Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12027


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AMO XLV. NUMERO 295.
--------------------------ii---------------------_------------,------------------__--------_._____
PASA i CAPITAL I LUGAMS OIW 10 SI PACA FOWI
kswrr^:':::::::: q
Pr aa uso Om............ 5SS2
Cida numero trofeo......-.......'.'.'.*. I '. #s
o
>*,\^(C
ii
IEBC* FEiRA 28 DE OEZEMBR DE 1169.
PABA HRIP l JPMA DA PWW1*.
Por trsoezes adiantaios. .............
Por seis dito* ideai-
Por on dos adn
Por auno. .
pe*'
, p

**

i > 4 i

DE
MASITO.
Propriedade
Figrneira de Faria & Fllhog.
-1 n
lid-
II I.
Ji.-i* n
Mi i i
;------~i
.
ii' ni
A AC.RV1T5*:
Pereira d'lmeida, em Mamaognape
t' t-. i' ii- .1-
fem ifazrelo; Fhurcm aVari da Cosa, eni Ai
enjo* tonto, noAtmp; Joto Mari Jallo Cfcrtoi, no Awfl; Antonio Marje a Silva, to fltll; JbdJaftioo
Pean; Belnotoo dos Sailto* Bolelo, em Santo Antiot Domingos /os da Costa Braca,
Jos Mrtis Aves, *> Babia, e Jos Ribero Gisfarinlio, no Rio de Janeiro.
parte ornciAL
OTcrno da provincia
GXPCWKNTK ASIGNADO PKtO KX*. SR. DU. HANOXL DO
KASCIURNTO HACHADO FORTKLLA. Tice-PRRSIDEN-
TK DA PROVWBM .KM 22 DK OtTlUHO DK 1809.
v ... 'Secfao.
V /lo. Portaraao Exm. Sr. aenexal eomman-
tnte das armas.-Crnnmuaico a V. Exc. para seu
-Miibeciincnto e em rtspaMa no sed oWcio de n.
29 de 1( to corrente, que nsta Ala expuso ai
--on venientes ordens 50 commandanle superior
1 rspeelivo para mandar cora urgencia, substituir
s destaeameiiios existentes na fortaleza do Brum
Forte do Harneo por onlros guardas nacionaes
do munteipto do Iterife, devendo ser o daquella
eomposto de um oftieial, dnus Inferiores, quiltro ca-
llos e trinta pravas, e deste fle am oWeial. dous
inferiores, dons cabos 6 tinte pracas.
N. 710.Bita ao inspector do arsenal de mari-
nha.Trndo-se arrecentado una das caldeiras do
vapor de guerra Necife, como acaba de informar-
me o rom mandante do brigue barca tamorac,
I econimendo a V. S. que mande com urgencia pro-
eder os canenos necessarios, afim de que siga
.manto antes o mesuro vapor para a eommissao de
:|ue eslava enearregado. '
2' teeea.
N. 710.Portara ao rommandante superior in-
terino da guarda nacional do Hecife. Expeca V.
S. as convenientes orden?, para que saja dispen-
sado do sorviro activo da guara nacional a piara
1" 1 balalho de arlilharia desle municipio Ma-
n I de Castro Fonsocs, a que alludeo sou ofDcio
11. 217 de l) do correrle, fMo ler a seu favor a
'enri 4- que tnita o art. 18 o da lei n. 602 do
i'.' de setembro de 1830.
N. "0.Bita ao mesmo. Expeca V. S. com
urgencia, as mas ordena, para ame da guarda na-
tonal sol) seu commando superior destaqaem na
rutalwa do Brum, um ofllcial, dons inferiores,
|intro ralios o trila |tra<*as, e no Forte do Pnra-
o, uoi ollii'ial, dous inferiores, dous eabos e vin-
(' o aras, em sul^iituiro dos destacamentos dd
Suarda nacional de Olinda que all se arlnin, com-
(iiuniafliiilo a esla presidencia o da em |ue esta
ordem for ciimprida.
N. 751. Dita ao commandanle superior da
guarda narkinal de (inda. Tendo ne'stadat ex-
pediJu ordem ao comriaudante superior interino
I 1 guarda nacional ilr. maniciplo do Recife, para
ruin urgencia man.lar substituir os iestaeamenlos
da iiiarda naeional sob o commando superior do
v. s. existentes na fortaleza do Brum c do Forte
do Buraeo ; as-im fu'o communieo para seu co-
i'irioiento e fin? ronvenientes.
>*. 722.Dita ao commandante superior (la guar-
Ja nachHMl de faranhims.Para que possa esla
^residenoil resolver s^bre o que V. S. propoe em
ollieio de te do mex findo, qanto a creaeo de
una seerSo de batalhac da guarda nacional do
erviro de reserva no municipio de Garanhuns,
lirccisose fatque enve copia da qualificacao itti-
loamentc procedida.
N. 72:1.Dita ao commandanle do corpo provi-
rin de policaMande Vmc. apresentar ao des-
nhaigador provedor fla Santa Casa de afcercor-
lia. o sargento desse corpo que esleve na enfer-
naria do Hospital Pedm II.
Jl. 7?. Delijcracao. O vicc-presidente da
provinciae conformidade cono 3 proposta do Dr.
I-efe de polica em offlc'10 n. 1,422 de 29 do mez
titulo, resol ve exonerar Manccl Thomaz de Villa
.Nova do cargo de subdelegado do 1* distrieto do
ino do Bonito.
N. 72o.Bita.O vce-presdenle da provinria
le ronformidade com a pronosla do chefe de noli-
i;i em olllrio n. I,i22 de 29 do toez flndo, resolve
nonicar para o cargo de subdelegado do 1" distric-
.lo do termo de Jknitc, o actual primeiro supplen-
. do mesmo, Tho^ia Jo- de Aquino Pereira.
:}' iedflo,
V 720.Portara ao inspector da tliesourarta de
izenda.Mande V. S. pagar ao capilao Joaquim
Silverio de Sonza, depois de liquidados em vista
II relacSo c prel nominal, juntos em duplcala,
11 me remetteu o commandanle superior da co-
marca de Garanluihs comoflicie de 4 do torrente,
-' !> n. 9i, os vencimenlos relativos ao mez de se-
mbro iiltiino, dos guardas nacionaes destacados
ti villa do Bniqne.
V. 727.Bita ao mesmo. Em resposta ao offl-
i i|iie V. S. me dirigi em 14 do corrente sol
11 710, tenho a dfeer que de ve ser paga integral-
tile a piantia de 24SA380, dispendida pelo delc-
:_ do do termo do Drejo, com doze recrujas e tres
itores, |ue foram remeltidos para esta cap-
tal, saltsfateade-ae por ora a" parte dessa quanlla,
a que existe .crdito, segundo informa a conta-
I ria dessa tliesouraria e aguardando-se ores-
rute tiara quando o liouver.
\. 728.Bita ao mesmoDevotvendo a V. S.
incluso requerirtlento de Joo Das Pinto Alcixo,
1 que se refere a sua informacao de Iodo corren-
ib n. 719, o autoriso a mandar pagar os ven-
;iiieiitos do supplicante como agrimensor da ex-
(inda eommissao encarregada da medican e de-
ario das Ierras devolutas nesta provincia, a
' ir da I'a f:l de dezembro do anno prximo
ailo, visto constar tere-lado elle em exercicio
ranlo esses das.
X. 729.Bita ao mesmo. Communico a V. S.
ra :-eu coHhecmcnl.vjue fiesta data expeco as
nvenientes ordens acr^ eofiimandante superior
-perlivo, para mandar eom urgencia substituir
- >Jestara-mentos existentes na fortaleza do Brum
Forte do Buraco, por outros di guarda nacional
municipio do Rcrilo. devendo ser o daqnella
mposto de nm nffie'nl, dous inferiores, qnatro
s o trinta pracas e deste de um oficial, tfous
ores, dous caros e vnle pracas.
y 7:10.D'rta ao mesinr.Acenso recebtdo o
1 de h intem sob n. 729 era qxie V. S. part
1 que indo n menle a praca as pedras de
v:nvi e alvoitaria eon*tantes do citad) oficio, o
1 licitante que appareeu foi Pedro Jos de
11 'ira, offaweaawi a qusntia do 77*000. Em
j.i oiTiii'ecimento.
v. 711. Dita ao mosmo.Recoumflndo a V.
- que depois de liquidados', em risla da folba e
larau nomina, juntos em. duptipaU, os enc
is do offiial e prias destacadas aa villa di
fl-Vista, sendo os destas relativos aos mezes de
; Ih j e agosto deste anno e os do oficial ao alti-
j-i il-i l es ineret, mande pagar o que juslamen-
v se deter dos .referidos veocInieBWs sf Andr
vvelini Pereira de S.. conforme solieltou o corn-
il 1 inte supeiirtr d'aquelle Municipio em oficio
! 28 le setemhM) dliamo.
v 7.i2._Bita *) idspector da tftMiraTia pro
cial.Pode V. S. conforme indica em sua tofor
jrii de 10 d1 eorrtnte sob n. 649, toanaaf en
r medante flanea idnea ao padre Jo5o Vi
lueds Paetieito, na qualidade do adm'.nis
l,r ihs obras *j rWolhimeotd* Iguarassa, a
mil de 2:001^* qtw seJttBB parecer da
ntadorm dessa thesdrirana ac1se reeofWda an
,.-.peciiv cofre, pifcrlrttent S fcftefielo de
;rte< dt! loteras Wlftuiidas a favor de taes obra-
w 1M.Dita a mes*). ^^e*TI|)rmidade co n
i-;n5ia-f A *>iflnf tansua*
Har 1, a que tein^direit?9 arrematante do re-
,n oto da la9*TF*VnVramenlo, na estrada
Po d'Alho, Im Ang'rso de Araujo como se
do certHieatl,- ao'em r.o ree.forimenio, que
X. 734.Dila ao me*mo.Providencie V. S.
para que sejam liquidados e pagos era visu do
prel junto em duplcala, qfte me remellen o com-
mandanle superior interino do municipio de Seri-
iiliem com oficio de 13 do corrente sob n. 34, os
venciraenips relativos ao mez de setenibro ullimo
v ,,*rilils nacionas dejtacad s n'aquella villa.
"7?ta a mesmo.De vendo considerar-
se como adlntmento de subvencao de vi uta con-
tos da reis, em face da condiceao decima primei-
ra do respectivo cohtralo, os de, qae .segnUda a
mlormaeao dessa inspeWoria n. M0 de 19 do corr-
reme, foram entregues por ordem desta presiden*
ca a Jos Amat, empresario da cmpanbia lyical
informe V. 3 -
nr

sx
.A i,Y-.,-t-li-
deTiioina Jos d"Aquino Pereira para c cargo d
-iibdeligado do 1* dislrielo do termo de Bonito,
de conformidade com a prosnesta do V. 8. em
oficio n. 1422 de 29 do mez Dado.
N. 733.Dito ao. c*nm Unte superior da
guarda naeional de Serinhem.-rt) Ejm. Sr. vice-
presidente da provincia mandil declarar.i V. S. em
resposta ao. eu oficio de 13 do coraeule sobre
n. 3i, que a tliesoqraria provincial tem ordem
para pagar os vencimenlos, constante do cilado
oficio.
N.736 Dito ao Commandanle superior da
guarda nacional da fioa-tisla. S. Exe. u Sr. vire
residente da provincia manda declarar a V. S., ein
~'rl,aSLa emjT,9ta d03 ,nc,,u- mptutu so seu oficio de 28 de setembro uUmo,
sos papis que me devolver, e dos espectculos
que a mesma companhla den este inno, se o so-
od uso devolvo.
bredio emprezario anda tem a receber eii devd
restituir alguma quantia aos cofres dessa repar-
licao.
N. 736. Dita ao mesmo.Transmiti por co-
pla a V. S. pura seu conhecimemo e fias conve-
nientes o oficio que nesta dat dirijo ao procura-
dor liscal dessa tnesouraria relativamente a desa-
propriaeao dos terrenos que se lornam necessa-
rios a eonstrneeao do acude da cidade da Victoria.
N. 737.Dita ao mesmo.Declaro a V. S. para
seu conhecimemo e flns convenientes, que de con-
formidade enm a sua nformagao de 20 do corren-
le sob n. 633, acabo de antorfsar a colloccSo na
iravessa da Ponte do Uchda para Saht'Anna de
seis lampioes que foram concedidos pelo artigo
21 da lei do orcamento vigente para a continua-
ran da estrada at oMonleiro.
N. 738.Dila ao mesmo.Expeca V. S. as suas
ordens para que seja entregue a Henriqne Miguel
de Abreu Lima ou a pessOa a que elle aHlorisar a
quautia de 2)45000 importe de 300 grvalas de
sola de lustre fornecidas ao corpo provisorio de
polica, segundo se v da cont junta a que alin-
de o commandanle do corpo em oficie n. 481 do
20 deste mez.
N. 739.Dita ao procurador fiscal da thesoura-
na provincial.Inteirado de quanlo Vin. expoz
em seu oftleio do 0 do crreme sob n. 57, tenho a
dizer em resposta que deve promover a desapro-
priacao nao s do terreno de Jeronymo Correa d
Atnorim, mas tambera dos outros, cujos propre
larios constam da not, que veio annexa ao citado
oficio, os qtiaes se lornam necessarios a con-irur-
cao do acude da cidade da Victoria, pois que, se
guudo informa o chefe da reparticao das obras
publicas em oficio de 14 deste mez n. 332, ape-
nas foram indemnisadas algiimas bemfeitorias
existentes n'affnelles terrenos.
4* seec.ao.
N. 741.Portara ao Exm. Sr. desembargador
provedor da Santa Casa de Misericordia.Res-
pondendo ao oficio de V. Exc. de 23 de iulho ul-
timo sob n. 2,013, tenho a dizer que nesla data
expeco a conveniente ordem para Ihe ser apresen-
tado o sargenlo do eorpo de polica quo estevr na
enfermara do hospital Pedro II para o Om indica-
do em dito oficio.
N. 712.Dita a cmara munieioal da ciddc efif
Victoria.Approvo a arrematacao dos iropostos
de que trata o termo que por copia acompanhou
o oficio, que me dirigi a cmara municipal da
cidade da Victoria em 27 de setembro prximo
flndo, o qual (lea assfra respondido.
N. 743.Dila ao Dr. Jos Joaqnim de'Maraes
Sarment.Teudo jior deliberacao dest dala e de
conformidade com o disposlo 110 art. 2." da lei n.
872 d-12 de junho ullimo resolvido noraear urna
eommissao composta de V. S., do Dr. Joao da Sil-
va Ramos e do cirurgiao Francisco Jos da Silva
para examinar e dar parecer acerca da obra in-
titulada Dicionario Botnico Brasileiroque Joa-
quim de Almeida Pinto pretende publicar; assira
Ih'o communico para sea conheclmento, esperan-
do que se digne prestar de boa vontade esse ser-
vico. Igual ao Dr. Joo da Silva Ramos e o ci-
rurgiao Francisco Jos da Silva.
N. 744.Dila ao director geral interino da ins-
trueco publica.Respondendo ao seu oficio de
20 do corrente s*b n. 338, tenho a dizer-lte que
deve observar-se a pratica seguida de funecionar
a escola de instruccao primaria do gymnasio pro-
vincial at o tira d novembro prximo vindouro.
X. 743.Dila ao mesmo.Declaro a Vmc. era
resposta ao se oficio de 2 de agosto ullimo sob
n. 237 que por ora nio podem ser prvidas as
cadeias de instruccao primaria de que trat o seu
citado oficio.
_N.'746.Dita ao engenheiro fiscal da ilrumina-
cao publica.Autoriso Vmc. de conformidade
com a sua inforraacao de 28 de setembro ultimo
sob n. 329, a mandar coliocar na Iravessa da Pon-
te do Uchoa para Saot' Anna seis lampioes dos
que foram concedidos pelo art. 22 da lei do orca-
mento vigente para a continuacao da llurainacao
da estrada al o Montero.
N. 7i8.Dita ao gerente da companhia Per-
nambucana.O Sr. gerente da companhia Per-
narabucana mande dar transporte para o presidio
de Fernando, por cont do ministerio da juslica,
no vapor Cruripe, que para alli segu no dia 0
de novembro vindouro, ao sentenciado de justica,
soldado reformado, Joao Antonio Izidro.
X. 749.Deliberacao.O vice-presidente da
provincia, de conformidade com o disposto no art.
2o da lei n 872 de 12 de junho do corrente anno,
resolve nomear urna eommissao composta dos Drs.
Jos Joaquim de Moracs Sarment, Joao da Silva
Ramos e o cirurgiao Francisco Jos da Silva, para
examinar e dar parecer acerca da obra intitulada
Diccionario Botnico Brasileiro, que Joaquim de
Almeida Pinto pretende publicar.
N. 750.Dita.O vice presidente da provincia,
attendendo ao que requereram as professoras pu-
blies de instruccao primaria da povoacao de Vi
cenca, Raehel Adotnha Cavalcanti Ferrelra, da
fregnezia de Nossa Senhora do O' de Goyanna,
Enedina Floresta dos Santos Cordeiro, e tendo em
vista a informacao do director geral interino da
instrucca publica de 18 do corrente. sob n. 333,
resolve conceder-lhes permissao para permutarem
entre si as respectivas cadeiras.
N. 731.Dita.O vice presidente da provincia,
attendendo ao que requeren a professora publica
da cadeira de instruccao primaria da povoacao de
Vertentes, Paulina Marcelina de Almeida, e tendd
em vista a informaeao db director geral interino
da instruceio publica de 14 do setembro prximo
Indo, sob n. 293, resolve, de conformidade eom o
dSsjWslo no art. 23 da foi n. 998 de 13 de maia de
1864, eonender reforMa professora a remoeao
qne pedio d'aqiefht eaflelfa para a de Santo AnWo.
EXPEDIENTE ASSIGNAOO PELO SR. DR. JOAQtTtM CORLEA
DE ARAUJO, SKCRRTARfO DO GOVERNO, Kt 22 DB
OOTUBRO DE 1869.
X. 732.Oficio ao Exm. Sr. general comman-
danle das armasDe rdem de S. Exc. o Sr. vice-
prndente da provincia, declaro V. Exc, em
resposta ao se Oficio n. 638 de 21 do corrate^
que fica expedida.a co'itvenieale ordem aa gerente
da companhia Persambncana, para fafer tAn portar ao presid de Fernando no dfav6 de no-
vembroaroxiroo vradoaro, o sentenciado de jdstl-
ca, soldado rfomdo Jo5o Antonio IzMro.
5. 733. Wtao memo.De ordem de S. Exc.
0. Sr. viee-efesaiwii da provincia, declaro V.
,EXc. para seu conhedmonto, que por desparti de
hontem se conceden 13 das de prazo para provar
fseacao legal, ao recrWa Pramlsco Antonio de
Souoa.
l. seejao.
N. 7o*.Offlci ao Dr. eheh de polica Interino.
De ordem do Rxea. Sr. vlee presidente da prtfm
cia transwWo V. S. o HWto jnnto de m>n**coi'n*Bto,
que a tuesouraria de fazenda tem ordem pira pa-
gar a A odre Avelina Pereira o Silva os vencimen-
los censtoles do Cilado oficio.
N.737 Dilo ao Coinraanriante superior da
guarda naeional de Garantios.Xesla dat au
torisou-se a thesoararia de (azrala a pagar ao ca-
pilao Joaquim Spverlno de Sonza, os veucimentos
constan les do oficio de V. S., daudo de 4 do cor-
reute e sob n. 94, o qual Oca assim respondido d
ordem do Exm. Sr. vicepresidente da provincia.
N. 7.58.Dilo ao commandanle superior da guar-
da nacional de Cabrob e Exu.O Exm. Sr. vice-
presidente da provincia manda declnrar V. 9.
que j se durara as necesrias providencias para
serem capturados os criminosos dt que trat
seu oficio de 16 do mez findo, e garantir a vida e
propriedade dos cidadaos por elles ameacados,
sendo urna dessas providencias o pedir-se ao pre-
sidente do Cear a expedleao das convenientes
ordens para a captura d*aquelles que se acham
homisiados naquella provincia.
N. 739.Dito ao commandanle superior da
guarda nacional de Itmb.O Exm Sr. vice-
presidente da provincia manda declarar a V. S.,
quo (con in:e rada, pelo seu oficio de 11 do cor-
rente, ler sido pronunciado no art. 205 do cdigo
criminal o soldado do corpo provisorio de policia.
Manoel Ferreira de Lima, quo a 24 do mez findo
ferio o guarda nacional Mapeel Pereira da Silva
N. 760.Bito ao juiz municipal supplente em
exercicio de Ouricury, Antonio Cesarlo Alves de
Castro.O Exm. Sr. vice-presideale da provincia
manda acensar o reeebinicnlo do oficio ae V. S.
de lo do mez lindo, em que participa ler assumt-
do, como 5" supplente, o exercicio das funcroes
de juiz municipal do termo de Ouricury, no impe-
dimento do juiz effeclivo c dos supplentes antece-
dentes.
iV. 701.Bito ao promotor publico interino de
Cabrnbo, Bularuiino Ferreira Padilha. Exm. Sr.
viee-prvsidente da provincia manda declarar V
S. que ficou ioieirado, por sen Seo de 2 deste
mez, da nssi dala ter sido nomeado pelo juiz de
direilo da eomarea de Cibrnb, promotor pubiieo
interino d'ella, entrando logo em exercicio.
N. 762. Dko ao commandanle do corpo prov-
sorio de policicia O Exm. Sr. viee-presideute da
provincia manda declarar a V. S. que nesta dat
se expeda ordem para ser paga Henriquo Mi-
guel de Abren Lima, uiquwi *u utarwr, a
quantia de 2345000, importancia das grvalas ni
couro de lustre fornecidas a esse corpo, de qne
trat o seu oficio n. 489 de 20 deste mez.
N. 763.Dilo ao mesmo.- O Exm. Sr. vico-pre-
sidente da provincia -manda declarar a V. S. que.
segundo informbu o juiz municipal do termo de
Itmb, foi pronunciado como incurso no art. 205
do cdigo criminal c acha-se recolhidu a casa de
deteneaQ o Soldado do corpo sob seu commando,
que a 24 do mez findo ferio com um tiro na perna
ao guanla nacional Manoel Pereira da Silva.
BXPKDIKTK
lUSCMETJ
T DA Pfl0V|
tliM&n PEto exu. sn. ba. hanoei *o [ f. 792.-HMU ft ctafe da repartir* das obras
iAnrt.VK>jRTE[.LA,_vicii-FR^^^ em fisto de sua infbr-
\, su 43 bV. oTtlno de I8W.
1.' secciVo.
X 774.Plaria ao Exm.Sr. g^nflfal comrnan-
daiite das nrli is.Mamle V. Xr. prasentr ao.
Dr. cheTe'dft'j Ucia afim de lite dar o destino que
julgar coutei sme os reerutas Antonio Ricardo
do* Santas e, basljo Loureu^ Bispo, visto t-
rera sido jtilg H>s incapazgs t servir) xer-
cito como rofli ido termo de inspctao que vj
annexoao s fllffio de n. 64! de 22 do corrente.
N. 774.Di a wv director inierio do arsenal de
guerra.Irifoc na V. S. com urgencia, que armatnen
lo existe emdl fenlbilidade neste arsenal, bem Como
a iaa qnalWfi e, tem o respectivo corrame,
nautas armacesto para concertar, convlndo jue
'. S. protiden re de modo a qae quanlo antes fl-
quem ellas pn ara Jas.
S. 773.Di i Ao mesmo.-Juforme V. S. com
urgencia quar o podem licarpnvmptos os eoncer-
tos que Ihe d rminei mandasse iwoceder rta cal-
deira do vapogde guerra erfr.
R 776.Dak ao coffslfio de ctirninas navaes.
Pode o coawlho de compras nyacs contrariar
Dm Joaquin Alves rta Silfa^iinTO o f rneifoen-
lo de gallinltas do? eslabeletMentos de marirtha,
no trimestre de onibro a-deHilfihroflo corfenle
aquo pelo predi de 1^3400 cada urna de confiJrmi-
daa com a praposta annexa- c oficio desse con-
selho. datado de 14 do corrente, o qual devolvo.
N. 777 Dita ao mesmo.Autoriso o conselho
le compras navaes a promover i compra dos ob-
jectos de material constantes do seu oficio da 12
do corrente, visto serem precises p.lra provimento
do almoxarifado do ,-irsrna! de m.irinha.
2-' secfao.
X. 780.Popara ao chefe de policia Interino.
Por parle do Exm. Sr. bripadeirodas armas .ie-
rao presentados a V. S.. afim de Ibes dar o desli-
no que julgnr conveniente, os rerruts Antonio
llicardo dos Santos e Sebastio Loureiico Bis|k),
vi.-to lerem sido /MlgMos incapaxes para o serv
co do exercito como consta do term^ de inspeecao
3ue veio annexo ao oficio do Exm. Sr. cutadiati-
nte das armas de"22 do corrente sob "n. 641.
N: 781. pita au commandante superior da
guarda nacional de Garanhuis.Terido d confor-
midade com a.sua rtiforniacao de II do setembro
ultimo, e sob aroposta do respectivo commandante
interino nome: do para o btalhao 30 do muni-
cipio d) Buiqi e os officias cnnsttnt'S da dehbe-
racllo dest da a inclusa par copia, assim o rom
Oinnico a V. : para seu cenhecimeblo o direc-
r3i).
N. 782.Dita ao juiz de dir lo da comarca do
Cafcn.Em adJRtmento ao inei oficio de 20 do
corrente e para instaaraeu do pr>icesso de res-
ponsabilidadc so fi" snpplente d': juiz municipal do
termo de Ipoiaca Lourenco Bezerra Alfes da Sil-
va, remella VJS. as copias dos doenmentos a qne
se refere t> deliberacao pela qtial f.ii o referido
snpp'enie suspenso do exercicio do respectivo
cargo. s#V!--t:- -- i, ., i, ..i
W. 783."Oita.ao jwz le llirtHf afWi-tW* a
comarca da Boa-Vista.Em resposta o seu oficio
de 4 do corrente. tenho a dizer-lhe (ue segundo de-
rlarou o aviso do minsteri.) da guerra de 2des|
mez, u destacamento da villa de (Hincn passa a
ser pago pela colleetoria do Crato, na provincia
do Cear, em vista dos respectivos prets. o que j
foi commnnicado por pottria dest nresllncia
ao commandante superior desse mithicipib e do de
Ouriiury.
N. 784.Dita ao comnf:indaQie do corpo provi-
sorio de polica.Pode Vmc. engajf no eorpo
sob o seu commando o paisano Joaquim Alejan-
drino llibeiro Caneca, du que trat o seu oficio n.
491 de 21 do corrente, se tlvr paral isSo a morali-
dade precisa.
N. 783. Deliberacao. O vire-presidente da
provincia tendo em vista a proposta co comman-
dante interino do balalho n. 30 da guarda nacio-
nal do municipio do Buique, e o que a respeilp
dola informan o respectivo comirtaridanle superior
em o.Ticio de 11 de setembro ultimo sob n. 85, re-
solve nomear para o referido balalho os officias
seguinles:
/ Companhia.Capilao o lente da 3' Dorin-
do da Cunha Lima, Alteres Bernardina Joaquim
de Almeida e Bento Bnicio^eite Cavalcanti.
i' Companhia.Alteres Xuny Campcllo de Al-
buqtierque.
Si Companhia.Tonenc o aifere da 2" Joaquim
do Albuquerque Cava 1 car.te.
f Comptinkia.Capito o tcnenle da i' Jacob
Bezerra Cavalcanti, alteres Jos Hrrcolino de Al-
meida.
5* Companhia.Tenente o alteres da 1' Jo? Luiz
de A buquerque.
3" sCcHo.
fi. 786.Portara ao inspector da thsourariaj
de fazenda.Recommendo a Y. S. que em vist
da folha, relaco nominal e prets junios em dupli-
cata qu : m remeltru o rommandnte snperiar
dos municipios de Olinda e Iguarain com oficio
de 8 do eoarente, e das informa^Bcs constantes
das inclusas copia?, prestadas pelo Exw. Sr. bri-
gadeiro commandantes das armas e pelos coronis
commandante das fortalezas do Brum e Buracw,
mande liquidar e pagar e qu j lilamente se dever
dos vonriraentos dos offlriaes, pracas e cornetas
destacados .-aquellas fortalezas, sendo os dos offi-
cias. reJativos ao mez de stemtjro^ltimo, os das
praras a 2" qninzena desse mez eos do corneta a;
contar dejulho a setembro j citado.
. 787.Bita ao mesmo.Tendo nesta data au-
torisado ao conselhb de compras rtavaes, a contra-
tar com Joaquim Alves da Silva Santos, o forneci-
men;o de gallitihas dos cstab'lritr.entos de mari-
nha pelo preeo de IMOO cada urna, assim o com-
munico a Y.,S. para seu eorfhecimento.
N. 788,Dita ao lnsp"c|or da thesouraria pro-
3* seccao.
X. 7C4.Oficio ao inspector da thesouraria de
fazendaO Exm. Sr. vicepresidente da provincia
manda declarar a V. S. para os dvidos ftns qo?
segando participon Belarmlno Frteira Padilha em
oficio de 2 deste mez, rissa data foi nomeado e
entrn tn exercicio do cargo de promotor publico
interiho da comarta de Cabrob.
N. 765.Dito ao pjsmo.S. Exm o Sr. vice-
presidente da provincia, manda transr.ittir a V. S.
complciaolnte despachados os dous inclusos re-
guerimenlos documentos Jo commendador Eiras
aptsta da Silva e Joao Francisco de Scuia, a que
e referm as stis informaroes de 15 do corrente,
sob ns. 717 e 718.
N. 766Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia tendo por deliberacao desta
dita res'Nido unmear o tenante-coronel Theodoro
Machado Freir Pereira da Silva, para o Inga'r de
director do asylo de snendicidade; assimo manda
communicar a'V. S. para Seu conheclmniito.
N. 767.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial.S. Exc. o Sr. vicepresidente da provin-
cia tendo por detiberacao desta data e em vista
da informacSo do director geratt interino da ins-
truccao publica de 18 do corrente sob n. 333, re-
volvido conceder a permisslo que pediram as pro-
feasoras publicas Raehel Adolpha Cavan-ante Fer-
rara da povoacao de Vlcenca. Enedina Floresta
dos San los Corueiro da fregnezia de N. S. do O' de
Goianni, para permutarem entre si as respectivas
cadeiras; assim o manda communicar a V. S. para
seu conhecimento.
N. 708.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia lenda por deliberacao desta
data o om vista da Inforraaca do director geral
interino da instruccao pnblica de 14 de seterahro
prximo flndo sob n. 293, resolvido conceder da
conforrnionde com o art. 23 da lei n. 398 de 13 de
maio da 1864, a ro-nocao qne pedio a protessora
publica Paulina Marcelina de Almeida da cadeira
de Verientes para a de S. Antao ; assim o manda
communicar a V. S. para seu conhecimento.
4aseccao.
N. 769.Oficio ao Sr. bario da Soled?d.S..
Exc o Sr. vice presidente da provincia tendo por 'Viqcial.Transmuto por copfa a V. S. para sen
deliberacao desta data resolvido nomear o tenhte- conrieefmente e devdo$ efteuos a deliberacao des-
corone; Theodoro Machado Froire Pereira di Silva, la data, pela qual reserve exonerado ex-arrema-
para o lugar de dirjetor do sylo de mendiedade, gnte ais obras da ponto de Jaboatao Francisco d
assim o mari Ja communicar a V. Exc. e aos de- Plnr.o ftorges, da rsponsabllidade do exeesso de
mais membrosda eommissao encrregados des n-, decea proveniente da exeucio daquellaS Obras,
gocios do mesmo sylo. N. 7*'.-Dita ao me'smo.-m vista da cont
N. 770.Dito ao Exm-Sr. desembargador prove- e pret.nominal, juntos em duplicara, mande VJS
dar da Santa Casa de Misericordia.-S. Exc. o Sr. liquidar e pagar a Antonio Jos' Pereira da Cunta,
vice-presidente da provincia tendo por deliberacao conlormesolicilou o lenenle-coronel commandaule
desta dat resolvido nomear ao tenote-coronl ,tfp btamo o 54 de infentna do municipio, do
Theodoro Machado Freir Pereira da Silva, paran, i(g.>5.em oflcio de 20 do corrente, sobn.JW,
lugar de director do asylo de mcntfie.tdde': aSn r <*> os vencTrnenfes relarf\-os ao mez d yeeni-
o mamla communicar a V. Exc. para sen eoriHf-j ,bro ultimo, dos gq>rdas nacionaes destaeawna-
cimento ; ueifa villa, mas lambem a daspeza fit durame
S raestno mez,'C6ra o forneeimeto de luz e agua
If. 771.Dito ao director geral fotCrWW da hw pari 0 quartl do preHito deslacantento.
trucca pnbriea.S. BXc. o Sr. vie*W>fldte da! aj 796 Dita ao mesmo. Providencie Y. S.
prbvrtiefa mea por delibniol Hesta dalae em: p.^ ^ cm vista da inclusa cont qan me re-
vista e sua informac*) de 18 do cerrent ob n.
333, riisolvao conceder a prmisso que pediram
as professoras publicas Rftnel doipn Gavlean-
te Ferreira da povoacao de VleeMf* o" EtieAnai
Floresta dos Sanios Contar* da H#l*iIa'de N.<
S. do espeenvas cadeiras : as^hn o apanda ivmirromear
a V.'S.'para sin cotmetlineB*.
N. 772.Dilo ao mesrab.S. Erf. o tr. IW-i
presidente da prqviitea tendo por Mt&jt&b Hestat
data em tist de sua inforaiTWto ,** de Se-
ftmoru praeiro fido Soff n. 113, re*ltHto
de." de conformidade^eonj o.arL 23 .da w
d*i 13 de maio
professora pn!
da epeira & .
o marida cbm
_aT flfrtTfrTH flr Al ..
rV. S.-para 'sen c+fflrar,.
mellen o regedbt interino do gynnvtjio pronuoial
com fflcto de 22to corrente sob n.. K>4, \^l, ha -
trege ao secretario djqull e^thleeimeAta ba-
charel Antonio fe ASStunppao Caufal, a quantia
'd''UWOOb, para n'agaWwifto de ieaartei
ra bancas de estndo, mnqtau baer com
ao jneijnio gymnasio.
N. 791-Dfta ao me>mojl-T!pdo por
raes' data e' em *ta d., su fjwrinife'i-de "20 do1
c%cn sd u. MI, a^fettidii S formisid no
pedio a mesa tleBK fjr>m Terceira do Car-
98 P*1* j3faiL'Pt ^#r o benlDe>Qj ia
t das loteras J extrahwas
do hospital da mesma ordem
r ntes repirtt?ao dcbniflntos!
da despeza que Uzer al a Imnbr-1,
; assim o comrotthico a v. $;
ito e nns convenientes.
fle"aK
e presta' '
tonudo l
P^r sen' coi
reacio de 22 do crreme sob n. 380, conceder a
Hcenea que softeitou Bernrdino de Sena Pontual,
pira encaar aguas pluviae de sua casa, sita
a roa da Esperanca, o esgolo geral da ddadft
urna vez que o suppMeante por termo assigoaoo
nessa repartico se sngeile as condicoes 8 b as
qaaes dever executar a obra ; assim o declaro a
vmc. para seu conhecimento e devidos effeiios.
N. 7S3.JDIta ao mesmo.-^-Para dar comprimen
toaoavtsoda repartiefc daagrtcuhonii commer-
cio e obrUs pUMeas de 23'de setembro proxhdo
flndo sot> n. 35, presto Vmc. informaees acerca
das vantagens ou Inconvenientes de cada urna das
dsposiejoes da proposiea da cmara dos SrS. d-
putados junta en original que devolver.
N. 794.Bita ao mesmo. Transmiti par ca-
pia a V. S. para seu conhecimento e devidos el-
feilos a delinercio deet data, pela qwal resoivi
exonerar o ex-arremaiante das obras da ponte de
Jab-)atao, Francisco de Pinho Borges, da rspon-
safilidaiie do exeesso de despeza proveniente da
execucao daquellas obras.
X. 795. Deliberaeio. O vice-presidente da
provincia tendo em vista o que requereu o ex-
arrematante das obras da ponle de Jaboatao, Fran-
cisco de Pfhho Borges, o qne a este rspeito in-
forman a inspector da thesouraria provincial em
oficio de 23 de agosto ultimo sob n. 520, e final-
mente o rt 1* da lei n. 877 de 12 de junho dejite
annd, resolve que fique de nenhum frffeiio a deli-
beracao da presidencia de 3 de marco do mtsmo
auno smente4ia parle que tornou esse arrema-
tante responsavel pelo exeesso de daspeza prove-
niente da execucao daquellas obras e determina
que subsista para os devidos effeilos a multa im
posta pela referida deliberacao. .Neste sentido se-
rao expedidas as necessarias communicaoffes as
OJtc&iJS competentes.
4* seceao.
N. 796.Portara a cmara municipal da ciia-
dc de Olinda.Concedo a autorisaro que pede a
cmara municipal da eidade de Olinda em seu of-
lcio de 21 deste mez, para dispender np exercicio
corrente a quantia de 200,8009 com as desperas db
jury e cleieocs, listo nao ter a lei do orcamento
municipal vlgeiiie, marcado quola alguma para
semelbanles despezas.
N. 797.-4ma ao director geral interino d ins-
truccao publica. Tendo verificado que a cas*
em que futireiona a escola primaria do Sexo fc-
mlnlno da fregnezia do Nossa Senhora dos Montes
nao tem as precisas accoramodacoes, uem os mo-
vis necessarios, recommendo a Vmc. que chame
para a referida escola a attenro do delegado ht-
terarib, determinando Ihe nao s' que providencie
em ordem a que ella passe a funecionar emoulr
casa, como que requisle os movis que julgar
convenientes,
N. 798. Deliberacao. O vice-presidente da
provincia attendendo ao quo rejuereu Maria Ade-
lina da Silva, professora publica da cadeira de ins-
truccao primaria da.villa doBam Canielho, e ten-
do em vista a inl'ornjjj-ao jlojljrerior sera iqleri-
no da instruccao pblica de zo ae agosto ntlimo
sob n. 273, resolve conCder-lhe de conformidade
com o art. 23 da le n. 598 de 13 ae maio de 1864,
a remoco que pedio daqnella cadeira para a da
povoacao de Venantes.
N. 799.Dila.O vice-presidgnle da provincia
attendendo ao que requereu Francisca Mara da
Annunciacao, professora publica da cadeira de
instruccao primaria da villa da Boa-Vista, e ten-
do cm visla a informaco do director geral interi-
na da n-triKvio publica, re>olye conceder-lhe de
conformidade com o art. 23 da lei
de maio de 1864, a remoeao que pedio daquell
cadeira para a da villa do Bom Conselho.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO SR. DR. JOAQUIM ..COR-
REA DE ARAUJO,SECRETARIO DO GOVBRNO E23 DR
OUTUBRO DE 869.
l.'secco.
N. 800.Oficio ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.De ordem de S. Exc. o Sr. vi-
ce-pTesldente da provincia declaro a V. Exc. para
seu conhecimento, que por despacho desta data,
concedeu quinze dias do prazo para provar isen-
cao legal ao recruta Francelino Jos Henriqu de
Otivetra.
2.' secao.
X. 801.Oficio ao juiz de direilo da comarca do
Rio Fonnoso.O Exm. Sr. vice-presidente da pro-
vincia manda aecusar o recebimento do oficio de
V. S. de 12 do corrente era que participa ter a II
do dito mez, dadoparte de doente o promotor pu-
blico dessa comarca bacharel Jos Manoel de Bar-
ros Wandetay e haver sido nomeado por V. S.
para o substituir durante o sen impedimento o
cido Manoel Francisco Pereira.
N. 802.Dito ao juiz de direilo da comarca de
CabrobO Exm: Sr. vice-presidente da provin-
cia manda aecusar o recebimento do oficio de V.
S. d 27 do mez lindo, em que trat de luga de
varios criminosos da cadcla de Ex e de eulros
factos relativos a essa comarca, dos quaes fica in-
tiraMo.
H. 803.Dito ao juiz municipal de Itmb.O
Exm. Sr. vice-presidente da provincia manda ae-
cusar o recebiinento da oficio de V. S. de 20 do
corrente, em qu participa ter por,motivo de mo-
lestia deixado nessa dat 0 exercicio da seu,cargo.
N. 80i.-Dito ao lenente-corouel commandante
do balalho n. 54 de infamara do municipio da
Cabo.S. Exc. o Sr. lee-presidente da provincia,
manda declarar a V. 9. em resposta ai seu oficio
de 20 do crteme, sob n. 140, que a thesouraria
provincial tem orden para pagar a importancia,
nao so dos vencimenlos, mas Umbem da despeza
consuotes do citado oficio.
3.'secea.
N. 805. Oficio ao Inspector da thesouraria de
fazenda:O Bxm, Sr. vice-presidente manda de-
clarar a V. 5. para os fins convenientes que se-
gundo partecipou qjuz de direito da comarca do
Rio FoTtnosq em oflfcio do 12 d correrite, nessa
data den parle de doente deixando o exercicio o
promotor publico de aquella comarca bacharel
Jos Manoel de Barros Wandarley. e que tora n< -
meado para o substituir interinamente em dito
cargo 6 eidadlo Manoel FfanJisco Pereira.
y. 806.DrtD ao mesmo. O vieo-prcsid|j|da
provincia manda declarar a V. S. pira os flns
convenientes que segunda oficio do juiz munici-
pal da lia nb bacharel Menlau dos Santos da
Fuhieca Lins, de 20 do correte, essa data dei-
xou elle, o exercio do dito cargo por mole/lia.
X. 8WT.Dito ao inspector da thsobrana pro-
vincial.S. Exc. o Sr. vice-presidente da pro-
vincia tfdb por deliheracio desta dat e em
vist d iuforin-iCes do director geral interno da
insirucoVi.pabliea resojiido conceder nos te rios
do artigo 13 da lei a 598, de 13 de maio de 1864,
as remoctfe's que pediram as professoras pub'licas
flaria Adelina, da Silva c Francisca Mari da An-
nnociaj^o, a primeira da cadeira da Villa do Bom
Cunselha para a da potoaea de Vertentus e a se-
da Boa-Vista para, a de Bom Cpu-
iabtfa coirimhnicar a V. 5. pan
0.
%.* sflco.
N! fm.-~ms) ao director Jeral iniernj d
irr*cuecJb *uea.-S. Ex. o vlw-presidente
d pfoviflbl* tend.9 .por deliberacao desta dat
rmno de m, amoedes ene !WIhfm s Pre
ra
Vi
;ao de Vertcntes e a segunda da villa da Boa-
isla para a do Bom Cnnsdho j slni o manda
communicar-a V. S. para sen eonherlmcnto
n. H.Dito ao regedor db Gymnasto Provin-
cialO Exm. Sr. vice presidente da prntincia.
respdBflenda ao oficio de V. 9. de K n Brren-
te, sob n. 104, manda declarar, que a thesoura-
ria provincial tem ordem para entregar aa) mere-
(aro desse estaheteelmento a quantia de 800*000
constante de seu cilado oficio.
w&'M
seucMiHeclr
DESPACJlJ DA PRBSIDtnCIA DA PROVCVCIA DO DIA
22 DU DZK1BMBO.
Abaixo aasignados urradoraa no Inee de PeUn
Frito. Bxpedio-3e ordem no watid de rque-
rem.
Abaixo asonados moradores e algnns eofar es-
estabelecinenlos na ra da Croan. Marine o
Sr. chete interino da repnrtieao das obras aablicas
fiscal da empreza do rale.menlo.
Ben Jos da Costa RibeiraJunto este ao- an-
terior requerimento em que foi hincado o esta-
dio de 12 de oututero, volte ao Sr. inspector d.i
Ihesourara de fazenda pira informar.
Jos; Ignacio da Fonseca Silva.informe Sr.
Dr. jniz da direito da comarca de Olinda, oviado
o juiz mutieipal respectivo.
2:t
Barao do Livrauent.lonle-se.
Carlos Ernesto de Moquita Falcio e Fraitcfaco
Pacifico do Auiaral.informe o Sr. ispectw da
iliesuraria provincial.
FraWcisco Geraldo Moreira Temporal.Informe
o Sr. inspector da ihesourara provincial.
Feliciano Marques Vianna.Informe o Sr. Ins-
pector da thesouraria provincial.
Dr. Jos Joaquin Tarare* BeiortLavte- de-
liberaco concedendo a pro7ogarao requerida.
Joo Marcelina Rodrigue da Suva.A vista da
infonnacio e de ter o supplicante apenas dous an-
uos de servico, nao tem lugar o qne reqner.
Joo Francisco Lopes.Informe o Sr. Dr. chefe
de policia.
Mmervino Jefferson Pereira de Oiiveira.Coaee-
da-sr um mez.
Mariana da Conceiro Pereira.Informe o Sr.
inspector da thesouraria do fajeada.
Drainags Company Limited.laform* o Sr.
chefe interino da repartirn das obras publicas.
Severmo Joi dos Sanios Aguiar. EXp^-i-se
ordem no entidu que o supplicante reqner.
Bacharel ^Venceslao Garria Chaves.Itforme o
Sr. inspector da thesouraria du fazenda.
ReiKii-tifo da polica.
2" seccao.^Secretaria da polica de Pernambtt-
co, 24 de detembro de 1869.
N. 179.Illm. e Exm. Sr. Levo ao conheci-
mento de V. Exc. que, segundo const das aarti-
cipaedes recebidasJiojenesta reparticao, foram
horitem'recoihidos casa de detencao os seguales
individuos :
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Joo, es-
cravo de Joo Fernandos Lopes, por andar fa-
A' ordem do da Boa-vista, Bento Rodrigues da
Silva, por briga; e Climerio Saboya, jior embria-
guez e insultos.
A' ordem do da Magdalena. Benvennto da SiKa
Santiago, por rrime d fuga de preso.
Por oficio datado de hontem particpou-m> .
subdelegado do Pf>co da ranella que ua mesma da-
la um prelo, crloulo, livre, de nome Pedro, se sui-
cidara alli com urna corda que para esse fin alara
no galbo de una arvore do quintal de urna ca-
n. 598 de 13 de propriedade do Br. Angelo Henriqne da Silva
naqnella povoacao, gnorando-se o motivo que >
levara prtienr scrhelhante ttentado : que pre-
ceder a competente vstoria. e hra inhumar i>
cadver do referido preto.
Deus guarde a V. ExcIllm. o Exm. Sr. Se-
gador Frederico de Almeida e Alboquerqnr. pre-
sidente da provincia. O chefe de policia, /><:
Antonio Fernanda Pinheiro.
REVISTA DIARIA.
TIULIIOS RBAXOS BE AP1PU 'JOS.Sai das
21,25 e 26 foi extraordinaria a e mcurrencia de
passageiros nessa linha forrea, e mais urna vez re-
veln se a falla de ordem o os deleito*, quer da
eonstrocco, queradminisiralivos, que tem aquetla
empreza.
O' passageiros agglemeravam-se aas estaeues.
mxime na do Caldeirciro, eabi, impariemanda-se-
s fetos cam a demora dos Irens, faziam um ala-
rido eapac de ensurdecer, qjvando aao iam vas
de ficto, sbordoaiido-se rei-iprocamente, come
aconteced no dia 23 nolle.
Muitas vezes tenns kmbrad a necesudade de
eslabetecer-se mais atgnn rasnaes de desvio eni
differentes pontos dessa linha. e a conveniencia de-
augmentar-se o numero da tren, stibrelado em
dias de festa. t'ma e entra colisa tem sida afcra-
da ao esqnecimenlo, nilo ub-tanle ser puMhw e
notorio o importanlissimo lucro que tem attferido
essa empreza.
Tendo os emprezarios se ibrigado em seu con-
trato dar passagem segur e fcil nos sous iren>
para todos os pontos da linha ; sendo evidente que
nos dias de festa o transito augment despropor-
cionadamente ; fhzse preiSo que a empreza lome
providencias especiaos para essos dias, orginisa*-
do urna tabella privada, on le se marque um trem
de qnarto m quirto de liara.
De-de que a empreza nao d fcil e segura
transporte h lodos (Mantos se aprpsenism as es-
tachas, tem eommettido urna iiilracro do mralo
e por consequencia tem incorrido a urna justa
pena. E' pois mister que se faca eftccliva essa
pena, com o fin de ohng.ir a companhia provee
sttas neeassidades de accordi com as necessidades.
do publico que frequenta seus treris.
Se se nao cuidar de por umdiiiiie quanlo antes-
esses desmateHos da empreza s trilitos urba-
nos de Apipucos, mnito breve Mvez lenharaos de
ser lesterauahas de scenas da datrftdeirn vanla-
lislo pratMadas pal pe*o .tmdUnado conWa a em-
preza ; e sta nesie cas s tert de qoersar-se aa
sha falto de providencia.
CARIDDE.?cdara-nos a pubticacao Ho C-
gdlnle :
c Srs. redactores da Revisln Otaria.Uibltai-
do a casa n. 43 da ra de S. la desta cWide
eXiste urna numerosa familia composla de muitas
senhoras solteiras, e mu rapaz desasisado, na maior
penoria que .Imaginarse pude. Vivendo de, es-
casso e mal retribuido trabaUo, arcando coa te-
das aS vicisitudes da indigencia, chacadas, estas
sanhpras (que sSuJjIIws de um anligo servidor *>
estado, no qu gastou oa seus mlhares annos) u-
nar-sa-ho, se a caridada publica nao tbr em sci-
cotro deltas,
E porque l por algum.is vezes Wo sjd
es senhoras, qha para vivar' j^^stantente
arrosiam ipqriveta aacribai^
Somos, etc. i
Sl^^'' 'W'VdosAffjgados, uoj"
da madrugada,
se supp3o ser
j homem"chamado Francisco Bernaro
I lGtffl


-*"*'
a*vaV_.. ---


N

a\ 3 R8M3S3Q 30
SftlSl
occarrncia algttns
de urna terca parte do valor dojorcaamato-da
*U Peraan-iuoo Teiq feh 28 de
Dezembro
de 1869.
sattando-lhe dessa
Urates _
).s 3 horas -da tanje de 26 do
assinad cm diversas estocadas^
morda dcstatidde.'o pardo Manoer
RodrifdBWrjarvaluo ,por Joe Annes Ferreii da
Assttmpcao, quo servio-se a\ima goiva de marci-
nelro para perpetrar ojJrime
AHGAME
linras da madre:
Oapib aribe, na
oro diverso c
capitao do brig
toak) do Socorroj
de s pOd-
etdeodo-se co
Ainila flfr
na freguezia
Earda, mocaba qua
aribe, ahi-encontrou
jnnval (lia 26,
Bjd'n^Rnalner,
P V rio CapV
a mofle, apezar dos esfor-
c npragados por tres pessoas que de promptt)
acodiram, Tuneando-fe ao rw.
HAVlf) ENCONTRADO.O orlgoe inglez M-
ora, vlndo de Liverpool, Tallou no da tO do cor-
tnte, tu lat. N. 2t W e long-O. de Greeiiwich,
eoRi*'bMrca ingiera Heme, em \iagem de CardfT
para Rio de Janeiro.
CIDADK DE OLINDAComecou, no dia 25 do
arretlte, o setenario w, wiro.
3EMA.NA ILLCSTRAA.Em casa de madama
Mwc, ra do Crespo n. 4, ha para vender
roUeccoes completas da Semana IllnsUoda, io
Hio de Jaueiro, desde*t) Io auno, razio de 304
Teis por cada volume, pagos ao increveMe.
Amellas pessoaa toa desojaren! possutr -toda a
colleccao, devera aproveitar a occasiao,
PROCLAMAS.--Poram lidos domingo,-na matriz
^a fref uezta de--8Bto Antonio os proclamas se-
gantes :
i.* denunciacao.
Joaqun Vicente de Almeida, com Anuida Ma-
ra da tama.
i.' denunciacao.
Firmino Gn adido de Figaeiredo, com Mana
Emilia de Medei ros Souza.
r. Joairaim Guedes Correa Goadta, com Idah-
na Aueasta da Costa. j
Joaquim-use de SanfAnna Machado, combosa
Virginia Cesar Affooso.
Javeaal -Lopes Guedes, com Marcelina Clemen-
cia de Maraes.
Vioeatc Ferreira Hamos, com Umoelraa Ferre-
ri a Silva.
3." denunciacao.
Jos Moreira Souza, com Mara da Conceicao
WJJ.Tid Sevenson, com Candida Rosa Bandel.
David Jorge Ayres, com Felismina Haria da
Conceicao. #
Horacio Thurcib da Gru Muniz, cem Idalina
Mam de Castro.
Manuel do Nascimento Das Cost, com Leocadia
Mana do Carino. -
Btysio Alberto S'Weira, com Mana Emilia Sil-
veir Bittencourt.
i loraaz Joaquim Pereira de Aanrne, com Joan-
na Mara da IVnha d'Araujo.
Fortunato Ksleves Pereira Campos, com Auna
Noeira de Moraes. .
Amonio Jos Vicente de Lima, cera Mana Ame-;
lia da Conceicao Santos.
Francisco Pereira Bastos, com Mwandohna Joa-
quina- da Conceicao.
PROTESTO DE LETRAS.O escrivo dos pro-
-testos los Marianno de Albuquerqne, est de se-
mana, a ra de Santo Amaro n. 20.
LOTERAA que se acha venda a 132% a
beneficio da groja de Nossa Senhora do Ampa-
ro do Goanna, que corre no dia 30.
PASSAGEmnS.--Do vapor Mniat, viudo de
Mainanguape :
Manoel Mondes de Carvalho, Ignacio dos Santos
Goelho, e Ravmundo Newton.
Do vapor brasileiro Cruzeiro do Sul, saludo
para os portes do norte :
Maooel Rodrigues Romero, Raphacl Sewrpa,
Trajano T. de Moura, e Gaspar Catarhste.
Do brigue portuguez Trktmpho, vindo do
Por* ...-.
Adelino Augusto Pereira, Joaqaim Alves Pinto
Dias, Manoel Martins da Costa Ramos, Francisco
Doraingues do Carvalho, Luis de S, Albino Anto-
nio da Rosa, Augusto Frmandes de Almeida. Jos
Manoel Pereira de Carvalho, Joaquim Jos lava-
re*, francisco C. da Cunha. Francisco Alvos, Jos
gfaM.I. r........ ..#:- >- Ai:.: a..:-*"-
ijuito de Bauza Martins, Antonio Biogo Soares de
linio, Manoil da Cosa Moreira, Jos Ferreira de
Reiende, Manoel Jos Vieira, Albino Ferreira, An-
tonio Currea, Jos Aitonio Marques da Molta.Joao
Fernandos Julin, Joaquim de Almeida das Noves,
Manoel Maria, Manoel Ferreira de Andrade, Jos
Antonio Dias Larangeire, Manoel da Silva Baptista
Martins, Manuel Domingues Carro, Manoel Luii
Alvos Ferreira.
uaBor*,
a llanca pcvia" para haMWar a cohcurfeBCia.
Esta Hanea nao se exige qtumdo as-conlraeiw sao-
ceJebradi pela presidencia, lanto aaslin.imfc'o.Sr.
Jos Angusto.e q? otjtroa pTppo-ueoles qao* pr,es-
A n'anca que preslou o Srbarao do Uvramento
MM0O# mmtrr pnmua v'-mulia
nao para A prestt-joes que tein de
eebef. Para gari*s presli o centr,
lante a Hanc* pedal de que Ira^o art. 63
citad* rephwieiitoj assim concelllo-'/'1'""0
ammtatte wi Se ecceoer algwn pagiqM
adianudo, ot nao oorresiionden le ajflrabat .10 exe-
outdo, nao o poderilazer ** prtr nia *
ca wwc.ait^gual ao sen yalor.
Nao h.-ave, poi% infraccio do Tegulamjj^Be
focam honi resguardAd-'s 09 iflteresses da III
quandose determinou fosse pmstada uma nanea
de 2o060000f ara garanta de multas de 4:(XW*
que podem ser impostas a contracunte "*^H
mos do contracto.
Nada disto -convonce r. Jos Ali|uStO eTOBn
esto o noseo Qm, O q*e queremos apenas 6 que
se saiba que o Sr. Dr. Portella nos canlractos a que
alludimo. kem como em todos os actos de sua *d-
rmnistracao, procedeu com iodo criterio e acorto,
promovenflo os melborainentos, que a provincia
reclamava. tondo sciipre era vala a mais escru-
pulosa economa dos dinhciros pblicos. Os actos
de 6. Eic sao aem conhecidoi, o publico loe tara
a devila justica.
menos Volumes sahids*n fazendas
Idora ida com generes
Vblumes eaWad^
ide -dem
-Bis W~
com faieadas
com gneros
384
183
84
357
T*
Voluntes sabidos com faiendas
ldcpr idem eom gneros
De
cuna ai
Barca ^n
Escuna l
Brigue i
Barca I
1Wgue
Brigue!
Rrijjue:
Sumaca
de deembro
marcadoria*.
Ko de JaneiroBrigwe inglez flu, apitao'tnl
' phy, carga madotra.
Navios entrados no Bl4hmore-4a da, patacho americano Ann, de
07 toaeladas, capitao Jerhtnle eqaipagom 9,
carga (arinha de trigo; a Raba Sohmetiau & C.
CafUelT3S dias, barca ingiera SuJrja, de 347 lo
ndadas.
Soa*s-
0 que o mundo!
rea ale-
;grimas.
a li mise-
Ajui un rumor incessante motivado
grta e pelo prazer, all o silencio e as
resultantes do rffrimenlo e da dr.
Aqu ricos saldes, lautos banquete*,
raveis chonaanas e a fome. *
Eis o qae- o mundo I Emquanlo no leilo da
4Ctr, cercado de necestidades e coberto com os
andrajos da miseria, o mendigo se eslorce as
convulsoes da morte, o rieo nos bustos do pode-
no, ao sussurrar de rail vozes e ao galantao e
phrases lisongeiras de sens aduladores, ostenta
sera moderacao, o luxo e as testas, o prazer* o
gozo. .
Enqnanto o miseravel estende a mao descar-
nada caridade publica, o avarento o_o rico, vio-
lando a le, que Deusgravou no coracao de lodos,
o amor ao prximo, nem sua supplica attenein.
Insensatos I Se hojo a sociedade vos respeita
porque sois ricos, amanhaa vos cuspir na race,
ao ver vos reduzidos a miseria. Se boje podas ira-
jar ricas vestes; amanhaa talvez s possa *"
gibao e a sacla do mendigo.
All nos salos dos grandes e ao rarfelhar das
sedas,.acorrupco e ocrime ; aqu na cUoupana
do pobre, o mudee dos trapes, a virtud* e a
Honra. Nesta como o resultado do trabalno, na-
quelles, pela excessiv.i embriaguez do gozo.
E ainda inais vemos na trra, a virtude pumda
a o crlme recompensado I Oh I sociedado a que
grao do depravado te hao feilo os homens de.-
cer ? M
Mas, no meio desas contrariedades, nesso ca-
minbar incprto, no meo dessas lulas constantes
entre o prazer e a dr, a virtude e o crime, a vai
dade e o erro, urna s esperaba nos anima e a
crenca inhabalavel e Qrme da immortalidade d al-
ma, essa luz, esse pharol que nos alumia na sen la
escabrosa que trilhamos e que se denomina vida.
J. .1. S. G.
Estrada de ferro do Reclfe .
Francisco. ()
Consta-me que rae sao attribuidos os ar-
ligos de reda-co que sobre esla estrada
de ferro publicou o Diario de Pernambuco.
Declaro que su completamente estranho
a esses escriptos, embora nuiles o seu au-
tor apoio as deas q'uc em meus relatnos
sobre a mesma estrada tenlio communicado
ao governo.
Apresso-me em fazer esta declarac3'>
priocipalaiente porque os referidos artigos
fallam com louvor dos meus insignificantis-
simos servidos na estrada de ferro, e tenho
empenlio em que as pessoas que me nlo
conheocm nao supponliam que piocuro fa-
zer-me elogiar.
Buarqu (le Macedo.
Flooifo, JT Jo Jooombro Jo HM5Q
aPe-
Ro-
PUBCACOES A PEDIDO-
Pontes h Magdalena e do
Cacliang. ()
O ultimo ai ligo que com esta epigraphe foi pu-
blicado no Jornal do Recife de 15 do corrente mez,
- soh a assignamra do Sr.'Jos Augusto de Aran jo,
obriganos a vir a imprensa a fin de patenlear a
improcedencia das arguices alii feitas. ao Sr. Dr.
Manoel do !?. 31. Poriella.
Ao depois de tranicrever a ^uarta, sexta e s-
timas roiidiWiws do contracto leito com o Sr. barao
do Livrameato, iranscreve-se, no artigo a que nos
referimos, a ieaoeka cUusulaque serviu de base a
aprcwentaeao de 4>ropostas, segundo a quul os pa-
gamentos dtil* realisar-se ra quatro |>restacoes.
Pela foarta bmAoii do contracto os pagamentos
serao Jeitos eiu cinco prestaces' de 4:067200.
Logo eonclui o Sr. Jos Augusto, kouve um favor
.eslrcutka as datuulag ^presentadas aos concurren-
tes, e espeoulmftU feito ao Sr. baro.
K verdade que pelo contracto ospagameatos se
.reahsario em cneu prestates e nao m quatro;
mai quem ignora que en quasi todos os contractos
*ao ou podoin sor de cammum aeeordo alteradas
as bases sobre asqaaas ao apresentada as pro-
postas bem como as aieamas condif'ie* mediante
as qnaes > estas apraseatadas ?
Determinada a preferencia, discute-se a propos-
ta, accordao~ge as coadifdes que deve eonter o
-contracto, e uestas livre ao governo ceier de al-
guma cLm -ula ou base apcesentada em vista das
vanlagens que rOiTerecer o ontractante Isto nao
*; nova; so .lente, a vontade e,fazer crer, que havia
intenfco de se fuser presente ios contracto ao Sr.
baro,4) LiiramuUo, poda iadpsir o Sr. Jos Au
gasto agiotar con tao negras cores aquella alto-
S01 ;;kia o Sr. Jos Augusta a quarta clausula
4Us bases apresentadas por oceasiaj de pr-se em
concurrencia a commucej) d ponte de S. Jlo,
lata a eondicao quarta do respectivo contracto, a
Tara qae segundo aquella clausula o aagamento
devar etTacliUr-se em ares prestbaos, ,e segundo
a quarta copdico do eoatrato em cineo.
Ativusuliid4s contractos de que traa o Sr. Jos
Augastocoeresponde exactamente a quarta do con-
tracto celebrado para a poatc de S. Jo&o. ,0 nu-
mero da preslages e as pocas em que ellas de-
vea ser yagas siu ezactameate as mesmas daquelle
contracto dubra^o pelo Sr. > Manoel Francisco
Comea, que 00 eifecder do Sr. Jos Augusto pra-
4ieoa um grande 4ruae alterando as bases sobre
% qnaes loram aprasentadas as propostas.
Com que garanti* e legurancas, pergunta o Sr.
Jos Atifusto, peina p publico que foram resguar-
dados os nteresses da fazenda no contracto do Sr.
bardo t Responde elle raesmocom a penca de
$5:000 000, isto a quinta parte do valor ia
(Ara. Anda &utro (acor 1 i Com a concesso de
xemelhante flanea nao se infringi a le, que esta-
telece que as flaneas serao pelo menos da terca
parte do valor da obra arrematada f
Seste ponto anda mais maDifesla a injustica
da aeeusacao.
O art. 36 do regulamento de 31 de julho de
1866, dispoeas arromatacoes dw obras publicas
sarao feitas perante a thesoararia provincial, etc.
Art 60. As pessoas que pretenderem arrematar
flualquer obra publica, deverao habilitar-so antes
oow4 ^ ar,l*m,,tac^o perante a thesouraria,
jnfason,-^do dadores idneos, o os meios de exe-
ca$ao de que te*!,o5em Para *at|fazer as condi$des
^LStocadevcr, -*ff
ter^a parto do vafor do orcameu.'0 q%^a flan.
Agua de Florida de Hiirray e
Laman.
Intoiramente difTereuto goneralidado dessas
intituladas aguas de eheiro e extractos de essen-
cas para o toucador ; as quaes nao sao mais que
meras cssencias aromalisadas; esto rico e delica-
do perfuma um cosmtico escllente, e ao mes-
me tempo pnssue a necessaria virlude de servir
como um grande remeo externo.
Dilmdo n'uma pouca d'agna pura, torna-se orna
excellente e agradavel lavagem para a pelle, re-
movendo toda aspereza da pello, maculas, erup-
ooes, empingens, sardas, etc., trans nettindo em
seu logar urna clara eompleiso, rosada e linda,
macia.e formosa. Applicada testa cu fontes,
dissipa dores de cabeija, previne desmaios e verti-
gens, dando urna nova vitalidade refrigeradora ao
espirito; empregada como uina lavagem para os
denfes e o rosto ( qoando diluida em agua ) de
urna aromtica trcsqnidao sera igual assim como
serve de sua visar e mitigar ardeacia da pelle de-
pois quo so haja reto a barba.
erso
trigo.
aolalD.
fc/ledivorsoii gneros,
'espsnfiohiTgnacitavinhos.
Brigue ingleEdith M-jdiversos gneros.
Brigae portpfcuez- PiflBoinHez-JAi-farinliade trigo.
Telaca hespanliola IsnactTA, vinda de Bar
celona, mam festn : '
Ui pipas e 503 baros do vintw; a Pereira
Carneira & C". ....
= Brigue inglez lok,vindo de Pkiladtifhi*, nta-
nifeskm:
188 barricas de famfaa dT-Uigo 300 barnqui-
nhas do bolachinhas; a Henry Farster 4 C.
Brigue portugnez TnioMPiio, vmdo i Porf#,
comignado a Thomaz de Apio Fomw C.
manifatou:
103 caixas vinho, 30 saceos rarcllo, ;!5 ditos e
50 barricas feijo, ditas cavada, 7 barrls vinho
reo cunhetes chumbo, 1 0 volumes harneas aba,
tidas; aos consignatarios.
i CaixSo obras de prala e ouro; a Manoel r er-
re ira Pint 1 Malheiro.
3 ditos liona; a Manoel Joaquim Ribeire
1 dita obras de pamelas; a Jos Antonio dosban-
tos.
2 ditos azeite, 1 barril vnlio; aManosl de Ae-
vede Andrade.
21 ditos diu; a Vianna 4 Guimaraes.
: caxoes pomada; a Barbera -A C*.
4 ditos miudezas; aMonteiroA Irniao.
6 ditos dita; a J. A. Moreira Das.
i ditos ferragens; a ordem.
i dito vinho; a Jos Lopes Alheiro.
0 ditos ferragens, 17 barricas sardinhas
reir da unba Pililos A C*.
4 caixes carne de porco; a Manoel Duarte
drigues.
1 saece rolm, 7 volumes ferragens; a J. i. uo
Lima Bairao.
1 caxao doce; a Albino los da Silva.
2 ditos miudezas; a Alves A C.'.
1 dte santuario, 200 ditos e 110 bams vinho;
a Cunha Irmos & C*. h-
i caixa aguas raineraes; a J. J. da Costa Pinhei-
ro.
7 ditas miudezas; a Jos e AzcVedo ilaia e Suva
12 ditas teiragens; a Silva 4 Ajves. .
119 volumes objectos divrsos; > Seixas & Bor-
ges.
60 caixas ceblas; a Francisco Gaedes de Araujo.
1 dita ferragens; a A. L. Machado Brandao.
1 dita linba; a Jos Anlunes Guimaraes.
30 ditas pomada; a Marques, Barros Se. C*.
1 dita o 3o pesos de ferro; a Atevedo A Irmao.
50 cestas, 30 volumes obras de vme; a Antonio
Jos Duarte Braga.
4 caixes miudezas; a Jos Luiz Goncalves Fer-
reira & C.\
100 ditos e 62 barris vinho; a Manoel Alves Fer-
reira A C.".
250 saceos feijo, 20 barricas nozes 42 ditas fer-
ragens, 65 ditas sardinhas, 270auo'oreta azeitonas;
i Veras A arbedo.
II banis vinho; a Antonio^ioncalves de Barros.
28 ditos dito; a Oliveira Filhos & C.
2 ditos dito; a Manoel Jos do Souza.
20 ditos dito, 110 saceos feijio; a Marcelino J.
Goncalves da Fonte.
1 dito dito; a Joaquim Lopes de Almeida.
3 Oaixetes para tanoein, 2 saceos rolhas, 50 ro-
das de arcos de pao, 258 caixes vinho, 40 barri-
cas sardinhas, 90 canastras alhos, 92 volumes
objectos diversos, 30 pecas cabo de linho; a Joa-
quim J. Goncalves Beliro.
i barril vinho; a Podro Tinoco.
5 saceos, hepulo; a Marques A Ferreira.
13 ditos fejao, 100 barricas sardinhas; a Joaquim
Vieira de Barros.
67 volumes forragens, 100 capastras albos; a
Angelino Jos dos Santos Andrade. ,
23 ditas ditos, li saceos rolhas, 5 caixas pa-
litos; a Warqus Goncalves i Ca
rl volme* meweiu; ioio Hamos,
pipa vinho; a antonio Jos Ferreira Monteiro.
38 volumes ferragens; a Prente Vianna A C.1.
35 ditos ditas; a thoniaz Perrfandes da Cunha.
300 ancoretas azeilonas, 5 barris vinho, 1 caixa
azeite doce, 50 barricas sardinhas; a Jos Joaquim
de Castro Moura.
1 barril vinho; a Jos Antonio da Silva Araujo.
50 rodas de arcos de pao; a Manoel Teixeira
Bastos.
1 caixo paiss, 1 barril vinho; a Aatonio Martins
de Carvalho Azevedo.
itao D. Lam
Adamso
dias, b
eapitio Sefvell,
L. de 6. Aze
os sonidos
Barca rran
ga p Igodao. 1
Barca brasilel
noel Affonio da
em 12, carga
Emma, da fM
O, earga
lili*} tL
Art. 3. Ser conced
Igr.
^dfdoocontractaate um pre-
vilegio por noventa, annos para uso e.gosji da es-
trada o ramaes contando se da conclusa* das obras,
nao podand-3 pessoa algoma construir'estradas se-
melkantos nesse praso para os mesmo pontos; nem
na direccao dos ramaes ena zona da tras ltguas
para cada lado das estradas.
-jl------- ..' :
??F
BECLABACOES,

Art 4.
r| empreg;
e mu
Art.
trario.
Mam
o con1
perle;
intera
do gocr
blicar e
Palacio
de 1868, 47.
L. S.
ada e_r
fcam isentosj
revpga
COMMERCIfL
Vc-se da coafrontaco destes art^
() Este artigo est em nosso poder ha
oito dias, o por circamstancias
sido publicad 1.
-^nis de
especiaos nao teu?
' ic9o.
ENGLISH BANR
Ot Rio de Janeiro Limited
Deseo ita lettras da praga tasa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
praso fixo.
Saca vista ou a praso sobre as eidades
prlncipaes da Europa, tem correspondentes
aa Bahia, Buenos-Ayree, Montevideo. Wew-
e Sew-Orleans, e emitte cartas de ecedito.
para os mseos lugares.
RIJA DO COMMEBCIO N. 36-
d'Ociedade bancarta em com
mandita
Theodoro Simn Sf C,
Comprara e vendem por conta pro-
pria metaee, moedas nacionaes, e estran-
geiras, letras de cambio, sdalas do go-
verno e do banco do Bsastl.
Desceotam letras da 'trra e outros ti
talos commerciaes.
Encarregam-fie por conta alheia das mes-
mas tratuacc5es, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos ommerciaes.
. Recebein quaerquer quanlias em depo-
rto, em coota corrente, e a prazo fixo.
Largo do Pelorinho n. 7
aLFANDEGa.
rteadimento do dia 1 a 23. .1,140:2891072
'dero do dia 24 ... 249514867
dem (Jo dia 27.......58:470*725
RECE6EDOIWA DE RENDAS INTERNAS th-
RAES DE PERNAMBUCO.
Hendimento do dia 1 a 2:1
dnm do dia 24 .
dem do di 27 .-
i2:83036i
6:0804600
5:942*266
35:479*228

CONSULADO PROVINCIAL
ttondimanto do dia 1 a 24. 1 )'.): 138*978
dem do dia 27 .' 10.328*896
169:467*874
MOV1MENT0 DO PORTO.
----------------------------------------------------------------JU---------------------
1.223:7H*o64
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
totuma* entrados com fazendas 157
dem dem com gneros. 351
508
() Os artigos que a ilude o Sr. Dr.
Buarque s3d pura e simplesraente d'sta
redaccJo. Itero o Sr. Dr. Buarqoo teve
ingerencia algoma nelles. e nem ert dos
hbitos d'esta redacco trabar panegyricos
encommendados. Si falln com louvur do
Dr. Buarque foi por que achou o seu pro
cedimento digno de elogio, o, pois, nin
guem pode ella permittir que Rio penetre
as intencoos paoegyrstica?, sen3o polo que
estas valem o encerrram.
Recife, 27 de dozenbso de 186.
A BedacfSo,
Navios entrados no dia 24.
Terra Nova34 dias, brigue inglez Uaiij, do 237
t neladas, capitao A. Colson, o juipagem II, car
ga 3,460 barricas com bacalbo; a Johasion
Pater & C.
Rio de laneiro20 dias, brigue sueco Gt/lfe, de
244 toneladas, capitao A. Holmberg, equipagein
10, era lastro.; a Borstelmann & 0.
MainauguaacJ3 horas, vapoi brasileiro Munda,
do 222 taaaJAdas, commandante Julio Gomes da
Silva, QM|a||eiii 24, carga atgodlo ; a compa-
nliia Pernanibucaaa.
Nmotoe saludas no mesmo \ha.
Rio da PrataBriiie brasileiro Ddfiio, capitao
Jos Manoel Vieira,-caega assucan
CanalEscuna dmamarqueza Margareh, capitao
Abraltanse, carga assucar.
Bio da PrataEscuna ingleza Hironielle, capitao
Shorks, caega assucar.
HavreBrigue nortealtemao Caiizundtndrei Gri-
fen, capitao GareJse, carga algoda
Ri) Grande do NarteBarca ngleza Glanmire,
eaaitao Goodyear, em lastro.
Obsemaeao.
Suspendeu do lamaco para Parahjba a bareal
ingiera Mary Wood, cipilao Scott, caa o mesiao
lastro qu trouxe do Rio de laneiro.
Navio entrados no di> 25.
Maeeio4 dias, hiale braaeiro Garibatdi, de 109
toneladas, eapitio Custodio Jos Vianna, equi-
pafem 8, carga algodao; a lasso Irmao.
liara iirgor-42 dias, brigue iaglez Catubrizn Bell,
de W8 toneladas, eapitao L. IaAnaL equipagem
8, carga varios gneros; a Tasso Jfmao.
BarcelonarS das, sumaca hespaabaia gnacita,
da 202 toneladas, capitao Matea Mth, equipa-
gem 13, earga vinho e outros ganaros; a Pe-
reira Carneifc).
Philadelphia48 das, patacho inglez Ida, de 164
toneladas, capitao Harding, equipafem I, carga
farinha de trigo outros generas; a Henry
Porster k C.
Liverpool43 dias, bfjguo inglez Edith Mary, de
260 toneladas, eapitio W. Spener Johnson, equi-
pagem 9, carga ranos gneros; a Sempson
&C,
Porto 24 dias, brgne portgnt -Ttiumpho, de
270 toneladas, capitao Antonio Jas Pereira,
equipawm 15, carga vi abo a oatros gneros; a
T. Aqufno Fonceca &. C
Naeos saludos no mesmo dia.
Barcelona Sumaca hespaohola Sensat, capitn
Patito Isern, earga algodao.
3io da PrataSumaca hespanhola Suevo Elyzib,
capitao Jeronyrao Marestany, carga assucar.
Navios entrados no dia 29,
Liverpool-w u',:a3, brigna rler ifiaara, do 249
toneladas, capiti.' Bobarl Outon, equipagem 10,
carga carvao; a 1110.7?" 0"efaes 4 c
Torra Nova-44 dias, brigue u?*12 Matilda. do 220
toneladas, capitao George (h*> eqtiipagem 9,
carga W70 barricas cora bacalhW; a ,l,ll"*K
Pater a
Navios sahidos no mesm dia.
Para o EscallaPatacho inglez Aimie Injram,
pio Oxnor, carga assucar'.
O Dr. FrancRKor dWs?i*<)lveriJI}cWr.
leiro da rddrt" aVfJhnSItra utr'&rmw
i' vara criminal desta comarca do Recifu po
S. M. o Imperador etc.
Paco saber, em virtude do art 286 do cdigo
do procfisso criminal, los que o presente edtal
tireilf 4u# havendo sido convocada a quarta ses-
so ordinaria do jnry desto eapital para o dia 3
do corrente, foi esta restallada no da 4 e encer-
rada no da 21 da mesmo raez; que loram julga-
dos na mesma sessao 10 processos, comeado 10
reos presos, dos quaes i foram condomoados e 8
absolvaos : ojie foram assduos em assistir os
trabalhos da referida sesso os Srs. jurados se-
gnintes :
Eutycbio Mondim Pestaa.
Dr. Antonio GoncaWes Ferreira.
Domingos Soriane Alve da Silva.
Dr. Miguel Jos de Almeida Pernambaco.
Jeroovmo Emiliano de Miranda Castro.
Manoel Goncalvss Ferreira e Silva.
Dr. Aagusio Egidio de Castro Jess.
Jos Antonio Pereira da Silva.
Jos Francisco de Salles Baviera. ,
Joaquim Barbosa dos Res. >
Jo5o Gregorio dos Santos.
Ismael Amavel Gomes da Silva.
Manoel los Dantas Jnior.
Tenente-coronel Joaquim Caetano de S. Couseifo.
Vicente Antonio do Espirito Santo.
Hypolito Cassiano de Vasconcellos A. Maranhao.
Dr. Joaquim de Oliveira e Souza.
Fre(lerico Augusto de Lemos.
Francisco de Carvalhe de Andrade Brandao.
Caetano Quinteiro Galhardo.
Dr. Francisco Ferreira Martins Ribeiro.
Miguel Joaquim do Reg Barros.
Francisco Antonio de S Brrelo.
Dr. Ezequiel Franco de S.
Francisco Antonio de Assis Ges.
Manoel da Silva Mendonca Vianna.
Joaquim Ferreira Ramos.
Dr. Pedro do Albuqaerque Autran.
Dinamerco do Reg Rangel.
Joaquim da Co?ta Ribeiro.
Dr. Joao Francisco Teixeira.
Joao Martins dj Rio.
Sendo menos assiduos os seahores jurados se-
guinles :
Dr. Estevo Cavalcanto de Albuqnerque.
Tcneute-coronel Jos Locas Soares Raposo da C-
mara.
Antonio de Moura Rolim.
Dr. Candido Jos Casado Lima.
Jos Honrique Trindade.
Arminio Pessoa de Atbuquerque.
Antonio Goncalves Ferreira Casco.
Dr. Ernesto do Aquino Fonseca.
Francisco Joaquim Ribeiro de Brito.
Dr. Jos Joaquim de Moraes Sarmonto.
Que deixaram de ser multados na mencionada
sessao todos os jurados, uns por nao lerem sido
notilicados, e outros por apresetarem escusas le-
gitimas.
E finalmente que foram condemnados em virtu-
de do art. 53 da le de 3 de dezembro d 1841, em
10 das de prisao, por terem deixado de compare-
cer as testeinonUas seguintes :
Felismino Ferreira de Mello, Andr Avelmo So-
nreir de Mello, Joao Jos de Moura Aranjo, Fla-
viano Cosario Colho, Luiz do Mello Colho, Lu-
dovico da Cruz, Francisco Borges da Fonceea, Jos
Duarte de Qliviira, Elias Lourengo Rodrigues Pe-
reira, Manoel Martins Gome, Joao de Dens Alves,
Jos Gomes Pcrraz, Manoel Narciso da Costa, Ma-
noel Severino do Xascimento, Manoel Rodrigues
de Almeida, Jus Bernardino de Senna, Luiz Jos
Gomes, Elias Baptista da Silva Ramos, Manoel da
Silva i-.jrv.ih", ios* Uurtins Ribeiro, Jtse tran-
cisco Machado. Emilio Herculano de Alleluia. Jos
Marcellno Barbosa Vellio, Anacleto Monteiro da
Silva e Manoel da Silva Baptista.
E em o dias do prisao as teslemunhas seguintes:
Anlonio e Julio estraves de Joaquim Jos da
Costa Rinheiro, Jos Malbeus Ferreira, Eduardo
Duarte Rodrigues, Francisco Fernandes de Mellos
Anna Rosa Maria da Conceicao, Clara Maria de
Jess, Felicia Maria da Conceicao, Francisco An-
tonio B^zerra de Lima, Antonio Jos Ferreira, Au-
gusto Ribeiro de Aquino, Antonio Jos Vieira,
Clauditi) Al ve? de Ilollanda, Jos Emygdo Fer-
reira Lima, Jos de Farias da Silva, Francisco Ro-
drigues de Almeida, Joo Polvcarpo da Cruz, An-
tonio Jos Tavares, Rosa Maria do Espirito Santo,
Ernesto Gomes dos Sanios, Manel Jos Goncalves
Luz, Joaquim Quiriuo da Cunha, Jos Francisco
Xavier, Simplicio Rodrigues Canpello Jnior, An-
tonio Jos do Bomum, Antonio Francisco Goncal-
ves. Marcelino Alves Monson, Claudino Alves Pe-
reira, Umbeliua Francisca de Paula, Maria Ger-
trudes da Conceicjo, Thereza Mara da Jess,
Clara Maria da Conceicao, Adriano Augusto
de Almeid, Joo do Oouto Alves da Silva, Mel-
quades Manoel do. Santos Lima, Antonio Joa-
quim Ferreira dos Santos, Jos Eustaquio Maciel
Monteiro Jnior, Antonio da Silva Monteiro, Ma-
noel Joaquim Baptista Jnior, Jos Victoriano Tei
xera, Manoel Joajuira d)s Santos, Bernardo F-
lix de Albuquerqae, Joaquim Jos Baptista e An-
dr da S u Albuqnerque.
E para que chegue a notiea todos interessa-
dos mandei passaro presente edital, que ser pu-
blicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife os 22
de dezembro de 1869.Eu Manoel Antunes Cor-
rea, escrivo interino do jury o ascrevi.
F ancuco de Assis Oliveira Maciel.
rtanto, a toda as autoridades a quo 111
o eaxecucjfca da presante r< Hucon
a canipram >' i'acam cumprtr ta. >
cono ella se'coiitm. O Mrauriqj
estf^roviaeja. a faca Imprimir pu-
..no do>arnarabnp'o, 8 de junb 1
a independencia e do imperio.
Baro de Villa Belfa
e publicada a presente resolucao nesta
do governo de Pernambuco, 5 de ju-
do 1868. O secretario, Dr. Franasco de Pan
la Sales.
Registrada a folhas do livro de leis provinclaes.
Secretara do governo de Pernambuco, S de junho
de 1868. O escripluraro, Theodoro Jos Tavares.
O secretario,
Dt: JoaqmM Ctra de Araujo.
A cmara municipal desta cidade tondo de
contratar o fornecimento das cadeiras_ que forem
precisas para o processo de qualillcaeao na tercei-
ra dominga do mez de Janeiro prximo vndouro,
convida aos fornecedores dellas a apresentarem
suas propostas em carta fechada, no dia 22 do
corrente, indicando logo o menor prego porque for-
necem cada urna diariamente.
Paco da cmara municipal do Recife 15 do d9-
zetnb'ro de 1869 *
Ignacio Joaquim de Souza Leao,
Pro-presideute.
Francisco Canuto da Boaviagem,
Secretario.
O fiscal danfo Santo Antonio con-
tina a .-labelpeiineotos, que
rtianflein va*rer 5 s 7 fcora da ma-
nha, as testadas de suas casas, sob pena do fe-
roultada^ano ddMMrM posturas da
camal BhcmF VW simv prohibido-
ni a J B>s WydaCT Kqualiuer hora'd >
da "di jlul|"!!l liajm de sabo ou pu-
pSleJ Dtfn os iiKetores multados
% 8i 4 Bfno guan as po.-turas.
leitfB da fa-
zenda nacional
Da J r d ">'.. ha tres'mezes fe proceder na
sede da comarca de Goyanna a venda em praca
publica di vinculo de Itamb, sendo a coraprehenso deno-
minada Engenho Noto, avaliada [wr .'i0:0003000 ;
a denominada Cunbt avaliada por 9.000JOOO ;
a denominada Pangan i avaliada por I3:000000 ;
e as escrava9 Damiana. avaliada por 1005000, e
Aquilina, avahada por 200^000, de eonformidade
com o edital publicado.
Recife 13 de dewmbro de 1869.
O escrivo,
________Luiz F. B. de Almeida. _____
O illm. Sr. consellieiro inspector da thesou-
raria de fazenda desta pro vi acia manda fazer pu-
blico, uue um vicmdajja qcdeiB uo tliesuuro u.
'iO II, s^iiraria-aulorisaila a pintar aos credores de divi-
das de exericios find h de 18S6-67 e 1867-68,
peitenccates aos minUtoiijs do npai'io e da
guerra..
Secretaria da thesouraria de fazenda 23 de de-
zembro de 1809.
Servindo de offkal-maior,
Man.l Jos Pinto.
(
O Dr. Tristo Alentar de Araripe, olioial
da imperial ordem da Rosa, e juis de di-
reto especial do commercio nesta cidade
do Recife de Pernambuco por S. M. Im-
perial e Constitucional o Sr. D. Pedro II
aqaem Dos guarde etc. *
Faco saber aos que o presente edital
virem e delle noticia tiverem, que reque-
rimento do Londen and Braailian Bank,
acha se aberta a fallencia de Luiz de Oli-
veira Lima Jnior pela senten?a do theor
seguinte:
Vistos estes autos, em que o supplicante
London and Brazilian Bank requer a deca-
raco da fallencia de Luiz de Oliveira Lima
Jnior, mostrase, que estecomecou a fazer
descont de letras mercantis nesta praca
sob a garanta de sua firma desde fevereiro
de 1868, elevando as suas transaccoes
a quantia superior a 1,OOQ:000, e que,
tornando assim babituaes as suas transac-
coes de descont, adquiri a qualidade de
commerciante e como seja inquistionavel a
sua cessaclo de pagamento, hei por decla-
rada a sua fallencia a datar do primeiro mez
prximo passado.
" Pobliqne-se a fallencia por editaes, e para
qne se prosiga nos termos da lei, nomeio
curador fiscal o credor supplicante, e mando
que no dia 6 do corrente mez pelas II no-
ras da manlia na sala das audiencias tenha
lugar a convocac3o dos credores para a no-
meafo do depositario.
E por que se deve proceder sem demora
ao inventario que ode concluir-se em tem-
po breve marca o uia 3 do mesmo corrente
mez para o referido, em cujo acto nomea-
rei depositario interino, dispensada a oppo-
sico dos sellos.Pague o fallido as cos-
tas.Recife I de dozembro de 1869.
Tristo de Aloncar Araripe.
E temi o fallido aggravado desta minha
sentenca nio teve provimento o seu, aggra-J
pvo e suhinduos autos a minha coocloso
nelles dei*o despacho segniote:
Cumpra-se a superior deeisao. E para
que se proceda ao inventario marco o dia
23 do correntrraez as 10 horas da manhaa
sendo observada as de mais determinacoes
do despacho C.
Recife 18 o\i dezembro de 18^9. Alen-
car Araripe, determinando verbalmente em
additament) a o-te meu despacho quefos-
sem convocados os credores d (tito fallido
para se reunirem na sala das audiencias
pelas 11 horas do da 28 do corrente mez
para a nomeaco de depositarios, o marcan-
do o mesmo dia para se fazer o inventario
que constituem a referida tnassa fallida.
E para que chegue ao conhecimento de
lodos mandei passar o presento que ser
publicado pela imprensa e afOxado no logar
do costume.
Recife, 21 de dezembro de I8G9.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nasci-
mento, escrivo o subscrevi.
Tristo Menear de Araripe.
ATTENCAO
Relaco das cartas registradas vindas do sul e nor-
te pelos vapores Cruzeiro do Sul, e costeiro Cn-
ruripe, para os senhores abaixo declarados :
Arseoio Cnm Atu, Antonio Guies de Araujo
, Alvaro UcnOa Vieira Brasil, Alexandrino Dias
Guimares, Andr de Abrea Porto, Antonio Lopes
Braga, Amelia Teixeira Piolo Jnior, Auna Floren-
cia de Almeida eSilva, Bario do Livramento, Cal-
das & C, Cietano Xavier Pereira de Brito, Candi-
da Rosa das Neves, Crk3 Pinto de Lemos C,
Director da Faculdade de Direito, Frederic > Maia,
Fraga & Rocha, Fabricio fiaroM Pedros, Fernan-
des & Irmos, Dr. Franeis,:o Muniz Tavares, Dr.
Francisco Luiz Correa de Andrade, Francisco
Lucio de Castro, alferes Francisco Eduardo Ben-
jamim, francisco Lopes 4a Silva, Gustavo Jos do
Bego, Gustavo A. Wallbaim, Henriqne Vieira da
Cunha (devolvida da crl.:), Dr. llenrque Mamed.'
de Almeida, tenente coronel Hemelerio Jos \el-
loso da Silveira (2;, Izidorc Plaque (2), Ida Perry,
Jacintho Paz de Mend-.ncD, Dr. Jo Jis Ferreir.i
de Aguiar, Joanna Fin inda Lobo Vital, Jos dos
Santos Miranda, Jos Pereira Vianna, Jos Carlos
Mavrink Pires Nabuco de Araujo, Jos Ribeiro da
Fonseca, Jos Domingu.M doC.arm) e Silva, Jos
Moreira da Silva, Jos Joaquim Colho, Dr. Jo?--
Ricardo Comes ae Carvalho, /os de Azedias Ma-
chado, Joaquim de Pontes Morinho, Joaquim Be-
nevides Raposo, major Joaqnim Antonio Pieatze-
naux, Luiz Manoel de Oliveira Mandas, Leurenco
I. da Rocha Ferreira, lland irnes de Moli, Ma-
noel do Reg Barros e Souza Lelo. Narciso l'ran-'
cisco Vidal, Dr. Paulino Rodrigues Fernandes Cha-4
ves, Dr. Pedro Autran da Hat a Albuquergue, co-
ronel Rodolpho Joc Barata de Almeida, Viseonde
de Camarahibe.
l
.t

I
i* seccao.Secretara do governo de Pernam-
buco era 2i de dezembro de 1869.
Pela secretaria do governo so faz publico que
a Exm. Sr. presdeme da provincia nao aceitou as
propostas apresentadas pelo engenheiro Manoel
Buarque de Macedo e o bacbarel Bento Jos da
Costa Jnior, para a construceao de urna estrada
de ferro desta cidade villa do Limoeiro com dous
ramaes para Xazareth e Victoria, por exigirera os
proponeutes garanta de juros, e nao nermitlirem
os cofres provinciaas um eompromisso dessa or-
dem, nao obstante a autoria}aa para esse flm
concedida pela lei provincial n. 806 de o de junho
do anno prximo passado, e por Isso novamente
envida as pessoas que quizerem contratar a cons
truccao da referida estrada a apresentarem ao
mesmo Exm. Sr. no dia 2i de Janeiro vndouro ao
meio da, uas proposlas era carta fechada, sob as
bases e coadedea declaradas na lei abaixo trans
ripia.
LEI N. 856.
O barao de Villa Bella, presidente da provincia
de Pernambuco.
Paco saber a todos os seus habitantes, que
assenwa Jeswlaliva provincial decretou e eu
sanecionei a reaoiucao seguinte :
Art.v fr Fica o presidente da provincia autorisa-
do a contratar com o barao do Livramento ou com
quem melaorea aramias offerecer. a construceao
de urna estrada de ferro desta cidade villa do
Limseiro eom dous ramaes para Nazareth e Vic-
toria, pastando pelos povoados Caebaog, S. Lou-
rengo da Malta, villa de Pao d'Aiho, povoacao de
TracunMero, sob as condiedes seguintes :
g 1 O coutratante obrigar-se-na a apresentar
planos e-estudos da estrada no praso de dons an-
nos, a coatar da data e asignatura do contrato.
i 2* O presidente poder fazer no planos a es-
tados as alteracSes, que julgar convenientes a fi-
lar a bitola e peso dos trlhos, as dimensoes das
obras d'arte todas as eondiedes para seguranca
e boa exeJKao da estrada e ramaes.
g 3'O preaident-3 podar fisealisar a construc-
cio e servleo da estrada e ramaes.
8 4. A estrada e ramaes serao concluidos, a
pnmeira 00 pr*40 do quatro annos a contar do
comneo das obras, aa segundas at de tres annos
depois da concluida aquella.
As multas por niraccSo dessa clausula e a pro-
rogaclo dos praso nelus estipuladas por casos
inprevistos, serao determinadas pelo presidenta da
proviucia.
Art. 2. Fica o presidente o> provincia igual-
mente auto/Nado a auxiliar a canstiueao dalinha
e ramaes eom ama sabvon$o kilomtrica de um
\
"
A cmara municipal desta cidade, tendo de
proceder nos dias 26 e 28 do corrente, no pri-
meiro apuracao ge ral de votos para um deputa-
do assemblca geral legislativa pelo primeiro dis
trido desta provincia, e no segundo para os nove
membros a assenibla provincial pelo mesmo dis-
tricto, convida pelo presente e de conformidade
com o que est dsposto no 12 do art. do de-
creto n. 8i2 de 19 de setembro de 183o, e art. 23
do decreto 2,621 do 22 de agosto de 1860, aos elei-
tores dos collagios que compem o mesmo distric-
to, para assistirem a >*rerida apuraco nos men-
cionados dias.
Pago da cmara municipal do Recife, 22 de de-
zembro de 1869.
Ignacio Joaquim de Souza Luio.
Pro-presidente.
Francisco. Canuto da Boa- viagem.
Secretario.

2.* seccao.Secretoria do governo de Peroain-
buco, 20 de dezembro de 1869.Pela secretaria
do governo se.faz publico para conhecimento de
quem interessar o edital abaixo transcripto do juiz
municipal e de orphos do termo da Escada, pon-
do em concurso a serventa v talicia dos onlcios
de partidor o destribuidor do referido termo, de-
vendo os pretendentes apresentar suas peUcoe*
devidamente instruidas na forma da lei no prazo
de sessenta das a contar desta data.O secretario
Dr. Joaquim Correa de Araujo.
EDITAL.
O Dr. Luiz Antonio Pires, juiz municipal o de or-
phos do termo da villa da Escada comarca de
Santo Antao e provincia, de Pernambuco por
Sua Magestade Imperial e Constitucional o Se-
alior D. Pedro II, que Deus guarde etc.
Paz saber a quem interessar possa, qae se acha
era eonearso os ofUcos de partidor e destribuidor
deste' termo, creado pela le provincial n. oOt de
29 de- avio de 1861, vago por ter o governo im-
perial por portara de 9 de outubro, declarado
sem effeito* o provimento de ditos offlcios na pes-
soa de Thonraz Bodrgues Pereira, por nao ter el-
le tirado no pi"* da lei o respectivo ltalo, e con-
vida aos pretena'^ote ditos offlcios a apresenta-
rem seus requerii.^>t08 Da forma do disposto no
art. 14 do decreto n. 911 de 30 de agosto do 1831
e aviso de 30 de dexe.'*ro ip l85i> n0 Pnso de
esenta dias a contar da tota daste.
E para que chegue ao &>itoei.nienlo de todos,
mandei passar o presente quo W afflxado uo la-
gar mais publico desta villa ,. _
Villa da Escada, 16 de dezembro ** t9.Eu.
Joao Carlos Cavalcante de Aibm^uer^,*, ^vo
interino o escrev.Luiz Amonio Pires. *> sejio
tresentos res.Valha sera sello ex-causa "ylaf
Xda mais se conlinha em dito edital aqu. i'81'
mente transcripto, ao qual me reporto, o vai **
verdade sem cousa que duvida faca, por mim es '
crivlo interino conferido c concertado.
Relacao das cartas registradas existentt s na ad-
ministracao do correio desta cidade para os s -
' nhores abaixo declarados :
Antonio de Souza e S, AiTonso O. Piuto Caima-
raes, Anna Joaquina de Jezus, Antonio Rodrigues
de Albuqueripie, Antonio Pinto B. de Azevedo, pa-
dre Antonio do Mello All uquerqne. Antonio Uuar-
que de Gusma,), Adriano Xavier Pereira de Li t ,
D. Antonio Suuza Nevas, Baleriano E-gloias, K
Chrlsolilo Ferreira de C'.stn Chaves, CliristOvao
Gomes Pereira, Carlos Francisco Soares de Brito,
Carlos Ernesto Mesqaita Falaao, Dcliina Rosa da
SilveitkDr. Ernesto Ferreira Frania Jnior, pa-
dre Efroino Brant da Rocha, Francisco Canuto da
Boaviagem, Dr. Francisco Manoel Raposo; de Al-
meida, Dr. ronrgo Francisco Jos Tavares da Ga-
ma, Dr. Francisco Luiz' C irc-ia de Andrade. e
ronel Francisco Carnero Xa hado Rios. Dr. Ga-
briel Soares Raposo da C. ...;j, Dr, Ignacio Fir-
mo Xavier, Jezuino Carneira 3 Cunha. Ju-tinia:i-
Antonio Jdve Soares, secrel.-! rio do Imperial In-
tiluto Peruambucano, ?. ::,: niin Jos da Fonse-
ca, Dr. Joaquim Pinto de Campos, Joiquim Porti-
llo de Araujo, Jsnquim .Ultonio Teixeia, los
Candido de Moraes, Dr. Jo': Ignacio de Andrajo
i.ima, padre Jos Francisco Bonea. Jos Aogus
ilfi Araujo, J-is Maria Ferreira da Cunha, Joseplit
Maria dos Santos Dr. Joo P.aymundo Pereira d;t
Silva, Dr. Joao da S tva llamos, Dr. Joao Hircar. >
Alves Maciel, Joao Joaquim Alves, Joo de Azedias
fachado, Joao Moreira da Silva Braga, Luiz Ant .-
nio de. Siqueira, Luiz da Velga Pessoa, Luiz R .-
drigues V llares, Lour.^.j Jutnlauo da Rocha
Ferreira, Luiz de Souza Monteiro de Barro-, Dr.
Luiz Jos Correia de S, Manoel Joaquim de Mi-
randa c Souza, Manoel Jos Luiz Ribeiro, Man
Ignacio de Carvalho Mendonca, Manoel Jos d*
Costa. Manoel do Xascimento Co-ta Monteiro, Dr.
Maximiano Lopes'Machado. Fr. .Nindodo Bomfim.
Dr. Olimpio Marques da Silva, Olimpio da Silv
Coste, Pedro Paulo Rosa, Pedro de Araujo Bci-
tro, Dr. Tristo de A. Araripe (2), Dr. Tobas Bar-
rato de Menezes (2;, Trujano Olimpio de Carval!; >
Mendonca._______________
luspe^eo do arseaal de
niaifttht.
Faz-se publico que a erramissao de perit-,
examinando na forma fcerr-inada no regalamento
annexo ao decreto n. 132i de 5 de fevereiro de
1854, o casco," machina, caldeira, apparelh .,
mastreaco, veame, amarras e ancoras do \.:
por lpojuca da eomnanha Pcrnambucana de r...-
vegaeao costera, achou tod^s esses objectos 1 1
estado de poder o vapor navegar.
Inspeccao do arsenal J-3 marinha de PernamL j-
co 24 de dezembro de tt'P.
O inspector,
_________ 11. A. Ihrbos'a de Almeida J
VICE-COXSULADO DE ESPAA EN PER.NA:.-'
BUCO.
En virtud do lo que dispone el arlic." 10 ^ 3 do
la Convencin Consular, celebrada entre los G >
hiernosdel Brasil y Espaa, en 9 de Febrero Jo
1863, el infrascrito, Vi cnsul do Espaa en
esta 'Tovincia, hace pt.blico qnm nteres..'-
pueda, que en el dia 23 del que cur-a, falleci en
esta Ciudad el subdito espaol Dr. Antonio Mcn-
serrt. El Vice-constil do Espaa Juan Basca. \
Pernambuco 28 de Di :ier,ibre de 1869._________
VICE-COXSULADO DE ilfiSPANllA EM IE-
NAMBCO.
Em observancia do trae dispSe o aj. 10 % 3 da
convenci consular, celebrada entre os govorno*
do Brasil e da Hesp?nha, em 9 de fevereiro s
1863, o Infraascrito, vice-cansnl de Hespanha ne?-'
la proviaoia, fax publico a anem interessar posj,
que no da 23 do corrente aUeceu nesta cidade >
subdito hespanhol Dr. Antonio Monserrat. O vi-
ce-consul de Hespanha Juan Puson Pernambu >
28 de dezembro de IS&X_______________^__
nspecqao do arsenal de ...
marinha.
Faco publi o de ordena do Exm. Sr. inspoetor
qae os dias 28 o 30 do -jorrante mez, e .'! de ja-
neiro prximo vndouro asta vendar em hasta
publica, aa porta doalnic.wifado desta repart?. >,
das 11 horas da manha ao meio dia, o casco da
barca que servia de oartei a companbia
aprendizes marinieiros, aialiado" com os objectos
flxos em qulnbentos rail raia.
Inspeccao do arsenal da martaha de Pernam' -
co, 3i da dezembro de 1W.
. O secretario,
Alexatub-e Rodrigues dos Anjos.___^
V
Vil
mos.
Dado e pasado nesta villa da Escada aos 16
quarto do viior ais obra oreadas ou a conceder I dias do mo do dezembro de 1869.
a garanta de juros at quatro por cinto sobre of Ea, Joo Carlos Cavalcanto do Albuquariue,
1 captial emprogaJo. j escrivo iutjriflo o oscrevi c assignei.
Porto.
Va.' hir breve a bu:a laura para carp
passagt^08' ,rn' ongnaiario3 Car
Iho 4 .Nocir, na. ma .^ \5jll0 n. 20.


Diaria te Pernambaeo Tenja
eaai ab od hz ,
eira
2f d Dezembro de 18*59.

iiLL
Para Li>b >;t
A barra p>r
r l,revi-ii"i
=te (l.i (:!>'i, o p.
Kilhos Ai'.., an
andar, ou cuui
f
Rio
Para o refe
Ijrevidadi) o b
ttiro
Ipir con rauila
idfc portar par
da Urde,
'.idas, e
COMPANHIA HiRNAMMJCANA
DB
A'avegaco costeira por vapor.
Parahjrba, Nata', Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandaos, Acarac e
Granja.
O vapor Ipojiir.it, commandanT
Muir, seguir para os portas
cima no dia ai do crrante as 5 horat
Recebe carga ate o dia 30, encom-
passapoiroa e dinheiro a frete at a
2 horas da tarde do dia da sahid no eseripto-
rio no Forte do Maltas n. 12.
TioMPA.VHIA FEtVAAiiCANA
DE
Wavegacao costeira por vapor
Mama.ogua.pe.
O vapor Manilahi'i, cornnvutylaiite Julio, seguir
para o porto cima rio da 2^ do corrale as 6
horas da tarde. Recebe carpa, em-ommendas,
pa*agciro. edr*oro a frete al *s 3 horas da
tarde do dia da sabida, eseriotoo uo forte do
Mailos n. 1S.
;;*liir eom toda a brevidade o palhabote porln-
xuez Villa-Flor tem a maior parte da carga en-
gajada : para o. que Ihe falta, pdtratar-so com
David F. Baltar, ra do Brum n. fli, ou com o en-
pitio do mesmo navio.
filo Grande d Sul
O pat?cbo nacon:U Hempea p, se a seguit
viagem an porto cima em pwrr. das, por aso
recebe carga a frai: commod : trata-se com lial-
taar Oliveira & G, rna do Vijtarh n. (, andar.
nrMarca portn
> t^Bsarreiamen
fie passagei-
.s quaes tem hons coman, trata-se
eoawignMario Joaqun Jos Goncalves Bel-
irao, a ru| da Irapiefee n^ 47. .. _________
OWANHlA P9\NaHC3LKA
VavcgacSo costeira por vapor.
.. Macew> escalas efenedo.
O vapor Glqmd, comraandante*tos-
ta, seguir* para os portos cima no.
dia 31 do correte as 5 horas da atr
de. Receb carjja at o dia 30, eucommendas,
passagens e dinheiro a fret at as 2 horas da
tarde do da da sahida; no eseriptorio do Forte
do Mattoa n.lt. ________.
Vende-se'o patacho nacional Palma, forrado
do cobre, prompto a navegar, cojo navio chegou
lia pouco do Rio Grande do Sul com carregamon-
to d carne sec^a, c se aclia fondeado no ancora-
da uro respectivo, aonde- pode ser examinado peloj
pretendales : u tratar com Jos Victorino de Re
zende & C, ra da Cadeia n. 52, Ia andar.
Rio Grande do Hu.
rara o porto cima pretende seguir com maita
hrcvid.ide o brigne nacional Amelia, capilao Mi-
gad Vioira, porter parle da carga engajada epara
o resto que Ihe falla trata so com os condignatarios
Antonio Luis de Oliveira Azevedo & ', ra da
Cruz n. 57, 1." andar.
depositarlas di massa fallida de erpria.no AJve*
de Sotua. om diversos lotes, a ventad e do* Ref
,anr,% It t #*V ~k\tt A r&fkn
Unja. tura-fAUf- -
iltfi tePl A^r^ieMjfa ppffr
bmandafe do J)irino isspi-f
Porto.
Segu com brevidade a veleira e nova barca
portiigucta [salina, para carga e passageiros,
para os qnaes tem excellentes commodos, tratase
com os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.; ra da Cruz n. 57 1 andar.
da muito acreitada onfeltajMa e -conjuocta-
mente o afamado Caf Francz, sito
ra da Impeeatriz d. lo, a 31 do cor-
rente.
O agente Oliveira. fari leibio em oro s lolfl, do
grande cstabeiec'uneMo suora, mobibado e ador-
nado, com ludo quanto podia torna-lo admiravel
como aprasivel aoe concurrentes n'nm'dos mais
bellos bairros dest cidade, tornando-o senielhante
aos meihores da Europ, e capaz du fazer oro bre-
ve lempo a fortuna iudependenlo de quein podsa
pr-se 4 testa do mesmo^o ojie nao pode conseguir
o ultimo possuidor por falta de saje. Enfadonho
como intil seria enumerar todos os artigos, uten-
silios e mais accessoiios indispensaveis, que cB-
lm um tal estabelecinient, como os grandes e
custjsos melhoramentos de encanamentas d'agua
o de gaz incluidos no lote, snpnosto que na i meo-,
cionados estes no inventario respectivo em modo
agente, e para cujo exame sao previamente con-
vidados os pretendentes at odia dolcilo, que
lera lugar
SEXTA -REIR
ao mel dia em ponto, no indicado estabelecimento,
advirtir.do-sc a vantagem da garanta do arreoda-
mento da casa pelos annos que faltam a decorrur.
Para Lisboa
tem de partir cm breve o bem cenhecido lugre
portuguez Julio, do superior marcha : para o res-
to da carga e passageiros, trata-se com os consig-
natarios Thomaz do Aquino Fonseca 4 C., roa do
Vigario n. 19, 1 andar.
AVISOS DIVERSOS.
uo

Para Lisboa
Illia de 8. Migue!.
A escuna Port Di.n sabe com < maior brevi la-
de, e para o resto da carga c passageiros, para os
quaes tem Mos eommodos, trata-se com o seu
consignatario Joao do liego Lima, ra do Apol-
lo n. 4.
- Rio de Janelm.
Para o porto cima pretende seguil com milita
'revidaije o briguc brasileiro Izabel, caqilao Jos
Marques Vianna, por let parte da carga engajada
o para o resio que Ihe falta trata-se com os con-
signatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.a,
} na da Cruz, n. 57, i." andar.
Maranho.
Para o porlo cima pretende abir com muita
Irevidade o hiale brazileiro Jone Ailhur, capilao
Trajano, por ter parte da carga engajada e para o
i-slo que Ihe falla trata-se com os consignatarios
Antonio Luiz de Oliveira 1mmI r *
Croa, n. 57. t.aiiiar.
Azevedo & C.\ ra da
PAM'
Km poneos dia; deve estar aqu, procedente dos
Estados-Unidos, o brigue Katre, qae seguir ao
porto cima ; recebe carga e fretes commodos:
-a tratar com Tasso limaos.
COMPANHIA I'ERNAMBUCANA
DE
Navegando costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formse e Taman-
dar.
O vapor Parahi/ba, seguir para os 'portos ci-
ma no dia 31 do corrente, meia noite. Recebe
arga, oncommendas. passageiros, e dinlieiro a fre-
to no eseriptorio do Forte ao Matts n. 12.
pretende seguir com a maior brevidade o patacho
portuguoz Mananta II, recebe carga e passagei-
ros, a quem offorece os meihores commodos: tra-
ta-se com os consignatarios Thomaz de Aquino
Fonseca C ra do Vigario n. 10, 1 andar.
Para o P rto
seguir cera a possivel presteza a barca portugue-
za Harmona, de I* marcha, para o que tem gran-
de parte de sua carga engajada : para o restante
e passageiros, trata-se com os consignatarios Tho-
maz de Aquino Fonseca & C, na ra do Vigario
n. 19, Io andar.
Porto por Lisboa
Com a maior brevidode vai sahir para os refe-
ridos portos a barca portugueza Claudia, de pri
meira marcha e primeira classe, por ter a maior
parte da carga prompta, e para o resto que ihe
falta e passageiros, trata-se com os consigna-
tarios Veras & liarbedu, ao caes da alfandeca ve-
Iba n. 2.
. ARACATY
Segu nestes das o palhabole Sobralen-
se, anda recebe alguma carga fre te a tra-
tar com S Leito & lrmaos, ra da Ma-
dre de Deus r. 1J
LEILOES.
LEH10
--
da taberna n. 12 sita rea da Concordia,
em diversos lotes, vontade dos com-
pradores.
O agente Pontual competentemente antorisado
pelo Exm. Sr. Dr. juiz de direito especial do com-
mercio vender em leilo a armacao e gneros
existentes na taberna cima, a requerimento dos
SWTISMUO l.tt.\8 DE MIS-
A directora desso collegio, Josephjna Benvinda
da CunhaSouto-Maior competentemente habilitada
pela directora geral da instruccio publica, avisa
ao respeitavel publico, que acha-se seu collegio
estabelecido ra da Imperatriz n. 63, cuja ma-
tricula abrir-se-ha a 10 e Janeiro prximo futuro,
e offorece seu prestimo aos pais de familia, asse-
verando-lhes seus bons desejos, quer a resp sito do
ensino, quer da educacao de suas filhas. O pro-
gramma dos estatutos leitura, escripia, arithme-
tica, systema mtrico, lingna nacional, francez,
geogrpbia, msica vocal e piano ; para o que
baver professotes e professoras competentemente
habilitados. Tamben) se ensinar bordados, flores
de varias qoaliiades, inclusive as de cera, e dansa.
^

Joaquim Antonio Rodrigues, Bazilio O mies Pe-
reira, Ehza Amelia Gomes Pereira, Silvino Anto-
nio Rodrigues, Felicia Jezuina Rodrigocs, Flora
Jezuina Rodrigues e Mara Jezuina Rodrigues, es-
posa, filhos e enleados de D. Mara Jis Gomes
Rodrigues, agradecen) cordial nenie a todas as
pessoas que se dignaram ir a igreja e acompanhar
ao cennterio publico os restos moriaes daquella
senhora, e ao mesmo lempo aproveitam o ensejo
para convidar as masraas pessoas, seus amigos, p-
renles delles e da fallecida, para assistirem a mis-
sa de rquiem, que no da 29 do crreme mandam
celebrar na matriz de 8. Fr. Pedro Goncalves, as
7 horas da manha, pelo repouso eterno da me-
ma senhora ; pelo que tambem antecipam desde
j seus sinceros agradecimentos.
Prente Vianna & C. avisam ao commercio
desta praca, que a Sra. viuva D. Joanna Baptista
de Azevedo Vianna, desde 90 de novembro prxi-
mo passado deixou de ser commanditaria de sua
casa, retirando-se paga de seu capital e interesses,
como consta de escriplura publica celebrada as
notas do tabelliao Almei la, em 90 do corrente.
Recife ti de dezembro de 1869
-----
Aluga-se urna casa em Apipucos, a estrada
que vai para o engenho Dous Irmos, co n 2 sa-
las, 5 quartos, despensa, cozinba e quarto para
escravo : a tratar na ra do Trapiche n. 20, ou na
ra Nova.em Apipucos, n. 5,6.
__
. ^h#a reg r paffecar que
ja dfttJeoraeco as oMllleke fMeeqMsen tem-
plo, wrer este lano- mis iapfi^oMkMo lh<
curopnmHgir.se aos^awas Irav > tm Seis, >
sentido de sollfeitar siws "oadjuvafoes, atka da
liab|Har-sa para a. Rpnch|o de?ta emprpz ^ua,
de elevada iniportiiiria^
E' do dominio publico quanto a irmand*Mle '
ja despende, comas obras que oram neeessarws
para a reconciliagio do mesmo templo; e para qae
elle fique coadigno di magestade da casa do Se-
nhor, e digno- do povo do imperio da Sania Cruz,
preciso .sa foz de outro recursos alm dos
que ordinariamente esta corporaf,ao pode dispor.
Para prompta execucio das obras, a deficiencia
de meios seria motivo sufllciente para desanimar
mesa regadora, se ella nao reconliecesse que
o indeferentisiio religiao do Crucificado anda
nao o typo caracteriitico da popla5io pernam-
bucana, nutrindo por isso a mais rousia espe-
ranea na solueo desejada.
E, pois, acham-se uncarregados para solicilarem
as precisas esmolas, na freguezia de S. Frei Pe-
dro Concalves, os Srs:
Manoel de Azevedo Andrade, Francisco Ignacio
Pinto, Jos'Guilbenne uinuiraes, Tliomaz Fer-
nandos da Cunta, Jos Fernandos Lima, Antonio
Lop Braga e Manoel Jos de Oliveira.
.Na freguezia de Santo Antonio, os Srs.:
Tfcnmaz Fernandes da Cunha, Custodio Jos Al-
ves Cuimares, Antonio Augusto dos Santos Por-
to, Antonio Francisco dos Santos, Manoel Goncal-
ves Agr, Domingos Jos Antunes Gnimares, Jos
Nogueira de Souza e Jos Fernandos Lima.
Na freguezia de S. Jos, os Srs. :
Pedro Jos da Costa Castello Branco, Jos Joa-
quim da Cunha, Francisco Moroira da Costa, Jos
Hora Ramos de'Oliveira, *ise Ignacio Avilar, Jos
da Costa Babia, Antonio Joaquim de Almeida Cruz,
Joo Ign.iclo Soares de Avilar e Manoel Jos Car-
neiro Pinto.
Na freguezia da Boa-Yisla, os Srs. :
Joaquim Ignacio Hibeiro Jnior,' Joaquim Pi-
nheiro Jacomo, Manoel Luiz da Veiga, Francis-
co Btlarmino dos Sanios Freitas, Francisco Jos
do Couto e Joo Francisco Paredes Porlo.
Recife, 20 da dezembro de 1869.
O escrivao,
Luiz Epiphaato Maurica.
e
o 3 andar "*aobi
a tratar com f. I. d
'n, 34.
mm
IMPERIAL
INSTITUTO
l DO BOX OKELl
O bacharel Antonio Columbano Seraphico de
\ssis Carvalho hoje o proprietario e director
desse instituto. Preiendendo dedicar-se exclusi
vaiiienle, e coro lodo zeloe soliciiude aos trabalhos
proprios dessa profissao, espera acluaes cotlegiaei o honrarao com sua conflanca,
e bem assim quo'acolherao o seu estabelecimenlo
qaelles que precisarem de collegio para educa cao
de seus filhos ou protegido;., certos de que o ac-
tual director se esforcar nao s para manter o
bom nomc e crdito, que desde muitos annos goza
o referido Instituto, como tambem para imprimir-
Ihe novos melnorainentos.
No da 7 de Janeiro do anno vindouro ter lu-
gar a abertura de todas as aulas de instruccao
primaria e secundaria.
Perdeo-se da ra imperial at aSoledale urna
letra da quanlia de deis cintos doris acecha por
Antonio Goncalves Ferreira e com recibo no verso
de paga de lmenlos e vinte dois mil rcis em se-
dulas, a pessa que tiver achado e quizer restituir
derija-se a rna da Imperatriz n. 34 a fallar com
Jos Faustino de Lomos o com o acceitante na
villa da Escada a quem pertence laes objectos, que
ser bem recompensado.
Recife 23 de dezembro de 1869._________
Precisa-se alagar urna escrava de boa con-
ducta, para alguns servicos domsticos de urna
casa do pooca familia e andar com uina enanca,
na ra do torre a. 42.
Na ra velha da Boa-vista n. 17 ha um cria-
d i olio escravo de 12 annos para alugar-se e ah
tambem ha quem engome e lave com perficao e
por preco commodo e com brevidade.________
Precisa-se do urna ama de leite sem lillio no
pateo de S. Pedro, n. 3._____________
Precisase de urna ama de leite
no paleo de S. Pedro n. 3.
sem filho
(SEM EMITE.)
das Crazas a, 2, pri*
meiro andar, da-se qifal
1 quer qnania sobre onr^ i
prata e pedras preciosas |
O dono deste estabelecimenlov
competentemente antorisado pelo-
governo, est as condifes de ga-
rantir a transac?o que se zer era
sua ca3a, pronwttendo todo e zelo
e considerago as pessoas que se
dignarem de honra>lo em seu esta-
*beleeimento.
Wa mesma casa compra-se ouro,
prata e briRiantes.
*e de 01/ ama qntrcezinbe com per-1
para casa de Mantera <^l ^^P"ja das 6 portji.
ESCRAVO
Preci9a-fe alagar nrn escravn, da 8 ho-
ras- da manha as 5 da tftrde, na ruada Cruz
n. 46, Io andar.
Precisase de urna ama para duas pessoas
na ra Augusta n. 71,
Ama
Precisa-se de urna ama para casa de duas pes-
soas : na ra de Borlas n. 120.
Precisa-so de qitalro trabalhadores do mas-
seira : na ra da Senzala-velha n. 8i.
Ainda no foi possivel veneerem-se os
traballos de acabamento da PHOTOGRA-
PHIA IMPERIAL da ra do Cabug n. 18,
os quaes s osiirSo terminados no dia 7
de Janeiro de 1870.
Pedimos indulgencia e paciencia aquel-
las pessoas que se tem dignado esperar
que pnncipiem os nossos novo trabalhos
photographicos para se fazerem retratar.
Recife, 12 de dezembro de I8691.
J, Ferreira VHkla.
Preeisa-se de urna ama para comprar*
cosinhar para casa de pouca familia a frai-
lar na ra larga do Hosario, n. 21, Io andar-
TRABALHA1BR
Precisa-sede um trabalhador para um pe-
queo sitio perto da pracar paga-se a secco-
e liarse casa propria para morar.. A twtar
na raa ^iva n. 19, Io andar.
Precisa-se de urna ama para cosinbar
QM-ua do Queimado n.
Precisa-se de um criado copeiro pora casa
de homem solteiro : a tratar na ra da uadeia do
Recife n. 40, i' andar. _________________
Do mnibus que hontem veio de linda, as
6 horas da tarde, catiio um bah de couro, feixa-
do, cwntendo a vestimenta sacerdotal e outsos ob-
jectos de um Rvm. Sr. conego que no mesmo om-
nibus vinba, e s deu pela falta defronte da casa
de sanie, em Santo Amaro : roga-se, pois, a
quemo tiver achado, a favo de o manda* entre-
gar no Recie, ra do Brum n. 102, em Sanie An-
ipnio, ra do Cabog au aego da matriz, foja de
(orives do Sr. Seraphim, ou em Olinda, ra de
Matluas Ferreira, casa do Rvm. Sr. Dr. conego-Ma-
noel Thomaz de Otiveira, certo de que em-qnal-
quer das partes que for entregue ser generosa-
mente gratificado^_______________________._
u ^- >
S, =
n fsru
5'5." =
C a 55 ,
g .
_ pj .

:'e0
3sJ-g.S g
S 3SDCB
ajka> i
B B

o
o a> as
Ama
Precisa-so de orna ama para coziahar : no. ra
do Queimado n. 12._______________________,
Aluga-se um sitio perto dacidade, com com-
modos para grande familia : a tratar na ra da
fmperatriz n. 72.________________________
Precisase de urna passoa para earregar
nma caixa de joias das nov& horas da manfcaa ate
as tres da tarde, paga-se bem :.quom tiver dirja-
se a rna do Cabug n. 9, loja de relojoeiro.
Precisa-se comprar urna oscrava de mea.
idada-: quem tiver e quizer vender, anija-se a.
loja d* calcado da ra da Craa n. 21.
Precisase d urna am* deleito, e de nma.
outra para servicos de casa.: no patoo do Carmo
,n. I, 2 andar_______________. _____
i Aluga-se urna casa ca Olinda, rna do Bom
Sneeesssv para passar a festa, pelo proco- de 30*.
tero 5 quartos e 3 salas, cem sitio e arvnrados car-
regados de fructo : que) pretender, dirija-se a. ,
rna Breita n. 66, no 2* anar, que saha/a com
quem. tratar.
Joao do Reg Lima saca sobre a f-raaa de Lis-
boa i ra de Apollo n. 't

9'
-i
EXPOSICAO
DO
DO
.... K -
A RIJA O^EIMAjOO W. O, f / m*
Nao sem fundamento que pelo presente lenlio a lionra de convidar ao respeitavel publico desta cidade, offerecendo a sua apreciaco o meu estabelecimento-de cabelleireiro.
As grandes reformas que acabo de fazer, me induzem a crer que plenamente satisfarao a numerosa clienteHa que to urbawtiiente me ka despensado seu valioso apoio, e cont desde j com o meu completo triumplia.
Depois do ardua tarefa, cis me emfim repleto de maior jubilo, propocionando as precisas commodidades aos.meus benefolo*.' .reguezes, a quem ordalmente agradero os bons officios que sempre me prestaram e cstinuaro a 9restar-me.
S AS EXCELLEWTISSIMAS SEKHORAS
Com particnlaridade cab-me tamtem a subida honra de convida-las a vizitarem meu estabelecimento, onde encontrara a artfeta Libania ltimamente chegada da Europa, para empregar-se nos penteados para casameotos, badas, etc., etc.
Talheres de alfenide.
IJcorelros e galheteirov
Servicos de eta e eesa
para pao.
Casdcaes e palmatorias.
farros, bacas e escarra-
deiras,
Vonebelras e l*aKe!Ias do
mesa.
Artigos para Motis e con-
fesarlas.
Eseif vaalulias e palitelroa
Cquilel bros s serpeattaas
Uraas para refrescos.
' Eua da Impratrk n. 47, 1. andar.
AMilliet F&& C, representantes des grande ffekica vendem todos os seus productos pelos presos da tarifa que franpeam J^J^^^^l^L^,,^
Na oariveuria Christone, apreciada e reconbeciia por seu justo valor, em todo o grande mercado do globo, onde foi offerecida ao consumimdor por eio de representantes ^^JL'SSS^Sl urna fnffia Gualdos Srs. Christofle 4
marcada em cada peca, j peU sua barateza relativa, acaba de fazer reduego em presos, que recentes melhoramentos introdozidos o seu fabrico permitiera de Armar anda mais a suprema** de*ie neme, em urna monstni creaua v
par illes dotada dos aperfeicoajnentos mais importants deste seculo. ., ^v.^^
Urna duzia de coMwresvde mesa alfenide...... ^WOOO
lima dita de garios.................* 20*^
Urna dita de facas....................... 21*000
l
I
Os representantes em Pernamimco para corresponderem i importancia da industria que representara, obrigam-^e a receber em qualqoer lempo os talheres vendidos por cl'es pela melade do seu valor em troca de novos
A Milliet Fila A C.'contraUram tambem com e%a grande fabrica a sua representado era Pernambuoo, aQm de porera ao alcance do consumidor de bo^n posto orna infinidade de artigos de crystal, nao s pnra uso domestico, como de phantas.a:
Vasos para flores, lustres, candelabros, servipoa de sobremesa, etc. etc.
Tambem vende o qoe hade-melhorem ~---- -am:? s* ______. ^-
PORCELANAS, FINAS
A Milliet Fils A C. j s "Jantes acreditados destas duas fabricas no Rio de Janeiro, 8 raa ria Gurh<



Diario de Pemanibco ** Terqa feira 28 de Dezembro de 1869
,n
\
}
ay.'.vn'""'^
TT
LOJA DAS MACHINAS
Acatan _
yara dcscarocarldgo
aT t^aS* quantidade das verdaderas rjachiuas americanai
de todos os systemas e tamaitos seguirles:
i2 serraa U seiTM'
14 ditas >* *t8
dita 15 ditas
iUs *$ ditas
as 18 dito
L.
Primeiro introductor dos p*qo* ttibulares
instantneos da Abyssinea.
15
10
18
ao
25
30
35
40
S
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
20
22
25
30
35
40
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
fe quae* se *endem por procos commodos e roga-se as pessoas que deltas flreram en
coamoudas de alguos tamanuos, obsequio de as mandarem buca-las o mais breve pos
aivel aura de Dio haverem faltas.
RA DA CADEIA N. 56 A
DAVID WILLIAM BOWMAN
Parteripaiaos senliores proprielarjos de engaitos, que aconteceodo faltar-Ibes
atoa oo animan* pora a moagcm durante a presente safra, elle tem vapores promptos
para asscntar, sen precisar- de obra nova -ou domolico de obras existentes, e que
pode botar Ue genhos a taoer oito dias depois de estarem as pecas do vapor no
engeohn, garantiado-se o tfcroalho. #
Fundirlo, ra do Braru n. 52, passando o cftafariz.
f 4HCA DE PIANOS
DE
J. Rhigass, suceessor
$5Ra do Imperador56
Nestt ga c bem conhecida casa, encontrar-se-ha como outr'ora grande sor-
lamente de pianos construidos expressameote para o clima deste paiz, e Mr. J. Rhigass
Sendo trtbalhado muitos anoos na construccSo de pianos ero Pars, acha-se habilitado
a preparar os pianos que vende com todos os acccssorios indispcnsaveis n2o s sua
aoliJex, como i sua duraco. Todos os pianos s5o garantidos.
Tambem ha neste estabelecimento, grande varledade de msicas novas e dos
TDDihortm autores, tanto vindas de Paris como do R)o de Janeiro, que se vende mais
barato do qua em'outra qualquer parte ; assim como ha igualmente venda todos o?
objetos nocessnfJos contrdecan de pianos. Os coocertos e afinaces de pianos serio
tolos o>m o aaaior zelo e cuidado.________________________________
Ao publico.
Km Olinda, ra< daS. liento n. 1!). ncha-secon-
veim-ntrmeata preparada urna tasa para uroccer
comidas oes-ss que quierem passar un dia,
m raesmo mentalmente, garante-se a?selo e prom-
pltdio. Na mesma casa ha caf todas as nuiles e
allomas distraefes para o mes ron publico.______
Atuga-se aun casa na roa do Cotovello n.
i : trata-se no t* and.ir do mesmo sobrado.
PEDIWO
Pvde-se aos seguintes senhores, se dig-
ne comparecer na toja do Passo ra do
Crespo n. 7 A. a
lar iiiteresse:
Antonio Pereira
negocio do scu parlicu-
de Souza.
CASA FELIZ
Aos 20:000^000
o Reelfe arco da roaicelco n. a
Os abaixo assjjnados (endose habilitado nt
forma das le, tem ex posto a venda os seas feli
zes bimetes das loteras do Rio de Janeiro, na easa
cima, aonde se pagarlo as sorles que sahirem
nos mesmos bilneles. com o descomo som-mtf
da lei.
PREQOS.
Rillielc ntejro J4*000
Meios iSjOOO
Quartos 6*090
E de I00J para cima' a 22$ o bilhete.
Figueiredo 4t Leile.
Bom Jess das Portas.
Aos devotos do Senhor Bom Jess das Portas da
exinrja capella do arco das portas ora na igreja
la Madre de Dos, se avisa que da de natal, 25-j
4n corrente principia o setenario, sendo a Testa
dia de anno bom 1* de Janeiro da 4870, assim
cmm pelo presente sao convidados os irmaos para
assistirem ao setenario, fesia e Te-deum.
Bichas haraburgnezas
Neste novo deposito recebe-se por todos paque-
tes transtonlicos bixas de qualidade superior, ven-
de-se em caixa on porra mais pequea e mais
barato de que qnalqner ontra parte ; na ra da
Cade do liedle u. 51, 1 andar.
Advocacia.
Carolino de Lima Santos, (o filho)
bacliarel cm direito adia-se a mi
estreita do Rosario n. 23 onde pode
ser procurado das t horas da ma-
nhaa is 3 da tarde.
Ama
Precisa-se de urna ama livre on esrrava para
cotinfcar, paga-se bem : na ra da Crux n. 66.
Esoravo.
Precisase alngar um escravo para ser oernpa-
ica-se bem : a tratar na ra larga do Rosario n.
:\, botica.
Pernambuco & Excelsior cric-
ket club stheletic sports.
To be held at S' Amaro 6 jannary 1870.
Open to all-comers.
230 Yards Fat Race
Wide Jump.
ICO Yards Sack Race.
I'ultingthe Weigbl.
100 Yards liurdle Race.
300 Yards Nativa Race.
Iligb Jump. (entrance
120 Yards Tbree Leggede Race. d.
100 Yards Fiat Race. d.
Throwino Cricket BaH. d.
00 Yards Wbebtwrroa Race. d. J
200 Yards Cmsolaon Race.
'niranees to lie made (iravions to 4"' jaanary.
WiH coinmence pnneiually at 11,30 Pm.
W. 6. Ktnnillg.
38Ra do Commercio.
v Hom. S*c.
(entrance i 000).
i*0O0r.
Aluga-sc urna cisa em Olinda na ra
- <*o Bom Sucesso para passar a fesla, pelo
preco de 50^000, com cinco quartos, tres
salas, sitio com armredos carregad.es $e
frnclos, quem pretender dirija-sc ra
l>irtrta n. 66,2o andar que achara com qnem
tratar.
AVISO
Saliio luz a coWmw
de varios rcgulamentosjde imposlos altera-
dos e creados pela le n, 1307 de 20 de
selembro de 18G7,
comprehendendo os de- pessoal, eacraros, indus-
trias e profisses, sello (organisado alphabetica-
menle, explicando cada acto a que sello est su-
jeito, se se deve empregar cstampilha ou verba,
no primeiro caso qnem deve inutilisa-la), trans-
missao de propriedade, dizima de chancellaria,
emolumentos, multajs applicadas fazenda publica,
etc., etc., o em appeudice o do cofre de depsitos
pblicos,
notados com as
instruccoes e decisoes posteriores at a
presente ptibiicacae,
por
Francisco Augusto de Almeida,
1 escripturirio
da recebedori de Pernambuco :
vende-se na ra estreita do Rofano n. 12, a 4.
Torna-sc de grande ntilidada aos Srs. advogados,
Kriicitadores. negociantes e funecionarios pnblicos,
a aequisiejio (leste trabalho. Aquelles que assig
naram e nao reeulieram promptamonie, podem re-
damar na mesma isa.
Ester, pocos foram espalhados na Euro-
pa, tanta que, quakuer duvida do sea
grande valor pratico deve desvanecer vis-
ta das grandes vantagens.
Milhares de exemplos moslraram que
elles sao de grande utilidade aosinduslriaes,
agricultores e particulares; at em todas
as expediedes militares dos ltimos tempos
foram usados para procurar sem demora
agua fresca e pura, e tanta quanta se pre-
cisa va.
Em todos os lugares, onde um poco ca-
vado ou furado (pelo systeraa ango) daria
agua, pde-so empregar 05 pocos tubulares.
Elles fadWam. achar agua muito mais
depressa, asis cristalina, mais fresca e
mais barata do que por meio dos pocos
cavados.
O systema dos pocos tubolares o ni-
co peto qoat'se possa obter agua perfeita-
mente pitra, livrerde todas as substancias
nocivas e preservada de todas as influen-
cias athmosphericas.
Por meto de urna machina muito simples, consistindo d'nm macaco, impelle-se para
dentro da trra um tubo d* ferro, cuja extremidade inferior est furada e munida
d'uma pona dac,o.; e logo que a sonda mostra agua no mesmo,deve-se alarrachar
1 bomba e faze-la funecionar. Ao principio a agna ter substancias arenosas e terroas,
portn logo se clarifica, e cm pooco tempo sahir agua perfeitamente lmpida.-
Otilias vantagens que apresenta este systema sao:
Primeiramente, a promptido com que se executa toda a obra do assentameto. que
tnc:tas vezes nao leva, mais de urna hora, sem. remocho alguma de trra:
Segundo, a commodidade qu elle offere-ce de ser nao somente collocado fra da
easa, como tamhem dentro da mesma, com nao menor facilidade :
Terciro, a facilidade com que se tira para fra da trra o poco sem o estragar
para o collocarem noutro lugar:
Quailo. a grande quantidade d'agua que elle pode dar :
Quinto, a possibilidade de tornar, uteis com pouco trabalho, por meio delle os po-
cos cavados quo foram estragados pela atea ou por outras causas.
Precisando-se de urna grande quantidade d*agua pdense introduzir na trra di-
versos tubos unidos uns aos outros por meio d'um apparelho muito fimples.
Em lugar das bombas aspirantes geralmento usadas, pde-se fornecer bombas de
eompressao para elevar agua e conduzi-la aos andaras superiores.
0 emprego dos pocos tubulares sobro tudo proveitoso aos fazendeiros, que em
qualquercampo onde o gado precisa d'agua, os podem collocar e arranca-Ios para se-
rena collocados onde melhor lites convier.
E' tambem de grande utilidado aos fabricantes de ceneja, aos distilladores e a
todos os fabricantes era geral, e com especialidade aos empreiteiros, arcoitectos, en-
genheiros e todos aquelles qoe precisara de quantidade d'agoa por tempo determinado.
Este methodo 6 o nico para obter era qualpner parte agua, que seja livre de par-
tculas nocivas, elle tambem proveitoso aos proprielarios de casas e jardins, tanto
para o uso diario como para regar as plantaces e capim.
Pedimos aquelles que nos quizerem honrar com suas encommendas de nos
communicar: i. em que profundidade se acha a agua, o que fcilmente se pode verifi-
car nos pocos ou cacimbas visinhas; 2." de que especie s5o as carnadas da trra da su-
perficie at a carnada que contera agua ; 3o em que especie de carnada se acha a agua
oaquellc logar: 4. finanlmente a quantidade d'agua que se pede por hora.
A collocncao do poco lica por conta do comprador offerecendo-se portn a empre-
sa a emprestar o apparelho de assentameto mediante urna retribuicao a convencio-
nal a qual s-* regular pelo tempo que se achar fra.
Tambem encarrega-se de mandar urna pessoa habilitada na collocacao d'essfs po-
cos, pagando o comprador alm do sustento e despezas de viagem (ida e volta) um
jornal previamente convencionado.
Mas- para os lugares longmquos qualquer pessoa hbil ou artsti-
ca podad colloca-las sem embaraco, singtndo-se nicamente as ins-
trucees que actmpanham as referidas bombas.
GUSTAVE
LLEIREIRO FRANCEZ
Kua da Cadeia do Recife51
Chana a atteocio dos mus iaaumeros freguezes, e do respeitavel publico ea
geral, para a segirale tabella dos precos de sua casa, os quas s3o vmte por centft,
mais barato do (|ue em outra qualquer parte:
a*W,
40(J000
50,5iOOO
Oadeias para relogio a -V\ (\
U, U, 9-5, \U e. .
Cabelloiras para senhoras
30, 355 e......
Ditas para homem a 355, 405
Coques a m, 155, 185, 205,
255, 305 e ..... 505000 f.
Crescentesa W, 455,185,205, i. .
255, 305 e.....325000 Corlc de cabello com lavagem a
Cachos ou crespos a 35, 45, 55,
65. 75, 85, 91 e. .
Tranca de cabello para annel a
500 e.......
Tranca para braceletes a 105,
155,205, 25 c.....305OOO
105000
15000
Corte de cabello.....
de cabello com rieco.
de cabello
champou.
Corte de cabello com limpez da
cabeca pela machina elctri-
ca, nica em Pernambuco. .
Frisado ingleza ou franceza.
f.T5000
500
500
i?>00fc
1:500b
50C
25t
Barba.........
ASIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Bailes e soire*
O dono do estabelecimento previne s I Uecommenda-se a superior TliTL'RA /A
xmas. Sras.'e aos cavalheiros que ha tun POXEZA para enegrecer os cabellos e bar-
salSopara tintura dos cabellos e barba, as- ha> nica admiUidana Expcji c5c'Universa.
r como nao prejudicial a saude, por ser>o-
sira como um empregado smente oceupa-, latil, analysada e approvada pelas acade-
do nesse servico. i mas de scencias de PARS E LONDRES.
CASSAS DE COR
Lindas cassas francezas de cor 400 rs. o metro, na loja das Colluraaas- ra-
do Crespn. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos.
Alnga-sc o segando andar da casa da ra
do Amorim n. SI. no Recife : a tratar na mesma
ra n. S, armaiem.
Na praca da Independencia n. 33 se da di-
oheiro sobre penhores de ouro, prata e pedras
preciosas, seja qual for a quanlia ; e na mesma
casa se compra e vende objeelos de onro e prata.
e igualmente se faz toda e qualquer obra de en
commenda, e todo e qualquer concert tendente
i mesma arte.
Precis. -se de nma ama para casa da ponca
familia : a tratar na iravessa de S. Pedro n. 10,
1* andar, entrada pela ra do Fogo.
Precisase de um menino para aprender o
offlcio de charnteiro : o pai ou mili qoe quzer
mandar ensina-to, dirija-se a fabrica de cigarros e
charutos, ra Direita n. 80.
CASA DA FE.
Aos 20:000^000.
Siluetas do Rio a venda : ra do Cabug n. 9,
vende Vieira & Rodrigues.______________
Correspondencia de Portugal.
Ot abaixos assignados previne aos sensores
assiguantes deste jornal, que de Janeiro prximo
futuro em diaate a desiribuico era feita ao lar-
go do Corpo Santo, no caf do Sr. Pesua, oBde
os mesmos sennores assignanles nsaadarao pagar
desda ja a asainalura do anuo prximo quinze
mA res por H nmeros contado do numero
qoe conduzir o paquete de 28 de Janeiro prximo
futuro ao de 14 do Janeiro de fnl. Nmeros
avulsos mil rcis. Os recibo* sau Impreso e flr-
ojada pelos abaos mipndos. A desiribnicio
do jonial para os assignanles s se far a aquel-
les que tenham ja pago sna annnalidade.
Tasso Irmaos.
reciar o trabalho dos referidos pocos, podem ir ver
irra de cerveja n. 20, em ebertbe em casa do Sr.
tal unto a ponte e no Arraial em casa do annun-
As pessoas que quizerem
funecionar ra da Florentina,
major Anlunes, no Cabanga no
ciasite. __,,
Para encommendas e mais esclarecimeutos a mapeito a tratar na loja do Sr. F.
j.' Gernitinn ; roa Nova n. 21.
Precisa-se e, urna ama de leito: na ra de
Apollo n. 55, 2o andar.
es-
lolel A guia d'Ouro, na
treila do Kossrio n. 23
it> estabelecimento se contina a preparar
dorias con aajeio n promplidao por preco
r n r .do. nao s para aquellas petacas que qn-
rr .'i mandar buscar, como para aquellas qucahi
tem ir, tudo a insto c intento de seus fre-
s. K para garanta deau promessa basta
-.r que a dkretdo delta Brtabclccimeoto cor-
r conia exclusiva de seu proprktario Jos
ims Dias, j muito ronneeido de ten nuotero-
anozes, que cnli.'ini nua sinceridad*. Est
:. das 6 ln.ra- da i ) da noito.
00S1NUIR0
No Taes do Apolo armazem n, 71, pre-
*8 d'nm bom crsinheiro de conducta,
b--ui agradandih________ _
I'reei>a-se do uai pequeo bokeiro : na roa
w u. 46.

recisa-se fallar com urgencia aos senlwres
abaixo declarados, a negocio de seu inuresse, na
ra Nova n. 12, loja de fazendas :
Antonio Flix da Rocha.
Antonio PaeiOeo Sunoes do Amaral.
Antonio Joaquiui Fernandes de Azevedo.
Bento Gone.alves.
Gedeo de Souza Velho.
Joao Cbrisoctomo Siincs ijo Amaral. '
Joo Augusto ile Lemos.
Julio Cesar Cava Irn ti de Albuquerqi:e.
Jos Bernardino Pereira de lirito.
Justino M:rtins de Almeida.
Joai> Soares Pinto.
Joaquim Tavares Rolovalho.
Uaniel Alvcs da Recua.
Rufino Martina de Almeida.
Roberto Gomes l'e.rcira de CarvaUy._______-\mm
A luga-se o segundo andar o sotao daciteTua
rna Direita n. 11 i, com commodos para grande
familia, fi i ri e i'in boa vista, que dispensa a
quem a p-ssmr de ter casa no campo para paa
sar a estacan ca morosa como a presento : a tra-
tar na ra do llangel n. oi, das 9 horas da ma-
nhaa a* 3 ia tu de.
Caixeiro
Preeisa-ae da UJU caixeiro que teaita praca de
negocio, qa* d iadpr q coudact^, para '
de calcados : na ra da Imperatrw n. TO.
loja
ATTENCAO
Na ra estrellado Rosario, ^sobrada da um an-
dar n. 35, preparam-se capellas ricas para pasto-
ras, e bouqueta- para offertas com Otas bordadas,
todo de multo bom gusto e barato, enfeitam-se
vetas ricas para baptisados, e tem promntas para
vender-e por barato pre^o, faa-se bolos para
presentes, enfeitado?, podins e doces de iodas as
tendo preparado lodos es commodos para servir qualidades, bandejas de bolos linos de varias qua-
aos que procuram dtv^Pr-se neste lugar, as; Hdades.para casamento*-e bailes, bouquets de cra-
ao respekavel pinico ^ue sompre tem prompto sos naiuraes para calamentos cora litas bordadas
todas as qualidades de comidas, bebidas, frcls',,' or'o,' e bouquets para enfeites de bolos,
etc. etc., nao se ineommodando s vrsHanles dewe i "TTTWiT" se' alnoar nma pserava aue
estaoelecieento para r tomar banho longe, por, recisa-se aiugar urna eatrdvd qua
quanto ton\ n< funda de casa um pocao que cea-, saiba cosinbar para familia, a tratai na tlie-
duz ur Bom banho o excedente. souraria das loteras, ra do Crespo n. lo.
Grande hotel franicez em
Apipucos.
O novo propietario do ,i migo hotel de Apipuos
AGUIA NEGRA

S3
3
o
T
P
BENTO MACHADO ft G,
A AGUIA NE6HA animada com o hom accolhimento que teve em seos anntin-
cios, vem de novo participar a seus freguezes, que, acaba dereceber um variado sorli-
mento de objectos de gosto, os quaes serio vendidos por precos muito razoaveis, pots
quando fez os seus primeiros annuncios, foi o que assegurou, e sem mdo de errar,
porque como j disse est ligada por interesses a urna casa importadora desla praca, e
por issa poder ter tudo especial e vender por; precos -admiraveis.Chama pois a alten-
cSo de seos freguezes- para os artigos que possi descrever :
Litros com o tampo de nrarfim, .nadre- U variado sormeots de chajsuteiras e
perola e tartaruga, proprios para missa. pailiteiros de porcelana,
Garafinbas vaaias propna pera presente* TeBt0S p,ra voltarete.
Lava-see engomma-sf com perfeicao
na travessa do Jasmim o. 10.
O Sr Alencar, oticiaJ de juizu, que
foi ou ^oe dizent achs-se presnujmeii-
l ri .sidindo <'m Gauelleira, queira vir ou
mandar dar sohic3o?'sobre o irnpo6Ws fas
carrosas oye se rnandoq pagar pelo $r.fc fl
at o presente n5o tem apparecido com os
d^cunwntos; de*eja-se lo
ekW aiituiiicio- por aai& 'Ras.
~^T&n casa de THEODOR CfUST-
\N5EN,. ruj jla-ji"uz n. 18, eneoctram-ae T.A.'
Aluga-se unja casa com (quitos com nodos,
na eidftde nova i* Santo Amaro n, |2 a tratar
na ra das Crazes n. .'(') coro Joaquim de Souza
N^es. ________________________
AMA
Precisa se de urna ama livre ou captiva para o
continuar COm ^^rvioo interno e externo de urna casa de ponca
familia, paga7se bem, 'dando adrante a sna con-
dueta : a tratar ora frente -i rna da Vigarlo n. 8,
armazem de mnlhadoa.
amffvaiaenie todas asqi'alidadesde vmlit
i6reiux. Bourpo^rne r. do Rtugio.
Engommadeira.
rrecisa-se de urna criada para engommar
ra do Imperador n. 73, i' andar.
na
no 1- .inda* da ra d i lm| i I
0. 57, una sala aterada, ndo jjaz e outrns com-
. modos : a tratar o mqama andar, entrada pelo
caes de 2z de Nutebibro.______:_________
- Na ra da Moeda n. o, 2o andar, escriptorio
j de Manoel Alvo9 Ferreira & C. vende se vinho
verde superior em barra, anenretas Ciu vlnho do
I Porto superite marvazia branco.
cousa de gosto.
Indispensaveis de paliaba e de couro pro-
prios para senhoras e meninas" ti azer nos
bracos.
Binculos de mndreperola, marfim e tar-
taruga todos esmaltados.
Cintos largos de setim, cousa atc-iramen-
tA nova.
Fitas de sarja de todas as cores e largu-
ras para Jacos.
Toucas, saptinhos meias de seda e mais
pertences para baptisados.
Fitas com inscripcoes proprian para boa-
quet de noiva,
Rices vasos com p do arroz.
Um variado sor tmente do jarree de'pqr-
celana.
Hengallas com martl, coos eapet'*'-
Sabonetes de alcatro.
Cofres de folhas para dinheiro^
, Liadas caixas para costura.
Un completo sortimento de luvas de pe-
Uea.
Talagorce para bordar.
Um completo scrtiraenlo- de enfeites seda para vestido.
Perfumaras da lodos ea-ai toree os mus
acreditados em atraeros, pomades e oleo?
e finalmente etrtre ntaitos objectos qoe nlM*
possivel mencieiiar-; mas com a vista se
cericar5o o sort'imwito deste estabel**-
cimento.
Aguia Negra, ra do Cabug n. 8.
COMJPAMHIA Collegio de S. FratiGsco fc-
ele seguros mariliniose terrestres Paula.
A companhia de segn lidelidade estabelecida O bachsrcl Francisco Jos Raadlo, compefente-
eni Lisboa desJ o auno do IS'lo, e representada ment habilitado pela directora da mstruceao pt>-
eita eidade polus seus agan tes abaixo assigna- bhca, tem aborto um cnllepio para educa cao pn-
4o8, cora plena autorlaacaoTo governo imperial, niaria e secundaria do sexo mascolinn, a travs,*
tiin'a ecuros a risco martimo c contra fogo, em das Barreiras n- 2. No me*;mo collegio se pod'-
predKW e astabeleciinento, dando ao segurado rao desde ja itt/crerer os ajumnns quo prelend.-
ujimo anno gratuito 'luaudo tenha seguro ~-
consePUtivoM, para tratar na ra da
5o'Recife n. 4% eserlptnrfn.
Os agentes
Feliciano load Gente*.
Thomaz Fernandes d; Cunlia.
seis
Cadeia
Na ra o i u. 23 casa em 6008-
trueco, offerece-se pernio ^ boa calica e ^t;
xcellento argaraassa para lugares
os ajunii!
rcm fretfucntarocurso disfras'no i|iial espe-
cialmente se ensinarao a< materias para os exa-
mes na laculdade no mex de marco.__________
Alugaso-awa escrava le boas cwlumes p
todo servico interno de urna casa d? pequea fa-
milia, menos coiinha : a tratar na ra Direita n.
'12, sobrado.
pedras, excellenl
arenosos.
Precisase de una ama ijue coznihe
ja de bon< costumes, tamhcmso pre-
gar urna eserava as me eondicj
a tratar na ra do Vigario n. S, terceico indar.

I
-
r*""
UEGftl



I
Diario de PernamJbuco Ten: feira St de Dezembro de 1869.
fiHu.1 n ixmni un UJiO i^ife
XPOSICAO DE LONDRES
ffl^Wi DA
DO RECIFE60 ^
LiailUACA
PARA ACABAR NESTES DAS
. O proprietario desle^cstabelecimento tendo de parthfmoito breve para os EstacU Uoidos e Europa, fax completa 'ifpidaco nestes das, para acabar ; como
ioriinados para camas e janellas cobertores ingletas finos, calcado de pao, bijoteras d'ooro de 18, como rosetas de brilhantes, anefe, oculos, lonetas, trancelins etc., appareloos
la toHal do mais fino que ha para almaco, bandejas etc., perfumaras de differentes fabricantes, diferente caixinhas, vasias com eafeite* mu/o proprias para presentes, canas
dfl msicas, ditas com pertences para costura, ferro de engomraar, nao sendo preciso carvo nem fogareiro, machjnas de. dclr batata* dita para preparar a carne para gai-
ib, ditas para bater ov-os e boUos, grande varieda de de porcelanas, como, vasos para toilette, apparelhos para mesa etc., differ&tes objectos de vidro como seja: lustrse
b;>:s para salocs. lantemas para cima de mesa, escarradores ele, uns excellentes cofres de ferro espejbos de diversotamaitos de moldura /dourada e preta, molduras
para quadros, ricas aixas para retoatos, ditas com cheiroa proprias para presentes, mesas de charlo, bandejas de dito. Estampad flha& para quadros Ulagarsa
aorda.'a para aimofdas dita para tapetes e para deitar vasos em cima da mesa, relogio para cima de mesa, de parede e de oro para algibeira, stereoscopos de diversos
tauaulios, cosraoraraa, lanteroas mgicas para dTertimento em salas, qnadros com finas figuras de porcelana, ditos com movimentos, figuras brnseadaspara enfeites de mesas
nlva-vidas para se tomar bauhos uomar ou rio, lencos de lanos finos para algbeiras, ricas gravatas de. seda, variado sortime^to de mmdezas e brinquedos, para cnauca,
i'.;, bangallas, camas de ferro de differentes tamaohos, lavatorios, stereocospos, cosmoramas etc. etc., quesera patente ao comprador; maitoa outros artigos qae se venderlo
aito barato para iuteiramente acabar, no arraaaem EXPOSI^O DE LONDRES

FIO IIE VELi
Barbante
Km casa -de Rabe Schmetau A C. Corpo
Santo n. 1&.
SHERRY 0L0R0Z0,
Grelo seal.
COGNAC HEJLVESSY.
IJn casa de Rabe Schmettau & C. Corpo
Santo n. lo.
CAHMPANHA1
SUPERIOR.
,yttoussilloii, carie blanche.
i:ui casa de Itahe Schuicttaii A
ti. ( orpo Saiitn a. 1&.
VINHO
DE
308DEAUX SUPERIOR.
CHATEAU LA ROSE.
CIMTEAfT R11ZA\
Em casa de Rabe Schmettau d C. Corpo
Santo n. 45.
i-
0 DE JOIAS
-
Alga-se un.a casa milito fresca na (aponga, i
om .'omuiudos para f,.niiiia : a tratar no roesmo
liisiir na das Crnalas n. S.
de una caixa para rap, de tarftnijra branca-,
aran i.; e limito fornida, da roa ao Rocano a
It ia vista i ra 'los ruos, e uhhi |w*t u cvtiuaui
', i :;-|m. al a estrada da Juo de Barros : quem
i a -!i-"i, pilc entrcga-la na raa da Impcratriz,
I .j.i M rlideos, que ser hem .recompensado.
Pveclsa-se alogar nina escrava cosinheira
para ca^a de familia : ; a tratar na ra do Sebo
GOMES DE MATTOS IRMiOS
tendo feito completa mudanza em sen antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores propor ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABU6A N. 4
onde eiicontr&rao ura completo sortimento do que h^ de mas elegante,
bejlo e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubina e tudo que em obras
de o uro, prata. e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de--nevos gpstos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objeotes de prata para uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joi ou pedra preciosa e garantem
a qualidade dos objectos vendidos.
I
l)
ATTENQO.
Faz lastima ver, cr-tulu unmoade em. que ea
a praia do caes i Aurora, principalmente
dejde a ponte vei*. al* a--reja des ingiere ; nao
taaver qaem ponte torno i um tal estado de pu-
dridlo, etc._____________________________
Preetsa-se'de uf* iadt livre ou captivo,.
mosmo um moq:w) frescido: na ra da Madre
de Dos n. X .______________
Aos banhos no Mon-
tero.
Aluaa-se ama pequea casa no fim da levada do
Monteiro junto ao rio, no melhor dos lagares de
baelio, com 2 salas. 3 quart e corintia, e mnito
perto da esucao do hotel, propria para mocos snl-
teiros : a tratar na casa nova da estrada do lama-
rao, ou no Rncife, roa Nova, loja n. 7._________
Roga-se a quem achou um livro de orac/ies
em (rancez, em um dos wagSes do caminho de
ferro do Reeife a Apipaeos, o favor de mandato
entregar na casa da ra da Aurora n. 50.
O.Sr. r.
Tjoerque Uclia,
pbia.
Jos Cavalcante de Albu-
tem cartas nesta typogra-
Aluga-^ae
a parte da frente do primeiro andar da ra do
Imprador n. 32 : a tratar no mesnio sobrado.
COMPRAS.
1
Gompram-se e vendem se diariamente para fra
i dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores o se*ot, com tanto que sejam sadios : no
ierceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cruzes,
freguezia de Santo Antonio. ^^^^^
Compram se moedas de ouro e prau de to-
jos os valores, ouro e prata em obras inutilisadas,
brilhantes e mais pedras preciosas : na loja de
Mirives dp arco da Conceicao, no fterife._______
0 muzeo de joias
* Na ra doCabug n. 4 compra-se ouro, prata
pedras preciosas por precos mais vantajosos do
Xoe> em outra.qnalquor parte._______________
Com mmto maior vantagem compram-se
moedas de ouro e prata : na loja de joias do Co-
racao de Ouro n. 2 D, rna do Cabug.
Cora ira-se cobre, na ra (lo Queima-
o n. 49, RIVAL SEM SEGUNDO.
0 MUSEO Di MAS
HJE libras sterlinas e onro de todas. a naces,
assim como prata, por maior prego do que em
outra parte : na rna da Cadeia do Reeife n. 58,
loja o aiuleja __________________________
Compra-se urna casa, orefere-se na fregne-
zia de Santo Antonio ou Ita-Vista : a tratar na
ra Direitat.-43, loja.
VrNDAS.
Lagedo de Lisboa.
Vende-se lageJo de pedra de Lisboa : na ra
da Cadeia n. 57, casa de Prente Viana A C.
CIMENTO
Da melhor qualidade e por menor preco
quf em outra qualqKer parte, vendem Ama-
ral Moreira & C. em seu armazem do Caes
da Alfaodega n. 7.___________________
Yiiiho vtlho
ioios T~n ruVDireil" n.' tw.' ~" ~'
LEPHANTE
GRANDE ARMAZEM DE PIANOS, MSICAS E
ANTONIO JOS IM
N. M- RA NVA-N. H
Vende-se urna mnlalinha perfeita engomma
deira, costureira e cozinheira : a tratar ua ra de
llortas n. 94, sobrado. -..
VE UIE-ffi2
a rennacao da ra do Aragao n. 19 : quem
tende-la, djnja-se tratar na mesma.
A VERDADE
55Raado Queimado55
A VERDADE tendo em deposito grande
quantidade demiudezase perfumorias, e dt-
sejando apurar dioheiro e adquerir boa fre-
guezia esta rssolvid a voodcr uiintisBiino
barato, ; por esa razio convida no respei-
tavel publico a vir cumputetitemunle muni-
do a sortir-se do bom barato, l'ois quan-
do a Verdade apparecc, tudo mais des-
apparece-----
Grande sortimento de bouecos de cera e
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Abotoaduras moderuas para col
letea.......
Espelhos donrados pepnenos. .
Agulhas de osso para croxc a .
Pentes para regaco com atas a
Ricos globos para candiiro de'gaz a
Cbamincs a.......
Grande srtiraento de objetos de
louca paraterinqudo de bmbo
Garrafa com tinta a. .
Ditajcom agua flori Dita com dita dita a .' .
Frasco com oleo de babosa a 500 e
Dito com agua de Colonia a 3 Gairafa com agua divina a. .
Frasco com extracto* finos .
Latss pequeas cora banhi muilo
fina a lUe .
Sabonotes de diversas quali tades a
80, ICO, 240e......
Finas escovas para detites de lilO a
Lindos coques modernos a. .
Pavios para gaz, duzia a 2io e .
Escovas para fado a SCO, G00 e
Ditas para cabello a. ,. .
Pentes para tirar piolho a 160 e.
Brincos de cores, bonitos a 160 e
Pecas de tranca de la com 8
varas por......,.
Oleo para machina de costura,
frasco a........
Pennas d'ac finas caixas a 800,e
Dita d'aco Perry, caixa a. .
Galao de algodo peca .
Lindos babadinhos e enlromeios
pe^a de OO a.....
Ditos de lou?a muito bo a 120 e .
Ditos para calca a ICO e. '
Caixa com papel amizade a. .
Ditas com envelope* a. '.'
Ditas com obreias a. .
Caixa com agulbas fundo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para costara a 240 a
Caixa com linha de marca a '.'
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........,v
Carreteis debnha Alejandre de 7i
at 200. 4-
Grampos muito finos com passa"-;
ros, duzia a.....
Cadas portoguezas, duzia a .
Ditas francezas a 2)5200 e .
Papel almaco e de peso, resma a
3it00, 35500 e ....
Laa muito fina para bordar, libra
Fita de algodSo para debrum de
sapatos, peca a.....
Ditas de 15a para debrum de ves-
tido, peca a ......
Pentes finos para segurar ca-
Dbs'aibs de bfalo para alisar
a 240, 320 e......
Ditos para aparar penna a .
Rosetas prtitas, par a

320
260
200
320
U800
320
100
800
1*300
!0Hi
720
800
i:;oo
15000
ico
Ha
tOO
2>000
3_>0
70f>
500
2'O
aoe
80-
600 i
looc
40C
pro-
20C
240
700
48C
C
280
ft#G
501'
280
. OL
ioc
1*40C
3O00
4 5501
8B0I
ICO
I6C


a. acaba de
cliegar
Parteeipa ao resaeiUvel pubb'oo desta cidade
cxjlendido sortimento de
e das mais provincias visinhas, que o sea grande e bewacreitado amazem de instrumentos para musi-
um grande e
QUIDAQAO
de fazendas.
Na rwi Nova n. 48, anda restara algnmas fa-
zsndaaauefle vendem por presos quo admiram
coraosejam laannhas a 300 rs., mossambique
core listas de muito lindas cores a 300 rs., chitas
a 200 e 300 t., grande quantidade de cambraiae
de tanto lindos padres a 300 rs., e outras mul-
tas (ateneas que peta sua boa qualidade se tor-
natn recnmmendadas para casas de familias.
Grande qaantidade de palelots de seda, de panno
fino, de casemira, de bombaiina (prejas e de ce-
res) que M vendem por todo o preco para liqui-
dar, aproveilein a pechincha que est Andando.
10.T
ion
100
560
100
800
I0P
8-1
O que ha de mais moderno, de teclado fixo e mobile^ e com transpo6ic5o ou sem ella,
afmalos e be eonbecidos pianos da abrica do St.
de autores- os mais,-.acreditados oesta oilade, coma sojam
de Pars, de quen o aanaaciante e o ubico agente nesta cidada, eomo prova com o documento abaixo transcripto e assignado pet ditoSr. BrondeL Estes pianos, fabri-
ados especialmente para a clima deste paz, sao os nicos que oferecem urna gar.tia segura de sua dura?ao. Elles io afut.bastmte otahecidos desde 1844, para que
..ji aevssario insistir sobre sua superioridade. As suas vozes sao rouitoflaotad. e melodiosas. Eles possuem um' teclado que se presta a todos os capricho
genitores pianistas.
do
sua
xa

ufa Mrreiw ji com alicerrp, eom proporcoes para
unja bol caaa : quent ojn'iender dirija-e ra
do .Barthotomea n. 67 (loja) que se dir quem
Me.
TiK\as as pessoas que comprarera pianos nesU casar sao rogadas a extprem ocerttfitada de origeal avwatuf'8VoSr: Btoi\, afim'a-pwvara
ani nrihie do misero de piaaw com o de certificado
40 EBP__
Mr. Alphonse Blondo, fabricaolo de pianos em PARS, declara ao respeitave* pejblico da Peraasbuco, iaa o nico deposito de seus piadds na cidade
do Reeife, R.\ NOVA K. 11, armazem de Antonio Jos de Azeredc. Ou$w> sim que te dos os sew pianofir iiflo acbompanoados de um certifkato) de ofgenrass^
nado por oaim. m ta
Pars, 24 de julho de 1869. (Asssignado) Aiphme Mm&tL
O annuciane tambem troca e aluga pianos. E tera o maior e mais esplendida sortimentade navas
HSICAS PAR PIAO
As traaes recebe directamente da Europa e do Rio de Janeiro ; das'acreditadas caBas dos S*a.< Fefippone dV TbrnaglM, Naraisai Artliar Napoletjio d ,C.t
ele Tjtam tena grande sartimeoto de papel para msica e desenlio ; cordas para todos instrumentos, ricas gravaras e quedrt*|para ornamentos de salas, oleados pan
.Ksnallio le salas/ ricos espelfles dourados, qoadrados e ovaes, caixinhas da costina cora msicas esiitf eUa, esfajos!-para.vilgvf|f. relogics com .dasperiador,- vidros para
.si.elhos d- lodos os tamanbos, talagarca. 13as e agulhas para bordar, e amitos outrrs" artigos que oTeSDitavd publico ncofflrira sempra neste arioaaem^o qual- estar
aberto to^o os atas a s horas da noite afim das Exmas. fuailias psd'nem ir apreciar os seus panos^
Armazem da Estrella
l'ac* ZZ de ovrmbro n. zn
Nao ha duvida por falta de comprimentos e lar-
guras de madeiras de piWio, nao que se deixam
3e,fazer obras, pnis eisle no mercado de 13 al
iipollegadas de largur assim como qual/dades,
deide t> nranco pinho amencano a\e o enconrac^-
dolderezina: portanto o arorazenarios deyem
apfewara occasilo, pois lem pranrhoes al de
dOipaluws de coraprimenlo para da-las, havendo
tamben cotanleti sortimento dt piuho do baUice,
pafa oonvs de navios,- e serrado em taboas de
rorro, para-'fuwdos'de barrica, preferivel a outro
3uftlquer por causa de ter pouco nos ; vende-se
c9 a 10* a duzia, remes de faia, e folhas de me-
ta* par fm de nflTias'; e progatraras paraos
mismos, tuJo do conf.rmidade com os precos do
mercado : np antigee bem coohecido armazem de
PaUlo Jos Gomes & Climaco. ,
Pili Mili I
;^te.va. Matriz n. 20
Esto astabelecHfflBnlo.'estar aberto das 6 at 9 horas da manhaa.
Brevemente ser'aberto fmbem a noite, o quo se annunciar.
casa da-ramutt-
os 4:00|
ARWCSflftA SE*-a proprodade deaomi-
natkt'-Ifenra de ^rn.hiea^' no*-littrtraf da
fregriczla ,do mesmo nom. com grande run-
da 3o ierra-a receber e. moitos coqueiros a
itsfiWfWf", tcnrli, nlm-dlsto, aexcellente
. rara psvao baira-tiap e beira-rio, intei-
j-f-uarate apropfwfhi para "mantor-se al"
ojalquer stnieleciincnto commercial de
ilmdos : a tratar na rna d'Au-
rofJTfc. 2!l,' u na do Imperador n. 20.
* '.->-
f.'a ra da Gru "7. -" andar- prea-se de
sHhe com pcrfcicio, paga-?..'
Os abaixo asignadoe, propnetarlos da k>ja
de joiasCoraejw de Ourodeclaran pelo pre-
sente que nesta data nao devem absolutaii ente
conta nem lelra a pesoa algdma neste im|ierio
nem fra dtlie. j eMO firma social de Ernesto
& 'Leopoldo, c j finalmente como as firmas par-
ticulares, abaixo escripia ; se porm alguen se
julg.ir i-rcdor pode apresenlar-se m-praso deoito
des, a contar da presente data, que reoebera > em
continente. Os mesmos abaixo assignadtn rogm
s pessoM (iue llics devem so diuniun tambi-m a
.r seus debito, pois que ao cootefitie Ibes
i a cobranea judicial. Ueclfe 23 de dezembro
3e 1869.
Krnesto Jos Felippe- Sanliaj).
Leopold !;ipe Santiago.
Pode se ao
rW>rriMf casas-do'costume.' ttr?M*
O abaixo *JWtm, tcn^hddo alm den- C()mprar qT.
tras sortev om'fntefro n. fim -rofa i:Om0 m ;nKiov1ll ,,,n
lotera- qa se acafcno a -extraliifa ^*'*^*" 0 e eixou o
greja do S. Jea-d.Abfelde;UHa'(KJl,)1 oWvjB r,,. vir lri.ra.i0 i
Achflro-e a venia os felfees' Ulh&J da f
parte da lotera benefieio da1|H^fl> dPNoss*!.
Senhora do Amparo de:Goi!fiH.((1^2ak j/ic
extratlirana qiSBfa-fera'W dtfbbnenie me2. '
Praa*--
Os da eoshHM.
rfanol Martina-Fi"...
\ ra dol
> -----,------..-- c- t' '-jii. u vir iroi'a-i,^i^Muoii" cu \
s posstudoves a wpm. rccflbersB oonforoudade. % ^ cnwnr ignorancia
i eostrho sem ffesbnnt aff/fim ,
felfees bilbele'Vd 4-
cf4S -d .
ajila DireRh ti, M
cigarrosflluwdaV- por 9-
g de sol 4fcbaixo assigna
vista dina tacha a bonilde
trario en declaro o nome
Precisa-so de urna ama do
dor do liispo n. *3- '
lei' : ro Orre-
COMIMHI'AS
Furneee-se cf>m*rias para-fm-dv-mmi casa
aa familia, com .todo- o awek pwwptida na nal
cstreita Ju II n. 35 sobrada; o tattbem se
prepara almo^os o jaiilarea avulso on qnatatet
peca de eoniiua, isto c, sendo et tempo.
ilftf
Precisa-se de urna ama aa ra do Queimado
ni 7, loja. _
Alug^-ife tfmVcasst c'om"nastanWs trammodus
ao principio da estrada dos Afictos n. 56, defroif-
te*do becefl do Kspiab^jrV. ota flfeJa, encnn-
b, sitio om rarrngciras, maDgueiras, sapntizei^
iCeoffiros arvpfedos, v perto da
Oompanhia de seguros mariti-
rnOs utilidade publica.-
A dlrecio de confoniiidade com os seus estatu-
to a.t. 19, vfndepor intermedio do corretor Ma
Trancade la decaracol peca a 40 e
Fita de coz peca a 480-e .
Alnetes de lati a. ".
Sapatos de V5a paracrianfaaaOOe
Gravata de sedas ide cores a .
Galcadeiras a.......
Grande sortimento de rendas das libas.
Tjm par de suspensorio de borracha pe i
iOOrismNI I
Hia verdade k rna da Qnelmadio
____________aL5i._____________
urTAPOR
DAS
Roa da Iaaperatrlz aumero 3
Grande novtdadep ra a festa.
A'ella antes que se acabe.
O proprietano d'esle sumptuoso e mu acredi-
tado estabelecimento, vendo, que se apprpxima .
festa e querendo apresentar aos cus auuveis fre-
guetes urna novidade de ffue aeadaiirassem, en-
vin o sen rapo;, falo >-o .aiHji;das Norida-
desa todas os paizes da. afanada Europa,.alin-
da proeurar e trair o que de dade achaase.
Regressando este, trous*coio alta novidaJ^
como de facto o :
Lindo gnepure escarlata cora.fmis.siuw tecido,
e o mais bonito poasi*e^,proprio para cnmisinba<
e fcbus, o qual se vende por prec<> muito coui-
modo.
Grande sortirneuto de tilas de arj;i de ptima
qoalidada e de diflerenlas Jar^upa e cores.
Completo sortimento de fitas assefinadas, sean
estasUiaa e eseoaseas de.todas as larguras- e Ju-
mis lindas crw, havendo ntaa ella* muito lar-
gas e proprias para tintas da uitftM'oda.
Grande quantidade de p.orfuniaris dos primo-
res nerlumantes daEbr*>pa.
Alm d'estes objedlos viera muitos cutios
tambem defra4HVi*id*
O proprietauo pwio toda, a pessoas .quo.
pretenderen) afeaos dusobieclds menck.padus. q;i
poderao buscar as amostras no mento, on indfcarem'O lojr da.residencja, puri-i
tudo isto antes que se acabe a.grande novidade.
Loja^do vdwr^aa.lgvidades,
Itua da rmperain* o. 36,
de
Honripued Balitee
'......------:.-.-------ff .-t~K----r------
>
cedo dez acedes da mesma companhia
coes (
da.Ca
tar na ra da-Cadeta b. 42
para tra-
-fc- VonoeM-so duas oasa- terreas em boas rilas
ista etdadd); a traar na na do Crespo n. i*
artdap, ewrtptoiio.______ _______
Repeino salgado, salames suiases, landjaeger,
vihbos brancos soissos, yvorae, villeneuve, orepy,
caites du Rlioue, be;iujolals : na imreriat. fabrica
de cervejah rba do Sebo1 n. 38.
Vend-se u;na excelente casa na ra da Paz
n.)5 a tratar nt na Larga do Ro7ario n. i$.
H Vinlio do Forto
Vinde-ee uporior vinlw do Porto engarrafado :
n escriptorio de Antonio Liz de Obveira Azeve-
U A C, na d.t Cruz n. 57, 1- andar._________
Botica
ingomHo a tttf itn ra de Api*) n. 30.
do
Criarirou criada
Para casa d pequea familia, precia-se do
um ao rea de Capibaribe a. 30 ou a ra da Ca-
deia n. 33, prefere-se pessoa que cosiuhe algume
cousa.
Vende-se t botica n. 12 da
:u-lKir-so doent-1 seu dono-
roa da Cadeia, por
Vende-se gemina, h .1 (le carnauba
eip saceos : na ra do tucimado n. 13, primeiro
adar. '
__ Vende se ama boailn mula'.iiilia d li an
ns, pe^a, e e reeolliM, p"lo que se torna dig
na do ser mais prop mba oii^ para se
fazi.T urna dadiva : na rna d- H Tt-is n. 06-,_____
VonJe-se ama ipiiandeu'a e
lavadeira ; un ra de S. Gongalo n. 20.
Acabam de chegar ao Grande Bazar Universal
4 ra Nova o. 22Carnejr,o.\iiyiuujtt anmple-
to sortimento de macbibs para costuras dos au-
tores mais condecidos, as quaes esto em exposi-
caono mesmo Bazar, gacantindo-Sb h sua I- .. ua-
lidade, e tambem ensina-se com perjai^o a todoh
os compradores. Estas machinas sao guacen i
sen trahalhaao de 80 OFtuncfuliaTiaio'nte,>a
sua perfeigao tal como da,mellwr eostarim de~-
Paris. Apreseatara-se'tfabaltuis' oxccn'.adc- pela.5
Apre;
mesmas, qne multo
denles.
peta
devem agradar aos preten-
Vendemse duas pipa.- arqueada* de fc-rro,
proprias par. deposito de fiquidus: a ta a' na roa-
do Rangel n. 37, aemiftie.____________^___
Vfom-se duas casas em Santo Amaro d
laboato, urna na roa de.Baixo, rvoxiina k frita,
o outra na ra da Matriz: a tratar na ni., du Im-
perador n. 57. entrada pelo caos i de Novemfcro.
Eseravas habis.
Venlem-se moas escrava
dados, is peritas engonuM
deltas eom i 3lhiw, um d R
anuo: pretender.
pido ii. 33, e com brefH
tenciona relirar-se para Ma."
.i.i


r>
i%eKei^h%T,lf^ feira si ** sMe I869;.i(i
LIIDACAO
EM IGUAL
propnetano do armazem ,o fazendas denominado ARiRA, ra da Imperfl-
rfz n. li, declara ao respettavel pal mis fcagiieze*, que est liquidando rodas as
fazendas e ro-.n.is fetas que ten e -u be loa atente como S!>podora ver no sea
ininncio e preco al)aixo mencionados.
chitas traaeezas matizadas f Algodo cv,u*lo 900 rs.
80 rs.
Vendo-so chitas francezas escnras i:.
das a 320 rs. o eovado por este pre*-.
hja da Arara, ra da imperatriz n. 7:'.
LAAZINHAS A 240 RS.
Vende-se 15azinhas para vestidos .
ahora a 240, -280, 320 e 400 rs. o ;o-
vads.
BAREGES 1)E LAA A 500 RS.
Ve4e-se barages d-j 13a comlistr. ara
il i~ d; sentnra a 500 e 610 rs. o
-ovado.
lpica? de llstras a
Venie-sj lpicas de listras
los de senhora a 53QI rs. o covado.
CHITAS FVNGEZAS A 28Q RS.
v'ondo-se caitas francezas claras a -
" ovillo.
COitTiiS DE LAA PARA VESTIDO-'. A
2^00.
Vondf-se cortes d; la para vestidos de
sen'ioras a 25409 cada nm,
PERGALES A 4iu RS.0 COVADO.
Vonl'i-se parales muito finos para vis-
ados d8 senhora a 440 rs. o covado, mnr-
solinas branca; finas, a 500 rs. o covado,
hriiliantiflas de cores, a 440 rs. o covado.
> r
50
para
r<*.
vest-
Vende-se algodo cfeslado proprio para
enres e toalhas, 900 rs. o metro, dito
trancado a 1$, metro.
t hutes de merino *.
Vcndo-so dalos, do merino estampados
a 2$, chales brancos e de cores a 4&000
cada um.
CORTES DE BR.M CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Veode-se urna grande porco de cortes
de brim castor para calca de homem,640
rs. cada um.
Grande porco de retalho
Vende-se gran lo porcao de retalhos- de
chitas e cassas pretas a 160 e 00 rsvo
,-ovn io, retalhos do cassas, 15a e chita de
odres baratisimos.
L1QUIDAM A ROUPA FETA
Vonde-se palitots de brim de cores a 2&
ditos d alpacas de cores a 25, di'os* de
mcia casemira a 23 e 2J500. ditos de pan*
no preto bom a 85 e 105. calcas de algo-
d3o azul para escravos a G40 rs. ditas de
algodo do lislras a 800 e camisas de
ciscado do listras a 800 rs. cada urna, col-
11-EUA DO QUEIMA"

C. ricos
s e casa*
de limlas cores,
de seda lia de
Chegaram da Europa pel" ultimo vapor loja de Aug
corte? das raais linda sedas de mimosas cores para vestidos pro]
mentas. _
4) Grande variedade de sedas de lislras ce diversos proco
gorgiirio de seda preta, e grosdeaapte do varias qualidades e gor
differfotes cores. 1 m
Novos vestidos brancos deblond para Boira}* taascolxas do sta para camas,
dita de la e seda, cortinados bordados para cama e'janctfas, fri-nlias e toalhas de
cambraia de linho bordadas. ,
Luvas novas de Joovin, e elegantes sombrinhas de teda de fcor para senhoras.
Espartilhos de 55 at 305, lindos boumons de cachemira de cor para sabida
de baile, basqoinoa de renda preta, w ditos de croch branco e .preto para senboras.
Grand'" variedade de camisas bordadas e lisas para homsns- e mininos.
Sorttmerrto de murtas fazendas de Ha, Imho e algodo- todas por presos muito
mdico. ^.
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pepas de tapetes o de alcatifa para
forrar saldes tudo em quantidade; e vendem sempre'por menos que em outi a qualquer
parte.
Esteiras da ludia de 4,5 e 6 palmos de larga
^LGODAO
L0.Il DAS MACHINAS
tes de brim e fusto de edres a 15 e 15500,
Kaloes moderno? de toda* aa coletos do cesemira de cores a 25500 e 35,
u s. u i* c,*re** e 0l!ts mmlas qualidades de roupas feitas-
> "lr i'0"' rQ0 sbranco l ,! c-'* 1,,c se vende Por baratissirao preco.
COBERTORES V'aDGODO A )im.\ AiS,15 d* JJUjJ* ** r0*
SrS S8rt0re^^a,g0^0 Ven'le-se agodf^d liftras para roupa
abortas de chitas a 15600;e 2i cad.pma, de escravos a 200 rs. o covado
i A CALI,; A A 30 Rh.
ganga para caifa a 320 o CBva-
para liquidar.
arcos l.>00
a)-
GAN'GAS PARA CAL^A A 320 RS.-. PF(
i.-
meninos a 400 rs. o covado, casemr.-,r
cores para calca e palitots a 2A100 i
o covad., nr-:as casemiras enfestadas para
calcase palitots a,-45 o eovado, brim pardo
do todas as qualidades e brim branco de
todas as qualidades na ra da tapertftniz
a. 72.
Alpacas lizas a 4o ra.
. Yonde-se alpacas jle cores lizas finas .i
640 rs. o covado, tarlat'anas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOL&0 GNFESTaDO A 35O0.
Vende-se pecas de madaponh enfestado
i 35500, pecas de madapolo inglez do 24
:?.rdas a 55, 65400, 75, 85 e 105 a pees.
Raides de
Vnde-se baloes de arcos para senhoras
pelo baratissimo preco de 15500 cada um,
Cortes de cambraia (barrara
a 3MM>.
Vndese cortes de cambraias barrsa a
25 e 33 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vonde-se lencos. de seda a 640 rs. cada
um, para liquidar-
. CARTEIRA PARA VIAGEM A 15.
Vende-se carteiras para viagem. 15
'cada urna.
2. Rna da Imperatriz. 72. *
LIQIDACO
V1ACRJPWS
VTACHIWfS
AfAdfAiS americanas de serrote d todos oo tamanhos para deacarocar algodSo^ do
muito conhecid fabrieanto Eagle Cirton Gin.
MACNlTAS ditas, tambera de sesroes e de todos os taannhos pora desorocar,
godae do autor !?ew Yorlt Cottop Sin-.
ditas de todos o* tamanhoa, de carreta de ferro e-mais toda a machina.
ditas de Roiler 6ins, d cujo traaalbo faz orter ma3- 2.000 en arroba
de al^odSo. .
MACHItt de far3o do fabricante PlatB; & C bdhan PatentLiverpool.
Todas estas machiaa sao de saperier qualidade- e as melhores qoe tm
vmdo ao seicado ~r e para- a spa apreeiasSo coavidam-se c- senhoj^ agricatores 2.
vrrem a expoaigo dis mesmas. s^rua- d*Cada do Reeife n. 36 AS lo)* do Basto) onde
encontraiao-mais o seguiute:
Oebuliaderes para wilho.
Gytindro para padumas.
arados americanos.
Carrinhos- de m5o.
Vl&chinas para cortar eapim
Caos o> chumbo.
Bombis de Japy.
Ditas americanas.
remas d ferro galvaotsadas,
Folha! d anco finas.
Ditas de cobre e latao;
Perro de todas as qualidades.
Vrcos de ferro.
Folha de Flandres.
Mach dos americanos.
?ac5es dito,
alaios e costas de ve*guiuha*
7assonra americanas
Folies de todos os tantaahos.
Tomos e safras para fermros-.
Finalmente muitos orttws-aitig
liversidade seria enfadonho ennojaera-lo*.
Folha de ferro.
Batanea americanas.
Tinas dto madera- americanas.
Ps- de ferro ditas.
Baldes de madeina ditos.
Temos de bandejas finas..
Twins- completos para-cozinha.
Peneiras para padarias-
Baldes galvanisados.
GOrrentes- de ferro para almanjarras.
Esjingarda e reworvers-.
Gdarda comida.
Ferros a vapor paro engomaiar.
Moinhos para refina^oes.
teeite de-espermaceto; proprio para waebi-
nas d todas- as qualidades.
Serras avulsas para michinae.
Mancaes e todos-os mais peatences para-as-
mesrna.
{Latas-de gax
sperterwrjtes lav.-nrra & artes, qui-.pela
ara di nunm, 2
Escinloa da ra da Aurora
De fronte do Gaf Imperatriz.
Ueste noTO snri^nosi^slabMFclnen-
to de fazendas, eneontraro as Es mas.
.fimilfas iimIo quioio pwsam desej*, tin-
to enrartifo? de rfoK)so luxo, cdjne em
to sedas,, fekifld?, alpaeitsy merinos, la>,
c.i:'S3, BMKsolina, cMls, madapoln,
ataode, vido desde o mais rico e exigente ama' 'p
da tunda e dt luso, at e-mais modesto-
pa4 de familia-. A Inri de si -irliareni pro-
vidos do que inelnor so eneontra neste ;
mercado, niandnram os proprietarios ;
(Teste estabeleeimento vir directamente
O que em artipis de modas- e de mais
aparado goste se eneontra ew P.iris.
Urna modista esp^cialmente-aeeBpada
nos Irabalhos do PAVILllAO ITM- AURO-
RA, exeeutar promptametite e coro loda
a [iiT.Vieao quat'iuer trabalho a capricho,
para c que se aela habilitada em lodo
3itnnlo nnster para o bom desentpenho
B sua missao, o ene orna grand van-
tajrem para o beflb sexo, qne *ssim
vai eneoirar em uro-so lugar tudoqwan
o pode (ftsejar, ist 1fazendas dome-
Ihor gosto, modista paro perfeita exetu-
elo de qnalqner trbela, perfumaras,
chapeos-, enfeiies, mtndezas. luvas da
Jouvln e tudo quant a1 moda pode ex*-
gir.
Aos cavalheiros igual Taatagem seoffe^
5B rece, por ter o eslabelcimento o mais
l completo sortimento de fazendas para fac-" j
tos, e proprias para todas asestac5es, e-
um hbil tibate encarrca*i de xecu-
tar cmii pnimptWao e mestria qualquer j
ffieIlcoDN11enda.
m Os pmpnelarios do PAVTIiHAO DA
f AUROWA nao tendo poupad despezas ]
tgg para dMarem esta bella cida4e de um
B estabelacimento dijmo d'ella, eonfiam nos !
( seus eslbreos e no >em gosto dfr seus ha- \
* hilantes, garantindamaiorek*mspec-
^5 oao e imdicidae ds precos:
Com a possivel braridade e envista da |
S proteccao-que-se digaareiTi dispewsar-llie,
Sg este eslaheecrmento trar mnita ontras
I vantagens) primando entre ellas a pabli-
cacao de nm jornal gratuitamente dis-
__ tribuido aos seus fregaeze?, o qual se oc-
cupir excusivamein > da escripefio das
modlis, accmpantiado ios ultimo* ffguri-
dos; vantagem qae al-boje anda nenhum
mesibeleciinenlo flersceo.
Concluindo, e na impossibiKdade cfeverc ric-e variad sorttmem- nne
possuem, os proprietariee do PAVSJIAO
DA AUROR-* respeitosamente convidara
as Exmas. ttmlias a visitar estoespa-
eose e rico esttbelecimejao que, alm de
ttide, est dotado do pessoat neesesario
para vender e levar amostras a sasas
que as pedirem
Pelo ultimo apor receteran rieooeor*
tt de vestidos para casamento, l&vas de
peltca. ricas efaapeliitlias- para senioras
e- diversas fstendas niciernas.
|iSl>erto(lae6-(la manba*
9- da iimte.
Grande mmm
L
II LO
Loorenco Pereira Mendes Gnimaraes, proprietario do armazem de fazendas
i 11 aiaiflo G\RIB\LW, tem a honra de ptrticipar ao respeitavel publico que tendo
rae Mo diversas facturas de fazendas, de novo gosto, para a festa, estando a espera de
novas en'ionmcndas que deve estar aqu at o dia 1"3 de nnvembro vindouro, e vendo
riTi nlo tem lempo antes do balanco de vender tantas fazendas de encomacendas por
isso resolwo fizer urna liqaidaco para verse d maior, estraeopor issoem vistas das
circu astaacias vanderi tudo mais barato do que em outra qualqjer parte, na ra da
iratf n. '
VAD.\P0U0 ENTESTADO A 3t00. I CHITAS PRETAS A 160
Vjndo-se tima grande porcSo d-j madapo- Vende-se urna grande porcao de chitas o
13) enfestado de 12 jardas a 3r>500, assim cassas pretas em retalho a 160 o covad
como paca i de madapolo inglezes de 24 tambemtem retalhos de chitas e la de c&-
iardas ou 20 varas a 53, 50300,63,63300 res que se vende barato.
7(5000, 83, 93 e 103000. angas para cal^a a 3IO ra.
Corpinhos a 200 rs. i Vendem-se urna grande porc2o de gangas
C,\M3RAIAS VICTORIAS A 5:500 para calca de h-im-m e menino a 320 o
cambraias victorias covado, cortes de castor para calca a 6i0
cada um.
Brim de cores a fOOrs.
Vende-se urna grande porc3o de duas
faces para caifas, palitots e colletes de bo-
Vende-SQ pecas de cambraias victorias
lia- h 53500. 05 e 73. Brilhantina bran-
ea fiaa para vestidos de senhoras a 500
rs. o cov-Io
ALOODlO A 43000
Vndese urna grande p^So de algodo mam e menino, fazenda inteiramente nova,
tod de boa qualidade e 4-5, 5o, 63, Cia O Brim pardo liso a 5(/0 rs. o metro, dito
7^, e 83, a pega de 20 jardas oa 24 trancado fino a 800 e 40000.
viras" Grande l ADMIREM-3E DO QUE E' BARATO de sol
Chamalotes a 560 Vende-se chapeos de sol de alpaca com
V'iide-se chamalotede c6res, de algo 1' pequeo defeito a 23 e 33000, ditos finos
para vestidos de senhoras a 560 o covado. de 12astes a 40500, ditos de seda finos
tlpacas Usas a O ra
Vend **e alpacas lisas para vestidos de
cores, para senbora, a 50J rs. ditos matisa-
das finas a 720 o covado. Dita* lisas mui-
to largas a 640 o covado..
C-)RTES DE PERCALES A 6:000
Vdd m-se urna grande porco de cortes
de pe '.ates de dnas saias para vestidos de
de 8 astes a 70500, 83000, ditos de 12 e
16 astes a 100000, para liquidar.
Chitas para cobertas a S40rs o
covado
Vende-se chitas francezas para cobertas a
240. 320, 340, e 380 o covado. '
CASSAS FRANCESAS A 240 RS.
Vende-se cassas francezas para vestido
senhora, de mnito delicados gostos com a 240 o covado, ditas muito finas a 400 rs.
10 Vj cavados a 60 73000.
CAMBRAIAS LISAS DE CORES A 600
Vonde-se urna grande porcao de cambraia
lisa dr todas as cores para vestidos a 600
rs. o metro.
assim como percales
440 o covado,
finas para vestidos a
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias cruas para homem a
33500, 40. 50. e 60000 a duzia, ditas para
OrgMobfS moderaos a 00 rs. meninos de todos os tamaitos a 30500 e
Vende-se organdys de cores para fazer 40000, ditas para senhoras e meninas a
vestidos, de duas saias, agora modernos, a; 30500^40, e 50, a du
$00 rs. a vara.
BALOES DE ARCOS A 1:500
Baloes de arcos a 10500, ditos modernos
a 40000.
ATTENCO
Tem-so para vender ama grande porco
de roupas feitas de brim e de casemira, de
360, ditas garibaldinas a 360o ^as as qualidade^s nao se menciona por
Sortimento de chitas como tem o ^er enfadonho. garante-seao comprador ven-
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
* BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas muito finas de
-ores a 280. Ditis matisadas escuras a 320
ditas escuras escocezas a 360, ditas aleo
:oadas a
: ovado.
iaribaidi ha poucas lojas que compitam.
der mais barato do que em outra qualquer
parte, isto s se pode conhecer com a pre-
TJSTOES PARA VESTIDOS A 400 RS. senca do comprador e a vista* da fazenda
Veoite-se fusto de cores para vestidos a que se pode conhecer como est liquidando
100 rs. o covado. por barato preco, o general Garibaldi, ra
COBERTORES A 1:400 da Imperatriz n. 56.
V'ttdp-se cobertores de algodo a 10400 chales de merino a 2AOOO
obertas de chitas feita a 10600. Vende-se chales do Merino de cores es-
nde e grande porfo de corpinhos a lampados a 20000. ditos lisos a 33500, di-
1'MOOOOo6' tos estampados finos a H 5&500 e 6^000.
fazendas e miibas fe ia \mf*fM*
!, porta largft def andes Pwt.
Neste estabeleeimento encontrara, o respeiteve" publico um,>onito sortmento
oe rcupas de lodaa as qualidades, palitots- de alpaca a 30, 30O0 at 60. Ditos de
merm, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 54, 60, 80>e iS?., de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim.pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 30500 a 50MO. Caltas de brim de cor finas a ordinarias ditas
brancas da todas as qualidades, ditas- de brim pardo fino e ordinarios ditas de casemira
de coi' e preta da 4$, 50, 60 a 150. golletes da todas as-qpalidaes e preeo muito
barato. Completo sortimento de camisas-francezas de algoo e d finho de 20v at 50
urna. Sortimento de seroulas- francezas,de algoda, de linho e braaaarte a 20-6 20500
Gravatas (mantas) novissimo gosto a todos os preeos. Meis sortioenlo coph*o a 3
40. ate 70 a dazia. v *
ROUPAS PARA MSNINOS.
Encarrega-se de qaaesquer (Aras de encommenda tasto para heawm, como
para mentase, e com brevidade, por isso que Um um boaito sortimento da fai.endas de
todas as qualidades tanjo em casemiaas como brins, pannos-fiaos e ou!? inuitas fa-
aendai.
FAZENDAS
Bramantes de 41 palmos de largura a 10800-ometro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covad..
Poil-de-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 10200.
Basquines de guipure enfeitadas a 180OOOv -_ ^. -y
Sortimento de chitas escuras e ciaras a 280> 300 e 360 rs,.
Madapolo fino a 60500, 70, 80. e 90OO& JsW M
Algodlo pee* com 20 jardas a 40500, 50500 e 60000.
Peca de algodo largo a 70500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Chegoem i roupa
fe*a que se est liquidando na loja ra da Imperatri* n. 52 Gunto i loja de ourives) do
LEaO DA PORTA LARGA
na
Paredes Parto.
Machinas vapor de
forpa de 3 e 4oa-
vallos.
Motores para 2 cavados.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desca-
rocar algodSo.
Bataneas para armazem e balco.
Camas de ferro.
^ Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar carcas.
Foj;Io americano patent
Bheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
salsaparrilha
yelame, tin-
RAP POPUIiJLR
DA
FABRIfA NACIONAL DA BAHA
DE
Teixeira Uldurtco Sf C.
Aclu-se venda este ptimo rao, nico qne
pode suppnr falta do princesa de Lisboa, por ser
de mu agradavel perfume, viajado, e a preco o
mais mdico possivel; e por isso tem sido asss
acolhico na? pravas da Baha, do Ro de Janeiro e
em outras do imperio : no escriptorio de Jjaquim
Jos Gow>lve Bcltrao, rus do Comroercio nu-
mero 47,'
Arrobe vegetal, xarope de
do Para, pilulas e xarope de
tura e xarope de sicopim.
Doeiifas do flgado e bato, ane-
mia, opilado, ele.
Emplasto, oleo, pomnaida, tintara, pi-
lulas, xarooe e vinho da milagrosa Juru-
beba.
Sezftes ou robres intermitentes
As pilulas anti-periodisas de Pinto.
nico deposito destes ttiedicamentos na
pbarmacia da seu autor" roa larga do Bo-
sario n. 10, junto ao quarlel do corpo de
polica.
NA PHABMCIA DO PINTO RA LARGA DO
ROSARIO N. 10 JUNTO AO CUAR-
TEL DE POLICA.
Acham-se constantemente promptas a
serm satisfeitas, as prescriperjes dos Srs.
facultativos, e as necessidades dos enfermos
s especialidades da mesma pharmacia.
composta de medicamentos, tanio indge-
nas, como estrangeiros.
Toases e molestias do peito.
Xaropes de fedegoso, rabo do tat,
Agrio, pao Cardoso, juca, mulung, n.u-
tamba, etc, etc.
Scmentes de hortalices chegadas pelo ultimo
vaoor : na ra do Livraraento n. 38, arraatem do
motilados. Retitue-se o importe ao comrradwr, "jo
i-a o denio nascerera,
1*0JA '
DO ^^
G.4LL0 VIOLANTE
Raa tU Crespo ai.
Os-proprietarios deate ben conhecktoestabele-
cimenle, alm dos amitos- objtetos que twham ex-
posos a apreciaca do res^iiUvel poUico, man-
darara vir e aranam.de recelKr pelo ifimo vapor
uo muiif um n.ili|rctu e aiiHliu swiuiieuio lie
n-e> mni delicadas especialidades, m quaes es-
tao-reflolvidos a vender, como de sea costume-,
pon-fireeos muito bartinhos e commodos pasa to-
dc, eom tanto qae o Gallo....
Hoito superiores- lavas da pellica, pretas, brat*-
cas- e de mui linas cores.
Mu boas e bonitas goltohas e penos para se-
aiiora. neste genero o que ha de ntais moderno.
Su,, iorespentos de tartaruga pan coques.
Lindos e riquissimos eafeites pasa cabecas das
Bxmas. senhoras.
Superiores trascas pretas e de cdres.com vidri-
llhos e sem eltes; esta faienda o qne pode baver
de methor e mab bonito.
Superiores e bonitos loques de madrepsrola,
marfim, sndalo- e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desanos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escocia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 304000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20*,
alm destas, temos tambem grande sortiraento de
outras qualidades, entre as quaes algumae muito
Quas.
Boas bengalas de superior canoa da India
castao de m.irlim com lindas e encantadoras figu-
ras do inesmo, neste genero o que de melbor se
pode desejar ; alm destas temos tamhem grande
3uantdade de outras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, Bonitos e airosos ehiootinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas' meias de seda pira senhora e para meni-
nas do 1 a 12 annos de idade.
Xa vainas cabo de marfim e tartaruga para tazex
barba; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramws sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas rapellas para noiva.
Superiores aguthas para machina e para crox.
Linha muito boa re peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Boas baralhos de cartas para vol trete, assim
como os tentos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumaras e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convuIs8e?, e
fadlitam a denti$2o das innocentes criancas. So-
mos desde nujto recehedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebo-Ios por toaos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim, pois poderao aquel-
les que dettes precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre oncontraro destes verda-
deros collares, e os quaes atteadendo-se ao fim
para qne 3ao app'icados, se venderio com nm mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos cbjectos qne deixarao?
declarados, aos nossos freguezos e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Selliiis kmtes,
W. 27 RUADOLTVRAVENTO N. 37.
Pest estabeleeimento veude-se sellins n
silhes, de todas a3 qualidades do melhor
que se pr>de fabricar no paiz, assim como o
mais arreios. pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxoes, traviceiros, eakr-
nbas com almofadas, proprias para menioai
levar pare aula. O propriefario deste esta*
belecimento garante a pontaalidade, esme-
ro e zelo de seo trabalae; aortnnto pede ao
respeitavet publico sua proteecSo, qoe afilan*
ca vender tudo pelo mais barato possivel,
e por menos do que em outra qualquer
parte.___________________ -
J cordeiro previdente
Rna d Quelrnarlo n. 10.
Novo e variado sortimente de perfamaria
finas, e outros o^ectos..
Alm> do completo sortiraento de perfU'
manas, de que efectivamente est prvida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acalta de
:receber om outro sortimento que se tora
ootavel pete variedad* de objecLM, superiori-
dade, quajfdades e eommodidades de pre-
fes; assim, pois, o Cordoiro Providente peda
e espera continuar aawrecer a apreciacie
do> respeitavai publica em geral e de sua
boa freguezia em parttinlar, n5o se afas-
tando elle de sua bem eoabecida mansid
i banteza. Em dita toja encontMtrlo or
preeiadore8 dsabom:
Agoa- divina dE. Couxlrajr.
Dita verdadeira de Marrar 4 Larisrnan.
Dita de Cologoa- ingleza> americaiK, fran-
oeza, todas dos rarihores e-usais acreditado
fabricsates.
Dita da flor de-arangein*.
Dita dos Alpes, e vilete-pera toilet.
Elixir odontalgis para eonaarvacao da
tsseio da bocea.
Cosmetiques de laparior ?paMade e chei-
ros agraaveis.
Copo e latas, raaieres e atemores, con
pomada fiaa para caaallo.
Frascee-eom dita) japenezs,. traasparente
t outras rjBatidadesv
Finos estrados iugiezes, americanos
francezes e frascosaioaples esnfelados.
Essenciaiarperial do- ino e a^mdarrel chei--
ro de violeta.
j Outras eoncentradao- e de ckoros igual- -
Onente fina* e agradaros:
Oleo pkoeome verjtteiro.
Extracto* dtleo da saperk quadada,
wn eseolhitrOs-cheiroersn fraseo-de diffe-
rentes tamanirbe.
Sabonetas-^tn barran maiore>3-manore
aramios.
' Ditos transparentes,. 7tdondos-e em'figu-
m de meiiaee.
Ditos rntto- finos ecckoarxinha para barba.
Caixinhao eem bonite abonetas-imitando
Jactas.
Ditas de BMeira inseraisada canteado 11-
aas perfiaamSi muita proprias para pre-
sentes.
Ditas dfe papelae igukaente boBitaa, tam-
)am de parrvaarias Caas.
Bonitos vasos de metal colorido, a d
ateldes novase elegantes, com j. da arroz;
* beneca.
; Opiata iagtoza e fnmceu para denaai.
Pos de campoora outras diterentef
qaalidadea- tambem pata denles*
Tnico oriental oV Keanp.
^Mada rasis eequaa
u. .*., awuiiieaia ae coqpes de ne-
vos e bonitos moIdes-CMtt filets- d vidrilhos
s alguns. (Talles ornadas de fosas tu
estio toos expostea 4 apreckac3a de que
os preteada comprar.
GOLUNHAS- E BNHOS IXW).\D0S.
Obras de muitogpste e pe*feic5o.
Flwllraa e Atas par*. Hatos.
Bello e variado sortimento de taes objets*
tos, ficando a boa-escoma ao gosto doceS
prador.
Cahriolet Doeili
O nelhor neste giBiero, e permito estad, ven-
de-se um para var na cochei. Oe Tliomaz'Lins.
a ra de Santo Amaro, e tra^j- na na fo Crespo
n. ib, loja, das Sas ti horas .'a manhaa e das 3
as 6 horas da tarde.
Cal de Lisboa
chegada no ultimo navio, tero para vender Joa-
quimi Jos God^alves Bnltraa n seu escriptorio i
raa do Cummerrio n. 17.
f.4Z CU GAZ
Chegon ao antigo deposito de Henry Forster A
<1, ra do Imperador, um carregamento de ffai
de primeira qualidade; o qual se vende eni partidas
e a retalho por menos preco do que em ontr* qual-
quer parte.
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouche 4 C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ra do
eommercio n. 32, *
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento; na ra da
Madre de Dos n. 11, armazem de Jlo
Vlartins de Barros.
Cnl
de Lixboa
nova
rhpgada no ultimo navin : vende Joaquim os
Rara >s, na ra da Cruz n. 8, Io andar.
Vinko de Lucelias
qual dade superior, em quartos de pipa,
vende-se em casa de "Won Sohsten & C,
na da Cruz n. 9.
Fio 4j algodo.
AVe!^".s? fio P ^J0 -a Bahia em saceos de
50 i|W libras : o scriftorio de Antonio Luiz
de OSveira Azevodb fj., ra da Cruz n. 57, i
andar.
CADET
CU RA
em TRES DAS
Parte, Se.RuaTlvtaui, D
CHABLEMEOECIN
aj rananDADAS dissbxuaks, isims
LTAmUS, B ALTPtACOKSttOiUlIBrW-
~~ftaMeuudufatpMifM
depuratifj
saingS
dotangue. (Xaropt ngbl m> rciriet.MM.
miTM wimm. Baifass HranuM
Wmao-M dous por Maant. mtikI* tnMaMUi
1 wwiao ana mnmu olnUa
ianUMMMiMl|MV
------------ JMlifh, (fu*
ente os flwtos i fu,ru bramet i*t mwlkpm.-J
PLUS
COPAHU
wrrMM, rBMa qiiunnwm a'
POMADA ANTIHBRPETICA
Gvntrii ser affec^o*, wian**% ponfur
LAS VSSETAES OE.PUIUTtVAt
*.
/

\\

55^"


Diario de Peruanibuca
uf/n/f
Ter<;a feira 28 de Dezeiubro de
1869.
>
>

?
"Y




........i' -
,l_L^
'MU V.

A DINHEIRO NA LO JA E ARN1AZEI
DO
89naga n>5\ rapa^ara^^ m
DE I
FEfilX PEREIRA HA SIVA.
O proprietario d'este grande eslabelacimeiito, vendo que se est aproximando o fin
do anao, tendo em ser uta grande deposito deposito de fazendas; nao fallando em
avultadas eocommendas que les est3o obrigado todos os dias, tem resolvido liquda-
las por preco muito jnais baratos do que em outra qualqaer parte ; so com o Cid
de diminuir o deposito e aparar dioheiro. Encontrase neste estabelecimento 3o
PAVO, abultado sortimento deiajkndas de laxo e modas; assim como de primcira
necessidade. As pessoas que negociara em pequea escala n'esta loja poder5o surtir-
se vendeodo-se-fces pelos precos que comprara, as casas mglezas; assim como as ex-
cellentissimas familias podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou man-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
acha constantemente aberto das 6 horas da manhla s 9 da noite.
LAZINHAS MODERNAS NA LOJA DO PAVO
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das raelhores roupas,
sendo calcas palitots e coletos de casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desejar, assim come na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, com a maior promp-
tido vontade do freguez, e ulo sendo
Chegou para este estabelecimento nm grande
sortiinento das molhores e mais modernas laa;,-
nhas para vestidos, sendo tapadas e iransparentjs
do tonos os precos e qualidades que se vendam
mais barato do que em outra qualquer parte.
Crochs para cadeiras e sofas
O Pavo tem um grande sortimento dos
mais bonitos crochs proprios para cadei-
ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
como proprios para cobrir presentes, e veri-
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte,
GLACE' A 1:200 PARA VESTIDOS
0 Pavao tem esta nova fazenda lisa pro-

GRANDE \0MIIADE
Qaando a AGUIA BRRNCA, mais precisa scienticar ao respeitavel publico em
geral, e em particular a sua boa freguezia, da immensidade de objectos que ltimamen-
te tem receido, justamentefquando ella, menos o pode fazer o porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que Iba attendero e relevarlo,
continuando portanto a dirigirem-se a bem conbeclda leja da AGUIA BRANCA ra do
Quelmado n. 8, onde serapre acharo abundancia em sortimento de superioridade em
qualidades, modicidade em precos o seu nunca desmenttido AGRADO E SINCERIDADE.
Do que cima Qca dito se conhee que o tempo de que a AGUIA BRANC V pode
dispftr, empregado apezar de seus custos no desempenbo de bm servir a aquellos que a
honram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem enmimo-
rar os objectos que por sa natureza sSojnais eonhecidos ali, ella resumidamente indi-
car arjuelles cuja importancia, elegancia e novidade os tornara recommendaveis, como
btm seja
Corpinbos de cambraia, primorcsamwj
enfeitados com utas de setim e obras essf s
cuja novidade de molde e perfeico do ador-
nos s tornam apreciado.
Fitas mhi largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quijidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Gaixinhas com o tos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
obngados a acceita-las, quando nao stejam pra para vesliti0Si com as mais delicadas
completamente ao seu conteoto, assim como cores e com mms ,usfre do que a a
n'este vasto estabelecimento encontrar o sedacom 4 paImos de Iargura facljh
respeitavel publico um bello sortimento de fazer-se qualquer vestido com 10 ovados
camisas francezas e mglezas, ceroulas de e vndese pelo baratissimo preco de 1:200
linho e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porco de cera de
carnauba em saceos, por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavao ra da Imperatriz |n. 50. De Flix
Pereira da Siivaw
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Encontra o respeitavel publico neste estabeleci-
mento um grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam, cassas francezas e inglesas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de laa de
todas que tem vindo, proprias para luto, coino
sejam, laazinhas, alpacas lavradas e lisas, canlao,
bombazinas, merino, etc., que tudo se vende por
preco barato.
AS CASSAS DO PAVAO
Covado a 300 re.
Vendem-se Qnissimas cassas francezas com li-
dos desenhos e cores iixas a 300 rs. o covado.
Madapoluo francez a 7#000 rs-
Vemle-se pegas de madapolao francez
- com 22 metros pelo-baratissimo preoo de
71000 a peca, pechincha.
Altas novidades em sedas
Chegou um grande sortimento das mais
modernas poupelinas ou gorguroes de seda
e linho com os mais elegantes padrees que
tem vindo a este mercado sendo, miudos e
graudos, tanto em cortes para vestidos como
para vender em covado, assim como um
bonito sortimento das mais bonitas sedas
lastradas que se vende tudo muito em canta
Grosdenaples de cores
Chegou um grande sortimento dos mais
bonitos grosdenapls de todas as cores para
vestidos que se vendem muito mais barato
do que em outra qualquer parte.
GRANDE PECHINCHA A 5:000 RS.PECA DE
' Bretanha
Vende-se pecas de superior bretanha de
algodo tendo quatro palmos de largura
com 20 varas ou 22 metros cada peca, esta
fazenda seria para custar 8000, a nao ser
"ama grande compra que se fez, e liquida-se
a 5(5600, cada pega.
IOS 20 IL GUIDOS BE
L.ASINHAS LUSTROSAS A 400 US. O CO-
VADO.
S o Pavao
Vende-se um grande sortimento das
mais modernas e elegantes lasinhas para
vestidos, com as cores mais novas que tem
vin.lo a este mercado* sendo com Irstrnhas
miudinhas que parecem de urna s cor e
com tanto lustro que imitam perfeitamente
s poupelinas de seda, e vendem-se pelo
barato preco de 400 rs.
Bretanha* de rolo a #OOa
peea
Vende-se superior bretanha de rolo ten-
do 10 varas ou 11 metros com 4 palmos
de largura pelo barato prego de 20500,
pechincha.
OssetinsdoPav&o
Vende-se os mais bonitos setins de cores
e ais encornados proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
AOS PALITOTS DO PAVO A 180 e
20*000.
Vende-se um bonito sortimento de palito-
ts francezes aeado, sobrecasacados e pro-
priamente sobre-casacos, que se vendem
forrados de alpaca a 180000 e forrados de
ceda a 20*000, pechincha.
COLCHAS 0E FUSTAO
loja do Pa*o vende-se um grande sortimen-
to de colchas de /ueao soado brancas e de cores
ditas de croch par cama de nota, assim eomo
qonitos damascos de 15a para colchas.
Na loja ao Paifio vendem-se os mais
bonitos chales de verdadeira cachemira de
cor, com os desenho* mais modernos, a 60,
10 'e 120000. muito barato na roa da Im-
peratriz n. 60.
^ BASQUINAS A 120000
Na loja do favao vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de goipure,
pelo barato preco de 120000 cada tima. .
Cortes de organdys cora barras
Para a loja do Pavo chegaram, os mais
. bonitos cortes de organdys com barra, sendo
cada um em seu carto, com o competente
figurtoo, muito proprios para f
sent'
e o grande" e variado sortimento que acaba para circular o coque,
de -llegar, mas para nao massar o preten- Bonitos brincos de plaquee,
dente se lhe apresentar o que poder de Aderecos e brincos de madreperolr.
melhor Caivetes finos para abrir latas.
Enireraeios em pecas de 12 tiras. Thesouras para Irisar babadinbos.
Goipure branco e preto de diversas qua- Aspas para balao.
dades e desenhos. NV0S stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
fazer pro*
rs. o covado, pechincha.
Organdys a 360 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys d3
cores com padrScs miudos e graudos. sen-
do todos de cores filas, pelos baratos pre-
eos de 300 rs. o cova lo.
ALGODAO ENTESTADO
Vende-se urna grande porco de aigodo-
sinho americano com 8 palmos de largura
proprio para lenges e toalbas tendo liso e
tiTiicaoo que se vende por prego muito em
conta.
i'anos de linho
Chegou um grande sortimento de pegas
de panno de linho do Porto que-se vendem
de 700 rs. at 10000 a vara, garantindo-se
que em fazenda de linho n5o ha nada me-
lhor, nem mais proprio para lenges e toa-
lhas.
PECHICIIA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um grasde sortimento dos me-
hores chapeos de sol de seda, inglezes leu-
do nesle art go o melhor que tem vindo ao
mercado assim como urna grande porco d
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por prego muito mais barato do
que em oitra qualquer parte, por haver
grande pcrg3o.
cacos blancos
Vende-se nm grande sortimento-de len-
gos brancos para hornera, sendo a duzia a
^600,20000 e 35000, ditos abanhadosj
muito finos a 40 e 6J000 a duzia, ditos de I
e?pniao faz nila muito superior a 5#, 60 e
74000,
Pechicha em vaseuilras a -,OQ
Vende-se finissimas casemirasde cor colj
listras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores mais novas e mais bonitas que tei
vindo ao mercado, pelo baratissimo prego
de 40000 o covado ou 70000, cada corte
de caiga.
Os baloes do Pavao a 2S000,
Cheg u um grande-sortimento de bales
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 20000 ca-
da um grande pechincha.
AS CA'iBRAIAS DO PAVAO A 4:500 RS.
Vende-se urna grande porc3o de pecas
de finissimas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com mais de vara de
largura pelo baratissimo preco de 40500, a
pega sendo fazenda que nunca se venden
por menos de 80000, grande pechincha.
AS POUPELINAS DO PAVO A 500 RS.
Chegaram as mais lindas poupelinas de
la com imitaco das poupelinas de seda,
um- fazenda muito. leve com as mai6 lin-
das cores, sendo: verde Bismark, rxa, azul
lyrio, cnsento, perolla etc, etc. e vende-se
pelo baratissimo prego de 500 rs.
Fustoes brancos para vestidos
Chegou um lindo sortimento dos mais ba-
ratos e bonitos fustoes brancos com listras
e cordbes, sendo fazenda bastante larga e
flexivel, muito propria para vestidos e rou-
pas de mpninos e vendem-se a 640 o co-
vado.
BONITAS LASINHAS
OU ANADINAS A 10000 RS. O COVADO.
Chegou para o Pavo, um grande o va-
riado sortimento desta nova fazenda de lia
e seda propriapara vestidos, com os ma;s
delicados desenhos e mais modernas cores,
tendo bastante largura que facilita fazer-sc
nm vestido com poucos covados, pelo bara-
tissimo preco de 10000 o covado, por j cs-
tarem muito prximos da festa.
CRETONES MATISADOS PARA VESTIDOS
A 640 E 800 RS.
Para a loja do Pava chegaram os mais
bonitos cretones eecuros matsados, pro-
prios para vestidos, roupSo chambres etc.
que se vendem 800 rs. o covado, assiin
como a mesma fazenda em padrees claros
proprios para vestidos e roupas de meni-
nos a 640 o covado, sendo os padrees mais
moderuos que tem vinpo ao mercado.
Chitas francezas
Para a loja do Pavao, chegaram as mais
finas e bonitas chitas escuras, propriameote
francezas, o vendc-3e a 500 rs. o covap.
Ditos de algodo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e raohta-
ria.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
urnas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhasr de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
Touquinhas de fil, s'apatinhbs bordados criangas.
e meis para ditos. Diversos objectos de porcelana, proprios
Carr.isinhas bordadas para ditos. para enfeites de mesa e de lapinhas.
SORTIMENTO PABA A FESTA"
Yende-se por menos de 10, 20 e 30 o
SO' NO
AZEM CONSERVATIVO
N. 23Largo do Terpo.N. 23.
DE
SIMO DOSJANTOS .ft C.
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secco e moibaaos estao re-
solvidos a azero urna grande diniinuicao d precos as suas mercadorias, como se apro-
xima a festa e sempre se fazem avultadas compras para o centro e praca, por
isso previoem ao respeitavel publico em geral, que mande faz^r suas despencas e cer-
tos de que verlo a grande differenca em precos mais do que em outra qualquer parte
e garanndo-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 90500 a lata, e 4 40
rs. a garrafa e 660 rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FGUEIRA 560
a garrafa, e -jOO a caada e 800 rs o ti-
tro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, i 'O e 500 rs. a garrafa, a 20800 e
30200 a caada, 660 o 720 rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 40000.
a caada e 580 a garrafa, e 840 rs. o litro-.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 10400,
15800 e 2200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 7$ a canaria, e 10340 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 10400 e
10280 a libra, 30060 e 20780 o kilo-
gramnio.
DITA FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 20100, 10980 e 1.0860 o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a li
bra, \ 220 o kilogrammo, em porco se
far batimento.
BANIA DE PORCO DE BALTIMOOR
720 rs. a libra, o 10560 o kilogrammo., em 800 rs. a garrafa.
SEVADINHA E SAG ^280 rs. a libra e
620 rs. o kilogrammo.
FARINHA DE ARARUTA VERDADEIRA
640 a libra e 40400 o kilogrammo.
BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
40'0 rs. a libra e 8 VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANCA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
30200 e 60500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 10280, 20500
30500,40500, 50500 a lata e a retalho e 10
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA a 400 rs
c masso. e em caixa ha abatimento.
BATATAS* NOVAS DE LISBOA 60, rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA H 50500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS &
BELL, 800 rs. a garrafa e 90 a dnzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 10500, 10200, 10 e
porco se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
30400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 60000 a arroba.
CAF EM GRAO 60 e 60500 a arroba,
200,2*0 e 260 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SABO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PAR\ SOPA, MACARRAO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a libra je
10220 o kilogrammo..
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como porola bri-
lhante, combination, Francy-cracynel, mixed
Britania. Mdium, Fancy-nic-nac, a, b, <;, e
soda a 10000 e 10400, cada urna lata.
Assim como ha outros muitos
muito r.ovss, passas e figos novos, charutos de diversas marca:}, marmelada, feita pelos
melhores cnserveiros em Lisboa, gela de marmello, pcego, ervilhas, em latas, por-
tuguezas e francezas, vinho verde engarrafado retalho, peixe em latas, bem como
pescada, tamba, pargo, goraz, lula, corvina, vezngo, cavala, sf rda e sardinhas de Nan-
tes. Canella, cravo, ervadoce, cominho, pimenta, grandesmolhos de sebolla 10500.
Finalmente muitos outros gneros que enfandonho menciona-los.
* Na loja armazem do Pavao rrn da Imperatriz n. 60.
GENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 70 e 60 a frasqueira, e 500 rs. o
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a frasqueira e 10 o frasco.
QUEIJS DE DrVERSOS VAPORES,
30000, 20800 e 20400 em caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 110500 a arroba.
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 10000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TO a 10000 rs. a lata.
CHA FINO., GR\UDO E MIUDLNHO
30200 e 20800 a libra, e 60100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 20000,
20200 e 10800, rs. a libra,
gneros, vinho em ancorlas, azeitonas,
PARA A FESTA
3 portas,'I-ja de fer a#em
53-Rua Direita53
Neste grande estabelecimento, ha para vender
nm completo sofliraeuto de ferragem, e miudwas
fircs o grossas, como sejam bandeja* chinelas
quadraJas c ovaeg, faeas e garfos fle J 2 bc-
toes, balando inteiro o 1/2 balanco; panella?, cha-
Iheira?, ccarollas, frigldeiras, as'adeiras, tnto
de ferro como de porcelana, moinhos para cafu de
diversos tamanhos do fabricante 3apy, aesos kilo-
rasiraos, tanto de ferro como de lata), metros
Farinha da trra,
Manoel Jos Alves tem para vender 300 saceos
>-.om farinha da trra : na ra da Piaia n. 83, ar-
maiem de carne seccar _____________-
Vendein-se dous cofres de ferro com algum
uso, de afamados fabricantes em Pars : na ra
do Commervio n. 9, 4* andar.
CEMENTO
PORTLA.ND.
Veode-se no armannv anurello de Vicente Fer-
para medir f.zenda tanto de 3 lafao, ^a^*tn3e0nt9 d ^ Ct
jalilre, brea, barbante, enwfre,- papel marca via- ceicao, am uarrica* grande. ---------,
do, do verdadeiro Picardo, machinas para desea-, R,.]*iti>ic HpplYllPQ '
rojar algodw; alm de outros rpg< de farra-1 DctltllVti Uetlllltl^.
cem, raudaza cutilaria* finas, que s wn a vis- vendem-se bataneas decimaes dd todos os lma-
la se verifica ; na ra direita n. S3 loja d:i p"r- nhos, paraongenhos e arma enj (lo awmcar : na
tas de Manocl Bento da Oiiveira Bragai CJ cas de Paronto Viaana A C
ur.l l*il'l
0 Campos da ra Jo finpe 28
no intuito de servir sutsfntori memo
seus innumeraveis amigos e fr'gnezes, em
particular e em geral ao respitvel pmo,
desta cidade ; avisa aos qu ostiverem pas-
sando o tempo calmoso, nos deleitaveis
arrabaldcs desta capital, 'pictem resolvido
vender, de de superior qualiddde^a precos
razoaveis, os seguintes gneros a saber:
PARA CIMA DE APARADORES
Latas com doce ern calda de diversas
qualidades nacionaes e estrangeiros.
Ditas com peixe a saber; salmn, ostras
o lagostas.
Ditas com ervilhas francezas e portugue-
zas.
Ditas com gela franceza.
Cerveja franceza vejdadeira Bobee.
Presunto para fiambre e afiam I irados...
PAR.\ DISPENSAS
Latas com chouricas novas senado de 8,
cada urna.
Presuntos de Lamego para tompeiro.
Cuias do Para (pntalas pelos indgenas
dquella- provincia.
Copos de vidro com dobradica e tampa
para diversos mistei
PARA OS QUART05 DE DORMIDA
Porta-phosphoros cheios de phosplioros
de segnraTrca.
PARA SALA
Churutos de S. Flix do afamado fabri-
cante Costa.
Fumo picado do Daniel de S. Jlo do
Rio de Novo.
Alm desses gneros, o Campos tem con-
viccao de que o seu estabelecimento um
dos que podem satisfazer com garantas as
exigencias bem entendidas, dos Ilustrados
habitantes desta heroica provincia, porquan-
to se acha elle bem prvido de gneros su-
periores, de maneira a nao desmentir
O Campos.
Eua Nova
VBbS-SB MUITO BARATO PARA LIQUI-
DAR M DIM
* Easvns.
:\ branca ma as, cheg :
pol esl Ultimo vapor para homens. enho-
ras e'de r'ics ^pretas para meninos
par 20000.
Minhas fastas!!
Lindos objectos para inintos, orno sejam:
Btojosi caixliihM de msica, bolcinhas e
s(-!;':li.is, vasos i b.-ilniihos de porcelana
donrada, figuras, tinteiros, poil-boo(|uet,
Caxinhas araj i,is, inteosntes conchinhas
c para r(j.rato, appaft-lhos de plaqu, cama-
R e madrtpnola,' lindos vasos o.m pe fu-
marias etc. etc, e muitos outros objectos
pan: esle fim.
Chapeo^ de Stiim ricamente enhitados e niais mo-
dernos que pode baver para senhoras a
14?. f^e 183000.
GDIPUR8 01 CROCH
pn/.o ou branco que o pode baver de mais
boiiito empadre.-? e wptriorem qualidades
para casacos, capinhas,' corpinbos, meas
saias etc. e vendj-se muito barato.
LINDAS CAMELIAS
Wa&cas e cor de rosa de dous lmannos
cada rosa a I $200 e 1*500.
Chapeos para senr. oras,
de palca fina de Italia elegantemente enfei-
tados e gostos muito modernos de I5$O0O,
vende-se para li midar a lOdOOO. E' pe-
chincha.
ATHWC40-"
\cnile-s urna ca<:i do pedia a cal na ciUa da-
DO
BRAGO DE OURO,
Ra do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento encontra-se
diariamente um variado sortimento de bo
linhos para cha, pastis, podins, bollos in-
glezes, paes de l. presuntos, ditos em fiam-
bre, superior cha Hyason, preto, e miudi-
nho. Vinhos finos de todas as qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, fructas muito boas, por-
tuguezas e francezas.
Um completo e variado sortimento de
caixinhas de todas os gostos e precos para
mimosear senhoras, estas caixinhas recen-
temente chegadas de Taris sao de primoia-
do gosto, offeresse-tfio-las aos alanteadoi es
do bello sexo pois nellas acharSo nm digno
e serio presento para as denas dos seus
pensamentos. Tambera os apreciadores da
boa fumaca encontrarlo charutos dos me-
lhores fabricantes da-'Labia e de Havana
sganos do Rio de Janeiro etc. etc
Doces d'ovos seceos, cbristalisadps e de
calda, ditos de caj e de outras qualidades.
I Escwla, col grandes ojuuhu ^ pira familia, si-
v lo arborisado. fruteiras e b.l?lan*.cs fis do dures.
|tendd nlra dlMb dWteoes hffieiintes cara don*
otabolectmentoa ; as bradadn, Hiede sesenta p
i dous palmos ie frent! o oitenla de fundo. : quem
] pretf-ndrr compra-lj 9irlja-se a roa do Queiinaiio
u. li, loja do Silva Rocha v Mv.-iv. lo, (ue estos
lnd':crS n psate qw qtter wn le-ta. *
Papel.
do iiireratup n. lodefr^nte de S.
Francisco, acba-.c a venda papi-i para iiiprei;:i.i
grf Jesn, duplo dito, e do foimat.) dn diario, tan-
to ein farde?, como em rwma e menino cni mao?,
papel para livrol do commerci> grande, ^fi,
raiiin, barr, e'', iume, li-o e pautado, de linho
liso, e paui.ido, de coree gaanda, aequi do, e urna
grande porco dc-um pnpel esp.i.'lal pela sua lin-
da fr, cgrande formito, papel amisMe envelope,
e outras incitas >|ua:iJ.Ues, tnd) a presos rasoa-
vi-.
Xa tm
24000
bailes
encommendas avulss, com.o seja pao d* 10
e bollos enfeitados e iu.vs utas couzas
que enfadonho mencionar.
' 'ttdiras de pfttho re abrir e fechar
yo nrra:. n de Paulo Io Gomes & Climaeo.
raes 2i de fovembro n. ?S, vendem e cadeiras
Je piuhi. aiBCTisano de luir e fechar, proprias pi-
ra a'rr.. c.- assim como, pela fcil coDduc\'ao,
pode pessoa (ue viaja .-nnduzi-lts s-eni
incprrraod, ? Ittem assim um asstT.to apri.priaito
para desRHtfodh >iagem ; o bem assim a rapazea-
da, fi: represen te padra, procura os arrabaldes
aflm > pasiarem nm dia livredo calor da cidade,
"h tadus k'baix'i do fronclos's arbus-
Invana. sem er preciso esta-
r m ,' i Ti'lva, oni reeoio le -erem mor-
Jidos i i i. i veneno-o.
Passarmlvos de metal prateado.
Nesla casa rea'bem-se enairfllHSinlaTpSrT" ar r ""n ,['"'' paanchos
ailes, casamentos e baptisados e qualquer l*,-metal ^:''pMn ''nn sp-nr a :^'r: <
A ten^o
Joaquim lt:drigues Tavare^ do Me':.
ten) para vender no en escript ino, pir-
ca do Corpo Santo n. 7 primeiro andar,
potassa da RtWsa ltimamente chegad
cal de Lisboa e v.'uha Durdeaux de sup
rior (lualidade. i-;:;
j siiaj*i*sii=ij '--j5^*a5SSSi>

Resta venda um eseolhido sortimento de oh
lectos de marcineria, como sejam, niobilias de ja-
Mrand, mogno eamar.eiio, obra nacional e estraa-
{eir, d apurado gosto e por preo.*t razoave9:
aa ra estreita do Rosario n. 32. Xesta mesma
osa fazem-se com perfeicSo todos os trabalhos d^
palhinha, como sejam, empaihamentos de lastro*
jara camas, cadeiras e sopLs.
DrSe 50^1)00 de gratifica-
do
Fuo no da 29 do prximo pa-eado nei a es-
rara de nome Bertoieti, idado i-i anuos potico
mais cu menon, eT-parda, caii-,io- carapintios,
pernas f, ded^s des i
maos compridos, seio peiinona, beieo.; gr.)>so-,
bocea regular, anda muito ligfiro. bem 'allant'*,
evou ve tillo rabee?' d labyrimtio o saiatambeni,
aoi'os brancos, teiii um signal de nm antraz na
nuca, do lado direito ou esquerdo : ropa-se, por-
tanto. ai autoridadi s n liciaes c capitacs de cam-
po a arprelienso da mesma, e leva-la ao Itema-
dio. casa do absixo assignado? (
Antonio Menelles Oirdeiro Je Gusmae.
A ra do Livraraecto n. 0, continua a ha-
ver para vender por precos rasoaveis, o
melhor vinho verde at boje vindo a estf
mercado.
RIJA DA (Mmii \. 5
Olaria do JFandao.
Ha sempre nesta olaria grande sortimento de
materiaes, como tnolos e alvenaria batida, ladri-
Iho, quadrado de 8, 9 e mais pollegadas, telbas e
telhes, tijolos de tapamentos. O proprietario des-
ta olaria garante a bondade e barro de taes mate-
riaes, como tambem vende-se mais barato do que
em outra qualquer parte
- Vende-se um carro de quatro assentos, pare
dous cavallos, cim arreios. Os pretendentes po-
dem v-lo na ra do Hospicio offleina do Sr. Ge-
raldo, corneiro, e tratar com Vicente Ferreira da
Costa: ra de Riachuelo.
Vepde-se a casa terrea i'om sotea corrida, ha
pouco construida, sita ra da Camboa do Carmo
n. 17 : a tratar na rjia larga do Rosarlo, armazem
de louca de porta larga.
Pinga do Douro.
Flix Pereira da Silva recchea novamente. por
cao de barris do bem conheeidoe excellente vinho
puro do Douro, muito proprio para mesa, e vende
por preco commodo : na rao da Imperatriz nu
mero 60.
ll MfMJ 1IIVUI
Vende-se urna mobilia de mogno com as pguin-
tes pecas : 1 sof, i adeira de guarnicao, 2
ditas de braco, 3 consoles, o jardincira com'pjdra
mormore. em muito bont estado : a tratar na ra
do Soccgo n. 23.
VENDE-SE ou arrenda-se o engenno
S. Gaspar, sito na freguezia de Serinh.vm.
comarca do Rio Formoso, proxi'no do em
barque, com grandes partidos de pul e
massap i roda da oioonda. maitos mangues
para madeira neessaria, biim pasto, etc.:
a tratar na roa d'Aurora n. 26, mi na do
Imperador n. 20. _______
Manoel AlveiiVrreUa & C, na ra Moe-
da n. .', andar.'tein par.'y,woder superior viuh
do Porto em ancoretas e tilias du duii.s, barril-
ziuhos com iOO e oOD sirdlnhas soperinres e bar-
rica^ coa" bago do *ak.;?';r'ft>, potassa l:f Rtifsia
e Cal d4ii*o*.
esqrayos fmms.
faci no dia 8 do crrente inez de ileieni-
i cada, c escravo Paulo, cabra, de idadu 0 aonos,
altura e corpo regulares, barbado, eabeilos cara-
pinbos, peitos e pernos bem ewbelhnlos, cara c mi
marcas do bexjfas, lem marca de chicote pelas
costas cem parenciasdequelmidara?, vestido com
calca de brim | ard >. camisa de mdap< law, cha-
peo de palba de caniauba. fot escravo do padre
Luiz, morador nos Afogados, tendo o mesm i w-
iTavo miflber o filhos nisse lugar : paga-se I0
le gratificacao a quem o prender e leva-lo ao dito
engenlio, ou na tm do tabng o. li ao Sr. Fran-
cisco Antonio do Rrito.
GratiflcaclodelOOj
Ao chegar a esta cidade em sua ultima viagc.m
dos fiortos do norto o vipor nacional Guar, fugm
de bordo o escravo Sevcrino, mulato, de 0 annos
de idade, quo do Cear reraelliam os Srs. Vieira
Salgado Sonza c C por conta do Sr. Hayimtado
Olimpio G. Kreilas, aa Sr. Ifclubim Rileiio de
Abren, no Rio de Janeiro : pede-se, portanto, s
autoridades polieiaes desta cidade e aos capitaes
de campo a captura do referido escravo, e de en-
tregaren) no aos abaixo assignados nesta cidade,
ao caes da alfandeta vtlha u. 2, que se respn-'a-
hilisam por todas as despezas que se (izereui, gra-
tifieando man a qualquer capilao de campo com a
quautia cima referida.
Veras A Barbedo.
AVISO
Fugio no dia 13 de dezembro do correte anra
do engenno Santos Mendes da comarca de Na-
zareth da Malta, urna escrava perlencente a Laa-
rentino Gomes da Cunha Pereira Beltro, do no-
na Hara, crioula. idado 16 annos pouco mais cu
menos, baixa e grossa. cor preta, cara redonda,
tem em um e outro canto do qn ;hto cabellos que
ella pode raspar, canellas ana*, pos seceos e parraibados, undo o dedo nwso dos pos mullo
maior que o# outras, o bem ladiu, gastando de
beber agurdente e do a-sistir a qualq er divf r-
timento que encontr : rooa-se as autboridad
capilaes de camp e a qualquer ie-*oa a captura
da dita escrava sendo onlregae no niesmo enire-
nho ou no Recite aos Srs. Oliv;ira Filnos A 1,
Eraca do Corpo Santo n. 19, Pandar, que sera
em" gratificado.
Aviso s autoridades policial
e a quem competir
No dia 2 de maio do corrente anno,
fugio o escravo Ezeqniel, croulo de 30 -:'
annos de idade. estatura regular, reforcado
cor bem preta. cabeca redonda, trajava -v
mi-a azul e calca de cassemira cinzent:
durante n dia cusiuma andar gateando n.r
rtia,m em arma/ens deassucar ou na;
beMHr4ionversar e a b*b*r; dirar" ,i
noite r*wtho.-vc a telhoims abertos, i n
nelrnv.'h,;i .;s.i- cm construcc*) o aool
qaaesquer lucros, onde se pos- abrigar;
quera ;ipprttn/ler tenb a honab do o
[ondiizia a m* da .Anrora b. <8. ou 6a \
mperador n, *, onde graUcato


Diario de Pernamlroco Terqa feira 28 de Dezembro de 1869.
.i.11
.. -L^t
' 4.i.

ORAtfO
HKCIT ,l)A NA \UW\ D\ GMHUA, NO RIO DE
J.VNEIHO, 04* XA81A0 O TS-DEM K*
Al^i M 6RAOA HCfcO RSTABELKCLMEN-
TO DA SAnF. DK Sl'A MAGKSTADE A 1M-
PKHATIUZ, N 1.0 HKVKBKNIMSSIUO 10 MA-
NOKI. DK '6ARVAI.HA.
As soberanas de ootros palies excedem-
se l-imo no laxo, c pecc-am tanto pela os-
teatefiau que alse impoems modas como
modelos.
A nossa imflcratriz, ao contrario, d-iios
o txempl da mats rafa simpcidade e da
todusiia a ruis anglica, asiisaado-nos
assim do perigo que tyz corasigo o lu\o,
occasionando a ruina e adesgraca das facil-
itas menos abamiadas.
E entretanto, coovm dizel o incidente-
menp\ es.se exemplo edificante pouco tem
aproveitadu. paran felizmente v-se por
ah muita fortuna mediocre devorada pelo
fausto e biiibartUsmo que ostentara, doixan-
do-se os indigentes eonvulsaado nos horro-
res da miseria (
Quando, pois, a existencia desse anjo de
boudado perigava, era justo que o espirito
dos BrasaJeiros se etevasse ai o tbrooo do
Eterno, pedindo com fervorosas preces que
conservasse essa vida lo preciosa e bem-
fazeja, que nao nos privasse rico peahor de
sumina f< licidade I
!-4o lia no mundo, ea o digo com o no-
bro enthqsiasroo de fimo de Saota Cruz, nio
ha no mondo urna soberana que impere mais
no coracaodeaen vastadlos do que a im-
pera triz do Brasil.
Para nos Ha *o imperatriz, segando a
coBStituigu, mais do que isto : impera
iriide iiosus cojaf. s. de nossas intelli-
encias, de nossas ventadas, de nossos des-
tinos.
Era justo, pois. que orassemos; e as
nossas preces ferventes e sinceras foram
attendidas.
Aos dias angustiosos de serias inqnie-
iacoes e de tristes conjecturas, alvoreceu a
aurora brilbante do felicidade que veio res-
tituir-nos o jubilo de que justamente esta-
mos possuidos.
Agora eumm rendermas gracas ao Om-
nipotente por tSo faustoso aconlecimento.
Dos, o centro luminoso, cuja irradia-
Co santifica as almas e Ilumina as intelli-
geocias ; quem cminha para elle busca a
vida e a immortalidade.
Ante sea iramenra poder nos devenios
corar rendendo homenagem de amor e de
recounecimento sua infinita magestade
abatendo o noaso espirito e humilhando
nossa razio, deixar que em nossas almas
grasa, enriquecendo-aos dos dons da Divina
Sabedoria ; submettendo-nos doceis ao sua-
ve jugo da f, devenios erguer os olhos ao
cOt admirando as grandezas e maravilha
do Eterno I
Feliz a inspirarn da imperial irmandade
de Nossa Senhora da Gloria do O'Heiro
i|ue nos convidou ao templo para darmos
iracas a Deus pelo feliz restabelicimento
ite S. M. a imperatriz, e rogarmos-lhe pela
conservacio da saude, e prolongacao da
vida da familia imperial que o nosso
mais bello penkor de felicidade.
E' no tmpto que a alma se eleva e o
coracao se enternece por entre as harmo-
nas royotieae doe cnticos sagrados. E' no
lempo que se conversa com Deus por ineio
* da-oracSo sim|>les e eloqueote, pia e fe vo-
rosa. fc' no templo finalraeute que o pen
smenlo, depois de se haver concentrado
em si mesmo, remonta immensidade, ao
infinito e diz limido de amor e de respeito:
Tc-Detun landamtt>, te Dominum confi-
temar.
o *ys-
\ tem Fell
Em urna estrada de ferro ordinaria a
resistencia ao attrito das rodas' motrizes,
isto a sua adherencia sobre o trilho,
que constitne o panto de apoio que deve
supportar a reaeco do esforco desenvol-
vi para fazei andar o trem. propor-
ioaal ao peso dos eixos motores, por
outros termos presso nos trilbos ; o
ae ohriga n augmentar o peso dos eixos,
isto o peso da machina, epor consequen-
cia o do trem, por que evidentemente o
I peso da machina deve ser
uelle.
alen disto, como a friccJo lse peso
total que i achina deve putar na rbida
das rampa* e rtter na descaa, sMnedta
na razad do teo do ngulo de incTinac6o
da via, ao puto que a pressio exercida
nos trilhos pelas rodas motrizes diminue
na razio do coseno do mesmo acgulo,
ji3o traba sido possivel al hoje cooseguir
que as locomotivas galgasscm fortes de-
clives, porque a resistencia trcete lor-
nava-se rapidament'. superior resistencia
do poo de apoio, isto adherencia
das rodas motrizes, a qual limita sempre
o mximo do effeito til de urna loco-
motiva.
O systema db Sr. Fell, peto COWraHo,
torna a adherencia independer do peso
da machina; poderse, pois, construir ma-
chinas muito leves e relativamente muflo
possantes, capazes de subir os malones
declives.
E' sabido que, introduzindo-se urna'barra
de-'ferro entre os dous cyfldros de m-
laminadpr, a barra levada pelo movimento
de rowtao dos cytindros e sahe pelo outrn
Iado. Mas, como a reaccao igual a accaoi
se a barra fosse fiza e o tamiaador movftl,
seri'este o arrastado pela rotceo : tal' '
o principio da machina nova.
Entre os dous trilhos ordinarios existe
um terceiro, cingido por urnas rodas to-
risontaes, que apertam entre si esse trilho
medio como fariam cylindros de um lami-
nador. A' adherencia natural das rodas
verticaes sobre os trilhos, que resulta do
peso cfa machina, aceresce a adherencia
supplementar das rodas btriwfltaes ao
trilho central, que resulta da presado da
um parafuso e molas Usndnfttes a appm-
ximar urna de outra as rodas de rada par;
e gracas a essa adherencin das rodayAb-
risontaes, os grandes declives podem ser
galgados.
A primeira idea deste augmento da adhe-
rencia total com ajuda d Hm terceiro
trilho, remonta a 1830, o pertence a ddus
eDgenheiros conhecidos : un inglez, o 9r.
Vignole, e um sueco, o Sr. Eiicsoa.
Desde 1843, o bar5o Segner teraou-se
apostle do trilhe central, estudeu-o lonja-
mente e fez adiintar a queito per modo
que merecen o titulo'de psi odeptivo da
nova invenco.
Em 1863, outro engenheiro inglz, o Sr.
Fell, conseguio que a invenco passasie
pratica. Urna locomotiva de rodas bri-
sontaes, construida segunds seos plano?,
foi ensaiada cora pleno sucesse em '.Ingla-
terra.
Estava-se de posse de um me econ-
mico de estender a rede dss vm frreas
at o coradlo das nvlanlm e estabelecer
communicacoes seguras, facis o rpidas
por meio de regi5es que pareciam ter de
ficar sempre sem ellas.
Para apreciar este progresso em sen
justo valor, cumpre lembrar que n ca-
rnee deste secuto nenhum carro atrolado.
tinha anda atravesssado a grande Imlia
que divide a Europa em Jduas partes : os*
Alpes. Para ir por trra da Italia ao resto
do continente! era preciso galgar os Alpes
s costas de burros, como hoje se atravessa
a cordillteira dos Andes.
Um primeiro e triste progresso, nboi-
xando o horaem condico de animal de
carga, foi a adopc3o das liteiras.
Para madar esse estado de cousas, foi
preciso NaDo/eo. MandioeHeem 1801,
por motivo estratgico com-car a- estrada
de carros do Simpln. Alguns anuos de^
pois, o grande engenheiro Fabrotd construio
de 1803 a 1810, a magnifica estrada do
monte Cenis.
A passagem do monte Cenis pde ealo
consnmmar-se, em nove horas no verao e
doze no invern. Era um grande meio-
ramenlo. Para rebocar cada diligencia
eram precisos doze auimaes de tiro, cavados
e molas, durante a primeira estaco e de-
zoilo na segunda.
Em 1857, comecmi-se a grande estrada
de ferro por baixo do monte Cenis, para
substituir a estrada de carros, que substi-
tuir o caminho dos animaes de carga.'
Mas uus quinze- annos eram necessarios
para construir essa linha, e, em nossa
poca, quinze annos muito tmpo.
Desde que o systema Fell foi experi-
mentado com xito, pensou-se em epplica-lo
passagem dos Alpes, e imniediatamente
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
POR
Paulo Fval
Terceira parte
* FLOnEsTA de par*
(Continuaco do n. 294)
IV
* tal cousa de atalar a annlher.
esperandoBte o remate -do 1tmnel,--do
monte Cenis. Em 18Ui. construio-se como
experiencia, um pedaco de 2 kilmetros na
parte mais difcil da estrada, entra" Lansle-
burgo e o cume.
Tendo do boa wtito as experiencias,
concedetf^e a orna compaadiil nukxa, o
fim de Sea, urna Mirada *9 Wffo pro*
visoria, ligando USlnbas de Franfa s d
Italia, de S. MH MM pelo Lansle-
burgo. A comptnhia leve a faeuldade de
assentar os tnlnawt \ Hrada, (lias
deve, em compensafb, a^ppfMldos depois
de acabado Quapel.
No fim lava acabada ; entart-' inuundacois que levaram VpOWif. Jo
fim de 18(57 eslava reparado o desastre,
mas no momento de abrir-so a linha,
vio-te que as av*m>es dtt toeoaftotiras
tinham sido mal cafctfKl e que er* imptis-
sivel que passasatli nts curta* ^ fei #*e-
i reformar BMteaiai. Finalmente o
.iiaHwav pode serinssguradtMt 13 de jutho
de 1888. Em agesto ymmm M outra
tez cortado petas mnandacet, nftfreBta-
belaceone'o servifo no mez segbnte. A
omb tomou inteitompe-lo ha alguns dias
; Mo* fint de-lOTl' estar otoonel acaba-
do e ser suppmmtdo o- eamiaho de trea
trilhos, segundo as clausulado contracto;
otas o systema ser applicado em oulras
eatrndas.
Uia sabio ngenhoiro italiano, o caval-
leiro Valvassori, estudou um projecto que
consiste-em gar aItatia Saissa pelo;
Luekmanieri Seraoi eeastruides tres ca-
minos de ferro de Oamo e d Vareze a
Olivw, de CWrea DiiaeJti?,nnatTBentede
Lucerna e de Zg a aWtetegi. Um caniaho
de tres trnos ligara Olveme a Anateg pas-
sandoporllessentis; a sua eitendo seria
de 70- kiloaaetros. Ai corvas, os declives
e^ largura da estrada seriara calentados para
dar passagem ao material ordinario. A prin-
cipal obra de arta seria um turnio! de 3 ki-
lmetros e meio.
AnnmWid-sn finalmente que o systema
Fell vat ser tambera applicado i passagem
do Simpln if urna extensio de 60 kilo-
meteos.
Pe'o caminho de ferro de tres trilhos, a
passagem do monte Cenis entre S. Miguel
e Suze dura cinto horas e um qaarto; a
metade da vragem em diligencia. A rapi-
dez dos trens varia com o declive, mas
termo medio, de 15 kilmetros por hora.
A largura da bella estrada de Fabroni
de 8 a t) metros ; julgou-se necessario
conservar-lhe urna largura mxima de 5
meteos; era consequencia disso, s tres
metros fbram dados ao camiBho de ferro ;
infelizmente pouco. Pensou-sa que. er-
bom reduzir a um metro, 10 cent, a largua
ra da estrada que de um metro, 44 cent,
em qnasi tolos s estradas de ferro da Eu-
ropa, e essa diminaicfo a causa dos mais
sensiveis defcitos-do sistema.
Primeiramente o systema obriga a bal-
deaces desagrada vais aos passageiros, one-
rosas para as mereadaEias. Augmentata as
despezas de conservacSo e as probabilidades
do deteworaco, ao mesmo tempo que a
b1cIeaf/3o repetida duas vezes, trrc coinsi-
go consideravel perda de tempo.^ Mas ha
outro inconveniente : a diminuicSo da lar-
gura da estrada prodozio a da fornalha da
machina, e, sendo mais fraca a seceso da
focnalha, Oca diminuida a qnantidade de
ar que pod atravessal a era um t;mpo
dado: ora. sendo a auantidade re carvlo
consumido e do vapor produzido propor-
cional massa de ar que serve para quei-
m r ocombustivel, nao se consegue sem
difficuldade supprir, duranie a subida, o
gasto do vapor. Finalmente, ultimo incon-
veniente, a estreiteza do caminho obriga a
feehar os postigos dos carros, porque, se
fossem abertos, quem deitasse a cabera para
fra (icaria com ella esmagada. E' justo
accresoeoter que, ss as- corredicas nio se
podem abrir, tambera para evitar que" a
nev resvale pelas fondas durante o in-
vern.
No futuro, ser absolutamente preciso
que a largura do caminho e o raio das cur-
vas sejam suffieientes para dar passagem aos
carros e aos wages ordinarios, de maneira
qne s tenha de mudarse a machina, passan-
oo do railway vulgar para o railway Fell.
Para construir um material especial, adop
tou-se a opiniao de algumas pessoas que
e xprimiram receios acerca da solidez da es
tradt, mas ver-se-he quio infundada era esta
objeccao, attendendo a que a estrada do
monte Cenis tem mais de meio secuto, que
pdf lano } deu pro vas de si, e finalmente
que M expressaltente construida para dar
^m^mfy artnliarh. .
^^ae vantagens de trM trilhos, esas
s3o nwwroaaa; a para mwhor jnlgal-as,
vamos wunir em dous pequeos quadros
alguns ajgarisW8 comparativos. Nao ser
seto interesa lembrar qual omaximo-dos
tmum do raio das, curvas
que podi 9r-paitados em circumslanclas
wrsis.
#.-* ftitrimo fie s},
ios mtHas ObtertorOes.
') 800"1 grandes curvas.
Camnhos de ferro) fiOO medio.
ordinarios-----) 300 minimo.
Cammbbt de fiao
de mtereasetaltal SOO minimo.
ena de Colonia a
Mmdem....... 150 a menor curva exis-
tente n'um cami-
nho ordinario.
Caminho de ferro
de Sceaua..... 30 systema artfeulado
de Arnoux.
Camitlto de ferro
. da aionle Cenis. 40 systema d* 3 tr
lbos de Fell.
Estradas......... 30 termo medio.
Caminho de ferro
de 9ceaux (as
estaces....... 25
Caminho de ferro) 4 systeraa.de 1 trilho
mixto de Itetacy) Larmanjat (raini-
a Mnotferraeii.'.) mo fim da linha).
i." Jla- Romp Itteltnamo Qhsm'ticites
xitno dos
ftikes. .
Ca minti de i
ferro or-)
di*nrie)
emplanicie
Caminho de)
ferro or-)
di n ario)
em mon-
tanhas...
Ca m i nhos >
de ferro)
de S.)
Germa)
no ao)
Prtq, de) 35
Alexan-)
dria a)
Genova,)
de Bar)
donnec-)
cb e a )
Suze (li-)
n h a em)
c o n s -)
ctrueo..
Caminhode) 43
ferro de)
Enghien)
a Moni-)
more ncy)
Algumas li-) 50
nhas na)
America)
C r o i x -
Rousso..
1G5
3." 22'
de um
cami-
nhode
ferro
par!
viajan-
los.
Rampa mxima gal-gada por animaes
com Rampa car-Imr- 268 404
Rampa mxima gal-gada por) ?00
horaens) 900
45.
22.
35.a
Mais ou
meaos
3""'
9
8
10
20
30
O'U)-
0o 17'
0028'
0o 34
O* 9'
Rampa fcil
Media.
Forte.
Rampa fcil
Media.
Ferie.
O
Rampa excep-
nacional.

Su bem que a -instituico dos sargentos
municipaes, e quanio respeita polica ur-
bana baja progredtdo admiraveimente de-
pois da poja^am que' se passa a nossa
historia, certo-que um acto de violencia,
commettido em plnn boulevard, mesmo
qaeilas. horas da noute, em que o bou-
levaid' verdadeir.Q. deserto, era. eoto, do
mesmo modo qae hoje cousa excessiva
e rark-iraa.
f.ijeife lempo,' era necessario que o
'iramu oourao. fosse arrojada e rpida-
mente umdnzido, porque, se os gaardas
ila nossa segurara erara nano4 nam< rosas
e dados menos severa vigilancia, existiam,
e j as feras da floresta achavam espiuho-
sas as empretas.
Haviam-se commettido dous actos d^
violencia no espaco de alguns minutos, em
dons pontea mu differentes, se bem que
adiemos 03! dous corpos de delicio reuni-
dos no .tesmo banco do boulevard.
Duraate aqueiies dons dias, haviam os
iconttcimentos caroiahado, como pouco
antes dissera a condessa Oirona. A part'
'lo nosso assumpto, que. se refere co-
media familiar entre o bario Scbwariz e
sua loulher,-tocaya qaasi ao desenlace, e
quanto depend d'aquella Ipta ia ser re-
colado satisfazeado-se os desejos da b-iro*
ne/.a, a menos .que alguma influencia et-
iraoh a e mus forte rito fizesse ultima
hora tumbar a balacea.
lateramente entregoe d soprema partida Edrae eran
loa >ogava c>m fombrii retolorSo. o ba conflanca
:-3u pnnha do parle ludo mais. Po4U-3e dade: <)
apostar dobrado contra singelo, que aquel-
los aiiii'iiilio, modesto accessorio d'cslaj
historia de ladoes : o romance de Miguel
o Edme, o romance igualmente de Branca
e Mauricio, iam desenher-se o mais sim-
plesmente que dar-se pode, por dupla
unio, que j cousa alguma impossibili-'
taria.
Masera por ventura a vontade doftarJo
Schwartz, ou mesmo a da baroneza. que
guiava o destino, na estreita esphera em
que os nossos personagens se agitam ...
Passra Edme um da feliz, mas febri-
citante, porque a saue delta, ainda comba-
lida, fcilmente se resenta no meio daqaol-
las coearaoooes. Branca e sua uii tinham
ido ao tntte lugbrio da Sra. Leber. Prolon-
gado, suave sculo servir de exnlicacio
entre a baroneza e Edme. Na singera ca-*
ranba da dozella ostentava-se um vestua-
rio de baile novo e elegantissitiio.
Estevo, o nosso Eslevo, cujos labores
dramticos nao tivemos Drazer de acampp-
uhar, como fra nasso desejo, de certo sen-
tiria all pronunciado odor de qnarto acto
(o quadro intimo !) preparando o desenlace
leliz.
E todava alguem fallava. Miguel nao ae-
sistia aquella festa adoravel.
Muito lempo depois da retirada dus sas
visinhas, Edme, que o eslava esperando,
deilra so completamente vestida em cima
da cama, onde o torpor do cansar/) se apo-
derara della. A' boras que nio frapossi-]
vei determinar, bateram Ihe raui de maa-
sinbo aporta. Levanten-se contente, sup-
pundoser anal o Miguel. Era pela noile
velha ; a loz do candieiro ia roingoand
prestes a extmguir-se.
Foi Bruueau quem entrn.
-r- O Mign I nio vro.disse eM?, respoa-'
dendo expressJo deserprozrque -seibos
da virgem revelav'aaa.
Depois accrescentou:
-7 permittido prendar por qnarenta e
oito boras a> existencia do pm horaem,
para Ihe salvar'tima vida rnteira de felici-
dade.
Tenk) confiaaca em si, murmuran
eapncie de tmido respeito,
- Devo d|er-lne a ver-
Rao goefa- do senhor. pitante
Bruneau sorrio, o que raras vezes Ihe
uccedia.
Creio, creio, responden; se cada vez
qqe elle procura quebrar a caneca, me en-
centra de permeio!
Reassumio o ar 'serio, e perguntou:
Sha m3i dorme ?
Em vista da resposta afirmativa de Edme
tomou o candieiro e penetrou na alcova
da idosa senhora. Edme acompanhou-o
vio-o admirada levantando o veo de gaze
que cobria o bracal lavrado. E ao mesmo
tempo, tendo Ihe a vista corrido para a ja-
nella, notou que todas as janellas da visi
nhanga estavam sem luz.
Etrtao muito tarde ? mnrmorop.
O relogjo de um visinho Daleu tres ho-
ras.
; NSo escemo os momentos, disse Bru-
neau com a fria tranqatthdade que-era t3o
delle. Alm disso, preciso que sua mai
ache isto quando acordar. Amanhaa hao d>
offerecer-me por elle ma somma conside-
ravel.
Qw quer faier ? porgontou Edme
ao vtr que mettia o braca! debaixo da sobre-
casaca.
Vai v-lo, minha Alba, porque me ha
de acompanbar, replicn Bruneau. Falla
alguma cousa nesta peca, qne Ihe deve al-
gon bensficio era corapensacio de tanto
mal que Ihe cansn. Vanos aqu perto
forja de um amigo meo; dentro de orna
hora ha de estar de vottacom o seo bracal.
Veuha.
Edme poz immediatamente o chapelinho,
abafou os nombros com ,0 mantelete.
A forja. prxima do botequin da Espiga
Oetfmjm eslava accesa, e 14 etperava um
operario.
sabido como erara fabricados aquelles
nantes completo, qu chamamos bracaes.
'oi de certo a carapoca dos crustceos que
ties servio ds modelo. Brmwau, de cuja
babilidae Bdmee afib auspeitava, desar-
nou a paca rfnm inttanta, e separoua
como quem abra urna ligosta. Preparara
o farreiro tras series de dontet ou franjas,
tormadw d bastes agudas. Braneat revi-
rou-as para o interior voltando-lhes as pon-
tas livres, lavemeate incliaadas, era relacao
ao plano dos anfteis, para o puobo do
3o A
as? .*;->
inaior
rampa
c o ro-
pa.
Mximo
para
as lo-
como-
ti vas
ordi
narias.
Caminho de
ferro mix-
to de Ra
rnev a
Montfer-
meil.... 72 4. 7 Mximo.
Grandes es-
tradas... 83 4." 46" Mximo.
Caminho de
ferro do 1
monte Ce- - t
nis.....84 4.0 W Mximo;
Caminho de
ferro de
Santos a
Jundiahy 100 5." 43' Tracco de ca bo..
Rampa m-
xima gal-
gada pe-
tos carros 132 7. 30'
Camiubo de
ferro de
LyoQ a
Soto du-
ro.
42." Terra
sola.
A rampa, que no mximo de 84 raitli-
metros por metro na estrada de ferro do
monte Cenis, varia de 52 a BOmillmetros
entre Lansleburgo e o cume, e de 65 a 81
entre a grand'Croix e Suse, a sabida da es-
tacSo do Modane existe urna rampa de 83
em umaextnsao de 900 metros.
A extensio total da estrada no monte Ce-
nis de 7$ kilmetros e 200 metros. Co-
mecando 722 metros cima do nivel do
mar, sobe 2.008 metros, para descer a 533
metros, descendo iaesim 1.562 metros ero
urna extensa de1 27 kilmetros 00
metros, distancia que separa Saze do
cume.
Em S. Miguel e em Suze o caminho Fell
vai ter ao interior das estaces das compa-
nhias de Lyon e da Alta Italia, o que
asss commodo para as baldeaces. Exis-
tem quatro estacos intermediarias: em
Modane, Bramans, Lanslebourg e Grand'-
Croix, urna parada em TermignoU, duases-
laces (garages) era S. Martin c na fron-
teira, onze depsitos d'agua e tres de ma-
terial nos dous extremos e em Lanslebotgo,
onde se muda a machina tanto na ida
como na volla.
A va frrea, qne oceupa o terco da lar-
gura da estrada, foi estabelecda do lado
exterior, o separada por urna barreira
continua, da parle da estrada reservada aos
carros.
Gracas a essa sabia dsposc5o, seumea-
vallo assustado pela passagem de um trem
ou por qualquer oulf* causa dispara, ser
retido por esa barreira e j n8o corre ris-
co de cahir no abysmo. Porlanto o railway
melhorou a estrada.
A via frrea n3o segu sempre a estrada
dos carros ; as vezes deixa-a para mllen-
se pela velha estrada de animaes de carga-.
Finalmente em varios" lugares foi preciso
abrir um caminho novo. Assim, por exem-
po, a Cada volla do grande zigzag traca-
d as rampas do monte Genis.0 Alm de
Lansleburgo, foi necessario alargar o raio
das cunas, lalhando a rocha viva, e mui-
ta vez passar em tunnel. Existem 7 ou 8
pequeos subterrneos, geralmente em
arco de circulo, entre essa estacSo e
Suze.
Nesta parte da linha tinha de lutar-se
com urna difikuldade terrvel : a nev
que cobre a montanha durante mais da me-
tade do anno. Para preservar a linha,
cobriram-n'a em differentes lugares, em
urna extenso total de 8 kilmetros 500 me-
tros. Onde as avalanches eram de receiar,
e^l a estrada protegida por galeras de
pedra. as outras secces cobertas, o te-
Ibado de folha de ferro ondulado. O in-
conveniente dessas galeras cobertas que
o fumo accumula-se a ponto de incommo-
dar os viajantes ; para evita-lo trita-sc de
adaptar a chamm um tubo flexivel, que
conduzir al a parte posterior dos trens
os productos gazosos da combusto; resta
saber se o tubo nao diliculta o trans-
porte.
No resto da estrada duas locomotivas,
munidas de charras para nene, lmparSo
constantemente a estrada.
A parte do railway comprehendida entre
Lansleburgo e S. Miguel, paralella ao
rio d'Arc. Primitivamente zeram-se para
E foi tudo. Sabemos como Edme e elle
se sepa/arana.
Edme caminhava com passos diflkeis e
fatigados, segurado o passeto meridional do
boulevard. P3o senta medo no moio da -
quella solido. Votra-lhe o accesso da.
febre. Achara um vacuo na cabcCa e pro-
curava segurar pensamentos vagos, que pa
reciara escarnece la.
A' altura dD caf Turco, cruson com
eHa um homem. Quan lo muito, mal den por
elle.
N3o succedeu o mesmo ao sugeito. As-
sim que passou por ella, soltoo ura gesto de
maior espanto e eslacou immediatamente, ao
T-la retirar-se
Pareca homem de meia idade.' Trajava
i largo paletot, cuja goa vollada para cima
fhe suba at as orelhas. Tinha bastas suis
sss pretas e ocolos azues.
Tomando sbita determJnocJo, e sem ar-
ticular palavra, voltou aira/, affectando o
cambalear de um ebrio. Chegou-3e
Edrae, e agarrando-a brolalmente pela cin-
tura, bartraeiou cora voz avinhada :
A' estashora por estes sitios, minha
lord I Isto obra.....D e um abracipbo,
menina, d c.... olhe que nao soti ne-
nhum lohtsbomem!
Despertando do sea torpor, Edme esqu
.von sobresaltada o corpo e recuou muitus
passoa cambaleando.
O* homem d* culos zoes senlira-lhe o
bracal debatxo do mantelete. Se n5o fftra
isso levar o inveroshnel at ao absurdo,
pensaramos que era justamente o bracal o
nbjecto Abijado aaquelte atrevido galanteio,
porque Bcon o sucedo por um instante
como estpafado par semelhante deseo-
berta.
B, realmente, sa elle coabecia Edme Le-
ber, poda maito bem conhecer igualmente o
bracal.
A hesilacSto fot d pouca dora.
Correa para diaote, dando voz a ex-
prestlo oxidada a ronca da completa am-
briaguez.
Ai, te fazes-te fina, magaa, excla-
mou tambaleando e agitando os brac-s enn
gestos extravagantissimos. Despiezas urna
pesso ralwt por vr Np6. taso faz-se, ga-
rata ? om francez qne te oflferece o co-
rac9, neaina J .. *wra a guarda! viva a
o caminho FBpoles SMIalas das 8Fes-
r* ^i&teJ*Alfi uunj||.Jram levadas pc-
da- tis lanundages de l80,lasolveu-seque
00.A a via ferw paisatse muits vezes pulas
i*or pontee da estrada. Onde efctas pontes to-
* Iam MMVstdas eeafrH a'VWmpanhia ele-
gantes pontes de ferro, i-ommuns a estra-
da publica c ao sen proprio caminlio.
Quati^^aterawtrajtiyas uiiiesggp- espe-
ciaes io caminiio de f. 'fljp 'ei,;1,
e ^hW asfls -fanp*ct3r a ponta^unan,
que forma urna curva de 40 metros de
raio, sobre urna tornate que cala er;i
oscal no Aro. W oroierieta a obra
d'arte mais audaz da linha toda.
, Devenios explicar agoni qual o artificio
emprapado para lomear as curvas de 40
metros e galgar as rampas de 84 millim-
tros.
A via composta de doui trilhos lalurac-s
e de um trilho central o double champg-
non, eoHocado a i$ cenii^etros cima dos
trilhos externos.
O trilho central s posto as partes
da estrada em qne a rampa vai alm de 30
millimetros, e sendo menor a rampa, as
curvas de menos de 100| metros do raio.
Pato factar a passagem o>s frcios eciitrnen
e das rodas horisonties, oitrillm ttiM
termnwdo em penta em telas as soturnos
de Contmuidad.
Tinha esse trilho o grave inconveniente
de oppor-se ab estabeleeimento das passa-
gens a nivel. A difficuldRde foi aplanada.
fO trilho central, na passagem dessas pasVa-
gens, foi feito de modo que se movess na
c'abeca dan est cas que o sustentara cima
da estrada; eseas estacas podem vrttar por
s mesmas'em volta da base, paralelainento
com aexteni;ao do trilla central, catar a-
rastendo o consigo e desapparecur, esteh-
dendo-se com elle n'um entalhe preparada
no eixo da estrada.
Todo o systema posto em movimento
por uma alatvanea qoe o guarda btoreir
encarrepado de manobrar. Nessas passa-
gens a va comprehende pois 7 trilhos: os
dons trilhos ordinarios sob os quaes se mo-
vem as rodas, os dous contra-trilhos liabf-
tnaes, o trilho central e dous trilhos que
formara as costas do entalho em que se er.-
caixa o trilho movel.
Isto quanto o material fixo. Quanto s loco-
motivas, tura oito rodas solidarias e da m"s-
*o dimetro; mas s quatro dessas rodas
sao verticaes e correm pelos trilhos exte-
riores ; as outras quatro rodas s3o hoiison-
taes. Coltocadas debaixo da machina, duas
de cada lado do trilho central, apeitam-st-
uma contra a outra. A sua pressao, regu-
lada pelo machiniste, prednzida por um
parafuso e molas,
O peso total das machinas de 29 tonel-
ladas, e a pressao exercida pelas rodas lio-
risontaes de 30 toneladas no mximo. A
press3o total das oito rodas de 30 tonela-
das, e a adherencia, igual sexta parle da
presso, do 8 toneladas.
As machinas podem rebocar 20 a O lo
neladas, isto do simples ao duplo do eu
peso. A carga ordinaria dos trenS de via-
jantes de 20 toneladas.
As locomotivas sao armadas de freio ordi-
nario com cepos de madeira e de ura fteiu
central. Sobem com a presso de 9 almos*
pberas.
Os carros e os wages sao armados do
dous freio*- que o conductor pode manobrar
ao mesmo terapo : um freio ordinario com
cepos de ferro fundido e um freio que
prende o trilho central. Todos os vehcu-
los tem, alm disso duas corredicas direc-
toras, entre as quaes passa o mesmo ti illio,
e cada um dos eixos tem uma roda para a
passagem as curvas.
O Irdho central preenche tres funccOes
distinctas ; l.\ augmentando a adherencia
de tres quintas partes, ajuda a tracc-o na
mesma proporfao; 2.a, as grandes' cor>as
sendo abracado pelas rodas horisontaes. o
trilho central impede que a torca centrifu-
ga alre os vehculos sobre o trilho exteroi;
3.', preso peto freio central qoe o aperta
como um torno de bancada e suspende.-per
assim dizer. o trem. E* t3o pnesante o
freio que na decida o trem canana mis
vagarosamente que na subida, e para (|ua.-i
instantneamente desde que se prende o
freio ; segundo toda probabilidade, nao pro-
duziria nenham desastre a ruptura do trem.
(Continuar-se-ha.i
linha! Nao fujas, gaiata, que quero fazer a
tua felicidade I Anda c, mazona.
' Era embriaguez theatral, um tanto bem
fingida de mais.
Nao era, porm, a nossa Edme muito
entendida era borracheiras, nem tan< pouco
tinha o sangue-frio preciso para poder
apreciar o que- se Ihe apresentava.
Apoderou-se-lhe do animo o instinciivo
assombro que confrange o peiio das crean-
C-as, ao aspecto de um perigo desconheoi--
do; sollougritos abalados, continuos, gri-
tos de louca, e fugio, sera saber para on-
de io.
O hornera de oculos azues seguio-a, sem
mais se importar cora o papel de ebrio.
Sabia de scencia certa que ella nao volta
ra. Alm disso tinha outra preoccopa
C3o : a vista penetrante passava-he por ci-
ma (tos ofulos e interrogava ao longe o
boulevard, para ver se al gura guarda da
coutida Ihe espiava a montara.
Qoanto a vista podia JtaataA estava o
boulevard solitario, e os gritos de Edme
iaro-se cala vea tornando mais sumidos.
Atravessou a calcada. Tinha tal vez va-
gamsnta idea de voltar ao ponte d'onde
partir, para se aoolner pro*s|8o de
Bruneau: .,
Quanto ao plano do homem dos Wulos
zoes, nada linha de incert. Quera correr
a caca-paraos tornavam o novo boulevard Beanmarchais,
certlssimo de qoe flearia alli senhor absolu-
to da situapao.
Nao Ihe foi preciso fazer lo tonga jorna-
da. Edme tropecon otia primeira ve ao
airavessar a calcada, e pouco depois cahio ti0-o era "todos os sentidos.
comecou por trar os oculos azues. c de-
pois as largas suissas pretas, destobrindo
assim o semblante destacadamente resolnto
do mui alto e poderoso Sr. Lecoq.
Ah vai uma sorpreza, dsse exiblndo
os despojos. Dava-maao trabalio de ron-
dar a porta de uma visinha, para nao dei-
xar fugir este passaro; e anal vira apauha-
lo fra da gaiola.
Varaos l a ver I disse a galera ctra
respeitosa curiosidade.
E Cocotte accrescentou com ar alfa -
vel :
Ah est o que torna pasmoso o Sr.
Tnieaec Amisada 1 per sempre os punjos
nos ii e nunca jogar comnosco as escon-
didat.
Que vem a ter isso,patro .J pcigiiL-
tarara algumas vozes cariosos.
Isso, respondeu o Sr Lecoq, sao
quatro milhes em, notas do banco de
Fra^ga para dividir pelos meus meni-
nos.
Meas amorinhos, continnava o 8r.
Lcoq, ninguera capaz d" dizer qne-*ii
tenha medo de arriscar a minha segoennea
pela companhia-de voces, mo verdade .'
O coronel pertencia escota antiga : en c
ftb d,T*moderaa i-fazir-se adorar N3o ha
melhor couraCa.
E conservar ama -leeada ao pesclo
dos amigos,- disparo Piqaepuce.
O Sr. Lecoq djrigio-lhe em meneio
de cabeca.aff.rmativa. replicou rindo :
Gso de u-porqne m- entender
E.convorsando.exammava minuciosamen-
te o bracal, que roirava e remirava. voftan-
sem sentidos no passeo marginal da ra,
as ittmediacoes da Galeota. Com ines-
perada aridade, o homem de oculos azues
levantou-a nos bracos robustos e transpo-
tou-a para o banco mais prximo.
Alli a dejx'ou, sem te importar maito
'cora o estado em que poda ficar, e affas-
tou-se- passo largo, levando o bracal da*]
baixo do paletot.
Foi assim que alcancou o botequm db
Eipiga Cetfbda, onde a sua dhegada foi -
signal para- a retrtda dos nossos amigos
Bfet e Similor.
fando estes sahido, e fechadas caoteto-
samenle as portas do santuario, o sugeito
Reinar ao mesmo tempo pela fbrea e
pela affeicao, disse, o prograrama da
va escola. Todos "voces soem multo Beto
que nada podem gaohar com O prejudicar
o pap ; mas anda que fd&se possivel dar
isso a escolber, nao com api
nico Judas entro !a sOcle-
dade qpe est presente; nSo ?**?, dteMs
mntobs?
; Estrondosa acdaraacjto pozpaa8ai|aell
Vnscnrso,'rapido: lm, mas aloqueafc.
Tir. 1 MAiit-4nA b*s rturfl...
i
' 1
^,
i

1

i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELI9L2IB5_2VF1VK INGEST_TIME 2013-09-14T01:48:51Z PACKAGE AA00011611_12027
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES