Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12045


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO XLVI. NUMERO 39.
I
t

PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE.
Par Ires meses diantados.................
'or seis dilos idecu...................
J'or um anno idem.....................
'Jada mumero avulso...................
CjSOOO
2^000
320
SEXTA FEIRA 18 BE FEVEREIB8 DE 1870.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
PARA DEITRO E. FOSA DA PROVIHCIA.
Por tres mazes adiantados-
Por seis ditos, idem. .
Por nove ditos idem .
Por unvanno idem *
.
6J750
13(J500
200230
27*000
DIARIO DE PEMAMBIM
Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.
SAO ACSVT'ES:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filbos, no Para ; Goncalves & Pinto, no Maranno ; Joaquim Jos de Oliveira, no Ceaf ; nlpnfo de Lemos Braga, no Aracaty ; Joao Maria Julio Chaves, no Ass ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
Pereira d'Almeida, em Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulco, em Santo Anto; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Francisco Tarares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Martins Afres, na Baha ; e Jos Bibeiro Gasparisho no^Rio de Janeiro.
V
PARTE OFnCIAL.
fSovcrno da provincia.
I
KXPEDIENTK. ASSIGKMM PE.') EXM. Sil. SENADOR FRK-
DERIOO DE ALMEIDA K Al.BI'QUERQl'E, I-I1RSIDENTE
DA PROVINCIA, KM 5 DE JANEIRO DE 1870.
1" seccao.
N. 70.Portara ai Exm 5r. gonor.il comman-
dantafias armas.Mando V. Exc. por om lberda-
o> osreerutas de noines Honriquo Dia* Ja Boa-
s.iri-. FiMis Joc Pereira d<>s Santo?, Joo Pinto
le l.-in c Jlo Podro lo Sascimento, visto terem
sido julgados incapaces do servido do oxercito cm
iiispece) de saiiie, eoin consta, do termo que
v.'io annexo ao seu olIK'io de 4 do corrente sob
n. G.
N. 77.Dita ao inspector do arsenal do mari-
nlia.Constando de aviso da reparlieao da mari
na de 22 de dezembro do anno prximo findo,
tor sido approvada a nomeaco do padre Jos Gre-
gorio da Silv i Carvalbo para exercer iiilcrioa-
inente o lugar de eapellao dcsse arsenal vago polo
fallocimento do padre Primo Fe.iciano Tavares,
assim o cumuiunico a V. S. para seu conheci-
niento. ,
N. 78.Dita ao consulho do compras navaes.
Km vista das ponderacoes contida, no ofllcio do
conselho de compras navaes, de 21 de dezembro
lo auno prximo lindo, e do parecer da contado-
ra do fcizen la. autoriso o mesmo conselho, a pro-
mover a compra dos objectos do material da ar-
mada mencionada va M9 oIBjIo de 20 de novem-
lir do anno prximo pasudo e necessarios para
liroviiiKalufjjo almoxarl'ado do arsenal de uia-
rinha. ^"
2' aselo.
X. 79.Porlaria ao Dr. choto de polica.Fico
inteirndo pelo offlcio de V. S. n. 1818 de 30 do
me* lindo das oceurreucias havidas no termo de
Kx. arabrme refere o delegado respectivo em
offlcio de 28 de novembro ultimo, e constando do
referido ollicio que fura morto pela patrulha, em-
bora cm aelo de resistencia Jos Barbosa Panta-
leao, qoe lazia parte do grupo capitaneado pelo
criminoso Antonio Pereira de Carvalbo, cumpre
que soja instaurado o necessario processo por esse
facto.
X. 80.Dita ao mesmo Com as informacoes
tuntas por copia da contadoria da Ihesourari de
I izenda, a que se refere o respectivo inspector em
"iHcio n. 897 de 30 do mez lindo, respondo ao de
V. S. de 15 do dito mez sob n. 17oo, quanto a pe-
nuria com quo lutam as pracas que compoe o des-
tacamento de guarda nacional de Granito.
N. 81.Dita ao commandante superior da guar-
da nacional de Olinda.Mande V. S. dar ao alie-
res da companliia avulsa de cavallaria n. 1 do mu
uicipio de Olinda, Antonio Luiz Caldas, *a guia de
<|ue trata o arl. 4o do decreto 1130 de li de mar-
eo de 1833 para o municipio desta capital, onde
toin elle ixad > a sua residencia.
N. 82.Dita ao juiz de direito da comarca do
Bio Formoso. Ao seu offlcio de 16 de dezembro
ultimo, respondo dizeudo-llie que com portara de
II do mez lindo foi entregue na admiuislracao do
correio 13 do dito mea, para ser remeltiio a
Vmc. nao s a earteira com "medicamentos horneo-
patneos, como o fluido vaccinieo que Vmc. al-
inde.
N. 63.Deliberacao.O presidente da provincia
attendendo ao que Ihe reqnereu o altera da com-
panhi.'i avulsa o. 1 de cavallaria do municipio de
Olinda, Antonio Luiz Caldas, resol ve que Ihe seja
ilada n niia de qne trata o art. io do decreto n.
1130 de 12 de marro de 1833 para o municipio
desta c ipital onde" tcm elle tixado a sua resi-
iloncia.
N. 84. Dita. O presidente da provincia em
vista do offlcio do chefe de pilicia n. 8 de 3 deste
mez resol ve declarar de nenhum effeito a delibe-
ra cao de 20 de dezembro ultimo que nomeou Joao
le Barrse Silva, pa-a o cargo da subdelegado do
dMricto da (regosla de Gamelleira do termo
do Scrinliaem.
3* seccao.
N. 85. Porlaria ao inspector da thesouraria de
fazenda.Ex peca V. S. sua* ordens a lim do que
por essa Ihcoorana so passe guia de soccorri-
meoto ao allVres do batalhao n. 1G de infantaria
do exercit i Francisco Jos da Silva que tem de se-
guir para a corle no vapor Cruzeiro do Sul que
v; espera do norte.
N. 86.Dita ao mesmo.Constando de aviso da
repartilo da marintia de 22 de dezembro do anno
prximo lindo, ttr sido approvada a nomeacao do
padre Jo< Gregorio da Sil>a Carvalbo para excr-
eer interinamente o lugar de eapellao do arsenal
le marinha vago p- lo fallecimento ao padre Pri.no
Feliciino lavie?, assim o connminico a V. S.
para seu conhecimento.
X. 87.Dita aojinspector da tliesourana pro-
vincial.Em vista da coala junta em duplcala
que me remeen o chefe do policia com offlcio de
3 do corrente sob n. 10, mande V. S. liquidar e
pagar a Laiz Pereira de Mello ou ao seu procura-
dor a quantia de 605000 ou o que juntamente se
' ver proveniente do aluguel de seis mezes venci-
'bcm 31 de dezembro ultimo da casa que serve
lo quartel ao destacamento do districto de Santo
Amaro de Jaboal.o.
X. 88.Dita ao mesmo.Transmiti por copia
a V. S. para sm conhecimento a deliberacao desta
lata pela qual resolv autorisar a companhia de
Bebenbe construir dous cbafarizes um no largo
da Casa Forte e o outro no largo em frente
igreja matriz da freguezia do Puco da Panella me-
diante a prorrgacao de oito mezes de seu previle-
go por cada chafara conforme dispOe o 6o do
art 2 da le provincial n. 46 de 14 de junho de
1837.
N 89.Dita ao chefe interino da reparlieao das
obras publica?.Ministre Vmc. com urgencia as
informacoes exigidas pelo aviso do ministerio da
guerra do lo do mez findo junto por copia, relati-
vamente ao6 ci ncerlos de que precisa o encana-
mento de' gaz do quartel do Hespido oreado por
essa repartico em ollclo n. 338 de 21 do oulubro
ultimo na quantia de i: 1684750.
4' seceo.
N. 9S.Pcrlaria a directora da companhia de
l'.eberibe.Transmiti por copia a Vmc. para seu
eonbecimento e lim conveniente a deliierago desta
lata, pela qual resolv antorisar a companhia de
ffeberibe a construir dous chafarizes, um no lugar
da Casa-Forte, e outro no largo em fronte a igreja
nalriz da freguezia do Poco da Panella, medante
a pmrogacao de 8 mezes de privilegio por cada
ehafariz, comerme dispSe o 6o do art. 2 da lei
provincial n. 46 de 14 de junho de 1837.
N. 93. Dita ao gerente da companhia Pernam-
bucana.0 Sr. gerente da companhia Pernambu-
ana mande dar urna passagem de estado a proa
do primelro vapor quo seguir para o presidio de
Fernando Senhorinoa Maria da Conceico, mu-
liier do entenciado Jos Joaquim de Sanl Anna.
N. 94.Dita aos agentes da companhia lira-ilei-
ra dn paquetes a vapor.Os Srs agentes da com-
panhia Braseira de paquetes manden dar trans-
porto para a corte, por conta do ministerio da
guerra, no vapor Cruzeiro io Sul, que se espera
do nrte, ao alteres do batalhao n. 16 de infantaria
do exercito Francisco Jo* da Silva.
N. 95.Dil3 ao mesmo.Os Sr?. agentes da
i >mpanhia Braseira de paquetes mandem dar
transporte\&n a curte por conta do ministerio da
Jaerra no vapor Cruzeiro do Sul, que se espera
o norte, ao pnoineiro de guerra paraguayo Ro-
ma* Benetez
N. 96, De'i'erac..O presidente da provincia
em vhta do que expoz o Dr. Joaquim Goncalves
Lima, em ofllcio de 4 do corrente, resolve conco-
der-lhe a dispensa que pedio de servir interina-
mente o cargo de director geral da instruccao pu-
blica, durante o impedimento do respectivo pro-
prieiario.
N. 97.Dita.O presidente da provincia resol-
ve designar o conselhero Dr. Francisco de Paula
Baptista para exercer interinamente o cargo de
director geral da instruccao poblica, duranteoim-
pedimento do respectivo propnetario.
N. 98Dita.O presidente da provincia tendo
por deliberacao de 23 de dezembro prximo findo,
e em vista das ponderacoes feitas em reqnermen-
to de 22 daquelle mez pelo contratante da confec-
rao da estati-tiea da pr/tvincia Dr. Jos Joaquim
Tavares Belfnrl, resolvido de conformidade com a
Ia condicao do contrato celebrado em 18 de oulu-
bro de 1867, prorogar por um anno o prazo esta-
belecido na referida condicao, para dar promptos
os trabalhos da mesma eslatstica, continuando em
vigor pelo lempo da prorogacao as condicos do
mencionado contrato entre o governo e o contra-
ante para a confeccao da eslatstica, manda pas-
sar a presento para'conhecimento de quem per-
tencer.
N. 99.Dita.O presente da provincia atten-
dendo ao que reqnereu a professora publjca da
cadeira de instruccao primaria da povoacno de
Barro-Vermelho, Guilhermina Baselissa de Olivei-
ra e Silva, e tendo em vista a informacao do di-
rector geral da instruccao publica de 17 de de-
zembro prximo findo sod n. 383, resolve ceoce-
der-He 3 mezes de licenca com ordenado somente,
para tratar de sua saiide onde Ihe convier.
EXPEDIENTE ASS1G.NADO PELO SR. DR. JOAQUIM COR-
REA DE ARAUJO, SECRETARIO DO GOVERNO, EM O DE
JANEIRO DE 1870.
!. seceo.
N. 100.Offlcio ao Exm. general commandante
das armas.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia declaro a V. Exc, em resposta ao
seu offlcio do 4 do correle sob n. 5, qua ficam
expedidas as convenienles ordens, nao s aos agen-
tes da companhia Braseira de paquetes para da-
rem transporte para a corte no vapor Cruzeiro do
Sul que se espera do norte ao alferes do batalhao
n. 16 de infantaria do exercito Francisco Jos da
Silva, como tambem a thesouraria de fazenda para
passar-lhe guia de soccorriment.
N. 101.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia declaro a V. Exc,
em resposta ao sen offlcio de 4 do corrente sob n.
7, que lica expedida a conveniente ordem para ser
transportado a corte no vapor Cruzeiro do se espera do norte o prisioneiro de guerra para-
guayo Romn Benetez.
2* seccao.
N. 102.Offlcio ao Dr. chefe de polica.De or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia declaro a
V. S. que por deliberacao desta data, em vista do
seu offlcio de 3 do corrente, foi declarada sem
effeito a de 20 de dezembro ultimo que nomeou
Joo de Barros e Silva para o cargo de subdelega-
do do 2 districto da freguezia de Gamelleira do
termo de Sernhaem.
. 103.Dito ao mesmo.S. Exc o Sr. presi-
dente da provincia manda declarar a Y- $ em res-
posta ao seu offlcio do 3 do corrente sofe n. 10, que
a thesouraria provincial tem ordem para pagar a
Luiz Pereira de Mello, ou ao seu procurador, a
quanlia 60000, constante do citado offlcio.
4 seccao.
N. 104.Offlcio aoDr. Joaquim Goncalves Li-
ma.S. Exc. o Sr. presidente da provincia tendo
por deliberacao desta data concedido a dispensa
que V. S. solclou em seu offlcio de 4 do corrente,
de servir interinamente o cargo de director geral
da instruccao publica, assim Ih'o manda commu-
nicar para seu conhecimento.
N. 105.Dito ao conselheiro Dr. Francisco de
Paula Baptista.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia teudo por deliberacao desta dala resolvido
designar V. Exc. para exercer interinamente o
cargo de director geral da instruccao publica, dn
rante o impedimento da respectivo proprietario,
assim Ih'o manda participar para seu conheci-
mento.
N. 106.Dito ao Dr. Joaquim Jos de Campes da
Costa de Medeiros e Albuquerque S. Exc o Sr.
presidente da provincia tendo por deliberacao
desta data resolvido conceder a exrneracao que
V. S. pedio do cargo do regedor do Gymnasio Pro-
vincial, assim o manda communicar para seu co-
nhecimento.
XPED1ENTE ASS1GNAD0 PELO EXM. SR. SENADOR FRE-
DERICO ALMEIDA E ALBUQUERQUE FIIESIDENTE DA
PROVINCIA, EM 7 DE JANEIRO DE 1869.
1' seccao.
N. 108.Portara ao Exm. general commandan-
te das armas.Accuso recebido o ollicio que V.
Exc. me dirigi em 14 do corrente sob n. 29, e em
resposta declaro que approvo a deliberacao que
tomou de mandar incluir no deposito dos reerutas
para perceberem somente a etape, at que sejam
remeltidas as guias e orden do thesouro para o
pagamento das pensoes que lhes foram concedidas,
os invlidos reformados que. obtiveram licenca
para residir nesta provincia, cabo de esquaiira
Domingos Goncalves de Macedo e soldido felippe
Rodrigues de Oliveira, corto deque nesta data levo
ao conhecimento do governo imperial aquella me-
dida.
N. 109.Dita ao mesmo.Transmuto a V. Exc.
para seu conhecimento a inclusa copia do aviso da
reparlieao da guerra de 4 do corrente, declarando
a maneira porque se dve proceder para com o
mancebo addido a companhia de operarios milita-
res do arsenal de guerra desta provincia, de no-
mo Manoel Antonio Ursulino Vieira, que fei julga-
do incapaz do servio.
N. 1 tO.Dita ao director do arsenal de guerra.
Transmiti a V. S. para seu conhecimento a in-
clusa copia do aviso da reparlieao da guerra de
4 do corrente, declarando a. maneira porque se
deve proceder com o mancebo addido a compa-
nhia de operarios militares dosse^trseml de no-
rae Manoel Antonio Ursulino Vieira, que fci julga-
do Incapaz do servico.
2a seccao.
N. 113.Dito ao presidente do supremo tribu-
nal de justica.Levo ao conhecimento de Y. Exc.
que, segundo participen o juiz de direito da co-
marca de Patmares,bicharel Joo Francisco da Silva
Braga, em offlcio de 22 de dezembro ultimo, nessa
data reassumio elle o exerclcio do dito cargo, re-
nunciando o restante da licenca de quinzo das,
que pelo presidente do tribunal da relacao Ihe to-
ra concedida, e que comecara a gosar a 9 do di-
to mez.
N. 114.Dito ao mesmoLtvo ao eonhecmen-
to de V. Exc. que, segundo participen e juiz do
direito da comarca do Rio Formoso, Marcos C >r-
ra da Cmara Tamarindo, em offlcio de 3 deste
mez, no dia 1 entrou elle no geso da licenca do
trila dias que por esta presidencia Ihe foi con-
cedida a 31 do mez Ando.
N. 115.Portara ao Dr. chefe de policia.Nes-
ta data determino ao commandante superior da
guarda nacional do municipio de Santo Antao, que
proceda de conformidade com a lei, contra os in-
dividuos de que trattm o ofBolo de V. S. de 3 do
corrente, o o do delegado de policia do Sanio An-
tao de 27 de dezembro Ando, providenciando des-
de ja para qoe o destacamento daqusllo termo se-
ja commandado por um Inferior de confianca do
delegado.
N. 116.Dita ao mesmo.Respondiendo ao offl-
cio de V. S. de 4 do corrente son n. 18, tenho a
drzer-Hie que por ora no possivel augmentar o
destacamento do termo de Floresta, r^deodo Clle
requisitar para diligencias policiaes dos respecti-
vos ehfes, a torga da guarda nacional que julgar
necessaria.
N. 117.Dita ao mesmo.Inteirado de quanto
V. S. trouxc a raeu conhecimento em offlcio n. 22
de 5 do corrente, tenho a dizer-lhe qoe o destaca-
mento do termo de Po d'Alho deve compor-se de
um inferior e qflinze' pracas, como foi mareado na
tabella de o do novembro de 1868, dispensando-se
o olll.-ial e pracas que Ihe foram addidos por de-
liberacao do delegado supplente daquelle termo,
visto nao dever ser elevado destacamento algum
sem ordem expressa desta presidencia.
N. 118. Dita ao commandante superior da
guarda nacional de Pao d'Alho.Expeca V. S. as
suas ordens para que o destacamento do termo
de Pao d'Alho, seja reduzido ao numero de um in-
ferior e quinze pracas que pela tabella de 5 de
novembro de 1868 foi marcado.
N. 119. Dita ao commandante superior da
guarda nacional de Santo Antao. Mande V. S.
proceder de conformidade cora a lei contra o ofll-
cial e sargento, a que alludem os offlcios, juntos
por copia do chefe de policia de 3 do corren-
te o delegado do termo de Santo Antao de 27 de
dezembro ultimo, providenciando desde logo, para
que passe a ser o destaca melo do dito termo
commandado por um inferior de confianca do ro-
ferido delegado.
N. 120. Dita ao commandante superior da
guarda nacional do Lmoeiro. Constando-me d
ollicio do capitao commandante interino do bata-
lhao 53 achar-se mudado ha mais de seis mezes
para a Parahyba, o alferes da 5* companhia do
mesmo batalhao, Joo Correa de Queiroz ; recom
mendo a V. S. que procoda a respeito do referido
alferes de conformidade cora o decretJ n. 3,535 de
2o de novembro de 1863.
N. 121.Dita ao commandante superior da
guarda nacional de Olinda. Em vista do termo
de inspeccao de sade junio ao seu offlcio de 18
do dezembro prximo lindo, mande V. S. dispon-
sar do servico activo da guarda nacional sob seu
commando superior al a prxima vindoura reu-
nan do respectivo conselho de qualificaco, os
guardas do 9 batalhao de infantaria Aurelano
Rogerio Marcelin >, Genuino Francisco Pedro da
Silva, Joao Francisco da Cruz, Joo Francisco Ri-
beiro, Manoel do Sacramento e Silva, Domicio Ro-
drigues da Silva, Galdino da Trindade Pessa e Li-
berato Prisco Bibeiro, e pelo terapo de tres me-
zes o guarda Manoel Lourenco Jusliniano de Al-
meida.
N. 122. Dita ao commandante superior da
guarda nacional de Tacarat. Expela V. S. as
convenienles ordens, para que ao delegado do ter-
mo de Florala, se preste a forja de guarda nacio-
nal que por elle for requintada para diligencias
policiaes.
N. 123.Dita ao commandante do corpo provi-
sorio de policia.Mande Vmc apresentar ama
nha ao subdelegado do prlmeiro districto da fre-
guezia de Jaboatao, um cabo e quatro pracas do
corpo sob o seu commando, as quaes deverSo alli
estar disposieo do dito subdelegado at o dia
16 do corrente. '
N. 124.Deliberacao.O presidente da provin-
cia em vista do ofllcio do chefe de policia n. 1794
de 24 do mez findo, resolve conseder ao baclia-
rel Francisco Odilon Tavares de Lima, a exonera-
cao por elle pedida do cargo de subdelegado da
freguezia de Santo Antonio nesta cid jde.
N. 1 io Dita. O presidente da provincia con-
formando-so com a proposla do chefe de policia
em offlcio n. 1,794 de 24 do mez findo, resolve
nomear para o cargo de subdelegado da freguezia
de Santo Antonio desta cidade o bacharel Joao Joa-
quim da Fonseca Albuquerque.
N. 126.Dita. O presidente da provincia at-
tendendo ao que Ihe requereu o promotor publico
da comarca de Itamb, bacharel Joaquim Guedes
Correa Gondim, resolve conceder-lbe vinte dias
de licenca com ordenado, na forma da lei-para
tratar de sua saiide nesta capital.
3" seccao.
N. 127.Porlaria ao inspector da thesouraria
provincial.Autoriso V. S. a mandar entregar de
conformidade com a sua informacao de 4 do cor-
rente sob n. 4, o cont de ris votado pelo art. 34
da lei do orcamento vigente para o hospital da
Santa Casa de Misericordia de Goyanna.
4" seccao.
N. 128.Offlcio ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia do Cear.Rogo a V. Exc. a expedico de
suas ordeos para que pelo juiz respectivo seja
enviada a guia do sentenciado Jos Barbosa Bibei-
ro, que se acha cumprindo sentenga no presidio
de Fernando de Xoronha, onde existe urna irregu-
landade que deve ser substituida, constando ter
dito sentenciado sido julgado no termo de S. Ma-
theus.
N. 129.Portara ao director da Faculdade de
Direito do Recifc-- Informe V. Exc. sobre o que
no incluso requerimento pede ao geverno impe-
rial o Dr. Jjs Soares de Azevedo.
N. 130.Dita ao engenheiro fiscal da estrada
de ferro do Recite S. Francisco.Em vista do
auto de pergunla, que procedeu o delegado de
policia do Cabo, e da informacao deste, de 28 de
dezembro | roximo findo, juntos por copia, nada
tem esta presidencia a providenciar com referencia
maieria de seu offlcio de 21 da |uelle mez: o
qne Vmc communicar ao superintendente dessa
estrada, para que, como particular, proceda a tal
respeito, como julgar cunveniente.
X. 131.Dita ao gerente da Companhia Per-
nambucana.O Sr. gerente da Companhia Per-
nambucana mande dar passagem de estado a r,
al o Rio Grande do Norte, no vapor que tem de
seguir para alli no dia 15 do corrente, ao juiz de
direito Dr. Vicente Ferreira Gomes.
N. 132.Deliberacao.O presidente da provin-
cia, attendendo ao que requereu Emilia Candida
de Mello Luna, professora publica da terceira ca
deira da freguezia de S. rt. Pedro Gonfalves do
Recife, e tendo em vista a informacao do director
geral da instruccao publica, de 3 do corrente, sob
n. 1, resolve conceder-lbe i mezes de licenca com
ordenado somente, para tratar de sua sade.
N. 133.Dita.O presidente da provincia, at-
tendendo ao que requereu Manoel Serino de Albu-
querque Maranno, professor publico de instruc-
cao primaria da povoaco do Altinh >, e tendo em
vista a informacao do director geral da instruccao
publica, de 31 de dezembro prximo findo, sob n.
388, resolve conceder-lhe 2 mezes de lisenca com
ordenado si mente para tratar de sua sade.
EXPEDIENTE ASSIGSADO PELO SR. DR. BAS FREDE-
RICO DE ALMEIDA E ALBUQUERQUE, SECRETARIO
INTERINO DO GOVERNO, EM 7 DE JANEIRO DE
1870.
1' seccao.
N. 134.Offlcio ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.De ordem de S. Exc o Sr. pre-
sidente da provincia, declaro a V. Exc. em res-
posta ao seu offlcio desta data, sob n. 35, qne se
inandou fornecer os mil tacos de qoe trata o pe
dido do coronel commandante da fortaleza do
Brum, o qual veio annexo ao seu citado offlcio.
S' seccao.
N. 135.Offlcio ao Dr. ehefe de polica.De
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia trans-
miti a V. S. o titulo junto de nomeacao do bacha-
rel Joo Joaquim da Fonceca e Albuquerque para
o cargo de subdelegado da freguezia de Santo An-
tonio desta cidade, de canformidade com a pro-
posta de V. S. em ofteio n. 1794 de 24 do mez
Ando.
N. 136.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. praai
dente da provincia manda declarar a V. S. que
nesta data expedio ordem ae commandante do cor-
po provisorio de policia para mandar apresentar
ainapha ao subdelegado do 1 districto da fre-
guezia di Jaboatao umjwbo c qualro pracas da-
3ueWcorpo, os quaes devero llcar a disposieo
eosa autordade al o dia i 6 do corrente.
N. 137.Dito ao Dr. Marcos Correa da Cmara
Tamarindo, juiz de direito da comarca do Rio For-
moso.Do ordem do Exm. Sr. presidente da pro-
vwa>ecnso o recebimenio do ollicio do V. S., de
3 do corrento, em que participa ter no da 1- en-
trado no gozo da licenca de 30 das que por deli-
'jeraco de 31 do mez lindo Ihe foi concedida.
N. 138.Dito ao bacharel Joo Francisco da
Silva Braga, juiz de direito da comarca de Palma-
res.De wdeiu do Exm. Sr. presidente da provin-
cia accuso o recebimento do ofllcio de V. S. de 22
do mei findo, era que participa ler reassumdo
nessa data o exercick) de seu carjo, renunciando
o resto da licenca que pelo presidente do tribunal
da relacao Ihe tora concedida.
N. 139. Ofllcio ao inspector da thesouraria de
lazenda.Be ordem do Exm. Sr. presidente da
proviacia cominunico a V. S. para os dovdos fins
que, segundo parripou o juiz de direito da co-
marca do Palmares, bacharel Joo Francisco da
Silva Braga, em ofllcio de 2 do mez Ando, nessa
data reassumio elle o exercicio do seu cargo, re-
nunciando o resto da licenca do 15 dias que pelo
presidite d) tribunal da relacao Ihe foi concedida,
e que MMoJn a gozar era 9 do dito mez.
N. 140.Dito ao mesmo.De orJem de S. Exc
o Sr. presidente da provincia communico a V. S.
para os devidos tins que, segundo particpou o
juiz de direito da comarca do Rio Formoso, ba-
charel Marcos Correa da Cmara Tamarindo, em
offlcio de 3 do corrate, no dia Io entrou ello no
gozo da licenca de 30 dha, que por deliberacao
de 31 de dezembro lindo Ihe foi concedida.
N. 141.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Do ordem do Exm. Sr. presidente da
provincia communico a V..S. para os devidos fins
que nesta dala se expedio ordem ao coronel com-
mandante superior da guarda nacional do munici-
pio de Santo Antao, para que o destacamento do
dito lenno seja commandado por um inferior.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DAPROVINC1A DO DA 13
DE FEVEREIRO.
Cosme Thoraaz d'Aquino.Ao Sr. commandante
do brigue-barca tannrac oom a portara desta
data.
Heiiodoro Fernandos da Cruz.Instrua o sup-
Slicante o seu requerimento com attestado me-
co.
Jos Isidoro Pereira dos Res.Drija-se ao Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Jos Dias da Silva Jnior.Informe o Sr. cora-
mandante superior da guarda nacional dos muni-
cipios de Santo Antao e Encada.
Jos Elias Machado Freir.Dii-sc por ecrlido
b aviso.
Manoel Felippe dos Santos Cruz.Bemottido ao
Sr. Dr. promotor publico da cidade le Olinda para
Sroceder a aceusaco nos termos requeridos dan-
o conta a esta presidencia do resultado do pro-
cesso.
Vicente Ferreira da Rocha.Aguarde o suppli-
eante o resultado das informacoes solicitadas.
Repartidlo da polica
2' seccao.Secretaria da policia de Pernambu-
x, 17 de fevereiro de 1870.
N. 235.Illm. e Exra. Sr.Levo ao conheci-
mento de V. Exc que, segundo consta das parti-
jipacoes recebidas hoje nesta repartico, foram
recolhidos hontem casa de detenco, os segra-
les individuos:
A' ordem do subdelegado do Sanio Antonio, Ve-
rlssimo Jos de Sanl'Anna, jor embriaguez, e Do-
mingos, escravo de Manoel Velloso, por desordem
e ameaca.
A' ordem do de S. Jos, Manoel Valentina Ranos,
para recruia.
A' ordem do da'Bna-Vista, Joo dos Sanios Bar-
ros e Ignacio Jos de Freitas, por uso de armas
prohibidas; e Lydia, escrava de Clorindo.Ferreira
Cato, requerimento deste.
A' ordem do d3 Poco, Alsino, escravo de D. Um-
belina Rosa de Lima Pinho, requerimento
desta.
Por offlcio de lo do correte parlicipou-mo o
delegado de Santo Antao, quo o subdelegado
daquella cidale Ihe commnnicara que em dias
deste mesmo mez no lugar Frexeira daquelle dis-
Ircio, os celebres criminosos de morte, Severioo
Jos Pereira, conhecido por Qaixaba, e Antonio
Barbosa de tal assassinaram com dous tiros
queima-roupa a Izidoro Francisco dos Santos e a
sua mulher, e quo, nao obstante, as degencias
empregadas para a captura denos delinquentes,
nada se pode conseguir.
Deus guarde V. ExcIllm. o Exm. Sr.se-
aador Frederico de Almeida e Albuquerque, pr-
ndenle da provincia. O chefe de policia, Luiz
intonio Fernandes Pinheiro.
PERNAMBCO.
REVISTA DIARIA.
ACTOS OFFIGIAES Por deliberacao de IC do
corrente resolveu S Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia nomear o Dr. Jos Bernardo Galvo Alcofo-
rado, presidente da sociedade benefleenteeze-
sete de Janeiro.
BRUTALIDDE Ante-hontem pir volta das 9
horas da noute, o menor de 7 annos Vicente, fllho
de Joo Germano dos Santos, morad ir ra Im-
perial, foi brutalmente offendido por Claudino de
tal, alli tambem morador, o qnal, para fins libidi-
nosos nao trepidou ante um crime to bominavel
Chamados algnns facultativos, para fazerem ves
loria na crianca, nao se quizeram prestar, aber-
rando assim dos principios de candade que de-
viara estar adstrtctos, porque, os pas da infeliz
creanca sao pobres.
O Sr. los dos Santos Villaca, de quem se fo-
ram valer aquelles pais, chamou ento os Srs.
Drs. Malaqnias e Adrio, que, hontem pela ma-
nha, flzeram a vestora, remettendo-a aps ao
respectivo subdelegado para os lins convenientes.
A offensa foi julgada grave o marcados 30 das
para a cura. O offensor foi preso, e de cror que
seja processado.
VAPOR ARIADXE.-Foi-nos hontem prestado
por obsequio do collega, o Siglo, folha de Monte-
video, trazido por um passageim do Ariadnn, che-
godo ante-hontem, ed'ello extrahimos a sf guite o
nica noticia de inleresse que encontramos.
O general Urquiza convocara toda a guarda
nacional de cavallaria, a qual montar a 15,000
homens, para honrar a entrada do presidente
Sarmiento, que desdo a Conceico at S. Jos
passar por duas lileiras de ginetes. >
ASSASSIXATOS. No lugar Frexeirat, do ter-
mo de Santo Antao, os celebres criminosos Soveri-
no Jos Peroira, conhecido por Quixba, e Antonio
Barbosa de tal, assassinaram com dous tiros a
queima-roupa a Isidoro Francisco dos Sanios e
sua mulher. Os assassinos lograram evadir-se.
THEATRO DB SANTO AXTONIOA falta de
urna casa apropriada para bailes mascarados, e
espectculos dramticos, lyricos et;., que se senta
na cidade do Recite aps o incendio do Santa isa-
bel, acaba de desapparecer em parte com a cons-
trueco do theatro do Santo Antonio na ra da
Florentina, pelo ex-emprezaro dramtico daquelle
ihoatro, o Sr. Antonio Jos Duarte Coimhra, o qual
nada poupou para a devida solidez, elegancia e
conforlavel dos frequentadores.
O edificio tem Memamente 57 palmos de largu-
ra, 125 de fundo e 53 de altura, o que da um
espacoso salo, do qual podam dansar tocada-
mente de 180 a 240 pareaj sem sentir-se maor
calor, por haverera, alm das tres portas do entra-
da, varios oculos as paredes lateracs, c janella
no fondo o frente do edificio.
O salo, que foi pintado pelo hbil artista o Sr.
Chaplain, tem aspecto alegro e sympathco, e pren-
do logo priraoira vista pela bella uniao do gosto
e da smplicidade.
Em fronte do edificio, e dentro da mesma rea
em que se acha elle elevado, o Sr. Duarte Coimbra
preparou um barraco que servir do botequim,
com um grande alpenJre para maior commodo do
publico.
Adentrada ser fcita por um largo e commodo
porto com o competente corredor, ludo coberto,
de forina a nao penetrar o sol ou chuva.
Desejando satisfazer aos amantes do carnaval, o
Sr. Duarte Coimbra resolveu inaugurar a casa com
os bailes mascarados, allm mesmo de ter mais
terapo para fazer preparar os camarotes e outros
accessorios indispensaveis is representaces dra-
mticas, lyricas etc.
Felicitando ao Sr. Duarte Coimbra por ver rea-
usados os seus ardentes desejos, annslamos-lhe
feliz xito e a devida retribuido dat suas vigilias
e cansa eos.
MATRIZ DE JABOATO.-Xo dia 13 do passado
leve lugar nesle templo a bencao de um novo si-
no, adquirido pela meza regedora, e a sua eolio-
cacao no lugar proprio. Segundo nos informam,
rauito tem concorrido a irmandade do Sacramento
para os melhoraraentos maieriaes do etmplo, que
nao deve arrefecer no seu zelo e interesse, aflm de
evitar a ruina da capella-mr, que se acha era
rao estado.
FESTIVIDADE RELIGJOSA.-Domingo (20) so-
r celebrada urna missa solemne, s 8 horas da
manha, na eapella de Santo Amaro das Salinas,
s expensas de algn* devotos de Nossa Senhora
das Angustias.
FREGUEZIA DE S. JOSK.-Moradores desta
freguezia se nos queixam da dependencia que ha
na sahida do Santissimo Viatico sob o pallio, pois
que se exige previa licenca do thesoureiro da ir-
mandade respectiva; praxe essa contraria aos
usos das demais matrizes, onde s aos vigarios
compete a deciso da maior ou menor solemnidade
desse acto. Parece-nos ratoavel que se reforme
essa ordem, pondo-a de acord com as demais
freguezia?.
VAPOR DE REBOQUE.Tendo dado lugar
noticia sobre o abalroamento dos navios brasile-
ros Jurity o Andrade Neves, por informacao de
pessa que nos disse estar bordo do ultimo, pu-
blicamos em seguida urna explicaco da maneira
porque o facto se passou, que nos foi romettida
pelo Sr. gerenta da companhia :
t Srs. redactores da Revista Diaria.Para es-
clarecmento da verdade dos factos lhes rogo de
darem publicidade na sua revista a carta que in-
cluso remetto, pelo que Ihe ser grato quem do
Vmcs., o menor criadoCandido C. U. Alcofo-
rao. >
t Escriptorio da companhia de vapores a rebo-
que, 19 de fevereiro de 1870.
t Sr. Herculano I. R. Pinheiro.Lento no Dia-
rio e Pernambuco de hoje na sua Revista Diaria,
que pelo assodamento do mostr do vapor Cama-
ragibe (Rebocador) so dra abalruamento fazendo-
se avariaa.mutuas entre a escuna Jurity e a bar-
ca Andrade Xeves cm occasio de sihida d'aquel-
la, venho a presenca de V. S. como pratico desta
barra e estando de servico no porto, afim de pe-
dir-lho pir amor a verdade, declarar se o mestre
do vapor foi assodado e so o abalruamento to oc-
casionado por culpa do mesino por m direceo
dada ao Zamaragibe.
Sem mais com que retenha a attenco de V.
S. assgno-me atiento venerador e criado.
Illm. Sr. Candido C. G. Alcotoradp, gerente.
t Em resposta a sua carta, tenho a responder-
ule que achaodo-me a bordo do brigue brasileiro
Feliz Americano que tambem pretenda sabir hon-
tem, vi qoe o vapor de reboque Cama>agibe este-
ve atracado a barca braseira Andrade Seres, que
havia entrado neste dia e achava-se fundeada de-
fronte do caes da Companhia Pernambucana, saf-
fando-se sem soffrer maior avaria, achando-se saf-
io o mencionado vapor, remou avante, e nesta oc-
casio, o hornera que vinna ao lome da escuna
braseira Jurity gunou para a dita barca, do que
resulto estas avarias.
Sou com eslima.De V. S. atiento venerador.
Herculano Jos Rodrigues Pinheiro.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO RECI-
FE.O pessoal existente nos estabelecimentos
cargo da Santa casa no mez de Janeiro, loi o
seguinte :
Hospital Pedro //.Enfermos nacionaes 182, es-
irangeiros 27, mendigos 15, filhos de enfermos
fallecidos 7, empregados 17, serventes e lavadei-
ras 15total 263.
Hospital dos Lazaros.Enfermos 28, emprega-
dos 4, serventes 2total 34.
Hospicio de alienados.Enfermos 82, emprega-
dos 10total 92.
Casa dos expostos.Educandas no estabeleci-
mento 84, meninos em creaco 78, amas externas
78, dem interna 1, empregados 12, servente
1total 254.
Collegio dos orphiios.Educandos 69, emprega-
dos II, serventes 3total 83.
Collegio das orphas. Educandas 132, empre-
gados 12, serventes 4total 148.
Secretaria.Empregados 7, advogados 2, solici-
tadores 2, cobradores 2total 13.
Recapitulando. Enfermos 319, mendigos 15,
educandos 29, meninos em creaco 78, amas ex-
lernas 78, idem interna 1, empregados 79, serven-
tes 25tolal 887.
D'este pessoal 656 pertencem ao patrimonio da
caridade e 231 ao de orphos.
LOTERA.A que se acha venda e a 138', a
beneficio da igreja de Nossa Senhora do Livra-
mento do Rio-Formoso, que corre no da 28 do
corrente.
CEMITERIO PUBLICO.Obtuano do dia 17 do
fevereiro de 1870.
os, Pernambuco, 8 mezes, S. Jos; espasmo.
Antonio da Silva Campos, Portugal, 22 annos,
olteiro apoplexia.
Manoel da Silva Carvalho, Portugal, 50 annos,
solteiro, S. Jos ; espasmo.
i:vpriano, frica, 98 annos, solteiro, S. Jos ;
diarrhea.
Manoel, Pernambuco, 40 annos, casado, S. Jos;
phtysica.
Joaquim Francisco de Paula Estoves Clemente,
Pernambuco, 62 annos, viavo, Varzea; estopor.
CAMARAICIPAL.
SESSAO EXTtUORWNARIA AOS 4 DE FEVE-
REIRO DE 1870.
PRESIDENCIA DO SR. DR. 8O0ZA LEAO.
Presentes os Srs. Dr. Barros Brrelo, Dr. Aqu
no Fonceca, Dr. Pitanga. Dr. Moscoso, Gameiro e
Souza Magalhes, faltando com causa os mais se-
nhores, abrio-se a sesso, e foi lida e approvada
a acta da antecedente.
L-se o seguinte
EXPEDISNTE :
Um offlcio do advogado, remetiendo mais qqa-
tro termos de infraeco s posturas municipaes,
pertencertes a diversos.Que se remella ao pro-
curador.
Outro do administrador do cemilerio publico,
coramunicando que, tendo uns soldados do corpo
de policia, que esio servindo na companhia de
cavallaria, ido no da 27 de Janeiro ultimo acom-
panhar ao enterro do menor Joo, depois une foi
inhumado o referido mnor, ao passarenx pelo lo-
mlo de Bento Jos Ramos de Oliveira, Uram bo-
lr na argolla que prende a pedra gnnde, o que
resulton cahir e faaer-se em pedaeoi Como o
facto toi praticado por gente que perUnee a om
corpo regular, a cmara, levando-o ao conheci-
mento do respectivo commandante, est certa que
nao ficar impune.Qae se oOJcie a presidencia,
remetiendo o offlcio por copia.
Outro do mesmo, informando o requerimento
da irmanladc do Santissimo Sacrameoto da matria
de Santo Antonio, tem a dizer que a dita irman-
dade nao tem mais espaco para edificar catacum-
bas, e que ella querer construir n.ais, tem la-
gar de sobra para Ihe ser concedido Perraittio-
se a licenca de conformidade com a informacao.
Outro do engenheiro eordeadon informando so-
bro a pretenco de D. Janna do Rosario Guima-
res Machado, tem a dizer que o motivo que alle-
ga a supplicintc para nao dar as portas do andar
terreo de sua casa n. 86 da ra Direita a largara
exigida pelas posturas, nao sufflciente, pois que
tomando todas as camellas necessarias n. execu-
eo da obra, nenhum risco de desabamento ha a
receiar.Quanto a abertura da porta no primeir
andar, nada tem que oppr.Indeferida quanto a
primeira parto, e quanto a segunda, concedeu se.
Outro do mesmo, informando sobro o que pade
Jos Jacintho Pavo, declara que nada tem a op-
pr, daudo-se-lhe a competente cordeaeo.Man-
dn -se cordear.
Outro do mesmo, informando o reqaerimento
de Bernardino Pereira Ramos, diz que nada tem a
oppr, dando-se-lhe a com ptente tcordea ci.
nandou-se cordear.
Outro do mesmo, informando sobre o reqaeri-
mento de Jos Ignacio Pereira Rabello, diz quo na-
da se Ihe offerece oppr, dando-so previamente a
cordeacao. Mandouse cordear.
Outro do mesmo, informando sobre o reqoeri-
mento do Dr. Francisco de Assis de Oliveira Ma-
ciel, cumpre-lhe dizer que nada tem a oppr.
Conci-deuse.
Outro do mesmo. informando sobre o requer- .
ment de Manoel Jos Lopes, lem a dizer que ne-
nhum inconveniente ha na concesso pedida peto
supplicanlcPermittio-se a licenca.
Outro do mesmo, informando sobre o que pede
Joao Gervazio de Queiroga, tem a dizer que nao
ha inconveniente no que pede o sapplicanle, col-
locando elle a soleira da noa porta no nivel da
existente.Concedeu se.
Outro do mesmo, informando o requerimento do-
Jos Antonio Bastos, declara que nao ha incon-
veniente na concesso pedida pelo supplicantc
Permitlo-se a licenca.
Outro do mesmo, informando o requerimento
de Jos Bernardino de Freitas, tem a dizer que
nada ha a oppr a pretenco do soppliconte, urna
vez que preceda a cordeacao.Mandou-sed i-
dear.
Outro do me.'mo, informando sobre o requeri-
mento de Albino Jos da Silva, para reedificar sua
casa n. 8 da ra de Hbrtas, declara que nada tem
que oppr, dando-se-lhe a competente cordea-
cao.Mandou-so cordear, sendo o predio todo
reedificado de conformidade com as posturas.
O Sr. Dr. Aquino apresentou o seguinte reque-
rimento, que sendo posto em discusso foi nppro-
vado :
n Requeiro que se consulte o advogado desta
cmara municipal acerca do seguinte:
t l. Se vista do que dispoe o 3 do art. "
t do decreto n. 598 de 14 de setembro do 1850, '
< as cmaras municipaes qUe compete exercer,
< por intermedio de seus flocaes, a polica medica
as boticas, tojas de drogas, mercados, arraa-
zens, o em geral em todos os lugares e estabe-
lecmentos, e casa d'onde possa provir damno x
> sade publica ou se a junta central de hygiene
publica ou aos inspectores de sade publica.
t 2.* Se, competindo a junto central e cspeclo-
res de sade publica, podem as cmaras muni-
t cpaes continuar a exercer essa policia, ao mes-
mo lempo que a junta central e inspectores de
< sade publica.
o 3. Se as cmaras municipaes |todein axercer,
< ao mesmo lempo que a junta central e inspec-
i lores de s,dc, a policia medica, de que se trata
ano 3o do art, 4o do decreto supracitado, de-
x ve-se considerar em vigor o tit. i das posturas
i municipaes de 30 de junno de 1849.Dr. Aqumo
( Fonseca.
Prestaram juramento o fiscal nomeado para a
freguezia de S. Jos, Ernestinu Cavalcante do Al-
buque, e o juiz de paz do 2 anno do 2" districto
da freguezia da Boa-Vista, Francisco Martins Ra-
poso.
Despacharam-se as petcoes:
De Albino Jos da Silva, Cunha & Irmos, Do-
mingos Jos da Costa, Francisco de Assis Oliveira
Maciel, Gomes A Victorino, Joo Francisco do Re-
g Vasconcelos Joaquim Ferreira da Silva, Jos-
Bernardino de Freitas, Jos Ignacio Ferreira Ra-
bello, Joo Joaquim Fonseca de Albuquerque, Joo
da Cunta Magalhes, Jos da Ponte Cordeiro, Jose
Jacinlho Pavo, Manoel Antonio Texeira, Mano I
Antonio Fernandas, Manoel Cypriano Ferreira Ra-
bello, Marcelino Jos Goncalves da Funte, Motta &
Irmos, Pedro Jos Marinho; e levantou-se a
sesso.
Eu, Francisco Canuto da Boaviagem, secretario,
a subscrevi.
Ignacio Joaquim e Souza Ledo, pr-presiden-
te.Dr. Pedro de Athayde Abo Moscoso.Jos
Maria Freir Gameiro.Manoel e Barros Barre-
to.fr. Joo Maria Ser.Dr. Prxedes Gomes e
Souz Pitanga.Flix Francisco e Souza Maga-
lhes.Dr. Joaqnim Aquino Fonceca
PUBUCACOES A PEDIDO,
0 "Liberal" e o corpo de po-
licia.
Os actos dos funecionarios pblicos estao sojei-
tas censuras justas e merecidas. Seriamos, con
razo, reputados insensatos, se quizessemos cou-
te^tar este- direito a opposicao. Ciniestamo-lhe
porm o direito de calumniar imprudentemente os
seus adversarios polticos, como acaba de praticar
no Liberal n. 81 em urna publicacao i pedido, cu-
jo nico Am foi ver se conseguan) lisnar a repu-
tacao dos abaixo assignados.
Em respeito to somonte ao publico, quem de-
vemos satisfaco dos nossos actos, vamos refalar
as calumnias que nos lancou o vil arliguisU do
Liberal, que suppz fazer" de nossas reputaciei
pttisco saboroso ao paladar dos que nao saXem
prezar a propria honra.
Diz o artiguista do Liberal que em setembro do
anno passado parti desta capital um destacamen-
to de pracas do corpo de policia sob o commando
do capitao Andrade e tenente Paes Brrelo (o des-
tacamento levava dous commanantes '.) os qoaa<
levavam o adiantamento de 5 metes de soMo:
que em caminho desertara da villa de Limoenr
no da 4 do outnbfp o soldado da 3" companhia
Matjoc! Pereira Jorda (deve ser ordao): qao a
i
*


2
Diario de Pernambuco Sexta feira 18 de Fevereiro de 1870.


capitao Andrade fox numediatamente a de-vida
cwnraunicaco e declarou flcar era seu poder a
quantia de 182J relativa ao sold d.t dito soldado,
pura ser recluida a ihesooraria, mas que tal na
suceedeu, porque voltanlo esta capital no mez
dd Janeiro teuente Paes Barreno no* lhe pedir-
moi, pata que assrfuasse um offleio comoiuuican,-
ro, aflin de assim ser applicada a quantia do sola
do referido soldado lisa/cie ao ewpo: ^nal-
nenie faz o articnasta eonsjdarasoaa Injuriosas,
so cabiveis dos amigos pdiaradDm deste. rorpo.
O articulista, que certamento leve espirito santo
de orelha. muito.de proposito adulterou os faetos,
para poder satisfaxer o sea desejo de calugiuiar-
uos.
Em de ootubro e nao em setwnbco seguiu
om effeito o capitao Audrade couiaiaadaado um
destacamento para Villa-Bella : em eararabo de-
sertaron as pravas Manoel Pereira. Jordo e Dio
ni>io Gomes da Silva e Antonio ^Francisco Xavier
eorao communicou o dito capitao no offleio de 27
de outubro, abaixo transcripto sub n. I;
Neste oIcj conimunicou o capitao Andrade
<|ve s desertores estavan pago9 de seus sidos
ale 10 de outubro.
An.es do iceebimento do offleio aciraa dito apre-
yeatariin-se noquirtel os soldados Dionisio Go
ines da Silva e Antonio Francisco Xavier, a^and i
terein adoecido era caminho, donde voluram
para o quartel. r '
Nao tendo o commandante recebido ate eniao
parlieipac,o alguina, liraitou-se apenas a eorri-
gi-los dtsciplinaluiente.
No dia do corrente recebeu o primeiro abaixo
issignado, o offleio transcripto sob u. 2, do capitao
Andrade, datado de lo de Janeiro, no qual pedia
que se dosconlassc do sold que se lhe devia. re-
iueUer a quaoa de 130*300 rs. perleoceute a
soldado Jordo. Foi porlader diste oflkio o l-
ente Paes Barretto, conimissiouado para cradu
zir o sold das pracas destacadas em Villa-Bell.
Ao cutregar-se uo dia 4 do crrente o odo do
citado destacamento deicontou-se, na forma pe-
dida po capitao Audrade, a quantia de U9W,
que no inasmo dia fui entregue ao teiurate quartel
nwsU-e Antonio Jos de Souza e Silva para reco-
llwr a etnco corapeteute, como prova o docu-
mento sob n 3. -
Eis o que exacta monte se passou cora re.acao
ao sold do soldado Jordo. Quauto porem a.,
que di o articulista sobre havermo obtido o
teacntePaes Barrolto aassigualura de um ol
k>, era que se declama ter Jordao desertado
ora Janeiro do correle, auno falso. -
.Vi existindo a parte circumstanoiaaa da de-
sorejo deste soldado, e nao desojando o pnraer
do abaixo assignados espacar o conselhe de m
vesligaco, do lente Paes Barretto que na qua-
lidade de iminadalo do coinraandante do desta;;i-
nciito, o era sua ausencia Parte PaIa
dito eenselko. no que concordou o lente l aes
Barretto, re/rindo o tacto como succedido na da-
la em que teve lugar, isto em outubro do anno
passado : reflcclrado porra o primeiro abaixo as
siguaJo. que esto parte do dito lenle poden a
trazer ultlidadc au procedo, inulilisuu-a exiginu
outra do capitao Auitrale, por offleio Je 6 do eor-
rente, copia u. 4. ; k,-..
Disto para o que inventou o artiguis:a do Libe-
ral grande a diflerenca.
Exponte com franqueza e lideiidade ludo quan-
to a respeito oi-eorreu sujetamo-uos tranquillos
ao |uizo Imparcial do publico sensato, entregando
o mais que disso o articulista do liberal ao mere-
cido desurezo.
A redaeco do Liberal sabe perleitaireute que
nenhum dos abaixo assignados se entrega ao vicio
do jugo: e raelhor do que ainguein coahecer deve.
omto esto os vordadeiros devotos do lasquinel
o o, principalmente na fregdczia do Poco da Pa-
nella. At o presento os abaixo assignados igno-
rara que no corpo de palela islam olkiaes
amantes destes jogo, se porm exislem nao forara
(lies uomeadoi pelas autoridades conservadoras.
Pedimos ao Liberal que decline os nom oliciaes.
Nao Goalizarcmos sem declarar que presente-
mente nao ha caixa no curpo de p licia, com em
oitros lempos felizes : que todo o dmaeiro perln-
ceate ao corpo recolidfl a thesouraria provin-
cial, que excrce sobre o eu despendi a uiais se-
vera fise.alisagao, e assim nao pode elle ser petis-
cado, como uutr'orii.
O segundo abaixo assignad tem exercido luga-
res de conlianca na cmara de P.'io d'Alho. como
fosseui os de juiz municipal supp'ente, delegado,
verealor, curador do orphos por o anno?, pro-
motor publico interino por alguns mezo?, juiz de
paz, cen tolos esles lugares nunca se lhe attn-
bui a menor prevaricara.), sendo rospeitado por
seus adversarios, anda Oesrao os mais intoleran-
tes.
Os abaixo a-signados sao horaens pobres, mas
julgam-se com direito a que so Ibes respelic a
honra, iiniei heranca que tem para legar a seus
lillios.
Na. tenein que se disentam os actos de suas
vid h como eiripregados pnhlicos, e desafiam os
.i::. d Liberal para que de viseim levan-
ta l..s.- ilre i >ro:n lealdide e franqueza nesja dis-
cu-sa.
Bwcife, Hi de fevereiro de 1870.
.Interno Feitosa de Mella.
Jos Anastacio Camello Pesswi.
DOCUMENTOS.
.V. 1.
im. S\ Tenlu honra de communicar V.
S.,que no lia Z) do corrente, as 6 horas da ma-
nila i. cheguei nesla villa, e nesso mesmo dia as-
su o o curamand) do destacamento da guarda
nacional ero na ero de vinte pracas, que reuni-
se ai de polica em virtude de ordem do delegado
do termo.
Ontrosim, tendo em mea offleio de 7 participado
a V. S. que em marcha desertaram me os solda-
dos da lerceira companhia Dionizio Gomes da Sil-
va e M:>nnp| Pereira Jordo, assim como nin ontro
do destara uento de Salgneiro, o na duvida qne o
tneu offleio lhe fosse entregue, de novo o faco,
afim de que lenha V. S. scieucia que os dous sol-
dados da terceira companhia foram pagos da data
de 10 do corrente, armado?, equipados e municia-
to at ultimo de Janeiro de 1870, e V. S. ordenar
o qne entender.
Deas guarde V. S. Quartel do eommaudo do
destacamento de Villa Bella, 7 de outubro de
18G9.Illin Sr. major Antonio Feitosa de Mello,
digne (isca! do corpo provisorio de polica.Anto-
nio Jet de Andrade, capitao.
N.2.
lllin. Sr.Com este apresentar-se-ha V. S. o
tente fuao Francisco Paes Brrelo, por mm au-
toristda (se V. S. assim apprqvar) a receber os
vencimentos para pagam-'Uto das praqas do des -
tac.iraento de mea colimando, bem como os meqs
a ootar do 1* de fevereiro ao ultimo de maio do
enrenle anno.
Pelo referido lente ser apresentado V. S. o
soldad > desertor da quinta ccftnpanhia Manoel
Ffttncisoo da Silva, qne aqu se apresenlou a 8p
do outubro do anno mido, ao qual adiantei a con-
tar d'aquella data a 31 do corrente mez a quantia
de oioOO rs., nja quantia f)i tirada dos 184*800
is. pertencente s, pracas da terceira companhia
Dtanizio Perrelra das Chaeas n M,anoel Pereira
Jordo, retaco inclusa, e poder V. S. mandar que a re-
ferida terceira companhia abala ha importancia
qne ti ver d-> remetter-me.
Uatrosi.*, laatbM-V. S. nara.ataadat mo mais
duas piagas cui substituido ao duas queoflJ mar-
chapara aquilesfl'tarin, seaeka julgar. conve-
niente.
Aproveito a opportunidadq para ;c:entillcar
V. S. os mena sinceros votos de copsiderac b
ann'iale, e diier-lhe que lodo aestacamento vai.
indo sem a menor novidad.
Deas guarde V.'S. Quartel do commando do
destacamento da Villa Bella, 15 de Janeiro de
1870. Illm. Sr. raajor Antonio Feitosa de Mellq,
Jignlsimo fiscal do corpo provsori) do policja.
Antonio Jos de Andrado, capitao.
Illm. Sr. tenante quartol-mestre Antonio Jos
i e Silva.Pe^o V. a. qaf) rae daciarc ao
, d'esta, com a verdade, ciu que 4, mez e anno
l'oi por mira entregue V. S. a quantia de.......
IW900, quantia_e.su pertencente aooidalo a-
l'eroiraJorda*, para ser ella recoihiia aade
i- do'oiti lhe tocasse, o Uto por ter desertado
oblado em marcha para o deslacaaieato
Bella do auno prxima nado, tendo levado
Malo comsigo a data do Io de outufero a 10,
lie.' i oara reeeb,er de 4V e quode.ixuu "
.la*a mi* '^aj^t
ueut). .pade,permif
sposta, para o qu rae -coBVier.
aliento, venerador
lajfo Passoa, capitao
da:; Quartel, 14 de fove-
Illm. Sr. capillo Joao Anastacio.Em resposta 4
presente carta em que V. S. me pede que lhe de-
clare o dia em qne recebi a quantia de 119*900
rs., lenho a dizer que foi no dia 4 do corrente mez.
E podo V. S. faier o us que lhe convier de minha
respusta/
Quartel do corpo provisorio da polica, 14 \3
fevereiro de 1870.De V. S. attentp venerador,
Antonio Jos de Soiua e Silva, lente quartel-
iartre.
(Eslava reconheeido.)
N.4.
Ulm. Sr.Queira V. 8. mandar-me com presteza
a parte accusaioria da daserco do soldado da ter-
ceira companhia Manoel Pereira Jordao, o qual de-
sertara era marcha do destacamento que commin-
dava V. S. para destocar em Villa Bea no mez de
outubro do auno prximopassado.
Deus guarde V. S. Qaarlel do corpo proviso-
rio de polica, 6 de fevereiro de 1870 Wm. Sr.
capio Antonio Jos de Andrade, dignissirao com
mandante do destacamento de Villa BeUa.Anto-
nio Feilosa de Mello, major fiscal.
Pharmacia Central, roa do Im-
perador n. 38.
Sabotietes d'alcatro de Antonio Neves
de Castr >,
Sapnriores saboneles fraocezes d'alcatro
enchufa1, camphura o de acido prusi.co.
Alguns destes saboneles alero m sua
virtude medicinal, podem taaabem ser usa-
dos em toillets, e o de acido pruspico de
urna incontestavel uttlidade por combaler
as campas, panos, sarnas, ou qua-squer
manchas da pelle. (6
a Antonio
COMMERCIO.
PttACA DO HECIFB 17 DK FEVEREIRO
DE 1870.
AS 3 l/S HORAS OA TASDB
Assucar bruto americano 2*930 rs. por 15 kil.
Algodo 1* sorte 1*007 rs. por kil.
Algoao sem iaspeccao'.'87 rs. por kil.
apoto sotire Loodres 90 d)v. 20 3i8 (boje).
Dito sobro dito 00 d|v. 20 l|l (honlem),
Cambio sobre Marselha470 rs por franco
tem o hoja). P
Goncallo Jos Alfonso,
Presidenlt.
Mesquita Janror,
Secretario.
(hon-
ENGLISH BANK
)f Kio de Janeiro Limited
Deseo ita lettras da praca taxa a con-
'encionar.
Recebe dinbeiro em conta corrente hia
lraso flxo.
Saca vista ou a praso sobre as cidades
jrlncipaes da Europa, tem correspondentes
a Bahia, Buenos-Ayres, Montevideo,, New-
a New-Orleans, e emitte cartas de crdito,
para os mesmos lugares.
UA DO GOMMRCIO N. 36-
Sociedade bancaria
era couiiuaailila
Iheodoro Srmo/i fy C,
Compram e veudem por conta pro
jria metaes, nioedas nacionaes, e estran-
^eiras, letras de cambio, sedulas do go-
'erno e do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e outros ti
;ulos commerciaes.
Encarregam-se por conta alnoia das mes-
uas transaccoes, da cobranca de letras da
erra e de coiros ttulos commerciaes.
Regeb'-m quaerquer quaaiias em depo-
>ito, em coala corrate, e a prazo xo.
I^argo do Pelotirinho n. 7
Caixa Filial do Banco do Brasil
em Pernambuco, em liqui-
daqao, 7 de fevereiro de
1870.
Por ordem da diretoria do Banco do Bra-
il se faz publico que no praso de trinta dias
a contar da presente data ser3o levados
leilo os ttulos em liquidado e mais divi-
las constantes da relacio que existe na
aoesma caixa aonde poder ser examinadas
pelos preendentes.
ALFANDEGa.
itendimenlododial a 16. o:l87671
(dem do dia 17 ...... 39:418i6'7
1 dita e i barrica rame e miudezas
J. da Costa e Silva.
2 ditoH chrvstaes a Jos Monleiro de Siquei-
-
i dita lpulo ; a 11. Leidon k C.
88 bifis e 50 mios manteiga ; a Pereira
GapeirudcC. *
14 caicas tapetes, calcado, chapeos e tecidos di-
versos ; a Silva & (^jrdiai^
9 ditas moris c quinqulhariai ; a Vianna &
Guiinarnea.
9 ditan chapaos, niOTeis, marraores, crystaes e
porcelana*; a J. Clrrre.
2 ditaj pianos ; a 1L Vogeley.
14 barricas porcelana ; a J. Antn Pereira &
Sobrinho.
15 barris e30 meios manteiga ; a Guiraares &
Aleoforado.
20 barris dita, 200 gigo* batata* ; a Tasso lr-
mos.
7 harneas o 18 caixas drogas ; a M. Alves Bar-
bosa.
ditas perfumaras e vidros, a D. Anas Metra
Hollanda (Parahyba).
1 di>a tonca ; a Estevaoda Canha Mtdeiros.
11 ditas drogas ; a F. F. Borges. _.,
6 ditas e 4 barricas ditas e vidros vlsu-
rer*C ., *
2 dilns, 1 fardo e 13 caixas drogas ; a Bartho-
lomcu ii C.
6 ditas, 2 barricas ditas, 1 barril vlnho ; a A.
Caors.
8 caixas tecidos de la e de algodo ; a Scha-
fhetlw A G. ^
4 barris manteiga ; f Corga Irraos.
20 ditos 20 meios dita ; a Lima, Silva & U.
14 barricas e 32 oaxas arcoes, raarroquins,
calcado, porcelana, vidros, drogas e quinquilba-
rias ; & B-rnel.
10 barris e 10 meios manteiga; a J. J. Al-
ves.
7 ditas chapeos; a Manoel Morera de Souia.
6 ditas ditas e drogas ; a Ferreira A Jlatheas.
23 ditas tecidos de linho e de. la, chapees : a
Cunha & C.
5 ditas chapeos; a Costa limaos A C.
9 ditas miudezas, calcado, espeletas.o cutHa-
rw, papel e perfumaras ; a Jos Luiz Goncalves
Ferreira A C.
18 ditas marroquins, calr-ado e miudezas ; a
Joaqnira A. de Araojo A C.
5 drtas tecidos de la, de linho e de algodo ; a
Carneiro A Nogueira.
4 dila perfumara ; a Cmara & Guiraares.
6 ditas forragens ; a Otto Bohres.
14 ditas chapeos o tecidos diversos ; a Kellr
A C.
3 ditos miudezas, 2o Larris e 30 meios mantei-
ga ; a Jiaquim Lopes Machado A C.
25 barris a KJ mekM manteiga, 200 gigos bata-
tas, 50 caixas safiaaai ; a F. Alves Monteiro Jj-
nior.
5 ditas chapeos e calcado ; a Henrique A Aze-
vedo.
3 ditas crystaes ; a A. Roberto A Filhos.
5 ditas agua de Wicltv; a Manoel Jos dos San-
tos.
1 dila calcado ; a Mendos, Lobo A C.
3 ditas morroqulns e movis ; a A. D. Carneiro
Vianna A C.
6 ditas chapeos de sol; % Manoel A C
1 dita cadeiras para piano ; a G.' Wer'.hoi-
mer. ,
13 ditas papel e cigarros ; a loaquim Bernardo
do? Res. #
6 ditas quinqnlharias, %i barris e 50 meios
manteiga; a Isidoro, Bastos A C.
1 barril vinho ; a B. Norat (Parahyba).
2 ditos drogas ; a Vleuron A C.
200 gigos batatas ; a J. M. Palmeira. *
4 barricas porcelana ; a Duarte Pereira A C.
. 6 caixas objectos para escriptorio ; a Lailliacar
* c-
1 dila escovas ; a J. Marlinho da Cruz Gdrrea
A C.
1 dita furragens ; a Ferreira Guiraares A C.
1 dito papel, 30 ditas sardinhas, LOO dita gpho,
130 barris e 15 meios manteiga ; a C. A. Sodr
da Motta A C.
22 caixas chapeos, calcado, marroquins, lin-
dezas, esp letas e tecidos de algodo ; a D. 1'.
Wild.
i dita ditos de la ; a Linden, Weydman A C
17 ditas ditos de algodo, chapeos, mallas, miu
dezas e calcado ; a Montoiro A Irmo.
18 ditas miudezas, perfumaras, drogas, malla?,
movis, eraixa, forragens e crystaes ; a J. da Ro-
" C.
Herdeiros de Antonio Jos do Es-
pirito Santo Barata...........
Francisco de Miranda Leal Seve..
Herdeiros de Simplicio Ferreira
Ooelho.....................
Bacherel Gabriel Soares Raposo
da Cmara..................
Marcelino de Sonza Ribeiro......
D. anua Mara Muniz...........
Antonio de Souza e Silva........
Jos Eustaquio Velloso da Silveira
Jos Pinto da Costa............
Joo do Deus Morera de Carvaiho
Joo Pinto de Lemos Jnior.....
rrerdeiros de Antonio Mala Corte*
as Lourenco da 8ilva.........
Herdeiros de D. Isabel da Silveira
Miranda Seve................
Manoel Antonio Ribeiro, por Si-
meao Correia Cavalcante Ma-
carabjra.....................
Henriqueta Ferreira Lopes, da Sil-
ta, por Joo Kremer.........
Jos Jacome Tasso...........*
Andr de Abreu Porto..........
11 inralo Honorio Ribeiro Granja.
Jos Ribeiro de Brito...........
O'mesrao.....................
Dr. Jos de Mend >ni;a Reg Barros
Jos Gomes da Silveira.........
Joo Mariano da Rocha Palco..
Flix Pereira de Araujo........
Antonio do Paula e Mello........
Lourenco Luiz das Neves........
Irmandade de S. Benedicto de
Olinda.....................
Convento de N. S do Carmo de
Olinia......................
Viscondessa de Goyanna........
A mesma.....................
A mesma.....................
A mesa....................,.
A mesma......................
Jos da Fonseca Silva..........
Francisco Gcngalves Netto.......
Joo di Cnnha Wanderley.....
JoSo Pinto de Lemos Jnior.....
Luiz Alves Villcla hoje cnsul
poxtuguez..................
Joaqnim Luiz Vieira............
Jos Caetano de Carvaiho.......
Rabo Schametteau A C..........
Estevo Jos da Motta e Ignacio
Ferreira da Costa............
Joaquim Manoel Ferreira de Souza
e outros....................
Joo Baptista de Barros Machado.
Administrador da raassa fallida de
Pedro da Silva Reg..........
Raimo Ferreira da Silva........
Antonio do Faria Brando Cordei-
ro e seus Dadores............
Monteiro Filho A C............
Adminostradores da raassa fallida
de Seve Filh.03 A C...........
Jeronymo Jos Figueira de Mello
e Manoel Lourenco de Souza..
Administradores da niassa fallida
de Pedro da Silva Reg.......
Os mesmos....................
Sonthall Mellors A C. boje Kilson
G. Fennely..................
Francisco Pereira Castello Banco.
Minoel Ignacio Ferreira, capitao
do brigue nacional Luiza....
Viuva de Amaro Antonio de Faria
Arcenio Carneiro da Cunha Mi-
randa ......................
Henrique de Miranda HeBriques.
Jos d' Aniorim Lima..........
Herdeiros do Dr. Antonio Vicente
do Xascimento Feitosa........
Os mesmos....................
188
4290
117
384*767
25*325
61
241000
457*996
79
828
3*335
#593
383
24*000
ntm
.".5*576
264d084
40*660
2341796
41#741
1381829
53*750
23*346
1*111
066
iravajamento do primeiro andar e do tollo ocien-1
te re empregaro travs de qnalldade, tendo cada |
urna 12 polegadas qoadradas de grossori, e o*
respectivos soallios sero cou-troidos de. ama relio
on louro. As oseada* sero de amarello. O prl
meiro andar deveri flcar em salo, e a solea ser
repartida da maneira que for determinada pela
jinta casa. Os rebocos exteriores sero guarne-
cidos de caUnaaca. O contratante poiUr apro-
veitar as aban, caibros, enchakeL, soalhos e
travs, qaa se aeharem em. perfelm estajo a juizo
dos Srs. mor domo* dos predios. Todo o material
de Terrajaos ser fornecido pele ontrataote,
cujo caago tirar lambeta a caiaco.
Os pretendenti deverao aprentar as anas pro-
postas em cartas techadas na secretaria at o dia
24 do corrente.
Secretarla da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 12 de fevereiro de 1870.
0 escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
3360
*360
#480
480
480
100*000
200S000
1005000
24*000
24*000
150*000
100*800
100*000
41*055
136*792
20*508
1.420*000
165*094
35*986
81*581
640*000
33*462
1:220*000
400*000
200*000
33*642
67*900
5155
*070
*I30
1*297
*328
#329
7:275*519
Rccebedoria de Pernambuco, 16 de fevereiro de
1870.
O escrivo,
Jos Felipe Nery da Silva.
O aibnini.-trador da recebedori de rendas
internas geraes avisa aos devedoros de dizima de
chancellarla averbada, constante da rolaco abaixo
transcripta e assigoada pelo escrivo desta recebe
doria,e cujas cansas foram dilinitivamente julgadas,
qao devein vir pagar a referida dizima no praso
, do 30 dias, contados da di publicacao deste ; lin-
593:606*318
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
/oluinea entrados com fazendas
dem dem com gneros
v*olnmessahidos com fazendas
dem dem com gneros
67
348
- 415
62
425
487
Descarregam hoje 18 de fevereiro.
Barca inglezaBrilhantemercadorias.
Patacho inglezAlavelalarinba do trigo.
Patacho inglez Eltne Berniad-111.
Brigue norueguonseSlstptrndem.
Patacho americano Lizzci 11. Kimball varios
gneros.
Patacho portaguezMartaidem.
Barca franeezaAdelleidtm.
Patacho araericano Jasm Cltrystal farinba de
trigo.
Importa*; ao.
Barca franeeza .oelk, vidaa do Havre, eon-
signada a Tisset freres, manisfestou :
15 caixas chapeos deso, tecidos de linho, de al-
godo ; a Joo Fern andes Lopes.
2 ditas bombas e pertences ; a Antonio dos San-
tos Oliveira.
12 ditas papol, calcado, movis, porcelana e vi-
dros ; a Bonrgad A Paria.
11 ditas formas e tapidos diversos; a II. Wil-
mer.
2 ditas papel : a Jos L. Bourgard.
4 ditas livros ; a Joo Walfredo de Medeiro?.
1 dita ditos ; a Nogueira A Mederos.
26 ditas sardinaas e chapeos; a H Oelllt A
4 fardos estopa, 5 barris manteiga ; a J. J. Gon-
calves Beltro.
3 caixas miudezas e calcado ; a J. de Almeida
AC.
1 dita calcado ; a-Porto A Bastos.
9 ditas armas, papel e pentes ; a Letimann fr-
res.
2 ditas ditas ; a Manoel Ferreira Pinto.
1 dita chapeos a J. J. Barbosa da Silva.
18 ditas ditos ; a Christiani Irmos.
10 ditas miudezas: a Eduardo da Moraes A C.
300 gigos batatas, 490 barris e 760 meios man-
teiga ; dos consignatarios.
1,cauta viubo ; a P*ul OWerraan.
f dita arc*s; a' C Pinto de Lepaos A C.
4 illas pape|; a Jos Carnoso Ayres
1 dita pentes ; Maturina B. de Mello.
66 ditas papel c sardinhas ; a A.L. de Oliveira
Azevedo A C.
4 ditas tecidos de algodo : a F. Souvage.
2 ditas perfumaras ; a L. A. de Siqueira.
24 ditas miudezas e marroquins ; a Yaz A
Leal.
6 ditas tecidos de linho a de. algodo ; a Adria-
no, Castro A G.
1 dita ditos de dito ; a Cfamer, Frey A C.
9 ditas calcado ; a Lyra Viaana.
1 dita dito ; a Ballhaiar Pinto de Gouva.
3 ditas dito papel; a J. P. Arantes.
iaita quaaqailbaria ; a Satyro Serapliim da
Ra.
50 das sardtahaa a J. Gerardo de Bastos.
2 dita* rniudazas ; a Ricardo Bastos.
8 ditos ditas ; a D. T. Bastas.
5 ditas ditas, chapeos e vidros; a madama
Adour.
106 dius vinho, raacUinismo, rolhas e oenlos;
a T. Christiansen.
de la ; a Moli, Lobo A C.
5 dias papel, miudezas, perfumaras, calcado e 1
ferragens, 10 barris e lo meios manteiga 5 a J. A.
Moreira Dias. |
25 barris e 25 meios manteiga, 1 fardo e 34 cai-
xas movis, miudezas, perfumaras, calcado e te-1
cidos de algodo ; a ordem.
18 ditas c 32 Tardos papel, miudezas, paleado,;
velocpedos, chapos, instrumentos do musita, '<-
cidos de seda, de la e de algodo ; a Alves & C.
3 fardos ditos de la, 303 caixas vinho ; a Hen-
il Leger.
tECEBEDOBIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Etondiraenio do dia 1 a 16. 37:817*952
dem do dia 17....... 3:486*21S
1870.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Consulado provincial
Por esta reparlicao faz-se sciento aos contri-
buintts de impostos provinciaes, pertencentcs ao
anno nanceiro corrente de 186970, que d<> dia
1" de fevereiro oroximo, comeca a correr o praso
de 30 dias uleis para o recebimento a boca do co-
fre das segrales imposigdes : 20 e 4 % ?obre
diversos eetabelecinientos commerciaes e mdus-
iriaes; 8 % sobre consultorios, escrptorios e car-
torios; 5 % sobre a venda dftfapin; consumo
de agurdenle (Io semestre); 400* por casas de
operaedes bancanas, companhias anonymas e
agencias ; 200* por casas de cambio e de penho-
res; 100* por luja que vender reupa feita, sellins
ou obras de marcenara estraageiras; 100 por
mscate estrangeiro: 100* por corrector com-
uiercial, agente de leiloes e casas de compra e
venda de escravos; 50* por corrector on incul-
cador de escravos; 30 por casa de moeda; 30*
por casa de bilhar; 30* por escravo empregado
em servico de alvarengas e canoas; 5* por b> te;
1* por tonelada de alvarenga e canoas a bertas;
3* por cada escravo na cidade do Recife; 16* por
carro particular de 4 rodas ; 10* por dito de 2
rodas; 40* por carro de aluguel; 25. por mni-
bus e carro fnebre; 6* por carrosas, e 10 por
cavallo de aluguel.
Aquellos dos contriburtes que nao satisfizerem
nesse praso a quota da sua contribuico, incorrem
na multa de 6 %
Consulado provioeial, 29 de Janeiro de 1870.
Servindode administrador,
A. Witmvio Pinto Bandeira Accioli deVasconcellos.
Administraban dos correios de Pernambuco
i 6 de fevereiro de 1870.
Malas pelo vapor Aradne da linlia de London.
I.i-li. a A Marseille.
A correspondencia que tem do ser expedida
por esta adrainstraco era 19 do c rrente para os
estados da Europa por va de Falmouth a Londres
pelo vapor cima mencionado, ser recebida tanto
as cartas como jnrnaes at as i I horas do dia.
As cartas pagaro previaraento o porte do 2i0
rs^por 15 graiiirnas ou fraego de la gramuias,
e os jornaes 40 rs. por 40 graininas ou fraec,o de
40 grammas.
O administrador,
AJfunso do Reg Barros.
mu u
2L-
2L
dos correaos de
18 de feve elro
Admlnistraco
Pernambuco
de ISJO.
Mala pelo vapor Cururipe da companhia Per-
nambucana.
A correspondencia que tem de ser expedida hoje
pelo vapor acuna mencionado para o Rio Grande
do Norte, ser recebida at as 3 horas da tarde,
Unto os jornaes, como cartas a registrar, e como
tambera as ordinarias, e estas at as 3 I [2 horas
pagando porte duplo.
O administrador.
Affonso do llega B:trm.
COMPANHIA PERNAMBCANA
De aunregaeavo coaleira pt
vapor.
Rio Grande-do Norte em direitnra^
r Coruripi eommandanta-
Silva seguir para o porto acuna a
_dia 18 do crrante, as 6 horas da tarde.
RCbe rara at ao maia dia eocommeiids,passa.
geiros edinheiro a frec, at as 3 horas da Urdo
do dia da ihib no aeriptorio do Forte do Mattos
COMPANHIA PERNAMBCANA
M
\avegaeio costeira por vapor.
Goianna.
O vapr r Parahyba, seguir para e
porto cima no dia 26 do corrento,
as 9 horas da noite.
R cebe carga, encommendas, passagairos o di-
nbeiro a frele no escriptorio do Forte do Mattos
n.12._____________'__________.
COMPANHIA BMSILEI1.
DK
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o da 27 de fevereiro o vapor
Arimos, commondante o primei-
ro-tenente 1 C. Diiarle, o qnaL^
depois da demora do costumtr
seguir para os portos do sul.
Desde j recebein-se pas*ageiroa e engaja-ae a
jarga oua o vapor poder conduair, a qua! dmtn '
*er embarcada no dia de sua chegada. Encommen-
ias e dinbeiro a frete at as 2 horas do dia da saa.
sahida.
Nao se recebem como encommendas sena ab-
iertos de pequeo valor e que nao exceda-a a croas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos da medico-
rudo que passar destes limites dever ser emoar-
'A lo como carga.
Prevlne-se aos Srs. passageiros, que saas aas-
sagens s se recebera na agencia ra oa Crnz
n. 57 primeiro andar, escriptorio de Antonio Lun
de Oliveira Azevedo A C.
Na agencia nao se recebem cartas, os
interessados rievem leva-las ao corrcio.
CiPAXUlA BMSILE1RA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
at o dia 21 do crreme o vapor
Cruzeiro dS Sul, commandanle J.
1'. Guedes Aleoforado, o qr:;.
depois da demora do cosame se
guir para os portos do norle.
Desde j reeebem-sc passageiros e engaja-se :
carga que o vaper poder conduzir, a qual darer
ser embarcada no dia desuacbegada. Encommoi-
das e dinheiro a frete at as duas horas do d d>
'ua sahida.
Nao se reiebera como encommendas seaoofc-
lectos de pequeo valor e que nao exoedam a 5
arrobas de peso oa 8 palmos cubicas de raaaV
co.
Tudo que passar destes limites dever m*
embarcado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que snas passs-
^ens s se receiiam na agencia rna da Cruz b. 57.
1 andar, escriptorio de Antonio Luiz de Otrwi'.-
Aievedo A C.
Previne-si aos interessados qae na ageaeia-
no se recebem cartas.
Na agencia nao so r cebem cartas es interr*r
.sdos devein leva-las ao correio
41:304*170
CONSULADO PROVINCAL
endimento do dia 1 a 16. 101:923*415
dem do dia 17....... 10:442*41'i
112:365*829
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio sihido no dia 16.
Barcelona Patacho hespanhol Bozeta, capilo
Francisco Susl, carga algodo.
A'rti'ios entrados no dia 11.
Barcelona48 dias, sumaca hespanhola Vicenta,
de 113 tonelada capitao Gabriel Marti y Oh-
ver, equipagem 10, carga vinhos; Tasap Ir-
mo.
Navios saktdos no mesmo dia.
Rio Grande do SulEscuna dinamarqueza Juno,
capitao Rehn. carga sal.
Marsc lieBarca franaeta Agustn, oapilo Fer-
randy, carga assucar.
LiverpoolBrigue sueco Cleopalra, capitao An-
derssen, carga assucar e algodo.
Observago-
Suspenden do lamro para West Iodies o brigue
norte-allemio Aro, espitaj Breekwoldt, com o
mesmo lastro que trouxe de Montevideo.
Juizo dos feitos da fa-
zeuda nacional
Ha dala deste ha tres mezea se proceder na
sede da comarca de Goyanna a venda em praca
publica deste juio das coinprehensoos do extincto
vinculo de Itamb, sendo a comprehenso deno-
minada Eagenho Novo, awaliada por 50:000*000 :
a denominada umbe avahada por 9:000*000 ; e
a deno:!iinada-Pangau avahada por 15:000*000 ;
e as escravas Damiana. avahada por 100*000, e
Aquilina, avahada por 200*000, de confonnidade
com o editol publicado.
Recife 13 de dozembro de 1869.
O escrivo,
Luiz F. B. de Almeida.
Pela recebedoria de rendas internas gerae?
se faz publico que neste mez e no de fevereiro
droxirao futuro que tora lugar o pagamento, sem
mulla, bocea do cofre da taxa de escravos do
exefeico corrente de 1869 a 1870, cajos donos ou
administradores morem as freguezias desta cida-
de e as de fra, a saber : Affogados, S. Amaro
fahoatao, Poco da Panella, Varzea S. Lourenco
da Malta e Maribeca; e qae Ando o referido praso
ser eobrada com a malta de 6 ",',.
Recebeloria de Pernambuco, 7 de Janeiro de
1870.
O administrador,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda
EEITAES.
Por esta secretoria e de ordem do Exm. Sr.
Dr. director geral da instruecn publica faz-se
consUr aos directores de coltegtos e professores
particulares, tanto de um como de outro sexo, que
anda nao remetleram os mappas do roovimentode
seus estabelecimentos e escolas, que devem re-
mette-Ios quanto antes, sob as penas da le, afim
de se poder satsfazer as informacoes indicadas no
aviso do ministerio do imperio de 23 de Janeiro
ultimo.
Secretaria da instruecn publica de Pernambu-
co, 14 de fevereiro de 1870.
O secretorio,
Aureliano A. P. de Carvaiho.
_-^
ECLARACOES.
Uelaijao das pessoas qwe deveip
dizimo de chunoel'eri6. aver-
bada nestarepartiqaode cau-
sas ou demandas dtinitna-
menta julgadas,
Euzebio dos Santos Soares
Deciarapo.
Por ordem do Illra. Sr. conego, director, se faz
publico, que coatina aberta a matricula para as
aulas do 1 anno da escola normal at o dia 28 do
crreme. Socondices para matricula :
Io saber ler, escrever e contar.
2* ter 16 annos de idade.
3 attestado de nao ter sido condemnado por
crime offensivo religio do estado, ou moral
publica.
Secretaria da escola normal do Pernambaco 16
de fevereiro de 1870.
O secretario,
Ezequiel Franco de S.
THEATRj
CAPNGA.
Grande c variado
ESPECTCULO PASTORIL
Sol a lirccrao
DO
Artista dramtico
PEDRO BAPTISTA DE SANIA ROSA
Saboado, 49 do corrente.
RECITA t:XTR.tOROf\.iltl.(
Em beneficio da contra-raoslra
D. WM%\ JUSTINA
K TOBO O *El" COniO
Logo qae a orchestra. (dirigida pelo asas ds
tinelo professor Francisco Libanio Golas Filho)
liver executado urna de suas mais brilhanles Ou
vetaras abrir-se-ha a scena com o toque de alvora-
da desempenhado pela mesma orchestra, no flm
do qual subir a scena o VAUDEVILLE PASTORIL
de grande espectculo, ornado de arias, coros e
dancas em dous actos o mesmo qae foi : scena
no ilie tro de Santa Isabel em 1863, qco tantos
applausos mereceu,
Neste vandevilre lomam parte todas as pastoras
e cada uraa canta a sua aria.
rrcnsoNAGRNS. ws.
Raquel, pastora D. Rosa Emilia.
Ruth, idem........ D. Lourenca lustina.
Judt, idem........ D. Annnnciada.
Aleina, idem....... D. Antonia Elisa.
Tirse, idem
Sahir at 23 do corrente a barca pr.rtofs
Claudina, de 1" marcha, anda recebe algnaw ca.
ga e passageiros, para os quaes lera rxrellsotr
coramodos : a tratar com Cnnha Irmos & I
ra da Madre de Dos n. 31, oa com o eapit-
bordo.
Para o Porto.
Vai snhir com brevidade a barra Pornjfa -
Amelia, de prirr 'ira marcha, por ji icrgraai
parte da carga tnpajada : para o restante r paa-
sageiros trata :e ci.m*6allbar Oliveira
do Viga 1 io n. 1.
Cecilia, idem......
Dalina, idem.......
Ismene, dem......
Flor3, idem........
Lanra, idem
Coasillatao provioeial.
Pelo consulado provioeial avisa-se aos abano
aomeaaos, que devem vir realisar o pagamento do
imposto de 100* por ruase, te estrangeiro, a qae
estao sujoitos no presente auno finanoeirode 1869-
1870, derendo faze-lo no corrente mez, sob as pe-
nas da le.
Elias Barone.
Miguel Pelegrini.
Miguel Slefauo.
Uceorso Tropeiano.
Antonio Heno.
Benjamn) Bisante.
Braz Peixoto.
Consulado provincial Io de fevereiro de 1870.
Servtndo de administrador,
A. Witruvio Pinto Bandeira A. de Vasconeellos
Visconde do Suas^nn'a..........
Jaciotho los Cabral............
Herdeiros de Mara dos Passos...
Antonio Feliciano Rodrigues Sette
Jos Domingues Codecira......
Juliana liara da Conreina)..,
Emerenciana Mara Joaquina do
' Amparo............. .......
Filaos de Jos Rodrigues dos Pai-
808........................
Antonio Sones de Moura.......
Antonio oa Angelo Estevo da
Poreiaacula.................
Joo Neporaoceno Ferrli*a de
Mello......................

4 81
1*3o
70
23
*<17
11877
sm
588
Santa Ca^a de Mifeericordia
do Recife
A Ulna, junta administrativa da santo cisa de
misericordia do Recife precisa contratar com pjnem
por menor preeo lizer a obra de-que precisa so-
brado n. 37, pertoncente ao patrimonio dos estabe-
lerimentos dp caridade. sito a ra da Moeda. Essa,
obraconsiste na'demol ?8o de parte da frente an-
terior, de toda.a frente posterior e de parte do 01
topelo lado do nasceiite at o lagar em que se
arha a pared feou\da o recoostruindo o predio
del nm mi andar e sota conforme as posturas mu-
nicipae? em vigor. O pavimento torreo dever ter
tres pnr-tada* com solaras de pedr e port9 de
cqstadjnbo de amarello para q lado da ra. e para
o o fondo duas jane|las e uraa porta no centro
tambera com sdeira' d pedra, sendo a madelra
iimMmnte de costodinlio de amarello, e ijlu u
ladrilhode (ijolo d-* al venara batida- O primeiro
anaar dever ^tres portadas com sn cadas, lastro
de amarello, varaidas de ferro, csixllhos e port.13
tambem de taateo para o tad da rrente, e para
o do fundo tres,janellas de peitor.il com vidraca* e
porBddWa madejra, tendo n oVllas
nonca, menos de 5 palmos de largura e 7 1/1 de
altan. A" sota em anillas as frentes devra tr
tres janeas igualmente com caixllbos e porta?. No
D. Laura da? Neves.
D. Maria dos Res.
D. Maria Carolina.
D. Francisca de Paula.
D. Joaquina Peixeto.
D. lgnez Maria.
Esther, velha..... Sr. Santo Rosa Filho.
Booz, pastor....... Sr. Guilherme Ferreira.
Um anjo.......... D. Gcer'ra F. Paschoa.
Em um dos intervallos todas as pastoras dansa
rao urna linda contradanza campestr? ensatada
caprichosamente pelo S"r. Manoel Baptista de
Souza.
Terminar o espectculo com o coro da despe-
dida.
PRECO DOS BILHETES.
Camarotes'de 1* erdom.. 84000
Ditos de 2" ordem....... 8#00U
Cadeiras............... 2*000
Platea................. 1*000
Os bilhetes aeham-se desde j venda a casa
do Santa Rosa, ra de Sania Isabel n. 13 e no dia
do espectculo no theatro.
Principiar as 8 e raeia hora?.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
XavcgacSo costeira por vapor
Mamangaape.
O vapor Mandaln't, commandante
Julio, seguir para o porto aema no
dia 28 do correte as 6 horaa da
tarde. Recebe carga, encommendas, r-assaijei-
r se dinheiro a frete at as 3 horas da larde
do da da sabida 1 escriptorio 1.0 Forte do aitos
n. 12. .
2L
COMPANHIA PERNAMUCANA
DK
Navcgacdo cosletra por vapor
Macei, em direitura e Peneilo.
O vapor i'irjHi, commandante Costo, e0~
r para os portos aciraa no da 22 do correTH
s 4 horas da tarde. Recebe carga ate o din 21
encommendas, passageigeiros e diobeim a fr.
al s 2 horas da tarde do dia da sahida, no e*-
criptorio do Forte do Mattos n. 15
ara LUboa.
O brigue prluguez Orarenu, capilo A. ICar
neiro, recebe carga e passageiros : trata-* earr
os consgnale ros E. R. Rabello A C, ra n r
mercio n. 48.
Para o P rto
* r..
Porto.
Val sahir breve a barca Laura para carp
passageiros, trato-se com os consignatarisa Can
ho A Nogueira, na na de Apollo a. 20.
"PARA LISBOA
a barca portuguesa iGraldo> dever seguir o
a menor demoro possivel ; para carg a a
ros, trala-se coa os consignatarios OUvaira r
& C, no largo do Corpo Sanio a. It, oa
capitao na praca do commercio.
ara o 1'ortO
a barca Flm de S. Sirno sahir bu uwiMi, /tr -
que j tem parte dd carga engajada : pan a rart
e passagens, trata se com os eoosignaiarias Car-
vaiho & Nogoeira, ns ra do Apollo a 20
Porto por Lisboa
Com a maior Lrevidode vai sahir para aa na
ridos portos a burea portagnen ClauMm, a pri
meira marcha e priineira classe, por sr a aaaiar
parte da carga prompto, e pao raa aja a
falta e" passageiros, trala-se coa 01
torios Veras & Barbedo, ao caes da 1
Iha n. 2.
Para Maraiihao e Para
O brigue nacional Sanio Amaro, capifw Catta-
no Alves Uva?, pretende segnir com aatabr r-
vidade possivel para Maranhao e Para, par *>r
parte da carga promta. engaja-se a qae pnsVa
e recebe passageiros, a tratar com os aiajipaato
rios Marones Barros & C, ao larga 4o Cara-
Santo o. 6, 2o andar.
Para
Pretende seguir o mais breas puwrrel ptn
Porto a barca poriu >ieu S. Mtmml II.
Jos Antonio dos Santo, reaaka carp a
passageiros a tratar rom
na praca do Corpo Santo
o capitao a bordo.
Manaes, Barros C.
n. f anear m t
Para'
COMPANlflA PEKNAMBUCANA
DE
Navegando costeirmpo* vapor.
Porto de Gallinhas, R|o Formse e Taman-
dar*.
Q ?aporPflraa|/aa,seor para os portos ci-
ma no dia 20 do ornato mata aaite. Renebe
arga, encommendas, passageiros edinheiro z-f
te no escriptorio do Porte do Mattoa n. II. ___
CQMPANKIA PEHNAMBCAN
%'avegaeio eotelr* n#r #
Parabyba, Natal, Maco, Mosioro, Ara-
aty, Cear, Manda{ia, Acarac e
0 vapor fyojucn, com
Moura, seguir para o;
cima no dia 2 de imim a*
la tarfla. Recehe cargfi.at o dia 1, eacca
nendas, e passageiros a dinheiro a trata at a
2 horas da tarde do dia da sahida no escripto-
rio do Forte do Males d. 12.
Pretende segnir em poneos dias para a ataaact
porto a barca ponjgneza Deaftm II, per fe*
maior parle de seu c.-rregameaia praaipaa, apa/
o restoque lhe falta, quo recebe a firetei iii ar-
rato : tratase con, o consigMlaria JoaJajaia J*-
Goacalves Beltro, ra do Camanre a .
Para o Porto
a -barca portngneza iHoro SaaaMlaa segatric.
a brevidade passral; para car
trato* se com os rontigaatariea
C, no largo ao Corpo Sanio n. 19,
phio na praca do naimereio.
n
Rio de-/neiro
Sabe para o referido porto en [non
patacho tiuMermina por lar anasi toan sea
regimiento engajado, podando anda
poucoque Iba falta e miudezas,
cravos a frete : a tratar com o (
rm Jase (olealves Baluo roa
17.
>i
Aracaty
Segu com a possivel braridaii o
braletuf, pitia ftrein, r~
carga a frete : a tratar com
ra da Madre de Den a. 1.
:
i
I


Diaoo de FflHMmbico Se*tai /ajeis d* J^i^w. de lfttt).
1
I
>
i
Haraob\4.
As3uaa flMyMHa Mguq par o Maralo
ales oto das, tam ruawr pane 4o arre.
mito prompio : qnem quier engajar carga a
ireic, trata-se desdea coro m wnsgaatarios Tas-
so nnaos & f.
LEILOES.
*a ju-mac/io titeneilios da reflnacao da ra Iro-
pmaln. 201, constando de laixas, pipas para
cildo, banca, moinlio, balanza e pesos o rnais
pecteQccs para o fabrico do assiacar cuja refina-
?ao aeaclm uom eolloeada tanto para as com-
pras dos assucares na porta como para as ven-
das de laesmo.
IfOJE.
*.ri a/rn'H,i,arAins .""jieteiiteineato MtMisaJ
rio di. reflaacao ac"ua M U horas *> su-
Precsale de urna ama : no pateo do Paraizo
n. derramo di groja, f aadar, esqnina.
A'uga-a* a| s.*>nibiB desie .tao o grande e
.pitw^sdk |* Qaajballia, na Moetoirq, caro em
paranamaroaj faajiUia, o mais aonjmodja naces
sanos em casa de campo : a tratar na ra do
Crispe a. 6. ff
Re ranjle do Norte
DOS
>>ai vados da barca igleza Gal-
buva.
No dia 21 de fevereiro crreme ira .praca na
-.dad.! do Natal, provincia do Bio Grande do Nor-
te, 21 caixas nom mobilia, 4024 laboas e pranchoes
49 pinho. 4008 portas de pinho, 400 caixas com
uerebeutiaa, gaz e banua, 10 caixas com veloci-
;>ede>, 125 ditas com conservas de las-utas e os
(ras, 10 ditas com ahides, 1 dita com objectos para
potograpliia, 84 ditas com ferragens, 14 ditas com
tachas de. cobre, 76 barris cora presos, 14 caixa-
cam sais;patrulla e tnico oriental, 21 caixas com
Mumquhijrias, O b;vrris com carne migada, e
(^rc^dotibjtctos naqualiflcados.
LEILAO
Mauricio Jos, dos Sanios Ribeiro cstabelecdo
n. 33, far leilo por ialervenco do agente Mar-
tins, no d;a 2i do correntc, de todos os objectos de
xwro dados em penhor constantes das cautelas
5M_M%*V**i*laE 43, 54, 5, 61, 66,
raountiea nacional
Primitivo da Unamia, estu-laiWe Ai o' anno, da
"fie ra da Concaicao a. 12 ; podo tambem
aar procurado uo e>cri;itorit> r, Jacobina, ra
do Queimado n. 33.
Coiupanhla f^rnarafctacana.
Declara se |*lu,prseme, de ordem do copselho
de direcca, que havendo se deseneaminbado do
poder do Sr. Jos Antonio de Brito Bastos, na qua
lidade de cesionario do Sr. Luciano Ferreira Lo
pes, a aeco^denta compaahia n. 448, da dat deste
a 30 das Ihe ser entregne urna outra aegao com
ipnal numero, fieando aquella sein vigor.
Escriptorio da Companhia Pernambucaua 10 de
fevereiso de 1870.
O gerente,
______________________F. F. Borges. ]
'Pedro Vasques e'Manoel Martns Velloso,
fazera scieole ao raspeitavel publico,, e eapeoialr
mente ao rorpo de cornmercio, que na presente
dita disolvern amiga/elmente a sociedade qac^
tinta m no hutol da ra larga do Rosario n. 33,
que gvrava sob a Arma social de Vasques 4 Vel-
loso, licuado dora emOtante na posse do estabe-
leei ment Cum lodj activo e passivo o ex-socio
Velloso, c te incumbido de Ma a liquidacao.
retirnndo-se o ex-s teta Vw mes pago e satisfeit >
de seo capital e lucros. Recite 11 de fevereiro
de 1870.
Lima, Lessa &C.
O etjcairrefado de liquidaga > dos rpgeei dj
extinia riaa de Lima, Lassa 4 iC., provine ato-
dos os dsredores ao referido < stabeleeirnento, qae
vaaham solver seas dbitos ale o 6ni do crrante
ipe, visto como teta de enoarregar o ,sea procura-
dor do promover a cebranca jodicialmaote : na
ra do Aballo n. 4.
Atteaco
O hotel volante denominado Traviala, est nos
Remedios, all fornece comida ve-pera e dia da
testa, sorane e car veja Bass todos os dias
Edutido Kirmino da Silva leudo de mandar
celebrar algamas missa< por alma do seu devolado
amigo Fraacisco Dubarry, subdito francez, no ia
1S do oorwate mez, na inatriz da Boa-visia, as 7
bnr'as da nianoaa, stimo dia de seu faUeoimealo,
convida ajlos os seus patricios a amigos e ob.-er
quio de akisrem a este a;ia decaridade, pj>
que desde se cintosia rnnmarotr agradeoldu.
Precisase alugar urna casa que tealia com
modos para pequea familia, ou mesmo um peque-
no sitio nos lugares seguimos : Torres, Cachang
ou Apipucos, ou mesmo e n oulro qualquer lugar
que seja fresco e perto do banho, e qae nao soja
no centro pv<_dos: a pesoa quu Uver oara
alugar -p^de vir trtar no pateo do Terco. 63, ou
na roa do Cabup n. 6.
Sociedade Libera fCfiiaofle-
Nao se tendo reaniflo nnmero snffl.'iente dos
senhores socios no dia 13 dj oorrcnle para poder
funevionar a assembia geral. como foi amiuacia-
da, do novo sao convidad, de crdem do eonse
iho, comiiareoerem no dia ii, as 7 horas da
trde, para o mesmo feto).
Secretaria da soeiedado Liberal oiao Benefi-
cente em 17 de fevereiro de 1870.
Augusto Cesar Gousseiro de Mallos,
.________ Io secretario.
J6#000 mensalmenle a una ama de leito
da Puute-velha n 6.
na ra
m*> m l, 13 lili i, vancidas e nao pa-
-gAs podendo seus donos resgatar os objectos ou
artear os juro- qae estilo devendo que Ihes per-
;eni"jt o acto doleil)
e a vista da cau-
1 reeisa se do um liqmein aortimuez que seja
livre de funilia, e chegado ta pono tmipo de
Poriu!.'ai para ser occnpaJo com feitor de campo
le um engeaho. la-se preferencia a um que nada
emenda das plantas de canna : para se ir; lar na
ra da Praia n. II, com os Srs. Francisco Moreira
da Cos 4 C.
LEILAO
c 3 foarrls com bnuba de
poreo.
SegiuiSa-feira 21 do correnlc.
"* G v: ue i'r tana far leilao por conta e risco
n perieacer de 37 barri* eo.m banlia de.
i o iuacs serio vendida em um ou m is
es a rootada sagonda-feira 21 do eorrente pe-
! I horn< ila manliaa no armazem trapiche
! i i.i'. ramelo no Forte do Malos.
i", seeros e arraacao da ta-
beran sSa a ra da Coucel-
Ti o. 11.
renta P ntual vender em leilao a 'aberna
i p t mudado do Exm. Sr. Dr. juizdo com
ci a eqoerimanto dos depositarios da masas
la d< Ant. nij Agislinho Seixas da Fonseca,
. -.o e armaca veijdidos n'um ou
u mais lotes a vontade >s licitantes
Segunda foira 21 do cari* ate.
ver ter lugar o loiiaj na mesma taberna, as
! i horas
Tendo-se mandado hontein por um preto ga-
nhador, urna cabra imVha com urna cria e mais
duas marrans para serem entregues no sit.o dos
Aflicto*, em que mora o abalxo assignado. o dito
preto nao as levan ao sen destino. A cabra
vermeltia clara, e as duas marrans, urna lavra-
da e outra de cor um pouco escura : quera ap-
prchude-las e leva-las no sitio indicado, ser
gratifieado.
______Joaqaim S. Pesan de Uqoeira Cavalcanti.
Attenpo.
Aluga-se on veodo-.se urna casa com bastantes
commodos na cidade nova de Santo Amaro: ira
iar com Joaquim de Souza .Nevos: ra das Gru-
zes n. 36.
LEILAO
Op dividas na importaneia de
1:?.>U50.
irtda-feiri l de fevotviro as II horas.
II* Piulo Jevar novamenip a leilao ser-
- de basa a nSerta obl d i no lei aa d 111 do
i e. as d;vidas-acliva3 da massa fa lida de
nos da Si va o por mandado do Illm.
!'/. special di co.nmercio, o leilao se i
I no da e hora cima ditos no -scripio-
r-riJo agente a ra da Cr z n. 38.
abalxo assignado avisa ao publico que se
aatorisado pelo Bxm. Sr. coaselheiro inspec-
i da dmaooraria da tazenda gcral, para vender
tabelecimento rna do Crespo n. 23,
.-lampilhas para sello pelos mesraos preeos ven
-'idos Ba recebedoria geral ; pelo que o publico
pre encontrar a qnantidade que qnizer de
i os preces ; podendo a pess ta residente fra
da cidade dirigir-se ao ahaixo assignado, fazendo
us pedidos, que serao prompamente satis-
r-ito?.'
______ Manoel Martins Fiuza.
Vssociacjo Conimercial Benefi-
cente.
Os senhores socio da Assoricao Commercial
ficiente e qoo sao consenheres do edificio, pelo
ote sao convidados a receberem do Sr. the-
- mrelro William Otto (de 1 at 3 horas da tarde I
laidos com os respectivos documentos) o divi-
de o oi(> sobro a mnorlancia das partes que
rem no mesmo ediflei".
Assoeieao Commercial Beneflceatc li> de fe-
r iro de 1870.
Daniel Ramos,
_________________Secretario. ______
PRECISAO.
Na ra larga do Rosario n. 31, precisa-se de
aixeirade 14 a 16 annos, que tenha pratica
.i; taberna.
Os abaixo assignados team a honra de
communicar ao peepeitavel publico desta ci-
dade, que acabam de preparar urna CASA-
HOTEL, raa eslreiti do Rosario n. 3G,
lja, a qual^riadpiar a fuDCCionar no do-,
mingo prximo, 20 do correte, desde s
3 h ras da madrugada, e, cotao d>i costume
em outros b/^eis, baveni dftiicadp'MO DE
VAGCA, preparada com toda a limpeza e
ptimos temperos.
A dita CASA-HOTEL adiarse ha aberta
do dia cima era diante, desde is rt horas
da manhaa at s 10 da noile; nella sero
os freguezes serv Jn., com toda a prompti-
dao e aceto pelos propietarios.
Admi(j-se assi^nantes para comedori.ts,
aos quacs promntem os abaixo afsignados
o mais ex:clo cumprimonlo, tintonashoras,
como as C/mmedorias que forem contrata-
das.
ttacifi-, 16 de fevereiro do 1870.
Ramn dants.
________________ Cypriam Vasquez.
(AWWmM
Aos 5:0(H)|
Bilhetes garantidos.
rea do Crespo n.23 e cam do cosame
Em lempos modemo neiibam descubri-
meplo operou maior revolticao no modo de
curar anteriormente ero. voga do que o
KITOIVI DE AVAClflllTl
TANTO NO TRATAMENTO DA
TOSSE, CHOPO,
ASTUMA, TltiSICA,
WICJIIDO, BISPRIAMENTOS.
HO-VCIJIIKS,
TOSSE COWULSA,
DOBES DE PE1TO, *
EXPf CTCRACO DE SANGl'15.
Como emloda a grande serie'de enfermi-
ades da ijafiganta, d< pRiroe dos ohgaos
da resmuacao, que tanto atonnentam e fa-
zeaisoffrera homanidade. A maneira an-
tiga_ do ctrar consista geralnente na apph-
caco de vesicatorios, sangrias.sarjar ou ap
pitear exteriormente ungentos fortissimos
compostos de substancias vesicantes, alm
deproduzirempolbas; cujos differentesmo-
dos de curar, n5o faziam seno enflaque-
cer e diminuir as torcas do pobre doente,
contribuindopor esta forma d'uaia maneira
mais fcil e certa para a enfermidade a des-
truHaoineviUvel de sita victima I Quem dif-
ferente pois o elTeito adim'ravel do
PE1TORAL DE ANACAHUITA I
I VEZ DE HlRITAJl, M0IU11ICAH E CAUZAB
iwnirros soFmiiMEvros ao doente,
<:alm\, .vodhica e siaviza ador.
ai.i.ivia a innn-.vijAO
desemvolvi: o> j;.\Ti:.\LimE>TO,
KORTIIICA O COIII'O
o faz coin que o systeaia
Desaloje d'uma maneira piorapta e rpida
al o ultimo vestigio da enfermidade. Os
elbores votos cm medicina da Europa (os
Lentes dos Collegiosde Medicina de Berlim)
testiHcam seren exactas e vei dadeiras estas
reiaeoes analgicas, oualm disso'i experi-
encia de milhares de pessoas da" America
Hespanhola, as quacs foram curadas com
este maravilhoso remedio, sao mais que
suficientes para sustentaren! a oniniao do
PEITORAL DE ANACAHUITA !
Deve-sc notar que este remedio se acha
inicuamente izento de venenos, tanto mine-
0 MARAVILHOSO REMEDIO DO
DR. CHAS. DE GEATH.
OLEO ELCTRICO
KINfiOF PAIN
# Kl M B#8
PaVn.4 I SO II1WINO 13 liTIRSt.
Cura cholera e choJ- ra niorhiw.
Drarrhea, Huso do sangue, em tim dia.' Por .as costas e mt ladai. em aVx
Dores de cabera, e dores do outido em notos.
tres minutos.
Dor de denles, em um minuto.
NeuvraJgia, em ciaoo-maumos.
Deslocaf5es, em viole minutos.
Gargantas inchaflas, e dez minutos.
Clica e colvultftes, em eiuco minotos.
Rheumajpsmo, em um dj.
Febre e febre inteiwHente, em om dia.
*m
p-rtm
Tosses perigosas e refrialos
Pineresia, em om dia.
Sordez e astbau.
Hemonhodaae broajehite?.
I m flama cao nos ra.
Dyspepsat erfwtkf.
Molestia do g^o.
Palpilafo de conct.
Reserve seipre este remedio na su faoriu
AS DOENQAS SE APRESENTAM, QANDO MESOS SE ESPERA*
OLEO ELECTRICOO rfiog of Patn (O Re da- dor) someta e postn
sipa mais de differentes molestias e dores, e allivia mais os soffrimeolo e
mais perfeito equilibrio se syslema humano, o que n3o se pode efit-ituar oo
po, com qualquer outro remedio medicinal.
Este moito popular rem dio est agora usando-se geralmenle, pila rao aja
milhares de pessoas se tem carado gralis cfjm o dito remedio pelo Dr. Gn* e otf raa
QjdlS.
Este importante remedio nao se offerece para corar todas as doeoere,
to somente para aquellas ertipuladas as nossas direcfoe.
Est operando nos principios da chimica e da eletricidade e per
applicavel para o curamento e para a restaurarlo da acc3o natural dos orritxmr m-
frtm da irregular cireula<;8o dos fioxos dos principaes ervos. Oteo ctedrieo. O T
of Pain opera directamente nos absorventes, fazendo desaparecer as mchxfits
glndulas etc. em um tempo incrivel, breve sem perigo do seu uso debaiso k
circumstancia. ,
O remedio urna medecina para o uso externo c inlernr. rnmpaait
mentos curativos, raizes, hervas e cascas, laes como se tem usado dos nossos
sados, e das qnaes tem grandes existencias no mando, par* curar todas
somenle sabendo-se quaes crias sao.
Foi um grande e especial desejo da faculdade de medicina dorante omi ai
nos de experiencia para aprender os melhores modos que se deriam ado Jar para rm
as stguintes doencas, eque proporcoes de medicina se devia usar.
NICO DEPOSITO EM PERNAIHBUCO
NA PHARMACIA E DROGARA DE
Bartholomeu & C.
34Ra Larga do Rotarlo--H4
isiamo. raes, como vegetaes, em qtianto que porm,
e ou- i algutis d'estes ltimos, c particularmente
0 abaixo assignado, tendo vendido alm de
iras sortea, quartos n. 4660 com 700 da .
lotera que se acabou de cxtraliir a benecio'da a(lue!1CS que sao dados sob a forma de Opio
igreja de Nossa Senhora do Livramenlo de Pd
d'Allio (137*), convida ao3 pos^uidores virera
de cau'o. piano, desenho e lin
gua italiaii),
G. ma:i.nangu, pnfi.'Sior com diploma- da con-
gregacao;de Sania Cecilia de Roma, contina a
dar lieoes como ja fiera lia mais do 20 annus em j
cinco cul!ogio3 de ambos os sexos e em varias
casas raniculai'tis.
A generosa hospitalidada quu elle ha recebido
do todos, e : ;imizade que sempre Ihe ennaagraram
as pessoas raais estiraaveis desta cidade faz Ihe
esperar que desta v,z tambem Ihe nao faltar;! tra
balho, no qual pora cm accao todas as -uas tore l
para contincar a mostrar-se digno da protec^ao
com quo scropre foi honrado.
GiNM\ Hakrakgeu BgLnuHlM. di.-cipula pre-
miada do conservatorio de vilao, decidinduse a
daisar a carreira tbcatral a afear sua residencia
em Pernarubuco, onde sempre receben tantas pro-
vas de estima e sj aipathia, pelas quaes conservar
eterna gratiJao, deseja empregar o seu lempo em
darficjws de msica, piano e canto, tanto de apar-
feicnamento como de principio?.
As pessoas que se quizerom ulili-ar do prestioio
Jos sobreditos conjnges, poderao dirigir-se tua
do Sevc (Ilha dos Ratos) propriedade doSr. Tibur-
i'. perto do3 coqueiros.
Monte Pi Portuguez
Faltara a um dos mais sagrados deveres de
gratidao se por ventura deixasse de vir pela im-
prensa renrler um culto d i reconhecido agradec-
ment f illustrc directora, se to ul ssociagai
pela promptidao com que no decurso de mais de
um ann? tem e contiaa a soccorrer-me com urna
pcnsilo mensal, em virtude do estado'indigente em
qne Bqoei por follecimeato do meu charo esposo
Antonio Alves Vilella, socio da mesma associa<,ao.
Dcsnecessario tecer elogios a esta humanitaria
uistituicao. cujo benfico influxo hoje coraprova-
do por numerosos tactos, elles por si m5 attestam
bem alto a grande utilidade desta divina e santa
assoclacao. merejendo a ben^ao do co e lou-
vores da trra aquellos, que, movidos pelo impul;o
da caridade ao prximo, e o santo amor da patria,
de ccraco concorrem para sustentar longe della
urna insluicio qne vai levar o balsamo da como-
lacao ao infeliz indigente associado e viuva desva-
lida, que pello infortunio perdeu seu esposo, legan
do-lhe como um dos ltimos recursos os que de^
pia associacao possa r cebar.
Digna Merita Alves Vilella.
0 abaixo assignado tcndo-lhe constado qne al
gumas pessoas mal intencionadas tem propalado
que o pavilhao que se est construindo no Campo
das Prncezas, pertence ao mesmo abaixo assigna-
do e a outros, vem por meo deste declarar qne
nao tem socio algum nessaempreza. Recife 17 de
fevereiro de 1870.
_______ Miguel Candido de Medeiros Pinto.
I'recisa-se de urna ama para casa de pouca
familia a tratar na ra do Cabug n. 1, loja.
receber na conformidade do costume sem descon-
t algum.
Acham-ss a venda os felizas bilhetes garan-
tidos da Ia parto da lotera benecio di igreja
de N. S. doLivrameuto do Rio FornioSd(138,'( que
so eitrahira t-guda-feira 28 do eorrente niez.
Preeos
Os do co; turne.
_______________Manoel Martins Fnza.
Os abaixo assigoad >s, parlicipam ao raftpwi-
tavel publico, c. especialmente ao eorpo do atas
mercio, que nesta data dissolveram amiga belmen-
te a sociedade que linliam na padiria sita na
Imperial n. 5o, que rava sob a limaValtrudes
r Uorburemalicando todo o activo e passivo ii
cargo do socio Izidro Dympno Valtrudes, como o
nico responsavel; a tendo-se retirado o sucio
Trajano Stuart Dorburema emholcado de todos os
seus lucros, e exonerado de toda e qualquer re-
ponsabilida(!i\
Recife, 13 de fevereiro de 1S70.
Trujano Stuart foibarema.
Izidro Dympno Valtruiles.
Uertiardino Antonio Pereira, scieniili ia ao
publico que, tendo-se dirig lo raa das Cruzas
n. 2 primeiro andar, aliiu Se saber quem preten-
da fallar a seu innao menor, Po> lirio Antonio Pe-
i'i'ira,a negoei* tlr ieu intereste.souhe que /!
e Acido Hydrocianico, formam a base "da
maior parte dos Xaropes, com os quaes 13o
fiiHliueiitesc engaa a credulidade do pu-
liliio. A Composico de Anacabuita Peito-
aacha-se linda e curiosamente engarrafadas
m fiascos da medida de cerca de meio
qrtnrlillio cada um, e como a dose que se to-
ma s d'uma colber pequea: hasta ge-
rafanente a applicagao d'um ou'dous frascos
para a effectuaeSo de qualquer cura.
Acba-se venda nos estabelecimentos de
>. MauerC, J. C Pravo C. A.
Caora, B. M. Rarboza o Rarlnolnmeo & C.
Sij desejamos contestagao era jorn.ies ; mas
forca responder a conckiso do annuncio pu-
blii'.-.do no Diario de hoje pelos Srs. Corga & Ir-
niaos, que anda prelendem obrigar ao Sr. Ma-
nuel Daarte Rodrigues Pinto, quando certamente
nada disto Duarte Pintotratnu a respeitoda tal com-
pra : talvez o equivuc> venha d) (Mnfundirem os
Srs. Corga & Irmaes, Pinto con) o Sr. Gomes. Kn-
trelanlo, &4perarcnos a ulterior pr cedimento dos
honrados Srs. Corga & Iradas .para procedermts
de a-*cordo com os direilos do novo constitunle.
Recife, 10 de fevereiro de 1870.
__________Dr. Amonio Borges r!a Fonseca.
Jeronymo Franchco Ferreira leudo de se
nehocio era proeurar-se informacoes dos possuidos j f**trar para fra desta provincia, deixa durante
do ex-patro d'aqnello seu irmo! declarando o an RM ausencia o m > taos proeiiradore.; nesla cida-
nunciante nessa uceasao que seu irmao nada sa- lie' cm ** lu*ar ao Sl' s ,''' CaMM da
hia, e que era fivor retirar-se do Diario o aunmn- '". e em 2 o_ Sr. Jos Antonio do Soc
co para fit fin. Entretan'o como continu, re-
solveu-seo aanunciante^ vir do alto da irapr oso
il.i'l irar que sen irinaunadadeve pessoa alguma,
assim com i intimar ao avlor de annuncio que rc-
tire-o do jornal, sob pena de, nao o lazando, ver ver*"ro dl' |s:u
proceilersccriiiinalraeiite. Recife, 17 defeve.
de 1870.
O Sr. Joaquim Jus de Sant'Anna, morador
na povoacao di Sedro, mando nu venha tomar
corta de um casal de coravos que appareceu na
ra do Fugo o. 18 segundo andar, dizendn quo vi-
nha procurar quem os compiasse. Declaro mais
que me nrm responsabiliso por morto ou fu;,* dos
ditos escravos. Recife, 9 de fes'ereira do 1870.
Juao Miguel de Oliveira Rerardo.
Precisa-se de qualro amas^adores e um for-
neiro : na padaria da ra da Florentina n. 3.
Attenpo
O capitao E. J. Paes Barre'.o, venha ou mande
a ra do Alecriin n. 4, nestes rres dia?, entregar a
abaixo assiguaia a quantiade 601000. importan-
cia do sold de seu pai o major H. Leal Ferrei-
ra, pertenente ao raez de dezerabro do anuo pr-
ximo passalo q ie recebera como procurador^d'en-
tao, a a de jauoiro correte, visto nao responder
as cartas, qne e Ihe. inderessado, e nem tao
pouco attender aos annuneios fetos por este jornal:
e estou dispost. a proceder judicialmente vble ter
documentos comprobatorios.
Recife, 16 do fevereiro de 1870.
Antonia l.enl Ferreira.
Perdeu-se urna pulcera de coral verdadero
engrasado em ouro, repre-entando cada coral nma
carinh, na ra da Imperatriz. da Inji do prompto
alivio at a relinacao do assucar: gratiloa-:_ Iioin
a quem a tiver achado e a queira entregar na
mesma ra no 1" andar do sobrado n. 12.
Silva Pin-
Souza Rasto ;
sopada nada dever, lano ne*ta praca como fra
detla; mas so;!gnemse jolgar stu credor apresen-
te sna conta no pravo do Irea dia para ser paga,
n:> travessa da Calaboacoji. Si. Recife 16 de fe
Ama do leite.
Aloga e urna, seudo escrav;i, sem fillu e com
maito lei^e : a tratar na ra d.-n Cmzes n. 20.
Precisa se de um cozinheiro quo seja sollei-
ro : a tratar no lar*o da Ribeira n. 9.
XAROPtdeHYPOPHOSPHITOdBSffllA
.MAROPEdeHYPOPHOSPHITOdeCAL
PILULAS de H YPOPKOSPHITO de QUINf NO
'HOSPH'ITO di
EiljySM-PQPHOSPHTD de MANBAHSA

lONCHlTIS
PSTILHi PECTOHAES-.i'JXRCfflU
Eigir para os xaropes o {rateo quadraio e em
todos o producios a asignatura do O" CHUB-
vmIIiI, e o l'lri'iro com a marca de fabrica da
Pharmacia SWAZUM, II, ruaCast0Hone.PAKl(t
Joaquim Jos Gon-
?alves Beltro
RA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAI4
Sacca por todos os paquetes sobre o Bac-
a do Minbo, era Braga, sobre os sorud
es logares em Portugal:
Lisboa.
'Porto.
Valenga.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova delFamalic.
Lamego.
Lagos.
Covilha.
Vassal (VaJpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
Ama
Precisa-se de urna boa cozinhera, forra ou cap
tiva, paga-se bem : na ra dos Piro?, sobrado nu-
mero 27.
Bartholomeu & C,
As audieocias do juzo, de orphjos desta _
acliain -r transferidas para os dixi d> quintas fi ras ao meio da.
Frederico Maya
Tem a honra de scienh'fiVar ao rr>-
vei publico cm geral, e aos seos rffrMa
em particular que elle mmicu o y pti"
nete de consultas da roa Direila n. Ii para
a do Queimado n. 31 primeiro andar, ca
a entrada pelo paleo le IV!r. II, oae po-
de ser procurado para os mistares t aaa
pnilissn, todos os iliu iit. is das 9 baraa
da manba s da t.>i
Tambem previne, que a niint'u a prestar-
se a \ontade dos clientes i:> s ra i
como nos seus suburbio?, para
idas sero precedidas i aj
raDte o bom desempenho e a pcFgricaa'a
seus trabalhos, oque j l-m ci namiaV),
assim como as commodidades tos perras.

IMPERIAL
DE
OSTITITO
i. no m
VlNHO, PlLULAS, XAROPE E TlNTURA
cr; Jurudeba simples e feuhuginoso;
Oleo, Pomadae Emplastro da mesma
planta preparados por
BARTHOLOMEO & C
Pharmaceuticos-Droouistab
FEK.\4MBl% O
A Juruheb : esla plaa i hoja reconheeid
como o mail poderoso tnico, como o melbur
ilcsobrirucnte,e como lal applicaJa uos pailecimenioi
do ligado e baco, hepaiiics, duresas, tumores inter-
nos e especialmente do otero, hydnipesias, cryti-
pellas, ele; e aaaociada ao ferro e ntll as patuda*
corea, cbloroses e falla de meiistruacao, desama
ios do estomago, etc., o qne ditemos allesUo
innmeras coras importantes obudas oom nosso
preparados ja beta conbecidos e osados pelos auii
distiactos mtdicos do puz e Portugal. Em lodo* os
cosaos depsitos distribuimos grati.i folbetos qo
melbor fasem couhectr a Jurubaba seos resallados
applioacao.
O bacharel Antonio CoDBnbaoo SanpMaa
asss Carvallio hoje o proprietario e
desse instituto. Preiendendo acaVcar-se
vamonte, o cm lod > ido a sol citada aos i
proprios deasa proliss", espera qne as pa
actuaes coilegiaes o hourarao rom n
e bem assim que aenaverto o seu eta
quelle que precisarem de eollafio par JaM_
de seos filhos ou protegidos, certas de que ;
tual director se esforcar nao s tara
bom nonie e crdito, que de o referid'! In.-iuln, como tambero para iaaal
Ihe novos meihoramenlos.
No dia 7 de Janeiro do anno Tiadooro te la-
gar a abertura de todas as aulas 4a aaMrmaf]
primaria c secundaria.
Paria, 36, Raa Viviana*,
CHABLCMC-bCClN
aASKVFritv.u-AiiA- *t?.Aaajaaja>
Coks i-.in.-M>ka .. t k' L :t*<;orsDO saamaaa,
e-ira lufas, htrtm, uwt
"tisom, 11 aaaai a,s ai
ctoaaa *> aa
. -nnu, t atoafaaa
to tuli'i t. Aarape tgeul Ja Wiaita).r
rMliiu trfctmt' *UKH
tosaao-in lor- ^or Df)-i'rclii> : t emi regaoe aa* ax
E.'-xa laraaa rjtraaaa 4
tarro 4* CaUBUL
maaafaa
OEPURATIF
In^SNC
PLUS DE
COPAHU
ittntdam.
i oinaaaw, a
aenle os flwros e floret broMC* tu i
lU njtceaa uenigna aaprH-* '
Olrael* t Ferro.
cn-sbUsi. ?oa4a qa u can em tnaaa,
POMADA ANTiHEHPamCA
Caatiai aaa *fecce*t evtmtm ataatnaa
IHLULA8 VEGETAES DEPURATIVA*
ia av UaaM. aai baaca tai ui>iaite4
asa falha>
CABGA
esquina
da roa larga do
Rosario.
L.OJT.A.. aaiE aaa.%si
CABUGA
Este importante estabelecimento no seu genero, tm sempre um sortimento sem igual, i esquina
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender. L ,
vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer da v-erdade.| rna lar^a
Garante-se ser ludo de lei Comprarse ouro, prata e pedras finas por preeos muito ele- Rosario.
vados,
A loja est aberta at s U hora da noute.
laVaVUI '


Diario
Pereambco Seria feiift 18 de Feverefro de 1870
A ESMERALDA
1WLUB. aTTENCaO

PBIAMAWBOS
Travessa doOorpo Santo n. 2S
ARMAZEM
Ba Kova n. 38, loja.
Bandeira, Machado & C avisara ao wsspeitavel
publico que no." lugares cima eacoatrar* no mes-
mo sempre rande quantidade de mt* pocos, e
que se acham habilitados para vender por menos
que outro quaiquer, por isso qtw es recebem di-
rectamente do fabricante Norton, de Londres.
As vantagens nun offerecem os pocos instant-
neos too : rimeiro, poderem ser otlocados den-
tro do cas on fra, cora o trabafce de urna a duas
horas; segando, fornecerem osmesmos agua pu-
ra e abundante, podando serem removidos de nm
para offlro lugar, quando assim conwer.
Os annuneiantes sreeetx-rao importancia dos
referidos pocos de|K-is de collocades, satistazendo
espeetativa do comprador
Tcndo o abaixo assignado remelttdono aia quin-
lafelra 27 do correte, para a cidade de Naza-
reih onde reside, diversos fardos de faiendas em
um carro, acoateceu desaparecer cm caminho um
dos fardos, o qual continha as seguintes lazendas:
urna peca de casemira preta, 11 mantas de tapete
n m ravallo. 3 ecas de cambraia de cores, 12
GUSTAVE
CABELLEIREIRO FRANCEZ
51------Ra da Cadeia do Recife------51
Chama a attenco dos seas innmeros regoezes, e do respeitavel publico
as autoridades poli- secMule tabella dos precos de sua casi, os qoats s3o vinle por "
ciaes oe se dignem tomar em consideracio o seu geral,para a^ """"""' anJJX narbv
nminno aflm do anpreheoder-se ditas fazendas ma 18 barato do que em OUtra quaiquer parte.
Sbrir quem asfurtou; assim como offere- Cabellaras para seohoras a 250, Cade.as para relogto a !
' 38# e. '. 40.5000
ja ra cavaHo, 3 pecas _
chales de mirin lisos, 6 ditos pretos estampados,
e outras muitas fazendas.
0 abaixo assignado pede
ce urna gratificacSo a quem levar Boticias exac-
tas dessa^ faiendas no Recife na loja dos Srs. Per-
digio Oliveira L ra da Cadeia n. 33, oa na
cidade de Nazareth em casa do annuciante.
Naiarelh, 29 de Janeiro de 187a
Anloni ATTENQAO
500000
500000
Cadeias para relogio a
70, 80, 9*, 12* e.
Corte de cabello, ....
Corle de cabello com friccao.
Ai senhoras que ttverem aiguma menina on
cria qnerendo mandar ensioar a toda qualidade
de costura e bordado*, marca o toda quahdade de
LOJA DE m
DE
&c
Nao mais cabellos brancos.
A tintura japoneza para tmgia os cabellos
da oaheca a da barba, fei a nica admittida flores, por barato preco de 3*000 por mez, vindo
fftS^ por ter sido r^o- ^Sfft^SjSr^^
onecida superior todas as preparares at e
boje existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a 1)5000 cada frasco na
Ra da Cada n. 51,
1. andar.
mmmmmmmmmmmx
Este antigo estabelecimento, complete
mente reformado ie novo, est as condi
*oes de servir vantajosaraente os seus fre-
gueses, visto que acha-se prvido com um
esplendido sortimento de obras de ouro e
rata de lei, assim como brillantes e ou-
ras pedras preciosas, eujos presos sao os
ais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nest casa recebem-
*e em troca ou compram-se com pequeo
PL 5 RA DO CiBUa PL 5
AO
novas re-
Na travessa da ra
das utos n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de ouro, prata e brilhan-
tcs, seja qual for a quan- i
ta. Na mesma casa com- S
pram-se os mesmos me- S
taes e pedras.
iwmmMKMmmi
adev
asm
taiam
.odiiduo m
11Ra do Queimado.....11
AUGUSTO PnRTO, tendo recebido directamente da Europa nquissiiuos cor-
iJumTuhS para nuivas os a*f*e v nda pelos mais mdicos precos. No
ltabe ecira'nto ha constantemente comoleto sortimento de faz indas finas como
Advogacia.
O advogado Ayrts Gama contina ter
seu escriptorio na ra larga do Rosario
n. 26.
M
AVISO
Cortes de setira d cores e ditos de seda dos mais .legantes gestos.
Coch!s de le >a de cores, ditas de damasco e la, ditas de crochs e de
^^^r^^Z^l^^^ de multas quaiidades e preco, .
$35? brancos diados, cbralas bordadas, filos, tarlatnnas e cambra.as
*n **-Mj^g***^ de todas as quaiidades, merinos
ratos. &*S pn-tas. pannos pretos e atoes, casemiras prease de cores
rSJnd v?rit- ade de todas as f zondas tanto para a praca como para o mallo.
* P ?roDb da aSCm WZ e trancado, azul e de listras, madapolo, chitas e todas as fazen-
das para ffis de anganho as quaes wndem a din!, iro, pe.os precos das casas m-
Os Srs. Meuron & C, fabricantes de rap, Dk
ra do Mondejro n 107, precisam de algumas mu
Iheres para Irabalhar na sua fabrira : a qen.
convier pode dirigirse mesma fabrica par*
tratar. ,_______________
ARMAZEM
DO
Roa \ova n. 9,
acaba do chegar pelos uUimos vapores
messas dos seguintes: *
Calcado ffancez
Para senhoras.Botinas brancas, pretas, e de ou-
tras multas difTerenles cores a ultima
moda.
Para meninas.Botinas das mesmas cores e qua-
licladis cima.
Para homens.Botinas de cordavao, bezerro, ver-
niz, peluca, o melhor sortimento que se
pode desejar.
Para meninos.-Botinas das mesmas quaiidades
mencionadas para homens.
Para homens.Bous rucianas, meias-botas e per-
m ira?.
Para homens, senhoras e meninos.Sapatos ae
tapete, aveludados, charlte, casemira
preta, tranca de Lisboa ele. etc.
Para meninos o meninas. Abotinados fortes de
muitas quaiidades.
Qumquilharias
Finos artigos de Paris, de gosto e phantazia,
como seiam, leqnes espelhos, luvas de Jonvm,
caixinhas de costura com msica*, joias do ouro
bom de lei, ditas de plaqu, cofres de seda e bol-
cinhas para braco, estujos para viagens, bengalas,
chicotinho* de baleia, oculos, lunetas, correnles de
relogios, e perfumaras de Condray e^de Piver.
Brinquedos para criancas
Carrinhos do 3 e de 4 rodas para passeios, eos-
moramas e realejos de diversos lmannos, e um
cem numero de brinquedos rancezes e allemaes
para enlreter menin >s.
Para eviur massante leitura de tantos artigos
exDOStos venda nesle estabelecimento, o dono
entrar de
30*.
Ditas para homem a 35)5, 403 e
Coques a 1_0, t54, M, 203,
25tf, 304 e.....
Crescentes m, i3.18, 203, -6rte de ^^0 com \zvm t
253, 303 a ... ***>, ch q......
Cachos ou crespos a 33, 43, fc50, crle de cabellocom limpeii da
63, 73, 83, 93 e. ... 103000, machina elaetri-
Tranca de'cabello para annel a j C3) unicVem PernambKO. .
' v' i .' '. n Frisado inglexa ou a francea.
Tranca para braceletes a 103, ri* e
453,203,25 a.....303000 Barba. ...
ASSIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Halles e solrea
O dono do estabelecimento previne s
Exmas. Sras. a aos cavalheiros qne ha um
salao para tintara dos cabellos a barba, as-
sim como am empregado smente oceupa-
do nesse servico
I*
50t
Recommenda-se a superior TIJTTRA k
PONEZA para enegrecer os cabelka ter
ba, nnica admittida na Expsito Universa)
como n3o prejudicial sade, por aar w
latil, analysada a approvada pela* ac*
mi as de scieneias de PARS E LOKMIEF
OURO
TEZORA DE
A' ra do QaHroado n. 6, primero andar
o maior acceio nos traballios de
8pessoas para o servico e
O salao estar aberto, nos das uteis das O horas da manhaa as f
e, a nos dias santificados das 7 a 1 hora da tard.
1 TINTA DE <
>coi>es
VAOEM
Procisa-sc de urna ama para pouca
familia: na ra dos Copia/es ou amiga-
mente Lobato n. I, primeiro anJar.______
OLIEIRO.
OfTerece-sc um rapaz ltimamente chegado, com
is precises liabilitacoes, para casa particular : a
'jalar na ra do Gamaro n. 13.
pede ao publico em geral que se digne
passeio aflm de verilicarem nao a grande va-
ridade como os precos baratsimos por serem
todos chegados de cunta propria.
tlezas,
Ssteiras
Es ne>t*1
da
estabelecimento ha s<-mpre o mais esplendido sortimento do
India p ra forrar sala-, que se vonde mais barato
do que em outra quaiquer parte
55Ra da Imperatriz55
F Gautier, propietario deste importante estabelecimento tem a honra
de participar ao respeitavel publico que acaba de chegar da Europa para on-
deffi ido especialmente para contratar peritos offlciaes e que consegu.o
contrata-.o. na pr.meira casa de Paris, por isto julga que todosi flci.Jo sat s-
feitos d..s traba hos do seu estabelecimento^ enjo excellente material anda
o iugmentado rom novas machinas que j. receben e tambem multas drogas
novas cora as quaes se obtem estas maravilhosas cores modernas 13o apren-
das em Franca e em todo o mundo, .____j..
Tinge, lava, lirapa, lustra, achamalota com a maior perfeicao fazendas
em pecase em obras de todas as quaiidades como sejam: seda. 15a, algodSo,
linhas, chapeos de feltro edepalha etc., etc. .
Tira nodoas e limpa secco sem molhar os tecidos, conservando assim
todo o brilho da fazenda. #
Impressoes sobre tecidos
com este novo svstema, os vestidos de seda e outras fazendas que at agora s
podiam liogir-se'de cores lisas, podem receber um bonito desenho de cor
diversa, a escolha, o que realca a fazenda e lhe d mais merecimento.
Tintura preta, terqas e sextas-feiras
\s pessoas das provincias limitrophes que querem utilisar se do seu
estabelecimento podero mandar o que tiverem, na certeza de serem tao bem
servidas como no Rio de Janeiro ou na Eoropa, e com mais prestesa por
cansa da distancia.
Pessoa
O bacbard Joao Joaquira Fonseca de
Albuquerque tem aberto o seu escripto-
rio de advocada em casa ilc sua residen
cia na das Cruzes n. 30, segundo an-
dar, ondo poder ser encontrado das 10
horas da manhaa s 4 da tarde ; e bem
assim cncarrega-se de defender reos nao
b no jury da capital como fra della,
urna v;z que haja commoda e fcil con-
ducca'..
Precisa-se de urna MM para
una crianca : no pateo do Carmo n.
de um menino para caixero de
o servico de
5, 2* andar.
Precisa-se _
nadara, sendo de 12 a li annos de idade, cem
piatica ou sera olla : ra das Cinco Ponas qu
mero 38.________________
. ATTENCAO d
Contina a estar fgido o escravo preto do no-
mo Jos, idade 40 annos, estatura regular, carpo
a proporco, pouca barba, alguna cabellos /.rao-
eos na cabeca, lera amo a bucea e no pescoceo do
lado direiU signal de um arranhao cuja cor e
mais clara que a da pclle em consecuencia do Mr
sarado ha pouco, levou chapeo cimento de rearo,
camisa de chita roxa e ou.ra branca e duas cal-
Cas pardas M escravo do Sr. Manocl Pereira
Vianua m .rador no Grvala : quem o capturar
leve-o ra do Apollo u. t'i, que sera generosa-
menle recompensado___________________.___
O Sr. FRANCSCO perera
DE AERCDA CMARA, (sellhor de
engenho) tenha a bondade de
dirljir-se ra do Crespo n
17, a negocio, _______"
- Na praca da Boa-vista n. 2, r amar, preri-
sa-se de urna ama de leilo que seja cscrava, paga-
se muito bem se agradar.
MASCARAS
MASCARAS
DE RAME
DE CERA
DE SliDA
DE MASS\
Km grande quandade a precos bar.lissimos,
e ainda com abalimentos de duzia para cima : no
armazein do vapor francez, roa Nova n. 7.
TIMTIIBABIA
HU DAS FLORES25
O dono deste estabelecimento tinge, limpa e achamalota com a maior
perfeicao possivel todo e quaiquer objecto de seda, 15a, algodao, em pecas
ou em obras, chapeos de feltro, palha e manillia etc., lira mftfo das faien-
das e faz todo o mais concernente sua orofissao, ludo com brevidade, visto
como se acha prvido dos necessarios macbinismos e petre.bos.
Offo Schncidcr.
CANA DA FE.
Aos 20:000^000.
ra do Cabug n. 1
Biihetes do Rio venda :
ende Vieira & Rodrigues.
Plica do Corpo Sant) n. 17 primeiro jjg
andar escriptorio de Joaquim Rodrigues -.
Tavares de Mello, tem para vender :
Fumo em flha de superior qualidade. i^
Vinho Bordeaux de superior qualidade.
Farinha de mandioca em grande por- P
rao e boa qualidade.
Cal de Lisboa muito nova.
Potassa da Russia.
^yjtsty^^--'
Precisa se de serventes na fundicao do Bow-
man : ra do Brnm n. 5!, passando o chafarte.
DECLRACAO. |B .
"-asraJSriSft 11 Hospital Portupe de Beneflcen
f
frop3e-se a leecioaar pnmeiras
ingua nacional o alguns preparatorios
nesta capital ou nos suburbios, que te-
nham transporte pelas vias-ferre?.9, me-
diante razoavel honorario : traur no
pateo do Paraizo n. 16, na travessa da
ra Bella n 10, o na ra das Cruzes
. 37, loja.
Casa de commissao le escravoa.
Na antiga casa de commissao de eseravos, de
abaixo as-ignado, ra do Imperador n, W, conu
nna-se a ncober eseravos por comoussao, tanK
do mato coao da praca para seren vendidos,
2arante-se o bom traiamento e prompta venda
gan o que se eraprega todos os esforcos alim d<
EadUBT em ludo s pessoas que o quizarem hon-
nrcom sua coollanca. Nesu casa ha serapr*
para vender escravo de ambos os sexos, vemos
mocos, assim como ka t da seguranc para os ter
Antonio Jos >. de bauza.
cia em IVrnarabueo.
Em curoprimento do qne dispSe os estatutos
que regem esta associacan, cabe-me o dever de
convidar, robando a lodos os senhores socios do
Ilospttal Portuguez de Beneficencia em Pernam
buco para se raunirem domingo, 20 do coTrentc
mez de fe?ereiro, as 10 hora* da inanhaa, na casa
das respectivas sessoes e sitio do referido Hospital
denominado Cajueiro, afim de constituida a assem
bla geral, proceder-se de conformidad com os
arls. 29, 30 e 17 do art. 39 do> indhiados estatu-
tos, a posse da nova junta administrativa, que
tem de funccioiar no presente anno de 1870.
Secretaria do Hospital Portuguez de Beneficen-
cia em Pernambuco 15 de fevereiro de 1870.
Francisco ioao de Barros,
Provednr.
COMPANHIA PERNAMBUCANA.
5o DIVIDENDO.
De ordem do eonselho di* direccao so communica
aos Srs accionistas que o pagamento do quinto di-
videndo razao de 10 por ceBto, lera lugar do da
. 8 de marco prximo vindo
eriptorio da compania
Meete novo deposito recebe- por todos paque- 12. .-,,
M^lanticos bas de loaMafc^wpwlor, ven- O geren^
Bichas hamburguezas
no caes da Assembla
to^eem caixa ou fwrcie' mai [qei\i e mai
" rae quaiquer outra parte ; na ra di
n. 81, t" andar.
lorgts.
tando de que au
Cadeia do I
Ama.
Precisa-se de urna ama para f asa de pouca fa-
milia : na ra da Cadeia do Recife n 17._______
aac:
Ama.
perf i : a
Caeia n. 81, loja. Paga-se b*m.
tratar na 7 da no de ama casa de pouca familia: a tratar na roa
da Madre de Doos n, 6, arraazem.
- Em resposta ao anouncio do Sr. Dr. Antonio
Borges da Fonseca, como P0^'^ ^Ma:
p.____ r_j_:___ Knm nm conlc^iacao ao
noel Duarto Rodrigues Pinto, em
nosso annuntio de 11 do mez correte,> tem-
d.zer que o Sr. Manocl Buarte Rodrigues
Pinto
compra raoeda, nao ha duv.da mas por nui e
considerada a venda feitt a moeda nao exeedendo
a 40 dias, e o Sr. Pinto deve saber, pois i-to ora-
che nossa, e mesmo pelo que lhe temosi diU. e.por
compra que direcumente ia nos fez, de levar
fazebda c nao a pagar loar. Descu|P^,sen Mm
Manoel Duarte Rodrigues Pinto se se offendeu com
o nosso annuncio, ao que vamos dar nossa ordem
para ser retirado. Sabemos que o senhor e nu-
mera de bem e honrado, e nos merece Wao*-
flanea, e tom crdito para o qne quizer comprar
em nossa casa, e por estes motivos temos preten-
dido de documontos. como coslumamos fazer com
muitos era idnticas circumstancias ; mas espera-
mos que o senhor, como homem de bem ni lem-
po competenie, satisfaca o que tratou verbairaen-
to Corga Irmaos.
Precisa-st alagar urna casa terrea ou um so
brado cora commodos, na cidade de Olinda, em al-
eumas das segnintes roas : S Bento, ladeira da
Ribeira, ladeira da Misericordia, e ra do Ampa
ro, nao se duvida dar bom aluguel se agradar :
quera tiver deixe carta fechada com as raiciaes
J. A. F. nesla typogranbia, -ra annuncie.
Na travessa da ra das Cruzes n. 2, 1" an-
dar, precisa se fallar ao Sr. Porfirio Antonio Pe-
reira negocio de -en tnlerease.
Aliigase a casa terrea n. 40 sita na ra Di-
reila dos Afogado*:
o n. 50.
a tratar na ra do Caldeiroi-
Preeia-Be de ama creada livre oa eseraya
oaraoCTv3o interno e externo do hospital da
veneravel Ordem 3 de 8. Francisco desta cidade.
tratar cora o Sr. amistro na raa larga do Rosa-
rio C
COMPANHIA
Piecsa-se de urna ama que saiba cozinbar o
diario do urna casa, prefere-se escrava : a tratar
na ra do Imperador u. 12/ escriptorio.________
O advngadu Manoel Joaquim Silveira pcle
ser procurado para os misteres de sua profisso
em seu escriptorio ra do C. dar, das 10 horas da manhaa s 3 da tarde. Reside
a ra da Conquista (Soledade) n. 4.____________
Preeisa-se de um cozinheiro ou eczinheira :
ta ra do Imperador n. 73,2o andar.
mm M-mmmmmmmmmmm
O Dr. Aprigio Jusliniano da Silva Ga: |
maraes continua com sen escriptorio |
_-, roa do Imperador n. 27, e resida ra ff^
do Seve (ilha dos Rafos) n. 22.
Senhores barcaceiros
ou danos de barcai^a*.
Era dias de d< zembro do anno pass
luou-se nm embarque na
para o Pilar na barcara Fljr das Alapo*-, eiT*
outros gneros enibarcou-s>: nm karr ae faaH
em pipa de banha ii preo ; e oa ao ebf-
?e ao seu destino presume-se ter e.ubar'aJo *
alguma das muitas barrarat ajli e-iaTaaj **rs-
naqiiclla orrasio : quem i'>livcr tt pos*? de!
do sen valor, qnerendo rcshtoir pora twararj
de r.msciencia, enienda-sc no escriptorio e Tas**
Irmaos & C., q-ie e.-to aulorha* agriajrar
com penen* idade._________________
Moilo oeeessiU-M fallar ao Sr. Aakwi) Xa
rinho Paes Brrelo, a n
queira dirigir-se na ritUde de Oli4a ao **ra*>
ultimo do Varad raro aafj exile cma fabr.za *
cigarros.____________________
l'ncisa-se de uma >ma, na r u de !t .-
1. Na nirsma rasa cempram-fe j>raBBI pura -
brulho a 4 000 a arroba._____________
Precisa-se de um
Sob;dade n. 2.
forneiro : aa aadari oa
Iv
Na ra DireiU n. 101 ]ava-se e engomma-se
com perfeicao c promptidao.______________
CiRNAM
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
RECIFE A9 OIIjVDA.
Por ordem da directora sao convidados
os Srs. accionistas para, no praso de 10 dias
contados do da 15 do corrente, effectua-
rem a 7a prestado de suas aeces na ra-
zio de 10%.
Para esse fim, ser encontrado o Sr. the-
soureiro, das 11 horas da manhaa as 2 da
tarde de todos os dias, no escriptorio da
companhia, roa Nova n. 35 Io andar, en-
trada pela roa das Flores n. 14.
Recife, 12 de Feyereiro de 1870.
Joo Joaquim Alves,
i" secretario._________
Alaga-se ora grande sitio, com muitos arvo-
redos, doos vivefros, casa, banheir- e outroscom-
modos para grande familia, perto da etacao da
Manguinno, enirada do beco do Espinbeiro com
muro o poriao : tratar na ra do Apollo n. 30,
ou oo mesmo sitio das 3 horas da tarde em diante.
Precisa-se de orna coznheira : na ra do
Imperador n. 73, 2 andar_______________
Precisa se de um fetur portuguez, que on-
lenda de jardim e hortas : tratar na ra Dircita
n. 18.
' 0 abaixo assignado tendo de ir a Europa
tratar de sua saude, deixa como seus procurado
res, em lugar seu foco e primo o Sr. Luiz Ca
bral da Medeiros, em 2o o Sr. Jos do Reg Bor-
ges e era 3 o Sr. Manoel Jos dn Silva Oliveira.
Recife, 10 de fevereiro de 1870.
._____ Antonio do Reg Medeiros.
Antonio do Reg Medeiros com eslabeleci-
mento de molhados, sito a estrada nova de Santo
Amaro n. 66, declara an corpo do ommercio, que
tendo de fazer uma viagem Europa, admettio
como socio de sua casa mu primo o Sr. Luiz Ca-
bral de Medeiros, gyrando de hoje em dlante sol
a razio social de Reg & Cabral. Recife 15 de
fevereiro de 1870,_________________________
Antonio do Reg Medeiru, menjo de molhadoi oa estrada nova de Santo Ama-
ro n. 66, declara pelo presento que julga nada de-
ver DflU praca e nem (ora della ; e se alauem se
julgar cFedor, queira apreaentar a coBta para
ser papo immediaramente.
Grande remessa de borracha para o fabrico de
limas para o entrudo, da melhor que aqui tem
vindo, na ru Direita n. 53, e na ra Nova n. 39
e 16, por menos preco do que era outra quaiquer
parte._______________________________
Na praca da Independencia o. 33 se da di-
iheiro sobre penhores de ouro, prata e pedras
ireciosas, seja qual for a quantia ; e na mesm
lasa se compra e vende objectos de ouro e prata
igualmente se faz toda e quaiquer obra de en
lommenda, e todo e quaiquer concert tendent
i mesma arte.___
AMA
Na ra do Torres o. 16, 2o andar, precisa e de
uma ama que cozinhe, compre e eogomme para
uma pessoa. t. .________________
Precisa-St
Precisa-se alugar um escravo para servico de
hotel : ra das Cruzes n. 39.
Sitio para alugar.
Aluga-se um sitio no Caiueiro, na entrada do
Hospital Portuguez n. 6, todo murado, com casa
para grande familia, grande senzala com divorsos
quarto? e cocheira, bastante arbonsado e jardim
na frente, tendo agua de chafariz com abundan-
cia encanada com depsitos: a tratar na ra da
Aurora n 66.
r>
Joaquim do Sonza Monteiro cordialmente agra-
dece a todos os feus amigos e parentes que se dig-
na ram asistir os ltimos sullragio pela senUda
morte de sua prezada irma Eduvirges dos Santos
Teixeira; e de novo Ihes roga o obsequio de assis
tirem as missas do stimo dia, que ter lugar na
sexufeira, 18 do c irrente, na igrejada ordem ter-
ceira do Carmo as 7 horas da man'
Attencao
Uma pessoa com as precisas habilitacocs e que
tem alguns eseravos, prop6e-se a tomar conta dr
quaiquer enpcnho por administracao ou
quem precisar annuncie por esta Dia
iiario.
Preisa-w de oficial
ctreila cb Rosario n. 25.
de fonileiro : na roa
Engenho a' arrendar
Arenda se o engenho Estfrib *: MaraWi, *
animaes, moente e corrente, untj i .',iaa> d> ?
Formos.0, com rmbarque na porta bem :
engenho Maatrrido, as memas e >n liadas, Jtl
ao povoadn de Ipojuca : a traur oa raa di
ment o. 19._______________
Aluga-se nm rapaz qoe sin j pan c
e mais servico i casa : aa roa de fi
73. 2* andar.
Precisase de ama ano. livre aa mer.
para o servir interno de orna eaa da pasea
milia. tratar na na Direita n. 88, 2 aaOr.
Precisase de um t.-itor para ?nf>i, sjae
seja portognez, paga-se brm : n e^cnaaario ie
Leal & Irmo : ra da Cadeia -i. I -;.
AMA
Prerisa-se de noia ama para r<,zi*aar eas
de pessoas solteiis : na ra da MaJra da
o. 34.
ESTRADA
DE FEhRO
DO
Recife Jaboatao.
Manoel de Barros Barretn, iestpao
convocar os accionistas da estrada da
de Jaboatao. afim de eleger-se a
da companbia, roga as pessoas .70
a bondade de incombir-se de asociar sba-
criptores de mandar qaanto antes, as ra da
Aurora n. 10, a raa do Crespo a. t, ae
ra Nova n. 2, a relacio do si
para poder marcar-se o dia para a
celo dos accionistas.
Recebe-se ainda al o flm
mez assignaturas novas aceces
gares arima mencionados e na
do corrector Gonzalo Jos Affso, sa>l
do (k)rpo Santo.
Recire, 14 de fevereiro de 1870.
Manoel de Barras Barreta.
' Precisa-* da o caixaara par
em boa localidad?, qoe teoaa
te negocio, e d fiador a saa
do-se dar-lhe soeiaiee. entran* etao
do, e tendo as haaWsace* prttint para
trar o negocio : qaata Mivar aasus er
qaizer, a anuncie por este Diario,
1 tome e residencia em carta fecaada
phia cftm a< iniciaea A. B. C. para ser
Precisa-se de
para o servico i
I
uma criada tra aa
esmaca**
Vendo saber lavar a engoaacar: sn "ra
qniia (sotedaoV) n. C-.
servit-o
saber lai
a Gas-


Diario de Pernambuco Sexta eira 18 de Fevereiro de 1870.
f

Pede se ao Sr. Eduardo Ficmioo da
Silva o obsequio de vir a ra Nova n. 45,
toja.
COMPRAS.
0 muzeo de joias
Na roa do Cabug n. 4 couipra-sa onro, prata
pedras preciosa? por precos mais vanUjosos do
que em outra qualquoi- parte.
CM1E
DE
Com inulto BiAiur vantagcin coiapram-ae
moedas de ouro e prata : na luja Je joias do Co-
racaode Onro n. i O, roa do Cabiig.
. ESCKAYOS
Compram-se e vendem se diariamente para fra
dentro da provincia eseravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejam sadios : no
terceiro andar do sobrado n. 36, ra daa Crines,
reguezia de Santo Antonio.
Coiupra-se papel para embrulho de qnal-
qaer qualidade, no pateo do Carino esquina da
ra de Hortas armazem n. 2.
Cabellos
Na ra do Queimado n. 6, la andar, salao do
cabellelreiro, eompra-se continuadamente cabellos
comprlos.
Compra-se urna carreca que esteja em bom
estado : na ra Nova, toja n. 7.
Comprara se e. na ra do Imperador n. 73, 2o andar, das 8 da
manhaa as i da tarde.
Compram se moedas de ouro e prata de to-
dos os valores, onro e prata em obras inutilisadas,
brilbantes e mais pedras preciosas: na loja de
ourives do arco da Conceicao, no Recife.
Casa terrea
Comprase urna ea?a terrea
Madre de Dos n. 16. loja.
a tratar na na da
Comjra-se
urna esorava que seja boa enuommadeira e coti-
nheira, e sem vicios o achaques : na ra do Pires,
sobrado b, 27.
VrNDAS.
Refinacao
Vende-so a refinacao da raa Direlta n. 22, bom
afregaezada, vende mais de iarrooas de assucar
diariarr ente, est bem montada, e o motivo se dir
ao comprafler.______
Vndese 1 prata prca, carreiro, idade 24
anoos, 2 noleques pecas do idade 19 a 20 annos,
1 escrava com um lindo filho de idade 4 annos.
1 dita de idade 30 aiwios, engomma l>em e ai-
nha, 2 rindas moletas de idade 13 a li annos :
na traves-a do Carmo n. 1.
Vende-se um cabriolet novo de duas rodas,
por preco muito wmmodo; na officina do'Gui
1 herme ra do Jasmim n. 20.
Farinha de mandioca
Vende-so supnior farinha de mandioca em sac-
eos : no escripteno de Antonio Luiz de -Oliveira
Aaevedo & C, ra da Cruz n 57, i andar.
Bolacfeinha in^lez a 4$~
a barrica, e a 340 rs. a libra : no armazem da es
trella, largo do Paraizo n. 14.
Vende-se a taberna da ra da Conquista n
i : tratar na mesas i>u no Chora-menino n. 2.
K DiNHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO -^
DE
FLIX PEREIRA DA SIIjTA.
0 proprietario d'este grande estabelacimento, vendo que se est aproximando o fin-
io anno, e tendo em ser um grande deposito deposito de fazendas; nao fallando em
voltadas encommendas que Ibes esto obrigado todos os dias, tem resolvido liquid-
is por pre^o muito mais baratos do que em outra qualquer parte ; s com o fim
e diminuir o deposito e aparar dinheiro. Encontra-se neste estabelecimento do
'AVO, avultado sortimcnlo deiazondas de laxo e modas; assim como de primeira
lecessidade. As pessoas que negocian) em pequea escala n'esta loja podero surtir-
e vendendo-se-ihes pelos precos que compram, n ellentissimas familias podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou man-
ar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
cha constantemente aborto das 6 horas da manhaa s 9 da noite.
xplendido SOrtmentO de Crochs para cadeiras e sofs
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sonido das melhores roupas,
endo calcas palitots e coletos de casemira,
e panno, de brim, de alpaca, e de todas
a mais fazendas que os comp/adores pos-
am desejar, assim como na mesma loja
*m um bello sortimento de pannos casemi-
as, brins, etc. etc. para se mandar fazer
para cadeiras e
0 Pavo tem nm grande sortimento dos
mais bonitos crochs proprios para cadei*
ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
como proprios para cobrir presentes, e ven-
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte,
GLACE' A 1:200 PARA VESTIDOS
O Pav5o tem esta nova fazenda lisa pro-
pria para vestidos, com as mais delicadas
cores e com mais lustre do que a propria
seda com 4 palmos de largura que facilita
fazer-se qualquer vestido com 10 covados
Vendase urna preta, boa quiaadeira, lava
de sabao e varrelh, e tfin principile cofinha:
para ver na ra de S. Gonzalo n. 20 confronte ao
chafan;. >
4 ECONOMA
CMEGA A TODO
No armazem do-Campos da na do Im
perador n. 28, ha grande pori.au de ceblas
e linguas seccas qm se vende em grosso e
a retalho por diminuto pieco
Urna Unjua j>or 240 rs. !!!......
QuanJo ama libra ile carne cusa 320
400 rs,, urna lingna por 12 vileos IM.....
e realmente m UMA LINCHA POR DOSE VINTN*
So u* arnsazrat Bo
[aalqaer peca de obra, coma maiorpromp- e vndese pelo baratissimo preco de 1:200
da vontade do fregn, e nao senoo rs. 0 covado, pechincha.
brigados a acceita-las, qisando nao stejam ALGODAO ENFESTADO
olletamente ao seu contento, assim como Vende-se urna grande porcao de algodo-
'este vasto estabelecimento encontrar o sinho americano com 8 palmos de largura
upeitavel publico um bello sortimento de propro para lenccs e toalhas tendo liso e
amisas francezas e mglezas, ceroulas de trrncao que se vendo por preco muito em
" tfABrii*Bj""*
*
[RGf
Stt.

60 UEtMA4
GRANDE NOVIDADE
Quaado a AGUIA BRANCA, mais precisa scientificar ao respeitavel publico em
geral, e em particular a sua boa freguezia, da immensidade de objectos que ltimamen-
te tem recebido, justamentefquando ella menos o pode fazer e porque essa falla invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que Ih'a attenderao e relevarlo,
continuando portanto a dirigirem-se a bem conhecida 1< ja da AGUIA BRANCA ra do
Queimado n. 8, onde sempre cbar3o abundancia em sortimento de superioridade em
qualidades, modicidade em precos e o sea nanea desmenttido AGRADO E SINCERIDADC
Do que cima Dea dito se couhece que o tempo le que a AGUIA BRANG \ pode
dispdr, empregado apezar de seus custos no desempenho de bem servir a aquelles que a
honrara procurando prover-se em dita loja do que necessilam, entretanto sem ennume-
rar os objectos que por sua natureza so mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja importancia, elegancia e novidade os tornara recoramendaveis, como
bi m seja :
Corpinbos de carabraia, primorcsmente
MHMIS El (i|K
PARA NEGOCIO
POR PRECOS MUITO BARAT<
H0 BAZAR DA MODA
Ra Nova n. 60

r|M
Campos.
Anda est pors se vender o siiio da travs-
sa dos Remedie* n. 21, na fre(ioe?.ia dos Affcig-
dos (no estado em qi-.c se aeba): quem pretender
ontenda se cora s>iu proprietatte no sobrado da
ra de S. Francisco b. 10.
Para < carnaval
Na r:a estreiu do Rosario u. 33, Io andar, tiw
nra graede s-irtimenle de vestuarios de principe
ttordades a ouro e a seda e laa, ludo do ultimo
gosto e baratos, ludo novo, v^nde-H; e aluga-se ;
lem um grande sortitne de veHudn e seda-, t.jdt novo, a vender so e ala-
gar se ; vestuaro.s para meninos, emfim ludo de
muito gosto e batato ; faz-se taibem qualqn^r
vestuario a carcter c a gusto de seas dono>, toni
agrando sorti.Tientn 109 para venderle e alqgar se, e vesluirios rico*
para quem tiver go>to. proprios para bailes e
MtMnf.
Farinha de mandioca
era sa de-se nos armazens d.i Companhia Peraambucana.
caes da Asamblea n. li.
(javallo para cab i<4et
Voode.se um r.xcellente cavallo para cabriole
por preco ccoimodo na estrada de Jo de Bar-
ros o 1,ultimo sitie.
Atteo$ao.
Vendem-se duas carrosas era fcom estada e jun-
tamente (iour beis para as roosaias: a tratar na
xua Direita n. 101.
Vende-se una taberna do.pateo de S. Jos
B. 54, Lera afregvezada para a trra e com poucos
nndes : a tratar a mesma.
??? ib por cea i o d ec< nomia ?"?
Et fumo dar lucem
29-RA DO IMPERADOR 29
Bicos econmico?, d b ^ada un.
Fariuht de mandioca
de anperhr qualidade. e em caceo grandes : ren-
de- noarmirern n. 1> da Cimpinhia Pernamba-
cana, cae d.i assembla.
"La^edo
Veode-ie laged j oara cal{adss e armazens par
pro? i commoJo : na raa do Apollo n. i.
Mi I lio novo
Veade-se em saoeo grandes, c por menos prre.o
do que em ou!ra parte : para ver. no trapiche
Dantas, e para tratar, na ra do Apollo.
J. A. MOREfU OAS
tem conttartemete em seu armazem, ix raa da
Cruz o. Si9, om completo sortimento do
Balaneas dechnaes
Ditas ori lOQtjes
Pesos da forro pelo vs'ma decimal.
Bombas i California ara poc j?, as melhores que
ten ac-parecido at.h.njo.
Chamiii* der vidro para "audieiroi a gaz. .
Lonas de t i jjii 4de.
Agua fl )i
Graix* era 97.
Vidros pr.-;
Tnico fmr
inho e algodao e outros muitos artigos
roprios para homoas e senhoras promet-
endo-se-lhe vender mais barato do que em
otra qualquer ptrte. Na roa da Impera-
r n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
da Silva.
Pechincha a 2^000
Para lenc/5e8.
Na loja do Pavao vende-se superior bramante
om 10 palmos de largura, dando a largura o com-
rmenlo do lencl, seno apenas preciso para
ada Icncol um e meio, ou um e um quarto me-
ros ; alm desta apw0o tem ontras muitas
iara arranjes de familias e vndese pelo barato
ireco de 2*000 o metro Na loja do Pavao, ra
la Imperatriz n. GO. Do Flix Percira da Silva.
Gangas de Sinbo
Vende-se gangas de linho cora qua irinhos
auito boa fazendtt, para ropa de liomcns
t meninos e vende-se pelo barato preco de
KM) rs o covado:
'ECH1NCHA EM PANTO PRETO A 2:400.
0 PavSo vendo superior panno preto fino,
8ra pallitots, Glfas. colletos, etc., pelo ba-
'atissimo preco de 2:100, o covado, c gran-
le pe-hmiha.
Drtcs de easeuitra prcta a 450
Pavo vende os superiores cortes de
lasemiras pre'as enfestedas, pele barato
jreco de 4:500, pcclikicba.
PARA 0 CARNAVAL
Verbnt i ua 6IO rs.
0 Pavo vende bonitas verbutinas de co-
res para dip.ins e outros trages de mas-
aras pelo baratissimo pretjo de ^40 rs. o
.ovado.
JGCHINCHA, ALGODiOSINHO A 4;000,
O Pavao est vendeudo pe^as de algo-
laosinhofrancez, tendo 4 palmos de largu-
a a-m H metros cadfl peca, pdo barato
>reco de 4000.
Pecas de uiadapolo a 45:.0.
O Pavo -vende pecas de muito bom ma-
iapolo tendo 12 jardscada urna pelo ba-
rato preco de 3:00.
G06SDENAPLES PRETOS.
Chegou pata a loja o Pavo um grande
iorlimento de grosdcnqiles pretos, tendo;
le IdoOOat o^OOOo^vado neste genero
ts melhors e mais largo6 que tem vmdo ao
nercado, assim como bonitas secUs pretas
avradas, noireantiquesetc, todas estas fa-
endas, veodem-se mais barato "do -qoe em
Mitra qaalquer parte, por baver grande
wrco.
PERCALLAS E CHHAS BARATAS.
0 Pavo vendo um grande sortimento
las mais bonitas chitas claras e escuras, mais
carato do que em outra qualquer parte.
Cacsas a SAO rs.
Vende-se na loja do Pavao bonitas cas-
laede cores fias a 210, 280 e 300 rs. o
xjvado.
Cambraias brancas a 4:066 a prca.
S o Pavo vende pecas de cambraia
iranca transparente, tendo ma6 de vara de
argura, com 10 jardas cada peca fazenda
jue sempre se veedeu a 7#0 e 85000,
iqmda-se pelo barato preco de 0000.
ilpaeas brilhaates a l*, e so.
O Pavo tem o mais bello sortsento de
ilpacas lavradas com as cores maw delica-
las que tem vindo ao mercado e tendo bas-
ante larguaa, vendem-&e pelo barate jreco
le l$0Qe>. e00 rs. o covado.
Merino de eordo
Vende-e merino preto de1 eordo pro-
)rio para calcas, palit it-, colletes, pelo
aratissimo prcoe de 15000, o covado,
iS P0UPELIN4S 00 PAVO A 500 RS.
Cbegaram as mais lindas poupelioas de
a com imitaco das poupelinas de seda,
im fazenda muito leve com as mais fin-
ias cores, sendo: verde Bismark, rosa, azul
yrio, c nseoto, perolla etc, etc, e vende-se
telo baratissimo preco de 600 rs.
BONITAS LUSINHAS
1U ANADINAS A 10000 RS. O COVADO.
Chegou para o Pavo, um grande e va-
nado sortimento deata nova fazenda de la
i seda propria para vestidos, com os mais
lelicados deseabos e mais modernas cores,
endo bastante largura que facilita fazer-se
im vestido com poucos covados, pelo bara-
issirao preco de 1(5000 o covado, por j es-
arem muito proiimos da festa.
COLCHAS DE PSTAO
J loja do Pavo vende-se um grande sortimen-
> de colchas de fastao sendo brancas e de cures
tas de roch para camAa de nolv, a##im como
oaitos damaaoM de lia {igra colchas.
conta.
f anos de Ilnha
Chegou um grande sortimento de pecas
de panno de linho do Porto que se vendem
de 700 rs. at 10000 a vara, garantindo-se
que em fazenda de linho nao ha nada me-
llior, nem mais propro para lences e toa-
lhas.
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou am grande sortimento dos me-
lhores chapeos de sol de seda, ingleses ten-
do neste artigo o mehor que tem vmdo ao
mercado assim como urna grande porfo de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mats barato do
quo em oitra qaalquer parte, por haver
grande porco.
lencos brancs
Vonde-se um grande sortimento de len-
cos brancos, para homem, sendo a duzia a
15600, 25000 e 35000, ditos abanhados
muito finos a 45 e 65000 a duzia, ditos de
esjfuio fazenda muito superior a 55, 65 e
75000,
Os balees do Pavo a 2#000,
Chog u um grande sortimento de baloes
ou crenolinas do feitio msis moderno muito
proprias rara vestidos ebnesgados que se
vende pelo baratissimo prego de 25000 ca-
da um grande pechineba
Fustoes brancos para vestidos
Chegou uro lindo sortimento dos mais ba-
ratos e bonitos fustoes brancos cora listras
c cordoes, sendo fazeuda bastante larga e
exivel, m*to propria para vestidos e rou-
pas de meemos e vcacm-se a 640 o co-
vado.
A 640 E 800 RS
Para a ktja do Pava cbegaram os mr.is
bonitos crefenes escures inatisados, pro-
pias para vestidos, roupo chambres etc.
qae se vesdem 800 rs. o covade, assim
eemo a m pnoptios para vestidos e roupas de meni-
hcs a 640 o covado, sesdo os padrVs mais
aioderuos qtte tem vinpo ao mercado.
i
LASiNHASLSTKOSAS A400RS. O CO-
VADO.
S o Pavao
'..'nde-se uo grande sortimente das
oais modernas e elegantes lasinhas para
vestidos, com ae cores mais novas que tem
vindo a este mercado, sendo com listrinbas
(niudihas que .-parecen de urna s cr e
;omanto astro que imitaa perfeitanaente
is poupelinas de seda, e *"enden>se pelo-
barato proco de 400 rs.
OssetiusdoP&vo
Vende-w os mais .bonitos setins de cores
s mais eesorpados proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
AOS PAUTOTS DO PAVO A 185 e
205050.
Vende-se bonito scrtimento.de palito-
francezes. sesdo, sobrecaacado* e pro-
priamente sobre-casacos, forrados de alpaca a 185000 e forrados de
teda a 20000, pechincba.
VAmWiSPARA.llJTO
Na luja do Pavo.
Boofentra o respeitavel publico oeste estabeieci-
acntoiOQi grande sortimento de (tiendas pretas,
orno aejtm, caneas raneczas e iaglezas, chitas
tretas de tod.is as (iualidad^s, fazenda de laa de
odas que teta vindo, proprias para tuto, como
tejam, laaciilias, alpacas lavrsdas e usan, cantao,
tombazinas, toerin, ele., que indo se vade por
irco barato.
Vadapolao fraacez a 7^000 rs*
Vende-se pecas de madapolao francez
.om 22 metros pelo baratissimo preco de
'5000 a peca, pechincha.
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeico de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-Ios minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de 'liegar, mas para nao massar o pretn-
deme se Ihe apresentar o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodJo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melbor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesooras para frisar babadinhos.
Aspas para balo.
Novos stercoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um macbinismo
urnas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envernisada com vspe-
ras e com dminos.
Bollas de borracha para brinquedo de
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados crianzas."
e meis para ditos. Diversos objectos de porcelana, proprios
Camisinhas bordadas para ditos. para enfeites de mesa e de lapinhas.
SORTIMENTO PABA 4 FESTA
Vende-se por menos de 10, 20 e 30 i<,
SO' NO
ARMAZEM CONSERVATIVO
N. 23Largo do Tertjo.N. 23.
DE
SIMAO DOS SANTOS Ir C.
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secco e molbados esto re-
solvidos a fazere urna grande diminuicio de precos as suas mercaduras, como se apro-
xima a festa e sempre se fazem avultadas compras para o centro e praca, por
isso previne ao respeitavel publico em geral, que mande fazer suas despendas e cor-
tos de que verlo a grande diflerenca em precos mais do que em outra qualquer parte
e garantindo-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 9$500 a lata, e 440 SEVAD1NHA E SAG 280 rs. a libra e
ts. a garrafa e 660 rs. 6 litro. 60 rs. o kilogrammo.
VINHO VERDADEIRO FIGUEIRA 560 FARINHA DE ARARTA VERDADEIRA
a garrafa, e 45500 a casada e 800 rs o ti- 60 a libra e 15400 o kilogrammo.
tro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, UO e 500 rs. a garrafa, a 2d800 e
35200 a caada, 660 e 720 rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 4.J000.
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADERO DE-LISBOA
00, 240 e 320 rs. a garrafa, 15400,
800 e S5200 a caada,
AZEITE DOCE DE 4JSB0A 900 rs. a
prrafa, e a 75 a caada, e 15340 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 15400 e
1&280 a libra, 35060 e 25780 o kiio-
granmo.
iDITA FRANCEZA 800, 900 850 rs. a lll)ra' cm caixa faz-se abatimento.
a libra, e 25400, 15980 e 15860 o kilo- SERVEJA INGLEZA MARCA II 55500
grammo. a duzia e 500 rs. a garrafa.
BITA PARA TEMPERO 560 rs. a li DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS
bra, 15220 o kilogramo, em porco se BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a duzia.
far abatimentc. VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DF
BANHA DE PORCO OE BALT1MO0R i DIVERSAS MARCAS 15500, 15200 15e
720 re. a libra, o 15560 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 800 rs. o kilogrsmmo.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso, em caisa ha abatimento.
PHOSPIIOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANZA, 280, 400 e 5G0 rs. o masso,
35200 e 5500 a groza.
AMEfXAS EM LATAS E CACHINHAb
DE MUITOS TAMANHOS 15280, 25500
3^500,45500. 55500 a lata e a retalho e 15
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso, e em caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
Coques milaco de cabello,
guarnecidos de bellos enfeites
a ultima moda, a duzia i. -
Papel superior de quadrinbM,
em caixas com 20 cdemos a.
Envelopes pir olana, moto h- a
fazenda o milheiros cm caixi-
nhas de 100 i.....
Botoes di- osso bem pulidos para
calcas, a grosa. .
Ditos cobertos de superior sctiin
de todas as core;, a prosa dos
pequeos a 35000, e dos gran-
des a.......
Ditos com ititeressanles pboto-
grapbias para punbos a duzia
de pares a...... 5j^t
Ditos de osso imitando o mar
com lettras a duzia .
Ditos lizos muito boa fazenda a
duzia.......
Abotuadors para camisa sendo :
2 botes para os punlios, 3
para abertura e I para o rol-
lariho brancos, escarateles,
e pretos a duzia ....
Brincos de cores a balSo, consa
mu to chique a duzia de parrs.
Lindos frasquinbos. empalha!.
.ora bom extracto pata I.
a duzia.......
Ditos em bonitas caixinhas ca-
da frasco a duzia. .
Tinta para marcar rotipa, muito
superior cada frasco en sua
ca xinlia a duzia. .
Livrinbos com capa de metal
douradoe rom bonitas or
para a missa a duzia.
Sabonetes de amendoas amaa-
gas esperiald^'de do R\ZAR
DA MODA, a duzia .
Laps prelos de superior qual-
dade, oitavados a gro?s M
Escovas finas para denles a du-
zia a 15600 e.....
Altinetes muiio bons, brancas e
pretos, a dnzia de caixiiilias a
Penies pretos de muito boa
lidade s grandes para alisar
a duza.......
Ditos marellos tasada superior,
para alisar, a duzia. .
Ditos de borracha om coilas do
metal para repassar, a t
Ditos enfeitados com cotias de
cores a duzia a Id, Bit.
Interesssantes coquiribos capri-
chosamente escullidos Mira
com um bom e Indo ramio
a duzia 105, 125 e
Grande sortimento demiudesa.
Grande sortimento de qnnMEkflrisf.
Grande sortimento de perfom;'
Pagamento reahsado i o
compra com descont ce I" u' cu fetri
acceita a seis mezts il |
/: S

ap
8.W
r so,.
f;50ft
7
2&C9
aH
um
2 BN
14JHI
llllllill
Resta venda um r
lecios ds marciiv.Tia, c::
jarand, moguocara.ircllo, oUa viciimil t an
jeira, de apurado goto e por prisro raMVitf* :
aa raa estreita do .':
jasa fazcru-'-i;c.-m |
palhinita, cemo sjao, r;*t*lktmmu is tos*-
3ara camas, cadeira e un ni^.
COGNAC.
De superior qua
da fabrica de lsqail tal CL,
cognsQ nma das que mnis agurdate
cognac, i isasasra
Reino da loglsWrri.
Vende-se em caf T; r,J
onaereio n. :*2.


porcia se far abatimento.
ARROZ DO MARANHAO E DA INDIA
120 o rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
35400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kogrammo, c 65000 a arroba.
CAF EM GRAO 65 e 65500 a arroba,
209,240 e260 rs. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SABAO MASSA 2*0 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MAESAS PARA SOPA, MACARRA, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a libra ,e
15220 o kilogrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
Ihante.eombination, FraDcy-cracynel, mixed
Britania. Mdium, Fancy-oc-nac, a, b, c, e
soda a 15000 e 15400, cada uma lata.
Assim como ba outros mnitos
garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E IIAMBUR-
GUEZA 75 e 65 a frasqneira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
a 115 a frasqueira e 15 o frasco.
QaSKFSU?15 D,VERS0S VAPORES,
35000, 25800 e 25400 em caixa ba abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MUITO ALTO
^>k a llbraL' e m rs- kilogrammo,
e Htooo-a arroba.
^.o^GU5'AS nNAS PROMPTAS EM LA-
TAS 15000 rs. a lata.
TnL0YfPJ)E P0RC0 ASSAD0 JAPROMP
TO a jflOOOrs. a lata.
o2iA **?' GR-^UI>0 E MIUDINHO
3p200 e 25800 a libra, e 65100 o kilo
grammo.
SM m9mo pARA NEGOCIO 25000,
25200 o 15800, rs. a libra,
genoros, vinho em ancoretas,
FariiiM de indiot
Vendc-ro faiinhadc ma
perior, ebegada ltimamente d
a bordo do Iqpre Mn ^ j,Mx.>
trapicha do Rut. I ; litio ; f
tratar roa do Comm .; i n. 17, .
Joaqnim Jo? Goih liria
Main & Landeiino.
Vpnde sarcos na farinha do miifciij r -
menrs preco qoe em outra t\m\>mtr ptv
roa do Quciinaili lija n. 18, estreita do lt.srio
BRACO
muito novas, passas e figos novos. charutos ^^lc7iZSg M1$*'
mchores conserveiros em LahAa. otAa Altas novidades cm sedas
'Chegou um grande sortimento das mais
noderaas poupelinas ou gorgures de seda
i linho com os mais elegantes padrees que
.em vindo a este mercado sendo, miodos o
iwidos, tanto era cortes para vestidos como
iara vender era covado, assfm como um
onito sortimento das mais bonitas sedas
stradas qno se vende todo muito em conta
Gg DE CARNAUBA.
Vende-se k?aia grande porclo de cera de
Jtroauba em s.vpvos por preco mais barato
lo que em outra qaalquer: na loja do
'avao raa di bnersjrik (n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
Na loja e armazem do Pavao w melhores conservemos em Lisboa, gela de marmel.o, P cego^ iaT em Pp r
tuguezas e francezas, vmho verde engarrafado i retalho, peixe uTbem S
pescada tamba, pargo, goraz, lula, corvina, vezugo, caval a, sarda e sardinhasl
tes. canalla, cravo, ervadoce, cominho. pimentaT grandesmolhos de soboll 114500
Finalmente mn.tos outros gneros que enfandonbo 6 mencina-lns *
PIRA A FESTA
3 portes, loja de fer awm
58Sna Direita--53
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armaiem amarello de Vicecte Fer-
Neste grande eitabelecimento, ha para vender I rCi.: ? da ^sta & Filho, defronte do arco da Con-
nra completo sortimento do ferragern, e miudezas i ceCao m barricas grandes
finas e grossas, como sejam bandejas cbinezas-------vpicnp ob------------1------------------
quadradas a ovaes, facas e garfas de 1 2 bo-' ~ vniNft-bt. ou arrenda-se o engenn
-j---- -. -- -----, ------ j VfWI ***/ a ---- o k/\J i^ /-, --- ... smil uv v vii*.\.iin'
toes, balando inMro e 1/2 balanco; pancllas, cha-1b- Gaspar, silo na freguezia de Serinha>ni
Iheiras, cacafofla, friRideiras, assadeiras, tanto: comarca do Rio Formoso nroximo do om
de ferro como ae porseana, rao nnos para caf de fnrmm *nJ, '" l,,"s"> prximo ao oro
diversos twanhu do fabricante Japv, pesoTkilo^ \m q'. ^J^* partidos de pal .
i vimos. Unto da ferro como de lato, metros i massaPt roda da moenda, mattos mangue;
ra medir fazenda tanto^ferro como de lato, Para raadeira necssaria, bom pasto, etc.:
a tratar na ra d'Aurora n. 26, ot ba d
Imperador n. 20.
Ra do Imperador n.26
Neste novo estabelecimento onconira-
diariamente um variado sortimento de b-
linhos para cha, pastis, podins bolles k-
glezes, pies de l. presontos, dif m fiasfi-
bre, superior cha lysson, pret^, e miwS
nho. Vinhos finos de todas as qosJaJ^
conage, licores, conservas, ckaapsf
veja ingleza, fructas muito bw, por-
tuguezas e francezas.
Um completo e variado "nrtifjmTo de
caixinhas de todas os gostos i prec/4 sr
mimosear senboras. estas raiiintiss n-cet-
temente chegadas de Paris sao de primea-
do gosto, offeresse-mo-las aosgalanleadore*
do bello sexo pois nellas acharo nm difiw
e serio presente para as donas "dos sasji
pensaientos. Tambera osapretlaaVr: -
boa fumara encontraran rharntos dos ss-
Ihores fabricantes da Babia e de Havata
sganos do Rio de Janeiro etc. ett.
Doces d'ovos seceos, cbristalbodos fe
calda, ditos de caj ede oalras qua. Nesta casa recebem-se cnccmmsadss para
bailes, casamentos e baptisados e iftmm
encommendas avnlss, como seja pi V
e bollos (-.nfoitados e outros mutas
que enfadonho mencionar.
(I

I,
gra
para
salitre, breo, barbante, enxofre, papel marcavia-
do, do verdadeiro Picardo, machinas para desca-
ropr aigodlo; alm de ontro artigo de teira-
gem, miadeas entilarias finas, que com a vis-
ta e verifica; na raa iirtiita n. i3 ioja de 3 por-
tas de Hmtl Beato de Ollvaira Ui-afaA fj.
Svada.
Veo4e-8e t rwa Pirrita a. 30, 4* arroa.
illJ
Aluga-sc ricos dminos pretos de JDi
completos ro?tnmes de p?snU=ia de 10
'de-so calis de meia enracm
raa Bella n. 49 sobrado._______
CEMENTO
O verdadeiro porth
ra da Madre de Den."
Joao Martins de arrsw


Diario de Peinambuco
ti. u
Sexta
-i_
feira 18 Je

Fevereiro de
____
1870.
esa-
1 HIJA ttA IiWBRAlWlZ M *
Esquina <;t ra du Aurora, em frente do caf Inaperatnz.
N'estc nov o binptnoso estabeleciment de fazendas encontraro as Bxroas.
familias nulo aoantoposaaai desejar, tanto em artigus do mais rigoroso Idio, como em todas
js mtti.s qualid..-l-.-s de fazendas,
AJfcm '" -' ",'.....m prvido? Un quo de melhor se anoontra neste mer
por todos o paqpntas da Knropa, rece!.a;in directamente o-^ue.e artigos de "*
lo mais apurado gesto e oncontra em l'arij, o que vena cadadia augnaeWw fi&prwper-
ces do que Afcpfc este estaueldcimento para bem servir sua numerosa freguezia.
Algodo largo para leocos e. toalhas de
'.odas as qualid^lesqaecostamavirao mer-
cado.
Alpacas de tolos o^ padres e qualida-
des lio variadas que so. nao portem descrecer.
Athiinscm msicas para collocar retratos,
delicado presente para qualquer pessoa de
sima.
Atoalhado de nho e algodao, branco e
de coi es proprios para toalhas.
Ba i'nnas de seda prctas e mmto moder-
nas, bem como de croiht, tu lo d apurado
gOsD ) feitio.
Baloes de mollina, madapolao, brancos
e de r.-s, para senhora e meninas,
Bareges de cores variado sortimento.
Baba.linhos ou liras bordadas em todas as
larguras.
B Ihutina de todas as cores.
Bolsas de tapte para viagem. grande
vari.Mlade de taannos e gustos.
l..mbazina prelado todas as qualidades.
Bramante de nho de 11 palmos de lar-
gura, e todas 88 mais quali'iades.
Bivtanhas de nho e algodao, grande sor-
tino rito.
Brins de nho branco e de cores, do mais
comm'doao mais caro emqualidade, affian-
cando o que ha de melhor na especie.
Brins d'algodo completo sortimento e
variedade de pre;os.
Cassas de cores, o maior soriimento, pri-
mando pelo boro gosto e barateza, atientas
as qualidades.
Ga nbraias brancas, tapadas, e transparen-
tes de todas as qualidades e precos.
Camisinhas de cambnia de linho e cassa
bordadas ricamente enfeitados para Sras.
Camisas para horcons c meninos, to va-
riado sortimento que val do mais ordinario
madnpolo ao mais perfeito bardado de li-
aho f cambraia.
Camisas de meia, de flanella, brancas e
de cores para liomem.
Ca^emiras preas e de cures, o melhor
que se pode imaginar, sendo d'isso a me-
lhor :>rova o grande consummo deltas na
offlema da casa.
Cap"Has de flores, para noivas e bailes,
desde a mais candida flor de larangeira at
a mais imeressante griaalda.
CbapeUntas no melhor gosto.de todas as
-res hoje preferilas pelas senhoras de
mais apurado rigor na moda.
Chapeos pretos de velludo, para senhoras,
ultimo gosto de Paris.
Chapeos de sol, para s nhorase homeos,
de todos os pre;os e variados gostos.
Chaly com ricos padres para vestidos.
Chalet de todas as qualidades, avultado
numero e nSo
Chitas, impossivel descrever o sortimen-
to e variedade de padres e novos ?ostos,
ha ueste artigo tudo quanto se pode desojar.
Cintos para senhoras o que se pode ima-
ghar de melhor.
Coques, o melhor no gosto e nos entei-
tes, varios tamanhos.
Colchas de seda com borlas, o mais apu-
rad" p sioelavor.
Ditas de fnstao branco e de cores por
precos commndos.
Oorpinhos de cambraia, ricamente borda-
dos para senhoras.
Cortinados de cambraia bordados e de
fil.o que de m Ihor se pode desejar.
C')larinhos de nho bordados e
Gaso com listras de seda e flores, fazen-
da inteiramente nova para vestidos de baile.
Gravatas pra senhoras e harneo* o mws
completo sortimento que se pode desejar.
Guipure preto e branco, diversas largu-
ras e differentes gostos.
Gollas e pnaos bordados para senhoras.
Guardanapos de linho pequeos e gran-
des.
GorgurSo de seda preto ede cores.
Grosdenaples proto e de cores, haven-
do diversas qualidades e gostos.
Japonezes para seoh iras, o melhor gos-
to, e fazenda propria para as festas nos ar-
rabaldes e passeos a larde.

Laziobas de todas as qualidades, cores
e gostos, nao fleando nada a desejar, tal
o sortimento que existe para escolher.
Lencos, tudo quanto pode baver desde
esguiao ao algod3o commum.
Leques de madreperola e osso, o mais va-
riado sortimento.
Ligas d seda, bordadas, para senhora.
Luvas de Jouvin, chegadas por lodosos va-
pores, sempre novo soriimento, qaer em
pellica para homens e senhoras, quer em fio
d'Escocia, brancas e de cores.
Madapolao; indescriptivel o grande sor-
timento que ha neste genero, desde o mais
elevado preco ao menor, que s vende em
peca e rotalho por menos do que em ou-
tra qualquer parte.
Mantas de blonde para noivas: o apurado
gosto dos nossos correspondentes em Paris
habilita-nos a dizer que temos em nosso
estabelecimento o que do melhor se deso-
ja para vestir e ornar urna noiva.
Mantas prelas deblond.
Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos pretos, trancados e lisos.
Mussena branca e de cores, lindos e va-
riados padres.
337
Pannos pretos e de core?, desde o mais
barato ao mais superior, por preco muito
ommodo.
Pannos de crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de casemira muito finos para
mesa.
P.-itos bordados do linho, lisos e de al-
godao para camisa.
Pnncetas pivtas e de cores.
Popelina do seda e nho, com listras c
flores; fazenda lindissima.
P.-lnerin'as para senhoras, do ultimo
gosto.
Perfumaras; os mais finos extractos o
agradavel se pode
DO
GLLfr WLANTE
Un do CtauM|1
Os proprwlario dcste benUMlido cstabelo
ctante, alm dea natos objectos qvas tinbam ex-
poatos a apreciaos do tespeitavel publico, man-
Saram vir e icabim de receber pelo ultimo vapi)r
da Europa tw completo e vanado sortimento de
finas e mu cecadas eapeciatWades, as quaes es-
to resoWWoi a vender, eeaao de sen costume,
par procos cuito baratinhes e commodos para to-
los, oom tanto qne o alio....
Muito sujua-iares tovas de pePaa, pretas, brau-
oaa e e m' lindas cures
Mu boa o hoas goSW* ? punhos para se-
okiffa, ocite g'J^wrt- !nlb na de mais moderno,
trpe^nre!; pentes de tartaruga para eoquos.-
Lindos e iquissimos enfeites para cabegas das
Exmas. senhoras.
SMeriore.; lra?a pretas e de cores com vidn-
Ihos sea <*es; eeU fannda o qne pode haver
de melhor e mais bamt.
SuacortH e bflitoi leques de madreperola,
nunim, samJalo e osso, send aqpclles brancos
com lindos ilesenhoa, e estes pretos.
Muito superiores meias flo de Escossia para se-
nhoras, as craaes seMpre se Tertdera por 30#080
a duaia, nlretanto qafi *fo as veidwBos por V)f,
alm destas, tetaos Urabem grande sortiroemto de
outras qualidades, eatre as quaes algumas mmto
I1083' *.!*
Boa^ benpala d sepenor cama *a InAa e
casta* de narni con lind e entalladoras figu-
ras do mesDKs wH peaer. o qe do melhor se
pode desejar ; alm dess temos tambem grande
quantidade de oraras qualidades, como sejam, ma-
deira, balela, osso, borracha, etc. ele. to.
Finos, lioDilos e airosos eWeotirihos de eadea e
de nutras qualidades.
Liadas o superiores ligas de seda e borracha
nara segurar as meias.
Boas metas de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a ii annos de idade.
Navalhas cabo de. aiarflw e tartaruga parafazer
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem assegoramos sua qualidade o delicadeza.
Lindas e b* lias empellas para aorva.
Superiores agulhas para machina e para croxe.
Linba uiuito boa deposo, frouxa, para encher
labyrintlio.
Bons barathos de cartas para voltarete, assim
como os lentos para o meino (tai.
Grande o variado sortimento das roelhores per-
himariaa o dos raeliwres e mais couhecidos per-
fumistas. __
COLAHESDEROER.
Elctricos magnticos coatra as convulsoes, e
fa>-ilitam a donti;ao das innocentes enancas, bo-
rnes desdo muito recebedores destes prodieosos
collares, e continuamos a recobe-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
eomo ja tem acontecido, assim pois poderlo aquel-
es que dees precisarem, vir ao deposito do gallo
HTL,_______ w
Grande mmm 4e hmih t rnipas feilis na da Imperatm
n. 52, j>orta larga, de Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito "t^menU
de roapw de todas as qualidades, palitota de alpaca a U, tWO MW- ^~n8ro,
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 5|, W, 6tf 11W, de panno> prett
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo Anos e ordinarios. Ditos de alpaca nrauw.
e de cores de 35500 a 5000. Galeas de brim de cor finas e ordinarias, mwf
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de semira
de cor e preta de 4, U, 60 a 155. Golletes de todas as qualidades e preco mmio
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodao e de linho de 20 ""J'
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodao, de linho e bramante a 2* e **K>r['
Gravatas (mantas) nwissfmo gosto a todos os preeos. Meias sortimento completo a q.
i5 at 1> a duzia.
R0PA8 PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesqner obras de encommenda tanto para homem, come
para menino*, e com brevidade, por isso oim tem um bonito sortimento de fazendas ae
-j ,..^IH.lf.., i.i ^. ..-.,.; .nnv^ hnni mnnnc finne A nntr maltas la*
3 cordeiro previdenti
Ra do U( r.asad n. 4.
todas aa
zendas.
qaalidades Unto em casemiras como brins, pannos finos e ootras moitas
N#
FAZENDAS
Bramantes de l \ palmos de largura a i800 o metro.
Camhraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poil-de-cbvre com lista de seda fazenda de gosto a 40-00.
Basquinee de guipure enfeitadas a 18)5000.
Sortimento de chitas escuras o claras a 280, 300 e 360 rs.
MadapolSo fino a 65500, 75. 85 e 95000.
Algo> peca com 20 jardas a 45500, 55500 e 65000.
Peca de algod5o largo a 75500.
E outras murtas fazendas que ser enfadonho mencionar Chegnem a ronpa
feita que"se est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (jonto loja de ourives) do
LEaO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.

Mikroskope achroma-1 O\o*=^^^
^tisehen. ObjetivLin-^^^^^^jS^)
vigilante, londe sempre encontraro destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderlo com um mai
diminuto hiero. .
llagamos, pois, avista dosobjectos que deixamos
declarados, aos nossos fregueies e amigos a vircm
comprar por precos muito moaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7._______________
Machinas k vapor de
forpa de 3 e 4 ca-
ballos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desea
rorar algodao.
Balancas para armasem e balcSo.
Gamas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar carlas
Fogao americano patent
sen.
Barmetro e termo*
metre. Centgrado
e reaumeure.
COPEOS
E crystal de rocha do Brasil.
. Germana, recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa
dos- porque, com esteti vidros, a vista descanca, fortilica-se e nao a
- os vidros ordinarios. Urna vez escolhido um vidro, pode durar dez
f. a.
os vidros ord.~
que, com os vidros ordinarios se est obngado a muda-Ios
que de melhor e mais
encontrar neste genero, c de mais fragante
> wieidedegosU*, e suave no olphato, tem o PAVILIIAO DA
AURORA, desde a verdadeira agua Hon-
da at o mais fino Bouquct d'Amour, final-
mente tudo quanto deve oceupar o touca-
dor de urna senhora de gosto.
Saias bordadas, brancas, lisas e de cores
com folhos e sem elles, o melhor possivel,
Sabidas de baile, de todas as cAres.
Sedas pretas, de quadros, lavradas, Usas,
de siras de todas as cores e qualidades'e
o os barato possivel.
Sarcelim de todas as cores e qualidades.
O?
Tapetes grandes, lindas pinturas para 8
cadeiras, mais pequeos c de todos os ta-
desejaveis, e em pega para co-
Ccrnaao.
canea como, com
annos, emquanto
todos os annos e os ter
rad ^m'm, OWd altera o cryataBo'do iho e determina quasi sempre do-
res de cabeca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do 6 ho, e,
todas as vezes qne o objecto est mais perto ou mais baga, os raios que expelle s3o
mui convergentes ou mui divergentes o a riti n5o perfeita. Um grande numero de
nessoas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a visSo nJo distincta.
Com a apnlicacSo de meus vidros pdese ven:er estas difficuldades. Para os que tem
a vista curta e cujo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
tongo), o que se chama myope, por meio de um vidro concavo affasta-seo ponto de
vista o que faz divergir os objectos e deixa ver to longe como as outras vistas. Quan-
do o'crystalino muito chato, o que sncede aos que tem chegado a urna certa idade,
Ra do |< t
Novo e variad' -nto de
finas, e outroa o
AJftm doc meato 4e
manas, de qn ite est
loja do Cordeiro Pfevidentfl, elU
receber nm outro aatimento qoa
aotavcl pela variedade do objectos, Miuran
dade, qualidades e conniodidade t
Oos; 8sta,pois,oCokirePreTideRi
e espera continuar a merecer a apretad
do respeitavel pnblico em geral <
boa fregueria em particalar, ifln
tando elle de sua bem conbeeida
s barateza. Em dita loja encontrarte *
ipreciadores do bom:
Agua divina de E. Coadray.
Dita verdadeira de Murray dt Ummaa.
Dita de Cologne ingleza, americana, tm
ceza, todas dos melhores e maisacretaer
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toet.
Ebxir odontalgico para conservan 4
isseioda bocea.
Cosmetiques de sopeqor qualwlafle eckei
roa agradaveis.
Copos e lataa, maiores e monoret, es
pomada fina para cabello. _____
Frascos com dita japoneza, traniparena
outras qualidades.
Finos extractos ingiezes, ameeanoe
francezes em frascos simples e enfeitadna-
Essencia imperial do fino e agradavel efe
ro de violeta. .,
Outras concentradas e de cheirot igmt-
mente finas e agradaseis.
Oleo phocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superier quadat
' com escomidos cbairos, em fraseos
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e
para maos.
Ditos transparentes, redondos e en figs
ras de meninos.
Ditos muito fijios em c*xinha para baib*
Caixinhas com bonitos sabonetes hartaa:
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo t
aas perfumaras, muito proprias para pre
entes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, (aa
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal colorido!, 4?
moldes novos e elegantes, com p de aiu
a boneca.
Opiata ingleza e franceza para dente*.
pos de campho; a e outras difieran*
jpalidades tambem para denles.
Tnico oriental de Lemp.
Anda mala eoqmca.
Um outro sortimento de coques de i
vos e bonitos moldes com filets de vidrilao
alguns d'elles ornados de flores e Ha
isto todos expostos apreciaco de qaat
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNIIOS BORDADOS.
Obras de muito gfto e perfeico.
Flveljas e filas para cimasa-
Bello e variado sortimento de taes obje
ios, ficado a boa escolha ao gosto do eos
orador.
lisos, o manhos
; vados.
SX> Toalhas de labyrintho, do maior e
Damasco de 15a de 9 palmos de largura f,n0 irabalho ao mais baralo.
maior sortimento.
mais
lindas cores e ricos padres.
ou
Espartilhos brancos e de coros, para se-
nhoras e meninas, o melhor neste genero ;
nenhoma Sra. deixar por certo de muir
se de to precioso auxiliar perfeico de
um corpo delicado.
Entremeios bordados.
Escomilha preta.
Enleites para cabeca, ultima moda de
Paris, recebida no ultimo paquete.
Esguio de linho, completo sortimento de
todos os nmeros.
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
dade de gostos e lindos padries,
Fi ;hs de crochet, modernos com cintos
e capas, o qne ha de melbor.
Fil de seda, linho e algodao, de todos
Cal nova de Lisboa
rhegada no ultimo navio : vende Joaquim Jos
Ramos, Da ra da Crol n. 8. andar.
Toalhas do linho e algodao do todos os
tamanlios, li-as e felpudas.
Tarlatana branca com palmas e de cores,
fasenda muito nova, e gostos delicados pro-
pria para baile.
Vistuarios bordados de fnstao braheos e
de cores para meninos, de cambraia para
hapt^ados, o que de melhor tem vindo a
este mercado.
Vestidos de la escoceza de 2 saias,
novidade pelo padro, gosto e forma; ditos
de linho com barras de cores, e do cam-
braia de cores com 2 saias, tudo inteira
novidade, trazem os modellos juntos para
mostrar a forma de os fazer.
Veos de blond para noivas e pretos para
luto.
Vestidos de blond para noivas: podemos
asseveraras nossas Exma.*. reguezas, que
vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
F. J. Germano encarrega-se pela sua experiencia
co'.her, a primeira vista, seja qual for a idade c grao
qualquer pessoa
tendente aos olhos, a e s
de vista, oculos proprios para
Para que sao fabricados estes vidros 7 7
os gostos e padres.
Fnstao de todas as cores e qualidades somos os nicos em Pernambuco que pouv
erande sortimento. I mos offerecer ao Ilustrado publico, o mais
Flanella branca e de cores. apurado gosto era senvlhante materia, gra-
Flores, o que ha de mais rico, quer cas ao bom gosto do nosso fornecedor em
solas, quer em ramos, temoPAVILHAO Pars, podemos garantir que nmgnem neste
DA AURORA om permanente jardim a genero o possue melhor, nem mais em
disoosico das Exmas. familias. conta.
E' dispondo d to grande e variado -ortimento que os propnetanos do PA-
VILHO DA AURORA se apresentam ao publico declarando desdo j que a sincerida-
de e o bom gostoo raovel nico de seus negocios.
Prvidos de tudo e promptos sempre a prover-se do que por ventura Ihe
seja necessario, os proprietarios deste sumptuoso estabelecimento recommendam-se
sem receio de serem contradictos e protestara esforcar-se por continuar a merecer
proteco que se Ihes tem dispensado ; cortos de que do seu estabelecimento nao sahira
o fregus descontente. -. .
Contina sempre a oficina de alfaiate dirigida por um dos mais habis artis-
tas, proraplo executar com promptido e bom gosto qualquer trabatho que lhe seja
confiado. Urna modista especialmente oceupada nos trabalhos do PAVILHAO D V AU-
RORA, dirige os que lhe sao concernentes, garante por seu apurado gosto e promptido
na execuco e a mais completa perfeico nos seus trabalhos.
A numerosa freguezia qae nos honra urna prova de qne merecemos o con-
eeito que se dispensa ao nosso estabelecimento, conceito que procuraremos firmar cada
vez mais. Para facilitar anda a concecuco do fim que nos propomos, temos no nosso
estabelecimento os ltimos Ogurinos de Paris, que recebemos por todos es paquetes, os
quaes enviaremos para serem vistos as familias nossas fregnezas, afim de escolherem,
com o padro da fazenda o gosto na forma.
Na officina de alfaiate,-junto ao estabelecimento, ha igualmente os figunnos
para homens que por todos os vapores se recebem.
E' este o modo porque nos apresentamos pedindo a proteceo do Ilustrado
ooblico e com o mais proflfndo respeito convidamos s excellentissimas Sras. a visi-
taren! o nosso estabelecimento, certas de encontrarem nelle pelo menor preco possive-
tndo aue Dodemdesejar. ...
Mandaremos caixeiros levar as fazendas e amostras onde forem pedidas, visto
o3 poden* Par ta*. Wu> temo,. ^ ^ ^^ # &
Aberto das 6 s 9 horas da noite.
LOJA DE FAZENDAS
DO
GARlBAIiDI
Rna da Emperatriz n. .56.
CORTES DE CASEMIRA PRETA A 3*300.
Veode-96 cortes de ca-emira preta para calcjis
a 3*300, 4*000, 5*000 e 6*000 rs. ditos casemi-
ra de cores com listas do lado a S* e 6* o corle:
roa-da Imperatrit n. t'fi.
GROSDENAPLE PRETO A 2*1-00 COVADO.
Vende se gntsdenaple preto para vestidos de
senhora a 2*300, 3*000 e 3*300 o corado.
PANMO PRETO A 2*200 O COVADO.
Vetide-se panno preto para calcas e palitots a
2*200, 2*300, 3*000, 3*300, 4*000 e 5*000 o co-
vado.
CHITAS FRANCEZAS A 280 O COVADO.
Vende-se chitas franceas tinas para vestidos a
280, 320 e 360 o corad.
MADAPOLAO ENFESTADO A 3*500.
Vende-se pescas de (hadapolo fnfestado com
12 jardas a 3*300. e pessas de dito com 24 jar-
das a 5*000,5*300. 6*, 7*. 8* e 9*.
CASSAS FIUN'CEZAS A 240 O COVADO.
Vende-se cassas francezas finas para vestidos
a 240 o covado.
ALGODOSINHO A 4*000 A PECA.
Vende-se pegos de algodosinho a 4*, 5*, 65 e
7*000.
GANGA PARA CALCAS A 320 O COVADO
Vende-s ganpas para calcas e palitots a 320 o
corad, e brim de cores com listas do lado a 4* o
covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A 500.
Vende-se alpaca de cores para vesti los a 500 e
640 o covado, e unirs muirs fazendas qne se li-
quidam para lixir contas, sem reserva de preco :
a roa da Imperatriz, loja do Garihalrtrn. 56.
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que'se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza. N
Para a vista que os olhos sao desiguaes.
Para a vista que se turva com o iraba-
lho e a leitura.
Para a vista presbyta (vistagalon ).
Para a vista que nlo supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras estJo cor
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myop
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho so cobra de catarata.
RAPES POPCIiAB
DA
FABRFA NACIONAL DA BABIA
DE
Teixrt'ra UldurtcoQrC.
Acha-se venda esto ptimo rap, unieo q
pode suppnr falta do princeza de Lisboa, por sr
de mui agradavel perfume, viajado, a piejo.
mais mdico poivel; e por isso tem na as?i
acolhido as pracas da Babia, do Rio de Jasar -
em ootras do imperio : no escriptorio de JoaqpiB>
Jos Gongalves Beltrao, a roa do Commereio ar>-
mpro 17.
m m m
Chegon ao antigo deposito de Henry Forster 6
., roa do Imperador, om carregamento de ga.
de primeira qualidade; o qual se vende em partida!
e a retalho por menos preco do que em outr* qoal
qner parte._____________________________
Vende-se a melade de um sitio no lugar
Cruz do Rebouco, na estrada de Iguarass, nca
urna legoa pequea quem da vilja, o qual tem
ama excellente casa de pedra e cal feita ha quairo
annos, e tem raoitos arvoredos de frncto, como
larangciras, c fezeiros, etc., e bastante trra para
roca e plantacao de canna. Esse itio fui do falle
eido BeBto de Carvalho Bastos: quem quizer com
prar a metade, dirija-se a roa do Livrrmento, loja
n 18._________________________________
Vendem-se escravos dn ambos os sexos : na
ra do Imperador n. 73, 2 andar, das 8 da ma
nha as 4 da tarde.
MIMO
Sortimento de binculos
para theatro, e oculos de
alcance para o campo e ma-
rinha.
Lunetas, pince-nez e
face--main, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, afo,
etc., etc.
Tem tambem grande sortimento de relogios para parede, que do horas e par
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada efoleada, inglezes, suissos e orisontaes dos melhores e mais afamados fabri
cantes. .
Vendas em grosso e a retalho. Em Pernambuco.
N.21=Rua Nova. 21.
Vende-se no trapiche Bario do Livramento sac
eos com minio, boa saccaria e por menos do qn
m oatra qualqner parte._______^^
Acha-se exposto a venda em tudas as
livrariaso almanack desta provincia pele
preco de 2#>00.
QUINIUM LABARRAQUE
APPROVADO PELA ACADEMIA OE MEDICINA DE PARIZ
0 Qninium Labarraqo, eminentemente tnico e febrfugo deve ser
preferido i todas as outras preparacoes de quina.
Os vinhos de quina ordinariamente .empregados na medicina preparam-se
com cascas de quina cuja riqueza em principios activos extremamente
variavel; 4 parte disso, em razio de seu modo de preparacao, estes vinhos con-
ten apenas vestigios de principios activos, e em proporedes sempre variaveis.
0 Qainlum abarraqn*, approvado pela Academia- de medicina, con.
stitue pela contrario um medicamento de composico determinada, rica em
principios activos, e com o qual os mdicos e os doentes podem sempre contar.
O Qalnium Labarraqa* prescripto com grande xito as pessoas tracas,
delibitadas, seja por diversas causas d'esgotamento, seja por antigs mo!es_
tas; aos adultos fatigados por urna rpida crescenca, s meninas qui tem diffi.
cuidado em se formar e desenvolver; s mulheres depois dos partos; aos velbos
enfraquecidos pela edade on doenca.
No caza de chlorosis, anemia, edres plidas, este vinho um poderoso
miliar das ferroginaaos. Tomado junto, por exemplo, com as pilulas de
Vuur, produs effeitos mamilhosos, pela ana rpida accSo.
Deposite em Ferie, L. FRERE, 41, rae Jaeob
*-****, DPOMCIILLB; CIKVOLOT. fiiHMlllll, IAE1 C*
Calxa Fal do uaueo da ftra
sil em lepn&nH>nco, esa liejvi-
da^o *5# de Jnnelrode 18?4>
A Caixa filial vende o grande e excelMB-
te sobrado silo ra Imperial n. 6', cen
accomodacces para grande familia, etam
bem vendo a casa terrea contigua n. 66
tratar na mesma caixa ra do Cmmer-
cio n. 3k_________________________
TASSORMASftC.
Vendem em seus armazens, ho caes do AneJk
n. 7, Escadinha n. 1 e roa do Amorim n. 37, os
segninles gneros :
Ac de Mino.
Milho em accas grandes.
Farello em saccas de 90 libras.
Chumbo de muan surtido.
Mewl amarello para forro de navios^
Machinas para descarocar algodao de 14, 16 e II
serras.
Kerosene em latas de ; galoes.
Champagne do afamado fabricte Krag.
Hormn th.
Vinho do Porto engarrafado.
Coac do afamado fabricante Gautier Frre.
Pngo da China, caixinhas, 40 cartas n. 1. Extra.
Genebra ingleza iOld ton
Cimento Romano.
Cimenlo Hidrulico.
Cimento Portland.
Gesso para esluqm s.
Cannos de barro nara esgotos.
Gradeamentos de ferro para jardins, raleadas ete
Carros de mao para serviros de armazens.
Garrafoes com 5 galScs de vinagre tinto,
dem com 3 paloes de vinagre tinto.
Chumbo em barra.
IJV/j
Especial para limas.
Era porcao e a retalho. vende-se no araaam
de pianos e msicas do Azevedo, roa Nova a-
mero ti._______________________________
Farinhii de mandioca
De superior qualidade e em sarco? grnele*.
vende-se nos armazens da comppnhia Pcroatatm-
cana, caes da A3semblca.
CADET
CURA
em TRES DAS
^BDenainT
P A P
0
I
i

I





ifio de Pernambuco Sexta feira 18 de Fevereiro de 1870.
Travessa do Corpo Santo n. 25.
Os acreditados cylindros amananos para padaria, por dons differentes systemas.
Macbmas pare descapotar algodao pelos melhorcs fabricantes de New York
Machinas de vapor systcma de locomotiva e poas para as mesmas.
Garrinbos americanos para transportar volumes em armazens. Tildo Dor Dre
eos razoaveis
k 4r BENTO MACHADO ft C,
A AGIA NEGRA animada com o born accolhimento que teve em seus annun
nos, vern novo participar a seus freguezes que, acaba de receber um variado sorti-
ento do objectos do gosto os qaaes sero vendidos por precos muito razoaveis, pois
quando fez os seos pnmeiros annucios, foi o que assegurou, e sem mdo de errar,
porqaa como ja disse osla interesses ligada a nina casa importadoradesta praca, e
Dor isso poder ter tudo especial c vender por presos admiraveis.Chama pois a atten
o de seus freguezes para os arttgos possa descrever:
Livros cora o tampo do marflm, madre- Um variado sortiments de charuteiras e
erla e tartaruga, proprios para missa. pilliteiros de porcelana,
oot g'osto Z'aS PrPm Para PreSeDteS TeiltrtS Para vollarele-
TRAVESSA DO CORPO SANTO N. 25
LOJ DAS MACHINAS
Acabam de ehegar grande quantidade das veTdmeirasTchinas americanai
ara desearosar algodao de todos os systemas e tamanhos segnmtes :
Bongallas cora marfim, cousa especial.
Sabonetes de alcatrao.
Cofres de folhas para dinheiro.
Lindas caixas para costura.
Um completo sortimento de luvas de pe-
Indispensaveis je paliaba e de couro pro-
pios para senhoras e meninas trazer nos
uracos.
Binculos de madreperola, marfim e tar-
taruga todos esmaltados.
Cintos largos de setim, cousa oteirameo- ,- ^
<& nova. ca>
Fitas de sarja de todas as cores e largo- i Tatagorce parabordar.
fas para lagos. I Um completo sortimento de enfeites de
Toucas, sapatinhos meias de seda e mais seda para vestido.
^S-^Pn^ bapt,-Sad0S- k i Perfumaras de todos os autores os mai?
nt ? ,Qst'r,Pt08S ProP"518 Para bou- acreditados em oxtractos, pomadas e leos
noel ae noiva, e taimente oatros muitos objectos qoe nln
. Ricos vasos com p do arroz. i possivel mencionar ; mas com a vista st
Um vanado sortimento de jarro do por- certiflearao do sortimento deste eslabele-
eM. cimento.
Agua Negra, ra do Oabug n. 8.
12 ser ras
14 ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
15
16
18
20
22
23
30
35
40
12 sertas
14 ditas
15 ditas
16 ditas
18 ditas
20 ditas
22 ditas
25 ditas
30 ditas
35 ditas
40 ditas
i qaaes se vendera Dor precos commodos e roga-se as pessoas que deltas fizeram en
ommendas de alguns tamanhos, obsequio de as mandarem busca-las o mais breve pos
uve! afim de n5o haverem faltas.
RA DA CADEIA N. 56 A
Lindas e superiores bareges de cor, de quadro e de-listras, para vestidos fio-
;indo seda, pelo baratissimo preco de 500 e G40 rs. o covado."
Assim como superiores cassas francezas de cor padres de mujto gosto 40C
i 600 rs. o metro, na Ioja das Collumnas ra do Crespo n. 1,3, de Antonio Correa d<
fascoooellos.
A VERDAJJE
55Binado Queimado5i
A VERDADE tendo cm deposito grana
quantidade de raiudezas e perfumaras, e dt
sejando apurar flinhoiro e adquerir boa fr
guezia est rsso.'vida a vender muitissim
barato, ; por essa raz5o convida ao respe
tavcl publico a vir competentemente mun.-
do a sortir-se do bom e barato. Pois qu. c
do a Verdac apparece, tudo mais des
apparece....
Grande sortimento de bonecos de cera t
massa as mais lidas possi veis vestidas ac
racter.
Abotoaduras moderuas para col-
letea........ 32(
lEspelhos donrados pepnenos. 26(
j Agulbas de osso para crox a 20(
Pentes para regac com esntas a 32
Ricos globos para candieiro de gaz a 14180
Cbamins a....... 32(
Grande sortimento de objetos de
louca para brinquedo de menino 10
Garrafa com tinta a..... 80(
Dita com agua florida verdadeira a 1^30i
Dita com dita dita a io<-(
Frasco com oleo de babosa a 500 e 72<
Dito com agua de Colonia a 300 e 50(
Gairafa com agua divina a. 1#50(
Frasco com extractos finos a I^CXH
Latas pequeas com baoha muito
lina a 120 e...... ig(
Sabonetes de diversas quali iades a
80, 160,240e...... 3*.
Finas escovas para dentes de 120 a 60<
Lindos coques modernos a. 9000'
Pavios para gaz, duzia a 240 e 32<
Escovas para fado a 500, 600 e 70
Ditas para cabello a..... 50i
Pentes para tirar piolho a 160 e. 24i
Brincos de cores, bonitos a 160 e 20
Pecas de tranca de 15a com 8
varas por....... 8(
Oleo para machina de costura,
frasco a........ f30<
Pennas d'aco finas caixas a 800 e l#O0<
Dita d'a?o Perry, caixa a. 1#40<
i Galao de algodao peca .... 40(
Lindos babadinhos e entremeios
peca de 500 a......i^SQt
Taberna
Vpmie-'^ lHBPhJltl&Jf Rmgel n. 41,
r-n-i .mi' afrepnez. d;i pan pata a Ierra.
ni l'ctl's ommod.is para n- 1.1; o mu
livu da ven-la te dir Un | reten tente : a tratar Ba
mesma.
Popos tubulares i as-
tantaneos.
Hritor & Siiupayo.
lina *va n. SH
Os annunciantes acabara de preparar alguns
pocos tubulares instantneo*, mais iperMeoado
do que o viudo- de fra d > p*iz. os (|i> dem por prego inulto mais ei mmodo, po<-*i rearan-
d-.-se do seu a-sentam. nlo al (tu l'm
dos melhoramfntos feito* podr- servir .uaiquer
bomba. As pefcsoas qge quizerem comprar un
ou mais desses lobos -lev tu diri)tir-se ;-fn>in;i
dos annunnantes : ra Nova n. .'t8.
-Vendo se a ollienu do fai reno. Da ira ve :a
dos Pires n. 5 : a tratar com Jos Jarinili> TIio-
inaz, oa mesma.
-
MACHINAS PARA J
COSTURA ,
Acabara de cbe#ar ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, ra Nova n. 22carngiho
\iA\NA--em completo sortimento de ma-
chinas para costura, dos autores mais co
a loja do Passo
O requissimos cortes de blonde de seda com
manta e capella para casamento, sendo neste ar-
tigo o que se pode desejar de melhor e mais mo-
derno, tambera chegaram os cortes de seda de c-
s novidade, e outras muitns Jazendas de goste
....UUv, F -"">'"-, uwa atwuico uiaio tu- es Boiuaue, e outras multas razendas de goM(
nliecidos, as quaes eslo em ex posicio no .ae hegaram pelo ultimo v&pV francez, s pan
raesmo Bazar, garaotindo-se a si hfta qna. a Na do Passo a ra do Crespo b. 7 A.
lidade, e tambera onsina-so com peifeicio
a todos os compradores. Estas mactnas
s3o iguaes no sen trabalho ao de 30 costu-
reiras diariamente, e a sua perfeicio tal
como da melhor costureira deParis. Apre-
sentam-se trabarnos executados pelas Djes-
mas, que muito devem agradar aos preten-
dentes.
Vende-se tres parles do
sitio da Poita d'dgua do Moh-
tetro para Apipucns, com casa
de vivenda, grande baixa de
eapim, olaria, qnartos para es-
cravos e feitor, cocheira, estri-
bara e mais duas casas para
alugar para a festa, para tratar-
le ao inesmo sitio.
. *
Vendem-se duas ixraits escravas com habt-
lidades, t< ndo urna deltas urna cria de cinco me-
zes: no terceiro andar do sobrado n. 36 da ra
das Crzes.______________' _______
Attenc/o
^Vende-^e urna taberna sita na ra Imperial n.
a : a tratar na mesma.
Vende-ge una twa laberna na ra do Han-
Leque de madreperola com seda, e todo? d
madreperola, mito proprio para Baa?, chega-
r; a loja do Pasf o a ra 4o crespo n. 7 A, as
sim como reqaiswmos olales de touquim de to
aas as cores, valanos fcordados de cambraia
para baptizados, nieias do escocia (novidade) mui-
to bonitas para as Exmas. Sras. que goetam andar
de sapatinho raso e outros muitos artigos de cos-
to que os proprieirios desle etabelecimento teen-
recebido.
Ditos de louca muito fino a 120 e
I Ditos para calca a 160 e. .
Caixa com papel amizado a. .
Ditas com envelopes a. .
Ditas com obreias a.....
Caixa com agulbas fundo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Tbesoura para costura a 240 e
Caia com linha de marca a .
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........
Carreteis de linha Alexandre de 70
at 200........
Grampos muito finos com passa-
ros, duzia a......
Cartas portuguezas,. duzia a .
Ditas francezas a 20200 e .
Papel almaco e de peso, resma a
3^100, 3,5500 e .
La muito fina para bordar, libra
Fita de algodao para debrum de
sapatos, pea a.....
Ditas de 13a para debrum de ves-
tido, peca a ......
Pentes tinos para segurar ca-
bello a.......
*
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240, 320 e......
Ditos para aparar penna a .
Rosetas pretas, par a .
Tranca de 15a decaracol peca a 40 e
Fita de coz peca a 480 e .
Alfinetes de latao a.....
Sapatos de lia para crianca a 400e
Grvala de sedas .de cores a .
Calcadeiras a'.......
Grande sortimento de rendas das Ilhas.
Xa Verdade na do QuefDtad<
u. ..
20<
24
70
48i
2
1G(
5(X
28(
50(
10-
icu
**40C
30OO
4,550.
6^50
16*
48(
321
50
10<
1(X
1(X
m
10(
m
20(
8(
escravos Fuetees.
Aviso s autoridades polieiaes
e a queni competir
No dia 20 de maio do coi rente anno
fugio o escravo Ezeqniel, crenlo de 30 3a
anuos de idade, estatura reguler, n-iorcadu
cor bem prctg, cabega rettoi>da, trajava ca
mi a azul e calca de rasseoura ciuzenta
durante o dia cosluma andar ganbando nai
ras, ou cm armazens d- assucar oii as la
berras a conversar e a beber; di.raote ;
imite recolhe-se a telbeirus abortos, ou pe
netraveis, a casas em cdnslrucco e a outro
quaesquer lugares, onde se possa abrigar
quem o apprebender tenba a bonjjade de t
i onduzia a ra da Aurora u. 26, ou na di
Imperador n. 2o, onde ser gratificado.
Arhase fu(Hloo csrnvo Francisco, pardo
idade 20 anuos mais ou menos, rom de.'fim em
orna perna e braco, esie escravo veio ba pouco
do Sobral, muito ladino, enculcasn de forro
descoijfla-se estar acontado, o qoe desde j se pro-
les ta contra quem o livor f.-ilo. Gratiti.-a-se a
-inem o levar ou delle der noticia na ra da Ma-
dre ne Dens n. >. t andar.
Fojiio do engenlio Camarapibe na fregner.ia
de Sennbaem perlencenles a Gaspar Maariri
Wanderley os escravos scgninles : SamaeJ eriou-
lo baixo. groen, nariz cliato, diz ser da Cosa poi
ter sido ci mprado pwjueno. Joao Cabocolo de ida-
de trinla e lanti s annos, pes chales, ventas arre-
gladas, estatura baixa, cor fiixada, pouca barba
e esta na p< nta do queixo, Felippe mulato de ida-
de de 16 annos pouco mais ou men i?, balxo, gro.
so. sem (Itf.ito algum, leve bix-s em pe-piee.o. p..-
rm pouco apparece ; por isso pede-se as autori-
dades policiaes e capilaes de caiop a captura do>
mesmos e lvalos no mesmo engenho cu na ra
da Moeda n. K 2" andar escript- rio de Mantel M
ves Ferrelra & u. qne serao graiiflrados.
Acha-se fgido do engenlm Ki.rno U]?.L
Olind, os dous escravos Vicente e Vidal, o pri-
meirocabra, baixo, cheio do coipo, um iimlo-
binho cm um dos dedos, lem 18 anuos de Jad.-,
pouco maisKJU menos ; eo segundo preto, lem
40 annos, pouco mais ou menw, altara rreulai.
e secco do corpo : pralifica-se com 1004 a quem
pegar o Viceuu.', e o0000 pelo Vidal.
Ausentou s ae 30 de Janeiro pastado, da ca-
sa de Jos Ignacio, lavrador do engenho N- rnc,
da fregu; ia da E-cada, o escravo de nomt
noel Baeta, idade de V- annos. balxo, rhei
corpo, nariz fhalo, Ma de denles, e oilio? bas-
tantes afopnedos, levando caiima e seroll.i de al-
godao da Bahia e chapeo de beta pardo e ja \\
llio. Ha lempo fugio elle c foi agarrado n- 'a n-
dade Quem o capturar Itwo lo referido .nsi
nho Noruega, ou a Albino J.-s Ferreim d.i C-i-
nha no largo do S. Pedio n. I" que sera Keaero-
smente recompensado.
Fugio no dia 10 do correte mez a cania
venna, com os sigtiaes sogaintos : altnra-reculnr
cheia do corpo, lesta esireila. olhos pe;unos -
beicos bastante roxos, tem o dedo mnimo da mi-
esquerda om pouco dobrado para a palma da ma
representa ler 40 annos pouco mais Domeo-
levou vestido de chita encarnada, com um Ehatlu
de chita com barra azul ; 'era o andar um pooco
emp-nado para a frente : desconlhi-se que eslea
occulla em alguma casa, pela qu se protesta m-
ira a pessoa qoe a tiver em casa, obrigando se pa
gar os das de servico : rogase s autoridades e
capilaes de campo que apprehendama e lerem-n i
ra do Sebo n 20, ou a ra do Aniorim d. 39
que ser generosamente recompensado.
JJOS PREMIOS DA
2.
GERAL
157.
PARTIDAS LOTERAS CONCEDIDAS POR LE'PROVINCIAL N. 393, A BENEFICIO DA IGREJA DE NOSSA SENHORA DO LIVRAMENTO DE PAO D'
ALIIO, EXTR\HIDA EM 17 DE FEVEREIRO DE 1870.
*8. PrEMS. NS. PRE.MS.
:)
i
i)
15
i:>
17
2i
27
32
3i
33
39
40
47
49
51
54
H
3(5
87
20
60
68
72
73
74.
7J
ft
97
101
4
14
s
37
43
46
48
51
r,7
M
67
b
70
72
i*
8#
41

405
174
93
%
98
207
12
l.'j
18
19
20
21
24
27
42
50
f2
61
68
78
79
80
89
93
97
98
S9
302
4
6
22
23
27
32
34
3G
39
41
42
44
.'81
87
88
90
94
i
SN. 8#
41

4?;
414
U
22
20
37
46
49
52
62
66
80
9t
92
95
96
S07
11
14
16
20
24
26
34
30
42
50
52
58
39'
61
63
73
79
90
95
99
600
12
13
16
18
2
SS3
34
36
40
46
50
i*
84
i*
8*
4*
659
61
65
66
67
69
73
76
79
85
87
88
93"
701
2
3
5
13
21
29
30
38
39
41
43
57
58
73
74
78
82
87
90
80C
12
14
23
28
32
34
37
4*
20*
4*
886
88
80
96
902
12
13
16
20
3o
38
39
41
43
46
50
51
56
58
61
63
67
4*
99
93
.! M
8f 96
4*
8J
44
75
78
83
8*
97
99
1000
<;
17
18
23
i -
45
80
54
58
57
9
62
69
89
94
96
1097
1102
8
13
22
26
33
45
48
52
64
67
68
71
88
1207
9
22
23
24

37
40
43
47
51
57
68
69
79
81
82
91
1301
2
7
9
s
m
M
- 54

63
70
59-
8*
20*
44
4:000*
40*
4*
4* 1383
93
1400
3
10
23
25
29
30
32
43
55
87
62
69
70
76
78
80
81
96
1506
8
10
18
19
20
22
27
33
34
46
53
67
65
71
77

87
a
-i >
1600
1622
8
4*
4*
_ 87
"f
-
m
17 -
S a
i i 2566
69
PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
94 -

4* 3013
17
21
27
36
58
59
61
64
65
74
78
90
94
95
-3106
> 8
'22
4
8*
4*
- 27
8*
20*
8*
i*
25
30
31
32
38
2
54
57
83 63
41 70
__ 73
. 78
U 84
41 90
_ "G
99
Ijlj 3200 6
22
1 24
27
_ 2
_- 36
48
55
36
JO
81 ^
4* 02
67
70
100*
i*
L.

3279
82
3312
21
22
23
27
28
36
38
45
57
59
74
91
08
99
3401
2
3
4
6
7
12
13
26
i
48
5*
60
64
65
67
69
70
73
84
85
92
94
98
8504
6
10
11
14
22
JO
4*
8*
I
3528
31
32
36
41
42
47
57
63
65
72
80
84
86
88
93
96
97
3602
4
8
11
14
42
44
46
50
{53
54
55
3
71
80
8
86
87
90
91
94
95
8701
1
15
18
20
22
31

87
4* 3738
51
59
65
66
69
73
76
87
90
94
98
3807
9
17
18
26
36
44
46
49
0
61
62
69
71
75
80
86
87
92
94
8.4
4*
20*
4*3960
62
64
66
81
83
84
86
90
4016
26
27
31
36
37
41
44
32
58
63
74'
88,
95
96
M04
i
44
44
4*
84
4*
8900
i
4
I
4* 13
21
23
27
34
40
47
51
52
83
85
202*
44
"71
% Z
32
27
39
40
47
50
51
56
65
9
72
81
8
. 86
i!
10
80
36
w

84
-
n
Cfj
1
"004
M



8
Diario de Periiainkico -~ Hvxin feira 18 de JFevereiro de 1870.
Vi .. ...
Ifii
LITTERAimA
tes. O cscrlptor cita "entre outras, urna*
nestes soelaes.
DA ASOOCJAOAO NO CHRISTIANISMO.
(CencUtSO)
VI
Ai commodidudes e associofcs ritmes.
De certo, etegrandes resultados. Dei-
xareraos iguacs ttulos a posterioridade ?
B quanto nossa p- dcrnsa tndtislri n3o (lis-
iar a sopportar a innapirarSo com os hu-
mides o fecundos esforgos de sua predeces-
sora?
Mas n5o smente ua industria iji:e o
principio de associaco se tem appcado.
na agricultura e convm analysar os raros
vestigios que se achara na historia ; pri-
aeiro. porque estes restos veneraveis sao
ainda testemunhas da emancipagao operada
sob o patrocinio da igreja ; segundo, por
xjue o presente, que tao justamente indaga
rjB diversos modos de sociedade, teria al-
loma probabilidade de n'elles encontrar
mspiragoes que nao se devem desprezar.
Na primeira classe de.-las associagOes do
campo convm coll'ocar as communidades.
as companhias, como se dizia da absoluta
(afovra co/npain compani, que viviam do
nesmo pao.
Parecem de antiga data, pois que sao
vistas na historia do meiado do dcimo s-
cula. Exisliam as cidades como no carn-
eo ; porm foram mais importantes fura
da^ cidades e duraram por- muilo mais
'.empo.
K provavel que ellas se tenham formado
I rimeiro entre servos de nm mesmo se-
horot foreiros de urna mesma tena ; nao
tardaran* em se estender por entre os Vi-
wssnrss Ijvres, mas ainda sojeitos aos de?-
- +*"*** : o finalmente deifes usaram
veres **.,,
liares. jado do excluir tiesta communidade os bens
aldeia onde vio urna casa que conlava dez
familias e setenta almas decem matrimonia
et septuaginta animar.
Entre as assocagdes de vassalos devedo-
res a seu senhor, o chefe tomava o nome
de primognito. Em quasi todas, o mera-
bros s chama ocios (parsonniers) partici-
pantes.
A igreja e os seniores favoreciam estas
assoeages.
Ao principia, creavam e entretioham o
espirito de familia, garantan a autoridade
pakrna e a disciplina entre os Albos e in-
leressavam cada geragao nobem estar da
raga comranm. Como o notava Goy Co-
i|uille : t jNessas communidades se faz
cunta das mangas que ainda nao sabem
fazer nada, pela espernga de .que o farSo
para o futuro; faz-se couta dos que estao
no vigor da idade, pelo que fazem; faz-se
conta dos velbos pelo conselho e pela lern-
branga do que bem lizeram. >
Depois, essas associages eram um po-
deroso elemento de ordem e de liberdade,
porque succedeu muitas vezes que os di-
versos mombros se aproveitaram da liber-
lag5o que resultava da transiego entre o
senhor e a associag.5o ; prrqueos senbores
preferiam conceder trras antes a urna asso-
eiagao, do que a individuos, achando na
responsabilidade d'aquella melor garanta
para o pagamento das rendas. De sua
parle os sucios, reunindo-se, punham-se ao
abrigo da insolvabihdade e da miseria, mui-
tas vezes reservadas aos rendeiros indivi-
duaes.
A agricultura ganhava com isto porque
o traballio associado era muilo melhor re-
partido e desiribuido e dispunha de recur-
sos mais fecundos.
Cada communidade explorava o dominio
em commum. O que nao impedia o asso
' defeitos; qu.j tenham degenera*
do
Jamis esquecerei a admirago e per
aiUaru-me dize-lo a satisfago instinctiva
aue experimenten ao sabir de meus esta-
dos de direito, quando, imbuido apezar de
.rainha resistencia em todas as doutrnas de
individualismo e de revolugSo que tanto
sbundam em nossos cdigos, s"ube, e de
quem ? do proprio Dupin, de Dupin o
primognito, a historia da famosa commu-
nidade dos Jaut em Mor van : ommunida-
de agrieoa, propritdade conectiva de urna
especie de tribu patriarcal que se remon-
tava a muitos seculos passados, que tinha
vivido florrscente at 1791 e que ainda es-
Lava na lembranga e era objecto da admi-
ragao do paiz. Dupin, apezar de ludo
fforvandense, e que provaveimente como
procurador geral do Tribunal de cassagSo
tena concluido conlra a velha assoeiago
ua compatriota, Ihe reservara em um can-
to remoto do seu espirito orna veoerag3o
JJue tifo pode occullar-se. O resumo hist-
rico da communidade de Jault e continua-
r a ser urna das perolas desse cofre de
opuscotos, alias muilo mescladot mas onde
tem o primeiro lugar, logo depois do ce-
lebre proeesso de Nosso Senhor Jess
Ghrislo, em que o advogado do Constitu-
cional requer, em nome da livre defrsa dos
aecusados contra os Pbariseus, os Scribas,
Caiphs e Herodes, e conclue, por nullidc-
des de base e de formas, pela cassagao
lulgameuto de Plalos.
Pois bem esla communidade nao era
seno-uma das reliquias de. instituigoes
muilo generalisadas na idade media e que
cobriam notavelmente o Auveroe, o Bour-
bonais, o Berrv, a Marche e ootras pro-
vincias o centro. Ellas desappareceram
mas seu espirito sobreviven e elle
z3o de ser de numerosos osos que
subsisten. .
Estas sociedades eram verdadeiras asso-
ciages em participagao, as quaes entrava
um certo numero de membros, que traba-
fhavam, alimentavam-se e moravam sm com-
mum, e que cultivavara sob a administra-
gao de om chefe, eleito ou heredtlario, os
dominios pertencentes sociedade ou con-
cedidos a ella pelos senhores leigos ou ec-
riftsiistiCOS
" Companhia, diz Beaumanoir, o antigo e
sabio commentador do direilo costumeiro de
Beauvoisis. Companha se fez segundo o
aosso uso, quanto habitagSo (
om po e um pucaro por
dia, pois que os movis
outros. ___. -
E em 1484, no Jornal dos Estados be-
raes, por Masselin, le-se : Sabis perfei-
lamente que ha familias assim composla,
em que os pais ficam na mesma babitag3o
sob o mesmo teclo, e os lhos com suas
esposas, as Qlhas com seus maridos, como
toda a progenie de netos; comera na mesma
mesa e vivem de bens commons, de tal
sorte que nao raro encontrar um chefe de
familia morando com quatro e mais lhos,
e outras tanta, oras, lhas e genros, e
quasi sempre o sogro e seus descenden-
a ra-
ainda
a
um anno e um
de uns eram de
cuja pr'priedad adquira a titulo lucrativo.
Os provetos do ganho commum formavam
urna massa que pe tencia assoclag3o.
Quando o chefe n3o era o pai de familia
ou o patriarcha, era eleito: os horaens es-
colhiam um mestre ou ministro mag/ster
ou minisler e as mulheres urna mesira.
Eram ambos que dividiam os trabalhos e
dislribuiram os beneficios.
O mestre presidia mesa e administrava
a sociedade: O mestre, diz Guy Coquille,
quem trata das quesloes que se apresen-
tam as cidades ou as feiras, e de mais,
lem o poder de obrigar seus associados em
cotisas movis concernenles aos diversos
subsidios.
De cerlo, estas communidades podiam se
di solver e notavel que os costumes dei-
xassem a semelhanle respeito urna grande
liberdade. Bastava a vontade de um asso-
ciado para qiebrar o lago; e, como dizia
Loysel, a partidla para um, era para
todos.
Mas em compensaco, as vantagens eram
lo reaes, o espirito de associagao to feliz-
mente propagado, que os pedidos de par
tilha eram raros e as ldis municipaes, pelo
contrario, tomaram as mais fortes precau-
goes para assegurarem a raanutenco e a
divisao destas companhias.
Urna das mais nolaveis era o casamen-
to por troca. De sorte que se um ho-
mem de urna companhia quera esposa
urna mulher do outra compainha, exploran-
do ambas as companhias as trras de om
commum senhor, bastava que acbasse um
outro homem que se casasse com urna mu-
lher de sua companhia; ama troca so fazia ;
as duas mulheres eram substuidas reci-
procamente ; cada urna lomava na commu-
nidade de seu marido o lugar que tinba
deixado vasio na sua.
Alm de que, a communidade se per-
petuava to smente pela sobrogacao de
novos membros. sem declarag5o nem nova
invengao. Militas vezes ella s formova t-
citamente pelo nico fado de cohabitacSo,
sem inventario ; era ento calatel como se
dizia e continuava entre os companheiros
ou associados e seus herdeiros, at o pe-
dido effeclivo da partilha.
Muitas destas associagoes se tornaram po-
derosas. Serviam para contrabalangar o
direito de primogenitura na aristocracia se-
nhorial, de protecg5o liberdade dos ren-
deiros e dos agricultores.
Eram eminentemente conservadoras. U
proprio Dupin nos deu urna prova irrecusa-
vel. Ao lado dessa florescente familia dos
Jault, mostra urna outra familia, a dos
Garriots, os quaes, sob o regimem indivi-
dualista das leis modernas, tem dividido
entre si o antigo dominio explora .pobre-
mente essas parcellas do propnedade:
t Para Jault, diz elle, era a abastanga, a
degria, a sade ; para os Garriots, era a
tristeza e a pobreza. Que elogio da vida
de associag3o .
Que semelhantes communidades tivessem
co.?testavel. Instituicoes humanas, eram
votadas ii perfeigo.
Mas mereciam o desdm e as aecusagoes
dos economistas do altimo seculo ? Eram
tao feriis era proeesso, 13o otTensivas ao
progresso di agricultura, como o disseram
os superintendentes qne queriam desfa-
zer-se dolas ? N5o devemoa crt-lo.
' O que rto, e por isto n5o insistimos,
que hoje, em presenca dos excessos do in-
dividualismo, quando a divisio das trras,
tao preconisada ha poucaannos, torna-se
um perigo com que se preoecupam os po-
deres pblicos; quando as grandes cultu-
ras tendem a desapparecer e a propnedade
soccumbe sol os cargos pblicos e sob os
direitos de rautuagao, a assoaagSo c um
dos recursos qne nos reslam e de inte
resse patrioti :o n3o s fazer justiga aos ser-
igos qae ella preaton a uosso paiz no pre-
trito', mas quelle que os exemplos de
nossos antepassados*
futuro.
Accrescentamos que a nivel implacatd
da legidacao nao tem, mesmo no presente,
podido fazer desapparecer tnteiramente
essas corsmunidades de an'gos lempos.
Nos Pyrineus, em Cauteretr, o infaligavel
colleg de Miguel Cbevalier, o corajoso au-
tor da Reforma social, o secretario geral da
Esposigo de 1867; Le Play, achou o bello
typo seguinte que desenhou ero sua tereei-
ra monographi3dos operarios europeas', e
que, para nossos- leitores como para nos
temo prazer em' reprodtozii.
'' urna familia composta de quatorz
pessoas-e que vive- -rsob oregimerr das an-
tigs coromonidades qne resistiramv- -oeste
paiz. influencia do cdigo civil.
Os boos da familia, cowervados ae-
gralmenle-de gerago-em'gerao, rconAU
em urna rumpleta cosimtintde de enis-
tencia lodos-o membros qie-ao se qniae-
ram estabelucer fra. OJ be-a so sempre
Iransmettidos'ao' filho mais velbo, metoer
ou homem : SSo dados pelo Jwito coatw-
meiro ao getiro quB despasa a berdeirar a
casa.
Mas quera, qtie prir.tipio, qne fornav
poderam fazer' com que eata diScipHna t
vigorosa atranre9 dos costumes que s pode- ser htpirada
preservada pela religiao. Onvj :
Toda a familia educada na reg'ro ca*'
ln- nuncia para sempre, em favor do primog-
nito, sua parto de heranca: deste modo
contribue, durante ama aova gardgio, para
a conservag5o integral dos seos da familia.
Quasi sempre apazigua por sen ascendente
as dissen(5es que tendem a elevarse na
communidade. i
* Todos os membros, oxcepc5o das-|
duas criangas mais novas, executam em
commum a cultura e a colilta do campo,
e alguns trabalhos especiaes ; como a ma-
langa de porcos, a tosquia dos cabritos
e a preparagSo do palhas para r coberla
das granjas. Os meninos se encarregain
de poneos trabalhos; zs duas donzellas, de
quatorze e de doze annos, consagrara grande
parte de seu lempo escola e ao cathe-
cismo, as duas mais novas, de nofe e de
sette annos, passam todo o tempo nesse
duplo ensino.
A familia' aeba na vida commnm-,
nos goaos e nos deveres da propriedade
podeni prestar-lbe no I meios snfficientes de recreacSo. O rgimen
alimentar, bstame em rigor para entreter
as forgas dos- trabalhadores, todava sub-
mettior is regras da- mais severa eeonomia,
O trabalho, a frugaldade, o espirito de
ordem e de previdencia de familia se tra-
dctzem em mn poupamento annual de
755 francos sobre urna receita de 4.243,
que deve soccerrer s dspezas de qumze
pesabas.
Proprielari de urna habilago agra-
avel, gozando no razo de sea existencia
rugal de honesta abastanza ; contribuindo
para o augmento dos forgas dO' estado por'
seus numerosos descendentes-e por sua
producgir> agrcola; tendo sido
bem sueceddfc, em- da gcra<;5o, em es-
rabelecer todos aqueles de seus membros
que desejar-HB' sabir da commotiidade, a fa-
milia goza no paiz e moreerda* conside-
ragSo.
Mo em- rerdade, om modelo-consola-
dor e bem digno de ser initado ?
Psra propaga-lo, q>ie seria preciso ? O
espirito de as&oeiago ivificado, guiado e
mantio pelo espirito crVisio..
Ist&'nos coBdtzir presente-poca.;
Vil.
Resumo-,
Em SBmma, l&mos s -guramenle, por indo
quanto- se acaB*' de ler e-qtie n5o av, se;
ouso e^rrmtrHe assim, mes qae tocar as-
summidtides das cousa, sHtn.mita(es\
rerum; temos o dfreito dfr dzer :
NSo, nao verd#de que ovGiristianismo.
que a igreja teoha';desconbeeidoa*irtude'^
de metooramento" publico- qoi reside no;
trabalnot-a- i
Sim; peto coattatio, epdade qw-o

tholica, observa regularmente seas pre>-
certos. Os filbos recebem no calbolicisma
dirigido pelo cura orna- insrucgSo religiosa!
prolongada: i>3o fazem-sua primeira com-
muolio antes dis quatorze anuos. Du-
rante o invern, no fim de- cada serao, n
oraco feila e commum e-reertada ero Chrisnaaiamo, qea Igrejft-qae cooqqi*-
oz alta. Todos- os membros d* familia I tou para-o .trabalho saa liberdade, sua-'
eommungam peia Pasehoa-: rauitos d'entre- seguranca-, sua dignidad ; Weo^zenH'jl
na sociedade e lhe-
assegopoi. o lugawle
lho pertence.
os tlirbls nossos-
etles, particularmente as mulheres, em
lodas as festas principaest O Tepeaso do^jpoder e le honra qae
domingo com solicitud observado, mas* Eis o qae fizaram
o dero concede todas as dispensas ecessa- predecesaores.
ras para as eolbeta de fono o de ereaes. Que condiges. procuraraaru para a soee-
& dooo da casa e-seo- conlwdo sao mera- dade moerna, pata as clases laboriosa*^;
b*03 de urna confraria religiasa ebamad. para o trabalhov o* reformadores dk re
de S. Lourengo, ejue. toma parle, nmca-
inente as procissoes, nos e.\ereios do
eulto. A lembraotja dos pacentes mortoe^
pamente conservada : soaama consido-
raveis sao consagradas a dizer missas-
em sua intengao.
t Estes hbitos se ligam-- a ceslume*
maito recommendaveis. u dono e a don*
da casa exercam- sobre todos os memoro
da familia a autoridade lodispensavel 'H-
reggSo do trabalho e OMinotengJo da
erdem interior. As enancas, tendo os
membros da communidade obedecer a sau
ebefes em todas as Gircumslancias, se tm-
bituara desde sua mais tenra idade, a con-
ceder aos superiores sociaes o respeito
sem o qaal nao pode baver eslabilidade
no estado. Mas- ao mesmo tempo, os sen
limentos de alleigo que desenvolve a vida
de familia contribuem para aiviar o -peso
dessa autoridade. As criangas s3o tra-
tadas com carinho e se teem feito grandes
sacrifitios para sua edwcaco. Nao obs-
tante a urgencia dos trabalhos confiados
aos adultos, elles se entregara com toda
a liberdade aos brincos de sua idade. Bem.
que os casamentos sejam pouco. precoces,
os costumes da gente moga sao exempk-
res. Os membros da familia que guarda
o celibato, e que deixam na communi-
dade o dote a que teram direito, s5o
tratados com rauita attennao. O proprio
criado alojado, nutrido e vestido exacta-
mente como um memoro da familia. Sua
siiuig5o, que evidentemente a conse-
quencia de antigos hbitos, forma om con-
traste saliente com aquella que ocenpam de
presente os criados na maior parte das
classes da sociedade franceza... O acn
^cimento mais feliz que possa desojar
urna familia hzer chegar ao sacerdocio
um de seus filhas. O joven sacerdote re-
voluglo ?" Qaaes-os males-que lhe deve--1
mos ? $uaes es- remedios que sernos.
Drigadoe a bascar e achafc sob pena ide.
dissolueSo sociat?
E' o qjae nos resta examioar. O -papel
pesaioe terrivel:: j s >. passados maitos.
annos que fazemos rolar &sto rochedb de
SisypteK Com o soccorro do nossos irm8os
e a grande De, ergue-lo4em)s e p-lr>-'
hemos-em sen m Henrique tt Riawetr..
de
I.
1*0
aiwo^ seoli-
termos. de
FOLHETIM
OS MIMK1R0S~D P0L1GMES
POH
lie Berthet
VIII
O gas InOammavel.
(Continuaco do n. 38.)
O proprio Leonardo nlo levoa a saa lan-
*erna e s apalpadellas lancou mo da vara
na pouta da qual tioha a mecha, enxofrada
Ouvio-se o choque do fazil apenas. No
se via Leonardo: s a laz ephemera da.:
isca se divisava na escuridJo como um p-
lampo.
De repente urna voz distante bradoa :
Adeas, meus amigos I
Adeas, Leonardo 1repetiram outras
vozes suffocadas de lagrimas.
Seguio-se am lgubre silencio. As duas
jeveos comprimiram o rosto eotre as m3os.
Antonin procurava alcangar ainda coma
vista u sea amigo, porm o peito arfa va-I he
a eslalar.
A porta gyroa lentamente sobre os fer-
ragento gonzos ; a luz desappareceu e a
orta f>cboa-8e de novo.
Chegira o momento da crise.
\niooio correo instinctivamente para o
tocar onde so achavam as lanternas com o
fim de a preservar do effeito da explo-
Assim decorrea am minuto e o silencio
continuara. A anciedade do mineiro e das
mus duaa companheiras tocava o sea auge.
Qae fazia, pois, Leonardo ?
O corajoso mancebo, com ama lucidez de
espirito singular, nao perda ama nica das
,jauciosprecaoc3os exigidas pela pro-
ln
A.i.fEKRU XA^AZ.
Ao raiar da aurora do-novo
raos verdadeira satisfago por
saudar a nossos leitores.
Possa elle surgir abundante de mil ven-
taras para a.humanidade, fecundo em todos
os sentidos de bnlhautes conquistas da civi-
lisagao.
Que a fagoeira esperanga da-, pai seja
para o imperio mais que urna doce reali-
dadel
Cinco, annos de lutaj nos rehabilitara!,
d ante do mundo e do seculo, testemunhas
vivas, do insulto quo a face nos.atirou um.
tyranno, que barbansa a poca e availta a
America 1
A extensa campanha do Paraguay toca, a
seu termo.
As virtudes cvicas de um, soberano lUDIt
Irado e patriota,, como o, magnnimo Sr.
D.Pedro II; a ddicag e enthusiasme
de um chefe querido e martyr, como o
bravo genarai Flores, de saudosa memoria;
a pericia de um capiUto esclarecids-e brio
so, como D. Bartholomeu Mitre, a que suc-
cedeu a sabedoria e boro senso doillustre
der.cia para a consecuglo do seu fim.
troduzido na galera, fechara a porta o me-
lhor possivel ; depois tapou o rosto com o
lengomolhado, deixando apenas descobertos
os olhos, at certo ponto defendidos peto
chapeo de couro. Ent3o, erguendo a vara,
da qual havia de sabir a chamma para a
combuslao, comegou a andar sobre os joe-
Ihos, approximandose quanto jalgou pos-
sivel do centro do talh3o : ali deitou-se
por trra e esperou.
A explosao, porm, n5o se fazia : talvez
a isca tivesse humedecido, talvez mesmo
o gaz mephitico a tivesse apagado. Leonar-
do assim o julgava, unto mais qae a res-
piragio se Ibe tornara convulsiva e as fon-
tes da cabega batiam violentamente.
Ergueu a cabega e vio que a isca ainda
arda, posto qae lentamente, e Leonardo,
abitando a vara, obteve o resaltado. Sabio
ent5o da mecha enxofrada urna chamma,
que Ioro tomou corpo. A esta Inz incerta
vio elle por cima de si urna d'essas bolha
brancas e transparentes que s vezes forma
o hydrogeneo carbonato, a qual applicou a
mecha inflammada, tendo logo fechado os
olhos e reprimido a respirago.
Fezse oovirn'essa occasio ama detona-
cao semelhaote que produziria am canh5o
de grosso calibre. O recinto encheu-se de
fogo, parecendo que se arrasava todo. A
porta cabio por trra, arrombada pelos
enormes gonzos.
Valeu a Antonio e s duas jovens o te-
rem-se encolhido no seu refagio, porque
as chammas saltaram pela galera lora,
acompanhadas de pedra e bocados de ma-
deira emexplosSo.
Todo isto foi obra de am instante. O,
echo repercuti a detonacSo para o lado
da galera da Yirgem Negra: houve alguns
desmoroDametftos no interior da galena
presidente actual da confederagSo argentina,
ergu-'ram b3oi alto o nome dos povos, cu-
jos destinos a Providencia e vontade na-
cional Ibes contiaram para gua-Ios no ca-
minho da honra e liberdade.
E o imperio, a quem nesta jornada tre-
menda coube porcHo maior da 'sacrificios,
vingou na altura da affronla o ultrage que
receben.
Jorrou o sangue dos marlyres da palra ;
mas elle purificou a dignidade de urna na-
g3o culta e independenie, reslitundo ao
eslandarto do nossas glorias o brilho
sem moncha, que lhe deram nossos
pas.'
Arrancon-se da vida activa um monotro,
gerado com todos os caractersticos da fe-
rocidade maw estupendamente desenvoi'
vida.
Embriagado de sangue humano, reves-
tido da bossa do assassinalo, onica idea que
turvebnha naqucUe cerebro desmantelado.
Solano-Lpez, depois de baver posto; em
pratica as barbaridades da idade media- o
deshancado os mais perversos facinoras da
bumBnidwte, foi estrogir no meio das mal-
las onde nena as feras talvez o-queiram por
socio da vida selvagenx
Longe, e bem longe do tlieatro de sua
faganhas, desprestigiado-e abatido, o louco
sonfador do equilibrio americano cumpre
o farbirio dos monstros, atormentado do
phantasma de mais de duzenlas mil vcti-
mas, que bao de suppliciar, aquella san-
guinaria existencia, talhada smente para o
crime.
A santidade de nossa canisa, grao sempre jcruzada era favor da civilisaco ultrajada,
esti-julgada no tribooal supremo da opi-
liio esclarecida dos povos cuttos.
inguenvrecusa-nos mais ojoizo a que
trabamos direito.
A imprensa europea, que al- certo lem-
po transvou-^e, embebida na sua- bea ,
quando cotntemplava- de t3o larga distancia
os acntecimenlos desta parte de nosso con-
tinente, quando se exprima sobre as can-
sas de tao sanguinolenta questo, deturpa-
das pelo ouro do tyranno, t3o maaclwdo
como elle, ou'd proposito sophismadas
por indignos agentes, presos a eorrup?5<>
de Lpez, a imprensa europea desporton
emfim para nos julgar como um povo brio-
so, arrojado pela honra e dever ao Ion -
go sacrificio de que dau provas ao mundo.
N3o fbi a ambico da conquista destas
antigs, missoes jesuitas, que levaran> tres
nagoes- a to enormes despendios do ooro
e vidas-: nao I S-o* vilipendio de sua hon-
ra, a rmprescindve^, necessidade de so res-
tituir a.pai a Ameriea do Sul, a homena-
gem devida-a civilisago do seculo, foram
o-Iuminoso pharol, que assignaram- nessa
emprezacollossal da allianga.
O Brasil'vai. pois, rofzer e cuidar, aps
os louros da paz, na obra de sua prosperi-
dado interna.
Exerato, voluntarios da patria, guarda
nacional e armida, eoriqueceram cinoo an-
nos de historia monnmentosa, que a pa-
tria agradece e a prosterida abengoari.
5BXANi:\S DO PA.; COMMEBClOv
Depois da guerra? cora todas as soas
calamidades, a paz com todas suas espe-
rangas.
O anno de 1869 nao foi anda de gran-
de prosperidade nacional por causa daquel-
le enorme pesadelo, que o sabio govemo
de!6dejulho recebeode seu antecessor.
Triste heranga da poJilica de I864-!
A riqueza publica todava n3o deixou
de ler desenvolvmento assim comeocom-
mercio-nSo cessou de florescer, apeaar das
dilliculdades que a depre ;ag3o da moeda
corrente e a baixa do cambio oppunbrm a
normaldode de sua vida.
O Ilustrado presidente do tribunal do the-
sonnvarcando com.obstculos linanceiros
de ordem collossal, n3o deixou de, com
suas previdentes medidas satisfazer os pe-
sados encargos de momento a sustentar o
crdito do importo, jue n5o podia dexar
de resentirse di malfica influencia das
consequencias do urna guerra do cinco
annos
O regulamentos fiscaes, que a consuma-
da illustrag3o pralica do senhor visconde
de Itaborahy expedio para os novos impos-
tos e reforma que a lei n. 1507: de 2'jde
setembro de \MI em vigor no exorcico cor-
rente, autorisara, tem tulo execagio calma,
gratis ao espirito patritico da esclarecida
populagao o augmento esperado a reoeita do im-
perio.
0 emprestimo, que pela primeira vez se
abri entro nos por subscripgao publica, aos
15 de setembro ds 18GS, na importancia
de :O mil contos, (que a conflanga nacional
elevou em poucos dias a mais d > triplo) ftn
urna medida importante, cojo resultado cora-
provou.0 acert de sua concepc3o

A exportaflo do paiz contin 1 em mar-
cha asceodenle,' o rendimento das alfande-
gasaagmenta consideravelmente.
A do' Rio de Janeiro, no primeiro semes-
tre de 1869, renden a crescida quanlia
de 10.529:888,5552 rs., sendo em igual pe-
riodo .de 1868 de 6,700 e Unios contos de
res, havendo pois o augmento 3,746
cpntos.
A exportacao do caf, por aqoelle porto,
no referido espago apresenta a eslatistica
de 1,298,:I98 saceos, qne d5o vantajosa
dea do desenvolvimerrto daquello podero-
so ramo d'agricultura.
O Horcado do algodSo apresenton no pri-
meiro semestre continuadas alternativas de
actividade e apathia de frouxidao, e firme-
za de pregos, acompanhando quasi sempre
o movimento deste artigo nos mercados eu-
ropeas.
Os extremos dos cambios 170 referido pe-
rio do foram sobre Londres 18 a 19 3/8 ,
a 90d/v. contra 14 a 20 d. a 90 d/v. no
mesmo espago de I868r
No segundo semestre do anno, de qae
n3o temos anda dados exactos, as transac-
g,5es nao soflreram alterago notavel,* che-
gando a-cotar,3o do cambio a< 10 7/8 e em
ilgumas-pragas a 20.
A mencionada alfandega do-Rio, nos l-
timos 6 mezes do anso findo renden im-
portancia superior a. do primeiro se-
mestre.
Este pbenomeno nota-se na? alfandegas
do-imperio, sobretudo as de Pewambuco e
Para.
A guerra, se tem entorpecido o progres-
so rpido, a que adianta-se o pair,n3o pa-
ralisea-lhe comtudo a vida, nem desanimou
o espirito publico.
As emprezas abi progrediram. a-iadUS-
tria sequo seu caminho c agricoHura- con-
tinuo-a ser o raanaocial feenndo da nossa
riquezas
Todos eiles ramos da actividade e indas-
ira esperan) deseavolvimento mais rpido
com o beneficios da paz.
Quando o govemo desenvencilhad- dos
sacrificies, a que o'guerra obtiga o paiz,
converge toda sua attengSo para o estado
interno e imprimiressa Ilustrada diretcSo,
esse progressivo impulso1, justamente es-
perados da proficiOHcia e patriotismo dos
dignos ministros, qae dirigem d presente
a ho do Ssta 10, quera ousar deserer da
forga de nossos recursos, da esperanoa,
que breve recuperaremos o perdido^ mar-
chando sempre par avante ?
Confiemos muilo no roturo qoo nos a-
goarda.
O Brasil n3o suecumbir diante-da crise.
que parecen assoberba -lo. O golpe est
aparado, grecas sabedoria de qoem nos
guia.
Tudo autorisa a pensar que no anno m
18 0 comegar a obra-do nossa reorgani-
sag3o e prosperidade Bianceira, desenvol-
vida com os principio-do ordem o-liber-
dade, que caracterisa a epca.
Il
alaooas.
Consagremos agora alguns artigos po-
caliarmente, provincia.
Os jornaes de grande circulagSo- as pri-
meiras pravas do importo, que dspoem do
outro cabedal e recorsos mais segaros,
abundaram no retro>pecto do imiado po-
ltico e do paiz.
A misslo da imprensa provinciana tom
o dever de n5o olvidar-se da circmwcrip-
g3o territorial, a que pertence.
0 anno de 1869, que acaba de sumirle
na voragera dos teropos, deixon pastos bri-
lhanles na historia das Alagoas, realisan-
do-se nossas previsoes, quando no primei-
ro de Janeiro de 1888 assim noe-expriraia-
mos, deste mesmo tugar.
t Os melhoramentos materiaes da pro-
vincia, a saptisfagao. das necessidades pu-
blicas mais indispedsaveis, devem ter in-
creme*io este anno sob a suprema inicia-
Uva e scalisa;ao do Exm. Sr. Ee. Jos Ben-
to da Cunba Figueiredo Jnior.
B de jsperar que fique organbado o
muito que resta a fazer no sor-vico publico ,
adrainistrativo.
* N3o devendo absorver 0 tempo de sua
gest5o as luctas da poltica local, que cor-
rer por conia dos partidos, e legitimas in-
fUiencas, como at aqui se tem revelado,
muito til poder ser provincia que lho
foi confiada.
O armo de 1869, por consegrante, de-
ver abrir urna nova era. ao paiz e pro -
vincia.
Oxal, seja ello fecundo de acooteci-
mentos benficos e de proveito real A causa
publica.
Nao nos engaamos.
mas logse restae eceu o silencio om toda
a extensan dos sabierraneos.
A pressSo do ar apagou duas das lan-
ternas. A' claridade das outras duas viam
se sahr pelo portal turbilhes de vapor.
Decorreu um minuto : nem urna pala-
vra se pronunciou, n3o se fea o menor mo-
v ment.
Antonio ergueu-se e gritou com toda a
violencia :
Leonardo, Leonardo !
Leonardo 1 repetiram as duas jo-
vens. .
Debalde prestaram o ouvido ; nenhama
resposia se ouvio. .
Elle bem o previo I exclamou An
tooio desesperadamente.Agora o que m
resta cumprir as suas nstrueges.
Agarrcu a lampada n'oma m3o, com a
outra tomou a machada e dirigio-se para a
porta arrombada.
As daas jovens seguiram-no.
NSodsse elle.De'ixem dissipar se
o fumo. Ainda ali deve baver gazes mor
tiferos. Fiquem at que eu volie.
Mas Amella e Gertru tes, aquella princi-
palmente, que lngara mSo da outra lanter-
na, no se iraportaram da advertencia, e,
acompanhando Antonio, entraram no hor-
rivel recinto.
Era, como dissemos, um cabos de pe-
dras, entulhos e ruinas. Os emmadeira-
mentos linham desapparecido : apenas res-
tavam alguraas pilastras de carvo, que
ameagatam prxima ruina. Pilastras, abo-
badas e entulhos, tudo gema agora. Um
fumo espesso ircalava n'estas ruinas ame
gadoras ; havia ali um cheiro nauseabundo
qae perturbava o cerebro.
NJo era, porm, nada d'isto o qae pre-
oceupava Antonio e soas companheiras. Q
seu fim era procurarem Leonardo, que
bascavam com anciedade. Descobriramno
finalmente meio sepullado lebaxoo do en-
lulho. Todos trabalbavam para o alhviar
do peso consideravel que tinna sobre si.
Consegrando isto, Antonio voltou o e tirou-
Ihoo lengomolhado do rosto. Eslava lvido,
os olhos cerrados, nem um msculo se
agitava. Antonio, desvainado, poz-lha e
m5o sobre o corago, que nao palpitava :
julgarara-no morto.
Tres gritos de dr se ouviram simult-
neamente.
Amelia e Gertrades, ajoelhadas ao lado
do corpo, oravam o derramavara lagrimas
copiosas, em quanto Antonio, abandonando
a mao inerte do sea amigo, exclamava :
Est ludo terminido para elle ; agora
resta-me cumprir a sua ultima vontade.
Agarrou na machada e na lampada, sal-
tou lesto por sobre os entulhos e poz-se em
procura da segunda porta de ventilago,
cuja existencia Leonardo lhe annancira.
Esta buso n5o era fcil ; todava, se tal
noria exista, devia acbar-se na mesma di-
reegio da primeira. Com effeito, depois de
lgumas diligencias, Antonio deteve-se em
oresenga de urna porta, que pareis como
a primeira, de alguma solidez. Para onde
ella dava o qae nio podia saber-se. Tal-
vez para um segando recinto igualmente
infectado e onde era certa a morte dos que
tinbam escapado recente catastropbe ;
talvez mesmo sobre o pogo de vontilago,
e. n'essecaso smente havia probabilidade
de salvamento Esta descoberta, pois, era
de extrema importancia, e por isso Antonio
exclamou :
Por a ra, meninas! Coragem I ve
nham por aqui '
E, sem esperar resposta, atacoa a porta
com a machada. Segtmdo as prescnpgoes
de Leonardo, macbadava com incessante
phrenori. ,
Amelia e Geftrudes tinbam ficado janlo
(Gonimuar-se-ha.)
do corpo inanimado. Apezar da inutilidade
dos. seus esforgos, Amelia Van Best n3o
podia acreditar quo o generoso e valen te
mancebo tivesse cessado de existir, mas
quando afinal tevo o horrivel desengao,
cabio n'am acessu de desesperagSo e des-
vario.
Leonardo,exclamou ella, inclinndo-
se sobre o moribundoamo-te muito I...
Ainda ha pouco mal comprabendia eu este
amor, poique o mondo ergtera entre nos
difikuldades invencives, porm a la no-
breza do alma, a tua intrepidez, a tua Ili-
mitada dedicagao acabara de mo esclarecer
a respeito dos meas proprios sontimenlos.
Amo-te, Leonardo, e, se nao nos foi licito
associar nossos destinos, recebe ao menos
o juramento que fago de jamis pertencer a
outrem I
Amelia fallava baxo e o barulho que fa-
zia Antonio mais imporceptveis tomava as
soas palavras ; alm de que, iertrudes fftra
assaltada d'aquelle mo esUr proprio dos
principios nocivos espalhados no ambiente.
0 gaz inflammavel tnba, com effeito,
desapparecido em resultado da expios3o,
mas formra-se o acido carbnico. Este
gaz, nSo menos terrivel do que o primeiro,
sendo, como se sabe, mais pesado do que
o ar, accumulava-se no recinto da mina.
A luz da lampada, em vez de alongar-se e
tomar um aspecto azulado, como com o
hydrogeneo carbonatado, tinba-se tornado
embaciada e ameacava apagar-se.
Este indicio assusadar deveria advertir
as duas jovens do perigo que corriam, se
ellas conhecessem a importancia d'elle
Quando, porem, Gertrades se qaz erguer e
sentio urna forca invencivel a faze-la vergar
para o coSo, qae suspeitoa o perigo qae
a ameagava.
Oh I mea Deas, balbacioa ella
nao sei que sinto! Antonio, soccorro f
Porm o continuo machadar do Antonio
abafava-lhe as vozes e ella cahio sem sen-
tidos junio do corpo de Leonardo.
Amelia, no seu estado de exaltagao de
espirito, nao podia igualmente trubrar-se do
perigo que a amegava : nao era s a paixao
que Ibe oppr.imia o peito ; agora tambera,
ao ver a sua amiga cahir desfallecida, Coz
um esforc para levanlar-se e soccorre la,
mas os sentidos perinrbaram-se-lbe toldou-
se lhe a visla e por sua vez cahio. inanima-
da por trra.
Ora pois f exclamou ella no ultimo
momento de lucidez de espirito,Deas as-
sim o quer : cumpra-se o destino de nos
todos t
, procurando machinalmenlo a mi do
Leonardo, apartou-a na sua.
N'esse mesmo instante apagava-so a lam-
pada.
Antonio, n outra exlreraidade do sub-
terrneo nada d'isto vira nem ouvira: con-
tinuava a aggredir furiosamente a porta,
qne resista. Tambem se nao achava sen-
t dos fluidos mortferos quo haviam affec-
tado as duas jovens confiadas sua defesa;
senta diminoirera-lhe as forgas. sem com-
prebender a causa ; um suor fri lho ba-
nhava a fronte. Resista a estes prenun-
cios de enfraquecimenlo, mas de momento
a momento as mac adadas torna vara-se mo-
nos fortes, menos seguras, e por ultimo a
machada embotada resvalava-lbe das m3os
trmulas. Seesla siluaglo s prolongassa
mais algons instantes, d'estes doos formo-
sos pares, ainda ha pouco descidos mina,
talvez nio restasse mais do que quatro ca-
dveres I
(Continmr-se^a.)
*.

i\r. IK> MiB-*A BA IRMK9. ,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVQHCM8NP_2854XK INGEST_TIME 2013-09-13T22:04:50Z PACKAGE AA00011611_12045
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES