Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12029


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO m. NUMERO 297.
,[
FA1A A CAHTAL ff LUGARES OIDE ftto Si ?AA POTTE.
rVjTtranzas aflautados.......
Por setftM Mem..........,'.........
Por un ano idem....... -.....
C*U numero iso 1 \ 1.....
W0OO
i2#X)0
244000
0320
DIARIO DE P
QUINTA FEIRA 30 Ul: UUtlWbhU ut law.
PA1U DEITUO E FOKA DA PiOVDTCA.
T
Por trs meases adiautados.
Por svis ditos idem. .
Por dom ditos idea .
Por um auno. ,

13*60
aojan
17*00
Proprieclade de Manoel Figxieira de Faria & Filhos.


*
-., i
O AtBltiTE:
O Srs. Gerardo Antonio Alves 4 Fimos, noPari; Gonfalvesd Pinto, no Maranh); Joaquim Jos de Oivein, no Cear; Aoteawde Lemos braga, ne Araeaty; Joio Mara JuJ Chaves, noeuu; Antonio Maraes da Silva, no Natal; JoseJoaa
Perora dAlmoida, em Mamanguape; Antonio Aleandrino de Lima, naPutnjf*; Antonio Jqs fime, na ViJJa da Penba; Bfflannino dos Santos BoJeao, ea Santo Ant5o; Domingos Jos da Costa Braga,
em Naiaretn; Fraoeino Tavaregda Costad NHxMlgtHi & Jos MariM Alves, na Bato, e Jos Ribeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
PARTE OTFTCIAL.
vi iaiaterlo dea Menucios eatraa
:=
'EDIICO.VO DAS F0HCAS ALl.lADAS NO PARAOUAY
Protocolto
Heunidos na do da AMomp^Jm do Paraguav,
mu i das di nwz de novembro de 1869, S.
Exr. o Sr. conselheiro Jos Miria da Silva Para-
-ii..--, enviado extraordinario o ministro plenipi-
ni.irio d.r Brasil em uiissao especial, e S. Exc.
t Sr. Dr. i). Mariano Varella, ministro do relaces
'xterioros da repblica Argentina, tratando de ac-
-orda: sobro a prop>sia fetta p-do governo ar-
.entno so* iww allindnt, pa#a-4tnoa^sneiw da* rea-
Mi vas torcas em optfaeod*.,uo Paraguay.
S- \c. o Sr. ministro argentino disse : que,
rj^.t* aus triitmplws suceesstv os das armas adia-
das, que reduiiram o raiuugpa mu numero insig-
nificante de soldados, |>elo quo ja nao offerece re-
-i3ir i ;.! sii.i e logo fura as matas e desertas. eu
,')v-im'TU) julgava que era diegada a opporlunidade
lo diminuir, com vantagem para a allianca, os
pesados encargos que taem supportad as tros na-
'.oes can as despetas da guerra e o emprego nes-
la de urna Loa parte de su i populado.
Acrcscentou que para o seu governo nao era
"--a medid* nina conveniencia de que podesse
ni ln fcilmente, mas urna neeotsidade alta-
lente redamada pela' cireumstaocias da repu-
' Ik*s Arge-it.na, neces-dade a- que esta s desat-
.T'.ili.'iiii. s os proim.-ilosda alliauea o exigssem,
cdim o d.'in Rstrua anteriormente ; pelofactode
-i vulvur :n> exercito de operacoes, para o ataque
l'irHvIuiy o Ascurra, torcas que haviam sido
i v,un ,-nte retiradas dell.
-,) i ..~i.\ reJuc(/o, como raiterava com a mais vi-
j. instancia o seu pedido anterior, para que Iho
f:?*& pent ettido retirar toila a ilivisao oriental.
-.!iforme su vi d^ sua iwta dirigida em '\ ml or-
r -lite ao govewto argentino :
S. Bxc. o Sr. ministro lira-ileiro dcotarou : que
'< seu troven nao ilesejava iHenos do que os seus
rar os grandes saerilioios que
llie le iinftosto a presento guerra, e quo, inf..r-
i.udo diti disposi(e('- e i|tto so achavam us go-
\ofuos :iri:-'ntin.i.s e oriental, ) a.pres>ira a au-
. jrfttar o solicitado aecurdo, urna v"f. .|ue Sua Al-
ozn Dial o Sr. marecbal de mkto cunde d'Eu,
ge^iecal em ebee das (uffas hrasjtoiras, nao visse
hroiiveaieme gravl roduzrem-se os exercitos
.dliados no estado :,e.ual da campaulia. Que fe-
Inmute, tando conforme aos desejos-eominuns o
parecer do mestnu augusto pi'incipe, elle ministro
hrsilcim, adh-ria coin prawr proposta de que
- r.ila.
vamitiila cm principio a conveniencia de nina
r.ilu;.o n >s exercitos alliados conconiaram os
.^rs. mmistrus em que o quantum desta, pelo que
11- Turas bra^iieiras e argentinas, deve flear
vj prtenta ace>rdo dos respectivo; generaos em
. Ii.'laroj. entretanto, o Sr. ministro argn
lino que, attentendo ao di-posto no artigo do
...ado da trplice allianca, e adiando se actnal-
ii!,-em acampamento a maior parte do exerci
, ar^en'iuo. sen governo desoja retirar immedia-
. Nite a guarda nacional; e o Sr. ministro bra-
ro que era t;:r.:bcm atooejh) de Sua Alteza
i Sr f.nil.! (fliu comeiar a r.-ducao das torcas
-liii-.s tesa retirada dos corpos de voluntarios
patriaou de guardas nacionaes.
i.mquanto a reinada da divi-ao oriental, hoje ja
i titj reluzila, conv io-se em .ie;eder plcnamen-
!. a i pe lid i do governo oriental, sendo os para
.iay s que teem Coito parte da mesma divisa)
istiis (iisposicao do governo provisoria desta re-
I utilice.
!: pisin qoe^a referida medida j lenlia o aseu-
linmn'.o do governo da repblica oriental do Uru-
... ,,\ 'in sua recente nota aciini ciada e em ou-
. *' dedaracoes anteriores, cnten-Jeram os senho-
: i.|in-etanles do imperio do Brasil e da re-
::a Ar^eniia que ambos deviam soli:itar
eexpressa adhesf.) da parte daquelle go-
lalgMd que o presente accordo satisfaz as vis-
auiigavoH des governos alliados, cougratulan-
. i a elle e f retostando em nome dos mesmes
i ii i-, a maior coiifiam; reciproca c o mst
niii' empenhe em preencher todos os fins da al-
o. Ss. Exes. ii^ Srs. ministros deram por con
13 a san confi'.nciii. liieram lavrar o presen-
:. protocullo e assignamn don* aulgraphos.
I, S.) Jos Maa da Silva l'aran'tos.
!,. S i iimiano Vrela.
c;oreruo da provincia.
DESPACHO DA PRK8MMU t>\ PROVINCIA DO DA
24 DR DEBMBRO.
Vustreeaoo de Castro S Brrelo.Ao Sr. ios-
rtor da thesouraria provincial com a portara
-sta dala.
D. E iiilia Constanc.i de Moraes Ferreira.Vao
r liadas as providencia para a supplicante ser
i. e ao Dr. chefe de pticia, recommendoque
..ror.re remover para outro predio a reparcao a
ii cargo.
ranrisro Matliias Pereira Dmit. Expeca or-
n para seraddido.
.ao Mauricio de Senoa. Snjam entragues os
tinentos, passando o supplicante recibo.
I.niz Ferreira Banddira de Mdlo. Informe o
.-. coronel commanuantc superior da gaarda na-
nal dos municipios de Ol mi a e Ignarass.
Dr. E-t^vao Cavetcanti de Alhuquerque.Sim :
i ni-se is conwaaaUlaeSeg necessarias.
Mara Vakrida de Paula Barros.Informe o Sr.
. snei-tor da tliesouraria de fuenda.
- 27 -
\lv.,ro L'choa Cavalcanli. BcmetU ao Sr. ins
lor da tliesouraria provincial paramaadar pas-
r a eeiHdao pedida.
>J cha re Antonio Francisco Correa de Aranjo.
iifonne o Sr. inspector da thesouraria de fa-
"lileiJoro de Aqnino Fonseea.-Satisfaca o sup-
: irante a exigencia da contadoria da thesouraria
j faz-nda. .
Jos Iiidoro Pereira dos Res.-Aguarde a deci-
io do gov-rno imperial. ., ...
Julia Francisca da Silva OriAaa. A viel das
i.,erinacfia nadi ha que provideaciar.
ronel commandanle superior da
do luinieipio de larangaape, a provieeia do
Ceari., fi SDttoel Cavalcante, lcando agregado
ao c.-:alo mior da. mesma guarda.
mas iioDala raguay constara da segu.nte
pank psqSJh recefma pelo governo imperial ;
< Buenos-Aeres, 9 decretalhro dit8tt.*-tlKn.
e Exm. Sr., tuao d>09lW,*it-**to
Bosaiio recebi hontem AJelegramma que agora
tsnliJ s satt>faco do. apresenur a V. Exc, na ca-
pia junta.- Nessc triegaamau trausereve e Sr.
censt lhelro Paranlios oulro expelido em 30 do mez
ultimo por S. A. o Sr. conde d'Ra ao Sr. general
cante em relacao qne at agora absorvia todos os
nossos recursos.
Sua Alteza j cilecluou muitas alteracdcs que
redundara era beneficio dos cofres pblicos. Com
a retirada do .orara general visconde do Herval,
que se ada aqu de transito para o Rio Orando,
hospedado era casa dos Srs. Conceica iC fe
necessano dar nova-orgaaisacao as nossaa torcas.
Alara da sappresso de seu estado-maior, redaz-
ram-se tambem algons corpos do exercito e as ri-
diculas divisos le cavallara, compostas dealgu-
iiias centenas de hontens, mas cercadas de grandes
estad is-maiores.
O mesma snccedeu com alguntas brigadas de
infamara qus s lnham dous corpos e cada um
destes 200 lioraens I
Atg'.ms offlciaes estao descontentes con estas
prnvidoncias-ejne-os ehamam s (ileiras e Ibes cer-
ceiam vencimeetos indevidos S. A-, porm, pro-
segae no sea empenho loavavel, o esporo .que nao
arripie earreira.
As torcas estao divididas do seeuinte modo :
guaraica> de IJauuyl, e alguns batalhSes em As-
sainucao e Piraya couslituera a defeza ao sul do
Vtanduvir.
Estas torcas, que se podem considerar comple-
ta nenie retiradas das operacoes, estao sob o cora-
mando do general ^olydora
O geuoral Portinbo, com um batalhan de nfan-
taria e a sua divsao de cavallaria, viga as mar-
garas do Paran, e protege a nova linba de com-
raunicacoas quo s.; eslabeleceu por aqaelle lado,
entre a provincia do orrienles e o corp i de exer-
cito acampado em Capvary, pela (ual ja tinliam
chegado a este ponto 400 nulas, e que sendo s-
mente de 50 leguas de extensao nos prometle fcil
supprimcnlo de gado vaceum, cava liare muar. Se
o referido general nao so recolher com essa torea
ao Rio Grande, cerno ltimamente se disse, conti-
nuar anda no scaelemenlo.
No Rosario est o general Victorino, transforma-
do em commandanle das forcas ao norte de Man-
durir, eoearreg.ado especialmente de mandar vi-
veres para o ejtercit. As que operara eav Cipi
vary esj sob o eammando do general Jote Auto,
e depenlem direciajneuie de S. A. D sua van-
guarda foi que sahio o coronel Fidelis para bater
o inimigoem Igutemy, como acaba de realisar br-
Itianiemente.
norte opera o general Cmara, que j fez oc-
cunar as cabeceras do Apa por am aujpo de ea-
vallara de>iinado a obstar que o inimgo, queja
nao tein recursos em seu paiz, os v buscar na
nossa provincia de Maito-Groiso, onde acaba de
ser atirado. Este chefe se havia movido para si r-
preliender uiaa forra inmiga quepretenSasor-
prabcnder-noe, e inulto provavoliuentaa ter bali-
do e de? trotado. .^
O comuiaudanle de nossa eeqWdra, o Sr., die/e
EUsiario, tea) estad.) bera doeate, e esparado aqu
brcveuieate. Sua salo', felizmente, era melliJi'
neites ltimos das.
O oanAioto eulre o governo provisorio e o eom-
mandauteda canioneira italiana Ardila, que poda
assurar gravidale extraordinaria, foi resolviera
amigaveiiiieute por mediar-io dos ahladUS. Seria
para desejar que o governo tbano, no interess'e
da paz e da boa harmona com os governos do Hio
la l'rata e d.i Brasil, mandasse retirar das aguas
do Paraguay aquella canhoueira, ou pelo meno o
seu commandanle, que tanto abusou de sua posi-
cao ie neuiral, sorvrado com adhesao ao inimigo,
com comprometimiento at de
dade.
Besta causa originoa-se age ra o procedimento do
governo provisorio, que nao o pode ver cora bons
oihos.
notorio, com efeito, que aquella canhoueira,
durante a, guerra, converteu-se em urna praea de
mercado, e n que o inimigo se suppria, e depoi-
mentos insuspeitos provara nao s-que se deu a
seu bordo este trauco, que nao sei como classifl-
car, coiiu que seu commandanle recebeu em de-
posito, na barranca de Angustur, sommas impor-
tantes do general Lpez.
Por honra da nobre bandeira de Italia deve ser
retirado do Rio da Prala um offlcial que assim a
tem comproraettido, abusando de urna confianza
que nao merece.
O incidente, que acaba de ler um desfecho pa-
cifico, mas que padia ser causa de um serio rom-
pimenta, bem indica a conveniencia desta medida,
e estou certo que o Sr. Cavalchm, ministro nessa
corte, nao deixar pasear a opportunidade que se
Iho o fie rece de merecer a estima destes povos,
concorrendo para a realisaco de una medida
justa.
Nesta repblica va1 succedendo a calma agi-
tacao febril por causa das eleicjoes. Em toda a
parle vencen o governo, qne se considera assim
mais forte, e habilitado para usar da indulgencia
para com os adversarios. Creio que por esta cau
sa acaba de ser indultado o coronel Fortunato
Flores, que apadrinhouse com o caudilho Mximo
Prez e prometteu ser d'ora em dianto digno de
seu paiz. Veremos.
Em Baenos-Ayre3, porm, nlo se d o mesmo.
Aos traualhos da impransa succederain os do club
e a esta hora os candidatos se esforzara em fazer
trumpliar a sua bandeira.
De um lado se acham reunidos os amigos do
general Mitre, que se gruparam sob sua direceo.
noub dos unaos : do outro lado estao ei seas
adversarios pessoaes, no club dos autonomistas,
que tez ha das um grande merting no Colyso;
proferindo-se rdanlos discursos contra aquelle
chefe prestigiosa.
A bandeira susteatad pelo general Mdre lem a
seguinle inscrpeoquestio porto ao sent lo de
sustentar a atlitude que nolla tomoii o governo da
provincia; questlo iiitervencoesno sentido de
sustentar o parecer da oopo-icao, no senada, que
contrario ao plano do presidente,qimtao Um-
tisem ordemde tnanter os que as provincias re-
clamara.
Os adversarios do general Milro o combatem.
mostrando que elle sempre tem sido contraro
autonoma de Buenos-Ayres.
O Atiu em que veio Sr. visconde do Herval,
vai levado aoRio Grande; o Wiraeck, que aqu
undeuu no da 6, volta essa corte conduzindo
toda a genta que cliegou-naquelle transporte.
Fui
tranferdo>.para o servico da reserva e-1 dos; ; qoc
guarda iiaeional qu t f vd.
Victorino para comianicar imporianle fettos de
armas.
< Por estas noticias v-se qne Lpez j nao e d
em territorio paraguayo, mas passou para terrod
no brasileiro com insignificante forca. Teuba
unta carta do Exm. Sr. conseJheim Paranhos, es-'
eripU. em 5 desle mez Nella diz S. Exe. que nao
i raba anda nolieias doe 'pormenores. desees fetos
militares.
t\x mesma caria diz S. Exc, que fra resol-
vido ?.migavelraente, com a reda;io dos aHiados,
o conJict ha vid ltimamente entre o governo1
paraguayo e o commandanle danhanera iialia-.
na Ardil a.
Teulio a honra de ser com' o mais profundo
respeito, de- V. Exe. o mais obediente criada.'
Antonio P. de Carvalho Borges.
Telegramma do-conselliero Paranhos ao Sr.
Jar va Iho Borges :
t Assumpcao, 3 de dezemhro de 4869.Queira
transmttir para a corte o segunte :
f enramando em chefe de todas as torcas bra-
sdeiras t:n operacoes no Paraguay.QuarteJ ge-
neral eiu Capvary, 30 de novembro de 1869.S.
A. ao Sr. marecha! Victorino :
. Sa> 5 horas da Urde, acabo de saber que^
coronel Fidelis, testa du uassa vanguarda, na
aoite ce 29, atravessou o Jejuy-guac, contornan-
do a Dosie) inmiga, que foi lago desamparada
prr sons defensores. Porseguio-bs com o bataRiao
11 e alguma cavallaria, e alcancon-os na ponte de
Jejuy-nim, qua.elles trataram de nulilisar. ten-
do-se fiitrndieirado do outro lado. Ah Iravou-
se um renhido combato, em que fiearara ert n
Boder duas boceas de fogo, urna bandeira. 60 mor-
is e algumas centenas de prisioneiros, ealre os
quaes um padre e ura ajudaut* de Lqpaz.
' A melrallia inmiga ferio 18 humeus e 30 c-
vanos, entre o qiuesoilo tencnte-eoronel. Mou.
fidelis segitio logo para a villa de Igalctny,
indo er.controu' 4,000 familias, entre as quaes a
da seahora do coronel Martnez, que se julgava
fuzla jior Lpez, e urna brasleira de S. Borja.
.Eni Baaran, a meia legaa d'alli, foratn en-
Cdiilrados apparelhos de fazer plvora.
Tem-se envido tiros do lado do norte, o que
me faz suppor que tambem se ferio um cymbale
.gado o Cmara.
^<^MHHIWPBJ)aeM*ano como a te:
cao da guerra, pois Lpez niio oceupa mais um s
povuado no territorra paraguayo. Elle mesmo fu-
go rim sua familia. Resquin, Caballero, menos
de 1,001) homens e 690 rea**, para os campos da
Vaccaria, do outro lado da serra de Maracaj.
c Qaoira Iransraittir tudo isla para a Conee'ico,
sua propna aigni-1 As.uiupca>. Buenos-Ayres e Rio de Janeiro.
O general visconde do Herval chegra a Monte-
video, donde licava a seguir para a sua provincia
natal do Rio-Grande do Sul.
L
esses indios era ni milito ferozes, tanto
fre Luz do Clul* traba receio de
pasaar^r essa estrada, e quera anida-la para
outra-pj.-te, conforme ja havia escripto ao sen
amij bie lauto", morador de llhos.
So, com receio de'ser ofteodido, trazendo
s Cfimncans, e com os oiKros vaqoelros
de seis pessoa*, f.ifam ao lugar do ai-
dwainHO dos Palaclts, corcaram a ranchara o
peijarjfci nove Indios Patachos, sendo f homem, 2
mulhors. e 6 meninos de 2 anuos a 12.
" Cargando llhos, delxoa alguns d esses me-
ninos entregues a ftimilias para os educar, etrou-
para a villa da Barra o hornera, as mulleres e
du;is estancas, que e-sto em sua emnpannia. Essa
gente jinteiramente bravia, nao sabe urna so- pa-
a, e eusta-se rauito a entender o que
'era.
propoc-se a ir de novo a esse logar,
os ditos indios Pa'.a'hs que aprisionou.
"R" o rosto dessa irib civilisaco, se
verno da provincia nisso concordar, e o
Uxiliar cora algum (iTnbflkV) para as des-
que elle ja despetideuTOm a primera
ca de 8vS, |*agar4r> UU a cada ho-
aacompanhoo. i
. -19 -
tsebalk falleceu hoiteiQ de madrugada,
a, para onde for, na esperauca d res-
* s'n^PWt>;> sa'l..'. Q.K'iu era Gotts-
scusadoeoTOlo; naa ha entre nos quera
e o mundo cotihece bem o seu nomo,
i veiq Itontem p^ra a casa diPliilarmo-
inente na rua^da Consltuicao, onde foi
gdo n expensas daquella sociedade, pres-
Di. Co.-ta Ferraz gratuitamenle o seu
o einlialsamador, e d onde sahir o fe-
as i e meia luas da larde, para o
de S. loao (iaptista. O fallecido era ca-
s.-.'a mortuaria adia-se ornada caase-
cidade.
vez que Goitsctialk tnsau em publico,
nnle ao seu graadi concert nj 'flien-
!fta vespera du que nao cliegou a effec-
ii naquella mesma Philirinonica, e a
pei;a foi a sua bem conliecida campo-
lafc, que elle nsra pode concluir, la
L bava j. A agona quo cnto prm;i-
terminar 23 das" mais tarde no leito
pedariado alto di Tijuca.
GottsenaH no visor da ida le, e mp-is
sivel sfsjb Calcular a que alturas su elevara anda
no- dmios da arte 'aquelle genio verdadeira-
mente aspirado e extaaordinano, se a Providencia
lile hBvesst concedido larga vida. Mas o fragl_
involucro nao pole resistir a iliioasiada actividado
do esnwito e dos sedldus. Xo era elle smenle
qm gefo, tinha tambem urna bella alma o um cj-
rariogeneroso : disso dSotcsteraunhu quantos o
trawAi de perto.
A-S& foi sua niurte geralmente sentida, c a no-
ticia d\lla corren!) Imnlem dt bo:ca era bocea
'erramava a consternaran pelos semblantes dos
qae a wviam. E' que ja Gotischalk nao era para
. era um amigo quTdo de
,Sr.
toar-:
derrac
SS. MM. e A. Imperiaes com os seus semanarios,
e acompanhados dos Srs. ministro da inarinba e
inspector do arsenal de marrana, visitaran! hon-
tem, s i 1 horas di manhaa, o paquete tianeez
Gironde, a cujo bordo, depois de examinadas as
magnificas accommodacoes do vapor e os reparos
exigidos pela recente cxploso, e concluidos em
breve tempe, lites fui servido um almnco, a que
assstiram tambem os Srs. ministro da Franca, se-
cretario o addido legar,.!), gerente e inspector da
companhia, commandanle do navio e mais algu-
mas pessoas.
Por cartas imperiaes de II do corrento foram
Doeados Antonio de Ccrqueira Caldas para o lu-
gar de 4o vicepresidente da provincia de Matto-
Grosso, e o bacharel Jos Pamplona de Menezes
para o lugar de secretario do governo da provin-
cia do Paran ; e por carta im|erial de 45 do
mesmo mez foi noincado secretario do governo da
provincia do Alto Amazonas Manoel Noguera Bor-
ges da Fonseca.
Por decretos de H e lo do corrento foram exo-
nerados, a pedida, Jos Antonio Martnho do cargo
de 4* vice-presidento da provincia de Matlo-Gros-
so, e o bacharel Artbur Teixeir de Macdo do de
secretario da governo da provincia do Paran.
mMSJWnrtt^nfAr estimado 4* qaeeiw o eont^. petf5o
cia-n, um artista admirado i todos.
Escrevenos oSr. Dr. Ladislao Nettc.
A extrema modcidade do recursos do mu
EXTERIOR.
montkvioo 10 DK asa Enano aa
Sao mu mportaatea as noticias mes lindo temos aqu do interi.rdc Paraguay.
Por ella- se v que Lpez j nao est ea tem
i rio paraguayo, e que era sua Caga precipiada
O corond Fidelis e o brigadeire fiaaian osla
trovando de nuneira evidente, qae, para aubar
ruiu aquelle malvado nao ha necejtSa*et*e um
-n-ande exerdlo. Bastara cteles aetaof a falen-
s. e ctilumnas quo se movain cota rapidez Des-
i do reduzidas nnssasforcasaoufS'JJOhofnens
o daudii-se nova organisacao anoacloea admi
ic51 qae temis desde aqui al* iunto do prm-
, ;i iderumos persistir no empenho de nianter
Loni-z fra do territorio paraguayo, at que este se
canse de andar por montos e valle, perseguido
cqqps urna fra.
Pranos entretanto urna desposa rauito iosignifl-
ror-decreta de to do crrenle foram concedidas
as honras do posto de capital do exercito ao capi-
t'o to eorpo policial da provincia da Baha, Jos
Maria da Silveira, em atlengo aos relevantes ser-
vicos prestados na guerra contra o g iverno do
Paraguay
Por decreto da mesma data fo_reformado, na
conformidade da imperial resoluciio de 4 do cor-
rente, tomada sobre consulta do conselho supremo
militar, e das dsposieoes do Io do art. 9* da le
n 648 de 18 de agosto deN t32, o 2o tenente da
arma de artilharia Jos Luiz Bastos, visto soffrer
molestias incaraveis, que o toruam incapaz de
continuar no servieo.
Pdr portara de igual data foi nomeado o slferes
reformado do exercito Antonio Jos de Oliveira
S;uu|iaw commandanle da fortaleza de SaiU Anua,
na provicia de Sania Catharna.
-18-
S M. o 1 nperador visitn hontem, acoiuuanliado
de seus se nanarjos, a escola militar na Prata Ver-
seo nacional val sendo, fermento, ressarcda pelas
dadivas de algumas perneas .* quera na) estra-
nha a valia e importancia do prmeiro. e do mais
amigo museu que possuimos no imperio rausen
cuja misso mestrar cm rosme aos olhos do
publico toda quanta riqueza contera o vasto terri-
torio do Brasil. Assim que do Sr. Dr. Counho,
a quera j deviamos numerosos ubjectos do valle
do Amazonas, acabamos de receber grande copia
de productos j'c.-reiaes o roiiteraes, e alguns ob-
jectos etnonographiovs d'aqnella reglo. Gracas
este explt rador, vo ser assim tedinicamente co-
nlivilas algumas da* arvures tljrestaes amazo-
nenses, e a constituir i gi /L"i-.> do rio mar.
t D'enlra as curiosdade.- ethnologicas d'este
prsenle, urna sobrciudo merece-nos attenro :
um fragmento de dtrjto usado as arestas pelas
aguas que de longe irtnsportava-o, e cavado de-
pois artificialmente para serrir ratea de almofa-
riz, a algumpovo aberigene d'.oj-n-lla regiao.
< Este grossero artefacto, onconlrado acaso no
fundo de um lago, ideatice, j na forma, ja na
natureza da rocha de que o lizeram, aos que fu.
ram encontrados mu rirwin nnammiftT dos depo
sitos argilosos da Tijuc;-. c dos quaes ha meze
lite fallei. E' singular que triims lio difTerentes 3
tac afasladas, como era:n as dos amigos Taraoyoe
das do valle do Amazonas, procurassem os cas
Ihs rolados da mesma rocha, e rocha tito dura"
para d'elles fazerem esles lesees utencilios !
* E pos que lhi fallo de arcbeoiogla brasilera,
communicn-lhe, em addilafaenio noticia que lite
dei de minhas excavacos na vininUanca da autiga
Seropedica, que do Sr. tener-to Rodrigues, por
Os batalltoes !r e o de arttlbaria da guarda
nacional fizeram no arsenal de guerra as honras
militares ao illux^e tinado. Era seguida fot o f-
retro posto a bordo da galeota imperial, que,
acompanhada de esealeres dos arsenaes da guerra
e morinha, era 0001001 milito* generaos de frrra
e mar, oQlciaes deenrpos e dos d versos estados-
maiores, e anda grande numero de esealeres par-
ticulares com pessoas-de distinecao, o- Iransporleu
lina do Bom-Jesus.
J all se achava S. M. o Imperador com o Sr.
ministro da guerra cae, numeroso estado-maior.
Forma va alas urna brigada composta do batalhao
naval, aprendizes artillteiros e alamos da escola
militar, e por entre ellas- foi o cadver levado do
porto do desembarque as igreja do asylo de
invlidos, pegando as azis do caixao, por parte d
marraba, os Srs. almirante' visconde Taraandar,
os cheles da esquadra Alvn e bario da Passagem
e por parte do exercito os Srs. geaeraes Fonseca
Costa, Andrea e Araujo Corra.
All descaasa o valenle guerrairo, guardado
pelos seus ntigos companhetros de armas al-ser
Iransporlado para o Cear, sua provincia uaul.
-22-
0 1" sargento reformado d eorpo da imperiaes
inariiilieiros Manoel Francisco Stimo, foi por de-
creto de 17 doc. rreole nomeado para o lugar de
patro-mr das barras de Pajussra e Jaragu, na
provincia das AUgas.
Por portara de 18 do correte foi concedida a
Napoleo de Squeira Lamax a derassao que pe-
dio do lugar de praticante da direcloria geral dos
correios.
23 -
Pelo paquete inglez Oneida, entrado hontem do
Rio da Piala, recebemos folhas de Buenos-Ayres
e Montevideo, sendo a ultima de 16- tai :
Relativamente ao Paraguay apenas enconlra-
mos publcala tuna carta da Conceicao, era que
se diz achar-se Lpez no Panadero, p isica forti-
ficada e de diflkil accesso na serra de Maracaj.
Compre todava notar que esta carta datada de
27 do pausado.
O nossu correspoudeatc da Assurapcio escreve-
nos o segrale pelo transporte Itapiair,. cliega-
di a M inte/ideo antes da partida do Oneida :
ASSla>C0, 6 DS KOVEMIlHO DK 1869.
Aproveito a sabida do Itapicur para enviar
um pequeo addilaiiD'iilo miulia corresponden-
da que seguio pelo Presidente, que ddxou esle
porto no da 31 do mez passado.
Tenho a honra de communcar que no da 28
do referido mez cahio em nosso poder a quarta
capital do Lpez, Curugualy. Sua Alteza- fez mar-
char de Capvary a sua vanguarda naquella di-
receo. sob o mando do coronel Ftdes, que de-
pois de rpida marcha, invesboe toraou, com pe-
queas forras, aquella villa, que eslava guarneci-
da por quatro centos e tan
mando do major Adorno. Di
morios, inclusive 2 capitcs, 2
teres; H8 llearant feriaos e I
res. Restes ltimos coutam-se
Tomamos tamrmm
raguayos, ao
cahiram
s e 2 al fe-
7 pnsionei-
iaes e 1 ca-
s. 7#erabt-
nas, 2 bandeira?, 20 carretas e 90'rezes.
Antes de chegar a Curogaaly, a urna legua de
distancia desle porto cneonirou nossa forca unta
guarda de 70 homens, que foi batida, licando em
nossas mos 15 prisoneiros, entre os quaes o ca-
pitn commandanle. Morrerain 3 homens da for-
cea inmiga, quo dexou em poder dos nossos 40
n UocaV.12 carabinas e 1 bandeira. Besgatamos
! .Wfe tantas familias, c este numero ia crescendo
porque se apresentavam mullas oulras que fugi-
rara quando nossa forcas deram o ataque.
A nossa divsao que opera ao norte do Jejuy al-
eaiieou mais oulro triumpho. Depois dos cora-
bales de Naraujav e de Itapilangu, de que j dei
noticia, mandn o general Cmara perseguir os
inimigos que escaparam. os quaes foram alcanca-
dos e completamente balidos por tuna forca ao
mando do major Marlius, no ponto denominado
Tacuaty. Fizemosi20 pnsoncros, entrando neste
Damero 3 oiliciaos, e tomamos 200 cavallos e 100
boi?. Resgalmo> mais 500 familias, que por or-
dem de Lpez seguiam para o Bio-Verde. Ha
actualmente natConceicao mais de 6,000 familias
pjraguayas libertadas pela3 nossas forcas nos
departamentos do norte.
A efe cidade de assumpcan chegaram 178 se-
nhoras e crianfas, que, tendo sido trazadas pilos
paraguayos de Matt-Grosso em 1864, foram de-
pois de cinco anuos de crueis raarlyros salvas
pelas nossas armas. Contrista ver o estado de
miseria em qne estao estas tristes victimas do ty
raelh.i, onde cliegou s 9 e meia horas da manhaafl Flix Mara de Freitas Albuquerque.
RIO DU JWUIKO
16 Da DF.ZEMBR0.
O Sr consetheiro Joaquim Anto Feraandes
l>e5o pedio e obteve exoneracao do cargo de mi-
nistro e secretario de estado dos negocios da agri-
cultura, eoffltnerdo e obras publicas. A pasta
adiase interinamente a cargo do Sr. ministro do
imperio.
Por decretos de 15 do corrooto :
Foram Aometea:
O bacharel Jas Rthdro do Alraeida Santos jota
de direiio la comarca de Gequilaby, na provincia
de Mintts-G O bacharel Pedro Cavaleanto de-Albuinerque
Maranhao juiz rauniciaai e de orphao-. a termo
de Cantagallo, na pruamria do Rio de Janeiro.
O capitao Joaquim Jos de Sonza Sombra coro-
nel cummandante superior da gnirda nacional
do municipio de Maranguape, oa provincia du
Cear.
Sobre representadlo da respectiva presidencia :
e retirou-se depois de urna hora da larde, tendo
pcrci.rr 'o tudas as dependencias do estabeleo-
inent.. e assisiido aos exercicios de esgrima, de
espada, II irete e baioneta e aos ltimos exames de
historia, portuguez e francez do curso preparato-
rio A aproveitametito dadas pelos prisionoros de gnerra
paraguayos que fre mentara a aala primaria all
estabdecida.
Nesta ultima leve lugar a distribuicao de pre-
' ios que eonstaratn de medathos com a vernica
de .Nossa Senhora da Coneecab-
Por portara de 16 do corrate fot nomeado o
capitao do eorpo de oslado-maior de segunda cas-
se, Josa Manoel Teixeir Ros, para o lugar de en-
carrilado do deposMe de artigo bellicos da cidade
te Sjjtbriei, na provincia de S. Pedro do Rio
Grande do Sol.
|uem fui ta efjcazmenta auxiliado, acabamos de
receber, d ras vasos que -bem pJom ser tomados
pelo balbucar da arte aramica do puvo subidi-
no primitivo, lmagine-se um fructo de sapucaia,
o l'ructo da Lecythis Pisorrn por exemplo, d-.-e-
Ihe urna ampldicaco do quadruplo ou mais de
seu dimetro, ligure-se esse fructo privado j de
seu operculo, com a sua coagenila aspereza o ir-
regularidade, e terse ha um d'ostes vasos, o ata-
nor dos dous que recebemos.
i Se conlnuarmos a fazer d estas acqu'isicoes,
ter por pouco o museu nadonal urna cdleccao
reheologica brasilera to corajdeta como nenhum
outro museu a ppMiie actual tueuie. >
- 21
Por caria imperial de 18 do crrante, foi natu-
ralisado o subdito lianoveriano Carlos Pedro
Tappe.
Por decretos da mesma data foram nonwa-
dos :
Commendador da ordetn de Christo, monsenhor
Etn seguida procedeu-su eleicao dos directo-
res para o bienio de 1867 a 1871; sahtram .Jet
Iss es Sr-.: conscihtiro AntOaio Nicolao Toleuli-
no, commendador Joaquin- Antonio Feriiaades
Prahairo, commendador Manoel Antn Airosa,
Dr. Jeroiiyn) Jos Teixeir Jtontor, Augusto Hr
|ierrTlh)inaz Joaquim Oa Silva.
entr- estes senhures lera o gaverno imperta
de designar o presidente.
O fundo eapttaI do monle-pio aeluaunewe d*
4,936:100/1 representado por o#> apobces da,
divida publica. No anuo prximo Hado fonda-
ram-se 206 pensoes, das paos 30-coi as anuida-
des remida.-.
O monte-po destribne actualmente a anana
animal de .'i;'i:7."^>;V'iiI, importancia- de oli poa-
ses. O numero total dos instituidores era em 18
deoutubro ultimo de 1,103, com pernees stane-
lecidas no valor de 1 "339:877*391.
24
Por portara de 18 do coi rente le nomeado
commandanle da fortaleza de S. Joo, na prona
da do Santa Calltarna, o capto graduado refor-
mado Agostintio Frand-co Colbo.
Por outra portara de igual data foi nomeado o
alteres reformado Francisco de Paula Costa^eem-
msudante da fortaleza de PooU Grossa, na. referi-
da provincia.
Por decreto de 21 de corrento concedWan-se-
as honras do posto de altero* do exerdto ao atie-
res do 53" eorpo de voluntarios da patriav Krao-
cisco Teixeir de Carvalho Reis, etn alteaban aos
relevantes servigos que presin na guerra- actuair
coatra o governo do Paraguay. ,
Por portan j de 22 urabeni do correte- foi de-
mittido Manoel- Vteira Passos do lugar de pm tetro,
e guarda dos edilicos da fabrica da plvora da
Estrella, sendo nomeado Antonio Luiz Uw Buss
para substitui-lo naquelle emprego.
Por decrejos de 22 do crrente:
F)i recondivado o bacharel Luiz Matloso Iltt-
que Estrada Cmara, no lugar de juiz inur.iripat
e de orpltabs do termo do Ntheroy, na proviada
do Rio de Janeiro.
Foi removido o juiz municipal e de orpbgas.
Alexandrno Leonel Marques Santiago, dos ic-mos
reunidos da Iraperatriz e Saula Cruz, na provincia,
da Cear, para o de Angra dos Res, na do-Hia
de Ja^lero,- por assim o haver pedido.
Foram numtailos :
u bftcharel Alexandre Celestino Fernandez l't-
nheiro. juiz municipal e d orphaiis do termo da-
Cabo-Frio, na provincia do lio de Janeiro.
O bacharel Manoel Jos de Castro M miern de
Barros, juiz municipal e de orpjiaos do termo de-
Mar de lltspauha, na provincia de Miuj.<:-
raes.
Os capitaes Joaquim Jos da Costa e Leonel AL
ves de Carvalho, mijores-ajudanles de ordens do-
cotninaudo superior da guarda nacional dos i*u-
nicipios de Lavras e Telha, na proviuda >Wt
Cear. J^.
O tenente Tlisopliilo Cavalcante de Lima, capt-
tao-jeeretaro-gerat d > mesmo commattdo supe-
rior.
O lente Cardira Ferrera Lima Verde, capitao
quarlel-inestre do mesmo supradito Ciraiiaando
superior.
loto Manoel de Arauj" Silva, capitao drargu
mor do mearan commaudo
Fez-se merco-:
A Jos .Vune* de Mallo, da do offleio de eson-
vao privativo do juizo dos fetos da titeada, di
provincia do Cear.
ranno paraguayo! Entre ellas ha urna inters
sanie menina de 14 annos que enloquecen.! Os
Srs. general Polydoro, conselheiro Paranhos e
cnsul Machado tomaram todas as providencias
para aliviar os soffrimentos dessas nossas infeli-
zes compatriotas, que 9erao, como as anterior-
mente resgatadas, encamrahadas sua provinda
natal.
Tambera vieram mnitos prisioneros paraguayes.
Os depsitos de vveres uecessarios para poder
o nossb exercito internar-se mais esta) qnasi com-
pletos, apezar da grande difflcaldade de navega-
cao em ros extraordinariamente baixos, e dentro
em poucos das espera-se quo Sua Alteza se p>-
nha em marcha para Igatemy, que a dtreccao
que Lpez tomara e o seu ultimo refugio no Pa-
raguay. '._. ...
As ultimas noticias vera a ser, portanio. arada
as conslaules do telegramma oflleial recebido ha
das.
Das repblicas do Prata nao ha noticia poltica
da importancia. Caso raro nesta estacao, linha
all havido violentos e sueeessivos teniporaes,
que causaran estragos em ierras e cons leraveie
avarias era umitas embarcacoes.
Cavalleiros da ordotn da S. Recito de Aviz; o
teneoto-curonel de cavallaria inamsi Lucas de Sou-
za. oraajor de iofantana Carlas Mag jo da Silva, o
capitt da mesma ara Luiz Antonia Ferrax J-
nior, dito de engonbeiros D. Ecgtuio Fraderico
de Los-ioSeilbt, e dito do estauo-raaior de arti-
lltaria TiOurco Hatio da Silva Tavacos.
c Coramunicm-nas da villa da Barra do Rio de
Coau-. era dala de 10 de aoembre :
< Nazarie Ferrera da Cruz, residenJe na villa
da Barra du Rio de Coalas, indo em das do mez
de novembro do rorrete auno encontrar urna
bniada, que havia comprado na termo da iia,>erial
villa da Vctr*a, de volta com a botada, pastando
no lugar Rexeado, termo de llhos, cima da. villa
S os 6 leguas, a alto se qnaixaram os moradores
desse lugar que estaba) sondo persegnidea horri
velmente pelos iodjos Macada, os quaes j ha-
vtam queimado doat casa o falo grande detrui-
cao oa roi>s, cortando cacaosiroa e flechando aa
pesioa qpo avh^aTam>^u3l^nJ) all ajgans *srt-lvida nde, patria.
' Por decretos de 18 do eorreuU: foraoa concedi-
das ao capilo da gnarda-nactonal da ptovracia
do Rio Grande do SuL Beraardioo Garca da Rosa,
mu aU*nco aos relevantes servteos que prestou
ua guerra acutal contra o governo do Paraguay,
as honras do posto da major do -xereito.
Foram transferid is, na conformidade das im-
periaes resolucSes de 4 do carrate, tonudas sob
coa-mita* do conselho supretco militar e das ix-
posicoes do art. ff t da lei r. 1588 de 30 deju
iibo ultimo, o 1* teaeate Luiz Carlos Brrelo IV
reir Pinto, e segundos teo*mtes Jos Bento Perei-
ra Tobas c Rayraundo Itibebo i Am .rtt, toaos
da arma de artilharia. esto para a de infamara e
aquilas para a da cavallaria.
Ferido por trea bala* no cooibale de 23 de
raaio de 1868, o brigadeiro An onio de Sawpaio,
sendo traaspet lado de Gorrie&tas para Bueno*-
Ayres falleoea n viagem e fui embalsamado na
ultima distas dda les, u&de coii o eorpo, al que
!ha cerca de dous mezes veio r.o transporte suort
para esta.cAne, ofm depositado na capaila do ar-
s/jiia! de gaerra. H >ntem, coa a stdecaoidade que
u acto naq^eria foi trasladado paca a tlba do Buio
i'sue o cadver do, valste a*ml, qne doeaa
DIARIO DE PERNftMBUCO
RECIFE, 30 DE DEZliVIBRO DE 1861.
Noticias do snl 4o imperio.
Hontem pola manhaa chegott o vapor inglez
Oneida. trasendo datas do Kio de Janeiro at 24 e
da Baha at 26 do corrente.
Alui das noticias que publicamos sb as ru-
brica- Parte Official, Extenor e Interior, encon-
trtinos nos jomaos mais as que seguem :
RIO DA TRAA.
Faziam-sc em Renos-Ayrea grandes prepa-
ratiios para festejar o proximo'ljpcsso da guar-
da nacional daquella provincia que lomou parte
na campanha do Paraguay.
L'ma connnissao de jornalislas foi Incumbida de
agenciar a suhsoripcao para taes festejos : o Dr.
loao Carfo3 Gmez, aceilindo a presidencia dessa
commissao, poblioou urna carta que dtu oeepaiao
seguinle respo-la do ex-fneral em chefe dos
exercitos alliados :
.. Sr. D. Joo Carlos Gmez.Mea caro amigo.
Li a sua caria glorificando a gaarda nacional
de Buenos-Ayres por ter comhaii lo a tyrania do
Paraguay, condenutando ao mesmo lempo a alli-
anija, de que V.aai roponsaveis os homeits de
Estado, por ter adulterado a luto, esterilsau I > os
sacrificio.
Aceito n respon^ahildade em meu nomo, e
repillo a glorificado quo portal forma se taz, etu
nome de muus couipanheiros de armas e de meus
irmaos de glorias e perigos, os soldados onentaes
e brasileiros.
s soldados argentinos seram indignos de ler
desafilado a morte ao lado de orientaes e braoMai
ros ; de ter derramad no lado dalles o seu sen-
gue no campo da batalka, se nn da do triumplio
recebessem covarderaente o laurel com qne sa
Ibes pretende cingir a fr-mte, desdo que com esse
mesmo laurel se pretende acoutar a fronte de
seas valentei alliados.
Se ha glora era combater a tyraaoia, dessa
Por va de Montevideo recebemos folhas do
Rio-Grande do Sul at 12 do correle.
No da 9 cabio sobre o porto um fortissmo lu-
fo. que causea alguns sinisiros.
Morrra afogado o piloto da escuna allomai
Harende, ancorada no referido porto.
lra-Pelotas foram assassinados por oscravns o
patro do hiate A'oto S. Jeronyin e o sota-capa-
taz da charqueada do Sr. Moreira. Os assassinos
foram presos. ^'
Por aviso datado de 21 do corrente foi conce-
dida ao continae da contadoria da marinha, M-
ximo Jos (Jonralvos, a exoneracao que pedio da-
q telle lugar.
Por deeretos de 18 do corrente forana removi-
dos a sen pedido:
O juiz de direto Manol da Silva Reg da oo-
raarr* da Jardtm, da provincia do Gear, para a
ir. Taearalu, oa de Pemambuco.
O juiz da direito J-i Cleraento Pessoa de Mello
da -wgundaparaa primdra das ditas comarcas.
Foram nemeadaa:
O bacbaret Aaaaio Gandid > de Alraeida e Silva,
juiz municipal e- da orpna is .lo tenno da Parahy-
butta. da pravioeia de S. Paulo.
O bacoacak Antonia Pereira de Abreu Jnior,
juia municipal e da de Meia-Ponte e Caramba, na provincia de Goyaz.
fleuftfcvo hontem a*semblaa geral dos; loatt*
ttudpt's do lt>nte Pa Geral, sob a presidencia
ifo Se eoajtelkfra Antonia Flix Martin. Foi,
apresentado eapprovalo o relatorip da dj-oet^
ra, relativo, anana Ba*) em 18 J
proxitru pass'adp.
glora partedpam os alliados.
i Se -e eonquistoa gloria not combatos, ossa
gloria de todos os quo contribu ram para eMes.
0 que mais sacrllcios fez, o que raai virtn-
de cvica o-tentou, o qne revelou maior ctw-tao-
cia, esse lera o direto de fallar mais alto ao re-
gressar a seus lares ; mas nao renegar os seas
inanes da hora suprema do pergo, nem aceitara
elogios costa delles.
t Apresentar ao soldado argentino urna cora
militar com um estigma para os seuS alliados na,
.campanha do Paraguay, nao giorifleacao, in-
sulto.
Explicar isto dtzeado que se honra aos que
embaieran) contra a tyrannia, uma contradic-
Cio, pois todos combateram contra ella, e mais
qae tod> desconhecer o verdadeiro caractec da
Iota, com desdonro das nacionalidades alludaa a
offensa da hwanidade e da moral.
Os sol lados dliadns, e mu partictilarmanS!
os arientinos, nao foram ao Paraguay derribar
uma tyrannia, anda que por acddeutc soja easo
um das fcundos resultados da victoria.
t Foram vingar rana oflensa gramita, asseg-
rar a soa paz interna e r-Xtorna, assim no pre-
sente orno n fnlora, reiaviodicar a hvre nae-
acao dos ros, reconquistar as suas fr-mtoin do
faeto e de direito ; fimos como argentinos, ser-
vindo a interosses argentinos, o do mosa mo-
do iriamos se, on vez de nra governo inoa so e tyrannieo como o de Lopes, foramns in-ruta-
dos mr ora governo mais Nfeeral o ctrilisado.
atipla insensatez e duplo crrae seria ampre-
header orna cruzada de redeinpcao om favor da
Paraguay, a despea dos mesrobs paraguayo*, ao
um intaresse proprto, se um sentime*' de panan-
^ tismo, ae ama necosaidade suprema nao bawaain
de oontafero. armado o aosso braco ao agrupar-nos ao po da.
\ nossa baudoira de tierra.

:
-

/
J
C
1
it in.rii'ivtn f-




Dtto *fe Pernambuoo Quinta feira 30 de Dezembro de I869.
1 Insensatez, porque nao se provoca urna grier-
exterior par mudar vioieaiamente a ordem de
a* estabeltcidfs as iepcndent'is, so-
liado quando, como .nos aeonlecia, estavamos
anda no pertgoso perodo ta reeoastrnccao nacio-
nal e da exaivimlia de nm gjverno livro.
Crime, porfo nao se va matar com balas
nm povo, nao se Ihe rao incendiar a* casas, nao
se fte vai regar com sango* o territorio, dando
orno rato de tal guerra que s vai derribar
ama tyrannia a desame de seus pfoprioe filhos
E' urna felicdade que, jRjhc livornos de fa-
zer guerra ao Paragnay, pudessemos ao mesma
lempo derribar un governo Carburo e lyraaoico.
Mas islo un simples aradcaat da lucia ; nao
M nem o. motivo non o pcnd^HoMOs deu som-
bra nos gloriosos combates que sustentamos.
So a neces9l(hdo impoaWa daefeza, o di-
reto de repellir a torga com a orca, e os intui-
tos patriticos que nos puzeram a espada na inao,
podeo justiear esta guerra peranto a historia.
Os resultados benficos que esta guerra ha
de produzir para os presentes e vindouros, so se-
rio fecundos com a condieao de fazer iastica a
lodos os que nclla totnaram parte, fazendo parlc-
cipar dellcs a mesma repblica do Paraguay sa-
crificada por seu tyrano.
A hiosophia, a huraanidade.a moral, de-
sertaran) de oossas ileras, se tivessemos ido
matar paraguayos, o destruir o Paraguay, para
remir um monta u de ruinas e um grupo de vul-
vas e orphaos, cobrindo com a bandeira da liber-
dade o ultima cadver do ultimo defensor da ty-
rannia.
J disse que semelhante futa, alm de insen-
sata, seria criminosa, e agora o repilo.
t para concluir de urna vez, direi qae o ba-
lalbao da guarda nacional da mioha patria que
tiver a covardiu de prejar em sua bandeara victo
riosa urna cora militar em que se insultemos
seas irmos de armas, deve devolver a seus alba-
dos todo o sangue que derramaram ao lado delle
na hora do perigo, c provar que foi o nico que
tero fortalesa nos campos t brnalha, e que per-
taace ao nico povo adiado que foi sabio no go-
veruo, patritico no parlamento, e viril pelo alen-
t qae a epnio publica Ihe infunda.
Ap zar de tudo isto, sou sempro sen amigo
aatigo e alTectuoso.Bart lomeo Mitre.- -Dezem-
bro iO de 18G9.
O r. J. Carlos Gmez replicou para sustentar
qae s os argentinos e orientaos deviam ter em-
prebondido a tarda de derribar a tyrannia de Lo
pez e vingar as olTeosas que fez aos governos do
nio da Prata ; e, considerando a questo sob esse
pjote de vista, diz :
O que tem que ver o comportamento militar
dos bra-ilciros com o acto poltico da allianca dos
governos ?
O toldad') brasileiro ba'.eu-se com bizarra, o
po*brasleiro coquiston a palma do sacrificio e
do beroismo. f> poyos e os soldados cumpriram
nobr* mssao comb.itendo um lyranno.
Estamos de acerdo.
Porvenrura foi a allianca dos governos que
deu o senilmente de honra aos povos e o osorco
varonil aos soldados ?
Porbentui\i pode a allianca tirar do nada po-
vos o exereitos. com tradiedes de piona, de pa-
triotismo, de ahncgacao e de energa ?
Nao ; tudo isso exista, tudo isso foi .plora-
do pola allianca.
Grandes temnnraes tinham-se dado na foz do
Rio da Prata e Paran. Xa noute de 10 para 11
de crreme cabio sobre a cidade de Buenos Ayres
um gran le fnrieao que cansn grandes desastres
no porto. Alguns navios s ilTreram Grandes uva-
lias, cutre otitms o vapor General Mrio que te
ve una verga partida, o vapor Proceder que per-
da a mezeu a e foi do encontr ao Guaran que
se acliava fundeado.
Na cidade, a forea do vent foi tal que cahiram
paredes, voar.m telhados, e as arvores desraiza -
ram-sc do solo.
Sabina de Bramos-A vres no da 10, as canh<%
noiras italianas Etna e Eicole com destino ao Pa-
raguay.
Em Montevideo os estragos causados pp|u
tufao Sao assiin narrados pelo Telegrapho Marti-
ma dessa cidade
O lufo qoe desabua s 2 horas da madruga-
da de boje (II) e que conlnuou ate s 4, causou
nos navios fondeados em nnssn porto avarias niais
ou monos consid reveis, de que nao podemos dar
unta detalladamente por nao termos anida rece-
blo infnnacoes da capitana.
Sabenio-, entretanto, que non ve um choque
entre as barcas francezas Clementine e Saint-
Cloud.
a A ultima, procedente de Marselha e que se
achaca descarriando, foi abrdala pela Clemen-
Une que a em nrron subre o costado de um na-
vio inglez, qiiebnndo-lba a popa e deixando-a
qnasi que a pique pela milita agua que laa.
Todos os o-Aireo,* envidados pelo capitn e
tnpolacao nn poleram evitar n sinistro.
A's ) 1/2 da manhaa foi avisada a capitana
de se adiar um navio enchinado no banco Inglez,
procurando aiisiar-se funja de velas, nao o po
denil i < A canhoi^Hfranreza Decide e um vapor de
guerra arneriir*C-hiraui em sen auxilio.
Alm i na>i"s sabemos que tambera sof-
frerain iinpula.uts avuias os seguimos :
un- : J".nri Muir e Ranibou ; ber-
gantn) br*$&o Pengum; os navios francezes
J. J. )n.v*ukr, .S. Olnf. Meteore, Jacqes. Ma-
genta, JiiuHmpar, Clnir, Fernandez, e Ma-
ritis Cesar ; i brasileirih Elvira e Malina.
No liojirio houvera tambera forte temporal
cansando grandes d"streo, temlo-se que lamef-
tar umitas desgrages, l> a morte de muitas pes-
suaa.
Sessenta e cinco rawhos cahiram sob a forga
do tuo, aliaitnram-se as paredes do theatro e as
da* nstaroes d estrada d'- ferro. No porto di>-
ram se varios sinistros, atTogando-se algumas pes-
soas.
Os vapore; ehegados do Paun, noiiciavam te-
rem encontrado w<*ei rio o vapor Emilia, reboca-
do, aun avarias consideraveis, o transporte bra-
sileiro babel eni-slhado entie o Paran e la Paz, o
Rosario com nina verga de monos o eutros navios
parados em diverso* pontos.
GOTAZ.
No jorn d Pivvincia de Gojas, de 19 de no-
vemlno, lemos seguinte :
i S. Exc. Rvma i-scn-ve, daido noticias suas.
da villa do Pitrocnio, onde chegou a 30do pas-
sado, c d'ondo pretenda partir ptra a cidade da
Bairagein, a 4 d > orrente ; e, desta cidade para a
d.i Catalao, a 12. D esper-mcas "de vir cantar,
era nosa cathedral, a 8 do proximo-.fuluro, a
missa pontifical da C^nceieao. >
s. PAULO.
Akancam a 19 do corren te as noticias rece-
bidas.
Em Santos fallecer a 12 o antgo negociante
daquella praca, commendador Antonio Ferreira
da Silva.
No dia 14 entrou wn Santos o tnconracad
Sifeado. procedontn do Paraguay por Sania Ca-
tharina, devendo seguir parbate porto logo que
receba carvao para viagem.
O Ypiranga, folha da capital da provincia,
interrompeu a sua publicaran no dia II
!j-so no Demcrata de Guaratinguet de 12
deste mez :
Fui assassinado com ama facada sobra a par-
anterior o esquerda do Ihurax, no bairro deno-
minado IV Irinha, termo desta cidade, no dia 2 d>
corronte, Francisco Uoreira Pombo, por Francisco
Lniz.
O delegado proceden no cadver ao compe-
tente auto, i
Do Crrelo Paulistano extrabimos o se-
gninle :
De Mogy das Cruzes esrreve um cjrrespon -
denie, qu a 5 deste mez, depois de longos padec
melos, falleceu o Dr Isidoro Emcaul, de origem
franceza, formado em direilo p.-la academia do S.
Paulo. Foi do numero daquelles que constitmiiam,
na linguagem escolar, a segunda tornada, isto ,
aquella que inmediatamente segnio-se dos estu
dantos emigrados de GUrobra, bem como o vit-
ante de Uruguay, Manuel Lihano, etc. O Dr.
Boiiraul naseeu em Pars no anno de 1796; HM
een a proflss > de advogado, que poucos proveitos
loe don. e por isso abracou e i>rofe-*orato, ensi-
aando grainraatiea latina e franceza em cadeira
publica, j em Iguape, j nesta cidade. Ha para
mais de oHo anuos, fura aposentado |ior um le-
creto da assemblea provincial, pi-rcebendo um or-
denado razodo 3-l3-'i3 mensaes, nico rerarfr'
eoin que He vio na iil'ima qoadra do -na existen-
cia. O finado tera nm fllho, capila Carlos Bou
ea il, que. como voluntario da patria, s -guio para
os campos do Paraguay. O Dr. Boucaul viven pobre
honradamente, e deixoo familia numerosa e
subnnrsi em profunda miseria.
c Na fazenda de 8. Lonrenci. sita no distncto
de Piracicaba e pertenrente ao Sr. commondad'r
Lniz Antonio de Souza Barros, descubrise se-
guiifio nos informam, na oera*iZo em que serfez
ama excavado nao moito profunda, uipa foatc oa

* t ,'---------------------
vestigios de una fon te de petrleo' uto ntiito dis-
tante do lugar excavado.
0 liquido manava lentamente, em qnantidade
relativamente abuudaute, no mei de pedras all
amuutoadas, o por uma-amostra rocolhida no la-
gar o Irazida a esta cidado parece oslar hoje veri-
ficado ser o precioso oleo indicado.
E' mais urna fontede riqueza, que talves den-
tro em potiro (Mitej expHraa, vhi otaigurcs :
riqueu icil e de inmensa vanlagen paja a pro-
vincia, razao porque bem bom seria estudar o
facto que apootamos, e>por ello chega resulta-
dos mais cmplelos a rspeito. j
t A amostra irazida'a esta cidade vimo-la uo
esubelecimenla coaime/cial dos Srs. Rudge &
Steidel.
c R' interessante o aaguinte, communieado de
Mogv das Cruzes a um jornal desta cidade :
< O arroio YpvtagnMinade tul anorte; rega
o lado occidental desta cidade e paga ao Tiel o
tributo de suas aguas. Polo valle, que aquello
corrego vai percorreiido ai sua foz, d^e vista
de arvoros graciosas, floridas e de enredicas po-
voades de feslics variegados.
t Entre os habitantes rbeirinhos a perspectiva
depara a magnolia polijpetala, al va de nev, que
all nasce espontneamente : a arvore que a pro-
duz de forma esbelta e regular. Vi dous indivi-
duos, o dellcs colhi quatro lindsimas magnolias,
de nm perfume que nma como fusao da fra-
grancia do meo e do caj da praia de S. Fran-
cisco, em Olinda. AITlruiam os botnicos que o
lypo magnohaceu originario da America Septen-
trional c Asia Oriental: o facto, porm, que cima
exponho amplia a patria daquoile genero, por-
quanto a magnolia habita espontanea un trato da
America Meridional. >
L-se na Gazta de Campias de 12 :
t Antehontem a sociedade de dansa Unidoe
Progmso, representada por sua directora, que
composta dos Srs. major Joaquim Xavier de Oli-
veira, Joaouim Quirino Smoes, Carlos Quirino
Simots e Augusto Cesar do ascimento, apresen-
ion um requerimento ao Sr. juiz dosorphos offo
Tecendo o preco porque fui avahada a escrava me
nr Joanna, parda, no inventario de Joo dos San
tos Camargo, atlm de ser' a- mesma conferida carta
de liberdade, sem eondicio alguma. Este facto
de si mesgio se impSe e acha elogio no intimo de
todas as almas bem rormadas; narra-se, nao se
commenla. Dizem-nos que o iniciado da idea foi
o Sr. mejor Oliverra, que assim dea mais urna pro-
va do seu carcter bellamente apreciado.
RIO DR JANEIRO.
Eis as noticias commereias da ultima data :
Indurado .transases em cambio effectuadas
boje, menos qne regulares sobre Londres a 19 '/i
d. papel bancajio, o a 19 3/i> i9 v e 20 d, papel
particular, e sobre a Franca a 488 e 483 res por
franco, soramam os saques para o paquete Inglez
Oneida :
Sobre Londres cerca de a* 253,000 a 19 "2
d. pa[iel bancario, e a 19 Vs, *9 Vto 19 Vs 20 d-
papel particular.
Sibre Fraorp cerca de frs. 1.060,000 aos ex
tremos de 492 a 482 ris por franco.
Sobre Hamburgo cerca de M/B 32,500 a 900
ris por M/H. .
Sobre Lisboa e Porto reaulou o premio da ta-
bella que demos Da nots* Revista de hontera.
Negociaram-se boje 120 apolices do empres-
timo nacional de 1868 a 80 de premio. >
A lf 1 corte renden de 1 a 23 do
Crreme 2,G0i:984327.
Estavam carga para Peritambiico: brigue
brasileiro Santo Amaro, barcas portuguezas Aforo
Sympathia e Flix.
O vapor Citar devia sahir, para os pnrtos do
norte do imperio, no dia Io de Janeiro as 10 horas
do dia.
O vapor americano SoufA-.lmer/ca deva par
tir, para New-York pela Babia c Pernambuco, no
dia 2o do coriente.
Sahiram : a 15, patarho inglez Rnwena para
Pernambuco; a 16. brigue portuguez Amelia dem,
e brigue^ dinninarqnez Mermrius paraoCear;
a 21, g<{lera porlugneza Not'n Fuma 11 para o
Maranho ; o a 23, patacho inglez Lizzie Garruw,
para Pernambuco.'
BAHA.
Pelo 3. districto da provincia achavam se
eieitos: Drs. Romualdo A. de Seixas, Ramiro
Alfonso Montairo, Pedro da Cosa e Abren, Pedro
de Aranjo de Argolo Ferrao, Antonio Joaquim
'Correa lie Aranjo, Emygdio loaquim dos Santos,
ti-ueiite-corniel jjo Gmeilves Mirtins, Bernardo
do Coutj BruinJHbclardn Xivier Alvos.
Fulleceu f|lr. ein medicina. Francisco da
Cunha o (astro.
A alfandega 'renden de 1 a 23 do' corrente
7o7:7005650
Sabio para Pernambuco, a 22, o patacho n
glez Sydney & Jane.
PERNAMBUCO.
REVISTA D1AKIA.
MINISTEIUO DA FAZBNDA.Por este minist.'-
no fui publicado o de reto n. 4440, em 22 lo
crrente, dispuudo assim:
Usando da autons-.igio conferida no* art-t. 23
4o da lei n. 1177 de 1) de setembro le 1852, e 41
da de u. l'07 de 26 de setembr.i de 1867 era vigor
pe > arl. 1 do decreto o. I75U de 20 Je ou-uino
Uu crreme anno, hei por bmy prologar at o tiui
de dezembro de 1870 as JisI i-icoes do decreto
u. 631 de 27 do marco du ifGtt, que por mi tem
as eubarcacoes estrageiras fazer o servico ile
ira os 1 ior te costeiro entre os porios do imperio em
|ue iiouver alandegas.
MINISTERIO DA JST1CA.Por este ransb-ro
foi expe'diilo o segumte aviso em 30 do passado,
subre cusas:
lllui. e lixra. Sr.Em ofilcio de 16 de oulu-
bro ultimo submeiteu V. Exc. approvacao do
governo imperial a decifo que deu consulta do
joiz municipal e de orphaos do termo de Itajub,
leelarando quaes a? cusas que levem ser conla-
Jas a um curador tn Utem que assistio a ura in
ventano.
Appruvo a soluc.au por V. E c. dada, a quai
est Je couformidade cora a doutrina do aviso
u. 328 de 29 de julho de 1861. Os curadores
geraes e os curadores 'n Utem, alm dos emolu-
mentos du arl. 80 do r giiuento de cusas, s
perc^bem os de advogado?, na forma d.i art. 8.1.
combinado com o art. 77 do mesinu regiment,
quando seus curatelados sao vencedores, satisle,-
tas as casias pelas partes vencidas; sendo us
inventarios e partilhas os intero-sados obrigaus
as cuss pro rala, nao lia de quera os curadores
pOSam hver einulmne 'tos.
COMMANDO DE NAVIOS.-Por portaras de 13
do crrente foram noineados. o epilao e fragatti
Joaquim Jo- Pinto coinmandanto da corveta guerra Vital de Olivcira, e o capitn da mar v.
guerra Arthur Silveira da Multa curaraandante da
crvela de guerr 1 Nictheroy.
VISITA DO PORTO.Pelo ministerio da justica
foi declarado, era 23 do crrenle, em resposta ao
seu ofilcio de 29 de novembro ultimo, que nao
pode ser approvado o pedido do ebefe de p.licia,
de um cscaler privativo para o servico da visita,
por- nao periniuirera as circumstancas do pait
augmento de d speza; cumprindo a essa presi-
dencia determinar que o mesmo servico conlrau
a ser feito no oscler da saii le ou no da aifande
ga, se julgar que neste os inconvenientes ou em-
barazos sao menores : o que devera communicar
a ota secretara, alim de solicitar-se as necessa-
.rias urdens do ministerio da fazenda.
VIAGEM DE INSTRUCQAO NAVAL-Acha s?
designada a crvela de guerra brasileira Nictheroy
para seguir em viagem de rasirucqo, com o
guardas mariuhas.
MLHERES MEDICAS. No Rio de Janeiro
pre-taram exames de preparatorios, para se ma-
tricularen na Faculdade de Medicina, dnas se-
nhoras brasileiras.
CRVETA PARAENSE.Este vaso da nossa
armada chegou a Baha, prucedento de Pernam-
buco, no da 23 do corrate.
PASSAMENTO. -Acaba de fallecer em Londres,
com 72 annos uo dado, o sr. Tmimaz Fieldcn,
eoncessionark) da itluminaco a gaz desta cida-
de. Avalia-se em 50 mil contos de ris a sua
fortuna.
CONDECORACOB3 ESTR\NG8fRASPelogo
vern 1 de S. M. o re da dalia acatum de ser agra-
ciados o Exm. Sr. Dr. Manuel do Na*e>mento Ma
chadoPorlella cora oofficialato daord-ra daCo a
da Italia, e o Sr. bario da Soledadc com o habito
da mesmi, pebn ser c >s que prestaram, este como
vic-consul da mesma na.'ionadade, e aquello
como presidente da provincia a tripolar;! do va-
por de guerra italiano Guiscard, que aqttJ o-teve
110 romee/) deste anno, a cujo bordo se desenvol-
ver a febro amarella.
TRANSFERENCIA DE FK3T.V. Em conse-
qm-ncia de motivos ,ioderosos, foi transferida para
od2 le Janeiro a festa do Sonhor doBomllm,
que se venera na sua igreja em Olinda, a qttal
estiva annunciadi para o dia 1.
ASSASSINATOS. No districto de Cupcly, do
tormo do Cimbres, em 29 de novembro, foi a'sMS*
sinado, com um iro de emboscada, um individuo
coiihecido por Joo Dondon, atribuindo a autora
do crime Silvestre Mnitelro da Rocha, cunhdo
ua victima, morador no termo de Draque, ira
onde se eraJio. A polica instaurara o processo,
e promova a captura do criminoso.
No dia 7 corren! > infla as?assi
nado, 110 loApint, (BHguezia de Alagiia de
tuxo, o mspflpr do qulvUrao desse logar, por
anoel Francisco de Siqueira, conhei-ido por Ma-
oel Xico, o Joaquim Marques de Azevedo, os
quaes se achara homisiados.
CAPTURAS IMPORTANTES. Petodolegado de
villa Bella foram capturados, e recomidos respec-
tiva cadda, Francellno Herraenegildo de Souza, o
preto Jos escravo de Manoel de Sa Msranhao, e
ama escrava fgida qne viva cora aquella preto.
O primeiro est sendo processado por crime de
roubo, o os outros dous como aucloies do assassi-
nato do capilo Rufino Gomes Tavares.
CADVERES ENCONTRADOS. Na fazenda
Etcadinha, do termo de Villa Bella, foi encontra-
do o caeaver do preto And re, escravo de Victorino
Lopes do Barros, que se verirlcou ter-so suicidado
por haver o preto Jos, cima referido declarado,
depois de preso, qne estivera bomisiado em casa
de Antonio desde que commetleu o assassinalo.
Do rio Capibaribc foi tirado, no da 27 tarde
o cadver de Bernardiua Mara de Senna, que no
dia anterior se alTogara na freguezia do Poco da
Panella.
DIXHEIR0. 0 vapor ingle* Oneida trotwe as
seguimos somnias para :
Poreira Carnelro & C...... 2,000
Lindera Wevdman 4 C..... 1.100
Augusto F. de Olivira & C IfiOO >
Mills Lalham 4 C....... 1,000
Adriano, Castro & C...... 50 >
Monieiro & Irmao...... 200
J. Carrero........ 60:000*000
Poreira Carneiro & C..... 18:711^670
Marques, Barros \ C..... 14:000*000
Ferreira &. Loureiro...... 8:540/000
Keller &. C........ .6:049/000
Theodoro Simn 4 C..... 1:000/00
O vapor brasileiro Paran levon de nossa
prata:
Par Macci........20:500/000
Balda........40:800/000
Rio deJapetro.....11:625/000
e mais 547:000*000 em notas o ouro para o the-
suuro nacional.
NAVIO ENCOSTRADO. A barca norueguense
Rifonde. chegada hontem ew-Port, failou no
dia 24 do crrente, na lat. N. 6* e long. O. de.Gro-
enwich 27 38' com a barca bollandeza Auslralie,
indo da llollanda para a Iha de Java, tendo a sen
bord diversos pasugeiros.
LOTERA.A que se acha venda a 132, a
peneficio da igreja de Nossa Senhora do Ampa-
ro de Goianna, que corre hoje.
PASSAGEIROS.No vapor inglez La Plata
vieram da Europa : -
H. Oetlli, sua senhora o I criada, Samuel Bela
Ferdinands Z Jos Dantas,-Gregorio Paes do Amaral, Umbelina
Libmia Lomos Gnimaiaes, 5 llliios e 1 criada.
FranciscoJ. de Azevedo, Joaquim Ferreira Valen-
te, paire Francis Henry Roughton, Francisco Luiz
de Olivcira Azevedo, JoV) Evangelista de S, Ma-
nuel Perps y Per>z, Sebastio Goncalvcs Bastos,
Joaquim da Silva Pmenta.
Viudos do Ro de Janeiro e Babia, no vap^r
Oneida :
Jos Vieira Gaspar, Nicolao Tolcntina c 56 em
transito.
O vapor nacional Caruripe trouxe deafaccio
a sen bordos seguintes:
Antonio Peixoto da Cunpa, Man el Viridano
Pinho o seu e>cravo, Dr. Domingos Jos Gongalvos
Punce de Leo, sua raulher um escravo quatro
pracas, dois recrutas, un sentenciado esua.rau-
lher, Dr. Jo> Antonio nahia da-Cunha, Bayarda
Leopoldo do Souza Magalhaes.
CEM1TERIO PUBLICO.omuario d6 dia 28 do
corrente : '
Luia, ernamhnco, 3 mezes ; convulsoes.
Juo, Pernambuco, 6 mezes, S. Jos ; desen-
tona.
Virginia Mara Posgidooia, Pernambuco 39 an-
uos, cacada, Ba-Vista ; perilnile.
Benedicto da Costa Puibeiro, frica, 50 anuos,
solteiro, S. J-i> ; lariogite.
Juo Paulo Mumz Tavare-, Pernanibuc,' 84 an-
nos, rasado, Boi-Vi>ia; b-ouchite chroflicn.
Luiz, Pernambuco, 3 :n-L^, VarV.ei ; tuse con-
vulsa.
- Florencia da Silva dos Santos, Peiuambueo, 70
anuos, solieira, Recife ; ueritoinie.
29
Floroncio Jo- de Molla, Pernambuco, 3a annos
casado, S Jos ; desrateria. -
Gandid 1, Peina nbuuu, 4 anuos, Santo^monio,
tolano.
Osear, Pernambuco, 3 \\i aunos, Boa-vsta; gas-
tro latente.
Isabel, Perna.nouco, 2 ajHMt, Re^ifo ; bron-
eollo.
Gertrudes Mafia d) Rosario, Periiarabuco, 40
anuos, suilcira, Boa-vista ; tubrculos pulmonares,
Luiz do Franrja, Parnaubaco, i anuos", Boa-
visla ; congeslao cerebral.
Hermiua, Pernambuco, 2 mezes, S. Jos ; es-
ptwr.
Amia Sabina dos Santos, Pernambuco, 20 aunos
casada, B a-vsta ; ttano.
Isabel Mara do Souza, Pernambuco, 3 mezes,
Santo Antonio ; espasmo.
Argentina, Pernarab ico, 11 meze?, Boa-vista ;
convulcoos.
Joaquim, Pornambuco, mozos, S. Jos ; con-
vulcoe.'.
SC
PUBLICACOES A PEDIDO.
Ao publico. (-)..
No Liberal n. 32 de II do corrento um o sei
qaern, sem duvida, a'gura meu inimgo gratuito,
alevosaraenle aggredio-me, perguntando, se eu
esta va disujsto a continuar ainda no exorcicio das
funec^oes do cargo de subdelegld deste districto.
depois que soffri urna bofetada em represalia dos
insultos qne diriga a um liberal de pundonor.
Como pedia a mlnha d'gnidade, como pediam
mesrao as conveniencias de familia, a una 'al pro-
voeaeao eu tratei com o mais soberano despreso,
deixando ao meu desleal adversario o prazer sa-
tnico do alterar ossencialmente um facto, passa-
do no recinto da familia, smente com o tlm de
denegrir a muha reputacao e de me tirar o pres-
tigio e forca moral de que gozo como funecona-
rio poblico.
Mas este mea silencio, bem longe de servir de
licito ao meu vil epequenino adversario, pelo con-
trario aimou-o a proseguir pela imprensa em
suas injurias e calumnias contra a minha pes-
sa ; pelo qne e lo que segunda vez appareee 110
o. 40 do citado jornal de 21 deste mez, acuitan-
do-me de insolente, de fllho maereado e desobe-
diente, do autoridade violenta e arbitraria ; e al
chega a asseverar que ea prendera a um pobre
ceg de nomc Menique Antonio, s pelo simples
Tacto de me nao ter tirado o chapeo-
Esta insistencia do meo adversario deixa bem
transparecer, que o seu intento nao entro, amo
provocarme a urna polmica, nao s desagrada-
vei e inconveniente, a que eu por certo nao posso
prestar-me, prezando, eomo prezo, a minna dig-
ndade e os lirios de minha educaca i; mas tara
bem a urna lacla toda desigual, visto como kria
de bater-me com nm adversario, que sem ter a
coragem de apresentar-se ostensivo, se esconde
eovarde, debaixo da capa de pseudonymo.
Assiin, se o meu adversario, quera quer que seja,
qne to fcilmente procura ferir-me na reputacao
le cidadao e de autoridade, anda tem algum res-
to de bro, deponha a mascara e se aprsente de
vizeira erguida, que en Ihe pro netlo a f de ho-
niera, qne ba de achar-me na estacada, prompto
a dofender-me do suas aggressoes e a vindiar
pelos meios legaes, quaesquer injurias e calum-
nias, quo em sua sanha oasr assacar-me ; do
contrario, pode continuar em saa carrara, certo
de que de eutra arma nao tnarei, senao do des-
preso qoo a quo merecem os vis detractores. O
publico, e sobre tndo os que me conbecem, que
me facam justica.
Engenhc Bo:n Jardlm, 23 de dezembro de 18(39.
Jernimo de Souza Leo.
Justa reclamaCrV).
Pede-se encarecidamente ao 9r. engenheiro che-
fe das obras puWiras digne se rWtar unas vj tas
(*) Por afjencia de materia deixou hontera de
ser publicado o presente artigo.
A redaccao.
para, o ultimo lanco da estrada da Escada, cujo
rmpedramento apenas foi feito al a ponte sobre
o rio Carana, quando devia ser construido, ah a
entrada do engenho Gurja, onde irada o actual
transito, que dista da punte ioO bracas, pouco
mais ou menos.
Einbnri tenha-se parado com a construccao des-
ta estrada, porque estao tirando nova planta, pe-
dimos. EpnXpresidente da provincia, que polo
meoos'mand empedrar e conservar, ahi a entra-
da do engenho Gurja, visto como tem sempre do
icar ah, embaya se realiso daqui a meio secuto A
projectada mudanca, por ser boje feito o grande
transito at a referida entrada.
Nao convm que deixe se estragar un pndaco
da estrada queeustou boro dinlieiro da provincia
por falta de etnpedrainenld; e conservacao, e sof-
frerem os agricultores grande prejaizo na estaco
invernosa, porqne sabe multo bem o Sr. enge-
nheiro, que urna estrada feta e nao impedrada
torpa-se intransitavel pelo Invern e o Sr. enge-
nheiro sa o que nao temos ontro desvio nesle
lugar.
27 de dezembro de 1869.
Um agricultor.
COMMERCIO.
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Descosta leltras di praca taxa a con-
vencionar. %
Recebe dinheiro em conta corrente e a
praso Gxo.
Saca vista oa a praso sobre as cidades
principaes da Eropai tem correspondentes
na Bahia, Baenos-Ayres, Montevideo, New-
9 New-Orleans, e etnitte cartas de crdito.
para os mesmos lagares.
HUA DO COMMERCIO N. 36V
Zoeiedade baucaria em com
mandita
Theodoro Simn fy C,
Compram e vendem por conta pro-
pina metaos, moedas nacionaes, e estran-
?eiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e outros li
t ulos commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaccoes, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes..
Receb m quaerquer quamias em depo-
sito, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Pelourinho n. 7
ALFANDEGA
tendimeuto de dia 1 a 28. l,265:3ii*4TO
dom do dia 29..... i9:969879
1.3IS:3143i8
MOVIMEN'TO DA ALFANDEGa
'olumes entrados com fazendas
dem dem com gneros
Voluntes sabidos com fazendas
dem idem com gneros
6ii
762
------1W3
153
130
----- 283
Descarregaiu hoje 30 de dezembro
llarca inglezaSeraphinamercadonas.
Vapor inglezAlhamhr-idem.
Escuna dinamarquezaAdelaide -idem.
Brigue mglez.Worj/haeitlho,
Drigue \ng\ezMaliulde -bacalho.
Patacho inglez Idaf.irinha dn trigo.
Brigue inglezCambrwn Relie-'diversos gneros.
Brigue portuguezTriamphoidem.
Sumaca hespanholaJpiacitu vinhos.
Brigae oglcz Edith Mary diversos gneros.
Brigue, americanoEcho farinlia de irigo.
Sumaca hespanholaJJnloresvinhos.
Brigue portuguezAlexandre Hercnlano -diver-
sos gneros.
Barca portuguezaSeguranc-adiversos gneros.
Lugar inglezgnil Tituisi lein. .
Barca inglezaMnranluioidem. *
Brigne inglezCrmunr -idi-m.
ti-.CEBEnOHlA DE KE.NDAS INTERNAS GI--
RAES DE PKRNAMBIICn
iHooimento do dia 1 a 28. 58-473243
Idem dp dia 29 4 016*771
02:510*014
CONSLAIH PR-iVINCIAI.
dendimeato do li-i i a 23. 182 0564018
ide.i do da 29 7:99147.18
190:0Wk68K
MOVIMEMTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 29.
Rio de aneiro e Baha 6 das, vapor inglez
Oneida, ae 2.284 toneladas, comtuandaule Reeks,
eqnipageiii l-.'0, carga varios gneros ; aAdain-
sou Huwit & C.
Penedo por Macei18 horas, vapor brasileiro
Cururipe, de 222 tonelados, commandante Jos
II.-nriqiie da Silva, equipagein 17 ; coinuanhia
Pernambucana.
Babia12 dias, patacho ingloz Wine, de 153 to-
neladas, capitao Donald, equipagein 7, era las-
tro ; ordem.
New-P.irt38 dias, barra norue/u-m^o Rifando,
At 257 toneladas, capitn C. D. Eberhardt, equi-
pasen! 10, carga carvao ; a Thornaz JelTenes
4 C.
Navios sahidos no mesma dia.
Li*baBrigue p uiugu-'z Soberano, capitao' Bu-
giganga, carga assucar.
IdemBnguo portuguez Relia Ftgucircnse, capitau
Sobrinho, carga assucar.
Rio Grande do SulBriguo brasileiro Mauri-
cio, capito F. A. de Oliveira, carga assucar e
agurdente.
MarseilleBarca franceza Reine Margaret, capi-
tao Danet, carga assucar.
HavreBarca franceza S. Andr, capitao N'edele,
carga algodo e couros.
LiverpoolBarca norueguense Atlantic, capitao
Jocobsen, carga a Igodao.
Portosdo SulVapor brasileiro Paran, comman-
dante J. do S. Moracs, carga dilferontes g-
neros.
Southamplon e porros intermediosVapor inglez
Oneida, comruaudante Reoks, carga varios g-
neros.
DECLARACOES.
Inspecqao do arsenal de
marinha.
Faco publi o do ordem do Exm. Sr. inspoctor
que os dias 28 e 30 do corveule mez, e 3 de Ja-
neiro prximo vinlonro est venda em hasta
publica, na porta do almoxarfado desta reparficao,
das 11 horas da manhaa ao meio dia, o casco da
barca que servia de quartel a companhia de
aprendizes marnheiros, avahado com os objectos
fixos em quinhentos mil ris.
Inspoccao do arsenal de marinha de Pernambn-
co, 24 de dezembro de 1869.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
dos expostos e oulra do coegio das orpbaas, vis-
to nao poderem ellas continuar nit- respectivos
eslabeleciinentos, por ja terem mais de viple* um
annes de idade, eomn dispde o art. 83 do com-
promisso, e nao terem paremos que as roclamcm.
. Secretaria da anta Gasa d"e Misericordia do
Recife, 28 de dezembro de 1869.
-*!:
ft^scrjvas
P. \\. de Souza.
Oonsu ado provinciel.
Pela administracao to consulado provincial faz-
se publico aes respectivos contrihnntes,. qm-
d'amanha por dianto cometa a correr o prazo
dos 30 dias uteis, marcados no art. 21 do regula-
nento de 16 de abril de 1842, para a cobranca
nocca do cofre do primeiro semestre dos impos-
tes da dcima urbana e de 8 por cente sobre a
renda dos bens de raz perrenc' ules a* corpora-
cSes da m5o murta, no corrente exerciem de 1869-
70, inenrrendo na malta de 6 por rento aquelles
d^js contribuintes qae no os satislizeiem nesso
praxo.
Cnnsnlado provincial. 30 de novembro do 1869.
Servindo de administrador,'' A. Witrumo Pinto
Randt'ra e Accioli aWatmncellos.
A Illina. junta da Sao Ca-a dia do Recife contrata com os pais de familias,
que qnizerem tomar por contrato pai a o servico
interno do suas casas, duas mogas, urna da casa
Tribunal do comincrcio.
--Por esta secretaria se faz publico qne por en-
gao se decienta na acta da sessao de 27 do cor
rente terjrq Jos Joaquim da Costa Maciel e Jos
Pires Agr snbmettido a registro o distrato de sua
sociedade, sendo pelo contrario o seu contrato
social.
Secretara do tribunal do.cominercio de Per-
nambuco, 29 de dezembro do 1869.
Servindo de official-maior
. Z Reg Rangel.
Para Lisboa
pretende seguir com a maior brevidade o patacho
portuguez MarignnaJl, recebe carga o assage-
ros, a q:iern offerece os rm llioros ciunmodps: tra-
ta-se com os consignatarios Tnomaz de Aqnino
Fonseca 4 C, ra do Viga rio n. 19, 1 andar.
Ptfraorrto
seguir cen a possivel resleza a barca portugue-
za Harmona, do I'marcha, para o que tera gran-
de parle de sua carga engajada : para o restante
e passageiros, trata-se aun os consignatarios Tilo-
ma de Aqeino Fonseca di C, na ra do Vigarin
n. 19, Io andar.
Juizo dos feitos da fa-
zenda nacional
Da djta deste ha tres mezes se proceder na
sede da comarca de Goyanua a venda em praca
pnblica deste juizo das comprehensdes do extracto
vinculo de Iiamb, sendo a coraprohensao deno-
minada Engenho Novo, avahada por 50:0004000 ;
a denominada Combe avallada por 9:0004000 ; e
a denominada Pangaui avahada por 15:0004000 ;
e as escravas Dainiana, avallada jior 1004000, e
Aquiliua, avallada por 200^000, de conforraidade
com o edita! publicado.
Recife 13 de dezembro de 1869.
O escrivo,
_____________Luiz F. B. de Almeida._______
O fiscal da fr guezia do Santo Antonio con-
tinua a avisar aos denos de estabelecimentos, que
mandem varrere irregar, das 6 s 7 horas da ma-
nhaa, as tostadas de suas casas, sob pena de se-
rem multados, como determinara as posturas da
[lima, cmara municipal. Outro sim, prohibido
lancarem agua das varandas a qualqner hora do
dia ou da noite, quer seja limpa, de sabo ou p-
trida, sob pena de screm os infractores multados
em 6-5, 84 e 104000, c.mu rnarcam as postaras.
Consulado provincial.
Pelo consulado pro /racial se declara a quem in-
teressar po'sa, qne foram comprehendidos no res-
pectivo lancamento para percepcao do imposto de
53 por escravo nesta cidade, no*corrente anno-Q-
nance ro de 1869-70. todos aquelles es|eravos que
anteriormente se aeham matriculados para o im-
posto de 55 por escravos ganhadores e emprega-
dos em armazens.
Consulado provincial 29 de dezembro de 1869.
O administrador,
A. Carneiro Machado Rios.
COR GERAL
Relaio das cartas seguras viadas do centro para
os senhores abaixo declarados :
Andr Avelino Pereira Silva (2), capitao Antonio
Gomes de Campos Piuco, bario de villa Bella, Car-
los Francisco Soares de Brito, Dinamerico Augus-
to do Reg Rangel, Francisco Canuto da Bnavia-
gem, Dr. Joaquim Goncalves Lima, Dr. Jos Joa-
quina do Oliveira F. n-eca, Manoel Francisco do?
Santos Maia, Samuel de S Montenegro.
AVISOS MARTIMOS.
Companhia americana e brasi-
leirade paquetes a vapor.
At o da de Janeiro esperado dos portos do
sul o vapor americano South America, o qual de
pois da demora do costme seguir para New-
Y..rk, locando no Para o S. Thnmaz : para fretes
h passapons trata-se com os ag-ntes HVnry Forster
& C, ra do Coinmercio n. 8.
Eio de Janeiro
Para n referido porto pretende sabir com muita
brevidade o briira nrasilriro Adelaide por ter par-
te de seu carreirameiito engaja lo, e para o >|ue
Ihe falta eescravos a frete, trata-se com o consig-
natario Joaquim Jos Goncalves Beltrao, ra do
Commi-rcio n. 17.
COMPANHIA PHNA.V1UUUANA
DB
\'sveso costeira por vapor
ParahylDa, Nata', Macu, Mussof, Ara-
caty, Cear, .Mainlh, Acarac 8
Granja.
-'1?lb O vapor Ipojuca, commandame
M rara, seguir para os porto-
'atH cima uoda 31 do correnteas 5 hora
la tarde. Recebe carga at o dia 30, encom
nendas, e passageiros e dinheiro a frete at as
! horas da tarde do dia da sabida no escripto-
rio no Forte do Maltas n. 12.
Rio Gnunie < 8ni
O pafebo nacional Rempca prnpoesc a seauir
viagem ao porto cima era pannos dias, porTsso
rei-ebe carga a fren- rommorto : trata-se com Bal-
thar Oliveira & C, ra do Vigario n. I, Io andar
Klo C'raudc lo sul.
Para o porto cima pretende seguir com muita
brevidade o brigue nacional Amel.a, capitao Mi-
gad Vieira, por ter parte da-arga engajada epara
o resto que Ihe falta irata su cmn os consignatarios
Antonio Luis de Oliveira Azevedo & C, ra da
Cruz n. 57, 1. andar.
Hlodetlaaelro.
Para i porto cima pretende seguir cora muita
brevidade o briguo brasileiro Izabel, caqito Jos
Marques Vianna, por ter parte da carga engajada
e para o resto que Ihe falta trata-se com u- con-
signatarios Antonio Luiz de Oliveira Az.vedo i *,
rm da Cruz, n. 57, 1. andar.
Porto por Lisboa
Com a maor brevidode vai sabir pora os refe-
ridos porlos a barca portugueza Claudia, do pri
rneira marcha e primeira classe, por ter auiaior
parte da carga prompta, c para o reslo ijue llie
falta e passageiros, trata-se com os consigna-
tarios Veras & Barbedo, ao caes da alfandesa ve?
Iha n. 2. *
Porto.
Vai sahir breve a barca Laura para carga e
[lassagciros, trata-so com os consignatarios Corva
bo & NoRueira, na ra de Apollo n. 20.
COMPANHIA PERNAMBCCANA
DE
\:ivos<-o coftieira por vapor.
Macei escalas e Penado,
"jl^ O rapor iqvt, commandante Co--
y^\ ta, seguir para os porros acuna no
iSHBB dia 31 do crrante as horas da tar-
de. Recebe carga at o dia 30, encommendas.
passagense dinheiro a frete at as 2 horas da
larde do da da saluda ; no cscriptorio do Forte
do Mallos n. 12.
Vende-so o patacho nacional Taima, forrado
de cobre, prompto a navegar, cujo navio chegou
ha pouco do Rio Grande do Sul com carregaraen-
to de carne secca, e se acha fundeado no ancora-
dturo rc-pectivo, aonde pode ser examinado pelo.-
prctendentes : a tratar cora Jos Victorino de Re
zende & C, ra aa Cadeia n. 52, 1" andar.
LEILOES.
LEILAO
da rauito acreditad- confelaria o cnnjijBeta-
mente o afamado Caf Francs, sito
ra da Impcratriz n. 15, a 31 do cor-
rente.
O agente Oliveira far leiio em um s lote, do
grande e.stnbeleimuento sui>ra, mobiliario c ador-
nado, com tudo quanlo podia torna-lo admiravt-l
como aprasivel aos concurrentes n'um dos mai-
bellus bairros desta cidade, tornando-o semrlhante
aos melhores da Europa, e capaz de fazer era bre-
ve tenipo a fortuna independente e. quera possa
por-se testa do mesmn, o qne n3o pV.le cmiseguir
o ultimo possuidor por falta de laude. Bofadnrilio
como intil seria enumerar todos os artigo-, uten-
silios e mais accessoi ios ildispensavets, que con-
tera um lal eslabi-leciuienf), como os grandes e
cuslosos mi'lhoramentos de encanamentos d'agua
e de gaz incluidos no !!<*, suppo>to qne nao men-
cionados estes no inventario respectivo em nuio'do
ageule, e para cujo exame ?m prviapiente c fn-
vidados os pretendentes at O'dia do lelu, -
lera lugar
SEXTA-FRIRA
ao meio iiaem ponto, no iii'licjjdo cslabeieCimento,
advirtindo-se a vanlagera da garanta do arreudK-
mento da casa pelos almos que faltara a decorrer
AVISOS DIVERSOS.'
COJIKGIO
00
mw co .de
A directora dc~se collegio, Josephina Benvinda
da Cunha Souto-Juator, coinpeientemeiiti- habilitada
peladiiecturia geral da nsiruccu nblica. avls.i
ao respeiiavel publico, que actu-se. sen collegio
estabelei-do ru i da Impcnttriz n. 03, ruja mf-
tricula abrir*se-ha 10 (e Janeiro prximo futura,
e oll-'i'ece seu presumo ao- pas d familia, asse-
veraudo-lbes seus bons desjus, quer a resp -ito rl j
ensiiio, quer da eilncag de; suas liltias. O pro-
gramma dos estatuto lotura, escnjia, arthme-
lica, syslema mtrico, lingua nacional, francez.
geographia, msica vocal e piano ; para o que
llavera prufessoios c nrofessoras c ion itentenv-nte
habilitados. Tambera se en>inar burilados, 11 re-
de varias qaali lades, Inclusive as e fr. o dansa.
Da ra da C-ncrilia al os Afogados pe-
deu-so urna rabeen n >ite de festa ; quem achou-1
e quiiT restituir dirija-so a mesma ra i!. 15, que
ser i'eeomiieiis.-iilii.
Maranho.
Pata o parlo cima pretende sahir com, muita
brevidade o bale braziliro Joven Arthur, capito
Trajano, por ter parto da carga engajada e para u
resto que Ihe falta trata-se som os consigna tirios
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.*, ra da
Cruz, n. 57, l.'anlar.
PARA'
Em poucos da; deve estar aqu, pr< cedente dos
Estados-Unidos, o brigue Kali-e, que stguir ao
porto cima ; recebe carga e fretes comraodos :
a tratar com Tass) Irmao-:.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
Nctoegagdo costeira por vapor.
Porto de Gailinhas, Rio Formse o Taman-
dar.
O vapor Parahyba, seguir para os fportos ci-
ma no dia 31 do corrale, meu noite. Recebe
carga, encominmdas passageiros, dinheiro a fre-
te no esrriptnrki do Forte di Mattns n. 12.
sal-ir com toda a brevidade o palh.bote portu-
guez Villa-Flor tera a maior parte da carga en-
gajada : para o que Ihe falta, pd>> tratar-se cura
David F. Bailar, ra do Brura n.82, ou cora o ca-
pitao do incsino navio.
PORTO
Pretende sabir era poucos iiia a barca porto-
gupx SooaJpor ter a maior parte de carregamen-
tn prompto; para o resto qne Ihe falta e passagei-
ros, para os quaes tera bons cummodns, trata-se
c.ira o consignatario Joaquim Jos Goncalves Bel-
trao, raa do Trapiche ir. 17.
Para Lisbmi
tem de partir em brevo o bem crnhe;ido lugre
portuguez Julio, de superior marcha : para o ros-
to da carga e passageiros, trata-se com es consig-
natarios Thoraai de Aqnino Fonsoca & C, ra do
Vigario d. 19,1* andar.
Pedimos ao ili>tmctu ttislau Sr. Tlmmaz Ant i-
nio Espinea para que ce.la ao pedido- de muita^
pessoas mi i|iiasi lolas em geral, para que no-
honre eom o sen. grande laleuto no Ibt-atro di
Monteiro, pois estamos betn cei tos qn com o tra-
h.lho do nubro artista dar nnior (mjiulso ao
mesrao ; de mais, o pausado, passado, aguas pau-
sadas ni mem muinhc ; esperamos, pois, que o
nobre amigo cedei aos nossos p.'didos. pois que-
de ura hornera honrado, como 6 s o que >e
pode esperar.
l'rog amina da festa do Heaino
>ea. na Va r zea.
As 6 horas da larde em punto do dia 31 do coi-
rente, ser arvorado o eslaudarle i|) Menino Dos,
e aos barmoDosos wns da msica militar do 2
batalho da guarda nacinna desta capual, oa qual
digno director o Sr. Mendonca, e de grande
qnantiade de fugo do ar, lugo em conliuua^ao se-
guir-se-ha as ve-peras.
A^ 6horas da manhaa do dia 1" rh Janeiro sol-
tar-se-ha una salva real, demonstrando ser ess.-
o da de grande jubilo para os habitantes deste
lugar por ser o dia da fr-ta. As II horas em
punto entran a festa, na qual se cantar a solem-
ne missao Hymno da Cunceicaoque. ser regi-
da pelo digno maestro Colaes Ulho, sendo es sulc-
cantadof pelos senhores Tobas, Floriano, Cuellio e
Sabino; orar na festa o mulo digno padre- Mello.
precedendo ao sernio urna linda syrapbunia obri-
gada a flauta, que ser desempeohada pelo muitu
dislincto professor Candido; dando din o acto eom
a subida de varios-baldes, urna salva real t gran-
de quantidade de fugo ; bavira durante o gloria
dislribuicu de lindos registros da efugio d Me-
nino lieos. offereciJos por um devota
As 6 horas da tarde ter principio n Te-Deuru.
sendo orador o Kvm. Sr. Albuquerque, Godo
qual subir de novo ao ar dfierentes baloes e
quantidade de fogo, sendo nessa oecasio entregue
i bandeira a finura juiza.
As 4 horas da tarde dar principio o divert-
mente de cavalba Jas, que condado a direceo do
Sr. Jus Jaques, satisfar completamente a espoc-
tativa publica, pelo grande conheeimemo e pratK
ca que tem de seraelhantes diveninento*. Depois
duTe-Deum, porm, arrematar o festim em hon-
ra do Ueos Jtiuiw c.4U um bem combinado fogo
de vista, sendo ambos estes diveriiiuenlos preen-
chidus s mtervallos com inavio-os sans de msi-
ca militar.
Urgencia!!!
Pede-se onereiMdamcnte a todos os rmi\os da
ConceicSo dos Militare* de comparecerem nojo. 3r>
do roante, un consistorio da mesma rmandadi.
a 8 horas da tarde, para assUtircm a nova elei
rjaV, e de tritor de ng' icios muito urgentes aoer-
ca dos libertos Eustaquio e Mariano.
Um soldado.
DjsanpareCerara do poder do baixo assig-
nadn seis letras da qnantia de 5O0J000 cada urna,
aceitas por Jarntho Affinso deMellov a favor d
abaixo asslgnaib). cujas letras sao provenientes do
ariendamenm du meu engenho Ilha Grande, c
viHicen-se a primeira em malo deste anno, e av
de mais no mesmn mez dos anaos suceessivos .
rugo, portante, a qualquer pessoa qne as aebaf
que is entregue na ma das Calcadas n. IO,
Sr. Sebastio Anlonio da Silva Baixa, quo recon1
pensar ao portador*
Jo Francisco Alves Pereira '2o Vasconcclk-
I
i

<
I


Diario de Pernamb9oo Quinta feira 30 de Dezembro de 1869.
j,,:, ii'.(l.
-*-


Urgencia.
Amas.
o

r>ziilll.ir
Ijl'Hil >
mimar,
trata-se n
n. 48.
mitra
tai
tara cuantiar o
Trincheiras, so
Preei>a-so alagar ufia. escrava oa a anta
Corra para caa de pequea familia, paga-so bom : na
rna do caos do Capitartoa, cisa nota cora grado
de torro na frente e porto arlado.
Joau>ii M.roira da Silva leudo oe mandar ce-
lebrar urna mis-a pelo eterno rcuouso do sua limi-
to presada mai D. Rila Mara de Jezus, fallecida
na cidade do Porto, roga aus seas parales o
apegos para assislirem a osse acto de caridade,
efunda-feira, t do Janeiro, na matriz de Santo
Antonio. :t< 7 horas da manliaa.____________
Fi:g:odo silio S.Miguel dos A logados, nos
primeirjs lias Ha aovemro, nina escrava de no-
mo Luita, c-ri.mla. haixa do eorpo, seeea, bangnei-
la. pos peiuienos, tugio para nao ir passar a fes la,
dizeiu estar csrondida, foi comprada ha meo
tenion ao Sr. los Pedro, morador na ra do Li-
vratieiit"', e quem a dita escrava negar e levar
casa de cumni&MO para ser vendida, ou nu sitio
acidia, ser generosamente recompensado.
Juao do Rogo Lima saca sobra a praca d
boarna de Apollo n. 4.
ttenpao.
Precisa-se alugar ara scravo, dando o senhor
flanea sua conduela, paga-se 30J000 na ra
da Praia n.47, padaria._______________________
rilaga-*~3 uir.a casa em Lbnato, no palco da
loira, eotn bastaol dous meses, Janeiro n federe ro. c prero razoawi :
a tratar na rus das Plores n. 27.^______________
na ra de Hortas
Precisa -se de Uflia a na
n. 30, iei>radth
No escriplorio da Companhia Pernombu-
cau;i precisa-se de criados copoiros que te-
dImoi bou conduela.
Irmandade do Divino espi-
rito Santo.
A mesa regadora tem por dever publicar que
ja dt u conieco as obras de que carece o sen tem-,
po, dever este tanto mais imperioso, quanto lho
cumpro dirigirse aos seus irmaos o mais fleta, no
entilo de soHicilar su as coadjuvacoes. afin.de'
habiliur-se para a conclusao desta emprez* quo
de elevada importancia.
E' do dominio publico o quanto a irmandade
j dfspeodeu com as obras que foram necessanas
para a rcconciliacSo do mesmo templo; e para que
elle Qquo condigno di magostado da casa do be-
nhor, e digno do pOv-o do imperio da Santa Cruz,
preciso so fez de otitros recursos alem dos
quo ordinariamente esta corporaeSo pode dispor.
Para prompta execucio das obras, a deficiencia
de meios seria motivo sufllciente para desanimar
a mesa regedora, so olla nao reconhocesse que
o indeferontismo retjgiio do Crucificado anda
nao o typo caraeterislico da populaco pernam-
bucana, nutrindo por isso a mais robusta espe-
rance ua solucao desejada.
j ii ; -r-
Ama
Precisa-se de urna ama para casa, de duas pes-
soas : na ra de Hurtas n. 120.J
'Jl
Ama.
Piveisa-sede urna ama paracozinhar e comprar
para casa de pouca familia : a tratar no pateo do
Paraizi n. 1, 1" andar. ^^____
Aluga-se
o 3 andar do sobrado n.
a tratar com J. I. de M.
D. 34.
8 ra da Imperalriz
Reg, ra do Trapiche
Ainda nao foi possivel vencerem-se os
trabalhos de acabamento ta PHOTGRA-
PtlIA IMPERIAL da ra do dbug n. 18,
os qsaes s eslaro terminados no dia 7
de Janeiro de 1870.
Pedimos indulgencia e paciencia aquel-
las pessoas que se tem dignado esperar
Methodo Castilhe.
Sceundino Je* de Fari* Simdes. profesor par-
ticular de nrtruocaoeleinentar pelo methodo Cas-
tilho, avisa ao re#pekav%l publieo o com especia-
lidade aos pas de aeus alumnos, que no dia 10 de
Janeiro est auerta sua aula na ra da Penba n:
23, l" andar ; aonde recebe pensionistas por pre-
oo ffooMMdo. O mesmo professor promeito muito
se esmerar no adiantamento de seus alumnos.
Aluga-se
alagar ama sala e alcova para um moco soltelro,
Com entrada independenle para qualquor hora :
na roa do Imperador n. 46, 1 andar, das 9 da
manha as 3 da tarde. ____
E, pois, acliam-soencarregadospara solicitarcm que prmcipiem os nossos novo traDaiuoa
as precisas esmolas na frcgneiia de S. Frei Pe- pnoto>i apliicos para se fazeram retratar.
dro Concalves, os Srs : npcifp ti de dezembro de 1869.
Manoel de Azevedo Andrado, Francesco Ignacio ecile, 12 oe ezemnro ue
Pinto, Jos Guilherme Guimaraes, Thomaz Fer-
nandn da Cunha, Jos Feruandes Lima, Antonio
Lon:s Draga o Manoel Jos de Olivein.
t*t
Aluga.-a n casa do Mondego u. .'l para
grande familia, rom-pequeo suio cacimba d^
boa agua, bomba e hanheiro : a tratar na ra da
Cruz do Ueeife n. 31.__________________
Club do Monteiro
A reunio familiar d'esti semana lera
"tugar r.a sexta-feira 31 do correte,
llavera conducho da liaba frrea racia
fioile..
O empresario.
P. J. La/fme.
= u Sr. Belmiro Augusto d'Almeida,
qtwia xir a esta typograpbia negocio.
PRO JURADORIA |
6 sujcUdj, urgos Ponce de l.eon, M
encarrega-se de todas as questoes civei gg
e coeoareia.'s, como as ccilesuslicas, ^|
Tnos.e se arba competentemente pro-
jnsUo pelo Exm. eRvm.Sr. bwpodio- B
B
Silt- continuar a ompregar todos seus p|
^^KvS. alim de manter mesma con- ma
r^Ha que tem merecido de seus dignos &S
csiituintcs. __
Pode ser .procurado das seis as nove tga
' horas da manha e das quatro- da tarde g
om diante, em ui casa, da ra dasTnn-
cheiraa, junto aocaitorio do Sr. escrivao ma
Molla, e fra des tas horas as salas das g
aadi i.cias. k&i
.
Popos tubulares ins-
tantneos.
Travcssa do Corpo Manto n. 85.
ariuazem. e ra Xova u 39,
luja. ,
Bandeira, Machado & C, avisam ao rospeilavel
nubhco que no? lugares cima encontrara no mes-
mo sempre grande quanlidado de ditos pocos, e
que se acham habilitados para vender por menos
que outro qualqucr, por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante Norton, de Londres.
As vantagens que olTorecero os pocos instant-
neos s3o : primeiro, poderem ser colicuados den-
tro de casa ou (ora, com o trabalho de urna a duas
horas ; segundo, fornecerem os mesmos agua pu-
ra e abundante, pdenlo seren removidos de um
para outro lugar, quando assira convior.
Os annuncianles s reeelwro a impDrtancia dos
referidos pocos depois de collocados, satistazenap
expectativa* do comprador. _
ATTENC40
Xa ra estreita do Rosario, sobrado de um an-
dar n. 3o, preparam-se capailas ricas para pasto-
ras, e bouquets para offertas com filas bordadas,
tudo de muito bom gosto e Darato, enfeitam-se
velas ricas para baptisados, e tem promptas para
vender-se por barato preco, faz-se bolos para
presentes, enfeiados, pudins e doces de todas as
qualidades, bandejas de bolos linos de vanas qua-
lidades para casamentes e bailes, bouquets de cra-
vos naturaes para casamentos com flus bordada;
a ouro. e bouquets para enfeites de bolos
5 A ...------------
a freguezia de Santo Autonio, os Srs.:
Thomaz Fernandesda Cunha, Custodio Jos Al-
ves (Juimaraes, Antonio Augusto dos Santos Por-
to, Antonio Francisco dos Santos, Manoel Gnncal-
ves Agr, Domingos Jos Antunes Guimariies, Jos
Nogueira do Souza e Jos Fernandes Lima.
i freguezia de S. Jos, os Srs. :
Pedro Jos da Cosa Castello Branco, Jos Joa-
quim da Cunha, Francisco Moreira da Costa, Js
oiii Ramos de Oliveira, Jo- Ignacio Avilar, Jos.'
da Costa Bahis, Antonio Joaqum do Almeida Cruz,
Joao Ignacio Soares de Avilar e Manoel Jos Car-
neiro Pinto.
Xa fregaezia da Boa-Visla, os Srs. : -
Joaquim Ignacio Hibciro Jnior. Joaqum Pi-
nlioiro Jacomo, Manoel Luiz da Veiga, Francis:
co Btlarmino dos Santos Freitas, Francisco Josu
do Couto e Joao Francisco Paredes Porto.
Recife, 20 de dezembro de 1869.
O escrivao,
Iaiz Epiphamo Mauricio.
Aluga-sc o segundo andar e sotao da casa da
ra Qireia n. 112, com commodos para grande
familia, fresco e com boa vista, que dispenca a
quem a p-ssuir do ter casa no campo para pas-
sar atetaran clamorosa como a presente : a tra-
tar ua ru do liangel n. 5i, das J horas da ma-
nha as 3 da tarde.__________________________,
Gralilica-se generosamente a quem trouxer
' pharmacia franceza, ra Nova n. 2o, urna ea-
ehorrinln cor de vinho, teudo os signaes segum-
108 ; cauda col, dous stgftaM amarellus por cima
do ifltios ao que chamain vulgarmente quatro
Car- olltfTe levando no pescoco urna colheira de mar-
roqrftm encarnado com um gaiso de latao.______
Na ra da Moeda n. jZ* andar, escriptorio
do Manoel Alves Ferreu* & C, vende-se vinho
verde superior em barris, ancoretas com vinho do
Porto superiire malvazia branco.____________
Pernambuco & Excelsior cric-
ket club stheletic sports.
To be lield at S' Amaro 6 january 1870.
Open to all-comers.
O.TO O
Slg
-s-S
w*l.
a o- ai i,-
SS _o S
S" C6- s
^ <-*
"> = a '
9 C _
03 S S A r, _
a y
o 2 W
1*1 ii
2 S 5 5 O
o a 5r u _
-* oS
& S. er. _
o 2. = =
-
a
r-
re
s
i 2. "->
gc -jij ;
(enlrance 1000).
d.
d."
d.
d.
_ o,-. ,;,-se alugar urna mqlher di meia da-
de e boa conducta para servir e fazer companhia
a duas pesccas : a tratar na ra do Queimado n.
13, primeiro anl.tr._____________________
Fagio a Wde dezembro do 1869, o escravo
Joao, crioulo, pedreiro, idade 50 annos, esUlura
regalar, cabellos branco<, nariz chato, disdentado,
oocca grande,:poaca barba ; roga-sc as autorida-
des, capites de campo, e a qnalquer pessa do
povo, a captura do seu referido escravo, conduz-
4o a ras do Imperador n. 50, que ser gratn-
cado.___________
Dinheiro a juros
D-sc 7004000 a aros sob tirinas a contonto :
ua na da< Triucheiras, sobrado n. 48, dir-se-ba
quem da.
Precisa se de una ama de leite, e de urna
outra para serviros de casa: no pateo do Carino
u. 18, 2' andar
Aluga-se urna casa com muitos com modo?,
na cidade nova de Santo Amaro n. 12 a Intar
na ra das Cruzcs n. 36 com Joaquim de Souza
Neves. ._________
AMA
Precisa-se de urna ama livre ou captiva para o
servico interno o externo de urna casa de pouca
familia, paga-se bem, dando garante a sua con-
ducta : a tratar em frente a ra do Vigario n. 2,
armazem de molhados.____________________
Grande hotel rancez em
Api pucos.
0 novo propriotario do antigo hotel de Apipucns
tendo preparado lodos os commodos para servir
aos que procuram divertir-se nesle lugar, avisa
ao respeitavel publico que sempre tem prompto
todas as qualidades de comidas, bebidis, fructas,
etc. etc., n_o se ineommodando os visitantes desie
estantleeimento para ir tomar banho onge, por
quanto tem no fundo de casa um portao que eon-
duz a um bom banho e excellente.
O bacharel Antonio Columbano Seraphico de
Assis Carvalho 6 hoje o proprietario e director
desse instituto. Prelendendo dedicar-se exelusi
vamente, e com todo zelo e solicitude aos trabalhos
proprios dessa protlsso, espera que os pacs dos
actuaes collegiaes o honrarao com sua confianca,
o bem assnn que acolherao o seu estabelecimento
quelles que precisarem de collegio para educacao
de seus filhos ou protegidos, cerlos de qae o ac-
tual director se osforcar nao s para manter o
bom nome e crdito, que desde muitos annos goza
a referido Instituto, como lambem para imprimir-
llie novos melhoramentos.
No dia 7 de Janeiro do anuo vndouro ter la-
gar a abertura do todas as aulas de inslruccao
primaria e secundaria.________________________
Perdeo-se da ra imperial at a Soltele urna
letra da quantia de dois conloa doris acceita por
Antonio oncalves Ferreira ecom recibo no verso
de paga de duzenlos e vinte dois mil reis em s-
dalas, a pessoa que tiver achado o quzer restituir
derija-se a ra da Imperalriz n. 34 a fallar com
Jos Faustino de Lemos o com o acceitanle na
villa da Escada a quem perlence laes objectos, quu
ser bem recompensado.
Rccifc 23 de dezembro de 1869.__________
~~ Precisa-se alugar una escrava de boa con-
ducta, para alguns serviros domsticos de urna
casa de pouca familia e andar com urna enanca,
na ra do torres n. 42.
250 Yards Fiat Race
Widc Jump.
100 Yards Sack Race.
Pulting ihe Weight.
100 Yards Hurdle Race.
300 Yards Nativo Race.
High Jump.
120 Yards Three Leggcde Race.
100 Yards Fiat Race.
Tlirowino Cricket Rail.
100 Yards Whcebbarrou Race
200 Yards Cmsolalion Hace.
Entreos to be made previous to 4lb january.
Will commeiice pnnctually at 3.30 Pm.
IF. G. FcnntlUj.
38Ra do Commwcio.
Hon. Sec.
(en:rr.nce 1-000).
d.
d.
d.
d.
V. 5 ^
_!-___
sr si _
o S'O
a" S-Bo
-'33-
2- os oo
3 o C.n ^1
1" sfp
s>_
a r
OWJ
. o w
a O o
3 _
Q.-2
S ='
ore_
re
o s.
o 1 andar drfsobMdo da roa yigario n. coa
bons commodos paraJauiHa e faifa escriptor
tratar no affazer*'a travessa-llo Corpo Santc-,
o. 25 ___________ ._______________
[rmandade de N. 8. da Oon-
eeitfio dos Militares,
Est marcado o da 30 do crreme para a atei-
rio dos novos funtcionarios quo deem reger esta
irmandade no prximo anno de 1870, em conse-
quencia de nao haver comparecido numero sufi-
ciente de irmaos no dia N do cerrme para le-
lugar a me,-a geral. Recife 28 de dezembro de
1869. P
O secretario,
Manoel Fouseca do Medeiros.
AdTerte_ela
Manoel Archanjo da Silva Antunes vai a Maeek
tratar do negocios seus, e para isso ohteve lieeaca
de seu patrio o Sr. Jos dos Santos Oliveira.
Precisa-se comprar urna escrava de meia.
idade : quem tiver o quizor vender, dirija-se a
loja de calcado da ra da Crnzn. 21.___________
Precisa-so de um criado copeiro para easa
de homem solteiro : a tratar na ra da Cadeia do
Recife n. 40,1 andar. ...
K
___
Ama
Precisa-se de urna ama para cozabar : na ra
do (jaeimado n. 12. ____________\_____________
Precisa-se de urna passoa para carregar
nma caixa de joias das nove horas da manhaa ate
as tres da Urde, paga-se bem : quem tiver dirja-
se a ruafoCaJmj^SJo^
Precisa-so de quatro trabajadores do mas-
scira : na ra da Scnzala-velha n. 84.__________
Offerece-se um moco quo sabe escripturar
em partidas dobradas para ajudanie de guarda
livros; quera de seus prestimos precisar derija-se
a ra da Palma, n. 55.________________________
Aluga-se
a casa terrea n. 2 na roa do Soeego (Campo Ver-
de) : a tratar na ra do Rangel, taberna n. 7.
KK3BBB9E*3
t_t__KBEK-t
rrx?rxu$
PEDIDO
Pede-se aos seguintes senliores, se dig-
nera comparecer na loja do Passo roa do
Crespo n. 7 A. a negocio do seu particu-
lar ir.toresse:
Antonio Pereira de Souza.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
A'
RECIFE A9 OIIWBA.
Por ordem da directora s5o convidados
m senhores accionistas para no praso de
10 dias, contados do dia 3 de Janeiro pro-
- limo futuro, effectuarem a 6* presumo de
-a ra velha da Ba-vista n. 17 ha um cria- xnnu '"""" {Q 0/Q
dinho escravo de 12 annos para alagar-as e ah _8 acees na razao oe; iu' u/u.
tambera ha quem engome c ave com perfecao e Jara esse fim ser encontrado o senhor
potypreco commodo e com brevidade.________ Ifcpgoureiro das II horas da manliaa as z
Precisase de urna ama de leite sera lho lio j, (arde no escriDtorio da companhia.
pateo de S. Pedro, n. 3.______________ i jtecife, 29 de dezembro de 1869.
Aluga-se um sitio perto da cidade, cora com- joaa Joaquim Alves,
modos para grande familia :
Imperalriz n. 72.
a tratar na ra da
Io secretario.
Bichas haraburguezas
Neste novo deposito recbe-se por todos paque-
te translanlicos bixas de qualidade superior, ven-
de-se em caixa ou poreae mais pequea e mais
barato de que qualquer outra parte ; na ra da
Cadeia do Recife n. 51, 1* andar._______________
Ama
Precisa-se de urna ama livre oo eseravapaja
jozinhar, paga-se bem : na ra da Cruz n. 6b.
No Caes do Apolo armazem n, 71, pre-
cisa-se d'um bom cosinheiro de conducta,
paga-se bem agradando.
Precisa-se de urna ama que cozmhe cesa
perfecao e seja do bons costumes, tambem se pre-
cisa alugar urna escrava as me*mas condiepee
a tratar na roa do Vigario n. 5, terreiro andar.
Precisa-se de urna ama de leite : no Corre-
dor do Rispo n. 23.
FOLHINHAS
Ara** e mt*h+c
| LIVRARIA FRANCEZA
Ra o Crespo, C 9.
u tlu__s Flhinbu
E
mm
PARA 0 AN50 PE 1870
FRE90 .s
^
EXPOSICAO

DO
DO
JAIME

A BA DO QUEIMADO O, t. AMDAB
v- 1 com r._AaniAn me nel. oresente lenlio a honra de convidar ao respeiUvel publico desta cidade, ofTerecendo a sna apreciarlo o meo estabelecimento de cabtHleireiro.
:r;;r __2ttr :::, __.. __.. ,,^. __. q, r r _, j^r: r i::;:r;::r:me ,. ^__:
Depois d8 rdea Urh. cis me emnm repleto de Daior obilo, proporionaodo :., frecisas eommodidades aoe mous beoevolos fregu, a quem cordialmente agradece os q se p
AS EXCELLEHTISSIMAS SENHORAS "J
C paruedaridade cabe Umbem subida heora de convidad a viaiUrem m. _4 onde eecoe^o a __ Libania -__, ebe^da Europa, ^~y*^-t~^ m ^men^bades. e^
Talheres de alfenidc.
Llcorelros c galhetelros.
McrviroM de eh e cestas
para pao.
eastleaes c paloiatorlas.
farros, bacas e esearra-
CJdelras..
Pooehelras e bal vellas de
mesa.
ArtlgtM para kotels c coa-
feltarlas.
Escrlvanla'ias e palUelros
candel ibros s serpeatlaaa
Vraaa para refrescos.
1
Ra tjp, Impratrk n. 47, 1. andar.
A Milliet Fils& 0., representantes desta grande fabrica vendem todos os seus productos pelos P^s^
,_Jr^ creadape,ossre-cbr8,oeA -
Vor eltes dotada dos aperfei?oamgBtos mais importantes deste seclo. Uma ^^ de ^^^ d(, meM a|fende...... 206000

Urna dita de arfos..................... S_5n
Uma dita de facas...................... 2i0om>
*r.<"
,8 .3 2r_)0b in ,BT
0, represen e^emambuco para corresponder juncia da ,ue repre,ct,ra. obHgara,e a recebor .. quaiquer _pe os ulb^s __ por y a eUde do seu valor e .oe de oos
:
I


alcance o coisominor de bom gosto nma infinidade de artigos de crysta!, n3o s pan uso domestico, como de phantasia:
^^^^ sobremesa, etc. ete.
Tambem vende o qae ha de raelhor em
-
PORCFLfVNAS FINAS
A Milliet Fils 4 C. j s50 representantes acreditados destas duas fabrica


ir
3=
*-
^rsj.,.'': i, }\\i*\\<
Dbir de PernanAuco Quinta feira 30 de Dezembro de 1869
DAVID WILLIAM BOWMAN
Partecipaaos senhores proprielartos de ngenhos, que acontecendo -ftMer-lties
yopypytes para a moegem durante a prosenie safra, elle tem vapores prompios
flrtassentar. sera precisar de obra nova ou demolicSo de obras existentes, e cae
6de botar taes t-ngenhos a moer orto dias depois do estarem as pecas do vapor no
no, garanlindo-se o trabalho.
Fundido, ra do Bram n. 52, passando o chafar.
3=


i .
.- y
^Oc?
Mikroskope aobromt-
tisenen. ObjeUvUn-
seo.
Barmetros e termo-*
metre. Centigrade*
e reuumenre.
BEEOS FIBISCOPICOS
E crystal de rocha do Brasil.
V. A. rrniann. recarumenda ao publico, seus vidros periscpicos aper/eicoa-
dos; porque, coco esle. vidros, a vista'descanca, rerttka-se e nao a canea cono com
os vid ros ordiuar ios. Una vez escolbtdo um vidro, pode durar dez annos, emqoanto
que, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez nuis grossos, o que altera o crystahno do lho e determina quasi sempre do-
res de cabeca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centimetros do lho, e,
todas as vetes que o objecto est mais perto ou mais longe, os raios que expelle sao
mai convergentes ou cnui divergentes o a vislo nao perfeita. Um grande numero de
pessoas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a visao nao distincta.
Com a applicaelo do meus vidros pode-se vencer estas difliculdades. Para os que tem
a vista curta e cujo crystalino mui convexo (o que faz ver bem-, de perto, e mal de
longe), o que se chama myope, por meio de um vidro concavo affasta-se o ponto de
vista, o que faz divergir os objectos e deixa ver to longe como as outras vistas. Quan-
do o crystalino muito chato, o que accede aos que tem chegado a orna certa idade,
o que se chama presbyta, vem melhor.de longe que de perto, e nao enxergam senSo
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com am vidro convexo, estes enxergaro
tilo distinctamente como ua idade de i5 annos. Servindo-se desles vidros quando e
vista principia eufraquecer, previneae-otmal. .
F. f. Cerinann encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a es-
colher. a primeira vista, seja qual for a idade e grao de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
>n***t o i'otn mi-nrin Sailnm a>i1..\ Ti*. r- *- --
GUSTAVE
CABELLEIREIRO FRANCEZ
51Sua da Cadeia do Eeeife51
: Chama a attenco dos seus innmeros fregoezes. e do respeitavel publico en
geral, para a seg-nnte tabellados precos de sua casa, os quats sao vinto por ente
mais barato do que era outra qualquer parte:
CaS,?,5Para ^n001"83 a *M> Cadeias para relogio a 3, 65,
300,38* e......405000 U, S, 9,5, M e.
Ditas para homem a 354, 405 e 50*000;
GoSf aJ?*' m' m' 20i?' Corte de cabello, .....
2o#, 300 e..... 50000 I. '
Crescentes a W, 15*, 18&205, Corte de ca,jeUo com fni:c5- -
25, 305" e 325000 W>rle de cabello com lavagem a
Cachos ou crespos a 35, 45, 55, I champou. .
65, 75, 85, 9 J e. 10;5000 Corte de caillo com limpez da
Tranca de cabello para annel a I cabeca pela machina electo -
500 e....... 15000 ca> unica em Pernambuco. .
Tranca para braceletes a 105, Frisado ingleza ou francena.
155, 205,-2?}.....305000 Barba.......
ASSIGNATURAS MENSAES
hspecialidade de penteades para casamento
Bailes e soiorecs
O dono do estabelecimento previne s Hecommcnda-se a superior TINTURA JAc
Exmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um PONEZA para enegrecer os cabellos c bar-
salo para tintura dos cabellos e barba, as- Da> anica admitlida na Expojsieao Universa;
sm como m pregado smen,e oceep, 2? SSfiT&S2& SfSZ
do nesse servteo. :mias de sciencias de PARS E LONDRES.
f55O0l
50fc
500
4
i-wot
BOi
5*
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos saoresiguaes.
Para a vista que se turva com o traba-
Iho e a leitura. -
Para a vista presbyta (vislagalon ).
Para a vista qae nao supporta os raios"
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras estSo cer
cadas de saugue.
Para a vista que um dos olhos myop
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
Sortimoato
para theatro,
e ociifos de
alcance para
rinba.
o campo e ma-
CASSASDE CO
Lindas cassas Irancczas de cor 400 rs. o metro, na leqa das Collumnas ra*
do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconccllos.
Lunetas, pince-nez _e
face--main, ouro, prata,
tartaruga, blalo, ac,
etc., etc.
Tem tambera grande sorlimento de relogios para parede, que dao horas e para
cima de mesa dos ma.s iodos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada efoleada. mglezes, ^uis^^ orisoou^ dos melbores e mais afamados fabri-
C31H69.
Vendas em grosso e a retalho. Km"Pernambuco.
N. 21=Rua SovaN. 21.
.i e b n n
- = -^ S>
B
n <

c g
s *J _' 'S1
~ ra O*
o- s. a "o
o o~ o
-.-3 tes 2 O
a a 3 "
c 2
o t" a G G
B C S .*< =>
- 2 E = "* **
o 9.2. S
o i a S
2 a P 9-3
o
Q...
1 -2 5.8
So 2 "
c- r. o Oj
i a a
sis
a g-13 *_ g-3
gss

' '.r.
O

o
S "> g
2*BaS3
222-
S P
c..2 a=
E g <= _ZZ
a o 5
_ g -573 r
c las s ^
o t3 er"o a co

LOJA
BASTOS
Acabam delegar grande qwitMkde das verdadeinismaebioas amerkana
?ara esearocar algodtf de todos os systtfmas e tanwnhos seguintes:
ft serras
"4 Wtas
ditas
ditas
ditas
dita
Z
ditas
45
0
18
20
COI IODURETO DO FERR INALTERAftL
APPROTADA5 PIU ACADEMIA 08 MBDIC1NA D*AWS, nc.
ftmuhiAo ai propiedades do lodo et do tarro, convera niaHhln........ Ai
!'f^?^/S' T,SICA no P^P*.; (raqueta dt tempZSSSSuSSS^
? irritante. Cmtio proT d poreu ilhencid.d dai *i^rtrM A
- .so "", aui reprodnad M .c!)a n parte inferior d.
ptala Tcre. Dn--ia desconfiar das falriflcacoilT
n faldeai aa> pbanarricu, Pharmacntlee. rita A
30
M
12 serras
14 dHas
15 ditas
16 ditas
18 dHas
20 Sitas
22 ditas
25 ditas
30 ditas
35 ditas
40 ditas
roga-se as pessoas que dellas fizeram
. RA DA CAflEIA l 56 A
BENTO MACHADO ft fi,
A AGL'IA NEGRA animada com o bom accoihuBento que leve em seas annun-
cos, vem de novo participar a seus freguezes, qae, acaba de receber um variado sorti-
ment de objectos de costo, osquaes serlo vendidos por precos muito razoa>es, poi.<
quando fez os seus prlmeiros annuncios, foi o que assegurou. e sera mdo de errar,
porque amo i dis.se est ligada por interesses a urna casa importadora dcsla praga, e-
por isso poder ter ludo especial o vender por precos admiraveis.Chama pois a atteu-
cao de seus freguezes para os artigos que possa deserever:
Lmos convp tampo de marfim, madre-, Um variado sortimeots de caaiateiras fc
^iraiIC.^. PrOP'OS Van mSSa- Palliteiros de porcelana,
ta i proprmparrF m Tent08 paP Bengallas com marfim, cousa especial.
Sabouetes de alcatrao.
Cofres de foihas para dinhein.
Lindas caixas para costura.
Um completo sorlimento de hrrae de pe-
iica,
Taiagorce para bordar.
Um completo sorlimento de afeites oV
seda para vestido.
Perfumaras 4c todos os atores os mais
acreditaas am exmcktt, poaadas e oleoe^
e fiqaJmeate outro nwKnfcUrloe que nai^
posaivei aetKiooar ;iats cmi^i vistan
certiflearto do >ortmmo fletf MtBle-
.ciaMoto.
Ag^ia Negra, ra do Cabug n. 8.
couaa de gosto.
Mdispensaveis de paliaba e de couro pro-
prios para nhores e meoiaas trazer nos
bracos.
BinocukMie'madreperola, marfim e tar-
taruga todos esmaltadas.
Cintos largos de lettm. couaa iateirainen-
t nova.
Fitas de sarja de todas ,is cores e largu-
ras para lagos.
Toucas, sapatinbos meias de seda e mais
pertences para baptisados.
Fitas com kascripcoee proprias para bou-
ijuet de aoiva,
Ricos vasos coa p do woi.
Um variado sortimeiite de jarree de'por-
celana.
. COMPAMIIIA
de segif n martimos e terrestres
A eoatpantia.de pffurai Fidelidade csubelecida
Colego de S. Francisco de
Paula.
O baeharel Frandseo Jos Rabelln. eompeteoie-
emLisDoa owSe oamo le 1835, o representda mente habilitado pela directora da instrarcio po-
nesta eidadopakw seos ajentos abaixo assigna-1 hHca, lom aberto ura oolleirio para edacaco pri-
Vb, coa plaaaat(iB(ao do goverao. imperial, marta e set-uod-ria do sexo roaacoNm, a trama*.
toma segnros a risco martimo o contra fogo, em das Barreira n- S. No memo coDegio se podt-
pr. dio* o estabeliwiBentoi, dando ao segurado o .rVt 'lesde ja insoever os alnnoos qne pretende-
?e*BK) auno grattrito anando teaha wguro seh rem fretjnent.r tr enrw> "darftrtai o qnat espe-
nnns oonaooayiiv^.-pitra iraur na ra da Cadeia cialmente re ensirio as Bateras para os raa-
00 Recife n. 41, e*pt'>rio. ( mes na taculdade no mci de marco. '
INJECTION 3SC
BTKtraira laOtaUvel t
ftaatpac bMM
*tmtfBiai,
Os agentes
Feliciano Jos Gemes.
Thoraaz Fernandes da Cnnba.
Eseriptnrro
Aluga-se a parte da frente do primerr anda..
Na roa da Cadeia n. 23 casa em cons- 1J V rua do lmPerad,r : tratar nomesmo a>-
tnicco, offerece-se.pjajfcufcilioa ralica o -^~---------u ,.*----------------------*
pedra*. t nlii lajaglafllal i Q i mi rogares .^ ,|?f'nbn & Varsea m*+
..... ....." 9m^ ^fcare ceu um 001 de carro: tjuotn for flu dono dciila-
< ao uicsuio eoseojio.
X.
IIEGMM




i
Diario de Pernambuco Quinta felra 30 de Dezeiiibro de 1869.
.<[
5
ii^fiNpi'>iiui'OiiJi^'i!i.i^|u'fiN
ARMAZEM
i
EXPOSICAO DE LONDRES
60RA DA CADEIA DO RFXIFE60 .
UaODACAO
PARA ACABAR NESTES DAS ._.,-,,.
O propietario desle'estabelecimento leudo de partiifrauito breve p; xa os Estados Unidos e Europa, faz competa liquidacao nestes das, para acabar ; como
tortitttdos para camas e mellas cobertores inglees finos, calcado de pao, bijoterias d'ouro de 18, como rosetas de brilhantes, aneis, oculos, lunetas, trancelins etc., apparelos
i i'tal do mais fino que ha para almoco, bandejas etc., perfumaras de differentes fabricantes, differentes caixinhas, vasias cmii enfeites mu/to proprias para presentes, caixas
ndos, ditas para bater ovos o bollos, grande varedade de porcelanas, como, vasos pura toilette, apparelhos para mesa etc., differentes obyectos de vktro como seja: lustrse
jtobos pira salrjes. lanternSs para cima de mesa, escarradores ele, uns excellentes cofres de ferro, cspelhos de diversos tamanbos de moldura dourada e preta, molduras
para quadros, ricas canas para retratos, ditas com cheiros proprias para presentes, mesas de charo, bandejas de dito. Estampas finas para quadros talagarsa
5or.lila para almofadns dita para tapetes e para deitar vasos em cima da mesa, relogio para cima de mesa, do parede e de ouro para algibeira, stereoscopos de diversos
raadlos, cosmorama, lanternas mgicas para diverlimento em salas, qnadros com finas figuras de porcelana, ditos com movimcnlos, guras bronseadai para emeites de mesas
Hta-vMai para se tomar bauhos no mar ou rio, lencos de linhos finos para algibeiras, ricas grvalas de seda, variado sortimcnto de miudezas e trinquedos para enanca,
w, bengallas, camas do ferro do differentes tamanhos, lavatorios, stereocospos, cosmoramas etc. etc., quesera patente ao comprador; aramios outros irligos qne se venderlo
lito barato para inteiraraente acabar, no armazem EXPOSICAO DE LONDRES
mi m%
IIViPRESTIMO SOBRE
" (SEM LIMITE.)
Ha Iravessa da
Ciras n, 2,
fl meifo andar, da-se qnal-
m Qcr qtiantia sobre ouro,
prala c pedras preciosas.
O dono desle cstabeleeimenlo,
ompetentemente autorisado pelo
governo, esta as condicocs de ga-
rantir a transacc3o que se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e eansideracao s pessoas que se
dignaran de honra-lo em sen esta-
beleciinento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e bnlhantes.
Correspondencia de Portugal.
Os aMxns asignados previnem .os seahores
;i'i:-'-lantes dol jornal, i|iir de Janeiro prximo
ftiliirn era dian'e a dest'ibuirao ser feita no lar-
go ilii Corpo Santo, uo rale do Sr. Pestaa, ond
is un mus nnhores asonantes mandarao pagar
mil ivis por 2V nomi'ro- contado do numero
pie irondazir o paquete de 28 de Janeiro prximo
laiiiro ao de 11 do Janeiro de 1871. Nmeros
avukos mil reis. Os-recibos sao apresaos e fir-
mados i^los abaixos assignados. A destribuiciio
lo j.rii.il para os asignantes f se fai a aquel-
I i|iie Icubam ja pago sna annnalidade.
Tasso Irmfios.
[*maaK*J
E3
CZ5
GOMES DE MATTOS IRMAOS
tendo feito completa mudanza em sen antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proportjoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidad as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da nonte na
RA DO CABUGA N. 4
ha
de mais elegante,
tudo
que
em
obra
Muga-so tuna casa muilo fresca naCapunga,
tan -Loimodos para familia : a tratar no mesmo
legal i oa das Crioulas n. 5.
I'i eci.-a-se alugar urna Merava cosinheira
uan casa de familia :, a tratar na ra do Sebo
n. 8.
onde encontrarao um completo sortimento do que
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubius
de ouro, prata e phtina ge pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de novos gostos, assiim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objeotos de prata paira uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
aqualidade dosobjectos vendidos.
Aos banlios no Mon-
teiro.
Alugo?mi pequea cafa noflm da levada lo
Monteiro junto ao rio. no melhor dos logares de
banho, com 2 sala, :(ipiartos e eozinha, e mudo
pertq da ctaciki lo bote!, propria para mocos sol-
teiros : a in.i r na cas nova da estrada do lama-
rao, ou no II vjf\ roa Nova, loja n. 7.
A'luga- sa.
a p%Ne da friMiic d i primeiro andar da ra do
Imperado! n. : : a tratar no mesmo sobrado.
KMTUDO
INUI M
Jos Soar.es de Azovedo, professor de
lingoa e (literatura nacional no gjmna.io
provincial do Rcife, tem aberto era sua
casa, ra Bella n. 'M :
Utu curso completo
do Mnsott porngtneza ;
dj l.lugoa franceza, versees
oraes c escripias de porluguez para francez
e tice icrsn, de conformidade com o novo
programma do governo ;
de f.eocrnphla pbysica, poltica
e astronomici;
de Historia universal;
de PhiloRophla, Racional e Mo-
ral ;
de Rheforlea c Poetice.
As pessoas que desejarem freqnentar
qualquer ou qnaesquer destas aulas, podem
'diriflir-se ;i indicada residencia, de raanlia
al s ) horas, c i]p. tarde a qualquer hura.
Aluga-se
nm criado, um copeiro e um campia, todos es-
cravos c d.; boa :i.nikicta : na ra Direita n. 10
1" andar.
330
1
a*<
nlARITiMOS
E
COSTRA FOGO.
A GompanliKi Indemnisadora, estabelecid;
aesta praga, toma seguros martimos sobrt
navios e seus carregamentos e contra foge
em edificios, mercadorias e mobilias: j
raa do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
0
DE JOIAS
COM BOTAS
GR4NDE ARMAZEM DE PIANOS, MSICAS E INSTRUMENTOS
p
ANTONIO JOS DE AZEVEDO
N. 11- RA NOVA-N. 11
Partecipa ao respeitavel publico desta cidade
sortimento de
e das mais provincias visinhas, que o seu grande e bem acreditado armazem de instrumentos para musi-
Na praca da Jndepend'-nea n. 33 se da di
aheiro sobre penhores de ouro, prata e pedras
preciosas, seja qiutl for quantia; e na mesmj
casa e ccmpn e vende objectos de ouro e prata,
e igualmente se faz toda e qualquer obra de en-
commd, e todo e qualquer concert tendente
mesma arte.
PCS DE ROG
Approvado pela Academia imperial
de medicina de Pars
Cm frasco do rtm de k*s. dissolvido
em urna garrafa d'agua, da urna limonada
agradavel, que purga rpidamente e de
um modo certo, sera causar a menor
irritacao como acontece com a maior
parte dos outros purgantes. Os Vm da
Itog, sao in:i'.lerafeis por isso enipre-
gam-se fcilmente em viagem.
. j cm l.in-isEino, Dipontttlle; CktttUi.
'" | ein Polxuiico. Uaurer Ift j
in
n
B
r
PILULESSSCAUVIN
[><. boUir< MtuUf*. ,*"*
Esk pteeioso panuira I9f*1 o comnodo
\nw> agrada>ei e o remedio mais infallivol para des-
triir tt eon.ilpac.oe, a nevralgla,, i man re-
Ibeldcs, a.sini como a MU* e a naeoaMaaea
Elle effleai as aaalrllla, okalroeeoea ema-
I oeeaa, aaimaa, Oresealarrnoa, emptaen,
I galla e rbeamatlniaoa.
I O merecimeiiio das Plala caavln pode rpsn-
nir-e seslas palra i BMauaeleeer ou eaaaer-
rar a sande.
1 Ellas nao poden ero resfuardo na eonid nem
bthida; m doieUM!* eeporalrva, uao tomar
ellas as retecede em do*e auraaUT da D,itte ao
| deiur-*e.
Ptnmmburo- NM Maarer el J.

a, acaba de chegar um grande e exDlendido
O qne ha de mais moderno, de teclado fixo e mobile, e com transposicao ou sem ella,
afamado, e bem conhecidos pianos da labrica do Sr.
de autores os mais acreditados nesta cidade, como sejam : os
AFFONSO BLQNDEL
do Ptris de qaom o annuncianto e o nico agente uesta cidade, como pruva com o documento abaixo transcripto e assignado filo dito Sr. Brondel. Estes pianos, fabn-
ados especialmente para o clima deste paz, s5o os nicos que offerecem urna garatilia segura de sua duracao. Elles 2o aqui astaote conhecidos desde 1844, para que
seja necssario insistir sobre sua superioridade. As saas vozes sao omito flautadas e melodiosas. Elles possuem um teclado que se presta a todos os caprichos do
Todas as pessoas que comprarem pianos nesta casa, s5o rogadas a exigirem oertileado de origem assi^nao pelo Sr. Blondil, afim de prowr a sua
ant midade do camero de piano com o de certificado,
AO PUBLICO
Mr Alpbonse Blondel, fabricante de pianos em PARS, declara ao respeitavel publico *le Peraambuco, que o nico deposito de seus piano? na cidade
do lieeft, IIA NOVA N. H, armaiem de Antonio Jos de Azevedo. Oolro sim que tedos os seus pianos iro accouma^ados de um cflftilteado de origem assig-
nado por mim. M. _.
Paris. 24 de iulhode B69.(Assstgnado) Alpfcuw BlontIH. m Jk
-A) anuncian .e tambem troca e aluga pianos. E tem o maior e mais expleado sottMNato de novas .
MSICA PARA PIAMOS
As aoaes recebe directamente da Europa e do Rio de Janeiro; daacreditadas casa* dos Srs. Peippoae 4f*aivagbi, Naraigc>, Arthur Napoleaod: C,
tic Tambera tem grande sortimento de papel para msica e desenho ; cordas para todos instrumentos, ricas gravaras e qoadnos para ornamentos de salas, oleados para
ssuallw de salas, ricos spelbos murados, quadrados e ovacs, caixinhas de costura com rnimcas e sem ella, estojos para najJHB, ivlagics com desperUdor,
Joaquim Jos Gon-
cjalves Beltrao
RA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDA*
Sacca por todos os paquetes sobre o Bao
ce do Minho, em Braga, e sobre os segui
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vea.
Vianna do Castalio.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de]Famalico.
Lasaego.
Laos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
55Eua do Qneimado55
A VEltDAOE tendo em deposito grar.dc
quautidade demiadezaso perfoii........*-
sejando apurar dtcheiro e udqocrir ba fre-
iiezia est rssjlvida a vender auilissimo
barato, ; por essa razao cowida so respei-
tavel publico a vir cupnpteaUeinefita moni-
do a soilir-se do borne barato. Pois quan-
do a Verdade apparece, tudo mais des-
apparece....
Grande sortimento de nonecos de cera e
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Abotoaduras moderuas para col
letca.......
Espedios donrados popnenos. .
Agulhas de ossopaia ins a .
Ptjnles pora r^ga1; com cutas a
Ricos globos para caodiciro de gaz a
Cbamins a.......
Grande sortimento de objetos de
louca para brinquedo .le menino
Garrafa com tinta a......
Ditajcom agua florida vei dadeira a
Dita com dita dita a .
Frasco com oleo do babosa a ;') e
Dilo com agita de Colonia a :ioo e
Gatrafa com agnadiviiui a. .
Fraseo com exli actos Anos a .
Lalas pequeas com banj touo
fina a e .
Saboueli s de diversaSsjU^i ;:-.los a
80, .60,240* ....
Finas cscovas para defitts de lOa
Lindos coques modernos a. .
Pavios para aaz, dazia a 240 e .
Esccvas para fado a 3'. O, 600 o
Ditas para cabello a. .
Pentes para tirar piolho a 160 e.
Brincos de cores, bonitos a 160 e
Petas de tranca de laa com, 8
varas por.......
Oleo para machina de costura,
frasco a........
Pennas d'ago finas caixas a 8D e
Dita d'aco Perry, caixa a. .
Galo de algodo peca ....
Lindos habadinhos e eiilrenieios
peca'de SOO a...... .
Ditos de louca muito fino a SO e
Ditos para calca a KiO e. .
Caixa com papel amiz3de a. .
Ditas com envelopes a. .
Ditas com obreias a.....
Caixa com agulhas fundo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura pata cosluia a 240e
Caixa com linha de marca a .
Linha de cores em novellus (li-
bra) a........
Carrcteis de liuha Alexandce de 70
al200........
Grampos milito finos com paisa-
ros, dHzia a......
Cartas porluguezas, duzia a .
Ditas francezas a 2^200 c .
Papel alma<;o e de peso, resma a
35400, 34800 e .
_aa muito ina para bordar, libra
Fita de algodo para debrum e
sapatos, pega a.....
~ itas de 13a para debrum Je ves-
tido, peca a ......
Pentes finos para segurar ca-
. bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240, 320 e......
Ditos para aparar penna a..
Rosetas pretas, par a .
Tranca de 13a de caracol pe^a a 40 e
Fita de coz-peca a 480 e .
Alfmetes de lato a. .
Sapatos de la para crianza a 400e
Grvala de sedas de cores a .
Calcsdeiras a.......
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio de borracha per
loorismrtn
\a Verdade raa o <|iieimad>
u. 5.".
ICO
U
I 30B
i >() O
720
filHi
I 500
i;. ^<)
ICO
32u
KO
9ii
as
700
BOO
240
200
80
Ktili
3- i
70
4#0
^at 'l
fti'
loe
i vi
':
|
w
de costura
agarga. kas e agolbas para bordar, e naoitos outr. s aigss que o-respeitavel rJtfblico ene
?>pti;r8 de todos _
WAo*otlc* o das ale-s 9 twfas da noile aflm das Exmas. familias poderem ir apreciar os seus pwpw.
semprc uest) armazem, o qual estar
Mili
da Matriz n.
-*-
USA ba tmwk
Aos 4:0005
Bilbetes garantidos.
A ra do Crespo n.'23 casas do costmne.
AVISO
*> sstbleaefl!o effUf aborto das 6 at 9 oras da manha.
*Jr.-vcmeWe ser ahorio tambem a noite, o -que se annunciar.
CASA FELIZ
Aos 20:0004000
ARKEKDA4E Hpmpliitto d*omi-
r**ra Qsrr -de SeritMen, no liltoral da,
rVcguoaia do tassauonome com gr?nde ren-1
d# ia turra a reseber e muitos coqueiros a
^frGC,a/ ;n^2rt8 hir. !r!S?! ***** arc* *" ^lfi a. t
rar.i posicao bm-Mir e bt*r-rio, mtet- ^ abaixo Mlijgnadog ^^.^ habinudo n
rt-ii^nte aprr^nfaa Itsra manter-se ant lorma ^ |eiSi um exposio a venda os seos feli-
flul'jin:r i-sUbolecinlflBlO ComiBercial de zes bilhftes das kHerlas do Riu de Janeiro, na casa
sfre-- o mnlhatos : a tratar na na d'Au- ac'">a. onde se pagaran as s
r*an.2G,ouna do Imperador!.. 20. b,l,e,es' ""
PRESOS.
surtes que
descont
sahiwni
somenle
CANA BA FK.
Aos 20:000^000.
fMtkutKa 6 use Vieira A Rodrigues.
ra do Cabula n. 8,
Bilhetc inteiro 2MO0O
eios 4A000
Quartos 6*000
Tde 100S uara elina j ?!,!<> bilhete.
Figueiredo & Leite.
Pede-se aMafkar qoe em o da eexta feira, 10
do arrenle.a- l|2 bM>as Sat"tarde ntrou na fa-
aos pos-oneres .viren reeeber na conlermidaile ^^atB
Sab de alcatro
para curar as molestias de pelle,
taos romo empingens, darthros, sarnas, comichoes
e mais molestias de pelle, sem oeeasfcmar acddeav
tes ; desfaz as manehs deloorpo, paanoe, sardas,
restabeleee a cor natural, quanto a cutis, ecca,
grossa e amaretlema, eceasionado por algnia
enfermidade. e cont desmfecuntu e preventiTo
das motestia contagiiwas, ___
NICO DBROSiTO
Rotica do Pinto, ra larga do Rosario n. !0, junto
ao qiwrtel e> polica.
CiM RAo.
GOMPRM E \1DI-1
do entume sem de*eouto lgam
Aefcarn-se a reda -en -Miles Wlhetes 'da 4"
parte da lotera beoelicio da ipreja de Nona
Senhira do Amparo -do Goianna (132*), .qon se
otrahir na quiHta*Mn 3(1 do cotrente mtz.
raen
0* do cosUime.
anoel Marlins Fip*,
Tornece-ee em*JoH pura ron'd rnisen'
fl familia, com timo oasc-lo e ppVinptMS'. n;i ro
estreita do Rosario n. 35" sobrado, e'UHnfcfim s*1
.prepara almugos
pec.a du cornija,
tempo.
e Ja'itare avntso ott.ualq'irr
(slo e, sendo euceuuaafcdaa eoiu
a ignorancia.
Mo m calilos bniucm,
A tintura japoneza para tingia os cabellos
da cabeca e da birba, fei a nica admitlida
ExpoaVfflo Hm nhecida superior todas as preparacoes at
boje existentes, sen alterar a sade.
Vende-se a 10000 cada frasco na
Ra da Cada n. 51,
1> andar,
Precina-sed um criado livre o.i captivo, ou
inesmo um moleqoe crescido : na ra da Hadre
de Oeos n. 3.
Compram-se vendem-se diariuneaie para fra
e dentro da provincia eraros de lodn as idades,
corea e sexos, com tanto qoe sejam aadios: u>
lerceiro andar do sobrado n. 36, i roa das Cnues,
fregueiia de Santo Aatonlo.
Gompram-j moadas de ouro e prata de to-
1o os nteres, ouro e prtt em obras hratitindas,
orilbanles e meis pedras preciosas : na toja de
Tires do arco da OaBceJeio, no Rorife._______
0 mnzeo de joias
Na roa doCabug n. 4 compra-se ouro, prata
pedrs preciosas por precos mais vantajosos do
n* em ootra qualquer parte. ____________
__Lora muito maioi vantagem compram-se
jioeda* de ouro e prata : na loja de joias do Co-
aeio de Ouro n. i D. rna do Cjbny._________
Cumpia-se cobre, na ra do Queima-
do n. 4!). HIVAL SEM SEGUNDO.
TfAPoa
V'HDAS.
__Vend'-'" Tn m-griuha de idade II annos.
preta. bnl ''""'" "ti p hwffiio de hahililadej
no becco da Virae^o n. 9, oito de S. Pedro.
Ra da Ie|wrat7 uiiaiero
Grande novtdadof ra u (esta.
A' ella antes que se acabe.
proprietarK* deste sumj*Boso emui arretfi-
udo e-t;ibelecimftto,. vendo que se approx.ma .
I'esta e querendeaprnmUr as seus ama veis li-
guezes urna aovklade de qoe se adnirassem. < o
viou o nTpor, istoe,-*ayor das No-ii.
des-a toan os paizes da afaonda Knropa, a > i
de procrar e trazt-r o que de aaawr gosto o uov.
dadeachesse.
Regressando este, Titfte" coibo tta coviJa.Ir,
como defacto o. :
Lindo fjuepure escarate com linissimo tecid;.
e o mais bonin possieal, proptie para i-amishr.-
e fctuja, o qual ae venda.por preep amito con
modo.
Grande sortinwoto de Otas de sarja de opthnr.
qualidade e de daSarenm Jarfjarn e cures.
Completo sortimento de fitas asselinadas. sen-i-i
esuslizas esensens de todas a larguras,-. d
mais linda cores, baveedo eWre ellas mnito Lu-
gas a pnprias fjtra cintos d*atona umda.
Grande quastotode de pettonarias dos prii--
ros perfumaotos da Enrupa.
Alm d'esles objecfc i vieran muitos outr. -
tambem deei'ank avadad*.
- O poe#ietam anajtoe todas as pessoas qu--
preUHidnnlgtwsdol)jacto)enci.>iud(^. q.o
poderao bascar as amostras ito dito esiabeler-i-
ment, oa indtearem o ingar da residenoia, porei-
tudo sto anea que se acabe a grande uovidado.
Loja do vapor das Novedades
Ra da Imperatriz n. 36,
de
___________atetriwnde6fcU)ilae_________
Antonio da "Costa ffcllo, vendo de retirar-^-
para a Europa, vente sua can e padaraoo pn-
voade dos Mairte*, eoja casa ee acia bem alio-
guezada e propria para qualquer principiante, ',
tambem se te negocio a praao: a tratar no mes
me pevoade-oo o roe das Crece Poetas n. 89
Frinka da terru
Manoel Jos Aires onada iter faraba da
trra pare veeder: na rae da Praia n. 38.
Na travessa do Carmo n. I vendem-se 5 es.-
cravas, sendo 2 recoihidas, de idade de 18 a 22
annos, perlettos engommadetras e eoxiBteeiras d-
um tudo, i preta da Costa, muito l'h I, quiundeira.
cozinba, lava e engomma, t dita jtara lodo o ser
vico eorOWIWO, i bonito mulato de idade 1*
annos. proprio para engente.
Vende-se urna escrava moca perfeila engom-
madeira e cormheira
dirija se BTwataMa,
em [relendfr i-ompra-la
n. 8fi, 3* andar.
Deseja-se vender tmi -eol^fio de menina?
situado em ora dos mais agradavei" arrabaldes do
Rio da Janeiro, estabelerido mais de dez annos,
gozando do grande crdito e repntacao, e que pr..-
duz lisongeiros resultados. Motivos de sade bn-
gam as donas a relirarem-se : quem quiter com-
pra-lo, pode dlrigir-se rna do Vigario n. 41, es-
eriiilorio de Domneos Alves Matn^w._________
V.ndese nina brilla mnlstiul' i d. Ah n-
nn?, 6 peca, e o recaMn), p"lo qne m N 'na dig-
na do ser mal" propria para mnr-wil" pp para se
.diva : na ra de Hurlas n. !'.
z 1
:>(v. .
IGi
IQO
100
56(1

800
S0(i
w
i
lazcr urna dadiva




n~n
Diario de Pemambuco Quinta feira 30 Je Dezeibro de 1869.

LIQUMCO
proprietario dt* armazem de fazendas denominado ARARA, roa da Impera-
c'.z n. 7i, tildara ao respeitavel publico o seos frigiizo?, que est liquidando fodasr.s
atondas e rapas bitas que tona em sen estabelecimento como se poder ver no sea
wnuaoio o prto abaiso mencionados,
Chitas fa-aof ezsi* matizada*
3 O rs.
Vende-sc chitas francezas escuras maliza-
lis a 30 rs.o covado por este preco sna
i >ja da Arara, ru.i da imperatriz n. 72.
LAAZINflASA 240 RS.
lc-sr> Ufownhas para' vestidos d se-
mora a'240, 2^0, 320 e iOO rs. o 69-
'udo.
B.IREGKS DE HA A 500 RS.
Vende-se bardges de laa comlistras para
':'!i> de seniora a 500'e 610 rs. o
:io.
Alpaca? le listras a 509 rs.
V.'nl-sn alpacas de listras pira vesti-
dos de senhtra a 500 rs. o covado.
CHITAS Ffl.YNCEZ.VS A 80 RS.
Vende-se chitas francezas claras 280 rs.
') covado.
CORTES DE LVY PARV VESTIDOS A
25100.
Vende-se cortes d; 13a para vostidis de
Minoras a 23100 cada um.
PERCAUSS A 4ift RS.O COVADO.
Vende-se percales 'imito finos para vts-
los de senliva a 440 rs. o covado, mur-
rias branca* finas, a 500 rs. o covado.
Algodo entestado 900 rs.
Vendc-se a'godSo enfestado proprio pa^a
lencos e toninas, 000 rs. o metro, di>o
trancado a 1\ metro.
Chales Vendo-sc chales de merino estampados
a 1$, chales broncos e de cores a 1$000
cada un.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A CiO RS.
Veijde-se urna grande porco de cortes
de brim castor para calca de homem, 640
rs. cada um.
raud.e porco de retalhos
Vende-se grande porco de retalhos de
chitas e cassas pretas a 160 c 00 rs. o
tova lo. retalhos de cassas, 13a e chitas ds
euros baralissintos.
LIOLIDAM A ROUPA FEITA
Vcndo-se palitots de brim de cores a 2l,
ditos de alpacas de cores a 23, di'os do
meifl casemira a 2,3 e 2*3:>O0. ditos de pan-
no prcto bom a 83 c 103, calcas do algo-
do azul para escravns a 610 rs. ditas de
algodo de listras a 800 e 13, camisas de
riscado do listras a 800 rs. cada urna, cole-
>r:iiantinas de cores, a 440 rs. o covado.!s d'e MtQ e fustao (lo c6res a 1^10500,
Baldes modernos de todas as \ coletos de cesemira de cores a 23500 c 33,
cores. | e outras militas qualidades do roupas feilas
Vende-s*hal5es moderno sbranco cde c-! que se vende por baratissimo preco.
wm^-lTunao a. w. A,*0,la<> '~ "
Vende-se cobertores de algodo a 15500, Vende-se algodo de listras para roupa
o;, irlas de chitas a 1-5600 e 23 cada urna, GANGAS PARA CALCA A 310S. pRGi np AlfiftfUn A *J
Vende-se ganga para Sica a 320 o cova- Ve jJjS. S*S!Sfc 4 000
do, brim d cores para calcas dehamom e-S axmo? naEL? "
afinos a 400 rs. covado, casemiras do13*200 C3000 id. pa.a liquidar
/.res para calca e palitots a 23500 e 3.3, j
) covado. rocas casemiras enfiestadas para
AS NOVAS SEDAS
11--RUA DO QUEIMAD0--11
Chegaram da Europa polo ultimo vapor loja de Augusto Porto C. ricos
cortes das mais linda sedas de mimosas cores para vestidos propros para bailes e casa-
mentes.
Grande variedade de sedas de listras de diversos preoos todas de lindas cores,
gorgurao de seda preta, e grosdenaple de varias qualidades e gorgurao de seda la de
differentes cores.
Novos vestidos brancos de blond para noivas, lindas colxas de seda para camas,
ditas de I5a e seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas e toalhas do
cambraia de linho bordadas.
Luvas novas de Jouvin.e elegantes somhrinhas de sedas de cor para senhoras.
Espartilhos de 53 at J03, lindos bournous do cachemira de cor para sabida
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e prelo para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Sortimento de muitas fazendas de la, linho e algodo todas por precos muito
mdico. -
JTapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tapates o de alcatifa para
forrar saloes tudo em quantidade; e vendem sempre^por menos que em outra qualquer
parte.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
ALGODO
ACHINAS
alease palitots a 13 o covado, brim pardo
le todas as qualidades e brim branco de
todas as qualidades na rtia da Imperatriz
o. 72.
Alpacas lizas a *o rs.
Vendc-se alpacas de cores lizas finas a
^40 rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOL&O ENFESTADO A 33500.
Vende-se pecas de madapolo enfestado
35500, pecas de madapolo injlez do 24
Bales de arcos l50<>.
Vendc-se bales de arcos pan senhoras
pelo baratissimo preco de 1#500 cada um,
Cortes de cambala barras
a :s.oo.
Vende-se cortes de cambraias barrsa a
23 c 33 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos do seda a 640 rs. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 13-
Vende-se carteiras para viagem 13
cada urna.
a
;ardas a .^, C$400, 73, 83 e 103 a peca.
72. Ra da Imperatriz. 72.
CACHINAS americanas de serrote de todos os tamanbos para descansar algodo, do
muito conbecido fabricante Eagle Cotten Gin.
ACHINAS ditas, tambera de serrotes e do todos os tamanbos para descarocar, al-
godo do autor New York Cotteo Gin.
MACHINAS ditas de todos os tamanbos, de carreta de ferro e- mais toda a machina.
IfACHINAS ditas de Rollcr Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
MACHINAS de faco do fabricante Plalt B. A C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as melhores que tm
?indo ao mercado ; e para a sua apreciacSo convidam-se os senhores agricultores
?irem a exposico das mesmas na roa da Cada do Recife n. 56 A, loja do Bastos, onde
mcontraro mais o seguinle:
mwm mm mmmmmm
OPAVILHAO 1
DA
I
Oebulhadores para milho.
Cylindros para padarias.
Arados americanos.
Carrinhos de mo.
Machinas para cortar capim.
Cannos de chumbo.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Telhas de ferro galvanisadas.
Folhas de zinco finas.
Ditas de cobre e lato.
Ferro de tedas as qualidades.
Arcos de ferro.
Folha de Flandres.
Machados americanos.
Faces ditos.
Balates e cestas de verguinha.
/assouras americanas.
Folies de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros artig
liversidade seria enfadonho ennumera-los.
Folha de ferro.
Halancas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Ternos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras. *""
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para refinaces.
Azeite de espermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentcs lavoura e artes, que pela
Lourenco Pereira Mondes Guimares, proprietario do annazem de'fazendas
niuidoGARIBALDl, tem a honra do pirticipar ao respeitavel publico que tendo
i lo diversas faciurasdi fazndas.-de novo gosto, para a festa, estando a espera de
novas er.fcommendas quo de\o estar aqui at o dia n; de novembro vindouro, e vendo
'jiie nao tem tempo antea' do balanco d.i vender taas frondas de encomuendas p ir
sso resotveu fazer urna liquidaco pira verse d maior, estraco por isso em vistas das
ircamstancias vender tudo mais barato do que em outra qualquer parte, na ra da
.npertrii n 56. \
M.VD-VPOLAO E?fFESflDO A 35500. CUITAS PRETAS A 100
Vende-se urna frande porco de mulapo- Vende-se urna grande porco de chitas e
13o infestado de 12 jardas a 33500, assim cassas pretas era retalho a 100 o covado
como p->caj de%adapol5o nglezes de 'i tambemtem retalhos de chitas e la de c6-
ardas ou 20 varas a 53. 50300, 63. <; ;>5iX) res que se vende barate.
73000. 83, 93 e 103000 Gaaas para calca a 390 rs.
Corpinhos a 200 rs. Vondem-se urna grande porco de gangas
CAMBRAIAS VICTORIAS A 8:800 para calca de homm o menino a 320 o
Ven le-se pecas de camoraias victorias covado, cortes de castor para calca a 640
f:i.!.s a 53500, 63 73. Brilhantina bran- cada um.
< fina para vestidos de senhoras a 500 Brim de cores a 400rs.
rs. o covado Vende-se urna grande porco df duas
ALGODO A 43000 faces para calcas, palitots e cohetes de bo-
Vende-se urna grande p rco de Igodo me,m e menino, fazeuda inteiramente nova.
todo de noa qualidade e 43 53, 6>, 635 0 Brim pardo liso a 5-0 rs. o metro, dito
73, e S3, a peca de 20 jardas oa 2i trancado lino a 800 e 13000.
'aras. Grande liqzildaeSo de chapeos
ADMIREM-SE DO QUE E' BARATO de sol
Chamalotes a 560 Vende-se chapeos de sol de alpaca com
V id'-ie chamalotede c6re*, de algo l- pequeo dnfeito a 23 e 33000, ditos finos
-j, ,i vii,iidfs de senhoras a 5*0 o covado. de 12 astas a 43500, ditos de seda finos
%lpacas lisa; a rs. de 8 antes a 73501), 83000, ditos de 12 e
Vi! -su ^Inaeas lis* para vestidos de lOastesa 1030OO, para liquidar.
eres. |iara senliora. a 50>rs ditos muisa- chitas para cnbertas a 940rs o
Jas ii tas a 7zo o covado Dita* lisas mui- covdo
.o larg.s a 640 o covado. v*end-se chitas francezas para cobertas a
. AO LE40
Grande annazem de fazendas e roupas feilas rna da Imperatriz
n. S2, porta larga, de Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 33, 33500 at 63. Bitos dt
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 53, 63, 83 e 103, de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 3)5500 a 53000. Calcas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de 43. 53, C3 a 153. Colletes de todas as qualidades e preco muito
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodo e de linho de 23 at 53
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de linho e bramante a 23 e 23500.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a todos os precos. Meias sortimento completo a 33.
43 ate 73 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-so de quaesquer obras de encommenda tanto para homem, como
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e outras muitas fa-
zendas.
FAZENDAS
j Bramantes de H palmos de largura a 13800" o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de tedas as cores a 640 rs. o covado.
Poilde-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 13200.
Basquines de guipure enlejiadas a 183000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 63500, 73, 83 e 93000.
Algodo peca com 20 jardas a 43500, 53500 e 63000.
Peca de algodo largo a 73500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem roupa
feita que se est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 Gunto loja de ourives) do
LEaO da porta larga
DE
Paredes Porto.
AURORA!
A BA DA IMPERATRIZ l 2
Esquina da ra da Aurora
Defronte do Caf Imperatriz.
Keste novo e sumptuoso estabcleciinon-
tu de fazendas, cncontraro as Exmas.
familias indo quanlo poam desojar, lan-
o cm arligos do rigoroso luxo, como cm
todas as mais qualidades de fazendas do
sedas, blonds, alpacas, merinos, Has,
rassas, mussultna, cliilas, madapoloes,
aUiodoes, etc., demodo a sahir bem ser-
vido desdo o mais rico o exigente amador
da moda c do taxo, al o mais modesto |
pai de familia. Ali'in do se achareni pro- I
vidos do que. mellior se cnconlra neste *
merrado, mandaram o* pronrietarios I
d'i'Ste eslabelecimerilo vir directamente I
o que Ptn artigos dn modas e de mais 1
aparado gosio-M entonta em Pars.
Urna nmdi.-ta efponalmenle ocrupada I
nos trabalhos do l'AYILHAO I>A AL'ltO- i
RA, exeeutara promptaruenle e com toda 1
a perfeirao qualquer traballioa capricho, i
para o (pie se acli.i liabiliada em Indo !
quaulo mister para o bom dosempenlio {
de sua missao, o que ( urna grande van- i
tagein para o bello sexo, (jue dssim !
vai encontrar em um s lugar tudoqnnn J
o pode desijar, i-to fazendas do me-
Ihor gosto, modista para pe feita execu-
cao do quali|iier trabalho, perfuma-rias, jj
chapeo?, enfi-iles, miudezas, luvas do
Jouvin e tudo quanto a moda pode exi- !
gr- I
Aos cavalhciros igual vantagem so ofTe- J
rece, por ler o estabelecinienlo o mais
completo sortimento deazendas para fae- j|
los, e proprias para todas as estacos, e i
um hbil allaiate encarregado de exeen- i
lar com proioplidao e mesilla qualquer |
encommenda. s
Os propnclarioe do PAVILHO DA !
AURORA nao tendo poupado despezas f
para dotarem esla bella cidado de nm t
estabelecimento digno d'clla, conllain nos 2
seus estorbos e no bom gosto de seus ha- |
hitantes, garanlindo a maior circumspec- l
cao o modicidade de precos.
Com a possivel brevidade e em vista da {
protecc*> que se dignarem dispensar-lhe, |
este estalielecimento irar muitns outras i
vantagens, primando entre ellas a pnbli- |
cacao de un jornal gratuilamenlo dis- |
tribuido aos seus freguezes, o qual se oc- i
rupar exclusivamente da desrripcao das |
modas, acompanhado dos ltimos'guri- i
nos; vantagem anale boje anda neubum l
meslabelecmento olferecen.
Concluindo, e na impossibilidade de des-
crever c rico e variado sortimento que !
possuem, os propietarios do PAVILHA |
DA AURORA r)>s|)eilosaiiiente convidam I
as Exmas. femlias a visitar este espa-
coso e rico estabelecimento que, alm de |
ludo, est dolado do |essoal necessario |
para vender e levar amostras s casas !
qne as pedirem. |
Pelo ultimo vapor receberam ricos cor- t
tes de vestidos pata casamento, luvas de !
pelica. ricas cbpelmbas para senhoras |
c diversas fazendas modernas.
Aberto das 6 da manha sc
9 da noite.
LOJA
DO
CORTES DE PERCAI.ES \ (1:000
V'd'ii-se urna grande porco de cites
le per viles de doas s senliora. de amito delgados gostos com
16 V* covados a 65 74000.
C\MBR MAS LISAS DE CORES A 6O0
Vend.- se urna grande porco d cambraia
sa 11 todas as cores para vestidos a 600
rs. o metro.
Orgaiibys moderaos a 800 rs.
Vend^-se organdys de cores para fazer
etid>s. de duas saias, agora modernos, a
300 rs. a vara.
240. 32i>. UO, e 380 o covado.
C\SS\S FRANCE2AS \ 240 RS.
Vende-se cassas franczas para vestido
a 240 o covado, ditas muito finas a 400 rs
assim como percales finas para vestidos a
440 o cavado,
GR\NDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias ernas para homem a
35500, i&. 5&. e 6-5000 a duzia, ditas para
meninos de todos os tamanhos a 35500 e
45000, ditas para senhoras e meninas a
35500 45, e 55, a duzia.
BALES DE ARCOS A 1:500
Machinas vapor de
forca de 3 e 4 c-
vanos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de facao e serrotes para desca-
rocar algodo.
Balancas para armazem e balcao.
Camas do ferro.
Cofres de ferro de Mlnez e de Uhif-
ield.
Prencas para copiar carlas.
Fogo americano patent
RANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS WfiJ* MCS 3 Ub' ^ mdern0S
E RARATAS PARA A FESTA """" ATTPNrn
Vende-se chitas francesas muito finas de -, AiinnvAU
y>res 80. Ditas matisadas scwas a 320 Tem'Sfl ^ vender urna grande porcSo
utas es,-..ra8 escocezas a 30. ditas aleo- dewupas fe. tas de brim ^de casemira, de
soadasa 360. ditas aribaldinas a 360 o t"'^ as qualidades nao se menciona por
a**t... Sortimento d chitas como tem o ^enfad.mho garante-seao comprador ven-
iarihaidi ha poucas lojas que enmpitam. d^"ia.s barato do que em outra qualquer
H parte, isto so se podo conhecer cora a pre-
TJSTES PARA VESTIDOS A 400 RS. senca do comprador e a vista da fazenda
V'niie-se fnsto de cores para vestidos a que se pode conhecer como est liquidando
iOO rs. o covado. por barato preco, o general Garibaldi, rtia
CORERTOHES A 1:400 da Imperatriz n. 56.
Veud-se cobertores de algodo a 15400 Chales de merino a *00
le chitas feita a 15600. Vende-se chales de Merino de cores s-
i norcSo d- corpinhos a tampados a 25000. ditos \h- a355 t o40X tos estampados finos a 55 Hftfli e $000
IttlPK POPIJIi i
DA
FABRIf A NACIONAL DA BABIA
DE
Teixerra Utdunco jr C.
Acha-se venda este ptimo rap, nnico que
pode suppnr fatta do princea de Lisboa, por ser
dn mui asradave! perfume, viajado, e a preco
mais mdico possivel; e por isso tem sido asss
amihido as pracas da Rahia, do Rio de Janeiro e
iti do imperio : no escriptorio de Jaquirn
' ao, rna do Coramercio du-

Rheumatismo emoles-
tas syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaparrilha
do Pai, pilulas e xarope do veame, tin-
tura e xarope de sicopira.
Docncas do flgido e liaro. ane-
mia, opilado, ete.
Emplasto, oleo, pommada. tintura, pM
lulas, xarope e vinbo t milagrosa Juru-
beba.
SczOes oh febres intermitentes
As pilulas anti-periodicas de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pharmacia de seu autot ra larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quartel do corpo de
polica.
NA PIIARMCIA DO PINTO RA LARGA DO
ROSARIO N. 10 JUNTO AO QUAR-
TEL DE POLICA.
Acbam-se constantemente promptas a
aerjm satisfeitas, as prescripcoes dos Srs.
facultativos, e as necessidades dos enfermos
s especialidades da mesma pharmacia.
composta de medicamentos, tanio indge-
nas, como estrangeiros.
Tosses e molestias do peiio.
Xaropes de fedegoso, rabo do tat,
Airrilo, pao Cardoso, juca, mulung, n.u-
tamba, etc, etr.
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo n. 9
Os propnetarips desle bem conliecido estabele-
cimente, alm dos muitos objectos que tinham ex-
postos a aprecia rail do respeitavel publico, man-
daram vir e acanam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e variado sortimento de
finas e mui delicadas especialidades, as quacs es-
tn resolvidos a vender, como de seu costume,
por precos muito baratinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luva3 de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cures.
Mui boas e bonitas gollmhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderna
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para cabeeas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores cora vidri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de mclhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aqueltes brancos
com lindos desenlias, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 201.
alm destas, temos tambero, grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marfim cum lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste geilero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
Suantidade de outras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, ote. ele. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de I a 12 aunos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa ves tam-
bem assegurain-js sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bollas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltaretc, assim
como os tentos para o mesmo fim.
Graide e variado sortimento das melhore3 per-
fumarias e dos melhores e mais conecidos jier-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsScs, e
fa'ilitam a* dentiQao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los |r toaos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
como j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que detles preci*arem, vir 4n deposito do gallo
vigilante, aondi sempre encontraro destes verda-
deros collares, e os quacs attondendo-se ao fim
para que sao applicados, se Tenderlo cora um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por presos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, rtia do Crespo n. 7.
Sellins baratas,
N. 27 RA DO LIVRAMENTO X 27.
Neste estabelecimento veide-se sellins e
siihoes, de todas as qualidades do melhor
que se pode fabricar no paiz, assim como o
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxoes, traviceiros, caixi-
nhas com almofadas, proprias para menina
levar para aula. O proprietario deste esta-
belecimento garante a pontuahdade, esme-
ro e zelo de seu trabalho; perianto pede ao
respeitavel publico sua proteceo, qoeaffian-
ca vender tudo pelo mais barato possivel,
e por menos do que em outra qualquer
parte.
0 cordeiro previdente
Rna do Qnelmado u. le.
Novo e variado sortimento de perfumara
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, deque efieclivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber ura nutro sortimento que se tora
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
lade, qualidades e commodidades de pre-
;os; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciaco
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conbeeidamansido
a barateza. Em dita loja encontrarlo o
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray A Laminan.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran
ceza, todas dos melhores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toHet.
Elixir odontalgico para conservaeao de
wseio da boeca.
Cosmetiques de superior qualidade e ehei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, coa
pomada fina pan cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
mitras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
francezes em frascos simples e enfeitades.
Essencia imperial do fino e ag adavel chei-
i-o de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolhidos cheiros, em frascos de (Ufe-
rentes tamanbos.
Sahonetes em barras, maiores e meaore
para m3os.
Ditos transparentes, redondos e em gu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinlia para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imtlaado
frnctas.
Ditas de madeira invernisada contende fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelao igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e d
moldes novos e elegantes, com p de arroi
9 boneca.
Opiata ingleza e franceza para denles.
Pos de campbora outras differeBte
cualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda mais eoqnes.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilho
9 alguns d'elles ornados de flores e fitas,
*st5o todos expostos apreciacae de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicao.
FlTellas e Otas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec
tos, ficando a boa escolha ao gtwto do com
prador.
Cahriolet Doca.t.
.0 mclhor nestp pendro, c poi i-ito estado, ven-
do-fe um ; para ver na cocheira de Tiioraaz'Lins
rna de Sanio Amaro, e tratar na ra do Crespf
n. 16, loja, das 8 as 11 horas ca manhia o das 3
as 6 horas da tardo.
Cal de Lisboa
chegada no ultimo navio, tem para vender Joa-
quim Jos fiodcalves llelirio, no seu escriptorio a
roa do Cummerrio n. 17,
Armaco baratissima
_ha ra Nova n. 48, vende-se um. grande ama-
rao, parle envidracada, canteiros, don* balcoes e
diversos caixoe? grandes, proprios para taberna,
padaria, deposito ou outro qualauer negocio, a
qual se vende por preco baratissimo alim de desoc-
cupar a casa ; e juntamente se vendem 4 pipas
vasias arqueadas da (erro.
Vendem se pipas vasiasem |i, em nor^aoou
a retalho ; a tratar na ra da Cadeia do Becife,
casa n. 1, 2 andar.
m (AZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Hry Forstar
., ra do Imperador, um carregamento e ga?
de primeira qualidade; o qual se vende em partida!
e a retalho por menos preco do que em outr* qual
quer parte.
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit ubouch & C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ra do
commercio n. 32.
Vende-se
nma preta de idade i3 a 15 airaos, sadia, do ser-
vico oe campo e boa lavtdeira: a tratar oa rna
estrella do Rosario n. 47, com Rodrigues Almeida
& Coi upa nli ia.
Vendem se duas escravas oh do sertSo: na ra do Principe,, n. 22.
GADET
CURA
.CERTA eINFALLIVEL"
em TRES DAS
[Pl!B?Denain7'
PAR I S
Parla, 36, RnaTlTlenne, D
CHABLEMEDECIN
aJtsrKnitiDADAsuESxuAKa.ASAffaal
rfAWKAS.t ALTnACOKSDQgAUttOT.
L m. ktrvM. mu
DEPURATIF
i.. SANG
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento; na ra da
Madre de Dos n. ti, armazem de Jo2<
Martins de Barros.
OnI nova de Lisboa
rhpp?da i navio : vende (oiquim .1
Ramos, ua ra da Croi n. 8, Io andar.
__________T- IM, illiruM
ao mmj.ie. (Xarope igeUl Na rearcl.Bwm.
r>U.M .^r.e. AllH** wnjnmZS
Ioiuo-m doas por samut, MpuM tracumuta
rgtivo : empro< bm mm ;
PLUS DE
COPAHU
SiU XaNM Citrtcu
toro da CUBU.
ftitMyuVfm
____nasi^raii
nenie os /hxoi t flores branetu 4a laam.
%ta injecoio baaign* npraga^* cas IirMgm
extracto d* Ftrro ,
(rr.Mn Pnnirii ^u u cire ira ta\
POMADA ANTIHBRPETICA
Coalr aa afucco*
PILULAS VEIS



OSPUfUTTVAS
**&*%&$:itmPsf*9\ '


^H
H
IB
*tr
?
Diario de Peranibuco Quinta feira 30 de Dezembro de 1869.
i
DE
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO ^
iaioa aa mUpaQaiia]*a. m
DE
FEIIX PEREIRA A SIIjVA.
0 proprictario 'este granito cstabelacimento, vendo que se est aproximando o fia-
do aano, e itendo em ser um graade deposito deposito de fazendas ; nao fallando em
avultadas en:ommendas quo lhes estilo obrigado todos os dias, tem resolvido liquida-
las por prego muito mais baratos do que em oaira qualquer parte ; s eom o fim
de diminuir o deposito e apurar dinneiro. Encontra-se neste estabelecimento do
PAVO, avultfao sortimento de azadas de luxo e modas; assimeomo do primeira
aecessidade. As pessoas que negociam em pequea escala n'esta loja podoro surtir-
se vendendo-se-lbos pelos presos que compiara, us casas inglezas; assim como as ex-
cellentissimas familias poderao mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou man-
dar-se-ba levar pelos caixeiros da'mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
acha constantemente aberlo das 6 horas da raanha s 9 da noite.
EVnlanHiiln oAi^mantA ta lAaziniias modernas na loja do pavao
iAyiliUlUU SUI LlillUillU UU Chegou para este estabelecimento um grande
roupas feitas
NA LOJA DO PAViO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-' Crochs
pletamente sortido das memores roupas,
endo calcas palitots e coletos de casemira,
i&iJegma*^
\
6
-f agfe
A bo $UIMA&6
, P NOVIDADE .
tluando a AGIA BRRNCA, mais precisa scientilicar ao respeitavel publico em
cera!, e em particular a sua boa freguezia, da immeosidade de objectos que a tintamen-
te tem recebido. justamentelqando ella menos o pode fazer e porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que Iba a tenderao e relevarao
continuando portanto a dirigirem-se a bemconhecidalja da AGUIA BRANCA ra do ida
Queimado o. 8, onde sempre acbaro abundancia em sorUmento d superioridad > em
qualidades. modicidade em precos e o seu nunca desmenttido AGRADO ESINCERIDADE.
Do que cima fica dito se conhece que o tempo de que a AGUJA BRANC V pode
dispor, empreado apezar descus cusios ao desempenho de bem servir a aquelles que a
honrara procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem ennume-
rar os obiectos que por sua natureza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja importancia, elegucia e novidade os tornara recoramendaveis, como
bem seja
sortimento das melhores e mais modernas laazi
nlias para vestidos, sendo Upada) e transparentes
ile todos os precos e qualidades que so vendain
mais barato do que em outra qualquer parle.
para carleiras e solas
0 P^vao tem um'"grande sortimento dos
Eft,r*S.7 "ET35 ^3^ Si
as mais fazendas que os compradores pos- ras s0las' mesa5' amolaras uc etc., assim
Bamjteseiavaaaimcomo na mesma loja como propr.os para cobnr presentes e ven-
ara um bello sortimento de panaos casemi- *>- ma.s barato do que em outra qual-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer qualquer peca de ora, com a naaior promp- GLACE' A l :200 PARA VESTIDOS
lidio vontade do freguez, e-nao sendo q p^o m esia nova fazenda lisa pro-
obrigados a acceita-las, qfcrado nao stejam pra para vestidos, com as mais delicadas
completamente ao seu contento, assim como c_res c co__ mas iUSfre _0 que a propria
n'este vasto estabelecimento encontrar o seda com 1 palmos de largura que facilita
respeitavel publjco um bello sortimento de fazer-so qualquer vestido com 10 covadus
camisas francezas e inglezas, ceroulas de 0 vende se pelo baratissimo preco de 1:200
ioho e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhojjis promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outraqualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se um.a grande porco de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que era outra qualquer: na loja do
Pavao ra da Imperatriz |n. oO. De Flix
Pereirada Silva.
FAZIiXDAS PARA LITO
Na loja do PavSo.
Encontra o respeitavel publico neste estabuleci-
ment m grande sortunento de fazendas pretas,
como sejam. eassas francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda do lia de
lodas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, laaluhas, alpaca^ lavradas o lisas, eantao,
aombaiioas, merino, etc., que tudo se vende por
preco barato. .#
AS CA5SAS DO PAVAO
Covado a 300 rs.
Vendem-se fiuissimas ca;sas francezas cosa lin-
ios mohos e jor.s r.xas a 300 rs. o covado.
MadapolSb fraucez a 7$000 rs-
Vende-se pecas de madapoln francez
com 22 metros _pelo baratsimo preco de
7j5000a peca, 'petbicha.
Alias novidaifes eai sedas
Chegou u;n grande sortimento das mais
modernas poupelinas ou gorgurties do seda
e lioho com os mais elegaives padres que
tem vindo a este mercado sendo, rbidos e
graodos, tanto ero cortes pora vesdus cotilo
para vemier em covado, aspiro, como um
bonito s.-tinenlo das mus bonitas sedas
listradas que so vende tudo muito era (ota
Grosdeuaples de cores
Chegou um graade sortimento dos mais
bonitos grosdenaples de todas *s cre3 para
vestidos que sh vendem muito mais barato
d< que em outra qualquer parte.
GRANDE ITXUINCUa A :0U0RS.PECA DE
Btretauha
Vende-se pecas de uperior bretanba de
algndi tendo qaiiro pululos de largura
cora 20 varas ou 2i metros cada peca, esta
fazenda seria ara costar 85000, a nao ser
a 55600, cada peca.
m 11 VIL fiVMKB BE
LUSINHAS lusthosas a 00R3. O C0-
VA150.
S o Pavo
Vende-se um gran-to sortimento das
mais modernas e legantes lasinbas para
vestidos, com as cores mais novas que tem
vin-lo a este mercado, sendo com listrinhas
miudinhas que parecera do urna s cor e
cora tanto lustro que imitara perfeitamente
s poupelinas da seda, e vendem->o pelo
barato preco de 400 rs.
Bretanhas' de rolo a 96SOO a
peca
Vende-se superior, bretanba de rolo ten-
do 10 varas ou i 1 metros com 4 palmos
de largara pelo barato preco de 2500,
pech india.
Os setus do Pav&)
Vende-se os mais bonitos setins de cores
e mais encorpados proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
AOS PALITOTS DO PAVO A IBS e
205000.
Vende-se um bonito sortimento de palito-
ts francezes sendo, sobrecasacados e pro-
oriamente sobre-casacos, que se vendem
forrados de alpaca a iSdOOO e forrados de
seda a 200000, pecbincba.
COLCHAS DE FSTAO
Na loja do Pavao vende-se om grande sortimen-
to de colclia da fustao sendo brancas e de cre^
ditas de croch para cana de nowa, assim como
oomtos damascos de lia para colchas.
Na loja ao Pav3o endem-se os mais
bonito chales de verdadeira cachemira r
cor, com os desanos mais modernos, a 6d,
10 e 12^000, omito barato na ra da Im-
rs. o covado, pechincha.
Or^andjs a 360 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores com padies miudos egraudos. sen-
do todos de cores fixas, pelos baratos pro-
cos do 3(50 rs. o covado.
ALGODO ENTESTADO
Vende-se urna grande pnrcao do algodSo-
sinho americano com 8 palmos de laigura
proprio para Icnccs e toalhas tendo liso e
trrncaao que se vende por preco muito em
conta.
anos de Iho
Chegou um grande sortiuieulo de pec^
de panno de lii.bo do Porto que se venddm
de 700 rs. at 1000 a vara, garntindo-se
que em fazenda de linho nao ha nada me-
Ihor, nem mais proprio para lences e toa-
llas.
PECIIICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um graT.de sortimento dos me-
borea chapeos de sol de seda, inglezes ten-
do nesie art go o melhor que tem vindo ao
mercado assim como una grande porco de
ditos de alpacas de lodas as cures e lodos
se vendem por preco muito mais burato do
que em 01 tra qualquer paite, por baver
grande percao.
n neos fe raucos
Vende-se um grande sortimento de len-
cos hrancos para homwn, sendo a dtizia a
1 HinO, 2u00 e 3#J00', ditos abanhados
nauito linos a e 65000 a duzia, ditos de
muuiao fazenda muito superior a o,?, G$ c
7j0lH),
Feehieba em easealras a" ^.OOO
Veude-se finissimascasemirasde cor com
listras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores mais novas e nais bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baratissimo preco
de 4;5K)0 o covado ou 7/000, cada corle
de calca.
Os balees do Pavao a 2000,
Cheg u um grande sortimento de balees
ou crenolinas do feitiomais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 2-S000 ca-
da um grande pechincha.
AS CA BRAIAS DO PAVO A 4:00 RS.
Vende-se urna grande pon;3o de pecas
de uissiraas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com mais de vara de
largura pelo baratissimo preco de 4#50O, a
peca sendo fazenda que nunca se vendeu
por menos de 8W00, grande pechincha.
AS POUPELINAS DO PAVO A 500 RS.
Chegaram as mais lindas poupelinas de
la com imitaco das poupelinas de seda,
um fazenda muito leve com as mais lin-
das cores, sendo: verde Bismark, rosa, azul
iyro, c nsento, peroila etc, etc. e vende-se
pelo baratissimo preco de 500 rs.
Corplnhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeicjto de ador-
nos rs tornam apreciados.
Filas mni largas de diversas cores c qua-
lidades para utos. .
Leques uesse objecto muito se podena
dizer querendo descrovc-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de ihegar, mas para n3o massar o preten-
derte se lhe aprosentar o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 liras.
(uipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodo oom llores e lisos.
Veos de seda para chapelioas o monta-
ra.
Meias de sefla para noivas.
Ditas abenas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Eoxovaes completos para baptisados.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fif de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento do dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Caixinhas cora ditos aromticos. .
Bonitos/e modernos pentes donrados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Adereces e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para balo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes s3o movidas por um machinismo
unas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com.
podras.
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados; enancas.
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
Diversos objectos de porcelasa, proprios
para enfeites de mesa eCde lapinhas.
PARA A FESTA
Teiide-se po. menos de 10, 20 e 30 io
SO' NO
[IISOTATITI
N. 28Largo do Terpo.N. 23.
DE
SIMAO DOS SANTOS ft C.
Os pmpnetarios dusie bem sortido acuMBCnn de secco e mocadas est3o re-
solvaos a Tazare urna grande diininuic3u d preces nas suas' mercadorias, como se apro-
xima a festa e sempre so fazetn avult^las compras para o centro c prac, uoi
isso previnem 'O ruspeitavel publico em geral. que mande fazer saas despenca* e cer-
tos deque verao a grande dlffereng emprecos mais do que em outra qualqacr parte
e gararitindu-se as superiores qualidades. ..-,,
C\Z AMERICANO 9/S30O a lata, e 440 SEVAD1NHA E SAG 280 rs. a libra e
re. a garrafa e 60 rs. o litro. 620 rs. a kilogrammo. __,,
HO VERDADEIRO FiEIRA 360 FARINHX DE ARARUTA VERDADEIRA
il UVI
O Campos da ra do Imperador n. 28.
no intuito deservir salisfatoii menio aos
seus innumeraveis amigos e fri'.'uozcs. em
particular e em geral ao 11 i publico,
desta cidade-; avisa aos 'ue esliverem pas-
sando o tempo catatse; nos deteitrveis
arrabaldes desta capital, que tem resolvido
vender, de de superior qualidade, i precos
razoaveis, os seguintes geoe/OS a saber:
PARA CIMA DE APARADORES
Latas com doce em calda de diversas
qualidades nacionaes e estrangeiros.
Ditas com peixe a saber; salmn, ostras
e lagostas.
Ditas com ervilbas francezas e nortugue-
zas.
Ditas com gela francez*.
Cerveja franceza verdadeira Bobee.
Presunto para fiambre o afnmbrados.
PARA DISPENSAS
Latas com chouricas novas sendo de 8$,
urna.
Presuntos de Lamego para tompeiro.
Cuias do Para (pintadas pelos indgenas
daquella provincia.
Copos de vidro com dol'radica e lampa
para diversos misteres.
PARA OS QUARTOS DE DORMIDA
Porta-phosphoros cheios de phosphoros
de segnrcnca.
PARA SALA
Charutos de S. Flix do afamado fabri-
cante Costa.
Fumo picado do Daniel de S. Jo3o do
Rio de Novo.
Alera desses gneros, o Campos tem con-
vicc3o de que o seu estabe!e dos que podem salisfazer com garantas as
exigencias bem entendidas, dos Ilustrados
habitantes desta heroica provincia, porquan-
to sh acha elle bem prvido de gneros su-
periores, de maneira a n5o desmentir
O Caypos.
KO BAZAR DA MODA
OE
MI DE MU JQttB i Gf
Eua Nova
VENDE-SE MUITO BARATO PAA LJQUI-
OAR A DINHEIRO.
I.iiva.
De pelicn branca muito frescas, ebegadas
por este ultimo vapor para homens senho.-
ras c de cores c pretas para meuinoso
par 2,51000.
Minhas festas
Lindos objectos para minios, como sejam:
Estojse caixinhas de msica, bulciubas'e
8estinhas, vasos e, balainhos de porcelana
dourada, fguras, tinteiros, poit-bouqucl,
caixinhas para j'-ias, interesantes conebinhas
com frascos para excencias, ritos quadr-.
para retratos, apparelhos de plaqu, cama-
feo e madreperola, lindos vasos com perfu-
maras etc. el?, o muitos outics objectos
para este fim.
Chapeo* de setim ricamente enfcados o ii.iis mo-
dernos que pode haver para senhoras a
145,16*0 183000.
CITPL'RE OU CROCH
preto ou branco que o pode baver de mais
bonito empadroes e jopertarmqalidadi's
para casac'-s, capinbas, corpiali'.s, meias
saas etc. < vende-se muito barato.
LINDAS CAMELIAS
brancas c cor de rosa de dous tamamVjs
cada rosa a 15200 e 13500, .
Chapeos para sent oras,
de palha fina de Italia elegantemente cnf< i-
tadosc gostos muito modernos de l.'i- D-.
vende-se para liquidar a 100u0. E' '.):.-
chincha.
2^000
VINHO
;;ou
a caada e 800 rs o ti- 640 a libra e 1 I' BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
a garrafa, e
tro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 4i0 e'O rs. a garrafa, a 24800 e
35200 a caada, 660 e 72o rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 4;5000.
a cariada e 560 a garrafa,.: &40 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 15400,
1-1800 e 252ffo a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 75 a caada, e 15340 o litro.
MXNTEIGA INGLEZA FLOR 15400 e
15280 a libra, 35060 e 25780 o kilo-
BRACO DE'ORO,
Rila do Imperador n.26
Neste novo estabelecimento cncontra-se
diariamente um variado sortimeuto de bo
linhos para cha, pastis, podin, bollos in-
glezes, pesde l presui.tos.-ditosini fiam-
bre, superior cha Hvsson, preto, e miudi-
nho. Viahos finos de todas as qo'alidade
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, fructas muito bas, por-
tuguezas e uancezas.
Um completo e variado sortimento de
caixinhas do todas os gostos e oreos para
mimosear senhoras, estas caixinhas recn-
tamente ebegadas de Pars sao de primea-
do gosto, oleresse-mo-ias aos galanteadores,
do bello sexo pos aellas acbaro mu digo
.e serio presente para as donas dos seus
pensamentus. Tambera os apretadores da
ha fumaca encontraran charutos d'S me-
lhores fabricantes da Rabia c de Ilavana
sganos do Rio de Janeiro etc. eU".
Doces d'ovos seceos, christali.sados e de
calda, ditos de caj. ed outras qualidades
Ncsta casa recebem-se ;n:nnieiias \w.
bailes, casamento.-; e ba|>tisa los c (pialquei
e.ncemmndas avulss, ict\. 'rjapod t
e bulles enfeitados o! ...s n>uza-
que 'enfadonho m'-ni-i"ii;:r.
"ISr
Resta venda ani
radeiras de pinito de nhnr c fcu/icr
Ni arinnzf-iTi ilo l' A flmai .
i-nos ii ile .i'ui'eiiiljruj. 8, veiraeu) re cadeir^^
de |inli) amoricauo ^imriftu ffcli.tr. pr.ipra> pa-
ra armaeis, assim "fon pela fcil r,-iJnc,--...
iide ijuali. ., que via.ii cojidui-las
inenuim ido, e U rein ns-im um f>fn!i aprcpria'.'i)
paw desraiKiida tiage; o hem a- J;rJ (|ue na pKsnle qu:nli a. i: ura.u.~ armhaMes
aftin de passarem nni da li'ioB tQpr da cidadr,
podan pst:ir sentados deliMxo iojJu^s arliii'-'-
h, sa^oresnd) seu havai. T%reciso i-sa-
iv.'n ditados na relva.-rom receio de screra m i-
Jidos pnr al'UjD insecto i.

TURA.
Acitbam di epar a ) Grnt<> Bnzt.r l/.
.i}3 Suva n. 52 (Inriuii Vniina itplv
wWttBi't.' de na.-hias par costura, dis
tnres mai^ cunlipcidus, as qu.i ,;-.tai cm expu^i-
i;a) no ine-inn Bazar, parantind-w a sna bo3i|ua-
fidade, e larobcm ensinase co:n prmica, i a lodo*
os .comprad :.-. Esias mm-liinas NO ipna-
sen Irabalhn ao di- SO cnstnreira< diariamVWft, o
sua ii, Mfin tal rmno da inelber coMuceira -3
Pa.-is. Aprpm.'Bt!un-^e trabalhus exccnladus i-el
mesma?, iue muito devem agradar aos prctea-
denies.
40D rs. a hbra e 8n0rs. o kilogrsmmo.
VELLAS DE ESPARMACETE 70 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANZA, 80, 400 e 560 rs. o masso,
3(500 e 5500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINIIAS
DE MUITOS TAMANIIOS 1380, 25500
3;>500,15500, 55500 a lata e a retalho e 15
a libra.
GOMMA DE MI1HO AMERICANA iOO rs
o masso. e em caixa ba abatimento.
, BATATAS NOVAS DE USROA 60 rs.
10'________ -~~ u5Qr8 a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 55SO0
a duzia e 500 rs. a garrafa.
PARA TEMPERO 560 rs. a li DEM BASS. VERDADEIRA HILERSd
DITA FRANCEZA a 960, 000 e
a libra, e 25100, 15980 e 15860 o kilo-
grammo
DITA
bra, 15220 o kilogrammo, em porco se RELL, 800 rs. a garrafa e 95 a dnzia.
far abatimento. VINHO.DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANHA DE PORGO DE BALT1M00R DIVERSAS "MARCAS 15500, 15200, 15 e
720 rs. a libra, c 15560 o kilogrammo, em 800 rs. a parrafa.
peratr'u n. 60. ..
BASQUINAS A 125000
Na loja do Pavo vende-se as mais mo-
dernas basquinas oa manteletes de guipure,
pelo barato preco de 1*5000 cada urna.
Cortea de orgaiulys com barras
Para a loja do Pa\3o chenaram, os maisJ
booitos cortes de organdys com barra, seud .
cada um em seo rarta<>, com o competeute
figurino, moito prPriuS Para 'azer pre"
sentee-
Fustoe8 Lrancos para vestidos
Chegon nm lindo sortimento dos mais ba-
ratos e bonitos fustoes brancos com listras
e enrdes, sendo fazenda bastante larga e
flexivcl, muito propria para vestidos o roa-
nas de m*ninos o vendem-se a 640 o co-
vado. _
BONITAS UUSINHAS
OU ANADINAS A 15000 RS. O COVADO.
Chegou para o Pavo, um grande o va-
riado sortimeuto desta nova fazenda de lia
e seda propria para vestidos, com os mais
delicados desenhos e mais modernas cores,
tendo bastante largura que facilita fazer-se
nm vestidocompoucoscovados, pelo bara-
tissimo preco de-1*100 o covado, por j cs-
tarem moito prximos da fe.-ta.
CRETONES MATEADOS PARA VESTIDOS
A 640 E 800 RS.
Para a loja do Pava cheuaram os mais
bonitos cretones escaros mati-ad->s. pro-
prios para vestid is, rnpo chambres etc.
qut) se vendem 800 rs. o covado, assim
como a mesma fazenda em padrues claros
proprios para vestidos e nwpas de meni-
nos a 6io o covado, sendo os padies mais
moderuos que tem viapo ao mercado.
Chitas francezas
Para a toja do Pavo chegaram as mais
finas e bonitas chitas escuras, propriamente
francezas, e veude-se a 500 rs. o covado.
porco se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
35400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, o 65000 a arroba.
;AF EM GRAO 65 o 65500 a arroba,
200.240 e 200 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SABO.MASSA 240 a 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHARIN E ALETHIA, 560 rs. a librare
15220 o kilogrammo.
BOLACHIHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, %m como perola bri-
lliante,combination, Francy-cracynel, mixed
Brtania. Mediara, Fancy-nic-nac, a, b, c, e
soda a 15000 e 15400, cada urna lata.
muu
eseoinlda sortimento de o-
iecto de mareineria, como sejam, mubilias de Ja-
caranda, uiogao e amare II. 1, obra arxieual e osiraa-
{eir, d apurado go>u> e por pro;.';- razi/aveis
aa ra estreita do Rosario a. 32. N-Jta niesu
asa fazein-se cen perfeacan todos es irabaih
jalhinha, como sejam, empailiameatDS de lastr
iara camas, cadeiras e Dn|ih.
Armazem da Estrella
Cae* *2 N'-'i la por filia de .-.;;>r 1:*;-les e lr."-
l>nras Se rtiade-iras d pi lio na ipi se dnixai
ile fazer (dirs | is existe no ihpicalo di l
I ,:;,\. f 1! li rpur nsi-im com 1 (piadi
iie.-J;' o bianco 1 inho americano al o i-uc* 1 rae,
tu do rezina: irtant" os n-iiia-pnarics d 1
iiprri'v?i':-r ancraro'-; i>< i- tei.i pi i .':-''
:0 ,a!imi3 de ronjprimenlo para .! i-la.-. Ii::vi i, ''i
i.iiiiln ;n C' in| '! Hwtiir.eDt'. ; pinli duMia-ln-c.
para iMnv de na\ -s, e .errado om labi-a- (.'
I'orri', para fund''di biin ferivcl a :.'>
i|ual(iuer 1 de Ur 11 uc s nos ; vi mi- .1
de 9 a IOS a 1! 'ib fi'lhasde me-
, O^BOras paia .s
os pn "
,iere*.i : u Ikoi cunh id ) aniaHii C.\
& l",llili:ir
A ra do Lvramento r:. coitinia a ba
ver para vender por precos
melhor vinho
mercado
rasca veis, <
verde at hoie viudo a esi-
5
GENEBBA. DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 75 e 65 a frasqoeira, e 500 rs. o
1 P'l C*i 1
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
115 a frasqueira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
33i'00, 25800 e 25400 em caixa ba abati-
mento. .
TOUCINHO DE LISBOA MUITO ALTO
i 400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogramme,
e 115500 a arroba.
UNGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 15CHM) rs. a lata.
bOMBODE PORCO ASSADO JA PROMP
TO a 15000rs. a lata.
CHA FINO, GRAUDO E MIUDINHO
35200 e 25800 a libra, e 65100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 25000,
25200 e 15800, rs. a libra.
RIJA A GLOKIA X*
(Hara do Futidao.
Ha sempre nesta olaria grande MrtimeMo t-
materiaes, como tijnlos de alveoaiia batida, ladri-
Iho, (joadrado de 8, 9 e mais pncgadas, telhas e
ielh5cs, tijolos do tapamentos. O imprieariii des-
la olaria garante a bondade e barro de taes qjate
riaes, comotambem vende-se ra; is barato do qm
em ontra nnalqner pane.
- Vende-se un carro do nnairo adentra, pare
dous cavallos. com amos. Os protqndentes po-
dem v-lo na ra do Hospicio .{tirina do Sr. Ge-
raldo, corneiro, e tratar com Vijeme i'Urrdn la
i^osta: ra do Riachuelo. ,
Na rna Wfa ni -
d 1 ira
z 'iida~ i|U" se vi ii|. ni p r
vino
.111 Ijazinhas
ei-mli.nPde oiliilo li
a OOc 300 rx,;:i.-n
s a
vm,
M'
cu;
illl rs.,
';iade de Min|paij|V
de iiitiit" !hi*i4i" '!'-
las lai.'das ''"'fWs (juilitlid
n.iiii re:- 'iuii:en)ad'.l? |iara ca*is d? familia.
Grande qnantidid
lino. J" caseoiira, de]
re.-l (|ne se vendem
dar. aprii'.eiieiii h oe
Da m< I
pie 'ni 01
ral, Aiiiieii
da Vitttdl
: i, d nnrc
e-
ps| O'i
T
raen .r p'-ei'.)
lartr, vi'n'lciii Ama
m seu armazem di 1 <
lea,' qnitaulena <
lavad' ir : na nu>S OanCa") n. 20
Pinga do Douro.
Flix Pereira da Silva receban novamente pi>r-
cao de barris do bem conhecidoc exeeilente vinho
puro doDooro, muito proprio para mes, vende
por preco connuodo : na ra'la imperatiiz nu-
men
SP
Assim- enrao ha outros muitos gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
muito novas, passas e flgos nnvos, charuto de diversas marcas, marmelada, feita pelos
melhores conserveiros em Lisboa, gela le marmello, pcego, ervilbas, em latas, por-
tuga^zas e francezas, vinho verde engarrafado retalho, peixe em lata, tom como
pescada, tamba, pargo, gnraz, lula, corvina, vezugo, cavalla, Jarda e sardinbas de Nan-
tes. fuella, cravo, ervadoce, cominho, pimenta, grand Sos de sebolla 15500.
Finalmente mmto* outros (renerosque enfandnnbo iKa-lo8.______________
PARA A FESTA
3 portas, 1 ja de fer agem
53~Rua Direita-53
Neste prande estabelecimento, ha para vender
um completo sortimento de ferragem, e miudezas
flna e grossas, como sejam bandejas chinezas
nnadrada e ovaes, faca* o garios ae i 2 bc-
tdes, balanco inteiro e i/i balamjo; pan.-llas, cha-
Ihiiras, cacamllas, frigideira-, assatle.iras, tanto
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-?* no armazem amardlo de Vicente Fer-
roira da Gou & Filho, defronte do arco da Con-
cei?ao, em iarnc* graade.
VNDESE un arrenda-se o engenne
S. Gaspar, sito na freguezia de Serinhfiem.
comarca do .Rio Formnso, pnxio.o do em-
barque, com grandes partidos de pal e
massape i roda da moenda. mattos mangues
para madeira neessaria, bom pasto, etc.:
a tratar na ra d'Aurora n. 26, ou na do
Imperador n. 20.________________________
Manoel Alvos l-Vrreija \ C, na ra da Moe-
da n. o, 2o andar, tem para vender superior vinh
do Porto em ancoretas e caixas de duzi.?, barril-
inhos com 400 eoOO nardinliai superite* e bar-
ricas com bago de sabugneiro. pot.wa da Hossia
e ral de Lisboa.
- ESGAVOS
Figwfc (lia S dn C^^H
bro d
cada, o escravo I
altura o corpo^^H
pinhos, peilug^ jierrt
coslaj >- >aiJ|
l.niz, ni >rador nos
cravo mnlher e """
de gratIca^ao a qu
engeobo, ou na ru<
cifco Antonio de Brilo.

|iez de dezer-
^^^Bzia
JO dade 40 aiiii '
bellos ra ra-
tina i- 'i
ir.e pe:.'
l- volido I
de midaptlSo, c'ca-
'scravo ('i pad'
o mesm e:
: papase I!>.*
o leva-lo ao ilir >
n. 11 aoSr. Frr.ri-
r
Com panhia de seguros njarit i -
naos uiililinl publica.
A (lirerclo de conformie -tat
tos a.i. 19, w nde por intermedio &' cirretnr 3Ih
cedo dez aoco^ !|'a : para tr-
tar na ra da Ce-feia u. 1$. ________
Repollio salgado, *.iUiiirf Mii-sos, landjaeger,
vinlios brancos msos. vvorne, vllleneuve. crepy.
cales du Rhone, beauj-lais: na nnrerial fabriea
de cerveja, rna do Sepe 3o. ____________
"rSflffcaoriodolOO^
Aochegar a esu cidade em sua ultn

dos pnviua do norte o vpor nacional Guar, fugip
de bordo o escravo Sevcrino, mulato, de 30 anm
de idad->, que do Cear MitictUan os Sr<. Vieira
bisado Soh & O pofwita do Sr. llavmundi
Olimpio 6. Trcitas, ao Sr. Ddpniai Ribeiro de
AUieu, no Rio de Janeiro pede-e, portanto, ;
autoridades piiliisats ditt ei'lade e aos rpita i
de campo a captura do referido esrravo, e rio ei
trcarein no aos abnb. assigoadiw nosia eidaik.
ao e.iKs da alfan lepa velha u.:', i|o i-e re-ponsa
hllisam por ludas as despezas q_un so lizi-rcni, gra-
tificando mais a (nalipier capillo do campo cora y
jjuantia cima referida.
Veras ; Thrhedo.______
Wm s aulordadcs pMm
Na loja e armazem'. do PavSo ri/i da Imperatriz n. 60.
Blanos decimaes.
Vendem-se bataneas decimaes de todos o tama-
d ferr como de poreeiana, mohnos para caf de nhos, para engenhos' e arma en3 de assucar : na
d'verois taannos do fabricante Japy, pesos kilo- casa de Prente Vianna fr C_______________
gra*imos, 1U> de ferro como do lata, metros V(.,l(lem.s _us .ofro4 _0 ferro com algum
para medir fazenda tanto de ferro como de latao, Q^ __ afal___lia fabripanles cm Paria : na rna
lilre, breu, barbante, enxofre. papel marca va- _0 _,linmpr(.0 n_ 9 i andar.
do, do verdadoiro Pieardo, machinas para dosca-__________________________________
nar algndo; |po de outros artigos do Terra- LismI-* Ue Lisboa.
gm, miudezas cntilaria* finas, que s com a vis- K \ a ~t J
la s verifica ; na ra dimita -n. S3 loja de 3 p'.r- Vende-se lago to do pedra do Lisboa .
tas de Mauod Bento ta Ovcira Draga& C-2
Vnnde-se urna excelente ca-a na ra da Paz
n. 5 a tratar na rna |jrua do R;r.i n. lo
tottea
Vende-se a botica n. li da na da Cadeia,
arhar-e doenl sen d mi ____
por
na ra
da Cadeia n. 57, casa do Parento Vianna & C.
Veudo-so goiimia. fe.ja cera de earnanha
em saceos : na rna andar._______________________________-
Vedem-se du is h'm S ni Amn< d
laboao, uma na rna le Raixo, prxima P-ini
e nutra na ra da M'atrii: a trtr m mi perador d. 57, enada pelo caes do Noveinbm. liiporaJor 11, a",
e a qui'in
No dia 2' de mio do 1
fngii o escravo Ezmpiiel. crinlo d'30 a "Si
innos de iilade. estatura ivitihr. reforjar!)
or bem puta caboc redonda, traj.-.va
mi-a azul e rtl_a te < assemira rinzenta :.
durante da csiuma andar (ranliandn na^
roas mi om ariiiaziii^ d a-sucar un as ta-
ber"a* a nmversar i* a bi ber ; iti rant'' i
11 01 cico be- o a teilvio s alierln-. mi pe
11 liav- i-, a eas'i- c n ej'tistruia'o o a no:.
quaestpier le-res, onde so pns'-e ah
i|ii-m i;ip|ncliei.di-r tonb.i a bO' d ole de 1
'I nndzia a rui fia Aurora n. 6 ll n
M

ser jjraii ado.


J-%-
Mm
m
UiSrio d FernaraBuco Quinfa feira 30 de
Dfzembro de
53* V -~
1869.
I-HTERATSA.
c oa cilio cennicaico.
ALLOCCVO Wv S. SANTIOADt: PI IX, NA
HKI.NIAO l'RKPAKATOIIIY 110 CONCILIO, A 2
K DKZEXMI0 COIU'.K.NTK.
Veneraveis rmelos. Devondo, dentro de
poneos das proceder a abertura do con-
lili i ecumnico, nada julgamos mais op-
portuno e inais consolador do que faUai" a
vos tod is, reunidos anu hoja segundo os
nossos dosejos, pura nos exprimir a gran-
de 'aridade que por vos anima n nosso co-
r.A\h\ E como tratamos do una consa
to imoortanle, qual a de dar remedio a
lantos inahd que boje perturban! as socio
.1.Mies civil e nhrista da nossa solieitode
apostlica, julgamos digno e a to momen-
ioso empeniio conacutaneo, ames de como-
r a- obra conciliar, implorar do Deus
Clementtssimo a son celeste benclo sobre
vos, como penhor de luda graca. Julga-
inos tamb-m necessario dar-vos as normas
consignad is o publicadas em nossas letras
apostlicas alira de que em todos os actos
conciliares tudo se faca regular e ordena-
damente Isso fazemos boje no seio desta
vasta a asamblea, com o favor de Dos e
da virgem nnraaculaila vcmlo satisfeitos os
uoss s votos. E nao podemos VV. II.
hern e asss exprimir-vos a grande conso-
larn nvebida por este frequente, deseja-
do o devido acudir ao chamamento aposto-
ico, para de todas, a* partes do universo
catholico viriles ao concilio, convocado por
nos, o vos riMinirdes em torno de nos era
tSo sumina conformidado de animo, vos ca-
issimos ai i nossr coraco pela devoran a
mos e a es! i s apostlica, por vosso admi-
i'avel and Christo o era relaco a muitos at pelas
ti ibnlrtcoes sorbidas no ser vico do Senlior.
Esta vossa uniio omn seo VV. II. mais
grata nos rali por segnirmos assim os
onssos* di s apestlos, que nos deixar.im
cloqrteN e cusante com o Divino Me.-tre. Das
sacras lefias sabis, que nulo Cliristo pe
is cida.li-s rastellos da'Palestina, pregando
e evangelisando o-reino de Deus. seguiam-
no os apostlos com igual empadra, e que
is do/.e, na phrase. de S. Lucas o acom-
paohav;im litfe por toda parte. Mais hri-
ilion, esta unftto pregaftlo o Divino Mejtre
aos judetiS' em Capharnaura e mais larga
mente tratou do mysterro da divina ew'lia-
ristia ; entao essa turba grosseira e carnal
nao porimdo erar esta maravlha de amor,
deixou desgoloso o Divino Mestre, e o tnes-
mo lizeram muitos discpulos, segundo o
ti-temuiiho de Joo: nao foram abalados
pot o amor, a veneraco e submissft
los apostlos: antes peguntando-Ibes Je-
sus: Se ellos tambera o queriam abando-
nar? Podro. fllielo com a pergunta : ex-
11 anin : E para on le riamos nos, Se-
tibor ? E icrescenteu logo a razio, que
os movia a seguir o senbor com nina f
eonst. nte : Vos tendes as palavras da
vida eterna.
Cheios i|o taes recordar-oes, que cousa
p raeremos gravar no edraoo mais profun-
damente, que seja mus doce emais cara?
Pi r corto com tal nnio em nomo de Chris-
lo nem assim mesmo escalfaremos as fenn-
..radieo-s o a luta; sempre leremos que
nerdo homem inimigo ardente em so-
mear jora: mas o p-nsamento do mrito
ila lirmesa o constancia apostlica consig-
lado ueste elogio. Postea vos os que
.no acorapj ihastes em minhas provaces
a deolaracao positiva do redemptor.
i O que nao est contigo contra mim,
a consideraco em m do nosso dever nos
obrig.iui a todos os esforcos por se seguir
i ClnUio con f inabalavel e setnpre a elle
estar unidos cora unan me coraco.
E essa VV. II. a no turna batalha que nos dada por aceerri-
rnos inioii-'os. Convm pois u*ar dasar-
mas d.i milicia espiritual e arrestar a vio-
lencia ddcombite jt armados da divina au-
u>iidade, j do escudo da caridad e pa-
>. e icia, da orago e con-ta ca. Nem as
'oiva-- faltar i se (ixarjMS n ssos tfthos e
ansa alma no auctorveonsummador da
iipssa F. Se os aposl-los, com os olhos
ixos em Jess Ghristo, d'ahi liraram animo
e forras para arrostar corajosamente todas
as adversidades, tambertios da comtem-
pl i.Tm desse paobof deRdmp.ao, d..nle
nana tola a \tftude, ha veremos forra >
cne'rgia para ^umphar das calumnias. <\ is
injurias, das snadas, dos kmnigos, om a
gloria de tirar da Crol de Ghristo a nossa
salvaco e a de tantos errantes por tonge
dos caminbos da ^rdade.
NiD Insta porcm a contemplaciio do nos-jneiros pntiticor. Ha poneos dias interrom-f mente os sentimentos que rasgam o coraro
Kedompioi ; 6 ncix^ssario \cstir-nos da peram vi ilentamento uin meetifi] em Line-jda Inanda qne gome pelos so'nmeDios dos
___
FOLHETIM
m CASACAS PRETAS
ROMANCE
tor.
Paulo Fval
,''
* 1 erceira parte
n w
.i (al eoasa de malar a iulser.
(Eontinuaco don. 295)
Corona, ainda nao veio ?, perguntou
o Sr. Lecoq. tornando a metter debaixn
do paletot o bracal, apparentemente intacto
llivcnd i-se-lbe respondido negativ
mente, passou em revista a vasta guarir
n'um relance.
Sempre limpinho e todo janol,
Cocoito, continuon. Chega-te a mim. Co-
iiUeces o Sr. Brnneau, o adlo ?
So conheco 1 responden o nosso ele
gante da carruagem de Mnilfermeil.
Sae e chega ao bonlevard; no pri-
ineiro banco, has do achar urna pequer-
rocha desoldada. Presta-lhe os soccorros
que a homanrdade manda ; depois acom-
panha-a casa com a maior cortezia e sem
tomares a mais leve conanca. Ella mora
oo mesmo predio que eu hablo Arranja
as cousas do modo qne no caminbo batas
de cara rom qoalqaer agente da autoridade;
nao dilli'il. andando com geiiiuno. A
menina ha de contar o que Ihe siiccedeu.
com a candara propria dt sexo e da idade.
To has de dizor que chegaste no momento
em que o ladro se suma na sombra, e
has ile fornecer os signaos do Sr. Bruooau :
i"SO sem faltar mais leve coas.
O Sr. B-unoau p-rtence associaeo,
observou o Pipiepuce, que franzio,o so-
iH-'olho.
t*l docilidade do espirito, que nos seja f-
cil ouvi-lo com todo o affecto do nosso c-
raco. Porquanio as ordenaces do nosso
Pai celestial, no momento em que Ghristo
Senhor Nosso revelava sua gloria no alio
da montanha em presenca dos escolbidos,
dizendo : tEste o Meii Filno bem amado,
em o qual repousam tudas as minhas com-
placencias. Escutai-o, essas devem ser exe-
culadas, escutaodo a Christo com respeito-
sa attenciio, em ludo cei lamente, mas em
especial no de mais Sua Vontade, a que se
reloham as suas previses das dilctilddes,
que devia oppi\r o mundo e pelo que na
ultima Ceia dirigi repetidas oraces ao
Eterno Pai, duendo : Pai Santo, conserva
em Tea Santo Nome os que mo entregaste,
alira de que sejam w*, como nos smnos.
t'//ii seja porlanto em todos a nossa alma
com um so coraro. A nossa maior conso-
lado ser prstarmos obsequiosos ouvidos
s ligues de Christo, sendo que assim sabe-
remos estar com Christo, o teremos em
nos um penhor da vida eterna; pois que
quem de Deus ou*e a D.-ns.
Possam estas nossas puntilleaos exhor-
laces, sabidas do mais intimo do nossa
alma, pelo Deus omnipotente e miseri-
cordioso, intercedendo a mi do Deus
inmaculada ser pelo seu potente auxilio
confirmadas- e augmentadas era fructos
libertosos. Converta elle para vsVV. II.
a sua face e vos cumule carpo e alma da
graca de sua benco : o corpo para sup-
portardes estrenua e alegremente os ta-
balhos inherentes ao vosso ministerio a
alma para que, repleta do celestes auxi-
lios, resplendaii, para sai vacuo das almas,
em exemplos de vida sacerdotal e de
todas virtudes. Que a graca d'esta benoSo
vos acompanhe sempre e vos inspire fe
lizmente em todos os dias da vida para
que esses s jara cheios do santidaie c
de justica, de fruclos de boas obras uas
quaes repousam as nossas verdadeiras
riqueza e gloria. E assim consoguiremns
felizmente, que. acabada a mortal pere-
grinado, possamos Tlizer comofeO rei-
propbeta. Alegpram me i\s palavras
que rae* disseram. Iremos para a casa do
Senhor E'assim qie podemos confiar
nos ser franquead > o passr p ira o monte
Santo de Sio, a entra 11 i, a;!i .-te Jf ru-
salem.
POUCO DE TUDO.
ESTUDOS TE UMA FEITfCEmA.-Ma-
demoiselle Lenormand celebre adiviufia de
Parid leve vontade dj averiguar quaes
eram em cada idade de mullier, as proha-
bilidades oe achar marido. Das suas in-
vesligacoes resata que de mil muicres se
casam, 'i entro os 14 e 15 annos, t(I en-
tre os 16 e 17, 209 entre os 18 e 19. 233
entro os 20 e 41, 165 entre 22 e 23. 102
eutre os 24 e 25, 60 entre os 2o' e 27, 45
entre os 28 e 29, 18 entre os 30 e 31, 14
entre os 32 e 33, 8 entre os 34 e 35, 2 en-
tre os 36 e 37, 1 entre os 38 e 3!.
De modo que urna rapariga de 30 annos
nao tera seno 18 bolas brancas contra
1:000 negras, como expressio daprobabi-
lidarie de casar-se. Ftttos os 40 a proba-
bilidade de adiar noivo i st representada
por urna fraceo mu pequea, E' ques-
lo de dote, que urna questao de todos
os demonios.
AAGITACAO FENIANA Sob esta epi-
graphe escreve a Libert.
Recebemos mais pormenores a-respei
to do forcado 'Donovan Hossa, cuja no-
meacSo o sborif do comeco de Tipperan leve
de certificar. O'Donov n Itossa nasciuem
1830. em Cork, e lem s trinta e nove annos.
E' lillio de um pobre tecelao qne csteve
muitas vezes na America, e onde aprendeu
o amor aos principios republicanos. A sua
ultima viagem effectuou-se depois da por-
."eguico da sociedade do Pli.auix, de que
era membro, e porcau>a da qual compare-
cen a primeira vez perante os iribunaes. No
sen trltimo processo, que foi em dezembro
te 1865, O'Doaovanrecusou defenderse,
declarando que estava condemnado do ante
mao. e que nao queria tornar-se cmplice
de urna comedia judicial. Foi condemna-
do a trabalhos Coreados por toda a vida,
pena que tem expiado as gales do Port-
iaud. e nao na praSo de Poiitouville, como
disseramos por engao. Hecusou sub-
m--ttor-se e pedir perdi.
Os fenianos da Irlanda, rcselveram op-
por-se a todos os neetings liberaos em fa-
vor dos direilos dos fazemltms, e ot?ros,
amquanto a Inglaterra nao saltar os prisio-
E nao s isso, replicn o Sr. Le-
coq ; faz parte da grande loja. Nunca ti
pro ures v.rpara alora um pdmo'do ten
nariz, meo rapaz, percebes ? F. deixa-me
dizer-io que o teu rclatorio i respeito da
sobre-loja do palacio dos Scbw.irtzs. ha de
produzir-to doz mil libras de renda E
tu, Cocolte, p5e-te a andar : os leus
moldes bao do ser pagos pelo mosrao
preco.
Donamos a carruagem da condessa Co-
rona galopando para aporta de S. Marti-
nbo. Tralava-se de elTectuar grandes obras
defronto do theatro, n'ossa lugar que o a
veigonha do boulevard, o qua a facecia
popular designa chocarreiramente polo no
me de repreza do S. Martinho. O cocheiro
Itaptista, rapago trigueiro como um mes-
tico, nao ouvira o grito que tanto flzera
correr Bruneaa pelo baino do Templo fra.
Estrcmuiiha-lo tomo ia. no momento em
que os obstculos accnmulados no caminho
retardavam o movimento di carruagem,
foi elle despertado em sobresalto por vio-
lent ose llaco dada ao trein.
Voltou-se. Eslava a porlinholn aborta,
e fugia um homem a bom rugir para o
boulevard do Templo.
Itaptista cbamou pola ama; esta nao
responden.
Besceu da almofada e achou na carrua-
gem a condessa Corona, csiendida ao tra-
vz e mora.
Era um ciado fiel.; ostinetivameote.
saltn de novo para a almofada e melteu
o cavado galope em perseguico do fu-
gitivo, que devia sem dtivida alguna ser
o assassino. Este desapparecera Depois
de urna corrida desor leada de alguns
mi ratos, em liuha recta, occorrcu-Uie a
idea de que era talvez possivei applicar
ainda algom soccorro. Para a carruagom
defr nte da Galeota e retiron de dentro <
cadver da condessa.
Levoa-o para o banco prximo, c.nde j*
estava deitada Edme Lebor.
rik. O Times diz que tambora deslroea -
ram um meeting liberal de Lough. Os li
beraes foram sitiados na casa das suas
sessoes e ex pulsos pelos f zendeiros dos ar
redores, aos grrtos do viva O'Donovanl
Liberdade dos prioneiros! Principia a
om ir-so gritos era favor da diviso dos
terrenos.
O Sr. Marpliy, reprosontanlo da cida-
do do Cork, recebeu cartas ameacando o
com a morle, se n > der a sua. demissaj
para deixar o Iqjarlivre ao capito Mackav.
mn dos ltimos con lemnados'hnianos. O
boato da candidatura de Ltlbli- pira o con-
dado da rainha, conlirma-se. O comtcio
gt'ral feniano poz urna proclamco as ca-
(ellas do Larogh. Lavey, Cliffoma e Carri-
ckalen para prohibir, sob pena de incendio,
o buscar oceupaco em casa do proprietarios
mglezcs. O candeal Calien, ao partir para
o concilio, publicou urna carta pastoral para
coiulernnar as conspiracBes dos fenianos.
-^ Mas o molo mais seguro de por termo
a estas desrdeos, d'evitar as medonhas
complicag5eS que talvez se preparam, seria
o recurso d'uma amnista completa. Por
muito condemnaveis que sejara as violen-
cias commettidas polos fenianos, teem nm
tcrrivel pretexto na ignorancia da popula-
cao n'uma oppresso secular. O governo
liberal da Inglaterra seria fiel sua misso
mostrando que sabe levar at ao m a l-
gica do liberalismo e da el -mencia. A ex-
presso do forcado O'Donivan da cmara
dos communs, da qual o tomn membto a
proclamco do Sherif, seria orna especie
de declaracao de guerra. Gladslone tem
que atravessar am Ilubicon. Estamos per-
suadidos que nao arrastar comsigo Jobn
Briglrt pelo meio da violencia e do desprezo
dos direilos populares.
ELEICAO D-UM FENIANO NA IRLANDA.
Nao so o sulTragio universal que pro-
nuncia veiv.dictuns bostis ao governo estatoe-
locido. O suffragio restringido faz omesmo
ni Irlanda... O telegrapho traz nos a no-
ticia de que O'Donovan Rossa, actualmente
preso na priso de Pentonville, como cri-
minoso de alta traico, acaba de ser nomea-
?ao representante do circulo de Tipperary,
iwr, 1:132 votantes contra 1:030 votos da-
dos ao seu concurrente, llorn, pertencente
ao partido liberal progressista, defensor dos
fenianos peranle os tribunaes criminaes da
Irlanda A manifestaco doseleitoies irlan-
dezes muito grave, porque as eleices in-
glezas sao feitas por rneio de escrutinio pu-
blico, o nao escrutinio secreto, como em
franca.
O Times suppo que a cleico ser an-
nullada pelos juizes encarregados, .em vir-
lude das novas Icis, de pronunciarem acerca
da \alidadedasoperacOes eleitoraes contes-
tadas. O nosso confrade parece imaginar
que Nern nao tem mais que tomar o logar
deixado vago pola inconstitucionalidade dos
suIlVagios dados ao seu competidor. E*
quasi como se se aconselbasse ao corpo le-
gislativo o annullar arbitrariamente os votos
dados a Rochefort, para admiltir o honra lo
Carnot a representar a primeira circumscrip-
gfu eleitoral do deparlamento do Sena.
As noticias da Irlanda informara que o an-
nuncio dessa eleigo poz toda a ilba n'uma
commoclo faci't deconceber. A votaco do
circulo de Tipperary nao foi todava assig-
ualada no dia do escrutinio por nenlruma
insurreicao, apesar de ter ba-ido molins na
vespera, dia do show ofhands, em militas
cidades.e especialmente em Cashel."
A circular eleitoral de O'Donovan Rossa
nao foi assignada pelo prisioneiro actualmente
encerrado n'uma colla do Pentonville. E
dirigida aos ele i lores de Tipperary pelos cuni
gos da amnista, e de ve ser considerada por
coiisequencia como o remate da manifesta-
co feuiaua dos parques de Londres.
Se o governo de ladstone expuulsasse
O'Donovan Rossa, provavel que Heron, a
quera s faltava 102 votos, fosse noneado
em seu logar. Por isso tambem, se nao
fra a provisoria priso do Rochefort, a sua
nomeaco eslaria duvidosa.
Ha lempos que osgovornos vSo sendo
acodados cora as varas q le edes proprios
.fabricara. Tero acaso direito de se lasti-
mare de espingardear os cidados, que
nada mais fazem do que obedecer :i lgica,
administraudo-lhes severos votos ? Recebe-
mos tambem urna proclamco que traduzi-
mos na integra, e que pmva que a manifes-
taco inesperada de Tipperary sagrada,
poique se dirige mteiraraente contra o di-
reito de punir:
Homens de Tipperary, esposastes ga-
Iharda e nobremente a causa dos vossos ir-
mos afflictos. Interprelastes bem e flel-

seusjlios. Approvjiuos cordealmente a
voss'a escolha. Diante da morte, diante dos
solTrimentos peiores que a mude, esses ho-
mens dotados de nobre coraco pfovaram a
extensio do seu amor desinteressado pela
patria. Que lingna poder contar, que pa-
lavras podcrSo descrever as torturas men-
taes que expulsaran a razo do seu throuo,
e os solTrimentos physicos contra os quae*
tantas victimas encontraran! refugio no t-
mulo !...
t llm-dos companheiros do eaptiv'eiro de
OWnovan alfirma-nos que autos olios pre
feririi a morte do que padecer durante tres
mezes somelhairtes torturas. Quanto amor
n3o devo a Irlanda aos seus marlyros em
troca de to espintosos padecimentos! Nao
os esqueceu, porque, prostraudo-se na poei-
ra, poz aos pos da rainha urna petico na-
cional, com 250:000 .'niSignataras^ A sua
humilde poticao porm foi rejeitada com des-
prezo Durante mezes intoiros trouxe a
naco o lulo em silencio. Levanta-sc boje,
faz um novo esfon;o em favor dos seus fi-
llios martyres. Em todos os meetings de
amnista eila faz retiir at ao co o seu
g itos de desespero, da sua voz so tem rece-
ido a recusa glacial do ministerio francez e
zombarias da imprensa ingleza. Agora vai,
pelo voto dos eleitpres de Tipperary, protes-
tar ainda urna vez em favor das leis da bu-
manidade ultrajada. Escrevendo na vossa
bandeira o nome de O'Donovan Rossa, elai-
tores de Tipperary, responderles dignamente
aos -votos da nar3o.
Sois npste instante, aos olhos do mundo
intoiro, nao s o carajie-. do O'Donovan
Rossa, mas ainda o campea da Irianda.
As eleices de 1869 sero urna gloiiosa
poca da Irlanda e l i carao gravadas at ao
fim dos scalos no coraco dos verdadeiros
ilbos da Irlanda.
Em nome de Deus e da humanidade. cm
nothe dos nossos martyres* rogamovos que
vos mostris dignos da misso que a Irlan-
da vos determina elegendo O'Donovan Ros-
sa, o nico digno de representar Tipperary
no parlamento.
Deus salve a Irlanda I
O'Donovan Rossa est actualmente em
urna das horriveis celias de Pentonville.
mais aprtado do que estava Wilkes na tor-
A vista d'aquell'outra morta acabou de
Ihefazer perder a cabeca. Tro medo.
Apezar da sua innocencia na ocessio pre-
sente, nao tinha elle talvez a consciencia
muito limpa ; aoprimeiro rumor de passos,
f ugio.
forcoso renunciarmos a pintar a con-
fiisoqiieaccomm'tteu o cerebro do des-
granado Ecbalot vista d'aquella carnifi-
cina. Matar a raulber parecera-ibe por
muito, tempo a cousa mais simples emais
natural que dar se pode. O especio d'a
quelles dous cadveres. |>orque tomava
elle tambera a Edme por defuula, dissipou
inNtantaneamenle os vapores do puacbey e
substituiolhe a embriaguez por urna espe-
cie de atona. Vieram-loo aos olhs gros-
>as lagrimas ; cabio de joelhos e poz-*s
uios, ivpelindu :
Mataram a mulher Mataram duas
raulberes I
Similor apressou o passo. Julgava elle
que o amigo brinca va.
Ab 2 disse logo que ebegou : a
uistra de msica 1 .
Depois, vendo a condessa :
E esta que HSSiMo to rico I
Eehalot soltara o Saladim % apertava-o
convulso conba o peito.
Era urna senhor* riea, mormorou.
E e.-la baohada do prepro sangue I...
Quem sabe se deiiaria em casa alguma
cr;ancinba !
E solucava.
Similor esforcava-se por flngir-se forte,
m w tinha o coraco oppresso.
Sempre preciso ser maito malvado,
mirmurou. sem saber que falla va.
D' salmados I gemeu Ecbalot. Olha
para estas mozinhas. E que lindos ca-
bellos.
Lar^oa por trra o Saladim, qne, apezar
de estafado, protestou por desesperado
berreiro.
Nao o ouvia, porm, Eehalot. iVrrega-
* No dia seguinto a-iiraa revolucSo paci-
re de Londres, mais aperlado Jo que estaria -a(sm etaleiro's de constrnegao naval,
Rochefort na priso de Santa Pelagia.
Mas ha cem annos, o povo da Inglaterra
triumphou do rei Jorge.
Ainda que Rossa fosse condemnado por
cumplice de rime contra pessoas e contra
propriedades, e nao por epigrarnmas no
Nortk'Britm ou por alguns nmeros da
Laterita, estamos cortos de que o temlic-
t/nn popular nao tardar a despedacar as
MANIFEST DA INDUSTRIA FRAN-
CEZA Ni segunda reunio dos delegados
da industria que hoeve no hotel du Luuvre,
Paris, foi approvado e assignado o soguinte
manifest:
No, momento em que as cmaras de
comniercio e as carairas consultativas das
cidades industriaos mais importantes 'Jo
oeste, do este e do oorte /se Recusara a
enviar delegados ao c irisjluo superior do
commercio ; no momento em que, por
voto unnime, se prouunciam pela revo-
garo dos tratados, consideramos com i de-
ver o definir clara e lealitiente o que pedi-
mos, a lim de que o paiz iiileiro possa re
jffconhecer a justica das nossas reclamacos.
Recusaino-nos a comparecer parante
o conselho superior do commercio, por-
que esse conselho. composto quasi exclu-
sivamente dos mesmos homens que em
1860, n3o offerece industria franceza
nenhuraa garanta, e porque nao queremos
sob titulo algum, fazer-nos cmplices d'um
retrocesso aos erros funestos que offen-
deram to dolorosamente os interesses
francezes.
O seiialus consulto de II do scterr.bro
dj 1869 den ao corpo legislativo o direito
de fixar no futuro as paulas da alfaudega ;
mas esse direito licar letra morta era-
ipianto snbsistirem os tratados do com-
mercio.
Pedimos a denunciarn d'esses tra-
tados : pedimos primeiro que tudo e
quanto ant'S, volta ao direito eommuui
om favor das industrias molestadas pelas
admissoos temporarias e as cartas de guia,
para as quaes se admittio a substituico
do equivalente ao idntico, todos os pri-
vilegios injustos, creados por decreto com
prejuizo dos interesses mais serios.
Censurou -se a industria por se pre-
oceupar nicamente de si ; a questo qie
levantamos todava urna questo poltica
fica que devolve ao paiz a dlpocco dos
seus negocios, seria para a representado
nacianal estrear-se por om? verdad-ira
abdtcaco o acceitar a situaco inferior que
Ihe quercm dar, perante os tratados con-
cluidos sera ella, e sob a drecelo d'um
com icio composto de funceionarios.ou com-
nlacentos do poder pessoal.
t A iiiduslria protesto* contra eita si-
tuaco tiumilhantc ; o corpd legislativo
lia de repelll-la.
Estamos promptos, -bomans de todas
as opiniOes. de todas as escolas, de todas
as reunioes, para prestadnos o nosso con-
curso a obra parlamentar qqe se siga
denunciaco dos tratados; estamos promptos
para nos inclmarmos perante a sentenca,
seja ella qual fr, que depois do inquerito
pronunciarem os representantes do paiz.
Mas temos o direito e o deverde
exigir que os nossos juizes estejam livres
e soberanos, e que d'ante mo se nlo anni-
quille a autoridade da cousa julgada.
Recorremos para esta reivindicaco a
todos os homens de liberdade e de pro-
gresso, que depois de terem reconquistado
os dilos do paiz no terreno poltico, n3o
3 ue re rao de eerto que o futuro industrial
a Franca assente por mais tempo n'um
acto concebido no isolamento, pelo poder
pessoal.
Fazemos este appello om nome da
liberdade e tambem era nome da igualdade
reclamamos a igualdade para a agricultura
para a industria, para o commercio francez.
i Nos tambem pretendemos que a li-
berdade dos cambios o fim supremo
dos nossos esforcos ; as queremos ler
a certeza de poder, no- terreno da liber-
dade, eombater com armas iguaes.
Os impostos, os direilos "de entrada,
a ce-nscripgo, os orcaraentos do dous mil
milhes e meio, a poltica de guerra, o
monopolio o as pautas exageradas das
grandes companhias de caminbos de ferro,
destruidoras para a industria, agricultura
c commercio, o man estado e as porla-
gens persistentes dos nossos canaes ;
o que nos terna a luta impossivel ; eis o
que fecha as nossas fabricas, despeja as
nossas oficioas, condemna as ferias os
Cava as mangas, relanceando em volta ca-
valleire cas vistas.
Jnro pola minha alma, que abro de
meio meio o malvado que to nefando
crime commeltcu I Onde est ello?...
onde est ?... Deem-ra'o s mos !
Olha, olha : una d'elhs torna si,
exclamau alegremente Similor, levantando
a cabeca de Edme, que acaba va de sus-
pirar.
Eehalot levou as mos ao coraco, e
disse com as veras d'alma :
So se Ibes podasse salvar a vida, em
troco da nossa saiaco eterna I
Atinal, no* conseguo o ridiculo rar o
valor s lagrimas sinceras qm banhavara
as faces do pobre grotesco.
Acabavam de se entowrar dois homens
perto d'ali, e escondiam se com a esquina
da casa que termina o boulevard; no sitio
chamado a Galeota.
Um d'elles era Cocotle ; o outm era o
homicida que vimos introduzir-se no carro
da con lessa Corona, em quanto o cochoiro
Baptista dorma.
Era ura mocelao, paludo, de todo ele-
gante, rosto admiraveimente formoso, mas
estragado e como que degradado por pro-
funda queda moral.
Minha mulher era forte, disse este
ao companheiro, que sabia da Espiga Cei-
fada. E atinal tive muito traoalno para
cousa nenhuma : n tinha o escapulario.
Cucoite tremia todo : aquello nao era
matador.
Tu percebes a cousa, proseguio o
conde, que reparava framente o desalinho
do fato : tinha raeus coimes... viogueime.
acabou-se. ._ La esto aquelies dous para
carregar com as culpas.
Apontava para Eehalot o Similor.
impossivel i replicoa Cocolte.
Porque ?
Porque pertencem associacfe.
Isso que tem ? Quando se trata
amos...
pe a- nossa marinha mercante a rebo-
que das marinhas de seguida ordem.
Reclamamos a igualdade : ora so se pode
chegar a essa igualdade. por meio do de-
saggravo de encargos e do estabelecimento
de direilos compensadores.
< Ponham-nos na mesma situaco dos
fabricantes estrangeiros, e j nao preci-
saran de proclamar por decreto urna pre-
tendida liberdade commercai. A verda-
dera liberdade ella propria se firmar.
Resumimos :
' Pedimos a denunciaco dos- tratados
de commercio, obra afbitraria em quo o
paiz nao participou, e, para principiar, a
denunciaco, antes de 4 de fevereiro de
187D, do tratado concluido com a Ingla-
terra.
Pedimos para nao serenos mais sacri-
ficados, nos e os nossos operarios, aos
lubricantes e aos operarios estrangeiros.
que nao participan dos encargos sob que
siiccumbimos.
Nao somos prohibicionistas ; nao es-
peculimos com a proteceo. Quaesquer
quo sejam os nossos solTrimentos, nao pe-
dimos augmerto de direito d'um cntimo
sobre as mercaderas estrangeiras, em-
quanto os deputados do paiz, nossos
juizes naturaes, nao reconhecerem a no-
cessidade d'isso. Pedimos um inquerito
leal, no qual todos os interesses francezes
jejam ouvidos, mas s esses.
Pedimos o inquerito parlamentar, o,
fortalecidos com a justica da nossa causa,
esperamos, com confianca a deciso que
se pronunciar.
i,Seguem-se 65 assignaturas dos dele-
gados ii,i liga nacional do trabalbo).
FESTA N") ECYP^O. Entre os festejos
celebrados no Egypto em boma da impera-
trz dos Francezes b'gurou um, muito ori-
ginal.
Projectra o vicc-rei soleranisar o anni-
versaro da imperatriz Eugenia ao p das
Pyramides, Iluminadas pelo famoso Iuar do
Oriente.
Formaram dez mil soldados vestidos de
branco com tochas acecsas as grades das
pyramides, de cima at abaixo, e aos ps
d'aquelles colossos de granito e ao claro
avermelhado dis tochas destacando se do
azul transparente do co exe:utaram tnilli -
E a gente do Tolonez Amizade,
para o negocio grande, acabou Cocotle.
N'esse caso, dsso o conde, eu c
trato de mim. Raios partam o Amizade !
Dobrou a esquina da Galeota, e desappa-
receu pela ra dos Fossos do Templo.
No momento cm que. Cocolte se acer-
cava do banco, recobrava Edme os sen-
tidos. Eehalot ria por entre ligrimas, a>>
ver a vida colorir lentamente aquellas fa-
ces abatidas: dava ao son mono beijos
convulsos. Similor, cuja coinmoco, igual-
mente sincera, en todava monos profunda,
senta despertarcm-se-lho ideas pecami
nosas. Por baixo d'aquelle traj ., feto
ipara desagradar, era elle urna pasmosa
locarnaco d'esse Christo do inferno, que.
os poetas baptsarara com o nomo de D.
Juan. Assolado pela necessidado de se
duzir, dava j s barrigas das pernas a
mais ventajosa attitude. e passava pela
mente urna serie de parvoices, colindas
as varandas do theatro das Loucur s
Dramticas.
O appareciraento de Cocolte foi um lance
theatral ; Eehalot estava prorapto para de-
fender a victirai at a morte. Tinha, porm,
n'elles (o mgica influencia a cousa dos
mijsterios, que obedecerara s primeiras
palavras de Cocotle, o carregaram s cos-
tas o corpo da condessa.
Cocotie, porm, veriRcava previamente
o bito, nfl sera tirar de unta alftoete,
relogio e brincos.
Para nao trahir a associaco, pronun-
ciou em guisa de explieaco e com terrivel
erap.hase : Ella pertencia-lho.
Nao snperflu faz rmos observar que
estes diversos acontecimentos, 13o morosos
na descripQo, foram na reildado rapidis-
sim o que o banco do boulevard nao sup
portou o fnebre fardo por mais de dez
minutos.
Segundo o costanw, ml desapparoceram
os resquicios do crrao. pasou um palrulba
da guarda nacional, representando a puffli-
cas e extravagantes.
Foi urna festa verdadeiramente mgica e
escedeu qnanto pode cooceher a imaginaco-
do homem.
Demais a mais a imperatriz accrescentou
ao programma da festa urna ceremonia gran-
diosa e tocante.
No "op das piramile-, no sitio'onde
reaniraw, segundo resa a tradieetto, oa he-
roicos soldados de Napoleo I, levadura se
um altar e celebrou-se o sacrificio divino
daquellas mesmas alturas qne ouviram o
valoroso capto dc^seculo gritar s suas
aguerridas hosles:
t Soldados I do alto d'eslas Pyramides
40 seculos vos contemplan
DADOS ESTATISTICOS SOBRE A I\l-
PRENSA PERIDICA E POLTICA DE PA-
RS. Gazette de France, legitmista, tira
7:500 exemplares.
A Presse, terceiro partido, tira 8:((H>
exemplares.
.1 Union, legitmista, tira 8:000 exem-
plares.
O Univers, nao catholico, tira 8:000 exem-
plares.
O Journal o/ficiel, imperialista, tira 8.300
exemplares.
O Public, imperialista, tira 8:700 exem-
plares.
A Opinin Nacional, radical, tira 9:000
exemp'ares.
A France, imperialista, tira 9:090 exem-
plares.
O Moniteur universel, terceiro partido.
10:500 exemplares.
O Temps, radical, tira 11:000 exempla-
res.
A Patrie, imperialista, tira 11:500 ejem-
plares.
O Gaulois.'tem cor fixa, tira 16:000exem-
plares.
A Liberte, ultra-liberal, tira 22:000 e*m-
plares.
O Rereil, republicano, .tira 30:090 exem-
plares.
O Rappel, republicano, tira 33000 exem-
plares.
O Xatinnal, radical, tira 40:000 exi ra-
ptores.-
O Pnpc franeis, imperialista, tira
45:000 exemplares.
CTSiecle, radical tira 'i6:000 exempla-
res.
Publcam-se a!m d*estes outros jornats
de menos importancia, porm os que ocal-
mente fazem urna tiragem extraordinaria
sao us jornaes Ilustrados e*le noticias, al-
guns dos quaes como o Pctit Journal a
Petit Presse tiram mais de 200:00 exem -
piares.
EMIGRACO ANNUAL PARA OS F.STA-
DOS-L'NIOs.Sobe a 352:569 o numero
de emigrados que em cada anno p|5faro
aos Eslados-Uiiidos procedentes da Europa
e de outros paizes, a saber :
Da Allcmanba, 132:537.
Da Gra-Bretanha, 60:286.
Da Irlanda, 65:938.
Da Noruega e Suecia,*40:262
Das possessoes americana; a4nc'a;.e';;i.
20:918.
Da Franca, 3:879.
Da Dinamarca, 3:6iO.
Da Blgica. 1:92.#
Da Hollanda, 1:134.
Dos Acores, 420.
Do Mxico, 320.
Da China, 18:874.
Da Suissa, 3:65'.
Das Indias Occdentaes, 2:23i.
De Italia, 1:488.
De Ilespanha. 1:123.
Da Russia, 343,
Da Polonia, 484.
Di outros paezes, 37S. ,
O CANAL DE SUEZO aiM di pslarto
Diamante, commandado pelo [Sr. Pallo e
pertencente marinha franceza, rindo das
Indias, atravessouocanal de Suez no dia 29
de novembro. Durante a sua passagem de
Ismalia a Porto-Said, realizada em 6 horu-\
encontrou tres navios de vela, quo im re-
bocados, e, manobrando sempre. nao cessi-
vam de andar. O DfoflNMfetem 748 to-
neladas, r
CONCILIO ECUMNICO.Em iv\ era ikj
Roma que o cel-bre historiador itaao i>-
sar Canta foi eixirregado por Pi I\ d.' es
crever a historia do concilio que bo,e se
inaugura era Roma. C m esse fim recebe
autonsaco de sua sanlidade para assistir s
sessoes da Ilustre asscmbla.
Casar Cantu o nico secular a quem
concedido este privilegio.
%
ca vigilancia e composta de boa gente, que
vomitava estlidamente as gracolas dospir-
nalecos e repeta estaadissimos trocadlhos.
Cocolte coufiou Edme Leber s 1eaes
raaos d'aquelles guardas da cidade. til fe-
rio que etiegra muito tarde, paru so oajtr
fuga do malfeitor, e, corregindo as confu-
sas ideas da mocinha, desenhou os sigues
completos do adlo Bruneau.
AUi est um rapaz honradsimo, le-
clarou o cabo.
Nao so vcem sonao santinlios |'u
ras de Paris, apoiou nm granadeiro iniel -
ligente.
E reina a ordem em Varsoria ac-
crescentou o otlicial. Ordinario, marcha...
se queros fazer esse favor.
Em qoanio isio se passava, cumoro ili-
ze lo, estacara Uchalot e Similor bei/a
do -anal. A linda e desdilosa con lessa
Corona suinio-se pala agua dentro com un
pfcdregulho ao pescoco.
Para ntrahir a associaco, disse
tambem o Similor com enorme suspiro.
Juizinho que so quer.
Ao menos, raurmurou Eehalot olhan-
lo melanclicamente para a agua que se
ia acalmando ; ao meaos, nenhum de nos.
Amadeo, manchamos as ionocentes mos
tus joias do cadver. O Saladim mijito
pequmirt, para conservar memjoj'ia d'tsies
momentos.
Era urna Irigeirinlia bem bonita t
exclaraou o Araadeu. Hei de ve-la mu-
las vezes nos meus soehos
Ectialol alirou o Sajaditt para o sov co
esquerdo, e meditou em voz a ta.
lluvia talvez um oio de urna pes-
soa se livrar da diablica a,ssociacr,o. que
pode levar-nos ao apprafw do cadafaiso,
Xmadeu : era fecbarmos os olhos e attrar
camnosco de cabefa para a gendarmam
do departamento I
(ContiMfrs* km.)
HT. DO IARtO -Hl 4 9M8IRII !. .
-

i


m


j


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJV3VKLV7_VRFZ55 INGEST_TIME 2013-09-14T01:46:48Z PACKAGE AA00011611_12029
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES