro, mas um simples operario, que nao em-
pregou para isso mais do que a sua expe-
riencia, o seu bom ju zo e admiravel pers-
picacia!... Porm tu, Leonardo, ainda
me nao disseste que recompensa reclamas
por este servico : diz-m'o e dar-lehei ainda
que seja metade da minha fortuna !
. Antonio e os operarios escutavam de
bocea aberta. O enthusiasmo de Van-Best
nao os sorprenda, por quanto sabiam ava-
llar a importancia do servico prestado.
Leonardo, fazendo-se de cores, disse-lbe
cora voz sbafeda :
N outra occasiao, senhor, talvez eu
peca dem
Notaremos fcilmente que a agua doce ge-
ladat contando pedacos de gelo, (mais leves
que ella, visto que sobem superficie) mais
leve que a agua em 4 graos; dabi em di-
ante oceupa um volume crescente, Aroduz
vapores leves. A evaporaco muito mais
rpida que na agua do mar.
A agua do mar, aquecida progresivamente
nao se dilata ; comeca por licar turva; de
um lado carbonato deca; do outro lado,
sulfato de cal. O priraeiro, como se sabe,
a base das pedras dos nossos edificios, e
do imrmore; o segundo ogesso.
Depois deste primeiro deposita, eis que
apparecem crystaes brilbantes de sal de co-
rintia, chlorurode sodiura dos cuimicos: os
crystaes sao depositados, cohrindo a carnada
precedente. Continuando a aquecer, evapo-
raremos toda a agua salgada. Quando se
izer o deposito quasi completo de sal ma-
rinho, apresentar-se-ha urna carnada xaro-
posa, liqnidativa, que vira reunir-se as ou-
tras carnadas precedentes.
amargo este ultimo liquido: o amargo
da agua do mar; contm saes do magnesia,
que se depositam pela evaporaco.
III.
Quantas cousas contidas nesta simples ex-
periencia Gracas a ella, vamos conhecer
clara e rpidamente os phenomenosejne fazem
objecb deste estudo-
Menos salgadas que a massa ambiente1; as
aguas do Gulf Stream devom evaporar-sa
mais depressa e mais fcilmente que ai do
resto do mar. N3o seria exagerado dizer
que a maior parte das gotas da agua que a
chova derrama pela superficie do nosso* con-
tinente sao tiradas daquella grande torrente,
das aguas quemes e benficas. Os ros, os
lagos, os ribeiros sao formados por ellas.
Se nesses ros, lagos e ribeiros bou ver ura
abaixaraento de temperatura, subiro a su-
perficie pedacos de gelo, que se irao jun-
tando unsaos outros, o formaro urna crosta
mais ou menos espessa, carnada protectora
para os animaes aquaticos contra os resfria-
mentas intensos da atmosphera, espelho fts-
valadco s vezes assaz duro para dar pas-
sagem impunemente aos carros e aos habi-
tantes das cidades.
Se a agua doce nao tivesse a sua mor in-
tensidade no 4." grao, a agua gelada em
zero seria mais pesada e iria ao fundo do
lago. Ora, acontece justatnente o contra-
rio, gracas a esta singular anomala que a
agua apresenta sobre os outros lquidos. Im-
mensa esta disposiro to simples: pe-
quena causa qu? produz resultados enormes!
Se nao fosse isso, os animaes que viyem
as aguas congeladas pela base pereceriam
em massas, apenas a carnada formada no
fundo viesse ter superficie. Havena n-
nundaces em consequencia da enorme ex-
panso do gelo.
A agua gelada dos mares, proporco
que se aproxima de 3." abaixo de zero, pu-
rifica-so de sal ; pura quando chega ao es-
tado de gelo. Se pois o gelo se eleva na
agua do mar, obedecendo as leis da gravi-
dade, as carnadas mais frias, mais salga-
das, mais pesadas, iro ter ao fundo.
Que acontecer ento, se em diversos
pontos do ocano, ha diversos graos de sal-
sugem e de temperatura ?
Bem como o azeite sobrenada na agua,
as aguas leves sobrenadam as pesadas:
navegaro na superficie e se evaporaro sob
os ventos e o sol, daro alimento s nuvens
viajantes de que atrs fallei. e por conse-
cuencia as clmvas fecundas e benefieas.
Pela va mais curta e mais fcil as massas
de agua mais pesadas, frias e salgadas, di-
rirgir-seho para as zonas do ocano, onde
as aguas forem menos densas.
Nesse immenso reservatorio se estabele
cero permutas excessivameute- uotaveis,
viagens de todas as massas de agua, pro-
curando o seu equilibrio de temperatura e
salsugem, equilibrio que procufiro sem-
pre c jamis encontraro...
(Continuar-te-ha.)
Repilo que nunca pederas de mais...
Mas emfim vamos subir l cima, porque
estou impaciente por communicar a minha
filha a tua admiravel descoberta! Alm
d'isso, o Sr. de Beaucourt pode chegar de
um momento a outro... Vem coraigo.
E vos meus amig- s, accrescentou elle,
dirigindo-se aos operariosrecebereis como
gratificaco um dia de jornal, assim como
todos os mais trabajadores da mina, afim
de vos associardes ao nosso jubilo !
Este acto de liberalidade encantou os
circumstantes, que awadeceram ao condoc-
tor de trabalhos to calorosamente como
ao proprio director. Depois Van-Best e
Leonardo comecaram a descer as escadas
seguidos de Antonio, que estava encarrega-
do de transraittir a noticia da gratificaco a
todos os operarios.
Acabavam de entrar na galera dos trans-
portes para se dirigirem ao poeo grande,
qaando ouvram grande rumor : pareciam
gritas de raiva, exclamares, a que succe-
dam violentos grupos. Formaram conjec-
turas a respeito do que aquillo seria, quan-
do entrada da galena ascendente encon-
irarara Nicolao e muitos outros operarios,
que se Birigiam ao talho da Virgem Negra.
Van-Be1^ detendo-os, perguntou-lhes o
que havia succedido.
Ah senhor,respondeu Nicolao to-
do a arfar mais urna travessura do
Grande-Leopoldo! Qoando nos veremos
livres de semeloante tratante ?
Accusam-
do !disse o Sr, Van-Best.um revol-
toso e tenho offensas d'elle pessoaes !
Basta, senhorreplicou Leonardo.
J tomei as minhas disposes a esse res-
peito. .. Mas para que lado foi elle ?
Viram-no correr na direceo dos ta-
lhoes da Virgem Negra... Provavelmente
intenta oceultar-se em algum dos muitos
escondrijos que ali ha.
Para os talboes da Virg#m ?repetio
Leonardo coro ar inqaieto.
E e seguida aconselhou os operarios a
cessarem do perseguir Grande-Leopoldo,
mostrando-lhes que era urna covardia irem
assim tantos contra um s. Depois fez-Ibes
saber a delberaco do director a respeito
de os garlificar, noticia que coneorreu
principalmente para os fazer mudar de
opmio.
Em guaato iam dando vivas ao director,
Leonardo voltou-se para Antonio e dtse-lno
em voz baixa :
Gosto pouco de que Grande-Leopol-
do ande por ahi prximo dos emmadeira-
mentos da nossa obra. Bem sabemos do
que elle capaz... Vai, pois, ao talho
da Virgem Negra e viga o que elle faz. N3to
o perc?s de vista, mas acautela-te tu pro-
prio... Evita que o maltratara, porm
segue-o sempre de perto, tens-me eom-
prenendido ?
Perfeitamente. Tens raaio. Fica
tranquillo, que o nao perdere de vista.
E foi-se encaminhando para os talboes
da Virgem Negra, ao mesmo tempo que
Leonardo e Van-Beat se dirigiam para o
uoj de tantas velhacadas!.,.
- Pois sim,-disse Leonardo-no es- ^^
tara c por muito tempo... Mas que tez v ^ ^^ ^^ q djrector e q .^
elle ? 4- .i ia nM K,.n nPwhftai mineiro ostavara assentados na sala dejan-
- Wda XTimZ 3 ira. diS lar de Va"-Best- S*1 a mesa' em frente
e fa-
ros
pouco, mas que se
nao podemos ver o mestre sondador
zemos-lhes picardas para o resolver a dei-
xar a mina... Como ia dizendo, Grande-
Leopoldo atira-se a elle e d-lhe traico
urna bordoada com o cabo do alvio, que fez
logo tambar o pobre carpinteiro meio ator-
doado !... Quizemos atirar-nos a Grande-
Leopoldo, mas elle fugio e nos vamos-lbe
na pista... la de ter a sua conta !
Esta narraeo foi confirmada pelo teste-
munho de todos os circumstantes.
Ease tratante j devia estar despedi-
e um frasco
de rhom'de antiga data. Van-Best, fuman-
da n'um bello cachimbo de espuma, Te-
cente ofiertade suafilba, provocava o hos-
pede a beber, e, como este deixasse o
copo sempre cheio depois do o levar aos
beicos, o bom hornera esvaziava sempre o
$eu, como para Ihe dar exemplo.
(Continuar-se-ha.)
i.

TP. DO MAMO-BIT* HAS CWJIES S.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUHDJMFIK_FREZ98 INGEST_TIME 2013-09-13T22:44:25Z PACKAGE AA00011611_12063
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES