Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12050


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO XLVi. NUMERO 44.

i

'

i
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE VAO SE PACA POETE.
Por tres Mezes adiantados................. 6^000
-Per seis ditos itkm.......... ........ 12(5000
Por um anno idea.................... 2ii5OO
ada mumero avulso................... 320
DIARIO D
QUINTA FEIRA 24 DE FEVEfiEtRO SE 1870.
PARA DENTRO E FORA DA FBOTOCIA.
Por tres mezes adiaalados
Por seis ditos idem. .
Por nove ditos idJfc .
Por um anno idem .
6*750
134000
*8S
27,JOOO
MAMBIM
Fropredade de Manoel Figneira de Faria & Filhos.
SAO AGENTES:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para ; Goncalves Pinto, no Maranho ; Joaquim Jos de Oliveira, no Cear ; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty ; Jlo Maria Julio Chaves, no Asstj ; Antonio Marques da Silva, no Jatal; Jos Justino
Pereira d'Almeida, em Mamanguape; Antonio Alejandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penba ; Belarmino dos Santos Bulco, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
em Naz3reth ; Francisco T vares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martins Alves, na Bihia ; e Joi Bibeiro Gasparinhano Bio de Janeiro.
. .-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------.______________________._____________________________________________
PARTE OFFTCIAL.
Governo da provlnela.
I IJimHU ftSBMABO ''El" XM. SR. SENADOn FI1K-
DEMC MiUHDA I AI.Bl'OUERQL'E, imESIDE.NTE
DA PROVINV.U, EM 18 DE JANEIRO DS 1870.
1.a seccao.
N. 371.-Portarii ao Exm Sr. general eomman-
dintc .las armas.Man le V Exc. por em liberda-
de os recrutas Laurenno Jos da R cha e Joao
Evangelista Bindeira de Mallo, visto tarem sido
jalgaiiM aupases pira o servico d exercito, co-
ii i sonata do termo de inspeceSo que veio annexo
no seu ollioio da 11 di corrate, sob n. 27.
i1 Me i >.
N. 37o.Dito ao Exm. Sr. presidente do supre-
mo tribunal da )a*tira.Loto ao conhecimento de
V. Fxc. que, segund dcclarra o juiz de diretto da
imirca de Cabrob, biehirel Pedro Caetano da
Costa, em offlcio de 20 do mez Bolo, nesssa data
rocebeu a communicaco offlcial de haver sido re-
movido de dita comarca para a de Monte-Airo, na
provincia dt libia, remojo que acceila, deixando
por ana motivo na referida data o exercicio do
respectivo cargo.
N."376.Dito ao mrsnn. -Levo ao conhocimen
lo de V. Ice. que, segundo participou o juiz de di-
raito da comarca de Pao d'A'.h), bichare! Vicente
Ferreira Gomes, em oficio de 13 deste mez, nessa
lata entrn elle no foto da licenea de um mez
qui llie foi concedida p esta presil en'.a.
N. 377.Portara ao commandante do c >rpo
provisorio de pjlicia.Pode Vita, cngajar nocor-
po sob o seu commando, os paisanos Pedro de Al-
ineida e Ilemigio Rodrig es Villas-boas, aosquaes
a Iluda o seuoflieio n. 20 do ti deste mez, se tivc-
rem a necessaria id meidade.
N. 378. -Deliberaca .O presiJente da provin-
cia de conf irmidade com a proposta do chefe de
polica, em afielo n. 72 de t deste mez, resolve
nomear para o cargo de 1' supplente do subdele-
gado do distrieto de Pim;nteiras do termo do Bo-
nito o cidada Jeronvm > Alberto Maia.
N. 379. Dita O presiden'e da provincia em
vista do offlci i do chefe do polica n. 60 de 13 des-
te mez, resolve exonerar do cargo de 4" supplente
do subdelegado do 1" districto do termo do Brejo
u cidadao Laurtndo Waolerley Pereira Lins.
N. 380.Dita.O providente da provincia con-
raaaodo-se com a proposta do chefe de polica
em offlcio n. 60 de 13 do Corrente, resolve nomear
i cidadao Joio do Reg Miciel Jnior para o lu-
j;ar de 4o supplente do subdelegado do 1 districto
ilo termo do Brejo.
N. 381.Dita.O presidente da provincia em
vista da proposla do chefe do polica em offlcio n. 73
de ti deste mez, resolve conceder a l.ucindo Ga-
millo Possoa de Siqueira Cavalcante a cxoneracao
por elle pedida do carpo de snbjelegado do Io dis-
i rielo do termo de S. Bento.
N. 382.Dita.O presidente da provincia de
conformidad com a proposta do chefe da polica
para o lugar de subdelegado do districto do termo
.le S. Bento o cidadao Jos Bento de Oliveira e para
c do 1 supplente do inesmo subdelegado o cidadao
l'ideralrao Antonio da Silva Lomos.
3" sece >.
K. 383Portara ao inspector dathesourariade
fazenda.Em resposta ao ufflclo que V. S. me di-
rigi em 13 do correnle, sob n. 14, t nho a dizer
que approvo a deliberaeao que tomou a junta des-
sa thesouraria, de accetar o oferecimente de
2:200000que por parte de Elias Baptsta da Silva
fez o Dr. Fruderico Augusto de Oliveira pelo do-
minio til de um ierren;, de marinha que se acha
ntre a ra da Saudade e a dos Ferreiros no bair-
roda Boa-vista.
N. 384.Dita ao mesmo.Transmuto a V. S. a
anta junta em duplcala afirn de que mande liqui-
dar a de-peza feita no semestre de ju'ho a dezem-
bro do anno prximo pas>ado com o fornecimento
de luz para o quartcl do destacamento na cdade
de Caruar c pagar a sna importancia a Francisco
Antonio da Silva conforme soliciten o chefe de po-
licia em offlci) de hmlom, sob n. tj.
N. 385Dita ao Inspector da thesouraria pro-
vincial.Accu^o recubido o offlcio de 13 do' cor-
rente sob n. 15, cm que V. S. participou haver
loaquim Pires Carnei'ro Montetro, dand) por fia-
dor o tanto do Lii.imento, arrematado com
abale de tres por cento no valor do respectivo or-
namento, a obra da ponte do canal do Riachuelo
na ra da Aurora, e em resposta tenho a dizer
.|U" poroto essa airema'.ac>.
N. 386.Dita ao mesar). Nao havendo incon-
v miente mande V. S. panr a Joaquim Pere> d^
Silva, como pede n ucluso rejuerimento a quan-
tia de 139&708, a que so j Iga c mi direilo na qua-
lidade de arrematante do emparamento de 108
metro* correntes no quinto fauOQ da ramificaco
do Cabo, com) se v do certili :ado annexo ao
mencionado requerimento.
N 387.Dita ao mesmo.Em vista das coritas
p mai< d runenlo? juntos, quo me remellen o che-
i; de p dicia em oflicio de hontein sob n. 71, man-
de V. S. pagar ao Dr. Joao da Silva Ramos, a
quantia de Ui, ou o que justamente se dever,
proveniente do ralamente dado na casa de sade
.lo mesmo doutor, aos presos Severino Marques de
Oliveira e Joao Francisco doi Santos, accommetti-
ios da varela na casa de detenca).
N. 388.Dito ao mesmo.Declaro a V. S. para
sea conhecimento e li:is convenientes, qae o enca
da reparlico das ebras publicas participou em of-
licio de hontemsob a. 8, que achando-se a obra do
.-ticamente de 10 metros correntes no quinto
lanco da ramifleagao do Cabo era estado de ser
infinitivamente recabida, lavrar o respectivo ter-
mo e pascar o competente certificado.
N. 389.Dita ao chefe da repaiticao das obras
publicas.Inleirado do quinto Vine, participou
em offlcio de hontem sob n. 8, acerca do reeebi-
mento deflnitivo da obra do calcamento de 103
metros correntes no quinto lancoda ramificaco
do Cabo, tenho a dizer cm resposta, jue dei scen-
cia do citado offlcio a thesouraria provincial para
3 fias convenientes.
4' seccSo.
N. 390. D^libTa^ao.O presidente da provin-
. a attendendo ao que requereu Thoreza Alexan-
drina de Barros Mello, professora publica de ins-
iruccao primaria da povoacao da Casa Forte, e
toado em vista a informacio do director geral in-
terino da instruccao publica de 10 do correnle sob
r. 3, resolve conceder-lhe sessenta das de licen-
'i com ordenado para tratar desua sade.
i XPEuIENTE ASSH5NADO PELO SH. DR. KLIAS FREDERI-
CO DE ALHRIDA E ALBUQUERQUE, SECRETARIO IN-
TERINO DO GOVERVO, EM 15 DS JANEIRO 0E 1870.
i seccao.
N. 391.Offlcio ao Exm. Sr. genersl co mau-
daote das armas.Do ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia declaro a V. Exc. em resposta
ao sea (Mao deste data, qae ficaro expedidas as
'invenientes ordens para seren recebidos e trans-
portados para o presidio de Fernando no vapor
Curnrtpe, que segu boje para all, os guardas na-
eooaes e o furriel de qae trata o seu citado of-
i.cio.
21 seccao. /
N. 392.Offlcio ao Dr. ebefe de polica.De or-
den do Exm. Sr. presideote da provincia trans-
miti a V. & os ttulos juntos de nomeacao do sub-
delegado e do i re-pectivo supplente do Io dis-
tricto do termo de S Beato, de cooformidade com
a propostt de V. S. em offlcio n. 73 de 14 deste
IMC
Sr. presidente da provincia l-ansmitto a V. S. o ti-
tulo junto de nomeacao do Io supplente do subde-
legado d > dtnclo de Pimenteras, de conformida-
de com o offlcio de V. S. de 14 deste mez sob n.
72.
N. 391.Dte ao me Sr. presidente da provincia transmiti a V. S. o
titulo junto de nomeacao do 4o supplente do sub-
delegado do Io districto do termo dj Brejo, de con-
formidado com o seu offlcio n. 60 de 13 deste
mez.
N. 39.'i.Dito ao me uno.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S. que hcou
inteirado por seu oflicio de 7 de-te mez sob n. 27
de haver sido capturado pelo delegado do Naia-
reth, teuente-coronel Jos Cahral de Oliveira Me lo,
e recolhdo a Cjisa de detencao, o criminoso deva-
nas m Tles Tiburtino Jos dos Santos.
N. 396.Dito ao mesmo.O Exm." Sr. presi-
dente da provincia manda declarar a V. S. em
resaosta aos seus offleos de hontem sob ns. 71, que nesla data expedio ordens para que pela
thesouraria de fazenda seja paga a Francisco An-
tonio 1* Silva a quantia de 22080, e pela pro-
vincial a do i 143000 ao Dr. Joao da Silva Ramos.
' N. 397.Dito ao juiz do direito da comarca de
Pa) d'Alho Do ordem do Exm. Sr. presidente da
provincia aecuso o recebimento do offlcio de V. S.
de lo deste mez, em que participa ter nes-a data
entrado no gozo da licenea de um mez que Ihe foi
concedida por delibcracao de 20 de oulubr > ul-
timo.
N. 398.Dito ao bacharcl Pedro Caetano da
Costa.De ordem do Exm. Sr. presidente da pro-
vincia a "cuso o recebimento do offlcio de V. S. de
20 do mez lindo, em que declara ter nessa data re
cebido a communicaco de ter sido removido para
a comarca, que acceita, de Monte Alto na provincia
da Babia, deixando por isso nesse dia o exercicio
do suas funecoes.
3' seccao.
N. 399.Offlcio ao inspector da thesouraria de
fazeoda.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, communico a V. S. para os devidos fins
que segundo offHo da juiz de direito da comarca
de Pao d'Alho, bacharel Vicente Ferreirn Gomes,
de lo deste mez, nessa data entrou elle no gozo da
licenea de um mez com ordenado, que Ihe foi con-
cedida por deliberarlo de 20 de outnbro ultimo.
N. 400.Dito ao 'mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia declaro a V. S. para
os devidos flns que segundo offlcio de 20 do mez
findo, do juiz de direito da comarca de Cabrob,
bacharel Pedro Caetano da Costa, nessa data dei-
xou elle o respectivo exrcicio, por ter nessa data
recebido a ommunieajao offlcial de haver sido
removido para a comarca de Monte Alto na pro-
vincia da Babia.
4." seicao.
N. 401.Offlcio ao gerente da companhia Per-
nambucana.De ordem do Exm. Sr. presidente
da provincia, rogo a V. S. se sirva de mandar
transportar at o presidio de Fernando, no vapor
Coruripe, por conta do ministerio da guerra, o
furriel do 2 batalhao de infantera deste manici
po Manoel Lniz de Franca Penira, e os guardas
Antonio Francisco Gomes, Joao Manoel dos Santos
e Joao Valentim Ferreira Bastos, que vo destacar
naquel'e presidio.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO EXM. SR. SENADOR FRE-
DERICO ALMEID.V F. ALBl'QUERQUB FRKSIDENTE DA
PROVINCIA, EM 17 DB JANEIRO DE 1870.
1* seccao.
N. 401 Portara ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.Transmiti a V. Exc. para seu
conhecimento, a inclusa copia do aviso da repar-
jicao da guerra, de 4 do correntc, declarando a
manera porque se devo proceder para com o
mancebo addido a oompanhia de operarios mili-
tares do arsonal de guerra d'esta provincia, de
nome Manoel Antonio Ursulino Vieira, que foi
julgado incapaz do servido.
N. 404.Dita ao mesmo.Acenso recebido o
offlcio que V. Exc. me dirigi em 14 do correte
sob n. 29, em resposta declaro que apprcvc a de-
liberacao que tomou, le man ir incluir no depo-
sito de rocrutas piraperceberem smente a etapa
at que sejam remetidas as guias e ordens do
thesouro pira pagamente das penados que Ihe
foram concedidas, os invalilos reformados que
obtiveram licenea para residir nesta provincia,
cabo de esquadra Domingos Goncalves de Mac-
do, e soldado Felppe Rodrigues de Oliveira, corto
de qu nesta data levo ao conhecimento do gover-
no imperial aquella medida.
N. 40o.Dita ao director do arsenal de guerra.
Transmuto a V S. para seu conhecimento a in-
clusa copia do aviso di reparticao di guerra de 4,
do corrente, declarando a maneira porque se deve
proceder para com o mancebo, addido a compa-
nhia de operarios militares des*c arsenal, de no.me
Manoel Antonio Ursulino Vieira, que foi julgado
incapaz do servico
2* seccao.
N. 408. Portara ao com mandante superior in-
terino da guarda nacional do Recife.Ao capitao
da 1" companhia do batalhao n. 5 da guarda na-
cional deste municipio, e aggregado ao mesmo,
Antonio Candido do Oliveira, que se acha residin-
do no municipio de Limoeiro, segundo informa o
respectivo commandante superior em offlcio de 4
d i corrente, mando V. S. passar a guia de que
traa o art. 43 do decreto n. 1130 de 12 de mar-
co de 1833
N. 407. Dita ao commandante superior da
guarda nacional de Nazareth.Tondo de coofor-
midade com a sua infonnaco de 28 de derembro
ultimo, n. 7, nomoado para o batalhao n. 19 da
guarda nacional sob seu commando superior, os
offlciaes constantes da deliberarlo desta data, in-
clusa por copia, resolv tambem privar do posto
de alferes porta-bandeira do mesmo batalhao, para
que fra nomoado em 9 de abril de 1867 a Jos
Ildefonso Ribeiro da Cunha, visto nao ter solicita-
do a respectiva patente. O que communico a V.
S. para >en conhecimento e direccao.
N. 408. Dita ao com naodante superior da
guarda nacional de Garanhuns.Respondendo ao
offlcio de V. S. de 6 de novembro ultimo, sob n.
103, tenho o dizer-lhe que por deliberarlo desta
data, junte por copia, resolv transferir para a po-
voacao de Covadonga a parada da 3" companhia
do batalhao n. 29 de infantera da guarda nacio-
nal do municipio de Garanhuns, em vista das ra-
zes que por V. S. fram expendidas em dito of-
flcio.
N. 409.Dita ao mesmo.Expeca V. & suas
ordens para que o destacamento que existe na
villa de Buique, seja transferido para a de S. Bea-
to, onde flear a disposigo do respectivo dele-
gado.
N. 410.Deliberaeao.O presidente da provin-
cia, em vista do qae expoe o commandante supe-
rior da guarda nacional do municipio do Gara-
nhuns relativamente a conveniencia de ser trans-
ferida para a povoacao de Covadonga a parada da
3* companhia do batalhao n. 29 de infantaria do
dito municipio, por ser mais floroscente e central
do quo a actual em Chapada Nova, resolve de
cooformidade com o art. 25, 2' parte da lei 602
de 19 de setembro e art 66 j 6 dodecr. 72 de
15 de ontubro de 1830, transferir a parada da dita
3* companhia do batalhao n. 29 de infantina do
municipio de Garanhuns, do lugar Chapada Nova
para a povoacao de Covadonga.
N. 411. Dita.O presidente da provincia, at-
tendendo ao que Ihe requeren o capitao do 5o ba-
talhao de infantera da guarda nacional do rauci-
pio do Recife, Antonio Candido de Oliveira, resoi-
ve que se ibe passe a gula de que trata o art. 43
ter transferido o seu domicilio para o municipio
do Limoeiro.
N. 412.Dita.O presidente da provincia, ten-
do em vista a proposta do lente ooronel com-
mandante do batalhao n. 19 da guarda nacional
do municipio de Nazareth, e o que a respeito
d'elra informou o rospeciivo commandante supe-
rior em offlcio de 28 de dezembro ultimo, sob n.
7, resolve nomear para o referido batalhoo os se-
guimos offlciaes:
Estido-maior.
Alferes porta-bandeira.Francisco CamiUo.de
Farias, fieando privado do posto Jos IlJeteaso
Ribeiro da Cunha, que sendo nomeado emde
abril de 1867, nao solicitou patente.
3.* companhia.
Tenente.O alferes da mesma Antouio de Hol-
landa d'Albuquorque Maranho.
Alferes.Jos Callado Gafao.
3.* seccao.
N. 413.Portara ao inspector da thesouraria
de fazenda.Ex peca V. S. suas ordens, para que,
depois de liquidados, em vista do prct junto em
duplcala, que me remellen o commandante supe-
rior deste municipio, com offlcio de hoje n. 10,
sejam pagos os voncmentos relativos a 1' qninze-
na deste mez, das prcas do Io batalhao de infan-
taria aquartelado no Hospicio.
N. 414.Dita ao mesmo.Transmuto a V. S.
os prels juntos em duplcate, que me remellen o
brigadeiro commandante das armas, com offlci >s
de boje sob ns. 33 e 34, afirn de que mande liqui-
dar e pagar os vencmentos relativos a 1" quize-
na deste mez, das pracas empregadas no deposito
de recrutas e dos presioneros do guerra para-
guayos.
N. 413Dita ao mesmo.Mande V. S. pagar
depols de liquidados cm vista do pret junto cm
duplcate, a que se refere o offlcio do comman-
dante superior deste municipio "datado de boje, e
sob n. 9, os vencmentos relativos a t* quinzena
do crrante mez, dos guardas nacionaes do 4o ba-
talhao de infantaria aquartelados 00 forte do Bu-
raco.
N. 416.-Dte ao mesmo.Transmiti a V. S
para sea conhecimento, a inclusa copia do aviso
da reparticao da guerra do 4 do corrente, depa-
rando a maneira porque se deve proceder para
com o maocebo addido a companhia de oporarios
militare* do arsenal de guerra de nome Manoel
Antonio Ur.-ulino Vieira, .que foi julgado incapaz
do servico.
N. 417.Dita ao mesmo. Transmiti a V. S.
para seu connecimento e flns convenientes a in-
clusa ordem do tribunal do thesouro nacional da-
tada de 14 de dezembro ultimo sob n. 43, acompa-
nhada da licenea concedida a* offlcial de descarga
da alfandega desta capitel Sabino Joaquim da Sil-
va Corado.
N. 418.Dita ao mesmo. Transmiti a V. S.
para os Ras convenientes as inclusas contas docu-
mentadas da receita e despeza da enfermara mili-
lar sob a administraco do couselho econmico do
deposito'dos recrutas, relativos ao mez de dezem
bro ultimo, e bem assim o parecer da junta de
sale que na forma da lei oxaminou as referidas
contas, achando-as conformes e regulares.
N. 419.Dita ao menmo.Em vista da folha,
relaco nominal, e pret juntes em duplcate, man-
de V. S. liquidar os vencmentos relativos ao mez
de outubro ultimo do offlcial e pracas da guarda
aaconal destacados na villa da Boa-vista e pagar
a sua importancia a Andr Avelioo Pereira c Sil-
va, contorme solicitou o ommandanta. superior da
quelle municipio em offlcio de 26 de novembro do
anno prximo passado.
N. 420.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial. Ao sargento Deomedes Francisco das
Chags mande V. S. pagar depois do liquidados,
em vista do pret nominal, junto em duplcate que
me remetteu o commandante superior do munici-
pio de Sanio Antao com oflbio de 7 do corrente,
os vencmentos relativos ao moz de dezsmbro ulti-
mo dos guardas nacionaes destacados na villa da
Escada.
N. 421.Dita ao mesmo.Acompanhadas das
competentes relacoes, transmiti a V. S. as inclu-
sas contas da despeza feita com o sustento dos
presos pobres da cadeia do termo do Giranhuns,
durante os mezes de setembro a novembro deste
anno, afirn de quo depois de liquidada essa despe-
za seja paga a sua importancia a Veriato Senteio
Lopes, conforme solicitou o chefe de polica cm
offlcio de 13 do corrente sob n. 37.
N. 421 -Dita ao mesmo.Declaro a V. S. para
seu conhecimento e fins convenientes que o ebefe
da reparticao das obras publicas participou em
offlcio de 14 do corrente sob n. 9, que acliandose
no caso de ser provisoriamente recebido o lanco
da estrada de Itapessuma a Pasmado, mandou la-
vrar o respectivo termo e passar o competente cer-
tificado, incluindo-se neste a quantia do 5363761,
sendo 329821, proveniente de urna bomba sup-
plementar e 206940 de um erro de calculo vere-
lica lo no ore miento daquella obra.
N. 423.Dita ao chefe das reparticao das obras
pubiieas. Inteirado de quante Vine, participou-
me em oflHo de 14 do corrente sob n. 9, aerea
do recebimento provisorio do lanco da estrada de
Itapessuma a Pasm ido, tenho a dizer em respost i
que dei sciencia do citado offlcio a thesuuraria
provincial para os fins convenientes.
N. 424.Deliberaeao.O prndente dj provin-
cia, leudo em vista o que requereu o barao do Li-
vrameoto, empreiteiro das obras da nova casa
destinada a guardannona da alfand&ga deste ca-
pital!! bem assim o que a este respeito informa-
ram as estacos coraoetentes resolve conceder Ihe
30 dias de prorogacio para a conelusao daquella
obra a contar da data em que se Andar o praso
para esse Bm marcado. Esta ser apresentada as
mesraas estacos para ter devida exojuco.
4- seccao.
N. 423.OiBcio ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia do Rio Grande do Norte.De conforraidade
com o son offlcio de 24 de dezembro prximo fin-
do remeti a V. Exc. a inclusa carta de penso do
sargento invalido do exercito Antonio Marque* de
Souza, a qual foi enriada a thesouraria de fazenda
desta provincia na ordem do thesoureiro n. 213
de 5 de novembro do anno passado, e segundo
conUa do offlcio daquela thesouraria de 8do cor-
rente sob n. 6, foi reci >i o mentada na referida or-
dem a cobranca de 4 4 380 que deve o menciona-
do sargeqto de sello da mesma carta.
N. 426.Dito ao Esm. Sr. presidente da pro-
vincia do Para.Recebi e vai ser transmitido na
primeira opportunidade ao ministro brasileiro em
Lisboa o offlcio que para ler e^se destino V. Exc.
me remetteu com o seu de 8 do corrente.
N. 427.Dito ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia da Parahyba.Bogo a V. Exc a exptdicao
das ordens convenientes para que sejam enviadas
a esta presidencia as guias d>s sentencalos Mi-
guel Angelo de Lucena e Josepha Maria da Con-
coicao que exslera no presidio de Fernando de
Naronba com guias irregulares coostando teTOM
sido julgados no termo do Principe dessa pro-
vincia.
N. 428.Portara a cmara municipal do Cabo.
Recommondo a cmara municipal do Cabo que
N. 393.Dito a o mefe.De ordem do Exm. [ de decreto n. 1130 de 12 de marco d? 1833, visto
o sul ao promotor publico da comarca de" Cabrob
bacharel Joaquim Antonio da Silvera Juniot
N. 430.Deliberaeao.O presidente da provin-
cia atienden lo ao que requereu a professora pu-
blica da cadeira da povoacao de Correntes Domin-
gas Paulina Ayres e ten lo em vista a informacio
do director geral da instruccao poblica de 6 de
dezembro prximo lindo sob n. 376 resolve con-
ceder-Ihe o praso mprorogavel de 60 das a con-
tar de 4 desie mez para mirar no exercicio de
pa caleira.
N. 431. -Edita!. Pela secretaria do governo se
convida as pcssas que lizeram proposla< para a
illuminac.o gaz dis cidades de Olinda, Goiaoni
o Rio Forawso a compareserem no palacio do go-
verno no dia 19 do correte 12 horas da ma-
nha afirn do assstircm a abertura das referidas
pronos las.
tXl'EDlBiCTB ASSIGNADO PF.LO SR. DR ELIAS FRSDE-
RICO DE ALMEIDA. E ALBUQUERQUE, SECRETARIO
INTERINO DO GOVERNO, EM 17 DE JANEIRO DE
1870.
1'seccao.
N. 432.Offlcio ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia declaro a V. Exc, em respos-
ta ao seu offlcio desta data, sob o. 33, quo se
mandou fornecer os 1:000 tacos de que trata o
pedido do coronel commandante da fortaleza do
Brum. o ijial velo annexo ao seu citado offlcio.
2a seccao.
N. 433.OBcio ao Dr chefe do polica.De
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia declaro
a V. 5., em resposta ao seu offlcio do 12 deste
mez, sob n 59, que nesta data se expedio ordem
ao commandante superior di guarda nacional de
Garanhuns, que transferio para a villa de S. Ben-
to o destacamento que existe na de Buiqud.
N. 434.Dito ao mesmo.S. Esc. o Sr. pres
dente da provincia manda declarar a V. S., em
resposta ao seu of!o de 13 do corrente, sob n.
37, que a thesouraria provincial tem ordem para
pagar a Veriato Senteio Lopes a quantia de......
2G600 constante do citado offl.:io.
N. 433.Dito ao commandante superior daguar
da nacional do Limoeiro.O Exm. Sr. presidente
da provincia manda declarar a V S. que ficou in-
teirado, pelo seu offlcio de 10 do corrate, de ter
nessa data reassumdo o commando superior da
guarda nac .nal do municipio de Limoeiro.
N. 436.I)!to ao commandante superior da guar-
da nacional de Santo Anto.0 Exm. Sr. presi-
dente da provincia, respondendo ao offlcio de V. S.
datado de 7 do corrente manda declarar que a
thesouraria provincial tem ordem para pagar ao
argente Deomedes Francisco das Chagas os ven-
c mentes constantes do citado offl'io.
N. 437.Dte ao commandante superior da
guarda nacional da Boa-Vista.O E&m. Sr. pres
dente da provincia manda declarar a V. S., em
re-posta ao seu offlcio do 26 de novembre do aqno
prximo passado, quo a thesouraria. de fazenda
tem ordem para pagar a Andr Aveliuo Pereira e
Silva os vene i mentes constantes do citado oflicio.
EXPSDimrTE ASSIGNADO PEI.0 EXM. SR. >ENAD0n FnE-
DF.RICO DS ALMEIDA E Al.Bl'QUBRnKE, PRF.SIDENTE
DA PROVINCIA, F.M 18 DE JANEIRO DE 1870.
1.* seccao.
N. 439.Portara ao inspector jle arsenal de
marinha.Respondo ao offlcio de V. S., data-
da de 4 do corrente, sob n. 1880, declarando Ihe
que podo entregar o ramodarrematacao da barca
que servia de quartel companhia do aprendizes
marinberos a Manoel Espinela de Mendonca, pela
quantia de 513000, em vista do mi o estado de
ruina em quee acha a mesma barca e ter sido
o nico licitante que melhor preco offereceu.
N. 440. Dita ao cpnselho |de compras do ar-
senal de guerra. Aulorso o conselho de compras
do arsenal de guerra promover a compra dos
objectos constantes do podido junto sob n. 2. os
quaes sao necosiarios para foruocmento do almo-
xarifado do mesnn arsenal.
N. 441.Dita ao mesmo.Approvo o ontracto
que, segundo o termo jante por copia ao seu offl-
cio de 7 do corrente, celebrou o conselho de com-
pras nava03 com loiquim Alves da Silva Santos
para o forneci mente do lenha e sal aos navios da
armada e estabulccimentos de marinlia no corrente
trimestre de Janeiro margo.
N. 442.Dita ao mesmo.Approvo os contrate*
que segundo o termo annexo ao seu offlcio do 7
do correte celebrou o conselho de compras na-
vacs com diversas pessoas para provmento de
objectos necessarios ao almoxarifadi di arsenal
de marinha, convindo que o mesmo conselho
remeta thesouraria de fazenda copias dos termos
que assignaram cada um dos vendedores de taes
objectos.
2-1 seccao.
N. 443.Portara aoJ)r. chefe de polica Com
o parecer junto por copia do mordomo de mez no
hospicio de alienados, a que alludc o offlcio do
provedor da Sania Casa de Misericordia, de 14
dste%e.z, respondo ao offlcio de V. S., de 3 do
corrente, sob n. 5. quante admissao naquc-lle
hospicio do alienado Antonio Pedro Pereira que
se acba na casa de detencao.
N. 444.Dita ao commandante do corpo provi-
sorio de p dica.Transmuto a Vine, para a devida
execucao a sentenca da junta que em ultima ins-
tmea julgou o soldado Apolinaro da Silva Ramos,
constante do conselho de julgamento que lho de-
volvo.
N. 443.Dita ao mesmo.Mande Vine pjstar
duas pracas do corpo sob o seu commanio na
birreira ia Magdalena, dsposieao do respectivo
subdelegado.
. 446.Deliberaeao.O presidente da provin-
cia, em vista do offlcio do Dr. chefe de polica n.
90, de boje datado, resolv/ conceder ao major
Joo Antonio da Silva Cabral a xoneracao que
pedo do cargo de delegado do termo do Pao
d'Alho.
N. 447.Dita.O presideote da provincia, de
conformidade com a proposta do Dr. chefe de po-
lica em offlcio o. 90, de hojo datado, resolve no-
mear o bacharel Antonio Francisco Correa de
Araujo para o cargo de delegado do termo de Pao
d'Alho.
3" seccao.
N. 448.Portara ao inspector da thesouraria
de fazenda.Em vista do pret nominal junto em
duplcate, que me remetteu o commandante supe
rinr deste municipio com offlcio de hontem sob
o. II, mande V. S. liquidar e pagar os veuciraen
tos relativos a 1* quinzena do corrent'mez, das
pracas do 6 batalhao de infantaria, aqaartelladas
na fortaleza do Brum.
N. 449.Dte ao mesmo.Tendo nesta data au-
torisado o conselho de compras do arsenal de
guerra, a promover a compra dos objectos neces-
sarios para fornecjtnento do almoxarifado do mes-
mo arsenal, constantes do pedido junto por copia
sob n. 2, assim o communico a V. S- para se*
conhecimento.
N. 450.Dita ao mesmo.Tendo nesta data
approvado o contrato qae celebrou o coaselbo de
compras navaes oom Joaquim Alves da Silva San-
tos, constante do termo junto por copia, para forne-
craeoto de lenha e sal aos navios da armada e
presidencia com a possivel brevidada copia das ac-
tas da eleicao, que ltimamente se procedeu no
collegio eleitoral dessa villa para deputado as-
sembla legislativa provincial.Igual as cmaras
municipaes de Serinhae o, Villa-Bella e Taoaral.
N. 429.Dte ao gecnte da companhia Per-
narabueana. O Sr. gerente da companhia Per-
nambucana mande dar urna passagem de estado a
r at Penedo no primeiro vapor qae segu para
ao inspector da thesouraria pro-
i iiiror-
para seu conhecimento e de-
faca extrahir do respectivo livro e remeta a esta, estebelecmontes de marinha no corrente triroes-
tre de Janeiro a marco, assim o communico a V.
S. para seu conhecimento.
N. 451.Dita ao mesmo.Tendo nesta data ap-
provado os contratos constantes do termo junto
por copia que o coaselbo de compras navaes cele-
brou com diversas pessoas para fornecimento dos
objectos necessarios ao almoxarifado do arsenal
de marinha, assim o communico a V. S. para seu
conhecimento.
N. 452.-Dita
vincial.Ple V. S. conforme indica em sua
raa gao do 44 do corrente sob n. 16 acerca do re-
querimento que incluso devolvo, mandar pagar ao
barao do Livramento quando permittirem os eofres
Jessa ihesnurara a quantia do 18:972800, que
se lho est a dever proveniente do servico qu
executou durante o mez de novembro ultimo, na
qualdaie de empreteiro do calcamento desta c-
dade, como se v do certificado annexo ao men-
cionado requerimento.
N. 453. Dita ao mesmo.Nos termos desua
infonnaco do 14 do crrente mez sob n. 18, com
referencia a da contadoria dessa thasouiara, man-
de V. S. pagar a Jos Augusto de Araujo, quando
permittirem, as forcas do cofre dessa reparticao a
quantia de 1:401*193, proveniente da ultima pres-
ta cao da obra da ponte sobre o rio Serinhaem no
lugar denomina lo Porto de Pedras como se v do
certificado annexo ao requerimento que incluso
devolvo.
N. 454. Dita ao mesmo.Autoriso V. S. nos
termos do parecer da contadoria dessa thesoura-
ria, a que se refere a sua informaran de 11 do
corrente sob n. 20, a mandar adantar medante
flanea a professora nomeada para a cadeira de
instruccao primara de Villa-Bella, Guilhermioa
Francisca de Araujo Lins, a quantia de 400 que
dever ser descontada, de conformidade com o
art. 25 da lei n. 598 de 13 de maio de 164.
N. 453.Dita ao chefe da reparticao das obras
publicas Por despacho desta data conced a per-
missao que no requerimente a que sa referem a<
siian informacSes do 13 e 15 do corrente sob
ai! 7 o 12, soliciten Remigio Kucepo para cons-
truir um canno, que d esgolo as aguas pluviaes
de sua caa sita a ra d caes do Capbaribe, una
vez quo clhkse ujeite por um termo lavrado e
assignado nessa reparticao as condiceSes estipu-
ladas a muros eji idnticas circunstancias. O
que dedara a Vme.
vidos effeitos.
N. 456.Deliberaeao.O presidenta da provin-
cia tendo em vista oque requereu o conductor da
reparticao das obras publicas Js Rarbalho Uchoa
Cavalcantc e bem assim o que a este respeito in
formou o chefe daquella reparticao em offlcio de
15 do corrente sob n. 11, resolve conceder ao
mencionado conductor, 30 dias de licenea com
ordenado na forma da le para tratar de sua
sade.
4' seccao.
N. 457.Portara ao Dr. Prxedes Gomes do
Souza Pitanga.Tendo por doliberacao desta data
nomoado a V. S. para com os Drs. Silvio Tarqui-
no Villas-Boas e Pedro de Athayde Lobo Moscoso
verificar o estado de incapacidade physca qu?
allega o professor publico da cadeira da'paveara >
de Baixa-Verde, Jeronymo Theotonio da Silva
Loureiro para poder continuar no oxercicio do
seu magisterio, espero que aceite a nomeacao o de
acord com os referidos doutores proceda ao exa-
me necessaro na pessoa do mesmo professor re-
mettendo-se o resultado a esta presidencia para
resolver o que convier.
Igual mutantis mutandis aos Drs. Pedro de
Athayde Lobo Moscoso e Silvio Tarquinio Vil-
las-Boas.
N. 438.Dita ao director da escola normal.
Podendo ficar iuutlisa la, segundo declarou-me o
chefe interino das obras publicas em offlcio da 28
de dezembro prximo lindo sob n. 420 a caiadnra
que em 20 desse mez mandei fazer no edificio em
que funeciona o escola normal, visto o eslado de
ruina cm que so acham osanos do esgoto do te
Ih ido do mesmo edificio, convm que V S. emen-
da-se com o rospeclivo proprieta rio, afirn de que
faca os necessar.os concertes, e feitos estes, parti-
cipe a esta presidencia para ordenar a referida
caiatura.
N 439. -D.'liberaea).0 presidente da provin-
cia attendendo ao que requereu Ignez Feliciana
Pereira de Lyra, e tendo em viste a informacio
do director geral Interino da instruccao publica de
11 do corrente solo n. 26, resolve nomoa-la para
reger interinamente a cadeira de instruccao pri-
meriada povoari) do Barro durante o impedi-
mento da respectiva professora o mediante a-gra-
tilicacao animal de 610..
N. 460.Dita. O presidente da provincia re-
solve nomear os Drs. Prxedes Gimes de Souza
Htanga, Silvio Tarquinio Villas-Boas o Pedro
de Athayle Lobo Moscoso. para verifiearein o es-
tado le incapacidade physica que allega o profes-
sor publico da cadeira da povoacao de Bnixa Ver-
de Jeronymo Theotonio da Silva Loureiro, para
poder continuar no exercicio de sen magisterio.
N. 461.Dita. O presidente da provincia at-
tend'-udo ao que requereu Ilenrique de Miranda
Henriquos, e tendo em vMa a informacio do di-
rector geral interino da instruccao publica de 8 do
corrente sob n. 14, reselve nomea-lo para reger
interinamente a cadeira de inslruccao primaria da
povoacao da Passagem de Magdalena que se acha
vaga por fallecimento do respectivo professor.
pereebendo a gratificacao annual de 600.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO SR. DO. ELIAS FREDERI-
CO DE ALMEIDA E ALBUQUBRQCG, SECRETARIO IN-
TERINO DO GOVERNO, EM 18 DE JANEIRO DE 1870.
2' seccao. *
N. 462.Offlcio ao Dr. chefe de polica.De or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia trans-
muto a V. S. o titulo junte de nomeacao do ba-
charel Antonio Francisco Correa de Araujo, para
o cargo de delegado do termo de Pao d'Alho de
conformidade com a proposta de V. S. em offlcio
n. 90 de hoje datado.
N. 463.Dito ao mesmo. De ordem do Exm.
Sr presidente da provincia declaro a V. S que
nesta data se expedio ordom ao commandante do
corpo provisorio de polica para mandar postar na
barreira de Magdalena duas pracas daquelle cor-
po para impedir o transito de vehculos por do-
mis pesados no passadico daquella localidad.1, li
caudo assim respondido o seu offlcio de 17 ido
corrente sdin. 81.
4" seccao.
N. 464. Offlcio ao director geral interino da
instruccao publica.S. Exc. o Sr. presidente da
provincia tendo por deliberaeao desta data e cm,|
vista de sua informacio de 11 do corrente sob n.
26, resolvido nomear a Ignez Feliciana Pereira de
Lyra, para reger interinamente a cadeira de ins-
truccao primaria da povoacao do Barro durante o
impedimento da respectiva professora, e medante
a gratfieacao annual de 600 ; assim o manda
communicar a V. Exc. para seu conhecimento.
N. 463.Dito ao mesmt). S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia tendo por deliberaeao desta da
te o em vista da informacio dessa direitoria de 8
do corrente sob n. 14, resolvido nomear o profes-
sor approvado pela escola normal Ilenrique de
Miranda Henriques para reger interinamente a ca-
leira de instruccao primaria da povoacio da Pas-
sagem da Magdalena, mediante a gratilicaeio an-
nual de 6004 ; assim o manda communicar a V.
Exc. para seu conhecimento.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DA PROVLNCIA DO DIA 21
DE FEVEREIRO.
Antonio Prisciliano Ferreira Patriota.Nao tem
lugar o que requer, viste da nfornjjcao.
Bento Eleuterio de Souza Castro.Requera ao
conselho de qualificacao respectivo, qae tem de
funecionar brevemente.
Demetilla Rosa de Lina.A'vista da informv
Cao e nio sendo orpnao o filho da supplicante, nao
tem lugar o que requer, se Ihe parecer, a admis-
sao do mesmo em qualqner dos dous arsenaes de
marinha ou guerra.
Francisco Ferreira Borges.Dirija-so a thesou-
raria de fazenda.
Francisco Ainancio da Silva A' vista da infor-
macio nio tem lugar o que requer.
Padre Floriano de Queiroz Coutinho Informo
o Sr. inspector da thesouraria de faiooda.
Francisco de Araujo Barros.hiforme o Sr..ins-
pector da thesouraria de fazenda, ouvndo o Dr
procurador fiscal.
Feliciano Rodrigues da Silva.Passando recibo,
entregue-se.
Francisco Baldomro de Albuquerque Maranho.
O sold dos dez das do mez de dezembro, qu<
allude, receber n supplieante apresentando-s* na
thesonraria de fazenda. Quante ao mais nao tem
luga* vista das informacSes.
Ignez Cordeiro Lcite Dirija se ao Sr. provedor
da Santa Casa de Misericordia eui sessao da
junte.
Joaquim Jos de Farias Neves.Informe o Sr.
director do arsenal de guerra.
Coronel Jos Cavalcanto Forraz de Azovedo.
Informo o Sr. inspector da thesouraria provin-
cial.
Joio DonneUy.Dse a certidao requerida,e
passando o supplicante recibo entregue-se os do-
cumentos.
Jos Antonio de Leao.Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Mana Jos da Oreceicao.Dirjase aSr. di-
rector do arsenal de guerra.
Raymundo Gimes da Silva. -Informo o Sr. com-
mandante superior interino da guarda nacional do
municipio do Recife, remeltend i a petirio que o
supplicante alale, feita por Francisco Ribeiro
Pinto Guimarips, patrio do mesmo supplicante, e
despachada em 27 de novombro ultimo.
Alferes Tiharcio Valeriano Baptsta da Costa.
Informe o Sr. commandante Superior da guarda
nacional dos municipios de Santo Antao o K-cadi
enviando o requerimento a que o supplicante. al-
lude.
Thomaz de Carvalho Soaies Branlio Sobnnho.
Pago o sello do certificado que junta, volte.
rsula Goncalves Rodrigues Franca Dirjase
ao Sr. desembargador provedor da Santa Casa de
Misericordia em sessao da junta.
22
Antonio Francisco de Souza.Junto este ao re-
i|u rmenlo asterior e informacSes sobre o assamp-
to de que trata, informe o Sr. Dr. procurador fis-
cal da thesouraria em vista dj novo documento
offereeido.
Padre Camilo de Mendonca Portad >.A" vista
da informacio da cintadoria da Ihcraurana, o do
Dr. procurador fiscal, autoriso o supplicante a des-
pender com a oontinuacao das abras do qoe tnU
at a quantia de 2:000^000, votada p 11 5' do
art. 16 do orcaraento vigente, d/v.md i prster op-
portunameme contas na mesma tli.-ouraria, a
quera se communicar esta deliberado.
Hanrqueta Amelia de Menczes Lyra Dinja-sc
ao Sr. inspector da thesouraria provincial.
Jos Augusto de Araujo.A' vista da of.riiia-
cao, concdase a prorogacio requerida.
Sebastian Jo* Basilio Pyrrbp.Remedido ao Sr.
Dr. director geral da inslrue?ao publica para at-
tender ao supplicante. no que requer, de confor-
midade com a legislacio em vigor.
RepartlfSo da polica.
2* seccio.Secretaria da polica de IVniambu-
jo, 23 do fovereiro de 1870.
N. 267.Illm. e Exm. Sr.Levo ao~ conheci-
mento de V. Exc. quo, segundo conste da3 parti-
apaces recebidas hoje nesta reparticao, foram
reeolhdos hontem casa de detencao, s segura-
es individuos :
A' miaba ordem, Manoel Jos do Nascmeoto,
que diz chamar-se Manoel Faustino, e Lourenro
de Puntes, que declara chamar se Loureneo Fran-
cisco de Oliveira, vndos de Pao d'Alho, o primei-
ro por estir pronunciado naquelle termo em cri-
me de tentativa de morte, c o segundo como indi-
ciado em crino de morte no termo do Pilar da,
provincia da Parahvba e na cidade de San 'Agnida
da provincia do Rio Grande.
A' ordem do subdelegado do Santo Antonio,
Joio. cscravo de Manoel da Silva Campos, re-
Suerimento de-te, c Alberto Pinte, por desobe-
irucia.
A' ordem do de S. Jos, Joio, estravo do Dr.
f.uiz da Silva Gusmao, i requerimento deste, e
Francisco do Albuquerque Maranho, como incar-
so as penas do artigo 216 do cdigo criminal.
A, ordem do da Roa-Vista, Custodio, oseravo do
Hospital Poitnjtwa, por se achar pronunciado cm.
crmc de ferimentos graves.
Em data de 18 do correte communicon-mo o
delegado da Escada que, no dia 16 deste mesmo
mez no engenho Tolerancia daquelle termo, Pedro
Gonsalves Pereira c Manoel Antonio iravaram
entre si urna lucia, da qual resultou a morte de
Manoel Antonio, sahindo gravemente fondo com
onze facadas Pedro Gonsalves; que proceder as
competentes vestorias e ia instaurar o respectivo
processo.
Deus guarde V. ExcIllm. c Exm. Sr. se-
aador Frederico de Almeida e Albuquerque, pr-
ndente da provincia. O chefe de polica. Luiz
in! ou i o Fernandrs Pinheiro.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
MO GR ACEJO.Propala-se ha 3 lias nesta cida-
de o boato de um abomnavel crme cmmetlido na
pessoa de nina moca, perlencente urna familia,
3ue so diz morar em um terceiro andar do bairro
e Santo Antonio. Consisti o anounciado crmc
no eoterramente da tal moca vita em urna paredo
da casa, sendo para esse nm constrangido a em-
pregar a sua arte um offlcial de p^dreiro, que
fora ameacado por quatro horaens armados de pa-
nhaes, que o levaram de olho- vendado\ o depois
de darem militas e repelidas voltas ao referido, lu-
ar do enme. Reza mais o annnncio que o pe-
rciro recebara 200 pelo seu trabalho, e que essa
quantia se acha depositada na polica.
Competentemente autorisados, declaramos ser
falso tudo quanto se diz por ah a este respeito.
Nao ba quantia alguraa em mi do Sr. Dr. ebefo
de polica, e nom individuo algum all foi ter asse-
verando tal noticia.
O Sr. Dr. chafa de polica, tendo ouvido ter-
ceiras pessoas a materia do mao gracejo, cora o
zelo que o caraclerisa, procurou saber a orige.iv
do boato, e veio ao conhecmeoto de quo elle nL>
tem nenhum fundamento.
E' para lamentar que os nooelleiros iaventeni
catrufetdes d'estes para derramarem susto na po
pulacao pacifica d'esta cdade, o nao seria m >
que algum correctivo se applicasse taes a
leiros, porque o gracejo de pessimo gosto e m >
effeito.
TRILHOS RBANOs PARA OLINDA-Chegon
hontem o patacho ingle?. Elisa Skewis com mai*
material para a va frrea para Olinda, e urna lo-
comotiva.
INSTITUTO ARCHEOLOGICO E GEOGRAPMGn.
Devem hoje reuoir-se em assembla gerat os
merabros d'esta sociedade, aflm de so proceder a
eiele) da mesa administrativa e das coramissoos
respectivas, para o anno de 1870.
CAIXA FILIAL.No da 7 de marco proxim
sera) lerados prora publica os titufos em nq-
.



i
Diario fe Pernambuco Quinta feira 24 de Fevereiro de 1870.
.soto ban-
V,\ -De 88 a 88 do crrante
-sao i Mm porto o vapores Oiwidae
Oourn, dalntiidCSmlbampton ; este em viagem
do su! d.i imperio pira a Europa, e aquello d-tfeta
para o sul do imperio.
TRILHOS URBANOS DE APIPUCQS -De ama-
nhaa liS) em diaute a empreza dos trilitos uiba
nn< do Apipucos nao recatar mais os bilhele*
que h -iiverem em cireulaeao ; recebendo, aqoelles
qae tic rem nessa data em gyro, smento como
jttga de passagem nos trena.
LUTA K MORTENo dia 16 do corrate, no
eag.-nli > I'i.VivnCa,da fregnozia da Eseada, Pe-
dro 6me.;voi Pereira e llanoel Antonio travaram
entre si una lu,da qual sanio ferido gravemente
com 11 tacadas Pedro Goacalves, e morto Manoel
Amoro.
(:.;AS PUBLICAS Acha-sc interceptad, por
r.r.km 1 Sr. Dr. engenheiro ern chele da repart'
ra i .U3 obni publica, o transito de vehculos e
.'mi v Augusta, catre o becco do Peixoto
e a lo & lelo.
NVVEiS B.N ;0.\TRADQ5.-A snmaea hespa-
nh ola Cirinfcow fallou a 8 ito mez eorrente, na
lal f V N. e loogit. O. de Ca lix 18 o/i' com
a fragata a vapor hespanli la Catalua, indo de
Maca o i ara a Havana, com 89 dias do viagem ; e
com barca hespcahola Pepita, indo de Barcelona
para M mtovido, com 36 lias de viagem. Tudo
a hem a bordo d'esses n3viu?.
L8T6MA.A ijue so acha venda e a 138', a
beneficio da igreja de N'ossa Senhora do Livra
:ni"i-i I i i;io-Formoso, que corro no da 28 do
eorrente.
i.llLAO. -floja faz o agente Martins leilao em
scu annazem ra do Imperador n. 16, dos ob-
jeeto de onro e prata, como se acha a-munciado,
la raa da praca da Indepenl 'iicia n 13.
CEMITERO PUBLICO.Obituario'do dia 23 do
"orrpnte :
Maria, Pornambnc o, 2 annos. Boa-vista; intente.
Eduardo. Pernambuco, i mezes, Boa vista ; hy-
iro cepita) o.
Maia Francisca, Afri'a, 53 annos, soltara, Bua-
vista ; tobercnlos pulmonares.
Thomitid, Pernambuco, 'J2 annos, solteira, Bea-
vi-t i ; hephKto.
Senh rl !n, i'oniaiubUoO, casada, 40 annos, S.
Jo-'1 ; pht'sica.
Fansti io, Peniambueo, !) dias, S. Jos ; espasmo.
IgaM.Pernainbuco, 1 anno, Reeife ; denlicao.
PABSAtiEIROS Sahidos para o Porto na bar-
ca p >rt i :uoza Clavdma :
Francisco Fernindes Arves do Lima, D. Fran-
cisca LidaLoiz Hartn Pataratas, Jos Pinto La-
pa e .! ve Joaquim de Oiiveira.
Sabidos para os partos do sul no vapor Gi-
yriid':
Lnit 4a, Franca, Lniza de Frwca, Dr. Luiz fle
vipi ti, F.dieade Severiana de Jess o Thomaz de
Aqm'no Sooza.
OaHITKRfO PUBLICO.-Obtnarto do dia 22 de
fevereiro de 1870.
Auna, Pernambuco, 9 neies, Santo Anlrnio;
Chmpala.
f.iaona Mara da ooreieao, Pernambuco, 22
r.ii i-, casada. Lecife ; tubrculos pulmonares.
Mavignier Victoriano Dantas, Pernambuco, 2
avias, solteiro, Boa-Vista ; ubergnlos pulmo-
ntm
Man ''i Joaquim de Siqaeira, Portugal, 40 an-
s ilteiro, Ba-Vist.i nepaaHe.
sarta do Rosario Miranda, Pernambuco, 7o an-
l vitiva ; S. J-. ; erysipela.
aiaosd losa de Franca. Pernambuco, 60 annos,
casada, S. Ju> ; congeslao cerebral.
Manoel, Pernambuco, Reeife; ao nascer.
De Manoel Jos Tinoco de Souza e MBoeltea-
qnim Rodrigues Ferreira distrato social.Uelpr.do
na forma do decreto n. 4,394.
Autos de renabtaca > de anoel oreira^a
(tta Pasaos e CtniM-J Morir da ContaSltts-
faoam o parecer ll^al.
Dada a hora (11 e meia da pjanhta), e nao ha-
vendo aa (pa desnaca, S. Exc. tt Sr. presi-
dente encercoa a sesso
chronica JvmmiA.
TartiWL do connuRcio
ACTA DA SESSlO ADMINISTRATIVA DE 2 DE
FEVEREIllO DE 1870.
RSSIDRNCIA DO EXM. SR. DESK\I13AltGAD0R ANSELMc
FRACtSOO PEnKTTI.
s 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. depn
Udos Rosa, Basto, Miranda Leal e barao de
raviiry, S. Exc. o ir. presidente declarou aberta
a se->.l">.
Fj lida e approvail a acia da sessao do 17.
mofarte.
Ol'rio .la junta ios corretires. remettenlo o
ultioi i h il.-tini cinimereial.Ac archivo.
>) 3r. Dr. oldcini-naiar denanoioa a divergencia
li' liicintroil nos o .o,on li traprhe alftndegi-
i > Guerra, do l'cS" semestres do anno pmxi-
un paralo.Alitoado pelo Sr. Dr. oIBcial-msior
de w vi-u ao Sr. lesemli.irgaJor IschI.
.'i Srs. diputados foram distribuidosM sf-
lint livros: Diaaio e Copiador da companhia
Pieaix Pc-rnarnbucana, Diario de Joaquim Ju*e
< >:i :!.- i) '".rio, dito de Jos Francisco Moreira
& C
DESPACHOS
-:,|:i-,ri:n--,n!o de Muioel Francisco da Cunha,
bra vi id.i di ti i-tir.iole do \orte e memoro da Urina
'. n'n & Ir.nl)*, pedtodo ser indi/idoalment-'
luatrcnlado; sen lo ab mado sen crdito commer
c.inl < 113 cammorciaotes Prancisco Ignacio Tino-
r d- ..'.\, Luiz Antonio Siqaeira e Antonio Al-
l:r; i S i :za Aguiar. Vista ao Sr. desemharga-
r li cal.
:' Fran -'ir. i Xaner da Fonseca, pedindo pr-
continuar a escrever no livro Diario
o eu a firma, de que fez parto, de Fon
sea \ Arruda.Como reoer.
De J tan J icinth i de Medeiros Rezemle, mostran-
.! i liaver cumprido o despacho de 14 do eorrente.
C iino requer.
De Alexmdre Jos da Silva o Juaquim Moreira
da Svi, mo-tranlo tambem liaver cainpridt o
d^i.ocho do i" do eorrente.Registre-se na forma
d> di.-ti n. 4,394.
Do Antonio Ferreira do Oiiveira Yfanna, nedin-
di o registro d8 urna procuracao bastante.Regis
tra-e.
De Rosa Je Irmao. declarando nao ser mais seu
caixeiro Benjamn Canuto le Santa Aona, aflm de
se mandar tornar sem elTeito a respectiva nomea
510.C no reqnerem.
Di viura iuillierme da Silva Guimires, apre-
neataado a registro o seu contrato social.Vista
a 1 Sr. desembargador tl-cal.
De Vanoel Joaquim de Amorim Garca, sallsfa
Ka lo a exigencia do despacho de 10 do eorrente.
Prestado o juramento passo-se titulo.
D vinva ailherme da "il.va Guimaraes A C,
p.'livlo iransfrencia de livros.Como reqnerem
Ae Sregorio Paos do Amura) A C, distrato so-
cial.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
I'.VJ INKO MOCAO DO R. DSKilUl.'.AUOlt FISCAL.
I' Azo tn & Rasui, registro de seu distrato
socid.Deferido na formado decreto n. 4,3.'4.
!) D.imingos Joaqnira Ferreira Cruz e Gandid
de Carvalho Xeves, registro tambem de dsirato
social.Deferido fla.,forma do uVreto n. 4,394.
I) Juius f-Nirstemberg e David KUch, registro
de su e,j;[|-,; 1 social.S.itNfaeam o precor fis-
c., legalisando outro ponjootoa juntos
vindos de paiz oslrangeiro, c lend em vista o que
dispe o decreto n. 4^94.
De Souza Basto A C igual registro. Deferido
na forma do decreto o. 4 394.
De J Kiquini da Silva N.igueira e Domingos de
Si Pereira Jnior socios responsavoi', Manoel Ji-
s Ciraeiro o Mauoel da Silva Nogueira, socios
co7ima Declarom os supplicantes o valur da li judacio.
iwi< d.JIe lera a pagar o sello respectivo em visU
iio decjeto n. 4,334.
De Francism) Ferreira Bailar Jnior mostrando
diaver cumplido a 1.a parte do despacha de 20 de
Janeiro ultino, a a ini# 2. parte do mesmo.-r-DecIarem os supilieiotes
aproximadamento o valor dali indacao pjis delle
tem a pagar o sello proporcional, era vista do do-
er.to 11. 4,354.
Di Manoel Francisco do Carvallw c Santos e
Ber:ta !Vidrigusde,SouJ regi,tro do,sea contra
1ci.1t.Deferido na forma do decreto n. 4,391.
De 11-!;'.) Francisco enrijue, dem de mu
; Dloliim Lapes da Cruz.De-
ti
o Joaquifi
Arruda, ideni J seu disir.ito de so-
I^^^^^Bido ai
I'

ora
'
1 Vledeiro- 9 Luiz Cabral de
iciaJ.Deferido
iriculh do cora
?eA L 5 a .... .nirato social
mprindop
> Rran n.
alo de
na forma do
SESSAO JUDICIAULA EM 21 DE FEVEREIRO DE
1870.
PaBSIDINCIA 0 XM. SR. DESEMBAnCADOR A. F. P*"
RBTTI.
Semlaria, Julio Guimardes
A' onze horas e meia da manhaa Jeclarou-se
aborta a sessao estando reunidos os Srs. desem
bargadores Silva Guimaraes e AccioJi, e os .srs.
deputados Rosa, Basto, Miranda Leal o barao de
Cruangv.
Lida, fui approvada a acta da ultima sessao.
0 Sr. desembargador Res o Silva commnoieori.
que por incommodado nao compareca preseute
soasao.
O OMrivio Alba |tieri| ie registrou o ultimo pro-
testo de letra a 13 do crrente mez sol) o numero
; e o oscrivao Al ves de Britoa 18 do mesmo
ez sol o numen I,9G:>.
Contina em poder do Sr. Ro na sessao anterior, entre partes, embargante, G is-
par Cavalcante do Atbuqnerque Uchoa ; embarga-
do, Joao de S o AMiqaerqus,
UESIQSACAO DE DIA.
Amellante, Joaqun Salvador de Squeira Ca
valiste ; apiiellauo, Salvador le Siqueira Caval-
cante. O primeiro dia til.
PASSAOBHS.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. d-isembar
gador Silva Guimaraes: appellante-, os adminis-
tralores da Diassa fallida do Joajuim Jos Silvei-
ra : appellad is, a viuva e hprd 'iros de Diogo Jo-
s d 1 Costa : appellante, Manoel Torquato Ramos;
appellado, Antonio Ulys-es de Carvalho.
DisruinctQAO.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes : app.'l-
lame, Joai Pe 1ro Blanehin ; appellado, Carlos
Luiz Cambronne.
AGffRAVO.
Jnlzo espec al do coiamercio: aggravante, Olym-
pio Tlteodoro da Silva; aggravados, J.is, Joaquim
la Cunha & C-0 Sr. desembargador Silva Gui-
maraes negou provimento.
Nada mais havendo a tratar, fui encerrada a
sessao meia hora da tarde.
RECITATIVO
O t|iec amor?
Amor anjo que a vagar na trra
Suluca, lienie o lenta no eco voar;
Amor plaga "inle a loucura habita,
Amor vano coiho vario o mar.
A cur a brisa, que se espregaica branda
Vas lindas llores de u-.n vergel de virgem;
Temos suspiros que o mortal desata
Xas ancias tristes de fatal vertigem.
Amor o Ioucit, quea ariso sombra*
Mistura o rh'tf.4km alegre riso ;
Aai"r inariffiVe di nma campa fra.
Que ama ao morto t roubar-lhe o viso.
Amor receano, que raiv >s > brame,
Beijando as praias, ahr-c.indo o mundo ;
\nior 6 chaos que Werjpita o crente,
Qu n'alma sent um pensar profundo.
Amor ospinho, cicuta, verma,
E' fogo, f ranto que d >s olhos corre ;
E' santo a-tro, que CoBduz 4-i Empyreo
O joven triste, quando n'elle morre.
Amor 6 o mundo, que com passo grave
Caminha.ait^o t tornar se aonada ;
Amor n re de ennstante aroma,
Cr'oando a virgem n'um sonhar do Cada.
Am >r 6 Deas un seu Iuzente throno,
Lanrandoao mundo esperanza Pida;
\mo"r los, que 1) bronze "feitos
Unem dous peiios liara toda a vida.
J. P. S. Filho.
CANf-AO
Eis me nadao X morrea
A mniu.i de direccao I
Morrer tambem jnero eu,
Voar etrea mancao I
Mataram meu ideal,
Tenho morto o comcao !
Foi-se mea sonho donrado
P..ra nnnea mais voliar I
0.ae feto desse passado
Em que vivi soubr ?
Mataram meu ideal
Eunca mais posso brilhar !
*Eisn1e hoje-tudo que sou,
Fro glo sem paixao I
Tud 1 p'ra inim se acaboa
D.i patria gr3ta vizao :
" Mataram meu ideal
De ventas eahi no chao I...
Ai de mm! do X a morte
.Mergulhou-me em prant^ e dor!
Tristi vidatriste sor o
Triste vidasera amor!
Mataram mea drtal
Aroma de teara flor !
Vgqulnha m:u doce encanto
Que anda idj prende a vida;
Ja que ra-'gasus o manto
Da minha iliusao querida:
Abre me o cofre dus gozos
Hegu fada apcie:ida!
23 de Janeiro de 1870.
/. a.
O Sr. tenenie-coronel Sebastiao
Ant- nio do Reg Barros, e o
Liberal a. 76.
A npposico preenche o mais nnbro dos seus
deveres, quando procura aclarar o instruir o go-
verno, expondo os faclos, de modo a issipar as
nuvens, com que so oceultan" suas vistas; mas
luand i exige e acceila a calomnia pan cirntater
os seus adversarios, entao excitando a mais viva
indignacao, rebaixa-sc perante a opiniao, degrada
a sua honrosa nisso; e, era vez de conter e re-
primir pe," censura os aiasos e ex-ssos, cahe
nessa especie de fraqueza oabjpccao, oue a inha-
bilita perante os governados para substituir o
poder.
O Libera!, sem se informar dos factos, sera at-
tender ao merecimenta das pesoa?, soni pezar a
qualidade dos informantes, acceita tudo contra os
seus adversarios ; ou a* accuwgoas sejam feitas
pelo despidi, e prooecupacao grados, oh com es.so obslinaco, que se nota em
alguas homens contra a verdado, todas sao rece-
bidas o jogadas, como meios cencentaneos aos sen-
il ns I
_tNao o quero desviar de sua marI a poltica ;
nao pnteodo mais intervir cm mocIc de*ta ar-
dem ; mas ouvin lo o nomo do Ilustro aecusado
nao me posso coatr, e cedendo aos in-.vimentns
da amizade. antepmho a egide sagrado da verda-
le cusir tan cainainiasa e rnde aggresi o.
Tratase le abu*is e desinamt's praiicaiios pol i
comman !v'.i d > presidio de Femindo. o Sr. l-
ente bastiao Antonio do H.70 an
Os nmnanri confusos dessa vozrraligna que
pretendo elevar? at o govern;, pi-rde-se no es-
paco.
Que alte le merecer urna ,|ieisi formu-
lada em tom serio, quaoilo nella se pretende raaer
Umaconta em dctallie dos geri nuns p melanciaK,
aceuuiuad is narptslla ilha con m mtoM de pudra
; fendo o iccu-
sado de ni ?
Quem p ira homem as condi-
cdos do actntt rommandaote do pi F,>r-
mnwrcio
ios sentenciados all, onde ha tao
1 esse geuo, endo tio gnn ;e ;nri.
que em cou e-tyoes as onda ai r ]
pedra peixes 1
Na realidade soria un* com o lucrati-
vo ; bastava s a balieira da ilha para .o cominaa-
dante a-cumular em poneos nw.es urna'fortuna
de20:0005 I...
Bastam estes dous pontos para espallMtr o ridi-
culo em toda a aceusacao.
Eis o que hi do veadadeiro quanto s colheitas
o posea da baiii I
A balieira lera s\hdo, durante o actual com-
mando, tres ou qualro vezas para a pesca, con-
duzindo seu bordo qualro sentenciados, sendo
Ses rancheiros do empregados, o mu soldado de
me Can lid ), que vai
ToJta reuartido o peixe entre os dvtosraacheiros
e soptenciados que recolhem a baliel
Que a ilha est sendo bem cultivada nao ha
duvida, e a prora que, sendo o invern tao es-
casso, foram remettidus de Fernando l.iOO -
com milho c 80 sacras de aigodao ; ftcando alm
disto mil e tantas mos de milho, que foram dis-
tribuidas pelos empregadoa, como manda o regu-
lamento.
Se ha quitandas, deve saber o publico que ha
dislribuicao de graos, e que os vivandeiros ven^
dem all o quo mister para essa negocio.
De tula eston eabalmenie informado. Combine
se agora-oque diz o Liberal com esta informaeao.
da qual se pJe convencer fcilmente o gov
con os meios da quo dispSe para se instruir da
verJade, attenda-se para o coaceito de que goza o
cemraandanle Reg Barros, e ajuue o publico do
vamr da acensar).
0 acnisado bem conho^ide. Dominado sempre
pelo seatimento Jo dever e da honra, nao se nota
em toda sua vida publica um p issa es-
lustrar seu n une ; mas inf.'z nento, por mais in-
vero-imil que seja a calumnia, ha sempre urna vo
para apregaa la, oum espirito para acre lita-la.
E' esta a quartavez qui elle tem-se encarrega-
do dofommando daquelle presidio, mrecendo
sempreoda conflanca dos diversos-mkWTilstrado-
res. e, loavores das commi?
, Nem este o nico encargo que elle tem exer
cido; offereoendo-lhe os diversas administradores
os mais honrosos restemunhos de sua inteireza e
probidade.
Pertencen .ao con*elho do comprns, exercendo
as suas hinc(5es e im zA i e pericia ; eommandou
a cavallaria por larga espaeo de lempo, e qtiando
deixava aquello emprego venda bens de sua m-
dica heranja para subsistir, entretanto que inuitos
tem adiado meios, tal vez.licito?, de melhorar as
suas circuas'.ineias ni |iielle commaod'.
Dirigi o hospital regimental ; commandou por
diversas vezes as nossas duas fortalezas do Brnm
e di Buraco, e ulti mente dirigi os trabalhos da
colonia de Pmenteiras, e em todas e'ssas commis
soestem uto peritamente e mcHado a saa auste-
ridade de ostumes,'aseveridadee rigidez enm que
disiribue jusiiga com a docura natural de seu es
pinto, e a brandura dos meia* que emprega, que.
se fazendo amar da; seus subordinados, 6 igual-
mente respei tado e reverenciada por lodo*
Ivn tola sua vida tem picferido o honesto difQ
cl ;'is doguras da utildade Ilcita.
E' es| o homem, cuja cobica o Liberal repre-
senta em formas to repugnantes, fantando pun-
gente ignominia d > insulto o ultragede sua honra I
Quem se r.'CoiiinienJa por to honrosos titulo*,
sendo estes os nico* fruetoi quo tem comido de
tao longos annos de dedicacao ao servco publico,
nao merecen do Liberal, nem sequer a simples
attenco do ser censralo em tom menas insul-
luoso rile, qno sabe lid bem guardar o dec iro i
seus adversarios ; elle, que, em tdas as vezes que
tem exercido autordade, s se tem guiado pelos
movimentos generosos de sea coracao bemfazejo e
cardoso.
Proceda e julgU3 assim o L'beral.
Mas os espirites prudentes e esclaracidos, se
res, como os dotadla, Jeelararam que o present**
lote s deveria rtgularforadacommanhao, pelas
seguintes condic
I* Qu rocebida quo seja peb dotado a referid
quana, a empregaria logo que Ihe seja possivel
em bens do raz, qno fleare cans lerades eomo
bens dotaes.
Qua oslas bens assra comprados, nao ficajao
- dividas i-oiiirahidas oclo(t)iagedfran?
te o malrimomonio e muto menos a aquella' con-
trahidos aotes do matrimonio, assim como n|o po-
ilorio vender, alienor, nem mesmo-hypothecar, era
u circumstau-ia algama.
V Que no caso de fallecer a dotada sua fillw
reverter o dote para os d dadores, e a isto ser
obrigado dotado.
4* Qjje o dotado far a entrega do doto em moe-
da corrento, ou em igual valor nos predios, sendo
elles avhalos no lempo da entrega, Qcando esta
alternativa a escolha dos dotadores.
5" Que faliecenJo o dotado sera lilhos, alera da
entrega do dote, segunda as condicoes acim* es-
tipuladas ter adotada a iniciacaode todos os bens
do dotado.
&*_Qu o.jpresenta dote gomar de tolas os mais
prevl'gios que Ihe concelem as leis o o dreita
civil.
E pelos dotadores foi declarado qaa latram o
presente dote, de muito livre vontad, e sem o me-
nor constrangimenl i. E pelos dotados qne acei-
taram o referido doto, com todas as condicoes, e
por esiarem assim conormes, p Jiraui Ibsse feito
esse instrumento.
Eem f e lestemunln de vprdado, assim o ou-
torgoram e acwitnraai, no qual se assignaram de-
p.iis de lido com as lesterounhas presentes.Ma-
noel Lucas dos Santos Oiiveira, e Tltoraaz Correia
Peres.
Eu Joao Francieco Regis tahclliao o escrevi.
\ntonio da Conloa Soares Guimarfics, Fraiv
Thuiazia da CohceicAn, Domingos Amonio Goirffs
Guimaraes, Varia So e. de. Jess Cunha. Manoel Lu-
cas dos Santos Oiiveira, Thomaz Correia Peres,
iE mais se nao sontioha endila escriptura de-
w)te. que eu tahclliao m principio desta declara-
do, e na fim assigoado bem e fielmente fiz extra-
lii do proprio < riginal qne e acha exarado em di-
to li ro de notas, ai qual me reporto
Vai a presente em vi-rdade, sem causa que du-
vila laca, conferida, erncertada, subscripta e as
signada' nesta cidale do Reeife, aos 20 de novem
bro de 1867,
Subscrevo e a.signo. Em f de verdade, o ta
hellio interino, Pedro Jorge da Silva Ramos.
N..
Francisco de Salles da Casia Montein, tahelliao
publico do notas da comarca da ridade do Reei-
fe de Pernambuco por S. M. o Imperador que
Deus guarde etc.
Certifico que revendo o presante livro de notas
lo eorrente anno, nelle se acha a escriptura qu
menciona a petico .-upnra que seu theor verbo ai
verbtun da forhia e maneira seguinte:
Escriptura de pacto mtenuiicial que entre si
fazom D. Maria Jos de Jess Cmiha,.a J'So Anto-
nio Gomes Guimaraes.Distribuida fotha 49.
Em nome de Deus Amem
Saibam qaanto este publico instrumento de es-
criptura de pacto ante-nupcial virem que no anno
do Nascimento de Nosso Senhor Jess Christo d-;
1833, aos 9 das do mez de abril, nesta cidade do
Reeife de Pernambuco, em meu escriptorio vieram
partes presentes e contratantes a saber : do ama
parte D. Mara Jos do lesns Cunha e de nutra
parte loo Antonio Jomes Guimaraes, moradores
nesta inesma cidade, reconhendos de mm
examinaren) com attenco o nosso estado social, tabelliao e das*testemunhas abaixa declaradas e
cniiiliiaiDJo as no^as p'aixoes e hbitos predomi-
nantes, chegarao a n.n julfamento m'is justa so
hre os factos o sobre os honleps.
Entre nos Indo se .Maca indi-tinctamente, a mais
bem fimdada repntacao, o valor das mais honro-
sas tradiedes, os caracteres mais puros, tudo se
confunJe com o que !)a de mais cosrupto e im
m ral.
Nao pe admira, partanto, o modo da censura e
jnlgament) da Liberal; mas saiba o Jheral que
aquelles-]ur nao se sujeitam a certas hbitos, e
que sahen moderar as suas paixoes. fazem do ac
tnal cipimninImite da ilha de Fernando un jaizo
muito diverso.
Sustentado por urna constante tradicao da mai->
pura hoiie-tidade, nunca deseen da altura em que
desde o bergo se achou enllocado. Na honra ha
syinbolos, que se iradottira por nomes to inveja-
veis, como o seo nome.
Pacent d'elle este ron.vito, n> fac mais do
rae pagir um tributo ao seu rnereciienio real.
E'est o conceito que formn d'elle um di^tiiici>
meiiibro da o|ioo mas do Lilh'i-il com o mais vivo senlimento.
ana voz n%emenda pela auiizule, (da aos ouvidos
Hoj homens de bem. como echo da verdade.
l/nirenro Rezara Garneiro da Cunha.
AO PUBLICO KM GERAL K AO CORI'O
COMVIER';i\L EM PARTICULAR, AS-
SIM COMO .V COMPANHIA DOS TR1
LI10S URBANOS E OLINDA.
O ab ixo aMilgaada previne ao publico em geral
e ao c urbanos do Olinda, para que nao romprem, mi fa-
fain qnaes pier negocios do compra com os bens
doraiz. mov.'ntes ou semoventes, deJoo Antonio
Gomes Gaini.ue<, com especialidade o sobrado n.
83 di ra do Imperador, casa n. 18 de caes ti de
Novemhro, siliodo Campo-Grande, em eonsequen-
cia de taf s ben< so acharem letisiosos, i para qne
o pn-dito Joao Antonio Gomes Gnfmaiaos r tilda
ao casal da interdicta mi do abaixo assignado, D.
Franci-ca Thoma/.ia da Concpi^ao Cunha, a quan-
a cxcolenie a lo:090030, que receben de dote
da referida senh ira, aub condico de restituico
nao ten lo lh s, como nao leve : e j para garan
tir a importancia la venda que fez de bens de seu
Casal, quo nao podia faz lo, como se est a provar
em juizo competente, pelo qtft tem de ser is bens
do ca-al do referido Joao Antonio Gomos Guima-
raes nubmetiidos a inventario, ou reforma do que
seprocedea com leso dos nleresses do casal da
mi do abaixo assignado pelo que desde j pro-
testa contra quem qner que coafprar, nu transigir
com bens daqnehe Sr. Gomes Guimaraes.
E para que o publico em geral, e o corpo do
cammercio o companhia dos trilhos urbanos em
particular, averigen) a veracidade da impunlbi-
lidadu era qae se acha Jo i Antonio Gomes Gui
maie- de vender eus bens de raz, moventerou
semoventes, dignem-se 1er as escriptnras abaixo
transcriptas verbum ai oerbuii, pjidendo ainda
Mis lerem nos antis origmaes do invontaro, os-
crivo Brito, asacftles pendentes contra aquella
insigne o respeitibiNsMiiia pessoa, a quem muito
respeita o abaix-i assignado.
Outro sim, o abaixo assignado pede ao pablo
em geral, ao corpo do commercioe companhia do
irilhos urbanos em particular, que, para melhnr
esclarecinieiito, sera alada mais convonienle qui-
se dirijan) ao ex-advogado do proprio Joo Antonio
Gunes Guimaraes, e actualmente advogado do ca-
>al da mai do abaixo assignado, o muito llnMra-
dissiuio Dr. Antonio de Vasconcellos Menezes de
Drammond, afim df melhor acon*elha los eexpli-
car-lnes a veracidade ou nao do quo fica expen-
dido.
Attionh da Cunha S. Guimai'Ses.
m.
Pedro Jorge da Silva Ramas, tabedlia publico
interino do jadicial e notas, nesta cidade do Re-
eife e Red wrrao, em virtude da lei eet.
Certifico qltd revendo os livros de olas, e em
que escr^veu o tbellio (boje fallecido Joo Fra'a-
Cisco Itegis. no anno Je 1842, e n'um delles aeliei
a oscriptura J que trata a peiic supra, cujo
son thaw d de forma e maneja cgtiinto :
lscripLora de dote que faz Antonio da Cunha
Soares Gaimaraes o sua mulher, a sna filba D
Maria Jote fe Josas, para se recooer em matri-
monlo coaiTwmingirs Antonio Gomes Guimaraes.
Em h. m*i de Den amen.
S.nbairi quantiis este pubcdinstrumento de es-
criptura do dote virem, que no anno anno do Nas-
ciin-'m de -Nosso Sauhor Je*us Cnrlsto, de r8i?,
ais 12 dp n>.vtMDbro, ne-ta cidade do Reeife de
Pernanibuoo, era mea escriptorlf1 perante mim e
-t'-itui-ihas abaixo declralas n asignadas,
ifpaioeeram presentes Antonio da Cunha 8oar
Guimaroie sua mulher D. Francisca Thomatia
la Gucic4i OHtto dotadores de sua fltha D. Ma-
ria Jos do Josas, quo haviam contratado re-
eober-se em niatnmiMio om Dimingos An-
oaie Gime*"Guiraaresj moradores nesta cida-
le a rfcouhecides de mim, tabetlio pelos pre-
pias do qiv) d ou fe. E pelos mesmos dotado-
Antn!-, da Ci res GuimarSes c
nnlh-r I). Franeiscisca Thoin*!ii da GaneeMfc/*
foi d^-I^aio : referidas tustenrilii-
ahiixo iKi'darads o assignadas, qne logo qno so
i ment da dotada sua filha, D.
rin Jisp fl* Imm com o dotado Doiningos An-
s fJinmarles, Ihe dariam em dote pata o en-
cargo* do inatrlmnnio a quantia de HOOO 6 re-
peberjam dos dotadores o co opetento recibo, o qne
para cumplimento.desla pr messa dotal, obrigan
setfs boas nesta msma occasiio nio s o datado-
assignadas pelas pronnas de que d.iu f. E pela
oes na 0. Mara Jos de Jess Cunha, me foi dito
persnle as hipsraas (esteraanfaas, qae estando jus -
u e contratada de Ca4r cora ana loao Antonio
Gomes Gdmares, era de vonlade, f iz-lo sob as condlQoes seguintes:
I.' O ie shs bens tanta os quo a.-tulmente Ihe
pertencem, o que dcverlo contar da prtilha, a
que Sd vai proceder dos bens de seu casal porfal-
tecimeuto de seu marido Domingos Antonio fo-
raes Guimaraes. os quaesbens calcula em 2S:O0O4
piuco mais on menos, como os que hauver le ad-
luirir, mesmo na c instancia do matrimonio, par
heranca ou a qiulqaer outro titulo, nao estara de
forma algama sugeltos as dividas da mesmo lo'i
Antonio Gomes Guimaraes quer as j contrahidas
al hoje, quer as que pw" venlura tiver de con-
trahir.
2.a Que fallecenda r-He primeiro, sem filhos ha-
vidos da outorgante, nao podera dispor senSo la
l'Tca parte da ineiaeao desses bens, s ndo que s
ess terca poderlo haver seus pais quando el
marra intestado.
3." Qae obrevivenlo elle ter a meiaco de to-
Ji ? os liens della onth.irgante, que lti*:v cede com
a clau>al:>, purera, de nao estar obligada as suas
dividas, visto eomo -eu intenta garantir-lho urna
decente subsistencia.
E pelo mencionado Joo Antonio Gomes Gnima-,
raes, foi dito tambem em minha pre--enca e das
losiemiinhas, que qae aeceitava a presentes con-
dicoes, estipulando tambera que no caso da 0U-
ilirgante subreviver Ihe, ella tira a meiaco dos
bens. quo elle possuir, senda que smente da tere.
parte dessa meiaco podera ella dispor quando ve-
uh i a fallecer primeiro; uo que tudo convelo a
oiithorganle.
E nesta conformidade querem e sa contentes os
contratantes que esta escriptura tetihn em tolo o
lempo o seu devid i eli'eito e vigor obrigando-se por
suas pessoas e bens a faz la firme e valiosa como
nella se acha exarada.e por ambos os contratante,
foi dito que aeceitavam a prsenlo com todas a-
clausulas n condicoes na mesma deliradas o o
theor dos documentos o seguinte :
Val pagar o sello proporcional correspondente a
quantia de 23:0003 prov nien'es los bens que ha
leconsurdo inventario e prtilha, porfallecimen-
to de Dimingos AntonioGomes-Goimares quo faz
D Maria Jos de Jess Cunha, viuva do dito
Guimaraes com Joo Antonio Gomes Guimaraes
para celebraco do pacto ante-nnpcial.
Iteeife, 9 do abril de 1833.O tabellio Costa
Monteiro.
Eslava o sella n. 131 123309Pagou 12AS0).
Rcifo 9 de abril de 1833.-Carvalho.Senna.
M .tta Monteiro, a folha W.
Escriptura de pacto ante nupcial qne fazem Joo
Antonio Gomes Guimaraes e D. Mara Jos de Je-
ss Cunha em 7 de abril de 18550 distribuidor
Freir.
. E>tava o sella n. 1L160.pagou 160 ris.
Reeife 9 de abril de 1833.Carvalho;Senna.
E mais se nao continha em ditos documentos
aqui copiado.
Em f e testemtinho de verdade assim o disseram
.ouihorgram o acceitaram, o lida esta por mim
perante todos os sol/rditos foi por todos outhorga-
da e eu tabellio como pessoa publica a oulhor
guei, acceilei a bem dos ausentes e mais pessoas a
que pertencer possa a tudo presente por testemu-
nhas Antonio de Maura R dim, Manoel Gomes da
Cruz e Joo Carne i ro .la Silva Machado.
Eu Francisco de Salles da Ostt' Monteiro. ta-
bellio o escrevi.-Mana Jos de Jess Cunha.
Joo Antonio Gomos Guimaraes.Antonio de Mou-
ra llofim.Manoel Gomes da Cruz.Joo Garnei-
ro da Silva Machado
E mais se nao ontinha em dita escriptora qne
eu tabellio abaixo assignado fielmente fizextrahir
da dito livro de netas ao qual me reporto, vai na
verdade sem consa que duvida faa, conferido,
concertado, subscripto e assignado nsta cidade do
Benre de Pernambuco, aos 30 dias do eorrente
anno da .Nascimento de Nosso Scnhar Jess Chris-
to d 1855.
Suh-crovi e assignei. Declaro quo a presente
conidio me foi aprceafada hoje ti de maio do
eorrente enno, dendis do meia dia ;em ter vicie
algum, emenda oa oddsa que duvida faja.Emf
de vordade, Francisco de Salles da Costa Mon-
teiro.
B.tm. e Rnm. Sr.liespondenda ao officla que me
foi dirigido por V. Exe. com data de 18 do eorrente,
sobro a noticia dada pela Rerittn Diaria de que
se fazia preciso lieenc i da ibes mriro da irman-
darte, quando o SS. Viatico, tiuha de siir com
mais suleinndade nesta matriz, para informar a
V. Exc, que esta matriz senda a tnica desta ci-
dade, que nao tem patrimonio, sush-nta o costeio
da rae^ na matriz, nicamente com o producto das
esmoias da bolea das 5 reiras e da eaixmha qae
tom na portada grep. o por,esta razan na pode
ter grande quantifafe de brandoes o upas para
satisfazer o descojo de algumas pessoas au" s; nrc-
sentara cora grande numere de c ,'ura
acorapanliar o Viatic
n pojrr do guarda da matriz, as al^
fraas-precisas para sahir o Viatica rm a precisa'
decencia, oslando a* dentis all'aias a cargo do th-
soureiro, que nnnea aarod, quando eoiivenient^-
merrte se h'arodo, alvo si o lempa nao permit-
te sahlr opkm, e o lugar distan
Se a irmaa.tade nao ten di lo
Ps,,i" mhc
co quanta softVem essas alfaias erfpitaj ao ta'mpo
a luaimente pela rigoroia necessidade, que tem
em zelar essas alfaias, pela pobreza da raesraa ma-
triz, que at o presente ainda nao podo a ir-
mandade conservar as quintas fe
cantada.ao SS Sacramento.Deus guarde a V.
Exc.
Freeueza de S. Jos do Reeife 21 de fevereiro
de 70.
Ezm. e Rvm. Sr. conego Marcelina Antonio Dor-
nellas, D. governador do bispado.O vigarlo Joao
Jos da Costa RibpklL ,^r~^^
Cumprir a
vando ao
serviros p
jnsftca e c
que foi con!
r sagrado mea pensar, le-
nto do respeitavel publico, os
"} can orbanidade, cavalheirismo,
primenlo fervoroso da alta misso
__aa ao distractu vice-consal de Hes-
panha nesta praca de Pernambucn a Sr. D Juan
Bsson, sobre o zoilo de seus subditos aqui resi-
dentes.
Havendo succedida em 25 do julho prximo
passado ana pequea aliercaca entre o abaixo
assignado e um cairo individuo motivada por ef-
fetos que era sua mesma casa havia tomado, e
passanlo ao mesmo lempo Antonio Joo, loraou
parte ha defeza de seu patricio, uzanda sem a me-
n r infoTmaca, do oxpresses ponco plidas o
prevalecendo-so de um ccete que sempro con-
duz camsige, descarregou algumas cacetadas so-
bre mim de que solfri algumas contuzoes.
Informado a dislincta vice- cnsul do occorrido
e conbecendo a pobreza do seu subdito, na se
poupou a tomar o negocio a si para tomar urna
plena satisfaco perante a autordade policial e
competente e mesmO em abono J saa honra, de
seus subditos e de sua mesma naeo.
Pode com ba-tante didculdade pela marasidade
alcancar e levar a effeita o execueao devida
da plida do local e desempenho da dignidade
que a nra e outro cabe segundo os bros.
Adiando se re:olhido a casa de dettenejio dito
Amonio Joo como criminoso de feriraento :
neste sentido que dirijo estas rusticas o pequeas
lianas to someote a agradecer aos distinctos ca-
valheiros j como rice-censal, o j como autor-
dade policial de S. Jos, disculpem a falta de elo-
cuco para d ir nina sirgella demanstracao de re-
rcconhecimentc.
Continan la as autoridades com semelhante
lirio no drtsempcnho do seus deveres o de civili-
saco moral, sero para todas e por todas as na-1
edes el-igiaJas. assim como o cavalleiro vice-con-
sul, digno e merece! r do logar que com honra
de sua naco sabe deserapenhar, o que hoje ra
ro ver em qualquer das n ices ; e sirva de e*pe-
Iho aos mais e ao Sr._ Guimaraes que tanta solTre
da atona, do somnmbulo, moroso e finalmente
pacato no todo !
Permitan os Ilustres cava leiros e o respeitivel
publico que tteneiosaue.ntp rao assigne, certas
de que nao meu intento oiTender a algaetn.
Reeife 2i de fevereiro de 1870.
Manoel I.ocarinkas.
ElKj:l
Dosjuizes, esenvaes, thesouroi-
ro e mais rne^arios. qae hao
de f-siejar a Vlae de Deus la
EseaJa, orago < I esta fregaezia
no anno de i 870.
Juiz por eleico.
O lllra. Sr. tenente coronel Antonio Marques de
llollanda Cavaleanti.
Ju:/.a por e'eico.
A Bxm. Sra. D. dureza Dias Femara.
Juiz por devoco.
0 lilra. Sr. capitn Da vino dos anto3 Pontual.
Jniza por devoco.
A Exm. Sra. esposa da Illni. Sr. .capo I
Joaquim do Oiiveira.
Juizes protectores.
Os Iluns Srs.
Dr. Jos Candido Dias.
Capilo Henriqneda Silva Los.
Capit;io |os Sancho Bezorra Cavaleanti.
C pilo Jos Pr iro de Oiiveira.
Capilo Manoel li idsignes da Silva Cmara.
Maior Manoil Am.mo Dias.
Tenante Minoei l'ereira da Silva Lins.
Jo; 1-rancisca Ferreira.
Juizasprott doras.
A3 Exmas. Sras.
Baronesa de Aramaragy.
D. Oiympia Cavaleanti Pessoa, esposa Jo lllra Sr.
Dr. juiz de direiio Podra Camena Pessoa.
D. Alaria da Siivmra, Lias, esposa Jo lllm. Sr. ex
juiz Belmire da Silva Lin*.
D. Joaiiaa Celestina Birreta da Silva, esposa do
lllra. Sr. Di. promotar Jas Auloaia Carvea da
Silva.
D. Maria Jos da Fonceca.
A esposa do Iilm. Sr. capllSo Manoel Antonio dos
Sanios Das.
A esposa da lllm. Sr. majar Antonia Jos Jos San-
to...
A esposa do lllm. Sr. majar Aatoni) Pinhoiro Paes
de Lyra.
Escrivo por eleico.
0 lllm. Sr. teneute Joaquim Theodaro de Barros
Costa.
Escriva por eleicao.
A Exma. Sra. D. Euloca da Suveira.Motla, es-
pasa da lllm. Sr. Alexandre da Uolta Coma.
E-scrivo par devoco.
O lllra. Sr. Fr. Augu.-to da inmaculada Concei-
co.
Escriva par devoco.
A Exm. Sra. 1). Izabel Ferreira da CasLi lanos,
Seraphim Jos de Araujo.
Zeferjno de Moraes Rangel.
Francisco Xavier do nw.
Krancisco Jo- dos Sai
Jos Pantaleia da Costa-
los Joaquira de Saat'Annz.
Pedro Jos da Cos a Castello-Bran:
Pacifico Jacomfl lo Ara nio. _
Mordouri.
Tadaaislllre.v. e Exmas. 8r?s. Itabii ates de<*
fre(gtttza aa Hscada.
O \igarlo SnnSo d$ latedo Campo*.-
Eixaqueca, hemierani", dore
biliosas e nervosas da cabera.
Todos estes males provena do? desarranjos do>
estomaga o da fizado, e nenhnm remedio ate h^jo
descoberto, lo perfetaraente limpa. purifica e or-
ganisa estes orgos com maior presteza e sogu-
ran?a, do que exactamente* as Plalas Assararadasv
de Bristol. A antoridade em que fcndarrms esta>
incontestavel asscrc i emum grande nia-
Sa de testemunlns; es quaes, qualquer um jarist*
o paiz pronunciara eondudentes; por exempto:
Edward Warren, do Rrookljn, ewreve o segaiiitc:
i Depois de eu liaver padecida pela e annos de um eonsti nte e repetido ataque de cnxa-
queca, dous (nispiinhos das Pirulas do Hr-lol m
poieram bom. "isto aconteeeu ha cinco mezta
sta parto, e desda cnio pata ci nao experfttfn-
'ei nova repetr,o do mal o. A Sra. Wi!.;on. na -
Iher d i Sr. Wifson. de Nova-York, diz : dhfcs w*
Diluas restituiramine a sala pos*Wjv
Durante inuilrs annos fui atormentada dernnsiaii-
les dores bfllnsas de cabera. Menhom rem'.lio foi
rapaz de mo dar o menor* allivio, ;, ;prji-
mentei as saos plalas; ellas nao s lizrran dts-
apparecer a molestia, come tambem melheramr
eousideravelmeot-' a estadoger. Ida minha isdde >
Como ellas se arhem metiida* cm vid inhes, ollas
conservam-se invariavetfl em todos os dimaa. Un
todos os casos provenientes de impureza da san-
gue, a salsa parritha de Bristol dever ser tomtda.
coujanctamente com as plala--.
Fundas francezas.
Excellentes ftitidas dos mais afama.'>
fabricantes francezes, c Je diverjas qurrft-
dades.
Pharmacia Central ra to Itnpera^or
n. 38. (5
>5 ?
an
espesa da lllra. Sr. Amero Joaquira di
los.
Tliesaurero.
0 lllra. Sr. Gulheiiue Muaz de Souza.
Procurad ires.
Os 111 ns. Srs.
Manoel Lnurenco dos Santos.
Alferos Martinho (rocan > de Araujo.
Alferes Frane.sco das Ctngas Oiiveira.
Tenenlo Fabio Je.s de Figuciredo.
Firmuo Alves Pimentel.
Manuel da Silva Barros.
Jos doncalves dos Santos o Silva.
Joo Gomes Ferraz.
Antonio Pedro Gomes.
Joo Cavalcante de Almeida.
Manoel Bibiano de Almeida.
Estanislao .Nones da Rocha.
Procurador geral.
O lllm. Sr. al reres Manoel JJoaquim Torres Ca-
linda.
Mordomos.
Os Illms. Srs.
Rvd. coadjuctor Fioriano de Queiroz Coulinho
ttvd. Francisca Lbano Mascarenhas da ~
livd Manuel Barroso Pereira.
Kvd. los Marcelino Pereira da Cunha.
Rvd. Domingos Marlins Pereira.
Kvd. Albino do Carvalho Lessa.
Dr. Manuel Duarte de Faria.
Carey Juvenal do Reg.
Basilio aptisla Furtado.
Jesuini Munz de Souza.
Jos Ignacio di Huela.
Capitn Jos Alves>de'OIveira.
Capitn Manoel Antonio Gomes Jnnior.
Unpito Joo llomarico de Aze'vedo Campo'.
Capitn Josk Lu:iu Monteiro da Franca.
Capitn Thomaz Hodrigues Pereira.
Tenente Lijiz Gomes do Azevele Camp-as.
Teneate Mauoel Feliciano da Silva.
Tenante Mand Juvencia de Sabaya.
Tenento Joo Baptista da Silva Maia.
Tenente Joaquim Rodrigues da Silva.
Alfetes Jos Alfonso Je Azevedo Campos.
Alferes Manoc lOlympio de Barros Costa.
Alferes Joaquira Francisco da Souza Chaves.
Alfcres Mauoel Francisco da Silva.
Alferes Juvencio Si vino de Freitas.
Alferes Heuriquo Gamos de Barros o Silva.
Alferes Pedro Ferreira Luna.
Alferes Antonio Alexandrno Cavalcante.
Arftres Luiz Leocadio Paes de Oiiveira.
Alfares! Lmz de Franca da Vera-Cruz.
Tenente Antonio Torquato de Almeida.
Alferos Jos Antonio d : Moara.
Frin-isco Xavier Cameira da Canha Campe'.lo.
Joo,Bail5o de Queiroz C'Utinho.
Franco Cavalcante do Albuquerque.
Joao Carlos Cavalcante de Alhuqudr-iTV.
Teriuliano do liorna Cavaleanti
JSoiao Archanjo de Albuquerque Pirrtent '
Tenente Jos Dias Alces da Oaiatal.
le Jess Pimcutef.
Jos Fi'oreotino da Foaceca T Severino Jos da tlosta.
i Silva Caldas.
Antonio Rodrigues do Sena Blrr\
Antonio Muniz Pereira.
Joo I).mascona eSilva.
Dlbni 't'Anna.
Berna' de Sena.
ni Estevas Salgad
I Eulogio da Silva.
Jos Patrocoio e Silva.
Manoel Carmello de Barros.
Jos Francisco de Souza Chaves._
COMMERCIO
PRACA DO RECIFE 2:1 DE FEVKRF.IRO
DE 1870.
AS 3 1/2 HORAS OA TABBV
Algndo l1 sorte lo 109 rs. p ir kil. freie :', Z
5 0|0 hantem).
>mhio sofire Londres 90 d|v. tl ,S par I JE.
(hantem).
'Cambio sobre Paris 172 rs. por fr.
Dito sobro dito 4-70 rs. por franco.
Dito sobre dito 30 d|v. 47. is. por r-.;
Gonca lio Jos AIY mso,
Presidente
Me-quita Ju.oii r,
Secretaria.
L7ii yi'.
O Rio de Janeiro Limt^d
Deseo ita lettras da prra taxi a 'm-
endonar.
Recebe dinheiro em co&U corrciA la
I raso fixo.
Saca vista oa a praso pobre as vi&tes
prlocipacs da Europa, tem cor; Ata
qa Baha, IlueRos-Ayret, M'.r. '/*-
a New-Orleaas, o eraitte cartas fy oradlo
para os mesmos lugares.
RA DO COMMERCIO S. 3(t
Sociedade bancara
em corama,i lita
Ikeodoro Simn $ i
Compram e vendein por orilla (m>-
iria metaes, moedas nacioiiaes, e sstra-
^eiras, letras de cambio, sefJas do go-
'ernoo do banco do Bsasi!.
Descootam letras da ierra ti
;ulos coramerciaes.
Encarregam-se norconta albsia di mw-
as transaeces, da cobranra d letras t.;
erra e de otitros ttulos comraerfiiaeSi
Receb m quaerqoer rroaraia? fem dopov
dio, em corita correte, e a pi
Largo do Pelourinho n. 7
Caixa Filial do Ban^o do fhist!
em ernambuco, t m jijai-
daQo, 7 de fevereiro di
1870.
Por ordem da dirctoria do Basco do Bra-
sil se faz publ co que no prtSfl lie ititslt m
i contar da presente data seii
leilao os ttulos em Rqpidr.c4o e ios ui\t-
1as constantes da rclato qoa esisfd aa
tnesma caixa acnde poder sor examwMjn
pelos pretendentes.
ALFANDEfrA.
^endimentodo lialr, 2. rKtOJQUfifit
(lera do dis 23...... !o:f>3.
;;,st
MOVIMENTO DA ALFA?-
/oluraes entrados com fazend:'s
dem idetn cora gen-tr. s
'olumes sahidos com fazondas '
fdem idem com gneros %n

Descarregam hoje 2i dt f--. ir >.
Patacho portnguezManame.
Patacho americano Uxzii II. KibaU
Barca francezaAdtUeidm.
Barca inglea.Sroa Florida-idtr,
Barca franceza -Fgarodem.
Barca americanaCaicodem.
Patacho inglezS a Gull\icm.
Brgue pnrjuguezGotelei Jera.
Patacho inglez Elene Berni
RCEBEDORtA Dh RENDAS !NrER>
RAES DE PERNAMBUCO.
tendiraento do dia I a 22. f'i.M.
aem do dia 21.......
.
CONSULADO fROVIV-A.
-toudimenlo do dia 1 a 22.
Idera do dia 2: ...
14u Wfi
'Ai..*,
l.'i":
ni......i
copotira
Nanos tnUdos
MontevIiTAo39 das,
Soo toneladas, canilSo J
resweqnip,igem 10, caiga n
, mo.
Hartar Qrace ("era Terra R
injlle SiJim, de :!0! tom
eauipagt'in 9,
Iho ; a Jotiu.-tou PterA C
Liverpoolo7 dian-
de 193 tnnelad i, capliS
liagem 10, carga varios i
Pater & C
Liverpool:H dia-'.
toneladas, capilo carga trilli is de ferro e i
hnlun P.iter &
.Ttwport3o di
de 191 tonel:
geni 8, carga carvaun IV.
Ilimburpo 57dia^ hrgue h
172 toneladas," capilo I. H. Shiru
carga dirTerents gneros; a Tasso A
I'



Diario de Perafcmbuoo Qu4ta ft
efa
24 de- Fevereiro de 1870.

O',
triji.-jor
Ixern, en
' tjMnktim %o ursino dm.
/.. Claiui.n ;, capiio Joa-
. arga as uaar e ahjoiao.
i:n*<>rtwp8 pVr-, ca^itao I.
. *Hl,.'-',s'>'> cara parle da que irouxe d) .N'ow
. *'
HarsWlleP !i lio loglez Sdiaei
O. assncaT.
i iugcza Zayt, eapitaoPern, carga
* &
< Jane, apitao

So
Xwsp
V3i\
Observarles
' lamaro para a Bahja 0
i Oii'.or, cun
i qmurouxe de Barcelona.


barca iuglcza Sa Kitta. capi-
SSiS. aSll' quc ,rouxe de
EOiTAIS.
*JguaiflMtf|JM|ealxilhase portas. No
R^^Balidade. tendo cada
regadas qnadradas de gmssura, e os
do amarello
i de amarollo. O pri
raelro audar devora flcar em salo, e a Solea ser
repartida da maneira que for detortoinada pela
amia casa Os rebocos exteriores strao guarne-
caos de cal branca. O contrtenle poder apro-
ntar g? tetha -. cnchamts, soalhos e
;, que se acharola em perfeiio e^aJo a luizo
aos srs. mwdomoi do* predios. Todo o maelial
de erragens ser fornecido pelo cuntalaote, a
cojo cargo Mear tambera a ealaco.
pretemlemes daverao aprerttar as snas pro-
postas era cartas fechadas na secretaria at o da
st do corrent".
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
eeife, tt de fevereiro de 1870.
O escrivao,
Pedro lidriouet de Souza.
* Dr. F.aneisco de Assis Olveira Maciel, caval-
i-iro di orden de Christo e jnii do diroito da
i' vara criminal de-!a comis da Recite, por
S. M o Imperador e?c.
saber, que acluodc-so vago o ollcio de
?scriva < do jury o extuefies criminaos desta co-
afilia d> gonrentnrio Joaquim
l'jula Ksieves Ctoraente; o qnal i.ftl-
vK.foi, i!.,!,. ,ela Ifi ii. 2f.l ~: :, dodezembro
,, **!!' .''l,nV!l'1 pe pnseii-e a quoia pretender
'it.* ... -i < a apresentar ueslo jn no praso de
-osseaia das. ,i coniar TOlainaass (guada pelo pretendale OH scu pro-
carador e nnpanhada de cerlidao do ilade fu-
Sin rcn-i.la, (Me de sirfhVianc.a c mais docu-
iieni- que ei:euder convenientes, sendo todos
flwJamtntd seflj I,,,, na connrmiJade do decreto
'i. 1/ HJMraatio ch%eao eoiihecimento do todos
'I'11'' presente edita!, que era-publica-
rt'iisi e a/fiado :..:>,ligares di eos-
sumo. *
;l, e piasadu leste cidado do Recife, aos 19
< \ fin MBoel Autaues G>rreia, eoerivao interino o
<*.- francisco de Assis Olkeira Maricl.
Helarlo das carUs registradas vio I;h do sul o
noric t'xisknits ha adminislrafaa dj correio
desia cidade.
Antonio Leal rl,; Barro?, Antonio da Silva Pon-
tes (iuinaraes (i). Antonio E da Silveira, Antonio
austo Nev de Souza, Antonio 1'. Ferreira Lima,
Jarao de Villa ella, Cario Albim.to (italiano),
^elix I'en?ira de Souza, Francisco Antonir. S.iborl-
do, Francisco Frreira Itorges, Francisi-o lirnajio
e Lima, Francisco Itoinano Sleple da Silva
Francisco de Paula Ferina, Gabriel Soarcs R. da
Lamara, (,. Lope? de Araojo, lleincturt-i Saf V.
ii biUvira, Julio C. da Cost Guinaraes, Javedelo
Aoristo Altayde, Joaquim Bernardo de Mendon-
ca. Joapnrn Bernardo de Figneiredn, Joaquim
la Fonseca, Jo< Augusto de Arauio, Jos
lercira Aiaima. JosLeitao, Jos. Antonio Pires.
J.)se de Souza Barbosa, Joseplia FraarifCa Piulo l\.
Itamo-, Jos Ausiragerilo R. Luna, foo Pcreira
i.o ),igo Braga, Joao Antonio Gomes GuimarfuN
Joai Jos de Carmino, Joo Fernandos Cavalcm
le Albuqufrqne, LeopoMino Antonio da Fonseca
Lima de Argilo (irmaa da caridad.-), Luiz Baptis-
ta de Souza, Leopoldino Ferreira M. Riboiro, Ma-
noel Lopes da Cunln Maciel, Mat'os Irmo, Meo
las (italiano). Tn. JelTeriers 4 C, Vicente do Mello,
VN. ^IacicI Pinneiro.-
Iribniral de commercoT
Logo que a orchestra, (dirigida pelo assas di>
"acto prTftsor Francis#o Libaaio Colas F
tiver.eiecaU'iO un>
Vitur jo toque de a..
^a de orchestra, no lira
Jo qnal st LLE PASTORIL
^e grande arias, coros e
'langas om dous actos o mesmo qne foi scena
no theatro TUTrea Tsabcl era 1863, que tantos
applausos merece u.
Neate v.n;>leir'e 'tomam parte todas as pastoras
e cada urna canta a sua aria.
PKIISONAGRXS. JOVENS.
Raquel, pastora.... D. lia.
Ruth, dem........ D. tourehea Justina.
Jndit, idem........ D. Annunciada.
Alema, deu....... D. Antonia F.sa.
lirse, idw....... 0. Laura di- Neves.
I). Maria dos Res.
D. Mara Carolina.
D. Francisca de Paula.
D. Jaqulna"Peix6to.
1>. kn^z Mafia.
Sr. Santa Rosa Fjlbo.
Sr. Guilherme Ferreira.
D. Gliceria P. Pascliea. '
_Em uu dos interyallos tofls as pastoras dansa
rao urna linda contradanza campestrf ensaiada
caprichosamente pelo Sr. Manflel Baptisla de
Sooia.
M||osicao do res-
Santa
Cecilia, idbm..
Dalina, idni.......
Ismene, dem..!...
Flora, idem........
Laura, dem......
Esther, vellia.....
Itonz, pa^tor.......
Ura anjo..........
GYMRSI0 DMMTICO
(No Monteiro)
SO A DJflRCoIo 00 A.ITI.STA
k iotahhe
Expledidos
Hxraah0,
A escuna
mena, projupi ^ jl
frete, troia-se desde ja com m coignataris
so rrmaog & C.
l'J,
erra Filbos
ou com t
as nebes de 27. 28 do c
1 5S2J3S2ii02Sfl5"M'io Parto es applaud.dissi-
mos aerbatas Italianos
Cesar c vrenle
da companhia equestre do
o raripe artistas
Marcos Casali
Tcrmiaara o espectculo con, o Cure da despe- I O prograrnma sera previamenle annuniado
jornaes diarios.
dida.
Sr.
nos
PIRA LISBOA
a barca portuguesa Gratidao. devera seguir corr
a menor denjora posaivel ; para carga e pasaiigei-
ros, trata-se com os eonsignalarius Oliver
* C., no Jante do Corpo Santo n.
capitaa na praga do commercio.
Para Porto
a barca flor de S, Simao sahir brevmente, por-
qne ja tem parto da carga engajada : para 3rt(
e passageps, trata se com os consignatarios Car
yathoA ^ogl^e^ra, na ra do Apollo n. 20.
Tara o Porto,
A barca portugufza Flix pretende sabir corn
muita brevidade e para carga o pa^sageiros trata-
se com os consignaurios Tliomr.z d'Aqoino Fon-
seca & C. : ra do TTlgario n. I, 1> andar.
Kio de Janeiro
Sabe para o referido porto em piucos das r
patacho Gmlkerniitta per ter quasi t >do o seu car-
regameuto engajado, podendo ainda receber c
pouco que Iho falta e miudezas, assira como es
cravos a frete : a tratar com o consignatario Joa-
quim Jos Golealves Beltro ra do Coirmercic
n. 17. .
AMA
urna a.
n. 29, dcfroiHo da ryreja. I' andar^esonma
Parlaram dti estribara d "sitio dos hcrdeT
i para IB de fovereiro ojrrente, um cajallo ala-
sao, de marea peqneu, Iwm andador 3FbXr;' a,
meio. com o p esijuerdo e a mao direita calcados
de branco, e oraa estrella na testa, tem n orto
no lado esquerdo junto ao lugar ronde trabalfca a
silba roga-se as aatoridades policiaeu a *ua ap-
prehensao, e a qaem dtlle sulrsr que notir'a,
a sen dono no referido litio, ou na ra do Kabug
n. 7, loja d is Srs. lorri/a & Ruarle.
4
A 1000.
Coques e cabeHeiras a 1^000 cada um
to : na roa Diteita n. 53,
ttoni-
& Sr. Jos Joquim Morocos Pi-reira, tnv
urna carta da Cidade-do Porto : na ra do Vicario
n. 19, andar.
Bj-CLARAOOES.
balita Casa da Misericordia
(h Recif >.
.\ [lima. jn ta da 'tata casa d misericordia .<
''<* de mas sesso.'s, pelas i horas da
. ii i < c '-ente, reeeoe propostas pira
ornecimenio de nssuear quo tiver de con unir
Itsl Piltro II nos iiuv.es de mareo a maio
J-our-, >Jj dito fjrnecimealo pago' com di-
rotara da
Santa Casa de Misericordia di
farereiro de 1879.
O escrivao,
___________________Pedro Rodrigue* de Souza.
aaa 'i.s:i la Misericordia do
fitecafe.
A lma. Jnota aJintstrativa da Santa Ca-a da
ifemanda fazer publico quena
- i'o.di.a. r.'iro, pelas
i n de Ber arramatadas
ilo lempo de um
em seguida de-
ETABELKCIMEXTO DE CAIUDADE.
Roa
rea n. 20. pur auno 2't250O0
Ra da Alegra.
' "....... J50SOOO
Kuada Gloria,
...... iCS.iiXH)
' DOS QTtPHAOS.
Una t'ni ,d n. 27.
(tange!.
Os- terrea d. 38......
i.i Cal.
o-
i
2:OjOOO
3i>0(KX>
130 .
no ac
n'.ar
, oo comparecer.-
re-.
wrlrordla do Ro
. de 1870.
O escrivao,
__________fVrfro / ; p Souza
tut&Oasa de jffisericwdia
do Recife.
A da sania casa de niserksofdit do
is di tarde do dia i\ dicor-
i propostas
verde qne tiverem
einteotos pios a sen
v..rgo, no viodooro,
i(/i>a i .
iroiro de 1870.
O escrivao,
_______________P<'ro Rodngi'< '.
iota de renda Internas getae
tet a no de fevereiri.
i que tora logar n pagamento, sem
Mi ; do oofre da taa de escravos do
flri nlo de 189 a 1870, cajos donos ou
s morcm nr.s freguezias desta cida-
'*<' ra, a saber : '(Togados, S. Amaro
Poco da PanellayVnea S. Lourenco
e Horibeca; o qoe Rodo o referido ppaso
orna multa de ti %.
lpia e i ico, 7 de Janeiro de
O ail.iiinisiradir,
Vanee'/ Carviro de Souza IJicerda
A secretaria do tribunal do commercio de Per-
nanibuco faz publico que foi registrado o contrato
do Scciodade de loW ttom Rams de Oliveira. Joa-
quim Baptisla da Silva e Antonio Jos Maia, e/ta-
nelecidos nesia cidade com casa de commercio de
carao de xarque sob a firma d- Jos Bom, Silva
A L. e o_ capital e 20:0005000 fornecido pelos
aoos primems em partes iguaes.
Foi icualaioiite registrado o contrato de socioda-
de de Parara < Uegule de cuja firma farem par-
te Jos oiiiingues l'ereira e Jos Goncalves Ib--
; ;uno, e-tabel cidus nesta cidade ra das Boias
; n. n cora casa de commercio de gneros de estiva
I -m urna taberna, com o capital de 2:002038
| sendo 1 06i0:i8 em gneros, armaca > e utensi-'
w2.,&rttw F* ,'"''" Ptreir;'' e a l'iaotia de
oIWui lornecida pelo outro socio.
raoibaai se registrou o Contrato social de J.ai
Helis de Mello c Antonio da Silva Cirio, eslabele-
cm is nesta cidade rua oa Praia n. 26, sendo o
odj trio ou lim d sociedade a compra e venda de
ttrn peca e oulras oeKociac3o que Ihes conve-
," "h1, bnSJ32? d8 MeM" Giri0- co eP-
t Jv&S0010?*' rn,ram, wio Vello com
w:SJ6M00 em dinoeiro e 7(> j ta, e o socio Cirio com 6:000()oi.
Registrn se a ocrip:ura antenupcial f de- dote
celebrada entre Jo-.' Julo de .Vnorim Jnior do-
la ite, e i. Marianna dos Ptazeres Leal Lovo d 11-
da em ISMOfOOO, devendo o consorcio nao ser
regulado por carta de aimtade. segundo o costu-
me do Imperio.
Foi admjtiide a registro o contrato social de
Joao I.ui l'err/ira lil,e;ro, J,a> Luiz da Coatt
r. peiro e Manoi-I Luilovio de Araujo Leao, cm
estatielecimeato do fazendas por gr-jsso a reta-
a da Inwratrlz n. 2, com o capital de
JOOOOW fernecido pelo 1." associalo a quem
exc" Bompeto o uzo da S mi social,
'" !' ''/' C0,neC> -' si dada em gStleonto-
orna i I* 19 a terminar no ultimo de deieinbro de
lS/i.
Tainbcm foi admittid > ivstro o contrato de
sociedade em commandita celebrado enire Fran-
cwco Vieira Perdigao, Felisberto Ferreira de Oli-
veira o um commamljiaiio donricibadoa neta pra-
a, sob a firma de Perdiga.., Oliveira & C. da
quut s nonte usarSo os socios Perdigan o Oliveira
) rosponsaveis, e gerente-; de dita sociedade
HUBA FliORfijVTIiV
KKPHKXl
^a Ja 0 831S132a
GRANDES BAILES MASCABA
No magnific.) Salao (leste thealro,
NOS DAS
Sabbado de fevereiro.
Domingo *5 Se fevereiro.
Seun rs Terva-felra 1 de mtireo
O emprezano tem a honra de partecipar a reSDeitaYel imblie. oo,. n-,, .', ,Ln,
sasiAaBS"',,!ia,i" "'sni!,"",en, i- ~* &7*aBu
Tocara durante as quatro noutes de bailes a muio lirn>niba lon.u ,i ,,??; m
tola etc. etc. t ** **** Cm ""^ "^"^ MnVf**1' tll" de sinos, tiros de pa.
hoineui e vice-
Para o lo
Pretendo seguir o mais breve possiv 1 para o
Porto a barca portu ueza S. Manoel II, eapiao
Jos Anftioio doa .Santos, recebe carg a fre' e
passagelrof, a tratar com Marques, Barros d, C,
na prara do Corpo Santo n. G, 2' andar ou ci m
o capitao a bordo.
l^arcT-"
Pretende seguir cm poneos das pnre o indicado
porto a barca portugueza Despique II, por ter a
maior parte de seu carrganiento prompio, epara
o restoque Ihc falta, que recebe a fretei ranitu ba
rato: tratase com o consignatario Joaquim Jos
Goncalvcs Behiao, rua do Commercio n. 17.
Para o Porto
abarca pnrtngneza t Novo Silencio seguir con
a brevidade possive!; para aarga e passageiros
trata-se cora os consignatarios Oliveira Filhos
C.,_nd largo do Corpo Santo u. 19, ou com o ca
uilao na praca do coaimercio.
Precisa-se Tallar com orgeocia, cun o Sr
Joao Vaso. Cabral chegado no dia 20 do cCrrente
de Macei: o mesmo Sr. tenha a bondade de di-
aer Mdo eeti assistindo, ou dirigir-se a rua .\ov
Trabaliio.
Prerisa-se de bomom par o servico de p tra-
ta-se na rua de S. Joao n. 51, das 6 as 9 horas
da noiie.
Precisa-so de
pe piona i
ceiro audar.
AMA
le orna ama para o servico interno
de pe mena familia : na rua do Vfg.rioD. i: ter-
Ama
Precisase de una ama boa engoinmadMfa para
casa de pouca familia : a tratar na na do Cabu-
ga n. 5, 2 anJar, entrada pela rua das Laran-
geiras.
.. .- 9 .el"Prez'iro avisa que as senhoras mascaradas que vierom venidas d
versa estao Enjertas ao pagamento da entrada. ** a
As senhoras mascaradas gratis.
CavalleirosiiOOO.
K n n Principiar as 9 horas o terminar as -2 da madrutada
,. Tn.r,..,H,N-1 ? "*l"nenlo da polica sera figorosaraeffle observado, aQu "
o amoralidadesejain devidamente garantidas. '
E' espressamente prohibido fumar-se dentro d
grande rea cora "ban
de que a ordem
sallo, ha vend para ene fim urna
Ilha de S. Miguel.
O patacho porluguez Jeorqense segu com mili-
ta brevidide para o porto cima ; ainda re
alguma carga frete, bom como passageiros pa-
ra os qtiaes tem bellos comuindos: a tralar com
o seu consignatario, Juao do llego Lima rua do
Apollo n. V
1'AIIA O Itb) GRANDE 1)0 ofE
Ale o dia 2(i saldr para o Rio Gran le a bar-
caca .Saniiha. cargas a frete. tratar com Tas-
so Irmaos & C
IS DIVERSOS.
28__Gamboa do Carmo__28
Das se^s e meia horas da tarde as oiize da noute.
pKal,
aite'nJQo de toJus por
iericorJia do Re-
Pela inspectora oa allaudega de~ta srovn-
r. J. B. Jajme, ou a seus legi-
;r que venceu-se a 11 do cur-
l raso quo Ibe f..i proregad" para liqui-
a sua cancao cm dinheiro da qaaatn de ...
9*6, q u reclb'u ao cofre da inesma ropar-
rabro do 1867, por mercado-
lue reexportara para Liveiponl no navio in-
',ro(/ ; na inlelligencia de se proceder
,!> artigo 015 do regulamento
oibrode 1860, se nao o izer dentro
lo das, qne Ibe sao marcados do conformi-
ni o 1" do citado artigo.
Alfarntoga do Pornambu:, 19 "de fevereiro de
Servindo d chefe da 2' sejcao,
Arselino Jos Pinto de Souza.
culo capital de 0:000*)00. Torneado 80:000
pelo comroanditano e io.ooisooo pelos antros an-
los^scndo o objecto social a compra e venda
oe fazendas a grosso e retalho, e o praso social
cinco alios a contar de 3 de Janeiro ultimo.
".alraeote H admitiido registro o contrato
social de Domingos Mxoira Basto, Belmiro Gj-
mesi di Ooveira eJosTeixeiia Leite Ba miciliados oeata pra?a sob a lirma do i. & C,
| sendo o fin social o commercio de merca loria
naconaos e estrangeiras em graaso e a reaslho,
eora o capital d 42:000^900 fornecidos, 40:000
peto socio Domingos Teixeira Ba polos ouiros assoeiados; durando a sociedade por
lempo de ; asaos a contar do 1. de Janeiro do
corronto.
Jarabem aeha-se registrado o contrato de socie-
dade comincrcia! que celebraran! Domingos Ha-
mos de Araujo Pereira e Manoel Ccar Bezerra
residentes e estabelecidos ra villa do Pilar provin-
cia das Alagas, com ura armazem de gneros de
estiva cominerciando gros^o o retalho, com o
capital de 4:0005000 fornecido pelo socio llamo-
era mercaderas existentes em dito armazera, e
girando a sociedade o espasso que medeia de .'il
de outubro de 1369 34 do dezembro de 1871
sob a (irma de llamos & Cejar, cuja uso a ambos
e pormittido.
Secretaria do tribunal do commercio de Por-
nambuco, 17 de fevereiro de 1870.
0 oflicial-maior
Julio Guimaraes.
nn.fr W0 l0m a h0r!i de amm^r M respcftv.el publico dcsla n-
do din 26 do crrante era diantc estar abarlo a concorreacta publica um
grande cosmoia.na com variadas vi-las o nasasens wnas a
acharem se cutre ellas ns dillerent
verno do Paraguay, bem como
morte do peera! Flores
O anauncianle lem empregado todos os sens exforecs
jlico encomie alfi um bello passatempo median!
i
rentes batalli-s dadas pelas forras aHadas cohlra o go-
a a fuga do dictador Lpez para as cordilleras, o a
pan que o respeitave!
-;. tima pcijuena cxrrmla, tendo
esta entretanto direito a um objecto, grolis, de mais ou menos valor.
28Combo i do Carmo28
DAS SKIS K V.EW IJOHVS DA TARDE AS ONZE DV \01TE
-----------------'---------------h-
imiwmmmmtmnvm
MHtaBEHIO.
^cgiiua couvocaro Je assem-
bla geral para c!ci?es.
Niio havend cbraparecMo assetnbla
geral do Udd correntp, nomero sni;ien-
le de socios, para cntao se proced-r a elei-
c3o da mesa administrativa e das commis
soes diversas que bao do f.mccionar no
anno aculemico de 1870 1871, sao de no-
vo convididos trios os m.'mbrcs do Ins-
tituto, qual'-ju r que soja a calhegofia ;i que
pertcnnni, para #a reonirem ira semblen
geral quima-leira, 2i do crrante, pelas 11
horas da manlun, allm de se efJecluarem as
eleigoes addiadas.
Secretaria do Instituto, 21 de feveteiro
de 1870.
Pede-se encarecKianienlo aos Srs. Domingos
Theodoro Rigueira e Arisudes Ploreotlno Caval-
c.'mti de AH>uqner|ne fdc Serinhein). qur venbam
a rda do Vigario n. l. a negoelo que se precisa,
ultimar.
Jos Henrlque da 3ilva Guimaraes precia
de um criado que sej.i bolieiro : a tratar no silio
da Passagem antes da ponte grande u. 40, das 4 da
lard.> as 9 da manhi.
Gratifioaco de 200^
Fngio em 23 le Janeiro de 1*9
theos, de meia idade, cor pr. ta, falla grrssa, bexi-
o escravo Ma-
gosa, tem urna pequea b.rroga ao ca ilo ihi na-
riz, olbos afogueados, tinba sido des teoboroo
Agonlio Leocadio V.eira, em Pau"!la< de .Vita-
a, e do Sr. caiitao Francisco Itodriqucs de Prei-
taaem Pesquoira, tinha rindo de l rgulo n tina-
cos mezem c fin la urna mnlher, d.-s.-ma m;
que ande oas sema de&nbara;. pofise as ao-
loridades e capilaes dr campo a captdra d. es-
cravo e de o traaerem m n o s, nhor,
Jos Lardoso de S. a rua da Linsueta n 2, o
mesmo profrsla contra qualquel pessoa que o te-
nha Moitado e graWl^-se com 2005 a uaern
apresentar ao ditn
Precisa---e aloaat
servido de urna e
quiziT dirija-se a Um
mero 18.
un a eser..va para tolo o
'I peojHpw (amiba : qnem
da ConceieoBtt-
LE1LGES.
LEIMO
Oa taberna sita a'
rua
11.
da Con-
Ca
Secretario perpetuo.
Jos Soares d'Azevcdo.
M
1M.
Precisa-so de urna ama para engommado :
rua do Qu.'i nado n. 12, 1 andar.
na
- Consulado provincial.
Pelo consulado provincial avisa-so aos abano
.a los. que devora vir realisar o pagamento do
: t00 por masa ta estran-eiro, a qoe
o sajeitos no nresentc anno flnanceirode 18o9-
\ devendo faze-lo uo correnie mez, sob as pe-
nas da lei.
; Barone.
ni.
Miguel Siefauo.
-o Tmpei
Vntonib Slebo.
a Bisanto.
IVixoto.
nsulado provincial i* de fevereiro de 1870.
. r ^rvind de administrador,
A. Witrov.oVintoBandeira A. de Vasconeellos
vitita Cas-a de Misericordia
do Recife
A llltna. junta administrativa da sania eaa de
misericordia do Recife precisa contraur com quem
por menor pre?o Iker a obra de que precisa o so-
orado n. 37, pertonceate ao patrimonio dos estabe-
i de candad--, sito roa da Moeoa. Essa
na demolicio de parte da frente an-
i fr -i:e posterior e de parte do oi
nte at o logar em qoe se
a parede len.i;i.:. e reconstrulodo o predio
-um s andar e s-n-'a conforme as posturas mu-
O'pavimeoto lerreo dever ter
is de podra e portas de
ira o lado da roa, e
e orna pona do
do pedra, sendo a in.a
de amarello, e todo o
.(venara bada. 0 primeiro
* portadas com saca da s. laatro
randas do ferro, caixltltos' e portas
para o lado da (rente, o para
>nl com Tidracas e
ruto cada orno oWlaa
aliaos de largara e 7 1(3 de
atara. A sota cu erabas as frentes derera ter
Consulado de Poitugal em Pernambuco.
Por este consulado se faz publico, em cumpri-
mento da le, que havendo fallecido em vi'agem
para o Cear a bordo do vapor Ipoiwa o subdito
porluguez Joao Antonio Duarte Jonior, sao pelo
presente convidados todos os credores do dito fal-
5*S?2 al,re3emarein suas contas dentro do praso
de 30 dias para depois de verificadas serem pagas.
Consulado de Portugal em Pernambuco 23 de
fevereiro de 1870,, Por ordem do Sr. cnsul,
Antonio A. Ferreira Borges,
_____________Canceller interino.
fluspeccao do arsenal de
marlnha.
Faz-se publico que a commissao de peritos,
examinando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 432i de 5 de fevereiro de
lai, os cascos, machinas, caldeiras, apparelhos
mastreacoes, vclames, amarras e ancoras dos va-
pores /po;nca e Giqum da companhia Pernambu-
cana do navegaran costeira, achou todos esses
objectos em estado de poderem os vapores na-
vegar. y
Inspeccao do arsenal de marinha de Pernaraba-
co 23 do fevereiro de 1870.
O inspector,
______________H- A. Barbosa de Almeida
Obras publicas
. De ordem do Illm Sr. engeobeiro em ebefe se
declara qne fica interceptado o transito de ani-
maos e vehculos na rua Augusta, entre o becco
do Peixoto e travesa do S. Joao..
Beparticao das obras publieas 23 de fevereiro
de 1870.
O secretario,
Feliciano Rodrigues da Silva.
versos lotes a vontado dos licitantes
MOJE.
Na mesma taberna, as 11 horas, di ver ter lu-
gar oleilao.
LELM
No armazem da rua do Imperador n. i (i.
Mauricio Jos dos Santos Riboiro estabelecido
com casa do pcnbores praca da Indeqendencia
n. 31, far lelo por intervencao do agenle Mar-
tins, uo dia 2i do corrente, do todos os objecios de
onro dados cm penhor constantes das cautela*
ns. 11, 18, 27, 33, 3i, 38,39, 4o, 5i, 59, 61, W
67, 7 B, 9 B, 10 B. 12 t, 20 B, 22 B, ?3 B, 26 I)
40 B, 47 B; 48 B, 51 B, 61 B, 6o B, 66 B 67 B
74 B, 73 B, 78 B, 8b B, 90 B, 93 B, 94 B' 99 B
18SB, 109 B, 113 B, 115 B, 116 B, 124 B 133 B
137 B, 139 B, 143 B, 140 B, vencida' e 'nao ,!,:
gas podendo seus donos resgatar os objectos ou
pagar os juro- que estao devendo at o acto d
leila e a vista da cautela.
bmpanhia americana e brasi-
1 oir de paquetes a vapor,
ceitjaon. i. Atli 0 d3 2de mari:iJ ,, (Joj
(i agento l onlnal vender e.n leilao a reque- '?ul vaP"r amoteano J o nual denols
rmenlo dos depositarios da massa falida de An (l;i J ': > :] WSl oe seguir pira Ne\v-Yorli
lomo Agostmbo Soixas da Fun>e,-i, p.,r mandad;, locando ao ParaeS. Tbonjaz pafa (rotes e Da^-
no i-.xm. Si-. Or.jmz de direilo especial do em-' yjens Ira i os agentej Heriry For-'
mereio, a armacao, gneros e movis pertencente (: rila 11 Commercio n. 8
'.....~ *"""" "s ""*u ;d,i0 m dil' mimwmm
DE
Paquetes a vapor.
Dos pert.is do norte esperado
at o da 27 d:'fev'ereirc o vapor
Armes, comroolidantef o priinci-
ro-teoente J C Duarte, o qnal
depois da domara do costme
para us portos do Mil.
Desde j recebem-sc paasaaoboo e engata-se
argaqnoo vapor poder conduzir, a qual dewr;
ser einbarcajano dia de suacbegada. Encommen-
das e cinheiro a frete at as 2 hora) do dia da sua
sahida.
iNaooje reecbem como encommendas senao ob
ectos de peqivmo valor oque nao excedam a doa
irrobaade poso ou 8 palmos cbicos do raedico
tudo quepassar dcstes limites dever ser embar
ca lo como carca.
Previne-se aos Srs. passageiros, que suas pas-
sagens s se recebera na agencia rua da Gru
n. 57 primeiro andar, escriptorio de Antcnio Lu
do Oliveira Azi vedi.' &C.
Na agencia nao se reecbem cartas,
nteres$ados devem leva-las ao correio.
THEAIRj
CAPUNGA.
Sexta-feira 25 do correte.
Grande e variado
ISfECTiCULO PASTORIL
Sdb a direc^io
00
Artista- dramatico
^^BAPtlStA DI STA ROSA
^Kem benencio fc%vonD. A'fiSclada.neom
ira amlfnt? de D. rtcsa Eatt do eo e
algumas pastoras mais..
LEILAO
IMG FWZE1VSIA8
avarladas.
A 2 do correnie.
Roberi Lightbown & C. farao leilao por conta e
risco doque.m pertencer e por intervencao di
agente Oliveira, de parco". do fazendas avahadas
sendo algodiozinhos, chita- e lencos de chita prin-
cipalmenta e de cerca de 40 duzfas de collarinlios
de linho era bom estado para focchar contas.
Sexta-feira
as 11 horas da manhaa em seu farmaem
da Cadeia n. 52.
0?
Porto.
Val sabir breve
ssageiros, trata-;
Iho & Nogueira, na rua de Apollo n. 20.
l!i:si'OSTA AOAV1SOIK) SH. SYWHKO-
NIO OLIMPIO EQEIROGA.
A wuvacfilho do" tenente-coronel Florencio
Jos (.aineiroMonleiro, contestara o aviso do Sr.
>v replironio Olympio d Quolroga, patlieAdO nos
Danos de 20 e 21 do crrante, declarando 1" que
0 Sr. Sympbronio nao tem dominio pleno no ter
reno a que :e refere, perteocenle ao aillo da Por-
ta d Agua do Mooieiru, mas somante direito ao
loro, quo por esse mesmo terreno pagava o Unido
I'loreneio a ujiiraa administradora do vinculo do
M. nteiro ; 2o que csso foro tem sido rccolhido ao
depi sito pare ser levanta*) pelo Sr. Sympronio ;
>" que a aceao por elle pmposta pcloiuizo muni
cipal da rara, com o fim de eoaverter o afo-
ramento existente em arrendamento, depois de A pessoa que tem em
contestada, ficou, ha mais de 10 anuos parada, prestimo a eolleccaode janei
a espera lalvez do resultado da outra aeriio (con- deste Diario, qneira mandar
cemente ao terreno contiguo em idnticas cir-I torio da typographla.
cumstancias), propona pelo joizo municipal da 2a!
vara, e que ainda pen.tu de decsao dos ltimos
embargos de declaracao- do mesmo Sr. Svuidiro-
mo ao aceordao do'egregio tribunal da relaea i.
que julgou milla e incompetente a mesma acca i:
4 finalmente que a circumstancia de estar em
litigio o referido terreno, nao priva o 2- contestan-
te de poder vender as partes dos.domis terrenos
ATTllVCA
No da ai ou 2 de jaieiro foi embarca-
do no Recife a bordo da bareaca Ba Sorte
Navega1* quu do pono do Darreiros 2
harris com srdinby?, cojos nao tem desti-
no algum, quem for seu dono e ck'rsignaes
cortos na rua do Pilar n. 09, (he serao en-
tregues pelo ab ixrj assi^nado depois de
pagar as despozas.
Recife, 18 de fevereiro Me 1870.
_____ Alfredo A. da S. Fra're.
seu poder por em-
o setembro do 1866
res:ilui-la no eserip-
e das casasque tem no sitio, nao
etigio.
a barca Laura para carga e
passageiros, trata-se com os consignatarios Carta
a rua
LEILAO
de farinha de trigo.
A 26 do correnie.
O agento Oliveira far leilao por conta e ri=en
do quera pertencer de 93 barricas de farmhi de
tngo americana.
SABBADO 26
ao meio dia em ponto, no armazem do Em. ba
rao do Livramento sito ao caes do Apollo.
' u i ir.........
Para Maranho ePar
O brigue nacional Sanio Amaro, capitao Caeb-
no Alves Uvas, pretende seguir com a maior bre-
vidade possivel para Maranho e Para, por ter
parte d3 carga promta, engajase a que precisa
e recebe passageiros, a tratar com os consignata-
rios Marques Barros & C, no largo do Corpo
Sanio n. 6, 2 andar.
COMPANHIA PERNAMBUCAN
DE
\'avea;a<*5o costeira por yapo.
Parahyba, Nata', Maco, Mossor, Ara-
caty, Clear, Abo daba, Acarac e
Granja.
O Vapor IpojHca, eomtnandane
Moura, seguir para os porto
_ cima no da 2 de margo as ahora;
Ja tarde. Becebe carga at o dia 1, encom
nendas, e passagejros e dinheiro a frete at a'
2 horas da Urde da.*dia da sahida no escripte*
no do Forte do Maltes n. iJ.
M.
Dase de gratificaco a quem tiver adia-
do urna carta escripia Ignacio Ferreira
Guimaraes, em Pedras de Fogo, cuja carta
foi perdida pelo portador Antonio Rodri-
gues, com mais um embrulhono qual con
lioha 260,5000, ao sabir da dormida no
engenho Novo, de Pedras de Fogo. equeti
entregar dita carta com o embrnlho ou sera
elle, recebar do mesn Sr. Ignacio Fer-
reira Guimaraes, a qoaotia cima, d rua
Nova ou a Libanio Gandido Rilieiro.
Furiaram h manhaa, de cima de ftteiro da loja-de li-
vros dos Srs. Lailhacar C, rua do
Crespo, a carteira de algibeira do abaixo as-
signado, contendo 1:3000000. em dinheiro
sendo 3 notas 2000, 4 de 400,5, 2 de 50.5
e o resto em notas de 200, 100, 50, 20
e 10, emais cerca de 1:00000 X) rs. em
bilbetes da lotera n. 311 do Rio de Ja-
neiro; quem a restituir ou der noticia cerla
ser gratificado generosamente pelo abaixo
assignado rua do Crespo-n. 23 loja de
bilhetes do Sr. Fiuza.
Recife, 23 de fevoreiro de 1870.
ArittidesDuarU Carneiroda Cunto Gama.
Ama
Precisa-se de urna ama : a tralar no pateo do
S. Pedro n. 10, i= ao lar, entrada jiela rua do Fogo.
Ama
Precisa-so de urna ama : na Carabea do Carmo
n. ), sobrado.
Feitor.
Prerisa-se de um trabalhador par tratar de
um sitio pequeo, paga-se a secco, e prefere-sa
casado : a tratar na rua Nova n. 19, 1 andar.
Ao publico.
Ferreira da Cunha & Temporal fazcm sciente ao
respeitavel corpo commoraal, que deixou de ser
sea caixeiro o Sr. Florindo Jos Teixeira de Car-
val ho desde o dia 21 do corrente mea. Recite 21
de fevereiro de 1870.
Na rua da luiperalrii, casa n. 9, 2 andar,
preclsa-se alugar um cotinheiro escravo ou livre,
e que faga compras. Na mesma casa igualmente
precisa-se aluzar urna cnzommadeira e lnvdeira.
. 2O:O0r5O0O.
M*
AVISOS iMAtlTlMOS.
Cf^fPANrflA PEftNAldBtTCANA
Watega^io cotelra por vapor
Matnangoape.
^ffir O vapor Mmdah, comaandaote
14 J'"Im>. seanirt para o porto aeroane
mmmmm H* 2* de correte as 6 horas da
tarde. Recebe carga, encommendas, pasaeei-
r se dinheiro a frete at 3 horas da ^re' .
do d_a da saluda : escriptorio no Forte do Matos'fte eoosteoaiarids E. R. Rafcelkrdt C, ra do Com-
COIUPANHIA PERNABUCANA
XaregafSo ensfelra por rapor.
Gnlann.
O *a[* r Pai/tliifia, seguir para e
pe.-io aoima no dia 26 do corrate,
as 9 hora* da n lite.
R cebe carga, enconinienda?, passageiros e di-
nheiro a frete no escriptorio do Forte do Mattost
P. la.
n. t.
farn i Inbon
O brigoe por'tnguez (vrense, capib A. B. Car-
oelro, reoebe carga ^-pa , os oonsigoatarits B. n. Ratera e rT.-St ?.
i mereio n. 48.
O abaixo assianado avisa ao publico que tendo
obtido licenca do Exm. Sr. conselhelro inspector
da tnesourana da lateada geral, para vender es-
ttmpohas em seu estabelecimenlo anudo Crespo
n. 23. pelos mesmos precas que se vendera na re-
cebedona geral { asskn poi, podem as pessoas
residentes nesta cidade c fra dUa dirigirem ao
abaixo assignado, saaseacommondis craqualquer
qnantidade que seri promptam^te satls'ffeitas.
Maaoel Martins Fioia.
A casa feliz do arco da Conceico acaba de ven-
der pela quarta vez nos seus muito felizes b'lhete--,
ura bilhete inloiro n. 4332 a sorte de 20:000^000,
e alem desta mais algumas de 200 e de 1003.
________________ Figueiredo de Leile.
Ao publico
APR0VH1TEM.
Na rua da Imperatriz n. 6:, 1 andar, lava-so
engoraraa se cora pereir-ao e por preco mdico.
Era S. Jos do Manguraho, casa n. 2, preci-
sa-se de una boa engommadeira, e nraa escrava.
para ensaboar e mais algum servico de casa, pa-
ga-se bom aluguel agradando. Tambem se pre-
nsa de um criado de 12 a 11 annis, que emenda
de copeiro e mais servico domestico.
Ama de eite
Qnem precisar de ama escrava de boa saude
sem fllho, dinja"-se roa das Croaes n 36.
Ama de leite.
Precisa-so de orna ama de leite-: na rua das,
Larangeiras n. 29, hotel.
O abaixo assitoaUo participa que se retirou da
sociedade q"uo tha em urna qlDsina no larg da
Concordia n. 7, Acudo o ex socio Paulo Jos da
Silva Freir com o wiabeb-eimento e responsavel
pelo actito o pavvo da mesma sociedade, e o
abaixo aMignaAn por receber os seus lucro, e
adoft todae qu^lqurr responsahHidade.
Roe*,M dobjTireiro de l70.
Antonio Josefe Pinho Filho.
I
Imperial Instituto de
N. 8. dBam a&selho.
Aeha-se aborta a matricula das anlas
portugueza, latina, franceza, inglez, plmHK
rhetorica, geograpbia e historia, arithm.
bra o geometra.
Francisco'Candido de Medeiros cm
ao rerpeitavel eorpo do commercio o ao p
desta cidade, qoe nesta data flefxa de ser cal
da easa commoreial df Sr. Claudio Dubcux
(Ate de fevereiro <* flflfc
He-


Diario d PrnBnflwco Quinta feira 24 de Fevereir efe 1870

A ESMERALDA

m
-[INSTANTNEOS
Tmessa doCorpo Sanio n. 2'
ARMAZEM
Ra Nova n. 38, loja.
Candeira, Machado & C, avisara ao respeitavel
publico que no. lagares cima encontrar no mes-
mo sempre grande quantidado de ditos pocos, e
que se acham habilitados para vender por menos
que ou-tro qualquer, por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante Norton, de Londres.
As vantagens que offerecem ws pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser collocados den-
tro de cata va fra, com o trabalho de urna a duas
horas; segundo, fornecerem os mesmos agua pu-
ra e abur.dante, podeudo serem removidos de um
para outro lugar, quando assim convier.
Os annunciantes so reeeb.rao a importancia dos
referidos pocos depois de collocados, satistazendo
espactatva do comprador.______________
LOJA DE JOIAS
&c
Este antigo estabeleeimento, completa-
mente reformado le novo, est as condi-
joes de servir vantajosaraente os seus fre-
fnezes, visto que acha-se prvido com um
xplendido sortimento de obras de ouro e
$rata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, ujos preces sao os
ais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
te em troca ou compram-se com pequeo
bate.
\ 5 na no ganga \ s
No mais cabellos brancos.
A tintura japoneza para lingia os cabellos
da cabera e da barba, fei a nica admittida
Expsito Universal, por ter sido reco-
nbecida superior todas as preparaces at
hoje existentes, sem alterar a sade. .
Vende-se a i #000 cada frasco na
Ba da Cada n. 51,
1. andar.
Na travessa da ra
I das Grnzcs n, 2, pri- i
meiro andar, da-se di- I
Si nhelro sobre penhores i
9 de onro, prata e brlhan- j|
1 tes, soja qual for a quan- I
^ lia. Sa uiesma casa com-
pram-se os niesmos me- P
laes e pedras. i
AO ARMAZEM
DO
Rua Nova n. 9,
acaba de chegar pelos ltimos vapores novas re-
messas dos seguirte* :
Calcado francez
Para senhoras.Botinas brancas, pretas, e de ou-
tras muitas diiTerentes cores i ultima
moda.
Para meninas.Botinas das mesmas cores e qua-
lidadis cima.
Para homens.Botinas de cordavo, bezerro, ver-
niz, pellica, o melhor sortimento que se
pode desejar.
Para meninos.Botinas das mesmas qualidades
mencionadas para homens.
Para homens.Botas rucianas, meias-botas e per-
neiras.
Para homens, senhoras e meninos.Sapatos de
tapete, aveludados, charlte, casemira
preta, tranca de Lisboa etc. etc.
Para meninos e meninas. Abotinados fortes de
muitas qualidades.
Quinquilharias
Finos artigos de Pars, de costo e phantaza,
como sejam, leques, espelbos, luvas de Jouvin,
caixinhas de costura com msica.', joias de ouro
bom de lei, ditas de plaqu, cofres de seda e bol-
cinhas para braco, estojos para viagens, bengalas,
cbicotinhos de baleia, oculos, lunetas, crrenles de
relogios, e perfumaras de Condray e de Piver.
Brinquedos para crianzas
Carriohos de 3 e de 4 rodas para passeios, eos
moramas e realejos de diversos lamanhos, e um
cera numero de brinquedos francezes e allemacs
para entreter menin s.
Para evitar massante leitura do tanto] artigos
exDostos venda neste estabeleeimento, o dono
pede ao publico em g^eral que se digne entrar de
passeio afim de verilcarem nao s a grande va-
ridade como os presos baratsimos por seren
todos chegados de conta propiia.
GUSTAVE
CABELLEIHEIRO FRANCEZ
51^Ba da Cadeia do Recife51
Chama a attencSo dos seus innmeros fregueses, e do respeitavel publico em
geral, para a seg'iiote tabella dos precos de sua casa, os qnats 83o vinte por cent
mais barato do que em outra qualquer parte:
Cabellaras para senhoras a 25$, Cadeias para relogio a 50, 65,
^305, 35 e......405000 70, 80, 90, iU e. 150OC4
Ditas para homem a 350, 405 e 500000
Coques a 1*0, 150, 180, 200, Corte de cabello,
250, 300 e.....500000
Crescentes a 120,150,180,200,
Corte de cabello com fricc5o.
501
501
ItSCUAS
ItSC.ll.lS
MASCABAS
._.,
Advogacia.
11Ra do Queimado.....11
_ AUGUSTO PoRTO, tendo ceido directamente da Europa riquiss_os cor-
'8 de vestidos -I- blond para antas os xpoe i nda pelos mais mdicos precos. No
io cstabe ecinnnto ha constantemente comoleto sortimento de faz:ndas Gnas como
Cort"s rlp setim d cores e ditos de seda dos mais legantes gostos.
Colcias de seda de cores, ditas de damasco e la, ditas de crochs e de
tasto branro para camas todas muito linlas
ruados bordados para ernas e janellas de muitas qualidades e precos.
Vi slidoa brancos Nirdados, c^mbraias bordadas, filos, tarlatabas e cambraias
isas e transparentes de multas qualidades.
Gorgirao prcto para volidos, grosdenaplo.s ile todas as qualidades, merinos
pretos, alpacas, honihasinas, pretas. pannospretos e azues, casemiras pretas e decores
grande wh >A* de todas as f zendas tanto para a praca como pa.a o matto.
JYonhas de cambraia de liona bordadas, e loalhas decambraia de ,lnho borda-
iasccm muito gosto.
Algodao liso e trancado, azul e de listras, madapolao, chitas e tecas ss razen-
4is para f.i lricas dii engenho as quaes vendem a dinh iro. peos presos das casas in-
gteza, Esre.-t- estabeleeimento ha sempre o mais esplendido sortimento de
Esleirs ta ludia p ra forrar sala que se veude m;is barato
do que em outra qualquer parte.
O advogado Ayrts Gama contina .ter
seu escriptorio na ra larga do Rosario
n. 26.
&
AVISO
Os Srs. Meuron C. fabricantes de rap, na
ra do Mondego n 107, precisam de ligninas mu
Ihi-res para traMIiar na .ua fabrica : a quetn
cunvier pode dirigirse mesma fabrica para
tra lar._________________________________
Precisa-se de urna ama para pouca
familia : na ra dos Copiares ou sntigB*
mente Lobato n. I. primeiro -nilar.
250, 300 e..... 320000 crte de <*be\\o com lavagem a
Cachos ou crespos a 30, 40,1|50, pa-'T* I- 1/ ,pi
60, 70, 85, 95 e. 10*000 Crl? de cabellocom l.mpe^ da
Tranca de 'cabello para annel a ^ca pela mach.na electri-
500 e. ..... 10000 ca unica em Pernambuco. 10001
Tranca para braceletes a 100, Frisado ingleza on franecza. 5C#
150, 200, 25 e.....300000 Barba......... 251
ASIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Bailes c soirecs
0 dono do estabeleeimento previne s j Recommenda-se a superior TINTURA JA
Exmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um, PONEZA para enegrecer os cabellos e bar
salSopara tintura dos cabellos e barba, as-ba unica admittida na Exposico Universa)
r (como nao prejudicial saude, por ser-ve
sim como um empregado smente occupa-jialii, analysada e approvada pelas acadtj
do nesse servico. I mias de sciencias de PARS E LONDREF,
TEZOURA DE OURO
DO
tlAYME
A' ra do Qn^iniaHo n. 6. prim 'iro andar
8 pessoas para o ser-vico e o maior acceio no* trabalhos de barbeamento.
O salo estar aberio, nos das uleis das 6 horas da manhiia 5s 9 da nou-
e, e nos dias santificados das 7 a 1 hora da tarde.
TINTURARA
DE CERA
DE SIM
55Ra da Imperatriz55
F. Gautier, proprieta" io deste importante estabeleeimento tem a honra
de participar ao respeitavel publico que acaba de chegar da Europa para on-
de tinha ido especialra'iite para contratar peritos officiaes e que consegnio
contrata-lo- na pnmeira casa de Paris, por lato julga que todos ficarSo satis-
feitos dos irahalhos do seu estabeleeimento cujo exceilente material ainda
foi augmentado rom novas machinas que ja recebeu e tambem muitas drogas
novas com as quaes se obtem estas maravilhosas cores modernas to apreci-
das em Franca e em lodo o mundo.
Tinge, lava, limpa, lustra, achamalota com a maior perfeico fazendas
em pecas em obras de todas as qualidades como sejam: soda, 13a, algodo,
linhas, chapeos de feltro e depalha etc., etc.
Tira oodoas e limpa secco sem molhar os tecidos, conservando assim S
o brilho da fazenda.
Impressoes sobre tecidos
com este novo systema.os vestidos de seda eoutras fazendas que al agora s
podiam tingir-sede cores lisas, podem receber um bonito deseaba de cor
diversa, a esrolha, o que realca a fazenda e ihe d mais merecimento.
Tintura preta, terqas e sexlas-feiras
As pe-isoas das provincias limitrophes quo quierem utilisar-se do seu
estabeleeimento poderSo mandar o que tiverem, na certeza de srem Uo bem
servidas como no Rio de Janeiro ou na Europa, e com mais prestesa por
causa da di-tan-ia.
Casa de commissao de escravos.
Na antiga casa de cuirnnissao de escravos, de
iJuixo aasigaado, ra do Imperador o. 45, coat
aa-se s. rtcefoer escravos por commissao, tantc
io mato como da praca para serem vendidos, t
ftcante-se o bom traiamento e prompta venda
fara o quo se emprejja todos os esfor^M aura d
asfaicr em lud" pessoas que o quizetem hon-
rar eom sua coolinaca. Nesta ca.-a ha semprt
para vender escra'1 d< ambos os sexos, velhos t
050S, assim como na t da segnran(ja para os ter
Antonio Jos v. de Soma.
Bichas hamburgnezas
.Vate no\'o deposito rerehe-ae por todos paque
MtraoslaoUeos bixas de qualidadc superior, ven
le-seen csixa ou porga* maii pequea e maii
nrato de qae quali|ner outra parte; na rus da
ido Redi n. "I. Io andar.
Precisa se de serventes na fundicao do Bow-
man : na do Brum n. 5, passanlo o chafarte.
GOMPA.NMA PBRNAMBUCANA.
5o DIVIDENDO.
De ordem do conseiho dr direociio so communica
aos Srs accionistas que o pagamento do quinto di-
videndo razo de 10 por cento, ter lugar do dia
8 de mareo prximo vindouro em diante, no es-
criptorio da coinpanhia no caes da Assembla
n. 12.
O gerente,
F. F. Borges.
tirammatica nacoual
Primitivo de Miranda, es.udante do 5" auno, d
liQdes ra da Conreico n. 12 ; jtdo tambem
w procurado no escriptorio do Dr, lacobma, ra
do Queimado a. 33.
de urna ama para casa de pouca
a tratar na ra do Cabugi n. 1, loja.
Attenpo.
Alnga-se oq veo le se urna casa com bastantes
naomodos na edvie nova de Santo Amaro: tra-
tar eom Joaqutm de Sonta Neves: ra das Cru-
. s o. 36
-"Precisa se alugir m.n esnravp para o utrvjco .
d butol : na roa p Coznheiro.
Precisa-se
familia
m*m-mmmmm-mmmw9
X| O Or. Ignacio Firmo Xavier medico,
! toir> o eu escriptorio aa ra das Tria-
0 xir.ii n. .'0, 1" andar.
mm'Wmmmmm-mmmmn
Attea$\o
Preeisa-se de um coznheiro. ou CJzinheira
tratar na ra Nova n. 13.
iibacharcl JoaoJoaquim Fonseca re
Alhuqurrque lom aberto o seu esCTnto-
rio de advocara ora casa do sua residan
cia ra d.i.s Ouzes n. 30, -egundo an-
dar, ondo pooVr ser MCOMrailu das 10
horas da -manliaa s i da tardo ; e bem
assim encarrega-se ile defender reos nao
i- no jnry di rapital orno fra (fella,
urna vez que baja cunnnoda e fcil con-
duccao.
Precisa se de um menino para e.axeiro de
padiria, sendo de 12 a 14 annos de idade, cem
piatira ou ser ella : ra das Cinco Puntas nu
Qiero 38.
Precisa-si alugar urna casa terrea ou um so
orado com comm idos, na cidade guias das seguintes las : S. Bento, ladeira da
Itibeira, ladeira da Misericordia, e roa do Ampa
io, nose duvjila quem tiver deixe caita fechada eom as iMiciaes
J. A. F. neta tvnograuhia. n annnnrip.
Precisa-so de unta ama i|ue compre e cosi-
nhe para una casa de pouca familia : ra nova
iln Santa Rila n. 4l
Lima, Lessa &0.
O encairegado da liquidacao dos negocios da
extincla irma d- i.inia Lessa 4 C, previne a to-
dos os d vedores ao referido i stabelecimento, que
venham solver seus dbitos ate o.flm dcorrente
mea, visto como tem de encarregar o seu procura-
dor da promover a cubranca jQdicialnftnto : na
ra do Apollo n. 4.
(Jompanhi, Pernambucuiia.
Reducqao em f-etfS.
A-Companhia Pernambiieo atteniendoa esaassez
de paaarns alimenti.-io- queange a zona da na-
vpgac.\o seu cargr, e especialmente de farinha
de mandioca, acaba de fazer coasideravel redar-
cao no frote deste genero, oro alguns casos do 23
e outros de mais de 30 OjO.
As p ssoas pois, quo quizerem -mbarcar farinha
dat>rra, ou milho gusarao desse beneficin, que
vigora, de hoje em diante.
Alagase a casa terrea n. 40 sita na ra Di-
rea dos Afogados : a tratar na roa do Caldeirai-
p o n. ~>Q.
AMA
Pro.risa-i do urna ama para engommar :
roa do Aragao n. 24, Io andar.
na
Precisase de urna cozmheira
Imperador n. 73, 2" andar
na ra d(
----------------1
3$ a feitor.
No Corredor do Bispo, sitio n. 31, paga-se 335
mensaes com cama e mesa a um feitor para um
pequono sitio.
Precisa'o d um c.^zinlielro paga-so bem
linaria francm r
na
Jos Henriqae da Silva Guimare9 precisa
de um criado que seja bolieiro ; a atar no sitio
da Pas3gem antes da ponte grande n. iO, das i
---------'-------%-----:-------1 i da ta,rde as 9 da manhSa.
Aos senhores de engeuho Anprii
fjmraua;. com muita pratlca n- j\wXjU\, AO PUBLICO
O abaixo assignad, pr prietario do engenho
Palmeirinha. tendo seu> ewravt Joao, Justina,
Felippo, Juvenci, Manoe', Pedro, Raymundo, Do-
mingos, Adioe i.niza, fgido por stucjao em
fin do n.nno de 18fi3 para "o engenbo Cacimbas,
prnpriodade de Jos Reverino Cavalcanti d- Albu-
querqnf, ahi se conservado ate a poca 0: mor-
te do niesmo Jos Sewrinn, constandolne que se
Iuer dpserover no invena rio a qu se vai proce
sr. Jilo- e-rravo, romo pn>prie protestar pela imprensa fazer valer o seu direilo
de legitimo senbor > nm-iiH.s crv^ ronlra
qualquer pessoa que delle* sjeja de posse, recla-
mando do espolio perda damnos, pelo que j
protestou jiidiciainH-nte Rfife 3 o i-vereiro de
1870.
Antonio Cameirn de Barros Monte Hefio
Dajrana;. com muita pa;
gaa iiabiiitaf&cs o que
1 alguna escravos, pno&s-sa a.toataf onta de
ja e 1 cia n. 17. loja de cha- qualquer engenho por adminWrjujao oa SPCisdtl'Jc: [
feo ao p W anouncie por to Diario.
Ij lTl
Em grande quantidade a presos baratissimos,
o ainda com abatimentos de duzia para cima : no
armazem do vapjr fran-ez, roa Nova n. 7.
m Praca do Corpo Santo n. 17 primeiro
S andar escriptorio de Joaquim Rodrigues
I Tavares de Mello, tem para vender :
S Fumo em folha de superior qualidade.
m Vinho Bordeaux de superior qualidade. Sp
Farinha de mandioca em grande por- "
I cao e boa qailidade.
Cal de Lisboa muito nova.
Potassa da Rassia.
OS
TRILHOS URBANOS
DO
ECIFK A9 OLINDA.
Por ordem da directora sao convidados
os Srs. accionistas para, no praso de 10 das
contados do dia lo dn correnie, effectoa
rem a 71 prestaco de suas aegoes nara-
zo de 10 %
Para esse lim, ser encontrado o Sr. th.e-
soureiro, das 11 bmas da manha as 2 da
larde de todos os das, no escriptorio da
oompanhia, ra Nova n. 35 Io andar, en-
trada pela ra dasFlort'S n. 14.
Recife, 12 de Fevereiro de 1870.
Joao Joaquim A Ivs, v
Io secretario.
i'recisa-se alugar una ama para o servico
domestico de urna casa de pouca familia : a tra-
tar na ra do Crespo n. 18, I. ja.
de canto, piano, des nho e lin
U > italtan-,
G. MARiNA.Nr.Bi.i, proiessor com diploma da con-
gregacao de Sania C.Tilia de Runa, contina a
dar lices como j fizara lia mais do 20 annos ein
cinco collogios de ambo os sexos e em varias
casas 1 articulares.
A generosa hospitalidad que elle ha recebidn
do todos, e a amizade que sempre lhe consagraram
as pessoas mais estimaveU desta cidade faz lhe
esperar que desta vez tambem lhe nao faltar tra
balbo. no qual pora em aecjld todas as ^uas torcas
para contiuuar a mostrarse digno da proteccao
com que sempre foi honrado.
Gi.nlia Marinaneli Beltra&um. discipula pre-
miada do conservatorio de Mi lio, decidindo se a
deixara carreii-a tbeatral e fixar sua residencia
em Pernambuco, ondo sempre recebeu tantas pro-
vas de estima e sympathia, pelas quaes conservar
eterna gratidao, deseja empregar o sea lempo em
dar lindes de msica, piano e canto, tanto do aper-
feicoamento como de principios..
As pessoas que se quizerem utili-ar do prestimo
Jos sobreditos conjugus, podero dirigir-se ra
do Seve (Ilha dos Ratos) propriedade do Sr. Tibur-
'io, porto dos coqueiros.
luga se urna ala aciada com atguma acorn-
modayao no Io andar da ca.-^a da rua do Impera
rador n. 37, onde quem pretender poder fallar
entrada pelo caes de 2S do .Novembro.
Precisa-se de urna ama para engommar
tratar ia rna do Amorim n. 3\ 2* andar.
Aluga-se por 234 meosaes urna eserava boa
:cozmhira e Sel: no 3* andar do sobrado d. 38
I da rua das Cruzes.
MethtMio Oastillio.
Manoel Jos de Faria Sime, professor particu-
lar dn instrucco ellemeniar pelo methodo Cas-
lilho, tendo chegado rio mato, onde foi tratar de
sua saude, avisa ao- paos de seus huimos e ao
respeitavel publico que 110 dia S4 do crrente
abre de novo a sua aula, na rua da Sen tala Ve-
Iba n. 124, segundo and ir. Em diaaula locebe-
>e alamno? internos e xiernos.__________^^
BOLIEIRU.
fferece-s nn rapaz Bhimamenle chefado, iro
* precisas habitta?6e-, para casa partieular : a
ratar na rna do Camino o. ^13._____________
TrilhoB urbau h do Recife
Olinda.
Continuase a comprar dormentes de sieopira.
oiticica, amarello e oatra tadeiras d8 duraca
-para o chao, com as dmeiisdes seguimos : 40 pal-
mos de eomprimento e 3 lli p le^ra^is de irossa-
ri.de 7 l|f do largara : para tratar, 00 telhelro
da rua da Aurora, desde as 6 hora* da Itanta as
4 da tarde.
O snperitendentp,
Andr de Abreu Porto.
-BA D\S FLORES2S 1
O dono deste estabeleeimento tinge, limpa e achamalota com a maior
perfeico possivel todo e qualquer objeclode seda, 13a, algodo, em pecas
ou em obras, chapis de feltro, palba e manilha ele, tira mofo das fazen-
das e faz todo o mais concerner.te sua profissao, ludo com brevidade, visto
como se acha prvido dos necessarios machinismos e petrei'hos.
Otto Schnet'dcr.
VAHA D.% FE.
Aos 20:000^000.
rua do^Cabug u. 1
Bilhetes do Rio venda
ende Vieira A Rodrigues.
Aluga-se um rapaz que sirva para compras
o mais servico di casa : ua rua do Imperador n.
73, 2* andar.
\M\
Precisa-se de urna ama para cozinhar em cata
Manoel Joaquim Silveira pode
os misteres de sua profisao 0. 34.
O advogad
ser procurado para
em seu escriptorio rua do C.ispo n. 12, Io an-
dar, das 10 horas da manhaa s 3 da tarde. Reside
a rua da Conquista (Soledade) 11. 4^___________
'Precisa se de um coznheiro ou cezinheira :
ta ruado Imperador n. 73, 2* andar.
*m B-^BMM-9tum9^m
^ 0 Dr. Aprigio Justiniano da Silva Gui- 9
1^ maraes contina com eu escriptorio jKk
? rua do Imperador n. 27, e resid rua ^
M do Seve (ilha dos Itafos) n. 22.
tu
1
Na rua Direila n. 101 hva-se e ongomma-se
com perfeico e promptidao. _______
1 lf
Grande romessa de borracha para o fabrico de
limas para o entrudo, da melhor que aqu tem
vindo, na ru Direita n. 53, e na rua Nova n. 39
o 16, por menos preco do que em outra qualquer
parte. __.____________________________
a praga da Independeucia n. 33 se da di-
ineiro sobre penhores de ouro, prata e pedra;
reciosas, seja qual for a quantia; e na mesma
asa se compra e vende objectos de ouro o prata
1 igualmente se faz toda e qualquer obra de en
ommeada, e todo e qualquer concert tendent
1 mesma arte'._________________________
Precisa-s
Precisa-se alugar um escravo para servico de
hotel : rua das Cruzes n. 39.______________
Assooiaeao Coinmercial Benefi-
cente.
Os senhores socio da Assoriacao Commercial
Beneiicente e qne sao consenhi res do e lifico, pelo
prestnie sao convidados a recebercm do Sr. ihe-
soun-iro William Olio (de 1 at 3 horas da tarde
e manidos com os respectivos documentos) o divi-
dendo da o 00 sobre a importancia das parles que
tiveivm no mesrao edificio.
Assuciacjto Cornmercial Benefieente 15 do fe-
vereiro de 1870.
Daniel Ramos,
Secrelario.
Ainda se preoi.-a de um criado que saina bo-
lear : na roa estroita do Rosario n. 2, Io andar, a
tratar das 10 horas da manha as 3 da tarde.
AMA
Pre.'isa-se do urna ama que saiba cozinhar f
ehgomsr bem, para casa de pouca familia; na
mu Nova n. 37 andar.___________________
Quem tiver meninos.
Precisa-se ie montaos para aprender a fazer
cigarros: as fadricas a vapor de cigarros, t|iiar-
lel de polica n. 2i na mo-ma rna n. 8, 14, e 19.
boa oecasiao para os Srs. pas do familia nao teem que Ihes dar .1 fazer, e cru pouco lempo
se lhe garante ra-oavel ordenado. ____ _
~~Antonia Villar Alves Maia viuva inventarian-
to de sea flnado maiid- Antonio Doniinguts Al-
ve- Maia, roga aos devedor^s e credores do ca-
sal, do at o dia 25 do correte, apresentarert
>uas conla na livraria econmica ao p do arco
de Santo Antonio alim de serem desetiptas n
mveiitorio a qae se ai proceder pclojuizo da
orpho*. ___ __________ .
I. I.C-l-lt-PAR-
ticipa aocommercio em geral que, proviso'
namenifl, fans^rlo sen armazem e seu es-
rriptorin no larpo do Pe ourinho n. 7' (Cor-
po Sanio ) V anefai', por cfma da casa ban-
caria dos trs". Th. Simn & C.
Precisa-se de urna criada livre ou escrava,
para o servido interno de una casa de familia, de-
vi ado saber lavar engommar: na rua da Con
quista (soledade) n. 6. ^^^^ ________
. Sitio.
Aloga se al selembro desta anno o grande e
pitoresco i io Barbalho, 110 Moiiteiro, con cas.i
para numerosa familia, e mais commodos neces
sarios em casa decampo : a tratar na rua do
Crespo n. C: ______________
E-ih-t-Eicvo primaria e secunda-
ria, s bariirecido tle l'ran*- s-
co de orja e liveira, rna d-..
Praxerc 12. _.*..
Franc'seo de B rja, edinpeten'e;:;.-nU: habilitad
n la directora geral da m-ti uccao publica, e com
bastante pratica de etwinn, leeciona rbtoriea
potica, francez e ftrincipios de laiim : leccin:i
tanihem priineiraf '.lias, coadjuvjJo por um ad-
junto hbil, praro e moralisado. Recebe alum-
nos pen-ionislas de 12 auno para baixo, por pre-
co razoavel. e externos a 154 o quarlel.
Hortirultura fram eza
E. Pellore. tem a h inn de prevenir o respeita-
vel publico desia capital, que tem no seu arma -
zem da rua das Cruzes, um completo sortinunlo
das plantas c-xoticas das mais raras, tanto com.
legumes, plautas e flores, j aclimatados na Ar-
gelia o minios outros que qpiatem r.o seu estabe-
leeimento.
O dito senhor lend de se demorar at o fin
do mez em Pernambuco previno aos s.ohore>
amadores, de se dirigir") quanto antes a ?eu ar
mazem, garantindo que sern servidos com tod 1
o esn.ero : na rua das Cruzes, sobrado novo.
casa da iwrrottt
Aos 5-.000S
Bilhetes garantidos.
._ rua do Crespo rt.23 e casas do costme.
O abaixo assignado, tendo vendido aim de ou-
iras sorles, 2 qaartos n. 466"} com 700< ^da
lotera que se acabou de extrahir a beneficio'da
igreja de Nossa Senhora do Umaunlo de P 1
d'Alho (137'), convida aos pos'iiidcres vireni
receber na conformidade do costume sem descon-
t algum
Acbam-se a venda os felizes bhetos garan-
tidos da I" parte da lotera beneficio di igreja
do N. S. do Livrameato do Rio Fonfioso(138") que
se extrahir segu_da-feira 28 do correte mez.
Prevo>.
Os do cot turne.
Manoel Martn Pieza
CRIADO
Precisa-se denin criado, preforind>se escra*1 :
na rua das Larangeirs n. 29, holel eomaercial.
Ama.
Precisa-se do nma ama para cozinhar, comprar
e mais algum servido de ca>a : na tiniararia fran-
reza, rua da Imperaiz 11 53.
O Dr ".osta"Mola de volta ie sua via-
J? ff*m da Europa ondo dedirou-ro i* mo
J5 lestlas de senhoras a partos e a_y,
de pelle, pode ser procurado em sai Va "A
roa da Imperatriz n. 9. Da consultas q
0 das 10 horas'ao incio d3, sendo t ralis ^
Q para os pobres. gw
ggpes& *
"*__~ -ogam a qaen se julgar
Bolieiro.
Si *a6 *> Aprtto n. 8*, prcfiisa-se de
bolicir
\


iario ae hettiambucQ ~- Quinta feira 24 dfe Fevereiro de 1870.

>
AGIA NEGRA
oo
se
I
8
I
00
BENTO MACHADO ft C,

A AGUIA NEGRA animada com o botn accolhiiiu-nto que teve em seus annun-
cos, vem novo participar a seu3 freguezes que, acaba de receber um variado sorti-
mento de objeclos de gosto os qaaes serao vendidos per preces muito raioaveis, pois
quando fez os seHS primciros annucios, foi o que asseguroti. e sera mdo de errar,
porque como j'disse osla interesses ligada a urna casa tmportadoradesla praoa, e
por isso poder ter tudo especia e vender por precos admiraveis.Cbama pois a alten
Livros com o tampo de marital, madre- Um variado sortiments de charuteiras e
perola e tartaruga, proprios para missa. palliteiros de porcelana,
Travessa do Corpo Santo n. 25.
Os acreditados cylindros amnenos para padaria, por dous differentes systemas.
Machinas para descarocar algod5o pelos melhores fabricantes de New York.
Machinas de vapor systema de locomotiva e polias para as raesmas.
Carrinhus americanos para traLsportar volumes em armazens. Tudo por pre
eos razoaveis.
TRAVESSA DO CORPO SANTO N. 25
Ten'.os para voltereta.
Boogallas com marfim, cousa especial.
Sabonetes de alcatro.
Cofres de folhas para dinheiro.
Lindas caixas para costura.
Um completo sortimento de luvas de pe-
Garafinhas vazias propnas para presentes
coosa de gosto.
Iodispensaveis de palinfca o de couro pro-
prios para senhoras e meninas trazer no3
iracos.
Binculos ds madreperola, marflm o tar-
!aru*a todos esmaltados.
Cintos largos de selim, cousa inteiramen- v ,
te nova. uca'
Fitas da sarja de todas as odres e larga- Talagorce parabordar.
ras par tacos. Um completo sortimento de enfeites de!
Toacas, sapatinhos meias "de seda e mais seda para vestido,
perteacespara baptisados. Perfumaras de todos os autores os mais
Fitas com inscripcoes propnas para bou- acreditados em oxtractos, pomadas e leos
luet m noiva, G goalmente outros muitos objectos queDao
Ricos vasos com p do arroz. possivcl mencionar ; mas com a vista se
Um variado sortimente de jarros de por- cortiflcarSo do sortimente deste estabete-
catana, cimento.
Agnia Negra, ra do Cabug n. 8.
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
Acabam de chegar grande quantidade das verdadeiras machinas americanai
ara descarocar algodao de todos os systemas e tamanhos segrales :
12 serras 12 serras
ditas 14 ditas
ditas |5 ditas
ditas 16 ditas
ditas 18 ditas
ditas 20 ditas
ditas 22 ditas
ditas 25 ditas
ditas 30 ditas
ditas 35 ditas
ditas 40 ditas
\s quaes se ven Jem por precos commodos e roga-se as pessoas que dellas fizeram eD
ommeodas de alguns tamanhos, obsequio de as mandarem basca-las o mais breve po
livel afim de nao baverem faltas.
RA DA CADEIJJL56 A
(5
16
18
20
22
25
30
35
40
2 a ca^a o. e
2. F. ?. 3
22
01 O!
3?
5"-
a> o a>
-j -i
o
i
Lindas e superiores bareges de cor, de quadro e de listras, para vestidos fin-
agrado seda, pelo barassimo proco de 600 e 640 rs. o covado.
Assim como superiores cassas francezas de cor padrSes de muito gosto 40
v 600 re. o metro, aa loja das Collumnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa df
Vascooeellos.
. ., 2* entiusiastas desie grande briaspedo que qukrem muir se-de um bo-
bonito domino, dwijam-se ao armazem de Gomes, Silva C. onde enconlrarao um
lindo e vanado sortimento de dminos do veludo. que vendern por precos muito
commodos. -
. OS DO CtiUVlL
m*)0 doaams facdmenle podereis cscolher^i vossa satisfacSe porque h
rara tatos a capitolio poresiuiios artistas.
Correi
10__Rua fava__10
________ Arnaaem le t'azendfts e roupas fettas '
a>
as
IJ
m ~
O 9
3
6
o
3
KMBK,- il ni H i IBMih
*,U^ S.^.;

CPPP.ESZ&0 isOFFOC^SO*
a.bw^ m m wuMafitfBTAii $myt*9 pela Academia faneal
d. rwticii del ara: acalinam qwm sempiv wtantaneavunic oppreaaa^, oToc^*, ^ss.in coiko aa dore**, caluma o anxaqaecaa t sW
cente a ^ccasiilo>flppare45r u mal. e engoltr-se ama ou duas perJas
com urna paaica d aM. E com oerteza o medicameulo maiaaacU de tomar ,*ra
este genero de doengas.
A. PcmBm de MrefcMbE.. do touiob Cuw! sjo iiapregadas diariamente
ora grande ,1o para* cava das ovrelgiaa, rluruinnlismo, sciatico e catarrhoa
.da bex.ga, b^s erla -loram smtrn recommendadas por um grande numero
de mdicos.e8pceialiueute pelo outor Trouieau. que indica este medica-
mento como -o maia aflioai.' coweniente tomar de 4 al 8 a occasio das
i approv^o da Academia impial de medicina lem dwida a mtKwr
amulia da k propareco d estes medicamentos de sua cfficacia.*
Deposito e,u i! .,-!,,.,.. tmpmttcl-t; IM.^U,, & |>EK.A.uno. *ffirl#*.
o
i
O o
e-S"
B X
te ti
os
?3
a

o.
o"

filil
2 I g BJ < V> 3
S. 2- 3 3 cr a
s-g" "|s
3 cb o, C 5.
xa gS 3 _.
O Cl H 3 y

>-
o
B
I
en ^
Se c
o.
2 a> O
s

a; -
5;
o a
|||
3 2
a ? 2.
Bl
O O
B => S
fS-i'g
o B _.
o a ^xs cb
o
O-- ^w X
N U B i a
9
sa-
I
c
^

2
S^
ce
' B

O
?o
t

O
t
S
50
jD ^^
tD
5
*mas rAKanwiii
9 RA DA ilWPERATRIZ- 9
ll nrcinriul iri.i .loci^^.oi *...!,.:____. __ t i
O prnprietario deste^si-b.-locimcnto acaba de receber um comnleto sorlimpn
o ,1c pumos do afamado fabricante Here, entre os quaes tem alguns ,ffos ^Se
Somato e contera mais de .iiie sete oitavds. b
m,fl,(rn P^pnVta.i,) dcsle estahelecim,nto offerece so publico alores vantaeetr=
queloutro qualquer, fazem-se 4od as quadades do -oncertos e aflnacocs seSZ
molfcor systenM com oomor esmero c piomptido possivel.
fkwique Vn^elc/
BAILES
Ao publico.
O abaixo assignado declara ao curpo do com-
raereio que nesta daa cumpn Domingo
Gomos de Paria, sua tabana sita no largo do
Pilar n. 17, em Pora de lona*, i 're e desembara-
zada de toda o qualquer divida. Recito SI do fe
vereiro de 1870.
Urrinenraildo Scvpriaini Gonctlve*.
D. Maria Avelina Monteiro ivireira e Atto-
nia Leal Ferrcira, mulhcr e filli3 Jo fallecido ma
jor Jos Hermenegildo Leal Perrelm, agradecen) a
todas as pessois que acompatharain o enterro de
seu prezdo mando e pai ; e de novo convidam
as raesmas pessoas e ios parentes e amigos pa-a
ouvirem a raisa da setiino lia, que lera lugar na
matriz de S. Jo, pelas O horas_da manha do dia
25 do correnle.
AMA DE LEITE
Precisase de urna ama de leite : na ma do
Queimado n. 19.
Precisase de urna ama que saiba cnzinb^r :
Irata-se na ra Nova n. 18.
Fugio ni dia 17 do crrenle o esca0 de
nome Jos, cabra escuro, de 26 annoj de i la Je,
Siouco mais ou menos, com falla rio dunte> na
rente, tendo um dedn da mao direita cortado, a
outro de mais na mao es uerdi, pegado a< &i?i<<
mnimo, pelo que fcil de r c-iilieciilo : qnem
o pegar leve ra da Uriao, na Boi-Vista n. i,
(|o >er recompensado.
Precisa se de um omem para feitor de um
ngenho, quo 'enba as necessarias labilitaeots:
trata-so na ra do Apollo n. 20
Precisa se fallar rom a E\ma. Sra. Leo-
poldina Eulalia da Silva Lisboa, ou com pes-na
qued noticia da mesma seahora, na ra ib Quei-
mado n. 38. joja.
Alegase urna escrava para o >eivico de
casa : na ra do Imperador n. 30, -Io anlir.
Pre> isa-se de um caixeiri que tenlia muita
pratica de pbarniacia : 'a ra do Imperador nu-
mero 38.
COMPRAS.
Compra-sc papel para embrulho Je QOBl-
qoer qualidade, no pateo do Carino esquina Ja
ra de Hnrtas armazem n. 2.
Oiib
JUUrMO.S
Na ra do Queimado n. 6, I' andar, s.dao L-abeilelreiro, coirpra-se continuad: nii-nte eabeilosi
compridos.
Onmpra-se urna carnea que etteja em x
estado : na ra Nova, loja n 7.
Compram-so eseravus de ambos os sexo
na ra do Imperador n. "o, 2 andar, das 8 da
manhiia as i da tarde.
Compra-se
duas ou tres veneztanas em -epunda mao pni 'iu
que estejarn perfeits : a tralir na loja Ja ra Nora
n.43.
VrKDAS.
A CAMPI >S
Na ra do Imperador n. 2, vendese
os si gumtes gneros de superior qualidade.
a saber :
Presuntos iii2,li zes (para fiambre;.
Qtieijos inglezes (muito n'jvos.)
A verdadein gomma de uraruUr.
Cupos lapidados (muito finos.)
Latas enm (agostos a GCO rs.
Licor (aya pana).
Ovas do sertSo.
E urna tranca do cebollS-pOl' 640 rs.
fi ut armaztm do
Campos.
RiiH.'olmp ra'orov28
A VERDAE
55Ruado Queimado55
A VERDADE tendo em deposito grane.'
quantidade do miudezas e perfumarias,
sejando apurar dinheiro o adqi
Kuezia est rsaolvida a vender n
barato, ; por essa raz3o convida ao re
tavel publico a vir competenlomei
do a sortir-se do bota e barato. I'
do a Vcrdadc apparece, tudo mais des-
ap parece-----
Grande sortimento de bcr.cr s de cera *
massa as mais lindas possi lidas 4 *
racter.
Abotoaduras moderuas para col
letea.......
Espelhos donrados pepner.os. .
Agulbas de os*o para crox a .
Pentcs para regao com estilas a
Ricos globos jiara candieiro de gaz a
Cbamins a .' .
Grande sortimento de objetos de
louca para Drinquedo de menino
Garrafa com tinta a.....
Dita com agua florida erdadeira a
Dita com lita (Jila a .
Frasco com oleo de babosa a 500 e
Dilo'com agua de Colonia a 80t c
Gairafa cora agua divina a. .
Frasco com extractos finos a .
Latas pequeas com banba muita
lina a ll'e......
Sabonetes de diversas qua!
80, !O,2iOe. ....
Finas escovas para denles
Lindos roques modernos a. .
Pavios para gaz, d.-izia a iC 1 .
Escovas para facto a 3* O, tk'O e
M
l ;"'.'
-<
U ....

"''1
- -
Ditas para cabello a..... .'.;*
H
/
Moa muito fre

Vendem-sB -qneijos de
cb-^.sno ultimo vapor : na *iriuina da riaa te
Horla-, nnnazpin n. 2.
pingra do Douro
Frlix Poreira ,1a Silva, a ru 'da Imperairiz n
W, acaba de re-ehpr urna nova reaova do.u
muito acreditado vinlio puro do Douro, e muilo
proprio par este -lima por nao ter eonfeecao e
vende em barris do 10 a 32|. *
Pentes para tirar piolbo a 180 e.
Brincos de corez, bonitos a lO e
Pecas de traufi de la con S
varas por.......
Oleo para machina de cos
frasco a........
Peonas d'aco linas caixas a II
Dita d'ago Perry, caixa a. .
Galo de algodao peca ....
Lindos babadboa e i Bl
pira de 'iO a......
Ditos de loofa muito ftio a 1^'
Ditos para calca a 1(0 e. .
Caixa crin | aj i miza-Je a. .
Ditas com envlopes a. .
Ditas com obroias a.....
Caixa com ag.ilhns fundo docra
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoora para costura a 9
Caixa com nnha .le mar.;; a .
Linda de c' 11 em
bra) a ........
Carreteis de liaba Alexacdrc O
at OO. .,,....
Grampos muito latos '::m psHt-
tqs, duzia a ..... .
Carlas poi i a .
Ditas fraoeexas a .' -yii ^ e .
Papelalmaro e do peso, r.-r-i a
3r>100, SfBQO e .
^a muilo fina para bordar,
Fila de algodo para debrom de
sapatos, peca a.....
Difi'S do 13a para debroBi
tido, peca a......
Pentes fino3 pira segurar <"-
bello a.......
Ditos ditos de buf.;!o
a ?.*0, 320 e......
Di'.os para a| 21.a ,
Rostas pntas, par a -
Tranca de <
Fita de coz pe^a a WO e
Alfinetes de lato a. .
Sapatos de I
Gravita da I
Calcad iras a.......
Grande sor ie roaiaf i
m par de sospoMSorie do k*r
100 rea 11! f 11!
Xa Verdad) 1 na
d. *5.
m
ajaj
7 1
I f

? |n
m
m
m
m
Den ...... """"" w nicia uu
' lo no dia de STsjaWMiTi SSSF*" ^ ^ ** CabcU ELEPHANTE COM BOTAS
CHANDE ARMAZEM DE HANOS, UIS1CAS IKRMW
ANTONIO JOSI DE AZEVEDO
N.11-RUA VOVA-N. 11
...achare chegar J^S/SS;*6 S *"**" ***'*< ~ ^mnmmmm^^^^i^^
Cal nova de Lisboa
descarrepada hs do patacho Mara, o vende
J.iaqnini Jos. Raima, na na da Crm i. 8. Dri-
ll eiro andar.
mmlm im m&'e?* """ir* e mi*> r >><(o o J^L, aais acreditlo. esla cldade, como scjam os
AFFONSO BLONBEL
^o^a^men^^ l^Z^^Z^ XLSXJ^ -del. Estes pianos, fabri-
%^^* soa superioridade. / As suas vtze3 SKffl SJ&- IffU
iatcMado do nou^S piaSS'S SSS,^ *** 3' road a exig,'rem V**** d >W* aawi^oaido pelo Sr. Bl^del, afim da prear a |sua
AO PIRro
raga pwnos Etani o^awior e mata.explendido sortimentof ,!e nova
M WICA PAR % !IA i^O4
ATiiPrs m fr,m,e a p"* "
aa, i h 2- aodaroa, tem um rand.- mih m i,'
vi-stuanrs para .iBRar-M, r.mo sejam d> ii -
de velludo, velb.ti.ia e de seda, g>,Vioder o
ass.m Mnovesioarioi de pnncifefde v^ffi ?i?
rao eme enfe.tados, vudem-se e tambe f
AOS AMANTES
CAIAVM.
\t*Tj* &eralrf'l,,ja do G*ru'M n- < <>
spn^ft.? ,\ lon^ Kraad sortimento do dminos
So V a da lD'Pera!ri camerof
V'odo se urna eserava
de idade, robusta o saln,
e lava a tratar na roa d
n. .'j:l i' andar.
ennus ptit
,b COSTURA
LANhHSAL, a roa Xuvjn a
ri!?"m mpleto scf
'as para coslora, dos
"i'ecidos, as ijuaes eslo .: exposS m~
mesmo Bazar, g.ranlfndo,^ -, s.f*tSia
"Jado, e tambin ensina-.-, ,, SS
odos^s ownpndorra. ^mmSSm
- 'guaes no seu trabalho ao de *!m
re.ras dianameiie, c a sua par:
como da raelhor costoreira de Pv ,7
sentam-M t.abalhos execntados peas aSS-
mas, que muito de vem agradar or
pentes. r
ine de madreperob com e5T
r'..Ji -tu1""0 furrio para n
Rro i qiiarfsiaa.
a loja do Passo
Us propriotanos .test? imprtame en;--
o r^-e,Hao pdoulrirno vapor franeez i
iniPr,J*''*or*ur*'pr*o muito bem
nieinm.-tc miTidade, ^d^s e g..ripir68i i
Dirljam-se, pm.., tojas as pessoas que pr'isamde
.ompr,rest.sartii.os, ra do ns,
s-jonii. do. que em pr,ij,lg nao m deixar de fa-
iS5r 'm' !':i ",ui'c r!::,ju!"
Vendo-so um carro, orna rarr. ea c aai b
na C.ncos-P(,n-as n. 116 : quera preUuder S
Vi-udom-se as sogumes' easa%Mms& todas
em rliJo priprio : na ra Direfta m 57 0 n-
Ata-* Verdes ii a.", e Santa Hila n
i> mtm de s Pedro a. J7, das 10 lior
nhaa as .1 da larde.
-----------------_______ pan hauzidiw. i..,;-., ,u ,..". *'?'**
i'.'il) raoe o a*4.,f
-Parios ^eNrtaaK^T'

.l .'
rf^dw
ktjf
la#fj
Xaropvg r.fr geranios
Gr.. confeilana dos auaca.'O?.
73; trata,e
i ma-J d
Kstainp s finas
A lo,a J?t Anrora r
sendo u'a* segintea naa'
ju>tj pee,d. r, en/enio ,ifl
Itint iga PTL la;
So";"% Cnnno' ,"*i0'10 *
Et fumo dar lucem
aajAOoi
nal
panii?3irao ; a tratar aa roa de Uortaa a. 96.


Diario de Pei-uaubuco Quinta, feira 24
lo v
erere'uo de 1870.
1 \ .MI
CEU-
Gase comlistras de s.da e flores, azen-
da ioteiramente nova para vestidos de baile.
Gravatas p ra sentaras e homens, mais
completo sortinienio que se pode desejar.
Guipore preto e branco, diversas largu-
ras e differeutes gostos.
Gollas e ponhos b -riladas para senhoras.
Guardanapos de lindo pequeos e gran-
des.
Gorgur3o de seda preto e de cores.
Grosilenaples prelo e de cores, haven-
do diversas qualidades agostos.
A RIJA 1A IHPBR %TRI5K
Esquina da ra da Aurora, eru frente do caf Imperatriz.
N'este novo e sumptuoso estabelecimer.to de fazendas ein;ontrarSe as Exmas.
familias ludo quanto pomam desejar, ta ato em argos do mais rigoroso luxo, como cm todas
a mais qualidades de fazendas,
Alin de se acharera prvidos do que de melhor se encostra nesle mercado.
pai todos os paquetes da Europa, ivce'iem directamente o que em artigos de mrda e
tais apurado gosto se oncontra em Pars, o que vem cada di- augmentar s propor-
;.i s do que disiie este eslabelecimeuto para bem servir sua numerosa freguezia.
^
Algodlo largo para le..;es e toalhas de
11 as qualidades que eostuma vir ao mer-
i ido.
Alpacas le todos o< padroes e qualida-
I fio variadas que se n3o podem descrever.
Albuns com msicas para collocar retratos,
delicado presente para qualquer pessoa de
es im3.
Atoalhado de linho e algodo, branco e
de cores proprios para toadlas.
Bas juinas de seda prctas e muito moder-
nas, bem como de crocbt, la o do apurado
gosto e feitio.
Balita de musselina, madapolio, brancos
e de cor**, para senhora e meninas,
Bareges de cores variado sortimento.
Babadinhos ou tiras bordadas em todas as
larguras.
Belbutina de todas as cores.
Bolsas de tapete para viagem. graude
.;:ri.idade de tamanhos e gostos.
Bombazina prela do todas as qualidades.
Bramante do linho de H palmos de lar-
gura, e todas ^s mais qualidades.
Bretanhas de linho c algodo, grande sor-
lircnto.
Bi ins de linho branco e de cores, do mais
commodo ao mais caro emqualidade, aflUo-
cando o que ha de melhor na especio.
Brins d'algodo completo sortimento e
variedade de pre;os.
Cassas de cores, o maior sortimento, pri-
mando pelo bom gosto e barateza, atientas
as qualidades.
Ca nbraias brancas, tapadas, e transparen-
tes do todas as qualidades e precos.
Gamisinbas de cambraia de linho e cassa
Japonezes para sent ras, o melhor gos-
to, efazenda propria para as festas nos ar-
rabaldes e passeios a larde,
fea
Laazinhas de todas as qualidades, cores
e gostos, nao icando nada a desejar, tal
o sortimento que existo para escolticr.
Lencos, tudo quanlo pulo haver desde
esguio ao algodo commum.
Leques de madreperola o osso, o mais va-
riado sortimento.
Ligas de seda, bordadas, para senhora.
Luvas de Jonvin, chegadas por todos os va-
pores, sempre novo sortimento, quer em
pellica para homens e senhoras, quer em fio
d'liscocia, brancas e da cores.
Madapolo; indescriptivel o grande sor-
timento que ha neste genero, desde o mais
elevado preco ao menor, (pie se vende em
prca e rotalho por menos do quo cm ou-
tra qualquer parte.
Manas de blonde para noivas: o apurado
gosto dos nossos correspondentes em Paria
habilita-nos a dizer que temos cm nosso
estabelecimento o que de melhor se dse-
bordadas ricamente onfoilados para Sras. ja para vestir e ornar urna noiva.
Camisas para homens e meninos, to va-
Malo sortimento que vai do mais ordinario
madapolo ao mais perfeilo bardado de ti-
nao e cambraia.
Camisas de m ;a, de flanella, brancas e
\f cores paia homem.
Casemiras pretas e de cutes, o melhor
e pede imaginar, sendo d'isso a me
irova -i grande consummo deltas na
ifficini da casa.
Capellas de lloros, para noivas e bailes,
le a mais candida flor de larangeira at
Mantas prelas de Wofld.
Mantas para carros, com lindas pinturas.
M Tinos pretos, trancados e lisos.
Musselina branca e de cores, lindo3 e va-
riados padroes.
Pannos pretos e de cores, desde o mais
2.\barato so mais superior, por preco muito
corompdo. "
Pannos de crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de cascraira muito finos par;1
mesa.
! Peihs bordados de linho, lisos c de al-
"__Ocf7%.
DO
GALLO VIGILANTE
lina do Crespo n, 9
Os prupnetar pLoM esftlieU -
cjmento, alm d-milito, .wjnbaj.
po'stos a apreciacao do respcitavcl p|pkco, rnan-
aaran vir e acabara de receber pelo mlfio vapor
da Europa un completo e vanado, orliraento de
finas e niui delicadas especialidades, as quaes ee-
lao resolvidos a vender, c tumi',
por precos muito baratinhos e .ramodos para to-
dos, com lauto que o Gallo....
Muito superiores luvas do peluca, pretas, brau-
eas e do mu lindas cores.
Moi boas e bonitas gotHnhas enmonas para se-.
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
. Superiores neotae-as iartarjija para coques.
Lindos e riijuissimos eneilo pana cabeeas das
Exilias. sonliosUST "
Superiores transas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sern elles; esta fazanda o que pode haver
de nialhor a mais Manilo.
Superiores e bonitos, leques de madreperola,
marftm, sndalo e o, send- fueHes brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de E.-cossia para se-
nhoras, as quaes sampn; se vendern por 3OJ000
a duzia, entretanto que nos. as vendemos por 20,
alm estas temos tamben, grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algunas muito
finas.
Boas bengalas de snperior eanna da India e
caslao de marfim com badas e encantadora figu-
ras do mesmo, neste .genero* o que de melhor se
pode desejar; alm deslas temos tambem grande
quantidade de outras qualidades, como sejam.ma
eira, balcia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotiuhos de cadeia e
de outras qual id
Lindas e superiores ligas de seda c borracha
para segurar as meias.
Coas meias de seda para senhora e para meni
as de 1 a li anuos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para azei
barba; sao uiuilo boas,e do mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos per nossa vez tam-
bem asseguranKs sua qnalidade e delicadeza.
Lindas e bellas capillas ).ira noiva.
Superiores agulha.s para nabtna e para erase.
Linha muito boa de pese, frouxa, para encher
labvrintho.
ions barathos" de cartas para voltanto, a?.sim
como os tntos para o mesmo lim.
Grande e variado rortimeuto das raclhores per-
fumarias e" dos raellK.res e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROE.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
fa<"litam a dcnti\ao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a rceche-lo* por todos os
vapores, aflra de quo nunca faltem no mercado,
como ja tem acontecido, assim pois poderao aquel-
tes que delles precisaran, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre enconirarao destes vera-
deiros collares, e os quaes atrendeodo-se ao fim
para que sao applicados, se venderao com rna mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista -dos objectos que deixamos
declarados, aoj nossos'fregnezes e amigos a virem
comprar por prejos moto razoaveis toja do gallo
vigilante, ra do f.respo n. 7.

Oo
tmmA*'
tente
(rande armazem de fazeudas e ronpas eitas m da Impertir
n. SI porta larga, de Paredes Porto.
Neste estabelecmento encontrar o respeitavcl publico ua bonito sorlilMfilc
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 3), 3^500 at (i>- Ditos de
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 50, 6^ 84 e 105, de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca,
e de cores de 355O0 a B$000. Calcas 'de brim de cor finas e ordinarias, dita*
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemiraj
de cor e prela de 45, 55, .65 a 455. Col tetes de todas as qualidades e preco uito
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodo e de linho de 25 at W
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de linho e bramante a 25 e 24CO0.
Gravatae (mantas) novissimo gosto a todos os pretos. Meias sortimento completo a 34.
45 at 75 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se do quaesquer obras de encommenda tanto para homenri, como
para meninos* e com bre idade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e outras umitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Riaosantes de II palmos de largura a 15800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Al|aeas de todas as cores a GO rs. o (ovado.
Poil-de-chvre com lista de seda fazenda do gosto a 15200.
Basquines de guipare enteladas a 185000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 05500, 75, 85 e 95000.
AlgodSo peca com 20 jardas a 44500, 55500 e 64000.
Peca do algodo largo a 75500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem roupa
feita que"se.est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
LESO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porlo.
Machinas vapor de
for<;;a ds 3e 4ea-
Mtkroskope achroma-
tiseben. Objetiv Lin-" ^ \}
cai\ -~
sen.
Barmetro e termos
metro,
e reuumeure.
Centigrade
t mais ini rasa ule griaalda.
Chapeiinnas do m-thorgoato.de todas as'godo para camisa.
ea boje preferidas pelas asnhorai (fe Prlncetas prelis e de cftfts.
aparado rigor na mora. i Popelina de seda e juno, com I-slras e
eos pretos de vedado, pan senhoras, flores; fa/euda li.'idisjima.
altimo osto .)c Pars. P Ih^rinas para seoboras, do m'tmo
Chap i- de so p ra s nhorase borneas, gosto.
iodos os oreos e variados gostos. Prfowaria8 ; os mais linos extractos o
Chalv com ricos padroes para vestidos, que de melhor e mais agradavcl se pode
Chales de todas as qualidades, avallada' eaontrar nesle genero, e de mais fraganle
oamero c nao amw va, iedale de gustas, e suave no ulpbalo, temo P.W1LIIAO DA
Cbits, imposstvel descrever ortimen-; AURORA, desde a verdadeira agua Hon-
0 e variedade de padroes e novos ?ostos, da at o mai.s fino Bottqnet d'Amour, unal-
ba nestj artigo tudo quanto se podo desejar. J meato ludo quanlo deve oceupar o touca-
Cintos para senhoras o que se pode inia- ,dor do urna senhora de gosto.
rilar (\i> mplhnr. '-=-&
Saias bordadas, brancas, lisas o de cores
com Combos e sem ells, o melhor possivel,
Sabidas de baile, de todas as cores.
Sedas prctas, de quadros, lavradas, lisas,
de lis'.ras de todas as i ores e qualidades c
o mais barato possivel.
' Saraelim de todas as cures c qualidades.
O ^
Tapetes grandes, lindas pintirris para 8
cadeiras. mais pequeos o de todos os ta-
manhos desejaveis, o cm peca para co-
vados.
Toalhas de labyrinth'i, do maior o mais
fino trabalbo ao mais barato.
Toalhas de linho e algodo de todos os
tamaitos, lias e felpudas.
Triaiana branca com palmas o de cores,
fascuda muito nova, e gostos delicados pro-
pria para baile.
Vistuarios bordados de fustao brancos e
de cores para meninos, de cambraia para
baptizados,o quede medlior tem vindo a
este morcado.
Vestidos de la escoceza de 2 saias,
novidade pelo padro, gosto e forma; ditos
de linho com barras de cores, e do cam-
braia de cores com 2 sai is, tudo inleira
novidade. trazem os modellos jnntos para
mostrar a forma de os fazer.
Veos do blond para noivas c pretos para
luto.
Vestidos de blond para noivas: podemos
asseverar as nossas Esmas. (reguezas, que
giaar de melhor.
Coques, o melhor no gosto e nos entei-
tes, varios lamanbos.
Colchade seda c >m borlas, o mais apu-
rarlo j..s'o e lavor.
Ditas do fu-t*o branco e de cores por
[os coramodos.
Gorpinbosde sambraia, ricamente borda-
snbofas.
: i ca ibraia bordados e de
ftl.o que de m tlhor se podo desejar.
Golarfnhos i linho bordados e lisos, o
maior sortimento.
Damasco de 133 de 9 palmos de largura
I is core.- e ricos padroes. v
Espartilhos bramos e de coros, para so-
iinras e meninas, 6 o melhor neste Reitero ;
nanboma Sra. deixar por certo de muir
> d to precioso auxiliar perfeico de
um corpo delicado.
Entremeios bordados.
E-comilha preta.
Enleit-s para cabeca, ultima moda de
Paris, recebida rjo ultimo paquete.
Esguio de linho, completo sortimento de
todos os nmeros.
O?
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
dade de gostos e lindos padroes,
Fi hs de crooiit, modernos com cintos
e capas, o que ha de melhor.
Fil ^e seda, linho o algodo, de todos
os gostos e padroes.
Insiri de todas as cores e qualiiades somos os nicos em Pernambuco que pode-
grande sortimento. mos offerecer ao Ilustrado publico, o mais
Flanella branca e decores. apuradogosto em semillante materia, gra-
Flores, o quo ha de mais" rico, quer cas ao bom gosto do nosso fornecedor em
-sobas, quer em ramos, teraoPAVILHA Pars, podemos garantir que ningoem neste
D\ AURORA nm permanente jardim a genero o possue melhor, nem mais em
das Esmas. familias. couta.
iy dispondo d to grande e variado sortimento que os proprietarios do PA-
VILHAO DA AURORA se apresentam ao publico declarando desde j que a sincerida-
de e o bom gostoo raovel nico do seus negocios.
Prvidos do tudo e promptos sempre a prover-se do quo por juntura lhe
seja necessarin, os proprietarios deste sumptuoso estabelecimento recommendam-se
sem recejo de serena conlradictos e protestara esforcar-se por continuar a merecer
protecao que se Ibes tem dispensado ; certos de que do seu estabelecimento nao sahira
freguez descontente.
Contina sempre a offleina de alfaiate dirigida por um dos mais habis artis-
tas, prompto executar cora promptido e bom gosto qualquer trabalbo que lbe seja
confiado, lima modista especialmente oceupada nos trabalhos do PAVILHO I) V A-
ROH\. d rige os que Ihe sao concernentes, garanto por seu apuradogosto c promptido
na exeCuco e a mais completa perfeico nos seus trabalhos.
A numerosa freguezia que nos honra urna prova de que merecemos o con-
ceitoqu^ se di nosso estabelecimento, conceito que procuraremos firmar cada
vez mais. Para facilitar ainda a concecuco do fim que nos propomos, temos no nosso
itabelecimeot os ltimos figurmos de Paris, quo recebemos por todos os paquetes, os
quaes enviaremos para serem vistos a3 familias nossas freguezas, afim de escolherem,
m o padro da fazenda o gosto na forma.
Na oficina de alfaiate, junto ao estabelecimento, ha igualmente os figulinos
para homens todos os vapores se recebem.
E' esto o modo porque nos aposentarnos pedindo a protec;o do Ilustrado
1 oablico e com rofondo respeito convidamos s excellentissimas Sras. a visi-
cimento, certas de encontrarem nelle pelo menor preco posstve-
cmeiros levar as fazendas e amostras onde forem pedidas, visto
Q3o ludo quanto temos.
Joo Iaiz, Sobrtnh & C.
Aborto das 6 s 9 horas da noite.
>s.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desca-
rno.
Balancas para armazcm e balco.
Camas de ierro.
Cofres de ferro de Muoz e de Ubit-
Prcacas para copiar carLas
Fogo americauo-patent
C/5
2
E erystal de
Q
s

Sementes
De hnrtalicas novas e sug a 130 rtis a libra
na IJ.ilisa. rna do l.ivraincuto n. 38.
F. J. termanu, recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa
dos; porque, com esle* vdeos, a vista deseaoca, fortdica-se e nao a canea como cjm
os vidros ordinarios. Unta vez escribido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinarios se est obligado a rauda-Ios todos os annos ooster
cada vez mais grossos, o.que altera o cryslalino do :ho e determina quasi sempra do-
res de cabera. O alcance ordinario da vista perto d> 30 centimetros do lho, e,
todas as vezes que o objecto wt mais parlo ou nuis longe, os raios que expelle sao
mui convergentes ou 'mi divea^entea e a visSo n3o peteita. Um grande numero de
pessoas tem o dofeita de fazer convergir muito de surte que a viso nao distincta.
Com a applicacjk) de mejs vidros pdese veniei estas diiliculdades. Para os quo tora
a vista curta e cujo cryslalino mui convexo (o quo faz ver bem, de perto, e mal de
longo), o que se chama myopa, por ineio de um vidro concavo affasta-se o ponto de
vista, o que faz divergir os objectos e deix.a ver to longe como as outras vistaS. Quan-
do o crystalino muito chato, o que suc-ede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se chama presbyia, vem meihor de Icnge quo de perto, e nao enxergam seno
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enx.ergaro
to distinetamente como na idade de l anuos. Srvindo-se destes vidros quando e
vista principia eufraquecer, previne-so o mal.
P. J. Germaun encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos Oihos, a e s
colher, a primeira vista, seja qual for a idade e grao de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa, -
Para que sao fabricados estes vidros ? i
Para a vista myope, (vista curta). Para a vista que nao supporta os raios
Par?, vista que se cobre de nt.vcns. solares nem grande claridada.
^reviuj
Iii,a do ki iaa4o a. i.
Novo e vai de perfanan
Alm do vom0mtmmnuj de pa*
marias, de qiie etfecti' .rovida *
loja .da C icaba 4
recebar ouiro ^:l* t*rai
aota^ riedadr
ijtede. ** r*j
vos; assim,lOis.aCwdeJroPrevideal pM
rpera continitr a merecer a apreciaba
respeitavel publico em geral a aa w
boa fteguozia em particular, nao se um
lando elle de sua bem conbecida roansla
e barateza. Em dita loja encontrarlo
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita \erdadeira de Murray & Lam.
Dita de Coiogne iogleza, americana, fra
ceza, tedas dosaelhcres e maisacredito-
fabricantes.
Dita de Qor de larangeiraa.
DiU dos Alpes, e violeto parr
EUxir odontalgico pan
isseio da bocea.
Gosnetiquf s de superior quaMada (te
ros agradaveis.
Copos e latas, ma.ores e menores, em
pomada fina para cabello.
Frascos cora dita japoneza, traasparwti
s outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanas *
(rancezes em frascos simples ecntaa,.
Essencia imperial do fino eagradavel cka
*o de violeta.
Outras concentradas e de ebeiros
trente finas e agradaveis.
Oleo pbilocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qi
com escolbidos ebeiros, em fiascos <
rentes tamanhos.
Sabonetes cm barras, maior ea e
para raaos.
Ditos transparentes, redondos e em 5gi
ras de meninos.
Ditos muito finos em carimba pan tarba
Caixinhas com bonitos sabonetes hxtaaaV
fructas.
Dttas de madtira invernisada cociendo I
aas perfumaras, muito proprias para pr^
jen tes.
Ditas de papelo igualmente boticas, tai
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal colorido*,
moldes novos e elegantes, com p6 de arr
? l)oneca.
Opiata inglczaefrancezapara dsntee.
Pos de camphora e outras dir?er?tto
qnalidades tambem para lentes.
Tnico oriental to Kemp.
Atada laofs ceqraes.
Um outro sortimento de coqmx fo m
\os o bonitos mol le de riria
a algn s d'e lort* a tai
e8to todos expostos apreciacioda qam
os pretenda comprar.
GOLLNHAS E PNIIOS BORDAD
Obras de muilo gosto c perfeidto.
Pve*tas e fins para e Bello c v. i de Ues
ios, ficando a boa escolha ao ge sto io co
orador.___________
FABRiri NACIOXAL N BADA
DE
Tcixoira Uldunco Sf C.
Acha-se venda Me ptimo rap, mica *>
pdc pupi-rir falla : iibea ^a MI
de mui apradavel perfdme, viajado, es>prwjB>*
mais mdico possivel; c por i -fc
aclhido na? i iracas da Bal.ia, dn Rio s Jm
em entra* d imperii>: ro escripteri* fe kmtmm
Jof Go calvos eltrao, rna o Cinirca n
mero 17
LOJA DE FAZENDAS
DO
AI1BAIDI
tlua da Fatperatrtz u. SO.
CORTES DE CASEMIHA PRETA A 3,$500.
Vende-?e corlea do casemira preta para calcas
a a*SC, 4*-.X)0, 5000 e 65000 rs. ditos casemi-
ra de cores com lisias do lado a 55 e 6i o corte:
a rna da Imperatriz n. Bft,
GROSDENAl'LE PRETO A 2J300 COVADO.
Vndese grosdonaple preto pira vestidos de
senhora a 21500, "3*000 e 3500 o covado.
PANNO PRETi) A 2*200 O COVADO.
Vende-se panno prcto para calcas e palitots a
2*200, 2*500, 3*000, 3*500, 4*000 e 5*000 o co
vado.
CHITAS FRANCEZAS A 280 O COVADO.
Vende-se obita? francezas tinas para vestidos a
280, 320 e 360 o covado.
MADAPOLO ENt-'ESTADO A 3*500.
Vende-sc pessas de madapolo entestado com
12 jardas a 3*500, e pessas de dito com 24 jar-
das a 5*000,5*500, 65, 7*. 8* e 9*.
CASSAS FRANCEZAS A 210 O COVADO.
Vendc-se cassas francezas tinas para vestidos
a 240 o covado.
ALGODOSINHO A 4*000 A PECA.
Vende-se pecas de algodaosinho a 4*, 5*, 65 e
7*000.
GANGA PARA CALCAS A 320 O COVADO
Vendes^ gangas para" calcas e palitots a 320 o
covado, e brim de cores com listas do lado a 4* o
covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A 500.
t, Vende-so alpaca de cores para vestidos a 500 c
640 o covad), e ouras muitas fazendas que se li-
qnidam para fixar contas, sem reserva de preco :
a ra da Imperatriz, loja do Garibaldi n. 56.
(.AZ m m
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster i
., rna do Imperador, um carregamento de ga.
de primeira qualidade; o qual se vende em partida:
a a retalho por menos preco do que em ontr qual
quer parte.
Vende-se a nielado d um sino no lugar
Cruz do Rebouco, na estrada de Iguarass, nca
ama legoa p#quena queni da villa, o qual tem
urna excedente can de pedra e caf feita lia quatro
annos, e tem rauilos arvoredo de frncto, como
larangeiras, c; fezeiros, etc., e bastante trra para
roca e planUicao de canna. Esse sitio foi do falle-
cido Benfd'de Camino Bastos: quert quizer eom
prar metaile, dirija-sc a ra do Ltvrrmento, loja
n 18.
Vende-se no trapiche Baro do Livramento sac
eos eom milbo, boa saccaria e por menos do qm
em oatra qualquer parte.___________________
Vende se um sitio no Sal^adinho, na eidade
de Olinda, com ama grande casa para familia <
mnitas ontras commodidade-;, fruid* qdantidade
do fructajrai de todas as qaalldtdes e tambem se
recebe' casa em pagamento do mesmo sitio :
tratar na fu daSanzlNovan. 2.
I
Para a vista operada da catarata.
Para a vista quo as palpebras esto cer
Para a vista quo por momentos, \
voac-ar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem dag de saugue>
dVfaraUaeZvi'sta que os olhos sao desiguaes. Para a vista que um dos olhos myop
Para a vista quo so torva com o traba- e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olbo se cobra de catarata.
!bo e a leitura.
Para a vista presbyta (vislagalon ).

Sortimento
para tbeatro,
de binculos
e oculos de
alcance para o campo e ma-
rinha.
.*^*J?-
Lunetas, pince-nez e
face--maib, ouro, prata,
tartaruga/ bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sortimento de relogios para parede, que do boras epata
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de OHro, prata, prata
dourada efoleada, inglezes, suissos e orisontaes dos melhores e raais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. Era Pernambuco.
N.21=Kua Nova--. 21.
PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
PIAIUUCBOTlCO, 2, Mf OES LiattSUINT-PAUl, PARS.
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCAS DE URANJAS AMARGAS
C*m IOBVR-TO de ^OTASIIO
0 lof reto de potauio i nm verdadeiro alterante, nm depurador da inooBtettatel effl-
eacU; eoDiMnad* eom o zampe de cascas de laranjae amargas, e aturado
em perturbafio algnma pelo* tesa pera men tos ee mais traeos, sem alterar u fanecoee
do estomago. Aidose matseanacasqae elle conten permittem aos mdicos de receiul-o
para todas as complicagoei as aHeeejes aaoroilosas, tnberoulosas, oanoa-
rosas nos accidentes Intermitientes e teroeiroe; alen (Tiste, 4 e
agente o mais poderoso contra as doencae rheumatioas.
HROPE TNICO ART1-NERV0S0
eaaeas e Israajae aasescas.
35 annos de successos aitestlo a sua effi-
caeia para curar: cu doenftu nervotas,
tgudas ou rhronicat, as gttiritti, gattril-
fm ; e facilitar a diaettlo.
XAROPE FERRUGINOSO
caaos taraajss e qaassla e-aria.
E' sob a forma liquida que mais fcilmen-
te te assimila o ferro; n'esta forma prefe-
rivel as pitulasepastilhasentodosoeetsos
em que slo preseriptos os ferruginosos.
DENTIFRICIOS LAROZE
COM QUIMA, PYRETHRO I GAIAC0
m> auilfttslu, eom base de magnstia
para a altara e conserraclo dos denles,
proveninde a desearaadira, prorasdo o
trtaro de ene empato a reprodocf o.
aflixir MiiMtli, pan s airara e*s>
senracSo dos dentsa, corando a Ares
* canudas pela caria ou produsidas pelo
contado do calor os do trie
Deposite em Rio 4$ Jntif.
WwM-u; em Neto, aaM
Be|i* ata Manaes fsaseW
.?. e. asurtsit. atesssaMaa,s
B. ClMvalst; m Pirnmtom, r.
nuinu; tss Bakia. Be
e7| MD-Oare Preto, C. 1. T.
rm O*; *a Vasto,
if aa s^Mses^Apfas
aaeaat em Port iiefre, m
t. Wei i as tosat Oslto-
rea.
tai xa Filial do Eiftceo d
sil cm lBcraambu?fl, cm I3^p_-
daco 25 de jaaclro Co l*ie>
A Caixa filial vende o grande c exceasv
te sobrado sito roa Imperial n. 6t, ee~
accomodnecocs para grande familia, etasa-
bem vend-i a casa terrea contigua o. 66
tratar na mesma caixa rtn do OssMKT
ci n. 3. -_________________
TASSOIMAOSftC.
Vendem em spus annazens, no raes to Anea*,
n. 7, Escsdinha n. 1 e rna do Amorta m. 37, es
segnintrs gneros :
Ac de Milao.
Milho em sarens pcanr?.
Farello em snceas de 90 libras.
Chumbo de municao sonido.
Metal amarello para f Machinas para desearocar algedio de li, f6 t 19
serras.
Kerosene cm latas de 5 ga!5es.
Champagne do afamado fabricante Krnsj.
Hormoulh.
Vinho do Porto engarrafado.
Coac do afauado fabricante Canti r F^i
Fogo da China, caixinhas, 40 carias n. t.
Genebra ingleza tld ton*
Cimento Romano.
Cimento Hidrulico.
Cimento Porfand.
Geso paraestnqnts.
Cannos de barro para esgotos.
Gradeamento? de ferro para jarsias.
Carros de mao para frricos ee ara
Garrafoes com 5 gal6-s de Tinagre Usan
dem com 3 galoes de vinagre noto.
Chumbo em barra.
Especial para limas.
Em poreo e a retalho, vende-se se
de pianos e msicas do Axevedo, i roa I
mero II.________________________
-Farmliii do mandioca
De superior qualidade e em sarcos
vende-se nos armaren* da eosapaabsa
cana, caes da Assembla.





Diario de Peraambuco Quinta feira 24 de Fevereiro de 1870.
BARATAS, NI LQJAEMAOZESfl
DO ^
DE
FLIX PBREIRJl M SILVA.
Rila <& Imperatriz n. GO.
0 prepritwio deste grande estahclecimcnio, tcndo dado balanco no fira do
anno, como o rl, costme e vendo q.m tinh, nm granfe depilo de das San
nnmr?n"raS ""'^ T ^ m Cbef?ado esl3 ann0' tei* revolvido S urna -
O rospeifavel pnhhVo encnnlra neste estabelecimento, nao so um gratule sor-
lnner.lo.lo mais apurado gosto o luxo, assim como todas as fazoas de S-
ces4 le, edo todas so dSo as amostras com penhor: s pessoas que ttfgcciam era pe-
5JSS&^ sorl,r"se de um ,Dd0- ^
Expledido SOrtnieiltO de Crochs para cadeiras e sofs
rOUpaS fetaS I 9 f1* tem ura &iando sortimento dos
NA LOJA DO PAVO RA DA i rf80?.?en'l2S0 croch,s Pr?rios. Para ^t
IMPERVMIZN 00 i cf s' racsas' almofa^s etc etc.. assim
cia-se este grande eslahleeimento com-1 p3s Pa,ra brir Presentes, e ven-
aente sonido das memores roupas, ie.f Unto do qne em outra qual-
** QtltMABfl
aUNa nv,, .
Quarjo a AGII.V RRRNCA, mais precisa scienlificar ao respeitave! publicocm
geral, e em particular a sua boa Jreguezia, da immensidade do objectos que ltimamen-
te tem rccebklo, justamcnlu'quanrto ella menos o pode fazerc porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera na Benevolencia de todos que Ih'a atlenderao e relevara,
continuando portado a ifirigirem-se a bem conbecida l ja da'AGL'lA BRANCA ,1 na do
Queimado n. 8, onde'sempi/e atharao abundancia em so.tmenlo de soperioridade cm
qualidadcs, modicidade em prrjos e o seu nunca desmentido AGRADO ES1NCERIDADE
Do que cima flca dito se emiheceque o tempo le qn> a A GUIA BRANC\ pode
dispr, einpregado apezardseuscustosnodesempenho de bem servir a aquelles que a
honrara procurando prover-sc. em dita loja do que necessitam. entretanto sem ennume
rar os objectos que por sua natureza sao mais conheciilos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja importancia, elegancia c novidade-os tornim reeonimendaveis, como
b> m seia
Dflo calcas pats e culetes do casemira,
ie paoao, de brim, de alpaca, e de todas
8 mais fazendas qae 03 compradores pes-
ias desojar, assim como na mesma loja
'em, nm bello sortimento de pannos caserai-
quer parte,
ALGODAO ENFESTADO
Vende-so urna grande porcao de algodao-
sinho americano com 8 palmos de la; gura
proprio para lences o toaihas tendo liso e
as, brms, etc. etc. para se mandar >azer | ^flot qualquer peca de obra, coma maior promp-
idao vonade do freguez. e nao sendo'
/rrigsdosaacceita-Ias, quando nao stejam ,i "3'\^r ^Tn0'111
-.rnn.PtamPr.fa n Mn ntaatn mi .-mn 6 P?Dno de '"DO do PorlO
>!etamer;tc ao seo contento, assim como
""''anos de iszho
Chegou um grand sortimento de pecas
que se vendem
vasto estabelecir mto encontrar!" o 5.7?!.' at. l^9 ? vaia> garanlindo-se
espeitavel publico um bello sortimento de E i 8 ,in.ho na0 ,a nada me-
mor, ncm mais propno para lcnce3 e toa-
ihas.
PECIIICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um graede sortimenio dos me-
smlai francezas e inglezas, ceroulas de
"ario e algodo e outros mu tos artigos
aroprios para homens e ser.horas promet-
eado-se-lhe vender mai. !arato do que em
vatraqualquer parte. Na ra da Impera-
r n. 60, loja c armazem de Folix Perei-
ra da Silva.
Pichincha a 2^000
Para leuqes.
Na loja Jo Pava) vende-so superior bramante
om 10 palmos de largura, dando largura o com-
rimento do lencl, sendo apenas preciso para
ad3 lenc"l um e moio, ou um e um quarto me-
tros ; alin dota aplieago tem oairauuuuitas
jara arranjos de Familias o vende se pelo barato
oreco de 2000 (v metro .Va loja do Pavac, ra
la mperatnz n. 60. De Flix IVreira Ja Silva.
Gangas de Uuho
'Vende-te gangas de linho cm qua irinhos
amito boa fazenda, para roupa de horneas
a meninos e vende-se pelo barato preco de
SOO rs o covado:
PECflINCUA EM PAN\0 PRETO A 2:400.
O PavUo vende superior panno preto lino,
para pallitots, caifas, colletes, ele, pelo ba-
ratissimo prefo de WJ, o covado, gran-
de pe hmiha.
Cortea de easemlra pretfa a 4SOO
O Pava vende os superiores cortes de
case-miras pretas enfestadas, pelo barato
pre?> de tt50O, pechmdw.
PARA 0 CARNAVAL
Verbntiaa aG40 rs.
O Pavo vende bonitas verbutinas de co-
res pnra dminos e outros trages de mas-
taras pelo baratsimo preco de GO rs. o
covado.
PECKINCHA, ALG0D0S1N1I0 A ;000,
O Pavao est vendendo pecas de algo-
dlosinho francez, tendo 4 palmos de largu-
ra com 11 metros c.ida peca, pelo barato
prego de -i $000.
Pc?;w de madapolo a 3:ftOft>.
0 Pavao vende pecas de muito bnm ma-
dapo!?.o tendo 13 jardas cada urna pelo ba-
rato preco de 3:500.
GROSDENAPLES PRETOS.
Cbegou para a loja do Pavo um grande
sortimento de grosdenaples pretos,. tendo
de 15500 at y/5000 o covado neste genero
os melbors e ma s largos que tem vmdo ao
mercado, assim como bonitas sedas pretas
tarradas, noireantiquesetc, todas csias fa-
icndas. vendem-se mais barato do qne em
outra qoaiqaer parte, por haver grande
porcao.
PERCVLLAS E (-HITAS BARATAS.
O Pavio vende um grande sortimento
das mais bonitas chitas claras e escuras, mais
barato do que em outra qualquer parte,
aseas a 340 rs.
Vende-se na oja do Pav3o bonitas cas-
ias de cores fixas a 240, 280e300 rs. o
covado.
Cambraias brancas a 4:000 a peca.
So o Pavo vende pecas de cambraia
branca transparente, tendo mais de vara de
largura, com 10 jardas cada peca, fazenda
que sempre se vendeu a 7^000 e 85000,
fiquida-se pelo barato preco de 45000.
Alpacas ferllhantes a t. e 800.
O Pavao tem o mais bello sortimento de
alpacas lavradas com as cores mais delica-
das que tem viodo ao mercado e tendo bas-
tante largaaa, vendem-se polo barato prego
de 1^000, e800 rs. o covado.
diores chapeos de sol de seda, inglezes ten-
do nesle art go o melhor que tem vmdo ao
mercado assim como urna grande porcao de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em oitra qualquer parte, por haver
grande percao.
Os baldes do Pavao a 2S000,
Cheg. u nm grande sortimento de bale?
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baralissimo prego tic 25000 ca-
da um grande pechincha
CREfONES MATEADOS PARA VESTIDOS
A 640 E 800 RS.
Para a loja do Pava chegaram os mais
bonitos cretones escuros matisados, pro-
prios para vestidos, roupo chambres etc.
que so vendem 800 rs. o covado, assim
como a mosraa fazenda em padrSes claros
propnos para vestidos c roupas de meni-
nos a 640 o covado, sendo os padrn mais
moderuos que tem vinpo ao mercado.
. m 2i hil cm i
LAASINHAS LUSTROSAS A 400 RS. 0 CO-
VADO.
S o Pavo
Vendc-so
Corpinlms de cambrSia, primorc smente
enfeitads cora fitas de setim c obras essas!
cuja novidade de incide o perfeigo do ador-1
nos I las mni largas de diversas cores e qna-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer queiendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidadcs, coree e desenlies, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de ebegar. mas para nao massar o preten-
den'l se lhe apresenlar o (pe poder de
melhor.
Entremeios em pegas de 12 liras.
Guipuro branco e prcto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodao com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas c monta-
na.
Meiae de seda para noivas.
Ditas abaras de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinlias do fil, sapatinhos bordados mangas.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz c pinsel.
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
p.^ra circular o coque.
Bonitos brincos do plaquee.
Aderecos e brincos de madrcperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesooras para frisar babadinho3.
Aspas para balao.
No vos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes s3o movidas por um machinismo
urnas substittiem as oulras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixmlns de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envernisada cora vispo-
ras e com dminos.
Bollas de borracha para brinquedo de

e meis para ditos.
Camisinbas bordadas para ditos.
Diversos objectos de porcelana, proprios
para enfeiles do mesa e de lapinhas.
Vende-so por menos de 10, 20 e 30
SO' NO
N. 23Largo do Ter^o.H. 23.
DE
um
mais modernas o
tirl
grande sortimento das
legantes laasinhas para
Firinh?t de mandioca
de superior qaalidadce em s3ccof grandes: ven
de-se no armazem n. I i da Companh.a Pernambu-
rana, cae* da apsembla.
MOLESTIAS el o PEITO
HYPPHOSPHITOS
rdaDrCHURC'HlL
JAROPE de HYPOPHOSPHITQ de SODA
XAROPE de HYPOPH05PHITO de CAL
P.'llASp'eHyPOPHOjPHITOdeQUlNlWO
Lros; anemia
XABOPEdeHVPflPHaSPHITO da FERRO
FiLLAS de H YPOPHOSPWTOdeMANBAlESIA
,..3P
PASTILHAS PECTORAES^CIHOIIU
Bxisir para os xcropet o fraseo quadrado em
l^dqt m producto assignatura do D*' CHTTR-
QBU, e o Icirairo com marca de fabrica da
PkazaMda WAJW. il,nuCa,titUoni.9IM
vestidos, com as cores mais novas que tem
'indo a este mercado, sendo comstrinhas
nmdinbas que parecen do urna s cor e
:om tanto lustro que imitara perfeitamente
is poupelinas de seda, e vendem-se pelo
aarato preco de 400 rs.
OssetinsdoPavao
Vcndc-se os mais bonitos setins de cores
i mais encorpados proprios para vestidos
endo de diversas cores.
PAZENDAS PAHA LUTO
Na loja do Pavo.
Encentra o respeilavel publico ueste estabeleci-
aento nm grande sortimento de fazendas pretas,
orno sejam, cassas francezas e inglezas, chitas
>retas de todas as quatidades, fazenda de laa de
odas que tem vmdo, proprias para luto, como
iejani, laazinbas, alpacas lavrada.' e IL-a-x, cantao.
rombazmr.s, merm, etc., que tado se vende por
>raco barato.
Vladapolao francez a 7$000 rs-
Vende-se pecas de roadapolSo francez
^m 22 metros pelo baratissimo preco de
'000 a peca, pechincha.
Alias novidades em sedas
Chegou cm grande sorlimento das mais
coderoas poupelinas ou gorgures de seda
i linho com os mais elegames padres que
em vindo a este mercado sendo, miudos e
(raudos, tanto era cortes para vestidos como
para vonder em covado, assim como um
xtnito sortimento das mais bonitas sedas
listradas que se vende tudo muito em conta
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porcao de cera de
arnauba em saceos, por preco mais barato
loque em outra qualquer: na loja do
Jav2o ra da Imperatriz n. 50. De Flix
'ereira da Silva.
\ ALPACAS LAVRADAS
Vende-se a* mais bonitas alpacas lavradas
com osmelbore? gostos aOiO, ^00 e I 000,
o covado, alpacas lisas de todas as corq* a
OiO e 720 rs., alpacas brancas lavradas li-
sas e de cordo.
Com palmas de seda a t00 rg
Para a loja do Pavao chegou um rico
sortimento das mais bonitas laasinhas com
palmas de seda tendo de todas as cores e
padroes, sendo fazenda bastante larga e
vede-se. a 1(|00 o covado.
AS CHITAS DO PAVO
Vende se um biuante sortimento de
chitas claras e escuras por precos mais ba-
ratos do que om outra qualquer paite.
Roupa para eseravos
Vndese na loja do Pav5o, um bonito
sortimento de roupa par eseravos.
POUPELINAS DO PAVO A 300 RS.
Chegaram as.mais liadas poupelinas de
5a com imita m fazenda muito leve com as mais li-
las cores, sendo: verde Bismark, rxa, azu\
yrio, c asento, perolla etc, etc. e vende-se
)elo baratissimo preco do i>00 rs.
Merino de cordo
Vende-sc merino preto do cordo pro-
jrio para calcas, palit >t-, e colletes, pelo
)arasJmo prende 15000, o covado,
SIMAO DOS SANTOS t C.
Os propietarios dese bem sortido armazem de secco e molhados
i a iizere urna grande diminuicao de preces as suas mefadorias, comoseapro-
fesa e sempre se fazem avultadas compras para o centro e praca, por
. esto re-
solvtdos
sima a
isso previnem ao respeitavel publico em geral, qne mando' fazer suas despencaY cor-
tos de que vero a grande differenca em precos mais do que em outra qualquer parte
e garantmdo-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 95500 a lata, o 440 SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 660 rs. o litro. 620 rs. o kil.jrammo.
VINHO VERDADEIRO FIGUEIRA 560] FARINHA DE ARARUTA VERDADE1RA
agarrafa, e 40500 a caada e 800 rs o ti- 6*,0 a librae 15400 o kilogrammo.
tro- BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 8**0 rs. o kilogrslhmo.
VELLAS DE ESPARMACET 720 rs. o
M Bl'DBiS CROSSO
KlX NEGOOIO
. PORP! LITO BARATOS
no., mm DA MODA
Ba ifcva n. 50
Coques imita.,:;,, de eaboo,
gnarneci tes
" ultima ,i dzia .
Papel su, i quadrnhos,
em cas cora 20 cadernos a.
Envelopes p r elana, mulo boa
fazenda o mheiros em caixi-
nhas de 100 i.....
Botues ossu bem pulidos para
calciSi a greca .
Ditos cobei los rjg superior setim
de \oAm as cores, a prosa dos
pequeos a 300,e dos gran-
(lis 3.......
Ditos com ffl te re santos pbolo-
gn!|.;.s para {."i.hos a duzia
de pn ,......
Ditos de ossoinvnndo o marBm
com letii.is 1 duiu .
Ditos lizos muito boa fazenda a
duzia.......
Abotuodur.s para camisa semio :
2 boi.'s ara o pinbos, :
para abertura c l para o col-
larinho bcatwos, escaHalates,
e prets a doria ....
Brincos 0 pifes a b;ilo, cousa
mu'to qbique a duzia de pares.
Lindos frasqu ulios cmpalhados
-ohi l>om extracto para lenco
a duzia.......
Ditos em bonitas caixinhas ca-
da frasco a duzia .
Tinta para nafrar roupa, muito
superior cada l'raso em sua
caiimba a duzia. .
Livrinhcs com capa de metal
douradoe com bonias oroedea
para a missa a duzia.
Sabonctcs in ameqdoaa ainaa-
gas especiad de do BAZAR
DA MODA, a luzia .
Lapia pretos de superior qoali-
dade, oiuv;ido3 a grosa 3j5 e
Escovas finas para dtntes a du-
zia a IrJUOO e.....
s uuio bons, brancos e
pretos. a duzia de caixinhas a
Pernea prelos de muito boa qua-
lidade s grandes para alisar
a duzia.......
Ditosiarellos fazenda superior',
para alisar, a duzia. .
Ditos de borraxlia. om costas de
metal para repa&sar, a duzia.
Dilos enfeiados com conias de
cores a duzia a 4<5 5?S e. .
Interesssarrtes coqpinbos capri-
chosamenle escuitidos dentro
com'um b'--m e I ndo rosario
a duzia !(#, \2& e .
Grande sortinienl) de miudesas.
Grande sorlimento de quinquharias.
rande sortimento de perfumiriw.
Pagamento rtbl^ado 10 mesmo mez da
compra com descont oe U o/0, ou letra
acceita a seis, mezefe de prasn.
Jos Soareg de Souza C.
640
7I80C
220
4>000
StfGQQ
S.vC*
3#50C
85OO0
8000
Wfiou
6Gv>
7 -.o.h
Popos tubulares ins-
tantneos.
IMtor Sjimpyo.
Una .lova .*.
Os a ii nnni-i.iiiif v.ibMi s pirparsr alfww
, liihulaip intinr.'in
qo *t (u* do r>.
I 1 pn ro moibt nuis rttmmuili, rsran
iir,;n!o ar bm--> m. .; .
m attrf 1 .!
.
Isili- ni tUrii: <* 3t
: i rua Ni va n. 8.
Farinhade mandiot-a
rrn race :,> suprn*
up-sc nos arnmei paaftto'
es da AHvwtiia n li.
J.A.Mr.EAD'
BorfRias ;i i''!iini

lem coi
Cruz n. 20, om
Kalanras derhMai,

nirata i ri ,
ten pp.in
\sf> rtirida.
Grais
Vidru para i*
Trnili i, i'i i. .
3 i
r
Attencao.
V ni
roa Dir l'a d. MM.
M Mm$ : a
w
uaoi
wm
3|0(W
2.-J800
2A700
Ir>700
2S410
6SO00
l'iAOOO
a ojii
0-; ri>i|o: mana e eapclla pnra i-.'.v ,y,
lip<> o que ,- i ,.,!(, r
lerno, tambem chffj
n : <.,: de, nos f.i; .. i
'l,,' 'lie^-arain peki aliimu t. i ,
. n>r da Cre.p. a. :
r
lL
4 I
v <|ualrn nf ri4aaa j.
RanjM r.
ailare- i. 38, rna da Virara.! rasa : i
r.i da Paz rasa i n. & i, (ras nbn cas, terrea n. :; : i iratar aa no ,
Konrio n. 33.
'
Ka *! 1-i ea
A lujada Inrnra m n i laifi <|<> lawaal
38 .ti".,, mi-a U.iKM-1 J se h pe> A I..
eeb< u .i h un r.ip'-d,
< n,;!- fii- nnd,i |i. i.
de .lo di i ;.-a- .
_ESSfSAVOS Fl l
Aviso s autoridad^
DEM DE LISBOA das melhores mateas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 25800 e
3200 a caada, 660 e 720 rs. o litro.
DEM B1UNG DE LISBOA a 4/5000.
a caada e 560 a garrafa, o 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 o 320 rs. a garrafa, I(400,
1^809 e 25200 a caada,
AZEITE DOGE DE LISBOA 000 rs. a
garrafa, e a 7$ a caada, e 1(5340 o litro-
MANTEIGA INGLEZA FLOR a I 400 e
1*5280 a libra, 3^060 e 2*780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 960, 900 o 850 rs.
a libra, e 20100, I&980 e 086O o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a li
bra, I220 o kilogrammo, em porcao
far abatimer.to.
masso, em caixa ha abatimento.
PHOSPH0R0S DO GAZ E DE SEGU-
RANCA, 280, 400 c 560 rs. 0 masso.
3*200 e 6(3500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MITOS TAMANHOS 1*280, 2*500
30500, 4*500, 5*500 a lata e a retalho e 1*
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso. e em caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, era caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 5*500
a duzia o 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERSA
se BELL, 800 rs. a garrafa e 9* a dizia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANHA DE PORCO DE BALTIMOOR DIVERSAS MARCAS 1*500, 1*200, l*e
720 rs. a libra, o 1*560 o kilogrammo, cm 800 rs. a garrafa.
porcao se far abatimento.
ARROZ DO MARANIlAO E DA INDIA
120 e rs. a librt, 260 rs. o kilogrammo e
3*400 a arroba.
A1PISTA 200 rs. a libra e 410 rs. o
kilogrammo, e 6*000 a~arroba.
CAF EM GRAO 6* e 6*500 a arroba,
200,240 e 260 rs. a libra. 440 e I}2rs. o
kilogrammo era sacca se far abatimento.
SABO MASSA 2i0 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixa se
faz. abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a libree
1*220 o kilogrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS CUALIDADES, bem como perola bri-
Ihante, combination, Francy-cracynel, m.ixed
Britaaia. Mdium, Fancy-nic-nac, a, b, c, e
soda a 1*000 e 1*400, cada urna lata.
Assim como ha outros muitos
GENEBBA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 7* e 6* a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
11* a frasqueira e 1* o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
3*<)00, 2*800 e 2*400 em caixa ha abati-
mento.
TOUCNHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 115500 a arroba.
LINGLTCAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 1*000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TO a 1*000 rs. a lata.
CHA FINO, GRAUDO E MIUDINHO
3*200 e 2*800 a libra, e 6*100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 2*000,
25200 e 1*800, rs. a libra,
geqeros, vinho em ancorlas, azeitonas,
muito novas, passas e figos novos, charutos de diversas mareas, marmelada, feita pelos
melhores cohserveiros em Lisboa, golea de marmellar pcego, ervilhas, em latas, por-
tuguezas e francezas, vinho verde engarrafado' retalho, peixo em latas, bem como
pescada, tainha, pargo, goraz, lula, corvina, vezago, cayalla, sarda e sardmhas tfe Nan-
tes. Canella, cravo, ervadoge, cominho, pimenta, grandsmomos de sebolla 1*500.
Finalmente mitbi outros gneros que enfandopho mencionadlos.
PkUA AETtA ~"
3 portas, loja de fw 6gem
53~Rua Direita-53
CEMENTO
PORTLAND.
Vne-se no armasen) amarello de Vicente Fer-
rcira da Cosa cFilbo, derront do areo da Con-
eeicao. em harneas grandes
Na loja e armazem do Pavao rtf da Imperatriz n. 60.
Neste arando estahelcKmr-nto, ha pzYa vender
oro compfltosortiniBotadB (&mt#m, e miudeus
flaas e grosaB, eo.no sejam bajidiijas cbinezas
qaadradaa
toe:.
Ihwras, ..
e feira-como dejraalMia,BMinni|)ar& caf deharque, com grandes partjdos de pal
4ivaffos taamjbttj *~
iw
para maor remida rafflo fitre, lr;--n, fcarnanas, -ensofre. nape! aare ttR-j
do, d vartadoira Patudo, bachmas' para dasea-
ro^ar algodao; aloi de oatros, artigos de larra-
getn, mlaezas cutilarja? finas, qne s com a vis-
ta se vBTiffca: i roa dirort. ri. 8$ leja'3e-'S por-
tas de Hanoel Beato de CHiveira Draga* C.
VNDESE ou arrenda-s o eoeenoi
SSe?^:|^^^ de Sermhaem
ras,"eacanllB; (fieidairis, uvSm, tanto' comarca do Rio Formoso, prximo do ero
'rrecomo de poraaiati, noitibo? |)ara caf de .barque, com grandes partjdos de pal t
ro lamaalw d,fah*H)8j)io. Japv, dejo kilo-1 massap roda da moenda, mattos maheoei
"' a tratar na rua d Aurora n. 26, ou na d.
Imperador n. 20.
r?i. i'in i C'ji--------
Laoedo
Vcade-se lagedo para calcadas e arraaien por
preco commodo : na rua do Apollo n. i.
HAKuinmu
Resta venda um escolhido sortimento de ot>
,ectos de marcinoria, como sejam, mobilias de ja
:arand, mogno eamarello, o>ra nacional e estran
?e>ra, do apurado goslo e por pracon razaveis :
aa roa estreita do Resalto n. 32. Nesta mesnit
asa fazem-se com pcrfeigao todos os trabalhos di
jalhinlia, como sojam, emualhamentos de lastro-
lara camas, cadeira? e sophs.
c a qnen fOR-p;
No dia -J'1 fogio > escravo Exeqniti, ci
aonos de idadi
cor hciit piel, cafceya rr'nnihi. t.
mi a ziiI ; caira i!e i
ilnnnte ii dia rojlliaal arn'ar faflaVn
mas, ou cm armazerrs d i
ber'Ms a ronversai e i i-. Im .
noi.e recolhe-rfl a ItaWwM I
Detraves, a casas em ennstru
qnaesquer haajarai, t \
ipit-m o apprehender i.-nlia !
'ondiizia ;i rua da Aurora u. S
IrnpiTaii(r n. 2", onda
0
1.
De superior qualir ade da mui accrediu
da fabrica de Bisquit Dubouch 4C, en
cognac urna das quo mais agurdente di
cognac, fiajnecem para o consummo di
Remo da Inglaterra.
Vend-so em casa de Th. Just. rua di
:ommercio n. 32.
Farinh de maudiociT
Vende-se farinha il mandioca nuva c muito su-
perior, cbegMda ltimamente de Sania Catharina
a bordo do lugre Margando, fondeado defronte di
trapiche do Exm. Bario do Livramento ; e pan
tratar rua do G mmercio n. 17, escriptorio d<
J<'aqnim Jo> (oncalves Bellrao.
Arha w fiipiiu i .- -r. \i. i,
idada 20 annos mais on i
urna prrna c lirac, rala tmaaj
dn Snnral, maiki ladli
ilr.-CLiifia-sf estar ari.uta.ln, ,
twta muir qoem o Hi r i -
lui'in o lev; r un di I!.- r ni.nVia n.. ri.
ilre ne Daca a. ;>. iJ a retar.
i
-.i
Rua do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento encontra-st
diariamente um variado sortimeuto de bo
linhos para cha, pastis, podim, bollos in-
glezes, pes de lo. presuntos, ditos un fiam-
bre, superior cha Hysson, preto, e miudi-
nho. Yinhos linos de todas as qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, fructs muito bfias, por-
tuguezas e francezas.
Um completo e variado sortimento de
caixinhas de todas os gostos e precos pan-
mimosear senboras, ests caixinnas recn-
tenteme chegadas d'Pars so de primera-
do gosto, oflteress*mo-las aos galanteado, es
do bello sexo pois nellas acharao nm dign
e serio presente para as donas dos sem
pensamentos. Tambem os apreciadores d
boa fumea encontrar3o charutos dos me-
lhores fabricantes da Bahia e de Havaos
sigan os do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, christalisados a df
calda, dilos de caj *e de outras qualidades
Nesta ca3a recebem-se tneommendas par*
bailes, casamentos e baptisados e qualquer
encommendas avulss, como seja p5o de l
e bollos enfeitados e outros muitas cogzas
que enfadonbo mencionar.
Flixio do erig :
iIp Serinhiem pertei;. it \
Wandcrlo\ u* csrran .^m i
lo baixo. gin-.i. n ler siduc ni|iradn pecara
da Irinia e isnlt-s aaaiv, i
Litadas, estalara baba,
e esta ni p> ata do qoi ii Palpa* n
de de it annos piajaM ii.ii n Mi l
aa. sem def. ilo atpum, lev
rra pasco apparaee ; |>-r .
dades pohciaef e cafttfei de r
mi-sinos c lvalos no menio enema < .
da-Moeda n..'. 2" andar esrri;
ves Ferreira 4 u qne ito ira' ,i

'
Fugio no dia 10 do corn-ni* i*i
venna, eofli os rignae* rejroiaaai :
cheia di curpo, tela e-irea, nll
lielcos bstanle rfaaa, i,-ni o oVdo n
esqerda ompoocu dubrailopai..
reprsenla ler 10 anos toara
lavou vestido ita rbiui eniriiadaf rata ..
de chita o ni barra azul ; tero o andar 11>
empmado para a freno
ocrulta cm algnma rua, prla njnc |
Ira a pessoa que a ttv. ea '-.i-a,. I.m...
gar os dias de servi ;o : raga-as a-
capilaes de campo qne .ip '.-r.ai-B'a
rua dn Si-bn n 20, on rua d A:. .im a. 3V.
que sera jjci -rile r. e,m-,

ATTKINCAl
i
AlugtK-se ricos dminos pretos de 20 at S0
completos costtimes do phsntasia de 10 at 40
e veado-se, caigas de me.ia encarnadas e brancas :
ruaBell ti. -\9 sobrado.
0 verdadeiro- portland. S se vende n
rua da Madre de Deus n. 22, armazem u>
Jo3o Martins de Barros,
Refinado
Vendo-so a relinacao da 'roa DireUa n. 23, bem
a/regaezada, vende mais da 40 arrobaste assncar
diararxente, est bem montana, e o motivose dir
ao comprador.
Contina a estar fogid) ) es.-i.a > pr.
me Jos, idaae 10 am estatura i
a prop.irc.ao, poiica barba, aigan-<
eos na cabera, lera junto a b-cra n
lado direilu sigaal de om amoh
nuis clara qo a da nellp em mi
sarado ha poueo, levon char;o r;- r-tf *
eamtsa de chita rxa eon.ra arate*
cas parda?, A> escravo dd Sr. M. *.M
Vianna morador no tirrat : qn -r.>
levR-o rua do Apollo n. li, que -fi >
mente recompensado
Ausenlouse no dia 1J de
Luciano, baixo, groseo di ^-orfi
ba, ns gros ca de brim branco j v-dh-i e ca
h\i\ riscdo e representi ler m
este escravo carregava i^ua de p i '
vista : quem o pegar cnidiiu-n a rna Ida
co n. 4, qrm ser reefiweoadV
i .
Fugio do engenho Bol vi
Camaraglbe, prnalncia Jas Ala-
eolo, de ida 'e 'A annos, altara r
do coroo, andar banzeiro. tem -
frente, rosto largo, barbalc, en
zer toda a barba, tem uma datark
p> grossos ; este escravo anda fin.
Iij do janeini do eorrenja anno
s autoridades polieies abes
apprchensao d sse escraro. a ei>.
nho acim menciunadii. >o awla
Vigari > n. 42, ou tra
Io andar, que si uratiikvii'i gen
Fugio no da 17 iciraAn
sado a fraga Henriquela. nreta
20 annr-s, clieia do'rorpo, altor.
carapinlins, (esta laga,-pel*j |lanw
beico- proasns, bneca gramH *
feitos, olh e moa grande c
cima de uma della <
bexig e chicote pola
e cocuma a mudar o nnNa-
est grvida ; M-a esrrT
como lyre e &msta qne igl
Proles-tae a qu
autoridad,
quo se gratrflrn
Sr. na rua do Henriqa* Diaf, ou Eslaaci
ista qna aa aa
saataaaaaaaaal


Diario de Pernambuco Quinta feira 24 de Fevereiro de 1870

IOTERATPB1.
UMA CRIANZA.
Crianca lonq^iolia, escota ocomelrio
Mu simples o sauto que vou mimbrarle :
Ornando tem brasas, venenos c eupinhos;
fiia brinques com ell', que po l< s unaMe.
A veies Miis i de alfombra adorante
S- esconde a aerpente qn lenta matar-te :
Si i fjas inui f.icil, nao pia u i rclva,
Nobrmqaecomo monstro.quo pode mane! .i te.
Na in" vtlltidada que bitaca em sopredo
SIhh tem meiguiee o doto apertar-te,
a cti imoaaa oseolta*, ha fugo lal nte :
K?.. briaqo< a eon elle, quo podes |ueiroar- .
As frescas, reaciascorullas das fl >res
Kio doxes, Ijuqninba, nos labios rocar-te ;
Debaise das polla n> raro ha espinhos :
Na > brinques com elle, que podes picar-te.
No raio cadn': de estrella erradia
Ojio vem fugitiva na fronte beij tr-io,
I sempre ba pureza : evita esse- raio,
N" , que pJes qaeimar-te.
K'ans oll.es traversos, r'un? labios rosados %
C e dina sorriado que viveni p'ra amar-te,
./ vvies ba ch.amn.Ms de ainr fementida
'.2> brisques com elles.. que podes fanar-te.
Invoitas oo DMBto sombro da n.iule
\ % i Mam mil fogoa que poden) toerr-to :
P.r U us cu te peco, 081 creia na n>a'.3,
Bftoques com o jago, que podes quo
(T iacca louquinba, receia a scentclha
0ie amores Bogidos quizerem lanzar-te ;
T;i mis un; abrigo ooseio materno,
Ai I fjgc do fofo, que podes queimar- te.

Pcveroiro de 1870.
POUCO DE TUDO.
Sao do Sr. Jos Pint-i estei versos.
A' ii.m. crianza.
n:.\s OITO ANNOS.
Sao lo (elizes os das
Primaros da nossa infancia,
Em que o co tero mais primores
K as rosas tem mais fragancia ; .
Km que o sol brilha mais claro
E os campos tem mais vordor,
E os risos tem mais belleza,
E a belleza mais amor ;
Em que saltamos contentes
A colher a alva cecem,
Em que alegres cantamos
Ao lado de nossa mi;
m ...... P*los campos
8 correnu.. ..... ^
Vernos as (lies ik .
E brincamos lio conten*.
Nareia da beiramar;
Ki, crianca! Sao Un doces
Os das da nossa infancia I
Brilliam uo co mais estrellas.
As rosas tem mais fragrancia.
Depois... os risos nos fogem.
Tornam-se murchas as flores ;
O prazer perde as docuras,
Nem sao doces os amores
B a lardioha to fresca
Perde toda a formosura !
E as florinhas do noivado
Vo amar a sepultura !
Ki. crianca, to alegre
O despontar da existenc ia !
O prantos tem mais ternura
Os risos mais innocencia.
VARIEDADE
IMTICA AMC DOS C0MB0STIVE1S MIMIKAKS
0 brasil, WUBCEWDA HE AUHMA9 KOCftM
GERAS SOBAS KBTES PROWJCK.
Qaraetom gentes dos difieren! com-
bmlmh conhecidos desde animlo
al a turba.
(Cencluso)
Dada esta breve noticia dos combasltyeis
mineraes, passaremos ao quadro estatistioo
flas provincias do Brasil em que elles sao
mais .* manos representados, apresentaii-
flrt.08 successiv.tmenie cm cada una a ellas.
O'iadro cstatistin dos combusliveis brasi-
leros e de seus jazigos ale hoje cotilleado*.
S Pedro do Sul Anlliraciio pyntuso da
estancia de Candido da dsia (serra de S.
Roque), dem da estancia do tenente Ricar-
do (caminlio da S. Lourenco Cacapava. a
.'! lego di villa.)
Carvo magro ou secoo e c. graxa.do
Curral AUo (rsraa estancia).
Mcm graxo da estancia da Capellnha de
Campano; dem py toso do Sandy (estan-
cia de Candido da Costa); idem graxo do
Henal; idem da mina de S. Jeronymo.
Carvo de podra do arroio dos Ratos, em
deposito do grande possanca, e contendo
iraode proporeSf de hydrogeneo, o que
Aullo o recommwda para a fabricacaj) do
gaz de llumi|acao.
Carv3u (no municipio de S. Leopoldo),
idntico ao precedente, em grande deposito
na Candi a.
Linhito comparto, da estancia de Candido
da Cosa (serra de S. Roque); idem do
S'rro Partido, entre a Encruzdhada o o rio
Pardo ; idem do arroio dos Ratos, de Can-
diota e d Rio Vaccacahy ; idem da estan-
cia do Motta : idem inargem do arroio
Irapo; idem, margens do rio Jacuy.
chisto betuminoso Curral Alto as vi-
zinhancas de S Gabriel (estancia de J >s
Ferreifa) ; idem, de S. Gabriel, idem es-
tancia da Capellinha de Carapan ; idem,
estancia de Cindido da Costa, na serra de
S. Roque ; idtm. no Sandy, 4 leguaes E
de Rag e a i do Quebracho.
N. B. Alguos destes combusliveis s5o co-
hecidos desde 1807. Sello*, Mabilde e
lobnsqo Qzeram ahi diversas explorace;1.
Santa Calharina. Gano de pedra (?),
margens do arroio das Palm ras ; idem,
do Passa Dous; idem na Laguna; idem.
i-m grande extensao e possanca, no Ara-
rgo ; idem, do muito boa qualidade, no
Tubario: idem, na estrada de Lages; idem,
no Lajaby : idem. na Vargem da Raz
idem, no Rodeio B mito.
Linhito compacto do Passa Dous, parto
do rio Tuba rao ; idem no rio Vaccacahy.
Scu'sto botuniooso, no morro Tai
municipio do Lages ; idem do Passa I)jus,
arroio das Palmeiras, estancia do Guilher-
me, braco norte do rio Tubarao.
N. B. As minas carbonferas de Santa
Catharina prometlem um grande e rico fu-
turo. Ellas si conhecidas desde 4828. e
tem sido examinadas por diversos indivi-
duos, entre os quaes citaremos Sellow Da-
vidson, Kersting, os irmos, Bouliech, o
Dr. Parigc-t, .Mr. Vadee, Von Brause e o
baclnrel Ferrcira. Tanto nesta provincia,
como na do Rio Grande do Sol, veremos
dentro em pouco algumas companhias esta-
le idas.
Authracilo ; em Hapenioga (S. Paulo) ;
idem, margena do Capivary.
Carolo de pedra; marg.-m do Capivary ;
idem, margens de Tiet (S. Paulo).
Paran e S Paulo.Scbisto betuminoso,
vizinhanc.is de Sorocaba; idem, em S. J )3o
de Ipancma ; idem, em campos de C^poa-
va uou^- em Wrapori: idem, em Tatuhy;
.dora, em 'CiarP. (Todas esta? |gali pertcncem provine':1' as vizinhancas da freguesa do Rio ISegro.
no valle do mesmo nome, cerca de 30 le-
guas aiima do confluencia com 0 Iguassu
(Paran).
Rio de Janeiro.- Carvo de pedra (?) ;
no municipio de Campos. Este cimbusti-
vel arde bem ao ar livre, com longa chara
ma e pouco fumo, e sobre tudo com pouca
cinza.
Linhito. rio Muriah, na fizenda de Jos
R&eiro de Cas!."". .
Scbisto betuminoso, no municipio de
Campos.
Turba, era abundancia as baixadas de
Araruama.
N. B. as excavaces do engenbo Res-
tatuado, propriedade de D. Francisca Clau-
dia da Molla Cortez, freguetia de S. Gon-
calo, foi encontrado um pedaco de authra-
cilo.
Espirito Santo.Linhito ; ao museu na-
cional foram enviadas ha mais de 20 annos
ditas amostras pelo ministerio do imperio,
com outras prodceles naturaes ; porem
sem nenhuma indicacSo de jazida.
Turba ; existe em abundancia p#rto do
liuoral
"Bdiia.Carvo de pedra magro ; idntico
ao Splintcoal dos i.iglezes, sem peryes
(inoramos o local da jazida). Este mine-
ral foi remeltido ao museu em 1853 pelo
ministro do imperio. _
dem ; as margens do no Marab,
idem, no engenho Colunia.
Linhito terroso e hnhito schistoide pyri-
toso ; Marab; Barcellos e Camam ; dem,
na ilha de Itaparica ; idem, na ilha de S.
Goiicalo. .,
Schisto-betnminoso ; Marab ; dem, em
Barcellos; idem, em Camama ; idem, om
Arimembeca e fazenda chamada do Tejo;
idem, em Marahi.
Naphta, Pissasphalto, Petrleo ; nos
mesmos jazigos do Schisto-betuminoso, e
por isso muito abundante na provincia.
N. B. Desde 1852 que Jos Francisco
Thomaz do Nascimento descobrio os schistos
betuminosos cima mencionados e as ma-
terias que os acompanham D-ihi por di-
anle aiguns parli:ulares e eremos que com-
panhias at se tem dedicad) extra:c3o
da naphta, do asphalto e do petrleo que
sao thesouros consideraveis p3ra P.3'2'
se o governo imperial os quizer utilisar
convenientemente.
Sergipo e Alagoas. Linbito Garoso e
linhito compacto, em carnadas numerosas,
a 12 leguas ao norte do Micei, boira
mar, e meia legua ao sul do rio Camara-
gibo. Eslas cacadas de linhito sao co-
bertas pelas ondas, as preamares.
S;histo betuminoso da formaco do mes-
mo linhito, no mesmo local ; idem, ex-
trahido do lugar denominado Bica da Pedra,
a 2 leguas de Macei, junto ao canal que
une esla cidade anliga capital da pro
vincia.
Pernambuco.Authracilo, em Feriando
do Noronha; no morro do loglez, a 50 ps
do altura sobre o nivel do mar.
Linhito, na ilha. de Ilamarac; idem,
na propriedade de Antonio Teixeira das
Noves, sita margem do Rio Serinhaem
e a 2 loguas da Estaco de Giraelcira ;
e petrleo, termo di
naphta
FOLHETIM
j Mimaos h
POB
lie Berthet
Ingizeira.
Parahyba, Rio Grande do Norte, C-ar e
PiauhyL'nhito, no municipio da cidade
de reas (Parahyba); idem linhoso, no
enrtenho Rui, do lenle coronel Carvalho
e Oliveira (Piauhy).
Schisto betuminoso, na sorra do Arara-
pipe.
N. B.0 museu nacional possne amostras
de authracilo vindas das trras de Manoel
Jos da Silva, perlo da cidade de Aras
(Parahyba). Este combustivel superficial-
mente explorado e aproveitado pelo seu
propietario.
Maranho e vale do Amazonas. Au-
lliracito, 110 Godo (Maranho). a urna legua
do rio Itapicur.
Carvo magro, as margens do lago Sa-
cor: idem as margens do Solimes.
Scbisto -calcareo-betuminoso, oceupando
urna rea de 12 leguas, prximo povoaco
da Corda, Capella-Forada c Missao dos In-
dios, na confluencia do rio deste nome
com o Mearim (Maranho).
Linhito-terroso, margens do Solimes, a
80 bracas cima de forte de Tabal inga
(Amazonas); idem as margeos do rio
Javary (Amazonas).
Minis, Goyaz e Matto-Grosso).Linhito,
perlo de Ouro Preto (Minas); idem betu-
ninoso, das vizinhancas de Marianna (?)
(Minas); idem da S?rra do Fonseca, fron-
tobas a Caltas Alias (Minas); id^m ter-
roso, da vizinbanca de Sabara (Minas) ;
idem, perto de Bomfim (Minas).
N. B. Em Goyaz e om Mallo Grosso
temse encotrad) ves'igios de linhito,
mas como nao trazem indicaco alguma as
raras amostras que delle exislem, preferi-
mos nao fazer mais do qu9 esta simples
menco.
Cotisiderages geognoslicas.
Pelo quadro que acabamos de ver fica
demonstrado, cuidamos nos, serem as
provincias do Rio Grande do Sul, de Santa
enharina e da Babia as que mais vastos
tnesouros offerecem extraeco das ma-
terias combusliveis. Entretanto poderemos
peremptoriamente dizer que assim seja
sem que melbor se conhecam as provin-
cias de Mallo Grosso, de Goyaz, do Pa-
ran, do Espirito Santo e as outras mesmas
to mal esploradas como anda se achara ?
Certo que nao.
E po s oeste particular ah temos
imperfeito o presente trabalbo, nao
.gora comrr para o dtante, medida que
as exploragoes scientifie^s se forem esta-
belecendo pelo invio territorial do interior
do Imperio e de grande parte de seu
littoral. .
Nao nos to pouco permittioo o tora
afbrmalivo no que diz respeito classifi-
caco de nossos combusliveis. As bacas
carbonferas em que se tem encontrado
os carvoes dj Tobaro, do Ararangua,
de S. Jeronymo, da Candiota, etc., achar-
se n'uma rograo que, na opinio dos poucos
naturalistas que vislaram estes lugares,
pertence toda ella poca terciara. E se
assim como ha vemos de admittir que o
verdadeiro carvo de pedra (como se at-
bem
tanto
firma actualmente ser o nosso carvJo do
Sul), materia lo unida s regiOes pro-
fundas ou antigs em que j..zem os ter-
renos de transic), tiesse apparecer agora
subordinado a urna formicao to pouco
remota ?
Fra admittir nada menos que um grande
anachronismo geolgico ou enlo urna
ordena de phenomenos sem analoga algu-
ma com as bases em qu* se fundam as
theorias vigentes.
Na verdade, se por um momento admit
liemos que na consUtuico g.iognostica do
vallo carbonfero do Sul do Impurio existe
a serie completa dos terrenos que se su-
p*3rpo3m ou se snecedem como na Eu-
ropa, dos das carnadas superiores do-ter-
reno de transico, isto des do calcreo
carbonfero, que a base da forraaco do
carvo de pedra, at as carnadas do terreno
terciario, a que, como ja dissemos, de-
clara-se pertencer o dito valle, nesse caso,
fra-nos preciso supp r all o hiato de
urna espessura de crea de 1:500 metros
da crosta terrestre, que tal a somtna dos
terrenos ou das formagoes intermediarias
de urna outra idade geognoslica.
ggMas porque nao havemos de suppr
tambem um quiproi/u dos estudos que
se tm feito da poca daquel es terrenos ?
Taes sao as conjecturas em que nos per-
manece o espirito na ausencia de dados
positivos sobr-i este assumpu.
Como excepgo ordem natural da
formado carbonfera da Europa, temos
na Virginia, cerca do 20 k lometros a O'
de Richmont, urna bacia carbonfera so-
breposta immdatamente ao granito e co-
berla por urna carnada de drifioa alluviu
anliga ; este carvo. de formaco lo diffe-
renie da dos carvoes europeus, na
opiio do sabio professor Lyell, qm o
examinou na propria jazida. igual, seno
superior, aos productos majs ricos das
minas de Newcatle.
E' bem pssivel que alguma anomal
desta ordem se tenha dado na consti-
tuico dos combustveis de Santa Catha-
rina e do Rio Grande do Sul.
A composico chiraica do carvo de S.
Jeronymo, que 6 um dos mebores repre-
sentantes destes combusliveis, a segoirrte.
conforme a analyse feita pelo professor
Percy, lente da escola de minas Je
Londres :
Carbone............ 80.21
Hydrogeneo........". 5,47
Oxigeneo e nitrogeneo. 14,32
Se compararmos este algarismo cora os
que fixmos para a composico chiraica de
cada um dos combusliveis que domos para
termo de corapiraco, veremos que o car
vo de S. Jeronymo nao pode deixar de ser
elassifieado entre o carvo graxes e o cir-
vo magro de longa cbarama : classifica-
Co vanlajosissima para o nosso corabusti-
vel, e que, melbor do que poderiamos di-
zel-o, nos demonstra cabalmente o valor
deste importante producto brasileiro.
Sao estas as consideraces que nos oc-
correm sobre esta materia que, j pela im-
portancia scientifica, j sobretodo pelo seu
valor na economa do piiz, consiue-se a
nossos olhos a mais im ortante questo do
que se devam oceaoar a industria e o com-
mercio deste imperio.
Ao governo compete mandar exp orar as
bacias carbonferas do pala, afim de que.
por meio das sondagens e d-< outros traba-
mos peculiares esta ospecialidade, tor-
nem-se onhecidas nao s a possanca de
cada deposito, seno tamben* a qualidade
das carnadas combusliveis inferiores, ordi-
nariamente mais estimadas no commercio
do quo as que se achara flor da trra.
Emquanto se nao executarem- estes tra-
balhos, continuaremos a permanecer na in-
certeza de que se resentem estas rpidas
consideraeoes.
Rio de Janeiro, 29 de Janeiro de 1870.
Ladislao Nelto.
A
fal eraos do modo como se portaram com
Leonardo, que to bellas canelladas me arru-
moii l era wito na mina Nao lhe quero
q
se me
Mas ahi esl um
e filias deviam urna
foi elle, segundo dizem.
da filha ; a nao ser elle.
de Gerirudes e o parv<
Os operarlos na oclosldade.
(Conlinuaco don. 43.)
Antonio ouvia indignado o discurso de
Grandelieopoldo, que pareca produzr el-
foii'i no auditorio.
O mestre sondador proseguio :
Outra cousa, camarada Van-Best e
sua filha, encerrando-se em casa no da do
arraial. esto-nos faz ndo de caso pensado
mna pirraba I Nos annos passados nao tai-
ivam ao arraial, enlravam era todas as
tu racas e ou jogavam a sua partida ou
Gomuravim alguma cousa aos fetrantes :
,-s.m.11 >o lornavam populares. Este anno,
linrin. esto desconfiados e nao appare-
1*6 ni
Acautela a lingua, Bebe-Tudo 1
interfornpea de repente Nicolao, a quom as
diatriba do mestre sondador comeijavara
impaientar.So o directore sua formosa
lha apparecessem na feira, diras que vi-
nhara aqu provocar-nos ; portanto cala-te !
As 11 as palavras foram a causa do nosso
#Tial Tn s solteiro, e por isso estaste
indo. Se tivesses mulher e qoatro fiihos
com" en tenho a cstalarera de fome..
Ouant ao Sr. Van-Best e sua filha, ignoro
*. aa o#oo ao o augmento de salano, mas o
ei ^ue em varias cnses tem sido
.. para comunico, e por isso nao gsto
("d ou ir dizer mal d'elles.
_ B-ms para cmnosco 1-repet.o| Gran-
de-Le.,,oido desdeohosamente.7Falla por
? t.e outros que fazem de ces de
. egac, unto d'elles, mas c nos octros,
cge fazemos respeitar e somos, inde-
pendentes... A proposito da sua bondade
baixo na mina
mal por isso, bem ao contrario, e,
encontrar cora elle, havemos
nossa pinga juntos
pimpo a qu m pai
boa recompensa :'
que salvou a vida
aquella estouvada
de Antonio Robin nunca mais voltanam (la
mina... Muito bem : e como foi quen
director e a filha se portaram com elle
Ao principio iam as. ousasjpem, verdade:
installaram Leonardo em sua casa, e diz-se
que o tratavam a doces, vinho e golodice
que e a um nunca acabar I Isto, porm,
eram anda apparencias pira nos illudirem
a nos. Quando, passados tres dias, viram
que nao voltavamos mina nem s offlei-
oas, cansaram-se de todas essas momices v
pozeram Leonard na ra. Ao sabir d'ab
levava urna cara de desterrado e um sujeito
idoso que o acompanhava araparava-o para
nao canir... E que ser feito do nosso
collega Leonardo ? Foi talvez morrer
mmgua, por quanto at agora nao houve
noticia d'elle ... Ora elogien l a bon
dade dos ricos Todos elle* Ibes falta
alma e coracSo fistes expulsaram de
casa o nosso pobre camarada antes d elle
se acbar restabelecido I
Mentes descaradamente I gritn fu
riosa urna voz. Foi Leonardo que qnlz
partir. Eu sei isso bem, porque m'o disse
elle proprio.
E Antonio Robin.com a cara affogueaaa,
Prnssla e a praaea
Comparaco administra!ka e financeira.
O reino da Prussia nao tem tido outros
soberanos seno os principes da ar.tiga e
Ilustre casa Hohenzoilern, A economa se-
vera que quasi constantemente presidio i
administrar) das suas rendas fez cora que
elles pudessem adquirir, no seclo XV, d
imperador Sigismundo da Hungra, pel<>
preco de quatro cinto mil florn*. o mr-
graviato de Brandebourgo, com a dignidade
de eleiljr. A investidura- fez se- em 1I7,
na dieta de C-mstanfa.
Aogmentaram estes principes os seus es-
tados mais por habis negoriacOes que pela
fon; 1 das armas; accroscentaram-lhe espe-
cialmente o ducado da Prussia, que depen-
da enlo da Polonia, e no Rheno, os duca-
dos de Berg, di Cleves e de Juliers. Um
dalles foi reconhecido rei por Leopoldo, im-
perador da Allemanha. coroado em Berlim
e sagrado em Kcenigsberg, em 1701, com
Pilme de Frederico I.
Seu herdeiro Frederico Gulherme, nao
teve outra preoccBpacjo durante um reina-
do de 27 annoJ, seno a de organisar um
exercilo formidavel, de que nenhum uso
fez, e de augmentar os seus recursos finan-
ceiros. Deixou em 1740 o grande Frede-
rico, seu filho, um thesouro de 80 milhSes,
que contribuio poderosamenle para os suc-
cessos deste as longas e terriveis geras
que teve de sustentar. Por isso, os seus
successores, no meio de todas as vicissitu-
des por que a Prussia tem passado, tiveram
como regra invaravel conservar ao estado
urna reserva metallica, formada para satis-
fazer s necessidades imprevistas urgen-
tes, mas na readade exclusivamente desti-
nada s eventualidades da guerra. A somrna
dessa reserva s conhecida do governo e
de urna commisso das dras cmaras, a
quem o ministro da fazenda presta contas
annualmente em sesso secreta.
As victorias e a profunda poltica de Fre-
derico Magno duplicaram o territorio e a
opilaco da Prussia. Os tratidos de
1815 e algumas aequisiebes posteriores,
entr outras a dos dous principados de
Hohenzodern pertencenles ao ramo mais
moco, completaram as possesses que esta
potencia tioha em 1855. A sua populacho
era ento de 19.303.000 habitantes, e o seu
territorio de 28.268.000 bectares.
Investidos de um poder sem contrapeso
era limites, os res da Prussia continuaran)
a exereer, al 18'8, o absola'.ismo roibtar
iiislituindo por seus antecessores. Se, ce-
denlo a presso de ideas novas que fazram
na Allemanha rpidos progressos,. parece-
rana resignados em f823, a decretar dietas
provnciaes, retardaraw sempre a convoca1
fo dallas. Posto que livres da vigilancia
legislativa, applicaram aos serviros-pblicos
o habito que haviam contranido da encer-
rar as despezas pessoaes-nos mais estreitos
limites. Imvdel es levava>a economa to Ion-
ge, que urna deputaco de-fabricantes e com-
merciantes dfe Berlim foi pedir-lhe qae nao
desse, deixando assim sera emprego a mor
parte de suas rendas, umexfimplo que era
seguido risea pelos fidaljos e homens ri
eos de todas as classes, e donde resnltava
urna dimmuico consileravel n3 activiade
industrial e comraercial. Os ornamentos
andavam quasi sempre equilibrados ; o de
W47, que preeedeu primeira reunio das
cmaras, apresentou at um saldo de re*-
ceila de 4.G18-.958 thalers, que servio para
cobrir em parte os dficits do orcameutoe
posbriores.
Os tumultos qne se levantaran em Ber-
l'e em muitas provincias, em coosequen-
cm-da revolucofraneeza de 1*48, deter-
minaran!, a pos tynga resistencia, o rei Gui-
Inerme a promulgar orna constiteieao^ que
o parlamento eawndou e q>e se tdrnou
effectiva a 31 de Janeiro de I80O.
II
Eis as bases-principaes daste eonsti-
toieo:
O rei inviolavel e noma c-nwistros
commanda os exercitos, declara a guerra,
celebra os tratado de paz e d commer-
cio, com a coodco de submetUr a ratifi-
caco das cmaras aquelles em que se em-
penhar a faz9nda do estado. G0o*oca e
proroga as cmaras; pode disselver a dos
depotados, com a obriga?o de reunir outra
no praz) de tres meaos. O rei actual usou
tres vezes dest* prerogativa. Persistindo
os eleitores em lhe mandar urna maioria
hostil ao governo, cootinuou elle a cobrar
os impostos e idispor do seu producto por
aotoridade propria; os contribuintesnenhu-
ma resistencia opfHaeram, e um WW de in-
demnidade foi volado em 18*7"pela cmara
eleita depois da victona de Sadova.
O rei governa com om coaselho de mi-
nistros presidido pelo ministro do estado.
()s ministerios sao nove, mas rednzidos a
sete por estarem as mesmaa-raaos, de um
lado, o ministerio de estado e o de estran-
geiros, e de otro lado, o da- guerra e da.
marinha. Os inleresses da agricultura, que
na Pruasia tem excepcional importancia*
oceupara exclusivamente um dos ministros
e um conselbo encarregadu de decidir am
ultina instancia as questoes- ruraes.
Quasi todos os ministros tm sub-secre-
tanos de estado. Tem tambem conselftos
appareceu sbitamente janella.
Todos os olhos se dirigiram para elle.
O mestre sondador, ao ve-lo, encolheu os
hombros.
Cantas de alto, meu pequeo,disse
elle com desprese mas nao te atreveras
talvez, so estivesses aqu mais perto f
Por isso nao sej a duvida Igritn
Antonio.Abi von I
E, sobrado ao parapeito da janeua, sai-
toa na sala baixa.
Gr rade-Leopoido, vendo-o approximar,
perfilon-se atrevidamente e disse-lhe :
Ola Quem s ? Nao te temo nem
a muitos como tu !... Parece que andas
espreitando s portas o que se diz 1
Nao eslava porta, mas siin janel-
la r dargoio Antonio, confuso com a coarc-
Uda. Achava-me alia ver os objectos
dourados de um feirante, quando, sem que-
rer, ouvi as calumnias que dirigas ao w.
Van-Rest e a sua filha, e por isso nao pude
deixar do declarar-te. quedisseste Untas
mentiras como palavras I
Tu queres provooar-me, Antonio, mas
os amigos bem abem que eu com um mur
ro te poda fazer em bocados e quanto
basta!.. Quanto aos Van-Bests, todos
sabem o motivo por rae os defendes: en-
chem te de davidas e aos leus; todos os
das d'al vai alguma cousa para tua casa.
As.Mm formas causa i parte, e. em quanto
nos gomamos com fome, vives tu na abun-
dancia I .
Ahi esl outra mentira I disse An-
tonio com tristeza.Depois que se suspen-
deram os servicos. anda a tilba do director
nao |K)z os ps em n ssa casa.
Ah 1 nao os vs ha qumze das ? Mu
vaa a pena ento seres escravo d'aquelia
gente I T-lvez para o futuro teohas mais
diguidade... Eu c por mim ooiude-
pendente e nao me vou rojar aos ps dos
_1 is*5o se trata aqoi de dignidade avil-
tada, o que verdade que a filha do
director est doente desde o aeontecimen o
da mina e visitada todos os das pelo
medio. 0 pai no lhe deixa a cabeceira.
0 pobre homem est to pesaroso eafili-
lo pela sua ruina !.. Olha, Leopoldo, tp
devias corar por assim fallares do leo anti-
Ko patto I Eu perguoto a mira mesmo
como tens a audacia de pronunciares o no-
me de Amelia, de Leonardo e o meo I
e porque nao navia de pronunca-
los ? -disse elle arrogantemente.
Porque, se anda estamos vivos,
formados de directores dos prinripaes ra-
mos de cada repartirlo.
As autoridades superiores que comple-
tan! a administrado central sao:
0 conseibo de estado.
0 tribunal dos conflictos.
O tribunal superior de contas.
O conselho de estado, instituido por le
de 1817,compoe-se :
Dos principes de sangue maiores.
Dos ministros.
Dos primaros presidentes do tribuna!
superior, o do tribunal de contas'
Dos primoiros presidentes dos tribunaes
de appellaco das provincias, quando esto
em Berlim.
Do feld-marechal genera!, e dos generaes
que coramandam na provincia da Prus
sia.
E de 10 consentiros nomeados pelo
rei.
O tribunal dos conflictos, que julga as
qucsloes de competencia entre as autorida-
des administrativas e jndiciarias, compoe-se
de dez membros nomeados pelo rei.
O tribunal de contas tem um prineiro
presidente, dous directores, om memoro
de conselhefros ntimos em relaco com as
necessidades do servifo, e om pessoal in-
ferior, cuja noraeaco deixada ao primeiio
presidente.
O tribunal de contas tema sea sede m
Portdana. Nao dependa de nenbom minis-
tro e correspndase directamenle com o
re, por intermedio do sen primeiro pre-
sidente. Estende-se a sua jurisd#o nao
s a loaos os depositarios, e distribuidores
dos dinbeiros do esftdo, como tambem as
adminisracoes p: ovisciaes, no que concerne
a fazenda.
Deve esta cmara verificar a entrada de
todas as sommas devidas ao estado, e aos
estabelecrmentus que dependwn delle,
bem ;omo- a regularidacle de todos os-pa-
gamentos.
Para facilitar a sua vigilancia e assegnrar-
Ihe efficacia, o primeiro presidente tem o
dreilo de delegar consebeiros junto aos
colectores dn fazenda, aflm de se Ihes ve-
rificar o estado da caixa- e dos litros; e,
sendo preciso, exigir promota justificaeo
da reeeita e despeza.
Os orcamentos realizadosuo podem-ser
apresentados as-camaras que os tenv de re-
goiariaar, semas observaejis do tribunal
de conlas a respeio do de- cada ramo do
servico.
O tribunal obligado a apealar ao rei1
todos o abusos-que descubrir as adfltti-
ntrac*s financeiras, e as refomas deque-
essae- adwinistrafoes carecerem;
JOnto ao rei e seas principis agentes
poz a- coiBtituico a duas cameras doe-se-
nhores- e dos depotados, entre a qnaes se
divide-e poder legislativo e a inici3tiva-das
leis.
Oompbon-se as cmaras dbsstnhores:
l. Dos principe* de satfit maiores,
aatoraados a isso por decise especial do
rei.
2.1> Be membros Herecdikmosv a saber-.
O ehefies das easas Hohenllern-H6-
ckingen. e HohenzoHem S gmaringen.
Os ehelfes das quarloze faoMlia enfeuda-
das (mtdiatizees) recoeabecdas- pefc> tratado
de Vienna.
D.qMrenta e nove principes, condes e
seohores, a quem rei conferio privilegio
t!e hereditariedade.
3.- Re membros vitalicios, q*ei sao:
O* titulares dos quatros grandes cargos
t!a provincia da Prnseia.
Quarenta e cinto- membros- escolbidos
pelo rei;
Outros qoarentae cinco membros esco-
lbidos pelorei em liwas de candidatosapre-
sentrdas- pelas tre* fndai;oes>que em 1847
foram admklidas z- aaer parte da curia
dos senbores, sendo, m candidato por cada
urna.
Peine- oito collegioe -de condes possesso-
res dos- bens equestres u por col-
Peloa- collegios dos propootanos astabe-
lacid. de longa dala em sau&bens, um por
collegjo.
Pela* ss universidades,, om por univer-
sidad.
Pelas trinta e qwU-o cidftdes a quem o rei
concadeo esse direito.
Os- membros dacamara dos senbores de-
ven ter trinta anw>s pelo- menos. Tomank
parla como os depuUidus, na organisacao
das- leis, mas nao podom rejeitap o orc^
meato seno era sua totalidade.
(Sbntinuar se-ha.)
no
exclamou Grande-Leopoldo, fazondo-se pal-
fidoAccusar-me de orna covardia. a mim
um homem honrado, verdadeiro orno o
ouro !
Nao poders negar que, no momento
de entrarmos no taJuo da Virgem. Negra,
ouvi mus destindamente dous^olpes de ma-
chado contra os eramadelramentos e logo
se segujo o desabamenlo que nos ia ma-
tando a t dos.
E verdade acudi o me^rao car-
pinteiro que n'ootra occasio tivera sua
disputa com Grande Leopoldoque r*esse
dia me tirou elle a minha machada e nao
m'a loroou o restituir.
Eu j os vou arranjar a ambos! -
grtou o mestre sondador, espumando de
raiva
Mas agora reconheceu elle, pelo aspecto
que apreseutavam os circumstantes, a na-
cessidade de se justificar um pouco.
Apello para todos os bomens de bem
que me ouvem proseguio Grande-Leo-
poldo cora ar de virlude offendida.Have-
ria no mundo um louco que se atravesse a
acommetter com om machado emraadeira-
mentos moio apodrecidos e prximo a desa-
barem ? Era apostar mil contra um que
quem assim se atrevesse seria victima A
maior parte dos que aqu esto viram o
desmornamelo de que se trata. Ora,di-
gam-me conscienciosamente se haveria nm
enristo capaz de fazer tal sem ali deixar a
vida !
Os atsUtentes reconbeceram unnime-
mente que as asserebes de Grande-Leopoldo
eram rasoaveis.
Oaviram o estalar das vigas pro
seguio o mestre sondador, animado com a
manifestarlo favoravel do auditorioe est
I dito tudo : quanto basta para os mal in
llencionados... Pelo que respeita ama-
chada de Paschoal, no me record de lhe
ter mechido e estoo certo de que ha de
apparecer ; mas no caso contrario, dar-
Ihe-bei outra. No admiti que me aecu-
de
sem de ter desviado as ferramentas de um
camarada e desejava saber* se ba ahi al-
'TfSiSS'tV* m* kWi ? P" 9" **? M"inha r***
Ss resta davida a algu-m, que falle franca-
mente.
Talvez aiguns tivessem effectvamente
su^s duvidas, mas ni"guem seatraveu a
manifestarlas. S Antonio disse :
Isso nada prova,. at muito possi-
vel....
Graoda-Leopoldo no- o deixou terminar
a phrase, interrompendo :
Tu vaes-me pagar j a tua maldado e
GStrOidGZ !
E, antes que AntoDo se podesse p> em
deeza. precipitou-se sobre elle e bateo-lho
a murros fechados com inaudita violencia.
Antonio, ao principio confuso, tratava
agora le corresponder aos murros recebidos
o bradava :
Ah tratante, fazos bem em ser fan-
farro Leonardo tozoo-te bem e eu hei
d aquecer-te igualmente-!
Infelizmente, Antonio nao tinha o vigor
nem o deseroharaco de-Leonardo, e, apezar
do see animo, no poda aspirar a vancer
aquelle culosso : por isso, um minnto de-
pois, esta*! derrotado por seu adversario.
No obstante, n3o se considerava anda
veoeido e ia ergaer-so para voltar carga,
quando orna circumstancia imprevisla veio
mudar a sitaaC;3o.
No momento de ir ao chao, cahira lhe
de dentro da blusa urna garrafa de vmh.
lacrada e um papel contendo urna peca de
caca assada. A garrafa rebenton, o vinho
derramou-se pelo chao e a peca de carne
amolgrase de forma que pareca no po-
der comer-se.
Antonio no dra por tal, mas Grande-
Leopoldo, que sabia lirar partido de ludo,
exclamou com ar ridiculo :
Ola, camaradas, veem como Antonio
Robin e soa familia se preparavam para fes-
tejaren! o Kermesses ? Em quanto nos
no temos om boceado de po secco nem
um goie de cerveja para refrescar a bowa,
regalam-se em casa d'elle com gallinhas e
b m vinho de Franca !... Anda dovidam
de que elle seja espio de Van-Best ? Pois
agora raesmo affirmava *lle que interrom-
pera as suas relaces com o director!
Miserias da humanidada t- O simples
faci de se descobrivem aquelles alimentos
frazidos pelo mineiro affastoa d'el c n'este
Boomento de geral pobreza todas. a sym-
patnias de que gwsava. Todos aquelles
restos se torvaraa ; corrt um sussurro
pela assembla.
Antonio, advertido do successo por ma-
lvolas assercSes de Grande-Leopoldo, vol-
lou-se, e- ao ver a garrafa partida e a car-
ne esmagada, exclamou desesperado :
Yinh de comprr isto para minba
pobra mi enferma I ^. O que ba de ella
agora iantar ?
Compraste ? exclamou o mestre
sondador.Enlo tens dinheiro, tu ? J
veem : elle ainda lem dinheiro I
E que tens rom isso, velhaco ^re-
plicou Antonio eofnrecido.
E. di igindo-s ao adversario, agarrar-
se-hia a elle, so os camaradas se nao met-
tessem da perstfio.
- Bastn disse Nicolao intimativa-
mente.Tu nao tens forca e ficarias mal...
Alm d'isso, nao tens razio : no se aecu-
sa assim qualquer sem provas. Vl-te
embora, qlie melbor
Sim, sim acud o Topfer. Estou
certo do que nao sao ms as toas inlencbes,
mas nao se d assim lingua.
Debalde Antonio, exasperado, qoiz faier
seus protestos: pronum ira-se contra ello
a opinio geral. Gritos confusos lhe aba-
favam a voz, c ura magote de operarios,
entre os qo-es se acha-a Topfer e Nicolao,
o impellio para a porta.
Convencido afloal da impossibihdade de
ser attendido por aquella geBte de opinio
anticipada, decidi reticar-se. Nem mesmo
tiatou de reclamar os restos da peca de
carne, que algons esfumados poneos es-
crupulosos disputavam vidamente, e sahio
da casa, cuja porta
estrepitosamente.
se fechou atraz d'elle
(Continuarse-ka.)
TVP. 1H> UIARIO^Rt A lUS 1RFIB81, .


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVC3T5HYG_5T0FNS INGEST_TIME 2013-09-13T21:53:00Z PACKAGE AA00011611_12050
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES