Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12046


This item is only available as the following downloads:


Full Text



^^fl U MI
ANNO !LV. NUMERO 40.
J

i
E
B
PARA A CAPITAL LUGARES U MAO SE PASA PORTE.
('-'or tres mezes adiantados....... ......
Por seis ditos iikm.............
,;or um aano idem......... .
*id* numero avulso........'. '. ''.... 320
000
1 ,500o
SABBADO (9 DE FEVEREIRO DE 1870.
PARA DEITRO E FRA DA PROVINCIA.
Por tres mezes adianlados
Por seis ditos dem. .
Por nove ditos dem .
Por ura anoo idem .

DIARIO DE
60750
434500
20tf260
270000
Propredade de Manoel Figreira de Faria & Filhos.
SAO ACERrTES:
6i Srs. Gerardo Antonio Alves A Filhos. no Para ; Goncalves & Pinto, no Maranho ; Joaquim Jos de OveVa, no cjar ; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty ; Joao Mara Julio Chaves, no Ass ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
Pereira d'AJmeida, cm Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos! Gomes, na Villa da Ptnha ; Belarmino dos Santos Bulco, em Santo AntSo; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Martins Alves, na Baha ; e Jos Bibeiro Gasparinbo no Bio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL.
Covcra.i da provincia.
flXl'DlEJiTK ASSIGNADO PE.') EXM. Sil. M3MB01 KRR-
DERIOi Di ALUKIDl E ALBUQUERO!^, PRESIDENTE
da provincia, em 8 db uhbjm ia 1870.
1." seccao.
N. 143.Portara ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.Cominuaco a V. Exc. para os
los convenientes, que o vapor Cnruripe da com-
panhia Pernambucana. segu para o presidio de
Fernando pelas II lloras damantiaa do dia 14 do
crranle.
X. 144.Dita ao director do arsenal de guerra.
Comoiuiuco a V. S. para os lins convenientes,
que o vapor Cnruripe da eompanhia Pernambuca
11a, segu pira o presidio de Fernando pelas 11 da
manhaa do dia t d > crrante.
X. lo.Dita ao com atndome do presidio de
Fernando.Ao commandante superior da guarda
nacional deste municipio, expeco ordem nesta data
liara que faej substituir por outro, o guarda na-
ional ah aq;inielado Theotonio Francisco Ven-
lura, allm de que este regresse a esta capita} no
-vapor Cnruripe, que para csse presidio seguir no
X. 14G.D.-tibcracao.O presidente da provin-
cia attundendo ao qiie requeren fos Antonio Ce-
sar, porteiro do arsenal de guerra, e lalo a vista
a infirmara> do respectivo director, datada de 4
do correte sob n. 't, resolve coaceder-lhe um mez
ile licenca com ordenado na forma da lei para tra-
tar de Na Salido.
N. 147.Dita. O presidente da provincia at-
toDdendo ao que iciuereram Fonseca 4 Santos,
resolve conceder-Ibes licenca para embarcarem
para o presidio do Fernando no primeiro vapor
da eompanhia Pernambucana que para ah seguir,
os genero* constantes da relicao junta assignada
pelo secretario do governo seren entregues a
Mano I Joajuim do Paiva, na i poJcndo, poim
offeciaar-.se o desembarque dos mesmos gneros,
!*om que por parte do commandante do referido
presidio so proceda a exame, aiim de vorillcar se
lia agurdenlo ou outra qualquer bebida espiri-
tosa.
2* seccao.
N. 149.Dito ao presidente do supremo trbu-
wl do justira.--Levo ao coohecimento de V. Exc.
q:ir, segundo p.irticipou o juiz de direito da co-
marca do Bonito, o hachare! Joao Rodrigues Cha-
ves, emofiko de 18 do mez Ando, nsse dia en-
-trou elle no goso da licenca de trinla dias, que
elo presidente da relacao lbe foi cancedida, sen-
comarca a raassumir as funcees de seu cargo,
depois de se tarar encerrado" no dia 1 do dito
mez, os trabalhos da assembla provincial da Pa-
iahybadaqual era-niembro.
.Y 150.Portara ao Dr. chefe de polica.Com-
munieo a V. S. para as lias convenientes, que o
vapor Cnruripe da eompanhia Pernambucana se-
gu pra o presidio de Fernando no dia 14 do
correte pelas 11 horas da manhaa.
N. 151.Dita ao commandante superior in'eri-
no da guarda nacional do lenle. Expega V. S.
ordem terminante, para que seja substituido por
outro o guarda nacional que se ada destacado no
presidio de Xoronha de nome Theotonio Francisco
Ventura, aliin de que este regresse a esta capital
no vapor Cnruripe que para all parte no dia 14
crrante as II horas da manhaa.
X. 132.Dita ao coronel Hodolplo Joao Barata
de Almeida. Designo V. S. para fazer parte da
junta que em ultima instancia tem de julgar nes-
te palacio a l.'i deste. mez ao meio dia, o soldado
le corpo provisorio de polica Firmino Apolinario
da Silva llamos.
X. 133.Dita ao juiz de direito da primeira va-
ra desta cidade. Designo Vmc. para fazer parte
da junta que em ultima instancia tem de julgar
neste palacio 15 deste mez ao meio da, o sida-
do do corpo provisorio de polica Firmino Apnlina-
io da Silva Hamos, cujo conselho de julgamento,
incluso lhe envo para apresentar o relatorio de
vio.
X. 134.Dita h teaeaeotes-corofloh Francisco
'! Miranda Leal Sera a Joaquim los da Silveira.
Designo Vine, para fazer parte da junta que
ni ultimo instancia tem de julgar neste palacio,
. la deste mez ao meio dia, o soldado do corpo
provisorio de polica Firmino Apolinario da^Silva
liemos.
K. loa.Dita ao j iz municipal da primeira va-
ra desta cidade. Otinmuaico a V'm;. para os fias
ron venientes, que o vapor Cururipe da eompanhia
Pernambucana segu para o presidio de Fernando
de Noronha pelas 11 horas da manhaa do dia 14
le crrante.
X. 136.Deberacjio.O presidente da provin-
cia de conformidade com a proposta do chefe de
polica em offlcio n. 30 de 7 do crreme, resolve
nomear para os cargos de primeiro, segundo, ter-
reiro e quarto supplenles do subdelegado da fre-
gi ezia do Foco da Panella. os cidados seguintes
na ordem em que^o coilocados: Manoel Jos de
I'ai va Pinto, Antonio Accoly Lias, Francisco Ma-
mede de Almeida e Thomaz Jos da Costa Pi-
mentel.
N. 157.Dita. O presidente da provincia em
vista do cilicio do chote de polica n. 30 de 7 do
crranla, resolve exonerar a beui do servco pu-
blico, dos cargos de primeiro e segando supplen-
les do subdelegado do dslricto do Po-jo da Panel-
la, os cidados Mo Lucio da Costa" Monteiro e
Francisco Carneiro Monteiro.
3J seccao.
X. 138.^-Portaria ao inspector de fazenda.Communieo a v. S. para os flns con-
venientes que o vapor Corttrtpe da eompanhia
l'ernambucana larga para o presidio de Fernando
uo dia 14 do crrante pelas 11 horas da manhaa.
N. 159.Dita ao me*mo.Transmiti a V. S.
Pra os tlns convenientes a inclusa ordem do the-
-ouro nacional sob n. 251, e titujo a que ella se
refere.
N. 160.Dita ao mesmo.Autoriso V. S. nos
tormos de sua informacao de 5 do crrante, sob n.
:, com referencia a da contadora dessa thesou-
raria, a mandar pagar ao gerente da eompanhia
l'ernambucana a quantiade U:ltibj66, proveni-
i ate de subvenjio ralativa ao mez de dezembro
iiltinti, com que o governo imperial auxilia meo-
>almente a mesina eompanhia, que allegou haver
satisfeito os sena compromisos naquelle mez.
N. 161.Dita ao inspector da thesouraria pro-
\ incial.Recommendo a V. S. que, em vista das
votase atlestados juntos, mande liquidar e pagar
a empreza da illumiaacao puDlca desta cidade, o
qtte jiislamenie se estiver a dever proveniente da
uesma, illuminac.ij durante os mezes de setero-
bro a novembro no anno prximo passado.
ti. 102. Dita ao mesmo.Mande V. S. por em
hasta potica a obra do atierro da varzea do en-
enho Rosario, servindo de base a essa arremata
.rao a: clausulas o orcamentos juntos por copia
qao ineremetteu o chefo interino Ja repariicao
las otras publicas cotn oEBcio de 3 de dezembro
ultimo, sob n. 401, a que se refere a sua informa-
rlo de 29 daqaelle mez n. 763, visto ser esta obra
a meaoia de que trata o 5* do art. 10 da lei do or-
comento vigente segundo declara o suprdito
chefe. _
N. 163.Dita ao chefe das obras pabficas.
Nesta data expedio-se ordem a thesouraria pro-
vincial para por em hasta publica a obra do atier-
ro da varzea do engooho Rosario, sQ.-vindo de bi-
iiataclo as clausulas e orcamentos
a, a que se refere o oJioque Vmc.
me dirigi em 4 do crrante sob n. 2, o qual fica
assim respondido.
4." scelo.
N. 165.Portara aos agentes da eompanhia
Brasileira de paquetes a vapor.Respondo ao olQ-
cio que nesta data Vmcs. me dirigiram, declaran-
do-lhes quepdem fazer seguir paraos portosdo
sul o vappr Cruzeiro do Sal, que chegou do norte
hoje s 4 horas da tarde, depos que estiver preci-
samente terminado o prazo eslabelecido no respec-
tivo contrato, para demorar-se" uo porto d'esla
provincia.
N. 166.Dita aos mesmos.Os Srs. agentes da
eompanhia Brasileira de paquetes mandem dar
transporto para a corte, por conta do ministerio
da guerra, no vapor Cruzeiro do Sul, ao soldado
desertor do terceiro corpo do voluntarios da pa-
tria, Manoe/ Marques Correa, e ao racruta Manoel
Jos da Cruz.
X. 167. Dita ao gerente da eompanhia P?r-
nambucana. Ple Vmc. laier teguir para o pre-
sidio de Fernn lo o vapor Cururlpe, no dia
14 do crrante, hora indicada em seu offlcio de
7 d'este mez.
X. 168 Circular cmara municipal da cida-
de do Recife.Por serem contraditorias as deci-
soes do governo sobre se deixa o exercicio do car-
go de yereador que tem de assomir a vara de juiz
municipal, mandou Sua Migestade o Imperador,
por sua immediata resoluto de 13 de maro/) ulti
mo, depos de ouvid o parecer das seccoes do
imperio e juslica do conselho de estado, com o
qual se conform >u, adoptar o principio de que o
vereador deixa o exercicio de seu cargo, em quan-
to serve o lugar de juiz municipal, de conformi-
dade com o disposto no decreto n. 429 de 9 de
agosto do 1843 o nos avisos ns. 378 de 21 de outu-
bro de 1837 e 162 de 6 do junho de 1839, segun-
do foi com tunicado por aviso circular do minis-
terio do imperio de 11 de dezembro prximo lindo,
o que faco constar cmara municipal do Recife
para seu conhecimento e llns convenientes.Igual
sdemiis contaras da provincia.
N. 169.Deliberacao.O presidente da provin-
cia, attendendo ao que requereu o Dr. Joaquim
Corroa de Aranjo, secretario d i governo d esta
provincia, resolve conceder-lite um mez de licenca
sem vencimentos.
N. 170.' Dita.0 prasidonte da provincia, ai-
tendeado ao quo requereu o professor publico da
cadeira de in-trucejao primaria da povoaco de
Cerrantes, Deoclcciano Ferreir dos Santo e ten-
do em vista a informacao do director geral da ins-
tmecao publica de 3 do crrante, sob n. 4, resolve
conceder, de conformidade com o art. 23 da lei
n. 598 de 13 de maio de 1864,, a remocao que
pedio o referido professor d'aquella cadeira para a
da povoaco do Rosarinho em Pao d'Alho, creada
pela lei n. 655 de 18 de abril de 1866.
EXPEDIENTE ASSIG.VADO PELO SR. DR. JOAQUIM CORREA
DK AR.VUJO, SECRETARIO DO GOVERSO, ESI 8 DE
JANEIRO DE 1870.
1.* seccao
***CNHcio ao hxm. general commaodW ^nriam de oroeos **f coimaao4o superior, eon
das armas.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia, declaro a V. Exc. em resposta ao seu
olflco de 7 do crrante stb n. 9, que nesta data se
mandou satisfazer o pedido do commandante do
deoosito de pri-ionciros de guerra paraguayos, de
artigos de fardamento vencidos pelos mesmos pri -
sioneiros at o fim de dezembro do anno prximo
passado.
2* seccao.
X. 172.Officio ao Dr. chefe de polica.De or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia transmit-
i a V. S. os lulos juntos de nomeacao dos Io, 2",
30e4-supplentos do sublelegido do distrcto d;>
fregueza do Poca da Panella, de conformidade com
a proposta de V. S. em offlcio n. 30 de 7 deste
mez.
X. 173.Dito ao bacharel Joao Rodrigues Cha-
ves, juiz de d reito da comarca do Bonito.
De ordem do Exm. Sr. presidente da provincia ac-
ensa o recebmento do offlcio de V. S. de 18 do
jiez lindo, participando ter nessa data entrado no
gozo da licenca de 30 dias, que pelo consellieiro
presidente da relacao lhe foi concedida, e ter por
molestia deixado de regressar a dita comarca, a
assumir as funcQSes deseo cargo, depos que a 1
do dito mez foram encerrados os trabalhos da as-
sembla provincial da Parahvba, da qual fazia
parte.
3." seccao.
X. 174. Offlcio ao inspector da llnsouraria de
fazenda.De ordem do Exm. Sr. jpresidente da pro-
vincia communieo a V. S. para os flns convenien-
tes que segundo particioou o juiz de direito do Bo-
nito bacharel Joao Rodrigues Chaves em officio de
18 Uo mez Ando, nessa data eutrou elle no gozo
da licenca de 30 das que peb conselheiro presi-
dente da relacao lhe foi concedida, deixando por
molestia de regressar a dita comarca a reassunir
as funecoes do seu cargo, depois que a 1 do dito
mez foram encerrados os trabalhos da assembla
provincial da Parahvba, de que fazia parto.
N. 175.Dito ao inspector da thesouraria pro
vncial.S. Exc. o Sr. presidente da provincia ten-
do por deliberacao desta data e em vista da infor-
macao do director geral da nstruccao publica de
3 do crranle sob n. 4, resolvido conceder nos ter
mos do art. 23 da lei rr. 598 de 13 do maio de 1864
a remocao que pedio o professor publico Deocle-
cano Ferreira dos Santos da cadeira da povoaco
do Correles para a do Rosarinho em Pao d'Alho,
creada pela lei o. 655 de 18 de abril de 1866; as-
sim o manda communicar para seu conheci-
mento.
4* seccao.
N. 176.Offlcio ao director da nstruccao pu-
blica.S. Exc. o Sr. presidente da provincia lendo
por deliberacao desta data e em vista de sua in-
formacao de 3 do crrante sob d. 4, resolvido con
ceder nos termos do art. 23 da lei n. 598 de 13 de
maio de 1864, a remocao que pedio o professor
publico Deocleciano Ferreira dos Santos da cado-
ra da povoaco de Correntes para a do Rosarinho
em Pao d'Alho, crala pela lei n. 655 de 18 de
abril de 1866 ; assim o manda commnnicar a V. S.
para sen conhecimento.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO EXM. SR. SENADOR FRE-
DERICO DE ALMEIDA E ALBUQUERQUE, PRE-iPKNTE
DA PROVINCIA, EM 10 DE JANEIRO DE 1870.
i* seccao.
N. 179.Portara ao capitao do porto.Para dar
cumprimento ao disposto no aviso da repartirlo
da agricultura, coramercio e obras publicas de 29
de dezembro prximo Ando, informe V. S. at o
dia 31 do correte : 1* qual o estado actual da
pesca oesta provincia, pessoal nella empregado,
numero de navios ou embarcaedes, salga e expor-
tacao; 2* quaes os cana }s existentes, sna exten-
sao, constrnecao e conservacio, pedagio, estatisli-
ca do transito, e preco miliar do transporte e meios
empregados no transporte ; 3' qoaes os ros nave-
gaveis, obras de que carecem para tornar fcil e
franca a navegacao e orcamento destas obras.
N. 180.Deliberacao.O presidente da provin-
cia alteodendo ao que requereu Bernardioo da
Silva Costa Campos, resolve concider-lhe licenca,
para embarcar no vapor da eompanhia Pernam-
bucana com destino ao presidio de Fernando, os
gneros constantes da relacao junta, assignada
pelo secretario do governo, os quaes deverao ser
alh entregues ao capellaodo referido presidio.
N. 181.Dita.O presidente da provincia resol-
ve nomear o bacharel Elias Frederico de Almeida
e Albuquerque para exercer interinamente o lugar
de secretario do governo desta provincia, durante
a licenca do effectivo.
2* seccao.
, f. 182.Portara ao presidente do tribunal do
commercio.Para dar cumprimento ao aviso da
repariicao da agricultura, commercio e obras pu-
blicas, de 29 de dezembro prximo ftndo, informe
V. Exc. at o dia 31 do crrante mez, qual o es-
tado do coramercio desta provincia, suas necossi-
dades mais urgentes, numero de companhias ano-
nymas, agencias e cnixas Gliacs existentes, seu ca-
pital nominal e realisado, seu lando da reserva e
de amortsacao, valor de cada aeco no mercado,
assim como o seu ultimo dividendo.
X. 183.Dita ao Dr. chele de polica.Com o
offlcio junto p ir copia, do provedor da Santa Casa
da Misericordia de 8 desle mez, e informacJo do
mordomo a que elle se refere, respondo aos de V.
S. sob ns. 1,744 e 1,809 de 14 e 29 do mez Bado,
quanlo a admissao no hospicio de alienados do
louco Antonio Manoel da Silva Guimares.
X. 184.Dita ao mesmo.Para dar cuaftri-
mento ao aviso da repartirlo da agricultura, m-
msrcio e obras publicas de 29 de dezembro pfcxi-
mo lindo, informo V. S. at o dia 31 do corante
qual o numero dos habitantes desta provincia, por
cidades, villas e freguezias, cora declaracio do
sexo, condieao, estado e nacionalidade.
X. 185.Dita ao mesmo.fnteirado de quinto
V. S. trouxe ro conhecimento desta presdetela
em offlcio n 1,783 de 21 do mez Ando, recomtaen-
do-lhe que expeca as convenientes ordens, para
que sejam processados de conformidade com a lei
nao so Jos Marcelino dos Santos, como todos os
mais que tomaram parte nos attentados de quo
trata o offlcio do subdelegado do distrcto da Var-
zea, que veio por copia annexo ao de V. S.
X. 186.Dita ao commandante superior da
guarda nacional do Limoeiro.Tendo por delibe-
racao desta data, e em vista de proposta do res-
pectivo commaudante, sobre que informou V. S.
em offlcio de 20 de dezembro ultimo, nomeado
para o batalhao n. 21 sob seu commando superior
os offlciaos constantes da inclusa relacao, deixet de
approvar a referida proposta na parte relativa aos
cidados Jii > da Matta Guimares da Silva e Jos
Ruflno de Miranda, indicados para alferes da 7" e
ten"nte da 4* eompanhia, por nao existirem as va-
gas que se pretende preencher. O que commu-
nieo a V. S. para seu conhecimento e direcclo.
N. 187.Dita ao mesmo.Tendo por delibera-
gao desta data, e de conformidade com o disposto
no 8 1 do art. 65 da fci n. 602 de 19 de seternbro
de 1850 considerado sem effeito as nomeacSs
foitas por deliberacao de 15 de junho de 1868, do
guarda Manoel Barbosa de Fontes para altere* da
T eompanhia e do alferes da 6' Manoel Antonio
Vieira para tenente da 8', ludo do mesmo bata-
lhao, visto nao terem olles soljtado as respecti-
vas patentes no prazo legal ; assim o communieo
a V. S. para seu conhecimento c direccao.
X. 188. Dita ao commandante superior da
guarda nacional de Flores.Communieo a V. S.
para os flns convenientes, que na secretaria desta
presidencia se acha a patente do capitao >ebastiao
Jos de Magalhes Lopita, nomeado por decreto
de 11 de dezembro Anuo, para o posto de raajor
^Mo que por elle seja snlieitadao praso da lei;
p tgando os direitos devdos.
X. 189.Dita ao juiz municipal da 1' vara desta
cidade.Transmiti a Vmc. para os devidos fins,
a certidao junta da sentenca que julgou conformo
o decreto de perdila favor d reo Sabino de Oli-
veira Faria, que se acha no presidio de Fernando
de Xoronha, a qual foi remitida a esta presiden-
ca em aviso do'ministeno dos negocios da justira
de 29 de detemoro lindo.
X. 190. Dita ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.Mande Vmc. recolher ao corpo
sob seu commando, as praca3 que estao destaca-
das no 2 dslricto da fregueza de Gamelleira, do
termo do Serinhem.
N. 191.Dita ao mesmo.Pode Vmc. alistar
no corpo sob o seu commando o paisano Francis-
co Antonio de Moura, a quem allude o seu offlcio
de 10 do correnle, sob n. 13, se para isso tirar a
moralidade precisa.
N. 192.Dita ao mesmo.Pode Vmc. engajar
no corpo sob o seu commando o paisano Joaquim
Alves Davd a quem allude o seu offlcio n. 7. de
5 do crrante, tendo elle para isso a precisa mo-
ralidade.
N. 193 Deliberacao.O presidente da provin-
cia, atlendendo ao quo lhe requereu o bacharel
Livino Lopes de Barros e Silva, juiz municipal e
de orphos do termo do Ex, resolve conceder-
Ihe dous mezes de licenca, com ordenado na for
ma da le, para tratar de sua salido, e gosar della
no caso de lhe ser impossivel continuar a-exer-
cer o seu c.-.rgo, como se faz preciso a bem do
servco publico.
N. 19i.Dita.0 presidente da provincia, at-
tendendo a que Manoel Barbosa de Fontes tendo
sido nomeado alferos da 7a eompanhia do bata-
lhao 21 da guarda nacional do municipio do Li-
moeiro por deliberacao de 15 de junho de 1868,
nao solicitou patente no praso legal, resolve pri-
va-lo d'sqnelle posto, visto achar-se comprehrn-
ddo no dispisto no I do art. 65 da lei n. 602
de 19 desmembro d? 1830.
N. 195.Dita.O presidente da provincia, ten-
do em visja a proposta do commandante interino
do batalhao n. 21 da guarda nacional do munici-
pio de Limoeiro, e o que a respeto della infor-
mou o respec'ivo commandante snpjrior interino
em offlcio de 20 de dezembro ultimo, resolve no-
mear para o referido batalhao os offlciacs se-
guintes : ,
i.' compatiltia.Alteres, Antonio Jos.Pestaa.
7." eompanhia.Alferes, Severino Clandio Vil-
larim.
8.' companliia.Tenente, o alferes da 1", Anto-
nio Bezerra da Cunha.
N. 196.Dita.O presidente da provincia, at-
tendendo a que o alferes do batalhao 21 da guar-
da nacional do municipio do Limoeiro Manoel An-
tonio Vieira lendo sido promovido a tenente da 8"
eompanhia do mesmo batalhao por deliberacao de
15 de junho de 1868, nao solicitou a respectiva
patente, resolve, priva-lo d'este ultimo posto, e.
do que anteriormente ocenpava, visto achar-se
comprehenddo as diposicSes do 1 do art. 65
da lei n. 602 de 19 de seternbro de 1850, e art. 79
da-decreto n. 722 de 25 de outubro do referido
anno. .
3.a seccao.
N. 197.Parlara ao inspector da thesouraria
de fazen la.Depois de liquidadas, em vista das
folhas juntas em duplcala, que me remetteu o
commandante superior do municipio de Gara-
nhuns com o-offlcio de 15 de dezembro nltimo,
sob n. 112, mando V. S pagar a Joao Teixeira da
Rocha as vencimentos do offlcial commandante do
destacamento de guardas nacionaes da villa de S.
Bento, a contar do 1 de outubro a 8 do citado
mez de dezembro.
N. 195.Dita ao mesmo. Providencie V. S.
para que depois de liquidados, em vista do pret
junto em duplcala, que me remetteu o comman-
dante superior do municipio de Olinda, com o of-
flcio de 7 do correnle, sejam pagos os vencimeu-
tos do cmela do 9 batalhao de infantaria
cisco Xavier, da Silva, a contar de outubro j
zembro do anno prximo passado.
N. 199.Dita ao rresmo. Constando de avis-
da repariicao da marrana d 27 de dezembro ul-
timo, ter-se concedido liceJca ao imperial mario
nheiro da 3' classe reforjado, Joao Flix do as-
cimento, para residir resta provincia e ser por
essa thesouraria pago to sold que lhe compete,
e da pensao mental 'Je 12 J qne lhe foi dada por
decreto de 21 de novembro do anno prximo pas-
sado : assim o communieo a V. S. para sea co-
nhecimento.
-; ..para os llns conveniente as inclusas contas docu-
N. 200.Dita ao mesmo.Para dar cumpri-
mento ao aviso da repariicao da agri:ultura com-
mercio e obras publicas, de 2J) de dezembro pr-
ximo lindo, intermo V. S ateo dia 31 do corren-
te mez, l qual o valor e quanlidade das trras
dovolntas vendidas, 2 qual os conceionarios de
engenhos oncarregados de taes servicos, seus no-
me; em qtw data foram nomeado e por quem,
qual o resultado apresentado por elles o a conta
da despeza feta o orcamento, 3 finalmente qual o
ctado das dividaa dos colonos, quanlo so lera ar-
recalado o quanto falta ser por elles pago.
N. 201.Dita ao mesmo.-Communieo a V. &4
que segundo declara a aviso do ministerio da jus-
tiea de 29 do mez flndo, nesta data se solieitou ao
da fazenda fosse habilitada essajthcsouraria eom a
quanlia de 3003 para o pagamento do augmento
da ajuda de cifto de 300 que foi mareado por
aviso de 13 de novembro nltimo.'para o joiz de di-
reito Gervsio Gimpello Piras Ferreira transpor-
lar-se da capital da provincia do Para, onde excr-
ceuo cargo de chefe de polica at a comarca de
Tltcrezina na do Patihy, que lhe foi designada para
ter exercicio.
N. 202.Dita ao mesmo.Expeei V. S. suas
ordens para que depos de liqnidads, em vista da
folha, relagao nominal e pret juntos em duplcala,
os vencimentos relativos ao mez de novembro ulti-
mo, do tonentc e pravas da guarda nacional desta-
cados na villa de Flores, mande pagar sua impor-
tancia a Manoel de Azerado Andrade na qualidade
de procurador d* mencionado tenente e do teen-
te-coronel Braz Nones de Magalhes commandan
te do batalhao do infantaria n. 32, segundo consta
de offlcio do commandante superior daqnelte mu-
nicipio datado de 11 de dezembro do anno prximo
pa isado.
H. 203.Dita ao mesmo.Informe V. S. a ra-
zao porque sendo npresentadas na receBedoria de
rendas geraes, as inclasas patentes do capitao
Ildefonso Vieira da Cunha e o alferes Joao Gerva-
sio de Paula Pern para pagamento do imposto de
que trata o decreto n. 3454 do 17 de abril do anno
iassado, a que estao sujoitas as apostillas nellas
aneadas, como declara o aviso do ministerio da
justica de 16 de outubro ultimo
thesouraria se remetteu copia,
imposto arrecadado.
N. 204.Dita ao mesmo. Communieo a V. S.
para sen conhecimento, que segundo declarou o
aviso do ministerio da juslica de 30 do mez (indo
nessa data soliciton-so do da fazenda a expedicao
das convenientes ordens para quojwr conta dos
crditos dos | 3 4* 5o e 8' do art. 3o da lei do
orcamento quo segu o exercicio, prximamente
flndo de 18631869, sejam augmentadas as con
signaedes marcadas a esta provincia para as doe-
pezas das rubricas Relacoes, com a quanlia de
7372*368 Tribunaes do Commercio erm a do
733*292, Juslcaj de 1" instancia 2:243.5398, e
finalmente, Pessoal e material da Polioia cora a de
2:1993168.
X. 203.Dita ao mesmo.Transmuto a V. S.
., de que a essa
nao foi o referido
mentadas dos medicamentos fornecidos a enfer
maria militar sob administracio do consetho eco-
nmico do deposito dos recrutas nos mezes de
outubro a dezembro do anno prximo passado,
inclusive os medicamentos destinados aos recru-
tas demarinha e pri'ioneiros de guerra para-
guayos tratados na mesm enfermara tu Jo na
importancia liquida de 573*516.
N. 205.Dita ao mesmo.Constando de aviso
da repariicao do imperio de 27 de dezembro pr-
ximo lindo, haver sido concedido pela verba
Soccorros pblicosdo oxercici) de 4869 a 70,
o crdito de 30*000 para pagamento de igual im-
portancia que se est devendo ao Dr. Pedro de
Athayde Lobo Moscoso proveniente de urna cartei-
ra homeopalheca quo forneccu para o tratamento
dos indigentes accommettidos da varila na cidade
do Ro-Formoso de que trata a conta junta, assim
o communieo a V. S. paiaseu coulteciment.
N. 206.Dita ao mesmo.Em resposta ao seu
officio de 8 do crrante sob n. 9, tenho adizer que
pone V. S. remetter ao almoxarifado do presidio
de Fernando por intermedio do commandante do
vapor Cururipe pertencenle a eompanhia Per-
namDuema a quantia de 30000*, que segundo
o citado offlcio se faz preciso para as despezas do
mesmo presidio, a contar do 1 deste mez ale o
ultjmo de marco prximo vindouro.
X. 208.Dita ao mesmo.Transmiti a V. S. o
incluso officio da directora geral das rendas publi-
cas datado de 29 de abril nltimo, ao qnal vai aune-
xa a gula do remessa de 30:000* era estampilhas
de sello adhesivo.
N!"209. Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Mande V. S. pagar ao carcereiro Andrc
Avelinodo Espirito-Santo depois de liquidada, cm
vista da inclusa conta, que me remetteu o chi fe
de polica com officio de 8 do crrante sob n. 33,
a quantia de 57*200. ou o que justamente se de-
ver, proveniente das despezas feilas nos mezes de
novembro e dezembro do anno prximo passado,
com o sustento dos pres s pobres da cadeia do
termo do Cano.
N. 210.Dita ao mesmo. -Comrannico a V. S.
para seu conhecimento, que segundo consta de
offlcio do secretario desta presidencia Dr. Joaquim
Correa de Araujo entruu elle nesta data no gosq
de 1 ez de licenca sem vencimentos, que lhe foi
concedida por deliberacao desta de 8 deste
mez.
N. 211.Dita ao mesmo.A Joao Pedro de
Barros Reg mande V. S. pagar, depos de liqui-
dada, em vista da conta junta em duplcala, a que
se ratera o officio do chefe de polica de 8 do
crrante sob n. 31, a quantia de 30*, ou o que
justamente se dever do alugul vencido de Jolito a
dezembro do anno preximo passado, da casa que
serve de cadeia oo distrcto de S. Loorenro da
Motta.
N. 212.Dita ao mesmo.Declaro a V. S. para
seu conheciraeuto e devidos efleitos, que o chefe
interino da repariicao das obras publicas partici-
pou em offlcio de 8" do correnle sob n. 3, haver
mandado lavrar o termo provisorio da obra da
bomba de Ubaia e passar o competente certifica-
do ao respectivo arrematante Thomaz de Carvalho
toares Branda Sobrinho.
X. 213.Dita ao chefe da repariicao das obras
publicas.Para dar cumprimento ao aviso da re-
pariicao da agricultura, commercio e obras publi-
cas de 29 de dezembro prximo Ando, preste Vmc.
at o dia 31 do correte mez as seguintes informa-
ces:
1/ Qoaes as estradas de rodagem desta pro-
vincia, seu numero, extinso, eondicao de sua
constrnecao, obras d'arte de cada urna e seus pro-
cos, estatislica de transito, pedagio, preco kilom-
trico de constroccao e transporte de pssagens e
de carga, povoacoes a qoe servam;
2.* Quaes a3 estradas coramons, sua exteno3o
estatistiea do transito e a que povoacoes ser-
ram ;
3.' Qoaes as obras publicas provinciaes auxilia-
das pelos onfres geraes, seu estado, sen orcamento
e despeza feita at a data da informacao.
N. 214.Dita ao mesmo.Inteirado pelo seu
effloio de 8 do correte sob n. 3, de havor Vmc.
mandado lavrar o termo de recebmento proviso
rio da obras ou bomba de Ubaia e passar o com-
petente certificado ao respetiva arrematante Tho-
maz de Carvalho Soares Brandao Sobrinho tenho
adizer em resposta ao citado offlcio que dei scien-
cia dissa a thesouraria provincial para os devidos
effeitos.
N. 215.Deliberacao.O presidente da provin-
cia resolve nomear o tenente Jos Tiburcio
Pereira de Magalhes para o lofiar de engenheiro
chefe da repariicao das obras publicas.
4a seccao.
X. 217.Portara ao desembargador provodor
da Santa Casa de Misericordia.Fien inteirado do
que V. Exc. me participa em seu offlcio ae d >
crranle sob n. 2,353, com re acjto as educandos
da casa dos expostos e do coltegio das orphaa*
Cosma e Joaquina, e approro a deliberacao que
tomouajnnta administrativa dessa Santa Casa
acerca das referidas edneandas.
X. 218.Dita ao presidente do Instituto Agrco-
la Pernambucano. -Para dar cumprimento ao ds-
posto no aviso da repariicao da agricultura, com-
mercio e obras publicas ae 29 do dezembro pr-
ximo flndo, informo V. Exc. at o dia 31 do cor-
rente, quaes os trabalhos desse Instituto durante o
anno, seu fundo social, suas despezas, subvencao
concedida pela provincia c meios a adoptar para
que taoutil estabelecimento possa florecer.
X. 219Dita ao mesmo. Para dar cumpri-
mento ao disposto no aviso da repariicao da agri-
cultura, commercio e obras pob'.icas de 29 de de-
zembro prximo lindo, informe V. Exc. al o da
31 do crrante, sexistem nesta provincia sole-
dades de agricultura e industria, quaes sao ellas,
seus trabalhos durante o anno com especilieacao
de todos os fajlos quo possam interessar sua exis-
tencia.
X. 220.Dita ao administrador do correio.Pa-
ra dar cumprimento ao disposto no aviso da re-
pariicao de agricultura, commercio e obras publi-
cas de 29 de dezembro prximo flndo, preste V. S.
at o dia 31 do crrante mez, nforinacoes cir-
cunstanciadas acerca do estado actual dos car-
rejos, augnento das linhas o agencias que conve-
nha crear-se e fundamentos da creacao, extinccSo
do agencias e linhas, fundamentos para ella, des-
peza effectuada no ultimo anno financero, renda
no mesmo ultimo anno e estatistiea do raovimento
de pipis.
N. 221.Dita ao engenheiro das. obras geraes.
Para dar cumprimento ao aviso da repariicao da
agricultura, commercio e obras publicas de 29 de
dezembro prximo lindo, informe Vmc. at o dia
31 do crrante mez, 1 qual o estado das obras ge-
raes nesta provincia, seu orcamento, despeza feita
at a data da informacao ; 2* quaes os caes
existentes, seu numero e servco que prestam.
N. 222.Dita ao engenheiro fiscal da estrada de
forro do Recife a S. Francisco.Para dar cumpri-
mento ao disposto no aviso da repariicao da agri-
cultura, commercio e obras de 29 de dezembro
prox mo lindo, informe Vmc. at o dia 31 do cor-
rente mez, qual o numero de kilmetros aberlos
ao trafego dessa estrada, seu valor aproximado,
sua estatistiea, despeza geral e kilomtrica receita
brnla e liquida, e por kilomtrico, sens accidentes
e pendencias para o prolongamento.
N. 223.Dita ao director geral interino dos In-
dios.Para dar cumprimento ao aviso da repart-
cao da agricultura, commercio e obras publicas, de
29 do dezembro prximo flndo, informe V. S. at o
dia 31 do crranle mez, qual o numero dos aldea-
mentos existentes nesta provincia, dalas de suss
fundaedes, numero de alma* qne as compoem,
funecionarios empregados nesses atdeamentos,
missionarios nos trabalhos durante o anno, meios
a empregarpara fomentar esteservic, inciinnedes,
costumes e caracteres de cada tribu, relacdes dos
aldeamenios com as povoacoes e mercados visi-
nhos, se os Indios pdem dispensar a tulella dos
directores para se Ihes distribuirem lotes de trras
e vender os reslaoles, e qoal a despeza e orca-
mento, qur pelo cofre provincial, quer pelo geral.
X. 224.Dita ao gerente da eompanhia Per-
nambucana.Para dar cumprimento ao aviso da
reparticj da agricultura, commercio e obras pu-
blicas de 29 de dezembro prximo lindo, informe
Vmc. al o dia 31 do crrante mez qual o numero
de vapores dessa eompanhia, empregados na na-
vegacao marilma e lluvial, sua tonelagem, forca
em cavallos, marcha, accommodaees para pas-
sageiros e para mercadorias, escalas que fazem,
numero de milita? das viagens redondas, e o tem-
po gasto em cada urna, capital da empreza, sua
renda bruta e li mida, e preco estabelecido para
passageiros e cargas.Igual a gerente da eom-
panhia de vapores a reboque.
X. 225.Dita ao mesmoO Sr. gerente da
eompanhia Pernambucana mande dar transporte
por criila do ministerio da guerra no primeiro va-
por dessa co panhia que seguir para o presidio
de Fernando, ao capitao reformado do exerciroMa-
noel Alexandrino de Albuquerque Pilla, que vai
commandar all o destacamento de primeira linha.
em snbstitoicao ao capitao do 6o batalhao de in-
fantaria Raymondo Lins Caldas, que emeonse-
quencia de seu mo estado de sade tem de reti-
rarse para esta capital, como pedio.
N. 226.Dita aos agentes da comnanhia Brasi-
leira de paquetes a vapor.Podcm Vmc*. fazer se-
guir para os portes do noite o vapor Guar, hoje,
a hora indicada em seu offlcio de hontem.
X. 227.Circular cantara municipal da cida-
de do Recite.Pira dar cumprimento ao aviso ex-
pedido pela repariicao da agricultura, commercio
e obras publicas, em 29 de dezembro prximo
findo, informe a cmara municipal da cidade do
Recife at o dia 15 de fevereiro vindouro imprete
rivelmente, qual o estado actual da lavoura e da
industria de creacao neste municipio, qual a pro-
duccao do gneros denominados coloniaes e de
consumo, seu valor nos mercados d'esta provincia,
que numero de bracos livres e escravos sao em-
pregados na mesma lavonra, quaes as causas de
sna decadencia e medidas a adoptar para seu des-
envolvimento, quaes os ramos de cultora qoe ahi
convm introduzir e as providencias a tomar para
essa introdueco, e bem assim quaes as trras
oceupadas por essa cmara, sua qualidade, loca-
lidade, ttulos por qne as possue, venda por afora-
ment eaforamento em commisso-Igual s do-
mis cmaras municipaes da provincia.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO SR. DH. ELIAS FREDERI-
CO DE ALMEIDA B ALBUQUERQUE, SECRETARIO IN-
TERINO DO GOVERNO, EM 10 DE JANEIRO DE 1870.
1* secflo.
N. 228.Offlcio ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, declaro V. Exc, em res-
posta ao sen offlcio de 7 do crrante, sob n. 10,
3ue Sea expedida a necessaria ordem ao gerente
a eompanhia Pernambucana para fazer transpor-
tar no vapor Giqui o capitao reformado Manoel
Alexandrino de Albuquerque Pitia, que ra com-
mandar all o destacamento de primeira linha.
N. 229.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, declaro V. Exc,
em resposta aos seus offlcios de 8 do crrante, sob
ns. lie 12, qne cam expedidas as convenientes
ordens para serem recebidos e transportados para
a corte, no vppor Cruzeiro do Sul, o soldado de-
sertor do tf rceiro corpo de voluntarios da patria
Manoel Marques Correa, e o recruta Manoel Jos
da Cruz.
2.* seccao.
N. 130.Offlcio ao director geral da secretaria
de estado dos negocios d jnstira.Acenso a re-
cebimento da patente do inajor Sobastiao Jos de
Magalhes Lopita, de que trata o offlcio de V. S.
de 31 de dezembro nltimo.
N. 231.Dito ao Dr. chefe de polica.0 Exm.
Sr. presidente da provincia manda declarar a V. S.
em resposta aos seus offlcios de 8 do cerrante, sob
ns. 31 e 33, que a thesouraria provincial tem or-
dem para pagar JcSo Pedro de Barros Reg a
quantia de 30*000 e ao carreiro Andre Avelino
do Espirito Santo a de 57*200, constantes de taes
offlcios.
N. 232Dito ao raosmo.-O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S., em res-
posia ao seu offlcio de 8 do corrente, sob n. 34,
que nesta dala se expedio ordem ao commandante
do coroo provisorio de polica para fazer recolher
as pracas que esto destacadas no 2 dislriclo da
fregueza do Gamelleira do termo do Serinliaem.
X. 233. Dito ao. commaudaote superior da
guarda nacional de Olinda.S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia manda declarar a V. S., em res-
posta ao seu offlcio de 7 do correnle, que a the-
souraria provincial tem ordem nar pagar os ven-
cimontos e despezas. constantes do citado offlcio.
X. 234.Dito a commandante superior di
guarda nacional do municipio de Garantios.S
Exc. o Sr. presidente da provincia, respopdeBdo
ao offlcio do V. S. datado do 15 de dezembro nlti-
mo, sob n, 112, manda declarar que a thesouraria
de fazenda tem ordem para pagar a Joao Teixen
da Rocha js vencimentos constantes do citadi
officio.
X. 233 Dito ao commandante superior da guar-
da aacioaal do municipio de Flores.Xesta data
autoriou se a ihesouraria de fazenda apagar a
Manoel de Azevedo Andrade os vencimontos cons
tantes do offlcio de V. S. datado de 11 de dezembro
ultimo, o qual flea assim respondido de ordem do
Exm. Sr. presidente da provincia^
X. 238.Dito ao juiz de direito da comarca do
Cabo.De ordem do Kxm. Sr. presidente da pro-
vincia acenso o recebmento do offleio de V. S>, de
5 desle mez, em que communica ter incumbido o
juiz municipal do termo de Ipojuca de prender a
junta da revisto da lista de jurados do dito termo,
por nao poder V. S. por incommodos de sade
para all transportar se.
3* seccao.
X. 237.Offlcio ao inspector da thesouraria de
fazenda. S. Bxc. o Sr. provincia, tendo por deli-
beracao desta data resolvido nomear o hachare:
Elias Frederico de Almeida e Albuquerque para
exercer interinamente o lugar de secretario do go-
verno da provincia, durante o impedimento do
effectivo; assim o manda communicar a V. S. para
seu couhecimeno e fins oonvenienles.
X. 238. -Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia commnnico a V. S qne, segundo consta
de offlcio de hoje do secretario do governo Dr. Joa-
quim Correa de Aranjo entrn elle nesta data no
gozo de um mez de licenca som vencimentos, que
lhe foi concedido por deliberacao de 8 do cor-
rente.
N. 239.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia tendo, por deliberacao desta
data, resolvido nomear o bacharel Elias Frederico
de Almeida e Albuquerque para exercer interina-
mente o lugar de secretario do governo desla pro-
vincia durante o impedimento do effectivo: assim
o manda communicar a V. S. para o seu conheci-
mento e fins convenientes.
4" seccao.
N. 240.Officio ao Dr. Joaquim Corra de Arau-
jo, secretario do govirno desta provincia.S.Exc.
o Sr. presidente da provincia manda deelarar V.
S. que pelo seu offlcio da hoja 4eou inteirado d
haver V. S. entrado nesta data no gozo da uceara
que lhe foi concedida por deliberacao de 8 o\>
corrente.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DA PROVINCIA 00 DIA 1G
DE FEVEREIRO.
Major Aleixo Jos da Luz.Selle o requer-
ment.
Capitao Antonio da Silva Ferreira Jnior.In-
forme o Sr. coronel commandante superior da
guarda nacional do municipio do Recite.
Agostnho Jos da Silva.Informe o Sr. com-
mandante do presidio de Fernando.
Abaixo assignado indios do aldamento do Con-
de no Riacho do Mallo.J se deram as providen-
cias necesarias.
Francisco Pacfico do Amaral.Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Alteras Francisco Calombiano da Silva Goim-
riea.Informe o Sr. coronel commandante supe-
rior da guarda nacional desle municipio.
I). Idalraa Maria de Castro. Passando recibo,
entregne-se o titulo.
I). Joanna do Rosario Guimares Machado.A'
vista da informacao nao tem lugar o augmento do
preco do aiugucl que pretende.
Coronel Jos Cavalcanle Ferraz de Azevedo.
nter e o Sr. engenheiro chefe da repariicao das
obras publicas.
O mesmo.Informe o Sr. engenheiro chefe da
repariicao das obras publicas.
J.miiario Constancio Monteiro de Almeida.In-
forme o Sr. iuspeclor da thesouraria do fa-
zenda.
Joao Hyppolilo de Meira Lima.Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Joao Baplsla da Rocha Baixa Lins.Informe o
Sr. Dr. juiz dr direito da comarca de Olinda, ou-
vindo o juiz municipal respectivo.
Miguel Jos de Almeida Prrnambuco.D-se.
Maria Jos da Concecao.Informe o Sr major
director do arsenal de guerra.
Manoel Antonio de Souza Chaves. -Informe o
Sr. tenenle-coronel commandante do cerpo provi-
sorio de polica.
Maria Joaquina Floresta.^-Interme o Sr. desem-
bargador provoior da Santa Casa do Miseri-
cordia.
Thomaz Brrelo Lins de Barros.Informe o Sr.
Dr. juiz de direito da comarca de Olinda, ouvindo
o juiz municipal respectivo.
rsula Maria das Virgens.Informe o Sr. des-
embargador provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia.
Xilderico Araripe de Faria.Informe o Sr. Dr
director geral da instruccao publica, ouvindo c
regedor do Gymnasio.
Repartido da polica.
2' seccao.Secretaria da polica de Pernambu-
M, 18 de fevereiro de 1870.
N. 242.Illm. e Exm. Sr.Levo ao conheci-
nento de V. Exc. que, segundo consto das parti-
jipaces recebidas hoje nesta reparticao, foram
recomidos hontem casa de detencao, os seguin-
tes individuos :
A' minha ordem, Marcolino Ferreira de Mello.
viudo de Agua Preta, como desertor da armada:
Manoel Lopes de Araujo e Antonio Francisco dot
Santos, vlndos de Santo Anlao, oste como indicia-
do em crime de furto de cavallos na villa do Pilar
da provincia da Parahyba, e aquel le por estar pro-
cessado por crime de damno no termo do Agu.i
Preta.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio.
Lnz, escravo de Pedro de tal, por crime de fur-
to ; Joao, escravo de Manoel da Silva Campos, pe
embriaguez; Mignel Joaquim das Chagas e Esto-
lano, escravo de D. Genoveva de Araujo, por cri-
me de resistencia.
A' ordem do de S. Jos, Lnza, escrava de Se
bastiio Lopes Guimares, por andar fgida ; For-
tunato Jos Candido, por offensas moral publica
e Claudino Silverio de Albuquerqne, por prime de
offensas physicas.
Em dala do Io do correnle participou-me o dele-
gado de Nazareth que o subdelegado do di trete
de Tracunhem daquelle termo lhe communicra
que, as 11 horas da manhaa do dia 14 de janeiii
ultimo, as proximidades, da povoaco de Alaga
do Carro do mesmo distrcto, Manoel de Boilaoih
Cavalcante de Albuquerqne lora levemente fendr>
com nm tiro, dado de emboscada, que proceder ;<
corpo de delicio e instaurara o competente proco.- -
so, c que, nao obstante j teren depMo no rc-


ors; Ja -mMj
Biario de Pernambuco Sabbalo 19 de Fevereiro de 1870.
(M
oairo se
o referido met de
. omumeac3es dos respecti-
poctivo"siiniraaro oito testemunhas, nada se pdale
eolhcr respeito, era mesmo presurnpeio rgo-'
roa que possa revelar quem sejam os autores
serocih;rale aUeaudo. *
.FinalaflgLMk no termo de s- ^unin
almn i .iMXfMH .- Irtw?ao,
deu digno de mencao, d>" "
Janeiro, segundo a- -"
vos subdelega*'
J. \**r*K Exc-Hlm o Exm. Sr. se-
Ih frederico de Almoida e Albuquerque, pre-
-<*denl: da provincia. O ehofe de polica. Lu:
Antonio F.rnande Pinhciro.
^ffleWto no elerior, 91 Dem estar crescente
pode eonflar-se nistofortificar o poder do go-
verno, assim orno a sua resolucSo de observar a
poltica, o commercvj aclivo, a ainisade e a coofl.
anca nmiua com as na$es estraugeiras, politica
que a sua misso inaugurou.
Bascando nos elemontos dessa conuanca, fres-
ttnq upe ltese suppositions), a conederacao es-
tar sempre prorapta aconto! mar a tta atutuoo
coa as condicoes dessa autoridade do governo da
China, cojo enfraqueemeoto ou torca intrnseca
lerlam consequeneias incalcnlaveis, e Hanam cor-
tamente resultado opposto ao que os iutere
registro o ?ea contrato social cora Delpbim Lope |
da CrutVisla ao Sr. desembargador Oseal.
De Francllno Xavier da Fonseca o Joaqun:
Oaminiano de Arroda, emquepedem o registro
do seu distrato social, juntando as letras qaa lites
[orara exiguas por despacho de 3 do corrente.
VUta ao Sr. desembargador fiscal.
f)e Manoel Jos Tinoco do Soara a Manoel Joa-
qun* Hodrgieo-K.-icoira, ditwdo aokar*?e cora o
devido sello o seu contrato social que submettera
a regitro.'-'Wst ao Sr. desembargador fiscal
EXTERIOR.
das potencias occidentaes reclaman! para a ten-
sao das relacfiss commerciaes e da civihsaeao.
Aproveito a occasio, etc. Assignado : De Bis-
iturk.
Alemtuha do Morte.
Nota do Sr. Burl.ngmne, cheje diembaixali cht-
ntza, dingida ao cmcelter federal, que servio
de bou ao tratado ceMrod) entre a China e a
All'inanha do Norte.
Mata, 4 de Janeiro de (870.
Execllsncia.as nossas conferencias de bon-
tera c de hje ti ve a honra de cxpGr que o governo
chines desoja nao s ultimar novas eonvencoes,
mas assogurar ao mewno lempo nma exeeneao
justa '. imparcial ios tratados que j existem
As eonvenc5es era vigor e a occasio de as mo-
tlificr que oilerece a presenca dos representantes
das p a n-ias em Pekn sao sufficienies para o (Ira
por que ellas Toram fetas, como tambem as rigo-
rosas e-lipuiacoes que contecra, tornam dilficil a
exec igo d'esss convencoes.
Sem querer questionar aqu a respeito da na-
tura;.* da sua origem, oa contestar a ohrigacao
qae a '.bina ten de as observar, ser permitiido
reclamar das potencias occidentaes naoxeeucao
d com a independencia da China e os interesses da
cvilsaco.
E' p.->sivel que o desejo de ser justo a este res-
pello ieja geral, mas as opinioes encontram-se
mnJIo divergente ma das partes die i|ue, como
os Ualados toinaram origem na torca, preciso
conunuar a apoia-los pela pressao ; julga que o
abandono d'esss sy gres-so. A outra parlo julga pelo contrario, qu-
e?se sys:,-.n;i .ia> ora sabio, era racional;
de parecer qae, .inda correspondendJ moraenta-
neanexUe ao alvo, esse sysleraa deve acabar por
se tornar funesto a >* iuteresses dos que o preco
nisa u ; que m.Miipalivel com a soberana da
China e o direifrd.ti gente, que nao mede qs di-
reiti.- d ..; naoSes aegunio a torga da resistencia
que puJm offerecer, ou segando os iuteresses dos
ja: nao pirtencera a essas nai.oes; que es>e sys-
PERNAMBUCO,
BEV1STA DIARIA-
ASSOCIACAO COMMBRCIAL BBNEFICE\TE.
lema oofraqoeee e burailha o governo chmez
pela- negiciacfies com ai autoridades locaes, e que.
fnz ilepeniJera grande qoeatio da guerra do ca-
piieiiH d'aquelles cujo interesse consiste era fazer
a guerra.
Ser apenas Decessano examinar qual d'esta
partos tera tazo. Hasta recordar c ira grande sa-
ti^fi;ai a v.issa exeeHeojcia a ac^o favoravel
esta iiltinn politica da parte das potencias juei
tora ti visitadas pela misso. A convenci ultimada
com os Estados-Unidas reconhece era larga base.
o dreito do jjrisJicgo da China nos seu* nro-
prio; negiKios o concede um auxibo esseocjal ao*
clunezej na California. Esta ultima con.'ossao fez
ad pt ir a fnn i solemne de nm tratado cora os
Estados Unidos. Una convengo como le supre-
ma do paiz domina assim a legislaco local perni-
di-i, no que diz respwlo aos emigrantes chi
te?.
A curras toa Inicia entre lord C'arondon ejo
ab:iixo asignado, assim como as sua* instruceoo;
que a elia corresponden), fazera vr a rislueao J i
governo da Graa-Bretanha de conservar urna po-
ltica conciliadora para >m a China e de conter
is agent:;< em limites conveuienies.
O aeolliimento eordeaJ da misso, da parle de
imperador dos Franceses, e as vistas imparciaes
exp.'vssas por elle ness occasiio, assim como as
declincjus |ue rrriistarJe forara feitas no mesrao
sentido,' pelos seus .ministros; e as cartas que di-
rigirn! directamente ao imperad >r da Cuma os
so'./'ranos dos Paizes aixns, da Dinamarca e da
Su.--a, offerecera a garanta do voto geral por urna
atlu le harmonios e conciliadora.
A cortezia, mais jne offlcial, manifestada por
sua magostado o rei da Prmsia misso, asbe
nomo os tesieinuiihoS reiterados de araisade que a
embaixa h tere a honra de receber do ?ua mages-
tade a retoba, floar'io sen 11 na i s ua ree ol
cte degratidao para cada moinbro di enmaifada,
us desperiauu' ;i i m -.n i tompo um vivo reco-
nli-'cimeuto no cor.icao d i povo chines.
Jalgo poder assegur.ir vossarfxceliencia que
o g.weroo ebines apreciar os -nli nentos gene-
ros i; l.is potencias occidentaes, o que a elies cor-
rcsji,:; Iit.. Sabemos, elTeclivamenie, que a pro-
nria nae.i), acensada pelos teas adversarios de
i i i i, leu) Ibs grandes concessoes era proveit >
di n icfi astrangeirac.
n :.-.. idu o o a tra Rretanha conim estipu-
la 'in virtude das ipaes i eonwen }io podia ser
re I86S. Boom*, pela clausula concer-
ni-o i luedes mais favorecidas, as concessoes
feit. i uma aproveitariam todas, todas as na-
co- -i ioi nteressadas na mesina medida que a
(ira i li.v.'io'ia nos resultados das negociacdes. As
nog '' ;' toram enceladas pelo embaixador in-
Klet II I iv Alco'ik, ora o auxilio dos re-
ore a:'. :u: ; das oulras nacoes amigas e os pleni-
p-it'-iic: iiio, l) governo chines.
S o l.i iele^coiimas inglezes, aauB negocia -
iram por resallada, una modificacao do
ilueii i i iranso. a abertura de dous novos por-
t >s, ii lireilo do explorar minas de carvo de pe-
dia, nma diminuicio dos direitos da alfandiga, o
dirvilo de navegajoo as aguas internas, o direilo
concedido aos estraugeiros de habitarem em todas
as liarles do paiz indistinctamente. Eis ah urna
replica sufliciente aos que anda recenleraenle de-
claiar.iui que a China explorara a acao das po-
tenzas occidentaes inas.ein seu favor, parares-
tringir os privilegios dos eslrantreiros e nao alar-
gal-os. Este resultado tavoravel s>> foi obtilo
quaodo os i-Iiinezes reconheoeram toda a impor-
iaii-ii do tratadu cornos Esjados-lraidos, assim
como tojas as cousequ no in^lez, em presenca' 4a| actos ag$ ressi vos de
alj ujh desses naciouaes e al que lord Clarendon
irasse rnnrsjnenisiilii limites agentas ingleses,
por causa do seu procedimento pouco justitlcado,
tanto ora Yang-Chau oDse era diversos outros pon-
tos do imperio chinez.
Ii ipm'j das declara^oes conciliadoras de henlem,
n,V' podende prescrutar as vistas de V. Kxc, a-
|m essu-nie em agredecei -llio eu) nome da (bina e
em ro/ii- loe que T digne de me dar ma acia
(pLn:i Uum apon ifotij iejasdaclaracoei, como
ii-ust a o presente olli.-io, alira de qpe ellas con
oe lam ai i li mais eooflanca Clna, aniraande-a
a re;il,s,ir nnvos progres
lenio a honra, ole. BurUngame.
IKSPiObT* no flUMM de BaHUBK.
!; oli l|, {!! de ian.-iro de 1870.
Ex relencia.Tenlio i honra de lite acCOMf a
Ja sua carta ile. i dMh) mez, llalra-
laenie as nossas eonversai.5e do mesiuo dia 0 do
dia precedente.
Beconhecondo a txaetidao de sua re'.aeo do
que rao diste, salisl'aej de boa voutadp ao'vosso
des jo de repetir eui substancia e Je tratar, por
-mpto o qnelh respond.
E' para mira objeeto de viva safisfar;io o ter rr-
cebido a primeir communicacao diplomtica di-
recta do governo da China a esse par, e ronli i
que as relacjies estabelecidas assim 111 coMbrini-
dado do direitodas rentes tero vanua.rett$ reci-
pro.M? para as duas iarte;.
O aeolliimento que V. Exc. aqu reeebea a pelo
qril assim como digii :i de me exprimir o calorosa graidSio, tes-
t.-ni; ki sviiipattiias do pavo alleraao pela China,
e n u desojo de cultivar com a Chi'ia as rela-
mis amigareis. Alegra-me accrescoiitir
a eonfedera$ao do norte, c sua magestade o
rei. mea augusto amo, que della presidente, nao
ir) de seguir urna poltica conforme com
. Est elle cravencido qn?, as re
! nossos dous paizes, os inl
ha sero salvaguardados o mais possivel,
deve contrih'iir e ao mesuio lempo nc-
ira o bem estar ii China,, isto a aceao
iverno central que gosa do respeito, da
le e do poder que corresponden) grarj-
imperio, tanto pela extensio territorial
-.0 que respeita a cifra da popula .-So. Um
no, m mteii o o imperio'a ordem,
nca da vid^
- pelo proceder
;)era-
\ dos
1 mais
Ttur-
iroo?,
extenso desenvolri-
os do paiz, a indas-
ir ao raesmo tempoqtte
Os socios desta corporacao, consenhores do pre-
dio em que ella funcciona, sao convidados a irem
receber o dividendo do 5 por cento sobre a impor-
tancia das parles que liverem no inesmo edi-
ficio.
FESTIVIDADES BELIGIOSAS.Amanha cele-
bra-se, na igreja matriz da freguezia dos A (Toga-
dos, a festa da padroeira Nossa Senhora da Paz,
orando ao Evangelho o Bvm. Antonio de- Meno e
Alliuquerque, eao Te-Deum o KvntrLino do Monte
Carmcllo Luna. A'tarde havero corridas ca-
vallo, o 1101 te fandango.
Na segunda-feira ser celebrada a festa do
SS. Sacramento.
ABIADNEEste vapor, da linha de Londres.li-
ra mala no correio, hoje s 11 horas da manbaa,
para a Europa.
COMPANHIA PERXAMBUCANA.-A comecar
de 8 de marco prximo os accionistas desta com-
panhia podero receber o quinto dividendo, a ra-
zio de 10 por cento, no escriptorio respec-j
tivo.
HOSPITAL PORTUGUEZ DE BENEFICENCIA.
Deve ter lugar amanha, s 10 horas do da, a
posse da nuva junta administrativa desle eslabele-
cimento. As 10 horas da manhaa achar-se-h-
postado ra do Crespo um omuibus para con-
dumio dos socios.
TIRO.No dia 14 do me passado, no lugar Ala-
ga do Carro, do districto de Tracunhem, bi fe-
rido levemente, com um tiro dado de emboscad),
Manoel de Hollanda Cavalcante de Alhnquerque,
nao se tendo podido doscobrir o autor do orine,
apezardas pesquzas fetas pela polica.
RETROSPECTO.Sempre consideramos de con-
veniencia publica que cada provincia do imperio
tenba noticia dos soffrim ratos assim como dos me-
Ihoramentos de suas irmas; porque do bem e do
mal, que Ihes acontece, que ha de resultar o
bem ou o mal da unio braMIcira.
E' por isso que encetamos hontem a transcrip-
co na 8' pagina do nosw jornal o retrospecto po-
ltico, que s-i le no Diario das Alagos, no qual se
patenlea o movimento progressivo daquella pro
vimia, movimento que nao deve ser indiffercnle
provincia de Pcrnambueo, que com aquella tem
mui estreito parentesco e interesses mui recpro-
cos.
Chamando, pois, a attenco dos nossos leitores
para a publicar o qie encelamos, folgamos de
saudar os Alagonos pelo adiamntenlo manifest
de sua provincia.
CADVER.Segnbnoticias vagas no dia li
do correnle foi encoutrado inarem do rio que
circula a cidade do Rio I'ormoso, o'cadaver de
urna enanca recem-nascida, qit das averigua-
coes medicas, procedidas no acto da vestnria, re-
conheccu se que ella liavia nascido viva, e que
era filha de urna mulher de cor parda, que le
ama servia era casa d) Sr. Augusto Rufino ue Al-
mei la. A pobre mulher, se que foi ella a auto-
ra, loi recolhida a priao, at que se possa dosco-
brir a verdade.
ESPECTCULO PASTORIL.Hoja o beneficio
da multo festejada contra-mestra e as ma s pasto-
ras que compoe o seu cordo, no vaudevilli pas-
toril no thcatro da Capunga.
G\F IMPEIUTRIX.Abro-se hoje concor-
rencia publica este inportuiUa eaUriteleeimeaio
que acaba de ser reedificado com todo go-lo e
perl'eifao, nada p upaud 1 o seu proprietario para
I no preeiicha cora precisao o seu lim.
liOTER'A.A i-ie se acha venda o a 138', a
beneficio da igreja do Nossa Senhora do Livra-
mento do Rio-Formoso, que corre no da 28 do
corrente.
PASSAGEIROS.Viudos de Goyanna no vapor
Parahyba :
Vinarios Morena do Souzi, Dr. Affoiuo de Al-
buqiienpie.
CEM1TERI0 PUBLICO.-btuano do dia 18 de
fevereiro de 1870.
Paulina do Muura, Pernai'.ibuco, 25 anios, sol-
teira,^ Uia-Vista ; boxigas.
Joo Bapiista dos Santos, Pernambuco, 48 an-
uos, solicito, Santo Antonio ; anemia.
Leocadia, Pernambuco, 1 anno, Boa-Vista; con-
vulses.
Paulino, Pernambtco, 6 mezes, Boa-Vista ; es-
pasmo.
Mara Ignacia de Jess, Pernambuco, G7 anno?,
solleira, Santo Antonio ; pneumona.
D Antonio Alves da Silva e Joo Corrda de
Carvalho, phn4o j registro do documonto com-
probatorio de haver deixado de azer parte da fir-
ma Silva & 'Carvalho o socio Jos Antoaio Franco
de Carvalho.Visia ao Sr. desembargador fiscal.
De Antonio do Rege Medeiros e Luiz Cabral de
MedeiroS) podindo o do coatrato social, que jun-
Uui, seb a razo do Reg de Cabral.Vista ao Sr.
desembargador fiscal.
De. los Pinto de Magalhes e Germano Pinto de
Magafbes, pedindo o do distrito social de Pinto
Magaluaes C- Vista ao Sr. desembargador
fiscal.
De Ramalho & Gaimaraes, pedindo o do seu
contrato social, raastrando haverem sitisfeiio a
exigencia do parecer fiscal de 9 do correnle.De-
ferido na forma do decreto n. 4,394.
De Manoel Antonio Goncalves, pedindo o da no-
mea cao que dera ao seu caixeiro Joaquim Frede-
rico de Santa Aona.Regstrese.
De James Ryder & C, pedindo tambera o da
que derara ao seu caixeiro Joo Chaves Ribeiro de
Andrade JniorRegislre-se.
Do Antonio Gomes Pires i C, pedindo, era vir-
tude da carta de ordens que junlam, o registro do
contrato social de Silva & Se ve, da villa de Mis-
sor da provincia do Rio Grande do Norte.Vista
ao Sr. desembargador fiscal.
COM INTOIlMAgiO DO SR. D^SF.MH UUiAUOit FISCAL.
Da Alexandie Jos da Silva o-Joaquim Msreira
da Silva, dislralo cocial.Sat'sfacam o parecer
fiscal.
De Souza Maia & C, contrato social.Regstre-
se era conformidade do decreto n. 4.394.
RJIte Manoel de Souza Tavaes e Joo Jos de Me-
deiros, contrato social para exporeo venda car-
ne verde, e salgarem couros Begistre-se na con-
formidade do decreto n. 4,394.
Da companhia Liverpool and London Globe In-
surance, pedindo a entrega de seus esu tutos pa-
ra extrabir urna copia qoe deve Mear archivada
na secretaria do tribunal nos termos do decreto n.
4,394 de 1! de jaldo de 1869.Como reqaer.
RKSOUJCAO.
O tribunal resolveu que se consultarse ao go-
verno acera de saber se o decreto n. 4,394 de 19
de judio de 1869, conten urna medida extensiva
todos os tribunaes do commercio do imperio, mes-
mo aquelles om que nao se do as circumslanms
que molivaram a consulta indicada no ino.-mo de-
creto, consultando-so oulro sira so estando sellado
cora o sello proporcional um dos exeraplares dos
contratos o distratos de sociedades commerciaes,
eslo os outros oxcmplares, que se juntaren) na
mesma occasio, isentos do selle fixo.
Dada a hora (lie meia da manhaa), e nao ha-
vendo ma< que despachar, S. Exc. o Sr. presi-
dento eucerrou a sesso.
'ma leve atracaco, nem lo penco esta faMada
atara Unto prova, que a escuna segua sua ria-
gem, t Andrade Neves, se acha era nosso porto em
perfeito estado.
E' curial e louvavel que informantes de fa:tos
jccideniaes a imprensa publica, sejam mais es-
crupulosos ; jamis com s de m nimas circums-
lancias, como este; c, quera nio enlendo da ma-
teria, nao a discute.
Assim narrado, supplicamas, stnborn redacto-
res, que*gne-se ratificar a noticia de luMito,
assim como dar publicidade a estas toscas linhas,
filhas darestrcao; do que apellamos paraos
8rs. pralloos Herculano e Constancio Filbo, e ou-
tros proftoionaes que foram leslemunhas do
acontecido; e por esto acto de ratificacio Ihe sero
tributarios.
Os imparciaes que presara dizer a verdade, o o
seu querido leitor
Pedro do Rosario.
Recifiy 17 de feyerere de 1870
a qu Ihe d o nome de lostruecao primaria-,
com a qual nio confunden o I com o G ; sera
bem que o dito carcamanjo se importe mais com
aprender a fallar ; pois de certo nao esl rtuit .
corrente na sua algarvia do que constituir-se in-
telligente ra materia que nunca vio, e oceupar se
da vida de quem nunca se en Broa delle nem
para____certo e seguro de qne se CatingaVbr-
MF.1.HA coutiapar ocennr-te- da vid" pirtbjnlar
do Molequb sabe Aoo, olbe que nBosHLcan
tado em proa* e em verso, porque af irtanada-
mente se* querer estira munido com os compe-
tentes papeisinhosbiographicos de sna alta post-
gao e altos calcdaet qoe fax gosto.
COMMERCIO.
SESSAO JUDICIAB1A EM 17 DE FEVEREIRO DE
1870.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR A. F. PE-
RETTI.
Secretario, Julio Gaimaraes.
A's onze horas e meia da mauha declarou- se
aberta a sesso estando reunidos os fts. desem
bargadores Silva Guimares, Res e Silva e Accioli
e os Srs. deputados Rosa, Basto, Miranda Leal e
baro de Cruangy,
Lida, foi approvada a acta da ultima sesso.
JULGAMENTO.
Appellaiite, Gaspar Cavalcantc de Albuquerqne
Ucha; appellado, Joo do Si o Albuquerquo.
Adiado a pedido de um dos Srs. deputados.
PASSACENS.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Btis e Silva : appellantes, Fonse-
ca & Santas; appellados, os curadores liscacs da
massa fallida de Antonio Podro do Mullo : appel
laate, o Dr. Augusto Canieiro Mouteiro da Silva
Santos; appellados, o< alrainistradores da massa
fallida de Si jueira & Pereira.
AGGRAVO.
Juizo especial do commercio : aggravante, Olym-
pi Thondi-ro da Silva ; aggravados, Jos Joaquira
da Quina & C. .
O Exm. Sr. presidente jurou suspe^o c foi o
feito apresentado ao Sr. dccinbargador Silva ilni
maraes.
Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a
sesso meia hora da Urde.
PUBliCACOES
A PEDIDO.
Escada.
CnRONIGil JlIHiMAIM.
rRimT\A". no cohhjrcio
VCTA DA SESS.i) ADMINISTRATIVA DE i7 DE
FEVEREIRO DE 1870.
'RESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMUARUADOR ANSELMO
Fll.VNCISCO PBRETTI.
s 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. depu-
tados Rosa, Basto, Miranda Leal e baro de
ruangy, S. Exc. o Sr. presidente declarou aberta
a sesso.
Foi lida c approvada a acta da sesso de 14.
EXVEWENTE.
OfBcio do conservador do commercio da provin-
cia do Cear, lirmado de 31 de Janeiro ultimo, di-
zendo que por sar insiilicien'e um interprete
do commercio para aquella placa resolver no-
mear n'a p.ielia data a Joo da Fonseca Barboza
para as linguas nglia, franceza e allema, visto
se ter mostrado habilitad.) nos termos do aru 6.
do decreto 11. 803 de 17 de noverabro de 1833.
Vista ao Sr. desembargidor fiscal.
Duvida do Sr. Dr. official-inaior sobre o despa
chp proferido em sesso de 10 do correte no re-
querlmento de Antonio Ferreira Pra^a e Uernar-
dio da Silva (osla, perinitiindo se-lhes era vez
de registro o deposito de um oxeraplar do distrato
social que apreseatarain. Nao obstante a duvida
soja curaprido o despacho de H) do correnle.
O Exm. Sr. presidente flrmou o offlcio que diri-
gi a Junta dos corretres comraunicaodolhe a re-
soluto que tomara o tribunal respectivamente ao
coutedo no offlcio da mesma junta de 12 do cor-
rente.
O Sr. secretario firmou o que eacaminhou ao
secretario do tribunal do commereio Ta capital do
imperio acensando o recebiniento da relacao d.w
commereiantes matriculados em dito tribuuaJ no
decurso do mnz do Janeiro ultimo.
Foram ser rubricadas os segint livros : Dia-
rio c Copiador de Manteiro, Gregorio A C, Diario'
de Silva & Joaquim Felippe, CaplaloT de Souza
Andrade 4 C
J.avraram-se lormos de transferencia dos livrps
Diario e Copiador que pertencram a firma Se
Ncvcs & Criu, para sarvirem d'ora envaate a in
dividual de Candido de Canralho Neves.
Larrou se o de juramento e respoosabilidade,
de qoe trata o art. 463 do cogo comuiercial, son-
do assignado per Jo.- TheoJ.aro Ca nos coma bas-
tante procu,rauor do Larodo Lisraraento pro^irie-
tari) carmador du brigue Albeilo.
UuSPACIJOS.
PetiCp do barSa do Livramento, pedind) que
se Ihe faca entrega da carta do registro do brigue
Alberto que comprara m hasta publica, vulo lia-
verem-na reeollido ao archivo da secretaria d >
tribnnal os curadores flseaes da massa fallida, ile
Maia A Espirito Saiit 1; sendo o supplicant
mittido a assigda" o respectivo termo de respm-a
bildade.Prestada o juramento o lavrado o termo
de responsablidade, entregese a carta requeri-
da, fazendo-se as nolaa Competente-.
Db Luiz fos :a Silva Guimares, comnwjreian-
te matriclalo, submettendo registro a nomea-
co de caixeiro despachante que conferir a Fran-
cisco Al varo, da Costa.Begistre-se
De Thoraaz Prancijno de salles Bosa, que :
subraeftldo registro quo conferir a Mano-l de
Souza arla para caixeiro de seu armazn) de
estiva sito ra di>A'raorim a. II, c como nao
seja mais elle seu caixeiro, requera que llcas>e
sem effetto dita nomoacao.Como reauer.
Do Jos Firmino Ribeiro, para se Ihe, cer:
o registro da nemeaco do seu caixeiro Caetano
da Silva Ribeiro.Como roquer.
De Justino Francisco Henrique, subraettendo
A homoagem que se ronde s almas nobros e
virtuosas o um dever sagrada, urna lei do cora-
co humano; nunca porem seria um ac lamento
servil, nem rasgos de adularlo.
Tai raro hoje encontrar >e larga copia de vir-
tudes reunidas em u na s pessoa, que forca
render pnto aquelles que retrahindose onda
da conu|ico, sabe raanter [libados seus senii-
menlos.
E' reconhecendo esta verdade, qne nos somos
compellid. s pelos impuUos da gralidao a vir do
alto da imprewsa tuer Dtente ao publico o quan-
to nos sensiiiilisa a ausencia do Sr. Dr. Luiz An-
tonio Piras d'e.-ie termo da Escada, em razo da
exoneraco que pedio do cargo de juiz municipal.
Magistrado rectissimo, durante 9 annos e 10
mezes, em qne aqui exerecu aquelle cargo, o Sr.
Dr. Pires foi sempre austero seguidor da justica;
qualidade que tanto mais realg.iva nello quauo
se rocoBheeia quo era indobravel a qualquer so
licitaco menos consentanea cora 03 rgidos prin-
cipios da equidade.
Verdadeiro protector dos orphos, nunca estes
liveram malhar pai, oe i) mais providente; conhe-
cedor do infortunio alheio, recusa va umitas vezes
seus emolumentos em favor d)9 partes pobtes.
Sem pro despacha va com a niaior brevidale.
sera fazer distineco de partes ricas e pobres, d'es-
ta ou d'aquella crenga poltica ; e para com lodos
tiulia esse ar de modestia o de urbanidade que
sempre o carcterisnu.
Era um magistrado exomplar!
Como particular, era elle u n compendio de
prendas iiiestimaveis.
Arabos os lados pblicos reconbeciam-no como
um deslindo cavalber .
Ama'va o'dosinlerejiso nobre e leal; deslinguia-o
a ihaaeza. o sinoeridade e comparta a inagoa com
os iufelizes, a quem procurau sempre com o seu
bolo mitigar os rigores da sorie madrasta.
Sempre bora e atlavel para com todos, detesta-
va a doblez, o servilismo e a osteotaco.
(Juan io ltimamente seus amigos para de wons-
trarem-lhe a su<> gratido, qutzeram-n'o acorapa-
nhar at n estacu, elle sublrahio-se a essa prova
d'estima, indo para a engenho d'uin amigo a lira
de embarcar era outra estafo; signal este evi-
dente de sua singular modestia.
Finalmente reiira-se o Sr. Dr. Pires, sem dei-
xar ura s deiaffeoto, ficando todos inconsofveis
com a sua partida
Qnoira etle aceitar essa sincera expressao de
nosso recunbeeiinenta
Srvalo se, Srs. redactores, de dar publicidade
a estas uiicas habas.
Os Rscndenses.
Henhom re-elores.- Leudo na sua coneeituada
'titla do Diario de hontera, na parte-r-Aba'roa-
meattdnparei, q*e o informante, foi Ilegal eir.
narrar o jacto acontecido, au de alguna forma
quiz tocar aasusceptibilidade profosslOnar do jo-
ven e activo mestre do vapor, ou como usara os
uiai ujose a suas lencaliiias..Noentendeda <"ula
diz o interinante. que a escuna ,/itrt^cahio
sobre a barca Andrtide Ncvcs-*ueudo-se .tlgu-
mas avariis mutuas, devido ao aasodamento do
mestre do vapor de reboque.Somos justo e ira-
parckl, e cunscienciosanisnte dizsnos, que nao
lu.uve a.-r,jda;iiento, era essas avarias mu-
tuas I! odo testemunbas oculares o professio-
naes, obsjrvaiuos inulto deporto que o mestre
uesta manobra Xoi calmo e enrgico, pois que, a
escuna a lento compativel cora a marcha do va-
por, e na occasio que confrontou cora a barca,
este paivu, vindo a o.-cuoa avanto, e nao obede-
cendo ao wme foi na guiada, bateado com a ora
ra de E B as falcas do B B, a meia tolda da j
referida barea, e esta ae aohava no moio do canal
sobre ostias.
Ora, os cursadores |e aosso porto sabom quo
nesse Iug.ir (forte do Maltes) s ha um pequeo
a transitavel de40 metros pouco mais ou me
nos, navios a luz de franqua, outros era suas
1 ac5e?, mares de la e maia enchente. prin-
cipio de urna curva onde as aguas redimuiniaia, e
ura navio eollocado no medio deste transito;
faclivel barer aboIroaoSo, porm nao houve, seno
ELEltlO
dosjuiaes, juizas e mais devotos
que teem de festejar a V-irgem
da ConceiqJlo, ao povoado de
Camellein no dia 27 de fe-
vereiro do corrente anno.
Jaizes por eleicSo.
Os Illms. Srs. .
Coronel Goriolano Velloso da Silveira.
Bento Sevoriano da Fonseca Pilla.
Jnizas por eleico.
As lllmas. e Exmas. Sras. :
Consorte do Illm. Sr. Dr. Gervasio Gancalves da
Silva.
D. Maria Honoria da Silveira.
Juizes por aovocao.
Os Illms. Sr?.:
Baro do Livramento.
Jos de Castro Paes Brrelo.
Gervasio Jos da Costa.
Jos Basilio.
Juizas por devocao.
As lllmas. o Exmas. Sras. :
Baroneza de Palmares.
D. alaria das Mercs Cysnora.
D. Luiza Ganerosa de Oliveiro Maia.
D. Mara da Cruz Mus Neves.
Juizes protectores.
Os Illms. Srs. :
Dr. Manoi-I Nicolao Rigneira Pinto de Souza.
Capto Joo Silveira Carneiro da Cunha.
Tenente Fructuoso Dias Alves da Silva.
Alferes Antonio Joaquim da Fonseca Carvalho.
All'eres Manoel Maria Mendes da Silva.
Flix Venancio Machado.
Miguel Alexandrino da Fonseca .Galvo.
Innocencio Rodrigues de Miranda.
Pedro Nolasco de Barros.
Maihias Cavalcante de Alboquerqne.
Thom Juaquim da Veiga Figueiredo.
Thoraaz da Silva Paes Brrelo.
Juizas protectoras.
As lllmas. e Exmas. Sras. :
D. Maria do Carmo More ira Pinto.
D. Candida Duarte Cordeiro.
I). Tiienpompa Marques da Fonseca.
D. Lconilla Navarro de Medeiros.
D. Mara da Silveira Oliveira.
D. Maria Marcionilla Bodrignes Pereira.
D. Maria Honoria Carneiro da Cunha.
I). Joanna Ferreira da Silva.
D. Maria Auna de Vasconcelos Vianna.
D. Francisca de Barros Wauderley.
D. Bozenda Dornellas Cmara.
D. Gertrudes da Silva Lima.
D. Dulce do Siqueira Brim.
Juizes da bandeira.
O Illm. Sr. Amonio Picio da Silveira.
A illraa, e Exma. Sra. D. Rila Wanderley Lras.
Escrivo por elei?o.
OHIra. Sr. alferes Antonio Jorge Lopes dos
Sautos.
Escriva por eleico.
A Illraa. c Exina. Sra. D. Emilia, filha do Illm.
Sr. Quirino Antonio da Fonseca.
Escrivo por devoe/io.
0 Illm. Sr. Jos Joaquim Cecilio dos Santos.
Escriva por devocao.
A Illma. e Exraa. Sra. D. Maria de Barros.
Tliesaureiro.
O Illm. Sr. Joaquim de Paula Meira Lima.
'Procurador geral. -
O Illm. Sr. TTto Machado Freir de Barro?.
Procuradores.
Os Itltnf. Srs.:
Francisco de Paula Meira Lima.
Jos Lainbert Paes Barrete.
Novenas.
1* noite.Major Jos Pedro Velloso da Silveira
Inuior.
1 noite. Capito Bartholomou do Bego Bar-
ros.
3" noite.Alferes Francisco Marques da Fon-
se -a.
' noite.Joaqun) de Paula Meira Lima.
>- noite.Os pmfeSSflres publcosdo povoado.
6* noite.Tenente Jos Gorgonio Paes Bar-
reto.
7J noite.Tenonte-coronel Cincinato Velloso da
Silveira.
8' noite.Capito Francisca Manoel Wanderley
Lins.
9* noite.Coronel Goriolano Velloso da Sil-
veira.
O vigario
# Genuino Gomes Pereira.
PRAGA DO BECIFE 18 DE FEVEREIRO
DE 1870.
AS 3 1/8 BOBAS DA TARD
Acedes da divida publica 6 0/0 80 0/0
Acedes da companhia U.Hidade Publica28*000
cada ura.
Accos do banco do Brasl=1674 cada urna.
Cambio sobre Londres 90 div. 20 3|8 por 1#.
Dito sobre dito 90 djv. M !|4 e 20 3|8 (hon-
tera),
Descomo de letras12 0/0 ao anno.
Goncallo Jos- Alfonso,
Presidente.
Mosquita Jnior,
Secretario.
aLFANEGa.
tendimentododial a 17. 593:605*318
den) do dia 18 ....*. 40:455*64(5
634:061*964
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
/olumes entrados com fazenda3
dem idem com gneros
/olumes sahidos cora fazendas '
dem idem coro gneros
143
470
------643
90
671
------ 761
E cump r-se as arremataoes
que liveram rogar om abril do anuo pasean-
do, as quaes foram ltimamente a aprobadas
pelo governo : fao igualmeme saber aos
arremtame a jh^iso qwe (ktrtro de 30 das
contar de 15 demarco prximo futuro.
dqnm elleaiMn podrei>t)ter as compe-
teote* cartas de r-rreata^to prestar hipo-
theca conveocioii'., a qual era celebrad
poresciiptura publica, e inscripta no lugar
da siluato dos bens bypotbecados, nos-
termos da supradita ordem do tbesooro,
exbibiodo os meamos .iremalarites previa-
mente, perante este juizo os documentos
necessarios quo provem a idoneidade e
sufficiencia dos bens que d5o para garanta
dos valores porque sito respoosavets e isto-
sob pena de ficarem sem effeito as mis-
mas arrematacoes.
Compre tambem que os arrematantes a
dinheiro, dentro do mesmo praso e sob a
mesma commioaco, recolham a estago
competeote o rtstanto do preco porque
compraratn as comprehenses de que so
acham de posse -oeitando as respecitvas-
cartas de arrematacSo,
E para que chegue ao coohecimenlo todos mandei passar o presente edial que
ser publicado pela mpffensa eaffixado nos
lugares do costume, bera como as comar-
cas de Goianoa e Itamb, eseus ppotdos.
Dado e passado nesta cidade do Recife
de Pernambuco, aos 17 de fevereiro de
1870. Eu, Luiz Francisco Barreto deAI-
meida, escriv5o o escrivi. Pagar afir.al
400 rs. de sello.Luiz de Almeida.
Abilio Jos Taares da Silva.
Descarregam hoje 19 de fevereiro.
Barca inglezaBrilhantemercadorias.
Patacho inglezA/tWotarinha de trigo.
Patacho ingle -Elene Bernin\nu.
Patacho americano Lizzei H. Kimball varios
gneros.
Patacho portnguezMarnidem.
Barca francezaAdelleidnn.
Patacho americano Jan Clirystal idem.
Patacho inglezSea Cu//idem.
itECEBEDORlA DE P.EXDAS INTERNAS GE-
RAES OE PERNAMBUCO.
ftendiraento do dia 1 a 17. 41:304*170
dem do dia 18....... 1:892*075
:l:196S2i5
CONSULADO PROV1NCAL
rtendiniento do dia 1 a 17. 112:677*642
dem do dia 18....... 7:0732CO
119:750*902
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio sahido no da 1G.
Rio Grande do SulPatacho brasileiro Palma,
capitao Manoel de Azevedo Canario, carga as*
sucar.
Navios sonidos no dia 11.
Ass pelo Rio Grande do NorteBrigue br.i-ilei-
ro Alberto, capitao Francisco Luiz Gancalves
Pereira, em lastro.
LisboaPatacho portuguez Positivo, capitao Joo
Fernandos Bastos, carga assucar.
Natos entrados no dia 18.
Ro Grande do Snl27 das, barca brasileira
Santa Mara, de 220 toneladas, capitao Joo
Gancalves Res, equipagem 1 carga 8984 ar-
robas de carn-. ; a Aaiorim Irniao.
Bio Grande do Sul 24 dias, brigue brasileiro Ti-
gre, de 163 toneladas, capto Manoel Francisco
Cruz, equipagem 10, carga 6,700 arrobas de
carne ; a Bailar & Olivera.
Goyanna -6 horas, vapor brasileiro Parahyba, de
104 toneladas, commandante Olivera, rguipagem
14, carga assucar ; a' companhia Pernambu-
cana.
Buenos-Ayres23 das, oarca hespanhola Arata-
za, de 407 tonelada*, capitao Antonio Costa,
equipagem 15, em lastro ; ordem,
Liverpool52 dias, barco ingleza Slrula Florida,
de 266 toneladas, capitao D. E. Jones, equipa-
ge ni U, carga trillios de ferro e outros gne-
ros ; a Mili- Lnlham & C.
Bio Grande do Sol24 das, brigue portuguez
Adtlino, de 196 toneladas, capito Manoel Joa-
quim da Silva, equipagem II, carga" 10,500 arro-
bas de carne ; a David Ferreira Bailar.
Navio sahido no mesmo dia.
Rio Grande do NorteVapor brasileiro Cnrucipe,
commandante Jos Henrique da Silva, carga
differentes generas.
DECLARACOES.
Ao publico.
O que se diz no Correio Pernambucano de 16
do wrrente, sob a epigrapheIlha de Fernando
arrastame a imprensa para declarar que nao pedi
elogio ao Diario de Pernambuco de 29 do passado;
que nada teoho de commuin com quem fez es-e
elogio, que eu nao se, nem quero saber por quem
foi feito ; assim como que lao baixo e vil todo
quanto esse anonymo avelura em desabono de
minha pessoa, qu nem ao menos provoco minha
indignacao, mas smente meu silencio e des-
prezo.
Recife, 17 de fevereiro de 1870.
Antonio Raymundo Lins Caldas.
ACRBATAS.
"erara a sua estra no tbealro Gymnasio Dra-
mtico, situado no Montciro, na noite de 17 do
correte, os adrairaveis acrbatas italianos Cesar
e Vicente.
A concurrencia foi inmensa e os jovens es-
treantes nao desmentirn) a nomeada, que trou-
xeraua da Europa.
Primaran) em to^os os exerccios que ieram,
os quaes impossivel exesutar-se com mais per-
feicao. *
Forca, aglidade, destreza e variedade nos ex-
erccios inteiramente novo3 ludo emQra aiha-se
reunido nos jovens acrbatas, a par dos bellos
vestuarios e maneiras delicadas com que caplivam
os expectadores ; podendo amanear se, que no
genero acrobtico, sao indubiiavelmente, os me-
mores i rae jera aportado a esta capital.
Os trabalhos na baria fixa e trapesto duplo,
proJuziram sorprendente effeito ; e os repelidos
applausos do Ilustrado publico, que assistio ao
dvertlinenlo, provam o graniioso merecimento
dos maravillosos acrbatas Cesar e Vicenie, me
reccdir.'s da fama, que a custa de lano trabalho
tem adquirido.
O apreciador do mrito.
Valerianato d'ammo-
niaeo de Pierkt.
-Medicameato approvado pela academia
de medicina, e experimentado sempre cora
bqm resoltado na epilipsia, hyrtesia, chor
rea, insommia, enchaqueca e as nervo-
*a de-qualquer forma.
Totna-se nma dose de urna colber de cha
pela manli3a e outra da tarde em um calix
daflua ria.
Na pharmacia Central, ma do Imperador
*'*8. (7
Mofina.
O despreso que nxri.'ee uro certo Caeique,. que
orondo cora urna gran ie chapado bronze pendu
ratU por meo de urna for^e sola como^corres-
ponieete n 3? no aollete, .\poiando-se no campe-
lento barrU, daudo gritos di.N formes pelas antigs
ras le Jrfabiaa, j por ler sub.'do dous degros da
escada social, er estar a par &.MU aquelles, que se
nio tiveram aquellaeducacao qu'-O o chama com-
pleta, seus pas deram-lhes ao rae.nos os principio
Juizo dos feitos da fa-
zenda nacional
Do dia 43 de marco prximo ful tiro em
diante, ter lugar na comarca de Goianna.
a venda em praca publica deste juizo, das
comprehenses do extincto encapullado de
Itamb, sendo a de neme EngeboNovo, ava-
llado por 50:000$()00, a de nome Pangau
por 15:0005000, c a de nome Cumbe por
9:000$0u0 : acceiltr-se-ha nessa occasio
propostas para venda dos escrvos Basilio
pardo, com 26 annos, avaliado por-----
lroOOdOOO, Concordia, parda escura cota
I.' annos, por GOOfWiOO, Aquilina, parda,
com 4 annos, por 'OOiJiOOO, e Damiana, par-
da, com 0 mezes, por 100f00. nos ter-
mos da lei de 15 de setembro do anno pas-
sado, e em seguida ter lugar na \illa
Itamb, o arrendamento em hasta poMiea
por 5 annos, dos terrenos em que seach;::
situadas dita villa e povoaeoes de Tinbaba e
(lomutanga, assim como tambem a venda
do duas partes di comprehensSo Carte,
depois de dividida a mesma comprehensftj
em menores lotes, conforme o 4o do art.
Io das instru?roes de 30 de dezembro-rie
1865.
Recife, i" de foveroiro de 1870,
O escri\o.
Luiz i'. B. de Mmtidti.
Santa Casa da Misericordia
do Reeife.
A Illraa. junta da santa casa d misericordia
Recife, na sala de suas . tardo do dia do corrente, recebe propoM.is par.i
o fornecimento de assucar que tiver de on-um.r
o hospital Podro II nos mezes de marco a ntsii.
vindouro, sendo dito fornecimento pago cora i-
nheiro vista.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia i
Recife, 18 de fevereiro de 1870.
O escrivo,
Pedro Radrijuex de Sohz. .
EDITAES.
Faculdade de direito
do Recife.
De ordem do Exm. Sr. director se faz publi-o a
lista dos examinandos de geographJa habilitados
para -eren) chamados ao exame oral que deve
comecar segunda-feira 21 do corrente, as horas
da manbaa.
1 Adalberto Elpidio de Figueiredo.
2 Affonso Caetano do Valle.
o Affonso Octavian Pinto Gnmarae?.
4 Antonio Duarte de Oliveira llego Netto.
.'i Antonio Pacheco Soares.
6 Arlhur de Olivei rn.
7 Rernardo Pinto Brandan.
8 F.duardo Gomes Firreira Vellcs".
9 Emilio Jeronymo Ferreira.
10 Frederico Augusto Borges.
11 Joo Biplisla de Casiro Rcbello Jnior.
12 Joo Pedro timorato Correia de Miran!.).
13 Jos de Oliveira Coelho.
li Jos Simplicio Na'ciso de Carvalho.
15 Luiz de Oliveira Mondes..
16 Oitoni de Barros Wsnderley.
17 Pedro Vicente Vianna.
18 Severino dos Sanios Vieira.
O inspector interino da alian l^ga, em viru-
de da portara dathesourariade lazenda o. 188 i .
23 de dezembro do anno prximo passado, faz pw
blico que no dia 22 do correle, depeto do inr
dia, e a porta da mesma reparlcao, serao levado-
a hasta publica, livre de direitos, um guindas--
c o madeiranuuto extrahido da ponte do algod>.
que se est reconstruindo, como abaiio se oeeb-
ra, fieando a aTe ataeo dependente da appro-
vagii-) do Exm. presidente da provincia, a saber
i guindaste, i cncham:;, 40 laboas de amareli.
70 ditas de forro em o estado, e 13 travs, ava
liado tudo em 291*000.
Alfandega do Pernambuco 18 de fevereiro i
1870.O inspector interino,
Luiz de Carvilho Paes de Andrade.
Conselho de compras
navaes.
O conselho promove no dia 19 do corrente ave/.
avista de propostas recehidas at as II horas da
m nhaa, a compra, sob as condicoes do estylo, di>s
objectos do material da armada segrales: V
arrobas de almager, 4 bandeiras naciones de *
pannos, 4 bandeiras nacionaes do 6 pannos, 12
carrinho? de roSo 200 alqueires de cal prets, |(H
alqueires de cal branca, 120 bracas de oorreni?
de ferro do 1|2 polegada reforjada, "O arrobas (''^
estopa doalgidao, 10 flmulas de navio, 10 fecha-
duras de Ierro para porta, do broca, 20 Icncoef r!i
ferro de \\\ de grossura. 0 ps de comprimen:-
e 4 ditos de largura. 6 jarras de madeira par;
agua de 36 polegaias denltora, 30 de diortr
fundo e 24 na bocea, 10 duzdS Je limas chatas de
4 a 15 polegadas. 10 dudas de limas nieiac.v
8 arrobas de merlim, 8 arrobas do mialhar, lli
arrobas de oleo de linhaca, 10 libras de ofcrri
Secretaria da facnldade de direito do Recife ^.francezas, 2ocnlos de alcance, 6 arrobas de pre?.*
de fevereiro de 1870. d... robre de4 polegadas. 600 libras ^prcpKdur.-.
O offlcil no impedimento do secretaria de cobre, 12 podra de amolar de 3 psde diana.'
Manoel A. dos Passos e SHva Jnior. iro e 68 polegadas de grossora, 10 salnoniplrc >
metal, 10 salinmetros de vidro, e 1,000 tjol !
O Dr. Abilio Jos Tavares da Silva, ollicial
da Imperial ordem da Rosa, c juiz dos
feitos da faze.nda nacional. desta provin-
cia de Pernambuco, por S. M. Imperial e
ConUituicioaal a quem Deus guarde, etc.
Faco saber que em virtude no art. r>8 da
ordem do thesouro de 13 Je dezembro de
1869, em quanto n5o tiverem destino os
terrenos da povoacao de Timbaba e Comu-
tanga e da villa de Itamb, periencentes a a
oncapellado deste nome, serlo elles arren-
dados em hasta publica, por espato de r>
annos na forma do art. 4 das iQsU'uc"ces
de 30 de dezembro de 1865, segundo a
avaliaco que previamente ter lugar, deven-
do ser fetta a mesma arrematac3a por lotes
na villa de Itamb a contar do da lo de
marco prximo futuro em diaote, e quanto
a cofl&prebees denominada Carie* proce-
der-se-tia a sua diviso em diversos eme
ores lotes, segando, for mais conven:
aos interesses da faaenda, isto em virtude
de autorisafo concedida pela presidencia,
de, conformidade com o | 4" do art. Io
das iostroeces citadas.
Outro skn na arremalacao que prxima-
mente se ha de faaer das compreneri^s
engenho Novo, Pangau e Cumbe, no dia
13 do mesmo mez, e acceitarao, nos ter-
mos da lei de Vi de setembro do anno
prximo passado, propostas para venda d is
eseravos, Bazilio. pardo, com (3 annos de
dade, carreiro, avaliado, ppr l:000?000,
Concordia, parda escura, com t(, avallada
por 6001000, Aquilina, parda.com 4 ann-s
avahada por ZOOflQOO, Bamiana, parda om
6 meres de idade avallada por 1006 '
todos pertencente ao dito encapalado.
foro.
Sala das sessOes do conselho de campras na-
vaes 14 de fevereiro de 1870.
O secretario,-
Alexandre Hodrignes dos Anlos.
Administiacdu dos correios f Puroaiulain<
18 de fevereiro de 1H70.
Malas peio vapor Ariadne da liona de Loi.
Lisboa & Marseille.
A corrcspou>lencia qae tem dn ser exped.' i
or esta admiiiistracoem 19 do c mate para i
estados da Europa po va de Falmouth a fc.>ilr.
pelo vapor cima mencionado, ser recebida la*-'
as cartas com i jnrnaes ato as 11 horas do dia.
As cartas pagarlo previamente e porte do 24 i
rs. por 15 grammas oa fraceo de 15 fmmnia-
e os jornaes 40 rs. por 40 gramraas ou frac,ao f<
40 gramtnas.
O administrador,
ABonso do Rejo Barros.
THEiTS
CAPNGA.,
Grande e variada *
ESPECTCULO PASTWiL
Mol a dlrec^t
DO
Artista draniatico
PB9B6 BAPTISTA BE SAMTA B(
Saboado, 1!) do corrento.
RKCITA EXTHAORDIXllEi
Em beneficio da contra-mestra
D, LOUUip JSTW1
J*


mm


D'mrw do Pernambqco -~ Sabfcado 19 de Fev
ereiro de 187.0.
r, toih> o *i:i coiii>i4>
orehosta
meto professor fnno tttfil Filho)
* execuufc m < briltantes Qn-
wturMiJtrj. ,. mw* alvora-
-ia desempaljatVPU iwwr, oniesWa, no fin
< fTMiin speetacolo, ornado x!e arias, coro el
ung cu doos asios o m-sn que ki 4 acopa
no th*ir.y Je gaita (sube; >.-m 1863, que unios
s mereeeu,
Nesta. vaudeville lomam parte toda a pastaras
ida trina canta a sua
VBOSOS.UKN.v JOVINS.
uil, pastora---- D. Roa Emilia.
Ruth, fiem........ D. Loureuca Justina.
Jodi, idem........ D. Annunciada.
Aieiaa, idem....... D. Antonia Elisa.
Tirse, idem....... D. Laura das Newes.
<'.eolia, idem...... D. Mara Jos Ris.
Dalina, idem....... D. Mara Carolina.
D. Francisca de Panla.
D. Joaquina Peixsto.
D. lgm-z Mara.
Sr. Santa Rosa Flo.
Sr. Gulherrae Ferreira.
D. Oceria F. Paschea.
Era um dos inlervailos todas as pastoras dansa
rio urna luida contradanc^i campestre ensalada
otprichosamente pelo Sr. Maaoel Baptisla de
'Si asi.
Terminar o espectculo caai o curo da despe-
dida.
PRECO DOS Bli.HETES.
Camarotes' de i f,rdopi.. 84100
ii-isde bordea....... ifSOO
Cadeirs............... 24000
Platea................. 1*000
>s Hlhetes acham-se dos-i' j Trocla a casa
to Santa Jtoss, ra de Santa Isabel n. 13 e no da
i: espectculo no theilro.
Principiar as 8 e m 'ia horas.
COMPANHIA. PERNAMBCWM
?smene, dem......
Flora, idem........
i.*ura, idem......
Esoker, velba.....
Kooz, pastor.......
Vm anjo..........
DI
%'avega?3o cosfeira or vapor.
Parahyba, Multo, ftossor, Ara-
caiy, Ceart, Mandah, Acarac e
Granja.
0 vapor Ipojuca, commandante
Hoia, seguir -jaca os porte?
_ cima no da 9 de .mareo asohqraf
fe. Recebe -carga at o dia 1, enemn
meadas, e passageiroa e-Jinheiro a frote at as
'toras darfudo do a da sahida no escripto-
nn do Furto do Mattes n. 12.
.COMPANHIA PERNAAIBUCANA -
DR
Vavcga^o costeara por vapor
._ Mamanguape.
*\V O vapor Mandah, commandante
^ 14 *n,l. seguir para o aporto ac mano
/ ,a 28 d0 torrente as 6 horas da
tarde. Hecebe cartea, encommendas, peasa"ei-
r se dinheiro a frete aj s 3 horas da tarde
do d/a da sabida : escriptorio o Forte do Matos
n. I?.
Para Haranfafio ePar
O hriguj nacional 9tmto Amro, capitao Cete-
no Ai ves, uvas, pniejide seguir com amaior bre-
vidade poisivelpara Maranhao e Para, por ter
parte 4a ottifa proaoia, eugaja-se a que precisa
reoefce psssaeiros, a tratar com os consigoata-
nos Marques larras C, no largo do Corpo
Santo o. 2* andar.
,9
Para a Poeto.
Pretende seguir o mars breve possivel para o
Porto a barca porta ueza S. Vanoel II, capitao
Jos Antonio des Santos,'reeebe carga a frete e
passageiro:, a tratar oom Marones, Barros & C,.
na praca d>> Corno Santo a 6, i" andar ou com
o capitao a bordo.
COMPANHIA
PERNAAIBUCANA
M
\avegaciio cooteira por vapor.
Goianna.
O vaper Parahyba, seguir para e
porto cima no dia 26 do corrent-.-.
_ as 0 horas da noite.
K cebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frote no esiiriptorio do Forte do Mattos
n. 1.
3L
THEATRO
mmm dramtico
(Ho Bonteiro)
SOBA DIRECTA.) DO ARTISTA
DE (IKIVVMI
Domingo, 0 do correnle.
RECITA EXTRAORDNAHIU
L' iimo espectacalo, antes do carnaval, em
ciijo lomam parta us admira veis
acrbatas italianos
Cesar e iceute.
\p|i!audiMos enthaia?: Mi-mte em quasi toda
- 'uropa.
Jepois da Sra. D. Je.-ui;ia, q os Srs. Braga e De-
<..civ,inm, represcntareui agraviosa e rauilo ap'-
iflfila comedia em um aeto, ornada de nmsica,
r'.iuiada :
H0LCAECACH1MB0
' acrobaiaa Cesar e Vicente exccutaraooexer-
o -orprehenilenie e appIauMissim exerci-
ddiuniiiiado :
A barra fixa.
5ogniodose pela Sra. I, '--uina, a pedido,
applaudida cansoneta :
C CAF CANTANTE.
Wl i a qual o acrbata Vicente ejecutara, cu
po< pan o ar, o bollo e mnito applandido exer-
. intitnJado :
A tranga americana.
Em seguida, r.'pre>ontar-?e-lia a mteressanle
ii lia em um acto, ornada de msica e danca
minada :
-COMPANHIA MASILERj!
DK
Paquetes a vapor.
Dos porlos do norte esperado
at o da 27 defeverriro o vapur
Aiimos, commondaiite o primei-
ra-tenente J C. Duarte, o qual
depois da demora do costme
para os portes do sul.
Desdo, jrecebeui-se nastageiros e a^aja-se a
carga quej> vapor poder coiduzir, a qnal deven
wr embarcada no dia de suaeitgada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as 2 horas do dia da sua
sahida.
Naoserecebemcomo encommendas senao ob
(ectos de pequeo valor eque nao excedam a dua*
rrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao
rodo qnepassar destes limites dever ser embar
ea lo eomo carga.
Prevfae-se aos Srs. passageiros, que suas pas-
n. 57 primero andar, escriptorio de Anh no Lui;
do Olivoira Azevedo & c.
Na agencia n3o se rtcebem cartas, os
interessados devem leva-las ao correio,
mm\ BRASILEIRI
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esiieradt
at o da 21 do corrente o vapoi
Cruzeiro do Sul, commandante J
P. Guedes Alcoforado, o qnal
depois da demora do costume se
gira para os portos do norte.
a l Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
carga que o raper poder canduzr, a qual dever
ser embarcada no da desuachegada. Enconimen
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia d;
luasanida.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
lectos de pequeo valor e que nao ercedam-a i
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medi-
ao.
Tudo que passa* destes limites dever sci
embarisado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa
wns so se recebem na agencia ra da Cruz n. 57
i" andar, escriptorio de Antonio Luiz de liveir;
Azevedo 4 C.
Previne-si aos interessados que na agencia
nao se recebem carias.
Xa agencia nao se r. cebem cartas es inleres-
asdos devem leva-las a> correio.
EarA'
Pretende seguir em poneos dias pare o indicado
porto a barca portogoeta Despique II, por ter a
inaior parte de seu carregamento prompto, e para!
o restBffne Iha falda, que rewbtatlrereiauilo ba-
raloilrate'Pewm^eofcsigniMarioitoBcioim Jos
Goncilves Befcra>.TOi4lsTCnanBWrcio n. 17.
Para o Pdrto
a narca poftngoeu Nbvo: Silencio seguir con
a brevidade possivel; para carga e passageiros
trata-se com os consignatarios Oliveira Filhos .
C, no largo do Corpo Santo n. 19, ou com o ca-
pitao na praca do commereio.
De: ama.apoft da (Mwiedde -command-
tar.a deTteods Rimon A C., na im-
porUncj 4a-iiJMm. e tima parle no
Ww-Bma em anto ArftSo nr> valor
de 3:000^.
tnara-fe ra S* acevereiro
ao tneio rtia wr ponto.
nT1 fei? ria AgsoBiacno Commeroial.
^oWK5ID,0.,J!*r;,-|ei,i'1 a w|wrtawito
Dr it rna.JunJ">r Por dspaeho do lUm. 9r.
ndi, f. i""*'31 d0 c"'wri'>- "" cima
n* 1? 2^i' a'T10 ** d' in 3:) d" o""1'6
nasaia de entrada da Asweiacao Coimnerrial.
CASA M-POBIBI
Aos 5:0005
BilAr?te8 garantidos.
i roa do Crespo o.53 e casau do costme
tO abaiso assigado, leudo vendido aJm de n-
sortes, 2 garlos n. 4660 com 700*' da |
Ama
PrecKa >e de otm, ioner-
JJ. ^-aruad^1rre;,,obraXCna
SroaK
As audiencias do juzo; de orphaos desla
LEILOES.
KO
Rio Cirantlc do \orae
DOS
Salvados, da barca ingleza Gal-
mwa.
No dia 21 de fevereiro corrente rao praca na
oidade do Natal, provincia do Rio Grande do Sor-
te, 23 caixas rom mobilia, 4024 taboas e pranchoes
Je pinho, 4003 portas de pinho, 400 caixas com
iherebantina, gaz o banha, 10 caixas com veloci-
pedes, 125 ditas com conservas de topistas e os-
tras, 10 dilas com cabides, 1 dita com ebjectos para
photographia.Ui ditas com lerragcos, 14 ditas com
lachas de cobre, 75 barris cem pregos, 144 caixas
com salsparrllha e tnico oriental, 21 caixas com
qninguilharias. 20 barris com carne salgada, e
porcao de ohjectos nao qualifteados.
I^>eja de Nossa>Jewtowa do Livramento de Pao
I d Alho (137), emtf.i am possn.dores 4 rireni
; rneeber na confaraidade do costume seu descwi-
j to algura.
Acham-se. a venda os felizes bheiesiraran.
lf 3 ll'ft?-* W*i* abcwficio grea
'* N. S. dnlarrament do Kio Prmosa'> Q'ie
se eatrahk MgnBilaJMra 2H do crrante mw.
^ Preoos
Os do oottume.
.. t_______MaBoet Martins Tima.
Festa nos Eemedios.
O propietario do mnibus Cixang previne ao1
nnniico que no domingo ijjo corrente fcr par-
tir fiara os Remedres as 3 horas e 4 da Jardo
nm mnibus, e volta^o^nerhora, logo ase haia
lente a noite.
-." Dezembargador A. Joauuim 4, Albuciuerqvt-
Hlitidn ,L^Vt ,wa aP"l,llf0 roetendo *lloJansente)Manaei Jos de Albii.iuerquefeho,.
otido brenca do Exm. Sr. cooselbeir inspector ^qu'm Antao de AltMiauaMue M-llo Permni
umnK2^ ^ ':1Z1en,,,a- ^^ fara VflB^ ^ValCa,n,e A AlbuqueTqSello.S,bastid7Z
teieria que'se aS6n"de~xlrahTr a"1iensft^7n"tolacha transferidas |iara"ai das~de7eoifc
ja. ijBinlas f.-iras ao meio d
AM
AViSOS IMVMSOS.
Mmpiihas em sen estabelecimento rna do Crespo
iS p- '"Mmos Precos que se vendem na re-
pLm .'a 8erai ; $,ini l,lMii- Pdem s> pessoas
residentes nesia adade e ra della dingirem ao
aoaixo assignado, us encommendas em iiuakiner
quantidade que sera nromptimnie saiiMTeiUs.
________ Maooel Martins Pinza.
AMA
Precisa-so de urna ama : no pateo do Paraizo
n. za, ciefronte_ Sitio.
B1.*I?ra,8c.w*e*n*r**-tiiannn o grande e
ptoresco m a Bar*#o^ no Skonteiro, Jm sa
para numerosa familia, e mais commodos neces-
uriosancau decampo: a tratar na ra do
Lrespo n. 6.
Tend]
imo
tomo de Albuquerqiie Mello, Mana Joaquina de
Aibuqderque Mello, Mara Jovna Cavalcante de
AlUiquerque Mello, FribbeiU Martiniana de Al-
buquerque Mello, Symphrooia Oiympia do Albn-
querfjue Mello, e Idalina dos Aojos de Albonuer-
que Mello, sobnnhos o manos agradecenrcordial-
mente a todos os aaifus do sen raui preado nm-
no e no, pndre Manoel Adriano de Alhuquerque
Mello, pelo-obsequia que Ih&fceram do assfctiras
exequws fejtas ao eadaver do mesmo e de novo
convidio a assislirem as missas do stimo dia
que terao lugar na segunda-feira 21 do corrente as
4 l|i horas da manha na igreja matriz de S. Jos'
e igualmente agradecem aos Rvm*, Srs. saverdo
teaqaeae digoaramacnnipanhar o seu cadver
da asa a 4greja S. Pedro, e desta ao cemiterio
publico, convidando tambero aos mesmae para o
mesmo flm: pelo que se conoasam summamente
gratas
Preca-M de oun ama que saiba coziater
wonwr bem ptrra casa de pUl-3 familia; n*
ra .Nova n. 37 2* andar.
S5em tiver meninos.
Preeisa-so-de menm para aprender a ftier
agaro: ms fadricas atopor de cigarros, iiuar-
teMepoJicia n. 21 na nie*a*m n. 8, fl, I,
boc onsaniao para os Sfira..|Ws de farraa que
nao tetm^qne lhe> dar a ItrMr, e em pouco leaapo
seHift.yHranie ra-oa.y Urna seiihoraoBoiemTas habilitaces najtes^
saria?, prope-se a eflsinar atgnmas meninas m
algum lugar parto da pra?a ; quem do seu nres-
ttmo precisaidirijB-se- a ra da 6ioria n. 8.
Antonia Tillar Aivc*Maja viuva inventaaian-
le de seu finado mazido Antn Domingnes Al-
ve; Maia, rogaaosdeyeiores e cwdores do ca-
sa, go at o da 2*i do corrente. apresentarem
aas conus na Ivrara econmica ao p do aro
irenl;.no a que w vai proceder pelo inizo do
orphaos '
Atte
o, vetha oo mande
lre3 dfas,.eatrcgar a
CDflO, i importan-
1. LtalFerrci-
o-se manOii,) bomam ix,r um nrcto~a-
nbador, ama cabra mocha com una cria e mais
doas marrans para seinn entregues no sitio dos
Alll.ctos em que mora o atengo asignado, o dito
preto nao as lovou ao seu destino. A cab-a
vc-nnellia clara, e. as duas marrans, urna lavra-
da e outra do cor nm.pouco escura : quem an-
preheode.|as e leva-las no sitio in licado, sr
gralifi-ado.
_____Joaqiiim S. Pessoa de Siqueira Cavalcanti.
' Nao dosejamos contestacao em jornaes ; mas
forra 6 -rcoondiT
n
Deyempenhada pela Sra. D. Jesuina e o Sr. De-
ovauoL
Em seguida o Sr. Flaviam desempenhar a gra-
>sa sceiia cmica : LUAIPAiNMA l'JJ.llN.VMBULAiNA
Oiuatutoaparvalhado. atm. *"'*
Terminando o n^oacnh com o maravilho-.o e j Mwegatfo COStetm por Vapor
lisamente appaadido trabalho de agilidade e Maceio, em direitura e Penedo.
:<;a, intitulado : vapor Giqul, commandante Costa, segui-
Olrnilic! |rd|lcMfl (j|i|)!U as 4 horas da tarde. Recebe carga at o da 21,
Exeeolado pelos admiravek acrbatas Ce^ar e encommendas, pajsageigeiros e dinheiro a frete
' at as 2 horas da tarde do dia da sahida, no es-
... crptorio do Forte do Mattos n. 12.
- tralialhos acrabatico' dos artistas Cesar
Mauricio Jos dos Santos Ribeiro estabelecido
com casa de penhores praca da Indeqendencia
n. 33, far leil.io por iuterveneso do agente Mar-
tins, no dia 24 do corrente, de todos-os objeetos de
ouro dados em penhor constante.; das cautelas
ns. 11, 18, 27,31, 34, 38,39, 15, 54, 9, 61, 66'
67, 7 B, 9 ti, 10 B. 12 U, 20 B, 22 B, 23 B, 26 B,
46 B, 47 B. 48 B, 51 B, 61 B, 65 B, 66 B, 07 B.
74 II. 75 B, 78 B. 85 B, 90 B, 93 B. 94 B, 99 B.
185 B, 109 B, 113 B, 115 B. 116 B, 124 B, 133 B
137 B, 139 B, 143 B, 146 B, vencidas o no pa-
gas podendo seus donos recatar os objeetos ou
pagar os jurof que estao devendo at o acto do
leilao e a vista da cautela.
LElLAO
Oc 39 barris com foaaba de
poro.
Segan/Ia-feira 21 do corrente.
agruie Pasta na far leilao por canta e risco
de qtems perteneer de 37 barris com banha de
porco os quaessorao vendidos em um ou irnis
ioes a vontade sosunla-feira !l do corrente pe-
las II hora3 da roanbia no arraazcm trapiche
dobarao do Livr.im.ento no Forte do Hatos.
Atten^o.
Aluga-se ou ven le-se nina casa com bastante
commodos na cidade n va de frute Amaro: tra
lar com Joaquim de Souza Noves: ra das Cru-
zes n. 36.
Joaquim Francisco~do Paula"Esteves Cl-
mente, Candida Rosa Tcnoria KstcveS,mu to agra-
deieai a todas as pessoas o amigos de seu falle-
cido pai Joaquim Fr ncsco de Pau'a Esteves' Cle-
mente, as pn vas de amizade que Ihe tributaran!
assi-tindo ao seu enterro e aeomp.-mhado at o
cemiterio o eu cadver : e de novo os convi-
dam para a tniasa do stimo da, a qual ter lagar
na iiKriz da Boa-vi la, as 6 horas da manbaa do
da 23 do e rrente, pelo que anda mais tratos
Mearan. B
LEILAO
armaco da ta-
rna ca Coucei-
VioeaM.
\ agradDbilssmr, aprestan, que proluzram
trabamos crobalico dos irtislas Cesar e Vi-
B : o enlhnsiasoio com que foram applaudi- o brisue nortueuez i
poro* ealhdo auditorio, na nonte^de 17 oeiro.rfwbe carga"
corrento, niduzram a direccao deste theatro, os consicnatarios E R
conseguir, que ellas trabalhassem, ainda esta
ai.tu de que o lUnstrado publico pemambu-
poasa gosar os snus novna e variados exer-
ura Lishoa.
Ovarense, capitao A. B. Car-
passageiros : trata-se com
gnatsrios E. R. Rabelio & C, ra do Com
mercio n. 48.
os <|uaes realmente sao dignos de aduii- LrU 0 X TtO
.... Saldr at 23 do corrente a barca portugueza
s ..ihetes de camarotes, cadeiras e geraes Claudina, de marcha, ainda recebe alguma car
i.am-se na esta cao do Recife e no theatro pelos ga e passageiros, para os quaes tem excellentcs
ibeieados, havendo trem depois do es-
laeolq, mo tocar em todos os pontos do es-
lo ate ao l'.ecife...
commodos : a tratar com Cunha Irmos 4 C, a
ra da Madre de Dos n. 34, ou com o capitao a
AVISO
O divertimenlo sonde um pouco extenso, pre-
I le.o mesmo principiar s 7 1|2 horas,
m ponto para poder terminar as 11 1(2 horas
'Ufa mais cu menos.
N. B. Os trabalhos dramticos deste theatro
Ki-rranie temporariamente, em consequencia <
s te de preparar-se, com todo o esmero possi-
I, o salao para
Os bailes nmscarados
Cujos realis?r-se-hao as noules de 26, 27, e 28
i corrente e 1 de marco.
bordo.
Baos gneros e
berua sita a
cao n. 11.
0 agente P ntual vender em leili a aberna
acima par mandado do Exm.r. Dr. juizdo com
mercio a requerimento dos depositarios da massa
fallida de Antonio Agosttnho Seixas da Fonseca,
sendo s gneros e armacao vendidos n'um ou
em mais lotes a voitade /m lcitanles
Segunda fcira 21 do crrante.
Dever ter lugar o leilao na mesnia taberna, as
11 horas.
i3e
JPara o Porto.
v 'I
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
ns
Navegando cos eir por vapor.
Vai sabir com brevidade a barca Portugueza
Amelia, de primeira marcha, por j ter grande
parte da carga engajada : para o restante e pas-
sageiros trata-se com Balthar Oliveira A C, ra
do Vigario n. 1.
Porto.
Vai sabir breve a barca Laura para carga f
passageiros, trata-se com os consignatarios Carva
Iho A Nogneira, na ra de Apollo n. 20.
PARALISSOF
a barca portugueza Gratidao dever seguir com
a menor demora possivel ; para carga e passagei
ros, trata-se com os consignatarios Oliveira Filhos
& C. no largo do Corpo Santo n. 19, ou com o
capitao na praga do commereio.
De dividas na importancia
i a ; .-,.<*>.>o
Segunda-feira 21 de fevereiro as 1! horas.
O agente Pinto levar nivamente a Icili ser-
vindo de base a ollera obt da no leilao di II do
crreme, as dividas activas da massa fa lida de
Miguel Gomes da Si va o por mandado do film.
Sr. Dr. juiz especial do commereio, o leilao se.
effectuado no da e hora acima ditos no tserilo-
rio do referido agente a ra da Cr z n. 38. '
Para o Porto
I 'orto de Gallinhas, Rio Formse e Taman-1 abarca Flor de s, Simo sahir brevmente, por-
dar. i 'I"e j tem parte da carga engajada : para o reste
O. vapor Parahyba, seguir para os portos aci- e Passagens, trata se com os consignatarios Car
"ia no dia 20 do corrente meia noite. ReceL" valh6dt Nogueira, na ra do Apollo n. 20.
irga, encommendas, passageiros e dinheiro a fre-
' no escriptorio do Forte do Mallos n. 12.
rlaraniiio.
Aosiuna Georguma) segu para o Maranhao
uestes oito dias, tem a maior parte do carrega-
nento promplo : quem quizer engajar carga a
trata-se desde j com os consignatarios Tas-
) Irmos A: C.
Kio de e/atuiro
Sahe para o referido |>orto em piucos dias c
patacho Guilhermifiafor ter quasi todo o seu car-
regamento engajado, podendo ainda receber c
pouco que Ihe falta e raiudezas, assim como es
cravos a frete : a tratar com o consignatario Joa-
quim Jos Golcalves Beltro ra do Comniercic
n. 17.
ale "veis. lonea. vid ros e al-
gunas obras de ouro com brl-
1 antes.
Terfa*feii-a 22 de fevereiro.
A SABER :
Urna mobilia do Jacaranda com 1 sof, 1 mesa,
2 canslos, 2 cadeiras de bracos e 12 de guarni-
do, 4 quadr s, 1 caixa de msica, 2 espelhos, 1
mobilia de amarello, 2 eadeiras de balanco, 1
guarda vestido, 1 guarda roupa, 1 secretaria, 1
santuario, 1 lavatorio, 1 guarda louca. 2 marque-
zas 1 commoda, 3 venerianas, 1 cama de ferro,
ternes de bandejas kmea de differentes qual-
dades, copos, clices e garrafas finas e 1 rico as-
pelho e urna espingarda, 1 rewolver e dilleuiiiis
obras de ouro cora brilhantes.
Terca-feira 22 de fevereiro.
No lc andar dt aooRid da ra do Brurn n. 73.
O agente Pin f let.fri a Jelaotoor conta e or-
dem de urna familia |ue rabdoi de residencia, os
mivcis e mais oojeettecima descriptos existen-
tes no sobrado da ra do Brum. onde se efectua-
r o leilao no aia cima dito.
Principiar as 10 horas,
lustrnecao primaria e seciida--
ria, s b a direceoo de Francis-
co de .torja c Hiveira, ra ds
Prazcrcs n. -,,8.
Francisco de B rja, cdmpetente:iientc habiliudo
pela directora geral da nstruegao publica, e com
bastante pratica de ensino, lecciona rhetorica e
poeca, francez e principies do i.-uim : lecciona
tamliem primeiras letras coadjuv.ido por um ad-
junto abil, praiico e moralisadu. Recebe alum-
nos pensionistas de 12 unas para baixo, por pre-
co razoavel, e externos a 153 o quartel.
O abaixo assignado declara a i-specialidade ar corpo di commereio, que tem jus-
to e contratado com o Sr. limiardmo Antonio Pe-
reira, a taberna sita na ra das Larangeiras n. 16
quem so julgar com dircito dita taberna, apr-
sente sua conta n > praso do tres dias, a contar
desta data, (hados os qnaes nao so attender a re
clamaco alguma. Rocfe 17 da fevereiro do 1870.
__________Maooel Tasaros da Costa Ribeiro.
Por "se ignorar a sua residencia
faz-se o presen c annunelo.
A pessoa que levou na quinta-Jaira, as 6 horas
da tarde, um relopio de ouro eoberto, patente in-
glez n. 19,399, em logar de um nutro que deu
para concertar tambem de ouro patente suisso n
77256 ; rogase que tenha a Imndade de verifican-
do o engans vir trocado ra .Nova r. 21, que
mui:n se Ihe agradecer.
Programma
da festa de 3. dos nemedlos
creca na sua igreja do mesmo
uouie, na fregticzia dos Aflo-
gados,
Ao amnhecer do da 20 do corrente, a banda
de misica marcial do 3' baialhao de.infantaria da
guarda nacional deste municipio tocar no pateo
da referida igreja aKferentes pecas escolhidas de
seu repertorro, subindo ao ar por esta occasio
diversas girndolas de roguetea. As 11 horas
principiar a festa, pregando ao Bvangelho o dis-
tincto pregador Dr. Luiz Ferreira Nobro Pelinca,
havendo T-Deum a noute : havendo a tarde ca-
valhadas e queimando se noute um lindo fogo
de artificio, durante o qual tocarao alternadamen-
te duas bandas de msicas ruare aos.
Preesa-se de urna ama para cozmhar em
casa i'ainNia : tratar na Iravpssa do Queimado
n. 18 B. roja de mindezas.
rorea 6 -renondor a conclus.lo do annuncio pu-
blicada no mrt dehoje pelos Srs. Gorra & Ir-
roaos, qne ainda preleadem obrigar ao Sr. Ma-
noel Duart.: RoJngues Pinto, quando cortamente
nada diste Duarte Pintotratou a ros|ieilo da lal com-
pra ; urrez o erprlvocn venha de confundirem o
srs. torga A Irinaas, Pinto com o Sr. Gomes. En-
treanu, aperaremos o ulterioi' prcodhneiiio dos
honrados S, s. Corga A Irmos para procedernit s
de accordo com os diroitos do nsv.i consttuinte
Recife, 16 de fevereiro de 170.
__________Dr- Antonio Borges da Fonseca:
Jeronymo Francisco Ferreira teudo de e
retirar para fura desta provinci,., deixa durante
s^ua auseaea como seus procuradores nesta cida-
de, em lugar ao Sr. Jos Cardoso da SilvaJ'n-
to, e em 2 o Sr. Jos Antonio de Souza Basto
suppoe nada dever, tanto nesta praca como fra
'tolla, mas sealguem.su juigar siu tradnr aprsen-
te sua conta no praso de tros dias para ht papa
na travessa do CalabouQo n. 24. Recife 16 de fe'
vereiro de 1870.
Ama de leite.
Aloga-se ana, sendo escrava, sem filho e com
muito leite : a tratar na ra das Cruzes n. 20.
Precisa se de um cozinheiro que sejasotei-
ro : a tratar no larjro da Rbeira n. 9.
O capitao E. J. Par B;
a raa do AlecsiiB n. 4, nei
abaixo assignada a qnanL
ca do sold de seo par o1
ra, pwtenc-nle ao mez. de dozembrp di anvio in.'
xtmo pasado qne reeebera como preenrador, d'en-
tao, a 5 de Janeiro corniie, visto pao i-esjxnder
as eartas, que se Ihe iaderassadb, e nei lao
pouco attender aos annnnrwsetos por esteiiirpnl-
e estoudispesiaa proead^judieialmenie *to ter
loeumentos (omprrbatorios.
Recife, 16 de fevereiro de 1870.
_.________ Anh.nia Leal Feri^ira:
Perdeuse urna pulceira o^c7)Tal^e7d"adeiro
engrasado em ouro, representando cada coral ama
(-arrolla, na r-.a da (mnerairis, da loja do pimplo
alivio al a relinao de assuear: gratilrea.H bem
a qnem a tiver achado e a qneira entreear na.
mestna ra no 2* andar di sobrado n. 12.
Bernardino Antonio Percir.i, scienrlft^j ao
publico que, tendo-?e dirig Jo ra d*s (iwes
n. 2 pnmeiro andar, .ilioi do sab.>r quem preten-
da fallar a seu irmao moni r, Poiflrio Antonio Pe-
reira, a negocio de ,..m ii'eresse.sonbe que tul
ittkofio ca procurar se informaoo-sdos possnidos
do ex-patro d'aquelle seu irmo, declarando o an-
nunciante nessa occasio que son irmao nada sa-
bia, eque era favor rclirar-se do Diario o niinsM-
' para tal fin. Entretanto como continua rc-
S0lveu.se o annunciant.' a vir do al'o da+nprnsa
declarar que seu iruionada dovo pessoa algn.
assim como intimar so tire-o do jornal, sol pona de, nao o fazendo, vr
procedor-seciimiralmonle. Hueife, 17 de fevoieiro
de 1870.
O* abaiso aasignados, participam ao respei-
tavel publico, e especialmente ao corpo do com
mercio, que nost* dala dissolveram amiga timen-
te alsociedade que tiiiham na padaria sita na
Imperial n. S3, que girava sob a limaValtrudes
& Borburemalcando todo o activo e passivo
cargo do socio zidro Dympno Valtrudes, como o
umeo rcsponsavel; e tendo-se retirado o socio
Traanfo Stuart Borburema embolcado de todos os
seus lucros.e exonerado de toda e qualquer res-
ponsabilidade.
Recife, 13 de fevereiro do 1870.
Trujano Stuart Borbarema.
_________zidro Dympno Valtrudes.
Criada
Precisa-se de urna criada portugueza para
aaoinpanhni- um familia c li.ilai ilu urna DtlatlOa
at Lisboa, pagando-se-lhe a passagem e o que se
convencionar : a tratar na ra estreita do Rosa-
rio n. 47, ou na ra do Apollo n. 30.
Em S. Jos do Manguinho, casa u. 2, preci-
sa-se de urna boa engommadeira, e urna escrava
para eii5aboar e mais algum serveo de casa, pa-
ga-se bom alugucl agradando. Tambero re pre-
cisa de um criado de 12 a 14 annis, que entenda
de copeiro e mais servido domestico.
OSr. Joaquim Jos de Sanl"Auna, imitador
na povna^ao do Pedro, mande ou vmha tomar
conta doum casal dj oscravos que appareceti na
ra do Fogo n. 18 segundo andar, dzondo que vi-
ra pcoeuror quem os cmiwrasso. Decloro mais
que me nao resnonsabiliso por morte ou tuna dos
ditososcravos. Recife, 9 de foveioira do'.870.
J.*o Miguel de Oliveira Berardn.'
Horticultura franceza
E. Perllore, tem a honra de prevenir o respeita-
vel publico dosta capital, que- tem no seu arma-
zem da ra das Cruzes, um completo sortimento
das plantas exticas das mais raras, tanto como
legumes, plantas e flores, j aclimatados na Ar-
gelia e muitos ontros que exislem no seu estabe-
lecimenlo.__________
0 dito senhor tonda do se demorar at o flm
do mez em Pernarabuco previne aos aenhores
amadores, de se dirigircm quanto arns a seu ar-
mazem, garantndo que serao servidos oom todo
a esmero : na rna das Cruzes, sobrado novo.
Cozinheiror
Precisa-se da um cozinheiro paga-se bem : na
livraria franceza ra do Crespo n. 9.
AITENCAO
No dia 21 ou 22 de jaiciro foi embarca-
do no Recife a bordo da barcaf a Boa Sorte
Navegante que do porlo de Barreiros 2
barris com sardinhas, cujos nao tem desti-
no algum, quem for seu dono e der signaes
certos na ra do Pilar n. ), Ibe ser5o en-
tregues pelo ab'iixo assignado depois de
pagar as despezas.
Recife, 18 de fevereiro de 1870.
____________Alfredo A. da S. Freir.
35$ a feitor.
No Corredor do Bispo, sitio n. 31, paga-se 35$
mensaes com cama e mesa a um feitor para um
pequeo sitio.
Club do Monteiro
Hoje ha reuni'o familiar e trem da vi a
lenca a. meia noite.
O emprezario,
__________________P. J. 1-ayme.
Offerece-se dous mocos, um para escriptorio,
armazem ou rna, armazem ao estiva, com as ha-
bihtaeoes neces-arias, falla, escreve e traduz fran-
cez, sabe latim e tem pratica de contabilidade e
escripturacao por partidas dobradas, e um de 12
annos para loja de fazendas, dando fiador a sua
conducta (o que se rcsponsabilisal: quem do seu
preslimo precisar, dirija-se a ra do Cabugn. 1,
que se dir com quem se deve tratar.
Os abaixo assignaos teein a honra de
communicar ao respeitavel publico do.-ta ci-
dade, que acabam de preparar urna CASA-
HOTEL, rna estreila do llosario n. 36,
loja, a qual principiar a l'tuiccionar no do-
mingo prximo, 20 do corrente, desde s
3 h ras da madrugada, e, como i! i costme
em ontren trotis; tunera ociicacia M.\u DE
VACCA, preparada cora toda a limpeza e
ptimos li-mperos.
A dita CASV-UOTEL adiar se ha aberla
do dia cima em (liante, desde ;is fl horas
da manha at s 10 da noile; neila serao
os freguezes servidos com toda a prompti-
d5o e aceio polos proprietarios.
Admile-se assignantes para comedorias,
aos quaes promettem os abaixo a o mais ex-co cumpnmento,- tanto na3 iioras,
como as commederias que forem contrata-
das.
Recife, 10 de fevereiro de 1870.
llamn Cidans.
________________ Cypriam Vasgwu.
Lima, Lessa &C.
O enearregado da liquidado dos negocios da
extincta liTma de Lima. Lessa A C, previne a to-
dos os d'vedores ao referido istabelcciinouto, que
venham solver seus dbitos al o fim Jo corrente
mez, visto como tero de encarregar o sen pn cura-
dor do promover a cobranza judicialnuinte : na
run do Apollo n. 4.
Attencao
Gratifcaqo 5^000
Desappareceu uo da 16 do corrente a tarde um
carneiro tddn branca, que largon-se atraz de um
caxorro e nao tornou mais. Roga-se ao Sr. que
o tiver de o lavar ra larga do Rosario, pada-
ria n. 46j que se Ihe flear mnito obrigado.
O hotel volante denominado Traviala, est no-
Remedios, all fornece comida vspero e da da
festa, sorvete e cervoja Basa todos os das
Eduardo Firmino da Silva' tend o de mandar
celebrar algumas missa^ por alma do sea devoftdo
amigo Francisco Dubarry, subdito fraucez, no dia
19 do corrente mez, na matriz da Boa-vista,' as 7
Imras da manhaa, stimo dia do sen fallenininto.
convida a todos os seus patricios e amigos o obse-
quio de assislirem a etse acto de caridad.', pelo
que dosde j se onfessa summamente agradecido.
Sooiedade Liberal Uniao JBe-
neficente
Nao se lendo reunido numero sufficiente jia>
senhores socios no dia 13 do corrale para poder
funecionar a assembla geral, como foi annancia-
da. de novo sao convidad s. de ordem do osase
Iho, comparecerem no dia 22, as 7 horas da
tarde, para o mesmo fin
Secretaria da socidade Liberal Uniao Beoefi-
eente em 17 de fevereiro de 1870.
Augusto Cesar Consseiro de Mattos,
i secretario.
CABG
esquina
la ra larga
Eosario.
Este niportante estrelecimonto no sen genero, tem sempre nm sortimento sem iguaL esquina
e vende por presos que nenhuma entra casa pfle vender. L
vista da qualidade b do prendas joias cada. um pderse-ha oonvencer da verdafi* roa lai*a
Garntele mbt tudo de lei. Compra-* /ouro, prata e podras finas por procos mnito efe- losarte,
vados.
A loja est aberta at t 1* horis 4a mwte.




Diario ds Peraambuco "Sabbado 19 dfc Fevereiro de 1870
A ESMERALDA
PSTAMMEOS
Travessa do Cp Santo n.2S
ARMtiZEM
Ra K'ova n. 38, loja.
Bandeira, Machado C, avisam ao respeitavcl
publico que nos tugares cima encontrar:; do raes-
no serapre grande qaantidade de ditos pocos, e
que outro qualquer, por isso que os recebera di-
rectamente do fabricante Norton, de Londres.
As vantagens qne offerecera os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser coiiocados den-
tro de cas 01 fra, com o irabaRto de una a duas
horas; segundo, (brnecercm osTnesmos agua pu-
ra e abo toan te, podendo serem removidos de um
para outro logar, quando assim convier.
Os annunciaates s reeeb.rao a importancia dos
referidos pocos depcs de coiiocados, satistozend*
espeetativa do comprador.______
ATTENCHO
As seohoras que tiverem algara menina ou
cria, qnerando mandar ensinar a tda qnalldade
de costura bordado, marca e toda qualidade de
flores, por barato preco de 3#00 por mes, vindo
ellas almocadas e ir jantar em suas casas : na ra
estreita do Rosario n. 35, 1 andar.___________
LIMA DE JOUS
DK
&c

MlM
Estt ^atigo estabelecimento, completa-
Mente reformado ie novo, est as condi-
oes de servir vantajosaraente os seus fre-
gueses, visto que acha-se prvido com nm
*xplendido sortimento de obras de ouro e
jrata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, jujos presos sao os
ais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recbem-
ete em troca ou compram-se com pequeo
mbate.
N. 5 RA 1)0 CABllliA \ 5
Nfto mais cabellos trancos.
A tintura japoneza para tingia os cabelios
da cabera e da barba, fei a nica admittida
Exposigat Universal, por ter sido reco-
nhecida superior todas as preparacoes at
boje existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a 1(5060 cada frasco na
Ra da Cada n. 51,
1. andar.
n
Na Iravessa da raa
das Crues n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nhelro sobr penhores
de ouro, prata e brilhan-
tes, soja qnal lor aquan-
lia. Na niesina casa com-
pratu-se os mesmos me-
laes e pedras.
Advocada.
O advogado Ayrts Gama contina ler
seu cscriptorio na ra larga do Rosario
ri. 26.
11Ra do Queimado.....11
AUGUSTO PoRTO, tendo recebido directamente da Europa riquissimos cor-
ita de vestidos d blond para noivas os expoe vnda pelos mais mdicos precos. No
Msmo estabeecim^nto ha constantemente comDleto sortimento de faz indas finas como
wjm :
Cortes de setim d cores e ditos de seda dos mais alegantes gostos.
Colchas de seda de cores, ditas de damasco e la, ditas de crochs e de
Instad branco para camas todas muito linlas.
Cortinados bordados para c^mas e janellas de militas qualidades e precos.
Vestidos brancos bordados, ctmbraias bordadas, filos, tarlatanas e cambraias
lisas e transparentes de muias qnalidades.
r.orgn:3n protn para iwstidos. grosdenaples de todas as qualidades, merinos
pretos, alpacas, bombasinas, pretas. pannos pretos e azues, casemiras pretas e e cores
+ grande* variedade de todas as f zendas tanto para a praca como para o matto.
Fronhas de cambraia de linh) bordadas, e toalhas decambraia de linho borda-
da scom muito gosto. .
AlgodSo liso e trancado, azul e de listras, madapolao, chitas e todas as fazen-
das para fabricas de engenho as quaes vendem a dinht-iro, peos precos das casas m-
gfecas, Es norte estabelecimento ha sempre o mais esplendido sortimento de
Esteiras da India para forrar sala<, que se vende mais barato
que em outra qualquer parte.
AVISO
Qs Srs. Meuron & C, fabricantes de rap, na
ra do Mondego n 107, precisam de algumas mu-
heres para trabalhar un sua fabrica : a quero
convier pode dirigirse mesraa fabrica para
tratar.______________________________
Precisa-se de um ama para pouca
lamilia : na ra dos Copiares ou amiga-
mente Lobato n. I, primeiro andar.
do
55Ba da Imperatriz55
F. Gauticr, propietario deste importante estabelecimento tem a honra
4e participar ao re.-peitavel publico que acaba de chegar da Europa para on-
de tinha ido especialmente para contratar peritos officiaes e que conseguio
contrata-Ios ca pruncira rasa de Paris, por isto julga que todos ficar5o satis-
-fevtos (Tos trabalhos do seu estabelecimento cujo excellente material ainda
foi augmentado com novas machinas que ja recebeu e tambem muitas drogas
novas oro as quaes se obtem estas maravilhosas cores modernas tao aprec-
elas cm Franca c era-todo o mundo,
Tinge, lava, limpa, lustra, achamalota com a maior perfeigSo fazendas
em .pecas e em obras de todas as qualidades como sejam: seda, la, algodo,
linhae, chapeos de feltro e depalha etc., etc.
Tira nodoas e limpa secco sem molhar os tecidos, conservando assim
todo.o brilho da .fazenda.
sobre tecidos
Imp
>ressoes
com este novo sysema, os vestidos de seda e outras fazendas que at agora s
podiam.'b'ogir-se'ck cores lisas, podem reebcr um bonito desenlio de cor
diversa, a escolba, o que realca a fazenda e Ihe d mais merecimento-
Tintura pireta, tercas e sextas-feiras
As ,pessoas das provincias limttrophes que quierem utilisarse do sea
estafeeearaento poderte mandar o que tiverem, na certeza de srem to bem
servid*; como no Rio de Janeiro ou na Enropa, e com mais prestesa por
causa da distancia.
Pessoa eoopetentemente habilitada, a
fropde-se a leeciooar primeiras tetras,
ngua nacional e alguna preparatorios
uesta capital oa nos sukarhios, qoe te-
nbam transport (Mas vias-errea,9, e-
dianle razoavel Iwaorafio : a tfatar bo
patso do Paraizo a. W, na iravessa a
ra Bella n 10, e na rus das Crtue*
{. 37, ioja.
-ranmni-nimM
Casa de eonimisso ile eacravos.
:$ antiga casa de commiseao de eseravos, de
atoixo assigaa^, ra do Imperador n.. >, conti
nut-se a n caber eseravos por commissao, lant(
4o mato como d prai;a para aecein vendidos,
garaato-so o boa raiamento e prcrapta venda
psra o que se emprega todos os esforc^os afim d<
Wttnhrtr em tndo i aessoas que o quizerem hon-
nreom sua conOaaga. Neau casa ha senapr
ara tender eerato ie ambos os sexos, velhos <
mieos, assim como ha t da segnranca para os ter
Antonia Jos V. de Soma.
Bichas hamburguezas
{leste aovo deposito recebe-se por todos paqoe-
iMtranslanlico bixas de qualidade superior, ven-
4e-e em caixa ou porcie mais pequea e mai<
tanto de que aualqoer outra parte ; na ra da
Ctela do Recife n. 51, i* andar. I
Precisase de serventes na fundieao do Bow-
man : ra do Brum n. o, passando o ehafariz.
Hospital Por^giez de Benebon-
cia
Em euraprimeoto do que dispoe os esutulos
que regem esta assaeiacao, cabe-me o de ver de
convidar, rogando a todos os senhores socios 4o
itiospttal Portugus 4e Benf licencia em Pernan-
bueo para se reunirum domingo, 20 do cor rent
mee de fe/ereiro, as 10 horas da inanhaa, na casa
das respectivas sessdes e sitio do referido Hospital
denouinado Cajueiro, adra de constituida a assem
bla jferal, proeeder-se de eonforraidade com os
arts. 89, 30 e g 17 do art. 39 dor indicados estatu-
ios, a popse da nova junta administrativa, que
tem de uiiccioaar no present anno de 1870.
S-.vretacia do Hospital Portuguez do Beueficen
ciaem Penfiambueo 15 de fevereiro de 1870.
Franeisco ioio de Barros,
Provedor.
O barharel Joo Joaquim Fonseca de
Albuquerque tem iberto o seu escripto-
rio deadvocacia em casa d sua residen
cia ra dasCruzes n. 30, segundo an-
dar, onde poder ser encontrarlo das 10
horas da manbaa s i da larde ; e bem
assim encarrega-se de defender reos nao
s no jury da capital como fra della,
urna vez que naja commoda c fcil con-
dcelo.
AO ARMAZEM
DO
Raa Nota n. f,
acaba de chegar pelos ltimos vapores novas re-
messas dos seguintei :
Calcado francez
Para senhoras.Botinas brancas, pretas, e de ou-
tras muitas differenies cores i ultima
moda.
Para meninas.Botinas das mesmas cores e qua-
Udadis cima.
Para homens.Botinas de cordavao. bezerro, ver-
niz, pellica, o melhor sortimento que se
pode desejar.
Para meninos.Botinas das mesmas qualidades
mencionadas para homens.
Para homens.Botas rucianas, meias-botas e per-
neiras.
Para homens, senhoras e meninos.Sapatos ^de
tapete, aveludados, charlte, casemira
preta, tranca de Lisboa etc. etc.
Para meninos e meninas. Abotinados fortes de
muitas qualidades.
Quinquilharias
Finos artigos de Paris, de gosto e phantazia,
como sejam, leques, espelhos, luvas de Jouvin,
caixinhas de costura com msica.', joias de ouro
bom de lei, ditas de plaqu, cofres de seda e bol-
cinhas para braco, estojos para viagens, bengalas,
chicolinhos de baleia, oculos, lunetas, correntes de
relogios, e perfumaras de Condray e de Piver.
Brin4uedos para enancas
Carrinlios de 3 e de 4 rodas para passeios, eos-
moramas e realejos de diversos tamanhos, e um
cem numero de brinquedos francezes e allemaes
para entreter meninas.
Para evitar massante leitura de tantoJ artigos
exoostos venda nesle estabelecimento, o dono
pede ao publico em geral que se digne entrar de
passeio aflm de verilicarem nao s a grande va-
ridade como os precos baratissimos por serem
todos chegados de conta propria.
MASCARAS
MASCARAS
MASCARAS
DE RAME
DE CERA
DE SEDA
DE MASSA
Em grande qaantidade. a presos baratissimos,
e ainda com abalimentos de duzia para cima : no
armazem do vapor francez, ra Nova n. 7.
mmmmmm-mmumwmmm
Praca do Corpo Santo n. 17 primeiro ijjg
| andar escriptorio de Joaquim Rodrigues ',.
| Tavares de Mello, tem para vender :
Fumo em folha de superior qualidade. g
Vinbo Bordeaux de superior qualidade. S
Farinba de mandioca em grande por- B
[ cn o boa qualidade.
[ Cal de Lisboa muito nova.
\ Potassa da Russia.
GUSTAVE
CABELLEIREIRO FRANCEZ
51-----Eua da Cadeia do Recife51
Chama a atiendo dos seus innmeros reguezes, e do respeilavel poblrco el
geral, para a seg'imie tabella dos precos de sua casa, os quaes sao vinte por cent
mais barato do que era outra qualquer parte:
Cabellaras para senhoras a 25/1, Cadelas para reiogio a $&, G$,
30iJ, 35(J e......40*000 U, 8^, 9*. 12* e. .
Ditas para homem a 2U, 405 e SOiJOOO
Coques a 12^ 150, iU, 200, Corte de cabello......
30* e ^m Corte de cabello com fricejo. .
15^001
Crescentes a W, 15,5,180, 200,
250, 300 e.....320000 Corte de cabello com lavagem a
Cachos ou crespos a 30, 40,' J50,
60, 70, 80, 95 e. .
Tranca de 'cabello para anoel a
500 e.......
Tranca para braceletes a 100,
150, 200, 25 e
501
501
champou.
100000 ^^ ^e ca"e"ocom 'impei da
cabeca pela machina electri-
10000 ca> un'ca era Peraambuco. .
Frisado inglezs ou francez.
300000 Barba.........
ASIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Bailes e solres
1000
1000*
501
25#
0 dono do estabelecimento previne s
Exmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um
saI5o para tintura dos cabellos e barba, as-
sim como um empregado smente oceupa-
do nesse servico.
Recommenda-se a superior TINTURA JA-
PONEZA para enegrecer os cabellos e bai
ba, nica admittida na Exposi-giio Universa)
como n5o prejudicial sade, por ser ve
latil, analysada e approvada pelas acadO
miasde sciencias de PARS E LONDREfi
TEZOURA DE OURO
DO _____
A' ra fio Quemado n. 6, primeiro andar
8 pessoas para o servico e o maior scceio nos trabalhos de barbeamento.
0 salSo estar aberto, nos dias uteis das 6 horas da manh3a s 9 da noc-
, e nos dias santificados das 7 a 1 hora da tarde.
TniTKUUA
Precisa-se de um menino para caixeiro de
padaria, sendo de 12 a 14 annos de idade, cem
pratica cu sem ella : ra das Cinco Puntas nu
mero 38.
---- O Si". FRANCISCO PE! El KA
DE AltRCDA CMARA, (Strllhorde
engenho) ten ha a bondade de
dirijir-se ra do Crespo n
17, a negocio,
Na praa da Boa-vista n. 2,2 andar, preci-
sa-se de urna"ama deleite que seja escrava, paga-
se muito bem se agradar.____________ .
Pre'-ifa-se de urna creada livre ou escrava
para o sirv$o interno o externo do hospital da
veneravel Ordem 3' de S. Francisco desta cidade.
tratar com o Sr. ministro na ra larga do Rosa-
rio n. 26.
Precisas* alagar urna casa terrea ou um so
brado com commodo?, na cidade de Oltnda, em al-
gumas das seguintes roas : S. Bento, ladeira da
Hibeira, ladeira da Misericordia, e ra do Ampa
ro, nao se duvida dar hom nluguel se agradar :
quem linar deixe carta fechada com as itiiciaes
J. A. F. nesla tyiiourauhia, ou aanuncie.
Na Iravessa da ra das Cruzcs n. 2, 1o an-
dar, precisase fallar ao Sr. Porfirio Antonio Pe-
reira negocio de reu intereese.
Aluga-se a casa terrea n. 40 sita na ra Di-
reila dos Afogados : a tratar na ra do Caldeirai-
ro n. 50
Companhla leraaiulicaoa.
Declarase pelo presente, de ordem do conselho
de direceo, qoe bavendo se desencaminhado do
poder do Sr. Jos Antonio de Bnto Bastos, na qua
lidade do cessionario do Sr. Luciano Ferreira Lo
pes, a arcao^desta companbia n. 446, da data deste
a 30 dias Ihe ser entregue urna outra aeco com
igual numero, ficando aquella sem vigor.
Escriptorio da Qompanhia Pernamoueana 16 de
fevereiro de 1870.
O gerente,
F F. Borges.
COMPANHIA PER.MAMBUCANA.
5o mvroENDO.
De ordem do eonselhode direceo seeonmunica
ao* Srs accionistas que o pagamento do quinto di-
vidrtido razo de W por cento, ter lugar do dia
8 de marco proxtoo riodouro em dianle, oo e
criptorio da companhia
D. 12.
no caes da AssemWa
0*fjrente,
F. F. Borges.
Pedro Vasqaes e tfanoel Martins Velloso,
faiem soenle ao respeavel publico, e especial-
menie ao corno de coininercio. que na presenta
data d^sroberam amigavelmente a sciedade jut?
tioliani r,) hotel da ra larga do Rosario o. 23,
qua gyrava *>b a firma social de Vasque< A Vl-
loso, tieando d'ora em diante na powe do estaoe-
leeiaiento tan lodo activo e passivo o ex-ocio
Velloso, e este incumbido de lo Ja a liquidacao.
retiraado-se o ex-s too Vajques pago e sasfHto
de sen capital e lucras. Recife i 1 de fevereiro
de 1870.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
RECIFE 1* OIIMDA.
Por ordem da directora sao convidados
os Srs. accionistas para, no praso de 10 dias
contados do dia 15 do crreme, effectua-
rem a 7a presta(o de suas aceces na ra-
zo de 10%.
Para esse fim, ser encontrado o Sr. the-
soureiro, das 11 horas da manha as 2 da
tarde de todos os dias, no escriptorio da
companhia, ra Nova n. 35 Io andar, en-
trada pela ra das Flores n. 14.
Recife, 12 de Fevereiro de 1870.
Joo Joaquim Alves,
Io secretario.
Precisase de una cozmheira
Imperador n. 73,2o andar_________
na ra do
Precisa se de um feitor portuguez, que en-
lenda de jardim e hurtas : tratar na ra Direita
n. 18.
AtteucH-o
Urna pessoa com s preci>as habilitacSes e que
tem alguns eseravos, prope-se a tomar conta do
qualquer engenho por adinimstracao ou socicdade:
quem precisar annuncie por este Diario.________
de canto, piano, desenlio e lin
gu t ilaliatM,
6. marin.vngbu, professor com diploma da con-
gregacao de Santa Cecilia de Roma, contina a
ega
r li'
Ama.
I^edga-se do urna ama qoe saiba s
Mlaic), forra oa captiva : a
Mlaia n. 6) toja. Paga-se bem.
r com
na ra da
raamatlea aclonal
Primitivo de Miranda, esiudante do S* anno, d
licoes ra da Conceico n. 12 ; pode tambtm ..
rocurado no escriptorio do Dr. J&eohina, ra daj .ost & (..
do Queimado a. 33. r &
Precisa-se alugar urna casa que tenha com
modos rxra pequen familia, ou mesme um peque
no sitio los lagares seguintes : Torres, Caehang
ou que seja fresco e pejrto lo biabo, e que nao seja
no centro dos povoados: a pessoa que tiver para
alugar pode vr tratar no piteo do Terco n. 63, ou
na ra d ? Cabng n. 6.____________________
Predas-se oe ara hQiwm portuguez que sei
livre de (imilia, e cbedo ha p^mco tempo de
Por'ugai para s r occopado como feitor de campo
de um engeolio da-se preferencia a nm que nada
entenda das plantas de eanna : para .se tr. tar na
roa da Prat n. |i, co os Srs. Francisco Morelra
ar liedes como i tizera ha mais de 20 annos em
claco collegios de aaabos os sexos e em varias
casas [articulares.
A generosa hopiUMda de todos, e aamizade ^ue'seiBpre Ihe consagraram
as pessoas mais estimavei* desta cidade faz-lhe
esperar que desta vez tambera Ihe nao faltar Ira
balho, no qual pora em aceao todas as suas forcas
para continuar a mostrarse digno da proteccao
com qne sempre foi bonrido.
Ginlia Maki.nangeli Bfxtbamim. discipula pre-
miada do eoo^ervatorie de ao, decidindo se a
deixar a carreira tbeatral e ruar sua residencia
em Peraambuco, onde sempre recebeu tantas pro-
vas de estima e sympalhia, pelas quaes conservar
eterna gratidao, deseja em pregar o seo lempo era
dar licoes de msica, piano e canto, tanto de aper-
feieoamento como de principios.
A pexsoas que se quizerem utili-ar do presumo
Jos sobreditos conjiiges, poderlo dirigir-se ra
do Se*e (Ilha dos Ralos) propriedade do Sr. Tikwr-
cio. perlo dos eoqueims.
S-REt DAS FLORES25
O dono deste estabelecimento tinge, limpa e achamalota com a maior
perfeic3o possivel todo e qualquer objecto de seda, la, algodao, em pecas
ou em obras, chapees de feliro, palha e manilha etc., tira mofo das fazen-
das e faz todo o mais concemente sua Drofissao, todo com brevidade, visto
como se acha prvido dos necessarios machinismos e petreehos.
Otto Schneider.
Senhores barcaceiros
ou dorios de barcadas.
Em dias de dezembro do anno passado cfTec-
tuou-se nm embarque na escadinlia da alfanega
para o Pilar na barraca Flor das Alaguna, eutre
outros gneros embsrcou-se um barril de quarto
em pipa de banha d porco ; e como nao chegas-
se ao seu destino presume-se ter embarcado em
alguma das muitas barcadas que estavam carga
naquclla occasio : quem estlver de posse delle ou
do seu valor, querendo restituir para desencargo
de ennsciencia, entenda-se n.> escriptorio de Tasso
Irmos & C, qoe esto autorisados a gratificar
com generosidade._________________________
Muito necessilase falbr ao Sr. Antonio Ma-
nnho Paes Brrelo, a negocio do seu interesse ;
queira dirigir-so na cidade de Olinda no sobrado
ultimo do Varadouro onde existe urna fabrica de
cigarros.
Precisa-se de una ama, na ra de tortas n.
1. Na raosina casa compram-se j irnaes para em-
brullio a i iOOO a arroba.
CASA DA FE.
Aos 20:000*2000.
Bilhetes do Rio venda : ra do Cabug n. 5.
'ende Vieir8 4 Rodrigues. ___________
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar o
diario de urna casa, prefere-se escrava : a tratar
na ra do Imperador n. 12, escriptorio._________
O airVngadn Manoel Joaquim Silveira pode
ser procurado para os misteres de sua proflsi-o
em seu escriptorio ra do Cifspo n. 12, 1 an-
dar, das 10 horas da manhaa s 3 da tarde. Reside
ra da Conquista (Soledade) n. 4.
Precisase de um cozinheiro ou cezinheira
i ra do Imperador n. 73,2" andar.
O Dr. Aprigio Justiniano da Silva fiui-
mares contina com seu escriptorio
ra do Imperador n. 27, e resida ra
do Seve (ilha dos Rafos) n. 22.
Miniin
Xa ra Direita n. 101 lava-so e engomma-se
com perfeico e promptido. ___________
Preci^a-Sf de oficial
etreila do Rosario u. 2o.
de fuuiieiro : i.a ra
(MiVaL
Grande remessa de borracha para o fabrico do
limas para o entrado, da melhor que aqui tem
vindo, na ru Direita n. 33, o na raa Nova n. 39
e 16, por menos prec/) do que em outra qualquer
parte.__________________________________
Na praca da Independencia n. 33 se da di-
heiro sobre penhores de ouro, prata e pedras
ireciosas, seja qual for a quantia; e na mens
'^sa se compra e vende objectos de ouro e prata
> igualmente se faz toda e qualquer obra de en
ommenda, e todo e qualquer concert tendenu
\ mesma arte.
AMA
Na rna do Torres n. 16, 2o andar, precisa-se de
urna ama que cozinhe, compre e eogomme para
urna pessoa.
Precisa-S'
Precisa-se alugar um escravo para servico de
hotel : ra das Crazes n. 39^______________
Sitio para alugar.
Aiuga-se um sitio no Caiueiro, na entrada do
Hospital Portugufz n. 6, todo murado, com casa
para grande familia, grande senzala com diversos
quartos e cocheira, bastante arborisado e jardim
na frente, tendo agua de ehafariz com abundan-
cia encanada com depsitos: a tratar na rna da
Aurora n. 66.
Precisa-se de urna ama
familia; a tratar na rna do C
ara casa de pos."
g n. f, laja.
i'rtcba se de uau ama para o servico inter-
no dj una casa de poaea familia : a tratar na roa
1a JNkIm te Dmj n 8, armazem.
ATTENCAO
O abaixo assignado tendo-llie constado que al-
gumas pessoas mal intencionadas tem propalado
que o pavhao qoe se est consiraindo no Campo
das Prineeias, pertenee ao malmo abaixo assigna-
do c a outros, vera por meio deste declarar que
nao tem soeio algum desss empresa. Recife 17 de
fevereiro de 1870.
Niguel Candido de Medeiros Pinto,
Asso'iajo Commercial Benefi-
cente.
Os senhores socio da Assoriacio Commercial
Beneficiento a que sao consenht res do edificio, pelo
prest nte sao convidados a receberem do Sr. tbe-
soureiro William Otto (de 1 at 3 horas datarde
e munidos com os respectivos documentos) o divi-
dendo de 5 OfO sobre a importancia das partes que
tiverem no mesmo edificio.
Assoeiaoo Commercial Boneficente 15 de fe-
vereiro de 1870.
Daniol Ramos,
Secretario.
Engenho a' arrendar
Arenda se o engenho Estrella ou Hachado, de
animaes, atoante e corrate, junt) a cidade do Rio
Formoso, com embarque na porta ; bem como i>
engenho ilontivido, as mesmas condicoes, junt>>
ao povoado de Ipojuia : a tratar na rna d j Livra-
mento n. 19._____________________________
Aluga-se um rapaz. que sirva para compras
e mais servido i) casa : na ra do Imperador n.
73, 2* andar.
Precisa-sede urna ama, livre ou escrava,
para o servir interno de urna casa de pouca fa-
milia. tratar na ra Direita n. 88, 2 an-1ar.
Precisa-se de um feitor para-engenho, que
seja portugus, paga-se bem : no escriptorio de
Leal & Irmao : a ra da Cadeia n. 56.
AMA
Precisa-se de urna ama para cozinhar i
de pessoas solteiras
o. 34.
na ra da Madre d -. D?os
ESTRADA
DE FERRO
DO
PAGARE 20S
mensalmente, a ama ama de leite : na roa da Pon-
te? velha n. 6.______i__________
BOLlfllRO.
0*reee-se ora rapaz al'aaseote diegada, eom
is prdduai hsMHtaflfcs. pars tu partteotor : a
TCtsr ns ru do Carnario b. 13*.
Eecife Jaboatao.
Manoel de Barros Barreto, desojando
convocar os accionistas da estrada de ferro
de Jaboatao, afim de eleger-se a directora
da companhia, roga as pessoas qoe tiveram
bondade de incumbr-se de agenciar subs-
criptores de mandar quanto antes, as ra da
Aurora n. 10, a ra do Crespo n. 9, ou na
ra Nova n. 2, a relacao dos subscriptores,
para poder marcar-se o dia para a oonvo-
cacjfo dos accionistas. ..
Recebe-se ainda at o flm do torrente
mez as8'gnaturas novas acces nos lu-
gares cima mencionados e no escriptorio
do corrector Goncalo Jos Afso, no largo
do Corpo Santo. .
Recife, !i de fevereiro de 1870.
Manoel de Barros Barii.
' Preeisa-se de nm caixeiro para ama taberna
era boa localidade, qne tenha bastante pratka des-
te negocio, e d fiador a sua conducta, preerio-
do-se dar-fin sciedade, entrando com algum fun-
do, e tendo as habiiitacdes precisas para adminis-
trar negocio : quem cstiver nestas condi^
quier, aonuncie por este Diario, ou deixe
nornee residencia em carta fechada nesta t)fdgra-
phia coro as ioiciaes A. R. C. para sir pro;orado
Precisa-se de oma iva,
pira o ttniM intenso V* urna casa de fa i
vendo abor lvar e engjnunar: na
qfsa (soje-sie) n. 0.


I



Diario de Pernambuco Sabbado 19 de Fevereiro de 1870.
AGUIA NEGRA
BENTO MACHADO ft C,
A AGUIA NEGRA animada com o bom accolhimento que teve em seus annun-
rios, vem novo participar a seas freguezes que, acaba de receber um variado sorti-
mento de objectos de gosto os qaaes ser5o vendidos por presos muito razoaveis, pois
quando fez os seas priraeiros annucios, foi o que assegurou, e sem mdo de errar,
porque como j disse osla mteresses ligada a urna casa importadoradesta praca, e
por isso poder ter ludo especial e veuder por preces admirareis,Chama pois a atten
cao de seus freguezes para os arttgos possa descrever :
Livros coa o lampo de marfim, madre- Um variado sortiaents _de charuteiras e
Derola e tartaruga, proprios para missa. pallitwros de porcelana,
Garafinhas vazias proprias para presentes
cousa de gosto.
n Indispensaveis de pab'nha e de couro pro-
Srios para senlioras o meninas trazer nos
reos.
BmocBo? de manreperola, marfim e tar>
tara?a todos esmaltados.
Cintos largos do selim, cousa inteiramen-
e nova.
Fitas de sarja de todas as cores larga-
bas para lacos.
Tantos para voUarete.
Bdngallas com marfim, cousa especial.
Sabonetos de alcatro.
Cofres de foflias para dinheiro.
Lindas caixas para costara.
Um completo sortimento de luyas de pe-
lica,
Talagerce parabordar.
Um completo sortimento de enfertes de
Toacas, sap&inhos menas de seda e m-ais seda pan vestido,
ertences para baptisados. Perfumaras de todos os autores os mais
Fitas cora mscripcoes proprias para bou- acreditados em oxtractos, pomadas e leos
^oet de noiva, e Analmente outros muitos objectos que nao
Ricos vasos com pe do arroz. possivel mencionar ; as com a vista se
Um variado sortimente de jarros de por- certifiearao do sortimento deste estabele-
elana. cimento.
Ajjuia Negra, ra do Cabug n. 8
Travessa do Corpo Santo n. 25.
Os acreditados cylindros americanos para padaria, por dous differentes systemas.
Machinas para descarocar algodo pelos melhores fabricantes de New York..
Machinas de vapor systema de locomotiva e polias para as mesmas.
Carrinhos americanos para transportar volumes em armazens. Tudo por pre
ros razoaveis.
TRAVESS DO CORPO SANTO N. 25
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
Acabam de chegar grande quantidade das verdadeiras machinas americana
ara descarocar algodo de todos os systemas e tamanhos segaintes :
12 serras 12 sorras
14 ditas 14 ditas
ditas 15 ditas
ditas 16 ditas
ditas 18 ditas
ditas 20 ditas
dttas 22 ditas
ditas 25 ditas
ditas 30 ditas
ditas 35 ditas
ditas 40 ditas
s qnaes se vender por procos commodos e roga-se as pessoas que dellas fixeram en
iommendas de atguns tamanhos, obsequio de as mandarem basca-las o mais breve pos
livel afim de nao baverem faltas.
RA DA CADEIA N. 56 A
iitiiiiiu munemniFie mhmmi
(5
16
18
20
22
25
30
35
40

Bi.f i
3 1
ce _
ta O o?
> "1 -J
n
a
o
a
a
Erg oo
&2
s
%3
Lindas e superiores bareges de cor, de quadro e de listras, para vestidos fin-
.gindo seda, peo baratissimo proco de 500 e 6i0 rs. o covado.
Assim como superiores cassae francezas de cr padroes de muito gosto 40
e 600 rs. o metro, na loja das Collumnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa d
' asconcellos.
aaBWMjsrar ubi tn.ainwianrnt.tiff k^sj,ucj^*nf
-,,0 j RM|.....djoo | "3 "SVH *W*8
Hdtt>a8]_
.,3 13 aamiTH omqunnutj \ mq nuntoug CJfupf-e:j
*03*r *i 'aiauj -i '"i
s ou&oaaa
'suvj gp vupvpsiu gp }oi.idwi
tmupwy vjtd sopvaoidv mvjoj mujuwoipjM n *"po "O?IA
iMipipaui ap riiuopny
ajad sopiAOidc Gosnod sop um 'speprpxih cruuiud ap a cund opiiuuig
"ptlOfl 30 0VH1V3VS 30 OOVOIJ 30 0310
'81 ? t P *vP u 'inuif op oemtoao bu sepauwi mojas ejed se qpa
-non vofiMdvuttn 9p opvicJi ^ uto neossno.ii jossijcid o *1*>I3 Jf]
op VNllN 83M3H1 30 TI0N3SS3 30 SVIOUSd srpd superna oes |ua8
OJO SES0AJ3II S3JQP BB SBpM O 'S0J.ICJ-i3 'SOScqiUOJ 'SB3I1BI0S SO 0UI03 'f ~\
-saioui nsa.p ved joiboi v 'V9IX39 VO SVI1S310L
oniuir.b ap oi(ns ob or.isis
-ai nb scSi)iib sajqaj ib eji>3 -apnss bj|o b opue-^vudu a ci.ioj san
-opuBp 'saiuans3|i-Aiioo so aiqos ]\siou 0{ftav: iuas 'uuiiiinb ap WqOBWd
-aad suoijpiii snp smn o 'ajUBisuoa epi|uuc3 a OEisodaioa Bina soanud
sop um oquu sisa nbDjJBqtrj p UfliNIfl 30 OHNIA
S"3(|00 M
-bj uias i'3.md anb iaAcpnjc e^eiioiiii] biiiii i?i'(0 a? bjihI biiSb.p b|cj.ibS
oaui ni i O'i .'isj.p ooscjj un jupMsro nsg '330U 30 Od
jJTiri anin o OpUUM] Urtl Emi,i tp) 'A3TIVA 20 tVinld Wpd
pjl|iisoj joiiiaui o uiod bopijcquioo ajduias Ofl >-Oi)iii8njjoj sop o&udm
optuut!ia3aii anb miu3uii.uk o Z3QmVd V 'VIV_'3N\
AVlinTJ'dK <)jH13 -qpoKngasnjiesessg 'svionvASfj -'svcandvxNS
SEq|iiRd uia no oi uia ooiisa 30 oau3 <\ -d se'p MqMl ma tum
-OWdVdliSKOO '03VW01S3.GS0N3&iUJd06
Ena
''.*
tes 9 a
o. S 2. o. B
5 -i,
3 3
- o.
3 o
to
&p
o
a
5 B va ii co
' S. 2- 3 g tx 3
^r ^ B
3 re o r. 5
3x1 sr o b
B ..S
Pede se ao Sr. Eduardo Pirmino da
Silva o obsequio do vir a ra Nova n. 45,
loja.
R'a & ifmao fazum Menle que.o Sr. lien
jamiin Canut) do* Sanios Lima, deixou buje de
ser seu eaxoiro". Reifo i8 de fevereiro do 1870.
AVISO
Prec?a-;e alugar uma escrava para iodo o
servico de uma casa de pequea familia : t|uem
quiror dirjase a Boa-vista, raa da Conccirao nu-
mero 18.
COMPRAS.
O muzeo de joias
Na raa do Cabug n. 4 compra-se onro, praia
i pedras preciosas por precos mais vantajosos do
ja* em ontra quaiquer parte._______^^_
U)m muito maior vantagem compram-se
noedas de ouro e prata : na loja de joias do Co-
acao de Puro n. i 1), ra do Calinga.
(IWIIUHi: E \H\IIF1H
ESCRiiYOS
Compram-se e vendem-se diariamente para (ora
* dentro da provincia escravos de todas as idades,
Mres e sexos, cora tanto que sejam sadios : no
erceiro andar do sobrado n. 36, ra das Crazes,
reiraeiia de Santo Antonio.
Compra-se papel para embrulho de qnal-
qner qualidade, no pateo do Carino esquina da
ra de Hortas armazem n. 2.
Cabellos
Na ra do Queimado n. 6, Io andar, salao de
cabellelreiro, comprase connnadimente cabellos
compridos.
Compra-se uma carnea que esteja em bom
estado : na ra Nova, loja u 7.
O ED

c
& -3
l'so
B
B
>
o <<% B
= Sr ~< ^
D 9 o 13
S 3 3 B
C o
5-3 a
en O-tg.
CD O ^3
gas,
09 Q
5 "
BS-p"^
VI

_ Q.ES tfiD
flllt
^- M^ B W5 B^
N 01 l
Compram-se eseravos de ambos os sexos
na ra do Imperador n. 7o, 2 andar, das 8 da
maohaa as 4 da tarde._____________________
Compram-se moedas de ouro e prata de to-
los os valores, ouro e prata em obras inutilizada-.
orilhantes e mais pedras preciosas : na loja de
rarives do arco da Conceicao, no Recife.
Couipra-sc
ntna esorava que sija bia enjommadeira e rozl-
nheira, e sem vicios e achaques : na ra do Pires,
sobrado n, 27.
VENDAS.
Popos tubulares ins-
tantneos.
Heitor Sampayo.
Ra ^ova n. 98.
Os annunciantes acabam de preparar alguns
pocos tubulares instantneos mais aperfeicoados
do que os vindos Je fra do pfeix, os quacs ven-
dem por pre^o muito mais coinmodo, encarregau
do-se do seu assentamento al funecionar. Tin
dos melhoramentos feitos poder servir quaiquer
bomba. As pessoas :jue quizerem comprar um
ou mais desses tubos dcvim dirigir se a offleina
dos annunciantes : ra Nova n. .18.
Vende-se a taberna da ra da Conquista n
1 : tratar na nie-ma ou no Chura-menino n. 2
Este admiravel
Uepuiatifo nao
coMemeai si mer-
curio, iodo ou
rseoico; um
vigoroso modifi-
esdorparao sangue ecura radicalmente as icolesiias depelle. taa como a lepra, asimpigena, as herpes, as
pichas, os Pannos, etc. Empregado diariamente elle refresca a massa do tingue econsolida o lude.
A IHJECCAO CADET c^j^**^ *~ *
Tamo, l, B< Denaia,
VERDADEIRAS
PILULAS de BLANCARD
COa IODIMETO 00 PERRO INALTERAVEL
APPROVADAS PEU ACADEMU DE MEDICINA DE PARS, VK.
Possuiwl s proprieadesdo todo el do fcrro, eonvem especitlmente as Arreccots
crofblosas, a Tisfca no principio, a [raqueta Falta de coa, AMENORiiHEA.em que precisa REAGi^)tmK o sanguk seja pare restituir
-Im a sua rwjaen e buedeneia normaes, ou para proTOCtr regular o seu curso peridico.
N, B. O k>urto de ferro impuro oa alterado am medicamento infiel, -*
irritante. Como pro va de pareuv da authencidade das m*<*>4io Pi-
InUn de Blaacard, deva-oa eligir aesao aella de rala raaetiva
oaio dratm, aqui reprodasid, qn. se arba na parta infarior da na
retnta verde. Deve-aa desconfiar daa-ialsificacoei.
achaaa^eeaa_taaa mm ptMunaraiaifc Marmaertttfaa, *m JanatarU, 40, ParU
INJECTION BROU
yiifnte iBlalllvel c Vreaervctlva, usoIuubhxuo a uuici ,ue cura sem uenbun. adailivo. V. .aet
' taa priaaraaei batica s amada. (Sxirlr a luTaaew 4a aw). ( aaaaa a* aalltaMia.) rarii.
' la amalar liae. >ialam Maaaau.
Para o carnaval
Na ra estreita do Rosario n. 35, Io andar, (en
um grande sortimento de vestuarios de principe
bordados a ouro e a seda e laa, tudo do ultimo
gosto e baratos, tudo novo, vende-sc e alugn-se ;
tem um grande sortimento do dminos bordados
de velludo e seda, tado novo, a vender o e alu-
gar-se ; vestuarios para meninos, emfim tudo de
muito gosto e barato ; faz-se tambera quaiquer
vestuario a carcter e a gosto de seus dono-, tem
grande sortimento de dminos de laa muito bara
tos para vendei -se e alugar se, e vestuarios ricos
para quera tiver gaste, proprios para bailes e
passeios.
Farinhade mandioca
em saceos grandes e de superior qualidade : ven-
de-se nos armazens da f.ompanhia Pernambucna.
caes da Assembla n. 11.
Attenpao.
Vendem-so d;;as eirrocas em bom estada e jun-
tamente dous bms para as mesmas: a tratar m
ra Direita n. 101.
??f 15 por cerno dr ec<>tiorairi TTf
Et fumo dar lucem
29 -RA 110 IMPERADOR 29
3cos econmico?, d b.>a luz, de 500 a 1 JOCO rs.
cada um.
A VERDADE
55Ra do Queimado5&
A VERDADE tendo em deposito gra
quantidade de miuderas e porfumarias, e df
nejando apnrar dinheiro e adquerir boa frf-
nuezia est rssolvida a vender muitissimt
barato, ; por essa razio convida ao respec-
ta vel publico a vir competentemente man'
do a sortir-se do bom e barato. Pois quaa
do a Yerdade apparece, tudo mais des-
apparece....
Grande sortimento de bonecos de cr* *
massa as mais lindas possi veis vestidas a
racter.
Abotoaduras modernas para col
letea....... 3%
Espelhos dunrados pepnenos. 26
Agolhas de osso para uox a .O
Pentes pora regac com tsntas a 32
Ricos globos para candieiro de gaz a i SO
Chamins a....... 32i
Grande sortimento de objetos de
louca para biinquedo de menino 40X
Garrafa com tinta a..... ?0(
Dita com agua florida verdadeira a l&JGt
Dita com oita dita a ... id(H)(
Frasco comoleo de babosa a 500 e 72(
Dito com agua de Colonia a 300 e Ol
Gatrafa com agua divina a. IflJCK
Frasco com extractos finos a ItfOOC
Latas pequeas com banba muito
fina a 42<>e....... 1C(
Sabonetes de diversas quali iades a
80, iG0,2i0e. 32t
Finas escovas para denles de i 20 a 601
Lindos coques modernos a. 2(5O0
Favios para gaz, duzia a 240 e 321
Escovas para fado a 500, 600 e 7C
Ditas para cabello a..... B(K
Pentes para tirar piolho a 1(50 e. 9(
Brincos de cores, bonitos a 160 o SOf
Pecas de tranca de la com 8
varas por....... 8f
Oleo para machina de costura,
frasco a........ 60(
Pennas d'aco finas caixas a 800 e MKXM
Dita d'aco Perry, caixa a. !.
Galo de algodo peca .... 40
Lindos babadinhos e entrenieios
peca de 500 a...... 150
Ditos de louca muito fino a 120 e 20C
Ditos para ca'ca a l(>0 c. .
Caixa com papel amizade a. 70(
Ditas com envelopes a. 48(
Ditas com obreias a. 4C
Caixa com aguihas fundo dourado 38(
Ditas de ditas ditas a..... 16(
Thesoura para costura a 240 e 50
Caixa com linha de marca a 28(
Linha de cores em novelios (li-
bra) a........ 501
Carreteis do linha AJexandre de 70
at 200. ....... iO
Grampos muito finos com passa-
ros, duzia a...... 2X
Cartas porluguezas, duzia a I&MX
Ditas francezas a 2^200 fi 300<
Papel almaco e de peso, reama a
3/J400, 3^500 e .... 4<>
ua muito fina para bonlar, libra 6yG
Fita de algodo para debrum de
sapatos, peca a..... lfi1.
Ditas de la para debrum do ves-
tido, peca a...... 48t>
Pentes finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 2i0, 320 e...... 50
Ditos para aparar penna a IO
Rosetas prctas, par a 10(
Tranca de 13a dciracol peca a 40 e 1G
Fila de coz pega a i80 e ; K6l
Alfinetes d> latao a..... Un
Sapatos de 13a para crianca a 400e
Grvala de sedas de rores a 20
Galcadeiras a.......
Grande sortimento de rendas das flhas.
Um par de suspensorio do borracha po;
lOOris! flM!
I\\i Yerdade ra do ((iiemadc
D. 55.
ELEPHANTE COM BOTAS
GRANDE ARMAZEM DE PUOS, MSICAS E INSTRUMENTOS
ANTONIO JOS DE AZEVEDO
N. 11-MA NVA-N. 11
Farinha de mandioca
Vendi'-se superior farinha de mandioca em sac-
eos : o eteriptorto Je Antonio Luiz do liveira
Azevedo & C, ra da Cruz n. 57, Io andar.
J.A.M0REIR4DIAS
tem constantemente em sen armazem, ra da
Cruz n. 26, um ompleto sortimento de
Baiancas decimaes.
Ditas orisontaes.
Peso9 de ferro pe syslema decimal.
Bombas California para pocos, as melhores que
tej jpparecido at hoje.
Chamins de vidro para eandieiros a gaz.
Lonas de todas as qtuKAides. *
Agua florida.
Graixa em i oies n. 97.
Vidros para vidraga.
Jorieo imperial.
;()STCR4
Partecipa ao respeitavel publico desta cidade
ti, acaba de efeegar um grande e explendido sorlimeuto de
e das mais provincias visinbas, que o seu grande e bem acreditado armazem de4 nsramentos para mosi-
Lagedo
Vende-se lagodo para calcadas e imniwi i por
preco commodo : na ra do Apollo n. 4.
?- Vendem-se duas bonitas escravas com liali
idades, ti udo uma dellas urna cria de cinco me-
zes : o terceiro andar do sobrado n. 36 da ra
das Crazes.
Attenqo
Vender urna taberna sila na ra Imperial n.
2,o : a tratar na mesma.
Acabao de chegar ao GRANDE BAZA!,
UNIVERSAL, ra Nova n. H^-carneiro
vi\.\\A--iim completo sortimento de ma-
chinas para costura, dos autores mais co-
ndecidos, as quaos esto em exposico no-
mesmo Bazar, garanlindo-se a soa boa qua-
lidade, o tambem ensina-se com peifeiva.i
a todos os compr;'dores. Estas machinas
sao iguaes no seu trabalho ao de 30 costu-
reiras diariamente, e a sua perfeifao tal
como da melhor costurera de Paris. Aprc-
senlam-se trabaihos executados pelas mes-
mas, que muito devem agradar aos preten-
denles.
PUMOS
0 que ha de mais moderno, de teclado flxo e mobile, e cr*a ransposic3o ou sem ella,
/tama'dos e bem ceobecidos pianos da fabrica do Sr.
de autores os mais acreditados aesta cidade, como sej am : os
AFFONSO BLQNDEL
le Paria, de o^aem o aonuaciante e o nico agente nesta cidade, como prova com o doct*mnto abaixo transcripto e assignado pelo dito Sr. Brondel. Estes pianos, fabri-
iados especialmente pa.ra o clima deste paiz, sao os unics que offerecem orna garanta seg-ora de sua duracSo. Elles s5o aqui bastante conhecidos desde 1844, para que
teja necssano insistir sobre sua superioridade. As suas vozes sao muito flautadas e nwlodiosas. Elles possuom um teclado que se presta a todos os caprichos de
leonores pianistas.
Todas as pessoas que^comprare Danos nesta casa, sao rogadas a exigirem e certificado de origem aasigodo pelo Sr. Bloodet, aflu de provar a sua
lutencidade do numero de piano com o de certtficado.
M.h ., AO PUBLICO
wvi v 8Gi i on fabncanl0 de P'woos em P(VRIS, declara ao respeitavel publico de Pernambuco, que o nico deposito de seus pianos na cidade
4o Recife, RA WOVA N. 11, armazem de Antonio Jos de Azevedo. Outro sim que tedos os seus pianos irlo acdompanhados de um certificado de origem assig-
sado por mim.
Pars, 24 de julho de 1869. (Asssignado) AlphQnne Hlondel.
0 aonafiane tambem troca 9 aluga pianos. E tem o maior e mais expteodidn sortimentor de novas
_ r cMtfSICAS PARA FIAU.*
As quaes recebe directamente da p
rtc. Tambem tem grande sorumenio de papeleara
tssoibo de salas, ricos espe'.bos dourado3, quadr^dos e ovae, camuas de costura eom msicas o sem ella, stojos para viag^m, relogios com despertador, vidrot para
tacelbos de todos es tamanios, talagarca, 15as e aguihas para bordar, e muitos. outns arttaos que o respeitavel* publico eoconlrar 8^pre neste armazem, o qua! estar
Derto todos os dias at a *? horas da noite sGm das Gunas. familias poderem ir apreciar os seus pin,
Fijar
[macia.
Vende-se a pliarmaeia da ra Direita n. 88, mui-
to propria para principiante : a tratar na mesma,
das tQ horas da aihaaas 9 da noite.
- Vendo se uma liberna em um dos prinei
pas lucaes desta ciA-ule eon commodos para la-
milla o inclhor que possivel para um principi-
ante. O motivo da venda se lira ao comprador,
na rm do Invrameuto n. 28, se dir <|uem vende.
Jslaillj). S linus
A loja da Aurora receben boas estampas colo-
ridas, sendo das segaintes qualidade3 : morto do
jn-lo peccador, enferno eiiaraizo, das mais finas
que tem chegado na loja da Aurora na ra iarga
do Rosario n. 3S. i
'------------1-----------------i-----------------. iif
Rano de Lis1 ea
A loja da Aurora na ra l .H perieneente a Manoel Jos Lipes 4 Frailo, re-
cebeu o bom rap de,Lisooa em latas, do melh >r
e mais fresco que tem'chegado a & gando pelo vapor francz em a mesma loja ven-
de de diversas qual'da les.
Legue de madreperola com seda, e todo? ile
madreperola, muito proprio para n-ias, ebega-
ram a loja do l'asso a ra do Crmpo n. 7 A, as-
sim como requissimos chales de touquim de to
aas as cores, vestuarios bordados do cambraia
para baptizados, meias de escocia (novidade) mui-
to bonitas para asExmas. Sras. que goslam andar
de sapatinho raso e outros muitos artigos de gos-
to que os Byjprietariaa deste estabelecimento teem
recebido. w
Vende-se quatorze cade iras de Jacaranda i
ut-adas : na ra de Hortas n. 1, armazem.
a loja do Passo
Ds requtsstoos cortes de blonde de seda curo
manta e c.ipelh para casamento, sendo nesto ar-
tigo o que se pode desejar de melhor e mais mo-
derno, tambem chegaram os cortes de soda de to-
ros novidade, e outras muitas fazendas de fo-|-
|ue chegaram pelo ultimo vapor francez, s pari
a loji do Passo a ra do Crespo n. 7 A
Na ra d 3 Quarteis, em frenle a praeinha n.
2i, i e 2o andares, tero um grande sortimente de
vestuarios para slugar-se, eomo sejam : don.iiun
de velludo, velbotiua e Jo soda, gosto moderna ;
assim como vturios de principe, de velludo, ri-
trente onfeitado?.. venl?HV?0 P finVm alugam-
sepor pr?o cominoJ.r
Venie-se tres panes sitio da Pola a do Mon-
te ro, para Apipuc s, eom cnse
-4e vivenda, grande baixt tic
eapirn, olaria, qnartos para es-
cravoi e f-4tef, cocheira. pst i
baria e mais duas casas par,
a'ugar para afesta, para ira ti
e no mesmo sitio.
Mrihonovo
Veede-M rm soeeas grandes, c por men
n ouira parte : para v -i
0aul3J, o para tratar, na ra do Ap
mam


6
Diario de Femambuco Sabbado 19 de Fe\ erei.ro de 1870.

miuii!.
*0*A
DO
A RA DA IMPERATRias M. S
Esquina da ra da Aurora, em frente do caf imperatriz.
briH... 1IftN,esle,oovo e sunipuiosoosubelecim^nto de fazendas mcnntrarao as Esmas.
HH ?^-f ?',tolw8,8am *** la** em artigo* do mais rigoroso luso, como em lodas
s mais qualidades to fazendas.
A!in do se aciiarwn pnwidos do que de .melhor s* en.-onfra neste mercado,
jor todos os paquetes da Europa, acco.n ueoidtueuUi o que lo mais apurado gosto se encontra em Pars, o qao vem cada da augiaeutar s propor-
Hks le que diapoe este estabelecimento para bern servir sua numerosa freguezia.
Algoda largo para Icnces e toalhas d
odas as qualidades que cocuma vir ao mer-
cado.
Alpacas de todos o padrSes e qaalida-
tes lo variadas-que se nao podera descrever.
Albunscom msicas para collocar retratos,
delicado presente para qualqcer pessoa de
jsima.
Atoalhado de Iinho e algodlo, branco e
le cores proprios para toalhas.
?B
Bas juinas de seda pretas e muito moder-
aas, bem como de crochet, Mijo de aparado
gosto e feitio.
Bales de muselina, madapoln, brancos
de cores, para senhora e meninas,
Bareges de cores variado sortimento.
Babadinhos oh liras bordadas em todas as
larguras.
Belbutina de todas as cores.
Bolsas de tapete para viagem. grande
variadade de lmannos e gostos.
Bombazina prela de todas as qualidades.
Bramante de Iinho de 11' palmos de lar-
gura, e todas >a mais qualidades.
Bretanhas de Iinho e algodo, grande sor-
omento.
Brins de Iinho branco e de cores, do mais
:ommodo ao mais caro em qualidade, afian-
;ando o que ha de melhor na especie.
Brins d'algodo completo sortimento e
variedade de presos.
<3i
Cassas de cores, o maior soriimento, pri-
mando pelo bom gosto e barateza, alientas
is qualidades.
Caaibraias brancas, tapadas, e transparen-
;es de todas as qualidades e procos.
Camisinhas de cambraia de Iinho e cassa
bordadas ricamente enfeitados para Sras.
Camisas para boxeas e meninos, tao va-
riado sortimento que vai do mais ordinario
madapolo ao mais peiTcito berdado do li-
mo e cambraia.
Camisas de meia, de flanella, brancas e
le cores para homem.
Caaemiraa pretas e de cores, o melhor
rae so pode imaginar, sendo d'isso a me-
.hor prova o grande consummo dellas na
jfficina da casa.
Capellas de flores, para noivas e bailes,
lesde a mais candida flor de larangeira at
i mais interessante pi halda.
Chapelinhas no melhor gosto, de todas as
'.ores hoje preferidas pelas senhoras de
mais apurado rigor na moda.
Chapeos pretos de velludo, para senhoras,
ultimo gosto de Pars.
Chapeos de sol, para s nhoras e homens,
de todos os presos e variados gostos.
Chaly com ricos padrees para vestidos.
ca-
case comlistrag de seda e flores, fazen-
da inteiramentc nova para vestidos de.baile.
Grvalas pra sennorts e otnens, o mais
completo sortimento" que se pode desejar.
Guipare preto e branco, diversas largu-
ras e dlfferentes gostos.
Collas e punhos brdados para senhoras.
Guardanapos de julio pequaaos e gran-
des.
GurgurSode seda preto ede cores.
Grosdonaples prelo ede cores, liaven-
do diversas qualidades e gostos.
Japonezes para seali iras, o melhor gos-
to, eazenda propria para as testas no9ar-
rabaldes' e passeios a larde.
La
Laazinhas de todas as qualidades, cores
e gostos, nao ficando nada a desejar, tal
o sortimento que existe para escolber.
Lencos, tudo quanio pode haver desde
esguio ao algodo commum.
Leques de madreperola e osso, o mais va-
riado sortimenlo.
Ligas d seda, bordadas, para senhora.
Luvas de Jouvin, cargadas por lodosos va-
pores, sempre novo sortimento, quer em
pellica para homens e senhoras, quer em fio
d'Escocia, brancas e de crs.
Madapolo; indesc iptivel o grande sor-
timento que ha ueste genero, desde o mais
elevado preco ao menor, que s vende em
peca e retalho por menos do que em ou-
tra qualquer parte.
Manas de blondo para noivas : o apurado
gosto dos nossos correspondentes em Pars
habilita-nos a dizer que temos era nosso
estabelecimento o que do melhor se dse-
ja para vestir e ornar orna neiva.
Mantas prelas de blond.
Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos pretos, trancados o lisos.
Musselina branca e de cores, lindos e va-
riados padres.
O
Pannos pretos e de core?, desde o mais
baralo ao mais superior, por preco muilo
c>mmodo.
Pannos de crochet, para caderas e sofs.
Ditas de casemint muilo finos para
mesa.
Peitos bordados de Iinho, lisos e de al-
godo para camisa.
Prmcetas pretas e de cores.
Popelina do seda e Hubo, com listras e
flores; fazenda lndissima.
Pelherinas para senboras, do ultimo
gosto.
Perfumaras ; os mais finos extractos o
que de melhor e mais agradavel se pode
mais fragante
GALLO VIGILANTE
ana <* Creaf 9
Os proprict irtos 4te sem conaeaido estabele-
eiaenle, alm das wtui #l>jdS postos a apreciadlo do respeitavelpblieo, man-
daram vir e acabam de receber pelo ultimo tapor
da Europa um-conpleto e variado sortimenlo de
finas e mui d^icadas especialidades, a tao resolvidos a vender, como de seit costurl*
por precos milito baratrnhes e eomiiuxloi para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de peica, pretas, brau-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas goltmhas e pnnios para se-
nhora, neste {.-enero o que ha de mais moderno.
Sw^nore*sent<4-agaruga ara uaww.
Grande imazeB de fizeidas e ronpas feilas ra 4a luperatr
r 52, porta hrg, de Paredes Porlo.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimeatc
de roupas de todas as qualidades, palilots de alpaca a 30, 30500 at 60. Ditos*
arfc, 'ditos de easeraira de cores bonitos gostos a S0, 60, 80 e 100, de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 30500 a 50000. Calcas de brim de cor finas e ofdfaarias, ditare
brancas de todas, as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de aaaemr:
de cor e prela de 40, 50, 00 a 150. Colleles de todas as qualidades e precemoite
barato. Completo sortimeiito de camisas francezas de algodo e de Iinho de '& at M
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de Iinho e bramante a 20 e 20800.
i D cordeiro previflentt
uua o umt*mwo n. tai.
Novo-evaiiafl- etilo de perfumariar
_ or
EmS eaiS3lll*S *'**'* p**4 c*Bfl*da ^aw>aUfltas)_noTigs1ao gtslo a tias os"precos. Meias sortimento completo a 30
Chales de todas as qualidades, avultado encontrar nesle genero, e d
numero e nao menos variedade de gostos,|e suave no olphato, temo PAVILHO DA
Chitas, impossivel descrever o sorlimen-JAUUORA, desde a verdadeira agua Floii-
;o e variedade de padres e novos gostos, 'da at o mais fino Bouquet d'Amour, final-
a neste artigo tudo quanto se pode desejar. \ mente tudo quanto deve oceupar o touca-
Cintos para senhoras o que se podcima-dor de urna senhora de gosto.
?har de melhor.
Coques, o melhor no gosto e nos enlej-
es, varios tamanhos.
Colchas de seda com borlas, o mais apu-
rado goslo e lavor.
Saias bordadas, brancas, lisas e de cores
com folhos e sem elles, o melhor possivel,
Sabidas de baile, de todas as cores.
Sedas pretas, de quadros, lavradas, lisas.
Ditas de fusto branco e de cores por de listras de todas as cores e qualidades e
grecos commodos.
Corpinhos de cambraia, ricanente borda-
ios para senhoras.
Cortinados de cambraia bordados e de
i!,o que de melhor se pode desejar.
Colarifibos de Iinho bordados
maior sortimento.
Damasco de 13a de 9 palmos de largura
indas cores e ricos padres.
OH
Esparlilhos bramos e de cores, para se-
nhoras e meninas, o melhor nesle genero ;
nenbuma Sra. dexar por certo de muir
ie de to precioso auxiliar perfeico de
;m corpo delicado.
Entremeios bordados.
Escomilha preta.
Enleites para cabera, ultima moda
Pars, recebida no ultimo paquete.
Esgui3o de Iinho, completo sortimento de
lodos os nmeros.
23*
o mais baralo possivel.
Saraelim de todas as cores o qualidades.
Tapetes grandes, lindas pintoras para 8
cadeiras, mais pequeos e de todos os ta-
e lisos, o manhos desejaveis, e em peca para co-
' vados.
Toalhas de labyrintho, do maior e mais
fino trabalho ao mais barato.
Toalhas de Iinho e algodo de todos os
tamanhos, li>as e felpudas.
Tarlatana branca com palmas e de cores,
fasenda muito nova, e gostos delicados pro-
pria para baile.
Vistuarios bordados de fusto brancos e
de cores para meninos, de cambraia para
baptizados, o que de melhor tem vindo a
esle mercado.
Vestidos de 13a escoceza de 2 saias,
novidade pelo padro, goslQ eforma; dilos
de Iinho com barras de cores, e de cam-
braia de cores com 2 saias, tudo inleira
de
estofes
Superiores trancas pretas e de cores com \ idri-
Ihot e sem-ellas; esta Apeada a qua poda haver
de melhor e riai* boako.
Soparieres e bonttot lcaues marftm, Stadtito e oss,- 9#iA>- aq^elies tt-aneos
cora lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores netos-fio Eseosst para se-
nhoras, as quaes smipra se raadena por 30|f0
a duzia, entretanto ine nos as vendamos por20.
alm destas, tmosaiorbea fraudo BoniniNto do
outras qualidades, aira- as qoaee lafumas^uito
Gnas.
Boas bengalas de suprior eanna da India e
casto de marftm com untas e eaoalMadoras figu-
ras do mesmo, neste genero c-que de melhor se
podo desejar ; alm destas temos tambem grande
Juantidade de outras quatidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borraeh, etc. te. etc.
Finos, bonitos e airosos chjcolinhos do cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de i a 12 aunos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramss sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas fiara noiva.
Superiores agulhas para ma-lHua epara erox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons barallios de oarTis para voltarete, asstm
como os tento para* o mesmo lim.
Grande o vanado sortimento das melhores per-
fumarias e dos memores e mais eonhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as coavBlsSes, e
fivilitam a denti^ao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prdigiosos
collares, continuamos a recebe-los por-iodos os
vaporee, aflm de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois podero aquel-
les que delles precisaren], vir ao deposito do gallo
vigilante, aande sompre eneontraro destas verda-
deros coares, e os quaes attendendoJse ao fin
para que sao applicados, s venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dosebjectes que'deixamos
declarados, aos nossos fregnezes e amigos a virem
comprar por jireco muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Cifspo n. 7.
4* 70 a duzia.
ROPAS PARA MENINOS.
Eflcarrega-se de quaesquer obras de encemmenda tanto para homem, como
para meninas, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de feaeada* de
todas as qimWades-tanto em easemiras como brins, pannosdnfts outras Tiuitaa fa-
zendas.'
FAZENDAS
Dramantes de 41 palmos de largura a 1^800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 6'i0 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista do seda fasenda de gosto a 10200.
Casquines e guipure enfeitadas a 18^000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 60 rs.
Madapolo fino a 60500, 70, 85 e 90000.
AlgodSo peca com 20 jardas a 40500, 50500 e 60000.
Peca de aigod3o largo a 70500.
_E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cbegoem i roupa
feU que se est liquidando na loja ra dalmperatriz n. 52 0nto aloja de oorives) do
LEfiO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
Machinas vapor de
forca de 3 e 4 ca-
vallos.
Motores para 2 cavados.
Arados americanos".
Machinas de facao e serrotes para desca-
rocar atgodo.
Bataneas para armawm e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro' de Milnez e de hit-
Lfield.
Preseas para copiar carlas
Fogo americano patent
Mikroskope achroma-
fttisehen. Obietiv Lin-'. / V~^
sen. j*!>*ex>is--
Barometre e termo a
metre. Cengrade
e reuomeure.
Cal nava de Lisboa
ehegada no ultimo navio : veada Joaquira Jos
llamos, na ra da Crnz n. 8. 4o andar.
CULOS PERISCPICOS
E crystal de rocha do Brasil.
F. J. Germano, recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa
dos; porque, com cste& vidros, a vista descanga, foriinca-se e nao a canea como com
os vidros ordinarios. Urna vez escolhido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do 61 ho e determina quasi sempre do-
res de cabeca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do Mo, e,
todas as vezes que o objecto est mais perto ou mais longe, os raios que expelle sSo
muiconvergentes ou ara divergentes o a visojiao perfeita. Um grande numero de
pessoas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a viso nao distincta.
Com a applicago de meus vidros pde-so vencer estas difficuldades. Para os que tem
a vista curta e cujo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
longe), o que se chama myope, por meio de um vidro concavo affasta-se o ponto de
visla, o que faz divergir os objectos e deixa ver tao longe como as outras vistas. Quan-
do o crystalino muito chato, o que saccede aos que tem chegado a urna certa idade,
o qne se chama presbyta, vem miiihor de longe que de perto, e nao enxergam seno
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergaro
tao distinctamente como na idade de 15 annos. Serviado-se destes vidros quando e
vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
B. f. Gerauauu encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a e s
colher, a primeira vista, seja qual for a iade e grao de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Alan -^tm\Sto^m!doe perfo
.alarias, de que efectivament est^rovidar
toja do^M|D Providente, ella acaba da
aaartimento qta se tona
^Jltiectos, superior-
dada, q:Mb-iwd*-s ecormtMjmdades de prav
eoa; ascim,pos, aCartairoPrevidente ped
e espera ontmoar a merecer apreciaba
do respaiunrel pnbftco em gera! e de ana
boa fregueaia em partieGlar, nlo se afa
lando elle de sua bem conhecida mansidi
a-barateza. Em dita loja eneontraro a*
apreciadores'do bom:
Agua divina de E. Condray.
Dita verdadeira de Murray & Lattman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fra
ceza, todas dos aelbores emakacreditadas
(abrieantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita-dos Alpes, vilete para toet.
Elixir odontalgico para conservado 4*
isseio da bocea.
Cosmetiqnes de superior qualidade e m
roa agradaveis.
Copos e latas, maiores e menorae, ttm
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparasl
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americano
francezes em frascos simples e enfeitados.-
Essencia imperial do fino e agradavel chai-
-o de violeta.
Outras concentradas e de cheiros ifca>
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior quaWa,
com escolhidos cheiros, em fraseos de dia
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e metora
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figo
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetas imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada eontendo 1
aas perfumaras, muito proprias para pr
lentes.
Ditas de papelSo igualmente bonitas, Ua
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e da
moldes novos e elegantes, com p de arre*
e noneca.
Opiata ingleza e franceza para denles.
Pos de campbora e outras diereaat
realidades tambem para dentes.
Torneo oriental de Kemp.
Ainda auais coques.
Um outro sortimento de coques de ne
ros e bonitos moldes com fllets de vidrila
e alguns d'elles ornados de flores fita
esto todos expostos aprecia?ao de trae*
os pretenda comprar.
GOLLINIIAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Fiveas c Odas para cintos.
Bello e variado sortimento de tae8bje
tos, ficando a boa escolha ao gosto do ce
prador.
BAPf! POPULAB
DA
tam mmin da baha
DE
Teixetra UldurtcofyC.
Acha-se venda este ptimo rap, unieo q
pode supprir falta do princeza de Lisboa, por s*
de mui agradavel perfume, viajado, e a pre$o a
mais mdico possivel; e por isso tem sido asa**
acolhido as pragas da Bahia, do Rio de JaBeiro -
em outras do imperio : no escriptorio de Joaqci
Jos Gonealves Beltrao, ra do Commerdo ao,.
mero 17.
Fitas largas escocesas paca cintos, vare- novidade, trazem os modellos .juntos para
dado de gostos e lindos padrOes, mostrar a forma de^os fazer.
Fkhs de crochet, modernos com cintos Veos de blond para noivas e pretos para
e capas, o que ha de melhor. luto.
Fil de seria, Iinho e algodo, de todos; Vestidos de blond para noivas: podemos
os goslos e padres. asseverar as nossas Bastas, freguezas, que
FusliSo de tod^s as cores e qualidades somos os nicos em Pemambuco que pode-
jrande sortimenlo. mos offerecer ao Ilustrado publico, o mais
Flanella branca e decores. apurado gosto em seraelhante materia, gra-
Flores, 6 o que ha de mais rico, quer cas ao bom gosto do nosso fornecedor em
soltas, quer em ramos, tem o PAVUHa! Pars, podemos garantir que ninguem neste
DA AURORA um permanente jardim a genero o possue melhor, nem mais em
UposicJo das Exma^ familias. conta.
E' dispondo d t3o grande e variado fortimento que 03 proprietarios do PA-
VILHO DA -MJRORA se apresentam ao publico declarando desde j quo a sincerida-
de e o bom gostoo movel nico de seus negocios.
Providosde tudo e promptos sempre a prover-se do que por ventma lhe
s?ja necessario, os-proprietarios deste suroptuoso estabelecimento recommendam-se
sem receio de serem contradictos e proteslam esforcar-se por continuar a merecer
protecao que se Ihes tem dispensado; certos de que do seu estabelecimento no sahira
o freguez descontente.
Contina sempre a officina de alfaiate dirigida por um dos mais habis artis-
tas, prompto executar cora promptidio e bom gosto qualquer trabalho que Ihe seja
confiado, Urna modista especialmente oceupada nos trabalhos do PAVILHO DV AU-
R01t\, dirige os que lhe sao concernentes, garante por seu apurado gosto cpromplido
ni exerucio e a mais completa perfeico nos seus trabalhos.
A numerosa freguezia que nos honra urna prova de que merecemos o con-
spuiisa ao nosso estabelecimento, conceito que procuraremos firmar cada
rais. Para *fecilitar-ainda a concecucao do fith que oqs propomos, temos no nosso
iraepto os oJtmos figorinos de Paris, que Tecebemos por todos os paquetes, os
.nomos para serem vistos as familias nossas freguezas, aflu de escolherem,
padrtto da fazenda'o gosto na forma.
, fa oflicioa de alfaiate, justo ao estabalecimento, ha igualmente os figulinos
w-i que por lodos os vapores, so recebem.
E' este o modo porque nos apresentamos pedindo a proteccao do.illoslrado
. om o;mais profundo respeito convidamos s excelteatiasioias 3*a& a visi-
ibetecimento, certas de encontraran^ nelle pelo "menor pr&jo possive-
1 era desejar.
Mmdaremos caixeiros levar as fazendas eamostras onde forem pedidas, visto
unos especificar tudo quanto tamos.
Joo Ltuz, Sobrtnho & C.
Aborto das 6 s 9 horas da noite.
LOJA DE FAZENDAS
DO
(.1RIBIIJ!
Rna da Emperatriz u. 56.
CORTES DE CASEMIRA PRETA A 3S00.
Vendc-e cortes de casemira preta para caigas
a 3500, 15(00, 8-3000 e 6S000 rs. ditos casemi-
ra de cores com listas do lado a o e 6 o corle:
ra da Imperatriz n. 56.
GROSDEXAPLE PRETO A 2*500 COVADO.
Vndese ^rosdenaple preto para vestidos de
scahora a 2o00, .'{000 e 3*500 o covado.
PA.N.NO PRETO A 2*200 O COVADO.
Vende-se panno preto para calcas e palitots a
2*200, 2*300, 3000, 3*800, 4*000 e 3000 o co-
vado.
CHITAS FRANCEZAS A 280 O COVADO.
Vende-se chitas franoezas Unas para vestidos a
280, 320 e 3(10 o covado.
MADAPOLO ENFESTADO A 3*300.
Vende-se nessas de madapolo infestado com
12 jardas a 3*300, e pesias de dito com 24 jar-
das a 5*000, 5*500, 65, 7*. 8* e 9*.
CASSAS FKiNCEZAS A 240 O COVADO.
Vende-se cassas francezas finas para vestidos
a 210 o covado.
ALGODOSINHO A 4*000 A PECA.
Vende-se pecas de algodaosinho a 4*1 W, W e
t 000.
GANGA PARA CALCAS A 320 O COVADO
Vende sa gangas para calcas e palitots a 320 o
covado, e brim de cores com listas do lado a 4* o
covado.
ALPACAS DE CORES PA*RA VESTIDOS A 500.
Vende-se alpaca de cores para vestidos a 500 e
610 o covado, e outras muitas fazendas que se li-
quidam para fixar contas, sem reserva de preco :
a ra da Imperatriz, ioja do Garibaldi n. 56.
. CAZ .AZ GAZ
i Chegou ao amigo deposito de Henry Forster A
o., na do Imperador, um carregamento de gai
d primeira qualidade; o qual se vende em partidas
e a retalho por menos preco do que em outr* qual-
quer parte.
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza. -
Para a vista que os olhos sao desiguaes.
Para a vista que se tur va com o iraba-
lho e a leitura.
Para a vista presbyta (vislagalon ).
Para a vista que n5o supporla os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras esto cer
cadas de sangue.
Para a vista que um "dos olhos myop
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olbo se cobra de catarata.
Sortimento
para theatro,
de binculos
e oculos de
alcance para o campo e ma-
rinha.
Lonetas, pince-nez e
face--main, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
_ Tem tambem grande sortimento de relogios para parde, que d3o horas e nara
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro prata Drata
dourada efoleada, inglezes, suissos e orisontaes dos melhores e mais afamados fabri-
c cintos.
Vendas em grosso e a retalho. IJnj Pernarabuco.
N.21=Rua Nova. 21.
Calva Filial do lia neo do Bra-
sil cm Peroambnco, eui liqal-
da<;o 95 de Janeiro de 18 JO
A Caixa filial vende o grande e excellen-
te sobrado silo ra Imperial n. 64, ccbe
accomodaetjoes para grande familia, e tam-
bem vende a casa terrea contigua n. 66 :
tratar na mesma caixa ra do Coaamer-
co n. 34.
Vende-se a metade de um sitio no lugar
Cruz do Rebouco, na estrada de Iguarass, fica
urna Iegoa pequea qoem da villa, o qnal tem
urna excellent* casa de pedra e cal eita ha qnatro
anuos, e tem mullos arvoredos de fructo, como
larangeirs, c; fezeiros, etc., e bastante trra para
roca e plantacao de caona. Esse sitio foi do falle-
cido Bento de CarvafooBasftw: qwem quiaer com-
prar a metade, drja-se a ra do Livrrmento, loja
n 18.__________'___________
Vendem-se escravos de ambos os sexos: na
ra do Imperador n. 73, 2 andar, das 8 da ma-
nhia as 4 da tarde.
MILHO
Vende-se no trapiche Bario do Livramento sar
eos com milho, boa sarcaria e por menos do qu>
hu outra qualquer parle.
Acetarse axpusto a venda em todas a>
livrariaso almanack desta provincia peU'
preco de 20GOO,
QUINIUM LABARRAQUE
APPROVADO PEU ACADEMIA CE MEDICINA DE PAJUZ
O Qolniam Labarraqw, eminentemente tnico febrfugo dere ser
preferido todas as outras preparaces de quina.
ft rinhos de quina oriundamente empregados na medicina preparann*
com cascas de qmna cuja riqueaa em principios acvo extremamente
taare!; parte diaso, em razio de seu modo de preparado, estes vinhos con-
tem apenas yesgios de principios olivos, e em proporc** sempre variareis.
D Qulnlum Labarraqa*. approvado pela Academia de medicina, con.
tafciepela contrario wn medicamento de composicao detorminada, rica em
principios activos, e com o qual os mdicos e os doentes podem sempre contar.
C> Qainlnm Labarra^i* prceeriplo om grande xito as pessoas tracas,
jWibitadas, seja por diversas caasas d'asgatamento, seja por antigs moles
tas; aos adultos fatigados por um rpida crescenca, s meninas qni tem diHl
ooldade em se formar e desenvolver; as mulheres depois des partes; aos velaos
enfraqueeidos pela edade ou doenca.
^o caze de chlorosia, anemia, cores plidas, este vfcho um poderoso
* des ferroginosos. Tomado junto, por exemplo, com as pilulas U
"**? psodui efleitos maravilBosoe, pela sm rpida acato.
Baposito em Parta, L. FRERE, 19, ra Jaoob
^mw, DFONCilLLJ; CflIYOLOT. ttnm^ct, MADRI1 t (?
TASSOIRMAOSftC.
Vendem em seus armazens, no eaes do Apone
n. 7, Escadinha n. 1 e ra do Amorim n. 37, o
seguintes seeros :
Ac de Jlilo.
Mi Uro em saccas grandes.
Farello em saccas de 90 libras.
Chumbo de munico sonido.
Metal amarello para forro de n"avios.|
Machinas para descarocar algodo de 14, 16 e tS
serras.
Kerosene em latas de 5 galSes.
Champagne do afamado fabricante Krug.
Hormouth.
Vinho do Porto engarrafado.
Coac do afamado fabricante Gautier Frres.
Fogo da China, caixinhas, 40 cartas n. i. Etf
Genebra ingleza ld ton
Cimento Romano.
Cimento Hidrulico.
Cimento Porand.
Gesso para estaques.
Camos de barro para esgotos.
Gradeamentos do ferro para jardins, calcadas etc.
Carros de mao para servicos de armazens.
Garrafoes com 3 galoes de vinagre tinto,
dem com 3 paloes de vinagre linio.
Chumbo em barra.
Especial para limas.
Em porcao e a retalho, vende-se no armazea
de pianos e msicas do Azevedo, rna Nova nu-
mero H.
Farinhii de mandioca.
De superior qualidade e em saceos grandes
vende-se nos armazens da compsnhla Pernambu.-
cana, caes da Asserabla.

CADET
CURA
'em TRES DAS
renain
PAR




' >
i
I
,
Diario de Pernambuco fcabbado 19 de Fevereiro de 1870.

7
h DINHEIRO U LOJA E ARMAZEM
teaoa sa isapsaaiiaa-Ha @
DE
JPEULIX I'EKEIRA DA SttTl.
0 proprietario d'este grande estabelacimento, vendo que se esl aproximando o fin-
io anuo, e temi em ser um grande deposito deposito de fazendas; nao fallaod em
.ralladas encommendas que Ihes esto obrigado todos os dias, tem resolvido liquida-
4s por preco rauito mais baratos do que em outra qualquer parte ; s eom o fim
4e diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontra-so neste estabelecimento do
rAVAQ, avultado sortimento deiaz^ndas de laxo e modas; assimcomo de primeira
ucessidatle. As pessoas que negociam em pequea escala n'esta loja poderao surtir-
le venden do-sedhes pelos precos que compram, im casas inglesas; assim como as ex-
ellenttssimas familias podero mandar bascar as amostras de todas as fazendas ou man-
iar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
tcha constantemente aberto das 6 horas da manh5a s 9 da noite.
Crochs para cadeiras e sofs
O Pavo tem ura grande sortimento dos
mais bonitos crochs proprios para cadei-
ras sofs, mesas, almeladas etc etc., assim
como proprios para cebrir presentes, e veo-
de-se mais barato do que em utra qari-
quer parte,
GLACE' A 1:290 PARA VESTIDOS
0 Pavo tem esta nova fazenda lisa pro-
pria para vestidos, com as ais delicadas
cores c com raais luslre do que a propria
seda com 4 palmos de largura que ftcilita
fazer-se qualquer vestido "'Sffft*'*'!
tt.

>" v?
Sxplendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO RA DA
IMPBRATRIZ N. GO
Acha-sa este glande estabelecimento com-
pletamente sortslo das melhores roupas,
do caicas pautte e coletos e casemira,
ae panno, de brim, de alpaca, e de todas
a mais fazendas que os compradores pos-
tas desojar, assim como na mesma loja
*ea um bella sortimento do 'pannos caaemi-
*as, brins, etc. etc. para se mandar Tazer
al udau a vontade do fregaos, e nao sendo r. 0 ibr.gados a acoeita-Ias, quaado nao stejam ALGtO ENFfSSTADO
*$ $UfcIMAB*
Qaaado a AGUIA BRRNCA, mais precisa scientificar ao respeilavel publico em
geral, e em particular a sua" boa freguezia, da immensidade de objectos que ltimamen-
te tem recebido, justamenle'quando ella menos opodefazer e porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que lh'a attendero e relevaro,
continoando portanto a dirigirem-se a bem conhecida Ir ja da AGUIA BRANCA i na do
Queimado n. 8, onde sempre acborSo abendancia em torlimento de snpcrioVidade em
qualidades, modicidade era presos e o seu nunca desmobttido AGRADO.E S1NCERIDADE
Do que cima fica dito se conheceqaeo tempo de que a AGUIA BRANCA pode
dispr, einpregado apezar de seus custos nodesempenho de bem servir a aquelles que a
honrara procurando prover-seem dita loja do que necess'nam, entretanto sera ennume-
rar os objectos que por sua natareza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
cara aqueles cuja importancia, elegancia e novidade os tornam recommendaveis, como
btm seja :
Corpinhos de cambraia, primorosamente Capailas brancas para meninas,
enfeitados com fitas de setira e obras essas Grandes sortimento de flores finas
cuja novidade de moldo e perfeico de ador-; FHo de seda, preto
U.I.-
PARA SEG 10
POR Pli!. iTOb.:.\ 1JS
RO BAZM DA MODA
Ra Nova n. SO
camisas
simio e algodo e outras muilos artigos
j-JToprios para horneas -e seuhoras promet-
'-^ndo-se-Ihe vender mais barato o que em
rateaqaalquer parte. Na roa da Impera-
ara n. 60, loja e
*a da Silva.
tmicado que se vende por preco muito em
eonta.
Pasos e linho
Chegou um grande sortimento de pecas
na ua impera- & panno-da liubo do Porto que se venden?
a de Fehx Perei-jde 700 rs. at 4,5006 a vara"ranDdS5
que em fazenda de linho nao ba nada me-
Ihor, nem mais proprio para ienedes e toa-
Ihas.
nos os tornara apreciados.
Fitas mui largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito so poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente,
por suas qualidades, coree c desenhos, tal
c o grande e variado sortimento que acaba
de efeegar, mas pirra nao massar o pretee-
donto se Ihe apresentar o <|ue poder de
roedor.
Entremeios em pe^s de I liras.
Guipure branco c pelo de diversas aua-
Hdades e deseabas..
Dilos de algoelao com flfres e lisos.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz c pinsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos pasa abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para bailo.
Novos stereoscoiws com 8 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
Veos de seda pura chapelinas e monta-lum? substnem as outras.
Pechincha a 2$000
Parn 1-enqes.
Na loja do Prro vande-se superior brinianlo
rom 10 palmos do largura, dando a largura o coio-
rirr.ento do iea *ada lencol um e feio, nu u*n e ubi quarto me-
tros ; afm teta aflIknrao Um outras mutas
,iara arranjos de fmifaa e vende se polo barato
jpreqo da 2iO0d o metro. Na loja do Pavo, ra
4a Imperatru n. (50. ;Dc Flix Pereira da Silva.
Gangas de llnlto
Vende-so gangas de linhp com qua lrinlies
-e meninos e vende-se pelo barato preco de
f'f) rs o covado:
'PECHINCFIA EMTANVO PRETO A 2:400.
O Pavao vende superior paauo preto fino,
oara pallitote, calces, collets, etc., pelo ba-
-atissimo preco do :409, o covado, gran-
do pe'hiDcha.
t **i-c de easesaii'a yvca a l.#>
O Pavo vende os superiores cortes e
casemiras pretas enfestadas, pelo barato
proco de 4:500. pechincha.
PAUA-0-CARNAVM.
Teranilea atB-tO rs.
O Pavao veneie bonitas verbatinas de6-
-'es para domines e outros trages de mas-
ctraa pelo baratsimo preco de G40 rs. o
aovado.
PECHINCHA, ALGODOSINHO A 4;000,
O Pavo est vendendo pecas do algo-
losinho fraacez, tendo 4 palmos de largu-
ra com 11 metros cada peca, pelo barato
preco de 4*000.
V*ecns de ucadapolo a 3:5GO.
O Pavao venda pecas de muito bom ma-
lapolao tendo l jardas cada urna pelo ba-
rato preco de 3:500.
GROSDENAPLES PRETOS.
Cbegou para a loja do Pav5o um grande
Oiintenlo de grosdenaples pretos, tendo
-ie iiOOat 5,^00 o covado neste genero
os metoors e ma s largos q?ie tem viudo ao
acercado, assim como bonitas sedas pretas
vftd, noiiv;iriUquesctc., todas csias fa-
:iandas, w>n utra qaalquer parte, por haver grande
porcao.
PERCVLLAS E *CHITAS BARATAS.
O Pavo vende um grande sortimento
das mais bonitas chitas claras e escuras, mais
barato do que em outra qualquer parte.
CiMsas a S40 rs.
Vende-se na loja do Pavao bonitas cas-
ias de cdrestixas a 20, 280 e 300 rs. o
covado.
Cambraia brancas a h090 a prca.
S o Pavao vende pecas de cambraia
.branca transparente, tendo mais de vara de
argnra, com IQ jardas cada peca, fazenda
que serapce se vendeu a 7S00O e 85000,
!qmda-se pelo barato preco de 4/WOO.
Alpaca* brilhaotes a 14, e SO.
O PavSo tem o mais bello sortimento de
alpacas lavradas com as cores mais delica-
<. ante larguaa, vendem-se pelo barato preco
de JjJOOO,. e 800 rs. o covado.
PECfflCHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um grade sortimento dos me-
lhores chapos deso de seda, inglezes ton-
do neste art'go o melhor que tem vmdo ao
mercado assim como urna grande porco de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em outra qualquer parte, por haver
grande pcrc3o.
i.eucos bramos
Vende-se um grande sortknento de len-
cos brancos para Iwmem, sendo a draia a
1-5600,2(5000 e 2000, ditos abanbados
muito gnos a 40 e 000 a duzia, ditos de
es?m'3o fazenda muito superior a S&, 5 e
70000,
Os baldes do Pavao a 2#O0O,
Cheg- u um grande sortimento de baioe
ou creoolinas do foitio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratsimo preco de 20000 ca-
da um grande pecbincha
Fustoes Lraiicos papa vestielos
Chegou um lindo sortimento dos mais ba-
ratos e bonitos fustes brancos com listras
e cordoes, sendo faaenda b^sUnte larga e
flexivel, muito propria para vestidos e rou-
pas de meninos e vendem-se a 640 o ce-
vado.
CRETONBS MATISABOS PARA VESTIDOS
A 640 E 800 6S.
Para a leja do Pavga chegaram os mais
bonitos cr*ones escures mateados,, pro-;
prios para vestidos, roapo chambres etc.
^ue se vendem 800 re. o covado, assim
como a mesma fazenda ra padrees claros
proprios para vestidos e roupas de meni-
nos a 640 o cavado, sendo os padr5es mais
maderuos qne tem vinpo ao mercado.
, m n jiiL mm i
LAAS1NHAS L6TR0SAS A 400 RS. C0-
VABO.
na.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Coslnmes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptizados.
Touquinbas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinlas bordadas para ditos.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidre enfeitados com
pedras.
Ditas de ma4eira envendada cora vispo-
ras e com dminos,
Rollas de borracha para brinqedo de
enancas.
Diversos objectos de porcelana, proprios
para enfeites de mesa e UflfilUVrARA'A fKlSTA
YeKle-se \m menes de 10, 20 e 80 b0
SO' NO
MAZEM ClISUTATirO
N. 23Largo do Ter^o.N. 23.
DE
SIMAO DOS SANTOS 4 C.
Os proprietarios deste bem sortido armaaem de secco e molhades eslo re-r
solvidos a fazere urna grande diminuicao de prefos as suas aercadorias, comofle apro-
xima a es.la e sempre se fazera avahadas comps para o centro e praca oor
isso prevraem ao respeitavel publico em geral, que ande fazer suas despeocas cer-
los de que verso a grande differenga em precos mais do que em outra qualquer parte
e garantiQdo-se as superiores cualidades. """ ";-----
GAZ AMERICANO 905OO a lato, e 440; SBVADWHA* 8A 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 660 rs. o litro. 620 rs. o kilogrammo.
VINHO VERDABGIRO FIGOEIRA 50; FAWNflA DE ARARTA VERDADEIRA
a garrafa, e 4o00 a caada e 800 rs nti- 640 a libra e 14400 o kilogrammo
0' BOLAX^iHA INGLEZA MUITO NOVA a
DEMtDE LISBOA das raeiberes marcas, 400 rs. a libra e 800rs. o kilogrsmmo.
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 20800 e VELLAS DE SPARMACETE 720 rs. o
30200 a caada, 600 e 720 rs. o litro. masso, em caixa ba abatimento.
DEM BRANCO DE LISBOA a 40000.! PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
a caada e 560 agarrafa, e 840 rs. o litro. RANCA, 280, 400e 560 rs. o masso
VINAGRE VERDADSIRO DE LISBOA 30200 e 60500 a groza.
10400,
Coques mitaca" de cabello,
guarnecidos << kilos pnMtes
ultima mod.-i. j duzia a. .
Papel superior do quadrinhos,
em caixas cora 20 cafemos a.
Envelopes porcelana, mulo boa
fazenda o milheiros em caixi-
nhas de 100 .....
Botoes de osso bem puiidos para
calcas, a grosa a. .
Ditos cobertos de superior setim
de todas as cores, a grosa dos
pequeos a 3000,e dos gran-
des a........
Ditos com interc-fsanks photo-
graphias para punhos a duzia
de pares a......
Dilos de osso imitando o marfim
com lettras a duzia. .
Ditos lizos muito boa fazenda a
duzia.......
Abotuaduras para camisa sendo :
2 botoes para os punhos, 3
para abertura e 1 para o col-
larinho brancos, escaiialates,
e pretos a dara ....
Brincos de ores a balo, cousa
mulo chique a duzia de pares.
Lindos frasquinhos un pal ha Jos
com bom extracto para lenco
a duzia.......
Ditos em bonitas caixinhas ca-
da frasco a duzia. .
Tinta para matear roupa, muito
superior cada frasco em sua
caixinha a duzia. .
Livrinlios cora capa de metal
douradoe com bonitas orocoes
para a musa a duzia.
Sabonetes de ainendoas amaa-
gas esppciaiid.de do BAZAR
OA MODA, a duzia .
Lapis pretos de superior qua-
dade, oitvados a grosa 30 e
Escovas finas para dentes a du-
zia a 10600 e.....
Almetes muo bons, brancos e
pretos, a duzia de caixinhas a
Pentes pretos de muito boa qua-
lidade s grandes para alisar
a duzia.......
Ditos amarellos fazenda superior,
para alisar, a duzia. .
Ditos de borracha com costas de
metal para repassar, a duzia.
Dilos enfeitados com contas de
cores a duzia a 40, 50 e. .
Interfsssantes coquincos capri-
chosamente escullidos dentro
com um bom e lindo rosario
a duzia 100, 120 e .
Grande sortimento de miudesas.
Grande sortimento de quinquilleras.
Grande sorlmienlo de perfumaras.
Pagamento reasado i:o mesmo mez da
compra com descont de 10 0/0, ou letra
acceita a seis niezes de praso.
Jos Soaret de Souza & C.
O0OO
640
70500
* 220
40000
50000
80500
30500
80000
10000
80000
60000
60000
70500
20509
40000
30000
20800
20700
10700
20400
60000
Elle um preventivo seguro e corto contri
a calvice,
Elle d e restaura forra e sanidadC a pe Ib-
da cabera,
Elle de prompto fazcessara queda prema-
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lustro abs ca-
bellos,
Elle doma e faz preservar os cabellos em
qualquer forma e posicao que se deseje
n'um estado formoso, liso e macio,
Ele fazereseer os cabellos bastos c com-
pridos,
Elle conserva a pelle e o casco da altea
limpo e livw de toda i gpaeie de caapV
Elle previne os cabellos de se tornar*
brancos.
Elle conserva a caneca n'um estado de fsoj
cura refrigerante c agradavel,
Elle nao demaziadamente oleoso, gordu-
rento ou pegadico,
Elle nao deixa o menor cliciro
davel,
Elle o melhor e o mais nprasivel artigo.
para a boa conservado e in anjo dos ca-
bellos-das senboras,
Elle o unico a'rtigo pveprte para o pen-
teado dos cabellos e barbas dos senho-
res,
Nenhum toucador de senhora se pode con-
siderar como completo sem o
O CABELLO.
Tnico Oriental
o qual preserva, limpa, fortifica e afonnosea
Acha-se a venda nos estal>elecimentos fe
A. Caors, I. da C. Bravo C. P. Maurer
A C, M. Barbosa, Bartholomeu d- C, e en.
todas as principaes lojas de perfumarias
e boticas.
desagra-
oieca a Titmm
No armazem do Campos da ra do Im-
perador n. 28, ha grande porco de ceblas
e linguas seccas que se vende tm grosso e
a retalho por diminuto preco
Um i liiiuua por 240 rs. !!!......
Quando ma libra de carne cusa 1120 ;i
400 rs,. urna lingua por 12 vlntens !.'!.....,
e realmente milita cconttmia domi stica !..
UMA I.INGUA PRDOSK ViNIENS
S no ariiinzein ilo '
Campos.
140000
S o Pavao
Veade-se um grande sortimento das
oais modernas e elegantes Kasinhas para
vestidos, com as cores mais novas que tem
vindo a este mercado, sendo com listriohae
mradinbs que parecem de urna s cor e
Mm tanto lustro que imitam perfeitaraente porco se far' abmento.
200, 240 e 320 re. a garrafa,
10800 e .2*200 a Canad,
AZEITE DOCE DE LISBOA 00 rs. a
garrafa, e a 74 a caada, e 10340 e litro.
MANTEltA INGLEZA FLOR 10400 e
10280 a libra, 30060 e 20780 e
grammo.
DITA FRANCEZA 960, 900 e'^iOrs.
a libra, e 20100, 10980 e 10860 o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a I i
bra, I|20 o kilogrammo,
far abatimento.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 10280, 20500
30500,40500, 50500 a lata o a retalho e 10
a libra.
GOMMA DE MILIIO AMERICANA 400 rs
kilo- masso, e era caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISROA 60
a libra, em ccixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 50500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
Resta a venda um escolhido sortimento de ob
lectos de marcineria, eomo sejam, niobilias de ia-
iarauda,mognoeamarello, obra nacional e estran
eir, de apurado gosio e por pro^o* razoaveis
aa ra eslreita do Rosario n. 32. Nesta mesm
sasa fazem-se com perfeicao todos os irabalhos d<
alliinlia, como sejam, empalhamentos de lastro-
oara canias, cadeiras e sopns.
Anida esl para se vender n si o da ira\cs-
m dos Remedios n. 21, na freaaeih dos A(f c ,-
Jos (no estado em que so acha) : qoem pretender
emenda s!> com seu proprit-tario no s-.l.i.,.|.i da
ra de b. Franrifco n. 10.
PTllha (| l)|lll (le superior qualidaie.e.Tn Meco eratidee ve-
de.fenoarms.zem n. li a ('oinpanh a Pamamba-
cana, caos da assemlila.
ESGRAVOS FGiOOS.
Aviso as auloridad(
e a
No dia 29 de
?s poiciacf
wm t'ODipeir
i
c
De superior qualidade da mui accredits
da fabrica de Bisqnit Dubouch < C, en
cognac urna das que mais agurdente dt
cognac, fornecera para o consummo di
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ra d.
:ommercio n. 32.
rs.
Fariuh de mandioca
Vende-se farinlia de mandioca nova e muito su-
perior, cliegnda ltimamente de Santa Camarina
a bordo do lugre Uargarida, Tundeado defronlc do
trapiche do Exm. Baro do Livramento ; e par
tratar ra do Commerclo n. 17, cscriptorio de
Jaquim Jo Goncalves Beliro.
maio do crreme anno
fugio o escravo Ezeqniel, crioulo de 30 3S
anuos de dad, estatura rotular, refoi--adt
cor bem prela, cabeca redonda, irajava ca
ma azul e calca de cassemira cinzenla:
durante o dia cosluma andar ganliando Lai
ras, ou em armazens dr assmar oc oas ta-
bernas a conversar e a beber; di:raatc .
noiie recolhe-se a teUieirus al.ertos, ou n
netraveis, a casas em co;istiucvao e a ou!
quaesquer lugares, onde se possa abrigar
quem o apprehcnder tenha a hondade de i
condtizia a ra da Aurora n. 26, on na d(
Imperador n, 20, ende ser aralifiVado,
v3c3-iu de eardo
Vende-so merino preto de cordo pro-
ario para calcas, patots e colletes, pelo
aaraUsimo preco de 10000, o covado,
AS POUPELINAS DO PAVO A 500 RS.
Chegarara as mais lindas poupelinas de
Sa cora imitado das poupelinas de seda,
ira fazenda muito leve com as mais lin-
das cores, sendo: verde Bismark, r^xa, azul
:yrio, cnsento, perolla etc, etc, e-vende-se
pelo barassirao preco de 500 rs
BONITAS UASINHAS
9U ANADINAS A 10000 RS. O COVADO.
Chegou para o Pav3o, um grande e va-
riado sortimento desta nova fazenda de 15a
* seda propria para vestidos, com os mais
delicados desenhos e mais modernas cores,
sendo bastante largura que facilita fazer-se
am vestido com poucos covados, pelo bara-
ssirao preijo.de 10000 o covado, por j es-
tarem muito prximos da festa.
. COLCHAS DBFSTAO
Na'lija do PSrvio vende-se nm grande sorttoen-
to de colchas de ustao sendo brancas e de Ores
tas te crok par casas de noiva, assim como
muios daraaiicos de Ia para colchas.
s poupelinas de seda, e vendem-se pelo
oarato prco de 400 rs.
OssetinsdoPavao
Vcnde-ae os mais bonitoa setins de cores
8 mata encorpados proprios para vestidos
tendo de diversas crea.
AOS PALITOTS DO PAVO A 18^ e
2O(J00O.
Vende-ae um bonito sortimento de palito-
ts franceaes seado, sobreeasacadoa e pro-
priamente sobre-caaacos, que se vendem
forrados de alpaca a 18,5000 e forrados de
teda a 20000, pechincha.
FAZENDAS PABA LUTO
Na loja do Pavo.
Enwntra o respeitavel pulico neste estabeleci-
aeuto aro grande aortmento de faiendas preta9,
rao sejam, cassas franeexa e ingleas, chitas
tretas de todas as qualidades, tazende de la de
odas que tem vindo, preprias para loto, como
tejam, laazinhas, alpacas lavradas e lisas, canto,
wmbazinas, merino, etc., qne tudo se vende por
ireoo barato.
VladapolSo francez a 7 000 rs-
Vende-se pecas de madapolo francez
;om 22 metros pelo baratissimo preco de
70000 a peca, pechincha.
Altas novidades em sedas
Chegou um grande sortimeoto das mais
aoderaa^ poupelinas ou gorgures de seda
i buho com. os mais elegantes padroes que
era vindo a este mercado sendo, -muidos e
{raudos,-tanto em cortea para vestidos como
?ara vender em covado, assim como um
aomo sortimeoto das mai bollas sedas
letradas que se vende tudo muito em conta
CERA DE CARNAUBA.
Venda-se urna grande porco de cera de
aroaatta em saccoa. por prego mais barato
lo que em outra qaalqaar: ua loja do
?ava ra da Imperatriz ja 50. De Flix
Pttefca da Silva.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS &
em porco se BELL, 800 rs. a garrafa e 9<5 a duzia.
720 rs. a libra, o i 860 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E HAMBR-

Na fja e armazem do Pbvo ry* da Imperatria n. 60.
ARROZ DO MARANIAO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
3100 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a lihra e 440 rs. o
kilogrammo, e C5O00 a arroba.
CAF EM GRAO G$ e 6J500 a arroba,
200,240 e 260 rs. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo era sacca se far abatimento.
SABAO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LIIARIN E ALETRIA, 360 rs. a librado
10220 o kilogrammo.
BOLACHiNHAS EM LATAS DE DIVER.
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
lhante, combination, Francy-cracynel, rnixed
Britauia. Mdium, Fancy-nionac a, b, c, e
soda a I.J00O e 10400, cada urna lata.
Assim como ha
GUEZA 70 o 6$ a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a frasqueira e ifi o frasco.
QIK1J08 DE DIVERSOS VAPORES,
30000, 20800 e 80OO em caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MI
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 110500 a arroba. B '
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 10000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TO a 10060 rs. a lata.
CHA FINO. GRAUDO E MIDINHO i
30200 e 20800 a libra, e 60100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 20000,
1202QO e 10800, rs. a libra,
em
BRACO
Arha-se fgido o escnvo Francisco, pardo
idade 20 anuos mais ou menos, rom de'eilo em
urna nenia o brar(1, este escravo voio ha pouco
do Sobral, muito ladino, pnculraso da fono
desconfla-se estar neoutado, o que desde se pro-
tocia mnm (|uem o liver feito. GraUfiea-se a
quem o levar ou delle der noticia na ra da Ma-
dre de Deus n. 5', Io andar.
outros muitos gneros, vinho em ancoretas, areitonas
muito novas, passas e figos novos, eharutos de diversas marcas, marmelada feita nelos
melhores conserverros em Lisboa, gela de marmel|o, pcego, ervifhas, em latas or
tuguezas e francezas, \inho verte engarrafado rotalho. peixe em latas, bem 'cmo
pescada, tainha, pargo.-gpraz, lula, corvina-.Nerago, cavalla, sarda e sardinhas de Nan-
les. Canella, cravo, ervarjolpo, cominho, pimenta, grandesmolhos de sebolla 10860.
Finalmente mui tos outros. gneros que enfandonho menciotia*-los.
para a wmntA
3 portas, loja de fer agem
O Kllct i/lTBlta-"Q t> Vende-se no armazem aroarello do Vkeme Fer-
Neste grande entaaelecimento, ha para vender. r6l.r- "l> fronte do arco da Con-
um completo sortinieno de ferragem, o miudezas i cei^i0'em uarricas grahdes
flnaa e gnossas, c.mo sejam bandejas chinezas --------vPMni? a5-------------3----------i----------
quadradas e ovaes,. facas e garfos del 2 be-' vcnuiiat op arrenda-se o engenni
toes, balancoJnteirc. e i/? blaeco; pandlas, cha- S. Gaspar, silo na freguezia de Sarinbiem
Ihairae, ceearollas, frigidairas assadeiras, taato, comarca do Rio Formoso, prximo dn em
de farro eooao.de porcelana, rooinnos para eaf de. harnae f0m mnT, ^a^TaL ,
diversos tamaabas do fabricante W pesos kilo-! oap9ae fo grandes partidos de paol
grammos, tanto de ferro como de Jalao, metros; massaP6 a rda damoenda, mattos mangnei
para medir fijenda tamo de ierro como de lati, i para madeira necstria, bom pasto etr
talitre, breo,barbaiie, enxofre papel marca via- > a tratar na na d'Aurora n. 26 on 'na A,
de,do verfedeiro Feardo, maemaaa para desea-- imnerarlor n 9n
rocar algodao; al/i de outroa arogos de ierra-]imperanor n' au'
gem, mindezas cutliarias Anas, que s com a vii-
ta s vwtflee: na i>t(a diretla a 53 loia de 3 por-
tas de Manoel Benlo de Oliveira Braga* C
Ra do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento enconlra-st
diariamente om variado sortimeuto de bo
linhos para cha, pastis, podins, bollos in-
glezes, p5es de I. presuntos, ditos tm fiam-
bre, superior cha Hysson, preto, e miudi-
nho. Vinhos finos de todas as qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, fructas muito boas, por-
tuguezas e francezas.
Um completo e variado sortimento de
caixinhas de todas os gostos e precos par
mimosear senhoras. estas caixinhas recen-
lemente chegadas de Paris sSo de primora-
do gosto, offeresse-mo-las aosgalanteadme*
-do bello sexo pois nellas acharad nm digno
e seno presente para as donas dos sen;
pasamentos. Tambera os apreciadores da
boa fumaca encontraro charutos dos me-
lhores fabricantes da Baha e de Havana
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, cliristalisados e de
calda, ditos de caja e de outras qoaidades
Nesta casa recebem-se encommendas pars
bailes, casamentes e bapb'sados e qualquer
encommendas avulss, como seja p5o de l
e bollos enfeitados e outros multas couzas
que enfadonho mencionar.
tugip do engenlio Camarai'ihe na freguezia
ne >erinliaem pcromcenles a Gaspar Mauri.-i
Wanderley os esclavos scguiril's Samuel criou-
lo bzixn. groco, nariz chalo, diz fer da jsia por
ler sido c, mprado pequeo, Joio Cabncelo de ida-
de nula c lautos anuos, ps chatos, ventas arre-
stadas, estatura baixa, cor refiada, poaea barba
e esla na pona do queixo, Felippe mulato de i;!a-
de de 16 annos pouco mais on men is, paito, pros-
so, semdefeito algum, levo bixos em pequeo, po-
rm pouco auparece; por isso pede se as autori-
dades policiaes e capitaes do eamp i a ca tura dos
mesmos e lvalos no mesmo engenho hi na rtia
da Moeda n. 5, 2o andar eacriptorio de Manoel Al-
ves Ferreira A L. que serao jtratilirados.
Acha-se fugid;) do engenho FornO da Ual, rni
Olindf, os dous escrawi Vicente e Vidal, o pri-
meiro cabra, baixo, chejw do cuino, tem um ln-
binho era um dos cdf, tem 18 aopos de ida i.
ouco mais ou menos ; e o segando 6 pn lo, leni
0 anno?, pouco mais ou menos, altnra regular
e secco do crpo :. praiifica-se com *09* a uuin,'
pegar o Vicente, e gfojflflO pelo Vidal.
Ausenten sae 30 de j.fifita i Misado, da e.v^
sa de Jos Ignacio, lavrador do
da fregueiia da Escadn' b fljcrav fi i.-,;,.. Ra-
noel Daeta. iiladc de .-irfms. bn; ehi-i. l)
corpo^, arlz chato, hila de dentes. e oHm ni
tantes afogneados, levando eataxa u aerolla de al-
godao da Jtalua e cbapo do baeta iiacdo e j va-
lho. Ha teuipo fogip elle e foi agrlrratm ne.M.i
dade. Qem o capturar IVre-o ao rttefido ei
nho Noruega, on a itlbinb Jos n-ritlra di < fi-
aba no largq.de S. Pedro n. 17 que i*t ^e,.
smente recompensado.
Vende-se urna taberna
- no pateo de S. Jos
0. .)l, nem afreguezada para a trra e com poucos
undos; a tratar na mesma. ^
Aluga-se ricos dminos pretos de 20* al 50
completos costumes de phantasia de 10/ al 40
e vende-se caigas de meia encarnadas e brancas :
rus Bella n. t sobrado.
CEMENTO
O verdadeiro portland. S se venda n>
ma da Madre de Deus n. 2, armazem d
Joo Marirns de Barros.
Refinado
Vende-se a refinaeao da ra Dh*etla n. 2!, bem
afregoezada, vende mais de 40 arrobajde assoear
diariamente, esfa bem montada, e o motrvo.se dir
ao comprador,
Fugionodia 10 do. torrente ti a cdnra Se-
venna, com es signaos seguintes :, ulini., r.^o i.
clieia do corpo, testa eslreita, .:en V
belfos bastante r3xos, ten
esquerda am pouco dnbrad't para a illW.
representa ler 40 ai dos ponco n>.. .:
levou vestido de chita encarnada, rom um .,
de coila com barra azul,; temo nodar i.
eaiD'nado para a'Ireni
occolla em alguma easa, pelo i|'
tra a pessoa qae a tiver em easa,4l)i4:a*<] i (-1.,
gar oh dias deservico :, cog^-se..i*"*tdi'i,i'l-'
capilaa de campo que aMireru-ndaMiVi- l
ra do Sebo n 29, ou 4 ra i
que sera generosamente rPcom i '
Contina a estar fugp,^^crav>
me Jos, idae 40 annos, esla;
a projiorro, pouea barba, !gm raa-
cos TO'ctfbetti, tetti-jamortf boccart- l
lado dlfeito signa! do um arranhn euj
mais ciara que a da pella em c
sarado ha pouco,.levou Chai
camisa de chita'rox eobra b
cas pardas, M oscrav*'/ dtf- &t: M*uel
Vianun. morador no Gravita: quem o
love- roa do Apollo n. 14, q'i
mente recompensado

r >




8
Diario de Pernambuco
Sabbado 19 J Fevereiro de I8?

""-^ r--|
TBIEDADE
m-
O ana* de .18.
(Continttacao)
A ordein que so observa hoje no raecha-
r.ismo oficial, a calma dos nimos pariida-
(, i5o arrefecidos, o progresso material
que tanto so dcsenvoheu, a confianci qne
iodos deposita no espirit de jos-tica e
tolerancia dWailHacin, esplndidamente
inaugurada norisonho 10 de julho de 1808,
jo fados que honrando administrado
[juhlica revelam as tendencias libera
ci\ilisadoras da poca.
II i urna circunstancia que importa con
signar como principal motora dos melhora
tientos moraes e materiaes da provincia no
anuo udo e a que devemos a cordura rio*
i entimentos que animam os partidos politi-
ce* c que vio attestando felizmente nossa
eJucaoo e patriotismo.
K que durante o expaco do auno que in-
"lou as in -.onvenientes alteracoes do feneci-
i:ilismo, sobretudo das primeiras autorida-
des, nao nos atormentaran!, enem a provin-
ch foi por conseguinte escola do aprendisa-
em o conhecimento pratico dos bom.ns e
das cousas.
Inc mteslivelmente o servico. publico
..mo su rcsente das constantes oseillaces
do pessoal dos depositarios do poder,
'jando so o espirito poltico e convenionci-
.15 menos confessaveis as dictam.
Os inconvenientes deste systema se f;iz-m
mais sentir na suprema administraco. A
meaos, qae a necessida le "de urna mudanca
lesituafio as autorise, poucas s3o as cir-
jn-tancias outras que as justicam.
A este respeito, eremos que nossa pro-
iucia a nica, onde o primeiro admin s-
jrador da nova siluaco perdurou.
Raros sao os que entre nos lem atravessa-
do sem interrupeo o prazo de quinze me-
ras, que conta at ao encerrar do anuo de
8t>9 a presidencia do Exm. Sr. Cunha F-
gueiredo Jnior.
Conhece, por isso, a provincia quasi
toira.
No anno Qndo visitou ocularmente as
Krincipaes localidades dos termos do ene
do, P.rto da Folha. Pao de Assucar, Matta
Grande, Coruripe, S. Miguel, Alagoas, Pi-
lar, Atalaia, Santa Luzia, Camaragibe,
Voito de Pedras e Porto Calvo.
Faltam-lhe somente, Impcratriz, Assem-
<;la, Palmeira e Anadia.
Conhecendo assim as necessidades lo-
:aes, sem poder guiar-sc smente por in-
irinaeoes, conhecendo o pessoal quasi todo
ia provincia, est por certo apto para cum-
irtr a verdadeira miss3o de administrador.
A propria experiencia do que ha feito e
bservado deve ser um pharol para pro-
od^r futuro e servir de correccSo ao que
for preciso
Fac unos urna ligeira resenta do estado
da provincia.
IV
f.KTKOSPECTO POLTICO, 1MPBENSA E I ITTE-
RATl'RA DA PROVINCIA.
Na vida poltica, a provincia, como todas
is raais, exerceu pacifica e regularmente o
nporlante direito de representado, ele-
yendo seas deputados quer assembla
geral quer provincial.
O exercicio d'esses actos dt. soberana
onsliiucional, que costumam fazer crise,
te ve lugar no meio de plena ordem, sem
jorrar urna golta de sangoe e commelter-
se urna tropela.
Procedeu-se eleic5o primaria sem que
r, autoridade tivesse occasiiSo de intervir
om torca armada em parte alguma. Por
notivo eleitoral nao se elTectuou prisSo,
aera houve desordem.
Assim correo em toda a provincia o pro-
- esso da eleicSo aos 31 de Janeiro.
Aos i de raarc. > as urnas receberam os
i,uffr;!gios que elevaram representarlo na-
cional os cincos distinctos e experimentados
ilagoanos. que a confianca do partido con-
servador distingui, como horaenagem a
c-eus servicos e tributo an merecimento.
Algumas eleicoes parciaes de vereado-
les e j zes de paz se fizeram sem altera-
clo.
A' 15 de novembro os collegios eleito-
raes se reuniram de novo para a escolna
dos trinta deputados que devem compor
. assembla legislativa provincial no bien-
Oio de 1870-1871.
Alm dessas reunies populares houve
no primeiro districto, e a 22 de fevereiro,
a elcicSo de um depilado provincial da
legislatura que findou em 1869, para
prcenchimento de vaga pela opeo que
pelo 6 districto fez um dos eleitos. 9s
votos recahiram no Dr. Babia da Cunha.
A ventade nacional sanecionou de modo
explendido a mudanca poltica de 16 de
julho de 1868, reclamada imperiosamen-
te polas necessdaies publicas.
A situarlo ficuu, pois. consolidada, con-
liuuandi) a gerir os negocios polticos o ga-
binete do benemrito Sr. Ilaborahy.
Na provincia, nao se lamentou persegui-
fo por m :ivo poltico nem fado que al-
terarse a ordem publica.
Os deplorave acontecimentos de Janei-
ro e fevereiro do 1868, que ensanguen-
laram a comarca da Imperatriz e de qHe
largamente flzemos resenha, no artig de
encerramento d'aquelle anno, ficaram s-
mente pertencendo nistoria da siluacio
que se chamoo progressista.
Nada felizmente revela symptoma que
pe turbar possa, doce traquillidade em
que se acha as Alagas.
Tudo, ao contrario annuncia que esse li-
songeiro estado perduravel.
A injustica, a que se avesaram nossos
adversarios para deprimirem Os actos mais
triviaes da sluaglo actual, oppoz o partido
conservador cssa calma na discusso, essa
tolerancia do governo, esse criterio que fa-
zem o apanagio de sua escola de ordem e
progressoI
A provincia vio deccorrer um anno
mais, sem que podesse fanecionar sua as-
sembla provincial,
As causas lamentaveis, que assignalamos
em nosso artigo de 2 i de dezembro de
1869, relativamente a desorganisaco do
corpo legislativo, que as paixoes partida-
rias abastardaram, contribuiram anda para
esse fado anormal.
Exprimimo-nos, ento, do seguinte modo.
c Do seio da arcialidade liberal, que
fra eleita de accordo com a conservadora,
em situacao anomada, para se fazer alguma
cousa de efficazmente til, provincia, re-
bentou lamentavel dissidencia, que nao s
estragou urna occasio opportuna de revelar
patriotismo e bom senso como despresli-
giou mais urna vez a institoicao constitucio-
nal, esterilisando urna sessao inteira e aca-
bando por se conrassar com aquelles que
vinham de flagellar os partidos de opi-
nio.
As scenas que presenceou a capital, na
sess3o de novembro e dezembro de 1868
n3o deviam, por sua honra, ser mais re-
produzcas.
Si haviamos de continuar a dar assumpto
para discusses pessoaes e atrabilharias,
melhor seria poupar essa experiencia do
dor a provincia, fatigado ja [de tantas de-
clamares sem proveto!
Devendo-se reunir a 3 de marco, o go-
verno julgou prudente addiar para o
da 15.
A 16 leve efectivamente lugar a abertu-
ra da 2a sessSo dossa infeliz legislatura
que foi a 17a da provincia.
0 Exm. Sr. Dr. Jos Bento Janior com-
pareceu o proferio seu relatorio circums-
tanciado, possuido como Se achara dos me-
Ihores sentimentos, que manifestou, para
qua trabalhasse o corpo legislativo e resol-
vesse os graves negocios que lhe estavam
e iam lbe ser affeclos.
Fez tentativa para accordar os grupos
divergentes. Todas as esperancas forara
vans.
A imprensa discuti largamente esses in-
cidentes, em abril e maio.
Como em 1867, nSo funecionou a as-
sembla.
Jeml840 e 1841, em 1856 e
1862 a provincia n3o leve acto legisla-
tivo.
Em vista disso, a, presidencia man-
dou vigorar ao exercicio de 18G91870 a
lei annual de 1868.
Felizmente os grandes interesses pbli-
cos nada soffreram, poique o activo e la-
borioso presidente, assumio a posic3o de
administrador, que deve desenvolver a
prosperidade da provincia que lhe con-
fiada.
A nomalia. pois. da nao reunio da as-
sembla provincial, foi compensada, pelo
patriotismo da administrado, que, n3o
obstante a injustica de alguns adversarios
polticos, marcham e contina desasombra
da, na miss5o que encetou, com o nico
Qtr de ser til s Alagas.
A justica da historia vira depois: os be-
neficios que a nova situaco conservadora
tem derramado sobre nosso torrao natal,
nao poderSo ser esquecidos.
NSo podemos deixar do asmgnaiar
que o anno de 1869 foi om dqs que na
provincia a imprensa esteve mais represen
tada por orjfioa da opnio, tvaliand<
numero de jornaes, que boje neila se edi-
tara.
Para express3o de pensamentos polti-
cos, foi publicado o Liberal, que nasceu
dessa reunilo de Janeiro feita petos diver-
gentes do partido liberal, que lem sua
frente o Sr. conseheiro -Sinimb. A im-
prensa da provincia nunca o reconhecee
como orgo do partido que lem aquella
nome, o qual reunindo-se numerosamente
aos li de marco deliberou n3o acompn-
nhar os dissidentes, continuando a fazer po-
ltica a qae sempre adheriram os verdadei-
ros materiaes. S3o representadi s na im-'
mprensa pelo partido liberal, que regu-
lermente foi destibuido desde o mez de se-
aimbro, tendo frente o antigo chefe e"
undador da opiniSo liberal na provincial
Sr. Dr. Jos Angelo.
Continuou a sahir diariamente a Unido
Liberal (o antigo Progressista), que defen-
de as ideas que diz serem do partido libe
ral, correndo a direccSo p r conta do Sr.
Dr. Marianno. s
Surgi, de pequeo formato, o Demcra-
ta, a cuja testa se acha o Sr. Dr. Eutchio,
e que, apparentemente, como a Unin Li-
beral, mostea advogar os interesses da com-
munhio liberal, to subdividida e rela-
Ihada.
Como cebo das ideas da actual situaco
poltica appareceu na arena jornafistica da
capital, desde marco, o Conservador, que
impresso na typographja do Sr. commen-
"dor Sobral.
A florescente e populosa cidade do Pe-
nedo, chave da riqueza do opulento rio S.
Francisco, den este anno um passo acerta-
do na senda do progresso. as inargens
daquelle misssipc brasileiro, que feralmen-
te se considera preparado para um ventu-
roso pnrvir, se assentou pela primeira vez
urna officina da arte civilisadora do immor-
tal Guttemberg.
A 5 de agosto appareceu no mundo jor-
nalistico o Penedense, em formato cornmnm-
tendo at ao ultimo numero do anno cla-
mado pelos verdadeiros interesses, que se
ligam a prosperidade, nao s das ricas re
gioes banhadas pelo candaloso rio, como
a peculiar da cidade de Penedo, urna das
veteranas povoaces do Brasil, fundada tal-
vez em 1555 porDuarte Coelbo Pereira, o
descubridor do S. Francisco.
Em relacao a poltica, advoga com soli-
citle aquella gazeta os interesses c ideas
do partido conservador.
Como publicaces jornalisticas de lilte-
ratura e recreio foram publicados na capital
o Collegial e Beija-Flor.
A imprensa, pois, da provincia foi repre-
sentada por nove orgos, sendo 7 de opi-
ni5o poltica, Todos sao posteriores, em
data, a este Diario.
A classe typographica, formando j
um ncleo numeroso, se reuni em asso-
ciaco de beneficencia, que fi;ou installada
a 1 de novembro.
FOLHETINI
OS M1RKI10S BE FOLlfiSllS
Das ofllcnas de typographias, que
j conta a provincia, sahiram no anno expi-
rado algumas lucubrarles luteranas e poti-
cas, que s3o entre nos anda ensaios..
Fructo do trabalbo intellectual de jo veos
patricios nossos, revelam por ora tenden-
cia para gosto e estudo a que se appliea
nossa mocidade. Cultivando o talento com
que Ihes dotou a Providencia, podem ser
uteis a trra que Ihes deu o ser e a patria,
que tudo espera da dedicacao e saber de
seus filhos.
Da penna de um Alagoano, to querido
por seus servicos e philantropia< como esti-
mavel por seu amor as lellras e patriotismo,
o Ilustrado Dr. Mello Moraes, residente no
Rio de Janeiro, sahiram recentemente a Ihz
da publicidade, luminosos trabalhos elemen-
tares, que vieram enriquecer a litleratura
patria.
Resultado de estudos e perseverancia, a
grammatica da lingua portugueza ensinada
por meio de quadros analyticos para se
aprender a lingua, um servico relevante
prestado a mocidade estudiosa, pelo incan-
savel historiador alagoano.
Acompaara urna arte potica ensinada
em quadros tambera analyticos ; a milho-
logia pag3a toda emquadro e por ordem al-
phabelica; e a arte da eloquencia ou rhe-
torica, desenvolvida por igual systhema :
todas luctlbraces do mrito e dignas do
acolhimenlo dos entendidos,
, Pedemos acrescentar a esses trabalhos
intolleduaes, ura do Dr. Das de MourV
de 30 de abril, annexo ao relatorio com
que a presidencia da provincia abri a as-
semWa provinjM. Dedicado a estudos
histricos e topographicos da provincia o
Dr. Moura publicou seusapontamentos
sobre assumptos geographicos administra-
tivoscomprehendendo vinle e dous arti-
gos, nos quaes percorreu em traeos ligei-
ros, mas proreilosos a estatistica, os muni-
cipio, cidades, villas e povoaces la pro-
vincia, relacionando suas ras e pracas, tem-
plos e edificios pblicos, illias, lagas, har-
ras, estradas, fazendas, industrias, colonias,
monlanhas, minas, fortalezas, imporlac3o e
exportaeio etc.
Tal, em poneos palavras,a resenha po-
ltica, o deaenvolvimenlo jornHstico e Ilite-
rario da provincia, no correr do anno, sobre
que fazemos esta rpida vista retrospe-
ctiva.
Trataremos agora dos principaes tos ad-
ministrativos, que ella deve a presidencia
que attavessou aquello periodo.
V
ADMW1STRACA0 PROVINCIA!..MF.I.I10RA>
MEMOS PBLICOS.
Os doze mezes decorridos foram de acti-
vidade creadora e benfica em fa?or da pro-
vincia.
Nao se consumi o tenpo na vida de me-
ro expediente, nem a administraco o ali-
mentou com as lulas esteris dos partidos
que s deixar odios e resentimentosr divi-
sos e fadigas.
Presidir urna-provincia, repetimos, nao
o exercer smente adividade poltica, mas
gerir com solicitude e reflexoseus negocios
publicos, estudar suas necessKlades, prove-
las e fazer o ben> possivel.
O procedimento do actual administrador
confirmou nosso )oio, quando no arlige-
sobre o anno de 1868 diziamos que S.
Exc. era por indolo moderado e josticeiro,
filho de um partido qne nao exeree infiuen-
cia poltica sen3o prsdencia e redfexao. ua
adiministracSo, queentio s contavaHresme-
zes, promettia ser fecunda.
No anno de 1869 desenvolveu essa adi.
vidade, esperavamosr applicando-se cora
desvelo a zelar a fortuna publica, destinan-
do-a a beneficios de uiilidade inequvoca, a
regular e servico provincial e dolar as
Alagas de boas insltf&ss e mellK>ramen-
tos.
A capitel de 1 de Janeiro de 187f>,jn5o
a mesnw de guardia no anno anterior
No correr do anno, qe acaba de srgir,
a transforaac3o ser maior.
As duas fregoezias maritimas, Jarafsa e
Macei, ahi-esto para atteslar o netavel
impulso que reeeberam> no sea embelloza-
mento e progresso material.
Lisongeiro como se acboa o oslad dos
cofres pblicos, com o saldo desponive de
500 conto}.a presidencia comprehenden-
do bem o alcance dadisposicSo legislativa
que lhe coaferioa reseWiGon. 493 dfrde
julho de 1W, art. 3% esHadou as obraeoo-
blicas ma-urgentes a-Gapital e realieou
por meio de be n comoinados e garan-
tidores eootratos a eecuc3o das mes-
mas.
No systema abracado, notam-se duas
grandes vafttagens : a empresario neohum
se adiantos dinheiro, e=a todos eltes foi
trancada-a porta para reclamaces e abusos.
Se a capital, tem merecido era gi-aade
parte, a dotado de importantes nwlhora-
mentos, feitos sob a immediata fiscali-
sa?3o do engenheiro e das primeiras, au-
toridades da provkeia^ as localidades nio
tem sido desattendidas no seu justo re-
clamo. Cremos que mais tarde S Exc.
n3o deixar de ceavergir sua sollicitude
para as vas de coramunicaco o pootes,
to necessarias agricultura e commer-
cio, oe alimentam- nossa riquewi Esses
trabamos, porm, demandando de longo
exame e detidos estudos, n3o podiam ser
feitos de chfre e co a desordera, que
tem reinado n'esse ramo de sarvico, de
olorosa experiencia.
S por si oceupa elle um engenheiro,
pois sem o esludo preliminar dos profes-
sionaes um erro emprehender a factura
de estradas e constroeces de- pootes.
O zelo e economa, a prooidade e de-
dicarlo do curioso nSo bastara, para a em-
prezi. A esecucao apparentemente ficar;
boa, mas o-futuro vera sempre comprovar
a necessidode da precedencia dos estudos-
technicos.
lie
POR
Berthet
39.)
(Conlindaco don
IX
Angustias patc-oaes
Digamos gora o que se passava c fora,
era (juanto se davam estes lgubres suc-
cessos no interior da mina de Polignies.
Urna hora antes d'aqaella em que os
operarios deviam retirar-se da mina, vol-
t/a da cidade o Sr. Tan-Best no seu tilbu-
ty, que elle mesmo guiava. Apeiou-se
entrada do pateo, e, depois de haver feito
30 porteiro as precisas recommendac5es re-
lativamente ao tratamento do cavallo, tirou
do cano am pesado sacco de couro, evi-
.lenteraenfe cheio de dinheiro, e. dirigio-se
ara o escriplorio:
Apezar do seu predoso fardo, vmha com
.ipedotristonho e mediUbundo. Passou
pelea empregados inferiores sem mesmo
.orrespimder s suas saadaces e entrou no
compartimento, onde se achavaMayer, an
liga caixa, que goxava de toda a sua con-
fianc.
Mayer, que, em oircumstancias normaes,
ii3o era menos fleugmatico do qne o patro,
ole pode agora deixar de estremecer quan-
do elle appareceu, e o seo olhar dirigio-se
logo pura-a bolsa de coaro. EnUto asso-
nou-lhe om sorriso ao rosto, e, piscando
Oh olhos atravez dos oculos verdes, disse-
Iho com voz que contrastava com a rotua la
corpulencia :.
om que arranjou o que pretenda
Sim, airo, meo charo Mayer, res-
ixuideu Vao-Best, assentando-se e limpan-
do o suor da tesUmas com grande diffi-
culdade I Os irmSos Goerin, nossos ban-
uuiros, esto cada vez mais interesseiros;
ai, emfim, d'esU vez anda poderemos
paar rntoaralmente aos nossos operarios!
- Eqanto me traz abi ?- perguntou
o caixa, mostrando ao mesmo tempo que-
rer avaliar com a vista o conteudo da bolsa.
Quinze mil francos... E esta quan-
tia custou a arrancar aos nossos banqueiros
como se se Ihes arrancasse a alma !
Quinze mili... Todava, senhor,
para saldar boje as contas dos nossos ope-
rarios, carecemos de dezeseis mil quinhen-
tos e tantos francos.
Pois sim. Mas nao tens ainda al-
guns fundos em caixa ?
verdade, porm devo eslar preve-
nido para fazer f.ce a qualquer despeza
eventual. Alm d'isso, proseguio em voz
baixa o senbor ainda n3o tirou para as
suas despezas d'este mez, e indispensavel
que occorra s suas urgencias e s da se-
nbora sua filha.
Nao quero nada este mez replicou
o director.Tenho ainda ama centena de
francos e aquella estimada menina admi-
nistra a casa to econmicamente... O
que importa, antes de tudo, saldar as
contas aos operarios.
Sim! Elles preparam-se para lne
recompensaren! dignamente esses seus bons
desejosl disse Mayer com azedume.
Pois, senbor, continuou elle, baixando a
vozse se realisarem certas circumstancias
que podem preverse, convm estar pre-
vinido com dinheiro.
Nio falles n'isso, Mayer; n3o facas
juizos temerarios Ireplicn o director com
ar sombro. Isso que receias n3o pode
acontecer: os preQi s do carvo nSo podem
deixar de subir brevemente. A encom-
menda das duas mil toneladas para o cami-
nho de ferro de... vai dar-megrande ani-
mado. Ettoa certo de que os m neiros
han de socegar e que n.5o baver interrup-
cao de trabalhos.
NSo se illoda, senhor. Olhe que tai-
vez conviesse tomar certas precaucoes...
A maior parte dos operarios tem recebido
adiaBlamentos, qae eu no faria, se a isso
me n3o visse obrigado pelos seas desejos
bondosos e da senhora soa filha. Pareca-
me, pois, vonveniente que me permittisse
qae no pagamento de hoje eu descoatasse
a todos os seos dbitos, e, n'esse cas a.
"NSo obstante, as obras de facif" execu-
c3o. tem sido mandada fa*er, em alguns
pontos do centro.
Por ordem chronologica apontaremo
os actos da admioistracio que diem res-
peito a construcc3o.de mellioramentos p-
blicos, por conta do saldo da provincia.
Nos mezes de malo, junho, julho e
agosto tiveram lugar os.priacipaes con-
tratos, porque os anteriores foram de es-
tudos, plantas, editaas para a publicidade,
orcamentos e combinaces.
A 1" de maio se firmou contrato novo
para a ponte sobre o riacho Bebedouro.
na elegante povoacao do mesmo nome, a
duas milhas d'esta capital.
Construida sobre moures enfioodos.
e com arcos de afvenaria, com gradea-
raento de ferro pintado a oleo, e em dbus
grandes atierros, muito cima do nivel
actual, para obstar o progresso do pawl
que se forma na confluencia dos riachos
do Beoedouro, a nova ponte, com 501/
palmos de compriraento e 42 de largo
ser nao s digna doeoncornd e prin-
cipal arrabalde da cap'sul, como assegu-
rara durac3o e solidez.
Nos termos da estipnlagao, at o* Io de
maio d'este anno dever estar prwapta.
Este ccntrato modificativo db de 21 de
marco de-1868, que a experiencia fea no-
tar ser defeiluoso. A ndedinisac5o por
parte da provincia apenas da 14:6i3i934.
Em 2"V de nio, mediante contrato
e planta, foi entregne ao zeloso vigario*de
Coruripe a quantia de dous- contos de
ris- para o anxilio d bella matriz, qne
all se reedifica e na qnal a piedade pa-
rocbwa tem despendido j 17 contos do-
ris.
Em 28 de mraio foi contratadla cons-
truec3o'4e um magnifico edificio em-Ja-
ragu para o censurado provincial: A-
lei n. ii de 3) de abril de I85S. art.
Io, anturisou a nfrlir f.iz ir twar-
mazera no porto de Jangjw para deposito
das saccas- de algodBo coi as precisas ao-
eommoda{9es para i/elle- femecionar on-
sefado.
A falta o> om proprio provincial para
aqueile nister deu lugar autorisaciy da
lei n. 42ulho de 1864, art.
10,' para contratar um edificio< aas memo-
re condicesv onde funcctonoo consolado
cona seccaO'de peso e arosaaens de de*
psito. A' provincia pegava aluguel ele-
vado por' um edificio particular-
0> predio aew foi contratado por *S
conloo de ris, e- a execnce da obra con
por conta do dous abitado e probos-
negeeiautes de nossa prac.a.
Pelo contrato, o edificio dave estar con-
cluide dentro do prazo de- & mes>-
d'aqaeWa data.
A' 5 de junlio se contrato urna ponto
de ferro para o embarque- e de&embarquo
era Jfragu, com. 600 pe de compri-
menV)..
Desdo 18S3 a^proviocia oaga-aura pa#
liculapo estipendie-de 50li|iknBiaes pela-
serventa de urna-ponte de madeira tanta*
ao trapiche- Faustino;
A lein. 468 dd- 10 de ^ho de 180-3.
autoriao a factura d'essa ponte, consig.-
nande-W contoe de ris., contratando a
admiaistraco Esperidio eat 2't de marco
de 186\ a constrc?o do urna de ferr*>.
por 401. contos, arto que loi-approvado-
pela 18i-, n. 481 d.i3 de jambo- do mesmo
auno. A presidencia resciadlo- em 29 do
maio do corrento anno esse contrato o
celebro o de qpo se traa,, medanla, a
indemnwaco de 5& contos.
A obra deve ser concluida) no prazo de
ura anno.
km 8 de junho firmoutae o contrato
para os estudos- technicos de urna !inaa
ferre pelo systematranway-r-, quo par-
tindo d'esta cidade v ter a.povoaco Cruz
das.Almas no termo de Asamblea. O-en-
genheiro civil Hugo WilsoB' o emprezao.
Projeclo de grandioso ftaro. o qua fez
assumpto do acto de 8 do junho* um
dos-que deve bot bastante na prosperi-
dade de nossa. provincia.
A tettra da lei n. 428 do 2 de jalho de
t&>4 confere aatorisaco ao governo para
mandar proceder a ess6s estudos, com o
fim de se construir tira* va frrea que
ponha a capital e Jaragu era communica-
cao com o resto da provincia, g^rantindo-
se a compaal^a, que se urgaaisar com
esse fim u quarto. do juro- que lhe
for assegueado pela assembla legislativa
geral.
No mesmo anno a lei n. 430 de 4 de
julho, art. 3o 42 a 43, e art. 6o, manda
applicar para as despeaas eom os referi-
dos estudos a receita especial de 10a / so-
bre o valor correspondente ao aluguel das
casas em qae hoover estabeleciraenlos de
commercio, e a do imposto de 2 / obre
contratos de bens de raz.
Exiatem nao menos de 30 conloa em de-
posito para este fim.
Em cumprimento do contracto com o go-
verno, forara os estudo3 inaugurados solem-
nemente em 11 de novembro, a partir da
povoa?3o do Bebedouro, sendo tomados os
convenientes ngulos da encroziloada das es-
tradas de Ferno-Velbo e Taboleiro Pinto-
O engenheiro que se acha testa dos es-
tudos presentemente o Sr. F. Hermam
von Flataiz.
O trago da Knha frrea, em qae se tem
concordado por ora, pete valle do Jfooda-
h at a Imperalriz.
O estados (devem estar concluidos al
fevereiro prximo.
Em 8 de juidw firmothse contrete
para a construccio de urna ponte de ferro
sobre' o rio Macei, na passagem da ra do
Imperador, que separa a cidade da fregu
zia e bairro de Jaragu.
Esta'ponto que lera sido construida e re-
construida tantas vezes, sit na principal po-
sico .ia capital, entrada nica de todos que
aportara Mueei vai afinal ser nSo s-
mfnte digna donma cidade florescente, sede
do governo provincial, como notavel pela
elegaicia'e solidez da obra. Ter t'4% ps
de comprimentOr Irinta de largara, passeios
la eraes d O*ps de largo (mecHco iogleza).
Pela ponto de madeira actuaPtransitavam,
a despeitc-' de toda as inconvwiiencias e
males que se pre vira a, os pesados wag6es
ia linha feprea; do-Trapiche da Barra, que
precipitaran-- seu estado de ruinas. Pelo
cooJrado, o emprezario se compromette a
itesviar sua'cusur a- referida lin^a frrea.
paseando os trens n'ontro wgar raais adiai-
te do rio 3m diteccao1 rna da Ucea'dc-
.Maeeio.
Existe j a aova peale- des trens aor tr
Ibes- foram desviado.
ASndemnisacio ajustada de 6,503 libras
sterlinas, ou sen equivalente em moedadO
paZr segundo o cambio-e*itente no-poca
do vencimento das prestacSeo. Foi merca-
do o prazo de am anno para a entrega da
nova ponte, que tanto ornar aessa capital.
Em 9 de jaiho f aseignado o con-
tracto -para execasSoj do plan de melhora-
mento -na ladeira de palanno o lagares adj
centes< com calamento de paraBellipipedo.
J est patente ao puWioo bella trano-
formaoo- porque passou a rna de Pallcio,
onde urna adeira a urna especie- de tunee!,
aberto para passagem dostrunos do tram-
wauy de- Jaragu a-Mceioi desfcvam com-
pletamente aquella importante situaco- da
cidade.-
A obra-,, contratada^por Scenlos de rio,
marcha-para sua coaekisae definitiva.
Como- Gomplemeato d'estos memoramen-
tos foi aoceita em 24 de aovsmbro ultimo
a propost do contratante Wilson para des-
viar a fiaba frrea da ra do- commercio e
encammhn-la para o lado da*ra Nova, sem
prejui-fo to leito d'esta, e continuando em.
seguimento ra '.a lioa-Vista^
Em onsequencia d'tto importante edi-
reita ma da Boa-Visia so prolongar atora
praca de Palacio, mediante-peqpena imlem-
nisagao de dois contos da ris, devendo todo
estar puompto no praao de- dons mezes-d'a'
quetla data,
Aos 2t de junho se cofebrou tamfcem o
contracto para outra ponta^ sobre o mesmo
riacho^ na povoaco da 1'cxjo, arrebalde ori-
ental da cidade, com o prazo. de cinco mezes,
para ficar prompta mediante a preslacao
de tt800000 rm.
Em 5 de julho assignoo-se um dos
mais importantes, contrates a beneficio da
capital:; tal, o que se firmn entre o gover-
no e. diversos negedante; ahastados-para o
nivelan^nto, calamento por parallellrpipe-
dosde seguada classe eesgdto da.cidade.
a trabalho do=.nivelamento fra j ejecu-
tado e prosegoe-se no do calamento qae
principiou na ra.do Commercio do lagar
em que esta communica cora a praca de D.
Padro II, ficando logo- ahi ligada a cacada
coma da ladeia.depaAacio, feita,pelo mes-
mo systema or cenia do contratante
Wlson.
( Cwt/M<>vse-Aa.)
caixa rehaveria um par de mil francos, que
nos podem ser bem necessarios.
Nio con ardo n'isso. De que haviam
de viver esses pobre diabos at prxima
quinzena V Em primeiro logar, seria in-
dii*por essa gente mais, o que servira de
afligir minba filha... Mas a proposito :
onde estar ella ? Porque nao ter vmdo
abracar-me ?
O director da mina de Polignies devia
de estar bem seriamente preoecupado para
deixar de correr dez;minutos depois da soa
chegada a asa sem se ter informa lo ainda
da saude de sua filha.
Mayer assegorou-lhe que em lodo o dia
n3o apparecera ella ainda no escriplorio.
E singular I disse Van-Best entre
denles.
E poz-se a procura-la por todas as salas
da habitacao. N3o a encontrando, deseen
ao paleo a informar-se com o porteiro a
respeito d'ella.
Ao regressar ao escriptoro, notou que
bavia grande agilaco as officinas ; sup-
pondo, porera, que se tratava do prximo
pagamento da feria ou da projectda abs-
tenc5o de trabalho, prosegua no seu ca-
minho, quando vio um mineirocomo fato
do trabalho a correr para o escriptoro.
Van-Best, reconhecendo o velho Topnv.
parva.
Ola, tio Topfer, a esta hora abando-
naste os trabalhos ?
Ora, en lhe digo, senhor. S pre-
tenda saber se a menina Amelia e os com-
pan eiros j voltaram.
A minha filha ? Ainda hoje a nao vi
e ando em sua procura... Mas que re-
lacao tem a taa vinda aqui cora ella ?
Ah nao sabia ainda ? Pois acaba
de succeder o quer que seja desagradavel
na mina.
Alguma deagraca ?
Sim, senbor. Estavamos nos no pa
vimento inferior, qaando ouvimos grande
ruido para o lado da antiga explorado.
Foi-se la e vio se que houvera um grande
desmoronamento entrada do talhio da
Virgem Negra
Paciencia! disse o director com ar
resignado-iorei reparar os estragos: see*> N3o posso conver-me ainda. porm ura
mais essas despezas coa. qae eu nio con-
tava... Atada assim, nli sao urgerjes,
visto que para esses lados ninguem vai.
Ora essa -redarguio o velho Top-
fer, cuja fronte se innondava de suor.--
Pois n8o preciso de vez em quando ir ali
rezar boa Virgem ? Alm de que, j
disse, accresce qne depois, quando- eu v-
nha para cima n'um wagn vazio,. ouvimos
um ruido que pareca fazer tremer aterra ;
dizer-se-hia urna, exploso de gaa inflam-
mavel.
E de que lado ?
Ainda do lado da galera da Virgem
Negra e mais prximo do poco de veniiia-
C3o do que do poco grande.
preciso indagar o que foi -. Mas
qaem diabo se aventurou. a ir para esses
sitios ?
Pois que, meu bom senbor, a2o sabe,
ainda lhe nio disseram, ?
Van-Best comecava a impaciente se seria-
mente e dispuaha-sa a interrogar novamen-
te o seu interlocutor, quando outro rainei-
ro, seguido de om grupo de operarios affa-
digadqs, se dirigi para elle. Pela elevada
estatura fcilmente se reconhecia ser Gran
de-Leopoldo.
O adversario de Leoiardo trazia o fado
rasgado e em desalinho; o rosto cheio de
contofoes, mostrava os vestigios da derrota
que soflrera ; mas n'esle momento pareca
esquecer os seus odios e mostrava a mais
sincera affliccao.
Ah I senhor director, disse elle,
choromingando e dirigindo-se a Van Best
que triste acontecimento... T3o inters
santo menina, a bemfeitora de todos os
operarios...% aquella encontadora e bem
fallante Gertrudes... e o pobre Leonardo...
N3o pensem que eu lhe quera mal por
aquelles acontecimentos de hoje entre mim
e elle : tivemos a nossa disputa publica-
mente e declaTo qne topei com am mestre;
mas eu c fallo franco: o mea fel n5o
maior do que o de ama gallioba I Leo-
poldo Bubner conhecido... E o desgra-
Cado Antonio Robin, igaalraente bom ope-
rario, anda que om poaco simplorio I
faetn.. todos morios, esmagados, queuca-
dos I.., Ora, deque servir ter devocoes?
Se verdadeira avirudeda Virgem Negra,
como, que ella os n3o salvou a todo, ou
pelo menos boa menina Amelia ?
Van-Best nao era desutuido de senso.com-
mum, mas tinba urna concepce lenta, e,
como na esta*a preparado para ter conhe-
cimento de ama catastrophe que envolvesse
sua filha, nao comprebendera ainda, bem de
que se tratava; com tudo certas palavras
do Grande-Leopoldo tornavam-se lo ex-
pressvas, qne elle n3o poda, deixar de
comecar a penetrar o fio da bistoria? En-
to fez-se paludo e disse :
Qae diabo ests para abi a dizer ? O
que tora minha filha com tuda isso ?
Pois que,.na la sabia anda ? repli-
cou Grande-Leopoldo, cujos olbos scintil-
laram sinislramente.Mas era a sua filha.
era a Gertrudes, e Leonardo e Antonio que
se achavam todos na galera da Virgem
Negra por occasio do desmoronamento I
Van-Best, agarrando Grande-Leopoldo
pela gola da ja meta e saecudindo-o como
um junco, exclamou furioso :
Dar-se-ha caso que pretendas cacoar
comigo. tratante f Seria possivel que mi-
nha filha descesse l baixo mina ?
E, largando Grande-Leopoldo, comecoa
a tremer vio'enlamente.
O mestre sondador sacudi o falo todo
enxovalhado e proseguio :
NSo lhe concedo o direito de me por
as mSos, mas agora perdo-lhe em attencSo
ao seu estado lastimoso... Porm dga-
me : onde estava o senhor ? Topfer nao
lbe di-se nada ? Nao sabe que soa filha
foi esta manha mina com Gertrudes, An-
tonio Robin e esse franoez chamado Leo-
nardo para fallarem aos mineiros a respeito
do negocio dos salarios, e, depois de faze-
rem o seu discurso, foram rezar Virgam
Negra, e n'essa occasio qoe succedeu a
desgraca, sem que ninguem possa saber
como aqoillo foi ?
Van-Best olhava para todos os crcaras-
tantes como qaem esperava encontrar em
alguro, semblante ama. deuegacao aquellas
terriveis noticias. Todos os empregados
e trabalhadores se acercara do director,,
mas ninguem. contradizia as asserces do
narrador. S. Topfer se propoz. a attenuar
o golpe terrivel que aqoelte pobre pai ac-.
bava de recebar lio desapiadadamente e-
n'esse intuito disse com timidei:
Talvoz as cousas nao. sejam to feias-
como as pintam, e, alm disso, teca se
visto salvaremse mineiros de perigosainda,
maiores.
Vac-liest, que ao principio estivera. como
idiotizado, sabio sbitamente da sua inac-
cae gritou :
-.- Minha fiihak minha querida Amelia,
seca possivel tal catastrophe?.... K for-
ceso ir em sea soccorro. Von, descer
mina ; sigam-me todos. Prohibo, qae se
oceupem d outro quaiquer servico que nao
seja o de concorrer para salvar minha
filha!
E, acompanhado de todos, os operarios,
dingio-se ao poco grande.
sabido jue dedicacao e denodo costu-
mam desenvolver os ra neiros en circums-
tancias idnticas, e por isso tambem ne-
nhum agora quera licar alraz. Graade-
Leopoldo nio se mostrava -menos aprensado
e zeloso do que qualquer dos outros. Cor-
ra ao lado de Vao-Best, dizende com em-
pbase:
Assim qae deve ser : vamos todos!
Ao menos nao se dir qua nos ou-
tros nao fazemos as diligencias. Logo que
se leve conhecimento do caso, pnzemo-nos
ao trabalho, mas ha tanto a fazer! Dez
mil cestos de entulho pelo menos a remo-
ver cousa seria! Se houver algum posto
perigoso, espero que m'o confie, Sr. Van-
3esl. Eu era t3o affeicoado sua excellente
filha e aquella Gertrudes era urna rapariga
t3o engracada t... E ainda que nao fosse
isso faria tudo ao meu alcance para que ao
menos senao suppozesse m vontade minba
por causa de Leonardo. Leopoldo Buhner
franco e dedicado para com os seas ami-
gos.
(floaiauar-ae-aa.)

vj
TtP. 1K) WAIO-gCA i9 CK0H8 R
a
4,1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EU3IOVB81_M9A0XY INGEST_TIME 2013-09-13T22:51:53Z PACKAGE AA00011611_12046
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES