Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12034


This item is only available as the following downloads:


Full Text

i'
i
1
t
I )
I
NNO XLVI. NUMERO 28.
.O;
r> f


I 1

i
?'


PARA ? CAPITAl E LDGAfiES OHDE XAO SE MCA WRTE.
Jor tres mezes adiara**................
Por seis ditos irtrn....... ..... ,:
243000
320


SABBADO 5 DE FEVEREIRO OE 1870.

PA1A DOTOQ E IDEA DA PR0VI5CIA.
Por tres mezes adiantados
Por seis ditos dem.
Por nove ditos idem
Por um anno idem
Por seis ditos idem..... ,ZZZZ \ai^H ror lres mezes aa,anwaos................. 6760
Por umanoo idem,. rr. '. '.'....'. 22S ^SSBk Por seis ditos idem.................... 43^
tiadt muanero avuiso. ^E? ^SSs* Por D0,e dtos idcm *........... 2o!So
^^^ _____ '...... m 'T* Por om anno idem................... 27)W0O
DIARIO DE PERNAMBIM
Propriedade de Manoe! K^peira de Faria & Hlhos.
; :--------- t:-------------------------------________
AO ACENTO*:
Os Srs. Gerardo AntooioAlves J FHbos, no Par ; Gonca.ves 4 Pinto no Maranblo ; Joaqaim J* de O.ivein, no Ceara ; Antonio de Lemos Braga, no Araeaty ; Joo Mana J0K0 Chaves, no M ; Antonio Marque, da Silva, no Natal; Jos Jostino
Pemra d'Almeida, em Mamanguape; Antonio Alejandrino de Urna, na Parabyba ; Antonio Jos Gomes, na ylla da Penpa; Belarmino dos Santos BnlcSo. em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga
i____________________ em Naiareth ; Franci8c0 Tavare* da Co8la' em Alaoa8 Dr. Jos Martins Alves, fia Babia ; e Jos Bibeiro Gasparinho no Bio de Janeiro.
PARTE OFFKIAL.
overno da provincia
hi:i.tohio
om que o Exm. Sr. Manoal do Nuscimento Ma-
chado Portella pastan a administraeo desta
rovincta ao Exm. Sr. senador Almeida e Al-
uquerque.
0RAS PUBLICAS PROVINCIAES.
No pesseaJ dessa repartido que contina sob a
liroccao do digno engenheiro Pedro Burbalho
l.cha Cavalcaote houveram as segrales allera-
edes: '
' Em 19 de abril nc-miei o praticante Jo< Barba-
do Uha Cavajeante para exercer interinamente
lugar de conductor, que se achava vago, e Jos
i,uok> de Albuquerque Mello para exercer ater-
ameote tambera o lugar de praticante.
Em 26 do mesmo \m autorisei a remocho do
-ogenheiru do 3* districio para o 2*, e a do enge-
abelro deste para aqueile por assim o naverem
pedido.
Sob proposta do engenbeiro chefe da repartid
xonerel Joaquim Francisco de Barros Brrelo do
cargo de escre vente, e nomeei iaterinamenle a Da-
ro Cavalcante do Reg e Albuquerque, que foi
prvido effectivamente era 18 de outubro, tendo
precedido concurso na forma do regulamento de
31 de julho de 1866.
Tambera sob proposta do mesmo engenheiro
demetli o conductor interino Juvenal Xavier Tor-
res, e nomeei para o substituir o praticante Ceci-
liano Mamede Alves Ferreira que foi despensado
do exercicio do cargo de cooduoter por assim o
ler requerido, sendo nomeado para o referido
cargo o praticante Joo Pinto da Silva.
Poi concedida ao escre vente Luir da VeigaPessoa
a exoneraran que pedio, e nomeado interinamente
para o substituir Antonio Jos de Almeida Ptr-
aarabueo. Ao chele da reparticao determine! que
pozesse o lugar em concurso.
Em 8 de maio approvei a nova divisio de dis-
rictos proposu pelo engenheiro chafe.
Compre ponderar que o systema de districtos
coto engenheiros especiaos nenhuma vantagem of-
ereee, bera eomo que nao possivel que continu
a cargo do mesmo engenbeiro chele, alera da parte
technica e 4a administrativa da reparticao, a As-
calisaco das emprezas dos Minos urbanos de Api-
eucos, de Oiinda e de Jaboato, da i lluminaco a
.:az, e do esgoto e limpeza da cidade; torna-s ne-
cessario que a fiscalisacn destas empresas fique
a cargo de um engenbeiro especial, sera o que nlo
pode ser proficua, sendo ceno que por si e sulli-
ciente para absolver todo o lempo a um engeohei-
Aeham-se actualmente em execucao as seguintes
.bras :
Por administrad esto se concluindo as obras
do Gymnasio' e fuendo-se es precisos reparos as
cadas do Limoeiro e da Victoria, boro como na
casa comprada para o estabelecimenlo do asylo de
Pela reparticao das obras publicas sao feitos
tambem os trabalhos com a conserva^o das pontes
; estradas.
Por arrematado eso se fazendo as seguintes
obras :
Calcamento a cidade, estrada do norte, 1* lan-
eo da estrada de Tapissuma, acude da Victoria, a
bomba e aterro no lugar denominado Ubaia, e os
concertos da ponte do Gindahi.
Foram recebidas definitivamente as seguintes
-bras :
Reparos da ponte de Santa Isabel, pavilhvi do
al do hospital Pedro II, ponte da Escada, reparos
da estrada do porto de Gallinhas, 140 bracas no
18 lanco da estrada de Nazareth, ultimo da estra-
da de Nazareth e ponte, do inestno nome, pequeo
lanco entre o 18 e o 19 lauco da estrada tambera
do mesmo nome, rebaixamento da ladeira do Li-
\ramenti', empedramento do 1, 2,3, 4 e 5 termos
da estrada da Victoria, 168 metros cbicos de em
pedramento na ramifleacao da estrada do Cabo, 16
lanc/) da estrada do sul.
Provisoriamente foram recebidas as seguin-
tes :
Pontilhao dos Remedios, 1" lan^o da estrada de
Una do Riachaosinho, concertos na igreja matriz de
S. Lourenco da Matla, 6o lan^o da estrada do l.l-
rnoeiro, 1 lanco da otrada de Pe Iras de Fogo,
honte do Bujary. 6o lanco da estrada da Victoria a
Oravala.
No relatorio do engenheiro chefe da reparticao
ver V. Exc. circuinstaiiciadamenle quaes os tri-
balhos executados este anno, e suas importancias,
inclusive a de reparos e cnnservaco de obras.
Os frequentes e dispendiosos concertos que exi-
jj'e a natural deterioracao das estradas e pontes,
principalmente na estaco invernosa, augmenta-
ram consideravelraente este anno com os estragos
causados pelas endientes do 8 de fevereiro e 21 de
maio do crrente auno.
Ainda assim nao foi possivel reparar-se todos
estes estragos em cousequencia da exigoidade dos
recursos dos cofres provinciaes.
Era aviso de 23 de junho do corrente anno de-
termiaoume o Exm. Sr. ministro da agricultura,
que mandasse orear o< trabalhos que devem jer
executados para prompto repare dos estragos cau-
sados por aquella ultima endiente e I he ronietles-
se o orcameuto alira de ser marcada a somma,
queporconta do ministerio a seu cargo podesse
ser despendida no corrate exercicio, autorisando-
rne logo a despender pela verbaObras geraes e
luxilio s provinciaesa quanlia necessana com
os servicos mais urgentes.
Exped neste sentido ordem ao chefe da reparti-
cao das obras publicas e usando da autorisacao
ah concedida mandei concertar o 6o lanco da ra-
mificacao da estrada do Cabo, cujos reparos foram
oreados em 2*1615300.
Sendo inconiestavel a necessidade das pontes da
Cassagem da Magdalena e do Caxang esped or-
dem para ser organisado o orcamenlo e plantas e
apenas me foram apresentados deterrainei fosse pos-
ta em concurrencia a sua construcro.
Tendo no prazo fixado recebido tres propostas
assignadas pelo harao do Livramento, major Belar-
mino do Reg Barros e Jos Augusto do Araujo,
mandei sobre ellas infornar o chefe da reparticao
que organisou orna nova planta o orcaraento para
a ponte do Caxang, opinando para que fosse pos-
ta novamente em concurrencia a construccao della
i da da Pissagem.
Sendo o novo orcamento para a ponte do Ca-
sanga e inferior quana ao primeiro e a#segu-
rando-rM o engenheiro que a ponte cuja planta
fon ltimamente apresentada oflerecia a precisa
seguranca nao hesitei em concordar com o seu pi-
recer, attenta a economa de aespeza, que resulta-
va para os cofres provinciaes.
Apresentaram-se novamente os mesmos conenr-
rentes e sobre suas propostas ouvi o engenheiro
cnete da reparticao das obras publicas e o tapee-
lor da thesooraria provincial e por entender como
ollas que a proposta apresentada pelo btrao do Li-
vramento era a mais sMaJosa, contratei com este
a conatruccao das referidas pontes peta quantia de
O:fl#110.
Em 27 do mez passado, atteodendo ao que re-
quereram Antonio Francisco Paes de Mello Brra-
lo e Antonio Pereira da Camtrs Lima, resolv res-
cindir o contrato com elles feto ero 10 do junho
d 1866 para a construecjio dti obras dos
9,10,11 e 12 laucos da asmas da Escada, man-
dando aoa Has restituisaem s thssouraria a quan-
lia de 7:571#264 que receberam da mais, segundo
informou a reparticao das obras publica?.
Autirisando a le n. 836, de o de junho do anno
passado o contrato para construccao de urna es-
trada de ferro desta cidade a villa do Limeiro com
dous ramaes para Nazareth e Victoria, e sendo ge-
?mente reeonhedda a vantagem que resultar
para a proviucia da referida estrada deterrainei
que na forma do estylo se afflxassem editaes para
apresentacao de propostas, e tendo-se Andado no
diz 30 do mez passado o prazo para este lim mar-
cado rebeb urna proposta do Dr. Manoel Buarque
de Macedo e outra do Dr. Benlo Jos da Costa J-
nior, que apresentou tambem um protesto eomo
emprezario da estrada de ferro de Jaboato. As
prepostas ainda nao foram abertas, e sobre ellas
bem como sobre o protesto tem V. Exc. que deli-
berar.
Em virtude da le n. 878 de 23 de junho do cr-
reme anno tambem mandei por em concurrencia
a abertura e canalisacao do rio Goyanna ; o prazo
para o recebimento de propostas termina no da
21 de dezembro prximo vindouro.
Tambem me parece mnilo urgente este melhora-
menlo que estou certo concorrer poderosamente
para o augmento da cidade de (ioyanna.
Estoeru praca peraote a Thesouraria Provin-
cial para seren contratadas as seguintes obras :
reparos da ponte sobra o rio Anjo na importancia
de 6:670,5000 e pontes sobre o rio Pirapama no
engenho do mesmo nome, e em Junqumra, est
oreada em 37:730*000 e aquella em 9:020*000.
Send) urgente providenciar de forma a evitar
os consuntas estragos que causara as nchenles do
rio Capibaribe, determinei ao chefe da reparticao
das obras publicas que mandasse proceder ao le-
vanta ment das convenientes plantas e aos estu-
dos hydrographicos, para o desvio das aguas du-
rante as endientes pela abertura de um canal que
partindo das immediacees da Varzea v desaguar
as proximidades da ilha do Pina pela Barreta.
Estes trabalhos esto sendo feitos pelo engenheiro
Joaquim Galeno Coelho, sob a inspeceo do mes-
mo chefe.
Nenhuma obra mais urgente do que esta, pois
tem por lim evitar que esta capital e os importan-
tes arrabaldes a margem do rio Capibaribe oonti-
nuem a estar expostos aos perlgos e prejuizos oc-
casionados pela endiente do mesmo rio, sendo cer-
to que os sacrificios que fizer a provincia com tan
importante obra nao podem deixar de ser com-
pensados pelos beneficios que sao de esperar.
Tornando-se diffidl o transito pela estrada do
Caxang durante a estadio invernosa, e sendo in-
formado de que com pequeo dispendio podia-se
fazer urna picada no lugar denominadoBezouro
em continuadlo da estrada de Apipucos, mandei
em 10 de junho proceder aos precisos esludos pa-
la reparticao das obras publicas.
Theatro de Santa Isabel.As 4 horas da tarde
de 19 de setembro. manifestou-se incendio no n-
gulo N. O. do tbeatro de Sania Isabel e com tal
rapidez, que apezar dos esforeps empreados foi
todo o edificio em poucos minutos dominado pe-
las cbammas que o destrniram, restando apenas
as paredes externas e internas.
Esta deploravel aconleclmento contristou a pp:
pulaco, que vio perdido em poaco tempo o
esforzado trabalho de muilos annos e privada a
capital de ura dos primeiros edificios que possuia
e de que tanto se ennobrecia.
O digno Chefe de Polica com o tino e zelo que
Ihe sao proprios procedeu de prampto as inquir -
coes precisas em face das quaes nao pode descu-
brir que mo malvada houvesse aleado o incendio
e sim que fra este resultado de urna porcao de
massa inflammavel existente no camarim era que
leve elle principio.
Cumprindo-me providenciar a respeito de to
sensivel falta ou pela construego de um novo edi-
ficio ou pela restauraco do incendiado, determi-
ne^ logo no dia 21 ao engenheiro chefe da repar-
ticao das obras publicas, que proeedese aos ne-
eessarios exames as paredes do edificio e, caso
basen ellas susceptiveis de aproveilamento, me
apresentasse o orcamento para a restauraco do
theatro.
Pelo minucioso exame a que procedeu, reco-
nheceu elle que as paredes exlernas e a do arco
do scenario nao se achavam desaprumadas, nem
Tendidos os arcos das janellas e contra vergas,
tendo sido apenas a argamassa um pouco calcina-
da jun.o a cornija na parede de X., apresentando
em lud i maiscompleta estabilidade e seguranca ;
e posto que nao podesse fornecer logo orcamento
exacto e detalhado das obras a ajer-se, ndicou-
me como quantia mnima a despender 250:000.
accrescentando as seguintes roflexes :
Depois do grande desonvolvimento que Jem
tido a fabricaco do ferro e a sua apropriaco a
qua todas as especies de obras, a arte das
construccoos tem encontrado nelle um poderoso
auxiliar, ou seja pela grande economa, ou seja
pela garanta de maior duraco, ou finalmente
pela grande facilidade de execucao, sem contar
i a enorme vantagem da incombustibilidade.
E' portante natural que e lance mo desse
r material, empregando-se em todas as partes em
que fr elle applicavel.
Algumis niodilicacfies poderser feitas na
> distribuco interna do edificio : assim, o sirai-
circulo das caderas e platea pode ser augmen-
tado, diminuindo a largura dos corredores de
0,80 de cada lado ; a 1' ordem de camarotes
pode ser supprmida e era seu lugar construida
urna seria de adeiras ; a 2" ordem e a 3" con-
servadas com maior numero de camarotes, po-
< rea, ambas mais baixas, de modo a fazer urna
i galera mais coramoda na 4a ordem.
c As dependencias do scenario, carnarios dos
< artistas, etc., podem ter tambem melhor distr-
i buicao. Os soalhos poderlo ser feitos com Ira*
i ves de ferro, sendo tudo sustentado por peque-
I as olumnas de ferro fundido, e at as uivi-
t soes dos camarotes podem ser feitas de folhas
de ferro recortadas ou embutidas. Pode se ai-
k sim dar um carcter nmi lgeiro e elegante as
obras.
< E' tambem indispensavel que a coberta, sen-
< do reconstruida de ferro, se reserve entre ella e
< o tecto, ou forro, um espaco para urna sala de
pintura de vistas ; bem como que a parte pos-
terior seja levantada para maior eommodidade
dos arranjos internos, como deposito de vestua-
i ros, de vistas, de mobilia, etc. >
Parecendo-me que a restauraco do edificio in-
(xmdiado era preferivel construccao de um no-
vo, nao s porque o astado dos cofres nao
to prospero que delle possa prudentemente ser
desviada a avultada somma que seria precisa com
preteridlo de outras obras importantes que a pro-
vincia reclama, como porque seriam aproveitadas
as importantes obras existentes, que s por si va-
lem mais de metade de uro novo edificio, nao es-
quecendo a grande vantagem do pouco tempo, den-
tro do-qual seria elle restaurado, recorr para tal
lim ao mesmo meio, pelo qual fra elle construi-
doo auxilio dos particulares.
A convite meu reuniram so no dia 27 do mes-
mo mez de setembro alguna dos mais importantes
negociantes e proprietarios, e, expondo-ihes o
raen pensamento acoordaram em que dentre elles
sabase urna commissio para promover a subs-
cripc^o do capital necessario como emprestimo a
provincia, mediante joro mdico e outras condi-
5es e de falto fioou ella cranosla dosfrs. Baro
o Livramento, Luiz Goncalves da Silva e Antonio
de Honra Rolira ; mas oda nao me deu conbe-
eimento do resultado de sua aiasao sem duvida
por nao te-la deserapenhado em visu das dirBcul-
dsdes que a importante falleocia de urna casa
ccmmercial, acabava da produzir, causando pre-
juiwe iocotmdo recaios a rauitos negociantes.
Ha poneos das o primeiro emprezario dramti-
co do theatro de Santa Isabel, Commendador Ger-
mano Francisco de Oliveira, apresentou-me urna
proposta sua para encarregar-se da reconstruc-
cao : nao tive tempo para aprecia-la, parecendo-
me, porm, ser merecedora de attencao.
Convencido de que o poder legislativo provin-
cial nao duvidar votar aonualmeoie a quanlia de
50:000 para o tbeatro, quando at agora tem si-
do votado, somente para subvenco a companhias
e pessoal triata e tantos coitos e autorisar o re-
curso das loteras, creio que, ou por meio daquel-
le emprestimo, ou por este proponente se poder
conseguir vantajosamente a restauraco do thea-
tro de Santa Isabel, parecendo-me tambem como
ao engenheiro em chefe, que no primeiro casoa
5esto dos negocios Onanceiros e administrativos
essa obra, seja feita por urna commissio tirada
do seio dos subscriptores, sendo a parte technica
confiada a Um engenheiro que especialmente dis-
so se ocenparcomo tudo se fez por oceasiao de
sua construccao.
Ainda nao me foi apresentado o orcamento exac-
to e detalhado a que est procedendo o engenhei-
ro chefe : em faca delle, e tendo em vista o esta-
do dos cofres, a subscripcao promovida e a pro-
posta apresentada, ticara V. Exc. habilitado a re-
solver definitivamente sobre o que melhor conve-
nha fazer.
Alguns objectos salvados foram recolhidos ao
deposito da reparticao das obras publicas e ao
Gvmnasio aquelles que ah podiam servir.
Teudo-me requerido o emprezario lyrico, antes
do incendio o pagamento de 5:000 e' mais o de
2:300*. ordenei a thesoararia que tendo em vista
o adiantamento de 10:000*, que em 14 de outu-
bro do anno passado havia sido feito a empreza,
nao Bzesse aquelles pagamentos sem ajusfar con-
tas com o mesmo emprezario, eujo diraila a sub-
venco relativa apenas ao numero da recitas que
den no presente anno.
Com o incendio do theatro cesson a necessida-
de de seu administrador, ao qual conced em 30
da setembro a exoneradlo que pecho.
OBRAS GERAES.
Por portara de 15 de abril conced tres mezes
de licenca ao engenheiro Antonio Vicente do Nas-
ciment Fetosa, encarregado da inspeceo destas
obras, e nomeei para substitni-lo interinamente o
engenheiro Joaquim Gomes de Oliveira, que para
este fim se offereceu gratuitamente.
Em 22 de mai > aquelle engenbeiro reassumio o
exercicio do seu cargo, renunciando o resto da li-
cenca.
Em aviso de 13 do maio autorisou-me e Sr. mi-
nistro da agricultura a despender a quantia de
1:639*000 com os. concertos de que careca a es-
cada do caes Pedro II, os quaes tendo sido arre-
matados pranla a thesouraria de fazenda nao fo-
ram receidos pelo engenheiro das obras geraes,
em cousequencia de nao estarera regularmente
feitos.
Constando-me de informacao do mesmo enge-
nheiro do 14 da jumo que o caes do Fuado Mat-
laaiaaobmi irrnhmae-palas alvanagM que a
elle acostam para o embarque e desembarque de
objectos para os rmateos que ihe ficam frontei-
ros, mandei intimar aos proprietarios destes, por
intermedio da capitana do porto, que o reparas-
sem em termo breve.
Por essa oceasiao representou o referido enge-
nheiro acerca do mo estado do caes da escadinha
denominado d'alfandega, no lugar em que est
collocado o chafariz ; e nao bavendo crdito para
a despeza de 1:375*000, em qne foram oreados os
reparos, soliclei em 11 de agosto do ministerio da
agricultura providencias a respeito.
Participando aquella capitana em 12 de julho o
9 de outubro que a rampa do caes da ra da Au-
rora em frente da ra Fermosa se achava de novo
deteriorada pelo desembarque de carvo, madei-
ras, ferragens e outros objectos pesados perten-
centes a companhia de trilitos urbanas pira Api-
pucos, determinei ao chefe da reparticao, das obras
publicas, fiscal dos referidos trilhos, que Bzesse
aquella companhia proceder com urgencia aos ne-
cessarios repan.s.
A cmara municipal desta cidade tambem me
participou adiar-se em estado de completa ruina
a rampa do caes de Capibaribe, no lugar denomi-
nado Ponte Velha. Mandei em 2 do corrente or-
ear a despeza a fazer-sc com a sua recons-
truego. .
Para evitar a oxdacao que j se manifestava em
alguns lugares das pontes Sete de Setembro e San-
la Isabel, n-nresenlou me o engenheiro encarrega-
do das obras gerae* em 2 de julho que era mister
pinta-las, apresentando o respectivo ornamento na
importancia de 4:960*380, sendo 3:701*410 para
pintura > primeira, e 1:259*170 para da se-
gunda.
Nao havia crdito para esta despeza, solicitei-o,
e sendo concedido por aviso do ministerio da agri-
cultura de 31 do mesmo mez de julho, mandei por
em praca-a rcalisac,ao desse trabalho, que foi arre
matado por Antonio Jacntho Borges perantc a
thesourana de fazenda pela quantia de 3:399*000
quanto a primeira, e 1:210*000 quanto a segunda
daquellas pontes.
Na mesma oceasiao ped ao Governo Imperial
providencias para ) melhoraraento de que precisa,
a de Sete de Setembro, qual encher-se de belao
as columnas que a sustentara: eem 30 de agosto
remetti o orcamenlu da despeza a fazer-se na im-
portancia de 9:108*000. A guarda va a deciso do
mesmo Governo para mandar eflectuar essa ora
indispensavel a duraco da referida ponte.
Obras militares. Contina encarregado das
obras militares na provincia o tenente de enge-
nheiro Chrysolito Ferreira de Castro Chaves.
Conel iram-se as seguintes:
Retelhamento, concert de janellas c
latrina no qnartel do Hospicio___
Concertos no quarto junto a capella
da fortaleza do Brum...........
Ditos na casa do ajudante.........
Ditos e pintura de todo o edificio do
Arsenal de Guerra.............. 1:703*000
Dito da coberta da 4* companhia do
quartel do deposito do remitas..
Dito na cozinha e na arrecadaco...
Coberta da parte de nm b:.rraeo no
quartel das Cinco-Pontas........
Concert do portio de ferro do
quartel do deposito especial de
instrueco.....................
Esto em andamento:
As obras e concertos, cabulera e
pintura de toda o quartel do depo-
sito de reerntas................ 3:600*000
Extincce de formigueiros, caiadnra
e pintura de barras na enfermara
militar........................
Concert do soalho e portas, caladu-
ra e pintura do Laboratorio Pyro-
techoico...............'........
Foram oreadas, e dependem de or-
dem do Governo Impenal as segura-
te obras :
Projeeto de um paiol para plvora
no Campo-Grande..............
Concert nos paies de plvora e ou-
tros no forte do Buraco......... 3:803*160
Dito do quarto que serve de prisao
na fortaleza do Brum........... 165*210
Ditos geraes e pintura do quartel
das Cinco-Pontas............... 2:980*1*9
Ditos geraes e pintura do quartel da
Hospido.......................
Ditos geraes, obras a pintura no
quartel do deposito especial de
_ 'nstruacao.................... 5:831*620
uesobstrnecao do cano de esgoto da
latrma da enfermara militar..... 236*800
SANTA CASA DE MISERICORDIA.
79*200
110*0<>0
26*000
730*000
125*000
258*000
10*000
501*500
491*460
42:305*850
4:735*070
Em virtude de solicitacio da junta admioistra-
',va. da Santa Casa de Misericordia, nomeei em 5
de junho urna eommisso composta dos Drs. Vi-
cente Pereira do Rego,Tarqunio Braulio de Son-
sa AmarAtho e Symphronio Cesar Coutmhe, para
proceder o inquerit sobre os factos argidas pelo
depiitado Max i miao Lopes Machado, era discurso
proferido na sessao da Asserabla Legislativa Pro-
vincial de 12 de maio, nos estabeleciraentos a cargo
da Santa Casa.
A eommisso ainda nao me de ucontardo resul-
tado de geus trablbos : aguardava-o para tomar
as providencias que fossem necessarias.
Almdos empregados existentes nos estabeleci-
raentos de que vou follar, tem ainda a Santa Casa
nm avagado, um solicitador e um cobrador em
Oiinda, e ura advogido, um solicitador e um co-
brador Desta cidade, existindo na secretara um
esenvao, dous offleiaes, um amanuense, um colla-
borador, ura praticante e nm porteiro e continuo
que tambem serve d sacbnsto da igreja de N.
Senhora do Panizo.
Asylo de Mftidicidade.Em 1837 urna commis-
sae particular de qne flz parte com o finado com-
mendador Manoel Flguelra de Faria, Drs. Joaquim.
de Souza Res e Jos Joaquim de Moraes Sarment,!
e commendador Jos Pires Ferreira, dominada da
idea de fazer cessar o triste espectculo que da
falsa e verdadeira mendcidade oflerecia esta ci-
dade, prerooven orna subscripcao para ser fundado
o Asylo de Mendicdade, consegrando recebar a
quantia de 4:369*320, e oflerta nao s de um ter-
reno, eomo de alguns materiaes.
Por oceasiao da visita de S. M. o Imperador a
esta provincia em 1859, a Associacao Crmmercial
Benaficente promeven urna importante subscrip-
cao para o mesmo fim. Foi entilo instituido o
Asylo na augusta presenca de S. M. o Imperador,
em orna das salas do hospital Pedro II, a 23 de
dezembro de 1859.
A importancia da primeira subscripcao com os
juros respectivos foi empresada na compra de 108
aecfcs da companhia da Beberibe, representando
o valor la 6:180*000, e a da segunda foi appliea-
da compra de 62 apoUces da divida publica, re-
presentativas do capital de 61:800*000.
Em M de outubro de 1860 a presidencia di
provincia reconhecendo nao naverem recursos
sufieieates para ser montado um Asylo, approvon
o aceordo que promover entrg a assoeiacao Com-
mercial Beneficente p a junta administrativa da
Santa Casa de Misericordia para ser cstabelecido
era urna das salas do haspital Pedro II. a carao da
mesma Santa Caa, urna enfermara de invlidos,
sustentada com os joros daquellas subsoripcoes,
mediante certas condices.
Em 1867 a A3semblea Legislativa Provincial, por
iniciativa do digno deputado Dr. Joo da Silva Ra-
mo, creou, pela le n. 777 de 11 de julho, o im-
porto adicional de 3 por oenio sobre as imposi-
c&espwvntaes, aflra de ser applleado a creaco
e manntencb de um Asylo de Mendcidade.
Parecendo-me qne o producto deste imposto na
Thesouraria Provincial (83:341*391) arrecadado
nos exercicifB de 1867 a 1868, 1868 a 1869, e no
1" semestre do corrente exerdeio com a impor-
tancia daquellas subscripcoes era bastante para
ser realisada a creaco do asylo foi um dos meus
primeiros cuidados promove-l.
Em 26 de abril nomeei para tal fim urna eom-
misso composta dos Srs. Bario da Soledade, com-
mendador Jos Piros Ferreira. e Drs. Jos Joaquim
de Moraes Sarment, Joo da Silva Ramos e Felippe
de Figueira Faria.
Nao tendo sido possivel obter do reverendo ge-
ral da Ordem Franciscana na Baha, a quem me
dirig por intermedio do conselheifo Jos Bento da
Cunta Figueiredo e Dr. Ambrosio Leitao da Cu-
nha, e para com quero procurei posteriormente a
ratervenco do Exm. arcebispo e presidente da
qnella provincia, o convento de S. Francisco em
Oiinda, alim de ser nelle estabelecido o asylo, co-
mo havia concordado com a eommisso, foi esta
entender se com o commendador Netto sobre a
compra do sitio em que na estrada de Oiinda em
Santo Amaro existe um espaeosu edificio, pela
mesma eommisso considerado apropriado para tal
fim.
Em vista do officio que em 15 de outubro diri-
giome a eommisso e de outras informnces resol-
vi que pela quantia de 23:000*000 fosse comprado
o referido predio, e exped ordem thesouraria
para ser e*ta quantia paga pelo dinheiro existente
em deposito, recommendando ao Dr. procurador
fiscal que mediante os convenientes exames pas-
sasse a respectiva escriptura.
Julgo que foi boa a acquisico deste predio : a
situacao, a exlenso do terreno, a vastido do edi-
ficio, posto que em parte arruinado, offerecem as
candicoes precisas para o lim a que o predio
destinado.
Sendo meu desejo ver quanto antes funecionar
o asylo exped logo ordem thesouraria para que
pelo mesmo deposito entregasse a reparticao das
obras publicas a quantia de 1:769*000 em que
foram oreados os reparos, caiacao e pintura da
parte dos edificios; dei em 21 do mez passado o
respectivo regulamento, e fiz nos termos deste a
nomeaco drMirector e dentis empregados; re-
commende finalmente con misso que rae apre-
sentasse a rolacao dos objectos precisos para o
estabelecimenlo do asylo, alim de ser autorisada a
compra delles.
Alero das 108 aeroes da Companhia do Beberibe,
e das 62 apolice; da divida publica, e da quanlia
anda em deposito na thesouraria, ha a contar para
o patrimonio do asylo com a mesma imposicn da
lei n. 777, com a quantia de 515*000 (em poder
da eommisso) beneficio do espectculo que em
favor do asylo deu o prestidigitador Mr. E. de La
journad e eom duas tasas sitas na ra das Laran-
geiras e do padre Floriane desta cidade legadas
ao recolhimento de mendigos pelo padre Jos Gon-
silves da Trindade e pelo conseiheiro Joaquim
Marques de Arajok segundo refere o relatorio
com que em 1846 a presidencia abri a sessao da
assembla provincial, a a respeito das quaes em
21 de outubro offlcei eommisso para verificar
ero que estado se acharo e na posse de quem.
Muito conviria qne fossem convertidas em apo-
lices da divida publica provincial as quantias de-
positadas na thesouraria provincial para que nao
fique to importante somma sem produzir ren-
dimento algum para sustontaco do estabeleci-
mesto.
Faco votos para que, concluidos os reparos'
que j se esto fazendo, seja alieno o asylo, e fique
assim satisfeita urna das mais palpitantes necessi-
dades desta capital.
Hospital Pedro //.Contina a estar desapro-
veitado o pavilho ltimamente, concluido no hos-
pital, nao s porque ainda nao foi entregue, como
tambem porque faltam Santa Casa os meios
para mandar canaiisar o gaz para sua illurainacao
e comprar camas, cokbdes, travestiros e banqui
nhas. com o que se poder despender cerca de
5:000*000.
O servico deste estabetedroento feito com as-
seio e regnlaridade.
Existan empregados ia hospital dez irrnaas de
candada, um capello, um medico, um cirurgio,
nm boticario, um ajudante, um enfermeiro, um
barbeiro, des servantes e cinco lavadeiras, sendo
a seu movmento de abril a setembro Ando, o se-
grate : exjstiam 116 homens e 100 mulheres;
antraram 529 homens a 196 mulheres; sabiram
134 honans e 139 mulheres; morreram 97 ho-
mens e 67 mulberes ; exstem 124 homens e 90
mulheres'.
C(ii do* expostos. Cada vez se terna mais in-
sutUciente o edificio em que funectona a easa dos
expostos para receber os menores, qne acabada a
creaco tm de ser recolhidos all para reeeberem
educaco, ao mesmo tempo que faltam Santa
Casa os recursos para augmentar-loe a accomo-
dac5es,*de cuja falta se rsente.
No servico deste estabelecimenlo acharo-se em-
pregadas oito rmas de caridade, um ajudante,
um regento externo, una rodeira em Girada e urna
servente, haveade 76 amas externas, urna interna
e um director espiritual, que tambera capello
da igreja do Panizo.
O movmento do estabelecimenlo duraste o<
mezes de aoril a setembro (Indo foi este: existan)
na casa um educando e 94 educanda, sabiram
quatro, morreram doas, exstem um menino e 80
meninas.
Hospital dos lazaros.O pessoal dos emprega-
dos deste hospital compoe-se de um regenta, urna
regente, um capello, um cosinhero e dous ser-
ventes.
O seu movimento de abril a setembro findo foi
o seguinte : existan 17 homens e 15 mulheres,
entraran tres homens e urna inulher, morreram
dous homens e duas mulheres, existem 18 homens
e 14 mulheres.
Hospicio de alienados.O hospicio j nao tem
as accouimodacoes precisas para conter os 80 lou
eos que all se acham recolhidos, e por semelhaa-
te motivo pedio-me a junta os necessarios recursos
tanto para mandar augmentar taes accomodaedes,
cerno tambem para poder occorrer s despeza
resultantes do accrescimo do pessoal qne tem ba-
ndo, devendo cessar a remessa desses infelizes alo-
que os mesmos recursos fossem ministrados.
No estabelecimenlo esto empregados nm re-
gente, um medico, que tambem o do hospital
dos lazaros, uro capello, ura barbeiro, dous en
fermeiros e duas enfermeiras, um porteiro e urna
cozinheira.
O movimento de abril a setembro findo foi o
seguinte : existiam 23 homens e 43 mulheres, en-
traran* 14 homens e cito mulheres, morreram
dous homens e tres mulheres, sahiram dous ho-
mens e urna mulher, existem 33 homens e 47 mu-
lheres?
CoUeio dos orphaos.Existem no collegio dos
orphos um director, um vce-director, uro medi-
co, que tambem o e da casa dos expostos, nm pe-
dagogo, um mordomo interno, um enfermeiro, um
professor de primaras letras, nutro de msica, um
porteiro, um refeitoreiro, um barbeiro, um eori-
nheiro e tres serventes.
Os educandos nao tm aquelle aciantamento as
primeiras letras qne era para desejar.
O movimento do esiabeleeimento durante os
mezes de abril a setembro findo foi o seguinte :
existiam 71 educandas, entrarara 12, sahiram 10,
existem 73.
Collegio das orphaas.Urna das necesidades
mais urgentes de que se resente o collegio das
orphSas a de agua potavel para abasteetmento
do numeroso pessoal que em si contm, e para
cuja satisfacao votou a assembla provincial na
sessao de 1866 a lei o. 648.
Coro a execucao do contrato que acaba de ser
feito eom Justino Jos de Souza Campos, para
abastecimento d'agua potavel cidade de Oiinda
fica satisfeita aquella necessidade.
Legados.Tendo fallecido o rico negociante Ma-
noel Joao de Amorim legando ao hospital Pedro (I
a quantia de 5:000*, ao collegio das orphaas igual
quantia, e finalmente 5:000* para dotes de 20
educandas do mesmo collegio, foram estas quan-
tias j recolhdas aos respectivos cofres, sendo
posta no banco inglez, vencendo premio a'que fura
destinada para os dotes das orphaas.
Predios.O estado dos predios da Santa Casa
contina a ser mo, por nao ter o respectivo cofre
os meios do poder concerta-los, todava com alguns
donativos que tem recebido trata de reparar um
que exista a muitos annos arruinado ra direi-
ta n. 33.
Os predios, porm, que pertencem ao patrimo
nio dos orphos nao se acham em estado de ruina
e o respectivo cofre pode ir occorrendo as despe-
zas com os reparos que elles preeisarem.
Emqnanto os predios nao forera vendidos e o
seu prceo convertido em apolices da divida publi-
ca, nada so teni feito em bem da cotir-ervaco do
patrimonio dos orphos da caridade.
SADE. PUBLICA
O estado da saiide publico em geral satisfacto-
rio. A excepro da varila que tem-sc manifes-
tado nesta cidade e seus suburbios, nenhuma ou-
tra epedimia appnreceu.
As febres que no interior d'est.i provincia rei-
naram com carcter epidmico, felizmente desap-
pareceram, sendo prestados todos os soccorros re-
clamados pelas dilterentes autoridades.
Em virtude das communicacoes que recebi do
juiz de direito e promutor da marea de Flores e
des juizes municipaes e delegados dos termos de
Villa-Bella e de Flores, sobre a fome occasionada
pela secca e febres que s& tinham desenvolvido
nos referidos termos, ordenei a thesouraria de
fazenda em 13 de abril que pozesse a disposico
do ebefe de polica a quantia de 2:0003 para
compra e remessa de medicamentos e gneros
alimenticios de que precisavara as pessoas desva-
lidas, e ao mesmo chefe recommende que fossem
ostes soccorros remettidos com toda a brevidade,
bem como que as autoridades encarregadas da sua
destribuico enviassem semanalmente urna relaco
nominal das pessoas affectadas com declaradlo
das soccorridas e das que sucumbirn).
Chegando ao meu conhecmento que a varila
se desenvolva com intensidad/ na villa de Seri-
nhem encarreguei ao commissario vaccinador
desta ddade, de ir aquella villa prestar os serv-
eos e dar conveniente direceo as pessoas all in-
cumbidas do tratamento dos desvalidos, o que ell<-
fez, dando-me conta de sua eommisso. era officio
de 7 de maio. Pareca que a epedimia ia all em
decreschnento quando fui informado em 13 de
julho que ella tinba recrudecido, pelo que fiz de
novo seguir para all u referido commissario vac-
cinador que de volta da eommisso communicou-
me ha ver vacinado e medicado a diversos indivi-
duos e estabelecido no convento de S. Francisco
urna enfermara para com mais seguranca serem
tratadas as pessoas desvalidas.
Segundo informou-me c presidente da cma-
ra municipal j se aefaa extracta a referida epe-
dimia, apparecendo apenas um ou outro caso,
pelo que foram dispensadas is pessoas que esta-
vam encarregadas de tratar os doentes n'aquella
enfermara.
Nesta cidade a reparticao de vaccina tem func-
eiorudo regularmente as quinta-feiras e domin-
gos. Duraste o periodo da minha administradlo
vaccinaram-se 167 pessoas, desenvolvendo o flui-
do vaccinieo em quasi todas.
O commissario vaccinador podio-me que man-
dasse eomo d'antes om soldado de polica para
abrir e fechar a reparticao, bem como destribuir
os offleios e fazer o mais servico, que fosso deter-
minado.
Sendo inconu st.ivel a desvantagem que resulta
para o servico de serem destrabidos soldados do
oorpo provisorio para este e outros mistares a
que nio sao destinados, deixei da attender a sua
recjaaaacio, que levei ao coubedraeoto do gover-
no imperial, para providenciar a respeito; deca
Bou-roe o mesmo governo em aviso do ministerio
do imperio de 9 de agosto, nao poder ser autori-
sada as circumstancias actuaos do paiz a despe-
a com um servente para aquella repartidlo.
O inspector da sade do porto particpou-m
que tendo chegado no dia 29 de abril o vapor aV
guerra italiano Guiscardo trouxera 7 doentes que
foram recolhidos ao hospital, e desembarcara o
cadver de um tripulante. No dia seguinte todo
elle visitar os doentes encontrn apenas um gra-
vemente enfermo, mas qne nao Ihe pareeeoa :i
febre da natnreza das de qne trata o ait 14 dn
decreci n. 2,734 de 23 de Janeiro se 1861 deixot.
ficar n'aquella hosuital os mesmos doentes, o-
quaes todos resUbeleceram-se.segundoconstou-me
A pedido do cnsul de Italia dd ordem para sei
recebida a tripulaco no lazareto do-Pina.
Tendo em 30 de abril entrado o inspector da
sade do porto Dr. loo Ferreira da Silva no goso
de urna licenca ficou exercendo interinamente t>
mesmo lugar o Dr. Alexandre de Soma Pereira
do Carmo, a quem om data de 29 do mesmo mez.
nomeei para o mesmo fim por oceasiao do fatteci-
mento aquelle doutor: e nao posso deixar de
declarar que durante o tempo de minha admin-
tracao servio elle o referido lugar com zelo e de-
dicaco.
Em 9 de julho partfeipou-me este qne dous tri-
polantes do brigue inglez Search, em qnarentenii
no iamaro haviam sido cunduzidos para o lazare-
to do Pina, onde fallecen um, tendo o mesmo bri-
gue livre pratira logo que foi desinfectado.
Por esti oceasiao fez-me sentir o mesmo inspec-
tor da sade do porto a necessidade de mudar-
se o lazareto e enfermara da ilha do Pina para
lugar mais apropriado, nao s porque a paasagem
para aquella ilba feita pelo ancoradro, com*
porque acha-se o hospital muito aproximado d'esr
ta cidade e do povoado da Boa- Vagem.
Lembra elle como mais propra para estabele-
ciinento do lazareto e hospital a ilba de Santo
Aleixo por estar situada a 14 leguas de distancia
desta capital, e ser completamente solada.
Levando ao conhecmento do governo imperial
toda esta exposiro do inspector, foi-roe determi-
nado por aviso do ministerio do Imperio de 30 de
esmo mez de julho que manaasse proceder ao
remenlo das desperas a faeer-se cora a remocao.
para o que exped as convenientes ordens.
Chegando a este porto o lugar norueguense Ea
listo procedente do Rio de Janeiro para New-York,
e tendo-se desenvolvido nelle a febre amarada,
da qual fallecern) durante a vagem dous aaari-
nbeiros, foi a tripolac > para o lazareto e ahi per-
maneceraro por alguns das.
CEMTERIO PCBLKO.
Tendo em vista o officio n. 1,116 que em 18 de
julho me dirigi e Dr. chefe de polica pedio*,
providencias para que nao se reproducisae a in-
fraeco dos arts. 71 a 72 do respectivo regulamen-
to que exigem para a inhumadlo dos cadavafes
seja apresentada guia da cmara mumcinal,
informacao que por esta Coi dada a respeito em I
de agosto, resolv em 27 do mesmo mea exonerar
o administrador e nomaar para substitui-lo o d-
daaao Antonio Auausto da Fonseea.
Sepultaram-se de 11 de abril a 4 do corrale
1477 cadveres sendo de homens 748, a de manie-
res 729. Destas 631 eram livres e 98 escrasas, e
d'aquelkes 644 erara livres e 104 escravos : sendo
563 brancos, 524 pardos, 365 pretos e 25 sem de-
claradlo de cor.
(Contmttar-se-ha)
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DA PHOVWCIA DO DIA
Io DE FEVEREIRO.
Anna Monteiro de Lima Reg Valeoca.Conce-
da-se mais n prazo de 60 das improrogaves para
a supplicante entrar no exercicio de sua cadeira.
Antonio Joaquim de Almeida Guedes Alcofora-
do.Requeira ao governo imperial, visto nao po-
der esta presidencia conceder (cencas para fra
da provincia a empregados de fazenda.
Clara Olympia de Luna FreirExpeca-se or-
dem no sentido que a suppheante requer.
Candida Rosa Sampalo da Porduncula.Infor-
me o Sr. desembargador provedor da Santa Casa
de Misericordia.
Elias da Rocha Pereira.Indeferido, avista dn
informacao.
Firmino llerculano Baptista Ribeiro.Ao Sr
inspector da thesouraria provincial com a portara
desta data.
Feliciano Marques Vanna.Volte ao Sr. ins-
pector da thesouraria provincial para informar.
Franci-co Balduino de Albuquerque Maranho
Informe o Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Honorio Jos do Souza.Informe o Sr. Dr. juiz
municipal da primeira vara.
Isidoro Marinho Cesar.Conceda-sc 30 das com
ordenado smente.
Juaquim Leopoldina da Gloria.Nada ha que
resolver vida da informacao da thesouraria de
fazenda.
Luiz JacquM BrunetExpedio-sc ordem para
ser adtnittido o menur de que trata, estando este
nasconriciies da lei, e quando houver vaga.
Manoefde Souza Cordciro Simoes Jnior.Diri-
ja-seo supplicante recebedoria de rendas geraes.
que se acha autorisada a arrecadar o imposto di
que trata.
Bacharel Manoel Antonio da Fonseea e Mello.
Conceda-so dous mezes cora ordenado na forma
da le.
Thomaz de Aquino dos Prazeres.Nao
gar o que requer avista da informacao.
tera lu-
* oieriso do blspado.
O Rvd. Sr. governador do bispado, attendendo a
existiMBI as mesmas causas, em virtude dasquaes
osExms. e Rvms. prelados desta diocese teem
concedido poder-se usar da comida de carne no
tempo qutiresmal, pela faculdade de que goza con-
cede a mesma dispensa para a prxima quares-
ma, usando-se, porm, d'esse alimento urna vez
por da, e observado o preceito do jejuro. Excep-
tuando-se com tudo as sextas- foiras e sabbados d
cada semana, quarta-feira de cinza e quarta-fein.
das tmporas (9 de marco) e toda a semana santa
Palacio da Soledade, 3 de fevereiro de 1870.
Padre Joaquim da Assumpcao, secretario da c-
mara ecclesiastica.
C ommaad* das arnaaa
QABTEL-CENERAL DO COMMANDO DAS ARMAS NA
PROVINCIA DE PERNAMBUCO, 4 DE FEVEREIRd
DE 1870.
Ordem do dia n. 469.
' O brigadeiro commandanie das armas faz pu-
blico para que tenham na guarnicao o devido el
feito, osseguintes actos da presidencia :
1.* Que tendo em consideracao o exposto em
otfico que peto mesmo brigadeiro Ihe foi dirigido
a 28 de Janeiro ultimo, sob n. 54, comoou por
officio do 1* do crreme para commandar interi-
namente o Forte do Buraco, o Sr. tenente-coronef
do corpo de engenheiros Sebastiio Jos Basilio
Pyrrbo, que se acha sua disposicao e desempre-
gado.
2. Que no referido dia 1 d'este mez, sobre pa-
recer da junta militar de sade de 11 de dezem-
bro prximo findo, conceder ao Sr. cirnrgA>
do corpo de sade do exereito, Dr. Jlo Honorio
Bezerra de Meoeses, que se acha doente em san
quartel, tres mezes da licenca nos termos do de-
creto n. 3579 de 3 de Janeiro de 1866, para tratar
de sua sade.
Em execucao ao primeiro dos referidos setos,
determina o brigadeiro comaHndanta das armas,
que o Sr. tenen*e.ooronel Pyrrbo passe a tomar
amanbaa o comnundo interino do Forte aq Bora
n
r .
V

TT


mi
mm 30 i mum^ d< PMmW (3abbad0 4 de Fcvereiro d. m ss tmm .mi mu

i
naamwaa
ao, (me receber oi> Sr. lente Madoel CaroelrO"
Maohtde Freitv, com as devids furroslida
AssigaadoJpafaifli Ios" Gmraloes Fontts.
Cunr.iHtaeBau/iaao //tw" (te .V/to Tongo-
r!, tenerte Mudante de orden:! enearregado do
dalaihe.
Repartid da polica.
2' seccio.Secretaria 4 polio de Pernatnbu-
oo, 4 de fevereiro de 18W.
K 162.Illm. ? Exm. Sr.Levo aa coiheci
monto de V. Exc. tjke, segando consta das part-
pacoes receblas h;jn nesta repartcio, fraut
recoHiidos hantem i casa de deteneiii, o segum
tes iujividuos : ,
A' minha ordttN, Antonio Jas da ShV>, tomo
indiciado ca rima de estaflionati) ; Victorino la
Silva Lima e Tnardiiio Jes' de S ;naa, por cri
te de t-JTensas physira*
A' urdem do sub telegado do Recife, Primo, es-
oravn de Joaqun) Jode Azorado, a rejaerimon-
to Teste ; e Antonia to-a, por insultos.
A* ordem i* do Santo Antonio, Miguel de Al-
wenh r MrtrtH l,npes do Rosario, por rimede fe--
risneate*.
A' ordem do da Boa-vista, Antonio Sueca, por
crinie de dfieoeas pbvsiras ; Joao Sacerdote Serpa.
part rabratt; e Altoaio Marcelina de Andrade,
por briga e insultos.
A' ordein do dos logados, Fetippe Nery isatt-
tinjrn, por crime de foriiuentos graves.
A' oidem do de Maribeca, Maaoel Jos da Paj-
u.l por disturbios.
Por Hiri do l- do enfrente p*rtiepou-me o de-
leaanedo Limoeiro. auo fura M capturado ere-
eotltido reactiva cadeia, Helippe Nery da Sil-
va, por se aehar pronuueiadu m crime de tenta-
tiva de niorte perpetrado na pessua de Antonio
Correa da Silva.
IVos nuarde V. Excttmi. e Exm. s.r, sen-
I n Fredorieo de Almeida e Albuuui-ruiie, presi-
dmttc da provincia.O eoefe de poficia Luiz Anto-
nio Fernanda Pinhet o.
o mmmma^^imanmatmmmmtimf^/mt
Ignacio Miiiii WBuzdi
te.Manate fl re Gnmeir.\)r. Jo'^m ,f
frueede ttnes de Son %jf
ra Heve,
proceden!- rente, o juico; raccorrida, Es-
tica .Mara. Mlelatur o Sr. debemtovgador
S.uza Lei", sorteados os Sr. desembaraadtre>
M illa, Assis e Gitirana.Improcedente. Ijecco'r-
rtiite. o jmzo ; recctrritti, 'Jo* Freir de Aratt-
ju. Relator u Sr. desemb rgador Souza-Lele, sor-
teados os Srs. deseinhargariores A. Albuquerque,
Assis e Gi tira lia,-imori)|egMe>
Aneiuvus b rmBKo.-f>kjjpavi^| Jos Alto-:
ntii Alvos de MirMtda Gatohes; ippravado, o
jhio.Itelator u Sr. deseWlitrRador Gitiraoa,or-
toadas os Srs. deoenbar|Rlores Motta e Alietda
.\lr>(|iiern. ~X*o se fez aggram Aggra'WBle.
baeharel Leonardo Pranciwo de Ataeida; 3J*"1
vado.o mxo.Relator o$r. desadarjadin-Wior-
ra, tuneados os Srs. desembarMares Gitiran e
Uuraneo SaMjaso. Dcij-b priilklento.
Hj*r.AS owi'i-9.Con*deo-se ordem MVda
per Francisco Aftasftcid da Cnu. e TB*, 'frato
do o>sen*argador Anselmo Pranciso Perelti^ /lokn, nnrfciicrnav/ Aa laUnra
para o d,a 5 do currmte; e a JesinoMrfa4e V?! inUe P.^SW PERNAMBUCO.
-r^
vao, Jw Velloso Soares los Lui Ferreiip da'
Gonna, Joajiira Teixeira Bastos, loaqnlm Pwalra
da Silva, Joao Luiz, Jos Pedro Fernandos, 4oao
Antonio do Smua Teiscira, D. Joanna da Rosailo
Guinfarles* fiSchado. Joaquim Pires Caraelro Hon-
?Wo/IBftlICandido de Medeirps Pinto e Sabino
Ferreira de Mello ; e levant >-se a sfssio.
Eu, Eranpf*Xanu!o
a esefevi. 1
, nr-prWen-
Jos tiariatoti-
o Fofa,*.Dr.
.Dr. JoioBi-
EEVISTal DIARIA.
THESOWtAKIA PROVINCIAL.-Peto balaneo
yjiw a proceden nafta reiiarticiio, a 31 de janenro,
Teritii-ou-se liear nos cofres um saldo de... ...
>!:4;ia45, sendo:
Km atcM teposiiadas U8r8S:t3()0i
Mu\ MUfi da divida provincial
Km li-ttcas a vencer 3o7:74lilW!
Eat dmliHro "346:40718^
1ISPBNSA OLARSSMAL.Un locar competm
W pMDlicainos a lioenea concedida, pftV) Rvni. Sr.
gwtanador do hispadnj para se poder usar da en-
mida do carne durante o lempo <4a (ian>sma. eom
coepcao das sexta-eira-^ e sabbados de cada se-
mana, V](Mita-(eir de cinza, e de'9 de marco at
safebad de AlieHwa.
GAPTI'RA.Pelo deleitado de polioia do terntu
de-Liinoeim ful captorado FelipBe'Nery da Silva,
conio pronfftclalo-ern crime de teelaffva de mor-
te. perpetrada n* pess*ja de Antonio Correa da
Silva.
PA^SAMENTG. Deu ante-hnntei alma ao
Creador, e fui hoatein sepultado ti eemiterio pu-
ItlH-A), a abadiado-proprietario e capitalista de H08-
< praja o Sr. mu Aotunit Vjetra, inembro im-
portante do partido cor*erva O fallecido era estimado pela MH llrmeza de ra-
racler, p pelos seus coulmoimentoa linanci-iro-
cortimerciaes, destinctivos estes sempre sr se^hido para membru director da
maior parte das associaeoes commerciaes qae en-
tre mis exttein.
A seus dignes irniSos e sol)rin)Os damos nos-
sos aneeros psames. ,
GABINETE PORTUGIIEZ DE I.EITiiKA.-Nao
e tendo reunido minero sufficiente de accionis-
ta* deja esutbelectnieuto no dia H do corrale,
fui de_ novo convocada a assembta seral para
amaaliiia as 44 horas da ntanhaa, realisando-*e
tita cora o numero de sucio* qoe comparecer.
O tim da recnS ( str discalida a annnllar'io
da eleieao da directora, que nltimamente se
proceden, e proceder >e a nova eleicao.
FESTIMDADE R1?LIGI0S\.-Teni h./c lugar o
r*a'nidmento da banleira da Seiilnra da Soleda-
o-, qne se venera na igrej ii>aJri7. do Poco da Pa-
trtla, celebraudo-se a re-|Viiv,i fe ; i prximo cum tida a potupc per Aliar ao culto
extenri da nossa reli;ia..
A namleira. cegando nos infnrmain, deve sabir
dVViftle temlo runduzida por menina* a -e.- has-
te.ul i em frente do mesrno e antes disto tocar a
banda .e msica do I." hatalbu da guarda nacio-
nal de-te madcipio, cantandu-se nu interior da
inja en seguida a elcacao ,a baudeira versos
anlogos a tal acto cuja musir couipcsico do
niosiio Colas.
&h** do acto solemne d* festa no domingo e
do M'eum i noite, diversas senhiras cantaral
o en-o ouiros versos ; e ao desuer da bandeira
Alto entes bates ranfrla ao ar em manit'esiaco
i'ti o i da religiosilade dos devotos d'aquella ex-
-.:', Senhorti
Mene/e- Botelbo, para o dia 15, ouwd ae bWi
da*v< respectivas.
ftj.Ln.it.vr.ixs rrras.AppettrntP, Montea Luna |
tnitifalves Franca^ appelladu, Justino Pereira de
FariaAo Dr. curadur geral e ao Sr. desembar-
jyiJor procurador datora. Appullanie, u cunsal
t*K .uguez; appef.ada, D. Marii Joaunloa de (Mi-
voir i GaiHpus.Ao Br. mirador geral. AppeWante,
Manoet Josd Ba^tus1; ppetlna, B. Urania Ramos
'Neves.Ao Dr. curador geral
Dkligknci.v flatME.Ao Sr. d^emnargador pro
inoiurda }u Joaifuuu 6ixoira.
' pAssadHW. J*__
DoSr. desembargador Gftirana ao Sr.-UBUn)ljttr
iptdor fcaortiti?) "SrfUnp. -AppelbuJfltB' ^rrtis:
appeHaiUeS,aoai>'dtt Gdtto;SHva e Kt*eVnppe1-
lados, Francisco PW lai'bos e onlrds. Appet-
l-jnio, Rastli:mo de MaplMies Castro; MppeRala,
t). Jumina Mara das Dure?. Appeltaitte, AflWAio
Franctso 'Muir, de Mmftdn; appelfeHla, a faWAda
nacionaL
Do Sr. de^embarpidor Afcteida Albninierqtte ao
Sr. d*er.Jbargador Motta App*lfaci-s civeh:
appetlante, Josepa Mtsria d Satit'Aona; appeHa-
do, ***** Gabrat de tivetra Mee. Appetlante,
PrenelMo Jos Leite.; appellade1, loii Bapttsta Co-
mes Peana. App^'ante. o desembarpador Fffet-
ra de Mello; apneSuda, D. Praactscji da Cimba
UaiMMra de Mdle. AppeHattte, Mi(?t''! "FePreira
da S!va ; apfM-lhtda, Manool'Goflws da Silra. Ao-
'pMares crime*: ippMimVte-, Jo|aim Jos de
Sant'Anna; appeNada, a jnslira. AppelIsMA, A*)-
I n Lindado Amor-ivino ; appeHatla, Isabel Maria
75:lKM)*lMK) de Ji-sns. A|ip-llante, Rugeriu Perfi-a da Silva':
appellada, a justiv.
Ao Sr. desembargador'l'choa C.'iv.ilc.inte.Ap-
peliatjau eftM a-ifiiflunte, JosSamico.; appHla-
de. PtMlroda C-isA o Silva.
o Sr desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Assis.Appelvcao elvel: iT*'pflunte, Joa-
quim Jos Pereira Cunlia ; appellapo, JosBezerra
dn Almeida. Apiiellaeao crffte : nppellantt", o
jntzo; appedado. Sanui Clt.inmle Cabral.
Oo Sr. dc-oimiorgador A^dsaoSr. Je*rttberga-
dor Domingues da Silva.AppebacSes ni veis: ap-
pell^nte, Justino aues de Meilo.; appeflado, Ma-
od Xnues de'Mufle* AppeKante, Jo-a* Victorino
de Rmendb'Gavairante1: ap Hados, Mmletro Car-
valho A G Appi4lante,u jaio''; appellndo, Ant nlo
de Serqneira Barros Leil-. Appeilame, ojui;
ap;iell,n J..Sn Marques Ferreira Ponte*.
Be Sr. flesmbargadur Souta Le5o ao Sr. des-
omliargaor ffdioa GavalraRte.Appidlaijoe* cH-
m*M : appeUnbte o jnieo; atifeHaon, PrafK!is*o
Xavier de Salles. Appellante, Dominga Humes
de Acuiar: appell.td.'i, a justic. AppeHanie. o
juizo; iippettada; Panl'ma Josepin Cdm. Appella-
eoe UeN Lima: appi-llado, pndKp Jos d'Assnmpijao
Sottza. AppellHiite, Vrenle FcrrtWt n Slvji ap-
pellado, Miguel de Albnquerqne Mello.
Ao Sr. dueiiibargadur Gitimna. Appbllcfies
cveis : apHelImte, Jos fitaqam PWeirlt de tten-
Mon*a; 8ppe!l;inV tlf. Wir*>'' d A^*Ml tobe
MftseoSn. Appefbinte; becnarel FrWlseo-liim
Caldas; appnlado, Ji'qnin Ji)s* de Abren. Ap-
pedante, Jmqdina Francisca de S appeilado,
Jos Furtado de Lacerda Jimior.
Assignon-se dia para jnlgamebta dos segnintes
fetos;
apprii.aicobs (srrs.AppeHatite. loRo Bapfista
Itivlrigues de Son ; app*fllida B. Josepba Leo
poldlna de Mello. AppeHftte. Bt. Gr.Spar lie Me-
nezes Vasconcellix DrumiiK pd; ap^liai<), os
herdiros de Joo lferyripie da Silva.
Ai'PRLLwrxo cbimf.AppollaMe, o jnizo ; appel-
iado. b-idoro Antunes BHfeirrb.
A' i hura da tarde encerrou-se a ses'sSo.
Term lugar biMMhin a Mmio'dV
geral dos socios effectivos dessa til institu
8T?m de ser disentido tim reijueilimnito
cios, no qual se pede a annulftt^) 2
rea Usadas ltimamente ; e, aullas esta
se a novo suffragio.
.Nos; norm, interesado to mals' alt grao pea
prosperida le da ooss* associa^ao, ulganjos de ri-
tpm><6 fever etpf'succhwmentt o qfte, de ac-
cordo com muitas pessdss sensatas, Jjensauos a
la rwpetto.
Por disposicao dos nessos estatatos, devam as
eleicies ter sido taitas em julho do annu finio. |A
Rustre directora actual deu -sobejas rttsoe? para
innocentar-se peranae safaltR de enmprimento
da le. A sua alta ji era ennseqnencis de faltas
anterioras.
A'vista disto, propomei o egbi'ate. aes Aossos
illustres consocios:
Em vez de proceder a Ttova eleicao, deve pelo
contrario a prxima asemMe* gnra anthorsar a
actual directora o oonselbe a TompTetarem o
dmis -annra de adinmistrtca>. Nio oaso novo
em nossa initkMeau. e este arbitrio trar benefi-
cies, sondo o matar deRe o poder regularwar-se o
qne ha mnito tempo and rregolar, mo a po-
ca das eleices, segundo a prescripeno des esta-
B'aqol a 4 m*ee&4er. i admimMracaij, <|ue vai
eleger-se, rwinado o ett efrpVi de governo. E
irnem querer por tao limitado espaco tomar os
neargn admmatratTos f Admfttmd. aluda qe
haja quem se propon* a Mo, que beneficios pe-
iler colher o gabinete dos astres socios eeiWs,
dnrnnte oestreto periodo de 4 metes, por mafrr
que so}* a sua boa voanade
Esprame* qne esa* verdades, pasando no ani-
mo dos nessos vmsflblo, od'le*varo a ttender a
boa f desta exposicao.
JftSfO subios.
g
48 ditas Untas, 500 ditas e 100 g;
bra ; orden.
30 fardos pimenta ; a Keller & (,'.
t barricas ferragens ; a Von
HCEBEDORIA BK RENDAS
RAESBEPERNAMB*.
Rendiraento do dia i a 3 .
#
" fH I IfT w'"'* '"" >1nAtuiiLi ^ i-m^ft n>in
gene-
* C.
HAS Gb-
188U464
j^tor
VmdinKBtbdo dia 1
dem .de-' a 't .
BONSITLADO PfiOVlSCA4
.088|-
.8:487 iW)
Navios entrados no da 4.
Hamburgo39 dias, escuna norte-allemaa Belty,
: ? -xle fMMneladas, capito H. Kroger, equipagein
6, carga varios genuros; ordein.
Glits*-*42 dias, lagar iagfei Sarnab Smitk, de **"'44*600confunne o nrcamtnto e clausulas qne
&
Liil'A.VBAOlS BA SOLEBABE. Toma boje
i"-> a oiesaregedora da irmandade da Soleda-
ii' ie-1.- na sua igreja ik freuezia da B ia Yts-
* '. 1 in! f ii eli'ii em fevereiro do annu passad >.
V'IOS EN'("0\TRABf)S.-a lugre Iglez So-
/i a -' do passalo, na lat. N. 1." e lung O. de
-icli 'i-. 1 ia de Hull para llangoon com 32 dias de
via : ni. Tud 1 a bem bordo.
- A barca inam?rqueza Flora falln com os
-"emites navios : a 12 de Janeiro, com a barca
'.1. Einnmi*. indo de Londres para Algobay.
na lat. N. 17*.!!)' e long. O. de Greenwich 2-*).
9s* : a 23, com a barca ingleza Watt n, indo de
Londres para Tient-in, na lai. N. .*>8" e long. 6.
26." 49"; a 26, com a barca franceza Cometa, in-
do de B "nius para Rombiim, na lat. S. 37' e long.
O 2* 8'; e a 27, cu n a barca hollandeza Bata-
vt'.t, indo de New Castle para o lio de Janeiro.
ni lat. S. 3. 24' e long. O. 30." 33\
LOTSHIA.A que se acha venda a 136a, a
bae'io da nrdem terceira do Carmo, para fun-
d:e..o 1e um hospital, que corre no dia 10 pelo
plano novo.
CHR0NKA sme. man
TR8BUX.4L Di REL.K.IO.
SESSAO EM I DE KEVEREIRO DE 1869
rRItSiOEftCiA DO BXJf. tm. CONSELHBiBO AETATtd
SANTIAGO.
As tw horas da manhaa, presentes os Srs. desem-
liaivadu-ei Gttirana, Goerra proou?adir da.conja,
Uturunco Santiago, Almeida Albujuerque, Motta,
As-i-< e 'Sonata Leo, faltando os Srj. diwembarga-
Jr>. Doria, Dotningues iioa Cavalcante, abrio-se a sessao.
P-i*^dos (m feilos, deram-se os segamtes farg*-
mm
t'rantsos c*cwe.Reecorrcrrte, o juizo; reeeor-
rid", Antonio Angosto da Pontee*.Helalor eSt.
u.'si''niwrgador Grttrana, sorteados os Srs. tesn-
hurirtitores Ahoeid4 Allrequerqne, Soasa Leito e
:do'r. -fmpfocdentp. Recurrente, o juizo; rec-
iViTTido. Marcobnu T-ixeira dos SantosRelator
. Sr. 'ie-mn^arJt<'lm, Gitirana, seWteados os Sr*.
ottiriradore- Assis, Lowent^) SatttfctflooSonw
1/ 1 Un procedente. Iteccorn ate, ejuiiu; rec-
-1 du. Bartholoneu Pereira da Costa.Relator
,-^mbaTjfad.ap le-- ti' irj-adores Assis, Motta e Souza Leii.lm-
<>''. ;eci;orrente, ojuizitt; r?t50rrd(\ M-
fteJ Kr.iii-ioco do WismimeaM -^Relat/r 8r. dtes-
'itiiarcador Almeida Albuqnerque, sorteados ns
Stj ileseinbir.iadofes Motta, GitiranaeAsis. Im-
Sent HeeenrreMe, ojaa ; r> ebrrido. Vi
ent" Ferreira LimaRetator o Sr. desembarga-
l*r : vibvqertjue, sorteado- os Sr>. des
SnVT.tilures Mutla, Souza ^eae e GttiraBa.-*-ba
i*'., fleceorrente, o piizo; reoeorridit,
' iu Hiheiro lachado.Relator o fif. dexem
dotta, MNeadns os Srs. des^mlargad ia'AJnuqnerjue, Soa Lptoe Asw's Nao
e-mlwetonentti. Reeeummte, ejnij;
lo, BnrttiainwBU de Souxa Visgueiro.Re-
1 Sr. lieseuibargador Molla, sorteados os Srs.
.adoresGttirana, imeida Albiiqtjerque
Lela. Innjmeedente. fleceorrente, o
.0 David Atadeira ; reccorrido?, Joaqnm
.enes Vibnnt eontros.Relator o Sr. dVaea-
C-1WARA MMCIPAL.
SESSAO ORDINARIA AOS i BK IANEIR8
BK 1870.
PRESIDENCIA DO Sn. Dn. RARBOS nAtWETO.
Presentes os Srs. Dr.Seve, Br. Pitanga.r. Mas-
coso, G.'uneiro e Souza Magalhaes faltando com
i'absa os nais senlwres, abriese a sossao, e fot
ida e aparov.ida a acta da antecedente.
L-se o seguinte
KXPttDiSTE :
Um oflicio do conego governador do bispado,
coinmunicando que e unimninente ditBcuRoso
adiar >e 11:11 sacerdote, ijne acceite a capellana
do ceiniterio publico desta cidade. por que di--
pimdu o respectivo regulatnento, que o capello
resida n 1 edificio das 6 bufas da manhaa s 6 da
tarde, npossibilia-o por isso. de oceupar-se em
alguina nutra fu necio ecelesiaslica, f<>ra do mesmo
editic.io. O orlenado nao corresponde essa pri-
vacan, antris lica inoito reduzido. ahateodo-se delle
a esmola correspondente a cinco missas, que o ca-
pelln, como tai, obrigado a dizer em cada se-
mana. Se tor alterado o regulamenlo de modo
que o capellau seja obrigadu a estar no^ edificio
las 6 horas da manhaa as 9, e das 4 da tarde s
6, que ju-tamenie u tempo em que do ordinario
se faznm os cotorros, desapparecer o inconveni-
ente e o cemiterio estar sem;ire pnwido de ca-
pello.Que se ofllciasso ao Exm. presidente da
provincia, expondo as razues dtdas pelo gnverna-
dur dn bspad >, e -e peca auturisaoao para fazer
no regulnmeirto a alUYacao lembrada pelo mesmo
goventador do bispado.
Outro do prucurailor, informando sobre o re-
querimonto du Br. Antonio de VasconceHo Meee-
zes de Drummond, declara que no dia 9 de de-
zembro ultimo,-ihe fui presentada unta (ice ica
dada pelo vicario da fregueziada Boa-visia, a qual
dizia que poda ter -eptritora no cemiterio pntilic
o cada ve/ le Eufrastna, preta-, ^elteira com 28 an-
iios de idade, escrava do casal do brigadeiro
Drummond, em conseqaonCi do que don a guia
para o cemiterie.A cmara m vista da nifir-
macao au pude alterar u nu-Me de Eufrasina para
Eufrasia.
Outro do engenheiro eordeador, informando o
raquerimento de Juaquim Pereira o sooza, cuna-
pie I he dtzer qw- nada tem a oppor, dandose-lbe
a competente cordeacao. Mandou-sn oardear
inaiil.-nilose a planta.
Outro do momo, infnrmando o requerimento de
Fraacisco Xavier de S Imitan, declara pe nada
Ma a opoor, daavIA-sa-lhe a cordearo.Mandila-
se cwdear.
-Owtro do roestiio, informando sobre e requeri-
mento de Marcelliao J.is Goncalvos da Ponte dk
pie nada tem a oppor a pi-etencao do suptdican-
te.Cttncedeu-se.
Outro do mesmo. mMrmaado o requerimento
de lltRines James Cannan, onmpre-lh* dmr qaol
pela planta da cidade, appnivadav a casa do sup
nlicante acha-se marcada para ser demolida, as 1
sun cun parto do moro, para o novo anahatttvn
to da estrada proyectada, por isso etJntoote a ama-
ra resolver.Conceden-se, cun) a condtea de as-
signar utn termo, ptdirfual su obrigoe a ai le-
var em conla os comertos qne va: farer, quando a
Cmara liver de oVsoprofiriar o predio.
OSr. Gameho apret-eMnn a seguinte pmpnsla :
Propmhn que o servir o feitu no eeaOOf-
riu poblico, da tnduoao do? cada veres doped
soae pobres, do aorio do mestno mam* a
pultura, seja actualmente feitu, como o era b tem
pos pdssaejis, isa por pessrMs do stabetee
m
COMMERCIO.
fAGA DO HECJFK 4 BE FEVEREIRO
DE 1870.
as 3 1/2 poras na TAADK
Algodao Ia- surte W3- rs. por kil.
Couros seceos salgadosaofi re. porkil.
.atnbm so*e Lni)dr-'0; d|v. 20 1)8 por ld00
i.liontem'. .
Deseonto oe loiras10 0/0 ao auno (hoatem).
DUe de ditasU 0|0 ap aao (laaie).
iJoacao Jos Aflunso,
Presidente.
Mosquita Jan 10r,
Secreunn.
Sociedade bancaria
MU rommaiuliUi
lheodoro Simo| ^ C,
Cooaprara e vetadem --^or conttt pro-
jria metaes, raoedasr TKttionies, e esii-an''
?eiras, lotras ie tttnbio, sedulas do go
verooe de banco do BssI.
Descantara letras da erra e outros tt
(Dios commerciaes.
Encarregam-se por corita albeia das iibs-
nas tiansat^fies, da cobranza de IeU-a6 da
erra e do oopos titxrJt)9 conmteraiaws.
Receb'in quaorquef qoamias en depo-
tito, cm conta corrente, e a prazo w.
I^argo do Pelourinho n. 7
ENGLISH BA*NK
Of Rio Je Janeiro Limiterl
Deseo ata lettras da praca taxa a con-
'encionar.
Recebe dinheiro era conta corrente e a
praso fixo.
Saca vista oa a praso sobre as cidadet?
jrlnoi'iaes da Europa, tem correspondentes
ia Bahia, Bueiws-Ayres, Montevideo, New-
i New-Orleans, e emttte cartas de crdito.
Dar os mesmos lu;ares.
RA' DO COMMERCIO N. 36*
Coosnlad* pr*Tocial
Mo consulado provincial avisa-se oa abano
nomeados, quedevem vir realisar 0 pagamento do
imposto de 1001 -por mase, te vstrangeiro-, a-que
asiao su jeito no. prsenle anno financeiro de 1S69-
1870, devendo fate-lo no corrente mez, sob as pe-
as da lei.
lias Baron*^"
Miguel Pe
Miguel Su
I occorso_
Antonio *pbbo.
Benjainon Biaaiito.
Braz Peitonj.
Consulan provincial 1" de feveMn de 1870.
. I Sefrtado de ad iiinitrad-r,
A. "v7itr%Vfo PiBaBandeira A. de Vagcoaeallos.
19-3 tonelada;, capillo John Greig, equipagein
8, caii TBrios 'genert* ; a Adaiiufto duwie
4 C.
Lveraooi-dt dias, barca nglea Betoubalh, de
2X3 toneladas, capito Thomaz F. Hambvn,
oquipagom 11, carga carvo; a Thomaz Jeffe
riiR
Navios sahidos no maw dio.
PortoBarea porluguea Seguranca, capitn Leo-
rencu Frnandes do Caraw, carga aisuear e an-
tros gneros.
Bal ti morePatacho amaricaoo Jol,% Fi teman, ea-
pitae Baky, carga assucar.
........ Il un
' Oe ordem do llltn. Sr. tunseTheiro inspector
da thesotupria de fazenda desta provincia se faz
(fira conhecimento de quem interessar,
libras da tarde do dia 19 deste mez irao
praca para serem arrematados perante a junta
da mesma the os reparos preciso- no predio 6m que fnheciona a
Facnldade de Direito, oreados na importancia de
_____
CECLARACOES:
Pela rocebedoria de rendas internas geraes
se faz publico que neste mez e o de fevereiro
droximo futuro que tem lugar o paganeato, sem
multa, bocea do cofre da laxa de ewntvos do
exercicio corren le de 18t>9 a i 870, cuj^s do nos ou
administradores morem as fre^uezias desta cida-
de e as de fra, a saber : A (Tugados, S. Amaro
laboatao, Poco da Pan lia, Vanea S. Lourenoo
da Matue Muriboca; oque fiado o referido praso
ser cobrada com a multa de 6 >
Reeebedoria de Peraambuco, 7 de Janeiro de
1870.
O administrador,
Manoel Canuiro de Souza Lacerda
Pela secretaria da cmara municipal desta
cidade se faz publico, de ordem da mesma cama
ra, e para o (im de serem observados, os arbps
de postura abaixo transcriptos.
Secretaria'da amara mnnicipaJ to "RecMe, 28
de Janeiro fde 1870.
Francisco Canuto da B6a-viagem.
Secretario.
POSTURA DE 30 DE JKltt) DE 1849.
serlo apresontados aos pretendenles na secretaria
dn feeferidar thesonraria. O hcitaiies deverao
mostrar se authenlicamente desembaracados e
fltes, tanto para cora a aaenda geral como para
a provincial, camparecendo na mencionada thesou-
raria no dia e-hora acuna indicados.
Thesouraria de fazenda de Peraambuco em 1
de fevereiro de 1870.
Servindo de ofDcial-maior,
Man>el Jo^ Pinto.
ALFANDEGa.
tendinento do dia 1 a 3 76:781*217
dem do -J* i..... 59 710*2*8
136:W1445
MOV MENT DA ALPANDEOA
'.Humes entrados com fazendas
idea dem com gneros
'oluraes sabidos com fazendas
dem idem cora gneros
145
342
-------487
*
MI
*ao
sinos desda as 7 horas da noite at as 5 da ma
nbaa, excepte as matrizes para administraran dos
Sacramentos, antes da missa do Natal e nos oasos
de incendio ou rebate : os sacbristius oa cheles
le corporacoes religiosas que infrinsrirein este r-
tipo pisaran l* de malta.
Art. 8. Neanoma igaeja dar mais de tres resa-
ques de cada vez na raspra dn dade. e estes s terne lugar ao meio Ma. astres
Itoras da tarde e as ave-martas, nao devendo cada
um durar atis de cinto minutos : o* sacltnsiaos
e obeles de ctM^iorbedns religiosas qne infrinpireni
este ;tnifh, tanto nu que diz respailo- ao numera
dos repiques, come ao lempo que devem durar,
serie moltatios em 10*.
Art. 9. Sonhuma icreja dar mais de dous do-
tires de cada vez por cada fiel que morrer, e uses
oobies *rmdados ao reeeber a noticia da morte
e 111 npcaaicie do cntepro, os qaaes dorarn an-
mente des minutos : os saobristus ou eneres de
ertorofedi*) ranglosas fue imVmjiren) os disposi-
1, des de>te artigo se nao multados em 10.
Art. Ib. ;lenbsttna igreia dnrd man de nuatro
dobres. por eocaeio de otSeiu de corpo presente e
dous as visiUcoes de cvas, devendo durar so-
monte dez minutos : t sAobniies oti obefes de
corporbotw taligiasas qae infringirn) as disposi-
coes d-ste arn'sro serio mnltasiosljm 10*.
Art. 11. Os dobres e repifne sero reducidos
metade do n>mpu prescripm, podondo mesmo ser
snpprimido se na visinhantja da iweja hoover al-
gasa dooutede aTecco grava dev<-nd s saehris
tos e cheles de corporacoes religiosas conformar
se com o attestade do facultativo assistente, pie
ser ratificad o pela autoridade policial do lagar :
os infractores sero multados em 2*>t.
Titulo 9
Art. M). Os almocrews nao poder&o entrar ou
sabir da cJade muMados nos cavallos que tiverem
carga, e deverao eondn/.i los pelos cabrostos : os
nfraetures ser.) multados em 2*.
POSTURAS ADDICIONAES BE 18 DE
JULHO DB 1855.
Art. 9. E' prohibido a todo e qnalqner cocheiro
e conductor de carroca, pipa d'agua, etc.. maltra-
tar os animaes cora castigos barbaros
rado3.
Titulo 10.
Art 2. A nenhum imlividuo livre ou oscravo
ser permittido sudar as ras da cidade e povoa-
dos do municipio sem calca e camisa por dentro
da calija ; as oscravass pidero sahir a ra es-
tando honestamente vostida-. os infr*ctoros paga-
rn a multa de 2*. sendo a dos escravos pagas
peles st-us senhures.
Art. 3 Toda a pessoa que de dia for aebada
nna era beira de praia, ou tunando banho com o
corpo deseoberto fem a devida decencia, ser
multada era 2*, sendo paga a dos escravos |ielos
seus senhores.
TBEATBJ
CAPNGA.
Grande e variado
ESPimClM PASM1L
*ol> a directa*

DO
e cada nma ania a na ana.
PKRSDXXtjRNS.
Raquel, pastora___
Rutn, idein........
Judit, idem........
Alena, idem.......
Tirse, idem.......
Cecilia, dem......
Dalina, idem.......
Ismene. idein......!
Flora, dem........
Laura, ident .^
Esthtr, vellja.....
Bou?, pastor*.......
Um ahjo..
mv saramdns as Srs. deaeiabargadores ta^atadniacraeio.
bienio de rarrns aobres a ni* peles owaeirsa e
sOrvuntes do cemtserio, qoatt) boje poza ataueHe
servBo.
Sala das sesM da ramara mnnicipa 2* de
Janeiro de 187.- Posto om discussia. deliberou e mandar w*
pe|aa eommissao para dar sea anPeBer.Os'
Srs. Souza Magalhaes e Dr. Snre, vuuram eonira
a proposta, por isso qne,a cmara ja deliberan
que o serv co f tfrt*, e jalgain da utdidade a contintiacao da
ida Altapanaue e fttiranb.-Impra
tleernrWntn o jnizo: reecarfMn, I'aviH-
:i:i)ira*s. Relator o Sr. desambar-
-orteatfssv en Ss deserab} rgadares
insania abaffnnrqilneGitirana.int-
Raaaarrtne, o jai; receorride,
'telaioroSr.Biembaria-
*ar lo, sorteados os Srs. deserabargado-
rts A,-neiila Albuqaerqt, Molla e Gitirana.Ira-
aanodon se ranjetter a gamass (te arberlaarl
um i^qaarancwoida ataaonl adas tJtu^aajat
cbndn lo daspacno une Km *t dada MKMsHh^
de 2 artearrante.
' DespacbaraiB-se a patigSavdo aienahafMiar
Anselmo Fiaanlaus PiaaW.aAsnOnln de Vasaob
ceII is^Moneara da Draanj>oa*, BMs teaqaam-G.
me-, Claadiu Dubeira. Castao Gunaes Loureim,
isA Xa\1
francis
\%er de S Luitao, Jos Jaciulbo Pa
Descarregam hoje ti de evereiro.
Brigue ingieeSoiyvaemarcadorias.
Barca americana \zari idem-
Barea inglezaCovmorantdar mentes.
Polaca hespanholaMaiesaracharque.
Barca fraucezaCAijpijir^ssiroadonas.
Patacho Migbndftisenbacalho. '
Brigue ingiezJaneidem.
Patache iDgtezLhk* merendonas.
Iinpnrta^o
Lugre in/iM Saish SMiTtt, vinio de Glascow,
eonstgnado a Adamson Hoteie A C^manifesiou :
1*40 barricas cervela ; a Saundrs Brothers
&C.
1S5 toneladas earvSo, 80. barricas cemento, 4
fardos e 1 embrnlho amostras ; aos consigna-
tarios.
20 caixas ferro galvanisado, B barris cognac ;
a ordem.
34 barricas pesos de ferro. 2 ditas e WO peca*
de lonc de dito : a Snbw Rawftes fttachp niftVz Lautss, indo e Hamburgo,
consignado a Aufnm P. de Otiveira C, iMm-
fetoH :
eeOebixas e 10 barrais geoebra, f,000 res-
mas papel para embrnlba, 90 eaixas velas steari-
nas, 20 toneladas earvo, 20 ptancbSes de probo;
ao' eonsigaaunos.
3 amas luradeaas; a Taz k Leal.
2 ditas ditas; a y e Abneda & C.
1S dnas tinUs ; a Casia litnios C.
7 ditas drogas ; a Gao C.
5 ditas e 6 fardos ebapeoseqaaafrailharias; a
Bourgard Fari*.
52 barricas e t calcM teeidos db alfodab, de
Ha da iraho, vidros, IWrtttddms, miadezbs, pa-
ael, ferragems e Ma ; S J. A. Moreira Di.
131 ditas, 4 gigw 1 brtiea. ilrogtv, viflras,
aiiudezas, pa^el, luqra, chapeos e tecidus de a>
gudio ; a Oue Bubrw.
1 eaixas drogas ; a Scbafbanln C.
4 ditas ferragens { a i. P. otanstob S .
7 ditas ditas ; a D. P. Wild.
4 dwas chapaos ; a tiNrnjfcmtyilttlf).
K ditas sfes-riMs ; a MbfMi STafettaad & C.
R ditas ditais, IdtiaanVH; Oomnnro Al ves
Hatbeus. r *
i ditas miadas ; a S LeWh Irmao
4ditas papel; a PfafwWdadas de AWdJo.
12 ditas] iiuinqnbarlas ; a Bd. da brads C
23 ditas ditas : a Juan da Rucha e Silva;
46 dtias 100 bsrrteas njrrageas ; a Joiquim
A. de Arauju & C.
6 caica stearims : a f. M. da Rota k rUaes.
6 litas vi tras part ralrnCa; a anod PraocW'
daGift. ~1 *
JOVEKS.
D Rosa Emilia,
D. Lnurenca Justina.
D. Annunciada.
1). Antonia Elisa.
0. Laura das Neves.
D. Maria dos Ri it.
I). Maria Carolina.
D. Francisca de Piula.
D. Joaquina Pek<-,to..
D. lenca Mafia.
Sr. Santa Rosa Filhn.
Sr. uilherim; Ferri'ira.
1) Glicerla F. Pasclioa.
>...... 1/
os iatervall is todas as pastoras dansa
rao urna linda contrailanja campesirr ensalada
caprictosamente pelo Sr. ftanoel Bin'.ista d.
Soba.
Terminar o espectculo com o coro.ia despe-
dida.
PRF.C0 DOS BTUnETES.
Camarotes de t*4 ordem.. 8^000
Ditos-de ordem....... 8*0uo
Cadeiras............... sjnno
Platea................. ijooo
Os bnheies.acham-se d-sde j venda na casa
do Santa Rosa, ra de Santa Tsabel n. 13 e no da
do espectculo nu theuru.
Principiar as 8 horas.
AVISOS MARTIMOS.
Juizo dos feitos da fa-
zenda nacional
Da data deste ha tres mezes se proceder na
sede da comarca de Goyanna a venda em praca
publica deste juizo das co:nprehens&s do extinctu
vinculo de Itamb, sendo a comprehenso deno-
minada Engenho Novo, avaliada por 30:000|000 ;
a denominada Cnmbf avahada per 9:000^000: e
a denominada Panzau avahada por 15:000*400 ;
o as escravas Damrana, avaliada por 100*000, e
Aquilina, avaliada por 200*000, de otormidade
com o edital publicado.
Recfo 13 de dezembra de 186C.
O esarlvab,
Luiz F. B. de Almeida.
OTAHIIA BRASILES
DK
Paquetes a vapor.
Dos partos do snl esperado
ate o a 7 de fevereiro o vapor
Arimos, comYnondanle o primer
ro-tenente J C. Duarte, o qual
. depois da demora do cosame
c Lnroode- seguir paraos portos do norte.
Desde j recebein-se passageiros e engaja-se i
:arga qne o vapor poder conduzir, a qual derar;
er embarcada no dia de snarhegada. Rncommen
las e dinheiro a frete at as 2 horas do dia da sua
sabida.
Nao se receben) como encomraendas seno ob
lectos de pequeo valor eque nao excedam a dna-
robas de paso ou 8 palmos cbicos de medico
Tudo qnepassar destes limites dever ser embar
alo como carga.
Previne-se aos Srs. passagetros, que suas as
sagens s se receben) na agencia a roa da Cnu
n. 57 primeiro andar, escriptorio de Anb-nio Lub
de Oliveira Azevedo & C.
Na agencia nlo se recebem cartas, so
interessados devem leva-las ao correto.
Rio de /aneiro
Sahe para o referido porto em poneos dias o
patacho Guitkermina per ter quasi tudo o seu car-
regamento engajado, podando anda recebar o
piuco que liie falta e miudeaas, assim como es
cravos a frete : a tratar cura e consignatario Joa-
qnm Jos Goltalves Beltra rna do Commercio
h. 17.
L
17S cantas. 5 bSTriras a,* gfnnlles' d-
ra a i. f (kmoalras MW
'^".3?S3nV?fMC
raAaarado-dVC.
I dita uBjectos para pbolographia; a A. Hans-
cbel Se C. *
Consalado provincial
Por arta reaartic fz-se sciente ans contri-
buinUs de impostos provinciae-, pertenerntos ao
anno financeiro corrente de 186070, que do da
! de ferareiro oraximo, conaeea a orrer o praso
ile 30 dias utes para o renebimeoto a boca do co-
rra das segualas imaosicaes: O' e 4 % sobre
diversos esiabelecimentus oommereiaes e indas-
irines; 8 % sobre consulbirios, eserptorios a car-
tunos ; 5 % sobre a randa de eapim; consumo
de aguardante (1 semestre); 4004 por casas de
operacoes banranas, companhtas aoopynas a
agencian ; 200,5 par nasas de cambn e de penho-
res { lOOtS por luja ana vender roupa fea. seilins
ou obras de mar canaria esrangeiras; fOOapur
taesc&la estrangeiro: WO* por eorreetur com-
mercial, agente de ieikjes e casas de compra e
irenda de eseraras; 0{ por corrector ou inen)-
cador de escravos; 30 por casa de maesa; 30s
por casa de bilhar; 304 por esoravo empmaajdo
fon servico de al varea** e caneas; Kfl pur b<4e 1
Id por tonelada da alwaraoga a fan6s bertas
6a par nada escravo na cidade do Reetw; 16 per
carro particular da 4 rodase dOd por dtto de 2
rudas; 40a pr carra da nlngaer; 25|i pur omni
bos a carro fnebre; 6j por carracas, e 10a por
eavao de aluguel
AqueHes dos oentribaintes que nio satrsizerem
neeae praso a quota da sua contribuicao, incorram
na malta de 6 %
Consulado provincial, 29 de Janeiro de 1870.
Servindo de administrador,
M. Witmvio Pin* flaadasna AtcoH e VacateaUat.
Santa Casa de Tiseriurdia
dw Recife.
k "".'ereuria da Santa Casa de aruricordla
fo Bectbae fa pobib, qu% est vago o lugar de
atWWrb do hosfMa da ajMados. e qne as pessoas
|ue pretamierera tal hittar, dever3o raquerer
I dina, faina administrativa.
geerataria da San Casa de Misericordia do Re-
cite 34 de janoiro de*1870.
WPp escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
PARA LISBOA.
Vai sabir at o da 6 de fevfreiro a esc ana por-
tugueza Aguia : para carga e passgeiros, trata-
se com E. R. Rabello & C, rna do Commercio nu-
mero 48.
Porto.
Vai sahir breve a barca Laura para carga e
passageiros, trata-s eom os consignatarios Carva
mo k Jfoguftira, na ra de Anoiln n. 20.
Illia de 8. Migae]
Nestes pteos dias segu a eseana portngaea
Sereira : para carga e enconsmendas trata-ye com
e seu consignatario Joo do Reg Lima, rna do
Apollo d. 4.
WASlllIni
HafflflUA
Paquetes a vapor.
ortos do norte esr^rao
to 'xwapf'
andania^J.'M.*
lepois. da den
;u iaa- para <>.-
> engajada--
a qual de-van*
a. Eneanuaaa-
oras dodi.to
4 j r-webem-se pass
carga nie o vapor podar
ser ambareada no dia de su:.
das e dlnhera afrete at as
sabida.
osafel
lectos de pequeo valor e que nao excedam a 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de med -
limites deven eaat
1
Sao se recefcan como 'aauoBaaattdao seno o>-
1^0.
Tudo
que passar destes
embarcado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas paisi.-.
ens s se recebem na agencia roa da Cruz n. K .
1* andar, escriptorio de Antonio huiz de Oveiik
\aevado-4C.
Previne-si aos interessados
n3c -se. rerabeh cartas.
que na gene,
Artista dramtico
PEM8 BAPTTSTA DE SAUTA ROSA
Domingo 6 d fevereiro de 1870.
3 RICITA l).\ ASSKNATUrU.
Logo qae a urahestra. (dirigida pelo a*sas Ns-
tincto prnn-ssor Praneiseo Libanio Colas Filho)
tiver execotado nma de suas mais brilhantes or
wturas se abrir a srena com o toque de alvora-
ds desempenhsda pela meWoa nrebestra, nn fin
da qual subir a seena o VAUDKVTLLE PASTOlilL
de grande espeetaculo, ornado de arias, coras e
dSncasftn doos actefl eo masmo nue no the tro de Santa tsabel em 188.'t, que tantos
TStnlo 8o applanso* merecen,
Art. 7. Ficam prohibidos os teqnes e dobres dos: Neste vandevle tomoffi parte todas as pastoras
PARA 0 PORTO.
Dever seguir com' a brevidade possfvel 1
Barea portugoeza iVora Sitencw, para carga i
pasageorui ijjrijau-se ciMjBaiarioSjJJliveir-
filhns capit^i."i>Jri< ** <2>a*if'^Iqa. JLBn
COMPANHIA PERNAMBCANA
r.l*>nl ate in^p^pa
Xavegaya> t#a*ylra par vapor
MacH, en direiiora e Penedi*.
O vapor Giqui. coinmandanta Costa,, segat-
r para os partos cima at o dia 8 do eorrant-
s 4 horas da tarde. Recebe carga at o dan 7
encommendas, passageigeiros- e dioheira a fiel
at s 2 horas da tarde do da da sabida, aa s-
criaaaria do PoWe do Matti' 0. 12.
GOHPANRIA PERNA-MBUCANA
Xavcgavo coslelra ppv vapor.
Guianna.
O vapi r Parnkuhn, seguir par
pono cima no dia 6 da corten*
as 9 horas da nuile.
R cebo carga, encommendas, pa sagert a di
nheiro a frea no ossriptorio do Porto do Man*
n. 12.
-------------------1-------r\ 'V'W'--------------------'
2L
Ti


Bafea
Segu com brevidade para o porto cima
cijo mglez / Botoley, recete caraa a frek
consignatarios Laiaps:
_
tacho
m.do : a tratar tumi os
vnprkt.
Paaaiol'arCt <
a barca Flor 4* S, Simo salar artvWento, >p>
que j tem parle da carga engajada : par o***"!''
e passagens, trata se coro es ataaigaatt** (S
v^iin V Monuolra, na rna dn Aabllo n. tft
Para o S> Grande bSi
pretende sabir com a maior brevidade possral
brigne portnguez Realidad?, s I* classa e itiar
cha. por ja ter parte do crregamento engjadC
para o restante trata-se com os coosisnatize-
Baltar^OUveira & C, ra do Vir:o n. 1.
Pura oPl-to
pretendo seguir com a maior brevidade possv
a barca pnriiigneza Cl'ivdtnit, ile priineira nUtr
cha, per j 4sr grande parte do wirefatnentr**! -
rajado: pana o rosto e passaaelras ans ^bbe-
ollt*orte lases e exoellenles commadns, traia-s-
eom os naasignatarios Cuaba limaos ft C, a nn
Ha Madra d Daba n. 14, no enm o eapban a bor
fliH deFaaF
E' esperad nrtstes poneos dtas a barra porta
gueza Amiztle, tem fjbi poaca demora ; e ,'
passageiros, para os trata-se com Jlo do Reg Lima, ra do
numero 4.
Hio Grande de JStil
Para o 'eferdi
o efund porto vai saln* cun loiia ..
presteza a barca portugueza Beimr por sr .
maior parte da carga prumpta : para a qae ib
falta, pode tratar-se cora David tt, Baltas. ma. d
Brum n 92.
Porto por Lisboa
Com a maior brevidode vai sahir para os refi
ridos portiie a barra porrugueza Cmiudia, de pr.
nreira marcha e primeirsr classe, pofler a uiaiu;
parta da carga prompta, e para o resto qao ti
falta e passageiros, trata-se com os consigna
tarios Veras A Barbedu, ao caes da aifaudega v.
iha n. 2.______________________
Portos d'Africi Oteidenta).
Est a salttr nestes dias o pa tcito aannant
Boa F, recebe alguma carga e pass.igi'rus :
tratar no escriptorio doconsignatariu Joaquim'
rardo de Bastos, ra do Vigario a 10.
LEILOES.
lie divertios artigo* para eoafcei
tarla e mimoa.
Sognnda-feira 7 do coiTOnte.
O agente Pe tana far feilo pur conta c r,i.-
de qnem perteneer d ama caixa coni ilivcrs
artigas proprios para mimos e ron'eilaria
quaes se tornnin dignos dt atteu^o pelas ri a.
pinturas e feiti .s dos objectos e sero vendid.1
em leilao no dia segunda feira 7 do Crrente a
11 huras da manhaa no caf Cummercial no lar
go do Corpo Santo a 9.
1 1 __ mu 1 1
OOMPANHIA PHWABU_ANA
ofe
Navegagdo cos eir por vapor.
Porto de Gafltabafc, Rio Formse e Taman-
dar.
0 vapor ParaAj/oa, seguir para os portos ad-
ata no dia l du corrente reeia noite. Recbe
carga, eacomraandas, passageiros e dinheiro a fre-
ne fio esctlptorio do Forte do Mau >s n. 12
la tarde,
nendas, a
t LOMPAiNL\ PEttNAMHIGANa
H
>ave_.iio eotcira por vapor
Parat^&a, Nata1, Matto, Massor, Ara-
caiy, Cear, Mandah, Acarac e
O vapor Vwavatna, wmmaadante
Azarado, sc**ua para os pora*
acinia no dia 1S do corrente as 5 hora>
Recebe carga-a* o dia 14, anco*
pasabgllrOs e tttibeiro a frate- at as
horas da tarde do dia da sabida no escriptb-
riono"Portsdo Mattasn. 12.
COSIPAaNHtA PERNAMWJCANA
M
NavcgoQcfa cmfeimpor U6pw
Samanguape. .
O vapor Mandaks commamlante Jubo, seguir
tara o porto cima na dia II do corree* m #
oras da tarde. Recebo carta, mHunaaalas.
passageiros edrafioire a frete al as 3 horas da
tarde do dia da sahlda, escriptorio no Forte do
Matos n. II.
AVISOS D1YERM-L
Festa de X. a. da oledade, e-ce-
ta aa larrejade W. i. da bate
ala lof o ala Panrlla. domintra
do correle.
Ao amanhecer dn dia 3, a banda de mosiVi
marcial do Io batalho de infantaria di guard;.
nacional deste municipio, tocar no pateo da r
ferida rgreja difiranles peras scomidas, de ?
repertorio ; em seguida serao cantados pela Ex
Sr* D. Maria Emilia F. alguns vers is anlogos i,
acto, mnsica do insigne maestro Callas Ribo, eo
louvor a virgen), cuja invocaco se festeja ; sa
hlndo depois disso a bandeira, que. conjunda poi
um grupo de innocentes virgens, sera levada en
direccao ao mastro, Onde tiin de ser arvorada
lermihado-se a'to com orna ladainba a Ifos_
Senhora. Dinrentes bil5ed degosto subrio .
ar. o da 8, ao romper da nfora, serio d
pertndos os habitantes daipaelie tugar, por un*
girndola de fngMlef, la mes annanciari inak
oni da de jubilo. As 11 horas cotejar a Testa
fcavendo Te-Berna a noite, si-ndo prega lores es
distmetos oradores : na festa padre Mello, c
fe Deam padre Lino d Monte Carmelio. Tu 1
Bandj tudo o acto com Nffererttes bafes de v
rindo gnsto.
604000 de gratifl-
Fogio odia 4 da aurreate am mul^ne de a-
me Sabino, falo, d 16 ansias de idade, e-^taatra
regular, caeie do corpa o fui comprado no Ptebni
termo da Bananwra. provincia da Paraltyba. lar
abaixo o othu direito ana cioatrit pruranitattoiir
tim eonee da oa valla, o pie fez eom qne ande _*..
a cabera cnida am poueo para o lado dir**
Ipvuh oamisa e alca otaacaa palett de atpta
parda e chsp de aasaa arda, innila-se bwnn
fm andado muito para o sal de>ta praaMa
acompaahandt a sean senl**es Hermana _us_6.
C ea aasraa-aeao dajaias : qnem o tever -oaar
loa Biesraos raa da 4>_ n 21, recebar a trsa
lifeill0 *c>*;4 ._______________!_
isaaaauamlaoaniv'^eeoma ea Qaatnj Cana* 'em OMnda b. 9 pois tila
acha vendida a MOmel-Sotar-nao bobo e- Ara
do, teadu a Sra. D. Mcqnilina Maria di Livramen
to recade a importancia de iOOdoO, quana*.
por qae dita senhora a vendeu.
llffilVB


I'
y
/
Diario
de Pernambuco
------------U--I------1_
Sabbado 5
Ja----------.ia.i-r*.
de Fevereiro de 1870
~
- Ama.
_." ''usa de dua> pes-
Kan Ha* *- -t,
*eDa T? Aagar pelos uok* vapores o ovas re-
esss dos-segaintei :
falcado francez
*ara senhoras.-Botinas bnanoas, preta?, e da ou-
tras tr. aitas differeotes cores i ultima
moda.
a-se ^6 urna ama qu-* eosinhe bem
Hy^tjejern i^ltew ^ajiratajF j ru* a
viada, jp rna pireita _. 53, e na
. PWBJM-sed urna esetava de boa jatndacta
llkMervico itr^o 4 um estar^itotnto, o
paga-je bem agradando : a tratar na ra larga do
HoM-itt n. 3i, Mtica.
C4H4M
usawssttSi

menos preco do ojae
1
rico de|P!
i tem
KM, 39
ti quakjuer

Feitor.
P+eeka-ce.
i
e qe eoaioae a.ln-
JVRfV
Precisa-se de um feitor na ruido Crespo
n. SO.
Gabinete Pprtuguez de Leitura
eai Pernarabuoo.
De erdera do llm. Sr. presdante 4o eneeUio
deliberativo, convido BOajn#nte *os ftl|or#sk ro-
cos efectivos para reunirenne em assembla ge-
*a JDenina* -Bota* das mesroas cores *M- ral dominio, *% eJrehte, pelas H horas da ma-
lidad's cima, a**, afim de ser ducolido um'reaparimanla de
W1 nomens.Botinas de eordswle. bezerr, r- 29 socio*, na mi pede a atarflacao ,#as aie>
IMiPT*^ mflU>w' MrtlBeito w sa fe qwe tiveram lugar em id do mez presimo
; paae deaejar. ( jfj{3^; deveodo prodedacs em seguida a pona
.m-ainos.Bottaas das mismas (nulidades eieicao, sendo que ?e realise a'afmtlieiio pedida.
meanoMdas para nomerts. j Seguido a disposicao dvs,a|al., a a^seajbla
O Sr. Ftancisco Pereira de Arroda
Cmara, tenha a .'ondade de dirigir-se
roa do Cresoo n. 47. a negocio.
en
-vNa ra Vel
netras.
^ara horaen, senboras e meninos.Sapatos de
tapete, aaetadadee, coartle, aflatara
prela, tranca de Lisboa etc. etc.
^r*a meamos e meninas. -* Abotinados fortes *%ra homens.Batas rucunats mesas-betas a per- geraTfunccionara coro o aunieeo 4? foceos pr-
re/endos
santas, e que, como exige 6 art. Su dos
estaflos, devemacharse em lia com a eaixa do
Gabinete.'
Secretaria do conseibo deliberativo do Gabinete
fora^e. vqe Lejtu/a, epi PernanJbuco "2 defeve-.
Finos arlaos ths Frls, de gosto e phantazia,
e#mo sej^m, leques. espelhos, luvae de Jabaai,
aiKinbas do costura oai mtisiea, ioiat de uro
bom do lei, ditas de plaque, cofres Se seda e bo|-
itrtas para braco, es tojos para vigens, beagalas,
lucotinhus dv baku, ocuios, lunus, correales de
-Mfljjiop, e perfumaras de Condray e de Piver.,
Briaquedos pai enancas
-earrlahos de,3^(te 4 radas,-para paesahis.caaa
Tutf^aiy^ p r^y^iii^ jg dfcV^i*tQ8 UUttftttlA00- % UBI
:em numwn4e4rn|qajdq kancezea f ajteiaftes
iraBtra%TOioin I
Tara evifar aisaaic 'feitp-a de waln>4ro|iK
aoslos a venda neste estabelecimento, o dono
' ao publico em ceraJ que se digne entrar de
oasseio afim de vorrararom ni s a graoie vi-
idade como os presos baratsimos por sereta,
"dos caegado' de ennta p_ropria.
O abaixti a?sii;dk) tead c bilhete n. 188:; da lotera 308 te Rl> de Jan.-in v'
revne ao publico em geral e com ospToiolidad
aosSrs. Vieira A lodngiies, que nan prtjjuem o
gremio a^ie por acaso sabir no dito bilhete, o quai
-'a asignado as co-tas por Jeaquu da. Costa
Hoje 5 do crrente, denota da audiencia do
sr. Br. iuiz municipal da 2" vara se ba de arre-
oatar diversos movis por execurilo de Gabriel
Antonio cemo tutor do orpbao fi i lo de Mannel do
lego Lima contra * y""- ____1
na ra Helia
R. Fonseca,
_________Swrthano.
M Ama
Precisa-se de urna ama para cozinhar a comprar
para oasa de rapase salteiros ; a tratar defroote
da alfandepa n. 7.
i-------rr- "i--------1-------1-------'11......r.i
Est por alugar-se o nevo enredo da raa das
Cruzes, fregoezia de Santo Aasonia a qaal tem
commodos bastantes, coniendo] dona nsares e
sotao e armazem, sendo que des andaras superio-
res traz toda a eidade debaixo de vista : a tratar
no Coracio de ouro
DECLARACAO.
Passea competentemente habilitada, prapie-se a
lecciooar primeiras letra, Jiag'ua aacinnai al-
guns preparatorios nesia capital oa nos aabnitios,
que tenbam transporte peras vias-ferreas, ni55an-
te razoavel honorario : a tratar no pateo do1 Pa-
raiAA ifiafa traviMa da roa Ra" ** na
37, Iqjfl.
ova n. |a,yjwdar.
Yt. 17 Ti' para jjlugar-se
^pr3^n!rf!Wtef*(,^,
Precisa-se singar nma escrava qoe eefinhe
e eugomme bem, a tratar aa ra do Destino n. 3,
ou roa do Cordontc n. 14. annaem.
'-"
*
^
Peecisa se de um, /eUor para enaeahe, casa-
cSeV'W*03 faUia : ua roa da C5W da Re-
Praciaa- se Ue tnas uabaibaoores de laaceira
^M^^raa da j^nuJIa elha n. 84.
..*: ^"Pta'ca da Independencia n. 33 se da di
obeiro sobre penhores de-nitro, prata e pedra?
>recio?as} seja qoal for a qa.mtia; e na mesn
^ s132^ra e vnde objectos de ooro e,prau.
) ipatawfe se far toda e quaftraer obra de en
ammeafla, e todo e qnalqner concert tendentf
iniaajBn.arte.

0* baK> fssFgajsdo
vel poblieo a coni aspeei
n i'BCio, qne gesta data
que tinham na taberna, sfti' fna dos Gffararapes
n. 10, ouja socijedade gyrava sob a firma de Ma-
aoiil Antualo deCartatoo &C a-qual ser de
lora em dlantc Mam el Antonio 88 Carvallio, c
qual tica responSavel pelo aclivo e passivo da mes-
aaa taberna, feanda o Sr. Casemiro Antonio de
Soma ueaoeradu de dita taberna. Itecife I de fe-
^eironlB70. ^[^kF
Manoti Antonie > Camino.
Casemiro Antonio de Souza.
Friza-se vestidos de senhera
5, luja.
Ama
Preclsa-se de-urna ama que
Ca leia-nova,-sobrado n. II!.
11-
cozinlie ; na ra
m O Or. Aprr.io Justmiano da Silva Gil- Sf5
^| maraes conimda cata) S.ra de tmpaeador n. 27. e resida ra ~
ha dos al'us) n. 22.
Bu abaixo as^ijnado declaro no tr.nspassei
ri.3 que me tocava na taberna sita na ra lar-
ca Je Bonita n. 2:1 ao Sr. Delphiru Lopes da
Cruz, aat at esta data^yrou sob a firma de Fer-
raz Henrtqne?, e hojj near sendo Justino &
(Jelpbko, retiranlo-me en paga e sasMto do meu
itat e hieros, ficando o aclivo e pa iiesmos acuna. Recita 31 de Janeiro de 18 70
Jos Rodrigues Ferrar, .
Precisase de offlciaes de alfaiate para obras
miudas e obras grandes : na vua da Cadeia n. 45.
esijuina da Madre de Dos
de sapenmr f ualidade.
de aa aariar ^ualidade.
grande por-
r'arinba de mandioca em
Cal deujbea nrnito nova.
Potassa da Rnssta.
i'4' "-----'i"W^
holomeu & C,
Leiam.
-No sobrado n4 35 da rna estmt8 dV Rosario,
que**a cestnbeiwJQia a rte^rSw^e que
os raoleqnes sao para todo eservijn de casa e ra;
i:a mesiiia casa jrnei|-e atofo' e jantar para
fura com. asseio e pPomptinao. ""V
Precisa-se de ama ama: na ra Pirara n. :?4.
Attencao
O advogaio provi^jonado, Amaro Soares Caval-
canti, olferece seus servias ao rnspcitavel pubhco
da comarca de Sirid, na provineia'do Rio Grande
Precisa-se alugar um sitio pertf da praoa, do Jorle' Par; ^e seguir at o dia 23 do mez
Capunga, Raixa-verde. Soedade, ou outres aira-
baldes perto : qnem tiver dirija-se a ra de Santo
Amaro, taberna nova da macbambomba.
Cozinheiro.
Precisase deum ajudanle de cozinheiro e paga-
se bem sendo asseiado e diligente : no hotel cen-
tral, ra larga do Rosario n. 37.
AtteiiQilo .
Precisa-se de urna ama que saiba comprar e
onzinhar. para casa de pouca familia ; na ra
larga do Husano n. 21, toja de calcado.
O bacharel Jorge I) >rm lias abrir no da lii
Do crreme um curso do lingoa portugneza, adop-
tando os compon lios do imperial coHeio Pedro II.
j Adiase iberia a respectiva i^cripcao oa ra d
Imperador n? S, 2o aodar.
Escravo desaparecido."*!
O abaixo assigna lo tend" dado lieeaoa a sen
mi, prel da Costa, para passear no
ID de Janeiro recommendou-Ihe que pro-
urasse urna ana de leite, o oeste passeio foi vis-
loa, Succ dendo porm, n^i voltar
i -enh >r persuadido, que o dito es-
i indo a algtiia i i do arrebalde, fra
rrado por abjaa dos chamados capilaes de
>. que o ter occoJtado para fazer js a mator
iil lio : a ix>r laso declara que nao s nada
orno proceder criminalmente contra
i quer qoa o teha occultado, se immodiala-
- i di i -iliar.
A. da Silva Birroca.
odencia a. -".' prec:-a-se
i na ama forra ou captiva que eosinhe e en-
omine para casa Precisa-se de urna ama para casa de pouca fa-
milia : oa rna das Cruzes a. 2o.
ATTENCA4)
Nao obstante ter sido o Sr. Ernesto Augusto
intimado di protesto para nao poder alienar o
enaanbo Pao d'Arco, agora quiz vende-lo ao Sr.
Joao B. Lin, e porque este nao o quizesse com-
prar por achar-se certo da materia demonstrada
oesta folha no dia 11 e 2a do correte Janeiro, -dis-
sequoia vndelo ao comineudador Jacintholl
Este porm nao o compra porque sabe doiue ha ;
entretanto, como a sede milita, avisase ao res-
peilavel publico para licar prevenido a re*peito :
pelos Srs. Dr. Fredenco \ttgusto e outros.
(i proenrwblr,
F.lias Emiliano Ramos.
Irmaa iade de Nossa S. Mi dos.
H^niens, erecta na igreja da
Madre en.
; o -1 regadora da Irmandada de Nossa Se-
ira Mi los Horneas imada celebrar urna mis-
-a por alma do fallecido nosso irmao, Jos Ferrei-
a da ^Iva Magalhaes, segmida-feira 7 do corren-
, as 7 l|2 hovas da manhaa, para assistir qual
onvda a tndrj*os irmaos a amigos do finado.
Consistorio, i de fevereiri d^ 1870.
O escrivo,
J. H. V. Ligo.
Escravasugida^.
Faglram na noule de li do passado,-da casa
-u seuhor na povoacao do Monteiro, as pardas
intes :
nana de 2 anuos de idade, baixa e grossa do
tas >, nariz chato, cara larna, testa estreita, bei
lipas e cabellos cortados rentes, do mesmo
iu pelo que se supSe que teoba amarrado al-
leo?o na cabeca.
Anua de 10 annos de idade, do estatura regu-
ir, tem os cabellos cacheados e nao aiuito com-
andos; nariz chato, cara larga, testa estreita, olha
m pouco de esgujafifia quaudo responde e um
i surja do ouvido direilo; esta ultima.-est
i a paluda.
ivaraip itnbas vestidos brancos e a njais bai-
ca urna sais com fundo braaco e palminlias en-
'.criadas deiootadas, coia (iaribaldi da mesma fa-
i!ti, um chale de fundo aiul com llores. Ain-
iis levaram oalcad-i, a inais aita sapatos de cou-
i i lastre e armis baixa botinas de coure pre-
< do enliar. l).;seonlia-se que eslejam acontadas
rv)testaae Tira*der com lado rigor da lei contra
|iieru as imiiado.
lehender, ou der noticia no largo
Jo Co^io Santo n. 19, ser bem recompensado.
Leque de niadreperola com seda, 'e todos dt
madreperola, muito proprio para n-ias, ch?ga-
ran a loja do l'asso a ra do Crespo n. 7 A, as-
sim oumo requimos abales de touquim do to-
das as cores, vestuarios bordados do cambraii
para baptizados, meias de escocia (novidade) mili-
to bonitas para asExmas. Sras. que gustan) andar
de sapatinho raso e outros amitos artigos de gos-
to que os proprietarios deste estabelecimento teerr
recebido.
eorrente.
AtteQo
Precsa-se arrendar um engeobo de orna pre-
priedade com Ierras suffirientus para gantacoes e
iTpaco de gado : no pairo do hospital Padro I
n. 9. se dir qual o pretndeme.
ra do
Precisa-se de-urna ama para cosinha
Qoeiaiado n. 12. Io andar.
1
Gustavo Cabelleireiro previne a sua numerosa
freguezia qne Antonio Rodrigues Ramalho deixon
de ser empregado em en esiabelecimento, desde
o I" de fevereiro de 187I).
IMPERIAL
*
INSTITUTO
DE
l 1 BOM
O bacharel Anlonio Columbano Seraphico di
Vssis Carvalho hoje o propietario e directoi
desee instituto. Prelendendo dedicar-se exclusi
vamente, e com todo zelo e solicitudo aos trabalhos
proprios dessa profissao, espera que os paes do
actuaes collcgiaes o honrarao com sna confianca
e bem ssim que acolherao b sen estabelecimeriu
quelles o;ie preciscrem de cojlefrio para educaca
de seus lilhos ou protegidos, certos de que o c
tual director se florear nao s para manler (
bom nomo o crdito, que desdo muitos annos goz;
o referido Instuuto, como tambem para imprimir
Ihe novos melhorameotos.
No dia 7 de Janeiro do aono vindourd ter lu-
gar a abertura de toda as aulas de instruei^i
primaria e secundaria.
a loju do Passo
Os requissimos corles de blonda do seda com
manta e capella para casamento, sendo oeste ar
tigo o que se pode desejar de melhor-e mais mo-
derno, tambem chegaram os cortes de seda de co-
res novidade, e outras umitas fazeadas de gosto
que chegaram pelo ultim vspor francez, si> para
a loja do Raso a rna do Crespo n. 7 A.
Antonio Gandolli agradece a todas as pessoas
que lizeram o obsequio de acompanhar ao cemite-
rio publico madame Rosala, e roga aos-seus ami-
gos do assistirem a missa do stimo d>a na matriz
do Corno Santo, no dia 9 do corrento s 5 horas
da manhaa.
Bolaehinha in^lez a 4$
a barrica, e a 250 rs. a libra : no armazem da es
irelia. buyo do Barniza n. 14.
i Cozinh>iro
Precisa-so de um bom 'coinheiro, ou alguma
mulher de boa conducta qne suiba cozinhar, para
casa de peqnenabmHia : na ra da Cruz do Re-
cife o. 38, 2" andaiv______________________'
Precisa-se do ura criado para todo servico,
preferindo-se captivo, para casa de homem soltei-
ro : a tratar na ra da Cadeia do Recale n. 40,
1 andar.___________________*__________
Cosinh ro.
Precisa-se de ura eosinheiro, livre en escravo
e que anteada bom de sua arte : no larga do Cor-
pa Santo n. 19, 1" andar.
Quera tiver fazendas na tinturara das Cinco
Ponas, casa n. 4'i, qneiram no nraso de l.i dias
tirar, do contrario sero vendidas para o mesmo
pagamento.
Club do Honteiro
Hoje 5 do corrente, haver reunio
familiar, e trem da ia frrea meia hora
depois ile raeia n< ile.
VWHO, PJ!laS, X*ftOPB E TlNTtTRA
de jtjrubebx bimpleu pekuuginoso-,
Oleo, Pomaiiak Kmm.astko da mesma
planta Mts*t*a#4 poa
BARTHOiOmEO a C
l'H \u.-.IACEt4yACOS-DKlUISTAB
i'tEsaawstKO
a JunOwU : -Mu ftnu i: boj* racoatitcid*
cuoui u mn pnil-i'isii inuici', cduio o melhor
!i-i.bsinirniK, riiuiiiUVatailctiia nos paileciuiemoi
lu l||anA>* Ixju, liuyujie, Aurnnt, tumores inier-
n,is n .->jNciaOit<:iiiT ilit ulero, bfIrv^HMu, orysi-
^11-..,, .-n:.: c .Hxx-m/l.i u itrro e ulil ais pillits
cures cbluroses < Ulu JM -lo iniuiiug", c, a.O'|D disemos allMlio
iiiiiuuicra curu> inipuruwe? ubud* ocm aouoi
jf-ys^m ja Iww owuIk-j.d'i* t u.ilos polos a^an
i tli uiudicOMte pw:/. a Ponugal. Ha todo* o
nua>ua Jai' *! dftllibuiaio* gratis folhetos qua
nlhr nsem coui.ecer Jurabeba >eoa rtsnliaoi
appiicaajto.
.....
a
VERDADmO LE HOY
de SIG.ianET, Doctf:ir-M>il.-n-i
ESTA
ARTIGA E CREDITATA
FABRICA
s>a<>Q m"
| ji coimirium iu uifliti tutu
%**- qvMadeal
D# tado. a taW9<
De todas njaafos!
DO CRESPO |T 4
-
r : p r:

i Ll l \D\
En R T HOl M lO v
t-IU'.lli
tooj unajis e reetoW, eatarrUs polntasr, attkmt; tone coavaki, eatarrkaa,
Vtaabiat, o jaral coitra (4m as sotaanlos ai viai rnaanliilli.
DEPOSITO CERAL
S4, BA URGA J ROZARO, 34
|OH lOi OL PEHNAMBUCO
A tbenpentica daa dTersas molestias do pcilo,desde
t>fpl oa sal da prfaata ate InVarenlacAo
punoaWr, pMsando telas diferas brenefeites eattrrhaes
a o emphysema acaba de ser eortquecida com mais

m
aaameatk.mcnh. ,oe lomara a prifira orden entre
todos arnoje caohecidos. O tarop Vegetal Americano,
r*otinW paramente vegetal, nao contera em ana
mptscAo am s alano de opio, e sim aoatnie sac-
eos de plantas indgenas, cujas fropriedadea benficas
aa cor* da molestias qne pertencem aos orgoa de res-
pirarlo foram por twa obsertadas pw longo tempo,
:om ptimos resaltados cada vel mats crescenies; pelo
qu no* julgainos ainorisados a compor o xarope que
fr |wenlaio, e ollarece lo aos mdicos e o
publico, Protamos com os atteslados abano o que le-
amos dito, o comamos que o conceito de qne A gosa
o xarope Vefelai Americano crescera de dia a dia,
deiianuo tnuito apos de ai todos os peitoraes em voga.
illm. Sr. Bartbalomeo t C,0 xarope Vegetal Ame-
ricano, preparado em ana eoneeilaadiasima pbarmacia,
am utM remedio para combater A Urrivel asinina.
Sofria en aoaella molestia ha qualro Oeres, sem anda
ter combatido os ataqaes meisaes qae liaba; este ultimo
que tive foi tortissio qne ae proiton por 8 dias, usei.
porm o sen milagroso xarope, tomando apenas tres
doses, e at o presente nao fui de noto atacado. Prasa
ei, e ate o presente nao fui de novo atacado. Prasa neiro de 1868, ,
, qae aa laja* ruubelecido por nata ves. Rendo- | Esle nconbecidM.
Ihe, pois es mena aerdecimeirtoa por me ter atinlo c_
Uo borwel aat. Coa a rrrais aigaiUcalna fgjwaf>%.
*nbscra*-aae de Vaca, affectaoso e reconheciaVcnaH^.
- Sewro Daorte.-Sna Cau 14 da fevereiro da t8H
Ilhn* 9ra Barthaloaeo C. Dapois V qaaM aaaa.
mezes de aoflrimento com umi toase incessasi*. wwu
extraantiaario. expactoracAo de na catan*.) aaaanaav
do, e perda total das foress, qae 6 meso* aaUta
me fatigava completamente, cansado de tomar anta aat-
tro*remedio*sem resallado hveaPelieidBde fmes. prepararam o xarope Vegelal Ameritan*. r*w,
elle, grac a Deas, me acbo restahelecido lu >/
dais metes, a robusta como se nada livcsse i.r. -.,.
gratidao me forca a esta declara;lo, que poner > nc.
faier o uso que quizerem. Son com esto* 'V Vuaca
muitos respeitador e criado. Anoni Jaaaiiuai **;
Caalro e Sitpo. Becife 8 de ferereiro de 18.
Atiesto qne nsei do xarope Vegetal AwvficaitH *
eompositao das Sr* Bartfaolomeo k C. para entaoVirar
(orle dtlluxo que me tnuiie unja ronquidao, qoe bm> na.
fina adtender, tnOammacio a dor a gargaai. una*,
grande falta de respiraco. e Uquei eoapletamruu re
tabelecido coa aa t tidro do mesmo xarope; pal*
qae Ibes protesto eterna gralidao. HecifV i|> d jar
neiro de 1868. Joujuim fereira AroaaM^Juaur. -
Hk^vkr.u..
s


Km .M.I.I earfafa, ai. en!re a rdflra
tac : i -, uu o n le impr -
rucoia o Mtu btHKial Dj C.irr-m. r ,.
>#X

.J10"^~)
->
vf FHAnMAClsfa
III -.
' t ni irn
brcl :
a r>!-.. .i ,-
0!li 'Jlll.nj:i-%t
: tiln !! u
Precisa-se de nma ama, para comprar e cosi-
nhar para dnaj pessoas : a ra da Cruz n. l, Io
andar.
Alug;i-se merade cisi-o n. tt pessoa casada e que viva honesta-
mente : queni a pretender dirya-se a mesuia
cata.
Atiendo.
Hoga-se ao Sr. a quem Domingos da Silva Cam-
pos (hoje fallecido) eroprestou o secundo vetume
da oljra Ploa S inctorum o especial lavor de o ira-
zes a ra do crespo loja n: 7.
---------------- i i--------------
Atiendo
Pede-se ao Sr. Amonio Jos Esteves Snimaraef
(visto ignorar-se sna morada) o espacia* favor Je
aparecer a ra do Crespo luja a. 7, a negocio de
seu interesse .
ajp
II -iijpu OalJU II. A--', ^'-iA UG1IA |Ci'yui|i,ii-*ui'. tait. ( 3GU tlltLiU'.-. .

c??;;z33ao



\
An Perotrr* aVrttir;r Po bOCTOa CLRRIVeTI a;i!i|'ov;ic!.;- a ntPPrMl
do medid na di Pariz maliiiain quaai senipre ituluntam nicas utsquea d*Mua,
i- -.i.-sr;;o. sotloca^Ao, nssitn ruino ;;:. duros (i
cente un i ein iuo apparocer o mi!, o engolar-w urna <.u tliius iienutaa
com urna i. L' <-.uni ceficzao-medifiamenli mais fcil .le tomar pera
c.-le genero de (Rencas.
.> ProIa tt! teri-isn{!iina uo r,0DT03 Cleiitaii sflo iinprc'rid'is dkrimijenlH
ou! grande extt para a cura das nevralgiai, rfaeua i e eaUtrfKoa
Ba bexiga, Ksvas perolas foram semprc rccornmettdadaa por un grande immcru
BBfnedicos e esn^cialmentt pelo Doutor Traussejia, que in lemedie*
meato cemo o mais dicut. conveniente tomar de 4 at .u occasiio das
comidas.
A appivaco da Academia imperial de medicina eem duvida a melbor
garanta da boa preporaco d'stes medicamentos e de sua efficacia.
i
I -po>ita m if -I\niii:. ftvpnnehelle; Cftvotet. V.." Pcr-iamuto, Manrcr AC".
..^ i^,r i*.. i ..
O j laanvH
Bit>IO
lid V
,3 ja 3h.it oonqwvujzd | as*i3j itaianoc
qo-af nj 'ej '3i!3aj 1 'ajjoa mi
onsoiaa
*|V :'l
MI.T/W):y
,t
PtUI.ESGpKSCAUVIN;
fl esquina
Ida ra larga da
Rosario.
m, U, boltr* S-|i)poi. Pit.
Iste prii^,a^wiaA9l'fB*tal o, eommodo
cono a^raitavefe rrnealo mari imahvet para des-
irair as eoaattparaea, is oevi-ai(ilu, is ais re-
beldes, as-mi um klllH a Urwatdcde*
Elle eficaz as gastrllla, oaslruCf oea enxa-
ajaweaa, aathmaa.OreNUUrrlioa.caapaajctu,
(Otu e riieuiaaiUmi.
0 mereiiratiito das xtlnla* Caorln pode reau-'
mir-se aestas patarras : Resiabelaj*er ou coaaer-
var a ude. .
Ellas ni* Meo na* laamaMa aa comida nem
bebiaa; aoi doae laxante e acara ratita, uaase tomar
elraa as rcetcOea em Sote uirgaUra lie aile ao
asMar-ae.
PnambK" Hat. aaaorar l C.
jajaaaaasv c^aajaaaa iinhh aa*i aaaa*
S^;5SaSS5
miutpvoy vj9d sofjvaojdo uivmJ sonmuvoipftu w srqto i "0^]Y
Tiipipnm sp Riiopwv
qsd sopBAOjdo soDnod ?op nm 'apjninnb cnotnud o> o amd opr|tnuj
-3Hl3a 30 OtfHVOVa 30 OO'SJJ 30 0310
't\ V t *P as'vP 'JBtuBf op ocisbooo cu sepeuioj piojos sjikI n stnw
-ac* tmmaojU' p opvwJj. nss tus nuassnoax .iuss.ijo.id o -"nJID '-iq
op VMUN-83U2H1 3q VI0N3SS3 30 SV10d3d land ltpaA9 o-S matf
ora SSS0A.I3U sajop se SBpoi a 'Muatn 'sohiquioi 'iiotawM w. oiuonv-i
-sajotn svisa.p ayed jwbiu y 'V01X38 VO S*jLS31C'kw
*
ouiumb ap oicjpis on oitjsis
-ai anb SiiiiB sajqoj sb bjtij -apns b b)o 9 opuess.ud sbSj) sjq
-opuvp 'saitiaasaieAiioa so wqos |3a*;ou ocooe am 'oinumb a> sio.iwcil
-aad suoqpui srp Btint j 'ojubisuoo EpijnnjcS ri ortisotidioa bIbo sodiioiI
sop am 'oi|iiu aisa gnbvjjmitri p mnNIfl 30 OKSSA
SC0||03 J>I
-bj mas *2jnd anb |3AEps.t3e cpionii| etun jajqo 3? and vnS^.p btbjjss
0I3UI IU3 Od 31S3.P OpiCJJ mil JSAlOSSip B1S3 "3OU 713 Od
'HUTA OttlO'l O OpBARKHII UI?J BIII1!,J CpB^ "lanVA '-Q ST'lld SP|3(I
o-, ,!;u.) ojiliuji ui;s scsuuii '
i- optunwsM.. ibawawiiiBi- o a Z3fJ|TiVaJ V 'VIM3W
Sb O H A (J 'imih? ^wa s*wuad RTd ^^vi* ^"iH^'
M!Pa?w^Ji,s^.-.;6W3TtfA3r. :SV03ftaVXM3
0-i]|ti*J ni nod M11JI 3*>-0VAHW>-ein sur*. saoa/)il uij tpr)
-^odii*o'OBVKOisj.oeoiN3w:k:_^"je

XMtt
EaaaaBBSaat^SXi
bis
JPOMA.
WJO&A ___ ,_____
Est^ Importante estabeletmOTto no im genero,. tem sempre um ortimento sem iguala
e vende por pre vista da qualidade e do pre^o das joias cada um pder-se-ha saavencer da^verdade.
Oarante-se ser tudo de lei. Compra-s ouro, prata e pedras finas Btr preijos multo ele-
vados.
A loj$ est berta at $s 9 )mM aaaaa
CABGA
a)
esquina
da ra lai^a
Rosario.
i



Diario de Pernambuc Sahbado 5 de Fevereiro de 1870
-------------
LOJA DE J01AS
DI
NOMM 9MRTB
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado ie novo, est as condi-
4&es de servir vantajosaraente es seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com nm
esplendido sortimento de obras de ouro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, ujos presos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca on eompram-se com pequeo
late.
ft 5 RU4 DO CABUGA l 5
PSTAOTANEOS
Travessi do Corpa Santo i. 2S
ARMAZEM
Ra Nova 38, loja.
Bandeira, Machado & C, avisara ao respeitavel
publico que nos lugares cima encontrar no mes-
roo sempre grande quantidade de ditos pocos, e
que se acharo habilitados para vender por menos
que ootro qualqoer, por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante Norton, de Londres.
As vantagens qua onerecem os pooof instant-
neos sao : primeiro, poderem ser coliocados den-
tro de casa ou fra, com o trabalho de urna a duas
horas; secundo, fornecerem os mesaos agua pu-
ra e abuLaante, podendo serem removiaos de um
para outro lugar, quando assim conver.
Os anouneiantes s reeeboro a importancia dos
referidos pocos depois de coliocados, sasuiendo
espertan va do comprador.____________________
Nao mais cabellos brancos.
A tintura japoneza para tingia os cabellos
da cabeca e da barba, fe i a nica admittida
Exposifo Universal, por ter sido reco-
nbecida superior a todas as preparaces at
hoje existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a 1#000 cada frasco na
Ra da Cada n. 51,
1. andar.
Em casa de f HEODORO CHRIST1
iNSEN, ra da Cruz n..l8, encontram-sc
lectivamente todas as qualidade de vinb<
^ordeacx, Bourgogne e do Rheno.
V) C o w
lattlf


3.S-S0
lip
B s 5J
n er
i a. a
* te I
~n 2 a. t 2
llf
A
Ul
/l
2
C Bf|
M
o o b o
-
o cr3,
M 2 o
SL3T3
p
M.2.,
"a SJ o
. O w w
c a
a
-J S co .
-O San
sis.,
J en o
O
o
o
| 5 O- H '
w S ST
O =5
C"* PC
2. .O
3og..>
a. o
o. o .<
?5*
^
ex
E5
ai
O
g 1. B 3
_ e o.w ** v
9-S o a. w
i -1 w>
a
w
en
C" 'ff ^"' ^" ^gfiib^ia^%
PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
pauuucBUTico, a, ve oes ium-mist-Mol, pars.
XAROPE DEPURATIVO
D CASCAS DE LARA1UAS AMARGAS
Cm ItSIRKr* ato MTAIII*
0 Mareta de poU&sie u verdadeiro allrnie, um depurador de ioeoatettavel efi-
cacia; oMabiud. coa o zarop* d. oasoas cte larmnjas amargas, t itwdo
en iNHvbaelo alfua pelo, temperamento, o. nuis fraeoe, sem alterar a* faaecfte.
a. eaWMga, A. dew. mrtheautiew qne elle conten peraJUem ao. mediee. ae rmaal
par* todM u complcese n&s *ffecc6es eicrofnloaaa, tabaronloaaa, oanoa-
roaaa noa accidentes intermitientes a teroeiros; alim s'iaso, a
ageste o mais poderoso contra as doencas rheomatioas.
XAROPE TNICO ARTI-HEAVOSO
a. BMas. as kuaajsa saufu.
35 aonos 4e successos attestto a su. effi-
caci. para earar: si ioenfat nervosa,
gudat ou ehronicu, as gamites, gastralr
fias; $ (aciUT a iigetto.
XAROPE FERRUGINOSO
*.easea.asiaiaaiss ...I. amana
E* sob a forma licraa qse mais fcilmen-
te se assimila s ferro; 'esta forma prah
rivel u punase pastilhasea todos os casos
em ue sao prescrptoa os ferruginoso.
DENTIFRICIOS LAROZE
COM QOIRA, PYRETHRS I AIAC0
M is.slfriili, coa Rase de
SRUir SMUraM, para a altura e oon-
serracio os dente, curando as dores
caaM-'iT pea caria ou produiidu palo
costado ao salor en ao fro
nMMSMStS
para a aivura a conserraclo dos dente),
provenindo a descarnadura, proseas eos
Urttro de ae mipede a repreaeio.
Raposa. tmftUto Jmmrt, m. CR...I.S; cm Ptrnamhum, r. rsr c*; ni Msssi.,
isas ato.: Hktu, iMm lsivm; as a., as >; mi PorU sisera, its
iMc; em Mrn.>l isisli. C| sm Oan. Prtt, C- V. Wsl.ws < em Sasa m. a. ast.lt a MmAhsm, a. laR.Nt Mwa ftm.
7. '

Cara radtcsImentcM aolcsasa depelle.taca como a lepra, alapsjaw.
sle.Xaprefsao dsrisaenterfle refraa asa. o aaamc essasi
[|'0 CilET Cm "ai^sV,,,Mto, "***
Deaaia,
> aa
Joaqiiiiii Jos Gbn-
(jolves Beltrao
RA DO tRAPICSE N. 17, 1. ANDAB,
Sacca por todos os paquetes sobre o Bao
do Minho, em Braga, e sobre os scctud
(es logares em Portugal:
Lisboa. '
Porto.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Visto.
Villa do'
Arces'de Val de Vex.
Viaooa do Gastello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova dejFamaliclo.
Lamego.
Lagos.
Covhla.
Vassal (Valpassos).
Mirandella. -
Beja.
AMA
comprar e cozinbar para duas .pessuas : no pri-
meiro andar do sobrado defronte da igreja do
Para izo, esquina.
Aluga-se
O segundo e tereeiro andar do sobrado a ra
do Amorim n. 39 com muitos co.iimodos para fa-
milia : a tratar na armazem do mesmo.
GUSTAVE
CABELLEIHEIR "FKMCEZ
51Sna da Cadeia do Becife-51
Chama a attencSo dos seos innmeros fregueses, e do respeitavel publico est
geral, para a segninle tabella dos presos de soa casa, os qoses s9o vinte por cents
mais barato do que em outfa qualquer parte:

Cabelleiras para senhoras a 25tf,
m, 350 e......40*000
Bitas para homem a 350, 405 e 500000
Coques a itf, 150, i8|. 200,
250, 300 e.....500000
Crescentes a 120,150,180,200,
250, 300 e.....320000
Cachos ou crespos a 30, 40, 50,
60, 70, 0, H e. 100000
Tranca de cabello para annel a
5QJ) e....... 10000
Tranca para braceletes a 100,
150, 200, 25e.....300000
Cadeias para relogio a 50, 60,
70,80, 00, 120 e. .
Corte descabello......
Corte de cabello com frcelo. .
Corte de cabello com lavagem a
champou. .
Corte de cabello com limpez da
cabeca pela machina elctri-
ca, nica em Pernambaco. .
Frisado inglesa ou francesa.
Barba. ,......
150001
501
50
10OO
10001
50t
251
SEGUROS
MARTIMOS
COSTRA FOGO
A Companhia Indemnisadora, estabelecidi
testa praca, toma seguros martimos sobr
lavios e seus carregamentos e contra fog<
im edificios, mercadorias e mobilias: i
ua do Vigarion. 4, pavimento ter eo^
Norberto Muniz Teixetra Guimares encar-
rega-se de despachar e dar anoamenio aos reque-
rimentos dirigidos a oamara municipal, como seia
licen^a de cordeacao, edifleacao, concerlos e ou-
tros, tendentes a municipalidade, e para isto podo
ser procurado no Corredor do Bipo n. 51. ou ra
da Concordia n. 64.
Na Iravessa da roa
I das Crnzes n, 2, pri- I
| miro andar, da-se di- |
1 nhelro sobre penbores m
| de ouro, prata e brilhan- |
m tes, seja qoal for a quao- g
| lia. !a mesilla casa com- "
pram-se os mesmos me-
S taes e pedras.
mfflmwnii m wmmw
CASA
DE IMPOBTACO E XPORTACO
J9 CARRERG
Escriptorio, ra do Vigario 11.5,
! ANDAR.
FUMO CAPORAL.
Chrgadn pelo ultimo paquete.
Marca oCiv^tle
Livraria francaza,
PiK-sh bem
Precisa-se de uma ama fnrra ou escrava qus
saiba engomar bpm : ra do Crespo n. 23
CASA DA FOKTUA
Aos 5:0005
Bilhetes garantidos.
A na do Crespo n. 23 e casas do costme.
O abaixo assignado, tendo vendido alm do ou-
ras sones, um meio n. 1816 com 4:000* da
oicria que se' acabou de extrahir a beneficio do
patrimonio den orphaos (133') convida aos pos
-indures virem receber na conformidado do
Rstame sem descont algum.
Acbam-se a venda os felizes bilhetes da 6
arte da lo,teria beneficio d; oraem 3" do
Carino do Recife (136) qne se trahir quinta-
feira 10 do corrente mez pelo novo plano, i
Precos.
Bilhote. 62000
Meiu. .HOOO
Ouarto. i sOO
Em^por^aofie 100000 para lima.
Bilhete. 5300
Meio. 3*750
Quarto. I 37o
Manoel Martina Piuza
< ozluhriro .
Precisa-se de um eozinneiro, paga-se bem
livraria franeeza. roa do Crespo i. .
na
Precisa-se de trabamadores na reflnacao da
ra dos Guararapes n. 70: a tratar na mesma.
Attenpao.
Na ra estreita de Rosario n. 5 precisa-sr de
do mestre de masseira e dona trabajadores de
padara, assim como um menino para caixeiro.
Preeiaa-se de um eozinneiro ou cezinbeira
w ra do Imperador n. 73, andar.
Pelo cartorio do escrivao de orphaos Gnima-
res sio anda convidados os senhores abaixo de
clarados, designados tutores das menores qoe fe-
ram libertadas pela commissao incumbida dessa
tarefa pelo governo di provincia em virtude da
lei n. 185 de janho do anno prximo passado, pa-
ra qne venhara aesignar o competente termo de
tutella o receber as cartas de alforria de ditas roe
nares.
Venceslao Machado Freir Partir da Silva.
Antonio Pedr i S Brrelo Jnior.
Antonio Albaquerque Mello.
Francisco Marinho de Albuqnerqae Helio.
Faanr.isco Soares Parbeco.
LuizBcrges Casteilo Bnnco da Rocha.
Manoel Cyrillo de OHveia.
Antonio Joaquim de AhdraV.
Outro sim roga-se Sra. D. Idalina MeranJoli
na de Siqnejra que alforrlon a 4>arda Hiena, de
idadde 7anno., filna desua escrava Brgida, on
a pessoa que delieocioo a aifurria de dita menor,
de vir ao dito cartorio aSat de se obter o eselare-
cimento preciso para ser dado tutor i referida
menor ; e assim, e do meamo modo roga-se i
Sra. D. Joanna Augsta de Castre Pagel, qne li
bertouaparda Elavirn*. de idade o> 4 anno*,
filo de Ma escrava Arcehaa, para igual esclare
cimento.
Ao pubHoo.
O ab.Hxoatwigoado Q>cUHbrjm tendo as babili-
Rajoos iiei-essaras para fazr encaaamonto d'agua
at (dlereoa earanamectos de porcelana s Rt
anisadM por meaos so qon outro qoajquer, as-
si roete a mo (Tabra : qnem se quuer dtilisr
dirija-se a na do Qteimano n. 32, oa .a na da
J Imperatriz o, 84.
ASSIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Bailes e alre*
0 dono do |estabelecimento previne s
Exmas. Sras. ejaos cavalheiros qoe ba um
salao para tintara dos cabellos e barba, as-
sim como um empregado smente oceupa-
do nesse servico.
Preciosa ublicapo
jurdica,
Commentario do Cdigo Commercial Portu-
guez e Brasileiro.
Vende-se na loja da ra do Crespo n.
2o A esquina da do Queimado, a impor-
tante p moderna obra sob o titulo de an-
notacoes ao cdigo do commeroportuguez
em 6 volumes pelo Exm. Sr. conselbeirc
Dr. Diog* Pereira Forjaz de Sampaio Pi
niente!, lente cathedratico na universidade
de Coimbra. Os subidos crditos de que
goza muito merecidamente aquelle eximii
commerciBlista por si s bastariam para re
commendar to mportaute obra, quando
n5o concorresse mais para isso a grande
vantagem de ser um ptimo commentario
ao cdigo commercial brasileiro (na falta
absoluta que ha de qua qner outro) pela mo-
xima homoeeneidade de entre militas das
suas disposicoes, e as do memionado cdi-
go portoguez, que lhe servio de texto.
oirei pressurosos, distinrta moridade
do 4. anno da Facoldade de Direito desta
cidade e nota veis jurisconsultos, a prover-
vos desse podproso auxiliar para vossos
irabaihos da sciencia, e pelo preco commodn
de 203. toda a obra em 6 vol.
Sublime pubiicaeo Iliteraria
sob o titulo de Hemorl do
itom Jess do Monte, em
Braga.
Acha-ne venda na loja da ra do Cres-
po n. 25 A, esquina da do Queimado a pri-
morosa Memoria do Bom Jess do Monte em
Braga, ornada de gravuras linas, segundi
edigao, obra da peona de ouro do mui Ilus-
trado lente da universidade de Coimbra, <
Exm. Sr. consellieiro Ur. Diogo Pereirr
Forjaz de Sampaio Pimentel. Quera tive
noticia da extraordinaria devocSo que exis-
te em Portugal para com aquella milagro-
siftoina imagem. affluindo sempre para (
>eu magestoso templo em rom na o nunie
roso puvo de todas ,as parte.* desse reino:
qu*m sonber avaliar as brillianles desenp-
ves, e o bello estudo daquelle consumma
>io jurisconsulto e eximo lierarioporlugue;
nao deixar de piocurar, quanto artes pro
ver-S' de um exemplar da dita memoria,
pelo diminuto preco de 3$. na loja indica
da, onde lia pequeo numero dcllas.
Na mesma loj. cima ha outras estnmpa.
muito perfeitas e grandes do dito Senflor
Bom Jess de Braga, por precu commodo
ATTENCAII
o
Tendu o abaixo asignado remetlido no dia qnin-
ta-feira 27 do current^, para a cidade de Naza-
reth onde resid1, diversos fardos de fazendas em
um carro, 3contccea desaparecer ein raminhn um
dos fardos, e quai cnntinha as seguintes lazendas:
uma pe?a de casemira preia, 12 mantas d tapete
para cavallo? 3 pi-cas de c^mbraia de cores, 12
chales de mirinu lisos, 6 ditos pretos estampados,
e outras muitas faz ndas.
9 ahaixi) assignado pede as autoridades poli
ciaes que se dignem tomar em considera cao o seu
anuuncio alim de apprehender-se ditas fazendas
u descubrir quero as furtou ; assim como offere-
ce uma gratilica^ao a quem levar noticias exac-
tas dessa- fazendas no Recife na loja dos Srs. Per-
digao Oliveira & :. ra da Cadeia n. 33, ou na
cidade de Sazaretb em casa do annueiante.
Nazaretb, 29 de Janeiro de "1870.
Antonio Aureliano Lopes Coutinko Jnior.
BOLIBIRO.
Offerece-se um rapaz ltimamente chegado, com
as precisas habiliacoes, para casa particular : a
tratar na ra do Camarao n. 13.
Precisa-se de um caixeiro qoe tenba habili-
tacoes bastantes para tomar conta de uma loja de
n iudezas : na ra da Imperalrz n. 84.
ATTENQhO
As senhoras qne nverem atguma menina ou
cria, querendo mandar ensinar a toda qualidade
de costura e bordados, marca e toda qualidade de
florea, por barato preco de 3 JOOO por mez, vindo
ellas aimocadas e ir jantar em suas casas : na ra
estreiu do Roaario n. 3o. andar.
Precisa-ne alugar um criado, preferindo-se
escravo, de 20 a 30 annos : a tratar ra do
Crwpo n. 8 A.
Os abaixo assigqados participam ao publico
qne diseolveram amigavelmente a sociedade que
gyrava sob a razio social de Augusto Porto & C,
i-to a contar do dia 31 de dezembro de 1869 pro
ximo Ando, fleando o socio Augusto Prederico dos
Santos Porto enearrgado de todo o activo e pas
sivo d sociedade ; retirando-se o socio Jos Pe-
reira Bastos descuerado da respensabilidade do
activo e passiv. da mesma, e pag de sen capital
e lacros.. Recife 31 de Janeiro de 1870.
Autusto Fn-dwicu dos Santos Porto.
Jos Pereira Bastas.
Alagase a> ea na ra de Ag'ias verdes
n. 2% : quem pritcndf r dirijae a roa do Ara-
io a. la,qae achara com qaem traur.
CRIADO
Prciaa-e um criado pari todo o servic/>"de
quer seja escravo oa Hvre: na ra larga do Ro-
r9D.i4. *
tliili i irt^^^M Rii II mil ii ii i mili H
pintada de novnn ^MRotes coramodos, na roa
^je val da refinateo para o rio; a tratar na roa
Cadeia a. 35.
Recommenda-se a superior TINTURA JA-
PONEZA para enegrecer os cabellos e bar-
ba, nica admittida na EzposicSo Universa)
como nio prejudicial sade, por ser vo-
ltil, analysada e approvada pelas acadl
mias de sciencias de PARS E LONDRES
TEZOURA DE OURO
DO
A' ra do Queimado h. 6, primeiro and ir
8 pessoas para o servico e o maior cceio nos trabalhos de barbeamento.
0 sal5o estar aberto, nos das uteis das 6 horas da manhaa s 9 da nou-
e, e nos dias santificados das 7 a I hora da tarde.
iS-Rlli DAS FLORES-:;
0 dono deste estabelecimento tinge, limpa e achamalota cora a maior
perfi c5> possivel todo e q .aiquer objecto de seda, la, algodao, em pecas
ou em obras, cb*p< s de feltro, palha manilha etc., tira mofo das fazen-
das e faz todj o mais concernente sua rofissao, tudo com brevdadevvisto
como se acha prvido dos necessarios machinismos e petrechos.
Otto Schneider.
CLUB X
Quinta feira 3 da fevereiro de 1870 -
r) \/ horas do tarde, assembla geral a
reqiierimento de diveisos Sis. socios para
tralar-se de negocios urgentes.
Recife, 2'J de Janeiro de 1870.
0 Io secrtario.
7. Guimiirats.
No collegio de Santa Genoveva, a ra do
Hospicio ns. 2z e 2fc, precisa-se de um criado de
boa conducta p oilifiile.
ALUGA-SE
o segundo andar e sotiio do sobrad da ra da
Cadeia do Rec fe n. 60, com bastantes commodo?
para familia, tornando se recnmmendavrl por ser
boa a localidade e muito fresco : a tratar no ar-
mazem do iflpgmo.
Liugua portugueza.
0 abaixo assignado declara aos senhores estu-
danles que ainda se nao matricularam para o es-
tudo da liugua portugueza, que podem dirigir-?;
para e^te flu ao collegio do Sr. Affonso Jos de
Oliveira, roa Nova, esquina que volta para a Cam-
ba do Orino, onde pretende 0 mesmo asai.xo
assignado dar principio ao referido ensino, do dia
3 de fevereiro em diante.
Salvador Henriqne de Albuquerqne.
O advogado Manoel Joa/juim Sdveira pode
ser procurado para oa mist-res de sua proisso
em >eu escriptorio ra do C.ispo n. 12, 1* an-
dar, das 10 horas da manhaa s 3 da larde. Resido
a ra da Conquista (Soledade) n. 4.
caaIia fe.
Aos 20000it|000.
Bilhetes do Rio venda : ra.do Cabug n. 5,
vende Vieira & Rodrigues
C4NAH10S
Chegou ui-n completo sortimento de canarios de
Allemanha cantadores- de primeira classe garanti-
dos, ra do Imperador n. 14, aru azein Fidelidad?,
e ra da lni>er:itnz n. 35.
Precisa-se de uma ama para cozinhar para pou
ca famdia, e outrapara andar com crianzas : na
ra Nova n. 22.
Vi
Na ra Direita n.' 101 ktva-se e engomma-?o
com perMcn e promptidao ^^________
Precisa-se de um criado que entenda de bo-
lear : na rna estreita do Rosario n. 2, 1* andar,
ou na Passalrem da Magdalena n. 40
Precisa-e de um fet >r que tenha as naiuli
tacoes necessarias para administrar um sitio, la-
se-lhe mesa e inO por anno : no escriptorio des-
te Diario se dir quem.
Precisa-s*
de um caixeiro de 10 a 14 annos, que tenha pra-
tica de taberna e d nanea sua conducta : na
freguezia dos Afogados, roa de S. Kigael n. 08.
Precisa-se alugar por mez uma preta que
mgomrae bom : na ra Nova, sobrado n. 39.
' Os abaixos assigoados deelaram pelo presen-
te ao respeitavel corpo commercial que nesta data
dissolveram amigavelmente a sociedade que gyra-
va sobre a firma de Rodrigues & Hemeterio na
loja de ferragens, a rna Nova n. 37, (cando a
cargo do socio Manoel Joaquim Rodrigues Ferrei-
ra todo e activo e passivo do extincta firma, a con-
tar do dia 31 de dezembro do anno Ando.
Recife, 31 de Janeiro de 1870.
Hemeterio Maciel da Silva.
______ Manoel Joaquim Rodrigues Ftfrreira.
Precisa-se de una ama que saiba cozinhar o
diario de uma casa, prefere-se escrava : a tratar
na ra do Imperador n. 12, escriptorio.
f ELOGIOS AMEmCAJH
49Ra da Cadeia do Recife49
Se & G>3&(DD@iaa
RELOJOEIHO
acaba de receber um grande sortimento de relo-
Sios americanos para paredes e cima de mosas
i) corda de oito dias por precos razoaveis.
Ama de leite.
Precisa-se de uma ama qne tenha bom e abun-
dante leite : na roa do Sebo n. 24.
Jornal das familias
Acaba de chegar o numero de fevereiro, conten-
do llgurinos, estampas de bordado, de molde, ta-
pecoria etc. i
Sahe uma vez por mez e entrega-se as casas
dos assignante*.
Por anno 18*000, pagos adiantados.
Ra do Cespo n. 9.
Livraria franeeza
Antonio Jos Rodrigos de Souza precisa
alagar uma mulber forra ou escrava que saiba
bem cozinhar : a tratar na tbesouraria das lotera*
u em seu sitie, no Monteiro. funto a igreja.
Quem de sejar saber noticias dos neto de Vi-
cente Teixeira Bacellar residente em Goivaes do
Uwuro (Porl) pode euteidor-se com o abaixo as-
signado professor publico na povoao de Casan-
ga qne casado com uma neta do mesmo senhor.
Recife, 1 de fevereiro de 1870.
Hermilino Elizeu da Silva Caneca.
Em Santo Amaro, ra da turara n. 22, se
aluga nm bom e lindo sobrado de um andar, so-
tan, pavimento terrau, cocheira, cavalharica, ajRA
eajaepso quiatal : ten taz em lod cob os competentes eaaaieirot o toda esteirad
A quem convier, pode diriglr-se a mesma ma d.
18. 4
Casa de eommisso le escravos.
Na antiga casa de eommisso de escravos, do
abaixo assignado, rna do Imperador n. 45, conti-
nua-se a nceber escravos por eommisso, tanto
do mato como da praca para serem vendidos, e
garante-se o bom tratameoto e pfompta venda,
para o que se emprega todos os esforc/ aflm de
satisfazer em tudo s pessoas que o quizerem hon-
rar com sua conflanca. Nesta casa ha sempre
para vender escravos de ambos os sexos, velbos e
mocos, assim como ha t da seguran?* para os ter.
AntonioMos T. de Sooia.
Precisa-se de uma ama para o servico nter
no de pequea familia : ra da amisade n. 21,
Caponga.____________________________ |
Precisa-se de tres contos de res a jaros so-
bre nypotbeta ; quem os ti ver dirija-se a roa das
Larangeiras n. 31. _________
Precisa-se d nm copeiro e nm bom e aooeiado
cosiaheiro, para uma casa particular; as pestoas
qne estiverem no caso do exeirer estes misteres,
pVidem dirigir-se ra do Imperador n 6.
Desencammnon-se am banho com a compe-
tente certidio de rasamente venficdo no.HcepiUI
Portoguez, na terca-frira do corrente, e eooi a
competente estampilla (sello) quem o acnou ooe-
rendo restituillo, visto que d nada lhe serve, o
Dodeti faxer ao Revio, eapellao no mesmo hospi-
tal, on na rna Nova n. 42, loja de fazenla, defroo-
te da Conceico dos militares, on a ra nova do
Santa Rita n. 19.______________________
D. Mara Candida 6a Cunha Almeida, viava
do eapititi Jos Joaquim Lopes de Almeida eonri-
da as pessoas que se consideraren! oradores de
sea Inado marido, para qoe no orara de oito dias
apreseuiem os ttulos de obligado, oa as ton-
tas dette a ra do Varadooro n. 5 em Oiinaa, ou
a ra do Qartmaae n. 20, Ma no Recife, aflm de
M proceder a respectiva verificarlo e tratar se do
OHoSa, 3 de fevereiro de 1870.
Margarida Caadida da Cunha Altneida
i


Diario de Pemambuoo Sabbado 5 de Fevereiro de 1870.
*
AGU1A NEGRA
i'
o
BENTO MACHADO ft C,
A AGIA NEGRA animada com o bom accolhimento que teve em seos aunan*
dos, vem novo participar a seus freguezes que. acaba de receber om variado sor-
atento de objectos de gosto os qsaes sero vendidos por precos moito razoaveis, pois
quando fez os seas primeiros annucios, foi o que assegurou, e sem mdo de errar,
porque como j disse ost interesaos ligada a urna casa importadoradesta praca, e
por isso poder ter tudo especial e vender por precos admiravers.Chama pois a alten*
i;Jo de seos freguezes para os arttgos possa descrever:
Um variado sortiments .de charateiras e
palliteiros de porcelana,
Tentos para voltarete.
Bengallas com marflm, cousa especial.
Sabonetes de alcatro.
Cofres de folhas para dinheiro.
Lindas caixas para costura.
Um completo sortimento de luvas de pe-
Livros com o tampo de marfim, nadre-
perola e tartaruga, proprios para missa.
Garafinhas vazias propnas para presentes
coasa de gosto. |
Indispensaveis de palinha e de couro pro-
prios para senboras e meninas trazer nos
bracos. "|
Binculos de madreperola, marfim e tar-.
taruga todos esmaltados.
Cintos largos de setim, cousa inteiramen- jc^
t nova. ', -
Fitas de sarja de todas as cores e larga- agorce par abordar
ras para lacos. Um completo sortimento de enteites de
Toncas, sapatinhos meias de seda e mais seda para vestido,
pertences para baptisados. Perfumaras de todos os autores os mais
Fitas com inscripcSes proprias para bou- acreditados em extractos, pomadas e leos
quet de noiva,* e finalmente outros moitos objectos que nao
Ricos vasos com p do arroz. possivel mencionar i mas com a vista se
Um variado sortimente de jarros de por- certificarlo do sortimento deste estabele-
celana. cimento.
Agiiia Negra, ra do Cabug n. 8.
I LO JA DAS MACHINAS
BASTOS
Acabam de enegar grande quantidade das verdadeiras machinas a
para descansar algodo de todos os systemas e tamanhos seguintes :
12 serras 12 serras
14 ditas 14 ditas
15 ditas 15 ditas
16 ditas 16 ditas
18 ditas 18 ditas
20 ditas 20 ditas
22 ditas 22 ditas
25 ditas 25 ditas
30 ditas 30 ditas
35 ditas 35 ditas
40 ditas 40 ditas
is quaes se vendem por precos commodos e roga-se as pessoas que dellas tizeram od
commendas de alguns tamanhos, obsequio de as mandaren! busca-las o mais breve po.-
ivel afim de nao haverem faltas.
RA DA CAEIA N. 56 A
Lindas e superiores bareges de cor, de quadro e de listra?, para vestid js fin-
jando seda, pe baratissimo preco de 500 e 640 rs. o covado.
Anin como superiores cassas francezas de cor padroes de muito gosto a 40(
a 600 rs. o metro, na toja das Collumnas ra do Crespo u. 13, de Antonio Correa d
V'ascencellos.
CARVO DE BELLOC
PARS
Approvado e recommendado pela Academia imperial de medicina de Paria para a
cura da gastralgia e em geral de todas as doencas nervosas do estomago e dos intestinos.
igualmente o remedio por excellencia contra a retencao de ventre Finalmente em
rato de suas propriedades absorventes, recommendado como erdadeiro remedio nos
cajos de diarrhea e cholerina. er*o Belloe tema-t* na occasiao das coudas
tob a forma de pos ou de pastilhas.
Deposito em RioWakero. DuponcheUc; Chevolot. Em PnuaKoo, Maurer t C*.
trena* imna
FABRICA DE PUOS
DE
P. W MOMKM
J. Rhigass, successor
55Ba do Imperador55
Nesta antiga e bem conbecida casa, encontrar-se-ba como ootr'ora grande sor-
timento de pianos construidos expressamente para o clima deste paiz, e Mr. J. Rhigass
endo trabalhado muitos annos na construccao de pianos em Pars, acha-se habilitado
i preparar os pianos que vende com todos os accessorios indispensaveis nao* so sua
wlidez, como sua durago. Todos os pianos s5o garantidos.
Tambem ba neste estabeleciment, grande variedade de msicas novas e dos
nelhores autores, tanto vindas de Pars como do Rio de Janeiro, que se vende mais
barato do que em outra qualquer parte; assim como ha igualmente venda todos o-
)bjectos necessarios contruccao de pianos. Os concertos e afinaces de pianos serlo
eitos com o maior zelo e cuidado.
0WSHHpnisayi s
O advogado Dr. Antonio de Vis-
M concellos Menezes de Drummnnd,
m modou o sea escriptorio par,a a ra jj
I do Imperador n. 20, onde pode I
ser procurado para o exercicio de 9
I sua proissao em todos os dias 0
frutis das 10 horas da manh5a at m
I as 4 horas da tarde. Fra dessas >
I horas, e para qualquer occorrencia *
1 urgente, ser encontrado no sen
I domicilio, ra da Aurora n. 26.
alugar um escravo
1* andar.
Preoisa-se
na roa do Queimado
n.6,
Precisa-se de ama
Poute-velha n. 6.
Ama de leite.
ama de leite :
na ra da
0 RIR.IAO DENTISTA.
Frederico Maya
Tem a honra de scieolifioar ao respeita-
vei publico em geral, e aos seus cliente
em particular que elle modou o eu gabij
nete de consullas da ra Diieita n. 12 para
a do Queimado n. 3t primeiio andar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II. onde po-
de ser procurado para os misteres de sua
profissao, todos os dia uteis das 9 horas
da manha s 3 da tarde.
Tambem previne, que contina a prestar-
se a vontade dos clientes nao s na cidade
como nos seus suburbios, para onde a>
idas serio precedidas de ajuste. Elle pa-
rante o bom desempenbo e a perfeico de
seus traba Ibos, o que j bem conbecido,
assim como as commolidades dos procos
Bichas hamburguezas
Neste novo deposito reeebe-se por todos paque
tes translanticos bixas de qualidade superior, ven
ie-se era caixa ou porcao mais pequea e ma
barato de que qualquer outra parte ; na ra d:
Cadeia do Recife n. 51. Io andar.
55Ra da Imperatriz55
F. Gautier, proprietaiio deste importante estabelecimento tem a honra
$ de participar ao respeitavel publico que acaba de chegar da Europa para on-
^ de tinha ido especialmente para contratar peritos officiaes e que consepuio
0 contrata-Ios na pnmeira casa de Pars, por isto julga que todos ficaro satis-
*< feitos dos trahalhos do seu estabelecimento cujo encllente material ainda
p foi augmentado com novas machinas que ja receben e tambem militas drogas
R novas coro as quaes se obtem estas maravilhosas cores modernas to apreci-
>k das em Franca e em lodo o mundo.
^ Tinge, lava, limpa, lustra, acbamalota rom a maior perfeico fazendas
$< em pecas e em obras de todas as qualidades como sejam: seda. 13a, algodo,
*x linhas, chapeos de feltro e depa'ha etc., etc.
* Tira nodoas e limpa secco sem molhar os tecidos, conservando assim
B todo o brilhn da fazenda.
g Impressoes sobre tecidos
*K com este novo systema, os vestidos de seda e outras fazendas que at agora s
x& podiam tingir-se de cores lisas, po'lem receber um bonito desenlio de cor
yS5 diversa, a escolba, o que realca a fazenda e Hie da mais merecimento.
Tintura preta, tercas e sextas-feiras
v As pe-soas das provincias limitrophes que quuerem uiilisar se do seu
ffi estabeJeciment" puderao mandar o que tiverem, na certeza de srem tao bem
*< servidas como no Rio de Janeiro ou na Enropa, e com mais presu-sa por
i-atisa da distancia.
K
VERDADEIRAS
PILUUSdeBLANCARD
COM IOOURETO DO FERRO IHALTERAVEL
APPROTADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Possoindo as propriedades do lodo et do /erre, convem especialmente as Affeccos
scuofitlosas, a Tsica no principio, a (raqueta d$ temperamento e tambem nos casos de
Falta Di cor, amenosrhea, em que precisa reaoib obrk o singue seja para restituir
Ihe a sua riqueza e abundencia normaos, ou para provocar e regular o seu curso peridico.
H. B. 0 iodoret* de ferro impar oa alterado 101 medif amento infiel,
trriUDte. Como prora de pnrexn de aatheneidade du ev4etdeirsa M-
toa 4* Rla^eard, dere-tt exigir nosso aeH* *\e> prata r*atia a
domo arma, aqai reprodniida, que w arh"n parte interior do oa
r*tal ver4. Dere-io desconfiar das (alsifica^oei.
WmawwHti, M JaMperta, 40, HrU
. aos
AGENCIA DI COBRANgAS
BAIRRO nE SANTO ANTONIO.
Ra estreita do Rosario n. 17, 1 andar.
Director
LE0POL ANTONIO DA FONSECA
Neste escriptnrio recebem se procura- W
cSes para cobranca de ordenadus e con- ift
mas, liquida(ao de cuntas de pt-ssoas do ??
centro com outras desta praca, bem assim y&
de^rrendamento> de predios, para agen ig
cia de causas civeis, crinas, eommer- <
ciaes e ecclesiasticas em i|ue seja nece- Jj
sario constituir os mais conceituados ad- >|
vogados e procuradores que melhrr ga- ?r
rantam os rettoe das partes ;. para sol- >g
licitar t'talos e patentes na capital, ou a
manda-Ios vir da corte, etc. etc. 5?
Das cobrancas e compras sobre as >3
quantias liquidas 3 %, e sobre o mais ig
mediante previo ajuste. SJ
As entregas de qua squer cncommen- jQ
das e litulus s seraofeitas aos seus pro- >S
prios donos s pessoas por estes autorisa- X*
das em cartas de nrdun e mediante re- y
cibos legalmente passados. a
Club Pernambucano
Os S'8 Mano<3l Jos Pinto Martin* e Luiz
Demetrio Coelh", sao os nicos eocarrega
dos da Coijrancado Clnb Pernambucano.
O empresario,
P J Layme...
l'recisa-so de um raixeim en pratira
^berna no paleo d;i Santa Cruz n. 12.
dr
Associaqio Commereial Benefi-
cenlc.
Tenio sido adiada peto >r. presidente, a srasiu
da a>si'iubl('u geral dH :1 do corretie, pelo presen-
te convido aos Srs. mcos, pura n da 7 diste mes
nio mez ao mein di i. atim de pro-e^uir-se nos Ira-
halhos ila mesn Associaijao Commereial Beneflccnte 31 de u-
vereiro do 1870.
Daniel Ramos,
Secretario. _____
Na ra estreit.i dn 1 i ri n.iS, andar pre-
cisa-sn de una ama lona un di' ama escravapara
krrvieo de casa : pga-e bem.
ELEPHANTE COM BOTAS
GRANDE ARMAZEM DE PUOS, MSICAS E INSTRUMENTOS
ANTONIO JOS
AZEVEDO

Partecipa ao respeitavel publico desta cidade e das mais
u, acaba de chegar um grande e explendido sortimento de
N. 11-RA NOVA-N. 11
provincias visinhas, que o seu grande e bem acreditado armazem de instrumentos para musi-
0 que ha de mais moderno, de teclado fixo e mobile, e com transposic3o ou sem ella,
XamadoB e bem coobecidos pumos da fabrica do Sr.
de autores os mais acreditados nesta cidade, como sojam :os
AFFONSO BLQNDEL
t> Pars, de .juem o aanunciante e o nico agente nesta cidade, como prova com o documento abaiso transenpto e assignado pe <1.o ^-Brondel. ^Estes pianos, fabr.
cados especialmente para o clima deste paiz. sao os nicos que offerecen urna garanta secura de sua doracSo. EHes s3o ^}^^J^^^t^J^^*^t
aja iiecssar insistir sofere sua superioridade. As suas vosas sao marto flautadas e melodiosas. EHes possuem um teclado que se presta-a todos os capriJios do
Todas as pessoas que comprarem pianos nesta casa, sao rogadas a exigirem oeerUicado de origera assignado pelo Sr. Blondel, afim de provar a sua
tnteocidade da numero de piano cera o de certificado.
AO PUBLICO d ide
Mr. Alpbonse Blondel, fabricante de pianos em PARS, declara ao respeitavel publico de Pernambuco. que o nico deposito de seus pianos na cidade
io Recife, RA NOVA 5. I, arnmem de Antonio Jos de Azevedo. Outro sim que tdoa es seus pianos irio accoopanhado^de um certificado de ongem assig-
nado por mim. ,
Paris, 24 de julho de 1869.(Asssignado) Alphoase Bladel.
0 anooctj tambem troca e iluga pianos. E tom o maior e mais explead^n ^orttmeote de novas
^ MSICAS PARA PA !0*
Uanaes Mselae'directHaWBteda Europa e do Rio je Janeiro;, das acreditadas casas, dos ^rs. Felippone 4 Tornagbi, Narciso, Arthur Napoieao 4 C,
ste Tambem tem"r*(!e sortimento de papel para msica e denb ;%Mas para todos instrumentos, ricas gravuras e quadros para ornamentos -le salas, oleados para
ueoalbo < ssstss ricos estribos douradoi, quadra^s e ovaes, caJiMbas ie costura com msica* e sem ella, estojos para viag ifc relogios com despertador, vidros para
wmOM de todo's os tamannos. taparea, las e B**t*mJw}*, mlo iifn 1 lilll ni IHIMli......n>l eoo^itt sempre neste armazem, o quai
Compram-se moedas de rara e prata de to-
los os valores, ouro e prata em obras inutilisadas.
nlhantes e mais pedias preciosas : na loja de
orives do arco da Cnnceicao, no Recife.
0 miizeo de joius
Na ra do Cabog n. \ compra-se ouro, prau
% pedras preciosas por precos mais vantajosos d>
|nr em outra quahiuer parte. _______
Lom muito mawr ^anugetn compram-se
ooedas de onro e prata : na loja de oias do Co-
acaode Ouro n. 2 P. rna do Cahnfi.
A VEH1IAE
55Euado Queimado5o
A VERDADE tendo em deposito grandt
quanlidade de miudezas e perfumaras, e to-
sejando apurar dinheiro e adqoerir boa fre-
uuezia est rssoivida a vender niuitissimn
barato, ; por essa razo convida ao respei-
tavel publico a vii competentemente muni-
do a sortir-se do bom e barato. Pois quan
do a Verdade apparece, tudo mais des-
apparece____
Grande sortimento de bonecos de cera t''
massa as mais lindas possi veis vestidas a ca-
rcter.
Abotoaduras moderuas para col
letea........ 320
Espelhos donrados pepnenos. 260
Agolhas de osso para crox a 200
Puntes para regac com esntas a 320
Ricos globos para candieiro de gaz a 10800
Cbaminsa....... 32C.
Grande sortimento de objetos de
looca para brinquedo de menino 100
Garrafa com tinta a..... 800
Dita cora agua florida verdadeira a 430(
Dita com -lita dita a ... 10P<
Frasco comoleo de babosa a 500 e / 720
Dito com agua de Colonia a 300 e 500
Garrafa com agua divina a. 1)5500
Frasco com extractos finos a I 00
Latas pequeas com banha muito
lina a 12< e...... W
Sabonetes de diversas quali iades a
80, 160,240 e..... 32v
Finas escovas para dentes de 120 a 600
Lindos coques modernos a. 2O00
Pavios para gaz, duzia a 240 e 320
Escovas para facto a 5>0, 600 e 700
Ditas para cabello a..... 501
Pentes para tirar piolho a 160 e. 240>
Brincos de cores, bonitos a 160 e 200*
Pecas de tranca de 12a com 8
varas por....... 8C
Oleo para machina de costura,
fiasco a........ 600
Pennas d'aco finas caixas a 800 e 1-MXK
Dita d'aco Perry, caixa a. 10400
Galao de algodo pega .... 400
Lindos babadinhos e entremeios
peca de 500 a...... 15500
Ditos de louca muito fino a 120 o 20f
Ditos para calca a lr>0 e. 24('
Caixa com papel amizade a. 700
Ditas com envelopes a. 48(>
Ditas com obreas a..... 0
Caixa com agullias fundo dourado 280
Ditas de ditas ditas a..... 160
Thesoura para cosiuia a 240 e 50('
Caixa com linha de marca-a f. 28(
Lmlia de coros em novellos (li-
bra) a....... 50t
Carreteis de linha Alesandre de 70
at 200........ 1(M
Grampos muito finos com passa-
ros, duzia a...... 2 Cartas portuguezas, iluzia a l40t
Ditas francezas a 22G0 e 3*00
Papel almajo e de peso, resma a
Um, :<5O0 e 4>50
3a muito fina para bordar, libra 6J50('
Fita de algodo para debrum de
sapatos, pe?a a ; 164
Dilas de iaa para debrum de ves-
tido, peca a ...... t(
Pentes linos para segurar ca-
bello a....... 32f
Ditos ditos do bfalo para alisar
a 840, 320 e...... oO
Ditos para aparar -peos a lO
Rosetas prets, par a 101
Tranca de I ia i!, caracol peca a 40 e 0(-
Ma de coz peca a 480 e S6(
Alflnetes ti tatito a..... lO
Sapatos de la para crianca a 400e 8ot
(iravata dff sedas de -ores a 20
Calcadeiras a....... 8(
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio d borracha poi
lOOris! !!!!!! '
Ta Verdlade rna do laeimaiF
o. 55.
Ven li'->e urna taberna em um dos melhori
pont"s de^ia cidade, lendn iiminudu pera mural
Familia, n meibnr que possivel para prrarpiaii
te. e o motivo da venda m dir ap con>pr?d"r
oa ra do Livramenti n. -2S'-e dir;i q m vend
pao DiTv i:nn.\.
PAO l.Ndl.i'.Z.
Xa rna do Camarn n. 13.

Compram-se e vendem-se diariamente para fra
i dentro da provincia eseravos, de todas as idaies.
Mres e sexos, com tanto que sejam sadios : no
erceiro andar do sobrado n. 30, a ra das Gnes,
reguezia de Santo Antonio. ___ _______
Cabellos
Na ra do Queimado n. 6,1 andar, salo de
cabellelreiro, compra-se continuad*mente cabellos
compridos.
GULHER1E AlLSTO BttKIlitES SETiE
CASA rE COM5IISSOES E CONSIG.NACES,
LISHOl
ea-Rna do amparo .
Compra e venda de gneros, encommendas, o
papei> de crdito, inovimento de fundos, expedi-
cao d telegrammas. cobranzas, liqnidacoes, etc.
No largo do Ltvramento n. G t andar com-
pra-se um sobrado de um andar e algumas casas
terreas
VrNDAS.
s*erio todos os dias ato s 9 horas da note afim
estar
poderera ir apreciar 01 seus pianos
Genuino vinho da Madeira em Larris de i"
e 8, e em caixas de duzia de garrafas, tendo cad3
caixa quatro dffereTil3> qualidade. propnas para
um juntar : no escriptorio da Companbia Pcr-
nambucana. ._______. _^________
Na ra do Rangel n. 9 v;u-Jj-.-o um cavallo
gordo, bom de cabriole*._____________
Animies a venda.
No ongenho Boa-vista, reijneaa do Cabo, ven-
te e animaes crioulo, aloito ao servico de roda e
por oommodo preco. _____ j
Hotel nacional
Kna da Cruz n. 1.
O proprieuno de te estabelecimento tem resol-
vido annnnciar a venda do mes'mo, queni o pre-
tender o p lera lur -'xaiuinar a qualquer hora e
Talar rom Antonio Gaadplft ____
Vende-se
ma parto da engenho Arawuac,
ziado Cab..: quem Jrelca4-v:o npardir
\tm3 da Iodopandon:ia i:. i~, que a.cbara coln
Uaur.
1^000 o cento.
Raa da Madre Dpiis n. 7.
1TJ
Vende-so no trapiche Barao do Livramento sac
eos com uiilho, boa saecaria e por menos do qu*
nn nutra qualquer parle.____________
Vndelo um prelo uieial de inarcinein r
envernisador, na roa do Imperador n. j, kiluilv
andar._________________________________
Taberna
Vende-se una ba taberna na ra do Hangel e
cora poucos fundos, propria para qualquer prin
cipiante : a tratar na rna da Madre Deus n. 8.
Veade-se tres vacas de ieite com nova* eria.-
por preco comroodo : tratar na praca do Pa-
rai Vende-se no engenho Peres forma* de pur-
gar assucar, tclhas lijlos do alvenaria grm>a ba
tida, ladrilhos a rabo de pato para asseutamento.
e preparam-se encommendas de qualquer d
objectos com promptida e brevidade.
Venden, -e eincoenta acroes da esiraJa de Im,
do Recife a Oi.nda, tendose eotrado j coa* 580,
em t prest ^oes : a tratar na roa do Imperado
n 33, i' andar, das 10 as 3 horas da tante.
ATTNCaO
JVeude-sc a reOuafao sita ra Imperial a. SOi
com todos os seus peri* nces, com carraca e ea>
vallo para condueco dos asneares, a **! se
acha afreguezada, tanto para o Recife cono Alto
gados, Barros etc., sendo om dos meibore lea,
para a compra ti >s assucare que pasaam aa fur-
ia : quera pretender Jirija-se a mesaia que afc
r cora quem tratar.
iitMiHi
Aluga-se ricos domin- pretos aJH at '
completos cosluraes de pbaatasia 41 wt
e Tende-se cal.- enearoa* o nraata
ru BWta a. S9 **rA
M tcjiiit de timbrar.
ode-te araa na r3as alhcqln
de t\pos pera ti
de livros jauto ac
r


6
Diaio
A*. i>^..nml;^
SaLbajo 5
de
v,
de 1870.
IL-IH)
A Kll DA IYIPEUITKI/ M, *
Esquina da ra da Aurora, em frente do caf Imperatrk.
NVstp novo e suraptuosn e?talwlecimento de fazendas ericonraro as Exntaa.
Minutas ludo guairtopoisam (test-jar, tanto etnargus do roais rigorosu luso, como em toda*
.^ uiais fjn*U Aieui de se acharen! prvidos do que de melhor ae eucoutra ueste mercado,
>OT todos os paquetes da.Bnror)a, rece-iem directamente o que em artigos de moda e
(.Jo mus apurado gusto se encontra em Pars, o que vem cada da ugmeol^r as propor-
<$ s d que disyou esto estabelecimento para hem servir sua numerosa freguezw. -
Algoda > larjfo para lences e toabas de
vilas as qualidades que costuffia vir ao aer-
ado.
Alpacas le todos os pailroes e qualida-
es tao vanadas que e nau \nxWm descrever.
Albuns coui msicas para collucar retratos,
iolicailo presente para qualq .er pessoa de
Atoalhado de linho e algodo, brinco e
de cores proprios para tualbas.
total
Bas jumas de seda p re tas e muito moder-
as, ben como de crochet, tu lo de apurado
uosto e fuitic. M
BalM-s de muselina, madapoln, brancos
e de cr.'S, para senhora e inhumas,
ttaiwges de cores vanado sortimento.
Iabaiiinli.is ou tiras bordadas em todas as
larguras.
Bdbuuaa de todas as cores.
Bolsas le tapete para viagem, grande
variadado de tamaitos e gostos.
Bombiaa prela de todas as qualidades.
Bramante de linho de H palmos de lar-
gura, e toilas ^s mais qualidades.
Bn-tanhas de linho e algodo, grande sor-
dnvnto.
Brins de linho branco e de cores, do mais
omtnndo ao maiscaro em qualidade, aftian-
ando o que ha de ruelhor na especie.
lrms d'algoda completo sortimento e
ariedada de pre;es. ,
Cassas de cores, o maior sortimento, pri-
roaodo pelo bom gusto e barateza, attentas
W qualidades.
Ca nhraias brancas, tapadas, e traesparen-
168 de todas as qualidades e precos.
Camisinlias de cambraia de linho e cassa
cordadas ricamente enfeilados para Sras.
Camisas para horrens e meninos, tao va-
riad! sort'in-'iiioque vai do mais ordinario
r.adapolo no'mais perfeito bordado de li-
'ilio e '-'mbraia.
Cami.^as de meia, de flanella, brancas e
le cores para homem.
Casemuas pretas e de cores, o mejhor
me se pode imaginar, sendo, d'isso a me-
[hor aro va o grande consummo dellas na
)!lifna da casa.
Capellas de flores, para noivas e bailes,
lesde a mais candida flor de larangeira at
a mais interessaots gri laida.
liabas o.i melbor gosto.de todas as
Ares boje preferidas p<>las senhoras de
mais apurado rigor na moda.
Chapeos pretas (la velludo, para senhoras.
ultimo gosto de Pars.
Chapeos de sol, para senhoras e homens,
de todos os pre jDTe viados gostos.
mi ricos padroes para vestidt.s.
C tales de tbdas as qualidades, avultado
numero e nao menos varieda le de gostos,
i, impossivel descreverosortimeft-
. i e variedad* de padrees < aovas ?ostos,
ki nwte artigo ludo unaoto se podo desejar.
, Cmlns para senhoras o que se pode iuia-
gW de inellior.
Coques, o melhor no gosto e nos entei-
es, varios lmannos.
Ctt-
Gase com liseras te sida e flores, fazen-
da iateiramente nova [tara vestidos de, baile.
Grvalas p*ra sennoras e homeni, o mais
completo sortimento que se pode desejar.
Guipure"preto e brtmoo, diversas largu-
ras e difieeutua gosto.
Collas d pnrtnos bordados para senftoras.
Guardanapos de linho pequeos e gran-
des.
Gorgnrode soda preto ede cores.
Grosdenaples prelo ede cores, liaven-
do diversas qualidades e gestos.
do-
Japonezes para sent-iras, o melhor gos-
lo, efazenda propria para as testas nosar-
rabaldes e passeios a tarde.
Lazinbas de todas as quaiidades. cores
e gostos, nao ficando nada a desejar, tal
0 sortimento que exista para escolner."
Lencos, ludo quaoto pode baver desde
esguio ao algodo commum.
Loques de raadreperola e osso, o mais va-
riado sortimento. ^
ligas de seda, bordadas, para senhora.
Lu vas de Jouvin, cnegadas por todos os va-
pores, sempre novo sorlimonto, quer em
pellica para homens e senhoras, quer em lio
d'Escocia, braicas e de > ores.
Madapol5o; indescriptivel o grande sor-
timento que ha ueste geuero. desde o mais
elevado preco ao menor,'que se. vende em
pee e retalho por menos do que em ou-
tra qualquer parte.
Mantas de blojide para noivas: o apurado
gosto dos nossos corr. spondentes em Faris
habilita-nos a dizer que temos cm nosso
estabelecimento o que de melhor se deso-
ja para vestir e ornar urna noiva.
Mantas prelas de blond.
Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos preto*, trancados e lisos.
Musselina branca e de cores, lindos e va-
riados padroes.
33
Pannos pretos e de. cores, desde o mais
barato ao mais superior, por precu muito
cottmodo.
Pannos de crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de casemira muito linos para
mesa.
Peitos bordados de linho, lisos e do al-
godo para camisa.
Pancetas protas e de cores.
Popelina do seda c linho, com listras e
flies; fazenda lindissima.
PeJnerinas para senhoras, do ultimo
gosto.
Perfamarias ; os mais (ios extractos o
que dj melhir e mais agradavel se pode
encontrar neste genero, e de mais fragante
e suave no olpilo, tem o PAV1LH0 DA
AURORA, d$sue n verdadeira agua Flori-
da at o mais lino Boitfjuet d'Aiqpur, linal-
mente tudo quanto deve oc.cupar o louca-
dor de urna selihora de gosto.
;^
Saias bordadas, brancas, lisas e de cores
com folhos e sem elles. o'melhor posstvel,
Colchas de seda eom borlas, o mais apa- Sabidas de baile, de todas as cores.
-ad'i gusto e lavor. S i las prelas, &> quadros, lavradas, lisas.
Utas de fustao branco e de cores por de lisijas de todas as cores e qualidades e
ji-vcis commodos.
Oirpinhosdecamhraia, ricamente borda-
ios para senhoras.
Cortinados ''. cambraia bordados e de
il.o que de m Ihor se pode* desejar.
Colarinhos de linho bordados e lisos, o
maior sortimento.
GALLO VIGILANTE JTTI1W
o mais barato possivel.
Sarcelim de todas as cores c qualidades.
!QP
Tapetes grandes, lindas pinturas para 8
cadeiras. mais pequeos e de todos os ta-
manhos desejaveis, e em peca para co-
yadns.
Toalhas de labyrintho. do maior c ma
fino trabalho ao mais barato.
Toalhas de linho e algodo de todos os
tamaitos, lias e felpudas.
Tarlatana branca com palmas e de cores,
fasenda muito aova, e gustos delicados pro-
pria para baile.
Vifl'u-irio bordados de fustao brancos e
de i-res para meninos, de cambraia para
baptiados, o quede melhor tem vindo a
este mercado.
Vestidos de laa escoceza de i2 saias.
oovidade pelo padro, gos.io e forma; ditos
de linho com barras de cores, e de cam-
braia de cores coma saias, tudo inleira
para
Damasco "de 13a de 9 palmos de largura
s cores e ricos oadroes.
Espnrtilhos bramos e de cores, para se-
ihoras e meninas, o melhor m'-s'.e genero ;
aenh'ima Sra. deixar.nor cerlo de muir
se de to precioso auxiliar perfeifo de
um tnrno delicado.
ntremelos bordados.
Etoomilba preta.
Enieit-s para cab'-ra. ultima moda de
'aris,. recebida no uiiimo paquei-.
Esguio de linho, completo sortimento de
odos os nmeros.
Fitas largas escocesas, para cintos, vari-! novidade, trazem os'modellos juntos
lado de gasto* e lindos padroes, mostrar a forma de os fazer.
Fi hs de crochet, modernos com ointos' Veos de blond para noivas e pretos para
4 capas, o que ha de melhor. \ luto.
Fil le seda, linho e algodo, de todos Vestidos de blond para1 noivas : podemos
os gostos e padroes. asseverar as nossas Eimas. freguesas, que
Fustao de todas as cores e qualidades somos os nicos em Pernambuco que pode-
,'raurie sortimento. mos .offerecer ao Ilustrado publico, o mais
Flanella branca e de cores. apurado gosto em semellicte materia, gra-
Flores, o que ha de mais rico, quer C"s ao bom gosto do nosso ioi necedor rm
solas, quer em ramos, tem o PAVILHa'J Paris, podemos garantir que niuguem neste
\ AURORV om permanente jardim a genero o possue mnlbor, neto mais em
lUonsicSo das Exma?. familias. conta,
E' dispondo d to grande e variad' sortimento que o proprietaries do PA-
VILHO DA Vfii ntam ao publico declarando desde j que 6 a sincerida-
ie e o bom gosto^ornovel nico de seus aegocios.
Prvidos de tudo e promptrfs sempre a prover-se do que. por ventura lhe
seja nec os proprietarios deste sumptuoso estabelecimento recohimendam-se
sem receio de'seqBB contradictos e proteslam. esforcar-se pgr continuar a merecer
bes tem'dispensado ; cerlos de que do seu estabelecimento nao sahira
i freguez descontente.
Contina.sempre.a officjna de alfaiate dirigida por um dos mais habis artis-
; rompi executar eran promptido e bom gosto qualquer trabalho qqe lhe seja
Ima modista especialmente oceupada nos trabalhos do PAVI.HO I)V AU-
:OR\. duige os quoJhe sio eonearheites, garante por seu apurado gosto e promptido
ta e\ e t na* complete psrleifo nos seus trabalhos.
A ntunerosa f'rcupzia que nos honra uma pro va de que merecemos o con-
cito que se dispensa ao nosso estabelecimento, conceito que procuraremos finmarcada
vez mais. Para facilitar ainda a copcecucSn do fim que nos propomos, temos no noseo
itoos ltimos iguiinos de Pars, que recebemos por todos Os paqwtts, ts
iua<*s enviaremos para serem vistos as. iamilias nossas freguezas, aflm de escblherem,
o padro da fazenda o gosto na forma.
tabeleciinento, ha igualmente os ngurinos
m.
Jpaeseotamos pedindo a proteceo do Ilustrado
convidamos s exce'lentissImas'Sras. a visi-
aren ootraxem. nelle pelo menor preco,possive-
U)do qo
; fazendas eamostras onde forem pedidas, visto
lado quanto temos.
Joao Luiz, Strwto-A-C.
Aberto dft$ 6 s 9 horas da noite.
ftfmti do Crespo a. l
Os prasmattlios desie bem cooli
eBHit : un flos muito? oDjeclos que
Mtlos % apfteh^ao do respeiuvel pubtl
aram vn^WKabam de reeeber peto ulli
da Europa um completo e vanado sorn
Iqjls e mu Osticadas-especialidades, as q
tao resolvidos vender, eom de sea <
por prest iMlo baratinho? e conimoda pira to-^
dos, cum*4tattt]u o Gallos^,
Muito apelares tonas de Mtica, pretartrau-
eas 6 ''"ointlir'4'" eros.
Mu,i boas e bonitas gnilinhs e punnos para se-
nfeor, neMt^e^ero otjue hade mais moderno.
'"prii-iorespentes de tariap^a
"dos e rlqniasimas eofeais para tmajtas
senhoras. .a
raneas .pjpctas e de edraHI vi*t-
sem elrtH; esta Iazend o\qgBA haw-
de elher^mMs bonito.
Saptreaaai bonitos 1
oarim, sndalo e oeo, s
coentindos desenhos^a.estes
Maitopaneros meias ti
ahara?, as .quaos sempre se
a duzia, ealreUnto qae nos
alto destas/ temos taobem
oujras quSlidaoes, entre as
finas.
Boas bjalas da .superleT canna da laia e
aatao de marmn comlindafie encabtadorijijfigu-
ras^o mesflRfjieste enero o que de mApr se
pode dcjar ; alm^estas temos tambem Jfcuide
(iiiaatidade de tfutras-qualidades, como sijmiia-
deira. baWa.eseo, borracha, etc. etc. etc. <
Finos, bonttM e airosos chicotinbos de cadeia e
do outraa ^saudades.
Lindas e superiores ligas de seda, e borracha
parasegurar as meias.
fiaos meias.de seda para setmora e paMnoni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Lscjsfaamra4e-
deram porSOiOOO
vendemos por 20*,
nde sortimento de
es alKumaajnuito
,!guma,jni]
(i'raDdeBpiZi Hi de ramidas rronpas fei
82, prla larA de Paredes Porto.
te estabalecimento encor^aMo respeitatel publico um_
de roupas^e todal as qaalidadas, iulitdB-de alpaca a U, 35SO) aU Bl
merm, los de casemira de cores bonitM gostos a 8f. 64 id t Me iw> fi
sacos e sabrecasaces.' Ditos o> brim par# finos e ordinarios. L
3coi%
or
Novo^^^H
de cor de 330a a 806. Ca,
brancas ftflodas as qualidades^ ditas de
de cor e itata de Al. U. M-* ASS.
barato. Completo ortimeato de ca anisas
urna. Sortimejto debroslas (ranot:
Gravatas^toaatas) oviiimo gosto a toJ
&OUPAS rlttA MENIN68.
^ jsncjfrega-se de qoaaaquer obri de encommenda tanjo para homeja, como
rata, i** meniaps, e cdm'bnavidado, porissoMie tem um bonito sortientp de; fMepdjs df
Wa^N^aniiV todas as |eaB9ades tanto em oasemirts
zendas
de brim de cor finas, anUfjias, d%
jm pardo fino e ordinario, ditas de atmm
letes de todas as qualidades e
incezas de algodo ede linho
algodo. de linho e bramante a 4d 2*W0-
os precos. Meias sortimento complato a 3d
bartiaaa.
-m
>A
Bramentes de II palmos do larf
Ambraiae dercr e eranof.
Alpacas de todas as cires a 6\
o brins, pannos fiaos e otras raritas la
iiifi' mn
ISDA8
ra a4i>800omelro.
. te
oovado.
. 0s.
Poil-de-cnrre com lista de sedarfazenda de goto a 10200.
85OO0.
a 380, 300 e 360 rs,
le 9-JOOO.
5500 e 6W0.
Basquine de guipare enfoitad
Sortimento de caitas escuras e
Madapoln fino a 60500, ffi, 8,
AlgodSo j?eca com 29 jardas a
Beca de aigod3o largo a 735005
outrasmoitas fasendas que
feita que se est Hquidand* n loja ra
LESO DA
.
Navalha cabo de. mariim e tartarapa para
teerj
liarba; sao muito boas,e de mais a mais sao g. HHH JKHM
ranttdn* pelo fabricante, t nos' por nossa Vei tam- f
bem asseguranii-'s sua [oaiad e delicadeza.
Lindas e bellas cpela f ara>'noiina*V
Superiores agulhas para: machina para c
Linha muito boa de peso, rro'uxa, para ei
labyrintho.
Bons haralhos de enras para vatarelf, aasim fek
como os testos para o rws^^Hii^fl
Grande e rabiado sewtted*e dwiwlhorfs^w-
fumarias e dos melhores e mais cenaeddos per-
fuaiistas. ., L,
COLARES DE ROWt. {'. tfl\
Elctricos magnticos contra "as convtitsaea. e
facilitara a dentico das innocentes enancas. Se-
rnos deede muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continoanlos a recebe-los por toaos os ,
vapores, afiji de que nanea foJtem no mercado, miKrosKOpe
eomo j tem acontecido, assira pois poderao aquel-' ajiftjsehen. Objetiv Lin- ^ \*~)
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo sea. .eMa*tv*i._N.
vigilante, aonde sempre ncontrarao destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se renderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos abjeetos croe deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis aloja do gallo
vigilante, raa do Crespo n. 7.
enCadonho mencionar Chegnem roupa
Imperatriz n. 52 (junto i loja de ourives) do
RTA LARGA
DE
Paredes Porto.
Barmetro e termos
metre.
e reuumeure.
Centigrade
Machinas vaporde
forqa de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
".Machinas de faco e serrotes para Vs,
ro^ar algodo.
Bataneas para armasem e balco.
. >.,
y
E crystal de rocha do Brasil.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de
ie'.d.
Preos para copiar carcas.
Fogo americano patent
Cal nova de Lisbou
rbegada no ultimo navio : vende Joaqun)
n.t.iua da Cruz n. 8. 1 andar.
aiiV'N
NO BAZAR DA MODA
DE
JGSt M mi\ S.QABES k c,
Ra Nova
VEKDE-SE MUITO BAR4T0 PARA LIQUI-
DAR A D1MICIR0.
De pelica branca muito frescas, ebegadas
por este Ultimo vapor para hoioens. sechu-
ras e de cores e pretas para meninoso
par 2,5000.
Minhas festas!!
Lindosobjeetns para minios, como sejam:
Estojes e caiiinhas de mirsica, bolcinhas e
sestinhas, vasos e balinhos de porcelana
dourada, figuras, linteiros, port-bouquet.
caiiiohasparajoias, interesantes concfiinbas
com frascos para excetfeias. ricos quadros
para retratas, appareihos de plaqu, cama-
feo e madreperola, lindos vasos com perf
moras etc. etr, e mullos ouros object
para este fim.
Chapea** de o n omlrfn^R de setim ricampnte enfeilados e mais mo-
dernos que pode baver para sejmpras *
I4& 16^ e 185000.
GUIPURE OU CROCHbI 9 \ I
preto ou branco que o pode baver de mais
bonito em padroes e superior em qualidades
para casacos, capinhas, corpinhos, meias
saias etc. e vende-se muito barato."
.LINDAS CAMELIAS
brancas e cor de rosa de dous taraanbo
cada rosa a 4 ,$200 e 1,5500.
Chapeos pas*a senhoras,
de palba fina de Italia elegantemente enfei-
lados e gostos maito modernos de 15G00.
vende-se para liquidar a i05000. E' pe-
chincha.
<4Z G4Z AZ
Chegon ao antigodeposito de Henry Forster.A
ti, raa do Imperador, om carregamento de ga
de primeiraqnaiidade;oqual seveadeem parttdaf
e a retamo por meaos preco do que em oatr* qaal-
aner parte.
F. 5. Gel'nsaaa. recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa
dos; porque, com esle- vidros, a vista descanca, fortifica-se e nao a canea como com
os vidros ordinarios., Urna vez escomido um vidro, pode durar" dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinario* se est obrigado a muda-Ios todos os annos eoster
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do lbo e determina quasi sempre d-
j res de oabofa. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do lbo, e,
" todas as vezes que o objecto esl mais perto ou mais lo age, os raios que expelle sao
mui convergentes ou mu i divergentes e a viso i:o perfeita. Um grande numero de
pessoas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a visao nao distincla.
Com a appeac de meus vidros pdese vencer estas dilfkuldades. Para os que tem
a vista curia e cujo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
longe), o que se chama rayo pe, por meio de um vidro concavo affasta-see ponto de
vista, o que faz divergir os objectos e detxa ver to longe como as outras vistas/ Quan-
do o crystalino muito chato, o que succede aos que tem hegado a urna certa idade,
o que se cliama presbyta, vSem melhor de longe que de porto, e nao enxergam sen5o
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarao
tac distinclamenle ('orno na idade de 15 annos. Servindo-se desles vidros quando b
Nista principia eufraimecer, previne-se o mal.
F. Siernaanu eiv.arrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a es
colher. a primeira vista, soja qual for a Hade egro de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Para a vista myope, (vista curta). Para avista que nao supporta os raios
Par;? vista que se cobre de nuvens. I solares nem grande claridade.
Para a vista que por momentos, \ cs-
voai;ar pequeos pontos negros.
Para a vista que as paipebras tremem
de fraqueza,
Para a vista que os olhos sao desiguaes.'
Para a vista que se tuna com o traba-
lho e a leilura.
Para a vista presbyta (vistagalon ).
Jos
ai
geral ede
. nao
*T
Em dita loja encontrarte' m
ifreadotes do bom:
Agua divina de E. Condray.
Dita verdadeira de Morray 41
Dita de flor da tarasfeiraa.
Dita dos Alpes, TioMn pan i
Bbxir odoatalgico para
useioda bocea.
Cosmetiquesdeanperiori
ros afradaveis.
Copos e latas, maiores
pomada fina paxa cabello.
Frascos com dita japoneza,
a outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americana*
(rancezes em frascos simples e enfeitada.
Essencia imperial do fino e agradaba! I
;o de violeta.
Outras concentradas a de ebeiraa
mente finas e agrdate.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior
com escomidos cheiroe, em irasco
rentes tamanbos.
Saboneles em barras, maiorasa
para maos.
Ditos transparentes, redondos a |
ras de meninos. #
Ditos muito finos em caixinba
Caixinhas com bonitos saboneta i
fructas.
Ditas de madeira invernisada conu
aa perumarias, muito proorias yara ps
entes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, m
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, a 4
moldes novos e elegantes, eom pie
i boneca.
Opiata ingleza e franceza para irruas
Pos de camphora e outras di:
juaiidades tambera para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada avala calatea.
m outro sortimento de coques
- os e bonitos moldes com filets de vidria
> alguns 'elles ornados de flores a Ata
dstao todos expostos i apreciaco de oaast
is pretenda comprar.
GOLLINHAS EJ'UNHOS BORDADO*.
Obras de muito gesto e pereicio.
Flvellas e fla para ciato*.
Bello e variado sortimeno de taes oajat
tos, ficando a boa escolba ao gosto do cas
ondor.
KAPfi~POPjlJril
DA
FABBfA NAiJOVAI DA lili
DE
Teixeira Uldimco$C.
Acha-se venda ps?e ptimo rap, naiew ta*
pode suppnr falta do princeza de Lisboa, pora
de mui apradavel perfume, viajado, e a pear*
mais mdico possivel ; e por bw tea .
acollado cas pracas da Baha, do H el
em outras di, .mperio : do escriptorio 4^
Joa' Goncalvcs lieltro, a roa do Cmasete
! mero 17.
de &
Para a vista operada da catarata.
Para a vista quo as paipebras esio cer
cadas de saugue.
Para a vista que um dos olhos myop
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
f do olho se cobra de catarata
Sortimento
para tbeatro,
de binculos
e oculos de

alcance para o campo e m-
rinha. a ub_M ;$'i+]k.
Lunetas, pioce-nez e
t'ace--main, ouro, prata,
tartaruga, blalo, ac,
. Tm tafcbemrand^ sotiimnto de 4r^ogos pa* ared<*>}tm do hor^t e para
mesa dosjnais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prata
a. inglezes^uissos. e orisonlae* dos meUytres e mais afamados fabri-
oaso e a retalho. Km Pernambuco. |a
N.21=Rua Nova. 21.
y ///. /jii u
Candido Alhel Sodr la Sl-u.-i fL, mm
esrriptorioe armasen aa di HiSri a>
Dos r. l'i ii'iii jara vendrr tepaaSi :
Cemento lVrilaud de 1' quaiid;:de R>etlMr qm
tem visdo a mercado.barricas de iSa li arruta*
por tOOilO.
Vinho Bordcatix das- segointcs in'liJiii
St. Jni'an.
Froqaac
Lonr.ant.
St. Emilion.
Marsn>.
,Ch. teao de Coycherel.'e.
St. Lamber!.
Lnlmibere.
Hiiplissi.
Cauor.
Dearsesai.
Vinho do Porto qualidade mmio esp^eM.
Azi i'1 ddee n'linado em eaixas oV te nrr^a
Vinagre superior em garrames pnrnnuu.
Farelo hamburguez, taceos le !M) Natis, mt
6*000.
Farinha de trigo de superior qoaliika.
llarris eom aleatro, de arcos de ferr\
Fumos de tudas as qualidades.
ueste etabeledmt-nto rm lats, rotos e i
Papel de todas as qualidades,
sarro*.
"...:-----------a----------
Chegou hoje
lodepeodencia, roa
farinha da trra no ahrtazem
do Ranpel n. 3.
rnido
Tcom cascas de
Para costura
Vende-se tima linda machina de trabalhar
i*3o, do acradilado autor Vv'heeler 4 W'iNou, nova
e m perfeHo iwtad* *na raa da tmperatffe, toja
D.44.
Milho e arroz de casca
Vende-se milho c arroz de casca em saes, no
trapiche da Companhia : a tratar no mesmo com
o caueiro, ou na roa da Cadeia, casa 1, aegon-
io aedtr. ________________
Vende-se quatro pretos de meta idade e urna
mulata ra de Hoft n. 90,
, eminentemente tnica'e-ferifago detener
prsj)aiag6es de quina. I
maanete empregndos na modiciu preparante
quina, cuja riqueza em principios activos extremamente
urinal; parte disso, em razio de seu modo de preperaclo, estes vinhos esa- i
tem apena vestigio* da prineipio ctifos, e em proporoSeB sempre variawis. "
O Qmimlun Labarraque, approvado pala Academia de medicina, con.
titue pela contrario om medicamento de composicao daSjnmnada, rica em
principios activos, e com o qual os mdicos e os doentes podem sempre contar.
O Qusdam Labarraqfce ] redi*a> N graniaefto s pessoas fracas,
delibiUdas, seja por diveSss rUHlmaitateento. seda por antigs moles .
^|^0>t1,'to ttigdostr ma rpida reseenca, smeranas qni tem diflf
andada emae formare ssanolvef; a aminores depois dos partos; aos reinos
enfraquecidos pela edade ou deenca.
No casa de chlorosis, anemia, edrta pdldas, este tm&e um poderoso
a dos femgmoses. tomado junto, por etempto. com
?. Mba dJMt. ftafrilhossa, |Ml na aapiaV ^
Bsposlto a* taris, L ITUS1E, U, raa
HfclM4% BOW>waiIfcLI; CatfOLOT. Ptnumiuo*, MACEE* ot O
as pUwlas da
0 verdadeiro'portland. s> se
ma da Madre de Deus n. 22, i
Joo Maitins da Barros.
Caivn Flal do Harneo dm
sil em Pernaaafcsieu. .na Ifspaf-
ilaeo 25 de Janeiro de 1H7+
A .Caixj filial vende o grande e exrtksra-
te sobrado silo ;i ra Imperial n. 64,rsm
acconiodarces [tara grande familia, etaas-
bem vende a casa terrea contigua n. tiS :
tratar na mesm caixa i roa do CuaaaaaBw
cio n. 34.
TASS0IM4SC.
Vendein em seus arinaiens, caes d Jsmla
n. 7, Escadinha n. i e ra do Amorim a. 27,
seguintes peneros :
Ac de Mllao.
Milho em saccas grmdes.
Farcllo em saccas de 90 libras.
Chombo de munieao surtido.
Metal amarello para forro de navioe.'
Machinas para descantear algodo de ll. Me
serras.
Kerosene em latas de 3 gales.
Champagne do afamado fabricante Krng.
Hormouth.
Vinho do Porto engarrafado.
Coac do afamado fabricante Gantier Krastaw
Fogo da China, caixiahas, 40 cartas a. 1-1
Genebra ingleza Od toni
Cimento Romano.
Cimento Hidraulieo.
Cimento Portlaad.
Gessoparaesluques.
Cannos de barro para esgotos.
Gradeamentns de ferro para jai
Carros de mao para senrieos da
Garratoas com 5 galoes do riaaare Unto,
dem com S galoes de vinagre tirio.
Chombo em barra.

ial para Irmas
Em porcHo e a retalho, mt*n o >isimmai
de piantis e mu cas 4o Azoveda, roa Sea asa-.
mero II.



i
Diario de Pernambuco Sabbado 5 de Fevereiro de 1870
->
l
11
J
i
i
I'


/

M ''!'
i DINHEIRO HA LOJfl E ARMAZEM
w>-ama & aBUMaaiia'ao. 0iSg&*
DE
FLIX PEREIRV DA.efODLTA.
O proprietario d'este grande estabelaci meato, vendo qwe se est aproximando o fin'
lo anno, e tendo em ser uim grande deposito deposito de fazeodas; nao fallando em
raltadas encommeudas que Ibes estao ohrigado todos os das, tem resolvido liquida-
las porpreco muito mais baratos do que em outra qualquer parte ; s cotn o flm
le ditninoir o deposito e apurar dinheiro. Encontrase neste estabeteeimente do
HVAO, avultado sortimento deiazndas de luxo e modas; aseira como de prameira
ecessidade. As pessoas que negdciam era pequea escala n'esta loja poderlo surtr-
epadendo-se-lbes pelos, precos qae compram, n.s casas oglezas; assim como as ex-
ellentissimas familias poderao mandar buscar as amostras de todas as fazeodas, oo raan-
4ar-se-ua levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento- se
cba constantemente aberto das 6 horas da maaha s 9 da noite.
Crochs Dar carieiras
6o
* tyttlMABO
TI'
Esplendido sortimento de
roupas feitas
NA, LOJA DO PAVO RA tk
IMPERATIUZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
jrtetamente sorido das melhores roupas,
aesdo calcas pautte e coletos de casemira,
de panno, d* brim, de alpaca, e de todas
a mais fazeodas que os compradores pos-
tad desejar, assim como na mesma loja
em lira bello sortimento de pannos casemi-
para eadeiras e so fas
O Pavo tem ura grande sortimento dos
mais bonitos crochs proprios para cadei-
ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
como proprios para cobrir presentes, e ven-
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte,
GLACE' A 1:200 PARA VESTIDOS
O PavSo tem esta nova fazenda lisa pro-
pria para vestidos, com as mais delicadas
cores e com mais lusfre do que a propria
seda com 4 palmos de largura que facilita
Quaodo a AGL'IA BRRiNGA, mais precisa sclentificar ao respeitavel publieoem
eral, e em particular a sua boa freguezia, da iairaeusidade de objectos que ltimamen-
te tem recebido, justaoienteJquando ella menos o pode fazer e porque essa falta invo-
luntaria ella coolia e espera na benevolencia de todos que Ih'a atteudero e relevarn,
conuomedti portante a dirigirera-se a bem conbecida I. ja da AGUIA BANCA ra do
Queimado o. 8, onde sempre acuarfo abundancia em sortimento de superioridade em
qualidades. modicidade em precos-e o seu nunca desmeottido AGRADOE SINCEBIDADE.
Do que cima lica dito 88 coahece que o tempo de que a AGUIA BRANCA pode
dispr, etnpregado apenar daseu^fiustusaodesempeeho de bem servir a aqueles que a
honram procurando prover-se era dita loja do que necessilam, entretanto sem ennuine-
rir os.abjectoS'qua por soa natureza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aqueles coja importancia, elegancia e novidade os tornam recouimendaveis, como
bm*eja
ras, bros, etc. etc. para se mandar fazer fM(?r.se qua}quor vestido com 10 corados
^wflqaer peca de obra, coma maiorpromp- e vndese pelo baratissimo preco de 1:200
*dao a vontade do freguez, e nao sendo 0 COTado> pechincha.
toncos a acceita-las, quaodo nao estojan ALGODO ENFESTADO
completamente ao seu contento, assim como i Vende-ee urna grande porcao de al?od9o.
-a-aste vasto estabelecimealo encontrar o sinho americano com 8 palmos de largura
apertrol publico uro bello sorUmeoto de nroprio p^ teB<.oe8 e toa,has iMn ,Pftrt
omisas francezas e inglesas, ceroulas de
.inbo e algodo e outros muitos artigos*
proprios para homeus e seoboras promet-
odo-se-lhe vender mais barato do que era
mtraqualquer parte. "Na ra da Impera-
aiz n. 60, loja e armazem de Flix Pedi-
r da Silva.
Pechincha a 2^000
Para lenrjes.
Na loja do Pavio vende-se tneeridr bramante
com 10 palmo* de largura, daido a largura o cara-
orimento do lencl, >endo apenas preciso para
iada lencol um e meio, oujm e um quarto nie-
tos ; alm desta aplica^o tem outras mhita
;tara arranjos de familias o vende su polo barata
preso do 20600 metro Na loja do Pavfw, ra
a Imperalnz n. 60. De Fel Pereira 4a Silva.
Gangas de Itabo.
Vende-sc gangas de linho com qua lrinhos
muito boa fazenda, para roupa de bomens
^ meninos b vende-se pelo barato preco de
400 rs o covad":
PECHINCHA EM PAX'O PRETO A 2:400.
O Pava* vende superior panno preto fino,
para pallitots, calcas, colletes etc., pelo ba-
ratsimo preco de :406, o covado, gran-
de penhincba.
'ores de caseanira prca* a 4&00
O Pavao vende os superiores cortos de
i^emiras preas enfestadas, pelo barato
preco de 4:500, pechincha.
PARA 0 CARNAVAL
Verhntlua a40 rs.
4i Pavo vende bonitas verbutinas de co-
ros para dminos e utros trages de inas-
',aas pelo baratissimo preco de GiOors. o
otvartOi
PECHINCHA, ALGODOSINHO A 4;000,
O Pavo est vendendo pecas de algo-
dosHiho franeez, tendo 4 palmos de largu-
ra com 11 metros cada peca, pelo barato
* preco de 4d000.
I*cea* de madapolo a 3:.00.
O Pavo vende pecas de muito bom ma-
kjtolo tendo 12 jardas cada urna pelo ba-
rato preco de 4:500.
GROSDENAPLES PRETOS.
Chegou paia a loja do Pavo um grande
ortimenio de grosdenaples pretos, tendo
da J 50'j at 5i$0O0 o covado neste genero
>s melhors e ma s largos que tem viudo ao
aereado, assim como bonitas sedas pretas
avradas, irioirelitiquesetc., todas esias fa-
zendas, vondera-se mais barato do qne em
rotra qur.iquer parte, por ha ver grande
j&rco.
PERCALLAS E CHITAS BARATAS.
i) l'avo vende um grande sortimento
ilas mais bonitas chitas claras e escuras, mais
barato do que em outra qualquer parte.
cassi* a I rs.
Vende-se na loja do Pavo bonitas c?8-
sas de cores fttas a 240, 280e3OO rs. o
invado.
Canhraios brancas a 4:000 a pera.
S o Pavo vende pecas de cambraia
branca transparente, tendo mais de vara de
argura, com 10 jardas cada peca, fazenda
pie sempre se vendeu a 7(51000 e 84000,
iiquida-se pelo batato preco de 40000.
Alpacas brilhanteK a i*, eH(M.
O Pavo tem o mais bello sortimento de
alpacas lavradas com as creB mais delica-
das que tem viodo ao mercado e lando bas-
tante larguaa, vendem-se pelo barato preco
.le IdOOO, e800 rs. o cotado.
Tfleriao de cordio
Vende-se marin preto de cordao pro-
pria para calcas, palit >t, e colletos, pelo
baratissimo preco de I 000, o coaado,
AS POPELIN^S DO PAVO A 300 RS.
Chegaram as mais lindas poupelinas de
15a com imitac^o das poapelinas de seda,
mi fazenda muito leve com as mais lin-
das cores, sendo: verde Bismark, rxa, azol
!yrio, c nsento, perolla etc, etc, e vende-se
pelo baratissimo preco do 800 rs.
BONITAS UASINHAS
00 ANADNAS A tjWOO RS. 0 CWADO.
Cbagob para PavSo, om grante e va-
riado sortimento desta nova fazenda de laa
j seda propria para vestidos, cotn os mais
Helicados desenhos emais modmas cores,
tondo bastante largura qne facib'ta fazer-se
im vestido com poneos covados, pel bara-
ssimo preco de iiJOOO o covado, por j es-
tarera muito prximos da testa.
COLCHAS DE POSTAO
Na loja do Pavio vende-se mn grande sortimeo-
to 4e colchas de fasio sendo 'brancas e de cores
*iu.s 4e croch pan mas'de noiva, assim como
bonitos danwicoB de lia para colchas.
proprio para teBces e toalhas tendo liso e
trrucado que se vende por preco mnito em
conta.
anos de linfa
Chegou um grande sortimeuto de pecas
de panno de linho do Porto que se vendera
de 700 rs. at 1,5000 a vara, garantindo-se
que em fazenda de linho n3o ha nada me-
Ihor, nem mais proprio para lences e toa-
das.
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegoo um gra?de sortimento dos me-
'hores chapeos de^ol de seda, inglezes ten-
do nesie art go o melhor que rem vmdo ao
mercado assim como urna grande porc3o de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em octra qualquer parte, por baver
grande porc5o.
i neos brancas
Vende-se um grande sortimento de len-
cos brancos para homem, sendo a dozia a
15600, 2/J000 e 3-5000, ditos abanhados
muito litios a 4 e 65000 a dozia, ditos de
estruio fazenda muito superior a aj, 5 e
7,5000,
Os balSes do Pavao a 2^000,
Cheg u um graode sortimento de balees
ou creoolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados qua se
vende pelo baratissimo preco de 2000 ca-
da um grande pechincha
Fustoes traucos para vestidos
Cbegou um lindo sortimento dos mais ba-
ratos e bonitos fustoes brancos com listras
e cordes, sendo fazenda bstante larga e,
flexivel, muito propria para vestidos e rou-
pas de meninos e vendem-se a 640 o co-
vado.
CRETONES MATISADOS PARA VESTIDOS
A 640 E 800 RS.
Para a loja do Pava chegaram os mais
bonitos cretones escuros matisados. pro-
prios para vestidos, roupao chambres etc.
que se vendem 800 rs. o covado, assim
como a mesma fazenda em padrees claros
proprios para vestidos e roupas de meni-
nos a 640 o covado, sendo os padrn mais
moderaos que tora vinpo ao mercado.
. M M MIL COVADOS DE
LAASINHAS LUSTROSAS A 400 RS. O CO-
VADO.
S o Pavao
Vende-se um grande sortimento das
nais modernas e alegantes I5asinbas para
stidos, com as cores mais novas que tem
/indo a este mercado, 6eodo comlistriobas
miudinbas que parecem de urna s cor e
:om tanto lustro que imitam perfeitamente
is poupelinas de seda, e vendem-se pelo
aarato preco de 400 rs.
0s8etm8doPavo
Vende-se os mais bonitos setms de cores
s mais encorpados proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
AOS PALITOTS DO PAVAO A 184 e
20d000.
Vende-se um bonito sortimento de palito-
& francezes sendo, sobrecasacados e pro-
jriamente sobre-casacos, que se vendem
errados de alpaca a 18*000 a forrados de
teda a 20*000, pechincha.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavio.
Encoctra o respeitavel publico neste estabcleci-
aento nm grande sortimento de fazendas pretas,
orno sejam, cassas francezas e mglezas, chita*
retas de todas as qualidades, fazenda de lia de
odas qne tem vindo, proprias para loto, eomo
>ejam, lazinhas, alpacas lavradas e lisas, cantao,
mmbazinas, merm, etc., qne todo se vende por
#weohamto.
Vtadapolfto france* a 7 Vende-se pecas de mdapo^o francei
om 22 metros pelo baratissimo preco de
TOOO a pega, pechincha.
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade dtt molde e perfeico de ador-
nos < s tornam apreciados.
hitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito sepoderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao massar o preten-
derte se Iba apresentara o que poder de
melhor
ntremelos em peca? de 12 tiras.
Gaipare branco e preto dedwefsas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodSo com flores e lisos.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.,
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Graode e constante sortimento de dita,
sempre melhor quajiade.
Lindos vasos, com p de arroz e pinsel,
Caixinbas com ditos aromticos.
Ronitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Ronitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de raadreperolr.
Caivetes Anos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para balo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um macliiuismo
O Campos da ra do mijllrador n. 28
no inturto de servir atislatori mente ao.-
seus innumenveis amigos e freguezes, em
particular e em geral ao respeitavel publico,
desta cidade ; avisa aos que fstiverem pas-
sando o tempo calmoso, nos delt-itave*
arrabaldes desta capital, que tem resolvid<
vender, de de superior qualidade, a pr^co.-
razyaveis. os seguintes gneros a saber:
PARA CJMA DE APARADORES
Latas com doce em calda de diversas
qualidades nacioiiaes e estraogeiros.
Ditas com peixe a saber; salmn, ostras
e lagostas.
Djtas com ervilhas francezas e portugue-
zas.
Ditas com gda franceza.
Cerveja franceza verdadeira Bobee.
Presunto para fiambre e alambrados.
PARA DISPENSAS
Latas com chouricas novas sendo de 8(5.
cada nma.
Presuntos de Lamego para tompeiro.
Cuias do Par (pintadas pelos indgenas
daquella provincia.
Copos de vidro com dobradica e tampa
para diversos mrsteres.
PARA OS QUARTOS DE DORMIDA
Porta-phosphoros cheios de phosphoros
de segnranca.
PARA SALA
Churutos de S. Flix do afamado fabri
cante Costa.
Fumo picado do Daniel de S. Joo 6o
Rio de Novo.
Alm desses gneros, o Campos tem con-
viccao de que o seu estabelecimento um
dos que podem satisfazer com garantas as
exigencias bem entendidas, dos Ilustrados
habitantes desta heroica provincia, porquan-
lo su acba elle bem prvido de gpneros su-
periores, de maneira a n3o desmentir
0 Campos.
Veos de seda para chapefinae monta-' **".* s^tituem as outras
na.
Meras de seda para noivas.
Ditas abertas de fio d Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixiuhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
. Boas de borracha para brinqueo de
Tonquinhas de tilo, sapatinhos bordados criancas.
e meis para ditos. Diversos objectos de porcelana, proprios
Caasinhas bordada* para
I para enl'eite* de mesa e de lapinlias.
SORTIHEMO PARA A FESTA
Vende-se por menos de 10t 20 e 30 #o
BRACO
N. 33Largo do Terpo.N. 23.
DE
santos a e.-
Os proprietarioe deste bem sortido armazem de secco e molbados esto re-
sol vides a i'azere urna grande diminuigao de precos as suas mercadorias, como se apro-
xima a festa e sempre se fazem avultadas compras para o centro e praca, por
isso previuem ao respeitavel publico em geral, qae mande fazer suas despencas e cer-
tos deque vero a grande differeoca em precos mais do que m outra qualquer parte
e garaatiado-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO i 9*500 a lata, e 440 ( SEVADINIIA E SAG 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 660 rs. o litro. 620 rs. o kilogrammo.
VINHO VERDADEIRO FlGUEIRA 560' FARINHA DE ARARUTA VERDADEIRA
a garrafa, e 4*500 a caada e 800 rs o ti- 640 a libra e 16400 o kilogrammo.
tro. BOLAX1NHA INGLEZA MUITO NOVA a
DEM DE LISBOA das melhores marcas, 400 rs. a libra e 800 rs. o kilogrsmmo.
illas novidades en sedas
Chegou om graode sormqpto da6 mais
JMideroaa poupelinas ou gorguroea de seda
\ linbo com os mais elegantes padrea qae
em viada-a este mercado sendo, itrios e
(raados, tanto em cortea para vestaos como
jara vender em eoMgjlp, aasim md*mw
xmito sortineoto das mm rnaitar oaairr
stradas qae se vende tudo wto em ota
CERA DE CARNAUBA.
Vende-ae eau grande poroo de cera de
}m saceos por preco bkms barato
oolfa qortqoer: na toja do*
Imperatriz n. 50. Da Potx
da Suva.
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 26800; e
36200 a caada, 660 e 720 rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 4000.
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 16400,
16800 e 26200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 76 a caada, e 16346 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 16400 e
16280 a libra, 36060 e 26780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 960, 900 8 850 rs.
a libra, e 26100, 16980 e 46860 o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a li
bra, 16220 o kilogrammo, em porco se
Cara abatimento.
BANHA DE PORCO DE BALTLMOOR
720 rs. a libra, o 16560 o kilogrammo, em SOOj-s. a garrafa.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso, em caixa ba abatimento.
I PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANZA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
36200 e 66500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 16280, 26500
36500,46500, 56500 a lata e a re taino e 16
a libra.
GOMMA DE MILU0 AMERICANA 400 rs
o masso, e em caixa ba abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SER VEJA INGLEZA MARCA II 56500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS
BELL, i 800 rs. a garrafa e 95 a dnzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 16500, 16200, 16 e
. Ra do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento encontra-se
diariamente um variado sortimeuto de bo
linhos para cha, pastis, podin>, bollos in-
glezes, pes de l. presuntos, ditos tm fiam-
bre, superior che Hysson, preto,,e miudi-
nlio. Vinhos tinos de todas as qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, fructas muito boas, por-
tuguezas e francezas.
Um completo e variado sortimento de
caixinbas de todas os gustos e precos para
mimosear senhoras, estas caixinbas recen-
temente chegadas de Paris sao de primora-
do gosto, offertsse-mo-las aosgalanteadoies
do bello sexo pois nellas acharo nm digno
e serio presente para as donas dos seus
pensamentos. Tambem os apreciadores d>
boa fumaca encontrarlo charutos dos me-
lhores fabricantes da Babia e de Havana
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Dooes d'ovos seceos, christalisados e t
calda, ditos de caj e de outras qualidades
Nesta casa recebem-se encommeodas para
bailes, casamentes e bapUsados e qualquer
encommeodas avulss, como seja p3o d- lo
e bollos enfeitados e outros muita.s couzas
que enfadonbo mencionar.
Elle um preventivo seguro n certo eotttn
a carvice,
Elle d e restaura forra e anidarle a patt
da cabeca,
Elle de prompto faz eessnr a qiieda,prem>
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lustro om tr-
bellos,
Elle doma c faz preservar os ral;
qualquer forma e posiclo (rne se fie-
n'um estado formoso. liso e wtm,
Ele fazerescer os cabellos bastos r.-
pridos.
Elle conserva a pello e o casco da cAa i
limpo e livre e .toda a esperte >l<> cm
Elle previne os cabellos de m tornaros.
brancos.
Elle eonsena a cabera n'um estado de (*.
cura refri?erane e agiailaret.
Elle nao demaziadamente oleoso, gord;-
rento ou pegaifrfo,
Elle nao deixa o menor efcelro desp
davel.
Elle o melhor e o mais nprasivel si i
para a boa conservarijo c airanjo I
bellos das senhoras.
Elle o nico artigo proprio pan < pei-
teatlo dos cabellos e botes dea
res,
Nenhum toneador de senhora se pd^
siderar como completo sem e
0 CVRELLO.
Touico Oriental
o qual preserva, limpa, fortifica e aformo>
Acha-se a venda nos estabelecimeoh "-
A. Caors. I. da C. Bravo A C. P. Maurer
& C, M. Barbosa, Bartliolitnieu d C, e
todas as principaes lujas de perfumar'".'-
e boticas.
Vende-se euiicnhci hiitrella d'AIn, (J'*fm
no termo de Apup-Preta, eom ana lejuii i
ras ixHico mais ou mei>.-s, e e dnrrHo de enm ; tern Trm n-hertH. *< la>
ia< sao do prodarra superi'ir % iiuira* :r
as obra* do aigciih 'o iMMtaftVw, \e,\ \>-
l>'njoes para .-ai'rejar anuntaral i
superior a tres mlt pues. t m ptrlM -
enpenlio; venAMw tambem eom ti.va nfrj. .
eonvenraonar-se. a |nal se su[V snTi uiil pues : ,lisu da eslai;ii.(Apia fivui ^.ira ia-
de se depoMiain usi-siieare*, i ::
guas : a pessoa nue u prelend
ao inesmo enpnhn. a tratar enni n .ew i
rio o tfneiiie-eoronel Ju: Antonio >"raflto j ,
f s Carvalho.
Vende- a taberna sito un Hm .1.. C
Fone, n.S a tratar na inesnia. O ir
a o*comprador
Vendero urna unvillia Ri i
viava Vla sera, na estraTb vj i
Veudd-se por liaraiu |.
americano d!.-l sseytn .i fr.var na f;
Fkirentina. orDcina do Sr. Gn*j-B.
I

Vende se pulvora fina da muito ?<
tada marca P N C, em l>l>< (|c TO i
para cima, mais barato do fM tm -v.
qua'quer parte : em casa N- t"n tk
C., roa do C<rrio n. V .
Acha-se expalo a inajifa em tnUs a
livrariaso almana.k desta provincia f&
preco de W flo.
porcao se tara abatimento.
ARROZ DO MARANHAO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
3,5400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 6<$000 a arroba.
CAF EM GRAO 64 o 6*500 a arroba,
200,240 e 260 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se fiara* abatimento.
SABO MASSA 240 a 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
IIASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a librare
14220 o kilogrammo.
BOLACHINHAS EM UTAS DE DIVER-
SAS CUALIDADES, bem come parola bri-
lhaQte,combmation, Francy-cracynel, mixed
Britania. Mdium, Fancy-nic-oac, a, b, c, e
soda a 14000 e 15400, cada urna lata.
Assim como ba outros muitos
muito novas, passas e figos novos, charutos
GENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 70 e 6J a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
11)5 a frasqueira q \& o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
30UOO, 2J800 e 240D em caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISROA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e H (5500 a arroba.
LINGUIQAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS liOOO rs. a Uta.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TO a 1.5000 rs. a lata.
CHA FINO, GRAUDO E MJUDINHO
3.5200 e 2^800 a libra, e 60100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 20000,
20200 e 10800, rs. a libra,
gneros, vinho em ancoretas, aseitooas,
e diversas marcas, marmelada, fefta pelos-
ll
Resta venda uin escolldu sortimento de ob
(actos de raarc-ineria, eomo sejam, mobilias de ja-
aranda, mogno e amarello, obra nacional e estran
{eir, de apurado gosto e por prq^o razoaveis:
na roa estreita do Rosario n. 32. Nesta mesn
easa faiem-se com perfeico todos os trabalhos d
palhinha, como sejam, empalhainentos de lastro-
jara camas, cadeiras e sopbs.
Gal de Lisboa
chegada no ultimo navio, lera para vender Joa-
quim Jos Godcalves Beltrao, no sea escriptorio a
roa do Coromercio n. 17.
memores conserveiros em Lisboa, gela de marmello, pcego, ervilhas, em latas, por-
tuguezas e franceza, vinho verde engarrafado a retalbo, peixe em-latas, bem como
pescada, tainha, pargo, goraz, lula, corvina, vezugo, cavalla, sarda e sardmbas de Nao-
te*. Oaoella, cravo, ervaoce, cominho, pimenta, grandesmolboa de sebolla 10500.
Finalmente muitos outros gasaros que enfandonbo menciona-loa.
rr=3
-r,------r-

F.4RA A FESTA
53-Rua Bireita-^3
Sttfo' irattte estabelecimento, ha para vender
imbl*pfc9iieifnet!to4e'f*k.i^, e mkriAs
fina* e grossas, como sejam. bandeja eMtett
e oviees, rae arfes de 1 2 bo-

CEMENTO
PORTLAND.
Teade-e ao armazea amereHo de Vicente Fer-
rnd*fiarta & Prtfco, d^reeae e arco 4* Cob-
eeicao, ero barweaa grande*
Chegem pechincha.
Catttrt* ffefltezas de cores nraifc Unas
If tj* e aritrMk ilo Pvao tv* Aa Impeilz ri. 6B.
V
haut
8o,*> TertfeiK) w*>. wer a%eUa; atoa 4b ootree
lft*c4-
de ierra*
toe ov Tciiuva um iua uiirn* u. n tv H l6 3 D0F"
tas de Hanoe Beato de Oliveira Braga* C.
gem, mindezas cuiilariM jfiaaa, que
ta se veriflea ; na ra cfireita h. 53
_ a 240
400 e "OO reis a vara.
amito finas, a 940 o ovado e
fletas fazendas sempre se veade-
1 a vara : ra do Queimado n.
botteanova.
Attenpao.
_
Vendenrse dtras-oWrooai ero bom eetaSe o jon-
tamente dons bni para as mesmas : a tratar na
ra Direita o. 101.
Farinh de mandiocu
Vende-se farinha de mandioca nova e mniio su-
perior, ebegada ltimamente de Santa Catharina.
a bordo do lugre Margarida, fondeado Vfronte do
trapiche do Exm. Baro do Livramento ; e para
tratar roa do Ommereio n. 17, escriptorio de
Joaqun) Jo^ Goncalves Beltrao.______
VENE-Sl OU AHRENDA-SE a pro
priedadedenombada Barra de Serinhem.
do littoral da freguezia do mesmo nome
com grande renla da trra a wceber e mui-
tos coqueiros a desfructar ; tendo, alm
disto, a excedente e rara posico beira-mar
e beira-rio, inteiramente apropriada para
manter-se ahi qualquer estabelecimento
commercial de seceos e molbados: a tra-
tar na ra d'Auroran. 26, ou na do Impe-
rador n. 20.
Aiten$o.
Vendem- se doue carros com dous bois, em
bom esudo quera precisar dirija-se a roa dos
(uararapes n. 40.
AToP tfeir fc'J 0,liOflfiTti
W de um:( flicii'-iu verdark-inmiPnle mara-
vi'hnsn como cnln,airledosystomn nervosoe (
appcjido contra a r-raliwH, nsthme, lossf
convulsa ou roquelufhe,losse nernlesou en-
ligas auTocQof!, oatartbriF bron<^iiros,etc. i
a tinal contni lodos opsolfrimonlos das vi
rupiratorias, enaphtisicn pulmonar.sua vir
lude ccnlni o ttano ou espasmos, e convulgoe
inconlesiavpl o ntngem na que oilesronhec"
nico deposito, ru larpa do Rosa rio. n. 10.
junto ao quartel (le poHcia Pernambuco.
Con'inuedameote senosanresenlamnovo
lestemunhos daeficacia do fedegoso Pernam-
buco.
PILLAS, VINHO E XAROPE
\W 4HKIIHI Bt
f^nfton* ptw> *i*aicmmco
JOIQi 1M DE ALUniM PIMTO
As pr(-pame6esde5^i"iib**a sao hoje vanta-
osameete oonhecidfts e preconizadas |kx
mais habis medios, tanto da Kuropa como
do paia, pelaeuaeicasia nos casosde anemia,
hloroae, hyd ropesia, obstruccao do abdomen.
: lambem nosdemen3truacaodfcil,catharrc
ua bexiga, etc. ele.
Vondemae m porcao e a retalho na cidade
do Recite, pHartnaeia do seu compositor, ros
larga do Rosarle, n. 10, jauto ao quartel de
polica.
M*TO' PMABMACKTICO
XAROPE DE SALSA PARBILHA DO PARA
OEPRATIVX)DOSANGUE
Usadas ras molestias de Pcllc, impigens, dores
rhi'umaiias, e ntwras wnerras.
.UA LABA DO KOVillO. W. 10.
AttfncTio
Vende-se a taberna da ra <\ R.-inpW n
bastante atreguczaJa para a lt-rr:i r^rw pt
mato, propria para principlante ; mntt 4
venda se dir a Minpralor.
cogna:
m
De superior qualidade da inm accr
da fabrica de Bisquit Dubouch dC, er?
cognac urna das que mas a^u.ird^nt? .'
cognac, fornecem para o innsucuso d
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Tb. Just. roa ommercio n. 32. ________
Nova factura de Mm *s
Cestas bercos, condecas, ronpeiro- rosmieii*-
de todos os 'tamanbos :" a rna Direita n. 9, v^
de-se por menos do une em or qu^Ujo^r par.
Escrava.
Vende-se urna eM-rava crinla de i. tmm -
idade, de bonita Agora, rosinha hem e i-m i
principio de engoinmado, psr.i ver e tratar i..J^
na pretendenies dirigir-se a ru *. Apolk ;i -
armazem de axJbaoV. _________
VENDE SE ou mrmkrm rttpmm
S. Gaspar, silo na fregw-zia de Srriitft sr.,
comarca do Bio Fuimoso, pioxino do m
barque, com grandes partidis de psui i
massap i roda da moenda. maltes uun^o<*
para nadeb-a wrssaria, bom pasto, re
a Iratar na ra d'Aurora
Imperador n. 20.
n. 26, oo na >x
ESLAVOS FUCaiOt.
Aviso s aaloridadfs poliria*^
e a qoen competir
No da 29 de maio do coi rente aa* .
fugio o escravo Ezeqniel. choulo de 30 i!
anoos de^idade, estatura regular, reforcadi
cor bem preta. cabeca redonda, Uajava ss>
mi a azul e calca de rassemir* cinxeiiU
durante o da cosluma andar gaubai>do u'
ras, ou em armazens d- assiar wiwGr
berras a conversar e a beb^r; di raale a
noite recolhe-ee a telheiros abortos, ou p>-
netraveis, a cases em constiorco e a nutro
quaesquer lugares, onde se pos abrirr
quero o apprebeader tenba a boi44 de i
i onduiia a ra da Aurora b. 16. ou m d*
Imperador a. i; onde aera grafl ario.
Fu|k-*ngeion tarara d icnom 4> ?
znreth.oo dls tt As evrrraM, um rs4at r ms}-
Bernaed, escra*, com 20 um* V *ba>. p*+
ou nenburaa barba, fstaiors nrnhr. raMs nsa
tnr ido | ara o RetHfc tttessiasew
^ mullo rMa e qia*qfr sm>h
CMpuies de cenan, e mesa
lar, a anprebeoMo do dito
gnrane>,P"drnd sprrnnetUi se *
a-mo engenbo, ou sos Srs.l>e*# h*, %
fe, ros daiCadeb mM, n sari pasas imai-
rcroinpenfsdH. ^^^___^__^___
AebfM fiiid* **rssi Frute**:
rrMtewm^w
idade lOusoaos mi pu menos, .
urna nemas braco ; erte esrr ** pmt
de Sobral; mnito sbAbm, Inertes-* ^>r a^r>
d-Musrfsi-w estsr analsAs ; +m Asets
proesu contra qmvo o tirsr feilo : pn
qoem o levar ou delle der noticia na rea
mado n. 13, i* andar.



-y-*-
8
Diario
de Pernambuco Sabbao 5. de Fevereiro de 1870

'{

JURISPRUDENCIA
4ulgaaaeat de Trptaaan.
TRIBUNAL CIUMINAL DO SKNA
Presidencia de M. Thtvenin.
Audiencia de terea-toira 2- de dezembro;
(Cantinuaco)
A. Levei-as aos meus cmplices, que
me esperavam no ociroi de Pantin.
p._Foram elles que as escondern ?
ANao foram t alus. oi uia s a quem
enbvguei a* p e o alvio, e que tomou o
mnibus.
Ao meio da e raeia hora foi suspensa a
.-.udieuoia, que conunuou urna hora o dea
minutos.
PeOro Garens, cocheiro do mnibus ie
Aubervilliers a Villette.No da 18 ou 19
dividuo subiu para o mnibus levando fer-
ramentas pesadas.
P Era o accusado ?
A.Nlo'ienhor, foi o meu cumplice.
P A que distancia subiu o individuo
para o mnibus f
T.A 25 metros da casa de Bellanger, a
400 metros do oclrei de Panlin.
P.Bellauger, observou ao accusado que
as ferramenUs eram pesadas, e o que res-
vondeu elle ?
Bella iger.Respondeu que ia tomar o
mnibus de Aubervilliers.
Troppman insiste em negar que fosse ella
qaem subiu para o mnibus cum as ferra-
mentas.
O advogado. -A que horas parte o m-
nibus ?
T.De Aubervilliers s 8 horas, de Vil-
lette s 8 emeia.
Advogado.Que lempo 6 necessario para
Quatro Caminhos?
T.Seis a sete minutos.
Mrtinho Wostling tra wlhador de Panlin.
Conbeceu Troppma > em dezembro de 186,
ao hotel de Franca tinha p ucos meios e
fallava no modo de fazer fortuna, tinha pon-
eos amigos, s conviva cora Aron e cota
a testemunba. No sabbado anterior ao crime
ene. ntrou o accusado, o qual Ihe mostrou
um relogio e urna cadeia de oiro. Trop-
pman disse-lhe ter-se alojado no hotek do
caminho de ferro do N mais endinheirado do que no anno anterior.
P.Accusado. convivendn s com West-
ling e Ann, onde eslavam seus cumplices ?
A.Em Pars.
Thiago Aron, machinista. E' da roesraa
trra de Troppman. Gonheceu-o por in
tervenco de We.stliug s em 11 de setem-
bro. O accusado leve varias conversas com
elle, ilizendo-lhe qne tinha ganho em diver-
sos negocios 25:000 francos. Fallou-lhe
por vezes na facilidade que bavia em qual-
quer partir para fra de Franca, falsilican-
do documentos imitanto o sello da mairie
para poder embarcar. No da 18 fomos
pas ear a Saint Cloud, e no dia 19 ao baite
de Pantin. Passados das, encontrn, o
rauito afadigado, e disse-lhe que ia para a
Aiue'ica. Urna vez contou Ihe que tinha le-
vado urna facada, dada por um individuo
que nao conhecia, a quem seguid e deitou a
agua, nao Ihe dizendo se se afogou ou nao,
mas emquanto ferida, disse-lhe que se ha
'vil curado.
Troppman.Nunca fallei de negocios em
que ganhasse 25:000 fr. Nio foi no b-
ltico de Saint Cloud que z em empolas
nas mos ?
T. Nunca me fallou na familia Kinck
E' certo que as cordas do baloico Ihe fize-
ram empolas nas mos.
N. Lherminier, cpm loja de vinhosCon-
duzio Madame Kiock e seus 5 filhos ao ho-
tel do caminho de ferro do Norte.
Joo Simio Rigny dono do.hotel do ca-
raiuho de ferro do Norte. No dia 4 de se-
lerabro fomou-lhe um quatro um mancebo
que dectarou chamar-se Joo Kinck. Os
criados suspeitaram delle pelas snas ma-
aeiras e por nio ter bagagem. D--U ordem
para Ihe apresentarem a conta e rtespe-tll-o,
Elte pagou, mas nao foi despedido.
No dia 19 s 6 horas veio urna mulhei-
com cinco filhos perguntar se all estaya
Joo Kinck, e um rapaz em companhia
delle.
Disse-lhe que Joo Kiaok eslava ; a mu-
her pedio-lhe para dizer ao hospede que
ella tinha chegado, tomou dois quartos.
sabio e vollou s 9 horas, depois nunca mais
a vio, tendo deixado no hotel um cesto.
No dia ao teve conhecimento do crime, e
descoofton que as victimas fossem os seo
hospede, porque nem o rapaz, nem a fa-
milia voltaram.
No Morgue reconheceu a mfii e o filhos
que estiveram em sua can.
Francis^ Brunel, criado do hotel.
No dia 18 um sujeito procurou Trop-
pman.
P.Era Gustavo.
O advocado.Era Aron.
Pedro Roberto mordomo do hotel con-
linua o depoiment Jeronyino Auzusse, criado do hotel.
Na iqauh3a.de 0 de setembro s8 horas,
mo entrar o accusado s no seuquaho.
Accusado.No quarto ehlrei s, mas no
hotel eutrei corn out'a pessoa. No pro-
cesa preparatorio a testemunba disse que
vio um individuo comigo.
O presidente leu o depoimento da teste-
munba, que em 30 de setembro disse que
Ihe pareca que o accusado vinha com ou-
tra pessoa. Confrontada com Troppman.
este disse que viera s e que a testemu-
nba se enganava.
A. N'essa poca tinham Kinck como
culpado, e en nao poda dizer outra cousa.
Eu subi ao mru quarto e o meu cmplice
ficou 00 esc i-i p torio.
T. parece me que nao ficou pessoa
alguma no escriplono
P.Como se chamava sse individuo ?
O accusado nao respondeu.
Jos Agostmho, criado do hotel. Vio
na manha de 20 o accusado pedir chave
do seu loarlo e subir para elle muito apres
sado, ia s.
Advogado.Em que andar esta va a tes-
temunha ?
T.No segundo.
A.0 meu cmplice ficou em baixo.
l>._ a piecedenle testemunha era 30 de
selemOro iudicou vagamente um individuo
que subi com o accusado, bu atraz d'elle,
sem Ihe fallar, nem mostrar que viuha em
sua companhia, um hospede talvezque
enlrava, cmo acontece n'aquellas casas
onde entra e sabe multa gente. Isto
muito diverso do que pretende o accusado,
que o so companheiro ficou em haixo no
escriptoiio
O acensado foi mudar de fato, porque
eslava todo eusanguentado ?
A.J isse que era com o meu proprio
sangue (Murmurios.)
Claudio Bardot, cocheiro Conduzio
Troppman, madame Kinck e seus filhos.
da fstacao do caminho de ferro do norte
ra de FUndres, a mi e os tres filnos
mais novos iam dentro, Troppman e os ou-
tros dous pequeos iam na almofada. Trop-
pman fallava de aris e dos divertimenlos
que oilerecia
Chegaodo a Panlin, Troppman disse
testemunha que osse para diante, porque
Ih pagava a hora. A testemunha foi al
aos Quatro Caminhos 0 accusado man-
dou parar perto de urna casa direita, e
apeiou-se com a senhora.
Quena que todos os pequeos ficassera
na carruajero, mas a menina e um do ir-
mos nao quizeiam ficar e a mai levoa-os,
os oul os tres ficaram. Troppman parti,
a menina ia por seu p, mas depois vi que
a mi Ibe p-'gou ao eolio e assim se afas-
tarara at os perder de vista.
P.Depois nao ouvio nada ?
T.Nao senhor.
P. Fazia moito vento ?
T. Sim senhor, eestava um luar como
dia.
P.E o que fez n'esse intervallo ?
T.Conversava com os pequeos, qae
me disseram que nio sabiam a que vinham
ali aquella hora. Causou-me admiraco
que o hornera e a mulher nio quizessem
jue os levasse at porta de sua esa. Os
pequeos disseram-me que eram de Rou-
baix, que vinham do caminho de ferro e
qu nunca tiaham estado em Pars. Per-
guntei-lhes se bomem era seu pai, res-
ponderam-me que nao, que era um amigo
do pai, quasi como um prente.
P.Quanlo lempo se demoroa Trop-
pman ?
T. 20 a 2o minutos. Vottoa pelo
mesmo caminho e disse aos pequeos :
Meninos, varaos ficar aqui. (Seusaco.)
P.Aquillo verdade ?
A. (Insensivel) verdade, mas eu
nao os matei.
P.O accusado voltou s ?
T. Sun, senhor.
P.Onde estavam ento os seos cmpli-
ces 5
A.N campo de Pantin.
Advogado.No plmo de Pantin, a dis- I que me mostrasse as mos. Pensei pr-
FOLHETIM
OS MINEIROS DE P0L1GN1ES
POR
lie Berthet .
(Continuaco do n. 27.)
II
Don aaalgo* improvisado*.
0 Sr. Van Best careceu de algons mi-
nutos para se restabelecer da sua commo-
cio. Recobrada a tranquillidade, deu um
sonoro beijo na fliha e disse no tom habi-
tual :
Vamos, pequea, isto nao vale nada.
Note afflijas... Onde diabo tinha eu a
cabeca para me exasperar com aquelle be-
bado ?.. A maior perda n'esta negocio
foi o ter-se quebrado o meu cachimbo...
jm soberbo cachimbo de qne me servia ha'
dous annos... E verdade... e tu, An-
tonio Robin, que fazesahi ? prosegu o
elle, dirigindo-se ao mineiro, qae se con-
servava silencioso e pensativo. Tens al-
guma cousa que me dizer ?
Nao, senhor, respondeu Intonio
tristemente. Agora j sabe de que se
trata. A razio porque fiquei porque, se
eu sahisse com Grande-Leopoldo, elle que
reria faz;r persuadir que (oramos ambos
expulsos, e isto produziria man effeito no
animo dos operarios, e qu, ficando, sa-
ber-se-ha qae s eile fot expulso em con-
.: Agradecido, Antook). Tiveste boa
lembraoca repcoo o director em tom
amigavei.Entao os operarios estSo mu-
dos a esse ponto ?
Esli mal acooseloados, senhor. En-
ire nos nio se d oavidos ao. mais rasoa-
v-e}, seoo ao mais violento, ao mais auda-
cioso e soaretodo ao mais fallador. O
senbor Umbam tem amigos e soa boa fllha
adorada pela geote de boas sentimentos;
nfelizmente,porm, os boas nio sepoem
unca do logar onde ficou a carruagem
cova da familia Kinck est calculada em
linba recu em 400 metros, mas pelo cami-
nho que seguiu Troppman detem ser 500
a 550 metros. iu
Antonia Gandeer, guarda (Ja fabrica Car-
tier-Bresson raeia noite e um quarto
pouco mais ou menos, ouvi uivar os eus
caes horrivelmente. Pouco depois, pare-
ceu-rae ouvir gritos de urna molher, e em
seguida de urna creanca. Pensei que fos-
sem ralhos te marido e mulher que se re-
colhiara tarde. Eram como gritos de afilie-
cao, os da malher, fortes ao principio,
foram enfraquecendo at se extinguirem.
Ascreancasdiziamsempn: Mam, mam!
A. possivel que ouvisse a discusso.
Eu oppunha-me a que malassem as crean-
cas. A testemunha nio poda ouvir gritos
da me, nem dos filhos.
T.Pareceu-me our, mas ^o estou
certo.
A.A testemunha reconhece nao ter ou-
vido.
P.A testemunha ouviu gritos, nao tem
certeza que fossem de urna mulher, nem
distinguu bem asvozes.
Para que levou ascreancas, se nio quera
que as raaUssem ?
A.Porque os dois quizerara ir com a
mi.
P.E os outros tres?
A.Nao me oppuz.
Joo Luiz Langlois, lacrador na Villette.
No dia 20 de setembro indo ao seu campo
de manh, notou nodoas de sangue, e em
um sitio a te:ra de cor diversa da outra,
mostrando ter sido remexida. posto que os
soleos estivessem como na vespera, cavou
e achou um cadver, deu parte s autori-
dades.
P.Quem arranjo^i a trra lavrada ?
A.O meu cumplice.
Guilherme Muller, cervejeiro em Pantin.
Foi chamado por Lanjlois e viu. desen-
terrar os cadveres. Os cies da fabrica es-
tiveram muito inquietos t -da a noite, pare-
cendo que presencearam o crime. Na ierra
nao havia signaes de luU.
Paulo Condert, trabalhador de Panlin.
Notou as precaucoee qu 0 assassino tomou
para desapparecerera os vestigios do crime.
A trra esUva lavrada como "antes, e ba-
tida com os ps, porque os cadveres cus-
Uram a desenterrar. A noite era de luar
claro como de dia.
P. Quem bateu a trra ?
A*O meu cumplice, eu ne eslava all
quando elle pisava a cova.
Angenol Roubel, commissario de polica
em Pantin. Prjcednu ao exame do campo
Langlois e exhumaco dos cadveres.
Achou urna faca quebrada em dois oocados
P.Accusado, foi com essa faca que
matou madame Kinck ?
A.Nao a matei, a faca tirei-a ao mea
cumplice, que matou as creancas.
P.Achou urna faca no corpo de GusUvo?
T.Tinha-a cravada no pescoco. Tambem
se encontrn ama p e um alvio pequeos.
O presidente lea o auto de basca feito
ne quarto n. 24 do hotel do easainho de
ferro do norte, em que estove Troppman.
e onde se encontraran!: l.8, recibos.ordens
de pagamento, cartas e outros papis; 2.*,
fato de bomem sujo de sangue; 3., um
pequeo cesto.
\No registe do hotel estava Janeada
a entrada de Garlos Joo Kinck, no dia 11
do setembro.
Eugenio Carlos Ferrand, gendarme de
mariRha no Havre.No dia 83 de setembro,
seguindo prximo do caes Casimiro Dela-
vigne, vi dois mancebos caminhando em
sentido inverso. Nio 9z reparo n'elles ao
principio, mas notei depois que um d'elles
abaixou os olhos, quando passou por p
de mim, e que se voltou para ver se eu o
tinha observado. Entraram ambos na loja
de Mangeneau, e sentaram-se a urna mesa
no fundo da casa, conversando em voz baixa.
Entrei na loja, cheguei-me a Troppman, e
perguntei-lhe pelo. seu nome. Disse-me
chamar-se Worlambert, e que nao tinha
documentos da sua identidade, porque nao
eram necessarios para atravessar a Franca.
Inlimei-o para me acompanbar ao procura-
dor imperial. Pelo caminho, perguntei-lhe
ha que lempo estava no Havre, e a que
tinha vindo alli. Disse-me que era machi-
ni do, e que viera para procurar trabalho,
que inda nao procurara. Pergunb-i-he
porque. Respondeu-me que tinha muito
tempo. Chrtgando ponte real, disse-lhe
testa de um movimento... AcrediUr
que esta manha se tratava de mandar co-
mo delegado sua presenca s o Grande
Leopoldo ? Foi cora difficuldade que al
guns operarios ordeiros consegujram que
eu (izesse parte da deputaco... Vio co-
mo elle desempenhou a commisso : agora
vai ateiar o fogo contra o senhor e contra
mim, aecusando-me de o nao ter coadju-
vado I
E dizme,Antonio. proseguioVan-
Bustem voz baixa se eu recusar o aug-
mento ped do, ousaro os meus operarios
fazer urna rebellio ?
Quasi assim o posso affiancar.
Mas enlo, meu pai,balbueiou Ame-
liaa nossa siluaco ser horrivel I
Van-Best fez esforcos por dissimular a
angustia que lbe causara a aifirmativa de
Antonio.
preciso obsUr a isso, mea rapaz
disse elle. 'alia aos operarios a lingua-
gem da razio : se elles me impedirem de
continuar o negocio, sotrero igualmente
comigo. Que desastre seria para a popu-
lacio, se cessasse a exploracio da mina !
Como viveriam estes borneas, snas omitie-
res e filhos ?... Nas aetuaes circumsUn
cas -me impossivel satisfazer a sua exi-
gencia, mas se, como todos jolgam, o car-
vio de pedra subir de preco brevemente,
n'esse caso entender-nos hemos. Explica-
Ibes isto bem... Mas diz-me: porque nio
desees j mina ?
Os operarios aadam dispersos nas
diversas galera*, Sr. Van-Best, e seria dif-
ficil reuni-los sem interromper os trabalhos.
Quando vierem para cima, urde, ser
tempo de Ibes transmittir as suas pro mes-
sas. O qae mais convm agora vigiar
Grande-Leopoldo ; Ulvez a esto hora te-
nha elle j percorrido as ofiBcinas para
expor as suas intrigas ou se estera dispon-
do para orar no botequim da lia Bi-bette
aos trabalhadores qae entram de servico
na prxima noute.
Nio te descuides, pois, mea charo
Antonio. Estou certo de qae conseguirs
bom resaludo.
E, n'esse caso, Sr. ^ntonio,aceres-
meiro que era um cosinheiro. Perguntei
lbe, depois d'onde era natural. Disse-me
que de Roubtix. A 40 ou 50 metros d'este
sitio, notei-lhe a physionomia, esuva ama-
relio, e tinha cara de qaem- nio eslava eom
a coosciencia tranmilla.
Disse-me que liaba vindo de Pars, onde
esteve trabalhando. Perguntei-lhe: Que
caminho seguiu para vir para a Havre ? Aca-
so passou $or Pantia T Troppman ficou
lterrado com e3tas palavras, nao poda
andar, e tirou a mo da algiheira da sobre-
casaca. N'este momento urna carruagem
nos separou ; ento o accusado, em logar
de seghir o caes, dirigiu-se gara q mar,
saltou para um barco, e depois tirou com-
sigo agua. Gritei sobre elle* Agarrara
esse hornera i-deve ser ura assassino. Um
hornera deitou-se ao mar, agarrou-o e trou-
xe-m'o para trra sem sentidos. Encon-
tramos-lbe dois colletes e no debaixo um
relogio de prata, e no bolso das calcas um
lenco com moedas de 5 francos belgas e
fraocezas; era um cinto tinha um relogio
de oiro e varios ttulos e obrigacbes per-
tencentes familia Kinck. Condazimos de-
pois Troppman ao hospital, onde tornou a
si.
Accusado.O gendarme nio me fallou
de Pantin, e todo quanlo disse ama
pura invencio sua.
Advogado.Com o acensado estava um
bomem ?
T. Estava, parece-me que era um
agente do hotel de Nova-York.
Accusado.Era um dos meus cmplices
que me acompanbou ao Havre. (Rumor
no auditorio)..
Presidente.Officiaes, fac^m resUbelecer
o silencio. E' a primeira vez que o aecu-
ado tal diz.
A audiencia suspende-se por 10 minutos.
Foi lido o depoimento da senhora Rosney,
que aluga quartos. Bourson encaminhou
para casa d'ella, Troppman para alugar
ura quarto ; o accusado disse que espe-
rava seu pai essa noute no Havre, e que
quera quera embarcar e nao tinha os pre-
cisos documentos poda faze-los -falsos.
No dia seguate foi-se embora. Urna
manbia Troppman veio almocar com. Bour-
son, e disse : < Se alguera me atraicoasse
perseguia-o at o matar. Observando-lhe
que ento tinha feito alguma cousa que
podia ser descoberU, respondeu: nio
fiz, quera dizer que nio gostava de ser
atraicoado.
Foi lido o depoimento de Bourson.
Troppman disse-lhe orna vez: t Des-
granado d'aquelle que me quizar mal, sou
muilo mau. Referi o almoco em casa
de Rosney onde Troppman fallou de litte-
ratora, dizendo: < Aquelle que tem lido
muitos romances, ficam-ihe na cabeca e
dorme com elles ; quem lea am s, sonba
com elle e tem ama idea fixa. Troppman
disse-lhe que ia para a America ter com
seas tios. Vendo Troppman ferido na mi
e na orelha, desconfiou d'elle, e disse
dona da casa qae lbe pedisse os seus do-
cumentos ; elle disse que os nio tinha, "
que os ia buscar a Pars, e deu am nome
supposto. Troppman disse-lhe urna vez
3ue tinha am segredo. Em urna conversa
isse a testemunha urna vez: Quem nio
quizesse deshonrar a sua familia, o que
tmba a fazer era tomar opio em agur-
dente ; Troppinao disse : O acido
prussico mais simples; urna goU na
lingua bastante para fulminar.
Accusado. Tudo isso falso. Um
parvo nio diria o que esse homem me at-
triboe.
Hangul, calafate no Havre.O publico
acolhe cora a p pa usos esta testemunha.
Tem boa presenta e traz ao peito a meda-
lha que Ihe foi concedida por salvar Trop-
pman. Mergulhei para procurar o indivi-
duo que se deitou a/ua, vi-o debaixo
do barco-bomba n. 3, carecendo de tomar
a respirarlo da ao de cima ; tres vezes
mergulhei e tres vezes sobrenadei para res-
pirar, at que o ia a apanhar, quando
sent que me agarrara por urna perna;
dei-lhe um ponUp, e segurei-o pelo pes-
coco, ento vira superficie, gritando ;
est seguro. Ia socobrando quando
me acudiram, 8 ou 10 segundos mais de
demora nao estara agora vivo.
P.A testemunha portou-se com urna
coragem admiravel. A justica reconhece
o servico que lbe prestou, tenbo summo
prazer era Ihe exprimir publicamente este
teslemunho.
O publico applaudio.
con ou a menina Van-Best emphaticamente
ficar-lhe-uemos eternamente agradeci-
dos... Diga me : como passou sua mi
hoje ?
Bem mal, rainha senhora, respon-
deu o miueiru, suspirando e, se nio fosse
o seu auxilio, As bons ramos que lbe en-
va, as consoladoras palavras que Ihe diri-
ge, ha muito que a pobre vellia nao exis-
tira f
Os bons mimos agradeca-os a meu
paidisse Amelia, sorrindo-se e pousando
a delicada mi sobre o hombro de Van-
Best.As palavras consoladoras, essas
que sao roinbas f... Ora pois, noute,
quando acabar o meu trabalbo, irei ver sua
raii e levar alguma cousa que fazer para
soa prima <>ertudes.
Quanto Ihe agradeco os beneficios
que tem prodigelisado a toda a minha fa-
milia I
Ento at noute, e, por sua parte,
praza a Deus nos possa dar melbores no-
vas acerca dos nossos operarios, cujas pre-
tences me causan borriveis cuidados t
Esta ultima parte da conversa correr
em voz baixa, e Van-Best, absorto nas suas
reflexSes, nio tomara parte n'ella.
O mancebo desconhecido que ha muito
esperava no escriptoiio julgoo favoravel o
momento para se apresenUr Pegando,
pois, no saeco debaixo de um braco e com
o chapeo na outra mi, entrn tmidamente
no gabinete do dirtetor, cuja porta, como
sabemos, ficraaberta.
A soa inesperada presenca cansn ali
sorpresa.
Amelia escondeu-se por detraz do pai e
Antonio Robin lancou sobre o receaHme-
gado um olbar de descoofianca.
O Sr Van-Best disse :
Qoe querer isto ? Trabalho na mi-
na, de certo.
O desconhecido comprimeotra unida-
mente e conservra-se em silencio, mas
evidentemente nio era o aspate de mau
humor que apresenUva Van-Best qae o
atrapalhava. Fixara os olhos am Amelia e as
faces coloriram-se-lhe de viva vermelbido.
Mea pai,disse baixinho Amelia, ca-
Aeeusado.Perd os sentidos, n podia
fag'1- -i
Bernarda, medico fm Belfort. Assiso
no dia 25 de novembro i exhumacio de
Joo KinaV, Dio encontrn no, corpo
vestigios de feridss.
CaeUno Heqoette de Watwiller, descu-
bri o cadver de Joo Kinck.
Haltar, operarie de Cernay.Troppman
mandou-o comprar retortas a Mulhouse.
Disse-lhe n'essa occasio qoe pondo-se
urna substancia na lingua de alguera morria
logo.
Mr. Bergeron, medico deParis Nodta
20 de setembro fez conjuncUmente com
Penard e Tarrelat, a autopsia dos cadveres
encontrados no campo Langlois. As feri-
das da mii d Alfredo e Maria, foram feius
com ama faca ; nas outras tres enancas
nio havia signaes de facadas, parece que
foram moras com o lenco, a p e o al-
vio.
A mii tinha 29 feridas, as primeiras
feius com ama faca, nas cosUs, no hom-
bro direito, no esquerdo, no mtodos
rins e no lado esquerdo ; seis feridas
foram feiUs quasi simultneamente, a mais
horrivel era. no pescoco, no ngulo direito
do queixo, a faca encontrou o osso ; por
baixo tinha urna ferida aberta, a mo devia
ter entrado na ferida como para penetrar
na garganta. Esta mulher nao devia ter
morrido logo das feridas, porque estas
nio ollenderam os orgos essenciaes,
devia porem suecumbir 5 ou C minutos^
depois.
Alfredo, de 7 annos, mosirava ter resis-
tido, tinha duas feridas na mo, e tres no
meio do pescoco, que nio eram m>r-
taes, devia ler morrido com as pancadas
do alviio.
Maria tinha duas feridas um abaixo, outra
cima do umbigo, e outra na raz do nariz,
este ferida era mortal, mas o assassino ap-
plicou-lbe tambem pancadas com o alvio
na cabeca.
Emulo, de 13 annos, Achules de 8 e
Henrique foram estrangulados e acabados
golpe de alviio. Gustavo pareca ter
sido morto dous dias antes das outras victi
mas. Foi morto como sua mii, com tres
facadas nas espaduas e nos rins ; no braco
esquerdo a faca apenas penetrou, porque
naturalmente Gustavo fugio com o braco.
Gustavo suecumbio com as feridas que1
penetraram no coracao, ama no peito di-
reito, outra no esquerdo, alem de outra
na nuca ; a faca ticou em ama das feridas.
P.Um s bomem podia commetter
todos esses enmes ?
T.Examinando as feridas e o emprego
da faca no primeiro grupo, entendo que
pouco tempo era preciso para as fazer, 4
ou 5 minutos basUvam para matar a mii e
os dous filhos. A mii foi logo posU fra
do combate; um fitbo pequea resistencia
oppz, e o outro que apenas tinha 2 annos
fcil era subjugar.
No segundo grupo, duas criancas podiam
ser.estranguladas ao mesmo tempo, aper-
tando o assassino os lencos que tinham ao
pescoco, um com a mi direiu. oulro com
a mo esquerda, o que era fcil a um ho-
mem gil e robusto.
A terceira enanca foi morta com o alviio
dando-lhe o matador urna pancada no osso
fronUl, que fez um buraco regular.
P.-Leu a conclusio do exame. E' pos
sivel que-um s individuo maUsse a mii e
os 5 filhos e nas circumsuncias ero que
os assassinatos foram comraettidos, 6 pro-
vavei que fossem obra de urna pessoa s.
GusUvo foi morto 2 ou 3 dias antes.
A.E' impossivel que um s homem
maUsse tres criancas de urna vez.
P.M. Bergeron confirma o seu depoi-
mento?
T.Confirmo. ,
O Dr. Tardieu sustentou que um s bo-
mem podia ter coraraettido todos os assas-
cinatos, divididas as vctimas em dous
grupos.
A. imposivel. Tenho apenas O an-
nos, sou fraco, nao sou nenhum Her-
cules.
P.M. Bergeron examnou o accusado
em 27 de setembro ?
M. Bergeron.Notei-lhe 3 cortaduras na
mo esquerda, po fiara ter sido feitas quan-
do quiz arrancar a faca a madame Kinck,
que Ih'a havia tirado da mo, segundo elie
confessou. Tinha alm disto diferentes
arranhaduras na cara, e cabellos arranca-
dos, e empolas na mo direita, que podiam
ser do aivioj Troppman vigoroso de
pulso.
da vez mais confusa pela maneira porque
o joven olbava para ella repare bem ;
aquelle senhor nao 6, nao pode ser...
O desconhecido agradeceu-lhe com um
sorriso e em seguida proseguio desembara-
Cadamente :
Com effeito, senhor director, eu de-
sejaria encontrar trabalho na mina de car-
vo do Polignies.
Eu j o suppunha replicou Van-
Best.Pois, meu amigo, escelheste a oc-
casio.
algara valdevinos! resmungou
Antonio.
Amelia, ouvindo que o recem-chegado
nio era mais do qae um operario,, assu-
mio um ar fri e reservado
Muito bemproseguio o director.
Que especalidade a tua ? Deves saber
que ha aqui differentts miste res... Es
mineiro, sondador, carpinleiro ou machi-
nista ? Onde teas trabalhado ? D'onde
vens ? Tens attesUdo de comporUmento ?
Ento o desconhecido, tirando da algi-
beira ama carta e entregando-a a Van-3est,
disse-lhe :
Aqai est a resposU a essas perguu-
tas.
lima carU !disse o director, pondo
vagarosamente a loneta sobre onaiiz,
De onde vem ella ?
do Sr. R..., director feral dos
caminhos de ferro de...
Safa Iexclamou Van-Best.
E, examinando a missiva, qoe tinha ex-
teriormeate muitos sellos officiaes, termi-
n u por abri-la com manifesU admiraco.
Cerlificando-se do sea contedo, qae
parecea sorprende-lo consideravelmeate,
cbamoa a filba para junto de si e disse-lhe
na maior alegra :
Ouve ama novidade, minha fllha I O
Sr. R... encommenda-rae duas mil tone-
ladas de carvo, a entregar no praso de
dous mezes e a pagar o sao importe
medida qoe se effectuar a entrega. ama
bella iransaccio, qoe nos permittir ac-
crescentou elle, abaixando a voz fazer
face aos esttqaes do mez pastado, qoe
tanto cuidado dos davsm !
E' de constiluico dbil,
pensaco dotado ge i
Ihlade. Como
qae tem nos saos dedos
prec si o. Tem moito de
Para am homem como elle
fazer eslrangulacoes.
Accusado. Como possivel qae a ter
eeira cranla esperas emqnaoto ta as-
ir ngula va os irmios ? a>uvata
tos, e de certo deitariam a correr,
podia eu agarrar um pelo braco e
atraz dos ootros ?
O Dr. Roussm, encarregado.oa
nar a camisa q ie Troppman deixao at
tel, nio pode ser inquirido, devaaaa
perguoUdo na audiencia seguiote.
Testsmunhas de defeza.
Maria Brunel, com loja da vanos
No dia 20 de setembro, fbraai a aaa
dous individuos beber vinho, um saais
lo e outro mais moco.
O mais alto pagou, e o outr esuva
Udo.
P.Um delles era Troppman ?
T.A primeira vez qoe tai
recooheci-o, na segunda ves lita da-
vidas.
Accusado. Era eu e o
mais alto.
P.Em 25 de ootubro o
gou ter esudo alli.
A.Entao convinba-me dizer qoe
s.
Brunel com loja de vanos i
o mesmo qae sua mulher, mas i
Troppman.
O procurador geral. Qoe horas ana
T.Tres hras e meia da tarda.
O P G.O acensado devia
o Havre no comboio das 4 horas.
Advogado.Exactamente.
No depoimento escripto Hara
diss-i que os dous fallavam ali alo, a
paravam-se para ir para o caoMobo dt
ro do norte, para onde se dirigiraax.
Fremion, de 15 annos, caixaira.
Era 19 de setembro, tome o
de ferro para ir a Aubervilliers
tio. Foi meu companheiro de
Ur. Apemo-nos junto*.
Seguimos at aos Quatro
alravessamos os campos. Ser
e meia, vimos em um ampo
que se disponba a cavar a
O militar dirigise para o botaesa,
dizia-lhe que nio fossemos. elle
um bomem para outro e foi
diante.
O militar disse-lhe: Ola, est a
horas abrindo a cama para sa daar. fi-
mos ento dous horaens deitados a* ao p
os quaes se levantaram para se d
nos. O soldado disse: < Vi
ra, podem-nos fazer alguma. I
nos.
P. Fizeram-se todas as dilig
encontrar o soldado do lorie da
liers que o acompanhou e
ceo. A testemunba tem certeza do qut
alrraa, ou te-lo-ia Iludido a sai !>-
naci?
T.Estou bem certo, e o qoe daaa
verdade.
P.E singular qoe o comoModante do
forte nio descobrisse o Ul soldada.
Advogado.A testemunha nio dbae
qu o soldado perteocia a foaraicio dt>
forte.
Pedia a Jeitura do depoimeato
O depoimento escripto esti
accrescenUndo qae os doas boaaaoa li-
nham blnzas brancas e estevas a 15 sastra
do hornera que cavava.
P. Nio Ihe aconteceu mais nada oa saa
jornada ?
T.No dia segrate veltei de
cedo para Pars. Sabindo da casa de i
tio Ihconirei um individuo qoe, baveadr
eu parado, pergunteu-me o qne fazia a
Apressei o passo e segai o mea caaMv
para casa de mea patrio.
P.Como se achou as 11 horas e msi
no campo Langlois ? nao era o caminho d
casa de seu tio ?
T.Nao era, perdi-me com o militir
querendo cortar atravez dos campos.
P.Podia reconhecer o bomem qoe vio a
cavar ?
T.Nao senhor. mal o vi.
P.No dia seguinte contou o enrooln
que teve a seu lio, ou a seu patrio ?
T.Logo nao senhor. Mais Urde, qaaa
do se fallou do crime de Pantira faNei <
homem que erntontre a cavar.
l/mtinar-se-ha)
Com effeito, meu pai, disse o joven
seria o meio de nos salvarraos de ditfi-
culdades.^e os operarios renunciassem as
suas exorbitantes pretencoes.
0 pai e a fllha pareciara ter-se csqaecido
do porUdor da carta, o qual agnardava sub-
missamente o resultado da conversa. Por
tm Van-Best, voltando-se para elle, disse-
lhe :
Muito bem, meu rapaz, mas nao
acho aqui nada que te diga respeito.
Queira continuar a leitura, Sr. Van-
Best. A carU deve encerrar alguma cousa
mais.
exacto : ora post scrptumredar-
uio o director, assestando de novo as lu
netas no nariz.
E leu alto :
t Apraveito a occasio para lbe recom-
mendar mu particularmente o portador
d'esta, o Sr. Leonardo, operario hbil
intelligente, que muito deseja encontrar
trabalho n'essa mina. Agradecer-lhe hei
pes8oalmente todo o que fizer em seu favor
responsabilisando-me eu por elle como por
mira proprio.
om mil bombas f exclamou o di-
rector.Isto que se chama urna recom-
mendacio viva, sobretodo sendo, como ,
de urna pessoa tio respeitevel como-o Sr.
R... Ora vejamos, mea charo Leonardo,
visto que assim te chamas : qae precisas
de mim ? Em que classe de servico dse
jas ser admittido ?
Se m'o permittir, senhor, resp n-
deu Leonardonao quero ser clissificado
emcaihegria alguma de servico, por quan-
to desejo percorre-las todas gradualmente
0 meo fim e adquirir pratica nos diversos
ramos de exploracio mineira para mais
Urde me acbar apto para am lugar de
contra-mestre oa mesmo conductor de tra-
balhos de alguma mina de carvo de pe-
dra. Possuo alguns coohecimentos theo-
ricos n'este ramo, mas careco de os com-
pleUr pela pratica.
Ah I compreoendoaeudk) Vaarltft,
faxeodo ama ligeira careta.DesajarWba-
Ihar aqai como carioso... Mas olba que
d'essa forma provavel que ao fim da qoia-
zena te aches com proventos pouco soa
cientes.
Tenho aiguns recursos, saabor. can
teniar-me-hei com urna reinbuKo propar-
cional aos serviros qu- presur.
Essa corabinariono pareceu muito apa-
davel ao Sr. Va -Best.
A fallar a ve dade. meo rapaz, atan
a tua posico ora pouco irregular e
directores de esubelecim ntos i'esu
dem fariam seus reparos antes de
rem um operario em Ues coaclM, ata
risco de urna serie de incoovcaiiintea; ea-
treUnto tu tens um aspecto de rapas ho-
nesto e intelligente, e, a ia d isa. aa aa-
da poderia recusar ao recoiamcaJit-* d
Sr. Ir.. Podes, pois, trabaibar u aaaa
como to a pro u ver ; passo a dar I
ordens n'esse sentido. Aqai asi
Robin, um dos nossos
quem encarrego da te
servico interno como externo,
hendes, Robirr ? Leornedo
nio conhece aqui mngueai:
oom companheiro, nao e asaba
Sim, senhor
quem a missio nio agradou
te.
N'esse caso,ioterrosapeo
fazeado um curaprimeoto
decer ao Sr. Van-Best todas aa
ces, e se Antonio quizer lar a
me indicar alguma poasada
Polignies...
Nao ha incooveoieele, a
nio sep diffi i\ de
Nio serei mais
meas oamaradas.
o mesmo tr^uraento qoe
Entio venha eosaito.
aldeia e ali-ser fcil ateja-to.
Ora pois; todo esta
o Sr. Van-Best.Agora,
qoe nio focas caosa turnaos eos oa
lucionarios... e ta. Anteojo, bjo ta
cas do promettido.
(
f%MMAUt-MlMI<




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EN7MS67YO_Z9T3NR INGEST_TIME 2013-09-14T02:28:17Z PACKAGE AA00011611_12034
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES