Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12048


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO UVI. NUMERO 42.

I
PARA A CAPITAL E LfiAHES ONDE IAO SE PAGAHfyBTE.
Por tres mezcs adiantados ........
l'or seis ditos kkrn.......[
Por um anno idem........'.'.'. .
ada mumero avulso....
6,5000
320
DIARIO D
TERQA FEIRA 22 DE FEVEREtRO DE 1870.
PARA DENTHO E FOBA DA PBOVIHCIA.
Por tres motes adiantadbs ............ 64750
Por seis ditos idem....... ........... 134500
Por nove ditos idem.................. 204280
Por um anno idem ... ....... 74000
AMBUCO

Propriedade de Manoel Figoieira de Faria & Flhos.
SAO AGEMVES:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves Fiibos, no Para ; Goncalves & Pinto, no Maranhao ; Joaquim Josi'de Oliveira, no C?ar ; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty Joao Mara Julio Chaves, no Ass ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
ianguape; Antonio Alexandrino de Lima, m Parahyba ; Antonio Jos t ines, na lilla da Penha ; Belarmino dos Santos Bulco, em Santo Anta* Domingos Jos da Costa Braga,
e Jos Bibeiro Gasparinho no Bio de Janeiro.
em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Maiiins Alves, n
EXTERIOR.
Correspondencia do Diario de
Peruautbiico.
ASSI \IPC\0, 30 DE JVNKIRO DE 1870.
Como anrronriei no final do minha ultima cor-
respondencia, S. A. o Sr. conde d'Eu chegou
villa do Rosario nn lia 13 do corrente. No da 16
para all parti o Sr. conselheiro Paranhos, c re-
gressou a 19, indo do novo ao acampamento de S.
A. no dia 21, e rollando para esta ci lado a 23.
O commandante em efaefa de aossas foroas lo?o
que chegu ao Rosario (ratn de organisar a reti-
rada dos voluntarios da patria e guardas nacionaes
que |eem de seguir para o Brasil. Consta-me que
nos primeiros di.is de fevereiro seguir urna bri-
gada los nossos bravos voluntarios ao mando do
coronel Faria Rocha. Esta brigada ^ compon
dos batalhdft 17 (de Minas), iO" (da Bahia) e 53*
(de Pernambuco), que seguem nos iransportes Pre-
sidente, Galgo e S. Jote. Daus conceda a esses va-
lentes prospera, viagem al o torran nai.il, onde
irao descansar I.; suas irloriosas f.idigas no seio da
familia. A patria agradecida aminora com os bra
oos abortos esses seus dignos fiibos, que provaram
ato mundo que o Brasil, pacifico por ndole e eos-
turnes, nao se deixa insultar impunemente.
Contina se a lomar providencial para o suc-
cessivo regresso ao imperio das forcas que sao hoje
aqui inuteis. Consta me que a cavallaria da
guarda nacional do Rio-Grande do Sul ir por tr-
ra para esta provincia. Assim, pois, conieca a tao
desejada retirada do forjas, que vai diminuir sen-
sivelmente os encargos qne pejam sobre o novo
brasileiro, em consequeneia desta prolongada
guerra.
O inlaligavel general Camra, depois de destro-
car completamente o coronel Genes, para o que
fez um eaminho (de ida e volta) de perto de.cem
leguas, chegou Concepcin no dia 23 do corren-
te. All prepara esto gen -ral novos elementos de
mobilidade para seguir na sna gloriosa carreira,
que deve dar cabo de Lpez. D'aqui partiram, ha
tres dia?, mais de SOOcavalh s para a Concepcin,
c activa-se a remessa de oulros, de muas e de
vivires, tanto para aquello ponto coojo para o Ro-
sario.
E' hoje positivo que Lpez, logo que o general
Cmara se apoderou da trincheira do Rio-Verde,
abandonou precipitadamente o Panadero, deixando
alli ficar as mulhores e enancas menores de.8 an-
nos e os hospitaes cheios de enfermos abandona-
dos completamente Em sua fuga apressada para
o norte leva o lyranno poneos homens e apenas
aigumas carreras cora sua bagagem e dinheiro, e
j comecou a carnear os bois destas, que eram
substituidos pe'os soldados. Ao passar o no Agua-
rahy, mandou Lpez Janear a agua as quatro pe
cas que guarneciam este ponto. Parece evidente
que elle segu era direccio ao Apa; mas espero
em Deus que, apezar das grandes difllculdades
com que lula, consiga o general Cmara alcanca-lo
antes quo onse ello pisar torritorio+fwleiro '
Das forcas de Curuguaty destacouse urna par-
tid i de paraguayos, commandada pelo major da
mesma nacionalidade, lVrez, para ir oceupar o
'anadera, qne talvez se torne o extremo oriental
da Dase futura de oecupaco. dispensando se a Ion
ga I tan a do Rosario a Curuguaty.
Nao cessa a desercao das lucirs do Lpez. Os
novos passados sao'todos concordes em noticiar
mais urna horrenda prova do canibalismo do ly-
ranno : asseguram q_uo a mi do Lpez, bem como
-eu hlho Venancio, sao diariamente arrutados.. O
motivo deste acto de inaudita barbaridade se
gundo diem, teren-se encontrad i em um bah
daquella senhora papis que pertenceram a Be-
nigno Lpez e de que sna mai nao dera conheei-
mento ao ex-dictador. Custa crer em semelhanles
crueldades e attentados contra ludo o que lia mais
sagrado; mas do Lpez lulo se pode esperar.
Na minha carta de lo do corrente annunciei a
prxima retirada do general Polydoro da Foneca
Quintanilha Jordo. Com elfeito'parlio elle d'aqui
no dia 22. a bordo.do transporte Atice, com destino
ao Rio do Janeiro, tocando em Buenns-Ayres e
Montevideo. O general Salustiano, que tao bons
-< rveos tem prestado no commando da guarnicao
de Assumpco, leon snbstituindo interinamente
i general Polydoro nc das forcas ao sul do Man-
duvir.
O general argentino Vedia, tendo recebido nm
oloroso golpe pela desastrosa morte de um filho,
retirou-se para Buenos-Ayres, e foi substituido ta-
urinamente no commando das forcas argentinas no
Paraguay pelo general Gellv v Obs.que anu che-
g u ha das.
MONTEVIDEO, 7 DE JANEIRO DE 1870.
O fado mais saliente da qainzsna a viagera
f omposa que est fazendo o Ilustre chefe da con
I dora cao argentina por aigumas provincias. As-
sira cono na Europa as visitas dos soberanos e do<
rrincipes dispertan) a enriosidade publica, e do
)ugar largos commentarios, assim tambora os
iassos daquelle siio aqui presentemente o alvo
de todas as vistas e ai cogitares de todos os po
tilicos.
Cada um procura adevinliar o pensamento do
presidente, nao podejdo crer que ''lie se movesse
com tanto apparato w-por mera ostenta cao, e an-
da ninguem conjecturbs ao certo.
Ha um indicio que pode ter grande significaeao,
que talvez seja a revelaeao da idea intima daqn'elle
riiefe; mas que tambem pode nao passar de urna
banalidade.
E'a visita a IVquiza, que, para corresponder
boom que recebe de dar hospedagem ao primeiro
magistrado da nacao, nao poupou esforgos para
fazer-lhe urna recepcao regia. O senhor feudal
ci Entre-Ros naturalmente estar iisongeado com
esta distinecao, e ser amavel quanto possivcl. Na
i pansao da amizade, ellos trataro de negocios
srkn de sua patria, e nesle ponto se fixam todas
as apprehensoes, sendo para receiar, tanto a har-
rr.onia, como o desaceordo.
Eu me explico. Sarmiento nm dos homens
mais respeitaveis do partido liberal argentino, e s
t'.m Mitre qne Ihe faz sombra nesse partido.
Unidos, poderiam alternativamente assumir ogo-
verao e realisar o programrna de sua bandeira.
lefelizmente separaram-se, e dividiram ura grande
partido e dous grupos, ainda assim importantes,
ru auxiliam os seus directores.
Na eloicao que se acaba de lindar venceu ogru-
(.0 do segundo. Esta viclorio, por ora, nao pe-
rigosa, porque nao exerce influencia na organisa-
c.io da Cmara, qne tem de eleger o futuro soc-
>r de Sarmiento ; mas ella denota o estado da
npinio publica e aconselha a adopeo de medidas
preventivas que neutra)i;em os estreos e os tra-
rathos prseverantes dos adversarios da situaban.
O governo verilicou que o apoio cora que conta
- insufflcienle para sustentar sens correligionarios
i.o dia em que Ibe faltar o poder, e enlao pensnu,
naturalmente, no? meios de fortitlcar-se. Nao ha
< utro senao .>. altianca com os federae?, coja per-
sonicac^ oais completa Drqniza. Este reco-
nhece qne sen lempo passou, mas aproveita-se ha-
biUente de orna dissidencia, sem a qual sea par-
;.do nao poderia viver, para cobrar aigura alent,
e ter^uraa influencia na marcha dos negocios
pnbli
Tal allianca ama monstruasidade, e parece
impossivel que se reallse ; a polica, porm, tem
severas exigencias, e oeste paiz ainda alo se pode
prescindir totalmente dos caudilhos. Mitre com
elles transigi, e Sarmiento segu o esmo sys-
tem*.
D. Adolpho Alsina, mesmo, que hoje esl no go-
verno interinamente, apezar de seu puritanismo, c
Je razoes que observara toda a aproximacao ao
chefe do Enlre-Rios, nao duvidou alliai -se com
elle na ultima eleieao, como os loitores devem re-
eordar-se.
E' para deplorar, entretanto, esta clreum=lancia
qne atrasa constderavelraento o prugxesso da paiz,
o a ednsolidacSo da nacao.
Urqatxa tem provado que nao serve .simples-
mente de instrumento e ainda ninguem conseguio
domtaa-lo.
Nao ?6 o chefe da confeJfraca > que o li;on-
geia por esta forma. Tambem o governo orien-
tal procura as suas boas gracas com um empenho
que elle realfa com o brillio da recepcao que fez
ao seu representante, o ministro do governo, D.
Candido Buslamante.
A Tribuna descreve esta visita como um acn-
tecimento poltico de importante transcedencia, e
a estretem, cada vez mais, os vnculos de harmona
e de boa rislnhanca, que felizmente exslcm antre
a provincia de Entre-Rios e oEstado Oriental.
O ministro Bustamantc fez-se acoinpanhar por
urna brilhante comitiva de generaes, coronis e
outros parsnnagens distinclos, e foi recebido no
territorio entre riano pelo ministro do goberna-
dor da provincia e nutras pes?oas notaveis. Des-
de o ponto de desembarque at o palacio de 8. Jo-
s, o Sr. Buslamante foi alvo de constantes obse-
quios, e nesta opulenta residencia Ihe olTere^cu o
general Urquza um esplendido banquete que ter-
minou por ura bello baile noite.
. J so v que estes republicanos tratam-se regia-
mente So a mesa do presidente Sarmiento a
bordo dj vapor cm que embarcou custa va 500 pe-
sos por dia.
Deus queira que todos esses obsequios sejam
sinceros, e que os estadistas do Rio da Prata che-
guein a um accordo para evitar a luta civil.
E' verdade que Entre-Rios se tem convertido
em ma Suissa da America, e que recebe indis
[aclmente os emigrados polticos de todas as co-
ros, aos quaes Urquza protege cora liberalidade.
Nao menos, certo, porm, que ahi se planejam
c se auxiliam todos os movimentos revolucinarlos,
sem correctivo algum, oque un amoaga per-
manente para um estado que .adiase apenas se-
parado deste foco por um estreito rio. Affirraa-
se que rqqiza prometteu prohibir estas travessu-
rs, e que Buslamante Ihe paga amnistiando al-
gn 3 blancos.
Emquanto Sarmiento passeia, Alsina procura
praticar algom acto quo Ihe atraa a popularida-
de. O servifo das fronteiras era feito pela guar-
da nacional com repugnancia. Elle acaba de es-
tabelecer que d^ora em diante seja feito exclusiva-
mente pela forc de finba, e para isso mandou
completar os corpos do exercito, que contam hoje
7,000 homens, cora mais 2560 recrutas, distribui-
das pelas diversa provincias em proporcao, to-
cando de Iuono3-Ayrcs, que a mais populosa
um contingente de 300 pracas, e s oulras de 100
Esta medida regnlarisar um servico vital, que
era feito com malta despeza, e improlicuarnente,
dando lugar mobilisafao da guarda nacional a
abusos e violencias inqualificaveis.
O acto de Alsina, portante, niereceu o apoio da
opinio publica, e esl sendo com mentado por seus
admiradores com grandes elogios.
O Dr. D. Manoel Quintana est publicando urna
carta que contera o programrna do partido auto-
nomista, hojo representado pelo club 23 dj Mato
Segundo sua doulrina, a nacao nada tem a perder
com o reconbecimento da autonoma de Buenos-
Ayres. A conslituicao olerecc remedio na facul-
dade concedida de celebracao do tratados inler-
provinciaes, que, em sua opinio, a fonte de
vnculos fraternaes, o so tornar urna prova irro-
fragavel dos benvolos sentmentos de Buenos-Ay-
res para com s.uas irmas.
Tudoisto sao trabalbos preparatorios que se
iniciara para a grande campanlia elcitoral do futu-
ro successor de Sarmiento.
Mitre, collocando-se peisoalmenle frente da
redaceo de um jornal francamente opposicisnista,
deu o signal de alarma, e immediamente todos os
partidos e suas subdivisoes se agitaram. E' cedo
ainda para prever a que solacio chegaremos.
Por ca tambem as caballas fervem, e os candi-
datos heraaca do Batle j formigam. Ha huta-
matUittat que apuiatn o ministro D. Jos Candido
Buslamante ; Varellistas ou Carballtslas que sus-
tentara D. Pedro Varella; Suamtas a D. Goyo
Suarez, ou D. Carlos Reiles ; Rtministasa D. Jo-
s Mara Muoz, ou D. Juan Pedro Ramiros; con-
senadores enrags ao mesmo Mmnoz, ou a D.
Marcellino Mesquita.
Em falta de bandeira pelitiea que se agrupem
cada nm oriental rodeia o homem ou a infla-
encia com quera mais sympathisa, ou a quem mais
teme.
Nesta situacao nao dillieil calcular qual seja o
desfecho.
Acha-se nesta capital o general Caraballo.
E' provavel que procure obter do espirito,
serapre vacilante, do presidente alguma conces-
so, emquanto seu poderoso ministro est au-
sente.
O negocio do molim militar em Paysand, de
quo dei noticia, ainda nao est mui liquido. Va-
rias pessoas foram ao ceraiterio, com o fim de de-
senterrar os corpos de tres soldados fuzilados, pa-
ra verificar se as feridas erara, com effeito, de ba-
la ou arma branca. O coronel Echa^ue, fiscal mi-
litar, que fui alli mandado pelo governo para le-
vantar um summario, Jvoltou a esta capital sem
cumprir essa commisso. Dizera que veio doente
porra, o facto augraentou o mysierio que ja ro-
deia o assumpto.
0 general Henrique Castro, que comrnandou a
divislo do exercito onenlal, no Paraguay, embar-
cou-se no dia21 para Entre-Rios. onde pensa per-
manecer algum tempo, para cuidar de urna estan-
cia que alli possue.
Noaia 26 parti o batalhc 2i de Abril, orga-
nisado com os ltimos soldados que vierara do Pa-
raguay, para substituir em Paysand Salto o !
batalho de cacadores que fazia a guarnifo da-
quellas cidades. Este batalho desembarcou no
dia 29 aqui.
Por decreto de 23 do mez ultimo foi convocada
a assembla gt ral para o dia 15 deste mez, que
o dia designado pela lei para abertura das sessoes
ordinarias do corpo legislativo.
Est a apparecer um novo diario sob o titulo
de Reforma, era lugar do Mercantil del Plata. Se-
r blanco furioso como este.
Fazera aqui e em Buenos-Ayres muito barulhs
por causa de alguns casos de febre amarella que
teera apparecido no Rio de Janeiro, e por isso su-
jeilam-se os passageiros dos vapores a una qua-
rentena de dous das, tncommoda e innecessaria.
Entretanto, nao fallam na devastacao sarda, mais
desenvolvida, que vai fazendo a ctfolera e a cho-
terina em Buenos-Ayres e era Montevideo, como
succede em qua todos os veriies !
Se se pnblicassem nessas duas cidades os res-
pectivos obituarios, se reconheceria immedala-
mente que aqui as capitaes do Prata a mortalida-
de .maor proporcional mente do qne na capital
do imperio. Nao convm, porm a esses senho-
res que se estabelega a soperioridade da saude
publica no Brasil; e, portante, elles vo vendendo
sens naks-ayres sempre como Buenos-Aym.
Remetto-lhe esta pelo Bonifrcio qne acaba de
chegar do Paragnay, donde nica noticia impor-
tanto que traz e a de ficarem a embarcar no dia 2
do wrrente, na villa do Rosario, nos transportes
o non-
i extr-
proP
Galgo'c S. Jos, os corpos de voluntarios da patria
ns. 40 e 33, e em Humayt a bordo do vapor
Cuyab, o 17. Formara urna brigada de 1,300 ho-
mens, ao mando do distincto chefe Faria Rocha,
um dos mais bravos commandantes da guarda na
cional da Bahia, quo permanece no^heatro da
guerra desde o seu comeeo, tomando sempre hon-
rosa pai lejas mais arrisada* operaeOes do e.\i
cito.
Preparem-se, pois, os fluminenses, para re
estes hroes como elles merecem. Agora pru
guir a retirada methodiea de nor-sas forcas desne*
cessarias, e as despezas de estado dirainurao ex-
traordinariamente.
No Bonifacio seguem os coronis paragniyoaj
Genes e Caete, prisioneiros de guerra das for'fj
do general Cmara, alm do outros nao menos
importantes, por serem espas de Lpez. O go-
verno provisorio nao os quiz em Assumpco.
Assnn mesmo este govemo conseguio em quat
mezes e meio arrecadar cma renda de 203,000
patacoes, que destribuio qnasi toda em soccorro
pblicos.
Acaba de chegar da esquadra a corveta a hlice
Beberibe, pue dentro de poucos das partir uara
essa corle.
O transporte Vasfimon conc.luio o fabrico 4s
que careca, e vai at Assumpco. ^
*
INTERIOR.
RIO 13 ^ \MIIK
7 DE FEVEnEtnO DK 1870.
Por decreto n. 4,467 de 29 de Janeiro conce
deu-se a Antonio Lucio de Mcdeiros, privilegio
p >r 1cz anuos para fabricar e vender urna machi-
na de sua iovencao, destinada a fazer cigarros.
8. M. o Imperador acompanhado de seus sema;
narios, chegou ao arsenal de marrana hontem s
II horas da nianhaa e embarcando na galeota im-
perial foi visitar o hospital da Jurujuba e o var. o-
encourafado Cabral, e desembarcou s 3 horas
da tarde no arsenal de guerra.
Reuniramsc honlem, em urna sala da casa m.
13 da ra Direita, 22 alagoanos residentes na cor-
te, a lira de combinarein nos meios de soccorrer os
habitantes do serlao da provincia das Alagoas, on-
de reina ba longo lempo horrivel secca, que tem
j feito muitas victimas.
Resolveram nomear commssoes que agenciara
donativos pelas diversas freguezias desla rte, e
urna commisso especial, incumbida de pedir au-
xilio ao governo imperial.
mais accSe?, por escrutinio secreto e maioria ab-
soluta de votos.
i* i JL8 Primeiro escrutinio nao houver maioria
Ivi'i D'!oce'ler?c-ha segundo entre os can-
iidatos mais votalos. em numero duplo dos que
tiverem de ser eleitos, hfclaado neste escrutinio a
maioria relativa para defjpsSsbs elejlos.
K ."^saso i'b empate, dBci*r a sorte.
Os raembros do conselbo nomearo d'enlre si o
presidente e vicepresidente do banoo.
Os merabros do jonselh > riSo poderao entrar
em exercicio sm llpositar no banco 100 acedes
cada um, as quaes serio inalienaveis at seis me-
zes depois que cessar o exereteio do dilil'cargo.
Ao art. 29. Compete ao conselho :
1." Deliberar sobre as medidas concernentes
substituifao, resgate e amortizacao das notas em
circufafao, na forma da lei n. 1,349 de 12 de se-
tembro de 186G.
2. Namcar
De Valenga escrevera-nos em data de 4 do cor-
rente :
i O major Herculano Furtado de Meniona fa-
zeodeiro e residente na ridade de Valenca, muni-
cipio de igual nome, iiavendo de baptisar dous ne--
tinhos no dia 28 de Janeiro ultimo, convidou a so-
ciedade maisescolhiJa desta cidade para nm baile
com que desejava festejar esse acto de religiao.
Ao finalisar o mesmo baile insisti o dono da
casa com os seus hospedes para que de novo se
reunissem no seguinte dia, afim de celebrar, como
vulgarmente se diz, o enterro dos ossos. De facto,
penhorados pelo benvolo e obsequioso acolhi-
raento de tao amavel quo distincto cavalheiro, em
crecido numero coucorreram lodos ao convite na
vespera recebido.
Divertiam-se, pois, alegres e risonhos, quan-
do, meia noule, na maior exploso de jubilo e
contenta ment, dansando-se urna quadrillia, desa-
ba tao horrorosa quao medonha trovoada, e por
negra falalidade, na sala em que se achavam para
mais de 60 pessoas, penetra, com horrivel estampi-
do, nina fasca elctrica, deixando em seguida o
pavor, a confusao eatirado ao chao o Dr. Hercu-
lano Penna, engenheiro gerente da companhia
Umo Valenciana, em quem verificou-se a feliz
e notavel casualidade de ser queimado em difieren-
tes partes do corpo, de ficarom suas vestes como
quo dilacedas, sera quo o mesmo fosse victima do
lao desastroso accidente.
PareceTjue preservaram-o como soladores,
duas encorpodas camisas de la, com que o mes-
mo se resguardavn, por achar-se adoentado.
t O raio percorreu urna extensa e turtuossfli-
nha, causando em sua passagem curiosos estragos
quo s examinando-se poder-sehia apreciar.
t Ainda sorpresos por tao imprevisto successo,
rendemos gracas ao Creador por haver preservado
tantas vidas preciosas, cuja perda hincara no mata
desolado luto a raaior parte de urna j populosa
cidade.
-9-
Teve lugar honlem a reunio em assembla ge-
ral extraordinaria dos accionistas do Banco do
Brasil, sob a presidencia do Sr. commendador Mi -
lilao Mximo de Souza, servindo de secretarios os
Srs. Dr. Francisco de Assis Vieira Bueno e Anto-
nio Jos dos Sanios. Su s 2 1/2 horas da tarde
pode ser aberta sesso, porque s entao- acha-
rara-se presentes 13i accionistas, numero exigido
pelos estatutos.
O Sr. presidente declarou que a assembla ge-
ral lora convocada afim de deliberar sobre o pro-
jecto de reforma de estatutos, organisado pela ac-
tual directora.
Dispemada a leUura do projecte, por ter j sido
publicado nesta foi ha, foi o mesmo projecto posto
em discusso.
Vieram mesa as seguintes emendas '
Emenda ao art. 9.: em lugar depossuidores
do 100 ou mais acc/ies, diga sede 30 ou mais
accSes.
Ao art. 10/: em lugar depresentes 100 ac-
cionistas, diga se80.
Supprima-se a ultima parte deste artigo, que
dizmas em caso algum este numero ser menor
de 50.
Ao art. 11.: em lugar da sexta parte do capi-
tal social, diga-sea 10.'O accionista, V. J.
Lisboa.
Emendas substilutiv s ao projecto de estatutos
do Banco do Bi-asil.Ao art. 8." Dos lucros l-
quidos do banco, provenientes de operacSes effec-
tivamente concluidas no respectivo semestre, se
deduziro 18 % para novo fundo de reserva, em-
quanto este se n elevar a 50 % do capital effec-
tivo do banco, a somma precisa para o dividendo
semestral, que nao exceder a 10 / annuaes, e
3 /. da importancia do dividendo para honorario
dos merabros do conselho director, que serio di-
vididos de modo que ao presidente do banco cai-
ba tanto e mate metade do que couber a eada
membro do conselho.
Se forem nomeados gerentes, 1 % dos tres ci-
ma mencionados Ihes pertencer, e quando a quo-
ta de cada membro do conselho fr inferior a
4:000.-5000 e a dos gerentes a 6.000*000 semes-
trahnente, serao completadas lanfando-se a die-
renfa a despezas geraes.
Depois destas dedocedes, o qne exceder ser
destinado coadjuvacao da amortizaclo das nas
do banco em dreulacao.
Ao art 9.* Era lugar de 100 acedes, diga se SO.
O art. 13 substitua-se pelo segrate :
Os votos serio coalados da maneira seguinte :
Cada 50 accBes do direito a um voto, mas ne
nhum accionista lera mais de 10 votos, seja qual u
fr o numero de acedes que represente por n ou i
por oulrera.
Aos artigos 22, 23 e 24. O banco ser dirigido
por um conselho de 7 merabros, eletos. pela, asr
sembla geral d'enlre os accionistas de tOO ou.
e domillir todos os empregados, e
lixar-lhes ordenados e gr^iiicafas.
3. Organisar o cadastro e o regulamento inter-
no, submettendo osle opportuoamenlc approva-
mo da assembla geral.
* 4. Determinar o minmo e o mximum das la-
xas doidescontos dos emprestimos e do dinheiro
3na se receher a premio, o mximo dos prazos dos
i'scjritos o eniprestimos. de cooformidade com as
disposifdes destes estatutos.
$.* Determinar o diridendo que lenha de ser
disirbuilo semestralmente.
6 Deliberar sobre a suppressao, creafao ou
conservacao das caixas liliaes ou agencias.
7. Propr as embica geral as allerac,oes ou
modificacoes que julgar necessaras nos estatutos.
8." Approvar o relatorio das opersfdes e estado
Jo banco o o balanco, que de vera ser aprsenla-
dos annualmente assembla geral.
9. No caso de entender conveniente melhor
ordem e promptdao do exoedente geral do ban-
co, nomear al dous gerentes (xando-llies as al-
trbuiedes e regulando a pralca dellas.
Ao i. do art. 44 : i. As-ignar os balanceles
le se publicarera e toda a correspondencia do
ico, dirigindo c liscalisando todo o seu expe-
diente, operafdes e escripturafo.
i. Aeerescente se : 6. Propr ao conselho ludo
jne entender conveniente aos interesses do banco,
informando-o de quaesquer abusos, cuja extirpa-
cio dependa de doliberacao do mesmo conselho.
Elmine-se o art. 33 e seas .
O art. 36 seja assim redigido :
Os trabalbos da admnistraco serlo distribui-
dos entre os merabros do conselho com igualdade
e como fr maisneonveniente, e de modo que s
sarao validos os actos que tiverem o accordo de
dous raembros do conselho, salvo, no caso de no-
meacao de gorentes, dsposicao equivalente.
Este objeclo ser regulado no regiment inter
no, assim como qualquer outra parlicularidade
que tenha por tm a dislribuicao detalhada do ser-
vico pelos merabros do consdho por meio do com-
nuss^cs, trabalho diario, semanal ou mensa!, de
moda7qae a gJnpensacao do honorario se compu-
te na razao do servico prestado.
Proponho mais:
Que se proceda a urna redaceo geral do pro-
jecto de forma segundo as emendas que passa-
rem, para que sejam aiteodidas no lugar compe-
lerte, considerando-se como modificadas ou sup-
primidas tedas as disposicoes que nlo e3liverem
em harmona com o que se vencer.S. U.Ro
de Janeiro, 8 de fevereiro de 1870.Joaquim Jos
Rodrigues Gumaraes.Antonio Aiirenco Torres
& C.J. J. dos Reis.
O Sr. Teixeira de Carvalho observou que, sen-
do numerosas as emendas apresenladas pelos Prs.
Uodrigues Guimares, Torres & C. e conselheiro
Reis, fra conveniente que se publicassem pro
vianrrate csta3 emendas, afim de melhor encam-
nhar se a discusso.
O Sr. conselheiro J. J. dos Reis, respondendo,
disse que as emendas nao eram lo numerosas co-
mo parecan, que, salva urna ou outra peque-
a altrnelo, nada mais fazam do que transferir
para o conselho aigumas das attribuifdcs que o
projecto de reforma dava ao presidente do banco.
O Sr. presdeme declaren que as emendas se-
riara puulicdas, para que dellas tvessem^conhe-
cimento todos os accionistas, a. observando que a
hora achava-se muito adiantada, adou a discus-
so do projecto e emendas para hoje, ao meio-dia.
Hoje, pois, deve continuar a sesso da assem-
bla geral, e de esperar que, dado o caso de
proceder-se a alguma votacao, achc-se presente o
numero minmo de accionistas exigido pelos esta-
tutos. Com effeito, trata-se do assumplo impor-
tante, que irteressa, nao s aos accionistas do
banco, como tambera prafa, cninda a todas as
classes da nossa sociedade.
Diz se desdejongo lempo que mo o systema
de admnistraco do banco do Brasil, e deficientes
os actuaos estatutos.
A estas causas atlribue-se parte dos males que
lm sorido os accionistas, o commercio e o pu-
blico em geral, qne recebo as notas do banco.
Estes males precisam de remedio, e s pode re
media-los a vontado dos accionistas.
10 -
Por portara de 3 do corrente foi nomeado cora-
mandante do forte do Buraco, na provincia de
Pernambuco, o tenente-coronel do corpo de esta-
do- raaior de 2* classe Alexandre Augusto de Frias
Villar.
por Sania Helena, Trindade, Fernando de Noro-
nha, Pernambuco e Bahia.
A corveta vai bem preparada para a sua com-
misso. Na sua espaeosa coberta levantam se de
um ldo o albamente dos guardas-marraba e do
outro o salo de estudos. Estas duas pegas estao
lierfetamcnte ventiladas.
Ha cinco annos que se nao empreen liam va-
gens desta ordom, tao necessaras insjrucQao
pralba dos marinheiros e offlciaes. A guerra o
impeda. Eslimamos ver que a nossa marrana
inaugura a nova era do paiz quo se abre voltando
aos seus amigos habites.
A officialidade da corveta Ndherohy assim
composta :
Commandante.Capitao de mar e guerra Ar-
Ihur, Silveira da Motta.
inmediato.Capilo de fragata Antonio Joaquim
da Mello Tamborim.
nstructores dos guardas-marmita.Copilole-
nenies Jos Candido Guilhobel e Luiz Felippe de
Sjldanhada Gama.
Ofpciaes. 1" lenles: Manoel Joaquim da
Costa Jnior, Liberato LuizCavalcante do Oliveira,
Eusebio de Paiva Lcgey, Manoel do Nascimento
Castro e Silva, Joaquim Slarques Uaptista de Leao,
Miguel llibeiro Lisboa, Horacio Belforl Duart, An-
tonio Francisco Velho Jnior e Manoel Pereira
Pinto Bravo ; 2" lenles : Luiz Jos dos Santos,
Antonio Luiz Cavalcante de Oliveira, Francisco
Belmro de Mattos Tupin o Antonio Francisco da
Silva Jnior.
Capellao.Frei Antonio da Conceifao Gomes
de Amorirn.
de Brito e
ter rrregularmcnte
lugar.
daque
Me
Cirurgioes.r. Joaquim Marcellino
Dr. Amando da Rocha Bastos.
Pharmaceulico.Victor Marcelino da Silva Brito.
Ofpeiaes de fazenda.Da 2 classe Guilhermino
Jos de Souza Das e de 3* classo Guilherme Pe-
reira Nunes.
Guardas-murinha.Affon?o de Alencaslro Gra-
ca, Alvaro Nuno Rbeiro Belfort, Francisco Pinte
de Novaes, Luiz Pedro Tavares Jnior, Joao Car-
los da Fonseca Pereira Pinte, Jos Antonio da Sil-
va Guiraarcs, Francisco Gavio Pereira Pinte,
Dente Januario Sayo da Silva, Jos Pereira Gui
maraes, Alexandrino Faria de Alencar, Miguel
Jos da Molla Lei te de Araujo, Joaquim Thomaz
da Silva Coelho, Juvencio Nogueira de Moraes,
Lucio Soaros Corroa de Faria. Claudino Luiz Pina,
Felippe Fernandos de Castre, Paulo Antonio Ri-
beiro do Couto, Francisco Alberto de Castro Me-
nezes, Francisco Manoel Ribeiro, Aprigio dos San-
tes Rocha, Jos Egydio Garcez Palha, Francisco
Ignacio Pereira di Cunha, Joao Mendes da Costa
Sabugal, Manoel Dias Cardoso, Affonso Estevo
Eduardo Martins, Albino Pinto de Carvalho, Anto-
nio Manoe Crospol, Manoel Goncalves do Valle
Guiraaraes. Jos Manoel Pereira de Sarapaio, Fre-
derico, Ferreira de Oliveira, Joaquim Pedro Alves
de Barros, Constante Gomes Sudr, Fernando Lou-
renco Carlos de Alraeida, Salvador Moulinho Filho,
Alfredo Augusto de Lima Barros, Julio Carneiro
da Siva Braga, Almiro Leandro da Silva Ribeiro e
Silvino Jos de Carvalho Rocha.
- 11
S. M. o Imperador, acompanhado de seus sema-
narios, chegou hontera, as 10 horas da manlta,
ao arsenal de marraba, e embarcando na galeota
imperial foi visitar a corveta Nitherohy; regres-
sando ao mesmo arsenal, visiteo as olflcnas de
machinas e retirou-se a 1 hora da larde.
deixado o exercicio
13
Do Sania Catharina reeeberam-sc honlem teic-
grammas dando a noticia de haver alli arribado no
da 9 do corrente o transporte Atice, tendo a wu
bordo o Sr. general Polvdoro : e de ter ehrgadbm'
da 11 as 10 horas da raanha, o Bonifacio, (\w
sanio as 3 horas da larde para o nosso porte.
Tambera de Porte-Alegre recebeu-se ura tete-
grainma dizendo ter chegado quelle porte o trans-
porte Presidente, cunduzindo os cascos dos bate-
Ihdes 5 e 6o de cacadores. O Presidente devia lar-
gar no dia 12 para o Rio, aps o deseraoarque da-
quelles contingentes.
As 8 horas da noite de 9 do corrento foi asasina-
da em sua fazenda, emltaguahy, a Sra. D. Josepha-
de An Irade Figueira, mai do deputado geral por
aquello dislricto, o Sr. Dr. Domingos de Andrade
Figueira, por um-seu escravo, crioulo, de non
Emiliano, que, segn lo nos dizera, era bem
tratado e gosava de teda confianca das pessoas do
casa.
O assassino conseguio evadirse, mas achara-so
dadas pela antoridade competente todas as provi-
dencias para sua captura.
Ante-hontem lardo foi encontrado no capinzal
do holel Agostinho, o Andarahy Pequeo, o cada-
ver de um mofo de norae Joaquim Aprigio da Sil-
va Figueira.
golpe no pescjco, e
L-se no Parahybanc de 9 do corrente :
t Em a noite de 6 do corrente, na ra de D.
Isabel nesta villa, Joao Aguiar do .Couto tentn
matar a Manoel Joaquim Cerqueira, dando-lhe
um tire de rewolver, que por felicidade nio em-
pregouse, de modo que Cerqueira apenas soffreu
grande susto. '
i O criminoso evadio-se. O Dr. promotor deu
denuncia perante o Dr. juiz municipal. >
De 2 para 3 do correle houve tanta chuva
para > iado do Ribeiro desla fregufzia que cau-
sou grandes prejuizos em diversas fazendas, entre
as quaes na do capitao Dias dos Reis, que em pe-
riodo de cana sua diz:
c A grande ebuva desta noite arrombou-me o
af ude que era cituado do lado de cima da casa,
produzindo urna medonha inundacao que bastante
me prejudicou, derribando-me paredes do paiol,
engenho e senzalas, destratado os mantimentos,
matando animaes, etc. Felizmente apesar da es-
curido da noite, qne mais augmenten a confusao,
nio houve mortes eomquanto os negros sahissera
das senzalas com agua pelos peitos.
Continuou hontem a discusso do projecto da
reforma dos estatutos do Banco do Brasil, conjun-
tamente das emendas que publicamos.
Tomaram parte na discusso os Srs. Dr. Mar-
ques de S^bnselheiro Joao Jos dos Reis, Drs.
Fernandes Moreira, Araujo Lima, Busch Varella
e Gabaglla.
Nao havendo mais quem pedisse a palavra, foi
posto a votos e approvado um requerimento do
Sr. Dr. Busch Varella, para que ficasse encerrada
a discusso.
Nap so podendo votar por falta de numero, o
Sr. presidente convocou a assembla geral para
boje ao meio-dia, afim de proceder-se tao somente
volacao do projecto da reforma ke emendas.
Hoje ao meio-dia, depois de visitadada por S.
o Imperador, oSr. ministro da marinha che-
fes darepartifo, deve seguir a corveta Nitherohy,
em viagem de tastruccao, cora os offlciaes e guar-
das marinha abaixo medeionados. Dirige-se ao
cabo da Boa Bspcranoa c regressar com escala
Por decreto do 9 do corrente foi nomeado cava-
lheiro da ordem de S. Bente de Aviz o capilio-te-
nento da armada Manoel Soares Pinto.
Foi concedida a seguinte pensio, quo fica peden-
te da approvacio da aseembla geral:
A D. Maria Januaria de Medeiros Fernandes,
vuiva do capilo do 9 batalho de infantera An-
tonio Jos Fernandos, morte era combate a de 30
mensaej, sein prejaiio do meio sold.
Por decreto de 1 do corrente mez levantuse a
clausula com que foi promovido o i" tenente Her
mann Ludwg Gade, viste ter sido approiilo as
materias exigidas pelo decrete n. 884 de 10 de
dezembro de 1831.
Por outro da raesma data foi reformado o 1"
sargento do corpo de imperaes marinheiros An-
tonio Mariano de Az'n'cdo, com o respectivo sol-
do por inteiro, visto coatar mais de 30 annos do
servico.
Por decrete de 9 doyinrrente concederam-se as
honras de capitao do exercito ao tenente do 23
corpo de voluntarios da patria Jos Braulio de Al-
raeida ; de tenente, ao tenente do 34" corpo dito
Laurindo Pnbeiro da Silva ; e de alferes, ao al-
feres do 31 corpo dito Jos de Souza Menezes.
Por portara de 8 do corrente foi concedida a
demisso que pedio o capitao reformado do exer
cito Cyriaco Jos da Silva, do lugar de comman-
dante do 2' companhia de operarios militares do
arsenal de guerra da corle.
Por portara de igual data foi nomeado o te-
nente-coronel da guarda nacional Joao Bernardi-
do de Vasconccllos Combra para o lugar de adjun-
to do arsenal de guerra da corle, percehendo os
venciraentos de sua patente de teneBte reformado
do exercito
Por decretos de 29 de Janeiro ultimo foram no-
meados:
O bacharel Luiz Francisco da Silva, juiz muni-
cipal e de orpliaos do termo de Nova-Friburgo, na
provincia do Rio de Janeiro.
O bacharel Francisco Xavier Moretson, juiz mu-
nicipal e de orphos do termo de S. Joio do Rio
Claro, na provincia do S. Paulo, ficando sem effei-
to o decreto de 22 de dezembro do anno passado
quo o nomeou para o termo de Botucal, na mes-
ma provincia.
O bacharel Joiquim Antonio do Amaral Gurgel,
'niz municipal e de orphos do referido termo de
otucal.
O bacharel Hermogenes Pereira de Queiroz e
Silva, juiz municipal e de orphos dos termos reu-
nidos de Paranagu e Guaratuba, na provincia do
Paran
O bacharel Antonio Paulino Cavalcante de Al-
buquerque, juiz municipal e de orphos do termo
do Buique na provincia de Pernambuco.
Continuou hontem a sesso adiada da assembla
geral do Banco do Brasil.
O Sr. Dr. Araujo Lima e conselheiro Reis Qze-
ram aigumas observacoes sobre a acta, quo era
seguida foi approvada.
Procedendo-se a votago do projecto de reforma
dos estatutos e emendas, cuja discusso ficra on-
cerrada, verificou-se nao achar-se presente o nu-
mero de accionistas indispensavel.
O Sr. presidente declarou entao que breve con-
vocara nova assembla geral nicamente para
proceder-se a votafo do projecto de reforma e
emendas.
12
Por decreto de 9 do corrente foi reconduzido o
conselheiro Joaqam Marcelino de Brito no lugar
de presidente do supremo tribunal do jujtica.
Por decreto de 10 do corrente foram nomeados
o coronel Joio Baptisla Vidal de Alraeida Pillar e
o capitao Antonio Luiz de Magalhies Mosqueira,
aquello para director geral dos indios na .provin-
cia do Rio Grande do Sul, e este para igual cargo
na provind de Minas-Geraes.
Por portara de 9 do corrente foi exonerado o
engenbeiro Manoel da Cunha Sampaio, do lugar
de addido a inspoefio geral das obras publicas por
guara
Apresenlava um profundo
oulros ferimentos.
Segundo nos informara, havia alguns dias que
Figueira resida no hotel Agostinho, mostrando-se
preoecupado e taciturno.
Ante-hontem, depois do almoco, retirou-se para
o seu quarlo.
Nio sendo encontrado hora do jantar, procu-
raram-o por algum terapo, al que o encontraran!
j cadver, como dissemos,
Comparecendo a auloridade, achou-se as algi-
beiras do paletot e cutete que vesta o cadver,
um relogio, oito centos e tantos muris era dinhei-
ro c um mlho de chaves. Ao lado eslava urna fa-
ca de mesa, commura.
Suppoe-se que este infeliz suicdou-se.
A autordade competente fez corpo de delicio e
prosegue em averiguaedes.
14
Entrou hontem o transporte de guerra Bonifacio
sal; Jo de Assumpco a 30 do passado. Traz tam-
bem folhas do Rio da Prata at 6 do corrente.
O general Cmara achava-se na Conceifao, onde
preparva nuvos elementos de mobilidade par
perseguir Lpez na sna fuga, que j se sabia ser
na direefio do Apa, abandonada a posicao do Pa-
nadero, que foi oceupada pelas trepas que tinha-
mos era Curuguaty.
Finalmente princpiava a tratarse do embarquo
dos nossos voluntarios que regressam patria.
Urna brigada commandada pelo coronel Farm Ro-
cha e composta dos batalhdes 17,40 e 53, queper-
tencem as provincias de Minas, Babia e Pernam-
buco, devia partir do Rosario nos primeiros dia-
de fevereiro nos transportes Presidente, Galgo e S.
Jos.
Assim nos escreve o nosso con espondente da
Assumpco ; urna carta do Rosario, porm, indi-
cando os transportes que devem trazer aqnelles
tres batalhdes, noma o Cuyab em vez do ,/-
dente, e accrcscenta que estes vapores toem ordem
de se reunir primeiro em Montevideo e depois em
Sania Catharina, p;.ra dallivirem juntes demandar
a nossa barra.
Do Rio da Prata nada ha de interesse. O pre-
sidente Sarmiento era esperado de volta a Buenos-
Ayres no dia 6.
Em Montevideo osperava-se o ministro dog>-
verno Buslamaute dentro de poucos dias. Enta-
lamo chegara alli o general Caraballo a chamado
do presidente Battle, segundo se dizia. A eleie
do alcaide ordinario da capital fez-se sem incidente
notavel.
Entrou tambem com as mesmas dalas do llia da
Prala o vapor inglez Medway.
15 -
Por portaras de 14 do corrente foi drmittid <
Antonio Jacintho Pereira Jnior, do logar de por-
tciro da adranstrafo do correio da provincia de
Pernambuco e nomeado para substitu-lo Salustia-
no Severano Ramos.
Por portara da mesma data foi_ concedida a
Eduardo Fimino da Silva a demisso que pedk>
do lugar de ajudanle contador da mesma admi-
nistracao, e nomeados: -
Ajudanle contador, o official papelista Vicente
Ferreira da Porciuncula.
Offlcial papelista, o praticante Manoel dos Passos
Miranda.
Praticante, Joaquim Pires da Silva.
Realsou-se ante-hontem, no Passeio Publico com
assist-ncia de SS. MM. e A. imperaes, a festa de
caridade promovida em favor dos Alagoanos fta-
gollados pela secca.
A concurrencia fai numerosa como era de espe-
rar aitendendo-se ao motivo da festa. Acollecta,
indurado os generosos donativos de Suas Majes-
tades e Alteza, produzio a quantia de 2:326520.
A bordo do transporte Alia chegou hontem o
Sr. conselheiro do guerra tenente coronel Polydoro
da Foaseca Quintanilha Jordo, que tendo pela se-
gunda vez prestado importantes servifos na campa-
nha do Paraguay, vio se ltimamente obrigado pet;t
doenfa a recolher-se a corle.
A commisso central faz hoje, pelo Cruzeiro >f
Sul a primeiraremessa de gneros para sua pro-
vincia.
Consta esta remessa de 500 saceos de farinha de
mandioca, 200 arroba* ds carne secca e 50 saceos
de feijo
L-se no Pharol de Juiz de Fora de 9 do cor-
rente :
A 27 do passado foi brbaramente assassina-
do no Porto-Velho, municipio de Vassoaras, um
individuo chamado Luiz Gomes: os assas3taos eva-
diram-se, mas sao conliocidos.
DIARIO DE PERNUmBCO
RECIFE, 22 DE FEVEREIRO DE 1870.
Notlelas do sal do imperio.
Chegou hontem o vapor Cruzeiro do Sul, tra-
zendo jorcaes da corte at 15, da Babia at 18, >-
de Alagoas at 20 do corrente.
Si b as rubricas Exterior e nterior damos p:
extenso as noticias mais imprtenles, alm da-
quaus apenas encotramos mais as que segnera.
RIO DA PRATA.
Do Telegrapho Martimo o. 21, jornal qui-
se publica em Montevideo, transcrevemos o se-
guinte :
Incendio do vapor Bvenos-Ayres.
A 23 do corrente, pelas 12 Vi horas do dia, na-
vegando o dito vapor junto Bocea do Ibicuv. com
os dous batalhdes da guarda nacional do Entre-
Rios, annunciou- se fogo pela popa.
No mesmo instante flzeram-no abicar junto,*:
urna ilha prxima ao Ingar do sinistro, e lancarn>
agua todas as municoes, precaucao que salvou-<>
de urna nploso qnasi mmediata; e logo proce-,
deu-; nbarque, tendo-se particular alten.-



Diario de PernaDiDuco Ter<;a eira 22 de Ferereiro d 1870.
s



I V
I
0o para Com os enfermos, que, ajudiado* pela
tropa e tripola^o do vapor, salvaran) se todos.
Emquanto fsfc) pratioava.se, resto dos.solda-
dos, favorecidos dla pou ;a profuodidade do rio, da
prda do vapor arrojaram-se' agua e prompta-
mente chegaram. trra,"que nao distara mais do
50 passos. ethwlente neste desgracado successo
nao tem que lamentar-sc mais perda que a de dous
Individuos da tropa, que afogarain-se, pela preci
pilarlo eom que se linearan) agua.
U:n resultado ti) bou), em Vista do por de-
tnai3 terrivel quo se augurava, foi conseqaencia
las medidas tomadas opprtunamente, ajudadas
em granoV parte pelo capitio do vapor, Sr.Camus,
que, oum>rindo'coin o sea dever, eslevo at o ul
timo momento bordo do vapor nceniado. U>
prests da rapa, vveres e armamentos foram
devorados peas rhauftnas, faltando-nm perneo para
ticar ns.
t O fi)go principioa na po.ia, sem saber-se de
certo sua procedencia. Snpp6e-r que alguma
faisca da machina ou seas contornos haja dado
Ingar ai Incendio. Ovapor Aimicotn, quechegou
momentos depois do sinistro, prestou-nos auxilios
de vveres c medicamentos, portndole sea com-j
mandante com umita generostda te. Tambem o com-
mandante do bergantn WiiHums ajudou-nos com
sua uipolao/io e b Mes. No vapor Annicota, que
duas lioras depois parti para o Rosario, mandou-
se por um offlcial nota a S. Exc. o Sr. presidente
da repblica, aiimiacifiado-lho hgeiramente o sur.
cedido, para que ordene as medidas convenien-
te.
armo Queseo.
Akaneam a 36 de dezembro do anno passado
as datas reeebidas do Cuiab
A SHunro de 19 de dezembro noticia o se-
guinte:
No,sabbado IV do correte, o Sr. Domingo?
Montoiro da Silva, saliindo do Livramnulo, ni le
cstahelecido, pura >eu sitio, duas leguas distante
da dita freguezia recebara nesse trajelo dous ti-
ros, dos quites escapou por iuduivel felicidade,
p lis lado atbaSu pur densa mata.
Com o primeiro estampido, nao obstante sen-
4tee feriJo, quiz o Sr. Domingos acconwietler os
sicarios, reas ouviado inmediatamente oulro-liro
desisti da intencao.
Prueaea-se a auto de corpa do delicio.
s. PAULO.
CMgam a 10 do correte os joroaes desta
provincia.
So dia 2 nUall u-se. a assemWa provincial
com as soiemaidadei do eatylo, lendo o presidenu-
da praviucia o son ndatoriu. Cmisiituiose a mesa
sendo e'ito presidente- o Dr. Joao Mandes de Al-
lvida, Ia secretario o vigaro Joo Viceuto Valla
dio, e 2 dito o Dr. Joaquim Fernandes de Bar-
na*.
l'.ir.i director da respetiva secretaria foi no-
-flMado o lente coronel Msuoel Antonio Biiten-
eourt, por liaver pedido oxoneracao o Dr. Carlos
Melchor, que servia este cargo.
Fallecern) o coronel Denlo Manoel de Al
meiJa Paos, conservador inflaonte om Sorocaba, e
o Br. Pedro Taques de Almeida Alvim, que hava
servido diversos cargos pblicos c representado
papel distincto tanto na tribuna poltica e indicia-
ra como na imprensa.
No'dia 7 licoii icstabeleedo o transito da es-
trada de ferro, interrompido pelos desmoramcnlos
que ultiinainente houveram em alguns dos pianos
di ierra.
De Santa Barbara cmnnunicain au Diario de
S.P'iitlo :
Consiam nu que em tlias do mez passado foi
assassinado nesta villa ro Americano de n une
-Tumier, por uid Brasileiro quo conseguio evadir-
se. O assassinado acbavase um poueo alterada
en son juizo. em companha de diversos Brasile-i
ros, e o crime foi resultado de provocarles im-
yradeutes,
I! n dos cumplios d i attaastnalo foi preso
renetlido pira a cada tfe Con.stitunAo, e oros
poctivo subdelegado proeedeu ao corpo de delicio
> ao sumu .rio de culi A' inerva folha eserevem da cidade de Tielc:
.\a noite de 21 do crreme (Janeiro), no li.iii -
ro deiiooiin.idC' Laranjn!, deste municipio, c*hlo
una grande chuva aouipanhada de. podras e vin-
tania. que de.-truio muitas pl.intacoes de algodo.
railho e arrozal. Corto lavrador que tinli.i nove
alqueiros de algodao e.que pelo seu estado llores
een promoitia uma-v.rande collieila, caTcula->e
que nao obier duzenlas arrobas. E' de presumir
que osse.o glandes as podras, visto que no U
seguuile. 'iioonlraram-si melancias partidas ao
n)"io, e irii sem numero de buracos na Ierra.
O Parnhyhtij de Guei-atinguol, de 1)0 do passa-
do, noticia o -eguintc :
N dia li foi assassinado no bairro da lara
raca, Joao Pedro de Oliveira por seu cunhado Fran-
cisco Rosa de Brito.
< A causa deste assassinato foi una rixa lamela
entro o lilho d assaisino e um pardinho, eseravo
a sogr.i do iiiesmo.
A pilic a j dou enaaeco ao processo. O reo
=
de Saas MagestadS 1 ; foi esta festa mul-
to brilhanten concorrida, c a escola daagricultura
i um nova Sequc^ feito pela nossa nipaobia, e
de mnila utidaoe para o futuro desenvolvitnento
nao so de Minas, mas de todo o paiz.
Por esta occasio' vossa eommissao reconhe-
ceu a poefaicao da estrada, a solidez das obras, e
o bem aclBado das estac&es ; conbeceu a oornmo-
didade e regularidade d^serviQo, tanto pelo que
diz respeito a passageiros e bagasen, como ao
transporte das cargas : este complexo faz que a
iiossa estrada seja a primeira do paiz, e urna das
primeiraa estradas de rodagem dos oulros paizes.
A vossa com mis lio de opiniao que a estra-
da e todos os seus adjuntos ?ejam conservados'
cora todo o esmero e cuidado e com severa eco-
noma, aflu de que terminado o nosso coofalo,
amos enlr.'gar ao estado este lindo raraalhete
de que ainda se aproveitarao nossosjilhos e netos.
Concluido o fundo de reserva, nao tendo de
construir novas ramaes, ou obras novas, feitas as
despezas necesarias com o custeamenlo e con?er-
vicii da estrada, a vos=a commissao de opiniao
que o saldo liquido, qualqucr que elle seja, deve
-ir distribuido lodo pelos accionistas de 6 em 6
mezes. Se em algum semestre o dividendo fr
superior a 10 por cento, tarree em outro semestre
ser Infer >r ot.:a laxa (o que Deus nao permita),
e eolio Acara o mnimo compensado pelo m-
ximo.
t Tendo a nossa companha de terminar saas
ope.rac.oes em nm prazo emo, e nao distante, nao
ha uenhuma razo plaustvel que autorse oamon-
toamento de fundos, qae sao o producto de nossos
capiaes. Em resumo a vossa commissio tem a
honra de vos submetter s concluses seguintes :
1., os servicos da. oompnhia Uno e Industria
felos ao paiz e em especial s provincias do Rio
de Janeiro e Minas Geraes sao mu valiosos ; 2.", a
directora pela saa boa gerencia benemrita da
sociedade ; 3, todo o saldo lquido leve ser djs
tribuido pelos ccion-tas de seis em sois mezes
4*, um voto de agradpciraento ao illu3tre presi
denla da companha o Sr. commendader Mariano
Proeopio Ferroira Lage, pelo seu zelo e actividade.
Sala das seasiea da companha Uniao e Industria,
H de fevererro de 1871).Conselhero Dr. Adrdpho
.Mauoel Vioterio da Costa.Manoel de Mello Fran-
coDr. Liberato de Castro Carreira (com res-
Iriccao.
A aifandega da corte rendeu do 1 a 14 do
convine 6:.j7102G.
Kis as noticias commerciaes da ullima
data :
Kffectnaram-se iransaccoas menos qoe regu
esta ear,,!^junando do conflicto ferimento na
gente que oTvigiava, e n'um dos presos que nao
qniz avadr-se.
A autorida le policial proceden immediatamen-
te aos respectivos corpas de delicio, que passou
ao juz municipal em exercieio para proseder na
forma da lei.
t O commaodante superior remetteu ao gover-
no as pirt lo commandante interino, que
manifesta suspeilas de ter sido o referido tenente
coronel o mandante do acto criminoso.
t S. Exc. o Sr. prreidento da provincia, de com-
binaejp com o Sr. Dr. ebefe de poliia, rasolven
^que este funcionario loase pessoalmente proceder
a urna rigorosa syndcancia do facto, dan lo por
sua parle e propondo a providencias convonien-* LOTERA.A que se acha venda e a
les para que nao fique impune este alternado
O mesmo fuacconario, segundo as ordons da
presidencia, deve tambem dirigir-se povoacaoda
Lage do Canhoto, o averiguar os fados denun-
ciados pela imprensa ; propondo tambem as me-
dida} convenientes
o O Sr. Dr. chefe de polica vai acompanhado
do lente Cypriano de Souza Mello e de urna for
ca de 3r) pravas do corpo d? polica devidamente
muncada, podendo requisilar os destacantantcs
vi-inlios, se necessario fo'
< O chefe de polica all ehegoa no dia 13 s
7 horas da niutc. A povoacao llcava e elle procedendo as averiguar,5es cofRnientes
para conseguir o ffmque all o conduzio.
Por esso magistrado foi retaajjiu para a ca-
deia desta capital um invalido nHmonleiro da
Suva, apreseirtado p< lo teniMite-noJpiei Mataraca
e que bavia estaqueado uina mulher de nome
Cae tana.
Acha-s recolhdo priso daquclla povoacao
Paulo Francisco do Barros, preso em flagrante
por crme do Terimentcs feitos em Jos Bento.
Ficava-st na delgencia do prender Pedro Ca
maratuba, criminoso de morte na Atalaia.
a i-so recolhido cadi desta cidade.
RIO DB lAWOtO.
- 'I .'oinuava a grassar eom nlensdade
aife-
kr i .imi .relia na corle e provincia do Ro de Ja-
llrll ii.
Lentos m Jornal Yji Commercio :
lleunio-se lioutem (H) a asseinbla geral dtis
aedimiatoa da companha Unido e Industria,^!
o |i.alcncia do Sr.-voador J. J. de Lima e Silva
i iho, achando-se represntalas 2,637 accSes.
Depois da leitura do relatorio da directora, o
Sr. presidenta le o parecer do conselho fiscal, e o
Sr. i n i i 'lima leunio.
' SibmeUidoa diseossao, tanto o relatorio
< j. > os pareceres, forem approvadas as conia-
lojsno lindo, beiti como a proposta da directoria,
ron: o seguinte subsitulive da commissio :
. tso saldo lquido de caa semestre se far un
dividendo de 10 por cento, e o restante ser reser-
v. i al completar a semina do loO:OOOi, para
sefcvili li Gomo aanuluaja do capital no se-
loesU' SjgUlQle.
Fe-se o sorleio de dona membros do conselho
liscal, re.-aliiu lo sobre os Srs. veador Lima e Silva
e coiiaeiidador Jos Ignacio da Rocha. Tomou a
presiiancia o Sr. commendadir Joaquim Antonio
Fernaudes Pnheiro e proeedendo-se elcic.o fo-
ram raoloitos os m>-suios seriados.
4) parecer do coasoUio ifiscal assim conce-
bido :
Srs. accionistas.Em cwnprimento do pre-
ceilo dos e.-iatutos qiw regem a coinpanhia Unan
c Ind i>ii;a. o conselho fiscal veo) communicar-vos
qiu di-u >aa approvaijio s eoalas prestadas pela
directora, liem como ao balancu que acompanha
o rotatoria.da mesma, tendo achado regularmeuie
cscriplurados os livros da companha e ua devida
ordeo os <1 .cumentos que comprovam as verbas
de despeza.
O cunseliio concordou em que o dividendo do
primeiro soaaesice do auno passado fosse reduzido
a Li por ac<,'o, porque a renda da cumpanhia
tendo diminuido depois do contrato de 13 de ja-
niiro de 18S9. se fosse distribuido pelos Sr.*. ac-
cionistas o dividendo de 205 por aeco. nenhom
aldo licaria para preenthei qualiwr deficiencia
ile rec. ia no semestre seguinU', (Miin de fado se
lealisou, bavendo at necessidade de deixar para o
semestre correte a bquidacao de cortas contas,
afirn de -se poder integrar o dividendo que esta
annunciado.
A idea aprc'entada o anno passado pela dir
toria o aceiia eniao pelo conseibo, de se liroilarem
os dividendos em vista do constituirse um fundo
1! amortis,ico, agora da novo subnieltida
vossa cimsideracao pela directoria que a furmtiiuu
cm proposia mais desenvolvida e completa.
t Tendo a a ^vereiro do anno pasiado entregue a qnesto ao
itndo de urna eommtsso mu competente, o con-
selho lisc.i! limitarse a cnnflrmnr o que sobre lal
assuoipio vusdisseoD seu parecer do anno pas-a-
di, acor-scoutaado que o oompJempnto da- dea de
; proceder a um raieio de capal logo quo o fun-
do de fttrioni icao atlingir sonma de 300:0004
torna, afreta mait recormneodavel a adoptan da
propostaane vos apresenlada pela directoria.
.\"a" forma do art. 10 dos enalulo-', Cem de se
proc*>r ao sorleio de m dns membros do con-
-eih > li mal, para a subs: ,itIe iraia o re-
ferido artigo.
lares en cambio sobre Londres a 11) 7/8 e 20 d.,
papel particular.
Xogocaram-se cerca de 650 a plice geraes
de 6 /0 a 81 e um pequeo loic do ditas a 80 3/4 e
80 7/8; 60 acces do bauco do Brasil a 159,8000 e
25 dias da eooip.tnina da estrada de'ferro de Can-
lagallo a 1I50!JO, e fez-.-o urna pejuena venda de
acoae.- da companha Regeneraran a 370000.
Sahirain para Pernambuco : a 0, barca no-
rawaense Soriddenn ; a 10, brgm; dito Breas ;
a 12, gatera ponugueza Foi norueguense Amoso.
Estavam a carga para Pernambuco : barca
/eatdade e brgue Tigre, portuguezes ; barca rus-
a Atlanta.
baha.
Foi nomeado director geral dos estudos o Sr.
Dr. Francisco Jos da Rocha, propretario do Jor-
nal da Buhia.
A presidencia re=olveu aliar para 6 de mar-
co prximo a abertura daassembla provincial
Para promotor pub ico da comarca do Con-
de foi nome ido c Br. Carolino do Lima Santos.
Procedente de Montevideo clu-gon n fragata a
vapor franceza Cirde, com o pavilhito do almirante
Pisqu.
A' bordo desse navio lionve, no da 14, um es-
plendido janlar, acerca do qual exprime-se o Jor-
nal da Baha :
__ O Brasil foi representado pelo Sr. chefe de di-
vi.-o Valle, aeonvianhado pelo seu secretario Car-
daao de Mello; a Hn-sia pelo eommandMito da ca
nhonera que boje anda se acha ancorada no nosso
porto.
Ao entrar o chefe bra;ileiro, que se faz digno
pela sua posicio, |ielo seu carcter e pela sua in-
teligencia da amizade de iodos os estrangeiros.de-
pon dos apilo* annunciarem a sua chi-gada, o do
rufo do tambor fazendo a sua continencia, ro npeu
a banda de msica franceza o bymno brauleiro.
Momentos depois tocn a mesma msica o bymno
russo, era o commandante da canhoneira que che
gava. O janlar fui intercalado com varios brindes
e milito animado al as 9 horas da noite. >
AssuiniooexHrcicio de commandante das ar-
mas, no dia 14, o Exm. Sr. coronel Antonio Gomes
Leal.
Lomos ainda nesse jornal :
Pelo d-legado do termo dos Lences foi com-
municado que no dia 28 de Janeiro prximo passa-
do. no lugar denominado S. Joao, para onde elle
partir no dia 81, por oceasiio de urna diligencia
determinada pelo subdelegado da Serra Negra,
deu-se um conicto enire a escolta dirigida pelos
inspectores de quarteirao, o os individuos que pila
capturara, dando cm resultado a morte de Joaquim
Antonio, e (Mumlna graves de Vctor Goarino
de Oliveira e Jos Theodoro, que Picara em peiigo!
de vida.
O delegado einprega todas as providencias
para invesligacao do crime e punicao dos culpa-
dos, e o Sr. Dr. chefe do polica I he recommendou
que procure entrar no conheciraento das circuios-
tanciis do facto, para Jar-lhe ampias inrormnedes
a respeito deik?.
Naweguezia da Mnriliba o-crioulo Verssimo.
eseravo do baebarel Joaquim Pedrera de Cer-
queira, que anda va fgido, leudo sido preso para
ser conduzido pregones do respectivo subdelega-
do, por Antonio Alias de Oliveiro c Pedro Jos de
Menezes, toinou veneno em tal quantdade que
chegou all i nos paroxismos damorte.
< O subdelegado maiidon-o para o hospital da
cidade de Cachorra, onda o infeliz exprou.
O Dr. delegado mandou proceder ans devidos
exames, insiaur.ar processo para averigiiacao do
facto, e mais eirci:nistancias
Em 7 de dezembro do anno passado foram
presos, mediante diligencias empreadas pelo dele
gado de Aleobaca, ra villa de Sanla noso Manoel Gomes de Mello, pronnaciado por cri-
me de morle desde o anno de 1866; e na villa de
Aleobaca no da 27 do mesmo mez, Jzdro Manoel
.Teixeira, pronunciedo por crme de -ferimentos
.graves desde o anno de 1855; mediante cerco dado i
pelo mesmo delegado na casa em que achava-se o
criminoso.
Recebemos o Comtrercial da villa di Feira de
REVISTA DIAEIA.
VOLTA DOS VOLUNTARIOS DA PATRIA.
Como se v dos dous seguintes documentos oi-
ciaes, j uina realidade o regresso dos volunta
rios da patria aos seus lares. Deus queira que no-
vos contingentes se sigam dentro em pouco.
Eis os d' cun mtos :
Quartel do commando militar do movimento
do pessoal e material do Brasil em Montevideo, 6
de fevereiro de 1870.
t Illm. e Exm. Sr.Tenho a honra de partici-
par a V. Exc. que esta manhaa aqni chegou, pro-
cedente de AssumpQao, o transporte Rosario, tra-
zendo a bordo os. cascos do 4o e 5o corpos de ca-
radores a cavallo,.em numero de quarenta I lan-
os officiaes e noventa o tantas pracas de pret, indo
os referidos cascos para a provincia do Rio Gran
de do Sul, afimjde serem all reorganizados os res-
pectivos corpos : segundo a ordem de Sua Alteza o
Sr. conde d'Eu
Achando-.-e neste porto o vapor Pre$idenle,
chegado ha dias do Paraguaya disposicaodo com-
mando da e-taco navel nesta cidade, requisle do
mesmo cmimaudo o referido vapor, e o fago se-
guir esta urde para o Rio Grande do Sul, levan-
do o pessoal que trouxera o Rosario com destino
aquella provincia.
Segu igualmente hoje para esta corte, con-
duzindo a correspondencia trazida pelo Rosario, o
vapor Bonifacio, o qual leva tambem alguns oIlV-
ciaes do ex'rclo, H oresos e algnns prisin iri*t
fferaguay< s, chegados hoje de Assumpcao.
- Segunde sou informado por officiaes viudos no
3, tain
E*e
' Termina o ''cnnselho assegurandovos quo os
foram Anmenla observados, o ijue a di-
iii gelao des negocios a se.u cargo se
i criterio e zelo i^los ialeresses
npinhia.
Rio de Jan Jo 1870.Jos
i de I ''SobriTiho.Joo Pires
lio Fernandes l'inheiro.
P VOS M-
i h'ije eumprii iver, eommuni-
lo de suns
itando oeonvi!
iiiangurai-
io Joiz de Fura, a 24 de jnnbo do
1869, honrada com a angosta praanpi
Sanl'Anna al 27 de Janeiro.
Do da ultima data, pols que os -outros sao
muito atrasados, transcrevemos o seguirte :
Falleceu o capnoLniz Paulino Victoria.
Vieram ao mercado ,1/000 re?fs.
Contiua o flagello da secca. Ha dous mezes
que .nao chove, e a'lm dieso est dando na man-
dioca a lagarta em grande escala, o que *ai tra-
zendo o desanimo aosnos>os lavradores.
Parece que estamos amaldicoados, c que sof-
fremos o castigo dos egypeios l os gafauatos,
aqu a-la^arta e a secca.
0 estado sanitario nao dos melhores ; alm
das dpfluxdes constantes, tem-se desenvolvido
urnas febres qne teern feito alguns estragos.
O cambio regulara : sobse Londres 20 1/8 a
20 3/8 d e sobre Pars 470 rs.-por franco.
A alfendega rendeu de n 16 do corrente
299:377*2*5.
Sabio, a 14. para Pernambuco o palacho bra-
saleiro m Uarolomen.
ALACAS.
Segundo communicarops, uV 10 do corrente,
do Dr. Miguel Al ves Feitosa, medico enearregado
do tralamento dos indigentes as margens do rio
S. Francisco, graisa na villa do Porto da Fob,a,
com inte.'isdade, a ehre Ivphoide, da qual acb-4-
vam-se airertadas 80 pes?as.
Lemos no Diario das Alagos :
' (.ommunicon o delegado de polica Jo termo
de Assemblea que no dia 29 de dezembro uRmo,
no luirar denominado Gravatasinho d:qaelle
termo, Jos Thomaz da Rilvn Pianna assassim.u
saa propna ronlher de nome Josepha com 33 fa-
ca Jas, e pondo-se immediatamente cm faga en-
controu-se com a ma, contra quem disparou um
tiro sobre os mieixos e deu-lho 4 facadas. ScndQ
ella interrogada declara qa lople ter-se suicida-
do seu filho.
Furam recolbidos cadeia da villa i rmaos
da infeliz Josepha, sobre o- qnaes reeahem sus-
ni
i delegado (rata de instaurar prorosso, e
pela secretaria da pojicia recoinmcndon-se a cap-
tura do criminoso.
_Segundo commanicaca do subdelegad
Muriry constn qne na madrugada do dia 8 do
corrente um grupo de mais Je 50 homen" arma-
dos chegados das bandas do engenho Ifja vista
do tenenle-coronel Felipr^da Cunha L. Mat ;
assaliou n ariomhonja prisao daquclla p-ivoacao
para dar fuga a 4 guardas, que a ordem do com-
andante interino do batalhSo n. 10 Bruno Lopes
Fawtira, se achavam refolhidos com destino a
Rosario, doviam partir no dia 2 do corrente da
Assnmpcio os vapoies Galgo, S. Jos e Cuyab,
conduzindo urna brigada de voluntarios, compos-
ta dos balalhoes ns. 17. 40 e 53, Mfe o commando
do coronel Faria Rocha, os quaes deven) aqui
aportar\por estes dous ou ires das.
Deus guarde a V. Exc. lllm. e Exm. Sr.
conselhero bario deMuriba, ministro e secreta-
rio de estado dos negoch s da fierra.O coronel
Antonio Pedro de Alencastro. >
Commando piii chefe de todas as tarca* bra-
sleiras ern operacoe* na repblica do Paraguay.
Quartel-general em a villa do Rosario, 27 de Ja-
neiro de 1870.
^ Illm. e Kxm. Sr.Cabe me communicar a V.
Ese. que nos primeiros dias do mez de feveiro, e
logo qnee.-tiver effecluado o pagamentocorrespon-,
dente ao Hm do corrente mez/aeo entercar pira o
Rio de Janeiro nos vapores Galgo, S. Jos e Cuya-
b, nina brigada composta dos balalhoes de vo-
luntarios denominados 17, 40 e 53.
Jfo podendo .ir desta vez mais de *res bala-
lhoes, es.-ulhi um da provincia da Babia, o 40,
da de IVrnnuibuco, o 53 eo 17 que, como V.
sabe, foi organisado na de Minas Geraes.
O prefer a um do Rio de Janeiro, nio s por
ter sidrido mais na pxnedtcao ao sal da provincia
de Matto (Jro-so cm 1867, como pur se adiar j
no Humayl prompto a embarcar. Vai comman-
dando a brigada que forroain esses tres cornos o
coronel honorario do exercto, Francisco Vieira de
Paria Rocha, que ao mesmo terapo coronel ho-
norario da gnarda nacional e chefe do esiado-
inaior do commando superior da capital da pro
vieta da Baha.
Este oflical suprior organisoue trouxe para
a eamp.-inha piii 1865 o referido bntalhao 40 e o
terh coniroandado al hoje, sempre
estado exercendo commando de brigada
Peco a V. F.\c. que Ibe seja concedida a sa-
tisfacao de condnzi-lo inleiro para sua provincia,
como d.ihi o irouxe.
Vvcommandando nteriuamemr o referido
batalhao o tenenle-coronel de commissao. Pedro
fayma Lisboa.
Vai coinmandando o batalhao 53, o coronel de
commissio, Alejandre de Barros Albuquerque,
ijue j foi commandante do corpo policial da pro-
vincia de Pernambuco e dessa provincia tronxe o
referido batalhao.
E' por fin commandante do batalhao 17 o
tenenle-coronel de commissao Jos Mara Borges.
Ao coronel commandante da brigada deu or-
dem para que desembarque com a forca do sen
commando na capital da provincia de Santa Ca-
tharina e dah pega pelo lelegrapho as ordens de
V. Exc. para que o governo possa tomar as me-
didas que julgar convenientes para preparar o
desembarque desse primeiro contingente na capi-
tal do imperio.
Q desembarque na referida provincia torna-
se de intuitiva conveniencia bygiene e asseo
das pracas, visto que considerado, s diplomticas
nao permuten) verifica-lo em Montevideo.
Deus guarde a V. Exc. Illm. e Exm. Sr.
conselhero de estado, bario de Muriba, ministro
e secretario de estado dos negocios da guerra.
Gustao de Orleans, commandante em.cbefe. v
NAVIOS EM OBSERVACAO. Os navios, pro-
cedentes do Rio de Janeiro^ sao postos de observa-
rlo no porto da Babia.
HOSPITAL *PORTGEZ.- mordomo de assis-
tencia, na pre-enle semana, noste estabeleeimen
lo, o Sr. Joo Loiz Ferfeira Ribeiro.
ESQ'J\BAS ESTRANGEIRAS. O Jortul da
Baha diz que o-nivios de guerra eslrangeiros,
esUicionados no pdrlo do Rio do Janeiro, virio
para o porto da Baha, emquanto durar alli a epl
demia da fehre amarella.
ANMVERSABIO Fazem hoje 62 annos Qne
chegou ao porto da Baha, a. familia real poria-
gueza.
JLLUMIXACODE OLLNDA.Contina a falla,
de compriinenlo das obrgaedes do arrematante
da .diuniinacio da Olinda, sobre ludo as ras
.Nova e prximas. Domingo nao foram acosos os
Unpedes as horas decorridaj entre o oscurecer
e o naseer da la, chamamos para isso a NUencao
de quem compete.
ESCRiVODOJRy.-Acha-se en concurso
com o praso do sessenta das a contar de 19 do
corrente, oofflcio de escrivio do jury e exeeucoes
er:miuaeB da comarca do Recife, vago pelo faHe.;i-
meuio do ser vantuario Joaquim Francisco do Pav-
a Estoves Clemente
DI.MfEIRO.O vapor feraateiro Cflte/ro do Sul
ebegado Aoniem dos portos do sul, tronxe as se-
giiintps (jaant,
Para esiapr-vneia :
Engle.-k Han .of Rio de Janeiro
P. Cirnciro & C.
Parahyba 200000
Ceara 2:7W*K)0
Maranhao 12:100*000
Para 5:6*O00
NAVIO ENCONTRADO. ProeMlli do Ha-
vre, chegou hontem ao nosso porto a barca fran-
ceza Fgaro, que na latitude S. 3* 10' e longitude
0 P. 31 9S, fallou com o brigue Mtxlbars que
de Nantes se diriga a Bourbon com trinia e tres
das de viagem, indo tudo a bordo sem novidade.
LEILO.Hoje as iO horas do "dia effectaa o
agente. Pinto o leilSo de movis, louca e obras de
ouro com brillante, no sobrado da ra do Brum
n. V.
138', a
ca da igreja de Nossa Sen/apra do Livra-
mento" do Rio-Formoso, que corre no da 28 do
crrante.
HOSPITAL PEDRO 11-0 movimento desse esta-
beleeimento de 14 a 20 ao fevereiro, alm de 240
doentes existentes, entraran) 28, sabinm 21, fal-
lecern) 10, existen) 237, sendo 138 homen*. e 99
mulhero.
Advertencia.Foram visitada? as enfermaras
MBS dias as 6 1/2, 6 1/2, 7, 6 1/2,8 1/2, 7, 6 1/2,
pelo Dr. Ramos, as 8 1/2, 8, 8# 1/2, 9, 8 1/2 pe-
lo Dr. Villas-Boas no impedimento do Dr. Sar-
Fallecdos.
Jos Ferreira Xavier ; anemia.
Jospha Maria do Espirito Sanlo>; tubrculos pul-
monares.
Joao Damacf no ; nf. das vlvulas da aorta.
Antonio Morcra ; hypetrophia do coracao.
Alexandriua Maria aa Silva ; tubrculos pulmo-
nares.
Antonio Joaquim da Silva; tubrculos pulmo-
nares.
Manoel Cordeiro ; ttano.
Antonio Mina tubrculo- pulmonares.
Maria dos Prazere* ; enterite clironica.
Franc.-co Duharry ; encephalite.
PASSAGEIROS.O vapor Cruzeiro do Sul, vin-
To dos p. rtos do sul trouxe os seguintes :
Cicero.B. Velloso, Jacintho T. Esmeraldo, Luz
de A. Cavalcanti, Arsenio de Almeida Ca alcanli.
R. da Silvera Fariase 1 criado Luz, Dr. Lopes
de Castro e 1 criado Luiz, Dr. Manuel Jernimo
Goncalvcs, Dr. Jacome M. B. de A., Manael F. da
Silva, lente coronel Alexandre Augusto de Fras
Villar, J. Guedes Alcoforado, Ernesto R de Olivei-
ra V., alferes F. Correia de Mattos, Antonio Eula-
lio M. Jnior, Joao Miranda H. Sobrinho, 6 pracas
invali las, Antonio" (i., Carlos Ernesio l'., J. E..
Amonio X. da Costa, Elidi Pereira Borracho, f.
E. de Souza, J. de Oliveira Guimaries, P. de Aze-
vedo Mello, padre J. C. de Vasconcellos, Manoel
P. Camillo, D. Josepha P. (1, D. Leandra P. Bas-
tos, Francisco N. S. Gusmio, Antonio F. Pihlo, M.
neo, Jos L. dos Sanios, F. A. Lacerda, Forlu-
o Alexandre F., Philadelphia F: e duas sobr-
nhas menores, Joao C. de Mello, Antonio J Mar
tins, Antonio C. Gnsmio, Antonio Elias de A., ca-
pillo Ignacio J. Ferreira Mendes, Thomaz de A.
S., Victorino Luiz Soares, Manoel L. Coelho, Ja-
cintho Jos W Lette, Jos Januaro R., Ignacio J.
Pimenla, Jovine Antonio de C, lenle coronel V.
Alves de A.
Seguem para o norte :
Tenente J.Terreira, Jos Paula Antunes, Carlos
Ribeiro Lacerda, Antonio Honorio Ferreira, 16
pragas invalidas, Candido Jos A.
Viudo de Lisboa no brigue portuguez Ca-
tete :
Antonio de Catro Oliveira.
? CEM1TEBIO PUBLICO.-untuario do dia 19 de
fevereiro de 1870.
Maria, Pernambuco, 30 annos, solleira, Santo
Antonio ; bexigas.
Caelino Tavaros de Azevcdo, Pernambuco, 26
annos. solteiro, Ba-Vi-ta ; tubrculos pulmo-
nares.
20
Major Jo- Uei inonegldo Leal Ferreira, Per-
nambuco, 52annos, casado, S. Jos; tubrculos
pulmonares.
Antonio Maria, Pernambuco, 23 annos, Ba-Vs-
ta ; tubrculos pulmonares,
Mara dos Prazi res, Pernambuco, 27 annos, sol-
tetra, Boa-Vista ; enlerile chronico.
Kredovina Mara dos Prazeres, Pecnapibuco, 21
annos, stlteira, Santo Antonio; catarro pulmonar
chrouce.
Joaquim,Pernambuco, 3 annos, Santb Antonio ;
angina.
21
Raymundo Nonato da Silwira Sonto, Pernam-
buco, 84 amaos, viuvo, Boa-Vista ; apoplexia.
IIircencio, Pernambuco, 8 annos, S. Jos; es-
pasmo.
CHRONICA JUDH'IARIjI.
I Htiltl V AS. O llfcl. %v A.
SESSO EM 19 DE FEVEREIRO DE 1870
PUSmiRCU DO EXM. SR. CO.VSKLHEIRO CAETANO
SANTIAGO.
As 10 horas da maaha, presentes os Srs. desetn-
nargadpres Gitrana, Lourengo Santiago, Almeida
Albuquerque, Molla, Assis, Doiningues da Silva,
Kegueira Costa e Souza Leao, faltando o Sr. des-
embargauor Guerra procurador da corda, abrise
a sesso.
Pausados os feitos, deratn-se os seguintes jnlg-
mentos :
Accravoj>e PETigvo.ggravante, Jacintho Jos
Cabral; aggravado, o juizo.Relator o Sr. desem-
Icm bargadorLoureneo Santiago, sorteados os Sr*. des-
I embargadores Molla e Regucira"Costa.Negou-se
provmento.
Cautas testeminhaveis.Aggravante, Alexan-
drino Muniz Correa Barros; aggravado, o jui-
zo.Relator o Sr. desembargado!' Souza Leao, sor-
teados os Srs. desembarga dores Loureneo Santiago
e Almeida Albuquerque.Deram proviniendo. Ag
grabante, o bario de Una; aggravado, ojui-
zo.Ri-lator o Sr. desembargvdor Girana, sortea-
dos es Srs. desembargadores Almeida Albuquerque
e Muta.Deram provimente.
Appellacoes civeis.Appellante. Josepha Mara
de Sanl'Anna ; aipellado, Jos Cabral de Oliveira
Millo.Despresados os embargos. Appellante, a
prea Juvina; ap|iellado, Joao Ferreira da Ro-
cha.Confirmada a sentnn(a. Appellante, o des-
embargador Figuera de Mello; appellada, D. Fran-
eiaea da Cunha Baudeira de Mello.Dospresados
os embargos.
Appellacoes cmmesAppellantes, Miguel Fer-
reira da Silva e ouiros ; appellada, a justiea Im-
procedente. Appellante, o juizo ; appellado, Izi-
doi o Antunes Bezerra.A' novo jury. Appellanie,
J>ao Severiano de Souza; appellada, a justi-
ea. Reformada a senttnce, o absolvido o appel-
laute.
PASSAGENS.
Do Sr. deseiubargadur Gitrana ao Sr. desem-
brgador Guerra. Appella;des civeis: appellan-
ie, Ernesto Brasil de Mallos; appellados, os her-
deiros de Miguel Alves de Mello. Appellanie, ocu
rador geral; appellado, Manoel Joaquim Baptis-
ta. Appellante, Joao Baptista da Silva; appellado,
Anlouio Ricardo de Mendonca.
Ao Sr. desembargador Lourenjo Santiago.Em-
bargos remettidos: embargante, D. Felicidade Ma-
na de Vasconcellos; embargado, Dr, Antonio de
Carvalho Raposo.
Do Sr. desembargador Loureneo Santiago, ao
Sr. desembargador Almeida Albuquerque. Ap
pellaeoes crimes: appellante, o juizo; appellado.
Amonio Joaqunp do Nascimento. Apoellanle, Ja-
Bialil i, eseravo; appellada, a justiea. Appellante,
um Rodrigues Cavalc.nte; appellada, a jus-
peacio civel: appellante, Jos Antonio dos Santo.-
Oliveira ; appellado, Francisco Severiano de Mo-
raes Correa.
Do Sr. desembargador Souza Leio ao Sr. des-
embargador Gilirana.AppellacSes civeis: appel-
lante, Herculano Francolino Cavalcante e Albu-
querque; appellado, ManoeU Elias de Moura. Ap
pellanle, Francisco Alfonso do Rogo Mello; appel-
lados. os herderos de J'>a Joaquim Ttieolonio de
Mello.
Delicexcu cnisn.Ao Sr. desembargador pro-
motor da jostra.Appellante, Delflno Cavaleante
de Albuquerqoe; appellalo, o bario do Vascon-
cellos. Appellante, o juizo; appellado, Francisco
do Nascimento Cavalcante. Appellante, Manoel
Joaquim de Lima : appellado, o juizo. Appellante,
Jos Severino Garca; appellado. o juizo. Appel
lante, o juizo; appellado, Marcoluo Jos dos Pra
seres. Appellante, o juizo; appellado, Cosme,
eseravo. Appellante, o juizo; appellado, Candido
Rodrigues Bezerra.
. Dbugencia civel.Ao Dr. curador geral: ap-
pcllaules. Joaquim Ribeiro de Moraes e outros ;
appellados, Manoel Pereira Magalhaes e outros.
Assgnou-se da para julgamento dos seguintes
feitos:
Appellaqao crime.Appellante, Joio Severane
de Souza; oppellada, ajustica.
Appellacao civel.Appellante, a fazenda; ap-
pellados, Joaquim Lopes de Almeida e outros.
A' 1 boras da tarde eucerrou-se a sessio.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Mofina.
O despreso que mt rece um certo Cacique, que
ornado com uina grande chapa de bronze penda-
rada por meto de urna forte sola com o corres-
pondente n 37 no cohete, apoiando se no compe-
tente barril, dando gritos disformes pelas antigs
ras de Lisboa, j por ter subido dous degros da
escada social, er estar a par coin aquelles, que se
nio tiveram aquella educacao que se ama com
pleta, seus pas deram lhes acmenos os principio:
a que se Ibe d o nome de inslruc(io primaria,
com a qual nao confunden) o I com o G ; ser
bom que o dito carcamanjo se importe mais com
aprender a fallar ; pois de certo nio est multo
corrente na sua algarvia do que conslituir-se in
telligente em materia que nunca vio, e oceuparse
da vida de quem nunca se leo brou dello nem
para certo e seguro deque se Catinga Vbr-
melha continuar a oceupar-se da vida particular
do Molequb sabe tdo, olhe que eolio ser can
tadoein prosa e om verso, porque afortunada
mente sem querer estou munido com os compe-
tentes papeisinhosbiographicos de sua alta posi-
cao e altos cabedaes que faz gosto.
Ag ia de Leclielle
Poderoso hemosttico, peitoral renovador
do sangue.
Mu vantaoso as hemorragias pulmona-
res, do estomago, do tero e de qua'quer
outro orgo.
Deve ser usada na dose de duas colheres
do sopa tres vezes por dia.
Plinrmacia Central, ra do Imperador
n. 38. (3
Agua de Florida de Hurray e
Laman.
Est com urna rapidez espantosa transmiltindo
e entregando ao negro csquecimento urna chusma
deesnenciaa e aguas cheifosas pira o toucador,
as quacs nem que se 'diga, leen servido d'nin.i
mseravel deshonra ao gabinete de toilet, o d'um
despresvel desgosto toda- as ptssoas de refia-
do gosto. Alm de ser menos expendosa do que
os extractos e essencias europeas, t Ha a mais
pura e delicada esscnci floral existente, o til j
como um expeliente nieio bygenico possuindo su-
perior qualidades cosmticas; e finalmente ja co-
mo delicado o aprasivel adorno odorifi-ro e deli-
cioso. I".' um mimoso e delicado JtompostG de til-
do quanlo til, ao que ha de mais agradacel.
Para os senhures que soffrem de rritacao c arden-
ca da pello causada pela manipulaba i da navalha
de barba, usando deste balsmico e refrigerante
perfume, diluido em agua, enconlrarao nello a
virtude.modificante, o antidoto necessario, servin-
doao mesmo lempo, debaxo desta mesma forma,
como um mew excellenle de dissipar o gosto e
cheiro que Oca na boca depois de se haver fu-
mado.
MOVIMENTO DO PORTO.
Minio entrado no dia SO.
Lisboa30 dias, brigue portuguet CtHt, de.M
toneladas, exilio Jos Januario Aa-Cosa, fom-
pagera 14, carga vinho e outros gneros: a Eu
zebio Raphael Rabello & C.
Naeiot entrados no dia ti.
Portof do sul6 da? vapor brasileiro Cmzein.
io Sul, de 1119 loneladas, commandante Joa-
quim P. Guedes Alcoforado, equipagem 6\, eav-
ga differenles gneros ; a A. L. O. Azemlo.
Valenca 34 dias, falucho hes|ianho) tmza,
de 78 toneladas, capitio D. I. 1). Detneiieth.
equipagem 11, carga vinho a l'edro M:iur\
Havre por Dartirr.outb-55 dias aA,40do f por
to, barca franceza Figaiv, de MMInMladas.aqni
pagem li, carga dilTerentes gneros; a Eduardo
Burte & C.
ECITAES.
O Dr. Francisco do Assis Olveira Mnciel, cava-
leiro da ordem de Christo e juz Je dlrctr A
i* vara criminal desta comarca do Recife. por
S. M. o Imperador etc
Faco saber, que achsndc-se vago o .
escrivio do jury e cx.cucoes criininaes desta 4b-
marca pelo fallec cenlo dj serventuaro Joaififca
Francisco de Paula EMeves ClementP. o qnal uCTi-
cio foi criado pela loi o. 261 de 3 de dezeiubrc
de 1841, convido pelo presente a quem pretender
lito offirio a apresentar neste juizo no praso i>
sessenta dias, contar da data deste, sua pap-
datada e as-ignada pelo pretendente ou^seu pnv
curador e acornpanhada de cerlidio de idadto >-
Iha corrida, exime de suflicienca e mais docn-
inenloj que eniender convenientes, sendo todos
devidamente sellados, na conformidade do deere;<.,
n. 817 do 30 do agosto de 1831.
E para que chegue ao conhecmento de lodb*
mandei passar o presente edilal, que ser publica-
do pela iraprens* e aflizado nos lugares do eos-
turne.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos r
de fevereiro de 1870.
Eu Manoel Antuues Correia, escrivio interino
escrevi.
Francisco de Assis Oliccni Macie.
Faculdade de direito
do Recife.
De ordem do Exm. ?r. director so faz pmMec
por esta secretaria, que os alumnos dosta faculda-
de, da data deste em dame, poderio pagar a tasa,
da le que serve de abertura aos trabaUvB il
anno lectivo.
Sfcretariadi facoldade de direito do Rccifel
de fevereiro de 1870.
0 officihl no impedimento do secretario,
Manoel A. dos Pasaos e Silva Jnior,^
21 seceo Secretaria da presidencia do Per-
nambuco em 21 de fevereiro de 1870.Pola seen?-
laria da presidencia se convidan) aos Srs. Amone
Germano Kigueira Pinto de Souza, Reroardit tt\
Senna Dias, Manoel los de Oliveira Miranda, An-
tonio da Costa e S, Leopoldino Antonio da Pon
seca e Manoel Silvino de Rarros Falco irea tu-
mandarem reparticio do correio sati'lazer ws-
poales do suas petieos encininliadas>^.o goverer.
imperial por intermedio do minl>terio da Justi-
na.O oflical-raaor no impedimento do secreto-
rio,
Antonio Aunes Jacome Pires. -
COMMERCIO.
II. <> til, y & c.
I). Ferreira I! litar
E. II. Rabeho Je C.
J. J. de Araujo Janior
F. R. P. Guimaries
Keller t C.
A. G. .Vello
M. F. Rasios
A. F. de Olivaira 4 C.
J. A. de AlhayJe
J. J. G. Beltrio
Veras & Rirhedn
Para as provin#-
120:000*000
llo.OOOlOOO-
34:1822910
28:084 000
3:42l560|
:000 00
1.29UI60
l:lfi44:
1:600'
i.tms
61*000
^w iSOj'JOO
Tt0O0
2001000
do nono
Sr. d'scaibargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Multa.-Appellacoes crur.es:
appellanie, o juizo; appellado, Antonio Loureneo
Gomes. Appellante, Virginio Luiz Pereira; ap-
SBllada, aJusiiea. Appellante, jnjio; appellados,
auoel Alves de Aratijo e uniros. Appellante, o
juizo; appellado. Jos Lop-s daftlva. Appellacio
civel: appellante, Antonio Frauefseo Muniz de Mi-
randa; appellada a fizemla.
Conflicto de juoismcaoEntre oajoizos' muni-
cipal e o dos feitos da fazenda dajsidade da Para-
Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desembarga-
dor Domingiies da Silva.-Appellacoes crimes:
appellante, Manoel Alves de Luna; appellada, a
justiea. Appellantes, Marcolino Jos de & o u-
tros; appBada,ajuga. Appellacoes civeis: ap-
pellantes. Amonio Velho de Oliveira e outros :
appellado Pedro de Barros Cavalcante. Appel-
i SfcV Alves e 00,ro8>' appellado, Manoel
LufilPereira Brandao.
Da de apparecbh.Appellado, Joao do Azevedo
ereiraj appellauu, Arcurso Luiz Goncalvcs Fer-
reira.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao Sr.
setnbargador Souza Leao.Appellacao cml;
ote, Gorgonlo Jos Vanna; appellado, Mi-
guel dos Aojos Goncalvea. Caldas.
Do Sr. dceinbargador Regueira Costa ao Sr.
oaigador Souza Leao.Appcllae>s crimes :
appatiante, Manoel Felippe do cascimento.; appel-
Migoel Claudmo dos Sanios. Appellante, o
; 3ppellado, Sebastiio Alves de-Lima. Ap-
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Descoita lettras da pra?a laxa a con-
'endonar.
Recebe dinheiro em conta corrente hia
i raso ixo.
Saca vista ou a praso sobre as cidades
prlncipaes da Europa, tem correspondente?
ia Bahia, Buenos-Ayres, Montevideo. New-
e New-Orleans, e emitte cartas de crdito
para os raesmos lugares.
RA DO COMMERCIO N. 36-
Sociedade bncaria
em com mandila
Theodoro Simn Sf C,
Compram e vendem por coftta pro
pria metaes, moedas nacionaes, e estran-
^eiras, letras de cambio, sedulas do go-
bern e do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e outros ti
tulos commerciaes.
Encarregam-se por conta albeia das mes-
uas transaeces, da col/ranea de letras i
erra e de oujros ttulos commerciaes.
Rccebem quaerquer quantias em depo
Largo do Pelourinho n. 7
Caixa Filial do Banco do Brasil
em ernambueo, em liqui-
daqao, 7 de fevereiro d^
1870.
Por ordem da diretoria do Banco do Bra-
sil se faz publico que no praso de trinta dias
a contar da presento data ser5o levados
leilo os ttulos em lquidac5o e mais div
Jas constantes da relaco que existe na
mesma caixa aonde'poder ser examinadas
oelos pretendentes.
DE8LARAC0ES.
Santa Casa da Misericordia
' do Recite-.
A Illma. junta da sania casa da misericordia d.
Recife, na sala de suas sessoes, pelas 4 horas *:-
tarde do dia i do corrente, recebe propoktaa ^ar.-
o fornecimento de assucar qnojiver de oon-asair
0 hospital Pedro II nos mezes de margo a maii.
vindouro, sendo dito fornecimento pago coro 4-
nheiro vista.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia \
Itecife, 18 de feveiciio do 1870.
O cscrivao,
.___________Pedro Rodrigues d Souto
ius|H)Clor interino da alfandega, ero nrtu-
de da portara da the-ouraria de fazenda n. 588 di
23 de dezembro do anno prximo passado, faz fa-
buco que no-dia 22 do correnu. depois dateM
dia, e a porta da inenna reparti, seria I mAto
a hasta publica, livre de direitos, un guindas'
c o madeiramtnto exlrahido da ponte do algo.
que se est reconstruindo. como abairn se dVeff-
ra, J'randi a arre atacan dependente da a| vac.50 do Exm, presidente di provincia, a sabir :
1 guindaste, 4i encbams, 49 tabeas de amar
70 ditas de forro em o estado, e 13 travs, ai
liado tudo em 29IJOOO.
Alfandega de Pernambuco 18 de fevereiro i
1870.O inspector interino,
Luir, de Camino Paes de Andnvia.
Declarapao
Por ordem do Illm. Sr. conego, director-, so fe*
publico, que contina abarla a matricula par***
aulas do 1" anno da escola normal atu di 28 A
cjrrente. Sao conduces para matricula :
Io saber ler, escrever e contar.
2* ter 16 annos de ida*.
'\ atlestado de nao ter sido c.mdemnado p-
crime olensivo relgiao do, estado, ou i irwrai
publica.
Secretaria da escola normal de Pornambuca Mf.
de fovereiro de tW%.
O secrelaFio,
_________________Kzequi8l Kranco de S.
Vicecnsulado de Espaa ene
Pornam buco.
El vicecnsul de Espaa, como ropresentanfe-
legal del espolio del subdito espaol Don Atrain
Mouerrt, por el presente, llama loTaereA.
res y deudores del mismo, en esta Ciudad, y e-i
la de Parahyba del Norte, presentar, en etUfc,.
de 60 das, cenlar del do esla fecha, sus irne*
tas debidamente legalizadas, para ser eesaiiaa.
das y pagadas, y aquellos deudores que ruann
omisos, les ser hecho el cobro judicialmente.
Pernambuco, 19 de febrera de 1870.
El vicecinil de Espaa
Juan Busn.
ALFANDEGA.
tiendimentedodial a 19. .
Mero do dia 21......
070:069*100
'2:5614699
712630/790
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
'olumes entrados com fazwdas
dem idem com gneros
/olumes sahidos com fazendas
dem idem cora gneros
183
746
------9W
ol
130
18*
Descarregara hoje 22 de fevereiro.
Barca ingleza trillianlemercaderas.
Patacfip portugue.Variamercadorav
Patacho americano Lizzei II. Kinibull idem
Barca francezaAdeibiit-m.
Patacho a nericanoJan Chryslal dem.
Barca ingloza Sirala Floridaidem.
lECEGKOUlA DE RENDAS INTERNAS E-
R AESOE PERNAMBUCO.
^endimenw dodia 1 a 19. 4V.8'>U471
dam do dia 31....... 6.219*309
Vlce-consula lo de Hespanh::
em Kf rnambae >.
O vice-consul de Hespanha, como represeni.ini.
legal do espolio do subdito hespanbol Dom Att
nio Monserrt, pelo prsenle, chama aos credow
e devedores do mesmo, ncia cidade, e na da Pa-
rahyba do Norle, a apresentar, no praso dn 6
dias,va conlar do desta data, suas contas devida.
ment logalisadas, para serem examinadas e p
ga;-, o a aquellos devedores, quo furea).oni-si>
lhes ser feta a :ohranca judicialuiente.
Pernambuco, 19 de feveniro de 1^0.
O vicecnsul de Ilespanb.
* Juan Busim.
Santa Casa de Misericordi.
do Recife.
, A Illm. junla da santa casa de miseitaardia tk .
Recife, pelas 3 horas da tarde do dia 24 di cor-
rente, na sala de suas sessoes, receb? propo?ra-
para o fornecimento da carne verde rjue iw,.
ae. consumir todos os eslahelecinientrs plus j
cargo, no mez de marco vindouro.
Secretaria da Sania Casa de Misericordia-do N*- >
ci.e 21 deferereiro i*o 1870.
O eseriviw,
Pcdiv lio-I,-/-/i, r.? aw6o'*ta
reguer
o 1:070*780
ecdioiento do da 1
dem do dia 21. .
lNJLADO PROVI.N'CAL
a 19.
93A599
12:033#S4t
I3f32?4
Pela subdelegada de polica.
S. Jos se fazpp lico, que foram
cavallo com caut ..llia o um bui rg, < i
gar com direito provando. Ibe s
Recife, 18 de .'Iverero de W7Q,
0 subdelegado.
'____________Antonio Moreira de '
do
tdaniistra?o
Pernambuco
de iao.
rurreiof t d.e fevereSr^.
Mala pulotfjpous Giqui e f>i
ta Pernarobucaj
A rorrespoip.m.,J que tem d
menciuna
Penedo, e pnn lo Norte,
nesta admidWO"aoIo da maneira segnino :
Cartas a registrar, jornaes. e outros impre
^
WBIBB^V
inH





I
Oario de Peraambaco Ter^a teln 22 de Fevereiro de 1870.
ioras da tarde
sartas ordinarias at a* 3 horas ; de i
pal
#teuplo. *
O adminislrador.
Alfonso do liego Bono*.
utas regstralas existeutes na ad-
mimstrarao o correio desta cidade.
Aiitomo livinho da &lva, Antonio Euolidfs da
W'/etra ,abr.el Sonres Raposo da Cmara. Her-
wbww Scrates Tavare da Vasconcelos, Joa-
ftrnard de Mendonca, Jos Ainat, padre
", Manoel Ribeiro Fernandos, Ricotas la-
na
Italiano).
THEATRO
DA
CAPNGA.
Juara feira 23 do corrente.
Grande e variado
ESPECTCULO PASTORIL
SAI dlrec^
DO
Artista dramtico
MDRO BAPTISTA DE SANTA ROSA
IBM recita definitivamente em beneficio
/ toras que compoe o seu cordo.
DM que a orcheslra, (dirigida pelo aseas dis-
:to professor Francisco Libanio Colas Filho)
atar execulado nma de snas niais brilhantes Ou-
turas abril -.--lia a vena com o toque de alvora-
'3 de^empanhado pela mesma orchestra, no fim
o qiml sroira a scena o VAUDEVILLE PASTOItIL
-M grande espectculo, ornado de arias, coros e
(aneas em dons actos o mesmo que foi scena
i) thealro do Santa Isabel em 1863, que Untos
i|il;asus moreceu,
Xesto vandoville tomam parle todas as paatoras
" .'ate urna canta a sua aria.
ERSOSACESS. jovBNS.
F). Rosa Emilia.
I). Lourenca Justina.
D. anunciada.
D. Antonia Elisa.
I). Laura da< Neves.
D. Maria dos Res.
D. Mara Carolina.
D. Francisca de Paula.
1). Joaquina Peixato.
I). Igncz Maria.
Sr. Santa Rosa Filho.
Sr. Guilherme Ferreira.
D. Gliceria F. Paschaa.
Ba um dos intermita todas as pastoras dansa
' o urna linda contradanga campestre ensaiada
-ipi i-liosamente pelo Sr. Manoel Baptista de
- taza.
COMPANIUA PERNAMBfJGANA
Saveg*gdo costara por vojapr
Macei, em di^itura e PenedoP
.O vapor iante Costa, segui-
r para os pgrtos cima no dia 22 do corrente.
as 4 horas 4a tarde. 'Recebe carga at o dia 21.
encommendas, pas^ageigelros e dioheiro a frete
at as 2 horas da tarde do dia da sahida, ao es-
ftrrptono do Porte do Matto n. 12.
rara Lisboa.
0 brigue porluguez Orarense, capillo A. B. Car-
neiro, recebe carga o pawageiros : trata-se com
os consignatarios E. R. Rabello 4 C, ra do Com
mcrcio n. 48.
Para o P rto
Sahira al 23 do crrente a barca portugueza
ttaudmn, de 1 marcha, ainda recebe alguma ear
ga e passageiros, para os tiuaes tem excellentes
commodos : a tratar com Cunha Irmaos & C,
na da Madre de Dos n. 3i, on com o capitao n
bordo
COMPANHIA PEUNAMBUCANA
M
Navegado costelra por vapor.
Goienna.
O va.pt r Panthyha, seguir para k>
porto cima no dia 26 do corrente,
._ as 9 horas da noite.
R cebe carga, encommondas, passageiros e di-
nlieiro a frete no oseriptorio do Forte do Mattos
n. \i.
ser enVtuado ao meto dia do dia 83 do corrente i
na sala de entrada da Agsocacao Commercial.
UILiO
de 18 caixOes com latas com
aztitonas
HOJE.
. O agente Pestaa far leilo por coula o risco
de fjuein pertencer, de 18 eaixoes com latas con-
tendo azeitooas, as quaos serao vcfrdidas em um
ou mais lotes, ventado flo licitante, lerga-feira 25
do corrente, ib 11 horas da manhaa, n armarera
Jo Anne?, defronta da alfandega.
w alguas es4^H
zer soesearte, queira
n-28, 1'andar.
Attenco
j//ra,
a f
w* aajnu do Apollo |
fU hJu*0'5*'46 "ia**af um '"aro para o servioo ,
?l??"Lj^roa_es]rtiU do Rosario u. 36. '
oc7aZlffJe urBa *rm:*> de taberna com seos
KrTw?.*"' propna pir'' lrnci|>iante : quem
c,onfqu1emJar.rU1,'0^r ** -3ta
mosito m piis
R/T DA IWPERATRI2 9
1
' iquel, pastora___
'uth, idvm........
. ;".dit, idem........
Meina, idem.......
" ise^jdem.......
ci|:a. idem......
alia, idem.......
ene, dem......
ra, idem........
11, idem......
--ther. volca.....
. pastor.......
ii aojo
Porto.
Vai sahir breve a barca Laura para carga
passagerros, trata*se com os consignatarios Carva
Ino 4 Nogueira, na ra de Apollo n. 20.
"PRASBOF
a barca portugueza Gratidao> dever seguir con'
a menor demora possivel ; para carga e passagei-
ros trata-se com os consignatarios Oliveira Filhof
4 C.,_na lauto du Corpo Santo n. 19, ou com <
capitao na praca do comttiereio.
Para o Porto
a barca Flor de S, Simao sahir brevmente, por-
qae ja tem parte da carga engajada : para o resu
e passagens, trata se com 03 consiguatarios Car
val lio 4 iXogneira, na ra do Apollo n. 20.
De di versar-vinhos, latas com ervilhas,
salpicoes, lingu^as e conservas etc., e
roupas, 10(| queijos de Minas.
Qaartd-feira 23 do corrente.
O agente Pestaa far leilao por contatle risco
de quem portoaper de d versos viohos, conservas
alimenticias e dTversas roupas para camas pro-
prias para hotel cmo sejam lenges de linho e
algodao, cobertatfronlias etc., no dia quarta-
feira 23 do crreme pelas 11 horas da nianha
no caf commercial larg.1 do Corpo Santo
LEILAO
(iataberaa sita a' rua claC'on-
ceiqaon. 11.
O agente Pontual vender em leilo a reque-
nmento dos depositarios da massa fallida de An-
tonio Agosiinho Seixas da Fonseca, por mandado
do Exm. Sr. Dr. juiz de direito especial do cum-
merclo, a armac-ao, gneros e movis pertencente.
a mesiua massa, sendo elTecluado o leilo em dU
versoslotea vontade dos licitantes.
Qainta feira 24 do corrente.
Na mesma taberna, as II horas, dever ter lu-
gar o leilan.
o eu escriptorio oa na das Trin-
xeiras n. 50, andar.
Atten^to
tratrC^,Se d* om caihe'ro ou cazinheira
tratar na ra Nova n. 13.
2.p. e JoH' E'teves Viana convida familia,
P^ M amis')' do ,inado Jn? Antonio dos San-
7 12 p!,ra a^i<'ireni a missa que tem de ce-
leDrar amanhaa, 22 do correte, trigsimo dia do
jo" j "2?2IK2. |,c,as 7 bora8' na "J8 de s-
O proprietario dese-yubeleciflienlo acaba de receber'on
fnra,'an0S ^ 8fcraadolfabr'* Ujn, entre os ,,uaes tem algaoTSs de S.
formato e contem mais de que sote oilavos. ^ giwo*
0 proprietario deste estabelecitmnto offerece so publico tnaierps vanta#eti,
qoo oulro joalqoer, fazem-se todas as qualitiades de concertosTaSK?23!T.
elhor symn como naior esmero e promptido powive ef.
JCRNAVAlT^
Os enlhusiastas deste grande brinde* que quizefem muirse de um bo-
bomto domino, dirija** ao armatem de Go.es, Silva 4 C. onde encontrarlo m
sortlajeato de dminos de Teto-do, que ^endem por
todo e variado
commodos.
precos nnitf
ram
ywifios no mmm
fa:,, -^ dornMI03 Relmente podereis eseolher vossa satisfac porqne ft>-
fettos capricho por eximioa artistas. v-v^i^ww
Precisa-se de urna ama para casa de pouca fa-
lla : a tratf-
gundo andar.
ilia : a tratar na rea do" Livramento'n. 23 s
Terminar o espectculo cota o coro da deSfte-
la. r
resto dos buhles csiao a disposicao do res-
I publico em inao da bflneflciada'e do Santa
roa Je Santa Isabel n. 13 e no dia do espec-
to 110 dito llicatro.
Para o Porto.
A barca portugueza Flix pretende sahir com
muita brevidado e para carga e passageiros trata-
se com os consignatarios Tliomaz d'Aquino Fon-
AMA
Arma
ruado Vigario n. 19, 1 andar.
Rio de e/aneiro
Sabe para o referido porto em piucos dias (
patacho Guilhermina per ter quasi todo o seu car-
regarnento engajado, podendo ainda receber c
pouco que llw faiu e miudezas, assim como es
cravos a fete : a tratar com o consignatario Joa-
quim Jos Golcalves Beltro ra do Commerck
n. 17.
llaraaho.
A oi.'iina.Groryana; s.yac para o Maranhao
s mto das, tem a> maior parte do carrega-
prompto : quem qnizer engajar earga a
trata-se desde j com os consignatarios Tas-
n laos ft C.
Para Maranhao e Para
" I Sanio Amaro, capitao Caeta-
Idves l vas, pretende seguir com a maior bre-
idade possivel para Mar#nho e Para, por ter
da carga promta, engaja-se a -iue precisa
s, a tratar com os consgnala-
Marqu Barros 4 C, no largo do Corpo
nto n. 6. i- andar.
GUMPANUIA PERNAMBUGAN/
DG
%'aTega^ao costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, .carac e
Granja.
*T?y ^ vapor fpojuca, eommandante
-j Moura, seguir para os portot
'iaac cima no da 2 de marco as 5 hora;
tarde. Rece carga at o dia' 1, encom-
ias, e passageiros o dinheiro a frete at a>
r. res da tardo do dia da sahida no escripto-
> do Forte do Vtmtn. 12.
COMPANHfA PERNAMBCANA
DK
\ftvega?o eosteira por vapor
M JV O vapor Mandah, commandante
-4ak'i|L *"''0' ^^iiir para o porto acmano
^tiaiiBB dia 28 do correte as ti horas da
Recebe carga, encommendas, passagei-
dinheiro a frete at *s ;i horas da tarde
a da sahida : escriptorio 10 Forte do %tos
"TOPAIIA BRASILERA
DE
Paquetes a vapor.
lortos do norte esperado
at o da 27 de fevereiro o vapor
Arimos, commondante o primei-
rs-tenente J ('.. Duarte, o qual
depois da demora do costume
r para os portos do sul.
desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
a que o vapor poder conduzir, a qual dever
imbarcaJa no dia de suachegada. Encommen-
dinholre a frete at as 2 horas do dia da sua
la.
Nao se recebem como encommendas seno ob
is de pequeo valor eque nao excedni a dua.'
.robasde peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
t'udo que passar destes limites dever ser embar
1 como carga.
I'revine-se aos Srs. passageiros, que suas pas-
ns s se recebem aa agencia ra da Cruz
piimeiro andar, escriptorio de Antonio Lui;
- Oliveira Azevedo4C.
Na agencia nao se recebem cartas, os
itoressados devem leva-las ao correio.
Para o Po< to.
Pretende seguir o mais breve possivi I para o
Porto a barca poriu ueza S. Manoel II, capitao
Jos Antonio dos Santos, recebe carga a frete e
passageirof, a tratar com Marques, Harros A C,
na inaca do Corpo Santo n. 6, 2 andar ou com
o capitao a bordo.
Para'
Pretende seguir em poneos dias pare o indicado
porto a barca portugueza Despique II,. por ter a
maior parle de seu carregamento prompto, epara
o restoque Ihe falta, que recebe a fretu muito ba
rato: irata se com o consignatario Joquim Jos
Gonetlves Bellrao, ra do Commercio n. 17.
Para o Porto
a Carca pnrtogneza Novo Silencio seguir con
a brevidale possivel; para carga e passageiros
trata-se com os consignatarios Oliveira Filhos 6
C, no largo do Corpo Santo n. 19, ou com o ca
pilo na praca do commercio.
Ilha de 8. Miguel,
0 patacho portnguez Jeorgense segu com mui-
ta brevidlde para o porto cima ; ainda recebe
alguma carga frete, bein como passageiros pa-
ra os quaes tem bellos commodos : a tratar com
o seu consignatario, Joo do Hego Lima ra do
Apollo n. i
LEILAO
Mauricio Jos dos Santos Hibeiro estobeltcido
com casa de penhores praca da Indeqendencia
n. JJ, Tara leilo por intervencao do agente Mar-
tins, no da 2i do corrente, de todas os objectos de
ouro dailos em penhor constantes das cautelas
r^y-n18^7'33'34'38'39- h 59, 61,66'
67, 7 B 9 B, 10 B. 12 B, 20 B, 22 B. 23 B, B
i6 B.47 B: 48 B, SI B, 61 B, 63 B. 66 b/c t.
7i B, 7o B, 78 B. 83 B, 90 t, 93 B. 9i It 99 K
19311,109 B, 113 B, 113 B, 116 B,l4f;'l33B
137 B, 139 B, 143 t, 146 B, vencidas e nao pa-'
gas podendo seus donos resgatar os objectos ou
pagar os juro que esto devendo at o acto do
leilo e a vista da cautela.
Precisa se de ura^ama p.a engommar: na
ra do Aragao n. glTl" andar.
Precisa-se de nm caueii-r,|o.e tentia pratica
e taberna, prefero se estrangeiro, de 14 a 16 an-
nos : na ra Imperial n. 216.
Manoel de Sotna lavares vai a Europa tra-
tzr de sua saude, e deixa por sous procuradores
aos srs. Antonio Tavares Ferreira, Joo Jos de
Mcdeiros Mello o Manoel Jos de Paiva Pinto.
AVISOS DIVERSOS.
Cozinheiro.
Offerecese dons moco?, um para escriptori*'
armazem ou ra, armazem ue estiva, com as ha-
bihtac&s. necesarias, falla, escreve e traduz fran-
cez, sabe latim e tem pratica de contabilidade e
cscripturaco por partidas dobradas, e um de 12
annos para loja de fazenda?, dando fiador a sua
conducta o que se responsabilisa) : quem do seu
prestimo precisar, dirija-se a rna do Cabug n. 1
que se dir com quem se deve tratar.
Correi
10__Eua Nova__l
de fazeadas e roupas felfas
PEKFUMC INEXTINGIVEL.
PaUA O LEVftBv TOICADOB, E Ba.VW.
na
1 recisa-se de um cozinheiro paga-se bem
litraria franc.eza rna Oo Crespo n. 9.
Aluga-.se por mez ou por anno urna boa casa
na ra da Mangueira da povocao do Poco da
Pane% a primeira do lado esquerdo, indo-se do
Caldeireiro para o Poco, pela mesma ru trata-
se na dita casa ou a ra do Oueimado n. 46 1
andar, das 9 horas d; martina as )> da tarde.
LEiLOES.
Para o Porto.
Vai sahir com brevidade a barca Portugueza
rio, de primeira marcha, por j ter grande
irte da .carga engajada : para o restante e pas-
3 tratase com Balthar Oliveira 4 C, ra
> Vigario u. 1.
LEILAO
-io inoris, louea, vldros e al-
guinas obras do ouro com bri -
1'.; antes.
Terca-feira 22 de fevereiro.
A SABEB :
Urna mobilia de Jacaranda com 1 sof, 1 mesa,
2 cuisolos, 2 cadeias de bracos e 12 de guarn-
cao, i quadr s, 1 caixa de msica, 2 espelhos, 1
mobilia de amarello, 2n5adeiras de bataneo, 1
guarda vestido, 1 guarda roupa, 1 secretaria, 1
santuario, 1 lavatorio, 1 guarda louca. 2 marque-
zas 1 commoda, 3 venwianas, 1 cama de ferro,
Sternis de bandejas, louca de differentes qnali-
dades, copos, clices e garrafas Dnas e 1 rice es-
pelho c urna espingarda, 1 revolver e dilTerenles
obras de ouro com brilhantes.
HOJE.
No P andar do sobrado da ra do Bmm n. 73.
O agento Pin o levar a leilo por conta e or-
dem de urna familia que mudou de residencia, os
mjveis e mais oDjectos cima de-criptos existen-
tes no sobrado da ra do Brum, onde se efectua-
r o leilo no uia cima dito.
Principiar as 10 horas,
LEILAO
De urna apolice da sociedade commandi-
taria de Theodoro Simn A- C., na im-
portancia de 5:000$. e urna parte no
engenlio Barra em Santo Antio no valor
de 3:000$.
<|uarts-fetra 3 de fevereiro
ao meio dia em ponto.
Em frente da Associaclo Commercial.
O agente Pinto levar a leilo a requerimento
do curador fiscal da massa fallida de Luiz de
Oliveira Lima Jnior e por despacho do Illm. Sr.
Dr. juiz especial do commercio, os bens cima
indicados pertecenles a mesma massa, o leilo
(XSTITUTOARrilEQLOGICO E GE06KAPHIC6
PEHMANO.
^eguuda couTocaco de assom-
bla geral para eleices.
Nao bavendo eompareciJu assembla
geral de 13 do corrente, numero suficien-
te de socios, para ento se proceder a elei-
co da mesa administrativa e das comrais
soes diversas que lia o de funecionar no
anno acadmico de 1870 1871, sao de no-
vo convidados todos os moittiros do Ins-
tituto, qnalquer aufl soja a caihcgoria que
pertencam, para se reuniem-em aMerabla
geral qninla-feira, 21 do corrente, pelas i I
horas da manhaa, aHm de se eftectuarem as
eleicSes addiidas.
Secretaria do Instituto, 21 de fevereiro
de 1870.
Secretario perpetuo.
Jos Soares d'Azevedo.
A tenido.
Precisa-se para o Rio Grando do Norte de nm
bom forneiroe um mostr de inasseira, que sejam
ambos peritos ueste trabadlo, emhora se pague
a rrat' r com Tasso Irmaos & C, ra do
Gratificado 5^000
Dessppareceu uo da 16 do correte a Unle um
carueiro todo branca, que largou-je atraz de um
casorroenao tornou mais. Koga-se ao Sr. que
o tiver de o levar na larga do Rosario, pada-
na n. 46, que se liic licar niuilo obrigado.
A'fTENCAT
A MU AFAMADA
AGUA DE FLORIDA,
DK
III It i! t V tft LAYHiX.
He o mais delicado e mimoso^eao mos-
mo tempo o mais estave) de todos os per-
o oa ou sa do jauro foi embarca- fumes, e encerra em si, no seu maior au<^
do no Recife a bordo da barcaca Ba Sorte de excellencia, o proprio aroma das verda-
ESfSL^-...*!?? dc- n.arrero> ? deiras flores, quando ainda na sua flores-
fragancia natural). Como um meio
barns com sardinhas, cujos nao tem desti- cenci
;ia e
bem :
Amorim n. 37.
Ama de leifce.
Precis-se de urna ama dn leito : na ra do
Queimado n. 49, rival sera Mgundo.
AVISO
aos
OSr. Ja-e Joagalm Mirrocos Pereira, tem
urna carta da cidade do Porto : na rna do Vigario
n. 19, 1 andar.
compradores do sitio da Porta d'Agua
do Moateiro.
A estribara, c.:cheira, casas para feitor e escra-
vcs. mais duas pequeas casas em urna ra,
que fazem parle de um sitio na Porta d'Agna do
Monleiro, hoje pertencente aos herdeiros do finado
Florencio Jos Carneiro Monteiro, esto edificados
em terreno de propriedade do abaixo a?signado,
e em litigio por seren d apropriadas, cuja aeco
corra pelo juizo muni'-ipil da 1 vara, devem de
renda perto de dose annos a 2.j'0 por anno, e o
abaixo assigoado nao d consenlinjeoto para trans-
ferencia de fndeiro. llecife 19 He fevereiro de
lo/O.
_______Symphronio Olimpio de Queiroz.
no algnm, quem fer seu dono o der stgnaes seguro c rpido allivio contri
certos na ra do Pilar n. 99, Ihe sero en- cabeca, nervosid;
treges pelo ab ixo assignado depois de
pagar as despezas.
Recife, 18 de fevereiro de I8T0.
Alfredo A. da S. Freir.
3b$ a feitor.
No Corredor do Bispo, sitio o. 31, paga-se 354
monsaes com cama e niesa a nm feitor para um
pequeo sitio.
O abaixo assignado avisa ao publico que lendo
obtido licenca 4 Exm. Sr. conselbeiro inspector
da thesourana da lazenda geral, para vender .-
tampilhas em sen estahelerimento a rna do Ci
n. 23. pelos mesmos precos que se vendem na re-
cebedoria geral; assim pois, podem as pessoas!
residentes nesta cidade c fra della dingirem ao'
abaixo assignado, snas encommendis em qualq;.-r A na do Cd
quantidade quesera promptam;nte satisfieitns.
Manoet Martins I'iuza.
ticipa ao commercio em geral que, proviso-
riamente, Jtransferio seu armaaem e seu es-
riptorio no largo do Peourinhoo. 1' (Cor-
po Santo ) Io andar, por cima da casa ban-
caria dos Srs. Th. Simn de C.
dado, debilWade, desraaios.
flatos, assim como contra- todas as forma.-
ordinarias dc accidentes hyslericos; do
sumina efficacia c nao tem outro que o
iguale. Igualmente, quandb destemperada
com agua, torna-so um dentifriciq o mais
agradavel e excellente, dando aos denles,
aquella ahina e apiolada apparencia tai.
altamente apreciada e desojada pelas Se-
I nhoras.
| Cmo um remedio contra o mau balito
Precisase de urna boa cozinheira, forra ou epe-,a l"ca, depois .lo diluida em agua,
tiva, pagase bem na ra dos Pires, sobrado >u i summamente excellente, faz remover neu-
27- i tratar todas as materias impuras que se
criam roda dos denles c das gengivas.
tornando-as duras, sadias e d'unia linda cor
encarnada. Quanto a delicadeza, riqueza
e permanencia do seu fragrant aroma, ella
por certo nao tem igual; c a sua supe-
rioridade sera rival. Ella igualmente tor-
Ama
Precisa-so de una ama para casa do hornera
soiteiro : a ra da Praia n. 10.
Ao publico.
Ferreira da Cunha & Temporal fazem sciente ao
respeitavel corpo commercial, que deixou de ser
seu caixeiro o Sr. Floriudo Jos Teixeira de Car-
valho desde o dia 21 do corrente mex. Becife 21
de fevereiro de 1870.
Ainda se preci.-a de um cralo quo saina bo-
lear : na ra ostreita do Rosario n. 2, Io andar, a
tratar das 10 horas da manhaa as 3 Ja tarde.
Jos Henri pie da Silva Giiimares
AlA
Precisa-se de urna ama : no pateo do Paraizo
n. 29, defronte da igreja, 1 andar, esquina.
Purtaram da estribara il sitio dos berdeT
ros do,Dr. Brito, na estrada da Torre, na noi;> de
18 para 19 de fevereiro cjrrente, um cavado ala*
sao, de marca pequeua, bom andaJor de ba xo a
meio, com o p esquerdo e a mao direi!
de bronco, e una estrella na testa, tem um "ca la
no lado esquerdo junto ao lugar aonde trabalha a
silha nga-se ai autoridades policiaes a sua ap-
prehensao, e a quem d.lle souber que noticia
a seu dono no referido sitio, ou na ra do Cabug
n. 7, loja dos Srs. Moreira & Duarte.
aSA OA FOTIM
Aos 5:0001
iliietes garantidos.
po n.3 e casas do cosame.
Precisarse fallar com a Exma. Sra.TT"Leo-
poldina Eulalia da Silva Lisboa, ou com pessoa
que d noticia da mesma seahora, na ra do Quei-
mado n. 38. loja.
L1
Na tinturia franceza, rus da Imperatriz b. 88,
tingem-se vestuarios de cores as mais esquIsitasJ
que se podem desejar para os bailes mascni ados, e
tambem hmpam-se a secco os que tivercm .'iIbu-
ma* nodoas.
Aos senliores de engenlio
Um rapaz com muita prattea de servaos de en-
grnho, e do muito boa conducta, offerece-so para
administrar algum engenho : quem precisar diri-
ja-se prsc da Independencia n. 17, loja de cha-
peo ao p da loja do Arantes, quo se dir quem 6.
0 abaixo flifnad, lendo vendido r.lm de on-
iras sorles, miarlos n, iGO com 700* da
lotera quo se asab i i; reja de Nossa Senhora do Livramcnlo de Pao
d'Alho (137'L convida aos pos^nidores virem
receber na'fbnfarmidade do costume sem descon-
t algum.
Acham-so a venda os felfees bilhetes garan-
tidos da Ia parte da lotera *-beneflco dt igreja
de N. S. do Ligamento do Bio Pormoso(1387<]ue
se extrahir Mgnnda-feira ^8 do cerrento me:;.
Precos.
Os do costume.
^_______^_ MJnop* Martins Fipza.
Sociedade Liberal Uniao Be-
neficeute-
NTio se tendo reunido numero suffiJiente dos
senliores socios no dia 13 do eorrentn para poder
funecionar a assembla geral, como fui annuncia-
da, de novo sao convidadas, de ordeni do conse
Iho, comparecerem no dia 22, as 7 horas da
tarde, para o mesmo tim.
Secretaria da sociedade Liberal Uniao Benefl-
cente em 17 de fevereiro de 1870.
Augusto Cesar Con-seiro de Mattos,
1 secretario.
na-se um meto mu excellente, pata fazer
remover de sobre a pollo do rosto, toda a
qualidade de brotoejas, ebuli^es, gandas,
pannos, manchas, iinpigcns esiiidia>.
J Quando se queira servir della como reme-
de um criado que soja bolieiro ; a tratar no sitio mo Para 'azer desaparecer qualijuer um
da Passagem antes da ponte grande n. 40, das 4 deslos disliguramentos, e que tanto desfei-
datardeas9damanha.__________' am alindas feices do bello seko; devera-
Xa ra da ImperatrU, casa n. 9, 2 andar, se usal-a n'tnn estado de dilluico. destem-
precisa-sealugar um cozinheiro escravo ou livre, norandn-n n'um'i nnnc A'aawZ rwtrAm iw.
e que faca compras. Na mesma casa igualmente fl, T 8 '
precisa-se alagar nina engommadeira e lavadeira. 'rawmento de qualquer espioha, USar-SOsln
r---------ttj:---------------- della pura em toda a sua forca. Fina!-
AO pilOiiCO. mente como um admiravel mio de com-
FlornJo Jos Teixeira do Ca valho faz sciente municar as feices trigueiras e pallidas
fnJlu-'u Zf Wi,avel owptf de commercio, uma pelle macia e duma trasparente
rre^%r^etZaaT^teCa'- **V unta linda cor' d
~-----------ow\7i7\rwwA*--------- para um ,in1, el,a ,ftva a Pa!in;l a} "'""
^UIUUU^UUU. os perfumes que se teem invenido at h<-
A casa feliz do arco da Conceiclo acaba de ven- W, e existe em plena soberana sem rivai.
der pela quarta vez nos seus muito felizes bilhete-, Bem entendido ludo i.-to so refere ooica-
enabdee?utoaiSi. VStA SJgf^ "to* Agua nB Florida dc Mrntu,
Ao publico
APROVFITKM Allemanha, assim como em outras partes ;
Na ruada Imperatriz n.'65/i andar, lava-se e S3 inteiramente noteis 1^0838 ; por-
engomma-se com perfeieo e por preco mdico. tanto rccommenda-sc mili especialment."
EmS. Jos do Waoguinho, casa n. 2, preci- as senll0raS <\M tenliam toda a preeoaglo
sa-sedeuma boa engommadeira, e urna scrava e cuidado, de quando.('"inprarem, cstejam
para ensaboar.e mais algum servieo de casa, pa- certas que compran!.

Lamham.
I As imitaces que se tem feito na Franca.
ga-se Imm aluguel agradando. Tambem e pre-
nsa de um criado de 12 a 14 annos, que emenda '
ile enpeiro e mais servico domestico.
Ama de leite
CRIADO
n criado, pre
eiras n. 89,1
mft.
Precisa-se de um criado, preferindj-ae escravo :
na ra das Larangeiras n. 89, lintel commercial.
Precisa-se do uma ama para cozinhar, comprar
e mais algam servico de casa : na tinturara fran-
ceza, ra da Imperatriz n. 5o.
Quem precisar de urna escrava do boa saude o
sem lilho, dinja-se.a ra das Cruzes n 36.
Ama de leite.
Precisa-se de uma ama de leite : na ra das
Larangeiras n. 29, hotel.
A Gemina
AGUA DE FLORIDA
DE
MURItAY & LAN.MAN,
A qual preparada sement pelos nicos
Propietarios.
LANMAN KEMP.DE NOVA YORK.
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo, d C. P. Mau-
rer & C. A. A. Barboza Bartholomeu, A- C.
Atentjao
MARTIMOS
COIVTRAFOGO.
A Companlua Indemnisadora, estabelecids
testa praca, toma seguros martimos sobrt
avios e seus carregamentos e contra fogo
im edificios, mercadorias e mobilias: j
ra do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
BA
jfl CABUG
3 esquina
da ra larga do
Bosaro.
Offerece-se um moco para ca xeirn, habilitado a
lomar conta dc urna taberna ou fazer qualquer
negocio, dando fiador a sua conducta : qnftm esti-
ver neste caso, deixe caria m escriptorio i
Diario com as iniciaes C. II. El
i------------------------------, --------. ---------m
Crwda
Precisa-se de uma criada portugueza m
acompanhar urna familia e tratar do urna cihoea
at Lisboa, pagando-se-lhe a passagem e o mti
convencionar : a tratar na ra esti-eita do Rota-
rio n. 47, ou na ra do Apollo n, 30.
SBEESSM
. &
RA
EO
______________ CABUG
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem iguaL esquina
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender. |
vista da qualidade e do pre Gtajjnte-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por prepos muito ele- Rosario.
A loja este aberta at s 9 horas da nonte.
/
\ mt


iao
de Pernambuco Terca feira 22 4* Feverero de
1870
INSTANTNEOS
Travessa do Corpo Santo t 2:>
ARMAZEM
Ra Nova n. 38, loja.
Bandeira, Machado & C, avisati ao respeitavel
publico que nos lagares cima encontrar no mes-
roo seropre grande quantidade de ditos poicos, e
que se acbam habilitados para vender por menos
que outro qualquer, por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante Norton, de Londres.
AO ARMAZEM
DO
Roa \ova ii. 3.
GUSTAVE
CABELLEIREIRO FRANCEZ
51____Ra da Cadeia do Recife-^51
Chama a atiendo dos seus ianumeros freguezes, edo respeitaveltPaWico e0
para a seg-iirrte tabella dos presos de sua casa, os qoaea sao vmte por cente
"*",""'" (TPral nara a setnirrte taoe a aos pretu uc
^J*!St:mm0S "^ OT"- SSbKS dli em outra qualquer parte
mess*3 dos segnintea
Calcado francez
tras
moda.
Para meninas.Botinas das mesmas cores e qua-
lidadss cima.
Para homens.Botinas de cordavao, bezerro, ver-
niz, pellica, o melbor sortimento que se
s qualidades
LOJA DE im
&C
AsTan^gen que Xe^m os" wiTtanta-, Para senhoras.-B^ttaas brancas, pretas e deou-
n^slo Se.ro, pokrcm ser colocados den-, tras mmtas differenles cores i ultima
tro de casa ou fra, com otrabalho de urna a duag
horas; segundo, fornecerem os mesmos agua pu-
ra e abundante, podendo serera removidos dfc um
para outro lugar, quando assim convier.
Os annflnciantes soreeebcrao a importancia dos
referidos pocos depois de collocados, satistazendo
espectativa do comprador.________________
Nao mais cabellos brancos.
A tintura joponeza para tingia os cabellos
da cabeca e da barba, foi a nica admittida
Exposifo universal, por ter 0o reco-
abecida superior todas as preparacoes at
boje existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a i000 cada frasco na
Ra da Cada n. 51,
1. andar.
mwmmm&mmmmmmmm
Ditas para homem a 350, 405 e 500000
m, m, m, 205,
5,?, 63,
150001
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado le novo, est as conju-
res de servir vantajosainente s seus Ire-
OTezes, visto que acha-se prvido com um
axolendido sortimento de obras de ouro e
^rata de lei, assim como brilhantes e ou-
sras pedras preciosas, mjos precos sao os
aais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
ie em troca ou compram-se com pequeo
mbate. mT '
\ 5 RA DO mW N. 5
_ pode desejar.
Para meninos.Botinas das
mencionadas para h
Para homens.Botas rucranas, meias-botas e per-
neiras. -
Para homens, senhoras e infcinos.Sapatos de
tapete, aveludados, charlte, casemira
r preta, tranca de Lisboa etc. etc.
Para meninos e meninas. Abotinados fortes de
muitas qualidades.
Quinquikarias
Finos artigos de Paris, de costo e phantazia,
como sejam, leque9. espelhos, luvas de Jouvm,
caixinhas de costura com ninsica, joias de ouro
bom de lei, ditas de plaqu, cofres de seda e bol-
cinhas para braco, estojos para viagens, bengalas,
chicotinhos de baleia, oculos, lunetas, correntes de
relogios, e perfumaras de Condray e de Piver.
Brinquedos para criancas
Carrinhos de 3 e de 4 rodas para passeios, eos
moramas e realejos de diversos tamanhos, e um
cem numero de brinquedos francezes e allemaes
oaraentreter meninis.
Para evitar masante leitura de tanto} artigos
exjostos venda neste estabelecimento, o dono
nede ao publico em geral que se digne entrar de
oaeio afim de verificaren! nao so a grande va-
ridade como os precos baratiss.mos por serem
todos chegados de conta propria
105000
15000
I500t
501
251
Corte de'cabello,..... 50t
505000 ^^ de cabe0 com foy.fa # 50#
:s a izo, oo, 100, autf, ^ Corle de cabello com lavagem a
30* e ..... ... O, champou. ... .'. 1500
Corte de cabello com limpez da
cabera pela machina elctri-
ca, nica em Pernambuco. .
Frisado ingleza ou franceza.
305000 Barba. .....
ASIGNATURAS MENSAES '
Esbtipialidade de penteados para casamento
Bailes c soircs --mi ,.
0 dono do estabelecimento previne si Recommenda-se a superior TINTURA JA'
Exmas Sras. e aos cavalheiros que ha um.PONEZA para enegrecer os cabellos e bar-
v. ii k-i ba, nica admittida na Exposicjio Universal
salaopara tintura dos cabellos e barba, as-1^ n5o preiadicial saudet Tor ser vc.
sim como um empregado smente oceupa- \z\\\t analysada e approvada pelas acadt
do nesse servico. 1 mias de sciencias de PARS E LONDRES
Coques a
255, 305 e
Crescentes a 125,155,185,205,
255,
Cachos ou crespos a 35, 45,1155,
65, 75, 85, 9 e. .
Tranca de 'cabello para annel a
500 e.......
Tranca para braceletes a 105,
155. 205, 25 e
MASCARAS
Na travessa da roa
das Grozes n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de ouro, prala e brillian- |iiiftmii|ft
tes, seja qual for aquan- lUlloLAlliiU
tia. Na mesnia cas com- e
| pram-se os niesmos me- B
I taes e pedras.
Advogacia.
O advogado Ayrts Gama contina ter
seu cscriptorio na ra larga do Rosario-
n. 26.
MASCARAS
DE ARME
DE CERA
DE SEDA
DE
TEZOURA DE OURO
A' ra do Qu^imaflo n. 6, primero andar
8 Dessoas para o servico e o maior ^cceio nos trabalhos de barbeamento.
O salo estar aberto," nos dias uteisdas 6 horas da manha's 9 da nou-
, e nos dias santificados das 7 a 1 hora da tarde.
- **!
TINTURA w
11___Ra do Queimado.....11
MIGUSTO PnRTO, tendo recebido directamente da Europa riquissin.os cor-
Mtam
gal."""dT'Sil."dE."*T*^-.".75= 3e croebs e .
fnatSo branco para cumas todas muito linlas.
Cortinados bordados para camas e fruc, .-...- ^
Vestidos brancos bordados, c-^mbraias bordadas, filos, t

AVLS
1M.1
a presos baratissimos,
Em grande quantidade
e ainda com ahatimentos do duzia para cuna :
armazem do vapjr francez, roa Nova n. 7.
Os Srs. Mearon & C, fabricantes de rap, na
ra do Mondego n 107, precisam de algumas mu
Iheres para trabalhar na sua fabrica : a quem
convier pode dirigirse mesma fabrica para
tratar. ______.____________
lisas e transparentes de ^^^.^^^ de todas as qualidades, merinos
casemiras r"^
i grande v sdade de todas as f zendas tanto para a_praca como para
Precisa-sc de urna ama para pouca
familia : na ra dos Copiares ou antiga-
mente. Lobaton. I, primeiro xndar.
s
Praca do Corpo Santo n. 17 primeiro
andar cscriptorio de Joaquim Rodrigues
Tavares de Mello, tem para vender :
Fumo em folha de superior qualidade.
Vinho Bordeaux de superior qualidade.
Farinha de mandioca em grande por-
cao e boa qualidade.
Cal de Lisboa muito nova.
Potassa da Russia.
^etos,
Gorgu?o prcto para
as, preus. pannos pretos e azues, casemiras pretas e decores
vfe^dede todas aPs f z,ndas tanto para a praca como para o mallo.
? *,camb de E bordadas, e toalhas de cambraia de l.nho borda-
madapoiao, chitas e lodas as fazen-
Aascom muito gosto.
4 para '&*^A'^ h^pcos precos das casas iu-
2.T :"S.deest3ecimento\a sempre o mais esplendido ^^le
Esleirs da India para forrar sala-, que se vende m.is
do que em outra qualquer parte.
&&&&
55Ra da Imperatriz55
V Gaater oromietario deste importante estabelecimento tem a honra
de DtVlLr esSie publico que 'acaba de cl.egar da Europa para on-
detinl?d espediente para contratar peritos officiaes e que consegmo
cont.'ata-lo, na pnmeira casa do Paris, por isto julga que todos hcaiao satis-
S? s d.8 traLhos do seu estabelecimento cojo encllente material jinda
o au^menlado con, no machinas que ja receben e tambem mmtas drogas
no\as ouS as quaes se oblem estas maravilhosas cores modernas tao apreci-
das pm Franca e em lodo o mundo, _^a
Tin-e lava, limpa, lustra, achamalota com a ma.or perfe.c_ao fazendas
em pecas eVm obas de todas as qualidades como sejam: seda, laa, algodao,
linhas cliaocos de feltro e depa'.ha etc., etc.
Tilinodoaa e limpa seceo sem molhar os tecidos, conservando assun
todo o brilho da fazenda.
Impressoes sobre tecidos
com este novo svstema, os vestidos de seda e outras fazendas que al agora s
podiam tingir-se'de cores lisas, podem receber um bonito desenlio de cor
SVeS. a escolha. o que realca a fazenda e Ihe d ma.s merec.mento.
Tintura preta, terqas e sextas-feiras
As pe flstahelecimento podero mandar o que tiverem, na certeza de srem tao bem
SrriSfcSDOnonio de Janeiro ou" na Europa, e com ma.s prestesa por
causa da distancia.
O bacharel Joo Joaquim -ftoseca de
Albuqoerque tem abertu o sal esrnpto- ;
rio de advocada em casa de sua residen
cia ra das Cruzcs n. 30, segundo an-
dar, onde poder ser en'cottraBo das 10
horas da tnanhaa s 4 da tarde ; e bem
assim encarrega-se de defender reos nao
s no jury da capital como lora deila,
urna vez que baja cominoda e fcil con-
dcelo.
Precisase de um menino para oaixciro de
nadara, sendo de 12 a 11 annos de idade, cem
pratica ou sera ella : rea das Cinco Pontas nu-
mero 38-
TIWTITBABIA

Hi4 DAS FLORES
O dono deste estabelecimenio tinge, limpa e achamalota com a maior
perfeica possivel todo e qualquer objectode seda, la, algodao, em pecas
ou em obras, chapeos de feltro, palha e manilba etc., tira mofo das fazen-
das e faz todo o mais concerner.te sua orofissao, ludo com brevidade, visto
como se acha prvido dos necessarios machinismos e petrecboa.
Olio bchneider.
COMPANHIA
Precisa-si alugar urna casa terrea ou um so
brado com commudos, na cidade de Qlinda, em al-
gumos das seguiutes tuas : ?. B(Ro, ladeira da
Itibeira, ladeira da Misericordia, e ra do Ampa
o, nao se duvida dar bmii alugnel se agradar :
quem tiver deixaarta fecaadMpm as iaiciaes
J. A. F. nesta tyi'ograiihia, un Mpicie.________
Precisa-so de uina ama que compre e cos-
nhe para urna casa de pouca familia ;, ra.nova
de Santa Hita n. 41._________ __________
Lima, Lessa & C.
O encarreead da liquidado dos nfgocios da
extincta tirina d* Lima. Lessa A C, previne a to-
dos os d vedores ao referido i stabeleeimenlo, que
venham solver seus dbitos a!o o flin docorrente
m-z, visto como tem de em-arregar o sea procura-
dor fle promover a cobranca jadicialmeate
ra do Apollo n. i. ____
DOS
TftILEOS URBANOS
DO
iiECIFB A9 OlilXDA.
Por ordem da directora s3o convidados
os Srs. accionistas para, no praso de 10 dias
contados do da 43 do correte, effectua
rem a 7a prestagao de suas aeces na ra-
zo de 10%. .
Para esse tim, ser encontrado o Sr. toe-
sonreiro, das II horas da manha as 2 da
tarde de todos os das, no cscriptorio da
corapanhia, ra RoVa n. 35 Io andar, en-
trada pela ra das Flores n. li.
Recife, i2de Fevereir de t870.
Joo Joaquim Alves,
t secretario.
CAS*A DA VE.
Aos 20;000^000.
ra do Cabug n. 1
Bilhetes do Rio venda
-nde Vieira A Rodrigues.
na
s
mmm-mmmm
DKCLARACAO.
Pessoa competentemente habilitada, m
Cpoe-se a leccioaar primeiras letras, B
na nacional e algnns preparatorios jgg
nesta capital ou nos suburbios, que te- M
ntum traoporte pelas vias-ferreas, me-
diante razoavel honorario : -atar
pateo do Paraizo n. 10, na travessa
ra Bella n tO,
a. 37, loja.
Precisa se de serventes na fundicao do Bow-
man : ra do Brum n. o, passanlo o chafanz.
no
da
na ra das Cruze9
Casa de commisso de escravos.
Na antiga casa de commisso de escravos, de
Hospital Portugucz de Beneficen-
cia em Pernambuco.
Em cumprimento do que dispoe os estatutos
que regem esta associacao, cabe-me o dever de
convidar, rogando a todos os senhores socios do
Hospital Portuguez de Beneficencia em Pernam-
buco para se reunirem dominio, 20 do corrente
mez de fefereiro, as 10 horas da manha, na casa
das respectivas sessoes e sitio do referido Hospital
denominado Cajueiro, afim de constituida a assem
bla geral, proceder-se de eonformidado com os
arts. 29, 30 e 17 do art. 39 dos indicados estala-
Eduardo Firmino da Silva leudo de mandar
celebrar algumas missas por alma do seu devolado
amigo Francisco Dubarrv, subdito francez, uo da
19 do corrente mez, na matriz da Boa-vista, as 7
boras da inannaa, stimo dia do seu fallecuiiinto,
convida a tolos os seus patricios e amigos o obse-
quio de assistirem .a e-so a:to de caridade, pelo
que desde j se ornes suinmamnte agradecido.
ttenpo.
O abaixo assignado, a o respeitavel publico pre-
vine, que desde o dia 10 do correute mez deixofl
de esiar a seu servico, o Sr. Antn Augusto
Abreu Lages. ,.
O cirargiao dentisU,
P. Maia.
__Prccisa-se de uina czinheira
Imperador n. 73, 2 andar_________
na ra di
Atteucao /
Urna pessoa com as precias habilita^oes e que
tem alguns es.-ravos, pr^pSe-se a Jomar contad.'
qualquer en?enh.' por aJmini-tracao on soeied;
quem precisar annunne por este Diario.
O advogado Manoel Joaquim Silveira pode
-er procurad" para os misteres de sua protlstao
em seu escriptorio ra do C.tspo u. 12, 1 an-
dar, das 10 horas da nianhaa s 3 da larde. Reside
a ra da Conquista (Soledade) n. 4.________
Preeisase de um cozinheiro ou cezinheira :
la ra do Imperador n. 73, i andar.
H O Dr. Aprigio Justiniano da Silva Gui-
S maraes contina com seu escriptorio
| ra do Imperador n. 27, e resiJi a ra
M do Seve (ilha dos Rafus) n. 22.
Muito necesita se fallir ao Sr. Antonio Ma-
rmho Paes Brrelo, a negocio do seu intere-se :
iiueira dirigirle na cidade de Olinda no sobrado
ultimo Jo Virad mro onde exUte urna fabrica de
cigarros._______________________________
Engenho a' arrendar
Arenda se o engenho Estrila ou Machado, de
animaes, niuente eco!nulo, uuIj a cidade do Rio
Fornioso, com embarque na porta ; bem como o
cngoiiho Mntivido, as me.-04.i- licites, junto
ao pov iado da Ipojuca : a ratar na na do Livra-
mento n. 19.- "|_____________________
"^Aga-sc u rapaz que sirva para compras
e mais servio d: casa : na ra do Imperador n.
73, 2' andar. ^___________________
Na ra Direita n. 101 Java-se
com perfeico e promptiriao.
mmu
do
rt^^^^r^to'imperador'"48, ent- tos, a pbsse d"a nova JunU administrativa, que
.'_________. .nw> iun tantf t,it*i do fnni'cinnar no nresen
i rtcebr eswavoe por commisso, lanU
4> mato como da |raea para serem vendidos,
araat-se o bom tratmento e prompu venda
nara o que se emprega todos os osforgos afim di
HtMfazer em lado s pessoas que o quizerem hon-
nr com sua confianca. Nesta casa ba semprt
para vender eseravo- de ambos os sexos, velhos t
, assim como na t da seguran^ para os ter
Antonio Jos *. de Souza.
tem de funecioiar uo presente anno de 1870.
Secretaria do Hospital Portuguez de Beneficen-
cia em Pernambuco 15 de fevereiro de 1870.
Francisco ioao de Barros,
Provedor.
COMPA.NH1A PERNAMBUCANA.
/ 5 DIVIDE-OO.
De ordem do couselbo d." direcao se communica
- aos Srs accionistas que o pagamento do quinto di-
D.l.-- tiamKnvmiairoe *Wendo razo de 10 por cento, lera u(rar do da
liCaS liaiIlDUrffUeZaS g de marco prximo viodouro em diante.no es-
criptorio da oompanhia no caes a Assemblea
n. 12.
Hasie novo deposito recebe-se por todos paque-
^mnlinlirmn bixas de qualidade superior, ven-
te-se em caixa ou porcao mato pequu e maif
vato o que qualquer outra parle ; na ra da
Criw^tecife a. 1. 1' andar.__________
AtteiiQao.
AfcMta-se oa ven^le-se ama casa ecirn basi
comnodos na cidade nova ? ^n,,vAlH.a".Vr^
lar com I< aquinj de Sou a roa a*
esa. 36.
O grente,
V. Boi'ges.
Gr
Primitivo e Mira
lices ra 4a Cor
oaal
Oompanhia Peraambucana.
Reducqio em fretes.
A Companhia Pernambuco attendendo a escassez
de gneros alimenticio^ que afliiga a zona da na-
vegacao seu cargr, e especialmente de fannna
de mandioca, acaba de fazer coisideravel redc-
elo no frete deste genero, em alguns casos ae
e outros de mais de 30 0|0.
As pissoas pois, qae quizerem embarcar annna
dabrra, ou milho gosarao dosse beneficie, que
vigora de hojo em di'tnte.
de canto, piano, des
gu i italian i,
G. MAniNAXGEL, professor com diploma da con-
gregacao de Santa Cecilia do Roma, contina a
dar licoes como j fizera lia mais de 20 annos em
cinco collegios de ambos os sesos e em varias
casas [articulares.
A generosa hospitalidad^ que ello ha recebido
de todos, e a amizade que sempre llie consagraram
as pessoas mais estimaveis desta cidade faz Ihe
esperar que desta vez tambem Iho nao faltar tra
balho. no qual pora em accao todas as suas forca*
para continuar a mostrarse digno da proteccao
com que sempre fpi honrado.
Ginlia Marinanoeu Bei.thamim, disciputa pre-
miada do conservatorio de Milao, decidindo se a
deixar a carreira ,theatral e fixar sua residencia
em Pernambuco, onde sempre recebeu tantas pro-
vas de estima e sympathia, pelas quaes conservar
eterna gratidao, deseja empregar o seu lempo em
dar!ic5es de msica, piano e canto, tanto de aper-
feigoa'mento como de principios.
As pessoas qoe se quizerem utili-ar do presumo
Jos sobreditos conjuges, pudero dingir-se ra
do Seve (Ima dos Hatos) propriedade do Sr. Tibur-
rio, peno dos c'oqneiros. ___^_________
Grande remessa de borracha para o fabrico de
limas para o entrndo, da melbor que aqu tem
vindo, na ru Direita n. 53, e na ra Nova n. 3J
e Hi, por menos preo do que em outra qualquer
parte._____________________________
Na praca da Independencia n. 33 se da di-
iheiro sobre penbores de ouro, prala o pedrai
.reciosas, seja qual for a quantia ; e na mesms
asa se compra e vende objectos de curo e prata
i igualmente se faz toda e qualquer obra de en
romntenda, e todo e qualquer concert tendenb
i mesnia arte^___________________"_________
Precisa-s- *
Prewsa-se alugar um eseravo para servido de
hotel : ra das Cruzes n. 39.________^__
Associaqao Commercial Benefi-
cente.
Os senhores socio da Assoriarao Commercial
Beneficente eqne sao consenhires do edificio, pelo
prestnte sao convidados a receberem do Sr. the-
soureiro William Otto (do 1 al 3 horas da tarde
e munidos com os respectivos documentos) o divi-
dendo de 5 o*1 sobre i importancia das partes que
tiverem no mesmo edificio.
Associacao Commercial Beneficenlo 1j de ie-
vereiro do" 1870.
Daniel Ramos,
Secretario.__________
~ BOLSIRT-
Offereee-se nm rap3z ltimamente chegado, com
is precisas habilitacoes, para casa particular a
ratar na ra doCamarao n. 13._____________,
Precisa-se do urna ama para cozmliar ein
casa ES": i tratar na travessa do Queimado
n. 18 B. V ja do miudezas.
Precisa-se dn unta ama para cozinhar em casa
i de pessoas solleiraa : na ra da -Madre do Dos
tu 34.______________" _____________
Precisa-sh de urna criada livre ou escrava,
para o servico interno de uina casa de familia, d-:-
vendo saber lavar eengoiomar: na na da Con-
quista (soledadp) n. 6.______________________
ivrdi-u-se urna paleeira de egril verdadeiro
engrasado em ouro, repre-entada cada coral ama
carinha, na ra ca Imperatriz, da ioj > do proropto
alivio at a relio;'.cao de acucar: jtrattflca se bem
a quem a livor adiado e a queira entregar u i
mesma ra no 2 andar do sobrado n. 12.
O Sr. Jwquim Jos ue Sanl'Aniia, morador
na povoacao dj Sedro, mande ou venha tomar
corla de'um casal de escravos que apparecen na
ra doFogo n. 18 segundo andar, dizendo que v:-
nha procuror quem os ennprasse. Declaro mais
que me nao responsabiliso por mortc ou fu-a dos
ditos escravos. Recife, 9 d fevereira de 8/0.
Joao Miguel de Oliveira fterardo. _____
Sitk
Alugase al setembro deste annd o grande o
pitoresco filo Barbalbo, no Mont.
para numerosa familia, e mais
sarios em casa do campo : a
Crespo n. C.
commodos neces
tratar na ra do
Precisa-se de una ama para
familia: i tratar sa roa do Cabuga
Um camarada do nado los Antonio du3 san-
ios Coclho, manda no dia 22 do corrente celebrar
urna missa na ign-ja do E^jjfc Santo, ingessimo
dia do sen fallecimento. e rogaaas prenles e ami-
gos do mesmo, assistirem a e>te acto de caridade
e rdligiao. o qual lera lugar a< 7 horas da ma-
phaa. p.-l-i que s.-ra ^|h^' z^^^^^
O* abaixos assignadns decl.iram pelo presen-
te, que formaram ama sociedad-v commercial son
firma Morae* A Irma, ; c esla^ estabelecidos
- ma da Madro de Deus
onde podem sor proeurados
o relalivamant ao seu eom-
73.
'Lniz Alfredo de Mor:
.'andido do Moraes.
Alug se urna sala aciada com atguma acom-
modagao no Io andar da ca.a da ra do Impera-
rador n. 57, onde quem pretender poder fallar :
entrada pp|o caes de 22 d%Novembro._________
Methodo Cas ti Iho.
Manoel Jos de Faria Simoe-, professor particu-
lar do instruegao ellementar pelo methodo Cas-
tilho, tendo chegado do mato, onde foi tratar de
sua saude, avisa aos paes de seus alumnos e ao
respeitavel publico que no dia 2i do corrente
abro de novo a sua aula, na ra da Sen'.ala Ve-
Iha n. 124, segundo andar. Em dita aula lecebc-
se alumnos internos e xt^rnos._______
., Clara Henriuues Correa de Linhares, como
professora particular tem aula aheru para o sexo
femenino, na travessa de S. Jos sobrade n. 35,
onde ensina a ler, oscrever, contar, bordar, la-
byrinlar e mais trabadlos de agulha, luigua na-
eiooal, elomentos-degeograplnao francez : quero
de seu presumo M iar utilisar, |wde dirigir-se
ao sobfadD cima, fa mesma ca
tidos para senhoras.
AMA
Precisa-se de uina ama quo saiba cozinhar e
casa de pouca familia '
engomar bem, para
ra Nova n. 37 2 andar.
na
40 sita na roa Di-
Afuga-se a easa terrea n. -
relia dos Afogados: & tratar na r*n do Caideirot-
ron. 50.
Quem tiver meninos.
Precisa-se de menta para aprender-a fazer
carros: as fadricas a vapor de cigarros, miar-
le! de polica n. 21 na mesma fu- n. 8 W, o 1,
boaoccasiao para os Srs. pas de familia que
nao teem que lhes dar a fazer, e em pouco lempo
se Ihe garante ra-oavol ordenado.
Iustnicco primarla e secunda-
ria, s foadlrccco de Francis-
co de 'orja e illvelra, ra do
Prazerc a. -.
Francisco de B rja, cdmpetontemrnte habilitado
nela directora geral da instruccao pnblica, e com
bastante pratica de ensino, tecciona rhelorica o
potica, francez h principios de laiim : lecciona
tambem primeiras letras coadjuvado por um ad-
junto hbil, pratico e moralisado. Recebo alum-
nos pensionistas de 12 annos para baixo, por pro-
co razoavel. o externos a 151 o quarlel._______
------T^aTo assignado declara ao publico com
t^neciali'dado ai corpo doeommercio, que tem jus-
me contratado etno Sr. Berilard.no Antonio Pe-
eira! a taberna sit na roa das Urangeiras ... 10.
ouem se iulgar com direito a dita taberna, apr-
sente sua cont no praso de tres das, a cojlar
h. a data lindos os quae* nao so attendera a re-
Salo^lgoma. R-ife 17 de fcjere.ro de 1870.
5 Manoel Tavares da Ota R.bwro.
~ Uiafi sonhora que tem as habilitacoes neces-
arias, propde-se a ensinar algumas meninas em
algum lugar perto da praca; quem do seu pres-
umo precisar dirija-se a ra da blona n. 9.
~ Antonia Villar Avs Maia viuva inveniiirian-
te de sea finado reaiid. Antonio Dominga
suas i
de Ranto Antonj
inventa no
orph^
urente, apresentaref
onomica ao p do aree
2?
^pr juizo de
por se igoorar a sua resldenc a
faz-se o presea e anaiaaclo.
A pessoa que levou na qnint-feira, as 6 horas
da tarde, um relogio de ouro cobnrto, patente in-
Blez n 19,39'J, em lugar de um outro que deu
nara concertar tambem do ouro natente su.sso ...
77236 roea-so que tenha a bondnde de verifican-
aooegTngo,virq.roca-loriia Nova n. 21, que
muito se Ihe agradecer.___________________
Horticultura franceza
E Pelloro. ten a honra de preTta.r o respeita-
ve uubj' co desta capital, que tem no seu arou -
em da ruadas Crizes, uro.completo sortimento
das plantas exticas das ma.s^raras, tanto r
le
gelia mu
lociraenti
O dito
un.es, plantas e Coros, j aclimatados na Ar-
itos outros que cxiitam no seu estabe-
en de de se demorar al o fin
imbueo previne aos_sen!i
irigirem quanto antes a seu ar
com todo
[ dai>i
se

que tentia
\ n.
pra-
\.


Diario de Fernambuco Terc,a eira 22 de Fevereiro de 1870.
f
)
AGUIA NEGRA
co
t
33
c8
00

I
I
o
o
S
BENTO MACHADO & C,
A AGUIA NEGRA animada com o bom accoltoment que leve em seus annun-
cios, vem novo participar a seus freguezes que. acaba de receber um variado sorti-
mento de objectos de gosto os qnaes sero vendidos por precos muito razoaveis, pois
quando fez os seos primeiros annucios, foi o que assegurou, e sem mdo de errar,
porque como j disse osla interesses ligada a urna casa imporladoradesla- praca, e
por isso poder ter rodo especial e vender por precos admiraveis.Chama pois a alten-
cao de seus freguezes para os arttgos possa descrever:
Livros com o tampo de marfim, madre- Um variado sortimenls .de charuteiras e
oerola e tartaruga, proprios para missa. palliteiros de porcelana,
J?.aor!nhaS 7',ZaS Prpria para Presentes Teios para vaitarete.
xusa de gosto. ,, ,. ,
Indispensaveis de palinha e de couro pro- Bugallas com marfim, cousa especial,
arios para senhoras e meninas trazer nos Sabonctes de a!catr3o.
bracos. I Cofres de folhas para dinheiro.
Binculos de madreperola, marfim e tar- Lindas caixas para costura.
^BnJSJS^S .-., Um completo sortimento de lavas de pe-
Cintos largos de setim, cousainteiramen- i,, r
a nova. lloa'
Fitas de sarja de todas as cores e largu- Talagorce para bordar.
as para lacos. Um completo sortimento de enfeites de
Toacas, sapatinhos meias de seda e mais seda para vestido.
oertences para baptisados. Perfumaras de todos os autores os mais
Filas cora Qscnpcoes proprias para bou- acreditados em oxtractos, pomadas e leos
faet de noiva, e finalmente outros muitos objectos qoe nao
Ricos vasos com p do arroz. posslvel mencionar ; mas com a vista se
Um variado soriimente de jarros de por- certificaro do sortimento' deste estabele-
*.e!ana. cimento.
Aguia Negra, ra do Cabug n. 8
r Bi-n
" jxou boje de
Lindas e superiores bareg-es de cor, de quadro e do listras, para vestidos fin-
gindo seda, pelo baratissirao preco de 500 e 640 rs. o covado.
Assim como superiores cassas francezas de cor padroes de muilo gosto 400
* 600 rs. o metro, na loja das Collumnas rus do*Crespo n. 13, de Antonio Correa d^
Vasconcellos.
V
lZ!?X?J~ .:TfjgBSOKBBKSKBBUtBi
SOFFlflENTOS DESTOMAGO. CONSTIPAQAO.-
Cura em poucos das pelo carvo de belloc em p ou era pastilhas.
ENXAQUECAS; NEURALGIAS. Essas aneccses si di>-
sipadas rpidamente pelas PEROLAS CETHEp SB'GIEKTU.
ANEMIA, A PALLIDEZ e w, odrimentoi que neccssitom do
em prego dos crrujitiosos sio sempre combalidos com o mellior resultado
pelas pilui AS OE VALLET. Cada Wlula tem incravado o nome VULET.
PO DE ROG. Basta dissolver um Irasco deste p em meio
garrafa d'agua para se obtOr urna limonada agradaTel que purga sem (a-
icr clicas.
VINHO DE QU1NIUM de Abarraque. Este vi.iho, um dos
poucos cuja coir-posicio 6 garantid! constante, urna das nxljiores pre-
; ncoM ie quiitno, sem ac?ao notavcl sobre os convalcsccateS, dando-
lhrs breas c apressando rolta a saude. Cura as febles antigs que rc-
;isto ao sulfato de quintno.
"OLESTIAS DA BEXIGA. A maictr parte d'cstas motes-
t. como as citicas, l.imbagos, cfitarros, e todas as dures nervosas em
gsral sao curadas pelas pef.olas oe essenci* de thereb ntina do
l)r. Clcltan. O proftssor Trousseauem seu Tratado de th era peni u acon-
solha as para screm tomadas na occasiao do jantar, na dse de 4 4 12.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO CE BERTH
Garant !o puro c de primara qualidade, um dos poucos aprovados pcia
Academia da medicina,
AV50. Todos este* medicamentos foram aprovados pela Academia
imferial de medicina de Varis.
DEPOSITO
Em Parla, L. FRE, 18, me Jacob
Doroscusui; Hauus.t i Pernumbuco. M.itjb el O.
r.j-Jaiiciro.
ahis.
nSBOBML
Ihssz et C'v
Ctara. .
Mu'bei; et O.
Travessa do Corpo Santo n. 25.
Os acreditados cylindros americanos para padaria, por dous differentes systemas.
Machinas para descarocar algodo pelos raelhores fabricantes de New York.
Machinas de vapor systema de locomotiva e potias para as mesmas.
Carrinhos americanos para transportar volames em armazens. Tudo por pre
ros razoaveis.
TRflVESSfl DO CORPO SANTO N. 25
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
Acabam de chegar grande qoantidade das verdadeiras machinas americanas
iva descarocar algod3o de todos os systemas e tmanhos seguintes :
12 serras 12 serras
14 ditas 14 ditas
15 ditas *, 15 ditas
16 ditas 46 ditas
18 ditas 18 ditas
20 ditas 20 ditas
22 ditas 22 ditas
25 ditas 25 ditas
30 ditas 30 ditas
35 ditas 35 ditas
40 ditas 40 ditas
o quaes se vendem por precos commods e roga-se as pessoas que dellas fizeram en
lOmmendas de alguns tmanhos, obsequio de as mandarem busca-las o mais breve pos
vel afim de nSo haverem faltas.
RA DA CADEIA N. 56 A
.B g-'S 2-2
PrccBWl ali'gar nma escamva para :
servico de una casa do piqueas familia : qnetn
quizer dirjase a Boa-vista, raa da Concedi nu-
mero 18._______- _________
O CHiAO DEMflh
Frederico Maya
Tem a honra de scienlilicar ao respeita-
vei publico em geral, e aos seus clientes
em particular que elle mudou o seu gabi|
oetede consullas da ruaDiieila n. 12 para
a do Queiaado n. 31 primeiro andar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II. onde po-
de ser procurado para os misteres de sua
proflssSo, todos os dia uteis das 9 horas
da manlfaa s 3 da tarde.
Tambem previne, que contina a prestar-
se a vontade dos clientes nao so na cidade
como nos seus suburbios, para onde as
idas serio precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenbo e a perfeicao de
seus trabalhos, o que j S bem condecido,
assim como as commodidades dos precos
zz
g g
3 w
a *>
o o
?i
a f
Bg
3
gg
o
O ?
2
S ce
O
&3
2 -
O a>
* US C
"I
O
-I
co- n
aa
O
w
o ^ = as a>
3 3 a EL = o 'S
_ O.
is
f 3 1 s s
* S. S. 3 3 cr a
sr o ~.
S5=I
5 ft o a. Ej
?3f
Joaq
pal
uim Jos Gon-
ves Beltrao

o g
T3
ma
^5 S 0 g*
S = of g-sa
o 2 Sj.
3
-e S-a
en a> a>
s|
C as
Sai ost CT3 _
2
S3
^*
09 O
-.
c O
. v>
> S 5. *
&. 3 n
" eo m *3 C .,
iff 3 S"
CD
'"W ^/'
Este admiravel
Deparatiro nao
contememsimer-
curio, iodo <
rsenico um i
Srigoroso modifi-
r pafao sangue ecura raCicalmenteas molestias depeile, laes como a lepra, asimpigens, as herpes, as [
espichas, e es Pannos, ee.Ercpregado diariamente elle refresca a massa do sangue e consolida o saude. I
IA IHJECfAO CADET to %J^c,,rtM^ "^ "~'
Vjjub, 7, B' Oenain,
r.
VERDADEIRAS
PILULASdeBLANCARD
COM IODURETO DO FERRO INALTfiRAVEL
APPR0VADA5 PELA ACADEMU DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Possuindo as propriedades do lodo et do ierro, eonvem especialmente as Annccois
iscRoruiosAS, a Tsica no principio,! fraqwsa dt temperamento e tambem nos casos de
mi** dk c6r, amenorrhea, em que precisa reagib^sOT o sangi seja para restituir
lhe a sua riqueza abundencia normaes, ou para profoear e regular o seu curso peridico.
N. B. O iodorelo da ferro impnro od alterado nm medicamento infiel,
irritante. Como prora de parexn de aathencidade das TevdsUeira* ii-
fcalata ae Blaxard, dTe-ss exigir nosso aella < prata restatira s
W nosso flraaa, aqni reprodaxiu'a, o^e sa acha na parto inferior do asa
^raala verde.Dere-sedesconfiar das falsificacos.
^Ubian^M Mh sbunNis', Pharmtetutico, ms JsnajMf, 40, "ari
rtiealca tnraSHvel e PreaervallTa. (bsolutameoio a uuioa cjueaura ksi nenhum addrtiv;. V. ue*
M armclsacs bciirat i sosdo. (Eligir a iastraosaa a aso). (SO asase a* uistaaaia.l -> Vst. asa >
i ia(auar R0. ssalaras* Mataau. II*
ELEPHANTE COM BOTAS
GRANDE ARMAZEM DE PIANOS, MSICAS EINSTRLMENTDS
ANTONIO JOS! DE AZEVEDO
N. U-RUA NOVA-N. 11

Partecipa ao respeitavel publico desta cidado e das mais provincias visinhas, que o en grande e bem acreditado armazcm dej inslrumentos para musi-
i, acaba de chegar um grande e esplendido -eortimento de
[PIAMOS
O que ha de mais mocrerno, de teclado, xo e mobile, e com traiisposigo ou sem ella, de autores os mais acreditados nesta cidade, como sejam : os
ifamados e bem conhecidos pianos da fabrica do Sr.
superioridade
documento abaixo transcripto e assignado pelo dito Sr. Brondel. Estes pianos, fabri-
segura de sua duracao. EllessSo aqui bastante conhecidos desde 1844, para que
melodiosa Elles possuem um teclado que se presta a todos os caprichos do
teja
lanbores piaaiitas.
Todas as pessoas que comprarem pianos oesta casa, sao rogadas a exigirem o certificado de origcm assignado pelo Sr. Blondo!, afim de provar a _^sua
lateackiade do numero de piano com o de certtficado.
AO PUBLICO
Mr. Alpbonse Blondel, fabricante de pianos era PARS, declara ao respeitavel publico de Pernambuco, que o uuico deposito de seus pianos na cidade
o Recife, RA NOVA N. H, armazem de Antonio Jos de Azevedo. Outro sim que tedos os seus pianos rao accompanhados de um certicado de origem assig-
tado por mim.
Pars, 4 de julho de 18G9. (Asssignado) Alphonse Blendcl.
O spnuciao^ tambem troca e alaga pianos. E tem o maior e mais explendido sortimentof de novas
MSICAS PARA PIAIVO^
ctamenteda Earopa e do Rio de Janeiro; das acredita i dos Srs. Felippone & Troigh, Narciso, Arthur Napoleo C,
Ate. papel para i i ; curdas para tod03 instrumentos, ricae gravaras o qoarosopara ornamentos
issoalho de a^s. -idos, quadra 3 de costura com msicas e sera ella, estajos para vitgvm, relogios com
spelhoi d ir o muitos irtigos ; publico encontrar sempre t
tberto to 3 afim das IMOTRiias poderw ir aprecir
aA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAti
Sacca por todos os paquetes sobre o Bao-
'o do Minho, em Braga, e sobre os sequil-
es logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde-
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova dejTamalico.
Lamego.
Lagos.
Covilh5a.
Vassal (Valpassos).
Miraudella.
Beja.
Barcellos.
Ama
Precisa-sft de urna ama para todo o fervico de
urna casa do pouca familia : na ra da l'ena u.
13, segund andar.
AO PUBLICO
O abaixo asfignada, pr prielario do engenho
Palmtirinha, tendo seus escravjs Joao, Justina.
Felippe, Juvencio, Manoel, Pedro, Raymundo, Do-
mingo?, Adao e 1 uiza, fgidos p<>r siniuc^ao em
fins do anno de 1863 para o engi'nho Cacimhas,
propriedade de Jos Severino Cavaleanti de Albu-
querque, e ah se conservado at a poca da mor
te do mesmo Jos Beveriao, coaslando-lho que se
quer descrever no inventario a qu se vai proco
der, ditos escravo?, como propriedade delle, vem
protestar pela imprensa faier valer o sen direito
de legitimo senkor ros mesmos c cmvos contra
quali|uer pessoa que delles estoja de pone, recia
mando do espolio perdas o dainno-, pelo qne j
protestou judicialmente Reeife 3 e frvereiro de
1870.
Antonio Carneiro de Barros Monte Rodo.
Prcisa-se de urna ama para cngoinmar : a
tratar na ra do Amorim n. 33, S1* andar.
Alu)a-se ,oua sarrio. > do casa de f.ur.ilia nma
eserava cnzinlicia : a tratar u > largo da Boa-
vita n. 12 al as 9 hora< da manilla.
O mizeo de jolas
Na rna do Cabug n. ,4 compra-so onro, pt ita
i pedras preciosas por presos mais Vanlajosos dn
ue- em outra qualqner parte.
Loni muito i-oaior vantagem compram-se
noedas de ouro e prata : na^soja de joias do Co-
acao de Ouro n. 2 D. roa doTabiipa.
mvm i
Compram-se e vendem se diariamente para fra
j dentro da provincia cs.mvos de todas as ni
:ore3 e sexos, com tanto qao sejam sadios: no
erceiro andar d > sobrado n. 36, ra das Ci -
rpjruezia de Santo Antonio.
Coinpra-se papel para embrollo de q>ial-(
q'ier qualidade, ''.o pateo do Carino esquina da
ra de Hortas armazem n. 8.
Cabe j ios
Na ra do Queimado n. 6, 1 andar, salao de
cabellelreiro, compra-sc contiuuadimente cabellos
eompridos.
Compra-se urna carnea que esteja cm bom
estado : na ra Nova, loja n. 7.
Compram-se eseravoa de ambos os soxos :
na rna do Imperador n. 73, 2" andar, das 8 da
manha as i da tarde.
Compram-se moedas de ouro e prata de to-
los os valores, ouro e prata em obras inutilisadac,
irilhantes e ma3 pedra9 preciosas: na loja de
lurives do arco da Concei?ao, no Recife.
Compra-sc
una esorava que soja boa engommadeira e coxl-
nheira, e sem vicios e achaques : na raa do Pires,
sobrado n. 27.
VENDAS.
VO CAMPOS
Na ra do Imperador n. 28, vjnde-sc
os si gmntes gneros de superior qualidade,
a saber:
Presuntos inglezes (para fiambre).
Queijos inglezes (mull) novos.)
A verdadeira gomma de aramia.
Cop >s Lipidelos (moito Gnos.)
Latas com lagostas a 6P0 rs.
Licor (aya pana).
Ovas do sert5o.
E nma tranca de ceblas por OiO rs. !!!.
s ao armazcm do
CampoSa
Ru tilo lmp ra-loru. 28
Sementes
De lwrtacas novas o s;g a 120 ris a Uin,
loo Rjlisa. rna do Livramento n. 38.
A VEHMliE
55Ruado Queimado55
A VEHDADE tendo em deposito gran*
quantidade de miudeza&o pcrl'umarias, e de
sejando apurar dinheiro e adquerir boa fi
guezia est rssolvida a vender muitissioii
barato, ; por essa raz3o convida aorc
lavel publico a vir compeUintemente Dudi-
do a sitir-se do beme barato. Pois qua&
do a Terdade nppareoe, tudo mais des-
apparece....
Grande sortimento de heneos de cera
massa as mais lindas posiveis vestidas ac
rtetsj/.
Abotoaduras moderuas para col
letea.......
Espelhos donrados pepnenos. 21-0
Agulhas de osso para crox a 200
Pentes para regaQ- com esntas a 3i
Ricos globos para candieiro de gaz a i80
Cbaniins a....... 32C'
Grande sortimento de objetos de
louca para brinquedo de meniuo 1(0
Garrafa com tinta a..... 8D
Dita com agua florida verdadeira a 1A30C
Dita com dita dita a 1#X)0
Frasco com oleo de babosa a SOO e 72C
Dito com agua de Colonia a 300 e BOC
Gairafa com agua divina a. 150C-
Frasco com extractos finos a 10OOO
Latas pequeas com banba muito
fina a 120 e...... 160
Sahonetes de diversas quali iades a
80, 160,210 e. .... 3Sv
Finas escovas para denles de 120 a COC
Lindos coques modernos a. f 200C
Pavios para gaz, duzia a 210 e 320
Escovas para fado a 5l'0, 600 e 700
Ditas para cabello a..... 500
Pentcspaia tirar piolho a 160 e. 240
Brincos de cores, bonitos a 160 o 20C
Pecas do tranca de ia com 8
varas por...... ge
Oleo para machina de costura,
frasco a......, 60
Pennas d'aco finas caixas a 800 e 1'
Dita d'aco Perry, caixa a. l^iO
Galao de algodao peca .... OC
Lindos babadinhos c entrecielos
peca de 500 a...... lXK
Ditos de louca muilo fino a 120 e 2W
Ditos para calca a 160 e. 24(
Caixa com papel amizade a. 70
Dilas com envelopes a. 48
Ditas com obreias a..... M
Caixa comagtilhs fondo dourado 28^
Ditas de ditas ditas a..... 16
Thesoura para cosluia a 240 e 50X
Caixa com linha de marca a .
Linha de cores em novellos (li-
bra) a.......... 50(
Carreteis de linha Alexandre de 70
at 200........ 10(
Grampos muilo finos com passa-
ros, duzia a...... 2X
Cartas portuguezas, duzia a M i40i
Ditas francezas a 2,5200 e 3O0C
Papel almaco e de peso, resma a
30400, 3/1500 e 4,550C
-,3a muilo fina para bordar, libra 6i>5&
Fita de algodo para debrum de
sapatos, peca a..... I6
Dilas de 13a para debrum de ves-
tido, peca a...... 48(
Pentes finos para segurar ea-
^ bello a.......
Ditos ditos de bfalo para clisar
a 240, 3S0 o...... 50C
Ditos para aparas penna a 10
Rosetas prcts, par a 10*.
Tranca de 13a d. ca; ..im 10(
Fita de coz peca a 480 e ... 56<
Alfinetes de !at;;o a..... iOi
Sapatos de aa para enanca a 400e 8CK
Grvala de sedas de cores a S (
Calcadciras a....... 8
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio de borracha por
lOOrcis!!!!!!!
Ka verdade rna do Qnelsado
es. fi5.
">
*
l
10STURA
Acabam de chegar ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, roa Nova n. 22caunkuuj
vianna--um completo sortimento de ma-
chinas para coslura, dos autores mais co-
nhecidos, as quaes esi3o em exposigo no
mestro Bazar, garantindo-se a sua boa qua-
lidade. e tambem ensina-se lotB'perfeic^'i
a todos os compradores. Estas machinas
sao iguaes no seu trabalho ao de 30 costil-
reiras diariamente, e a sua perfeicao tal
como da mellior costureira de Paris. Api e-
sentam-se trabalhos exeeulados pelas mes-
mas, que muilo devem agraar aos preten-
d entes.
jMnnt>iga em latas.
Ven" se mantiga ingleza en latas de urna
lihra : no paleo do Can: ia da nu de
ortan^l ____________
Jinlw, na cidade
para familia e
ido quantidade
) :
Q. ti
Leque do madreperola com seda, e i el J*
madreperla, muito n'prio para n as, rhega-
r.-.m a loja Passo a ra do i 'A, as-
sim como requtetflmi chales de touquim de 1
uas as ccits, vestuarios I brais
para baptizados, nieia de novi^de) mili
to bonitas para a.-Kxmas. Sra- ,:d..'
do sapanho rase e outros muir irm de
!o que o proprielariof. deste e^^HRertc t'
recebido.
Estampas finas
A loja da Aurora reeebeu boas estampas o
ridas, sendo das sagnintcs qualidades : inerte o-
ju>te peccador, enferno(eparauo, das mais
que tem chepado na irora na ra larra
do Rosario n. IR
1TTENCAII
andan
rna d
nho casa ler.
Rosario n. 1
~=="^sai
baratisiimo
lo R;i
a>n. 3 : trat..
Kli vende-se um l aseo
tratar na ra de 11


6
Diario de Peinambuco Tewja feira 22 Je Fe>creiro de 1870.
i
U
A RIJA bA 1MPER1TRTK W, 9
Esquina da ra da Aurora, em frente do caf Imperatriz.
N'este novo e sumptuoso ostabelecimento de fazendas encontrarais Exmas.
familias tudo quanto pu^.uu desojar, tanto emartigos do niais rigoroso luxo, como em todas
43 mais qualidades d.' .izenas,
Alem do se aciiuicm prvidos do quo de melhor se encontra nesle mercado
todos os paquete ii.t Cuiu,^, ,c ..... dicctmeuU u que ira rticos do moda <
- *-- w* ^ v- .mu. utw \* M** ** v* iKva vi\/ *#*%** **
lo mais apurado pisto >e encentra em Paris, o que vem cada da augmentar s propor-
v'jcs de que dispoe este esUbelecimento para bem servir sua numerosa freguezi;-.
4T\
Algodo largo pjra lences e toalhas de
todas as qualidades quecojiuaia vr ao mer-
cado.
Alpacas de todo? o i padres e qualida-
des tao variadas que se nlo p .dem descrever.
AJbunscom msicas par* colocar retratos,
delicado presente para qualq..er pessoa de
esima.
Atoalbado de linho e algoriSo, branco e
de cores proprios [tara toaihas.
Bas minas de seda pretas e mnilo moder-
oas, bera como de croclit, ludo de apurado
gesto e feitio.
Baloes de muselina, madapolo, brancos
a de cores, para senhora e meiiinas,
Barege* de cores variado sortimento.
Babadinhos ou liras bordadas em todas as
larguras.
Belbulina de todas as cores.
Bolsas de tapete para viagem. grande
variadade ie tamanhos e gostos.
Borobazina preta de todas as qualidades.
Bramante de linho de i l palmos de lar-
gura, e toilas as mais qualidades.
Bretanbas de linho e algodSo, grande sor-
timento.
Brins de linho branco o de cores, do mais
oommodoao mais caro emqualidade, affian-
cando o que ha de melhor na especie.
Brins d'algndao completo sortimento e
variedade do pre;os.
Cassas de cores, o maior sortimento, pri-
mando pelo booi gosto e barateza, alientas j ira qualquer parte.
Gase com listras de seda e flores, fazen-
da inteiramenle nova para vestidos de baile.
Grvalas p. ra senhoras e homens, o mais
completo sortimento que se pode desojar.
Guipure preto e branco, diversas larga-
ras e differentes gostos.
Gollas e punhos bordados para senboras.
Guardanapos de linho pequeos e gran-
des.
Gorgurao de seda preto e de cores.
Grosdenaples preto e de cores, haven-
do diversas qualidades e gostos.
J.iponazes para seuli -ras, o melhor gos-
to, e fazenda propria para as feslas nos ar
rabaldes e passeios a tarde.
a
Lazinhas de todas as qualidades, cores
e gostos, n3o fleando nada a desejar, tal
o sortimento que existe para escolher.
Lencos, ludo quanto pode baver desde
esguio ao algodo commum.
Leques de madreperola e osso, o mais va-
riado sortimento.
Ligas d seda, bordadas, para senhora.
Luvas de Jouvin, chegadas por todos os va-
pores, sempre novo sortimento, quer em
pellica para homens e senhoras, quer em fio
"Escocia, brancas e de cores,
saat
Madapolo; indesc iptivel o grande sor-
timento que ha neste genero, desde o mais
elevado preco ao menor, que se vende em
peca e retalho por menos do que em ou-
EfWTA
DO
GALLO VIGILANTE
as qualidades.
Cambraias brancas, tapadas, e transparen-
tes de todas as qualidades e precos. t
Camisinlias de cambraia de linho e cassa
Mantas de blonde para noivas: o apurado
gosto dos nossos correspondentes em Pars
habilita-nos a dizer que temos em nosso
estabelecimento o quo de melhor se dese-
bordadas ricamente enfeitados para Sras. 'ja para vestir e ornar urna noiva.
Camisas para homens e meninos, t5o va- Mantas pretas de blond.
riado sortimento que vai do mais ordinario Mantas para carros, com lindas pinturas.
madapolo ao mais perfeito bardado de li- Merinos pretos, trancados e lisos.
aho e cambraia. Musselina branca e de cores, lindos e va-
Camisas de meia, de flane'.ft, brancas e! fiados padres.
11 u a do Crespo m. i
Os propnetarios deste bem conbecido estabelc-
cimante, alm dos amitos ohjecto que nbam ex-
posto* a apreciaejio do respeitavel publieAmaii-
daram vir e aealiam de recelier pelo ultima vapor
da Europa uro completo o vanado 30rtimnto de
unas e mui delicadas especialidades, a quaes es-
lo resolvidos a vender, como e de sen. costme
por precos muito baratinhos e commodos para tc-^
dos, com tanto que o Gallo__
Muito superiores lavas de pellica, pretas brau-
cas e de mui lindas cures.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga tara coqow.
Lindos o riquissimos enei
Extta. saimoras.
Superiores trancas pretas e de corcs.com vidrl-
Ihos e sem elles; esta fazenda o qu* pode haver
de melhor e mais bonito. '
Superiores e bonito* leques de madreperola
raarnm, sndalo e osso, sendo aqnetles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores metas fio de Eseossia para se-
nhoras, as qnaes sempre se Tendera por 3OJ000
a duzia, entretanto que nos a vendemos por 201
alm destas, temos ttmbcm pande sortimento d
outras qualidades, entre as qnaes algumas muito
Anas.
Boas bengalas de superior eanna da- India e
cstao de marflm com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambera grande
- quantidade de outras qualidades, con sejam, ma-
- oeira, balcia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos ehicotinbos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores Iig?s de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cal de marflm e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas, e. de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramss sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bollas capellas para noiva.
Superiores agulhaspara machina epara crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, asara
como os tentos para o mesmo fim.
Grande e variado sortimento das melhores per-
fumaras e dos melhores o mais condecidos per-
fumistas.
COLABES DE ROEB.
Elctricos magnticos contra as convulsdes, e
fa/Mhtam a denticao das innocente? enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo ja tem acontecido, assim pois poderlo aquel-
los que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraran destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fira
Sara qne sao applicados, se venderao com nm mui
iminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos cbjectos qne deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a viren)
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
4TT1MI AO
Grande amanan de fazendas e ronfas feites m da Imperatriz
n. 82, pwla larga, de Paredes Porto.
, ^w8 estabelcimento encontrar o respetlavel publico um bonito sortimBt
de rorjpas de todas as qualidades, palitols de alpaca a U, 3^500 at fifi. Ditos de
merino, ditos do casemira de cores bonitos gostos a H, U, H e 101, de panno preto
sacos c sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de crqs de 3/S50O a 5(000. Calcas de brim de cor fina e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta, de 44. 5& 65 a 155. Colletes de todas as qoalidades e preco malte
barato. Completo sortimente de camisas franelas de algodSo e de linho de 25 at S
urna. Sortimento de sefoulas francezas de algod5o, de linho e bramante a 20 e 2SO0.
pm-a tebegasdas Grvalas (mantas) novisiitoo gosto a todos os precos. Meias sortimento completo a 30.
40 at 70 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encemmenda tanto para homem, como
para meninos, e com.brevidade, por isso que tem ura bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tafflo cm casemiras como brins, pannos finos e outras mnitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de II palmos de largura a 10800 o metro.
Cambraias de crhe branca.
Alpacas de todas as cores a G40 rs. o covado.
Poil-de-cbvre com lista do seda fazenda de gosto a 10200.
Basquines de guipure enfeitadas a 180000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 60500, 70, 80 e 90000.
Algodo pe?a com 20 jardas a 40300, 50500 e 60000.
Peca de algodo largo a 70500.
^E outras rauitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem ronpa
fetta que se est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52(Hnto loja de oarives) do
LESO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
le coros para homem.
Casemiras pelas e de cores, o meluor
C?
Pannos pretos e de cores, desde o mais
}ue se pfle imaginar, sendo d'isso a me- barato ao mais superior, por preco muito
Ihor prora o grande consummo dellas na c^mmodo.
Pannos de crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de casemira muito finos para
oftkina da casa.
Capellas de flores, para noivas e bailes,
desde a mais canchila flor de larangeira at mesa
i mais intpreaeante griaalda. Peit.s bordados de linho, lisos e de al-
Chapeliokas no molhor gosto.de todas as godao para camisa.
:6res boje preferidas pelas senhoras de Pnncetas pretas e de cores,
aais apurado rigor na moda. Popelina do seda e linho, com listras e
Chapeos pretos dp velludo, para senhoras,: flores; fazenda lindissima.
altimo gosto de Patis. Pelberinas para senhoras, do ultimo
Chapeos de sol. para s nhnrase homens, 'gosto.
de todos os pre;os e variados gostos. Perfumaras ; os mais finos extractos o
Chaly com ricos padroes para vestidos.' que de melhor e mais agradavl se pode
Chales de todas as qualidades, avallado encontrar neste genero, c do mais fragante
numero e nao meno? variedade de gosl^s, e suave no olphato, tem o PAVILIlAO DA
Chitas, impossivei descrever o sortimen- AURORA, desde a verdadeira agua Flori-
to e variedade de padres e novos ?ostos, da at o mais fino Bouquel d'mour, fiaal-
ha neste artigo tudo quanto se pode desejar. mente tudo quanto deve oceupar o touca-
Cintos para senhoras o que se pode ima- dor de una senhora de gosto.
goslo o nos entei-
giaaj de melhor.
Coques, o melhor no
;es, varios tamanhos.
Colchas de seda com borlas, o mais apu-
rado g sio e lavor.
Ditas de fnsto branco e de cores por
precos commodos.
Corpinhos de cambraia, ricamente brda-
los para senhcn'as.
Cortinados de eambraia bordados o de
al.o que do m lhor se pode desejar.
e
!sS
Saias bordadas, brancas, lisas e de cores
com follios e sem elles. o melhor possivcl,
Sabidas de baile, de todas a3 cores.
Sedas pretas, d quadros, lavradas, lisas,
de listras de todas as t ores e qualidades e
o mais barato possivel.
Sarcelim de todas as cores e qualidades.
ft. ^
Tapetes grandes, lindas pinturas para 8
cadeiras, mais pequeos e de todos os ta-
isos, o manhos desejaveis, o em peca para co-
: vados.
Toalhas de labyrintho, do maior e mais
fino trabalho ao mais barato.
Toalhas de linho e algodo de todos os
tamanhos, lias e felpudas.
Tarlatana branca com palmas o de cotes,
fasenda muito nova, e gostos delicados pro-
pria para'baile.
Vistuarios bordados de fustao brancos e
de cores para meninos, de cambraia para
bapti-a:los, o quede melhor lera vindo a
este mercado.
Vestidos de la escoceza de 2 saias,
novidade pelo padro, goslo e forma; ditos
de linho com barras do cores, e de cam-
braia de cores com 2 saias, ludo inteira
novidade, trazem os modellos juntos para
mostrar a forma de os fazer.
Veos de blond para noivas e pretos para
luto.
Vestidos de blond para noivas: podemos
asseveraras nossas Exnts. fregoeaas, que
Machinas a vaprete
forpa de 3 e 4 c-
vanos.
Motores para 2 cavaos.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para dcsca-
rocar algodo.
Bataneas para armazem e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro -de Milncz e de Ubit-
field.
Prencas para copiar carias
Fogo americano patent
i1*^
Mikroskope achroma-
i^tisehen. ObjetivLin-* V"
Barmetro e termos
metre. Centigrade
e reuameure.
wwm wm
DE
Colarinhos de linho'bordados
maior sortimento.
Damasco do la de 9 palmos de largura
lindas cores e ricos padroes.
Z3k .
Espartilhos branoos e do coros, para se-
nhoras e meninas, o melhor neste genero ;
nenhuma Sra. deixar por certo de muir
se de to precioso auxiliar perfeifo de
amcorpo delicado.
Entremeios bordados.
Escomilha preta.
Enfeites para cabeca, ultima moda de
Paris, recebida no ultimo paquete.
Esguio de linho, completo sortimento de
todos os nmeros.
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
dade de gostos e lindos padroes,
Fi :hs de crochet, modernos com cintos
e capas, o qoe ha de melhor.
Fil de seda, linho e algodo, de todos
os gostos e padroes.
Fusto de todas as cores e qualidades somos os nicos em Pornambuco que "pode-
grande sortimento. j mos offerecer ao Ilustrado publico, o mais
FaneHa branca e de cores. J-apuradogoslo em semelliante materia, gra-
V lores, e o quo ha do mais rico, quor cas ao bom goslo do nosso fornecedor em
solas, quor em ramos, tem oPAVILHa') Paris, podemos garantir que maguera neste
DA AURORA um permanente jardim a genero o possue raellror, era mais em
disposico das Exraas, familias. conta.
.- tn ^F.fen? {];i gr3nde e rMo >ortimenl que o.? proprietarios do P^-
1..H \o u.\ AUllRA so apresenlam ao publico declarando desde j nao a sincerida-
de e o bom gostoo movel nico de seus negocios.
Prvidos de todo e promptos sempre a prover-se do quo por ventura Ihe
eja necessano, os propnetarios deste sumptuoso estabelecimento recommendam-se
sera receio de seremgpontradictos e proteslam esforcar-se por continuar a merecer
protfco que se Ihes tem dispensado ; certos de que do sea estabelecimento nao sahira
o freguez descontente. ,
Contina sempre a offkina de alfaiate dirigida por um dos mais habis artis-
tas, prompto executar cora promptido e bom gosto qualquer trabalho que Ihe seja
Urna modista especialmente oceupada nos trabalhos do PAVILIlAO D V AU-
RORA, d'iige os que Ihe sao concernentes, garante porseu apurado goslo e promptido
na ex*cnpb e a mais Jmplota perfeicio nos seus trabalhos.
A numerosa fireguezia qae nos honra uma prova de que merecemos o con-
cito qm se dispe >sso estabelecimento, conceito que procararemos firmar cada
vez mais. Para facilitar ainda a concecuco do b> que nos propomos, temos no nosso
ment os ltimos figurinos de Paris. qui recebemos por todos os paquetes os
mos para screm vistos as familias nossas freguesas, afim de escolherem,
com o padio da fazenda o gosto na forma.
Xa offlcioa de alfaiate, junto ao estabelecimento, ha igualmente os figurinos
para I vapores se recebgja.
o modo porque nos aprsentenos pedindo a protocolo do Ilustrado
profundo respeito convidamos s excellentissimas Si-as. a visi-
estabelecunento, cerUs de encontraren neile pelo menor preco twssive-
i que poera desejar. ^ "
caixeiros levar as fazendas e amostras onde forem pedidas, visto
mos especificar tudo quanto temos.
Joo Luiz, Sobmtho & C. i
Cal nova de Lisboa
chepada no ultimo navio : vende Joaqnim Josc
Ramos, na rna da Cruz n. 8. 1 andar.
LOJA DE FAZENDAS
DO
C-AK3KALUI
Rna 2a Em|eratrz n. 58.
COltTES DE CASEMIRA PRETA A 35500.
Vendase cortes de ra-emira preta para caigas
a 3500. 45000, 5000 o 6^000 rs. ditos casemi-
ra de cores com lisias do lado a o c G o corte:
a ra da Imperatriz n. 56.
GHOSDENAPLG PUETO A 2c00 COVADO.
Vende se pro?denaple preto para vestidos de
senhora a 2a?S00, ;)000 eoOO o covado.
PANNO PRETO A 25200 O COVADO.
Vende-se panno preto para calcas e nalitots a
25200, 22500, 35000, 3*300, 45000 e 5*000 o v
vado.
CHITAS FRANCEZAS A 280 O COVADO.
Vndese chitas francezas tinas para vestidos a
280, 320 e 360 o covado.
MADAPOLO ENFESTADO A 35500.
vende-se pessas de madapolo infestado com
12 jardas a 35500, e pessas de dito com 21 jar-
das a 55000, 55860, 65, 75, 85 e 9 .
CASSAS FRaNCEZAS A *40 O AOVADO.
^ ende-se cassas francezas finas para vestidos
a 20 o covado.
ALGODAOSIXHO A 45000 A PECA.
J^'le-se pegas de algodosinho a 45, 55, 65 e
GANGA PARA CALCAS k 320 O COVADO
vendes^ pangas para cal^ e palitots a 320 o
covado, e brira de cores com listas do lado a 45 o
covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A 500.
Vende-se alpaca de cores para vestido* a 500 e
6i0 o covadi, e ontras muias fazendas que-se li-
quidam para fixar contas, sem reserva de preco :
a_run_da Imperatriz, ioja do Garibaldi n. 56.
taz m w
_ Chegon ao antigo deposito de Henry Forster 4
t.., ra do Imperador, um carregamento de ga>
de primeira qualidade; o qual se vende em partida;
" a retalho por menos preco do que em oulr* qual
quer parte.
Vende-se
E crystal de rocha do Brasil.
F. *f. Germano, recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa
dos; porque, com esle vidros, a vista descansa, l'ortifica-se e nao a canea como cjm
os videos ordinarios. Urna vez escolliido um vidro, p'de durar dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinarios se est obngado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do lho o determina quasi sempre do-
res decabega. O alcance ordinario da vista porto de 30 centmetros do lho, e,
todas as vezes que o objecto est mais perto ou mais loage, os raios que expolie s
mu convergentes ou mui divergentes e a viso nao perfeita. Um grande numero de
pessoas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a vis5o nao distincta.
Com a applicacao Je meus vidros pde-so vencer estas dilficuldades. Para os que tem
a vista curta e cujo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
longo), o que se chama myope, por meio de um vidro concavo affasta-se o ponto ds
vista, o que faz divergir os objectos e deixa ver tao longe como as outras vistas. Quan-
do o crystalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade
o que se chama presbyta, vem me>bor do longe quo de perto, e nao enxergam sen
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarao
tac distinctamente como na idade do 15 annos. Servindo-se destes vidros quando e
vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
P. f. Germano encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a e s
colher, a primeira vista, seja qual for a iade e grao do vista, oculos proprios para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Para a vista myope, (vista curia).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos sao desiguaes.
Para a vista que se larva com o traba-
lho e a lcitura.
Para a vista presbyta (vistagalon ).
Para a vista que nao supporta os raios
solares nem grande claridado.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras estao cor
cadas do saugue.
Para a vista que um dos olhos myop
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
3 cordeiro previdte
Itua o tiic-iiusado u. ltt.
Novo e varia de perfumara
Alm do complaR Rfmer.to de perfu-
maras, deque effeetnamente est prvida
loja do Cordeiro Presidente, ella acabad*
receber nm ootro mnenlo que se torna
notavel pela variedade de objectos, superior*
dde, qualidades e commodidades de pre-
foa; aaeira, pois, o Cordeiro Previdente* ped*
e espera contiRwrr a merecer a apreciac
do respeftave! pnbli> em gerad e de su
boa freguesa em particular, ato se afa
lando elle de sua bem conhedda mansidi*
e barateza. Em dita loja encontrarao o*
preciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fraft
ceza, todas dos melhores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toflet.
Elixir odontalgico para conservaco d*
tsseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade &m
ros agradareis.
Copos e latas, maiores e menores, co
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
(rancezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavl cao
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaseis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidad*
com escolhidos cheiros, em frascos dedifl
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menor*
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em flg
ras de meninos;
Ditos muito finos em caixinha para barba,
Caixinhas com bonitos sabonetes imitand*
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo i
aas perfumaras, muito propinas para pre
lentes.
Ditas de papelSo igualmente bonitas, tam
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e f
moldes novos e elegantes, com p de arr
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e ontras difireuto
qualidades tambera para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda ni ais coques.
Um outro sortimento de coques de no
vos e bonitos moldes com filets de vidriia*
a alguns d'elles ornados de flores e fit$&
sto todos expostos apreciapSo de qnei
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicSo.
FlTelIas e fitas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes obja
tos, ficando a boa escolha ao gosto do co*
prador.
KJJPfi POPUIiAB
DA
FABBfA mmm umik
DE
Teixeira Uldurico ^ C.
Acha-se venda esto ptimo rap, nnico qj
pode supprir falta do prlnceza de Liaboa, por se-
de mui agradavl perfume, viajado, c a preco
mais mdico possivel; e por isso teca sido ?.S3
acolhido as pityas da Baha, do Rio de Janeiru -
em outras do imperio :^io escriptorio de Joaqui
Jos Goncalves Beltrao, ra do Commercio na-
mero 17.
Caixa Filial do Banco do Bra-
sil era Pcrnantbuco, cm lSqnl-
dnco 5 de jauelro de 2SS
A Caixa filial vende o grande e excelleD-
te sobrado sito ra Imperial n. 64, com
acconiodacfes para grande familia, e tam-
bem vend a casa terrea contigua n. 66 :
tratar na mesma caixa ra do Commer-
cio n. 34.
Sortimento
para theatro,
de binculos
e oculos de
alcance para o campo e ma-
rinha.
Lunetas, pince-nez e
face--main, onro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sortimento de relogios para parede, ane d5o hora< a nara
cima de mesa dos mais lindos modelo Belogios para algibeira dTonro prat orata
domada ofolead, mglezes, suissos e orisontaes dos mShon'!maUafaraados ffi
Vendas em grosso e a retalho. Era Pernamb'uco.
N.21=Hua Nova. 21.
TASSOIRMAOSftC
Vendem em seus armazens, no caes do Apolk.
n. 7, Escadinha n. i e ra do Amorim n. 37, o*
seguintes gneros :
Ago de Milao.
Milho em saccas grandes.
Farello em saccas de 90 libras.
Chumbo de municao sonido.
Metal amarello para forro de navios.!
Machinas para descarocar algodo de 14, 1C e l?
sorras.
Kerosene em latas de 5 galoes.
Champagno do afamado fabricante Krug.
Bormouth.
Vinho do Porto engarrafado.
Coac do afamado fabricante Gantier Frre?.
Fogo da China, caixinhas, 40 eartas n. i. Extra.
Genebra ingleza tOld ton
Cimento Romano.
Cimento Hidrulico.
Cimento Portland.
?o para estuques.
Cannos de barro para esgotos.
Gradeamentos do ferro para jardins, calcadas ett
Carros de mao para servicos de armazens.
Garrafoes com 8 galoes de vinagre tinto.
dem com 3 galoes de vinagre tinto.
Chumbo em barra.
QUINIUM LABARRAQUE
tan
Aborto das 6 s 9 horas da noite.
a metade de um sitio no lugar
(.ruz do Rebouco, na estrada de Iguarass, fica
urna legoa pequea qoem da villa, o qual tem
urna excedente casa de pedra e cal feta ha qnatro
annos, e tem muilos arvoredos de fructo, como
larangeiras, c. fezeiros, etc., e bastante trra para
roca e plauta^ao de canna. Esse sitio foi do falle-
cido Rento de Carvalho Rastos: qnem qoizer com
prar a raetade, dirjase a ra do Livrrmento, loja
MILHO
Vende-se no trapiche Barao do Livramento sac-
aos com milho, boa saccart^p por menos do qu*
em outra qualquer parte.
Veode-se urna esrrava de idade 45 annos.
perita eosinhaira de um tudo, duas ditas exrel-
)mm8.lciras, dnas bonita m leca de
i 14 ana >s, i escravo peca idade S3. an-
arrfiro. 1 dito mestre de carapina, l
iue idade 19 annos : i travessa do Carmu
n. t.
APPROVADO PEU ACADEMIA DE MEDICINA
0 Cutnium Labarraqne, eminentemente tnico
oe PARIZ
u e febrfugo deve ser
preterido i todas as outras preparacoes de quina
J? ^S qU-M ordinariate empegados na medicina preparam-se
Z1ZT t J""18 CUJa riquea* m PrinciP09 extremamente
vanavel; partedisso, em razio de seu modo de preparado, estes vinhos con-
wm apenas vestigios de principios activos, e em proporefles sempre variareis.
di i I-barrqn. approvado pela Academia de medicina, con.
turne pela contrario nm medicamento de composicSo determinada, rica em
principios acvos, e com o qnal os mdicos e os doentes podem sempre contar.
iMVt i"1""1- Labarr*'u# prescripto com grande xito s pessoas iracas,
das: "J" Por dvewas crasas d'esgotamento, seja por antigs moles
as; aos adultos fatigados por ama rpida crescenca, s meninas qui tem dif
cuioaae em se formar e desenvolver; s mulheres depois dos partos: aos velhos
enfraquecidos pela edade on doenca.
N.?. "* de' cWoroMs, anemia, cores plidas, este vinho um poderoso
auxiliar des ferruginoso. Tomado junto, por exemplo, com aa pihuas i
vai*, produx effeitoa maraviiosos, pela ana rpida aecJU)^
Deposito em Ptrfa, L FKBSS, II, roe Jacob
**-!**,, DOPOIICHELLK; CBETOLOf. fvmmbuco, MAREI t C
Especial para limas.
Em porcao e a retalho, vende-se no a
de pianos e msicas do Azevedo, ra Nova nu-
mero 11.
Farinlia de mandioca.
De superior qualidade e em saceos grandes,
vende-se nos armazens da comp?nhia Pernambu-
cana, caes da Assembla.
CADET
cu ra
em TRES DAS
'enain


Diario de Pernambuco Ter
DE
Fy%ZEWDitl
BARATAS, NA LOJA E ARMAZEM
DO
DE
FEIjIX PEREIRA DA SIIiTA.
,nnfl ,.rtm^ f^SS^i dCSt !?nde estabelecimento. tendo dado balanfo no flm do
anno, como de costmnc e vendo que tinte um grande deposito de faldas, e juntan-
do a essas oulras mudas que Ihe tero chopado este anno. tero revivido taer -ima 11
K'^O Pr PrCC03 nUl ^ b3ral0S Cm fim de *-n^a qadade e aburar
O respeilavel publico encontra neste estabelecimento, nao so um prande sor-
umc.ito do roa.s apurado posto e laxo, ass.m como todas as fazendas de primpira ne-
owsidade, orle tortas se dao as arabstras com penhor: as pessoas que negocian cm oV
^s5aaa.podM snr*r-se *um ^ ^^sovs. l
ExpleildidO SOrtmentO de Crochs para cadeiras e sofs
O Pvo tem um prande sortimento dos
mais bonitos crochs proprios para cadei-
ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
roupas ibiwto
NA LOJA DO PAVO A RA DA
1MPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas,
endo calcas palitts e coletos de casemira,
e panno, de brim, do alpaca, e de todas
u mais fazendas que os compradores pos-
tan) desojar, assim como na mesma loja
como proprios para cobrir presentes, e ven-
de-se mais barato do que cm outra qual-
quer parte,
ALGODAO ENFESTAD
Vende-se urna grande porco de algodao-
sinho americano com 8 palmos de la gura
*0 quttMASA
GRANDE NOVIMDE
Quaado a AGUIA BRRNCA, mais precisa scientiflcar ao respeilavel publico em
peral, e em particular a'sua boa freguezia, df immensidade de obyectos que ltimamen-
te tem recebido, justamenteVjuando ella menos o pode fazer e porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que Ih'a altender5o e relevarao,
continuando portanto a dirigirera-se a bem contecidak ja da AGUIA BRANCA ra do
Queimado n. 8, onde sempre acharao abundaucia em sortimento de superioridade em
qualidades, modicidade em precos c o seu nunca deSmenttido AGRADO E SINCERIDADE
Do que cima Dea dito so conhece que o lempo Je que a AGUIA BRANCV pode
dispr, empregado apezar de seus custos nodesempenho de bem servir a aquelles que a
honram procurando prover-se em dita loja do que oecessitam, entretanto sem ennume-
rar os objectos que por sua natureza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja importancia, elegncia e novidade osWnam recomraendaveis, como
bt m seja :
(em um bello sortimento do pannos casemi- fEH* Ah t0alh3S tcno.liso e
s, brins, etc. etc. para se mandar fazer i J00 1ue se vende Por Preco muito em
onalqner peca de obra, com a raaior promp- ._ ....
;td!o vontade do freguez, e nao sendo rhann *A c l,a .
abrigados a aceita-las, quando nao stejam AaC0'. ando sortimento de pecas
completamente ao sou contento, assim como S^Z .'ftnPorto que se v.endem
a'este vasto estabelecimento encontrar o / rfs" Tr l vara' ?arantindo-se
'speitavel publico um bello sortimento de ?.ue em azenaa de linho na0 l,a nada rao-
samisas francezas e inglezas, ceroulas de \ nem mais ProPno Para incoes e toa-
jnho e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lue vender mais barato do que em
ulra qualquer parte. Na ra da Impera-
aiz u. 60, loja e armazcm de Flix Perei-
fi da Silva.
Pechincha a 2^000
Para lenqes.
Na loja do Pavao vende-se supe rior bramante
3011110 palmos de largura, dando a largura o com-
primento do lencl, sondo apenas preciso para
cada lencol um e mcio, ou um e um quarlo me-
tros ; alm desia aplicagao tem outras muitas
para arranjos de familias e vende se pelo barato
BTOCO de 2000 o metro Na loja do Pao, ra
4a lmperatriz n. 60. De Flix Pereira Ja Silva.
Gangas de llnho
Vende-se gangas de linho com qoa irinhos
amito boa fazenda, para roupa de homens
e meninos e vende-se pelo barato preco de
500 rs o covado:
PECHECHAEM PANW PRETO A 2:400.
O Pavo vende wperior panno preto fino,
para pallitots, calcas, colletes, etc., pelo ba-
ratissimo preco de 2:400, o covado, gran-
de pechincha.
fortes le casen Ira prea a 4500
O Pavao vende os superiores cortes de
iasemiras pretas enfestades, pelo barato
prefo do 4:500, pechincha.
PARA O CARNAVAL
Icrbntlaa a O rs.
O Pavo vende bonitas verbulinas de co-
res para dminos e outros trages de mas-
caras pelo baratissimo preco de 640 rs. o
soltado.
PECHINCHA, ALGODAOSINIIO A 4;000,
O Pavan est vendenrio pecas de algo-
diosinho francez, tendo 4 palmos de largu-
a com 11 metros cada peca, pelo barato
.recode 4 $000.
Pecas de uiadapoKio a 3:OO.
O Pavao vende pecas de muito bom ma-
iapolao tendo 12 jardas cada urna pelo ba-
rato preco de 3:500.
GROSDENAPLES PRETOS.
Cliegou para a loja do Pavo um grande
sortimento de grosdenaples pretos, tendo
le 14500 ate 50000 o covado neste peero
>s melhors e ma s largos que tem vmdo ao
mercado, assim como bonitas sedas pretas
avradas, noireantiquesetc, todas esias fa-
tendas. vcudem-se mais barato do qne em
mtra qaalqner parte, por ha ver grande
)orcao.
KRCALLAS E CHITAS BARATAS.
O Patito vende om prande sortimento
las mais bonitas chitas clarase escuras, mais
carato do que em outra qualquer parte,
'assas ar 9 I o rs.
Vende-sc na loja do Pavo bonitas cs-
as de cores fftas a 20, 280 o 300 rs. o
:ovado.
Camliraas brancas a 1:000 a pf;a.
S o Pa?5o vende pecas de cambraia
branca transparente, tendo mais de vara de
largura, com 10 jardas cada peca, fazenda
que sempre se vendeu a 75000 e 85000,
(iqmda-se pelo barato preco de 45000.
alpacas brllhaates a i.*, c so.
O Pavo tem o mais bello sortimento de
alpacas lavradas com as cores mais delica-
das que tem vindo ao mercado e tendo bas-
tante larguaa, vendem-se pelo barato preco
le I5Q00, 0 800 rs. o covado.
- Vendom-se as seguinles casas terrea?, todas
n chao proprio : na ra Bireita ns. 57 c 59;
Aguas-verdes n. 35, e Santa Rita n. 7.3 : trata-se
no pateo de S. Pedro n. 17, das 1 horas d% ma-
nhia as 3 di tarde.
Ihas.
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um prande sortimento dos rae-
dores chapeos de sol de soda, inglezes ten-
do neste artgo o mclhor que tem vmdo ao
mercado assim como urna grande porgo de
ditos de alpacas do todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que ero ottra qualquer parte, por haver
grande porco.
Os baloes do Pavao a 2$000,
Cheg u um grande sortimento de baloes
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo proco de 25000 ca-
da um grande pechincha
CRETONES MATEADOS PARA VESTIDOS
A 640 E 800 RS.
Para a loja do PavV chegaram os mais
bonitos crotones escuros. matisados, pro-
prios para vestidos, roupao chambres etc.
que se vendem 800 rs. o covado, assim
como a mesma fazenda em padres claros
proprios para vestidos e roupas de meni-
nos a 6i0 o covado, sendo os padres mais
moderaos que tem vinpo ao mercado.
m 20 il mm u
LAASINHAS LUSTROSAS A 400 RS. O CO-
VADO.
S o Pavao
Corpinhos de cambraia, primorcsmente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde o perfeico de ador-
nos i s tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito so poderia
dizor querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao massar o prclen-
dente se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipore branco c pelo de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de alpodSflcom flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaos completos par? baptisados.
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
Capellas brancas para meninas.
Grandes,sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande o constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidado.
Lindos vasos com p de arroz e pnsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos o modernos peritos dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para balao.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
i urnas subslituem as outra.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de raadeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
enancas.
Diversos objectos de porcelana, proprios
para enfeitesde mesa e de lapinhas.
SORTHTO Pili A (ISIA
Vende-se por menos de 10, 20 e 30 t0
SO' NO
Vende-se um
mais modernas e
grande sortimento das
^legantes lasinhas para
vestidos, com as cores mais novas que tem
vindo a este mercado, sendo com listrinhas
niudinhas que parecem de urna s cor e
xtra tanto lustro que imitam perfectamente
te poopelinas de seda, e vendem-se pelo
barato preco de 400 rs.
OssetinsdoPavao
Vende-se os mais bonitos setins de cores
j mais encorpados proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavo.
Encontra o respeitavcl publico neste estabeleci-
oeno am grande sortimento de fazendas pretas,
:orao sejam, cassas francezas e inglezas, chitas
iretas de todas as qualidades, fazenda de la de
odas que tem vindo, proprias para luto, como
isjam, laazinhas, alpacas lavradas e lisas, cntao,
wmbazinas, merino, etc., qne todo e vende cor
ireco barato.
Vladapolao francez a 7##00 rs*
Vende-se pecas de madapolao francez
;om 22 metros pelo baratissimo preco de
'5000 a pega, pechincha.,
Alias novidades m sedas
Gbegoa nta grande sortimento das mais
floderoas poupelinas ou gorgrSes de seda
i linho com os mais elegan'es padres que
em \-
Jrauc
vindo a este mercado sendo, miados e
MO;LSTASd.;PElTD
HYPPHQSPHITOS
dpDr'.HRCHILL
XAROPE deHYPGPHOSPHIT d SODA
XAR0P de HYP0PH0SPHITO de CAL
PILULASdeHVPflPHOSPHITOde QUININO
fltgMlA
PALiDAS
XAWBdaHyPOPHOSPHITO deFEflflQ
HYPFHOSRJTOdeMANSANESM

>7HMA
PASmitf PECTORAL CHu^LL
Eligir para os xaropet o fraseo quadrado i em
ivdot os troiitctot a ssignatura do O" CHDB-
**** o.reiro com t marca de fabrica da
toamabVBAMX.lhnuauHiUons.PARl?
IWTIfl
N. 23Largo do Ter DE
SIMAO DOS SANTOS & C.
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secco e molbados esto re-
solvaos a fazere urna grande diminuicao de preces as suas mercadorias, como se apro-
xima a festa e sempre se fazem avultadas compras para o centro e pra?a, por
isso previnem ao respeilavel publico em geral, qne mande fazer suas despensas e cer-
tos de que vero a grande differenca em precos mais do que em outra qualquer parte
e garantindo-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 90500 a lata, e 4401 SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 660 rs. o litro. 620 rs. o kilogrammo. ,
VINHO VERDADEIRO FIGUEIM 560] FARINHA DE ARARUTA VERDADEIRA
a garrafa, e 45500 a caada e 800 rs o ti- 6';0 a libra e 1)J400 o kilogrammo.
tro. ROLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
DEM DE LISBOA das melhores marcas,. 400 rs. a libra e 800 rs. o kilogrsramo.
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 25800 e! VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
3^200 a caada, 660 e 720 rs. o litro. jmasso, em caixa ba abatimento.
DEM BRANCO DE LISBOA a 40000. | PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEG-
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro. RANGA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA 3J200 e 60500 a groza.
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 10400,
I #800 e 25200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 70 a caada, e 10340 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 10400 e
10280 a libra, 30060 e 20780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 960, 900 O 850 rs.
a libra, e 20100, 10980 e 10860 o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a li
bra, 10220 o kilogrammo, em porcSo
far abatimento.
AMEIXAS EM LATAS E CACIIINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 10280, 20500
30500,4^500, 50500 a lata e a retalho e 10
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso, e em caixa ba abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA H 50500
a duzja e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERSA
se BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a dnzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANDA DE PORCO DE BALTIMOOR DIVERSAS MARCAS 10500, 10200, 10 e
720 rs. a libra, o 10560 o kilogrammo, m 800 rs. a garrafa.
udos, tanto em cortes para vestidos como
para vender em covado, assim como um
wnito sortimento das mais bonitas sedas
Itstradas que se vende todo muito em conta
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porc3o de cera de
.arnauba em saceos por preco mais barato
lo que em outra qualquer: na loja do
'av3o ra da Imperatriz (n. 50. De Flix
'ereira da Silva.
ALPACAS LAVRADAS
Vende-se a< mais bonitas alpacas lavradas
com os melhores gostos a 640, 800 e 150i>0,
o covado, alpacas lisas de todas as cores a
^IDe 720 rs., alpacas brancas lavradas li-
sas e de cordo.
Com palmas de seda a IAOO rs
Para a loja do Pafo chegou um rico
sortimento das mais bonitas liasinhas com
palmas de seda tendo de todas as cores e
padres, sendo fazenda bastante larca e
vende-se a 1000 o covado.
AS CHITAS DO PAVAO
Vende se am brilhante sortimento de
chitas claras e escuras por precos mais ba-
ratos do que em outra qualquer parle.
Roupa para eseravos
Vende se na loja do .Pavao, um bonito
sortimento de roupa par escravos.
IS POUPELLNAS DO PAVO A 500 RS.
Chegaram, as mais lindas poupelinas de
.aa com imitacao das poupelinas de seda,
im- fazenda muito leve com as mais Un-
as cores, sendo: verde Bisma*, rxa, azul
'yrio, c nsento, perolla etc, etc, e vende-se
)elo baratissimo preco do 500 rs.
Merino de cordo ,
Vende-se merino preto de cordo pro-
para calcas, palitos e colletes, pelo
MtBsrmo preco de 10000, 0ovado,
porc3o se far abatimento.
ARROZ DO MARANHAO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs; o kilogrammo e
35400 a arroba. ,
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 65000 a arroba.
CAF EM GRAO 65 e 60500 a arroba,
200,240 e 260 rs. a libra. 440 520 rs. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SABO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a librare
10220 o kilogrammo.
BOLACHlNHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como parola bri-
lhante, combination, Francy-cracynel, mixed
Biitania. Mdium, Fancy-nic-nac, a, b, c, e
soda a 10000 e 10400, cada urna lata.
Assim como ha outros muitos
GENEBBA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 70 e 60 a DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a frasqueira o 10 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
30000, 20800 e25iOem caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 110500 a arroba.
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 10000 rs. a lata. .
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TOa 15000 rs. a lata.
CHA FINO. GRAUDO E MUJDINHO
30200 e 20800 a libra, e 60100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 20000,
25200 e 10800, rs. a libra,
gneros, vinho em ancorlas, azeitonas,
Na'ldja e at^azem dovlo tv% da Impratrls n 0.
muito-novas, passas e figos novos, charutos de.diversas marcas, marmelada, feita pelos
melhores conserveiros em Lisboa, gela de marmello, pcego, ervilhas, em latas, por-
tuguezas e francezas, vinho verdo engarrafado rotalho, peixe era latas, bem como
pescada, tainha, pargo, goraz, lula, corvina, vezogo, cavala, sarda e sardinhas de Nan-
tes. Canella, cravo, ervadoce, cominho, pimenta, grandesmolbos do sebolla 10500.
Finalmente muitos outros gneros que enfandonho 6 menciona-los.
PARA A FESTA
3 portas, loja de fer agem
53-Rna Direita-53
Neste pande -estbetecimento, ha para vender
am completo sortimento de ferragem, e mindezas
Anas e grossas, como sejam bandejas chinezas
qiudradas e ovaes, totas e garios de i 2 bo-
toes, balanco inteiro e t/2 balanco; panellas, cha-
Iheiras, cacarollas, frigideiras, assadeiras, tanto
de ferro orno de porcelana, moiuiospara caf de
diveroes tamanhos do fabricante Japy,pesos kilo-
gra'Timas, tanto de ferro como de lati, metros
para medir fazenda tanto de ferro como de lati,
sajitrtj, breu, barbante. e pe marca via-
ii verdadeiro PicartHPMMlB para deca-
^ algodao'; alm de outros arttgos de lerra-
raiadezas entilaras finas, que s com a vis-
| ta M veriffea; na roa dtfata n. 53 foja de 3 por-
I Us de Manoel Beato de Oliveira Braga* C #
CEMENTO
PORTLAND.
Vend-se no armaiem unrellc
reir da Costa & Filbo, deflUte
ceicao, em barnras grandes
de Vicente Fer-
do arco da Con-
VENDE-SE ou arnmdu-se o eDgennt
S. Gaspar, sita na freguez de Serinhaem
comarca do Rio Formoso, prximo do em
barqoe, com grandes partidos de panl i
massap t roda da moenda, mattos mangue:
para madeira nMnaria, bom pasto, etc.
i (Wkoro
a tratar na roa
tmporador n. 20.
>ra n. 26, ou na
PARA NEGOCro
POR PlfFCOS MIJITO t .
HO BAZAR DA MODA
Ra Nova n. SO
Coques irm^riio do cabello,
guarnecidos do bellos. hffitea
ultima moda, a duzia 4O0OC
Papel superior do quadrinhos,
em caix;is cora 20 cadernos a. 04f
Envelopes prr.lana, ma'io boa
fazenda o mitheiros em caixi-
nhas de lOO..... 705OO
Botoes clii osso bem pulidos para
calcas, a grosa 220
Ditos cobertos de superior setim
do todas as cores, a grosa dos
pequeos a 30000, e dos gran- .
dts a....... 40000
Ditos com interessantes pboto-
grapbias para punhos a duzia
.de pares a...... 50000
Ditos de osso imitando o marfim
com lettras a duzia 80500
Ditos lizos muito boa fazenda a
duzia....... 30500
Abotuaduras paro camisa sendo :
2 boloes para os punhos, 3
rjara abertura o 1 para o col-
larinho brancos, escarlalates,
e pretos a du/.ia .... 80000
Brincos de erres a bal5o, cousa
mu.'to chique a duzia de pares. 10COO
Lindos lVatijuinlis empalhados
com bom exiraclo para lenco
.a duzia....... 8f50O0
Ditos cm bonitas caixinhas ca-
da fraseo a duzia. 60900
Tinta para marcar roupa, muito
superior cada frasco em sua
ca'xinha a duzia. 60000
Livrinhos com capa de metal
dourado e rom bonitas oroces
para a missa a duzia. 705M
Sabonetas do amendoas amaa-
gas e^peciaiiade do BAZAR
OA MODA, a duzia 2H8I
Lnpis pretos de superior qual:-
dade, oitavados a grosa 30 o 40OCO
Escovas linas para denles a du-
zia a 10OOe..... 3.0000
Alfinetes muiio bons, brancos o
pretos, a duzia de caixinhas a 20800
Pentes pretos de muito boa qua-
lidade s grandes para alisar
a duzia....... 07OO
Ditosmarellos fazenda superior,
para alisar, a duzia. 10700
Dilos de borracha com costas de
metal para repassar, a duzia. 20400
Ditos enfeitados com contas de
cores a duzia a 40. 50 e. 00000
nter*sssantes coquinhos capri-
chosamente escultidos dentro
com um bom e lindo rosario
a duzia 100, 120 e 140000
Grande sortimento de miudcsas.
Grande sortimento do quinquharias.
Grande sortimento de perfumaras.
Pagamento reahsado no mesrao mez da
compra com descont de 10 o/0, ou letra
acceita a seis mezes de praso.
Jos Soaret de Souza & C.
| Fo tantneos.
HWJW& Sampayo.
lina >ova n. '.
Os anniinciaiii sratum il- iurparar aigan*
liroularcs in-UniaiiHo, mais
'!" que ns viiidn- d.' Cora do i>. z.
di-iii p< r pnrn muito mai" p mmod
di-si dn mu <>sint.'imentoa: fonrrifiiflf.
rtiis melb >ranii m< frito- i""i< r ttrtlr qoal
bomba As pessoas qno \atunm CDMpvar nm
uu mais desses tubo* dev.m itt'tfirte M
dos annimriante< : a ma !fow n. 38.
Farhihade mandioca
foi saceos {rrcnde* e de suprri >r i|Dalidade : en-
de-?e nos armazens d.. Companhia PfrnambaoBa.
caes lia Asseiiibia n. 14.
''; "
J.A.MOHEIRADIAS
tem constsntimenle em mu arm;
Cruz n, 2fi, am -1 rapleto sortimento de
Balanzas di-iunars
Hilas nnsontaes.
rVmdi ferro pelo lytem 'locimal.
Bomba Ci>fiuiraia para i
IB B : pp.nnrido ate hoje.
Chamin- de vidro para r
Luna.- da lodaa r.s i|i;,i!ii dc.
Apua florida.
Graiwcrn oiSn n. 97.
Vidros par.1 vnea.
TubJco imperial
ttenco.
Vendcm-sfi du.-.s i-:rror,
i.imente dons biis jai. as tmate : a tratar ;-
ra Direila n. 101.
??? 15 por cemocl nomi
Et fumo dar lucem
n -BA DO IMPERADOR 29
Bieoa anwomieus, da b..a luz, de 600a i|OC0
cada um.
Pharmacirt.
Vende-se apharmM-iada ni.- Direita b. H. i
to propria para principiante: a traur na m.
da-^ tO horjas da ma ihai as 9 da n..ir*.
Ka d1 \A* ea
A loja da Aurora n* roa larga di Bajajf
38 piTleiiccnic a M..n- -I J s I, |ks In i
ei-br! ii tDin r-ij'i' de IJsooa e n lata*, m
B mais fresco que ten enegada a esta pr:>
gando Bch vapor fran.-tz em a r:
de le diversas qual da lea.
i. i
Na ma d>. Quarleis, ni funt a pr..
22, l' >- 2 andares, tem um graaaV S'ntiri."-
vi-sluarirs para rlunar se, como rejaaj : d n
de velludo, veibuluii ili- seda, pf$tmmm
assim como vesluari s iIr pnrcie.
can ente enfriLidos, ti ndem m t rrikoaj i
se por preco foiMM a.
LI
Resta venda ura escolhido sortimento de ob
lectos de marcineria, como sejam, moljilias de ja-
rand, mogno eamarello, obra nacional e estran
eir, de apurado gosto e por presos razoaveis:
aa roa eslreita do Rosario n. 32. Ncsta mesms
tasa fazem-se cora perfei?ao todos os trabalhos di
palhinha, como sejam, empalnamentos" de lastro
jara camas, cadeiras e sophs.
F.tiiIm de muu de raperor qualidaJe. e em sarnn grandes :
de-ye noarmanm n. li da Dm piuoia P
cana, caes da asscmbla.
Vi,ndem--e esnav.is df amli< os
rna do Imperador n. 70, S* anclar, .\- t* *-
nlia:. as 4 da tarde.
COGNAC.
De superior qualk ade da mu accrediu
da fabrica de Bisquit Duboucb tC, en
cognac urna das que mais agurdente di
cognac, fornecem para o coosummo di
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ma d.
:ommercio n. 32.
Farinh de mandioca
Venda-so farinha de mandioca nova e muito su-
perior, chegada ltimamente de Santa Catharina.
a bordo do lugre Margaran, fondeado defronte do
trapiche do Exm. Harao do Livramento ; e par
tratar ra do Commercio n. 17, escriptorio de
Joaquim Jo- Goncalves Bel i rao.
DO
BRACO DE OURO,
Ra do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento encontra-st
diariamente um variado sortimeuto de bo
linbos para cha, pastis, podios, bollos in-
glezes, p3es de l. presuntos, ditos tm fiam-
bre, superior cha Hysson, preto, e miudi-
nho. Vinhos finos de todas as qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja tngleza, fructas muito boas, por-
tuguezas e francezas.
Um completo e variado sortimento de
caixinhas de todas os gostos e precos par*
mimosear senhoras, estas caixintias recen-
temente chegadas de Pars sao de primora-
do goao, offeresse-mo-las aos galanteado) es
do bello sexo pois nellas acharo nm digno
e serio presente para as donas dos seus
pensamentos. Tambem os apreciadores d-
boa fumaba encontra r3o charutos dos me-
lhores fabricantes da Babia e de Havana
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, christalisados e dt
calda, dilos de caj e de outras qualidades
Nesta casa recebem-se eucommendas par
bailes, casamento e baptisados e qualquer
encommendas avulss, como seja p5o do 16
e bollos enfeitados e outros muitas couzas
que enfadonho mencionar.
VIVA 0 CARNAVAL
Aluga-so ricos dminos prelo de f0 at 501
completos costUjmes de pbantasia de 10 at 40
e vende-se calcha de meii'encarnadas e brancas :
ra Celta n. 49 sobrado.
CEMENTO
0 verdadeiro portland. S se vende n
roa da Madre de Deus n. 22, armazem d
JoSo Martinsde Barros.
Lacerto
Vende-se lag'edo para calcdjs e armazens por
preco cotntnodo : na ra do Apollo n. A.
Reflnapao
Vode-3o a relinacao da ra Dlrclla a lt, bem
afreguezada, vende mais de 40 arrobaste assucar
dlariarcente, est bem montada, e o motivotse dir
ao comprador.
a loja do Passo
Os re(|Uissmos roitea de blonde d sed.
manta v. rapella pai ;> casan i
tigo o i|ue s-- pode de.-ejar d<- nanbaf aaal
derno, tambem chfgaraaB os c.-rt. i de seda di
re* novidade, e oulras militas f.-ir. totas da
que chegaram polo ultimo vapor (i asi 11,
a loja do Passo a ra dn Cre^m n. 7 A.
- Vende-se ooia taberna em un da rn-
paes locaes desta eidada com r bm
milia o melhor que imssivel para nm aii"
ante. O motivo da venda se lira a* romp al
na rui do Livramenlo n. 8, se k .|uch veadv.
ESCRAVOS FGIDOS.
Aviso
as
c a
autoridades poitiaef
qiiem comprlir
No dia 2! de maio do crreme annr-
fugio u escravo Ezequiel, rriooto riv 30 i
annos de idade, estatura repihu. r
cor bem prela. cabrea redonda, ti.ijava ca
mi a azul e caifa de ra durante o dia cosluma andar ganhando
roas, ou em armazens di assucar ou as U>
bernas a conversar e a beber; iii r.tr,;
noile recolhe-se a telheiros abertos, na
netraveis, a casas em constroeco e a aajtroi
quaesqtter logares, onde se possa abrigar
quem o apprehender tenha a bondaiJe dt i
conduzia a ra da Aurora n. 26, on na ji
Imperador n. 20, onde Mfi titun.
Acha-se fgido o esmro Francisco, y
idade 20 annos mais ou menos, com >- i
urna nenia e braco, este escravo vei tu y
do Sobral, muito ladino, enculea se de (
desconfia-se estar acoulado, o que desde i
testa contra quem o irrer feito. Gratilica-
quem o levar on delle der noticia iu roa da Ma-
dre do Deus n. 5, Io andar.
Fugio do engenho Camarsgibc na fi
de Serinhaem pertencentes a Gaspar .Wat
Wandcrlcy os escravos rgnint. s : Samu-I :
lo baixo, groco, nariz chalo, diz ser da 0
ter sido ci mp'rado pequeo, J< CaUcui" d ,
de triuta e tantis anno?, ps cha:, s. ealM
hitadas, estatura baixa, cor feizada. peora l
e esta na pe nta do queix i, Felippe mulatn de
de de 16 annos punco mais i u men.*, I m". ?r. *
so, sem defeito algum, leve biros em pepiT i
rom pouco apparece ; por isso pede, se as asi i
dades polieiaes e capitaes de camp a eaator
mesmos e lvalos no mismo engenho ni r
da Moeda n. "i. t andar '-i ripterio de Ma-
res Ferreira A c. qne serio Ha/'flcados.
Fugio no dia 10 do c>>rrciB mez a cabra :
verina, com os signaos seguintes : altora reg
cheia do corpo, testa eslreita, olii
beicos bastante rxos, tem o dado mnnm da
esquerda am pouco dubrado para a palma Ca
representa ter 40 annos pouco mais < o aaaa- .
levou vestido de chita encarnad*, eom um rh
de chita com barra azul ; temo andar ni
emp'nado para a frente : deeronfi se q-e .-
occnlta em alguma casa, pelo qne se protesta r
ira a pessoa que a tiver em asa, nbrigaml -
gar os dias desfivico : roga-se *au; i .i
capitaes de campo que apprehendama o !i <
ra do Sebn 29, ou roa do Am^r'rm >
que ser generosamente reenaapetisadfc
ATTOCAO
j Contina a estar fgido o e-<
Im Jos, idaoe 40 annos, estatura
a propof^o, pouca barba, alguns
eos na cabeca, tem junto a !
lado direito signal de un arrsnbi
mais clara qne a da pell em ebD
irado ha pouco. levou cbapo ci
imisa de chita rxa e ou.ra bra
cas parna?, fui ecravo do Sr.
Vianna morador no Grvate :
leve-o ra do Apollo n. 14, mente recompensado _____
Ausenton-se no da ti de hi
Luciano, baixo, grosso do corpr
ba, ps grossos que parecem ^J
?a de brim branco j v..lb e
azul rbcdo e representa ter mji
escravo carregava igoa de
vista : quem o pegar coduza
cian. 46, que sera recompensado.
n> pi-
sar
car


8
Diario de Pernambuco Tere,a feira 22 de Fevereiro de 1870
VARIEMDE
~;i:.
O auno de lfl.
(Continuaba/))
A antiga comarca raei Jionil da briosa
capitana de Pernambuco fo theatro do fa-
canhas 15o elevadas, de commettimo dos to
arrojados, que anda hoje s8o adm m s
coma v -rdadairos monumentos do pal:i tis-
no e valor.
Os acontecimentos do seculo XV sao
riquezas impereciveis de nossa Insto; i i o
honra da benemrita gerago do nossos iuj
ores.
No secuaz XVIII teslemunliou esto h )o
torro, outr'ora pernambu'-ano, tantas oc-
currencias dignas de nota, que n3o elucda-
las, hoje, seria tornarmo-nos. indignos dos
Ilustres antepassados, que, nos legando a
tranquilidade publica e befos nunca des-
alen idas do virtudes e brio, assentaram os
fundamen os de nossa existencia poltica.
No ^ecuto XIX a populacho da comarca
Uagas, acompanhando o movimento das
is novas, desenvolvendo-se com o pro-
gresso estas, se habiltou para a eman ipa-
de 16 de setombro do 1817, semptorna
distinegao com que a munifi encia do pri-
meiro re galarduoo a lealdade e serviros
de nossos paes.
Cinco annos depois surga enthu>iasta
cantando os primaros hymnos da liberdade,
(nc o 7 de setembro consagrou nos cam
do Ypiraoga.
Em 53 annos de existencia peculiar tem
a provincia percorrido periodos assignalados,
impanliaado o progresso da poca, se
tornado digna do logar que conquista entre
:uas 19 irm3aes.
De territorio n3o mu grande, mas pela
natureza benificiado, com urna ptfpulago
que ascende j a 300 mil almas, de genio
dcil e oni geral cultora de progressos mo-
dernos, entrecortada do nomerosas corren-
tes d'agua que saem pelo ocano, banhado
em O legoas pelo curso do soberbo rio que
fertilisa .longos terrenos de cinco provincias,
ipulentada de ribeiras agrcolas, varzeas for-
mosas, montes cobenos de \egetac3o luxu
liante, eminencias encantadoras, valles ina-
gniacos, maltas admiraveis e por isso rir1
de urna colleccao anda preciosa das mais
uteis e valiosas maderas, as Alagas contm,
portinio, el-mentos de prosperidade, que
nao devem dexar de ser estudo constante
de seus ilhos e hospedes.
A scicncia e a arte tem muito que fazer
anda na provincia, que espera da alavjnca
poderosa da civil sacio a grandeza para que
tem.justa aspiragao.
Alenta-nos a esperanga do que o Instituto
iaseente tendo testa um to dedicado c-
dadao, imposto de caracteres onde palpita
o aerysolado patriotismo, saudadocomo foi
pelo acolhimento geral e nascido sob to
bona auspicios pr< gredir, e n'altura de
suas forcas ha de corresponder ao fim de
saa creago.
Cumprc registrar que no sal3o da bbl'.o-
heca publica, para esie flm destinada, j
celebrou a prmeira sesso econmica, con-
tando 28 socios effeclivos, e elegendo as
comraissoes para seus trabadlos ordinarios,
acolheu agradecido para seu membro hono-
rario ao benemrito alagoano doador da re-
ferida bibliotheca, ainda pelo mesmo enri-
quecida o anno passado.
Ensinar-lbe os rodimentos da civilisag3o,
preparar a infancia para as nobres con -
cepces do espirito, desenvolver-lhe as i leas
no cadinno purificado da sciencia, plantando
is bons coslumes, enraisando-lhe no peito
os principios da moral mais pura, tal como
a emanada do clirstianismo, de-ver dos
ernos previdentes, easpiraco grandiosa
das sociedades cultas.
A instruegao gora o progresso, que tras
consigo a gloria de um paiz: produz os co-
nhecimentos ule s e dosenvolve a activida-
de do homem IHre.
Iodos os sacrificios, pos, do poder em
prol da instrueao popular tem sobeja com-
teosacio na felicidade i ublica, que nao dei-
v.ar de vr.
Sobre a cabega dos que nos legaram o
sacrosanto baptismo das-leUras recahiro as
heneaos da posteridade agradecida.
N5o impertinente, portanto, que diga-
mos o estado em que o anno de 1870 en-
contra a instrucc3o publica e particular de
nossa provincia.
Si nao podemos saudar o grande progres
i,) que este ramo importante do ser vico pu-
blico tenha feito entre nos, nlo lcito to
dara doscrer rio presento, e at felicitar-
nos devenios por andamos alm de outras
provincias, qu mais poderiara lazer.
Qtiem com effeito observar que em 1835,
data da primeira assembla legislativa, a
provincia apenas tinha uaia ou outra cadei-
ra, dospendendo com toda a instruccSo pu-
plica 13 conloa de rs.; o 18 annos depois,
(em 1813) a piimai a 05 cadeiras
com 3196 alumnos, a siUbdaria com 13
aulas frequontadas por 16o" estudantes, des-
pendendo-se contos de rs., a particular
com nm collogio e 21 escolas frequentadas
por 417 moninos : o 16 anno3 posterior -
monto (I89) verificar que a primaria pu-
biia da la em 10 cadeiras frequemalas
com 5:000 alumnos; a secundara publica e
particular distribuida cerca de 300 esta-
llantes ; despendendo j a provincia perto
de 100 contos do rs., e a meramente parti-
cular em 4 collegos onde recebem iostruc-
cao 300 alumnos, e em mais de 70 escolas
rom 500 meninos, nao deixar de fazer jus-
tica s nossas tendencias civilisadoras, no
empenho de derramar a instruegao.
IJem sabemos que nao esse ainda o de-
sidertum.
A instruegao publica secundaria est em
decadencia, porque o lyceu n3o presta-se
aos Qns de sua creecSo. A frequencia de
50 alumnos das suas 6 cadeiras est bem
longo da em que floresc3u aquelle cstabele-
cmento.
Mas a instruccSo secundaria nao est a-
bandonada p la mocidade que nos bem mon-
tados collegos particulares recebe-a em
muito lisongeiro p.
E numeroso o pessoal de professores, nao
lamentamos a despeza que se faz com a
instruegao publica primara: mas o pouco
resultado qu algumas aulas produzem, de-
vido, segundo largamenla tem so notado,
falla de proficiencia dos respectivos agentes
do magisterio
Para remover esse grande mal ha muito
que se cogita no estabelecimento de um?
escola nocnal, donde saiam alumnos mes-
tres que se habilitem para o espnhoso car-
go do'prufessorado.
Em"l864 a assembla provincial decre-
tando a res. n. 424 de 18 dejando, auto-
risou a creago da referida escola.
Durante 5 annos n3o foi possivel, porm,
consegur-se. a realisag5o desemelhante ins-
trueco e nem mesmo ou vimos fallar em
tentativas a respeilo.
Coube actual admnistraco executar
aquella disposigao legislativa, escolhendo
para director do cuso normal o talentoso
e dedicado Sr. Dr. Joaquina Jos de Araujo,
que vae comprovando o acert da nomeag3o.
Em 26 de junbo a presidencia promul
gou o regulamento da escola normal, que
coraecou logo funecionar.
J no fim do anno lectivo alguns alumnos
da escola foram examinados e exhbiram o
mais experancoso adantamento as materi-
as leccionadas.
No anno corrente de 1870 a escola or-
mal prestar com mais eflicaca o servgo I
para que instituida.
E assm, de crer que em tempo nao I
remoto a provincia tenha um corpo de pro-
fessores habilitados em todo o corso ele-
mentar da instruegao primaria e de recreio,
ensinaado por um systema harmnico e ven-
tajoso aos grandes inleresses que a socie-
dade tem em vista com a educago do povo.
Na capital a instruegao publica e parti-
cular acha-se di Hundida de modo que
grato consignar.
N3o tendo talvez mais que 15 mil almas,
acha (em boa hora digamo-lo) sua popula-
go rnuitos focos de luzes para os pri-
meiros passos no caminho da civilisa-
go.
O iyceu com 6 cadeiras de instruegao se-
cundaria, a escola normal com o curso ele-
mentar e deTecreio, tres collegos particu-
lares com dffercnles aulas de primeiras
lettras, esludos preparatorios, msica e
dansa, 11 cadeiras de instruegao'publica
primaria e um numero superior talvez de
meramente particulares, sao estabelecimen-
tos que attestam um estado favoravel ao de-
senvohimento ntelloctual de nosso povo.
Agora mesmo, so annuncia para feverei-
ro vindouro a abertura ce um collegio par-
ticular, sob a invocagao de S. Jos, confia-
do drecg3o do Sr. Jos Francisco Soa-
rcs. intelligenle e dedicado professor de
grammatica nacional do lyceu.
Seu programma, j distribuido, autorisa
a crer que novos e brilhantes louros vira
FOLHETIM
OS MI3IK1R0S~DE P0L1G\IES
POR
lie Berthet
IX
Angnslas patorunes.
(Continuago don. 41.)
O primeiro movimento dos dous mineiros
o de se langarem nos bragos um do
cutro, bem que al ali nao houvessem sido
amigos ntimos. Entretanto, como homens
de acg3o, no perderam em ternuras os mo-
mentos que erao preciosos e Nicolao per-
correu a vista em roda de si para se asse-
gurar da sHoagio.
O que vio luz baga da nica lampada
qut Antonio po#ra conservar acesa foi um
recinto todo em Vuinas e tres corpos hu-
manos estendidos inertes sobre o chao.
Com efleiio, Antonio, depois de arrombada
a porta de veotilago, dra-se pressa em
levar as duas jovens e Leonardo para aquel-
la abertura, na idea de que o contacto de
um ar relativamente puro os reanimara,
w sso anda fosse possivel.
Este feliz resaltado dra-se com respeito
a Amelia e Gertrodes: tinham recobrado os
ueuudos, mas n3o4>odiam mover-se nem
filiar, jazendo ao lado ama da outra em
completa prostragSo.
O propno. Antonio, apezar da saa ener-
ga, de pouco auxilio poda agora dispor
para com as suas companheiras de infor-
tunio : paludo, abatido, com a voz sumida,
pareca no extremo de torgas. Nicolao com-
prenendeo-o.
NI* valle desanimar, ainda que o ar
que aqu se respira diablico. Deixa-te
citar. qtOns n'ura momento concluiremos
tudo... Mas por onde comegarei ? Onde
est a filha do director ?
Antonio designou-lhe Amelia, a qual n3o
i MBhecimento lucido dos successos
que se davam ali. Nicolao tomoa-a nos
bracos com a maior delicadeza e n'esse
ento despertoa da saa lelhargia.
conqaistar a causa da einstrucgSo progresso,
de nossa provincia.
Existe necessidade de se atteoder aecu-
radamente para o servgo da instrucglo pu-
blica e provar as differenles refirlnasque o
espirito geral reclama.. Muitas esto apun-
tadas em trabalhos j fetos: outras devem
ser combinadas prudentemente.
Acompanhando o pensamnto ao honra-
do Io vce presidente Exm. Sr. Dr. Silve-
ro, em seu relatorio de 2 de outabro de
1868, servir-nos-hemos de suas propras
express5es:
t Outras aulas mais, outro ensno, ou-
iros dispendios, preciso que os applique-
mos creago e formago de bons artistas e
operarios.
* O ensno industrial, o espargimenlo de
luzes que nos habilitem ao trabalho ulil,
creag3o immediata e incremento da riqueza
particular e publica, que a primeira e
iirgentissima necessidade a satsfazer.
Possa no anno de 1870 ser este assurap-
to importante, objeclo de solicitude do
poderes pblicos.
N3o concluiremos o presente artigo
sem consignar tambem os contractos de 17
de fevereiro e 19 de maio, para duas pu-
blicacoes, differentes cada urna no seu ge-
nero, mas Htilissimas administrago e
provincia.
O primeiro para a mpresso do alma-
nak administrativo, mercantil e industrial
da provincia, coatendo noticias estatificas
e curiosas de verdadeiro interesse provin-
cial. A confecglo do primro lmanacfc
da provincia corre por conta do Ilstralo
professor Jos Alexandre Passos.
A le n. 477 de lo de julho de 1855,
art. 25, roarcou a subveng3o de 5005000
para auxiliar a mpresso do almanack.
O segundo acto a mpresso da com-
pilag3o das leis provinciaes desda 1835 a
1869, decises, ordens e portaras da pre-
sidencia, legislacjk) geral subsidiaria e um
repertorio da mesma legislag3o.
Trabalho que tende a por em ordem e
compendiar tudo quanto lia tido forga de
le era nossa provincia ha de ser de grande
ntilidade, alm de vir preencher a falta que
existe de co!lecg5es impressas.
Est3o encarregados do trabalho da com-
pilago e repertorio, e da mpresso os Srs,
Dr. Olympio Elusebio de Arroxellas Galvo,
Io ofiicial Tiburcio Valeriano de Araujo e
Rvm. Antonio Jos da Costa. A autorisa-
go para este serve/o, foi conferida pe.la
le n. 307 de 20 de novembro de 1863,
art. 13.
Os volumes devem ser entregues im-
press3o at ao fim deste mez, e at ao fim
do anno a mesma impressao ever estar
concluida.
Passemos a outro assumpto.
VIII
nEcunsos da provincia.commercio.
Si o anno inanceiro, que regula as arre-
cadaces de direitos as estagoes fiscaes,
andasse a par com o civil, fcil seria apre-
sentar dados exactos que nos habilitassem
a fazer juizo corto dos recursos da pro-
vincia.
Mas, terminando aquelle em julho, s em
Janeiro corrente se poder verificar a arre-
cadago do semestre, que faz parte do anno
de 18691870.
O que, todava, se passou durante o
anno lindo de 1870, autorisa-nos a regs
trar que a renda publica continuou em pro-
gressivo augmento, sendo que a provincial
poderia dar resultados ainda mais lisongei-
ros si nao estivessemos a bragos com urna
scea devastadora de quatro annos, que ba
prejudcado sobre modo a agricultura, prin-
cipalmente ao sul, as feriis regiSes do
S. Francisco.
A primeira estagSo arrecadadora da pro-
vincia, que a alfmdega de Macei no anno
lindo produzo a maior receita que se co
nhece na mesma, arrecadando^ a favor da
fazenda geral mais de .800 contos do rs.
No mez de margo, o rendimento subi a
150:l00i$763, que foi o primeiro d'aquella
reparlig3o.
A exportag3o, no anno inanceiro de
18681869 foi quanto ao
Assucar142,770 saceos com 790,040 arp.
Algodo97,104 saccas com 479,900 arb.
Couros1,845.
Comparando com a dos exercicios de
1860 a 1868 v-se que a do assucar s foi
inferior as dos annos 6162, 6263, em
que se exportaram 800 e 900 mil e tantas ar-
robas; a de algod3o foi quasi igual a gran
de safra de 1855-1866. em que s ex-
dd Leo-
audacia
em voz
Leonardo, nao se esquegam
nardo !balbuciou ella.
Si:n,replicou Nicolao, transpondo a
perigosa passageran3o o esqueceremo3...
E tu, Grande-Leopoldo, proseguio elle,
dirigindo-se ao mestre sondador, que o es-
perava junto escadavai buscar a pobre
Gertrudes e tra-la com cuidado.
Grande-Leopoldo encamionava-se para
se encarregar de Amelia, quando Antonio
Robin, que segua todos os movimentos de
Nicolao, exciamou rpidamente, fechando
punhos furiosos :
Pois que ? O mestre sondador est
aqui ? Como ousa apresentar-se diante de
nos ? Temos quasi a certeza de que elle
foi a causa d'esta nossa fatalidade 1 Nao
constnlam que elle se approxime da me-
nina Amelia : expulsem-no d'aqui ou alias
contem com alguma nova desgraga
Grande-Leopoldo, apezar da sua
natural, ficou alrapalhado e disse
baixa :
Se crivel 1 Accusarem-me de tal
infamia I... Tu m'o pagars, Antonio Ro-
bin t
Ninguem pora a m3o em minha filha
se nlo eu I interrompeu resoluto Van-
Best.
E, sobrado lesto a escada, tomou-a nos
bragos Ella passou-lhe um brago em volt-.
do pescogo e disse com voz sumida :
Meu pai, meo bom pai I
Van- lest, transportado de alegra, deu-
Ihe um beijo e poz-se a descer a escada
com todas as precaugoes.
J ent3o atfiuiam de toda a parte os ope-
rarios e fogueiros, que, apianados junto s
oseadas, presencearam as accosages diri-
gidas a Grande-Leopoldo. O masfe son-
dador comprehendeu qae a insolencia' lho
nao valeria ali e deseen n escada, dizendo
com affectado despeito :
Vamos, visto que nada querem de
mim ; mas, se nao provarem o que me im-
putan), nos nos entenderemos I
N'este estado de cousas fac'lmente se
esqueceram de Grande-Leopoldo. Nicolao
portaram 487,547 arrobas. A dos couros
mi quasi nulla no exereicio ultimo.
irregaram n'aquelle periodo 77 navios
desjino a Liverpool e Canal, Estados
tfdos, Lisboa, Rio da Prata e Rio de Ja-
endo o algodio quasi todo para a
^Bein d'aqoellas pragas.
^Bpoos dados da alfandega do Pene-
onde avahamos os rendimentos totaes
provavelmente de 80 a 100 contos no anno.
N3o exageramos pois, em avahar que a
provincia concorreu para as despezas pu-
blicas do estado com urna eifra que nao
est longe de mil contos de rs.
Entretanto, e antes de passarmos a re-
ceita provincial, cumpre notar que o com-
mercio muito se reseutio e infelizmente,
continua resentir-se*dos males que esl3o
acabrunhando a lavoura, por causa da,
secca. Nao nutrimos apprehensoes favo-
raveis sobro a sorte que aguarda aquella
se falta de chuvas ainda Iwuver no anno
de 1870.
A safra presente n3o lisongeira : in-
contestavelmente est, e ser inferior
passada.
Concordamos com o juizo do autor da
resenha commercial para um jornal d'esta
cidade, escripia com tanto criterio.
A falta de invern no anno de 1869
e a intensidade do vero tem reduzido as
grandes plantages a insignificantes resal-
tados.
Nao poderam vngar atravez da secca
as plantages de mandioca, do milho e
arroz.
No S. Francisco a fome atormenta a
popu!.ig3o: a farinha tem subido a prego
exorbitante.
E' grato registrar que a admmistragao
nao tem sido omissa em esludar e pro-
mover os meios de minorar os sollrimen-
tos do povo,
Os flagellos- do co nao podem efilcaz-
mente ser removidos pelo brago do ho-
mem. O poder publico nao tem recursos
para tanto : toda a solicitude e previden-
cia consiste'em' alliviar o mal, atlenuar os
efleilos da grande infelicidade, occasionada
pela natureza que se ordinariamente
abandante e bemfazeja, tambem torna-se as
vezes escassa e prejudicial.
Se n3o nos possivel conjurar a crise,
convem applacar-lho a intensidade.
O governo j proviju de alguns recur-
sos s victimas da fome.
Em todas as freguezias, onde o mal se
lem feito sentir, escolheu o pessoal habi-
litado para formar commisses de soxoros
afim de partciparem o occorrido, propo-
rem as medidas convenientes c serem o
centro da remessa de *viveres.
Agora mesmo em dezembro, S. Exc.
recebeu noticias afflictivas e acaba do pro-
videnciar remetiendo ctftagwsso central
do Penedo ama provs3o de gneros ali-
menticios indispensaveis.
A caridade publica nao faltou diante da
crise.
Alguns cavalheiros, condoidos da sorte
de tantas victimas, lem soccorrido com
dnheiro e vveres aquella porgao de
nossos infelizes comprovincianos, que sof-
frem.
Esperamos que tenhara imitago to
generosos exemplos. Cumpre appellar
para os abastados de fortuna, os capita-
listas e almas dotadas de nobres sent
menlos, para que se allviem os tormen-
tos da pobreza d'aquellas duas comarca.
longiquas e populosas que alias, em con-
diges. normaos, tanto concorrem para a
prosperidade do commercio c riqueza pu-
blica.
Devendo inevitavelmente receber a
influencia da secca, as finangas provin-
ciaes, cojo florescimento depender cul-
tura do algod3o e canna principalmente,
nao s3o avultadas. mas nada tem de desani-
madoras.
Se n3o concorrem para augmentar con-
sideravelmente os saldos existentes, e
com os quaes a admnistraco se acha em-
penhada nos melhoramentos pblicos, so-
brado todavia paqa occorrer as despezas
ordinarias.
No exereicio de 186768 a provincia
arrecadou 487:320*438.
' O balango verificado na thesouraria pro-
vincial at 30 de junbo passado, em que
encerrou-se o anno inanceiro 6869 apre-
sentava a quantia de 538:742*159 na
caixa. 353:753*723 no de depsitos, e
78:659*405 no de lettras. Em moeda, o
saldo era de 476:852*979.
de dezembro prximo passde
a situig3o dos cofres provin
trades. Esta tinha perfeito conheiimento
do perigo que corria, e, vendo-se assjm
suspensa n'aquella altura, nao pdeNconter
alguns gritos. Felizmente, Nicolao e 'i forte
los ervos para se impressionar, e por
isso conseguio leva-la al ao fundo do pogo
sem inconveniente.
Restava transportar Leonardo, o qual to
dos sabiam que eslava morto.
Tambem, quando Nicolao appareceu car-
regado com aquelle corpo inerte, com os
olhos cerrados e bragos pendidos, um mur-
murio de compaixo correa entre os espec-
tadores. Lembravam se de que cedo ou
tarde algum poderia. morrer de igual inci-
dente e esta idea era bastante para Ibes
inspirar sympathia pela principal victima da
catastrophe.
Em quanto dous robustos raineiros des-
ciam lentamente a escada transportando
Leonardo, Antonio, sustid por Nicolao,
ebegava igualmente ao fundo do pogo.
Eftectnado o salvamento, manifestou-se
rande agitag3o entr os mineiros. Uns
iara aportar a m3o de Antonio, outros offe-
reciam-lhe agurdente das suas cabagas e
dirigiam-lbe perguutas, a que elle nao ti-
nha tempo de responder. Alguns, ajoelha-
dos junto de Leonardo, divam-lhe friegues
ou banhavam-lhe a testa com agua fra.
As duas jovens achavam-se reanimadas
em razio do ar livre que ali se respirava.
Van Best e Amelia, abracndose terna-
mente, pronunciavam palavras sem nexo.
Era urgente, com tudo, soblrahir as vic-
timas influencia pouco salatar do am-
b ente da mina, e, como nlo era prudente
faze-las subir as inlerminavois escadas do
pogo de ventilago, resolveu-se qae as duas
jovens fossem cond zidas para o pogo prin-
cipal e d'aii transportadas n'um wagn
superfi ie do slHF
Em quanto os eogatadores foram corren
do buscar o wagn, os operarios qaecir-
cumdavam Leonardo n3o cessivam de lhe
prodigalisar todos os soccorros, ainda que
infructuosamente.
Ah camaradas, disse Antonio tris-
tementej fiz todo o posswel para o cha-
mar vida, mas n3o ba Olio para isso I
At 15
era esta
caos.
Caixa de 1869 70, receita de ris!
309:429*781, e despozas dQ 286:787*590,
havendo ainda um saldo de ris........
22:642*191.
Caixa de 186869 (espago addicJonal)
a receita de34a727*739, despeza de
23:1:967*359, resundo o saldo de....
25:760*380.
Caixa de deMsitos320:134*986. e a
despeza de 817526*357, existindo o saldo
de 242:497*023 em moeda, fra.......
2:111*600 ero diversos valores.
Caixa do encanamento de 186970,
6:133*400 de receita, 1:027*901 de des
peza, ou 5:105*499 de saldo.
Caixa de lettras 142;554*145, com a
despeza de 1:752*470.
Emfim, n'aquella data, os cofres pro-
vinciaes conlinbam o saldo de ris.....
396:003*093 em moeda.
Notando-se, que, tem-se pago j muitas
prestages devidas pelos contratos dos
melhoramentos pblicos, e que se con-
srvalo ainda quasi 400 contos de ris,
desapparece lodo o receio do cotopromeV-
timenlo da provincia, a qoal dispe de
recursos actualmente para satsfazer a
todas as obrigagoes conlrahidas e pagar
suas despezas ordinarias.
A administrago ha de continuar a exer-
cer essa prndente fiscahsagSo que tem
garantido os dinhe ros pblicos, applica-
do-os productivamente e feito a receita
estar sempre superior despeza.
Estaraos cerlo que esta lisongeira si-
tnac3o n3o ser perturbada, continuando
a provincia desempenhada.
Em' relagao ao commercio e agri-
cultura continua a prestar servigos oem
valiosos para o emprestimo de capitaes a
Caixa Commercial, nico estabelecimento
de seu genero, que existe na provincia.
N3o pessuindo mis ainda institaig3o al-
guma de crdito territorial, t3o neces-
saria boje em dia no mundo econmico,
longe estamos de altingir aquelle grande
desenvolvimento e prosperidade eom
m rcial e agrcola, que tanto depende da
fcil acquisg3o de capitaes.
Ainda hilando com "normes dfSculda-
des a este respeito nossos lavradores e
proprietaros, com raras exccpg5es, se
desembaragam dos compromissos, que
sao obrigados a conlrabir, ou custam a
satsfazer as necessidades, que sobrevem
a cada momento
Assm, o aperfeigoamento do trabalho.
o emprego das machinas c instrumentos
que devem abolir por urna vez a rotina,
n3o vem sen3o davagar.
Concorre tambem para augmentar o
mal a ignorancia de conhecimentos agr-
colas, sobre que ai ida nos acharaos no
estado rudimental.
A industria da provincia vai bem atra-
cada ainda.
O que ha de mais importante, e um es-
tabelecimento que pos honra, a Unido
Mercantil, encorporada a 13 annos, com o
fim de fundar una fabrica de fiar e tecer
algod3o e urna fundig3o. A fabrica tem
prosperado ; mas a fundicao n3o se rea-
lisou.
Na fabrica de -Fern3o-Velho trabalham
36 operarios e 18 aprendizes.
O movimento fabril desde o primeiro
anno tem sido progressivo, pos vc-se que
em 18t54 a fabrica leceu 3:592 pegas de
panno grosso e em 1868 j o numero era
elevado a 7:035, de 1. e 2.* quahdade,
Faltam-nos os dados do anno de 1869.
O activo da Caixa Commercial de
302:132*588 rs. (at 30 de junho) e o da
Unio Mercantil de 384:119*620 rs.
Estas duas companhias anonymas, bem
importantes em si, prestam rrlevantes ser-
vigos agricultura e commercio
O que lem a provincia mais em relag3o >
fabricas e industria, alm da mencionada
de Fern3o Velho de pouca monta.
Entretanto na cidade do Penedo acham-
se assentadas duas fabricas por vapor de
pi ar arroz, de fabrico de oleo de ricino e
mamona, e de descarogar algodao.
Em outros pontos da provincia exbtem
tambem cerca de 20 fabricas de oleo e azei-
to, sendo as mais importantes duas da villa
de P3o de Assucar.
Ha igualmente disseminadas pela pro-
vincia fabricas de deshilar agurdente, sen
do mais notaveis as da Bocea da Caixa e
dtob-
se
a
eeatovfo
apparecia acora sobre a prancha com Ger- Todava nunca veio a esta mina um rapaz
mais digno de felicidade
Tens razio !acudi Leopoldo. E
que pulso era o d'elle I NSo por me
gabar, mas nunca recebi iguaas murros!...
Se Leonardo vivesse, veramos a ser nti-
mos amigos... NSo sabem que as melho-
res amizades s3o as que comecam a murro?
Antonio sentia-se indignado por tanta by
pocrisia ; mas, como afinal n3o tivesse mais
do que suspeitas contra o mestre sondador,
nao se atreva a repetir as aecusagoes.
Grande-Leopoldo, animado por aquelle
silencio, proseguio ;
Agora,-camaradas, bem veem como
sao ridiculas as suas devogoes para com a
Virgera Negra 1... Olhem esta pobre gente
o que lhe resuitou de lhe irem rezar Um
morrea e os outros poaco menos!
Cala essa bocea I disse com severi-
dade o veibo Topfer, que chegava n'esse
momento. s um verdadeiro sacrilego!
Quom sabe se, a au ser ella, morreriam
todos ?... Acno que se lhe devem render
gragas por haver salvado tres das quatro
pessoas que eram I
"Eo santo homem persi?nou-se devota-
mente.
Grande-Leopoldo soltou urna gargalhada.
- Silencio!.. interrompeu Antonio
N3o blaspheraes mais e lembra-te de que a
Virgera cedo ou tarde te pode punir da tua
impiedade I
N'este momento chegava o wagn. Van-
Rest apressou-se a fazer assentar n'clle
Amelia e Gertrudes.
Prestes a partirem, a joven exclamou :
E Leonardo ? Nao o abandonaremos
assm, meu charo pai t Se eu ainda estou
viva e Gertrudes, devemos o ter escapado
ao terrivel perigo ao sangue fri e dedica-
gao de Leonardo I Colloquem-no junto de
nos : nunca poderemos pagar-lhe a sua de-
dicagio t
Lagrimas ardentes lhe corriam pelas
faces.
Os mineiros pareciam muito impressio-
nados por este tributo de reconhecimento
prestado pela sympatbica filoa de seu pa-
tro memoria de um de seos igaa.es.
A um signal de tn-Best prepararamse
para collocar LAtnardo no wagn
De repente Nicolao, qm dos que 9%-
Volta d'Agua, cojos estaLtiluumi
bem raonts
I As Onmermlr
nsiitwirao, que tem poocoa
tencia entre nos, fancconoii
mente do anno da 1800,
governo, quer a praca do c
auxilios e servcos que foram
ligaram proaperidade da '
desenvolvimento das rela$5ts,
cimento de linhas lehgraphica, qo
saiam, e outras assumptos da
vada.
Sendo o hairro de Jaragui o
commercio grosso e o porto maritiao
capital, para ali se mndoa a AsociarvA
vae preenchendo dignamente oa fina de
creago.
Acreditamos qae zelaei seseare cam
velo interesses do commercio, que
sentas.
IX
SANTA CASA W. HISF.niCORW VrMM6ES ,
T0UCA5.
Cabe agora abrir al^oen
g5es para registrar oceurrencias t
ordem. mas dignas tambem de
retrospedto da provincia, do
1969.
Em um dos artigo precederles fal-
lamos da exposigao de 7 de setemfare.
como instiiuigao de progresso I
rada as Alagas, e com vistas
tarias.
O beneficio da exposiro
proveito da Santa casa de
.Macei nosso primeiro estal
caridade.
As casas de Misericordia
piedcule de um povo christie'e atiestas o
sentimenlos moraes dos qae coacorrssi
para sua fundagSo e trahalheo si obra ste-
ritor de sua manutengSo.
Todo o esforgo para o bom crdito e aper-
feigoamento dolas louvavei e naopMe
dexar de ser abengoado.
A de nossa capital, bem eomo a do IV-
nedo, vo prestando servigos da saais eleva-
da monta em favor dos infeiaws sjm ssf-
frem.
Um governo bem constituid e |
te devo exercer sua act'mdas para
ment e prosperidade de 6o olis
de beneficencia.
E' grato consignar qoe no aooo fiado ai
foi descurado 13o momentoso assumpto de
intoresse publico.
Mas resta muito a fazer s este res-
peito.
Nosso hospital por suas acaoHadas pro-
porges nao pode ainda prestar-se aos a*os
fns de seu po deslino.
A casa, a muito tempo qoe reclama alar-
gamento e melhores repartimemos.
A obra fui sobr'estaaa, de modo qoe s
urna parte da mesma serr para as fneffM
de hospital.
Os mais urgentes interesses do i
prximo inslam pela conclosao do <
cimento, afim de que nossa capital
nao smente urna santa institogao
le genero, digna de nossos costo oes ej
tmenlos, como a dougo de
completo que embeleze a cidade t
ni altura dos de sua ordem.
As loteras concedidas por leis
ciaes e que parece ho de comecar a coi
rer este anno devem ser-Ibes olis e au-
gmentar os seus rendimenles oo
monio.
A idea bi ilhante da exposigao
resultados bem lisongeiros; pois
saldo de 2:645*000 rs. do kiio
jectos doados, despertoa a
dade de muilos cavalheiros e
peitaveis que acudiram pressoroeos
donativos de dnheiro ao convite do
presidente da provincia.
Entre esses benemritos da homanidae>
fguram, alm de oatros de menores Brvtpsr-
ges, a AssociagSo Commerc >\ qoe
urna subcripgo no commercio e i
650* -00, o Sr. Jo* Joaqoim Maia
o Sr. coronel Nicolao Altes
dem; 03 Srs. Luiz Tenorio de
que, raajor Jos Goedes Nogira, Bm.
Jos Prudente Telles da Costa, vifam Jos
da Maia Mello e Balbino Francisco GavaJ-
cante 5'i*000 cada um, prodordo ostss
donativos e outos, fetos por occasB da
exposigao, a quantia de 1:361*780 rs.
carregra d'esse acto, deu um grito de ale"
gria, dizendo arrebatadamente :
Elle deu acord de si 1 o que Ibes
posso affiangar I
Esta nova inesperada causn extrema
agitag3o nos circumstantes. Acercaram-se
do corpo o luz de militas lampadas es-
piavam a menor contraego nos musculos
d'aquelle semblante desfigurado.
E de fado n3o era mpossivel que Leo-
nardo conservasse cestos de vida. E sa-
bido que em certos casos de asphixia a
morte pode apenas ser apparente durante
horas consecutivas e n'este caso poaco
mais de meia hora detorrera depois da
explos3o do gaz inflammavel.Alm d'isto, os
soccorros prodigalisados ao infeliz por Anto-
nio e os outros mineiros n3o tinham talvez
sido de todo infructferos, posto que os ef-
feitos se nao houvessem manifestado imme-
diatamente. Todava, se Leonardo anda
existia, a sua -vida n5o devia estar por mais
de um fio, por quanto todos o olhos filos
sobre elle n3o poderam descobrir sympto-
ma algum de vitalidade.
Afinal um dos assistentes, tendo intro-
dnzido a m3o no peijo do mancebo, decla-
rou que ainda havia ali palpitago do cora-
g3o, e, quando se ia o propor dayida a
esse respeito, entre-abrram se os labios de
Leonardo, soltando um suspiro.
Est vivo, est vivo I exclamou a
joven Van-Best.
Os mineiros rodoaram novamente o in-
feliz companbeiro. Em quanto nns reco
megavam dando-lbe frccSes', houve outro
que conseguio introdazr-lhe oa bocea al-
gumas gotas de agurdente. Estes soccor-
ros produziram immediato effeito: nio tar-
dn a apparecer a raspirago, posto que
lenta e irregular. Leonardo anda n3o
abra os olhos, mas j n5o restava dnvida
sobre a possibilidade de o revocar vida.
' Amelia estava louca de alegra.
Van-Best disse aos mineiros :
Agora basta. Deixem-no em socego
por un instante. Est vivo : o que im-
porta. O medico, qae nos espera l em
cima e o ar livre fa^So o resto da cera: o
qaii urge a^ora lva-Io d'aqai.
irepkf ePfioolo depazeram Leonardo
(Continuarte-ka.)
com precaugo no wagn : Ameba e Ger-
trudes sustinbam-no com maos
Em seguida os enganchadores
brandamente o wagn para a estafao de
pogo grande. Os mineiros. s'<
ormoram alas ao loogo da galera o
templavam compassivamente estas v '
da sua perigosa proSsso.
Chegados ao pogo grande, Vaa leot e
Antonio tomaram lugar oo vm, ao tofo
foi suspenso pela machina. Misario e Top-
fer agarraram-se s correlas, e, dado o
signal de ascensio, subiram pan
da luz do dia, que alguns d'etles
condemnados a nao tornar a ver.
No momento em que Van Best
em trra, approximaram-se d'elle
pessoas, que pareciam dispostas a
rem mina. Urna era o ff oobtiro, a
outra o medico Boisgar, hab bcaMaari,
a quem varios mineiros deviam a sido.
Em quanto Vau-Best trocava
palavras com o engenbeiro, o
observando Leonardo, a qoesi '' piar e
Nicolao acabavam de lepor oo
Amelia segua com aocsedade
vimento do doutor. Nada
ber do seu rosto impassivH, ptigoMoo t
Besponsabilisa-se psia sua cora, al
as im ?
N3o posso
senhora. O que importa aforo
se na alguma lesao inte-oa.
E, como Amelia paroeesse
esta resposta ambigua, Boi*gar
N3o ha motivo pa'a asan se mmmr.
E' verdade que o oosso eofarmo 4 sis o
vigoroso, e de ama oigautoacta soov
rece grandes recursos, mas aooi oto *pos-
sivel trata lo.
Ento conduzam-oo pai
to, para o meo leto 4 Vi
Nada quero poopar em soeeorrodo
acaba de salvar a vida a ameba fina I
Quanto lh'o agradoco, meo I
exclamou Amelia, laocaodo-1
bragos.
l
( Conliwr*'km.)
rrruM) ^.kw-wa is


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQCCEQ55I_GVK4E8 INGEST_TIME 2013-09-13T23:12:26Z PACKAGE AA00011611_12048
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES