Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12061


This item is only available as the following downloads:


Full Text


ANNO XLVI. NUMERO 55.

U 9b l



fkU A CAPITAL E LUGARES ONDE IA0 SE PACA PORTE. .
Por trV mezes adiautados................. 6^000
Por seis ditos jdem................... 12,5000
Por, om armo dem..................... 24j$0OO.
Cada mumero avulso................... 320
OUrtRTA FEIRA 9 DE MARCO DE 1870.
MU DOnO E IOU Di PWITCIA.
Por tres mezes adiautados *...............
01 vi -. t^or'se' ditos dem....................
Por nove ditos idem...................
Por ora aono idem................ .
W730
134500
2O#50
270000
%
DIARIO DE PEMAMBUCO.

Propriedade de Manoel Figneira de Faria & Filhos.
SAO ACEXTESi
Os Srs. Gerardo Antonio 'Alves d Filhos, no Para ; Goncalves Pinto, no Maranhao ; Joaquim Jos de Oliveira, no Cear ; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty ; Jo5o Mara Julio Chaves, no As* ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
Pereira d'Almeida, em Mamangnape ; Antonio Alexandrino de Lima, na Parabyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarminodos Santos Blelo, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Martins Alves, na Babia ; e Jos Bibeiro Gasparinho no Bio de Janeiro.
PARTE OFnCIAL.
Korerno da pr*l*I.
1 Xl'KljlE.NTE ASSIG.NADO PEI.O F.XM SI. SENADOR KRE-
PERICO DE ALMEIDA B AUHIQCER'.IUE, PRESIDRNTB
i PROVINCIA: EM 31 DE JANEIRO DE 1870.
1' sercao.
K. b 19Portara ao Exm. Sr. general corn-
il andante das armas.Communico a V. Exc. pa-
r. seu conhecimento, que por despacho desta da-
is, comed doze das de prazo para provar isen-
N. 810. Dita ao mesmo. Pode V. Exc. fazer
seguir boje para a corle no vapor Guar, para e
que ficam expedidas as convenientes orden*, os
recruta de nomes Francelino Creano do Carmo,
Carlos Augusto da Silva, Joaquim Jos de Sanl'An- f^45 _D|a
que se aclia com lietnca assim o communico a V.
Exc. para spu conhecimento.
N. 841Dita ao governador do flispado.Re-
meta V. S. cin o possivel brevidade as informa-
c-w esgrtda? em officie*- dest* presiduneia de B to
outubro c t de dezembro do anno prximo pas-
sado.
N. 843.Dita ao conego Marcelino Antonio Dor-
nellas.Pelo sou offlcio de 29 do corrente, Tico in-
teirado de h.ivcr V. S. nessa data assumido o go-
verno desta diocese por se achar doentc e conego
Francisco Jos Tavares da Gama que o exercia.
N. 844.Dita ao inspector da sade publica.
Remella Vine, com a possivel breviilade a infor-
ma cao circumstaiiciada acerca do estado sanitario
da provincia durante o anno passado e que Ihe foi
exigida por otlicio de3ta presidencia de 5 de outu-
bro daquelle anno. Igual ao inspector da sade
do, Leandro Soares Quintao, Placido Antonio de
Lima e Silvinp Gomes de Freitas.
N. 82i.Dita ao mesuro. Sobr'osteja V. Exc.
11a remeso hoje, para a corte no vapor Guar, do
recruta Francelyjo Caetano do Carmo, que vem
ir.ncionad) na relaoao dos que devemseguir, vis-
t ter requeriiuento pendente do decisao linal des-
ta presidencia.
N. 822Dita ao mesmo. Sobr'esteja V. Exc.
na remessa para a corte, hojano vapor Guar do
rsernta Candido Jos Pessarque vem menciona-
do na relacao dos que devem seguir, visto que
tem requerimento pendente de decisao final desta
presidencia.
N. 823.Dita ao mesmo.Em ista ao que re-
presentou o commandante da fortaleza do Brum,
110 ofTluio junto ao de V. Exc. n. 42 de 22 deste
. ,ez, acabo de determinar ao respectivo comman-
dante superior, que emquanto nao for substituido
or praqas du outtf/ batalhao o destacamento da-
quella fortaleza, soja ella guarnecid diariamente
yVr seis soldados e um cabo da guarda nacional
acuartelada.
2a seccao.
R. 826.Portara ao Dr. chefe do polica.Res-
pondendo ao cilicio de V. S. de 25 deste inez, te-
nho a dizer-loe que nesta data solicito do ministe-
rio da juslica a precisa autorsaco para poder ter
lugar o toraecimento das armas c munco que
pede o delegado do termo de Cabrob e outras au-
toridades policiaes.
N. 827.Dita ao commandante superior interi-
uo da guarda nacional do Recife.Por delibera-
cao desta data, designei o 1 batalhao de infanta
ra da guarda nacional deste municipio para a elle
-er aggregado o altera do 1 batalhao de infante-
ra da guarda nacional da provincia da Parahyba
do Norte, Francisco Ferrara de Novaes Juoior.
ile quem traa o seu obVio n. lo de 20 deste mez,
levendo o dito alferes apresentar a respectiva pa-
tente para ser convenientemente apostillada. *
* t. 82H.Dita ao mesmo. Emquanlo nao r
-ubstituido porpraeas de outro batalhao, como de-
u rir.inet em data de 36 do corrente, o destaca-
monto da fortaleza do Brum.e nao se tomarem ou-
tras providencias, expeca V. S. ordem com ur-
j-acia, para que a mesma fortaleza seja guarneci-
da diariamente por seis soldados c um cabo, tira-
Jes da forca que se acha aquartelada.
N. 829.Dita ao commandante superior interi-
no da guarda nacional de Cabrob.Com a infor-
macao junta por copia, do inspector da thesoura-
ria de fazenda do 2o deste mez sob 11. 52, respon-
do ao oQcio de V. S. de 16 de dezembro ultimo,
relativamente ao pagamento do destacamento de
Granito.
N. 830.Dita ao juiz municipal da primeira va-
ra desta cidade.Transmiti a Vmc. para substi-
tuir a irregular que fe acha no presidio de Fer-
rando de Noi*onha, a guia junta do sentenciado
Constantino Jos de Barros Que est cumprindo
sentenca naquelle presidio, a qual foi remettida a
osta presidencia pelada provincia das Alagdas en
officio de 18 desle mez.
N. 831.Deliberacao.O presidente da provin-
cia altendendo ao que Ihe requereu o bacharel
i ao Bilinges Chav;?, juiz de direito da comar-
ca do Bonito, resolve conccder-Ihe quarenta dias
ilc licenca sem vencimentos, em vista do decreto
11. 247 de lo de novembro do 1842, para tratar de
-U3 sade onde Ihe convier.
N. 832.Dita. O presidente da provincia em
vista do officio do Dr. chefe de polica de 27 deste
inaz sob n. 138, resolve exonerar o bacharel Jorge
v mellas Ribeiro Pes.-a o Dr. Francisco Pinto
JPessa, doscargos de terceiro e quarto supplente
do delegado do primeiro distrcto desta capital.
N. 833.Dita.O presdele da provincia con-
tormando-se com a proposta do Dr. chefe de poli-
ca emofH.io n. 138 de27 deste mez, resolve no-
mear para os cargos de terceiro e quarto supplen-
tes do delegado do primeiro districto desta capital
na oftfem em que vao eollocadjs, os cidadaos se-
luiolM : Barbareis Antonio Goncalves Ferreira e
Pedro de Athayde Lobo Moscoso Jnior
N. 834.Diia. O presidente da provincia cm
vista do que inforraou o commandante superior
interino da guarda nacional desto municipio em
offlcio n. 15 de 20 deste mez, resolve designar o
1 batalhao de infamara deste municipio para a
este ser aggregado o alferes do i batalhao de in-
fantera da g'iarda nacional da provincia da Para-
hyba do Norte, Francisco Ferreira de Novaes J-
nior, visto ter deeorri'lo o prazo qui marca o art.
45 do decreto n. 1130 de 12- de marco de 1853,
levendo o referido alferes apresentar a sua paten-
te para ser convenientemente apostillada.
3' seccao.
N. 835.Portara ao inspector da thesourara de
l'azenda.Transmiti a V. S. para os devidos fins
as guias de soccorrimento dos guardas nacionaes
que vieram no vapor Coruripe 23 do corrente,
lo pre-idio de Fernando de Norooha onde e?tavara
destacados.
N. 836.Dita ao mesmo.Communico a V. S.
para seu conhecimento que segundo consta de offl
co do conego Marcelino Antonio Dornelias, de 29
lo correte assumio elle nessa data o governo des-
la diocese, por achar-se doente o conego governa-
dor do bispado Francisco Jos Tavares da Gama.
N. 837.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial. Era addtamento ao meu officio de 25 do
correte, declaro a V. S. p*ra seu conhecimento e
lins convenientes que os documentos que acompa-
uharam ao citado offlcio sao relativos a despeza
-'ita no mez de setembro do anno prximo passa-
do com o sustento dos presos pobres da cadeia do
termo de Flores e nao do Brejo, como por engao
da repartico da polica, segundo consta de offlcio
do respectivo chefe, datado de 27 deste raer, e sob
n. 134, se mencionou no meu citado offlcio.
N. 838. Dita ao ebefe das obras publicas.
Mande Vmc. extrabir e reraetter a esta presidencia
.1 copias da planta constante do original incluso.
N. 839.Dita ao procurador fiscal da thesoura-
ria provincial.Fco inteirado pelo seu offlcio de
29 do corrente sob n. t, de haver Vmc. naquella
aos agentes da corapanha Bra leira de paquetes >apor.Podem Vmcs. fazer
seguir hojo para os portos do sul o vapor Smra,
chegado hontem dos do norte. Fica respondido o
seu offlcio de 30 do corrente.
N. 846.Dita ao? mesmos.Os Srs. agentes da
companhia Brasileira de paquetes vapor mandem
dar transporte para a corte por conta do ministe-
rio da guerra no vapor Guar os recruta* Carlos
Augusto da Silva, J>aquim Jos de Sant'Anna, Le-
andro Soares Quintao, Placido Antonio de Lima e
Silvino Gomes de Freitas.
N. 847.Deliberadlo.O presidente da provin
cia resolve conceder a dispensa que pedio o di-
rector dj collego dos orphaos fre Joaquim do Ev
pirito Santo, de servir de commissario especial nos
exames dos preparatorios annexos a Faculdade de
Direito do Becife que devero ter principio em fe-
vereiro prximo vindouro e nomear para o subs-
tituir ao bacharel Wenceslao Garcia Chaves.
N. 848 Dita.O presidente da provincia resol-
ve noraear o Dr. Joaquim Maria Carneiro Villela,
para commissario especial dos exames da Facul-
dade de Direito desta cidade que devem ter prin-
cipio em fevereiro prximo vindouro, visto estar
de licenca o Dr. Joaquim Pires Machado Portella,
que para esse fim havia sido designado.
N. 849.Dita.O presidente da provincia atlen-
dendo ao que requereu o professor de historia na-
tural do gymnasio provincial Felippe Menna Calla-
do da Fonceca e tendo em vista a informacao do
director geral interino da instruccao publica de
21 do correte sob n. 41, resolve usando da auto-
risacao que Ihe confere a lei o. 886 de 23 de ju-
nho do anno passado conceder-lhe mais 6 mezes de
licenca com todos os seus vencimientos para tra-
tar de ua sade.
N. 850.Dita.O presidente da provincia alten-
dendo ao que requereu Joaquim Borges Carneiro
repetidor do gymnasio provincial resolve conceder-
Ihe um raez de licenca com ordenado smente para
tratar de sua sade.
PEDIEXTE ASSIGNADO PELO SR. DR. ELIAS FREDR-
RICO DE ALMEIDA E AT.BUQUERQUE, SECRETARIO
INTERINO DO GOVEBKO, EM 31 DE JANEIRO DE 1870.
! seceso.
N. 851.Officio ao Exm. general commandante
das armas.De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, declaro a V. Exc. em res-
posta ao seu officio de 21 do corrente, sob n. 41,
que nesta data se mandou satisfazer o pedido de
um maslro para a bandeira do forte do Buraco,
em suMuicjio do que foi dado em censummo.
N. 852.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, declaro a V. Exc.
em resposla ao seu offlcio de 21 do corrente, sob
n. 39, que fica expedida' a conveniente ordem ao
arsenal de guerra, para mandar fornecer ao fo*:
te do Buraco; urna grade de pao chapeada de flr-
ro para a porta do xadrez do mesmo forte.
N. 853.Di lo ao mesmo.De ordem deS. Exc
o Sr. presidente da provincia, declaro a V. Exc.
em resposta ao sen offlcio de 21 deste mez, sob
n. 40, que fica expedida a conveniente ordem,
para seren fornecidas as 2 bandeiras iraperiaes de
que necessita o forte do Buraco, cujo pedido veio
annexo ao seu citado offlcio.
21 seccao.
N. 854.Officio ao Dr. chefe de polica.De or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia, trans-
miti a V. S. os titulos :juntos da nomeacao dos 3o
o 4o supplentes do delegado do 1 districto desta
capital, de cciif<:rmidade com a proposta de V. S.
em officio n. (38, de 27 deste mez.
N. 855.Dito ao commandante superior interino
da guarda nacional do Becife.O Exm. Sr. presi-
dente da prvida, manda declarar a V. S., que ti-
veram destino conveni inte, as guas de soccori-
menlo dos guarda* nacionaes, das quaes trata
seu officio n. 24, de 29 deste mez.
4.' sejeao.
N. 856.Officio ao Bvm. Fr. Joaquim do Espirita
Santo, director do collego dos orphaos.S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, tendo por delibera-
cao desta data concedido a dispenca que V. Bvm.
pedio de assistir na qualidade de commissario es
pecial, acs exames de preparatorios annexosa Fa-
culdade de Direito desta cidade, que devero ler
Srincipio em fevereiro vindouro ; assim Ih'o man-
a communcar para seu conhecimento.
N. 857.-Dito ao Dr. Venceslao Garcia Chaves.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, teado
por deliboracao desta data e em vista do disposto
no art. 8 do decreto n. 4430 de 30 de outubro do
anno passado, combinado com o de n. 4431 da
mesma Jata, resolvido nomear V. S., pra na qua-
lidade de commissario especial, assistir aos exames
de preparatorios annexoe a Faculdade de Direito
desta cidade, que dever ter prineio em fevereiro
vindouro assim o manda communicar a V. S.
pan seu conhecimento.
N. 858.Dito ao Dr. Joaquim Maria Carneiro
Villela.S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
tendo por deliberarlo desta data e em vista do dis-
posto no art. 8 do decreto n. 4430 de 30 de outu-
bro do anno passado, combinado com o de n. 4431
da mesma data, resolvido nomear a V. S., para na
qualidade de commissario especial assistir aos
exames de preparatorios annexos a Faculdade de
Direito desta cidade, que devero ter principio em
fevereiro vindouro; assim o manda communi-
car a V. S. para seu conhecimento.
N. H59.Dito -ao Dr. Joaquim Pires Machado
Portella.S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
tendo por deliberaco jdcsta data nomeado o Dr.
Joaquim Maria Carneiro Villela para na qualidade
de commissario especial, assistir aos exames de
preparatorios annexos a Faculdade de Direito desta
cidade que devero ter principio om fevereeiro
prximo vindouro por se acbar V. S. no goso de
licenca; assim o manda communicar a V. S.
para seu conhecimento e fins convenientes.
da a eleigao do condemnndo feniano Rose. Mcllto-
ras da rainha Victoria.
Ai.i.emanha.Abrase a 14 de fevereiro o rei-
chstag prussiano. Nota franceza sobre o tratado
e o governo. Diz-se que o rei abdidtir em seu pio
Ol'hon.
Oriente. Crise ministerial nos Principados
Danubianos; denussao do ministerio Ghika Con-
centracao -'e tropas turcas na Herzegovina. Des-
cobreseem Constantinopla urna conspiraco con-
tra a inda do sulto.
IIespanga. Conspirarles carlistas ; receia-si
um serio movimento. Agitacao as Filippinas.
Mxico. Confirmase a recolta e pronuncia-
ment devariosdistiictos. Pormenores doleranta-
ment.
Portugal.Noticias sem importancia.
roma.
A Gazeta de Augsbmgo publica em latim e aliar
mo a seguinte parte do Sgllabus, redigido sob a
forma positiva, islo os Caones de Ecclesia, que
est submellido s deliberantes do C incilio :
c Canone I.Maldito o que disser que a reli-
gio de Christo nao existe, e nao est expressa em
nenhmna sociedade particular, instituida pelo pro-
prio Christo, mas que pode ser observada e exer-
clda devidamente pelos individuos em separado,
nao se importando com as sociedades que sao a
verdad 'ira igreja de Christo.
Ci/nonc //.Maldito o que disser que a igreja
nao reesbeu de Nosso Senhor Jess Christo ne-
nbuma forma de constituico, cerla o immutavel.
mas que semllianca das outras sociedades hu-
manas foi sugeita, conforme a diversidade dos
tempos, vicissitudes e transformacoes.
t Canone ///.Maldito o que disser que a igreja
das proraessas divinas nao urna sociedade ex-
terna e visivel, mas sim inteiramenle interna e in-
vislvel.
Canon IV. Maldito o que disser que a ver-
dadeira igreja de Christo nao um corpo, nico
em si mesmo, mas que se compoe de sociedades
diversas cora o nome de christaas, e que est espa-
lliada entre ellas ; oh que a igreja de Christo, urna
e uJiversal, constituida por sociedades diversas,
differentes urnas das outras pela profissao de f e
separadas pela communho, como se fossem mem-
bros e partes. m
<( Canone I'.Maldito o que disser qujp igreja
de Christo nao urna sociedade absolutamente
necessaria para nlcancar a salvacao eterna, ou
aue os homens podem salvar-se professando o culto
e urna religio qualquer.
t Canone K/.Maldito o que disser que esta
intolerancia, por meio da qual a igreja catholica
prescreve e condemna (damnah) as seitas religio-
sas que esto separadas de sua communho', nao
proscripta por direito divin* ou que sobreda
verdade da religia se podem ter opinioes, e nao
certeza, e que por consecuencia todas as seitas
religiosas devem ser toleradas pela igreja.
c Canone VILMaldito o que disser que a mes
ma igreja de f^hnain poda ser obscurecida pelas
trevas ou infectada de males, em virlude dos
quaes se afasta da salutar verdade da f e dos
costumes, se desvia da sua originaria iostituico,
e est depravada e corrompida.
Canone VIH.Maldito o que disser que a igreja
de Christo nao a ultima e suprema instituieo
(economa), para alcancar a salvacao, mas que se
deve procurar outra por men de nova e mais ple-
na effuso do Espirito Santo.
c Canone IX Maldito o que disser que a in-
fallibilidade da igreja nao est restricta senao s
cousas comidas na revelacao divina, e que nao se
eslende tambera s outras verdades que sao ne
cessanas tambem para o deposito da revelacao ser
guardado integralmente
Canone X.Maldito o que disser que a igreja
nao urna sociedade perfeita, senao uina corpo-
racao (collegium), ou que ella na sociedade civil,
ou no estado, est sugeita dominar secular.
t Canone XI.Maldito o que disser que a igre-
ja, instituida divinamente, como urna sociedade
de pessoas iguaes entre si, que os bispos tem
realmente offlcio e ministerio, mas nao tem poder
proprio de governo (regiminis), poder que Ihes
compete por ordenacao divina e que elles devem
exercer livremente.
Canone XII.Maldito o que disser que Nosso
Senhor Jesus-Christo e soberano, s conferio
sua igreja poder para dirigir por meio do conse-
Iho e da persuaso, e nao para ordenar por meio
de leis e para constranger e obrigar por meio dos
juizos anteriores e das penas ahitares aquelles
que se arredam, e sao contumazes (devios consu-
macesque.)
Canone XIII.Maldito o que disser que a ver
dadeira igreja de Christo, fra da qual ninguem
se pode salvar, outra differente da santa igreja
catholica c apostlica romana,
o Canone XIV. Maldito o que disser que o apos-
l? IVkIma ni, f,. ni Va^i'i Uirln\f Inane 'hri^.
do seu emprego, por
encommodos de ua
*
DIARIO DE PERNAMBUCO
data reassumido o exercicio
achar-se reslabelecido dos
sade.
4' seccao
N. 841.Portara ao director da Facaldade de
Direito desta cidade.Tendo por deliberaeaii desta
data resolvido nomear os Dn. Wenceslao Garca
Chaves e Joaquim Maria Carneiro Villela, commis-
sario* especiaos dos exames doa preparatorios ai
nexos a essa Faeullade que devero ter pnn""
em fevereiro prximo vindouro, o (* para
tulr ao direetor do collegi dos orphaos fre
quim do Espirito Santo, pela dispensa que Ihe con-
ced e o 2" ao Dr. Joaqmra Pires Machado Portella
RECIFE, 9 DE MARCO DE 1870.
Molletas da Europa.
Amarillecen hontem fundeado no lamaro o va-
por inglez Olinda, trazendo datas de Lisboa at 17
do passado.
Roma.Caones do Concilio. Dixse que ser
prorogado o Concilio.
IFranca.Con/mita o. agitacao. Fazem se prisoes.
^ glaterha.Abertura do parlamento. Discurso
da corda lidopelo governo. Mensagens de resposta
das duas cmaras. Prometiese bil agrario para
a Irlanda, e bil sobre o entino publico. Interpel-
aees jorre diversos assumptos. Vai ser annulla-
tolo S. Pedro nao foi, por Nosso Senhor Jess Chris
to, instituido principe de todos os apostlos e chefe
visivel da igreja militante, ou que recebeu smen-
te o primado da honra e nao da verdadeira e pro-
pria jurisdiccilo.
t Canone XV Maldito o que disser que nao
deriva da instituieo do proprio Nosso Senhor Je-
ss Christo que S. Pedro tenha successores per-
petuos no seu primad obre a igreja universal,
ou que o pontfice romano nao de direito divino
successor de Pedro naquelle mesmo primado.
Canone XVI.Maldito o que disser que o officio
do pontfice romano s de inspeceo e direccao,
e que o pontfice nao tem pleno e supremo poder
de jurisdieco sobre a igreja universal, ou que
esse poder nao ordinario e immediato sobre to-
das as igrejas tomadas conjuncta ou separada-
mente.
Canone XVII.Maldito o que disser que o po-
der eclesistico independente, que a igreja enslna
ter-lhe sido altribuido por Christo, e o poder civil
supremo nao pdera existir juntos de modo que fi-
quem salvos os direitos de um e outro.
Canone XVIII.Maldito o que disser que
poder necessario para governar a sociedade civil
nao emana de Deus, ou que pode deixar de ser
obedecido, ou que aquello poder repugna a liber-
dade natural do homem.
t Canone XIXMaldito o que disser que todos
os direitos existentes entre os homens derivam do
estado poltico, ou que nao ha autoridade nenhu-
ma4ra daquella que coramunicada pelo alludido
estado.
Canone XX. Maldito o que disser que a re-
gra suprema da consciencia para as acc&es publi-
cas e sociaes foi collocada na lei do estado poltico
ou na opiniao publica dos homens, ou que nao se
estendem aquellas acedes os juizos que a igreja
pronuncia sobre o que licito e illicito, ou que,
pela forca do direito civil se torna licito o acto que
e illicito em virtudo do direito divino ou eccle-
Mastico.
Canone XXLMaldito o que disser que as
leis da igreja nao tem forca sem que primeiro se-
jam confirmadas pela sanecao do poder civil, ou
que pertence ao dito poder civil julgar e decretar
em materia de religio, em virtuo da autoridade
suprema que tem.
Contina a tratar-se no concilio do que diz
respeto disciplina eclesistica. O que ha de
mais notaveLnesta discusso om discurso inuito
eloquente do bispo de Orleans, que censurou com
vehemencia o luxo da corte pontificia, e dos pre-
lados romanos; e outro discurso nao menos nota-
vel do Sr. Strossmayer, bispo da Bosnia, reclamao-
do a lberdade dos concilios provinciaes.
- Dizs que os bispos portuguezos que esto
em Boma declaran) todos votar contra a infallibili-
dade.
Falla se na prorogac) do concilio. Nao sa-
bemos qual seja o fundamento de semelbante noti-
cia, mas o pie certo que vem n'uma corres-
pondencia de Roma publicada pelo Times. Parece,
porm, que em presenja das divses que todos os
ilias cresccm entre os membros do concilio, deseja
o pontfice dar aos membros do concilio lempo
para retlectirem maduramente, prorogando o con
cils para urna poca, que provavelmente tornara
dotinidas as deliberacSes da augusta assembla.
Diz o Times que o"imperador Napoleo aconse-
lliou o papa a voltar promptamente suas vistas para
projectos liberaes.
FRANCA.
Em additaraento s noticias que recebemos pelo
Oneida, temo? a noticiar que aexaltacao dosespi-
ritos em Paris continua, apesar da revolta nao se
iciiar declarada.
Ignorase qual o numero de morios e feridos do
lado do povo.
Abri se um inquerito para averiguar o numero
de ons e outros.
Da pane da polica ni ha morte alguma a
contar; esto feridos ou contatos uns 30 agentes.
E*iio cm perigo de vida um ofteial de paz chamado
Lorabard.
A polica ni pode anda prender todos os redac-
tores da Marselliesa. Arthur de Fonvlelle, entre
outros, consegu i escapar-se. i-'ti preso Paschal
Groupset e sua mulher. Gustavo Floreos foi con-
deranado, por delicio de reunies publicas, mil
francos de multa e om anno de priso ; mas
uo se acha anda preso, nem se sabe onde elle
est.
Um dos redactores da Marselhesa passaodo pelo
paco e venda o imperador n'um dos terracos, ap-
proximou-se tirou o chapeo e grilou Viva a re-
publica! Foi immediatamente preso.
Na cmara, alm da sesso de que demos conta
anteriormente houve mais ama moco. O deputa-
do Ferry interpellou o governo dizendo que os tu-
multos erara o resaltado das provocaoSes ministe
riaes. Os deputados da maioria protostaram com
altos clamores. Eugenio Pelletan censurou Emi-
lio Oliver de procurar apoio n'uma maioria com-
posta dos homens que exilaram seu propiio pai
preso no da 2 de dezembro, quando foi o golpe
de estado em virtnde do qual Luiz Napoleo se
proclamou imperador.
Sobrexcitado, odeputadoFerry acensa o governo
de ser mandado dissolver reunies absolutamente
particulares, e d) violar assim o domicilio dos ci-
dadaos.
RHsponderaui os ministros dos-negocios eslran-
geiros edo interior, os nimos excitam-se cada vez
mais, cresce "5 tumulto, clrovem os epitbetos e as
allusoes, e no meio do raaior tumulto leve o presi-
dente de fechar a sesso.
Rochefort oscreveude S do corpo legislativo, urna carta propondo que omi-
n;lerio fosse mettido em processo, em consecuen-
cia de ter promovido a guerm errii. O corpo legis-
lativo nao quiz oovir ler a enra nem o presidente
recebe-la.
INGLATERRA.
Abrio-sc no dia 8 o parlamento inglez, sera
solemndade. O presidente do conselho leu o dis-
curso da cora.
0discurso summamente pacifico, diz que as
relacoes com as mais potencias sao satisfacto-
rias. Occupa-se principalmente da? quetes in-
ternas.
Na cmara dos communs annuncou Mr. Glads-
tone que no dia 15 de fevereiro apresentaria um
bil agrai io para a Irlanda.
O Sr. Foster tambom deve apresentar no dia 17
um bil sobre o ensino publico.
O capito Egerton propoz urna mensagem em
resposta ao discurso da cora, que foi anoiada por
sr Dilke.
O Sr. Disraeli pTocurou fazer recabr sobre a
poltica do governo urna grande parto da respon
sabiliiade da agitacao e dos excessos que se pro-
duziram na Irlanda.
Respondeu o Sr. Gladstone dizendo que o gover-
no recuaria diante da execuco do seu program-
la de poltica conciliadora.
A mensagem foi approvada.
0 Sr. Monselle responden*) urna interpellacao
do Sr. Verney, disse que o governo tem motivos
para acreditar que as difficuldades relativas si-
tuaco da colonia do rio Verraelho para com o
Canad estariam dentro em pouco terminadas.
O Sr. Gladstone propoz que se annullasse a elei-
co do condemnado Donnavan Rose, e que se coa-
vocassem de novo os eleitores de Tipperny.
O Sr. Moore propnz que se enviasse aquella pro-
posta urna coininissao. Depois de urna tonga
questo a proposta do Sr. Gladstone foi approvada
por 301 votos contra 8.
Na cmara dos lords foi igualmente approva-
da a mensagem proposta pelo marquez de Konry,
que foi apoiada pelo conde de Fingall.
A rainha Victoria tem melhorado no seu es
lado de sade, parecendo dsposta a abandonar a
solido em que tem vivido depois da morte do seu
esposo o principe Alberto.
Comecsvam no dia 25 de fevereiro algunas re-
eepcoes que assistra o corpo diplomtico c altos
dignitarios da cuite.
ALLEMANHA.
Foi convocado para 14 de fevereiro o reichstag
prussiano por ordem da presidencia federal.
A assembla dos nacionaes liberaes, reunida
era Berln, oceupou-se da escollia de urna corams-
sao executiva e de urna commsso consultiva para
toda a ConfeJeracio do Norte; -pronunciou-se pela
conservaco dos principios, subscrevendo com 4.000
lualers para as despezas eleitoraes.
Contina a fallar-se as instruccoes que se
dizem dirigidas pelo ministro dos estraogeiros fran-
ctz, conde de Dara, ao representante da Franca
em Berln, para que este declare ao governo prus-
siano que a Franca deseja a inteira execuco do
tratado de Praga.
Apezar dis ataques dirigidos pela imprensa mi-
nisterial prussiana ao governo francez sobre este
assumpto, nao podemos afflrmar que fundamentos
tem esta assercao, mas verdade que e actual ga
bnete fraocez, no momento de sua subida ao poder,
fez conhecer a sua opiniao respeito do tratado de
Praga, e sabe so que elle de moda algum acceitar
a violaco. O conde Daru tem sempre fallado nes
te sentido as conferencias que tem tido com al-
guns representantes dos estados allemej.
A attitude da cmara dos deputados de Mu-
nich e a hostilidade francamente aberta da maioria
contra o principe de Hohenlohe tem sido muito des-
agradavel Prussia.
O conde de Bisaaark supporta com muita impa-
ciencia as resistencias que Ihe oppoem tanto a Sa-
xonia como a Bavera.
Urna correspondencia de Munich d pormenores
iraportantissimos e circunstanciados sobre este in-
cidente.
Existem na Bavicra dous partidos absolutamente
oppostos: o unitario e prussiano, e o patriotic) e
clerical.
Neste momento o partido patritico tem todas
as sympathias do paiz, pelo menos no que diz res-
peito aos negocios externos ; na sua poltica inter-
na, porm, nao merece a mesma syrapathia po-
oular.
O rei Luiz II da Bavera luta contra o senti-
tiraento nacional, e demonstra a sua sympathia
por Mr. Hohenlohe, chefe do partido unitario, obs-
tinndose em coaserva-lo frente do seu go-
verno.
I Est iramioeate tuna nova dissolaco das cama-
ras, e outra elciclo levara cmara urna maio-
ria patritica e catholica maior que a actual.
Esperase que o conde de Bismark. quem esta
situaco poltica embarara seriamente, medite al-
gara golpe, e qae a questao bvara tome grande
importancia de nra para outro momento.
Um telegramma de Faedberg de 9 de fevereiro,
diz que se annunciava' publicamente que o rei ma-
nifestara a idea e intenco de abdicar em favor do
principe Othon.
ORIENTE.
O governo dos Principados Danubianos conside-
rava necessaria a dlssolucap das cmaras, para ob-
ter a approvaci) das leis financeiras que propunha
para restablecer o equilibrio do paiz ; mas, vendo
que o soberano nao approvava a dissolacao, o prn-
cipe Demetrio Ghika, oflereceu a sua demisso e a
do gabinete, quo foi aieita pelo principe reinante^
Dizem da Servia que ha muila inquieUcao,
pelas consequencias que forzosamente se podenV
produzir da concentraco de tropas turcas na Her-
zegovina.
Acabase de se descobrir em Constantinopla
urna conspiraco que tinha por fim assasinar o
sultn.
Fizerarase algumas prisoes, mas o chefe da cons
piracio consegua escapar-se.
HESPANHA.
Chegou a Madrid o duque de Montpenssier; nao
houve manifestacSes; fez raulas visitas e parti
para Alhama.
Os trabalhos carlistas, que se nao tem li-
gado importancia, vo dando serio cuidado ao go
verno e aos seas representantes.
O commandante geral da provincia do Navarra
foi a Madrid conferenciar com o ministro da guer-
ra sobre o desenvolvimento que naquella provincia
toma o elemento carlista.
D'outros pjntos tambem se recebem noticias de
novos trabalhos carlistas.
Diz a Correspondencia de Hespanlia que, em vista
da agitacao que se nota entre os carlistas e os re-
publicanos residentes em Portugal, o governo por-
tugus determinara mandar transportar para a
illia da Madeira alguns dos agitadores.
Escreve o Imparcial de Madrid, que o minslro
do reino dissera que os carlistas conspirara, mas
que onde parece terem o seu quartel general no
Porto e em Lisboa, e que provavel que a agita-
Sm comee* na Galliza, pela provincia de Lugo,
e combinaco com os Carlistas de Leou e Astu-
rias; qae todos os dias se recebera noticias de
apprehenses de armas e de petreobos de guerra,
principalmente na provincias vascongadas e em
todo o norte de Hespanha; que, segundo parece, os
carlistas iro brevemente tentar fortuna por meio
das armas.
Rivero declarou as cmaras que o governo,
apezar de saber das coospiraces dos carlistas, nao
suspendera as liberdades publicas e que havia de
vencer pela lberdade.
as curtes continua a discusso da lei de arbi-
trios municipaes. -
Varios denotado de Porto Rico ameacaram
Jnc se retiravamaa'cmara, se no prazo de vinte
ias nao comecasse a discutirse a constituico da
ilha que representan).
Diz a poca que as correspondencias recei-
das das Philippinas nao sao satisfactorias, quo all se
observan) no elemento mestco e no indio trabalhos
alentados pelas ideas dissolventes, que agora estao
era moda, e como all nao existe o poderoso ele-
mento peninsular que salvou Cuba, nao de ad-
mirar que os amantes da integridade da Hespanha
*e assuslam e chainem para este ponto a alteneo
do governo.
Varios povos vlsinhos de Malaga assgnaram
urna representaco dirigida ao governo, pedindo-
Iha que negocie com o governo inglez a entrega
de Gibraltar Hespanha, comprometiendo se os
assignantes a iniciar e levar cabo urna snbscrp-
Cao nacional, se para recuperar Gibraltar for ne-
cessario fazer algum sacrificio pecuniario.
MXICO.
Confirma-se a noticia do combate dado perto de
S. Luiz do Pstosi, em que os insurreccionados lloa-
rara vencedores.
No lira do anno passado haviam numerosos des-
contentes no paiz e principalmente nos dislrictos
de S. Luiz o de Queretaro. As tropa e os gene-
raes da tercera divisan, cujo centro est em S.
Luiz, prontinciarara-se contra o governador do es-
tado, respeitando a autoridade federal, i>to a do
Jurez.
Tendo, porm, o governo central querido tomar
medidas para reprimir este movimento insurrec-
cional parcial, os generaes Aguirre, Pedro Mart-
nez, Manoel Laranaga e seus officiaes assgnaram
um fKO/Hncia/nenfo dirigido contra a autoridade
do proprio Jurez.
Os considerandos deste pronunciamento sao os
seguinles :
t Que Jurez andou em contrario constitui-
co ; que nao deu conta do seu comportamento ao
povo durante onze annos, era quo calcou aos ps
as instituices do paiz;que o primeiro dever
das tropas de urna repblica defender os di-
reitos e os principios populares c nao tornarem-se
instrumentos para sustentar a escravido para
com o poder,
c Decidirn) pois :
i. Recusar reconhecer o poler executivo ;
t 2." Reconhecer o coogresso, com tanto que elle
aceito o plano dos revolucionarios, e que consiala
em nunca obrar iaiquidades ;
t 3. Comecar inmediatamente o conflicto.
No principio de Janeiro o general juarista Ro-
cha recebeu ordem de marchar sobre S. Luiz do
Potos, mas vio o_camnho interceptado pelos re-
volucionarios, e nao pode carainhar.
0 general juarista Equiluz, que tambom tinha
Eartiio para atacar S. Luiz do Potos,foi forcado a
ater-se em retirada, e a entrar era Queretaro.
O congresso do Mxico, assim que soube estas
noticias, aulorisou Jurez a fazer marchar 4 mil
homens da guarda nacional, e votou 200,000 dol-
lars para as primeiras despezas.
PORTUGAL.
Crntinuavamcom em rrae activdade os trabalhos
eleitoraes. Parti para Paris o Sr. Casal Ribeiro
ua qualidade de ministro plenipotenciario.
Tumultos em Bragada que o governador
civil Carolino Pessanha desraente.
Fallecen a viuvado conselheiro Ottolrai.procu-
rador geral da croa, que fallecer ha annos.
Faileceu tambem a viuva do fallecido general Luiz
de Moura Furtado. .
Acorte estova de luto pelo fallecrajento do archi-
duque d'Austria Leopoldo.
Fallava-se n'um suppriraento reahsado pelo go-
verno a juro alto (22 por cento diz umafolha
de Lisboa do dia 18).
Foi nomeado governador geral da India o vis-
conde de S. Januario.Fallavase no Sr. Thomaz Ri-
beiro para secretario, sen lo aposentado o Sr. Ri-
vara aetual secretorio e exonerado o conselheiro
Pestaa que foi nomeado vogal do supremo conse-
lho de justica militar.
Camillo Castalio Branco acaba de publicar
novo romance : A Ihher Fatal.
PERNAMBUCO.
BEVE3TA DIAEIA.
ACTOS OFFICIAB%-Por deliberaco de 8 d*Jroz, W. G. Fennellipe e
marco, foram nomeados supplentes do subdelegwbelt, Jeaquim Gomes
de do districto de Cuneti do termo de Cimbres os Moutinho, Manoel Vidal,
cidadaos eguintes: I ves Perora.
(. los Alves Siqueira.
2.* Manoel Vicente Ferreira Canato.
3. Joaqnim Ignacio de Siqueira.
4.* Jos de Siqueira Barbosa.
5. Antonio de S Cavbante,
6. Antn Alexandre de Vaseoncellos.
ASSASSINATO.-No dia 6 do corrente, no lu-
gar Tabatinga, da freguezia de S. Lonrenco d;i
Malta, Florencio Ferreira do MoRe assassiooa
com um tiro a Antonio Mendes Pereir, sendo pre-
so em flagrante. "
TE-DEUM.O Revm. Sr. conego Antonio Mar-
ques de Castilha, digno vigario da freguezia de
Santo Antonio, reunido irmandade do Sacramen-
to e ao clero da parochia, faz celebrar um Te-
Deum f ra accao de gracas ao Altissmo pela feliz
volta dos bravos do 53. batalhao de voluntarios
da patria, no dia era que .'elles aqui chegarem, e
na occasio em que se dirigirem ao seu aquar-
t lamento.
Para esse acto, sem duvda ara dos mais impor-
tantes celebrados por essa occasio, convida o
Revm. Sr. conego vigario, nao si todas as auto-
ridades como tambera ao proprio corpo de volun-
tarios da patria.
CHITAS.Temos noticias de que era alguns
dos nossos serios tem cabido chuvas, quo moito
animaram os plantadores e criadores.
FESTEJOS.Todas as ras do iteneraro offlcai
dos voluntarios estao com os seus atavos de galla
em estado adanlado. esperando o da auspicioso
da entrada do 53 corpo de voluntarios d'esta pro-
vincia.
ASECCA EM FLOBES.D'essa localidad* te-
mos vista urna carta de 25 de fevereiro prximo
fiado, na qual se pinta aquella comarca a bracos
com urna horrorosa fome. D'essa carta extra-
taraos o seguinte, e para esse extracto chamamos
a attencao do Exm. Sr. presidente da provincia
E' um tillio que escreve sua mi moradoura no
Recife:
c A farinha, diz a carta, tem dado Si por cuia.
a rapadura custa duas patacas, a carne vinte oito
patacas, isto mesmo quando apparece, o que
raro. Nao ha dinheiro que chegue, o povo morre
fome. En pas dias inteiros cercado por mu-
Iheres e crianzas que de jbelhos rae pedem urna
chicara de farinha para matarem a fome I Por
aqui est quasi tudo deserto, e quem c est no
geral nao ple sabir pelo estado de prostraco.
O sol queraa como fogo, e nem somlra temos de
chuvas. O povo j come espinhos e gravat bravio
por nao ter de que se alimente. Todos o> dias
apnarecera boatos de ataque e saque na villa, e
tudo vive alarmado. Quein nos valer? A ne-
cessidede tem toreado hemens honestos se tor-
narem ladros I Onde iremos parar ?
Este estado lastimoso deve tocar divras quem
tiver coraco I Deixar que isto contine, auto-
risar o crime. Compre que se tome providencias,
enviando-se quanto antes soccorros para all.
.UM GRANDE POCO DE MIASMAS E PODRI-
DO.Desde a casa que serve para s aulas da
Faculdade de Direito at a3 ultimas casas da ra
do Hospicio, existe um alagado, formando om
grande sacco, para onde as mares levam, qnando
cheas, grande quanlidade de hxo e cbjectoa pu-
trefactos.
Esleirs velhas, barris de despejo, animaes mor-
ios e mutos outros objectos sao para all arroja-
dos pela mar, e ah ficam exalando um mo chei-
ro insuporiavel e miasmas deleterios, qae tanto
preiudicam os moradores das casas fronteiras.
Nao estar no alcance da muDicipalidade acabar
com esse foco de infeceo, que tanto encommoda
a urna nao pequea parte dos seus municipes ?
A cmara municipal nao poder torear os pro-
pretarios nbeirinhos a alterrrem as testadas
froneiras aos seus respectivos terrenos?
Com o atierro de um e oulro lado nao (cara a
ra mais direita, e o canal mais estreilo, evitndo-
se aquelles inconveniente, e o aspecto nauseabun-
do que se offerece aos oihos de todos os que por
all transtam! '
Esperamos da municipaliilade urna medida jus-
ta, e qne esl as suas attrbuices.
Chamamos a attencio do Exm. presidente da
provincia para este objecto que nao pode ser ia-
differente ao bem dos seus comprovincianos e ao?
melh'iramentos d'esta trra.
POTEXGLHmlem aoescurecer apparecia ao
sul o vapor Potengi, da companhia Pernambuca-
na, viudo de Penedo e Macei.
LEILAO.Hoje s 10 horas, eflectuar o agen-
te Pinto, no armazem do Sr. J. Carrero e de con
lormidade com o seu annuncio inserido no luga
competente deste Diario, o leilo de diversas fa-
zendas limpas, e d'eutre ellas muitas proprias para
a quresma.
LOTERA.A que se acha venda a 140a,
beneficio da matriz de S. Bento que correno
dia (8.
SANTA CASA DA MISEBICOBDIA DO RECI-
PE.O pessoal existente nos estabelecimentos ?
cargo da Santa casa no mez de fevereiro, loi o
seguinte:
Hospital Pedro //.Enfermos nacionaes 194, es-
trangeiros 30, mendigos (3, filhos de enfermos
7, irmas de caridade (0, empregados 7, serventes
o lavadeiras (5total 270.
Hospicio de alienados.Enfermos- 8i, emprega-
dos 10total 94.
Hospital dos Lazaros.Enfermos 27, emprega-
dos 4 serventes 2total 33.
Casa dos expostos.Educandas no estabeleci-
mcnlo 81, meninos em creaco 82, amas externas
82, idem interna (, irmas de caridade 8, regen-
te e empregados 3, servente 1total 258.
Collego dos orphaos Educandos 70, emprega-
dos II, serventes 3total 84. ,.,<,.-
Collegio das orphaos. -Educandas 132, irmas
de caridade9,empregados 3, serventes 4total 148
Secretaria.Empregados 7, advogados 2, solici-
tadores 2, cobradores 2total 1JJ
Recapitulaco. Enfermos 335, mendigos 13,
educandos 290, meninos em owaco 82, amas ex-
ternas 82, idem interna empregados 78, serven-
tes 25total 906.
D'este pessoal 674 pertencem ao patrimonio de
caridade e 232 ao de orphaos.
PASSAGEIROS.Vindos do Penedo, Macei e
escallas, no vapor Potengi .
Vicente Teixeira Osorio, Mame! Francisco Gon-
calves, Gertrudes Maria da Conceicio, Manoel
Candido Ferreira Guimares, Manoel Ribeiro B"
de Menezes, Francisco Jos da Silva Porto, Manoel
Francisco, Augusto Pereira deJCosta, major Fran-
cisco do Vaseoncellos Mendonca, Joaquim Soares
Barbosa, Joo Duarte Piraentel, Francisco de Pau-
ta Leite Oitisica, Joo Monteiro de Oliveira, Ma-
noel Barbosa Alvares Ferreira, Thomaz Francisco
do Reg Muniz, Ulysses de Araojo Batinga, Joa-
quim Cardoso Dias, Marciooilio Gomes Coaiioho.
Joio Alves de Camino, Bento Jos Bibeiro, Wil-
liara Richards, Bellarmno Pinto de Araojo, Josa-
phat Pereira Baracho, Dr. Eduardo Jayme de
Araujo, Manoel Pereira da Costo Cutrim Jamor.
Antonio Jos Ribeiro Braga, Adelino Clauduo
Duarte, Cuflertino Guimares Basto, Deodato Affcn
'so Mooteird, Francisco Pedro da Costa Moreirae
Whido, Joaqnim Maa Sfltffeha, '
no Duarte, Epaminondas
Sebastin Lope Ferrein
Jeaquim Gomes
M
Manoel Seven-
va, Joaqnim
deQaei-
da Silva
m Goncal-

*
I s^*-*~> VW



T
.0T8I 3Q O^HAM'IO 6 ARI31 ATfil>to#> d* Peruambueo ,_ Quarta eira 9 de Marqo de 1870 f 0fl3Mtt .IVJX OH NI
PUBLICO.-Obituario
anuos, soltalro,-Santo
CEIOTERIO
Caetaiw, JRSftbueo, 48
Hermint, PM*tt)aco,' ib njezes, 9. Jo
Liberato Florehlmo do MagilhJtv, -Pernambuco,
47 limos, casado, Boa-vista ; anazarca.
Tarquinio de Albnquefraa Naatiaefl* Pepjm-
buco, 34 annos, sMbir*. l$oa*sta ; tumof no
VOUtTP.
Imoz Mara do Espirito lo Agr, Pernambuco,
46 annos, solleirn, Po?o ; pteumoniat
con-
DE
dftTMp8Eflo/JWfa.*iXt2j(i ur;MfRCO
1870.
RMlDIWClA DO-EXM. SR. MtSMlBMQ.UMta'A. F- P"
. RETTI. i
Secretorio, Julio (htimarSes.
A"s 6ni horas o reia da mahh de ciaron-se
aborta a sessio estando reunidas os Srs. deseo
bargadores Silva Guimaraes, Heis e Silva e Accioli,
" iff-'/jopy^J-_D-"" branda Leah|
LO. '

CHRONKA JMttlARIik
TKIUUMfi Dt ElEftYlVAO.
SESSOEM5BL E ?0
WKSIDKNCU DO EX. SU. CO.NSGLIIBIRO CAETASO
SANTIAGO.
As 10 horas da niaohaa, presentes os Srs. desem-
bargadores Griirana, Guerra procurador da cor.,
Ikwwbco Santiago, Almeida Albaqaerque, Moa,
Assis, mingues da Silva, Regueira Costa o honra
LeSo, wio-se a sesso. .
S ihrevino ineommodo ao Exm. Sr. consemeiro
presidente, este retirou-se, e (cando a sesslo pre-
ndida pelo Exm Sr. desembargador Citiraas.
Passados os teitos, deran-se os segumtes julga-
mentos: ,.
Agrwos de petiovoAggravante, lose Tr.omaz
d'Aquino Couto; agravadj, o jurzo.Relator o
Sr. descmbirgador As3is, sorteados os Srs. desem-
bargadores Regueira Costa o Aimeidt Albuquer
que. -Deu-se provmeato. Aggravaite, Bellarm-
no Alvos de Aroucha; aggravado, e juizo.Rela-
tor oSr. desembargador omingues da Silva, sor-
teados os Srs. desembargadores Souza Leao c
Almeida Albuquerquo.Fi toa adiada.
Rbcubso c*mi;.Rocconontc,ojtiizo; reccom-
do, Francisco Tiburcio de Alinoi la Fortuna.Re-
lator Sr. (fcstmibargador Almeida Albuquerque,
sorteados osSrs. lesembargadores Regueira Costa,
Lnuretico SaatagooDomingues da Silva.Irapro
cedcnle. .
Appelucao nnniE.Appeltante, Josfi Alvo? de
Lima; appeltada, a juMica.-A'novo jury.
Rabkas <:cmv-\-Comvdeu se ordem a Sorberlo
4 JOve; ca Silva, para o da do correte, OLVida a
auloridadc compecnle.
P.VSSAfF.Nv
!)) Sr. desembargada Gttfraiia ao Sr. "ein-,
. nargadorenerra.Apprllac) civel: appellante? .j.^
Alexandre Warguer; appellado, Jos Antonio de
Mendonca.
Ao Sr. desembargad*- Lourenco Santiago.Ap-
pc-Hacio civel: appellante, a fazenda nacional ;np-
perlado, o visconde d Ladrea.
Do Sj. desembargador Lourenco Santiago, ao
Sr. desembargador Almeida Albuquerque. Ap
Hinca civel : appellunte, Bellartmno de A/aga
EhaesCastro; apollada, D. Joanna Marra das
Dores.
Do Sr. desembarcado r Almeida Albuquerque ao
,4
J

Sr. desembargador Bolla.- Appellacoes eiveis: ap-
peltante, Joaquina B.-iiedicla Vieira da Silva ; W
pellad;>, Joao Ribeiro Pessoa de Lacerda. Aon
iane, Francisco da Cos Arruda Moli; appollad
a Euenda nacionr.l. Appellaule, a razenia naci
nal; anpelUdo, Antonio Nevos Siuirab. Appel
laole, Francisco Antonio Muir; appellada, Mana
disDjres Cava'oanto. Appcllaoao crime : appel
laale, Manuel Jos da Cruz; appdlada, a jus-
tira.
Oo 8t. desembargador Asjis ao Sr. desembarga-
dor omingiics da Silva.Apiieltafiao crime: ap-
pellanie, Jos Joaquim de Sant'Aona; appollado,
f"raucis:o Jos l'ereira.
Do Sr. desembargador Domingccs da Silva ao
Sr. desembargador Regueira Coste.AppeltacBea
cvpi: appellaule, Salustimo por seu curador;
appellado, Urbano Barbosa da Sirva. Apellantes,
Mnoel Jos da Silva eoutros; appollado, Joao Ma-
rinhi Falcao Segupira. Appellante, Jos Cardoso
de Almeid^ appellado, Severino Jos de Pa-
as. Appellacoes crimes: appollanie, Antonio
Jos Barbosa ; appellaih, a justrra. Appellante, o
uzt; appollado, Joaquim Francisco.
Dj Sr.. deiedbargauoT Regueira Costa ao Sr.
desembargador Souza Leao.Appellagao crime :
:,pi.el!anto, Jos Bezerra Cavalcante; appelladr.,
a justi a.
Do Sr. deseinbnrg.i1.or Souza Leo ao Sr. des-
embargador Gitirana.Appellacoes civei;: appel-
lante, Francisco Gonoalvos lloiris ; appellado, Jovi
Fraeisce da Costa W'anderley. Appollanlo, Anto-
nio Lopes rJeAgdiar: appellado. Ltnz 'Anloiiio da
Silva. Appella.'io crii;i:K apoollanle, o promo-
Iir; a)i|Millado, Francisco Hercnlano de Afirtro
Muniz.
.'.kriiou-se dia para jiilgaincnlo dos soguinles
Wtes:
AtiBii.AijoEs civis.Appel lano. Antonio Fran-
.-ni Muniz de MenJoui;; ppellada, faznida
u.-ui,..! i4 Appellanio, M.ui.i Amalia Candida Cor-
appellado, Jos Candido de Barros.
BMAeAO chime. AppeUanlc, Jacinta, cscra-
;i|pell.ida, a juslica.
OtviLicTO de jcbis:i;.\i-.Enti: OSJOittS muni-
ipil <' dos feilos da Cunada da provincia da
l'aralijflM.
A 1 i i ira da tarde oncerreu-se a sessaj.
ntAmWMMMj Df COH.HEI1CIO.
.. iA BBS6WJ \!)MtNiSrRATIVA DE 7 DE
MAIIliO DE 1870.
WtSfliE.NCIA DO EXM. Sft. DBSEMnARGADOR ANSELMO
FRANCISCO PEEETTL
k 10 horas da manhaa,-reunidos os Srs. depu-
dos Rosa, Basto,-Miranda-Leal c barao deCruan-
;v, S. Exe. o Sr. presidente eclaruu aberta a ses-
Foi lida e approvad i a acta da sesso de 3.
EM'EDIBNTB.
Oulei do prosidente e secretario da junta dos
corretores, firmado do o do corrente, apresen-
n 1 > a boletim eomaiereial da semaua prxima
linda.Ao archivo.
Jornal Offu-ial de n. 38 A6.Ao archivo.
Aos Sr?. depntados foram di'tribuidos os livros
Diario do London and Brasilian Bank limited
Pernambuco, e Copiador de Mello, Lobo & C.
fisto o Irvro da correspondencia, encontrou-se
n registro feito coin ordem, lendo attingido ao n
54.
O Exm. Sr. presidente assignon i olTicios para
-erein remettidos ao Exm. Sr. presidonle da pro-
vincia e ao Dr. juiz de diruito especial do com-
merejo, o ta presidencia aecusaedo o recebimento
I i offlcio do 1. do corroute que acompanhou o
a.iso do ministerio da juslica de 8 de feverciro e
> <\> ministerio de eslrangeiros de [\ de Janeiro
.liimo sobre a faculdade de corresponderem-se
txm o BoarJ o Trade os tribunaes do commercio
li i nperio, e o do jaizo especial, para ser cassa-
d. a carta de rehabiliueo do coiamerciante falli-
I i Jo.i Jos L5ite Gulmares.
DESPACHOS.
juerimeato de llanoel Francisco da Cnnha
i ..ii, para eertillcar-se llic se son pai Manocl
l'Vnncisco da Cunha 6 negociante Matriculado.
Jomo requer.
Be Manoel Francisco da Cunha, negociante ma-
:rio,ulado e esUbelecido na provincia do Cenr,
pe lindo ipae se Ine registre a noraeacia de caixei-
io que dora a seu Albo Mauoel Francisco da Co-
rma Filho.Registre-e.
D Antonio Joaquim Vaz de Miranda e Joao de
San?a Leal 9\t, pedindo o registro de seu dis
trato social.vS ao Sr. desembargadar fiscal.
Be Jos Ribeiro de Brito e Leoncio Ro1ri?uo>
Cnlho, pediado Tpi se Ibes mande archivar nm
los exemplarcs de seu contrato social.Vista ao
Sr. desembargador fiscal.
Do Dr. Jos'io.nwdo Galto Aljofarado, di-
zendo que com a averba{o do sebo feHa na rece
i)doria lieava satiselto o disposto no % t. &o de-
;reto n. i,3Si, e cora a escrrplura de ensata torta
fior Antonio Gomes Netto cava Unibein salisfeita
utra Qjirte da exigencia do Sr. dfse nbargadw
scaj o por isso nos termos de ser deferida a pre
io d registro requerid' pela companhia Reci
lia Urainage-limitd.Voite ao Sr. desembargador
dacaL
ADIADOS DA SESAO PRXIMA PASSADA,
Sunwwrio. ex-oIBoi. emira o administrador do
eheGuerra, Auacleto Jos de Mattos.
ir. desembargador fiscal para, formar os
.rtigos da accosa-ai, ama vez enlo d. no verbalrcioMe ttenlarea
;:unario taotbem ov-officio < ntra o adminis-
>r do trapiciieCiMiha, Jos Paula da Fon-
.Rneebid-i j os arligos, nun la o tribunal que
t snuinii rmo ile o das, pera
:e se Uk >pia os aieimns ar>
noADon FisakV^
ira de Cambio
contrato de soeledadst
despacho, Sil
isaea s 11
bario do Cnw
Lida, foi approvada a acta da ulhoa essao^^
Foi lido o oflieio de ii do oree inaaado do isxat.
i*. conselheiru presidento do tribonal do comag
ci da capital do imperio comniunicando a rcmen-
sa do feito julgado nessn ibunnJ, entre partos,
i ecorrenia, o administradar da rnnssa fallida do
ivdro da Silva Rejo ; recortta, a directora do
Novo Rauco. E o Exm. 8ft iiresldeie ortwoa
iue se aceasasse o recobiiweoto do dito anleJo o.
nos autos nelle indialo.
cscrivo Albuquerque registrou o iiltimo^-o-^
leso de letra a 1 do corrente- mez sol) o Minero
2,010 ; e o c*crivao Al ves de Brito a 5 ao iBSnro
raez sob o numero 1,972.
ACCOKDO ASSiGNADO.
Appellaales, Leandro Cavalcante da Silva Gui-
mirss e ontros ; appellado, Manoel Joaquim Ra-
mos o Silva.
JUI.GAMENTOS.
Juizo especial do commercio : appellante auto-
res, Fonse:a & Santos; appellad. s reos, os cura-
dores fiscaes da massa fallida de Antonit Pedro
de Sello : jurees os Srs. Silva Guimaraes, Reis e
Silva, Miranda Leal e Safio do, Cruangy.Foi re-
formada a scuionga appellada,, sendo voto vencido
o Sr. barao do Cruaugy.
Juizo especial do camtuercio : appellante antor,
Joaquim Salvador Pessoa de Siqnojr Cavalcante;
appellada reo, Salvador de Simieira Cavalcinte :
jaizes os Srs. Res c Slva, Accioli, Rosa e Miran
da Leal.Foi confirmada a semenca appellada.
Juizo municipal e do commercio da Villa do Ca-
bo : embrgame appellante reo, Gaspar Cavalean
te d* Albuquerque Usha ; embargado appellado
autor, Joao de S e Albuquerque : juizes os Srs.
Acoioli, Reis e Silva, Rosa t barao deCruangy.
Foram i eeebidoi os embargos para reformar o ac-
cordio embargado, cjudemnamlo-seo reo ao pa-
gmont i das letras demanda las.
Embargante, o Dr. Augusto Garne'.ro Montoiro
a Silva Santos; embargados, os administradores
ii raassa fallida de Siqueir & Pewra : appollan-
ie, Manoel Torquato Ramos; appellado, Antonio
sdi Carvalhb : a;ip liantes, os alaiinistra-
da massa fa'h'da de Joaiuim Jos Silveira ;
appelladjs, os liordeiros de Diego Jos da Costa :
appellante, Jos Kanes de Barros Loito; appella
do, Luiz Cielaiio da Silva Campos.Adiados a pe
dio dos Srs. deputado.
I'ASSAUEXS.
Do Sr. desembargador Accioli ao S:-. desembar-
gador Silva Guimaraes : appellante, Domingos
Alves Mathens; appellados, os admiuistraJjres da
massa fallida de Amorrm, Fragoso, Sanios >V C. :
appellante, Jos Gomes Villar ; appellado, Anto-
nio Herculano de Almeida.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Reis e Silva : appellntes, Augusto Octa-
viarlo de Souza & C,; appellkdos, Augusto Frede-
rico da Oiivoira.
distbibCicDes.
Ao Sr. desembargador Res e Silvt: appellau-
les, os administradores da massa fal ida de Amo-
nio, Fragoso, Santos Se C.; appellado, Domingos
Francisco Ramalhe.
Ao Sr. desembargador Accioli: appellante, Lou-
relien Viriato Je V.is.wnceli is; appellados, Jos
Rodrigues Pendra e suj mulher.
Addfl
Juizo especial dj commercio : aggravante, D.
Cezarin Candida Nobie de Cusma o; aggravado,
Manoel Pires ("erreirn.O Sr. desembargador Reis
e Silva don provimento.
Nada mis hnvenlo a tratar, foi encerrada a
sessao urna e n'ia hora di tarde.
Xarope mineral sulfu
roso de Crosnier.
Medicamento precioso para cnrrAatr;*
tttfese, cathafro pulmonar, asthtna, coquelu-
cho. broni
ha
|e.rrematacao das suas flaneas oU compareceriWWAdoinfl ndelin*dtnca dnos detUmos
acompanbados dos resjieclivos fiadores.
Secrlaria da SanU Casa da Misericordia do Re
cife, 5 de fevereiro de 1870.
E' nm
mica as
nlK-
enas princi-
pios das agaas sulftirosaa dos Pyrincos, em
dses oral concentradas.
Toma-e na dse de uutt-culher de sopa
pela manbaa o oittra tarde.
Phartocia Central, ron do Imperador
n- 38 -L- (*
PUBUCACOES
A PEDIDO.
C0MMBCNL^9n>SB
PRAGA DO RECTFE 8 DE MARCO
DE 1870. M''|'g'y'*
AS 3 t/1 HORAS DA TABDF
Assuc; r americano purgado 3*030 por kil
Assucar Canal-*760 n 15 kil.
lioncallo Jos Affonso,
Presidente.
Mesquila Jnior,
Secretario.
ENOLISH BANK
)f Rio de /aneiro Limited
Deseo uta lettras da pfuca taxa a.con-
Dcionar.
Recebe dinheiro era conta corrente hia
lraso fixo.
Saca vista oo. a praao sobre as cidades
arlnctpaes da Europa, tem correspondentes
a Bateia, Baeoos-Ayres, Montevideo, Ne\r-
i New-Orleaas, e emitte cartas de crdito,
aara os mesmos lugares.
RA DO COMMERCIO N. 36-
Al-FANDEfiA
eudtmeatodcdia 1 a 7 238:70S*J
dem do dia 8 43.58->il

8r*. Rodadores Lendo no Diario de Pernain
buco de sabbado (o do correnlo) depart casual-
nwnte com um artigo, so5 a epigraalio -falsili-
cicro de autos nssienado pelo Sr. llonopato Jo-
seph de Oliveira Figneiredo ; o como nelle se re-
forisse-a ama caris, ijue em respn?ta dirig ao
Sr. Felioio Jos Vaz de Oliveira, vejo-me Toreado
a vir pola imprensa restabelceet n ooedade, 'que
multo de proposito fra adulterada peluSr. Hono--
rato.
(i qw. *e deu a tal respoilo, foi o seguate :
No dia de novembro de 1868 paasei ao Sr.
Honorato urna procuradlo para cobrar na di-
vida na importancia de HOiWSI rs., mediante a
porcentagem do ;t'i 0o. d p que assignamos nm
contracto, conlendo cerias e determtnadas condi
eSes, oDrigando-se o ineu procura lor em nina
dolas (a i' c ultima) a eutreyar-me, sein a menor
demora, <;s qnantias que fosse recebendo, ikdMzin
do logo ietui tu* /incnwfflfaai.
Decorreram, porem, 8 meszes, declarando-me
por duas vezes o Sr. llonoralo, nada bavnr al en-
lo conseguido de meu dcvclor, guando cm ou-
lulwo de 1869 appaivceu cm meu estabelecimen-
to una wsnoa, que lambein se unearrega de co-
branzas fra desta capital, c me seientilicou de
ter o mesmo Sr. Honorato em de fevereiro do
mesmo anno receido por.onta da referida divi-
da a quantia de 100 000 rs.
Nao podendo dar inteiro crdito ao que so me
diia, a vista da cabula eslabelecida no contrato
em principios de novembro dirig por meu nai-
xeiro um recado ao Sr. Honorato, pedindo-llic que
me viesse fallar, o qual confessou afinal ser exac-
to o que me harvian revelladn, mas que ainda
nao me inha fi-ito entrega dessa quantia de
400*000 rs, por llie prometter o meu devedor
saldar essa emita at o tim do referido mez de no-
vembro.
Pouoo salisfoilo com o procedimento do Sr. Ho-
norato, liz lile sentir que se nesse praso nao flzes
se dila cobranoa, eslava resolvido a rescindir o
nosso contrato, ou se Ihe a^prouvesse, fiearia a
divida a si perteeendo, dedu^ndo a sua poro.en
lagem ; nao t ;ndo at o presenta dado solucao a
esse negocio, como de meu desejo, por nao
me ter mais appareoido o Sr. Honorato.
J se vi, porianlo, ijue so oito nezes depois
que live sciencia do recebimento dessa quanlia
de 100000 rs., o que o Sr. Honorato foi inexac
lo quando, para defender-se quiz fazer acrediur
que bouve de ininha parte consenlimento do ti
car ella em seu poder, {caja declaraco julgo con-
veniente ora fazer, tim de evitar davinas futu-
ras.
Recife, 8 de marco do 1870.
Antonio Domingos Pinto.
Rocambole.
Este soberbo drama, dividido em cinco actos,
s.te cuadros e um prologo, composto polos exi-
mios escriptores dramticas as Srs. Anicet Bour-
geois, Ponsondu Terrail eErnest Blum, represen
lado para cima de cem vees, em Pari?, e sem-
pre com geraes. applausos, acaba de ser traduzido
em portuguez, e vai em brtve ser publicado nes-
la cidade. em cujas livrarias ha prospectos para
quem quizer asignar esta magntiiea pe?a drama-
tica, pelo diminuto preco de 3000 reis cada
exemplar (a peca intiira), emr*", e com mais de
200 paginas.
Podendo acontecer que algoem confunda apta
obra (como algnms pessoas j confunditam) Coa
os Dramas de Pars que actualmente estao sendo
publicados no conceptuado Jorupl do Rcif>\
o titulo Rocambote, achainos de summa 'ovenieu-
cja o deplararmos que este drama nao tem rea -
cao nem paridade nenhuraa com os Drania< de
Paiz, os quaes Jonnaai a primeira parte do tam-
bem intefessante romane ftocxmbnle, ascripto
illastro Sr. .visconde Ponsoo du Terrail.
Porto Calvo.
-Constaodo ao abaisulassigoado que alguno) I-
ludindo a boa f do Sr. teoente-curanel ftiomaz
Cavalcante da Silveira Lias, este, contratara com
o Sr. Joaquim Jos Luiz de Qneirnz a venda e
compra das ierras o "iigeaao liba, no termo da
villa de Porto de Pedras provincia de Alajnai, in-
clusive a safra do caimas do crrente anuo, cria-
da em dito engenio, e (tara que nao se alegue
mesmo abaixo
nado vem em
irfertdx sa
aer ven-
Mjfe ar
i pro-
ignorancia, o
wtnptf poB)1
fra em di
dida por o>
rendameu
orietario.
' Pelo que rUMMneaotasecaeib.iaia venda re
latiwmente a deolradanaljihie, em tempo pro
vara se necessario fr seu olreUo.
Villa de Porto Calvo, 2 da mareo de 1870.
Francisco de Borja Santiago.
0 eserhk),
Pedro Rodrigues i* Souza,
Olllm. Sr. inspector da thesouraria de fazenda
desta provincia, enPrirtude das ordens em vigor
manda MTpublico i|jiinil ifl ni < o da 25
io vindowo para o conenr s.qne
n da abrir na menna tbeeourarJn para pre
enchimento das vagas nelia azisteiiMS de prati-
oantos da mesma, assim nomo da alftuadega a da
rae be doria de rendas : versar o ame sobre
as matarw-de que trata o 1 do artigo Io d<
decreto n. 9111 de 27 de jnlio de 1883, a saber:
loitura, apalyse grammatic.il a orthographia, ari-
tlimetica e suas applicaeoes ao ooraunarcio, com
especialidad reducfio da moedas, pesos e-me-
didas, calculo de descont, juros simples e com,-
&BS&BSS.'S2i
requerimentos instruidos de documentos que pro
vem idade completa de 18 annos, isencao de pe
forma do
marco de
1860.
Secretaria di thesduraria de faaenda de fer
nambuco, 4 de margo de 1870,
Servinflo de )fflcil-maor,
Manoel Jos Pinto.
na e culpa e bom comporlamenlo na
art 3 o decreto n. 2ol',l de II do
de largura e 7 1|1 de sitara.
A soten em ambas ai frontes dever ter tres.
janellas igualmente com caminos e portas.
No iravejamento oo'primeiro andar do sotao
somente se ebipegario travs de qualldade, ten-
do cada urna lpotegadas quadradasde grossu-
ra, e os respectivos soalhos serio construidos de
As
.neim que
rebeeos
cal branca.
poder* nproveitar a tainas, ca
sqnjhns a travs que se acharen*
o i juizo dos sonhores mordamos

A Furto
Val sahlr brere
passageiree, trata-

d para carga
(IgnaUrios Car?a,
SO.
Santa Casa de Misericordia
do Recife.
A lllma. junta administrativa da sania casa de
misericordia do Recife, na sala de-suas sessBes, a<
3 horas da tarde do dia 10 de marco vindonro, re-
cebe propostasjiara a arrematacao da renda do
armazemxreedrncado ra Direita n. 33, perten
cente aos cstabeiecimentos de caridale, servlodo
de base o pre?o de 6001001 annuaes, dando-se
preferencia quelle qne, alera desia, ontras vanta-
gens offerecer.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
cite 2i d fevereiro do 1870.
O escrivao,
Pcrft"o Rodrigues de Souza
marello ou I
0 primeiro
serreparj
pela san
guarnec
O conr
bros, en
em perfei
de predioS
Todo o datarial de ferragens ser foroeoldopelo
contratntc; i'cuja argo ficar tambem a calacao.
Os pretendentes devorao apresentar suas pro
postas eoMartas fechadas na secretaria al o dia
MMtlalto do corrente. s. ,
Secretaria, da Santa Casa de Misericordia do
Recife, Io de marco de 1870.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Pela cootadoria da cmara muuicipal desta
oidade, se declara aos proprieUrios de estabele-
cimanlos de porta aberla, sujeitos ae pagamento
do imposto municipal, que no mez de marco pro
ximo vindouro, principia a arrecadacao a bocea
do cofre do mesmo imposto
Contadorio da cmara municipal do Recite,, 28
de fevereiro de 1870.
O contador,
Hypolito Casajane de Vasconcellos A. Maranhao.
Pra o 'lllS
aehaffce proposto o brigue
irini
Sal
sea Unio : para
consigo ala-
C, ra do Vi '
282:383/t"i
MOV1MENP0 DA ALFANDEGA
omines entrados com fazendas
dem dem com gneros 231
olumes satiidos cora fazendas
dem idem cora gneros
------231
71
390
661
i)escarregara boje 9 demarc.)
Barca inglezaGasele mercaduras.
Patacho dinamarquez Wtliterminemepca.orias
Barca inglezaSi rala Floridaidem.
Baica inglezaA'/isa Strerris idem.
Hiate americanoIsac Olitleriem.
Polaca hespanholaCariosavinos.
Escuna inglezaElena P.idem.
Escuna inglezaConradidem.
Brigue inglezMarybaealho.
Escuna inglezaEra idem.
'.ECEBEDORIA E RENDAS INTERNAS GE- pardo, com id annos,
RAES DE PERNAMBUCO.
rtendiraento do dia
liem do dia 8 .
la 7
27:111*307
1:816*507
29:>>$JOli
CONSULADO
.endimento do dia 1 a 7
dem do dia 8 -
PROVI.NCAL
:i:3i8S9
5:110*801
38:45JI83
MOVIMIENTO DO PORTO.
Navios entrados na dia 6.
Liverpool por LUboa19 das, vapor inglez O'in-,
da, de 519 toneladas, conimaniiante John Geiki-
-on, iihiwh1" 217 caria fazendas eouiro.-.-
eros ; a Thom.'iz Jelleries S C.
Goyanna6 horas, vapor brasileiro PamkybOf de i
10i toneladas, commandante Oliveira, equipa-
gem 14, em lastro ; companhia PeananiUi-
cana.
Penedo por Macci6 dia-, vapor brasilero .'
leng, do 281 toneladas, commandante JJJ^I'3
equipagem 30, carga didercQles gneros;
c.ompauliiat'crn.imbuco.
Nao liouveram sabidas.
EOITAES.
O Dr. Manoel Josda Silva Neiva, commendador da
imperial ordem da Rosa, (;avalheirodade Chris-
lo e juiz de direito da 2a vara criminal desia co-
marca do Recife, por S M. o Imperador, ele
Faz saber, que pelo Dr. juiz de direilo da 11-
marea da cidado do Natal, da provincia do Rui-
Gratule do Nerte, Ihe foi dirigido por carta pren-
tona de 22 de fevereiro findo, recebido nesta data
o edilal do llieor seguinte.:
O Dr. Sebaslia i do Reg Barros de Lacerda, juiz
de direito da comar ja do cidade do Natal, por
S. M. Imperial e constitocional, a quem Deus
guarde etc.
Faz saer que no dia 10 de marco vindouro as
10 horas da manhaa, na casa da cmara munici-
pal o sala dos audiencias, t m de ser julgado o
processo de respomabiiidade em que reo o juiz
municipal deste termo Dr. Joaquim Mara Carnei
ro Vitalia, qne se acba amonte : e para que che-
gue ao seu eonhecimento raanJou passar o presen-
te que ser lido e aflixado n) lugar mais publico
desta capital, afltn de que comprela neste juizo
bo dia, logar c hora cima designados, para assis-
tir ao seu julgamento, sob pena de revelia nao
compareendo.
Cidade do Natal, 2 de fevereiro de 1870.
F.u Joauuim Jes de Sani'Anna Matearu escri-
vao o eseriv.Sebastio do liego Barres de La-
cerda.
E para qne chegue ao conheeimonto do interes-
sado, mandou o dito juiz pasiar o presente que
ser afiliado no lugar do cosiume e publicado
pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 5 de
marco de 1870.
F.u Manoel Aotunes Correa, escrivao interino o
escrevi.
Mauoel Jos da Silva Neiva.
BECLARACOES.
Santa Casa da Misericordia
. do Becife.
' lainhei o Tiste*
A lllma. junta administrativa da sania casa de
misericordia do Recife. na sala da tuas sessdes,
pelas 3 horas da urde do da 10 de marco conti-
nua a recBber.pTopflstas para o rornemmento do
a-sucar que tiver de con-nmir a hospital Pedro
II nos mezes de- mnreo. abril e malo vindouro, pa-
gando se rom dinlieiro vista ;- sendo assucar
branco retina lo de 1* swto, e refinado ftomeses.
A- propostos sera abortas no dia designad
prcwmea dos prponente. o< qnaee deverao ir ao
hospital, afln do vorom a qualidda do assiMSM
que all se gasta:
Secretaria di Santa iVwa de Misericoi dia de
Herife, Sdeiivicco de 1870.
O escrivao,
Pedro Rodriguen de So'.tia
SANTA C\S.\ l)\ MISERICORDIA DO
RBOnfE.
a ilini.a. junta administrativa da Santa Casa d
cordia d i landa fazer publico que
w sessoes. no d:a 10 de marco, ,
4 horas da re, tem de ner arrematadas a quem
mais vantagens fferecar nelo tempo de um a tres
anbop, as rendas dos predios eiosegnida declara-
dos :
r;STABELIy.IMEMTO DE CARIDADE.
una da Alegra.
Casa terrea n. 7, por anuo. ...
PATRi'MfiNIO DOS ORPHAOS.
Ra do Vigario.
Primeiro andar do sobrado n. 27 .
Ra do Rangel.
Casa terrean.58. 0 .
Sitio n. S no'Forno da Cal.
saibdclegacia lo -o* da ia-
uella.
Por esta snbdeleaacia foi captrala e recolhida
casa de deltencjio, a preta Anna, que diz ser es-
grava de Antonio Jos Rutina, senhor do engenho
Serra. Quem se julgar com direito referida es-
crava, queira apresentar nesta subdelegada os
respectivos ttulos, aftm de tomar conla della.
O subdelegado, Io snpplente,
Manoel Jos de Paiva Pinto.
Juizo dos feitos da fa-
zenda nacional
Do dia 13 de marco prximo futuro err
(liante, ter lugar Da comarca de Goianua,
a venda em praca publica deste juizo, da;
comprehenses do extinelo encapellado de
Itamb. sendo a de neme EngehoNovo, ava-
liado por o0:000jJ000, a de nome Pangau
por 15:000)5000, e a de nome Cumbe por
9:000^01)0 : acceilar-se ha nessa occasir
propostas para venda dos escrvos Basilio
avaliado por-----
ImOCWOOO, Concordia, parda escura com
15 annos, por 600#000, Aquilina, parda
com 4 annos, por 200>000, e Damiana, par
da. com G mezes, por iOOiJOOO. nos ter-
mos tele i de J 5 de setembro doannopas
sadon^fem seguida ter lugar na villa d(
Itamb, o arreadamento om basta publica
por 5 annus, dos terreos em que se acbau
situadas dita villa e povoacocs de Tinbaba (
Comutanga, assim como tambem a vend
de duas paites da comprehenso Caric.
depois de dividida a mesma comprebeusai
em menores lofc8. conforme o 4o do art
Io das instruyes de 30 de dezembro d(
1865.
Recife.Q 17 de fevereiro de 1870,
O psr.rhlo,
Imz F. li. de Almeida.
(lonsclho de compras navacs
O eonselho contraa no dia 13 do corrente mez
wb as condicoes do e.-lylo e vista de propostas
recebidas at as 11 horas da manhaa, o forneci-
menio de l8nha, e de velas stoarioas de 8 em li
: hras para completo do de vveres, dalas e outros
OBjejetM de consumo aos navios da armada o es-
ta belocimentos de marinha no trimestre de abril
junho do corrente ann ; assim como o forneci-
mento no mesmo trimestre dos objectos de farda-
mento, aeguioles :
Para aprendhes arlifices.
Bonetsdo uniiorme, bonets do servgo, blusas
de brim branco, blusas de algido azul, blu-as de
panno azul, caigas de brim branco, calcas de algo-
dao azul, camisas de algodaozinho, cobei lores de
lia. cobertores de algodo, calcas de panoj azul
colaudes de linho chaios de palha, fronhas de al
godaozinho, lencos de seda preta para grvalas,
lences de ahjodozinho, sapatoes. saceos de guar-
dar" roupa e travesseiros de linho obeios de palha.
Para imperiaes marinheiros e aprendizes ditos
Bonets de panno azul, camisrs de brim branco,
calcas de algodo azul, camisas de algodao azul,
caigas de panno azul, calcas de brim branco, ca-
misas de bela azul para imperiaes marinheiros
rendo 4 1|2 palcos de comprimento no eorpo e 3
as mangas inclusive os punhos, camisas de naeta
azul para aprendizes marinheiros, lendo 3 palmos
do comprimento no corpo e 2 as mangas inclusi-
ve os punhos, fardetas de panno azul, lencos de
seda preta para gravatas, sapatoes e saceos de
lona para raarinhagem.
Para artfices avulsos.
Blusas de panno azul, blusas de algodao atol,
caigas de brim branco, caigas de panno azul, cal-
cas de algodao azul, camisas de algoooznbo, e
cintos de couro branco envernisados.
Tambem por igual forma promove o eonselho
no mencionado dia 12 do corrente mea a compra
dos seguintes objectos do material da armada : &
bandeiras nacionaes de i pannos, 4 ditas de 6
ditos, 13 earrinhos de mao, 103 alqueires de cal
branca, 120 bracas de corrente de ferro de ip
poiegada reforgada, 20 arrobas de estopa de al-
godao, 10 flmulas te navio 10 fecha Juras de
ferro de broca para porta, 20 lenges de ferro de
1|4 de grossura, li ps de comprimento e 4 de
largura, 8 arrobas de merlim, 8 arrobas de ma
iiar. 10 libras de ebreias franeezas, 2 oculos de
alcadee, 12 pedras de amolar de 3 ps de dime-
tro e 6 a 8 polegadas de grossura e 1,000 tijplos
de fogo.
-Sala das sessoes do eonselho de compras navacs
8 de marco de 1870.
O secretarlo,
A lea ndre Rodrigues dos Anjos.
Relacao das cartas registradas vindas do norte e
sul existentes na {.dministracao do correo.
Antonio Enclides da Silveira, Antonio Msrnho
da Silva, Anna Eugenia de Queiroga, Henrique
Ernesto Martins, Joaquim Goncalves Vieira Gui-
maraes, Joao Fernandos Cavalcanti de Albuquer-
que, Jos Leitao (padre), Jos Soares de Azevedo
Maria da Concaicao Filgueras, Matbias de Azeve-
do Vllarouco, Manoel Firmino Ferrera, Raymun-
do B. de Lima Pires.
Navegara* c
lna
O vnpr^nrd
porto acimai no
as 9 horas dit rmlfi
R cebe carga, eucommendas, pas
nheiro a frete no essriptorio do Fortn
n. 12.
^L
as?
Tapor.
iseguira para e
16 do entrarle,
THEATRd
DE
SAMO 4M0M0.
Para salsfazer a una disiincta cotnmisso de
brasleiros e portuguezes, que nos honrou com o
pedido de um festun commenioi atvos dos grandes
trumphos qu<^ coroaram os nclitos voluntarios
da patria, que devem a qualquer hora, chegar
do sul, e que era j desojo l.mco em nos, que
todava, privados dos recursos passados, sonlia-
mo-nos sucumbir, contemplando o tlieatrinho de
Santo Antonio, e lembrando nos do theatro de
Saula Isabel, onde por tantas vezes manifestamos
entilo condignamenta a nossa admiraevi e gratido
por esse* corypheus do pai?.; resolvamos solem-
nisar o dia da chegada dos voluntarios pernam-
bucanos com um esplendido baile no salao deste
theatro, o qual romper com o liymno nacional
eantado pelo Sr. Jos Coelhe Barbosa, dislincto
tenor, com acompanbamento de um coro de me-
ninas, e executado grande orchestra.
O salo achar-se ha adornado com lodo o| es-
plendor, troplieus, flores etc.
V.in* banda de msica marcial tocar durante o
baile.
Nacionaes e eslrangeiros que quizerem, ja por
consideraco aquella coinmisso e ao emprezario,
j por demonslragao da justo apre;o, concorrer
lio oxpessiva festividade, podarao dasde diri-
gir-se ao theatro do Santo Auloaio a munirem-se
dos respectivos cartoes.
A festa ser dividido em tres partes:
1/
O hymno nacional.
2."
O liyniin da victoria dedicado ao Sr. WJU de
Caxi.is, executado pela msica marcial.
3.
O bailo.
Principiar as 9 horas.
X. EL O programma ser pwviamenlj annu-
ciado.
COMPANHIA PERNAMBU
M
Navegando costea por vapor
Macai, escalas, Peuedo e Aracaj.
O vapor Giqui. commandante Costa, segui-
r para os puos cima no dia 15 do corrente,
s 4 horas da tarde. Recebe carga at o dia 14,
encommendas, passageigeros e dinheiro a frete
at s 2 horas da tarde do dia da sabida, no es-
criptorio do Forte do Mattos n. 12. ____
companhupwnambocanJ
\'aveffavo costeira por vapor.
Porto de Galliras, Hio Formse e Taman-
dar.
O.vapor Parahyba, seguir para os portos ci-
ma no dia 10 do corrente meia noite. Recebe
carga, encommendas, passageiros e dinheiro fre-
te no oscriptorio do Forte de MaUos n. 12_____
COMFAJBIA BBASlLEf
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte espen.k
'al o dia 11 do corrente o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante J.
P. Guedcs Alcoforado, o qual
depois da demora do cosiume se-
guir para os portos do sol.
Desde j recebem-se passaceims e engaja-se a
carga que o vapor poder eondnzir, a ima deve*a
ier embarcada no dia de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro a frote at as duas horas do dia da
ina sahida.
iNo se recebem como encommendas senao ob-
leeros de pequeo valor e que nao excedam a 2
arrobas dspeso $& palmos cbicos de medi-
gao.
Tudo que passar destes limites dever sor
".mharcado como carga.
Previne-senos Srs. passageiros que suas passa-
fens so se recebem na agencia ra da Crnz n. 57.
andar, escriptorio de .\ntonio Luiz de Oliveira
Azevedo 4 C.
PAV1LH0
0,
Para o
Deve sabir no da lo do crWnte a barca por
tuguoza Amelia, de primeira classa ejnarcha por
ja ter prompta quasi toda a sua carga ; para o
pouco que Ihe falta e passageiros, aos quaes offe-
reco os melliores commedos : traa se com os con-
signatarios Bailar Oliveira & C, rna do Vigario
n. 1. primeiro andar. ______________
Porto por Lisboa,
Com milito pouca demora dever seguir vlagem
a galera portugueza Lisboa, de primeira marcha,
e Classjfkada em primeira classe : para alguna
carga que llie falla, e passageiros, aos quaes of-
rece magdillcos commodos, trala-se com Soares
Primo, a na do Vigario u. 9.
Para o P rto
Pretende seguir o mais breve possivel, para o
Pollo, a barca nortugueza (& Mano^ II capt*.)
Jos Antonio dos Sanios; recebe carga frete e
passageiros : tratar coin Marques, Barros & C.
na praca do Corpo Santo n. 6, 2' andar, ou com o
capitao bordo.
Para'
l lYetende seguir em poneos dias pan: o indicado
porto a barca portugueza espifie H, por ter a
maior parte de seu carregamento prompto, e paTa
I o restoque Ihe falla, que recebe a frete! muito bs-
rato: trata se com o consignatari i Joaquim Jos-'-
Goncalves Ueltro, ra do Commercio n. 17.
3601000
SiOOOO
300*000
130*000
0? prcteadDtcs deverao apresentar qo acto da
Pela recebedoria de rendas internas se fa2
publico que ueste corrente mez e no de abril
prximo futuro, que os ccntrlbnntes do imposte
sobre industrias e proflssdes teem de paga-lo, I i
vre de multa, e que Ando o referido praso ser
>;obrado rom a multa de 6 0|0.
Recebedoria de Pernambuco, 3 de marco de
1870.
O administrador,
Manoel Carnetro de Souza Lacerda.
Santa Casa de Misericordia
do Recite
A lllma. junta administrativa da santa casa de
ricordia do Recife precisa contratar com'
pem por menor preco fizer a obra de que preci
sa o .obrado n. 37, p-rtencente ao pauimonio dos
estiielecimentos i* earidade, sito a ra da Moeda.
Essa obra consiste na demolicao de parte da
frentt auterior de toda a frente posterior e de par-
auso pelo lado do nascente at o lugar em
que ae a cha a parede tendida, o recenstruindo o
predio de um n endar e aeta conforme as postu-
ras municipaes em vigor.
pavimento terrea devera ter tres portadas
com soletras de pedra e portas de costadinho de
atnr.rello aara o lado da roa, e para o do fundo
duas janellas e ama porta no centro tambem com
solara de pedra, sondo a matera igualmente de
coaaadhAode amarello, e todo oladrllho de lijlo
de alvena iaJntida.
O primeiro nadar dever ter iras portfidaa com
sacadas, (acaro it amareHo, vanadas de ferro,
i-xilhos e partas tambem de amanillo para o la-
do da frente, para o do fonda tres janellas de
peitord cem vidracas e portas de dita madoira,
Companhia equestre ginaslica e acrobtica
do palacio da chiystal do Porto.
DIRECTOR
D. Marcos Casal i, prneiro funami i iliano,
nico rival do celebre Blondn, e ariisu que
pertenceu companhia de Mr. Prz.
O director desia companhia. desejinJo solara-
nisar a volia a esta provincia do heroico iiatalho
de voluntarios pornambncanos, prateEtda dar um
grande o variado espectculo gymnastico e acri-
ba tico dedicado uifcialdade do mismo bata
lhao, devendo ter lugar um eapectacel) na noute
do dia seguinte ao da cbeg.vda .i ._ ^ que
trouxer os voluniarios.
PKOGHAHMl
PRIMEIRA PARTE
1. O trapesio, exerclcios de equili.: e de for-
ca, pelo gymnastico Vicente.
2." A taboa equilibrada sobre a ponte elaMica
pelo artista Sr. Luiz Casali.
3," O director da companhia oxecotar sorpro-
hendentes equilibrios com urna cadaira sobre a
corda tirante.
lntervalle de 20 minutos
SEGUNDA PARTE
1. O pao voador, pelo artista Vicente.
2.* Jogos indios pela Signorita Anna
3. A barra fixa. exercicie de agidai* e farca
polos irmaos Cesar o Vicente.
Intervallo de lo minutos.
LERCEIRA PARTE
Finalisar-se-ha o espectasnlo cam o aioi ca-
ricato
T
1*0060
2#iX>
PrecoB:
Camarote com 6 entradas
Codeiras
N, B. Os intervallos serio preenchidos cot os-
colhidas pecasexecotadas pela banda dj mnsica
do 1* batallio de infantaria.
O director da companhia avisa fto respekavei
publico qne em hreve vao ter Ingar no Pavirao
de Santa Isabel importantes inelhoramentos^-de
modo a poder este comportar maior nunwrj de
espectadores.
As pessoas que quizerem eneommendar ea
rotes ou cadeiras poderao procurar no paailbiai
Principiar as 8 horas.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PEKNAMBUCANj
\"avega?o crmteirn por vapd
Parahyba, Nata', Maco, Mossor, Aira-.',
caty, Cear, Maodah, Acarac 6
Grama.
O vapor Pirapama, eommandauW
Azevedo, seguir para os jiortrt
cima no da 15 do corrente as oh
Ja tarde. Recebe carga at o dia 14, ence-m
mendas, e passageiros e dinheiro a frete at a'
2 lloras da larde do da da sabida no escrintn-
rtoffp BatlAs n. 12. n"
OOMPAilHIA PErtNAMB38
DB
\avegavio
COifIPAMHI.1
DAS
Messajfcries imperiales.
Al o dia H do corrente mes espera-se do*
portos do sul o vapor francez Vrugmtj, om-
mandanle Massenet.. o qual depois da demora do
coMnmo seguir para Brdeos tocando em Dak:.i
iGon'-e) o Lwboa.
Para condicSes. fretes e passagens trata-se na
agencia ra do Commercio n. 9.
At o da .15 do corrente mez espera se da Eu-
ropa o vapor francez fironde, o qilal depois da
demora do cosiume seguir para Buenos-Avres,
tocando na Rahia, Riotde Janeiro e Montevideo.
Para eondirSes, fretes e passagens trata-sc na
agencia ra do Commercio n. 9.
Para Maranhao e Para
O brigue nacional Snno Amaro, capitao ('.acia-
no Alves Uvas, pretende seguir com a maior ora-
vidade possivel para Maranhao e Para, pw ter
parte dt carga prnmta, engaja-se a o^e precisa
e recebe passageiros, a tratar com os consignis
rios Marques Barros A C, no largo do Corno
Santo o. 6, %' andar. ______
Para o Prrto
a barca portugueza f Novo Silencio seguir coa
a brevidade possivel; para carga c passageaML
trata-se com os consignatarios Oliveira Flhos 4
C, no largo do Corpo Santo a 19, ou com o ca-
pitao na praca do commercio.
^PMllSBOr"
0 patacho portugoea Marn, capitao P. M. Bran-
co vai sahir eom brevidade e recebe carga fre-
te ; trata-se com o< consignatarios E. R. Rtello
A C. ra do Commercio n. 48.
Illia re 8; Miguel,
O patacho portuguez Jeorgense segu eom Umi-
ta brevid>.de para- e porto cima ; ainda recebe
alguma carga frete, bem come passegatraepa-
ra os quaes tem bellos commodos; atraian.com
o seu consignatario, Joao du llago Lima i.Mia d>
Apollo o. 4-
2L
Para o orto
a barca Flor d> i8; Siino sshir brevmente, aor-
Iqne j tem parte dooarga migajada : para o resto
e p;issagens, trata se com iii consignatarios lar-
valhoi Nogncira, na tija rio Aoollo n. 80.
li ii i
vapor
coa>tcira por
Mam ancua pe.
O tp*r mniMp; rnmmandante
Julio, seguir para o porto ucaa/no
_ dia 12 do corrente as 6 horas. 4i
tarde. Recebe carga, encommendas, passageit,
r.se dinheiro a frete al s 3 horas da tarde
do da da sabida : escriptorio ro Porte do Mato*
n. 12.
3L
tarde, teci
4
Para o Rio de Janei^
vai sahir por estes da? o brigue porngaitt^ftye,
capitao Jo? JanuarSo da Costa, ainda retet**-
guma carga miada : trata-se com os c^^M
rios E. R. Rabelle & C, ra do Commer:
ou com o capitao.
Ferr^gens e sellins
O agente PomuaL fomneumieniente ; u
liadm em leill (r cotfta S risfo de quem per-
lebcer, dnas cslxas rom Umas orlidas, ebu
e-de avaha. nar*a S P J n 1/2 vinoas dVlBwa-
bTgo no navio:BM\ sm oecasfb tVn-
se-ha cinco afciis eom sellh p
mete narrachi e Iljms ^ camvet
talidades e
f "rWMHHPBff .1 stSm'
i da Senzala Nova n. 42, s 11 liorse.

ra
b
-




Qim FW*> OnarU^ .feira g,,,^,,^^ $f 1^(
3
foo
has
MaMl
a ru
ieni I.) Jargodo
niara as 10 Jioras no 1* andar
-do Vigari, n. 3.
-*9*
Vigyi
SO duzias d chapeos oa
ararla.
Quinta-feira 40 de marco-as 19.horas.
0 agente PintoJeva a leilao a requerirneuto
de Christiani & frm5o<, por autmata-* do cnsul
de Frano i em presemos > seu .ohanceJIer, por
cenia e risco de quera perlencvr, urna caixa
marca C l" n. 7 eoip 50 Juz as de'Chapos do du-
rantes qnalMades, VariiMos a bordo do navij
franeez Adele. cepita BecB.iult na sua ultima
viagem do Havre a ente porto o lellao ser ef-
ectuado as 10 horr.s d i lia cima dito no 1 an-
dar do s.-nalo da aua Xk1v3.11. .
dio de
.ueimnfi. 7, slo
foreiro, e inelade do predio de duiu andares sito
ra da Cruz do Recife n. Ci.
Ti-rc.vleira, 15 do frrente,
oi* andar do sebeado n. 62, ra a Criw^s
H horas.


I i. A.1^/
taberna sita na pi'.tc 4a lt i-
rtuiH n 3*.
O agente Ma-tins tara leilao por coma c risco
le quera pertenec' da taberna cima em nm ou
nais Mea, a prazo ou a bnieiro conforme se con-
vencional' no acta flo leilao, puja venda se acha
multo bem Ibafr-fada.
Quinta-feria 10 do corrente.
As ti hras doiatnaiii<>{na taberna.
CASA PA F08TBNA
A os 5:0G0#
S,
costrM
de oo-
5:000100*
\ mak M)$f broncos.
AVISOS DIVERSAS.
i r, ..------
Na r a DireKa n. G, existe uma carra-para
ser entregue ao Sr. Javeucto Paulino ds Silva.
i rnad
O abai:
tras sorle3,~flnppnVPimi
da lotera" que e aeaboa-de extrahir a beneficio
da matriz de CarnaTt (I39"). convida aos pos-
smdores a virera reeeber na conformidade do
costufcwoafi desfcoBto .algutp.
AcBaflP* a runfla es reines bilhetes garan-
tidos da i'M*vtada'Merfa iwhefieio ds matriz
JHnVS/tBnlo(!)). que ae aatrahir sexta-feira
18 do corrente mez,
ffrfnew Meio 3*000
I' JimiMi.! i -i^atm #00
Em porcao de 100J para cima..
tmele sjato
Meio ..n Wm
A tintura Ja
dajatjpca,jul
3
nhec
paVa finga os cabellos
H a nica adinittid
_Wp5rib> rtoffas as jjrejiflfoes at
now eiientos, sem alterar a sade.
Vende-ge a 1,5000 cada trisco na
fina da Cada n. 51.
-
Precisa-se comprar
ama asa cora rommodospara pionca familia, pre-
fenndo-se na Boa-Vista ou Capuna : i Iratarna
ra Real do Mangnirihb n. 73, e-quina da ra das
Crioulas.
I.0 adar.
Qtatlo i 4*375
Manoel Mrtins Piuza.
Pelo prseme agradecemos a 'forjas
jqoHas pessoas que volimbriamiint s<'
apraseiilaram, nao su para pagarem seus
dCbtos etmirahidos antes
Mo
le iaiTiitm-d trico urariatla
A Up-dfeg|fr|| ^~
O agente Oliverakb^K'Vi'por conta
i quera peiteneeJMe B>bJMP de trigo de lUchruond. a vanada, d'agna salgada,
reoenlemente Importad,*! ti NeM-Yurk pelo pa>
tacho amerieano Lizzie II. tiumolk
Sexta-ft ira
is II horas da manbna, no armazem dos Srs, L
Ouirioo de Aguilar Ai (!., ao raes d'Apollo Ti. 67.
do incendio de
nrjssff casa wtftirrierera rea da Cruz n.
06. comfi tambem a aquellas que se tem
acensado de que nos sao deverioras* forne-
ceftdo-uos os esclarecimenlos precisos com
relacSo aos mesmos dbitos.
Approveitamos esta 'opportoirisade p^a
pedirnaos a todos os denaais nossos d\e-
dores que se dignem prestar-se de igual
forma, dirigindo-se ao liojgo provisorio es-
crtolofijp ra da Cruz r>. +Bk -If i andar,
nwcrSoJavnr desde jl n#colressamos
Hecife, 8 demarro de 1870.
JdSo da Silva Faria A Irmo.
Oflerece-se
3.
una ama de leite na ra Bell
Vende-se diversQS escravos pefas, viudos do
f!ear e do Piauhy, projmos para enjrenho ; as-
sira como diversos CSbrocfras de t i 18 airaos,
ee-tn habrlidades e sm ellas e' m casal flo es-
cravos pardos garantindose a cotfducta : tratar
na roa da Un *>'! t\ 3-\ 3* andar.________
AMA DELEITE
Precisa se na ra de Ponte-Velba n. 6.
O abaixo a88jgn.1da faz saber ao corpo do
nomraerci e ao publico era Retal, que tem justo e
contratado com oSr. Jos Marns Dias a compra
da sua taberna sita travessa do Queimado n. 3.
Itvre e desembarazada de qualqusr oaus, mas so
alguem se julgar com direito a mesma, queira
comparecer no pra^o pe tres dia?.
Becie de narco de 1870.
loa^uira Fernandes de Oliveira.
'" Wgio'o^nragertho Murtbeca,: rregirela de
S. LoorenCo da Maa, o escravo Daniel, de U an-
hos de idade, com os signaesseguintes : tem uina
bMide em mu olho, o nariz grande, falta de tres
ou ipiatro denles, pernas finas, pes cambpdos.
Tem sido encontrado nesl cidade com camisa de
nscado e seroula de algodn : rogn-*c a quera o
eWontrar que o a^prehenda e o leve ao dito en-
genho, ou praca da Boa-vista n.'3i, que ser ge
nerosaqientc grtine.vIo.
WrtroT.
a ama para pouca
Terco n. 1, taberna
. cisa-9
famnnrT ^ per par
Onsfa-uos que pVepara-se un explendido
baile no theatro do Santo Antonio, ra da Floren-
tina, qnrregosijo a chegada dos voluntarios da
patria, e espera-se que o liyunio nacional ser
cantado pero Insigne artista o Sr. Jo?e'Ooelbo e
-jiuiiespimdlu pui uniumu de iligeii.'."
O apolo
ICos
Precisase alagar yg|
Harmente : tratar
?? mu sobrad de 9 andares e
iofi a rsia to ;iangein. SN
'> agenlcmarlins Fari lefia i competentemente
.lutorisadofo sbralo de 2 andares c_si4ao jla
ruado Papel n. .'18, n ii.it rende 90d#
iiop o ti rasan proprio.
Sexta feira 11 do corrente.
\< II horas de da a pona do predio que,
\-suea<.;o C.oiaraercia; d'i.nti; d-^Uorpo
^*'' Var
por au-
DtO.
Imporiante de pipos m v Fs, boa loura, "fi-
noj cr\sil-lis. prala e ouro com
britliSle" c p un carro u urna
victoria, a saber :
l'fii pi.injio forte, 1 i i billa de jacarandfl sof,
i mesa 2 aun-' I Jras. grandes espehos.
lcadoirajf de guarnida cadeira de braco*, I
ou na ra da Amisade n.
RfiSAUFOHa
leirAd"!
: 'ir., los de danm-o
bittn;> tgi Ws esKil'ados
iiMarii.-!**., I caden* para
, aon i, I lastre, 1 can labro e 2 serpentinas, 'i
rastines de pteetroplnt.', :nm imBfpa opaca?, jar-
-. irascos e lape tes.
I "ota i-ama francaza, 1 ..im;i de caUeceira, 1
' gu irda vest lo de moguoe ignaes,
i rico espelh i com columna-, I tocador, l reloejo
lisura eTeooma, I col'ido, Isufs de jaea-
11, 1 mesa oval, 2 bancas de jogo, 1 candieiro
.i paz, lo cadeiras c 1 jardinera.
na.mesa elstica, I guan i louca. 1 apardnr,
1 sefa de lacaranla e 10 eadotras, 2 ditas de ba-
I i logio de pa-e !>. I enrsa nara cha.
i .i apparrllio do porcelana dourada para jan-
i.l dita para ali.i,,eo, ; i qucijos, com-
a-, 10 parrar:-. 21 caci -. 2o copos c'i frnc-
l iras.
Urna burra de ferro (cufref, 1 realejo e 1 gamao,
1 aden.vo com biilhante.- o per. Ins, I apparelho
para cha. de praia, i castiga 1 salva, collieres,
s e lacas ludo de prata.
1 aia excellente victoria com arreios, i coiip e
1 par de lautcmas para cama (obra do goslo).
Kexta-fefra. f 1 de marco
("asa da ra dos Guararapes n. 7.
O agente Piafo levar *leil->. precedida acom-
nto autorineao, os movei-, loU^a, vidros, pra-
!a, ouro, camas'e rnais objectos cima menciona-
-. exitentes na casa atic servio de residencia do
Sr. Luiz Antonio V:;n, le-(iuararapes n.
7G, onde se effectu.ir.i o leilao n > dia cima dito.
O leilao principi r.i 10 horas era ponto, por
screm'inuitos os lotos.
HE PREOIOi
11 m sobrado de 2 apdares ? sotao n. 70 da rpa
das" Aguas Verdes, solo forelro, rende tntii por*
auno.
l)m dito de um an lar o. 28 da ra de Hortas,
solo foreiro, nade OiOj;.
ilma casa terrea o. 1 da ra. de Santa Thereza,
solo foreiro, rende 216i.
Urna dita dita n. 21 da ra do Nogueira, solo fo-
reiro, rende 3Wj.
Vma dita dita n l da ru das Aguas Verdes, so-
lo tambem foreiro, rende 300.
Sexta feira U do corrente.
O agente Martin* fari leilao por autorisacao do
Sr. Francisco Guedos de Arauju procurador de
-1 ao Fernanilo- friartc herdeiro universal ae sen
i (lleudo niho Antonio Fernandes Duante de Al-
ueidiTds predios cima, a porla do predio que
Yi Aociacao Coinmereiti oo largo do Cornp Sau-
'. i, ;ij 11 horas do da, os pretendentes podera
obter.qualquer inf irmagao do referido agente.
.1i-ftl'A ESTRKITA
Fornece-se comidas parafora com asseio
e pritnptidao c mandase levar em stias
cafas na ra f^.refla do Rosario'ji. -'. ca-
sa pal ticartafjintatu a oftw o rcirbeiro.
Na mesma ca.-a faz.m se (lores par en-
frfites rt< njol flores, isas, capacetes enfeitados, e odas
as flores <]? patino e papel para omajiien-
lo tic igrejas c andores lodo por barato
prern. 5o(|ieis jiara neivas com Ijtos bor-
dadas a ouro, bandejas de lollos ddosJ c m
aenracao para casamentos e hados, pifilins,
pjg de l enleitado para presentes & toda
a qualidade de doces de ofos tambedi en-
feilados, vellas i irs pna Jjaplisados por
barato prego, botquels do'(loros (locera
para t rt'ettes de bodos e psra offertas.
Attencao.
Alaga-se ou veade-se ama casa com bastantes
rommodos, Ba cidade nova doC Santo Amaro :
tratar com Joaqun) du Souza Nevos, a ra das
Ouzos n. 3G.
------------------------ r,
.\o segundo andar do sobrado o. 23 da ra
estilita do Rosario, precisase de orna ama forra
ou esc r a va, paga se Fm!
Ama
Precisa-se de urna am para casa de poura fa-
milia : na ra das Cruzes n. 25.
m\
ODr. Luiz Jos Correia'de S conti-
na no exercicio de sua proflssao medi-
ca, e reside ra das Nymphas (SoleJade)
n. 17. oude poder ser procurada.
Joaquim ernardo dos liis faz scinte ao
publico a ao i'nruD d corumefeio, ij"1' desde o
dia 7 dd cofrote delxon de ser scu caixeiro Joa
qnira Jos dos Santo- Athayde.
PIIEA'IX PFUNAMBUCANA.
Comptinhia de stgwos inmitimn* n terrestres
IIua do Comniercio n. '.$.
Capital ReiS 1,500:000*000
SeguraRimis.
Mncadaiias.
Navios de vella.
Vapores.
Tedios.
Em vapores ale i 100;000000
En navios de vella at res 73:000iO0C'
Em cada predio al reis 100:000000
Peenambaeo. 7 de inaeco de 1870.
Pela companSia Pnusi; Pernaubucaoa
.1. J. Tasso.
!'. P. llomes,
J. II.Trindade.
res .
Precisa-: e de u
Win. 80,ou4 t
33. Pagase
Precisa de urna
ama casa de um hora
servico de casa e com
120.
pibar-
leeife a.
pital, que di
-CamBoaro ualrmo
meia horas la tarde as onztfa noute.
ngitore ternalt^ aarrahciar ao r\fcpritaw! ^hblico desll ca-
nte estar" oierloa obcorrendl publica um tg&HpSbsmorantteom
variadas vistas e prl&agens di^g d? attenpSo de todos por
^atfwrYladas pelas forreas aflladas contra o go
HjMkr coma
Qb, .e fazer o
le Iforras n.
OITerece-se doL_
.de algurri sitio, e outro
quer csa.'rJao fiador
nesta typoyrphia se
Pedio Vasques, subdil
do.
se enti
ragoaj.
Ia.s
rAjila.
icianle leni emprgado todos ol seus exforcos |hra w o rfttettave
alli um bello passatempo mediente urna petifei|9firiula, kd
%um objecto^ gratis, de uiais Ou 'menos valolKS| ^ A
vistas serao iDudaias duas texes por semana, semo
as qh
para feitor
ado de qual-
co aduca:
credor, afrefente sua
, morador
Loara Eu-
nalgar ser
3 no praso^Pires dias
para ser conferida e paga. Recife 7 de marco de
1870. *
------------------------------ ... ^-------------------------------;-------------------------
r
rna larga do Rosario n^M
ropa a tratar de sua sauJBJflUlW
BrasilVista do Rio d 4ahefW) (Praml da Sade)
Portugal^p^da liba Tercelrt.
Franca -Vista d* Cherburgo.
FrancaF-Vista^ca do Urso. -,
Reporca OrienllVista do porto de Montevideo.
Italia-Staslaia^Milo. ^f
Paraguay* upisagem de Curupailj.
DitoReconhe|iMlBtoa1e l6^aiHlhodc
RussiaBdtha da (hjtrnaia.
3
DAS S S E MEIA HORAS DA TARDE AS ONZE DA NOUTE.
timarse o especi
ftmtw a TVnr
e o especial Livor ao passaseiro qoe
receben una lato com sen,entes do Alores da mie-
do Sr. fJtlho Ferntftdes AibiO". viuda de Lisboa
no vaporfirann-z Vrtujumj, en'.iad i a 10-de feve-
reVlll6-S6 reiro paSSado, sTJTOrendoTesmTii -la, dirjase
, ma Nova-n. if, ou em Oboda, m> Varadouro, aoe-
a um certo prororador que, recebendo a de mora: para ser proenrado.
dous aiirros orna letra firmalda"pr func- fr^ nnn m nJ?v J%gai'" Silva Penira.
Francisco Pereira de Arruda Cmara
engenho), tenha a bondaue de dirigir-
W 1
Ao publico
Cleniefiao flonr.ilves de faria tem eontratad-r
vender seu estab.'leeitne:ilo MatMift da ruad
11 ngel n. 39.
cionapo do foro de Nazareth, para promo- j 08r.
ver a Cobranca aHiitiVel, hl 'bo'tiio res lseabor de
ia_. ..-J.l.-i_,l...l_ ..- I n r-W4(
tituio esse titulo - chl o std'cdnStrJlrlte.fijoe em praso-breve
vem este negocio ser tmido a imi>rensa,
em toda? as Mnf*iwtanc8&e com dedara-
rio dos 0' mes das pessoas as rjoaes dita^
trihsaCcSr) mteressa.
O abaixo assjgnii'l> perden um quarto n"
2283 da 3I21 toteria do Um Id Janeiro, o (|ual se
'acha lirmado pelos Sr.-. Fi-neirdo & Leite, pelo
que previne o pede aos uwsraos senbores e a un-
iros a quera por ventara for dito bilbete apresen-
lado nao pagu'm qttaaiue* premio que tire sem
urna 'fwcessaria jnsflfh'.rinin. To-ifo i> de marro
de 1870.
Lytlio iihnno (Abuiiiryqii,\
quu
do Gojpft Santo
Ij
1L0B0S.
GLOBOS
Phenix Fernambu-
cana
Os senhores accionisias 'da companhia da segu-
ros martimos o temstres Phenu Pernnmbncana.
sao convidgfjo^ lrWfcfft,r'*,riat(^ (lia 13 ^"
corrale ne/.. no i'-drijMorro ua compauhia, ra
do Commorcio n. 3; viruo pW cont do capital das
aeooes i|ue sabscreveram de necordo com o dis-
pulo no artigo J3ilos_c6ta'ui >-.
Itrnaiiibuc) 7 t iriarto de 1876.
Pela fcdifipfillla Pliazib; Pernambucn
.1. J. Tas?*.
F. F. i! ir
isemior oe engennn), tema a ponuauo de dirig]
e raaidoCrtspo n. 17. a negoete.
rarinha de mandil
saceos
Veitdwir lVe< & i", a ruae^in
FfMB QuplWRfflMOS m
CttVllt%F04JO
A Companma Indemmsadora, cstabelectd;
KiHMMtoaft^eguras maifUiaa sobro
(ravios. e seus arregamenios e contra fost
Cl|,V'^v'd"toa,Dai?nOT''t!Vi,fc0 Bordeaux **9*S, m>ircadoias e toobihas: .
.------Lj::.------------------------------raa do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
ign*. Tjvares de MeJlj, prana
17, Io andar, vende cal de
.ra
... i
toen aa*mmtrt
ab-t .le THKODORO GHKiSTi
.na di Cruz n. 18, caconiran>y
Preci>a-sede urna ama boa cosmlioira prefere- iffPrtivampnt^ tnrlis '\v nrnlii'^Hi o vnV-
fe Cfcrawpaga-ee wrn na rna di Pires sobrado D^ameii:? "Mlas dS ^u '
i s*7. Bordeaux, Bourgogne e do Rheno.
COMPA.NUIA l'Kll\.\MBUl^*||^
5o DIVIDKROO.
ie orden d) cousellud- -lireco sa oommunie*
aos Sis ai'CVmistas que o p,,j .ment do quinto di-
vkli-n.lo razan do fl) ior e alo, lera lugar do dia
ft do muco prximo vinduiro era diante, no es-
criptorio da comnanhia no caes da A&sembi
n. II n
O^r^renjol -
F. F. BiWfjes.
Precisa-le do^fb*
comprar e cosmns
Augura n. 50..
d
alfia de im-ia idade parS
p: ra duas i -- -as; na ra
Toao jcihtho de Medcn*o< Hezemn, rdira se
para Europa, dcixando por seus precurador^s.
i-
De pape! de cores em grafito ouantidide para Precisase de urna ama para todo o sen-ico de
as illuininaeoe* dos fostejos uos dias da chegada : *a cas;i il' paqueya, familia : a tratar na roa
do hatalhau dos voluntsnos; magnifico sorlfmen- Nn Imperador n. 79!
suitinieiito chegado ao arinazcn do vapor francez i
ra Nova u. 7, por cmnmoe pr^co
('apelld dos iiov.qqs da venera-
r! ordem terceira de N. S.
do Carino
O abaixo assigriado convida a lodos os ^eus
cnarissmos irmos novlcos desta veneravl orden
a wrnipurcfn-m na igr<'.ji 4e aosaa ordem, no dia
8 de abril vindouro, as v2 horas da tarde, devida-
mente parnmentados com saus hbitos, para acora-
pauharmns a procissao Je triumpbo qne sane de
nossa veneravcl ordem.
. Jos Joaquim*"de Aze\-
Mestro dos novioos.
Bs.avo
~
Proeisa-.-e alagar mi escravo para srvco inler-
na* externo de una casa d.-: homem solteiro, pa-
?a-se bera : na ra da Cadei.l n. 20.
200^000.
O Dr. J. S. Rebollo, medico homeopa-
tha, reside no 2o andar da casa n. 32 da
Praga da Bao-visia, onde o podem c.-e.s li-
tar, ou mandar chamar, todas as pes
que o horarem coin a sua confianca.
mnibus de Ca-
changa'
Para meihor commodidade dss passageiros, de
boje om diante o mnibus denominado Passagem,
partir para Gachang as 4 horas da tarde, e de
raanbaa vira as 7 Irf para o Recife.
O proprietario,
Antonie Jos Coelbo Cariieiro.
O abaixo assigoado avisa ao publico que teodo
obtido liceoqa do Exm. Sr. cooselbeiro inspector
da thesouraria da fazenda geral, para vender es-
tampilhas em sen eslabelecimenlo a rna do Crespo
n. 2l. pelos mesmos prec/is que se vendem-Ha re-
cebedoria geral; assim pois, podem as pessoas
residentes nesta cidade e fra della dingirM^o
abaixo assignado, suas encomraendas em qolquer
quautdade quesera prorauta toante satiseitas.
Slatior Martins Ka.
Pr :cisa-se de um caixeiro cora pratica de
taberna a qne do" flador a sna condneta : na ra
Imperial n. 47._________'
Anta.
"Na ra da Cadeia do Recife n. 50, prisa-e
de urna ama para cozlnhar c engommar.
Fugio em 23 de Janeiro de 1860 o escravo Ma
ilieus, ce meia idae, cor pret, falla gr'ora, be-
xigoso. tem urna peoqena berruga no canto do'
nariz, olhos al'ngueinjos. tliitia sido dos senhores
Agosiiiiho Leocadio Vieira, em Panellas de Mi-
randa, e do Sr. capitao Francisco Rodrigues de
Freila?, ora Pesqueira, tinha vindo de l fgido
a pqitcos mezes e tem la ama mulher, desconfia-
se que ande as serras de Sinhara ; pede-se as
autoridades e capiles de campo a captura do
escravo e tiazer no Recife a sen senhor, Josfi
Cardosode S, ra da Lingueta-n. 2. 0 nwsotti
protesta contra qnalquer pessoa que o leoha acui-
tado i grabOca-se cora 200 a quera o apresea-
lar ao dito seu senhor.
Cozinheiro
Precisa se de um homem para comprar, cozi-
nbar e fazer alguns serviros internos ds urna casa
de pouca familia, prefere'-se escravo; tratar na
ma da Cadeia do fecife, loja de terragens n. \\.
Aviso ao publico
Previne-se para qneoaoseja arrematada a casa
terrea n. oi da ra Velba do bairro da Boa-vista
que consta va i praca por execucao da fazenda
para pagatnento de foros do terreno em qae so
acha edificada a pobrissima igreja matriz de S.
Jos desta cidade, visto qne a irmandadj ?' tem
nes?a casa 200^000 e oaso-fructo de seus alugueis
por tempo determinado.
Popos tubulares ins-
tantneos.
Heitor & Sampayo.
Rna \'ova u. 38.
Os annanciantes acabam de preparar alguna
- tubulares in-iaai..neo-, mais iperfeicoados
do qi:: os viudos de fia dO pa z, os quacs \xn-
dem por preco muito mais cinmodo, encarregan
d >-se do seu assentamenlo al funecionar. Um
dos nielhorameiilos l'eitos poder servir qualquer
bomba. As pessoas que quizerem comprar um
ou mais desses lobos deem dirigirse offleina-)
dos-annunciantes : rea Nova n. 38.
Iruiinndarfc le .\ .>**; Krahor..
1 ole A mosB rtgcilora da itnjandade le Nossa Se-
ahora da Soledade convida pelo presente os Srs.
me.-lres de earpuas e pedreiros, que quizerem en-
carresar-se das obras de dous altares, arcos e ,eru praneiro lugar ao sr. Joae Ouermo de Apodar,
forro da igreja, a apresentarem suas-propostas era um segundo M un,el Ja t.o-i.i Das Jnior, e mi
carta lechada om mesa, quinta (eir 17 do cor- Mereelro Fr.innsvi de Oliveira Franoo.
rente mez, podendo para isso consultar as plantas
i|ue so achara era poder do guarda da mesma ir-
mandade.
Consistorio da irmandade de Nossa Senhora da
Soledade 7 de marco de 1870.
Manoel Rain-sa de Aranji
Secretario interino.
ATTENCAO
o cirubgiao mm\
Frederico Maya
Tem a honra do scienliftcar ao respeita-
vei publico em geral, e aos seus cuestas
em particular qae elle mtidou o s-u gabij
note de consultas da ra Direila d VI para
a do Queimado n. 31 prirneiro indar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II, nada po-
de ser procurad') pan os misters de sua
Vende-se a loja de calcado sita a ra Direi-
la n. io, a qual est bem areguezada tanto para
a praca como para o malto e so se vende por
ru di !> n-iir.T de.-ia prm a, quera pretender '
dirija-so a mesma que .iebar--eoiB.quaui-uaui-J pcofissio. tod*s o dim- Hteis das }> horas
c tem tambem bstenles commodos para nume- (]a rnanhaa s 3 da tarde,
rosa familia por botar de ra a ra o por preco
muo rasoavel que admira.
Na padar&da ra do Itangel n. 9 precisa-se
do dous trabalhadores e am aprendiz.
AMA.
Precisa-se de urna ama de leite e de urna para
servico d casa : informase na taberna da ra
das Cruzesn, 41.
'-------------------" ... Ti------------------------
Prfcisa-se alagar um creadrTou creada nica
mente para coiinhar : a roa da Cadeia do Recife
n. 57.
O abaixo assiguado leudo nu Jornal da Re-
cife de 3 de marco um annuncio do solicitador da
fazenda provincial, se entere que vai praca o
sobrado do pateo da Santa Cruz n. 2, mas come o
abaixo assignado conseuhor do referido sobrado,
sua parte rconhecida pela fazenda, nao vai a
praca, e sira as partes dos domis emuenhores,
pelo presente avisa aos pretendentcs, scientifican-
ilo-lhes que nao arrematen! o predio todo para
depois nao haver do-vidas.
Jrjo Luii Ferreira Ribeiro,
Para engtjnho
Precisa-se de dous homeos portuguozes para
.'eiiores ; ua praca da Boa-vista n. 19.se dir.
^^TeikTnte^oronel coiuaiaiulaate do 3 batalho
da guarda nacional d'este municipio e suaolllciali-
dade desejando dar urna prova do aprego e con.-i-
dera?ao, era que sempre tiveram o seu companhei-
ro, o capitao Antonio Jos da Costa e Silva, mau-
dam celebrar una missa por sua alma, nri igreja
de S. Francisco, no dia 10 do corrente s 8 horas
da manhia, trige.-imo de seu fallecimento, e para
oque convidara a fa.nilia, prenles e amigos do
mesmo capitn.
mnniiUBnaBnai
4. emio Philosnphico e tAttt-
rarlo.
De ordem do presidente do Gremio Philosopbico
e LUterad eonvdo os senhores socioj.do mesmo
a comparr'erem na qijartafeira, 9 do corrente,
na casa-do costuine,. pelas 10 horas da manha,
para a prlraeira WJMaaparatoria.
O i ecretario,
Arthur Anncs.
A pessoa quo teiu era suu poder por em-
prestinio a collecco de Janeiro setembro de 1860
deste Diario, queira mandar restitui-la no escrip-
torio da typographia._________________
Correspondencia de Portugal
Os Srs. que inda deveai suas assignauras de
um, dous, e at 3 anuo-, nao obstante a deligen-
cia que se ha feito para raceber, queirara mandar \
pagar no escriptorio de Tasso. frino? & C al o !
lira do mez de Marco, quand' -era enviado so
editor da mesma folln urna lista dos devedore?
que nao o tcnhain feito at aquella data.
Precisa-se de uina ama para casa de pouca
familia : na ra do Livramento u. 2*>, 1" andar.
Alga-se urna casa na travessa do Peixoto n.
68, contend) .'i quartos, 2 salas, cozinha fra,
quintal o cacirrba, por 2og ao raez.___________
Joaquim Jos dos Santos Athayde faz sciente
ao respailan! publico e principalmente ao corno
d, 'ommercio, que desde o dia 7 do correte dei-
xou de ser caixeiro de J aqu ti Bernardo dos '
Reis; e agradece ao mesmo o bom trataraento que
Ihcdeu.
as
Tambem previne, qne contina a prestar-
se a vontade dos client-is nao s na cidade
como nos seus suburbios, para onde r-
idas serao precedidas- de ajuste. Elle ga-
1 rante o bom deserapenlio e a perfeicao de
seus trabalbos, o que j:i bem conhecido.
assim como as o>mmo lirlades dos precos.
Bartholomeu & C,
Ama
Precisa-so de una ama qu
comprar : trata-se na roa t
n. 18 A.
i saiba cozinhar e
lo Queimado, loja
Hospital Portiigoez de Beneflcen-
cia em Pernamlnico.
A provedoria deste hospital.manda convidar aos
senhores associados, aos parentes e amigos do
finado Fr. Antonio de Santa Anglica, a assistirem
a urna raissa que por alma do mesrao finado man-
da celebrar no oratorio do hospital, quinta-feira
10 do corrente, as 6 i|2 horas da manha.
Secretaria do Hospital Portnguez do Beneficen-
cia m Pernambuco 7 de mar^o de 1870.
. 0 1* secretario,
Joaquim Xavier Vieira Ligo.
II
Precisa-se aldgar am preto de meta idade ou
moleque at 16J por mez: ba raa da Praia uu-
mero 27.
VrinO, Piulas, XaH*?B bTintur
. ,,;:i..' iMlfUa i::ua'OI.NUSO.
'.!'..:.(), i'OMAUAli K&IPi.ASIHU DA MESMA
LLANTA* PltKP-MIADOS >OH
9ARTH0LOME0 & CA
PHAtlMACEUTICOS-DriOOlJISTA
PEafAHUUtO
A Juiulielia : plaa e boje tccoohecii
cuiiiu u mais |i'!en>so tnico, cmno o melW
.l'Mi!iiruenie.eci'Oi(ilalpplic'la i.oipa-lccimc:uua
Jo ligailue bacu, hepautes, ilurasaa, luiooresiaur-
nos e esiiecialiuente do ulero, hfilropesiai, yi-
iwUhs nc; oassocuda ao rro eotil na raiti4w
crea, clilorose e falto de enslruaco, desuraa-
jo Jo estomago, etc., a o que diaemos iltes*
lunuaieraa curas mporlaalca ublidM Mam uoaaa*
preparaJos ja bcra couheaido e usado* pelo auu-
dilinctos medico do paiie Portogil. Em lodos o*
nossoa deposilo distriboimo gralis Mhiios melhur faMm conhtear. Jurubab* (eos rssaJudM
applicaco.
importante estabelecimento no seu genero, tem sem
it. kh '* po^prepos qfte fl^titml otra casa W/t teMr.*h%
iya m ^ ^^ ^ q^jggjQ e 0 pretjp das joias cada um poeM-l^
Rosario. Garante-se ser todo de lei. Compra-se ouro, prata e ped
yacios.
j Ak
asEaSas
k>ja est aberts at s 9 horas da noute.
0*130
(EO
MUGA ,

to largado!
*.*
i



Diario de Penlamfrucd Qtiarta feira 9 de Marqo de 1870
A ESMERALDA
LOJA DE JOIAS
&C
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado de novo, est as condi-
6es de servir vantajosaraente os sens fre-
fueses, visto que acha-se prvido com nm
esplendido sortimento de obras de onro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
ras pedras preciosas, cujos presos sao os
aiais mdicos qne se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
#e em troca ou compram-se com peqneno
bate.
\ 5 MA DO GABUGA PL 5
Nutrimento
MEDICINA!
PREPARADO poa
Lannan AXemp
PARA
Tsica e toa a
qualidad de do-
ancas, quer seja
na garganta, pei-
lo ou bofes.
Express a-
mtfnte escolhido
dos melUqres fi-
gados dos quaes
.se extra he o
loleo, no banco
'da Terra Nova,
purificado chi-
micalmente, e
suas
pconxiedades
consrjrvadas
com todo o cri-
dado, em todo o
frasco, se garan-
te perfeitamen-
te puro.
Este oleo tem
sido submettido
a um exame
muitosevro, pelos chimicos de mais tale-n
ot, do governo hespanhol era Cuba,foi de-
vulgado por He e contem
MAIOR PORgO D'IOWNA
do que outro qualquer oleo, que elle tem
examinado .
I0D1N0 E'UM PODER SALVADOR
Em todo o oleo de figado de bacalho..
e naquelle no qual contm a maior porclo
d'esta invaluavel propriedade o nico
meio para curar todas as doencas de
GARGANTA, PEITO, ROFES.FIGADO,
Tsica, bronchites, asma, caiarrho,
resfriamentos.etc.
Uns poucos frascos d carnes ao nmito
magro que seja, clarea a vista.e d vigor a
todo o corpo. Nenhum outro artigo co-
nhecido na medicinaflou sciencia, d tanto
nutrimento ao systema e encommodando
quasi nada o estomago
As pessoas cuja organisac5o tem sido
destruida pelas affeccoes das
ESCRFULAS OU RHEMAUSMO
e todas aquellas cujadigcstfto se acha com-
pletamente desarranjada.devem tomar
O OLEO DE FIGADO DE BACALHO
DE
Lanman fc Kemp,
. Se que desejam ver-sevres eexepasui
de enfermidades
AO ARMAZEM
DO
Htia 9oy* n. 9,
acaba de chegar pelos ltimos vapores novas re-
messas dos seguintej :
Calcado francez
Para senhora*.Botinas brancas, pretas, e de en-
tras nanitas difireme cores i ultima
moda.
Para menw. Botinas das mesmas cores e qua-
lidad3s cima.
Para homens.Botinas de cordavio, bezerro, ver-
niz, pernea, o meihor sortimento que se
pode desejar.
Para meninos.Botinas das mesmas qualidades
mencionadas para homens.
Para homens.Botas rucia as, metas-botas e per-
ueiras.
Para homens, senioras e meninos.Sapatos de
tapete, aveludados, charlte, casemira
preta, tranca de Lisboa et. ele.
Para nieniios e meninas, Abotinados fortes de
rattitasjqualidades.
Quinquilharias
Finos artigos de Pris, de costo e phantazia,
como sejam, leqnes, espelbos, luvas de Jouvta,
caixinhas de costura com msicas joias de onro
bom de lei, ditas de plaqu, cofres de seda e bol-
cinhas para braco, estojo para viagens, bengalas,
chicolinhos de bleia, oculos, lunetas, correntes de
relogios, e perfumarlas de Condray e de Piver.
Brinquedos para crianzas
Carrinhos de 3 e de 4 rodas para passeios, eos-
moramas e realejos de diversos lmannos, e un
cem numero de brinquedos francotes e allemaes
para enireter meninis.
Para evitar massante leitura de tantos artigos
ex postes venda neete estabelecimento, o dono
pede ao publico em geral que se digne entrar de
passeio afim de verilicarera nao so a grande va-
ridade como os precos baratissimos por serom
USTAVE
LEIREIRI) FRANCEZ
51Ba da Cadeia do Recife51
Chama a attencSo dos seus innmeros fregueses, e do respeitavel publico efe
geral, para a seguate tabella dos precos de sua casa, os quaes io vinte por cenU
mais barato do que em outra qualquer parte:
Cabelleiras para senhoras a 250, Cadeias para rftlogi a &$, 6fJ,
m, f- e. .-.-. 4W000 7 80, *, I e. .
Ditas para hornera a 354, 404 e 504000
Coques a I4T54, 184, 204, Corto de cabello......
pLi i'ka''i W im Cor16 de o*"0 com fricc*>.
Crescentes a 14,154,184,204, ~._, ,
254, 304 e.....384000 Corte de cabello com lavagem a
Cachos ou crespos a 34, 44 54,
64, 74, 84. 9* e. 104000
Tranca de cabellofpara annel a
500 e....... 14000
Tranca para braceletes a 104,
154,204, 25 e .. 304000
tosse, todos chegados de conta propria.
champou.
Corte de cabello com limpez da
cabeca pela machina elctri-
ca, nica em Pernambuco. .
Frisado inglea ou (ranceza.
Barba........
ASIGNATURAS NENSAES
Efspecialidade de penteados para casamento
Baile e selres
154001
.501
501
14001
14001
501
251

O dono do estabelecimento previne s
Exmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um
salo para tintura dos cabellos e barba, as-
sim como um [empregado smente oceupa-
do nesse servico.
Recommeoda-se a superior TINTURA JA
PONEZA para negrecer os cabellos e bar
ba, nica admttida na Exposico Universa}
como nao prejudicial saude, por ser vo-
ltil, analysada e approvada pelas acadtl
mas de sciencia de PARS E LONDRES i
No armazem da travessa do Corpo Santo n. 25, ha sempre um completo
partimento de objectos para carros, e que se vendero por precos muito rasoaveis, como
sejai:
Vaquetas de lustros, grandes e muito boas.
Solas idem dito.
Oleado preto e de cores.
Colleiras de lustro o que ha de meihor.
tiuarnicoes de fino latSo para a'reios, completos.
Lanternas e vellas para as mesmas
Eixos patentes para sebo.
0 MARAVILLOSO REMEDIO DO
DE. CHAS. DE GRATH.
OLEO ELCTRICO
KINGOF PAIN
o re ha dor
paha iso ivn;n\o b i:\ti:ii\o.
Cura cholera e cholera morbus.
sangue, em um dia.
dores do ouvido em
DiaiThea, fluxo do
Dores de cabeca, o
tres minutos.
Dor de denles, em um minuto.
Neuvralgia, em cinco minutos.
Deslocaces, em vinte minutos.
Gargantas inchadas, em dez minutos.
Clica e colvulses, em cinco minutos.
Hheuman'smo, em um dia.
Febre c febre intermitente, em um dia.
Dor as costas e nos lados, em dez mi-
nutos. >
Tosses perigosas e refriados em um dia.
Plueresia, em um dia.
Surdez e asuma.
Hemorrhoidas e bronchites,
Imflamacao nos rins.
Dyspapafa, erysipelas.
Molestia do figado.
Palpitadlo de coracao.
Heserve sempre este remedio na sua familia
AS DOENCAS SE APRESENTAM, QUANDO MENOS SE ESPERAS!.
OLEO ELCTRICO O King of Pain (O Rei da dor) aquieta e positivamente dis-
ipa mais de diferentes molestias e dores, e allivia mais os soffrimentos e produz um
mais perfeito equilibrio no systema humano, o que nao se pode efleituar no mosmo tem
po, com qualquer outro remedio medicinal.
Este muito popular remedio est agora usando-se geralmenle, pela razo que
milhares de pessoas se tem curado gratis com o dito remedio pelo Dr. Grath e outros
mais.
Este importante remedio nao se offerece para curar todas as doencas, porm
lio somente para aquellas estipuladas as nossas direccoes.
Est operando nos principios da chimica e da eletricidade e por isso, est
applicavel para o curamento e para a restauraco da aeco natural dos orgos que so-
ffrem da irregular circolac5o dos fluxos dos principaes ervos. Oleo elctrico O King
of Pain opera directamente nos absorventes, fazendo desaparecer as inchaces das
.glndulas etc. em um tempo incrivel, breve sem perigo do seu uso debaLxo de qualquer
circumstancia.
O remedio urna medecina para o uso externo e interno, composto dos ele-
mentos curativos, raizes, nenas e cascas, taes como se tem usado dos nossos antepas-
ados, e das quaes tem grandes existencias no mundo, par somente sabenda-se quaes tas sao.
Foi um grande e especial desejo da faculdade de medicina durante muitos an-
aos de exp'eriencia para aprender os memores modos que se deviam adoptar para corar
as Sfgnintes^pencas, eque proporces e medicina se devia usar. .^ v~V
LTNICO DEPOSITO EM PERNAMBUCO
INSTANTNEOS
Travessa do Corpo Sanio n. 21
ARMAZEM
Ra Nova n. 28, loja Antonio
Pedro de Souza Soares.
Bandeira, Machado & C, avisara ao respeitavel
publico que nos lagares cima encontrar no mes-
rao sempre grande quantidade de ditos pocos, e
que se acbam habilitados para vender por menos
que outro qualquer, por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante Norton, de Londres.
As vantagens que onerecem os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser collocados den-
tro de casa ou rom, com o trabalho 0e yma arduAs
horas; segundo, fornecerem os mesmos agua pu-
ra e abundante, podeudo serem removidos de um
para outro lugar, quando assim convier.
Os annunciantes s reeeb'-rao a importancia dos
referidos pocos depois de collocados, sastaiendo
espectativa do comprador.________________
Aluga-se urna boa esmva para servico de
casa, e um officiai de carapina : na ra da Penha
n. 11, 1 andar.
Methodo Gastilho.
Manoel Jos de Faria Simdes, professor particu-
lar do iostruccao ellemeniar pelo methodo Cas-
lilho, tendo chegado do mato, onde, foi tratar de
sua saude, avisa aos paes de seus alumnos e ao
respeitavel publico que no dia 14 do crreme
abre de novo a sua aula, na ra da Sentala Ve-
Iha d. 134, segundo andar. Em dita aula recebe-
se alumnos internos e externos.____________
ANA
Precisa-se de ama ama para o servico interno
de pequea familia : na ra do Vigario n. 5, ter-
ceiro andar._____________________________
Trilhos urbanos do Recife
Olinda.
Gonlinua-se a comprar dormentes de sicupira,
oiticica, amarello e outras madeiras de duracao
para o chao, com as dimenses seguintes : 10 pal-
mos de comprimento e 3 112 polegadas de grossu-
ra.de 7 12 de largura : para tratar, no telhelro
da ra da Aurora, desde as 6 horas da manhaa s
4 da tarde.
O superitendente,
Andr de Abreu Porto.
TEZOURA DE OURO
DO _^_^_
A' ra do Queimado n. 6, prinipiro andar
8 pessoas para o servico e o maior acceio nos trabalhos de barbeamento.
O salao estar aberto, nos dias uteis das 6 horas da manhaa s 9 da nou-
e, e nos dias santificados das 7 a i hora da tarde.
Fugio do engenbo Mtnhocas, da comarca de
Santo Anto, no da 20 de junho do anne passad,
o escravo de nome Francelino, representa ter 3o
annos de idade, com os signaos seguintes : cor
preta. baixo, corpo reforcado, cara larga, bastante
barbado, olhos pequeos, narii muito afilado, boc-
ea regular, denles curtos e limados, muit prosis-
ta e andar apressado ; consta andar pelos subur-
bios da cidade de Olinda, engenho Fragoso, Catu-
c, Beberibe ou Apipucos, acoutado por Joaquim
Jos de Sart'Anna, seu irmao liberto, o qual tem
em sua c^mpanhia urna cabcclha e filhos da mes-
ma, e por outro irmao de nome Jos Bagoia, que
o conduztra para os lugares cima (indicados,
alem de um outro sojo de nome Jos Zacharias
da Silva, conhecido por Jos Paje, por ter vindo
daquella comarca. Ropa-se s autoridades e ca-
pitaes de campo que o apprejiendam e o levem
ra do Rangel n. 17, ou no engenho Minhocas, a
entregar a seu senhor Joo Correia de Queiroz
Monteiro, que serao generosamente gratificados.
s
Advogacia.
O advogado Ayres Gama contina ter
seu escriptorio na ra larga do Rosario
u. 26.
(rainina*Ir nacional
Primitivo de Miranda, esiudante do 5 anno, d
licoes ra da Conceico n. 12 ; pode tambem
ser procurado no escriptorio do Dr. Jacobina, ra
do Queimado n. 33;___
CASA DA FE.
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Rio venda : ra do Cabug n. 1,
vende Vieira & Rodrigues. ___________
rEMM
Pede-se encarecidamente aos ir*. Domingos
Theodoro Rigucira e Aristides Florentino Caval-
canti do Albuquerque fde Sennbaem), que venuam
ra do Vigario n. 14, a negoeio que se precisa
ultimar.
NA PHARMACIA E DROGARA DE
Bartholomeu & C.
34Ra Lirga do Hosarld34

r_Ji^
LAQOS AlRI VER
DESriNCTlV PAIBWWCD
Vnde-se ra do Queimado p. Ccasa 'de Cabelleireiro.
irarai 4c^S80URA DE OURO


indas e superiores bareges de cor, de quadro e de listras, para vertidos An-
de 500 e 640 rs. o covado.
Casa de coromisso de escravos
Na antiga casa de commissao de escravos, d
ibaixo assignado, ra do Imperador n. 45, contt
oa-se a r ceber escravos por commissao, lanti
lo mato como da praca para serem vendidos, t
;arante-se o bom tratamento e prompta venda
>ara o que se emprega todos os esfbr^es afim di
atisfazer en todo s pessoas que o quizerem hon-
ar com sua conflanca. Nesta casa ha sempn
iara vender escravos de ambos os sexos, velhos <
ocos, aasim como ha t da seguranc* para os ter
______________Antonio Jos V. de Sorna.
Ama.
Na ra do Cordonit n. 8, preeisa-se de urna
ama que saiba cozinhar.______
Aluga-so o 1? andar do sobrado n. 5 da ra
Imperial : a tratar no andar terreo.___________
Grande sitio para
alugar.
Aluga-se um grande sitio na estra-
da do Rosarioho, o qual tem muitos
arvoredos e grande baixa para ca-
pim ou ereacao de gado, podendo
sustentara vccas por ter um grande
brejo no fundo que vai quazi estrada velha de
Beberibe no lugar Agua-Fra, tendo o sitio urna
!;rande frente para a nova estrada de Beberibe
azeudo quina na ponte que all existe. A casa
nova, lera duas sallas e quatro quartos, grande
copia ,quarto de creado, coeheira e estribara, tu-
do de pedra e cal e edificada ha piuco tempo.
Quem pretender queira entenJer-se com o seu
prourietario o coaimendador Tasso, em seu sitio
na Cruz das Almas at s 9 horas da. manhaa e
depois na seu escriptorio na ra do Amorim nu-
mero 37.____________________.____________
Precisa-se de urna ama : no pateo do Parai-
zo n. 29, defronte da igreja. Io andar, esquina.
-11 riLOi
N'ESTA ANTIGA E CRE
FABRICA
1 ^K
MTATA I
>i
IICIITI1 II CIHITIITIIHTI IDI ClItLIIt I01TIIU1I II
(1HAPEON BE SOI:
De todas as qualidades I
Da todos os feitioi I
De todas os precos t
RA DO CRESPO
deposito de neos
9 RA DA IMPERATRIZ 9
O proprietario dest3 estabelecimento acaba de receber um completo sortimeri-
to de pianos do afamado fabricante Herz, entre os quaes tem alguns pianos de granae
formato e contem mais de que sete oitavos.
O proprietario deste estabelecimento offerece ao publico maiores vantageri:-
que outro qualqaer, fazem-se todas as qualidades de concertos e afinaces segundo g
meihor systema com o maior esmero e promptidao possivel. Iknrique Vogeley
Precisase de um caixeiro que
conducta : na roa de Hortas n. 1.
afiance sua
Na rna da Concordia, padaria n. 9, se pre-
cisa de urna ama. ___
Oa abaixo assignados aecl$ram pelo presente
ao respeitavel corpo docommercio, que por m-
commdos de saude do socio Flores, amigavelmen
te dissolveram a sociedade que tinham na loja de
fazendas roa do Cabng n. 10, que gyrava sob a
arma de Flores k C, fieando iodo o activo e pas-
sivo da mesma sociedade a cargo do primeiro
abaixo assignado, haveado o aegundo retissdo o
seu capital e lucro que Ihe pertenciam. Os* abai-
xo ass(fado8 nada devem nesta prafa nem fra
della ; entreunto se alguem julgar-se credor,
convidado a ir em predita loja para ser pago. IsJB
deqtro do-praso de tres dias, a contar da pul
eao > preente aviso, flecfe 3 do mareo de
Antonio Joaquim Vaz de Miranda.
Joie de Soum Leal Flores.
70
Selecta brasiliense.
Acaba de publicar-se o segundp e ultimo tomo
itetobra, 1 Toiume 8* br. 5J08, eontem bio-
fRphni, ireehos de amores naeWrises'-etc.
Livraria Fraoceza. ^ .
ama de* ieiu que sej
i. 7. segu
MA "^^^^HOHsr
-se de urna
sadia, n* praca do" Corpo Santo
andar.
Apda fgido desde 26 do fejareiro pruxi-
mo pessado o escravo J>o, preto, alfa tara bal xa,
tndo picado de bexigas pelo tono e falta de den-
camisa branca, e Jevou mais
de lista, uertt o paf ar leve-o a
loja de Porto A justos,
. jue ton roecwpensaA?-

TRILHOS URBANOS
no
Recife a Apipucos.
A venda dos bilhetes nos carros conti-
nuar at o dia 24 de marco entretanto
roga-se aos Srs. passageiros o favor de
comprarem os seus bilhetes as estaces
antes de embarcaren! nos tr-DS.
A conducrao de bagagem principiar hoje
partindoo trem do Recife 4 Apipucos ao
meio dia, e de Apipucos ao Recife a i h. e
l.'im. da tarde.
Recebe-se bagagem e carga nos dias uteis
das 6 horas da manhaa as 6 da tarde nos
seguintes pontos:
Recite.
Officinas.
Manguinho. P ,. .
S. Jos (casa defronte da igreja).
Torre.
Casa Forte.
Caldereiro.
Monteiro (do hotel).
Apipucos.
A bagagem para os pontos de Soledade,
Ponte de Ucba, Jaqoeira, Parni-meirim
Sant'Anna e Porta d'Agua, s ser recebida
com a condiccSo do remettente manda-lo
receber Da occasiio -da passagem do trem
porn5o ha ver ali qom o recolha nem es-
taces proprias para esse Om.
Qualquer reclamacSo dirigida por ecrip-
to.ap gerente ter iinmedia/a atencao-
Escriptorio da compahhia, Io de ma
dG ,8?' Wi fJmsM
Serente.
TINTURARA
TIMCBA
PnETA XAS
TERCAS E
^SEXTAS-FEI-
n.\s
25RA DAS FLORES25
O doDO deste estabelecimento Unge, limpa e achamalota com a maior
perfeico possivel todo e qualquer objecto de seda, la, algodio, em pecas
ou em obras, chapeos de lei tro, palba e raanilha etc., tira mofo das fazen-
das e faz todo o mais concernecte sua profisso, ludo com brevidade, visto
como se acha prvido dos necessarios machinismos e petrechos.
Olto Schneider,
U
g5j
O Dr. lostaMotta de volta de sua via-
fem da Europa onde dedicou-se s mo
. estias de senhoras, a parios e affeccoes
|<90ft pota ser prwoofco. Jn sua casa
a ra da Imperatriz n. 9. Da consultas
das 10 lloras m bmio dia, asado gratis JR
para os pobres. | nJsj fJ k
SOFFRIMENTOS O'ESTOMAGO. CONSTIPACAO.-
Cura em poneos diis pdo eRVO OC SCLLOC em p ou em pasiitfcas.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. EaasaOeccfessftxfe-
IpadM rpidamente pelan KMUI riTMC '* OUIi-V
ANEMIA, A PALLIDEZ e alimentos que necestitam do
empreo dos ferruginosof sSo acmpre combatidos com o meihor resultado
pelas PILUUU OE VLLrT. CadfcliUula tem incravado o nome VlllIT.
PO DE ROG. BM*ssolvr um frisco deste p em meio
garrafa 4*^ua para W oi'tr na limonada agradavel que1>urg sem fc-
rer clicas.
VINHO OE QUINIUM i* Ubmnque. Este vinto, um dos
poucos cja cowpoSlo i prantida consUnte, urna das meUom pw-
paracoe aquinia, sem acolo noUl sbre os tonvalescentes, dando-
Ibes forcaa o apifisando i folU *<* Cura a,febret antigs qm re-
sista ao sulfato de quinino.
1
MOLESTIAS DA BEXIGA. -i A or parto d'osui mtk
t^, como as sciacas, lombapw, cati
geral slo curadas pelas M|MM.U M
tiirtWB&XXttZZ*
todas as dores nervosas em
ICNCIA OE THKftES/NTIIia do
Trtado de #tnptuti$*lb-
jantar, na d6S de 4 i 11
80G ein%k1 fiMUMm
OMUitido purol de prinS^ra
i sxrp
qualhhd.,
imperialde m*dk*m ie Par.
a lifli
i. rail
Hnju


10
!


Diario de Pemambuco Quarla feira 9 de jMarqo de 187.
t
COMPRAS.
Compra-se
duas oa tres venecianas em segunda ra3o,perM
qae eatejam perfeits: a tratar na loja da ra Nora
48.______________________________________
Casa terrea.
Compra-se urna rasa terrea ; tratar na ra
da Madre dejDem U>, !.>ja.
Compram-se moeiia; dos oa valorea, ouro e prata em obras iuuiilsada*,
brilhantes e mate podra? prenosas : na loja de
onrives do arco da "
ned/a? prenosas : ns
Coitceieao, no Recre.
mnmi i \hiih
ESCRAYOS
Compram-se e vendem-se diariamente para fra
dentro da provincia escravos de toda as idades,
oorea 0 sexos, cora tanto qne sejam sodios: no
terceiro andar do sobrado n. 36, ra das Gnes,
freguezia de Santo Antonio.
Com inulto maior vantagem compram-se
moedas do ouro e praia : na loja de joias do C-
rtelo de Puro D, roa do Cabngi__________
Compra seno armazem Pernambucano ra
das Cinco Ponas n. 86, garrafas e botijas vasias, a
'i 000 o cent.________________r_____________
O miizeo de joias
Na. ru 4o Cabug o. i compra-se onro, prata
< podras preciosas por procos mais vantajosos do
me em ootra qualquer parte.
V'NDAS.
Vende-se urna taberna no pateo de S. Jos
n. 81, bem afregnezada para trra cora poucos
l'undos : tratar na men.
Para a quaresma.
&' loja do Passo
Os proprielarios deste importante estabelecimea-
10 receberao pelo ultimo vapor francez ricos nps-
tilboes de gorgnrlo preto maito bem enfeitaflos,
inteiramente nnvidade, sedas e gorgoritos pretos.
temos sortimento completo, o melhor a desejar.
Dirijam-se, pois, todas as pessoas que precisan) de
comprar estes artigos, ra do Grupo n. 7 A.
Seientes de qne, em precos Dio se deixar de ta-
zer negocio, isto 'motivado pelo muito sortimento
ijue temos. _______
ACHINAS PARA
COSTURA
Acaban de chegar ao GRANDE BAZAB
UNIVERSAL, ra Nova n. 22carneirc
viannaum completo sortimento de ma-
chinas para costura, dos autores mais co
onecidos, as quaes eslo em esposic5o nc
mesmo Bazar, garantindo-se a sua boa qua-
lidade, e tambem ensina-se com perfeigo
a todos os compradores. Estas machinas
sao tguaes no seu trabalho ao de 30 costu-
reiras diariamente, e a sua perfeiro ta)
como da melhor costureira de Pars. Apre-
sentam-se babalhos executados polas mes-
mas, que muito devem agradar aos preten-
dentes.

DE
BARATAS, NA LOJA E ARMAZEM
DO
DE
FEIIX PEREIR1 DA SELVA.
Ra da Imperatriz n. 60.
O proprietario deste grande estabelecimenlo, tendo dado balanto no flm do
tono, como de costme e vendo qaa tinha um grande deposito de fazendas, e juntan-
io a essas outras muitas que Ihe tem chegado este anno, tetn resolvido fazer urna LI-
QUIDACO por presos muito mais baratos com o fin de diminuir a qwntidade e apurar
OINHEIRO.
O respeitavel publico enconlra neste estabeleciraento, nao so um grande sor-
timento do mais apurado gosto e laxo, assim como todas as fazendas de primeira ne-
;essidade, e de todas se dio as amostras com penhor: as pessoas que negcciam em pe-
quea escalla, nesta casa podem sortir-se de um ludo, vendeodo-se-lbes pelos mesmos
Crochs para cadeiras e sofs
O Pavao tem um grande sortimento dos
mais bonitos crochs proprios para cadei-
ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
como proprios para cobrir presentes, e ven-
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte,
ALGODAO ENTESTADO
Vende-se urna grande porfo de algodSo-
sinho americano com 8 palmos de largura
proprio para lences e toa Ibas tendo liso e
trincado que se vende por proco muito em
conta.
ano* de llnho
Chegou um grande sortimento de pegas
precos das casas inglezas.
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
;letamente sortido das melhores roupas,
endo caigas palitts e colotes de casemira,
le panno, de brim, de alpaca, e de todas
ii mais fazendas que os compradores pos-
am desejar, assim como na mesma loja
sm um bello sortimento de pannos casemi-
28, brins, etc. etc. para se mandar fazer
(ualquer peca de obra, com a maior promp-
idSo vontade do freguez, e nao sendo
ibrigados a acceita-las, quando nao stejam de^uuwdrHnl^
ompletamente ao seu contento, assim como de 700 at 4)J000 a var3j garaQtindo.se
tote vasto estabelecimento encontrar o em fazenda de ,nho n3o faa nada me_
espeitavel publico um bello sortimento de lhor nem mais pr0propara jences etoa-
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um grande sortimento dos me-
lhores chapeos de sol de seda, inglezes ten-
do neste artigo o melhor que tem vindo ao
mercado assim como urna grande porc5o de
m GAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster &
0., ra do Imperador, um carregamento de sai
de primeira qualidade; o qual se vende em partida!
i a retalho por menos preco do que em outr qual-
raer parte. _________________ _______
Milho novo
Vendo-i; em saceos grandes, e por menos prc-
>;o do que em onlra (ualquer parte ; para ver no
i'rapiche Dantas e para tratar, rm rio Apello. *
Milho novo chegado
da, America.
Vendern-.-.- uceo* eom mMm 4a ndhar |uan-
dade, e u!'ii:; nenie desean.:ira,i.i Bu annazera
de brinda i i 22 do Ne 'h4*a, ;.r bivi do
Barra Ghrar.de
Vende ui .i.'ui.mmi-. mi- ii.r... Baptiza Accioly,
'in.'o sitio* .-"! i*i ,. "-. 1 ni mu (kir's ba
casa de viwnda. m ii.'..o^.tik-- queiraui dirigir-
se ao lito Wgar4*fM i'i envidar vende-lo.-, a
praio. _____________
Cal nova de Lisboa
lescarregada hoj do patacho Monta : e vende
loaquim Jos Ramos, na ra da Cruz n. 8, pri-
Tpeiro andar._______________________-_______
Cabriolet e cavallos.
Vendcm-se dous avallos e um cabriolet com
arreios : a tratar na ra da Cadeia n. '61, ar-
mazem.
Drogara
Especial fcoineqpathioa.*
Rl AKOVA N. 43.
Acaba de receber urna remessa especial de cho
caate homeopathico a 2 a libni.
Livros para cbimira bomeopathica, proprios
para apanhamento de -ymptomas etc. por cada
exempler. ._____________
FOI.O, 4M.O.
Fafdevino da plvora.
Correi, Pernambucanos, ra Imperial n. 249,
.! comprai fogo do ar para festejar a volta dos
briosos voluntarios, quejio campo da honra nunca
desmenliram o nome dos Brasifoins, e que hoje
Robertos de cicatrizas veem descancar aos seus
lares.
A 200 e 240 r. cada ama.
Sa taberta da praea da aoa-visu n { dea-se lant-rnas da papel #e copes, proprias para
o actual festejo da rqcepcao dos, "voluntarios ,J a
riUaa, antes que se aeabtn.
Na riu t*r^ o n. 4, uberna, vnddm-
eiatMnf U*^KtraMa; Mmito do faz,
, durjvel n^ste genjro,
_)l Balaa velas, delif-
is, JO* lottajw pingos e lar-
1 exalaai aeJafder, un aro-
\ temp cmo
kmenle dit as
amisas fraeezas e ingleza?, ceroulas de
inho e algodlo e outros muitos artigos
jroprios para homens e senhoras promet-
endo-se-lhe vender mais barato do que em
mtra qualquer parte. Na ra da Impera-
riz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
a da Silva.
Pechincha a 2^000
Para lenqes.
Na loja do Pavao vende-se superior bramante
ora 10 palmo? de largura, dando a largura o com-
irimento do lencl, sendo apenas preciso para
;ada lencol um e meio, ou um e um quarto me-
ros ; alera desta aplicacao tem outras muitas
>ara arranjos de familias e vende-se pelo barato
>reco de 2JO00 o metro. Na loja do Pavao, ra
la imperatriz n. 60. DeTelix Pereira da Silva.
Ciaagas de liuho
Vende-se gangas de linho com qua Jrinhos
auito boa fazenda, para roupa de bomens
i meninos e vende-se pelo barato preco de
OO rs o covado:
>ECHINCHA EM PAN SO PRETO A 2:100.
O PavSo vende superior panno preto lino,
jara pallitots, caifas, colletes, etc., pelo ba-
atissimo preco de 2:400, o covado, gran-
(e pechincha.
Cortes de casemira prea a 4500
O Pavlo vende os superiores cortes de
.asemiras pretas enfestadas, pelo barato
)reco de 4:500, pechincha.
?ECHINCHA, ALGODOS1NHO A ;000,
O PavSo est vendendo pecas de algo-
15osinho francez, tendo 4 palmos de largu-
a com H metros cada peca, pelo barato
)reco de 4000.
Peeas de uiadapolo a 3:500.
O Pav5o vende pecas de muito bom ma-
lapolao tendo 12 jardas cada urna pelo ba-
ato proco de 3:500.
GROSPENAPLES PRETOS.
Chegou para a loja do Pavao ura grande
lortimento de grosdenaples pr< tos, tendo
e 15500 at 5^5000 o covado ne le genero
is melhors e mais largos que tem vindo ao
nercado, assim como bonitas sedas pretas
avradas, loireantiquesetc, todas esias fa-
:endas, \em' mira qualquer parte, por haver grande
orco.
PERCVLLAS E CfflTAS BARATAS.
O PavSo vende um giainte sortimento
las maisbonitas chitas claras e scuras, mais
laratcoque em outra qualquer parte.
Casss a O vh.
Vende-se na loja do Pavio bcniitas cas-
ias de cftres fas a 2 O, 380 c 300 rs. o
avado.
Camiiraias hraiicas a 4:##0 a pe?a.
S o Pavo vende pecas de cambraia
jraaca transparente, tendo mais de vara de
argura, com 10 jardas cada peca, fazenda
jue sempre se vendeu a 7)3000 e 85000,
iqaida-se pelo barato proco de 4)0000.
alpaca* brhantes ai e00.
O Pavo tetn o mais bello sortimento de
irpacas lavradas com as ores mais delica-
las que lera vindo ao mercado e tendo bas-
ante largaaa, vendem-se pelo barato preco
le 15000, e00 rs. o ovado.
Boa pinga 4o Douro
Flix Pereira da Silva, ru' da Imperatriz ti
*)-acaba de receber nina nava rametsa do seu
nsito acreditado vinho puro do Douro, c muito
oroprio para este clima por nio ter coufoc^io, e
vende cm -harria de 10* a 32#.
Com palmas de seda a l #? rs.
Para a ltja do PaVaV} chegO um rico
sortimento das mais bonitas laasinhas com
jalmas de seda tendo de todas as cores e
padrees, sendo fazenda bastante larga e
vende-so a 1500 o covado.
AS CHITAS DO PAVO
Vende se ora brilhante sortimento de
dulas claras e escuras por precos mais ba-
ratos do que ca outra qualquer parte.
Roupa para escravos
Vndese na loja do Pavao, um.bonito
soroento de roupa par esexavos.
AS POPELTNAS DO PAVAO A 500 RS.
Caegaram as mais lindas poupelinas de
.la com imitacSo das poupelinas de- seda,
una fazenda muito lev* com as mais la-
las cores, sendo: verde Bismark, ria, azul
yrio, C'osento, perolla te, etc, e veole-se
>eb barassimo preco de SOf) rsl
ALPACAS LAVRADAS
_ Vende-se a mais fciooUas. alpacas lavr;
com os meihores gosto's a fld, 800 1 f
o covado, alpacas lisas de todas as-o
ffifrjSjSiLS**
h
GRANDE NOVIDADE
Qoando a AGIA BRRNCA, mais precisa scientificar ao respeitavel publico em
geral, e em particular a sua boa freguezia, da immensidade de objectos que ltimamen-
te tem recebido, justamentefquando ella menos o pode fazer o porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que lh'a attenderio e reievarao,
continuando portanto a dirigirem-se a bem conhecida kja da AGUIA BRANCA roa do
Queimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sortimento de superioridade em
qualidades, modicidade em precos e o sea nunca desaaenttido AGRADO E SINCERJOADE.
Do que cima fica dito se conhece que o tempo de que a AGUIA BRANC V pode
dispr, empregado apezar de seus custos no desempenho de bem servir a aquellos que a
honram procurando prover-se em dita loja do que necessilarn, entretanto sem ennume-
rar os objectos que por sua natareza sao mais conbecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja itaportancia, elegancia e novidade os tornara recommendavei, como
bem seja :
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em ootra qualquer parte, por haver
grande percao.
Os baldes do Pavo a 2$000,
Cheg' u um grande sortimento de balos
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 25000 ca-
da um grande pechincha
CRETONES MATISADOS PARA VESTIDOS
A 640 E 800 RS.
Para a loja do Pava chegaram os mais
bonitos crotones escuros matisados, pro-
prios para vestidos, rouplo chambres etc.
que se vendem 800 rs. o covado, assim
como a mesma fazenda em padroes claros
proprios para vestidos e roupas de meni-
nos a 640 o covado, sendo os padr5es mais
moderaos que tem vinpo ao mercado.
AOS 20 MIL COTOS M
LAASINHAS LUSTROSAS A 400 RS. O CO-
VABO.
S o Pavao
Vende-se um grande sortimento das
mais modernas e elegantes laasinhas para
vestidos, com as cores mais novas que tem
-indo a este mercado, sendo comlistrinhas
miudinhas que parecem de urna s cor e
x lano iuslio que imilam perfeilamente
is poupelinas de seda, o vendem-se pelo
barato preco de 400 rs.
Os setins do Pavfto
Vende-se os mais bonitos setins de cores
i mata encornados proprios para vestidos
'endo de diversas cores.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavo.
Enconfra o respeilavl publico neste eslabeleci-
oento um grande sortimento de fazeudas pretas,
rao sejani, cassas francezas e inglezas, chitas
tretas de todas as qualidades, fazenda de laa de
das qae tem vindo, proprias para luto, como
lejam, laazinhas, alpacas lavradas e lisas, canlao,
jombazinas, merino, etc., que ludo se vende por
>rec<) barato.
Vladapolo francez a 7S000 rs-
Vende-se pecas de madapolo francez
m 22 metros pelo baratissimo preco de
7i$000 a peca, pechincha.
Altas novidades m sedas
Chegou um grande sortnenio das mais
modernas poupelinas ou gorgures de seda
i linho com os mais elegwnes padroes que
tem vindo a este aercado sendo, miudos e
irraudos, tanto em cortes para vestidos como
para vender em covado, assim como um
bonito sortimento das mais bonitas sedas
listradas que se vende twdo muito em conta
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porc3o de cera de
-arnauba em saceos por preco mas barato
lo que em outra. ouakjuer: na loja do
3 Pereira da Silva.
Merit* te orda*
Tende-se merin preto de cordao pro-
orio para calcas, palitrit, e cohetes, pelo
MBtissimo preru de hWOO, o covado,
MOLESTIAS do PEITO
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com illas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeico de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se podera
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao massar o pretn-
deme se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipare branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodSo com flores e lisos.
Veos de seda para cbapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de o de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dila,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Caixinbas com ditoa aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para balo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes s5o movidas por um machinismo
urnas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envemisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
Touquinbas de fil, sapatinhos bordados enancas,
e meis para ditos. Diversos objectos de porcelana, proprios
Camisinhas bordadas para ditos. para enfeites de mesa e de lapinhas.
SORTIMENTO PARA A FESTA
Vende-se por menos de 10, 20 e 30 i0
SO' NO
AMAZEM CONSERVATIVO
N. 23Largo do Ten?o.N. 23.
DE
SMO DOS SANTOS t C.
Os proprietarios deste bem sortido armazem de seceo e molhados estao re-
solvidos a fazere urna grande diminuico de precos as suas mercadorias, como se apro-
xima a fesla e sempre se fazem avalladas compras para o centro e praca, por
isso previnem ao respeitavel publico em geral, que mande fazer suas despencas e cer-
tos de que verlo a grande differenca em precos mais do que em outra qualquer parte
e arantindo-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 90500 a lata, e 4401 SEVADINHA E SAG i 280 rs. a libra e
rs a garrafa e 660 rs. o litro. 620 rs. o kilogrammo.
VINHO VERDADEIRO FIGUEIRA 560] FARINHA DE ARARUTA VERDADEIRA
agarrafa, e oOO a caada e 800 rs o ti- 640 a libra e 15400 o kilogrammo.
tro. BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
DEM DE LISBOA das melhores marcas, 400 rs. a libra j8M rs. o kUommmo.
400 440 e 500 rs. a garrafa, a 20800 e I VELLA3 DE ESPARMACETE 720 rs. o
twtn a ranada 660 e 720 rs. o litro. Imasso, em caixa ha abatimcnto.
^MBrScODE LISBOA a 40000. | PHOSPHOROSDO GAZ E DE SEGU-
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro. RANCA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
VIIUGRE VERDVEIRO DE LISBOA 30200 e 60500 a groza. __..
200 240 e 320 r* a garrafa, 10400, AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAb
wtn, p 2%0 a caada DE MUITOS TAMANHOS i 10280, 20500
AZEITE DOCE DE LISBOA 900rs. a gj ^00, 50500 a -ata e a retalho e 10
garrafa, e a 70 a caada, e 10340 o litro. a '1^?;... np .... Hn .MpR,r>Ni 400rs
M\NTEIGA INGLEZA FLOR 10400 e GOMMA DEM1LHO AAibHlLANAaiuurs
*2a SL q^vji onm n kilo- o masso, e em caixaha abatimento.
10^80 a libra, 3*060 e 20780 o kilo- BmTAS N0VAS DE USfQk 60 rs.
MILDEZIS V fiSOSSO
PAEA NEGOCIO
POR PRECOS MUITO BARATOS'
NO BAZAR DA MODA
Ra Nova n. 50
Coques imilacao de cabello,
guarnecidos de bellos enfeites
ultima moda, a du/.ia 40
Papel superior de quadriuhos,
em caixas com 20 cadernos a. 040
Envelopes porcelana, mulo boa
fazenda o milheiros em caixi-
nhas de 100 ..... itt>>>
Botes de osso bem pulidos para
calcas, a grosa .
Ditos cobertos de superior setim
de todas as cores, a grosa dos
pequeos a 30000, e dos gran-
des a....... 40000
Ditos com interessantes pboto-
graphias para punbos a duzia
de pares a...... M*"00
Ditos de osso imitando o mariim
com lettras a duzia. M5Q0
Ditos lizos muito boa fazenda a
duzia....... 30.'i
Abotuaduras para camisa sendo :
2 botes para os punhos, 3
para abertura e 1 para o col-
larinho brancos, escarlalatos,
c pretos a duzia .' 8;>0t' I
Brincos de cores a balSo, cousa
muito chique a duzia de pares. 10000
Lindos frasquinbos empalhaJos
com bom extracto para lenco
a duzia....... 80000
Ditos em bonitas caixinbas ca-
da frasco a duzia. : 600?
Tinta para marcar roupa, muito
superior cada frasco em sua
caixinha a duzia. 60000"
Livrinhos com capa de metal
dourado e com bonitas orocSes
para a missa a duzia. 705(0
Sabonetes de amendoas aniaa-
gas especialidade do BAZAR
DA MODA, a duzia 24809
Lapis pretos de superior quali-
dade, oitavados a grosa 30 e 40000
Escovas finas para denles a du-
zia a 10600 e..... 30000
Alfineles muiio bous, brancos e
pretos, a duzia de caixinhas a 208O>
Pentes pretos de muito boa qua-
lidade s grandes para alisar
a duzia...... 20700
Ditosamarellos fazenda superior,
parapiolhos, a duzia. 1070''
Ditos de borracha com costas de
metal para repassar, a duzia. 20400
Dilos enfeitados com contas de
cores a duzia a 4, B01. 6000)
Interesssantes coquinhos capri-
chosamente escullidos dentro
com um bom e lindo rosario
a duzia 100, 120 e 140000
Grande sortimento de miodesas.
Grande sortimento de quinquilharias.
Grande sortimento de perfumaras.
Pagamento realisado no mesmo mez da
compra com descont de. 10 o/0 ou letra
acceita a seis mezes de praso.
Jos Soara de Souza COGNAC.
De superior qualidade da niui accrediU'
da fabrica de Bisquit Dubouch & C, en
cognac ama das que mais agurdente dt
cognac, fornecem para o consummo d(
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de, Tn. Just. rea d(
commercio n. 32.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
grammo.
DITA FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 20100, 10980 e 10860 o kilo- SERVEJA INGLEZA MARCA II 50500
r,mm0 a duzia e 500 rs. a garrafa.
DITA' PARA TEMPERO 560 rs. ali DEM BASS, VERDADEIRA IIILERS
bra 10220 o kilogrammo, em porc5o se BELL, 800 rs. a garrafa e 90 a dnzia.
far abatimento. VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANHA DE PORGO DE BALTIMOOR DIVERSAS MARCAS 10500, 10200, 10 e
720 rs. a libra, e 10360 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
porc3o se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
80400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 60000 a arroba.
CAF EM GRAO 00 e 605OG a arroba,
200,240 e260 rs. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SARAO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
S20 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHARIN E ALETRL4, 560 rs. a librare
10220 o kilogrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALDADES, bem como perola bri-
GENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 70 e 60 a frasqueira, e 500 rs. o
frssco
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a frasqueira e 10 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
30000, 20800 e 20400 em caixa ha abati-
mento.
TOUCLNHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 410500 a arroba.
UNGUICAS FINAS PROMPTAS EMPA-
TAS i 10000 rs. a lata.
LOMBODE PORCO ASSADO JAPROMP
TO a 10OOOTS. a lata.
CHA FINO. GRAUDO E MIUD1NHO
30200 e 20800 a libra, e 60100 o kilo-
BRACO DE OURO,
Ra do Impera'lor n.26
Neste novo estabelecimento encontra-st
diariamente um variado srirtimenlo de bo-
linhos para cha, pastis, podin>, bollos in-
glezes, piles de l, prefnnlos, ditos m fiam-
bre, "superior cha Hysson, pelo, e miudi-
nho. Viohos finos de todas as qualidades
conage, licores, consems, champagne, cer-
veja inglcza, fruclns mvrto boas, por-
luguezas e francezns.
Um completo o variado sortimento de
caixinhas do todas os gostos e precos paia
mimosear senhoras, estas caixinbas recen-
temente chegadas de Pars sao de primors-
do gosto, offeresse-mo-las aos galanteadme
do bello sexo pois nellas acharao nm digno
e serio presente para as donas dos seu?
pensamentos. Tambem os apreciadores da
boa fumaca encontraro charutos dos me-
lhores fabricantes da Baha e de Havana
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, christalisados e de
calda, ditos de caj ede outras qualidades.
Nesta casa recebem-se encommendas para
bailes, casamentos e baptisados e qualqu^i
encommendas avulss, como- seja p3o d^ c
e bollos enfeitados e outros muitas eoozas
que enfadonho mencionar.__________
i
Exigir pulm xarepa o fraieo qmulrdo*m
todos o$ prointto* wifMtHr do D" OHWtX-
540 e 720 rs,, alpacas brancas, lavadas li- oqu, e ojftrn tas e de cordao. !--'Of'f,ffM|HI op mk^^^^n.i,nktCutmM.viMf
Na loja e armazem do Pt5o rw^ da Imperatriz n. 60.
HYPPHOSPrfITOS
do'OrCHURCHILL
XAROPE de HYPOPHOSPHITOde SOOA
XAflDPtdeHYPOPHOSPHrrDde CAL
PiULAS deHyPOPHOSPHITrjdeQUIWfO
CHLORSE ANEMIA
S PALiDAS
XARflPE4eHVP0PttSPHITO de FERRO
PllilUSdg HVybPHQSPH>TDdeWAM6AHESI#
AS :
Uiante.combination, Francy-cracynel, mixedj grammo.
Iritania. Mdium, Faacy-nic-Bac, a, b, c, el DEM PROPRIO P.VR.\ NEGOCIO 20000,
Mda a 10000 e 10400, cada urna lata. '0200 e 10800, rs. a libra.
Assim como ha outras muitos gneros, vinho em aucuretas, axeitonas,
naito novas, passas e figos novos, baratos de diversas marcas, marmelada, feita pelos
aelhores conserveiros em Lisboa, gela de narmello, pcego, ervihas, em latas, por-
taguezas e francezas, vinho verde engarrafado retalho, peixe em latas, bem como
pescada, tainha, pargo, goraz, lula, corvina, vezugo, cavaba, sarda e &ardinhas de Nan-
tes. Canella, cravo, ervadoee, conafao, pintela, grandesmolhos de seoolla 10500.
Finalmente muitos outroc gneros que enfandonho menciona-los.
CEMENTO
Overdadeiro portland. S se vepde ci
ra da Madre de Deus n. 22, armazem -
Joio Martins de Barros.
TT
PARA A FESTA
3 portas, loja de feragein
83-Rlli I/ir0lt3."&3 Vende-se no armaiem amaraHo de Vicente Fer-
Neste grande eattbelecimenlo, ha para vender,rei da Cf* 4 Fill'- ffront6 do ueo ** mi
nm completo sortimento de ferragem, e mii^a-'"1680'*1" tornea anas grossas, como ejam b*Me/a ehineas; VENDE-SE ou arreDda-M ofengeno^
quadradai e ovaes, facas e garfee de kr-t bo- S> GMp4r it0 na {reaaMi 6t 8eriflh3em
de ferro corno de porceTna, moinnospara caf de | barqne, com grandes, partidos de pal
ar^ro-|Us7rrg:S^^ ^^[^c do O FormdO, &** dd' em
Ibarane, ce
roda da moenda, mattos mangue)
*-^] 4%-'- '
26, ou na
diverso ttmaohos do fabricante iapy, nm Hile-' massap
graxnoa. tanto.de ferro como felift*,tetros
para nwdir fazaoda tanto de forro con fe tatao,
salitre, brn, barbante, enxofra. papel maa da-
do, do verdadeiro Pieardo, machinas p
rocar aigeda* f alen 4o on^oa %mgW 4 %m-
gem, miudezaa entilaria* fina?, qne s eom a via-
la m verifica; a rna direiu d. 53 loji. de 3 por-', Vende-se lagedo para calcadas e armaioos p^r
\%i de Manoel Benio de Otiveira Braga* C. : proco comjnodo: na roa do Apollo n. i.
a tratar na ra d'Aurora
(aperador b>2(ft
Jgerfef
W
OHORElRipiAS
toro mstanteroente em seu armazem, ama..
Crn n. 26, nm completo sortimento de
Balangas decimaes.
Di las oriBonttefc .
Pesos de ferro pelo syalenia decroia!.
Bombas California para poens, as raelbore^ q -
tem apparecido at hoje.
Chaminei de vidro para eandieiivs a gaz.
Limas de todas as qualidados.
Agua florida.
Graixa em r oiies n. 97.
Vidros para vidraca.
Tnico imperial. #
Vendo-setim boTboin^ -Jordo, eom nm
ro em bom estarjo : qnera protender dirijas.1 i
ra do PHar n. 137, qne aehaj oom qaem tra'r
7-------'---------------r!------------------------------------------------
parat^deira' n^ri*,^^^ < g tSS^J^tZ^L
)3 de cnml i .
I.flqne de mutrperj} oom da, o i : >
madreperola, muita psjprio pira n r"-

sm
aas
novidade



6
Diaria-de Peinambucp Quarta feira 9 Je Marqo de 1870.
**** ti


________1L .
A UVA A MHi:i! *TlilZ w, *
Esquina da ra da Aurora, em frente do caf Imperatriz.
TAMA.
ANTE
N'este novo e sumptuoso estabelecimento de fazend
familias tudo quanto possam desojar,tanto em artigos do mais rigo
as mais qualidades de fazendas,
F.xmas.
traneS
Alera de se acharem prvidos do que de melhp#4eMoa
paquetes da Europa, recebem directamente o* qu& #T artfcqytfftl
i i mais apurado gosto se encontra ent Pars, o que vem cadadia augAMMVvNN Xjn>
u fSupi
por todos os paquetes da Europa, recebem directamente
do mais apurado goslo se encontra ern* Paris, o que vem
;o.'s d que dispoe este estabelecimento para bem servir sua numerosa freguezia
f
bmlUfcido estabele-
pbjectos qtle tinham ex-
itavel publico, man-
ir pelo ultimo vapor
lado sorlimento de
idades, as quaes es-
io de seu costume,
e commodos para to-
prelas, brau-
mnm
Grande armaz Uc HMm c roupas feilas ra da Imperatriz
n. B, Doria larga, de Paredes Porto
3 corero nxevidenti
co_| n bonito setimer
tos
Algodo largo para iecce* e toalhas de
.odas as qualklades quecoiiuun vir ao mer-
A.!pacas le todos o padroes e qualida-
des to variadas que se nao podem descraver.
Albuns com msicas para coliocar retratos,
delicado presente para quaiquer pe&soa de
es ama.
Atoalliado de linho e algodo, branco e
Ja cores proprios para toalhas.
Bas juinas de seda pretas e muito moder-
aas, bem como de crocbt, ludo de apurado
g)5to e feitio.
3aloes de musselina, raadapolo, brancos
de cores, para senbora e meninas,
Bareges de cores variado sortimento.
Babadinhos ou liras bordadas em lotias as
.arguras.
3elbutina de todas as cures.
Bolsas de tapete parS viagem. grande
variadade de tananhos e gostos.
Bombazina preta de todas as qualidades.
Bramante de linho de II palmos de lar-
gura, e todas as mais qualidades.
Bretanhas de linho e algodo, grande sor-
t.'nto.
Brins de linho branco e de cores, do mais
commedo ao mais caro em qualidade, affian-
$ando o que ha de melhor na especie.
Brins d'algodo completo sortimento e
variedade de pre;os.
Cassas de cores, o maior sorlimento, pri-
atando pelo bom gosto e barateza, atientas
U qual dilles.
Cambraias brancas, tapadas, e transparen-
le loilas as qualidades e precos.
Camisinhasde cambraia de linho e cassa
bordadas ricamente enfeitados para Sras.
Camisas para bocceos e meninos, to va*
o so:i m<-nto que vai do mais ordinario
aiadapolo ao mais perfeilo bordado de It-
abo e cambraia.
Cais; s de meia, de flanella, branease
de Ares para homem.
Casemiraa pretas e de cores, o melhor
que se pile imaginar, sendo d'isso a me-
iniva o grande consummo dellas na
ina da casa.
illas de. flores, para noivas e bailes,
le a mais candida flor de larangeira at
j mais inti ressante grinalda.
ChapeUnbas no melhor gosto.de todas as
s boje preferidas pelas senhoras de
mais apurado rigor na moda.
Chapeos pretos de velludo, para senhoras,
ultimo posto de Paris.
Chapos de sol, para senhoras e horneas,
de todos os presos e variados gostos.
Chaly com ricos padres para vestidos.
ales de todas as qualidades, avultado
uero e nao menos variedade de gostos,
Chitas, impossivel descrever o sortimen-
o e variedade de padroes e novos gostos,
nosta artigo tudo quanto se pode desejar.
Cintos para senhoras o que se pede ima-
r de melhor.
Coques, o melhor no gosto e nos enfei-
tes, varios lmannos.
Colchas de seda com borlas, o mais apu-
ndo gosto e lavor.
I>itas de fuslo branco e de cores por
precos commodos.
Corpinhos de cambraia, ricamente borda-
para senhoras.
Cortinados de cambraia bordados e de
516,o que de melhor se pode desejar.
Colarinhos de linho bordados e
maior sortimento.
ED
Damasco de la de 9 palmos|de largura
liadas cores e ricos padroes.
2_a
Espartilhos brancos e do cores, para se-
curas e meninas, o melhor nes te genero ;
aenhuma Sra. deixar por certo de muir
w de tao precioso auxiliar perfeico do
am corpo delicado.
Entremeios bordados.
Escomilha preta.
Enleites para cabeca, ultima moda de
Paris, recebida no ultimo paquete.
Esguio de linho, completo sortimento de
Gase com lstrasfjfe*ada e I
da inteiramente nova pira fealifli
Gravatas para seaosas e' haa_n$ dinas
completo sortimento que se podo desejar.
Guipure prpte e branco, diversas larga-
ras e diferentes gostos.
Collas e pnaos bordados para -aenboras.
Guardanapos de lialio pequeos e grao-
des.
Gergr3ode seda preto e da cores.
Grosdenapies preto a de cores, haveo-
do diversas qualidades e gostos.
djr
Japoneses para senhoras, o melhor gos-
to, e fazenda propria para as festas nos ar-
rabaldes e passeios a tarde.
E$_
Lazinhas de todas as qua'idades, cores
e gostos, nao Gcando nada a desejar, tal
o sortimento que existe para escolher.
Lencos, ludo quanto pode haver desde
espuiao ao algodo coiataun.
Loques de madreperolae osso, ornis va-
riado sorlimento.
Ligas deseda, bordadas, para senbora.
Luvas de Jouvin, cbogadas por todos os va-
pores, sempre novo sorlimento, quer em
pellica para borneas e senhoras, quer em lio
d'Escocia, brancas e de cores.
&
Madapolo; indescriptivel o grande sor-
timento que ha neste genero, desde o mais
elevado preco ao menor, que se vende em
peca e retalho por menos do que em ou-
tra qalquer parte.
Mantas de blondo para noivas : o apurado
gosto dos nossos correspondentes em Paris
habilita-nos a dizer que temos em nosso
estabelecimento o que de melhor se deso-
ja para vestir e ornar urna noiva.
Mantas pretas de blond.
Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos prelos, trancados e lisos.
Musselina branca e de cores, lindos e va-
riados padroes.
Pannos pretos e de cores, desde o mais
barato ao mais snperior, por preco imiilo
commodo.
Pannos do crochet, para cadeiras e solas.
Ditas de casemira mito finos para
mesa.
Pcitos bordados deDnho, lisos e do .al-
godao para camisa.
hncelas -pretas c de cores.
Popelina do seda e linho, com lislras e
(lores; fazenda liudissima.
Pelherinas nara senhoras, do ultimo
uvas,
gJMffas e punhos para se-
' que ha de jais moderno.
._ Sores pentes de' tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para cabecas da
ihnJaXjtft^ Hjatnda o que pode haver
MaWhB{93hWk> e 'sso^ seSdo 'quelles brancos
com Hados dtanlwa, estas pW.
Muir ojeriores nwias lio de'Bscoasta para se-
nhora8v*a>qnaes sempre se Yenderaia por 30*000
a iiiL entretanto que nos as vendiynos-poT'O,
altii;tieSla1'temos tambera prende wrUmento de
outras qualidades^ ntte oqua alguroaa imKo
fio*8- ,-
Boas bengalas de anaerior canoa da India e
caslao de marfira com lindas e encantadoras figu-
ra? do mesuro, reste i^nefo ^fl'de BWlhors'
pode *fseja>; altt 'drtta* Sena ebem grandi
quantiladc de ootaas unalidades, eomft'gejam.ma
deira, bateia, osso, irraiha, etc. etc-ete.
Finos, bonitos e airosos cmeotinbos de canela e
de outras qualidades.
Lindas suponen gas sekebonacha
para segurar as. meias.
Boaa metas de seda&araaenkora e.paia meni-
nas de 1 a 2 annos de idade.
Navalhas cabo de marera e tnrtania para aier
barba ; sao muito boa, e-de mais a msis sb ga-
rantidas pelo fabricante, e bs por aossa vei tam-
oem asseguranittfi eua- quaJiJade e delicadaxai
Liadas e bellas capdbs pan pol ^'
Superiores agulhas pata mavMR eparaWox.
L-inha muito boa de peso, Mensa, pawenoher
iaby/iato.
Boas baralhos de cartas papa voltarete, assim
como os lentos para o meamd Inn.
Grande e vanado ?orrtmcnto das roeRiores per-
fuiHarias e do3 raeliiores e mais conhecldos per-
fumistas.
COLARES DE BOER.
Elctricos magnticos contra as ctrntlsBes, e
facilitam a denticao das innocettfl eriamiaa. So-
mos desde muito Teaehedares .dcstes prodigiosos
collares,' e continuamos a recebe-los por todos os
vapore?, aflfn deque tauncaTaltm ho"mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles preeiaarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deiros collares, e os quaes attendehdo-se ao fim
para que sao appticadofl, se Tenderao oom um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos qtie deixamos
declarado?, aos nossos fregueses e amigos a vireni
comprar por precos muito razoaveis toja do gallo
vigilante, ra to' Crespo -n. 7.
Eaaa^tste astabejflbefllel^Pri o reaaitavJHI
de^QSMMas tS^lHaHesk^ftolsd alpa. m
merino, ditos.de caseinira de (jQres popito
sacos e sobretasacos. Ditos de hri pr(L.
e decores de 3o( p 5^000. -;(pcdej)ri|r iber, |fta e pr^atiis,
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de case
into
_ !i3iSr at 6#. HSos de
ostos a 54 UM e lO, de pannej>reto
nis e ordinarios. Ditos do-alpea %r^ca
as
ra
Ba
Novo e variado sor'nu
finas
Alen do cobi^-
oarias, dequeefitttiwntfltetieJA
Golletes de todas as qt
(s^ReuJHNigfP
s^BPgodiD, de linho e
nalidades e preco muito
) e de linho de U at 5*
_ e tejante a 2e2iJ500.
Meias sortimento completo a 30.
m ?sis
le cor e preta deJfcJMl Qjr 15dL
barato. CompleJAnniudMamises
urna. Sorlimen^fcJPIylHpanczas
Gravatas (mantas) novissimo gosto a todoaiqs"precos.
40 at 70 a duzia. ^_
* *-ntcmJ|5 dgua^ueroTjmTe^ncemmenda tanto para homem, como
para meninos, e com biwklade, poVfiBso qae tein um bonito;sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos'finos e outras muitas a-
sendas.
mmmm
Bramantes- de A i pateos de largura a 4(1800 omelro.
Cambraias de cor e brava,
Alpacas de todas as cores a 6i0 rs. o covado.
Po-de^bre con lista de seda -fazenda de gosto a 10300.
Basquioes do guipure enfeitadas a 180000.
Sortimeato de chites escoras e otaras a 80, 300 Madapolo fino a 00600, 70, 80 e 90000.
Algodo peca com 20 jardas a 40500, 50500 e 60000.
Peca do algodSo largo a 70SOO.
Eontres multas-(IzetffllM qne^er-nfadonbo mencionar Cheguem i roflpa
feita ajaaf se est litraidando a loja ra da Imperatriz n.. 82 (junto aloja de ourives)dc
LEtoM PORTA LIRGA
DB
Paredes Parto.

_____________________________________________________------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

OM| 9i
Mikroskope- achroma-
tisehen. Objev Lin-i^^,^.JO
sen.
Barmetro e termos
metre. Centigrade
e reuumeure.
gosto.
para senhoras, to
finos exfracls
'.idos os nmeros.
S5>
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
dade de gostos e lindos padroes,
Fi ;bs de wocht, modernos com cintos
e capas, o que ha de melhor.
Fil de seda, linho e algodo, de todos
03 gostos e padroes.
Fuslo de todas as cores e qualidades
grande sortimento.
Flanella branca e de cores-
Flores, o que ha de mais rico, quer
Perfumaras ; os mais finos exfractas o
que de mellter c mais agradavel sa pode
encontrar neste genero, c de mais fragant
e suave no olphato, tem o PAVILHO DA
ABOItA, desde a verdadeira agua Flori-
da at o mais fino Bouquel d'-Amour, final-
mente tudo quanlo deve oceupar o touca-
dor de urna senbora de gosto.
Saias bordadas, brancas, lisas e de cores
com folhos e sem ellos, o melhor possivel,
Sabidas de baile, de todas as cores.
Sedas pretas, de quadros, lavtadas, lisas,
de lislras de todas as cores e qualidades e
o mais barato possivel.
Sarcelim delodas as cores e qualidades.
-O
Tapetes grandes, lindas pinturas para 8
cadeiras, mais pequeos e de todos os la-
lisos, o manhos desejaveis, e em peca para co-
vados. .
Toalhas de labyrintho, do maior e mais
fino trabalho ao mais barato.
Toalhas de linho e algodo de todos os
tamaitos, lisas e felpudas.
Tarlatana branca com palmas e de cores,
fasenda muito nova, e goslos delicados pro-
pria para baiie.
Vistuarios bordados de fusto brancos e
de coros para meninos, de cambraia para
uaptisados, o que de melbor tem vindo a
este mercado.
Vestidos de la escoceza do 2 saias,
novidade pelopadro, gosto c forma; ditos
de linho cora barras de cores, e de cam-
braia de cores com 2 saias, tudo inte'ua
novidade, trazem os modellos juntos para
mostrar a forma de os fazer.
Veos de blond para noivas e pretos para
luto.
Vestidos de blond para noivas: podemos
asseverar as nossas Ezmas. freguesas, que
somos os nicos em Pernambuco que pode-
mos offerecer ao Ilustrado publico, o mais
apurado gosto em semelbante materia, gra-
Cas ao bom gosto do nosso l'ornecedor em
oRui do Queiinado5
A.VEDAUE leuda em dq.osilo. gfand.
quanti hdo demhidezase perfaiiarias, edt
sejanrJo ajparar dinheiroe adqaerir boa fre>
guerra cs r.-sohida a vonder muitissiia
barato, : por P^a rzfio convirla "ao respe.-
tavel.pubco a vir comnetenteniente mun-
do a-'-sortr-se do "lJMro Baro. Pois quart J
do a Verdade apparece, tudo mais de?
apparece. ..^
Grande sortimento de benecoe de cera <
massa as mais lindas possiveis vestidas a es
E crystal de rocha do Brasil.
F. J.
dos; porque
solas, qner i| ramos, tem o PAVILHa), Paris, podemos garantir que ninguem neste
i)A AliaoiA 0:1) peimnte jardira a genero o possue meihor, nem mais em
disposic3o das Esmas. familias. conta.
E' disiwnde d to grande e variado -ortimento que os propietarios do PA-
VII.HO D\ \UK0BA se apresentam ao publico declarando desde j que a sinceridad
a e o bom gostoo movel nico de sens negocio*.
Provees de tudo o promptos sempre a prover-se do que .por ventora Ihe
teja npcessaripi pioptifetario deale somptuoso estabelecimento recommendam-se
em receio de sercta cohuiiictos e -protestam esforcar-se por continuar a merecer
proteco que se Ihes tem dispensado ; certos de que do seu estabelecimento nJo satura
o freguez descontente. .... ^. ., ^
Contina sempre a offioina de alfaiate dirigida por um dos mais babei-irtts-
's, promp'o ezecutar Cf-m promptido e bom gosto qualqner trabalho que Ihe seja
oon iado Urna modista especialmente oceupda nos trabalhos do PAVUHaO D V AU-
KOHA, dirige os que Ihe sao conearnentes, gafante porset apurado gosto e proraptido
aa .eeacio e a mais com|>leu pereico ns seus trabalhos.
* A numerosa freguezia qoe nos honra urna pro va de que merecemos o con-
loe se dispensa ao nosso estabelecimento, conpj fie procurafMp firmar cada
vez mais. Para facilitar ainda a concecucSo do fim qae nos prooomos, temos m nosso
eU.belecimento os ltimos flgurinos de Paris, que retenemos por Wd Os paquetes, os
aoaes enviaremos para .aeren vistos as familias nossas freguezas, afim de escolberem,
V,r/ o padrt da faiende-o gosto na forma.
I offlciSV^IItfaUfi/ junto ao estabelecimonto, ha igualmente os gonno-
ttU>b4&m< nk oiHfM-es se recebem.
F (i? )0*Inos apresentamos pedindo a proteceo do waslrado
plfunA* respeito cmfidamos as excellentissimas Sras. a visi-
oeiearn tas de entottraTem aelte pele nenor preoo possive-
16 rmos especio
Aborto
visto
leos.
J080 LwzJjjSQbrtnh&.-C.
s j9 oras da noite.
racter. m
Abotoaduras moderuas para Gol-
letea .......
Espelhos donrados pepnenos. .
Agulhas de oso para crox a .
Peales para regac- com esntas a
Ricos globos para candieiro de gaz a
Chamins a.......
Grande sortimento de objetos de
louca para brinquedo de menino
Garrafa com tinta a......
Dita com agua florida verdadeira a
Dita com dita dita a .
Frascocomoleo debabosa a 500 e
Dito cora agua de Colonia a 300 e
Gairafa com agua divina a. .
Frasco com estrados finos a .
Latas pequeas com banha muito
fina a 120 e......
Sabonetes de diversas qualidades a
80,100,2406......
Finas escovas para denles de 120 a
Lindos coques modernos a. .
Pavios para gaz, dazia a 240 e .
Escovas para fado a 500, 600 e
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar piolho a 160 e.
Brincos de cores, bonitos a 160 e
Pecas de tranca de la com 8
varas por......-
Oleo para machina de costura,
frasco a........
Pennas d'aco finas caitas a 800 -e
Dita d'aco Perry, caixa a. -
Galo de algodo peca .
Lindos babadinhos e entremeios
peca de 500 a......
Ditos de louca muito fino a 120 e
Ditos para calca a 160 e. -
Caia com papel amizade a. -
Ditas com envelopes a. .
Ditas com obreias a. .
Cana com agulhas fundo dosrado
Ditas de ditas ditas a. .
Thesoura para costura a 240 e
Caixa com linha de marca a .
Lioha de cores em noveltos (li-
bra) a....... -
Carreteis de linha Aleandre de 70
at 200........
Grampos muito finos coda pasea-
ros, dazia a......
Cartas portuguezas, datia a .
Ditas francezas a 20200 e .
Papel almaco e de peso; reena a
30400, 30500 e ....
La muito fina para bordar, libra
Fita1 de algodao para debroffl de
sapatos, peca a.....
Ditas'de la para debran de ves-
tido, peca a ......
Pentes finos para segurar ca-
ntil* a .#.. Iflf.H. 3(
Ditos ditos de bfalo para, alisar
T&40, 320 e...... 501
liara aparar peses a 10
tas pretas, par a ... 10(
Tranca de 13a de caracol peca a 46 e 10
Fita de coa peca a 480 e 56(
Alfinetes de latSo a..... 10<
Sapatoede Ka para crianca a 400e 80(
Grvala de sedas de cores a 20<
Calfiadeiras a....... &
Graas sortimento de rendas das -Unas.
UM par de suspensorio d Borracha poi
lOOristltlt
Wstl'erdMto h rus te> wwhsmd*
a. 53.
32(
26(
20(
32
10SG
32(
ICC
80
1030
10001
72(
m
1050
10CKX
16'
32i
60<
20OO>
32(
70t
50;
24'
20
8(
m
40OO
404O
40
405Ot
20t
24(
70(
48(
4i
28<
16t
50f
281
6XH
lOf
90(
104CK
30OO
405O(
60501
16(
4
Cermann.'recommenda aop>iblico, seus vidros periscpicos aperfeicoa
, com estes vidros, a vista descanca, forttbca-se e nao a canea como com
is vidros ordinarios. Urna vez escolhdo um vidro, pd3 durar dez annos, emquanto
aue c(m os vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do fllho e determina quasi sempre do-
res de cabeca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do 6ho, e,
lodas as vezes que o objecto est mais peito ou mais longa, os raios que expelle sao
mui convergentes ou mui divergentes e a visit nao perfeita. Um grande numero de
nessoas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a viso nao distmcta.
Com a applicaro de meus vidros pde-se vencer estas difficuldades. Para os que tem
a vista curta rujo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e-mal de
lonse) o que se chama myopc, por meio de um vidro concavo affasta-se o ponto de
viste o que faz divergir os objedos e deixa ver to longe como as ontras vistas; Qnan-
do o'crystalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o atiese chama presbyta, vem mcdior de longe que de perto, e nao enxergam senao
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergaro
to distinctaraente "cerno na idade de 15 annos. Servindo-se destes vidros quando e
vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
V I. CJermaau encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a e s
colher.'a primeira vista, soja qual for a iade o grao de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa, # a
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Para a vista que nao supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para M vista operada da catarata.
Para avista que aspalpebras esto cer
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myop
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
bn. 16.
de perfomarir
>s.
prvida:
loja doCordeiro"Providente, ella acabad
receber mn ovW^qrtnliW,Ve M ^
aotavel pei vafiS* deefta*. supenon
dade, qualidades ecommodidades de pre
tos; assim, pois, o CerdeiroPrertdwt*..y***
e espera continuar a mereeer a afreciaci
do respeitavel pubhco em geral e de att>
boa freguezia em particalar, nao se afa
tando eUe. de sua bem conheeidepaBaill
e baratea*. En dital^dAlsrss*) e*-
iprecianoTes dr/bom: '
. Dita v&dterde TIttrTay Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran
ceza, todas dos nelhores e naisacreditade
fabricentee.
Dita de flor de lamgeiraa.
Dita dos 'Alpes, e vilete para lollet.
Elixir odonialgico para eonservatlo i*
tsseio da bocea.
Cosmetiqnes de superior quahdade e cba>
ros agradaveis.
Copos e-lates* maipres e menores, co
pomada^n% par^'c&eW.-
Frascos com dita japeaeja, transparenti
e OTJtras qualidades.
-- Finnn nilrinlng inglaiai, imaririnnt
francezes em fcrtcaffpWJfs e enfeitados.
Essencia inftrwWfinl e agradavel cha
o de vilela. .
Outras concentradas a de cheiros tgual-
mente finas e agradaveis.
Oleo pbilocome verdadeiro.
Extracto d'otep de Superior qualidade
com escHfM^dWtros^im frascos dediffe
rentes Mmanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menere
para mos.
tos transpatentes, Tedondos en'tgo
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barb
Caixinhas com bonilee sabonetes imitand
frnctas.
Ditas de madira invernsada conteni h
aas perfumarias./^fcto proprias parapr
entes.
Ditas de papeio igualmente bonitas, tan
hem de 1 as finas.
Bonitos vasos de met?l coloridos, e
moldo! novos c elegantes, com p de arre*
1 bonecajyS
Opiata ingleza e francezapara dentet.
Pos de camphora e outras dflereBt
malidades tambem para denles.
Tnico oriental d Kemp.
Um outro sortimento de coques de no
os"e bonitos moldee com filets de vidrinfr
.) alguns d'bes ornados de flores 3 fita-
istao todos expostos apreciar.1o de 'nt"
os pretenda owprar. j
GOLLINHIS B JCfHOS BORDADOS.
Obras de muito gslo e perfeico. .
Flvellas e fitas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes obje
os, ficando a boa escolha ao gosto do con
prador.
Para a vista myopc, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza. ,
Para a vista que os olhos sao desiguaes.
Para a vista que se tuna com o traba-
lho e a leitura.
Para a vista presbyta (vistagaton ).
Sortimento de binculos
para theatro, e oculos de
alcance para o campo e ma-
rinha.
Lunetas, pince-nez e
face--main, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sorlimento de relogiospara parede, que do horac epara
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada efoleada, inglezes, suissos e orisonlaes dos melhoros e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. Em Pernambuco.
N.2iRuQ --------------------------------------------------------------------------ii-ixl*^------^-1-------------------
M1MS METAS PAM A
11Rtta do -Qmtaao-----11
I, Al I PORTO aestw de receber pelo ultimo vapor da Europa, superiores
sedas pretas proprias paraos 3dos da quaresma sendo :
C.ofgflrb preto de seda o que ha de melhor.
Grosdnaplas preto de diversas larguras e qualidades.
Mantas pretas do blond muito lidas para senhoras.
sumirs pretas, pannos azues merinos, bombasmas, princetas e alpa-
RAP POPULA*
DA
FABBIfA MOiVAL DA BAHA
DE
Teixeira Uldurico }f O.
Acha-sc venda este ptimo rap, nnico pdc suppnr falta do prinefiza de Lisboa, por s.
de mui agradavel perfume, viajado, e a 1*50
mais modioo possivel; o por isso tem sido asa*
acolhido as pravas da Baha, do Rio de Janeiru
em outras do imperio : no escriptorio de Joaqci
Jos Gonealves Bel trio, ra ao Commerc n
mero 47
fASSomliAOsac.
Venden) em seus armazens, no eaes do Apoli
d. 7, Escadintie a. t e ra do Amorim n. 7, os
seguinles peeres :
Aro de MilSo.
Mlho em saecas grandes.
Farello em saecas de 90 libras.
Chumbo 'le muni{ao sonido.
Metal amarello para forro de navios4
Machinas para descaro?ar algodo de 14, 16 a la
serras.
Kerosene em latos de 5 galoes.
Champagne do afamado fabricante Krng.
Hormouth.
Vinho do Porto engarrafado.
Coac do afamado fabricante Gautier Frrei.
Fogo da China, caixinhas, 40 cartas n. 1. Extra.
Genebra inglea tOld ton
Cimento Romano.
Cimento Hidrulico.
Cimento Portland.^
Gesso para estoques.
Cannos de barro para esgotos.
Gradcamentos de ferro para jardins, calcadas et
Carros de mo para servidos c, armazens.
Garrafoes com a galSes de*vinagre tinto,
dem com 3 gales de vinafn tmto.
Chumbo em barra.
f| aMo'l

:fes.
iAC

-w4tunes de seda e guipure pretos das'ntais modernas. _______
is de blond com manta e capella pSra rniVifs, fronhas de esgtto e cam-
*m de seda, ditas d seda e^la, cortinados bordados para
9 para baptisados, enxovaes pira' criancas e stp^riores saias
a de cores e ditos do soda dos mais" modernos,
ni lmho Wos e com'lislras gosfos elegantes.
*, do teres e brtnca% para hotneih O senhoras.
'"tamaitos naVa vialgfets','
"* homehs 6 meninos.
proprias p-ra fabrica de engonbo qoe Se vea-
"fpre as afaraada
dn Wm -Um Mrar al^, tapetes d' ruitas qu-

Bichas hamburgnezas
Neste novo deposito recebe-e por todos palme-
es rraUslanticos bixa's de qualidaae snperior, ven-
le-se em caixa 011 poreao mais pequea e maif
jarato de que qualquer outra parte na roa da
^adeia do Recife n. 51, Io andar.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
de Nictheroy.
nico depoito em Pernambuco caes da alfan-
dega Ydh 0. t, 1 anda.__________________
inte desla
PjkWWFu>4ota nn>it
safra fu"d'para^nWaeilotw^ mil pes, bras
vaneas fresca* ,edp moita .pamm-cSp, e oarras
muitas propprcSes, que se mcslrar ao compra-
dor : os pretendentes dirijam-se ao bairw do
Recife entender-se com o Exm. Sr. baro da So-
ledde. ~
___ ,*----------------------U_-
m
*..** <
.....n
;
.
CADET
; p^ a
^ERTaeINFALLIVELI
FM





isti de Prnmbuoo Quarla lei
eir
9
LOJA DAS MACHIVAS ,,S*

V*dc-s o oogfjilM Frrico, ueia,das prime i
, ras propriadades ag rolas da comarca de Pono
I Calvo, mullo bom 'agua* boas obra< e situado i ^^
unto a- estapto ja. o.iinpaohfa Pernambucaoa, era f
Barra Grafti. on(rear eni maio prximo d.-'
^embrocado tutein o pretender dirija-fe ao lar-
wess:
Vendo -se rrtniiWM j fffa udar.
P
FGIDOS.
BENTO MACHADO ft'C,
A AGUIA. NEGRA animada cora o bom accolhimento que te ve em seus annuo-
cios, vem novo participar a seus freguezes que, acaba de. receber um variado sor-
atento de objectos de gosto os q&aes ser5o vendidos por precos muito razoaveis, pois
tjuando fez os seas priraeiros annucios, foi o que assegurou, e sem mdo de errar,
porque como j disse osla interesses ligada a ama casa importadoradesla praca, e
por issiffoder ter tudo especial e vender por precos adrairavois.-
Co de seus freguezes para os arttgos possa descrever:
Livros com o lampo do marm, .nadre-
jerola e tartaruga, proprios para missa.
GaraSnhas vazias propria3 para presentes
ousa de goslo. i
Indispensaveis de pinha e de courp pro-
prios para senhoras e meninas trazer nos
bracos.
Binculos de matlreparla, niarfim e lar-!
:ruga todos esmaltados.
Cintos- largos de setim, cousa inteiramen-
* nova.
Chama pois a alten
de eharulciras e
Acabam de cfigar grande quantidade das vrdadeiras maobinas americana
ara awcarocar algodao de todos es systemas e tamanhos segumtes :
12 sorras
go do trapicha da Campnula, casa de Alfredo & Fugio *) engibo Camaraglbc ni
S""__________________________do. Swohaem perteaceDtes a Gaspar Mr.
12 s-erras
u ditas
\5 ditas
16 ditas
48 ditas
20 ditas
22 dtas
26 ditas
30 ditas
35 ditas
4 ditas
14 ditas
15 ditas
16 ditas
18 ditas
20 ditas
22 ditas
25 ditas
30 ditas
35 ditas
40 ditas
Aosfepuladi sprovnciae3.
i Vende-se as rollcccfies das leis provinciaes des-
deopiimcjro auno de 1833 at 1837 por prego
eommrdo. E' til ncquisicSo para os novos eleiles
da provincia e para os advocados : na ra do Im-
perador n. 15. il.Tronte de S. Francisco
Wanderley os esrravos seguintes : San
lo baixo, groco, nariz chalo, diz per d.i I
ter sido comprado pequeo, Joao Caboeulo de
de trinta e tantos aonos, ps chafes, ventas arrp-
bitadas, estatura baixa, rr fei.xada, ponca barba-
ja esta na ponta do qu\-. 'Ybppe mulato de
t ques 89 vendem por precos commodos e rega-ee as pwsoas qne deltas fizeram en
lommendas do alguns tamanhos, obsequio de as mandaron busca-las o mais breve po?
tvel afira de nao haverem faltas. ,
RA DA CADEIA N. 56 A
-
Um variado sortiments _
palliteiros de porcelana,
Tentos para vollarele.
Bengallas com marfim, cousa especial.
Sabonetes de alcatrao.'
Cofres de tullas para dinheiro.
Lindas caixas para costura.
Um completo sortimento de lavas de pe-
lica,
Fitas de sarja de todas as cre3 e larga- Talagorce para bordar,
as.para Iacos. Um completo sortimento de enfeites de^
Toncas, sapalinhos raeias de seda e mais seda para vestido.
:*rtences para baptizados. Perfumaras de todos os autores os mais
Fitas com inscnpcoospropnas para bou- acreditados em oxtractos', pomadas e leos
le ae noiva, e finalmente outros muitos objectos que nao |
Ricos vasos com p do arroz. possivel mencionar ; mas com a vista se:
Um variado sortimente de jarros de por- certificarlo do sortimento deste eslabele-;
cimento.
Aguia Negra, na do Cabug n. 8.
B
r'ana.
22*2
2 trJL 5 t
as o a 3 -
-6 =-
B b -| 3 %
^b1 a o "o.
5
CB
c/j
B CD .
3
a =7
og
s
ih


00 c&
^
i
o
O
"i
C6
O
o"
! S

3 09.
= =
o >,
Ct
CB _
M a
i g 1 s I"
S.|.BSg-g
o g < S *
B 5T- i. a
fid 00 ^ v CB
2 XJ a O _.
tff8.fal
Sa-3 Bog-
las
O O u
3 o*
o L
ce
w
t
p
o
g'cTo
CB
CB CC
^J
^2.
3 3
3 CB o -: tu o
I. '* o
Di
>2 2.C3
-cg-o-go
oT 3 o BT
U-N U U O t)
8-
t
P-
H
8S
i
e
m
o
o
o


55Ra da -Emperatriz55
F. Gautier, proprietario deste importante estabelecimento tem a honra
de participar ao respeitavel publico que acaba de chegar da Europa para on-
de linha ido especialmente para contratar peritos ofiiciacs e que conseguio
0 contrata-Ios na primen-a rasa de Pars, por isto julga que todos ficarao satis-
feitos dos trabalhos do seu eslabelecimento cujo excellente material anda
fci augmentado- com novas machinas que ja recebeu e tambem muitas drogas
novas com as quaes so obtem estas maravilhosas cores modernas to apreci-
das em Franca e em todo o mundo,
Tinge, lava, Iimp3, lustra, acliamalola cora a maor perfeico fazendas
em pecas e em obras de todas as qualidades como sejam: seda, 15a, algodao,
linhas, chapees de fellro e depalha etc., etc.
Tira noloas e impaseceo sem molharos tecidos,conservando assira
todo o brilho da fazenda.
Impressoes sobre tecidos
com este novo systema, os vestidos de seda e outra fazendas que at agora s
podiam tingir-se de-cores lisas, podem receber um bonito deseuho de cor
diversa, a escollia, o que realga a fazenda o llie d mais merecimento.
Tintura prela, tercas e sextas-feiras
As pessoas das provincias limitrophe3 qne quuerem utilisarse do sen
estabelecimento poder3o mandar o qae tiverem, na certeza de srem tao bem
servidas como no Rio de Janeiro ou na Enropa, e com mais prestesa por
causa da distancia.
Vende se melado do sitio distante d'esta
praca duas leguas em freguezia de Mamangaape
avaliado em o.0U0, o qiial limila-se ao nascente
com o rio da Santa, confronte ao rio Doce, ao sul,
com ierra? da Sania, ao norte com o rio Paratibe,
iioje denominado l'aulista, e o sitio Coebu, ao poen-
. te coca sitio Meloes de Cinvt. Tem boas trras
para^rJaulacao em lodo o anno, e bom pasto para
creado de gado : quem o pretender, dirija se a
Jos Joaqnim da Silva, em Olinda, ra do Porto
Seguro : os prelendenlos poderao ir rr e tero
toda explicapm nocossaria.
IV
an-
-
do s lio adhesivo
A' venda na ra do Vigario n. 1, primeiro
dar.
Vendado urna casa no povoado
dos Montes, em Una.
Vende-se urna casa terrea, sita ra Nova, no
povoad) dos Montes ; de taipa, coberta de lelllas.
I coma frenie do lijlo, tendo esta vinte palmo? so-
i brs .'i0 de Tundo, si-ndo o solo freiro a proprieda-
do Montes*: tratar a ra da Cadeia do Recite
n. 10.



Travessa do Corpo Santo n. 25.
Os acreditados cylindros americanos para padaria, por dous differentes systemas.
.Machinas para descarocar algodo pelos melhores fabricantes de New York.
Machinas de vapor systema de locomotiva e polias para as mesmas.
Carrinhos americanos para transportar volumes em armazens. Tudo por pre-
cos razoaveis.
TRAVESSA DO CORPO SANTO N. 25
Agencia em Peraarabuco
Do l)r. Ayer
Peitoral de Cereja
C'ira a phthysiea e todas as molestias do peito.
Psa pnrrilha
Cura ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
tros.
Tnico
Conse va e limpa os cabellos.
Pllulas ca- rtica.
Puramente vegetaes e sem mercurio, cura se-
zoe?, curam e piiritlcam toda o systema humano.
Vende-se effecUvamente em casa de Samuel P.
Johnston & C, ra da Sandalia Nova n. 42.
>
i re*Wll, tbfoluUmento a uuici que rur tem ueuhum ddiiiro. Vi-udc-A
yj^f1?** >Hwi *V> n4>. (Exigir i kulum i tH).(HuM U me'jmm #e; mi t
Vonde-sea parte do sobrado da ra Di-
relia n. 127 : a tratar na ra das Larangeiras
n. 31.
AO CAMPOS
Na ra do Imperador n. 28,
os BtgvMei gneros de superior qualidade,
a saber:
Presuntos inglezes (para fiambre).
Qneijos inglezes (muito novos.)
A verdadeira gomma de ararnta.
Copos lapidados (muito finos.)
Latas com lagostas a 6C0 rs.
Licor (aya pana).
Ovas do serto.
E uma tnuifa deeebofas por 60rs. !!!.
O na armnzeiu do
Campos.
Ruado Imperadorn. 28
Milho avariado
venda.
O agente Oliveira vende por conta a"e quem per
len:cr cerca do 600 saceos de milho avariado,
em poinVs i vnntade dos compradores, recente-
mente importados de New-York pelo hiato amo-
riano Isaac Olivera e eximentes no armazem
i de farinba ao caes 22 de novembro, por bafxo do
fabinett Portuguez, onde pode ser examinado.
Sitio.
Vendi n um sitio com proporcoos para tudo
que se queira naquelle genero por ter muitas ar-
vores de fructo de toda a qualidade, dons granaos
viveiros grande casa de sobrado, cocheira e casa
para feitor, fioa contiguo a esta cidade t tem por
to de desembarque : a tratar-se no largo do tra-
piche da c.impanhi, era casa de Altredo &
Cunlia.
Vendem se duas machinas muito bonitas,
chegadas para ama ene mnunda no ultimo vapor.
e duas ricas iraageus, uma o crucificado, o a ima-
geo da Conceicao. Na mesma casa vende-se ba
nha contra a queda dos cabellos, e um xarope es-
pecial para, molestias do peito, vindo do sertao,
que j tem sido experimentado : no Corredor do
Blspo n. o.
a loja do Passo
Os requissimos corles de blonde de seda con
manta e capella para casamento, sendo neste ar-
tigo o que se pode desejar de mefhor e mais mo-
derno, tambem cliegaram os cortos de seda de co-
res novidade, o outras muitas fazendas de gosti
que chegaram pelo ultimo vapor francez, s par;
a loja do Passo a ra do Crespo n. 7 A.
??? 15 por cento de economi/i ???
Et fumo dar lucem
29-RA DO IMPERADOR 29
Bicos econmicos, d boa luz, de 500 a MOOO rs.
cada um.
Sementes
MILHO
De hortalicas novas e sag a 120 res a libra,
no Bausa, ra do Livramento n. 38.
Vende-se no trapiche Barao do Livramento sac-
eos com milho, boa saccaria e por menos do qat
em outra qualquer parte.
Vndese um grande sitio sem casa, terreno
proprio, no principio da estrada do Ro9arinho por
onde passa a estrada de ferro de Olinda, com umi-
tas arvores de fructo de diversas qualidades e
baixa ptracapim : na ra dos Pires n. 32, casa
de Cecilio.
ae de ib annos pouco n uis u meaos, baixo, gi -
so, sem defeito algnm, leve hixos em pequsno
rem pouco apparec* : per -o pede se as aottri-
dades policiaes e capilar di! canipi a captura
mesuw.s e lvalos in u.esuj mni\m on na .
daXIoeda n. 5, X andar escup Hooel
ves Ferreira h tii qne t, r*o praioic: loe.
Fiigio doengenho Boa mu. nal maro
La mar? gibe, provmrin colao, ii id*:e Ai aaims. alinrn repnMri -r
docorp-, andar baosnro. i.m lata de A-um na
frenie, i -: i :,:-,, tarbadt\ rostum* a- .
\mt toda a"brtia, tem urna ratriz na esta e o
[ ps grossos ; este escrao ;iuda fgido desde o
116 de Janeiro s autondades pnliciaes e ai..s canbial de ca
; apprehensjo dasse escravo, ,i entregar no 11
1 nho cima mencionado, ou n^^la praca mad->
Vigario n. 12, ou travess.i do Corpo Santo n.
1* anar, que s< gratiflear geuerosnente.
Acha-se fgido o estovo Prate. *o, pal
idade 20 annos mais ou menos, ton ua*i
uma prrua e braco, este cferav, veio ba |
do Sobral, muito ladino, cnculea-s* do f.
desconfia-se estar acontado, o que di* testa eonlra quem o livor h lo. Gratiiiea- i .
quem o levar ou delle iler noticia na ra da K..-
dro de Deus n. 3, Io andar.
Engenho Para/
Deste engonho Para, freguezia de Ipojuea, I
no dia 21 do correte mez o escravo JoaaoJ .
crioulo, de dado de 20 annos, boa tignra, i
| barba, cabeca redonda, denles limados, foi era
j Luiz Antonio Monteiro, da fazenda da lca, !. -
guezia da Pedra, fci vendido ao Sr. Mano,
valcanli de Albuunerque Uairao. e deste ao asen
sobrinho Jos Alves Marinho r'aleao, do quem "
houve por compra : quem o levar em dito en
nbo, cu ne*ta praca ra do Cruz n. 51, rece!
1 boa gratifleacao.
____________Jos Valenlim Vieira de Mello.
Fugio no dia 26 do fevereiro, pela M-ezT^:
escrava crioula de mime Belizaria que repaesecta
ter 40 annos, estatura baixa, com grande falt;<
denles e com nma sicatriz de quciniadura no !.:.
50 direito, tendo levado dous chales, send< 1
verdeo ontro listado de azul e hrano ; qu
a capturar sirva-se leva la a Ponto do Ueh i
sitio de Joao Jos Rodrigues alendes, on a ra
da .Madre de Dous n. 28, que ser generosamc;.
recompensado.
Fugio do engenho Uicho-homcm, do t do Bonito, no dia -H de fevereiro prn\in.
do, o escravo de nome Zacaras, coin db s:..'n.. -
seguiutes : cor fula, nariz chato, beicos gros* -.
uma pequea marca de bexiga no alto do nar
estatura b;ixa, cheiu do corpo, ps grossos e .
feitos, idade l a 18 annos pouco mais ou 111-r
levando vestido calca parda, camisa de alfiod
zinho chapeo de baeta pardo. Jalga-^o o mesn
escravo ier fgido por seduce lodo um homcn 1
diz ser morad r no engenho Diamante; termo \ !
rinhaein, e qne ha desenntianoa de sepuir com 1
mesmo. Pede-se aos Srs. captes de campo 1 -
autoridades policiac, a captura de dito esrav ;
e o levaren) ao engenho cima, m era casa >
Sr. Antonio Goncalves Ferreira Cascao no Bet
na ra da Cruz n. 30, que r genorosanri,.
recompensado.
Fugio no dia 4 de Iiiar^ o escravo Anto
prelo, de idade 18 ann cado, tem todos os dentes, sem barba, I' vestit
do jaqucU parda,camisa branca, calcad case
mira amarclla cota vivos chapeo de fellro re h
fila larga e llvella, N enmprtioao Sr. loncui -
coronel mtr-Cavalcanta de Alboquenpie ,\ -
co-verdo do Buiqtie, |...ra ondo se supoo ter l-
gido : quem o negar c lvalo a roa Direita 1.
3, a Josquim Hu?ulino da SHva Plagoso, \
ser com rtc tmiwnsaao.
Desappareceu no dia 4 do crreme, do
genho Pimeniel la comarca do Cabo, o esa/av
Luiz, cibnnha, de 17 a 18 aunos, alto, secco, d
bonita figura, todos os dentes, tem as per.
urnas sarnas seccas, ps grandes, fallas n ansas
olhos vivos, naiz grosso, bocea peqnena,*andr
apressado, levou clp e jaqueta do bri* pardo,
camisa de chita e chapeo de bata ; ilhj) do Ju-
gar Cacimb3-Nova da freguezia de Ingazeira
comarca de Paje de Flores, sendo que foi alfi
escravo do Sr. i'aulino Baphael da Silva Cruz, a
foi por e.-le vendido a seu luiao o lente J;.;-
quim llapliaei da Craz,_que tambem o vend u
nesta cidale ao "?r. capillo Francisco do Paula
Albuquerquo F.ima, senhor daquelle engenho, n
roga s autoridades policiaos a captura do escravo, e a sua entrega no dito engenho, < u nes-
ta cidade ao Exni. barao de Xazareth, que lem
ordem para gratificar generosamente a qoe
apresentar.
Vende-sc au cabriolct de duas "rodas, j..
patente inglez : na roa do Rangel n. 9.
I'
V
LISTA GERAL
159.
3.
DOS PREMIOS DA W- PARTE DAS LOTERAS CONCEDIDAS POR LE* PROVINCIAL N. o37; A BENEFICIO DA MATRIZ DE CARUAR, EXTRAHIDA EM 8 DE MARCO DE 1870.
vS. PREMS. .\S. PREJIS. SN. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. HS. PREMS. NS. PREMS. NS. TREMS. __--------------- NS. PREMS. -m--------------- NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. 1 Wtt.MSi PREMS NS. l'REMS
2 6 lo 6* 3C2 6< 542 6. 699 6* 881 6* 1034 6* 1203 6* 1393 64 1331 6* 1736 64 1902 10* 2031 64 2286 64 2472 6* 2663 6* 2845 6* 3047 61 3233 f. 3416 g;
s 67 70 46 700 94 37 10* 11 94 36 38 6 6* 86 92 75 65 47 54 30 22
) 101 69 74 52 10 99 ' 39 6* 14 93 38. 48 12' 90 93 76 66 49 __ 56 38 23
lo' 6* 70 73 59 12 905 43 18 99 42 50 18 2102 , 2312 _ 77 70 __ 51 __ 58 30 17
17 73 79 60 13 6 Oj 46 20 1401 48 53 28 3 _ 13 _ 8' 10* 71 _ 56 _ 59 48 31
20 83 84 73 28 9 6! \ 30 33 4 52 1- 56 32 9 _ 15 _ 82 6* 72 _ 57 _ 70 49 36
22 202 . 83 83 38 10* 10 56 42 $ 87 89 33 10 _ 20 _ 84 80 66 wm 72 54 37 .^m
32 3 90 205 603 18 6* 12 57 47 8 59 62 3t 11 _ 25 __ 88 86 10* 70 ^ 74 56 _ 40 mmm
34 0 91 64 P 51 15 20* 38 32 11 60 64 39 13 .^ 26 97 93 6* 72 ^_, 78 59 - a __
33 9 92 40* 9 54 16 6* 62 53 14 61 68 40 16 __ 28 2500 __ 99 1 73 Mi 79 _ . 60 , 48 __
39 lo 1005 H 6* 10 55 17 67 -T 57 20 62 -i 71 43 19 "32 10* 2 __ 2702 79 . 80 J 62 51 NW
41 19 6# % 11 57 18 71 61 24 69 81 46 . 32 p_J 33 6* 10 7 86 . 87 63 , 57 __
48 22 400 12 59 19 80 63 26 71 84 47 36 _ 37 10* 18 8 89 ^_ 98 C4 . 4 10*
ao 33 F 6 13 60 22 82 --- 67 29 77 95 53 43 __ 38" % 26 11 98 4 3104 * 47; _ 67 A*
52 35 11 __ 15 66 2i 84 40* 73 36 i 78 ' 90 56 44 _^ 39 27 _ 13 98 20* 10 tu J.I7I. _ 66
i 40 18 20 72 28 86 20* 1* 39 : 81' 98 57 47 _ 43 39 14 2900 0* 41 "87. _ 70
00 41 21 __ 24 76 29 88 6* 81 10* 42 91 1802 -' 89 65 51 < 41 15 ~- - 12 __ m mj 77
68 47 , 22 __ 26 73 37 89 83 6 44 Jr 92 -6 - 62 69 __ 52 _ 43 17 8 A 21 ab 80 79
70 32 24 __ 33 86 i 95 84 45 _ 99 __ 8 66 ^- 70 . 71 __ 46 M 17 _. 30 Ju. 92 _ 80 m
71 7C -^ s ~ r 35 36. 89' 95 51 56 08 09 , 86 87 100.S 0,5 49 53 - 1607 11 1! 15 . H 68 73 72 TC 78 88 60 MB 25 *3 z 28 30 32 10* Mas SI 4 z
77 83 43^3 48* ooo 40 98 57 1106 90 54 __ 24 23 --- 80 v. 80 ^. 95 __ 64 ^ 34 38 la 6* 8 85 __
83 81 6* 44 99 62 16 94 55 _. 28 __ 31 --- 85 82 ^ 2400 66 __ 44 40 44 12 197 _
84 8a 39 45 10* 801 10* 63 18 1301 G2 29 __ 35 1 oi 90 83 . _ 2 __ 71 ^ ^_ 45 87 46 20* 13 99 i
89 88 Cl _ 59 6* 2 6* 65 19 2 69 30 __ 37 64 98 __ 96 ^_ \ _ 78 %>^ 53 62 47 64 18 3809 '1 *.
1)2 93 68 _ 61 _ 0 68 30 6 _l 70 10* 40 __ 40 99 __ 2200 _ '__ ; 83 __ * 76 81 25 4 -.
93 97 70 64 13 73 35 4 71 6* 44 --- 41 2000 __ 2 10* 11 84 _ 66 7 13 7 _
96 P9 73 --- 66 15 i& 41. 13 12 20* 52 . 2 __ 7 64 12 1 87 MM 69 83 87 39 -*. 9 104
101 300 79 J0 67 -4- 19 - __ 77 43 14 73 6* ,4b --- 7 __ 13 13 _ 92 ^_ 70 87 39 42 \} 1 10
8 z 8fi G* 71 21 _ 83 47 16 74 ~^~ 48 62 20* - 14 _ 32 93 _J 75 88 61 56 * 17 --
12 11 88 72 4r 27 _, 93 35 _ 19 77 - 49 --- 64 U 13 1 Tl 19 _ 35 M _ 88 89 8 f- 61 _ ' _
14 OO* 12 91 73 1 30 . 1003 *!s W _t 21 -- 81 :;: . 60 - 29 21 * 39 __ 3 __ 2800 93 9 - 69 33
20 GJ 15 20* 19 92 77 32 20* 7 .^ 7 23 . ft 64 67 2b _ 43 13 3 98 70 81 \iA
24 96 84 _ 39 6* 9 100* 58 ^*. 87 __ 83 69 71 32 _ 42 __ 44 19 _ 7 96 83 81 41
28 10J 26 301 85 __ 34 10 1)* 39 M- W _ 87 82 74 34 45 __ 51 24 __ 16 3003 92 fl Hil
29 b* 28 - 2 86 --- 36 13 H flft 10tV 36 91 . 91 , 80 41 53 ,, . 53 . 30 . --- 12 3 93 J 99 81
34 38 29 -j 87 40* 38 h_ 15 7B 39 96 r+ 1705 83 46 _ 54 -v 88 42 19 10 99 9- wl 56
~ 31 ~l ! . 1 8 9* 42 16 14* 76 40 1 96 "TI 10 7 55 56 59 45 23 11 3201 340B .*' 7h
43 48 49 32 45 W -k 2 94 Z 43 43 H! 1 17 ;o 6* 82 87 1 37 "40 - 1513 18 14 15 88 89 z 69 70 z 58 62 63 ; 47 : 52 -24 18 25 26 *- 3 1S 4 40 60 8fi
TI 6* ~~"
** 23 95 52 , ,. m ^ 00 ^_ 22 PM .18 90 71 -+- 73 _ 65 ^"T . 83 30 27 - 89 *
1 63 53 27 97 _ 60 1 32 _ 93 74 -26 . 22 91 74 75 _ 70 ' 56 --- 39 43 2S -; ' JL 96 6*
~' Cl 07 98 78' 33 95 76 27 24 93 75 83 71 . 62 43 10* 46 33 <*HF m> l>


8
Diark) de Pernapbuc Quara' eira 9 de Marq de 1870.
1
UTTERATD8A.
POUCO DE TUDO.
A BELLEZA IW Homero que Screu
ra o mais oimoso dos gregos que sitiavam
Troya e Iherswu o mais feio.
A belleza como o brilho ou a imprensa
ias fazendas : desappjrec* com o ojo que
se Ihes d.
Uro ligeiro vu que encubra urna belleza
sedoi mais que ;i nudez completa.
Perguiilando-se i urna d;ima qual i r.i a
ror mais formosa, respondeu : a do pn
A belleza o priioeiro present que ;i na-
nreza nos faz, mas tambem o primeiro
pie nos lira.
A furmosura urna carta de recommen-
Jaco que a natureza d aos seos pred-
celos.
Os rapazes bonitos, era geral, nao cos-
.umaro ter nos seus aores toda a felici-
dado que esperara.
As mulheres seosives e vivas cuidara que
ssa classe de homens se estimara demasia-
do ; as orgulhosas e por outra parte des-
denhosas. n5o os achato bastante submissos
em respeitosos; e as que ternero as mis
'inguas, nao ousam encara-los.
Essos homens, por outro lado, namora-
Jos de si mesmos, estilo persuadidos que
is mulheres Ihes corresponden!, por nao
i'oderem prescindir d'isso, e militas ve7.es
esperara que sero rogados para aceitarem
as boas gracas d'ellas.
Emquanto belleza corporal, nao eslo
umraumente de aecordo os homens era
is muieres.
Todava, ha dm typo geral para todos os
.'ostos. do qual apenas dilerera mulheres e
lOioens, e vem depois a phantasia das fur-
rias que cada qual arranja a seu belprazer.
Disse uro autor celebre que as mulhuios
ormosas sSo como os grandes povos, fa-
cis de tomar, mais difficeis de eonsrvar.
Lafontaioe affirma que Psych possuia
iodos os encantos que a imaginaco pode
agorar, e at outros que a imaginaco nao
rjde conceber.
Aconselliava o Tiborcio ao Pantaleo :
Casa til com a Procopia, mesroo assim
t-i.i, ni llionaria. A formosura cousa
passageira. logo desapparece !
E' verdade, respondeu Pantaleo, mas
fealdade sempro fica !
R1NCK. A liquidaco di fortuna do in-
lelii Kinck importar n'uns 90:000 francos,
turi dividida pelas tres irmas de Kinck,
e dous irmos e duas irmas de sua es-
posa.
LONDRES.A iodigencia augmenta con-
sidera v-lmente era Londres. Segundo al-
,'uiis liados officiaes pub icados ha poaco,
O numero de pobres ascenda a 100:338
': era igual poca do anno anterior s foi
de 130:072.
BOM RESULTADO.O producto total
los thealros e concertos de Pars durante
i ultimo mez de dezembro, ascendeu i
jnorme quantia de 1.914:441 francos e 52
ce .'timos.
reglamento os seus precedentes. Ora, a Ma cmara alta, urna almofada posta sobre
um graude divn wrmelho, aponeos passos
por diante do ilirotio.
A primeira sesso de rana cmara dos
cominos novamente eleita, abre-sa hojfc
sem veriflcaf3o alguma de poderes. O livro
'das eleicoes (Retara beok) que cont os
nomes dos merabros nomeados nos diter-
sos collegios e depositado pelo clerk 4a co-
roa; elle sufficiente .para estabelecer o
titulo de cada uio; a camora lera por bom
o resultado do voto proclamado pelos/irn/f
de cada collegio eleitoral. Al o anno pas-
sado as eleicoes contestadas eram verifica-
das por ella. Em 1808 recusou se a qual-
quer exame. Contesta se urna eleicao ? ba
nella urna fraude, malversarao, corrupeo ?
a jiislica quera processa, a cmara nao
julga mais.
J, desde 1770, para arredar de seu seio
de recriminares e njuslicas dos partidos,
que nessas occasies consuliavara militas
vezesjmais asuapaixo e oleresse do que a
equidade, bavia ella organsado um proces-
so especial em commisso para este genero
de verificaces. Aps reiterados esforcos
para assegurir a sua propria imparcialidade
e evitar as borrascas, desesperando con-
segui-lo, entregou isso pura e smplesmen-
te a juslica.
Dizia-mo um membro do parlamento:
Com effeito, de que serve, para a verifi-
VARIEDADE
is usos Do parUaaeato inglez.
ftelatorio ao presidente do corpo legislativo
sobre os tusos do parlamento mglez, por
M. Mourel-Dupeyr, chefe dos secretarios
redactores do corpo legislativo.
Sr. presidente.Desejastes conhecer cora
irecisao o modo de proceder do parlamento
inglez, e me encarregastes de estudal-o em
todos os seus promenores. Nesse intuito,
passe o mez de maio em Londres. Acolla-
do cm a cortezia ingleza pelo presidente
(Speaker) da cmara dos communs, posto
por elle em contacto com homens que, por
:uas posices e trabalhos, lm adquirido urna
..xperiencia especial, a pratica parlamentar,
lii igi 1o na escolha dos livros que cumpria
ter. pude reunir informaces exactas. Re-
>umo-as neste relatorio.
O jarlameoto inglez nao tem regulamento
.jropriamente dito. Nossa rnaneira de pro-
ceder ? Hespondeu-me logo o presidente da
amara dos communs, eil-a aqu.E raos-
rou-me urna longa fileira de livros in folio
jue cobriam as paredes do s-u gabinete.
\ pratica ingleta com effeito nicamente
mulada no uso, e pode-se dizer com exac-
do, que na Inglaterra assim como nao ha
onstiluicao poltica seno a sua historia,
jmbera o parlamento ingles s tem como
cada ponto, abundara piecedentcs contra-
rios. No meio~r?t*sta lonfuso, cada legis-
latura em sua liberdsde ou em seu emba-
nco, faz a sua jurisprudencia. Os jornaes
em ijua se in3crevem as rosoluces da c-
mara e que formara a volumosacollecco que
rae mostrara o presidente Denison, nao s5o
portante mais do que um rtlatorio de con
ira.licces, donde, catre tanas regras,
iliflicil tirar a limpouma que seja invariav 1.
Todava, a cmara dosLords e a dos>Com-
mans lera s-'mpre li-ito nina di tinecao fun-
damental entre suas ordens fixas (standing
orders.) destinadas a se transmittirem de
parlamento a parlamento, mas que n-m sem-
pro tem conseguido isso, e suas ordens de
sesso (sessional ordei-s; que, adoptadas no
comeco de urna scsso c para a sua duraco
smente, algumss vezes se tem perpetuado
renovando se. Tal a dupla origem da pra-
tica. So os speakers e os velhos parlamen-
tares consumraados poderiam abi entender-
se, se homens distinctos, notavelmcnte M.
Ilatsell no corneo deste seculo, e Sir T.
Erskine May, nestes ltimos annos, nao bou-
vessem emprebenddo reunir e coordenar
raethodicameute todos esses usos. Sir Ers-
kine Miy clerk assistttnt da cmara dos
Communs. 0 sen livro, cuja sexta edieco
appareceu em 1868. umillustrado e per-
l'eito resumo da tradii.o parlamentar, desde
a sua ongem at nossos das. Elle se tor-
nou rpidamente um manual e umguia, nao
obstante ser de BOOpaginas em 8. Foi pr.n
cipalmenteda 1-itura desta obra fdas minhas
conversacoes cora o autor, completadas sobre
alguns pontos pelas explicnces dp proprio
speaker, ou pelas de outros membros do
parlamento,que eu compile as s-gninUs in-
dicacoes geraes:
AKNTURA DAS BESSfBS. PniMEin.VS OPK-
BCfiSf.
No dia marcado para urna sesso real,
as duas cmaras do parlamento reunera-se
no palacio de Westminster, onde sao, ao
lado urna da outra, as suas salas de sesso.
As disposices dessas salas sao pouco
mais ou men-)S as raesmas; sao longos qua
driUteros com bancos alinhados no sentido
longitudinal; as duas extremidades sao li-
vres, em urna est a cadeira do speaker,
como as cadeiras dos bispos, com espaldar
de dous metros de altura. Poucos passos
adiante fica a escrivaninha dos escreventes
(elereks) da cmara, de capa preta e ca-
bellera branca. As cmaras inglezas nao
tem vice-presidentes, nem secretarios, mera
bros do parlamento. Na outra extremida-
de da sala fica a barra, de que adiante se
fallar. Por cima e sobre os quatro ngu-
los da sala corre urna galera suspensa,
or.tle ^o publico admttido. Os reporters
de jortraes oceupo a parte que fica por
tr do presidente, os espectadores, a que
Ihe fica em frente. As mulheres, mais atrs,
s3o fechadas cm gabinetes com grades,
d'onde nao podem ver nem ser vistas. A
ala dos lords grande e brilhantemente
adornada. A dos communs mais simples,
de carvalho esculpido, por demais peque-
a. Nao contm mais de 200 lugares para
650 membros.
Deste modo, todos os dias, os logares
pertencem a quera primeiro os oceupa, e
durante a sesso, quem deixa o seu lugar
perde-o. comtudo, a cortezia perrailie, des-
de 1842, coaserva lo, durante curta ausen-
cia, deixando nelle nm livro, urna lava ou
chapeo. O acanhaniento do espaco justifica
a falta de assiduidade, e as sessoes ordi-
narias as duas cousas se corrigen!; mas
as sess5es interessantes o frequentadas,
os membros sem lugar sao obrigados a
refluir para as galeras superiores, ou a se
apertarem estrpitosamente na barra, o que
torna a votaco confusa e difficil.
O uso tem reservado o primeiro banco
direita do speaker para os ministros : o
banco da thesouraria (trsoreria) ou do
conselho privado. Os membros da cmara
que os apoiam sentam-se do mesmo lado.
U primeiro banco a esquerda pertence aos
principaes membros da opposco. que tem
oceupado os altos empregos do estado. Os
demais membros da opposco collocam-se
successivamente do mesmo lado. Na c-
mara dos lords a regra quizera que os lu-
gares marcassem as" classes, mas de fado
elles nao ndicam mais do que as prefe-
rencias polticas daquelles que os oc-
cupam.
S os bispos tem sempre conservado o
seu banco distinctu. a direita do throno. O
throno na cmara dos lords, est collocado
como a cadeira de speaker, na cmara dos
communs. O sacco de 15a (woolsack) em
que. se senta o lord chanceller, presidente
Quando a abertura da
per ^ommisse, o lord
. FOLHETIM
f)SMIitilROMrOLhW
PO,
lie Berthet
(Continuacao do n. 54.)
XVI
Ai rerelaces.
No da segrate um aconteeimento novo
o.espertava a curiostdade dos operarios e
iemais empregados da mina. Urna ele-
fante carruagetn, tirada por dous bellos
'.avallos, entroa no atrio da casa oceupada
pelo director. Apeoa-se d'ella nm homem
de aspecto distracto e com sua fita de no-
'.reza na abotoadura do casaco. Van-Best,
ro poaco ceremooial ordinariamente, cor-
ea agora porta e receben o hospede com
grandes d-monstratfies de apreso, e, em
fugar de o ntroduzir no escriptorio, fe-lo
subir para o salo do primeiro andar, onde
.inguera poda ouvir o que se dizia.
D'abi a poaco Gudula, chamada por
grandes gritos, levava para ali garrafas de
'inho da \iadeira e toces para obsequiar o
' ospede desconhecido.
A pessoa qae Van-Best tratava com tanta
consideracao devia de ser de alta importan-
cia. Logo se espalhoa qae era o Sr. de
Beaucourt e por tal forma se acreditou
sso, qae a todos os momentos se espera va
ver apparecer o director, de braco dado
com o oovo socio, a visKarem os escrip-
torios e oficinas. Os empregados pergun
tavam uns aos oatros se deveriam ir ves
tir os seas falos de gala e os operarios
* regosijavam-se com a idea da gralificaco
qae o novo patrio indispensavelmente dis-
tribuira para solemoisar a sua entrada ali.
Mas estas preyisdes e esperancas nio se
- alisaram.
Paasadas duas horas de conversagao par-
t.calar, Van-Best e o stppostoSr. de Beau-
caco dos poderes, recomecar oa cmara
a gitago eleitoral ? Para que trocar,
como primeira saudaro enlrc os membros
recera-chegados, aecusar-js vehementes, e
inaugurar a discusso dos negocios pela
disputa de paixSes"? A lei eleitoral, como
todas as leis deve ser applicada pelos tribu-
naes. Nao sendo contestada a grande raaio-
ria das eleicoes, basta isio para que a c-
mara se consltua, e metta mos aos tra-
balhos sem dilacSo : ganha nisso concordia
e tempo.
A primeira operaco a que procede a c-
mara dos communs, logo que se ada
reunida, a eleicao do seu presidente.
Tem este lugar a3sim: um membro, di-
ligindo-se a um escrevente (clerk) da c-
mara que est de p dante da mesa, preen-
chendo no eratanto as firacces da presi-
dencia, propoe que tal membro tome a ca-
deira como speaker. Esta raoco ordina-
riamente apoiada por um membro influen-
te, em geral pelo leader da cmara. Se
esta, pela sua approvacfto, chama i cadeira
o candidato designado, elle all condu-
zido de seu lugar pelos dous membros que
propuzerara e sustentam a sua nomeaco.
Se sao propostos diversos candidatos, sao
discutidos os seus ttulos, tem lugar urna
votaco, e aquelle que obtem a maioria*
dos suffragios toma assento oa cadeira,
d'onde dirige a cmara os seus agradec-
mentes ; um membro autorisado lhe res-
ponde com felicitaces. O speaker no-
meado para toda a legislatura.
A cmara dos lords, conforme as suas
regras, presidida pelo lord chanceller, e.
no caso de ausencia ou vacancia, por um
speaker eleito, que, cousa singular, ple
nao ser membro da cmara alta, oa anda
por um personagem que a cora de-
signe.
No da seguate ao da sua eleicao, o
speaker da cmara dos communs, bavendo
recebido urna mensagem que lhe leva da
cmara dos lords o official da vara preta
(the gentilman usher of tha black rod), en-
camtnha-se a barra dos lords, acompanha-
do dos communs, annuncia a sua nomea-
co. O lord chanceller a confirma em nome
da raialia.
Voltando a cmara dos communs, o
speaker faz prestar por escrpte, a todos
os membros ojuramento de fldelidade, que
boje o mesmo para as diversas commu-
nhes religiosas.
Smente depois da nomeaco do speaker
e aps a prestco do juramento por to-
dos os membros, que tem lugar a aber-
tura solemne da nova legislatura pelo sobe-
rano.
Estas duas operaces preliminares,a
nomeaco do speaker e a prestco do ju-
ramento, tendo lugar smente no comeco
de um parlamento novo, as seguiotes ses-
soes abreni-se inmediatamente pelo discur-
so da co'a.
Esta abertura feita pelo soberano em
pessoa ou por comraisso.
No primeiro caso o soberano sentado no
throno, na cmara dos lords, com a cora
na cabera, manda chamar pelo oficial da
vara preta a cmara dos communs a bar-
ra, e faz a leitura do seu discurso, que lhe
entregue pelo lord chanceller, com um-
joelbo em trra.
sesso tem lagar
chanceller quera
l o'discurso real.
Cada urna dasduasrcanuras responde a
esse discurso por um voto de gracas (adres
ae), a proposti deste voto de gracas fei-
ta por um membro, e apoiada por ou-
ro, designados ambos pela adrarais-
iraco.
Elles trajam uniforme na ermara dos
lords. e casaca preta na dos communs. Ap
provada a proposta, urna com nisso en-
carregada, em cada ema das cmaras, de
preparar o projecto do voto de gracas.
Este projecto lido duas vezes, discutido,
adoptado com ou sem emendas.
Os dous votos de graris sao depois apre-
sentados a rainha; pelas duas cmaras
completas, quando a abertura da sesso
tem sido feita pelo soberano em pessoa, e
este se acha na cidade; por deputaces,
quando a sesso tem sido aberta por com
raisso, oa a rainha est fra da ci-
dade. .
A cmara dos lords aprsenla se em pa-
lacio era grande gala, a dos communs os-
tenta o seu privilegio de livre accesso jun-
to ao throno conservando o vestuario ordi
nario. Todava, a bengala e o guarda cho-
va nao sao permittidos nessa occasio.
DURACO DAS SESSOtS.
A cmara dos lords reune-se todos os
dias, excepte quartas e sabbados, e as suas
sesses comecam as 3 horas da tarde,
prolongando-se mulo pela noute. A c-
mara dosAoramuns faz sessoes todos os
dias, excepto os sabbados, comecando-as
as 4 horas menos um quarto da tarde, e
terminando-as a I, 2ou 3 damanha, sal
va a quarta-feira, da reservad i aos ne-
gocios especiaes, e n qual a sesso aber-
ta as 2 liaras encerrada as 6 da tarde.
O speaker dirige se do seu gabinete a
sala das sessf>es com a cabeca coberta cora
urna cabelleira a moda de Luiz XIV, mas
polvilhada. com urna longa toga preta, cu-
ja cauda levada por um continuo, e meias
de seda preta, e precedido do Ihomem de
armas levando em panho a maca, enorme
sceptro dourado com urna cora real na
extremdade. Atravessa urna sala, onde se
acham esperando a abertura das portas da
sala das sessSes, as pessoas munidas de
bilhetes. Um continuo grita: Hats off
(chapeos fra); o publico descobre-se e o
presidente passa, sem rufo do tambores,
sem alas de soldados apresentando as ar-
mas, sem escoltas de officiaes de espada
oua.
Toda a sesso se abre por oraces
que recita o capello (te cmara. O pu-
Wh;o s admttido na> sa depois dessas
oraces.
O speaker oceupa a sua cadeira, e a
maca posta sobre a mesa indica que elle
quem preside a sesso: a maca posU
denaixo da mesa, quando a cmara, forma-
da em commisses, ermo- adianto se dir,
tem outro presidente.
O speaker s pode deixar a cadeira com
permisso da cmara. 5*. Pelgrave, na
sua recente obra sobre o parlamento, rele-
re a este respeito urna picante anedocta.
Ursa noute havia-se a sesso proiangado
al muito tarde, e a cmara, em coosequen-
cia de urna votaco por diviso, havendo-
se repeitinamente dispersado, o speaker,
que nao havia sido por ella- relevado de sua
fuocco, ficou s, preso- regularmente
sua cadeira, e ah ficara at o dia segura-
te a 4 horas da tarde, pwso pelo uso, se
por acaso nao se achasse ainda vagando
nos corredores um membro vagaroso, a
quera-requereram o puzesse em liberdale,
pronunciando sobre elle, em nome da c-
mara, o exorcismo necessario.
No comeco da sesso, nao se l alta al-
gunaa da antecedente. E pos nenhuma
observaco retrospectiva tem lugar. Os
escreventes da cmara tomam com effeito
nota das resoluges e votac&tt de cada dia
o jornal da cmara, mas-delle se nao d
leitura.
Na cmara do- lords a presenca de.tres
membros basta para qae ella possa delibe-
rar ; na dos communs sao precisos quaren
ta, comprehendido o speaker.
Nao se pede a palavra; levantam-separa
toma-la, e fallam dos seas lugares. Se
levanta-se mais de um membro ao mesmo
tempo, o presidente designa aquelle que
etle vio primeiro em p. Quando a cma-
ra entende que elle se engaa, noraa ella
a membro a quem deve caber primeiro a,
palavra, eo outro senta-se immedatameii'
te. as discusse vivas, tem-se visto-
mais de vinte membros se levantarem ao
mesmo tempo. No demais urna notavel
o quarto d'ella, e
s vezes trabalhar
era formada por
sustidas por pare-
court reappareceram conversando com ar
ritonho e apparencia de intimidado. O
hospede approximou-se da carruagem, deu
um ultimo aperlo de mo ao director da
mina e entrou no trem, que parti.
A commoco causada por este aconteei-
mento para logo se acalmou ; suppoz-se eo-
to que o desconhecido seria o chefe de
algum estabelecimento fabril que tinha ido
ali fazer alguma encommenda de combas-
tivel e nao se pensou mais no caso.
Van-Best, reentrando em casa, mostra-
va-sc vivamente agitado, sem, com tudo,
parecer magoado. Sanio e tornou a vollar
a casa, deu algumas ordens aos empregados
do escriptorio e depHs poz-se era procura
da Qlba, sua habitual confidente. Nao a
encontrando, dirigio-se para um terraco,
que communicava com
onde Amelia costumava
nos dias bonitos.
Este pequen terraco
trras para ali trazidas,
des. Tioha por ornato urna figura de loo-
Ca representando um joven jardineiro de p
sobre um pedestal de pedra e por arvoredo
quatro tilias rachiticas. O jardineiro, posto
qae de jaqaeta cor de rosa a calces ama-
rellos, apoiado no seo sacho, emblema da
profisso, mais pareca uto mineiro tSo
negro se achava pelo fun das chamias
prximas. Quan'o s tilias, apenas pro-
duziam ellas algumas folhas oa primavera
e pouca flor no estio : faltava-lhes a seta.
Qoando Amelia quera assentar-se junto d'el
las, tioha de i- a velha Criada espana^is,
afim de tirar-Ibes o p de car vio de que
estavam cobertas. Todava, tendo o terra-
co boa vista para os campos, a joven apro-
veitava todas as occasies de ir para ali as-
pirar o ar livre.
N'este momento l eslava ella assentad*
n'um banco de ferro e trabalhando em obra
de agu||a. Submersa em profunda raedi-
tacoVW dera pela longa ausencia de seo
pai, pareceu mesmo nao ouvir o ranger do
saibro sob os pesados ps do Sr. Van-Best
ao approximar-se d'ella, Com a cabeca
pendida para o peito, chorava.
Ao ver aquellas lagrimas, o bom homem
ficou fra de si, pos que tinha por sua
nica lilha urna araiza le que podia chamar-
se cuito. Corren para ella e ?.ssentoa-se
ou antes deixou-se cahir sobre o banco ao
seu lado, exclamando :
Que tens ? Que le succedeu ? Quero
saber ludo I
Passou-lhe o braco em roda da cintura e
deu-lhe om bejo na fronte.
Amelia apressou-se a enxogar as lagri-
mas, e, fazendo um esforco por se sorrir,
disse-lhe :
N5o nada, meu pai ; asseguro-lhe
que'ne nada.
Nao nada ? Mas ta choras e bu
quero saber o motivo !
Ah I meu charo pa;, nos as raparigas
choramos s vezes sem saber porque.. Di-
zem que effeito nervoso.
Ora vamos ; tu s boa rapariga e nao
eres a'ssas tolices. Occultas-me por torca
algum segredo e ea quero saber de que
provm essa magoa. Conessa, pos, jue
ests aborrecida. Realmente este geoero de
vida nao dos mais agradaseis. Sempre
oo escriptorio ajlratar dos livros oa fallando
deescrpturacoes... Isto nao agradavei
para urna raemina como tu ; mas ouve :
vou ter um socio e poierel ento dispor
de mim... Levar-te-hei cidade, pode-
remos musmo fazer urna viagem a Bruxellas
ou a Pars, como quizeres... Desojars
talvez um vestido ou um chapeo oovo ? Se
sso diz-m'o francamente ; eocommeodar-
l'o-hei tua escolha. Q que eo. porm,
oo quero qae ta chores, entendes-me ?
Amelia beijou o pai, agradeceu-lhe os
seus offerecimentos e repetio-lhe que oo
tioha motivo algom de magoa : exprimi
se com tal intimativa, que o bom Van-Best
acabu por se convencer da sinceridade
d'ella. Com tudo, meneando a cabeca ia
dizendo :
E exquisita cousa que as mulheres
chorem porgosto I Mas emflm, visto qae
nada, desejas, nao fallemos mais n'isso.
cortezia preside quasi sempre esta concur-
ren- i:i para a palavra : em geral v-se seo
larein-se de novo diligentes os membros
que ao erguerem-se, reconbecem liaver j
outro de p: entretanto a regra
pre por inimiga a excepeo.
po de oma votaco por di vi
prioridade da palavra, sus___
partidos, com igual obstioaflP^HWmem-
liros que se haviam levantado simultnea-
mente.
lloje o uso fallar altcrnadamen'.e pro e
contra.
Durante: as sesses os membros conser-
vana o chapeo na cabeca, mas tram-n'o
quaado se erguem para fallar, tornam a
pl-o quando se sentam outra vez, e este
movimento nao permilte engaos sobre a
ultima palavra de um discurso.
Se um membro faziima observaco inci-
dente, emquanto outro falla, Yaz lhe urna
cortezia de chapeo, e lepois pe-n'o de
novo. O vestuario muito mais familiar
do que entre nos. Vi um membro da op-
posco responder M. Gladstooe, com o
chapeo n'uma das mos, o chicotinho na
outra, gesticulando com arabas a coasas,
e um boto do rosa na casa do paletot. O
inglez conserva-se sportsman (apaixonado
de cavados e equitaco), mesmo na cma-
ra, e os discursos muitas vezes pareeem
um intermedio entre dous passeios em Byde
Park, principalmente na estaco propria:
um grande numero de cavallos de sella, se-
guros por la aios, esperam de fado e sa-
bida de seus donos no pateo do parlamen-
to.House.
O membro que tem a palavra dirige-se
na cmara dos lords ella propria, nados
communs ao presidente. Ah todos os dis-
cursos comecam pela palavra : Sir... Os
discursos escriptos" sao prohibidos ; pode-se
smente refrescar a memoria por notas;
mas se a memoria tem por demais necessi-
dade de soccorro, assignalam ao speaker a
contravenco pelos gritos: Est lendo!
est lemo! e o speaker pe cobro a
isso.
Fallando nao se pode citar, de um jornal
ou livro, extracto algum de um discurso
que foi pronunciado na mesma sesso, p
de-se, porm, fazer allusesou emprestimos
aos discursos de outras sesses. Em tal
caso, me dizta o presidente, sao considera-
dos como pertencentes historia.
Nao se pode em urna cmara fazer
alluso alguma- a palavras pronunciadas oa
outsa, nem empregar o nome da rainha
de urna rnaneira irreverente, sob penade
ser chamado ordem, reprehendida, entre-
gue guarda do homem de armas, ou re
mettido Torre; Tambem se nao pede in-
vocar o nome da. rainha no intuito de ac-
tuar sobre a cmara, sob pena de censura,
nem de servir-se entre collegas de expres-
ses offeosivas (vwrds of heat).
Dirigiodo-se a uro membro, ou faiteado
de algum, nunca se chama pelo nome ,* em
geral designado pelo oome do coHegio
que elle representa. E' at urna penali-
dade grave na cmara ser chamado pelo seu
nome. Cita-se a tal respeito um exempto
corroso: em 1852, qtieixando-se de im-
proviso um membro, durante a sessOj de
orna incivilidade de Mi. Feargus O'Conner a
seu. respeito, o speaker ameacou o culpado
com ama medida disciplinar; nao tendo
este exprimido awependimento explican^
do-se, o speaker cbamou-o pelo nome. tav
mediatamente M.-O^Connor apresentou suas
desculpas cmara.
Os signaos de approvaco ou reprovaco
sO'prohibidos; mas frecuentes. A iaier-
rupeo aprobatoria mais usada a hear *
bear! (ouvi! ouvi f) que breve e seora;
mas bastante singular, que applicada a
um discurso acabado.
Gostam tambem muito os inglezes de-ap-
laudir : d'ahi vemmas publicaces dos tra-
balhos das cmaras-o parntesis: (Cheers.)
A cmara dos communs tem duas sortea
de sesses muito dislinctas; as que sao
presididas pelo speaker, e as de commisso
de toda a cmara (committee of the whole
house), que sao presididas pelo cliairntan
ou presidente especial da comraisso de vas
e meios (committee of ways and meaos),
eleito igualmente para teda a adurco do
parlamento..
Quaudo a cmara tem decidido que se
forme em commisso (lo resol ve ilselff into
a committeo of the wbole house), o spea-
E no seu tom de placidez habitual pro-
sigui : *
Nao sabes, Amelia, a visita que acabo
de receber ?
Urna visita ? perguntou a joven a
mirada.
Pois nao viste a carrnagem auno pa-
teo ? Onde trabas os olhos 7
- Eetava disirahida sem duvida.... Mas
que visita foi essa ?
Nada menos do que o Sr. R..., di-
rector dos carainhos de ferro de.. Disse-
me cu sas que me sorprendern!.
Ah I conte-me isso, meu pai.
Curiosa I Olha : fac<' mal, verdade.
mas nao sei guardar segredo comtigo.
Agora teobo a exp'icaco de certas circums-
laocias que te devem ter dado qae pensar
da mesma forma que a mim. Pois nao te
sorprenden, quando o estado das miabas
cousas era desesperado, acbando-me pres-
tes a declarar-me fallido peraote o tribuoal,
qae urna interveoco, quasi miraculosa,
viesse inesperadamente collocar-me as
melhores coodices de prosperidade ?
verdade, meu pai. Temos a dar
gracas Providencia, qae nos salvo'a d'essa
infelicidade.
Sim rendamos gracas Providencia,
mas devemos tambem verdadeiros agrade-
cimentos aquellas pessoas que ella escolheu
para instrumento da sua prodigiosa obra. .
E conhe .es tu essas pessoas ?
Provavelmente o Sr. R...
Muito bem. Mas o Sr. R..., que
tanto tem em que oceupar-se, poderia an-
dar tratando de examinar os negocios de
um simples industrial como eu, lembrar-s-
mesA de acudir-me no momento do peri-
go, se nao fosse a isso ioduzido por alguma
iuflueocia poderosa e dedicada?..* Ora
pois; nao quero torturar-te com enygraas.
Lerabras-te do baile onde te levei o invern
pAsado, na casa da cmara de Moos ?
Sim, mea pai.
Entre os mancebos qae te fizeram
ali as honras e qae dansaram comtigo ne
nham te prenden a attencSo ?
ker deixa Ja sua cadeira e retira-se, sem
cedel-a io'ckairman, que vai sentar-se
mesa ao lado da dous escreventes da c-
mara, em assento um pouco mais elevado
que o delles. A maca, cuja presenca sobre
mesa indica a presidencia do speker,
neste caso JM^ML^aixo. e a sesso,
sem outra mudftca apparente, contina em
commisso, sempre piblica.
Entre estes dous modos ie sesso, as
differencas, qae s importantes, vem a ser
estas:
^." as sesses presididas pelo speaker,
depositara-se os projectos de bilh, ou dis-
cute-se o seu principio : a nossa discus-
so geral. as sessoes presididas pelo
chairman, discutem-se as clauset ou arti-
gos, bem como as emendas. A presenca.
portanto, do speaker ou do chairman basta
para indicar nao s a natuerza da discusso,
como tambem o estado do seu progresso
(stage). Este simples facto impede, em
commisso, voltar questo de principio
ou em sesso presidida pelo speaker, en-
trar no exame dos artigos.
2.a as sesses presididas pelo speaker,
cada membro s pude fallar ama vez sobre
a mesma questo, salvo a autorisaco para
explicar depois, no curso da discusso, om
ponto de seo discurso que nao tenba sido
bem comprehendido, ou permisso excep-
cional de replicar oo fim da discusso, con-
servando cada-uro alm diste a libenhde
de fallar muitas vezes na mesma^so so-
bre qoestes differentes. A obrigaco de
dizer de tudo de urna s vez so&re a mesma
questSo torna,' nestas sesses, os discursos
geralmente longos, e d-lhes apparato.
as sesses em commisso de toda a
cmara, pelo contrario, permittido tomar
a palavra muitas vezes sobre o mesmo ponto
a fim de que todos os pormenores da ques-
to possam ser minuciosamente examina-
dos. E' que ento sao os pormenores que
se discutem. Os discursos toniam-se bre-
ves, precisos e familiares. A discusso
nao- mais do que urna conversaco entre
homens de negocios.
Se a commisso nao tem podido esgotar
em urna sesso a sua orden do dia, o chair-
man deve pedir cmara* presidida pelo
speaker a autorisaco de proceder nova
sesso, para cootinuar ou acabar. E' o que
se chame to reporl progres, isto pedir
a autorisaco de dar um novo passo, porque
a commisso nao pode decidir por si mesma
se ainda far sesso. Tambera deve pelo
orgo do- chairman dar conta cmara, pre-
sidida pelo speaker, das resotoces que
houver tomado.
Sob um ou outro destes nomeshouse
ou committee of the whole house, que am-
bos designara a cmara discutindo m po-
blico, indicando nicamente o estado, the
stage da diseusso, as sesses- do parla-
mento sao sempre em extremo teogas. A
ordem do dia de cada sesso, assas carre-
gada, em pral esgotada. Principiada.
como fica ditoi as 4 horas da tarde, a ses-
so prolonga-se at 4 ou 2 hora* da ma-
nba, algumas vezes mais tarde.
E' esse ao primeiro aspecto, oatrabalbo
formidavel. Mas sob essas apparencias de
um esforco desmedido, compre ver a reati-
dadedo facto.
Composta de mais de 650 membros, e
oo podendo acommodar em sus- bancos
ao mesmo tempo mais de 200, a cmara
dos communs, ero toda a duraco dessas
sesses de 10 a 11 horas, nao contera sem-
pre os mesmos membros. E' a mesma
sesso, nao a mesma assembla.
Uns sahem durante algumas horas, em
geral de 7 a 10/outros chegam : uns subs-
tituera os outros quer oa discusso quer
nos bancos, a controversia nao Inter-
rumpida, mas o auditorio mudadcH
Temos portanto agora o contrario do que
tinhamos ha pouco ; entio vamos a c-
mara, sob essas transformaces successi-
vas em cmara propramenie dita e em
commisso de toda a cmara, consorvar-se
sempre urna s e a mesma assembla
deliberando em publico ; agora nesta
sesso que se nao suspende, descubrimos
diversas assembliVas que se succodem.
Estas renovaces de auditorio que per-
mittera repiuso- a todos, menos to speaker
ou a chairman,. aos quaes s concedida
urna suspenso de dez minutos, pelas 9
horas da noite, explcam a longura dessas
sesses, que de outro modo seriara despro-
porcionadas para a attenco humana. Taes
como sao tem. urna importante vantagem;
permittem esgotar as ordens do da, isto
fazer muito trabalho ; mas tem um incon-
veniente grave: que as discusses apre-
sentam em tal caso lacunas para todos, e
que no fim.a votaco nao esta recida para cada um dos membros.
Neahumrespondeu Amelia fazeo-
do-se corada.
possivel ? Eflectivamente elles eram
numerosos e nao os conhecias. Pois entre
elles esteva o Sr. de Beaucourt, sobrinho
do Sr. R..., meu actual socio.
Ora essa I Pois espere, que tenbo
urna idea... Mas nao, nao me lembra
circumstancia alguma relativa ao Sr. Beau-
court.
Isso urna ingratido da tua parte,
por quanto elle nao se esqueceu de ti. Tem
sido o nosso protector junto de seu lio e da
companhia poderosa de que este director.
Com a novidade dos meus embaracos fl-
nanceiros promoveu em meu favor aquella
primeira encommenda das daas mil tone-
ladas de carvo; depois, sabeodo, nao sei
como, da mioha fallencia imminente, sug-
gerio e fez acceitar a seu tio a combinaco
que me salva da roina e pode rehabilitar a
rainha fortuna. Tambem, qoando esse en-
cllente mancebo, qoe se acha ?gora em
Franca, ghegar a Polignies, prometi fazer-
lhe a melhor recepcio, apezar do seu or-
gulho de engenheirot
E en tambera, meu pai, porque elle
nos presin relevantes sen-icos... Mas
como pode o Sr, de Beaucourt saber da
nossa sitaacio e ntervir tanto a tempo ?
Tenho c minhas suspeitas. Esse Leo-
nardozioho tem um todo mysterioso e creio
que anda n'isto obra sua.
*- N5o creia, mea pai,redargoio Ame-
lia expressivamente qae Leonardo seja ca-
paz de, n'este ou outro qualquer assumpto,
proceder meos cooveoientemente. EHe
salvou me a vida e nao posso deixar de o
apreciar com justiga.
Vas quem que diz mal d'elle ? Tu
nao o teas em melhor conta do que eu. O
que haveria de reprebensivel da sua parte,
se etle adverlisse o Sr. de Beaucourt ou
sea to da nossa situaco ?... Mas deixr-
mos isso ; vejo com praaer as toas boas
disposices para com oS de Beaucourt.
Tinha certas prevences contra elle, que
desappareceram. Segundo novas informa-
(Contima*-se-ha)
Ces, o homem nao orgurooso e estou
certo de que nos daremos bem. Quanto a
ti, se o achasses to sympatbico como se
diz..
Amelia ergueu a cabeca- precipitadamen-
te e disse-lhe :
E que tenho eu a cese respeito ? De
que serve a minha opinio acerca do seu
novo associado ?
Ola I Espantas to sem motivo f...
Pois ento dir-te-hei que vaes fezer os
leus vinte annos e s demasiado formosa
para lia. Pela minha, parte nao quero ser
egosta e espero...
Explique-se, meja pai inierrompeu.
Amelia, vendo que elle se detivereoa pbra-
se. Diga-me aque se passoa com o Sr. R...
Ora esta Nada. Que queras tu
que sapassasse ? O facto que nos-va-
mos receber aqoi um mancebo, rico, ins-
truido, de boa familia e excedentes quali-
dades : calcula mais que esto mancebo seri
meu socio, mea igual, o qpe, da mais
mais, j est apaixonado por ti, e vers sa
nao tenho raijo para fazer os meus planos t
Eoto oo tem oatsas razos para as-
sim peosar? Acho-o, todava, to modado
de ideasdesde ha poaco..
Vamos; comtigo nao pode haver reti-
cencias. A tua concento vai muito longe...
Pis bea, o Sr. R... dea me a entender
quanto conviria pranos todos o casamento
entre ti e sea sobtinho, se elle te agr-
dasse.
Pois as cousas j eato n'asse estado ?
inierrompeu Amelia cora vehemencia.
Desde j devo coafessar-lha o meu pensar :
nlo quero deixar a saa companhia ; nun-
ca me hei de casar \ Quaoto pessoa de
que me faHa, ainda que elle seja om mo-
delo de tedas as perfeices humanas, oo
o podorei jamis amar e prefiro a morte
cem vezes a om tal casamento.
Ao mesmo tempo corriam-lhe as lagrimas
copiosamente
(Continuar se-ha.)
tTpT^o biario-mH ibs crvbs i.
%


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAFO3VZ8B_I3BJWP INGEST_TIME 2013-09-14T03:12:16Z PACKAGE AA00011611_12061
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES