Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12057


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO XLVI. NUMERO 51
M
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PASA PORTE.

Por tres mezes adiautados
JPor seis ditos idem .
Por um anno dem.. .
Cada montero avulso ,
6000
12,5(000
24,0000
320
SEXTA FEIRA 4 DE MARCO DE 1870.
PARA DE5TR0 E TOBA DA PR01USIA.
Por tres mezes adiantados
Por seis ditos idem. .
Por nove ditos idem .
Por um anno idem .
6*750
130500
200250
270000
DIARIO DE PEMAMBUCO.
Propriedade de Manoel Figneira de Faria & Filhos.

SAO AGEXTI
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para ; Goncalves Pinto, no Maranbo-; Joaquim Jos, de Oliveira, no Cear ; Antoniq de Lemos Braga, no Aracaty ; Jo5o Maria Julio Chaves, no Ass ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
Pereira d'Almeida, em Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Paranyba ; Antonio Jos Gomes, na pfla da Penha; Belarmino dos Santos Bulco, em Santo Anto; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas; pr. Jos Martins Alvesj ni Bahia ; e Jos Ribeiro Gasrjarinho no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL.
Ctoverno da provincia.
KXPKDIENTE ASSIOKADO PELO SR. DB Kl.US Fn*DEWCO
DR ALMEIDA E ALBIQI'KROIJB, SECRETARIO INTERINO
do oorEn.NO, i 25 du Janeiro de 1870.
l'secgao. ,
N. 620Portara ao Exm. Sr. genera! comman-
dante das armas.Queira V. Kxe. indicar um offl-
cal superior para substituir interinamente no com-
mando do forte do Buraco ao coronel Antonio Go-
mes Leal, que foi nomeado commandante das ar-
mas da Babia.
N. 621.Dita ao mesmo Manila V. Exc. por
in liberdade o recruta Manoel Francisco dos Pra-
/eres, que Ihe foi apresentado pelo chefe d? polica
com officio de 22 ao eorrente, visto ter provado
isengao legal.
ti. 622.Dito ao director do arsenal de guerra.
Tendo nesta dala e de conforniJade com o que
V. S. propoz em sou oIBco de 21 do correte sol)
a. 12, Horneado a Joaquim Antonio de Oliveira
Baduen, para exercer merinamente o lugar vago
de ajadantc do pedagogo da cumpanhia dos edu-
candos desse arsenal, assim o communico a V. S.
para seu conhecimento e lins convenientes.
N. 623.Dita ao commandante de Temando.
Knvie Vine, na i* oecasilo e com a precisa segu-
ranza para esta capital, a ser apresentado ao Dr.
befe de pohca o sentenciado Fidelis Antonio
Mendos, de quem trata o sou ofieio de 19 deste
mez
N. 624.Deliberaglo.O presidente da provin-
cia conformando;se com a proposta do Exm. Sr.
brlgadciro commandante das armas, resolve no-
mear o coronel reformado do exertito Antonio Po-
dro de Sa Barreto para commandar interinamente
o forte do Buraco, visto ter sido nomeado comirian-
dante das armas da provincia da Bahia, o coronel
do estado maior de 2" classe Antonio Gomes Leal,
que exercia nquelle lugar.
N. 62oDita.-O presidente da provincia de
confor i.dade com a proposta do nnjor director
lo arsenal de guerra, datada do 24 do eorrente
sob o. i2, resolve nomear a Joaquim Antonio de
Oliveira Baduen para ex. reer interinamente o lu-
gar vago de ajudante de pedagogo da companhia
dos educandos menores do mesmo arsenal.
N. ^26.Dita.O presidente da provincia, at-
iendendo ao que reqnereu Antonio Augusto Perei-
ra da Silva, resolve conceder-Ihe licenga para ir
ao presidio de Fornando no vapor Coruripe da
companhia Pernarabucana, levando conmigo os
gneros constantes da relagao junta, assignada pe
lo secretario nteriao do governo, nao podendo po
rai effectuar o desembarque dos mesmos g-no-
ros, sem que por parte do commandante do refe-
rido presidio se proceda a exame, alim de se ve-
rificar se ha agurdente ou otitra qaalqatt bebida
espirituosa.
N. 627.Dita.O presidente da provincia, alten-
deudo ao que requereu Jeronyraa Maria da Con-
eeicao, resolve coneeder-ine llcengn para ir ao pre-
sidio de Fernando no vapor Coruripe da compa-
nhia Pernambueana, levando comslgo os gneros
constan'.: da relacao junta asignada, pelo secre-
tario interino do governo, nao podendo porm cf-
fectaar o desembarque dos referidos gneros, sem
que parte do commandante do mesmo presidio se
proceda a exame, aflm de se verificar se ha agur-
dente oa outra qualquer bebida espirituosa.
2* secrao.
N. 628. Portara ao Dr. chefe de polica.Re-t
metto por copia V. S. os officios ns 24 o 25 que
em 22 e 24 deste mez, dirigi me o engenheiro fis-
cal da estrada de ferro, relativamente a um preto
que foi pisado pelo trem da 4* sccr-ao, afim de que
a tal respeito V. S. providencie como for de direito.
N. 629. Dita ao juiz de direito especial do
commercio.Informe Vine, sobre o que requer
na pelicao junta Antonio da Costa e S.
N. 630.Ditas aos tenentes-coroneis Ipaquim
Maximino Pereira Vianna, e Francisco Antonio Pe-
reira da Silva.Designei Vmc. para fazer parte da
junta que em ultima instancia tem de julgar a 5
de fevereiro vindouro, ao meio dia, neste palacio,
o a 'I lado do corpo provisorio do polica Manoel
foaquira de Vasconcellos pelo crime de desercao
aggravada.
N. OH.Dita ao jniz municipal da 1' vara des-
ta cidade.Incluso remeti a Vmc. para seu co-
nhe i ment e flns convenientes, copias dos autos
de vestorias e identidade de pessoa a que se pro-
ceden nos cadveres dos sentenciados de justiga
das provincias da Parahyba, Rio Grande do Norte e
Rio de Janeiro, de nomes Joaquim Francisco da
Silva Camello, Estevao Simplicio Ferreira e Lniz
Mocambique, escravo, os quaes allecerara na en-
fermara militar do presidio de Fernando, duran-
le os mezes de dezembro ultimo e Janeiro cor-
rente.
N. 632.Dita aomesmo Transmiti Vmc.
para substituir as irregulares, que esto no presi-
dio de Fernando de Noronba, as guias juntas dos
sentenciados constantesda relagao annexa, que all
se acham enmprinio sentencias quaes foram re-
metlidas para esse fim a esta presidencia pela da
provincia do Cear, em oflicio n. 1 de 8 do corren-
te, sendo que segundo declara o mesmo oflicio nao
consta dos juizos da capital ou 4e Sobral, terem
sido julgado all os reos de nome Carlos Jos de
Souza e Gongalo Joso Caetano, convindo que a res-
peito delles proceda Vmc. as necessarias averigua-
ees para verificar onde foram julgados.
N. 633.Dita ao mesmo.Transmuto a Vmc.
para os devldos flns, as guias dos!'! sentenciados
de justiga constantes da relaglo junta por copia,
que segundo offldo do commandante do presidio
de Fernando de Noronba, vieram no vapor Coru-
ripe para esta capiial, serem apresentados ao Dr.
chefe de oficia, por terem completado as respec-
tivas sentengas.
3* scelo.
N. 634.Portara ao inspector da thesouraria de
tazenda.Mande V. S. satisfazer os dous inclusos
pedidos de diversos objectos para a pharmacia,
igreja e enfermara do presidio de Fernando.
N. 635.Dita ao mesmo.Transmuto a V. S.
mando do forte do Buraco, visto ter sido nomeado
commandante das armas da provincia da Bahia o
coronel de estado-maior de 2' classe Antonio Go-
mes Leal, que o exercia, assim o communico
V. S. pira seu conhecimento.
N. 640.Dita ao mesmo.Transmuto V. S.
para os fins convenientes, as inclusas relages no-
minaos e de alleracoe- occorjidas nos mezes de
setembro, outubro e novembro do anno prximo
passado, com as pracas da guarda nacional dedi-
cadas no presidio de Fernando, pertenceuts aos
bnlalhoes 1" de artilharia, i, 2, 3, 4 6 e 81' de
infantaria deste municipio e 9 do oe Olinda.
N. 641.Dita ao mesmo. V. S. envi paraos
fins convenientes, as inclusas rolacSes nominaes
de pagamento e de alteracoes occorridas nos me-
zes de setembro, ontubro e novembro ltimos, com
o imperial inarinbeiro Jos Francisco de Almeida,
que est cumprindo sentenca no presidio de Fer-
nando.
N. 642.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Depois de liquidada, em vista da contae
relacao juntas, a despeza feita com o sustento dos
presos pobres da cadeia do termo do Brejo, du-
rante o mez de setembro ultimo, mande V. S. pa-
gar a sua importancia a Jos de Pinho Borges,
conforme solicitou o chefe de polica, em officio de
hontem, sob n. 116.
N. 643.Dita ao mesmo.Em vista do pret no-
minal junto em duplcala, que me remetteu o com-
pedio, a cadeira de instruccSo primaria da povoa-1 interi
cao de Cirrentes. ta pn
EXPEDIENTS ASSI0NAD0 PELO SR. DR. ELIAS EREDE-
RICO DE ALMEIDA E ALBUQUERQUB, SECRETARIO I!t
TERINO DO GOVERNO, EM 25 DE lANSUtO DE 1870.
' 1" seccSo.
N. 658.Offl;io ao inspector do arsenal de ma-
rnlia.Do ordum de S. Exc. ) Sr. presidente da
provincia, declaro a V. S., em resposta aoieu otli-
cio de 22 do eorrente, sob n. 1890, qne fie* expe-
dida a conveniente ordem para serem transporta-
dos corte no vapor Guar, que se espera do
norte, os 11 apreodizes marinheiros de que trata o
seu citado oflicio.
2' scelo.
N G59.Oflicio ao Dr. chefe de polica.Nesti
dala autorisou-se a thesouraria provincial a pagai'
a Jos de Pinho Borge* a quantia de 181^200 rs.,
constanto do oflicio de V. S. datado de hontem, e
sob n. 116, o que tica assim respondido de ordem
do Exm. Sr presidente da provincia
N. 660.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarar V. S. que, em
vista do que requereu o sentenciado Fidelis Anto-
nio Mende, se expedio ordem para ser re-
mettido para esta capital e apresentado V. S.,
afim de constituir procuradores na provincia do Rio
Grande do Sul, d'onde natural.
N. 661.Dito ao commandante superior da guar-
da nacional de Palmares.A'thesour tria provin
mandante superior deste municipio com officio do cial autorisou-se nesta data a pagar ao captao
para sen conhecimento e fins convenientes as tres
inclusas ordens do ministerio da guerra datadas de
7, 11 e 13 do eorrente.
N. 636.Dita ao mesmo.Era resposta ao oDfl-
rio que V. S. me dirigi hoje, sob n. 46, tenho a
dizer qne o autonso a mandar comprar e remet-
ter para o almoxarifado do presidio de Fernando
no vapor da companhia Pernambueana, que vai
para all seguir, os mil alqueires dj arinha de
mandioca que requsitou o commandante daquelle
iirearto, para alimentacio dos reooeetivos senten-
ciados, visto teredo insuflicienle igual remessa que
ja se (ex. .
H. 637.Dita ao mesmo.^-Levo ao conhecimen-
to de V. 8. para os deviios fins, que, segundo in-
fer o Dr. chefe de policial em officio n. 117, de
hontem datado, no mez de dezembro ultimo, con-
servou-se completo odestamento do termo de
Cimbres. .
N. 638.Dita ao meen.Tendo nesta data o
de eonformidade com^Mroposta do director do
arsenal de guerra, noMlo Joaquim Antonio de
Oliveira Baduen, para ereer interinamente o lu-
gar vago de ajudante do pedagogo da companhia
dos educandos menores do mesmo arsenal; assim
o communico V. 8. para sen conhecimento.
N. 639.-DU ao mesmo.Tendo por, portara
deeta data e de eonformidade com o que propoz o
brigadeiro commandante das armas, nomeado o
coroel reformado do exercito Antonio Pedro de
Barreta, para exereer intcrnim?nie q com-
hontem, sob h. 17, mande V.J3- liquidar e pagar
os vencimentos. a contar de 16 de dezembJo do
anno prximo passado a 15 deste mez, dos guar-
da naciones destacados em S. Lourenco da
Matla.
N. 644 Dita ao mesmo.Mande V. S. liquidar,
era vista do incluso pret em duplcala, os venci-
mentos coi respondemos ao mez de dezembro ulti-
mo, do guardas n&cionaes destacados na villa
d'Agua Preta, e pagar sua importancia ao captao
Mauricio Jos de Torres Temporal, conforme soli-
citou o commandante superior daquelle municipio
em officio de 13 do eorrente.
ti. 645.Dita ao mesmo.Em vista das fo!ha<
e prets juntos em duplcala, que me remetteu o
commandante superior do municipio de Olinda
com officio de 7 do crreme, mande V. S. liquidar
e pagar os vencimentos rea.vos ao mez de dezem-
bro ultimo, dos offlciaes e pracas da guarda naci
nal destacados naquella cidade e na villa de Igua-
rass, bem como a despezajfeita durante os mezes
de outubro a dezembro j citado, com o forneci-
ment de luz e agua para o primeiro de taes des-
tacamentos.
N. 646. Dita ao mesmo.Transmiti V. S. o
incluso pret ein duplcala, tirando vencimento
para urna forgada guarda nacional, que a reqni-
sigao do delegado do termo de Cimbres segum em
deligeneia para capturar criminosos na freguezia
de Alagoa de Baixo, afim de que mande liquidar
taes vencimentos e pagar a sua importancia a, Pe-
dro Paula dos Santos, conforme solicitou o com-
mandante superior do municipio do Brejo em offl
ci de 12 do correntn, sob n. 20.
ti. 647.Dita a > mesiuo. Annuindo ao que so-
licitou o tencntt-corontl cominandanla do corpo
provisorio de polica em officio de hontem, sob n.
35, recommendo V. S. expedicao de suas ordens
para que sejam abonados por adiantimeuto 5 me-
tes de vencimentos, a contar de fevereiro a junlio
deste anno, nao s para um capitao, um lente e
29 pravas daquelle corpo, que se acham destaca-
dos na villa do Salgueiro, mas tambem para um
captao, um tenente e 19 pracas de que se compoe
o destacamento existente em Villa-Bella..
N. 618 Dita ao mesmo.Devolvcndo V. S. a
conta a que se refere a sua informadlo de 20 do
eorrente, sob n. 30, na importancia de 7023 relati-
va a despeza feita no trimestre de outubro a de-
zembro do annft prximo passado. com os filhos
dos voluntarios dau>ain.i. recolhidos aos collegios
deorphaos, o amWiso a mandar pagar Integral-
mente aquella quantia ao Jhesooreiro da Santa
Casa de Misericordia Vicente de Paula de Oliveira
Villas-Boas, conforme solicitou o respectivo prove-
dor, em officio n. 2353 de 4 doslo mez, pois qne a
menor Cele'.ina, de que irata a sua citada uilur-
mscao, foi mandada admittir no colegio das or-
phaas, por ordem da presidencia de 11 de outubro
ultimo, por se achar comprehendida as dispusi-
eses da le n. 611 de 2 de maio de 1865.
N. 649.Dita ao mesmo.Inteirado do conleu.-
do do officio que V. S. me dirigi em f I do cr-
rente, sub n. 34, acompanhado da conta que inclu-
so devolvo, da despeza feita com o sustento dos
presos pobre da cadeia do termo d'Agua Preta,
tenho a dizer em resposta, que a mencionada con-
ta foi remettjda a ess thesouraria, com a porta-
ra desta presidencia de 11 deste mez, nao para
ser paga c sim para os fins convenientes, e por isso
servir para os ne:essarios exames da cuspeza
paga pela collectora respectiva.
4" seccao.
N. 650.Officio ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia do Rio de Janeiro.Incluso remello a \.
Exc. para os fins convenientes, o acto de vistoria e
identidade de pessoa feito no cadver do sentencia-
do de justica dessa provincia de nome Luiz Mo-
cambique, escravo, que falleceu na enfermara mi-
litar do presidio de Fernando no dia 22 de dezum
bro do anno prximo Gndo.
N. ool.-Dilo ao mesmo.Rogo V. Exc. a ex-
pediento de suas ordens para que pelo juiz muni-
cipal do termo de S. Joao do Principe, sejam re-
metidas a esta presidencia, as guias dos senten-
ciados constantesda relacao junta, para substitu-
rem no presidio de Fernando de Noronha, onde se
acham cumprindo sentenga, as irregulares que alli
existen.
N. 652.Dita ao Exm. Sr. presidente da provin-
cia da Parahyba.Incluso remeti V. Exc. para
os fins convenientes, o auto de vistoria e identida-
de de pessoa feito no cadver do emendado de
justica dessa provincia, de nome Joaquim Fran-
cisco da Silva Camello, que falleceu na enferma
ria militar do presidio de Fernando no dia 3 do
eorrente.
N. 653.Dito ao presidente do Rio Grande do
Norte.Incluso remetto V. Exc. para os lios
convenientes o auto de vestoria e identidade de
pessoa feito no cadver do sentenciado de justica
dessa provincia de nome Estevao Simplicio Fer-
reira, que fallecen no presidio de Fernando no dia
27 de dezembro do anno prximo Ando.
N. 654.Portara ao engenheiro fiscal da estra-
da de ferro.Inteirado, pelos seus officios de 22 e
24 da eorrente, de haver o trem de passageiros da
4" seccao pisado a um preto que se achava sobre
os trilitos no lugar Plana, acabo de dar sciencia
desse facto ao Dr. chefe de polica, para providen-
ciar como fortle direito.
N. 655.Diia ao gerente da companhia Per-
nambueana.Pode Vmc. fazer ftguir no dia 31
do eorrente, para os portos do norte e sul at
Granja e Penedo os vapores Ipojuca e Potengi,
hora indicada em sen officio de hontem.
N. 656.Dita aos agentes da companhia Bias
leira de paquetes a vapor.Os Srs. agentes da
companhia Brasileira de paqnetes a vapor man-
den) dar transporte para a corte, por conta do mi-
nisterio da marinha, no vapor Guar, que so es-
pera do norte, a 11 aprendizes que Ibes serlo
aposentados por parte do inspector do arsenal de
marinha.
. 657.Deliberaoao.O presidente da provin-
cia, altendendo ao que requeren Jos Paulino da
Silva Filho, e tendo em vista a hiforaacao do di-
rector geral interino da inairuejao publica, de 22
do eorrente, sob k. 3S>, resolve nomea-lo para re -
ger intern.a,raen'.e sem vencimento algum, como
Mauricio Jos de Torres Temporal os vencimentos
constantes do officio de V. S. datado de 13 do cor-
rente, o qual (lea assim respondido de ordem do
Exm. Sr. presidente da provincia.
N. 662.Ditos ao juiz de direito da segunda
vara e ao tencnte-coronel Jos Francisco Pires.
De ordem do Exm. Sr. presidente da provincia,
communico V. S. para seu conhecimeoto, que
tica transferida para 5 de fevereiro vindouro, ao
meio dia, a reuniao da junta qne em ultima ins-
tancia tem de julgar o soldado do corpo proviso-
rio ds polica Manoel Joaqnim de Vasconcellos.
N. 663.Dito ao bacharel C irlr s Francisco Soa-
res de Brito, jazde direito interino da comarcada
Boa-vista.O Exm. Sr. presidente da provincia
manda declarar V. S. que licou inteirado pelo
seu officio de 14 de dezembro ultimo, djj ter in-
cumbido o juiz municipal do termo da Boa-vista,
bacharel Jos do Patrocinio Pereira da Silva, de
eonformidade com o art. 236 do regulamento o.
120 de 31 de Janeiro de 1842, a presidir a jauta de
rov.sao dos jurados d'aquelle termo, visto V. S.
nao poder, por incommodos de sade, transpor-
tarse aquella localidade.
N. 664.Dito ao jniz municipal da prmeira vara
d'esta cidade.O Exm. Sr. presidente da provincia
manda dfmarar V. S. que, em vista do que re-
queren o sentenciado Fidelis Antonio Mendes, se
e.xpedio ordem para sor elle remettido para esta
capital, a ser apresentado ao chefe do polica,
para aqui constituir procuradores na provincia do
Rio Grande do Sul. d'onde natural
N. 665.-^-Dilo ao commandante do corpo provi -
sorio de polica.O Exm. Sr. prndente da pro
teda manda declarar V. S., em resposta ao seo
offioio de hontem, sob n. 35, qne a thesouraria
provincial tem ordem para abonar por adiam-
ntenlo os cinco mezes de vencimentos para os des-
tacamentos existentes era Salgueiro e Villa Bella,
de que trata o citado officio.
3* seccao.
N. 666.Offieio ao inspector da thesouraria pro
viudal.S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
tendo, por deliberadlo d'esta data, em' vista da in-
formacao do diroctor geral interino da instrueco
publica, de 22 do eorrente, sob n. 39, resolvido
nomear a Jo> Pauliao da Silva para reger interi-
namente, sem vencimento algum, como pedio, a
cadeira de nstracelo primaria da povoaclo de
Correntes ; assim o manda communicar V. S.
para seu conhecimento.
4.a secgo.
N. 667.Officio ao Exm. Sr. desembargador
proredor da Santa Casa de Misericordia.O Exm.
Sr. presidente da provincia manda declarar V.
Exc, em resposta ao seu officio de 4 do eorrente,
sob n. 2353, que a thesouraria provincial tem or
dem para pagar ao thesoureiro desse estabeleci-
ment, Vicente de Paula e Oliveira Villas-Bas, a
quantia de 702 constante do citado officio.
N. 668.Dito ao director geral interino da ns
trcelo publica.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia tendo, por deliberaclo d'esta data, em vista
da nformaea.) de V. Exc de 22 do eorrente, sob
n. 39, resolvdo nomoar a Jos Paulino da Silva
Filho para reger interinamente sem vencimento
algum, como pedio, a cadeira de instruccao pri
maria da povoacao de Correntes, assim Ih'o manda
communicar para seu conhecimento.
da 28
a o fim determinado no despacho des-
ia da 27 de novembro ultimo.
o ver no do blspado.
CircuUr aos Rvds. parochos da diontse. A-
meai;:id< do lerrivel thgeilo da esterilidade com
que i D'ffina Justica costuma castigar os crimes
dos liomens, que recurso nos pode restar se nao le-
vantronos os olhos ao cu donde nicamente nos
pode provir o tjpportuno soccorro dos nossos ma-
les f B na veraade qual t; o meio de obtermos as-
copiosas cnuvas que occorrem a esierildado que
pode cansar-nos aamnos ts mais consderaveis ?
Ninguem ignora qu5o terriveis clles sejam sem
que me demore em enumeral-os.
Nao hesitemos por tanto um momento em diri-
gir-nos | throno das gragas com a mais profunda
humildade e com o mais vivo reconhecimento dos
nossos crimes.
O Omnipotente, na pVrasc do Psalmista, quem
cobre os cus de nuven, o que paspara a cliuva
para a tena. E' Elle, o que prodnz o feno nos
montes e o que faz crescer a erra para uso dos
lemeos.
Emcamlnhemos pois os nossos passos ao Templo
do Senhor tremendo diante do Seu Santuario como
Elle Mesmo nos ordena, actrescenlando euas pa-
lavras que deremos conservar profundamente gra-
vadas nao tanto na memoria, como nos nossos pro-
prios cor ages.Eu Sou o Senhor, (nos diz Elle),
se vos andardes conforme os meus preteitos; se
guardardis e praticardes os Meus Mandamentos
Eu vos darei chuvas a seus teapos.
Cortos porm que as nossas snpplicas serlo tan-
to mais bem acceitas quanto mais efficazmentc tra-
tar-mos de reformar os nossos costumes, assim o
devemos praticar empregando-nos no exercico, da
oragao tanto particular como publica.
E para que isto se effectue tenho resolvdo que
assim na cathedral de Olinda, como as parochias
e conventos da mesma cidade, e as do Recife se
fagara Preces nos dias 5, C e 7 do correte, reci-
tando-se as qne esto prescriptas no Ritual Roma-
no no titulo -mi petendnm phivtamdevendo nes-
les tres dias os Rvds sacerdotes accrescentar na
missa a oragao igualmonteadpetendan plucwm.
Quanto as freguezias do campo, os Rvds. paro-
chos, logo que receberem a presente circular,
marcarlo os dias em qne as Preces mais conve-
nientemente poderem ter lugar.
O Rvds. parodio exhortem o Rvd. Clero de
suas freguezias fque deve ser o primeiro era dar
exemplo aos de mais fiis), bem como as contra-
ria* e a todos os tlels em geral a cencorrer a uro
acto que lio necessano e importante se fai as
circumstani'ias actuaes.
Palacio Episcopal da Soiedade, 2 de marco de
1870. ..*
Conego Mura-IUno Anttmo DorneUat.
Goveraador do Bispado.
Rvm. Sr. vi gario da fregoezia de...
PERNAMBUCO.
DESPACHOS DA PRRSIDBNCIA DA PROVINCIA DO
DE FEVEREIRO.
Alexandrina Ignacia de Oliveira e Francisco
Ignacio de Oliveira.Satisfacam a exigencia da
contadoria da thesouraria de fazenda.
Alberto Hen^chell & CInforme o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazenda.
Clara Olyropia de Luna Freir.Drija-se ao
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Francisco Pacifico do Amaral.Ao Sr. inspec-
tor da toesouraria provindal com a portara desla
data.
Luiz Rodrigues Villar.Ioforme o Sr* desem-
bargador presidente do tribunal do commercio.
Hermelino Eliseu da Silva Caneca.Expeca-se
ordem para cessar o descont.
Jos Francisco de Souza Moreno. Remettido
ao^r. Dr. chefe de polica para tomar na consi-
deraglo quemerecer.
Manoel Joaquim de Paiva.Informe o Sr. Dr.
chefe de polieft.
Manoel Ferreira Guedes Alcoforado.Remetti-
do ao Sr. Dr. juiz municipal do termo do Limoei-
ro para proceder como for de direito.
Manoel Francisco de Arroda Fraga.Volte ao
Sr. inspector da thesouraria provincial com a por-
tarla desta data.
Manoel Figueira de Menezes. Expega-se or-
dem no sentido que reqoer o supplicante.
Manoel Joaquim de SanfAnna.Aguarde o sop-
plicante notagao do necessario crdito pela as-
sembla provincial.
Umbelina Cecilia das Neves.Informeo Sr. des-
embargador provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia, i
! de marco.
Antonio Jacintho Borges.A vist* das informa-
cues ndeferido.
Alfredo Carlos Pereira.Exija-se do juiz mu-
nicipal do termo de Barreiros o comprimento do
despacho de 28 de Janeiro ultimo.
Francisco Camello Pessoa de Laceada.Expe-
do-se ordem a thesouraria de fazenda.no" sentid)
qne o snppl.cante requer. a.
Francelino Americo de AlbuqutrMplllo.
Prove que tutor do menor a que si^Were.
Joaquim Manoel da Silva Mendes.D se dos
despachos que obteve o supplicante.
Dr. Luiz Ferreira Nobre Pelinca.Informe o
Sr. Dr. director geral da instrncclo publica ou-
vndo o regedor do gymnasio.'
Luiz Ferreira Maciei Pinhoiro e Thoraaz Ferrd-
ra Maciei Pinhero.Informe o Sr. inspector da
thesouraria de fazenda.
Luiz Ignacio de Oliveira Jardim.D-se nao ha-
vendo inconveniente.
Rayraundo Gomes da Silva.Junto ao requer-
ment em que o patrio do supplicante pede des-
pensa da guarda nacional para o mesmo suppli-
cante, volte ao Sr. coronel cemmandanlo superior
73:0004000
2o7:73i204
259:50&382
REVISTA DIAEIA.
GOVERNO DO BISPADO.O Rnn. Sr. governa-
dor do bispado acaba de ordenar preces publicas
em todas as igrejas d'esta diocese, para pedir
Deus chova e fertilidade para os campos.
Na cathadra! e as igrejas de Olinda e do Reci-
fe, terao ellas lugar nos dias 5, 6 e 7 do eorrente ;
as freguezias do campo ou do interior das pro-
vincias -apenas for conhecida a portara que isso
determina.
REGRESSO DOS VOLUNTARIOS DA PATRIA.
O Exm. Sr. presidente da provincia deliberou, era
data de hontem, que se observe o seguinte_pro-
gramma p >r occasio da chegada do batalhao 53
3j voluntarios da patria '.
A chegada do transporte de guerra ser annun-
ciada por ires Uros de arHharia dados pela forta-
leza do Brum, 8 um galhardete encarnado igado
as torres do Arsenal de Marinha e do Collagio.
Se o transporte chegar pela manhla, o desem-
barque teri lugar s 4 horas da tarde ; se, po-
rm, chegar tarde, de modo que na > haja lempo
para o desembarque, far-se-ha s 8 horas da ma-
nilla do dia seguiat-.
Desembarcando o corpo de voluntarios no caes
do Arsenal de Marinha, e recebenao as continen-
cias de urna guarda de honra, seguir pelas mas
da Cruz, Cades, Crespw, Queiraado, Livramento,
Direita e Cinco Puntas, a recolherse fortaleza
dessa denominaco, onde Picar alojado.
S. Exc convidou todas as autoridades cvis c
militares para-aisistirem ao acto, bem orno orde-
nouque lo.las as embarcagoes de guerra c esta-
gos publicas sejam embanderadas.
COLLEGIOS DE ORPHAOiPor deliberaglo
de 2 do eorrente, S. Exc o Sr. presidente da pro-
vincia, attendendo que convm soccorrer e am-
parar a orphandade desvalida, abrigando-a dos
funestos effeitos do abandono e da miseria, e au-
torizado pelo 4o do art. 24 da lei de 12 do agos-
to de 1834, resolveu alterar os arts. 2 do regula-
mento de 22 Je innho de 1855, e 36" do regula-
mento de 28 de Janeiro de 1861, determinando que
em casos excepcionaes e extremos, provados, pe
rante a#residencia, sejam admittidos nos collegios
d s orpnlos menores de um e ontro sexo at a
idade de 14 annos ; suosistindo, todava, como re-
gra geral as disposigdes dos citados artigos.
' DELEGACI.i LITTER \RIA. Por deliberaglo
e 3 do crrente, foi nomeado delegado litterario
do districto do Pego da Pane la, o major Jos Dj-
miDgues Codeceira.
AUTORIDADE POLICIAL.Por dolberaclo do
1 foi nomeado 1* supplente do delegado ao tor-
mo do Bom Conselho o Sr. Pedro Cavaicante de
Albuquerque.
GUARDA NACIONAL.Por deliberarlo de 26
de fevereiro e 2 do eorrente foram nomeados :
41.' batalhao de infantara (Ipojuca).
i.' eompanhiaTenente o alteres Jos Cavai-
cante de Souza Lelo. i
3. dita.Tenente o alteres Paulo Felippe de
Salles Abren. _____
5. dita.Alteres Jo Thales de Abren.
6.' dita.Capillo Francisco Manoel de Souza
Lelo, alteres Manoel Marques Ferreira Lins.
28. batak de infantara (Garankuns).
1.* companhia.Alteres, o guarda Pedro do Re-
g Barros.
! dita.Alferes, o sargento Jarttnho Avelrno
de Albuquerque.
3 dita.Tenente, o alferes Eulalio Ephigenio
de Freilas Vitalia
4 dita-Tenente o alferes Jos de Barres e
Silva Jnior.
5.' dita.Alferes, o guarda Antonio Osario da
Silva Batsileiro Jnior.
DlXHtMRO.OF vapores Potengi e Ipojuca le-
varam no da 2 as seguintes qnantias :
Para Macei 36:8004000
> o Nantal 50:000X000
> o Cear 500*000
ASSASSINATO.Na noite de 23 do passado, foi
assassmado em sua propria casa, na cidade de
Santo Antlo, Jlo de Ca-tro, por Joaquim Ro-
drigues Duro, Antonio Joaquim Soares de Pon
tes, Manoel de Puntea e Paulo Joaqnim de Pontes.
A esforgos do subdelegado respectivo foram captu-
rados os dous primaros.
IMPOSTO SOBRE INDUSTRIAS E PROFISSOES.
E no corrala mez que deve ser pago este im-
posto, na recejoedoria geral do rendas Internas.
CONTOS FLUMINENSES.-Sobre esta nova pu-
blicagao do distineto c-criptor brasileiro o Sr. Ma-
chado de As>s assim se exprime o Dtario do Hio
de Janeiro:
Os contos fluminenses foram impresses em
grande parte ou todos elles n.- Jornal das Fami-
lias, de que editor o mesnjo Sr. Garnier. Dando
a firma de livro a esses interessintissimos contos
e narrativas singellas, prestou o autor iunegarel
servijo s lettras patrias, to balda de escriptos
nesse genero.
a O poeta das Chrusalidas e das Phalenas,
lambem um mimoso romancista ; para isso nao
Ihe faltam estylo correcto e simples, facilidade n
dialogo, uniformidade nos typos postos em acglo.
Nos contos fluminenses, que urna obra sem
pretengao, um livro gracioso e elegante, o roman-
cista rcvelou grande aplidao e pouco vulgar espi-
rito analytico. Conten o volume os seguimos
contos :Miss bollarLuiz SoaresA mutlwr de
pretoO segr do de AtujustaConfissoes de urna
viuva moaiFre SimaoLinlia recta e linka
curva.
t Miss Dallar um romncelo no gosto dos
contos orginaes de Alfredo do Brebat; ha um
pertume encantador, urna fbula que sorprende no
desenlace e que prende gustosamente o espirito
do letor. ^
< Luiz Soares do mesmo genero, cora certo
caracterstico profundo da escola realista, a escola
do scepticismu e da descrenga, qne d a essa rpi-
da narrativa um cunho de verdade c de naturali-
dade ncontestavel.
A mulher de preto, um dos mais bem escrip-
tos e imaginados contos do volume. as confis-
ses de urna viuva moca o espirito do romancista
dirige-se a alvo difireme, propramente o estylo
descriptivo, a analyse de sentimenlos ntimos, sob
a forma epistolar a mais caprichosa.
Linha recta e linha curva com a mulher de
preto um dos meluores trechos da brilhante col-
lecglo.
Fre Siman urna pequea e sentimental his-
toria .de coraclo. O poeta poderia talvez tirar
mais partido do entrecho, e dar mais largas di-
mensues ao seu mimoso cont. E' pena que to
rpida seja essa tocante narracao.
iE'o livro do Sr. Machado de Assis urna boni-
ta acquisigao para as lettras patrias. Prova o poe-
ta que as horas em que descansa a lyra festeja-
da, o seu talento e a sua imaginaglo em novo ru-
mo alcangam fcilmente novas e nao interrumpi-
das victorias.
THESOURARIA PROVINCIAL,-No balance
qne se procedeu nesta repartiglo, 28 de feverei-
ro ultimo, veriflcou-se existir era cofre o saldo de
741:1535586 rs. as seguintes espedes :
Era aegoes em deposito 148:8534000
Em ttulos a emittir
Em iettras a vencer
Era dinueiro '
ESCADA.Domingo prximo principiarlo os
os sermdes qnaresmaes naquella villa, sendo ora-
dor o padre Jos EsteVes Tianaa Os encarfega-
dos dos Alto* sarmoes infetlliain. com todas as
torcas afim de serem eitos os actos da Ssmana
Sania.
INSTRUCCAO PUBLICA E PARTICULAR.
Reassumio o' exercicio do seu magisterio publico
a professora da 2' cadeira de S. Fre Pedro Gun
calves do Recife, D. Emilia Candido de Mello Lu-
na ; assim como conlinv'u no ensino particular da
lingua franceza das 4 s 6 horas da tarde.
LOTERA.A que se acba venda 139a a be-
neficio da matriz de Caruar, que corre no dia 8'
pelo novo plano.
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.Movi-
mento do hospital de Nossa Senhora da Conceirau
dos Lazaros, do Io ao ultimo de fevereiro de
1870.
Existam IShomens e 13 mulheres, morreru 1
homem, exislem 14 homens e 13 mulheres.Total
27.
Foi visitado o eslabeledmento pelo respectivo
medico deste o Sr. Dr. Ignacio Firmo Xavier, nos
dias seguintes: 3,7, 12, 15,19, 22 e 26.
Existem empregados neste estabelecimento 8,
a saber: capellao 1, medico 1, regente 1, dita 1, bar-
beiro 1, cozmheira 1, serventes 2.
Advertencia.
Falleceu neste mez, Manoel di Barros Flelo de
Lacerda, branco, solteiro; recolheu-se a este hos-
pital com ilade de 24 annos, a 26 de abril de 1860
e falleceu a 11 de fevereiro de 1870.
O mordomn do mez,
A. J. Gomes do Correio.
O regente,
Diniz Ignacio P. dos Soii/os.
Movimento do hospicio de alienados na Mi-
sericordia de Olinda, do 1" ao ultimo de fevereiro
de 1870.
Existam 29 homens e 53 mulheres, cntraram 2
homens e 2 mulheres, morreram 2 mulheres, exis-
tem 31 homens e 53mulheres.Total 84.
Existem 10 empregados neste estabelecinKato, 7
homens e 3 mulheres, sendo: 1 regente, 1 medico,
1 capellao, porteiro e sachristlo 1; 2 enfrmenos,
1 barbeiro, 2 enfermeiras e 1 cosnbira.
Foi visitado o mesmo estabelecimento pelo res-
pectivo medico o Sr. Dr. Ignaeio Firmo Xavier,
nos das: 2,6, 8, 10,13, 17, 22 e 27, as 10,10 i/2,
11, 11 1/2 e 12 horas da manhla.
Advertencia.
Entraram 2 homens e 2 mulheres :
Um homem no dia 9, de nome Caetano Maria
Pereira do Lago, branco, solteiro, com a idade de
19 annos, natural do Redfe; ontro no dia 15, de
nome Ciciliano Francisco Martins, branco, solteiro,
com a idade de 21 annos, Sutural do Recite. Urna
mulher de nome Maria, parda, solteira, representa
ter 30 annos de idade, natural da Parahyba, no
dia 13; outra no dia 19, de nome Maria Rosa do
Rosario, branca, solteira, com a idade de 20 annos,
natural do Recife.
Falleceram 2 mulheres:
Urna no da 25 de dezembro, de nome Francisca
Maria da Conceigae, preta, casada, com a idade de
20 annos, na'ural do Bom-Jarditn, e entrn para
este estabelecimento no dia 6 de dezembro do anno
prximo passado; outra no dia 28: de tsica pul-
monar, de nome Maria Benedicta da Concegao,
parda, solteira, com a idade de 26 annos, natural
de Po-Amarello, e entrn para este mesmo
estabecmento no dia 27 de outubro do anno de
1868.
Neste estabelecimento existem 84 alienados, sendo
4 que pagam casa e 80 a custa da caridade.
Hospicio dos alienados na Misericordia de Olin-
da, de marco de 1870.
O mordomo de mez,
^ Antonio Jos Gomes do Corteto.
O regente,
Luiz do B^/o Barros.
SESSO
CMARA MUNICIPAL.
EXTRAORDINARIA AOS 23 DE FEVE-
REIRO DE 1870.
PRESIDENCIA DO SR.DR. SOUZA LE0.
Presentes os Srs. Dr. Barros Barrete, Dr. Aqumo,
Dr. Seve, Dr. Moscoso, Dr. Pitanga, Souza Maga-
lhles e Gameiro, abrio-se a sessao, e fot uda. e
approvada a acta da antecedente.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE '.
Um officio do engenheiro corda&dor responden-
do aos tres quisitos do requerimento feito pelo Sr.
Dr. Aquino na sessao ultima.
pede a palavra, a qaal, sendo-lhe concedida, dis
.cute largamente sobre a materia da resposU dad i
pelo engenheiro.
O Sr. Dr. Pitanga, em seguida, pede a palavra. >
sendo-lhe esta permittida, falla sobre o que diz o
engenheiro relativamente a informado que Ibe foi
exigida.
O r. Dr. Barros Barreto, em vista da disjasaao.
o da planta do cemiterio publico apresentada em
original, e approvada pele Exm. Sr. Souza Ramos.
em margo de 1851, em que se verifica- ser cada
terreno para urna sepultura de 5 palmos de largu-
ra S"bre 10 de comprimento, requereu que ueste
sentido se deliberase, ordenando-se todava ao
engenheiro que declare quats slo as dimeosees
marcadas na mencionada planta do estabelec-
ment.
Assim se resolveu.
Concluida a discusslo, o Sr Dr. Souza Leao.
deixa a cadeira da presidencia, que passa ser
oceupada pelo Sr. Dr. Barros Barreto, e reti-
ra-se.
O Sr. Dr. Aquino tambem retira-se na mesma
occasio.
Contina o expediente.
Outro officio do engenheiro cordeador, tate-
mando o renuerimento de Domingos Jos da Costa
Jinorim. diz quo nada tem que oppr, devendo
ficar a soleira da porta do oitio eolloeada a nivel
das soleras da casa em frente.Concedeu-se.
Outro do mesmo, remetiendo o orgamento da
obra do pedestal que se tem de construir na fren-
te das catacumbas em edilicagio no cemiterio pu-
blico, calculado em 2424000.Que se pega auluri-
saglo a presidencia para despender aquella
quintia.
Outro do mesmo. informando o requerimento de
D. Joanna do Rosario Cumiarles Machado, em que
pede para reedificar a sua casa n. 39 da ra do
Livramento, declara que nada tem a oppr, dau-
do-se-lhe a cordeaglu.Mandou-se cornear.
Outro do mesmo, informando o requerimento de
Galdino dos Santos Neves de Oliveira, tem a dizer
que nada ha a oppr a pretengao do supplicante.
dando elle as obras a dmenses marcadas as
posturas.Concedeu-se.
Outro do mesmo, informan Jo sobre o requeri-
mento de D. Thomazia Maria da Ceneeigao, tem a.
dizer qne pelas posturas nlo permittido cons-
troir-se casas de tapa no lugar onde pretende a
supplicante.Indeurio-se.
Outro do mesmo, informando sobre o requeri-
mento de Manoel Trajano Campcllo, tem a dizer
aue nlo ha inconveniente na concesslo pedida,
cando a casa pdo menos 50 palmos arredala da
estrada.Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento de
Maria Joaquina, cumpre-lhe diser que se pude
conceder a licenga pedida, ficando a casa eolloea-
da 50 palmos arredada da estrada. Conce-
deu-se.
Outrb do mesmo, informando contra o que re-
traer Adriano Augusto de Almeida Jordlo.Inde-
nrio-se. #
Outro do mesmo, informando e requerimento de
Manuel Antonio da Cunna, pedindo llcenca para
fazer parapeito, cdlocar canno e limpar a frente
de seu sobrado n. 32 a ra da Cruz, declara que
nada ha a oppr.Cuncedeu-se.
Outro do mesmo, informando sobre o requeri-
mento de Juaquira d'Assumpcao Queiroz, tem a
dizer que nada ha a oppr.Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando sobre, o requeri-
mento de Francisco Alves Monteiro Jnior, declara
que nada tem a oppr, devendo fazer a porta de
eonformidade com as posturas, e oollocar a solei-
ra a nivel das soleras das casas modernas '*
raesnao lugar.Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento de
Eduardo Turpin, declara que, quanto a primeini
parte, nada tem que oppr; (piante ao deposito
de materiaes na ra, as posturas s permitiera i\
horas, a cmara pertcnce deliberar. Cunee-
deu-se de eonformidade com a informaglo.
Oulro do mesmo, informando sobre o requeri-
mento de Felippe Jacume da Cos'a, cumpre-lhn
dizer que nao ha inconveniente no ani pede o
supplicante Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento de
Jos Alves Barbosa, dedara que nada ha a oppr,
dando-sc-lhe a cordeagao. Mandou-se cor-
dear.
Oufro do mesmo, informando sobre o requeri-
mento de Manoel Luiz Gonjalves, tem a dizer qne
nada ha a oppr a pretengao do supplican-
te.Concedeu-se.
Oulro do mesmo, infirmando contra o requeri-
mento de Antonio Tiburcio Alves. Indeli-
rio -se.
Outro do mesmo, iaformando sobre o que pede
em seu requerimento Luiz Candi lu Reripira, diz
que nada ha a oppr, dando-se previamente a
cordeagao.Mandou-se cordear.
Outr do mesmo, informando sobro o requer-
ment de fre Fidelis Maria de Tognana, vice-pre-
f ito dj lio picio da Penha, tem a dizer qno nao
ha inconveniente na concesslo pedida pe.) suppli-
cante, nina v que o canno seja construido por
baixo da calgad a.Concedeu-se de conformidad*
com a informaglo.
Outro do mesmo, informando o requerimento >
Loureiro & C, tem a dizer que o sobrado milito
baixo, e tem urna trapeira arruinada na frente,
parece-lhe que se pode conceder o que nedeni os
supplicantes, dosmanchahio elfos a mencionada
trapeira.Concedeu se de eonformidade com a
informaglo.
Outro do mesmo, informando o requerimento u
Paulino Manoel Thom Camboatio; diz que nada
lem a oppor sobre a pretengao do supplicante.
Concedeu-se. .
Oulro do mesmo, informando o requerimento de
Miguel Goncalves da Luz, tem a dizer que nada
ha a oppor a preteBclo do supplicante, devendo a
cordeagao para a casa, que vai construir, ser n
mesma que foi dada para a edificagao do muro
de Matheus Austin.Concedeu-se a licenga.
Outro do mesmo, informando contra o qae pede
Antonio de Azevedo Villarouco em seu leqoeri-
mento.Indeflrio-se.
Outro do mesmo, informando sobre o que re-.
qoer Francisco Guedes d'Aranjo, declama que nao.
ha inconveniente no que pede o supplicante, o.
qual deve reedificar o muro no mesmo airaba-
ment do anligo.Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando contE* o quo re-
queren Jos Goncalves Beltrao & Umao.Infeft-
TO-16. ...
Outro do mesmo informando contra o que p*do
em seu requerimento a meza regadora da irraan-
dade de Nossa Senhora do Rosaoio da fregoezia de
Santo Antonio.Indeflrio-se.
Outro do mesmo, informando sobra o requeri-
mento da viuva e herdeiros de Joao Ribeiro da
Cucha, tem a diier qne nao ha inconveniente em
conceder-so o que pedem os supplicantes, execu-
tando ellos as obris de cunfornudade com as pos-
turas, dando a sacada de segundo andar motad
da largura da do primeiro.Concedeu-se.
Ouirodo fiscal da urefaetia^o ftecife,informand.>
sobre o que requer a Junta administrativa da Santa
Casa de Misricordia,liz que nada tem a oppor.
Ao engenheiro para informar.
OSr. presidente autortiou ao Sr. Gameiro ru-
bricar sete livros de talio para arreeadagao dos
impostos,e dote dilospira termo por infracgao de
posturas.
Depacharam-se as penedes <> Antonio de Azc-
vedo Villarouco, Antonio Jos 1 toarte Coimbra,
Posto em discusso.. a mesmo Sr. Dr. Aquino I Antonio Tiburojo Alves, Antonio ao uaruw r-


I

2
f
Piwrio de Pernambuco $exta feira 4 de Marco de 1670.
reir, Antonio Das Antonio Egidio Besem, Ber-
nardino Jlachado Coelbo, Barao do LNrat
Beroardino Jos Leito, Carlos Eduardo Ridel (2)
David Wtlliam Boman, Elias Baptisto da Silva,
Fre Fidelis Mara do Tagono, navio Ferreir.x
Citio, Frandseo Goncalves Netto, Francisco Xa-
vier da Cimba Miranda, Francisco Garrido, Gas-,
8ir Stult, Gabriel Antonio de Castro Quintees,
eitor eSampaio (2), Hermenegildo Eduardo do
Reg Honteiro, Hermenegildo & Camaraibe, Dr.
Jos Bernardo Galvao Alcofotado. Jos da Ponte
Cordciro, Joao Goncalves da fHlveira, Joaquim da
Assnmpcao Queiruz, D. Joanna do Rosario Gui-
maraes Machado, a Jauta Administrativa da Santa
Casa de Misericordia, Jos Alves Barbosa, Jos
Goncalves Beltro, Jos de Souza Primo, Luii
Gomes Dourado, Loorenco Ferreira, Miguel Goncalves da Luz, Manoel da S.
Campos, Manoel Cypriano Ferreira KabeHo, Ma-
noel Antonio da Cunha, Manoel Antonio de Aze-
vedo, a Meza Regedora da ir andade de Nossa
Senhora do Rosario da freguezia de Santo Anto-
- nio, Manoe Jos da Costa Reg, Manoel Luiz
Goncalves, Manoel de S Lope?, Pocas 4 C Pris-
cilra Sennorinha Mendes de Albuquerque, Tho-
mazia Mara da Conceicao, Vi uva e herdeiros da
Joao Ribeiro da Cunha, Vicente Ferreira da Cu-
nha, e levantouse a sesso.
Eu, Francisco Canuto da Boaviagem, secretario,
a subscrevi.
Manoel de Barros Brrelo, pr-presdente
Dr. Pedro de Alhagde Lobo Hoscosofos
Mari* Freir Gameiro.r. Prxedes Gomes de
Sonz PitangaFlix Francisco de Souza Maga-
Ikes.Dr. Joaqnun d'Aqitino Fonceca.
L0ND9X & BRASILIAN BANK, (LIMITED.)
Capital do Banco 15,000 accVs
Se 100................. 13,393:3*31830
Acodes cmittidas 13,000...... 1155:555*3G0
Capital pago a45por ac&Sos. 5,200:000^000
B.U.A.NQO DA CAULA FILIAL RM PP.HS.VMBUCO EM 28 DE
FEVERKUtO DB 1870.
Activo.
Letras descontadas.......... 1 ,io0.899270
Crditos di veis, is, ou l rus bancos
e caas filiaes........... 1,504:400*900
Caixa :
Em moeda corrate......... 208:7OS050
s.
3,224:0744220
Passivo.
Capital fornecido pela caixa
matriz...................
Depsitos:
Em conta cor-
rente...... 30:512.OO
Depsitos fixos
e por aviso. 1,202:768^830
Crditos sobre diversos outros
laucos e caixas tilia -s.....
888:8884890
1,509:281 030
825:904300
Rs.
3,324:074220
S.E. eO.
Peruainbuco, 3 do narco de 1870.
T. Wilkinsun,
Aecountant.
NOVO BANCO DE PERNAMBUCO
B\L \.\i;kti: DO NOVO B.VNCO DE PERNAIinUfO EM LtQI'l-
DAC.VO, EM 28 DE KEVEI'.EIIIO DE 1870.
ArtifO.
Letras protestadas........ 177:7135946
Tiltil.,s depositados....... i>: 698.517 2
Drspecas geraes......... 5:41(55420
Caixa.Pelos scvrnintes valores :
Em onro amo,'dado. 9iO220
Em natas do tli.' e da Caixa Filial
Banco do Brasil
aun prat3 e cobre.
do
3S:8S3000
158*079
30:6515899
Ms. .
Passto.
Capitel............
Emissao...........
Canoa* mulos em Joros. .
Coatas correntes simple;. .
Fondo de reserva.......
Titulas em caueiio.......
Massas fallidas cargo do Banco
Dividendos..........
Lucros e perdas........
Res. .
2*6:480*13?
Uta de ello Tendidos
na administracao...
Dita de ( 23 ) sefuros
feitos........
Hitado (2)saques
Dita de premio de ditos
Dita de assgnantes.
Dita de multas.......
Dita de cartas nao fran-
lineadas em ser dos-
da 15 de Janeiro de
l869aJ3ldeoulu-
bre do mesmo anno.
inueirospuradodc di-
tas eartas..........
: 115*440
231000
200*000
4|000
40*000
1
1:382*410
677*590
040
751*630
12:787*220
----:----+
DESPEZA.
Importancia de envelopes ou sobre-
cartas selladas que entrega ao
ajudante contador Eduardo Firmi-
no da Silva.................... 6:348*600
Dita de sellos de diversos valores
dito dito....................... 3:304*3*0
Dita de ditos vendidosna administra-
cao do de novembro at hoje... 2:113*440
Dito de (23) seguros feitos dito dito. 23*000
Dita de (2) saques dito dito........ 200*080
Dita de premio de ditos d to dito i IODO
Dita de multas................... *
Dita de cartas nao tranqueadas em
t ser de^de 15 de Janeiro de 1869
al 31 de outubro do mesmo anno
dito dito....................... nW
Dinheiro apurado de ditas carias que
entrega........................ 74*040
12:787*230
N. B.As cartas nao franqueadas entradas do
1* a 23 de novembro acham-se dependentes de li-
quidacao no lim do corrale.
Correio de Pernambuco, 23 de novembro de
1869.
i Assignados.)
O administrador aposentado,
Domingos dos Pastos Miranda.
O administrador interino,
Eduardo Firmino du Silva.
Domingos dos Passos Miranda, administrador e
thesoureiro aposentado do correio de Pernam-
buco em conta corrente eom a thesouraria de
fazeoda, no acto de entregar a administracao do
mesmo correio ao respectivo ajudante contador
Eduardo Firmino da Silva, em virtude do art.
40 3 do regularnento dos correiosde21 de
dezemhro de 1844, e oflici da presidencia des-
la provincia de 19 de novembro corrente, pelo
adiantamento feito pela mesma thesouraria para
oceorrer as despezas no exereicio eorrenle de
1869 a 1870.
DEVR.
1869 julbo 8.Pelo que r< cebeu da
tlnsonraria de fazenda neta dala
para oceorrer as despezas no cor-
rente exereicio de 1809 a 1870
dem agosto 4.Dito dito...........
800*000
400*000
1:200*000
84:352000
7:950000
4:4*3*488
5:6264084
112:743*766
6:6983172
o 615 59117
600-5400
230*620
226:480*437
DEMONSTRADO DV RUI95A0
23 notas do valor de JOAiXH)
21
17
ditas
Sitas
de
do
100*000
50^000
Mis. .
5:000000
2: H)000
850-5000
7:930*000
S. E. e 0.
o gurda I\tos
Francisco Joaqun Pereira Pinto
HAVER.
1869 novembro.Pelo que dispendeu
com a remessa de dinbeiro para a
agencia de Tacaral aflm do ex-
pedir estafetas para Floresta nos
mezes de selembro, outubro e no-
vembro como das respetivas guias
e follias que entrega............
dem.Pelo que dispenden com a re-
messa do dinheiro para a agenda
de Villa Bella, aflm de expedir es-
tafetas para Cabrott, ISa-Vta,
urieuiy, e Granito no mez de ou-
lafefo al hoja, como das -guias
que entrega....................
dem.Pelo que dispendeu cora os
estafetas da administracao desde o
Io de novembro at hoje como da
Mfea respectiva................
dem.Pelo que entregou ao porleiro
deste correio Antonio Jacintho Pe-
reira para as despezas rbidas, co-
b.o do recibo que entrega........
I lem.Saldo em dinheiro quo en-
trega............^..........
H6JD00
232O0O
3145000
90*000
^478*000
1:200*000
do Pernaniboco, 23 de novembro de
SLICACOES A PEDIDO.
Oevo dc:larar, para evitar duvida, que son in-
leiramente estranbo ao manejo de que falla o Sr.
Francisco Xavier Ribeiro, profossor do Vertentes.'
btml'-m, a r|ual s agora li.
Ah boje ainda nao me oceupoi de negocios do
Sr. Ribeiro, nem del passo slgum relativo a sua
remocio.
E' certo que recebi urna carta desse senhor, em
que me dizia nao desejar transferencia para outr.
cadeira, e disto liqnei entendido.
Se i idea de rerno^ao nao urna fantazia, ou
falsa >upposto do Sr. Ribeiro, outros, que nao en,
tratam deste negocio.
Por tanto o Sr. Ribeiro far-mc-ha o obsequio de
nao volver mais o met pobre nome em suas
livsunculas pessoaes, com as quaes nada tenho
que ver.
llecife, 3 do marco de 1870.
J.P. B. de Mello liego.
AO PUBLICO.
Leudo Diario de Pernambuco de hontem, 2 do
corrate mez, deparei com o aviso do ministerio
Ja agricultura de 14 de fevereiro prximo lindo,
ao Maiaterio da fazenda, communicando que
pre.-in.aicia de Pernambuco se expejio ordem pa-
r, ua conformidade da informacao do director ge-
ral dos eorreios, mandar proceder a tomada de
iMubfis cuntas, como administrador aposentado do
curroio desla provincia, wlos documentos que fo-
rcm NfroMDldos respectiva thesouraria de fa-
zon la, e como tal vez se ponha em duvida, que nao
me acho ^uite para com a thesouraria de fazen-
da, por isso sou f jrgado a declarar pela imprensa,
felizmente, nada devo fazenda publica, sen-
Ua oer e que, por ter sido aposentado meu pedi-
do, i:m! dirig so Exm. Sr. senador presidenta da
proviucia, em ollicio de 12 de uovembro de anno
lo, consultndola quem devia p:s tracao da reparn^o a meu cargo, rspondeu me
-(residencia em offlcio de i'J do dito meze uno.
que recebi no memo dia, pelas duas horas d lar-
do, o qua| da tboor seguinie :
Seccao 4a.Palacio do {averno de Pernam-
lmc >, em 19 de novembro de 1869.Dando soiu-
cio ao seu ofBctu de 12 do corrente, tenho a di-
zer-lbe quo, lendo Vmc. recebido e.ommunicHC,)
de bav r sido -posentado por dperetode 27 do mez
proxim linde, deve pas=ar o exereicio do careo
que exorce ao -'! substituto legal, nos tern'
irt iO ^ 3* d> rogulamento de 21 de dezemhro
de 1844
JW- guarde a VtBl tquerqiie.Sir. administrador do correio, Do-
m"mgis ios Passos Miranda.
i consmiuencia do que pase a admtnistncSo
rr io ao meu legitimo substituto, e ajudante
iflda Firmino da Silva, no dia 2i do rb-
Correio
1860.
(Assignados.)
O administrador apasentado,
Domingos dos Passos Miranda.
O administrador interino,
Eduardo Firmino da Silca.
Por tanto aguardo tranquillo em minha concien-
cia, a tomada de inhibas cantas pela thesouraria
de fazenda, quem, em abril do anno ndo, j
harta oflieado par* o mesmo lim, para ver reali-
sada a verdade do que pelo presente declaro.
Recite, 3 de marco de 1870.
Domingos dos Passos Miranda.
tivo da tosso, on para alliviar a rouquid
flammacao tracheal, esto excellente rem
agradavel como eficaz, com frequencia i _
os pulmdos, os bronchios e a larvnche ao si
mitivo estado natural.
Pharmacia Central, ra do Im-
perador n. 38.
Sabonetes d*alcatrao de Antonio peves
de Castro.
Superiores sabonetes fraocezes d'a^atro
enchofre, amphora e de acido plieco.
Algut destea sabonetes alm h sua
fvirtude medicinal, podem tambem ser osa-
dos em toilleis, e o de acido pheiiio) de
urna incontestavel otilidade por co|ibater
as caspas, panos, sarnas, ou quaesquer
manchas da pelie. (6
COMMERCIO.

PBAgA DO UECIFE 3 DE MARCO
OE 1870.'
AS 3 1/2 HORAS DA TA.RDK.
Algodao 1" sorte987 rs. por kil.
'Amnit sobre Londres 90 div. '20 l|2d. por
1*000. '
Descont iie letras12 0/0 ao anno.
uoncallo Jos A fo:
Presidente
Mosquita Jnior,
Secretario.
nsojf
O
ENGLISH BANK
Rio de Janeiro Limited
Deseo ita lettras da praca /xa a con-
'encionar.
Recebe dinbeiro em conta corrente bia
i raso fixo.
Saca vista ou a praso sobre as cidades
prlncipaes da Europa, tem correspondentes
aa Baha, Buenos-Ayres, Jlontevido^Vew-
e New-Orleans, e emitte cartas de crdito,
para os mesmos lugares.
HUA IX) COMMfiRCIO N. 36-
Rendimen todo dial
dem do dia
ALFAMbEQ.
a2
64:636*:i40
46:432*114
111:118*654
a Maturino Barroso
5 ditas armas e porcelana ;
de Mello.
3 ditas movis ; a Costa Ramos.
3 dita ditos ; a JoaquimjPacheco da Silva.
1 dita ditos, 2 ditas tecidos de linho; a Adriano.
Castro & C.
3 ditas ferragens ; a A. los da Costa e Silva.
1 dila papel ; a Raymundo Pereira de Siqueira.
, r ^rtSLwu! ^.^T',6 175 meios inante'a ; dade no pre^ent
a u A. Soarada Motta & C.
8 caixa teeidos de laa e chapeos: a L A. Sj-
qneira>
16 diias e 5 barricas ferragens, miudezas, cha-
peos, marroqoins, tecidos de lia, de liaho e de al-
godao, S09 gigos btalas, 70 barris e 73 meios
manleiga; ordem.
2 caixas perfumarias ; a J. de Almeida.
11 ditas e 1 barrica miudezas, ferragens e cal-
cado ; a Olle Bohres.
200 gigos batatas, 20 barris e 20 meios mantel-
ha ; a J. Jos Goncalves Beltrao.
12 caixas tecidos diversos a chapeos ; a Mello
Lobo C. r
7 ditas vidros, quinqoilharias o miudezas ; a
Rocha Srhra & C.
iECEBSDOKL*. DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
iendirneato do dia 1 a 2 5:181*316
dem do dia 3....... 5:227*270
10:408*886
CONSULADO PROVINCAL
veadimento do dia 1 a 2 9:721*774
dem do dia 3...... 3:997*878
f 13:719*657
MOVIMENTO DO PORTO.
A'an'o entrado no dia 3.
New-York36 dias, escuna ingleza Conrad, de
123 toneladas, capitao Bale, equipagem 7. carga
diftereates generes ; a Henry Forster C.
Navios taidos no mesmo dia.
New-York por S. Tgomaz e ParaVapor ameri-
cano Merrimack, commandante W. Weir.
HavreBarca franceza Coligny, capillo Nicols,
. carga couros e ontros genero*
BarcelonaPolaca hespanhola Marislony, capitao
Joao Marislony, carga algodao.
CanalBrigue inglez Solway, capitao Wrake,
carga assucar.
ObtervacdeS.
Sospendeu o lamarao para West Imes um na-
vio do commando do capitao Vebert, com o mes-
mo lastro que trouxe do Rio delanaro
EDITAES.
MOVIMENTO DA ALPANDEGA
/olumes eu!rados con fazendas
dem dem com gneros
154
481
Volumes sahidos c
dem idem c
635
azenda*
gneros
ir8
791
49
Pernambucanos I E' chegado o momento em que
devenios agradecer o sacritkio dos nossos irmds,
quo doixando os commodos de suas familias ati-
raram-se com incrivel enlhusiasmo defender a
nacao ultrajada pelo despota do Paraguay.
I'.' chegado o momento de abracarmos banhados
de lagrimas de prazer esses irmaos in:ansaveis
na defeza da patria. Sim, Pernambucanos I Nao
nevemos deixar que desembarque o corpo do vo
luntarios da nossa provincia, esse que resisti ao>
mais encaminados combates e ainda leve a gloria
de poder vir offerecer a sua mi patria os louros
quo eolbcu naquelles inhspitos campos, fem urna
forte demonstracao de rogosijo e agradec ment.
.Nao deis um desmentido ao nosso sempre nobre
procedimento, fazendo assim erar que dais pouco
apreeo aos nossos irmaos : segui a cxemplo do Rio
do Janeiro que soube manilestar-se em agrade-
cimento.
A Bahia, de certo, nao desmerecer do conceito
em que sempre tida. E vos, Pernambucanos. vos,
cujos irmaos uunca desmenliram o seu nome, acor-
dai : prepara:-vos com enlhusiasmo para arceep
cao, procurai llores para atirar nessa fallange de
bravos, quo tanto vos honra e que vem ufanar-vos
cobertos de gloria.
lendo esso nobre procedimento e ficai certo de
que a patria e nossos irmao* vos ficarSo agrade-
cidos.
Um Pernambucano.
Descarrogam boje 4 d?. marp
Barca inglezaOs^/femercadonas.
Ba ca inglezaClisa S/rcn-jsdem.
Barca inglezaSn-ata Florida'ideal.
Barca francezaFgaroidem.
Patacho hollaodczHedileidora.
Hiate americaloMary WUhenidem.
Brigue porturuezUnidoidem.
Barca ingleuMcteorbacalho.
Patacho diiumarqucjIFiYftfrwiitmerca; orias
Brigue frarjeez Paleslromercaderas.
Hiate americanohnc Olivierlem.
Importado.
Palafito inglez eleha p., vinio de New-York,
consignado a H. Forster fe C. mtnifestou :
1005 barricas farinha de trigo* 2000 volumes
adulas, 78 diKw tampos, 220 ditos arcos, 100
barris lian lia, 200 l.arriquinhas boiachinhas, 29
caixas cha, 550 saceos railho, 209*dilos farello ;
aos consignatarios..
200 barricas farinha de trigo; a Joao Quirin
de Aguilar & C.
300 caixas Kerosene ; a Corga Irmaos.
100 ditas dito ; a Joe-do Reg Lima.
12 ditas dito; a Theadoj-o Ju3t.
Biume. inglez,o*!i\'jt, ti'iyo do hew-York,
consignado a a. Fui-st't'r &C., manifestla:
1000 volumes aciu 'las, lio Jilos arcos, 38 ditos
lampos. t'.i: saceos inilbo. 100 ilitos farinha a
trigo, 2100 caixas kerosene; aos consignatarios.
Hiate americano r.A* oLiven.-cindo de Sew
York, consignado, i il. Forster & C., manifestou :
"> harneas gralxa, lO ditas boiachinhas, 100
barris limha, 15 caixas. cha, t fardos era vo, fll 4
saceos miltio, 1000 barricas abatida?, 30 ditas fa-
rinha de irigfl; aps cnnslgniilarios.
100 ditas ii'a do dito; a Jlo Quirlno de Agui-
lar & C.
100 ditas difa de dito; a Jas Daarte das Neves.
50 ditas dita de dito; a Joaquim Lopes Macha-
do & 6.
100 caixas keosene ; a Joo do Reg Lima.
Urigun frawz pai.estro, vindo do Havre,
consignado a Tissct freres, manifestou :
7 caixas drogas ; a A. Caors.
5 ditas ditas; a Bartholdreet A C.
3 dilas o 1 barrica ditas; a P. Maafer & C.
I dita porcelana ; a Joaquim A. Pereira & So-
bnnho.
200 ggos batatas; a Tasso Irmaos.
300 ditos ditas, i caixas tecidos de algodao
H. Leger.
2" ditas ditos de linho; a J. Carrre.
1 dita caleado; a Mendes. Falcao & C.
11 ditas dito; a Lyra dt Vianna.
23 ditas dito, rewoivers, espoletas, miudezeas,
marroqoins, chapeos ; a Vaz Leal.
2 ditas marroqutns ; a Costa Irmaos & C.
1 dita drogas ; a F. F. Berges.
18 ditas espoletas, armas, papel, mallas, cha-
p 'S, oerfumarias, miudezas e tecidos de algodao ;
a Monteiro & Irmaos.
4 ditas arreios; a Domingos Jrs4,JJerreira.
5 ditas ditos, fumo, mirroquins e tecidos de al
godo; a A. Roberto A Fimos.
2 ditas calcado e vidros; a Bernd..
2 dilas chpaos; a Manoel Moroira de Souza.
i ditas ditos; a Cunha A C.
1 dita ditos; a Manuel Ferreira Pinto
2 ditas quinqailhanas; a Satyrc Seraphim da
Silva.
14 ditas ditas; a F. Dubarry.
26 dilas miudezas, chapos, perfumarias, kci-
dos de algodao, de I3a e de seda; a Silva A Car-
doso,
30 gigr- shompajne;
0 Dr. Tristao de lencar Araripo, ofil'Jal
da imperial ordem da Rosa, e juiz de di-
reito especial do commercio nesta cidade
do Recife de Pernambuco por S. M. Im-
perial e Constitucional o Sr. D. Pedro II
a quem Dos guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
d'elle noticia tivercroqae a reqnerimento de Bel-
trao, Oliveira A C acha-se abena a faliencia do
commerciante Antonio Gandolli proprietario do
Hotel Nacional pela sen tenca do theor seguinie:
Em visla da ceisacao de pagamentos do com-
merciante Antonio Gandolli, que abanuonou o seu
estabelecimento, hei por declarada a sua faliencia.
a daciar do dia 19 do mez prximo passado, e
mando que o proceda nos termos da arrecadacao
tendo lugar o inventario anhaa as 10 horas "do
dia; nomejo caradores scaes os credores e no acto
io inventario noiuearci depositario interino, sendo
oscrodore? convocados para o dia 4 do mez pr-
ximo facturo as 11 horas da manba nomearem
depositario effectivo.
Publique-se .a faliencia por editaos, e pague
i massa fallida as cusas.
Recife, 28 de fevereiro de 1870. Tristao de
Atenear Araripe.
Em tempo proceda-se ao inventario no. da 3 de
de marc prximo vindonro as 10 horas lia ma-
ntisa despensada a opposicao de se.los por estarem
arrestados os objeetos do estabelecimento commer-
cial do fallido. Era supra.Alencar Arar pe.
E para que chegno ao conheeimento de todos
mandei passar o presente, que ser publicado pela
nnprensa e aftlxado no lugar docostume.
Recife, 3 de margo de 1870.
Ku Manoel Mara Rodrigues do Na?cir.ionio es-
crivao o subscrevi.
Tristo de. Alencar Araripe.
frr** io, qnem eotrepoei a kdminlstrii-
1 toda* as fir-

li dflvoa f;!
errl Ma n< Ptfi
ra i'(irr"n-
iwlra preeisam
~s.
do per-'
' a n:lrnini : ir 'lo
I '
O car Ha val.
O carnaval nesta cidade foi festejado pbrenelica-
mente, o publico pareca anhelante por esses das
de folia, o marasmo em qua se vina desapparecer
por esses tres dias supplantado pela eonfusao do
carnaval. A mocidade resuscilou e tndo seanimou
nesses dias de prazer e nesgas nades infernaes.
Sim, infernaos nos grandes bailes de mscara. 0
thealrinho de Santo Antonio foi o penlo principal
da folia, o mu do inteiro pareca all ridicula-
mente representedo des le o cavalleiro da cidade
do bom gusto at o nababo da Coioa, o sublime,
a par do ridiculo, o gracioso a par dn inspido, a
moralidad*) disfartjada em hypocrisia.o riso abala-
do em um lenco aromtico, pela provocacao d.-
urna girgalaadi stcide*ie dada por um domin
prato, o inferno tambero foi representad cun lo-
dos os seus cyclopes trabalbando as bigoroas da-
fazas e semiuzas o qae fez o quadrw complelo.
Felicitamos ao eiiiprerio lo Santa Isabel pelo
bom xito de sua nova ein.oreza, coja estrea fi>i por
certo i mnendavid. Nos bailes do theatri
de Samo Antonio hoiivo muita ordem a par de
inuita extravagancia carnavalesca, a cotwurfeooia 1
foi cspant'jsa, s iusa disto ou- as sympa-1.
tbias do c nprez in >,
fez preparar o slo.
o ditas agua de soltz,
Theodoro Chi istiausea.
25 barris o 2o meios
meira.
4 caixas morroqnins
maraes.
manteiga ; a J. M. Pal-
a Rocha Lima A Gui-
0 Dr. Abilio Jos Tavares da Silva, ofliciaf
da Imperial ordem da Rosa, o juiz dos
feitos da fazenda nacional desla provin-
cia de Pernambuco, por S. M. Imperial e
Con>tituicional a quem Deus guarde, etc.
Faco saber que era virtude no art. 6" da
ordem do thesonro de 13 Je dezembio de
1869, em quanto nao tiverem destinos
terrenos da povoac3o de Timbaba eComu-
tanga e da villa de Itamu, pertencentes ao
oncapellado deste nome, serao elles arren-
dados em hasta publica, por espdco de
annos a forma do art. 4o das instruccoes
de 30 de dezembro de 1863, segundo a
avaliacaoque previamente ter lugar, deven-
do ser feita a mesma arrematac5o por lotes
na villa de Itamb a contar do dia 15 de
marco prximo futuro em dianle, e quanto
a comprebeeso denominada Caric proce-
der-se-ha a sua diviso em diversos e me
ores lotes, segundo for mais conveniente
aos interesses da fazenda, isto vm virtude
de autorisaco concedida pela presidencia,
de conformidade com o 4o do arl. Io
das instruccoes citadas.
Outro sim na arrematado que prxima-
mente se ha de fazer das comprehenses
engenho Novo, Pangao e Cumbo, no dia
13 do mesmo mez, e acceitaro, nos ter-
mos d% le de I.' de setembro do anno
prximo Basado, prepostas para venda dos
scravos, Bazilio, pardo, com ~2ti annos de
idade," carreirp, avallado por 1 :f!00)jlOOO,
Concordia, parda escura, com 15. avahada
por 600i5000, Aquilina, parda, com 4 annos
avahada por 200$000, Damiana, parda com
6 mezes de idad ava iada por 100,->000,
tod"S pertencentes ao dito encapallado.
E comprindo co cluir-se as arrematacs
Facnldade de direito
do Recife.
De ordem do- Exm. Sr. director faco publico qoe
em sessao da congregacao de hoje tem distribuido
e regulado o servico das aulas maiores da facul-
no pelo modo seguate ;
V anno.
! cadeira eotselhehxi Dr. Joio SlTeira de Sou-
ta, das, 9 as 10.
2* cadeira conselheiro Dr. Jos Bento da Cunha
e Figueirede^as 18 aa LL na 1 sala do curso pre
paratorio.
9S anno.
1" cadeira Dr. Jos Antonio de Ficueiredo, das
11 as 12, nal ala.
2 cadeira Dr. Joao Capistrano Bandeira de Mel-
lo Filho, das 10 as H, na sala.
3 anno.
1' cadeira Dr. Joao Jos Pinto Jnior, das 7
as 4, na P sala.
i' cadeira Dr. Aprigio Juslnano da Silva Gui-
raares, das 8 as 9, na 2-" sala.
4* anno.
i* cadeira conselheiro Lourenco Trigo de Lou-
rciro^das 10 as 11, na V sala.
2" cadeira Dr. Manoel d > Nascimento Mashado
Portel la, das 9 as 10, na 2 sala. *
5o anno.
1" cadeira cocselUero Francisco de Pacte Bap-
tista, das 9 as 10, na 1' sala.
2" cadeira conselheiro Pedro Autraa da Mat'.a e
Albuquerque, das 8 as 9 na Ia sala.
3 cadeira Jos Vicente Pereira do Reg, das 7
as 8, na l1 sala-
Foram admittidns a fazer acto no dia 8 do cor-
rente os seguintei que dexaram de faze-lo no anno
passado :
Avelino Ildefonso de Oliveira Azevedo, Nylo da
Silveira Ramos do anno, Francisco Priraeiro do
A ramo Cit e Joao do Miranda Ribeiro Sobrinho
do 4'anno.
Secretaria da facnldade de direito do Recife 3
de marco de 1870.
O secretario,
____________Jos Honorio B. de Menezes.
Peranle a cmara municipal desta cidade,
estar em hasta publica nos dias 3 10 e 17 do mez
de marco prximo vindonro, para ser arrendado
por quem mais offerecer, um terreno ptimo para
edificar na ladeira da S do lado do poente, con-
tendo trezentos e vinte palmos de trente, seado
160 palmos do lado do sul, do urna casa de taipa
sita a mesma ladeira, e ifual numere do palmos
do lado do norte de flta^ casa, cuja frente do ter-
reno, Gca oJhando para mar, contendo de f ando
do lado do sul 200 palmos o do noria menor nu-
mero de palnns, por formar o terreno urna curva,
servindo de base a quanlia de 2o600 res animal-
mente, na rasao de 80 rei* o palmo.
Paco da cmara municipal de Olinda, 24 de fe-
vereiro de 1870.
H Manoel Antottjo dos Passos : Silva.
Pr* presidente.
Marcolino Dias de Araujo
Secretario.
DECLARACOES.
-______ -----1-------------------------------------. LK------.----------
Caixa Filial do Banco do Brasil
era ernaubuco, em liqui-
daqao, 7 de fevereiro dt-
1870.
Do ordem da directora do Banco do Bra-
sil se faz publico que desta data a 30 dias
ser publicada pelos jomes a lista dos de-
vedores desta caixa e annunciado o leilo
dos ttulos em liquidaba .
As pessoasque pretenderem concoirer ao
leil3o ou entrarem em alguma convenci,
poderao na niesma, caixa examinar a refe
nda lista e entnder-se com o liquidante.
O inspeetor interino da alfandega faz pablior
qae.no dia o de marr;o vindonro, na perta da mes-
ma reparticao, e depois do mel da, srSo levado--
a hasta publica, livre de direitos ao arrematante,
um guindasle e orna poreo do folhas de /neo
abaixo declarados, que foram extrahidos do trapi
che do algodao t|ue so aeha reconstruindo, ficande
a aTe.fatacao dependente da approvacao do Sxm.
presidento da provinHa, a sabir :
Um guindaste avallado em 405000.
Urna potrao de folhas de zinco em nao ";tado
avallada em 20*000.
Alfandega de Pernambuco 28 de fevereiro de
1870.
O inspeetor interino,
Luiz de Carvalho Paes de Andrade,
A solea em ambas as frentes uevera ter tres,
janellas igualmente rom caixilhis e porta*.
No iravejamento do prhoeiro andar e do sotaV>
someate se empregarao travs de quaMade, len-
do cada ama l2po;egadas quadradas de grossn-
ra, e os respectivos soalbos sora j conslrnidos de
araarello ou louro. As escadas serao de amare.
O primeiro andar dever flear em salao, e a solea
serwfarlida 4 tanera>-im-*r dctermiuada
pela santa ca. Os iwbcos tferiorea sera
guarneeidos de cal branca.
O eonCratanto-poderu aproveltar as telhas. ca-
broa, enchams, soallios etravia fie se acharem
em perfelo estado juio eos senhres nmrdomo-
de predios.
Todo o material de ferragens ser forneciOo pelo
contratante, a cajo cargo hoar tambem a caiaica.
Os pretendentes deverfe aprwMtar suas pro-
postas em cartas fecHadas na seeretaria at o dia
10 de marro do corrente.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia d<>
Recife, l de marco de 1870.
O escrivo,
_______________Pedro Rodripus de SomxB.
Pela contador)a da cmara municipal desla
cidade, se declara aos proprieurio* de eslabele-
eimentos do porta aberta, ij. itn ao pagamento
do imposto municipal, que no mea ile maree pr-
ximo vindouro, principia a arrecadacao a bocea
do cofre do mesmo imposto
Contadora da cmara munijpal do Recife, M
de fevereiro de 1S70.
O conuikir,
lypolito Cassiaao de Vasconcellos A. Haranba.
LEItOES.
De
LEIO
le
OO saeeos com f riuha
maQilioca avarlada.
HOJE.
O agente Pestaa tara leilo por conta e nsco
de quem |>ertencer de 90 saceos com larnha de
mandioca avariada d'agua salgada : sexta-feira 4
do cor rente as 11 horas da maahia no trapich.
baro do Livramento For'e do Matos.
de 96 saceos cora faria de mandioca avanada e t
sarcos niho.
Ioje.
O agente Pestcua f:r leilSo por coala e risco
de quem periencer, do marca M 87 saceos C .*>
ditos M A 9 ditos com farinha de nandoca e t
saceos mlbo variados te agua salgada, vindos do
Maranhono vapor Avinos, o^ quaes serao vendi-
dos_ hoje s ll horas da mar.haa, no trapiche ri-
ba rao do Livramento, Forte do Mattos.
ou o goeto elegante oom que
O1 domin verde.
i
9:6o3|160
Qti o motiro por que sof-
Vos outros que padecis da oblysica, asthma,
ca;arrh >, brohehitss, e t se chrolii'ea, re-pnnM a
pergunla. Na adniiravcl e maravilhosa com-
poslcjao. da Anacahuila Pciloral de Kemp, se vo
ofL-rece. um r"i i lfajlivef, rpido e iti-
teirr.mente InoSeasivo. A .-ua pre com-
posla dos suecos bal una
arvore mexicana chamada Anncafiuitit, admirare!
:e gratuitamente ojerecldo pela nature-
i de todas as enermjdadca pulmo-
nar.'?, o mundo oo encerra em si consa
com ella de b-ve se possa comparar. Os pm;
un que, quando as sua3 melh ;
mata poeVfosis medicinas, chegaram provar a
saa inutihdado e inefilcacia da diminuieo e cura-
&C.
3 ditas saceos para viagem, relogios e lampadas;
a A. 0. Carneiro Vianna.
S ditas miudezas, perfumaras e tecidos de al-
godao ; a Domingos F. Bastos.
10 barris e 30 meios manteiga; a Guimaraes &
Ale forado.
4 caixas tecidos de 13a ; a Sehafheitu & C
200 ditas vinho ; a H. Wibner.
i ditas miudezas; a Joaquim Lopes Mchalo
&C.
5 ditas ditas ; a Cd. de Moraes & C.
2 manteiga ; a J. A. M .reir Dias.
11 caixas tecides diversos; a Monhard, Mettler
&C.
12 ditas ditos ditos ; a LJpden Weydman & C
1 dte ditos dj|M ; a loia Fernaades Lopes.
2 ditas ditos 1 algodao, 3 ditas ferragens; a
D. P. Wiid.
7 dilas; a Prente Vianna 4 C. j*.-
20 dtu* sardnka- ; a Caivajflo, aUba 4 C.
0 ditas calcado.'crystaes e perfumara ; aBoar-
bvl *Fana.
100 dilas ditas e vinbo;
6
Heiirique A zevedu
. b dita* tutos, do dito e de. lia; a Carneiro &
Noiiiwra.
7 dita marroquim e chapeos; a Jos Luiz Gon-
Qalve Ferreira C.
7 ditas e 30 fardos papel para impreso, miu-
dezas hiovu, e pianos; a Aivr' & C.
1 cauca miudezas. 23 barris e 2 maios mantei-
ga ; a Isidoro Bastes 4 C.
I dita e 4 barris vidros: a Uarte, Pereira & C.
8 Jius e 7 caixas porcelana,vidro$,barbante, pa-
pel, unta, quinquilharias; a A. C. de Meira lo!-
(anda (Parahyba)
ditas mimiezas e perfamarla ; a Estevo da
Cunha Medeiros.
8 ditas tecidos de nlgoio ; a Cramer, Frey & C.
5 ditas tecidos de algodao, 20 fardos papel para4 que tiveram lugar era abril do snno passj-
'"ffdff.' miSei* a Joaquim A. de Aranjo do as quaes foram ltimamente aiiprovadTs
a HJfrli A Cp
uta chapeos, calcado e IbcBh de algodao, a
pelo governo: faco igualmente saber aos
arrematantes praso que dentr de 30 dias
contar de 15 de marco prximo futuro,
devem elles, para poderem obter as compe-
tentes cartas de arrematado, prestar hipo
theca convencional, a qual ser celebrada
por escriptura publica, e inscripta no lugar
da situarlo dos bens hypothuc.idos, nos
termos da'snpradita ordem du thesouro,
exbiWndo os mesmos anreinatani's previa-
mente, peranle esto juizo os d i-umentos
necessarros que provem a doueidade e
sufciencia.dos bens que do pata garanta
dos vab.ri's jorque sflo-responsaveis e isto
si h pena deTrcarem sera effeito as mes-
mas arreraataces.
Compre tambera qoe s nrremaianrles a
dinheiro, dentro do mesmo pra.io e Bb a
mesma Mfcmhiav'i^, recolha n a estaco
corapetf^ffio restante d'i pr
compriak|,s comurehenso^s .le >|u^
achanr^lns iumdo as respe1
cartas de arrematargo,
E para que .;
todos mandei^asnar o piesen
ser publicado pela imprenta e ,i(ixid' nos
lugares do costunv\ bem como q W mar-
ica*s de Goiantia e Itamb, esi
Dado e passado nesta cidade do R
de Pernaioimco, aos 17 ^reiro de
1879. Eo, toiz Frariiisco l 3 Al-
meida, icscrivo o eserlvi. P nal
400 rs. de sello.Luiz de Alna
Abilio Jos Tarares da Suca.
Pela recebedoria de rendas internas .ve taz
publico que neste corrente mez e no de abril
prximo futuro, que os contribuintes do imposto
sobre industrias o pro'wsoes teem de paga-Io, li-
vre de multe, e quo n lo o referido praso ser
cobrado com a multa de G 0|0.
Recebedoria de Pernambuco, 3 a mar'3 de
1870.
O aifcinistrador,
Manoel Carneiro re Souza Lacerda.
Consetho de compras navaes
O conselh i contrata em 5 do corrente mez. sob
as condigoes do estylo e vita de propostas rece
bidas nes>e dia at as 11 horas da rnanhaa, o for-
necimento aos navios da armada e estabelecimen
tos de marinha, no trimestre prximo vindouro de
abril a junho, de vveres, dietas, c outros obje:to>
de consunWsegnintes :
Arroz do Maraohao, azeite doce de Lisboa, azei-
te de dito inferior, agurdenle de 20 graos, assu-
car bramo retinado, aletria, ararota, assucar bran-
co grosso, bacalho, bolacha, bolachinhs america-
na, cangica ou miiho pilado, cafe em grao, caf
moido, cha hysson, carne verde, cevadinha, carne
secca do io Grande do Sul, carnauba em velas,
feijao, farinha de mandioca da ierra, galinhas.
lenha, malte, manteiga ingleza, mantHga franceza,
pao, sabao massa, sil, toucinho de Lisboa, tapioca,
lijlos de alvenaria grossa, vnho de Lisboa, vina-
gre de Lisboa, velas slearinas, velas stearraas de
8 em libra.
Sala das ess5es do conelho de compras navaes
Io de marco de 1870.
O secretario.
Alejandre Rodrigues dos Anjos.
da armacao e ntencilio? da reDnaro da roa Im-
perial n. 201, confiando da tixo?, pipas para
calda, banca, rroinhr, balancas e pesos e mai-
pertenceB para o fabrico do assncar.cajarelrna-
iaoscachabem collccada lamo para as com-
pras dos assucaresaa porta, como para as ven-
das do mesmo.
Segnnda-frirr 7 io 'rrenie.
O agente Marlins. comptPtenKfnie autorisarlo.
far lelao da refinagao aclnd, s H horas do su
praditodia. '
Esplendido e cortado letltfa de
(Ion 8.
Segtunh-Vira 7 do corrente.
Horticultura friueeza produc-
to d'Airica.
ti;
H.ANTAScamelias, nugnolias, peoniss.
ortencias. rosas.
ARVORESfructeiras de todas as qualida-
des, dalias, amareis.
SEMENTESde ortaln.as francevas.e flores.
ROSASde todas as quali !ides para cra-
veiros.
Mr. E. Pellorce horticultor e florista em Pari.-
tendo chegado a esta cidade em direitura de Fran-
ca aproveila a occasia*. de ;. i.>entar ao publio*
urna numerosa diversiade de planta, ameres
fructeiras, sementca etc., caf segura estarem mo-
lo frescas e promptas a cerem aqu plantadas sen
o menor receio, para o quo pao se ponpou ao
bom acondicionamento e boa qusldadedas mer-
mas, e tendo de retirarle no primeiro^ vapor, .
lelao sera effectuado no dia segunda feira 7 d-
corrente, as 11'horas da rnanhaa, na roa da*
Cruzes, casa nova.
LELAO
Mtirried.
Al llie Bntish Consulate Pernambuco en the
Ist. inst. by Caplan Beuliuek Welbore Doylo and
af terwards ai ths Brilsh Consular l^iape by Ihe
Revd. Franci? II. WreughtonArthur Rchardson
to Isabella 5.'1 danghter of ihe lafe T. S. Merri
lield lisi|.,p Soliclor of Wainfleet All Saints Lin
colnshire.
KO CARDS
Al home 21 st. 22rd. o 23rd. inst.
Pernambuco 2rd. March 1870.
= No dia 5 Jo crrente mez de marco tem de
ir praca por venda, depois de floda a audi ncia
lo Illm. Sr. Dr. juiz municipal da 21 vara, um
sobrado de dous andares sito rna das Ciaco Pon-
tas n. 27, avallado por 8:000000 ; cojo sobrado
vai praca a reqnerimento de D FraticiFca Mo-
reira Res Lobo, mventerisnte dos bens deixados
|i.ir rnorte de seu marido Manoel Izidoro de Oli-
veira Lobo.
Santa Ga&t de Misericordia
do Recite
A Illma. Junta adminisiraliva da santa casa de
misericordia do Recife preeiea contratar rom
quem por menor preco flzer a obra oe que pren
-a o obrad i n. 37, p-rtencente ao patiimoniodos
es abrteeJinentos dt- caridade, silo rTia da Moeda.
B^sa obra consiste na doollfao de parle da
ffenlant' rior de toda a frente posterior e di* par-
le do oito pelo lado do nascente at o lagar em
i| o se aeha a iiarede fundida, o recont-truind'i o
predi i de u'm ?6 endar e soliVa conforme as atm
ras nmmcipo em vigor.
O irrr a dever ter tres nortadas
pedra e porta- de costadin
amarello psra n lado da ra, e para o do tundo
duas janellas e urna porta no centro tambem com
soleira de podre, sendo a maieira ignaimente de
(YWadinhn de amarello, e lodo o ladrilho de tljho
de alveoa ia batida.
rimeiro andar devora ter OT9 portadas com
sacadas, lastro de amarello, varandas de ferro,
caixilbos e portar tambem de amarello para o la
ra frfnle, e para o do fondo ires janellas de
m! com vidracas e norias de dita marloira,
tendo cada u a dellas nunca nejias de 8 palmos
i de Jargura e 7 Ij2 de altura.
De predios e terrenos.
I'ma casa terrea n. 11 sita na Baixa Verde Ca
punga, com 1 porta e 1 janella de frente, i
salas, 2 quartos, cosinha fora, quintal murado,
solo proprio.
Urna dita dita n. 13 contigua a casa acirra com
2 salas, 1 quarto, co3inha fora, quintal mora
do, solo proprio.
Um terreno pmprio no rr.esmo lugar sendo parto
alagado con; C 1|2 de frente e 232 1[2 de fon-
do a contar do oitaoda casa n. 11. '
Um dito dito no mesmo lugar, todo aterrado com
56 1|2 palmos de frente e 83 de fundo a contar
do alinhament da eslr&Ja at chegar ao oitii<>
da casa n. 13.
Urna quarta parto da casa terrea n, C sita na ra
da Esperanza no lugar do Caminho Novo, em
solo proprio.
O agente Martins far leilSo por mandado do
Illm. Sr Dr. juiz de erpbaos dos predios e trro
nos cima para pagamanrodo- credores do casal
do finado Izidoro dos Anjos da Perciancula.
Segunda-feir."; de marco.
No armazem da ra de Imperador n. 16, as 11
horas do dia.
-----------------------------------------------.....a ,---------
LELAO
De urna mobilia de .^caranda com 12 eadeira*
de guarnicao, 2 dilas de Lraro, 2 dilas de balan -
co, 2 cmsolos, I jardineira com pedra mairmoro
e 1 sof, 2 tspelhos com ricas moldara? dorna-
das, 2 pares de lantern.'.s. 2 banquinhas para f
de cama, I costnreira de Jacaranda, 2 toalhelcs
de Jacaranda, 1 gorda v.-,os de Jacaranda con
pedra, 1 bidet, 1 tapete (ura forro de sala 4 di
tos pequeos. I ditopara t'j. 1 eablde de fa,
1 dito de amarello, 1 cama franceza de Jacaran-
da, 2 descanqos pan pS, 1 apparador. 1 lavato-
rio com espelho, 1 maruoeja, 1 moldura donts-
da, 1 m sa de jantar, 1 nrre de podra, 1 jorrja
roupa de amarello. 1 guarda vestido de dito,
I mesa elstica, 1 meia commoda de amare>
osada, 2 camas de ferro cem eolxSes de mola, '.
armarios 1 mobilia de, atrarello, 1 fogSo de ier-
ro, porca de esleir para forro de sna, 1
portante binculo e muitos outros nbjciosqr-
poderao ser examinados (dos pretendentes.
Te.rca-felra 8 d crrente,
O agente Martjos far leao por ordem do ui
familia que se relira para Cumpa dos impor
tes movis aciraa descrilos e iransportadbs pira
o armazem d rna d > Impera!? n. IC, atonde t<
rj lugar o leilio as 10 hors do da cima.
AVISOS MAHTIMOS.
I I. '-i ... I .. .y.
Para Maranbo e Para
O brigue nacional Sanio .\aaro, capitn Ca
na Alves Uvas, pretende seguir com a maiojB-
vidade possiveJ para MtifaiiM e. P parle da carsa premia, m&r*c a ,ue pr
e recebe passageiros, ajfl Wr rea- os consigj.
ros Marque Barro SRE, a iarj;o do Gorpc
Sanio o. 0, 2' andar.
Para o frto
ambaren portngueaa iNovo Silencio seguir oe
a brevidade possirel; para earga e (lassat
tr.ia-sfl com os consignatario Oliveira lili
C no largo do Corpo Sanie n. 19, ou com o
r.iu-,0 na iraca do coratcv:



(
Diario de Penmtiilwco Seita&ira 4 de Ma*go 1870.
COMfA*IIIA
ssa'erp^ imperiales.
pmppera se dos
na
i-- o da Para condicues. frotes o pangeos trau-ae
seocia rui du tomaierc1 n. 9
Al e da 15 do torrente raez asnera-se da rL
TS i W"? seguir T-ara lluenos-Avres
na
Paraeondijfrs. fh-tes e pawa^ns* trata-sc
ama4.-1 io. 9?
(MIMA BRASJII8J
m
Paquetes a vapor.
Dos portos da sul esperado
arf o ata $ de marco o vapor
Ovar, commondante o capitao-
tncate P L Duarte, o mi al
. depors. dn demora do cotsme
guir;iparaosportw*>Bwte. """
Desde ja recetem-se passapn e eneaia-ae i
irga que o vapor poder conduzir, a qual dever
er embarcada no dia de suaehejrada. Encommen
SjeAAheuo a frete at as i horas do dia da sua
saluda.
Naosoreceljpnic-tmn encommeadas senlo ob
tos de pequeo v,-4cr eqae nao excedam a dua*
-arobas de peso ou 8 palmos cbicos de medico
ludo que passar Oestes lkrjtes dever ser embar
nao como cnr(;a.
.,Ti12rM l0sf;!- Pawro. Jue saas pas-
oim na agencia na da roz
;cai|)ti..iio de Anicnio Lu2
0 abarxo assignado avisa *o publico que tendo
gtido licenca do Exm. Sr. poselbeiro inspector
d escurara da (azenda goral, sera vender es-
tnpi!iaa em seneMabetociiDetii* a rna do Crespo
-1- peles rnaiiBOj pre>s que se vendora na re-
tebedona gerai; assim pois, podera as pessoas
resllenles testa eidade e fra Sella dingirem ao
anaixo assiprado, roas encommendas em qualqaer
quantidade que ser prompiamante satisffeitas.
_______________Manoel Mariins Fiuta.
Insc^lo primaria parti-
cular.
Aana Senhorinlia Monteiro Pessa, competente-
mente habilitada, de conformidade com os despachos
da Presidencia da provincia de W, e da directora
peral da inslruccao publica de % de fevereiro uf-
n0,:.ap/!^?.'-a?4i?Bj,.ore9 P** e nara cnefes de
eiu
da
Ama
**
Precisase de urna ama para todo o servico de
urna casa de pequea lamilla : a tratar na ra
do imperador n. 79, toja.
I,recia-sed*m,MKji casa de homem
solteiro : na ra da Praia n. 41
Grande sitio para
alagar.
AInga-se nm graude.siiw na estra-
a do Rosarinhfl, o qual tora muitos
Caixeiro
e om-caixeiro (jqe tenha pralica de J
'119 ni\ If *., .,
Preeiss-se d^,
'tema : m rui g0 &, n/.-;.
dobDiario ^ Ji!neir setembro 866
cmnuu
familia a aa aula particular que aecha aberta ei
a ra dastruzes n. 11, 1 andar, das 9 hora* d
manhaa as 5 da Urde.
Materias de ensino.
I.eitura, aritlunetica, escripia, etc
KlUfaI de.!0l,M M walidade*: ponto de mar-
ca, bordados diversos (inclusive deouro), labvrin-
Iho, e bnalmeute flores.
Alumnas externas 5000 meosae.
Aquelles saibores que resldTrem distante da ei-
dade, poden, queetdo, confiar mesma profes-
snra siMs-flilia, tuteladas, etc. que sero tratadas
com o maior cuidado, zelu e esmero que fr pos-
sivel. inediante previo ajuste.
rvoredos grande baixa para ca-
pim ou crtacao de gado, podendo
>u>tentar20 vaccas por ter um grande
orejo no firndo qne vf 'jnafi estrada velba de
Beheribe no logar Agua-Fria, tendo o sitio urna
grande frente para a nova estrada de Beberibe
fazendo quina na ponte que all existe. A casa
nova, tem duas sallas e qnatro qtnrtog, grande
copia,quarto de creado,codieira e estribara, tu-'
do de pedr e cal e eailleada ha pooco lempo.
,preteoder pieira entenler-se com o seu
propneiario o co.umendador Tasse, em seu sitio
na Cruz das Almas al as 9 horas da tnaabaa e
dupois no sen escriptorio na ra do Amorim nu-
mera 37.
i seu poder por era
setembrodel86<,
S$bg&Mu m,i,ni-|a no MCrip-
Cisa de commissao de escravos:
,^aa,'?acaa *e eommissao de eservos dk
omato como d 6Smvos ^ eoramiss^. lam
S^ZV[J&!i "F^'vendalj^^ *' e putagens dignas da MF^TS todo? ST^X
Sr^JiSS^^ ^ dad^ Pe W '""das can.ra o averno do Para^uTr'^
ecos, aasim como ha t da ^S^^TSt
Antonio Jos V. de Sonza.

AMA.
Anda se precisa de urna ama para cozinhar,
comprar e fazer mais algn servico de casa na
tinturara franceza, ra da Imperatriz n. 55.
Dft-sea quantia de 3:000*000 a juros sob
liypotheca em algum predio nesla cldad^ : quem
precisar se dirija ra do Jardim n. 37, que se
BRlSILlffll
Paquetes a vapor.
los portos do norte esperado
a II doc!>rreDte o vapor
$ul, commandante J
P. Guedes Aleoforado, o* qnal
depois da demora do eostume se-
portos do sul.
Desde j roe bem-se passageiros e engaja-se i
c^rga que o vapor poder conduzir, a qual dever;
Hj-r comarcada nj h desuacliegada. BnaamM
Jas e dinheiro a frete at as duas horas do dia di
>ua saluda.
>ieta recabem como eaconiBii>ndas seoio (*-
t *B de pequen.' v^ior e qrte ,n5o tcedam a i
n-oDas dei^^ -ju 8 palmos cnbi'-os de medi-
Tudo que p,var desles limites dever sei
mnarcada coicv carga.
eoaos Srs. passageirc? p.-'suas pasa
eas so se-jocebem na agencia rv.n da Cruz n. 57
. AMA
Precisa-sede orna ama para cozinhar era casa
He-nomem solteiro, qne tem nouca familia : na
ruado Crespo n. 11
irens
andar, scrii.r do Antonio jiz de liver>
'."VCHJ1 ^K **A*
ira o P rto~
n-etOB'te soi.,r 0 mais breve possivel, para o
I'ort.) a barca i.,r!i.;.u.'za S. Mr,no I II i capitao
IM Antaafc rSMsntos ; recebe carga frete e
|assageiro9 : i tratar com Marques, Barros & C
prpe Santo n. 6, 2". andar, ou cora o
COMPAfiHiA peknambucana
Navegaph costea por vapor
Femando de Noronha.
(: vapor Coruripe commandante
.Silva wguira para o porto cima no
JOia-ai .molo din Maoaha
B di.i encommendas, paasaaetros e
tiaheiro a frete. at as 10 lioras do dia da salii-
la noescr^roric do Porto di fiattos n. 12:
Os abaixu aaatgnados declaram pelo presente
ao respeitavtl corno do commercio, que por in-
tommodos de samfe do sccio Flores, amigavelaen
le dissolveram a sociedado que tinham na loja de
fazenias a ra do Cabng n. 10, que gyrava sob a
Urina de Plores & C, ficando todo o Ictivo e pa-
sivo da mesma sociedado a cargo do pjimeiro
aoaixo assignado, ha vendo o segundo retirado o
seu capital e lucros que Uie narteuciam. Os abai-
xo assignados nada devera neita praca nem fra
dea; eatretaolo se alguetu ulgar-se credor,
coavUado a ir em predittteja paca ser pairo, isto
dentro do praso de tnsdias, a contar da publica-
Cao do presente aviso. Reeife 3 de marco de. 1870
Antonio Juaqum Vaz de Miranda.
Ji'o de Souza Ual Flores.
Esc avo
Precisa-se-alngarnrn tiento para servico inter-
no e externo de ama casa de hnraem solteiro, pa-
ga-fgjj8"1 : "a ra da Cadeia n. 20.
Proeissao do Senhor
attado,
Na segunda dominga da qaarasma (13) a ir-
mandado de N. S. da Soledade. erecta n igreia
da Livramonto, expoe vtc dos liis a solemne
proeissao daquelle Seobor, e espera, portento, me-
recer do respeitavel publico ebristao o apoij para
tevaraelTeito tao pi acto, tanto mais-quanto a
pnmeira proeissao que na presente qoarosma se
expoe, e por urna rmandade que tem sido victi-
ma de discordia, e nenhura recurso conta seo3o
com a cosdjuvacao dos fiis.
-------T-----------------------------,_
Ama. saLbados.
IV^tJ^*0^ n- 8- Pre^ta-, de umj \
28Camboa do Carmo28
Das stfs e meia horaa da tarde as oiue da nonte.
, N,**^t Pungiere tem a honra de anmniciar ao respeitawl publico desta
pita!, qaeHUffcbente estar aberto a concorrenca publica um grande eosmoraiM tnt
por \Sm^TSSS
abaixo m ver, """*"" 8vera(> to Parag^ come
O anmmeiaate tem esnpreado todos os sros exfor? para ooe o resneita*!
PuWko encontr alli um bella passatempo mediante orna peqrieaa eSportuT S
ealretanto tffreito a um objectd, gratis, de man ot menos valor. **mm' m0
TodSs as- vistas serio randada* duas vezas por semaav
ana que saiba oor/nhar.
, Na roa estreira
do Kosario a. 36, ? andar,
aluTam-sedouspardinhospara criados : quera
preend^rjrocure das 9 horas.as 3 da tarde.
os
sendo as qrfttas e
srnr^nr^8^M*a0ei,4oa(>m,n Si,veira P6"6
^^le.Snrptono a r,,a a Ctfspo n. 11 an
aar.das 10 horas da manhaa s 3 da tarde. Reside
a na da Conquista (Soledade) n. V
la marmore. rna das Crnzes
o. 11.
O artista Gamito acha.-ss estebelecido na casa
aciraa, onde pode ser procurado para todos os
raisteres de sua proeissao.
AO PUBLICO
nu?nhL'^n*',Lor*s PerreiraeD. Bemvennta
SnS. ^ f'M *#*> ">Ihs credores do
M !^H3 Pelos berdeiros do raesmo
fallecido e proaMdores reconhecidos pelo consol
rnJ^&a?h*' s ^ ,y 1 S?^!?i2S&C,,J,s* ctedorag ,m,ri8m demandado
o >r. u. Juan Basen, por ditas dividas. E oan
n?e, nf p??* iavei ma* reclaraacao alguma da
necite 2 de marco de {870.
Vista do combate e pasiageju dk fortaleza de Humait.
Dita das glorias do exerfito brasileiro.
Bita da fog o Lpez para- as cordilbeira. -
Dita 4o asassihtio do general Flores em JtfonteTio.
Dita du castellodo Rio de Jatttro.
Dita o\cidade do Porto.
Dita da"pra?a do Povo emRoma.
Dita do assalto a presa da fortaleza de Sebastopool.
Dita do pago de Fentaneblsan (R-ibca.)
2t?OimWa do Carruo=28
DAS S S E MEIA HORAS DA TARDE A* ONZE Da NOUTE
m
^a a L*d?a f suP8ri Tfndo seda, pe'o baratissimo pre?o de 500 e 640 rs. o covado
Papgaio
Assim eoav) soperiores cassas franceza de cor padree de moito aoaU i 400
\ToLmelro'na das Ce,lumnas rn3 d0 ^p0 n- n,o* "^
Matriz de S. Jos
llavera nos domingos da prosete quaresma,
pelas 10 horas da manhaa, aiis-a cantada con
sermao, como d; eostume, sendo orador o prosa-
dor da apella imperial Fr. Mi de Santa Tiereza,
digno relijnpso Franciscano. Outro sim, a missa
q?l ?ac^ebra aa u hdraai fiea transferida para
as i' ta duranb- o lempo cpiaresmal.
\ oluntarios da patria.
Consta-nos que no Monteiro se pretende (azor
um grande festejo pela cbgada dos bravos volun-
tarios. Loavores sejam (Lulos a quera para ito
concorrer, pois rauito merecem e?te3 dignos cora-
Do 3 andar do sobradon. 58, sito ra Nova',
lugio um papagaio eontraWlo: queai o levar em
d to andar, sera recompensado.
Franeis:o Antonio de Bn o, D. Maria Jos de
Jesu< Unto, sem.flJhos.genro e ora, cordialmen-
ie agradecera a todas as pessoas que se dignaram
acompanhar ao cemiterio publico os restos mor-
laes de sua prezadissima filha Olvmpia Eugenia de
Unto ; e ue novo os convidam assistirem as
anana que teradoserem resadas no dia k do cor-
ren:^ as 6 horas da manhaa, na matriz deSanti
Antonio, a cuja-icmaiidda e eonfessam gratos.
Ama de Jeite.
Na ra da Praia n. 58, andar, precisa se de
urna ama de leite : a trar aa mesma ra e so-
brado, quo ser bera p; g.
Bartholomeu & C,
patriotas.
Para'
Pretende seguir em poneos das pare o indicado
1 barea peMngnea Despique II, por ter a
iiiaior parte ileso,: canegaraento prompto, epara
que recebe a fretei muito ba-
trata-se I isignaiario Joquim Jos
'<<< uves Reltij'i, ra do Oimmercio n. 17.
Porto.
S3
Vai sahir brav> i arca Laura para carga t
iros, traa- com os consignatarios Carva
""'^ ra de Apollan. 20.
Ma de .'Miguel.
O palabo por:ouez Jcnrgense segue-com mui-
!.. revidide part o porto cima; anda recebe
na carga a frete, bem como passageiros pa-
n os qaaes tem beos commodos : a tratar com
n sea consignat; :. Joo do llego Lima ra do
A>"llo n. 4-
'Mar!.; Francisca de Moraes, genros- Manoel Lo&
Alves \.anna, loauuim Luiz Al ves Vianna, e suas
UII as uenoveva Joaquina Alves Viaona e Francis-
ca Joaquina Alves Viaoua, agradecem cordialraen-
te a todas as pessoas que se dignaram acoraos-
miar ao ultimo jazigo os restos mortaes do s-u
BUeeido marido, sogre e pai ; assim como convi-
da es de novaraente, e a todas as pessoas de sua
amizade, a assistirem a missa do stimo dia neio
seu-repouso eterno, que lera lugar no dia 7 .1
corrate, as / horas du manilla, na capella do ce-
mileno publico.
Para o Porto
a barca Flur de S, Simo sahir brevmente, por-
M'Jftja lera parte da carga engajada : para o reste
< passagens, trata se com os consignatarios Car-
valao c .\. guen a roa do Apollo n. 20.
Oearft.
ara o Indicado porto at o dia 5 do cor-
rente o biate tnatciotl : quem no mesmo quizer
'arregar ou ir de viagcm. poder tratar ra do
\ igano n. 14, 1' andar, escriptorio de Jos Lopes
Maria Francisca de Moraes, viuva do fallec
do Jos tran#sco Marinho, avisa a todas as pes-
soasque lho roram devedoras, a virem s. ti seos dbitos no praso de 13 das, da data de^te'-
assim como quem tiver penhores a virem resgata-
tos no raesmo praso. do contrario sero vendidos
pan pagamento, nao se attendendo mais a recla-
macai. alguma. Avisa se tambera a quem o mes
rao fallecido dever, terem a bondad* de presentar
suas comas no praso do tres dias para serem con-
renda e pagas, lindo o que, a nenlinna reelama-
eaotarabem se attender. Recife 3 de marco de
IB/'.'. '
i>avin.
AVISOS DIVERSOS.
Precisa-sc de urna ama para poaca
Emilia : no pateado Terco n. i, taberna
Ffcitor e c iaio!
OrT'Mtce-se doos homens, ara para feitor
a algum sitio, c ontro para criado de qnal-
'jtier casa, do flador de sua coaducta:
sta typoflraphia so dir.
ne
l'reeisa-se alugar um escravo de boa con-
ducta para o servico de urna loja do fazendns
i a do Lrespo n. S!zO A.
Ama
Precisa-se de urna umlher para tomar conla de
na casa de um homem e um menino, e fater o
''Wo de casa e comprar : na ra de Hortas n.
CASA DAlMll
Aos 5:0001
Billietes garantidos.
A rna do Crespo n.23 e casas do costme
O abaixo assignado, tendo vendido alm de en-
tras sones, 1 mteiro n. 275 com 4:000000 da
lotera que se acabou de. extrahir a beneficio
da igreja de Nossa Senhora do Livramenlo do Rio
tormoso (138') convida aos po3smdores virem
reeeber na conformidade do eostume sem descuu-
-to algum.
.a amse a venda 3 feliies bilhetes garan-
tidos da 3' parte da lotera beneficio da ureia
matriz de Caruar (139-), que se extrahir terc-
teira 5 do corrente mez, pelo novo plano.
Precos.
Bilhete G#000
Meio 3j;000
L Qaarto 1^500
Em percao de 100 para cima.
Bilhete jj^sOO
Meio ifiso
Qnarto 1^375
_ Manoel Martins Fiuza.
TRILHOS URBANOS
DO
Rsoife a Apipucos.
A venda dos bilhetes nos carros conti-
nuar at 0 dia 20 de marco entretanto
roga-se aos Sis. passageiros o favor de
comprarem os seus bilhetes as estacoes
antes de embarcarem nos trena.
A condcelo de bagagera principiar boje
partmdo o trem do Recife Apipucos ao
iw io du,, e de Apipucos ao Recife a 1 h. e
18 m. da tarde.
A b'gagem para os pontos de Soledade,
Ponte de Ucha, Jaqueira, Parna-meirim
Sant Anna e Porta tl'Agua, s ser recebida
com a condieco do remetiente macda-lo
reeeber na occasiao da passagem do trem
por Bao liaver ali quem o recolha nem es-
tacoes proprias para esse fjm.
Escriptorio da companhia, I" de marco
de 1S70.
W. Rawlimon,
____ Gerente.
0 CMlilAO DENTISTA
Frederico Maya
Tem a honra de scientificar ao respeita-
vei publico em geral, e aos seus clientes
em particular que elle mudou o seu gabi'
netede consultas da ruaDireita n. 12 para"
a do Queimado n. 31 primeiro andar, com,
a eDtrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de sua
profissao, todos os dias uteis das 9 horas
da raanaa s 3 da tarde.
Tambem previne, que contina aprestar-
se a vontade dos clientes nao s. na eidade
como nos seus suburbios, para onde as
idas sero precedidas de ajuste. Ele ga-
rante o bom desempenho e a perfeic3o de
seus trabalhos, o que j bem conhecido,
assim como as commodidades dos presos!
V'-.'O, l'n ri.AS. XAtlOPB B TlNTtTRA
de .iurtuBKii,-. simpiubb k PiwtRBompeo;
Olo, PchcaoaB Ump^kstRQ da mesma
H*TA PBEPARABOa >;u
BARTHOLOWEO A CA
PllA KM ACJ-: UTICOS- I) HGUISTA8
Pi-iivtsjsa o
1 JuraU-tu ^>ia plfuu .. hojr ncuaheeuli
uiuo- o -.- r~i, <-,....... ,.., me*;,
iiiiNiiniiiuc,. cm. :.il .i|iii;<-.it.i us p^lecnasalai
ligirjoe ii.iv". .'lji.-i-i'.'s. !-iiusj-, iiiuores inter-
nos e. M^eeiatiucirie rio oiaro, Uplrfesm, erysi-
pulla-, -ic; e ImocimI ao tetro e til uas fultdu
cores, ehleroni e falla ,* iii.n.-lrincao, dosarru-
jos J0 esliuago, tff e b .|ue .leemos aiteslio
lunamcn. curas InpMumM oLliks com noss.-i
prcoarados ja bem cnituciilo.-. e ns.idos poloa
iii-iti. lus mdicos do u:z a. I'orlac.t. tai ukIc
oan
' |>a:z a. l'oringal. Km iodos o<
aossos deposito distribuimos ras folletos qna
tolbor fasem cenhecer a Ju.-ubeba seos resnludoi
* PplicacJo.
Ai
IA8SA e XAROPB
DECODEINAOEBERTHi
Prcconisados por todos os mdicos coaira oI
DEKLUXOS, CATHARROS, E TOAS AS
IRR1TACOES DO PEITO.
*J- O Xarcpe it Coddna que merece > a \
konra, atiat bem rrn tntre ot Mcdicamentosl
novot, deur regiirado lomo um dot medica-
mer.ioi offiduet do Imperio Fr,mctt dispensa}
quatquer elogio.
AVISO. Por caos da repreliwsivel fdlsi-1
Ccacio que tem suscitlo o fei resaltado dn '
Xoropc e massa de Seriad somos furcados a.
lembrar que esies medicanieulos laju'iaincDtcl
conccltnados so se
vendem cm caixia-
baserrjsccslevando '~^_\3Jj09y'^*'
> assignatura em ~'-k\r*r\~~^r>&~>
frente.
46, Unedtscctct, e na Pharmacia Central!
de Franca. 7, iitie de Jouy, em J'ari:, o euij
todas as Pbaraiacia- prbxlpacsdoBraiil.
*rs, 36,RuaTlTl6Qii, *
CHBlCMiDecN
? 2 T 2 9 -^ w" o a <
S *'
a s
-. o to
rJr-3
' 3 -I o
-w t & _
50
2 "
-i n> a
Ssi

2 o
"5
o- ES5*
&-" 3.9 &
fffth8
25S2
3 &*
o|l
5
na
(t oi
S as cd
?&"
o.-
o
s<
as co m
p fci .
VI U ~ ii.
co re
z, B
O ?t>
es u u u
; -.. vi e/3 r/i
a ti. 2. v v.
-*re a O o n
a- a v
2-1 cS
3 -
cBg 5??sv::
B) ce' ^
c"0 te
no""1
b5|h1- g
"fifi,*
*- R
SgJPB'cDg"!" !>
o o o i*
c o 3 r>s-
&o o ca c/3
i -1 CO o .
r-a

i
C3
en
MEDALHA A EXPOSIAO UNIVERSAL DE 1867
Pana a Superior-idade d'a
DER^BATIF
!
OMPA.NHIA PERNAMBCANA.
5o DIVIDENDO.
De ordem do conselho de direoao se comroanica
aos Srs accionistas que o pagamento do quinto dl-
videndo zao do 10 por ceuto, ter lugar do dia
- Aexandro Americo de Caldas Padilh i trm ?rSar^ Proxil .ndnuro em diante, no es-
resolvido ir morar emcompanliia de seap,, nTn ?f da- fortaleza de Tamandar. ,'
Oferente,
._______._________ F. F. Borget.
''i60!3?*88 de nma ama : no Pateo do Para-
zo n. 9, defronte da igreja. 1 andar, esquina.
rreeift-se de urna casa pequea, em Olinda.
para nm ou dous estrangeiros : a dirigir-se na
ra da Cruz n. 53.
ASKNFKRMIDADAS DBBHXUASS, AS AffM
|OES rUTANF.AS,E AI.TEHACOESDOSAROOl
'"" OuOeurisdisiotpMffiK
siulu, herpes, sant
cmxzoet, acrinoM*smt
> r.oet, viciosas 4 um
; onit, *lt*r*fm
1< <:iiy.,!. ilarop. vegetal im mercario).
ral-iau, >|eMM ftANhtt MmTBIlAEf
tomiio-M dous por semina. Mguind. tractm.tf
(ratiDO : i trr,. regada ns mesis molMtia
Ksts tarop. Citraxte s>
ferro i, CHABL8. cm
imc.ediitim.Bie qtsJanc
purjacao, niaeofM.
* d*tnidaci4, igatl
neme as fluxos t lores brancas du malh.ru.-i
ffia injeecao beoigai .msrega-M com Xirat. #
(aorroMata, P.ma
POMADA ANTIHERPET1CA
Contra t ais affeecoss mtanen i obmsom
JILULAS VEGETAES DEPUBATIVAl
! *' Ckssblo, nata ateo ti! aa*akaam
PLUS OE
GOPAHU
Iareotada
por LEGRAND, Pernmista do Imperador dos
18. O, Roa Knlat-Bonorc, *07. par.
ORIZA LACT
LEITE ANTTWIEUCO
Cjkinije: oriza
UE NIN0N DE LENCLOS
Pira dar frescura d pette, destruir a$ rujoi da c.-
OBSruar eternamente a telina da jutentude.
Para refrttear, trnnuuear e aducir a ptiU, foxtmn \
deiapparecer nodoai e ae tarda*.
ite e delicado, para turlificardo la peUe.
acto muito delicado,
ra os lencos.
^^\l:nir' 7. """' u." v-"rullna P* cara c a-belleza da pello.
ORzA-DEYr*inF n ej8r os ',enK',"C0Merw" ^'K'^-
ari., "" "'" al,"iar den,es se" ^suir n"fc
,uT0Nl.^iDJE ?UINA E POMADA DE BALSAMO DE TANN1NO
nr,r,nT m nke'' f"iSo"i, ,s "Uln' '**' "kif''"*"' f'-
DEPOSITO GEBAL na Caza de
E em Caza di todos Perfumistas io Brazii.
He*
L DE 011R0

SO
5 jrtBiims
vm*\*a7ru~~ wwiiainiw no sea genero, um sempre um eortimento sem ienaL
da ra larga (Uf a K ?re^os qne nennnma outp asa pode vender B ^
A vista da qualidade e do oreeo das om suuht nm
Eosario.
vados.
fc; -,"------- VMlMad e do preeo das joias cada um podeMe-ha eonvenear da rerdade
Oarante-se ser todo de le Comprare euro, nrata o ,Sras finas 7L7\\\^lSS\\t
CABOA
esquina
la roa larga
Bosario.
A loja est aberta at s 9 horas da nont.


i.
Diario de Pernamlmco SexU feira 4 k Mafoo de 1870
A ESMERALDA
' i

de
LOJA DE JOIAS
C
IAM
Este antigo estebelecimento* completa-
mente reformado ie novo, est as condi-
loes de servir vantajosaraente os sens fre-
f uezes, visto que acha-se prvido com mn
'xplendido sortimento de obras de onro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, eujos pretjos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
46 em troca ou compram-se com pequeo
*tbate
N. 5 RE DO CABUfiA (L 5
No armazem da travessa do Corpo Santo d. 25, ha sempre um completo
sortimento de objectos para carros, e que so vendem por precos muito rasoaveis, como
s,'j,m: u
Vaquetas de lustros, grandes e ramio boas. f
Solas dem dito.
Olead preto e de cores.
Colleiras de lustro o que ha de melhor.
Guarnieres de flno latSi para a reios, completos.
Laolernas e vellas para as mesmas
Eixos patentes para sebo.
O MARAVILHOSO REMEDIO DO
DR. CHAS. DE GRATH.
O ELCTRICO
KINGOF PAlN
o re d.\ dor
PARA UO IUTRIMI 12 KXTRRJO.
Cura cholera e cholla morbus.
Dianiea, luxo do sangue, em um dia.) Dor as costas e nos lados, em dez mi-
Dore de cabera, c dores do ouvido em utos.
Em tempos modernos nenhum dejcubri
ment operou maior revolucSo no majo
corar anteriormente em voga do que
PEITORVL DE ANACAHliTA
TANTO NO TRTAMENTO Di
TOSSE, CR0P0,
ASTHMA, THISICA,
R0QUID0, RESFRIAMENTOi
BR0NCH1TES,
TOSSE CONVULSA,
DORES DE PEITO,
EXPECTORACO DE SANGUE. f'
Como em (oda a grande serie de eafermi-
dades da garganta, do peito e dosORGAOS
da respiraco, que tanto atormentan e fa-
zemsotrera humanidade. A nmeira an-
tiga de curar consista geralmente na appu-
cac3ode vesicatorios, sangria^sarjar ou ap-
plicarextcriormente unguertos fortissimos
compostos de substancias vesicantes, alem
de produzir empolhas; cubs differentes mo-
dos de curar, nao faziam senao enflaque-
cer e diminuir as forca? do pobre doente,
contribuindo por esta fama d'umainaneira
mais fcil e certa para a enfermidade a des-
truirao inevitavel de sia victima Quem dif-
jerente pois o effeft admiravel do
J PE1T0RAL D ANACAHUITA !
VM ElEZ DE IRRIT*. M0RTIF1CAB E CALZAR
INAUDITOS SOfWMENTOS A0 D0ENTE,
CALMA, MODDICA E SUAVIZA A DOR.
ALLPU A IRRITACaO
DESEMVO.VE ENTENDIMENTO,
FflVTIFICA O CORPO
e fa; com que o systema
Desaloje duma maneira prompta e rpida
at o ultimo vestigio da enfermidade. Os
melhores votos em medicina da Europa (os
Lentes do? Collegios de Medicina de Berlim)
testificam serem exactas e verdadeiras estas
relaces analgicas, oualm disso> experi-
encia d milhares de pessoas da America
Hespariiola, as quaes foram curadas com
este maravilhoso remedio, sao mais que
suficientes para sustentarem a opinio do
PEITORAL DE ANACAHUITA!
Deve-se notar que este remedio se acha
inteiramente izento de venenos, tanto mino-
raos, como vegetaes, em quanto que porm,
alguns d'estes ltimos, e particularmente
Muelles que sao dados sob a forma de 'Opio
e Acido Hydrocianico, formam a base da
maior parte dos Xaropes, cornos quaes Uto
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
blico. A Composic5o de Anacahmta Peito-
a acha-se linda e curiosamente engarrafada?
m frascos da medida de cerca de meio
quartilho cada um, e como a dose que se to-
ma so d'uma colher pequea: basta ge-
ralmente a applicaco d'um ou dous frascos
para a cffectuac3o de qualquer cura-
Acha-se venda nos estabelecimentos de
p. Maurer 4 C, J- C Bravo 4 C. A.
Caors, B. M. Barboza o Bartnolomeo & (.
AO ARMAZEM
DO
lina Nova o. V,
acaba de chegar pelos ltimos vapores novas re-
messas dos seguintes:
Calcado francez
Par senuoras.Botinas brancas, pretas, e de ou-
tras murtas differeaies cores i ultima
moda.
Para meoiBas.Botinas das mesmas cores equa-
lidad cima.
Para homensBotinas de cordavao, bererro, ver
niz, pellica, o melhor ortmeato que se
pode desejar.
Para meninos.Botinas das mesmas qaalidades
mencionadas para bomens.
Para homens.Botes rucianas, meias-botes e per-
neiras.
Para homens, senboras e meninos.Sapatos de
tapete, aveludados, charlle, casemira
prete, tranca de Lisboa etc. etc.
Para meninos e meninas. Abotinados fortes de
muitas^qualidades.
Quinquilharias
Finos artigos de Pars, de gosto e phanteiia,
como sejam, leques, espelhos, luvas de Jouvn,
caixinhas de costura com msica?, joias de onro
bom de lei, ditas de plaqu, cofres de seda e bol-
cinhas para braco, estojos para viagens, bengala?,
cbicotinhos de baleia, oculos, lunetas, correntes de
relogos, e perfamarias de Condray e de Piver.
Brinquedos para enancas
Carrinhos de 3 e de 4 rodas para passefes, eos-
moramas e realejos de diversos tamanhos, e um
cem numero de brinquedos francezes e allemaes
para entreter menta >s.
Para eviter massante leitura de tantos artigos
expostos venda neste estabelecimento, o dono
pede ao pubtico em geral qne se digne entrar de
passeio aflm de verilicarem nio s a grande va-
ridade como os precos baratsimos por serem
todos chegados de conta propria.
GUSTAVE
CABELLEIKEIRO FBNQiZ
51Ra da Cadeia do Recife51
Chama a attencao dos seus innmeros freguezes, e do respeitavel publicoi
geral, para a segnmte tabella dos precos de sua casa, os quaes s3o vmte por cento
mais barato do que em outra qualquer parte:
50()000
Cabelleiras para seuhoras a 25,
30, 35(J e......40/1000
Ditas para homem a 35(91, 400 e 500000
Coques a !*& 150, M, 200,
W, 300 e ...
Crescentes a 420,150,180,200,
250, 300 e .....
Cachos ou crespos a 30, 40, 50,
60, 70, 80, 95 e. .
Tranca de 'cabellojpara annel a
500 e.......
Tranca para braceletes a 100,
130, 200, 25 e
Cadeias para relogio a 50, 60,
70, 80, 90, 120 e. .
150OC*
501
501
O dono
Corte de cabello,.....
Corte de cabello com frcelo. .
320000 Crte de calilo com lavagem *
*| champoo...... *IW*
lasnno Corle de w1611000111 U"pw* da
1O0UW cabeca pela machina electri-
10000 ca, nica em Pernambuco. 10001
Frisado inglexa ou 4 franceza. 501
300000 Barba. ...... *&f
ftSSIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Baile e aoldres .T*mn>4 t
do estabelecimento previne s| Recommenda-se a superior TINTiJHA JA
Exmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um
salSo para tintura dos cabellos e barba, as-
sim como um [empregado smente occopa-
do nesse servico. ^^^^
PONEZA para enegrecer os cabellos e ba-
ba, nica admittida na ExposicSo UnrwrsaJ
como no prejudicial sade, por ser w
latil, analysada e approvada pelas acatk}
mras de sciencias de PARS E LONDRBSi
TEZOURA DE OURO
Methodo Castilho.
Manoel Jos de Paria Simoe?, professor particu
lar do instrucio ellemeniar pelo methodo Cas
tilho, tendo chegado do mato, onde foi tratar
sna saude, avisa aos paes de seus alumnos e ao, -^
respeitavel publico que uo dia 24 do corrente e, e nos das santinr,artns as l a
abre de novo a su aula, na rna da Sentala Ve-
lha n. 124, segundo ano*. Em dita aula lecebe-
se alumnos internos e externos.
A' roa do Queimado n. 6, primero andar
8 pessoas para o servico e o maior cceio nos trabalhos de barbeamento.
O sali estar aberto, nos dias uteis das 6 horas da mauhaa as 9 da wra-
1 hora da tarde.
AMA
Precisa-se de urna ama para o seryieo interno
de pequea familia : na ra do Vigari n. 5, ter-
ceiro andar.
Trilhos urbanos do Recife
Olhida.
Continua-se a comprar dormentes de sicupira,
oiticica, amarello e outras uiadeiras de duracao
para o chao, com as dimensdes seguintes : 10 pal-
mo? de comprimeito e 3 112 plegadas de grossa-
ra,de 7 l|2de largura : para tratar, no telhelro
da ra da Aurora, desde as 6 horas da manhaa as
4 da tarde.
O superitendente,
Andr de Abreu Porto.
i J"
I" f FALOB
ESTA ANTIGA E CREDITATA
FABRICA
>
OB^PaDS 0)21 &
AMA DE LEITE
Precisa se de urna
Queimado n. 49.
ama de leite : na ra do
Feitor.
Precisa-se de um trabalhador para tratar de
um sitio pequeo, paga->e a secco, e prefere-se
casado : a tratar na ra N'.va n. jM^andar__
tres minu'os.
Dor do dentes, em um minuto.
N-iUvrak'ia, m cuco minutos.
Deslocacoes, em vinte minutos.
Gargantas ochada, em dez minutos.
Clica e colvulsons, em cinco minutosi
llheumaiismo, em um dia.
"obre c febre intermitente, em um dia.
Pede-se encarecidamente aos Srs. Domingos
Theodoro Rigueira e Aristide? Florentino Caval-
canti do Albuquerque i'de Sermhaem), que venham
ra do Vigario n. 14, a negoeio que se precisa
ultimar.
Advogaeia.
O advogado Ayres Gama contina ter
seu escriutorio na ra larga do Rosario
n. 26.
CmUITIlHTI I C01PLITI II1T1IUTI II
CHAPEOS DE SOIi:
De todas as qualidades!
De todos os feitios I
De todas os precos I
Grammatiea nacional
* Primitivo de Miranda, es.udante do 5o anno, n
lieoes ra da Conceicao n. 12 ; pode tambem
ser procurado no escriptorio do Dr. Jacobina, ra
do Queimado n. 33.______________________
CA%\ DA PE.
Aos 20:0004000.
Bilhetes do Rio venda : ra do Cabug u. 1
nde Vieira & Rodrigues.
RA DO CRESPO
Tosses perigosas e refriados em um dia.
Plueresia, em um dia.
Surdez e a: tlima.
Hemortlioidas e bronchites,
Imflam(,'o nos rins.
Dy^pepiia, erysipelas.
Mulwstia do figado.
PIpia?o de :orac3o.
Reservo semnre este remedio na sua familia
\S DOFNCXS SE APRESENTAM. QUANDO MENOS SE ESPERAN.
OLEO ELCTRICO O King of Pain (0 Rei da dor) aquieta e positivamente dis-
ipamais de diHerentes molestia* e dores, e allivia mais os soffrimentos e produz um
mais porfeito equilibrio no systema humano, o que nao se pode effeituar no mesmo tem
o, com qualquer nutro remedio med nal. _
Este muito popular rem dio est agora osando-se geralmente, pela razao que
milhares de pessoas se tem curado gratis com o dito remedio pelo Dr. Grath e outros
Este importante remedio nao se offerece para curar todas as doencas, porm
to somente para aquellas estipuladas as nossas direcces.
Est operando nos principios da cbimica e da eletricidade e por isso, est
applicavel para o curamento e para a restauraco da aeco natural dos orgaos que so-
ffrem da irregular circularlo dos fluxos d.ts principaes ervos. Oleo elctrico O King
of Pain opera directamente nos absorventes, fazendo desaparecer as inchacOes das
glndulas etc. em um tempo incrivel, breve sem perigo do seu uso debaixo de qualquer
dreumstancia. .
O remedio urna medecina para o uso externo e interno, composto dos ele-
mentos curativos, raizes, bervas e cascas, taes como se tem usado dos nossos antepas-
sados, e das quaes tem grandes existencias no mundo, par* curar todas as molestias
somenie sabendo-se qaaes ellas so.
Foi um grande e especial desejo da faculdade de medicina durante muitos an-
nos de experiencia para aprender os melhores modos que se deviam ado itar para curar
as sf NICO DEPOSITO EM PERNAMBUCO
NA PHARMACIA E DROGARA DE
Bartholomeu & C.
34Ra Larga do Rosario34
[INSTANTNEOS
Travessa do Corpo Santo n.25
ARMAZEM
Ra Nova n. 28, fo'a Antonio
P^dro de Sotiza Soares.
Bandeira, Machado 4 C, avi^m ao respeitavel
publico que no? lugares cima encontrara no mes-
mo sempre grande quantidade de ditos pocos, e
que se acham habilitados para vender por menos
que outro qualquer, por isso que os receben di-
rectamente do fabricante Norton, de Londres.
As vantagens que offerecem os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser colocados den-
tro de casa ou ra, com o trabalho de urna a duas
horas; segundo, fornecerem os mesmos agua pu-
ra e abundante, podendo serem removidos de um
para outro lugar, (mando assim convier.
Os annunci;mtes s ipeobTao a importancia dos
referidos po?os depds de enllocados, satistazendo
espectativa do comprador._________________
Ka praea da Independencia n. 33 se da di-
iheiro sobre penhores de ouro, prata e pedra;
.reciosas, seja qual for a quantia ; e na mesmf
asa se compra e vende objectos de ouro e prata
< igualmente se faz toda e qualquer obra de en
.omraenda, o todo e qualquer concert tendent.
i mesma arte.______________.
Aluga-se o Io andar do sobrado n. o da ra
Imperial : a tratar no andar torreo.
Precisa-e de urna ama cnzinheira para casa
de familia : a tratar na travessa do Queimado n.
18 B, hja de miurtezas.
9 -RA DA EMPERATRIZ 9
O uronrietario deste esiabi-leciraento acaba de receber um completo sortimen-
to de pianos do afamado fabricante Herz, entre os .iuaes tem alguns pianos de grande
formato e contem mais dehsete oitavos.
0 Drnprietartoudeste estabelecimenlo offerece ao publico maiores vantagens
que outro qualquer, fazem-se todas as qualidades do .-oncertos e aflnacoes segundo o
melhor systema com o unior esmero e promptid5o poss.vel.
S TINTA DE 2*
TINTURARA
O
' orrespnndencw de Portugal
Os Srs. que inda devem suas assignaturas de
um dous, h at 3 anno*, nao obstante a deligen-
ca'que *e ha fei'o para receber. queiram mandar
pagar no escriptorio de Tasso, Irmao & C. at o
fim do mez de Marci>, quando sera enviado so
editor da me-ma Wha orna lUta dos devedores
que nao o tenharo feito at aquella data.
Ama
Precisa-se de ama am? para^ casa de pou a fa-
milia : na ra das Crnzes n. 23.
Nao mais cabellos branco"s
A tintura japoneza para tingia os cabello?
da cabera e da barba, fei a nica admittid?
Exposicio Universal, por ter sido reco-
ohecida superior todas as preparares a
hoie existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a 1^1000 cada frasco na
Rna da Gada n. 51,
1. andar.
VEROADEIRO LE ROY
de IGMET
Ra do Selne,
Doeteur-Mderin
51. di PARS.
O Dr Luiz Jos Correia de S conti-
na no exercicio de sua profissao meJi-
ca, e reside ra da* Nymphat (Soledad
b. 17, onde poderi^er orocurade.
mnibus de Ca-
rt. f.ffrp.ft, m^iiili lflTH.il i Acadeata 4i Uedtciot, lia aula cobo m aeot outros producto
ttrikW. mfin ttUuotm, pie ptii fcdm roa criaUnoo
Ioktm N'iepeM mtm Tte* UMuetar vender Msot Collas
mmw tmu. En preTto#MftMlMPM l"tere de mu aikwi
^ ptrt eriur bltiCe^ta, nea exigir, fae bmm Oolusbs Ib
M)M vcadMot em cmcm oc tutbM M Mal eorredlu cobertM
aor 4 tkiaaui ca mtolu marea t fcbrita eBeerrano nm
mmimMtnm*ntm9,at#**rmwmmtiMl*p(m<>l*'***-
COII BOTEI, lw SMirtii. 2. Pim.
chaIfgra,
Para melhor commodidade dos passgeiro, de
hoja em diante o oranibua geminado Passagero,
partir para Cachang as-fTShras da tarde, e dt
maoliaa vira as 7 l[2 pan o Recife.
O pmprieUrio,
Antonie los Coelbo Carneira.
iM^^W^m Genoveva
Ra do iftospie 9* **
As aulas desie esnMeeimento idmittem tam-
bera estucantes exiera^e estaro completas des-
de o dia 3 da mar
Alem de nstrucf*? primaria cnsinase -as se-
guintes linguns:
Portngueza.
Latina.
Francoza.
logleza.
AtHhmeliea a gaomelria.
Geof raphia e bJst FhitobplAw-TlwWlca.
Em udi garran, ral, atre a roiha e o papel azul
^ie lia emeu ainele, um rotulo imprmo em ama-
rillo com Su* lariaiAt a eoTaaRo ra*acFi.
X. B. emel-
tendivtrumalitlra
d<- fio fiinoi o-
braParis.aceilavel
a 60 diai aomixlmoj^iia-se
do a!iDl;m~iiI.i f do
dCtCOBlO.
PIIiULES
PE VALLET

as ailaila 4e> VaJIet. approvadas pela
Academia imperial d medicina d Par,
sao empregadas com o maior
xito pan curar a chlorosjs,
e fbrtilrcar a* constituKea
iracas. Runca esto ferrugi- ____
noao annegrece oa dentos. ~~
Para a garantia da wa aothentiadade,
o nome do inventor val gravado em cada
pilula como a margem.
em Rio-JiMiao. IHaMadUlc; Ckenltl.
em Pr>Hco, Mmrer a C".
onot
I pul
5RA DAS FLORES-
O dono deste estabelecimento tinge, limpa e achamatbta com a maior
perfeicao possivel todo e qualquer objectode seda, la, algodao, em pe?as
ou em obras, chapeos de feltro, palba e manilha etc., tira mofo das faaen-
das e faz todo o mais concernente sua orofiss5o, tudo com brevtdadc, visto
como se acha prvido dos necessarios machinismos e petreclios.
Otto Schneider.
80FFRIMENT08 DESTOMAGO, COH8TIPACAO.-
Cur!^T pou d" pek. canwo de acLLOC em po ou em putilba.
Essaa aTccccs rao dis-
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS.
sfpadas rpida
ANFMI A PALLIDEZ e rfrimentosque necessitsmdo
J^M^umtn combados com c-n^hor^resu Itado
P^as pVlul*S OC VALLET. Cada Pflula tem mcravado o nomelillO.
PO DE ROG BmU diJFolv*r um fra9C0 dest*P* em l**io
arn^ d'agua para se'obtr urna limonada agradavel que purga aam ft-
rer clicas.
VINHO DE QUiNIUM ie Lat-raque. Esto vlrdio, um dos
doucos cuja coiFposico garantida constante, urna das melhores pre-
oaracoas a> quinao, sem aeclo nouwl sobre os eonvalescents, dando-
lbes forcas e apwssando i tota a saude. Curaaa febws aatigu q0 re-
sisti ao sulfato de quin.
"MOLESTIAS DA BEXIGA. mator parto destoa moa*
Lfi.como as sciaticas, lombagos, catarrea, a todas a doras nenaaa em
al SlO curadas pelas PEBOLAC OC EOBEHCIA OC THCTCO-ITTMIA do
rClSnTprote^rTtwsseauemsearralaaV.da *Z^"~
SuaVpar. sem> tomadas na oceasilo do jt, a daada4j
OLEO DE FIOADO DE BACALHAO DE BEffSt.-
Academia da medicina
AflSO Tods tttes medicamento ftrm wprmaiot pfl Ac+iem
imperial ie mef ie Parts.
Bafll. .
a farU,
Tala-r
H.9I
DBPOSlfij
t. ratBKB, : '
Hua.ua i Ifenumbuet.. aUtma et Cta.
1 n*m.....Btcaa t C"


Diario de Pernambuco Sexta feira 4 de Marqo de 1870.
AGIA NEGRA
Se
S3
BENTO MACHADO & C,
A. AGUIA NEGRA animada com o bom accolhimento que teve ein seas annun-
tos, vem novo participar a seas freguezes que. acaba de receber um variado sor-
mento de objectos de gosto os q&aes serao vendidos por precos moito razoaveis, pois
quando fez os seos pritneiros annacios, foi o que assegurou, e sem tnedo ae errar,
porque como j disse osla inleresses ligada a urna casa importadoradesta praca, e
por isso poder ter tudo especial e vender por precos admiraveis.Chama pois a anen-
fio de seos fregoezes para os arttgos possa descrever
Travessa do Corpo Santo n. 25.
Os acreditados cylindros americanos para padaria, por dous diferentes systemas.
Machinas para descarocar algodo pelos memores fabricantes de New York.
Machinas de vapor systema de locomoiiva e polias para as mesmas.
Carrinhos americanos para transportar volames em armazens. Tudo por pre
?os razoaveis.
TRMESSI DO CORPO SANTO M. 25
LOJA DAS MACHINAS
Livros com o lampo de marfim, madre-
oerola e tartaruga, proprios para missa.
Garafinhas vazias propinas para presentes
eousa de gosto.
Indispensaveis de palinha e de couro pro-
erios para senhoras e meninas trazer nos
bracos.
Binculos de madreperola, marm e tar-
taruga todos esmaltados.
Cintos largos de setim, cousa inteiramen-
nova.
Um variado sortiments .de charuteiras e
palliteiros de porcelana,
Tentos para voltarete.
Bengallas com marfim, cousa especial.
Sabonetes de alcatrSo.
Cofres de folhas para dinheiro.
Lindas caixas para costara. __
Um completo sortimento de luvas de pe-
lica,
TS ^ 'daS 1S *" *~ S^o de .* d.
Toacas, sapatinhos meias de seda e mais seda para vestido,
pertences para baptisados. Perfumaras de todos os autores os mais
Fitas com inscripcoes proprias para bou- acreditados em oxtractos, pomadas e leos
fuet de noiva, e finalmente outros muitos objectos que nao
Ricos vasos com p do arroz. possivel mencionar ; mas com a vista se
Um variado sortimente de jarros de por- certiflearao do sortimento deste estabele-
eelana. cimento.
Aguia Negra, ra do Cabug n. 8.
; liillIHBl MSSSflrWMB MBWMttg
a 2 a
-i =-. g w
s
Acabam de chegar grande quandade das verdadeiras machinas americanai
tara descarocar algod5o de todos os systemas e tamanhos seguintes:
12 serras 12 sorras
14 ditas 14 ditas
15 ditas 15 ditas
16 ditas 16 ditas
18 ditas 18 ditas
20 ditas 20 ditas
22 dttas 22 ditas
25 ditas 25 ditas
30 ditas 30 ditas
35 ditas 35 ditas
40 ditas 40 ditas
is qaaes se vendem por precos commodos e roga-se as pessoas que deilas fizeram en
ommendas de alguns tamanhos, obsequio de as mandirem busca-las o mais breve pos
livel afim de nao haverem faltas.
RA DA CAMA K 56 A
S
B
o f
O en
B 5
o
&3
O 05
O.
* O
t
O) rt>
?
&
os
n
o'
00
_ O
*V
b 2.3 g cr g
oS' -I
o.|a

a sr
sS.S
v O 5*
"S
x g B < a;*
"S c O a
a 5!
ce w
3
ce
S ^
e 2 2 o
- 2 3-
s a o n
c 2 w -
o 3 s. 2
Bu asi a>*s ,-,
S. O
:?sh
-> as 2. a as o
- b a g B
a w B M
5
-a g
P
* @
t
S
o
t
S
-B.ua da Imperatriz
F. Gautier, proprieferio deste importante estabelecimento tem a honra
de participar ao respeitavel publico que acaba de chegar da Europa para on-
de tinha ido especialmente para contratar peritos officiaes e que conseguio
contrata-Ios na primeira casa de Pars, por isto julga que todos flcarSo satis-
feitos dos trabalhos do seu estabelecimento enjo excellente material anda
foi augmentado com novas machinas que ja recebeu e tambenrmuitas drogas
novas com as quaes so obtem estas maravilhosas cores modernas to apreci-
das em Franca e em todo o mundo,
Tinge, lava, limpa, lustra, achamalota com a maior perfeigao fazendas
em pecas e em obras de todas as quaiidades como sejam: seda, 15a, algodSo,
linhas, chapeos de feltro e depalha etc., etc.
Tira nodoas e limpa secco sem molhar os tecidos, conservando assira
todo o brilho da fazenda.
Impressoes sobre tecidos
com este novo systema, os vestidos de seda e outras fazendas que at agora s
podiam tingir-se de cores lisas, podem receber um bonito desenho de c6r
diversa, a escolha, o que realca a fazenda e lhe d mais merecimento.
Tintura preta, tercas e sextas-feiras
As pessoas das provincias fimitrophes que quierem utilisarse do seu
estabelecimento podero mandar o que tiverem, na certeza de srem t5o bem
servidas como no Rio de Janeiro ou na Enropa, e com mais prestesa por
causa da distancia.
1W1WWISPI?
VERDADEIRAS
oeBUNCARD
COM IODURETO DO FERRO IRALTCftAVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Possuindo as propriedades do lodo et do rorro, eonvem especialmente as Arrcccois
BC10fItx)Sas, a Tsica no principio, fraquexadt temperamento t tambera nos casos de
Falta ck c6r, AKENOBRnEA.era que precisa reagi -^bre o sanoub seja para restituir
lhe a sua riqueza e abundancia normaes, ou para provocar regular o seu curso peridico.
H. B. O iednrelo d6 turro impuro on alterada id medicamento Infiel, >^/ {%
Irritante. Como prora de parezn de anthencidade das *t**m***Tma T\- fjfaj-m^t+ifl
Wae O MaMrd, Aen-n exigir noiM prt reaeUTB t^rtt^rg^C^
L nosio tma, aqni reprodniida, que m aeha na parte inferior de aa f |Jr >|
k'...............
domo Inte, aqui 'reproducida, que te arha na pi
r*tai verde. Dere-u desconfiar das faltiicacoi.
P\*rm*t*tiet>, r%m 1f arte, 40, fmri
Nod cosiuimmot proenrer etleslados p>ra acreditar
nos>os preparndos, e deixamos que sua applicacio e os
resullaaoi obtdos pelaspessoastjue se dignaramacceita-
los, Ibes deem crdito e voi;a ; porque ?Jo sempre oe
tttestados considerados gratnios, e dclles que lanca
mu o charlatanismo; mis ni qnerendo oflender as pes>
loas que espontneamente nosnflereceram.os que abano
fio transcripto, os fazemus publicar manifestando-Ibes
aossa gratidao pela silencio, esperando que venbam
elies corroborar o conceilo, e acceitafio que tem mere-
cido uossi' larope. Bartho'.omeo k C.
1TTCST1D09.
lms. Srs. Bartliolnmeo C com a mais subida
liiisfaco que declaro ser o xartpe Americano de urna
fficacia extraordinaria, pois que sctfrendo ha das de
ntcnsa tesse, i ponto de nao poder dormir a noite a
despeito mesmo e medicamentos que tomava, a elle
vecorri e na tereeira collier fui alliviado, e de toJo me
icho boje restabelecido com o uso somonte de qnasi
Beto frasco: grato pois i esse resultado manifest a
vv, Ss. men reconbecMBento. De Vv. -s. ami;:o. re-
aerador e obrigado. Manoel Antonio Viejal Jnior.
_-.;., | J,. |RCtS.
Baitheloaieo : de ereaaeUuro uso .'o xarope
Vegetal Americano, de sna composicio, qnando m
irhcva bastante doente de urna constiparlo, qne mi
tornon eompletanienie ronco e que trouxe urna foru
losse. e me impnssibilitnu de cuinprir os :ieus derere
de cantor di empresa lyrtca, lea agradecer-Ibes mer
compleio restabelecimcnio, que ebtrre com um s vidr
do mi'smo xarope, depois de haer recorrido a muitot
tratamentos. Desejarei que oatrns como eu recorra
ao sen xarope para se verem aliviados de to terrive
incnmmodn, tio fatal neste paix. Com malor conside-
ncJo contino t ser de Vt. Ss. atiento, venerador
obrigarto. Luiz Ciemona. Recite 25 de setembn
de (K68.
Illms Srs Barlholomeo C O xirope Vgtil Ame-
ricano que Vv. Ss. tm expnsto a venda e de toda effl-
caria para o curativo d'asihiua, canforme observei ap-
plirando-o a meu Hlbn Joaqnim. menor de quatri
atae; victima d'esse flagello. que al enttopor espac
excedente I dous mnns havia resistido a outros xarope
de grande nomenda. Oueiram |>o Vv. Ss. acceitar l
espresso altamente sincera de meu reconhecimenlo ai
aMritorie servic! que lhe prestaram com o indicad!
xarope, acreditndome para sempre de Vv. Ss. criada,
atiento obligado. Amerieo Nelto de Mcndoncs.
Reaf 2 de outubro de 186S.
A Y) Dr. ;osla Mntt dt; volta da .na va- g
X gem da Europa onde dedicou-se s mo
y& lestias de senhoras, a partos e al^-ccSes
de pelte, pode ser projurado cm sua caa "
ra da Imperatriz n. 9. Da consultas (S
das 10 horas ao meto da, sendo gratis X
para os pobres. # 1 r' n
____:**$ rSgWBft**
Preciosa ublicaijo
jurdica,
Commentario do Cdigo Commercial Porta
guez e Brasileiro.
Vende-se na loja da rna do Crespo n.
23 A esquina da do Queimado. a impor-
tante e moderna obra sob o titulo de a-
notages ao cdigo do cornnerch portuguti
em 6'vo.umes pelo Exm. Sr. conBelheiro
Dr. Dogo Pereira Forjaz de Sampaio Pi
mentel, lente cathedratico na unrversidade
de Cohnbra. Os subido crditos de que
goza muito merecidamente aquello eximio
commercialista por si s bastariam para re-
commeDdar t5o importante obra, quando
n3o concorresse mais para isso a grande
vantagem de ser um ptimo commentario
ao cdigo commercial brasileiro (na falta
absoluta que ha de qoa'quer outro) pelamo-
xima homogeneidad de entre muitas das
soas disposigSes, e as do mencionado cdi-
go portoguez, que lhe servio de texto.
Coirei pressurosos, dislincta moridade
do 4. anno da facoldade de Direito desta
cidade e notaveis jurisconsultos, a prover-
vos desse poderoso auxiliar pira vossos
trabalhos da sciencia, e pelo preco commodn
de 03. toda a obra em 6 vol._________
Sublime pabiIcacSo Iliteraria
sob o itulo de Slemorl do
Boiu olesiM do Honte, em
Braga.
Acha-ne venda na loja da ra do Cres-
po n. 25 A, esquina da do Queimado a pri-
morosa Memoria do Bom Jess do Monte em
Braga, ornada de gravuras finas, segunde
edico, obra da penna de ouro do mu Ilus-
trado lente da universidade de Coimbra, o
Exm. Sr. conselheiro Dr. Diogo Pereira
Forjaz de Sampaio Pimentel. Qucm tiver
noticia da extraordinaria devocao que exis-
te em Portugal para com aquella milagro-
ssima imagen), aflluindo sempre' para o
seu magestoso templo em roma ra o nume-
roso povo de todas as panes desse reino;
quem souber avahar as brilhantes desenp-
c5es, e o bello estudo daquelle consumma-
do jurisconsulto e eximo luterano portuguez
n5o dentara de procurar, quanto artes pro
ver-s de um exemplar da dita memoria,
pelo diminuto prego de 3#, na loja indica-
da, onde ha pequeo numero deltas.
Na mesma loja cima ha ontras estampa.
muito perfeitas e grandes do dito Senlior
Bom Jess de Braga, por prego com modo
muro
l*reeisa se para o RL> Grande .i > N'.>rlt um etn
forneiro, paga-so bum ordruado : a tratar no eaos
do Apollo, armazem de Jos puartc das Nev'
Na rna da Coa cisa de uma ama.___________
Y.fAUUB
CENTELIIAS
Versos patriticos ''dedicados a mumor.a
dos Pernambucanos moitos no Paraguay. -
Assi^nalura na litara franceza a
*&)' itS. O EN-EMfLAR
35RA ESTREITA DO ROSARIO-o i
Fornece-se comidas para Tora com asseio
e promptidio e manda se levar em ^sua3
casas na ra estreita do Rosario n. 35, ca-
sa particular confronta a casa do Darbeiro.
Na mesma ca.^a faz m se llores para er^-
l'eites de anjos para procissoes, sipos v
flores, rosas, capacetes enfeilados, e tods^
as flores de panno e papel para ornamen-
to de igrejas e andores ludo por barato
nrego, aoquets pata noivas com litas be:
dadas a ouro, bandejas de bellos finos com
arraacao para casamentos e bailes, pui;
pao de l eofeitado para presentes e tod i
a qualidade de doces de ovos tambem e -
feitados, vellas ricas para Iwpsados por
barato prego, bouquets de flores de cera
para t nfeites de to-llos, e para offertas.
Pa a lorfo Calvo
preeisa-se de um caixeiro que teuha alguma pr
tica de fazendas e molhados : atr. tar no esisrii v
torio de Joaquim Hodngues lavares de Me
largo do Corpo Santo n. 17, 1- andar.________
Ama
Na ra da Cadeia do Hecife d. -30, precisa-:'"
de uma ama para.cozinhar e engommar.
Precisa-se da tjuan'ia de 3:0000(K) a ;:r-
mio, dando se por g;rantia um bim sobrado
freguezia do Poco da Panella : qneai quizer oii
ja-sea ra Nova n. b^____________________
No segundo andar do obra!) n. 25 da riu
estreita do Rosario, preeua-so urna ana fon
ou escrava, paga se bcn).
COMPRAS.!
Compra-s
duas ou tres venezinas em segunda mao p<
que esteiam perl'cits: a ratar na oja da ra .'
n.45.____________
Casa terrea.
MARTIMOS
Compra-se uma casa terrea
da Madre de Deus n. 16, loja.
i tratar ua r ,
Compram-se moedas de ouro e pr;.u ae lo-
tos os valores, ouro e prata em obras inutilisada-,
.rilhanie e mais podras preciosas : na loja
tnrives do arco da ConceicK no Recite.______
E
COMTRAFOCO.
A Companhia Indemnisadora, estabelecids
testa praga, toma seguros martimos sobr
avios e seus carregamentos e contra fog
im edificios, mercadorias e mobilias: i
na do Viga^-ion. 4, pavimento ter eo.____
~- Em casa de THEODORO C1RIST1
iNSEN, ra da Cruz n. 18, encontram-s
iflectivamente todas as quaiidades de viub
lordearx. Bourt?otjne e do Rlie.no.
Do engeolT Serrii ha, freguezia de Seri-
nhaem, desappareceu o cscra^o Luiz, periencentc
ao lavrador Antonio da Rocha Vieira, representa
19 annos de idade, cirpo e altura regular, sem
barba, de ps malMIns ; desappareceu cm ti de
fevereiro prximo pasead : quem o pegar elevar
em dito engenho, ou ne>ta praca ra da Cruz D-
51, receber boa jrratinVacan. ___
O muzeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
pedras preciosas por pregos mais vantajosos o
me em nutra qualnuer i-arte.
hffl E flffl-1
vSgCKA0S
Compram-se c vendem se diariamente para fi?
j dentro da provincia escravos de todas as idadtis.
:ores e sexos, com tanto que sejam sadios: no
ereeiro andar do sobrado u. '><>, a ra (las Ci
Vegnezia de Santo Antonio^_________________
tom muito mawr vantagem coaipram-re
noedas de ouro e prata : na loja de joias do C
acaode Ouro u. 1). rna do Cabug. ___
Compra si Prrnamboc no i
das Cinco Pontas n. 88, garrafas et -
CiOO o ct't'i.____________________
Compra '.
e?tando em nerfeMo estado : quem l7t>r annnnc
ELEPHANTE COM BOTAS
GRANDE ARMAZEM DE PIANOS, MSICAS E INSTWJMENTOS
AJVTONIO JO
Fugio do engi-nh Bicbo-horaem, do termo
do Bonilo, no dia i8 de f.^ereiro prximo pasra-
do, o oseravo de nome Z icarias, cnm os stgnaes
seguintes : cor fula, narra bale, hteos gr
una pequea marca de bexiga no alto Jo nariz,
estatura biixa, cheio do corpo, ps gromos o mal
feiU'S, idide 16 a 18 anuos poueo mais ou menos,
levando vestido calca p .rila, camisa de algodo-
zinho chap" de uaeta pard". Julga-te o mes no
escravo ter fgido por seduecSode na hornera qne
diz ser inorad 'r no rn^enh Diamante, terina de Se
linhem, a que lia dese.oiilianca de seguir cjiu o
mesmo. Pede-so aos Srs. capitcs de campo c as
autoridades pociao?, a captura de dito escravo;
e o ievarem ao engfnhn cima, i>u cm casa do
Sr. Antonio Gonealves Ferreira Cselo no Recite
na rna da Cruz n. 30, que ser generosamente
recompensado.________1_______________
Fugio no dia 27 de fevereiro, a e-crava An-
tonia, prcla crioula, com idade de 30 a 40 annos,
disdentada, levou saia azul claro de cambraia e
capote branco dp cambraia, foi escrava de Ma-
noel Joaqnim Alves dos Sant-s, morador no Brejo
da Madre de Deus d'onde veio dita escrava para
ser vendida Beata praca por seu bastante procu-
rador, Manoel Antonio Teixira morador nesta
cidade ; rogase as autoridades policiaes e capi-
les de campo de a pegarem e lvala a seu se
nhor, na ra '!a Gan n. 7, armazem, que ser
recompensado do seu Irabalho..
MILIIO
V ude-.-o r.o lianiclic !' '
eos coro i 'ria e por
m nutra. ____
Cal nova do Isboa
dec irrea !a hoje do pal e'vj
loaqui n 9, ;. i 8, |
n cirn andar.
?*/? 15 por cetlo Et fimo dar lucem
29 -RA DO IMPERADO'.! 29
Bicns econniiucys, d boa Itrz, da cOO a UIO :
cada uio.____________________________
F.-rinh i de mun!ioci
de superior nualidade. o em aaccoi gratules :
le-se no armazem n. li da Compii)ba Peroam
cana, caes da assembla.
N. 11- RA iNVA-N. 11
Partecipa ao respeitavel publico desta cidade o das mais provincias visinhas,, que o seu grande e bem acreditado armaaem de nslruraenlos para musi-
4i, acaba-de iegar uro grande e explendido sortimento de

O que ha de mais moderno, de teclade fiio.e mobile, e com iransposico oo sem ella, de autores os mais acreditados -nesti cidade,f como sejam os
(amados e bem conhcidos pianos da fabrica do Sr,
AFFONSO BLQNDEL
r. Bn
A sociedade raac.-. sob o titulo Hestturacao
Pernambucana, tendo de mandar celebrar algu-
mas missas na igreja do convento do Carmo, le-
las 6 1|2 horas da manhaa do dia de satinado_5
do correte, por alma de seu presado ir.-. Joao
Antonio Daarte Jnior, fallecido em viagem para
a provincia do Ceara, convida a lodo; os mem-
bros da mesma sociedad'', aos angos o parentes
do Uado, para assistrem a este acto todo religio
so e de candado, polo que a estes muito agrade-
cer.
H.-. C-. Tavlur,
Secretario.
uma esorava parda de bonita figura o algunifr-
habilidades : na ra dasTrincheirasn. 50. ___
Venderse tres paites do sitio da Por
ta d'Agua du Monlciro para Apipuc s c
casa de vivenda, grande baixa do cap*tr.
olaria, quartos para escravos e feilor, co-
cheira, estribara e mais duas casas para
alugar pata a fcslaj Iratarfino mesmos.
lio,
leParis, de ouem o annuaciant o nico agente nesta eidade, como prora cora, o documento abaixo transcripto e assignado pelo dito Sr. Broadel. Estes pianos, hbri-
i^MD^aeote Dan o cuma deste naiz sao os nicos que: offerecem. orna garaotia segura de sua duracio. Ellos sao aqu bastante conhecidos desde 1844, para que
%T^^^^^^^kLT i^^ is SSo muito Cauta^s e melodiosas. >a possuem na teclafp que se presta a todos os caprichos do
nobores pianistas. _^ ^ ^^ ^ coaiprarem pianos mu casa, to rosadas a exigirem o cebado de origem assignado pelo Sr. Monde!, aura de provar a sua
itencidade do nnmero de piano com o de certificado. .
^ AO PUBLICO ld
ttdo por mira. Paris> 24 de julho de lW.(Aaaaijrnado) 4lpkBe Bidel.
O awucian.e tambem trota e alga pianos. E tem o maior e mais explendido sorttmentof ele no\as
:HJBICAB PARA PIAMOS 1
na* recebo directanMe-a popa e,d Rio shmffMflpniV tyP&WM,n& f m' >"ftJS0 Afilhup1 NPleJ> c'
___ r______ __ 'tfSrtimeQto de palera K e desatt ; opr?^ para todos fetoMOios, rim gra{l quadrosopara ornamentos desalas, oleados para
Sfltd JEi dolados, qaSUdos o-rM.,^ittBbar -e-foBtm cora msicas e em eHa^MTf viagpV,wto|.i apartador, vidroa para
Z ZerSdMTtafiaoEa. tSEfia. 13as e guipan boggMfos outros argos que. o respeitavel publ
SSotodM os "ai ate s 9 loras da noile am dn t W^m rr apreciar 03 mi pisn.^s.
D. Hara Wanderlev da Fontoora Biaga, vuna
de Manoel Bento de Olivtira Braga, convida aos
seus parentes e ana amigos do fallecido seu ma-
rido para as-istirem moa missa fnebre,, que,
pelo repouzo eterno de sua alma, manta ceMira*
na segunda-feira 7 do correte as 7 horas da rna-
nbaa na igreja do Divino Espirito Sanio, e-desde
j se mostra a todos agradecida por este acto de
reliaiao e raridade. ____________;
Pru-isase saber a quem pertence vinte e
cinco eaixas com papel viudas *jTriedro na bar-
ca fngleza Mnry Cook com a marea S. XX. M. o
J. T. W. 4 C. no eseriptorio d riatnrjrjs Ao>tin
* C : i rna do Trapiche n. 36.
enc^Trar smpr? ?s#| ajinazem, o qual estar
O Dr. J. S. R( herto, medico hornela-
| ha, reside oo f audar da ,caa n, 32 da
m Praca da Bao-vista, onda o podem consol-
tar. on mandar oharqar, todos ae-pearoas, a
9 que o borarrm ron a na 'fonfanea.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joao
(Je Nic he oy.
nico deposito em Pernambuco caes da alian-
dega vol lia n. i, l' anda.______________
Sementes
De h i'idlicas novas 6 iRg a lid reis a libr;.
no Bausa, na do tivramento n. 8.
Estampihas.
S'enilo-setia ma da Cruz o 8. 1 andar.
Vende-se urna escrav preta, de idatle t(>
annos. propna para mucama : na ra Din i'
3, % andar.' _________________________
Vende-se uma mdbilia de jacaranl Lu/.
XV novinba em folha, e cuiladosamenio ompr-
pellada : tratar na ra das Cinco Pontas n. ii
Ve ule--e uma taberna no pateo de S. Jos
n. 51, bem afregueztda para torra com uoue.:
fundos : tratar na mesma. ____________
~~ ATTEMO
Vende se a leja de calcado sita a.ra Diro
ta n. 45, a qual est iiem afregaesada Unjo ,
para olnatto e
ma que achara
i para nu


Diario de Femain^uco Sexta feifa 4 de Maxcto de 1370.
1
il .1111.
IjOJA~
A RIJA BA IMPER1TRIZ ff
Esquina da ra da Aurora, em frente do caf Imperatriz.
N'este novo su.iaptuoso estabeleciraeolo de fazeadas encontrarn as Eamas.
as lutl > quantopossam desejar, tanto em argos do mais risoroso luxo, como em todas
i, mais qualidades do fazendas,
Al de se acharem prvidos do que de melhor se encontra oeste mercado,
.- todos os paquetes da Europa, recebem directamente o que era artigos de moda e
i:i mais apurado gosto se encontra em Pars, o que vem cada dia augmentar s prepor-
es de que dispoe este estabelecimento para bem serv
para bem servir sua numerosa freguezia.
s
Mgodjto Jarea para, lonces e toalhas de
'...las as qa|id?pBs que costoaia vir ao mer-
cado, f
Alpacas d2 todos os padrSes e qualida-
des tSo variadas que se nao podem descrever.
Albuns com msicas para collocarretratos,
delicado presente para qualquer pessoa de
esima.
Atoalbado de lioho e algodo, branco e
i alcores proprios para toalhas.
Bas minas de seda pretas e muito moder-
nas, bem como de crochet, lulo de apurado
eosto.e feitio.
BalSes de rausselina, madapolSo, brancos
e de cores, para senhora e meninas,
Bareges de cores variado sortimento.
Babarqhos ou tiras bordadas em todas as
larguras.
Belbutma do todas as cores.
Bolsas de tapete para viagers, grande
idade de tamanhos e gestos.
Bombazina pela de todas as qualidades.
Bramante de tinho de 11 palmos de lar-
gura, e todas as mais qualidades.
Bretanhas de linbo e algodSo, grande sor-
timento.
Brins de linbo branco e de cores, do mais
commudo ao mais caro em qualidade, alfian-
Cando o que ha de melhor na especie.
Brins d'algodao completo sortimento e
dade de pre;os.
ca
Cassas de cores, o maior sortimento, pri-
mando pelo bom gosto e barateza, atientas
as qualidades.
Ga nbiaias brancas, tapadas, e transparen-
tes de todas as qualidades e presos.
Camisinhas de cambraia de linho e cassa
ladas ricamente enfeitados para Sras.
Camisas para horrens e meninos, to va-
iado soi tmenlo que vai do mais ordinario
madapolto ao mais perfeito bardado de li-
:o e cambraia.
Camisas de meia, de flanella, brancas e
le cores |>ara horaem.
Casemiras pretas e de cores, o melhor
jue se pode imaginar, sendo d'isso a me-
nor prova o grande consommo dellas na
ilDcina da f asa.
Capellas de flores, para noivas e bailes,
desde a mais candida flor de larangeira at
i mais interessante gr'malda.
Chaperinhas no melhor gosto, de todas as
sores boje preferidas pelas senhoras de
aiais apurado rigor na moda.
Chapeos pretos de velludo, para senhoras,
altinro gosto de Paris.
Chapeos de sol, para s nho'ras e horneas,
todos os pre;os e variados gostos.
Chaly com ricos padres, para vestidos,
ales de todas as qualidades, avultadu
inmero c nao menos variedade degost<-s,
Chitas, impossivel descrever o sortimen-
to e ide de padres e novos gostos,
lia ueste a; ligo tudo quanto se pode desejar.
Gintot para senhoras o que se pode ima-
de melhor'.
Coq es, o melhor no gosto e nos enei-
rarios lmannos.
le seda com borlas, o mais apu-
lavoi".
Ditas de rostid branco e de cores por
os commodos.
le cambraia, ricamente borda-
dos para enteras.
Co de cambraia bordados e 'le
fie melhor le pode desejar.
C le linho bordados e lisos, o
maior sortimaoto.
Damasco de lia de U palmosjdc largara
[indas cfres e ricos padres.
sai
Esnarlilhos brancos e de cores, para se-
ahoras* raninas, o melhor neste genero ;
ima Sra. deixar por certo de muir
se de tao precioso auxiliar perfeiro de
um corpo delicado.
En' ; bordados.
omilba prt-ta.
Enfeites para cabera, ultima moda de
Paris, recebida no ultimo paquete.
Esguio de linho, completo sortimento de
todos os nmeros.
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
dade de gostos e lindos padres,
Fi :hs de crochet, modernos com cintos
o capas, o que ha de melhor.
Fil de seda, linho e algodo, de todos
03 gostos e padres.
Fusto de todas as cores e qualidades
rande sortimento.
Flanella branca e de cores.
Flores, o que ha de mais rico, quer
solas, qner em ramos, tera oPAVILHa
DA AURORA um permanente jardim a
posicjto] das Exmas. familias.
esa-
Gase com listras de suda e flores, fazen-
da inteiramente nova para vestidos de-baile.
Grvalas para senhoras e homens, o mais
completo sortimento quo se pode desejar.
Guipure preto e branco, diversas largu-
ras e differentes gostos.
Gollas e ptanos bordados para senhoras.
Guardanapos de linho pequeos.e gran-
des.
GorgorJo de seda preto e de cores.
Grosdenaples preto e de cores, haven-
do diversas qualidades e gostos.
<*
Japonezes para senhoras, o melbor gos-
to, e fazenda propria para as festas nos ar
rabaldes e passeios a larde.
DO
Lazinhas de todas as finalidades, ores
e gostos, nao cando nada a desejar, tal
o sortimento que existo para escolher.
Lencos, tudo quanlo pode baver desde
esguio ae algodo coininum.
Lequesdemadreperolae osso,. ornis va-
riado sortimento.
Ligas d seda, bordadas, pana senhora.
Luvas de Jouvin, chegadas por todosos va-
pores, sempre novo sortimento, quer em
pellica para homens e senhoras, quer em fio
d'Escocia, brancas e de cores.
Madapolo; indesc iptivel o grande sor-
timento que ha neste genero, desde o mais
elevado prego ao menor, que s vendo em
pega e retalho por menos do que em ou-
tra qualquer parte.
Mantas de blonde para noivas : o apurado
gosto dos nossos correspondentes em Paris
habilita-nos a dizer que temos em nosso
estabelecimento o que de melhor se deso-
ja para vestir e ornar orna noiva.
Mantas pretas de blond.
Mantas para carros, com lindas pintaras.
Merinos pretos, trancados e lisos.
Musselina branca e de cores, lindos e va-
riados padres.
Pannos pretos e de cores, desde o mais
barato ao mais superior, por prego muito
commodo.
Pannos de crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de casemira muito finos para
mesa.
Peitos bordados de linho, lisos e de al-
godo para camisa.
Princetas pretas e de cores.
Popelina do seda e linbo, com listras e
flores; fazenda ndissima.
Pelherinas para senhoras, do ultimo
gost.
Perfumaras ; os mais finos extractos o
que de melhor e mais agradavel so pode
encontrar neste genero, e de mais fragante
e suave no olphato, tem o PVILHO DA
AURORA, desde a verdadeira agua Flori-
da at o mais fino Bouqnel d'Amour, final-
mente tudo quanto deve oceupar o touca-
dor de urna senhora do gosto.
Saias bordadas, brancas, lisas e de cores
com folhos e sem elles, o melbor possivel,
Sabidas de baile, de todas as cores.
Sedas pretas, de quadros, lavradas, lisas,
de listras de todas as cores e qualidades c
o mais barato possivel.
Sanrelim de todas as cores c qualidades.
O
Tapetes grandes, lindas pinturas para 8
cadeiras, mais pequeos e de todos os ta
manhos desejaveis, e em peca para co-
\ ados.
Toalhas de labyrintho, do maior e mais
lino trabalho ao" mais barato.
Toalhas de linbo e algodo de todos os
tamanhos, lisas e felpudas.
Tarlatana branca com palmas e de cores,
fasenda muito nova, e gostos delicados pro-
pria para baile.
GALLO VIG!
R
Otnropri
cimento, armriof'fliui
postos a apreciacao do respeilavet .
daram vir e acabam de roceber pelo ultimo vapor
da Europa um complot e vanado seTtimento de
finas e mu delicadas especialidades, aa quaes es-
to resolvidos a vender, como de seu cottutne,
por preoos muito bartanos e commodos para to-
do?, com tanto que o Gallo....
Muito superiores lavas de. pellica, pretas, brau-
cas e de mu lindas corea.
Mu boas e bonitas gollnhas e punhos para se- barato,
nhora, nena genero o que ha de mais moderno. Cr
StoperonM.j>en*5i da unaninr jtarageiau. '>uma- So,toento ^ seroulas francftz^.de algodo, de linbo e bramante a U e 2,M)0.
Lindos erriquiaBos B*2ii9,f&ra cal3;as da.i Grivatas (mantas) novissiao gosto a t(jdos os precos. Meias sortimento completo a 3 mas. *Bb*rasV ^atUpU dnzia.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-1 nniTD4o dad i ucumiAc
Ihos e sem ees; est ramda-fl que podo haver ,,, on KULPAS PARA MENINOS. ..*...
de roeliiar etn iwnri. Lncarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto fara bjptteiQ,'OOrQp
8nperirea bavtoa leques.. de ma^eperoia,. paw meniaos, e coiArovidade, por isso que tem um bonita surtimeato de fcjendae de
nparflm, samlilo e oo, tdndo aqneiioe heancos Itodas- as qu^dadeatanto em casemiras como brins, pannos finos e outras muitas fa-
comlindos dfsenh05,e-esfesT>feto9f zondas. M.: c
Muito superioresJfteias fio de Escossia para se-' ____ ______ nwrx
Bramante de 11 palmos de largura a 1#S00 o metro.
CaBihraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 040 rs. o covado.
le-cbvre com lista de seda fasenda de gosto a 10200.
Basquines. de guipare enfeitadas a 18-5000.
Sortimeato de chitas esou-aa e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapofo fino a 6$500, 70, 80 e 90000.
Algodo peca com 20 jardas a 40500, 50500 e 60000.
Pe?a da algodo largo a 70500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencteoar Cheguem roupa
feita quefse est liquidando na_ loja ra da Imperatriz n. 5 (jnnto i loja de ourives) do
TTKCltt U Llil
tende arnaieo de faienas e roupas reto i na 4a Iwfmkn
n. 3i pw^ia larga, de Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeltavel publico um bonito sortimiate
ce roupas de todas as quajidades, palitots de alpaca a 30, 30500 at 60. Ditos de
jnwins dito* de casemira de cores bonitos gostos a 50, 6, 80 e 100, de panno preto;}
sacos o sobrecasatos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e do cores do 30500 a 50000. Calcas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas do casemj
de cor e preta de 40, 50, 60 a 150. Colletes de todas as qaahdades o pCO vbmUs
Completo sortimento de camisas francezas le algodo e de linho de*f> att 59
Noto e varldB
nhoras, as qnaes sempre se Tenderam por SOjO
a duzia, enlretanl que nos a veBdemosl^irtOa, I
alm destas, temos tambem grande sortimento de i
outras qualidades, entra ai quaes algunias
finas.
Boas bengalas te- snpirtof'Mina da^fedia ef
castlo d marflm com Hmias e eneantadorai figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor i
podo desejar ; alm iJesta temos tambem grandi
i- quantidade de outras qualidades, como sejam, ma
- deira, baleia, osso, borradla, eje. etc. etc.
Vistuarios bordados de fusto brancos e
de cores para meninos, do cambraia para
baplisados, o que de melbor tera vindo a
este mercado.
Vestidos de la escuceza de 2 saias,
novidade pelo padro, gosto e forma; ditos
de linho cora barras de cores, e de cam-
braia de cores cora 2 saias, tudo inteira
novidade, trazem os modellos juntos para
mostrar a forma de os fazer.
Veos de blond para noivas e pretos para
luto.
Vestidos de blond para noivas: podemos
| asseverar as nossas Exmas. freguezas, que
somos os nicos em Pernambnco que pode-
' mos offerecer ao Ilustrado publico, o mais
apuradogosto em semHhante materia, gra-
bas ao bom gosto do nosso fornecedor em
Paris, podemos garantir que ninguem neste
genero o possue melhor, nem mais em
conta.
E' dispondo d to grande e varia lo >ortimento que os proprietarios do PA-
A AURORA se apresentam ao publico declarando dosde j que a sincerida-
de e o bom gostoo movel nico de seus negocios.
Prvidos de todo e promptos sempre a prover-se do quo por ventura Ihe
seja neceaaarQi os proprietarios deste sumptuoso estabelecimento recommendam-se
sem recelo de seren contradielos e protestara esforcar-se por continuar a merecer
orotec3n que se Ihes tem dispensado ; certos de que do sea estabelecimento n3o sahira
o fre?'.iez descontente.
Contina sempre a officina de alfaiate dirigida por um dos mais habis artis-
tas, pri-mpto executar com promptido e bom gosto qualquer trabalho que lhe seja
confiado. Urna modista especialmente oceupada nos trabamos do PAVILIIAO D V AU-
RORA, d:rig os que lhe $5o concernentes, garante porseu apuradogosto epromptido
e a mais completa perfeico nos seus trabalhos.
A numerosa freguezia que nos honra urna prova de que merecemos o con-
ceito iispensa ao nosso estabeJecimento, conceito que procuraremos firmar cada
vez mais. Para facilitar ainda a concecuco do fim que nos propomos, temos no nosso
"stabelecimeato os ltimos figulinos do Paris. que recebemos por todos os paquetes, os
jaaes envidramos para serem vistos as familias nossas freguezas, afim de escolherem,
com o padro.da fazenda o gosto ni forma.
Na officina de alfaiate, junto ao eUraelecanento, ha igualmente os Agarraos
para ue por todos os vapores se recebem.
o modo porque nos apreseatamos pedindo a proteccao do Ilustrado
publico c i'undo respefw convidamos s excellentissimas Sras. a visi-
iarem o n ^to, certas de enc-jntrarem nelle pelo menor prego possive-
tudo pa podara desejar.
Mandaremos caixeiros levar as fazendas e amostras onde forem pedidas, visto
nao ? especificar todo quanto temos.
Joo lMiz$5obrtnho & C.
Aberto das 6 s ,9 horas da noite.
Finos, bonitos e airosos ehieotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda c borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas,* de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por uosta vez tam-
bem asseguramss sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capel las'para noiva
Superiores agathas para maeiiina e para crta.
Linba multo boa de-peso, froim, para eneber
labyrintho.
Bons baralh'of de cartas para voltarcte, asm
como os tentos par^ o-joesmo fteu
Grande e Tariado sortimento das melberee par-
fumarias e dos menifts e nuis conheqidoi per-
fumista.:.
COLARES DE ROER.
Elctrico? magnticos contra as convulsoes, e
facilitam a ftnKfao das innocente* criacas. So-
mos desde muito recebedres dettts jarodigiog?
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nanea faltem no mercado,
tomo j tem acontecido.assim pois poderao aquel-
es que deltes precisaren, fir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encentrarao destes verda-
deiros collares^.e os quaes attendendo'se ao fim
para que sao applicados, se renderao com ttm mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virera
comprar por procos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespa n. 7.
LEAO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
A VERDADE
55Ruado Queimado5
A VERDADE tendo em deposito grande
quantidade demiudezase perfumarias, edf
sejando apurar dinheiro e adquerir boa fre
guezia est rssolvida a vender muitissiin
barato, ; por essa razao convida ao respe.-
tavel publico a vir competentemente mun
do a sortir-se do bom e barato. Pois quar>
do a Verdaiic apparece, tudo mais des
apparece-----
Grande sortimento de bonecos de cera I
massa as mais lindas possi veis vestidas a es
racter.
Abotoaduras moderuas para col-
letea ....... 32-
Espelhos donrados pepnenos. 26<
Agulhas de osso para crox a 201
Pentes para regaco com esntas a 32
Ricos globos para candieiro de gaz a 108G
Cbamins a....... 32<
Grande sortimento de objetos de
louca para brinquedo de menino CC
Garrafa com tinta a..... 80<
Dita com agua florida verdadeira a 4$3(X
Dita com dita dita a t-j"1
Frasco com oleo de babosa a 500 e 72(
Di lo com agua de Colonia a 300 e 50(
Gairafa com agua divina a. 1#>0<
Frasco com extractos finos a 10OGV
Latas pequeas com banha muito
fina a 120 e...... 16<
Sabonetes de diversas qualidades a
80,160,2406...... 32<
Finas escovas para dentes de 120 a 601
Lmdos coques moderaos a. 200<
Pavios para gaz, duzia a 240 e 3"2<
Escovas para facto a 500, 600 e 70(
Ditas para cabeHo a..... 50<
Peotes para tirar piolho a 160 e. 24(
Brincos de cores, bonitos a 160 e 20(
Pecas de tranca de la com 8.
varas por....... 8(
Oleo para machina de costura,
frasco a........ 60
Pennas d'aco finas caixas a 800 e li500<
Dita d'aco Perry, caixa a. li$40(
Gal5o de algodo pe?a .... 4(K
Lindos babadinhos e entremeios
pe?a de 500 a...... itf50t
Ditos de louca muito fino a 120 e 20t
Ditos para calca a 160 e. 24(
Caixa com papel amizade a. 7(X
Ditas com envelopes a. 48(
Ditas com obreias a...... 4(
Caixa com agulhas fundo donrado 28<
Ditas de ditas ditas a..... 16t
Thesoura para costura a 240 e 50(
Caixa com linba de marca a 28(
Linba de cores em novellos (li-
bra) a........ 50(
Carreteis de lmha Alexandre de 70
at 200. ,..... 10(
Grampos muito finos com passa-
ros, duzia a...... 20(
Cartas portuguezas, duzia a 10401
Ditas francezas a 20200 e 30001
Papel almaco e de peso, resma a
30400, 30500 e 40501
L5a muito fina para bordar, libra 605O(
Fita de algodo para debrum de
sapatos, pe?a a *'' 16(
Ditas de la para debrum de ves-
tido, peca a...... 48t
Pentes finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240, 320 e......
Ditos para aparar penna a 10(
Rosetas pretas, par a ... 10(
Tranca de la decaracol peca a 40 e 10(
Fita de coz peca a 480 e 561
Alfinetes de lato a..... 10.
Sapatos de la para enanca a 400e 80(
Gravata de sedas de corea a 2CK
Calcadeiras a....... 9
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par o suspensorio de borracha poi
lOOris!!!!!!!
Na TerdMto Irmtde 4|eiM
Mikroskope achroma-10Vo^f.
tisehen. ObjetivLin-* ,tf nT^
sen. **fcHkJV
Barmetro e termos
metro. Centigrade
e reuumeure.
E crystal de rocha do Brasil.
V. !. Cierinaan, rt-commenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa
dos; porque, com estefi vidros, a vista descansa, fortifica-se e nao a canea como com
os vidros ordinarios. Urna vez escoltado um vidro, pode durar dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystaiino do lho o determina quasi sempre do-
res de cabeca. O alcance ordinario da vista perto do 30 centmetros do olho, e,
todas as vezes que o objecto est mais perto ou mais longe, os raios que expolie sao
mui convergentes ou bu divergentes e a viso nao perfeita. Um grande numero de
pessoas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a viso nao distincta.
Com aapplioago de meus vidros pde-se ven -,er estas dilficuldades. Para os que tem
a vista cuita e cujo crystaiino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
longe), o que se chama myope, por meio de um vidro concavo affasta-se o ponto da
vista, o que faz divergir os objectos e deixa ver to longe como as outras vistas. Quan-
do o crystaiino muito chato, o que suc-ede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se chama presbyta, vem ratdior de longe que de perto, e nao enxergam seno
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergaro
to distinctamente como na idade d, 15 annos. Servindo-se destes vidros quando e
vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
F. t. Ciermansa encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a e s
colher, a primeira vista, seja qual for a idade e grao de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Para a vista myope, (vista curta). Para a vista que nao supporla os raios
Para vista que se cobre de nuvens. solares nem grande claridade.
i Para a vista que por momentos, v es- _.. ?.,
voacar pequeos pontos negros. Para a V1f Perada "1?!*** or
Para a vista qSe as palpebras treraem Parta vista que aspalpebras esto cer
defraqueza.- cadas de saugue.
Para a vista que os olbos sao desiguaes. Para a vista que um dos olhos myop
Para a vista que se tuna com o traba- e oulro presbyto.
!ho e a leilura. Para evitar finalmente que o crystaiino
Para a vista presbyta (vistagalon ). dn olho se cobra de catarata.
Sortimento de binculos
para theatro, e oculos de
alcance para o campo e ma-
rraba.
fes--,
Lunetas, pince-nez e
face--mara, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sortimento de relogios para parede, que do horas e para
cima de meaa dos mais lindos modelo Relogios para, algibeira, de ouro, prata, prata
dourada ef oleada, inglezes, suissos e orisontaes dos melhores e mais afamados fabri-
cantes. *"
Vendas en grosso e a retalho. Em Pernambnco.
, N.21=Rua Nova. 21.
* PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
PHARMACBT1C0, J, W DES UOKS-SAUT-MUL, PARS.
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
Oni IM0BETO de POTAgSIO
O Marti* de potuaio nm verddeiro alterante, ara depurador de neontetUVel efB-
eu; combinad coa o xarope de casca d taran) marga*, tarado
aartarbaolo algalia peloi temperamentos os mais traeos, sem alterar aa mneooes
o sstasnago. As doses mathematicas que elle conten pemittem aos mdicos de receital-e
P*n todaa u complcac5e* as affecces escrofolosaa, tuberculoaaa, oanoe-
roaaa noa aooidentea intermltttntes e teroeiroa; Um d'isso, 4
fata mais poderoso contra as doengaa rheumatioaa.
XAROPE TOWCO ANTI-NERVOSO
* aaoMa Ismnjaa uiarfu.
SI annos de saaeetio Htestio a sua effl-
eaeia para curar: ai domfat nervosas,
fudas ou rkronieas, as fastriles, onUrat-
P\ facilitar a digtstOo.
XAROPE FERRUGINOSO
*eeaal*aa|aaaaeasaBai>aa
E' sob a.ormi liquida que maja rarjbeaa
te se assjmila o ferro; n'esta forma prefe-
rivel as pilulasepastilhasea todosos casos
em que alo prescriptos os ferra|inoaos.
DENTIFRICIOS LAROZE
COM QOIRA, PTRETHRO B QAIACO
AWMUTtM*,para a alturaeeon- l IniaRI li.eom basado mapnmi*
aanacao dos dentes, cunado aa dores I para a airara e eonservaclo dos dentes,
aa, AktaMi aaaialiiii.a.liiHuH m ta.....AfUMWlW iiHiiil,
3ccwr Cun a, *
:o de perfumara
>s.
^tWaMWIlHPiBwlRiento deperfe
arias, de que effectivaraente eatl provida
loja 4HUq> Providente, ella acaba d
receber mn oafcjartinieno qrto se torna
aotavi | ; JBMecb> superiori
dada, qualidades e cummodidades de prav
?os; assim,pQis4oGads*roPresidente ped*
a espira coaataa a merecer a apreciabas)
do respailare! publico em geral e de sw
boa frefnezia em particular, nao se afa
taada-elle de sua bem conheeda mansidl
e barateza. Em dita loja encontrarlo t
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray Eamman.
Dita de Gologne iigleza, americana, fraa
caza, todaa ios meftbies e mais acreditado*
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e'vilele para toilet.
Eliiir odontalgico para conservaci d
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e ebe*
roa agradaveis.
Copes e latas, maiores e menores coa
pomada una para cabello.
Fraseos com dita japoneza, transparenu
outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
franceses era frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel cha
o de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidad
com escomidos ebeiros, em frascos d difie
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menor*
para m5os.
Ditos transparentes, redondos e em fign
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba
Caixinhas com bonitos sabonetes imitand
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo i
oas perfumaras, muito propriai para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, taa
bem de perfumarias finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, a dt
moldes novos e elegantes, com p de irro
e boneca.
Opiata'ingleza e francezapara dentes.
Pos da camphora e outras differtat*
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Ainda mais coques.
Um outro sortimento de coques da na
vos e bonitos moldes com filets de vidrilbo
e alguns d'elles ornados de flores e -fit&
esto todos expostos apreciado de qoea
os pretenda comprar.
GOLLNHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeic.3o.
Fivelias e filas para ceseos.
Bello e variado sortimento de taes obja*
los, ficando a boa escolha ao gosto do ce*
prador.
RAP POPUIj fcfi
DA
FABRIf A NACIONAL DA BAflli
DE
Teixeira Uldurtco C.
Acha-se venda este ptimo rap, rmico qa
pdc suppnr falta do princeza de Lisboa, por se
de mui agradavel perfume, viajado, e a proco *
mais mdico possivel; e por isso tem sido asss
acolhido as pravas da Baha, do Rio de Janeiro
em outras do imperio : no escriptorio de Joaqui
Jos Goncalves Beltfao, roa do Commerto na-
mero 17.
TASSOIRMASaC.
Vendem em seus armazens, do eaes do Apoite
n. 7, E-oadinha n. lo ra do Amorta n; 37, o
seguintes gneros :
Ai; i de Miln.
Milho em ?accas grandes.
Fareilo em saccas de 90 libras.
Chumbo de municao sonido.
Metal amarello para forro de navios.^
Machinas para descarorar algodo de 14, 16 e 11
serras.
Kerosene em latas de 5 galoes.
Champape do afamado fabricante Krng.
Hormouth.
Vinho do Porto engarrafado.
Coac do afamado fabricante Gautier Frres.
Fogo da China, caixinhas, 40 carian, 1. Extra.
Genebra ingleza Od tom
Cimento Romano.
Cimento Hidrulico.
Cimento Portland.
Gesfo para estuques.
Cannos de barro para esgotos.
Gradeamentos de ferro para jardins, calcadas etc.
Carros de mao para servicos de armazens.
Garrafues com 3 galoes de vinagre tinto.
dem com 3 galoes de vinagre tinto.
Chumbo em barra. _______
Po tantneos.
Heitor & Sampayo.
Rea Nava n. 38.
Os annuciantes acabam de preparar algn?
pocos tubulares instantneos, mais aperfeicoados
do que os vindos de fra do paiz, os quaes ven-
dem por preco muito mais coramodo, encarregan-
do-se do seu assentamento at funecionar. Um
dos melhoramentos feitos poder servir qualquer
bomba. As pessoas que quizerem comprar um
ou mais desses tubos devem dirigirse a officina
dos annuciantes : ra Nova n. 38.
Vende se um engenho d'agna distante desta
prara tres legoas, moente e correnle, com urna
safra fundada para mais de dous mil pies, bras
vaneas frescas e de muita produccao, e outras
muitas proporcop?, que se mostrar" ao compra-
dor : os pretendentes dirijara-se ao bairro do
Recite entender-se com o Exm. Sr. baro da So-
ledade.
CADET
CU RA
em TRES DAS
[W&BfDenaiii7]

.W *



Diario de Pernambaco Sexta eira 4 de Marqo de 1870.

\
DE
baratas, na loja e armazem
paao
^ DE
FLIX PEREIHA DA SIIiVA.
Ra da Imperatriz 11. 60.
O proprietario deste grande estabeJecimenlo, tendo dado balanco no fim do
anno, camo de costme e vendo qtm tinli um grande depositle fazendas, e juntan-
,l?lf^oufras mu,,aif(iae Iho em cliegado este anno, tero resolvido fazer urna I.I-
Svmm? Pr preC0S mmt0 m3is baratos com fim de diminuir a qaanffiadc c apurar
O respeitavel publico cncontra neste estabelecimento, nao so um grande sor-
timento do mais apurado gosto e luxo, assim como todas as fazendas de primeira ne-
:essrd.ide, c do todas se dio as amostras com penhor: as pessoas que negcciam em pe-
quea escalla, nesta casa podem soilir-se de um ludo, vendendo-se-lhes pelos mesmos
presos das casas inglezas.
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sordo das melbores roupas,
ando calcas palitts e coletes ds casemira,
4e panno, de brim, de alpaca, e de todas
u mais fazendas que os compradores pos-
um desejar, assim como na mesma loja
'.em um bello sortimento de pasos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, cora a niaior promp-
do vontade do freguez, e nao sendo
obligados a acceita-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
s'estn vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
omisas francezas e inglezas, ceroulas de
inho e algodo e outros muitos artigos
proprios para bomons o sennoras promet-
endo-se-lne vender mais barato do que em
utra qualquer parte. Na roa da Impera-
triz n. 60, loja o armazem de Flix Perei-
a da Silva.
Pechincha a 2<$000
Para lenqes.
Na loja do Pavao vende-so superior bramante
rom 1Q palmos de largura, dando a largura o com-
" lencl, sendo apenas preciso, para
ft6 ^UtlMAU1*
Crochs para cadeiras e sofs
O Pavao tem um grande sortimento dos
mais bonitos crochs proprios para cadei-
ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
como proprios para cobrir presentes, o ven-
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte,
ALGODO ENFESTADO
Vende-se urna grande porcSo de algodo-
sinho americano com 8 palmos de largura
proprio para lences e toalhas tendo lisoe
trrneao que se vende por preco muito em
conta.
Panos de linho
Quando a AGUIA BRRNCA, mais precisa scientiear ao respeitavel publico em
geral, e em particular a sua boa freguezia, da immensidade de objectos que ltimamen-
te tem recebido. justament^'quando ella menos o pode fazer e porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia- de todos que lb'a attendero e relevar5o,
continuando portanto a dirigirem-se a bcfnconbeeidalfja da AGUIA BRANCA rns 'lo
Queimado n. 8, onde sempre acharao abundancia em sortimenlo de superiorid do
qualidades, modicidade em precos e o seu nunca desmenttido AGRADO E SINCERIDAD
Do que cima fica d'rto se enonece que o tempo de que a AGUIA BRANCA pode
dispor, empregado apezar de seos cusios no desempenho de bem servir a aquelles que a
hojiram procurando prover-se em dita loja do que necessilam, entretanto sern ennume-
rar os objectos que por sua'natofeza sao mais conbecidos ali, ella resumidamente indi-
car aqnelles cuja importancia, elegncia e novidade os tornam recommendaveis, como
bem seja
MOKAS El fiflOSSO
PARA NEGOCIO
POR PRECOS .M1TO BARATOS
WO BAZAR DA MODA
Ra Nova n. 50
Corpinhos de cambraia, primoresnmente
enfeitados com fitas de setim o obras essas
cuja novidade de molde e perfeieo de ador-
nos os tornam apreciados.
Pitas mni largas de diversas cores c qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coreee desenhos, tal I
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para n5n raassar o pretn-
deme se lhe apresentar o que poder de \
melhor.
Chegou um grande sortimento do pacas j ntremelos em pecas de 12 liras,
de panno de linho do Porto que se vendem! Guipure branco c prcto de diversas qua-
de 700 rs. at 1)5000 a vara, grantindo-se i lidades e desenhos.
que cm fazenda de linho nao ha nada me-
ceroS de,!or' "em mais proprio para lece<3 e loa-
primento do lencl, sendo _
cada fencol um e mcio, ou um e um quarto me-
tros ; afm de9ia aplicaoao tem outras. muitas
para arraejos de familias e vende- se pelo barato
preco de 2000 o metro. Na loja do Pavao, roa
a Imperatriz n. 60. De Flix Pereira da Silva.
Gangas de Sluho
Vende-se gaDgas de linho com qua Irinhos
muito boa fazenda, para roupa de homens
e meninos e vende-se pelo barato preco de
IOO rs o covado:
PECHINCHA EM PANTO PRETO A 2:400.
O Pavo vende superior panno preto fino,
para pallitots, calcas, colletes, etc., pelo ba-
ratissimo preco de 2:400, o covado, gran-
de pechincha.
Criem de casemirapretaa IOO
O Pavo vende os superiores cortes de
asentirs pretas entestadas, pelo barato
Dreco de 4:500, pechincha.
PECHINCHA, ALGODAOSINHO A 4;0O0,
O Pavo est vendando pegas de algo-
'aosinbo francez, tendo 4 palmos de largu-
ra com 11 metros cada peca, pelo barato
preso de idOOO. t
Pceaw de mad.ipolo a :i:OO.
O Pavao vende pegas de muito bom ma-
apolo tendo 12 jardas cada urna pelo ba-
rato preco de 3:500.
GROSDENAPLES PRETOS.
Chegou para a loja do Pavo um grande
aortimento de grosdenaples pretos, tendo
do 1<5300 at aoOOO o covado neste genero
s raelhors e ma;s largos que em vindo ao
aereado, assim como bonitas sedas pretas
iavradas, moireantiquesetc, todas estas fa-
xendas, rendem-se mais barato do qne em
outra qualquer parte, por haver grande
porcSo.
PRGULAS E CHITAS BARATAS.
O Pavo vende um grande sortimento
las mais bonitas chitas claras e escuras, mais
-"jarato do que em outra qualquer parte.
i'assas a to rs.
Vende-se na loja do Pavao bonitas cas-
ias de c&resixas a 2iO, 280 e 300 rs. o
-ovado.
Cambraias branca* a i:000 a pera.
S o Pavo vende pecas de cambraia
tranca transparente, tendo mais de vara de
argura, com 10 jardas cada peca, fazenda
ue sempre se vendeu a 7.5000 e 85000,
iquida-se pelo barato preco de 4(5000.
Upacas brflhantes a 1, e SOO.
O PwSo tem o mais bello sortimento de
Ipacas Iavradas com as cores mais delica-
das que tem vindo ao mercado e tendo bas-
ante larguaa, vendem-se pelo barato preco
le 15000, o 800 rs. o covado.
Boa pinga do Douro
Fet Pereira da Silva, ru da Imperatriz n
*>0t acaba de reteber urna nova remesa do seu
moito acreditado vinho puro do Dnuro, e muito
proprio para este clima por nao ter confecca, e
vende em barra de 10* a 324.
Com palma* de seda a f0OOrs.
Para a loja do Pavo chegou um rico
sortimento das mais bonitas lasinhas com
palmas de seda tendo de tqdasras cores e
padroes, sendo fazenda bastaste larga e
vende-se a .1,500 o .covado.
AS CHITAS DO PAVO
Vndese um brilbame sortimento de
chitas claras e escuras por precos mais ba-
raos do que em o.otra qualquer parte.
Boopa para esf raros
Vende se nar im ao 'a\,t, um bonito
imento do rooj par i
AS POUPELINAS DO PAV V!, A 500 RS.
Chegaran aslhai? s de
io das i
Ms rauito :
las core: azul
.yrio, cnsento, perplla ele, i' e vende-so
pelo bacassimo p rs,
ALJAOS I AS
Vende-se as mais bobii
com os melhores go^l
Ji0e720 rs., apaess br
eas o de cordio.
Iavradas
15000,
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um graede sortimento dos me-
ihores chapos de sol de seda, inglezcs ten-:
do neslo art'go o melhor que tem vindo ao
mercado assim como urna grande porco de j
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do j
que em outra qualquer parle, por haver I
grande porco.
Os baloes do Pavao a 2(M)0,
Cheg< u um grande sortimento de balees
ou crenolinas do feitiomais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados qoe se
vende pelo baratissimo preco de 25000 ca-
da um grande pechincha
CRETONES MATISADOS PARA VESTIDOS
A 640 E 800 RS.
Para a loja do Pava chegaram os mais
bonitos cretones escures matisados, pro-
prios para vestidos, roopSo chambres etc.
que se vendem 800 rs. o covado, assim
como a mesma fazenda em padroes claros
proprios para vestidos e roupas de meni-
nos a 640 o covado, sendo os padres mais
moderuos que tem vinpo ao mercado.
, m HL mm m
LASINHAS LUSTROSAS A 400 RS. O CO-
VADO.
S o Pavao
Vende-se um. grande sortimenlo
Dilos de algodo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de o de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Eoiovacs completos para baptisados.
Touquinhas de Gl, sapatinhos bordados enancas.
e meis para ditos. Diversos objectos de porcelana, proprios
Camisinbas bordadas para ditos. para enfeites de mesa e de lapinhas.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de madreperolr.
Caivetes Gnos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para balo.
No vos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
urnas substituem as oulras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira enverisada coni vispo-
ras c com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
Vende-se por menos de 10, 20 e 30
SO' NO
N. 23Largo do Terpo.N. 23.
DE
SIMAO DOS SANTOS & C.
Coques raitacSo de cabelo,
guarnecidos de bellos enfeites
ullima moda, a duzia .
Papel superior de quadrinhos,
em caixas cora 20 cadernos a.
Envelopes porcelana, muito boa
fazenda o milheiros em caixi-
nhas de 100 .
Botos de osso bem pulidos para
calcas, a grosa .
Ditos cobertos de superior setim
de todas as cores, a grosa dos
pequenosa 35000,e dos gran-
des a. ......
Ditos com interessantes photo-
graphias para punhos a duzia
de pares .a......
Ditos de osso imitando o marfim
com lettras a duzia .
Ditos zos muito boa fazenda a
duzia.......
Abotuaduras para camisa sendo :
2 boloes para os punhos, 3
para abertura e 1 para o col-
lariuho brancos, escarlalales,
o pretos a duzia ....
Brincos de cores a balao, cousa
mu.to chique a duzia de pares.
Lindos frasqumhos empalhados
:om bom extracto para lenco
a duzia.......
Ditos em bonitas caixinhas ca-
da frasco a duzia....
Tinta para marcar roupa, muito
superior cada frasco em sua
caixinha a duzia. .
Livrinhos com capa de metal
douradoe coaa bonitas orogoes
para a missa a duzia. .
Sabonetes de amendoas amaa-
gas especiald;,de do BAZAR
UA MODA, a duzia ."
Lnpis pretos de superior quali-
dade, oitavados a grosa 35 e
Escovss finas para dentes a du-
zia a 15000 c.....
Alneles muiio bons, brancos e
pretos, a duzia de caixinhas a
Pentes pretos de muito boa qua-
lidade s grandes para alisar
a duzia.......
Dilosamarellos fazenda superior,
para alisar, a duzia. .
Ditos de borracha com costas de
metal para repassar, a duzia.
Dilos enfeitados com contas de
cores a duzia a 4, '$e. .
Interesssantes coquinhos capri-
chosamente escullidos dentro
com um bom e lindo rosario
a duzia 105, W c -
Grande sortimento de miudesas.
Grande sortimento de quinquilleras.
Grande sortimento de perfumaras.
Pagamento realisado no niesmo mez da
compra com descont de 10 o/0, ou letra
acceita a seis mezes de praso.
Jos Soaret de Souza & C.
40000
640
7#500
220
4000
50000
80500
35500
8,2000
10000
8000
6^900
60000
Para a quarosma.
* loja do Pmn
Os propietarios do?te irapoitaote
to receberao pelo ultimo vapur frni.
tilhoes de gorguo preto muito li.-rn pnfelta
inleiramente novidade, seda3 o gir; H> .
temos sortimento comp'oto, o mellior a des
Dirijam-SD, poi.e, todas as pessoas quo precisam Ce
comprar fres artips, ra do Cn-tpo n. 7 A.
Scientes de que,-em presos rio se deixar.i de l.i
zer negocio, ato*motivado peto muito aortimriuu
que tomos.
UUHNAN iMR
(XKTIll
20500
40000
30000
20800
20700
10700
20400
60000
140000
Acabara de chegar ao GRANDE BA/
UNIVERSAL, ra Nova ;>. 22 tA via.wa--um completo sdftlmentp di mi-
chinas para costura, dos :utoio> mis co-
nhecidos, as quaes esrao cm expfisij$o no
mesmo Bazar, garanlindo-se a sua bjn qua-
lidade, e lambem ensina-so com i
a todos os ccmpt'edores. Estas macqinsi
s5o iguaes no seu trabalho ao de 3o cstu-
reiras diariamente, e a sua perfeigo
como da melhor costureiradeParis. Aptr-
sentani-se trabalhos executados pelas mo-
mas, que muito devem agradar ao> pretei:-
dentes.
AO CAIPHS
Na ra do Impi'rador n. 28 vende
os seguintes gneros de superior qual dad \
a saber:
Presuntos inglez.es (para fiambre).
Qneijos inglezcs (muito novos.)
A verdadeira goinma de ararula.
Copos lapidados (muito Bhs.j
Latas com lagoslas a 6(*0 rs.
Licor (aya pana).
Ovas do sertao.
E urna tranca de ceblas por 656 rs. !''.
S no arniazrn d
Campos.
Ra<-o lrnp-ra'lor u. 28
___
Os proprietarios -deste bem sortido armazem de secco e molhados esto re
solvidos a fazere tima grande diminuicao de presos as suas mercadorias, como se apro-
xima a festa e sempre se fazera avultadas compras para o centro e praca, por
isso previhem ao respeitavel publico em geral, que mande fazer suas despencas e cor-
tos de que vero a grande differenca em precos mais do que em outra qualquer parte
das e garantindo-se as superiores qualidades.
mais modernas e elegantes lasinhas para GAZ AMERICANO 90500 a lata, e 440
vestidos, com as cores mais novas que tem! rs. a garrafa e 660 rs. o litro.
vindo a este mercado*, sendo comlistrinhas VINHO VERDADEIRO FIGUEIRA 560
miudmbas que parecem de urna s efir e a garrafa, e 40500 a caada c 800 rs n li-
tro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,! 400 rs. a libra e 800 rs. o kilogrsmmo.
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 2,5800 e; VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
i 30200 a caada, 660 e 720 rs. o litro. masso, em caixa ha abatimento.
DEM BRANCO DE LISBOA a 40000. PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro. RANCA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA 30200 e 60500 a groza.
10400,
com tanto lustro que imitara perfeitamente
s poupelinas de seda, e vendem-se pelo
barato preco de 400 rs.
Os setins do Pavao
Vende-se os mais bonitos setins de cores
i mais encorpados proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Encontra o respeitavel publico neste estabeleci:
oento ura grande sortimento de fazendas pretas,
mo sejam, cassas francezas e inglezas, chitas
>retas de todas as qualidades, fazenda de laa de
odas que tem vindo, proprias para lato, como
lejam, laazinbas, alpacas Iavradas e lisas, canto,
lombazinas, merino, etc., que tudo se vende por -
.reco barato. DITA FRANCEZ A 960, 900 e 850 rs.
Vadapol&o francez a .71000 rs- a I,bra> e 2^10. 1*5980 e 10860 o kilo-
Vende-se pecas de madapolao francez! ^r^?m,
;om 22 metros pelo baratissimo preco de
I SEVADINDA E SAG 280 rs. a libra e
620 rs. o kilogrammo.
FARINHA DE ARARUTA VERDADEBtt
640 a libra e 10400 o kilogrammo.
BOLAXINHA 1NGLEZA MUITO NOVA a
a
200, 240 e 320 rs. a garrafa,
10800 e 20200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs.
garrafa, e a 70 a caada, e 10340 o litro.
MANTEIGA LNGLEZA FLOR 10400 e
10280 a libra, 30060 e 20780 o kilo-
grammo.
'0000 a peca, pechincha.
Altas navidades em sedas
Chegou um grande sortimento das mais
noderaas poupelinas ou gorgorees de seda
linho com os mais elegan'es padroes que
*m vindo a este mercado sendo, miados 0
?raudos, tanto em cortes para vestidos como
para vender em covado, assim como um
Donito aertimento das mais bonitas sedas
listradas que se vende tudo muito em conta
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se ama grande porco de cera de
;arnauba em saceos por preco mais barato
lo que em outra qualquer: na loja do
Javo roa da Imperatriz n. 50. De Flix
freir da Suva
Merino Vende-se merino preto de cordSo pro-
pio para caifas, palitu e colletes, pelo
aratissimo preco de J0OOO, o covado,
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a li
bra, 10220 o kilogrammo, em porco se
far abatimento.
BANIIA DE PORGO DE BALTIMOOR
720 rs. a libra, o 10560 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
porc5o se far abatimento. GENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
ARROZ DO MARANHlO E DA INDIA GUEZA 70 e 60 a frasqueira, e 500 rs. o
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e *
AMEIXAS EM LATAS E CACHLNHAS
DE MUITOS TAMANHOS 10280, 20500
30500,40500. 50500 a lata e a retalho e 10
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso, e ero caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 30 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 50500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS
BELL, 800 rs. a garrafa e 90 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 10500, 10200, 10 e
De superior qalidade da mui accrediU-
da fabrica d Bisquit Dubouch C, en
cognac urna das que mais agurdente di
cognac, fornecem para o consummo d<
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ra dt
commercio n. 32.
ATTENtfq
Em casa de Mills batata A C na da Cruz
n. :!8, vende se chuuibv de muun.iio, oleo de I -
nliaea, lona e saeet s va.-ios.
HYPDPHOSPHITOS
JQ'' CHUHGHILL
XARDPE de HYPOPHQSPHITO de SODA
XAROPEdeHYPQPHOSPHlTOdeCAL
PILULAS deHVPOPHpSPHITO de QUININO
ROSE ANEMIA
XARGPE deHYPflPOSPHJTO deFERflQ
P1LI1US cieHYPOPHQSPHfTO dflMArJRAWFSJA

frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
119 a frasqueira e 10 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
30000, 20800 e 20400 em caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 110500 a arroba.
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 10000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO.ASSADO JA PROMP
TO a 10000 rs. a lata.
CHA FINO, GRAUDO E MIUDINHO
30200 e 20800 a libra, e 60100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 20000.
20*00 e 10800, rs. a libra. ,
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
BnorxHri


P1STILHAS PECTOSAES.- GHURGHELL
Eligir para o xartpu o frateo quadrado $ n
KxJo o prcduelo, a %* do D" CHUTA. ,
CHXXX, e o lMlrtiro com a muca 4c bbrica da
PbUWtti BWAMBf, li,r%aCanii 30400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o4
kilogrammo, e 60000 a arroba.
CAF EM GRAO 60 e 60500 a arroba,
200,240 e 260 rs. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SABO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs. o kilogrammo, em caiiaje
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a libra e
10220 o kilogrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
Ihante, combination, Francy-cracynel, raixed
Britanta. Mdium, Fancy-nic-nac, a, b, c, e
soda a 10000 e 10409, cada urna lata.
Assim como ha outros muitos
muito novas, pasws e figos novos, charutos e diversas marcas, marmelada, feita pelo
melhores copserveiros em Lisboa, gela do uiarmello, pcego, ervilMs, em latas, por-
tuguesas e franceras, \inho verde engarrafado a retalho> peixe em latas, bem como
pescada, tainha, pargo, gorat, lula, corvina, vezogo, cavalh. sarda e sardifihas de Nan-
tes. Oaoella, eravo, ervadoge, comrnho, pinienta. grandesraolbos de sebolla i 05OO.
Finalmente OWtitO outros genero qe onfandonbo menciona-los.
i' ......"' <* .
T\n\ A fESTA
3 partas, lija de fer a^eui
5%rBn4 Direita53
Nesto paM stabeJeci monto, fca para teeder
um completa sortimento de forragem, c miade^
Anas e |ro!!?:is mo sejam bandejas cbinezas
qtiadrda e vae*;-facas e trios ae 1 S bo-
ta, totenco inteiro e /2 "batano { parallas, eaa-
Ihdira, cae>r->iis, frigidairas, assadairas, tanto
de ferro como de porcelana, moiabos para caf de,
diversos tnjannos do fabricante apy, peses'
DO
BRACO DE ORO,
Ra do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento encontra-se
diariamente um variado sortinfeuto de bo
Hnhos para cha, pastis, podinc, bollos in-
glezes, pes do l. presuntos, ditos tm fiara
bre, superior cha Hysson, preto, e miudi-
nho. Vinhos finos de todas as qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, froctas muito boas, por-
luguezas e francezas.
Ura completo e variado sortimento dt-
caixinhas de todas os gostos e precos par;
mimosear senboras, estas caixinhas recen-
temente chegadas de Paris sao de primora-
do gosto, offeresse-mo-las aos galanteador
do bello sexo pois aellas acharo nm digne
e serio presente para as donas dos seu.1
pensamentos. Tambem os apreciadores d
b6a fumaca encontraro charutos dos me-
lhores fabricantes da Babia e de Ha van;
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, cbristalisados e dt
calda, ditos de caj e de outras qualidades
Nesta casa recebem-se encommeodas par.
bailes, casamentas e baptisados e qualquer
encommendas vulsas, como seja pao d^ l
e bollos enfeitados e outros muitas couza
que enfadonho mencionar.
a loja do Passo
Os requissimos cortes de blondc de seda ct
manta e oapcHla para caarnenlo, sfendo n$M ;n
ligo o que pe podi> desejar de mettior e mais !>
djrno, tambem chegaram os corles de seda de c
ros novidade. e outras muitas blendas de goft!
que chegaram pelo ultimo vipat tiranta, s|
a loja do Passo a ra do Crespo n. 7 A.
CAZ al GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forstei
C, ru* do Imperador, um carregataento de g
de primeira qalidade; o qual se vende em partid: s
e a retalho por menos preco do que em outr* epaa.
qner parte.
Milo novo
Vonde-so em saceos grandes, e por meno= pre-
ga do que em outra qualquer parte ; para \'t i i
trapiche Dantas e para tratar, ra do Apollo.
ESCRAVOS FGIDOS.

Nn loja e ^mazer.. avfio ro da liper
n.
eo.
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armaiem amareHo de Vicente Fer-
reira da Costa & Filho, defronte do arco da
clelo, em harneas grandes
VENDE-SE ou arrenda-se o engenta
S. Gaspar, sito na freguezia de Serrana.
comarca do Rio Formoso, prximo do era
barque, com grandes partidos de pal t
. massap i roda da moenda, mattos mangn>
grawmos ^^^l0 Lnmo ^e latao, metro para qiadeira necssaria, bom pasto, etc.
para medir fazenda tanto de ferro como do iato,
alitre,.'tiren, Urbaafa, eaxofra, papel marer.
ao, do Veraadoiro Picrdo, machinas para d.
roar algodo; alrn ds otrtroa artigos de ferrs-
gem, raiudezas eutfiarias finas, me s cote a vis-
ta se verifica; na ra direita n. 53 loja Ja 3 p?r
U de Manoel Bento do Oliveira Braga& C.
a tratar na roa d'Aurora
Imperador n. 20.
n. 26, ou na d<
Lagedo
". Vende-se lagedo para' Alfadas e armazens por
1 prego commodo : na ra do Apollo n. i.
CEMENTO
O verdadeiro poptland. S se vende n
ra da Madre de Dous n. 22, armazem d
Jlo Martina de Barros.
J.A.M0REIUAD1AS
tem constantemente em seu armazem, ra da
CrtUD. 26, ura completo sortimento de
Halancas deciniaes.
Hilas nrisontaes.
Pesos oV forro pelo eritema decimal.
liumhss Galifernia para pocos, as melhores que
tem appareeido at hoje.
Chamlnes de vidro para canaleiros agaz.
Lonas ^e todas as qualidades.
A^na DdrWa.
Gr.-iix i oni .oies n. 97.
Viiln | .lia -vidrav-a.
T-l* ______________H____fr-
um b i boni.eg- n prwnor dirfja-se a
tfti/ iV, qa'acnaj.'i com que tratar.
Lequ*- de m.idreperola com sede, e todo? d
naft-eperoftl, mnito proprio par* mi-as, cJiega-
ram a loja do fftaso a roa do CrosfO Q-1 A, as
sia como ivquissiuios chales de tauquim de to
aas as c 'uanos bordados de cambrai;.
para baptizv !" escocia (novidade) mni-
to bonita Bw Sro^. qua pnstuu anda'
tlssapatiu). iWs muitos artigos de *
U) que as
Irecobido.
Fuo do engenhb Camaratfibe na fregu
de Sennhem pertencentes a Qas^ar ilaurir
Wanderley os cscravos seguimos : Samuel criou-
lo baixo, groro, nariz chato, diz ser da Costa n;,
ter sido comprado pequeo, Joo Cabcculo de id; -
de trinta e tantos annos, ps ebatcs. \(ntas arre-
hitadas, estatura baixa, cor feixada, ponra I ni.:
e esta na penta do queixo, Felippe mulata de ida-
de de 16 annos pouco mais ou men is, t'aixo, prn--
so, sem defeito algum, levo bixos em pequeo, po
rcm pouco apparece; por isso pede se as autori-
dades polirtaes r cipitaes de camp) a captura mesmos e lvalos no mesmo engenho ou na rij.
da Moeda n. o. 2o andar escriplorio de Manoel
?es Fcrreira & u que serao gratilicados.
Fugiono dia 10 do rorrente mez a cabra Se-
verina, com or signaes segnintes : altara reguljr,
cheia do corpo, testa estreita, olhos pequeos p
belcos bastante jsexog. tem o dedo minime da na >
esquerda am pouco dobrado para a palma da ma
representa ter 40 annos pouco maiis on menos
levu vestido chita encarnada, com um challe-<
de chita com barra azut ; tem o andar um pou >.
empinado para a frente : desconfi-so que t : i
occuita em alguma^casa, pelo que se protesta coii-
tra a pessoa que a tiver em casa, obrigando se pa-
gar os das deservico : roga-se s aotoridadea i
capitaes de campo que apprehendam-a e le\vtu-
ra do Sebn 29, on roa do Amoritn n. :..
qne ser genemsamente reconipensorin.
Fugio do engenho Boa vista, na c Camaragibe. provincia das Alagoas, o esoravu X
colo, de idJe 31 itint?, aWra refnlr, tro- >
Ca corpo, andar banzeiro. tem falta de denles \
frente, rosto largo, barbado, costuu.a as vez fa-
cer toda a barb'a; lm Urna cicatriz rta testa,
pds grossos ; esteescravo anda fgido deae o d
16 de Janeiro do corr'entc anno : roga se por;
s autoridades poMae* e aos capitaes de canr
apprehensao d.*e eseravo, a entregar no 11
nbo aenn mencin*ad, ou nesta piara
Vigari i n. 11 ou travessa do Cupo Santo i;
4a andar, que ? gratificara genero, v^nte.
Arha-se 'fugiil o escrvo- Frari ce, pti
idade 20 annos mais ou menos, coro w ito <"
urna perna o t>rseo, asoMvt. veio l i i
do Sobral, n uiu ladino, eucul.
desconfia-ie e-Mar acoutai), o que ae>3eja
testa contra queio o livor leftd' urajffl-'
quem o levaf-n delle '**= no treta aru< da K
drpdel)pan. <.Jl'aii Oeste eBgetflw*Par, frepoealac lpoju<
no dia ti '*> e^rmute- me o
ci-ioulo, de i.kdi- de 20 annj,-
baiba, cabe
LntzntoAin \1, nt-iro, da faz-r'
gnezla da Pedrs, fi i vh'Wo ao Scaj^im'
Talcanti de Attni'iusrqufl Beitai'. i
sobrinbo Jo^ Alvos Marn
houvo por i
nbo, ou nevvi iira^ n ru:
boa gratitlea.
______to Vah.,
~ Fof iomi da 26 de. k
osejava criouia e nome BeKi
dijntes
) direlto. teJdofcwado ooS''*a*k'
v.;rdo e outro listado di
3 capturar
i Deus r
rjcompenaa*!),-




8
Diario de Pernambuco Sexta eira 4 d Marco de 1870.
LITTERATMA,
POTJCO DE TTJDO.
ROUBO E ASSASSlNATO.Em 20 de
embro ultimo foram condemnadus
norte pelo tribunal de Ollenburg ((rao
.Oucado de Baden> Carlos Doebich, e Joo
i'teide!, por assassinato o roobo prat'cados
a pessoa de Emilio Mathi;
Os reos eram sapieires' e residalo cm
asbourg. Formaran) o plano de se dii i-
vm no verlo a alguma das estacos
thermaes de Bailen pira roubarem algum
\iajante. Effectivamente encarainharam se
parajnto gast e no da 17 de agosto fo-
am embuscar-se n'ama malla, onde mili-
tas pessoas que tomavam as aguas lam pas-
eiar. Viram primeiro passar um padre :
um dos assassinos quiz atacal-o, mas o ou-
tro oppoc-se, calculando que seria pouco
uliosa a preza. Passou depois Emilio
Mathiss, fabricante em Fribourg, que esta-
\ a tomando banhos em Anlo-gast. Os assas
sinos, vendo-lhe urna cadeia de ouro, re- os da ordem publica.
olveram matal-o e roubal-o. Cammham
traz da- victima, Steidel a dois pssos de
-stancia atroo-lhe um tiro, e Doebich aca-
: ou-a facadas. Pepois de se apossarem
do que o mo to levava, fugiram para
Strasbourg, onde foram presos por snspei-
ae Lnselt cm casa de quem trabalha-
-.am. Em virtude do tratado de exlradic-
ao foram entregues justica de Badn.
Doebich confessou a sua complicidad.;, e
lod. como o crime bavia sido commet-
iidb. Steidel pretenda lanzar toda a culpa
.obre o seu co-ro, e declarava-se inno
'ente.
O jury deu os crimes por provados o o
iribuna condemnon os reos a pena ul-
lima.
Em 17 de Janeiro o grao-duque de Ba-
dn commutou a pena aos dois reos, que
recbenla a n< ticia com grande alegra no
ua 18, sendo immedialamenle transferidos
le Ofenbourg jiara a priso central de
BrucbMl.
Os dois condemnados iam presos com ca-
li -jas, e n'uma carruagem especial do ca-
minlio de ferro destinada para os crimi-
nosos.
A mulher e os filhos de Steidel foram
espedir-se delle, easeparaco foi cus-
a.
D >ebich ia alegre, n3o oceultando a sa-
isfaco que senta pela commutaco da
L'ena. Antes de partir comeo e bebeu com
ipetite.
Juntou-se muila gente para ver os dois
ominosos pela ultima vez.
A priso de Brucbsal um bello edifi
ci de forma circular, dividido em moitos
quartos ciaros e aceiados. E' destinada
para os presos que j estao condemnados.
Nos primeiros seis annos de detenco os
dois criminosos deverlo viver cada um no
tnais absoluto isolamento.
Steidel depois da condemnacSo insisti
cm protestar que estava innocente. Quando
leve conbecimento da commutaco da pena,
niostrou-se impassivel e resignado com a
sua sorte.
Doebich no requerimento que fez ao grao
duque mostrava um profundo arrependi-
nento, e depois disse muitas vezes: o
neu crime grade emuito infame para
poder esperar perdSo. Escreveu cartas
de despedida a sua mu, e a seas irmfios
e irmas.
Re a narracap do crime, e do julga-
uento, e den-a a um seu antigo' cmara la
aa vida militar, para ser publicada n'um
:lmanack, que tem muita extracto, com
flm de servir de aviso aos mocos, que
livessem a tentado de se deixar catar no
i!al despenhadeiro do crime.
Doebich deu o seu retrato tirado com o
uniforme e condecorares militares a M.
Wedekind, juiz que preparou o processo.
as costas do retrato de Doebich escreveu
ama especie de laraeolacSo; recordara com
saudade a sua vida passada honrosa, ao
passo que na actualidade nao se atreva
a levantar os oltios para pessoa alguma :
^"ava das longas noites que" passou sem
dormir u njsadels medonhs que leve,
e dos sonos' alciTdores que lhe pertur-
bavam o somno; e agraafcia por ultimo ao
tuiz a bondade com que o tralou.
assembla nacional, o pai do duque de
Broglie nao^quiz emigrar, e tornou-se, em
179i, urna das victimas do tribunal revo-
lucionario.
O duque de Broglie, no imperio, fra
auditor no conselho d'cstado. Na primoira
restaurado foi noraeado membro da cmara
dos pares, e desde o s'eguipte anno dis-
linguio-se pela energa com que d fendeu
o marcnl NejT: pronunciara-sc pela ab-
Bolvico pura e simples.
O duque de Broglie continuoo, cm todo
o deenrrer da resiaurac3o, a ser o defen-
sor das causas generosas e liberaes: de-
fendendo a liberdade da imprensa, pedindo
a abolido da esernv. tura, combatendo a lei
do sac ilegio e a do direito de primogeni
lura. A revoluco de jultio deu-lhe um
papel mais activo: foi ministro da instruc
Cao publica e dos negocios estrangeiros,
mas em breve sf retirou. Adivinha-se desde
ento na sua attitude o soffnmento que
sentem os espirilos moderados, quando
vcm hitando os interesses da liberdade e


DUQUE DE BROGLIE.-Morreu no da
6 de Janeiro em Pars, d"um ataque de
cola, o duque de Broglie. Contava j o-
anla e cinco annos. Odefunto accrescen-
tou novo lustre ao esplender d'nm nome
, \ histrico. Sabe-se que era neto do ma-
rechal de Broglie, celebre pela guerra dos
:.ete annos. e sobrinho em segundo grao
do conde de Broglie, emba.xador na Polo-
i a, diplmala audaciosoe esperto, de quem
Uulhire tracou um retrato memoravel.
reputado aos estados geraes e membro da
O duque de Broglie julgou do seu de ver
voltar vida publica em 48i8; membro
da embaixada legislativa, foi suspenso pelo
golpe d estado. Desde ento, nada mais
foi que espectador atiento e contristado das
provaces porque passou o seu paiz.
O duque do Broglie era membro da aca-
demia das scieocias moraes c polticas, e da
academia franceza. Estas distincs que
o tinham vindo buscar a elle. Effectivamente,
apenas tinha pronunciado alguns discursos
as cmaras, e alguns artigos dados an-
tiga Recue francaise. Estes trabalhos fo-
ram depois reunidos, mas quasi sem elle
querer. Nunca houve espirito mais emi-
nente que menos buscasse a publicidade.
Mas se o duque de Broglie nenbuma ne-
cessidade tinha de que o publico se oceu-
passe delle, nem por isso era menos sin-
gularmente laburioso e activo. Muito ins-
truido, tomando interesse em tudo, e espe-
cialmente nos estudos mais elevados, em
prchendra vastos trabalhos religiosos, phi-
losophcos c polticos. Deixa, nestes as-
sumpios, extensa- obras redigidas e dignas
do seu author. Um desses estudos, iitbo
graphado para uso do escriptor e dos seus
amibos, as Vistas acerca do governo da
Franca, foi apprehendido em 1861, e res-
tituido depois. Pessoas que o leram, fal-
lara d3 introdcelo desse volume como do
melhor trecho de historia poltica que co-
nhecem.
Era extraordinaria a variedade das apti-
does e dos conhecimentos do duque de
Broglie. O primeiro volume dos seus
Ecripts et discours contera discussSes de
direito, de metaphysica e de litteratura,
disserlaces a respeito da existencia da
alma, acerca do direito de castigar, a res-
peito de Shakspeare e do theatro romn-
tico, que revelam, em todos estes assump-
tos, conhecimentos igualmente profundos,
reflwoes igualmente solidas, ideas igual-
mente claras. A Goura da anafrse eleva-se
algumas vezes at a substileza.' O estylo,
um pouco triste, um pouco austero, o
do hornera que busca a verdade primeiro
que tudo.
V-se que ha um carcter n'aquelle pen-
samento, que ha um carcter por baixo
d'aquelle estylo. Aquella intelligencia t5o
recta, 15o firme, tao luminosa, estava effec-
tivamenle ao servico da mais absoluta rec-
tido de consciencia. Que imparcialidade!
Que circumspecco em todas as cousas J
Que snceridade de patriotismo I Que amor
pela liberdade c pela verdada I O duque
de Broglie desde muito tempo que nao ap-
parecia na vida publica : a sua morte agora
s deixa lugar no coraco dos amigos, e
todava deve dizer-se que a Franca perde
nelle urna das suas melhores intelligencias,
um dos seus melhores cidadSos.
tem.causado mil dissabores.. Desejava que
o doutor o examinasse pof: alguns das.
Amanli5a mando-o aqu e provavel que,
lhe peca o que pede a toda gente.
O medico ficou inteirado de que tinha a
tratar um dqudo.
No da segointe appareceu-lhe o cobra-
dor, e este julgando-se burlado, grita, in
juria e diz o diabo ao medico. Este faz
prndeloe mettendo-o em nma carrua-
gem, manda conduzil-o ao hospital de L-
ganos.
Ignoramos se esteve alli muito tempo ;
o que sbenos que adama passou aquel-
es dias tranquilla. "Itf^tf
ZINA PAOLI.Estreou-se no theatro da
opera italiana de Paris, urna nova cantora
chamada Zina Panli, discipula do celebre
bartono Flix Vareri, de quem o publico
de Lisboa conserva as mais gratas lembrio-
cas, pois durante dois annos o ouvio do
theatro de S. Carlos, a par da Boceaba-
datt, do Fornasari, Gont, e Ferretti. e com
aquelles maravilhosos espectculos que o
Sr. conde de Farrobo pode apresentar.
Estreou-se, pois, Zina Paoli com grande
xito.
Dizem que fi 1 lia de um cossaco do Ou-
ral, e de urna russa, e que de urna tara
formosura.
Traz sempre as orelhas, que s5o mu
pequeas, duas enormes perolas, a-> quaes
diz que nunca largar, porque sua mai Ib'as
pz as orelhas, qua&do ella tinha cinco
annos de idade, e coasidera-as como um
talismn, e que s as tirar quando sua filha
chegar idade de as usar.
Desconfiamos alguma cou3a de que naja
grande forca de reclamo na noticia que fe-
mos.
Dizem que a voz da nova cantora muito
prepotente. a -
Tilo formosa, o com tantos dotes, se tudo
certo, grande futuro a espera.
VELOCIPFDESNA GUERRAAcatlfe
fazer-se em Barcelona ua experieacia
muito original.
A experiencia tinha por fim verificar se
se poda applicar guerra o velocipede, e
foi feila em presenca de urna comraisse
militar nomeada para este Qrn.
O capitao de voluntiriosda Catalunha, D.
Henrque Mara Folset, apresentou a com-
misso um veloeipede q.ue pela soa cons-
trucc5o especial, permitte transitar por
todo e qualquer terreno por onde e possa
fazer um cavaFlo.
Resguarda dos effetos dos- projeetis aos
individuos que o azem mover, e pode servir
para condozr ordens com grande rapidez
no campo de bata Iba.
Parece que com ligeiras modificacoes po-
deria empregar-se o- novo veloeipede >como
elemento de ataque.
Estara aioda destinado o veloeipede vir
a ser urna terrive machina de guerra t
BAILES DE MASCARAS. O prodaeto
total obtido no primeiro baile de mascaras
da opera de Paris, subi fabulosa quaotia {
de 33:467 francos.
Muito se diverte o povo maifr espirituoso
da trra. Ditosa coodie5o, ditost ge*/ f
ESPEBTESA DE UMA IIESPANHOLA.-
11a dias apresentou-se urna senhora em
urna loja de*mercearia em Madrid, e fez
"Igumas compras. No momento de pagar,
decUron ter perdido o parte monnaie.
Nao ha duvida. minha senhora, ama
nhaa manda-se-lhe a conta.
Eu mesmo. irei leval-a, disse um co-
brador galante.
Est bem ; mas advirto que j n5o
resido na mesma casa. Tome l este bi-
thete.
E entregou-lhe um bilhete, indicando a
morada de um medi o afamado.
Sahindo da loja, fbi procurar o referido
meuico, porque era prximo da loja, e
por isso a viram entrar.
Cavalheiro, disse ella, tenho um so-
brinho completamente doudo. Imagine
n doutor que elle se possuio da mana de
que commercianle, e quando lhe' parece
vai qualquer casa, e exige que lhe pa-
guem urna conta imaginara. Ist j me
INGLATERRA.Sb o pseudonymo de
Ventas fo> dirigida ao Tunela segaiae
carta :
SenhonO Tunes de sabbado oltinw
d o extracto de urna carta de Mr. Jds
Castwrigbt. A declarafo que ella conten
de todo o ponto inexacta. A verdado
que o principe Pedro Napolee Bonapare,
ebegando a Sajades no dia 8 de Janeiro de
1838, foi recebido a tiros disparados sobre
elle por salteadores albanezes. que dias
antes tinham raptado um Barelay, oflicial
do 11 regiment-da-infamara real, em
Corf, a fim de obterem d'elle ora avallado
resgate. O principe Pedro Boaparte re-
pelo o ataque, e dous salteadores foram
assim mortos. Ba de admiuir qua existe
grande differeDca entre um enpregaV da
alfandega e um salteador. O lord com-
missario nao pagou poresse facto nenbuma
iodemnisacao. Dep< is da Iota de que fallo,
o principe Pedro Bonaparte recebeu urna
ovacSo, provocada p^lo lo-d Caries Welle-
ley e p-dos officiaes iaglezes residente
ento era Corf. __
t Se fosse verdadeira, a assarcSo- de Mr.
Cartwright o principe Bonaparte teria sido
jnlgado pelos magistrados ingleaes. Sabe-
se que ondoevistirem juizes inglezes, sir
feia justica, seja q*sm for o criminoso.
O lord eommissario pedio ao principe
que saisse das ilhas Jomas ; mais foi s no
lia 10 de-marco segointe, e por motivos
politicos. Envio-!he inclusa urna cfpia da
coramuiHcacab d'essa ordem, dirigida a S.
A. liftperial pela autoridade ingleza. Ahi
se declara solemnemente que o lord eom-
missario s proceded em virtude de mo-
tivos polticos, que nada tinham de offen-
sivos para a honra do principe.
O original desse documento est actu-
almente em poder do alto tribunal de jus-
tica.
f Outro tanto se pode dizer do guarda-
caca fendo as Ardennes.
Em resposta esta carta, dirigi o
Sr. Jos Cartwright, morador em Corcyra
villa Ilolloway, em 20 de Janeiro, a seguinte
ao Time:
Sr. editor do Times.-E" do meu dever
defender a verdade do que afiirmei relati
vamenle pendencia do principe Bonaparte
com uns pretendidos salteadores as costas
Ja Albania, facto impugnado pelo seu cor-
respondente Veritas.
Na occasio da pendencia, era eu es-
ffcrivo da estaco de polica de Corf,
servia as ordens do Sr. Demetrio Zervo.
inspector, e por iso devia estar bem infor-
mado.
Repito e affirmo que orna s pessoa
foi morta pelo prncipe, eque esta pessoa
era, nao um salteador, mas um empregado
da alfandega.
Neg formalmente que o Sr. Barclay
do 11 regiment ou ootro ofBcial inulez
fosse em tempo algum aprisionado por
salteadores albanezes...
Neg tambera que o lord Carlos Weiles-
ley, coronel do 53a, ou outro oflicial inglez
ento em Corf, se associasse em lempo
algum pretendida ovaco de que falla o
Veritas.
Como eu, o Veritas sabe nwito bem
que o principe foi expulso de Corf.
A razi?ni di stato (razo de estado)
mencionada na ordem da expulso do prin-
cipe, era o modo cortez de te fazer eonhe-
cer a ordem do governo jnico, que, atten-
dendo a que o tacto nao se linha paosado
em territorio da sua jurisdiceo, nu podia
proeeder mai* severamente.
O original d'esta ordem trnsmittJda
pela polica, cujo conteodo j o Sr. inserto,
foi escripto na- repartico onde eu estava
empregado pelo Sr. Scarpa, secretario do
inspector, assgnada pelo inspector, d'elte
se conservou copia nos ftvros da polica
de Corfo.
Permitta-me qe, ao-coneloir es!a'carta,
aceresceate que, na sua excarso pela costa
da Albania, o prineipe era acompaohado
por um tal Sr. Baroa, armeiro em florfu.
PEDRO BONAPARTE.2ver cewa de
29 annos, eetavam dons homeos nos bos-
ques de Setory para decidir orna qaesto
de honra. Um d'essesbomew-era o tuqne
de Rene de Rovigo ; o outro>era o prin-
cipo Pedro Bonaparte.
A polica, avisad com antecedencia,
puzera os gendarmas en-campo, e o sar-
gento Leblond; da coaipanbta de \Tersalhes,
occalto no sitie da eaiaevista, apresentou-
se de repente ao duque e ao pfincipe, di-|
zendo-lhes qa sabia das tenges d'elte e
perganundo-lbes os ses nomos.
Rovigo satisfaz a perfanta, mas o p-
cipe Pedro aoercou-se do sargento, tirando
ama pistola da algibewa e apontande-*
paraelle. .
Leblond impassivel como a-Mv inflexive
com a ordenaaca mKiear, saccoo traqaii-
laraeote d'outra pistola e disse ao prin-
cipe
Vamos.senhor,. deixems-BOS da to~
lices- e guarda a sua pstolla, tenho visto
muito d'isso na minha vida. Quem & o
senhor e como se chama ?
Sou uov representante do povo.
Pois eu sou umgendarme. O senhor,
coaio represeatante do povo faz leis ; eo,
como gendanoe, faco cumpri4a6 ; sao pjro-
hibidos os desafos, e na miaba presenca
ninguem se- bater.
O* adversarios compreheadoram o seo
daver e retiraram-ss para se encontrarem
mais tarde.
Poucos dias depois, era o bravo Leblond
promovido a qoariei-mestre de cavaitaria.
Esta sceoa pinta bem o carcter do prin-
cipe Pedro Bonaparte.
satisfactorios, mas nao publica
do li-juido phosphoreseente.
a formula
PRUSSIA No anno de 1869 as escolas
prussianas tinham dois milhoes e novecen-
tos alumnos.
O numero das efcolas primarias era de
5:620, com 34:834 mestres e 2:016 mes-
tras. As despezas geraes subiram a dez
mlhas.
Em 1867, a despeza elevou-se.a doze
milhoes.
HONRAS FNEBRES. No da 31 de
Janeiro celebrarara-se em Roma os funeraes
do gran-dnque da Toscana, que Sua Santi-
dade quiz que se fizessem com toda a pom^a.
Ao mesmo tempo que se celebravam as
exequias do gran-duque na igreja dos San-
tos Apostlos, tinham lugar na de S. Luiz
dos francezes ai do bispo de Tarbes. Ce-
lebrou a missa o bispo de Bayona e assis-
liram 140 bispos francezes, bespanhoes, al-
terases e hngaros.
Monsenhor Bertrana Severo Lorenzo,
bispo de Tarbeas contava mais do oitenta
annos; porm apesar da saa ayancada dade,
e de urna cruel enfermidade que o levou ao
tmulo, quiz ir Roma.
' o stimo prelado que alli morro de-
pois da abertura do concilio.
O rri e a verdade
Quiz um justo soberano
Da verdade o rosto ver ;
Pois cousa mu constante
Pelos pacos o semblante
Descoberto ella nao ter,
Com desejo mu sincero
D'exprimir lhe o que senta,
O just<> rei ordenara,
Descoberta fosse a cara,
D'aquella que nao menta.
Logo a corte em alvorbeo
E confusao se levanta ;
Ministros e antigos ayos,
Velbas damas e lacaios,
Ninguem mais sorri nem canta.. *
Tal o medo de ver
Da deusa asiere semblante.
Que foge ludo apressado,
Deixando despovoado
Todo o paco n'um instante.
Abandonado emui triste,
O re assim fRa a dama r
Ser verdade, princeaa,
Que no mundo a realesa
Amigos s tem de fama ?
-f T5o, lhe responde a verdade,
bella face mostrando,
Amigos cortos da c'ra
EMtem, porm i toa,
Vivem de esmola chorando.
FOLHETIM
9 HS!llriI 0L1MIH
POB
lie Berthet
XIV
A testa da aldela.
*(ContinuacSo do n. 50.)
Um engenheiro, um engenbeiro!
reoeto Van-Best impacientado. Hoje,
qoando se fal.a n'um engenbe.ro, pensa-se
Jue est tudo dito Pois meu pa nao e a
nizenhero e creoo este estabeleamento
Sfde a origem. Fica na orteza, meu
'migo, de qae todos os estudos d'ellesno
alera alaos annos passados no interior de
uma mm N'este ramo a iheoria nada
$J la pratica 6 tudo; Sempre>qu
s*tera tratado do descobrtr o veto Real, os
homens da sciensia tem esgoudo em v3o
n'essa teoUva toda aso algebra, br.
Rernier, meu engenbeiro adoal, no me
fez despender qoantias consideraveis n este
intuito ? t verdade que o pobre bomem
i est velho e passa umbem por partida-
rio das tbeorias antigs. Eo somma,
Leonardo, tenho coofianca em U: tens
um bocado da sciencia moderna, porque
freouenuste as escolas, teus experiencia, s
mteilieeole e perseverante, e, portanto. creio
com boas razos, qoe a empreza deque
atento encarregar-te nao superior as tuas
'uonardo,apezardassi jupacbes
secretas, comecava a tomar interesse na
""^Mas afinal porque tea empenho em
me encarregar de dirigir Ul seryco ?
- Fallar-te-hei franco. D'aqm a algaos
dias vou ter por associado um joven enge-
nheiro francez, que ter na direceo da
mina poderes iguaes aos meus. Pareco qoe
o Ul engenheiro um poco de sciencias dis
cipu'.o da Academia Potytechnica o da ce-
lebre escola de Minas de Pars, e, alm
d'isso carregado de diplomas privilegios
de descobertas que urna cousa por ah
alm... E provavel qoe o bomem .para
ahi venha por tudo em revoluco com ares
de supremaca. Assegura-se designada-
mente que se empenha em descobrir o veio
Beal. enriquecendonos n'um abrir e fechar
de olhos. Ignoro como elle pode obter
inf .rmaces tao exactas da mina para fallar
tanto da cadeira, mas isso pouco importa.
Agora, meu charo Leonardo, deves avahar
o desejo que tenho de te ver triomphir de
tal empreza, rebateodo um pouco o orgulbo
d'esse sabio de gabinete 1 Reconbecendo
n5o sao precisas tantas formulas e
PROGRESSO HM TUDO.Tem-so- feito
em Paris algumas experiencias para tornar
visives durante a noule os nomes das ru s
e os nmeros das casas.
Dedicando-se estas investigacoes, acaba
de descobrir um chimico um processo muito
simples, cuja applicacao ser de grande uti-
lidad* para o eommercio e para o publico.
Consiste este processo-no emprego de um
liquido especial que,, applicado sobre as
lettras da* taboletas e de toda a especie de
inscripco*s, torna-as luminosas- durante
noute. Quanto mais- escuro e sombro est
o tempo, mais claras se apresaotam as let-
tras.
O peridico pariziense que di esta- no-
ticia diz que o intento j deu resultados
BOM LIVROEnviaram a Leibnitz um
liwo, pedindo-1 he que dsse a sua opiniao
acerca delle. Foi esta a resposta do gran-
de pbilosopho allemao :
Este livro tem muitas cousas boas e
muitas colisas novas. O peior que as
novas nao sao boas, e que as boas nao sao
novas.
Ha tantos assim L..
CAES DE S. BfiRNARDO. Dzm um
espirituoso critico francei, qoe qpanto
mais conhecia os homens, mais amor tinha
aos caes, e o seguinte facto narrado pelo
Fgaro justifica esta opiniao.
Dous caes, da valente casta que susten-
tada pelos religiosos do monte de S. Bernar-
do, apresentarnm-se portara do convento,
o mez passado, conduzindo fendo, um
companbeiro seu.
Oj monges, ao verem frido o cao com
orna puaalada trataram, de averiguar o
SHCcedido.
Fora o caso que tres italianos, expolsos
de Franca, tornvam para a Italia segnindo
o caminbo do m)nte de S-. Bernardo. Fo-
ram sorprendidos pela nev, emeio gela-
dos cahiram prostrados no slo.
Os dedicados- caes de S. Bernardo, des-
cubrir m um dos viandantes, ajwteram-o a
deserabararar-se da nev e lamberara-a
para lhe incuUrem algftm calor nos enrege-
lados membros.
O italiano, recobradas algumas torcas,
indireitoo-se, puchoa por um punhal e fe-
rio com ella um dos caes.
Foi este que os outros animaes conduai-
ram ao convento, deixando na soledade o
ingrato.
O cao foi curado pelos frades. Um ita-
liano foi salvo por outros cies. Doas fo-
ram encontrados mortos na nev.
---
OBREIAS. Ainda nao. ha dois seculos
que se principien a fazer uzo da obreia
para fechar cartai.
Na Allemanha osava-se j a obreia pelos
annos de 1624, segundo diz Bakman.
Labat, que viajava pela Italia em 1706,
attribue esta invencO aos genovezes.
Diz-se que s uso da obreia as cartas se
tomou dos lace demonios, porque antes
d'elles* egundo temos visto, atavam-se as
cartas para nao serem lidas.
E o mais exquisito que pela"cor da
fita ou fio com que iam atadas, se conbecit
de quem era ou de que tratva a carta.
Por exemplo : um bilhete amoroso ia ala-
do cora urna fita cor de rosa.
Urna cara d'.uma menina a outra amiga,
com fita branca.
Outra que tratasse de negocios serios,
com um cordao ou fita preta.
A carta do marido esposa, atava-se com
urna lita amarella.
Urna carta de eommercio ia atada com
um simples fio de a godo, d'onde parece
que veio especialmente a expresso de atar
o fio das relaces," quando, depois de que-
bradas, se reencetavam e cuntiouava a cor-
respondencia.
ANIVERSARIO. proposito do anni-
versario da execuco de Luiz XVI, de que
tanto se fallou estes dias em Franca, citou o
Gaulois alguns votos motivados dos dspu-
tados que tomaram parte no parecer.
Reparemos o esqoecimento:
A pena contra a conspiraco a morte;
os meus principios porm repellen) essa
pena, e nunca a votarei. ( Condorcet.)
A pena de morte absurda, barbara e
propria para tornar os costumes ferozes.
i Bancal.)
Creo que basta privar o criminoso dos
meios de fazer mal. ( Cappin )
Parece-meabsurdo.que os homensijue
fazem as leis ordenem a morte de outro
homem. ( Creuzi Latouche.)
Nao creio que homem algum tenha di-
reito de privar da vida um seu semilbante.
(efermon.)
Ha muito tempo que manifestei o meu
desejo de ver snpprimida a pena de morte.
( Dufriche Valaz.)
N5o possivet ser justo en matar o
seu inimigo ? ( Dusauits.)
A morte do criminoso nao repara o
crime commettido. (Fourny.)
A sociedade nao tem direito para ma-
tar o inimigo vencido. (Lanjuina.} '
PEREGRLNACiO A MECA. Segundo
annuncia o Jornal offisai, a caravana de
Meca sahiu de Damasco a 13 de Janeiro com
as ceremonias do costme. Como acontece
frequeotemente que estes piedosos- peregri-
nos voKam infeccionados do cholera-morbos
ou alguma outra epidemia, tomaram-se este
anno algumas precaucoes a este respeito,
que sao reltalas por urna outra folha es-
trangeira.
A 27 de Janeiro o governo ottomano
maedou para o mar Vermelho o paquete
Rethymo, em que embarcaram os-doutores
Arif-Effendi, Millingen e Watrin, encarrega-
dos de escolher as costas da Arabia um
lugar proprio para alli se estabelecer ama
estaco naval e urna quarentena.
Tanto qoe esta estaco naval fi jue esta-
blecida, a polica marilima d'aqnellas pa-
ragens ser confiada, durante os tres ou
quatro mezes que dura a peregrinaco, a am
navio de guerra indiano destacado fl ilba
de Perim, que tenha a bordo dous mdicos
turcos ou mais, se for preciso; e todo os
navios que transportasen) peregrinos, sahin-
do ou entrando no mar Vermelho, sero
obngados a quarentcna, se as suas con-
dicoes sanitarias nao forem perfeitaraente
coohecidas.
O governo enreo, qVie v a necessidade
de respeitar os prejuizos religiosos das-po-
pulachos musulmanas, adopta- por cmqnanto
estas medidas, das nanitas qoe a com&iisso
hygenca internacional apresentou.
que
equacoes para extrahir carvio de podra,
apresentar-se-ha com modestia e sem duvi
da para o futuro faremos melhor compa-
nhia- t- i i
Um sorriso assomoo aos labios do Leo-
nardo, qoe perguntou em seguida :
__Esse sugeito provavelmente o Sr.
de Beaucourt, sobrinho do excellente Sr.
R..., director doscaminhos de ferro de...
tois que, coabecelo? verdade
qoe, sendo tu recommendado do Sr. R...,
deves ter conbecimento de seo sobrinho...
Diz-me : tal qual se dii?
Nlo seirespoodeu Leonardo.
Ah I sim, comprehendo. Nio queres
emittir a tua opioio a seu respeito.. Mas
s* veremos Opois. Por agora o qoe de-
sejo que me digas se ests decidido a ac-
ceitar a minna proposla.
Sea como quer. Efectivamente hz al-
guns estudos praticos a respeito da mina.
E posso esperar bem reuttado ?
Assim o espero, sem, com tudo, e
atrever a aflirma-Io. N'estas crasas podem
fcilmente os resultados nao corresponder
espectativa.
Isso verdade ; todava, ajudtdo de
conhecimeatos, boa vontade e alguma fortu-
na, de presumir bom resaltado. Tenho
sobre a materia certas ideas qoe hei de
transmiUir-te. Nao ha tempo a perder : o
Sr. ds Beaucourt,. que se acha em Franca
delido por certos negocios nao chegar se-
nlo 'aqui a oito diaS; forcoso que an-
tes d'isso se descobra o veio Real.
Em oito dias nao presumo possivol I
Ters. tua disposico todos os ope-
rarios e ajndar-te r.ei com os meus coose-
Ihos. Praticar-seho, se o entenderos
conveniente, diversas sondagens simultanea
mente... V a gloria que te ba de caber!
Tu, um simples mineiro, deitar assim agua
s maos a um sapientsimo engenheiro
francez I... Quanto recompensa que te
ba de caber depois de obtido o resultado,
tu afixars, e dou-te a minha palavra que
te concederei tudo o que me pedires.
Leonardo estremeceu, filando sobre o in-
dustrial o seu olbar ardente.
possivel, senhor. disse o mance-
boque me conoeda todo o que lhe pedir?
E se eo for demasiado exigente ?
Van-Best, dominado pelo desejo de se
tornar superior ao seu futuro associado,
nio calculara a extenso do compromisso ;
mas, vendo Leonardo eothusiasmar-be.re-
darguio: .
J se enteade que tu nao exigirs st
nao cousa rasoavel ou que nao compromet-
a a minha digoidade..
talvez graude a minha ambico ;
mas, em todo o caso, sena incapaz de re-
clamar cousa alguma prejudicial sm dig-
oidade.
Acredito te e dou-te carta branca. .
Quando tencionas comecar com o servico ?
O mais breve possivel, pois nao tenho
me ios desejos do que o senhor de dbegar
ao resultado
Van-Best poderia talvez admirar-se da
declaraco que Leonardo lhe fazia da sua
impaciencia, mas calculara ambico do
joven miaeiro em relelo sua humilde po-
sico, e por isso nao tratou de reconside-
rar sobre a palavra dada.
Quando ia comecar a Interrogar Leouar
do cere dos meios que tencionava empse-
gar na empreza, chegavam todos ao ponto
do jogo do tiro, tornando-se impossiveb por
isso prosoguir na conversa confidencial; que
haviam encelado.
Como dissemos, os alvos estava eolio-
cads jumo de urna parede derrocada, res-
tos de um velho edificio feudal. Algumas
cerdas s espeques obstavam aos espectado-
res invadir o recinto reservado aos atirado-
res. Es'es acbavam se agrupados dsbaixo
de umas.arvores, qoe os preservavam dos
raios do sol. Na ausencia de tropa, era a
ordem publica mantida pela polios do lu-
gar. Um camarote de folhagem e tapeta-
do, do qual se dominara todo o recinto do
exercicio do tiro, se achara reservado para
o burgomestre e pessoas que o acorapa-
nhassem. No exterior do camarote estavam
os premios destinados aos yenoedores,
premios que se poderiam considerar bem
modestos, se o seu valor estimativo os nao
fizesse realcar aos olhos dos contendores.
Logo qoe Van-Best e Amelia apparece-
ram, o burgomestre foi attenciosamente
convida-los a entrar no camarote. Amelia
reclamou igual favor para Gertrudes. Leo-
nardo e Antonio, iam a retirar-se, quando
Van-Best disse ao burgomestre com a sua
habitual sem ceremonia :
O' compadre, deiw entrar estes doqa
rapazes.
QUE BATOES Sr Eduardo Wright,
ora presidiario que j cumpriu senteaga o
que gusa de cortos- crditos-em Londres por
eausa das leituras que tem da io recente-
mente, convidou para jantar 200 ladros.
A carta de convite era concebida n'estos
termos:
Sf Wright dar de jantar aos ladrees
da paree meridional de Londres. Fa ilitar-
se-ha bilhe de entrada a todo o ladran que
se aprsente ;m Gospet Hall ( Hospedara
do Evangelho), excepeo dos que nao t-
verem cumprtdo.,as sentencas.
Ao terminar o banquete, du o ampbi-
iriao um schslling a cada qual dos convida-
dos para compraren* objectos que se ven-
dem pelas ras, recomraendando-lhes que
exercessem honradamente a sua profsso-
de vendedores ambulantes.
0 magistrado municipal lancou um olhar
obliqu>para os do s raineiros. Sua mu-
lher e filha, em fatos de gala, estavam as-
sentadas frente do camarote ; mas, ape-
zar da tolerancia dos costumes fiameng- s,
repugnaw-lbe apresentar na tribuna official
dous simples mineiro*. Nao obstante isso,
conceden o favor pedilo pelo importante
director da mina de Poligsies, bem que
Van-Best e Amelia tomaram assentc fren-
te, Gertrudes um pouco mais atraz e os
dous mineiros Qcaram de p entrada,
pouco lisongeados de certo pelo favor qoe
Ibes era concedido.
Em breve comecaram os exesccios pelo
tiro de espingarda.
Nao entraremos na%descripco minuciosa
dos diversos lances feitos petos habis ab-
radores de Polignies e seus contornos. As
detooaeoes succediam-se com iotentallos re-
gulares e em seguida a cada urna d'ellas
as bateras de tambores annuociavam ao
publico o bom ou mo resultado do lance,
que era victoriado ou censurado pelos di-
versos partidarios dos contendores. No fim
de contas, nao passava de ser isto um mo-
ntono espectculo; mas, como o exercicio
do tiro e da flecha seja um divertimento na
conal, absorviapor isso as altences dos
concurrentes. O proprio Van-Best chegou
a deixar-se enthosiasmar, e, nao obstante
conhecer a maior parte dos concurrentes,
interessava-se ora por uns, ora por outros,
j completamente esquecido dos graves in-
teresses que ainda de manha o agitavam.
Debrocado sobre o parapeito do camarote,
ria a bom rir, dando applausos estridentes
sempre que a bala oo a selU davam no
alvo.
Quanto a Amelia, nao tardn a mostrar
que nao partilhava do enthosiasmo de seu
pai. Como no camarote o calor fosse mui-
to forte, ella, depois de ter supportad co-
rajosamente aquella siuTocadora tempera-
tura, recouheceu que I Le era indispensavel
ir tomar novo ar. N'este sentido disse al-
gumas palavras a seu pai, que n'ou|raa cir-
curastanctas, seria o p-imeiro a acompanha-
la, mas n'aquella occasio achava-se to
absorvido presenceando ahita de dous con-
currentes que se disputavam a pi imazia no
tiro, que se limitou a responder filha com
um signal de cabeca. Amelia dirigio-se
para aporta do camarote, e Gertrudes,
apezar de parecer muito entrelida com o
espectculo, quiz erguer-se para a acompa-
nhar A joven pedio-lhe qoe hcasse, e dft
pois, passando por diante de Leonardo a
Antonio, desceu os degros, achando-setem
breve ao ar livre.
D'aquelle lado o campo estava comple-
tamente deserto. Se nao fossem os tiros
de espingarda, os gritos da multidSo e a
rufar des tambores, na pareca star-sa
prximo de to numerosa concurrencia.
Campos de luzerna o couves arrostres se
prolongavam a perder de vista no hori-
soite ; legies de insectos zumbiara no ar;
urna suave brisa vinha dft^quando em quan-
do modificar os irdores do sol e Amelia
pareca aspirar deliciosamente aquelleax.
vivificante.
Seria, porm, somonte calor quem a
determinara a deixar o camarote ?
Amelia, educada com excessivo recato,
era rapariga simples estranba a todo o ar-
tificio, mas as naturezas anda asmis sin-
gelas ha um in-tincto de astucia de qoe s
vezes nem se tem consciencia. Talvez Ame-
lia cedesse a algum pensamento reservado
procurando a insulacSo.
'osee como fosse, poz-se a passeiar va-
garosamente ao longo uocamarote.
(Omtinmr-se-ka.)
T*T. W DIABia*A DAS CRGZE81,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3PQH5E46_BAXE7C INGEST_TIME 2013-09-14T00:12:41Z PACKAGE AA00011611_12057
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES