Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12047


This item is only available as the following downloads:


Full Text


_______ANNO XLWI. HUMERO 41.
PIRA A QAPITAL E LUGARES 0DE IAO SE lAGA PORTE.
Por tres rae7.es adiantados.......*..........
Por sois ditos idera............i...... .
i'or um auno dem.....................
Cada mumero avulso............. ....
SEGUNDA FEHM 21 DE FEVEREIBO DE 1870.
6,5000
12,5000
2W000
320
PARA DOTO E
DA PROVOrClA.
Por tFes mczes adianttdos
Por seis-ditos dem. .
Por note ditos idem .
Por um anno idem
6*750
43*500
20*t50
27*000
:i.
Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.

Os Sis.
SAO AGECTEM: ." ^ -
Gerardo Antonio Alves Filhos, no Para .; Goncalves & Pinto, no Maranhao ; Joaquim Jos de Oliveira, no Cear ; Ankmio de Leraos Braga, m Aracaty ; Joo Mara Julio Chaves, no Assu'; Antonio Marques dadiva, no Natal; Jos Justino
Pereira d'Almeida, em Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima', na Patahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Pnba; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Francisco Tayares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Martins Alves, na Babia ; e Jos Ribeiro Gasparinhono Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL
CoTcrao da provincia.
. 1PEDIKXTE ASSIliSAtO PKI.O EVT. SU. SENADOR FRE-
DEDICO DE Al..MOS\K AlDUQUSnQUE, PRESIOJUTE
DA nOTIRCIA, KM ti DE IVXBIRO DE 1870.
lj seccjo,
N. fr'tl.Portr.i :-i no director do arsenal de
guerra Fornera V S. ao commandante superior
ileslc mnnicipio, u cartuxamo de mosquetera pre-
ciso pnra as hour..s fonebre, que se tem de fazer
boje ao cadver do r a pill refi rmado da guarda
nacional Francisco Gcraldo Moreira Temnor.\l e
do lenle dobatalhiin n. 'M\ do municipio de Agua
1'reia Jos .Sorberlo Casado Lima.
N. 212.Deliberacao.0 presidente da provin-
cia allendendo ao que rei|uoreu Js Lopes Alhei-
ro, restire conceder Ihe licenca para romeller para
o presidio de Fernando,- na vapor da companhia
Pernambucana. para ser entregue a D. Anna Ma-
ra Marque* lavares, os gneros constantes da
relacao junta, a-ignada pera secretario interino
do governo. n.i > pidiendo, porm, effectuar o des-
irbarqoe dos dos gneros tesa que por parte do
commandante do mesmo presidio se proceda a exa-
ine, alim de se vei ilk-.r se lia agurdame ou outra
qualquer bebida espirituosa.
. :'i'f.Dita,-0 presidente da provincia atten-
dendo ao que reqaereu Ms Autonio Ribeiro, re-
vive conceder-Ihe lieonea para ir ao presidio de
Fernando no vapor Corvripc da conipanhia Per-
nambucana, que ten de seguir para alli no dia 11
ilo cerrente
N. U.Dita.O presidenta da pjovincia at-
indeme ao que requeren FranciscoJRosa dos
Santos Darrus, resolve eouceder-lhe ticen^a para
-mbarcar para o presidio de '-'ruando, no vapor
da companhia Pernambucana, que para ah tcm
de seguir no da I i do correlo, os gneros e fa-
/.nlas constantes di relaci junta, assignada pelo
secretario interino do governo, ua> podendo, po-
-iiim, elTectuar- o desembarque dos mesmos gene-
ros e fazendas, sein que por parte do commandan-
10 dorefeaido presidio se proceda a exame, aflm
de vcrillcar se lia agurdeme ou outra qualquer
debida espirituosa.
2' secciio.
N. 54oPortara ao commandante superior in-
icnno da guarda nacional do Recife.Sspega V.
S. ordens para que ao cadver do lente do ba-
talho n. 36 de infamara da guarda nacional da
villa de Agua Preta, Jos Xorberto Casado Lima,
que se ach depositado na greja da Conceicao dos
Militares, sejam feilas as honras fnebres que fo-
roff) devidas, boje s 4 horas da tarde.
N. 25,6.Dita ao mesmo.Expe ja V. S. as suas
da guarda nacional deste municipio Francisco Ge-
raido Moreira Temporal, que se acha depositado
na greja da Ordem Terceira do Carmo sejam fei-
las as honras fanebres que Ihe forem devidas, de-
vendo ter lugar o enterro hoje as 4 horas da
larde.
N. 247.Dita ao juiz de direito baohurel Joo
i ilemente Pes. oa de Mello.Tendo sido Vine, por de-
creto de 18 de dezembro nltimo removido da co-
marca de Taearat para a do JnrJim no Cear, se-
sondo consta do Diario Oficial n. 303; assim o
communico para o seu con luc ment, devendo Vmc.
uo prazodc dous mezes que Ihe foi marcado por
despacho domiuisicrio da j;:stca de 24 do dito
mez entrar no exercicio do seu cargo em dita co-
marca.
D. 248.Dita ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.Mande Vmc. postar na casa de
valide do Dr. Joao da Silva fiamos, 4 pracas 1o
corpo sob o seu commaado para guardarem, em
quanlo alli estiver o sentenciado Manoel Laurenti-
no Bezerra que foi tratar-so do varilas.
N. 849. -Dita- ao inspector da thesouraria de
lazenda.Transmuto a V. S. a Ma, relacao epret
juntos em duplcala que ne remetteu o comandante
superior desu municipio cora officio de 5 do cr-
reme, sob n. 3, alim de quo mande liquidar e pa-
gar o vencmentos do offlcial e pracas do 4o bata-
litao deiafaolaradestacados na fortaleza do Buraco
i-ndo os do olHcial relativos ao mei de dezembro
v.Itimo e os das pravas a segunda quizena do mes-
mo mez.
N. 2."x). Da ao mesmo.Depois de liquidada
m vista da couta em dopUeata que me re-
laetteu o MUjMrtntendente da estrada de fer
i do Recife ao S. Francisco com officio de hon-
lem a despeza proveniente de transportes dados
por conta do ministerio da guerra nos Irens da
mesma estrada, durante o mez de dezembro ulti-
mo, mande V. S. pagar a qnaotia de 40*300 ou o
que justamente se dever de' taes despezas.
.\. 231 Dita ao mesm' Deconforraidadecom
;> doutrina do aviso do ministerio Ja justca do 27
de julho de 186C, junto por copia envi a V. S. o
vro auxiliar n. 'i do reg;tro geral de hypo-
tliecas.
N. 2o2.Dita ao mesmo Transmuto a V. S. as
'.i inclusas ordens do tribunal do thesouro nacio-
nal, sob ns. 233 201 c um officio da secretaria
de estado dos negocios da fazenda datado de 27 de
i utubro ultimo.
N. 233.Dita ao inspector da thjsouraria pro-
vincial.Expeca V. S. s;i3s ordena para jue, em
vista das inclusas cuntas, que vieram annexas ao
offleia do superintendente da estrada do ferro do
Recife ao S. Francisco, datado de hontem, seja li-
quidada e paga a despeza feita durante o mez de
d-.'zembro ultimo com transportes dados por conta
da provincia, nos trem da mesma estrada.
N. 234.Dita ao mesmo.Transmuto a V. S.
l ara os Bns convenientes a conta e relacao que
me remetteu o Dr chefe de polica com officio de
do ixirrente, sob n. 37, relativas as despezas fei-
las durante o raez do outubro ultimo com o sus-
tento dos prezos pobres da cideia do termo de
A?ua Preta, na importancia de 9400.
N. 233.Dita ao mesmo.Providencie V. S. para
que em vista da inclusa conta, seja liquidada a
despeza feita com o sustento dos presos pobres da
cadeia do termo de Flores, dorante o mez de no-
vembro ultimo e pagar iaa importancia a Manoel
Azevedo' de Andrajo, conforme selicitou o Dr.
chefe de polica em officio de hontem, sob nume-
i o 41.
41 seccao.
N. 237.Dito ao c.ousoltieiro Jos Carlos de Al-
neida reas, enviudo extraordinario e ministro
plenipotenciario em Londres.Tenho a honra de
transmittir a V. Exc. os balaneos e copia da acta,
oncernentos a liquid ico a que se procedeu das
>ntas da estrada de ferro do Recife a S. Francis-
co relativas ao semestre de julho a dezembro pro-
simo (indo.
N. 238.Dita ao juiz de paz maM votado da fre-
uezia de S. Bento. Respondendo ao sea officio
de 6 do correte, tcnii) a diier que deve Vmc.
i uer a revisad da quaiiticacao dos votantes de.-sa
Ireguezia no correte anno pela qualifleacaj de
t860 ultimo, qoe existe, o peta qual se procedeu
a eleieao de juiz de paz e vareadores em 7 de se-
i rabro de 1868 e de eleitires em 31 de Janeiro do
mno prximo nado.
N. 289. Dit ao gerente da companhia Per-
nambacan i. O Sr. gerente da companhia Per-
r.ambucana mande dar passagem de estado a proa
do vapor Cururipe at o presidio de Fernando de
ida e v oita a Joo Hypotito de Meira Lima, e de
r no seo regros para esta capital a Anna Ca-
valeanti Ai Meira Lima, mulhcr do alfares da
guarda nacional destacada Angosto Pater Cesar.
N. 460. Dita ao mesmo. O Sr. gerente da
companhia PernarrrbtKana faca receber e trans
portar para o presidio de Fernando no vapor O-
ruvipfl, por conta do misterio da guerra, os objec-
tes constantes da relacao junta, assignada pelo se-
cretario do governo, os quaes forain comprado
pelo corrector geral Francisco de Miranda Leal
Se ve, por conta da fazenda nacional.
N. 261. Dita ao mesmo. O Sr. gerente lia
companhia Pernambncana mande dar urna passa-
gem de estado a n\ at a P.irahyha ao amanuense
na rcparticSo da polica daquella provincia Ma-
noel Correa Lima.
XPEWENTE ASSIGNADO PELO SR. DR. ELIAS FREDR-
IIICO DE ALMEIDA E ALBUOl'KRQUR, SECRETARIO
INTERINO DO GOVERNO, EM II DK JANEIRO DE 1870.
2* seccao.
N. 262.Officio ao Dr. chefe de polica.De or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia commu-
nico a V. S. que ne-ia data se expedio ordem ao
commandante do corpo provisorio de polica, para
mandar postar quatro pracas na caa de sade do
Dr. Joao da Silva Ramos, para guardarem em-
qu.anto alli estiver, o sentenciado Manoel Laorent-
no Bezerra, que foi tratar se de varilas, Meando
assim respondido o seu officio n. 43 da 10 do cor-
rente.
N. 263.Dito ao mesun.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S. era res-
posta ao seu (llicio de 8 do correte sob n. 37, que
transmittio a Ihesooraria provincial, para os fins
convenientes, a conta e relacao que vieram anne-
xas ao citado cilicio.
N. 264.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia manda declarar a V. S. em
resposta ao seu officio de hontem sob n. 41, que
a thesouraria provincial tem ordem para pagar a
Manoel Azevedo de Andrade a quantia do 1924600
constante do citado officio.
N. 263.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S. que flcou
inteirado pelo seu officio de 3 deste mez das dili
gencias feitas pelo delegado do termo de Tacara-
l para as capturas dos criminosos que vagam no
termo do Floresta.
3* seccao.
N. 266.Officio ao inspector da thesouraria pro-
vincial.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia communico a V. S. que, segundo consta
de officio do Dr. Alvaro Ucha Cnvalcanti de 10 do
crreme, enlrou elle oessa data no exercicio do
cargo de regedor do gymnasio provincial.
4' seccao.
N. 267.Officio ao superintendente da estrada
de ferro do Recife a S. Francisco.Pola secretaria
do governo se declara ao lllm. Sr. superintendente
da estrada de ferro do Recife a S. Francisco, em
resposta ao seu officio ao hontem, que transmit-
tio-se as ihesourarias geral c provincial para os
lias convenientes as coutas que vieram annexas
ao citado officio.
EXPEDIENTE ASSIfiNADO PELO EXM. SR. SENADOR FR3-
DERICO DE ALMEIDA E ALBUQUBRQUE, PRESIDENTE
OA PROVINCIA, EM 12 DE JANEIRO DE 1870.
1* seccao.
N. 270.Dita ao commandanto do presidio do
Femando.Transmiti a Vmc. a relacao junta -o.
1 de sentenciados que. segando declara o jnlz mu-
nicipal da primeira vara em officio de hontem, fo-
ram postes a disposicao do chefe de polica para
seguir para esse presidio, indo inclusas as guias
dos quatro primeiros na mesma relacao mencio-
nados (estando a dos dous uliimos j nesse presi-
dio), e bem assim as dos sentenciados constantes
da relacao n. 2, que se acham ahi cumprndo sen-
lenca
N. 271.Dita ao mesmoEnve Vmc. para esta
capital na primeira occasio e com a precisa se-
guranza, o sentenciado Melquades Jos de Santa
Anna, que se acha no municipal da primeira vara, requisitado em offi-
cio de 11 deste mez, por ter cumprido a respec-
tiva pena.
2a seceo.
N. 272.Portara ao Dr. chefe do polica.Para
poder ser paga a despeza feila com o sustento dos
presos pobres da cadeia do termo do Brejo, duran-
te o mez de outubro ultimo,^ cuja conta veio an-
nexa ao seu officio de 27 de dezembro prximo
(indo sob n. 1801, faz-se preciso, quo V. S. rerael-
ta a relacao de taes presos, conforme solicitou o
inspector ila thesouraria provincial em officio de
10 do correte n. 9.
N. 273Dita ao mesmo.DjvoIvo a V. S. a re-
lacao e conta, que vieram annexas ao seu (ifflco
de 28 de dezembro ultimo n. 1807, da despjza feila
com o sustento dos presos pobres da cadeia do
termo do Bonito, durante o mez de outubro do
anno prximo pausado, alim de que a mande refor-
mar, deJuzindo-se a quantia de 2200, que de
mais tirou-se para o preso Manoel Amancio de
Azevedo, segundo comta do officio, junto |r co-
pia, do inspector da thesouraria provincial datado
de 10 do Cjrrente e sob n. 10.
Como V. S. ver desse.officio, os 903400, em
que importa tal despeza, nao podem ser pagos a
Manoel Moreira de Souza, de conf-irmidade com o
seu citado officio, e sim levados a conta dos 200,
quo adiantou a supracitada thesouraria ao delega-
do daquelle termo para soccorrer a despeza de
que se trata.
N. 27i.Dita ao mesmo.Remetto por copia a
V. S. para seu conhecimento e lins convenientes
os inclusos officios que me dirigram era 7 e 8 do
corrente, o e.npreiteiro riscal da estrada de ferro
e seu ajudante participando haver o treai de passa-
geiros que descia de Gamelleira para esta cidade,
esmagado no referido dia 7 as immediacoes da
estadio de Frexeiras urna mulher de cor preta
que s achava sobre os trilhos.
N. 273.Dita ao commandante do corpo provi-
sorio do polica.Em addtamenlo aportara desta
presidencia de 3 desle mez, declaro a Vmc. que
em substitucao ao major Jos Luiz Pereira, que
por deliberacao dessa data loi desigaado para pre-
sidir o conselho de julgamouto do alferes B isil d
Luiz Colho, designo o major Antonio Bernardo
Quinteiro, visto aquelle achar-sc impedido.
3.* seccao.
N. 276.- -Portara ao ospector da thesouraria de
fazenda.Informe V. S. acerca do pagamento da
congrua que pedio o vigaro encommendado da
freguezia de Sant'Anna do Sacn, Manoel Simpli-
cio do Sacramento a que se refere o aviso da repar-
licao do imperio de 27 de dezembro prximo lindo,
junto por copia.
N 277.Dita ao mesmo.Em observancia ao
aviso do ministerio da juMica da 27 de dezembro
(indo, baja V. S. de enviar a deinonstraccao da in-
suficiencia do crdito votado para expediente da
reparticao da polica para que possa ser approva-
do o excesso havido na despeza e autnrisado e
respectivo augmento.
N. 278.Dita ao inspector da thesonraria pro-
vincial.Autoriso V. S. em vista de sua informa-
gao de 10 do corrente sob n. ti, a mandar pagar
a quantia de 98200 em que, segundo as coutas
que devolvo em duplicata importara as despezas
feilas dorante os mezes de agosto e setembro do
anno prximo passado, com o sustento dos presos
pobres da cadeia do termo de Santo Anto.
N. 279.Dita ao mesmo.Tomando era consi-
deracao o que expoz e procurador fiscal dessa
thesmrarla em officio de 7 do corrente sob n. 1,
recommendo a V. S. a expedicao de suas ordens
para qoe pela collectoria de Goyanna sejam pagas
em vista das competentes comas as despezas judi-
ciaes feitas pelo ajudante do mesmo procurador
fiscal naquella comarca para a arrecadacao da divi-
da activa e do sello de nerenca e legados.
N. 280.Dita ao mesmo.Expeca V. S. as saas
ordeos para ser paga a Manoel Figueira de Faria
& Filhos propietarios do Diario de Pernambuco
omo pedern no reqaenmento incluso a quantia
que tiverem direto, em vista d:t 7a clausula do
cntralo celbralo em 23 de abril do 1808, para
a puhlicacao dos trabalhos e dos annaes da assom
bla legislativa provincial.
N. 281.Dita so mesmo.Allendendo ao que
requereram os empreiteiros da companhia de illu-
minuniao a gaz rocoinmendo a V. S. que do ora
era Jante mar de i'azer o pagamento da illumina-
co dos ediOcios pblicos provinciaes era vista do
padrao monetario, e nos termos da condic*ao 10a
do respectivo contrato.
4.* seccao.
X. 2H.Dito ao Dr. Luiz Antonio Vieira da
Silva presidente da provincia la Parahyba.Intei-
rado pelo seu officio de 7 de dezembro prximo
lindo, de haver V. Exc. prestado juramento o lo-
mado posse da administracao dessa provincia,
tenho a dtzer a V. Exc. que serei solicito em cum-
prir suasdeterminacoes, qner tendam ellas ao ser-
vico publico quer ao seu particular.
S. 283.Portara ao Jirector geral interino da
instruccao publica.Mande V. Exc. por a con-
curso a cadeira de nstmecao primaria do povoa-
do da Passagem da Magdalena qtio se acha
vaga.
' X. 286.Dita ao agento da comaonh a Pernam-
bucana. Pode Vrnc. fazer seguir para os portos
do norte o sul os vapores Pirapama e Potengi no
dia 13 do corrente a hora indicada em seu officio
de 10 deste mez.
N. 287.Dita ao mesmo.O Sr. gerente da
companhia Pernambncana mande por a disposcao
do cscrivao do presidio de Fernando, Gentil Ho-
rnera Rodrigues de Souza urna passagem de estado
a proa do vapor Kuiuripe.
N. 288.Dita ao mesmo.O Sr. gerente da com-
panhia Pernambncana mande dar transporte para
o presidio de Fernando por conta do ministerio
da guerra no vapor Cururipe aos guardas naci-
naes do 1 batalhao de artilharia deste municipio,
Bernardo Jos de Sant'Anna, Manoel Cyrillo doj
Nascmcnto e Jos Luiz Goncalves da Luz, que vao
render outros no destacamento do mencionado
presidio.
N. 289Dito ao mesmo.O Sr. gerente da
companhia Pernaiqbucana mande dar transporte
para o presidio de Fernando no vapor Cururipe
por conta do ministerio da guerra aos 4 sentencia-
dos militares vindos ltimamente da corte de no-
raes Francisco Gil de Brito, Joao Ferreira Canda
na, Jos Lopes do Parias e Manoel Antonio dos
Santos. (
X. 290.Deliberacao.O presidente da provin-
cia em vista do quo propoz o director geral da
instruccao publica em officio de 8 do corrente sob
n. 18, resolve crear urna delegacia Iliteraria, na
povoaao da Boa-Viagem, a qual lera por limites o
respectivo juizado de paz.
N 291.Dita.O presidente da provincia em
vista da proposta do director geral da instruccao
publica de 8 do errente sob n. 18, resolve omear
o Dr. Fulgencio Infante do Albuquerquc Mello,
delegado Iliterario do dislricto da Boa-Viagem
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO SR. OU. BAS FRE.-
RIEO DE ALIE IDA E ALBUQUERQCB, SECRETARIO
INTERINO DO GOVERNO EM 12-DE JANEIRO DE 1870.
I.* secc5o.
X. 293.Dito ao mesmo.De ordem de S Exc.
o Sr. presidente da provincia declaro a V. Exc.
em resposta ao seu officio de hontem datado sob
n. 14, que (icam expedidas as convenientes ordens
ao gerente da companhia Pernambucana para dar
transporte para o presidio de Fernando no vapor
Cururipe aos 4 sentenciados militares vindos lti-
mamente da corte.
X. 294.Dito ao mesmo.De ordem de S. Ec.
o Sr. presidente da provincia declaro a V. Exc.
era resposta aos seus officios de 11 do corrente
sob .nmeros 13 e 17, que nesta data se mandou
satisfazer os 2 pedidos que vieram annexos aos
sens citados officios.
X. 293.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia declaro a V. Exc.
em resposta ao seu officio de hontem datado sob
n. 18, que fkam expedidas as convenientes orden<
ao gerente da companhia Pernambucaaa para
mandar transportar para o presidio de Fernando
os guardas nacionaes do 1.a batalhao de artilharia
deste municipio, de que trata o seu citado officio.
2.a scelo.
X. 296.Officio ao juiz" municipal da 1.a vara
desta cidade.De ordem do Exra. Sr. presidente
da provincia communico a V. S. que nesta data
se expedio ordem ao commandante do presidio de
Fernando de Xoronha para enviar para esta capi-
tal na 1." occasio c com a precisa seguranza o
sentenciado Melquades Jos de Sama Anua a que
alinde o seu officio de 11 deste mez.
X. 297.Officio ao inspector la thesouraria pro-
vincial.Sua Exc. o Sr. presidente da provincia
manda communicar a V. S. para seu conhecimen-
to que segundo consta de officio do director geral
da instrucc.o publica de 8 do corrento sob n. 13
entrou elle nessa data no gozo da licenca de 30
diai que Ihe foi concedida por deliberacao de 3
deste mez.
N. 298.Dito ao procurador fiscal da thesoura
ria provincial.Sua Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia, "manda declarar a V. S. em resposta ao
seu officio de 7 do corrente e sob n. 1 que nesta
data recommendou-se ao inspector dessa thesou-
raria a expedicao de suas ordens para que pela
collectoria de Goyanna sejam pagas em vista das
competentes comas as despezas judciaes de que
trata o citado officio.
4." seceSo.
N. 299.Officio ao director geral interino da
instruccao publica.Sua Exc. o Sr. presidente da
provincia ten Jo por deliberaba i de 3 do corrente
resolvido conceder a exoneraco que pedio o Dr.
Joaqolm Jos de Campos da Costa de Medeiros e
Albuqueriue do cargo de regedor do Gymnasio
Provincial e nomear para o substituir ao hacha-
re! Alvaro Ucha Cavalcanti, assim o manda par-
ticipar a V. Exc. para seu conhecimento.
X. 300.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia manda communicar a V. S. pa
ra seu conhecimento que por deliberacao desta
data e em vista da proposta dessa directora de 8
do corrente sob n. 18, resolve crear urna delega
cia litteraria na povjacao da Boa-Viagem, tendo
por limites o respectivo juizado de paz, e nomear
para exerce-la ao Dr. Fulgencio Infante de Albu
querque Mello, enjo titulo incluso remello aflm de
V. S. dar-lho o conveniente destino.
Franjisco Xavier da Cruz.Btriia-se ao Sr. re-
gedor do 6ymnasio.
Francisco Piolo de Carvalho.Dirija-se ao Sr
regedor do Gymnasio.
Ignacio Bento de Loyola.Avista das inferraa-
edes, seja nomeado, como pede.
Vieoate Pereira Pinto.Expeea-o ordem para
ser posto em liberdade o supplicaate.
ftcpartl^So da polica.
2a seccao.Secretaria da polica de Pernarabo-
jo, 19 de feverero de 1870.
N. 249.Illm. e Exra. Sr.Levo ao conheci
Tiento de V. Exc. que, segundo coasta das partl-
ipacoes recebida8 hoje nesta reparticao, foram
recolhdos hontem casa de deteirao, os segura-
tes individuos :
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Joao
Ignacio Pereira e Maria Magdalena, esta por dis-
turbios e aquelle para recruta.
A' ordem do de S. Jos, Joao de Tal, por offen-
sas moral publica.
A" ordem do da Ba Vista, Joao Thomax de
Aqnino Rosas, por crime de furto, e Antonio
Francisco Gomes, por embriaguez c disturbios.
A' ordem do juiz de paz do 1. districto da fre-
guezia da Boa-Vista, Pedro Rigaard. por falta de
curapriraento do contrato de locaclo de servio.
Dos guarde V. ExcIllm. o Exm. Sf. se-
nador Frederico de Almeida e Albuquerquc, pr-
ndente da provincia. O chote do polica, 2
inlonio Fernandes Pinheiro.
EXTERIOR.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DA PROVINCIA BO OU 17
DE FEVERERO.
Padre Antonio Domingues de Vasconcelos Ara-
gio.Fica o supplioante antorisado a despender
com a continua cao das obras de que trata al a
quantia de 861*310 rs., importancia do beneficio
da segunda parte da lotera concedida para as
mesma, a qual so Ihe ser entregue depois de
prestadas as cuntas di qne despender. Quanto
consignacao votada pida le o. 891, nao tem logar
por ora.
Adelina Maria Ramos de Mello.Nao Tem. lugar
o que reqoer.
Carlos Jo- Di as da Silva.Conceda-se a licen-
ca reqoenda com ordenado smente.
Francisco Eustaquio da Silva.Dse.
Joaquim Mara da Conceicao. -todeferido.
Miguel Jos de Almeida Pernambuco.Remetii-
do ao Sr. general commandante das armas para
atiender ao sapplicante no qoe- pede, nao havendo
inconveniente.
Maria Candida Vllela.Ao Sr. inspector da
thesouraria do farenda, cora a portara d'esta dala.
Franca.
pbojecto de le pond) os delictos commettidos
pela imph;:nsa as attribuqux.s do jury as
monificaqqes feitas pelo conselho de estado.
Art. 1." Fica sendo das attribucoes dos tribu-
naes de primeira instancia o conhecimento dos
delictos cominettidos poi nm dos meios do publi-
cacao enunciados no art. Io da lei de 17 de raaio
de 1819.. As diffamacoos, injurias e outros delic-
tos contra particulares ficam, assim cerno as con-
traveneoes, na competencia dos tribunaes correc-
cionaes, salvo os caso atlribuidos os Iribunaes
de simples polica
Art. t. Ninguem ser admittlo a provar a ver-J
dade dos tactos difamatorios, senao no caso de
imputacao contra depositarios ou agentes da au-
tori-lafle ; ou contra todas as pessoas, tendo pre-
cedido n'um carcter publico, do factos relativos
as suas fuuccoq}. Xesle caso, os factos poderao
ser provados perente o tribunal de primeira ins -
tancia por todas is vas ordinarias, salvo a prova
contraria pelas mesmas vias.
A prova dos factos imputados p5e o autor da
imputacao ao abrigo de toda a pena, sem prejuizo
das panas pronunciadas contra o ultrage ou in-
juria quo nao seja necesariamente dependente dos
mesraos facto3.
Art. 3.1 O reo que quizer ser admittido a pro-
var a verdade dos factos no caso previsto pelo
precedente artigo dever nos oto das que se se-
giiirem notificacao da sentenca, remettendo ao
tribunal de primeira instancia, ou de opposicao
sentenca por falta comraettida centra elle, fazer sig-
nificar'ao querellante :
1. Os factos articulados e qualificados nessa
sentenca de que desoja provar a verdade ;
2. A copia dos doca nentos ;
3. Os nomej, profisso e morada das testemu-
nhas com que deseja dar ascuas prova?.
Esta significaco contera cleicao de domicilio
peno do tribuna] de primeira instancia, ludo sob
pena de se nao aceitar a prova.
Art. 4." So, no caso, de ditamacao prevsti pelo
art. 2o, o tribunal de primeira instancia fr inti-
mado por via do citago directa da parte do minis-
terio publico, 33sa citaco ser dada n'um espaco
de vinte das pelo menos.
O reo que quizer ser admittido prova dos fac-
tos dever, nos oito dias que se seguirem cita-
do, fazer as/ignificacocs prescriptas pelo art. 3o.
Art. 3. Xos oto dias seguales o querelante
dever significar ao reo, no domicilio por elle es-
collado, a copia dos documentos, o os nomes,
profissoes e morada das testemunhas com que de-
seja dar a prova contraria ; tudj igualmente sob
pena de nao se Ihe aceitar a prova.
Art. 6." O querellante em diflamaeao ou injuria
poder* fazer ouvir testemunhas que attestem a
sua moralidade; os nomes, profissoes e morada
d'essas testomuahas s9rao notificadas ao reo ou no
seu domicilio, um dia pelo menos antes da inqui-
rico_
O rio nao ser admittido a fazer o"uvir testemu-
nhas conlra a moralidade do querellante.
Art. 7." O querellante dever, inmediatamente
depois da senienca quo remellaba causa ao tribu-
nal competente ou depois da notificacao qie Ihe
fr dada pelo ministerio publicla citacao direc-
ta, escolber domicilio perto do tribunal de pri-
meira instancia, e notificar essa escolha ao reo e
ao ministerio publico ; na falta do que, toda as
sigmficacoes sero feilas validamente;ao querellan-
te no earturio do tribunal.
Quando o reo estiver preso, todas as nolificaedes
para seren validas, devera-lhe ser feitas pesso l-
mente.
Art. 8. 0 ministerio publico tera a facul Jade do
fazer citar directamenteLpm tres dias, alera de um
dia por cinco myriamefros de distancia, os reos
perante o tribunal de primeira instancia, mesmo
depois de ter havido apprehenso.
A citacao contera a indicaeao precisa do escrp-
to ou escriptos, dos impressos, pasquins, desenhos,
gravuras, pinturas, medalhas de emblemas incri-
mina ios, como tambem a articulaco e a qualifi-
cacao dos delictos que deram lugar querela.
No caso de ter sido ordenada ou executada una
apprehenso, copia da ordem ou do corpo de de-
licio da citada apprehenso ser notificada ao reo
na cabeci da citaco, sob pena de nulidade.
Art. 9." Se o reo n) apparecer no da determi-
nado pela citacao, seja julgado por faUa pelo tri-
bunal de Ia instancia, sem assistencia nem inter-
vencao de jorados.
A oppo'ico sentenca por falta, dever ser fr-
mala nos tres dias da signilicacao pessoalmentc
oa em domicilio, alm de um dia por cinco myria-
raelros de distancia, sob pena de nullidade.*
A opposicao levar de pleno direito citacao para
a primeira audiencia.
Se a audiencia em que deve ser estatuido sobre
a opposicao, nao estiver presente o reo, a nova
sentenca dada pelo tribunal ser definitiva.
Art. 10. Todo o pedido para a appellaco, por
qualquer motivo qoe seja, todo o incidente no pro-
cesso seguido, devero ser apresentados antes da
chamada e tiragera sorte dos jurados, sob pena
de axclusao.
Art. 11. Depois da chamada e tiragem sorte
dos "jurados, o reo, se estiver presente a essas ope-
racoes. nao poder faltar.
Por consequeocia, toda a sentenca qne intervier,
seja na forma seja no fondo, ser definitiva, anda
Juando o reo se retirasse da audiencia o recusasse
efender-se. Xeste caso, proceder-se-ha com o
auxilio do jury e como se o reo estivesse pre-
sente.
Art. 12. Nenhuma appellaco para os tribunaes
de 2a instancia das sentencas qoe tiverem estatui-
do, quer oos pedidos do remessa a tribunal com-
pleme, quer nos incidentes de processo, s pede-
r ser formada segundo a sentenca doflultiva, e ao
mesmo tempo que a appellaco contra essa sen-
tee, sob pena de nullidade.
Art. 13. A appellacSo para o tribunal superior
dever ser formada dentro de 24 horas no carto-
rw do tribunal de instancia ; V horas depois,
os documentos sero envalos para o tribunal su-
perior. Nos oito dias que se segnirem enejada
dos documentos ao cortorio do tribunal superior,
sera instaurado o processo e jlg-ado de urgencia,
cessando todos os ootros procesaos.
Art. 14. Se no momento em que o ministerio
publico exerco a sua aeco, a sessao do tribunal
de Ia instancia ti ver terminado e se nao dever tor-
nar a abrir-sc outra sesso n'uma poca prxima,
podor formar-se um tribunal de Ia instancia ex-
traordinario, por ordem do primeiro presidente.
Esta ordem prescre-ver a tiragera dos jurados
sorte como de le.
As disposic5es do art. 81 do decreto de 6 do ju-
lho de 1810, serao appheaveis aos tribunaes de Ia
nsbincia extraordinarios, formados em resultado
do paragrapho precedente.
Art. 13. Os delictos mencionados no paragra-
pho do art. 1 que nao tiverem sido ainda jnlga-
dosjio momento em qoe a presente lei tiver exe-
cucao, ser julgados sogando as tormulas que
ella es tabelece.
Arf. 16. Ficam dergalos o art. 28 do decreto
de 17 do fevereiro de 1832, e todas as disposcOcs
contraras presente lei.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
AUTORIDADES PQMCIAES.Por deliberacoes
da presidencia da provincia, de 14 e 18 do corren-
te, form nomeados : delegado do termo do Cabo
o Sr. Jos de Moraes Gomes Ferreira ; e do termo
do Lmoeiro, o Sr. Joo Felppe de Mello.
GIQUI.Chegou sabbado de Aracaj este va-
por da companhia Pernambucana, tfazendo jornaes
at 12 do correte.
O Jornal do Aracaj diz que a secca conti-
na horrivel na provincia, sendo os precos dos g-
neros exborbitantes. A falta d'agna potavel tor-
na se sentida em quasi toda a provincia, at mes-
mo prximo do littoral, como em Larangeiras, Ma-
roim etc.
No termo de Larangeiras honve um grande
incendio nos cannaviaes dos engenhos Cambo,
Bom-Jariim c Cafuz, ficando o daquelle devasta-
do completamente, e os destes em grande parte.
Os Srs. Angelo Custodio Policiano e Agosti
nho Jos jl'beiro Guimare?, negociantes em La-
rangeiras, deram alforra cada um delles um es-
cravo seu, por occasio do casamento de suas
filhas.
A mesa de rendas de Aracaj arrecadou no
mez de Janeiro 29:2303864.
Era Porto da Folha grassavam, com iatensi-
dade. febres perniciosas. Para o lugar seguir o
Dr. Francisco Sabino Coelho Sampayo, inspector
da sade publica, afim de tratar das pessoas ata-
cadas.
ARRIBADO.Chegou sabbado ao nosso porto'
procedente do de Liverpool e em viagem para Val-
paraso, o vapor ing/ei Lota, do 736 toneladas.
Veio concertar o hlice da machina que so parti
em viagem. Nada adanta em noticias, por trazer
24 das.
ESTRADA DE FERRO DE OLINDA E BEBE-
UIBE.Proseguem com actividade os trabalhos
materiaes desti lioha frrea, para o que a direc-
tora naia tem poupado. J se acha aberto o es-
paco enlre as casas em que funeconam a Facnl-
dade de Direito e o Collegio das Artes, estando
assentados os trilhos al esse ponto.
Tendo chegado na sexta-fera ao escurcer a
barca inglez Atraa Florida, com mas material,
nao haver interrupcao nos trabalhos, e dentro de
poneos mezes Olinda ouvr o sybllar da locomo-
tiva as suas mas.
PROCESSO CRIME.Pela subdelegara de San-
to Antonio foi instaurado o respectivo processo
contra o menor Belchior dos Reis Pavo, aecusado
por htver assasslnado na ra do Sol Joao Peres
Santiago, sendo nomeado curador do reo o Dr.
Francisco Leopoldino de Gusmo Lobo.
PROTESTO DE LETRAS.O escrvo dos pro-
testos Jos Mariano de Albuquerquc est de sema-
na, ra de Sanio Amaro n. 20.
COMPANHIA PERNAMBUCANA.O vapor Gi-
qui desta companhia seguir para Macei e Pe-
nedo em direitura no dia 22 do corrente, sendo
hoje o ultimo dia em que recebe carga, conforme
o annuncio da mesma companhia.
PROCLAMAS.Foram lidos hontem na matriz
da freguezia de Santo Antonio os proclamas se-
gintes:
!.' denunciaco.
Joaquim Luiz Custodio, com Maria Herraencgil-
a da Silva.
Manoel Jos Alves da Silva, com Theodomira
dos Anjos Pereira de Almeida.
Bellarmino Andr de Avelino Lobo, cora Clara
Floriaaa de Araujo Lima.
Lourenco de Carvalho Lins, cora Umbelna Ma-
ria dos Prazeres.
Hygino Real de Araujo, com Umbelna Goncal-
ves de Souza.
Joo Rodrigues da Silva Duarte, com rsula de
Siqueira Brito.
Jeremas Cavalcante da Silva, com Claudina
Cesar de Albuquerquc
Firmino Mariano Mendes da Silva, com Felismi-
na Maria Soares.
Geminiano da Costa Barbosa, com Maria Notali-
cia Josephina da Rocha.
2.' denunciaco.
Joao Antonio dos Santos e Silva, com Bernardi-
na Emilia Pontee.
Jos Machado Marques, com Mana Francisca
Pereira.
Joo Antonio da Silva, com Belinia Maria da
Conceicao.
Luiz Frederico, com Maria Francisca Annuncia-
da de Carvalho.
Firmino Jos Basilio, com Joanna Brizida de
Sant'Anna.
Domingos Bruno, com A.nelia Flora de Carva-
lho Dias.
Antonio Francisco de Almeida Bastos, com Ma-
ra Luiza de Pinho.
3.a denunciaco.
Samuel Joaquim de Lima, com Francisca Joa-
quina Rodrigues Lima.
Luiz Muniz Ferreira dos Santos, com Adelaide
Alves Ferreira.
Dr. Joo Frankln da Silveira Tavora, com Ale-
xandrini Guilhermina dos Santos Teixeira.
Silvio Jos de Franca Torres, com Marcelina
Miria Ferreira.
Joo Antonio Nogueira de Qoeiroz, com Agripi-
na Jenuina de Paula Rocha.
Domingos Rodrigues Vieira, com Laurinda Ma-
ria Rosa.
Luiz Moreira de Carvalho, com Luiza de Franca
Cardoso.
Joao de Souza Barroso, com Marcolina Francia-
9k dos Santos.
LOTERA.A que se acha venda e a 138-, a
beneficio da igreja de Nossa Senhora do Livra-
mento do Rio-Formoso, que corre no da 28 do
corrente.
Passageiros vindos do Penedo Macei no-
vapor Jeqm :
Padre Antonio Jos Firmino, Joo Alvo dos
Reis e 1 escravo, Severo Jos da Rocha, Manoel
Joaqnim da Rocha, Antonio Martins do Araujo.
Felppe da Costa, Belizaria Gomes, Matildes da
Cos Leaos, um sargento e quatro pracas, con-
selheiro Felppe Lopes Netto, Antonio Vasco Ca-
bral, Carlos da Silva Ferreira, Manoel da Silva
Faria e Mme. Massy.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Srs. redaelores.Rogo-Ibes o obsequio de de-
clarar pelo seu jornal, que o Sr. Dr. coefo de po-
lica nunca honrou a minha casa com a sua pre-
senca, nem antes, nem depois e era durante o
tempo que ve um presepio armado. Oulrosinx
que este presepio foi meu, sem dependencia nem
influencia de alguma outra (Jessoa, e quo nunca a
msica do arsenal de marinha uelle ti.can.
Recife, 18 de fevereiro de 1870. -Manoel Fidelit
Rodrigues, mestre do ferreiro do arsenal de ma-
rinha.
Mofina.
O despreso que mtrece um certo Cacique, qu>
oroado com urna grande chapa de bronzu pendu-
rada por meio de urna forte sola com o corros-
ponJente n 37 no colletc, apoiando-se no compe-
tente barril, dando gritos disformes pelas antigs
ras de Lisboa, j por ter subido dous degros d
escada social, er estar a par com aquellos, qoe st*
nao tiveram aquella educaco que se chama com
pela, seus pas deram-lhes ao menos os principios
a qne se Ihe da o nome de instruccao primaria,
com a qual nao coofundem o I com o G ; sera
bom que o dito carcamanjo so importe mais com
aprender a fallar ; pois de corto nao est mnk >
corrente na sua algarvia do que constitoir-se m-
telliaente em materia que nanea vio, e oceupar si-
da ida de quem nunca se Isnbron dellc nem
para.... certo e seguro de que se Catinga Vbk-
.MEi.iA continuar a oceupar-se da vida particular
do Moleqie sabe tl'do, ultie que enlo ser can-
tado em prosa e em verso, porque afqrtunada-
inente sera querer estou munido com os compe-
tentes papeisinhosbiograpbicos de NM alta posi-
cao e altos cabedaes qne faz gosto.
Transforma o sys tema
Urna das maiores maravillas da scienca medi-
ca a rapidez,com que a salsa parrilla de Rris-
lol, restitoe as fe-rca' perdidas aos doeutes.
S a experiencia pode permittir aos enfermos o
realisarem os seus efTeitos o casos de debilidad*
geral.
Pouco importa o estado de prestraca, pliysica i
qne o d>ente se veja reduzido, pois a snlsa par-
nlha de Brlstoi, Ihe a tornar restituir.
Alguns mdicos teem suggerido a injeero da
singue paro as veas dos enfermos, porm este
poderoso restaurativo converte cada nina gota de
angne no corpo do doente em um tnico erhVaz,
capaz de prestar novas torcas aos mu-culos sos
ervos, ao estomago e a todo o machinismo ani-
mal.
Que nenhuma ppssoa por mas iraca e dbil qne
seja perca a esperaba de viver al um.i Umb
mui avancada, porque nesla prepirac-i' exist
um principio vital que restabelece as Ierras dos
mais debis como por encanto.
Vende-fe por toda a parte do mundo civilizado,
as principaes boticas e I > j a de drogas
COMMERCIO.
PrtACA DO RECIFE 19 DE FEVEREIRO
DE 1870.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE
Algodo Ia sorle 1->021 rs. por kil.
lamhio sobre Londres 90 dv. 20 3(8 pst I*.
(hontem).
Cambio sobre Franca472 rs. por franco Concallo Jos Alfonso,
Presidente
Mesquila Jnior,
Secretario
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Deseo ita lettras da piafa taxa a con-
'encionar.
Recebe dinheiro em conta correle hia
I raso fixo.
Saca vista ou a praso sobre as citlade
principaes da Europa, tem correspondente
a Baha, Buenos-Ayres, Montevideo. New-
a New-Orleans, e emitte cartas de crdito,
para os mesmos lugares.
HUA DO COMMERCIO N. 36-
Sociedade bancaria
em com mandil:*.
Theodoro Simn Sf C,
Compram e vendem por conta pro-
jria me taes, moedas nacionaes, e estran-
;eiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e outro* ti
tulos commerciaes.
Encarregam-se por conta albeia das ms-
alas transaccoes, da cobranca de letras da
erra e de outros ttulos commerciaes.
Receb-m quaerquer quanas em depo-
lito, em conta corrente, e a prazo Usa.
Largo do Pelourinho n. 7
Caixa Filial do Banco do Brasil
em ernambuco, em liqni-
daedo, 7 de feverei o di
1870.
Por ordem da diretoria do Banco -'o Bra-
sil se faz publico que no praso de ir na da*
a contar da presente data serao legados m
leilao os ttulos em liquidarse e mnsdro-
das constantes da rolacSo que exite na>
mesma caixa aonde poder ser examinada
pelos pretendeoles.

alfanega.
dendimentododiala 18. .
'dora do dia l..... .
614 0MJMI
36 00711
670:OCCM1


awaal
ir-%
~s
t
Diario de Pernambuco Segunda feira 21 de Fevereiro de 1870.
HOVIMENTO DA ALFANDEGA
falunes entrados com fazeudas
dem idem com gneros
Vulomes sabidos ora fazendas
Ideas idem cora gneros
600
* wo
.OQ
------ 916
Descarregam hoie 11 de fevereiro.
Barca inglezaBn/Zian/emercaduras.
Patacho inglez.{lvela Ssrinha do trigo.
Patacho ioglex Elent Beminidwu.
Patacho americano Lizui ti. Mimball idtnv
Patacho portuguezMoiaraercadoriaj.
Barca francezaAdelleidf ra.
Patacho a nercanoJan Chryttal dem.
PaUcho inglexS a Gallidem.
Barca ingieraS'ntfa Floridaidem.
TABELLA dos PRE^es dos gneros sujwtos a di-
maro k botacao. skmaha dk 11 a 26 os
ETEBEIRO DK 1870.
Mercadorias: Unidades. Valores.
Abanos.........duzia 300
Algodo em earoco.....kilog. 258
dem em rama ou em lia. 947
Carnoiros vivos. ...... ana 4*000
Porcos idem......... 2*000
Arroz com casca......kilog. 68
dem descascado ou pilado 177
Assucar brinco...... 320
dem masca vado;...... 193
dem refinado........ 436
ialliRtas........urna 1*000
Papagaios....... 3*000
Axee de amendoim ou men-
debim. _.......litro 937
dem de coco ...... 675
dem de mamona....... 525
Batatas alimenticias. .... kilog. iOi
Baunilha....... 5*430
Bebidas espirituosas e fermentadas:
Agurdente cachaba. .... litr. 193
dem de canna...... 390
dem genebra....... 330
idem restilada...... 300
dem alcool........ o 337
Ideyi cerveja -...... > C00
emvinagre ........ 300
dem vinno de efl...... #60
Bolacha fiiaxomurehcndidos os
bisco:! s.........kilog. 476
(dem ordinaria, propria para
emtanme........ > 20i
dem escolha ou restolno ... > 442
dem torrado oi moide. 939
Cal branca. ........ 39
Idom prcta ....... 27
Carne secan (karque ). 238
Carvo vegetal....... 168
Cera amarella....... .} 442
dem de carnauba em bruto. 436
dem dem em velas, .... 763
C.......... 4*360
Cucos seceos.......cento 4*000
Colla.........kilog. 1*438
Cauros do boi, seceos salgados. 566
Idem idem espichados.... il
dem den verdes...... 340
Idem de cabras cortidos um 350
dem de onca........ 10*000
Doces em calda......kilog. 1*133
dem em gcla ou massa. 784
dem seceos....... 2*180
Espanadores de peanas grndes duzia. 48#0
lde.n pequeos...... 24000
lem de palha....... 12*000
Esleirs de carnauba .... cento 16*000
dem propria para forro ou estiva
de navio........ 12*000
Estopa uacional......kilog. 13fi
Parinha de ararula..... 681
dem de mandioca..... 92
Foij.io de qualqucr qualidade. 272
Fumo charutos......centro 3*000
dem cigarros...... > 320
Idem-etn folha l.om kilog, l*0ytl
dem cm folha, ordinario ou res-
loliio ........ 613
Idojn ora rolo ecoi latas bpm 681
Iden, ordinario ouresloliio. 545
lp ......... 2*180
Comma de mandioca, (polvilho). i 70
Ipecacuanha ( raiz)..... 1*703
Angiro (toros)......duzia 60*000
Caibros ........um 360
Kaxams.......... 15300
Foecliies......... 5*000
lacarand (eoecoeiras) duzia 95*000
Lenha em achas......cento 3*000
Idem cm toros...... 12*001
l.inlus e esieius......um 6*000
Lour s (pranehoos)..... 10*000
M Brasil........kilog. 102
dem de jangada......um 5*000
Uuiris ,........duzia 6*000
Vjnhalico sostndMM de 5 a 30
'itiilliiiniiiis i]e.grossura. um 16*000
-Vondeu-se a 8*200 alau de anca
gal6>s.
LoucaA ingleza fendeu-se a 445 por cento
He preutio sobre a factura.
Mantbioa.A inglesa vendeu-se a 1*100 a
por Jibra e a franreza a 810 rs,
. Massa.Venderam-se a 7*500 a caixa.
Oleo de Ltim ac.dem a 2*100 por galao.
Passas.dem a 10*500 a caixa.
Presuntos. dem a 1 8* por arr< iba.
Quauos.Os flameogos venderam-se a 2*800
cada um
Sajad.O inglez vendeu-se a 170 rs. por libra
e o do Mediterrneo a 340 rs.
Touciniio. Vendeu-se o de Lisboa a 11*400
per arroba. iM-
Vimacke.O do Portugal vendeu-se a 130* a
Vwh.is._Os de Portugal venderara-se de 225*
a 2*>S, n hranco a M0* e os de ontros paize* de
200* a 210* por pipa.
Velas.O pacote desvelas de coraposicao
vendeu-se a 640 -rs.
Descont.O rebate de letras oscilo de 8 a
10 % ao anno.
MOVIMENTO DO PORTO.
Nades entrados no da 1.9.
Asslo das, hiate brasileiro N,ovo Incencivel,
de 48 toneladas, capilao Vicente Ferreira da
Costa, equiparara 5, carga sal; a Silva 4 A Ivs.
Liverpool23 das, vapor inglcz Lota, de 762 to-
neladas, commandaute Cook, equiparara 33,
carga djfferctes gneros,; ao niesmo comraan
danto. Arribou a este porto para consertar o
elice. Seu destino Valparaizo.
Peuedo por M.icei 4 das, vapor brasileiro Je-
{', de 223 toneladas, commandante Francisco
lariins da Cisla, equipagem 23. larga algodo
e couros; a companhia Pernambueana.
New Yuik 38 das, barca americana Casco, de
23i toneladas, capitn Gardner, equipagem 8,
carga (Hn>roolOg gneros ; a Tasso Irinus.
Novios subidos no meano dio.
Canalbrigue mglez Jane, capitao Mac -Neil, car-
ga as>ucir.
New-York patacho brasileiro Jaboato, capitao
Dnpri, carga assucar. ,
Barceliinbrigurt hespanhol Nova Sabina, capi-
tao James Barran, carga algodo.
Goyanna hiate brasileiro Prubidade, capitao Ma-
nuel Marques da Paciencia, carga varios gene-
ros.
Londresvapor inglez .iriadne, commandante T.
Tin- s, com a mesma carga que trouxe de Mon
tevido.
Navio saludo no da 20.
Portobrtgue p.irtugu^z Tritunpho, cauito Perei-
ra, carga assucar.
Obseroafo.
At meio da nao he uve entradas.
ECITAES.
duzia
> -
kilog.
urna
duiia

urna

par
kilog.
c
<
melhoa
kilog.

>
1
inolhos
I4mn pranchSeo do dous costa-
' -ati- .v) niillinietros de gros-
-;ira.........
Id.;ii taboado de menos de 23
Riil.'i Metros de gfossura .
Tab ...lo divarso......
Taujnba .........
5r**.........
varas tara pescar.....
Idem para aguillmdas .
oeiii para canoas.....
Owrms do sucupira(em obra)
FUkij^cicupira para carro. .
V -i-.,.........
Mrt le abeika.......
..........
iimu......, .
Ralba de carnauba '.
l'.viiury.........
Nina de amolar .
Idea de filtrar......
Mein de r-.iwilo .
Pennas do ema. ...'..
Piassava.........
l'mas ou chifres de novilho ou
vacca.........cento
Sibo.........kilog.
su. .........
SalsapaiTilha....... .
le eouro branco par
Sdio ou graxa cm rama kilog.
dem em velas. ...... >
Sola e vaqueta...... >
Tapioca. .......
Ualus de boi.......cento
Vassouras de caruaba duzia
dem de piassava.....
Mein de timb.......
Alfandega de Pernambuco, 19 do fevereiro de
irv/O.
O i. conferente, Antonio C. de P. Boi-oes
O 2. dito, Jos da C. Ribeiro.
Approvo. Alfandega de Pernambuco, 19 de
feveiwiro do 1870.P#s de Andnade.
C >:*orine. Joaquitn Tertuliano de Mciiso.
SBCEfiEDiUA DE KENDAS INTEiLNAS (,-
'.ESDE PERNAMBUCO.
iMdiraento do dia 1 a 18. 43:196*245
su do da 19....... 1:655*226
20*000
144*000
90*000
33
'6*000
2*400
6*000
1*000
3*500
16*0d0
30
320
68
16
1*000
817
31
18
34
4*796
160
2*800
348
10
26043
800
340
476
1*200
204
380
766
1*20
960
44:851*471
CONSULADO PBOVI.Ncl~
Uandimcnto do dia i a 18. 119:759*902
tem do .lia 19. ." 43:844*698
126.595*600
PRA(?.\ DO RECIFR
19 DE PEVEREnW) DE 1870, AS 3 IK1RA1 DA TABM
16KVISTA ENl^ll.
Cambios.Sobre Londres elfectuaram-so tran.
saccoes a 20 1/1, sobre Pars a 472 e Marselha a
K0 rs. por fr., e sobre Lisboa a 160 rs. por
ceato.
egoEs. Venderara-se- algunas plices le
, il .lvida pybliea a 80 '8. da banco d Bra
-I ril'.-j e ja compajhia UJidade Publica a
aBa nada ama.
Ai-*1^0Venden-?e o de 1'sorte de 15* 100
' V120' e 9em eaI)a a I'a800 a arroba ou o
Ukilogrammas.
-Ven !su-,o o mascavado bruto ame-
le 2*950 a 3*150.
moa.O pililo daMndia vendeu-se a 3*200
arroba ou l.'>kik)!zrararaas-.
-dock.Vondeu-sa o dfi Lisboa a 4* o
0 Dr. Abiiio Jos Taran* da Silva, olcial
da Imperial ordera da Rosa, e juiz dos
fcitos da fazenda nacional dcsta provin-
cia de Pernambuco, por S. M. Imperial e
Con liluicional a quem Deus guarde, etc
Facu saber que em viriude no ari. 6o da
ordem do tnesouro de 13 Je dezembio de
18t9, em quanlo nao liverem deatino os
terrenos da pflvoaca.) de Timbaiba eComu-
tanga e dd v.lla de Itamb, pertencentes ao
oncapellado desle nome, sero elles arnm-
d.idot em hasta publica, por esp.co de
a unos na forma do art. 4o das instruccSes
le 30 de dezembro de 1865, segundo a
avaliacao que previamente lera lugar, lleven-
do ser f-ita a mesma arrematago por lotea
na villa de Itamjb a contar do dia lo de
maroo prximo futuro em diant, e quinto
a comprehees5o denominada Caric proce-
der-se-ha a sua divisao em diversos e me
ores lots, segundo f .r mais conveniente
aos interessi's da fazenda, isto cm virtude
de aut'iiisafiio concedida pela presidencia,
de conf..rmidade com o 4o do art. Io
das instruc<;oes citadas.
Otro siin na arremataco que prxima-
mente se ha de fazer das comprcliensous
engenlio Novo, Pangau e Cambe, no dia
13 do mesmomoz, e acceitarao. nos ter-
mos da lei de 15 de ^etembro do anno
prximo pausado, proposlas para venda dos
escravos, Bizilio, pardo, com 26 anuos de
idade, carreiro, avahado por I:C00^000.
Concordia, parda escura, com 15, avaliada
por OUOaooo, Aquilina, parda, com 4 annos
avaliada por 2<0*00, Damiana, parda com
me es de idarilo ava iada por IOOiJOOO,
tod s perlencentes ao dito encapallado.
E cumpriodo co' cluir-se as arreinatagoes
une liveram logar em abril do anno passa-
do, as qua-s foram ltimamente aoprovada
pelo governo : faco igualmente saber aos
arrematantes praso que dentro de 30 dias
contar de 15 de margo prximo futuro,
devem elles, para poderem obter as compe-
tentes cartas de arrematarlo, prcS|ar hipo
theca convencional, a qual ser celebrada
por escriptura publica, e inscripta no lugar
da situaeao dos bens bypothecados, nos
termos da supradita ordem do thesouro.
exhibindo os mesmos arrematantes previa-
mente, perante este jnizo os documentos
uecessarios que pmvem a idoneidade e
sufficiencia dos bens que d5o para garanta
dos valores porque sao responsaveis e isto
si b ptna de flearem sem effeito as mes-
mas arrematacoes.
Compre tambera qne os arrematantes a
dinheiro, dentro do mesao praso e sob a
mesma coiominacjo, recolham a estarlo
competente o restanto do preco porque
compi-aram as comprehejisOes de que se
acham de posse olicitando as respectivas
cartas de arrematado,
E para que cheque ao cotmecimento de
todos mandei passar o presente edital que
ser publicado pela imprensa e aCDxado nos
lugares do cosUime, bem como as comar-
cas de Goianna e Itamb, e scus povoados.
Dado e passado nesta cidade do Recife
de Pernambuco, aos 17 de fevereiro de
4870. Eu, Loiz Francisco Barreto de Al-
muida, escrivo o. escrivi. Pagar aflnal
m rs- de sello.Luiz de Altneida.
bilio Jos favores, fia Silva.
Antonio de Soma e Silva........
Jos ISustaquio Velloso da Silveira
Jos Wntu da Costa............
fono de Deus MoreiradeCarvalho
J.'o Pinto de Lemos Jnior.....
Herdeiros da Antonio Mala Cortes
Jos Lourenoo da 8ilva.........
Herdiiros de D. Isabel da Silveira
Miranda Seve................
uMafo-'l Aoloow Btbeiro, por Si-
me.io Correal Cavaleante MjB-
caoibjra..................
Henri jueta Ferr ira Lipes da Sil-
va, por Julo Kreraer.........
Jos tacme Tasse.............
Andr dAbreu Porta.........
Hmoran Honorio Riblro Craaja.
Jos llibeiro de Drito...........
O qje>mo.....................
Dr. k'-i de Mend mea Refo Barros
Jos Gomes da Silveira.........
Joo Maxinho da Hochi Falfia..
Flix Pereira de Araujo........
Antonio do P,aula e Mello........
Ltureneo Luiz. das Neves........
Irmai'dade de S. Benedicto de
Olinda.....................
Convtnto do .\. S do Carmo de
Olmla......................
Viscondessa de Goyanaa........
A mesma.....................
A mesma.....................
A mesma............ .........
A mesma......................
Jos da Fonseca Silva..........
Francisco G( ncalvea Netto.......
Joao di Cunha Wanderley.....
Joo Pinto de Lomos Jnior.....
Luir AI ves Vi I lela boje consnl
portuguez..................
Joaquim Luiz Vieira............
Jos Caetano de CarvaHio.......
Rabe Sehamotteau & C..........
Estevao Jos da Molla e Ignacio
Ferreira da Costa............
Joaquim Manoel Ferreira do Souza
e ontroj....................
Joo IJapti.-ta de Barros Machado.
Administrador da ma>sa fallida do
Pedro da Silva Reg..........
Rufino Ferreira da Silva........
Antonio de Faria Brandan Cordei-
ro o seu^ fiadores............
Monteiro Filbo & C...........
Adminostradores da massa fallida
de Seve Filhos C...........
Jemnymo Jo< Figucira de Mello
e Manoel Lourcnco de Souza..
Administradores da massa fallida
de Pedro da Silva Reg.......
Os mesmos....................
Sonihall Mi-llors & C hoje Kilson
G Fennely..................
Francisco Pereira Castello Banco.
Manoel Ignacio Ferrara, capitao
do brigne nacional iLoiza___
Viuva de Amaro Ant'inw de Faria
Arcn o Cir.wro da CuuJu Mi-
randa.......................
Henrique de Miranda Heorique.
Jos de Amorim Lima..........
Herdeiros do Dr. Antonio Vicente
do Nascjmento Feitosa,........
Os mesmos.............___...
-tera "
26d6l nunca menos de 5 palmos de largura
26*032 altura. A sota em aqjbas as frentes
14 tresjauellas igualmente cora caixilbo
24*000 trarjamento do primeiro andar e AA'*,'?rtas
99S- te te empregaro travs de qo-1*?.so5 ?men-
1729 ama 12 polegadas qnadrLfKl^0 cada
828 r^eci.WorsoSlhosseV^J.Jf ">'. "
olouro. Asesc^,^
3*338
irello
24*000
13*161
33*576
264*084
40*660
234*796
41*741
138*829
53*750
23*346
1*111
066
>
5289
- #360
3360
5480
4486
4480
1003000
200*000
100*000
24*000
24*000
150*000
100*800
100*000
41*055
136*792
20*508
1:420*000
165*094
35*966
81*581
646*000
33*462
1:220*000
400*000
200*000
53*e42
67*900
4155
aaa;
meiro andar de-^l .T~ l3anmarell- ,P pr
rn.pfii^ n- .* nc*r ein SJ"a. o a sotea sera
ffi-.. SMea que for armiada pala
l' 1- iT ^-, L0s Kbocs exteriores ser fQarnf
^oJ c,dM de cal branca. O contratante poder apro-1
.x^ ,ve as t8lhas caib'"<*. enchameU, soalhos e
.r >' <,Be *? acha|,em em perelto estado a juno
dos 8r. awrdomoi dos predios. Todo o material
de fcrrageos ser fornecido
cujo cargo flear tambera
pelo contratante,
_ acaiacao.
Os pretendentes deverao aprentar as snas pro-
postas em cartas fechadas na secretaria at o dia
24 do corrate.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Boci, 12 de fevereiro de 1870.
O escrivio,
________________Pedro Rodrigues de Souza.
O admini.-trador da recebedoria de rendas
internas geraes avisa aos devedores do dizima de
chancellara averbada, constante da relacao abaixo
transcripta e assignada pelo escrivo desta recebe
doria.e cujas causas foram difinitivamente julgadas,
que devem vir pagar a referida djzima no praso
de 30 dias, coudos do da publicarlo deste ; lin-
do o qoal se procodei cobranea* executiva.
Recebedoria de Pernambuco, 16 de fevereiro de
1870.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Relacin das c.irtas registradas existentes na ad-
jr- ministrajjfmis corre aena cid-fi. :
Antonio Mafttho da Silva, Antonio Rqrlwlea da
JJilveira. Gabriel S .ares Raposo da Cmara, Her-
mogenos Surales Tavares de VasooaeelloH, Joa
quim Bernardo de Mend inca, Jo- Amat 'padre
Jos Leitao, Manoel Ribeiro Fernandes, Nieblas In-
vidiato (Italiano).
J0_0
51.30
1 3297
3329
3329
7:2753519
Recebedoria de Pernambuco, 16 de fevereiro de
1870.
O escrivifcy
________________ Jos Felipe Nery da Silva.
Fel recebedoria de rendas internas geraei
se faz publico que oeste mez e no de fevereiro
droximq otoro que lera lugar o pagamento, sem
multa, bocea do cofre da laxa de escravos do
exercicio correte de 1869 a 1870, cuj donos ou
administradores morera as freguezias desta cida
de e as do fra, a saber : A Aligados, S.. Amaro
Jahoatao, Poco da Panella, Varzea S. Lourenco
da Malta e Muribeca; e que findo o referido praso
ser cobrada com a multa de 6 /
Recebedoria de Pernambuco, 7 de Janeiro de
1870. '
O administrador,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda
dias, a contar do desta data, suas contas ilevida-
mente legalisadas, para serem examinadas e pa-
gas, e a aquellas devedores, que rarem ora>sos,
mes ser feta a cobranea judicialmente.
Pernmbneo, 19 de fevereiro de 1670.
O vlce cnsul de Hespanha
Juan Bv Faculdade de Direito
do Recife.
De ordem do Exm. Sr. director se faz publico
aMista dos examinandos do arithmolica habilitados
para serem chamad. ao exame oral que deve co
mecar terca feira 22 dj crrante, as 9 horas da
manliaa ; e igualmente que no referido dia 22, as
mesma horas, coinecaro os exames cscripios de
historia, e na quarla-feira 23 os elcriptos de geo-
metria.
1 aHoos Octaviano Pinto GuiamSes.
2 Alfredo Abdon do Loyolla.
3 Antmio.Tertuliano da'.Silva.
4 Arpnsto lly-'iii. da Cunha Sonto Ma:or,
3 Engeuio Lauro Maciel Miuteiro.
6 Joo Gomes de Barbosa Alineid.
7 J.ir Kvangobsta da Silva.
8 Manoel Audif.x Carneiro de Albuquerquo.
9 MiinorI Jos de Soum.
10 M.ino-I PereiraTeixcira.
11 Severino dos Santos Vieira.
Secretaria da faculdade de direito do Recife 19
de fevereiro de ISTO.
O ofTUu.il no impedimento do secretario,
Manoel A. dos Passos e Silva Jun.or.
DEeLABACOEf.
Santa Casa de Misericordia
do llecife.
A Illina. junta da santa casa de misericordia do
Recife, pelas 3 horas da tarde do dia 24 do cr-
reme, na sala de suas sessoes, recebe propostas
para o fornecimenlo da carne verde que liverem
de consumir ledos os estabeiecimentqa, pos a seu
cargo, no mez de marco vindoufo,
Secretaria da Santa (lasa de Misericordia do Re
ce 21 de fevereiro de 1870.
O escrivo,
________ Pedi'o Rodrigues de Souza.
Juizo dos feitos da fa-
zenda nacional
Do dia 13 de marco prximo futuro em
diante, ter lugar na comarca de Goianoa,
a venda em praca publica deste juizo, das
comprehenDes do extineto encapillado de
Itamb. sendo a de nrme EngehoNovo, ava-
liado por 50:000;JO0O, a de nome Pangau
por lo:000S00, e a de nome Cumbe por
9:000#OUO : acceitar-se-ha nessa occasio
propostas para venda dos escravos Basilio
pardo, com. 26 annos, avaliado por___
l:t'00000, Concordia, parda escura com
13 annos, por 600,5000, Aquilina, parda,
com 4 annos, por 200000o. e Damiana, par
da. com 6 mezes, por 100,5000 nos ter-
mos da lei de io de setembro do anno pas-
sado, e em seguida ter lugar na villa 'le
Itamb, o arrendamento em hasta publica
por 5 ann":, dos terrenos em que se acham
situadas dita villa c povoaces de Tinbaba e
Coroutanga, assim como tambem a venda
de doas partes da comprehens5o Caric,
depois de dividida a meso* cumprehenso
em tneoores lotis. conforme o i'J do art.
Io das Qsliucgoes do 30 do dezembro de
1865.
Ueeife, 17 de fevereiro de 1870,
O escr\ao,
_______________Luis F. B. de Almeida.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Mima, junta da santa casa d misericordia do
Recife, na sala de suas sessoes, pelas 4 horas da
tarde du dia 24 do correte, receb propnstas para
o fornecimenlo de assucar jne tiver do con umir
o IiospiUl Pedro II nos mezes de margo a malo
vindouro, sendo dito fornecimenlo pago com di-
nheiro 4 vista.
Secretaria da Santa Casa do Misericordia de
Recife, 18 de fevereiro do 1870.
O escrivo,
, ,_______ Pedro Rodrigue* de Souza.
AVISOS MARTIMAS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DK
Naoegaqdo costea por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formse e Taman
dar.
O.vapor Parahyba, seguir para os portos aci
raa no dia 20 do correte meia noite. Recen
carga, encommendas,passageiros e dinheiro a fre
te no escriptorio do Forte do Mattos n. 12
Haraahio.
A escuna Georgiana segu para o Maranhn
nestes nito dias, tem a manir parte do carrega-
mento promplo : quem qnizer engajar carga a
frete, trata-se desde j cora os consignatarios Tas-
so Irraos di C,.
Para Maranho ePar
O brigne nacional Santo Ajuaro, capitao Casta-
o Alves Uvas, pretende seguir com a maior bre-
vidad possivel para Maranho e Para, por tet
parte da carga promta, engajase a ^ue precUi"
e recebe passageirns, a tratar com os consgnala
rios Marques Barros & C, no largo do Corpo
Santo o. 6,-2 andar.________
COMPANHIA PERNAMBUCAM
M
Vavega^o costeira por vapor
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caly, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
O vapor Ipojuta, commandanti
Moura, seguir para os porto:
_ cima no da 2 do marco as ara-
la tarde. Recebe carga at o dia 1, enconi
nendas, e passageiros e dinheiro a frete at a;
2 horas da tarde do dia da sahida no escripto-
rio do Forte do Maltas n. 12.
COMPANHJA P'ERNAMBCANA
DK
Vavegavo co(eira por vapor
Mamatiguape.
O vapor Mandah, commandante
Julio, seguir para o porto ac raa no
dia 28 do o n-cnte as 6 horas da
tarde. Recebe carga, encommendas, pasagei-
r se dinheiro a frete at >s 3 horas da larde
do d a da -ahida : escriptorio o Forte do Matos
n. 12.
Rio (IcVaneiro
Sabe pata o /eferio peno at tmm
patacho GuiUtrmma per l*-r ajoaai l-*> i
regamento emiado,
poneoqae me fcJta e
cravos a freie : a Mal
qniiu Jos Golcarres Beltrao k raa i
n- 1^
Prtteade se zfir o maia breve.
Porto a barca aerla ueaa 8.
los.Aateoio dos Santos, rrceo
passageiro-, a (talar coas
na praca do Corso Santo a. 8,
o capitao a bordo.
n.

Par'
Pretende segnlr rm ponrm illas
porto a barca portugoeza Despique
U.fitm
maior parte de sen carregaawaa ar"f f*
o restoqae Ihe ralla, que rerebe a totrt mb ba-
rato : trata se m o consigmtarw Joepni ,
Goncilm Beltro, rna do CnaMierein u. 17.
Para o Porto
a barca portogoeta ..Ioto Sibweio M*mm,m
a Drevidade possivel; para carga e jmnmsums
trata-so com os consinatarios OK'*a nkm *
C., no largo do Corpo Saato a. If, dj tmm jr
pnao na praca do coimnereio.
LEILOES.
BU
alo XtU
RO
raade
DOS
Salvados da bnrea ingUniCfW
6o 170.
No dia 21 de fevereiro corrale rio a arar a
'-idr.de do Natal, provincia do Rio Gr te, 23 caixas rtv.x moUlia.tOM Ubn e
le pinho. 4008 portas de pinto. 4fli
therebentina, gaz e banba, 10 na
oedes, 12S ditas com conservas e tafva
tras, 10 aitas com rabides, I diu roe* oajertaa pav
phot'igrapbia, 84 ditas cora lerragra. H Aftas eara
lachas de cobre, 75 barra cem prrp*, til rasas
eon sais parrilpa e tnico rcatal, SI
ininquilharias, 20 harria rom rara?
porcao de oajertos nao qunlitiradoa.
m*
Pola subdelegada de polica da freguezia de
S. Jos se faz publico, que foram aprehendidos II
cavallo cora cangalha e ura burro, quem se kl-
gar con) direito provando Ihe ser entregue.
Recito, 18 de fevereiro de 1870.
O subdelegado.
____________Antonio Moreira de Mendonca.
provin
Pela inspectora oa alfandega desta
ca se previne ao Sr. J. D. Jayme, ou a seus leg-
timos procuradores, que venceu-se a 11 do cor-
rente, o praso que Ihe toi prorogado para liqui-
dar a sua caugao em dinhpiro da quantia de ...
108*946, que recolau ao cofre da mesma ropar-
tifo em 11 de novembro de 1867, por mercado-
ras qu.3 reexportara para Liverpool no navio in-
glez Cametford ; na intelligencia de se proceder
nos termos do 3 do artigo 615 do regula ment
de 19 de setembro de 1860, se nao o fizer dentro
le oito das, que Ihe sao marcados de conformi-
dadeom o do citado artigo.
Alfandega de Pernambuco, 19 de fevereiro de
8/0.
O inspector interino da ajtandaga, em virtu-
de da portara da thesouraria de fazenda n. 188 de
23 de dezembro do anno prximo paliado, faz pu
blico que no da ti- do crrente, depois do ineio
da. e a porta da mesma reparticao, sero levado-
a hasta publica, livre de direifos, um guindaste
oomadeiraminto extraliido da ponte do algodo
que se est rec.oustrurado. como abaixo se decla-
ra, fi-.and) an-e atajao dependente da appro-
vaca do Exm presidente da provincia, "a saber :
I guindare. 44 enchams, M taboas do araarello,
70 ditas de forro eai o estado, e 13 travs, ava
liado tudo era 291^000.
Alkndega de pernambuco 18 do fevereiro de
1870.O inspector interino,
,_________Luiz de Camino Paes Je Andrade.
r Declarapo.
Por ordem do Illm. Sr. eonegp, director, se faz
publico, que contmiia aberta a matricula para as
aulas do Io anno da escola normal at o dia 28 do
c .rrente. Sao condlcSes para matricula :
Io saber ler, escrever e contar.
2* ter 16 annos de idade.
3o atiesado de nio ter sido condemnado por
crirae offensivo religio do estado, ou moral
publica.
Secretaria da escola normal de Pernambuco 16
de fevereiro de 1870.
O secretario,
Ezequiel Franco de S.
COMPANHIA PKRNAMBLCANA
N
\avega?5o costeira por vapor.
Guianna.
O vapi r Parahyba, seguir para t
po-to cima no dia 26 do corrent-,
_ as 9 horas da n ;ite.
R cebe carga, encommendas, passageiros c di-
nheiro a frete no escriptorio do Forte do Mauos
o. 12.
DB
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte eperado
at o da 27 de fevereiro o vapor
Arimos, ci mmnndante o primei-
rertenenle J C. Duarte, o qual
depois da demora do costme
seguir para'os portos do sul.
Desde j recebera-se passaieircs e engaja-se
;arga oue o vapor poder conduzir, a qual dever?
las e dinheiro a frote at as 2 horas do dia da sua
tafeada.
Nao se recebem como encommendas seno ob
ectosde pequeo valor e que nao excedam a dua-
irrobasde peso ou 8 palmos cbicos de medicao
Tudo que passar destes lmites dever ser embar
a lo como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros, que suas pas
v-igens s se rcebem na agencia ra da Cruz
o. 57 primeiro andar, escriptorio de Antonio Lui?
le Oliveira Azevedo & C.
Na agencia nao se ricebem cartas,
interessados devem leva-las ao correo.
LEILAO
De 39 barra ea>aa baaika r
poreo.
.HOJE
O agente Pestaa far leilo pot reala |w>
de quem narttSKet de 37 barra ron hsnaa *-
porcj os quaessero vendidos en odm
o es a vnntade ecuniU-feira 21 d-> re-mato pr
las II horas da manliaa no arraazera aaosObV
do bao do Liv ramelo no Porte Ai Mas.-".
LEIO
los genero*
arsaar ala 1a
ra 4a Coaeri-
beraa sf eo o. II.
O agente P nina I vcuder em bnim a afeoau
cima p.r manalo do Uxm. Sr. Dr. jado tva
merrio a-equL-rmenloilO'i dVpoMtari.>-> la Ma-
tatuda dr AtOftM Ag -slinh > St'ixas 4 m
sendo s sjonertn o arm<-5o vnu*>s 'bb
era mais lolcs a voatade i s Ikilaalc}
HOJE.
Dever ter logar o leilo na asesna i* aa
II horas.
OS
BR1SILEII
DE
Sorvindo de epefe ds 21 se .'gao,
Arselino Jos Pinto de Souz.
Retai-odasp ssoas que devem
dizimo de chancel^eri aver-
iada nesta repartiqao de cau-
sas ou demandas definitiva-
Sa.CaLM.to.R lo vendeu-se a I9i.'00 e
r.! trcx.
a 640 rs. por libra.
Oxtatas.Vcndii-so a2i a arroba.
Vendeu-se a i a barriquinoa.
4o 2
. de o*!W0 a O800 a arroba.
-dem de 24200 a 24900 a libra.
.va*.dem de ."*800 a j-iOO a duzia de
m botija?.
me tajuIgaJas.
Buzebio d js Santos Soares.......
Vieonde do Saa?una..........
Iftaetho fos Cnbral............
ftrdeiroi de Mara dos Passos.!.
Antom-i Feliciano Rodrigeos Sello
Jos D imingu.es Codeceira......
Juliana Mana da Gonceica......
Kiinron.-.iaiia Mara Joaquina do
Amparo..................
Fillios de Jos Rodrigues dos Pas-
Antonio Comes de Monra.......
Antonio oa Anjelo Rstevo da
P rcitip 'ula.................
Jo X'[Kimoeeno Ferreira de
Helio......................
Herdoirfls de Anteo Jos do Es-
pirito Santo Barata...........
Fawf* de Miranda Lesl Seve..
Herdeirs de Simplicio Ferreira
tlnelh;....................
Baehcrel Gabriel Soares Raposo
da Cmara..................
Marcelino de Souza Ribeiro......
D. Anna M: ria Muniz...........
Coagulado provincial
Pelo consulado provincial avisa-se aos abaixo
norneados, que devem vir realisar o pagamento do
imposto de I00 |ior masa te estrangeiro, a que
estao sujeitos no prosente anno financeiro de 1869-
1870, dovendo faze-lc no crrente mez, sob as pe-
nas da lei.
Elias Barone..
Miguel Pelegriui.
Miguel Stefano.
Loccorso Tropeia.no.
Antonio Meno,
ilenjamim Bisaoto.
Braz Peixoto.
Consulado provincial 4o de fevoreiro de 1870.
Serifindo de admioistradHr,
A, Witruvio Pinto Bandeira A. de Vasconcelos
Santa Gasa de Misericordia
do Recife
4*81
'/18
.41388
14177 A IIIma. jnnta administrativa da santa casa de
-5233 misericordia do Reeife precisa contraUr com qnem
3i70 por menor preco fizer a obra de qoe precisa o so-
lirado n. .'17, p rtencente so patrimonio dos estabe-
lecimentns de caridade, sito a ra da Moeda. Esss
obra consiste na dernolicao de parte da frente an-
terior, de toda a fren:e posterior ede parte dooi
to pelo lad) do nascente at o lugar em que se
aelta a parede fendida e reconslruiodo o predio
de um ; andar e sota conforme as postoras ma-
nicipaes em vigor. 0 pavimento terreo dever ler
tres portadas com soleiras de peira o portas eostadinho dn araarello para o lado da roa, e para
o o fundo diiss janellas e urna porta no entro
tambem com soleira de pedra, sendo a madelra
O agunlmente de eostadinho de amarello, e todo o
fadrilho de tij^lo .di alvenara batida. O prin/eiro
andar dever ter tres portadas com sacadas, lastro
da amarello, v.innda* de ferr, caixiHins-e portas
tambem de amarello para o lado 4a frente, e par
o do endo tres janejlas de peitonl oro vidrnca e
portas e dita madeira, tendo cada urna aellas
Consulado provincial
Por esta reparticao faz-se sciente aos contri-
bniitis de impostos provinciaes, i ertencentes ao
anuo financeiro correte de 186970, que do da
lu de fevereiro prximo, comeca a correr o praso
de 30 dias uteis para o rocebimento a boca do co-
fre das seguintes imposicocs: 20 e 4 /0 sobre
diversos cstabeledmenius commereiacs e indus-
riaes; 8 % sobre consultorios, escriptorios e car-
inos; 5 % sobre, a venda dorapim; consumo
de agurdente (Io semestre); 4004 por casas de
operaeSes bancanas, companhias anunymas e
agencias ; 2004 por casas de cambio e de penho-
res; 1004 por loja que vender roupa feta. sellins
ou ubras de marcenara estrangeiras; 1005 por
mscate estrangeiro; 1004 por corrector cora-
merciaj, agente de leilifes e casas de compra e
venda de escravos; 9J por corrector ou incul-
cador de escravos; 30 por casa de moeda; 304
por casa de bilhar; 304 por escravo empregadu
eiu servifo de alvarenKas o canoas; 04 por bi te;
14 por tonelada dealvarenga e candas abarlas'
4 pgr cada escravo na -idade do Reeife ; 164 por
carro particular de 4 rodas; 104 por dito de 2
rodas; 404 por carro de aluguel; .2^ p.w omni
bus e carro-fuehre; oipor carro.-as, e O4 pyr
(avallo de aluguel.
Aquelles dus contriLuintes que nao satisfizerem
ne,s.st praso a quota da sua contribuieao, incorrem
na- multa, de 6 %
Consulado provincial, 29 de ianero da 1870.
Servindo i admiuistrador,
4 WitruvioPinto BamkjraAcciolieVasconcellos.
GOUPAMJA
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
ato1ia2l do crreme o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante J
P. Guedcs Alcuforado, o qual
depois da demora do cosame se-
guir para Os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se >
sarga que o vapor poder conduzir, a qual deven
*er embarcada no dia de suachegada. Encommen
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia di
Nao se recebem como encommendas pcnao ob-
lectos de pequeo valor c qne nao excedam a 3
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medi-
cao.
Tudo que passar destes limites dever sei
embarcado eomo carga.
Previne-se aos Srs. passagoiros qne snas passa
eus s so recebem na agencia r-aa fia Cruz n. 57
Io andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveir;
\zevedo 4 C.
Previne-si aos intpressados
nao se recebem cartas.
Na agenciaran se r eebem cartas
asios devem leva-las a>correio.
LEILAO
ic dividas aa ataorlaaria de
li:7.>54
IIOIE.
Si L,'umia-fera 21 de fevereiro as II fcoras
O agnl Pinto levar BnTaaaaaXe a lean
vmdo de ba^e a ollera i-bt i\ no afa aV I i
corren e, aj divids n-tivaj da m.-.iua ti <*U
Miguel Gomes da Si va e por naaataa i IaV 1
Sr. Dr juiz espe-ial do cornaarrin. ieB* a a,
effectuado no da e liora arma dhv>s m. naint
ro do referido agente a ra la Cr 1 n.
LEILAO
que na agencia
os inters
le ai" yis, louea, vldr* r al-
giirnas wbra. de atara roas ari
Ib a ates.
Ttrca-fcira de fevere ro
A SABER :
I ma rr.obilia de Jacaranda coro I soft, | km-
2 c.iiisnlos, 2cadiiras de bracos e 11 me paarat-
cio, 4 quadr s, I caUi lo mosiea, t anana. I
mubilia de amarrl >, i cade-iras de lilw,
guarda vestido, 1 guarda roapa, I sceretark,
santuario, i lavatorio, I guarda lunra 1 naarn
zas 1 eaaaada, ; naaiaaaw, I rarba' aarr-
2 torras de baaaVjW, Luir de diffcwna qnWi
dades, copos, altan garrafas 6n* p t 1
peino e urna cpi igarda, 1 rew^ver e iVr -
obras de ourc coj 1 briihaaa,
Te,ca-fcira 2 do feTrrttrr..
iYoJ" andar: i ra n /:,-*) y
O agente Pin o levar a leilao por nnia e
dem de nina BttOia une :,.udt ra ,\(is e m.iis oOjeetos cima d>>rrpi tes no sobrado da raa lo Drom, onde ?e fia-
r o leilao ro oia sean dito.
'Mncipiar as 10 horas,
COMPANHIA PKRN.VMaLCA.NA
DB
Nnvegacdo costea por vapor
Macei, em direitura e Penedo.
O vapor Giuui, commandante Costa, segui-
r para os iwrtos cima no dia i] do crreme
as 4 horas da tarde. Recebo carga at o dia 21
encommendas, pasageig*tma e dinheiro a frete
ate as 2 huras da Urde do dia da sabida, no es-
criptorio do Forte, do Mallo* n. 12.
ara MsboaT"
O brigne porluguez Ovarense, capilao A. B. Car-
neiro, recebe carga o passageiros trata-se con,
os consignatarios E. R. Rabello & C, ra do Com
de 18 caixoescom latas com
azei tonas
Terca-feira 22 .lo mrreate.
O agente Pestaa far ieHo por aaia e
de quem perteBcer, le 1h uxcs e.,m Uta*
tendo azeilaaa*, aa .|:., .. rn Tratutei m
ou mais lotea vooiade do licitanti-, terca iw:
do correrle, as 11 boras da raanha, 00 aaa
do Annci, i- fronlo da alanoVg*
mercio n. 48.
Para o P rto
i'ii.t
4117
14577
5239
^188
3-"88
>I88
4I1T
.'t44767
23432.".
423906
em
Vicecnsul.ido de Espaii-i
Pernambuco.
El vicecnsul de Espaa, como representante
^gal d-1 espolio del subdito espaol Don Antonio
Mooserrat. por el presente, Hama los acreedo-
ra V^'^ndores del mismo, un esta Ciudad v en
U de Parahyba dH Norb; presentar, en el plazo
de 60 das, a ci mar del de esta fecha, sus ewn
tas debidamente legalizada para ser eesnmina-
aas y pagadas, y aquellos deudores que fuer-n
omisos, |ph '"oa^iico, rwde febrefu le 1870.
El vieecnsil de Espaa
^_________________Juan Rutn._______
Vlce-eoieuia lo tie fiespaiiha
em fVrnambuci.
o vicn-cnr)ul Vflepanha, como representante
Val o espolio do erudito hespanhol Dom Adm-
aio Monwrr, pelo prudente, cliarr
Sahira at 23 do correnle a barca portugueza
uauima, de i> marcha, ainda recebe alguraa car
ga e passageiros, para os quaes tem excellenles
commodos : a tratar eom Cunha Irmos A C,
ra da Madre de Dos n. ')i. on com o capitao a
bordo
Para o Porto.
Val sabir com breyidade a barca Porlngnera
Amelia, de primeira marcha, por j ter grande
paite da carga engajada : para o restanio e pas-
sageiros trata so com Ballhar Oliveira A C, ra
do Vigario n. 1.
Porto.
Vai sahir breve a barca Laura para, carga i
passageiros, traase com os consigna :arios Carva
Iho A Nogneira, na ra de Apollo n. 20.
a barca portuguaza Gratidao guir com
a menor demora possiyfl ; para carga o uatfsagei-
ro, trata-e com os cousiv'nataiios Oliveira Fiilv
& L, no largo do Corpo Santo n. 19^ on com o
capilao na praca. do enmm.-.
Para o Porto
a barca Flor de S, Simio sahir b'rcvraente, por-
que j lem parte da carga engajada : nara o reste
par.a 0 restt
Mliya h Norte, a apresenUr, no praso de GOj valho & Nogueira, na ra do Apollo n. 20
loBtesmo.nesU cidade, e na da Pa-1 e" passagens/irataTo eom os"consiga
LEILAO
De tima npnHce da aqtialaa cr-mtCT., -
taria do Thcodoro Simn V C. ka
porUtt.cia do .':00O>, e urna pjto
engmlio Barr em Sanio AnOo
de 3:G(KMI.
<|;irac'ra 93 defferer?iro
ao meio dia era ponto.
Rm tente da \soriac3(M.oaaoarrra .
O agente Pinto Imr a le.it. a iv^ierlrr?
dn curador ilscal da massa i.o 1.1 I.
Oliveira J ir.a Jnior e por despacho > fNm
Dr. ju7 especial do rommcreio. os itr.
indicados periencen.''1- a mesma t
ser (fe> liado ao meio da di di
na sala de enirr.da !
LEILAl I
Mr.uri i dt3 Sanio RIbeit
com casa u praca da i.,
n. 33, far "V.'i 1 4o af-rfn y
lin?, n 1 dia d(
onro oados en <.
ns. II. I
67, 7B.9B, 13 B. I i ll, 20 B, 211, -
0B,'.7 R. 4SB, R1R.61B, 6
74 B, 7SB, 78 B. 83 0,90.
Wlt, 1(10 B, 113 B, 115 B, II
ai B, 139 B, 143 B, M H, reacio
gas pcendo seq -seattr o,
pagar <& juro? qao e leilio e a visii da cntela.
I
mt u


m*fr de Ferutbttt* tfr ^guwla ei* 21 fe IWf^o de 1870.
mm

a sgado avisa in publico raelleniflo
Ex. Sr. conselbaird iesnector
hm fn tasenda avral, para'vaadar ev-
iaaMMb<>: fin seu eotabelociwfnto a roa do Oesi*
i- tX calosMemos presos que sewea Ina aa re-
Pria gerai; assim pois, podern as pessoa*
reiedaMes au eidadi e tora dola dirigirera so
abaxo ast.ip.uadu, suas eneonimenda ein oualqner
qaanttdade qoeseri prompiam?nte satisfeitas!
____________Manocl Martin Fiaza.

ESTABTO 3IENELECIEM 832
Salsapirillw de Brislol.
LEGITIMA E OfcIGINAL
Elt' FnASCOS GRANDES
AMA
Precisa-s-; de ama ama : do nato do Paraizo
n. 29, defronte da igreja. I andar, esquina.
Teiwl.se mandado bomem por un pPo"cT
nliador, una cabra mucha coai du w marrara para serem entregues .no srt.o dos
Aimclos-in que mura o abaixo assignado, o dito
prclo uo as Jevun ao sea destino. A- ahra
vermelha clara, e as .dua* narraos, urna lavra-
i e ouira de cor nm pouco escura : quera ap-
lreheude.las e lera-las no sitio indicado, seta
granulado.
_ Joaquim S. Pessoa de Siqueira fjayaicanll
Instrnccao primarla e *e< linda-
ra, s badftreasea de Fiaseis-
ct de orja e iHivelra. na du
l'razero u. -.3.
Francisco de B rja, cdmpeieaiemeate habilitado
wia director geral da iihHraccao pabliea, e com
bastaste |.iatica de ensino, locciona rhehirica e
potica, fram-ez e principios de latim : lecciona
rabera pmua} letras, ooadjuvjdo por ura ad
i-rato hbil, pratfco e moralisadu. Beoebe alum-
nos peu-ionistns do 12 anuos para hamo, por pre-
<;o razoaM, c externo a loj o quartel.
quantidades de materia morbficas e bu-
mores viciailos que afc fesprapdem e livre-
mentc crcutam*ipdlios fo syslema.
i$to causado pelo uso da Salsaparrilha; 9
ipor esta forma facilita a volta e o exercicro
normal das operarioes fanedonaes,
Acha-se a renda nes estfoeteciraeritQS de
A. Caors, J. da C. Bravo & C, P. Maj&tn
C, B M, A.arbosa, Barthotomcu C A.
*

Criada
ia/t
' -pemmia*e ai ot^o *u-orameraio,]uemai j
lo e cornial-) conloar. Beinardio* Antonio Pe-
le;, aJaat'raa sitaaa ra-das Laraagfltras n. 16.
que o jtflaar eoaVdireito dita taberna, apre
seote sua corta un praso do tres dias, a contar
data, Cuidas os quite' ao e attondera a ro
e)ama$5j rtgBina. rife 17 de finwreiro de 1876.
Mannol 'lavares ds Costa Ribeipo.
OGRANDE PRIFIC4DOR DO SANGUEI
Esta exceHente e admiravei medicMi, e
preparada d'uiaa maneira a mais scieutifi-
ca por Chimicos e Droguistas mu doutos e
d'uma insNictfio profuuda, tendo lido mui-
tos annos de experiencia ao par d'ttma lou-
ga e laboriosa pratica.
A sua composifao alo coosiste d'um sim-
ple extracto d'uai so artigo; mas sim,
composta d'extractos d'um numero de rai-
zes, hervas, cascas, e follias, possuindo to-
das ellas, sua virtude especial ou poder
coi ctitai' as molestias as quaes teem sede
du- osseWo, ao singue ou nos humores ;
c estes diVejrtes extractoavegctacs.acham-
3e por urna tnl forma combinados ponto
de eonsfervarem em toda a sua forca, o cu-
rativo especial de virtude, que cada umde
per ai posaoe. A raj da planta de Sais*
parrilua, produzida as Honduras, a que
nos usamos nesta preparacSo, sendo a qua-
dade que todos os mdicos mak prezam
e estimam. Na composicSo da NaJbn-
MMar ora famdi.i r tratar o, 3ta1riaaca
S:S fanJo-se-lbe a e o>o se
ri2JLi7' 0B rm do Apofr. n. 9.
nTrf imuS? 6"a ??'""*', e tima deriva
A l i^^>a,rea'^wl ;erTicde casa, pa.
L 1 J a^"e' gradando, fcmbem *Pre-
da copciro e mais jerrico domsc.
O padre Jos Esteves Vianna convida familia,
prenles e amigos do finado Jos Antonio dos San-
tos Colho, para assistitem a missa que tem de ce-
lebrar aiuauhaa, f2 do corrente. trijesimo dia do
-cu faHoetmenle pckts *era, W-igreja de S.
Jos do Maaguiaho. < *>$%
Pracisa-.se de wna ama para casa de pouca a
milia : a tratar na ra do Livramento n. 25 se-
fundo andar.
ATTENCAO
No da 21 ou 22 de jaieiro l'o embarca-
do no Hecife a bordo da barcaca Boa Serle
AflWflM/f que do porto de Barreiros i
Mfns com sardkihas, eojos n3o tem desti-
no aigum, qoetn f0r seo dono e der simwe
cerlot na ra do Pilar u. 09, Ibe serio n-
treges pelo ab ixo assignado depois de
pagar as despezas.
Rocifc, 18 do feeriro dd 8TQ.
Alfredo A. da S. Freir.
0 MRAVILH0SO REMEDIO DO
DE. CHAS. DE GRATH.
OLEO ELCTRICO
KINGOF PAIN
| 0 MI DA DOR
IARA I'ftO HTERNi B I ViKR\0.
Cura olio I era e cholera morbo*.
AMA
5jS a'fritar.
^No Corredor d Hispo, shio n. 31, paga-se J5J
osis com cama e mesa a em leitdr para um
pequeo siim.
- o a ha v. asonado declara ao publico t com. Aarrjlha do ItJ-lJol entra mais/le KO
|iucta.lidaAi a. eoj^o dtK-oramemo,aue ti ius- *~ "** entra man, Ir uento dee coacetrado eKtodto. El a
Precisa-se de urna ama para eogommar
ra do Arafio n. 94, 1 andar.
na
i"or se lj.itmv.ir a sna resMenc a
ffaz-se o presea c auaunrio
A pessoa q:w levou na quiuta-ftira, w 6 li'oras
da tarde, um reloyio de ouro colerto, palpme in-
rt n. 19,399, era lagar do tui oatre que deu
paca concertar Uinbeai de ouro patente suiso n
7736 ; roga-so que tenha a bondade de verican-
do o eugiiio, vir troea-lo raa Nova n. 21, que
n: lite se Ule agradecer.
Hortiiultura franceza
B. Pe'lor.'. tem a 1 mra de prevenir o respeita-
IMiblico deflta capital, quo te, no seu arma-
la ra das Ctuzes, um completo aortiarnto
(l.s plantas exticas das mais raras, tanto como
;i:.-. plantase ti ires, j aeiiniatados na Ar-
" muitos outros que existo no sea esiabe-
li 'imeal i.
O do sethor tonda de se deaaorar at o ftm
do met em Pernambueo previne nos senores
madores, de se dirigimu quanto ames a seu ar-
r:iazem. garaotiado que serao servidos cora todo
-:i.ero : na ma das Cnues, sobrado novo.
Attenpao.
o anafse aasignado, ao respeitavel publico are-
le o da li do correrte niez deixan
son servoo, o Sr. Autero Augusto de
u Lagos,
O ciruraiao dentista.
F. Mala.
(Jomimnlii Pt-rnambueana."
Heduoorio em fretes.
A (. rpanhia Pernambnco attendendoaescassez
maMios qneadiige a zona da na-
' a seu carg., e especialmente de farinba
iiandicca. acaba d^ fa^er cowfderavel reduc-
ao freto daste genero, em aiguns casos de 25
ttros i B mais de 31) 0(0.
A> | | a, que quizerem ornbarcar-farinha
>'ria. ou mdho.gosarao desse beoefieio, que
ni diarte.
I n eaaiarada d i laida laa Antonio dos San-
t : eJn i, manda no dia i-2 dj correrte celebrar
igreja do E|iirito Santo, irigesmo
io falleeimerto, o ruga aos parantes e arai-
i isistirem a este acto de caridade
. o qual ter lu?ar as 7 hoias da ma-
m gnu ser p.ternanifnte'pTalo.
0.\ abaixos assignados declarain p?lo presen
irmaram una sociedade commercial sob
rra Mira-is & Innai, e estao estabelecidos
f 'iii ca a de cernmissoes ra da Madre de Deus
ti. '', primpiro andar, onde podem ser procurados
: ara ojoaiquer ngocio relativamente ao seu com-
i"
Reci.'o, 19 do fevereiro de 1870.
Luiz Alfredo de Moris.
Jos Candido de Moraes.
Pretta-so d<_- una ama que compre e cosi-
para moa casa de pouca familia : ra nova
Rita n. 41.
una sala aciuda com atguma acom-
inodacao n i v> andar da caa da ra do Impcra-
rad T ti. 7, cr.de quera pretender poder fallar :
i ia pelo caes de 22 de Novembro.
Methodo Ga8tilho.
11 dd Faria Simos professor particu-
l icsti-i.-no c-llomenur pelo m-tlndo Cas-
' ili', tenlo ebegado do mato, onde foi tratar de
:>ua .. :', avisa aos paea de seus alumnos e ao
resp .luco que uo dia 24 d> crtente
ubre d nove a loa aula, na ra da Sen tala Ve-
Iba ii 2i, segundo andar. Em dita aula lecebe-
n aiunucs internos e externos.
Clin Ikoriaufs Correia de Untares, como
|i-i-"(- ira [ ..iMlai te.n aula aborta para o sexo
itin i, na tnvessa de S. Jos sobrado n. 3o,
a a ler. escrever, contar, bordar, la-
toyriutar e"mais traballos de agulha, lingua na-
;, elententoe de geographia e ancez : qu-m
sa |iii7 t utilisar, pode dirigir-so
cima, Na inesma casa coze-se ves-
Ikis para senhoras.
Alugase a casa torrea n. 40 sita ur. ra Di-
rcia d is Afogados : a tfatar na ra dj Caldeirai-
. 00.
oo eacarra am si cousa algpna, que pos-
sa por leve er pertgosaou injuriosa
sade; e tanto oeste, como em quasi to-
doi os mais respetos, ella inteiramente
diversa de todas essas mais preparacoes,
as quaes debiixo do nome de Salsaparr-
llia, So aci-ntidicioadas ou-postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada em doses
mni diminuas d'nrna eother de cha por
cada vez. Nos j>elo eontiaiio engarrafa-
mos a
SALSAPARRHU M BR1STOL
em frascos grandes, e assim por este modo,
dividimos com os consumidores, o grande
proveito e vantagem aleancado p01- aquelles
que acondicionam sua preparacao emgar-
raas pequeas. Cada um dos frascos da
nossa Walsaparrilha de BCristnl
onteem a messa quanlidade igual porcae
contidanaquellas garrafas pequeas, e alcni
disso, possue ainda amito mais lorca e
virtude medicinal do que aqurtla. que por
ventura se poSM adiar cuntida dentro de
seis garrafas de pequeo tamaito. l\.r-
lanlo mui natural, que aquelles, que se
acliam ocetpados em preparar e vender as
suas produeces, em garrafas pequeas,
murmurem e gtileui contra os nossos fias-
cosgrandes: proclamando, que a nossa tal-
saparrilha de lliisoj nao possue a
menor virtude : jiorm qttao effectivdflMn-
leso elles ppftm tm silencio, quando indi-
camos,' ou simplesmoute referimo-nos para
com essas centoiares de certidoes e tes-
temunbos aullienla-os, por nos recebidos
de todas ai cjtfgfltfc da sociedade, nos quaes
plenamente attestam o poder curativo e vir-
tudes maravilliosas da nossa.
SALSAPARRILIIA DE BRISTOL.
A vantagem de termos os nossos pro-
prios agentes naquelles lugares aonde as
dilTerentes raizes, drogas, hervas, e plan-
Uts de que se cumpliera as nossas medicinas,
s3o produzidas, que nos habilita exer-
cer aquelle constante cuidado e disvello na
minuciosa esculla; e o que assegura e ga-
rante uniformidad!? do cxcellencia.
Em'quanto que, por entro lado, nos nao
nos poupamos nein dinheiro, nem dili-
gencias ; afim de alcancarmos o melhor
e nicamente o melhorde cada um artigo
ou ingridiente que. entra na sua composi-
c2o; pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva confianca; que po-
demos afoulatne.ite dizer aos doentes de to-
das as nacoes, e de todos os paizes, que na
Malsaparrilha de Bristol. possuem
fum remedio mais eflicaz e si'guro ; do que
nenbum outro, qoe vos tenha sido offere-
cido at boje, e o qual por certo nao hade
mallograr vossas expectativas, na prompta
e effectiva cora das seguintcs enfermidades:
Precisa-se de nm caheeim que tenha pratica
de taberna, prefere se estrangeiro, de 14 a 16 an-
nos : na ra Imperial n. 2lfl.
Manuel de Suata lavares vai a Europa tra-
tar de sua saude, e doixa por seos procuradores
aos Srs. Antonio lavares Ferreira, Joao Jos de
Medeiros Mello e Manoel Jos de Paiva Pinto.
Ausetrtoa-se no dia 19 de fevereiro ojiegro
Luciano, baixo, grossx do corpo e qnasi sem bar-
ba, ps grosww qoe pararen cachados, levon cal-
ca de bnm branc. j vetha e camisa de agodo
azul riscdo e representa ter mais de 40 annos
este escravo carref ava ana de ganho na Boa-
vista : quem o pegar eonduza-o a ra a Ho ci a. 4 Alug-sepor mex ou por aaao uaia boa casa
na roa da Mangueira da povoaca do Poeo da
Panella. a primrira do lado esqerdo, ndo se do
Caldeireiro para o Poco, pela mesma ru trata-
se na dita casa ou a roa do Queimado n. 46, 1
andar, da> !l horas d maahaa as 2 da tarde.
,M ere*e"sc*>os O, uoi para esciiptorio,
armazem on ra, armazMB oe etiva, com m ha-
WWacoe* necesarias, falla, eacre* e traduz fran-
cez, sabe latun e tem pratica de ci.trtabilidade e
escriptnracio por partidas dobradas, e um de 12
anuos para loja de hiendas, dando fiador a sua
cndusta loqne se respoasabilisa : quem do seu
prestimrt precisar, dirija-se a roa'do Cabag a. 1,
qwi se dir com quem se deve tratar.
GrattfloaSo ^OOtT
Itesappareceu no da 16 do corrate adarde nm
carueiro todobraaee, que l.nyou-so atnjK de nm
caxorro e nao tornou mais. 1! ,-a-se ao Sr. qoe
o tiver de o levar rui iarg do Rosario, pada-
nan. 1(>. qne >- Ihn flear fnuito obricado.
Diarrbe*, fluxo do sarigup, em um dia.
'Dores- de cabeca, e abres do ouvido em
tres minutos.
Dor de denles, em um minuto.
Neuvralg, em cinco minlos.
Deslocacoes, ea Tinte minutos.
Gargantas fiadas, em dt-z minutos.
Clica e colfjiFsoes, em cinco aainotos.
Rheumansmo^em um "dia.
Febre e febre mtormitente, ero sm dia.
Dor as costas e no
utos.
Totses perigosas c refiados
Piueresia, em um dia.
Surdez e as tama.
Hemorrboidas e broDchites,
Imllamaclo aos rins.
Dyspepsia, erysipelai.
Molestia do flgtdo.
Palpitaco de coracao.
Ama
Kpspto sfnpre fslc renei'e na sna famla
nJIPSFBbL*]? APiESENTAM, QAMDO MENOS SE ESPERA.
OLEO ELECTWCO O cKing-of Palta (O llei da dor) aquieta e positivamente *-
sipamais de dilerentes molestias e dores, e allivia mais os soffrimenlos earoda am
ma aerfeito equilibrio o jstema homano, o que fio se pode elTeitoar no mesm* a>aa
po, eota qualqqer ootro* remedio medie-ial.
Este mito popular rem.dio est igora osmmo-m geralmente, peb razie ma
mijbMM de pessoas se ksm curado grata- com o dito remedio jielo Dr. (ka* e
to
eatt
Atenido.
':Precisa-se para Rio Grande do Norte de um
bom forneiroe uro raestre de raasseira, que seiara
ambos peritos neste trab.-.lho, embora se pague
bem : a trat r com Tasso Irmaos & C, ra do
Amorim n. 37.
Ama de leite.
Precis-so do un ama de leite :
Queimado n. 49, rival sem segundo.
Precisa-e de urna boa cozmlieira, Jorra ouepe-
Uva, paga-sc bem : na ra dos Pires, sobrado nu
l
mero 27.
Precisase de uma ama para casa de homem
saltqiro : a raa da Praia n. 10.
Precisa se de am
eaixetro que tejitia pra-
na ra do
T
i
aos
compradjpres do sitio da Porta d'Agua
do Monteiro.
A estribar a, cieheira, casas para feitor e esera-
vos. mais duas pi>qnenas casas em uma s ra,
que fazem parte de um sitio na Porta d'Agua do
Monteiro, liuj; nerteaeetle aosherdeiros do finado
Ftorenefc Joe C-u-neiro Monteiro, estiio edificados
em terreno de propriedade do abaixo assignado,
e em fit'gio por sern djesapropriadas, cuja ae*ao
correpelo juizo iiinni.-ipnl da !' vara, devem de
renda pertj de d z aniKis a 2o0 por anuo, e o
abaixo assigeado nao dconsi-niinienlo para trans-
ferencia de ron Jiro. Pfccife 1!) de fevereiro de
1870.
S\milironio Olimpio de Queiroz.
tica de venda : na taa da Aurora n. 50.
IMPERIAL
S. W)
O bacliarel Antonio Columbano Seraphico
Assis Caryallio hoje o prop inlario e direc
Escrfulas.
Cliagasanti
Ulceras,
Feridas Ulcerosas,
Tinha,
Syphilis,ouMal Ve-
nreo
Humores Escrofu-
losos,
Irregularidades do
Sexo
Feminino,
Nervosidade,
Debilidade Geral,
Febra e Malignas e
Febre e Sezoes
Biliosas,
Tumores
Abscessos Apostemas,
Erupcoes,
Herpes,
Salsagem
Impigens,
Lepra, febres intermitientes e remittentes,
hvdropsia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, achar-se-ha, que para o bom
resltalo eperfeilo curativo de todas aquel-
las enfermidades cima apontadas o adian-
tamento da cura, grandemente promovi-
do e apressurado; usando s ao mesmo
tempo das nossas mui valiosa pfhilas
veseaes assucaradas de BrSstoI.
tomadas em doses moderadas em connec-
Cao ou conjunctamente com a Salsaparrilha';
ellas fazem remover e expellir grandes
M. aLmEU PAR-
(cipa tocommarcto am geral que, proviso-
riamente, transfeiio seu armazem e seu es-
eriptorio no largo do Pe.ourinho n. 7' (Cor-
po Santo ) Io andar, por cima da casa ban-
caria dos Srs. Th. Simn & C.
CASA DA FOIiTlJA
Aos 5:000^
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n.23 e casas do cosmne
O abaixo assignado, tendo vendido alm de ou-
tras sorles, 2 quartos n. 4600 com 70 da
lotera que se acabnu de extrahir a bcneficufda
igreja de Nossa Senbora do Livramento de P i
d'Albo (137*), convida aos possuidores viren;',
receber na confermidade do costume sem descon-
t algum.
Acbam-se i venda os felizes bilhetes garan-
tido- da 1" parte d lotera beneficio d; igreja
de N. S. do Livramento do Rio Pormoso (138') que
se exlrahir segunda-eira 28 do corrate Diez.
Precos.
Os do eos turne.
Manoel Martins Fiuza
Ama de leite.
Aloga se urna, sondo eserara, sem filho c com
inuilo leite : a tratar na ra das Cruzes n. 20.
d<
Jrectoi
desse instituto. Pretendcndo dedicar-se exelusi
vamente, e oni todo zelo e BoKeitnde aos trabalho
proprios dessa profl>sa, espera que os paes do
actuaes collegiaes o henraran com sna confianca
o bem asara] qne aeoUnrao o sea estabelecimenti
aquelles que precisarem de c illegi i para educacc
de seus Cilios ou protegidos cortos de qne o c
tual director se esforgar nao s para marter t
bom nome e crdito, quo de-d.i muitos annos goz
o referido Instnto, como taiubem para imprimir
Ibenovos melhoramenios.
No dia 7 de Janeiro do anuo vindouro ter lu-
gar a abertura detmla as aulas de insuccar
primaria o secundaria.
WIARITISIQS
COITRAFOGO.
A Companbia Indemnisadora, estabelecids
testa praca, toma seguros martimos sobrf
iavio3 e seus carregamen'os c contra fogt
?m edificios, mercadorias e mobilias: ;
ioa do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Em casa" de THEODORO GHMBT
INSEN, ra da Cruz n. 18, cncontram-st
Jfiec-tivamente todas as qaadades de vinbt
3ordeaux, Bourgogne e do Rbeno.
Este importante remedio n5o se offerece para curar todas as doearasi acrm
somente para aquellas estipuladas as- nossas direcces. J
Eat operando nos principios da ofcimica e da efefricidado e aor
applicavel para o curamento e para a reslaorafo da accao wtoral dos orifie
n>em d* trref ular circubfao dos futios dos- piincipaes ervos. Oleo elerlrsW I
of Pam opera directamente nos absorvente, fazendo desaparecer as ncbaraes
glndulas etc. em um tempo tncrivel, breve sem perigo de sea oso debaiio da
circunstancia.
rfemedio uma meecina para o aso eitcn e inierao, coropoato V ele-
mentos curativos, raizes, hervas -c cascas, taes como se tem asado dos nonios
sados, e das qoaes tem grandes existencias no mando, par corar iodas
somente sabendo-se quaes ellas sao.
Fo| om grande e especial desejo da faculdade de raeilicma durante)
nos de experiencia para aprender os melhores modos que se deviam adoptar paraoarar
as s< guildes docncas, eque propon-oes do medicina se devk> asar
NICO DEPOSITO EM PERNAMBUCO
NA PHAR!\1ACIA E DROGARA DC ",1#MWW
Bartholomeu & C.
34Ra Larga do Ro ario34
SOFFO?/.C7VO
.
B
* Ibeaotaa fiviiicr do doltor Clirtas ajiprovadas pola AmaVmia imperial
d medicina de Paiiz acclia.oi quasi sem|ire miawttmeeru
eppressao, saflocacao, assim como as dores de eabeca e imagnama f: su.'fr
acate na occasiSo eiu que apparecer o mal, o engolir-se uim .1- ,-.,1^
com uma pouca d'agoa. L' com certeza o medicamento mais fcil de lomar para
este genero de doengas.
Aa Prrir.a tic tercberthiaa do couroB Clertar sao imprr.j: com grande xito para a cura das nevralgiae, rheiimatismo, si atioa c calarrims
da bexiga, Lsias perolas foram senjpre recominendadas por un |raaia aaaaaaa
de mdicos e especialmente pelo Uoutor Trousseuu, que indica ote incica-
mento como o mais eflicaz. conveniente tomar de 4 at 8 n* occasiao das
comidas.
A approvacao da Academia imperial de medicina nem duvida a melhor
garanta da boa preparacao d'stes medicamentos e de sua aneada.
Deporto em Hio-Jasi-iro. Dupnwhele; Chevolot. Era Piajuai
> k C-.
Os abaixo assignados, participara ao respei-
tavel publico, a especialmente ao corpo doaeo
mercio, que nesta data dissolveram amiga 'tilmen-
te a socieSade que linham na padaria sita ra
Imperial n. o'.i, que girava sob a limaValtrudes
& orbureraaficando tedo o activo e passivo
cargo do lacia Izidro Oympno Valtrudes, como o
nico responsavel; e tendo-se retirado o sucio
Traanfo Sluart Itorburema embolcado de todos os
seus lucros, e exonerado de toda e qualjuer res-
ponsabilidade.
Kecife, lo de fevereiro de t70.
Trujano Sluaii forlarema.
izul'O Jympfio Valtrudes.
iarholoiieu & C,


MDALHA A EXPOSIQAO UNtVERSAL DE I8C7~$
Para a Superioridade d'a
<~Jf 9- *~_ BM i
AV-
. ____^--.-at.-JC/Jbu. .__' '
Iaicflia.a rcr LEGP.AND, Perfurjisia
107, R:m
ti
6:ileat-Hono?-,
\.
Sociedade-Liberal FniaoBe-
neficejite
Nao se tendo reanidn namero sufcionte dos
senhores socios no dia 13 do corrento para po 1er
funecionar a as^cmbla geral, como foi annuncia-
da, d novosn convidad is, de ordem do conse
Iho, Qomparecerem no dia 22, as 7 horas da
tarde, para omtsmo tim.
Secretaria da sociedade Liberal Uoiao Benefl-
cente em 17 de fovereirode 1870.
Augasto Cesar Cousseiro de Mallos,
Io secretario.
II. Pili'i.as, XAiioi>r: s Tintura
QEDi SlBftES E rfellRUOl.NOSO;
'.:>.\e Emplastro da mesma
PLAHTA PlEPARAOOS#Oll
URTH0L0IE0 & CA
PHA IMACEUTICOS-DllOQUISTAS
>EH%A.1IUI'f;0
A J V: '..,i : ckI| plas e huj reconbecid
mis |iedfoso t'inien, cciBo o luelboi
'"! como lal p|i|icaili dos pulceimanioi
da ligado bijo, lir|>.iiiias, durasas, tumores inter-
i menla itu ulero. Iiidroposias, erysi-
prlii", etc.; c asaoi-iada ao ferro'c ulil Das palhdaj
roana e falla de uieustruacao, dcsarrsn-
joa do e-Miuafo, eic, a o qoo di0emo* atleslc
Unwmana curas impoilames obiidas aom doisoi
los j lieui eoabrtidot usados pelo* aiaii
diiUscUM iiiudicos do paz Conejal, tin todos 01
uessoa (!'.-posiios distribumos gretis folhetos aui
a< ibor .-.;m couliece a Jurnbaba seos resoltaaoi
a appticaco.
4v o? Fraamma,
207. raacs.
ORIZA LACT
l'.ITE ANTEPIHBJOa
t*ra rcfrrtear, (riafror t *i<*tr pttt, faamm
aniipi.etr > m la-:, ai m
pars.
CR]\IJ OIUZA
DE K1NON DE LENCJ.OS
Pira aar frutma i.elle, destruir as rugai a cara,
coitirrtar elirnamenle a btllni au juitnluJe.
S\'1.^ OPIZA....... O'uma masa exco8iranicnte suarc t d'um pifuT dta RHhl rlrliradaa.
'!'I''A"1'.-1''**'oesssese. Haaw p-.p.-i-j.-iiinonic artaanda prn os ai i m-.
,-p'A"i '"' "'........ Poraaita forlili. jii-i;nutritiva para rni'tiijnn, abdbaaaaaaBadM
'o.!..'. ritli.O(.0\IE.. Tttune de boi coleo de ard com base dr-qnin.1 pira m n t los.
'"lA-OII........... Ol.-o nnissimo pciTnmailo nnra ln< qu.br a-raa.
ORjZ \-!!.1I.i.a\'iim-:. Cii-iulliv-ilo cun unida, para i u brha ana rafee i..'.- i bari,.,. .
\ H.OUERS.... Armi1 iii-i!|i.i;.ul de am aoi furiilicaro b m
l.'':.'''rA(i:;VlilN!--- ?iaagw do louesdor, aroua eanteahHIn.
'.'. Olil/.A..... Perfumo conwirtradn para w lene" pm.-liicln mnii Manan.
rfirr'*'VX?""......... Perfume do bom ten o d; slla limlllil para os Icr.-
Oill/. \-rr>\\ i)]'[S-----flor de arma da Caroliaa para a caa o a bcjloa da pie.
itl/ \-l)!-;yrih liici;.. psr ahrjar ns dente e eaBanrvat ai an
OMlZa-DENTAIRG ... Nova alai para alujar oa dtnlcs sem dcatmlr o i-aialle.
AGUA TNICA DE QUINA E POMADA DE BALSAMO DE TANNINO
Para linaru e silubriadc da oktp, (rtifeuadt as lat los. as taacsitt L aah aa tw.U r:tur n;
DEPOSITO GEILVL no Caza de
E em Caza de todos Perfumistas do Brazil.
. tu* .-,.-,. ,
CARVO DE BELLOC
PARS
mSEBHEEBSiimESZ
BA
DO
Approvado e recommendado pela Academia imperial de medicina de Paria para a
cura da gastralgia e em geral de todas as doencas nervosas do estomago e dos j"'fm
I igualmente o remedio por excellencia contra a reteneSo de ventre finilmnali am
ratfo de suas propriedades absorventes, recommendado como Terdadetro roaaedia aaa
caaos de diarrhea e cbolerina. aarHia ato Bella* toraa-se aa occa: iio daa caariv
aob a forma de pos on de pastilhaa.
Payoaita em Ric-Jahibo, DuponchelU; Chevolot. Em Pnuunron, Maurtr k C*.
!0' CAJUG
esquina
iJQda ma larga do
Rosario.
ItlA
esquina
LOJit D13
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,
e vende pe1 prepos que nenhuina outra casa pode vender.
vista da qualidade e do pretjo das |oias cada um pder-se-ha convencer daverdade.*a "^ *"***
Garante-se ser tudo de leL Oompra-se ouro, prata e pedras finas por precos muito ele- Eosario
vados.
A loja est aberta at is 9 horas da noute. '


diario te |niJimbu< 8eguda fcrfc 21 1
1!
[INSTANTNEOS .
Travessa do Corjw Santo n. 25
ARMAZEM
Ra Nova n. 38, loja.
Bandeira, Machado & C avisara ao respeRavel
publico que n<* lugares achna encontrara no mes-
mo sempre grande quandaflc de ditos pocos, e
que se acham habilitad! para vender por menos
que cuito qnalquer,-por soque- os rccebem di-
rectamente de- fabricante- Norton, de Londres.
As vantagens que offerecem os pocos instant-
neos sao : primeiro, .poderem ser coHocados den-
tro de casa o i tora, oro o trabalho de urna a doas
hora; segundo, foraecerem os rnesmos agua pu-
ra e abundante, podeudo serena removidos de nm
para outro lugar, quando assira convier.
Os annoociantes e reeebnrao a importancia dos
referidos jocos depois de collocados, satistazendo
espectativa do comprador.
S ATTEMQftO
A sensor que tiverem aiguma menina ou
cria, querendo mandar ensinar a toda qualidade
de costara e bordado*, marea e toda qualidade de
dores, 9or barato preoo de 3*000 por mez, viado
ellas aWuocads e ir janlar em suas casas: na ra
estreto do Besario n. 35, 1* andar. ___

L0J\ DE J014S
II
&C
Nao mais cabellos brancos
A tintura jaK>neza para tiogia os cabellos
da cabeca e -da barba, fei a nica admittida
Exposifa Universal,-por ter sido reco-
Qhecida saperior todas as preparaeSes at
boje existentes, sem alterar a sade.
Vender a idOOO cada frasco na
Rna da Cada n. 51,
1. andar.

I

Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado ie novo, est as condi-
fuezes, visto que acha-se prvido com um
xplendido sortimento de obras de onro e
pata de lei, assim como brilhantes e on-
tras pedras preciosas, jujos presos sao os
oais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recbeme-
te em troca ou compram-se com pequeo
bate.
N. 5 RM 00 CJUUfiA It 5
rna
pn-
di-
Na travessa da
das Crazes n, 2,
nieiro andar, da-se
nbelro sobre penhores
de ouro, prata e brilhan-
tes, seja qual for aqnan-
lia. Na mesilla casa com-
pram-se s rnesmos me-
taes e pedras.
Advocada.
*
O advogado Ayrts Gama contina ter
seu escritorio na ra larga do Rosario
n. 26.
m
uuuinru -J
11Ra do Queimado.....11
AUGUSTO PnRTO, tendo n-cetoido directamente da Europa riquissimos cor-
As de vestidos d^ I.L.nd para n-ivas os ipoe v nda pelos mais mdicos precos. No
Memo estabe ecimwto ha constantemente completo sortimento de fazmdas unas como
Cortes de setim d cores e ditos de seda dos mais legantes gostos.
Coleta de wj.tl de **. ditas de damasco e 15a, ditas do crochs e de
1wtfo branca para wms todas muitoltn las h*^m 1 ~L.
Cortinados bordados para c mas e janellas de militas qual.dades e precos. ,
Vestid.. brancos bordados, embraias bordadas, filos, tarlataoas e cambraias
isas-e transparentes de muitas quididades.
GoUi o preto pan. vvst.h.s. prosdenapl** de todas as qual.dades, merinos
wetos, lloaras, oombasinas, pwtas. pannos pretor e azt.es, ci.sem.ras pretas e decores
a grande Vari* ade de todas as f zendas tanto para a praca como para omjto.
Frondas de cambraia de linh bordadas, e tualhas de cambra.a de linbo borda-
ba scom tuMjM^ e d0i azuIe de hslras> madapol3o, chitas e todas ssfazen-
das para fabV.as de engenho as quaes viniera a dinluiro. pe os precosidas casas in-
lozas. Es ne*tfi estabelectaenlo ha s.mp.e o mais esplendido sortimento de
Esteiras da India p ra forn.r sala que se Tende mais barato
do que em outra qualquer parte.
AVISO
Os Srs. Meuron & C, fabricantes de rap, na
ra do Mondego n 107, precisan) de algumas mo
Iheres para trabalhar na sua fabrica : a quero
convier pode dirigir-se mesma fabrica para
tratar.
AO ARMAZEM
DO
Rna Nova n. 7,
acaba de chafar pelos ltimos vapores novas ro-
messas dos seguintei:
Calcado francez
Para senhoras.Botinas brancas, pretas, e de oa
tras n.uitas difiranles cores i ultima
moda-
Para meninas.Botinas das mesmaa cores e qua-
. lidadis cima.
Para homens.Botinas de cordavao. bezerro, ver-
niz, pellica, o rnelhor sortimento que se
pode desojar..
Para meninos.Botinas das mesmas qualidades
mencionadas para homens.
Tara homens.Botas rucianas, meias-botas e per-
neiras.
Para homens, senboras e meninos.Sapatos de
tapete, aveladados, charlte, casemira
prett, tranca de Lisboa etc. etc.
Para meninos e meninas. Abotinados fortes do
muitas qualidades.
Quinquharias
Finos artigos de Pars, de aosto e phanUzia,
como sejam, leques espelhos, luvas de Jouvin,
caixinhas de costura com msica.', joias de ouro
bom de lei, ditas de plaqu,. cofre de seda e bol-
cinhas para braco, estojos para viagens, bengalas,
chicolinhos de baleia, oculos, lunetas, correnles de
relogios, e perfumaras de Condray e de Piver.
Brinquedos para enancas
Carrinhos de 3 e de 4 rodas para passeos, eos-
moramas e realejos de diversos lmannos, e um
cem numero de brinquedos francezes e allemaes
para enlreter menin js.
Para evitar massante leitura de tantos artigos
expostos venda neste estabelecimento, o dono
pede ao publico em g^eral que se digno entrar de
passeio afim de verihearem nao s a grande va-
ridade como os precos baratissimos por serem
todos chegados de conu propra.
MASCARAS
MASCARAS
MASCARAS
DE RAME
DE CERA
Cll?
CABELLEIREIRI) FRANCEZ
51Ra da Cadeia do Recfe^51
Chama a attenc3o dos seos innmeros freguezes, do respeitavel publico e
geral, para a segainte tabella dos precos de sua casa, os qoaes so vinte por cents
mais barato do que em outra qualquer parte:
Cabelleiras para senhoras a 254, Cadeias para relogio a W, 6^,
30d, 3W e......405000, 7*. 80, 90, \U 9. .
Ditas para hornera a 355, 405 e 505000
Corte de cabello,.....
505000 crte de cabeUo com frct3o# t
325CMX) Corte de cabello cora lavagem a
cbampon...... IfJOOl
105000 Crte ^e caDel,ocomuIBPez ^a
j cabeca pela machina eleari-
15000 a> umca em Pernambuco. .
Frisado ingleza ou franceza.
i5*5, 205, 25 e 305000 Barba..........
ASIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Bailes e solre
O dono do estabelecimento previne s
Coques a 125, '55, 185, 205,
255, 305 e .....
Crescentesai25,i55,185,205,
255, 305 e .....
Cachos ou crespos a 35, 45,1155,
65, 75, 85, 95 e. .
Tranca de 'cabello para annel a
(jUU 6
Tranca para braceletes a 105,
155001
901
501
iiooi
501
259
Exmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um
salao para tintura dos cabellos e barba, as-
sim como um empregado smente occopa-
do nessp servico.
Recommenda-se a superior TINTURA JA
PONEZA para enegrecer os cabellos e bar
ba, nica admittida na Exposicao Universal
como n5o prejudicial sade, por servo
latil, analysada e approvada pelas acad<>
mias de sciencias de PARS E L0NDRE5
TEZOUM DE OURO
DO
A' ra do Queimado n. 6, prtmiro andar
8 pessoas para o servico e o maior teceio dos trabalhos de barbeamento.
0 salao estar aberto, nos dias uteis das G horas da manha s 9 da nou-
e nos dias santificados das 7 a 1 hora da tarde.
Precisa-se de urna ama para poura
familia : na ra dos Copiares ou antigi-
mentp Lobato n. 1, primeiro andar.
&
55Ra da Imperatriz55
F Gautitr, propietario doste importante estabelecimento tem a honra
de narticip'r o respeitavel publico que acaba de chegar da Europa para on-
de tinha ido especialmente p;.ra contratar peritos ofiV.iacs e que conseguio
conlrata-lo. na pnmeira '-asa de Pana, por isto julga que todos flearao satis-
feitos dos trabalhos do seu estabelecimento cojo excellenie material anda
foi augmentado com novas machinas que ja recebeu e tambern muitas drogas
novas com as quaes se obtem estas maravillosas cores modernas tao apreci-
das ern Franca e em todo o mundo, ___.:__._*.'.
Tinge, lava, limpa, lustra, achamalota com a maior perfeic3o fazendas
em pecase em obras de todas as qualidades como sejam: seda. 13a, algodao,
linhas, chapeos de feltro e de paiha etc., etc.
Tira nodoas e limpa secco sem molhar os tecidos, conservando assim
lodo o brilho da fazenda. #
Impressoes sobre tecidos
com este novo svstema.os vestidos de seda e outras fazendas que at agora s
podiam tingir-se'de cores lisas, ponera receber um bonito desenlio de cor
diversa, a escolha, oque realca a fazenda e Ihe da mais merecimento.
Tintura preta, tercas e sextas-feiras
As pessoas das provincias limitrophes que quiierem utilisarse do seu
estebdecimeiito poderao mandar o que tiverem, na certeza de srem to bem
servidas como io Rio de Janeiro ou na Europa, o com mais prestesa por
causada distancia.
Precisa se de serventes na fundicao do Bow-
man : ra do Brom n. i i, passando o chafariz.
Pe.soa Mpeteneenle haMKud. | ||0SltXl PortUSUfl flC BenCDCn-
propSe-se a t^cioaar pnraeiras tetras, 8 """I" "" "rV^"
I
lingua nacional e alguns preparatorios
necia capital oa sos soberbios, que te-
Dham transporte p!a? vias-erreas. Me-
diante razoavel honorario : a tratar ao
pateo do Paraizo u. lt,,na iravessa da
roa Bella n 10, e na na dasCruzm
la. 37, loja.
da em Pernambuco.
Em cumprimento do que dispde os estatuios
que regeni ota associacie, cabe-me o dever de
convidar, r(rBdo a todos es senhores socios do
Hospital Pirtugoez de Benetcenria em Pernam-
buco para se nunirem domiofo, O do correte
mei de fevereiro, as 10i horas di inanlia, na casa
das respetivas sessSe e sitio da referido Hospital
_e denominado Cajueiro, aflm de constituida a assem
C/ASa de eommtSSaO tie SCravOS. ^a sera!, proeeder-se de conforaiidade com os
Na anUga <;asa de commisso de escravos, d< arts.29, 30 e i 7doart. 39 dofjndicados_ estala-
nhalxo asinado, roa do Imperador n. 4j>, conti
noa-se a r< caber escraroe por eomwissao, lantt
4o mato coao da praca para serem vendidos, i
Cannte-se o bom Vatamento c prompta venda
para o que se mprega todos os estar?' anta dt
niifirnr em tudo s peesoas que o quizerem hoo-
cweom sua conflaaca. Nesu casa ha sempr*
para vender esrao- de ambos os sexos, velhoe
oqos, assim como ha t d,i segnranc para os ter
Antonio Jos V. de Souza.
tos, a posse da nova junta administrativa, que
tem de funreirviar no presente anno de 1870.
Secretaria d< Hospital Portuguez de Beneficen-
cia em Pernambaeo 15 de evereiro de 1870.
Francisco ioao de Baos,
Provedor.
Bichas hamburguezas
Neste novo deposito recebe- por todos paqoe
transan!icos bixas de qualidade superior, ven
1*46 em caixa oo porcio mais pequea e maii
tente de que qualqner outra parte ; na ra di
Caeia do Recife n. SI. 1 anthr._____________
Attenqo.
Alnga-se oa ven le-so ama casa um bastantes
nodos na cidade nova de Santo Amaro: a tra-
tar com J v\ aem
COMPA.MIIA PERMAMBUt^iNA.
5 DIVnJEKDO.
De ordem doeonselhodc dirceco se communica
at* Srs accionisrw que o pagamento do quinto di-
videndo razio de 10 por cento, lera lugar do da
8 de marco prximo vioduro em diante, no es-
criptorio da companhia no caes da Assemola
n. 12.
0 g-wenlF,
F.-F. Borei.
O Bactarel Joao Joaqoim Fonseca de
Albuquerque tem aberto o seu eseripto-
rio de advocacia em casa de sua residen
ca ra das Gruzes n. 30, segundo an-
dar, onde poder ser encontrado das 10
horas da manliaa s i da tarde ; o bem
assim encarrega-se de defender reos nao
s no jury da capital como fra delta,
urna vez que haja cumuioda e fcil con-
dcelo.
DE MASS\
Em grande quanlidade a precos baratissimos,
e a indacom abaiimentis de duzia para cima : no
armazem do vap ir francez, ra Nova n. 7.
Praca do Corpo Sann n. 17 primeiro $g
andar escriptorio de Joaquim Rodrigues S
Tavares de Mello, tem para vender :
Fumo em foiha de superior qualidade.
Vinho Bordeaux de superior qualidade.
Farinba de mandioca em grande por-
gao e boa qmlidade.
Cal de Lisboa muito nova.
Potassa da Russia.
TIUTtTWARIA
i.? *Z*5
DAS FLORES2
Precisa-se de nm menino para caixeiro de
padaria. sendo de 12 a 14 a unos de idade, cem
pratica ou sem ella : ra das Cinco Punas nu
mero 38. ___
----- O Sr. FRANCISCO PERE1RA
DE ARRLDA CMARA, (sellhor eiigenho) tenha a bundade de
dirijir-se ra do Crespo n
17, a
negocio,
Na praca da Bua-vis'a n. 2, 2o andar, preci-
sa-se de uioa ama de leite que seja escrava, paga-
se muito bem se agradar. ______________
Precisa-se de urna creada livre ou escrava
para o Mrvtao interno e externo do hospital da
veneravel Ordem 3J de S. Francisco desta cidade.
tratar com o Sr. ministro na ra larga do Rosa-
rio n. 20.
Precisa- alugar urna casa terrea ou um so
brado com commodo?, na cidade de Olinda, em al-
gumas das seguales ras : S. Benio, ladeira da
Ribeira, ladeira da Misericordia, e ra do Ampa
ro, nao se duvida dar bom alugnel se agradar :
quem tiver deixe carta fechada com as uiciaes
J. A. F. nesta typogratihia, ou annuncie.
Cozinheiro.
?recisa-se de um cuziuheiro paga-se bem : na
livraria franceza ra do Crispo n. 9. _______
Pedro Vasques e Manoel Martina Velloso,
fazem sciente ao respeitavel publico, e especial-
mente ao corpo de commercio. que na presenta
data dsssolveram amigavelmente a sociedade -jai'
tinham no hotel da ra larga do Rosario n. 33,
qae gyrava sob a firma social de Vasqaes & Vel-
loso, licando d*ora em diate na posse do estabe-
leeimento com todo activo e passivo o ex-socm
Velloso, e oste incumbido de tola a liquinacao.
retirando-se o ex-s icio Vasques pago e salisfito
de seu capital e lucros. Recite 11 de fevereiro
de 1870.
Precisa-se alugar urna casa qae tenha com
modos para pequea familia, ou mesmo um pe|ue
no sitinos lugares seguinles : Torre?, Cachanga
oa Apipucos, ou mesmo o n outro qualquer lugar
qoe seja fresco e perto do banho, e que nao seja
no centro do povoados : a pessoa que ver para
alugar pode vir tr lar no piteo do Terjii n. 63, ou
na ra do Cabug n. 6.___________J_________
Precsase ue um hainem portaguez qae seja
livre de familia, e chegado na pnco t^mpo de
Pormgai para ser occopado amo feitor de campo
de nm engenho. da-se Deferencia a nm que nada
entenda das plantas de canna : para se ir- lar na
ra da Praia n. 12, om os Srs. Francisco Moreira
daCost &C.
Cirammatica arloisal
Primitivo de Miranda, estfente do fr anno, da
lt?ocs a rna da Concocao n. ; pode lambe
ser procurado no oseriptorio do Dr. /aeobina, ra
do Queimado n. 33.
-j ---------__
Precisa-se do urna ama para casa do pou'oa
familia: a tratar oa ra de Cabug n. I, toja.
Lima, Lessa &0.
O encarregado da lijuidacao dos negocios da
extincta firma de Lima Lessa 4 C, previne a to-
dos os d vedores ao referido stabelecimento. qu'
veoham solver seus dbitos ate o fim do crrente
mez. visto como tem de encarregar o seu procura-
dor de promover a cobranza judicialmente
roa do Apollo n. 4.
na
__Eduardo Firmino da Silva leudo de marctar
celebrar algumas missa* por alma do ea devot^do
amigo Francisco Dubarry, subdiio trancez, no da
19 do correte mez, na matriz da Boa-vista, as- 7
b"ra dn manha, stimo da do convida a tolo* 09 seas patricios e amigo* ob-e-
qaio do tduistirem a e-so a Mo de caridade, pelo
que de*Je j'A se e sumrnaroenie agradecido,
lis
O dono deste estabelecimento tinge, limpa e achamalota com a maior
perftica- possivel todo e quaiquer objecto de seda, 13a, algodo, em pecas
ou em obras, chapis de feliro, palba e mauilna etc., tira mofo das fazen-
das e faz todo o mais concernenti- sua irosso, tudo com brevidade, visto
como se acha prvido dos necessarios macuioismos e petrecho.
Otto Schneidcr.
Muito necessita-sc fallar ao Sr. Antonio Ha
rmho Paes Brrelo, a netteio de m interesse .
queira dirigir-se na cidade de Olinda iu sobran
ultimo do Varad >uro onde existe ama fabrica de
cigarros. __________
COMPANHIA
DOS
TRILHQS URBANOS
DO
ItECIFE A9 OlilXIIAi
Por ordem da directora sao convidados
os Srs. accionistas para, no praso do 10 dias
contados do dia 15 do crtente, effectua-
rem a 7a prestaQo de suas accoes na ra-
zao de lt>%-
Para esM lim. ser encontrado o Sr. the-
sooreiro, das 11 horas da manlifia as da
larde de todos os das, no escriptorio da
companhia, ra Nova n. 35 Io andar, en-
trada pela ra das Flores n. 14.
Recife, 12 de Fevereiro de 1870.
Joao Joaquim Alves}
Io secretario.
Precisa se de urna cozinlieira : na ra de
Imperador n. 73, 2 andar ______________
Attencfio
Urna pessoa co'm as precisas habilitacoes e que
tem alguns eseravos, propoe-se a lomar conta Je
qualquer cnpcnho por admimstracao ou sociedade:
quera precisar annnncie por este Diario.________
de canto, piano, deaenho e lin
ou t italiin i,
G. .MAKiNANGEu, professor co'm diploma da con-
gregajo de Santa Cecilia fle Roma, contina a
dar licoes como j fizera ha mais de 20 aonos em
cinco collegios de ambos os sexos e em varias
ca*as r articulares.
A generosa hospitalidad* que elle ha recebido
de lodos, e a amizade que sempre Ihe consagraran!
as pessoas mais estimaveis desla cidade faz-lhe
esperar que desta vez tamoem Ihe nao faltar tra-
balho. no qual pora em accao todas as suas torcas
para continuar a mostrarse digno da proteccao
com que sempre foi honrado.
Gwlia Marinanoeli Beltbahiki. discipula pre-
miada do c<>n"ervakirie de Milio, decidindo-se a
deixara carreira theatral e flxar sua residencia
em Pernambuco, onde sempre recebeu tantas pro-
vas de estima e sympatnia, pelas quaes conservar
terna gratid, deseja empregar o sea tempo em
dar liedes de msica, piano e canto, tanto de aper-
feicjiaintnto cuino de principios.
As pessoas que se quizerem utilisar do presumo
Jos sobredi tos coninges, poderao dirigir-se ra
do Seve (llha dos Ralos) propriedade do Sr. Tibur-
l'u, perlo dos eoqueiros.
jtTTENCAO
O abaixo assignado tendo-lhe constado qae al-
cumas pessoas ual intencionadas tem propalado
qne o pavilho que se est eonstruindo no Campo
das Princezas, pertence ao me*mo abaixo assigna-
do e a outros, vem por meio desto declarar que
nao tem socio algum ntssaempreza. Becifo 17 de
fevereiro de 1S70.
Miguel Candido de Medcro* Pinto.
Preeisa-se de um feitor para engenho, que
seja portuguez, paga-se bem : no escriptorio de
Leal & Irmao : ra da Cadeia o. 86.
fAfr.% l>.t VE.
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Rio venda : ra do Cabug n. 1
'ende Vieira A Rodrigues.__________________
O advogado Manuel Joaquim Silveira pode
-er procurado para os msteme de sua proftoio
em seu escriptorio ra do C.ispo n. 12, 1" an
dar, das 10 hora* da manha s 3 da tarde. Reside
a rna da (xMiquista (Suledade) n. 4.___________
Precisa se de um cozinheiro ou cezinheira :
a ruado [muerador n. 73, 2o andar.
O Dr. Aprigio Justiniano da Silva Gui;
maraes continua com seu escriptorio
ra do Imperador n. 27, e resida ra
do Seve (Iba dos Rafos) n. 22.
Na ra Direita n. 101 lava-se e engomma-se
com perMco e pronipli'iao^________________
Engenho a' arrendar
Arenda se o engenho Estrila ru Macado, d>-
animaes, moente e crrente, un) a cidJ: do Ili i
ForntoM, com embarque na porta ; bem COM o
engenho Monlivido, as mermas condic^ea, jnnl
ao povoado de Ijiojuca : a tratar na na J) Enr-
menlo n. 19. ________
Aluga'-se u n rapaz que rv para com
c mais servido d; casa : na ra do Imperador u
73, 2 andar.____________________________
AMA
Precia-?c de urna ama para cozinhar em cas
de oessoas soltcirjs : na ra da Madre de De-
n. 3i.
f^PKiHUo
n
Ll
Grande remessa de borracha para n fabrico de
limas para o entrudo, da mellu-r que aqu lem
viudo, na ru ireita n. 53, c na ra Nova n. 39
e 16, por menos preco do que em outra qualquer
parte.__________________________________
Na praca da Independencia n. 33 se da di-
iheiro sobre penhores de ouro, prata e pedra
ireciosas, seja qual for a quantia; e na mesan
;asa se compra e vende objectos de ouro e prata
i igualmente se faz toda e qualquer obra de en
rommenda, e todo e qualquer concert tendent
i mesma arle.
I EtADA
Precisa-s
servico df
Precisa-se alugar um escravapara
hotel : ra das Cruzes n. 39.______________
Associatjao Coramercial Benefi-
cente.
Os senhores socio da Assoriacao Commercial
Beneficienle eque saoconsenhi res do edificio, pelo
prstale sao convidados a receberem do Sr. the-
sourtiro William Otto (de 1 at 3 horas da Urde
e munidos com os respectivos documentos) o divi-
dendo do 5 0130Dre a importancia das partes que
tiverem no mesmo edificio.
Assoeiacao Commercial Benetlcente lo do fe-
vereiro de 1870.
Daniel Bamos,
Secretario.__________
BOLtEIRO.
OtTerece-se nm rapaz ltimamente chegado, com
is precisas habilitacSes, para casa particular : a
:ralar na rna do Camaro n. 13._____________
Precisa-se de nina ama para coznhar em
casa familia : tratar na travessa do Queimado
n. 18 B. luja de miudezas.
AMA
Precisa-se de urna ama qae saiba coznhar e
engomar bem, para casa de pouca familia; na
ru Nova n. 37 2a andar._______________
Quem tiver meninos.
Precisa-se de mpninos para aprender a fazer
cigarros: as fadricus a vapor de cigarro*, quar-
lel de polica n. 21 na me-ma ra n. 8. n, e 19,
boa occasio para os Srs. pais de familia que
nao tecm que Ihes dar a fazw, e em pouco tempo
se Ihe garante ra uavet ordenado.______
Urna senhura que tem a habiliacoe neces-
sarias, prepde-se a ensinar algumas meninas em
algum lugar parto da praea ; quem do seu pres-
umo precisar dtrija-se a rna da Gloria n. 8.
Antonia Villar Alves Maia viuva invenlarian-
to de sen finado mar id.' Antonio Domingues Al-
ve* Maia, ruga aos devedorfs e rredores do ca-
sal, de at o dia 25 do correte, aprsenlarem
suas ronlas na livraria econmica ao pe do arco
de Santo Antonio afim de serem descnplas no
invente rio a qu se val proceder pelo jnizo de
orpho?.
DE FEKHO
1)0
Recife Jaboatao.
Manoel de Barros Barreto, desfijando
convocar os accionistas da estrada de ferro
de Jahoato, afim de elegcr-sc a directora
da companbia, roga as pessoas que tlveram
a bondade de incombir-se de agenciar subs-
criptores de mandar quanto antes, as ra da
Aurora n, 10, a ra do .Crespo n. 9, ou n.i
ra Novan. 2, a relarSo dos subscriptores.
para poder marcar-se o dia para a convo-
carlo dos accionistas.
Recebc-se anda at o fita dfl :orrentc
mez assignaturas i novas ac^es nos lu-
gares cima mencionados e no escriptorio
do corrector Goncalo Jos Affso, no largo
do Corpo Santo.
Recife, 44 de fevereiro Je 1670.
Manoel de Barv-w Barrito.
Precisa-se de urna criada livre va eacrava,
para o servico interno de urna ca*a de familia, de-
vendo saber lavar e engommar: na rna daCcn
quista (soledade) n. C.
__Perdeu-se urna pulceira de coral verdader.
engrasado em ouro, representando cada :ora! orna
carinha, na rna da Imperatriz, da toja do prompto
alivio at a refinacao de assucar: gratifica se beia
a (|uem a tiver achado e a queira entregar na
mesma ra no 2* andar do sobrado n. 12.
Bernardino Antonio Pereira, s^ientifia ao
publico que, tendo-se dirigido rna das Crnze
n. 2 primeiro andar, afim de saber quem preten-
da fallar a seu irmao menor, Porfirio Antonio Pe-
reiraa negocio de s?u interesse.soube que UU
nehoao era procurar-se informare es dos pnasuido*1
do ex-patro d'aquelle seu irmao, declarando o an-
nunciantc nessa occasio que sea irmao nada ra-
bia, e qne era favor retrar-se do D/ano o Mu-
ri para tal fim. Entretanto como continu, ra-
solveu-se o aanuneiante a vir do alto da imprensa
declarar que seu irmao nada deve pessea alguma.
assim como intimar ao autor de annuncto qne re-
lre-o do jornal, sob pena de, nao o faiendo, tr
proceder-se criminalmente. Recife, 17 de favereiro
de 1870.
O Sr. Joaquim Jos do Sant'Ar.na, morador
na povoacao do Sedro, mande 'oa veBha tomar
corta de uh> casal de escravos que apparecen na
ra do Fogo n. 18 segundo andar, dizendD qae vi-
nha procurar quem os eomorasse. Dechro mais
3ue me nao responsabiliso por morto oa ui-a dos
itos escravos. Recife, 9 de fevereira ce 1870.
Jjo Miguel de Olivara Berardo._____________
Sitio.
Alnga se at setembro desto anno o grande e
pioresco si o Barbalho, no Monteirc, ;om casa
para numerosa familia, e mais coniniocbs neces-
sarios em cas <.'T-..".ipo a tratr i do
Crespo n, f ."
I




Diario de Peruamlmeo Segunda feira 21 de Fevercro de 1870.
AGIA NEGRA
=
' 4r BENTO MACHADO & C,
u. AGUIA NEGRA animada com o bom accolhimento que teve em seus annun-
^'i ^ ovo P**cipar a seus freguezes que. acaba de receber um variado sorti-
f^L, objecU)8 de.8ost0 os quando fezos seas primeiros anoucios, foi o que assgurou. e sera mdo de errar,
porque como j disse osla interesses ligada a urna casa importadoradesla praca, e
por isso poder ter ludo especial c vender por precos adra ira veis.Chama pois a lten-
la de seus freguezes para os arttgus possa tfcscrever :
Livros com o lampo de marfim, madre- Um variado sortiments de charuteiras e
S.S^^3' prOP"S Para missa" PaHitiros de porcelana, "
Garafinhas vazias propnas para presentes Tan, F V. ,
cousa de gosto. "".* Tentos para voliarete.
Indispensaveis de paliaba e de couro pro-! B,flga"as com marQm, coasa especiaL
prios para senboras e meninas trazer ros Sabonetes de alcatro.
rEILu. a Cofres de folhas P*" dinheiro.
moclos ds madrepcrola, marm tar-, i inM .;,, nnr, ?--,
taruga todos esmaltados. I ,. s para costura-
Cintos largos de setim, cousa inteiramen- lm c0"1!^10 sortiraenlo de luvas de pe-
t nova. 1 Fitas de sarja de tedas as cores e larga- Talagorce para bordar.
(para lacos. Um completo sortimento de enfeites de
Toncas, sapatmhos meias de seda e raais seda para vestido
9ertenc.es para baptisaos. Drf,m;s j ? ^
^ .: e Analmente outros rauitos objectos que nao
lucos vasos com p do arror. possivei mencionar ; mas com- a vista se
m vanado sortimento de jarros de por- certificara do sortimento deste estabele-
elana. cimento.
R-a A Irma > i. ntehuc o Sr Ben-
|ana (,anot) dos Sfcf.Ml.ma. feixon hoje d)
serseu caixeira. Recito 18 de fijiereii
Travessa do Corpo Santo n. 25.
Os acreditados cylindros americanos para padaria, por dous differentes systemas.
Machinas para descansar algodo pelos melhores fabricantes de New York.
Machinas de vapor sysiema de locomotiva e polias para as mesmas.
Carrinhos americanos para traLsportar volumes em armazens. Tudo por pre
eos razoaveis.
TRAVESSA DO CORPO SANTO N. 25
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
Acabam de chegar grande quantidade das ven adeiras machinas americanat
>ara descarocar algodao de todos os systemas e tamanhos seguintes :
12 serras 12 serras
14 ditas 14 ditas
ditas i5 ditas
ditas 16 0^8
d'las 48 ditas
dltas 20 ditas
dttas 22 dt8
ditas 25 ditas
1 30 ditas
&}** 35 ditas
d'las 40 ditas .
is qoaes se vendem por precos commodos e roga-seas pessoas qoe dellasfizeram en
ommendas de alguns tamanhos, obsequio de as mandarem busca-las o mais breve pos
uve anm de n5o baverem faltas.
-.ELPA CAMA N. 56 A
AVISO
15
16
18
20
22
25
30
35
40
Affuia Negra, ra do Cabug n. 8
rian a^8 super-reS bareff*s de cor' de qadro e de listras, para vestidos fin-
indo seda. pe:., barassimo preco de 300 e 640 rs. o corado.
finn re n S'001"0 s,uPer,01res cassas francezas de cor pedroes de muito goslo 40t
Va^oSllos M Ja d3S C0,,UmnaS "M d0 Cresp n" !3' de Ant0D0 C<> d#
uliaffll
SOFFRIMENTOSO'ESTOaiAGO, CONSTIPACO-
Uira em poucos das pelo carvo de BELLOC ero p ou em pasilhas.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. Bssasa.ieceoesSodis-
sipadas rpidamente pelas PEROLAS oethf M'CUITl.
ANEMIA, A PALLIDEZ c u= ...ffrinientcs que necessitam do
emprego dos femigiiiosos sao scinpre combatidos com o meior reshado
pelas pilu.AS D- VAU.ET. Cada Pilula tan iiicravade o nonie V1LUT.
9 P "02E. Basta disolver um frasco deste p oru meio
garrafa dagua para se obtr urna limonada agradavel que pulga sem fa-
zer clicas.
VINHO DE QUINIUM Labarrague. Estevinho. um dos
poucos cuja c.,iPposi(,o garantida constante, e urna das n llores pre-
pannoes de quimno, sem aeco notavel .sobre os con va leseen tes, dando-
lhcs forcag p apresando rolla a saude. Cura as febres amigas que re-
sisti ao sulfato de quiuino,
".OLESTiAS DA BEXIGA. A maior parte d'estas moles-
...como as sc.aticas, lombsgcs. catarros, e todas as dores nervosas cm
geral so coradas petas perolas oe essencu oe thepeb ntina do
L'r. ClerUn. 0 piolVssor Trousseau em seu Tralaio de teraputico acn-
sclha as para seren. tomadas na occasiio do jantar. na dse de 4 a 12.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO OE BERTH.
GanMido puro c Academia de DMdiciaa,
AiSO. Tfidot mte medicamentos foram aprovados pela Academia
imperial de medicina de Pars,
DET0SIT0
Em Parla. L. FBEBE, I, roe Jacok
Manciro. ftiwnwiM; IIcskss.i i Pemambuco. JUct.eb el C'.
I Ceara. ,
I
1
1
a
5
I


=r^. g B
U O u -5
-r o a
8M"
q S o g-o 3 S
3 a o O '
52 o
.g-TB-S
Di T3
a
E
6 t Z 2.
' a a o < i
o*
w _
al
... BS?
<= < Sr
S OJ ^ til 3
M-
(9
r
3
w *-* V> CO --
* S.B.3 B =" 3

aIS
3 o A S? a I
2xi 7 o g _.
Cff" O H
.5
o2.Bo 3
>3 32
5
2 es o
S
B9 O
Ba'ia.
Ttsuonr.
H-.SSECt Cu.
VACRES et C*.
'-^traaK**
?" aSB
Este adairarsl
|[)epuralTO cao
Icontememsimer-,
curio, loto ou
arsnico i ua
7 1 Irifl7,,S'~nP.rlad0 unamente elle rdrac. a m.tsa do sangue eton^da oWudc
|A JHJECjCAO. CADET ,aJudreieLe*rri"en,M ,Dli,w w "^
i Si i
Pajis, 7, B- Deaain,
^:?(,,'
D o o "i
Q> 3 D ES
S. o B3 L-
en aj
^ tt El en ff
N U O 9
I
I
H
%
H
O

E
O
ir
o
a.
s-
o
Precsa-se altigar nina escrava para tolo o
servigo de urna caM de pnqaeoa fafnilia : quem
rjuizer dirjase a B>av*ia, na da Cncefl nu-
mere 18.
o; mmh DE\Tim '
Frederico Maya
Tem a honra de scienlitlcar ao respeita
vei publico em geral, e aos seus rTrsntflf
em particular que elle murtou o spu gabi;
nctede consullas da ra Direila n. 42 para
a do Queimado n. 31 piimoiio andar, com
a entrada pelo pateo d Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de su;.
profissSo, lodos os dia uteis das 9 horas
da manhaa as 3 da tarde.
Tambem previne, que contina a prestar-
se a vontade dos clientes n5o so na cidadt
como nos seos suburbios, para onde a?
idas sero precedidas de ajuste. Elle pa-
rante o bom desempenho e a pereico de
seus trabalhos, oque j bem conhecido.
assim como as commndidades dos pregos
Joaquim Jos Gon-
palves Beltro
rlA DO TRAPICHE N. 47, |. ANDAli
Sacca por todos os paquetes sobre o Bai
x> do Minho, em Braga, e sobre os segoii <
es logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenga.
Guimaraes.
Cuimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Condo-
Arcos de Val do Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
ViUa Real.
Villa-Nova de]FamaIic!
Lamego.
Lagos.
Covilhaa.
Vassal (Va)passos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
2. >~
O!
O
o
%
Cu
5?
/Ima
Precisa-SA de urna ama para todo o servido de
urna casa de poura familia na ra da P.-niia n.
i-), seeundo andar.
COMPRAS.
0 muzeo dfi joias
Na roa do Cabug n. 4 compra-se ouro, prat>
pedras preciosas por precos mai vantajosos d.
pie em outra dnalf|uer partp.
l>om muito mainr vaniairem cnnipram-se
noedas de ouro e prala : na loja de ioias do Co-
acao de Puro n. ? D. na do r.abnc.
fiOMPIllSHK 11EI-I
VERDADEIRAS
PILULAS DE BLANCARD
COB MOURETO DO FERRO INALTAVEL
APPRGVADAS PELA ACADEMU DE MEDICINA DE PARS, ETC.
m5!Z PropnedadesHlo ledo et do i-erro, eonvem especialmente as Kmecat*
KVriffltU^h^.eque Prec's"AGi^BRE o sange seja para restituir
n VTSSSZ "hundenc,a nnnes, ou para provocar regular o seu curio peridico.
InLt; ETH de aImpuro" a,ter*d0 medicamento infiel,
."2. SS12? d/ pnrelft -de n'hencidade das T4a . tosso era, aqtn reprodotiJa, qoe se acha na parta inferior do an
grtate Terd. Dere-se desconflar das falsificaCoT
Compram-se c vendein-.^e diariamente para fra
> dentro da provincia escravos de todas as idadev
:ores e sexos, com tanto que sejam sadios: w
erceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cnues.
'rpgnezia de Santo Antonio.
Compra-se popel para embralh de qnal-
qner qualidade, no pateo do Carino esquina da
ra de llortas aimazpm n. .
Cabellos
Na roa do Queimado n. 6, 1 indar, sali de
cabellelreiro, compra-se continuad;.mente cabello
eomprraoa.
Compra-sl' tuna eir 5a que estnja cm im
estad' : na na Nova, loja n 7.
Compram-se esrrovns do ambos os sexos
na-riiadolmp.-iMu.r n. 7o, 2* andar, das 8 da
manhaa as da tarde
Comprara-so moedas de oro^ie prata~diTto-
103 os valores, ouro e prata pm obras inatilisadas
inlhantes o mais podras preciosas: na loja de
)nnves do arco da Gonceicao, no Itr.'ife
A VEHDADE
55Ruado Queimado5f>
A YEPDADE tendo em deposito grane*
quantidade de miudezas e perfumaras, e df-
sejando apurar dinheiro e adquerir boa ff(-
nezia est rssohid a vender noitiuiRM
barato, ; por essa raz3o convida ao respe.
tavel publico a vir competentemente mon-
do a sortir-se do bom e barato. Pois qur.i-
>do a Verdadc spparece, tudo mais des-
apparece
Grande sortimento de bonecos de cera
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Abotoaduras modernas para col
letea .......
Espelhos donrados pepnenos. .
Agutuas de os*o para crox a .
Pntes para rega? com esntas a
Micos globos para candieiro de gaz a
Cbamins a.......
Grande sortimento de objetos de
louca pan brinquedo de menino
Garrafa com tinta a.....
Dita com agua florida verdadeira a
Dita com dita dita a ... .
Frasco com oleo de babosa a 500 e
Dito com agua de Colonia a 300 e
Gairafa com agua divina a. .
Frasco com extractos finos a .
Latos pequeas com banha muito
fina a 42<'e......
Sabonetes de diversas quali iades a
80, 100,240 e.....
Finas escovs para dentes de 120 a
Lindos coques modernos a. .
Pavios para gaz, diizia a 240 e .
Esccvas para fado a 500, 600 e
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar piolho a 160 e.
Hrincos de cores, bonitos a 1G0 e
Pecas de tranca de 13a -com'8
varas por.
Oleo para machina de costura,
frasco a........
Pennas d'afo finas caixas a 800 e
Dita d'aco Perry, caixa a. .
GalSo de algodo peca ....
Lindos babadinhos c enlrcmeios
peca de, 500 a......
Ditos de louca muito fino a 120 e
Ditos para calca a KiO e. .
tiaixacom papel amizle a. .
Ditas com envelopes a. .
hitas cora obreas a.....
Cana cora agulhas fundo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Tliesoura para costura 12406
Caixa corn linba de marca a .
Linha do cores em novellos (li-
bra) a......, ,
Garreteis de linba Alexandre .lo 70
at 200. .,,...;
Grampos. muito finos com passa-
ros, duzia a ..... .
Garlas portuguezas, duzia a .
Ditas francezas a 2#200 o .
Papel almaco e de peso, resma a
3,51400, 30500 e .
-.a muito fina para bordar, libra
Fita de algodao para tebrum de
sapatos, peca a.....
Ditas de 13a para debrum do ves-
tido, peca a ......
Pentes finos para segurar ca-
bello a.......
itos ditos de bfalo para alar
a 240, 3>0 o. '
Ditos para aparar p< apa a
Rosetas protas, par a .... .
Tranca de (Ka d caracolpefa < '.0 i
' na do coz peca a 480 e ..
\lfinetes do lati a.....
Zapatos de ISa para carnga a OOe
<.i-avaia de serias decores a .
Calzaderas -\......
Grande sortimento de rendas'das iib*,
Um par do suspensorio de borracha i o-
100 ras! M.'fii
\'a Verdadc ra do II. 5.
32C
m
35!.
32
10C<
8(K
idoo
72t
m
105O
llSOCK
ICC
3t
m
32-
1C
24t
2
6
WGv
im
201
W-
70
4
M
281
:
606
281
!0j
ZgO(H
650<

.
10
.
Compra-se
urna esoraya que s.ja ba enaoitmadoira e co7i
nbwra, c sem virios e duques na roa do Pire?.
sobrado n, 27.
INJECTION BRO

ELEPHANTE COM BOTAS
GRANDE ARMAZEM DE PIANOS, MjJSICAS E INSmENTOS
E"(.,r
La odo
Vende-se lasedo para cateadas e rmateos por
pree. comm >d. : na na do Ap'.lln n. i.
Vendeni-se dnas bonitas c.-cravas com hah
iniades, ttndo urna de las ama eria de cien me-
zes : no tereeiro andar do sobrado n. ;)C da ni?,
das Cruzes.
Phnrmaci.i.
AJVTONIO
DE AZEVEDO
N.11-RAN0VA-N. U
...abai. c^ar ^Sp^,'^L'SSti^ "" "* roi," "SOh8- <>m o se de ^<" O**"de. .8lrom,os mm
flAIfOS
Vende-se a pbarmaciada ra DireiU n. 88,'mui-
lo propria para prinripiantc : a tratar na mesmn,
a^MOhoraa da maihai ;is 9 da niiitfl.
Vende-se una taberna em um dos linaci
paes locaes desta eidado cm coromodns para fa-
milia o melhor que i possivel para nm principi-
anto. O motivo da venda Se lira ao comprador,
najunto Livramenlo n 28^e_dir wm vende.
, Vpudem-se as seguimos casas torrean, todas
em chao proprio: na ra Direila nm 57 e SO :
Aguas-verdes n. Vi, e Santa Hila n. 7J : trata-s
no pateo de S. P.-dro n. 17, das 10 horas d, ma-
niaa as 3 da tarde.
iraraSSa6!**8" ao GANl>iS BAZA,
UWVEBSAL, ma Nova n. 22-camwi i
\i-:>\A--ini completo sortimento de ma-
li as para costura, dos autores mais co-
iieeidos, as qoaes esli em exposi'cao ;
mesmo Ba2ar. garantindo-se a sua boa qua-
lidade, c tambera cnsina-se com peifetfS
a todos os compradores. Estas machi
sao iguaes no sen trabaIho ao de 30 costa-
reirs diariamente, e a sua perfeic5o tai
romo da melhor costureira de Paris. Apre-
sentam-se trabalhos execuiados pelas nu>-
inas, que muito devem agradar aos prelen-
dentes.
^do^bom^Splat^^Ir^s.^08106^ d*s .--** nesa ddade, como SoJam : o,
AFFONSO BLONDEL
^&pSTclSl de^Sii^l0^- T",PrVa Cm .d0CUment0 abaiX0 tranSCrl,t0 e a^nad7pelo dito Sr. Brondel. Estes pianos fabri
* nJmrio insistir sobreZ sup i0Pr dad As Zs ^f^Z^TJ^ *TA 8a T f5' m$ s3 ^'bastante conhecido. desde 1844? panSe
Moborea pUoiatas. supenonaaae. as saas vozea s3o omito Cantadas e melodiosas. Ellos possnem nm teclado que se p-esta a todos os caprichos do
ntencidade o nume^d^pia^Sm oTe^Edo ^ m* ^ *3 r0i^ a 6l^rm ^rtficado de asignado pelo Sr. Blondel, aflm de provar a isna
AO PUBLICO
clara ao respeitavel pu_..
Outro sim que tedos os seus pianoTirao acontpanhados de'ura'Vrtil^aloTeTrigem'ass^
ATTENCAO
Vendem-se q.tro propriedades junlas ou
separaos, sitas na ra do Ilangel sobrado do 2
t? aG" 38, rua da Viracao -asa terrea n. :i9.
ra da Paz casa terrea n. 22, travessa di Poci-
hosano?^ 3 : tra'ar "a rua.hr8a d
Vende-se ama escrava de idad~23 anuo'
perita cosiuheira de um ludo, duas ditas exce-
tente engommadeiras, duas bonitas nuio.-as de
marte i.j a 14 ann s, 1 escravo pe.-a idade 23 an-
uos honi carniro. 1 dito me*tre de caranin. I
jnoleque !dade 19 annos : iravessa do' Carino
I.eqne de madrepcrula cora seda, .
madrepcrola, muilo proprio para^nias, clpcv
rain a luja do.Passo a rua do Crespo n. 7 A as
sim como requiwimos chales de touquira de lo
aas as cores, vestuarios bordados de cambra
para baptizados, meias de escocia (novidade) mui
to bonitas para asExmas. Sras. que gostam andv
de sapatinho raso e outros ranitos arigos de cos-
i que os proprielarios deste cstabelecimenio teen
reeeeido.
Vende-se quatorze cade iras de jacaran.
ufadas: na rua de Hortas n. 2, armazem.
i loja do Passo
%vtr^ ^r S^f- 53P?^i=& !!* -a cidade
0 nucanle tambem troca alnga pfanos. E U oTaior e mais explendido sortimentof da. novas
Galbo de salas, ricos espelhoa dourados. ^adrados a ovaes! caSas'SIiK rnm L fL ma !!' T.JSSF* 6 ^adr080Pa:a .ornamentos te salas, oTeados para
T^tJ6 i00t 8 m^<> U,ar^' '3as a*ulhas P SrtSTe mai~ro^(rarK aue o^^^^ com despertador, vidros pP3ra
aborto todos os das at s 9 horas da coito afon das Eanas. familias poderem Ir 5^^ os Tus piano's ^ eoomrt sempre nesto wq, p qual estar
AO CAMPOS
Na rua do Imperador n. 28, vende-se
os segninto gneros de superior qualidade.
a saber:
Presuntos inglezes (para fiambre).
Qiieijos inglezes (muitn nnvos.)
A verdadeira gomina de aramia.
Copos lapidados (muilo finos.)
Latas com lagnstas a 6>0 rs.
Lie.or (aya pana).
Ovas do serlo.
E urna tranca de ceblas por CU) rs. }ff.
S no arma/e ni do
Os requissimos corles de blonde de seda eon
mana e vapeila para casamento, s-ndo nct
ligo o que se pode desejar do melhor e mais m
derno, tamben, chegaram os cortes de seda, d- c-
res novidade, c outras mnitas fazendas de
que eb^araro pelo ultimo vapor francez nar
* '"ja do Passo a rua do Crespo n 7 \ P
Campos.
Ruado Imperador u. 2
- Vende-se tres partes do
sitio da Porta d'4guadoMon-
teiro para Apipucos, com caso
de vhenda, grande baixa de
apm, olaria, qnartos para es-
crayo-t e feitor, cocheira, estn-
Diria e mais duas casas pa
a ugar para afesla, para tratar-
se no mesmo sitio.
Milito novo
Vendi!-se >m saceos gran
I do que em outra parte : para ver, uo ira
iOaulas, e para tratar, na rua do A


6
Diiirio de Peran&uco *- Segunda eira 21 Je Fevereiro
de 1870.

DO
GALLO FIANTE
A BA Di IMPERAf RIZ *
Esquina da ruada Aurora, em frente do caf Imperatriz.
N'esle novo o sumplaoso estabelecimento de fazendas cncontrarao as Esbors.
todo <|uanloposi;amdfawjat,lauto emartigos domis rigoroso loxo, como em todas
s mais quaiulailes no fazendas,
Ateta taoun providog.do qae de melhor 36 encontra neste mercado,
por lodos os | era di rectamente o que era anigos do moda e
,to tupis apurado gusto se encontra em Parta, o que vem cadadia augmentar s propor-
c'j b de no -lispo este cstabelecimento para bem servir sua numerosa Creguezia.
>do largo para tonces e toalhas de
odas as qualidades queotiuna virao roer-
.
Alpacas de lodo* o nadroos eqnftlida-
de la variadas que se nao podem defcrever.
Alhans con pe a colocar retratos,
do I ilo presente para qualq *r pessoa de
es
\ii.:dhado delinhn o algodo, branco e
de '.res proprios para toa I lias.
- |iiioas de sed* pretos e muito moder-
na-, bem como de crochet, tu to de apurado
e fatuo.
BalotiS de muselina, madapolo, blancos
e de cores, para senhora e menioas.
eges de cores vanado sortimento.
Babadiobos ou tiras bordadas em todas as
[argoma. ,
ii Ibutina de todas as cores.
Boleas de tapeto para viagen. grande
varillado de tamanbo* o gostos.
Bombaziua pela de todas as qualidades.
Biamante de linho do H palmos de lar-
gura, e todas >s mais qualidades.
Bretanhas de linho e algo,do, grande sor-
tim >nto.
Brins de linho branco e de cores, do mais
commodoao mais caro emqualidade, affian-
cando o que ha de melhor na especie.
Brins d'algodo completo sortimento e
variedade de prc;os.
Cassas do cores, o maior sortimento, pri-
mando pelo bom gosio e harateza, atientas
js qualidades.
Ca nbraias blancas, tapadas,e transparen-
tes do todas as qualidades e precos.
Camisinlias de cambraia de linho e cassa
bordadas ricamente enfeitados para Sras.
Camisas para ntreos e meninos, to va-
riado sortimento que vai do mais ordinario
madopolo ao mais perfeito bardado de li-
aho e cambraia.
Camisas de moia, de flaaella, braneas e
de cores para homem.
Casemiras pelas e de cores, o melhor
que se pode imaginar, sendo d'isso a me-
lhor prova o grande consummo dellas na
)fiicina da rasa.
Capellas de flores, para noivas e bailes,
desde a mais candida flor de larangeira at
i mais inti-ressante gfhalda.
Chapenhas no melhorgosto.de todas as
cores boje preferidas pelas senhoras de
tcais apurado rigor na moda.
Chapeos pretos de velludo, para senhoras,
ultimo gosto de Paria.
Chapeos de sol, para s-nhoras e horneas,
todos os prejos a variados gostos.
Case com listras de s-da e flores. axeit
da inteiramente nova para vestidosdebaile.
Gravatas p*ra senhoras e bomens, o mais
completo sortimento que se pode deaejar.
Guipure preto e branco, diversas largu-
ras e differentes gostos.
Gollas e punhos bordados para senhoras.
Guardanapos de iiuho pequeos e gran-
des.
Gorgvro de seda preto c de cores.
Grosdenaplos preto *b de cores, liaven-
do diversas qualidades e gostos.
&
Japonezes para seoh 'ras, o melhor gos-
to, e fazenda propria para as festas nos ar
i a baldes e passeios a larde.
Lazmhas de todas ai qualidades, cores
e gostos, nao ficando nada a desejar, tal
o sortimento que existe para escollter.
Lencos, tudo qtianlo pode haver desde
esguiao ao algodo commum.
Leques de madreperola e osso, o mais va-
riado sortimento.
Ligas de seda, bordadas, para senhora.
Luvas de Jouvin, chegadas por lodosos va-
pores, sempre novo sortimento, qoer em
pellica para homens e senhoras, quer em fio
d'Escocia, brancas e de cores.
Madapolo; indesciiptivel o grande sor-
timento que ha ueste genero, desde o mais
elevado prego ao jnenor, que se vende em
pega e retalho por meaos do que em ou-j
tra qnalquer parte. "
Mantas de blnnde para noivas-: o apurado
gosto dos nossos correspondentes em Taris
habilita-nos a dizer que temos em nosso
estabelecimento o que de melhor se deso-
ja para vestir e ornar tuna noiva.
Mantas pretas deblond.
"Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos pretos, trancados e lisos.
Musselina braucae do coi es, lindos e va-
riados padres.
Pannos pretos e de cores, desdo o mais
barato ao mais superior, por prego muito
c.mmodo.
Pannos de crochet, para cadeiras e sofas.
Ditas de casemira muito finos para
mesa.
P.'itos bordados de linho, lisos e de al-
godo para camisa.
Pnncetas pretas e de cores.
Popelina do seda e Iiuho, com listras e
flores; fazenda lindissimn.
Pelherinas para senhoras, do ultimo
gosto.
Perfumaras; os mais finos extractos o
Haa 4o Grawpf*. f
Os ppritaito des Wm ffkecliB'estafcel--
ciaen, alega postos a apreciaco do repeitvel poWico, rasn-
daram vr e acabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa na-completo o vanado .sortimento le
finas e mui deaadas iHadalidafl, as qu** *i-
lao resolvidos a vender, como e de seu cosame,
por precos marta baratnhes e ouunodos par to-
dos, com turto qut o fiailo....
Muo superiores tovas do pellica, pretas, brau-
cas e de mui lindas eSrcs.
Mui bOM e bonitas goHmhas c padres par* se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
. uperieras peale4e Un-taruj pac .coque*.
.Lindostiqusimos eeWes^ara, eaUc;idas
3imas,santiom- .
Superiores trancas pretas o de cures com tin-
ha- e aem lie; st fen4. o ue ftt haver
(iemoMier eaiaisfcoaitn.
SuBerior a aonabs lqna* t> malrenerola,
btBi, sanate Sw, fcoo qaetiw twancos'
com lindos desenhog^ e estes uretos. __^___
Muito superior avias ia-4e SecaMpa par se-
nhoras, as quaeeapi e venaatem pp SOfKBB
a duzia, entretaota ^Bn as vaaiemos por 20*.
alm deslas, teraa tambe raato soranto>
ou'ras qualidadafl, aalr af*wa. algunas mt*o
finas. ....
Boas beogrias de apenar etnna a india e
castao de marfira eom bodas eoeaataoras fiun-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
- quantidade de ontras qualidades, como sejam, raa-
- deira, baleia, osso, borradla, etc. etc. etc.
Finos, bonitos o aireeo clijcctinhos do cadoia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
Grande mmm de facBdas e roupas leilas mi da Inpenlrii
h. 5i perla larga, de toedes Porto.
para segurar as meias.
Boas meias de scdai>ara sanhora
e para meni-
nas de i a 12 annos de idado.
Navalhas cabo de marfiaa e tartarapa para fazer
barba ; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa ves tam-
bem asseguram^s sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capailas para noiva.
Superiores agulba para machina e para crw.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrinlho.
Bons baralhos 4c cartas para voltarde, aasim
como os tentos para o mesmo im.
Grande o variado sortimento das roethores per-
fumarias e dos raoihores o mais conbecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos conira as convulsoes, e
facilitan! a denticlo das innocente? enancas. So-
mos desde muito recebedores. destas prodigiosos
eolIareSj continuamos a recebe-tos fiar todos os
vanara, afin de que nunca faltem no mercado,
coiuo tem acontecido, assim pois pedarao aquel-
les que delles precisarem, vir ao deiwsHo do gallo
vigilante, aonde gemprc eneontrarao iestes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao flm
para que sao applicadoa, ae venderao com um mui
diminuto lucro. .
Rogamos, pois, avista dos cbjectos qpe deixan:os
declarados, aos nossos fregueses e anitgos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo_n1_7._______________
Machinas a vapor de
forpa de 3 e 4 ca-
Nesle estabelecimento encontrar o respeilavel publico um bwito S0'J,"JB^ reatbcr Ura m
de roupas de todas as tmalidades. palitots de alpaca a U, 3i>500 at W. !> m
merino, ditos da casemira de cores bonitos gostos a 5& 6, H e m, m PaamJ*JJ
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Sitos da paca nj!J
o decores de 3,5500 a 5)9000. Calcas de brim de cor finas e cdmarias, mt
brancas de todas as qualidades, ditos de brim pardo fino e ordinario, ditas f**8681**
de cor e preta de 40, 53, 65 a 455. Cohetes de todas as qualidades e ^JPJ^Si
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodo e de linho "**2aLvn
urna. Sortimento de serolas francezas de algodo. de linho e bramante a 21 e **^*-
Cravatas (mantas) navsimo f oat a Ip ios os preeos. Meias sortimenio completo a fl.
4| a*7^ a duaia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Eacarrega-se -de (juaesqtiar obras de encemmenda tantp para homem, como
parameainas, e com brevidade, por isso que tem um bonito tortiiiento de :faaeidas de
todas as tpialidadas tarrto cm casemiras como brins, pannos finoa e outras murtae- a-
zendas,
FAZENDAS
Bramantes de II palmos de largura a 10800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de ledas as cores a OVO rs. o covado.
Po-de-clivre com lista de seda faaenda de'gosto a 10200.
Casquines do guipure enfeiladas a 180000.
Sortimento de chitas escuras e claras a WW), 300 e 360 rs.
MadapolSo fino a 60500,' 70, 80 e 90000.
Algod5o peca com 20 jardas a 40500, 50500 e 60000.
Peca de algodo largo a 70500.
E outras muilas fazendas- que ser enfadonho mencionar Cbeguem roupa
feita que*se est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (jauto loja de ourives) do
LEAO da porta larga
DE
Paredes Porto.

ff

Mikroskope achroma- i
ftliseben. Objetiv Lin- ^^^^ \D _
sen.
Oarometre e termos
metre. iCentigrade
e reuumeure.
Chaly com ricos padres para vestidos, que de melhor e mais agradavel se pode
Chales de todas as qualidades, avultado encontrar neste genero, c ato mars fragaato
o e nao menos va: iedade de gostos, e suave no ulpbato, tem o PAVILIIAO UA
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Alachinas de faco e serrotes para desca-
rocar algodo.
Baiancas para armazam e balciSo.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
fiel'd.
Prencas para copiar corLas
Fogo americano patent
E crystal de rocha do Brasil.
dor de urna seuliora de gosto.
Cintos para senhoras o que se pode ima-
ginar de melhor.
Coques, o melliftr no gosto e nos enfei-
tes, varios tamanhos.
(tolchas de seda com borlas, o mais apu-
gsto e lavor.
Ditas de fusilo branco e de cores por
oreos commodos.
Corpinhos de cambraia, ricamente borda-
dos para senhoras.
Cortinados de cambraia bordados e de
fii.o que de melhor so pode desejar.
Colarinhos de lioiio bordados e lisos, o
maior sortimento.
Damasco do la de 9 palmos de largura
lindas cores e ricos padres.
Espartilhos bramos e de cores, para se-
ntaras e meninas, o melhor neste genero ;
nerihuma Sra. deixar por certo de muir I pria para baile,
se de t5o precioso auxiliar perfec3o de
um corpo delicado.
Entremeios bordados.
Escomilba preta.
Eneites para cabeca, ultima moda de
Pars, recebida no ultimo paquete.
Esguio de linho, completo sortimento de
todos os nmeros.
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
dade de gostos e lindos padres,
F ibs de crochet, modernos com cintos
Saias bordadas, brancas, lisas e do cores
com follios e sem ellos, o melhor possivel,
Saludas de baile, de todas as cores.
Sedas pelas, de quadros, lavradas, lisas,
de listras de todas as cores c qualidades e
o mais baralo possivel.
Sanrelim de todas as cores e qualidades.
"O*
Tapetes grandes, lindas pinturas para 8
cadeiras, mais pequeos e de lodos os ta-
manhos desejaveis, e em peca para co-
. vados.
Toalhas de labyrinth", do maior e mais
fino trabalho ao mais barato.
Toalhas de linho e algodo de todos os
tamanlios, lias e felpudas.
Tarlatana branca com palmas e de cresf
fasenda muito nova, e gostos delicados pro-
Gal nova de Lisboa
rhepada nn ultimo navio : vende Joaqaim Jos
Ramos, na ra da Cruz n. 8. Io andar. ^___
Vistuarios bordados de fustao brancos e
decores para meninos, de cambraia para
baptizados, o que de melhor tem vindo a
este mercado.
Vestidos de la escoceza de 2 saias,
ovidade pelo padro, goto e forma; ditos
de linho com barras de cores, e de cam-
braia de cores com 2 saias, ludo inleira
ovidade, trazem os modellos juntos para
mostrar a forma de os fazer.
Veos de bfond para QOivas e pretos para
e capas, o que ha de melhor. luto.
de seda, linho e algodo, de todos Vestidos de blond para noivas: podemos
os costos e padres. assoveraras nossas Esmas. freuuezas, que
Fusto de todas as cores e qualidades somos os nicos em Pernambnco que pode-
le sortimento. uios offerecer ao Ilustrado publico, o mais
Fianella branca o do cores. apurado gosto em seraellnnte materia, gra-
Flores, o que ha de mais rico, quor cas ao bom gosto do nosso remecedor em
sota;, quer em ramos, tem o PAVILHa ) Pars, podemos garantir que ninguem tiesto
D.V AURORA um permanente jardim a genero o possua melhor, nom mais em
disposigo das Exraas. familias. conta.
E' dispondo d to, grande e variado fortimento que o propietarios do PA-
VILllA'O DA AURORA se apresentam ao publico declarando desde j quu a sincerida-
qo e o bom gostoo movel nico de seus negocios.
Prvidos de tudo e promptos sempre a prover-se do que por ventura lhe
seja necessario, os propietarios desto sumptuoso estabelecimento recommendam-sc
r^ceio de serem contradictos e protestom esforcar-se por continuar a merecer
Co que so Ihes tem dispensado ; certos de que do.seu estabelecimento nao sahira
d "ontente.
Contina sem>re a officina de alfaiate dirigida por um dos mais habis artis-
r.mpto executar eom promptido e bom gosto qnalquer trabalho que lhe seja
. Urna modista especialmente oceupada nos trabadlos do PAVILHO DV AU-
., dirige os que lhe sao concernentcs, garante porseu apurado gosto c promptido
na execucSp e a mais completa perfeiconos seus trabalhos.
A numerosa freguezia que nos hoDra urna prova de que merecemos o con-
eeito que se dispeasa ao nosso estabelecimento, conceRo que procuraremos firmar cada
Para facilitar anda a concecuco do fim qae nos propomos fiemos no nosso
ment os ltimos figurinos de Pars, que recebemos por todos os paquetes, os
quaes-mviaremos para serem vistos as familias nossas freguezas, aka de escolherem,
com o padro de (azeuda o gosto na forma.
Na oificina de alfaiate, junto ao estabelecimento, ha gurnanle os figurinos
para homens que por todos os vapores se recebem.
E' esto o mojo porque eos apresenlamos pediudo a protecc-o daillustrado
o e com o mais profundo respe'tto convidamos s excellentissimasSras. a \>i-
iosso est lento, certas de encontrarem nelle pelo menor pre;opo
todo que podem desejar. ... .
Mandaremos caixeiros levar as fazendas e amostras onde forem padidas, visto
odermos especificar tudo quanto temos.
Joo Liiiz, Sobnnho & C.
Aberto das 6 s 9 horas da uoite.
LOJA DE FAZENDAS
no
ARlBAIillT
Ra da finperatrfz n. .
COltTES DE CASEMIRA PRETA A 3*500.
Vende-?e cortes de ca-emira preta para calcas
a 3-ri00, 4*000, 5*000 e 6$000 rs. ditos casemi-
ra de cores com listas do lado a '> e 6* o corle:
ra da Imperatriz n. 56.
GROSDENAPLE PRETO A 2*00 COVADO.
Vende se grosdenaple preJo para vestidos de
senhora a 2*500, 3*000 e 3*500 o covado.
PAN.NO PRETO A 2*200 O COVAUO.
Vende-se panno pretu para caifas e palitots a
2*200, 2*500, 3,3000, 3*500, 4*000 e 5*000 o co-
vadn.
CHITAS FRANCEZAS A 280 O COVADO.
Vndese cuita* francezas finas para vestidos a
280, 320 e 360 o cavado.
MADAPOLO ENTESTADO A 3*500.
Vende-se pesjas de niadnpolao < nfcsiado com
l lardas a 3*600, e uessas de dito com 24 jar-
das a 5*000. 5*600, 6*, 7*, 8* e 9*.
CASSAS FU vNCEZAS A 210 O COVADO.
Vende-se cassas francezas finas para vestidos
a 210 o covada
ALGODAOSIN'IIO A 48000 A .PECA.
Vende-se pecas de algodosinho 4*, 5*, 6y t
7*000.
I GAXGA PARA CALCAS A 320 O COVADO
Vende-S! gangas para calcas e palitots a 320 o
covado, e brim de cores com tolas do lado a 4* o
covado. _.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A MO.
Vende-se alpaca de crea para vestidos a >00 e
610 o covadj, e outras rouftas hmniu que se h-
quidam para fixar contas, ten reserva de preco :
a ra da Imperatriz, luja do Garihaldi n. 56.
~Tm m
Chegon ao antigo deposito de Henry Forster 6
i, roa do Imperador, um carregamen:o de gas
de primeira qualidade; o qual se vende em partida
a a retalho por monos preco do que em outr qual
quer parto.__________________________ r
Vende-so a metade de um sitio no lugar
Cruz do Rebouco, na ostrada de Iguarass, Oca
urna legoa pequea quem da villa, o qual tem
urna excellente casa de pedra e cal feita ha quatro
annos, e tem muilus arvoredos do fructo, como
laranseiras, R reiros, etc., c bastante trra para
roca e plantcao do canna. Ese sitio M do falle-
cido Bento de Carvallio Bastos: quem quiier.com
prar a metade, dirjase a ra do Livrrmento, loja
n 18.________ _________________
Vendem-*e escravos de ambos os sexos: na
ra do Imperador n. 75, 2o andar, das 8 da ma-
nha as 4 da Urde. ^^____
F. 5. Germano, recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa
dos- porque com este:, vidros, a vista descanca, foftifica-se e nao a canea como com
os vidros ordinarios. Una vez escomido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
aue com os vidros ordinarios se, est obrigado a mudados todos os annos e os tor
cada vez mais grossos, o que altera o crystalioo do lbo e determina quasi sempre do-
res de cabeca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do lho, e,
todas as vezes que o objecto est mais perto ou mais tonga, os raios que expelle s5o
mui convergentes ou mui divergentes e a visito nao perfeila. Um grande numero de
nessoas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a viso nao distincta.
Com a applicaco de meus vidros pdese ven -.er estas difficuldades.. Para os que tem
a vista curta e cojo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
lonce), o que se cbama myope, por meio de um vidro concavo affasta-se o ponto de
vista, o que faz divergir os objectos e deixa ver lo longe como as outras vistas, (toan-
do o crvstalino muito chato, o que suooede aos'que tem ebegado a urna certa idade,
o que s chama presbyta, vera mdior de longe que de perto, e nao enxergam senao
um nevoeino na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarao
tac distinclament como na idade d;; 15 annos. Servtndo-se destes vidros quando e
vista principia eufraquecer, previne-se o mal. .
F. I. Germaaii encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a e s
coler.'a primeira vista, seja qual for a idade egro de vista, oculos proprios para
qnalquer pessoa,
Para qus sao fabricados estes vidros 7 7
Para a vista myope, (vista curta). Para a vista que nao supporta os raios
Para vista que se cobre de nuvens. j solares nem grande claridade.
Para a vista que por'momentos, v es- para a vjsta da da catarata.
voacar pequeos pontos negros. p t as paipebra3 est3o cer
Para a vista que as palpebras tremem ^n de Mgn^
Para a vista .que um dos olhos myop
e o utro presbyto.
Para evitar finalmente que o. crystalino
do olho se cobra de catarata.
3 cprdeir o preirlflente
lina do ftiaeimado n. t.
Novo a variad -lento de perfuman
os.
AMsb ilu nJMJwiiii n'i i de perfn-
manas, de que effectivauu:nte ejtfiprovida*
" o Previdenle^-ella acaba d
ae tona
MMBBl pea varietadauiiobiectos. superior
aade, oradades e coSbdidailes de .pra-
cos; jssim.poi&.eClatefa-oPiW'idente peo
Mtmst auaitmr a merecer a apreciaca*
4b reapeitavel publico em geral e de su
tea tssfuezia em particular, nao se afaa
-tase elle de na *em conhada mansidl
a barateaa. Em dita loja encontrarlo e*
apreciadores do bom:
Agua divina de E.- Coudray. -
Dita verdadeira de Munay 4 Lamman.
Dita de Colqgw in^leza, americana, fraa
asea, ted#3.dos melhares e mais acreditada
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e violeto paratoilet.
Elixir odontalgico para conservaclo d*
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e ene
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, co
pomada fina para cabello. .
Frascos com dita japoneza, transpareol
a outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
francezes em frascos simples e enfeitados.
"Essencia imperial do fino e agradavel th>
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdad3iro.
Extracto d'oleo de superior qnalmadt,
eom escomidos cheiros, em frasco* de dif*
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menors
para m5os.
Ditos transparentes, redondos en figo
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinba paca barba
Caixinbas com bonitos sabonetes nitand
fructas.
Ditas de madeira inreraisada contendo I
aas perfumaras, muito propinas para pra
^cnt6S.
Ditas de papelio igualmante bonitas, tas
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, a d
moldes novos e elegantes, com p de arra
"i boneca.
Opiata ingleza e franceza para denles.
Pos de camphora e outras differeaU
cualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda mais coques.
Um oulro sortimento de coques de na
ws e bonitos moldes com filets.de vidrilbu
i alguns d el les ornados de flores e fita*
stlo todos expostos apreciaco de que
s pretenda comprar.
G0LL1NHAS E PUNHOS 10RDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicao.
Flvella*! c filas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes obja*
tos, ficando a boa escolha ao gosto do co
orador.
Para a vista que os olhos sao desiguaes.
- Para a vista que se turva com o traba-
Iho e a leitura.
Para a vista presbyta (vislagalon ).
BAP POPUIAtt
DA
FABWfA NACIONAL DA BAHA
DE
Teixetra Uldurtco '$ C.
Acha-se venda este ptimo rap, nico (pH
pode supprir falta do princeza de Lboa, por 3
de mui agradavel perfume, viajado, e a preco -
mais mdico possivel ; e por isso tem sido assi.
acolhldo as pravas da Baha, do Rio de Janeiro <
em outras Bo imperio : no escriptorio de Joaqun
Jos Oonealves Deltrao, ra do Commer.'io no-
mero 17
Caixa Flal do Banco do Bra-
sil em Pernanilmco, oeh lqni-
dacSo 95 de Janeiro de lSO.
A Caixa filial vende o grande e excetlen-
te sobrado sito ra Imperial n. ffi, com
accomodaccoes para grande familia, e tam-
bem vend a casa terrea contigua n. 66 :
tratar na mestna caixa ra do Commer-
ci n. 34^______^________________
TASSolMAos a- c.
Sortimento
para theatro,
de binculos
e oculos de
MIL110
Vende-se no trapiche Baro do Livramento sac
eos com milho, boa saccaria e por menos do qu<
^m ontra qnalgner parlo.___________________
Acha-se exposlo a venda em todas s
livrariaso almanack desta provincia pele-
preco de 2C00.
alcance para o campo e ma-
rinha.
Lunetas, pince-nez e
face--maia, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, a?o,
etc., etc.
Tem tambem glande sprlimentode relogios para parede, qne d5o horas epaia
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada e foleada, inglezes, stossos e orisontaes dos melhores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. Em Pernambuco.
N.21=Rua Nova. 21.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------_
r
QUINIUM LABARRAQUE
APPBOVADO PELA ACADEMIA OE MEOKINA 01 PARB
O Qnlnlam Labarrape, eminentemente tnico e febrfugo dve ser
preferido todas as outrai pieparacOes de quina.
Os vinhos de quina ordinapiente empregados na medicina preparam-a
eom cascas de quina cuja riqueza em principios activos extremamente
variavel; parte di&so, em razio de sea modo de preparacio, este vinhos con-
ten apenas vestigios de principios, activos, e em proporcoes sempre variaveis.
0 Qnlnlam Lab&rraqaa, approvado pela Academia de medicina, con.
stitue pela contrario um medicamento de composicao determinada, rica em
principios activos, e com o qual os mdicos e os doentes podem sempre contar.
O Qnlnlam Labarraqa proscripto com grande xito s pessoas iracas,
delibitadas, seja por diversas causas d'esgotaraento, seja por antigs molesa
tias; aos adultos fatigados por urna rpida erescenca, is meninas qui tem diffi,
cuidad em se formar e desenvolver; s mulheres depois dos partos; aos velhos
enflaquecidos pela edade ou doenca.
No cazo de chlorosis, anemia, cOres plidas, este vinho um poderoso
auxiliar des ferroginoios. Tomado junto, por exemplo, cora as pilulas de
Vallbi, produz effeitos raaravilhosos, pela sua rpida aceo.
Deposito em Paria, L. FRERE, II, roo Jaeob
A*-Mum>, DDPORCHELLE; C1EV0L0T. Nrmmkueo, I1R1I t O
ApoBc
37, o*.
Vendem em seus armazens, no caes do
n. 7, Escadinha n. i e ra do Amurim n.
seguintes gneros :
Ai; i de Milo.
Milho em saccas gnndes.
Farello em saccas de 90 libras.
Chumbo de manicio sortido.
Metal amarello para forro de navios.J
"Machinas para descarocar algodo de 14, 16 e 1*
serras.
Kerosene em latas de 5 galoc?.
Champagne do afamado fabricante Krng.
Hormouth.
Vinho do Porto engarrafado.
Coac do afamado fabricante Gantier Fr:es.
togo da China, caixinlias, 10 cartas n. 1. Extra.
Genebra ingiera Od ton
Cimento Romano.
Cimento Hidrulico. -
Cimento Portland.
Gesjo para esluqs.
Cannos de barro para esgotos.
Gradeamentos de ferro para jardins, calcadas etc
Carros de mao para servicos de inMlBBS.
Garrafoes eom 5 galoes de vinagre tinto,
dem com-3 paloes de vinagre tinto.
Chumbo em barra.
Especial para limas.
Em porcao e a retalho, vende-se no armazen
de pianos e msicas do Azevedo, ra Nova nu-
mero 11. _________
Farinhi de mandioca.
De superior qualidade e em saceos grandes,
vende-se nos armazens da comp-inbia -Pernambu-
cana, caes da Aisembla.
CADET
CU RA
em TRES DAS
[Pi^BfDenaiiiTj



I
11

Diario de ernambuco Segunda feira 21 de Fevereiro de 1870.

BARATAS, WA LOJfl E ARWAZEWI
^^jBB*^
;
_

DO
DE
FEIIX PEREIRV DA SIE.VA.
O propnetario deste grande estabelecimento, tendo dado balanco no fim do
nono, como de costme e vendo qu* boba um grande deposito de fa^ndas. e inntan-
!v,,mriSn0 raS rau,tas T lh? lm che*ado esle anno- len> resolvido fazer urna LI-
ffiS? Pr Precos muil ma,s baratos com o fim de diminoir a quantidade e apurar
iMXUEIRO.
0 respeitavel pubjico enconlra neste estabelecimento, nao so umgrande sor-
l.mc-nto do mais apurado gosto o luxo. assim como todas as fazendas de primara ne-
cessidade,.o de todas se dio as amostras com penhor : as pessoas que negocian em n*-
queua escalla, nesta casa podem sortir-se de um ludo, ven dendo-se-Ihes pelos mesmos
procos das casas inglezas. ~
ft.
6e $u
Esplendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. GO
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das raelhores roupas,
ehdo calcas palitts e coletos de casemira,
ie panno, de brim, de alpaca, e de todas
Crochs para cadeiras e sofs
O Pv5o tem um grande sortimento dos
mais bonitos crochs proprios para cadei-
ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
como proprios para cobrir presentes, e ven-
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte,
ALGODO ENTESTADO
s mais fazendas que os compradores pos- s J^ls a T PTC5" a 8dSo"
lam dcsejar, assim como na mesma loja ^ ? P8'!?08 de,la'?ara
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer raao 1ue se vende Por Preco moito em
fualquer peca de obra, com a niaior promp- ._.. ,. ,,.:,.
tidio vontade do freguez, e nao sendo rhMnn ,,*!;*, A
abrigados a acceita-las, quando nao stejam ..S^ff neDMJ,ne,,t0 ******
completamente ao seu contento, assim como jffi d* Prt0 W 8e tvendem
Veste vasto estabelecimento encontrar o LlVf? va-a* 1?arant!nd-se
-espeitavel publico um bello sortimento de ie cra fazen,?a de lll,.bo na0 ,na nads me-
:amsas franeezas e inglezas, ceroulas de *' n mais ProPno Para leQvOes *
inbo e a!god5o e outros rauitos artigos
Quando 3 A GUIA BRRNCA, mais precisa scientidcar ao respeitavel publico em
geral, e cm particular a sua boa fregoetia, da inmensidad de objectos que ltimamen-
te tem recebido. justamentefquando ella menos o pode fazer e porquo essa falta invo-
luntaria ella conQa e espera na benevolencia de todos que Ih'a attenderao e relevaro,
continuando portanto a dirigirem-se a bem condecida, k ja da AGUIA BRANCA ra do
Queimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sortimento de superioridade em
qoalidades. modicidade em precos e o seu nunca desmenttido AGRADO E SINCERIDADE.
Do que cima fica ditoso conhecequeo lempo de qu a AGUIA BRANGV pode
dispr, etnpregado apezar de seu3 cusios no desempenbo de bora servir -a aquelles que a
honram procurando prover-sc em dita loja do que necessilam, entretanto sem ennume-
rar os objectos que por sua natureza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja importancia, elegancia o novidade os tornan) recommendaveis, como
b< m seja
proprios para homens. e senlioras promet-
^ndo-se-lhe vender mais barato do que em
?utra qualquer parto. Na ra da Impera-
r; n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
-a da Silva.
Pechincha a 2^000
Para lenqes.
Na loja do Pavao vende-se superior bramante
com 10 palmos do largura, dando & largura o com-
orimento do Icagl, sendo apenas preciso para
eaila lenjo! um e meto, onjim e um quarto me-
sros ; afm desta aplicaclo tem outras muitas
;a arranjos de familias e vende se pelo barato
M de 20 o metro. Na loja do Pavao, ra
da inperatnz n. CO. De Feiix Pereira da Sdva.
Caugas de Iluho
Vende-se gangas de linho com qua rinbos
muito boa fazenda, para roupa de homens
meninos e vende-se pelo -barato prego de
500 rs o covado:
PECHINCHA EM PANN'O PRETO A 2:400.
0 Pavo vendo superior panno preto fino,
[>3ra pallitots, calcas, coetes, etc., pelo ba-
"'tissimo preco de 2:409, o covado, grau-
de. pechincha.
i. or es de casemira pretaa 4500
O Pavo vende os superiores cortes de
casemiras predas enfestadas, pelo barato
croco de 4:500, pechincha.
PARA O CARNAVAL
Verbntiua aOAOrs.
O Pavo vende bonitas verbulioas de c-
rei para dminos e outros trages de mas-
eans pelo baratissimo preco de 640 rs. o
filo.
PECWNCHA, ALGODOSJNIIO A 4;000,
0 Pava est vendendo pecas de algo-
losinho francez, leudo 4 palmos de largu-
-a cora 1 i maros cada peca, pelo barato
preco de 4 Pecas de tnadapolo a 3:500.
O Pavao vende pecas de rauilo bom ma-
apolo tendo 12 jardas cada urna pelo ba-
rato preco de :t:50O.
GROSDENAPLES PRETOS.
Chegou paca a loja do Pavo um grande
alimento de. grosdenaples pretos, tendo
de loOOat 5/5000 o covado neste genero
cercado, asiim como bonitas sedas pretas
avradas, reoireantiquesetc, todas estas fa-
tenas, vendem-se mais barato do ijue era
-jira quaquer parte, por ha ver grande
Drelo.
PERCVLLAS E CHITAS BARATAS.
O Pav.io vende um- grande sortimento
las mais hondas chitas claras e escuras, mais
-;-'rato do que .:m outra quaquer parte.
t'asnas atIO rs.
Vende-se na loja do Pavao bonitas cas-
de cores tixas a 240, 280 o 300 rs. o
ado.
Carabraias brancas a i:00) a peca.
= o Pavao vende pecas de cambraia
branca transparente, tendo mais de vara de
argura, com 10 jardas cada peca, fazenda
sempre se vendeu a 7)5000 e 85000,
darse pelo barato preco de 4d000.
tfpacas hrlibantes al,e SOO.
O Pasio t;m o mais bello sortimento de
alpacas tovradas com as cores mais delica-
da que tem rindo ao mercado o lendo bas-
laote taguaa, vendem-se pelo barato preco
la loOO. e 800 rs. o covado.
.-*. ... ..... .__^________ ..
Aienqao
\':te-'e nina taborna sita na rea Imperial n.
i 13 : a tratar na mesma.
'MSLESTIAScloPEnC
HYPPttGSPHITOS
N&* uHaCllllL
XAROPE e H YPDPHOSPHITO de SODA
XAflCPE de HYPOPHQSPHiTO de CAl
PimASdeHYFOPHQSPHiTdepuiNfflO

XAflOPEdeHYPOPHOSPHT0 de PERRO
WttMSdeHYPC
nmm PEflHIHw' OTRCHIU
pcf o frasco quaflradq e em
viIm ni pfodueUn 3 asstgaaturi do !)' CBUH-
CHXIJ e o letrciro cora a marca dt; fbrica da
fbanueh VW AHtt, li,TUaCanigUo*.PklM$
Ihas.
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um grande sortimento dos me-
jores chapeos de sol de seda, inglezes ten-
do neste artgo'o melhor que tem vmdo ao
mercado assim como urna grande por5o de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em ottra quaquer parte, por haver
grande porcSo.
Os baloes do Pavao a 2$000,
Cheg u um grande sortimento de balos
ou crenolinas do feilio mais moderno muito
proprias para, vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissipao preco de 2)5000 ca-
da um grande pechincha
CRETONES MATISADOS PARA VESTIDOS
A 640 E 800 RS.
Para a loja do Pavaa chegaram os mais
bonitos cretones escuros matisados, pro-
prios para vestidos, roupo chambres etc.
que se vendem 800 rs. _o covado, assim
como a mesma {azenda era padr5es claros
proprios para vestidos e roupas de meni-
nos a 640 o covado, sendo os padrSns mais
moderuos que tem vinpo ao mercado.
, AOS 20 MIL WM DI
LAASINHAS LUSTROSAS A 400 RS. O C0-
VA0O.
S o Pavao
Vende-se pa grande sortimento das
mais modernas e elegantes tasinhas para
vestidos, com as cores mais novas que tem
'indo a este mercado, sendo com lislrfebas
miudinhas que parecem de urna s cor e
:ora tanto lustro que imitam perfeitamente
is poupelinas de seda, e vendem-se pelo
Darato preco de 400 rs.
OssetinsdoPavao
Vende-se os mais bonitos setins de cores
i mais encorpados proprios para vestidos
;endo de diversas cores.
FAZEXDAS PARA LUTO
Na loja do Pavo.
Encontra o repeitavel publico ueste estabeleci-
nento um grande sortimento de fazendas pretaa,
mo sejara, cassaa franeezas e inglezas, chitas
(retas de todas as qualidades, fazenda de laa de
odas que tem vindo, proprias para lulo, como
ojam, laazinhas, alpacas lavradas e lisas, canto,
)ombazinas, ierin, etc., que tudo se vende por
)rego barato.
Vlaclapolao francez a 7,^000 rs-
Vende-se pecas de madapolao francez
-.om 2 metros pelo baratissimo preco de
'5000 a peca, pechincha.
Altas novidailes em sedas
Chegou nm grande sortimento das mais
aodernas poupelinas ou gorguroos de seda
i linho com os mais elegan'es padrees que
em vindo a esto mercado sendo, miudos e
{raudos, tanto em cortes para vestidos como
para vender em covado, assim como um
Donito sortimento das mais bonitas sedas
lislrada's que se vende tudo muito em conta
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porco de cera de
.arnauba em saceos por preco mais barato
lo que em outra qaquer: na loja do
>av3o ra da Imperatriz |n. 50. De Flix
'ercira da Silva.
ALPACAS LAVRADAS
Vende-se a mais bonitas alpacas lavradas
com os melhore* gostos a 640, 800 e 1#00,
o covado, alpacas lisas de todas as cores a
640 e 7O rs., alpacas brancas lavradas li-
sas e de cord5o.
Com palmas de seda a l #00 rs
Para a loja do Pavao chegou um rico
sortimento das mais bonitas laasinhas com
palmas de seda tendo de todas as cores e
padroes, sendo fazenda. bastante larga e
vende-se a L50O o covado.
AS CHITAS DO PAVO
Vende se am brilhante sortimento de
chitas claras e escuras por precos mais ba-
ratos do que era outra quaquer parte..
lloupa para escravos
Vende-se na loja do Pav5o, um bonito
sortimento de roupa par esefavos.
VS POUPELINAS DO PAVAO' A 500 RS.
_ Chegaram as mais lindas poupelinas de
a com mitacSo das poupelinas de seda,
ra- fazenda moito leve com as mais lin-
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de selim c obras essas
cuja novidade de moldo e perfeico de ador-
nos is tornam apreciados.
( itas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Lques uesse objeclo muito se pedera
dizer querendo descrevc-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenbos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar. mas para nao massar o pretn-
deme se lhe apresenlar o que poder de
melhor.
Entremeios em peca? de 12 liras.
Guipure branco e preto de divecsas qua-
lidades e desenhos.
Dilos de algodao com llores c lisos.
Veos de seda para chapeliuas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Dilas aberlas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptsados.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pnseJ,
Caixinhas cora ditos aromticos.
Bonitos e modernos pontes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de raadreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesonras para frisar babadinhos.
Aspas para balo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
urnas substitnem as oulras.
Vistas nra stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envernisada com
ras e com dminos,
Rollas de borracha para brinquedo de
Tonquihftas de fil, sapalinhos bordados enancas,
e meis para ditos. Diversos objectos de porcelana, proprios
Camisjnhas bordadaa para ditos. para enfeites de mesa e de lapinhas.
PARA A R8TA
Vede-se por menos de 10, 20 e 30 l
N. 23Largo do Terco.N. 23.
DE
SIMO DOS SANTOS ft C.
mssm i\\ (iipsso
PARA NEGOCIO
POR PRECOS MUITO BARATOS
WO BAZAR DA MODA
Eua Nova n. 50
Coques mitaco de cabello,
guarnecidos de bellos enfeites
a ultima moda, a duzia .
Papel superior de quadrinhos,
em caixas com 20 cademos a.
Envelopes prr elana, mudo boa
fazenda o milbeiros em caixi-
nhas de 100 .....
Bolees di' osso bem pulidos para
calcas, a grosa .
Ditos cobertos de superior setim
dto todas as cores, a grosa dos
pequeos a 05000, e dos gran-
des a.......
Ditos com oteressantes photo-
graphias para punhos a duzia
de pares a......
Ditos de osso imitando o marfim
com lettras a duzia .
Ditos lizos muito boa fazenda a
duzia .......
Abotuadurss para camisa sendo :
2 botOes para os punhos, 3
para abertura e { para o col-
larn^) brancos, escarlalates,
e pretos a duzia ....
Brincos de cores a bal5o, cousa
muito chijtie a duzia de pares.
Lindos frasquinhos empalhados
com bom extracto para lenco
a duzia.......
Ditos em bonitas caixinhas ca-
da frasco a duzia.
Tinta para marcar roupa, muito
superior cada frasco em sua
catxinha a duzia.
Livrinhos com capa de metal
dourado e com bonitas oroces
para a mlssa a duzi. .
Sabonetes de ametyloas amaa-
gas especlaiid.-de do BAZAR
DA MUDA, a luzia .
L.ipis pretos de superior qual:-
dade, oltayads a grosa 3 e
Escovas finas para dentes a du-
zia a Ij$000 e.....
vispo-1 AlGnetes muo bons, brancos e
prelos, a duzia de caixinhas a
Pemes pretos de muito boa qua-
lidade s grandes para alisar
a duzia.......
Ditos i-marellos fazenda superior,
para alisar, a duzia. .
Ditos de borracha com costas de
metal para repassar, a duzia.
Dilos enfeitados com contas de
cores a duzia a 4$ 5#e. .
Interesantes coquinhos capri-
chosamenle escuitdos dentro
-comum bom e lindo rosario
' a duzia U<8, 12^ e .
Grande sortimento de miudesas.
Grande sortimento de quinqui bailas.
Grande sortimento de perfumadas.
Pagamento reahsado 1:0 mesmo mez da
compra com descont de lu 0/0, ou letra
acceita a seis mezes de praso.
Jos Soaref de Souza & C.
4OJ00
640
7,51500
220
4^000
5;ooo
855O0
3,9500
8^000
1000
8,-)000
O-jOOu
6^000
7o00
2f30!i
4.5000
3:>0O0
2^800
Po^os tubulares ins-
tantneos.
Heitp-& Sampayo.
II11 Kmru akS.
O- annunris "parar a'j
9Wo* tubulares muqlaix ipwi'ic
oque.os viiiiln> dr I6ra do vea.
cni |><.r |)HC" niuitii mai
ao- dos melboraim titus ft-ico- podi-r WTvIr
bomba. A> pessoas qun quitmii cow\>mr im
ou mais desses tubos dcvnn irm toa ',.d,i
dos apninciaptos : ma S\-,\ n. :8.
Vende-s a eru da ra ;a Cnmi-
: a tratar na nie Para o cSSvS
Na ra estrella do Notario n. 3K l andar, (em
um grande siriiincuto ile ve;iuari t de pvi
bordados a o uro e a seda e laa, tudo d
g0^to e baral-is, tudo povo, vende e e ali
lem um grande sortinieiito do -i.-- ins I
de velludo e .-eda. t.ido novo, a v ider-te i> ;u-
gar se ; vestuarios para inenins. emlini tuito drt
mmto gosto e.barato ; fa-se lamben "'
vestuario a carcter e a gosli de i- d
grande sortimetito de domffis de lia nitiilo' le.ra-
m para Tnd4r-{8 o alOgar se, e ve>liiir,M-' 1 ,.-o<
para quem brer go.-to, pro|>ros para i
passeio-.
Farinha de maudSooa
em saceos grandes, e de stmori-.r qiKdidade v >n-
de-se nos arn.azons d Compahia l'vrusilniean
caes da Assembla ti. ti. ,
J.A.M0RE1U4WAS
tem coDsUiptemenU) en suaim i^m. tai da
Cruz n. 21!, um romplcto sortiiiun!- de
Balancas doeimaes.
Dilas orisontaes.
Pesos de ferro pelo tyttm* decimal..
Bombas California 'para ponos, as nklhor. -
te.n aparecido at hojo.
Cliamin- de vid 10 para candieiros a gaz.
Lenas de todas as quacdes.
Agua florida.
Graix 1 em oies n. 97.
Vidros para vidraja.
Tnnieo imperial.
que
Attenco.
2,^700
15700
2^400
G;)000
14,->000
Vendem-se dnas curoeas em bom estado un-
Uiniente dous bala para s mesmas : a tratar na
ra Direita n. lili.
??? 15 pr cento d- ec nomftTi?
Et fumo dar lucera
29-Rl'A DO IMPRUADOH 29
icos econmicos, d;i boa luz, de ".00 a 1 Oi 0 r-
cada um.
Os proprietartos deste bem sortidq annazem de secco e molhados estJo re-
solvidos a fazere urna grande diminuto de precos as suas mercadorias, como se apro-
xima a festa e sempre -se fazera avultadas compras para o centro e praca, por
isso previnem ao respeitavel publico em gerat, que mande fazer suas despencas e cer-
tos de que vero a grande differenca em precos mais do que.em outra quaquer parte
e garantindo-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 96500 a lata, e 440, SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 660 rs. o litro. 620 rs. o kilogrammo.
VINHO VERDADEIRO FIGUEIRA 560; FARINHA DE ARARUTA VERDADEIRA
a garrafa, e 45500 a caada e 800 rs o ti- 640 a libra e 15400 o kilogrammo.
Ll
Resta venda om escolhido sortimento de ob
lectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
arand, mogno eamareo, obra nacional e estrac
eir, de apurado gosto e por prao.< razoaveis :
aa ra estreita do Rosario n. 32. Nesta mesan.
jasa fazem-se com perfeico todos os trabalhos dt
palhuiha, cooto sejam, empalnamentos de lastro-
jara camas, cadtiras e sophs.
Farinha de mantiioc
Vende-se superior farinha de, naandiptv co sar-
cos : no escriptorio de Anumi> Liuz do Ooveira
Azevedo & C, ra da Cruz n .17. i" andar,.
Estaiiip;s una-
A loja da Aurora neeben boas estampas c.!
ridas, sendo das segninles qiialiila.k'- ; un ite d .
jiMo percador, onferno e paraizo, das ma., un-
que lem ehegado nakja da Aurora na ru. iaraa
do Rosario n. 33. ________
Ra de U,ea
A loja da Aurora na roa Urg du 11 .rio n.
38 perlencente a MaDoijl J .s.' L fpfjk Ii mi<>, n
ceben o bom rap de l.isna enj latas, .lo nvclti'i-
e mais fresco qoe le MtQgkda a r-i.< i r.-.v. .'!-,e-
gando pelo vapor francez em a mesn;a i<\j.; re.
de de diversas qualda les.
ik V U.IllilU .,i.
Na ra dtfa Quartcis, em frente a pr..-n.|i:i n.
2, Io e 2" andares, tem um grande m iiin.ei
vestuaries para lugar se, como sejam d .
de velludo, velbotina e de seda, gost. n-ed. rn ;
assim como vestuarios do principe, de velludo, n-
can ente enfeitados, vendem-se e tambein aluani
se por prego cummodo.
ias cores, sendo: verde Bismark, rxa, azul
yrio, c nsento, perolla etc, etc, e vendo-se
)elo baratissimo preco de 500 rs.
.Verla* de eordSa
Vende-se merino preto d'O cordo pro-
pio para calcas, palitit, o colletes, pelo
watmiao preco de 15000, o covado,
Na !ojf e ariaazem do Pavio rva da Imperatriz n. 60,
tro.
DEM DE LISBOA das melhorcs marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 25800 e
35200 a cana'da, 660 e 720 rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 45000.
. BOLAXINHA INGLEZA MIJITO NOVA a
400 rs. a libra e 800 rs. o kilogrsmmo.-
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso, em caixa ba abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro. RANCA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA 35200 e 65500 a groza.
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 15400,
15800 e 25200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 75 a caada, e 15340 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 15400 e
15280 a libra, 35060 o 25780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 25100, 15980 e W860 o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. ali
bra, 15220 o kilogrammo, em porco
far abatimento.
AMEIXAS EM UTAS E CACHINHAS
DEMUITOS TAMANHOS 15280,25500
35500,45500, 35500 a lata e a retalho e 15
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 4/K) rs
o masso, e em caixa ba abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MABCA 11 55500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERSd
se BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANHA DE PORGO DE BALTIMOOR DIVERSAS MARGAS 15500, 15200, 15 e
720 rs. a libra, o 15560 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
porco se far abatimento.
ARROZ DO MARANIIOE DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
35400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 4i0 rs. o
kilogrammo, e 65000 a arroba.
CAF EM GRAO 65 e 65500 a arroba,
200,240 e 2C0 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SABO MASSA 240 e 200* rs. a libra,
520 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHARIN E ALETRIA, i 560 rs. a libra ,e
15220 o kilogrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
lhante, combination, Francy-cracynel, mixed
Britania. Mdium, Fancy-nic-nac, a, b, c, e
soda a 15000 e 15400, cada urna lata.
Assim como ha outros rmlftos
GENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 75 e 65 a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
114 a frasqueira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
34000, 25800 e 25400 em caixa ba abati-
mento.
TOCINHO DE LISBOA MIJITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 115500 a arroba.
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 15000 rs. a lata.
LOMBODE PORCO ASSADO JA PROMP
TO a 15000 rs. a lata.
CHA FINO. GRADO E MIDINHO
35200 e 25800 a libra, e 65100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA Nf GOCIO 25000,
25200 e 14800, rs. a libra,
gneros, vinuo em ancoretas, azeitopas,
muito novas, passas e figos novos, charutos de diversas marca, maraelada, feita pelos
melhores conservemos em Lisboa, gela- de marmello, pcego, ervilbas, era Utas, por-
tuguesas e franeezas, vinho verde engarrafado retalho, pehe em latas, bem como
pescada, tatnha, pargo, goraz, lula, corvina, vezogo, cavabVsarda.esardinhas de Nan-
Canella, cravo, ervadoco, cominho, pimenjfc craadesmolhos de sebolla 15500
tes.
Finalmente muiros outros generpsque enfandonbo menciona-los.

PARA A FESTA
aportas, loja de-fer-agam
5Mtua Q*eita-53
PQBTLAND.
do armazeot amarello de Vicente Fer-
Neste. grande estabelecimento, ba para vender re,r- da >w & PHno, defronte do arco da Con-
eeicao, em barricas grandes
Yeadi
quaaraas e ovaes, facas "e garfas de 1 2 b'o-' ~' VENDE-SE ou arrenda-se o eogenni
tes, balando inieirb e 1/5 balaoeo; par.eJlas, cha.: S. Gaspar, sito na fregueaia d Serinhaem
^l/^.^n0^^ldeiras wwffl*, tanto" comarca do Rio Formoao, prximo do em
graomos. tanto de ferro como Ce lafo, metros I1'188306 roda da moenda, mattos mangue
para medir fazenda tanto de ferro crimo do law, par* nadeira necssaria, bom pasto, etc.
^'a^3,MAbS?t,?M0fre',')jpel man&via- atralarnaruad'\urora n. 26, ou na d.
do, dd vardadeiro; Picardo, naciunas para dtppa-, tmnerador n 20
rojar algodao; alm le outros artigos de terr- "p Z"___________________^
gem, mludexas euWarias finas, qua s com a vis- Vender urna ubernk n paleo deSTT7
undos
a tratar na mosaia.
COGNAC.
De superior qualidade da mu accredit*
da fabrica de Bisquit Dubouch 4 C, en
cognac urna das que mais agurdente dt
cognac, fornecem pata o consummo di
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ra di
:ommercio n. 32.
Farinha de mandioca
Vende-se farinha de mandioca nova e niuto su-
perior, chegada ltimamente de Santa Catiarina.
a bordo do lugre Margando, fondeado defronte de
trapiche do Exm. Baro do Ltvramento ; e pan
tratar ra do Ommercio n. i7, escriptorio de
J'^aijuim Jo.- Gonealves Beliro.
BRACO
Ainda esl para se vender o sitio da (rayes-
sa dos Remedios n. 21, na fMcpezja dos Ali' c -
dos (no estado em qne se aeha) : qneni prpft
entejda so com seu prupri tario no sobrad* d.i
ra de S. Francisco n. 10.
Fi rinh i de maiiloc.i
de superior qualidade. e om saceos grades : vrn-
fhtt noarniazeni n. ii da Companh a Pernam!,'-
cana, eaes da assembla.
ESCRAVOS FSSECS.
iae>
Ra do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento encontra-se
diariamente um variado sortimento de bo
linbos para cha, pastis, podins, bollos in-
glezes, p3es de lo. presuntos, ditos em fiam-
bre, superior th Hysson, prelo, e miudi-
nbo. VJnhos linos do todas as qualidade*
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, frudas muito boas, por-
tuguezas e franeezas.
Um completo e variado sortimento de
caixinhas de todas os gostos e precos par
mimosear, senboras, estas caixnnas recen-
teraente chegadas.de Paris s3o de priraora-
do gosto, offeresse-mo-ls aosgalanteadoies
do bello sexo pois nellas acharo nm digne
e serio presente para as donas dos seos
pensamentos. Tambem os apreciadores d
ha fumaos enconrar3o charutos dos me-
lhores fabricantes da Rahia ,e de Ilavana
sigarios do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, christafisados e dt
calda, dilos de caj ede outras qualidades
Nesta casa recebem-se encommendas par
bailes, casametitos e baptisados e quaquer
encommendas avulss, como seja p3o d4 \t
e bollos enfeitados e outros muitas couzas
que, eofadonbo mencionar.
Aluga-se ricos dminos pelos de 204 at 50#
completos coslun^ea, de. phantasia de I0 al 40
e vende-se calcas de meia encarnadas e brancas :
ru Bella n. 49 sobrado.
CEMENTO
O verdadeiro portland. S se vende n-
ra da Madre de Deus n. 22, armazem d
Joo Martin8 de Barros.
Refinapao
Vende-sc a reflnajao da roa Diretta d. 31, bem
afregueada, vende mais de iOarrobaSdo assucar
diciriaaenie,ist bem inoul.ida, e o moitvo^se dir
ao comprader.
Aviso s
e a ijiicni competir
No dia 29 de maio do corrente anno
fugio o escravo Ezeqniel, crioulo de 30 3
anuos de idade, estatura regular, relorcad(
cor bem preta. cabeca redonda, trajava c
mi-a azul e calca de cassemira cnzenta:
durante o da cosluma andar ganhando nai
mas, ou em armazens d- assucar ou as ta
bernas a conversar e a beber; dir;nto :
noite recolhe-se a telheiros abertos, ou pt
nelraveis, a casas em construego e a outroi
quaesqtier lugares, onde so possa abrigar
quem o apprebender tenha a bondade de <
conduzia a ra da Aurora n. 26, ou na d(
Imperador n, 20, ondo ser gratificado.
Acha-se fuginoo escrivo Francisco, pardo.
idade 20 annos mais ou menos, com dewilo tiii
una perua e braco, este escravo veio ha poucn
do Sobral, muito ladino, enculca-se de fum.
desconlia-se estar acoulado, o que desde j te pro-
tesla coulra quem o tiver feto. Gratiflca-sl
quem o levar ou dello der noticia na ra da Ma-
dre de Deus n. 5, 1 andar.
Fugio do cngcnbo Camaragibc nn ffgoesia
de Serinhaem perteneeotes a Gaspar likiiir.
Wanderley os escravos sr^tiintes : Samuel ci\
lo baixo, groco, nariz cbato, diz ser da Costa
ter sido comprado pequeo, JoSo Cabuculo de idr.
de Irinta e tantos anno?, ps chatos, vinas arrlp-
bitailas, estatura baixa, cor feixada, pouca. b'arba
e esta na pr uta do queixo, fr'ehppe mulato de ida-
de de 16 annos pouco mais mi meius, bajxp, gi
so, sem defeito algum, leve bixus cm pequeo. (
rm pouco apparece ; por isso pede-se as autori-
dades pulidnos e capitaes de campo a captura d< -
mesmos e lvalos no mesmo engenho ou iia ru:.
da Mueda n. 5, 2 andar escriptorio do Manuel '
ves Ferreira Se L. que seriio gratificados.'
__________________________________. i -1
Fugio no dia 10 do corrente mez a catira Se-
venna, qpm ossignaes segninles,: altura regular,
cheia do corpo, testa estreita, fJhs peqt'nos -
heleos bastante r.\os, tem o dedo minim da
esquerda am pouco dobrpdopara a palma tw n
representa ter 40 annos pouco oais ou un i
levou vestido de chita encarnada, com um
de cnila coin barra azul ; tem o andar om, p
emp'nadu para a frente : desottlIA-se qi
ocrulta em nlgema casa, peldquo se prod ;., i
tra a pessoa.que a liver en>,Bsa, obrigaod,;, p
gar os diasdoservteu ; roga-se saulondai
jjapiaes de campo que npareliendain-a Mivem-ti'a-
a roa do Sobo rf1 29,' CWS Vtia do Anwrim .
que ser penehuametota reeftapflnsailo.
Contina a estar fugidpp escravo preto do n
me Jos, Idade 40 anno*,' espato regular, i
a proporeo, pouca barba, agatts cabellos Aran-
eos na cabeja, lera junco a bocea e no jieso'
ladodireilosignalde un arranha-
mais clara que a da pelle em eonseqonea de
sarado ha pouco, levou chapeo cimento
camisa ile chita rdit -ofl.rtt branca e du .
fias pardas, -oi escravo do jSr. Mauo.il P-
Vianua morador no Grava:
leve-o ra do Apollo n. i
mente recompensado


8
Diario de Peruambudd Segunda feira 21 de Feverer de 1870
,
UTraATUBL
_.---------.----------------------------------------1-----------__------e
POUCO LE TTJDO.
ESTATISCA VINHATEIRA. A sorpcr-
ficie do solo plantado de vjuha, em Franca,
com rehende 2 militos e meio de hadares :
54 milbSes de heclares a extt nslo toial da
Franca, > 40 millioes de bficlaris o .''lo
cultivado. Vak-ndo, leimo medio, iriOOj^,,,'^,
fr. cada hcctaro, 6 o valor total das vinhas
t'rancezas 5 millares.
V sua producco anmial sobe n 00 od 70
millio-s d1 hectolitros, cujo pnr> medio 6
de 20 a 22 frjocos. o que eleva o valni lo-
Cai a 1:100 a 1:<>00milhoes de francos.
uin producto t'es vezes maior que o do ou-
tra qudquer cultura. Os impostos sobre
as vrahas, vinhos e agurdenles, produ/.em
impostos annuaes que se elevara de i'.iO a
240 milhoes d francos.
Estes 2 miloes e meio de heclares, sobre
(.3 quaos so exerce urna cultura intensa,
oeenpando mnitos bracos, sustentam 0 mi-
,!!ioes de cultivadores. Se atlendermos as
industrias annexas, taes como tanoaria, fa
?ricas de garrafas e de roihas, de caixas.
.etc., teremos, de certo, que o pessoal qu
directa ou indirectamente vive da vinha,
o eleva a 7 milti^s.
As vinhas de Champagne, cuja extenslo
.de 7:000 heclares, empregam s na cul
ura lo a 10 mil pessoas, e nas industrias
inmediatamente dependentes mais 1 \ ou
' I rail.
Em virtude do tratado de commercio
com a Inglaterra, o progresso de exporta-
c3o dos vinhos francezes lovantou-se a 19
raJlbdM Je francas em 1859, e a 47 mi-
ludes em .867.
YARIEDDE
O nono de !*>
(Contimta^ao)
A .demnisaclo de IflOOO ris por bra-
ga correnle, qualquer que seja a largura das
i '.as ou pracas, relativamente aos estudos
do nivelaraento, desde a capitana do porto
9m Jaragu al ao Bebedouro, dando-so os
declives necessanos, para escoamento das
iguas pluviaes, e levantndose urna planta
.Dmplela, que comprehenda todos os pre
dios e sirva para a cmara municipal regu-
>ar as edificaeSes. Os pagamentos ajusta-
dos sobre o calamento sao 43(5300 res
por cada braca quadrada de pedras facea-
'las, inclusive as sargtas ; 33*300 ris por
braca quadrada pelo systema Mac-Adam ;
I4/5000 ris por bra;a quadrada de calca-
:iento de pedras irregulares: 100*000 ris
for braca correnle de canu de esgtn de
.* ciasse para as aguas pluviaes; e 85*000
tis por braca corrente do dito de 2.a cias-
te ; 50*000 ris por braca quadrada de pas-
seio de lage latieral; e iO*000 ris, sendo
de pedras irregulares ou lijlo d3 alvena -
tia batida; 25*000 ris por alcapo de
servico, e 18*000 ris por braca de esgto.
Nesse contracto se estipulou que, attenta
a ligaco que tem o calamento com o es-
gto de casas particulares, illuminaclo a
gaz e melhoramento do encanamento das
iguas, naveodo at vaniagem em que taes
>ervicos se executem ,-imullaneamente e
sob o mesmo systema edireccio, serio
os contratanctes em igualdade de cireums-
lancias preferidos a outros proponentes
para taes emprezas.
Aos 5 de agosto foram contractados
os reparos precisos no cemiterio ublico
desta cidade, pela quanlia de 5 contos de
ris.
Concluirara-se j estes melhoramentos.
Para o servico de encanamenlo de
-ua potaveis da capital, foram conlracta-
''.as em 2' e 21 de agosto as construccQes
Ce urna casa e armazem, na praca dos Mar-
tirios, junto caixa d'agua, e outro pro-
uno ao acude, no Bebedouro.
Todos estes contractos, a excepcio
ios dous ltimos, tiveram comeco e acham-
,o as obras em andamento, algumas em
./utiusao. ., M
Trouxeram muita actividade para a ce-
nital, e portante muita vida; o fabrico dos
vnateriaes augmentou de proporeoes ea
classe pobro e operara nao faltaram sala-
'OS
" Com este exemplo tiveram impulso as
odificaces particulares.
Para auxiliar as obras das matriz*}
de Penedo, Traip e Pao de "Assucar, o
chamar tambera a occupaclo licita grande
numero de retirantes, que se amontoam
n'aqnellts lugares, toreados pela secca quo
flagella nos os serioes #o lado do S. Fran-
cisco, mandoo-se dar a quantia consignad
nas lis. e consta-nos que tem tido boa
pplica';an.
Na cTdalle do Penedo foi adquirido com
vaniagem a favor da fazenda povin-
cial um edificio magnifico, de um andar, e
excelenie cons nieco, destinado desde j
is repartieses flscaes provinciaes, mediante
a aJMnt de t< :00l)*0ti0.
Foi rcc.ebida, por estar nascondicoea do
mirado, a bia da cadeia da villa da
Malta-Grande; elegante predio provincia!,
que se presta perfeitamente ao fim para que
se o edificou.
Numerosos outros assumptos relativos
obras publicas pendem de exame e pa-
recer do engenheiro da provincia, Dr. Car-
los de Mornay, a quem e'st desde dezem-
bro do anuo de 1808 confiada toda a fis-
ealisac9o desse importan e ramo do servico
publico.
V-sc, pois, que o anno de 1869 foi um
dos mais fecundos, a. este respeito senio
o mais abundante, em prol do progresso
material da provincia.
A administradlo anda fez mais n'outros
ramos, como pascaremos a resenhar.
VI
MAS DE (.OMML.VW.AfiO..NAYEf.ACrt
I'On VAPOR.
Est na consciencia de todos a ulilidade
das vas de transporte, objecto hoje de es-
ludo dos governos. que comprehendem a
necessidade de se desenvolver o commer-
ci o aproveitar as torgas productivas dos
paizes agrcolas.
A esse respeilo o imperio anda' nio est
no t das grandes nacOes, posto (lie nao
lenha poupado esforgos a adrainisiraco pu-
blica para esse objecto.
As estradas de ferro de quatro importan-
tes provincias revelam a alinelo, que de
annos a esta parte, se emprega para dltar
o paiz de melhoramentos to elevados, a
que tem elle direito.
Em nossa provincia tem se consumido
grande somma de sua minguada receita
para estradas e pontes. Nao tem infeliz-
mente presidido a isso um systema regular
urna ordem harmnica, de accordo com um
plano gera1.
Todava, nao devenios ser pessmistas
lia muitas provincias quo se
alrazada .
As estradas, que temos, sao parciaes.
Algumas merecem serios reparos, como
a da Imperatriz, sobre que convm conver-
gir a attfloeio, afim de evitar o desvio de
grande cbrente de agricultores para a pro-
vincia de P-rnambuco, em direceo Trom-
beta, estacao da via frrea de S. Fran-
cisco.
Apuelte importante municipio, por sua
proximidade estrada de ferro da referida
provincia, de ve ser objecto de nossos cui-
dados.
Sabemos que grande parle de nossa pro-
dcelo se esca para all, com detrimenlo
das rendas da provincia.
E a falta de boas estradas desde o dis-
trelo da Lago at a capital concorre pode-
rosamente para esse mal.
O prnjecto de nossa viaferrea, cujos es-
tudias technicos eslao levantando se at a
villa da Imperatriz, se for realisado algum
dia, Irar vantagens incalculaveis provin-
cia.
o norte, se observa linda a falta de
communicaclo regular do districto de Leo-
poldina, ao menos para a villa de Porto
Calvo, que a navegaoSo a vapor pelo rio
Manguaba far por certo prosperar muito.
B'aquelle districto, bem como do de Ja-
cuipe e mesmo de parte do do Porto Calvo
fcil o transporte dos productos agrico
las. para a provincia limitrophe, onde en-
costra em breve distancia e por suaves ca-
minhus a referida estrada.
D'est'arte, nossa pequea provincia, que
vive por seus recursos peculiares, v-se
cada vez mais circumscripta. ,
Chamar por conseguinte para a capital
ou centros que Ihe sao dependentes aquel-
las regi jalao ferteis, deve ser o firn de
nossos et-tudos econmicos com relaclo
provinia.
A bella estrada que j ligou a ex-colonia
militar, fundad i pela sabedoria e patriotis-
mo de um de nossos mais distinctos admi-
nistradora, o respeitavel Sr. conselheiro
ftunha e Figueirdo, est hoje-quaat fecha-
da, preslando-se apenas com inconvenientes
ao transito deeSes e animaes. No invern
intransilavel.
Bealisada a navegaclo por Vapor no rio
Manguaba urna necessidade indeclmavel
restaurarse aquella via de oommunicacJo
dejl a 12 legoas, para o- qw pouco se
despender.
Assim tambera, no 3ol da provincia me-
rece alinelo accorada o rico municipio da
Palmeira, que hoje com difliculdade s com-
raunica com o S. Francisco ou, 8. Mi-
guel.
A navegaeo por vapor, que se projecta
no porto de Coruripe, nlo pode deixar.de
estar ligada aq charaamento a costa d* al-
marca de Anadia por meios rpidos de
transporte.
As duas comarcas ribeirinhas do opulen-
to S. Francisco gozam felizmente do bene-
ficio da navegaeo por vapor, que tem pres-
tado relevantes servaos prosperidade da
cidade do Penedo, villas e povoaeoes at
Piranhas.
Posto que remota, todava a ligacao da
Malta-Grande, Sant'Anan o Matta-Pequeoa
se taz por boas estradas- do sertlo, para
Piranhas e Pao de Astucar.
O futuro grandioso de todas aquellas
localidades depende da navegaelo por
vapor no alto rio, unida ao baixo, por f
meio da projectada estracEa de ferro, que
BdulralMe o obstaeulo da cacboeiras de
Paulo 'Aflonso.
Os estudos, que a respeHo fez com a
pericia qae Ihe batnal o dstincto en-
genheiro civil Carlos Ki-auss, mosiraram
a' prJticabWdade o fac* execu?5o da em -
prfr hablHando os poderes pblicos a
levaran a effeito qualquer das medidas
ndtedas, qne o bem e ioteressejle 'cinco
proviw-ias reclatiwm urganlemente.
No Inminoso relalorio do ministerio d
agricolra, apresenlado s carairas na
sesso de 1869", se encontra o trabalho
daqiit.'l'y professnaf. acompanhado de
urna plnla riquistnw
tos.
Oxah? nlo fique ella
chivos, pura attestar a
sao repoosaveis peta
Em neesa capital continua a prestar
ser vicos (te-alta monta- a pequea linha
frrea, que completo*- a navegaelo p)r
vapor das lagis do Norte e Singaaba
"achara mais pondo assinr en rpida communcarlo a
importante a coramercia* praca d Pilar
com o porto nwaritime d@- Jaragu.
O Irafego entre o Trapiche da BSn-a e
aquello bairro>--entre Macei e ambos Mes,
fez-se durante o anno cea toda a refttla-^
ridade.
M& anno de WW8; de que temes dados
exactos, o pricieiro da experiencia, o- va-
por Magoano, de con3tr*eSo provincial
encarregada ao iatelligente angenheiro Pre-
derico- Mery, toanaportou &!> passagsi-
ros.
A estrada de ferro ao Trapicha da Barra
condftaio 643,- o o -ramal de- RHaai 25id.
total 3086. A aargi-foi MtU7 volumes
com- 74:403 arrab, e mats^&a volumes
diversos.
No anno expirado ultimaoenta aquellee
algasmos sao na favoraveis.
0ramal de Macei vai em 4870 ser
encaraialwdo, como- j fizen ootar, pe
ra da Boa-Vista, em direceo pr*?
terminal dos fttartyrios, donde poder
com facRdade se prolongar at ao ameno
Bebedouro, ardeot anbete'de todos
habitantes da capital.
A companhii Bahiana, pelos recursos
de qae dispoe -talvez-a s competente
para reelisar aquekle ulissimo desidera:
tum^ e eonfiamos que prestar breve
mais esse servico 4 provincia.
A navegaelo ao S. Francisco tara-pros-
perado. As daas companbias costeicas,
de Pernambuco e Babia, tora lavado por
assim dizer a civilisaelo para a cidade de
Pecedo, Segunda praca da provincia^ e
desenvoNido a actividade e poli do os
cosijumes dos povos que habitam nas
margeos e circunvisinhanes daquelle rio.
Axjuella cidade e a de Propri, na mar-
gen direita, sao testensuabos vivos dos
prodigios do vapor.
A villa de 'ao de Assucar, em nossa
comarca de Matta-Granie, avantaja-se tanto
hj caminhj da prosper.dade. que nao
cede senlo ao Pilar a primazia entre as
suas companheiras de provincia.
0 porto Cerminal de Piraakas, em si-
toaeo ingrata, n'n:n solo enfezado e su-
jeito aos rigores qnasi inopa^taveis da
estacio calmosa, j um empqjlio impor-
tante do commercio que do aliono desee
em demanda da barra.
O antigo arraial do Armazem, hoje a
elegante povoac-So de Eotre Montes, lem
vida qjo se desenvolve cada vez mais
alem da esperance que a mitre de ser
o ponto extremo da navegaelo por vapor
ou de partida da projecaaa-inha torrea.
e nao tora a se;ca *oraz de quatro
anos, aquellas regioes mostrariam hoje
um es-ta-db lsongeiro dj adiantamenlo e
progresso.
A companhia Bahiana, que contem 20
barcos a vapor, o a Parnambucana 12
tal vez, coolnraam pok.a s.r credoras de
oosso reconnecimento pelos beneficios
que dilfundem sobre o alargamenlo de
nossas relaces e prosperidade de nosso
commercio.
Em 2 e 7 de juho a aiminwtraeo lr-
inou eom o incansavel jjerent dacorapanliia-
Pernambucana, Sr. Ferreira Borges, dous
importantes contratos, qw contem medidas Fcepeoes.
de caclarecimen^
sma*3 nos ar-j
incuria> des que
felicidad publica:
do maja elevado alcance sobre a navegaeo
por vapor de todos os rks e barras da
provincia e softro o estabelecimento de
Ikihas torrear (tranway) ao-sul da mesma.
Pelo. primeiro a compaubia- se obrigoo
a manter por e3paeo de 20 annos a nave-
gaeo entre o- porto desta eopital e as
barras de Porto de Pedras, Gamella, Caro-
ragibe, S. Antonio Grande, S. Miguel, Co-
ruripe e Giquriy tocando no principaes
povoadoa s margens dos rios Manguaba,
C*meragibe, Saato Aotooio Grande, S.
Miguel, Coruripe, Giqui, (laga) e S.
Tranciseo, havon*>' psra cada rio pelo
menos* um vapor.
A de S; Miguel, autorizada peto' lei n.
506 de de dezembro dave sef estabelecid no- prazo de um
anno, di data do contralor
A mdemntsaeo estipokefa de 6 ontos
de res anmaes pela navegado de cada
rio, ou de 4* cantos tot*hnente.
E' um dos contratos-,, nast genero mais
bem feitos e-previdenles-.-qe se tem ce-
lebrado na proTfacia.
Contem 6# elausula* minuciosas, de
qaaes a 23* dispee que :
So os vapore nlo podre chegar a
alguna d>)s p*rto desigaados-, ou peio-
ponco fundo d9' rio, ou par fQaesqoer
outros- grandes esnoaracoe- que impecar
a navefaclo, companhia podeo, de so-
lo de urna obra importante e dis
la jprovinca, sobre a qir.it
largamente- o histrico no artigo rt
anno de 1808.
Queremos fallar do encanamento de aguas
potaveis para Macei, emprehendido desde
1884.
Apezar de se ter a 2 de dezembro de pe-
nltimo anno inaugurado o aba3tecimento
das aguas, procedendo-se a bencl' solem
neda caixa d'agua, na praca dos Martyrios
nlo pode ainda a provincia gosar do assig-
nalado beoeficio para quo ha dispensado
j urna somma bem avultada. Aa obras
elfeiivamente concluiram-sede accordo coin
o plano do finado engenheiro Nicmeyer.de
saudosa memoria, e cora as modifi:ac5es
de detalhe, que houve.
A experiencia veio porm ooraprovar que
que minias vezes lisongeiris llworas des-
ipparecem diante da ^muda eloquencia
dos facfos.
A opinio sobre a formaco do grande
acude que se fez no riacho Bebedouro,
e que o Hlustre autor do plano tanto (tefes-
deu profligando a dos que julgavam-no des-
necessaro, earo eustou e custar .i pro-
vincia, que tem |passado po? largas de-
Construrio o acude entro dous morros
pora reunir as aguas- do fraco manancial e
ontras vertentes que teriam de abastecer
a cidade, nj se toinotf na de ida conside-
raeo" qne as trras, em cojo leito repousa-
vara ditas aguaae verteines eram verdadei-
ros paes.
O acude preeoehia, verdade, sew fim.
recebendo a grande quanlidode d'agua, para
que linha>capacidae, mas toniou-a impura
e de cor a-vermelhada por causa da decom-
posicao o%- principie orgnicos vegetaes e
animaes acwimulado, provenientes da es-
tagnaeo dygrande v^tnme das-aguas, alli
cuntido.
Por alguno-mezes os* chafarize da cida-
de estiveram- eheios d';gna, que jorra va de
de suistornetras, sem prestar se a potabi-
lidade.
O* emprezarte lembroo para remover o
inconvaniente e alo se perder urna obra de
tantos-sacrificios- o meio da construalo di-
filtradores no ajttde, que deveriam costar
50 a 8 contos.
. Diversos incidentes e polmicas se tevan-
laram, qwer na imprensa, qaer entre a em-
prezarioeo engenheiro da provincia* em
discordancia.
A presidencia expedio moras ordene e
tomou varias providencias, como a da ao-
meagao da duas cociaisses, pie succes-
sivamente-, deram parecer cere dos quesi-
c-do com o goven, estebeleser trilh tos propostos conceraents a qnestlo.
de ferro, com tanto que o transporte sej Tomoo>se a deliberaelo de esgotar i
fa$a na mesm* proporeao e-com-a mesma i acode, qne depois disso, permaieceu
FOLHETIIKI
OSUHIBOSBirOLIGSlIS
POB
lie Berthet
IX
AugastUs pate-anea.
(Continuaelo do n. 40.)
0 pai de Amelia pouca attenelo prestava
ao palavriado de Grande-Leopoldo. Pas-
ado o primeiro impulso da dr, recobrara
toda a sua energa. Chegado a casa do
roeo, dea as suas ordens ao machraista.
No momento de tomar logar com mu tos
operarios na cuba, disse para o yelho Top
f r que se dispunha a acompanha-lo :
" Corre ao escriptorio dizao Sr. Mayer
Q'aae ha, e que mande chamar a toda a
rressa oSr. Benier, engenheiro da rama,
toffl como o medico Boisgar... Vai de-
f ressa ; provavel que ambos elles nos
eiam muito necessarios.
E dando o signal de partida, sem ter
rota lo qae irande-Leopoldoj estava agar-
rado scorrentes da machina, desappareceu
iubitamente, somindo-se no immenso abys-
rapidez estabelecida oeste cntrate.
Em conseqoenoi aessa clau&ata cele--
brou-e o contrato cado de 7ide juho om
qae se aotOrisajdivefsos todos de ex-
ploradlo e nive^mentt nas varias-diwceoes
possiveis preferindo-se a da Palmera dos
Indios- por Anadia, ao sul, e-a de- Porto
Calvo-a-aeuipe ou- Leopoldma -ao norte.
Estes-dous-notae actos (te admiiistra-
Clo, publicados no Binio 0ciaV de 4 e
de agosto, comprehendem, poisy aseump-
tosde elevada monta, terlo- de ioflair se
forero realisados^ na prosperidade da pro-
vincia, de modo bem> saliente.
Com-estes ligeiros traeos a no mbito
de um artigo de rasenba, t-mos-espesto a
raateriad*) artigo- que nos oecupa.
Vejamos ainda outra ordem de fados
que ioteressaram a->piwvincia no aaao de
4869 e qae se prendem tambBmi a admi-1
nistraeae.
V
EnCAN-MOTO OE AGUA POTA.V4IS EIPOSI-
COCTSTRCCO BLIC\ B. PAKI1CIILAR
escola NonaiiLeirraos actos, admi-
Ntsmnaarna.
A a tivdade do -presidente, quo dirigi
os destinos da provincia no anno de 1860,
nao se limitou ao-eunmaranhado assumpto-
dos melhoramentes materiaesr .
Pede a justi$a.dS historia que os actos
principaes de soaadminislraciosejam cob
signados na sopara avaliar-se a influencia
que elles possam exercer sobre o pro-
gresso da provincial, como para attestar a
solkitude do governo, quetemaseu cargo
prover a todas a&necessidades do servieo
publico.
Antes, porm, de registrar os mais nota-
veis-de8ses actos, cumpre dar idea ligera
decorreram na
co.
Os poneos minutos que
descida pareceram bem longos para Van-
lest Chegou-se finalmente s galenas in
iriores da miua, e logo os operarios, mes
rao antea de parar a machina, se atiraram
abaixo com aquella imprudencia ou indine-
i gotismo palo perigo que os caractensa.
K maior parte dos engatados noesUvam
no seu posto e andavam trabalhando no
Hlvamento dos infelizes em perigo
araontoavam. Assim. todos os operarios
forniavam urna columna immensa, que se
agitavrt n'uma curva sorprehendenie, em ra-
zio das numerosas luzes, que, collocadas
em to ingreme subida, ffereciam o aspec-
to de urna pyramde de fogo.
Tristes e consternadas, ninguem diaa
urna palavra. Qnndo Van-Besl appareceu,
houve um murmurio em toda a linha e
olhares de sympaihia se dirigirara para
elle, mas nenhum dos operarios se atreveu
a fallar-lhe. E que haviam dedizer-lhe ?
Faziam-lhe ludo o que era humanamente
possivel para remediarem o desastre, e a
sua aciividade e zelo valia mais do que to-
das as palavras consoladoras qae Ihe diri
tfisSPm- i, a
Van-Best metteu-se pelo meio d elles
Estava carran -udo, taciturno, e chegou, sem
fallar a urna nica pessoa, ao ponto onde
comecava o desmoronamento. Como j.
dissemos. o trabalho seguia mu vagarosa-
mente. Van Best, que se encostara pa-
rede da galena, olhava para os operarios
que extrahiam o enlulho: afinal dzia elle
Deus so compadeea de nos I Estou
certo de que antes de tres das e tres nou-
tes nlo se poderia d'esta forma abrir pas
sagem.
Perdi, senhor director replicn o
mestre Nicolao, que dingia os trabalhos.
Em breve estaremos no talhlo da Virgem
Negra e ento poderemos trabalhar oitoou
dez a par.
Quando mesmo trabalhassem vinte de
frente,replicu Vao-Best nlo poderiam
remover tanto eolulho em menos de qua-
renta e oito horas, e entlo ser tarde, se
lo j tarde de mais!
E assim cabio no primitivo
entorpecimento.
Nicolao disse ed i afinal tu, que
S-flQ
agua at boje.
Sendo dtfuVH e comp*icada a-materia, o
governo soHoitoa do mmisterio a agricut-
tara um professional para estufe a ques-
to e habi!ita-to a proceder de modo se-
goro.
Em21 de-ootabro clwgara o- engenheiro
reqoisitado, que se acha>entre nos, ointel-
ligeote 3r. Dk*. Octaviai: da Boeha, cujo
contracto foi-estipulado.
Todos c popis relativos a esta Ion*-
ga e enfadonha materia toram-lhe pre-
sentes.
O Dr. Anona examinou a obro toda a
tem feito varios estudos- praticos- e expe
riencias, devend breve exhibir seu pare-
aer, que consta-nos nlo -favoravohi ulilida-
de do acoda, opinando pela proloogago do
oneanamentOi mais urna milha tal vez en>
hueca da naeeeno, nlo sendo preciso mais-
| do que urna repreza, eno lugar do acoda
urna caixa d'agua,. na razio tripliee ou qua-
dnopla da dea Martyrios* Estes remedios
quelhe parcoemasoluclo mais vantajoa,
devem provalvemeute importar nd cusi de
80 a 100 conloa a provincia, e sao lerabra-
dos apenas como o nico e mai* econmico
mel de se aproveitar o servico' feito e nao
se inutilisarem de todo os acridios da mes-
ma provincia..
Cremos que S. Exc. oSr, presidenta- da
provincia, de acaordo com a prxima assem
Wa legishitiv, seguir o al vitre que meihor
deva ser aconseihado.
Em excepeao da lei n. 5 8ide 11 de de-
zembro de 1868 a presidencia ex pedio era
31 de maio passado o regnlamento do en-
canamento, qne contem. importante.s oatrac-
Ces ase observarem naquelle servic.
Achaase sobreestada sna execuelo por
lunccionar ainda a canalisaclo das
Basta o ponco do exposlo, que corapen-
d a o estado desta nota ve I empieza. Passe-
raos a outro assumpto.
A provincia testeraunhou dous aconteci-
mentos importantes, cuja iniciativa deve a
actual adminjstraclo, que nlo poopon es-
toreos para realisa-los.
Tiveram elles lugar em dous grandes
aniversarios de fcstS nacional, a vde" si-
te mbro e a 2 de d'sombro.
O primeiro foi a aWtura de uraa expo-
sicno agrcola, artstica e industrial da pro-
vincia, no palacete ltessembla legislativa
em beneficio do patrimonio da 9an*a Casa
de Misericordia da capital.
Essa brlhante concepelo do espirito de
S. Exc. p tisff e dedicaelo das localidades, foi co-
roada de magnico resultado.
Durante sete diaa consecutivos a concur-
rencia publica aoimavu aqnelta explendida
exposieSo de productos naturae e artisti1-
eos, nos qtfaes o espirito se engrandeca na
comtemplaso de tantas preciosidades e ri-
quezas que a Providencia liberalisoa ao
nosso torrlo..
Primeira festa deste genero qnn teve a
provincia, e qm devendo ser um ensaio,
excedeu expectativa geral, veio attestar
que as b 'as ideas aqu tamifem germinara
e se desenvolveros
Si os nossos administradores tvessem
empregado forca de vontade para dotar a
provincia de urna nstitoieao popnlar t3o-ci-
vilisi'lora, como as exposiees no figura-
ra por certo como letra mora nos annaes
de nossa legislaco a excedente disposielo
da resolueao n. 387, art. 12, de 8 de agos-
to de 1864, concebida nos seguintes ter-
mos :
x Iraver em cada municipio annunlmen-
te urna expolio de productos e trabalhos
colligidos pe municipalidades e cidadlos
designado* pelo governo.
Os productos perfeiies serio premea-
dos e remettidoe para a oapita, O go-
verno dar-regirfamento para estos exposi-
Ces.
OExm. Sr. Dr Jos Beato -Jnior melteu
os bombroe a emp-eza. qi sob sua ini-
ciariva e reapensabtfidade, fai roajsada no-
auspicioso anniversatio de nossa indepen-
dencia.
Os productos fOfan arrematados^ e o pa-
trimonio dos desvalidos da Santa Casa de
Misericordia receben a dotaelo d- varias
apolir.es da divida pnMica no valor de 2
conloe de ris.
Bm- seu numro 23-T de faVdo outobro,
este Diario descreve a festa de 7 de se -
tembre, como ama nova- era, que ella mar-
cou, ero nossa provinciav declarando qae
peraBte a civilisaelo foirealisada urna aspi-
raelode progreso, enerante a religiao foi
cumprido ura dever de-cardado-, don alvos
a que attiogiu aexpoaieo de 1S69.-
A eloqoencia pois este fado auspicioso
d direito a consignar-senos fastos de honra
do anao lindo, e o fa*endn nos comprimo?
am dever.
0 segundo acontecimenlo, aqpe nos re-
fer moa, no DouedtBnzsmbro, foi um re-
mate glorioso do anno dn 1869.
deixado desabar essesemmadeiramentos an-
tigos, de forma que, quando se l ia- visitar
a Virgem Negra, nem vestigios se viara de
tal sabida, Gom todo a sua pergunta faz-
me pensar...
E o mestre roineiro continuou a traba-
lhar cora vivo enthusiasmo, como para evi-
tar de. responder a ouira qualquer per-
gunta.
De rep^ nte- espalhou-se certa agitaclo em
toda a linba de trabalhadore-. Um bomem
meio n viaha correado para o cimo da ga-
lera em direcelo ao Sr. Van-Best. Era
um dos fogueiros do poo- de ventilaclo.
Patrio,disse elle a arfar de cansaco
no poco, das escadas ouve se grande rai-
do. Parece que esle, s martelladas, pa-
rece mesmo que al se ouvem vozes gri-
tando... Deve estar ali alguem offlicto !
No poco das escadas ? exclamou
impetuosamente YaoBast.Nao haduvida,
Haai-nhr-iram nnr aii alcilOia Sallida. V a-
xa.Eu sou. mestre soodador : para que
preciso de machada de carpinteiro ?
. Po&eu vi que lineaste ralo d'ella
logo depois qae levaste aquelles murros do
peralta francez ; vi que Ihe agarraste assim
s escondidas e suppui at que nao irias
fazer bom oso d'ella. Fui atraz de ti, po-
rm perdi-te de vista. Agora, que te
encontr, nas de dar-m'a !
Tai-te com os diabos I Ja-, te disse
que a nio tenho !... Qoeres que te que-i
breas costellas9
e ah treraulava
abertura feita nos pavezes
nina. lux.
Ola, amigos, que isso ?perguntou
Van-Best esbaforido.
J se acharam, senhor !...disse um
dos fogueiros. Bescobrira urna sabida
antiga.que exislia no talhlo a Virgem. Ne-
gra. Opeior agora paia os tirar de l I
Aquello que v acola em cima Antonio
Robn.
Mas de mmha filha que noticias ha ?
Van-Beslfea.com as raaos um porta-voz
descobriram por aii alguma sahida
mos depressa; talvez Deus me restitua a
filba i
Um grande rumor se propagou entre to-
dos os operarios e cada um a porfa se dis<
punha a correr ao poco das escadas.
Ninguem se mova I gritou elle.
Quem sab* se sto am rebate falso 1
Continoem o sea trabalho e lembrem-sej de
que um minuto de demora pode costar a
vida dos que queremos salvar t
estado de
!ha
A gatoria de transporte, o toada^ (^^ ^ ^ ^ ^ -be| se (|g
lbes l de cima tem sahida psra o lado d"
poco das escadas ? No tempo de meu pai,
ras ame*, acbava se agora deserta, mas
que conduzia ao 4alhlo da Virgem Negra o-
rorecia um aspecto admiravel.
J dissemos qne esta galena era muito
estrella e d'aqui provinha a difliculdade do
salvamento. S podiam trabalhar a par
dous horneas, e. como nio hay.a para onde
deitar o entulbo, torcoso foi eatabelecer
urna cadeia de gente qne de *> (
o ta
pausando para outro ttlhio, onde p
quando aquelle local andava em exploraeio
creio joe existia urna galena commamcan-
do com o poco do ventilacio-
verdade, senhor. mas essa galena
fechou-se quando se emmadeirou o poco
das escadas e agora seria difficil de encon-
trardbe i entrada ; altn d'isso, tem-se
Os mineiros coraprehenderara o que ha-
via de pradeute na observac-o e continua-
ran! a tanfa.
Van-Best, seguido do fogoeiro e de Ni-
colao, apressou se a desear galera. De
caminho dizia ao fogueiro:
Nenhum de voces foi ver d'onde sa-
biam esses rumores ?
Sim sinhor ; os meus camaradas su-
biram as escadas e de certo nos darlo agora
novidades do qne descobriram.
No fim da linba formada pelos operarios
encontrou o direetor os homens que pri-
meiro o acompanharam e entre os quaes
se achava Grande-Leopoldo, o qual n esse
momento nba ama grande discusso com
um dos seos camaradas.
J te disse qae nlo tenho a tua ma-
cha-ia-rda'a Grande-Leopoldo em voi bal-
Ene argumento era d'aquees quo nao
teavreplica. O pobre carpinteiro, intimi-
dado, foi-seaflastando e dizendo por eatre
dentes : .
Est bom. Fallaremos n'outra occa-
sio e veremos se ella apparece.
Van-Best nlo dra a menor attenelo
trivial cirenmstancia de urna questo entre
dous operarios relativamente a ama farra-
menta extraviada.
Gjande-Leopoldo, satisfeto por bayer
redazido a silencio o sea adversario, reuni
se ao grupo do director.
Este, logo que chegou galera geral,
qae atravessava a mina de ora ao outro la-
do, daitou a correr e todos o imitaram. Um
grande rnido, procedente do lado da poco
das escadas, annonciava algura acontecimen
to importante. 0 pobre pai redobrou de
velocidada e em breve chegou ao ponto
d'onde partiam os gritos.
Estavam agora no fundo do poco de ven-
tilacio, d'onde, olhando para cima, se via
a ama r.ltnra prodigiosa urna luz clara e
lmpida: era a laz do dia. Um grande lo-
me estabelecia permanentemente n'este
grande respiradouro a corrente de ar, sem
a qual seria impossivel estar alguem .por
horas consecutivas no interior da mina. Ao
longo das paredes do poco estavam dispos-
tas trinta ou quarenta escadas, separadas
cada urna por urna estreita prancha de ma-
deira : era por ellas qae os mineiros subiam
e desciara, quando o nlo faziam nos wa-
gons.
Alguns fogueiroa_encarregado3 da alimen-
tacio do fogo estavam reunidos janto ? os-
eada!, sobre urna das qaaes dous d'elles
trabalhavam na gundagera de ama prancha.
A uns quarenta ps de altura bavia. uraa
e gritou cora toda a torea:
Antonio. Antonio, Arabia est com-
tigo ?
A resposta fez se esperar, e afinal ama
voz frica egemebunda, sahida de um p-n-
to a meia altara do poco, dizia :
Quem me chama ?... oSr. Van-
Best 2
Sim, Antonia, son euf... Tira-me de
cuidados, diz-rao onde est minha filba 1
Est ali prximo de mira, e nlo Ihe
falla por se aobar in -oraraod ida e igualmoo
te Gertrudas. D-pnis que para aqu as
transportei, recobrarara os sentidos; mas,
se nio nos enviara algura soccorro, eu pro-
prio mesinto desfallecer I
Sim, ahi vamos j. porm tem todo o
cuida le com Amelia I redarguio Van-Best
iue, no seu egosmo paternal, se esquecia
de informarse de Leonardo,
llavia ali, porm, quem se nlo esquece-
r d'elle.
E o nosso charo Leonardo ? per-
guntou ouira voz. Que feito d'elle ?
__Est morto 1 respondeu Antonio
com voz sentida.
Sim? Que desgraea 1 Temos ala-
mentar a perda de um valoroso rapaz I
Era Grande-Leopoldo quera fazia esta
pergunta. Quem o analysasse vera desusar
Ihe nos labios am hediondo sorrisr, em
quanto exprima o sea falso sentimento.
Tornava-se agora urgente completar o
salvamento d'aquelles infelizes, o que nlo
era muito fcil, como bem dissera o fo-
gueiro. A porta de ventilado a o emraa-
deiramento qae Antonio acabava de arrum-
bar, servico que extenuara ainda o mus
vigoroso mineiro, eram situados dolado
ppposto qaelle em qne se achavam a.s cs-
Na senda do progresso moral demos am
passo avantajado, qae ficar memoravel em
nossos annaes.
Para- rndennos -o caito devide a historia
da provincia e a-ostumar o espirito a essas
investigaes que tanto proveito dao pa-
tria, promoveu o Exnv Sr. Dr. Jas Bento
Jnior e rcalisoo.com xito feliz a instdselo
de QBiJnstilttto \rcheologico e Qeograp&ico
Xlagcano.
Devendo a a6sociaeio comper-se de 40
merabros effectivos, foi presente essa ses-
slo primeira e solemne 26 dos-convidados,
que escolhcram para presidenta o distincto
magistrado e respeitavel alagoano Ex;ii; Sr.
commendador Dr. Silverio Fernandes de
AranfO Jorge, digno I.* vice-presidento da
provincia.
No brilhante discurso com que o solcito
fundador do Instituto honrou a festa de sua
inaugnraeio, acha-se to luminosamente jus-
tificada a idea e desenvolvido o assumpto
qae dspensamo-nos de qualquer langa con-
sideraclo.
(Contmtar-s+ha.)
cadas : bavia, pois, um espaco de quatro
ou cinco ps entre a abertura e e escada
mais prxima, e por isso era impossivel que
Antonio, acabrunhado de fadiga, meio as*
phixiado, su;tendo-se apenas de p, podesso
iranspor aquelle espaeo, e ainda mais fa-
ze-lo, transportar a duas raparigas quasi
moribundas. Com ludo o tempo urga :
bem que Antonio e suas companheiras, de-
pois do arrombaroento da porta, resgiraa-
sem um ar mais puro, nao deixavam aindi
de estar expostos influencia malfica do,
gaz accumulado nas galeras superiores, e
ta vez se esta situaco se prolongasset ter-
minara por corlar os. ltimos lifjamentos
do. vida n'aquelles organismos ti exhaus-
tos de forca.
O meio de salvamento mais natural pa-
reca aquelle que os fogueiros punham em
execuelo no momento da chegada de Van-
Best : consista elle na collocaelo de urna
prancha com urna extremidade sobre o slo
de abertura e a outra presa escada, esta-
Delecendo assim urna ponto suspensa. Em
poucos minutos levou-se ao cabo esta ma-
nobra.
Mas a grande difliculdade subsista aiada
Como fazer iranspor aquelles infelizes en-
fermos urna prancha estreita e vacillante
suspensa n'uma altura de quarenta ps?
V m-R.'St, na sua dedicaeo paternal, qae-
ria elle mesmo ir bascar Amelia nos bra-
cos, porm todos se oppozeram a isso.
Descolpe-me, scnbur directordisse
Nicolao. O senhor nio tem o habito e
singue fro prec sos para tal empresa ; eu
l vou e respondo pelo resultado.
verdade, deixe-nos fazer esse ser-
vico ; temos a experienca por nosrepetio
Crande-Leopoldo Afllrmo-lhe qae os ti-
raremos d'ali.
Van-Best, comprehendend i a importancia
do com .mttimento, concnrdou ; com todo
foi o primeiro a subir a escada e a cojlo-
car-se ua p-quena plata-Corma de madeira
que separava a escada da ponte snspensa.
Nicolao seguia-o logo com Grande-Leopoldo,
e, atravessand resolutamente a prancha,
logo se acboo junto de Antonio.
(Continuar-se-ha.)
' !
fiP. W 9tAII*-HDA DA9fJWIWS.

-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2W9CVMJW_VBUS4W INGEST_TIME 2013-09-14T02:58:01Z PACKAGE AA00011611_12047
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES