Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12051


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANITO XLVf. NUMERO 45.

PARA A CAPITAL E UGARES OTOE IAO SE PAGA PORTE.
Por tres mezes adietados
Por seis ditos idom
#1000
124000
. v ww. >UWB,................... f30000
rorum anno dem........... 245000
Cada numero avulso
320
SEXTA FE1RA 25 DE FEVEREIRO DE 1870.
PARA DEITBO E TORA DA PROVIHCIA.
Por tres mezes adiaotodos
Por seis ditos idem. .
Por nove ditos idem .
Por um anno idem %
W750
13*500
20*250
27*000
DIARIO DE PEMAMBUCO
f
Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.
HAO AftK.WES :
Os Srs. Gerardo Amonio Alves Filaos, no Para ; Goncalves & Pinto, no Maranho ; Joaquim Jos de Oliven no Ceara ; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty ; Joao Mara Julio Chaves, no Ass ; Antonio Marques da Silva, no Nataf; Jos Justino
1 ere.ra d Alme.da, cm Mamanguape ; Antonio Alesandrino de Urna, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha ; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo Aatao ; Domingos Jes da Costa *ga,
_______________________________^_ em Nazarelh ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas* Dr. Jos Martins Alves, na Babia ; e Jos Bibeiro Gasparinbo no Bio de Janeiro.
PARTE OFFTCIAl.
Coverno da provincia.
EXPEKE.VTE ASSIGN.VDO PEtO EXM. SR. SENADOR FRE-
DBBJOO Dt ALMEIDA I) U.lU'Ql'EUQUE, PRESIDENTE
DA PROVINCIA, EM 19 DE JANEIRO HE 1870.
1' seccao.
N. 407. Portara ao director do arien.il de
guerra.Mando Y. S. forne:er o cartnxame que
for preciso para o funeral do (nado capit.i da
guarda nactoaal dD reserva do municipio da Olin-
da, Francisco das Cliagas Civalcante Pes-oa
K. 468.Deliberaco.O presidente da provin-
cia atlendendo ao que requereu Manoel Antonio
da Gunha e tendo em vista a informacao do cap-
lio do porto datada de 23 de novembro do anno
prximo pagsodo, resolve eoneederlhe liecnca para
tirar pedra calcrea nos alagados da costa do mar
da povoaco do S. .1 is da Cora Grande do termo
de Barreiros e comarca de Palmare*, allm de fa-
bricar cal para a construce/ia de urna casa na-
quella pavonea > devendo bit esta apreientada as
estacdei competentes.
2* seccao.
N. 409.Portara ao commandante superior in-
terino da guarda nacional do Recife.Mande V.
S. dar ao alferes da C1 companhia do batalbo n.
-Vde infartara da guarda nacional deste mnnici-
pro Libanis Lopes Morena a guia de que trata o
art. 4o do decreto n. 1130 de, 12 de marco de
1853 para o municipio de [tamb, onde lem lixado
a sua residencia.
N. 470.Dita ao mesmo.Tendo par delibera-
rlo dest i data, cm vista de sua informadlo de 12
do correute sob n. 6, concedido ao capitn do 1"
l>alalho de artilharia Jos le S Letlad Jnior
passagem para o 1" de infamara, ambos da guar-
da nacional sob sen ominando superior, davondo
osse official servir como effectivo na vaga existon-
le na 1" companhia do referido batalia.i, assim o
comroanJeo a V. S. para seo conhecment).
N. 471. Dita ao commandante superior da
guarda nacional de Olinda.Expela V. S as suas
nrdens para que no dia 23 do corrente as 7 ho-
ras da manha por occasio da visitarn da cova,
na igreja daordem terceira de S.Francisco da ci-
dade de Olinda, sejam (sitas as honras fnebres
que forem dividas ao capitn da guarda nacional
da reserva desse municipio Francisco das Chaga-
Cavalcante Pessoa.
N. 47.Deliberaco.0 presidente da provin-
cia em vista do ollleio do chefe de polica n. 89 de
hortera datado, resolve corrigir o engao que se
deu na proposta de 12 do corrente, para 1* sup-
liente do subdelegado do 1" districlo da freguezia
da Boa vista desta cidade, declarando que o no-
ineado para esse cargo por deliberarlo de 13 deste
mez o hachare! Alfonso Barbosa e nao Porfirio
Barbosa da Cunlia Moreira, e manda que neste
sentido se expeca novo titulo.
N. 473.Dita.O presidentfe da provincia at-
lendendo ao que Ihc requereu Libanio Lopes Mo-
reira, alferes da 6' companhia d" batalhao n. 3
de infantaria da guarda nacional do municipio do
Becife o em vista d? que informa o respectivo
commandante superior tm oflieio n. 7 de 17 do
corrente. resolve que so Ihe d a guia de que tra-
ta o art. 10 do decreto n. 1130 de l do mar jo de
1853, para o municipio de Itamb onde tem elle
dudo a sua residencia.
N. 474.Dita.O presidente da provincia atlen-
dendo ao que requereu o capital de Io batalhao
de artilharia da_guarda nacional deste municipio
Josjie S Leito Jnior, e tendo em vista a infor-
macao do respectivo commandante superior de 12
do corrente sob n. 0, resolve de conformidade com
o art. 5* da lei n. 002 de 19 de selombro de 1830,
eoneeder-lhe passagem para o Io batalhao de In-
fantera do mesmo municipio, no qual servir co-
mo effectivo na vaga existente na compadhia
pelo fallecimento do cpito Claudino Benicio Ma-
chado.
3. seccao.
K. 470.Portara ao inspector da thesouraria
de fazenda.Em vista do incluso prot nominal,
mande V. S. liquidar os vencimentos relativos aos
mezes d^setembro a di zembro do anno prximo
pasudo, dos cornelas,tamboresccIanns etnprega-
dtt uos corpos da guarda deste municipio e pa-
gar a sua importancia ao quartel-mestre general In-
terino Francisco Gomes de Oliveira Sobrinho, con-
forme solicitou o commandante superior do mes-
uro mnnieipio em ofllcio de hontein sob n. 12.
N. 477.Dita ao mesmo.Mande Y. S. conforme
i ndicaem sua informacao de non tem sob n 24,
por novamente em praca as obras da ulfandega
dtfsta cidade, oreadas 11-6703520, serrindo de
base a essa arrematarn o offerecimento que Pi
Francisco de Carvalh de Aodrade Brando, no
requerimento a que se refere a sua citada infor-
maco de 12:5004 depositando como garanta do
contracto aquantia 3:000 em dnheiro.
N. 478Dita ao mesmo.Communco a V. S.
para os devdos fins, que segundo particpou o
j'iiz municipal do termo de Itamb bacharel Mene-
laodos Santos da Fonceca Linsem oflieio de 14 do
corrente, nessa data reassumio elle as funccjjes do
seu cargo, por ter o juiz de direito entrado no
exercicio da jurisdieco da comarca.'
N. 479.Dita ao mesmo.Communco a V. S.
j>ara os devdos 'fina, que segando particpou o
juiz de direito interino de Ilambe, em ofllcio de 7
deste mez, por portara desta data nomeei o cida-
d:io Franklin Celestino de Miranda, para exercer
interinamente as funeces de promotor publico da-
quella comarca, o qual entrou em exercicio desse
cargo a 8 do corrente.
N. 480. -Dita ao mesmo.Tendo resolvdo de
conformidade com a sua informacao de h. ntem
sob n. 25, abrir sob minha responsabilidade nos
termos do art. 0 do decreto n. 2884 do Io de fe-
vereiro de 1802, um crdito supplementar na
importancia de 1:0005 para a continuarlo das
despezas da rubricaEventuaejdo ministerio da
fazenda lo corrente exercicio, visto achar-se ex-
tinelo o crdito votado mesma rubrica, assim o
declaro a Y. S. para seu conbecimento e devdos
rffeitos. Com esse crdito supplementar tica V.
S. habllittdo a mandar satisfazer os pagamentos
que pedem nos reqoerimentos que inclusodevolvo,
o escrivao da reeebedoria de rendas Jos Feppe
IS'ery da Silva e o respectivo Io escripturario Fran-
cisco Augusto de Almeida.
N. 481.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincia .Concedo a autorisacao que V. S. solici-
tan em ofllcio de hontem, sob n. 26, para mandar
pagar pelas sobras das consignacoes da le do or-
Samento do exercicio prximo Ando, a quantia
e 139/708 ja, proveniente da ultima prestacao
da obra de 168 metros corr ntes no 5* lanco da
ramlfieaco do Cabo, visto nao haver na lei do or-
camenfo vigente consignaclo algoma para essa
despexa. Assim Oca respondido o citado ofllcio,
a que veio annexo o requerimento e certificado
que incluso devoivo.
K. 482Dita ao mesmo. Providencio V. S.
P ira que sej liquidado em vista da conta inclusa
em duplicata, a despeza feita durante o mez de de-
zembro prximo 'passado, com o forneclment de
luz e agua para o quartel do destacamento do
tormo de SantoJAntio e pagar a sua importancia a
Flix de Figueira Parias, conforme solicitou o
chefe de polica em offlcio de hontem sob n. 91.
N. 483 Dita ae mesmo.A Antonio Domin-
gaesde Almeida Pochas, mande V. tS pagar depois
de liquidados em vista do pret nominal junto em
duplicata, que me remellen o commandante supe-
rior do rr le Agua Preta com o ofkto de
19 d> .ncimentos relativos
ao mez de novembro do anno prximo passado
dos guardas nacion&es destacados uo povoado dos
Montes.
X 481.Dita ao mesmo.Transmuto a V. 9. a
inclina onta da despeza feita durante o mez de
outnbro ultima, com o sustento |do? presos pobres
da ca lea do term) de Flores, afim de que depois
de liquidada essa despeza, seja paga a sua impor-
lamia a Manoel Francisco dos Santos Maia con-
forme solicitou o chefe de polica em ofllcio de lo
do corrente, sob n. 7 >.
N. 485Dita ao Dr. Cypriano Fenelon Guedes
Aleoforado.Pelo seu u'fflcio do hontem, flquei
Inteirado de Inver Vmc. por doente passado ao
seu ajudante as funcfo.is do cargo de procurador
li cal da thesouraria provincial
4' seccao.
N. 486.Portara ao regedor dogvmnaso pro-
vincial. Tendomo participado cm oflieio de 18
do corrente o director da frouldade de direito
l'esta cidade haver nomeado de conformidade
com o art. 8 ds instrueges a que se refere o de-
creto n. 4430 de 30 de outubro do anno passado
para examinadores na mesma faculdaie, nos pro-
xiros mezes do feverero e margo os prol'essores
desse gymnasio Drs. Felippe Nerv CoHaco, Jos
Soriano de Souza, Jos Soares de zevedo o Au-
gusto Carneiro Monteiro da Silva Santos, assim o
manto coromunhar a Vmc. pira seu conheci-
mento e afim de que o faca constar aos referidos
professores.
EXPEDIENTE ASSIGXADO PELO SR. DR. ELIAS FREDE-
RICO DE ALMEIA E ALBUQUERQUE, SECRETARIO
INTERINO DO GUVERNO, EU 19 DE JANEIRO DE
1870.
2.' seccao.
N. 487.Oilicio ao Dr. chefe de polica.De
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia trans-
miti a V. S. o incluso titulo de nomeagao do ba-
charel Alfonso Barbosa da Cunha Moreira, para o
cargo de Io supplente do subdelegado do Io dis-
triclo da freguezia da Boa-Vista nesta cidade de
conformidade com o ofllcio de V. S. de 18 do cor-
rente, sob n. 89.
N. 488.Dita ao mesmo.S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia,rmanda|declarar a V. S. em res-
posta ao seu ofllcio de 13 do corrente, sob n. 75,
que a thesouraria provincial tem ordem para pa-
gar a Manoel Francisco dos Santos Maia, a quan-
tia de 2164 constante do citado ofllcio.
N. 489.Dito ao mesmo.Nesta data autori-
sou-se a thesouraria provincial a pagar a Flix do
Figueira Faria, a quantia de 153240 rs. constan-
te do oflieio de V. S. datado de hontem, sob n.
91, o qual iea assim respondido de ordem do
Exm. Sr. presidente da prouinca.
N. 490. Dito ao commandante superior da
guarda nacional de Palmares.S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia manda declarar a V. S., que
a thesouraria provincial tem ordem para pagar a
Antonio Domingucs de Almeida Pojas, os venci-
mentos constantes do citado ofllcio.
N. 491.Dito aojuiz de direito di comarca de
Itamb.O Exm. Sr. presidente da provincia man-
da declarar a V. S., que ficou inteirado pelo seu
offlcio de 7 destejmez, de haver sido nomeado para
exercer interinamente o cargo de promotor publi-
co dessa comarca o cdado- Francisco Celestino
de Mendonga.
N. 492.Dito aojuiz municipal do termo Itam
b.De ordem do Exm. Sr. presidente da provin-
cia, aecuso a recebimento do ofllcio de V. de
14 deste mez, cm que participa ter nessa data
reassumido o exercicio do seu cargo.
N. 493.Dito ao Sr. Franklin Celestino deMen-.
donfa.O Exm. Sr. presidente da provincia man-
declarar, que ficou inteirado por seu ofllcio de 8
deste mez, de tr V. S. dessa data entrado no ex-
ercicio interino das funecoes do cargo de promo-
tor publico da comarca de Itamb, para o qu* foi
nomeado pelo respectivo juiz de direito, por por-
tara do da anterior.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO EXM Sil. SE5AD0RFSI-
- DERI0.O DE ALMEID AE ALBLQLERnl E, PRESIDENTE
DA PROVINCIA, KM 20 DE JANEIRO DE 1870.
I" seceso.
N. 494.Portara ao director do arsenal de
guerra.Para cumprinenlo do aviso do ministe-
rio da guerra de 4 do corrente, de que Ihe remet-
copia em 17 desle mez, cumpre que V. S. infor-
me se tem observado a disprsicao do art. 4" do re-
gulamonto dos arsenaes de guerra, como exige o
citado aviso.
2* seccao.
X. 496.Dita ao commandante superior interi-
no da guarda nacional do Becife.Tendo de con-
formidade com a sua informacao desta data sob
n. 14, dada acerca daproposta do tenenle-coro-
nel commandante do 1 batalhao de artilharia da
guarda nacional sob seu commando superior, no
meado para o referido batalhao os offlciaes cons-
tantes da deliberaco inclusa por copia : assim o
communco a V. S. para seu conhecimento e di-
receo.
N. 497.Dita ao commandante superior da
guarda nacional do Cabo.Expeca V. S. as con-
venientes ordens para que no da 23 do corrente,
sejam postas a disposico do delegado do termo do
Cabo, 30 pracas da guarda nacional sob o seu
commando superior.
. 498.Dita ao mesmo.Communco a V. S.
para os fins convenientes e em aditamento ao
met ofllcio desta data que podendo acontecer que
nao sejam a lempo entregues a esse commando
superior este e aquello /neos offlcios, determine
ao commandante do batalhao n. 54 de infantaria
da guarda nacional do municipio do Cabo que na
hypotbese cima faca apresentar ao delegado desse
municipio no dia 23 do corrente as 30 pra?as de
que tratei no primero dos meus citados oflkos:
ordem que V. S. todava dever reiterar.
N. 499Dita aojuiz municipal da 1 vara des-
la cidade.Transmiti por copia a Vmc. para os
tos convenientes o ofllcio do juiz de direito da co-
marca do Liraoeiro de 11 do corrente, e a eerli-
do a que o mesmo allude, relativa ao reo hi Vi-
cente de Arruda, de quem trata o seu offlcio de
30 do mez findo.
N. 500.Dita ao commando de- corpo provisorio
de polica.Pode Vmc. engajar no corpo sob o
seu commando os paisanos Manoel Joao da Silva
e Jos Feliciano Pereira de Lima, aos quaes allude
o seu offlcio n. 24 de 17 deste mez se tiverem para
isso a precisa doneidade.
N. 501Deliberado.O presidente da proviu-
cia tendo em vista a proposta do tenente coronel
commandante do 1" batalhao de artilharia da
guarda nacional do municipio do Recife, e o que
a respete della informou o respectivo comman-
dante superior em ofllcio desta data sob n. 14, re-
solve nomear para o referido batalhao os seguin-
tes offlciaes.
2.1 companhia.Cipitao o Io tenente da mesma
Jos Adrin da Costa Moreira, 1 tenente o 2* dito
da 5' Francisco de Paula Cardoso Jnior.
5.* compaphia.2- tenente Joo Mara de Albu-
querque Oliveira Jnior. ,
3" seccao.
N. 503.Portara ao inspector da thesouraria
provincial.Recommendo a V. S. que, em vista
dos inclusos deeumentos que remetteu o chele de
polica com oflieio de hontem sob n. 94, mande pa-
gar a Joo Jos FerreiA ou ao seu procurador, a
Suantia de 10*000 ou o que justamente se dever
o aluguel no mez de dezembro ultimo, da casa
que servio de cadea e de quartel ao destacamen-
to de polica na villa de S. Bento.
N. 504.Dita ao mesmo.Declaro a V. 8. para
sea conhecimento e devdos effeitos, que no reque-
rimento a que se refere a sua informacao dn 12
do corrente sobn, 14, de Antonio Francisco Paes
de Mello Brrelo e Antonio Pereira da Cmara Li-
ma contratantes da construccao das obras dos l-
eos ns. 9, 10, H e 12 da estrada da Escada, aca-
bo de lancar o despacho segunte : lendc- em con
sideraco o que informou a thesouraria provin-
cial era data de 12 do corrente, e atlendendo as
razoes expostas pelos supplcantes nesta petcjio,
icam os me-mos supplcantes isentos de indemni-
sar a fazenda provincial quantia alguma urna vez
que declarem perante a mesma thesouraria que
julgain so pagos e satsfeitos com as qnantias re-
cibidas, e que em lempo algum levantara ques-
toes relativas ao contrato, que fura roscenrtido, as-
sim tambem tica resolvida a duvda que V. S. pro-
poi em eu oflieio de 12 de novembro do (pno
prximo passado n. 697.
4* secejio.
N. 500.Portara ao juiz de paz, presidente e
membros da junta de qualificaco da freguezia do
Pao d'Alho.Inteirado do que Vmcs. me coromu-
nicaram era seu offlcio de 16 do corrente com re-
ferenia aos trabalhos dessa junta declaro que de-
vem Vmcs. paja supprir a falta das listas, de que
trata o seu citado offlcio, recorrer as deligencias
determinadas no art. 31 da le de 19 de agosto de
1840 como preceituam os avisos ns. 83 de fG de
abril de 1847 1, 2, 13 e 106 de 13 de marco de
1862, e impr a multa do art. 120 5 0 da citada
lei aos juizes de p.iz quo na forma do art. 19, nao
tiverem remetlido as listas parciaes de seus respec-
tivos districtos a ossa junta, que as dever nova-
mente exigir para a regularidad. dos trabalhos de
qualificaco, Picando certo de que era 18 do fr-
rente foi nomeado delegado de polica para e-se
termo.
EXPEDIENTE ASSIGXADO PELO SR. DR. ELIAS FREDE-
RIOO DE ALMEIDA E ALBUfiUEnQUE, SECRETARIO
INTEBINO DO COVKRNO, EM 20 DE JANEIRO DE 1870.
i" seccao.
N. 507. Oflieio ao Dr. chefe de polica. O
Exm. Sr. presideite da provincia manda declarar
a V. S. que nesta data se expedio orlera ao com-
mandante superior do municipio do Cabo para
mandar apresentar a 23 do corrente ao delegado
do termo desse nome 30 pracas da guarda nacio-
nal ajb o dito commando superior para a manu-
tengo da ordem publica, Qcando assim respondi-
do o seu ofllcio de hojo dado sob n. 100.
N. 508.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te, da provincia manda declarar a V. S. em res-
posta ao seu offlcio de hontem sob n^4, que a
thesouraria provincial tem ordem para pagar a
Jo) Jos Ferreira, ou ao seu procurador a quan-
tia da 10000 constante do citado offlcio.
fe-to em nutras provincias, e tratera do derramar
os seus benficos resultados, j nesta cidade, j
pelo interior, que tero as becu do p>w agra-
decido, par da satisfaco de terem bem cumpr-
do sua misso.
Nunca se perde por praticr o bem, c ganha-se
muito quinde, alem do exercicio da caridade, se
cumpre deveres, assim obrando.
Qnanfo a nectidafc entra pela porta, a virtu-
al snt pela jmila, diz um antigo ftftd ; e o ho-
mem sem virtude capaz do taes loucuras que
ninguem dado prever.
Cure-se, poi, de soccorrer quem tem fomo ;
snppra-se as necessidades de qnem estiver neste
caso, se se quer conservar a vjrtude no coraco
do povo.
DIARIO DE PERNflWBUCO
BECIFE, 23 DE FEVEREfBO DE 1870.
A CARESTA DOS GNEROS E A FOME.
De longa data temo-nos pronunciado em prol
da represso dos abusos que lavram pelos nossos
morcados pblicos. Agora mais quo nunca faz-se
preciso que-a Illma cmara municipal, auxiliada
enrgicamente pelos agentes policiaes, trate muito
seriamente de etirpa-los, aliviando o nosso j
tao flagelado povo do pesado onus que os otra-
venadores Ihe criam.
E' geral mente sabido que unte secca, como ha
tempos nao tem visto o norte, acouta rigorosa
mente a popalaco, e os seus encargos, por de-^
mis vexatorios, cahera fulminantemente sobre as
classes menos favorecidas da fortuna, levando-as
beira do horroroso abysmo que se chama mi-
seria.
Se os logitinos poderes pblicos se aquellos
que devera zellar os interosses mais vtaos do po-
vo, nao curaren) de marchar em seu auxilio,
quem peder prever at onde chegaro as calami-
dades que ora o flagelara t
Revolta a paciencia mais experimentada ver jua-
tar-se a affliccao ao afflicto ; e neste caso se acha
sem duvda a nossa populacao, vendo os gneros
de primeira necessidade encarecerem todos os
das, sera que a benfica mo da autoridado cor-
ra em seu auxilio.
Os nossos mercados, onde o publico "vai mifnir-
se do indispensavel sua manutenco, sao cons-
tantemente invadidos pelos atravessadores, alguus
dos qaaes vo at para as barreiras da cidade ; e
ali a agiitagem, de col erguido, ostenta, livre
de peas, suas garras sanguinolentas, sugando as
ultimas oarcellas do sanguo do povo.
A carne verde, o feijo, o milho, a farinha, a
carne secca, o bacalho c o pao, prncipaes bases
da alimentado publica, ludo est por um prego
elevadissimo E nao ser possivel dar remedio
esses flagellos ? Cremas nao errar, assegurando
que sm : nessas occasioes que a aeco da auto-
ridado deve apparecer enrgica e resoluta ; e
e>ta seu duvda quem entre nos deve seguir pelos
tramites legaes, o caminho que conduz ao beai
publico.
Nos paizes mais adiantados, em anlogas oeca-
siSes, o gojveroo assume a^posicao imponente de
protector do povo snpplicado pela fome. Por que
raso nao se ha de praticr pela mesma forma en-
tre nos ? por que razao, alargando os estreitos l-
mites da poltica que se pratica entre nos, nao se
ha de por em jogo os mais santos e verdadeiros
principios da economa, semeando o bem ?
_ Os coffres provinc.iaes felizmente nao se acham
tao exhaurdos que delles se nao possa distrahr a
somniA sufliciente para soccorros pblicos em urna
crise destas ; e andara mal avisada a presidencia
que nao uzasse em taes occasies da sua autori-
dade para despender em beneficio do povo, urna
parcella do suor que elle proprio ali accumulou.
Nem pole servir de pretexto, para a negacao d i
beneficio que a populado reclama, a circumstan-
cia de nao se acbtr autorisada essa despeza em
lei expressa ; por que estes casos de forca maior
nao podiara ser previstos pelo legislador, que, sem
duvida, approvar qualquer medida e despeza,
embra nao autorisada, que traga o alivio s clas-
ses pobres, que esla bracos com a fome.
A assembla provincial muito breve estar func-
ionando, e de anle-mo'afflaneamos que Ihe so-
bra patriotismo e amor aos principios de caridade
para approvar o bem que S. Exc. o Sr. senador
Almeida e Albuquerque flzer em prol da provin-
cia sob seus auspicios.
E quando S. Exc. nao queiri obrar assim, ahi
estao verbas de despeza no orcamento qiw nao,
tendo sido applieadas. podem'servir de fonte de
recursos para o caso de que nos oceupamos. Ou
anda dos cofres geraes sirva-se S. Exc., embra
tenha de pedir para a corte a ractificaco das pro-
videncias que tomar, empregando os seus di-
nheiros.
O qne conven) que se tome peito minorar
os males da dfflcil situaco em que estamos, e
que se nao deixe morrer fome as victimas da
secca.
Isto corre como dever quem dirige os nogor
cios pblicos, zeilando os inleresses da provincia,
e salvaguardando os dreitos e iremunidades do
povo soffredor.
As noticias que diariamente ehegam do interior
sao bastante contristadoras, e nao o sao menos os
sinistros e infelizmente verdicos oe boatos de fo-
me que correm pela cidade, boatos que. a crescen
te caresta dos geaeror de primeira necessidade,
cada dia augmenUMb.
E' em nome dos afflicto?, em nome das clas-
ses menos favorecidas da fortuna, que redama-
mos providencias da presidencia e das municipa-
lidades e polica. Concert essas autoridades
am plano- qe soccorro, mitaco. do |jue se tem
REVISTA DIARIA.
INSTITUTO A.RCHEOLOGICO E GEOGBAPIII-
CO.Hortera reunise esta sociodade, sob a pre-
sidencia do Exm. conselheiro monsenhor Muniz
Tavares, com' assislencia dos Srs. Drs. Joaqun)
"Portella. Aprigio Guimares, Gervasio Campello,
Paula Sales, Soares de Azevedo, Sampaio. Fondea
de Albuquerque e es Srs. padre Lino do Monte
Carmello e major Salvador Henriqne.
Lda e approvada a acta da sessaoantleedente.o
Sr. secretario perpetuo d leitura de nm offlcio do
Sr. Pedro Paulo dos Santos, ao qual juntando urna
nota de 10 pesas do thesoa) nacional da repblica
do Paraguay, aquelle senr fazia della offerta ao
Instituto.
Em seguida o mesmo Sr. secretario perpetuo
menciona as segualos offertas: varios ns. do Dia-
rio de Pemambuco pelo consocio Dr. Figueira;
alguns ns. da Opiniiio Nacional e do Aisueiibc
pelas respectivas redacedes; dous volumes do
Elucidario das palacras, termos ephrases antigs
da lingua porlugueza, por Fr. Joaquim de Santa
Bosa de Vlterbo. offertados pelos, professor Joa-
quim_ Antonio de Castro Nunes.Todas estas offer-
tas sao recebidas com agrado e mandara-se ar-
chivar.
Precdese eleicao dos novos membros da
mesa administrativa e das diversas comraissoes,
dando era resultado o segunte :
Conselheiro monsenhor Francisco Muniz Tavare?,
presidente.
Dr. Joaquim Pires Machado Portella, Io vice-pre-
sidente.
Padre Lino do Monte Carmello Luna, 2o vice-pre-
sidente.
Dr. Innocenco Seraphico de Asss Carvalh, 3o vi-
oe-presidenle.
Dr. Aprigio Ju^tniano da Silva. Guimares, ora-
dor.
Major Salvador Henriqne de Albuquerque, 2o se-
cretario.
Dr. Gervasio Rodrigues Campello, tbesourero.
Drs. Francisco de Panla Sales e Cicero Odn Pere-
grino da Silva, supplenles do 2o secretario.
Commissoes.
Redarcao da Revista.Drs. Aprgo Guimares,
Ayres Gama, e Campos.
Fundos e ornamentos.Drs. Wtruvio, Faria No-
ves e Peregrino da Silva.
Reviso de manuscrptos.Drs. Soares Brando,
Peregrino da Silva, e Campos.
Trabalhos historeos e archeologcos.Dr. Ro-
drigues Campello, major Salvador Henrque e pa-
dre Uno do Monte Carmello.
Subsidiaria desta.Drs. Ayres Gama, Paras Ne-
vos e coronel Leal.
Trabalhos gcographicos.Drs. Seraphico, Rodri-
gues Campello e Peregrino da Silva.
Subsidiara desta.Drs. Gusmo Lobo, Paula
Sales, e Souza Res.
Pesquizas de manuscrptos.Drs. Manoel de
Figueira, Rodrigues Campello, e Eduardo de
Barros.
Admisso de socios.Padre Lino do Monte, Drs.
Ayres Gama, e Rodrigues Campello.
ESPANCAMENTO. No da 20 de Janeiro ulti-
mo, na povoaijo do Olho d'Agua do 2o districto
do termo de Cimbres, Candido de tal espancou a
urna mulhcr, sendo preso em,continente.
TRILHOS URBANOS DO RECIFE APIPUCOS.
Durante os dias do carnaval havero trens ex-
traordinarios, desta linha frrea, tanto do Recife
para Apipueos, como vice-versa, segundo a ta-
bella em outra parte.
LOTERA.A que se acha venda e a 138% a
beneficio da igreja de Nossa Senhira do Livra-
mento do_Ro-Fofmoso, que corre no da 28 do
corrente.
PASSAGEIROS.-O vapor brasleiro Cnruripe
vindo do Rio Grande do Norte trouxe seu boido
os seguintes:
Dr. Jos Alves da Silva, dous irmos menores e
I escravo, Fr. Thomaz Vital, Joo Camello de S.
Vasconeellos, Jos Manoel Rodrigues e sua mu
Iher, Joaquim Jos Martins, Jeronymo Jos de Car-
valh, Ignacio Leopoldo Netto, Jos de Siuza Soa-
res, Porfirio Antonio do Araaral e Antonio Satur-
nino Tavares da Rocha.
CEMITERIO PUBLICO.Obituario*do dia 24 de
corrente :
Francisco, frica, 44 annos, solteiro, Boavista;
phlysica pulmonar.
Dionisio, Pemambuco, 3 mezes, Boavista; gas-
tro hepatite.
Joanna de Moraes Mello Fa'ias, Pemambuco, 19
annos, casada, Poco ; a.1 cite.
CMARA MUNICIPAL.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 16 DE FEVE
REIR0 DE 1870.
PRESIDENCIA DO SR. DR. SOUZA LEAO.
Presentes os Srs. Dr. Barros Barrete, Gamero,
Dr. Moscoso, Dr. Aquino Fonceca, Dr. Ptanga,
Dr. Se?e e Souza Magalhes, abrio-se a sessao, e
foi lida e approvada a acta da antecedente.
Le-se o segunte
expediente :
Um offlcio do Exm. presidente da provincia, de
29 de Janeiro ultimo, remeltendo por copia a c-
mara para seu conhocimenlo a inclusa deliberaco
da mesma data, pela qual resol vea que, na direc-
elo geral da linha dos trilhos urbanos desta cida-
de a Olinda, se faca a modificarlo indcala pelo
traco encarnado da planta parcial, tambem junta
por copia e ora approvada.Inteirada.
Outro do mesmo, de 5 do >orrente, commani-
cando que por deliberaco da mesma data, conc.e-
deu a exoneradlo que pedio o padre Leonardo
Joao Grego, do cargo de capello do cemiterio pu-
blico desta cidade.Inteirada, communiqae-se ao
administrador do cemiterio e ao procurador.
Ontro di mesmo, da 5 do corrente, era que de-
clara, que nao ha vendo sacerdote algum, segando
informa o conego governador do bispado, que se
queira sujeitar a oceupar e cargo de capello do
cemiterio publico desta cidade pela obrigaij de
assistir dentro dos muros do mesmo cemiterio,
desde as 6 horas da raanhaa at as seis da, tarde,
como determina o art 8- Io do-regulamenlo'de 2
de junho de 1854, autorisa a cmara a contratar
provisoriamente emquanto a assembla provincial
nao providenciar a semelhante respeito o servico
de capello com algara sacerdote, que so obligue
a estar no cemiterio qwde as nove horas da raa-
nhaa at as. cinco da tarde, entendendo-se para
es# flra eom o sojjredito governador para indicar
o padre que julgar mais apto. Que de novo so
olbcie a S. Ese. para.que designe que a oslada do
capello no cjmite^ra pablieo seja das seis as no-
ve da manha e das quatro as seis di tarde.
Outro do mesmo, de 7 do eorrente, communi-
candu a cmara para o fazer constar quem con-
vier, que por acto desta data, resolveu addiar a
reuniao da assembla legislativa provincial para o
da 1 de abril pronimo vndouro.lnterada.
Outro do mesmo, de 9 do eorrente, responden-
do cm visla do que expoz a. cmara em ofllcio de
i. de janeiro lindo sob n. 3, com referencia ao
augmento consideravel da eseripturaso da conta-
dura, pela grande afflaeneia de trabalho, tem a
dizer, que para evitar maior despeza, deve ser en-
carregado daqueile trabalho um dos amanuenses
da secretaria, sob a inspeccao do contador, exe-
cutando-o fra das horas do expediente, e median-
te urna gralilieacao na raiao de 200 annuaes,
paga pela consignaclo da< eventuaes.Que de no
vo se poniere a S. Exc. que o excesso de traba-
lho da contidoria que obrigou a propr a nomea-
gao do um colaborador que cumulativamente com
o contador effictuasse esse servico, feilo a hora
do expediente, e por consegrante nao pode ser
executado petos actuaes amanuenses da secretaria
os quaes j tem bastante trabalho a seu cargo, do
qual nao poden) distrahr-se, pelo que a cmara
contina a solicitar a autorisaco deque tratou no
oflieio j citado.
Outro do mesmo, de 10 do corrente, declarando
constar do offlcio do chore da repart cao das obras
publicas, datado de 9, que por acharem-so eviden-
temente desapruinadas a frente e um dos oites da
casa incendiada, ita ra da Cruz, ameaca desa-
bar causando prejuizos e algum sraistro.'recom-
menda a cmara que tome a essejrespeilo as provi
dencias que em casos taes Ihe compete.Que se
responda a S. Exc. haver o fiscal respectivo pro-
cedido a urna vestoria, constante do termo por co-
pia, e quando a reparlie^o das obras publicas, en-
carregada. da extinccao do fogo, concluisso esse
trabalho, mandara cumprir o disposto no dito
termo.
Outro de engenheiro chefe da reparlico das
obras publicas, com despacho da presidencia de 8
do corrente, mandando informar sobre o que pede
a companhia Recife Drainage, relativamente a do-
signaco dos lugares em que se dovero fazer as
fregu^zias do Recife e Boa-Vista os edificios para
as bombas de esgoto.A commisso composta dos
Srs. Dr. Aquino Fonseca e Dr. Moscoso.
Outro do subdelegado da freguezia do Recife,
Jos Pedro das Neves, cimmunicando haver en-
trado em exercicio do mesmo cargo no dia 16 do
cor rente.Inteirada.
Outro do subdelegado supplente da freguezia de
Sanio Antonio, Dr. Miguel Lucio de Albuquerque
Mello, eommunicando achar-so em exercicio do
mesmo cargo.Inteirada.
Outro do administrador do cemiterio publico,
dando a informacao que Ihe foi exigida em 29 de
Janeiro ultimo, relativamente ao entrramelo do
a lema.) Joo Guilhermo Romer, em sepultura pri-
vada, c a razao porque permiltio quo livesso lu-
gar o comeco do tmulo da familia Amorim.Pos-
to em discusso, o Sr. Dr. Ptanga pedndo a pa-
lavra, falla sobre a materia e termina aposentan-
do o seguinte requerimento que foi approvado.
Requeiro que o administrador do cemiierio
declare se no verso da guia que acompanhou o
cadver do allemo Romer est escripto o numero
da sepultura onde se achar, bem como se do livro
de entrada consta numrico o local era que sao
enterrados os cadveres.Dr. Ptanga.
O Sr. Dr. Aquino pede tambem a palavra, e fal-
lando igualmente acerca da questo, concle
fazendo o segrate requerimento que foi appro-
vado :
Requeiro que em addtimento ao requeri-
mento do Sr. vereador Ptanga, se exija que o ad-
I ministrador do cemiterio publico desta cidade de-
clare determinadamente se a sepultura do Allemo
Romer linha alguma indicaco, e se no livro se
acha indicado o numero.Sala das sesses 16 de
feverero de 1870.Dr. Aquino Fonceca.
Um offic-io do solicitador apresenlando a conta
das despezi3 que fez com os negocios judicaes
desde 6 de agosto do anno passado at 31 de Ja-
neiro do corrente, com um saldo a seu favor de
"00, pele para o pagamento do mesmo, e das
despezas que tem a fazer a quantia do 2005000.
Mandou-se entregar.
Outro do engenheiro cordeador, informando o
requerimento de Joao da Silva Begada, cu.npre-lhe
dizer que nada te.n a oppr.Concedeu-se.
Outro d" mesmo, informando sobre o requeri-
mento do Dr. Francisco de Assis de Oliveira Ma-
ciel, tem a dizer que nada ha a oppr.Conce-
den se.
- Outro do mesmo, informando o requerimento
de Jos Fernandes de Mello, tem a dizer que nao
ha inconveniente no qUe pede o supplicante.
Coneedcu-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento
de Manoel Ribeiro Fernandes, declara que nenhum
inconveniente ha em se permittr o que pede o
supplicante.Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando sobre o que pede
em seu requerimento Jos da Ponte Cordeiro, de-
clara que nao ha inconveniente em se conceder o
que requer o supplicante.Concedeu se.
Outro do mesmo, informando o requerimento
de Joo Frederico do Bego Vasconeellos, tem a di-
zer que nada ha a opphConcedeu-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento do
engenheiro Joaquim Pim Carneiro Monteiro, diz
que as obras estn concloidas, de conformidade
com o contracto, faltando a plantaco da gramma
nos taludes, que foi deliberado effecluar-se quando
entrasse o invern, o na entrega definitiva da
obra.Mandou-se pagar %jk>gunda prestacao.
Outro do fiscal da freguezia do Berfe, remetien-
do o termo de vestoria feito no sobrado n. 66 da
ra da Cruz, destruido pelo incendio.Inteirada,
remella-se copia do termo presidencia da pro-
vincia.
Outro do mesmo, dando a informacao exigida
em 29 de. Janeiro ultimo.Inteirada.
Outro do mesmo, remetiendo o conhecimento da
quantia de 56J940, que recolheu ao cofre da San-
ta Casa da Misericordia, importancia liquida da
arremataco de pora s apprehendidos na freguezia.
Ao archivo.
O Sr. Dr. Barros Barrete, requereu e foi appro-
vado para qne com urgencia sejam executad >s os
coctalos da ponte do Madeiro.Mandou-se pedir
autorisar presidencia para despender a quan-
tia de 517*000, em que foram ditos concertos
oreados.
O Sr. Dr. Aquino fez os seguintes requermen-
tos, os quaes foram approvados:
1. Requeiro que se peca ao Exm. Sr. presi-
deme desta provincia que se digne de nomear a
commisso mixta, de que trata o art. 78 do regu-
lamento do cemiterio publico desta cidade, visto
qne a julgo precisa.Sala das sesses da cmara
municipal do Recife, 9 de feverero de 1870.Dr.
Aquino Fonceca.
2." t Requeiro que se mande que o engenheiro
informe se a pedra que forma o ngulo que cons-
tite a esquina do sobrado de um andar da ra
Direila que volla para a travessa da Penha, est
conforme com o aliohameolo exigido pelas postu-
jas municpaes.Sala das sesgos 16 de feverero
de 1870.Dr. Aquino FonoeoC
3. t Requeiro que seja apresentada a esta c-
mara municipal, era sua prxima sessao, pelo ad-
ministrador do cemiterio publico desta cidade,
urna nota de todos os tmulos existentes nesse
cemiterio cora fldlcaejio das nessoas a que perten-
cem e datas das concessoes dos respectivos tenr-
nos. todas as minutas do que trata o art. 34 do
respectivo reglame o, minutas que deviam ter
precedido conslruec) de cada um tmulo, e ser
vistas e examinadas pelo engenheiro desta cmara
municipal, de conformidade com o disposto no art
H supra citado.Sala das ses=5e?, 16 de ftvereiro
ds 1870.Dr. Aquino Fonceca.
4. Requeiro que se mande que o engenheiro
d esta cmara municipal i nforme a respeito do
seguinte : 1. se anteriormente pretenco de
Josa j05o de Am >rim, que tem de mandar cons-
truir um tumnlo para sua familia no cemiterio pu-
blico d'erta cidade Ihe eram apresentadas as mi-
nutas, de que trata o art. 34 do regulamento de 2
de junio de 1854 por aquelles que tinham de
mandar constrnir tmulos nesse cemiterio. V se,
quando Ihe firam apresentadas essas minutas, no
caso de e terem sido, nppoz elle alguma vez duv-
da em da-las por vistas e examinadas, por nao
poder determinaro que devia ser considerado como
nm terreno, visto que a este respeito nada diz osen
precitado regulamento ; c, se nlo oppoz, por que
razao s agora encontra essa dfflculdado em rea-
cao ao tmulo do referido Amorim. 3.- qnal era a
rea, que at agora" serva de regulador para a
concessao de terrenos, visto que grande numero
de concessao foi feito para a construccao de t-
mulos que existem nesse cemiterio, e, a nao exis-
tir um padro, fijara sto s dependente da von-
tade do administrador desse eslabelecimento. Sala
das sessoes, 16 de feverero de 1870.-Dr. Aquino
ronseea.
Despachiram-sc aspeticoes do Adriano Augusto
de Almeida Jordo, Antonio de Azevedo Villarou-
co, Antonio Francisco Duarte, D. Annuncada Ca-
milla Alves da Silva, Antonio Tiburcio Alves, An-
tonio Augusto da Fcnseca, Aureliano Luz Alte?,
Anna Augusta da Costa Cavaleanti, Baro do Villa
Bella, Baro do Lvrimcnto, Baro de Ouricury,
Baro de Utnga, Candido Vieira Chaves, tenerte-
coronel Coriolano Velloso da Silveira, Cunba Ir-
m5os A C. (2), companhia dos trilhos urbanos de
Olinda A Beberibc (2). Eduardo Fuspen, Eugenio
Pellecen, Francisco Henrque Caris, frei Fidelis
Mara, Francisco Alves Monteiro Jnior (2), Felipnc
Jacome da Costa, Francisco Guedes de Araujo,
Francisco de Asss de Oliveira Maciel, Gaalino
dos Santos Nuaes de Oliveira, Hyppolito Martins
Gomes de Pnho, Herculano Antonio de Moraes e
Silva, Jos Antonio Bastos, Jo^ Ricardo da Costa,
Joaquim Francisco da Silva Azevedo, Jos Jaein-
tho Pavao, Jos Maria Palmcra, Jos Alves Barbo-
za,_D. Joanna do Boiarro Guimares Machado,
Joo Francisco de Souza, Joaquim de As>umpcao
Queiroz, Joo Geroncio Soares de Carvallo, Joao
Joaquim Funsreca de Oliveira, Jos Ignacio Avila,
Joao da Silva Regadas, Jos Ricardo Cciho, Joo
Gervazio de Queiroga, Dr. Joaquim Antonio Car-
neiro da Cunha Miranda, Jos Ignacio ferreira
Rabello, Jos Goncalves Beltro 4 C, Joaquim Ca-
valeanti de Hollanda e Albuquerque, Jo.- Jama-
rlo do Carvallo Paes de Andrade, JuiolLuiz Bibeiro
de Moraes, Jos Fernandes de Mello, Joaquim Al-
ves Lima, Jo) Ignacio da Silva, Jos liodrigues
de Azevedo, commendador Jlo do Reg Lima,
Luz Eduardo de Hollanda, Luiz Francisco de Ma-
cado, Lonreiro & C, Manoel Jos Lope.-y Manoel
Trujano Carneiro Campello, Miguel Ooncalves da
Luz, Manoel Antonio da Cunha, Manoel Luiz Gon-
calves, Maria Joaquina, Manoel Ferreira Pinto, a
mesa regedora da irmandade do Santissmo Sa-
cramento de Santo Antonio, Miguel Candlo da
Mederos Pinto, Marcelino Francisco de Paula,
a mesa regedora da irmandade do Rosario, Manoel
Ribeiro Bastos, Paula Maria Fraga Caldeira, Pau-
lino Manoel Thomaz Caboato, Benze A C, Ramn
Alonso Cidans, Ricardo Francisco Correa, Severino
Jos Alexandre de Carvallo, Santos A Oliveira,
Silvestre Pereira de Carvallo, Silva Tavares, Tho-
maz de Carvallo Soares Brando Sobrinho, Tho-
mazia Maria da Conceifo, e levantou-se a sessao.
Eu, Francisco Canato da Boa-viagcm, secretario,
a subscrevi.
Declaro em lempo que o Sr. Dr. Aquino, depois
do lida a presente acta.reclamou acerca do reque-
rimento do Sr. Dr. Ptanga, relativo a ncg):io; do
cemiterio publico, por nao conter elle a palavra
todosque foi pronunciada na sua leitura, a qual
deu lugar discusso, e a ter feilo outro em
addlaraunte. |
O Sr. Dr. Ptanga declaron que o seu requeri-
mento fra aquelle mesmo.
Boa-viagem, o declarei.Ignacio Joaquim de
Souza Leo, pro presidente. Dr. Joaquim de
Aquino Fonseca.Flix Francisco de bouza Ma-
galhes.Dr. Prxedes Gomes de Souza Pitanga.
Dr. Joao Maria Seve.Manoel de Barros Brre-
lo.Jos Mana Freir Gameiio.Dr. Pedro de
Athagde IjJbo Moscoso.
/-" -
J
CHRONICA .11 m i\im,
TRIBUNAL DA IIKLAC.tO.
SESSAO EM 22 DE FEVERERO DE 1870
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CO.NSELHE1RO CAETA.XO
SAXTIAGO.
As 10 loras da manha, presentes os Srs.desera-
bargadores Gitirana, Guerra procurador da cora,
Lourenco Santiago, Almeida Albuquerque, Molla,
Domingues da Silva e Regueira Costa fallando os
Srs. deserabargadores Assis e Souza Lea), abrio-se
a sessao.
Passajjps os faltos, deram-so os seguintes julgi-
mentos:
Recursos crimes.Reccorrente, o juizo; reccor-
rida, Maria Carolina d*Jess.Relatar o Sr. des-
embargador Gitirana, sorteados os Srs. deserabar-
gadores Domingues da Silva, Regueira Costa e
Lourenco Santiago.Improcedente. Reccorrente^
o juzo ; reccorndo, Jos Virginio Ferreira.Rea-'
tor o Sr. desembargador Lourenjo Santiago, sor-
teados os Srs. desembargadores Almeida Albu-
querque, Domingues da Silva e Gitirana.Impro-
cedente. Reccorrente, o juizo; reccorrdas, Tho-
reza Maria de Barros e oulra.Relator o Sr. des-
embargador Motta, sorteados os Srs. desembarga-
dores Regueira Costa, Domingues da Silva e Giti-
rana.Improcedente. Reccorrente, o juizo; rec-
corrido, Joo Daraasceno da Silva.Belator o Sr.
desembargador Motta, sorteados os Srs. desembar-
gadores Almeida Albuquerque, Domingos da Silva,
e Lourenco Santiago.Improcedente. Beccorrcn-
te, o juizo; reccorrido, Joaquim Bernardo Lopes'
da PazRelator o Sr. desembargador Almeida
Albuquerque, sorteado os Srs. desembargadores
Lourenco Santiago, Regueira Costa e Gitira-
na.Improcedente. Reccorrente, o juizo; reccor-
rido, Francisco Moreira da Costa.- -Relator o Sr.
desembargador Domingues da Silva, sorteados os
Srs. desembargadores Gitirana, Multa e Regueira
Costa.Improcedente. Reccorrente, o juzo; rec-
corrido, Manoel Leonardo da Silva.Relator o Sr.
desembargador Domingues da Silva, sorteados os
Sis. desembargadores Molla, Lourenco Santiago e
Almeida Albuquerque.Improcedente. Beccor-
rente, o juizo; reccorrido, Custodio Joaquim Pe-
reira.Relator o Sr. desembargador Regueira
Costa, sorteados os Srs. desembargadores Almeida
Albuquerquo, Motta e Lourenco Santiago.Impro-
cedente. .
Recurso commkrcial. Reccorrente, o jai;
reccorridos, Maia A Espirito-SartaRellor a Sr.
desembarga lor Almeida Albuquerque, sorteadas
os Srs. desembargadores Motta, Regueira Costa, a
Gitirana.Improcedente.
Aogravos db PETico.Aggravante; Amaneto-
Francsco Mendes; aegravado, o juizo.Relator o
Sr. desembargador Almeida Albnqonrque, sortea-
do os Srs, desombargadores Guerra e Gilira,
*



iafri e Pernambuco Sexta feira 25 de Ferereiro de 1870.
k

na.Negaran) provimouto. Agravante, Frederico
Kiner; asomado, o juw.Relator o sr. oes-
ubugaetoYMolla, sorteados Sr. ciembarga-
dores Guerra c Domibgues da Sdva.-Negou-se
P VruI'Jsw cniucs.-Appellanlo, Virginio Lui
Per,: a Jjsticj.-Rcduzda a nena
para o mnimo. Appelhnto, o jumo ; appe lado,
Jos Lepes da Silva.-I.n it. Apnollaotu,
Antonio Joaquim do Naseiinento; appellado, o jm-
tu.Nullo o proce-
PASSAGENS.
> Sr. desembargador Gilirana aoSr. desambar-
Elor Guerra. Apelta(5ei civeiv. appellante,
erculaao Francelino Cavalcante Albuqurquo ;
appellado,' Mainel Elias de Moura. Appelianto,!
Antonio J >aqaiffl de Lima: appclhdo, Jos Liba-'
nio \ Silva Monteiro. Appellante, Jo.' Podro
Velloso daSfet'ira Jnior; appellado, Manoel Joa-
quii RantoWSilva. Appjllnte, BalthasarLopes
e sua iitulher; appciluio, Francisco Cordoiro da
Cruz.
Ao Sr. desembargador Loureaen Santiago. Ap-
neUacii civel: appellante, Erancisco Alfonso do
fif Maiin; appllados, os hcrdeiros de Jos J a-
quii Ttaeetonio QO Helio. Appellacao crime: ap-
|.-lan;c, o juizo; appellado, Manocl Gomes da
Cimba.
Do Sr. desembargaJor Guerra ao Sr. desembar-
naderLourenco Santiago.AppellacSesciveis: ap-
Mellante, Jos Loureico da Silva-p)peilado. Joo
Mauriei > Carioso. Apa illanl;, Joa-juma Francisca
deSiuza; appellado, Jos Furtado de Lacerda Ju-
nto;, .
D > jj^deseobargador Loureneo Santiago ao Sr.
di^v.ijffrgador Aimejda Albiiiiuawic.Appella-
- eiveis: appelianto, Maria Amelia Candida
Correa; Repellado, Jos Candido de Barros. Ap-
artante. Felicidsde Maria do Vasconcellos; appil-
lado, Dr. Antonio de Carvallio Kaposo.
Do Sr. desembargador Molla ao Sr. desembar-
gad >r Assis.-Conflicto de ianadigao, entro os fai-
na municipal o dos fetos da fazenJa da cidade da
Huraliyba.
Do Sr. dcsembargaJor Dimingues da Silva ao
Sr. desemoargadur Rogaeira Costa.-Appellacnes
cvoi;: appellantes, Francisco Jcs Alves e oulro;
appellado, Manuel Luir. Peroira Brando. Appel-
lante, Jos Bernardo Bezorra; appellado, Ignacio
Alves Barreira. App alante, Antonio Velbo de li-
veira; spuoll-idn, Pedro de Barros Civalcan:e. *P"
peH me, Luiz Marques de Lima ; appellado, Igua-
ria Mu i Saraiva Appellacao crimo: appellan-
tes, Hircoliiio Jo< de Si e oatro ; appellada, a
ju I) :u;ieicia cuj'..Ao Sr. desembargador pro-
motor lajslica: appellante, o juizo; appeilados,
Joo Peroira de Aianjo e ontro. Appellaute, o
ju z>; ippollado, Eugenio da Costa Nunes.
D elubnoia uvaAo Dr. curador geral: ap-
pellante, a parda Angela; appellada, D Virginia
. Sean le- Ferreira.
Assignou-se dia para julgameuto dos seguintes
feito*:
Aw.LUgoLS crvcis.Appellante, Jos Joaquim
l'c.'ir JaMendunea; appellado, Dr. Padre de
Albaydc Lobo Seseoso. Appellaulc, Joaquim Sal-
vador de Sequeira Cavalcante; aupellado, Jos
Di mingue* Uaia. A-mellante, Ignacia liberta; ap-
pellote, Man-el Jorge Maciel. Appellante, Luc.
fran; in deOveira; appollado, Domingos Jos
Dias d Ulivcira.
Da DE appauscf.h.Appoado, Joto de Azevedo
lVn-.iM ; appeliaiie, Arctuso Luiz Gjnc-jlves Fer-
reir.
Ai'i'::i.i.aca > cime.Appellante, Manocl Alves
de Lima; appellaJa, a jusiica.
A* urna hora e um quarlo da tarde encerrou-se
a snssii.

PU8UCAC0ES A PEDIDO
queira, vencido.Bar;0 de Pirapama, conced a
resista por outros 'motivo1.A. Pantoja, vencido.
Brito.-SiWa Tavares.Franfa, umbem votei
pela nurUd:,o.-Pinto ChichorroSim3?s da Sil-
va, vcn'eido. Machado Nunes.Nabuco.
Acordosla relacao revjsora. ___
Acordaoem rclacjb etc.-yuaivistos, exposios
e relatados os presente* autos juT^am proceatnu-
a appellaeo dilles constantes para reformar a
sealenta appellada na parte somente em que
condemoou ao appellante Celesiin ^tyro Marlins
no grrmaximo do artigo Mi 4 do digo en
mina! pdo crimo de estelionato, jalganlo conclu-
dentes as alegasoes do appellante sobre nal cu-
des do processo por acharem que ram guar-
dadas as ormulas substanciaes do rae.-mp e coq-
(lrmada dita sentensa na parte que c nlgoui m-
curso no grao mximo do artigo 167 do mencio-
nado cdigo ; e o eondemnou as respectivas pe-
nas ; por qnanto moJtra-so dos sobredrtos aa os
que o referido appellan'.e apresenlou ao appeUa-
do Dr. Ignacio da Silva c Siqueira em deimnbro
de I8d urna letra por elle escripia o assignada
ou acceita em data de li daquelle mez e anno
da qtiamia de 4003000 a pagar-so a seis mezes,
pedind^lhe com instancia que lli'a indos-asse, a
que annuio o appellado assignando como sacca-,
dor c endessndo no dorso, o que feito retiroa-se
o appellante e escreveu o aecrescentament de
l:000i antes dos 400 em um espa?o ou nter-
vallo que para esse llm deixara, mas eom o
iraco amajad de modo, que na> su o ap-
pellado o livesse por inutiiisado o n. ?e aJ-
verlisse de alaum posterior augmento, como em
outra occ i-a i se advertir, mas tambem serv.ssi-
de snbrelinln depois de realisado o airescenta-
mento, e eguisse por baixo dos 400, selland i
depoi< dissii a nvsma lettra e deserntando-a com
o negociante Jos Hibeiro de Meirelles no que
indo se manilesla do crime de falsiucacao d> va-
lor da letra ou alteracao do seu valor para l:UUj
crime provisto e definido no art. 1G7, segunda
parte do eodigo criminal e nico que fura com-
nioltiJo pe < appellaM para R p>r elle possuid
8 nao pelo de oteUioaalo, que nao se consarnou
por ter-Heem conta de con'omtante e ser possui-
do coniunimente com o de falsidade na forma do
art. 163 di citado cdigo, segando decidi e foi
iulgado pela sentenca appellada, nem do crime
principal e esencial para punir-se com excl
da i'.ilsid.vl., pois que con (juanto comeca^seo
appellante enm o artilicio fraudulento de apresen-
lar letra, por elle eserip'a o aceito, dfegos aa
arle para o augmento que ilqioisnelia lez, e tam-
bem lizesse k*o deseontaado-a ante; de sea ven-
cimenlo o tirando proveito nada receben do "PP*j-
Iid'>, nao e-i iva vencida, nem se litros verificado
a sua iiitolvabilidade para comegar a resnoasab
idade do en I issante, sendo'que depois ilis-o SO-
mente poder-seitt entender que dados e censa
mados os crimea do falsidade e esteilienato mixta-
nenie prederalaavm os elementos do ultimo com
todas as circunstancias que o qualilicam e deii-
nem para s'r o aiipcllante ondemnado por ambos
m s pelo do estellionato, como principal, e absol-
vente da lalsidade.
Conlirmaudo, portante, e em vista das razos
a- a sentenea tppellade na parte em que
julgon ao appellinte incurso no ro mxime do
art. 167 do eUHigO crinina!. (em por ceudemna-
do em prisao com trabalbo por qnatro annos na
oiii:a le iJ por c-n) do damno que poderia cau-
sar i.u causou ao appellado e as cusas.
Bahia, S do novembro de 186't.Vasconcellos,
presidente.Hezende. Votei pelo crimo de e-tel-
lionafo e na> de falsidtde.-Votaram pelo crime
de otellionnto e nao de falsidade c foram votos
vencidos os Sis. Dr*. Freir d1. Carwlho e Beren-
ger Cesar, e pelo crino de falsidade, sendo vot>
vencedor, o Sr. Dr. Dimingues do Caito.Me/en-
de,Silva Gome,.Kspin I da-Votei pelo crime
de estell.onato. Monteiro. Almeida.Cio.
Martina.
IECEBEDOBIA DE RENDAS !NRNAS GE-
RAESDEPERMaMBUCO.
endimento dodia i a"a. 56:475#00S
dem do dia 24 ..,.., 5:129*086
CONSULADO PROVINCAit
'ierdimerito do-dia 1 a 23.
dem do dia 24
Quizra dirigir-me particularmente a todos os Patacho inglezElts Strersis -dem.
Srs. eleitoies, que me honraram com o* sens snf-1 Barca francezaFrjnro^idem.
fragios, para agradecer hes mui oordUlmente a
prova de eonfianca e 'amli que rae distin-
guiram ; mas ausente da provincia, e lutandocom
outra* diffeeulJad's ao meu intento, son forcado a
recorrer a imprenta, para do alto della render,
como agora taco, um tributo da sincera grat
em que mu ado constituido para com os meas
comprovincianos.
Nunca renuncie!, nem hei de renanciar-a espo-
rauca de r:prosentar am dia a provincia, em que
nasoi; e se esse lia chegar, julgo nnd'T aflian?ar
que nao irei a curie traiar dos ir.eus negocios: o<
interesses :1a provincia, at hoje lo p ucn atten-
dilos, aeifo o ponto de convergencia de todos os
mcos esfoic.es.
Seja porm qual for o futuro que me aguarde, e
quaner que seja a posicao em que me aobe, es-
tejairreertos os mens comprovincianos d;, que
nunca me esqaecerei de haver nascido no Rio-
Grande do Norte, o de que techo sincero de-ejo de
prestar-lliei- aqaelles servien que esliverem ao
meu alcanee.
llecife, 2 de fevereiro de,1870.
Dr. Tiirquinio Braulio de Sopza Amaranto.
6"l:604#088
i:7.:ir#487
9:251*969
166.610*456
Mofina.
DECLARACOES.
O despreso que nurece um certo Cacique, que
ornado corn urna grande chapa de bronze penda-
rada por raoio de urna f'rte sola como corres-
poniente n 37 nocible, apoiando se no compe-
t"nte barr, dandi gritos disformes pelas antigs
nas de Lisboa, j por ler subido dous degros da
escad soeial, er estar a par com aquelles, que se
na i lverao a |uella edueaijao que >e ibama com
pleta, seos pas dera n Ibe- ao menos os principio-
a i|ue se'lhe ("o lome de insiruccao primaria,
com a q a! nao confunden) o l eom o G ; sera
bom que o dito carcamanjo se importe mais com
aprender fallar ; pois de ceto nao esta muil
crranle n t sua algarvia do que coa-lituir-se 10-
lelligenie un materia que nunca vio, e iccupar se
da vida do quem nunca se e broa delta nem
para____certo e seguro de que se Catinga Ver-
meliia continuar a oeeupar-se da vela particular
.' i Molbqjjb -.abe tudo, ollt que entao ser can
tado em prosa e em verso, porque afortunada
mente son querer estoa munido rom os compe-
tentes papjisinhosbiographicos de sua alta posi-
cao e altos cabedaes que faz gosto.
Pharmacia Central, ra do Im-
perador n. 8.
MOVIMENTfJ DO PORTO.
Navios entrados no dia 24.
Rio Grande do Norte24 horas vapor brasileiro
Curnripe, do 222 toneladas, coramandante Hen:
rique da Silva, equipagem 17, em lastro ;
Companhia Pernambucana.
Bahia9 dias, patacho brasileiro S. Barlhotomeu,
de 2f i toneladas, capltao Jos Gonsalve Pedro,
equipagem 10, carga 10.197 arrobas de carne;
Ainorira Irmo & C
Barcelona por Valenc.a-48 dias, sumaca hespa-
nhola Borigua, de 101 toneladas, capilao Kari-
tanv Segundo, eauipagem 9, carga vinho;
Tisset Freres & T
Navios saltillos no mesmo dia.
LiverpoolBarca ingleza Fleetwmg, capilao H.
Bailev, carga assucar e algodo.
New-YrkPatacho inglai Edith, capilao Oliyeira,
carga assucar.
\Ve>t-Indies-Barca ingleza Lady Melne, capilao
Bourgard, em lastro.
Pela recebedoria de rendas internas geraes
se faz publico que neste mez e no de fevereiro
droximo futuro que tere logar o pagamento, sem
multa, bocea do cofre da taxa de escravos do
exercicio eorrente do 1869 a 1870, cujos donos eu
administradores more as freguezias desta cida-
de e as de fra, a saber : Affogados, S. Amaro
Jahoatao, Poco da Panella, Vanea S. Loaren^
da Matta e Muribeca; e que Ando o referido praso
jera cobrada com a multa de 6 %
Recebedoria de Pernambuco, 7 de jaoeiro de
1870.
O administrador,
Manoel Cartuiro de Souza Lcenla
hoje, e que falta de lieitanlea deixou d r
6 Alfaadega de Pernambuco W fc fbvereiro V
1870 O inspector interino,-
Luiz de Carvalho Paes de Andrade.
4*
Santa casa
consulado provincial.
Pelo consalado provincial avisa-se aos abaixo
comeados, que devem vir realisar o pagamento do
imposto de 100* por mase, te estrangero a que
estao snjeitos no presente anno (inaneeirode 1869-
1870, devendo faze-lo no eorrente mez, sob as pe-
nas da lei.
Elias Barone.
Miguel Pelegrini.
Miguel Stefano.
f.occorso Tropeiano.
Antonio Meho.
Benjamiin Bisante.
Braz Peixoto.
Consulado provincial Io de fevereiro de 1870.
Servindo de adminiitradnr,
A. Witruvio Pinto Bandeira A. do Vasconcelos
Consulado do Portugal
EQ1TAES.
Face
eUriv
n.
d'alcatro de
Antonio .Nevos
QUESTAO JURDICA.
E.agoa o fcaos, 8 de novembro
ditMt
Acordao cm relacao ct'VQue feito o sorttio,
aecu-ad is i examinados estes autos, negam pr
vimento aorecarso iuterposta, para o titilo de
conliro.arem, como conlirmam, o despacho a fl.
145, visto baverem vehementes indicios, quo auto-
risam em face da lei a pronuncia da que se re
corre,jalgaado, porm, o recorrenles somCnle
incurso* no crime previste 'elo art. 167 drrcodi^
criminal, por qaanto o esfeltonato, que se diz r-
anltar deate enm, nao exbte n i caso em quesiao;
p r ;ue o artificio fraudulento vindo a ser o mes-
mo acto da gravidado, cert <, segando os priod-
nas de direiio, que este nai ple influir duplica-
damente. constituindo ao mesmo temoo j um cri-
me ("-[ipcial e ji Ora elemento de um outro crime.
M irando-se desles ael'*, que o esrrivao do fuii
de par. di 2* di -tricto, Manoel forga Groonrel, aleo
.! ri-.pri!>t> como pe.soa particular, ajrarovon
Cd empregado publico o testamento e:n qneatao
m a-11''ii'ii.l i pir este s.'gwio facti um crime de
i iisil.ili la le, mi.'ijam que se tire copia au-
1 i i-1 '. iodo O processado e se remeta aojui.:
do i Mte da I" vara crime de-la capital para con-
tra o mesmo rscrivao fromwel tambem proce-
der m .' iiifonnidadi da lei, e pa(,uem os recor-
a-i rnaiaf.
v .,-,:',ai, 4 de agosto do 1865.Albuquerquo
M '. o- --lente.Barrse Vasconcellos Souza.
15; ii ^r.x (]osta.
N. 1781.-Relacao da corto.-Vi-tos, exposlosc
r.l antes de revista erimo entre par-
lo,. o, uro Celestino Btyrn Martina, e recorr
padre Dr. Ignacio da Silva Siqueira, conre-
i) ::i a revista por nullilade manifeSte do acorda
reeon ii).
O rororrente foi aecusado pela alteracao que
f z. em urna letra de 4001 para 1-.40031. sacada e
il'S-aia pelo recorrido o por elle aceita. N"
jury o recrtente foi eondemnado as penas du
rime de falsidade e estelionato.
Tanto m primeira como na segunda instrancia,
a< mateacaa foram manifestamonte nullas,"por
quan:.i ii ritypoth'tse dos autos, o recerrente aug-
nwritand i < v lor da letra s commetteu o crime
.le falsida le nievislo no art. 167 do cdigo crimi-
nal, a ai lid -io fraulnlento de que so servio o re-
enrreate aa falsificarlo da letra, o elemento cons-
titutivo do crime de falsidade, sendo que asaba
deixa de existir o crime de estellionato, visto que
malta as entras circunstancias on faetos se dad,
lin- Ba*noi dar orijjein ao dito crime ; a propria
f.i'si'i.i-le j piinivel por U com penas especiaes,
nao pote servir de base ou elemento para a ex s-
trnrut do crime de estelionato : mister seria que
b iv s oin outros fados de oude se podesse infe-
rir o emprego de arlificios fraudulentos para po-
der -mi concluir, que alm do crime de falsidade,
existe tambem o de este'ionato, mas esses meios
altoeein.
A general! lad do i do art. 26V do cdigo cri-
niin i, tu compreheode os casos que noesto po-
sMvamenie previstos no referido coiigdj e que de
f ir. pode ser applicada acs crimis que
i-o n na cliis-iiii-ay e- punicfio espacial.
Km si-11 d i exposto conccdoia a reyisu.e de-
;ao da Bahia para a revisao e novo
jutga lu-nto.
Bio de Janeiro, 9 de maivo de I86.Brito,
presidente. Almeida.Veiga.liarao do'Montser-
-. Franca.Pinto. Cliicbuiro. Muiamii.
Simos ita Silva.Leo.Nao vtou por imnedi-
!o n Kxii. conselheiro Francis-o d,; Paula
r.er<|ue;'ia Lcite.0 secretario interino, Maaoel
Vit o- le Souza Monteiru.
:'rahidj do raiuisterip 'da justiea do anao de
iribunal de jaatica.Pal ! de Souza Bastos, recorrrilo Albi-
no Jos l'enoira Lima.
O cr, ne le falsidade definido no art. 1*57 do co-
' digo i-ominercial nio pole ser ce o elo^
ment de ou'ro.crime que se llie seguir.
n l"7iVistos, expo-t.s e relatados
- .utos do revista crime entre darte, recor-
reate Manoel de Souza Batos e r< Vlbjno
ira Lim\, oncedem a re1 itt-
loria eom que 73 v.
nina penas ilecre-
an. 167, m o art. 168 do
rVr ieixa
irnate Ihe
dquer
-a de
da.Cer-
Game I eir
O Bvmo. vigario desta fregnezia receben para
as obras di matriz os seguintes bolos
joo Bapti Jo< de Castro Paes Barrete
Felippe Benicio Alves Ferreira
l'Vhp ie Uayniundo de Lima
Manoel Thom de Jess
Joo Bento de Gatea
Producto da|bcncao do sino da capella
do llibeirao
Producto liquido do benelicio de um
espectculo no povoado
Manuel Goncalves Pereira Lima
Cincinato Velloso daSilveifa
Aolunio Maria de Araujo
Capilao Francisco Uorotheo Kodrigucs
da Silva
Ion devoto
Francisco Nunes
Anganados p lo Dr. Pedro Gaudi ano de
ilalis c Silva
Antunij Doiuingues de Almeida Pocas
Cipu&u Francisco Manoel Wandertey
Lias
10S000
aootxt
OOOOO
OOOO
lOffOOO
aosoix
465000
2,'iOOO
00*000
30*000
20*000
50*000
3*000
3*000
33*8(10
5*000
100*000
Sabotwfes
de Castro,
Superiores 9abaaelea fraocezes d'alcalrao
enchofto, Qaapbura o do acido phenico.
Alguna desles sabonetes alm de sua
vinude medicinal, po.lem lamb 'm ser usa-
dos em i'iillets, o o di) acido phenico de
uiaa nontestavel utilidade por combater
as caspa?, panos, sarnas, ou qua squer
manchas da pelle. (6
Anacahuita peitoral
Por meio da poderosa aepao deste remi-dio irre-
sistuvl, a;. enf-unidades da garganta e dos pul-
atoes se di-sipam e se desvanecein como por um
mgico encanto.
Aquelles que padecen) de a quasi que privado-? de guardar una posicao hori
gootal durante ann is inteiros, principiara a respi-
rar com tacilidade e dnrmem traii(|uillamente de-
pois de havi-rem tunado atgumas doses deste de-
licioso e admiravel xarope,
A losse angjsliosa e violenta, as fortes consii-
paedes, o sangue dos pulmSes, a rou midi o psr-
da da voz. e tola- as molestias do peito e da ira-
enea, que lem una tenlencia phtvsica, se cu-
ran) prompta o radicalmente, mediante o uso (leste
remedio suavisadu-. Fortifica e vigorisa os regaos
da respiraco, e es torna invulneraveis s mudan-
gas repentinas da temperatura athmosphcrica ; >
como na sua elaborada compo-icao nao entra m-o
exisie outra cousa mais do que blsamos siuda-
vims, pode se por isso mesmo appliear com toda a
segnrauca at mesmo i mais tenras e delicadas
ereaturas.
0 Dr. Francisco de Assis Olveira .Maciel, caval-
leiro daordem de Christo e juiz de direito da
Ia vara criminal desta comarca do Reeife, por
S. M. o Imperador etc.
ac saber, que achandi -se vago o ocio de
. Hvao do jury e execuedes criminaos desta co-
marca pelo fallecimento do serventuario Joaquim
Francisco de Paula Esleves Clemente, o qual iifll-
cio foi" criado ?eh lei a. 2C1 do J de dozenibro
de 1811, convido pelo prsent a quem pretender
lito uffleio a apresentar neste juizo no praso de
sessenta dias, contar da data deste, sua petigo
datada c as-ignada pelo pretendente ou seu pro-
curador e aompanbada de certiflo de idade fo-
Iha corrida, exame de sufflciencia e mais docn-
mealoa que entender convenientes, sendo todos
1, vi Jmente sellados, na conformidade do decreto
n. 817 de 30 de agosto de 1851.
E |iara que chegue ao conheciraento de todos
uiandei passar o presente edital, que ser publica-
do pda imprensa e affliado nos lugares do eos-
Dado e passado nesta cidade do Reeife, aos 19
de fevereiro de 1870.
Eu Manoel Antunes Correia, escrivao interino o
escrevi. .
Francisco de Assis Oliveira Mnciel.
: 16.5000
O mesmo Umo. vigario despenden:
1000 jotes ao Miguel Accioll Wander-
ley Lins
500 lijlos ao Lino
lo caibros c 4 paos grandes ao Bar-
tbolotneu do liego Barros
Ao carpina Joo Fgido
Frete de 500 lijlos ao Manocl Maria
2 anchadas a Cecilio dos Santos
8 pecas d corda a 60 rs.
Feria de Jos Valerio dos Santos na se-
mana de lo a O de novembro
200 lijlos de ladrilhi) ao Joaqun)
Ao Francisco Marques, pur 35 baldes
d'agua
Ao carpina
Ao J .s Valerio, feria de 22 a 27 de no-
vembro
Ao preto Jos (servente)
Ao Ja,| uiin, 200 lijlos de ladrilho
Pregu> para urna escada e um simples
Matheus do Reg Barros, 1000 lijlos
Ao Jos Valerio, feria de.W de novem-
vembro a 4 do dezembro
Matheus do llego Barros, 1000 lijlos
cotn a onduccao
Ao Valerio, feria de 6 a 11 de dejem-
bro
Ao la> Joaquim, 10 petas de eorda a
80 reta
Ao Jos Vaierio, feria de 13 a 18 de
dezembro
Ao Miguel Accioli .
Ao Valerio, folha do 20 a 21
Ao Matheus do II. Barres
Ao Valerio, loria de 3Tde dezembro a
5 de Janeiro
Ao carpina Antonio Beroardo, feria de
31 de Janeiro a ," doAveriro
A Tilo, prego* caibranr
6 traballiadures para descer a tulla da
cubera
Ao Valerio, feria de 7 a 11 de fevereiro
10 cargas d'agua a itfri's
2 ditas de ara a 160 nu
2'i alquires de cal prota
Ae Antonio Bernarilo, feria de 7 a 12
Carrete para a estaejio
Fete do vapor
1 libras o'e prego francezes a 360 n.
Despacho dos piegos
200 lijlos de bulrimo ao Joa'iuim 2o
Ao Miguel Accioli, lijlos
Ao Valerio, feria de 14 a 10 de feve-
reiro
20 cargas d'agua a 160 ris
6 ditas de ara a 160 ris
Ae carpina Antonio Bernardo, feria
de li a
Ao J se Joa mos e :ii.io d'e,
Ao Veris-i no.mad ira para 3thesouras
e certas de 2 quebradas
Ao Botelbo. lOM) tijnlos
16 I;. o carga
Total da despeza
Tui da roccita
Debito
20000
10.5000
mol
500
:40o
2.5000
480
oiSSOO
5*OJ0
5*600
ltiW)
49*500
1*000
7*000
2*i KX)
aJflOP
28*000'
393000
1*520
51*500
24*000
173300
10*000
4R.960
27*500
7d2O0
:000
50*480
1*600
320
14*000
^OOO
3*200
5lli0
3*040
DIO
7*00;)
aidoi
'.Mi')
24:4500
OOdOOO
G02000
is pato
321000
PRAGA DO UECIFE 24 ^FEVEREIRO
OI-. 1870
as 3 1/2 HORAS DA T.inDB
Assncar jiruto americano 3*000 rs por 13 kil.
(hontem).
Algodo lJ sortc 987 rs. por kil. (hontem e
hoje).
Oamwo sobre Londres 90 d|V. 30 1|2 por 13
(hontem e hoje).
Cambio -sobro Pars 90 djv. 470 rs. por franco
(hontem).
Goncallo Jos Affonso,
Presidente
Mesqnita Jnior,
Secretario
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
De^co ita lettras da praga taxa a con
S1*000
473*680
A.OHI'O ELlITOftXL DORIO GRANDE
f>0 NORTI.
ip3 e ai;
por aqu<
encionar.
Recebe dinheiro em oonta eorrente hia
lraso fixo.
Saca i vista oa a praso sobre as ciaadet
prlncipaes da Europa, tem correspondentes
aa Batia, Buenos-Ayres, Montevideo, New
a New-Orleans, e emitte cartas de crdito
para os mesmos lugares.
RA DO COMMERCIO N. 36-
Soeiedade bancaria
em commandita
Iheodoro Simn $ G,
Gompram e vendem por conla pro
oria metaes, moedas nacionaes, e estran-
^eiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
Desconlam letras da trra e outros ti
culos commerciaes.
Encaixegam-se por conta alheia das mes
as U-ansaccoes, da cobranca de letras dr
cerra e de ootros titalos commerciaes.
Recebem quaerquor quantias em depo
lito, em conla crrante, e a prazo fixo.
Largo do Peiourinho n. 7
Caixa Filial do Banco do Brasil
em ernambuco, em liqui-
daqo, 7 de fevereiro *
1870.
Por ordem da d retorta do Bauco do Bra-
e faa publico que no praso de trinta dias
atar aa presente 'lata serao levados
iiio o* ttulos eta Hqnidace e mais divi-
ias instantes da relacao que existe na
mesiua caixa aondq poder ser examinadaf
jelos pretendentes.
ALFANDEGa
ttendunantodo dia 1 a 23. .
dem do da 2i ....
MOVHENTO DA ALFANDBfiA
lume entrados cou faieadas
dem fdwB eom gneros
'oiume9i>anidoacora fa^endas
Idam idem curo gneros
sabem que nao
>r ao meu me:
, qaanio i
ei de maneira a
Dasearregam boje 2ii.d> femreiro.
, P.nacIio auiericaao tiazei U. mbaU mor-
1 tias.
. ingloiaS'rat? FloridaAiaai.
americanaCavo -aem.
igla*-Su GU-riAdm.
dem.
inglezaMm/ Caok farwba do trigo.
fJguo inijfezSaxzn bacalli
Barca ingiezaGaselhraerudorias.
O admini-trador da recebedoria de rendas
internas geraes avisa aos devedores de dizima de
chancellara averbada, constante da relarao abanto
transcripta e assignada pelo escrivao desta -receb
dnria.c cujas cansas foram diflnlivamente jolgadas,
que devem vir pasar a referida dizima no praso
le 30 dias, contados do da publieacao deste ; lin-
do o qual se proceder cobranca executiva.
Recebedoria de Peruainbnco, 10 de fevereiro de
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
rlehu'fodasp ssoas (TU devem
diurno 'le ch^ncel eri. aver-
bada uesia repartido de cau-
sas ou demandas definitiva-
me.-ajuiga las.
Enzebio d Sa'ntos Soare3....... *"8I
Vi-conde de Suasnana.......... I W98
Jaciatho Josa liabral............ I5:1S8
Herdeiros do Maria dos Passos... __ 1* i77
Antonio Feliciano Rodrigues Sette JC35
Jiis Domingues Codeceira...... *i70
Juliana Mina da Conreica)...... *i23
Sib< ranciaua Maria Joaquina do
Amparo..................... 117
Fdiios de Jos-Rodrigues dos Pas-
sos..... ................... U577
Antonio Gomes de Moura....... *239
Antonio ou Angelo Estevo da
Porciuncula.................. 5188
,,'i i Xepomiceno Ferreira de
Mello...................... *i>88
HerJeiros de Antonio Jos do Es-
pirito Santo Barata........... *188
Francisco de Miranda Leal S Herdeims de Simplicio Ferreira
Ooeiho..................... *H7
Bacherel Gabriel Soarea Raposo
da Cmara.................
Marcelino de Souza Ribciro......
D. nna M^riaMuniz...........
Antonio do Souza e Silva.........
Jo- Eustaquio Velloso da Silveira
Jos Pinto da Costa............
I i.io da Deus Moreira deCarvalho
J lao Pinto de Lenios Jnior.....
Herderos de Antonio Maia Corles
Jo. Loutenco da 8ilva.........
Iler leiros de D. Isabel da Silveira
Miranda Save................
Manoel Antonio Ribero, por Si-
meao Correia Cavalcante Ma-
caubira....................-
Henri |ueta Ferreira Lopes da Sil-
va, por Joo Kremer.........
Jos Jacome Tasso.............
Andr de Abreu Porto..........
II inrate Honorio Ribeiro Granja.
Jos Ribeiro de Brito...........
0 mesmo.....................
Dr. Jun deMend inca Re^o Barros
Jos Genes da Silveira.....;...
Joo Marinlio da Rucha Falco..
Flix Pereira de Araujo........
Uitonio de Paula e Mello.-.......
L'urcneo Luiz das Nevesv......
Irmandade de S. Benedicto de
Olinda........'.............
Couvento de N. S do Carino de
Olinia......................
Viscoadessa de Goyanna........
A mesma.....................
A mesma.....................
A mes na......................
A mesma.,....................
Jos da Fonsoca Silva..........
Francisco Gi ncalves Netto.......
Joo d\ Cunha Wanderley .(...
Joo Pinto de Lfimos Jnior.....
Luiz Alves Villela hoje cnsul
portaguez..................
loa pim Luiz Veira............
Iom Caelano de Carvallu.......
Rabe Scliamelteau A C..........
Estevo Jos da Motu e Ignacio
Ferreira da Costa.........
Joaquim Manoel Ferreira de Souza
a outros....................
loan Bapl>u de Barros Machado.
Administrador dama-sa fallida de
Pedro da Silva Reg..........
ftufiuo Ferreira da Silva........
Antonio de Paria Brando Cordel-
ro e seus fiadores............
Monteiro Filho & C...........
Admin istradores da ma-sa fillida
de SveFilbos4 0...........
JeronAino Jcn Figueira de M
e Manoel Lourenco de smiza..
Aduiioisiradores da mafsa fallida
de Pedro da Silva Reg.......
Os mesmos....................
8a7:3ii*512 Sontliall Mdlors & C boje Kjlwn
G Fennely..................
Francisco Pereira Castello Baneo.
Manuel Ignacio Ferreira, capilao
do brigue naciqnali Loii....
Vav*de Ama.ro Antonm de f aria
Arcenio Carneiro da Cunha Mi-
randa.......................
398 Ilenrque de Miranda Hearkj,
Amoriiu Ln..........
Herderos d do Na9ciinonto Fuifena..
Os meamos..............m...
38J767
2o*12.>
29G6
26*001
4022
liU'ili-
2i*'30O
137*908
2729
8i8
3*333
o93
l-i-
2i$000
33*i61
::o7t;
264*081
10*660
231*790
41*741
138*829
S3I750
23*3'i6
1*111
^066
801:333*821
43:780*69)
31
354
------42K,
48
350
3289
5360
360
M80
480
, *'*80
100000
200(KX)
100*000
24*000
24*000
130*000
1605880
lOOiOOO
41*033
136j5792
20J308
em Periiambuco.
Por este^nsulado se faz publico, em cumpri-
mento da lei, que liavendo laliecido em viage.n
para o Cear a bordo do vapor Ipoiucu o subdito
portupuez Joao* Antonio Duarte Jnior, s) pelo
presente convidados todos os credores do dito fal-
lecido a apresenlarem suas contas dentro do pra o
de 30 dias para depois de TeriQ -ada? serera pagas.
Consulado de Portugal cm Pernambuco 23 Me
fevereiro-de 1870 Porrdem do Sr. cnsul,
Antonio A. Ferreira Borges,
Canceller interino.
Obras publicas
De ordem do Illm Sr. engenheiro em chefe se
declara qne fien interceptado o transito de ani-
maes e vehculos na ra Augusta, entre o becco
do Peixoto e traveisa de S. Joo.
Repartico das obras publicas 23 de fevereiro
de 1870.
O secretario,
Feliciano Rodrigues da Silva.
Tribunal do commercio.
Por esta secretaria se faz publico que so acham
registrados :
O contrato de soeiedade de J iao Paulo dos Pan-
ios Jnior e Jeronymo Dias Alves Pimenta, esta-
belecidos nesta cidade -cou negocio do fazendus,
sob a firma de Altes Pimenta & C. c o capital de
19:313*367 tornecido pelo 1 socio.
O distrato da soeiedade de Daniel Ant.ni) os
Reis e Balthazar Pinto de Gouvia, que girou sob
a firma de Reis & C, cuja liquidarlo fica a cargo
do ex socio Reis.
O contrato de Antonio de Sonza Tiraz e Louren-
co Poggi, eslalielecWos nesta cidade sob a firma
de Amonio de Souza Braz & C, com casa de mo-
das, c o capital de 8:0005000 foruecido pelo socio
Braz.
O contrato de Serafim Alves Rodrigues, Domin-
gos de Souza Rodrigues e J.io Paulo dos Sintis
Jnior, estabelecidos nesta cidade com casa de
ci.mmercio de fazendas, miudezas e ferrapens, em
grosso sob a firma de Rodrigues, Irmo & C. e o
capital de 90 I fornocido por todos.
O coatral pim de Souza Miranda Couto
c Ilermino Ferreira da Silva, estabehcidis ne^ia
cidade com luja fle oorives, sob a firma de Cuito
& Silva, e o capital do 8:OW5000 fornecido por
ambos.
O contrato de I isa Paulo Botelbo, Bernardo Jis
de Araujo c A nimio Je.Oliveira Freitas, sob a fir-
ma de Botelbo, Aranjo & C, Jos Cordeiro do Re-
g Pontes, Angelo Baptisla do Nascm nio c Ma-
noel Ferreira Pontes, sob a firma do Ponles & C,
esta belecidos nesta ciladecom armazem de aguar
dente e me I, em grosso, e o capital de 32:009*000.
O distrato da soeiedade de Jos Lopes Davim e
Antonio Bezerra Cavalcante qu girou nesta cida-
de sob a firma d; Davim & Cavalcante, cuja liqui-
dacao fica a cargo do ex-soclo Cavalcante.
O contrato de Jos Jacome Tasso, Jorge Jacome
Tasso o Domingos Aniones Ferreira Tasso, esta
belocidos nesta cidade sob a firma do Tasso li-
maos & C, com negocio de importaco, ex pona
cao e coinmissoes, o o capital de 300:000*00')
fornecido por todos.
O di-trato da soeiedade de Virisk Centeio Le-
pes e Delfim Lopes da Cruz., que girou sob a fir-
ma do V riato & Delfim, cuj liquidaco fica a
cargo do ex-socio Vicalo.
A esi-riptura de dssolncSo da soeiedade de P-
rente Vianna & C nnanto socia commanditaria,
ficando a cargo dos socios Francisco Ignacio
Tinoco de S ma e Adolpho Stoltzemba;h a cargo
dos quaes Dea a liquidaco da exmela sociedale.
0 contrate de Jos Joaquim da Costa Maciel e
Jos Pires Agr, estabelecidos nesta cidade sob a
firma de Maciel & Agr, com negocio de taberna,
e o capital de 3:300000 fornecido p.r ambos.
O contrato de Jos do llego Borges e rsula
Cordolina da Rocha Almei la, estabelecidos nesta
cidade com negocio em-jtcneros seceos mulla-
dos, sob a firma de Jos do Reg Borges iC.cn
capital de 20:0003000 fornecido por amos.
O decreto de autorlsacao e os estatutos da com-
panhia BrasIMao Streel Railway Limited, cstabe-
leeida nesia cidade.
O contrato, de Jos Peroira Vianna e Manoel
Francisco da Silva Novaos, estabelecidos nesta ci-
liado com negocio de commissOes, e o capital de
10:001)5000 fornecido pelo socio Novaes, em com-
mandita.
. O dis'rato da soeiedade de Joaq'iim de Faria
Machado c Vcrissimo Ferreira Gomes, que girou
s ib a firma de Faria i Comes, cuja liquidaco
fica a cargo e sob a rcsponsabilidade do ex-soio
Gomes.
A carta imperial eos estatuto* da ecuopanhia
de gestaros Phenix Pernambucana.
O distrato de Bento Augusto da Silva, Joaquim
Moreira Reis e Antonio G mies de Miranda Leal,
que girou sob a firma de Rento, Res St C, da
qnal se retirou o ex-socio Bento pago do seu caii
tal e lacros, e exoneraJo de qnalqner r sponsabi
Mad -
0 contrato de Custodio Antunes f.uimarans e
da iflnericordla
Reeife.
A Illma. junta,admiaratiTa a Sarta Cas* d
Sliaericordia do Recito manda faier publico quen
sala do suaninssoes, n>da de fevereiro, pelas
quatro horas da terne, tem de ser arrematadas a
auem mais vantai.ens offerecer, pelo tempoue nm
& tres annos, as rendas dos predios em seguida no-
clarados : _
ESTABELEC1MF-STO DE CAR1DADEL
Ra ao Calabouco
Casa terrea n. 20, por anno S42*00i*
Ra da Alefria.
Casa terrea n. 7....... 360*0O
Koa da Gloria.
Casa terrean*23......; 168*0011
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra do Vigario.
Pnmeiro andar do sobrado n. 27. 240^000
Rangel.
Cas- terrea d. 88...... 360*00t
Sitio n. 3 no Forno da Cal........... 150*00O>"
Os pretendentes devoran apresentar uo aclo da>
arremataco as suas flaneas, ou compareenwn
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
. i'e, 5 do fevereiro de 1870. i
O eserrraxv
P^li-o Rodrifun de- S*uxa
Relami das carias registradas vindas do snl t-
norte existentes na administrar. do eorreto-
desta cidade.
Antonio Leal de Barros, Antonio da Silva Poo-
les Gnimaraes (2), Antonio E. da Silveira, Antonio
Fausto Neves de Souza, Antonio P. Ferreira Lima,
llaro de Villa Bella, Cario Albinolo (italiano).
Flix Pereira de Sonza, Francisco Antonio Sabori-
do, Franjeo Ferreira Borges, Francisco lgnaeio
B e Lima, Francisco Romano Steple da Silva,
Francisco de Paula Penna, Gabriel Soares R. d
Cmara, G. Lopes de Araujo, Hcmeleiio Jos V.
da Silveira, Julio C. da Costa Galrilres, Jovpbck.
Augusto Attayde, Joaquim Bernardo de Mendon-
ca, Joaquim B -roardo de Figueiredo, Jaquim
lal'onseca, Jj' Augusto do Ataujo, J >>
Pereira Vianna, Jo< Leilo, Jos Antenio Pires,
Jos de Souza Barbosa, Josepba Francisca Pinto R.
Ramo-, Jos Au.-tiagerilo R. Lima, Joo PvrHra
ilo Lago Braga, Joo Antenio Gomes Guiraaracs.
Joo Jos de Carvalho. Joo Fernandes Cavalcanti
ile-Albuquerque, Leepo dio Antonio da Fnnseca.
Luiza de Argolo (irma da caridad), Cuiz Baptis-
ta de Souza, Loop >ldini Ferreira M. Ribeiro, Ma-
noel Lopes da Cunha Maciel. Matos Irmo, Nico-
ls (italiano), Tu. leffurlers & C, Vieent8 de Mello,
\V. Maciel linheiro.
TIMTRO
GYHNASIO DRAMaTICO
(No Monteiro)
son a niRKcgo do artista
DE ttlOTAMMI
\IV\ 0 G.4M4V4L
Explendido*
I: 420*000
I). Cieinentina Theodora da Silva, esfbeleeid s
nesta cidade com negocio de mrndeza;. sol a lr
ma de Cu-todio Antunes Guimarcs A C, e o ca-
pital de 33:0l.'7tiV ameCido p ir art
O contrate de Joaqe.ia) Casiano da Silva e Joo
Francisco Orpho, estabelecidos nesta cidade com
refina cao* de asoar sob a firma de Silva 4 Or-
pho. e o capital e ':081*763 tornecido por
ambos.
Secretaria do tribunal do commcrcio de Per-
nambuco, 18 de feveri'iro ite 1870.
icial-maior
Julio tttim :,
Consulado provnciaL
Por esta reparlicao faz-se scienu aos contri-
buinUs de impostes provinciaes, pertenc. ni
anno fioanceiro norreute de 1869-70, que do du
l* de feereiro oroxioio, comees a correr o praso
le 30 das uteis para o recebnento a boca do co-
fre das seguintes imp 20 e 4% sabr
163*094 diversos estabelecinientes 'ommiiciaes e indus-
i ines; 8 /0 sbre consultorios, escripterws o car-
inos ; 5 o/j^obre a venda d caplin; consa na
de agurdente (Io semestre); 400* por casas de
operaedes bancanas, comrvinhias anonymas e
agencias ; 900* por casas do cambio e rie iienho-
res; 100* por teja que vendor reupa feita, sellBs
.noliras de marcenara estrangetras; 100* pt
ate esjrangeiro: 100* por corrector eom-
mercial, agente de leudes e casas de compra t
venda do oscravos; -iO* por corrector ou innil-
cador do escrav. s; 30 por casa ele moed; '9i
por capa de bilbar ; 30.. -ipregMi.
em servico de al va rengas e canOos^S* por bi le;
U por tonelada de alvarenga e canoas abn
o* por cada escravona eidtde do Reeife; 16* jmr
carro particular, de 4 rodas ; 10a j*r emo de I
; 40* pur carra de.alaguel; 25,* por omni
bus e yirro fnebre; Gj por carrofas, e 10* rtu|
cavalte de aluguei.
Aquellos dos contribuidles que nojati.slizerem
nesBO praso a qaota da sua contribuico, inoorreni
oa mulla de 6
ulaoo pnr ie Janeiro de 1878,
imwisirador,
itrutio Pi ioiiAVaeconcthos
as noules de 20, 27, 28 do corrate e de
marijo de 1870, ein cojos looiaro parte os ami-
raveis c appiaud -simos aerbatas italianos
Cestir e Vicente
e varios artistas da companhia enuestre do Sr.
MarcosCaWli.
PROGKAMMA.
\s' 8 horas da minie una salva d arlillari.:.
acompanhada d i pvrandolas de foguetes daro r
signal para enmecarem
Os pilguados carnavalescos
A excelleute u relie sira dirigida pelo insigne ma-
estro
COLLAS FILHO
ranura a etaisaasa symphonia bnttesea, coiuno-
sicao do mencionado maestro, intitulada :
Fojo aosul, fumoao norte.
Soguindo-se urna variedade de : _.
Quadrilbas
\\ ..Isas
Schollicbs
Polkas..
Originaos de Strams, Colas Filto, Mesqaa .-
diversos afamados autores.
As 11 horas os admirareis acrbatas
CESAR B VIGENTE
far) iiiaravilhns is exi-rcicios sobre
Abarra fixa
ou
0 Irapesio dupTc
A" meia nopte, os referidos acrbatas e virio -
artistas d.i cim;iiiihia esquestre do Sr. Marcos Ca-
sal!, qne se acham de passagem nfelta capital,
dansaro vestidos a carcter, o jocoso
Can c in carie lo
A" urna hnra queimar-se-ha nm lindo
Fago artificial
preparado pelo muilo conhecido artista r Sr. Jos-
Alves.
A's 2 horas terminara a folia com o
Ga o)e tnferiial
acompinhado p ir jpques de sinos, fanfarros, tire-sv
gyrandolas o claros do
FUCOS DE BENGALLA
que illurainari t idos os mascara
O salo ach >r-s lia eleganteiiiPDtQ ornado'.
O largo do Monteiro estar embanderado e'Ilu-
minado
4' vruezlaut
O decente hotel, junto di theatro, achar-se-lxa
prvido de todo quanto fr necesario.
Os pretiis do* bil.ietes ?o osi mesmos esth'--
Icados na< represeotaci* dramatic:is, fcaTeml'
trem depui* dis b.iites, cujo tocar nm lodo* i>.
pontos do estvlo.
33*986
81*581
640*000
* 33*461
1:^0*000
400*000
200*000
53*e42
7*900
16S
U297
7:27o519
necebedora de Peruajnbaco, 16 de fovereiro de
W70.
O escrivao,
Jos Felipe Nery da Silva.
O loapndor tetorio n lega fia pulMi-
co q ,'lervii lo, 26 do oer
reme, o teilo do guindaste o niadeiraniento cx-
traldos da ponte (i annunciado para
Aviso especial
As scnboras que se apre-mrem di centn:
te mascaradas, ou pilante- rao passajcm
grates, antes e d.poi> do divert mente, nos ircns
da liona errea o entrada franca no theatro.
Para mais ronimo telad.: s 19 1|1 horas eta.
noule partir do Reeife um wapin expWsso
3un eslacionan no Sjontetro, regresaando a clJa-
e depois de lindar n i
As instruccie.s pobrtaes emas c
todo o rigor aflu de nao sRerar-se a ordern e mo-
ralidade.
GRANDES
MILES DE MASCARAS
PAVlLttAO
m
$MTft ISABEL
Campo das Princesas
NOS DAS DO
Saltado 2G
Domingo 27.
SecundD-feia i-
Twrca feira, i dcurqn>>
O programla sera aununeiadj amaoba.
O ultimo espectacilopaslcTii ob a dir-f
artisU dr. etiwtiv
n da quana f^ra 23 do crrenlo em brneiii
Sra. I). Rosa Emilia do Reg o do todas as p
ras que compnnbam o sea cordo


Diario de Pernambiico Sexta fera 25 d* Fevereiro de 1870.
h
RUADA FIOllEjtfTIXA
IUHtEKt
& & a* mmm&
GRANDES BAILES MASCARAGOS
No magnifico salo deste theatro,
iNOS BIAS
Snhhstlo 3B de fevero ro
Donilago de eveielro.
Scgunda-fetra 98 de fevereiro.
Terca-feira 1 de mareo.
? 0 emprezano ten a honra de parlecipar ao respeitavel publico qao nao so pottpou a
<*etoeras alim de se apresentar um salo magnficamente decorado e com todas as commodidadeo
ledenlo- a esto divertimer.to.
lia sumo participa que o botequim se acha sonido de toda a qualidade de bebidas
^-spiri'.uosas e est ao cargo Jo imito cnnliecido e conceituado Joo Francisco da Suva Draga.
Tocar durante as quairo noutes de bailes a omito iiar;iioiiosa banda de msica mar-
cial do corpo de polica, da qual inestre o Sr. Hermogenos Norberto de Gutrao, que far excoriar
fela sua banda -ln mostea as maeniieas per.
Terminar o baile con o galope iufernnl acompanhado a toques de sinos, tiros de pis-
uta etc. etc. etc.
O emprezario avisa que as seolwras mascarada* que vicrcm vestidas de liomeni c vice-
ver eslo sujeilas ao pagamento da eutrada.
.\;. >enh. ra> mascaradas gratis. -
Cavalleiros 2*000.
Principiar as 9 horas e terminar s 2 da madrugada.
N. B. O regulamento da polica ser rigorosamente observado, alim do que .a ordem
a moraiidade -jam devidanenle garantidas.
E' expiessameiiie prohibido fumar-so denlro do salao, havendj para esse llm urna
-.rende arca com bancos.
Pcdc-se igualmente as pessoas que o Ihereni que na occasao ile entrarem para o saino
-leixem all ficar as puntas doe charutos e cigarros alim de critar algum .'rastro.
s bilbetes aeham-0 desde j a venda no mesmo theatho
28__Camboa do Carmp___28
Das se:s e raeia horas da tarde as onze da noute.
Nicolao Punjjilore tem a honra de annnnciar ao respcitavel publico desta ca-
irt'le cesmorama com variadas vistas e passagens dignas da attencao de todos por
adiarem se entre ellas as dille-rentes batallis dadas pelas forjas alliadas contra o go-
, ixno o Paragoajr, bem como a fuga, do dictador Lpez para as cordilheiras, e a
ntorte 0 a:.!:tnu :iie Lem empreado todos os seus exforcos para quo o respeilave!
publico encocw aHi um bello passaiompo mediante urna pequea exportla, tendo
*sta entretanto dircito a um. ohjecto, gratis, de mais ou-menos valor.
28Cambo t do Carmo28
DAS SEIS E MEIA HORAS DA TARDE AS ONZE DA NOUTE.
LEILOES.
Ksl coaii.aHuro
thshfo&m sita a' ra daOon-
('(.'ie/to n. 11.
iI ag nte Poalaal vender e.n Istlao a reque-
lito dos depositarios la muta fallida do An
toaio tgoslinao Seixas da Fot r mandado
da r.'.'.iii. Sr. Dr. juiz de direito especial do com-
merco a arma-lo, gneros e moren perteacente-.
a* toado o kiio em di-
vn roufade I >< licitantes.
HO/E.
a moMna laberoa, as n h ira?, d va ter lu-
ii.
S5S3 ftiinf
ava>-ilas.
A ^ do corr.
HnfbdtC. farHa telli rpor eonta o
. pertenoer e por n rveocSo d>
- avariadas
sendo alsodozmhos, chita- e lenes de chita prin-
eiparmeiua e da cerca de 40 liui eollariohoa
le ImUo (mi bjni estad i para fecehaf mtas.
JIOJC
a ti toras da manha era sea at i a ra
-i* Cad.-ia i).
3)d lt0 resmas de [>>; i de embrtilho
ndo 10O formato grande o 500 for-
mato pequeo avariado '(Pagua salgada.
HOJK.
O agente Pestaa lia !e lo p r eonta e risco
?.; quem pertenoer de 1309 i papol de
iraiiu avadado d'agua salgada a bordo do
J)rigue aoaarieano l.izze II. mball, em sua re-
- viagein de New York para eet porto e se-
yio vendidos boje as 11 horas da manha nolar-
tea do Apollo.
LEILAO
3)a (erca parle da casa sita na ra da Es-
peranza n. TI.
e/o 96 do um
A reqaerimeuto do curador (acal da massa fal-
le lto'emb da Piocha Carvalho e por despa
lio do Illm. Sr. Or. juz d > commercio o agente
.na far leilo da torea arte da -asa sita na
ra ;a Esoeratiea o. 7, |aal faz parte da mes-
n massa e sera efl'eetafjdo no dia sabbado 26 do
toteas Mbora| da mania na mesma casa.
de farinha de trigo.
A 26 do corrente.
O agente Oliveira far leilo por eonta e risco
lo quem perteneer de H barricas de farinha de
o americana.
SABBADO 26
Ha em ponto, no annazem do Exm. ba-
vMmento sito ao caes do Apollo.
LELIT
Dcwma parle do engenho Barra
em Santo Anto.
Segiindo-fetra 2H ile fevereiro ao meio
dia.
0 ageate Pnti levara novamenle a leilo era
irtttde do despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial
|| commercio a parlado engenbo Barra emSan-
i Aito, bem pertenKeote a massa fallida de
', de Oliveira Lima (Jnior, ao meio dia em
. d i da cima dito em frente da aseociaejio
ommercial.
e nina harcaea e seas pertenees
Segunda-feira 28 de fevereiro as H
koras, n(M3es do Ramos. ___
Q aieole i i ; varia teio a reqaerknento
l* losA n da Cunha h C, e por maatdAli
i eapecWI do commercio a
aea denomina la trajino,- lotacio 100 a
im Elvirio Alves da
id as tt horas em'
i^^^^Mv t es do Ramos.
0 agente Pontual competeutemente nutorisado
far leilo dos ohjeclos abaixo declarados da fa-
brica de assu'ar do Monteim pertencente a A
lino ioa ilos Santos Amirade.
Quinla-feia 3 de marceo de 1870.
i caldeiras de Cubre para dse arregar o
niel, can ."i ps e 3 pollegadas de altu-
ra u 6 ps o 2 pollegadas de largura.
1 dita com urna turnera grande de me-
t?l, com 3 ps e 5 pollegadas oe altura
e 3 pea i: "> potlgaJas de largura.
i tanque de ferro com 8 ps de cumpri-
luenti e 3 pese 2 pollegadas de largu-
ra, e 1 p e S pollegadas de altara. i
1 cano de cobre non 7 pi e 0 paitan-
.das do eumprimento e 3 ps de di-
metro. |
l dito com 9 ps o 7 pollegadas de eum-
primento u 3 l|3 pollegadas do di-
metro, i
i tolos de cobre.
3 tan mes de ferro de receber o mol para
cuar com 3 p; e 7 pollegadas de altu-
ra c3 pese 3 pollegadas de largura,
com ilomaifaa de metal.
1 nica de pao forrada de cobre, com 10
ps de eumprimento c 6 pollegadas de
largura.
4 cano de cobre com 10 ps de eumpri-
mento e 2 pollegadas de diamentro. >
l tabolejro de cobre com 8 tobos para
bular o niel nos saceos para cuar com
3 ps de eumprimento c i pollegadas
de largura.
'' tanques de ferro com 7 p> e 3 pollega-
das de eumprimento e 2 ps e 7 polle-
gadas de altura e 1 ps e 5 pollegadas
de largura com 12 torneira-.
3 canos de cobre com 12 p^ de eumpri-
mento e 2 pollegadas de dimetro 5
1 bica de cobre com IS pe e 't pollega- '
das de eumprimento e 7 pollegadas de
largura e 4 pollegadas de altura. i
3 filtras de ferro com 12 ps e 4 pollega-
das de altura, e 5 ps de largura com
3 lorneiras de metal. J
1 prensa de maleira com 1 tanque de
ferro para imprimir as borras do assu-
car com todos seus pertenec.
1 tanque do ferro com .'i ps e i> pollega-
das de altura e 5 ps e o pollegadas de
largura. ~ i
3 ditos com 8 ps de cimprmenlo e 3
ps de largura e 2 ps e i nollegdas
de altura com 4 torneiras de metal. i
1 bica de cobre com 11 ps e 1 pollepa-
da de cumprimenlo e 1 p c 5 polle-
gadas de largura e 3 pollegadas de al-
tura. 5
1 cano de cobre cora 8 ps e 4 pollegadas
de eumprimento el 1|2 pollegada de
dimetro.
1 dito com 4 ps e j pollegadas de eum-
primento e 1 1|2 pollegadas de di-
metro. i
1 caldeira de vacco de cobre com 8 ps
e 2 pollegadas de largura e 3 ps de
altura, com urna torneira grande e 4
pequeas; tendo um cano de cobre
com tres entradas para'a caldeira com
4 ps e 2 pollegadas de altura e 2 1|2
pollegadas de dimetro com urna tor-
neira de metal. ''
1 dita com una torneira de v.\lvula com
3 ps de cumplimento c 1 pollegada de
dimetro. ">
1 Aguilbo com 7 ps* e 7 pollegadas de
eumprimento e 3 pollegadas de gro-
ssura com um velante grande. -5
1 roda de pao e ferro movida por agua
para todo o machinismo da fabrica,
com 16 ps e 5 pollegadas de altura e
3 ps e 5 pollegadas de largura com
dous rodete drftrr. **** *
i fornalha com dnas chapas de ferro cora
6 boceas para retinar em taxa.
10 collteres de pao para bater assucar.
3 ditas de ferro.
1 caixo de penetrar.
10 peneiras de rame diversas grosu-
ras.
10 arraatoes de amarello para as mes-
mas.
1 caldeira de ferro com 3 ps de largura
e 3 ps e 5 pollegadas de altura, com
urna serpentina de cobre, com 7 voltas
com peso de 14 arrobas e com 3 tornt i-
ras de metal.
1 filtro de ferro com (> ps de altura e 3
ps e 1 pollegada de largura, com 1
torneira de metal.
1 assentamento de madeira com 2 t:cas
de cobres, com 2 serpentinas dentro
das inesroas e 6 torneiras de metal
para, retinar assucar a vapor com eos
encahameotos.
Llanque de ferro com 5 ps e 9 pollega
das de compriraenlo e 3 ps e 8 pjlle-
gadas de largura e 7 pollegadas de al-
tura.
1 bancada de pao com morcas para ba-
ter assucir.
4 bica de cubre com 7 pea e i pollnga-
das d comprimento e 8 pottegadas de
ana**.
1 columia de ferro com 2 serpentinas de
abre por dentro, com 10 oes de altura
e 6 pos e 3 pollegadaj de largara.
1 cano de metal. psra a caldeira cora 6
[ps, 3 pollegadas do comprmanlo, i p
1
i
i
12UU a MI
perflKe.s
e 3 pollegadas de grossura, e 4 tornei-
ras de metal na colunna.
i can' npri-
mento, 3 l| do dimetro,
com 1 torneira de metal.
2 manmetros na caldeira de eozer.
I caldeira de cobre com 4 pe* de altura
e ti ps a largura com ama lomeira
de vlvula e de done fundos.
1 tanque de ferro cora 4 bombas de in-
jeccao prra levar ig;a a lodosos pon-
tos da fabrica. -
1 maquina do vaper da forsa de 8 oa-
vallos.
Ijorbinss ou maquinas de-purgar
1 aguilho do ferro com 27 ps e 3 pol-
legadas (le eumprimento e 3 ps do
grossura, com 3 volantes de diversos
lmannos.
i inaiju.na.- de rellar assucar.
1 torno e seus perteaoa*.
I miiinho de trro para carvo animal.
I dito de podra fino.
I peaeira grande de penetrar 3 quajida-
des de civrvo no uia-iij lempo.
i aguilbo de ferro com 18 ps e 8
pollegadas de comprimento e 3 pollega-
das de grossura.
1 encanamento de cobre cem 31 ps de
comprimento e I i|2 pulegada pe di-
metro.
11)30 formas de ferro de purgar assucar.
1 caldeira do ferro com 0 pese 6 pollega-
das da comprimento com todos os ea-
caiiaminlos de cubre, vapor pata pur-
gar.
3 torneiras do metal.
3 tanques de firtt com 7 p- a 3 polle-
-gaoas de eoiiipriiiiento, 3 |se.l polle-
gada de altura, 3 ps e 7 pollegadas
de largura com3 torneiras de metal.
2 laxas de ferro com 3 ps e 3 pollegadas
do boceas.
1 bomba i Japy n. 3.
2 icas grandes de pao fosardas de zineo.
.1 porgao do bicas de ziuco que commu-
neaiu com o- depsitos domel.
2 taboleiros grandw de pao.
27 ditos p> l|uooc?.
I dito grande de zinco.
2 estufas para seccar assucar era pao,
com i caldeiras grandes de ferro, enca-
na meulo de cobre e lorneiras de me-
tal e n.iideira.
1 estufa efe eccar assucar reliado com-
una calceira de ferro, com encmen-
lo de cubie o torneiras.
17 tanques de ferro com 2 ps e 3 polle-
gadas do altura e 1 ps de bocea.
1 volante grande de ferro.
1 porco de carvo animal grosso e fiao
120 a iliiH) arrobas.
i asaafliuieiito com 7 caldeiras de ferro
ara vapor ;om lados os Hfis
e encana ment de cobro com
II torneirae de metal.
I lanquo de amarello para lavar carvo.
1 coche de amarello com sarilho para la-
var carvo.
1 cncajiamenio pra levar agoa aos tan-
ques e coches.
4 carros de ferro (de mu).
1 dito sem aruiacocs.
1 carnea prumpta para cavallocoai seus
perleces.
2 rodas de carrocha em bom estado.
I liixo de ferro o mais ferragens.
1 correia grande aova com 2'i psdecom-
prmento e 4 pollegadas de lagnra.
2 ditas com 3 pollegadas de lagnra.
1 forma debrenze para l'aztr pao de as-
sucar.
3 (erres de soldar, de cobre.
3 libras de esuohos e sida.
7 manmetros cni bom estada.
I porfi de brease ralba e novo. .
1 dita ile e;iii is de cubres perfeitos. .
1 dita de ciiuii.be novo e cilio.
i dita de pare/uso com pe
1 dita de ferramenla pertencente ao fabri-
co do asitiear.
I fi lie de ferreiro grande.
1 safra e tuda a ferramenla pertetKSftto
a oficina cima (Je ferreiro) e pedas
do fuiidiec.
1 larraeh'a grande com todos os maeh. t.
1 larracha pequea com todos os machi-
nismos
caixo com arca do moblar
caixas paia moldar obras
porcao de ferro diversas grossuras
ruina de torro gr
bancada com dous tornos grande e pe-
queo
porcao de chvenle duasbpccas de di-
versos ta maullos
i i du ferramenta i eantj na
I banco de empina
1 dito de corrieiro farrameatai
20 saceos de lona rsios
30 d.tos velhos
1 lita de medir 110 polegadas de sonori-
ment
1 brafo e conchas do batanea gr
com 3 pesos de dua3 arroba?, I de ar-
roba, 1 de Ifi libra; e 3 de 8 1/2 libra
1 agoiluifl de. faro c m 10 ps de com-
primento o 2 polegadas do grossura
eoin uoi /ohmio
1 aguilho de 3 ps de comprimento,
1 3/i p i egadaa de grossttra com 2 vo-
lamos e 3 manees dos mesiBOS
l aseada gaande da casa de purgar
1 dita do -ervieo da cusa
1 dita do servici das filtras
2 canecas de folha
3 ditas ilo ferro galvanisa.lo
3 ditas de zinco
4 ditas de folha e 4 preses tfe dita para
tirar mol dos tanques
l coco do cobre para o mesmo flin
1 dito de folha para a casa de pin|
2 cadinhos para fundiQao.
2 corredores graiid.'s
l dito pequeo
1 pedazo de prancho amarello
1 1/2 pedaco pg carga
2 machados
2 ciscadores
1 enxada
1 poico de er
1 picareis
1 apparelho de suspender madeii a
6 latas com verniz da China
1/2 caixaccm folha de Flandres
1 latrina de louca
2 mancaes de ferro com bronze
1 peneira redonda de rame
2 ditas fallando-lhe arcos
i cano de cobre com 32 ps de compri-
mento. 3 e meia polegadas de dime-
tro, de couduarmel para a caldeira de
vacuos
1 cano de cobre de 31 ps de compri-
mento e 2 polegadas de dimetro que
cohduz o mel do montej para a cal-
deira de cozer
i C8no de 40 ps de comprimento e2 po-
legadas de dimetro que conduz 03 va-
pores servidos
.11>cm de cobn de 20 ps de compri-
r ment e 2 polegadas de dimetro, que
conduz o vapor para o montej _
1 cano de cobre de ib" ps de compri-
mento e 2 polegadas de dimetro, quo
conduz vapor para a caldeira do cozer
1 cano da cobre de 33 ps do compri-
mento e 3 polegadas de dimetro, que
conduz agua da levada para o tanque
do quinto andar
1 dito de 20 ps e 5 polegadas de com-
primento e quatro polegadas de di-
metro
2 ditos de 20 ditos e 4 ditas de dito e 2
ditas do dito
1 dito de 81 ditos de comprimento e 3
polegadas de comprimento
1 dito de 81 ditos de comprimento e 2 po-
legadas do dimetro
1 dito de 43 dios de comprimento e 3 c
meia polegados de dimetro
1 dito de 81 ditos de comprimento e 3
polegadas da dimetro
2 ditos de 33 ditos do coraprimento e 2
polegadas de dimetro
1 porcao de canos de diversas .grcssnras
que conduzem vapor para as caldeiras
das estufas, com 2 torneirae de metal
7 torneiras do metal grandes
6 ditas diversos lmannos
7 ditas pequeas
i canos de cobre de 30 pes de compri-
mento e 3 nolegadas de dimetro, que
conduzem apa para as caldeiras de
vapor
3 repartidores grandes que dividera o
mel pelas formas
I
3
I
i
s
*
t
i
i
&
>
I
i
I
I
I
I
5
j
o
I
i
i
*
i
i
l

i
i
i
-i
*
i
com 10 libras
i gruesos
2 repartidores pequeos
oriea de r
Iweu
l turralor para c
irelho para guindar com denles e
dua-.tcKi.is de ferro
1 (Uto fundar os saceos con correntes
2 portos de fornalha*
albo de amarello da casa do pur-
gar, forado, para l'JM formas
2 tororiras grandes postas no cen'ro dos
enoanamciios ge raes
1 boafcasde abrir an torneiras, d; filtrar
as twbirw. maehnsas de purgar 5 ar-
robas de aburar em 3 RunMI, dandu
lima (|iiali,i,ide suparinr ao assucar
(sat de granda vanlagem para os se-
nliores de engeBhos.
*
*
i
f

l
t
*
AVISOS MARTIMOS.
COMPANIIIA PEtNAMBCANA
UE
\avega^o costelra por vapor
.Mamanguape.
O vapor Manda lu, commandante
Julio, seguir para o porto ac raa no
dia 28 do corrente as 6 horas da
tarde, lieeebe carga, oncommandao, passagei-
r se dinheiro a frete at s 3 horas da tarde
do da da sabida : eseriptorio o Forte do Malos
n. 12.
Compaitliia americana e brasi-
leirado paquetes a vapor.
Alce dia 2de. mareo o esperado dos portos da
sut o vapor ameri'-ano V,ririm>tck,o qnal depois
da demora do eoslniM seguir para New-York
tocando no l'arc S. Thomaz, para finotes a pas-
sagens trata se com os agentes Henry Forster &
C, ra do Commercio n. 8.
A:\1A BRASIUliti
Ol
aquees a vapor.
Dos portas d norte Bflperadc
at o da 27 de fevereiro o vapor
irimUf eoiniiiondante o primei-
riMeiionto i C. Doarte, o qual
derais da demora do costume
seguir para ua portos do sal.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
arga r embarcada no dia ae sua cnegad. bmcommen-
las o dinheiro1 a frete at ai 2 .loras do da da sua
sabida.
Xo se recebem como er.ommandas senao ob
lectos de pequeo valar eipo.c nao escodam a duai
irrobasde peso ou 8 patmoe cbicos do medicao
Tudo que passar destes balitee dever ser embar
:a lo como carga.
Previno-se aos Srs. passageiros, que suas pas-
sagena s se recatv meia ra da Lru;
n. 57 primeiro andar, ccriptorio de Antmio Lu
lo Oliveira Azevedo & C. .
N;i agencia n> se receben cartas,
interssados devem levt-las ao correto.
OS
Bor
to.
V sabir breve a barca Lemra para carga *
beiros, tratarse eoal os oonsignatarios Carva
Iho Si Nogiteira. TO rea u Ai'olln n. 20.
Para fiaranbao e Para
O brigue nacional Sanio Amnro, capitao Casta-
o i .\i\is 'vas, preleade segnir com amaior bre-
vMase possivel para Matinhao o Para, por ter
pastada carga promta, engaja-se a que precisa
e recebe passageiros, a tratar cem os consignata-
rios Harones Barros & C, ni largo do Corpo
Santq n. 6. 2o andar.
COMPANHIA l'ERNAMBUCANi
^avega^So cosolra por vapor.
Parahyba, Nata', Blattto, Mnssor, Ara-
caty, Ceor, Ifaadaha, Acarac e
Granja.
O vapor Ipnjuca, coturaandanu
atoara, seguir para os portos
Bli cima no dia 2 do mareo as 5,
a tarde, llecebn carg.s at o dia I, encom-
iendas, e passageiros e dinheiro a frete at a;
2 horas da tarde ao dia da saluda no eseripto-
rio PARA O RIO CHANDE DO NORTE.
At o dia fSsabir para o Rio Cea:
caca tSan'nh. cargas a frete, tratar cam
fo irmaos A C.
AVISTO DIVERSOS.
Furtaram bfnletn pelas H horas da
manha.i, de cima ilu flleiro da Inja de H-
vros dus Srs. Lailhaftir & C, ra do
Crespo, acittirade algibeira do abaixo as-
signado, contend) 1:3000000. em dinheiro
sendo 3 netas 000, 4 de 100*. ~2 de 305
e o resto- esa notas -d 200, 105, 50, 20
o 10, eiws cerca de 1300050(10 Hksen
bilhetes da lotera n. :ll do Rio de Ja-
neiro ; quera a restituir ou dc-r noticia cert
ser gratificarlo generosamente "pelo abeixo
assignado ra do Crespo n. 23 !o}a de
bilhetes do Sr. Fiuza.
Recife,23 de (evereirode 1870.
Aristides Duarte Carneirodn Cunha Gama.
O abaixo assignado avisa aopublib que tendo
obtido lirenra do Kxm. Sr. conselheiro in-pector
da thesourana da lazenda geral, para vender es-
tampiIhas em seu estabeleciment a ra do Crespo
n. 23. pelos inesraos precos que se vendem na re-
cebedoria geral; assim pois, podem as pessoss
residentes nesta cidade e fra dola dingirem ao
abaixo assignado, suasencommendas emqualquer
quanlidade quesera pfomptaininle satisffeias.
Manocl Martins Plan.
'. 0 abaixo assignado participa que so rctlrou da
sociedade que linba am urna ollieina no larg) da
(Concordia n. 7, lieanato o ex socio Paulo Jos da
Silva Freir com o estabel-cimento e responsarel
pelo activo e passivo da mes-na sociedaie, e o
abaixo assignado por receber os seus lucros, e
dosonerado da toda o qualquer respoosabilidade.
Recife, il (lelev.reirodc 1870.
Antonio Jos de Pinho Filho.
Agua
vaif
*
Scio! l de cima veja como despeja a sua
agua aoja I... olhe que o Sr. Varrao d Tnrroso
que va i pas-ando !... Ali! perdao, en nao sabia...
Com que enlo o Sr. rTWTftb de Tan- to j esti
por c !.,. Muito Libamos ds o ver asatm gerrti-
nho, que parece um bacurinbo.. luto, o Sr.
Vairao vera tratar do algum negocio r... venho ;
mas i.-so mais larde Ih'o contarei... Agua, deixe-
me ir mudar o falo da viagem, que estoii um p m
co indecente para appareeer ao publico. Poli
sisal cc'is taaabea temos que conversir com o Sr.
VarrSode T iroso, porm, isso. quseda tivermos
os dados juntos; o enlo. logaremos um bocado o
gamSo. Por boje, adetninho.....
O massa de carias.
mm s.
3
Togio no dia 22 do corren''
escravo de nome Amonio, naluaal
Ai^OOO.
Giqu.-s e eabnileiras a 15000 cada um, bara-
to : na roa Direita n. 33. '
TRILHOS URBANOS
no
Eeeife a Apipucos.
Para maior commodidade dos passagei-
ros, durante os das do carnaval haverao
alm dos ordinrrios os trens extraordmarios
conformo a tabella seguinte :
No sabbado, seguoda e terca feira
Do Recife Apipucos 10-39' I l-:jO' 42-30
da noite.-
De Apipucos ao Reoifa 0 30 1-0 2. da noita
No domingo.
Do Recife a Apipucos 11 0 1-0 da noite.
De Apipucos ao Recife, 12-0 2. da noite
Eseriptorio da eompinhia, 2i ir feve-
reiro de 1870.H'. fa i luisn.Gerentj.
A empreza tendo resol\ ido alterar o sys-
lema da venda dos bilhetes para passagetn
nos Irens, por meio do presente avisa ao
respeivel publico que do dia 1." de marco
prximo vindooro em dianc#nS<. acrao
vendidos bilhetes nos trens, os qu.ies de\ein
ser comprados as diversas eslaroes.
Que do dia 1.a de marro em diante co-
raecar a correr tttn trem de earg accom-
panbado por om wagn de 21 classe pata
accommodaijo das pessoas que qiiizerem
accompanhar os objectos, o qoal partir
do Recife pora Apipucos as 12 horas do dia
e voltura de Apipucos as i hor.i o 15' da
tarde os objectos destinados a segnirem
n'esle trem devem ser despachados as
diversas estnres 13 minutos antes da liortr
da partida do trem pagaodo-se frete adiau-
tado conforme o art. 3o1 e a la.bella O do
regulamentodo I' lo abril de I8t'l).
Eseriptorio da empreza, 20 de Janeiro
de 1870.
W. fawlii/son,
(urente.
TABELLA dos prc;os de transporte demer-
cadorias e bagagens, nos Ifens de carga
da empreza dos trilhos urbanos do Heci-
fe Apipucos.

CO.UPANHiA PEHNA.MBUCANA
DE
."avega?5o effitelr >r vapor.
Ooianna.
vjjl, 0 vap. r Parr.LyHi, seguir para f
Jporto cima no dia 26 do correnfe-.
i .l.i ii ote.
15 celieVarga, ene passageiros e ai-
ro a fele no Ossriptorio do Forte do Mallos
i!. 12. *
,r ava lAubon.
O brigue portogoei Oiarrase, capitn A. B. Car-
neiro, recebe tanga 8 pasaaosiroa : trata-se com
os consignatarios E. Rabftin ie 67., ra do Com
mercio n. 48.
Sas'aiitoo.
A escuna (frergatna segae para o Maranhao
oestes oito diast tem a maior parte do carrega-
mento prompto : quem quizer'cngajar carga a
frete, trata-se desde j com os consignatarios Tas-
so Irmaos & C.
. PARA LISBOA
a barca portuguesa Gratniao devera seguir com
a menor demora possivel ; para carg e passagei-
ros, trala-se cornos consignatarios Oliveira Filhos
& C., no largo dQ Corpo Santo n. 19, ou com o
canito na pra?a do coramereio._______________
j do Buii|ue, que era ltimamente es-
,if / cravo de Antonio Luis de Mello, do
',- engoiiho Jacob na, esteve tambera
em Pao d'Alho, o qual tem os signaes seguimos :
esa de una perna por ter una das junjas doi
ps desmentida, tem ama boa turra as nadegas
e as cosca, dada pelo ex-senhor nlimamente,
alto, bem corpolcnto, os ps bem grossos, leven
vestido calca o camisa de algeoao niuil i snj i, cha-
peo de ilio .la copa redunda, muito qequeno.
com abas viradas para cima : este eseravo muito
(i]ili.\"iro o intitulase por Antonio Cande! .
levou m pandiro de folha para sambar : quem
o encontrar peder trazer a ra Nova n 12, que
alem ba olleraaiada ser lecompensado genero-
samfit____________________________________
Engenho Para'
Desle engenbo Para, freguezia de Ipojaea, fugio
no dia 21 do corrente mez o escravo loaquim,
crioulo, de idade de 20 anuos, boa li?nra, sen
barba, cabera redonda, dentes limados, fui cria de
Luiz Antonio llonioiro, da fazenda da Bica, fre-
guezia da Podra, fui vendido ao Sr. Manoel Ci
valcanti de Albuuncrqno Bairo, e esta ao mea
sobrinbo los Alves Marinbo Palcin, de quem o
liouvo por compra : qaoffl o levar em ano enge-
nbo, cu nesta praga ra da ('.na u. Si, receber
boa gratlQcacao.
Jos Valentim Vieira de Mello.
Precisa-sede urna ama forra do meia idade
e boa conducta para casa de muito pouca familia :
na i na de Santa Therezan. ti.________________
Perdeu-so um bilhete iateiro n. 2315 ila 57
loteria a beneficio das casas dr cari lado da pro-
vnolo i Rio de Janeiro o. Hii. rubricados pelo
consulado e o thesoureiro das loteras, e chancel-
lado pelos Srs. Veras & Barbado; rogase aos
aenbores que neg uiam com bilhetes que nao p.-
quem qualquer premio que porventura venha a
ter, senao ao seu legitimo dono, ou a quem tiver
adiado e quizer entregar, que ser recompensa-
do : dirjase ao eseriptorio do Joi Maria de Al-
buquerque Oliveira, na travessa da ra do Viga-
rio n. i, Io andar. __________________
Fugio do engenho I! ira Nome, t-rmo de Ca
meleira, no dia 7 ueste corrente mez, um escravo
crioulo, cor preta bastante alto, idade 20 annns,
pouco mais ou monos, ps chato?, ventas arroga-
cadas Jjei^os grande?, cara lisa : quem souber o o
pprehender leve o ao engenho cima, a seu se-,
nhor Manoel Thom de luna, que ser bem pago.
O dito escravo chama-so Miguel._________ .
AII#ra-se terrenos em Beberibe, dislaate
da povoagao um quarto de legos, em frente a es-
trada que vai para a Mirucira a t20 o palmo, ten-
do de fundo 400 palmos, terreno planieo e nroprio
para toda lavoura, tendo boas vertemos fagua :
quem pretender'dirija-se rna d i Hospicio n. 70,
que achara com quem possa tratar.
*+.
*f

r |
5" 9 1
O."- 2. V O-A n 5
Soledad.

Para o iorfi.O
a barca Flor de S, Sinia saldr brevmente, por-
que j tem parte da carga engajada : para o restt
e passagens, trata se com os consignatarios Car
valho & Nogueira, na ra do Apollo n. 20._______
Para o Porto.
A barca portugufza Feltx pretende sabir com
muit^brevidade c para carga e passageiros traa-
se com os coa-ignatarios Th miaz dAqumo Fon-
seca &. C. : ra do Vigario n. i'J, 1' andar._____
-.o 3. I I
o 1 *
Matiguinho.
Torre.
3is: 2.
2 So /.
B -;
3. O *
Paro a m
S?
^3 i *- i 2
2 oooo j>
vi |
Casa Forte
9

ccoocii

Calderoiro.
o
lisies.
-i
o
2- ^. a: 2.
Monteirov
JcbSSs' 5"
Co j
K ^

^

m 1
CA |
Apipucos..
Palacio do poverno do Peroambitco,
de abril de 1869.
Conde du Baependi/
Rio det/aneiro
Sahe para o referido porto em piucos das c
pataeno Guilhermina jier ter quasi todo o seu car-
rogamenio engajado, podendo ainda receber c
puoco que Ihe falta e miudezas, assim como es
crttos-a frete : a tratar com o consignatario Joa-
rmn Jos Golcalvcs Beltro ra do Oommereic
n. 17. _________._____________
para o Porto.
Pretende seguir o mais breve possivel para o
Porto a barca porlu noza S. Manoel 11, capito
Jos Antonio dos Santos, recebo carga a frete e
passageiros, a tratar eom Marques, Marros & C,.
jia ptac^a 8o Corpo Santo n. 6, S andsr ou com
o capitao a bordo.
Luiz Rodrigues Villares manda celebrar una
missa, por alma de seu cunhado o Dr. Aristides
do Paula Dias Marlins, fallecido no Aracaiy, sab-
bado 26 do corrente, pelas 7 l|2 horas da na-
nba na matriz da Boa-vista ; pedo a seus ami-
gos e prenles se dignem asistir a esse acto de
piodade e religio pelo que Ihos spr grato.
a 3.d'i curre

Imperial Instituto de
N, S. do Bom Oonselho.-
Acha-?e aborta a matricula da- aulas de liagua
portugueza, latina, franceza, inglez. phili sophia,
rhetorica, geograpliia e lli^loria, arithmctica, alge-
bra e geometra. ,__________________________
Francisco Candido de Medeiros communica.
ao r'e;peilavel corpo do commercio e ao publico
desta cidade, que aceta data deixa do ser cnix- iro
da casa commeivial do Sr. C'audio Dubeux. Ite-
cife 24 de fevereiro de 1870. _______
FUgio no"da 3.di enrrnJ mez do eugenlio
Maravilha da comarcado Limoeiro, o escravo Mala-
quias crioulo, com mais de 40 annos de idade, al
tura regular, falta de dentes na frente, cambeta
de urna perna, tem urna ferida em ontra, indo
com camisa, sergU|p de panno de algodao, do
escravo pertencesro'abaixo assignado proprietario
do di engenho i quem capturar dito escravo
conduza-o oo referido engenho, ou no Recife ao
Sr. Joo LuizPereira Ribeiro, a ra da Santa Cruz
n. 10, que ser generosamente gratificado.
Engenho Maravilha, 22 de fevereiro de 1870.
Jos Caetano Pcreira de Queiroz.
Para'
Pretende seguir em poneos dias pa,re o indicado
porto a barca portugueza Despique II, por ter a
maior parte de seu carregamonto prompto, e para
o restoque Ihe falta, queuecebe a (rele muito ba-
rato : tratarse com o consignatario Joaqoim Jos
Gone..ilves Beltrao, rua do Commercio n.17."
Para t> Pdrto
a barca portugueza Ncv Silencio seguir con.
a brevidade possivel; para ca/ga e passageiros.
trtta-se com os consrpalarioS Oliveira Filhos &
C., no largo do Corpo Santo o. W, ou cora o ca-
pitio na praca do cemraercio.
Ilha4SJiliguel.
O patacho porrafuw ^sorfsMnegae com raui-
ta brevidade para o pono aeima ; aiada recebe
alsuoia carga frote, em como passageiros pa,
ra os quaes tem beos commodo* a tratar com
o seu coosignatario, Joo do llego-Litpa ru*.do
Apollo o. V
slivos
mEiJco
A pessoa que por este Diario anntincion terat-
guns escravus, e as precisas habilitaoes para bem
administrar um engenho, queira encaminhar urna,
caria com as inicires G. F., ra da Pia;\ n. to,
declarando o seu nome e o lugar onde devo ser
procurado.'_______________________________
cozi
Preoisa-se de ama ama quo compre o
nhe : a trata na ra Direia n. 7^_______
Caixeiro
Na toja, de calcados rna Direita n. 32 precisa-
se de um caixeiro com pratiea deste negocia
Precisa-pe de urna ama, prefennda-sc escrava,
para casa de pouca familia, paga-se ben : no lar-
go .da alfaudega n. i.
1
O Dr. Tarqnioio Braulio de Souza A
raaranto tem o sen eseriptorio do advo-
cada ra do Crespo n. 1, r> andar,
por cima da livraria econamica, onde
ser encontrado desde as 10. horas da
manha at as 3 da tarde.
s
IN9TRUCCO PRIMARIA.
Anna de Queiroz e Albuqaenjne, ha-
bilitada com exarae de verificar de ea-
pacidade professiboal, e autorisada pela
directora geral da instruccao publica,
tudo de conformidade com a lei provin-
cial n. 369 de 14 de maio de 1853, faz
publico aue abri sua aula particular na
ra Direita n. 129,2* andar.
CoaipromeUe se a ensinar eom todo o
zelo e bom methodo as alumoas que me
forem confiadas,. comprehendendo alem
do ensino da leitura, oscriptnrac,o, con-
tahilidade o doutrina ehrista, o que uia
respeito 4 ooaluras o mais prendas ao-
mesttc&s, wgundo o que trsur cam os
Krasa fe.iit.rc, da Snc?5o acaba dejen- J-J' era ca,
StaRaW*."^^S^ -^TSiES^ ^rd^raTralm^
^^^5aiSde0# e de UX* pratiea de pbarmae.a ;-n raa do Imperador na-.
mmmwmmm
Ns raa do Queimado n. 41, anla do mata
do Gastilho, voatetB.se anjos para prooissAo por
prego coaaroodo. ______ _____
Aluga-se a casa, da rna da Sama Croa u.
II, propria psra qualquer estaaeleeimento por
anhar era eakSo : a iralar aa*lbetra da Boa-vis-
Figueiredo Letc.
:
P
-
mero 38.


A ESMERALDA
LOJA DE JOIAS
DB
i
Este antigo estabelecimento, complet-
ronte reformado ie novo, est as condi-
?oes de servir vantajosamente os seas fre-
faeses, visto qne acha-se prvido com nm
ixplendido sortimento de obras de ouro e
4*rata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, ;ujos prepos sao os
aiais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa receben*-
se em traca ou compram-se com pequeo
bate.
II5 IDA DO CANGA ft 5
[INSTANTNEOS "
Travcssa do Corpo Sanio n, 25
ARMAZEM
Ra Nova n. 38, loja.
Bandeira, Machado t C, arista ao respeitavel
publico que nos lugares cima encontrar m mes-
mo sempre grande quantidade de ditos p3$os, e
que se acham habilitados para vender por menos
que eutro qualqoer, por isso que os rccehem di-
rectamente do fabricante Norton, de Londres.
As vantagens que offerecem os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser collocados den-
tro de casa ou fra, com otrabafho de urna a duas
horas; segando, foroeoerem os nesmos agua pu-
ra e abundante, poden do serem removidos do um
para outro lugar, quando assim convier.
Os annunciantes so reeeb.-Fa. a importancia dos
referidos pocos depois de cohocados, satistaneudo
especial! va do comprador.
Nao mais cabellos brancos.
A tintura japooeza pirra tingia os cabellos
da cabeca e da barba, foi a nica adnttida
Exposico Universal, por ter sido teco-
nbecida superior todas as preparacoes at
aoje existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a A ^000 cada frasco na
Rna da Cada n. 51,
l.6 andar.
ra
pri-
di-
...
^ Na travessa da
I das Cruzes n, 2,
ffieiro andar, da-se
|S nhelro sobre penhores
| de ouro, prata e brilban-
g tes, seja qual for a qnan-
l tia. Na uiesnia casa com-
pram-se os mesmos me-
laes e pedras.
m
-mi
Advocada.
O advocado Ayrts Gama contina ter
seu escriptorio na ra larga do Rosario
n. 2f>.
11Rna do Queimado.....11
AUGUSTO PoRTO, tendo recebido directamente da Kuropa nquissitL.es cor-
s de vestidos de blond para notas os expe v-nda pelos mais mdicos precos. No
saesinc estabe ecinwnto ha constantemente completo sortimento de faz ndas finas como
wjata :
Cortes de setim d cores e ditos de seda dos mais legantes gestos.
Colchas do scia de con-s. ditas de d.* masco o !a, ditas do crochs e de
awtao branca para carans todas muito Un las.
Cortinados bordados para camas e janellas de mnitas qualidades e pregos.
\ salidos brancos bordados, eambraias bordadas, filos, tarlatanas e cambraias
usas e. transparentes de muitas qualidades.
Gergurio preo para vestidos, grosdenaples de todas as qualidades, merinos
pretos. alpacas, bombasioM, pret-is. pannos pretos e azues, casemiras pretas e decores
grande vawedade de todas as f zondas tanto para a praca como para o matto.
Froahas de cambraia de lino, o bordadas, e toalhas de cambraia de linho borda-
Ja fccom muito gosto.
i lao liso e trancado, azul e de nsiras, madapoiao, dulas e lorias as fazen-
das para fabricas de engento as quaes vendem a dinbHro, peos presos das casas in-
fiera?, Esoeatc estsbetecimeijto ha sempre o guia esplendido sortimento de
Esleirs da India para forrar sala--, que se vende mais Barato
do que em outra qualquer pajte.
ns
AVISO
Os Srs. Meuron & C, fabricantes de rap,
ra do Mondego n 107, precisa m de algumas mu
Iheres para trabaIhar na sua fabrica : a guerr,
convier pode dirigir-so mesma fabrica (pars
tratar._______________________ i
Precisa-se de urna ama para rJouca
familia : na ra dos Copiares ou amiga-
mente Lobato n. I, primeiro andar.
AO ARMAZEM
DO
Raa Xova n. 9,
acaba de dhegar pelos ltimos vapores aovas re-
messas des seguintej :
Calcado franeez
Para senhoras.Botinas brancas, pretas, e deou-
tras muitas diferentes cores i ultima
moda.
Para meninas.Bofenas das tnesraas cores e qua-
lidadis cima.
Para homens.Botinas de cordavao, bezerro, ver-
niz, pellica, o mefnor srtimento que se
pode desejar.
Para meninos.Botinas das roesmas qualidades*
mencionadas para homens.
Para homens.Botas rucia as, meias-botas e per-
neiras.
Para homens, senhoras e meninos.Sapatos de
tapete, aveludados, charlte, casemira
preta, tranca de Lisboa etc. etc.'
Para meninos e meninas. Abotinados forles de
muitas qualidades. *
Quinquilharias
Finos rtigos de Paris, de gosto e phantazia,
como sejam, leques. espelhos, luvas de Jouvin,
eaixinhas de costura com msica?, joias de ouro
bom de lei, ditas de plaqu, cofres de seda e bol-
cinhas para braco, estojos para viagens, bengalas,
chicotinhos de baleia, oculos, lunetas, correntes de
relogios, e perfumaras de Condray e de P.ver.
Brinquedos para mancas
Carrinhos de 3 e de 4 rodaspara passeios, eos
moramas e realejos de diversos lmannos, e um
cera numero de brinquedos francezes e allemles
para entreter meninjs.
Para evitar massante leitura de tantos artigos
expostos venda neste estabelecimento, o dono
pede ao publico em geral que se digne entrar de
passeio afira de verilcarem nao so a grande va-
ridade como os precos baratissimos por serem
todos chegados de conta propria.
BASCARAS
MASCARAS *
MASCARAS
DE RAME
DE CERA
DE SEDA
DE MASSA
Em grande quantidade. a precos baratissimos,
e anda com abaiimentos de duzia para cima : no
armazem do vapor franeez, ra Xova n. 7.
%^mtfmwmmmm
O bacharel Joio Joaquim Fonsera de ;
Albuquerque tem aberto o seu escripto-
rio deadvocacia em casa de sua residen ',
cia nja das Cruzes n. 30, segundo r.n-
dar, onde poder ser encontrado das 10
huras da manhaa s i da tarde ; e bem
n??iiu (fecarrega-se de defender reos ni
s no jury da capital como fra della, (
urna vez que haja commoda o fcil con- !
duc?5o. (
Praga do Corpo Santo n. 17 primeiro
andar escriptorio de Joaquim Bodrigues JS
Tavares de Mello, tem para vender :
Fumo em folba de superior qualidade. fi
Vinho Bordeaux de superior qualidade. 5?
Farinha de mandioca em grande por- |?
gao e boa qualidade. g
Cal de Lisboa muito nova.
Potassa da Russia.
55Ra da Imperatriz55
F. Gautier, proptietario deste importante estabelecimento tem a honra
de partopar ao respeitvcl publico que acaba de chegar da Europa para on-
de ;.mha ido especialmente para contratar peritos officaes e que conseguio
cotra-los na primeirt c^sa de Paris, por isto julga que todos BcarSo satis-
fetos ds trabalhos do seu estabelecimento cujo excellente material ainda
foi augmentado com novas machinas que ja receben e tambero muitas drogas
novas oftjn as quacs se obtem estas niaravithosas cores modernas lo apreci-
das een Franca e cm lodo o mondo,
Tinge, lava, limpa, lt_tra, achamaiot com a maior perfeieo fazendas
cm pecas eem obras de todas as qualidades como sejam: seda, la, algodo,
Bobas, "hapeos de eltro e depalha etc., etc.
Tira aodoas e limpa sseco sera molhar os tecidos, consenando assim
todo o brilho da fazeoda.
Impressoes sobre tecidos
com este aovo ystema, os vestidos de seda eoutras fazendas que at agora so
podiam tiaf ir-se de cores lisas, podem receber um bonito desenlio de cor
diversa, a escolha, o qae realca a azenda e Ilie d mais merecimento.
Tiuura preta, terqas e sestag-feiras
As pe*soas das provincia* Ii_itrophes qoe quierem utilisarse do seu
eatabelecimento poderlo mandar o que tiverem, aa certesa de, srem tao bem
servidas como no 'Rio de Jaoeiro ou na Enropa, e com mais prestesa por
cauf-a da distancia.
Precisase de nm menino para caixeiro de
padaria, sendo de 12 a I i annos de idade, cem
pratica ou *era ella : ;i ra das Cinco Ponas uu
niero 38.
Casa (le-COUimisS-O rie escra\OS. ~ Precisa-e de serveates na fuodico do Bow-
man : a ra do Brom n. Si, passanlo o chafariz,
COMPAM HlA PER.VAMBUCA.VA. ~~
3* DIVIDENDO.
De ordem do conseibo d,- direccao so commumea
aos Sfs accionista* que o pagamento do quinto di-
videndo raziio de 10 por cento, fer lugar do dia
8 de nwQo prximo vidouro era dame, no ps-
cnptoria da companbia no caes da AssaraWa
n. 13.
O ([rente,
F. orges.
Precsa- alugar urna casa terrea ou um so
brno com cijmmodos, na cidade de Oh'nda, em al-
gumas das seguintes ras : S. Beato, ladeira da
Hibeija, ladeira da Misericordia, e ra do Ampa
ro, nao se duvida dar bom aluguel se agradar :
quem tiver deixe carta fechada com as iniuiaes
J. A. F. nesta lynogranhin, nu annuncie.
Lima, Lessa & C.
O encarregado da liquidacao dos negocios da
exmela firma d* Lima. Lessa & C.,previne a to-
dos os d vedores ao referido stabelecimento, que
wnbam solver seus dbitos ato o fim do correte
mez. visto coma tem de encarregar o feu procura-
dor de promover a obrauea judicialmente : na
ra do Apollo n. 4.
Companhiti Pernambucaua."
ReducQao cm fretrs.
A Companbia Pernambueo attendendoaescassez
do poneros aiiineiitidos que atfiigo a zona-da na-
vegacao a seu cargr, o especialmente de Tarnha
de maudioca. acaba de fazer pnasiderivel reduc
no frete (leste genero, em alguns casos de o
e outros de mais de 30 O|0.
As p -ssoas pois, que quizorem embarcar farinha
da ti ira, ou milho gosarao desse benencig, que
vigora de hoj.) em diante.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
KEClF-fi A OlillVDA.
Por ordem da directora sao convidados
os Srs. accionistas para, no praso de 10 das
contados do dia 15 do correnle, effectua-
rein a 7a prestarlo de suas ac^oes na ra-
ziio de 10 70.
Para esse tira, ser encontrado o Sr. the-
soureiro, das 11 horas da manhity as 2 da
tarde de todos os dias, no escriptorio da
companhia, ra Nova n. 33 Io andar, en-
trada pela ra das Flores n. 14.
Recife, 12 de Fevereiro de 1870.
Joo Joaquim Altes,
Io secretario.
76STWE
CABELLEIREIRO FRANCEZ
51rB.ua da Cadeia do Recife51
Chama a attenco dos seus innmeros reguezes, e do respeitavel publico m
geral, para a seg-nnte tabella dos precos de sua casa, os quaes sao vinte por cenU
mais barato do que em outra qualquer parte:
Cabellaras para senhoras a 250,
- m, 350 e......400000
Ditas para homem a 350, 40J e 500000
Coques a 120, 150, 180, 200,
250, 300 e.....500000
Cresceutes a 120,150,180,200,
Cadeias para relogio a 50, 60,
70, 80, 90, 120 e. .
Corte de cabello,
Corte de cabello com friego.
1S0CI
501
I 50
250, 300 e..... 320000 Corle de cabello com lavagem a
Cachos ou crespos a 30, 40,| |50, champou...... ]0qo
60,70,80,95e. 100000 crle ^ cabello com limpez da
Tranca [ de 'cabello para annel a I cabeca pela machina electri-
500 e....... 10000 ca aDca em pernambueo. .
Tranca para braceletes a 100, Frisado ingleza ou franceza.
150, 200, 25 e ... 300000 Barba. .....
ASSIGNATURAS NIENSAES
speciahdade de pentados para casamento
solres
1:;00I
5CI
251
Bailes e
0 dono do estabelecimento previne s
Esmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um
sallo para tintura dos cabellos e barba, as-
sim como um empregado smente oceupa-
do nesse servtyo.
Recommenda-se a superior TJNTIRA JA
PONEZA para enegrecer os cabellos e bar-
ba, nica admittida na Exposico Univerol
como n3o pri-judicial sade, por ser ve
latil, analysada e approvada pelas acadt
LONDREf'r
mas de sciencias de PARS E
TEZOUM DE OURO
DO
,*JATfcT*M_E!
A ra do Queimado n. 6. pnmiro indar
8 pessoas para oservico e o maior .icceio nos trabalhos de barbeamento,
0 sal5o estar aberto, nos dias uieis das 6 horas da manhSa s 9 da nou-
e, e nos dias santificados das 7 a 1 hora da tardp.
?cor.Fs
TIXTIRJIUII
DAS FLORES25
O dono deste estabelecimento tinge, limpa e achamalcta com a maior
perfeicao possivel todo e qualquer objecto de seda, laa, algodo, em pecas
ou em obras, chapees de fellro, palha e manilha etc., tira mofo das fazen-
das e faz todo o mais concerner.te sua orofisso, tudo com bfevdadc, visto
como se acha prvido dos necessarios machinismos e petreobos.
Olfo Schneider.
CASA UA FE.
Aos 20:000^000.
na do Cabug n. I
Bilhetes do Rio venda
'ende Vieira A Rodriguos.
O adviigadu Manuel Joaquim Silveira pode
ser procurado para 3 misteres de sua prolis: ao
em seu escriptorio ra do Cispo n. 12, Io an-
dar, das 10 horas da manhaa s 3 da tarde. Reside
ra da Conquista (Soledade) n. 4.
S
Precisase de um cozinheiro ou cezinhdra :
la ra do Imperador n. 73, 2* andar.
O Dr. .Aprigio Justiniano da Silva Gui- _j
maraes contina com sea escriptorio
ra do Imperador n. 27, e resida ra
do Seve ilba dos Rafas) n. 22.
iUll/illi.
.Va roa Direita n. 101 lava-se
cnni perfelclo e promptidao.
e engomma-sc
Precisa-se alugar urna ama para o servico
domestico de urna casa de pouca familia : a tra-
lar na rna do Crespo n. 18, luja.
Alugl-su a casa terrea n. 40 sita na ra Di-
reila dos A fajados: a tratar na ra do Caldeirdi-
ro n. rt. m
Na antig3 caa de comm_so de enerados, de
abaiio assigeada, ra do Imperador n. 4.1, conti-
naa-se a neccer escravos pw coramisnao, iantc
ao mato como ila praca para serem vendida, t
garaate-se o boo tratamento e prompta vetda
para o que se QBJiy7 aisfacr em fado s pessois que o qiserem hos-
rar com sua coofiagea. Nes;a casa ba sempw
$ara veader e {, aaeim como ha l da seguran? para os ter
________________Antonio Jos-v.de Soiza.
Bichas hamburguesas
Xtcte novo deposito receoe-se por todos pawe
AMA
Preoisa-se de ama ama para engoiumar
ra rb Arago n. 24, l" andar.
Precisa-fe de urna coiinheira
imperador n. 73, 2 andar
na
na ra de
Precisa-*e de urna ama
tratar na ra do Amnrim n. 3
fra cugoinmar
. 2 andar.
Crimina (lea aclonal
Primitivo de Miranda, exudante do S anno, d
liCSes a ra da Conceicao n. J2 ; pode tambem
estraoslantieos bixas de cualidda superior, ven- frforaril(l0 M escriptorio do Dr. Jacobina, ra
de-se em taha ou porci* aais pequea e roait do Q"" rato de que quajquer outra parta ; na nw d "T^TxI-----------------~
Precisase de om cozinheiro ou ozinheira : 5
tratar na ra Nova n. 13.
Oadeia do Recife n. l. l\andar.
Attencao.
Ataga-se por 25' meusaes urna escrava b >a
cozmheira e Oel: no 3' andar do sobrado u. 36
da rna das Cnues.
de cauto, piano, JesHiho elin
gu italiana,
G. uaiiixakgbl!, profassor com Jiploraa da con-
gregago de Sania Cecilia fle Ruma, cunlina
dar licoes como j fuera ha mais de 20 annos era
cinco collegios de ambos os sexos e em varias
casas r articulares.
A generosa bopitalidado que elle ha recebido
de todos, e a amizade que sempre Ihe consagraram
as pessoas mais estima veis desta cidade faz-lhe
esperar que desta vez tambem lhe nao faltar tra
balho, no quat pora em accao todas as suas forca*
para continuar a mostrarse digno da proteccao
com qua sempre foi honrado.
Gi.nlia Marinakgeli Beltamim, discipula pre-
miada do conservatorio de Milo, decidindose a
deixar a carreira theatral e lixar sua residencia
em Pernambueo', onde sempro recebeu tantas" pro-
vas e estima e sympathia, pelas quaes conservar
eterna gratido, deseja empregar o seu tempo em
dar ucoes de msica, piano e canto, tanto de aper-
teicuamento como de principios.
As pessoas qua se quizerera utilizar do presumo
dos sobivdiios conjuges, podero dirigir-se ra
do seve (Ilha dos Ralos) propriodade do-Sr. Tibur-
fici, porto dos coqueiros.
CUNAM
Grande reraossa de borracha para o fabrico de
limas para o entrudo, da melhor que aqui tem
vindo, na ru Direita n. 53, e na ra Nova n. 39
e 16, por menos prego do que em outra qualquer
parte. ______
Na praca da Independencia n. 33 se da di-
heiro sobre penhores de ouro, prata e pedra;
-reciosas, seja qual for a quautia; o na mesm
asa se compra e vende objecto3 do ouro e prata
i igualmente se faz toda e qualquer obra ce en
-ommenda, e todo e qualquer concert tendemv
i mesma arto.
Precisn-s
Precisa-se alugar um escravo para servico de
hotel : ra das Cruzes n. 39.
Asso<,iar;ao Coramercial Benefi-
cente.
Os senhores socio da Assoriacao Coramercial
Beneficente eque sao consenheres do eJillcio, pelo
prostnte sao convidados a receberem do Se. llic-
soureiro \Villiam Otto (de 1 al 3 horas da tarde
e munidos com os respectivos documentos) o divi-
dendo do 'i oi0 sobre a imnortancia das pai tes qup
liyerem no mesmo edificio.
Associaeao Commercial Bencflcento lo de fe-
vereiro de 1870.
Daniel Ramos,
_____ Secretario.
Aluga se urna sala aeiada com atguma acom-
tnodajao no 1 andar da ea.a da ra do Impera-
rador n. o7, onde quem preumder poder fallar :
entrada pelo caes de 22 de .Vovembro.
D se de gratficacao a quem tiver adia-
do urna caria escripia Ignacio Ferreira
Juimares, em Pedras de Fago, cuja carta
foi perdida polo portador Antonio Rodri-
gues, com mais um embrulbo no qual cn-
linha 200WO, ao sabir da dormida no
ngimlio No o, de edws oV Fogo. equen
entregar dita caria com o embromo ou sm
el!.', receber do mesmo Sr, Ignaeio Fer-
n-ira- Guimaros. a qaanla' cima, ra
s?55s \%S&. ossasaste--"*^ ~a LitaniCM'4Wre-
Alaga-se ou jr/n le se ama casa nm bastantes jp Jos? ponque d Silva G^imaraes precisa
odos na cida.te nova de Santo Amaro- tra- S cn qm Sfija "''iro ; 8 tratar no sitio
tareom Joaquim de Souza teres: a cua das Cru- 'Ja,Pas/agern ajiles da p tan. 36
i Joaquim de Souza teres: ia das Cru- i fassagern ates da ponte-grande o. 40, das
8. da tarde as 9 da mnnhaa.
Aos senhores de engredlo AttencSo
-. ^IS'S^WS 9S5RU&
K'nlio, e de muito b<> coala
administrar
js :6 pr i n. i", loja de cha
peo?
Ama
Preeii
cata de
i a. i,

ara para
llennqoe da Sitoa Guimarle* precia i
de-um criado quo seja bolieiro : a .tratar no gitio
da Passagem ante da ponto granJa n. 40, da* i da
larda as 9 da manh3a.
A pessoa quo ttein em
P' dar
da typograpfia.
em-
KINBt
?Vte-^ encarcidamente aos Srs. Domingos
Th^doro Rgueira e Aristides Florentino Caval- -
:i fe Alboqnerque (de Sennhem), que venham i i da larde.
- j ra <* Vigario n, |4, 3 negoelo que se procisa I
ultf .
Methodo OaStlho.
Manoel Jos de Paria Simos professor particu-
lar ao instruceao ellemeniar pelo metbodo Ca*.
uiho, tendu chegadw do mato, onde foi tratar de
sua saude ansa aos pae do sea alumnos e ao
respeitavel pubco que ,, dia do ^nmXe
abre d,' novo a gua aula, na ra da Sen tala Ve-
na n. 12*. segundo andar. Em dita aula lecebe-
6 alumnos internas e .xt^rnos.
BOLIEIRO. "
(Werece-se um rap ltimamente chegado, eom
.s precisas habilitacoe^, para casa partcnlar a
ratar na raa do Cagro n. 13. cnur-
Trilha urban h do Recife
Olinda.
Continua-se a comprar dormentes de sicupira,
w.'icica, amarello e outras madeiras de dnraci'
para o chao, com as diraensdes .weuintes : 10 pal-
inuf df rompnmento e 3 Hipeadas de gr
n,de 7 l|2de largara : pata trar, ao alnelro
da ra da Anrora, desdo as i) horas *a maonja as
Anda se precita de um criado que saiba bu-
lear : na ra estreita do Rosario n. 2, Io andar, a
tratar das 10 horas da manhaa as 3 da tarde.
Aluga-se um rapaz que sirva para compras
e mais servico d3 casa : na ra do Imperad* n.
73, 2 andar.
Precisa-se de urna criada livre ou eseravL
para o servico interno de urna casa de familia, de-
vrinlo saber lavar e engomrnar: na ra da Con-
quisia (soledade) n. 6.
Sitio.
Aluga se al setembro te anno o grande e
pitoreeeo f io Barbalhi, no Monteiro, com casa
para numerosa familia, e mah commodos ne?*s-
garios cm casa de campo : a tratar na raa do
Crespo n. 6.
iustrncco primaria e secanda~-
ria, s ba direc^o de Fran<* s-
co) de or|a c lirclra, ra d.?s
i'razercf u. ._8.
Francisco de H rja, cilmpetentemente hak'litadi
pela directora geral da in,trucao pnblica, e eom
bastante pratica de entino, lecciona rheijrica a
potica, franeez e principios de latim : leccJona
lair^hem primeiras letra, coadjuvado por um ad-
junto hbil, praiico e moralisado. Recebo aum-
nos petarfonistaa de 12 annos para baixo, p r Dre-
qo razoavel. c extornus a l.'.'fl o '|iiarlel.
Hoitirultura franceza
E. Pellore. tem a honra de prevenir o ropeita-
vel publico desia rpita), que tem no seu arma-
zem da ra das Cruzes, um completo sortimento
das plantas exticas das mais raras, tanto coro
legumes, plantas e llores, j aclimatados na Ar-
gelia e muitos oulrosquc'existen) no seu estabe-
lecimento.
O dito senhor tendw de se demorar al o fim-
do mez em Pernambueo previno aos sentarce
amadores, do se dirigirem quanto ames a seu ar-
mazem, garantindo que serio servidos coa todo
o esn.ero : na rna das Cruzes, sobrao aova.
mkWmWk
Aos 5;0()0#
Bilhetes garantidos.
K. roa do Crespo n.23 e casas do costume.
O abaixo assignado, tendo vendido alm de ou-
tras sones, 2 quartos n. 166) com 700* da
lotera que se acabou de extrahir a beneicioTda
igreja de Nossa Senhora do Livramento de Pao
d'Alho (137*), convida aos posMiidores virem
receber na conformidado do coslume sem descon-
t alpum.
Acham-se a runda os felizes bilhetes garan-
tido! da Ia parte da lotera beneficio di igreja
de .\'. S. do Livramento do RioForaioso(i38*) que
se extrahir egunda-eira 28 do crreme mez.
Precos.
Os do cof turne.
Mano.'l Martins
AMA
i Precisa-se do urna ama que saiba cozinhar e
engomsr bom, para casa de pouca familia; na
ra Nova n. 37 2o andar.
O superitenfleDU',
Andr de Abren Porto.
Quem tiver meninos.
Precisa-se de meninos para aprender a fazer
cigarros: .as fadricas a vapor de cigarros, quar-
tel de policia n. 21 na mesma na n. 8, 14, e 19,
boa occasio para os Srs. pas de familia que
nao teom que raes dar a fazer, e em pouco tempo
so lhe garante razoavel ordenado.
Antonia Villar Alves Maia vi uva invernaran-
te de seu finado marido Antonio Domingues Al-
ve Maia, roga aos devedores e credores do ca-
sal, de at o dia 25 do corrente. apresentarcm
>uas ratas na livraria econmica ao p do arco
de Santo Antonio aflm de ssrem descriptas no
inventario a que se vai fpoceder pelo juizo de
orphaoj.
CRIADO
Precisa-se de um criado, preferindo-se escravo ;
na na das Larangeiras n. 29, hotel commercial.
$
O Dr. ista Multa de vota'deTuavia-
gpm da Europa onde dedicou-se s mo
lestias de senhora, a partos o aecQis
do pelle, pode ser pr-urado em sua casa
ra da Imperatriz n. 9. D consultas
das 10 horas ao meio dia, sendo gratis
para o> pobres.
Duarte Pprtira & C. rogam a quem se jurgrr
credor de aprsenlar suas rois.
fiulieiro.
II. LE^ER IMK-
ticipa ao commercio era geral que, proviso-
riamente, transferio seu srraazetn e seu es-
riptorio no largo do Pelourioho n. 7* (Cor-
po Santo ) IJ andar, por cima- da casa ban-
caria dos -rs. T6. Simn C.
No caes do Apollo n. 69, precisa-s de um bom
btlieiro.
AMA.
Precisa-se da urna ama par ,ad0
ru.t do Onri nado o. 12. 1 and ir.
na
Trabaliio.
Precia-fa de boii>rn pan
a ru de S. J.ja o,
d noile.
^
'

i-v'-"*


Diario de Pemambuco Sexta feira 25 de Feyereiro de 1870.
AGIA NEGRA
5
BEiNTO MACHADO ft C,
rin wm\ ?E A an,maa cofn bora acclliimonto que leve em seas annun-
2?ntaTK^ P1?0^ a 8eM fregUPzes uo- acaba de receber m variado sorti-
raandn L .Lhc g S qa3tS Se'1 veBdid0S por Precos muit0 racis, pois
Sn l ear PrHros, annuc,; fl o que assegurou, e sem mdo de errar,
SL SJ d'SSf LSl mtere,8SeS ll.gada uma casa ''Portadoradesla praca, e
por uso poder ter tudo especial e vender por preces admiraveis.-Chama pois a Sea
cao e seus freguezes para os arttgos possa descrever:
rtJST0*.00?1 tamp0 de- marfim' ,nadre- Unl variad0 sortiments de charuteiras e
j?_ ^ruga, PrPri0S P ^ssa. paiteiros de porceIana>
Garafinhas vazias propriai para presentes
cousa de gosto.
Indispensaveis de palinha e decouro pro-
Orios para senhoras e meninas trazer nos
iracos.
Binculos de madreperola, marGm e tar-
taraja todos esmaltados.
Cintos largos de setirn, cousa inteiramea-
< nova.
Fitas de sarja de todas as cores e largu-
'13 para la?os.
Tentos para voltarete.
Bengallas com marfira, cousa especial.
Sabonetes de alcatrao.
Cofres de folhas para dinheiro.
Lindas caixas para costura.
Um completo sortiinento de 'uvas de pe-
lea,
Talagorce para bordar.
Um completo sortimento de enfeitcs de
Toucas,,sapatinhos meias de seda e mais seda para vestido
pertences para baptisados. ._V_-'. ... .
R. _-...' e finalmente outros muitos objectos aue n3o
Km vS SS-i ? fr0Z- ^ e P0881^ mecionnr ; mas conY a vista se
Um vanado sortiraente de jarros de por- cerliflearo do sortimento deste cslabele-
Qa- cimento.
Agua Negra, ra do Cabug n. 8.
rinda *i2? iT'"-ore8 baregf de ^ (,e (Iua,,ro e de IistrS.- Para vestidos fin-
gindo seda, pelo baratissimo prego de 500 e 640 re. o covado
(ton r= nn^'COm s.uPer,es cassas fraucezas de cor padroes de muito gosto 40
oncenos M Ja ** C"UmnaS rua do CresP n' ,3' de Anlodio Correa d
Travessa do Corpo Santo n. 25.
Os acreditados cylindros americanos para ptdaria, por dous differentes systemas.
Machinas para descarocar algodao pelos melhores Tabricantes de New York
Machinas de vapor systema de locomo'iva e polias para as mesraas.
Lsrrmhos americanos para transportar volames em armazens. Tudo por-pre
TRAVESSA DO CORPO SANTO N. 25
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
ara *^\t% FE* ara uescarocar algodao de todos os systemas e tamanhos seguimos :
? erras 12 se8rras
1 K" 14 ditas
d!as 15 ditas
d'tas 16 ditas
d! as 18 ditas
d'?s 20 ditas
ditas 22 ditas
d!as 25 ditas
d!as 30 ditas
J.?8 35 ditas
ditas 4Q j^g
isqaaes se vender por procos commodos e roga-seas pessoas oue deUasfizeram ,
Ao publico. .
O abaixo assignado declara ao corpo do
mercio que nesta data comproa ao Sr. Bom
Gomes de Faria, soa labarna sita no larro'duJ
Pilar d. 17, em Fra de Porla, lirre e desemlara-
Cada de toda e qualquor divida. Recife 23 4a fe
vereiro Je 1870.
flenncnpgildo Scvcriano Goncalve
AMA DE LEIT
Precisa se de uma
Queim.ido n. 49.
ama de leite : na ru;i do
Precisase de uma ama que saina coziuoar
trata-se na rua Nova n. 18,
* ?
COMPRAS.
Compra-se papel para embrulho de tjoal-
q'ier qualidade, no paleo do Carmo equina da
rua de Hortas armazem n. i.
Cabellos
Na rua do Queimado n. 6,1* andar, salaj de
eabellelreiro, eompra-se continuada ment cabellos
ompridos.
Comprase uma carnea que esttia era bom
estado : na rua Noy, loja n. 7.
Compra-se
15
16
18
20
22
25
30
35
40
duas oci trs venecianas era segunda man.poivni
queestejamperreits : a tratar na loja da rua Nova
n. 13.
Casa terrea.
Compra-se uma casa terrea : tratar na rua
da Madre de Deus n. 16. loja.
Comprara se moedas de ouro e prata de lo-
tos os valores, ouro e prata em obras nulisada--
incautes e mais pedras preciosas: na loja de
mrives do arco da Conceicao, no Recife.
RUA DA CADEIA N.
W^ ""^ T) S f^
. 2.. Er n "
yt> C 3) S
yi
I
s

rp
~


as S w
95 o
CD
J.
3 M *
-Si
os-o a
I-
* B

-a 3
-3 O
O, 05

6
a
3 as.
" < CO f
"S 3' o 5-
CARNAVAL
hnnitn ,tnm > ,1't,!usiastas des,e S-ande brinquedo qH3 quiz..rera muir e -le um
bonito dom.no, dinjam-se ao armazem de Gomes, Silva d C. onde encoWrarS u
lindo e vanado sortimento de dminos do velado, que venden
por progos muito
\mm do
,., .rsA ,0 dminos fcilmente podcrci/cscolhcr vossa
rara feos a capnceo por eximios artistas.
Corre i
sasfafo >orqu
D 5 3 a> n
o ^6*
SacasS
3f.S
as w i co co
2 j= T o g _.
3C O"" o 3,
S?a.g 3oj
O 3-i
J S S s; S
n:iii
J a
a
10__Eua Nova_._10
Armazem de fazendas e reupas felia.s
Ama
Precisa-^;: t!j urna ama : a tratar no pateo do
:>. Peiro n. 10,1 andar, entrada pela rua do F.igo.
Ama
Precisa-se de uma ama : na Camba do Carmo .
n. 9, sobrado.
Precisase de ura otnem paral'eitor de um
'npenho, qne enha as necessarias tabitacfles
raia-se na rua o Apollo n. SO.
Alaga e uma ft era va para o servico d-?
casa : na rua d> Imperador n. o, 3 andar."
FetorT
Prec^a-S3 di um trabalbadrr para tratar de
um sitio pequea, p,iga-se a soceo, e prcrere-c
casado : a tratar na rua Nova n. 1 andar
Ama
Precisa se de uma ama para ca-1
pessoa : a tratar na rua da Hortas,
mero.'o.
<* S a 3 | g
a Z 3 S ?
Pilleo
> I 2.5 2 3
,2. as S co
o >; g .
n> q<- tD SJ
K i a
I
sobrado nu-
AMA
Precisa se de urna ama para o ervico jal *
de pequea lamilia : na rua do Vicario 5. ter-
ceiro anda-
Lom muito aiaior vantagem compram-sc
noedas de ouro e, prata : na loja de joias do Co-
acao de Ouro n. 2 D, roa do Cabug.
ESCHAYOS
Compram-se e vendera se diariamente para fra
dentro da provincia escravos de todas as idades,
ores e sexos, com tanto que sejam sadios : no
erceiro andar do sobrado n. 36, rua das Crnzcs
regnezia de Santo Antonio.
0 muzeo de joias
Na rua do Cabug n. % compra-se ouro, pratH
pedras preciosas por presos mais vantaiosos d
pie em outra qualquer parte.
AO CAMPOS
Na rua do Imperador n. 28, vende-se
os agames gemios de superior quaOdade,
a saber :
Presuntos iogli zes (para fiambre).
Qneij s ingleses (muito novos.)
A verdadeii i mma de araruta.
C-ip.is lapidados (muilo finos.)
Latas ceta lagostas a 6(0 rs.
Licor aya pana).
Ovas do sertao.
E uma tranca de ceblas por 810rs. !!!.
S no armazf em do
Campos.
Rnaifo Impera !or n. 2.
Ama (le leite"
Quem f reeisar de anta escrava de boa saude e
-.em filho, dinja-se a rua das Cruzes n :H.
lifiau
Na tinr;a franceza, rua da I .ipcralriz n. 53,
^ngein-sa vestuarios de cores asmis enuisitas
^uese podfm desojar para os bailes maccarados, c
tainbem iinv. m se a scceo .o# que tiverem alau-
raas nodoas. B
No da 21 oh -22 de ja ciro foi embarca-
do no Recife a bordo da barcada Ba Sorte
Navegante que do porro do Barreiros t
barris com sardinhas, cujos n'io tem desti-
no algum, quem fr -scudono e dersigr.aes
ceito na rua do Pilar n. 99, Ibe serio >m-
tregues pelo .aj so assipado depois de
pagar as despezas.
Recife, 18 de fevereiro .le IS'O.
Agredo .1. da S. Freir.
ITfl BIUK
0 RUA DA FMPERATRIZ 9
=sSsSffi5r sr.
ATTENCAO
Vendem-sa ^ucijos de
rhepadosno ultimo vapur :
ffortas. armazem n. 1.
Minas muito frescaes.
nu c-.(i:fria da rua de
llenriqtie Vogeley
MILES DE MASCAJS
(J Anlre fk-lenp lurm mm f,i.._,i......... -"-'*'
Boa pinga do Douro
l'rli\- Pereira da Silva, ru da Intperatrlz n
60, acaba de re eber uma nova remessa do sen
muitn acreditado vinho puro do Douro, o muilo
proprio para este clima por nao ter coiifeceao, e
vente era barri? de 10 a 323.
Cal nova de LisboaT
de5carrrfr;;da boje do patacho Varia ; e vende
Joaquim Jos Ramos, na rua da Cruz n. 8. Dri-
ll ciro andar. '
A VEflDADE
55Rua do Queimado55
A VKRDADE tendo em deposito gran<
quandade de niiudezase perfumaras, e d?
sejando apurar dinheiroe ade: f(.
guezia est rss.Kida a vender a.uitisinw
paralo, ; por cssa razao convida acre
tavel publico a vil comp.i
do a sorlir.se do borne barato ua
do a Vcrdnde appareco, ludo mais u>>
apparece....
Grande sortimento de bonecc s de cera
raassa as mais lindas possiveis vestidas ax
racter.
Abotoaduras raoderuas para col
letea.......
EspelhoS dunrados pepnenos. .
Agulhas de osso para crox a .
Peales p.^ra regag com esntas a
Ricos globos para candteiro de gaz a
Charnins a.......
Grande sortimento de objetos de
ronca para brinquedo de ocui.o
Garrafa com tinta a.....
Dita com agua florida verdad...ira a
Dita com dita dita a .
Frasco com oleo de babosa a oOO e
Dito com agua deCoIonia a 300 b
Gairafa com agua divina a. .
Frasco com extractos finos a .
LaUs pequeas com banha moito
fina a 120 e .......
Sabonetes de diversas qua ladet a
80, lG0,240e......
Finas escovas para dentea de 1^0 a
Lindos coques modernos a. ; .
Pavios para gaz, dszia a 240 o .
Escovas para facto a 500, GO e
Ditas para cabello a.....
Pentes pata tirar piolh'o a 100 e.
Briucos do cores, bonitos a 1G0 e
Pecas de tranca do la com 8
'aras por.......
Oleo para machina de costura,
frasco a........
Pennas d'aeo finas caixas a 800 e
Dita d'aco Perry, caixa a. .
Galaode algodao peca ....
Lindos boadinhos e euti
peca de 500 a......
Ditos de louca muilo fino a LIO o
Ditos para caica a l e. .'
Caixa com papel amizade a. ."
Ditas com envelopes a. .
Ditas com obreas a.' .
Caixa comagolbas mododourirdo'
Ditas de ditas dit;:s a.....
Thesoura para cosiuia a 2\0e
Caixa com linba do mar, a a .
Ltnha de <#c em novelloa [li-
bra) a .....
Carreteis de linba Alexandr d 70
at 200........
Grampos muito linos com pasea-
ros, duzia a .....
Cartas portuguesas, dosis a .
Ditas francezas a 2->20 c .
Papel almaco e de peso, resma a
35400, 3300 e .
^a muito lina para bordar, libra
Fita de algodao para debrum de
spalos, peca a.....
Ditas de laa para debrum Je ves-
tido, peca a ......
Pentes finos para segurar ca-
bello a....... j>2(
Ditos ditos de bfalo para alkr
a 210, 320 e......
Ditoa vi a aparar penns a .
Rosetas pretas, par a .
TrancadelSa I Oe
Fita de coz peca a i80 o .
.tes de latfo a.....
Sapatosde la para criauga ai
Grvala de sedas Calcadeiras a.......
Grande sortiinento de rendas das ll
Um par de suspensorio do I
100 res I !!! I! I
Xa Yerdade k rua do (|iiciiiAde
U. t.?.
2C
200
32
32(
10C
8GL>
1*300
!0C
720
SOC-
m
i^OOC
lar
32.o
60C
2^0C=f
'M
W
50C
20C
m
G.0
rjoc
m
30
kQC
DOC

G
30
[QC
'A
iOt
Ama de leite.
Precisado de una ama de leite :
Laraageiras n. 29, hotel.
previmos a su. iSwSlSiS Sa aulnn^ Steft!SSA de Pariz> u,Tt!'etei os sen,
.._ neste sentido podern w 5 ata" JrSM pfDlea V8 soir ,m de "$"
i todos os d;RS de b.ite- SienSS mUm^SSSVr" rUa d, Cf^'\on- 7-i>rimdro ^
;ea.f,lr..-errCofc*>Mjf^J7&!P*^"* fvertiiro e
L 'lonodiadei^rlS^^^-destesalao !
de eabellelreiro que pretenden! fecha-
ELEPHNT COM BOTAS
6BANW ARMAZEM DE PIANOS, MSICAS E LNSMNTOS
Na rua d Quartels, en. frenle a praeinln n
22, 1 e 2' andaies, tem um grande Bortimnlo do
vcsiuririos para a Iugar o, como sejam : don.iiiu-
de velludo, v.-l!j tina e de seda, gosto moderno ;
anim comoivetoarbs do principe, de velludo ri-
cao eme enfeitadi, vendemse e tambem aluem-
spp-r prccoro;nm..do. K
" ACAMANTES


ANTONIO
DE AZEVEDO
Ka roa da, Imperatrii, loj do Sarlhaldl n. 86 c
Araran. /2 tem graade sorlim,uto de domin-,
sondo de seda, alpaca decore?, lia e volbuiina
barato para acabar, a saber, 2, 33, ij, Sf, 8j
W3, vestuarios a carcter, todos de novos gosios
-a JV3 e : ca rua da 'nperairi nmeros
MSTtlIIA
N. il-HUA XOVA-N. t
... h^Sa^'S&'SJ^r*. ,ta ""^^r to-^*^*i**ii*-^i para^S

AFFONSO BLOND
como sejam :"os
. ~ Vo.idp-se urna escrava prea com 18 annos
de idado, robusta o sala, eotoha, engomma, cose
c lava, a tratar na rua do Rosario da Boa-rteta
n. 53. 23 andar.
??? 15 por cento de economa.Ifl
Et fumo dar iucem
29-RUA DO IMPERADO;! 29
Bicos econmico?, d Boa luz, de .500 a t ;000 rs.
Clon um.
HrtntHga era latas.
Vendes macteiga inglcza en latas de uma
iinra : no pateo do Carmo, esquina da m do
i"i I.5 11. .
Wf^S&5&i!S&B&&2X^
senooree p.-nutas. uicx>uu,as. tnes possuem unj teclado que se presta a todos os caprichos do
intencidada Jo numero Z piaKm o^'SffiB.^01 D6Sta >' S 5 a "W- ***> de origem assignado pelo Sr. Blondel. afim de provar a sua
AO PUBLICO
Atteiipo.
Jfeodem.se duas carrosas em bom cslad.n e un
Mniente dous u^is para as mesmas: a tratar m
na Dimla n. 101.
Xaropes n r gerantT
tirosell,.., ibacli, orchaia e goma-arab.ca na
conf.-ii.ina dos ananazes.
i-vM-no\de ch0!?ar ao GRANDE lU/.Ai;
LMVLUSAL, a rua Nova n. 2-,
m.\.NAom completo saettmento de. ma-
chinas para costura, dos autores mais eo-
nhecjdos, as quaes eslao em e.\posco no
jnesmo Bazar, garantndo'-f c a Ma boa qu?-
lidade, e tambem ensina-.-c- com pe.fe
ajodos os^crmprdoi'es. Estas macbi
sao iguaes no seu trabalho ao de :J0 em
reirs diariamente, e a sua perfeicSe
como da meloor cosluroii a de Tai is. \v.w-
sentam-se traballios execuiados pelas i
mas, que muilo devem agradar ao pre-
lo Recite, I IDA W rifi^^o^^^ ^/hSfft!!^^ ^!K0* W-o nico deposito de seus pa* na cid.de
Mdo por sm Azeveuo. mu 3 s,m que tedos os seus pianos ir3o accompanbados de um certificado de origem assic-
Paris, .24 de julho de ^889(Asssignado) llphonse bIa.^i
O aanoctan tambem troca e alafa Danos P tamn ?.?'* .
ga^o h temo maiore mais esplendido sortimentof de novas
be directamente da Europa e do Rio d ?-B^ 7 ^T ^A^ON
if lo d papel para nwsicae deaenho ; SU ^Va doTlnS. rs:Felppa^ l rmaghi. Narciso, Arihur NapoleSo C,
Loqu:- do nudreperolj i, P tj,,.
madrenerhla, muilo preprio p.-ra r. i'.u cb
rain a loja do Pa-->o a rua do Cre?|M n. 7' \
sn como wqnisshnos ol,- les de luoquira de
das as cores, vestaanos b .
moB, meias de eseoeia (n
to afias nara asExroas. Sino. ,|U gt slam and.-'f
.le apntmlio raso e outr- |40B je m .
toqne ns proprictarios d(
te. "fcmtca ten grande sor
Km Nu de Milla Laiham A C. rua da CrM n.
us, \en(lem-.~e chumbo de munioaa, oleo de Milu
Q., lona e su-c.. vasi .
woel
berto
ados. qoadradoi e ovaes, fxiohaiXSS eSf Z ^aVUraS e ^^sopirt ornamentos da sala?, oleados para
prca, ias e agulhas pan bordar, a m>- &tosar Mpm, Hogios com despertador, vidros para
41 ro, o qtf3! estara

Na tiuarla-Mra de Cinzs i de marro, p?.
0 ^IVtl'r"d Mnnto o barato.
Labyrinios
Para a qaarasnia.
loja do Passo
W propr:,:i:inos dote imporfanio
[lo receterao p,-|0 ubiino v...
de gorgura preto
in'.-ir
temus sonimom
Diiijam-se, pois,
comprar em ard>0H, r
scienl
zer nog.vio, sto 'm. i


Chegaram
'3 de htfim
muito i
10,
|UC ;
inh.i ardo.
i


6
Diario de Pe aambuco Sexla feira 25 Je Fevereiro de 1870.
6 Mil
ft*rF;4t
GALLO FILANTE
A RIJA M IMPERATRK !!
Esquina da ra da Aurora, em frente do caf Imperatriz.
N'este novo e sumptnoso cstabelecimento de fazendas encontraran as Exmas.
famjlias tudo quanlo possam desejar, tanto einartigos do raais rigoroso luxo, como em todas
as mais qualidades de fazendas,
Alera de so nctairem prvidos do que de melhor se encontra neste merend,
por todos os paquetes da Europa, reconom directamente o que era artigos de moda e
do mais apurado goso se encontra emParis, o que vem cada da augmentar s propor*
g3es de que dispSe este estabelecimonto para hera servir sua numerosa freguezi.
Gase comstras do s<-da e flores, fazen-
da inteiramente nova para vestidos de bailo.
Gravatas p- completo sortimento que se pode desejar.
Guipnre preto e bronco diversas largu-
ras e differentes gostos.
Gollas e punhos bordados para senhoras.
Guardanapos de iinlio pequeos e gran-
des.
Gorgur5o de seda preto e de cores.
Grosdenaples preto e de cores, haven-
do diversas qualidades e gostos.
Japonezes para seali ras, o melbor gos-
lo, e fazenda propria, p.ara as festas nos ar-
rabaldes o passeios a tarde.
Lazinbas de todas as qualidades, cores
e gostos, nao fleando nada a desejar, tal
o sortimento que existe para escolher.
Lencos, tudo quanlo pode haver desde
esguio ao algodo commum.
Leques de madreperola e osso, o mais va-
riado sortimento.
Ligas d seda, bordadas, para senhora.
Lavas de Jouvin, cb-gadas por lodosos va-
pores, sempre novo sortimento, quer em
pellica para homens e miraras, quer em fio
d'Escocia, brancas e de cores.
Algodo largo para lenres e toalhas de
is as qualidades qoe costuma vir ao. mer-
cado.
Alpacas le todo< o padres e qualida-
' So variadas que se nSo pndem descrever.
Ailnmscom musitas para collocar retratos,
delicado presente para qualqaer pessoa de
e- ina.
Atoalhado denho o algodo, braceo, e
de cores proprios para toallias.
LO
Bas juinas de,seda pretas e muito moder-
bem como de crochet, tu Jo de apurado
costo o feitio.
Baioes de mussdraa, madapolo, broncos
e do coros, para senhora e meninas.
Baragos de cores variado sortimento.
Babadinliqs on tiras bordadas em todas as
larguras.
lielbntina de todas as cores.
Bolsas de tapete para viagem, grande
wiadtdo de tamanhos e gostos.
Bombazina prelado todas as qualidades.
Bramante de litibo de \l palmos de lar-
gura, e todas as mais qualidades.
Brctanhas de linho c algodo, grande sor-
tnento.
Bros de linho branco e de cores, do mais
ommodo ao mais caro om qualidade, affian-
cando o que ha de melhor na especio.
Bros d'algodo completo sortimento e
variedade de pre;os.
css
Cassas de cores, o maior sortimento, pri-
maiidi pelo bom gosto e barateza, atientas-
as qualidades.
Ca -nbraias brancas, tapadas, e transparen-
tes de todas as qualidades e precos.
Camisinhas de cambraia de linho e cassa
borladas ricamente enfeitados para Sras.
Camisa para homens e meninos, to va-
lo sortimento que vai do mais ordinario
oaadapolo ao mais perfeito bardado de li-
aho e cambraia.
misas do meia, de flanclla, branease
de cores para homem. .
C semiras pretas e de cores, o melhor-
se pode imaginar, sendo d'isso a rae-
va o grande consummo dellas na
. i da casa.
lias de flores, para noivas e bailes,
m.iis candida flor de larangeira at
i mais interessanto grhalda.
Chapelmbas no melhor gosto,de todas as
es boje preferidas pelas 'senhoras de
apurado rigor na moda.
pos pretos do velludo, para senhoras,
ultimo gosto de Paris.
Chapeos Be sol, para s nhorase homens,
todos os pre;os e variados gostos.
:;dy com ricos padres para vestidos.
de todas as qualidades, avultado
e nao menos variedade de gostos,
6 impossivel descrever o sonimen-
ide de padroes e novos gostos,
artigo tudo quanto se podo desejar.
Cintos para senhoras o que se pode ima-
ginar de mellrir.
-. o melhor no gosto e nos entei-
uio8 ladlaDhos.
Colchas de soda com borlas, o mais apu-
-'.;) ok'.vor.
Diias de fusilo branco c de cores por
c tmmod
osde cambraia, ricamente borda-
i senhoras.
Cortinados de cambraia bordados e de
de m Ihor se pode desejar.
Madapolo; iodescrptivel o grande sor-
timento que ha neste genero, desde o mais
elevado preco ao menor, que se vendtjjm
pe?a e retalho por menos do que em-ou-
tra qualquer parte.
Mantas de blonde pora noivas : o apurado
gosto dos nossos correspondentes em Paris
habilita-nos a dizer que temos em MUSO
estabelecimento o que de melhor se dese-
ja para vestir e ornar urna noiva.
Mantas prelas de blond.
Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos pretos, trancados c lisos.
Mussclina branca e d3 cores, lindos e va-
riados padres.
Pannos pretos e de coros, desde o mais
barato ao mais superior, por preco muilo
commodo.
Pannos de crochet, para caderas e sofs.
Ditas de casemira muito finos para
mesa.
Paites bordados de linho, lisos e do al-
godo para camisa.
Princetas pretas o de cores.
Popona do seda e linho, com listras e
flores; fazenda lindsima.
Pelherinas para senhoras, do ultimo
gosto.
Perfumaras ; os mais finos extractos o
que de melhor e mais agradavel se pode
encontrar neste genero, e de mais fragante
e suave no olphato, teta o PAVILHAO DA
AURORA, desdo a verdadeira agua Flori-
da at o mais fino Bouqucl d'Atnour, fioal-
meflte ludo qoautu doro ocenpar o touen-
dor de urna senhora de gosto.
a
Saias bordadas, brancas, lisas e de cores
com follios c sem cites, o melhor possivel,
Sabidas de baile, de todas as cores.
Sedas pretas, de quadros, lavradas, lisas.
de listras do todas as '-ores c qualidades e
8 mais barato possivel.
Santafm de todas as cores e qualidades.
Taples grandes, lindas pinturas para 8
caderas, mais pequeos o de todos os ta
Rui dk> Crespo n> t\
Os proprietarios deste abtile-
cimento, alm dos muitos obje a ex-
postos a apreciarlo do respeitavel public, roan-
daram vir e acubam de receber pelo ultimo vapor
da Europa nra completo e vanado sortimento de
finas e mui acucada* especialidades, as quae es-
to resolvidos a vender, cdtno e de seu costante,
por pfecos muito baratinhos e coinniodos 0tra to-
dos, com tanto que o Galio...
Muilo superiores luvas de pellica, pretas, brau-
cas e de moi lindas c
Mui non 3 e lonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Sttperiore* pintes de lastwuga*#ara coaijes.
Lindos e ri Exnaas. senioras.
Superiores trancas pretas'e de cures com Vldri-
lhos o sem elle:; esta fazenda o que pod* haver
de melhor e mais boaito. .
Superiores o bonitoa leques de madreperola,
rnarm, gandan) oss,- sendo aqoelles brancos
com lindos desouho?, e esto!- pi -.
Muito superiores nioias lio de Esoessia para se-
nhoras, as qnaes sempre se vedemm por 30*000
a duzia- cntrctinto que nos as vendemos por 30,
alm destas, temos tambem grande, sortimento de
outras qualidades, entro aa quaes alguma muilo
finas. .
Boas bengalas de siipenor cahna da India p
castao de marllm cpm linda encantadoms figu-
ras do mesmo, neste genero o, que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
quantidade diroutras qualidades, como sejam.ma-
deira, baleia, osso, borracha,.etc. etc. ete.
Finos, bonitos e airoso cuicotinhos de cadea e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligan de seda e borracha
para segurar ai metas.
Boas meias de seda para sra;!iora"*e para meai
as de 1 a 12 annos de idado.
Navalhas cabo de maifim e tartaruga para fnzer
barba ; sao muito boas.e do mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vea tam-
bera aseguraras sua <;;ialidadi* e delicadeza.
Lindas o bellas npeHas para noiva
Superiores gDlifas para machina para crox.
Linha muito boa de peso, f;ouxa, para encNT
labvrratho.
Bons baralhos de carias para roltarete, assi;r.
como os tentoa para o naosnio lim.
Grande e v.nado sortimento das ratlhores per-
fumaras e dos memores e mais conhocidos per-
fumistas.
COLARES DE ROEH.
Elctricos magnticos contra as cotvralsoes, e
taeilitam a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muit recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los po*. todos os
vaporea, ani de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem scontecido, assim pois poderao aquel
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deros coliaros, e os quaes attendendo-se ao fin
para que sao applicados, se veederao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dosebjectos que deixamos
declarados, a 13 nossos fregnezes e amigos a viren,
comprar por precos muito razoaveis oja do gallo
vigilante, roa do'Ci-espo n. 7.______________
Gratrdo arsazem de fazen
c ronpas lenas na drlapertlrz
n. SS, porta larga, de Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito aortimentc
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 35, 3iJ500 at 60. Ditos *
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 50, 6#, 80 e 100, de panno prefc
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo Anos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de tres de 3500 a 5i5000. Galeas de brim de cor finas e OFdiarias, dita*
brancas de todas as qualidades, ditas-de brim pardo Gno e ordinario, ditas de casemira
de cor e prela de 40, U, U a iU. Colletes de todas as qualidades e preco ras
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algod5o e de linho de ?.$ JJW"
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de linho e bramante a 20 e 20300.
Gratatas (mantas) novissimo gosto a tolos os precos. Meias sortimento completo a 3#,
W> al 70 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto para homem, como
para meninos, e cora brevidade, por isso que tem um bonito'sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemtras como brios, pannos finos e outras muitas la-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de II palmos do largura a 10800 o metro.
Camnraias de cor e-branca.
Alpacas de todas as cores a GVO rs, o covado.
Poil-de-chvre cora lista de seda fazenda de gosto a 10200.
Basquics de guipure enfeiladas a 18)5000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 60500, 70, 80 e 90000.
Algodo peca com 20 jardas a 40500, 50500 e 60000.
Peca de algodo largo a 70500.
E outras muitas fazendas que ser nfadonho mencionar Cheguem roopa
feita que'se est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
LEJO DA PORTA LARGA
DE- N
Paredes Porto.

Mikroskope achroma-
tisehen. Objeliv Lin- ^^JJ?______
StJ.
Barmetro e termos
metre. Centigrade
e rcuumeure.
Machinas vaporde
forca d9 S e 4ca-
vall
M -I
:os de linho bordados e lisos, o manhos desejaveis, c era peca para co-
- n-timento. Vi/
I-E> Toallas de labvrintho, do'maior e mais
Damasco de 13a de 9 palmos de largura-fino irabalho ao mais baraio.
lindas c5res e ricos padres.
QB
Esparthos branjos e de cores, para se-
nhoras e meninas, o melhor neste genero ;
Qcnhnma Sra. deixar por certo de muir
se de to precioso auxiliar perfeico de
am corpo delicado.
Entremeios bordados.
- Escomilha preta.
Enteites para cabeca, ultima moda de
Pt8, recebida no ultimo paquete.
Esgoio de linho, completo sortimento de
tod-"3 os nmeros.
1.1*
Toalhas de linho e algodo de todos os
tamaitos, linas e felpudas.
Tarlatana branca com palmas e de cores,
fascuda muito nova, e gostos delicados pro-
pria para baile.
Vistuarios bordados de fusto brancos
de cores para meninos, do cambraia para
baptizados-, o que de melhor tem vindo a
este mercado.
Vestidos de 15a escoceza de 2 saias,
novidade pelopadro. gosto eforma; ditos
de linho com barras de. cores, e de cam-
braia de cores cora 2 saias, tudo inteira
Filas largas escocesas para cintos, vari-novidade, trazom os modellos juntos, para
dade de gostos e lindos padres, .mostrar a forma de os fa/.er.
Fiihs de crochet, modernos com cintos! Veos de blond para noivas c prelospara
e capas, o qoe ha de melhor. j luto.
Fil de seda, linho c algodo, de todos i Vestidos de blond pira noivas: podemos
os gostos e padres. asseverar as. nossas Exmas. fregnezas, que
FttStSo de todas "as cores c qualidades somos os nicos em Pernambuco que pode-
grande sortimento. mos olerecer ao Ilustrado publico, o mais
Flanella branca e decores. 'apuradogosto em semelhante materia, gra-
F'nres, o que ha de mais rico, quer cas ao bomgoslo do nosso fortiecedor em
solas i qner em ramos, teraoPAVILHA) Paris, podemos garantir que ninguem neste
DA AURORA am permanente jardim a genero o possue melhor, nem mais em
disposico das Exmas. familias. cunta.
E' dispondo d to grande e variado i-ortimento que oj proprietarios do PA-
VILHAO DA AURORA se apresentam ao publico declarando desde j que a sincerida-
i o bofti gostoo movel nico de seus negocios.
Prvidos de tudo e promptos sempre a prover-se do que por ventura lhe
io;a necessarii, os proprietarios deste sumptnoso estabelecimento recommondam-se
sem receto de serem contradictos e proteslam esforcar-se por continuar a merecer
:o que se Ibes tem dispensado ; certos de que do seu estabelecimento nao sahira
o freguez descontente.
Contina sempre a offiema de alfaiate dirigida por ura dos mais habis artis-
tas, prompto executar com proraptido e bom gosto qualquer trabalho que lhe sejaJ
confiado. Urna modisla especialmente ecupada nos trahalhos do PAVILHAO D ^ AU-
RORA, dirige os que lhe sao coneerneute*, garante por seu apurado gosto e promptido
na BXBCOCjSo e a mais completa perfeico nos seus tiabalhos.
A numerosa freguezia que nos honra urna prova de que merecemos o con-
cito que se dispensa ao nosso estabelecimento, conceilo que procuraremos firmar cada
vez mais. Para facilitar-ainda a concecuco do fim que nos propomos, temosoo nosso
iecimeoto o oltmos figurinos de Paris, que recebemos por todos'os paquetes, os
\-iaremos para serem vistos as familias nossas freguezas, afim de escolherem,
Na officina de alfaiate, junto ao estabelecimento, ha igualmente os Agarraos
lomens que por todos os vapores se recebem.
F.' este o modo porque nos aposentamos pedindo a proteccao do illustrado
i> com o n undo respeito convidamos s excellentfesiroas Sras. a visi-
o nosso estabelecimento, certas de encontrarem nelle pelo menor prep) possive-
luepodemdesejai
Mamlai s levar as fazendas e amostras onde forera pedida, visto
s espect quanlo temos.
Joo Luiz, Solnriho # C.
Aborto das 6 s 9 horas da noite.
Motores para i cavrdlos.
Arados americanos.
Machinas de facao o serrotes para
rocar algodo.
Balancas para armazem e balco.
Camas de forro.
Cofres de ferro de Milnez e de
ield.
Prencss para copiar carlas
Fogao americano palent
isca-
Uhit-
E crystal de roefea do Brasil.
Sementes
rDo horUlicas novas e sag a 120 res a libra,
no H.ilisa, ra do Livramenlo n. 38.
CARIBAIiM
Rata fin Emperatriz u. 50.
r.OltTES DE CASEMIRA PRETA A 35500.
Vende-so cortes do ca-emira prela para caigas
a 3*300, 4*000, 5*000 o 6*000 r*. ditos casemi-
ra de corte com lisias do lado a o* e 6* o corte:
ra da Imperatriz n. 56.
GROSDENAl'I.E PRETO A 2*500 COVADO.
Vndese grosdenaple preto para vestidos de
senhora a 2*500, 3*000 e 3*500 o covado.
PAN.NO PRETO A 2*200 O COVADO.
Vende-se panno preto para caigas e "palitots a
2*200,1*500, 3*000, 3*500, 4*000 e 5*000 o co-
vado.
CHITAS FRANCEZAS A 280 O COVADO.
Ver.de-se chitas francezas finas para vestidos a
280, 320 e 360 o covado.
MADAPOLO ENTESTADO A 3*500.
Vende-se' prssas de madapolo infestado com
12 jardas a 3*500, e pessas de dito com 24 jar-
das a 5*000, 5*500, 6*, 7*, 8* e 9*.
CASSAS FRANCEZAS A 240 O COVADO
Vende-se cassas francezas linas para vestidos
a 240 o covado.
ALG0D05IN1I0 A 4*000 A PECA.
Vende-se pecas de algodaosinho a 4*, 8*, 65 e
OAXGA PARA CALCAS A 320 O COVADO
Vende-5 s gangas para caigas e palitots a 320 o
covado, e brim de cores com listas do lado a 4* o
covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A 500.
Vende-se alpaea de cores para vestidos a 500 e
6i0 o covado, e outras muitas fazendas qu se li-
quidara para Asar cuntas, sem reserva de prego :
a ra da Imperatriz, loja do Garibaldi n. 56.
GAZ GAZ GAZ
Chegon ao antigo deposito de Henry Forster &
1., roa do Imperador, om carregatnento de gai
de primeira qualidade; o qual se vende em partida
e a retalho por menos prego do que em on.tr qual-
qner parte.______
Vende-se a metade de nm sitio no lugar
Cruz do Rebougo, na estrada de Iguarass, flea
urna legoa pequea qoem da villa, o qual tem
urna excellenta casa de pedra e cal feita ha quatro
annos, e tem muitos arvoredos de frocto, como
larangeiras, c; fezeiros, etc., e bastante trra para
roca e plantagao de canna. Essc sitio foi do falle-
cido Bente de Carvamo Bastos: quera quizer com-
prar a metade, dirija-se a ra do Livrrmento, loja
a. 18.
F. .5. ;t'rsaauii. recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa
dos; porque, cora este! vidros, a vista descanca, fortuica-se e nao a ca'nca como com
os vidros ordinarios. Una vez escomido um vidro, pode durar doz annos, emqaanto
que, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-los todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do 'ho e determina quaSi sempre do-
res de cabeca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do lho, e,
todas as vezes que o objecto est raais perto ou mais loagd, os raios que expelle sao
mui convergentes ou no divergentes e a viso nao perfeita. Um grande numsro de
pessoas te o delato de fazer convergir muito de sorte que a visao nao distincta.
Com a applicaco de meus vidros pdese vcn.-.er estas difficuldades. Para os que tem
a vista curta e cujo crystalino mui convexo (o que- faz ver bem, de perto, c mal de
longe), o que se chama rayo pe, por meio de um vidro concavo affasta-soo ponto d3
vista, o que faz divergir os objectos e- deixa ver to longo como as outras vistas. Quan-
do o crystalino muito chato, o qne.saccede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se chama presbyta, veem msdior de longe que de perto, e nao ensergam sen5o
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; cora um vidro convexo, estes enxergarao
c distinctamente como na idade di 15 annos. Sorvindo-se destes vidros quando e
vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
F. f. Gersaactn encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a e s
eolher, a primeira vista, seja qual for a Hade egro de vista, oculos proprios para
nnaiquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Para a vista myope, (vista curta). ( Para a vista que nao supporta os raios
Par?, vista que se cobre de nuvens. j solares nem grande claridade.
Para a vista que por momentos, v es- para fl ^ operada da catarala<
3 cordeiro previdente
Ra o tueiuiutio u. ttt.
Sovoeva rtimento de perfuman
s.
Alm 4o eompflVflNfento de perfc
taarias, deque eJcctivan.eDte est prvida
toja doCofdeito Providente, ella acaba d*
receksr vm omo swtiraento me se torna
nouvel peta variedad* de (>, pen
bi4e, qixtiilades ecamiod'' iades de piv
qos; assim, pois.oGMdeiroPevidente peo*
espera conHaaar a merecer a apreciac>
do respeitavel imbtioo em geral e. de su*
boa fregc2ia em particular, ro se sa
lando ete de sua bsm conhecids-mansidl
8 barateza. Em dita loja encontrarlo o*
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Mnrray d Lamfcan.
Dita de Cologne ingleza, americana, fra*
ceaa, todas dosra*elhores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita d(>s Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservacSo *
asseio da bocea.
Cosmetiqnes do superior qnalidads e m
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, co
pomada fina para cabello.
Frascos com di{a japoneaa, transparente
e ontras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos i
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel che
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qaaltfad*
com escolhidos cheiros, em frascos de di
rentes tamanhos. ,
Sabonetes em barras, maiores e menor
para raaos.
Ditos transparentes, redondos e em fign
ras de meninos.
Ditos muito finos em caisinha parabarb
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
(metas.
Ditas de madeira invernisada conteni
aas perfumarias, muilo propiias para pro
ientes.
Ditas de papolao igualmente bonitas, tas
bem de perfumarias finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e 4-
moldes novos e elegantes, com p de arro
boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentee.
Pos de caraphora e outras differenta
qualidades tambem para denles.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda mais coqnes.
Um oulro sortimento de coques de na
os e bonitos moldes com filets de vidrbo
i a'guns d'clles ornados de flores e tas
sto todos expostos apreciacao de cps
>s pretenda comprar.
G0LL1NIIAS L PUNHOS CORDADOS.
Obras de muiogosto e perfeico.
Fivclas c rh para ciaos'.
Bello e variado sortimento de taes obj*
ios, ficando a Doa escolha ao gosto do ccb
prdor. ,_____________
BAPCl POPVIAB
DA
voacar pequeos ponlos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza.
Para a vista que os*olhos sao desiguaes.
Para a vista que se turva com o traba-
lho e a leilura.
Para a vista presbyta (vislagalon ).
Para a vista que as palpebras e3t!o cer
cadas de saugue.
Para a vista que ura dos olhos myop
c o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
1o olho se cobra de catarata.
. -5
de binculos
e oculos de
alcance para o campo e ma- :
rinha.
Sortimento
para theatro,
Lunetas, pince-nez e
ace--raain, ouro, prata,
tai-taruga, bafalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sortimento do relogios para parede, qne do horas epata
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada e foleada, inglezes, suissos e orisontaes dos melhores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. Era Pernambuco.
N. 21=Rua Nova. 21.
M1LH0
Vende-se no trapiche Barao do Livramento sac-
eos com milho, boa saccaria e por menos do quf
em ontra qualquer parte.
Estampas finas
A loja da Aurora receben boas estampas colo-
ridas, sendo das segointes qualidades : raorte do
justo peccador, enfermo e par a izo, das mais finas
que tem chegado na loja da Aurora na ma larga
do Rosillo n. 3S.
PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
MUMUCItrriCO, I, ME DES LIOIS-SIUT-PAUL, pars.
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
Cmm ISDIIB1TO de POTANfllO
O lodvreM de potassio im verdadeiro alterante, om depurador de ncontettavel efB-
eada; combinado com o xaropt da cascas da lara^ijaa amargas, o aturado
sem pertnrbacio algama pelos temperamentos os mais traeos, sem alterar as funecoes
do estomago. As doses mithematicas que elle contem permittem aos mdicos de receital-e
para toda u complicacoes as affcecoes escrofulosas, tuberculosas, oanoa-
rosas a nos accidentes mtermittentes a teroeiroe; alm d'isso, 4
agenu mais poderoso contra as doencas rheumatieaa.
FABRIfA MfJOSAl DA BAHA
DE
Teixeira UlduricQ S" C.
Acba-se venda este ptimo rap, -nico q
pdc suppnr fal/ do princeza de Liaboa, por s
de mui agradavel perfume, viajado, e a preco
mais mdico possiva ; c por isso tem sido ais*
acolhido as pracas a Baha, do Rio de J^meir';
em outras do imperio : ro escriiorio de Joacpji
Jos Gon ;alvcs BeltrSo, ra do Commercio no
mero t7
C'aixa Filia! do Mftcco do Ufa
sil em Fercarabnco, esa li|ai
da^o S5 de Janeiro de 2S9t>
A Caixa Glial vende o grande eeicoen
te sobrado sito ra Imperial n. 64, com
accoraodaccoes para grande familia, e tam-
bem vende a casa terrea contigua n. 66
tratar na mesma caixa ra do Commer
ci n. 34._________________________
TASSOTRMAS&C.
Vendem em seus nrmazens, no raes do Apolle
n. 7, Escadiuia n. 1 e ra do Amorim n. 37, os
seguiptes pencros :
Ac de Milao.
Milho em saceas grandes.
Farello em saceas de 90 libras.
Chumbo de municao sortido.
Mci.nl amarello para forro de navios.| _
Machinas para desenrocar algodo de lf, 1C e II
trras.
Kerosene em latos de 5 ga!5es.
Champagne do afamado fabricante Krug.
Hormoulh.
Vinho do Porto engarrafado.
Coac do afamado fabricante Gauticr Frras.
Fogo da China, caixinhas, 40 cartas n. i. Extra.
Genebra ingleza Od ton
Cimento Romano.
Cimento Hidrulico. ,
Cimento Portland.
Gesso para estuques.
Catinos de barro para esgotos.
Gradeamentos de ferro para jardlns, calcadas ete
Carros de mo para servicos de armazens.
Garrafoes com o galoes de vinagre tinto,
dem com 3 galoes de vinagre tinto.
Chumbo era barra.
Especial para limas.
Em porcao e a retalho, vende-se no armaiem
de pianos e msicas do Azevedo, roa Nova Ho-
mero I).
Farinlia de mandioca.
De superior qualidade e em saceos grsnde?.
vende-se nos armazens da compsnhta Pernambn-
cana, caes da A3sembla.
XAROPE TNICO ANTI-NERVOSO
a aaaeas 4a bumnjas amargas.
35 annos de successos attestio a sua effi-
caeia para corar: ai doenfas nervosa*,
guia* ou rhronicas, as gastritis, tcmtral-
uu; facilitar a digestio.
XAROPE FERRUGINOSO
de cseas d laranjas quassta amare.
E' sob a forma liquida qoe mais fcilmen-
te se asimila o ferro; n'estt forma prefe-
rivei as pilulasepastil'nasen todososcaso
em que sao preteriptos os ferruginosos.
DENTIFRICIOS LAROZE
COM QUINA, PTRITHRO I GAIACO
lixr antrrio, para a airara e con-
servacAo dos denles, curando as dores
causadas pela caria ou prodnsidas pelo
Miado da calor o* do Cria
va pan a alvura e conservacSo dos dentss,
provenindo a deecaraadara, provooaaaa a
trtaro de que empede raprodoelo.
asuM* a Jas as /sastra. |. cmsislaS; m Ptrntmtum, r. Mw C; tm Mont,
em Pttom, atara Latvaa; aa sate, aa asesav Porto Atoan, aaf
rrotfr as, a.
UomMomiooUoo,:
M
aHMMMlyfiW,
CADET
C U RA
m TRES DAS
?enain



Diario de Pernambuco Sexta feira 25 de Fevereiro de 1870.

F i

DE
BARATAS, HA LOJEARiAZEi
_____ DO ^
DE
FBIIX PEUEIRA BA SUVA.
Rua dfi Imperatriz n. 60.
0 proprietiiio de.-to grande estibi'lecnirn!o, tendo dado halaneo no fim do
Hipo, ciiao de eostunw o vendo t\\\c liaba ura grande deposito de lazendas, o juntan-
d > i essKs outras militas que Ihe tera ebegado este anno, tem resolvido fazer urna Ll-
Ol'lACAO por ruceos uuilo mais baratos com o fim de diminuir a quantidade e apurar
IMNliEHtO.
O respeitavel publico ooconlra neste estabelecimento,, nao so um grande sor-
tanenlo .lo mis apurado gosto e luxo, assim como todas as fazendas de primtira ne-
es-id i.1.;, e do tedas se dio as amostra* com penbor: as pessoas que negeciam em pe-
i oscaila, nesta casa podem sortir-se de um todo, venicndo-se-Ihes pelos mesmos
s das casas ingle-
Sxplendido SOrtilIientO de Crochs para cadeiras e sof*
GIANBE If?
roupas teitis
NA LOJA DO PAVO A RA DA
I.MPERA.TUZ N. 60
Acha-se este graude estabelecimento com-
jlv. -ente sorlido das melhores roupas,
Wtdo calcas ps'ilols e cole'es de casemira,
jp panno, de brira, de alpaca, e de todas
*s IB idus que os compradores pos-
ma desojar, assim como -na mesma toja
veic um bello sortimento do pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
"fiui'^uer peca de obra, com a maior prorap-
;i'i;'-o vontade do reguez, e nao sendo
JWpdos a acceita-as, qaando
O P*vio tem um grande sortimealo dos
mais bonitos crochs proprios para cadei-
ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
como proprios para cobrir presentes, e ven-
de-sc mais barato do que cm outra qual-
quer parte,
ALGODAO ENFES1ADO
Vende-se urna grande porcao de algodSo-
sinbo americano com 8 palmos de largura
proprio para lences e toalhas tendo liso e
trrncado que se vende por preco muito em
conta.
"anos de Bicho
Chcgou um grande sortimento de pecas
Quanuo a AGUIA BRRNCA, mais precisa soienlificar ao respeitavel publico em
geral, e em paniculada sua boa freguezi, da immensidade de objectos que ltimamen-
te tem receido, joslamoiiUvquando ella menos o pode fazer e porque essa falla invo-
luntaria ella confia o espera na benevolencia de todos que Ih'a iitenderao e reloaarao,
continuando portanto a dirigirem-se a bem cenhecida \< ja da AGUJA BRANCA ra do
Queimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em soi limento de soperioridade em
qualidades. modcidade em procos e o seu nunca desmeiittido AGUADO E SINCERIDADE
Do que cima dea dito se conheceque o teirtfo te qu^ a AGUJA URANO\ pode
dispr, empregido apezar de seus cusios n.ideswnpenho de bmu servir a aquellos que a
hnriram procurando prover-se etu dita loja do que necessitani. entretanto sem ennunic-
rar os objectos que por sua natureza sao mais conheeidos ali. ella resumidamente indi-
car aquellos coja importancia, elegancia c novidade os tontas recommendaveis, como
btm seja :
'Corpinhcs de cambraia, primorosamente! Capellas brancas para meninas,
enfeitados com litas de setim e obras essas Grandes aortimetito de flores finas,
cuja novidade de molde e perfeirio de ador-
nos rs ton.am apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Fil
de suda, preto.
rJ.MARIA
Grande o. constante sortimento de dita,
sempiv mdhor quajidade.
Loques iiesse objecto muito sepoderiaj Lindos rasos com po de arroz o pinsel,
man rn Adtpism *-"-*"" "'" S""" ouiuuilihu ue pey,ab
'ato tsta SE ,e panno de ,ho d0 Prt0 9ue se vendem
S^JSiK do t 1*000 a vara, garantindo-se
tatamente ao seu cont .... uo rs
o vasto estabelecimento encontrara o _,,. nm ..JS. ,- ~ p
,-espoitavel publico um bello sortimento de ?huner cJ? L1'^0"30 a Sada T"
r^isas francezas e ingiezas, ceroulas de fe* Ueia maiS pr0pno para lea&* s toa"
.abo e algodo e outros muitos arligos
I tos para homens e senhoras promet-
i-se-lhe vender mais barato do que em
NUtra quajqBjer parte. Na ra da Impera-
r n. 30, loja e armazeo de Flix Ferei-
a da Silva.
Peehincha a 2$000
Para
lenqes.
Ta loja do Pavao venJe-fe. raptrior bramante
. i palmos de largara, danoa largura o cora
icoto do loneOl, sendo apenas preciso para
bd uiu e mcio, ou u-n c um qaarto me
; yfm desta aplmaco tem ouiras muita
jsrn arranjos de familias e vene so pelo barato
i de 2000 o metro Na loja do Pavao, raa
tifoperaWz n. 60. De Flix Pereira da Silva.
Gangas de liiiho
Veude-sa gangas de linho com qua irinhos
ftutto boa fazenda, para roupa tle homens
lenioos o vende-se pelo barato preco de
rs o covado:
fECiilNOJA EM PAUSO PBETO A 2:100.
O Pavao vende superior panno preto fino,
oara palfitots, calcas, coetes, etc., pelo ba-
cMissimo pre^o de 2:408, o cov?,do, gran-
de pe irn ha.
Coi i s de caseta!s*a ^irea a O Pavao vende os superiores cortes de
ebtg&irM pristas enfestadas, pelo barato
orof') de :500, peehincha.
PARA 0 CARNAVAL
Verbatlna afllO rs.
O Pava vende bonitas verbutinas de c-
res para dminos e outros trages do mas-
tfM pelo baratissimo preco de GO rs. o
ido.
.HINCHA, AlXODOSl.NHO A ;000,
O Pavao est vendendo pecas do algo-
dlosiii'io francez, tendo 4 palmos de largu-
ra con 11 metros cada peca, pelo barato
>de 'mJOOO.
ipecas de madapolo a 3:SM>.
O Pavo vendo pt*cas da muito bem ma-
i tendo 12 jardas cada urna pelo ba-
rato preco de 3:500.
GROSDENAPLES PRETOS.
Chegou para a loja do Pavo um grande
ment de grosdenaples pretos, tendo
de 16900 at 5>000 o covado neste genero
aelbors e ma s largos que t-em viudo ao,
Btteado, assim como bonitas sedas pretas
radas, u oireantiquesetc, todas esias fa-
zeadas, vendem-se mais barato do qno em
.utra qualquer parte, por haver grande
porrao.
PRCALLAS E CHITAS BARATAS.
O Pava) vende um grande sortimento
das mais bonitas chitas claras e escuras, mais
barato do que em outra qualquer parle.
cassas a S40 rs.
Vende-se na loja do Pav5o bonitas cas-
sas de cores fixas a 240, 280 e 300 rs. o
covado.
Caiitliraias brancas a 4:000 a pera.
SJ o Pavao vende pe?as de cambraia
branca transparente, tendo mais de vara de
ira, com 10 jardas cada peca, fazenda
stinpre se vendeu a 7,0000 e 85000,
la-so pao barato preco de 45000.
Visteas brilhantes a 1. e 800.
O Pa'.o tem o mais bello sortimento de
alpacas lavradae com as cores mais delica-
das que tem vindo ao mercado e tendo ba$-
ianb larguaa vendem-se pelo barato preco
800 rs. o covado._________
FVrinha de mandioca
te superior qnalidade, eem arto* grandes : ven-
*'-.( in.armaizem u. 11 dfl Onupauti a P.>rnarabu-
r:tes da assembtt'-a.
Ihas.
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chcgou um graEde sortimento des me-
jores chapeos de sol de eda, ingiezes ten-
do nesto artigo o raelhor que tem viudo ao
mercado assim como urna grande porcao de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em oilra qualquer paite, por haver
grande porcSo.
Os baloes do Pavo a 2&000,
Cheg' u um grande sortimento de baioes
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 2000 ca-
da um grande peehincha '
CRETONES MATEADOS PARA VESTIDOS
A 640 E 800 RS.
Para a loja do Pava chegaram os mais
bonitos cretones escuros matisados. pro-
prios para vestidos, roupo chambres etc.
que se vendem 800 rs. o covado, assim
como a mesma fazenda ova padres claros
proprios para vestidos e roupas de meni-
nos a 640 o covado, sendo os padroes mais
moderaos que tem vinpo ao mercado.
m n ir. mm m
LASINHAS LUSTROSAS A400RS. 0 C0-
VABO.
S o Pavo
Vende-se um grande sortimento das
nais modernas e -legantes lasinlias para
vestidos, com as cores mais novas que tem
indo a este mercado, sendo com listrinhas
niudinhas que par^cem de urna s cor e
;om tanto lustro que imitam perfectamente
is poopenas de seda, e vendem-sc pelo
oarato preco de 400 rs.
Os setins do Pavo
Vende-se os mais bonitos setins de cores
i mais encorpados proprios para vestidos
;endo te diversas cores.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Encontra o respeitavel publico oeste estabeleci-
oento um grande sortimento do fazendas pretas,
oino sejam, cassas francezas e Inglesas, chitas
tretas a todas as qualidades, falencia de laa de
ledas que tern viudo, proprias para luto, como
tejam, laaziohas, alpacas lavrada- e li-as, <;antao,
otobazicas, raerin, etc., que ludo se vsade por
>re$o barat.
Vladapolo francez a 7S000 rs#
Vende-se i>e?a3 de madapolao francez
,om 22 metros pelo baratissimo preco de
Ti500G a peca, peehincha.
Alias noYidades em sedas
Chegou um grande sortimento das mais
nodernas poupenas ou gorguroes de seda
linho com. os mais elegantes padres que
dizer querendo descreve-Ios minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao manar o p'e!m-
dente se Ihe apreaentara o que poder de
melhor.
ntremelos cm pecas de 12 liras.
Guipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de alpudao com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas ab;rlas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
em vindo a este mercado sendo, miodos e
(raudos, tanto em cortes para vestidos como
Mra vender em covado, assim como ora
xmiio sortimento das mais benitas sedas
listradas que se vende tudo muito em conta
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porcao de cera dlkilogrammo era sacca sefr abalimento.
.arnauha em saceos
lixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coqae.
Bonitos brincos de plaquee.
A'derec/is e biincos de madrepero'r.
Caivetes tinos para abrir latas.
Tnesouras para frisar babadinbos.
Aspas para bailo.
No vos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
i urnas substitium as mitras.
Vistas para stereoscopos.
Bondas caixinhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinqaedo de
Enxovaes completos para bapsados.
Tooquinhas de fil, sapatinhos bordados' enancas.
meis para ditos. i Diversos objectos de porcelana, proprios
Camisinhas bordadas para ditos. para enfeiles de mesa e de lapinhas.
auii i:
Yeiide-se por menos de 10, 20 e 30 [0
SO' NO
N. 23Largo do Terjo.N. 23.
DE
DOS SANTOS & C.
Os proprietarios deste bem sortido armzem de seceo e molhados estao re-
solvidos a fazere urna grande diminuicao de preces as suas mercadorias, como se apro-
xima a festa o sempre se fazera avultadas compras para o centro e praga, por
isso previnem ao respeitavel publico em geral, que mande fazer suas despencas e cer-
tos de que verlo a grande differeilca em precos mais do que em outra qnalquer parte
e garanlindo-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 9^500 a lata, e 440. SEVADLNlA E SAG 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 660 rs. o litro. 620 rs. o tlogramroo.
VIN110 VERBADEIRO FlGElRA 560; FARINHA DE ARARUTA VERDADE1RA
agarrafa, e 4^500 a caada e 800 rs o '.i- 640 a libra e 15400 o kilogrammo.
tro. BOLAXINiJA 1NGLEZA MUITO NOVA a
DEM DE LISBOA das raelbores marcas,! 400 rs. a libra e 800 rs. o klogrsmmo.
400, 440 o 500 rs. a garrafa, a 26800 e VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
3^200 a caada, 600 e 720 rs. o litro. i masso, em caixa ha abalimento.
DEM BRANCO DE LISBOA a 4,5000. PH0SPH0R0S DO GAZ E DE SEGU-
PARA NEGOCIO
POR PRECOS.MLITO BARATOS
RO BAZAR DA MODA
Ra Nova n. 50
Coques imilaciio do cabello,
guarnecidus de bellos enfeites
ultima a duzia i000
Papel superior de quadrinhos,
em caisas com 20 cadernos a. C40
Envelopes porcelana, mu to boa
fazenda o milheiros era caixi-
nhas de 100 ..... 7,5500
Botoes de osso bem pulidos para
calcas, a grosa 220
Ditos cobci los de superior setim
de todas as cores, a grosa dos
pequeos a 3000,e dos gran-
des a....... 4,)000
Ditos com interesantes* pboto-
graphias para punhos a duzia
de pares a...... 50000
Ditos de osso imitando o marfim
com lettras a duzia. 805OU
Ditos lizos muito boa fazenda a
duzia....... 3500
AbotuaJuris pata camisa sendo :
2 botoes para os punhos, 3
para abertura e 1 para o col-
larinho btncos, escariantes,
o pretos a dnJa s,5000
Brincos de efires a balao, cousa
mu'to cLiiv.i' a duzia de pares. I000
Lindos frasqunhos empalhados
:om bom exTraclo para lenco
.a duzia......'. 80000
Ditos.cm bonitas caixinhas ca-
da frasco a duzia. GVJ
Tinta para marcar roupa, muito
superior cada frasco em sua
caotinba a duzia. 6000
Livrinhos com capa de metal
douradoeco'cu bonitas oroces
para a aihs a duzia. .. 7|KK)
Sabonetes de amendoas amaa-
gas especalid de do BAZAR
DA MODA, a luzia 2*SD9
Lapis pretos de superior qualT-
^ dado, oftavados a grosa : > c i-SO00
Escovas finas ara (Jantes a du-
zia al ?SG00e..... :;;>000
Alflnetes muo bons, brancos e
pelos, a dozia de caixinhas a 2800
Pen'es pretos de muito boa qua-
lidade so grandes para alisar
a duzia....... 20700
Ditos marollos f.-zenda superior,
para alisar, a dozia. 10700
Ditos de borracha iom costas de
metal para repassar, a duzia. 2A400
Ditos enfeitados com contas de
cores a duzia a 4$. 5,-? e. 6000
Inten sssantes coquinbos capri,-
chosamenle escullidos deutro
- com um bom e hndo rosario
a duzia 100, 120 e 1-40000
Grande scrtinicnlu de miudesas.
Grande sortimento de quinquiihai ias.
Grande sortimento de perfumaras.
Pagamento reasado to mesmo mez da
compra com descont ci 10 o/0, ou Metra
acceita a seis niezes de praso.
Jos Soaret de Souza di C.
Popos tubulares ins-
tantneos.
Htitor & Sampayo.
Hita .\ova u. n.
Os annuiK-iaiitis r.r. ii.-un de preparar :r-
pocos tuoalarM lofiantu
do iuc 08 vincos lie futa do pi
dem per prrpL muito mai
dci-so do seu atientan) tilo t? I 'i atr.
dos melkorriinMitos Mos rvif qulj|uer
bomba. A- pessoas que qatzerem c mprar um
on ma3 desae tubos devem
dos anntinciaiitra : rua Hora n. 38.
Farinhade mandioca
em saceos grsndfis e do mperi-ir aoaltdade en-
de-se nos IrmaMM da Coirpanilla Ptrnamout
caes da Assembla n. l.
>t
J.A.MOREUDJAS
tpm constanternento em seu arctiacm ainada
Cratn.M, umtomplcto sortimento i<
Balanras eclawes.
Ditas nrisonties.
le y atena decimal.
Oi-rabas California .
tem sppare. id > ate toje.
Ciiiiiiiiii-, iir litro para eotdldro v. g;.z.
Lenas de t' daa as qualidades.
Agua Qorida.
I n. 87.
Vidrcs para vidiaei.
Tnico imperial.
a caada e 5(50 a garrafa, o 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, i^OO,
ti800 e 2;$200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, ea7 acanada, e 1(5340 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 16400 e
1/1280 a libra, 3060 o 2(5780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 2I00, 1980 e 1^8(50 o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a li
RANCA, 280, 400 c 560 rs. o masso,
35200 e 65500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 15280, 25500
35500,45500, 5;>500 a lata e a retalho e 15
a libra.
GOMMA DE MILIIO AMERICANA 400 rs
o masso. e em caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 55500
a duxia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEffiA IHLERSd
Resta venda um escolhido sortimento de ot.
lectos de marcinaria, como sejam, mobilias de Ja-
caranda, mogno eamareilo, obra nacional e estrn
feira, de apurado gosto e por proco.* razoaveis:
oa rna estreita do Rosario v. 32. Nesta mesmi
wsa fazem-se com perfeicao todos os trabalhos d
palhinha, como sejam, empalhamenlos de lastro-
!ra camas, cadeiras e sophs.
Ilk maaj'
a ojo do Pa^so
Os rcquissimos bot s de bit ttifs '.
manta e capella pava pasau en) .
tigo o que se pode desejar do melh. r i, lis ni -
derno, tambcm'cliegaram os crtteS de seda Jo c -
res novidade, e onlras ir.iii;;;s ,,.!>
qae chegaram pelo uJiimo vtpor trance*, f|
a luja do Passo a rea do Crespo 11. ,
Ra (I Lis en
A loja da Aurora na rua larca do RoMrio n,
38. pertencentea Manool J se I. pesAJrmao, fe-
cebeu o bom rap de Lisaoa em latas, do memor
e mais fresco que tem chegado a esta praca, cbj -
gando pelo vapor frnnciz em a mesma foja ven-
de de diversas rinald.vle*.
ESCRAVOS FiatO
Aviso s autoridades policir
c a quein competir
No (!ia 29 ile naiq do correle am
fngio o escravo Ezeqniet, crioulo de 30 i
anuos de dad, estatura regular, i
cor bem pida, cabeca redolida, trjava
mi a a/ul e caiga de cassentira dnm
durante o da costuma and
ras, ou era araazens de assucar ou
berras a conversar e. a bel ;
note lecollie-se a telhiros abortos, ou
netraveis, a casas ccii coostruc^So e
qoaesquer lugares, onde se pos>; abrii
qoera o apprebendor tehha a I
i'ondiizia a rua da Aurora n. 20, o
Imperador n. 2<>, onde ppi
4\
Aclta-se fgido o escrtvo Fraimisr, r
idade 90 anuos mais on menos, un ie'tii
urna persa s bmm, esw eserwo vefo ha ;
do Sobral, muito ladino, cm-n'r; -
dosconlia-so estar acontado, o qne dente ;
testa contra quemo liviT ft-itjo. Gral
quem o levar on dele der noticia na rua da
dio e leos n. .\ i andar.
De superior qualidade da mui accrediti
da fabrica de Hisquit Dubonch C, en
cognac urna das que mais agurdente dt
cognac, fornecem para o consummo di
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. rna di
ommbreio ri. 32.
Farinlii de mandioca
Vende-se farinha de mandioca nova o muito su-
perior, cliegada ultiinann-iite de Santa Calharina.
a bordo do lugre Alargarida, tundeado defronte di
trapiche do Exm. Barao do Livramento j e par
tratar rna do & mmercio n. 17, escriptorio de
Joaquim Jos (ioncalves Beliro.
bra, i $220 o kilogrammo, era porc5o se BKLL, 800 rs. a garrafa e9a dnzta.
far abatimento. VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANHA DE PORCO DE BALTIMOOR DIVERSAS MARCAS i$800, 10200, le
720 rs. a libra, o 15-560 o kilogrammo, cm 800 rs.. a garrafa.
porcao se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 2(j0 rs. o kilogrammo e
30400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 0 rs. o
kilogrammo, o GiSOOO a arroba.
CAF EM GRAO 65 e 6#>00 a arroba,
200.240 e 260 rs. a libra. 440 o 520 rs. o
XAROPE de H YP0PHSPH1TQ de SOOA
5AROPE'fJe FYPOPHDSPHITO de CAL
FiiUlASdeHYPOPHOSPHITO de QUINM

\&
:< AftOPE de HVPOPMOSPHiTO de f ERflQ
Od^AN6ANESIA
-
rHMA
PiSTILHAS PECTORAES^oCHRCHILL
Caijfir |hrt os aarbjm o fruuo qtutdrado em
too o produetoi a asiif natara o O" C3XTH-
Humada WJJfM. IX. r%aC*tiiUn,. PARS
por preco mais barato
lo que om outra qnaUquer: na. ioja do
Ja\o rua da Imperatriz 4n. 50. De Flix
'ereira da Silva.
ALPAGAS LAVRADAS
Vende-se a> mais bi)itas_alpHcas lavradas
cornosmelhore gostos a 640, bOO o IsiO'K),
o eovadi). albacas lisas de todas as cures a
OiO u T.'U rs., alpacas brancas lavradas li-
sas )s de cord5o.
ion palmas de seda a f 00 r
Para a loja do Pavo chegou um rico
sortimento das mais bonitas lasinltas com
palmas de seda tendo de tildas as cures e
padroes, sendo fazenda bastante larga e
vende-se a 100 o cavado.
AS CHITAS DO PAVAO
Vndese um bullante soiimenlo de
chitas claras e escuras por precos mais ba-
ratos do que em outra qualquer parle.
itoupa para esc r a vos
Vendo-se na loja do i'vao, um bonito
sialimento de roupa par escravos.
v PUPELINAS DO "PAVO A 300
Cbegarwn as mais lindas p^upclinas^e
2a com mitac5o das poupalinas de seda,
mi fazenda muito leve coni as mais un-
as cores, sendo: verdeBism'ark,roxa,aaul
yrio, c nsento, prolla etc, etc. o vendeifi
)elo baralissirao preco de tiOQ rs.
sicrinft de cordSo
Yende-se merino preto do cordo pro-
jrio para calcas, pauta, e pet*
iarattssrao' preco -de lOD0, o
SABAO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHAR1N E ALETRIA, 560 rs. a librare
1^220 o kilogrammo.
BOLAGHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri^
lhante, corabination, Francy-cracynel, mixed
BRACO
GENERRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 7 c 64 a frasqueira, e 500 rs. o
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
16 a frasqueira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
3^000, 2d8O0 e 25400 em caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra,, e 880 rs. o kilogrammo,
e 115500a arroba.
LINGICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 15000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TO a 1,5000 rs. a lata.
CHA FINOt GRAUDO E M1UDINH0
35200 o 25800 a lib^a, e 65100 o kilo-
grammo. #
I IDEM PROPRIG PARA NEGOaO 25000,
P52O0 e 15800, rs. a libra.
Rritania. Mdium, F3ncy-nic-nac, a, b, c, e
soda a 15000 e 15400, cada urna lata.
Assim Como ha outros. muitos gneros, vinho om ancoretas, aeitonas,
muito novas, passas e figos novos, charutos'de diversas marcas, marmelda, feita pelos
melhores consrveiros em Lisboa, gela de martpello, nSceg'o, ervilhas, em latas, por-
tuguezas e francezas, vinho \&c(\a engarrafado relaina. peixc em atas, bm como
pescada,, tainha, pargo, graz, lula, corvina, vezugo, cavaa, sarda e sardinhas de Nan-
tes. Ganella, cravo, ervadoce, coranho, pimenta, grr.ndesmo'lhos de sebolla i 15500.
Finalmente muitoi outros gneros que enfandoritio f inenciona-los.
Ra do Imperador n. 26
Nestenovo estabelecimento cncontra-se
diariamente um variado sortimeuto de bo
linhos para cli, pastis, podin-, bollos in-
giezes, paos de l. presuntos, ditos m fiam-
bre, superior cha Hysson, preto, e miudi-
nbo. Vinhos finos d.e todas as qualidade;
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, fructas muito boas, por-
luguezas e francezas.
Um completo e variado sortimento de
caixinhas.de todas os gestos e precos part
mimosear senhoras, estas caixinnas recen-
temente chegadas de Pars sao de primora-
do gosto, ofieresse-mo-las aosgalanteadore
do bello sexo pois nellas acharSo nm digno
e serio presente para as donas dos sew
pensamentos. Tarabem os apreciadores di
boa fumaca encontrarlo charutos dos me-
Fiiiiio rio engrnlm Camarsjiij'c i;
de Serinliacm pertenwntes i r,
WioYik'y os uscravos N?gomteB : San nel ci
\o baixo. groco, nariz chalo, diz ter i
tor sid( ci niprado ppqunno, Jo3o Caboc
de trila e lanti s tanet, pee chatos, vent: 9 arfer
bitailas, e.-latnra bai.xa. ror fiixaja. punca barfa
e esta na p< uta do queixo, Folippe mualo de ida-
de de 10 annos piAico mais ni nien 11
so. un dt-fciio algum, leve bixoB em pequeo,
rm punco appai eco; pur is.-o p.di so 5 utori-
dadea poliwaes e capuje de camp i a captura s
mcsmiis o lvalos no niesnio engenho i o na na
da Mui'dan. o, 2" andar pcrijitnrin de Manoel Al-
res Ferroira A (;. qne scriio gralili-;.ijus.
Fugio no dia 10 do coircnte mei a cabra Be-
venna, com os signaos segoiotes : altura i. .
ebria do corpo, testa estrella, olbos peq ieoos >
tieicos bastante roxo?, |pm o dedo minini '
esqnerda am poaco debrada para a palma da
representa ter 10 anuos pgui'l mais mi m
levou vesliilo ilc chita fn.Minaila, cun t:
docilita eom baria azul ; Irmoandar nm p n
empinado pira a frente : desconfli-so que e-i
oeculla em alguma casa, pelo qne se pro
tra a pessoa qoej tiver em casa, obrigaud i se na
par os ibas do servico : roga-se s autoridades
capitacs de campo que apprenendatn-a e Icvnn-n'i
rua do Sebn 29, otr f u Ao Amerim n. :;'.'.
qne ser genem;amente recnmpBHsado.
ATFMU)
Contina a estar fgido o esc.ravo preto de no-
mo Jos, idaae 40 annos, estatura regular, ron >
a proporcao, pouca barba, alguns cSbollos /.r-
eos na cabera, tem junto a bocea e no pee
lado direito iigoal de um arranli. .coja fr
mais clara que a da pello cm eongequencia do b'
sarado ha pouco, levou ehapo enfrento de feltr ,
camisa do chita roxa eon.ra branca e duas cal-
qas pardas, fui escravo do Sr. Mu- el Pereia
Vianna morador no (Jravat : quemo rapn
leve-o rua do Apollo n. 14, que sera geni i
mente recompensado _____~
Kugio do engenho Boa visl.i, na o.
Camaragibe, provincia das Alagoas, oeecravoJ
colo. de ida e ;ii annos, altura regular, pro i
do corpo, andar bauzeiro. tem falta de don;-> r-i
frente, rusto largo, barbado, eostuiuaas v<*
zer toda a barba, lem urna cicatriz na lei-le, e i
ps grossos ; este escravo anda fgido desde o da
16 do janerro do correBte anno : ivi:a h pot I
s auloridades policiaes n sys capilS
apprehensao d sse escravo, a eDlreitai no i
nho acim^ mencionado, oU nesta pfied a n
yigari i n. 12, oa traversa do Corpo SMt n. *!,
! andar, que si cratiticar generos>n>eno'._
Puglo no dia 2? de dexembro proxin pa-
sado a escrava Henriqueta, preta cnoul i, ida led i
20andps, ebeia do corpo, altura r ili r. ''
carapin|ios, testa larga, pellc grossa e Wpinh-nr,
beiQo- grossos, lincea trabde, dontet 181
frito, ollio' e mitos grandes com urna
cima de urna dolas, pos chatos c mi m re
tejido o andar
3 portan, l 53-Eua Direita-53
TT~
Na Iprja c armazem Oto Pat&o im tta Imj>era1!rfe n. 60.
Neste grande estabaleeiHiento, ha pura vender-
am completo snrtimeito da f*rraero, einHtdezBs
Qnas e grossas, como sejam bandeja biuezas
qpadfadn e garfj ae.l 3 bo-
.toes, batan
;llte1ris, b.
de ferro sonto da porcelana, moiuhs,
diversos tauaoJiQ^ do fabrjeanto Japy,
para fliedir fazetaj^i) de ferro doi^B^
lltre; bu, untate, ttoSfro, pape^ marea v
de^doawirtgdwoyiWJo, mjirikiiM pam de>oa-
rocar aj^oxeo ; aWia do outros artigos de
ueta, mitioNcas cptilsrl?, huas, ttue j com
ta so VeWWa?w ftuf dlftiifc o! 83, l^i d ?
1 us de Hanoei Bento de Oliveira Braga* C.
PORTLAND.
Vnde-se no avmazem amarolo de Vicente Fer-
reiFa da .Costa, 4 Filbo, defronte do arco da Coa-
cican. em ftarnc'a.s grandes
V$NDE-S ou arrcnda-se a engentii
. 5. Gaspar, sito na frguezia de Serinhaem
SU&^^JS^fi ^Q/onnoso, preximo do em
m grandes partidos de pal
rod ida, mattos mangue
Ihores fabricantes da Bahia e de U^m&^Wj$t0$& para Mana.. ,,
sganos do Rio de Janeiro etc. etc. .,.-, ?ravda; esia esrnwa co-tun.a aiiny.r-
Doces d'OVOS seCCOS, ChriStalisadoS e t romo livre e 'cdncu qne est na ri
calda, ditos de caj e de outras qualidades
Nesta casa recebem-se encommendas par
hades, casamentse baptisados e qualquei
encommendas avulss, como seja p3a d** \(\ fe
o bollos enfeitados e outros 'multasT
que egfadonho mencionar.
Alusa-se ricos domjmis pretos de 204 at 50*
enmpletos costumes de ppapUsia de 10 at 40
e vende-se ca|Cas de meia encarnadas e brancas :
rtn Bella ji. 49-sobrado. .
-------
CEMENTO
O verdadeir portland.
para
a ncssaria, bom pasto, etc.
ua d'Aurora n. 26, on na d<
Lagedo
ada e armazens por
preco comando : na rua do Apollo n. 4.
rua da Madre de Deus n.
Joao Martins de Barro.
S se vende n;
39, armazem di
ao
Vende-so a reflnjjjpbWWl.Riretta n. 33, bem
afrecuezada, vendmais de 40 arrobaste aasuear
diariamente, est bem montada, c o motivo4se dir
ao comprader.
Protestare a qni ni Unha ocultado a : i
..iiioridsides p. licjaes a aueu convier a capn
pose'gratificara satf>ftfonamente vm r.-:-t
Sr na rua do Honriqties Dia, ou K-ianou .. 2t.
j^tficaqo de 2*00$.
=cra" U.-
SSfl. I
!o .I !
Fngi em 23 de Janeiro dfi 4869
Lbeos. dp meia idade, eflr piula, falla, gh (
gos, tem nma pr-queoa berrug"
riz. ollios afogueados, tinha
Agostinlio Leocadio V^ira, ert 1'
,1a, c do Sr capitSb Francisco I!
las em Pfsqueirt, ffeba viudo d.
ros mi*-in i tem la Urna "i\ilbe
que ande as senas Je. SuUnsr,
loridade e rap^B^
c do o traz.
so de*. V
mewiw'pritcsiarontr
nba acitadjo o
^prosenlai-
do calj
l-rdna
.
fn
nome
vinco mais ou menos
frente, t
rtutro d
imnmi-
o pegar
que ser recol
com falta


8
Diario de Pernambuco
Sexta fer 25 de Fevereiro de 1870
VARIEDADE
A Prussia e a Franca
GHtoparaeio alininistratict e ft/nn: \> i. ssa.las"
(Continua fo) *
Nao receben subsidio ncmajudas do cui-
to Por too c carapwta e-la cenara, val-
v> ratsimas excepcoes, de pessoas li-
radas da-aristocrac i de sarigud ou do di-
nliciro.
Asegunda cmara,antes de 1803, linha
.' deputados eloilos pelos 176 circuios
eieitoraes determinados pela lei le 27 deja-
i.lu do 1800. Cada ura dessas crculos/lo-
ge um dous ou tres denotados, canfor-
me o numero de habitantes que encona.
Tem duus graos a eleico; os eleiiores
primarios escolbem os eleitores secua-
lJTici, qi;e por sua vez nomean os dipu-
tados.
E' eieitor primario todo o prussano quo
contar 2- annos, nao vi ver de esmolas, e
resid na communa ao menos seis mozos
intea da eleico.
Os circuios eieitoraes sao divididos em
C micios. Organisa se em cada comici i a
l.sta dos eleiiores primarios, com a indica-
ba da somma dos impostos directos pagos
l cada r.m delles. Dividem-se em tro-
r'asses, sondo na primeira os ontribuietes
' BOreS, qualquer que seja o numero a'.
que a tolalidade de suas quotas aitinja
ao terco dos impostos pagos pelo co-
i :lo.
i.. r..c-.tr.o m do se fazem a segunda c
a terceira classe, representando amb.is os
tatrjs dous trros de imposto. Resulla
qae a terceira principalmenle pode ser com-
f sta de um limitadissimo numero de gran-
des contribuintea. Cada urna- dessas clas-
;>. elege um numero igual de eleiiores se-
< ondrios, um eleilor por 250 habitantes.
i la combjnacio aanca urna influencia pre-
ponderante a pmpiiedade territorial on in-
dustrial.
0 roto publico as duas elecoes. Exi-
ge-se a maioria absoluta dos sffragios.
E' elegivcl como deputado todo o prus-
iano que tiver 30 annos pelo menos e go-
var dos direitos civis e polticos; se for na-
so tenh.a de inlroiuzir na provincia ; esta-
loe sobre todos os negocios rea'.vos a ges-
l i dos bens que Ibes pertence. I'ixa as
despezas ordinarias relativas quer n toda a
provincia, quer a muias regencias co-inte-
Rep3rte as despezas extraordina-
rias pelas regencias, circuios e communas.
Exige-se promulgacjo do lei nos casos em
pie a contribuir*) deva durar mais de tres
annos ou exceder a 10 % dos impostos di-
rectos,
A regencia administrtda por um presi-
dente Romeado p;lo rei (regiernngs praesi-
It'iitj e por c mselheiros eleitos pela die-
ta provincial e cujas fanecoos duram seis
mozos.
Sao elles em numero de q'iatro, dividem
entre si os diversos ramos doservico pu-
blico e deliberara em comaium S5o obri-
gitoras para o presidente as suas decis.s;
o presidente tem apenas um voto suspen-
sivo a respeilo das que forem contrarias a >
seu parecer.
As autoridades, prepastas a admiaslra-
can do crculo, sao :
I. O landratb.
2. Os estados do circulo. .
O landrath nom: ado pelo rei sobre urna
lista de candidatos apresentada pelos esta-
dos do circulo.
Deve ser proprietario territorial e ter ob-
lido, depois de ex imes, um diploma equi-
vaienie ao de licenciado em direito. Presi-
do os estados e rene todas as attribuires
do poder executivo. E' acompanbado de
um secretario do circulo tambem nomca-
do pelo rei, c de dous deputados que 03
os escolbem de seu seio, e que subs-
o landralh em caso de impedi-

.iaiisado, deve habitar a Piussia um auno
antes pelo menos.
Os depurados sao eleitos por tres aunas,
i ecebem um subs dio de 3 ihalers por da
durante a scsso toda; tambera reccbjm
pisadas de custo.
III
No que concerne a adminstraco local,
divide se a Prussia em provincias, regencias
circuios e communas.
Antes das annexacfics de 186Gcontava o
reino:
Nove provincias, inclusive a de Hobenza-
!?r, divididas em io regencias.que eslo di-
vididas1 em 33 circuios.
As autoridades propostas a administra-
r, jo geral da provincia s3o :
m presidente superior (nber praesideiUj
t urna dieta provincial.
presidente superior nomeado pelo
rei N5o depende s do ministro do rei-
no; responsavel para rom oconselho de
ministros, corresponde-se directamente com
cada um delles. Representa o goveroo
central em todos os negocios em que o to-
teresse do estado se empenha, e em casa
de urgencia expede as decisOs provisorias
(na as crcumstancias exigem.
0 p;osidente superior prepara osprojoc-
tas que devem ser sujeitos a dieta provin-
cial e faz executar as resolucoes deltas.
1 ode suspender-lhe os efeitos, quando
*.i conLrarias a lei ao inter,es,$a do es-
**~ -*
Reside ao a dieta provincia*;, mas
tambem o conselho da regencia onde resi-
legu a. todos os negocios queconcer-
nem a mu; <& regencias a um tempo, exer-
aa ? .ta vigilancia sobre os funeciona-
[ '; 3"9 a* administran) e julga em primei-
mi insta m\^ S recursos contra os seus
.ios.
' obligado a apreseotar cada, anuo
y reluturio minacioso ao conselho de
' /mistios a respeito da situago da pro-
:ncia. ; ....,-
Os membros da dieta provincial sao elei-
tos pelos conseTbos dos circuios, na razo
am deputado por circulo.
A dieta d o seu parecer acerca dos pro-
' 4 .-.to'! de lei concerneiUes ao regimem que
esta
tilumi
ment.
Os lisiados do circulo s5o compostos d)
todos os propietarios de bens equestres e
de deputados das cidades e eldas. As con-
dices necessarias para ser deputado do cir-
culo vario segundo as provincias; mas em
geral os das cidades s podem ser eleitos
d'tntre os conselheiros muni;ipaes, e os das
communas ruraes d'entre os maires e os
adjntos dessas communas.
Os circuios quasi todos tem grandes pro-
priedades que dao miior importancia s de-
liberacoes da assembla dos Estados, in-
vestida de attribuicSes mais ou menos se-
meihantes s dos nossos conselhos geraes.
Smente, todas asvezes que as suas decisoes
modificam os regulam9atos administrativos
ou lanco novos impostos aos contribuintes,
devem ser ratifleados pelo conselho de re-
gencia.
Ha notaveis differencas no regimem mu-
nicipal, quer entre as provincias, quer entre
as cidades e as aldeas As cidades e bur-
gos cuja populaco excede a 2 300 almas
elegem o seu burgo-mestre e o conc.elho
municipal. A nomeacao do bqrgo-mestre
deve ser approvada pelo rei quanto s cida-
des de mais de 10.000 almas, e pelo presi-
dente da regencia quanto s outras.
S os burguezes tomara parte na e!eic5o.
tJabe o titulo de burguez a todo o habitante
que contar 24 annos de idade, que possua
urna casa no territorio da pommuna ou di-
rija urna industria de alguma importancia e
pague ao menos 4 thalers de imposto.
0 Estado exerce vigilancia directa sobre
os actos dos burgo-mestres e dos conselhos
municipaes, por intermedio do presidente
da regencia as grandes cidades, e do lan-
dralh, n3s pequeas.
Qanto s communas ruraes, o burgo-mes-
ire eleito pelos propietarios de bens eques-
tres e se os n5o bouver, pelo landrath. O
burgo-mestre tem dous adjotos, queformo
com elle a mnnicipalidade.
Desde muito, e em virtude dos principios
consagrados pela constituico de 4830,
reclamada urna legislado uo'dorme e limpa
d todo o vestigio dos costwnes eudaes.
A organisaco judiciaria raaito pareci -
da com a da Franga; foi estahelecida em
toda a monarchia prussiana por urna lei de
1849* e compr^bende:
1 in tribunal supremo residonte em Berlim.
22 tribunaes de appeliar5o.
243iribunaes de primeira instancia.
As Justinas de paz s existern as pro-
vincias rbenanas onde o seu numero dfc
lio. No resto da monarchia sao substitui-
dos por um jutiz chamado arbitrator.
O tribunal supremo, composto da- 6
presidentes e 49 consellaeiros, divididos- em
6 secco-'s, urna das quaes criminal. Tem
mais ou menos aunes aras nitrbuc5ej que
a cour de cassalion franceza.
Urna d is seceos trata espscialmento das
causas ios habitantes das provincias rh jna-
nas, que conservaram o cdigo Napolejo e o
nosso processo, bem coma os nossos ofiki-
aes ministeriaes, notarios e olliciaes dejos
liga. as outras provincias, que s3o regi-
das p'lo cdigo prussiano, conforme o an
ligo direito ger'ramico, a redacto dos*actos
extra-judiciaes, testamentos, doac5es, con-
tractos de casameoo e tudo o qui consern
ao regimm hypothecario, reservado aumi
scelo especial dos tribuales de primeira
instancia que n3o se rene s seccoos ju-
diciarias seno em cerios casos de excep-
cional importancia.
Esles tribunaes mando executar os shi
julgamentos; a respeito dos tribanaes rhe-
nanos. faz-sc essa execuc5o como em Franca
por meio dos offlciaes de justi?a.
Os crimes s5o deferidos ao jury, ao qual
s5o adjuntos cinco magistrados tirados den-
tre os juizjs de tribunaes de primeira ins-
tancia e encarregados de applicar a pena.
Compre exceptuar os crimes de alta trai-
?o que sao da competencia exclusiva &t
um tribunal especial, formado pelo tribunal
de appellac3o de Berlim e dividid% em duas
se:coe.i, urna de aecusagao, outra iejulga-
mento.
A separado entre a jusliv'a e a a>dminis-
trafo rigiirosamjnt^ mantida pelo tribu
nal do con/lietos, cujus membros perten-
cem em numero igual ordem judiciaf e
ordem administrativa.
A independencia- dos magistrados garan-
tida pelo privilegio de urna intimo ib;lida-
de absoluta.
Os debates judiciarios so pubficos, com
excep?o dos qae se; referem s causas ma
trimoniaes.
la tarabea na Ftussia tribunaes pspeciaes:
Os dfe commercro, cujosjuizes su- eleitos
p3los notaveis commerciaotes.
Os conselhos de peritos, eleitos pelos pa-
trSes e operarios, pude se appellar dade
cises dessesr conselhos-para o tribuna* de
commercio:
Os tribunaes universitarios-, cuja jurwdc-
Co se estende aos estudantes, e que podom.
nao s resolver a sua ssclusSo, mas tai
bem imfliogir-llies pena dVpriso at o s-
paco de um me^.
Os tribunaes ecelesiastieos- pora o catbo-
licismo, que condemno o* padres-a penas
disciplinares, e- eslatuem sobre questes
conjgaos rdigiosa* e outras- dependentes
do dogma.
Os tribunaes- adoaoeiras eu-fiscaes.
Os "conselhos de- gmerra
Filialmente, os tribunaes encarregados dH
regular a indemaisa^o devife*no resgata-
do servico.
() exercito prassist est nogaoisado et-
largas bases; foi elle serapre, proporcional-
nahaiante populaga, oauito mais-numiroso
')ue as outras-grande potencias da Euro>-
pe,' o qae devido o* hbitos- guerreirosv
e principalmente ao patriotismo-de sens haK
litantes. Esmagada em lena, GondemHaite-
eyiTtisitt a nao ter mais> orne 42^390'horneo
de-tropas, a Prussia acbou ness* lei to-
dura om novo ele mee lo de ferea e pod
ppeprar-se para tirar uou estroadossa oes-
forra logo que- os acontecimer.if8. potieoe-)
il:*o permittissem. Todos os hmeos val -
oV}s> segundo as ordena secretas do governo
pratMvam em. casa o- meneio das armasv
Os soldados alistados e- reuaidos,ulesde que
pareciam instruidos sufficientemente, eran
mandados para suas casas e substituid*^
pelos recrulas. Graoas a. esoas rautaces
successivas, a'ama populado e 6 milhss-
d emAl813 preparou-so; um exercko
d mais de 200,000-homens, para entar
em campaniw. Levaotou-se a naco toda
o correu eitpontaneamente aos campos- de
natalha.
Apezar dos longos annos de paz qua se
jseguiram .guerra contra a Franca, o- go-
verno pnassiano nunca dimiauio as suas Tor-
cas militares. Cosaooenhse- estas : 1."; do
exercito activo, ao qual sao chamados o.-
rapazes de 20 a o^anops ; 2^*, da laniwkr,
dividid, em duas: a primeira tropa, desti-
nada a reforcar o exercito activo, compre-
heode todos os bomens dn26.a 32 annos;
a segunda, que mais especialmente pro-
posta guarda das fronteiras, os de 33 a 39
annos-; 3.", as circunstancias extremas, a
FOLHETiWI
OMIilllMMrOL
POE
lie Berthet
X
Os operarios na oclosldadc
(Continuaco don. 4'i.)
0 pobre Antonio i a em deplora vel esta-
do Tiuha o rosto coberto de contusSe*1 : o
falo ficra todo rasgado na luta e a blusa
cheia de nodoas de vinhe da garrafa que-
brada. Eovergonhado de tal desalmbo,
eviuva quanto podia os olhares dos tran-
sentes, parecendo at receiar que o ruido
dos passos chamasse a atteocao sobre elle.
E com tudo, n3o e^am os mos tratos e as
humilhaeftes soffridas a causa nnica da sua
tristeza. proporcao que se approximava
de casa, tornava-se vizivel a sua ancie-
dade. ....
Ghegado ali, parou por um instante,
fim de ajustar ao corpo o falo e limpar o
sangue do rosto ; depois entrou no quarto
da mi. .
A paralytica estova, como habitualmente,
assentada "na cama, com urna especie de
manteo, que loe cebria a cabeca e os hom
bros. No momento de apparecer o fllho,
tinha os olhos arrazados de lagrimas, que
logo se ble enxugaram.
At que emfim chegaste !disse alia
em tom de indignado misturado de magoa.
De que servir n'este mundo orna crea-
tura como eu 1 Tambem todos me aban-
donara I Ha tres longas horas que meo
lbo e minha sobrinha me deixaram aqu s,
aem alimento e sem recorsos, e isto para
i irem'divertir nsse maldito arraial...
Chora, pobre velha Antes houveras
morrido conjuntamente com leu marido ;
nao serias agora esquecida por filhos in-
a auem a tua existencia so torna
landioehr, ou leva em massa, rennindo todos
os bouens validos de 1? a 50 auno3.
N-Jo se admitiera substitutos na Prussia;
ainguem pode ser Isento do servico militar
sen5o mediante certides dadas pelos m-
dicos do exereito activo ou da landwehr a
que pertencer, com as quaes mostr que a
franqueza de sua constitu;Io nlo lhe per-
mita supportar as fadigas da guerra.
Quando nos oceuparmos com as despezas
veremos quaes eram as forjas de trra e
mar de que a Prussia dispunha antes da
guerra com a Austria.
VI
Com o receio d) abusar por mais tempo
ile vossa benvola attenco, t'rmiaaremos
aqu, por mais incompleta que fique a ex-
posicSo das instituicoes constiluciooaes e
administrativas di Prussia afina de nos oc-
euparmos agora exclusivamente com a qoes-
to financeira.
Na Piussia, como en Franca1, quem pre-
para o ornamento c#o aprsenla cmara
dos deputados o ministro da fazenda, de-
pois de se haver concertado com os demai*
naemI>ro3 do gabinete no tocante ao calculo
dos crditos necesearios aos di /ersos ramos
do servico. tambem elle quem cemralisa
na caixa geral do tbesouro, em Berlim, to-
das as somraas perteneentes ao Estado ; mas
cada repart;o ministerial tem sua receita
particular que cobra directamente; posto se
confundam log na massa1 geral das rendas
publicas.
O imposto directo nao cobrado por
agentes do ministro da filenla. Sao as
communas que esigem dos-comribu'mtes o
pagamento de suas quotas e depositan) o
producto dellas na- eaixa do trirculo. Essa
caixa 6 administrada por um funcciona'io
que nomea e vigij o conselho de regencia:
Bsse colleetor remette os saldos mensaes
a- ama cax gera! es-tsibelecida em cada re-
gencia, onde sao'lransmittidos ao-caixa cen-
tral do thesooro, em Bfcriim.
fli igualmente, para os imposto? indirec-
tos e outras fontes de rendas, caixas1 locaes,
que correspondiera com eum caixa geral ins-
ti turkis na capital d csat provine'. S
as administracces dos coneis e da oteria
tem eaixas partienlares cjo agentes estam
nicamente sujeiosaos seae-superiores re-
sidentes na metropole.
Exainaremos-soccessivaioe*te as rendas
e as despezas do- Estado. Tomaremos por
base do calculo cortamento-die 1863, dnft-
nitivamBnte saoecwoado pelae camaras-de
1867. O ornamento desse owrcicio qpe
tomamos-por termo>de comp>irao no ex-
ame que fizemos das finanoas- inglezas- o
francez.-Poder-ss^ba assim ooiahecer mais
fcilmente- os recursos das tres naces-
Demais, a siluagao- Gnanceira da Prussia
pouco senaodificou-de 1863 a apontarenos qualquer derenea importante
que hoawr em alguns artigos-de renda ou
de despeas,
ORCAMKIITO DK IMSi*
Rmita.
Drvide-se a renda am nove _see?8?,_ cor-
respondentes s novajjeparlioSe*- ministe-
riaes, a saber: '
Fazenlav.
CommeiHjio, indeasia e-otinan publi-
cas.
Jastica.
Reino.
Agricoltwa.
Cultos e- instruccr.-j publica.
Guerra..
Marinha*
Negocios eslrangswes.
As reodas do principado de Ildnenzollern
slo lancadas em globo no ulamo capitiio
^a receita i
Ministerio dn fazendj
Pertence a este ministerio a mor parto
da receta-doorcaraento. Eisosprincipaes-j
artigos:.
Dominio e matas*
O estado na Prussia e riqv&simo; ps-
sue mais da dous millies de bectares de
matas, 84 herdades grandes, conteedo
aprox'woadamente 300 bectares, inmensa
quantktede de outras propiedades peqaa-
as, minas, salinas, fabricas, caminhosoe
ierro que elle administra por sua conta,
bem como interesse na sociedade de com-
meraio maritimo no banco da Prussbi
O-.conjunctodiessas rendas forma perto
da terca parte dos recursos do ecea-
monto.
Todas essas propriedades pertenriam
cori; passou-as o rei ao estado por urna
lei J-; 1820, reservndose apen.ts urna
renda de 2.57J.099 thalers, constituida em
fidei-commisso em proveito da dotafo re-
gia, que alm disso lera urna verba votada
annualmente pelas cmaras.
O producto das mattas e herdades do
eslado, descontada aquella, renda est tonca-
do no orcamento realisado no valor de
10.976.131 ihalers.
Imposto territorial.
As propriedades senhoriaes estavara quasi
todas isentas deste imposto.
A lei de 21 de maio de 18 I aboli esse
privilegio concedendo aos proprietarios urna
iodemnisaco de dous milhSes de thalers,
que foram inscriptos no grande livro da
divida publica.
Producto em 1863 r 10,216.000 fa-
lers.
Imposto sobre predios.
Foi creado este imposto pela lei de 2f
de maio de 1861 como complemento do
imposto territorial. Representa o 4 por
sent da renda para a propriedades nica-
mente destiladas habitacao, e o 2 por
oento para os cstabslecimentos indus
triaes. *
Producto : 3.383 thalers.
Iinpcsio sobre a renda.
A lei de 17 de maio de 1851 sofeitou a
este imposto todos os habitantes que gozam
de um renda de f .000 thalers pelo menos,
e o divide em trmta categoras:
A primeira, sobre a renda de 1 OOOtha-
lers, paga 30 thalera; a ultima, sobre a
renda de 240.000*thalers e mais, paga
7.200.
Producto em 1863: 3.3iG"a8 tha-
lers.
Devemos'observar (jne, se este imposto
nao existe e Franja, substituido pelas-
'ontribuiQes- pessoai e predial, e que o im-
poeto territorial, aggratado pelo de portas
e janellas, proporcionahnente muko mais
elevado que no Prussia.
Imposto dn tbmes.
Prodoclo em 1806: 5.310.000 Ib.
Direitos sobre as bebidas.
Agua/dente, cerveja, vinho, n5o compre*
hendido o direito cobrado pelo Zollverein
sobre as bebidas de procedencia estran-
geira.
Os direitos sobre os alcools, regulados
pelas leis de 10 de fevereiro de 1819 e 1
de jonho de 1854, s3o cobrados sobre as
materias que servem para o seo fabrico,
segundo a declaraco dos distifladores
que as devem pagar, equesao vigiadosipe-
los empregados das contribuic5es indi-
rectas.
O direito sobre os vinhos indgemas esl
a cargo do cultivador.
Producto total em 1863: 9.393.283 th.
Alfandegas.
O Zollverein eu uniao adoaneira tem
exercido- tamanh influencia no commercio
e at dos deslios da Allemanha, quo
mereca am estudo especial. Limita-
mo-nos a- mencionar os seus principae9
actos.
Posto que a suppresSo da mor parte das-
pequeas soberanas que divvdiam a Alle-
manha antes da revolueo fmoceza tivesse
reduzido o numero dellss d 300) que eram
a perto de 40, cada om desses estados ti-
nha orlado as saas fronteiras com urna cinta
de a.'andegas; mitos delles tinbam at al-
fandegas internas-. Resultaba qu para che-
garenv mercadelas ao seo destine tinbam
airavessar muita vez, em pequeo nu-
mero de leguas, eerca de- vinto alfan-
degas.
A Prwsia foi a primeira qu3, rednzindo
as tarifas-nr> seu territorio por urna M> de
1818, nsnifeslou a iatencao em-qae est^a
de abater essas barrtivas; encontrou ira
resistencia, at da parte dos Rtgociantee;
mas o impiriso dado por ella foi seguido
por mutos estados pequeos que se reuni-
ram em eongresso en t>armstadt?em 1820.
Nao poderam chegar a aecordo. Apsal-
gomas ooitos tentativa infroctiferar inter-
Recahe este hnposto sobre todos os-ha- veio um tratado de uniao- aduaneira, a 28-
hitantes cuja renda superior a 1.000 tha-
lers? e que residem ena* communas- nrw
onerados com direitos de matanca de gado
e de moagem.
Os-eontribuntes slo divididos emtres
classe, tendocada urna quatrosob-divisos-,-,
etaxidas segundo a riqueza -e a posiQo>so--
ciat. As listas fettas por familias, ou per
cabe;a, seguem nma progreseao graduada
desdj meio thalei> al 24.
Producto em 1863: 9.260.000 a~
ers.
hnpssto d moatjem e matanza do gado*
Cobram-se estes-direitos em.88 cidades1
que i elles se sujeitam espontaneamenO';
para se- libertarem do imposto das classes-,-
aproveitando a opcao deixada s diversas
localidades pela lei de 180.
O direito de matanca cobrado nessas
cidades-por toda a especie de gado. A ta-4
rifa, estahelecida pelo ministro da fazendat
, termo medio, Idhaler pon 50 kilo
gratos, a quem
importuna I
Antonio j esperava ouvir reprehensoes,
mas nao contara com ellas tao severas e
pungentes. Pegando na m3o da doente,
disse-lhe supplicantem.ente:
Por quem minha m5i, socegoe t..
Pode acaso fallar assim a seu filho que a
estima tanto ? Eu sahi por necessidade e
julguei que Gertrudes. lhe fazia companhia.
Ella tambem sahio por necessidade,
-replicou a mai Robn irnicamentepo-
rm, vestio o seu raelhor foto, o que bem
moslra a qualidade de occupcias que a
chamam l fra no da de hoja l Est se
duvida as dansas com os. estouvados da
sua igualha Que Ibe importa se saa tia
enferma est perecendo a mingua ? ,
Juro-lheqne Gertrudes n3o estaas
dansas, minha m3i 1redarguio Antonio in
timatvamente. A pobre rapariga nem
pensa n'isso ; talvez antes... masnadansa
n3o est. Acabo de attavessar o arraial
e nSo vi minba prima. i
Vens do arraial ? Mas de facto onde
estiveste ?... Oh l meo Deas, tu brigas-
tel Trazes o rosto e as maos feridas, o
fato rasgado e cheiras tanto a vinho!...
Que infelicidade a minha Em quanto aqui
j^zia morrendo de fome, andavas tu pelos
botequns embriagando-te e brigando 1..
Retira te da minha presenca I Fazes-me
horror 1
Antonio, confuso de oovir tao immereci-
das aecusaces, nem se atreva a respon-
der.
Minha mai balbuciou- elle afina 1
bem sabe que nunca me embriaguei...
verdade que .por acaso entrei boje no bo-
lequi da tia Bichelte ebriguei com Gran
de-Leopoldo, mas...
E sempre confessas ? Oh Santa
Virgem, exclamou a pobre velha, er-
guendo as maos ao co tenho vivido de
mais; levai-me d'este mundo, meu Deus 1
E jahio em estado de prostracao.
D'esta vez Antonio perdeu completamen-
te a cabeca : poz-se a percorrer o quarto e
a baler na fronte com os punhos fechados,
bradando:
Ah 1 isto de mais I A minha co-
ragem tocn o seu termo I.. Quizera
tambera morrer !
Mas, recobrando presenca de espirito,
apressou-se a soccorrer a mi. Apezar da
sua dedicarlo, nal snWa de?empenhando
d'esta tarefa, quando Gertrudes entrou no
quarto.
A joven coslureira trazia o sorriso no
labios. Vinha cingida pela sua mantilha e
no braco trazia um ce6tinho, que-pot sobre
a mesa. Pareca mai fatigada :.
o. suor da fronte. ^ &
Ao ver o estado de sua tia, mudou de
aspecto, e, ao mesmo tempo que dava os
bons das a Antonio, ia comndo direita
cama da enferma e pergunlando o que suc-
ceder.
Ah Gertrudes,disse o mineiio.com
ar amargurado tinba-te confiado minha
mal : para que havias de abandona-la ? Alai
est o resultado da loa ausencia 1
Eu pedi minha vizinha Jwny para
fazer companhia lia e ella assim m'o pro-
melteu. Provavelmenle achou melbor irse
divertir. Eu lhe darei os agradecimenlos l
Antes nao lhe tiveas pedido tal !
Gertrudes chorava e Antonio conservava-
se triste.
A doente, gracas aos soesorros prestados,
recobrou pouco a pouco os sentidos.
" Antonio, disse a joven desrolha
a garrafa que esl n'aquelle cesto e traz ci
urna gota de vinho a tua mi. Foi a fra-
queza, a fome taHrez, que produzio esta
etise.
Antonio ao principio ficoo espantado,
como quem eslava abstracto; depois correu
para o cesto, que abri. Achou dentro
urna garrafa de vinho velbo e um peca
de caca fria assada, approximadamehte o
mesmo que ficra inutilisado na luta com
o mestre sondador, e, deitando vinho n'um
copo, eotregou-o a Gertrudes, dizendo-lhe
commovido :
Perdoame, prima i Agora vejo a
razo da tua ausencia I
Gertrudes oo respondeu e fez beber
velha um pouco do vivificante liquido. A
mi Robin foi-se reanimando pouco a pou-
co, e, fixando o olhar sobre ella com a
maior ternura, disse-lhe :
Ohrigada, pequea I... Mis d'onde
vens tu 1
D'onde venho ?Oplicou a joven de-
liberadamente. Venho da cidade, sabe
olhe quo nao estivo embasto1 8 ca-
mnbo I
Da cidade ? E que foste 1;
Ouca, minha tia. Esta manha Vmc.
dizia-nos que se footia abatida, gue o pao
O direito de moagem de 2/3 de Ihate:
por quinal de trgo,de 1/6 das outras ma*.
terias c'astinadas a> ser convertidas em lu-
rinha.
Produoto: 3.35K348 thalers.
Imposte > de patentes^
Cobrarse este imposto em todas as eiiw
prezas iadustriaes oa commea-ciaes, divid-
das em categoras, e consisto em um ih-
reito fixo%
Producto, 3.7891522 th.
Imposto sobrs o- scaminliM-dei ferro.
Este imposto proporcional renda Il-
quida e filiada como segu: se- a renda re-
presenta- am 4% do capital*, o estado co-
bra um: quadragesima parte do cap
tal.
Urna vigessima parte sobre- a renda que
excede-4./0 at-5*/0.
Umaulecima parte, de 5-a>-6.
Urna quarta parle, sa- inferior, a
6%-
Producto em-, 1863 1.912,217, thalers;
era 1366attingio a somma de 1.212.000
thalers.
Imposto do setlo.
Este imposto fixo para os passaportes,
cartas, jomaos, cartazes,.etc. e proporcio-
nal para os actos concementes aos valores
superiores a 50 th., bem como para as he-
ranfss.
Producto em 1863 :; 4.5.aO.0OC>th.
le Janeiro de 1828, iitje a Baviera o o Wbr-
Hemberg.
A 14 de fvereiro de30 mesmo anno con-
elwa a Prussia com a Itose Eletopai urna
cnovenco semethanle, a qual ascediam
muitos outros pequeo- estados hmitro-
pbes.
Finalmente) em 1833v a grande assoeia-
cifo allema ertava formad om virtude da
fso dos dbu centros rio orte e do sul,
nao bases seguales :
Adopco da tarifa prusakn, unformida-
de de legislaoo na fronleiriy liberdade de
commercio ce interior, diviso dos produ-
ctos proporcionalmeaSte a popo>aco, reu-
na annual em^ um congeesoa em que cada
estado tinha- direitos iguaes o no qua^era
necessaria ? unanimidad dt votos para
validar as doliberacoes. Flxoose em des
annos a duracao do tratado.
Foi renovado em 18 42,-. por 12 annos,-e
ainda depois peto tratado de- de mareo
de 1865, depois de numerosos incidentes
levantados pela rivalidad da Prussia e di
Austria.
Tendo a guerra annutyado- essa coaven-
?3o, a 8 de julho de 1867Tfoi a unio refor-
mada entre- 24 estados: Prussia, Baviera,
Wurtemberg, Saxona, Badn e quasi to-
dos os outros principados alienases. J8 nio
existe no parlamento adnaneiro' a gualda-
de primitiva ; sohre 58 votos, a Prussia tasn
17, a Baviera 6, a Saxoniak e o Wortem-
berg 4 cada um, Badn-, e a llesse 3, etc.
As resoluooes sao tomados por maioria de
votos. 0; voto da Prussia. preponderante
era caso de empate. Esta potencia, alm-dis-
pde opnor o seu veto a. todas as dseises
que modifjajoem as vigentes.
O seu. qunho nos lucros do Zolverein
em 1863: foi de 12,835;5T-th.
e a cerveja, seu onico liroon de ha, tena
pos, lhe enfraqueciam o estomago, e que
se semia desfallecer. Nao nos increpava a
corda-lhe nos, apenas-se lastimara, mas de um modo
que me despedacava. a alma Tome a
minha rosoluco ^ fui cortar urna tira da
minha peca de readas, oceultei-a n'um ces^
tinho e dirigi-moa Moos para a vender.
possive*?-^ disse a mi Robn en-
ternecida. E vendeste-a ?
Bem mal, minha lia. Chegando a
Mons, fui a casa do Sr. Stoben, para quem
tenbo feito trabaiho. Elle eslava era casa,
mas nao quera fallar-me, porque ao do-
mingo diz, que nao tratava de negocios.
Todava tanto lhe pedi, que nao pode dei-
xar de olhor para o meu bor lado.
obra de primor, lhe disse eu. Infelizmen-
te, dopois da raiaha descida mina, sem
que eu saiba como, adquiri urna cor que
a deprecia um pouco. O Sr* Stobeiyio
deixou de fazer algumas observares, di-
x-mdo-me tambem que prefera comprar
orna peca inteirn. Por fim de contas, ava-
liei a lira em Ukita francos. 0 comprador
offereceu quinze, e isto- por me obsequiar,
no seu dizer. Foi breoso acceitar, De-
pois que comprei algumas provisoes, voltei
a Polignies correndo sempre... Agora,
minba tia, aqui tom o que m sobroo.
E a velha, recebendo duas pecas de pra-
ta, gnardon-as n'um pequeo sacco, que
por certo se achava vazio, e que escondeu
debaixo do travesseiro.
Pobre pequea, disse ella como
deves estar fatigada 1 Andar tanto por um
tal calor I Ah I tu s boa : nao s como
aquello vadio, que me abandonou para ir
na taberna jogar a luta I
Elle ?replicn Gertrudes. Eu nio
suppunha Antonio capaz d'isso I
Olha : v em que estado elle vem
E, demais, nao o nega I
Foi ento que Gertrudes notou o rosto
ferido t os falos rasgados do primo.
N3o me atormente, minha mi I
disse o pobre rapaz, triste e confuso.Tu-
do quanto emprehendo ha tempos a esta
parte me sahe torto ; tudo se conspira con-
tra mim I Ouca o que me succeden.
E expoz como, sob a impresso que de
manha lhe haviam causado os queixumes da
mi, elle sahira de casa, levando comsigo
alguna objectos, e fra a cisa d am indivi-
Direito sobre o asouoar- ie betlarrba.
Este-direito do meio thaler por ICO
kilogMOMMl de betarrabas empregadasno
fabritto do assucar. Cobra-se em todo o
territorio do Zolverein, o distribue-se, como
o produelo dos direilos de alfandega> em
cada estado associado em propor?ao do nu-
mero de seus habitantes.
Quioho da Prussia em 1863: &|777,)5
th,
(Continua r-se^ha)
casaco de velludo,
? pergsntou Ger-
doo que emprestava sobre pohores, e co-
mo em resultado fizara acqisiejo de algu-
mas provisoes com destino doente e o
que lhe succedera. com Grande-Leopoldo
no botequim
Se as cousas se passaram assim,. i6so
outro c?.so... Mas que empenhaste tu
para obler dinheiro ?
0 meu feto dos domingos da pouco
me servia....
Tambem o leu
que te estava to bem
trudes tristemente.
O casaco, as caigas e tudo... fes
pondeu Antonio. E se visses como o ade-
leiro depreciava o moa fato, apezar de novo!
Nao me de i por elle- quasi nada !.. Ame-
tade empreguei-a em comida para minha
mi e o resto z\m est.
E poz sobre a mesa urna peca de prata.
A nii Robin fe-la desappareeer como as
outras.
Ora vamosdisse ella. S eu pro-
ced mal... Abracem-me, que ambos sao
b>as craVuras!... Sabem o que 6a mais
iriste na miseria ? Nao sao as privacoes e
os soffriraentos, mas sim os azedumes que
se do entre as pessoas precisadas: tudo
se ve se julga pelo peior! Por isso nao
consentir! que se casem antes de os ver
ao abrigo de taes cnses. Nao ha affelco
que resista pobreza, fome, e, por con-
seguinre, discordia domestica... Deus
tenha compaixo de nos I
Os dous jovens suspiraram e trocaram
entre si om olhar furtivo que indicava nao
receiarem os inconvenientes apontados.
Gertrudes apressoose em approxmar do
leito urna pequea mesa, sobre a qual.collo-
cou as provisoes que trouxera. A paraly-
tica foi-se servindo.em quanto elles a ro-
' bieavara satisfeitos.
Ento voces nao comem ?
-- Eu nao tenho vontade responden
Antonio.Falta-me o appetite.
E eudisse Gertrudes acho tanto-I
calor, que me nao appetece coma alguma.
Com tudo ambos elles affastaram a vista,
como se a presenca e o cheiro da comida
Ihes cansasse grande impresso ; e de fac-
to um suor fri lhes banhava a fronte.
Fallam a verdade ?redarguio a ve-
lha.Mas, se nlo querem comer d'isto, ao
inenos poderiara servir-se de um bocado de
pao que ha anda no armario.
Ha ali pao ? exclamou Antonio, es-
twmecendo. Pois eta pobre Gertrudes
ainda nao almocoa ?
Tu que sahiste esta raaaha sem-,
almoco, Antonio.
Dirigiram-se ambos acamar, onde ef-
feciivamonte eslava um grande bocado de
pao duro. Olharam-se ainda mutuamente :
tinbam os olnos arrasados de lagrimas, e,
todava, sorriam-se um para o outro..
Fizeste mal, Gertrudes, em andares
quatro leguas a p com um calor suflocante,
e, de mais a mais, com o estomago vazio...
Este pao para m. Eu son homem...
posso resistir melbor s privacoes.
para ti, Antonio... Passares assim
raetade de um da sera comer nada, tu quo
habitualmente comes bem !.. u sou bu-
Iher.. nao preciso de ter forcas.
Isso agora loncora, Gertrudes I Oa
comes o bocado de pao ou nos zangamos t
E para ti,., e, se o recusas, Ico mal
comtigo I
A mi Rfibin ouvia-os com tristeza.
Bem dizia eu que a miesria traz a
discordia K Antonio d-me esse pao em
que nenbum quer tocar.
Antomb obedeceu A velha dividi o em
duas partes prximamente igoaes.
Um bocado para cada nmdisse ella
com autoridade Agora ordeno-Ibes quo
comam. Alm d'isso, vo dividir entre si
este bocado de carne, que obtiveram para
mim com tanto sacrificio.... Vamos enlo
me contrariem.
Mas, minha tia, lembre*se...
Minha mi, digo-lhe que nao careep...
Comprehendo-vos, pobres mocos:
pensam que nao tero sempre tiras de ren-
da para vender e roupas para empenhar, e
que, exhaustos os ltimos recursos... Nao
importa I Comam o confiemos na bondade
de Oeus I
E, dizendo estas palavras, oovio-se bater
de manso porta,
(Continursela.)
\
Tl'P. UO DIARIO -RIj A BAS l'UUZES H.
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEYO01Y61_O1VINI INGEST_TIME 2013-09-14T03:44:21Z PACKAGE AA00011611_12051
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES