Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12052


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO XLVI. NUMERO 46
PARA A CAPITAL E LUGARES OKDE BAO SE PAGA POETE,
r?or tres j&ezes adiantados........ ...... 6000
Por seis ditos idea........... ..... 12jJ000
Por um anuo jdem...............'.'.'..'.. 240000
...... '..!.. 330
ada mamero avulso
SARBADO 26 DE FEVERIRO DE 1870.
PABA DEIT88 E TORA DA PROVINCIA.
Por tres mezes adiantados ,.........*.';',
Por seis ditos idem.................
Por nove ditos idem.............
Por um anno idem .
6*750
13*500
20*250
27*000
DIARIO DE P
MMBIM
Propriedade de Manoel Figueifja de Faria & Pilhos.
_
SAO AGENTE:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filbos, no Para ; Goncalves & Pinto, no MaranhSo ; Joaqun, Jos de Oveira, no Cear ; Antonio de Lemos Braga, no Aracatv ; Joao Mam Julio Chaves, no Ass ; Antonio arques da Silva, no Natal; Jos Justino
Imeida, cm Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahvba : Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha : Beiarmino dos Santos Bnfcln. p.m Sanin kr>n. iw*;n^<, ia a. n,. ___
... ..<.* ,,uu3, uw ra,a uuuv-i'ca i .mu, uv ludraiuau joaquim jse ae uineira, uu ueara ". lcm uraga, no Aracaij ; joao siam /uno Chaves, no Ass ; Antonio arques da Silva, no
Pereira d'Almeida, cm Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha ; Betarmino dos Santos Bateao, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Francisco lavares da Costa, em Alagoas ; -Dr. Jos Martins Alves, najBahia ; e Jos Ribeiro Gasparinbo no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL.
Covcrno da provincia.
r.XPEDIEXTS ASSIC.N.IBO PELO EXM. 68. SENADOR FRE-
DF.niCO DE AI.MKIDA U ALBLOUEHQUE, PRE-lllE.M'i:
DA PROVINCIA, EM 21 DE JAXBIRO DE 1870.
N. 510.Porlaria ao Exm. Sr. general com-
mandante das armas.Fico inteirado do haver o
Io cirurgio reformado do exercito Dr. Francisco
Concalves de Moraes por doente deixado de visitar
a enfermara dos menores do arsenal de guerra,
e V. Exc. encarregado desse servico ao 2 cirur-
gio tambem reformado do exercito Dr. Ernesto
Feliciano da Silva Tavares. como me declarou em
Oficio do 20 do carrale sob n. 38, a que res-
pondo.
| N. 511.Dita ao director do arsenal de guerra.
Inteirado de qunnto V. Exc. expoz em sen offl-
cio de 8 do corrente sol) n. G, tenho a dizer em
resposta, que ncMa data levo ao conhecimento do
governo imperial, para resolver como julgar con-
venintc, a nftivideneia por V. Ex'\ lumbrada no
citado offlcio, para que um do* empivgados desse
pstabeleeimento auxilie ao professor do primeiras
lauras e elueando d"sse arsenal, mediante a gra-
ilica?ao de I0J mensi.es.
2" sercao.
N. 513.Dito ao Exm. Sr. presidente do supre-
mo tribunal de justica.Levo aotonhecimento de
V. Exc. que jasando* participon o juiz de direito
da comarca da Boa-vista bacharel Luiz de Albu-
querqne .Martins Pereira, em offlcio da 19 do cr-
lente deixara por molestia de regressar a dita
comarca e reassuihir as lnccoes do respectivo
cargo.
N. 513.Portara ao Dr. chefe de polica.Em
vista do que sollicitou o Exm. Sr. presidcnto das
Alagoas em ofiiek) de 21 de dezembro prximo
lindo, reeommendo a V. S. que providencio para
que as autori lados do termo de Dora Conselho. que
I Fie slo subordinadas, se abstnho de envadir o
territorio do municipio de Palmares dos indios na-
quella provincia para exercer jurisdiccao, alim de
evitar conflictos d effeitos sempre perniciosos, e
a bom do servico publico procurem auxiliar as
dalli no cnmprimciito das leis porque havei a
precisa reprocidade por parle dos funccionarios da
sobredita provincia.
N. 515.Dita ao mesmo.Por delibraeao desta
data, resolv "conceder ao cidadao Francisco Paes
Harreto a exoneracao que pedio do cargo de de-
legado de polica inuuico a V. S. e llie reeommendo que louve por
parte desta presidencia o mesmo delegado pelos
bons icrvicos que prestou no exercicio do dito
cargo.
N. 516.Dita ao mesmo.Constando de offlcio
do inspector da tliesouraria provincial datado de
I!) de corrente c sob n. 28, que nao podem ser all
xaminadasascontasda despeza paga pela collec-
toria do termo doiiio Formoso, e relativa ao sus-
tento dos presos pobres da cadea daquella cdade,
durante o trimestre de outubro a dezembro do
auno prximo passado, por falta da remessa das
rcla^oes de taes presos, reeommendo a V. S. que
com urgencia exija do delegado do mesmo termo
tsstt relacoes e as remeta para o lira de que ci-
ma se trata.
N. 517.Dita ao mesmo.Em vista do que V.
S. expoz em oflicio de 19 do corrente sob n. 96,
autoriso-o a mandar destribuir pela popula cao in-
digente do termo de Flores, as dez cargas de v-
veres que desuadas ao de Ingazeira, anda all se
acham, por nao ter o delegado do ultimo termo
mandado-as buscar.
N. 518 Dita ao mesmo Declarando os med
eos designados para examinar o preso Antonio de
llollanda Cavaicanti, no flnaldo parecer queapre-
sentaram, nao poderem, sem novo exame, emitlir
juzo definitivo, sobre se dito llollanda solTre ou
nao de alienacao mental, tenho nesta data determi-
nado que proeedam a outro exame, o que commu
nuieo a V. S. para sen conhecmento.
N. 510.Dita ao commandanle superior interino
da guarda nacional do Reeifs.Temi de confor-
midade com a loa informaco da 18 do corrente
sob n. 13, designado o 2 'batalhao do infrntara
da guarda nacional deste municipio para a elle
ser aggregado o alferes do Io batalhao da capital
do Rio Grande do Norte Joao Carlos de Souza
Santiago, assim a communco a V. S. para seu co-
nliecimenti) e direceo.
N. 520.Dita aojoit de dimito da comarca de
laranhuns.Em vista do que solicitou o presi-
dente das Alagoas, era offlcio do 2 de dezembeo
prximo lindo, reeommendo i Vine, que providen-
cie para que as autoridades do termo de Bom-
Conselho, que Ihe sao subordinadas, se abslenham
de invadir o territoritono .do municipio de Pal-
meiras dos Indios naquella provincia para exercer
jurisdiccao, aim de evitar conflictos de effeitos
sempre perniciosos, e a bem do servico publico
procurem auxiliar as dalli no cumprimento das
lels, porque haver a precisa reprocidade por par-
le dos funccionarios da sobredita provincia.
N. 521.Dita ao commaodanto do batalhao n.
St de infamarla da .Cabo.Acabo de recommen-
dar ao commandanle superior da guarda nacional
dessa comirca a uxpedicio de ordem para que ne
da 23 do corrente. se ja postA a disposi;o do de-
legado desse mnnicipio una forca de 30 pravas da
gnarda nacional e a mesma recommendacao, faco
a Vmc. aflm de que cumpre aquella ordem.no caso
d- haver demora na soa expedieo por nao ser a
tetrpo encontrado o sobredilo commandante supe-
rior.
'N. 522.Deliberacao.O pre-idente da provin-
cia tendo ouvido o 'Dr. chele de polica, resolve
exonerar o cidadao Francisco Paes Brrelo do car-
po de delegado de polica do termo do Cabo por
assim o haver pedido.
N. 523.Dita.O presidente da provincia em
vi?ta do offlcio do Dr. chefe de polica de 18 do
e rrente, sob c. 87, resolve exonerar o cidadao
Crbano Jos de Mello do cargo de Io supplente
do delegado do termo de Pao d' Iho.
N. 524.Dita.O presidente da provincia aiten-
dendo ao que requereu o alferes do 1" batalhao de
infamara da guarda nacional da capital da pro-
vincia do Rio Grande do Norte,JooCarlos deson-
za Santiago, e em vista do que informa o comman-
dante superior interino do municipio do Recife,
em offlcio de 18 do corrente, sob n. 13, resolve
que seja elle aggregado ao batalhao de inlanta-
i ia deta cdade, visto ter fixado a sua residencia
na fregueiia de S. Jos.
3.' seccao.
i N. -525.Portara ao inspector da thesouraria de
farenda.Anouindo ao que soliciten o chele de
polica em offlcio de 19 do corrente, sob n. 98, re-
eommendo a V. S. que, conforme indicou em ou-
tro offlcio, dirigido na mesma data ao mencionado
chefe mande pagar ao collahorador gratuito da-
craella raparticao Ernesto Soares de Azevedo a gra-
ufleaco de 50# que deixon de percaber no mez
d? dezembro nltimo, o amanuense Joaquim Jos
do Reg Rangel a quem por estar de licew;a, subs-
tituio o referido collaborador.
N. 596.Dita ao mesmoExpeca V.S. assuas
urdens^aara que em vista da folha e pret juntos
em duplcala seiam liquidados os vencimentos re-
lativos ao mez de dezembre do anno prximo pas-
sado do offlcial e pracas da guarda nacional desta-
cados ni villa do Brejo e pagar a sua importancia a
Joao Baptista d Mederos conforme soliciten o
commandanle superior daquelle municipio era of-
licio de 11 do corrente, sob n. 25.
jJ7.Dita ao mesmo.Communco a V. S.
para os devidos flns, que segundo parlicipou ojuz
de direil'i da comarca da Boa-vista bacharel Lail
de Alliuquerque Martins Pereira em oflicio de 19
do corrente deixara por molestia de regressar a
dita comarca a reassumir a3 funecaes do respecti-
vo cargo.
N. 528.Dita ao mesmo.Tendo o Io cirurgio
reformado do exercito Dr. Francisco Goncalves de
Muraes, por doente deixado de visitar a enferma-
ra dos menores de arsenal de guerra, e o briga-
dero commandante das armas encarregado desse
servico ao 2 cirurgio tambem reformado do
exercito Dr. Ernesto Feliciano da Silva Tavares,
assim o comnunco a V. S. para scu conhec-
mento.
N. 529. Dita ao mesmo.Communco a V. S.
para seu conhecmento, que segundo consta de
offlcio do governador do bispado de 18 do corren-
te, sob n. 159, foi nessa data provsonado o Rvd.
Antonio Jacomc de Araujo coadjuctor da freguezia
de Nos-a Senhora da Purificacao de S. Gongallo de
Una para o lugar do vigario encommeudado da
mesma freguezia.
N. 530.Dita ao inspector da ihcsourara pro-
vincial. Depois de liquidada em visia da inclusa
conta em duplcala, a desoeza feila no semestre de
jnlho a dezeaibro d anno .prximo passado com
o forneciinento de luz e agua para o quartel do
destacamento da villa do Limoeiro mande V. S.
pagar a sua importancia a Joo Teixeira da Ro-
cha, conforme solicitou o chefe de polica em offl-
cio de iiontem, sob n. 102.
N. 531.Deliberacao.O presidente de provin-
cia tendo em vista as informacoes da thesouraria
provincial, resolve de conformidade com o dispos-
lo do ai t. 60 do respectivo regulament > nomear o
2 escripturaiio da mesma thesouraria Bernardo
Carnciro Hontero da Silva Santos para o lugar de
Io escriturario vago pelo fallecimento de Francis-
co Geraldo Moreira Temporal.
4* seccao.
N. 53i.Dito ao Exm Sr. presidente da provin
ca das Alagoas.Inteirado do que V. Exc. me
coramunicou em scu offlcio de 21 de dezembro pro
ximo lindo, com referencia a conflictos de juris-
diccao entre as autoridades do municipio de Pal-
meira dos Indios nessa provincia e as do Bom Con-
selho desta, declaro a V. Exc. que nesla dala pro-
videncio no sentido da ultima parte de seu- citado
offlcio.
N. 535.Portara ao Dr. Pedro de Athayde Lo-
bo Moscoso.Em vista do final do parecer asig-
nado por V. S e pelos dous oulros facultativos no-
meados por esta presidencia para procederem a
exane do estado das facilidades mentaes de Anto-
nio de llollanda Cavalcante de Albuquerque, que
se acha na casa de delencao, convm que se pro-
ceda a novo exame, alim de bem verificar-se se
dito individuo soffre ou nao de alienacio mental.
Igual ao Dr. Ignacio Firmo Xavier e Ernesto Feli-
ciano da Silva Tavares.
* N. 536.Deliberacao.O presidente da provin-
cia resolve conceder a exoneracao que pedio o pa-
dre Tito de Barros Currea do lugar de censor do
Gymnasio Provincial.
N. 537.Dita.O presidente da provincia resol-
ve nomear ao Dr. padre Luiz Ferreira Nobre Pe-
linca para o lugar de cenor do Gymnasio Pro-
vincial.
N. 538.Dita.O presidente da provincia atten-
dendo ao que requereu o professor publico da ca-
deira de instrueeo primaria de Santo Amaro das
Salinas desta cdade Manoel Roberto deCarvalho
Gumares, e tendo em vista a informacao do di-
rector geral interino da instruccao publica de 11 do
corrente sob n. 31, resolve, usando da atlribuico
que Ihe confere o art. Io da lei n. 887 de 23 de ju-
nho do anno passado, conceder-lho mais seis me-
zes de I cenca com todos os vencimentos para tra-
tar de sua sade, a contar do da em que flndou a
que Ihe foi concedida por deliberacao desta presi-
dencia de 21 de julho ujtitno.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO SR. DR. ELIAS IREDERI-
CO DE ALMEIDA K ALBUQUERQUE, SECRETARIO IN-
TERINO DO GOVEn.NO, EM 21 DS JANEIRO OE 1870.
r seccao.
N. 539.Oflicio ao Dr. chefe de polica.De or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia decla-
ro a V. S. que por deliberacao desta data foi exo-
nerado o cidadao Urbano Jos de Mello do cargo
de Io supplente do delegado do termo de P;io d'A-
Ih i, em vista do oflicio de V. S. de 18 do corrente
sob n. 87.
N. 5i0.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia manda declarar a V. S., em
resposta ao seu oflicio de 19 do corrente sob n-98,
que a thesouraria de fazenda tem ordem para pa-
gar ao collaborador gratuito dessa repartico, Er-
nesto Soares de Azevedo, a graliiieaco de 50000,
de que trata o citado offlcio.
N. 5W Dito ao mesmo.Nesta data autorisou-
se a thesouraria provincial a pagar a Joo Teixei-
ra da Rocha a quantia de 48200, constante do
offlcio de V. S. datado de honlem sob n. 102, o
qual fica assim respondido, do ordem do Exm. Sr.
presidente jda provincia.
N. 542.Dito ao commandante superior da
guarda nacional do Srejo 0 Exm. Sr. pre-idento
da provincia, respondendo ao offlcio de V. S. data-
do de 11 do corrente e sob n. 25, manda declarar
que a thesouraria de fazenda tem ordem para pa-
gar a Joo Baptista de. Mederos os vencimentos
constantes do citado offlcio.
N. 543.Dito ao juiz de direto da comarca da
Boa-vista Do ordem do Exm. Sr. presidente da
provincia aecuso o recebimento do offlcio de V. S.
de 19 do corrente, em que participa nao ter, por
molestia, regressado comarca da Boa-vista re-
assumir as funegoes de seu cargo.
3* secQao.
N. 544.Offlcio ao inspector da thesouraria
provincial.S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
tendo por deliberacao desta dala resolvdo conce-
der a exoneracao que pedio o padre Tito de Bar-
ros Correa do cargo de cinsor do Gymnasio Pro
vincial; assim o manda communicar a V. S. para
seu conhecimento.
4" seccao.
N. 545.Offlcio ao director geral interino da
instruccao publica.S Exc. o Sr. presidente da
provincia tendo por deliberacao ^desta data resol-
vido conceder a exoneracao que pedio o padre Tile
de Barros Correa do lugar de censor do Gymnasio
Provincial, e nomeado para o substituir ao padre
Dr. Luiz Ferreira Nobre Pelinca ; assim o manda
communicar a V. Exc. para seu conhecmento.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO EXM. SR. SENADOR FRE-
DERICO DE ALMEIDA E ALBUQUERQUE, PRESIDENTE
DA PROVINCIA, EM 22 DE JANEIRO DE 1870.
"! seccao.
N. 546.Portara ao Exm. general commandan-
le das armas.Tendo nesta data deferido o reque-
imento qne veio annexo ao offlcio de V. Exc. de
S do corrente sob n. 37, em que Joo Carlos dos
Santos, enfermeiro-mr da enfermara militar des-
la cidade pede exoneracao do referido Ingar, por
nao poier mais continuar a exerclo, assim o
communco a V. Exc. para sen conhecimento e di-
receo, devendo continuar naquelle exercicio, para
que lora nomeado interinamente, o cidadao Joa-
quim Marcelino de Carvalho, como indica V. Exc.
em seu citado offlcio, que assim respondo.
N. 848.Dita ao cnsul do Brasil em Portugal
Com a copia do offlcio do juiz de orphos do
termo desta capital, datado de 14 do corrente,
transmiti em original ao Sr. Manoel Jos Rabello,
cnsul do Brasil em Portngal, a certido de casa-
mente da fallecida Carlota Maciel deOliveira Sal-
gado, nico resnitado das diligencias erapregadas,
conforme diz aquelle juiz, para obter qg esclarec-
mentes de qrte tratam os offlcios do Sr. cnsul de
12 de outubro e 25 de novembro ultimo. Aguar-
do as informacoes que prometi o mesmo juiz, e as
que solicite do presidente das Alagoas, para as
enviar. Renov ao mesmo Sr. cnsul a seguran-
za de minha estima e considerarlo.
2' seccao.
X. 549.Portara ao juiz de orphos do termo
da capital.Com o seu offlcio de 14 do corrente
recehi a cerldao de casamento de Carlota Maciel
de Oveira Salgado, e aguardo o resultado das di-
ligencias ulteriores desse juiao para obter 03 escla-
recimentos desejados acerca da mesma, aflm de o
transmitir ao cnsul do Brasil em Portngal.
N. 550.Ditas ao juiz municipal e promotor de
Biique.Informe Vmc. com urgenria a esta pre-
sidencia se F. de tal Lacerda esta ou foi pronun-
ciado por crime de nrorte perpetrado na pessoa do
indio Manoel Alves.
3." seccao.
N. 551.Portara ao inspector da thesouraria
de fazenda.Tendo por offlcio de 23 de dezembro
ultimo, autorisado ao inspector do arsenal de ma-
rinha a mandar fazer um roastro para o talegra-
pho da torre do collegio ; assim o communco a
V. S para seu conhecimento.
N. 552.Dita ao mesmo.Transmuto a V. S.
as 6 inclusas erden do tbesouro nacional, sob n.
262 e 265, e n. 1 e 2 datados de 31 de dezembro
ultimo, e 3 e 8 do corrente mez, bem como um
offlcio da directora geral das rendas ,-publicas, de
12 do citado mez de Janeiro, ni.
N. 553 Dita ao mesmo.Tendo por offlcio de
23 de dezembro ultimo, autorisado ao inspector do
arsenal de marinha para mandar fazer um mastro,
assim o communco a V. S.para seu conhecimonlo.
T. 554.Dita ao mesmo.Transmiti a V. S.
o incluso offlcio da secretaria de estado dos nego-
cios da fazenda, datado de 14 do corrente, colirio-
do cxemplarcs da circular n. i,.datado de 11 des-
te mez.
N. 555.Dita ao mesmo.Aecuso recebido o
offlcio de 20 do corrente, s>b n. 32, cmt|ue V. S,
participa haver Joo Alves de Quintal, arrematado
por 304 um bote, urna balieira e urna catraia, que
inutilisaram-se no servico da alfandega desta capi-
tal, e em resposta tenho a dzer que approvo essa
arremalacao.
N. 556.Dita ao mesmo.Expeqa V. S. as
convenientes ordens, para que no da Io de feve-
reiro, s 8 horas da manha se passe revista de
mostra ao l* batalhao de infamara da guarda na-
cional deste municipio que tem de desaquartellar.
N. 557.Dita ao mesmo.Declaro a V. S., para
seu conhecmento, que por portara de 18 de de-
zembro ultimo, segundo consta de aviso da re-
partico da guerra de 13 do corrente, foi nomea-
do o caplto Tiburco Hilario da Silva Tavares,
para o lugar de ajudante do director d > arsenal
de guerra desta provincia, Picando dispensado do
mesmo servico o capitn reformado do exercito
Jos Ignacio do Medeiros Reg Monleirc, que in-
terinamente exerec aquelle lugar.
N. 558.Dita ao mesmo.Tendo nesta dala de-
ferido o requerimento em que Joao Carlos dos San-
tos enfrmeiro mor da enfermara militar -desta
cidade pedio exoneracao do referido lugar; assim
o communco a V. S. para seu conhecimento, de-
clarando-lho que contina n'quelle exercicio para
que fra nomeado interinamente o cidadao Joa-
quim Marcellino de Carvalho.
N. 559.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial. Autoriso a V. S., nos termos de sua m-
formacao de 20 do corrente, sob n. 31, com refe-
rencia a de 19 de agoste do anno prximo passa-
do acerca do requerimento que incluso devolvo,
a mandar pagar pela verb.i eventuaes do actual
exercicio a gratiQcaeo de 600.-5 annuaes, marca-
da pelo 12 art. 63 da lei do orcameato vigente,
ao escrvo privativo da chefatura de polica e da
delegacia do l'distrcto desta cidade, Antonio Car-
los de Almeida, visto nao se haver votado quota
para esso flm.
N. 560.Dita ao chefe da repartiente das obras
publicas.Informo Vmc. o que se Ihe offerecer e
convier acerca das 4 inclusas proposlas aposen-
tadas pa/a a illuminaco a gaz da cidade de Olin-
da, Goyanna o llio Formoso, sendo 1 do enge-
nheiro Joaquim Pires Carneiro Monteiro, 2 de W.
Richard, e a 4" de Thcodoro Justo e Dr. Gustavo
Adolpho Userffbam.
4" seccao.
N. 561.Offlcio ao presidente da provincia das
Alagoas.Reitero a V. Exc. o pedido que tiz dos
esclarecimentos solicitados pelo cnsul do Brasil
cm Portngal, acerca de Carlota Maciel de Oliveira
Salgado, e de que trata o offlcio desta presidencia
de 17 do dezembro prximo Ando.
N. 562.Portara ao vigario da freguezia de
S. Caetano da Raposa.Inteirado do coutedo do
scu offlcio de 30 de novembro prximo lindo, te-
nho a dizer-Ihe que remeta urna nota dos surdos
mudos existentes nessa freguezia, com as decla-
racoes exigidas na circular desta presidencia de
13 d'aquelle mez
N. 563.Dita ao administrador do crrete,
Communco i V. S. para seu conhecimento, que o
vapor Tocantins chegado dos portos do sol segu
hoje para os do'norle.
N. 564. Dita aos agentes da companhia brasi-
leira de paquetes a vapor.Podem Vmcs. fazer
seguir para os portos do norte o vapor Tocantins,
hoje a hora indicada em seu offlcio desta dala.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO SR. DR. ELIAS FREDERI-
00 DE ALMKIDA E ALBUQUERQUI', SECRETARIO INTE-
RINO DO GOVERNO, EM 22 DE JANEIRO DE 1870.
21 seccao.
N. 565.Offlcio ao Dr. chefe de polica.De
ordem do E;.m..Sr. presidente da provincia decla-
ro a V. S., que nesla dala se expedo ordem para
que amanha sejam apresentadas ao subdelegado
da fregnezia do Poco da Panella, 15 pracas mon-
tadas para re torear o destacamento d'aquelle dis-
tricto.
N. 566.Dito no commandante superior interi-
no da guarda nacional do Recife.O Exm. Sr.
presidente da provincia, manda declarar a V. S.
que nesta data se expedio ordem, para que no
da 1 de feveriro vin loaro as 8 horas da_ma-
nha, se passe revista de mostra ao 1 batalbo de
infamara que tem de nesse dia desaquartellar.
XPEDIENTE ASSIGNADO PELO EXM. SR. SENADOR ERE-
DERICO ALMEIDA E ALBUQUERQUE FRKSIDENTE DA
PROVINCIA, EM 24 DE JANEIRO DE 1870.
1" seccao.
N. 569.Portara ao Exm. Sr. general com-
mandante das armas.Tendo por decrete de 18
de dezembro ultimo sido nomeado commandante
das armas da Baha, o coronel commandante do
forte do Bnraco Antonio Gomes Leal, segundo
consta de aviso da repartico da guerra de 11 do
corrente; assim o communco a V. Exc. para seu
conhecimento, e aflm de que o nomeado siga para
aquella provincia, como recommenda o citado
avi-o.
N. 570.Dita ao mesmoDeclaro a V. Exc.
parausen conhecimento e flns convenientes que
por portara de 18 de dezembro do anno prximo
lindo, segundo consta de aviso da repartico da
guerra, de 13 do corrente, foi nomeado o capito
Tiburco Hylario da Silva Tavares para o lugar de
ajudante do-director do arsenal de guerra desta
provincia, flando dispensado do mesmo servico o
capilao reformado do exercito Jos Ignacio de Me-
deiros Reg Monteiro, que interinamente exerce
aquede lugar.
N. 571.Dita ao mesmo. Communco a V.
Exc. para os flns convenientes que o vapor Ctiru-
ripe da companhia Pernambucana segu para o
presidio de Femando era viagem extraordinaria
no dia 29 do eorreie, como solicitou o respetivo
igual ao director do
gerente om offlcio desta dala,
arsol de guerra. >
N- 572Dita ao director de/arsenal da guerra.
Segnndo consta de offlcio do-commandante do
presidio de Fernando, de 20 do corrente,'sob n.
121, veio remanido dalli no vapor Cururipe com
destino a eSse arsenaLum caxoto com 25 pares de
sapatos, o q comnrfnico a V. S. para seu conhe-
cmento e flns convenientes.
If. 573.Dita ao mesmo.Declaro a V. S. para
scu conhecimento e fins con venientes, que por
portara de 18 de dezembro do armo prximo An-
do, segundo consta dojviso da repartico da guer-
ra, de 13 do corrente,"i nomeado o capilao Tibur-
eio Hilario da Silva Tavaros para o lugar de aju-
desj* directora, flcando dispensado desse servico o
dante capito reformado do exercito Jos Ignacio
de Medeiros Reg Monteiro, que urterinameliw o
exerce.
N. 574.pita ao commandante do presidio de Fer-
nando.Trawmi'to a Vmoipara seu conhecimento
copia da aviso de 13 do co(fente, que me dirigi o
Exm. Sr. ministro da guerra, relativamente aos
vencimentos do tenente do crjiO de estado-maior
de 2 classe, recretario desse eommando, Clemente
Francilio lavares.
2" seccao.
N. 376.Portara ao Dr. chefe de polui.Com
mmico a V. S. para os ftns convenientes que o
vapor Contripe <\3l Companh'a Pernambuca segu
para o presidio de Fernando em viagem extraordi-
naria no dia 19 do corrente, como solicitou o res
peclivo gerente em offlcio desta data.
N. 577.Dita ao Dr. Francisco de Assis de O-
veira Maciel, |uiz de direto da Ia vara desta cida-
de. Ddsigno Vme. para fazer parte Ja junta que
em ultima instancia tem de julgar neste palacio, a
l de feveriro vndouro, ao mete da, o alferes do
eorpo provisorio de polieia Bazilo LuizGorho, en-
viando-lhe incluso o conselho de jnlgtmento do
mesmo, para nessa occasiao apresentar o relatorio
do esylo.
N. 578.Dita ao commandanle superior da guar-
da nacional do municipio do Cabo e Ipojuca.Ten-
do por deliberacao desta data, de conformidade
con a sua informacjta de 30 de dezembro ultimo,
n. 1005, nomeado a Joaquim Francisco de Souza
Leo Jnior e Antonio Bandeira de Mello, aquelle
para alfere da 1* o este para tenente da 2' compa-
nhia do f> eiquadrao.de cavallaria da guaradi na-
cional sob sen eommando superior; assim o com-
munco a V. S. para seu conhecimento e direc-
Cio.
N. 579.Dita ao commandante superior da guar-
da nacional do municipio do Limoeiro.Tendo pela
deliberacao copia n. 1 j)rivado dos postes para que
fcram noraeados era I* de abril de 1868, os offl-
ciaes do batalhao n. 22 da guarda nacional desse
municipio nefla declarados, os quaes deixaram de
solicitar suas patentes no prazo legal, e nomeado
para o mesmo batalhao, de conformidade com a
propogta do respectivo commandante nterin, a
que se refere a informaco de V. S, de 9 do. cor-
rente, os offlciae constantes da deliberacao, copia
n. 2; assim o communco a V. S. para seu conhe-
cimento.
N. 580.Dita ao mesmo.Faca V. S. constar ao
oommandante interino do batalhao n. 23 da guarda
nacionar sob seu eommando superior, em resposta
ao offlcio que me dirigi com dala de 10 do cor-
rente, que devend os ajudantes dos corpos ser
nomeados dentre os offlciaes do exercito, confirme
dspoe o art. 49 da lei n. 602 de 19 de seterabro
de 1850, nao pode ter lugir a nomeaco para
aquelle posto do guarda Manoel Barbosa Diniz,
como propoz, e que era casos idnticos deve guar-
dar o disposto no 23 do art. Io e no art. 22 do
decreto n. 1354 de 6 de abril de 1854. Entretanto,
emquanto se eo faz essa nonicacao, poder ob-
servarse o qo disp5e o art. 73 do decreto n. 722
lo 25 de onlubro de 1850.
X. 581.Dita ao mesmo.Annuindo ao que V.
S. solicitou em offlcio de 27 de dezembro ultimo
acabo de auterfear o inspector da thesouraria pro-
vincial a expedir as convenientes ordens, para que
peta collectoria desse municipio sejam pagos os
vencimentos* dos guardas naconaes all destacados,
em vista dos ferets competentemente legalisados
com a assignura do commandante do corpo, a
que pertencerum laes pracas, com o visto de
V. S. Assim rica re-pondido o citado offlcio.
N. 582.-Din ao coroncj Rodolpho Joo Barata
de Almeida.-Oesgno V. S, para fazer parle da
junta qne a lide feveriro vndouro, ao meio din,
n"stc palacio, em de julgar o alferes do corpo de
|).liria BazilioLuiz Colho. O mesmo mutatis mu-
tantlis aos tenintes-eoroneis Joaquim Jos Silveira
e Decio de Aqiino Fonceca.
N. 583.DfflL.o jm'z municipal da Ia vara desta
^^i a Vmc. para os fins conve-
apor Cururipe da Companhia Per-
io para o prosidjo de Fernando em
linaria no dia 9 do corrente, co-
Mpectivo gerente m oflicio desta
cidade.Co
mentes que9
nambucana al
viegem extra
rao solicitou 9
data.
N. 584.DlT *o mesmoSegundo consta de
urna guia do clinmandante do presidio de Fernan-
do de Noronhade 21 deste mez, veram para esia
capital a ser apreseutados ao Dr. ohefe de polica
os sentenciados do jasfic Silvino Ricardo Amancio
e Franci-co Aatomo Bob, o que Ihe communco
para us devido? fins.
N. 585.Dila ao commandante do corpo provi-
sorio de polica. Pode Vmc. alistar no corpo sob
seu eommando o paisano Jos B irbosa dos Santos
de qiem trata o seu offlcio n. 33, de 22 do corren-
te, tenlo elle a necessaria idoneidade.
N. 583 bis.Dita ao mesmo.Em vista do que
informa Vine, em offlcio de 21 deste mez.sob n. 31,
autoriso o a desligar do corpo sob seu eommando
o snldado Io Pereira da Cunha
N. 586.-'Deliberacao.O presidente da provin-
cia, tendo em vista a proposta do commandante
interino d> 6 esquadr do cavallaria da guarda-
nacional o municipio do Cabo, e o que a re3-
peito nformou o respectivo commandante supenoj-
em offlcio de 20 de dezembro ultimo, sob n. 1005,
resolve nomear para o referido esquadrto os offl-
cues segoous :
1* companhia.
Aleres Joaquim Francisco de Souza LeSo Jnior,
flcando privido do posto Guilhermino Joaquim
do Reg rirreto,'que, sendo nomeado era 27 de
junho de 1868, nao solicitou patente.
2* companhia.
Tenente, o feces aggregado Antonio Bandeira de
Melle
N. 587.Bita.O presidente da provincia, ten-
do era vista! a proposta do commandante interino
do batalbo in. 22 do municipio do Limoeiro, e o
que a respeto d'ella nformou o respectivo com-
mandante perior interino em offlcio de 9 do
corrente, rewlve nomear para o referido batalhao
os soguintesbfflciaes :
Estado-maior.
ImestrjJ! o alferes da 4* companhia
isa de Lima,
rio, Camirino Rodrigues Callaba.
! compauhia.
Alferes, JosdLourencp Gomes Cabral.
Dito, Manoelparo da Malta Ribeiro.
2 companhia.
Alferes, JoaJim Barbosa da Silva.
mpanhia.
Tenente, Severino Barbosa da Sil-
va N^
Alfar**,
Dte,-Angosto da CostaGomcs.
7' companhia.
Tenente, e alferes secretario Joaquim Martins da
Cunha.
8' companhia.
Alferes, Amaro Severino de Paula.
N. 588.Dita.O presidente da provincia resol-
ve, de conformidade con o 1 do art. 65 da lei
n. 602 de 19 de semtebro de 1850, considerar sem
effeilo as nomeacSes dos offlciaes do batalhao n.
22 do municipio do Limoeiro, abaixo declarados,
Mlai por deliberacao do IV de abril de 1868, vis
to nao terem solicitado as respectivas patentes :
Estado-maior.
Tenente quartel-mestre Antonio Martins Tama-
rindo.
2" companhia.
Alferes, Antonio Vicente da Costa.
5a companhia.
Alfjres, Francisco Cavalcanti de Salls Nobrega.
Dito, Manoel Cesar de Moura Coulinho.
7> companhia.
Tenente, Hermino Bezerra Cabral.
N. 58).Portara ao inspector da thesouraria
de fazenda.Communco V. S. para os flns con-
venientes, que o vapor Coruripe da companhia
Pernambucana segu para o presidio de Fernan-
do em viagem extraordinaria no da 29 do crlen-
le, como solicitou o respectivo gerente cm offlcio
d'esta data.
N. 590. -Dita ao mesmo.Constando de offlcio
do commandanle do presidio de Fernando, de
18 do corrente, sob n. 112, haver remeltido no
vapor Coruripe da companhia Pernambucana com
destino a essa thesonrarla, 28 saccas de algodo
m la da producejio da ilha'cam o peso de 140
errobas e 25 libras ; assim o commnnico V. S.
aparajseu conhecimento.
N. 591.Dita ao mesmo.Depois de liquidada,
em vista da folha e pret nominal juntos em dupl-
cala, que me remenea o commandante superior
do municipio do Brejo com offlcio do 11 do cor-
rente, sob n. 24, mande V. S. pagar a Pedro Pau-
lo dos Santos os vencimentos relativos ao mez de
dezembro ultimo, do offlcial e pracas da guarda
nacional destacados em Cimbres ou Pesqueira.
N. 592.Dila ao mesmo.A Malaquias Jos
Baptista ou ao seu procurador mande V. S. pagar,
depois de liquidada, cm vista da conta junta em
duplcate, que me remetteu o chefe de polica com
offlcio de 22 do corrente, sob n. 111, a quantia de
14310 res, oa o que justamente se dever prove-
niente da despeza feta com o fornecimento de luz
e agua para o quartel do destacamento da villa de
Cimbres, durante o mez de setembro ultimo.
N. 593.Dita ao mesmo.Transmiti V. S.
por copia para seu conhecimento e execucao, o
aviso que me dirigi o Exm. Sr. ministro da gaer-
ii era 13 do corrale, relativamente ao vencimento
do tenente do corpo do estado-maior de segunda
classe secretario do eommando do presidio de Fer-
nando Clemente Francilio Tavam.
N. 594.Dila ao mesmo.Tendo sido approva-
da, segundo consta de aviso da repartico da agri-
cultura, commereio o obras publicas, de 12 do
corrente, sob n. 2, a deliberacao que tomn esta
presidencia de mandar pagar sob sua responsabi-
idade as grattcac6"es que venceram durante os
mezes do novembro e dezembro ultimo, o dese-
nlila e praticanles que auxiliara o engenheiro Ra-
phael Archanjo Gilvo Filho, encarregado dos es-
tudos do melhoramonto do porto da capital d'esta
provincia, assim o communco V. S. para seu,
conhecimento.
N. 595.Dita ao mesmo.Inteirado do conte-
do do oflicio que V. S. me dirigi em 19 do cr-
reme, sob n. 31, tenho a dzer em resposta que, a
tlisouraria provincial j tem ordem para ndem-
nisar ao ministerio da guerra da quantia de___
3:2074530 constante d citado offlcio e proveniente
de objectos fornecidos pelo arsenal do guerra ao
corpo provisorio de polieia, desta capital no exer-
cicio do 1868 a 1869.
N. 596. -Dita ao mesmo.Pelo vapor Coruripe
da companhia Pernambucana, segundo consta de
oflicio de 20 do corrente sob n. 124, remetteu o
commandante do presidio de Fernando com desti-
no ao almoxarifado do arsenal de guerra um oti-
lte com 25 pares de sapatos; o que communco
a V. S. para seu conhecimento.
N. 597.-Dita ao mesmo.Tendo o brgadeiro
commandante das armas participado que nesta data
dera parte de prompto e reassumira o lugar de
encarregado da enfermara dos menores do arse-
nal do guerra o Io cirurgio reformado do exerci-
to Dr. Francisco Goncalves de Moraes, assim o
communco a V. S. para seu conhecimento.
N. 598.Dita ao mesmo.Transmuto a V. S.
para os devidos flns a guia junta que pelo com-
mandante do presidio de Fernando da Noronha,
veio a osla presidencia em offlcio de 5 do corrente
relativo aos sentencalos militares Manoel Joa-
quim Cavalcante, Vicente da Annuneacao e Joa-
quim Antonio ourado e aos de justira Silvino Ri-
cardo Amando e Francisco Antonio Bob, que re-
gressaram esla capital.
N. 599.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Autoriso V. S. a expedir as convenien-
tes ordens, para que nos termos de sua informa-
Cao de 21 do corrente, sejam pagos pela collecto-
ria do Limoeiro os vencimentos dos guardas na-
conaes all destacados, em visia dos prets compe-
tentemente legalisados.
4.1 aeccjfoi
N. 601.Portara ao desembargador provedor
da Santa Casa de Misericordia.Nos termos de sua
informaco de 21 do corrente sob n. 2390, mande
V. Exc. admittir no collegio dos orphos o meoor
Jos lilho de Mara da Gonceico Vieira de que
trata a inclusa certido de idade.
N. 601Dita ao mesma.Declaro a V. Exc.
em resposta ao seu offlcio de 21 do corrente sob
ii. 2389, que concelo a autor sarao que pede a
junta a lministraliva dessa Santa-Casa, para reeo-
Iher no collegio dos orphos logo que obtenha a
respectiva certido de idide o menor Antonio Sal-
adn ae Albuquerque Maranho, lilho da inferma
oaquina Gomes Wanderley que falleceu no hos-
pital Pedro II.
N. 603.Dita ao gerente da companhia Pernam-
bucana.Pode Vmc. fazer seguir no dia 29 do cor-
rente para o presidio de Fernando em viagem ex-
traordinaria o vapor Coruripe, como solicitou em
seu offlcio desta data.
N. 601.Dita ao mesmo.O Sr. gerente da com-
panhia Pemambncana mande dar uma passagem
de estado a r at a Parahyba no vapor que tem
de seguir para o norte ao Dr. Francisco de Assis
Pereira Rocha Jnior.
N. 605.Dita aos agentes da companhia Brasi-
lera do paquetes a vapor.Os Srs. agentes da
companhia Brasileira de paquetes, mandem dar
transporte para a corte por conta do ministerio da
marinha no vapor Guar, que se espera do norte
ao imperial marinheiro Marcelino Antonio Ramos.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO SR. DR. ELI.'iS FREDE-
RICO DE ALMEIDA E AI.BCQUEBQUE, SECRETARIO
INTERINO DO OOVERNO, EM 24 DB JANEIRO DB 1870.
1* seccao.
N. 606.Offlcio ao commandante do brigue bar-
ca Itamarac.De ordem de S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia, declaro a V. S. em resposta ao
seu offlcio desta data sob n. U, que flea expedida
a conveniente ordem para ser transportado a corte
no vapor Guar, qae se espeta do norte o impe-
rial marinheiro Mareelino Antonio Ramos de que
trata o seu citado offlcio.
N. 607.Dito ao padre Francisco Alves Abras
les.-Constando de participacao da secretaria de
estado dos negocios da marinha de 7 do corrente,
ter sido indeferido o requerimento era que V. S.
pedio ser prvido no lugar de capelln dos meno-
res do arsenal de marinha desta provincia, assim
declaro a V. S. para seu conhecimento.
2J seccao.
w. 608. Offlcio ao Dr. chefe de polieia. O
fc.xm.Sr. presidente da provincia manda declarar
a v. s. ero resposta ao seu offlcio de 2 do cor-
rente sob n. 111, que a thesouraria de fazenda tem
ordem para pagar a Malaquias Jos BapJiua, ou
ao sea procurador a quinlia de I4310 constan-
te do citado offlcio.
N. 609.Dito aocommaodante superior da guar-
da naeional de Ilamb. De ordem do Exn*. Sr.
presidente da provincia aecuso o "recebimento do
offlcio de V. S. de 24 do mez lindo, em que decla-
ra ter pp.ssado o comma-ndo superior da guarda
nacional desse municipio ao tenente-coronel Pau-
hno Velloso Freir, commandante do batalliao n.
56, por ter assumido o exercicio do cargo de jniz
municipal' como seu Io substituto.
N. 610". Dito ao commandante superior di
guarda nacionai do Brejo.Nesla dala autorisou-
se a thesouraria de fazenda a pagar a Pedro Pau-
lo dos Santos, os vencimentos couslantes do offlcio
de V. S datado de 11 do corrente sob n. 24, o qual
Mea assim respondido, de ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia.
N. 611. Dito ao juiz municipal da pnmoira
vara desta cidade.De ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia commnnico a V. S. que o sen-
tenciado Melquades Jos de Sani'Anna, de quem-
trate o seuoflicio de 11 do corrente,veio do presidia
de Fernando no vapor Cnrurtpe, a ser apresenta-
do ao Dr. chefe de polieia, segundo informa o com-
mandante daquelle presidio era offlcio de 19 des-
te mez.
4" seeco.
N. 612.Offlcio ao viscoodo de Camaragbe.
De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia
communico a V. Exc. que existe nesta repartico-
para Ihe ser entregue depois de pagos os direto
devidos o seu titulo de thesourero do Imperial
Instituto Pernambucano de Agricultura.
N. 613.Dito ao vsconde de Suassuna. De?
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia
communico a V. Exc. que existe nesta repartico
para Ihe ser entregue depois de pagos os direites
devidos o scu titulo de presidente do conselho fis-
cal do Imperial Instituto Pernambucano do Agri-
cultura.
N. 614.Dito ao baro do Rio Formoso.De or-
dem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia com-'
munico a V. Exc. que existo nesta repartico para
Ihe ser entregue depois de pagos os direite* devi-
dos o seu Ululo de vce-prosid>-nte do c mselho fis-
cal do Imperial Instituto Pernambucano de Agri-
cultura.
N. 615.Dito ao engenheiro Williain S. Lindsey.
Pela secretaria do governo se cominunica ao
Illm. Sr. engenheiro William S. Lindsey, parasn.
sciencia que, segundo consta de aviso da reparti-
So da agricultura, commereio e obras publicas
e 10 do corrente, nao ha por emquanto necessi-
dade de se mandar procedor a medicao de ierras*
devolatas desta provincia, proposto em seu reque-
rimento.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DA PROVINCIA DO Dl 2 !
DE FEVERIRO.
Padre Augusto Frankliu Moreira da Silva.Se-
gundo informa o Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial, nao haoa lei do orcamenlo vigente, neni
em qualquer outra especial disposico alguma re-
lativa as obras da matriz de Gamelleira, portante
nao tem lugar o qae reqaer.
Auna Senhorinha Monteiro Pessoa.R'.medida
ao Sr. Dr. director geral da instruccao publica pa-
ra attender a suppiicante nos termos de sua infor-
maco n. 74 de 21 do corrente.
Dr. Augusto Carneiro Monteiro da Silva Santos.
Conceda-se seis mezes nos termos da lei n. 88?
de 23 de junho de 1869.
Dr. padre Antonio dt Cunha Figueire lo.Nesla
data foi designado o engenheiro Flix Ramos Lu-
cetur, para assistir a medicao de que trata o sup-
piicante, a custa de quem se faro as despeza.
Antonio Manoel Ribeiro Chalaca.Informe o Sr.
capito do porto.
Commisso administradora da igreja de Nossa
Senhora do Rosario da freguezia da Boa-Vista.
A vista da informaco, indeferido.
Fielden Brothers.Informe o Sr. engenheiro fis?
cal da illuminaco a gaz.
Dr. Feli|fpe Nery Collaco. Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Francisco da Silva Miranda. ConceJa-sc qna-
renta dias com ordenado somente.
Francolino Araerico de Albuquerque Mello.In-
forme o Sr. Dr. chefe de polica.
Irmandade do Sanssimo Sacramento erecta nes-
ta igreja matriz de Santo Amaro de Jabuato.Fi-
ca a suppiicante tmtorisada a despender com a
continuaco das obras da matriz de que trata at
a quantia 861 510, em que importa o beneficio da
quinta parte da lotera concedida as mesmas obras
com obngaco de prestar contas na thesouraria
provincial da despeza feta, quando lver do ser
indemnisada.
Irmandade da Ordem Terceira do Nossa Senho-
ra do Carmo.A' vista da informaco fica a snp-
plicante autorisada a continuar as obras de que
trata, dispendendo at o valor do beneficio da 6*
parte da lotera concedida para as mesmas, com a
obngaco de prestar conta* na thesouraria pro-
vincial quando tiver de receber a importancia do
masmo beneficio.
Fr. Joaquim do Espirito Santo. Informe o Sr.
director da Fac idade de Direito.
Jusiino Jos de Souza Campos. Conceda-se a
prorogaco requerida.
Joao Theodomiro da Coste Monteiro.Informe o
Sr. Dr. juiz de direite da comarca de Olinda, ou-
vindo o juiz municipal respectivo.
Luiz Francisco Teixeira.Remeltido ao Sr. Dr.
director geral da instruccao publica para attender
ao supplicante nos termos de sua informaco n.
72 de 21 do corrente.
Comniando das armas.
QAnTEL-GENERAL DO COMMANDO DAS ARMAS NA
PROVINCIA DEPERNAMBUCO, 25 DE FEVERIRO
DS 1870.
Ordem do dia n. 460.
Havendo o governo imperial nomeado por por-
tara de 3 deste mez, para commandante do for-
te do Boraco o Sr. tenente-coronel do corpo de
estado maior de segunda classej Alexandre Au-
gusto de Frias Villar, como foi communicado pela
presidencia em offlcio de 23 deste mez, determi-
no, que o mesmo Sr. teneme-coronel que se apre-
sentou neste quartel-general a 21 viudo da corte,
assuraa amanha o referido eommando, qne o
devora receber com as formalidades da lei, do Sr.
tenente-coronel do corpo de engedheiros Sebas-
tio Jos Basilio Pyrrho, qae interinamente o esta
exercendo.
Assignado-^/ba/fttffn los Goncalvet Fontes.
ConformeEmiliano Ernesto de Mello Tambo-
rhn, tenente ajudante de ordens encarregado do
dotalhe.
PERNAMBUCO.
FACULD,
CO prximo
'ADIARA.
- :|
Idia 3 de niar-
a matricula do


2
Diario de Pernambueo SabWlo 26 de Fevereiro d 1870.
alumnos da Facullade de Direito, devendo os *
Is auno apresenlar cerlido de baplismo qi' Jv
ve seren maiorcs da 16 annos, e pro- r-j^J*'
ram approvados nos 7 exames prep' -/JJJ
I
rrtorios.
a*, aulas deste esta
ronccionar no dia 3 de
ipprovados ros 7 exames prep
OOLLEGIO DAS RTRS.'
beleeimento comecatn a
marro prximo.
4AKXS r-'\P,lP(xVALBSC03.-lnaugarase hoje
* no;u ^ ,allio do in9a,ro d Santo Antonio, sito
a ^ fli Plorenna, de propriedade do Sr. Duar-
>te Uoimbra, ox-empresario do theatro de Santa
' *hel. ..
Como ja tivemos occasiao de dizer em ttma ae
nossa* passsdas Revotas, esse sallo, sem duv-
da algtim-i, o inelhor, o inais elegante e o mais
eonforiav i tiesta cidado para us bailes carnava-
lescos, n i so pelo gosto cora que f construid o e
nado, como pelas eomraodldadM quo ahi se en-
contrara.
1IOHTE RKFKNTIX A.Mo dia 19 do cor rente
falteceu de apoplexia fulminante, na occasiao em
guc so ban'iava no rio Una, no districto do Car-
suipe, Antonio Thomaz Forreira, morador no lu-
gar Alcatara di termo do Brejo, e que viva do
bolo da earidade publica.
P.tON'U.SCIAPelo subdelegado do dUtrcto de
Carsnipe foram pronunciados os individuos Manoel
de T..I conheeido por Skupira, e Alexandre Go
iiio da Silva, este innirso as penas do art. 193,
o amelle as do art. 203 do cdigo criminal.
KSTATISTICA PWANCEIRA.O exercicio de
18tiS a 186!) a thesouraria de hienda d'esla pro-
vincia ftiMron, por ordem do thesouro nacional,
saques favor dos agentes llnanceiros do Brasil
em Landres no valor de f 4i'\000 ou.......-
.>,7S:6330iris ; c no semestre de jullto a de
sembr de 1869 comprou 298,003 ou.........
3,631:3I6$337, da spguinte forma
1868
Jumo ana cambios de 18 e 18 '/?
-o I O lugar norueguense Triih^U chegado no
dia 13 do corrente altura da barra d'esta cidade,
vio-se obrigado pela forra da correnteii a fandear
as proximidades do canal, era iug'ar dedifflcil ac-
cesso. O signal daatalaia ehdgou ao coahociment
da capitana com atgumi demora, visto como a
catraia nao estava no lu?ar cosluraado.
Ao chegar a notidia do perigo quo corra o
lugar, seguio em continente o vapor Aracaju, que
cora algum trahallio, conseguo salvar aquello na-
vi i, trazendo o a reboque.
E' mais-um serval importantiasimo desses
que lanas vejes lia prestado a Associaco Serg-
?
Agnsioidem ae 17 V,, 18 '/4 e 18 */
Oatuhroidem de 19 3/i
Da atoro Una de 17 a 17 3/i
1869
Fevereiroidera de 18 '/-, a 18 > l
Marcodora de 18 V,
Abrildem de 18 /, e 18 /*
Maio-idem 'le 18 '<, a 18 '/
Maeroidem da 19 Vi a 20
U),0M
40,00!)
40,000
70,000
o respectivo gerente propoz
colloca-
aecusados e
ment ao r
lirmarem,
visto baver
em face da le

40,000
30,000
73,000
83,000
42.0011
100.000
9H.000
Noicmbroidea de 19 '/j a 19' ,
DMnlH-idea de 19 Va e 20
SAli.lDIN. -Tira a mala boje s 3 horas da lar
de, no oireo, para Liverpool, o vapor inglez Sa-
iadiii, qiie para alii segu directamente.
INCOMODO PUBLICOMiradores da ra do
Liviamc.oto .'c nos queixam do barulbo e gritara
que fazem os habitantes de urna casa da ra do
Paga todas a- n .ules cora grave incoinraodo pu
bheo. C i unamos para i-so a alinelo do br. Dr
bImI legado respectivo.
F;:T1\'1D\DE HELIGIOSA.Araanha cele-
hmuh, na i-reja de S. Grmcalo, a festa do padr ..-i-
ro eraado ao Bvanyelbo o Rwn. Antonio de Mello
! oiiqucn|iie, o ao Te teum o Rvm. pregador J i
rapilh imperial frei J fMLHOS URBANOS BB APIPUC05.-0 Sr. ge-
rente a'e-ia empr.za resoheu piorojiar al o ili;t
28 d i eorreole mea o prazo pira o resgite dos bi
Hieles de passagera, que servem actualmente d.-
iros. p ipular/o.
Pt)HfALB2A DI BURACO.Aasume h>je o
com nuil) d'esla brlalea o Sr. lenente-cormel
exaadre Augosi i de Prlas Villar.
ABUSO INTOLERAVEL.-Temos ouvdo diver-
sas pessoas queiaarem-se do abusivo cosame dos
vendedores d'agua nos ehafarixeg da cidade, de
exigiiem 3 e 6 por cento de daMMntu em cada
noia de mil reto que bes apresentada para tru-
car, feito o abate do numero crescido de baldes
d'agua, sob o pretexto de qua leni ordem dissn
faz'r dos arrematantes desee ramo de nego-
cio. Senda lesa mals am veame para a populr.
cao pilir. da ci lade, lembrunos, quemde direi
to. que providencia do forma a eessar esse
abaso.
COMPANIll Y PERSAMBlCANA.O Sr. ger.n
te desta empreza dolibi-rou reduzir 23 a 30 por
cent i i frute dos gneros alimenticios de primeira
eewiMade, attendendo a falla que delles ha nos
portes de escala dos seas vapores tanto a o su
como ao norte, a eoteear di segunda viajera do
earraaM raez, que se de\e realisar a 2 de mareo
prximo.
PAVILH.VO DE SANTA ISABEL. E' luje i
nnnftaracao do pavilbta, con-trnido no Campo
das Princesas pelo Sr. Mi-nel Pinas, para ahi lar
os baile* cana vleseos. Segundo nos informan), u
aatio ieha-se deceniemente preparado, e lera es
pie can* miente para daii-ar crescido numero de
i.'iii)-.
Ape:ii* p'-sir o carnaval, solTrcr o pavilnnn
ii n i pe ien i reforma, ali n de se prestar ao ton
naf) da companMa acndiaia.
V MTIQ3 ENCONTRADOS.-A barca ragleza Qn-
'. izada de Liverpool i 23 do rorrenle, fal
liM : a 2 de fevereiro, na lat. N. 20a o Ion?. O. de
0 icn !)', com a barca franeeza Duguny
Troiii. indo do Havre para Valparaso, cornil
dj viagem ; e a 10 de fevereiro, na lat. N.
11" i) long. 0. 27, com a har ingleza .Virada aV
' r' in l, indo do Sunderland para Nepaalam,
2 das de viagem. Todo ia bem bordo.
l)TENGLChegou honteaj tarde do Aracaj
icei e-ie vapor da ennpanhia Pernambucana,
! daquella cidade al 19 e de Macet
:,'<' :' do corrente.
') ;e-i,|enle da provincia de Sergipe resolveu
crear nina boba de eardaoe para sueeorrar apo-
pulaca) pobre do interior da provincia, por-egui
iU pal i aee sa actual ; e para formar o fundo ne-
nxsario dirigs a seguinle circular aos proprieta-
id-, lazea leiros e pessoas abastadas :
Gabinete da presidencia, 14 de fevereiro de
187). ...
' l esta I) deploravel que se acha redunda
noa paiu- da popo lacio desta provinciaem con
' la fine que cada vez mals &e estende ;
as saenas por certo aootristadorae que olfere-
cem alguiuas localidades para onde afllue a popu-
lar; i do interior procara do pao e at inesm
d'guaque llie falta ; essa constante emigracao
de I imillas errantes que aqui e all contara apena<
co ii i resultado da coramiseragao; a dr de talos
in! 'li/es, cuja jornada nao raras vazos ha marcado
o uliinio poni de urna existencia ebeia de priva.-
cues, ossas lagrima derramadas pelo pobre que
sap;.i-i unumigalha da caridade publica, ludo
ist, leva-iiie a appellar para os sentimenlos nhr-
lajaVoiiicos de V., para sua recanhesida prestimo-
1 s, i :i sarama, para a generosdade daquelles
que.n a Providencia aprouve resguardar das vi-
csilttdes d i serte.
!Velen! i brnnr urna bola desoceorros para
* Cfase indigente, que agora soffre os horrores da
E-ta bolsa estar carg'i e sob a responsabi-
lidade i ie-oureiro da the-ouraria provincial
etarregado de receber e escripturar emlivroou
q i. lar. i especial, as imporiaocias remettidas.
A iirop ireao que as c ialnl)iiic>3es foreo II-
b:ralisalas, a presidencia por meJd de comnjis-
soes nj'iieadas, ir destinando s minas para com-
pra de gneros alimenticios, que serao destrihui-
dos equitativamente por quera os merecer.
As quantias subscriptas, e o nomo dos sdbs-
cri.i D mojicionados no jornal oficial da
prov n-ia o nos da corte, e chegaro timbem ao
coihn.rimonto do governo imperial.
Conjunciamente com o produelo da bolsa de
'earidade, dispensar-se-ha os soccorrosaut)ri5ados
neja u inislerio do imperio, ao qual esta presiden
dirigi respeto.
> Est V. orintalo do meu Densamente.
Peco lite, portanto, que o mals breva pos*ivel
sirva-se" declarar*Se a quanlia co-n que pqde con-
correr, sem sacrificio, para ti i linraanilario flm,
a a> indicado thesoureiro, -jadella pas-
gara recibo.
E-p-ro qne V. aaolhet favoravelrnente o pe-
Oil i que venhode fazer.
i \'ii esp>>rarei em vao, visto como, alm da
ciu-i; 11 que tao mporianie sen'ico ha do riie-
' d iinha parte, la do a rve'rno de Sna Ma-
gft-'.ale, b Ja de seas con ; la 15 -, rentar aiftn,
io ludo, a profunda satisfarn que Cxpe-
rimnna o hornera, quando pode enchogaro pran-
n di ofiiz que gerrle.
do atirado boje sqbre as ajtuas que pas
ir ceniplicado para a 11 'l- qnc nuvio
ite os clamores da mnrRencia.
i ja de responder presente.
I o bolos no valor de 25(03
aaereiei-} de ch-
de Azevedo
pense.
Consta-nos que .
S. Exc o Sr. presidente da provincia a coiioca-
r.o de un ra-.stro, cono ja existi, na punte do
Trainandahv, alira de prevenir a demora que pOJe
dar-se na 'tran-misso dos signaos, quando a ci-
traia, como muias vetes acontece, estver em ser-
vico fra do porto.
O presdeme da provincia da Alagoas ro
tetrao adiar para o dia 13 de margo prximo a
abertura Ja assembla respectiva.
MOLESTIA A" BORDO.Inormam-nos quo dei-
xou liootein de eguir, do nosso porto para o Rio
da Prala, um navio, por haverem a borlo Iros tri-
p liantes sofrendo de etire^; e pedem-nos que
chamemos a attencao do Sr. Dr. inspector da sa-
de di porto pau esse navio, afim de que, no caso
de serera febres de mo carcter, se lomaran as
providencias necesshrias.
LOTERA.A que se acha venda e a 138-, a
oenelicii .a ierreja de Nossa Senh ira do Livra-
ment do l'.io-Eormoso, a qual corre no da 28 do
corrente.
PASSAGHIROS. O vapor Polengi, vindo do
Aricaj, lVnedo, Macei e partos intermedios trou-
se os spgainles :
Dr. Francisco da Silva Madureira Freir. Can-
dido Vieira da Cunha, .alaquias da Lago Guima
raes, Braz Bernardina Lmreiro Tavarea e 1 crea-
do, ioi Leandro Dantas Serrad Flix Jos da S.
e 1 cread... Luiz Barbosa Jnior e I creada, leao
Theolilo il. e l creada, Pedro Antonio Biboiro de
Olivcira Jnior e 1 creada, Ernesto Rodrigos
Vieira, J ia i de A?uiar B >to e 1 creada, Loorenco
Freir de .Mosquita Dastas, Siraiao de Faro _Men-
donga, G me ilo Paes Je Azevedo Faro, loio Moua de Ateved) Faro e I creado, Flix Barretto
.Je ufes i aita Freir, Joo Je Souza Araaral Pomb,
Marlinh i Ceiar da Silveira Garcez, Joaquira Anto
nio da Silveira, Anteado Gomia de Figueiredo,
Aureano A. Ribeira e Suva, Cmstanlinn da Silva
Tavares, Loiz da Silva Tova res Filho e I escravo,
Manoel Diurte Ferreira F., Antonio F. M.ia, 0.0.
Coeliio, Bayardo Leopoldo da Sohu Magalhies,
Franci^c i Ferreira B-tos de Araorira, Joo Car-
neiro da Silva Bego, Ignacio Maia, major Manoel
Xavier Carneiro ji Cunha, 3 (linos, sua B saernvos, fos Pedro Carneiro da Cunha
Vindiis do Porto no briaue por'.uguez Unio:
J<)s GonMlves di Cost i Ramos, Albino Antonio
d-as Iteis, J < loaquira Ferreira, Jos de Almeida
Campos, Jo.ifpiirn Pinto de Souza Gova Mello, D.
Mara Leopoldina de Gova,!). Mara Eugenia de G.,
O. Henri in.'ti Amalia de G., D. Carolina de Go-
va, las Je GovAa P. .Mello, Justino dos Sanos.
CEMITER'O PUBLICO.-uotuano do dia 23 de
fev-reir0 Je 1870.
M.ithd les de Aleneastre Aatran, Pernambaso,
17 annos, solt.-ira. Boa Vista ; tubrculos pulmo-
nares.
Eslean Jos da Costa, frica, 70 anno3, casado,
Recite; eneefalite.
Guilherme Pro-pero Rabello Braga, Pernambu-
co, 23 anuos, sieiro, S. Jos ; pluysica pulmo-
nar.
Florencia Francisca da Cnnceieo, Pernambuco,
70 amos, solteira, Boa-Vista; congeslao cerebral.
Jos, Pernambueo, 2 annos, Reeife ; vermes.
Joo Canato, Pernambueo, 1 me/, Santo Anto-
nio ; infl.iin.-ra).
Cezario, Pernambueo, 3 horas, Santo Antonia ;
irabalbo l., parlo.
Joo, Pernambueo, 7 mezes, S.Jos; denlico.
CHRONICA U I)< \\m\.
rniR'^AI. DO COvIvIttRCBO.
VCTA DA SESSaO ADMINISTRATIVA DE 24 DE
PEVEBEIllO DE 1870.
RESroENClA DO RXM. SR. DKSRUOARGADOR ANSELMA
FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manha, reunidos os Srs. depil-
ados Rosa, Basto, Miranda Leal e baro de
".ruangy, S. Exc. o Sr. presidente declarou aberta
i -ess.
Fui lida e approvada a acta da sesso de 21.
EXPEDIKNTE.
Diario Oficial de n. 3i 37.An archivo.
For.uii aesignadas as carian patentes do com-
merciante los Joaquira da Cunha, e do leiloeiro
Manoel Joaqiiim Je Amorim Garcia, prestando s-
te, por intermedio de senv bastante procurador
Joo Caetano de Abreu o juramento de bem exer-
cer as fnnegoes do oIBcio.
Distnbuirani-'C aos Srs. depulados os livros
Diario e Copiador de Pereira & RegniTe, o Diario
de Braga Son & C, o Copiador de H. Oettli Jt C,
o Diario de Francelino Manoel de Santa Rosa e o
de Manoel Joaquim Gomes Braga.
DESPACHOS
Requcnmcnto de Thoinaz Francisi de Salles
Rosa, quo teodo nomeado Manoel toares Harto
caixeiro de seq armazem de estiva ra do Arao-
rira n. 41, e como dejxasse de o ser, pedan) que
S. Esc. o Sr. pre.-idente mandasso que scxi cITei'.o
licasse dita nomeago.Como requi-r.
De Aurelio dos Santos Cambra, requerende o
registro, da eseriatara ante-nupcial que celebrara
por occ.isio de se receber em matrimonio com D.
Maria Ferreira Je Oliveira.Registre se.
Replica de Carneiro 4 Nognelra, ponderando
quo em seu distrato social nj >o tratando de
ajuste le cenias entre os socios, mas simplesmcn-
te da nomeacSo Jo* que donen liquJar a soiieda-
de dissolviJi, neuliuii sello proporcional Jeve pa-
gar dito d-strat. tribunal emende que da
quanlia a liquidar-se os supplicantes e-to sujeitos
ao se lo proporcional conforme o decreto n. 4,354,
pirm dirijain-se com o documento junto rapar-
tigo coaipetenle para que resol va se os supplican-
tes devera nu nao o referido sello.
com ntroajcaoao no n. DSRMBAROAOon fiscal.
De Manoel Francisco da Cunha, pedmdo carta
de cammerciahte matriculad >. Coma requer.
Da Greg.irio Paes do Ama ral 4 C. pedindo ser,
na (orina do decreto n. 4,3i)i, registrado o distra-
lo de sua lirma social.Como requerem.
Nada ntais sen lo submeltido despacho, S.
Exc. o Sr. presidente encerrou a sesso s U
hora.' e meia do da.
lo, nos
trados os
57 aeste.
,jri gra*
io carcter.
gam provi-
i'-.uto de cen-
) a fl. US,
autori-ara
se reior-
re, julgando, porm, oj r nente
incursos no crimo previsto pelo art. 18? do cdigo
criminal, par quanioj os \t re-
sultar Je- slio;
mi acto da gravMMKB corto, segundo os princi-
pios^de dirito, que esto nj pode influir dnplica-
damente, conslitiiin lo ao mesmo lerapo j uai cri-
ine especial e j ara elemento de um outro crime.
Moslrando-se uestes n -tos, que o ascrivao do juiz
de.paz do 2" districto, Manoel Jorge Cromwel,
al.n do ler escripto como peana particular, ap-
provou como empreado publico o tostara uio em
quesio, commeltend i pof este segundo facto um
crime Je responsabilidad?, mandara q e so tire co-
pia authenlica de lodo o processado o se remetta
ao juiz de direito d.t O vara crime desta capital
para eeatra a mesmn oscrivao Cromwol tambem
proceder na conformidade da lei, e paguem os re-
Brrente* as cusas.
Ifaranho, 4 de ajfoslo do 1800.Albuquerque
Mello, presidente. -Barros c Vasconcellos.Sou-
za. Uigiifira Costa.
Supremo tribunal de justiga.Falsidade.Recr-
reme Manuel de Souza Bastos, recorrrido Albi-
no Jos Ferreira Lima.
0 crime de falsidade definitlo no ai t. 107 do c-
digo comraercial nio po le ser considerado ele-
mento de ouiro crime que se lite seguir.
Revista n 1774.Victos, exposlos e relatados
ses autos de revista crime entre parles, recr-
reme Manool de Souza Bastea a recorrido Albino
Jos Ferreira Lira,', concedem a revista pela in-
justica uotoria cora que na senteug* de 11. 78 v.
confirmad pelo aecordo fl. 188 v. fui imposta ao
recurrente urna pena superior a que esta decre-
tada pelo art. 107, combinado com o art. 108 do
cdigo criminal.
Por quinto, o crime de falsidade nunca deixa
r pun lo cora as penas que propriamente Ibe
sao applicaveis,-anda que dellc resulte qualquer
outro que injustamente punido, se lhe esl impas-
ta niainr pena.
Para baver extelionato, seria preciso que a fal-
sidade acrescesse outro arii.icio fraudulento ; ella
- por si sen lo j punida pelo art. 107 deixa de
ser elemento de onlro crime que llio seguio que
por nao sor sxtelionato, sendo perem contra a pro-
priedade, esl eompreheidido na penvdn art. 237
do mesmo cdigo, a qaal nao sendo miior que a
lo art. 107 nao pode ser acumulada.
Remeltam-se os autos a relago da Babia que
designara para revisa) e novo jugamento.
Rio de Janeiro 3 de juilio Je 1803 Baro Mont-
erate, presidente. Mariano). Almeida.Cer-
queira, vencido. Bario de Pirapama, conceda
rcvi-ti!)or oulros motivo-.A. Pautoja, vencido.
Brito. -Silva Tavares.Franca, tambem vulei
pela nulliiade. Bato Chichorro.Simoes da Sil-
va, vencido.Machado Nanea,Nabuco._
Acordosla relago revisora.
Acordo em relago etc. -Que vistos, ex postes
0 relata Jos os (.resohles autos juigara procedente
a appellaijo dilles constantes, para reformar a
sentenca appellada na parle soraente em que
condemocu arappelhnta Celestino Satyro Mariins
no grao mximo do artigo 204 | 4 do cdigo cri-
minal pelo crime de estelionato, julgauJo conclu-
dent-s as atenacees do appellante sobre nullida-
des do proeessj por acbirem que foram guar-
dadas as f.T.mulas subslanciaes do me>mo e con-
tirmada dita seotenea na parte que r jnlgou in-
cur-o no grao mximo do artigo 107 do mencio-
naao cdigo ; e o eondemnou as respectivas pe-
nis ; por quanlo mostra-se dos sobreditus autos
que o refer Jo appeihute apresentou ao appella-
1 < Dr. Ignacio da Silva e Siquera em dezeuibro
de 1802 urna letra por elle asdala e assignada
ou acaitem dala de 14 daquelle mez e anuo
da quaniia do 400000 a p.agar-se a seis mezes,
pedindo-liie co:n instancia que Ih'a indos-asee, a
que aramio o apueilado assignndo como sacc i-
dor-e endosando no dorso, o jue felo reliroa-se
o appellante o escreveu o accrescontaineuto de
l:(K)0ji autos dos 40031 em um espaca ou inter-
vallo que para esse (ira dexara, ^raas cora oa
trago arraojado de modo, que nao so o ap-
pellalo o livesse por inuliiisado e na se aJ-
vertisse de algum posterior augmento, como em
oulra occasiao se adverura, mas tambem servisse
de sobrelinha depois de re alisado o arescenta-
meato, e -eguissa por bai\o dos 400i, seUand)
depois dioso a ni sin i leltea e dese-inlando-a com
o negociaoto Jos Ribeiro d Meirtlles, no que
tu lo se inanifetl do crimo de falsilica?;io do va
lor da letra un aRerao-a 1j seu valor para 1:4003
crime previsto e delirado no art. IG7, legunda
parte do cdigo criminal c nico que fra eom-
manilo fml i appidlanto para ser por elle possuido
e nao pelo Je estellionato, que nao se consummi
per ter sjem conta de concomitante e ser possui-
do coiijuntaaiento com o de falsidade na forma do
art. 168 do citado cdigo, segundo decidi e foi
julgado pela sentenca appellada, nem do crime
principal e essencial para punir-se Cora pxclusj
da falsidade, pois que com quanlo compgasse o
appellante com o artiflojo fraudulento de apresen-
lar a letra por elle escripia e aceita, disposta na
arle para o augmento que depois nella lez, e tam-
bera lizesse isso descoutanlo-a antes de seu ven-
cimenlo e tirando proveito nada recebeu do appel-
lado, nao eslava vencida, i^ein se liaba verificado
a sua insolvabilidade para comecar a responsabi-
lidade do end s inte, sondo que depois disso 30-
menlc pider-se-ha ent>-njer que dados e consu-
mados n crinaos Je falsidade e estelionato mixia-
raenle preJominavam os elementos do ultimo com
todas as circuinstancias que o qualilicarn e dell-
neui para ser o appellante condemnao por ambos
ou s pelo do estellionato, como principal, e absol-
vente da falsidade.
Confirmando, portanto, e em vsU das razos
sxpostti a sentenca appellada na parte em que
jul'gon aoappellmte iicnrso no grao mximo do
art. 167 do cdigo cri ninal, o tem pnr condemna-
do era prisao com trabalho por quairo annos na
multa le 20 por esnt) do daino quepoderia cau-
sar ou causou ao appellado e as cus as.
Babia, 3 de novembro de 1864.Vasconcellos,
presidente.Rezende. Votci pelo crime de estel-
lionato e nao do falsidade.- Votaran pelo crime
de estellionato e nao de falsidade foram votos
vencidos os Srs. Drs. Freir da Carvjjiho e Beren-
ger Cesar, e pelo crime do falsidatfe, sendo voto
vencedor, o Sr. Dr. Dmingues do (luto.Reten-
de.Silva Gomes.Espindola.Volti pelo crime
de estellionato. Moutein. Umdp.Couto.
Mariins.
para certo e seguro de que se Catinga Van-
.iielha continuar a oceupar-se da vida particular
do Molri.m o i, oihe que enlao ser can
lado em prosa e em verso, porque afortunada
mente sem querer estou munido com os compe-
tentes papeisinhosbiographicos de sua aita posi-
q3o e altos cabedaes que faz gosto.
COMMERCIO.
PRACA DO RECIFE 23 DE;FEVERE[RO
DE 1870.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDB
Algooao de Macei I' sorteIJH6 por kil. posto
a bordo, frelc de 3|8 sem capa (bqntem).
dem idem dem IS09 rs. por kil posto a bor-
do, frete de 3|8 sem capa.
Oamhio sobre Londres 90 djv. 20 1|2 por li
(hotem)
Dito sobre dito 90 d|v. 20 3|8 por U (hoje).
Cambio sohre Pars 90 d[v. 470 rs. por franco
Frete de algodo de Macei para Liverpool 3|8
por libra, fom capa.
Gongallo Jos Alfonso,
Presidente
Mesqnita Jnior,
Secretario.
ENGUSHBANK
O Rio de /aneiro LimitetJ
Descorita lettras da prafa taxa a con-
encionar.
Recbe dinheiro era conta corrente Bia
I raso Gxo.
Saca vista ou a praso sobre as cidadet
prlncipaes da Europa, tem correspondente}
ia Babia, Bueuos-Ayr;3, Montevideo, New-
a New-Orleans, e emitte cartas de crdito
para os mesmos lugares.
IlUA DO COMxMERCIO N. 36-
Sociedade bancaria
em cora mandila
Iheodoro S'mon fr G,
Compram e vendem por conta pro
pria metaes, raoedas flacionaes, e eslran-
Reirs, letras de cambio, sedulas do go
verno e "do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e outros ti
r.u!os commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes
as transaeces, da cobranca do letras di
.erra e de outros ttulos commerciaes.
Recebera quaerrjuer quantias em depo
uto, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Pelouriiiho n. 7
Caixa Filial do Banco do Brasil
em ernambuco, em liqui-
daejajo, 7 de fevereiio d^
1870.
Por ordem da diretoria do Banco io Bra-
sil selaz publico que no praso de irinta dias
i contar da presente data ser5o levados i
leilao os ttulos em liqaidafao e mais divi-
das ceoaUules da relajo que existe n
.nesma caixa a0ae poder ser examinada*
pelos pretenden! es.
.W.FANDEGa.
radimenti dr k, 1 a 24. 847:3143.112
Idem do di.. 15......36:9094266
Dr. Alexandre Jos da Costa Vleme.
Fregnena da S. Jos.
Tiburcio Valeriano Baptisia.
Freguezia da Boa-vista.
Dr. Joao de Hollanda Cunha.
Manoel Alves Guerra Jnior.
Manoel Teixeira de Albuquerque.
Dr. Jos Mana Damos Gurjao.
Dr. Joo Barbalno LT hoa Cayalcante.
Thom Joaqun) do Reg Barros.
Thomaz Ferreira de Carvalho.
Dr. Joao Ferreira da Alimida Guirnaraes
Dr. Joo Capiatrano Banoeira de Mell Filho.
Dr. Joo Bapti&ta-ltigueira Costa.
Dr. Innocencio Seraneo de Assis Carvalho.
Dr. Luiz Lopes Caslello liraueo.
Henrique Guilherme Slepple.
Jos Affonso des Santos Bastos.
Jos de Vasconcellos.
Heleodoro de Aqnino Fonseca.
Henrique Soares de Andrade Brederodes.
Dr. Horacio W'alfrido Peregrino da Silva.
Manoel Jos da Silva GuirnariS.
Dr. N'abor Carneiro Bezeira Cavalcinte.
Freguezia de AITogadis.
Salvador Barbilhu Ucha Cavalcante.
Luiz Francisco de Carvalho Paes de Andrade.
Freguezia do Poeo.
Dr. Luiz Carlos de Magalhaes Breves.
Freguezia da Varzea.
Frmno dos Santos Vieira.
Ignacio do Nasciraento Goncalves da Luz.
Manoel Francisco de Carvalho Paes do Andrade.
Freguezia de Muribeca.
Luiz de Franca Mendes da Silva.
Freguezia de Jaboalo
Luiz Pereira de Mello.
Francisco Antonio Pereira da Silva.
Dr. Felipe de Seuza Leo
A' todos os quaes e a rada um de per si, bem
como todos os ioteressiios em gecal se convi-
da para comparecerem no primeiro andar da casa
3uo foi cadea, na sala do jury, tanto no referido
a e hora come nos domis "das seguintes em
quanto durar a sesso, sob as penas da lei, se
fal'arem.
E para que pfirgue a noticia a todos mandei
passar o presente edita] que ser lido c axad
nos lugares mais pblicos e publicado pela ira-
prensa, e tambera remetter iguaes aos respectivos
subdelegados para publiea-los e mandarem fazer
as notiflcacoes necessarias aos jurados, aos cul-
pados e as teslemunhas que so acbarem em seus
districtos.
Cidade do Ilecife, 2o de fevereire de 18"0.
Eu Manoel, Antones Correa, escrivo interino
do jury, o escrevi.
Artni'nio Coiiolano Tavares dos Santos.
Faculdade de Direito
do Reeife.
De ordem do Exm. Sr. diivctor faco publico,
]ue do dia 3 de margo, prximo vindouro, en
diante, sero admiltidos a as.-!;nar matricula toldos
os alumnos da Faculdade que se habilitaren) por
raeio de requermento ao Exm. Sr. director, pro
vando o pagameuto dn laxa e a approvaco no
auno; nlerior. Os matriculado > do primeiro anno
devera > provar approvagrio n(>s sete preparatorio
exigidos pelos estatutos, e que sai maiores de 16
annos ; estes poder ser admiltidos matricula
at o dia 31 de margo, aquellos somenle at
dia lo.
Igualmente fago publico que no sobredito dia 3
de marco ter lugar a abertura das aulas prepa
ralorias, cujo ex' rcicio anda n> bavia comeeadn
por se acbarem as respectivas salas oceupadas
com os exames preprate rio-i,
Secretaria da faculdade de direito do Reeife 2
de fevereiro de 1870.
O secretario,
Jos Honorio B. de Menezes.
U por tonelada de alvarenga e canoas abenas;
54 por cada escravo ca cidade do Reeife ; i6^por
carro particular de 4 rodas; 10* por dito fes
rodas: 40* por carro de alugnel; 23* por mni-
bus e carro fnebre; 64 por cariocas, e 10J1 por
cavado de alugnel. ____
AqueHes dos contribuintes que nao satisuzeweB
oesse praso a quota da sua conirrtmcao, racoma
na multa de 6 /t 10_^
Consnlado provincial, 19 de janeiro de 1870.
Serv'mdo de administrador,
A. Witmvio Pinto Rnnisira Axioii de l/oonca.
Adminislracao dos corretos d Pernambuc*
26 de fevereiro de 1870.
Mala para Eoropa pelo vapor inglez Salaiim da
lioha de Liverpool. ^^
A correspondencia que tem de ser expeda
pelo vapor cima mencionado, para os paizes d*
Europa, ser recebida al as 3 horas da taro*.
tanto cartas como jornaes.
As cartas pagaro previamente o porte de 2I*
rs. por 15 gramolas ou fraern de 'o gramroas ;
e os jornaes 40 rs. por 40 grammas ou fraccao dv
40 grammas. "
O administrador,
___________ Affnnso do Reg Barro?.
Relacao das carias registradas vindas d snl *
. norte existentes na administrado do eorreU
feria cidade.
Antonio Leal de Rarros, Antonio da Silva Poe-
tes Guinaies (2). Antonio E. da Silveira, Antonio
Fatuto Noves de Souza, Antonio P. Ferreira Lima,
Baro de Villa Bella, Cario Albnolo (italiano)
Flix Pereira de Souza, Francisco Antonio Sabon-
do, Francisco Ferreira Borges, Francisco lcna.>
B e Lima, Francisco Romano Sieple da Silva
Francisco de Paula Pcnna, Gabriel oares R. da.
Cmara, G, Lopes de Araujo, Hemcierio Jos V.
da Silveira, Julio C. da Costa Goimares, Jrente
Augusto Attayde, Jnaqnim Bernardo de Mendbn-
ca, Joaipiim Bernardo de Figueiredo, Joaqoim
Jos da Fonseca, Jo-; Augusto de Aranjo, Jos'
Pereira Vianna, Jos Leito, Jos Antonio Pires,
Jos de Souza Barbosa, Josepha Francisca Pinto B.
Ramos Jos Anstragerilo R-Lima, Joo Pereira
do Lago Braga, Jeo Antonio Gomes Guimaracs.
loto los de Carvalho, Joo Fernandes Cavaleann
le Albuquerque, Leopo'dino Antonio da Fonseca.
Luiza de Argolo (irmaa da caridad ). Luiz Ltapth*
ta de Sooza, Loop ddrao Ferreira M. Ribeiro, Ma-
noel Lopes da Cunha Maeiel, Malos Irmo, Nico-
ls (italiano), Tn. Jefferers k C, Vicente de Mello.
W. Maeiel Pinhelro.
884:223*778
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
'olumes entrados com fazendas
dem idem com gneros
'olaraessahidos cora fazendas
dem- dem cora gneros
SESSO JUDICIAlilA EM 24 DE FEVEREIRO DE
1870.
RESIDENCIA DO l'XM. SR. DRSGUB.VROADOn A. F. PK-
nETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
A's onze Doras e meia da manha deelarou-se
aberta a sesso estando reunidos os Srs. desem-.
bargadores Silva Guimares, liis e Silva e Accioli,
e os Srs. depulados Rosa, Basto, Miranda Leal e
baro de Cruangy.
Lida, h> approvada a acta da ullima sess.lo.
Foi lido o oIBcio de 12 do crreme mez do E\m
Sr. eonselbairo presidente do tribunal ao commer-
ci da capital do imperio communcando a reraes-
sa da revista deeilida nesselribiin:il, entre partes,
reoorrentes, os administradores da ma-sa fallida
de_ Pedro ia Silva Reg ; recorridos, Tasso & Ir-
mo.E sondo aprestado ao Exra. r. presid'o
te o mdiealo feito, ordenou qne losse remutil>
para o nariario eo.npetente.
JIILGAM8NT0S.
Embargante. Gaspar Cavalcante de Albuquerque
Ucha ; embargado, Joo de S e Aibiiqueniue.
Adiado a pedido de outro Sr. dopntado.
. Appeihinle, Joaquira Salvador Peseon de Siquei
ra avalcan(e; appellado, Salvador de Siqueii a
Cavalcante Appllantes, Leandro Cavalcante da
Silva Guimaraas e outros appeUodo, Manoel loa
oum Ramos e Silva.Adiados a pedido d i Si-.
deput;ido.
l'!STHIBUIC.\0.
An Sr. "i-eiubargidor Res e SU 7a : appelhme,
Andi '1' Abren Porto; appellados, os .1
tradores da raa-sa fallida do Ara ir n, l'i :go-o,
Santos 4 C.
ACGBAVO.
'Juizo especial fe coramercii: aggravanM, Luiz
de Oliveira Lima Junicr: .aggrav.i.l o curador
fiscal da falleneia do aggravaaie.A'visia das !)*
peleles autei ior:uento juradas pelo Exm. Sr. pre-
ideuto o pelo Sr. doseraiiargadr Silva Cmnnres,
foi o indicad/eito apresentado ao Si. de-emliar-
gador P.eis p Sil
Nada mais liaveudo a tratar. ida a
Sesso ama bora menos vintj minutos.
"JIM I I III l| I .11
pumcAcoEs a mm.
QlfHBTlO JURDICA
Aecordo DeJaeo ele.Que feito o sortoio.
Exame de livros.
Hoje deve ter lugar, na sala das audiencias, pe-
rante o Dr. juiz municipal da 2* vara, o exame dos
livros commerciaes, que pertenceram ao eslabele-
cirai'nto do Sr. Felieio Jos Vaz de Oliveira, afim
de se provar o pedido do bbcllo civel entre partes
como autor Honorato Jo-eph de Olireira Figueire-
do e reo o mencionado Feneio, Sao, pois, pelo ad-
vogado do reo convidadas todas as pessoas, qnc
quizerem assisr, fea coraDarecimento as 11 horas
da manha no indicado lugar, afim de, com seus
proprios olhos, verificaren) a quera pedera apro-
veitar o vicio do que se resento o documtnto jun-
ta Jo pelo autor.
Valerianato d'ammo-
niaco de Pierlot.
Medicamento approvado pola jjcademia
de medicina, e experimentado sempre rom
bora resultado na epilipsia. hyrwsia, chor
rea, insommia, enchaqneca e nis nervo-
sas de qualquer forma.
Toma-se ama dose de urna colber de cha
pela manha e oatra da tardo em um calix
d'agoa fra.
Na pharmacia Central, ra do Imperador
ti. :$<. (7 .
Mofina.
O despreso que merece um certo Gcique, que
ornado cora tima grande chapa de braize penan-
rada por meio de urna forte, sola con o corres-
pon lente n 37 no collele, "apoiando-sno compe-
tente barril, dando gritos disformes pilas antipas
ras de Lisboa, j por ter subido doui degros da
escada social, er" estar a par com aquHIes, que se
nao tivtiram aquella edacacao que se mama com
leus paisderam-rhes ao menos o principio*
a que se Ibe d o nome de instruceau primaria,
com a qual nao con/un. rio G ; sera
bnm que o dito carean importo mais com
aprender a falla nao est muit
corrento na sua algaevia do -|mir-se ra-
par -
e len brou felle i
di vida de qnem nuaca se
nem
840
563
-------1403
42
868
-----910
Descarregaro hoje 26 de foveriro.
Patacho americano Lizzei H. Kimbatl mer-
eadoras.
Rarca inglezatirata V!oriila\sm.
Rarca americanaCasco idem.
i'atacho inglezS a Gullidem.
Rrigue portugnezCoteteidem.
Birca ingleza Mary Conk -farinha de trigo.
Rrigue inglez Siawnh.iealho.
Lugar iiizlezSnrak Srnnittrcarvao.
Rarca inglezaGisW/emercadorias.
Patacho inglez Klix Strersisidem.
Rarca franeeza -Fgaroidem.
Patacho hollandezRedite idem.
Hiato americanoMary WithenMtm.
.tECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS EI-
RAES DE PERNAMBUCO.
Condimento do lia 1 a 2i. 6l:604i088
dem do dia 23....... 1:383*324
02:987*412
CONSULADO PROVINCAI
[dem do dia 2* .
166-610*456
6:778*465
173:388*921
MOVIMENTO DO PORTO.
JJawei entrados no dia 25.
Mamanpuape16 horas, vapor brasileiro Manda-
h, de 222 toneladas, comraandante Julio Gomes
da Suva, carga algodo.
Macei24 horas, vapor brasilero Polengi, de
281 toneladas, ommandante Mello, equipagem
30, carca algod) e outros gneros.
Trieste80 das, briguo norte-allemo Lucie, de
16o toneladas, capito D. A. enK eqoipagem 8,
carga'1,897 barri.'is cora farinha de trigo ; a
Saunders Brothers & C.
Porto34 dias, brtpe portuguez l'niao, de 184
toneladas, capito Thomaz Antonio Alves da Cu-
nha, equipagem 11, earg vinlro e outros gene-
ros ; a Thomaz de A. Fonseca A C.
Hamburgo56 dias, patacho dinamarquez Willtel,-
mine, de 178 toneladas, capitfw F. Franze, equi-
pagem 7, carga varins goneros; a ordem.
Navios saludos no mesmo dia.
Rio da Pralartarca bra-ileira Conceico, capito
Jo- Gaspar Pestaa, carga assucar.
Rio da PralaDrigue norte-allemo Rikstine, ca-
pito H. Meyer, carga assucar.
New YorkHiate americano /. F. Farland, capi
to Learning, carga assucar.
Cuba Patacho inglez Altaveia, capito Thompson,
em lasiro.
THEATRO
GYMNSIO DRAMTICO
(No Mcnteiro)
s .ii a MUECfrXo Anns.m,-
VIVA 0 CARNAVAL.
Explendido*
Consulado de Porlngal em Periiambuco.
Por esta consulado se faz publico, em cumpri-
menlo da le, que havendo fallecido cm viagem
para o Cear_a bordo do vapor Ipoincu o subdito
portuguez Joo Antonio Duarle Jnior, sao pelo
prsenle convidados todos os rredores do dito fal-
lecido a apresenlareni suas enntas dentro do pra
de 30 dias para depois de verificadas serem pagas.
(Consulado de Portugal ejn Pernambueo 23 de
fevereiro de I870 Por ordem do Sr. cnsul,
Antonio A. Ferreira Borges,
Canceller interino.
O inspector interino da alfanlega faz publi-
co qae fiea transferido para sabbado, 26 do cor
rent". o leilao do guindaste e madeiranurato ex-
trahidos da ponte do algodo, anniinciado para
hoje, e quo falla de licitaules deixou de ser
effeetuado.
Alfandega de Pcroaiubuco 22 do fnvereiro de
1870.O inspector interino,
Luiz de Carvilho Paes de Andrade.
ECITAES.
0 Dr. Armiaio Goriolano Tavares dos Santos, juiz
municipal da 2J vara e proparador dos proces-
sas do jury desta comarca do Reeife. por S. M.
o Imperador ele.
F. co saber, qne pelo Dr. Manoel Jos da Silwi
Nevas, juiz de direito da 2* vara crimina! desta
comarca, me foi eommunioado ter designado o
da 10 ile margo prximo vindouro pelas 10 no
ra* da maarraa para aorir a primira sossao or-
Jinaria do jury, qne trabaur em dias eonsecu-
tivos; e havendo hoje procedido ao sorteio dos
quaraota e cito juradus, ipae tem- de servir na
mjsma sesso, em conformidad* do artigo 328 do
rcgulamento numero 120 do 31 de Janeiro de 1842
foram sorteados e designados es cidado* seguin-
tes :
Freguezia do Reeife.
Manoel Francisco dos R
Manoel des Santos Villaca.
Dr. Manoel Francisco Tolxoira.
Freguezia de Santo Antoaio.
Anselmo Jos da Costa.
Thomaz Jos da Costa e S.
Francisco Marcelino do Amara!.
Vicente .le Mello Wanderley Maeiel Pinhairo.
Vicente Ferreira da Porciuneuia. *
Olfsses Cockles Cavalcante de Mello.
Agostinho Josde-Oliveura.
AWonio Jos Pereira de, Men lontja.
AOcraia Jos Rodrigues da Souza.
Seitstiio Jos Gome Ptreira Jnior.
Br. CUjaipio Marques da Silva.
Dr. Anonio Columbano Serfico de Assis Carva-
lho.
Q Illra. Sr. inspector da Uipsooralia de fa-
zenda desta provincia manda fazer publico que
em virtude de ordpm da presidencia, no dia > di
marco prximo vindouro, pelas duas horas da
tarde, sero arrematados, peranto a junta da
mesma thesouraria, por quera maior lance olT're
cer, irinta 0 quatro cavallos do dPpozHo de ins-
trueco especial. As peaenae a quera convier de-
verao comparecer nesta Ibesonrarfa no da e bora
meiicmnados.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambueo, 24 de fevereiro de 1870.
Ser/rado de olitcial-maior.
Manoel to Pinto.
1-eia recebeeloria de aendaa internas gerai^
;e faz publico que neste mez e no de feverein
draximo futuro trae len: lugar o pagamento, sem
mulla, bocea do cofre da laxa de esrravos do
exercicio correte de 1809 a 1870, cujos donos ni:
ulini.ii.stradores morem as freguezjas desta cida
de o as de fra, a saber : Amigados, S. Aman
laboato, Poco da Panilla, Varzea S. Lourenc
da Malta e Muribeca; e quo lindo o referido prasi
era cobrada com a multa de 6 e/o-
Rocebedoria de Pernambueo, 7 de Janeiro d*
1870.
O administrador,
Manoel Carneiro de Souza Lacerdi*
Santa Casa da MisericorcBn
do Reeife.
A lllma. junta administraliva da Santa Casa da
Misericordia do Reeife. na sala las suas sessOes, as
3 horas da torde do Jia 3 de marco vindouro, re
cebe propostas para a arremalacao da renda do
amasen) reeducado ra Bworta n. 33. pevien-
ceate aos estabelecimontos de earidade, servindo
de Dase o preco de 60000) aminaes, dando-se
preferencia quolle que, alera desta, ootras vmta
gen olferecor.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia di
Reeife, 24 de fevereiro de 1870.
O escrivo,
Pedro lludiifjtie* de Souzo
as noules de 26, 27, 28 do corrente e de
marco de 1870, em cujos tomaro parto os admi-
raveis o applaudidissioios acrbatas italianos
Ccsai' e Viccute
e varios ai listas da compaohia cquestredo Sr.
Marcos Ca-al i.
PUOGRAMMA.
\s' 8 boras da noute urna salva de artilbari..
acompanliada de gyrandola de fogneics daro i
signal para comeQarem
Os folgucdos carnavalescos
A excelleate orcliev.ra dWgida pelo insigne ma-
estro
COLLAS FILHO
executar a chistosa symphvnia burlesca, eos
sitjao do mencionado maestro, intitulada :
Foj;o ao Bttl, fumo ao norle.
Seuindo-sp mu vaiedade de :
Qnadrilhaa
Widsas
Senottiehs
Polkas.
Orinaes de Strauss, 0>las Flho, Mosquita.
diversos afamados autores.
As 11 horas os admira veis acrbatas
GBSAR E VICENTE
far) maraviihosos exercieioa sobre
Abarra fixa
ou
0 Irapesio S;Io
Fogo
A" meia noute, os referidos ai-rnbatr>3 c va
artista.-da ennpanhia MauealM do Sr. Marcos Ci-
saii, qne se acliam de paaSMem nesta eaajtaj
dansaro veslidos a caracler, jvoso
Cancnn cari' to
A' urna hora queimar-se-ha uun lindo
articial
preparado pe'.o muito conheeilo artista c Sr. Jos
Alves.
A's 2 horas terminar a Mia eom o
Galope infernal
acorap nihado por toques de sinos, fanfarros, tiros,.
gjraodolM e alardes de
FOG03 DE REXiiALLA
que Iluminar todos os mascaras.
O sali adiar-se ha elegantein"iite ornado.
O largo do Mouteire estar embandeirado e ilh-
niinado
' Tcnezlaai.1
O decenio hotel, junto di Ihestro, nchnr-se-lia
prvido de indo quanlo !>r noeessario.
Os precos dos bilheles sao os mesmos estabe-
leeidns n?.s representacoes i'ramattca?, havemh>
trem depon dos bailes, cujo tocara em todos as-
pontos do esljlo.
Aviso especial
As senhoras que se ap: e-eularem _decentemei
te mascaradas, ou pnanUisiadae, tero passagen:
grates, antes e depoi? d.. diveriunente, nos Ifons
da liuha frrea e entrada franca no theatro. *
Para mais coniniodidade s 10 l horas da
ni rato partir do Reeife mu vagn expresso >
qual estacionar' no Monteiro, rogresaaud a o-i$r-
de depois de lindar o baile.
As inslriu-coes pnliciaes serlo observadas coto
lodo o rigor alira de nao alterarlo a ordora e Mi-
ra lidade.
Coaaeulado |roTiocial
Pelo consulado provincia! avisa-se aos abane
nomeados, que devera ir realisar o pagamonto do
imposto de 100* por mase; le oatrangeiro, a que
esto sujeitos no presente auno linanceirode 1869-
1870, devando faie-lo uo corrente mez, sob as pe-
nas da lei.
Elias Harona.
Miguel Pelegrini.
Miguel Stefano.
Loceorso Tropeiano.
Antonto Mebo.
Benjaniim Disanto.
Braz Peixoto.
Consulado provincial Io do fevereiro da 1870.
Servindo de adminriirAdwr,
A. Witmvio Pinto Baudeira A. do Vasconcellos
Consulado provincial
Por esta repartico faz-se sciente ao cootri-
buintes de impostos proviockies, pertencentes ao
anno financeiro corrent- de 186970, quo d*dia
l de favoroiro prximo, comee,* a correr o praso
Je 30 dias uteis.para o recehimento a boca do co-
fre das seguimos apagoes : 20 e % solare
diversos cstaboloeimentos commerciaes o indos-
triaes; 8 % sobre consultorios, esc ripinos e car-
tonos; 5 yt sobre a venda do capim; consumo
de agurdenlo (1 semestre i; iOOj por casas de
operacoes bancanas, curapaninaa anonymas e
agenciaa ; 200 por casas de cambio e de penho-
res; 10f>* por toja que ven.ler raupa feita, selltae.
ou obras de'marcenara ertran^airas; lOOd.rwr
masen ta eslfangeirn; lOQ por eorrector ooro-
mereial, agento de leudes e casae de cmara
venda de escravos; 50 |wr carractor ou mcul-
cador de escravos; 30 por casa, de meada; 304
por casa de bilhar ; 301 por escravo empregado
em servieo de alrarengas e canoas; Uf por bote;
NOS SALDES DO PALACETE DO CABS-
DO RAM &
6RAK0E SUMPTUOSit BAILEN CAWAVAUIS'OS.
Domingo 27, bailo de mascaras a i.
Segunda-feir 28, baile de mascaras a i i.
IVica-eira I de marcji, baile de mascaras a i A.
O proprietario e administrador destes frescos e
coininodos saines faz. scienle ao rfispeiiave) publico.
3ue, a nada se lera pnupado o Jera empregado to-
oe os mates ao seu aleanee para que elles so tor-
nem dignos de sua respetavel presenta.
O administrador de .into-mj tem preparaJ
tres salees da seguinto forma :
0 siiao principal do lado di mar, acla-se ti
ionio ornado co u coranadps, e quatro grandes
'pellios aos lados ornados ooin as bandeiras na-
cionaes criadas tan lro|)lieo; em voa do sala*
ha retratos dos priiicq/nos generaos da Europ
no coiiiro um grande quadro nwsirando.daasdau-
oarioas da corte do Araplietrtas.
No s*.guiilo salan aeba-se um botoquim seilido
o melhor jossivW, o convertido em urna yaleria-de
vistas e paysaaens, onde alin de ontras maito~
eneontrar-se-hao assesrurates t?lalhs : ade.Wa-
terlow. a baUlha de 2 i'e juiho emPoris, a entra-
da do exarcilofraiic:;. em Mosceau e moaadio. il
cidadi, a passageai de Napoteo 1 aae monunlia-*
do gelo na Russia, a entrevista dos ninanrcbas
nardos do Norte, a tomada, das bandeiras das na-
coes do Norte, a bat;iilia,da MaaenU, a.gnewn m
Ctona peina lanieze, a ceroacaa de Naaotoao lil.
0-casamento do mesmo, um combate ne> ipnr p^i<
esipi.idr;i? franeeza c americana, os- an.heir
casa real portugueza, os Odalgos da corte de Lm/.
XV, a vista de Roma com o castalio de Santo An-
*
* '1
S
Mia.


>iario de Pernanjjuco .Sahbftdo 26 de Ferereiro de 1870.

ale, urna vista de uro baila de mascaras na Ha-
l.
& se; loo do terrai-d trans-
foraado tanto o grande bos-
le 4* centro eom ha-
loe3 do esc feo- ir 30 paros a vontade.'
O ilur acha-ae prompto, ctm commo-
de suS^imlcs para reereto dos mscaras, por
MT spacoeo e mnito fresco, com Joas lindos ter-
T (Testa forma que o aulninistrador enlendeu
^ceropt loes para reeeber os iliustres
oulra qualquer parto onde nao so oncontra tudo a
goato. A orelieslra, dirigida por uin hbil pro-
focsnr, nada dfinr principiando o bai-
'J e mala horas, e tinaiisaiiJo as 2 da ma-
nbaa com o grande galope infernal. O regula
menlj pnlietaWaer mantido com toda a sua pleni-
rade. Recrunenla-se ao publico o artigo do re
gulamento policial em (pie prohibe fumar-se nos
q uad ros.
iUANDfe .GUARDA ROUPA
Ra do Imperador n. 52, primeiro andar.
Este guarda roupa acba-se prvido com ci-
ccala dminos de sedas e velludos de difiranles
lauaras. O publico em geral, acosturaado aos odres, e mapas de todas as qualidadcs a poca, ao
*as > e ao bom gosio, nao deixarde' g >sto do fregu* ; bera con 20-zuavos da guar-
aprtiar devidanieute o que f um baile carnaval- da imperial de Paris, e un grande sorlimenlo de
wseo, n'um odifirio d; sobrado com grandes sa- j ruupa para caricato, por presos mais baratos d
3es beni arejados, o commodos stifflcientes para 'queen oulra qualquer part'.
BHA DA FliOHECTISA
BNPIIEXI
&> Ai ^, mum&
GRANDES BAILES MASCARADOS
No magnifica salan deste theatro,
NOS DAS
134MI3 sabbado (primeiro baile)
Domingo 91 de fevereiro.
Keg;inda-feira S N de fevereiro.
Terea-felra 1 de mareo.
O empreznno tem a honra do partecipar ao respeitavel publico que nao se poupou a
eias aiii: de se ai eotes a este diveitimento.
Assim corno participa que o botequim se ada sonido de oda a qnalidade de bebidas
espirituosas e est ao cargo do milito conhecido e conceituado Joao Francisco da Silva Braga.
Tor dnraata as guateo noutes de bailes a mallo harmoniosa banda de musiea*iTiar-
.-ial do -orpo de, [k,li,'i;r, da qnal mesire o Sr. He ruto genes Nw bario iln Gusmm, que far execular
;wta sua banda de n.nsica as maniocas per,as.
Terminar o baile pota o galope infernal acorapauliado a toques de sinos, tiros de pis-
:>4a etc. etc. etc.
O empresario avisa qae as srnlioras mascaradas que vierem vestidas de hornera e vice-
versa cslo sujulas ao pagame:>i.) da entrada.
As senderas mascaradas gratis.
Cavalleims 2000.
Prineipiar as 0 horas e terminar as 2 da madrugada.
X. Ii. O regulainento da polica ser rigorosamente observado, alm de que a ordem
a moralidade sejam vidamente garantidas.
E' i \pie.aiinte prohibido umar-se dentro do salo, bavendo para esse fin una
grande arpa coai banc.
Pede-se igualmente as pessoas que o fizerem que ua occasio de cnlrarem para o salao
-k'ixpi ;.ili Orar m ponas dos charutos e cigarrus flm de evitar algutn sinistro.
Os bilhetes acliam-.-o desde j a venda no mesmo tbeaibo
SANTA ISABEL
NO
Campo das Princezas
GRANDES E MACKSTOSOS BAILES NOS DAS DO CARNAVAL.
Sabbado 26
Domingo 27.
Segunda.feira 28.
Terca eira Io de marco.^
v :uel Candido de Medeiros Pinto, tendo obtido, da patritica cmara municipa. 1-
Mtrair um pavilhSo, no referido jCampo ds Princezas e neile dar bails de mascaras,
vem convidar ao respeitavel publieo, dignar-sc visita-loe abrilhani.i-lo com sua respeitavel prc-
eeaea ; para o que nao tem poopado exforco?, alim de bem salisfaze lo.
tac; neasas Nomos, a msica do Io batalho de infanUri.- da guarda nacional, diri-
gida pele neigne maeflro, Theotunio Jos de Souza ; a qual tambeni por sna voz, se tem preparado
simas msicas compostaa pelo H. A. de Mesqnita.
QUADBILHAS.
^- Joao.-Setc de setembro.I.a Goqnett.I.a Perieuole.Herci Simo.Surpreza.
SVALSAS.
I'.ainlia daa rosas.J. Estasi.-Os guardas da rotaba.
POLKAS.
Imperr.triz Eugenia.La Marline.O menaogem.
SCHOTZ.
Nella.Versales.lbum das dama-.
Galo|;ede Bravoura.
O lii'tequin achaco sonido do toda qnalidade de bebidos espirituosas ; assitn como sor-
.
Terminarn divenimenlo comn galope infernal.
As waboras mascaradas, que vierem vestidas de hotnam o viee-versa, esto sujeitas
.i <)?'janieut.j da entrada.
As seaboras mascaradas gratis
\he\ti s 2 V
Principia! ras, e terminar s 2 da manha.
N. I!.E" expressamente prohibido fumar-se dentro do parilhaa.aflmde evitar ajgum n-
endio. E' lamb i'i axprasAainenla prohibida a entrada de bengala? e chapeos de sol ; tendo para
i pavilho, hipar appropriado.
0 rc-gojaiMnio do polica ser fielmente observado, alim de que a ordem seja montida.
Os .heles acham-sc, desde j, venda no escriptorio do mesino pavilho.
CBS1MMA
Das
se
28__Camboa do Carmo__28
* s e moia horas da tarde as onze da noute.
Nicolao Pungiioie tem a honra de annunciar ao respeitavel publico dcsta ca-
ii'AA, que do tiia 20 do conenle etn (liante estar aberlo a concorrencia publica um
grande cosmorama com variadas vistas o passagens dignas da attenfao de todos por
aefearaa se entre ellas as dilerentes batalhas dadas pelas torcas alliadas contra o go-
vetaa do Paragoay, beca '.orno a-fuga do dictador Lope/, para as cordilheiras, o a
rte do geoeral Floros.
anunciaiiie teta empregado todos os seus exfurcos para que o respeitavel
publico encontr all um bello passatempo mediante urna pequea esportilla, tendo
entretanto tlireilo a um ohjecto, gratis, de mais ou menos valor.
28Cambo i do Carmo28
DAS SEIS E MEIA HORAS DA TARDE AS ONZE DA NOUTE.
LEILOES.
LEILAO
Da trra par-1 da casa sita na ra da Es-
pe/aoca n. 27.
lilOJE.
A requeriaieu'.c do curador fiscal da massa fal-
l U le R n Cirvallio epor despa-
Ij Ola. St. Dr. \a:i do commercio o agente
Pestaa far leifi i da tersa parte da casa sita na
i ia da Esperai.ea n. 27, a qual faz parte da mes-
massa e sei elTeetnado no da sabbado 26 do
rreate as 12 hora; da manbaa na mesma casa.-
de farinha de trigo.
A 20 do corrente.
0 agente Oliveira fara leilao por conta e risco
d-j qaem pertencer de 0 barricas de fannlia de
tr^o americana.
-UOJE-
* meio d:a em paOM) no armazent do Eira, ba-
1 I mete sito ao caes do Apollo.
^ LILAO-
aonoia ba#ca Segunda-feira 28 de fovereiro as 11
l icies do Ramos.
O agente Pinto levar a te.Hao a requerimeoto
isa Joa ju.ai d.i Cunlu i C, e por mandado
Um. Sr. Dr. uiz especial do commercio a
ac denominada Ara/lita, de I0U5I0 200 a
* sace. arroUda a Joaquim Elvirio Alves da
1, o lejlo ser etfee toado as t horas em
ato di da cima dito uo caes do Ramos.
I
1
LEILAO
O agenta. Puntual finmpetifint^"^""'
ajXO "
u i Iftntiirtif
s 4aa-&mtua,An4rade.
:W#) de 870.
. descarrefar n
el, com 6 pos e 3 poilagada de all-
i aoefadasd larpwa.
i dita com grande de me-
autor isado
os da a-
ite a.Aaae-
t?l, com 3 ps e 5 pollegadas de altura
e 3 ps e o pol legadas de largura,
lauque de ferro com 8 ps do cumpri-
mento e 3 ps e 2 pollegadas de largu-
ra, e I p e f> pollegadas de altura,
cano de cobre com 7 ps e 6 pollega-
das de cumprimento e 3 ps de di-
metro.
dito com ) ps e 7 pollegadas de cum-
primenlo e 3 [\-> pollegadas de di-
metro.
2 tuo3 de cobre.
3 tanques de ferro de reeeber o niel para
cuar com 3 pi e 7 p dlegadas de altu-
ra e 3 ps e o pollegadas de largura,
com 3 torneiras de metal.
1 bica de pao forrada de cobre, cora 19
ps de cumprimento e 6 pollegadas de
largura.
4 cano de cobre com 19 ps de cumpri-
mento e 2 pollegadas de diamentro.
1 taboleiro de cobre com 8 tubos para
botar o mel nos saceos para cuar com
3 ps de cumprimento e 4 pollegadas
de largura.
3 tanques de ferro corn 7 pj e 3 pollega-
das de cumprimento e 2 ps e 7 polle-
gadas de altura e i ps e 5 pollegadas
de largura com 12 torueira?.
3 canos de cobre com 12 ps de cumpri-
mento e 2 pollegadas de dimetro
I bica de cobre com Vi ps e 4 pollega-
das de cumprimento e 7 pollegadas de
largura e 4 pollegadas de altura.
3 filtras de ferro com 12 ps e 4 pollega-
das de altura, e $ ps de largura com
3 torneiras de metal.
1 prensa de madeira com 1 tanque de
ferro para imprimir as borras do aasu-
car com todos seus pertences.
1 tanque de ferro com 5 ps e 5 pollega-
das de altura e '< ps e 5 pollegadas de
largura.
3 ditos com 8 ps de camprimento e 3
ps de largara e 2 ps e 4 oollegadas
de altura com 4 torneiras de metal.
I bica de cabr com 11 ps e I peUega-
da da umprimenlo e 1 pe e 5 polle-
gadas da largura e 3 aellegadas de al-
tura.
t cano de eebre com ps a 4 poMagadas
de cumprimento e 1 li2 pollegada de
dimetro.
II dito com 4 pd e 5 poJlegadaa de eaa>
priraento el 1[3 poUagadas de dia-
1 caldara de vatro de cobre com. 8 ps
e 2 pollegada- de largura e .1 ps de
altura, com urna torneira grande a 4
pequeas; tendo um cano do obre
com tres entradas para a caldeira com
4 ps e 2 pollegadas de allura e 2 1|!
pollegadas fo dimetro com urna tor-
neira de inoul.
1 dita com ama torneira de vlvula com
3 ps de cumprimento c l pollegada de
dimetro.
1 Aguilillo com 7 ps e 7 pollegadas de
cumprimento e pollegadas de gro-
ssura cum um velante grande.
1 roda de pao e ferro movida por agua
para todo o macbinismo da fabrica,
com 16 ps e 5 pollegadas, de altura e
3 ps e o ptWegadas de largura com
dous rodete de ferro.
1 furnama coa duas chapas de ferro com
6 boceas para retinar em laxa.
10 colberes de pao para bater assucar.
3 ditas de ferro.
1 caixao do peneirar.
10 pendras de rame diversas grosu-
ras.
10 armac,es de ama relio para as mesr-
f mas.
1 caldeira de Ierro com B ps de largura
e 3 ps e 5 pollegadas de allura, com
una serpentina de cobre, com 7 voltas
cum peso de 14 arrobas e com 3 torn i-
ras de meta.
1 filtro de ferro com 6 p de altura e 3
ps 1 pollegada de largara, com l
tornejra de metal.
1 issenlaraeatii de madeira cora 2 laxas
de cbbres, com 2 erpetinas dentro
das mesmas e G torneiras de metal
para retinar assucar a vapor com seus
oncanamentus.
I.tanque de forro com 5 pos e 9 pollega-
das de comprimento e 3 ans e 8 polle-
gadas de largura e 7 pollegadas de al-
tura.
1 bancada de pao com 5 baccas para ba-
ter assucar.
4 Inca de cobre com 7 ps e 4 pollega-
das de comprimento e 8 pollegadas de
iargura.
1 eolunna de ferro com 2 serpentinas de
cobre por dentro, cura 10 ps de allura
0 6 ps e 3 iwllegadas de largara.
1 cano de metal para a caldeira com 6
ps, 3 pollegadas de comprimen'o, 2 ps
e 3 pollegadas de grossura, e 4 tornei-
ras de metal na eolunna.
1 cano de cobre com 10 ps de compri-
mento, 3 1|2 pollegadas de dimetro,
com i torneira de metal.
2 manmetros na caldeira de cozer.
I caldeira de cubre com 4 pes de allura
e 6 ps de vlvula e de dons fundos.
1 tanque de fero com 4 bomhas de in-
jeccao para levar agua a lodos os pon-
tos da fabrica.
1 maquina de vapor da larca de 8 ca-
vallns.
3Jk)rbmas ou maquinas de purgar
1 aguilillo de ferro com 27 ps e 3 pol-
legadas de cumprimento e 3 ps de
grossura, cum 5 volantes de diversos
tamaitos.
2 maquinas de rellar assucar.
1 torno e seus pertaoces.
I mninho de trro para carvao animal.
1 dito de pedra t fino.
1 penoira grande de peneirar 3 qualida-
des de carvao an mesmo tempo.
1 aguilbao de Ierro rom 18 ps e 8
pollegadas de comprimento e 3pollega-
das de grcsMira-
1 encanmoiitj de cobre com 31 ps de
comprmanlo o 1 l2 p llegada pe di-
metro.
1930 formas de ferro de purgar 3ssucar.
1 caldeira de ferro com 9 pese 6pollega-
das de comprimento com todos os ea-.
eanamenlos de cobre, vapor para pur-
gar.
3 torneiras dn metal.
3 tanques de I'-rro com 7 p< e 3 polle-
gaoas de comprimento, 3 ps e I polle-
gada de aliara, 3 ps e 7 poUagadas
de largara com3 torneiras de metal.
2 laxas de ferro com 3 ps e o pollegadas
de boceas.
1 bomba da Japy n. 3.
2 bies grandes de pao forardas de naeo.
1 porcao de lucas de lineo que commu-
nicam com os depsitos do ratl.
2 taboleiros grandes de pao.
27 ditos pequen
1 dito grande de zinco.
2 estufas para seccar assucar em pao.
com 2 caldeiras grandes de ferro,enea-
menlo de cobro o torneiras de me-
tal e madeira..
1 estufa de seccar assucar reliado com
ama caldeira de ferro, com encmen-
lo de cubre e torneiras.
17 tanques de ferro cora 2 ps e' polle-
gadas de altura o 3 ps de bocea.
1 volante grande de ferro.
1 porcao de carvao animal grosso c lino
1200 a 1500 arrobas.
1 asseotamento com 7 caldeias de ferro
patente para vapor om todos os seus
pertences, e encanamentode cobro com
11 torneirae de metal.
I laiojuc de amarello para lavar carvao.
1 cocha de amarello comsarilho para la-
var earvlo.
1 encauamento para levar agoa aos tan-
ques e cochea.
i carros do ferro (Je mao).
1 dito setn annaroes.
1 carroca prompta para cavallocom seus
pertences.
2 rodas de carroca em bom oslado.
1 Eixo de ferro e mais (erragens.
1 correia grande nova com 24 ps de com-
primento o 4 pollegadas de lagura.
2 ditas com 3 pollegadas de lagnra.
I forma de bronze para fazer pao de as-
near.
3 ferros de soldar, de cobre,
'i libras de estanhos e sida.
7 monomelres em bom estado.
1 porcao de bronze.vellio e novo.
1 dita do canos de cobres perfei -.
1 dita de chumbo novo o \elbo.
1 dita de parafuso com pescas.
1 dita de ferramenta pertencente ao fabri-
co do assucar.
1 folie de ferreiro grande.
1 safra e toda a ferramenta pertencente
a oftlcina cima (de ferreiro) e moldes
de fundieao.
1 larracha grande com todos os machos.
1 tarracha pequea com todos os machi-
nismos
1 caixao cora ara de moldar
2 caixas para moldar obras
1 porcao de ferro diverjas grossuras
1 folha de forro grossa
1 bancada com dous tornos grande e pe-
queo
1 porcao de chaves de dnas boceas de di-
versos tamanhos
1 porcao de ferramenta de carapina
1 banco de corapina
1 dito de-corrieiro ferraraentas
20 saceos de lona vas ios
30 ditos ve I nos
1 fita de medir 110 polegadas de compri-
mento
1 braco e conchas de balanca grande
com 3 pesos de duas arrobas, 1 de ar-
roba, 1 de 16 libras e 5 de 8 1/2 libra
1 aguilillo de ferro com 10ps de com-
primento e 2 polegadas do grossura
com um volante
1 agailhao de 3 ps de comprimento,
1 3/4 polegadas de grossura com 2 vo-
lantes e 3 manches dos mesmos
escada grande da casa de purgar
dita do servieo da casa
dita do servieo
i
i,
da filtras
canecas de folha
5 ditas de ferro galvaoisado
3 ditas de zinco
4 ditas de folha e 4 pratos de dita para
tirar mel dos tanques
I coco de cobre para o mesmo flm
1 dito de folha para a casa de porgar
2 cadinhos para fuodicao
2 corredores grandes
1 dito pequeo
t pedaeo de prancbao amarello
4 1/2 pedaeo pao carga
2 machados
2 eieeadores
1 aaxada
1 potcao de er
1 picareta
1 apparaibo da suspender madeira
6. latas eom verniz da China
xa cem folta de.Flaodros
1 latrina de louca .
t

ir
1
i
3
I
4

I
I
i
i
i
i
>
I
I
i
I
i
i
i
f
l

i
1 mancaos de ferro com bi
a rame
ipri-
,r^ a' ,,ueia Wiegaow de diame-
vacos Modaz,rrael Para a caldeira de
1 5522 *?bre ai pe de compri-
mento e 2 polegadas do dimetro que
condnz o mel do monlejti para a cal-
deira de e
1 cano de 40 ps de comprimento e 2 po-
icgaoas de dimetro oue condnz os va-
pores servidos
i cano do coln da 20 ps de compri-
mento e 2 p.degadas de 'dimetro, que
conduz o vaporara o looiit.'jii
1 cano de cubre d*. 23 ps de c mpri-
menlo a i polegad is de dimetro, que
cenduz vapor para a caldeira de cozer
i cano de cobre do 3 ps de compri-
mento e 3 polegari.ts de diau.elro, que
conduz agiu da levada para o tanque
do-quwtu andar
1 dito de So ps e S polegadas de com-
primento e qualro polegadas de di-
metro r "
2 ditos de 20 ditos e 4 ditas d dito e
ditas de dito
1 dito do 81 ditos de comprimento e 3
polegads de coinprm.'ntu
I dito de 81 ditos le comprimento e 2po-
eiadas 1I0 1I1 iio.-.i.
5
t
i
i
legadas de dimetro
ditos
1 dito de
de coro orinen.o e 3 e
meia polea,ios de dimetro
1 dito do 81 ditos de comprimento e 3
polegadas de dimetro
2 ditos le 33 di0;i ,i0 comprimento e 2
polegadas de dimetro
1 porcao de ranos du diversa; grossnras
que cim-tazem vapor para as caldeiras
d3s estofa?, com 2 toro'iras de metal
7 torneiras dn mctalgrandes
b ditas diversos tamanhos
7 ditas pequeas
2 canos de c, bre de 30 ps de compri-
mentw e 3 fi degaias de dimetro, que
condtizem agua para as caldeiras de
vapor
3 repartidores grande; que dividem o
niel pelas formas
2 repartidores pequeos com 10 libras
1/2 barrica de ch 1
12 dita d" breu
1 porcao de panelias dequeimar ossos
I porcao de eannos de ferro gn
1 torrador para caf
1 apparelho pira gninJar rom denles e
" dnas rodas eferai
1 dil. de giifdar os saceos con correntes
2 portos de furnall.a-
1 assoalho de amarello da casa de pur
gar, forado, para l!>:!0 formas
2 torneiras grandes postas no cen ro dos
eneananMQtee goraes.
3 bombas de abrir as torneiras. d^ filtrar
as turbinas, machinas de purgar > ar-
robas de assucar en minuto, dando
urna qualidade superior ao assucar
(sao de grande vantagei para os se-
uhores de engenhos.
i
i
i
I
I
i
i
&
GOMPANHIA BRAMBCAN
DE
\avegavo costeir por vapor
MaQanguape.
o vapor Uandak, eommandante
Julio, seguir para o porto ac ma no
_ dia 28 do correte as (5 horas da
tarde. Ilecebc carga, enrommendas, passagei-
r se dinheiroj frete al ,s 3 horas da tarde
do da da sabida : escriptorio o Forte do Matos
n. 12.
Compaubia americana e brasi-
leirade paquetes a vapor.
At o dia 2 de manee i esperado dos portos da
sol o vapor americano Mrnimack, o qual depois
da demora do cosame seguir para New-York
tocando no Pare 8. Thoow, par fretes e pas-
sigens trata se com os agentes Henry Forsler &
C, ra do Commercio n. 8.
Papetes a vapor.
s do norte esperado
at o da 27 do fevereiro o vapor
dar.te o primei-
re-tenentc J C. Duarte, o qual
depoi,s da demora do coslume
seguir para os .-til.
Dcsde'j renebem- e engr.Ja-se i
:arga que o vapor poder < ouuzir, a qual de
1er emlar. ida. Encommen
iasedinhoiro a,fiel oras do dia da sua
sabida.
Nao se rcceher.i co?. 1 encommendas senlo oh
ectosde pequeo ral acedara a dnas
arrobas de 1 >s de medicao.
rudo quepassar estos imites dever ser embar
jalo como carga.
Proviue-si! aosSrs. passageiros, que suas pas-
iagena so se recebe;,! oa agencia a ra da Cruz
a. 57 primeiro Mr, escriptorio de Antcnio Lui
io Oliveira Azevede i C,
Na agencia jilo ^ recebem cartas, os
nteressados dfivcm leva-las ao corrcio.
Porto.
Vai sahir breve a Larca Laura para carga t
passageiros, traia-se com s consignatarios Carva
Iho 4 Nogueira, na ra de Ap'-llo n. 20.
Paralffaranhao ePar
O brigue nacioual Sanlu Amaro, capillo Caeta-
no Alves Uvas, pretende seguir com amaior bre-
vidade possivef-para Maranhlo o Para, por ter
parte da carga promta, engaja-se a que precisa
e recebe passageiros, a tratar com os consignata-
rios Marqus Barros A C, no largo do Corpo
Santo 0. 6, 2o andar.
IL
GOMPANHIA PEKNAMBUCAM
DE
Varega^&o cesteira por vapor.
Parahyba, Nata', Maco, Mossor, Ara-
caty, Granja.
O vapor fpojuca, eommandante
Moura, seguir para os porto.'
cima uo dia 2 de marco asohora,'
la tarde. Recebe carga at o dia 1, encom
raendas, e passageiros o dinheiro a frote at u
2 horas ds tarde do dia da sabida ao escripto-
rio dj Forte do Mallas n. 12.________________
GOMPANHIA HERNAMBUGANA
DE
Xavega^o cosfeira por vapor.
Macei escalas e Peoodo.
O vapor Po/r-H;//. eommandante Mello, se-
guir para os portes cima 110 dia 2 de margo
as 5 horas da tarde. Keeofce carca at o dia 1,
encommandas, passageiros e dinheiro a frete at
as 2 h'irasda tari' no* dia dasabida no escripto-
rio do Forte do Mattcs n. 12.
PARA LISBOA
3. barca portugueza titratidio dever seguir eom
a menor demora poesivel ; para carga o passagei-
ros, trata-se c^m os consignatarios Oliveira Filbos
&C, no largo do Corpo Santo n. 19, on como
eapitlo na pra^a do commercio.
~Para o Ppro
Pretende seguir o maii breve posslv^l para o
Porto a barca poKu.neza S. Manoel II, capitio
Jos Antatio dos Santos, recebe carga a fretr
pnnagmi-r. a tratar com Marques, Barros & C,.
na praca lo Carpo Sanio n. 6, 2" andar ou com
o capitao a bordo.
Para o Porto.

i barc portugji ahir ctm
jiU bwidada e.para carpe-passageiros traa-
ora o con mino Fon-
1 ra d Vtgarlotfh9, i* andr.
mo>
Para'
Pretende seguir n poneos das pare o indicado
porto a barca 1
maior parte de gameufo urompto, o para
o restoque Ihe recebe a tretri muito ba-
rato: tratase com o consignatario Joaquim Jos
Goncalves BeJtrio, ra do Commercio n. 17.
Pare o Porto
a barca portuguesa tNovo Silencio seguir coa
a brevidade pessivel; para carga e passageiros.
trata-se coai os consignatarios Oliveira Ftihos 6
C.,_no largo do Corpo Santo n. 19, ou com o ea
pitlo na pra^a do commercio._______^^^^^^
Ma 4e 8. Miguel,
O. patacho porttiguoz Jeorgense segtir com mni-
ta breviddc para o porto cima ; ainda recebe
alguma carga frote, bem cuino passageiros pa-
ra os quaes tera bellos commodos : a tratar com
o sen consignatario, Joao do llego Lima ra do
Apollo n. 4-
Para Porto
a barca Flor de S, Sitmo sahir brevmente, por-
que j tem parte d carga engajada : para o reste
e passagens, trata se com os consiguatarios Car
valho & Nogueira, na ra do Apollo n. 20.
PARA O IUO-GRANDE 1)0 NORTE.
At o dia 2G sahir para o Rio Grande bar-
caca tSantinhat cargas a frete, tratar com Tas-
so Irmaos & C.
AVISOS DIVERSAS.
ATTENCAO
Ao carnaval
Na ma estre ta do Rosario
BJ 35, tem um grande sofli-
tnenlo de vestuarios de prin-
cipe, para alugar e vender-se
tudo por muito barato preejo,
dminos bordados, novos a.. .
8$ e 10S000, de alugue','ditos
de laa a 35 e 45000, vestua-
rios de eambraia entelados
para w nder-se u 10&000, e alu-
gar-s3 a 5$000, vestuario! bor-
dados a o uro, tudo barato.
Furtaram linitem peas M horas da
iiianlia, do cima t fiteiro da loja de Ii-
vrns dos Srs. Lailhaear A C., na do
Crespo, aoarleir.nl; algibeira do aliaixo as-
signado, coatoado 1:3005000. em dinheiro
sendo 3 notas 2005. i de iOO->, de 505
e_o resto em notas de 205, 105, 55, 25
eH5. emals cerca de 1:00050 k) rs. ere
bilhetes da lotera n. 311 do Rio de Ja-
oeiro ; quem a restituir ou der noticia certa
ser gratificado generosamente pelo abaixo
assigBado na do Crespo n. 23 loja de
bilhetes do Sr. Fiuza.
Recife, 23 de evereiro de 1870.
Afittides Duarte Cnrneiroda Cailm Gnifla.
O abaixo assiftnado avisa ao publico que tendo
obtido licencia do Exm. Sr. conselheiro inspector
da thesouraria da hienda geral, para vender es-
tampillas em sen estabeleciinento a rna do Crespo
n. 2:1. pelos mesmos precos que se vendein na re-
cebedoria geral ; assim pois, podem as pessoas
residentes nesta ciJatle e fura dalla dingirem ao
abaixo assignado, mas encommendas em qualquer
quantidade que ser promptaniiite satisffeitas.
Manoel Martins Fiuza.
Engenho Para'
Deste engenho Para, freguezia de Ipojuca, fugio
no dia 21 do corrente mez o aaenvo Joaquim,
crioulo, de idade de 20 anuos, boa figura, sem
barba, eabeca redonda, denles limados, ii cria de
Luiz Antonio Monteiro, da fazenda da Rica, fre-
guezia da Pedra, f< i vendido ao Sr. Manoel Ca
valcanli de Albnqnerque Bairao. e dene ao meu
sobrinho lo< Alves Mninho Palean, de quem o
houve por compra : quem o levar em dito en:e-
nbo, ou nesta praca rua da Cruz n. 51, receber
boa gratificarao.
Jos Valenlim Vieira de Mello.
I'erdeu-so um bilhete iuteiro n. |315da S7
lotera a bonefi :ii das casas de caridado da pro-
vincia do Rio de Janeiro n. 13i, rubrcalos pelo
con-ulaJo e o thesoureirodas loteras, e chancel-
lado polos Srs. Veras & Barbelo ; roga se aos
senhores que negocian) com bilhetes que nao pa-
quem qualquer premio que porventura venha a
ter, senao ao sen legitimo dono, ou a quem ti ver
nchado e quizer entregar, que ser recompensa-
do : dirija-se ao escriptorio de Joao Maria de Al-
buquerque Oliveira, na travessa da rua do Viga-
ri mi. I, Io andar.
Aora-se terrenos em Hebertne, distante
da povoacao um quorlo de legoa, em frente a es-
trada que vai para a Mirueira a 10 o palmo, ten-
do de fundo 400 palmos, terreo > tdanico e proprio
para toda lavoura, tendo boas vcrlentcs d'agua :
quem pretender dirjase rua d > Hospicio n. 70,
que achara com quem possa tratar.
Fugio no dia 3 do corrente mez do engenho
Maravilha da comarcado Limoeiro, oescravo ala-
quias crioulo, com mais de 40 annos de idade, al-
tura regular, falta de deutes na frente, cambeta
de tuna perna. tem urna ferida em mitra, indo
com camisa, sorollo de panno de algodao, dito
escravo pertence ao abaixo assignado proprietario
do dito engenho : quem capturar dito escravo
condaza-o po referido engenho, ou no Recife ao
Sr. Jo5o LuizPereira Ribeiro, a rua da Santa Cruz
n. 10, que ser generosamente gratificado.
Engenho Maravilha, 22 de fevereiro de 1870.
Jos Caetano Pereira de Queiroz.
I.N'STRUCCO PRIMARIA.
Anna de Queiroz e Albuquerque, ha-
bilitada com exame de verificaQao de ca-
pacidade professienal, e autorisada pela
directora geral da instruccao publica,
tudo de conformidade com a lei provin-
cial n. 369 de ik de maio de 1853, faz
publico ane abri sua aula particular na
rua Direita n. 129, 2o andar.
Comprometiese a ensinar com todo o
zelo ebom methodo as alumnas que Ihe
torem confiadas, comprehendendo alem
do ensino da leitura, escripturacao, con-
tabilidade e doutrina chrisla, o que diz
respeito eosturas e mais prendas do-
mesticas, segundo o oue iratar eom es
respeetivos pas.
20:000|000.
A casa'feliz do arco da Conceco acaba de ven-
der pela qaarta vez nos seos muito felizes bilhetes,
ara bilhete intejro d. 4332 a sorte de 20:000*000,
o alem desta ma algamas de 200 e de 100.
Figueiredo Leile.
Precisa-'Se de um ama que saiba cozinhar :
trata-se na rna Nova n. 18.
Coque e,
to : oa roa
AfQOO.
" >a* a 1*000 oad um, baea-
n. K3.
.re* da rna da Santa, trtan
ara qualquer estabelecimenlo por sa
cTx3 : a tratar m fbeira da 8oa-via-
TRILHOS URBANOS
do"
Recife a Apipucos.
Para maior commoiJidade dos passagei-
ros, durante os diaa do carnaval fcaverao
dem dos ordinrrios os trens extraordBarlos
coniurmn a tabella seguioie :
No sabbado, segunda e terca fe ira
Do Recife Apipucos 10-39' 11-30* 12-30
Jaji*ite.
De Apipucos ao Recife fl-30 1-0 2. da ooita
No domiago.
Do Recife a Apipuws 11-0 10 da noite.
De Apipucos ao Recife, 12-0 1, 2. da riuite
Escriptorio da companhia, 2Wde feve-
reiro de 1870. W. fwvilinson.Gerente.
Fica addtado at o fim do correo e mez
o praso parasreagate dos bilhetes.
Recife, 25. de fevereiro de i870, IV,
Rawlimon,
A empraza tendo resolvido alterar o sys-
tema da venda dos bilhetes para passagem,
lies trens, por meio do presente avis.. ao
respeitavel publico que do dia i ."demarco
prximo vindouro em dianle nao serio
Vendidos bilhetes nos trens, os quaes devem
>er comprados as diversas estaces.
Que do dia 1." de marro em diaote co-
mecar a correr utn trera de carjja accom-
panhado por um wagn de 2' classe para
acroramodafao das pessoas que quizeiem
sccompanhar os objectos, o qual partir
do Recife fvara Apipucos as 12 horas do dia
e voltar de Apipucos as I hora c 15' da
tarde os objectos- destinados a seguirem
n'este trem devem ser despachados nas
diversas estacSes 15 minutos antes da hora
da partida do trem pagan lose frete dian-
tado conforme o ai I. 33 e a tabella C do
regulamento do Io de abril de 1869.
Escriptorio da empieza, 201 de Janeiro
de 1870.
W Batcl7/soi),
Gerente.
*t
TABELLA dos precos deVransporio de mer-
caduras e bagagens, nos trens do carga
da empreza dos trilhos urbanos do Reci-
fe Apipucos.
8P.
c 2.
O.
Soledado.
f
= <=
?
O
Manguinlio.
E
H> S
q O O | 5;
Tocre.
H
6
1
I
2. iw^-2.
B
-~ i
Parnameiriin.
Ol
9
- 1
*? >- te < ir. 2
2, oO-a j
a ca
Casa l'orlo

<* I
3.588S8SI-
Calderdro.
i" I
= *9 : ~ 3-. 2. ~
2. -i. 2
llunleiro.
b >w>-c;w2.
r.
CO
Apipucos.
H
e
B
m
e
t
3
ir
Palacio do governo de Pernambuco, !.
de abril de 1869.
v Conde de Bappendy
*
Imperial Instituto de
N. S. do Bom (Joiiselho.
Acha-se aberta a matricula da- aulas de liogna
portugueza, latina, franc^za, infrlez, philosopbia,
rhetorica, geograpni e historia, aritrunetica, alge-
bra e peometria._____________________^^
Francisco Candido de Medeiros communica
ao re; peitavel corpo do commercio e ao publico
desta eidade, que nesta ilala deixa de ser caizeiro
da casa commercial de Sr. Claudio Dubeux. Re-
cife 2i de fevereiro de 1870.
^TTENQlO-
A pessoa que per iste Diario annunciou letal-
guns escravos, o as precisas habilitar-oes para bem
administrar um engeutio, <|ueira encaminhar mu
carta com as iniciaes G. F., rua da Praa n. 10,
declarando o sea Dome e 6 lagar onde deve ser
procurado. ,_______________
Precisa-se de urna ama que compre e cozi
nhe : a tratar na rua Direita n. 74.
___________________ !> --------------------------------
Caixeiro
Na loja de calcado rua Direita n. 3J precisa-
se de um caixeiro com pratiea deste negojio.
Precisa-se de urna ama, preferindose escrata,
para casa de pouca "familia, pajta-se bem : no lar-
go da alfandega n. 4. .....
r'ffJHJHHBI |MR^R"aW^BW^>^B
O Dr. Tarqoiaio Braulio de Souza A- 1
B maraoto tero o sen escriptorio de advo- I
g cacia rua de. Crespo n. 9, andar, |
| or cima da fivraria econmica, onde J
m ser encontrado desde as 10 horas da I
tj| manha at as 3 da (arde.
mWmrmmmmmm wmMwm
Na rua do Queimado n. 41, aula do motea-
do Castilho, vestein-se anjos para proeisato por
prego tommodo._____________________
PreUsa-se de n caisejro que tenha muita.
pratiea de pbrmacia : na roa do Imperador nn-
tnero3%
' otreipondencia dn Portugal
O Srs. qne inda devem suas asslgnitoraa da
un, doue, e al 3 aonos, nao obstante wHfg-
cia qne se ba.*%P 'r*iu,ip^IM5lw
pagar no ertp; trnSns C. tt ft
ediiori da ita HsU dos devedaraa
que nao o ttujinm feit al aquella data.



Diario d Pernambuoo Sabbado 26 de ^evereiro de 1870
A ESMERALDA
[INSTANTNEOS
Travessa doCwpo Santn. 28
ARMAEEM
Ra Nova n. 38, loja.
Bandcira, Machado & C, avisara ao respcilavcl
publico que no? lugares cima encontrara no mes-
mo sempre grande Ouantidade de ditos pocos, e
que so acham habilitados para vender por meos
que outro qualqoer, por isso que os recebera di-
rectamente do latineante Norton, de Londres.
As vantagens que oTerecem os pocos instant-
neos frao : primeiro, poderem ser collocados den-
tro de cas otilara, cora o trabalho de urnaa duas
horas; segundo, fornecerem os mesmos agua pu-
ra e abundante, podendo serem removidos de um
para Os aononeiantes s rceebi-rao & importancia dos
referidos pocos depois de collocados, satistazendo
espoctatrva do comprador.
LOJA DE JMAS
DB
ae
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado 1e novo, est as condi-
soes de servir vantajosauente os seus fre-
fnezes, visto que acha-se prvido com um
xplendido sortimento de obras de ouro e
3rata de lei, assim como brilhantes e en-
tras pedras preciosas, ujos prepos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
46 em troca ou compram se com pequeo
abate.
pl 5 m m
15
miwuu m
11Ra do ftueimado--11
AUGUSTO P()RTO, temi recebido directamente da Europa riquissiu.os cor-
ro de vestidos de blond para noivas os expe v-nda pelos mais mdicos presos. No
aesmo estabe ecinunto ha constanlemente comuleto sortimento de fazjndas finas como
4eia :
Cortes de setim d cores e ditos de seda dos mais elegantes gostos.
Colchas de soda da cores, ditas de damasco e la, ditas de crochs e de
Bstiobranro para camas todas muito Unas.
Coriinados bordados para camas e janellas de multas quaiidades e precos.
Vestidos brancos bordados, ombraias bordadas, filos, tarlatanas e cambraias
4-jis e transparentes de muitas quaiidades.
(orguo'preto para vestidos, grosdenaples do todas a quaiidades, merinos
pretos, alpacas, bombasinas, pretas. pannos pretos e azues, casemiras pretas e decores
% grande variedade de todas as f zendas tanto para a prac-a como para o matto.
Froobaa de cambraia de liaba bordadas, e loallias decambraia de linho bord-
is scom roaito gosto.
Algodio liso c trancado, azul e de listras, madapolao, chitas e todas as fazen-
das para fabricas de engenho as quaes vendem a dinhfiro, peos precos das casas in-
sjlezas. Es oeste estabelecimento ba sempre o mais esplendido sortimento de
ISsteiras da India p:ra forrar salas que se vende mais barato
* do que era outra qualquer parte.
55Eua da Imperatriz55
F. Gautier, propietario deste importante estabelecimento tem a honra
de participar ao nspeitavel publico que acaba de chegar da Europa para on-
de tinha ido especialmente para contratar peritos olBcaes e que conseguio
contrta-lo.-> na primeira casa de Faris, por isto julga que todos ficarao satis-
eitos dos trahalhos do sen estabelecimento cujo excellente material anda
foi augmentado rom novas machinas que ja receben e tambem muitas drogas
novas coro as quaes se obtem estas maravilhosas cores modernas tao apreci-
d em Franca e em todo o mundo,
ffinge, lava, limpa, lustra, achamalota com a maior perfeiejo fazendas
em pecas e em obras de todas as quaiidades como sejam: seda. 15a, algodo,
linhafi, chapeos de feltro e^depaiha etc., etc.
Tira nodoas e limpa secco sem molhar os tecidos, conservando assim
todo o brilho da fazenda.
Impressoes sobre tecidos
com este novo systeraa, os vestidos de seda e outras fazendas que at agora s
podiam logir-se de cores lisas, podem reeeber um bonito desenlio de cor
diversa, a escolha, o qae realca -a fazenda e lhe d mais merecimento.
Tintura preta, terqas e sextas-feiras
As pessoas das provincias iimitrophes que quizerem utilisarsa do seu
stabelecimeoto podero andar o que tiverem, na certeza de srem to bem
servidas como aofiio de Janeiro oa na Europa, e com mais prestesa por
causa da distanda.
Nao mais cabellos brancos.
A tintura japoneza para finga os cabellos
da caneca e da barba, foi a nica admittida
Eiposico Universal, por ter sido reco-
nbecida superior todas as preparacees at
boje existentes, sem alterar a sade,
Veode-se a 1$UOO cada frasco na
Rna da Cada n. 51,
1. andar*
Iravessa da roa
das Cruzes n, 2, pri- I
nseiro andar, da-se di- 1
m nhclro sobre penhores I
| de ouro, prala e brilhan-
8 (es, seja qual Cor a qnan- i
U (ia. Na mesma casa com'
pram-se os mesmos me-
I laes e pedras.
hJI
r.'i'T
dvogacia.
0 advogado Ayres Gama continua ter
sea escritorio na ra larga do Kosario
n. 26.
AVISO
Os Srs. Mearon & C, fabricantes de rap, na
ra do Mondego n 107, precisam do alguraas mu
Iheres para trabalhar na sua fabrica : a quem
convier pode dirigirse mesma fabrica para
trat r.
Precisa-se de urna ama para pouca
familia : na ra dos Copiares ou anligi-
mente Lobato n. 1, primeiro andar.
AO ARMAZEM
DO
Rua \o\n a. ,
acaba de chegar pelos ltimos vapores novas ra-
messas dos seguintes : '
Calcado franoez
Para senhoras.Botinas bramfts, pretas, e de oa-
tras muitas deferentes cores ultima
moda.
Para meninas.Botinas das mesmas cores e qua-
lidadss cima.
Para homens.Botinas de eordavao. bezerro, ver-
wi, pellica, o nielhor sortimento qae se
pode desojar.
Para msnos.Botinas das mesmas quaiidades
mencionadas para homens.
Para homens.Botas rucianas, meias-botas e per-
neiras.
Para hemens, senhoras^e meninos.Sapatos de
tapete, aveludados, charlte, casemira
preta, tranca de Lisboa etc. etc.
Para meninos e meninas. Abotinados fortes de
muitas quaiidades.
Quinquilharias
Pmos artigos de Paris, de gosto e phantazia,
cowo sejam, leques. espelhos, lavas de Jouvin,
caixinhas de costura com msica.', joias de ouro
bom de lei, ditas de plaqu, cofres de seda e bol-
cinlias para braco, estojos para viagens, bengalas,
chicotinhos de baleia, oeulos, lonetas, correntes de
retogios, e perfumaras de Condray e de Piver.
Brinquedos para crianzas
Carrinhos de 3 e de 4 rodas para passeios, cos-
moramas e sealejos de diversos tamanhos, e um
cem numero de brinquedos francezes e alleraes
para entreter menin >s.
Para evitar mas?ante leitura de tantos artigos
exposto venda neste estabelecimento, o dono
pede a,o publico em geral que se digne entrar de
passeio afim de verilicarem nao s a grande va-
riedade como os precos baratsimos por serem
todos chegados de conta propria.
MASCABAS
MASCARAS
MASCARAS
DE ARAM
DE CERA
DE SEDA
DE MASS4
Em grande quantidade. a precos baratissimos,
e ainda com abaiiuicntos de duzi para cima : no
armazem do vapjr fraucez, roa Nova n. 7.
GUSTAVE
CABELLEIBEIRO FRANCEZ
51Ra da Cadeia do Recife51
Chama a attencSo dos seus innmeros freguezes, e do respeitavcl publico el
geral, para a segrate tabella dos precos de sua casa, os quaes s5o vinte por cent
mais barato do que em outra qualquer parte:
50000
50,3000
Cabelleiras para senhoras a 250,
^30,3, m e......406000
Ditas para hornera a 350, 405 e
Coques a IH, 150, 180, 200,
250, 300 e .....
Crescentes a 120,150,180, 200,
250, 300 e .....
Cachos ou crespos a 30, 40J |50,
60, 70, 80, 90 e. .
Tranca |de 'cabello para annel a
500 e.......
Tranca para braceletes a 100,
Cadeias para relogio a 50, 60,
70, 80, 90, 120 e. .
Corte de cabello,.....
Corte de cabello com riccao. .
320000 Corte de cabello com Iavagcm a
champou......
100000 ^"rt8 ^e cabello com limpez da
cabeca pela machina elcctri-
10000 ca> UD'ca em Pernambuco. .
150OO4
501
501
10OO
0OCI
501
25*
Frisado ingleza ou franceza.
150, 200, 25 e 3O0OOO Barba. ,......
^SIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Bailes e solrcs
O dono do estabelecimento previne sl Recommenda-se a superior TINTURA JA
Exmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um j PONEZA para enegrecer os cabellos e bar
saiaopara tintara dos cabellos e barba, as- ba> unica admittida na ExposicSo Universa)
, como nao prejudicial sade, por servo
s.m como um empregado smentejOMapa-:|ai, analysada e approvada pelas acadtt
do nesse servicn.______________ mas de sciencias de PARS E LONDRES >
TEZOURA DE OlMT
Q^^aaa sana )3 aaaaiiiLaaiaaiiiao
DO
A' rna do Qnfimado n. 6. primeiro andar
8 pessoas para o servico e o maior .teceio nos trabalhos de barbesmento.
O salao estar aberto, nos dias uteisdas 6 horas da manha s 9 danou-
e, e nos dias santificados das 7 a 1 hora da tarde.
() barh.irel Joao Joaquun Fonseca de
Albuquerque tem aberto o seu cscriplo-
rio do advocacia em cafa fio sua residen
ca rna das Cruzes n. 30, segundo an-
dar, onde poder ser encontrado d:i* 10
horas da inanbia s i da tarde ; e bem
assim cncarrega-se de defender reos nao
s no jury da capital como fura dHIa,
urna vez que haja commoda e fcil con-
dcelo.
Precisase de um menino para caixeiro de
padaria, sendo de 13 a Ji anuos de idade, cem
pratica ou sem ella : ;i ra das Cinco Ponas nu-
riiero 38.
!-
mi
Praca do Corpo Santo n. 17 pfiroeiro
anar escriptorio de Joaquira RodrigUBS
Tavares de Mello, tem para vender :
Fumo em folha de superior qualidade.
Vinho Bordeaux de superior qualidade.
Farinha de mandioca em grande por-
cao e boa qualidade.
Cal de Lisboa muito nova.
Potassa da 'tussia.
COMPANHIA
Precsa-s( alugar urna casa terrea ou um so
brado com commodo?, na cidade Je Olinda, em al-
guias das seguintes mas : S. Denlo, ladeira da
tibeira, ladeira da Misericordia, e ra do Ampa
ro, nio se duvida dar bom aluguel se agradar :
quem tiver deixe carta fechada com as aiciaes
J. A. F. nesla tyoogranhia, nu annuncie.
Lima, Lessa &Q.
O imcarregado da liquidacao dos negocios da
exlin-;la firma d Lima Lessa A C, previne a to-
dos es d vedores ao referido stabelecimento, qUe
venham solver ens dbitos ate o fim do corrate
mez, vislo como tem de encarregar o seu procura-
dor de promover a cobranza judicialmente : na
ra do Apollo n. 4.
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
IIECIFE A9 OliIMDA.
Por ordem da directora sao convidados
os Srs. accionistas para, no praso de 10 dias
coulados do dia lo do correnle, effectua-
rem a 7a prestaco de suas accoes na ra-
zo de 10%.
Para esse lim, ser encontrado o Sr. the-
soureiro, das 11 huras da manha as 2 da
tarde de todos os dias, no escriptorio da
companhia, ra Nova n. 35 Io andar, en-
trada pela ra das Flores n. 1 i.
Re4e, 12 de Fevereiro de 1870.
Joo Joaquim Alces,
\" secretario.
O dono deste estabelecimento tinge, limpa c achamalct* com a maior
perfeico possivel todo e qualquer objecto de seda, 15a. algodo, em pegas
ou em obras, chapees de feltro, palha e manilha etc., tira mofo das fazen-
das e faz todo o mais concerner.te sua oroissao, tudo com brevidade, visto
como se acha prvido dos necessarios machinismos e petrechos.
X)lfo Schneidcr.
CAMA DA PE.
Aos 20:000^000.
ra do Cabug n. 2
Bilhetes do Rio venda
vnde Vieira & Rodrigues.
O advngado Manuel Joaquun Silveira pude
ser procurado para os mistena de sua bcdmo
em seu escriptorio ra do Cespo n. l, Io an-
dar, das 10 horas da manha s 3 da tarde. Reside
ra da Conquista (Soledade) n. 4.
Precisa-se de um cozinheiro ou cezinheira :
ia ra do Imperador n. 73, 2" andar.
m ^mmmm-mmmmmm
O Dr. Aprigio Justiniano da Silva fiu.
igl maraes contina enm seu escriptorio
55 rn;* d Imperador n. 27, e residj ra
US do Se ve (ilb
Alnga-se um rapaz que sirva para compras
e mais servido di casa : na ra do Iitperador n.
73, 2* andar.
Precisa-so de urna criada Fivre ou escrava,
para o servico interno de urna casa de familia, de-
vendo saber lavar c engummar: na rna da Con
quista (soledadi) n. G.
Sitia.
Aluga so at setembro deste anuo o prende e
pitoresco si io Barbalho, no Uooteiro, com cas:i
paranumuMsa familia, c mais commodos neces-
sarios em casa lo campo : a tratar na rui do
i n. 0. '
a dos llafus) n. 22.
Companhia Peraambuc-ana.
Kotlucqao em fretes.
A Companhia Pernambuco attendendo a escassez
de gneros alimenti.-io? que atinge a zona da na-
vegaejio seu carg', e especialmente do' farinha
do mandioca, acab de fazer cu isi lerr.vel reduc-
ao no frete deste genero, em alguns casos de 25
e outrbs de mais de 30 0|0.
As pessoas pois, que quizerem embarcar farinha
da Mra, ou milho gnsaro desse beneficio,
vigora de hojo em diante.
que
Casa de Xiommisso de eseraVOS. ~ Preci8a f ie serventes na fuodicao do Bow-
. -; ,.. a i a a man : a rua d0 Brnm n- 3- pagando o cliafariz.
na anwga casa de eommssao de escrtvos, de
*baixo assignado, rua do Imperador n. 45, conti-
a-se a n ceber escravos por eMunisslo, lantc
do mato co->o da pra;a para ser vendido,
farante-se o bom tratamento s pronpia venda
f ara o que se emprega todos os sfonc^s aim d(.
irfarer em todo ia pessoas qne o mizerem -han-
rar eoro sua eosfiaa^a. Nesia oua ba sempiv
'paca tender eserai'm* fo ambos os sexos, velho? (
aocos, assim con ha i da segranos para os ter
Antonio Jos v, de Sawa.
COMPANHIA PER\AMBUCA.MAV
5o DiViBE.VDO.
Be ordem do eenselhodc direefao seeommaniea
aoa grs accionistas que o pagamento do quinto di-
videndo razo de W por cento, ter lugar do dia
8 de aurc/j prximo vjndouro em diante, no es-
criptorio da compatbia no caes da Asamblea
ii. 12.
O gareole,
F. F. Borges.
Alugase a casa terrea n. 40 sita Da rua i-
reita dos A fugados : a tratar na rua do Caideirai-
ro n. 50.
AMA
Prejisase de urna ama para
rua do Aragao n 24, 1* andar.
engommar : na
UrainnvMii* atacienal
Primitivo de Miranda, esiodante do S anno, d
'liedes rua da Conceicio n. 12 ; pode tambem
totranslantws b.xas de palidaft superio," eV rQ^bnadoTsf"'1^10 ^ Dr> JaCObDa' rUa
se em caixa ou porcia maii pequea e t. -----
Bichas hamburguezsaB
-Veste povo deposito reeabe-so por todos pqur
ade si
Precisa-se de orna enzinheira
Imperadfir n. 73, 2 andar
na rua do
l'recisa-se de urna ama para engommar :,'a
tratar na roa do Anmrim n. 35, 2o andar.
Aluga-se por 2oI mensaes urna escrava b'ia
cecinheira e fiel : no 3" andar do sobrado n. 30
da ruu das Cruzes
de canto, piano, des-nho elin
{u italiano,
G. marinam.eli, prnfogoof enm diploma da con-
gregarn de Simia Cuilia Ce Itmii, contina a
dar licoes como j fizera lia mais de 20 anuos em
cinco cwtegios de ambos os sexos o em varias
casas particulares.
A generosa lutpitalidado que elle ba recebido
de todo', e a amizde que sempre lhe consagraran]
as pessoas mais estimaveis desta cidade faz lhe
esperar que desla vez lamben) llio nao faltar tra
balho. no qual pura em accao todas as suas forca<
para continuar a mostrarse digno da protec$o
com que sempre foi honrado.
Gi.nlia Maiunangeli Hk.vrami.vi, discipula pre-
miada do conservatoria e Milo, decidindose a
ddxar a carreira theatral e lixar sua residencia
em Pernambuco, ondo sempre recebeu tantas pro-
vas de estima e sympathia, pelas quaes conservar
eterna gralido, desoja empregar o seu tempo em
dar licoes de msica, pjano e canto, tanto de aper-
feieuamenlo como de principios.
As pessoas que se quizerem utilizar do prestimo
dos sobreditos coniuges, poder dirigir-se rua
do Sevo (llha dos Ritos) propriedade do Sr. Tibur-
eio, perto dos cquein>s.
Xa rua Dircita n. 101 lava-se
com perfeicao e proniptido.
A
cngouuia-sc
.. IX
Grande remessa de borracha para o fabrico de
limas psra o entrudo, da melher que aqu tem
vindo, na ru Dircita n. 53, c na rua Nova n. 39
e 16, por menqs preeo do que em outra qualquer
parte.
Na praca da Independencia n. 33 se da di-
iheiro sobre penhores de ouro, prata e pedrai
ireciosas, seja qual for a quantia ; o na mesma
asa se compra e vende objectos de ouro e prata
i igualmente se faz toda e qualquer obra de en
ummenda, e todo e qualquer concert tendenfe
i mesma arte.
Aluga se urna >aia aciada com atguma acom-
modacao bu Io andar da ca*a da rua do Impera-
rador n. 57, onde qu^m pretender poder fallar :
entrada pelo caes de 22 de Novembro.
aarato de que -Cadeia do Recife o. 51. i
alquer outra parte
andar.
na rua da
Aos senhires de eiigenho
Um rapaz com multa pratica de servidos de en-
g'nho, ede muito boa undu ta. ofterec-so para
adaiiuitrar algum eng- nho : quem precisar diri-
se a prac Independencia n. 17, loja de ejia-
petao peda mja do Arantes, que se dir qnem
o publico.
A Frecisa-*e de um cnw'nhairo ata coziabeira :
ftar na rua Nova n. ,13.
O abaixo asslgnado declara ao corpo do com-
mercio que nesta da'a comproa ao Sr. Domingos
Gomes de I j Uba^na sita no largo ,1.)
PUarn. 11
cada do
verero
1i o Sereriano Goncai
' saiba bo-
Jos flenrique da Silva GuaVires precisa
de um criado qne seja boUeiro ; a ti-t*r no sitio
da Pasaagem anies da poot grande n' W. d *
da tarde as 9 da maohaa.
Attenca*
Urna peifoa com a precias faaMiita^
tem algun ei^ravos, propp-ee a tomar*
qualquer efigenhop^ admBitrac5o ou
quem precaVar adrj;icid po este Diario.
Jos Henriqu da Silva Goimar3e*
la e qu
bnta df
liedade:
e um erlado qne seja bolleiro : a
ene ti d fu- da'Passagem antes da ponte grari"
tarde as 9 da roa
aa.
p recua
no sitio
Grande o'. SO, das-J da
D se de gratificado a quem tiver adia-
do una caria escripia lanicio Ferreira
Gnimir3i8. em Podras de Fogo, cuj carta
fui perdida pe portador Antonio Rodri-
gues, com mais um embruUio no qual con-
tinha 260(5000, ao sabir da dormida no
cngenbo No-o. d edras de Fujro. equen
entregar dita carta com elle, recebar do raeamiSr. Igiacio Fer-
reira (uimar3-s. a ^nantia aeima, rua
\>va<.4i a Libanio Candido Riheiro.
lear
traU
A p> em seu poer por em-
prsstlmo i de Janeiro setembro de 18C6
pandar, a desto Diario, queira n7*air no pserin-
forio da tvpograpi v
PEDIDO
t*r<*idamoiite .ids frs. Domiugos
laval-
nham
roe isa
eij ,
Theodorc' Rigue. *
canti d? Aibaquers"*"'^Sen^aem), qi!e ve
\ rna d-> Vigarl* n. .Vil -nft^^^^H
Ollii'iar.
Methodo Castilho.
-Manoel Jos de Faria Simoe>, professor particu-
lar de iustruce" dlameoiar pelo methodo Cas-
tilho, tendo chegadu d > (pato, onde foi tratar de
sua saude, avisa aos pses de seus .luinnos e ao
respeitavel publico que a dia a do correrte
abre de novo a sua aula, na rua da Seala Ve-
Iba n. 124, segundo audar. Em dita aula lecebe-
e alumnos internos e ttnos.
""WlLMbo! "
Offerece-se um rapaz ltimamente ebegado, com
is precisas habiliucoes, para casa particnlar : a
rajar pa rua do Camaro d. 13.
Trilhos urhaiTti do Recife
Olinda.
Gontinua.-se a comprar dormentes d ioapira,
oiticica, amarello o outras madeiras de duracii
para o chao, com as dimensoes eguinles : 10 pal-
mos de compri ment e 3 ll p llegadas de grosgu-
n, de 7 112 de largura : para tratar, no lelelro
da rua da Aurora, desde as 6 horas da raatba c
I da tarde.
O superitend,
____________ Aurtr de Abreu Porto.
Precisa se de moa ama forra de meia idade
e boa conducta para casa de rot piuca familia :
na rua de Saata Tli?rcja c. .
AssociaqaoConiniercial Benei-
cente.
Os sonhores socio da Assoriacao Commercial
BeneOciento e que sao consenheres do elificio, pelo
prstate sao convidados a receberem do Sr. the-
soureiro William Otto (de 1 at 3 horas da Urde
e munidos com os respectivos documentos) o divi-
dendo de 5 o" sobre a importancia das partes qup
tiverem nojnesmo edificio.
Associaeao Commercial Beneflccnte 15 de fe-
vereiro de 1870.
Daniel Ramos,
,___________________Secretario.
Quem tiver meninos.
Precisa-se de meninos para aprender a f3zer
cigarros: as fadricas a vapor de cigarros, quar-
lel de polica g. 21 na mesma rua n. 8. li, e 19,
boa occasiao para os Srs. pas de familia que I
nao teem que Ihes dar a fazer, e em poueo tempo
se lhe garante ra-oavel ordenado.
lusriicvo primaria e secuudu-
ria, s ba code orja e ollvclra, rna do
B'razcrcs o. .m9.
Fraoeiseo de B ija, cdmpctonieinent'; batulitad i
pela directora geral da instruccao pnb!i-a, e com
bastante ortica de endino, leceioM rbetorica i
potica, franeez e principios do iatim : leccioni
tambem primeiras letras, coadjuvjdo por um ad-
junto babil, praiicoe nioralisado. Recebe aluni-
Dos pensionistas de 12 annos para baixo, por pre-
eo razoavel, c externos a 15' o quartel.
Horti ultura fbanceza
E. Pellore. tem a honra de prevenir c respeita-
vel publico desta capital, que tero no seu arma-
zem da rua das Cruzes, um completo sortimento
das plantas exticas das m3is raras, tanto como
legumes, plantas o flores, j aclimatados na Ar-
gelia e mullos c-utros que existen) no san estabe-
lecimento.
O dito senhnr tenda de se demorar at o fun
do mez em Pernambuco previne aos seabores
amadores, de se dirigirem quanto ames a seu ar-
mazem, garantindo que serao servidos :om todo
o esmero : na rua das Cruzes, sobrado novo..
"MroTlwiJST
Aos 5:000$
Bilhetes garantidos.
K. rua do Crespo n. 23 e casas do cosame.
O abaixo asrignado, tendo vendido aim de os-
tras sortes, i quartos n. 4660 com 700i d.i
lotera que se acabon de extrahir a beneflck>"da
igrcia do Nossa Senbora do Livramenlo de 1.
d'Allio (I371), convida aos possnidores virer.i
receber na conformidade do costume sem descon-
t algum.
Acbam-se a venda os felizes bilhetos garan-
tidos da Ia parte da lotera beneficio df ignj.
de -V. S. d] Livrr.mento do Rio Formos)(i38*) que
se eitrahir segunda-feira 28 do correnle mez.
Precos."
Os do eos turne
Manoel Martins Finza.
50,000 KS.
Fugio no dia 22 do correte o
escravo de nome Antonio/ naluaal
do Buique, que era ltimamente es-
cravo de Antonio Luiz de Mello, do
ongenho Jacob na, csteve tambem
em Pao d'Alho, o qual tem os signaes seguales:
cdxo de urna perca por ter unta das juntas dos
ps desmentida, tem orna boa urra as nadgas
e as costas, dada pelo ex-senhor ul.mmente,
alto, bem eorpolento, os ps bem grossos, leveu
vestido calca e camisa de algodo muito suja, cha-
peo de teltro da copa redonda, -muito qequeno,
com abas viradas para cima : este escravo muito
r-mboyeiro e intilula-se por Antonio Candela, u
levou um pandairo de folha para sambar : quem
<> encentrar poder trazer rua Nova n 12, que
alem ba offorlaaiQua ser recompensado genero-
samente
Fugio do engepho R >m fime, t-rmo dt> Ua
muieira, nddia 7 deste corrente mez, um cscras-o
ctioulo, cor preta bastante alto, idade 20 aunes,
poueo mais oo monos, ps chatos, ventas rrega
cadas, botaos grandes, cara lisa : quem soubrr oo
apprehendr leve o ao engenho cima, a sea se-
nhor Manocr Thoro de Jezus, que ser beiir pago. 1
O Dr. 'osla Motta de volta de sua via-
9^ gem da Europa onde dedicou-se s roo
Icstias de senhr.ras, a partos e affeceds
Q de pelle, podo ser procurado em sna casa
2 rua da Imperatriz n. 9. Da consultas ^
9 das 10 horas ao mcio dia, sendo gratis fi
para os pobres.
^
^
d
BtJieiro.
No caes do Apollo n. 69, precisa-se de ota bom
boliero.
Trabalho.
Precisa-te de homem para o servico de pj : tra-
ta-so na rua do S Joo o. SI, das t as 8 horas
da noite. _________________________
AMA DELEITE
Precisa se d toa
Queimado u. 49.
ama de leus : a rua d
II. IOER PAR-
licipa ao commercio em geral que, pro--
mente, transfiri seu armazem o seu es-
criptorio .rinho n. T (Cor-
po Santo) \l asdar. por cima da <
O dito escravo* chama-so Mlgoo.
I caria'dos
Simn d C.
H


t
Diario de Ferjiamhuco Sabbado 26 de Fr.Vereiro de 1870.
iLERIl ILLLSTRAOA
Grande polyorama
49~=--Itna da Imperatriz--=-49
lraa Je e nova I I I h m i n a ( o
Vistas de ludo que ha mk inlessanie, cm cidade?, batalhas, monumentos, ele.
como tambem ai prin.ipes balataas do Paragur.y.
O respeitavel publico poden* sem escrpulo visitar sta grande galera por se
achar con todo o ase o, dignidad.* e moralidade, faz parte na il.ustracaft os retratos
em ponto natural de Napoleio 1, era uniforme du campantn, Napolelo III, em grande
uniforme militr c do Principe lmp_'. rial, em uniforme militar.
Cada bilhete de entrada da" diitilo urna bella prendarhaveudo entre ellas mailas
de subido valor e as menores qnasi igual ao prer, do bllhele.
As 7 \jt horas da noite subir ao ar um lind > bailo ce cores.
,_______________ENTRADA DE CADA lJESOA 500 RS.
Lindas e superiores bareges de cor, de quadro e de listras, para vestidas fin-
gindo seda, pe'.o baratissimo prego de 500 e 640 rs. o covaffD.
Assim como superiores cassas francezas de cor padrSes de milito gosto 40(
a 600 rs. o metro, na loja das Collumnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa df
Vasconcellos.
CARNAVAL.
Os entliusiastas desie grande brinquedo que qniz- rem niunir-se de ura ho-
bonite domin, dirijan>se ao armazem de Gomes, Silva d C. onde encoulrarao um
lindo e variado sorlimento de dminos do \dudo, que vendem por precos muito
comraodos.
Em <00 dminos fcilmente podereis escoliier vossa satisface) porque fo i-vel aflm de n5o haverem faltas.
i-aovii-lin nnr avimine arliclac m .__
rara feitos 3 capricho por eximios artistas.
Correi
. 10_Rua Nova_-10
Armazem de fazemdas e ronpas felfas
Travessa do Corpo Santo n. 25.
Os acreditados cyndros americnos para padaria, por dous differentes syslemas.
Machinas para descarocar algodao pelos raelhores fabricantes de New York.
Machinas de vapor systcma de locomova e polis para as mesmas.
Orrinhos americanos para traLsportar volumes em armazens. Tudo por pre
tos razoaveis. .
TRAVESSA DO CORPO SANTO N. 25
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
Acabam de chegar grande quantidade das verdadeiras machinas americanai
>ara descarocar algodao de todos os systemas e tamanhos seguintes :
12 serras |2 serras
14 ditas 14 ditas
ditas 15 ditas
ditas 16 ditas
ditas 18 ditas
ditas 20 ditas
ditas 22 ditas
ditas 25 ditas
d'tas 3o ditas
Mas 35 ditas
-- das 4o ditas
s quaes se vendem por preces commodos e roga-se as pessoas que dellas fizeram en
ommendas de alguns tamanhos, obsequio de as mandarem busca-las o mais breve pos
Club do Moatelro
Hoje h reuni familiar e ti era da va frrea a
ama hora depois de raeia noile.
P. l.ayme,
Em fincarlo.,
Na ruada Aurora, loja d.t predio o. 7fi, en-
gomma-se e faz-se falo de senhora e hornero, ludo
Tom perfeicao.
COMPRAS.
Cabellos
Na ra do Queimado n. 6, i andar, salao de
eabsllelreiro, comprase continuadamente cabellos
compridos.
Compra-se urna carnea que esb-ja cm bom
estado : na ra Nova, Inja n. 7.
Comprare
duas ou tres venezianas em segunda ao.porerfl
que estejam perfeits : a tralir na loja da ra Nova
n.45.
15
16
18
20
22
25
30
35
40
Em;Ii:'. M:ira da Conceieao faz publico <5ue o
Si. SamucS Joaquim de Lima Ihe hypoiecou a par-
te do labrad) n a' no lugar do? Arrombadis n>:sta
cidade, em 30 da Janeiro do enrrente anna ; por
isso previne a quem interessar, que nao fae-mi
ransacoso alguma com o (Memo sealur cima
sobre a parta que tem em dito sobrado, 3m que
seja rtisfeila a annuticia'ite da hypotbeca que
existe no cartorio^ia Sr. Jjaqatm RorniM Candi-
do das Chaga-i: e dosd; j protesta coetra nual-
Preeisa se du urna ama
Iiessoa : a tratar na r:ia
mero O.
Avia
E
iara casa de una s
llortas, sobrado nu-
quer transaeeio do fevereiro d* 1870.
01
a qi
a 2i
Precisas de urna ama para urna so pessoa :
na na de II irlas n. 88.
Vend-nn-se onze casas terreas em ponto pe
queno, sitas na povoaco dos Afogados : a trar
na ra Imperial n. 273.
0004000
Bons das, Sr.cMSorfw.de tairoso. entao j des-
cancou das fadigas da viagem f j pede dar-ues
um bucaito de attenco^ )i ; agora pjdemos con-
versar um poucacbito : mas nao me trate porj
Yarro e 1 airoso. Emao porque, pots o governc
nao Ihe conferio j -sse titulo 7 anda nao. En
vim a Pernambuco para liquidar, por ordem do
governo portuguez do Ttrto, uina metgueirasita,
'jue deve defcar-me pam ahimns 15:0005, eso
onto (tkpois e cumpru'a a miss'o},,-< que pode-
rei usar do varonato. Quioze contes'... o Sr.
custodate de (airoso, entao o govorno d-lhV
.j:0() i 10 p ir vowaoaed vir liquidar una nwt<
,'ueira L. nao' homem cu na leva nuda do
governo; estes 3:000* fia eos o rt-sullado de
^'WUSOSO forses que eu-emprestei a ella, Deas 11^
falle n'atraa I das qus tontio urna bypotbeca-
sita... icio is; i, pofm, que nao passe ora, parque, so os meninos da cancinha o sabein,
podom-ne deitar o nogocio a perder... Ento i
vejo queahiasdam herli mas amigo !_. sao ananjos... sao arranjos. a gyria
boje a nica sania qaXu milagro... Sim eu
nao Ihe qnero n I, por is?o ; no entanto, para eu
nao dar oom n. Hngua n->e duntes, preciso que
eu marda tambem algnra cmsii Pois fin, biu,
-que rftmei.j lorr;i. (Aparte) Ali' co '.. Fm-
'o larde, Sr custodios.'-, essii lnbo que ir tratar
aoipequemichot. Adeos, at a noile.
0 mmo 4e curtas.
AMA
Precisa se de una ama'para o wrvico iaterio
de pepiena familia : na ra do Vigario o, ler-
corro andar.
No dia 21 on 22 de ja ierro foi embarca-
do no Recife a bordo da barcaca lia Sorle
~Save,jante que do pono de arreiros t
barris cora sardinhas, cujos no tem desji-
no algum.-quem forseudono e dersignaes
certos na rua do Pilar n. 99, Ihe ser3o en-
tregues pelo ab ixo -assignado depois de*
pagar as despezas.
Recife, -18 de fevereiro de 180.
Alfredo A. da S. Freir.
..B.DA CADEIA N. 56 A
8
S
a Cu-a o. c
fi9 O ft5 M ""
o
u
3 so 5"0
I

>-
ff

e 3 2 < w
B se cd
B23 5-
Precisa-S'
Precisa-sc alugar um escravo para snico de
hotel : rua das Cruzes n. :)
Ama
ProaiM M de urna ama : a tratar no pateo de
6. Pelro n. <, i andar, entradapela rua do Fogo.
Precisa-s a-S6 na rua do Apollo n. 20.
B.2. B & d
o t ^ "*
Oe,0||g
5 a, & sr. S
3 j= sr o g _.
b: ?s
oag 3 o T
i S 3. 5;
Ifillf
a-a g ~o
s i 1 w
Feitor.
Atteaco
Aluga-se u comprase iima casa terrea que
-.enha bastantes, canimodos e buin quintal, ainda
mesrao que tenha de lazer-se con crios, pon:n
>]ue seja nos *jgiinjtcs lugares Soedade, -Cmi-
nho-novo, Has da Crespo n. 7, laja d galo vtgillant.
Em coosequencia do ler merecido applauso
do novo que assistira os f:uid.mgos da dia 20
que se Me broa a fusta de N. S. da Paz, os mea-
mos socios dos &tos fandangos pretendem sabba-
do, 23 do correte, rep asentaran pela efund
vez, contando cora o mesmo aex-!bimento do res-
peitavel publica. Os mesmos fandangos se renre-
entam rrali?.
FraaeMoiiraoes Precisa-se de um trabflbador pan tratar da
iun sitio pequeo, paga-se a secco, e prefere-?o
casado : a tratar na rua Nova n. 10, i- aedar
Ama de leite
a gande e
sen fillio, dirija-so a rua das Crczes n JO.
ouiiiiiiiin
Na tintuna franeeza, na da Imperatriz n. B5,
t^igem-se veaaatfee do cor^s as mais esquisitas
iaev-3 podem desejar para os bailes mascaradas, c
lambom limpaai-se a secco os-que tiverem alcu-
ina nodoas.
o ts S
CJ O as O
S 3 D S ""
?| o
to en _
?1lili
s. 2 g s
e
c- ce 5?
D W) 3"
N OS OS O U
> CU
I
f
te
I
53
*
H
O

S
O
3
o
0
?3

ce
O

crt-

Casa terrea.
Comprase urna casa terrea : tratar na rna
da Madre de Deus n. 16, loja.______ __
Compram-se jnoedas de ouro e prata de ti-
los os valores, ouro e prata em obras inutilisadas,
irilhantes e mais podras preciosas : na loja de
mrives do arco da Conceicao, no Recife._______
0 uiuzeo de joias
Na roa do Cabng n. 4 corapra-se ouro, prata
t pedras preciosas por presos mais vantajosos do
rae em outra qualquer parte.
Vendem-se ouas escravu, ambas de idade
18 annos, de b.mias fijiura-;, com nlguma habili
dade : na rua da Paz n. 3i.
A CAMPOS
Na rua do Imperador n. 28, vende-se
os seguintes gneros de suprnor quahdade,
a saber :
Presuntos inglezes (para fiambre).
Queijos inglezes (muito novos.)
A verdadeira goratna de araruta.
Copos lapidlos (muito finos.)
Latas com lagostas a 6('0 rs.
Licor (aya pana).
Ovas do serillo.
E urna tranca de ceblas por CiO rs..'!!.
S no armazem do
Campos.
Rua do lmp ra *-
Vendem-se .Iqueijos de Minas muita frfseae-.
ebegados no ultimo vapor : ua esquina da rua de
Hortas, armazem n. 2.
Boa pinga do Bouro
A 3.$OceO
'.Flix Pereira da Silva, a ru da Impcratriz n
60, acaba de rebeber urna nova remessa do seu
muito acreditado vinho puro do Douro, e muito
proprio para este clima por nao ter coiifcreSo, e
vende em barris de 10" a 321.
Cal nova de Lisboa
descarregada boje do patacho marta ; c vende
Joaquim Jas Hamos, na rua da Cruz n. 8, pri-
n eiro andar.
ttenpo.
Alitgt-se ou vende-so urna casa coro bastante*
jommodos na-cidade nova de Santo Amaro: a tra-
bar com Joaquim te fianza Heves: a rua a* i u-
es n. 36.
AMA
Precisa-se para o servio interno de casa de
pouea familia : a tra'.ar no ua! jo de S. Pedro :
G, 2o andar. r
9 RUA DA I6VIPERATRIZ 9
.JSjSFf^l f- stab,'!'C'menio acaba de receber um completo sortimen
V A ,, af"m3d0/abnC8Dte H"r/' entre '6 (',,aes tra aIus pi nos de grande
FoBia(o e ffintem mais de que sete oituvos. 0""uc
O proprietario teste esubelecimento offerece ao pebiieo maiores vaniaww
K^vZrqner'/aZem-Se t0d3S Mualidad de ron Jtos e afinaosaeJanS
merasr systema com o nuior esmero e promptidao poaaivel. wo o
- ------___________________.________________________ fi'tiriipic Vogelcy
Na nudos Qiurteis, em fente a praoinha u.
2, l" e 2-' andares, tom um grande sortimenlo de
vesluaries para lugar se. como sejam : dan.ins
de velludo, velbotina c de seda, goslu moderno;
assim como vestuarios de principe, de velludo, ri-
can ente cnfeitada?, veodem-se e tamben alugam-
se por proco roroaiodo.
" ACS AMATET
A VERDADE
55Euado Queimado5?
A VERDADE tendo em deposito grad-
quanlidade .de miudezas e perfumarias. e d-
sejando apurar dinheiroe adqoerr boa fr(
guezia est rssolvida a vender Hiuitissim-
barato, ; por essa raz3o convida ao respe-
lavel publico a vir competentemente mon
do a sorlir-se do bom e barato. Pois quar-
do a Vcrdade apparece, tudo mais de*
apparece-----
Grande sortimcr.K) de bonecos de cera
massa as mais lindas possiveis vestidas ac
racter.
Abotoaduras moderuas para col
letea.......
Espellios donrados pepnenos. .
Agulhas de osso para crox a .
Pautes para regag com esntas a
Hicosglobos para candieiro de giiz a
Cbamins a.......
Grande sortimento de objetos de
louca para brinquedo de menino
Garrafa com tinta a.....
Dita com agua florida verdadeira a
Dita com lita dita a .
Frasco com oleo de babosa a 800 e
Ditb com agua de Colonia a 300 e
Garafa com agua divina a. .
Frasco com extractos finos a .
Latas pequeas com banln muito
fina h 12i e......
Sabonetes de diversas qua lades a
80,100,240e.....
Finas escovas para denles de 118 a
Lindos coques modernos a. .
Pavios para gaz, dwzia a 240 e .
Escovas para fac* a 500, 600 e
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar piolbo a i O e.
Brincos de cores, bonitos a ICO e
Pecas de tranca de 13a coito 8
varas por.......
Oleo para machina de costura,
frasco a......%. .
Pennas d'aco tinas caixas a 800 e
Dita d'aco Perry, caixa a. .
Galao de algodiio peca ....
Lindos babadinhos c enlifmeios
peca de 500 a. .
Ditos de louca muito fino a 120 e
Ditos para calca a 100 e. .
Caixa com papel amizado a. .
Ditas com envelopes a. .
Ditas com obreias a.....
Caixa com agulhas fundo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para costura a 240 e
Caixa com linlia de marca a .
Linba de cores em novellos (li-
bra) a......, .
Carreteis de liaba Alejandre de 70
at 200. .,,....
Grampos muito finos com passa-
ros, dtszia a......
Cartas portuguezas, duzia a .
Ditas francezas a 2$200 e .
Papel almac-o e de peso, resma a
3^400, 35500 e .
ua muito fina para bordar, libra
Fita de algodo para debrum de
sapatos, peca a .
Ditas do 13a para debrom '.o ves-
tido, peca a ......
Pentes finos paja segurar ca-
bello a .......
Ditos ditos de bfalo para ab'
a 210, 320 e......
Dit03 para apurar peana a .
Rosetas preias, par a .
Tranca de la d
Fila do coz ..-x'SI 80 c .
Alfmetes do iu o a.....
Sapatos de la pata enanca a OOe
Gravata de sudas de ceres a .
Calcadeiras a.......
Grande sortimento do rendas das Ilhas.
Um par de suspensorio de borracha po
1100 ris!!!!!!!
Xa Versado roa d ieD5.nl<
d. 5.
32<
&*
32
3*.
10C
80C
430f*
75K1
t
i -xx
loOOf
16
Of
70(
501
20:
8(
60'
V?0f>
40i
lita
24
7(K
4 '
4*
28(
50
W
W
2*.
3,$00(
MI
6(?o0
1G<
48C
32
50C
iO
lOf
KX
m
tof
m
20(
S
BAILES IIE MASCARAS
u Ands Delsuc ucln como o IMuardo Mili
Xa ruadla Imperatriz, loja do Garibaldi n. 56. c I
Xrara n. 71 tem graade surlimenlu de domin-, |
sondo de sed3, alpaca de core?, ISa e velbutina i
barato para acabar, a saber, 2, 3, l, bi, 8 6 i
iOS. vestuarios a carcter, todos d novos gostos,'
a 6, 7 e 8/ : na rua da Imperatriz nuim-ro
36 e 72.

; r*>,
A.-a

. T| Veode-su ua .-serava~pi-eta" com 18~TFo<
^ireiros^de Pariz,^fferec^m os seus W^^SIK^'VST
n. o3. 2o andar. uu,,'Vi*'a
^a^g
.-------------------------..- .JJlit Ol; M.CIH IltJI
-i revine se tu ft-eqaenladorcs det salao
lo no da deCmza, quarta-fi-ira 2 de mareo.
de cabelleireiro que pretendan fecha-
ELEPHANTE COM BOTAS
6BANDE ARMAZEM DE RANOS, MSICAS E INSMENTOS
ANTONIO J0S DE AZEVEDO
N. 11-fiA \0VA-N. 11
; proveas visinhis, que o seu grande e bem acreditado armazem de3 frumentos par n5
??? 15 por cenlo dt^o^cTmia W.
Et famo dar lucem
29-nUA DO IMPERADOR 9
ea5?n,!WOMnCOg d hl,a '* d 500 a 13000 rs.
" H MtHjg em latasT
Attenqo.
~^T^r%^
COSTURA
UN VF ?A "ar^ GRANDE ^MB
VI XX A ,m '"i3 XVa HUW
Lis n^/Tp,d,Soriira?nl0 "'" ma"
ssm ,,f' *>* ",t,es masc-
itcidos, as quaej eslao em exposiC5o no
Partecipa ao respeitavel publico desta cidade
i, a^la o caegar um graode e esplendida sortimento de
*MAJWS
imdos e b*. JSL^'tSuSt Sr. teCW fiS m"te>tc te'i',",t,<, el,a' d0 *tores ^rodiudos **
moma BIONDEL
cidade, tsftmo cejara :j
feSj^ffi^Dwa^Sl 12."lSS?.aS?![.Il^.^dl- c Prova cora o docS!toKNxo trascripto e ass^nalTpelo
do. eapeciaimeote para o clima deste naiz s5o os Sn? t* ITL!'* Com ^n^ito nxo tranncripio e assignado pelo dito Sr. Brondel Estes n'anrw t,hn
3naore pianistas.
latescidade o aumento "piaw^cora o Ho S\xkX.
Todas as pessoas ^ comprarera pianos nesla casa, 6o rogadas a exigirem ocertito de origera signado pelo Sr. Blondel, aQra de provar a
Xaropes iTlro^rat^4s
lTEiar
*:"l<"sade Latham & C. rua da Crur n
38, vendem-se chumbo de munido, oleo de Lnhi
et, lona e stren. vaio
PEXE
Xa qurtt.Wrs de Cintas 9 de marco, pescad
a.yrwirodo iiomi venda w fcarato. '
labyrinthos
m*.. n.:0JJ.-rin!ho > Cotri. que se ven Jem
re-ras doriamente, e a sua perfei So
como da melhor cosloreira c Par s An e
sen am-Se traba!ilos exeeulados es m
sua
AO PUBLICO
muito em co.it i
na"S?,"t u"r^*',eciment0 Cf"n moveiTT.
dTcSf,.fe,afegue",3a: a,ra,ar n;"ua
ae do madreperla com leo.
madreperula, muito proprio m-, ,.
rfm a l,ja do Pas-o /nudo R 7' f^'
sim eomo remitesimos rb?le< de^nll a' **
oas as o :rs, ve para b,pi7Jd. s, n/easToS ntfcfai
to bonitas para "S ^I moi-
iesapamorason,;^^' pandar
RUA, N^N^l'aiil^ ded,r,ao respeitavcl publico de Peramb,co, qoe o nico depoi-
e ce Azevedo. Oatr ro que ledos os seus pianos ir5 aceomcanhados de om%
iuga p^no, k teaifl maior e mais expieodido sortimento? de oras
laes recebe diretamenttja Europa e do iSri ^rfl/Pi^^ .KEAflf*!
p jMrtlneotode papel para musifa e deJbo ?rfi!^SHfi22!2 og Sr8' PePl
* r.a cidade
e origera assig
Uf^orliknento de papel para msica e dLX AX" w****"** dos Srs. Pelpf
apelhos donrados. $u5drSos e ovaes ibhV* 'Stfc jd0S ^tmt :as varag e
s tamanhos, tata-arca. I5as e igulas pa S3S?" 'ifcL fe08^08 P
hars da noite aflm das E. topSSWBIf,1 Ji^f ^ Pl]b'C
Trnaghi, Narciso, Arlhur apelo 4 C,
|aosopara ornamentos le salas, oleados par
Jsg-ta, relogios com despertador, \idru para
ir Si^Jtpre nesta arn?azfP,'o qua estart
Ilomius
Doniins,
Uoniino.
-orlimento de diversas qualida
des c para todos os H
PRKgOS
para vefffcr.oa aligr i vontade dos frei
gqewg, na bem cenhecida loja da
FiAGATA AMAZONAS.
*a lo| do PasM
ran le
tor^coLrr n' '*' ^l" norlante
ilWn lrnu'),1)-ul,,B va^rfranr,,
nf.irarwi ic novidid
WmossorUmwtieompe
uaijara-se, pois, todas ,11 upe
'omprar estf s arg,
Mientes de rjue.
?ern
qneiiHi
In" ^
luliiia as



6
Diario de Pejnambuco Sabbalo 2C Je'
Fevereiro
Je 1870.
Mil
'$.
uj
A RIJA DA iMPEttATRI HT,
Esquina da ra da Aurora, em frente do caf Imperatriz.
N'este novo e sumptuoso ostabeiecimento de fazendas encontrarao as Exraas.
familias ludo quanto pussam desejar,tanto em artigos do mais rigoroso luxo, como era todas
as mais qualidades do fazendas,
Alm de se acliarem prvidos do que de melhor se enconra neste mercado,
: ir todos os paquetes da Europa, rece'wm directamente o que em artigos de moda e
io mais apurado gosto se oncontra em Paris, o que vem cadadia augmentar s propor-
c5aa de que dis;.o este estabelecimento para bem servir sua numerosa freguezia.
Gase com jotras de s^da e flores, fazcn-
da inteirameme nova para vestidos de baile.
Grvalas p-ra senhoras e horneas, o mais
completo sortimento que se pode desejar.
Guipure preto e branco, diversas largu-
ras e differentes gostos.
Gollas e ptinbos bordados para senhoras.
Guardanapos de linho pequeos e gran-
des.
Gorguraode seda preto ede cores.
Grosdenaplcs preto e de cores, liavcn-
do diversas qualidades e gostos.
Japonezes para sent iras, o melhor gus-
to, e fazenda propria para as testas nos ar-
rabales e passcios a tarde.
Ota,
LSazinhas de todas as qualidades, cores
e gostos, nao fleaodo nada a desejar, tal
o sortimento que existe para escolher.
Lencos, tudo quanto pode haver desde
esguio ao algodo commum.
Leques de madreperola e osso, o mais va-
riado sortimento.
Ligas d seda, bordadas, para senhora.
Luvas de Jouvio, ebegadas por todos os va-
pores, sempre novo sortimento, quer em
pellica para homens e senhoras, quer em fio
d'Escocia, brancas e do cores.
Madapolo; indescripiivel o grande sor-
timento que ha neste genero, desde o mais
elevado preco ao menor, que se vende em
peca e retalho por menos do que em ou-
tra qualquer parte.
Mantas de blonde para noivas: o apurado
gosto dos nossos correspondentes em Parla
habilita-nos a dizer que temos em nosso
estabelecimento o que de melhor se dse-
ja para vestir e ornar urna noiva.
Mantas pretas de blond.
Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos pretos, trancados e lisos.
Musselina branca e de coros, lindos o va-
riados padroes.
Pannos pretos e de cores, desde o mais
barato ao mais superior, por preco muito
c.immodo.
Pannos de crochet, para oodeiras e sofis.
Ditas do casemira m-.iilo finos para
mesa.
Peitos bordados de linho, lisos c de al-
godo para camisa.
Priacetas pretas a de cores.
Popelina do seda e linho, cora listras c
flores; fazeoda lindsima.
P.sloerinjs para senhoras, do tilluno
gosto.
Perfumaras ; os mais finos extractos o
GALLO YIGIL
lina o Crespo o.
Os propneuri ?s deste eatabale-
ciaiente, alm dta mijitos ohj. nbam ox-
postos a apreciarlo do respetataj flBlico, man-
daram vir c acabam de receber polo ultimo vapor
da Europa hu completo e vanado sortimento de
finas e mui delicada especialidades, as quaes es-
tao resolvidos a vender, como rde seu costume,
Sor preces muito baratinhos o comraodos para to-
o
mmu u
4Dk
Algodo largo para lences e toalhas de
is as qualidades que costuma vir ao mer-
cado.
Alpacas de toi'is o> padrees e qualida-
dea Uto \ aliadas que se nao podem descrever.
Albunscom msicas para collocar retratos,
delicado presente para qualqier pessoa de
es.ima.
Aloalhado de linho o algodo, branco e
d-3 cores proprios para toalhas.
Rasquias de seda pretas e muito moder-
as, Ih'iT como da crochet, lulo de apurado
gosta e feitio.
BalOes de montuna, madapolo, brancos
a. de cores, para senhora e meninas,
Bareges de cores variado sortimento.
Babadinhos cu tiras bordadas em todas as
argaru.
Belbntu de todas as cores.
Bolsas de tapeto para- viagem, grande
ariadada de tantaohoa e gostos.
Bombazina piola de todas as qualidades.
Bramante de linho de H palmos ue lar-
gar, e todas as mais qualidades.
Bretanhas de linho c algodo, grande sor-
.iin 'nto.
Bi ins de linho branco o de cores, do mais
ommodoao mais caro em qualidade, affian-
cando o que ha de melhor na especie.
Brins d*algodn completo sortimento e
yriedade de pre;os.
Cassas de cores, o maior sortimento, pri-
mando pelo bom gosto e barateza, atientas
as qualidades.
Ca noratas brancas, tapadas, e transparen-
tes de todas as qualidades e precos.
Camisinbasde cambraia de linhp e cassa
bardadas ricamente enfeilados para Sras.
Camisas para homens e meninos, to va-
cado sortimento que vai do mais ordinario
madapolo ao mais perfeito bardado de li-
nbo e cambraia.
Camilas de meia, de flaneUa, braneas c
ie cores para homem.
liras pretas e de cores, o melhor
te pode imaginar, sendo d'isso a me-
irova o grande consumrao dellas na
da rasa.
Capelias de flores, para noivas e bailes,
a mais candida flor de larangeira at
'i ni.,.-; interessante grhalda.
nhas no melhor gosto.de todas as
boje prefer las pelas senhoras de
apurado rigor na moda.
< tpeos pretos de velludo, para senhoras,
io gosto de Paris.
Chapeos de sol, para s nhoras e homens,
todos os pre,'os e variados gostos.
-'y com ricos padroes para vestidos, jqae d malhor e mais agradavel se pode
ea de 1 das as qualidades, avallado encontrar neste genero, e de mais fragante
. ro e nao meno* va: iedaJe de gostos, e suave no olpbato, temo PAVILIIO DA
impossivol descrever o SOftimen-jABORA, desde a \erda iedade de padroes e novos gostos, da at o mais fino Bouquei d'.imow, fhal-
artiga tudo quanto se pode desejar.! mente tudo quanto deve oceupar o Mca-
los para senhoras o que se podeima-jdor de urna senhora de gosto.
giaar de melhor. SS
Coques, o melhor no gosto e nos entei-
08 tamaitos.
Colchas de seda com borlas, o mais apu-
islo e lavor.
Dil is do fustlo branco e de cores por
procos qtnmodos.
Corpinhos de cambraia, ricamente borda-
senhoras.
dos de cambraia bordados e de
a de m Ihnr se pode desejar.
ribos de linho bordados e lisos, o
rtimento.
CE
ios, cun tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, brau
cas e de mui lindas cores.
Mu boas e bonitas gollinha? c punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno. .
Superiores pestes do tartaruga para coques.
Lindo e riquissimos nfoitca para canecas das
EAinas. senioras.
Superiores trancas pretas c de cores com vldri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marffrn, sndalo e osso, sendo aqnollos brancos
eom lindos desanos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
Rhoras, as qua* sempre se veaderam por 305000
a duzia, cnlreta o qae nos as vmideinos por 20f,
alm desta-s, temos taaibom grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
caslo de inarfim com Jindas e encantadoras figH-
ras do mesmo, ueste genero o que de melhor se
pode desojar ; alm destas temos tambem grande
auantidade de oatras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, o.-so, borracha, ele. etc. ele.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias do seda para MMhora e para meni-
nas de i a 12 annos de idale.
avalhas cabo de marflm e tarlarutra para fazer
barba; sao muito boas, e de ma? a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguram-s sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capelias para noiv.i.
Superiores agulhas para mai-iiina e para crox.
Linha muito boa de-peo, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhor de cartas para voltarcte, assim
como os tontos para o mesmo Cm.
Grande e variado sortimento das melhores per-
fumaras e do;; meiorcs o mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as eenvulsoes, e
fa-'ilitam a denticao das innocentf = criancas. So-
mos desde muito receijedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-loa por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
eomo j tem acontecido, assim pois podero aquel-
les que delles precisarem, vir ao depofito do gallo
vigilante, aonde sempre encortrarao destes verd.v
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderao cora um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos cbjectos que deixamo?
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do galio
vigilante, ra do Crespo n. 7.
[tenido vmm de tecnias e roopas retas roa da Imperatriz
n. 2, porto larga, de Paredes Parto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sormente
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a H, 30300 at 6- Ditos.de
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos-a 5(5, 6, 8 e 10$, de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 35500 a 50000. Calcas de brim* de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e prela de 45, 50, G# a 150. Colletes de todas as qaalidades e preco muito
barato. Complet sortimento de camisas francezas de algodJo e de Jinho de 20 at 5(5
urna. Sortimento de scroulas francezas* de algodo, de linho e bramante a 20 e 20500.
Gravatas (mantas) novissirno gosto a todos os precos. Meias sortimento completo a 30,
10 at 70 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Kncarrega-se de quaesquer obras de encoramenda tanto para homem, como
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemir3s como brius, pannos finos e outras moitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de i I palmos de largura a 10800 o metro.
Cambraias do cor e branca. m m
Alpacas de todas as cores a 040 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 10200.
Basquines de guipure enfuadas a 180000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
xMadapolo fino a 00500, 70, 80 e 90000.
AlgodSo peca com 20 ja.-das a 40500, 50500 e 60000.
Peca do algodo largo a 70500.
'
feila que
E outras mui tas fazendas que ser enfadonho mencionar Cbeguem i roupa
:e'se esl liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
LEO DA PORTA LARGA
DE
Saias bordadas, brancas, lisas c de cores
com folhos c sem elles, o molhur possivol,
Sabidas de baile, de todas aj cAres.
Sedas pretas, de quadios, lavradas, [isas.
de listras de todas as cores o qualidades e
o mais burato possivel.
Sarotiim de todas as cores e qualidades.
*-&
Tapetes grandes, lindas pinturas para S
cadeiras, mais pequeos e de todos os ta-
nianhos desejaveis, e em peca para co-
vad-.js.
Toalhas de labyrintho. do'raaior e mais
Damasco'de 13a d^ 9 palmos de largura' fin0 trabalbo ao mais barato.
!ii: las cores e ricos padroes.
Espnrlilhos brancos e de cores, para se-
Toalhas de linhp e algodo de todos os
tamanho.3, li-as e felpudas.
Tarlatana branca cojn palmas e de cores,
nUdras e meninas, o melhor nosto genero ; fasenda muito nova, e gostos delicados pro
rima Sra. dcixar por certo de muir
se de Oo precioso auxiliar prfeico de
ura corpo delicado.
Entremoios bordados.
Escomilha pr. ta.
Enfites para cabera, ultima moda de
Pars, recebida no ultimo paquete.
EsguiJo de linho, completo sortimento de
I is os nmeros.
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
daie de gostos e lindos padroes,
Fi ;bs de crochet, modernos com cintos
e capas, oque ha de melhor.
Fil de seda, linho e algodo, de todos
o gostos e padroe-.
cores
pria para baile.
^r
Vistuarios bordados de fustao brancos o
dfl cores para meninos, de wmqrjia para
bapsados, o que de melhor tem vindo a
est mercado.'
Vestidos de la escoceza de 2 saias,
novidade pelo padro, gosto e forma; ditos
de linho com barras de cores, e de cam-
braia de cores com 2 saias, todo inteira
novidade., trazcm os modellos juntos para
mostrar a forma de os fazer.
Veos de blood para noivas e pretos para
luto.
Vestidos de blond para noivas: pqdemos
i asseverar as nossas Exmas. freguezas^ que
Fosiio de lodjs as cores e qualidades somos os nicos em Pernambnco que pode-
grande sortimento. mos offerecer ao Ilustrado publico, o mais
Flanella branca e decores. 'apuradogosto em semelhante materia, gra-
Flores, o que ha de mais rico, quer cas ao bom gosto do nosso fornecedor cm
solas, quer em ramos, tem oPAVILHa) Paris, podemos garantir que ninguem nesle
DA AUHORA am permanente jardim a genero o possue melhor, nem mais em
dtsposicf das Exmas. familias. conla.
E' dispondo d to grande e variado torlimento que 03 proprielarios do PA-
VILIIO DA AURORA se apresentam ao publico declarando desde j que 6 a sincerida-
d>'c bom gosto-^-o movel nico de seus negocios.
Providqs de tudo e promptos sempre a prover-se do que por ventura llie
eja necessario, os proprietarips deste sumptuoso estabelecimento recommendam-se
sem receto de serem contradiclos e protestam esforcar-se por continuar a merecer
protegi que se Ibes tem dispensado ; certos de que do seu estabelecimento nao sahira
o fregnez descontente.
Contina sempre a oflicina de alfaiate dirigida por ura dos mais habis artis-
tas, promplo execatar com promptido'e bom gosto qualquer trabalho que Ihe seja
confiado. Urna modista especialmente oceupada nos trabalbos^do PAVILHAO Di AU-
HORA, dirige os que Ihe s3o concernentes, garante porsen apurado gosto epromptidp
na envuelto e a mais completa perec3o nos seus trabalhos.
A numerosa freguezia qae nos honra uma prova de que merecemos ocon-
ceito qaa se dispensa ao nosso estabelecimento, conceito que procuraremos firmar cada
voz mais. Para facilitar ainda a concecuco do fim que nos propomos, temos no nosso
estabelecimento os ltimos figurinos de Paris, que recebemos por todos os paquetes, os
quac- enviaremos para serem vistos as familias' nossas freguezas, afim de esclherem,
drSo da faxenda o gosto na forma.
Na officina de alfaiate, junto ao estabelecimento, ha igualmente os Agarraos
para bomens que por todos os Vaposes se recebem.
E' este o modo porque'nos presentamos pedindo a proteceo do illustrado
a o mais profundo respeilo convidamos s excellentisslmas firas. a visi-
taren labelecimenlo, certas de encontrarem nelle polo menor preco possive-
nido em desejar.
Mandaremos caixeiros levar as fazendas e amostras onde forem pedidas, visto
i especificar tudo quanto temos.
Joo Luiz, Sobrtnho & G.
Aberto das 8 s 9 horas da noite.
Machinas vapor de
forqa de 3 e 4 ca-
vallcs.
Paredes Porto.
sen.
Mikroskope achroma-
lisehen. Objetiv Lin-' _, N^~)
termos
Centigrade
E cristal de rocha do Brasil.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas fie facao e serrotes para desca-
rocar algodo.
Bataneas para armaiem e balco.
Camas de ferro.
, Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
fieid.
Prencas para copiar cartas
Fogfo americano patent
Sementes
De tiortalicas novas o sag a 12) reis a libra,
no Bausa, rua do l.ivrarao'nlo n. 38.
F. 5". Cc'mansj. recommenda ao publico, seus ciaros periscpicos aperfeicoa
dos; porque, com estee \idros, a vista.descanca, forttfica-se e nao a cauca como com
os vidros ordinarios. Unta vez escoliiido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
que, com gs vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos eoster
cada voz mais grosso?, o que altera o ciystalino do lho e determina quasi sempre do-
res do eabeca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do lho, e,
todas as vezes que orobjecto est mais perto ou mais looge, os raios que expelle sao
mui convergentes ou mui divergentes e a viso nao perfeita. Um grande numero de
pessoas tem o deleito de fazer convergir muito de sorte que a visao nao distincta.
Coma appcaco de meus vidros pdese venjer estas dilficuldades. Para, os que tem
a vista curia e cojo crystalino mui .convexo (o que faz ver bem, dy perto, e mal de
longe), o que se chama myope, por m>m de um vidro concavo affasta-seo ponto de
vista, o que faz divergir os objectos e deixa ver to longe como as outras vistas. Quan-
do o crystalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se chama presbyta, vem m&tLor de longe que do perto, e nao enxergam senao
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarao
tac distinctamente como na idade d 15 annos. Servindo-se destes vidros quando e
vista principia eufraquecer,-previne-so o mal.
F. rf. Ciermanii encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a e s
colher, a primeira vista, seja.qual for a idade egro de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Para a vista myope. (vista curta). > Para a vista que nao supporla os raios
Para vista que se cobro do nuvens. solares nem grande claridade.
Para a vista que por momentos, v es-
D cordeiro providente
Klua de lueiMiado a. .U.
NoYoevn ento de perfuman
tos.
Alm do completo sorSmento de perfc
tnarias, de que eflectivair-cnle est prvida i
loja do Cordeiro Providente, ella acal d*
receber um ouiro sor! que se tonw
aotavel pela variedade de ol menor
dade, qualidades e commodidadea aer:pr
?os; assim, pois, o Cordeiro Providente ped
a espera continuar a merecer a aprecavit
do respeitavel publico em geral e de so*
loa freguezia em particular, n5o se afaa-
tando elle de sua bem conhecida mansidi*
e barateza. Em dita loja encontrar
tpreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray 4 LanrmaD.
Dita de Cologne ingleza, americana, iras
ceza, todas dos melbores e mais acreditada
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e violeto para toilet.
Elixir odontalgico para consorvagao &
sseioda bocea.
Cosmeliques de superior qualidade e cue
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, eo
pomada fina para < .bello.
Frascos com dit. p oneza, transpareni
e outras qualidades.
Finos extfactos inglezes, americanos
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel che>
o de violeta.
Outras concentradas e de cheiros ifnal-
ente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidad*
oom escolhklos cheiros, em frascos de difl
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiore3 e menor*
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figo
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba
Caixinhas com bonitos sabonetes imiUnfi
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo I
aas perfumaras, muito proprias para prc
lentos.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tas
Dera de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e &
moldes novos e elegantes, com p^de arra
j boneca.
Opiata ingleza e franceza para dintea.
Pos de camphora c outras dirento
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda mais coqaes.
Um outro sortimento de coques de ntv
vos e bonitos moldes com filets de vidrbo
9 alguns d'ollcs ornados de flores e fita*
stiio todos exposos apreciarlo de quis
)s pretenda comprar.
G0LL1NHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicao.
Fvcllas c f\r.*> para cintos.
Bello e variado sortimento de taes obje*
tos, ficando a boa cscolha ao gosto do eos
prdor.
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras Ircmem
de fraq ueza.
Para a vista que os olhos sao desiguaes.
Para a vista que se tuna com o traba-
lbo e a leitura.
Para a vista presbyta (vistagalon ).
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras esto cer
cadas de sangue..
Para a vista que um dos olhos myop
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
CjlltlBAIjlI
lisia da Emperatriz n. 56.
COltTES DE CASEMIIIA PRETA A 33300.
Vende-se corles de eacmir.i prela para caigas
a 3J300, 400l>, 000 e 6*000 rs. ditos casemi-
ra do cores com lisias do lado a I>_5 e 6 o corte:
rua da Imperatriz n. 56.
GROSDENAPLE PRETO A 2^500 COVADO.
Vende se grosdenapie proto pira vestidos de
senhori a 2o00, 3000 e 3*500 o covado.
PAN.NO PRETO A 2*200 O Cu VADO.
Vende-so panno preto para calcas o palitots ai
2*200, 2-*50U, 3*000, 3*500, 4*000 e 3*000 o co-
vado.
CHITAS FRANCEZAS A 280 O COVADO.
Vende-se chitas francezas unas para vestidos a
280, 320 e 360 o covada.
MADAPOLO EN RESTADO A 3*300.
Vende-se pessas de madapolo infestado com
12 jardas a 3*500, e pessas de dito com 2i jar-
das a 5*000, 5500, 6, 7*, 8* e 0*.
CASSAS FRANCEZAS A 240 0 COVADO.
Vende-se cassas francezas finas paro vestidos
a 240 o covado.
ALGODOSINHO A 4*000 A PECA.
Vende-se pecas de algodaosinho a 4*, 5*, 6$ e
7*000.
GANGA PARA CALCAS A 320 O COVADO
Vende-sa gangas para* calcas e palitots a 320 o
covado, e brim de cores com listas do lado a 4* o
covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A 500.
Vendo-se alpaca de cores para vestidos a 500 e
640 o covado, e outras maltas fazendas qno se li-
quidara para flxar con tas, sem reserva de prego :
a ma da Imperatriz, iojado Garibaldi n. 56.
Sortimento de binculos
para tbeatro, e oculos de
alcance para o campo e rna-
rinba.
**-*^.
GAZ GAZ GAZ
i Chegou ao an tigo deposito de Henry Forster *
., rua do Imperador, um carregamento de bu
ae primeira qualidade; o qual se vende em partid
e a retalho por menos prego do que em outr* qual
qner parte.
Vende-se a metade de um sitio no lugar
Cruz do Rebougo, na estrada de Iguarass, tica
um legoa pequooa qoom da villa, o quai tem
ama excellente casa de pedra e cal eita ha quatro
annos, e tem muitos arvoredos de fructo, como
larangeiras, eJ?eiro8, etc., e bastante torra para
roca e planlagao de canna. Esse sitio foi do falle-
cido Rento de Camino Bastos: quem quirer com-
prar a metade, dirija-se a rua do Livrrmonlo, loja
n 18.
RAP POPIHiAB
nmn mcioml m baha
I)E
Teixeira Uldurico fy C.
Acha-se venda est$ ptimo rap, nico q
pode suppnr falta do princeza de Lisboa, por st
de mui agradavel perfume, viajado, e a preco *
mais mdico possivei; e por isso tem sido assa.
acolhido as pragas da Baha, do Rio de Janeiro i
em outras di, imperio : no escriplorio de Jjaqao
Jos Gongajve Reltrao, ;i rna do Commercio d
mero 17
Cafxa Filial do linceo do Bra-
sil cem Peroambuco, esa llqai-
dsro 5 de Janeiro de 18<*
A Caixa filial vende o grande e excellen-
te sobrado sito rua Imperi-il n. 64, con
accomodaccoes para grande familia, e'tam-
bem vende a casa terrea contigua n. 66
tratar na mesma caixa rua do Commer
ci n. 34.
Lunetas, pince-nez e
face--main, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sortimento de relogios para parede, qnc do horas e para
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada efoleada, inglezes, suissos e orisontaes dos melhores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. Era Pernarabuco.
N.21=Rua Nova. 21.
MILHO
Vende-ae no trapiche Barao do Livramento sac-
eos com milho, boa saccaria e por menos do quf
em ouTra qualquer parte.
Estampas finas
A loja da Aurora receben bou, estancas colo-
ridas, seado das segnntes qaalidades : morte do
jut peccador, enferno e paraizo, das mais finas
qae tem cbeijado ji loja d Aurora na rua larga,
a Rosario n. 39.
PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
nUAMACBDTKO, 2, IIE OES UBIS-MIRT-NUl, PARS.
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
Cm lOailRBTO de POTASSIO
O Iodareto de poUsiM nm verdadeiro alterante, nm depurador de nco&ttttatel effl-
eacia; combinada com o xarop da cascaa de laranja amargtu, e tarado
em perturbaclo alguma pelos tepermentos os mais rteos, sem alterar as ranecoe
do estomago. Adoses mathemsticas que elle eontem permiltemos mdicos de receital-o
para todas as complictfoes as affeceos escrofuloaas, tuberouloatu, oanoa-
roaas noi aocldentea intermitientes e teroedroa; alm d'Uso, I
ageste o mais poderoso contra as doe&gaa rheumatioaa.
UROPE TNICO NTI-RERVOSO
oaaoaa taranjaa aaiarau.
Sk annos de suecessos aitestfo a sui effi-
caeia para earar: at doenfat nervoscu,
aguda* ou rhrotUca*, as gailriut, gattrai-
iat; e facilitar a digato.
XAROPE FERRUGINOSO
d* oaoaa da laraajH aaaalsv aaurga.
E' sob a forma liquida qae mais fcilmen-
te se assimila e ferro; n'esta forma prefe-
rivel as piiulase pastilhas en todos os casos
em qae sio twaccriptot os ferruginosos.
DENTIFRICIOS LAROZE
COI Q0I1U, PTRBTHRO R GAIACO
TASSOIRMAOSaC.
Vendem em seus armazens, no raes do Apolk
n. 7, Escsdinha n. e rua do Amorim d. 3", os
seguintes gneros :
Ac de Milo.
Milho em aaeca grandes.
Farello em saccas de 90 libras.
Chumba de municao soflido.
(letal amarello para forro de navios.{
Machinas para aescarofar algodo de 14. 1 e i-
serras.
Kerosene cm Islas de 5 galoes.
Champagne do afamado abricante Krug.
Hormotilh.
Vinho do Porto engarrafado.
Coac do afamado fabricante Gaolior Frres.
Fogo da China, caixinhas. iO carta;: d. i. Extra.
ftenebra ingleza Od ton
Cimento Romano.
Cimento Hidrulico.
Cimento Portland.
Geso para estuques.
Cannos de barro para esgotos.
Gradeamntos de ierro para jardins, calcadas e;e
Carros de mao para servicos de armarens.
Garrafoes com 5 ga!5es de vinagre tinto,
dem com 3 paloes de vinagre tinto.
Chumbo em barra.
Especial para limas.
Em porcao e a retalho, vende-se no armaxea
de pianos e msicas do Azevedo, roa Nova no-
mero H.
Farinha de mandioca.
De superior qualidade e em saceos grandes,
vende-se nos armaiens dacompanhla Pernamba-
cana, caes da A3sembla.
flimt UaiirrMo, para a airara e eao-
serracio dos denles, curando as dores
cansadas peta caria a aradaaidaa pelo
eoatado da catar, e* do fri*
f* Hftiili, coa base de mafxnia
para a altar e cmamelo i* natas,
proveniDdo a deecaroadara, proracaado o
Urtara de se etapeda a raraaaclo.
c!:mifaaaW,
Dtpotlte aa Wt Jmttn, a. ck***ii; mb Pnata, r
M* Mmj wftMu. artawuswt; a. AA*a7*a*te; a PerU Jim, U
CADET
CURA
em TRES DAS
[PfetfDaBMn.Tl





/
Diario de Pernambuco Sabbado 26 de Ferereiro de 1870.
7
DE
BARATAS, NA LOJA E ARMAZEM
_____ DO -**,
DE
FBIiIX iJEUBIRA BJl SIIVA.
Rua da Imperatriz n. 60.
,nr M fwoprictsrio .leste grande estabelecimento, tondo dado balanco no flm do
no, como e de costme e vendo que. linln nm grande deposito de fazendas i ntnn-
dSSw. ma'S Cm fim de dimnur a WnWd e apurar
. i re5',ei!avel PuI)lico *** nest estahclenmenlo, nao so um grande sor-
't\ T a,Jllrai, Ss, e 5* ass,m comn t0,,;>s as fazendas de primara ne-
ewsida Ie, e do todas se (Uto as amostras coni penhor: as pessoas que negeciam em pe-
J M ..Malla, nesta casa podem sorl.r-se de um ludo, vendendo-se-H.es polos mesmos
paros das casas inglezas. r
Explendido sortmento de;Croch
hf
.. 54
ftu.


&6 ^EIMA6
^S.
U
s para cadeiras e sofs
O Pv5o tem um grande sortmento dos
mais bonitos crochs proprios para cadei-
ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
como proprios para cobrir presentes, e ven-
de-so mais barato do que em outra qual-
quer parte,
ALGODO ENFESTADO
Vende-se urna grande porco de algodo-
sinbo americano com 8 palmos de largura
proprio para lences e toalhas tendo liso e
trrncatfo que se vende por prego muito em
conta.
'anas de linho
Chegou um grande sortmento de pecas
de panno do linho do Porto que se vendem
f de 700 rs. at 1,5(000 a vara, garantindo-se
espeitavel publico um bello sortmento de ],ie em fazcna de ,n.ho na0 na nada me"
xwsaa francezas e inglezas, ceroolas de !!!?!> Dem mais ProPri0 Par! incoes e toa-
inho e aigodao e outros rauitos artigos
roupas fetas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
LMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
jic'.r.mento sordo das melbores roupas,
*ad calcas palols e coletes de casemira,
8 panno, de brim, de alpaca, e de todas
a mais fazendas que os compradores pos^
rata desejar, assim como na mesma loja
ib um bello sortimenlo do pannos casemi-
"3S, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, com a maior promp-
idro vontade do freguez, e nao sendo
abrigados a acceita-las, q jando nao cstejam
mplotamente ao scu contento, as&im como
i'-ese vasto estabelecimento encontrar o
Quaado a AGUIA BRRNCA, mais precisa scientiear ao respeitavel publico em
geral, e em particular.a sua boa freguezia, da immensidade de objectosqnouliimamen-
te tero recetado, justame-ntt^quando ella menos o pode fazer e porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que Ih'a attenderio e rclevarao,
continuando po. tanto a dirigirem-se a bem cenhecida leja da AGUIA BRANCA a ra do
Queimado n. 8, onde sempre acbaro abundancia em sortimenlo de soperioridade em
qualidades, modicidade em presos e o seu nunca desmcntiido AGRADO E SINCERIDADE.
Do que cima fica dito se conheceque o tempo Je que a AGUIA BRANC V pode
dispr, empregado apezar de seos costos nodesempenho de bem servir a aquelles que a
honrara procurando prover-se em dita loja do que necessilam. entretanto sem ennume-
rar os objectos que por sua natureza sao mais condecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquellas coja importancia, elegancia e novidade os tornara recommendaveis, como
b< m seja :
vrMrios para bomens e senhoras pronaet-
iido-sc-lhe ven*:r mais barato do que era
wtraqualquer paite. Na ra da Impera-
ra n. 00, loja e armazem de Felii Pcrei-
,*a da Silva.
Pechincha a 2^000
Para leu^es.
Ta loja do Pavio vender superior bramante
ra 19 palmos de largura, dando a largura o eom-
irimeoto do lencl, sendo apenas preciso para
ada lencol um e meto, ou um e um quarto mo-
rs ; afm desta aplicajao tem ontras muitas
aara arranjos de familias e vende se pelo barato
are) ilo 2000 o metro Na laja do Pavao, ra
Sa Imperatriz n. 60. De Flix Percha da Silva.
Gangas de lisho
Vende-se gangas de linho com qua .'rnhos
muito boa fazenda, para roupa de homens
a meninos e vende-se pelo barato preco de
ra o covado:
HINCHARM l'ANN'O PRETO A 2:400.
O Pvo vende superior panno prcto fino,
Mf| pallitots, calcas, colleles, etc., peio ba-
Mtaa pre^o de 0), o covado, grao-
Je pechincha.
Corles de ea^cmlra preia a 4.00
v5o vende os superiores cortes de
asemfflB pretas entestadas, pel,o barato
prego de i:r>00, pechincha.
PARA 0 CARNAVAL
Ver botina att-AO rs.
O Pavao vendo bonitas verbulinas de co-
ros para dminos e outros trages de mas-
aras pelo baratjssimo preco de 640 rs. o
wvado.
PICHINCHA, ALGODAOSINHO A i;0O0,
O PavJo est vendendo pecas do algo-
losn'io francez, tendo i palmos de largu-
ra cotn 11 metros cada pe;a, pelo barato
preco de 1O0O.
Fejpas do snadapoio a 3:500.
O Pavo vende qbqs do muito bem ma-
dapolao tendo 12 jardas cada una pelo ba-
rajo preco de .1:500.
GROSDENAPLES PjlKTOS.
Chegou para a loja do Pavao um grande
Mrttt&ento de grosdenaples pretos, tendo
M "elhors e mas largos que tem \mdo ao
aereado, assim como bonitas sedas pretas
avradas, troiroantiquesetc, todas estas fa-
tendas, vendem-se mais barato do qoe em
outra qiakpier parte, por haver grande
porc5o.
PEI'.CALLAS E CHITAS BARATAS.
O Pava > vende um grande sortmento
Au mais bonitas chitas claras o escuras, mais
barato do que era outra qualquer parte.
cassas a * Vende-se na loja do Pavo bonitas cas-
tas de cores fixas a iO, 280 e 300 rs. o
/Aado.
Cambraias brancas a 1:000 a peca.
S o Pavao vende pecas de cambraia
branca transparente, tendo mais de vara de
argura, com 10 jardas cada peca, fazenda
que strapre se vendeu a 7#OOQ e 85000,
n-jaula-se pelo barato prego de 4(jK)00
%l|aeas brilhantes a 1#, e 00,
O Pavo tem o mais bello sortmento de
alpacas lavradas com as cores mais delica-
das que tem vindo ao mercado e lendo bas-
an tu larguaa, vendem-se pelo barato preco
aifiOO, e800 rs. o covado.
!has.
PECIIICHA EM CHAPEOS DE SOL '
Chegou um graade sortmento dos me-
:hores chapeos de sol de seda, inglezes ten-
do neste art'go o melhor que tem vindo ao
mer-eado assim como urna grande porc5o de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em ottra qualquer parte, por haver
grande porc3o.
Os baloes do Pavao a 25000,
Cheg' u um grande sortmento de baloes
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
propras para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 2000 ca-
da um grande pechincha
CRETONES MATISADOS PARA VESTIDOS
A 640 E 800 RS.
Para a loja do Pava thegaram os mais
bonitos cretones escuros matsados, pro-
prios para vestidos, roupo chambres etc.
que se vendem 800 rs. o covado, assim
como a mesma fazenda em padres claros
proprios para vestidos c roupas de meni-
nos a 640 o covado, sendo os padro^s mais
moderuos que tejn vinpo ao mercado.
, m n il eevABos i
LAS1NHAS LUSTROSAS A 400 RS. O CO-
VADO.
S o Pavo
Vende-se um grande sortmento das
mais modernas e legantes lasinhas para
vestidos, com as cores mais novas que tem
-indo a este mercado, sendo comlstrrahas
rniudinhas que parecera de urna s cor e
:om tanto lustro que imitara perfetamente
is ponpelinas "de seda, e vendem-.>e pelo
oarato preco de 400 rs.
' OssetinsdoPavao
Veod-ae os mais bonitos setins de cores
) mais encorpados proprios p3ra vestidos
.endo de diversas cores.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Enconti a o respeitavel publico neste estabeleci-
Corpinhos de cambraia, primorosamente!
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de mclde e perfec3o de ador-
nos c s tornam apreciados.
Filas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leqnes uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-Ios minuciosamente
por stias qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortmento que acaba
de efiegar, mas para nao massar o preten-
dente se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Entremeos em pecas de 12 liras. -
Gupure branco e preto de diversas qua-
lidades c desenhos.
Dilos de algodSo com flores e lisos.
Veos de seda
ra.
lisias de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia. -
Costumes ou uniformes para meninos.
En.vovaes completos para baptisados.
Tooqanhas de fil, sapatinhos bordados
mes para ditos.
Caraisinhas bordadas para ditos.
Capelias brancas para meninas.
Grandes sortimenlo de flores finas.
Fil de seda, prelo.
PERFUMARA
Grande e constante sortmento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Ronilos brincos de plaquee.
Aderemos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesonras para frisar babadinhos.
Aspas para balo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes s3o movidas por um machinismo
para chapelinas e monta- "mas substituem as cutras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas do vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envernsada com vispo-
ras e com dminos,
Bol'as de borracha para brinquedo de
enancas.
Diversos objectos de porcelana, proprios
para enfeites de mesa e de lapinhas.
PASU A
Yeude-so por menos de 10, 20 e 30 t
cn> va l
aento urn grauue sortmento de fazendas pretas,
JPiriiiha de mandioca
de superior qualidaJe. eem saceos grandes : ven-
e noarmaiem n. li da Compauh.a Pernambu-
M.GLErT[3do?ET0
riYPQPHOSPHITOS
dODrCHURCH,Lu
XAROP de RYPQPKQSPH1T0 de SODA
XARBPEdeHYROPHOSPHITOdeCAL
WlULASdeHYPOPHOSPHtTOdepUlHIHO
MEMA
XATOFEtJeHYPOPHOSPHITO deFEflflQ
"TOde.MAMGANSIA
mo sejam, cassas francezas e inglezas, "chitas
iretas de todas as qualidades, fazenda do lia de
odas que tem vindo, propras para luto, como
iejam, liazinhu, alpacas Javradas e lisas, cantao,
K)mbazna3, laerin, etc., "que tudo se vende por
>reco barato.
Vladapolo francez a 7$000 rs-
Vende-se pecas de madapolSo francez
\om 22 metros pelo baratissimo preco de
;(J000 a peca, pichincha.
Altas novidades em sedas
Chegou um grande sorlimento das mais
noderaas poupeliaas ou gorguroes do seda
i linbo com os mais elegantes padres que
em vindo a esto mercado' sendo, miudos e
{raudos, tanto em cortes para vestidos como
para vender em covado, assim como uro
jonita sortmento das mas bonitas sedas
iistradas que se vende tudo muito em conta
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porcao. de cera de
arnauba em saceos, por preco mais barato
to que em outra qudiqaer: na loja do
Ja\ao roa da Imperatriz ^n. 50. De Flix
*ereira da SHva.
ALPACAS LAVRADAS
Vende-se a mais bonitas alpacas lavradas
com os melhore? gostos a (340, hOO e 1 .U'K),
o covado, alpacas lisas de todas as cores a
6i0 e 720 rs., alpacas brancas lavradas li-
sas e de cordo.
Com palanas de seda a 1 QO rs.
Para a loja do Pavao chegou um rico
sortmento das mais bonitas lasinhas com
palmas de seda tendo de todas as cores e
padres, sendo fazenda bastante larga e
vende-se a \40Q o covado.
AS CHITAS DO PAVAO
Vende se um brilhante sorlimento de
chitas claras e escuras por procos mais ba-
ratos do que em outra qualquer parte.
Roupa para csrravo*
Vndese na' loja do Pavao, um bonito
sorlimento de roupa par escravos.
t POPEUNAS DO PAVO A 800 RS.
Chegarara as mais lindas poupeliaas de
5a oora imiuoao das poupelraas do seda,
im- fazenda muito leve con as mais lia-
N. 23Largo do Ter DE
SIMAO DOS SANTOS ft C.
Os proprietarios desto bem sonido armazem de secco e molhados estao re-
solvidos a fazere urna grande diminuico de precos as suas oiercadorias, como se apro-
xima a festa e sempre se fazem avultadas compras para o centro e praca, por
isso prevtnera ao respeitavel publico em geral, que mande fazer suas despencas e cer-
tos de que verao a grande differenca em precos mais do que em outra qualquer parte
e garantiado-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 950 a lata,' e 440 SEVADLNIIA E SAG 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 660 rs. o litro. 'G20 rs. o kilogrammo.
VLMIO VERDADEIRO FGEIRA 560) FARLMIA DE ARARUTA VERDADEIRA
a garrafa, e 4^00 a caada e 800 rs o ti- 6*0 a libra e 15400 o kilogrammo.
""O- | BOLVXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
DEM DE LISBOA das mehores marcas, 400 rs. a libra e 800 rs. o kilogrsmmo.
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 2800 e' VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
3^200 a caada, 660 e 720 rs. o litro. masso, em caixa ha abatimento.
DEM BRANCO DE LISBOA a 400. PHOSPIIOROS DO GAZ E DE SEGU-
a caada e 560 a garrafa, o 840 rs. o litro. RANCA, '280, 400 e 560 rs. o masso,
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA 33200 e 6,5500 a groza.
MIMAS EJT GROSSO
PARA NEGOCIO
POR PRECOS MUITO BARATOS
NO BAZAR DA MODA
Ba Nova n. 50
Coques iojitacSo do cabello,
guarnecidos de bellos enfeites
ultima moda, a duzia .
Papel superior, de quadr nhos,
em caixas com 20 cademos a.
Envelopes porreJaoa, mu to boa
fazenda o milheiros em caixi-
nhas de 100 .....
Bofoes de osso bem pulidos para
calcas, a grosa .
Ditos cobertos de superior setim
de todds as cores, a grosa dos
pequenosa 35000,e dos gran-
des a.......
Ditos com interesantes photo-
grapbiag para punhos a duzia
de pares a......
Ditos de osso imitando o marfim
cora lettras a duzia. .
Ditos lizos muito boa fazenda a
duzia.......
Abotuaduis para camisa sentio :
botoes para os punhos, 3'
para abertura o 1 para o col-
larinho brancos, escarlalatcs,
e pretos a nm ....
Brincos de cores a balo, cousa
muto chique a duzia de pares.
Lindos frasquinhos empalhados
com bom extracto para lenco
a duzia.......
Ditos em bonitas caixinhas ca-
da frasco a duzia. .
Tinta para marcar roupa, muito
superior cada frasco em sua
caixinha a duzia. .
Livrrhos com capa de metal
douradoe com bonitas orocoes
para a missa a duzia. .
Sabonetes de amendoas amaa-
gas espeeialhkde do BAZAR
DA MODA, a Juza .
Lapis pretos de superior quali-
dade, oit?vados a grosa 3 e
Escovas linas para dentes a du-
zia a I-5G00 e.....
Alneles muio bons, brancos e
pretos, a duzia de caixinhas a
Pentes pretos de muito boa qua-
lidade s grandes para alisar
a duzia.......
Ditosmarellos fazenda superior,
para alisar, a duzia. .
Ditos de borracha com costas de
metal para repassar, a duzia.
Dilos enfeitados com contas de
cores a duzia a 4^. 5$ e. .
Iaterrsssantes coquinbos capri-
chosamente escullidos dentro
com um bom c lindo rosaiio
a duzia 100, 120 o .
Grande sortimenlo de miudesas.
Grande sorlimento de quiuquiiharias.
Grande sorlimento de perfumaras.
Pagamento reahsado i.o mesmo mez da
compra com descont ce lu o/0, ou letra
acceita a seis mezes de praso.
Jos Soaret de Souza & C.
405O0
640
7,5500
220
4:5000
84(000
80500
30500
80OO(i
10000
80OOO
60900
60000
Po^os tubulares ins-
tantneos.
-Hritor<& Sampay'o.
Rua .Vova o. 38.
Pal arnmicianifs .-.rabam de preparar algacs
pofns luliiilart'S lD>UBtneo, ma j(l
<1" qoe o* viudos de fra Jo piir, os qnaes ven-
dem por prcc.0 mnito mais mmode, en
do o u Hteniami nto ati
dos melhorami-ntos feilos poder servir qnali
bomba. As.p?ssnas que (|mzereni comprar un
ou mais deses. tubos devi ni dirigirse dteica
dos aonunciarjes : rui tt Farinhade mandioca
em saceos grandes e de supori.r qiialidade : wr-
de-se nos armaiens da Ccmpachi* Pernan
caes da Assembla n. li.
J.A.
U
rem cunst&ntemenle em sea armz.-m. iuada
Cruz n. 26, um rompleto sonimcnlo do
Balaceas deciniaes.
Ditas 1 rifontaes.
Pesos de fer pelo fy.-'ema deci
Bombas California par 1 rr.dliores que
le.n f|Jl>areeido al hoje.
Chamins da vidro para csndieirtf a g.',z.
jonas de todas as qualtd 1! .
Agua (lorida.
Graixa om -oidel n. 97.
Vidros para vidiaci. 4
'Fnico imperial.
k JUUU.MU11
a oja rio '.isso
Os reqDKsimoa fcrfes de i ;
mana e capella para ca.n ent, sendo -i
ligo o que se pode desejar de inelh r e n ais n
derno, lambem chegaram os corles de seda 1 e -
res novidade, e ouiras moitaa faxendas de tosi
que chegaram pelo ultimo n por fraacex, s-para
a loja do Passo a rua do Crespo 11 7 A.
7)9500
g509
(40Q0
30000
20800
a#7oo
I -TOi
24400
60000
110000
Lis ea
"aiga do
Ra d,-
A loja da Aurora na rna larga do Rosario 11
J. periencenle a Manoel Js L pes A Irmao re-
cebeu o bom rap de Lisy.a em lata, do melhor
e oais fresco que tem chegado a esta praca, che-
em a rresma loja ven-
gando pelo vapor franciz
de de diversa" qnaj'da les.
FUGSS.
u
Resta venda um escolhido sortmento de ot
lectos de marciueria, como sejam, mobilias de ja-
iarand, mogno eamarello, obra nacional e estran
jeita, de apurado gosto e por pra;o.< razoaveis:
aa rua estreita do Rosario n. 32. Nesta mesmt
:asa fazem-se com perfeico todos os trahalhos di
palhinha, cmo sojam, empalhamentos de lastro-
aara camas, cadeiras e sophas.
Aviso s autoridades paite
c a quem cooipelir
No dia ->:) de maio do crreme ar.no
fugio o esciavo Eztijniel, crinulo de30 :j
annos de idade, estatura recolar, refnrcad<
cor hetn prda. cabega redonda, frajava ca
mi a azul e caiga de rapsetyira cinzenta:
durante n dia cosltima andar ganliando
roas, 00 om armazep.s rj, issucar t
berras a conversar o .1 b< l'er; di rete ;
nuite recolhe-te a telhpirns iberios; og
netraveis, a casas em cmistroctSto e i t
quaesquer lucres, onie se possa
queiuoappreheridertenlrt a btmdUfleSet
rondiizia a rua da Aurora n. i:(. 1
Imperador n. 2i>, onde sen ;.,
Prn
Arba-sc fupilo o escnVo Krancise ...
idade 20 anuos mais 011 menes, euti de i ,1
urna perna e braco, este- escravo v i 1 | |,,;,
do Sobral, muilo ladino, enealf;
desconfiase eslar acuutadn, o que des le ji pro-
testa conira quero o liver f( lo. Oral
Muem o levar ou deHo dr noticia di i
drn de Di'us n. Io andar.
COGNAC.
200, 240 o 320 rs. a garrafa, 10400,
10800 o 20200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 70 a caada, e 10340 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 10400 e
14280 a libra, 3^060 o 20780 o kilo-
grammo
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE xMITOS TAMANHOS 10280, 20500
30500,44500, 50500 a lata e a retalho e 10
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso, e em caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
DITA FRANCEZA 960, 900 e 850 rs. a libra> em caixa faz-se abatimento.
a libra, e 20100, 10980 e 10860 o kilo- SERVEJA INGLEZA MARG\. II 50500
grammo. a duzia e 500 rs. a garrafa.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. ali DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS&
bra, 10220 o kilogrammo, em porco se BELL, 4 800 rs. a garrafa e 90 a duzia.
far abatimento. VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANILV DE PORCO DE BALTIMOOR DIVERSAS MARCAS 10500, 10200, 10 e
720 rs. a libra, o 10560 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E HAMBR-
porejo se far abatimento.
ARROZ DO MARANIlAO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
30400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 60000 a arroba.
CAF EM GRAO 60 o 60500 a arroba,
200,240 c 260 rs. a libra, 440 e 520 rs., o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SABO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHARIN E ALETRLV, 560 rs. librare
10220 o kilogrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
lhante, comboaton, Francy-cracynel, mixed
Britania. Mdium, Fancy-nic-ac, a, b, c, e
soda a 10000 10400, cada urna lata.
Assim como ha outros muitos
GUEZA 70 e 60 a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a frasqueira e 10 o frasco.
QUEJDS DE DIVERSOS VAPORES,
30000, 20800 e 20400 em eaixa ha abati-
mento.
TOCINIIO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 110500 a arroba.
LINGIBCAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 10000 rs. a lata.
LOMBODE PORCO ASSADO JAPROMP-
TOa.l0OOOrs. a lata.
CHA FINO, GRAUDO E MIUDINHO
30200 e 20800 a libra, e 60100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 20060,
20200 e 10800, rs. a libra,
gneros, vinho em heoretas, azeitonas,


PASTOBASPECTORAES^CIBCBU
Eligir para o* aaropu i (rateo quadrado l em
lodtt o* protulot aitignitura dd D*' OBVH-
CBOU, e letrdto con a marca de fabrica da
nonada VWAMU, U, r*aCatiiHont. PARS
fro, c nsento, perolla etc etc. e vende-se
>e4o baratsimo preco de 500 rs.
Merfa ale eordo
Vende-se merino "preto da cordio ro-
j paca cateas, plituts e eolletes, pelo
Daratissimo preco de 10OO, o cavado,
mnito novas, passas e figos novos, charutos de diversas mareas, marmel|da, feita pelos
mehores conserveiros em Lisboa, gela de marmello, pcego, ervilhas, em ratas, por-
tngnezas e francezas, vmho verde engarrando retalho, peix em latas, bem como
pescada, tainha, pargo, goraz, rala, corvina, vezugo, cavaa, sarda e sardinhas de Nan-
tes. Oanella, cravo, ervadoce, cominho, pimenta, gjandesmolbos de sebolla 10500.
Finalmente muitos outros gneros que enfandonho menciona-los.
PARA A FDS^l.
3 portas, loja de fer agem
53 -Rua Direita-53
ande
Neste er.
um completo sorlirneuto de "ferragem,
Na Wj c armaaea do Pavo ia 4a Imperatriz n. ,$Q.
estabelecimento, ha para vender
. emtaoVias
finas e grossas, como sejam bandejas chi&ezas
- mudradag. e o vaos, facas e garfea de 1 2 bo-
las COres, sendo: verdeBismark,rosa, azul *oea, balaceoiateroe K% balanco; paqellas,char
Iheiras, cacaroflas, frigideiras, assadeiras, tanto
de ferro como de, porcelana, moiqhds para cal de
versos tttnanhoe do fabricante Japy, petos-kilo-
ra (iam, tMto de ferro oosto de itrio, metros
para- aadir fasaada tauto.de {erro co^'O de lalao,
salitre, brfeu, bailante, rixofr^, papel marca va-
do, do verdadeird Pieai do, micwU para desea-
roew%oda; MM d* ootro*: ftfbfM de ferra-
^Wntraiudeeaa5^ari; tea*, qce seom a vis-
CEMENTO
: Wrtland.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Per-
rera da CosU & FUlro, defronta ceicao. em barricas grandea
VEND&SB ou arrnda-e o engennf
8. Gaspar, lo.na freguejia dei Serinhem
comarca do Ro Fortnoso, prximo do'em-
barque, com grapdes partidos de pal r
massap i roda da moenda, mattos manguei
para madeira Becssaria, bom pa*to, etc.
a atar na Ntt'tf.Aurow n. 26, ou n di
fcajperador n. Q,
swasffl^a^t
Lamerlo
Vende-se lagedo paTa^cliadas e arm*
precocdrnnwao !mrea*UApollo-n.-4;

De superior qualidade da mui accredits-
da fabrica de Bisquit Dubouch d,C, en
cognac urna das que mais agurdente d.
cognac, fornecem para o consummo di
Iteino da Inglaterra.
Vende-se em -casa de Th. Just. rna d.
:oramercio n. 32.
Farinh de mandiocu
Vende-se farinha de mandioca nova e muito su-
perior, ebegada ltimamente de Santa Catbarina.
a bordo do lucre Margavida, fundeadu defronle d<
trapiche do Exm. Daro do I-ivramento ; e pan
tratar rua do C mmercio n. 17, CEcriptorio df
Joaquim Jos Goncalves Belifo.
KiiiMn (l.i cngriiiM Caiuaraabi
de Serinliaem iicrtenccntes a r.;!|i.-i: Maui
Waderiey os eacravos srgoinl 9 : an ov I
lo baixo. groco. ruriz chal-, diz >n r ,
ter sido cinpradu pecaron, J.-.. Cal' rafe d
de Irii.la t lant. ( uqi, pea rlialr-?. vtm
hitadas, estalura baixa, edr Miada, praca barU
e esta na pona do trueixo, pplippe nft
de de JO annos pinico mais va nien s. haixn, su
so. sem dffeilo algnm, leve bixos em pequi n 1
rm pouco apparece ; por-isso ped m-
dades policiaes e capitaes de camp a cantora :
mesmus e lvalos no mesmo engenlu on ha 1 ..
da Mweda n. >, 2o andar eserlptnrio de Mani'el A!-
ves Ferreira 1,. qm; serau gratifesdos.
Rua do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento encontra-sf
diariamente um variado sortmento de bo
linhos para cha, pastis, podin>, bollos in-
glezes, paes de l, presuntos, ditos tm fiam-
bre, superior cha Hysson, preto, e miodi-
nho. Vinhos linos de todas as qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, fructas muito boas, por-
tuguezas e francezas.
Um completo e variado sortmento de
caixinhas de todas os gostos o precos pan
mimosear senhoras, estas caixinhas recn-
tenteme chegadas #e Paris s5o de primora-
do gosto, offeresscmo-las aos galanteador es
do bello sexo pois nellas acharo nm digne
e serio presente para as donas dos seu>
pensamentos. Tambem os apreciadores di
boa fumaba- encontrarao charutos dos me-
hores fabricantes da Bahia e de Havana
sganos do Bio de Janeiro etc. etc.
Doces Tovos seceos, christalisados e dt
calda, ditos de caj e de nutras qualidades
Nefta casa recebem-se encommendas par
bailes, calamentos e baptisados e qualquer
encommendas avulss, como seja po d \t
e bollos enfeitados e outros muitas couzas
que eufadonho mencionar.
Alnga-se ricos domin preto 1 do 204 at oO
completos costumes de phantasia de 0 at 40
e vende-se calcas de me.ia encarnadas e brancas :
raa Bella n. 49 sobrado.
O verdadeir poriland. S se vende ni
rua da Madre de Deus n. 22, armazem di
Jojo Martins de Barros.____________-
^ Refina^ao
Vende-se a rertna?So da rua Dh-etla o. 12, bem
afregaeada, vem mais dJ WarrcOs^do assucar
Knteate, efe| beta modiada, e o motivo 4se dir
M comprader.
Fugio no dia 10 do rum-nle mea a carra B&-
venna, com os signaea egniote* : aliara regalar,
clu ia da corpo, lela estrella, Ibos peq;'.ni
i balame rxo, irm o dedo roinim
esqnerda am poden dabrado para a palm
representa ler 40 anuos peut-o mais ni met
levou veslido de chita Hiiarnada. twn rh
de chita com barra azul ; tem o andar 1 m .1 u 1
empando para a frente : desconfa -o qne 1 1
ocrolta em alguma casa, peto-qoe se protesta r.
Ira a pessoa que a liver em casa, obrigando >e >:.
gar os dias deserffao : roga-se is autoridad
capiiae de campo que apprehendain .1 e lev, nin'.i
rua do Sebo n 29, ou rua do Anu im i<. :;.
que ser genor isamenle recompensado
ATTENCAlF
Ontintia a estar fngido o escravo preto de no-
mo Jos, daae 40 annos, estatura regular, corjo
a proporcao, pouca barba, alguns cabellos /.rau-
cos ra cabeca, tem junio a bocea e 110 pescoco do
lado direito signal de um arranho eujfi cr
mais clara que a da pelle em consequencia dn ti r
sarado ha pouco, levon chapeo cinzento de feltro,
camisa do chita rxa eou.ra branca e ditas
cas parda?, fui escravo do Sr. Manoel Pereira
Vianna morador no (raval : queni o cap nrar
leve-o rua do Apollo n. 14, que ser geni r
mente recompensado
Fugio do engenhn Boa vista, na c man 1
Camaragibe, provincia das Algoas, o escravo Ni-
colao, do d'e 34 annos, altura regular, grossa
do corpo, andar banzeiro. tem falla de deeies 11
frente, rusto largo, barbado, coMum as vetea f i-
zer toda a barba, tem urna cicatriz na fBsfa,,e s
ps grossos; esto escravo anda fgido desde o d 1
16 de Janeiro do crreme anno : roga aa pqrton3
s autoridades policiaes e aos capital po-a
apprehenso d-sse escravo, a entregar 110 enge-
nho acim mencionado, ou nefta praca rna 1
Vigario n. 12, ou travesea do Crpo Santo n. i";,
Io andar, que s< pratillear seflernsamente.
Fugio no dia 27 de dezembro peellimi pa-
sado a escrava Henriqueta, prea crioula,, u]a4e
20 annos, cheia do corpo, altura regular, e.ibelli-s
carapinhos, testa larga, pello gross.-i e espimV-n",
beicoi grossos, bocea grande, dentes largvt i
feitos-, olho' e mios grandes com um licatrii 1 i
cima de urna dellas, pj chatos com m 1
bexiga e chicle elas costas, leo do o and
e costuma a muuar o rione pan Mana, a qu.J
est grvida ; esta escrava co-tum-i afhtgdl
como livre e eensta que esi na eidadadn 01
Proiesia-se a-qutm ttnha ocultado-a : 1
autoridades policiaes.e aqun-convi.r a eaptnra,'
que se gratificar satisfacinrimcnfi' -m rasa' t\n
Sr. na rua do Henrfques Diaj, ou F.>tam
.1
Gratificaqo de 200$
Fugio em 23 de Janeiro de fS69 o fri > aj.v
ihens, de rneJa idade, cor prela,- falla n s-a l
gosa.tem'dma pequea: nerruga no riz, ollios fogueados, tinha sido
Agoslinlio Leocadio Vieira, em Pan v
da, o do Sr. eanluld Fi-anciCo finir
tas em Pesiideird, tnha Mm'flo de l;i flipiOo i
eos mecem e tom la bina mullu
que anVIe as seoraa dijjsinha
tnridades e caies
cravo c de o tratfrern no \\
fos (.ardUodeSi brra da-Limiueta n
mesmo protesta contra qualquel pes
nha affliado o raflfta-se, ei,
apresentar ao jito'seij yBtW-
Fmtia n) dia U
nome Jos., cabra es
ponco mais on mer.
frente, tendo um dedo da mi
outro de mais na mao

1


8
Diario de Prnambut Subbado 26
de Fe\er<
de 1870

VARIEDADE

A PraMla e a Franca
- adin nislratiea e financeira.
(Concluso),
hatera.
A lotera, qna f> regalada por unn loi
de- 28 de maio (i) 1810, distribuida em
quatro classes, e renovase dais vczes por
mno, do tal modo que ha 8 liragens n
HOO.
Produzio ao estado em 18 >3:" 1,330,324
th.
Sotiedade do commercio martimo.
Esta sociedade, organisada em 4772, por
Frederico Magno, a costa do estado, pira
desenvolver a exportado por mar dos pro-
ductos das fabricas prussianas, foi intonsa-
da por urna le de 17 do Janeiro de 1820 a
estender as suas operaces a quasi todos
os negocios comraerciaes. Gabe-lhe prin-
cipalmente faier as compras de sal por
'unta do estado, o establecer montes de
soacorro. E' o re quem nomea o sen di-
rector. Suas contas nao sao publicadas.
O thesouro trou da sociedade em 1833 o
ro de 500,0 >0 th.
Banco da Prussia
\< o seo capit%de 45 milhbes de UliLts,
ios quaes 8 millioes sao dados pelo estil-
lo. Ri'novou-se-lie o privilegio em 183(1.
elle ao thasouro um juro de tros o
i por cento dos 8 milhoes que esto
idiaotou. Tira-se urna sexta parte dos lu-
cros para augmentar o fundo de reserva; o
restante dividido por igual entre o estado
e os accionistas.
Voducto para o thesouro em 1863:
f ,1*8 333 tb.
5Pft ffliWWiareraos outros pequeos
impostas menos mporlantes, que sao tara-
nem directamente cobrados pelo ministerio
da fazenda.
A lotalidedc da receita especial deste mi-
nisterio subi em 18G3 a 98,310,064 th.
Ministerio do cammercio, industria e obras
publicas.
Sste o ministerio que, depois do da
fazenda, rtalizi mais copiosa receita. Da-
pendem delle as administrares dos cor-
s, das linhas telegraphicas, dos cami-
naos. Je ferro construidos ou geridos pelo
estado, as, anas, as fnndcoes as salinas,
33 fabricas do estado.
Ccrreios
Nos. termos da lei de 5 de fevereiro de
IbS, os crrelos coiislituem um do3 mo-
nopolios do estado para o transpoite das
cartas, dos jornaes, dos objectos cujo peso
Rao excede a 10 kilogrammase das pessoas
que viajara em dil'gencia com cavallos de
GOSt?..
froJuctoem 1863,12:361.229 th.
Linhas telegraphicas.
O estado as conslrue e sq fe)|e tem o
direito de as adraimstrar.
Producto em 1863. 1.039.961 tb.
Estradas de ferro.
Indepeudentemente do imposto cobrado
is compaahias pelo ministerio da fazenda,
estad tira lucro das linhas que ello
aesnro administra.
3o d subvencbes. Quando garante aos
accionistas um juro que nunca pode exce
Ter a 3 1/2 %, o lucro liquido das cora-
panhias excedente a 5 / dividido com
elle. Os adiantamontos que houver feito
ra execucao dessa garanta sao pagos no
ptazo que se estipular; nao cumprida esta
'laosula o estado toma o trafego para si.
O producto foi em 1863, 15,238.013 tb.
E en. 1866, 18.006.359 th.
Nesta poca, o estado construir sua
asta e administrava 3.021 kilmetros de
viJ frreas ; administrava 1.482 kilo-
metros pertencentes s companhias. Estas
Jministravam 4.104; ao todo, 8.610 ki-
- metros.
Minas, fundicdcs, fabricas e salinas.
O estado possua minas de carvo na Si-
lesia, Saxonia, Westphalia, as provincias
i lienanas; minas de prata e de chumbo
na Silesia; fundicoes na mesma provincia
FOLHETIIfl
mi\U POLIGMKS
POR
7 ilie Berthet
na.Saxonia o no Rhcmo; salinas na W&h.
>nia. Westphalia e provincias rhenanas.
Producto til.il em 1863, inclusive as
laxas pagas ao estado pelos particulares
propiielaros da minas, 13.419.077 th.
As fabricas de porctdlanae louca does-
tldo, em Berlim, produziram em 1863,
PT.396 th.
Productos diversos, 233 296 th.
A receita total do ministerio do commer-
ci >, da industria e das obras publicas foi
em 1863 de 42.70-1.091 tbalers.
Ministerio da justica.
Cobrou esse ministerio
por despezas e custas
de processos........ 10.052.620 thal.
Mullas............... 285.328
Emolumentos devidos aos
magistrados e cobrados
pelo estado........*. 297.436
Total em 1803....... 10.634.384
Ministerio da agricultura.
Foi a receita leste ministerio em 1863
de 930.283 thalers.
Independenteraente do producto das cau-
delarias, esta' esto ministerio en;arregado
de verificar e receber as sommas pagas
pelo3 camponezas proprietarios das trras
do estado que outr'ora cultivavam como
servas.
Foi-Ibes esta propriedade concedida, com
a condico de pagarem um foro que, ao
principio, subi a cerca de 3 milhoes de
thalers. Lioertaram-se delle pagando o
capital da renda. A somma desses res-
gastes forma quasi a totalidade da somma
cima.
Ministerio do interior.
Multas, passaportes, producto do tra-
balho dos presos as casas de detenco ou
de correcco.
Producto em 1863: 748.946 thalers.
Cultos e instrucgao publica.
Despezas de exames e diplomas.
Producto era 1863 : 128:729 thalers.
Guerra e marinha.
Venda de material e producto do territo-
rio de Jada 377.884 thalers.
Negocios estrangeiros.
Direitos de chancellara : 9.666 thalers.
Principado de Hohcnzollern.
Renda em 1863: 268.448 thalers.
Receita total do estado em
1853......P. 154.504,046
Transporte do exercicio de
1863........., 3.980 905
exercicio de 1863, subia a 200.826.426
tbalers.
O ser vico dos juros e da amortico exigia
16.332.700 thalers.
A mesma despeza foi inscripta no orea
ment realizada de 1863, com a somma de
I4.7il.380 thalers.
Dotacao* regia.
Segundo a carta constitucional de 1850,
a dotaeo regia devia consistir apenas na
renda perpetua constituida eu fidei-com-
misso em proveito da coroa pela lei de
17 de fevereiro do 1820 maltas do estado, e que sobe, como disse-
mos, a somma de 2.573.01)9 tbalers.
As cmaras, em 1859, accrescentaran-
Ihe urna verba annual de 500.000 thalers,
que em 1808 /oi elevada a 1.500.000
thaers.
A dolacb da familia real hoje de....
4.073.099 thalers.
Os crditos 'votados para as despezas
ordinarias dos serviros pblicos foram divi-
didos como segu entre os diversos minis
leos, no encerramento definitivo do or-
camento de 1863.
Ministerio da fazenda.
Dividem se em duas classes as despezas
deste ministerio:
1." Despezas da admnslrac3o.
2. Despezas de cobranca e de adminis-
tracSo.
As primeiras comprehendam a adminis
traco central, as pensos dos eraprega-
dos civis e suas viuvas, auxilios aos
orphos, ordenados aos presidentes de pro-
vincias, regencias, e circuios, a arnortizaco
de diflerentes dividas provinciaes e com-
merciaes que o goveroo tomou para si, as
sommas devidas aos credores dos ca-
minhos da ferro pelos juros garantidos
pel estado, fundos geraes. graicacoes.
Total em 1803, 6 498.425 thalers.
As despezas de cobranca e admioistraco
sbera a 12.990.170 thalers, divididos
assim :
Dominios e matas........ 4.542.868
Impostas directas......... 1.074.300
Ditos indirectos.......... 7.373.052
Total
12.990.170
45.)
nao havia mais
doSr."Van-Best.
Total -..... 158.484.951
VII.DESPEZAS.
As despezas s5o divididas era ordinarias
j evtraordiaarias.
DESPEZ\: MBPAMAS.
Divida publica.
O servico da divida publica confiado
a urna direceo central collocada sob a dupla
intendencia do ministro da fazenda e de
urna commisslo que se compem de tres
membros da cmara dos deputados, de
dora m -mbros da cmara dos senhores e
de funecionarios designados pelo governr-.
Os delegados das cmaras s5o r-novados
em cada sesso. Desde a abertura, apre-
sentam elles um relatorio acerca das ope-
racoes do exercicio precedente. Cada urna
das cmaras o discute e formula a sua apre-
ciado por meio de votaco.
Origem e somma da dicla publica:
Frederico Magno n3o
deixou nenbuma di-
vida; reconstitu o al
quasi por inteiro o
thesouro que seu
pai Ihe legara; mas
jem 1797 a divida
do estado subia a. 48.054.903 th.
E depois da guerra de
1806........ 52.494.315
Em 1848 atliogiaa 71.546.400
Nessa poca, sob o rgimen parlamentar,
vivo impulso se deu s obras publicas, foi
preciso rScorrer aos emprestimos ; contra-
hiram-se successivamente dezeseis, antes de
186G. Posto que a amortisaco tenba func-
cionado sem iuterrupc5o, a divida cresceu
tres quartas partes. No encerramento do
Total das despezas ordinarias do minis-
terio, da fazenda em 1869: 19.498.425
thalers.
Ministerio do commcrcio e obras publicai.
Despezas de admi-
nislraco....... 5.828.937
Ditas do cobranca e
administr a c 3 o ;
Gorrreios, jorna*-'
UU':'^ das le7. 10.553.137
Telegraphos....... 787.710
Minas, fundicas, sa-
linas e fabricas. 10.079.255
Caminho de ferro. 13.883.310.
35.303.412
Total............... 41.132.349
Ministerio da justica.
As despezas ordinarias do minisierio da
justica subiram, em 1803, a 11.285.546
thalers.
Tribunal supremo, 191.365.
Tribunaes de appellacSo, menos o das
provincias rhenanas, 975.626 tb..
Tribunaes de primeira instancia, salvo a
mesma excepto, 8.028.318 th.
Tribunaes e justicas de paz as provin-
cias rhenanas, 500.505 th.
O rosto foi empregado em pagar as des-
pezas da adminslrac3o central, os tribu-
naes especiaes e as despezas do material.
Ministerio do interior.
As despezas deste ministerio compre-
hendem as da admistrac5o central 112.029
thalers.
As dos conselhos communaes, 912.3o 1.
As de polica, 602.650.
As da polica communal, 1.091.403.
As das prises, casas de detenco e cor-
recebo e outras despezas, 2.803.535.
Total, 3.521.968 th.
Ministerio da agricultura.
Adminstraco central, academias, esco-
(Conlinuaco don.
XI
O Industrial em decadencia.
Em (planto se davam estas scenas ua
casa do operario, tambem
alegra na habitculo
Os escriptorios da adminstraoslo eslavam
fechados; os empregados, sempre activos,
mesmonos dias santificados, tinham des-
pparecido. Acrescia que os domest-cos
erara apenas agora o porteiro coxoeuma
vaiha cozinheira, que servia igualmente de
citada do quarto de Amelia. Pode, portanto,
avaliar-se o silencio e solido que reinavam
em casa do director das minas de Polig-
nies. .
No pritaero pavimento da casa oceupa-
vam Van-Best e sua filba dous quartos con-
tiguos, que com urna modesta sala e urna
pequea casa de jantar compunham o seu
aposento. I
ao oarto de Amelia que vamos con- j
duzir o teitor, por isso mesmo que, depois
Ja suspensSo dos trabalhos, o*pai e a hlha
aaasi nunca deixavam este anarto, onde
se tratavam todos os negocios da casa.
Nada corresponda ali ao luxo e commo-
dldadesor^prias da filha de um rico indus-
trial. O cortinados eram oscuros ; a cama,
tindo lejto de acaj, oceultava-se pdica-
mente airaz de ampias cortinas de sarja
es ora ; as cadeiras e soph eram forradas
de estofo preto, cor nica qae o po dj
carvaonioalterava. Tudo n'aquelle quarto
vaginal tinha om aspecto carregado e quasi
lgubre. Por ortirao, nm antigo quadro
bespano-Gamengo, representando o mar-
tirio de ama santa, e dependorado defronte
do leilo, contribua tambem para dar ao
quarto ara carcter asctico, bem opposto
o da formosa e amavel joven hitava.
Recostada sobre o soph, Amelia estava
evolvida n'am ampio vestido de 15a. A
cabec repousava-lhe n'uma almofada de
;curo, que fazia sobresahir a alvura
daqaelle rosto macerado de tristeza e sof-
fr i meiitos. .
Junto de urna mesa coberta de cadernos,
Yan-Best e o velho caixa Mayer examina-
>ajn contas, vericavam colnmnas de alga-
las e commissftes agrcola i, corridas de ca-
vados, premios agricultura:
Total das despezas ordinarias, 1,848 032
thalers.
Ministerio dos cultos e .de instruccao
publica.
Cultos.
A lberdade dos cultas, estabelecida na
Prussia por Frederico Magno, foi sanc-
cionada pelo cdigo do 1794, e pela cons-
lituicao de 1830. $
O estado contribue para as despezas de
congruas dos membros do clero. E' de
notar que os crditos concedidos s igrejas
calholicas sao mais consideraveis que os
do culto prostestanlc, professado pelo so-
berano e por dous tercos da populac3o.
Os arcebispos e bispos catholicos, que
sao era numero da oito, nomeam os pa-
rochos e os assistentes.
O governo so tem o direilo de apresen-
taco para certas parochias, sobre as quaes
exerce urna especie de padroado.
Quanto ao-culto evanglico, o rei foi
sempre o chefo supremo, mas a consti-
tuico de 1830 dej-lhe em principio a
mesma independencia que ao catholicismo
Na pratica, esse principio encontra fre-
quentes obstculos. Para os aplainar, dis-
tinguiram-se os negocios internos, concer-
nentes ao dogma, liturgia, disciplina,
synodos e ensno ideolgico, dos negocios
externos, relativos administrado dos bens
e aos outros nteresses materiaes das pa-
rochias.
Os negocios internos sao regulados por
um conselho independenta do ministro, e
por oito consistorios que prestam o sen
concurso a esse conselho. Os negocios
externos continuam a ser administrados
pelo poder central o pelas autoridades su-
periores das provincias e das regencias.
O culto israelita nao receba nenbuma
subvenc3o do estado, a Iminislra-se elle pro-
prio com ratera independencia.
Verbas concedidas em 1863 :
Ao catholicismo----- 743.712 th.
Ao culto evanglico. 412.16
Instruccao publica.
A nstruccSo publica em todos os graos
est muito desenvolvida na Prussia.
As escolas primarias esto a cargo da
communa escolar, que se distingue da com-
muna poltica. Comp-se a primeira de
todos os ebefes de familia; a segunda dos
habitantes que possuem urna propriedade
ou urna rer.da que Ibes d o direito de se-
%\ eleitores raunicipaes. Os ebefes de
familias tm a seu cargo, em proporc3o
com as posses de cada um, todas as des-
pezas que nao sao pagas pelas retribuc5es
impostas aos alumnos, e das quaes s os
indigentes estao isentos.
A nstruccSo primaria obrigatoria. Os
pas de familias que nao mandara os filhos
s escolas podem ser condemnados a mul-
tas, e at a priso; mas essas penas quasi
nunca sao applicadas. ,
As inslituicoes primarias publicas orca-
vam*em 1863, por 25.15f>. Havia, alm
disso, 813, estabelecimentos particula-
res.
As verbas votadas no orcamento de 1863,
em reaco parte contributiva do estado
as despezas da instruccao, sobera a.....
3.911.581 thalers, 5*6.611 dos quaes s5o
dados instrucgao primaria.
Total das despezas deste ministerio
4.067.439 thalers.
Ministerio da guerra e da marinha.
Guerra......... 39.747.640 tb.
Marinha........ 1.140.810
Em 1863 compunha o
exercito prussiano em
p de paz de....... i 2-668 officiaes
E de............... 199.963 soldados
Tolal.......... 212.631 homens.
Em p de guerra.
De................. 13.377 officiaes
E de............... 033.65 soldados
Total.......... 647.002 homens.
Formando.
81 regimentosde infantaria.
"19 batalhes de cacadores.
40 rrgimentos de" cayallaria.
9 ri'gimentos de ari/.'baria.
9 batalhes de gastadores.
Os corpos do exercito eram flrn numero
de oito, n3o comprehendendo a guarda re-
gia. O estado raaior era composto de:
1 feld-marechal general.
1 feld-zeogmestre general.
39 generaos.
50 tenentes generaes.
8t raajores generaes.
123 coronis de infantaria.
40 coronis de cavallaria.
20 coronis de artiharia.
11 coronis de engenbaria.
Sidos.
Generaes, commandando m corpo de
exer ito ou urna divsSo, 4.000 thalers,
com urna indemnisacao da 1.200 a 5.000.
Generaes, commandando urna brigada,
3.000 thalers; indemnisacao, 300 tha-
lers.
Coronis, de 2.500 a 2.700 thalers.
Capitaes de infantaria, 1/200 e 600 tba-
lers.
Cavallaria, artlharia, engenharia, uns a
1.300 thalers, outros a 720.
Tenantes de infantaria, 300 e 240 thalers:
cavallaria,' 360 e 276; artilbaria, 230 e
300.
A despeza media que cusa um soldado
foi calculada em 25 thalers no orcamento
da confederaco do Norte para determinar
a parte contributiva de cada estado as
despezas- d > exercito commum.
A modicidade dos algarismos explica-se
pelo prego baixo de todos os objectos de
consumo, em um paz onde o numerario
pouco abundante.
A forca da mar tinha apenas 157 officiaes
e 3.229 soldados.
A marinha militar consista apenas em 29
vapores, armados com 133 canhbes, e de
43 navios de vela, com 28 canhbes..
Ministerio de estado e dos negocios esirdn-
geiros.
As despezas do estado, oreando por....
353:110, coraprchendiam as da administra-
Cao central, da commisso superior de exa-
mes para os empregos pblicos do tribu-
nal dos conflictos e do alto tribunal de
contas.
As despezas da reparti dos negocios
estrangeiros foram de 91)3.700.
A Prussia tinha em 1863 :
Dous embaixadores: um era Pars outro
em Londres.
23 ministros plenipotenciarios.
919 cnsules.
O ordenado dos embaixadores era de...
25.000 tbalers para cada um.
O dos ministros plenipotenciarios variava
de 8.000 a 16.000, com excepeo dos mi-
nistros acreditados juntos as cortes da
Russia e da Austria, que percebara :
O priraeiro 33.000 ihalers.
O segundo 24.000 thalers.
Verbas para os consulados: 127.470
thalers.
Principado de Honhenzollcrn.
Despezas ordinarias de todos os servaos
do estado: 229.886 thalers.
Despezas extraordinarias.
Sao divididas por ministerio do modo
seguinte :
Fazenda............. 1.464.044 th.
Commercio, industria e
obras publicas...... 6.289.897
Justica.............. 350.414
Agricultura........... 254 Mo
Interior.............. 202.510
hstrucco publica..... 503.757
Guerra... .......... 1.814.184
Marinha............. i.930.000
Ministerio de estado e
de estrangeiros..... 16.870
Principado de Hohenzol-
lern.............. ^.57
rsmos, trocando de longe a longe algumas
palavras.
Iliviam decorrido muitas horas desde que
elles se entregaram quelle servico, quando
Van Best, recuanlo a cadera e oceultando
o rosto entre as m3os, exelamou :
Ah 1 Mayer, tu nao te engaaste, naol
Sempre o mesmo sinistro resultado 1.. A
ruina, a ruina complet, a fallencia, o op-
probrio I
E desatou em solucos.
Mayer fizera igualmente recuar a sin ca-
dera, e, ao ver chorar o seu chefe. habi-
tualmente impassivel, sentio tambem hume-
deceram-se-lhe os olhos de lagrimas atra-
vez dos seus oculos verdes. Apezar d'isso,
nao dizia urna palavra.
Amelia dcsceu do sof, dirigi se ao pai,
e, cngindo-o pelo pescoco, disse-lhe com
a maior ternura :
\nimo, raeu pai Anda lhe resta a
sua alba, a sua querida Amelia, qu- estove
quasi a parder com urna raorte 13o cruel, e
que, todava, aqui esta anda para o ajudar
a supportar o infortunio I Animo I.. Re-
cobrei a saude e a vida, e, succeda o que
succeder,, amar-nos-hemos e ajudar-nos-
hemos mutuamente, e talfez anda nos res-
tara melhores dias a gozar I
Querida;filha, redarguio Van-Best,
deves comprehen 1er que me aflijo prin-
cipalmente por causa de ti ; mas, visto
que ests resignada, tambem euterei valor
para supportar o golpe 1
E, ajudando a filba a tomar novamente
o seu lugar no sof, deu-lhe um beijo na
fronte, e, voltando para junto do caixa,
disse-lhe: .
Basta, meu charo Mayer. Estao re-
tas e approvadas as las contas ; n|o ha
um s algarismo a rectificar. Agora deixa-
me estes papis e amanha de manhaa eo
mesmo irei apresenta-ios no tribunal... A
manbaa todos saberao o que sem duvi la
ninguem deixa j de suspeitar : que Paulo
Anselmo Van-Best nm miseravel bancar-
rotero I ,
Contina anida, meu pai ?exelamou
Amelia em tom de recriminaco.
EntSo como queres que chame ao
que vou ser d'ora avante ? Bancorroteiro...
sim.bancarroteiro... forcoso qoe nos
habituemos phrase e ao obejecto I... E
oque cruel-acrescentou elle num ac-
cesso de colera- termos de confessar que,
se esses miseraveis operarios tivessem o
animo de esperar smento dous mezes, eu
poderla anda salvar-me d'esta cnsel A3
duas mil toneladas decoke que me foram
encommendadas pela companhia do cami-
nbo de ferro de... fariam entrar em caixa
urna importar-te 9omma de dinheiro : cos-
teara as despezas d'este mez e os irmaos
Guerio n5o se recosaram a abonar-me arad?,
por algum lempo. Alm d'isso-, o carv3o
de pedra augmenta de valor e a todos os
momentos espero a alta do preco.- Que
fatalidade Quebrar vergooliosamente na
presenca de tantos dados de prosperida-
de I... Amaldicoados sejam os homens
imbecis e desvairados que me occasionam
esta catastropbe I
Perdoe-lhes, meu pai Eu nao te-
nbo podido ir ltimamente aldaia, mas
presumo que a maior parte l'esses des-
gracados estar em circumstan:ias mais
lastimosas do que as nossas 1
Melhor !redarguio Van Best em tom
severo.Nao tem seno o que mareceml..
Quereria eu que elles soffressem anda mais
do que esto soffrendo actualmeota I.. Mas
de que serve agora lastimarraos-nos ? -pro-
seguio elle cora ar de ndifferenca e atiran-
do-se para urna cadeira.O que est feito
nao tem remedio... Tu ao menos, Mayar,
que ha mais de trinta anuos s o caixa d'es-
te estabelecimento, sabes com qoe probi-
dade, economa e prudencia eu hei dirig*,
a casa que mea pai me legou, e poderas
prestar testemunho, quandj me vir esposto
apreciacao dos mos e dos toras. Sabes
quanto eu era sobrio as minhas neeessida
des, protector e desnteressado para com
os meus operarios; sabes tudo e poders
justiflear-me, quando os odios e os des-
presos se desencadearem contra mina!.
Quanto a ti, me bom amigo, por em quan-
to esto terminadas as toas fuoeces de
caixa. F. ste sempre para com meu pai e
para comigo um empregado fiel, um ver-
dadero aaigo, e lamento nao poder re-
compensar-te como mereces. Entretan-
to, sahiodo ea, natural que o estele
cimento nao possa prescindir de caixa, e,
se os meus successores me ouvirem acerca
da escolha que devem fazer, pqdes ter a
certeza...
N5o diga isso, S-. Van-Best I inter-
rumpe Mayer, chorando. Pois a minade
Polignies poder ter outo director ? Foi
sed pai quem a descobrio ha seguramente
sessenta annos. Desde essa poca todos os
trabalhos o devidos sua direccao e
d'elle: aqui se consagraram todo o seu sa
ber, a so* energa e as suas vigilias, e
tudo isto para Ufo triste resultado I... Por
mira, crea, que jamis pinanbecerei aqu
outro director I
Vamos, mea cbaro Mayer, has de re-
considerar. ., AqaeUes que me substitui-
Total das despezas ex-
traordinarias ....... 12.843.098
VIIIRESUMO '
Total das receitas ordina-
rias e extraordinarias-
do exercicio de 1863. 158.484.951 Ib.
Despezas............... 154.227.145
Saldo.......... 4.257.806
Se tirarmos a somma de 3.980.905
lancada no exercicio an- *
terior, o saldo ape-
nas de............... 276.901
Este resultado excepcional; os exer-
cicos anteriores geralmente tiveram um d-
ficit, e foram equilibrados com o producto
de emprestimos.
Nem por isso a situacab da fazenda da
Prussia dexava de ser prospera para quan-
do rebeniou a guerra entre essa polencia e
a Austria, levando comsigo os estados se-
cundarios da Allemanha, Nao se calcula,
va em menos de cento e inenenta milboes
de francos segundo a cren?a popular, a re-
serva metlica accumulada no thesouro se-
creto de Berlim.
Posto que quadruplcada desde 1848, a
divida do estado era a menos eon?derada
da Europa; maf passava um bifiab e so
exigia para occonrep os juros ur.......
40.301,000 francos (10.863.95! Hialers);
ao passo que o me9rro servico custava a In-
glaterra 637.600.00u francos, e a Franca...
326.900.000 francos.
O augmento da divida era largamente
compensado pelo das rendas do estado, qno
de 94 milhoes de thalers, em 1852 subiram
1863 a 154 milhoes.
No mesmo intervallo, a pepulacJo au-
guentou, sem acrescentamenle- de territorio
mais 2.400.000 habitantes.
Taes sao os progressos que pode fazer,.
cora recursos limitados, commercio restri-
cto, solo estril em muitas provincias,
aquella povo activo, orgulhoso do seu pas-
sad.i, profundamente respeitoso para com
a antoridade soberana, anda quando ella
ullrapassa os poderes constitucionaes,
prompto para todos os sacrificios em troca
da gloria e da grandeza do seu paz. Eis
em que condicoes, depois de ter aperfei-
coado a sua formidavel organisaco mili-
tar, entrou elleem urna luta que pareca de-
sigual, c conquistou t2o rapdamente a-su-
premaca da Allemanha
Mas, os memoraveis acontecimentos que
tanto levantaram a sua forca, impuzeram-lhe
onus que tornam insuficientes os recursos
ordinarios; a Prussia v-se na penosa ne-
cessidade de augmentar os seus impostes
e ao mesmo lempo contrahir um empresli-
mo de mais de 100 milhoes. Estas provi-
dencias foram agora propostas ao parlamento
reunido em Berlim, cora o fim de solver o
dficit que, augmentando de amo a anno.
preoecupa vivamente todos os poderes p-
blicos.
Esperaremos que esses projectos tenham
sancclo definitiva e completa exeeuco para
apreciar a situaco nova em que a Prussia
entrou depois da guerra de 1866, no duplo
ponto de vista financeiro e*administrativo..
Neste momento limitamo-nos a verificar
as mudancas j consumadas.
Sua popolaco, que era em 1865, de
19,303,000 habitantes, actualmente de
23,578,000, e se accressentarmos a da con-
federaco do Norte excede a 29 milhoes.
A divida publica, de 280.820,000 thalers,
subi a 454,509,000 tbalers, a saber:
416,259,000 com juro, e 18,250.000 sem
elle. Esta urtima somma representada
por bilhetes da caixa central do thesouro
com curso forcado, verdadeiro papel moeda.
Este capital de 454,509,000 tbalers oom-
prehende as dividas dos paizes annexados:
Hanover, Hesse Eleitoral, Nassau, Hesse-
Hamburgo e Schleswig-Holstein, oreando
em 58,401,000 thalers e os emprestimos
contrahdos para os caminbos de ferro.
A verba do orcamento'de 1869 consigna-
da aos juros e amortisaco de 25,704,930
tbalers.
Os orcamenios da guerra e marinha foram
distrahidos do orcamento da Prussr, para
serem ligados ao da confederaco do norte.
O d3 guerra de 67,836,294 thalers; o
da marinha de 8,617,903.
reta devem carecer dos tens servaos: por
que has de recusadb'os, s para obedeceres
a um capricho pueril ?... Adeusr Mayer :
d c um abraco, raeu velho amigo, e s
mais feliz de jue eo I
E abracaram-se cordialraente.
Quando ia a rettaF-sc, Mayer poz era ci-
ma da mesa urna chave.
Que isso ? -perguntou Vao-B8St.
E a chave da asa forte. Bem sabe
que a palavra para abrir a fechadura de
eombinacao Pars.
Que queres qua en faca d'ella ? Fica
seu depositario para a entregares aos meus
credores. As tuas contas estao fechadas e
rubricadas -r eu j nao tenho aqui cousa al-
guma t
Mayer pegou na chave com repugnancia.
Pareca ter anda o que quer que fosse a
dizer, mas nao saba como encelar um as-
sumpto diScil. Afinal, abaixando os olhos,
proseguo submissameote-:
Deve restar-lhe bem poueo dinheiro,
Sr. Van-Best. N'estes ltimos tempos re-
cusou obstinadamente receber dinheiro al-
gum, receiando diminuir a nossa reserva,
j insuficiente ; com tudo nao podo pres-
cindir-so do indispensavel, e eu nlo tolero
qoe o senhor e sua filha soffram necesida-
des. Portanto, que duvida ba em que se
utilise de algumas importancias existentes
emser 1
Tocar n'am dinheiro que j me nlo
porten -e ?disse Van-Best precipitadamen-
te. Recorrer a ama conta j fachada 9 De
ceno que nlo I Tudo oque aqui existe
pertence aos meus credores Quando elles
lomarem conla da mina, veremos o que me
quererao conceder at que eu tome um ex-
pediente.
Mas at l n3o deve soffrer privaeoes,
e ea sei, estoa certo de qoe na sua bolsa
particular ha falta de meios.
Mayer fallava o positivamente, que de
nnnciava certas inforaMbes particulares so-
bre este ponto, e nao cessava de olhar para
Amelia, como solicitando-lhe o sea auxilio
para o, fim desojado.
verdade, meu pai,- interrompeu a
joven, suspirando, a nossa criada Gubula
deu-me hontem a entender alguma cousa a
esse respeito.
Gudula ama gastadora, e eu j ha
muito a tera despedido, se ella nos nao
fosse tSo affeicoada l... Mas tu, menina,
nao tens algumas economas ?
Restam-me ans cincoenta francos,
com os qaaw oontava comprar-lhe am ca-
chimbo de espanta, em lugar do queque
dia diante da deputaco dos
(Continuar-se-ha).
brou outro
operarios.
Nao careco de cachimbo de espu-
ma : d'ora avante basta-me um de gesso
Entrega os cincoenta francos a Gudula e ella
que os faca dorar, na certeza de qua para
o futuro se lhe nao eotregaro grandes
quantias.
Dizendo sto, pareceu assaltado de urna
dtlorosa recordaco.
Ora, eis-aqui ao que estou reduzido I
disse elle com amargura.Quando meu
pai morreu, possuia um capital de um mi-
Iho o oitocentos mil francos, que poste-
riormente augmentei !
Tomou a assenlar-se, e, apoando e co-
tovello na mesa, (coa em profunda aaedi-
laco.
Mayer pareca querer fazer nova tentati-
va. Amelia fez-lhe signal para nao insis-
tir, porm elle prosega io :
Pois bem, ficarei depositario respon-
savel doGonteudo da caixa, mas queira ou-
vir-me. Estou ao seu servico desde rapaz
e tenho feilo algumas economas. Essa
somma, que me pertence, peco-lhe que a
acceite, como emprestimo. So receia con-
trahir encargos com os credores, nao pode
negar a um velho amigo o favor que elle
lhe pede." Deve-lhe tudo e nao pode nem
deve negar-se a acceitar o meu auxilio na
adversidade, sendo, como foi, generoso e
benvolo para comigo na prosperidade.
O honrado hornera, faaeodo esta propos-
ta, tomara ama postura supplicante: estaya
de maus postas, como se solicitasse orna
valiosa graca de seu amo..
Van-Besl, apertaado-lbe as raaos cordial-
mente, dsse-lbe :
Obrigado, Mayer. Por agora estamos
remediados; no caso, porm, de preciso,
asseguro-te que acceilarei o teu offereci-
ment. Nao me considero humlhado por
te dever um servico, visto que sou teu ami-
go yerdadeiro.
Mas porque n3o ha de utilsar-se j ?
N5o. Acabas de ouvrque anda ha
em casa cincoenta francs, resultado das
economas de minha filha.
Um triste silencio, interrompido apenas
pelos solucos de Amelia, reinoa por al-
guns momentos ao quarto.
Mayer, qoe nao poda deliberar-se a aban-
donar esta costernada familia, conservava-se
de p com o chapeo na md.
De reponte estalaram ao longe do lado
da aldeia estrepitosos fogueles: era o signal
da festa.
Van Best estremecen na cadeira.
Ouvem-nos ?bradoa elle cora novo
accesso de loucura. Como se regosijam f
E podem ainda folgar I.. Sim, com tanto
que o botequineiro Ibes d a crdito o sea
genero, buscaro ainda na msica, as dan-
sas e na orgia compensaco para as priva-
eoes de hontem, e tambem para as de ama-
nha L. E que Ibes importa a elles o dia
de amanha ? Alegres o indolentes, gozara
na hora presente: chegada a noute, exte-
nuados de excessos, dormir pesado som-
no, sem se inquielarem pelo dia que se se-
gu I.. Nao sou eu, pois, mais digno de
compaixo do que todos elles, eu coja sor-
te tanto invejavam 1
Ah meu pai, disse Amelia.nao
os crimine pela sua indok-ncia, tio dura-
mente expiada r Demais, bem pode suc-
ceder que, quando menos se espere, aquel-
te que tudo dirige muie de repente as
tristezas em alegra e as miserias em pos-
>eridades r
Ao diz* Amelia isto. entre-abrira se a
porta e Gudula annonciou ero Itnguagem fk-
menga ora senhor que pretenda fallar in-
mediatamente ao Sr. Van-Best para nego-
cio importante.
Conheces quem ? perguntou Van-
Best.
Nao, senhor. Nao d'estes sitios.
Alguma nova desgraca ( exelamou
Amelia.
Talvez algum official de justica da ct-
dade que vera divertir-se festa disse o
director.
Um official de justica ? repeli o
caixa.Entrar n'uma casa ao domingo ?
N3o lh' permitte a lei: podemos at ex-
pulsado I Consente que eo o deile pela
janella ? Sinto desejo de vngar em al-
guem t
Ola, Sr. Muyer, disse Van-Best
com um reflexo de bom humornao o co-
rnhecia como valento 1 E que importa
mais um fficial de justica ou menos um ?
Que importa que venha ao domingo ou no
dia de semana ? Vejamos oque elle quer.
Fa-lo entrar. Gudula. E tu, Mayer, affa-
ze-te desde j a receberes altenciosamente
os officiaes de justica as minas de Polig-
nies I
Sem embargo d'esta recommendaco, o
caixa abotoou o casac. e carregou os oculos
sobre o nariz, como quem se disponha a
entrar n'uma luta. No mesmo lostante
Guiula introduzia no quarto o recera-che-
gado.
(Continuar-se-ha.)
\
Vr\ DODIAIW-RCADAS CM2E8 i.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERHLUQ70X_BE7KBQ INGEST_TIME 2013-09-14T00:20:47Z PACKAGE AA00011611_12052
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES