Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12025


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLV. NUMERO 293.

P1H* A CAHm E ITOABES 05DE IAO SS ftU NTC.
fot seis artos dem. ...... Jf
24J080
Por ua anoa dem.
Cad Btmero avulso .
Os St Gwardo Antonio Atas Pllhos, no Para; Goncairea Pinto, no Mar nhSo; Jowja Jos do Otimr, no Cw*; AoUmio do Lema firaga, Mtraeaty; Jo*> Mara Jolfo Chaves, no Asrt; Antonio Mame* Ai ha, no Nata! ; Jo* J
ferara dAlmeida, em Mamangnape; Aatonio Atexamlrino da Lima, natomhybaiiAterQekfimtes, na Vidi *; kjkmmo do Sanios Boic*>( em Santo Antio; Domingot Joada CoalaBraga,
_______________> iMWh; Fraocino Tavares da Costa, m Alabas; Dr. Jos Martins Atos* ?Babia., o Jos ftibairo Gasparinno, no Wo -de Janeiro.
------------------*------------------1------------------::------,----------------------i------------------------------*-------------------.-----------------------,.------------...... ..-i^.',_____________________i_____.________________.....______._
parte ornciAi.
MiuKrrio do laapcrio.
Rio de-Janeiro em 89 de novembro de 1989.
'litan, e Exm. Sr.Declaro a V. Exe., para o fa-
-r constar ae interessado. qae foi approvado o-
.-procedimento da thesouraria de fazenda dessa
jirovincia, negando o pagamento do ordenado do
Imite catheJratico ao Dr. Joo Gapistrano Bandei-
ra de Mello Fillr, desde o dia em que, por achar-
.-.II no gozo de cunea como substituto, toraou por
; iiroeuraeoo pesse daqnelle logar, visto depender
Jo ejercicio a percepao do novo vencimento.
E porque convio fixar reara para os emprcga-
dos do ministerio do imperio, quando a posse nao
tor logo-eeguida de exercicio, etn caaos sentellian-
tes observar-se-ha o que so acha eslabeleeioo pa-
ra os d ) ministerio da fazenda nos arte. 3o e 6o do
decreto n. 1,073 de 30 de novembro de 1852 e as
.rdens do tribunal do thesouro nacional n. 15
lo le de Janeiro de Mil e n. 15*7 de 2 de julbo
-ie nm
Ueus guarde a V. Exc. Paulino Joti Sonres
te Sean.Sr. presidente da provincia de Per-
bambuco.
Mina*fci-io da Justina.
Rio do Jraeiro, C dodezembro de 1809.
illnt. g Exm. Sr.Apnrovo a solucao dada, por
V. Exe. i consulta do juiz municipal e de orphaos
.lo termo de S. Bentu, declarando que os arls. 105
107 do codisio do process) criminal, c arts. 303
: 304 do regulunenio n. 120 de 31 de Janeiro de
Janeiro de 18i2, que facultam a liypolheca do bens
de rail aos reos ae crimes afflancaves para se li-
vraivm sollos, nao esle derogados pelo art. 336
du decreto n. .'!,')>.'$ de 26 de abril de 1803, visto
nao poder ser elassieada como legal ou julicia-
ri.i, hypotheea con/encional esiabeloeida pela lei
criminal,
Deus guarde a V. Exc. Jos Murtiniano de
Uenear.-8r presidente da provincia do Mara-
ihao.
Ministerio da M.irlnha.
Itio de Janeiro, em 9 de dezembro de 1809.
lllm. e Erm Sr.Sua Magestado o Imperador,
lendo-se dignado de cuvir a seccao de guerra o
mariulia do conselho de estado sobre a verdadoira
intelligencia. que se deve dar ao art. 4o, Io da
' ti. (iiii de .!! de julho de 1852, o ao art. 7o da
te u. 1,801 de 13 de malo de 18t>i, houvo por bem,
porsua inimediata resolucau do 4 do corrente
mez, turnada -obre cmate, junta por copia, de
18 de iioveiiji liiiu'j, confoimar-se com o pare-
c' enunciado fela mesma seccao.
Manda, perianto, o inesnio augusto senhor de-
clarar a.V. Exc. ara es devidos elTeitos, que eua-
l'janto o poder legislativo nao resolver o coulra-
rio, neiih'.iiii oTicial da armada as condieoes do
veferid* paragrapho ser reformado ex-oflcio, ou
a pedido, sein que passe para a segunda classe c
.Kla pennaneca o tempo determinado pela lei.
Deus guarde a V. Exe.BurOo da Cotegipe.
5r. viee-almiranle, eccarregado do quartel-general
da marinna.
l-iplora^o do rio Mauduvtr e
cus afflucntes.
)inl do vapor 'inaza em AssumpcSo, li de
nouBntrro de 1809.
Illm. Sr.Temi concluido miaba missao deex-
ir i' levantar 11 lan'.a do rioManduvir e seas
afflueules, cumpt e-rae, em execucao s instruc-
i|iie reccbi de V. S., emanadas de S. Exc. o
sr. Gommaadanta em chelV-, cnviar-lbe um relato-
ria de viagem e a respectiva planta da parte do
no que ptreurri, afim de que se digne apresenta-
!a a S. Exc.
Pal a 27 dn rae/, prximo passado que comecei
n explorar c lefi mar a planta do Manduvir, po-
JeroM trilmtanodi rio Paraguay.
Nene servicn fui cosdjuvado intelligentemenle
pe i 2* lente Francisco Flaviano de Cantalice, e
ti ve miaba disposicao as lanchas Netto de Sien-
'jin;a o Numero Um.
/; o ManBir. Esl^ rio ommunica-se com
im entre si cerca de quatro'niilhas. A bocea que
dea niais u norte chama-seBocea de Cima;
:.lii. por ser o nivel do leito do Manduvir inferior
aod duvir, qae U paga generosamente este tributo
pela bocea denominadaDebaixo. cima duas e
militas desta ultima bocea, estes dous bracos,
ijue sao separados por urna ilha, fazem juneco e
segu o rio a direc^o O N OE S E.
Um poneo cima da Bocea Debaixo existe um
i que denoniinei Cptala, pela sua proximi-
lade ao srroiu do mesmo nome. Ha ai. como em
os pasaos do Manduvir, pedras que se acham
:; ,: a de um tronco secular, que, im-
:.,.r.-o neste ponto, concorre para obstruir o ca-
:iiiiili.>. Pro ruamos em cinco palmos d'agua junto
i oi.irsem esquerda, que por onde corre o ca-i
nal. Din pouco cima do ajToio Capiat, acha-se
passo Manduvir, onde se avista muitas pedras
,'rupndas, e cajo fundo, tambem de pedras, apre-
:\\! profundiii ile muito variavel.
Na margem esquerda, al mais do meio rio, ha
Inis, e na direita um banco de ara. E' entre
i -;,s dous baixos que existe am canal com oito
,i limos d'agua.
Lu pouco cima existe um outro pas em tu-
oiiieluaote ao do Manduvir. Dasse passo em
.lanlc corre o rio ao N E para depois tornar a
,; rtr E S E. A oito imillas cima encontra-se
ncalhado na margem direita o vapor Vesuvio ;
' ii-o incendiar.
Este navie, sendp quasi todo de pintao, mostrou-
sc digno do nometjue possue : ardeu como um
vulcin. cima do Vesinno acham-se mais dous
>s ; ambos formados por pudras e ara ape-
:u.. Um pouco aleo est o passo Tobati. Exa-
minado cuidadosamenie este pnsso, reconbeceu-se
que canal corre N O S E, apresenlando nm
,iijo variavel SMreseis o doae palmee d'agua.
! inste passo bancos de ara e feos de pedras
.lm de pedras sHa.s. que exceden-o nfcel actual
Jo rio.
Existe em Tobat urna pequena poveaeao, cujos
ahitante?,-victimas de cruel indljnoehr, redamara
) auxilio piedoso dos. que sulcam oSndavrra. A
ria ahi reinante bem demonstra quilate des
sacrificios a que a tvrannia oe cofldemnoo. Na
margem dir *tta ha urna estancia para onde allue
o povo da. capella l)uarte, era basca de gado. Lo-
o deixar Toba*, ao entrar em urna veita qe
corre ao X E enconlra-sc urna liaba de pairas ao
\ Smn^rinimia iim iulmiln caaaj, com nuair
rt.aluwsd'agua. AablpbaH,^inckwive, haseispassos
iodos cites dilli:* d traospr pela natoreza do
t lindo, diminuta profnndrdade e estretteea t ca-
aal. Acinu *Taba*i ha maisdouspMsoa, tambera
loriiadosiwr pera* e ara.
O ultimo delles frc'a a urna mlffia de Tmnti; tem
' um canal, cajo fna* ndo -de pedn e afte varia
enlre-doone meiastrc P^c* Bh> pan foi
-leiMiMado 0fT('fDws-, porowi ae*nalente
na vega v cmbarcac^Ie.
KioptMtendo a tirito de Mmmfa, anexar de
.virrega*, transpr esat pawo, nlandaiken-
filiad i por diversa, vaos, resolv faae-la desfer
oa/a h ixo de TwbaU, .Ueiid-sidu anatareu de seu
^c,., ao sea caladle rapid com que h
is ag
se encalcado na margom esqoerda um vapor de
madeira anda nao concluido. Este navio predes-
tlnido para um vapor do rodas, ja tem absentadas
algumas pecas da machina ; de 20 ps de qui-
Iba sobre 30 de bocea, e anda nao est forrado
de cobre; cala oito ps tanto r como avante
quando carregado.
Prumamos roda do navio, e encontramosa
proa em secco, a BB mea braca afogado, e E B
tres palmos d'agua, da caixa da roda para r, e
na popa urna braca d'agua. Segttindo a directo
da quilha, prumamos em urna braca d'agua, at
quasi margem opnosta.
Examinando internamente o navio, reconhece-
mos a existencia de duas torneiras abenas a E B :
urna da injeecao, outra do burrinho ; e nao obs-
tante os esforcos emprogados, nao nos foi possivel
dsseobrir se existera mais torneiras abortas, por
ha ver cerca de mea braca d'agua e muita lama
no purJo. Fechamos as doas torneiras, e julga-
raos deincontestavel vaniagem esgotar a agnado
navio, polo proropto a fluctuar na priraeira en-
ehente. as condieoes actuaos do rio, os esforcos
ompregados psra o desenealbe, nao serao coroa-
dos de successa A seis decimos de milha, mab
aeima aeba-se cncalhado na tnesma margem es-
qoerda o patacho Tres Hermanos. Este navio aeba-
se completamente em secco, salvo a proa, que est
em tres palmos d'agua.
Examinando internamente reconhecemos haver
un rombo no fondo a BB, pratieadn por instru-
mento cortante. Effectivamente ahi encontramos
um machado.
A tres milhas e meia cima o rio divide-se em
dous bracos: um que segu ao snl, para mais
larde seguir ao E, e outro que segu a N E, se-
gurado o bra?o do S, encontra-se cima, duas mi-
lhas de bifurcaco do rio, a pique em urna volta o
vapor Paragvary, que, atravessado como se acha,
apenas permitte um canal de urna braja de larga-
ja entre sua popa e a margem esquerda. O Pa-
raquary acha so litleralmente eheio d'agua.
Este vapor impedir por longo tempo a navega-
^aodo rio, salvo o caso de urna grande endiente.
A sete milhas cima ha um passo com tres pal-
mos d'agua. A dirts milhas mais alm aeba-se o
rio obstruido por urna muralha de pedras que in
tercepta o caminho a toda e qnalquer embarcacao.
A muralha corre ao N N OS9B; tem 6bracas
de comprmento, meia braja de largura, o urna
braja de altura, sobre o nivel actual do rio. E'
formada de pedras solas, bateloes a pique, pao?,
e uraa estacada que servio para agnenta-la em
sua formacao. Ha cinco carretas de bote a pique
pouco antes de ehepar muralha. Entre a mu-
ralha e as Bifgens ha "duas aberturas : a da mar-
gem esquerda tem tres palmos de largo, e a-da
margem direita cinco palmo;. Estas aberturas
sao caminhos feitos pelas aguas; mas impossi-
vel transpo-las porqueras pedras se acham ao ni-
vel do rio. A agua corre ah como era cachoeira.
Fizemos um desembarque e encontramos Ja 50
brajas da margem esquerda para o interior, um
acampamento abandonado e urna trincheira j
meio demolida pelo tempo, correndo paralelamen-
te margem do no o um pouco cima da esta-
cada.
Uraa forte linha de abatizes protege o flanco di-
reito desta trincheira.
Visitamos tambem o lugar donde o inimigo ex-
trahio as pedras que serviam para obstruir o rio.
Em lata cora lo poderoso obstculo, nao foi possi-
vel levar adiante nossa exploracao; resignados,
regressmos a explorar o braco que segu ao NE.
Uraco do NR.Eile brajo, tres milhas cima
de sua boca bifurca-se em dous:;um que corre de
E-O, e outro ao N.
Informou-nos um paraguayo que o brajo que
corre a EO chama-se Ih, pela cor pardacenta de
suas aguas, e que o brajo que corre ao N, para
mais tarde coner a E e ao NE, chama-se Ta-
quary.
Rio M?'/.Navegamos cinco milha neste rio, e
depois de termos passado lugares de to pouca
agua, que para vence-los foi preciso aliviar a lan-
chinha, forroso nos foi parar por termos encontra-
do um passo de doas palmos d'agua. Segurado
na chalana, reconhecemos um pouco alm a exis-
tencia de um outro passo de menor profundlade
que o primniro ; e nao sendo possivel transpo-los
na lanchinha a vapor, regressmos a explorar o
brajo do norte, ou rio Itequary.
Rio Taqaary.O Taquary apresenta muitas si-
nuosidades no seu curso ; tem passos de tres pal-
mos d'agua e de dous, mas o seo fondo ara
A 9 milhas cima da bocea, elle bifurca-se em 'm
brajo para o norte e outro para E, mais tarde NE.
O brajo do X infortnaramnos chamar-se Arroto-
hondo. Continuando a navegar no Taquary en-
contramos, 6 milhas cima de sua bifurcaco, um
passo de dous palmos d'agua, que nao nos per-
raittindo navpgajao, forcou-nos a retroceder para
explorar o Hondo.
Arroto Hondo.Este arroio muito estreito e
sinuoso; para nvega-lo foi preciso estar constan-
temente a cortar os ramos de frondosos arvoredos,
que se entrelacam formando.urna especie de abo-
bada sabr o lito do rio.
Tendo percorrido neste rio cerca de duas mi-
lhas, paramos por termos encontrado alguns tron-
cos de arvores atravossados de margem a margem,
e sobre ,ura banco de dous palmos d'agnai_ Mais
alm um granle numero de camalotes, nao nos
Sermittio passagem mesmo em chalanas. Succe-
eu neste da mudesnrranjo na machina, qne nos
difflculiou o regresso em utn rio to estreito como
sinuoso. F;m todos estes ros encontramos im-
mensas florestas e vastas planices ainda nao de-
vassadas pela actividade humana. Pinda. a nossa
explnrajiio, voltamos para a boca do Manduvir,
c d'ahi para Assumpjao, oado chegmos no dia 9
do corrente mcz.
Deus guarde a V. S.IHm. Sr. Francisco Ro-
mano Stepple, capitao lente, chefe do estado
maior daesqaadra Julio Cesar deNoroitha, Io
lente.
vtmbro de 1805 se ler elte usoiHMto sem ticen-
en per mais dsete meies-do distrito d'aijaelle
bMMblO.
N. 023. Dita ao eo m mandan te ~ superior da
guarda naeional de Serinhaem. O hactiarcl Gas-
par de Meneaos Vasconcollas dn Drumond npre-
s.'ntar a V. S. una bandeira, aflm de que V. S.
a mande entregar ao commaidMie do batatlio n.
41 da guarda nacional sob ease comnado su-
perior.
X. 620. Dita ao commandaate superior da
puarda nacional de Nasareth.Coinmtmico a V.
S parn os vidos linn, que por detiberaeio dista
data foi privado do posto, por nao ter solicitado
no praso legal, a respectiva patente o lente da
i' rompanhia do II" esqoadro de cavallarw do
municipio de Nazareth,! Jos Alves Bezerra e fo-
rini nomoados para o mesmo esqaadrae os offl-
ciaes constantes da relaea junta por copia.
N. 627.Dita ao mesmo.loteirado de quanto
V. S. me participa em offleio de 28 do mez Ando,
sob n. 1, tenho a dizer-lhe que espero do zelo de
V. S. que fari completar a oscripturacao dos ti-
vos da guarda nacional sob o seu eomraando su-
pjrior, providenciando para que o servico da mos-
nia guarda seja fcito regularmente.
N. 628.Dita ao (oinmandante superior da
giarda-nacional do Limoeiro.Communico V.
S para os flns convenientes, que por delibemjfio
d esta data nomeci Manoel Eugenio de Sorna, al-
fires da segunda companhia do esiuadran de ca-
v-diaria-n. 10 da guarda nacional d'esse muni-
cipio.
N. 029.Dita ao juiz de direito da comarca do
Cabo.Remello V. S. copia da deliberajao d'esta
N. IK.~*i!s ao iruptctnr 4a Ttesoofarla pro-
viocial.Atimdento ao que, exrteflo meluso rcr
quermente-professora ntriraamenfe- removida da
povoaeao fm^orriunes.i>ar4 aii' cadeira da fre-
gnezia de AjKd%Mi,ftbW^miia J*n*juina de
MMan-os Sam. CaJ2ai, a Kodu on> vina o qae a
este respeit<> bV&rnw o dirf*or gerai1! insiruc-
jao pub lien em- ofibm du 18 da corrente-, sob o.
332; recoaxeend V. S. que iande pagar iuie-
graimento os" vencweois da snpplicaal'relativa*
o Mee de-^jwwbr uitupo, icouiaudu.-se pira so
de 22 d'aqtinllu mes a loega d 30 dia que Hio
foi cooeeaor iMiberipod'eaia preeidtocia do
tu do citado soez de. stiembro.
N. 42,-BtaaiO awamn.r-Rooommenilo Y. S.
que, em vi-la dn pret junto ein duplieaia, ineiMla
V. S. liifuidar os veneioteiitos de nina escolta que
veio do ierra de Tearai condOzindo 3 presos
que tiveran o conveniente destino, e tiagar a eua
importancia ao sargento culinario Gomes da Sil-
va, par teso indicado pt-lo chefe da polica en>
oflicio de 18 do crreme, sob n. l"ii.
X. 640.D^a,ao roesmti.Em vista da poz o ebefe fe poMcin interino em. sua-inXoniajao
de 15 do crrente, sob a. 1309, oajp referencia ao
delegado do termo de Aana Pela, a.wca do ofkio
d'essa t!ie*ouraria n. 539 do 1- de selombre,ultimo,
rooomnieudo V. S. qu*>, ito obsiante a duvida
experta no citado oflicio, mande pagar a Antonio
Evaristo daHoelia a quaB^ide \o, provenienier
como se ve dos reeibt' jjmios em duplcala, do
atagw^i veaotdo dff S de ftjvereiro a 7 de maki
d este anno, a i-ju <|ik. ;oto^u inrtel ao des-
tacanicnlo dos Montes.
X. OH.Dita ao mesmo.Devolvendo os reci-'
dita, pela qual suspend do exercicio do cargo de | hos qua na importancia da itWJOiW, vieram anne-
0 supplente do juiz municipal do termo de Ipo- i xas ao oflicio de V. S. de li seteinbro-uUimo
juca a Lourenco Bezerra Alves da Silva, quem sob a. 363, tenho a d.-zur que mande pagar esas
V. S. communicar aquelle raeu acto para os de- quantia de jontormidade com a miaba portara de
vidos flns. (kmi urgencia mandei exlrahir copias 30 de agosto deste antto, visto u>r sido despendida
(fores nomeadtos as 8 CTiancneque forana ainda al-
fbrriadas em virtude da lei n. 8$J deste anno.
3* seepao.
% 6S1 .OHkkr ao inspector da thesouraria de
fazenda.8. Esc. oSr. vee-presidente dn provin-
cia monda transmrtftr aF.S. os 6 mclirsos volu-
mes mtpressos. eonteiMfo tres cotfeceSes das leis
geraes e decis8es db- aovemo imperiaf no amo de
1868.
N. 6SRDfio 3 meaooo.Coromunicn a* ?. 9,
de ordeui do Exm. Sr. viee-prendente da provin-
cia e paraos floscoirvonientesvque pelas fenrando
dia 6 de nevnbro viodouro, sftii*i poro c bt*s>i-
dio de Pernoodo o vapor Cmmrrpe da conqMtAia
Pernambucana.
; fv. 6S9.Oo ao director da obras publica?.
S. Exc. o Sr. vice-pre-ktente da provincia "mando
acensar recebadas cera offleio o> V. S. de !9do
torrente, so(> tx 356, dna copias da planta apprn-
ada mi des mez, indicando a direcjo dos |rt-
Ihos urbanos dbsu cidad* a de Olinda.
ros documentos que ella se refere, aflm de se-
r ?m presentes V. S. para instaurar o respectivo
processo.
X. 630Dita ao hachare! Gaspar de Menozes
Vasconcellos de Drumniond.Inteirado de quanto
Vmc. expoe em seu offleio de 16 do corrente, re-
r. Itvaraente a bandeira que me envin, a qual,
comprada pelo producto de una subscripcao en-
tre varios fazealeirosda comurcado Rio Formoso,
como se-vdps dous inclu js doenmontos com os
coucertus da cadeia do teruu do Brajo que sendo
um proprio pioincial, tambera serve do quartel
ao respectivo destacamento
N. "612. Deliberaji. 0 vice-presidento da
provincia tendo em vista o qiw roquoreu o 1. es-
criturario d;i thesouraria de fn/.enda Joaquim Pe-
reir Bastos e o qiu a este respailo iniurmou o
respectiva inspoctor om oflkio de 10 do corrente
cenca,.pon ordenado na forma da le para tratar
do su'saJe fura da cidade.
i" secca j.
N. Cii.Porlarlaj cmara municipal dj ReoCe.
por wpia a cmara municipal do Re-
(ioverno da provincia.
EXrailENSE ASSIGXAOO KLO EXH Stt. DR. MANOEL DO
MASUMEKTO MACHAD HWTELI.A, VlCE-PREaiDKK-
TE DA l'HOVISCLV EM W DB OUTIBH9 DE 1869.
i' seccao. ,
N. 621.Portara ao prejdeate da relajao.
Informe V. Exc. sobre oque pede Jos Polycarpo
de Freitas, no requerimento incluso que, vae
acompanhado de informacio do juiz, dos (citas da
f aieoda.
X. 622,Dita aojtresidenle do tribunal do cora-
mercio Informe vrExcaabre a materia de in
cluso oflicio do capao do porto, datado de 19 do
corrente, esob a, 128, Irelalivaueuto asoldadas
de marinlieiro* '.
N. 623.Dita ao,comroandante superior interi-
no da guarda riacioaal do municipio do Recfe.
Mande. V. S. que a < teoepte do 1 bataibao de
infantaria da guarda nacional desle municipio,
Francisco Alfonso Ferrwra, que vae residir na
capital da provincia do Para, teja dada a guia do
qttelrtt o art. i5 do decreta 1130 de 12 de mar-
co de 1883.
lH.Mi Dita ao msmo.Commurflco a V. S.
para os devidos Ras, que em vista da duliberaoau
da censelho ee invesugaao, deque trata, o seu
'fll-io n.214 de 1$ do c/#r,ente, e de conformlda-
tiiiha de ser offertada ao projoctido segundo corpa 'sob n. 720, resolve eodeodnr4ne doop meze dej
do guarda nacional d'esta provincia, queao man-
do do teen te-coronel Mariano Xavier Garneiroda
Cunha, devia seguir para o sul, tenho a dizer-lho
iwe, na se tendo realisado a crear d'esse 1iata-
llio, faca Vmc. entrega da dita bandeira, que de-
vilvo ao comniandanle superior (b municipio de
Ssrinhaem, para sor offerecida ao batalhao n. 42
da guarda nacional do mesmo municipio, parecen-
do que assim llcarao satisfeitas as vistas dos mes-
mos subscriptores.
N. 631.Deliberajao.O vicepresidente da
provincia, teado em vista as representacoes docu-
mentadas, que em 15 e 23 de setembro ultimo di-
rigio-lho o teneirte-coronel Gaspar Cavalcanli do
A buquerque Ueha contra o 6o supplente do juiz
municipal do termo do Ipnjuca, Lourenco Bezerra
A.lw da Silva e as inforraacOes prestada! por elle
e polo Dr. juiz de direito da comarca em offlcios
ile^e 8 do corrente mcz, e attend rrdo que est
provado que o tenente-coronel Gaspar, em audien-
cia de 31 do agosto averbara de suspeito o referi-
do juiz municipal na aejao de mauutencao, que
ejntra elle intentara o tenente-coronel Joo de S
e Albuquerque, havendo prestado a respectiva
caujao a 23 do mesmo mez, attendendo a que ten-
do mandado o mesmo juiz que na primelra au-
diencia fossem apresenudos os arligos de suspei-
jo para que fosse esta processada, relrara-se do
termo, curaparecendo smente para dar audiencia
no dia 21 de setembro." na qual sendo olTeaecidos
os arligos, nao foram* recebidos, e ordenou que
sognteae a causa seas termos, sob pretexto de fal-
ta de previa caucao, quando o conhecimento d'esta,
.' informajo do" respectivo escrivao, e o prprio
aermo de audiencia nao podiam offerecer a menor
duvida de que antes de ser averbada a suspeijao
for palavra na audiencia do 31 de agosto, j
; qnella eslava pre-lada ; allendendo a que o mes-
mo juiz em sua informajo nao demonstrou serom
falsas todas estas allegacoes, alias provadas com
documentos que jamis pdem ser qnaliflcados de
falsos, como informon o Dr. juiz de direito, atten-
dendo que elle assim proced.ndo com manifest
abuso de suas attribuijes, infringi expresa dis-
josijo de lei : resol v, usando da faculdade que
lie concede o 8." do aru5. da lei de 3 de outu-
1ro de 1831, suspender o referido I/iurenc. Be
zerra Alves da Silva do exercicio do cargo d i 6'
supplente do juiz municipal do termo de Ipojuca,
c ordena qne se remeta copia d'esta deliberajao
e de todos os documentos que ella se refere ao
Dr. juiz ". direito da comarca, para que contra
elle proceda na conformidade da lei.
N. 632.Dita.O vice presidente da provincia,
em vista do que reprosentou o coinmandante supe-
rior da guarda nacional do municipio de Nazareth.
om offleio de 30 de setembro ultimo, resolve, de
conformidade com o dtsposto no art. 05 da lei n.
002 de 19 de setembro de 1850, privar Jos Alves
Uezerra do posto de tenento da segunda compa-
nhia do 11 esqnadro de e1vall.11 ia do dito moni
ripio, por nao ter no prazo d lei solicitado a res
pectiva patente.
N. 633.Dita.O vlce-Dreeideole da provincia,
om vista da deliber.xjao do con-elho de investiga
cao que julgou ausente porims deiseis nwzes o
lferes do 8. lKitalho de infamara da guarda
nacional do municipio do Recife, Antonio Carneiro
Rodrigues Campello, de que trata o oflicio do res
pectivo cominaiidanie superior de 18 do corrente,
sob n. 21i, resolve, de conformidade com oart.. 12.
Jo decreto n. 3,535 de 25 le novembro de 1865 o
art. 65 da lei n. 602 de 19 de. setembro de 1850,
privar ao referido Antonio Garneiro Rodrigues
Campello do dito posto.
N. 631.Dita.O vce presdanle da proyocia,
attendendo achar-se em organisajo o esquadro
do cavallaria n. 10 do municipio do Limoeiro, ro
sol ve, do conformidade com o disposlo no art. 71
da le n. 602 de 19 de setembro de 1850 e,aviso,
do ministerio da juslica n. 81 de 18 de feverelro
de 1860, nomear Manoel Eugenio de Souza para
o posto de alferes da segunda cOmnanhj& do dito
esquadro.
X. 635Dita.O vice-p|(csdepte da provincia,,
attendendo o que le requeren Francisco Alonsj
Ferreira, lente., do prineiro ba(aJji0 de infanta-
ra da puarda nacional deste municipio, o em vis-
ta do que informou em offleio n 213 de. 18 do cor-
rente o eoraraandaete superior respectivo, resolve
que lhe seja dada a guia de que trata oart. Vi do
decreto 1130 de 12 de.niarcode.i853, para o mu
nicipio da capital di provincia do Para, onde v i
flxar a sua residencia.. ,.
3'sc3o.
N. 636.Portria ao inspector da thesouraria
baixam
Remello
cfe em resposia ao ssu oflicio de 6 do porrete
sob'n. 88,"a planta appwvada em 2 deste mez, in-
dicando a direccau dos triluos urbanos desta ci-
dadea de Olinda.
N. 615. Dita ao mesmo.Concedo a autorisa-
jo que pe-lio. a cmara municipal do Recife em
oflicio de lfdo corrente sob n. 8i), para exceder
a verba votada no 4." do art. 2." da lei municipal
vigente ndfc na quantia de 80) jO'tJ para a desa-
propriacao'jdo"terruo do quintal da casa n. 39 da
ra da Imperatriz, cm ieguimento ao caes, mas
tambora ni ituo fr necessaria s despoza_s cora os-
cripiura e direiios respectivos, visto nao se ter
essa cmara ulilisado segundo consta do citado
oflicio da autorisaeo que lhe foi dada por porta-
ra desta presidsncia de I' de agosto ultimo.
N. OiO. Dita a cainars municipal de Nazareth.
Declaro a cmara municipal do Nazareth, em
raspaste ao seu oflicio de 25 de setembro ultimo,
que appiovo as arrematai.nacocs ;or um anno dos
impostos dj que tratara os termos de contrato que
por copias acoinpanharam o citado oflicio podendo
a mesma cmara conformo inJica no citado oflicio
man lar arrocadar pelos respectivos fiscaes uo pre-
sente exercicio dando-se-lhe 10 ";0 do que recebe-
rem o iuiposlo do 80 ris por carga que so expoe
a venda us feiras desse muoicipio visto que leudo
ido em braca deixou do sar arrematado por falta
de licitantes.
N. 617.Dita a caara municipal de Agua-
i'reta.Approvo as arreraataj^es dos irapostos de
que tratara os termos de contrato que por copia
acompanharamo oflho que rae dirigi a cmara
municipal de Agua-Preta, em 9 do corrente cura-
prindo que a mesma caraira mande por novamen-
te em praja os imposlos das passagens do presi-
dio Pindobal e Ribeiro, que emformo declara no
citado oflicio deixar.un de ser arreautados por
falta d9 licitantes.
N. 618.Dita ao regedor interino do gymnasio
provincial.Era respusta ao seu otteiq desu data
declaro que a despensa de servir no tribunal do
jury para os jurados que sao empregadus publi-
cos'devc ser solicitada pelos chefes de repartijo,
conforme declarou o aviso do miaislerio da justija
de 9. de setembro de 1859. Pelo quo ao juiz de
direito presidente da presente sess daquelle tri-
bunal deve Vine, solicitar a do moriomo desse cs-
tabeleciraento Ignacio Jos l'into.
N. 619.Dita ao gerente da companhia Per-
nambucana.PJe Vmc. fazer seguir uo dia 30 do
corrente, para os pprlos do norte e sol at a
Granja -e Penedo os vapires Ipojaca e Jaijunnbe
e para o presidio de Fernando no dia 6 de no:
vembro vindouro o vapor Cururipe as horas in-
dicadas em seu oflicio de 19 deste mez.
tXPEDIEMTE ABSIQNADO pi;u> SR. L-n. JOAOUiM COR-
REA DE ARAJO, SECRETARIO DO OVERNO, EM 20
DE OUTL'ORO DE 1861*.
1 seeeao.
N. 60.Offleio ao Exm.. Sr. commandante das
armas.De ordem de S. Exc. o,Sr. vicerpresiden-
to da provincia declaro a V. Exc. era resposta ao
seu offleio de 19 do corrente, sob n. 633, que nes-
ta dala se niaodou canee-lar os tres baldes de ma-
deira de um s uqlo di fortaleza do Brum, do
quo trata o pedido que veio aunexo ao seu citado of-
licio.
N. 651.Dilo'.ao mesmo.Comniuncq a V. Exc.
de ordem do Exm. Sr. vice-presidente d provincia
e para os flns convenientes que pelas 12 hora do
dia 6 de novembro vindouro, seguir para o presi-
dio de Feromdo,.o vapoi Cururipe Via companhia
Pernambucana. -Iguaes mutatis mutandis ao di-
rector do arsenal de guerra e inspector do arsenal
demarraba.
2' scSo,
N..652.Offleio ao,.Df.,ch,cfe de polica uterino-
O Exm. Sr.. vicc-presiuflnto da provincia manda
declarar a V. S. em fesposla ao seu offleio de 18
do corrente, sob n. 1316, que a tac-jurara pro-
vincial tem.ordem par* [ir ae sargento Apoli-
iiaii.i Gonuei da-Silva, a quati da 77I38Q, conjt.
tante do ctalo oflicio.
N. 653--Dito ao moame-Gommoaic. a V. S.
de ordem.de S, Exc-o Sr. vico-presidente da pro-
vincia e para .os Aa> caprententes, que pelas, 12
horas do da 6 de novembro vinjiour.o, seguu
para o presidio de Pensando u vapor Cnruiipu-da
comiaahia Pernambucana,
N. 651.Dito, ao juiz de diceito presdeoi^gaj|
DESPACHO DA PRESIDENCIA- DA PROTUfaA DO DtA
20 de DEiEsreno.
Augusto de S- e Albuquerque. Infirme o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Belsario Alves Paos BarretaBemetiido ao Sr.
desembargador provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia, para attender ao supplii-arite nos termos de
sua informacao de 7 do corrente, sob n. 2,325.
Gnilberrana Baselissa deOlivetrae Silva.Con-
ceda se com ordenado smente.
Guilhermina Franersca de Aranjo Lins.Requei-
truejo publica.
Herraina Januaria Colho. Remettiio ao Sr.
desembargador provodor da Santa Casa do Mise-
ricordia, para attender a $appUante nos termos
de sua informacao de 17 do corrente, sob n. 2,325.
Joanoa Francisca Evangelista.Dirija-se ao Sr.
desembargador prevedor da Santa Caja de Mise-
ricordia em sesso da junta.
Jos Ribeiro da Silva.Em vista da informacao,
nao tem lugar o que requer.
Manoel Francisco do Reg. Dirija-sc ao Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Manoel Geminianno da. Rocha.Dirija-se ao Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Miguel Jos de Alineida Pernambuco. Entre-
gue se.
Manoef Vieira Cavalcante.Entregne-se.
Manool da Cunha Guimares. Informe o Sr.
Dr. chefe de polica.
Porferio Jos Fernandos.Junle os documentos
exigidos pelo dcreto n. 8t-de 31 de julho de 1811,
como recommeuda o aviso circular d i ministerio
da guerra, de 13 de novembro de 1868.
Paulo Jos SimSs.Expecaordera para a baixa
requerida.
Romualdo Estevo. Nao tendo o supplicante
comparecido para *er inspeccionado, como doter-
minou o Sr. coronel coramandanle superior, nao
tem lugar o que requer.
Viscondo do Loures.Remetta-se ao Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazenda para juntar aos pa-
pis, que o supplicante se refere e informar.
qtialidadc de delega.do. do termo dq Agua-Preta,
aos recrutas Joo FerreiraTedra e Anionio.Fraii-
(esco de Mallos.
N. 637 Dita ao mesmq,Iteclaro V, S.'para
de fazenda.-Em 'vista da incisa, conta, mando, tury.Rogo a.V.-S. se digne dispensar da presen,
V. S. liquidar e pagar a Antonio Evaristo da Ro- te sesso do ury o pseripturario Firguno Hercu-
cha, que assim o requeren, o que jasamewe so. lao Baptista Ribeiro,' :u]os semen se zeinn/e-
dever do diarias abonada* pelo supplicante na cisos ncsla repartijo.
A ires whas Mt. ma paaajMM Canfiu *nna-' fennidade c tu o de; reto n, ,3535
de com o art. 65 da cj 6.602 de j9 do setembro x sen conhecimento e flns convenientes, que.a liceo-
de 1850, i>or dcliberacS, desta data, resolv pri-j ca de nm mez e a prorogaj$o da mnsma eonced-
var do respectivo posto, o^lferea- do 8 batalhla a acvcapito do estado-maior de, artilljana Ttbw-,
de infantaria d guarda uaeion>l. deste municipio.! co Hilario da Suva Taxar.es pera t a^u" de .saa-
Antonio Garneiro Rodrigu.es;CampeJlo, vjajtt^rosal- c**^116^^011* soi^ *_e,*P*r fi ur das averiguases a q0, sepji "
N, 655 D40,ao juiz municipal da.1? vara dosta
cidadeCnmmunieo a V. S. de ordejttde S. Exc.
o Sr. vicepresidente; da provincia, e j)ar,a. o! flus
ccoenieutisqp,e. pelas 12.huras dp.Jj oda no-
vombro vindiuro, ssg'nr par* o presidio de Fer
nando o va.ior Curwipe da evocanhia Pornambu-
lcaast .
N.656. Dito aoltt*-e.rpbaoaduR,oeft}.-a
Ecro Sr. vicepresidente- da pcovinoi manda de-
GOVERNO DO RISPADO.
DISPENSAS CMEGADAS DA ^TORNINCIATURA
APOSTLICA.
Manoel Joaquim Marinho de Crvalho e Mara
Joaquina da Conceijao.
Francisco Fernandes do Amaral e Francisco
Mara de Jess.
Jos Joaquim da Silva e Mara da Concecao.
Galdrao Pereira da Silva e Mara Joaquina da
Conceijao.
Mano'cl Jos do Xascimenlo c Josefa Mara da
Conceijao.
Francisco Jos da Sil ?a e Francisca Maria da
Conceijao.
Felippe Xery de Medeiros e Francisca Joaquina
de Olivera.
Alexandre Jos de Santa Anna e Mari Fran-
cisca da Conceijao.
Jos Antonio da Silva e Maria Francisca do Es-
pirito Santo.
Manoel Henriques Pereira e Francisca Lins de
Albuqnerque.
Joo Soares da Fonseca e Josefa Mara de Josas.
Jos Feliciano Bezerra do A-guiar o Joanna Bap-
tista Valeria de Mello.
Claudino Nones da Cruz e Maria Emilia da
Concecao.
Antonio Feij de Mello e Luiza Barhoza da Silva.
Jos Antonio de Sent'Anna e Maria Joaquina da
Conceijao.
Manoel Jos Filelo e Senbornha Maria da Con-
ceijao.
Jos Ramos da Silva o Mara Francisca da Con-
ceijao.
Mareolioo Rodrigues dos Santos e Maria Magda-
lena da Conceijao.
Carlos Ramos de Uliveira e Anna Maria daEn-
carnajo.
Francisco Amonio de Mello (senbor dos escra-
vos Quintiliano e Mona.)
Jos Severiano Lei te e Maria do Carino.
Felicio Bezerra Cavalcante e Fracisoa Joaquina
do Espirito Santo.
.Geminiano Enquerio do; Sanios e Ismeralina
Man ra Lima.
Jos Rodrigues de Oliveira'e Maria Rozalina da
Concecao.
Joo Flix Ribeiro de Carvalbo e Maria Isabel de
Crvalho.
Antonio Felippe de Mendonja e Maria Joaquina
de Souza.
Guilherme Teixeira da Silva c Marta Rosa da
Conceijao.
Msnoel Rodrigues da Silva e Maria Fraocisea
da Conceijao.
Bartholoraeu Ribeiro de Amorim e Daraiana Go-
mes da Silva.
Manoel Antonio Coetoo e Fauslina Marta dn Con-
ceicao. *
Antonio | Manaes da Silva e Adriana Emilia da
da Costa.
Pedro Antonio da Coste e Feliciana Mario da
Penha.
Silvano Jos de Souza e Josefa" Mara da Con-
ceijao-
Francisco Goncaives de Oliveira e Simplicia Ma-
ra da Conceijao.
Benedicto e Mario..
Jodo Francisco do Mello e Anuo Maa da Cua--
ceicao.
Vicente Los da Silva e Josefa Mario da Concei-
Alexandre Barooao da ftindade o Antonia Zem-
bia de Santa Ana*.
Maooel FraMeaoa do Modoiros o Guilliermioa
Maria da Eepirito Santo.
Valentim- Amawftiwisa e Marta Perigrtaade
Paula.
Francisco Pnheteo e- Ataeetd* a Giwa Mara
Bezerra.
Jos Joaquim a-Saak'Anna.o Florenu^t Mona
de Jess.
Manoel Rodrifnaee Mirando eDeulrada Firma
tde Miranda,
Jos PioJieu .de. Ouwi -e Bnuida MarU ia
Jaao de Deas da.Uva Lomos, Francisca Maria
da Cincel jo.
Jjaquim Gnedoo dn Silva a "Marta de Jess.
Joao Feeaeia, do Lima, v Joaquina Maria da
JGgnccijao.
%aMB(o Estoves Moreira da Costa e Roas Marn)
SBMhaov
Antonio Damiao de Souza o Meneolli Filkia da
Cooceteao.
Targteo Joo Barboza e DesuBan Maria 4a Cra
ceteio. t
Seratkn Pereira de A lenca r e Honorata Martias-
Peroira de Atenear.
Jaauario de Almaida Valonea o Joaqaiaa Avo-
Kna da SiKa Vatenca.
Aatoeto- Paos de AlKaqaerqne e Josefa Mari
de AJoaouerqui-.
HuiaaflU'Pieltenedo Maaciaeato Mana Frao-
cein* 4a Silva.
Angrto Gomos de S c FeHatena Cetaa de S.
Serafim Mara 4m Aojos Honrm tmm\ Fe
lieia do Espirito Santo.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
lLUJMLNACXr> A' GAZ.-Por dfljeracio da
prcsideueia da provincia, de 15 do correrte, foi
aberto um novo praso de 30 das, a contecar
datpiella data, para o reoelrimento de propostas
pai a illoonaacao a gaz das eidades de Olinda,
Goyanna e Itio-FOrmoso, vi-;to nao podrrem ser
aoeeitas as tres apre entallas peteo Srs. Adolplio
C de Oliveira Maciel,.William Richard^eJaqutoi
no edital publicado uo logar competente.
DEFU)RAMF..VPf:-ira dias deu-se um I'acto
do dettoraueuto de uraa menor nesta cidade nao
consta que at agora a poli: leona psovidfaciu-
do a respeilo.
O sacliristao de urna igreja do bairro do Rcife.
casado em segunda nupcias, ttoba urna Giba do
primeiro matrimonio que viva em sua compa-
nhia. Por desaveaeas cora sua madrasta, que a-
inaltraiava borrivobnente, a pobre enanca, expe-
lida do tecto paterno, foi procurar abrigo'emeasa
di! um nef ociante morador no Mondego, cu jo ao-
ine podemos declinar en particalar ao Sr. Dr.
chefe da Ktltcia.
Foi nossa casa que um lilbo solteiro dense Ofo-
ciante eommeiteu o eatene de defloramento, "-
liado por um seu irmao csalo !l
A pobre enanca, ainda em deptoravel estad>)
foi dossa casa retirada i>i>r esses doas itmais o
levada para a casa de una mulher perdida,' e
d'ahi para oulras de igual ordem.
O Sr. Dr. chefe de polica nao deve deixar
correr a revelia semclhante tacto, para o qna
iustantemente cJaamamos sua attencao.
SERGIFE E PEMEDODestas provinciasche-
gju hontcm o vapor Gi^puia da companhia P narabueana, trazendo datas do Aracaj at i < J
oarrente, e do Ponedo-at 18.
Pela presideu-ia de Sergipe foram nomeaJos
promotores pblicos : da Estancia, Dr. Gervasio
Dantas de Brjlo ; e do Itabayanna, o Dr. Geminiano
Brasil de Ouveira, Goes
Nos cofres da lliesourarii de fazeada exista,
era 'M de novembro ultimo, o saldo de........
1*1:729*080^ e nos da thesouraria provincial o de
79:3171171.
AUendcndo rodamaeo da cmara nwaniciaa t
de Larangeira, a presidencia daprovincia iwnwu'u
orna couunisso, composta dos Srs Dr. Luiz Bar-
bosa Accioli de Brit-i, Pedro Aatomo de Oliveira
Ribeiro, Batvid Muniz Telles, Pedro AJexaudriae
do Souza Telles, e Eugenio Jos de Oliveira, i ira
promover a acqnisieao de uraa fonte de agua |to-
Livol para aquella cidade.
No oa 1- do corrente foi brbaramente e*nan-
cado, na cidade do Manui, o octogenaria Fran
cisco Antonio da Silva, por um fino do vice-sui
da Soecia, o Sr. Eduardo Wioo.
Por deliberajao da presidencia, de accor-i- con;
a companhia Balana, passau os vapore-' desta
companhia, na vhigem do sal ao norte da provin-
cia, a se demorarem defroote de Villa-Xova <^-
lempo indispensavel para largaron a mala e pas
sageiroa.
Desejando melhorar o estedo da iostruccao pu-
blica provincial, o presidente da provincia eom-
rossionou aos Drs. director geral da instrnecaa,
e Mano --.I Luiz de Azevedo e Araujo, e ao Sr. Ge-
rainiaano Paesde Azevedo, paraos bus constantes
da seguintc circular que ibes dirigi:
Tenho necessidado de ouvir soa autorisada.
opinio sobre as disposicoes que regem a instruc-
cao pubjica desta provincia sebro as altoracues
que a experiencia vai mostrando seren indispen-
saveis.
Especialnicnte citano sua aiteocio paraos
arte- 6, 7 12, 13, 27, *>, 30 e II, G I-, 30,37.
;, .19 e 40 do rcgulameuto de 31 de maio dcsto
anno.
Alm oestes analysar Vmc. deuJhadamcnt:',
os demais arligos daqaelle c do regulamenio do>
1* de setembro de 1838, t\.tu osquaes dixei do
conformar-tne.
Em cenclusao, desejn regularisar a ensino na
provincia, do raclhor modo possivel, roasantes-
do az-to, quizei a ter em vista o parecer de
jiessoas que, como Vmc renen os indtspensave
conhecraentos era relajao a ora dos mais impor-
tantes ramos do servico publica
Espero que Vmc' com brevidade, prestara os
esclarecimeolos de que uecessito.
Em Penedo, o rapectiVo juiz municipal pro-
movia a mstallacao de unta sociedad'e buoiaauaria,
f [ara libertar annualmeate escravos.
A alfandega de Penedo xandoa, no mez de
novembro, i):472*780.
DINHEIRO. O vapor Gtqmm, trota koateu
assegaintes sommas, para u* Sea :"
Aaorm Irmiirt & C. *;6*lJtH
J. Jos Gonealvej Beltro. 60**"^
Dr. Ayres e Aimeida Fn^tasv li**^,)
Froi Antomo de S. amilb. 9*0tM
-- O vapor Cruzeiro feSni'levoa hontem para
osportos da aorte do imperio as, lagitialw soia-
us *
Para a Paeoayba. J00*00?
V o NateL M0#O
; oeMH. %*^
. oitaranho. .WW^rju
GAMELLBIRA.De* toeahtiai am ascraveo*.
data de/40 doeorrento;
Por portara do Rvra. govome*ar do tspado
de 7 do corrente, t* exonerado A seu pedida, o pa-
dre Christevao do Reg Barros de eoaJjaator dosta
flregaezia.
< Sacerdote ztloso, earitattvo eaoaatevel en
seus devores, o padre Christovo dVixa nesto lugar
onde soube, por seu ameno trato, conquistar ver-
dadeiras sympalhias, um vacuo bem dilfkil de prc-
oneber. Sua xoqerajo fot orna sorpw. paraest?*
trra. '
t Dos negocios teeaee o qae ineteaMeMa iroa,
naacao da ceaelruecSod nota rnaatet
t epWdewm quadra da deauaamwaaieaa a
urna estarte de rigoroso nvemepen%ie-1
este aaoo, e que t.sstoate deMetefoet'a aai
Utaslre. e piedoso narochi Augusto FranUiaeoa-
soguio lgamas esniolas, e com eJtea iewaa eildito
a faetnra da capeta-mr, cbn-ajn
primor darte, romtndo snnevier
fregaoxia, attendenrto-o as di^ndnaataomOjUa
lata MceMatemente o raonne*em. paceninv
qae,ni^ obstante, nao arrt-feeatr aada a. seto

irocden de eos- b requerimento do mesrao capitn, ique attnde clarar a V. S. jue nooa u-iteirado do quanto expfleh Camino
:3.djJ5 de tt>.6aauuormaj5on,70Bat t dacorrfAtfc iwas '* ^^wrrenj^cB#i.ao5.cl!a.-l(^.a'Wl^B
!qee,na> oosiamo, nao nuricvwf^
pelo bem-estar de-ieai freguoiao.
A obra do eerp da jgrafr-'e
InnaoaeaiTaieTWpoio. MnHatiada ten alaM> ft
i mm


2
o de Pernambueo Quinta fe
.---------------------------------------------
se lew a efffi|$, ifc obstante, pretende o IV
vicario abf/Mavt caito pbiioo no dia 2 de feve-
raro proilniimauro e para, isso nio se tem pou-
pado est^Maba
< Cumpii mnto, que aquelles scnhores que
dispdem n^Mn ocursos pecuniarios e geramea-
te todos os ftws concorrarn com seus bolos para
nao desanimar o zeloso patacho no sea es'rfr-
3RF
23 de Deze'iitro de 1869.
V.-:
fl9ka|o
saMtoato a
< meato e crttic
toieininado
mai* .uatro p
maistot m
que Idrno
quanto ao nabal
-terlal; o
tum.
Al oulra vez.
MOSQUITO.
aa corte ron novo
irado com estamp,
io, tendo somnre
caricaturas e quati
rindo. Algni;
deixau adesei
cual, e quer o>
assignatura zuTOOO reh-per anno
vietas, e 11*800 res por seis rotes.
As pessas qne desejarera asignar este jornal,
podero dirigir se ra do (Vespo n. 4, fabrica
de chapeos de ni de ma>na Falque.
ASSASSiNATO. Diz#m-nos de Pao d'Alho qne
ira alli assassinado, em trras to engenho Imca,
no da 19 da crreme, um individuo de cor branca,
de nonte Ignacio Francisco. Tinlia sido preso um
nutro iudrvidiio denominado Jos Lopes de tal como
indiciado es*- cw, e pwsseguiam as a-vori-S
guacSes. ,
SECOrt E MEiaSob este titulo di Pre-
presjo tte SantJ Amaro do 80 do passads a noticia
jjcfnmte:
No dia 17 do passado falleceu na freguezia
sio 6oBcalves Portella. que por caridade o agtsa:.
Auna, o'crioulo luso'Francisco, por alcunha fose
Ximb, com lo amos de idade.
Foi cria e & Angola, primeira propietaria
4o eagenho Saato Antonio, ha longos annos alie-,
ida.
los XimlK! diaia que quaodo ohegou daCos--
tn-da Alicao i-n-in Maximiano, escravo di-enge
nbo Terra-Nova, fallecido ha algom tempe com.
idade peuco i*ms ou menos de 1*1 anuos, j elle
^era inestre carrero.
Cora secuto-e moto de esisteucia, este nevo
Slalhusleiu atona fazia urna boa legua de caini-
nbo a pe, e em iva no goso de todos es seu sen-
tidos e taculdwlw mentaes, segando atoaao-os
que o conhectoin.
a O reverenda parodio de sua freguezia enoom-
roendou e deu sepultura ao sea cadver carido-
smente.
FESTAtHOLIXDA.-Os devotas de Kossa Se-
nhora to tm Sueeesso, que se venera na capai-
la dessa den"Hiiacao na cidade de liada, teste
jam no AVC de ja eiro prximo, a sera adroeira
com t de o esplendor, para o que nada tem ppu-
pado, iaolusico a grande obra que Qzeraai no edi-
ticio, afioi de evitar a sua letal ruina.
VOLTA-tifia VOLUNTAMOS DA PATBIA A
SEUS LAWCS.Acerca desle assumpte eserevero
-de Assnmpcio em 30 do passado :
St*a Alteza, vendo que ja era tempe de sepa-
que se actotsseni naqnuilas circutnsiancias. Para
realisar sua ^onerosa idfto, fez no dia 11 do roez
que boje Iru1 a, marchar Je Lemas Capivaiy para
o Hosario Jua- brigadas, tuna eommaudaUa pelo
-"CjronetFar e 53, a ulna sob o commando do coronel Fran-
cisca Louretico, composta dos corpos 27 e 46, for-,
maado-uuia uivsao dos voluntarios da patria.
Neat oe-asiao o augusta general em cheto
fez utoa'arrebatadora allocucao, declaraudo que
separava t-.up M'.iriameuie o com saudade dos vo-
lntame da patria, d.quelles que Unios e .lao
bons servros acabavan de prestar nesta cruenta
guerra, eran cspeeialidade os lilhos da Baha, a
cuja numero perlcoc-iam oe dous coronis que li-
cavaui e.m: laudando as duas brigadas referidas.
Dtsse mais Sua Alteza ^ue breve estara de volta
ao Rosario, para fazer turnar s suas provincias
- essa* pial.'. i^H- de bravos c que donas tiuliam sabido, aflm de servirea de os-
timul > fecundo s gera$e- vindouras.
Qu.-.uii > termuou o joven cabo de guerra,
fallarain anecessivinetete agradecendo Sua Alie
.za,03 coronis Faria lincha e Francisco Lourengo,
que levantaran! viva- ao conde d'Eu, como gene-
ral om cliefe c como cidado de um povo livre.
A fiiia u penal foi igualmente saudada no
mek) das mais estroodosas acclamajoes. Foi um
4ito solemne e bello. A amabilidade o agrado
cnin que Sua Alteza trat-m aos dous dtstinstos vo-
lunlaris ia .patria, cojos nunes citei, penhorou
ot-occMsivaaieate, havmido pois, o augusto ge
Doral ji ><'; lies aperlado a mao quaodo filiara.
mas tambero .jtianl i se despeda dessa legiiio de
bra. n
Honra ao conde d^Eu 1 Honra aos dous no-
hrc i caracteres que Jo-de 186'i se itim couserca-
do no theatro di guerra, treado com a ponta da
espada as mais hrdhautes paginas do sua vida I
mira prtvineia da Baln, que vai cheia de glo-
ria, abracar sus lilhos I
D0E1TES Aii PAKAGlT.vY.Anda de Assump-
ao eserevem en 30 do passado o seguate este
respeito :
Siiito nao poder dar aqu um mappa do mo-
v vnouto de nossos h spitaes, mas posso afflrroar
que a estatistica muito favoravel actualmente.'
ssa zona Jo Paraguay nao como j diste.-ti.
funesta saule. Par.i prova aprsenlo o mappa
do trimestre do iuro a setembro do corrate au-
no, pertencente a seccao cirurgica do 2' bospitar
desta cidade fe da casa de Miss Lincb). O hospi-
tal foi aherto a 23.de junho.
BzMbta 122
Eninraoi .ott
meninas, e o Sr. ValleW, mestre-a director da de
menaos.
Em.cadeiras tfa espaldar a esquorda do estra-
do linharn asseo os membres do governo provi-
sorio, o Sr. opselheiro "Paranhs e o Sr. general
Salustiano.
Do brtfo opposto seaiavara-se muitos outro
pai
ao vapor brasilero
P. da
__afanv os meninos da escah^uniforml
sado a ce n o seu eataodarto iefrrfdado. Junte i Trulcoes.
ao errado liavia'r.iii liado -lobo de gagrahia,
vrosj ele.
Cata banda, de osira iH-asjleira tocaba
mon*paaa>pecas'no paleo adjeeate.
Gom^i-dir a civiaenia por nrn diaturso a
priado do' Sr. symforiano sfeosta, presITO
Vindos da Rio Forraoso
Panthybtt':
Br, Joao Goirabra e 1 escravo, Manoel
Cost, Joao Fraacisco P. e 1 escravo.
LOTERA.A (|uo se aeha i venda a 132a, a
beneficio da groja de N'qssa Senhora do Ampa-
ro de Goiinna e que corre no da 30.
^CEMITERIO PUBLICO.btua/io do dia 21 do
eorrenie
Claudiaa, 9
vnlcoes.
Fraiii'is^oJHainkojlB .anno, Recife ; ch
D. Paula Maquiaa de anuos, viuva,
S. Pedro Marlyr ; tfsica pwnonar.
Barbara, PeruarntaeoBp|iaez, Santo Antonio ;
espatmo.'s
Manoel ritise dos Saatos, Peraambacu, 20 aa-
nos, solteiro "Boa -vista ; glstro mlerite.
Candido,Alcoforado, kiU ceri a) jq em qUe sao ap-
pellanta Guimares & Olive'ira> emUwWacao ; e
appeUados, o presidenle e d ,rector da aaixa filial
do Banco do Brasil ne-ta r fdde.
passa am.
Do Sr. dse-iihargador Silva GBroataes ao Sr.
desembapgador Res e F An.Appellante, Gaspar
('avalcante dj^Albud lerqje. lflft^
JuaotlfSa^^
monicipalidede. "Orou depois a Seorita Escala- Bernarda Mana Franco, Pernambauo.54 awios,
da, a qual demonslron mrtfta lucidez de iddat, aolteiray Santa Antonio ; hypetropbia. -
voz hanoiaosa e grandes dotes iuteIM;fl>Afttf
seguida oreu o mestre dos meninos, segio-soTe-
pois um discurso de nm Chileno ou Hospanhol j
Sr. Meniea. Todos os olhos so concentraram ni
ministro tirasilero, que improvsou entao ua bel-
lissimo discurso. Orou em seguida o Dr. Luiz
Alvares, que havia sido convidado pela inuatcipa-
lidadepara aquella oagusa cata da intenigenc.
O 'Dr. Symphronjo recTloa entao urna Tormos i
powsia.
Termnaram as hoawiagans da ptlawa con
um bello discurso do Sr.'Loisaga, meranre do go-
verno provisorio.
Finda a ceremonia, o secretario da municipa-
ldade lavroa una acia, que foi assigaad pelas
pessoas presentes?
- Ficou asfim fundado um (orinoaa monumenti
para a educacis da mulher paragaaya. Sao as
urimeiras escolas muaicjpaes qae ve a repblica
dos Franelas o dos Lpez.
< A uiuairipalidadi! comprehendeu bem a gran-
deza de sua missao. Derramut a instrnc<;o sobie
a cabera da povo : rtw Ute Oeve ser o coaselbo dado a todos os governos do
mundo. A mullier 6 a escola o te 4a familii.
K educacao da muTber ser a pagina mais bi i-
Ihante da regoaeracao do Paraguay. Deua, proto-
[ja as suas escolas mnncipaes. Aqoi val a poes a
do Dr. Symphronio, ooui a .jual ornare esta aw;-
siva :
Le monde marche. Esta exprosso sublimo
So mundo inleiro fez tremer o crirae, }
Fez a vrtude de piazer sorrir I
E os povos todos, esta voz ouvrodo,
Viram nos cos o panorama lindo
Do immenso bernias gangosa por vir.
Le monde nlircke. Peletan dssora
Fitando os olhos na ionita esphera,
Por onde o mundo caminhando vai!
Le monde invehe. Dizer devo agora,
Filando os olhos na brilhante aurora
Que acaba de nascer no Paraguay.
'
Emilia, Pernambu'co, 13'mcres, S. Jas; espasmo.
Antonia Maa da Conceicao, Pernambueo,. 16 an-
nos, solteira, S. Jo*; molestia ao injprior.
Joaquina 6emes Wanderlcy, Pemamouco 30 an-
nos, solteira, Boa-Vista; tubrculos fulmoaa-
res.
Jos Goajalves Torres, Pernaaibuco, 17 anaos,
solteira, Boa-Vfsta; tottercotos pulmonares
Lote, Prnambuco, 7 das, S. lose ; espasmo.
Jas, Pernaaibdco, Reoife; ferimeoto durante o
trabalho do parto.
Mara, Pernambueo, 4 mezea, Recife; marasoao.
JoaquUn Antonkr do Torno, Pernambueo, li an-
nos, solteiro, S. Jos ; tubrculos pulmonares.
Pedro, Pernanhuco, 1 anno, Boa-Tista ; deaticfo.
uquer que.
a .soaavos.
^H t^Bl do caiinlereio.A-grajraiite, o
Dr. Praxeda Gomes, de Soula PHaaga; at8rava-
do, Frederico Skin t. Aggrarante, Materaai Lene;
aggmaada, torito Gomes Netto.'-O Kxm. Sr.
presidente aeju proviniento.
AgcravaNMem carta testemuabayel) Francisco
Jos da SilJPlInirnaf aes; apgravaios, os admi-
nistradores-fc- massa fallida de Amonio, Fragoso,
Sanios Ar C.-^O me?mo Bxm. Sr. deu pron-
neato.
*- vaonsiaa. de lbjras. _. ^. ,
O-nltin lavrsdo galo esertvo Albuqnerqne
"Bra sob n. 1938 em !'! do corrente, e pelo escrivio
Brito 1919, em 14 do mesmo.
Encwrou-se a sess-ie 1 '/2 hora da tarde.
Escrivaas pordevocSo
As Exm." Sr.*' :
Esposa do Sr. Joaquiro Francisco do Reg.
Esposa do Sr. Francisco'Bibeiro Pinto Guimare?.
Jnizes protectores
03 Illms. Srs. :
Dr. Quintino Jos de Miranda.
Manoel JosiLM Coi
Capitao Fraor
; Juizas protectoras
As Exnffl^r." 3
Esposa dofcWlntonio Rodrigues de Sanza.
D. Sophia Heaf iqueta ae Fgueuoa Paria.
Padre Joa'iuim dUsimjirtio,
Capallao do recolliimento.
appellajto Jos da Silva
^^ Joaquim Fe-
Mais urna vez foi necossaria a guerra !
Sangne de irmans Inda se escuiam ais !
Porm qu'iraporta 1 Esla nacao que nasce
Cont".mpla o mundo com rsonha face,
Dzendoescrava nao sere jamis I
Ergue-te altivo, Paraguav nascente !
Desprcza as vozes de qaom qu"r q_ue intente
Trazer hita, contra irmaos, irmaos !
Lulasles muito Descansa"! sois puucos I
Lpez foi lonco ? oj seris mais loucos
Em novo sangue usanguentado as roaos.
O Paraguay, que alguns julgaram grande,
Era pequono Onde um tyranno mande,
Nein elle mesui i pida grande ser I
Povo de escravos nao povo nada !
Chafe que tero como scu septro a espada
Do grande o ndina nunca pode ter.
Grande foi Leopoldo e o sao no mundo
Mitre, Sarmiento, Grant, Pedro II,
Por seren com seus povos liberaes I
E' grande o Paraguay que diz nao temo
As sentencas de morte del Supremo
* J tenho Idis, j tenho tribunaes
Directores da lefr paraguaya !
J tendes libeiTlade conserva-n,
Gozai dos bens inmensos que ella d !
Porm nao abusis da libnlade,
Que perando de vos felicidade
De utbos lltus em vos a patria e.
Eleitos pelo povo, sois do povo
\ norma, a guia no camiuho novo
(Vio o povo paraguayo vai seguir !
A cruz que carregais mu pesada.
Mas ten-is, ge ella fdr bem carrejada,
a gratidj das gerac5es por vir.
CHROHCAJtTBIiWKU.
riUBUWAL D C OIIH1IU IO
VOTA DA S89S0 ADMINISTRATIVA DE 20 DE
OEXErtBlM DE 1669.
"T.esroKNCIA 90 EXM. SR. DESBMl-ARGiDOB ANSELMO
FRANCISCO PERRTTI.
As 10 liaras da manhaa, reunidos oa Srs. depu-
tados Basto, Miranda Leaf e sarao de >uaagy,
i faltando com participacao o Sr. secretario Rosa, e
sendo nomeado o Sr. bario de Crusftgy para ser-
vir de secretarla, S. Rx. o-*-- presidente abri a
sesso.
Foi lida e approvada a acta da sessao de l(i.
atuaatwiK.
Offlcio do presidente e seeretRrio da junta dos
corretores, Armado de 18 do corrente, remetiendo
boletim comraercial da semana prxima Anda.
Archive-se.
Vieram a mesa os segaintes nmeros do Jornal
Offkial:259, 271, 272, 273, 74, 275, 276, 277
e 273.Foram man i idos archivar.
Achon-se feito com regularidade o registro da
correspondencia official.
Dislribuiram-se os seguintes livros:Copiador
Me Prente Vianna & C, Diario dos mesmos, e o
de Antonio Rodrigues de Sonza le C.
DESPACHOS.
Reqtierimento de Jos do llego Borge &- r-
sula r..--'.ia ua nocia Aiibi-ij.>, pedindo o re-
gistro do seu contrato soeal.Vista ao Sr. desem-
bargador fiscal.
De Antonio Joaquim de Sanl'Anna, pedindo pa-
ra ser mandada registrar a nomeacaode seu cai-
xeiro Joao Baptista do Monte.eja registrada.
Do J. O. C. Doyle, pedindo que se Ibc certifique
a inscripeo de seu caixeiro. Certiflqne-se.
D Cusa Moreira & C. apresenlaado registro
a nomeaco de seus caixeiros Vicente Nunes Sor-
ra e Jos Adriao da Costa Moreira.Como re-
querem.
De Jos Pereira Viauna, cidadao porluguez,
com trinta annos de idade, domiciliado ra do
Vigaro n. H com casa de commissdes sob a fir-
ma de Pereira Vianna A C, pedindo que se o ad-
1'CBLICApES i PEDIDO
O Br. Ciinap* e pedido do
< Ulberal. >
Em ama das pubiieaedes a pedido do Liberal
de hoie se diz que a opposicao me havia feito ac-
cusaooes, e que essas accusacdss eram verdadeiras
e confirmadas por actos da adroinistracao da pro-
vincia : porque o Sr. vice-presideute Dr. Ma-
noel Portella me havia dirigido os tres offlcios sob
ns. 173, 179 a 180, transcriptos na dita publica-
cao; 2" porque o Exm. Sr. presidenle Almeida
e Albuqnerque consu tara a um digno sacerdote se
quera oeoopar o iug.r de regedor do Gymnaso, o
que ndicava a intencao ero que estova de demit-
tir-me.
Dos tres offieto* do Exm. Sr. Dr. Manoel Por-
tella, o Ia relativo a alumnos de 16 a 18 annos,
rs S. Exc. encontrla no estabelceimanlo, n que
parecen urna infraccao da lei da creacao do
Gy nnasio ; o 2* noi.a o inconveniente de ser o
grande salad do lado do occidente aproveitado para
recreio e para e astuto, pela razao de ser muito
clido, manda remover o estudo para as salas da
frente, e lembra que, aavendo evidente neeessidade
de movis no edificio, devia-os eu requisitar ; o
3 reprova que sejam repetidores do Gymnasio es-
tudantes da Facnldade d Direito.
Ora, nao vejo que o Sr. Dr. Portella tvesse em
vista censiirar-me eit nenhura desses tres offleios.
Nao quanto ao 1, porque eu nao tenho culpa
que os alumnos admitidos em 1864 e 186o com a
idade legal de 12 annis, lenham chegado de 16
e 17. Os que para o Gvmnasio entrarem analpha-
betos com a idade legal'de 12 annos, tendo de fre-
quentar a aula de insiruccao primara um ou
dous annos. e fazendo o curso completo de eslu-
dos do Gymnasio podo attingir idade de21 annos.
0 deleito da lei.
Nao quanto ao 2; porque nao fui eu quemdes-
tinou o salo occidental para recreio, foi a repar-
tilo das obras publicas; porque nao tenho culpa
de ser esse sali wjuiro clido; e porque, si ahi
se fazia o estudo, era pelas razos que expend em
roen rotatorio de 15 de Janeiro, e por haver para
isso reeebido ordem serbal do Exm. Sr. condo de
Baepcndy, que, visitando o estabelcimento de ma-
nhaa, achuu tao cliits as salas da frente, quauto
achou clido o Sr. Dr. Portella o salo occidental
s 3 horas da tarde.
Nao quante ao 3" offlcio; porque quem faz a
nomeaco dos repetidores nao sou eu e sim o pre-
sidente da provincia. Si ha censura, pois, ella re-
cabe no Sr. baro de Villa-Bella, que fizra duas
T
-~.-------

f w
5T

ira besilaro, qne
;a nao poda
mitta a matricula de coinmereiante, alim de que! dessas nomeacoes (no meu parecer excellenies
n f;,.,i, n ,1, ___t -. ,1 vi,. An a tirina^ de que socio gerente, goza dos favores
qne Ihe sao concedidos, visto j ser matriculado o
mtro socio anoel Francisco da Silva Novaos,
commerciante na corlo do Ro de Janeiro.(Altes-
taro em favor do peticionario Manoel TeLxera I3as
lo, Caetano Cyraco da Costa Moreira e Joi S
Leitao Jnior.)Vista ao Sr. desembargador fis-
cal.
^Da Jos Manoel Baptista, cidadao brasileiro, de
45_ annos do idade, e Manoel Joaquim da Silva
Lelo, portuguez d 48 annos de idade, aquello
socio respunsavel, e este commandtario e esf.be-
lecidos na cidade de Macei capital das Alagas,
sob a firma de Jos Manoel Baptista & C.
no Sr. conde de Ba< pendy, que fizra as outras,
precedendo, quanto a estas", informaco favoravel
do Exm. Sr. Dr. Joaqira Portella, irmao do Sr.
vice presidenle.
S lemhranca que S. Exc. me fez da falta de novela,
o da necessdade de as requisitar ; mas nem esta
me cabe, j porque no re alono do estado do es-
tabeiecimento, datado do lo le Janeiro, tnha cx-
posto com individuacio quaes os movis e utensi-
lio* que eram necessarios em cada urna das pecas
do edificio, j porque reiterei a exigencia de alguns
desses movis e utensilios em offleios de 16 de fe-
vereiro e de 21 de marco. Assim, a presidencia
a urina oe jse Manoel Baptista & C em
commi?s8es e armazem de estiva, pedalo, a roa- alverlia-me de urna necessdade* de ijue eu ja n-
trieiila de dita Urina.(Attostam em favor desta atia I'01' ll"os ou mais vezes dado conhecmento
1,721
Curados 1,07o
Fallecido*. 32
Transferidos para o Brasil 52
dem para Humana 382
dem para a enfermara de
varila 2
dem para a seecao medica 3
dem para o ponto Carlota 4
Ficam existndo 171
Dos 1,599 entrados 530 foram feridos, e 91
coatusos do agosto a setembro. O algarismo dos
curados D3sio hospital seria muito raaior so pela
necessidado de evacuar-se o Jiospital para rece he r
novos doenlos, nao se tvesse de transferir para
Humilla os 388, quasi todos em va de cura.
Fkoram-se lo operaedes^seado:
Amantacdes de braco 3
Dius de perna 1
Bitas de coixa 4
esariicnla^ao de dedo 4
Drto de pbalanges 1
eataacao de bala 3
< Do? amacHadi* falleceram 2, senda um em con-
neaueueia de craafrena n nutra de ttano. Dos
falU'cdofi 51 aaram do numero dos feridos e a
maior parte da morialidade foi devida grangre-
na e ao (alano.
< Estes dadof obtlfe do Dr. Camino, que foi o
1* cirurgiao oe*4e triaaestru, e um dos fundadores
to erasoetoenenle. Jf uro distiocto facultanvj,
cajos services e coto proceder, quer ao Brasil,
quer em campanha o toraam -redor da estima ge-
ral o da gratido do paiz.
< Agora o 1* redico do hospital, sendo o
1* cirurgig o Dr. Gesteira, iguafcaaente hbil a ze-
loso.
i Don aqu am mappa da seccao aiedica tte 2*
hospital no mez de outubro prximo pasnado j
Baisuam AO
Entra ram 428 Mi
Palleetdos 1>
Tranaferidos para a soc-
ce oMvgiea 3
Ditos para a anfermaria
4e varila 2
Ortos para Humait 40
afMotfara o Brasil SJ
Total 324
Qaamlo Ierra desceu o Omnipotente
Tiveram os tres Magos do Orienta
lima etrella no cao que o* dingio !...
Sede vos os iros Magos pango. iy '3...
E_o pr->gresso urna estrella edjbs raios
Vao guiar-vos para o sol que aqu surgi I
O sol a educacao da jventu le
Para segnir o caininho da virtade.
Para ver do progresan a viva luz.
O sol a humanidade cingragada
Peja phrase por Deus pronunciada
Quando expirou nos bracos de urna cruz!
O sol a unio, a paz, a vida
Daqaelles que da espada fratricida
Pu leram felizmente inda escapar I
O sol a libtrdade a rir se ufana,
Vendo os bens que ella nutorga especie human
No povo que ella acaba de crear.
Para .mostrantes o sol aos Paraguayos
Segui ila estrella do progresso os raios f
DizHi-lhe : i Povo I remido ests I
* M\ f vem cororoigo festejar a aurora
Da liberdade que despunta agora
i Rica e pomposa de progresso e paz I
Uni o povo... e, rodeando o templo
Da liberdade, dai ao povo o exemplo
Nos vossos actos, procedendo bem I
Se a patria fr por dissenses partida,
Progresso, pa, liberdade e vida
Jamis, de eerto, gozar ninguem f
Le mande marche. Es os sublimes traeos
Di im Melisa estrada para os vossos pasaos I
AVante avante I Aqu no Paraguay-
Sois o governo ? I Goveroai o povo
Por om Bysiema inteirament novo f
O povo um filbo... e o governo uro pai !
(Attost
preteatAo 03 ooaMaaretaatn* Jas Joaquim de Ol-
veira, Rodrigo Antonio Brnz Macdo, Joio Jos
da Graca e Wmedyndham RobiUiard, cooimer
ci inte- d'aquella cidade.)Vista ao Sr. desembar-
gador fis.a.
De Chaves A Vianna, requerendo ao Exm. Sr.
prndenle do tribunal para se Ihe certificar se
em 1867 foi matriculado um se caixeiro por no
me Francisco Joaquim das D tres, licaiido jem
elfeito a petico j despachada em qu foi errado
o nome de dito caixeiro chamando-se-lhe Joaquim
Francisco das Dores.Sim.
De Jos Marcellino da Rosa A Futios, declaran-
do ficar sem effeito a urocuracao em quo deram
poderes a Marcellino Goncalves Rosa para admi-
nistrar interinamente seus estabelecimentos, visto
se ter retirado seu constituido, e pediam que ues-
te sentido se fizessem as precisas, notas.Na for-
ma requerida.
Dos directores do Brasilian Street Railwav Com
pany_ Limited, assignado pelo Dr. Jos Bernardo
Galvao Alcoforado, juntando documento era que
provam ter-se pago o sello exigido por despacho
deste tribunal de 2o de ontubro prximo passado.
Vista ao Sr. desembargador fiscal.
De Francisco Jos Ribeiro Braga, apresentando
a registro a nomeaco de seu caixeiro Izidro Mi-
guel -Soares.Seja registrada.
De Cosme de S Pereira, pedindo o registro da
nomeaco de Manoel Duarte Vieira Filho para
caixeiro lo estabeteciraento de drogas sito ra
do Imperador n. 22 e pertencente ai snpplieante.
(Ficou sobre a m sa por ter chegado depois da
hora)
COM IXF0UMACA0 DO SR. DESEMBARGADOR FISCAL.
De B'>telho Araujo A C. e Ponles & CRegs
tre-se.
De Joaquiro de Souza Miranda Couto e Heira-
no Ferreira da Silva.Como requeren).
De Ramos 4 Temporal.Gomo pedem.
Da companhia de Liverpool and Globo Insuran-
ce.Nlo tem kiirar vista.do parecer fiscal.
Rehabilitado de Joaquim Jos da Gosta'Faiozes
Juni r e Jos Laurenlino de Azevdo.Adiado
pola hora.
Nada mais liavendo a despachar, e sendu II
horas e ; encerroa a sessao.
inesina presidencia, o que nao poha ser devidn
senao a um engao, que se podo explicar por ie-
rem sido felas as mrohas commumeacoes em lem-
po da 3dministracao do Exm. Sr. conde de Bae-
pendy
l td pos o autor da publcacao a pedido do
Literal que o Exm. Sr. Br. Manoel Portella nao
me fez censuras ; e si as tvesse feito seriam in-
fundadas. O que se deprehendo das tres offlcius
alludidos que o Exm. Sr. Portella enendeu, no
-eu leuvsvel zelo pelo born rgimen do Gvmnasio,
dever ordenar providencias^ que Ihe parecan) ten-
dentes a esse fim.
E' certo qui o Exm. Sr. presidente da provincia
pode tar procurado pessoa que me suhstta na
regidora do Gymnasio ; mas saibs o autor dapu
bhcacio a pedido que a razao disso porque S.
Exc. foi informado, por amigos meus, desde o dia
li de novembro, de qua eu tosejava obter a mi-
nha demissao attenta a impossibildade que tenho
de fazer residencia lixa nesta cidade, segundo o
parecer dos mdicos, que me team tratado. E es-
ses desejos j os minifestei pessoalraente a S.
Exc, que me promett u dar-me substituto logo
que isso fosse pussivel.
Como que o Exm. Sr. Almeida e Albuquerque
nao me pido mais suppnrtar, si eu nao servi o
cargo desda que S. Exc. toroou posso da presi-
dencia ?
Que gente miseravel!
Fina luiente, nao fique sem reparo quo o autor
da publcacao a pedido, para dar mais intimativa
aos seu* embostes,altribue opposicao o que os
propro delle e de outros miseraves, que fogem
covardemente respe isabilidade do que eserevem,
A opposicao, que s |)de ser representada pela
redaego do Liberal, a qual alias nao ignora quaes
sejam as minhas opinioes polticas, anda nao ar
ticulou nenhuma censura contra os meus actos
como regedor do Gymnasio.
Recife, 21 de dezembro de 1869.
Dr. i. J. de Campo* du Costa de M. c Albuqnerque.
NOTICIAS 00 PARAGUAY.-Ea data de 1$ do
passado mmmm de Assuro can:
O geverae provisorio vai indo como pode
no iilurafirad de sua penosa tarefa. Busca vn-
eta* todas aa fMeaMades, mas na ha inuio tino.
Besaataavaa itn raucas antigs algumas provi-
deaeiaa.
A tnaaMpahdade vai, porm realizando atis
aatdaeraataalaa. Acaba de fundar dna< eiwola-
annniatpat*, aaaa t>*n roeam -s nutra parame
wnav A cawaasni da in oigitracA- la de meui
as esteae aaaraatdiiu. T >v lugar n dia 7 te
noverahara ata a* *>di>i'> aurnprud. Era mag
nieo 9aaBs Min da inteHig'-iwia. Em um es-
trado eaavada a tupo de um sala aehavam se
jealpasja 4Mras da municiiwiidude. pr-idi-
lus adt Sr. if/afnair.) Alcs-a, a Sen>nta As-
oaelon Eeaiaaa, aatra o directora da eecola de
D) Paraguay, na bella autonomh,
Quao solemne a hora qae inicia
Bo magisterio as nobres pmfissSes I
Na lista las oaoSes eis vosso ingresso f
A educacao a base do.progresso f
E o progresso a vida das nacoe?.
A' nacao paragaaya boje dais vida,
Naquelles antros quas convertida
A ignorancia em saber, a treva em luz I
O que vos comegais feliz complet
A missao de Estallada e de Vlete,
Mis-ao que o povo ao raaior bem oendoz.
Eltes sejam agora os instrumentos
Creadora r ranear, pennamento
Com os qoaes no mando elevara se as narres;
Sejam sagradas leis os seus conaelhs...
Sejam suas palavm evaagelhos,
eus actos Dorma, o luz suas lices.
Sejam elles um iris de hananca
OtZMn-to pelos labios da espranos
Le monde marche I Avante ubi tambom f
.MJn I voseos filho cimdozi a escola I
Pa Ir I aos qne soiTrora ante Deu* consola
Com as harmonas que o Evangemo tero.
Ri la< abanas do enstao portas i
Vivam i?e nova as esperancas mrtas
Por tantsi aawH de martyrlo e aYr f
E unido irdo o Paraguay nascen'e
Basque n.s ratos da son d aroVnte
Perpetua loa de fervoroso amor.
LEILOH }i s 8 horas" VHO minutos parto Itanie, Uttw Crbeti; appelladu>, Luiz Ribeiro ila
un treui Rem <>s *)ncorreiites ao leilo doPQ?.i|Couha A Sobrmhos.
SESSAO JUWCIAR1AEM 20 DE JJEZEMBRO DE
1869.
PRKSmBBCU BO EXM. SR. DESBUSAnGASOR A. F. PE-
aBTTI.
Servindo de secretario, o offkial I. A..de F. Torres.
o meio dia estando reunidos ns J5rs. desem
cargadores Silva Guimaries, Reis e Sjlva, e Accto-
li, e depu todos os Srs. Basto, Miranda Leal e ba-
ro de Cruangy, faltando com participa cao o Sr.
Rosa, S. Exc. o Sr. presidente declarou aberta a
sessao.
Foi lida o approvada a acta da sessao antece-
dente.
Leu- participa nio poder comparecer presente sessao.
AGCOBOOS.
Poraai liJos o assignados os dous seguintes :
Appellanles, Oliveira, Pilhos A C, appellados,
Eduardo Burle A C.; appellante, Jos Rodrigues
de Araujo Porte, appellados. Izidoro Bastos A C.
JULGAMBNTOS,
Adiados da sesso de 13 :
Juizo especial do commercio.Aopellantos. viu-
va e herdeiros de Jos Hygino de Miranda e B Jo-
iopha Bemvioda da :unha Souto-Maior ; aipei|a-
dos, Milis Lathan A CJoizes os Srs. Silva Gui-
maraes, Reis e Silva, Miranda Leal e Basto.De
prestis os embsrg*, ando voto vencido o do Br.
Uva Guimaries.
Juzo muntoipaldeBalaril.Appellantos. Pran-
ciici M ifeira de S >uza e sua mtihVr ; appelladiis,
Francisco Cn-lho d Fonseea o Jnio Antonio <].
Amarsl.Jnizes os Srs. Silva Guimaries, A'etill,
bario d>- Cronngy e Miranda Leal.Confirmada a'
se utenca
Adiados da sessao de 16 :
Juizo nuinirpal la Pauella, (gratis para os mesmos) o qual foi
transferid para boj** 2 J do crrente.
PASSA.GEJH04.-V>i>s Jo Aracaj o portes
intermedios no vapor bi*a>Urro Avjrti:
Jol. M. de S.BX, Maru* F da Cttpmo, An-
tmio L 1 Lima, SiM 10 i\ da ftosfA, tiara M.
le Jesu* Farias, Joao Virtnr fl Slcnblra, fjandjdu
1 *< L., Gn lido K. de P. Prag-tV/ Ro?afiaa F. de
Santiago, Jvsepbina Amelia de P.
Juizo e-uecial do commercio testa rida le. \j).
pellanto, Tissw Irmios; appelladns, Mauoel N'unes
Parreira A C Omiinuam adiados.
Maic .u.-s-f o priuieiri. dia til, p-ir se na rb>r
pre.ente o Sr. Rosa, para julgaiii um to fcit .
tre pirt.-s : Auiwltonte. Pr. Franrisrn d" S. R %
ventura ; appellad... Mnoel Ribeiro Basto, can
ci-siiniario ifa massa de Antonio Perer de flaf.
vallw juiroaries, e por nio estar presente o Ar.
Elcirjao dos devotos e devotas
que tem de festejar a padroei-
ra do recolhiment de Nossa
Senhora da Conceicao de
Olinda, no anno de 1870.
Juizes por eleico
Os Exms. Srs.:
Baro de Campo-Verde.
Baro de Cruangy.
Os filias. Srs. :
Antonio Goncalves da Silva.
Dr. Pedro Bezerra Per jira de Araujo Bellrae.
Juizes por devocao
Os Illms. Srs.:
Rvm. Mxooel Joao Gones.
Diogo Thomaz Estoves Vianna.
Manoel Jos de Si Araujo.
Maoop| Jos Pernandes Barros.
Jos Pereira da Cnnba Jnior.
Antonio Henriqoes Rodrigues.
Jtizas por eleico
As Exm." Sr." :
O. Francisca, esposa do Sr. Antonio Luiz.
Esposa do Sr. Carlos Jos de Medeiroa.
O. Afta de Cassia Vieira Cavaleanto.
Esposa do Sr. Bernardino Gomes de Carvalbo.
luizas ,aur devocao
As Exm." Sr." :
Esposa do Sr. Dr. Lanrindo de Moraes Tinheiro.
Bsp-sa do Sr. J-io da Cnnha Soares GotmarSes.
R D. Palmira de Mallos.
Escrivei f>* eteifad
Os Iilms. Srs.:
Mano-I da Silveir Ifoadoat Vlinna.
Inao WaPr|n le Med-iros.
Aniom. tianiz Machad i
J'iio Baptista de Oliveiri.
los J-.aquim ito Castro Monra
RscrivSes por dev' ci.
Os llims. Srs. .
Jn d* Snt.it Neves.
\UKU*t'i Perwndo do B.-go.
H uriqurs oV S Li-itito,
Eserlvia-i pnr elelcio
As Exm." Srs."
O Mina Js Raunis Ba toa
I) E-lna. asposa do - e-i.(.sa ito Sr. J.- Pedr. las Nev^s.
Ks|sn du Sr. Peliris'M J-is Gioies.
Esposa i>> Sr. Dr. Antonio d'Assumpcao Cabra!.
TJma supplica ao Exm. Sr.
Hoga-se ao Exm. Sr. presidente d'esta provin-
cia, que se digne tomar cin consideracao, j por
justica e j por equidade, a bem deshumana clau
sura do menor de 13 annos Antonio Jeronymo de
Lourelro, que, haver dous das, foi preso para
recruta e logo remedido para bordo a assentar
praca na iiiarinha ieueria. Por quanto, es-e me-
nino alm de ser manstfe'bem conduzido, ar-
tista, empreado na otlicma de entadernacao do
Rvm. Sr. padre Ignacio ; anda, pdese dizer, o
escravo e apoio da casa de seu pobre pai, o
portuguez Joao Francisco Lopes de Loureir, mo-
rador na ra de Santa Bita n. 18 ; honiem capaz,
j assaz encanecido, seriamente doente do figado
(tanto que, nao ha muito, levantou-se da cama on-
de tem estado por vej.es bem visiuho morte), c
onerado de mulher e de mus tres fillirahos de 4 a
6 annes, dos quaes dous sao do sexo femenino. O
que tudo sera exuberantemente provade, apezar
da perversidade inhala de quem quer que, como um
energmeno, soube concorrer para levar, sem ou-
tro motivo mais do que a mesma perversidade, e
com subrep^io, 30 seio de urna to pobre quanto
pacata familia, a dr mais pungente e a desolacao.
Sendo, entretanto, para lamentar-se, que fados
1 taes anda se apresenteai no seio d'esta capital,
quando a guerra, que j tanto diziraou, est a aca-
bar, e os exercltos vio sondo, por ordem do gover-
no, licenciado?.
A verdade pela verdade.
Logo que appareeeu ua arena jornahslica o no-
vo Liberal, dizendo-se o orgio, ou representante
do partido liberal em Pernambueo, supposemos
que a sua redacco se havia depurado das fezes
da redacco do ouiro Liberal, que terminava a
inglona rnusaq, nao de defender e sustentar prin-
cipios e regias do potinca, de governo e de tajni-
nistracao publija, mas sim e lio somente de de-
primir o calumniar os seus adversario* polticos.
Levavanos a crer n'isto o assumpto serio e gra-
ve de alguns artigos de fondo do novo Liberal, e
ajioticia, que eolio se divulgara, de que a redac-
Co do orgao do partido liheral esta va exclusiva-
mente confiada a tres dislinotos e Ilustrados mein-
bros do partido.
Enganamo-jios. O orgao da opposicao anda con-
serra parte da redaccio do seu despresivel lio-
monymo, e continua por isso a ser o soalheiro das
reputacoes, o poste da injuria, da dffamac.-ao o
da calumnia, niau grado os distiaclos cavalheiros,
que eram inculcados, e, a quem se attribuia o ex-
clusivo da redaccao.
Nos estados regidos pelo systema representati -
vo, a imprensa pode e deve discutir com a m-
xima liberdade, ij s os principios e reg'ras de
direito publico com todos os seus corollarios pr-
ticos, mas at os actos da vida publica de todos
os bomens polticos.
Se o .orgao da opposicao actual se lmitasse a
sto, prestara um boro servnjo ao paiz, e a sua
palavra tena toda a autoridade que resulla da
cuiisciencia do dever.
Mas, deixar de discutir os principios e regras,
quo o seu partido aiopt u como normas de gover-
uo e de admiiiistragao, deixar mismo em silencio
os actos da viJa publica dos homens polticos,
para discutir actos da vida privada, mentndo e
calumniando com o mais requintado cynsmo I
Com relacao prso e processo de Candido
Jos da Silva Liberal, o Liberal tero procedido
coro una protervia qne espanta I
Mentio, dando a noticia da prisio de Candido
Liberal; e como um abvsmo truz outro abysnio,
rectificado o facto da prisio pelo Correio Pernam-
bucnnoKoin lodos os seas antecedentes, vio-se o
Liberal toreado, para sustentar a primeira men-
tira, a levantar outras tai nverosimes e despa-
rvadas como a priiueia, dando, cjiiio .-e casluma
dizer, por paus e por pedras. li com a angula
ridade qne, em abouo dos embustes que levantou,
em vez de invocar o (estemuuho de pessoas in-
suspeitas, de liberaes distioetos, que moram uas
proximidade- do engenho Dous Irmaos, iavocou
o suspeiiissimo tosiemunbo do propno Candido
Liberal I
Ora, o qoe ha Je dizer o Candido, que se fingi
morto e mandn a mulher o um filho, vestidos de
lucio, casa dj subdelega ij aecusar a Aulonio
Paz de o haver assassioado T
Pori|ue razio o Liberal, em vez de ouvir o tes-
lemuoho sospeito de Candido, nao tratou de in-
fonnar-se do oceurrido de seu distncto correli-
gionario o Illm. Sr. capilio Antonio Jos da Silva
do Brasil, que sabe de ludo, porque n>>ra a dous
passos da casa do subdelegado, o porque foi tes-
temunha presencial de quas ludo quanto se deu
por occasio da prisio de Candido?
Ah I O testomunu) insuspeto de homens ho-
nestos e ndepeodentes como o Sr. Silva do Bra-
sil, nao pode convir ao Liberal, cijo fim nio era
defender a Candido, mas enxovalhar a autoridade,
qne cumpre os seus develas o gaza de geral esti-
ma em sua freguezia, como o attesiam todos os
homous de bem, alli moradores, quer governsta,
quer da opposicao.
Perguntem, por exemplo, ao Rvd. vigaro en-
commendado da freguezia, o Sr. padre Vicente,
em que concoito tido s Sr. :apiti> Jos Cosario
de Mello.
Mas qual Estes iestemunhoi nao servein a
quem faz timbre em faltar verdade. So o Libe-
ral a procurasso sabor, entrara no conhecimiutt
mol hada, disse, dep
erado' ho, aqn
sevir.
Fnaimcii'.e, certifloado Candido le que ninguem
o tnha por mori'j, ri aa torceiro. da eom
ninn figura cictusao na mi esquerda, c assim
so deixou ver. por algumas pesjoas, que logo o
n di do elhe fazia repet-
amar eom o proposito do
Candido, apena
uma*torrente
- -Jj^b. de modo que
-i-, subdategado dissesse o
1 para que o mandara hamar.
Ja antis (ii.-JO tioha elle passado pela portado
Sr. Cezaia isiao quo esto eslava ausente.
a abi dirigida it\ juriasao mesmo Sr.
Cetario e sua familia.
Ora, oestes circumstancias, o que devia fazer o-
Sr. subdelegado f O que farJam os escrevnhadores
de insultos no Liberal; mandn lavrar anto de
prisio em tlagrante delicio por injurias e ameacas
feitas sua pessoa, no exercicio das funecos de
snbdelepado, e o remelteu ao Sr. Dr. delegado de
polica d esta cidade, para proceder nos termos da
lei n. 1090 do 1 de setembro de 1860.
Os membros mais preeminentes do partido libe-
ral, toes como os Srs. bario de ViHa-lella, tenen-
tecoronel Luiz Francisco de Barros Reg, Dr. An-
gosto de Souza Lcao, Dr. Francisco de Paula
bailes e outros enlreteem relaces de amizade com
o Sr. capilio Jos Cezaaio de Mello ; e todos enes
sabem que o Sr. Cezario incapaz do pralcar os
actos que algui "ios esoriviahadores do Liberal'
Ihe attribuera.
O Sr. Cezario poderia ter commetlido um crirae.
Dadas certas clrcumstoncias, nipguem estara li-
vre de ser criminoso. O que certo, porm, que
oSr. Cezario nunca foi criminoso. O tribunal com-
petente, que inconlestavel mente o representante
roais genuino da opiniao publica, o declarou jsem-
culpa.
Quem o chaina crimuoso um calumniador.
Recife, 2i'do dezembro -i i 3 J3.
Jlf. .1.
Febre e sezes. Curas ad-
miraveis.
0 Dr. Efe'heri Simms, amigamente um
dos membros do Collegio Medico de Pliila-
delpliia, e presentemente um dos mdicos
o mais popular em Minnesota, escreve a
um amigo cm Nova York, que as pilulas
assucatadas de Bristol, esto produzindo
maravilhas naquella regiSo em casos de fe-
bres e sezSes, e fbres biliosas e intermit-
ientes.
O extracto seguinte de suas observarles
foi publicado com a devida permiss3o do
tal amigo, a quem fura dirigida:Como
Vmc. sabe, eu sou mni pouco amigo de
remediosannunciados, e principalmente pi-
tillas. A maior parte dedas para nada pres-
tara, e militas silo perignsas. Porm as
pilulas azucaradas de Bristol, fof mam urna
bonrosa excepcao. Nao M podia desejar
melbores pilulas para onsode familias. Nao
ba, segundo nio rae engao, era toda a
pbarmaC' pea cousa que com ellas se possa
comparar; nem isto anda 1; todo ; as qua-
lidadcs antibiliosas das pilulas. as tornam
um remedio positivamente inestimavel para
a cura das febres biliosas o intermitientes e
sezoes, t5o commnns nesta Utttude. Eu
as acliei do uma ellioacia excallente no cu-
rativo de febres, calefrios o sezoes. Ellas
s5o tanto tnicas como aperientes, e podeni
ser administradas com grande vantagem,
naquelles casos em que os purgativos drs-
ticos poderiatn ser altamente perigosos.
Ellas se acbatn raettidas dentro de vidri-
nhos, e por isso conservam-s perfettas em
lodos os climas.
Em todos os caso? aggravadns ou pro-
enientes il*um eshdo impuro to saBgue,
a salsaparrilha de Bristol, deve do ser
turnada conjnnctamenle com as Rillas.
COMMERCEO.
'RACA D RKC1EE 22 DE DEZEMBRO
OE 1869.
as 3 1/2 aoaaa c.\ T^nne
Cambio sobre LondresUO d/v. e 50 d. por ff.
Combo sobre Portugal avista168 0|0 de prenii
Dito sobre dito90 dv. 163 0|0
v. .'. Silveira
Presidente
Leal Seve
-i.cretari<
ALFANDEGa.
teadimenio de dia 1 a ii. .
1le.n1 do dia 2i
1.026: !72t3!'f-.
47:549oo
1. MOV MENT DA ALPANDEfil
/olurnes entrados com Caceadas 48.1
dem idero com gneros 1137
'olnmes sabidos com fazecas
dem idem coro generes
-----19*2
2i5
870
-----1151
Descarrejjam hrje ;,3 de dezembro
Barca francezaViridimumercadorias.
Ccuna americanaS. C. t?t>anjmercadorias.
Vapor inglez O/indai I
Rate americano-/. P..i-;-,-idero.
Barca portuguezaSegv: aa dem.
Barca portuguezaMarianna Iidem.
de que os factos se deram pouco mais ou menos Brigue porluguezAlexandre Hercnlano -idem.
como os referi o Comi Pernambucano. Escuna dinamarquezaAiuaidt idem.
Eis aqu o que nos informaia a esse respeito :
Do dia 7 do corrente, por volta das 10 para 11
HECEBEDORIA OE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
horas da nouto, appareeeu na casa de mo'agem do ftendiraento do dia 1 a i;. 38:6o2j>53
engenho Dous Irmaos, como costrela va, o pardo 'dando dia 22.....'. 2:33248o-
Candido Liberal, um unto embriagado ; e depois
de tonga conversa que leve comum ilho do Sr Ce-
zario, que administrador do engenho, vendo alli
a um canto da casa uma cabaca de caldo de caima,
quiz que o administrador do engenho Ih'a dsst.
Este Ihe disse que a nao (lava, porque j tnha
declino; mas que elle fosse tirar quanto caldo de
canna quizesse. Candido insisti em nao querer
outro caldo .senao o que estova na cabaca, o por-
que o administrador persistiese em lh'o recular,
proronjpeu elle nos maiores insultos contra o
moco. Antonio Francisco Paos Jnior, que ahi
estova, reprohendeu-o peto seu procedrraento e o
intiroou de se retirar, o que foz Candido nao sem
injuriar tambero a Antonio Paes, com quem tnha
rixa velha.
Cerca de uma hora denoto, e quando j nin-
guem se recordava d'aquella occurrcncia, despe-
dio-se Antonio Paes e ratirava-se tranquilamente
para sua casa quando, prximo ao banhuro, e
btira do acude, do repente assaltado por Candi-
do Liberal, agora armado de am* espada. Anto-
nio Paes apara o prhaairo golpe com nm pau,
i^uh levara e com elle bale na mi esquerda de.
(andido, em que estova a aspada; esta cabe e
''.andido, reeuando, perda oaaalibrro e cabe den-
dentro do assnde, por ande atravessou, indo sa -
hir mais a#u>Ce o foi para na casa.
Pouco depois apreseatara-r-e a mulher e um fi-
lho de C-ndido em aasa en Sr. capitao Ceurio,
iltzcn-to ipae sea marido e pMi tora assasMnado
p>r Auiouio Paes e laaeado no aasude. O Sr. sub-
dntoga.in, ap^zar de se araar dtate, sanio aquel-
la rarsm* dura arKaMaa da arate, reuni a gen-
te que (M te, e ircuu a casa de Anajnio Paes n ira-
tras im,ie e podoria lar asciidid* mandn ba -
t>r todo o a>snde em praenra do corpo de Can-
dido Liberal Pufo eiaina do assnde, **ndH vis
e 3ue rahira ata beira do aud do tro lad>,
e.u verificado que alia al nao estavA que
tmha sahifl em direecio a sua casa. Qu^ato a
Amonio Paes, nio fui eneenlrado em pari^* 'l|-
gnnia.
N" da sejuintp nao cessnu o Sr. Cesario de *-
zer Jj|i|fenria, tanto para Tertflrir se 1. Candil.'"
esteva enliMente P tambero para capturar Antonio Paes. Em uma
d'e-sas diligencias loo Sr. rpita 1 Cesario em
<'am|iaiiltu d< >r. raprto Silva do Brasil e nutrs
ca-.i de Can-lido, ah meonlraram in ilhada ?
stend la em uros ir a ralea de casimira men
que Can-do aii-lava veatato no dia antecedento ;
in< iiiuiher persHia rn dizer qne marido (i
una M<) Fsaasifiado, 8 iMerpellada sobre a calca
4:98oa3S-J
C0NSU.ADO PF0V1NCIAI
endimento do dia 1 a -.. 436:119491);.
den do dia 2 ....:. 7.562*24'.'
143:682424
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrad. no dia 22.
Aracaju e partos miera)odiosS das, vapor bra-
ieiro Jeqm, de 223 onoiadss, commandan'.-
F. M. i^osta, equipagara 23; a companhia Per-
nambucana.
Rio FerinasObaras v&por brasileiro Parahybj.
da 104 toneladas, comniaaoaole oliveira, e-ju.-
pagem 14, em lastro; a eoneannia Pernam -
bacana.
Navios takidos m netmo dio.
LisboaBrigas patlafiia de Souza, rga assucar e aaaros gneros.
Portos do NorteVaporbratsissra Cruzeiro do Su!
caminanaante Atcofora-to. eaata nrins gneros
BarcelonaBrigua hespaahel J%nc'ico, capil.
Ferrer, carga alfoda.).
iJayaanaUiato brasiieiia Premiad* capitao y..
M. da Paciencia, carga variaa aynerns.
Tbomaa -Brime nort3 litorolo krtki, capito >
Jsnsen, em lauro.
MarselbaBnitue ioglcz .'nassa, capitao Kvans
carga as&ucar-
wtw:
0 Di*. Friso Atenear da imperial erdem Ja ftasa. e juiz le di-
reito e*\uM iai rio commtnu, ar*i 1 culada
da KecifH da PmimUm por S. M lu
penal e CMiafaiaclODat ot. D. Pvdi
)uem Ottoc guarde eic
Patio sabor ana 011-3 4 pwsent- e vii 'e1a dellei saotteta ti/e*W. ijo* ra j c
rim. *Qt' du Londo a Bra^dtan Bmk,
acha .\ aberta afidlaiiCia -ae Luu <1e Ol
vira L>oa Jisrajsjr p, fa so*Hot*5T- do '!
segointe:'
'



Diario
de Pernamlmoo Quinta ieira z
1*-------__,--------_------r------.i .!,-
ae

_Z__-
vvi'j;
_E
fc
Vistos esic3
Lon-ion an
iiifo da fa
'Jnior, rnost)
descont do
sob a ga
de 808.
a quantia
tornando

(piereiro
IsSccjjs
je que,
transac-
l__tti'.i.rii-em a referida puia^ao no* man-
___*tf__ fiflgttMMyeiPe-, S2 do dc-
I
l,ri__> Jl-aquin Je Souza Lean.
FraaeterManuto la B8a-viagem.
Secretario.
^a MO&QOtt,
"habitines as suas
rns de descOnte, adquiri a qualidad di
'oramewiante e como soja taquisitonavel 5
sua cessaro de pagamento,* tiei por detela-'
rada a sua faHencia a datar do piimeiro mez
prximo passade.
Publique-se a fallencia por editaes, e para
qne se prosiga nos termos da le, nomeio
curador fiscal o crodor sapplicanf, a mando
que no dia G do correte mez pelas 11 lio-
ras da manha na saladas audiencias tenha
lugar a convocado dos credores para i no-
meaco do depositario.
E por que se devc proceder sem demora
ao inventario que ptlo coicluir-se om lem-
po breve marca o dia 3 do mcsmo corrente
mez para e referido, em cujo acto nomea-
rei depositario interino, dispensada a oppo-
sic3o dos sellos.Pague o fallilo as cus-
-tas.Kecife 1 de dezembro. de 1850.
Tristlo de Alencar Araripe.
E tondo o fallido agjravadp desta miaba
sentenca nao le-ve pn i o sea aggra-'
vo e suhindo os autos a minin oonMusSo
-nelles doi o despacho seguirte:
Cumpra-sc a superior deciso. E para
que se proceda ao inventario marM o dia
.23 do correnle mee as 10 Loras da manha
sendo observada as d maii deterinhares
do despacho 2 Recife i 8 de dezembro de 185). Alen-
car Araripe, detorminanj verbimefrte em
additamento a e-te mou despacho que fos-
sem convocados os credores d) dito fallido
para se reunirn! na sal das audiencias
pelas 11 horas do da 28 do correnle mez
para a noracaono di depjSiiarioi, e marcan-
do o mesmo dia parasefizer o inventario
que constituem a referida massa fallida.
E para que chegue ao :onhecimento de
todos mandei passar o presente que ser
publicado pela imprensa e aflkado no logar
do costume.
Kecife, 21 de dezembro de 1809.
En Manoel Mara Rodrigues do Nasci-
mento, escrivao o subscrevi.
Tristao Akncar de- Araripe.
s
JLL
DECLARAGOES.


Deposito especial de lo*-
trnc^So.
Tetido d contratar-;** no di 23 do corrente o
forneeimento do c-mim de planta, fartlo, railho e
niel, para sustrato da eavalbada do mesmo depo
sito, no r semestre, do anno vindouro ; o eapilao
commandante convida aos senhors negociante*
que >|uiz?rcm forneeer os referidos genero?, de-
vendo apiesentnrem suas propostas em cartas fe-
.Indas na secretaria do mesmo deposito, as 10
huras do referido da, advertindo que os pesos e
medlda devera ser pelo nevosystema.
fjaartel docomraando do deposito especial de
ins/ruecjlo, no campo das Prlncezas, 30 de deiem-
bro de 1869.
Jos Joaquina Coelho.
Coronel commandante.
2L
la tarde,
mendas,
O llscal da fregueiia da Boa-vista faz sciento
1 a auein ioteressar ppssa, que acham-se depositadas
' duas vaceas, urna hezerra, as quaes foram appre-
heqdidas do sitio doMeuron, destruindo as plantas:
pi-m se julgar com direito as roesmas, campare-
a, que provando nesta ilscalisa^ao, e satisfazendo
o disposto do art. 119, tit. 9 das posturas de 30
de junho de 1819, Ihe serio entregues.
ATTENCAO
Relacao das cartas registradas vindas do sul e nor-
te pelos vapores Cruzeiro do S*l, e costeiro Cu-
ruripe, para os senhors abaixo declarados :
Arsenio Cni Atu, Antonio Gomes de Araujo
34, Alvaro Ucha Vieir Brasil, Alerandrino Dias _
i'.uimaraes, Andr de Ahreu Porto, Antonio Lopes passageiros edinheiro a frete ato as S horas
Paquete a vapor.
I PnjMnp4i 4bne%swado
at o ilitJ Jo ctjo vapor
''Paran, cmitndante J. S. Mo-
es, ^qu#l dspei 4a demora
co9HiiDe sefOir- par as por-
tot
Desde j recebem-se paasagewes- o eaja-se a
carg que o vapor poder cnduiir, a qf devera
iei embarcada no dia desuachegada. Eawonimen-
dait e diuheiro & freteat u duas boraa do dia da
sui sahida.
Nao se recebem como encommeBdas senao ob-
jecits de*pequeno valor e que nao excedan) a 2
arrobas de peso ou & palmos cubico* do medi-
cc.
lhido qtia pausar destes limites derera ser
embarcado como carga.
iTevine-se aos Srs. passageiros que snas passa-
eus sso recchein na agencia nta da Cmu n. 57,
andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oveira
Azevedo & C._____________________
COMPANHIA PERNAUSUCANA
XavegaeSo eos tetra por vapor.
Farahyba, Nata', Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
O vapor Ipejuca, coramandante
Moura, seguir para oe portos
cima no dia 31 do corrente as 5 horas
Recebe carga at e dia 30, encom-
passageiros e dinheiro a frete at as
lloras da tarde do dia da sahida no escripto-
rio noFortedoMaUosn^l?.________________
COMPANHIA PERNAAMBUGANA
DE
.Varegaco costelra por vapor.
Mamangnape.
O vapor MandaM, commandante Julio, seguir
para o porto cima no dia 48 do corrente a* 6
horas da tarde. Recebe carga, encommendas,
do araarello ovulsa?, marque/des,-, marqueza?, "
| eommoda de Jacaranda, 1 grande espellio, 1 car-
[ttjjw de amarcllo, ule para engomado
11
0 agente Mrtir ftri leilaopor ardem de un
Ifcnilia que se retinm desta provincia, dos oir
ais cima no armazeni da, ra do Imperador a
id s II horas do dja
HOJE 23 DO CORRENTE
De oveisf- louca e vidros no Poco da Pa-
n*fla residencia dto >r. Dr. Bartholomeu
T. de Souza e Silva.
Por interveneao do agento Pinto.
( leao de movis annwi-iado para lionlem 22
licou transldrido para hoje !3 do corrente, os con-
eorrentes-eneontrarao conduccao grati* as 9 ho-
ras o O-minutos na estacsio dos trilho urbanos
do Kecife a Apipucos.
LEIL40
CQSIN
^oCal doApolo
RO
^zeni n, 71, prt-!
*=
cisa-so d'um bom dbaj^b^re ^ ,condoeJ-r!
pagVse Dem agradanib.
NA PHARMCIA d9(0 RUY CARGA DO
ROSARIO N. 10 JUNTO-AO QL'AR-
*TEL DE POEKIA.
Acham-se coiftntemenle proaapas a
seren satisfeitas, as prescripces dos-wg.
facultativos, e as necesskladcs dos enfermos
s especialidades da mesmr phartnacia.
composta de medicamentos,, tanio indge-
nas, como estrangeiros.
Tosses e molestias do peito.
Xaropes de fedegoso, rabo do tat,
Agri2o, pao Cardoso, juca, mulung, n.o-
tamba, etc, etc.
J*l
"^Tsecco.Sicretaria do gnverno de Pernam-
Lbucc em'lo de dezembro de f^i'.).
EDITAL.
Pela secretaria dopnvern so faz publico pie o
\m. Sr. presidente da provincia nao ac '.itou as
propostas apresentadas por Adolpho Cavalcanti de
Oliveira Maciel, William Richard e Joaqaim Pires
Orneiro Uonteirc, para lominacSo a ga?. as ci-
dades de Olioda, Gnyanna c Rio Formoso, a do
iiri:neiro por ler sido apresentada fra de lempo,
ido segundo por exigir pagamento conforme o
cambio, a que eieva o pre \> ao mximo determi-
nado pela lei proviucial n. 833 de 22 de maio do
anno passado, e exigir juros pela demora dos pa-
gamentos ; e a do terceiro por nao marcar as ho-
ras da Iluminarlo, nao podendo por isso compa-
rar-sc o preco que propoe, wm o do outro pro
ponente e tratar de uin numero de combastores
oas cidades de Govanna e Rio Forraoso, superior
ao determnalo na'citada lei, e por isso pela ter-
ccita vez se convida a todas as pe^soas que qu'ze-
rom contratar a lluminacao a gaz das menciona-
das cidades, a. apresentarem ao mesmo Exm. Sr.,
no dia lo de Janeiro vindouro ao moio di3, suas
ropostas em cartas fechadas, sol as liases o con-
dtcoea declaradas na lei abaixo transcripta c por
te "upo de seis horas por nonte.
LEI N. 833.
< bario de Villa-Relia, presidente da provincia
de Pernaubueo. Faco saber a todos os seus ha-
bitantes que a assembla legislativa provincial
decretou eeu sanecionei a resolucio seguite :
Art. 1. Fica o presidente Ja provincia autori-
zado a contratar com Joaquim Pire Garneiro Mon-
teiro, ou com quem maiores vantagens c.fferecer,
a illuminacao a gaz das cUs-les de Olinda, Goyan-
na e Rio Formoso, sob as seguintes bases :
l. Todas as obras preci-:as para 9C levara
.-.IVeito a referida illuminacao, correrlo por conta
do contratante. .
^ 2. Cada combustor dever dir luz equivalen-
te a doze velas de espermacete.
^ :). A cidade de Olinda devar ter at cento e
ciiicoenu co:nbustores e os de (ioyanna e Rio
Formoso at sessenta cada ama.
S i.' As despezas com cada combustor nao po-
derlo exceder em Olinda a 8000 monsaes e as
outras cidades a 95000 _
o. A despezado costeo e conservaeao dos
apparelbos necessaiios para a mesma illuminacao
correr por conta do contratinte.
t. O contratante dar fiadores idneos..
Art. 2." Ficam revogadas as disposicoei em con-
trario. ,, ,
Mando por tanto a todas as a:ilondMes a quem
o conheimento e execucle da present resolucao
portencer, que a curapram o faeam "mprir lao
inteiramenti! como nella so eontem.
O secretario do governo desta provnMH a faca
iiiiprimir, publicar e correr.
Palacio do governo de Pernambiico, aos 22 de
niaio de 1868, quadragessimo stimo da inde-
pindencia e d imperio.
L. s.
Bara de VtlluJkUa.
Sellada e publicada a presante resoloclo nesta
secretaria do governo 4e Pernambuco, aos 22 de
maio de 1868.
O secretario
Dr. FreHUMCQ Registrada a Tollia do livro de le3 provineiaes.
Secreuria da governo de Pernambuco, aos 22
de maio de 1868.
O esjripliirana
T/ifoloro Ju.ii! Tavnrcs. ^
O secretario
Dr. Joaqlibii Coma di Araujo.
Braga, Amelia Teixeira Pinto Jnior, Anna Floren-
cia de Almeida e Silva, Bario do Livramento, Cal-
das & C, Cietano Xivicr Pereira de Brito, Candi-
da Rosa das Neves, Carlos Pinto de Lemos & C,
Director da Facnldade de Direito, Frederico Maia,
Fiaga 4 RocUl, Fabricio Gomes Pedrosa, Fernan-
dcs & Irmlos, Dr. Francisco Muniz Tavares, Dr.
Francisco Luiz Coma de Andrade, Francisco
Lucio de Castro, alferes Francisco Eduardo Ben-
iamim, Francisco Lopes da Silva, Gustavo Jos do
Reg, Gustavo A. Wallbaum, Henrique Vieira da
Cunha (devolvida da corte), Dr. Henrique Mamode
de Almeida, lente-coronel Hemeterio Jos Vel-
loso da Silveira (2>, Izidoro Flaque (2), Ida Perry,
Jacintho Paz de Mendonca, Dr. Jlo Jjs Ferreira
de Aguiar, Joanna Florinda Lobo Vital, Jos dos
Santos Miranda, Jos Pereira Vianna, Jos Carlos
Mayrink Pires Xabuco de Araujo, Jos Riheiro da
Foseca, Jos, Domingnes do Carm) e Silva, Jos
Moreira da Silva, Jos Joaquim Coelho, Dr. Jos
Ricardo Gomes ae Camino, Jos de Azedias Ma-
chado, Joaquim de Pontes Marinho, Joaquim Be-
nevides Raposo, major Joaquim Antonio Pientze-
naux, Luiz Manoel de Oliveira Mendes, Loureneo
[. da Rocha Ferreira, Manoel Gomes de Mello, Ma-
noel do Reg Barros de Souza Lelo, Narciso Fran-
cisco Vidal, Dr. Paulino Rodrigues Fernandes Cha-
ves, Dr. Pedro Autran da Matta Albnquerque, co-
ronel Rodolpho loao Barata de Almeida, Visconde
de Camarahibe.
tarde do dia da sahida,
Maitos n. 12.
escriptorio no Forte
saldr com toda a brevidade o palhabote portu-
guez Villa-Flor tem a mak% parte da carga en-
gaiada : para o que Ihe falta, pode tratar-se com
David F. Bailar, ra do Brumn.92, ou com o ca-
pillo do mesmo navio._________\____________
Porto.
Vai sahir breve a barca Laura ; para carga e
passageiros, trala-se com os consignatarios Carva.
(no & Nogueira, na ra de Apollo n. 80._______
Rio Grande do Bul
Para o referido porto sahir nestes dias por ter
quasi toda a carga prompta, a barca portugueza
Arminda ; para o resto que Ihe falta, pode tratar-
so com David Ferreira Bailar, ra do Brum nu-
moro 92.____________________________
ftio Grande d Sul
O pat?cho nacional Bemfica propoase a seguir
viagem ao porto cima em paucos dias, por isso
recebe carga a frete commodo : trala-se com Bal-
thar Oliveira & C, ra do Vigario n. I. 1 andar.
Da taberna n. 12 sita s ra da C-mcordia.
O agente Pontual competentemente autorisadoi
oelo Esm. Sr. Dr. juiz de direito especial do eora-
mercio vender em leillo a annaclo e genero*
existentes na taberna cima a requerimento do
leposilarios da massa faHkli de Lypriano Alves i
de Suiza, n'um lote ou etndiversos a voatade dos
licitantas..
Sexta-feira 24 o corrate.
Dever. ter lugar o leito na mesma taberna as
11 horas. _______________________
LE1LA0
Do hrigue brasileiro ALBERTO, com seus
pparelhos e mais pertences, prompto a
navegar.
A 24 do correnle.
O agente Oliveira levar a leillo puklico a re-
auerimenlo dos curadores iscaes da massa falli-
da de Maia 4 Espirito Santo, e por mandado do
IIIb). Sr. Dr. juiz de direito especial do commer-
ck> desta cidade, o suprado brigue Alberto, com
mastreaclo, veame, eordoilba, ancoras e mais
pertences tal qual se ach apareluado e surto
neste porto prompta a navegar.
Sexta feira 2i do correte
ao meio dia em ponto no sallo de entrada da as-
sociaclo Commercial Beneticente desta praca.
COliliClO
DO
H.\f,\0 DI 4KZLS-
Relacio das cartas registradas existentes na ad-
ministracio do correio desta cidade para os se-
nhors abaixo declarados :
Antonio de Souza e S, Affonso O. Pinto Guima
raes, Anna Joaquina de Jezns, Antonio Rodrigues
de Albnquerque, Antonio Pinto B. de Azevedo, pa
dre Antonio de Mello Albuquerqne, Antonio Ouar-
qae de Gusmlo, Adriano Xavier Pereira de Brito,
D. Antonio Suoza Nevas, Baleriano Esglesias, Dr.
Chrisolito Ferreira de Caslro Chaves, Christovao
Gomes Pereira, Carlos Francisco Soares de Brito,
Carlos Ernesto Mesqnita Falcao. Delfina Rosada
Silveira, Dr. Ernesto Ferreira Fransa Jnior, pa-
dre Firmino Brant da Rocha, Francisco Canuto da
Boaviagem, Dr. Francisco Manoel Raposo de Al-
meida, Dr. conego Francisco Jos Tavares da Ga-
ma, Dr. Francisco Luiz Correia de Andrade, co-
ronel Francisco Carneiro Machado Rios, Dr. Ga-
briel Soares Raposo da Cmara, Dr. Ignacio Fir-
mo Xavier, Jezuino Carneiro da Cunha, Justiniano
Antonio Alves Soares, secretario do Imperial Ins-
tituto Pernambucano, Dr. Joaquim Jos da Fonse-
ca, Dr. Joaquim Pinto de Campos, Joiquim Porfi-
rio de Araujo, Juaquim Antonio Teixeira, Jos
Candido de Moraes, Dr. Jos Ignacio de Andrade
Lima, padre Jos Francisco Borges. Jos Augusto
de Araujo, Jos Maria Ferreira da Cunha, Josepha
Mara dus Santos Dr. Jlo Raymnndo Pereira da
Silva, Dr. Joao da S Iva Ramos, Dr. Jlo Hircano
Alves Maciel. Jlo Joaquim Alves, Jlo de Azedias
Machado, Joao Moreira da SHva Braga, Luiz Anto-
nio de Siqueira, Luiz da Veiga Pessoa, Luiz Ro-
drigues Villares, Loureneo Justiniano da Rocha
Ferreira, Luiz do Souza Monteiro de Barros, Dr.
Luiz Jos Correia de S, Manoel Joaquim de Mi-
randa e Souza, Manoel Jos Luiz Ribeiro, Manoel
Ignacio de Carvalho Mendonga, Manoel Jos da
Costa. Manoel doNaseimento -Costa Monteiro, Dr.
Maximiano Lopes Macliado, Fr. Nicolao do Bomfim.
r. Olimpio Marques d^ Suva. Olimpio da Silva
Costa. Pedro Paulo Rosa, Pedro de Araujo Bel-
tro, Dr. Tristlo de A. Afraripe (2), Dr. Tobias Rar-
reto de Menezes (2), Trajano Olimpio de Carvalho
Mendonca.
Ilha de 8. Miguel.
A escuna Por Dias sahe com i maior brevida-
de, e para o resto da carga e passageiros, para os
qv.aes tem bellos commodos, trata-se com o seu
consignatario Jlo do Reg Lima, ra do Apol-
lo n. 4.
PARA'
Em poucos dias deve estar aqui, pn cedente dos
Estados-Unidos, o brigne Katre, que sf gnir ao
porto cima ; recebo carga e fretes commodos:
a tratar com Tasso limaos.
Rio de Janeiro
Para o /eferido porto pretende sahir com muita
brevidade o brigue orasileiro Adelaida por ter par-
te de seu carregaraento engajado, e para o qi
Ihe falta cescravos a frete, trala-se com o consi
natario Joaquim Jos Gonsalves Beltrlo, ra do
Commercio u. 17.
O agente Martins era cumprimeulo ao mandado
do Illm. e Exm Sr. Dr. juiz de direito especial do
commercio, recebe propostas em cartas techadas
por espaco de 30 dias a contar do dia 15 do cor-
rente, para a venda a quem mais olferecer pelos
eguintes escravos pertencentes a massa fallida
ile Maia 4 Espirito-San lo ; sendo Ze ferino de na-
ci com 50 anoos de idade soffrendo de aslhma,
viliado por 800^000, Manoel cranlo, com 45
annos, por 1:0005000, Domingas aena^a, ooffron.
do dos pulmoes com 45 annos. por 1:0005000,
Adao creoulo com 10 annos, por 6005000, Felicia-
na crioula de 22 annos sem offlcio, por 1:1005000,
Delfina crioula com 34 annos, por um 1:0005080,
Basilia crioula com 28 anoos, por 1:1005000, Jo-
anna crioula com 13 annos, por 6005000, Calha-
rina mulata com 30 annos engommadeira, por
1:1005000, Lula de nacao com 40 annos soffrendo
dos ps por 8005000; cuja venda ser effectuada
pela forma que determina o art. 1 do decreto n.
1695 de lo de setembio do correnle anno, sendo
que as propostas serlo dirigidas ao mesmo Illm.
Sr. e entregues ao dito agente.
A directora desse collegio, Josepliina Remonda
da Cunha Sbuto-Maior. competentemente habilitada'
pela directora geral da inslruccao publica, avisa
ao respeitavei publico, que acia-se seu collegio
estabelecido .hia da hnperatriz n. G;i, cuja ma-
tricula abrir-se-ha a 10 le Janeiro prximo futuro,
e ol-ireee son prestimo aos pais d familia, asse-
verando-lhes seus bons desejos, qner a respiito do
ensino, quer da educaelo de suas filas. O pro-
gramma dos etatutos leitura, escripia, arithme-
tica, systema mtrico, liogua nacional, francez,
geographia, msica vocal e piano ; para o que
haver profssoies c professoras competentemente
habilitados. Tambem se ensinar bordados, tigres
de varias qualidades, inclusive as de cera, e dansa.
Aluga-se urna casa com bastantes commodos,
no principio- da estrada dos AIBiclos n. 26, defron-
te do becco- do Espinheiro, com cooheira, aeim-
ba, sitio eom larangeiras, mangueiras, saputiiei-
ros, e o otros arvoredos, e perto da estaco do
Manguinho-: a tratar na ra de Apollo n. 30.
/linda trr foi possivel vencerem-se os
traJiabos de acabamenCT da PHOTOGRA-
^HAJMPEWAL da ra do Cabug a. 18
os qaaes s estarlo terminados no dia t
de Janeiro de. tyWO.
l*edjmos iiidalgencia e paciencia aquel-
j las pesSoas r4ue se tem dignaio esperar
que princnjem os nossos novos trabalhos
photograpnicss para se fazerem retratar.
Recife, \2 de. dezembro de 1869.
\ / Ferreira IWefa.
___5a.
Prerisa-se alugar ama escra\a que sa'Aa coii-
uhar e engommar para casa de familia na ra
do Queimado n, 69.
AVISO
es-
Hotel A guia (FOuro ra
treita do Kossvio n. 23
Neste esta bel eai ment se contina a preparar
comedorias com asseio e ppomptidao por preco
commodo. nao s para aquellas pessoas que qui-
zerem mandar buscar, como para aquellas qne ah
quizerem ir, tudo a posto e contento de seos fre-
guezes. E para garanta desta promessa basta
lembrar que a diruccao deste estabelecimento cor-
re por conta exclusiva de seu proprietario Jos
Martins Dias, j muito conbecido de seus numero-
sos fresueaes. que conhecem sua sinceridade. Est
alierio das horas ua uiauma ene u o j. __m.
Ra Nova
costureiras.
precisa de
- Na ra da Moeda n. 5, 2* andar, escriptorio
de Manoel Alves Ferreira 4 C., vende-se vmho
verde, superior em barrrs, ancoretas com vinhe do
Porto superijro malvaeia branco. _______
Precisa-se de nma
aa ra Augusta n. 74,
ana para duas pesitas
Na ra do Raugel d. 69, Io andar, precisa-
se de orna ama para comprar e cozinhar para.
casa de familia.
Aluga-se
a parte da frenle do primeiro andar da ra do Im-
perador n. 32 : a tratar no mesmo sobrado.
AVISO
Manoel Jos Harqaes da Silva eomorou a ta-
berna sita do pateo de S Pedro 1, livre e de-
sembarazada de todos e quaes quer onus que pos-
sa aDiarecer, e caso jnlgue-se atguem prejudiea-
do, pide apresentar-se no espaco de tres dias.
Rtcife, 21 de dezembro de 1869.____________
Precisa-se de ura caixeiro de 12 a 14 annos
com pratica de taberna, dando Oidor de sua con-
duela : a tratar na ra de Santo Amaro n. 2, jan-
to a estacao dos trhos urbanos.
Na roa da Imperalrtz n. 41, tem alguna be-
mens ullimamente chegados das Haas para
virem em qualqner servico.
t^
AVISOS DIVERSOS.
O abaixo assignado declara que dasta data
em dianle tem mudado a sua residencia da pro-
vincia do Rio Grande do Ncrte para esta. Recife
14 de dezombro de 1869.
Paulino Carrilho do Reg Barros,
Aluga-se o segundo andar e sollo da casa da
ra Direila n. 112, cora commodos para grande
familia, fresco e com ba vista, que dispenca a
quera a possuir de ter casa no campo para pas-
sar a estacao clamorosa como a presente : a tra-
tar na rna do Rangel n. 54, das 9 horas da ma-
nilla as 3 da larde. ^^^_^___
Precisa-se de urna passoa para carregar
nma caixa de joias das nove horas da manha at
.. as tres da tarde, paga-sebem : quem liver dirija-
X.: se a ra do Cabug n. 9, loja de relojoeiro.
Para Lisboa
tem de partir em breve o bera cenhecido lugre
portuguez Julio, de superior marcha : para o res-
to da carga e passageiros, trata-se com os consig-
natarios Tbomai de Aquino Fonseca 4 C, ra do
Vigario n. 19, 1 andar._____________________
Pernambuco & Excelsior cric-
ket club stheletic sports.
To be held at S' Amaro 6,b january 1870.
Open to
250 Yards Flal Race
COMPAMHIA
de seguros martimos e terrestres
A companhia de seguros Fidelidade eslabelecida
em Lisboa desde o anno de 1835, e representada
nesta cidade pelos seus agentes abaixo assigna-
dos, com plena antorisaclo do governo imperial,
toma seguros a risco martimo e contra ogo, era
predios e estabelecimentos, dando ao segurado e
stimo anno gratuito quando tenha seguro seis
annos consecutivos, para tratar na ra da Cadeia
do Recife n. 42, escriptorio.
Os agentes
Feliciano Jos Gemes.
Thomaz Fernandes da Cunha.
Lembranqa
ao digno Sr. fiscal da fraguezia do Santo Antonio,
que a cacimba que Ihe mostrei no quintal da casa
sita ra Diretta n... j est em peior estado de
podridlo, que at bichos tem, e supponho que o
morador nao a quer mandar limpar ; por isso
pesso a S. S. qneira mandar intimar ao mesmo
para acabar cora este mo cheiro.
Al
Precisa-se alagar urna ama que cozinhe pata,
casa de pouca familia : na rna de Hortas n. 74.
Para Lisboa
__A cmara municipal desta cidade, lendo de
proceder nos dias 26 c 28 do corrente, no pri-
meiro apuraclo geral de votos para um deputa-
do assembla' geral legislativa pelo primeiro dis-
iriclo desta provincia, e no secundo para os.novc
membros a assembla provincial pelo mesmo dis-
tricto, convida pelo presente o de confonnldade
om o que est disposto no g 12 da arl. 1" do de-
rclo n. 8H de 19 de setembf. de W55. o "art. 2o
do decreto 2,621 de 2i de agosto de 1SC0. aos elei-
lores dos colegios que compara o awsaio distnc-
AVISOS MARTIMOS.
PORTO
Pretende sahir em poucos aias a barca portu-
guez Social por ter a major parte do carregamen-
to prompto; para o reslo qne Ihe falla e passagei-
ros, para os quaes tem bons commodos, trata-se
com o consignatario Joaquim Jos Goncalves Bel-
trlo, ra do Trapiche n, 17.______________
pretende seguir com a maior brevidade o patacho
portuguez Marianna 11, recebe carga o passagei
ros, a quem offerece os melhores commodos: tra-
ta-so com os consignatarios Thomaz de Aquino
Fonseca 4 C, ra do Vigario n. 19, 1 andar.
Wide Jump.
100 Yards Sack Race.
Putting the Weight.
100 Yards Hurdle Race.
300 Yards Native Race.
High Jump.
120 Yards Three Leggede Race.
100 Yards Fiat Race.
Throwino Cricket Ball.
all-comers.
(entrance
d.
d.
d.
15000).
(entrance 15000).
d.
d.
d.
d.
PERD
de urna caixa para rap, de tartaruga branca,
grande e muito fornida, da ra ao Rosario da
Boa-vtsta ra dos Pires, e dahi pela do Corredor
do Bispo at a estrada de Jojio de Barros : quera
a achou, pode entrega-la na ra da Impcratru,
loja de chapeos, que ser bem recompensado.
Aluga-se urna escrava de bons costumes para
todo servico interno de urna casa d3 pequea fa-
milia, menos cozinha : a tratar na ra Direila n.
12, sobrado. ______-______________
Aluga-se no 1 andar da ra do Imperador
n. 57, urna saa esteirada, tendo gaz e outros com-
modos a tratar ao mesmo andar, entrada pelo
caes de 22 de Novembro.
IEMPRESTIMO SOB
Para o P rto
seguir cem a possivel presteza a barca portugue-
za Harmona, de 1* marcha, para o que tem gran
de parte de sua carga engajada : para o reatante
e passageiros, trata-se eom os consignatarios Tho
mal de Aquino Fonseca 4 C., na ra do Vigario
n. 19, Io andar. _______________ .
Para Lisboa
A barca portugueza Parir Borges dever se-
guir brevemente para Lisboa, j tem a bordo par-
le da carga, e para o resto trata-se com Oliveira.
Filhos 4 C, ao largo de Corpo Santo n. 19, !
andar, ou com o capillo na praca.
Porto por Lisboa
Com a maior brevidode vai sahir para os refe-
ridos portos a barca portugueza Claudia, de pri
mciaa marcha e primeira clas-e, por ter a maior
parte da carga prompta, e para o resto qne tbe
falta e passageiros, trata-se com os consigna-
tarios Veras 4 Barbedo, ao caes da alfandega ve-
I ha n. 2.
100 Yards Whcebbarrou Race.
200 Yards Consolation Race.
Entrances tote made previous to 4 < january.
Will commence punclually at 3,30 Pm.
W. G. Fentully.
38Ra do Commercio.
Hon. Sec.
LEILOES.
Porto.

Gratificarlo do 100$
Ao chegar a esta eidade em sua ultima viagem
dos portos do norte o vapor nacional Guard, fugio
de bordo o escravo Severino, mulato, de 30 annos
de idade, ue do Cear remeuiam os Jrs. Vinra
Salgado Souza 4 C. por conta do Sr. Raymuodo
Olimpio G. Freilas, ao Sr. Delphim Ribeiro de
Abreu, no Rio de Janeiro : pede-e. portaoto.as
autoridades policiaes desta cidade e aos capitaes
de campo a captura do referido escrava, e de en-
trearem no aos abaixo assignados nesta cidade,
ao caes da alfandega velha u. 2, que se responsa
bilisam por todas as despezas que se harem, gra-
tificando mais a qualquor capitao de caftpe com a
cima referida.
Veras 4 Barbedo.
Ama
Precisa-se de urna ama : na ra do Queimado
n. 7, loja._______________________________
Os abaixo assignados, propnetarios da loja
de jeiasCoraclo de Ourodeclaram pelo pre
sent que nesta" data nlo devem absolutamente
conta nem letra a pessoa alguma neste imperio
nem fra delle. j como firma social de Ernesto
4 Leopoldo, e j finalmente como as firmas par-
ticulares, abaixo escripia ; se porm alguem se
julgar credor pode apresentar-se no praso de oito
dias, a contar da presente data, que receberao em
continente. Os mesmos abaixo assignados rogam
s pessoa3 que ihes devem se dignem tambem a
saldar seus dbitos, pois que ao contrario Ihes
farlo a cobranca judicial. Recife 23 de dezembro
de 1869. .
Ernesto Jos Felippe Santiago.
Leopoldo Jos Felippe Santiago.
(SEM LIMITE.)
Iravossa da raa
das Crazes n, 2, pri-
meiro andar, da-se qnl-
qner quantia sobre ouro,
prata e pedras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condicoes de ga-
rantir a transaccSo que se fizer em
sna casa, promettendo todo e zelo
e considerarlo s pessoas que se
.dignarem de honra-io em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
Aluga-se urna casa muito fresca na Capnnga,
com commodos para familia : a tratar no mesmo
lugar ra das Crionlas n. 5.________________
Criado ou criada
Para casa de peqnena familia, precisa-se do
um ao caes de Capibaribe n. 30 ou a ra da Ca-
deia n. 33, prefere-se pessea que cosinbe alguma
cousa.______________
Aluga-se
o 3* andar do sobrado n. 8 ra da Iinperatriz :
a tralar com J. I. de M. Reg, ra do Trapiche
n. 34.
Segu com brevidade a vefcka e nova barca
portugueza Isolina, para carga e passageiros.
para os quaes tem excellentes commodos, trata %>
com os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C ; ra da Gnu n. 57 Io andar.
De urna roobilia de Jacaranda, contendoa
deirs de guarnirlo, 2 consollos com p
cadeiras de bracos e sft, urna mobilia
nllo cora 12 ca'dairas de guarnidlo, 2 de bracos,
2 de balanco, 2 eoosollos e 1 jardineira, tudo a
Luiz XV, 1 guarda roupa de amarello, 1 guard-
hca, 1 eommoda, um cadeira de abrir, 1 mesa
elstica, 4 cama franceza de amarello, cadeiras
Ao publico.
O velho proprietario do antigo hotel de
Apipucos, declara ao respeitavei publico,
e observa ao moderno gerente do novo ho-
tel francez em Apipucos que ainda nao ce-
den por titulo algum conhecido em direito
a sua propriedade em Aoipucos, que este
bem conhecido e acreditado que lira bas-
to Bom Sucsso para passar a festa, pelo ta o seu crdito e que dispensa o tomar os
50 de 5U0OOO, com cinco quaitos, tres
as, sitio com arvoredos carregados de
fructos, quem pretender dirija-** ra
Direita n. 66,2 andar que achara ^omqnem
tratar._________________*"t
Precisa-se de um criado^ou cnadnafa casa
de bomem soltelro : na rea da Cambl
n.l, 4dB
'- Aluga-se urna casa -etn Olinfla na ra
crditos alheios.
- _ava--a^ eDgomnaa-se com perfeic-o
Precisa-se de urna ama que cozmhe com per-
feicao para casa de homem solteiro : na ra do
Queimado n. 52, loja das 6 ponas.____________
ESCRAVO
Precisa-se alugar ura escravo, das 8 ho-
ras da manha as 5 da tarde, na ra da Cruz
46, Io andar.
n.
na
travessa do Jasrnirn n. 10.
Na ra da Cadeia n. 23 casa em cons-
trueco, offerece-se por$q de boa cauca e
pedras, excellenle argamassa para lugares
arenosos.
ATTENCAO
Precisa-se de urna ama para comprar e
cosinhar para casa de pouca familia a tra-
tar na ra larga, do Rosario, n. 21,4 andar.
TRABALHDOT
Precisa-se de um trabalhador para um pe-
queo sitio perto da praca, paga-se a secco
e d-se casa propria para morar. A tralar
na rna Nova n. 10. i" 'andar._______-
Precisa-se de urna anft para cosinhar
na ra do Qoeimado i
esquina
| da raa larga do
Rosario.
JEste importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortmento sem igual,
e vende por precos que nenhuma outra casa pode vender.
A vista da qualidad e do preqo das joias cada um pder-se-ha convencer da verdad*
Oarante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por prepos muito ele-
vados.
A* loja est aberta at s 9 horas da noute.
esquina
da ra larga doj
Rosario.
,1S ,'-:' ^
^^HpPriP'>

1


& -
Diario de Pemambueo' Quinta feira 23 e Deaembro de 1869
=
BASTOS
imdechegar grande o^Jmtidade das verdaderas macb
Acabara ddehegar grande cfntidade das veddeiras* machinas americaaa,
para descarocar algdao de todos os sjsteaias e tamanhos seguintes:
12 serras
14 ditos
18 ditas
16 ditas
18 ditas"
20 dit?
22 ctas
2fi ditas
30 ditas
35 dilas
40 ditas 40 ditas
4s qHaes se vcndem por precos comraodos e rogare as pessoas que dellasfiaeram en
xommendasde alguns tamanhos, obsequio de as mandaren busca-las o mais breve po>-
nivel afim de nao baverem Taitas.
RA DA CAMA N. 56 A
12 serras
14 ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
15
16
18
20
22
25
30
35
DAVID WILLIAM BGWMAN
Partecipaaos senhores proprietarios de eagenhos, que aeontecendo fa'.Ur-lhes
agoa ou animaes para a raoagera durante a presente safra, elle tem vapores promptos
para assentar, sem precisar de obra nova oo demolico de obras existentes, e que
pode botar taes tngenhos a moer oito dias depois de estarem as pecas do vapor no
engento, garantiudo-se o trabalbo.
Fandiqo, ra do Bram n. 52. passando o chafariz.
FABRICA DE PIANOS
DE
J. Rhigass, successor
55Bua do Imperador55
Nesta antiga e bem coni>ecida casa, encontrar-se-ha como outr'ora grande sor-
riBKijto de pianos construidos expresamente para o clima deste paiz, e Mr. J. Riiipass
jando trabalbado muilos annos na construcclo de piano* em Paris, acha-se habilitado
-a preparar os pianos que vende com todos. os accessor ios indispensaveis nao so sua
ot.iez, como sua durac3o. Todos os pianos sao garantidos.
Tambero ha neste estabeleciroento, grande variudade de msicas novas o dos
memores a-june, uum viuua u di i ahijo uo nio e Janeiro, que se \ende mais
bar .to do que em outra qualquer parte; assim como ha igualmente venda todos o.
objectos necessarios contrucco de pianos. Os concertos e afinacoes de pianos ser5o
Seitos como jcaior zelo e cuidado.


Ao publico.
Em otiudn, rua de S. Beuto d. 19, acha-se con-
i uiiiitemente preparada una casa para fenecer
eoawlas i oessnas que quizerem passar um da, i
ou mesmo meosatmente, garante-se asseio e proni-
pl ida o. Na mesma casa ha caf (odas as noites e
ai.^nin.is distraerle para o mesmo publico.
.Muga-se ama casa na roa do Uttovello n.
i :_tratn-?e ao 8* andar do mesmo sobrado. ____'
O Sr. Dr. Jos Cavbante tle Albu-
querque l'clia, tem carias nesta lypogra-
yjbia
Preci-a- de un pequeo boteeiro : na ra
Jtova n. 46.
I
i
Pede-se ana seguintes senhores, se dig-
eoi comparecer ra Inja do Passo i ruado
i.n-pon. 7 A. a negocio do seu particu-
h r ntereese:
Antonio Pereira de Souza.
CASA FELIZ
Aos 20:000^000
Uto Recife arco da rnacrleou. 9
Os abaixo assignados tendo-se habilitado na
lorma das lcis, tem exposto a venda os seus feii
es bilhetes das loteras du Rio de Janeiro, na cas*
cima, aonde se pagaran as sortes que sahiren.
nos mesmos bilhetes, com o descont somtnu
da lei.
PRECOS.
Bilhete inleiro 24*000
Mcios HjOOO
Quartos 6J0O0
E de I00# pira cima a 22/ o Mnete.
Figneiredo A Leite.
Sahio luz a colleeeo
de varios regnlamentosfde impostos altera-
dos e creados pela lei n. 1307 de <> de
en nunu
Primeiro introductor dos po?os tubulares
initttitaneos da Abywinea.
Estes pocos foram espamados na Euro-
pa, tanto que, qualquer duvida do seu
grande valor pratico deve desvanecer vis-
ta das grandes vantagens.
Mimares de exemplos mostraram que
elles sao de grande utilidade aos ndustriaes,
agricultores e particulares; at em todas
as expedieoes militares dos ltimos tempos
foram usados para procurar sem demora
agua fresca e pura, e tanta quanta se pre-
cisava.
Em todos os lugares, onde um poco ca-
vado ou furado (pelo systema antigo) dara
agua, pde-so empregar os pocos tubulares.
Elles facilitara adiar agua muito mais
depressa, mais cristalina, mais fresca e
mais barata do que por meio dos pocos
cavados.
O systema dos pocos tubulares o ni-
co pelo qual se possa obter agua perfeita-
mente pura, livre de todas as substancias
nocivas e preservada de todas as influen-
cias athmosphericas.
Por meio de urna machino muito simples, consislindo d'um mcaco, fmpelle-se para
dentro da torra um tubo d ierro, cuja extremidade inferior est furada e munida
d'uma ponta d'aco; e logo que a sonda mosira agua no mesmo, deve-se atarrachar
a bomba e faze-la funcciotiar. Ao principio a agua lera substancias arenosas e terreas,
porm logo se clarifica, e em poc> tempo sahir agua perfeitamente lmpida.
Ontras vantagens qne apresenta este systema s5o:
Primeiramentc, a prompdao com.que se esecuta toda a obra do assentamento, que
omitas vezes nao leva mais de urna hora, sem remoli alguma de trra:
Segundo, a oommodidade que elle offere-ce de ser nao somentc coliocado fra da
casa, como tamhom dentro da mesma, com nao menor faeflidade :
Terceiro, a facilidade com que se tira para fra da trra o poco sem o estragar
para o collocarem noutro lugar:
Quarto, a grande quantidade d'agua qne ello pode dar :
Quinto, a possibilidade de lomar, uteis com pouco trabalbo, por meio delle os po-
cos cavados (jue foram estragados pela ara ou por outras causas.
Precisamlo-se de urna grande quantidade d'agua pde-se iotroduzir na trra di-
versos tubos unidos uns aos ouos por meio d'um apparelho multo-f imples.
Em Jugar das bombas aspirantes geralmento usadas, pi)de-se fornecer bombas de
compressao para elevar agua e conduzi-la aos andan-s superiores.
'emprego dos pocos tubulares sobre tudo proveitoso aos fazendeiros, qne^m
quajq.jorconipu onde o gado precisa d'agua, os podem cllocar e arranca-Ios para se-
rem collocados onde melbor Ibes tonvier.
E' tambem de grande utililidado aos fabricantes de coneja, aos distilladores e a
todos os fabricantes em geral, e com especialidade aos enipreiteiros, architectos, en-
genheiros e todos aquelles que precisam de quantidade d'agua por tempo determinado.
Este methodo o nico para obter em qualpuer parte agua, que seja livre de par-
tculas nocivas, elle tambem proveitoso aos proprietarios de casas e jardms, tanto
para o uso diario como para regar asplantacoes e capim.
Pedimos aquellos que nos quizerem honrar com suas encommendas da nos
communicar: I. em que profundldade se acha a'agoa, o qrfe fcilmente se pode verifi-
car nos pocos ou cacimbas vsinhas; 2. de que especie sao as carnadas da trra da su-
perficie at a carnada que coiilmagua; 3o em que especie de-carnada se achaaagu
naquelie logar: 4." finauluieute a quantidad- d'agua que se pede por hora.
A colkwacSo-do poco ica por conta do comprador ulTerecendo-sc porm a empre-
ra a emprestar o apparelho de assentamento mediante urna retribujcao a convencio-
oar, a qual s regular pelo tempo que se achar fra.
Tambem encarrega-se de mandar urna pessoa habitada na^ollocaco d'ess^s po-
cos, pagando o comprador alm do sustento e desperas de \iige ft e volta) um
ornal previamente convencionado.
Mas para os lugares lonyinqim qualquer pessoa hbil ou.artsti-
ca podtm colloca-las sem embaraco, singindo-se nicamente as ms-
truajoes que ao. mpattham as referidas bombas.
C
GUSTAVE
64^-Boa da Cadeia do Recife51
Chama a aUencSo dos seos innmeros freguezes, e do respetavel publico em
geral, para a seg-iinte tabella dos precos de sua casa, os quaes sSoviate por eente
mais barato do qoe em outra qualquer parte:
Cabelleiras para senhoras a 250, Gadeias para relogio 5& 6^,
M,ZU e......400000; 70,80, 00, titf-e, i50OOt>
Ditas para bomem a 350, 400 e 500000
Coques a 120, i50, 180, 200, Corte de cabello, ...... 50*
250, 300 e ..... 500000 .. ... ,. .
Crescentes a iU, 450,180,200, ^^ de cabe,, com fr,
250, 300 e.....320000 Crt* de c306"0 com lavagem a
Cachos ou crespos a 30. 40, 50, I champou....... 1000
60,70,80,80 6. 100000 Crtedecabellocomhmpezda
Tranca de cabello para annel a cabeca pela machina electri-
500 e....... 10000 ca> unica em Pemamboco. I0OO&
Tranca para braceletes a 100, Frisado ingleza ou franeeza. 500
150, 200, 25 e.....300000 Barba. ,...... 25&
ASIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Baile e solres
O dono do estabelecimento previne s; Kecommenda-se a superior TINTURA J,V
Exmas. Sras. e aos cavalheiros qoe ha um PONEZA para enegrecer os cabellos e bar-
salao para tintura dos cabellos e barba, as- ba> unica admitlida na Exposico Universal
como nHo prejudicial sade, por ser vo-
sim como um empregado somente oceupa- ial|t analysada e approvada pelas acade-
do nesse senico. mias de sciencias de PARS E LONDRES,

t
CASSAS DE COR
Lindas cassas francezas de cor iOO rs. o metro, na toja das Collumnas rus
do Crespo n. 13,.de Antonio Correa de Vasconcellos.
(3 OJ n
S =
a E re cT
re re o
J "3 K K ^
-t: re o re <
o,3'Ba3 M .
Q.-a >re re e
S G E re
w S 3
C ro O a a
Il-lll
S fe 0
O. 5-
re 0 fe o
"" s & =3
reOog.^

9
re
<
O
S|
E

S
03 5-
o abaixo assignado vera preveuir 30 puMico
11 geral o ao corpo di comnwrcio qne nio ft^am
ni ocio ou i|u:il(|ner tratvswao, tjaer eeja por
compra na venda, quer por dilieiro de erapresti-
mo, on fiwsmo a lilulo de troco coma j aconte-
cen, com ijualqaer pessoa, sm mtii.e Jo momo
jjaixo assipnade, aflm de So dar Ingar a qno se
preceda -onfrirme a lei por ?er prohibido nego-
ciar cora filtio familia ou escravo etc.
M. P. Lemof.
ponte e no Arraial em casa do annun-
a respelto a tratar na loja do Sr. F.
Xa ra da Impeatriz n. 9 -entrado andar,
pr-.Tisa-se de nm cosinheiro liberto 00 cantvo.
Bom Jess das Portas.
Vos devotos do Senhor Bom Jcsns das Purtas da
i: .linda capella do arco das portas ora na ijjreja
da Madre de Dos, e avisa qoe dia de natal, 25
> correte principia o setenario, sendo a festa
dia d<; :nno bom Io de Janeiro de 1870, assim
imo pt'lo presente sao convidados os irmaos para
. -.-tirem ao setenario, festa e Te-denm.
Bichas hamburguezas
Veste novo deposito recbese por todos paque-
as iranstamieoa Ijixas deqaalidade superior, veo-
3e-.se em caixa on porcao mais pequea e mais
barato do e qualquer otra parte ; na rut di
Cadeia^ Bejrife n. SI, 1 andar._________
Devnrdo de Motila Senhbra ia Luz, erecta
na igreja de S. Joti de Riba-mar.
<>s sbixo assignados ex-juiz e'ex-thesonreiro
fiesta levocao, tendo feito a festa de na excelsa
padroeira, no dia 2t de novembro prximo passa-
do, agradecen! ebralalirenta aoreswitavel publico
o auxilio que prestou-lhe. Anefom ennvidam a
todos aqotle9'.qt)e e jnlfcareui crores dorante
a -na admimstracao, a apfsentaretn saas ontas
pat a promptameme seren pagas rea do JSocnei-
/a n. 29, no praso de tres dias, a cMar Si'noje ;
alem de qoe julgara nada dever retaftwmenie a
sta devueio. Os abaixo asiignados 940 se res-
ponsabilisau) por debito aJgtim ebnb-bo desde
;i.i 19 do eorreite et iiaiite.
V. ,vife 21 iie deaembro-de 1869.
Fraacfceo Pereira de Sfeirelles,
Exjuiz.
Antonio arqus de On'Teita.
IH.moseweto.
setembro de 1807,
comprehendendo os de pessoal, escravos, indus-1 As pessoas que quizerem apreciar o trabalbo dos referidos pocos, podem ir ver
L && Tu.0 tTS39*d0 !lP|,abetiea- fusionar ra da FlorenUna, fabrico de cervina n. 20, em flebenbe em casa do Sr.
mente, explicando cada acto a que sello esta m- maior ntimos nn rixanoa nn hrj.l ,,in .,
jeito, se se deve empregar estampflba ou verba. m*^r-Am os' !"0
no primeiro caso qtiem deve inutilisa-la), trns- c,ante-
missiio de propriedade, dizima de ehancell^ria, -Pra eucommendas e mais esclateoimentos
emolumentos, multas applicadas fazeada publwa, 1. Cermann ; ra Nova n. 21.
etc., etc., o em appeudice o do cofre de oepusitos
pblicos,
notados com as
instruc^oes e decisoes posteriores at a
presente poblicacao,
por
Francisco Angosto de Almeida,
Io escriptursrio
da recebeduria de Pernambcco :
reode-se na ra estrella do Rofno n. 12, a i.
Torna-se de grande ntilidade aos'Srs. advogados,
solicitadores, negociantes e funecionarios pnblicns,
a acqoisicao deste trabalho. AqoeHes qno mlg
naram e nao recelieram promptamonte, podem re-
clamarna mesma casa.
Alnga-se o segundo andar da casa da ra
no Amorim n. 21. lio Recife : a tratar na mesma
rna n. 52.. armazem.
Na praca da Independencia n. 33 so da di-
oheiro sobre penhores de ouro, prata e pedras
preciosas, seja qual for quantia ; e na mesma
casa se compra e vende objectos de ouro e prata.
e igualmente se faz teda e qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert tendente
i mesma arte.
Precos -se de urna ama para enea de pouca
familia : a tratar na travessa de S. Pedro n, W,
1* andar, entrada pela ra do Fogo.
Precisase de um toenino'para aprender o
oficio de charuteiro.: o pai ou. uiai que qu;zer
mandar n>ina-lo, dirija-se a fabrica de cigarros e
charetas, rna Direita n. KO.
Pastis
para a noite do festa, o molhor e o mais bem feito
teepdedesejar; prepatanwe'd wcoflMnen-
da o dlo-se de vendagem rea 'da'-DetMM u-
mero 41.
CAMA DA FS. '
Aos 20:0004000.
Bilhetes do Rio venda : ra do Cantiga n. 5,
wdeVieira 4Rodrigues.
Aluga-se
'mi '-ravo proprio para criado ou ontroqoaloper
rvicj : a tratar na praca do Corpo Santo d. 17,
V andar.
Advocada.
Carolioo de Lima Sanios, (o i
bacharel em direito acha-se a
estreita do Rosario n. 23 onde
ser procurado das O horas da
I nba s 3 da tarde.
illlli
Ama
Rresi -ui 1.5 urna ama. litre .j ecn
1:Jtmi.ar, paz-se bem : na roa da Cruz
Correspondencia de Portugal.
Os abaixos assignados prevtbenv aos sennore
assignantes deste jornal, que de Janeiro oroximo
futuro em dnte a destribfico ser feita ao lar-
go-do Corpa Saato, no caf do Sri Peuna, oadtt
o.enoi senhores asignantes msndaro p*far
desde j a assignatura do anno prximo quiDze
mil res por 4 nmeros oapUrto do aomero
me coodtuir o paquete de 28 IMnro no de 11 d Janeiro de-#71. Nuroera#
sos* res. Os recibos siJpreeoM e flrl
raans pelos abaixos assignados. A lNNbuicap
do jornal para 09 asignantes
lea que te^bain JA paga sua
ava nar
LI61
Preeisa-s.; de urna ama de Mte
Ay>lhn. 35. andar._________
.
o ^J- E o .o ES M
E c 3 c-
ts'5 2 w E
O o a
lfli'r
txr B re.SS S

88
E B
E
l
BWO MACHADO t C,
A AGlilA NEGRA animada com o hom accoihimento que teve em seas amur -
cios, vem de nevo participar a seus freguezes, qoe, acaba de receber um variado soi -
ment de objeutos do gosto, os qoaes serao vendidos por precos muito razoa>eis, pois
quando fez os seos primeiros annuncios, fbi o que assegorou, e sem mdo de tu'.
porque cr mo j> disae est ligada por intpres a tuna- casa importadora desla praca,
por isso poder ter tudo especial e vender por precos dmintveis. Chama pois a atten-
?3o de seus freguezes para os artigos que possa descrecer-:
Litros com o tampo de marfim, madre- Un varitdo sortiments de charnleinv >
perola e4arUroga, proprios para missa. palliteiros de. porcelana,
Oaixeiro
Precisa-e4e um aixeir qnn teoha pratica de
negocio, equo d fiador a sua condeca, para loja
de calcados: na roa da-laperatrisn. 10.
Preeisn-sede un caixeiro com pratica
a a-ioet. taberna: na rea a Gaian. 36.
de
\ia j est para alugar
n azem, a ma iNova n. <<0.
este graodoar-
Eii^wi
iforamadeii'ji.
> l' oma Ti.ila para -m^mmar-
> mprnador n. 73, andar.
Escravo.
htfu
|0 mwuo
I'i'ai: a tratar
:ica.
na
Precisa-se fallar eom urgencia 109 sjnfcm
baixo declarado'. negoe>eHde'a6D jatr-^se-jaJ
rea *m n. U, \o l> faaend :
Antonio Flix da Rocha.
Antonio Paciflro SnnSes do Amara'.
Antonio ioaquim Fernandas de A?
Rento n^aves.
*M%mn Vribo.
Gran* 1<; hotel iraacr/em
Apipucoi.
O novo propriotario do antigo bote de Apipoeos
tendo preparado lodos os commodos para servir
aos grap^^wnes,e ,ur< *
ao raapenave pxiWico qoe temnro lem pfpjMo
todas u4aa8indca.de cao)iJk<'bidis,. (roe*
etc. etc., nao se iacommodando os visitantes deste
estwafafiaieHfo para ir t&mr baohoJpn|e,..por
qoanto tem n*(indo dnnaanum poni ijoe 000-
duz a um bom banho excellente.
Naruaesu^ita-do.Rosario. sbrado de oin-an-
dnra. 33, prepaww-se rapettir ricas para pasto-
bou-meU^#saB offerts* com fitas bordada?.
lemuQ M gosto e ha rato, eafatom-se
ricas para bantkados, e tem prompUs para
r-*e por barato pflp, fas-se botos para
presantes, onfeilMo*, pK e doces de todas as
qsialidades, bandejas de-bnsbs Tinos de vacias qua-
lidades para caaasMbtos nbaiks, booqoets de ca-
vos naiuraes para casanwMos coi fitas burdadas
a our i, e bonqueta para enfeite9 de bulos.
Pnjpisa se alu|pr.nma.-acrava que
saiba cosinbar para.^iati'a. a traiaraa the-
snoraria das loien'as, ruado Crespo n. !5
Garafinhas vanas propria j. para presentes
cousa de gosto.
Indispensaveis Je palinha e de couro pro-
prios para slboras e meninas trazer nos
bracos.
Binculos da madreperota, marfim e tar-
taruga todos esmaltados.
Cinles largos de setim, cousa inteiramen-
te nova. -
Fitas de sarja de todas as cores e largu-
ras para lacos.
Testos para voUarete.
Bengallas com marfim, cousa especial.
Sabeoetes de alc*trio.
Cofres de* Coibas para dtnheiro.
Lindas casias para costura.
Um completo sortiraento de tovas de p<<-
liea,
Ta^goree para bordar.
Um completo sortimento de enfeite^
Toacas, sapatinbos mesas de seda emais seda para vestido.
perteaees para baptirtos. Perfumaras de todos os autores os a.
FHaseom mscnpcOic-'propmft para bou- aGW'
qoBt- de noiva, e finalmente oros moRos objecU>s ^ue
Jucos vasos com p4lo arroz. I possivel mencionar ; mas com a wtv -
Um variado sortimento de jtrros de por- certificarlo do sortiraento deste estob<
ceUaa. cimento.
Agnia Negra, ra do Ca*ug n. 8.
-*
-
GeVioi
J-5o Cbrisostomo Simos do A
j luto Angosto dp I^mos.
~ jlolio (fesar Cavali-anfi de Albogue- t
\h# Bernardino Perpira rloflrita
.r um e.vravo parn .- / cenpa-' {"-^ *rriJs rt^ Alroaida, .
nio N om o.itabeleeimeiito, pa-i, S"31'** Piulo.
lar na roa larga do Ro.-arioD-'u 'Iuiim var,M Ro,nvhV.
Ama
Pjvrisj-.cp de anta ama pare caaa de Iiujim
aoas ; na ra de Hwla n. 120.
Mam-el Alvos da Rnclia.
_ Boflno Marlinli V Alm-
Sobciin llomas Perora de Carvaii,
mrthe
para
n.28.
OSr Atencar, official de joizo, que
foi ou, qnediem acba-^e preienleea-
to. residindo era' Gamelleira, (jueira virou
mindardardaducJo sobre o impoatos das
carrosas qno se mandou pagar pelo Sr., e
al o presente n3o tem apparecido com os
docuraf nto3 deseja.se nao continuar coqi
esto annnndo por niair das.
na oidnde nova do--
,. easBuodos,
Amara o. 12 a tratar
i GaijHitro e cozt&eiro
Precisa-so de um caixeiro para tomar conta de
as* taberna, aanjoi tamUem de um cozlsbeifo,
preferindrt-e com stgnma pratica de casa desas-
to ; na rna da Lapa n. l._________________
ahigar urna eserava cosinhelfii
c a iratar n?. na ^%b
sveau de THEODORO CHRISTT-
I.INHDf, ra da Cruz n. !8, encoatroM
. %ctivamente todas as qualidldes de vinht
Boru^*01 Bourgogne a do Rheno.
Precisa-so de nina ama : na ra da Floren-
tina o, i, qne coiiche, psra casa de familia.
- '..... i -------------------------------------------------------
ATTOiGt
Collegio de S. FnKicK-o jlo
Paob.
Aluga-se
A frente superior do 2* nndar do sobrado da run
do Vlgario n. 26, constando de ama boa sala e
boa alcova, pintado de prximo, sendo muito fres-
co, proprio para algum homeni solteiro, a o <|'i-
gue. mydico : a tratar na mesma casa.
0 bacharel Francisco Jus. Rabelio. coiqgj|ec.
avwte habilitado peta djrestnria da inrtrucro ;
bliraj trm abeito unte Usaji-aara ^dncajlo -
nidria e sectmaria' do seciwsV>lino, n Iravc-
las Barreiras n-2. No mesmo cnegio sea*'
o iiesde j inscrercr os abjanos qu? pfesaea '
chamlK.niba.eperto de 1:000aOOO de recibos, da rwn frpquentarocersoTasfj' no quni
mesma fabrica : roga-se aos senhores a quem nr 'lmente re ensinarSo as alsiias pnraipav-
apre?enlados ditos recibos de nao pagarein,* *>ne* nies na lacoldade no mez de maic.
sua qoo a achar on der ncnVi.i. ser graahVida.
Furtarara hontem da bolea do carro da fabrica
de ce/veja, quando se acha va nu c'orto do Hattos,
acartetrada tiraoot do boleeiro qne liona fleado
n> mesmo tugar acuna, tendo dentro um re|oe-
rimento feo. acamara, algmis bilhetes de. ma-
= Aluga-se at o Hu de maTCu pruxiasO v
doiiro urna casa na nevoa^a kf\iiiQrtr
lar no armazem do Campos, raaao rmperdBrtnff^
raero 28.
AMA
Prprisa-jft.de unja ama ipilva para o
"prviQo iatfMo c externo le urna caa rt> punca rVeriea so de orna asna ,qne cuzma
familia, pfJR-se iwm, dand garanto a sua na- rriVica dnrta : a tratar em ff"'" rtMsdn Visarlo n. 3, |sa afiiji.ir urna eserava as memas condi
armazem de molbados.
e|s atiiii.ir uma eserava as memas conaicecs
13 tratar na ra do Vigari n. 8, terceiro andar.
1
WBf


Diario de Peraambuco Quinta feira 23 de ftezembf de 1860,

o'riuj-'Pu'ri^ji
MBfiliB^l^i
EXPOSICAO DE LONDRES
60--RA DA CADEIA DO RECIFE60 ^ .
.WA.MMBE LIQUHIACittl
PARA ACABAR NESTES DAS
O proprietario deste estabelecimento tendo de partirf muito breve para os Estados Unidos e Europa, faz completa liquidacSo nestes dias, para acabar ; como
"aniados para camas e janellas cobertores ingleses finos, calcado de pao, bijoterias d'ouro de 18, como resetas de brilhantes, aneis, oculos, lunetas, trancelins etc., anparelbos
de metal do mais 'jo que ha para almoco, bandejas etc., perfumaras de differentes fabricantes, differentes caixinhas, vasias com eneites muilo, proprias para, prsenles, caixas
msicas, (Titai cora pertences para costura, ferro de engommar, nao sendo preciso carvSo nem rogareiro, machinas de delir batatas, ditas para preparar a carne para gui-
*3s, ditas para bater ovos e bollos, grande variedad* de porcelanas, como, vasos para toilette, apparelhos para mesa etc., differentes objectos de vidro como seje.: lustros e
ios para sames, lanternas para cima de mesa, escariadores etc., uns excellefltes cofres de ferro, espelbos de diversos lmannos de moldura dourada e preta, molduras
para quadros, ricas caixas para retratos, ditas com cheiros proprias para presentes, mesas de charSo, bandejas de dito. Estampas finas para quadros talagarsa'
laria para alraofacbs dita para tapetos e para deitar vasos em cima da mesa, rtogio para cima de mesa, de parde e de ouro para algibeira, stereosoopos de diversos
whos, cosmorama, lanternas mgicas para divertimento em sala, qnadros com finas figuras de porcelana, ditos com movimentos,, figuras eronseadas para enfeites de mesan
a-vidas para se tomar bauhos no mar oo rio. lencos de linhos finos para algibeiras, ricas gravatas de seda, vanado sortimento de miudezas e brinquedos para enanca,
bengallas, camas de ferro de differeutes tamanhos, lavatorios, stereocospos, cosmoraiias etc. etc., quesera patente ao comprador; emuitos outros artigis qoe se vndenlo
lUa itaj-ato para intelramente acabar, no armazem EXPOSICO DE LONDRES
Grande liquidado
45-Hita l>lwHa-#
Borzeguins de senhoras trnceles e de
tiomens, snalos de senhoca de marro-
quim e de lastro, sapatos Vbrim para
homem, marrocrains, taha para apatos e
borzeguins, co unimos de cabra, sMa e to-
do sortimento proprio para casas dete ne
gocio, que tudo se vende a dinheiro oer
menos do seu valor, por ter sido arrema-
tado em ietlao e se querer liquidar em pou.^
eos dias.
_____ 85Rna DireitatS.________
Kugio tionlem l do corrate um muleque
de 12 annos, de nnma Saverino, Talla desembara-
zado a esperto bastante, llevou vjjslido caca e
camisa e algodo grosso multo seria, gralifica-se
a quemo levar ra do Apollo n. 20.
A
COMPRAS.
SU-IDA DA (MU DO

60
FIO BE VELA
Barbante
casa de Rabe Schmetau A C. Corpo
Santn. 15.
SHERRY 0L0R0Z0
Gelo seal.
CftMUVAC HEMMESSY.
!fm casa de Rabe Sclimettau & C. Corpo
Santo n. 13.
CVHMPANHA
SUPERIOR.
Koussillon, carte blanchel
fSm -casa de Rabe SehuieUau & !
VINHO
DE
E0RDEAUX SUPERIOR.
CHATEAU LA ROSE.
CHATEAU R1IIZM
visa de Rabe Scbnietau C. Corpo
Santo n. 15.
m
-'. !i urna ama. prefcrindo-se escrava,
ijiio i a todo o servieo interno e externo de urna
cas. ti: familia emposta de duas pessoas : quem
livor uizer, dirija-su a ra larca do Rosario n.!
38, andar,queacearacm quem tratar a qual-
. hora do (lia.
Caixeiro
-.. -; de um manioo portuguez que tenha :
piatica >li> ur libados e de liador a sua conducta :;
irwazam da Estrella, largo do Paraizm n. 14.
COMES DE WATTOS IRM0S
j temi feito completa mudanza em seu antigo e
1 acreditado estabelecimento de joias, com o flm de
dar-lhe maiores propor^oes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com eapeciadade as Exuis.
Sras. de bm gesto a compareeemn pessoalmente
das 6 lloras da masMa s 9 da monte na
RA DS CABUG K. 4
de esvoontrarao uro. completo -sortimento do e ba lello e precioso em bnlhautes, esmeraldas, rufetns e -ttido qa em obras
de oure, prata e pSafma se pode desejar.
ADEREQOS DE BRLHSHTES, BMEftALDIS E RBINS
-de novos gostos, aseim como grande variedade -4e sakas e paliteiros de
prata contrastada e de gosfc ainda nao wisrto, e eomp^eto sortimento de
I objectos de*rvata pam uso das igrejas,
Compram e trocam quuiquer oa ^u pera preciosa e garantem
i a quarade dosooje* U ~: vendidea.
Oompram-se e veuden-se diariamonte para fra
a dentro da provincia escravos do todas as *dad,
cores e sexos, com tanto que sejam sadios : oo
*rceiro andar do sobrado u. 30, ra da Cruzes,
fre^ueiia de Santo Antonio.______________
C.ompram-se u>.oedas de ouro prata de lo-
dos os valorei, ouro e prata em obras inutilisadas,
brilbantes e mais pedras preciosas: na loja de
ourives do ario da Conceicjo, no Uecife._______
0 muzeo de joias
Na raa do rat>ug n. 4 compra-se ouro, prat>
e pedras preciosas por precos mais vantajosos do
fje em oiitra qual|ur parte._______________
tiOm muito maior vantagem compram-se
moed* de ouro a prata : na loja de joias do Co-
rac^ft de 'duro n. i D. ua do l'.abuir._________
Compra-^ cobre, na ra do (Jucima-
(lo n. 49, RIVAL SEM SE co
(.HOIE libras Merlinas e ouro de todas as naeocs,
assim como prata, por maior preco do que em
outra parte : na rna da Cadeia do Recife n. 58,
leja do azulejo.___________________________
Compra-so urna ca-a. irefere-se na l'rcgue-
zia.de Santo Antonio ou Boa-Vista : a tratar na
na Direita n. i3, loja.
VrNDAS.
Ligedo de Lisboa.
Vende-se lase lo d pedra de Lisboa : na ra
da Cadeia n. .*7, casadfl Prente Vianna 4 C."
.
I 0K3BBBmB
Vende-se urna esrravade 18 a 19 annos seni
achaque alguin, com as halnlidadcs seguales :
lava e corintia : a tratar em Santo Amaro das Sa-
linas n. 31.
55Ruado ueimado51
K VERDAUE tendo em deposito {jrsetk
quantidade demiadezase-perfnni mas, siv.
sejando apurar iinheiro e adquerir bf.a frft-
uezia est rssolvida a vender ntuKissint
barato, ; .par essa ratto convida ao ref*v
tavel publico a vir competenitaii-nU; iaaj4-
do a sortir-se do bom e barato. Pois qma-
do a verdade apparece, ludo mais
apparece-----
Grande sortimento de bonecos de cera
massa as-^pais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter. \ .
Abotoaduras njoderuas .para cpl-
letea '. \
Espedios donradoY^epnenos. _
Agulhas de osso para crox a .
Pentes pra regaf com esntas a
Ricos globos para candieiro de gaz a
Chamifts a.......
Graade smlimento de objetos de
louca para brinquedo de memn>*s
Garrafa com tin:a a.....
Oita^comagua florida ve:(Uuleiia a
Dita" com uta dita a
Frasco com oleo de babosa a 500 e
Dito com agua de Colonia ^ 300 e.
Gatrafa com aguacei:a ?.. + -
Frr.sco coin extracto^ fi.ios >
LaUs pequeas com banha muito
lina a l Sabonetes de diversasqtiii "des a
80, IGO, 2i0e......
Finas escovas para iobI-js t'e !O a
Lindos coques modernos a. .
Pavios para gaz, duzia a 40 e .
Escovas para faci a 3iO, 600 e
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar piolho a. 160 e.
Brincos de cores, bonitos a i00 e
Pecas de tranca de laa com 8
varas por......
Oleo para machina de costura,
frasco-a........
Percas d'a$o linas canias a 8u0 e
Dita iHacG Perry, caixa a. .
Galo de algodio peca ....
Lindos babadinhos e ntremelos
peca de 500 a......!
Ditos de louca murta fine a O e
Ditos para calca a 1(50 e. .
Gaixacom papel amizade a. .
Ditas com envelopes a. -
Ditas com ohrms !.'-. .
Caixa com agulhas fundo domado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para costura a 40 e
Caixa com linha de marca a .
LEPHANTE COM
CIMENTO
Da melhor qualid ule e por, menor prego
que em outra yialquer parte, vondem Ama-
ral, Morein Ov C. em seu armazem do Caes
da Alfandega ti. 7.
Vinho v. llio
Vende-se vinho do Porto engarrafado ha doze
anuos: na rua Direita n. 99.
Cal nova de Lisboa
rhegada no ultimo navio : vende loaquim los
Ramos, na rua da Cruz n. 8, l andar.
Vendem se dmu carneiros lumtq gordos e
mansos na rua do Rosario n. 20, luja da funi-
leiro.
Manoel Alves Kerreija & C, na rua ds Mu"-
da n. >, andar, t-m para vender superior visilm
do Porto em anenretas e caixas de dusia?, barril-
znhos com 400 e 500 sardinhas superiores e bar-
ricas com bago de sabugueiro, potassa da Russia
e cal de Lisboa.
su
:>;*;
l^i>;
ie
20b
I QDd

7t-
2
Kpe
14001
GRANDE ARMAZEM DE PIANOS, MSICAS E. INSTlilMENTOS
as
ANTONIO JOS DE AZEVEDO
N. H-RUA NOVA-*
Parte ipa ao reepeitavel publico 4esta cldae e das ,ma9 provincias visinliss, que o seu grande a bem a-Meditado^roiaze-iido Mstpamealo* para musi*.
. .|>j 4e ;:b Vender.i->o tres cabriolis ainaiicanos, le quatro asentn, e.mn de dous anentos : a
ratar com Jo> Jaeintho Thomaz, na Iravessa dos
'iresn. tenia 'ln ferreim.
Vend-se una inulalinlia perfeila engoinnvi
deira, costureira e eoanbeira : a tratar ua rua de
Hortas n. 9ri, sobrado.
a vliuaco da rua do Ara^ao n. 19 : quem pre-
tende-la, dinja-se tratar na mesma. "
}
O que bade mais moderno, de teclado ftxos mobile,^ comtransposicao oa sem ella, de autores os mais acreditados nesta cidade, oemo sejam : os
m e.ttheos pianos da fabrica do- Sr.
de Paris, ie queu o anounciante o o unieo agente nesta cidade, como prova com o documento abaixo transcripto e swsfgtro Jielo dito >r. Drondel." Estes pianos, fabri-
adoa specialmeBte para o clima deste paiz, sao os nicos que offerecem nma garanta segura de saa duracao. Elles sao aqui bastante conhecidos desde 1844, para que
vja'i?.''iSario msistir sobre sua superiodade. As suas vozes sao muito flautadas e melodiosas. Elles possuem.iun teciao qae se presta a todos os capriclios do
w, lres pianistas. .
Toda as pessoas que compraran pianos nesla casa, so-rogadag 3**igH'ain.V<:eHirtado d-i origem assignado pelo Sr, Bien del, afim-dei trovar a sua
hkde do numero depiaoo com o Je .'erttiltado.
o JBim
do Roiie,
,iado por nuc.
1
Mr. Atpboose Blonde!, labricanto de pianos em PAftIS, deciara ao respeftayel publico de Pernambuco, ,qne o nico deposito.de aeus nianos m cdad
LA SOVA y. ti, armazem de Antonio Jos de Azweao. Outro slni que tedos os seus pianos, Jrao.accnmparjJiados de um (^rtificado ^eorigm. assig-
Paria, 44 do julho do 1869.(Asssignado) Al>h*ae Bladrf.
O anoaciao o tambem Irosa aluga pianos. E tem maior e mais expleudido ^'menU) dti novas
MSICAS PAR l11 \0
.Isqoaos recebe directamente da Europa e do Rio de. Janeiro ; cas acreditadas casas dos :$ra^.FUopone de Tornaabi, Narco, Arthar Nanoleaod C.
-i .Tjbem tem grande sorttmento de papel para msica e fr grabo ; cofdas para todos instrumentos, ricas gravaras e qualros para ornamentos de salas. Oleados, nar
..*-,Iw de salas, ricos-efp^os jurados, quadrados e ovaes, cajxinhas de costara -u.m m^icas sem ellaestpjos para viag. m, rrlogio? cora despertador, vidros: par
.R.lhos de todos os taasaaoos, .lalagarca. laas o agulhas para bordar, >e ramios outn s artigos qoeao respeitwel pobliao encontrar semDre neste amaaem, o qw Ur i
.,h.,-i-> t.,Anm r\e Hia ilA UQ hurle da nAilo =m Arta RfmM familise nmforom ir inr.viw n.. ..* :_____ f,a "P" V* ..
ab --------------------------.-------------------------------------, ,i -----------------------------------------------------------
H i LE
1t
MER$lO DE HONRA
Vende-w
)S FRESCOS BE bACAO *" i-na
tare, ptarmaci Hom^
J, ru it Castislion,:
em PtHs.
. .iiirafa^ft*, o> miran |iarto. d'un ;li-ro for.e, o pial Mir.p.isj$fle fijM-c-aa ol - )/sn*rflji atnaihrfi ptrcarlore -
frrfor, (omn -.'j!>Mi!L.r os xr-jmArlron otr de Mm4W
.'.. Ar Racitllian de l'rrr.i.%. Ksl;s oleas caiiimun* ou sro ircrtlutn s4o
' ti <^ut.i;o t" >* t't,!..rieres otees dj;a o", upa:. 2 Hn minura cnmpra irrj
n '-" f o'l-i i !.,..-.: .? pijsca, assira comomant raf
* k i Ico- piv-o* do Hrathiu> d<- Terra-No* 4c Haa
f ,-; -tr. ) urna fams : '.ntiai do peito, es aff*-Jft~
'jsttij-y'.'iHrat, tmey.r. !n mcnint>,*K emlu;af nociva o desl4s
O Ico do IIoi.ij v- rr.ui ".-il i! re os antros olee pela so
; ada, ese) ardinlia fixisf.
I ) l-KLATWU dos irabal'i-i ^hymlcos da FACL'IJlAnF. DE MF.WCWA OB
le pa/rta de il. I! i p.ule de rta-
f ro moi* Jo que cu '/''-n parr.,t e nio apreuma algum do inc.iuvcu!s::tet.*e te
le-. qwnuTi qn gheirn e tnhor.
mumwm ifdum a mba-mndma dm Frfa e di pitizn* c;ran.<|ciroa.
".
UMBA-NITliltt
os 4:0001
V raa da Crpo n.3kO casas -do costnmo.
O abaixo.as^gMdo, tek>. vdid aWm de otf
:ras snrles,- am intairo a.. S2I com 4:000 di
iotiTja qae >e aesma de extrabir a beneficio da
igroja4#8. fciftd*Abrea'a^itti(iM>1 cM(vJ(|
aos poskioiv8 3Tirm rooebf r na -cenfcrreida
do eostame sem desenlo alfim
jcbannea vo4a oa mIIiob- bilhetoa da f[
parte da ipteiia >!&*> nm nji da Nus
Senh ira du'nroptro de Goaiaa W^W, qae C
estrahirinaqnint>er3 30 covr|tt<) mez.
Rrego*.
Os do eostame.
Manoel 'MartiM FW.
il.
ANOS
Redfe Apipucos.
No M*&k* ordinarios, ha ver na s 12 horas e 30' do
dia, do-lto-a,4bjpncGS, e ouu.o-is 10
30' drnoste ;. a da meia noiite at as 3 e
30' haver de nwia em meia hora.
No.dia >;da-&faoras damanklahat meia
uoute os itrwis oodarao de ora em hora |
tanto estes cmaa w do di 21 tocarlo en)
Precisa-setil* ama mdAimiDadda(k para todt todos, os pontos.
Candar.___________________^ry l'r Titii-w de urna ann do laito ; m Corrv M<''"W>W,
dor do Bispo d. 23. I Gerente.
LIQUIDACAO
de ffizendns.
.Na rua Nova n. i8, anda rn-tam algumas fa-
zendas que se vendein por presos que admiram
como sejam lazinhaa a 300 rs., mossambique
com listas de muito lindas fres a 300 rs., chitas
a 200 e 300 rs., randa quantidade de cambraias
de muito lindos padrdes a 300 rs., e outras mui-
tas fazendas que pela sua boa qualidade se tor-
nam recommemladas para casas de familias.
Grande quantidado de paletots de seda, de panno
fino, de casemlra, do bombazina (pretos e de cif-
res; que sa veudera por todo o preco para liqui
dar, aproveitem a |x>i-hinctia qne osla dudan do.
2,1000
^adeiras de pinho de abrtr e fechar
No armazem de Paulo Jos Gomes A Chalaco,
cae* 1 de Novenibro n. 28, vendem se cadeiras
de pinho americano de abrir e fechar, preprias pa-
ra armazens, assim como, pela fcil conduccao,
pode qualquer pessoa qoe viaja conduzi-las sem
incommado, e brem assim um assento apropriado
para deveansoda viagem e bem assim a rapazea
da, que na presente, quadra, procura os arrabaldes
alim de passarcm nm -dia litro do calor da cidade,
poden star sentados debaixo de frondosos arbus-
tos, saboreando seu bavana, sem ser preciso esta-
rem doilados na re va, com reeeio da seraro raor-
didos per algnm iztscclq venenoso.
203
m
306
i-
BOU
Linha de cores em novellos (li-
bia) a........
Garreteis- de linha Alexandre de 70
at 00. .,,.... 10J
Grampos muito finos com passe-
ros, duzia a...... ?.i.
Cartas portuguezas, duzia a ',#>u&
Oitas francezas a 25200 e 30000
Papel almaco e de peso, rosna a
35400, 34500 o .... 4#U
.aa muito una para bordar, libra 6||&
Fita de algod5o para debrum da
sapatos, peca a i\.'
Ditas de lia para debrum de ves-
tido, peca a...... v-.
Pentes finos para segurar ca-
bello a....... 321
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 210, 320 e...... ;
Ditos para aparar penna a. !.
Rosetas pretas, par a ... 10
Tranca de 15a d-caracol peca a 40 e 10
Kia de coz peca a 480 e ". .. 809
Alfinetes de lat3o a..... iOd
Sapatos de 19a para crianca a 400e 88ti
Grvala de sedas de cores a .
Calcadeiras a........ H*
Grande sortimento de rendas das libas.
m par de. suspensorio de borrar ha p<*
100 ris I III! 1
Xa verdade rna do anelmadc
U. 55.
O VAPOR
um terreno j com alieerre, a urna boa casa ;- juh o pretender dirija-^e rua
do Bartholomeu n. 67 (loja) que se dir quem
vende.
Armazem da Estrella
Cae* 99 de Vovrmhro o. t H
Nao ha duvida por falta de comprimentos e lar-
Suras de iadeiras.de pinho nao -qne se deixam
r faaeMobras p<>is existcaamerca lo da 12 at
2i polleaadaii d* lajjHir assim como cualidades,
desde ooranco pinho amencano t o'encooTscs.
do de rrzina : portanio s armazenarins dVvem
aprowittc a cMsiao, ph's tem. pnnebdes at de
50 palmos de comprnmto para salas, havendo
tambenj onaipUo sortimento.-dt pkibo do bltico,
para con vs do navios, e serrado em taboas de
ferro, para fundos -de- barrica, preerivel a outm
qualquer por causa de ter poneos nos ; vendo-M-
do 9 a IOS a duaia, raroos-de faia. e folhas de mr
tal pnra forro de navios, o pregaduras para o*
mesrros, tadode eom'ormidado ewn o$ precos da
mercado : noantitoo bameonheoido armazem de
Paulo Jos G xnes & Qimaco.
Vende-se urna mobilia da mogno cora as segnin-
tes peras : 1 s..f, 12 cadeiras do gaarni(S ditas de brac."- 2 cons-dos, e jirdincira com pjdra
monnore. em inoitu bom estado : a (catar na rua
do Sooege n. 21.
rtpnliio sal? 11, il mili suhsus, teuoja^ger,
vinhos nnne is su**, yv.irne, villeneuve, crajiy.
cates dn Rlioii. beaujilais : na nnrerial fabrica
do cerveja, rua Jj Sebo n, 35,
%oviiiaiii:n
Rua da Emperatriz niimrro <
Grande novidadep va a festa.
A* ella antes que se acabp.
O proprietario d'este sumptuoso e mu acredi-
tado estabetecimento, vendo que se approitima a
festa e qaerende'ariresentaj- aos seo amavHs fre-
guezes urna novidad* de que se adnrassem, en
vioo o sea -vapor, isto ,o vapor das Novlrtv
desa todos os pases da afamada Europa, ati'
de procurar c traztr e que de maior goslo e aov-
dde achasse.
Regressando este, trirxe como alta novidaJ*,
como de-tacto o. :
Liado- goepare rarlate com (inisan teeido.
e o mais bonite possiveL proprio para eamislnbc.
e fchus, o '^dal s vende por preco muilo eorn-
modo.
Grande sortimento de fitas de saeja de oplin^
quahdade e de dinVrentes larguras e cores.
Completo sortimento de fitas assetinadas, sen.'
estas lizas e eseossezas de todas as larguras e da*
maiUinrtaa cotes, hanmdo entra fias moito lar-
gas e proprias para cintos da ultima moda.
Grande quantidade de perfumariss dos prkrif.
ros nerlumaeteft^M 'Bimpa.
AWm d'Mei oajaitos .vicraiu nwilos ouln
la inbem Je^gtapde oowdade.
O propretano revine totes as-e*soas q-K-
pretenderem n*a'*jis,ebJectos mencionado*, q.
iwdwio batear as amostras nodto eslabelec
mentOi oa iodioarem e4uaar.da residencia, pnr
tudo isto antes que se acabe a grande aovidade.
Loja do vapor das Novidades,
..HfturipuedeSLeltao '
Acabam de chegar aj Grande Bajar, i'niven-'.
i roa Nova n. 22 Cani^iro Viananm comp!
to.oiaaiaitotTd n antaBan ..para aossura.i dos au
torea raai* coaberidos, as <|uaes ft-tio em i-.xp
ca no mestno Bazar, garantindo.s a sua Iwa qn
lidade, d^Olnbem eitsrna-?e rom prfeieio a led-
os coraoradores. Estas machines.sio ignacs n .
seu trahalbaao de. 30 costureiras diariamente, e
-ua perfe*{a<# blda wllirT o.siunira- '
Pars. AiireseiOaia-so trahalhos ^weutadns po s
mewiias, qae milito .devem agradar aos preton
dMtes.
Veadem-se. doas ^pa- arqueadas de fen
^rourias par deposito de lquidos ;*, traisr Brc*
lo RanR'l n. .'17. n>acae.
Vislem-se doss caxas em'S^nlo Airmro dn
Jabnatio, ama na ruaran- Baixo, profiroa \ Mr.',
uoatra na rua da Matriz : a tratar na rua do l:
perador ni .r7, entrada ^elo oae*i do Ifcweinbr..
Vomie ii-so duas casas terreas boas rua*
dest' cidade ; a tratar na raa^-Crespn. 2, 1-
andar, escriasorio. _______^^
Biilancas dedm.tes.
Vendem-se balanzas oVinaes d lodo* os tam..-
nhivs, paraengaalios e arma em do assoear : i
casa de Prenle Vianna A C.

r
d

j_ lUlfl
anaamarna


X
----.....'
lMm<) de Feam^iioO Quinta era 23 Ja .Dezeipbit} 4e .1869.
n-

SEM IGUAL
proprfetarto do armazem *e fazend/s" denominado AKAM, rua da Imperv-
.ylzn. 72. declara ao respeitavel publico eserj taguezes, que est liquidando todas as
idas e roupas feitas qua tern em i (jitabe.'ecimento como se poder ver no seu
inmracio e preco abaixo mencionado.1-.
Chitas t>aacezas matizadas *
38 rs,
Vende-se chitas francezas escura* matiz-
is a 320 rs. o covado por este prev">4fljna
I >ja da Arara, ru.i da irnperatriz n. 72.
L.UZNHAS A SO RS.
Vendo-se lazinhas paw vestidos se-
iaoraa.2i0, 280, 3*3 e 400 rs. o Mr
vado.
BAREGBS DE LJU A 500 RS.
v le-seJWregjM do 13a oottUstras para
ttidos fle anhara a 300 e (5iO rs. o
ovado.
Alp.icai de listras a SOO rs.
-Ve.'ile-so alpacas de listras para vesti
ios 5e sonuora a 530 rs. o covado.
CHITAS FRANCEZAS A 389 RS.
Vende-se chites francezas claras a 2808.
covado.
CORTES DE LU PARA VESTiDOS A
2>i00.
Vende-so coitesd; la para vestidos de
jeoboras a 23400 cada um,
PKRCALB8 A 440 HS.0 COVADO.
Vendo-se percales muito finos para vis-
ados de senhora a 410 rs. o covado, mur-
olinas brancas fioas. a 500 rs. o covado,
nri'.hantlnas de cores, a 440 rs. o covado.
Eaides moderaos de todos as
cdres.
Vende-s^halpes moderno sbraneo e da co-
res a i/J, 4.5500 e 5#.
GOBEItTOMS DE ADGODO A !6'300.
Vende-se cobertores de algodo aHoOO,
coberta9 de chitas a 1(5600 e 2:5 cada urna.
GANGAS PARA CALCA A 320 HS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cores para calcas de hamem c
meninos a 400 rs. o covado, casemirss da
Ai-es para calca e palitots a 25500 e 3$,
o covado, meias cascmiras entestadas para
salease palitots a 10 o covado, brim pardo
Je todas as qualidades e brim branco de
todas as quahdades na rua da Irnperatriz
i. 72.
Alpacas-lizas a 64a rs.
Vende-se alpacas de cores lizas tinas a
'i'.O rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOLiO ENTESTADO A 35500.
Vende-se pecas de madapolo enfestadoj
* 3(5500, pecas de madapolo inglez de 241
.ardas a itf,- 65400, 7*. 85 e 105 a peca, cada urna.
78. Rua da Irnperatriz
Algodo enfestado eoOr.
Vende-se algodo enfestado proprio para
lenres e toallias, 900 rs. o metro, dito
trancado a 5, metro.
Chales de inerlu a .$.
. Vcnde-se diales de merino estampados
a 25, chales brincos e de cores a 1509
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Vende-sc urna grande porfo de cortes
de brim castor para calca de homem, 640
rs. cada um.
Grande porco de retalho*
Vende-se grande porco de retalbos de
chitas e cassas prelas a 160 e 200 rs. o
ova lo, reUlhos de cassas, 15a e chitas de
cores baratsimos.
LlQUIDAM A ROUPA FE1TA
Vende-se palitots de brim de cores a 25,
ditos de alpacas de cores-a 25, ditos de
meia casemira a 25 e 25500. ditos de pan-
no prcto bom a 85 c 105, calcas de algo-
do azul para escravos a 640"rs. ditas de
algodo de listras a 800 e 15, camisas de
riscado do listras a 800 rs. cada urna, cole>-
tes de brim o fusto de c6res a 15 e 1(5500,
coletes de cesemira de cores a 25500 e 35".
e outras militas qualidades de ronpas feitas
que se vende por baratissimo preco.
Algodo de listras a COO rs.
o covado
Vende-se algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A 40.
Vendem-se pecas de algodo 45000,
5S200, 65000e75, para liquidar.
Baldes de arcos l500.
Vende-se bales de arcos para senhoras
pelo baratissimo preco de 15500 cada um,
Cortes de cambrala barras
a 34000.
Vende-se corles de cambraias barrsa a
25 e 35 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos de seda a 640 rs. cada
am, para liquidar-
CARTEIRA PARA ViAGEM A 15-
Vende-se carteiras para viagem
II
72.
AS NOVAS SEDAS .
11--RUA DO QDEIMADO.-11 \i
Chegaram da Europa pelo ultimo vapor loja de Augusto Porto & C. ricos*
cortes das mais linda sedas de mimosas crss para vestidos proprios para bailes e casa-
no entos.
Grande variedade de sedas de listras" de diversos procos todas de lindas crs,
gorguro de seda preta, e grosdeaaple de varias qualidades e gorguro de seda la .de
diferentes cores.
Novo vestidos brancos de blond pira rmivas, lindel oha<; de seda para camas,
ditas de la e seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas e toalhas de
cambrafo de linho bordadas.
Lavas novas de Jouvin.e elegantes srjrnhrinhas de sedas de cr para sentioras.
Espartilhos de 55 at 305, lindos boornons de cachemira do cor para sabida
d(! baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para taomens e meninos.
Sorlimento de muitas fazendas de la, Imbo e algodo todas por precos muito
mdico.
Tapetes grandes para sof, piano forrar sales tudo era quantidade; e vender sempre^por menos qoe em outra qualqner
parte.
Esteiras da India de 4,, 5 e 6 palmos de largo.
ALGODAO
LOJA DAS liCniMS
O PAVTXHA
ACHINM americanas de serrote- de todo os tamangos para descarocar algodo, do
maito conhecido fabricante Eagle Cotton Gkt.
MACHINAS ditas, tanmem de serrotes e de todos 8s temanhos para descarocar, al-
godo do autor New York Ccttov Gin.
MACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
MACHINAS ditas de Roller Gine, de cojo trabalho faz- obter mais 2.000 em arroba
de algodo,
MACHINAS de faco do- fabricante Plati B. 4c C, Obdhao PrtentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as memores que t*m
fiado ao mercado ; e para' a- so apteciaeo convklam-se os senbore agricultores
Tirem a exposi'cao dasmesmas na im da Cada do Recif n. 56 A, loja do Bastos* onde
dreontraro mais o segomto:
LIQIDAQAO
NO
Lourcnco Pereira Mendes Guimares, proprietano do armazem de fazendas
denominadaGARIBALDI, tema honra de pirticipar ao respeitavel publico que tendo
recebllo diversas facturas do fazendas, de novo gesto/ para a festa, estando a espera de
aovas en6ommendas que deve estar aqui at o dia 15 de -novembro v.ndoaro, e vendo
re nolem tempo antes do balance de vender tantas fazendas de encorn: endas por
so* resolveu fazer urna liquidaQo para ver se d maior, estracaopor issoem vistas das
ctreumstancias vender tudo mais barato do que em outra qualqoer parte, na rua da
' TSPOLO ENFESTADO A 3-5500. CHITAS PRETAS A 160
Vende-se urna grande porCo de madapo- Vende-se urna grande por^o de chitas e
fio enfestado de 12 jardas a 35500, assim cassas pretas em retalho a 160 o covado
orno pecaj de madapolo inglezes de 24 tambera tem retalhos de chi
,ardas ou 20 varas a 55, 55500, 65.65500
7(5000, 8(5. 95 e 105000.
Corpinhos a 200 rs.
CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500
Vende-te pecas de cambraias victorias
lias a 5/1500, 65 e 75. Brilhantina bran-
fina para vestidos de senhoras a 500
rs. o covado
ALGODO A 45000
Vende-se urna grande p ireo de algodo
todo de noa qualidade e 45, 50, 65, 655 'O
75, e 8*. a peca de 20 jardas ou 24
? jras.
ADMIREM-SE DO QUE E' BARATO
Chamalotes a 560
Vende-e chamalotede cores, dealgod1
para vestidos de senhoras a 560 o covado.
Alpacas lisas a &00 rs.
Vend-se alpacas lisas para vestidos de
cores, para senhora, a 50i>rs. ditos matisa-
das finas a 72o o covado. Dita* lisas mui-
to largas a 640 o covado.
CORTES DE PERCALES A 6:000
Veden-se urna grande porco de cortes
Je percales de duas saias para vestidos de
senhora, de moito delirados gastos com
IV, /, covados a 65 75000.
CAMBRAIVS LIS\S DE CORES A 600
Vende-se orna grande porco de cambraia
i... de todas as cores para vestidos a 600
ns. o metro.
Organbys Moderaos a 8*0 rs.
Vende-se organdys de cores para fazer
tcstidos, de duas saias, agora modernos, a
*00 rs. a vara.
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas muito finas de
res a 280. Ditis matisadas escuras a 320
litas escaras escocezas a 360, ditas aleo-
xoadas a 360, ditas garibal dinas a 360 o
aovado. Sortiraento de chitas como tem o
iaribaldi ha poucas lojas qne compitam.
TSTOES PARA VESTIDOS A 400 RS.
Vene-se sto de cores para vestidos a
100 rs. o covado
COBERTORES A 1:400
Vcnd-se cobertores de algodo a 15400
lacertas de chitas feita a 15600.
Yonde-se grande porclo de corpinho3 a
4d-D4000O()6- *
res que se vende barato.
Ciaagas para calca a 3SO rs.
Vendem-se urna grande porco de gangas
para calca de hoswm e menino a 320 o
covado, cortes de castor para calca a 640
cada um.
Brim de cores a AOOrs.
Vende-se urna grande porco de duas
faces para calcas, palitots e cohetes de ho-
mem e menino, fieoda inteirameute nova.
Brim pardo liso a 500 rs. o metro, dito
trancado fino a 800 e 15000.
Grande liqnidaeo de chapeos
de sol
Vende-se chafos de sol de alpaca com
pequeo defeito a 25 e 3(5000, ditos finos
de l astes a 45500, ditos d seda finos
de 8 astes a 75500, 85000, ditos de 12 e
16 astes a 105000, para liquidar.
Chitas para cobertas a to rs o
covado
Vende-se chitas francezas para cobertas a
240. 320. 340, e 380 o covado.
C\5SAS FRVNCEZAS A240RS.
Vende-se cassas franozas para vestido
a 240 o covado, ditas muito finas a 400. rs.
assim como percales finas para vestidos a
440 o covado,
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias cruas para homem a
35500, 45. 50. e 6,5000 a duzia, ditas para
meninos de todos os tamanhos a 35500 e
45000, ditas para senhoras e meninas a
35500 45, e 55, a duzia.
BALOES DE ARCOS A 1:500
Bales de arcos a 1/1500, ditos modernos
a 45000.
ATTENgAO
Tem-se para vender urna grande porco
de roupas feitas de brim e de casemira, de
tqdas as qualidades nao se menciona por
r enfadonho. garante-se ao comprador ven-
der mais barato do que era oatra qualquer
parte, isto so se pode conhecer cora a pre-
senca do comprador e a vista da fazerida
que se pode conhecer como est liquidando
por barato preco, c general Garibaldi, roa
da Irnperatriz n. 56.
Chales de merino a *
Vende-se chales de Merino de cores es-
tampados a 2<500O, ditos lisos a 35500, di-
tos -stampado* fibe-s a 50, 5(5800 e 6*000.
Obulhadores para railbow
Qndros para padarias.
Vrados americanos.
Carrinhos de moi
Machinas par cortar capna.
Cannos de chamboi
3ombas de Japy.
Oitas americanas.
Telbas de ferro galvanisadass
Polhas de zinc finas.
Ditas de cobre e latao.
?3tto de todas as qualidades.
Arcos de ferro.
Folha de Frandres.
Machados americanos.
Facoes ditos.
3 ala ios e costas do ver guiaba.
Vassooras americanas.
Folies de todos os tamanhos.
Tamos e safras para ferreiros.
Finalmente muKos outros artig
liversidade seria enfadonho ennumera-los.
Folha de ferro.
Balano americanas.
Tkas de madeira americanas,.
Pe de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Ternos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Pneiras para podaras.
Baldes galvanisados.
Correales de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas..
Ferros a vapor pora engommer.
Moinhos para refinactws.
Azeite de esperaaGete, proprio para nochi-
nas de todas a qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertSnces paca as
mesmas.
Lata de gaz,
ospertencentes ilavoura e astes, que pela
ATTIMll I
Grande armazem de fazendas e roupas feilas na da Inperalriz
n. S2, porta larga, de Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 3& 3-61500 at 65- Ditos dt
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 5)5, 6, 85 e 105, de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e do cores de 35500 a 55000. Calcas de brim de cor finas o ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinarios ditas de Gasemira
de cor e preta de 40, 55, 60 a 150. Golletes de todas as qualidades e preco muiki
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodo e de linho de 20 at 55
urna. Sortimento de seroolas francezas de algodo, de linho e bramante a 20 e 25500.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a todos os precqfc Meias sortimento completo a 30
45 at 75 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto para homem, come
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e outras muitas fa-
zendas. |
FAZENDAS
Bramantes de H palmos de largura a-10800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista de seda azenda de gosto a 10200.
Basquines de guipure enfeitadas a I8&000. *^Hti
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 3ff3rs.
Madapolo fino a 60500, 70, 85 e 90000.
Algodo peca com 20 jardas a 45500, 50500 e 60000.
Peca de algodo largo a 70500. ^ffS
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem roopa
feita que se est liquidando na loja rua da Irnperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
AURORA
A RUA DA IMPERATWZ1.2
Esquina dama 4a Aurora
Defronte do .Caf Irnperatriz.
Nestc novo e sumptuoso estaoelecimen-
to de fazendas, ciicontraro as Exmas.
familias indo auanto possai desajar, tan-
to em artigo* da rigoroso loxoi oaio em
todas as mats qualidades de faz"erfdas_de
seda, blond! alpacas, jaeTfcis, laa?,
cassa*, inussuliin, chitas, rmutepoloes,
al^odes, ele., oemodo i sabir be ser-
vido desde o mais rico o exigente.amador
da moda e do oxo, at o mais modesto
pai de familia. Alrni'de se acharen) pr-
vidos do tpic inethor se enconlra nesle
mercado, mandaran) "os proprietarios
d'estc estabetecimento vir directamente
o qae em artigos de mod"; e de mais
apurado gosto so encentra em Par?.
Urna mudist especialmente oceupada-
nos trabalhos do l'AVILHAO DA AURO-
RA, executar promplamenle e com toda
a perfeicao qnalijner trabathri a capricho,
para o qiie se aeba habilitada em tudo
quanto mister para o bom esempenho ]
oe sua missao, o qne 6 urna grande-van- j
tageu. para o bello sexo, qae assim j
va encontrar cm um s lugar rudo quan j
o pode descjoi'. isto ^fazendas do me- j
i Itior gosto, modista pa perfeita exeeu-
tao de qualquer trabadlo, perfinnarias, j
chapeos, enl'eiles, mraiiezas, lua de
Jnuvin o tudo qnanto a moda' pdc exi-
T 1
Aos cavalheiros iguat vantagemseofie- j
rece, por ter o estabelecimento o mnis
completo sortimento de fazendas para fae- ]
los, e proprias para todas as-estacoes, e
: om hab alfaiate enearregao de execa*-
: tar com promplid- e mestria qualque j
: encommenda. I
Os propnetarios do PAVH.HAO DA j
| AtTROH.t nao tenflo poupade despezas :
para dotarem esta bella* cidade de um i
'< estabelecimento digne d'ella conflam nos j
; seus esforc/is e no boa) gosto de seus ha- :
| hitantes, garautindo a maior cirtnraspec- :
: cao e modcidado de precos;
| Cem a* possivel brevidade e en> vista da
I protecrSo que- se dignaron dlspewsar-lhe, i
i este estabelecimento War muitaj-oulrns
| vantagens, primando tre ellas a-pnbli-
; cacao de um jornal sjratuitameiile dis-
\ tribuido aos seus fregueres, o qual^se oc-
cupar exclusivamente da descripro das
; modas, acompanhado dm ultimo figuli-
nos; vantagem que at tije anda nenhum
mestabelecrmento offereeeu.
Gacluind*, e na impoibilidade de des-
crever a rico e variado- sortimento- que
possuem, os proprietaru do PAVIL1IAO
DA AURORA respetosamente coovidam
a Kxma* Pnnlias a visitar este espa-
foso e rico estabeleeimeirto aue, al de
ludo, est dotado do pessoai necessario
para vender o levar amostras s casas
que as pedirem.
Pelo ultimo vapor reesberam ricos aor- a
tes de vestidos para casamento, luvae-de 5
pelica. ricas ehapelinba para senhoras i
e diversas- fazendas modernas.
Aber to das 6 da manha st
9 da ioite.
LOJV
DO
LEAO da porta larga
DE
Paredes Porto.
Machinas vapor de
forca de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos. '
Machinas de faco e serrotes para desea-
rogar algodo.
Bataneas para armazem e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
lield.
Prencas para copiai; car-as.
Fogo americano patent
It %PK POPUIiAB
DA
FMIfA NACI0V4L D\ BAHA
,DE
Teixeira Uldurico $ C.
Acha-se venda este ptimo rap, nnico qae
lodc supprir bita do princesa de Lisboa, por ser
de mui agradavei perfume, viajado, e a preco o
mais mdico possivel; e por isso tem sido assas
ucolhido na? pravas da Bahia, do Rio de'Janeiro e
/rcio no-
mero 17. r '
Rhenmatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaparrilha
do Pai, pilulas e xarope de veame, tin-
tura e xarope de sirupira.
Doem;as do flgado e bar o, ane-
mia, opilir, ele.
Emplasto, oleo, pornmadn. tintara, pi-
lulas, xarope e vinho da milagrosa Juru-
beba.
Sezftes ou rebres intermitentes
As pilulas anti-peridicas de Pinto.
nico deposito'destes medicamentos na
pharmacia de seu autor roa larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quartel do corpo de,
polica. -J
GALLO VI6ILAm,E
Rua do Crespo-n. 9
Os propnetarios deste bem conhecido estabele-
cimento, alera dos muitos objeetos que tinbam ex-
postos a apreeiacio do respeitavel publico, man-
daran! vir e acaiMim de reeeber pelo ultiaio vapor
d* Europa um completo e vanado sortimento de
finas e mui* delicadas especialidades, as quaes es-
tao resolvidw a vender, como de sea costume,
Kpor preco muito baratinlws e eomraode para to-
aos, com tanto que o Gallo...
Muito superiores luvas de pellica, pretas, brau-
cas e de mui lindas ere.i.
Hu boas e bonitas golHnhas e punhos para se-
nhora, neste genero o qae ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para, coques.
Lindo e riquissimos enjertes para cabecas dar
Ex mas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidii-
Ihos sam elles; esta fazenda o qua pode hawr
de melher e mais bonito.
Superiores e bonitos loques de-madreneroia,
marfim, sndalo e osso, sendo aqelles braneos
com lindos desenhos^e estes pretos.
Moito superiores meias fio de Esoossia para se-
nhoras, as quaes semp se vendenam por 303000
a duzia, eatretanto (|ue bs as veademos por 20*,
alera destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas ds superior eanna da India e
casto de marfim, com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o-que de mothor se
pode desojar ; alin destas temos tambem grande
3uantidade de oatras qualidades, como sejam, ma-
eira, balcia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos da cadeia e
de outras quatidades.
Lindas e superiores lrgas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de i a 12 annos de idade.
a vainas cabe de marlim e tartaruga para fazer
barba; sao muito bo.is,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa ve: tam-
bera asseguramas sua qualklade e delicadeza.
Lindas e bellas caprrlas'para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim' *
como os tcntos para o mesmo fim.
Grande e variado sortimento das methores per-
fumarias e dos melhores e mais conbecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Electrices magnticos contra as convulsoes, e
fa^ilitam a denticao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, aflm de que nunca faltem no mercado,
romo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
es que defl1 preeisarcm, vir ao deposito do gallo J
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deiros callares, e os quaes attendendo'-se ao fim
par qesao applieados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rugamos, pois, avista dosebjeetos qoe deixamos
declarados, aos nossos fregueics e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, rna do Crespo n. 7
CEMENTO
PORTLAMD.
Vende-se no armazem amareuo de Vicente Fer-
rara da Costa & Filbo, defronte do arco da Con-
i-eicao, em harneas grandes.

Sementes de hortalioes chegadas pelo ultimo
vanor : na rua do Livramento n. 38, armazem de
raolhados. Reititue^ed importe ao eomrrador, uo
caso de nao nascerem,
CIMENTO,
Vende-se verdadeiro cimento; na rna da
\Ia 1re e Dos n. 22, armazem de JoJf
\1artins de Barros.
Sellins tralos,
N. 27. l*A DO LIVRA5ENT0 N. 27.
Neste estabekc/mento vende-se sellins e
sifes, de todas as qualidades do melbor
que se pode fabricar no paiz, assim como o
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-sc tambem, colxoes, traviceiros, caixi-
nbas com almoadas, proprias para meninas
levar para aula. O propretario deate esta-
belecimento garante a pontuaiidade, esme-
ro e zelo de seu trabalho; portante pede ao
respeitavel publico sba proteceo, qae afitn-
a vender todo pelo mais barato possivel,
e por menos do qoe em outra qualquer
parte.
D cordeiro providente
Rna do inclinado n. I.
floro e variado sortimento de perfumara
finas, e outros ottjeetos.
Alm do completo sortimento de perfe-
marias, de qne effectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previente, ella acaba de
reeeber um ontro sortiiaento que se torna
QOtavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
cos; assim, pois, 9 CordeircPrevidente pede
e espera continuar a merecer a apreeiacJo
do respeitavel pofelico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nSo se afas-
tando elle de sua em conbetklamaneidao
i barateza. Em difa loja encontrarse o
jpreciadorea- do bom:
A'guadivine deE. Cotidray.
Dita verdaeira de .Tlurray 6V Laminan,
dita de Cologne ingteu, americana, fran-
ceaa, todas doa-melhore e mais acreditados
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpss, e vilete para teftet.
Elixir odontaigico para conservacSo de
asseio da bocea.
Cosmetiques dt superior qualidad e chei-
ros ag^adaveis.
Copos e latas, maiores a menores, con
pomada fina par cabello.
Frascos com dita japonesa, transparente
8 outras qualidades.
Finos extractos inglezes,. americanos
rancezej em frasco simples- eeofeitados.
Essenora imperiaf do fino eagradavel onei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de ebeiros igual-
mente fins- e agradareis;
Oleo pdlocome verdadeiro*.
Extracte d'oleo d superior qnalidade*
com escolkidos ebeiros, em fraseos de difie-
ren tes tannos.
Sabonetos em barras, maieres-e menore
para m5os.
Ditos transparente^ redondo e em figu-
ras de meamos.
Ditos maito a6$ era caisirAf para barba.
Caixinhae-com bonitos saboeoe imitando
fractas.
Ditas de madeira' Jr.vernisa u-mtende fi-
as perfbmerias, moito proprio- para pre-
sentes.
Ditas de papelo igalment* bonitas, tam*
bom de parfomarias- finas.
Bonitos vesos de metal coforidos, e de
moldes nevos e elegantes, com .pede arroe
a boneca.
Opiata ingleza e fnnceza paca dentes.
, Pos de eampbora e outras difiereotea
finalidades tambem para dentesv
Tnico oriental ds Keinp.
Altada Mab co^peea.
Um ootro sortimento de toques de ne-
vos e bonitos moldas com filis de virilhoa
a alguns d'elles ocnados de flores e- fitas,
esto todos expostos apreciaco de qaem
os pretenda comprar.
GOLUNHAS BPUNHOS BORDADOS.
Obra de muitogosto e perfeicao.
Fi'sellas o fitas prra calos.
Bello-e variad sortimento de taes objec
tos, ficando a bea escolha>aogost do com.
pndor.
Gahriolet Boca t.
O melhor nesU genero, e perteito astado, ven-
de-se um ; par rer na cockeira de "Hiomaz'Lins,
rua de Santo Amaro, e tratar na una do Crespo
n. W, loja, das 8 as ti horas ita manlwa e das 3
as 6.huras da tarde.
Cal de Lisboa
chegada no ultimo navio, tem para vender Joa-
quim Jos Sodcalws Battcao, uo seu escriptorio
rua do Onimercio n. 17.
Vinho de Bucellas
qual dade superior, em qnartos de pipa,
vende-se em case de Won Sohsten 4 C,
rua da Cruz n. .
Fio de algodo.
Vendo-se fio 4c 'algodo da Bahia em saceos de
SO e 100 libras : ao escriptorio de Antonio Luiz
de Oliveira Asevero A C, rua da Cruz n. 57, l
andar. ,
CADET
CURA
em TRES DAS
iaz T.AZ az
Chegon ao antigo deposito de Honry Korater *
Je ..primeira qualidade; o qual te vende em partida
a Retalho por menos prego do que em outrqnal-
auer pane.
COGNAC
De superior qualidadQf'da mui accredita-
da fabrica de Bisquit DnBouch & C, em
cognac urna das que maia agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. rua do
comme.rcio n. 32.
Denain
A>. R t S
ATTENCAO
Na roa da Praia n. 3t, armazem de Antonio
Fernandas Ramos de Oliveira, vende se em por-
co e a retalho farinba de mandioca da terfa de
mntto boa dualidad'1 por precos cnmmnlos.
.RaaTMenne, IT
CHBLEMEDECIN
aaBKwnauuDADas dcsmlxuaks. as amef
B1AS. E ALTKBACOK8 DO SANOS.
MtOMtcurMdaitaipMiMM!
DEPURATIF
SAIMG
Passarjnhos doinpta! pnilenrln.
Chegou nova renw i' >otifl p;
de metal uraleadu para segurar a costura.
PLUS e
COPAHU
l/erf oj,
fUi mb Barihc
rstlTAN Tpcetaea AWH#
tomao-M dous por sent, senido o lriruaH|
D'--n-atti>0 : i WrmieuiMMU aoUoiaii,
Bu* Uroaa Citraewm
farro i CHABLI. ara
ian*4iaUBMW4aifiM)
puryape, rilxfmtj
$ debilidad: ifciH
Btnu o fltucoi t fiorti brame* i ualkwm.-*
la njaccao bnigaa apraft-M eo XarH *>
Citraco de Ptm.
(rrM*t. Pomda \ m ai cara laa,
POMADA ANT1HERPETICA
Costra: im affeceem tutmea eomuM
S^TSb OPP'JR*Ti\fAff
.. 3 <.:;!, mIi fra*tn> mi ttiM a
* fvihp. ^
>' I

1
"

-*. -.., tl m mamfiHM
Hb^4b>

! '
<*

rU*

Diario de Peroambuco (Jaiuta eira 23 de Dezembro de 1869.
7
=r
FAKEMD4
A DINHEIRO NA LOJA E ARNIAZEM
DO
DE
FEI/IV fiEKBIRl DA SILVA.
f^iltllSmimt1**

hi
-/



:rr *
b$ JtltA^
O proprietario d'este grande estabelacimento, vendo qua se est aproximando o Qn-
flo anao, e teudo era ser um graade deposito deposito do fazendas; nao fallando cm
avultadas encomraendas que Ibes esto obrigado todos os das, lera resolvido liquida-
las por preco multo mais baratos do que em ontr* qualqur parte ; s cora o m
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontrase oeste estabelecimeuvo do
PAVO, tratado sortimento de iazuidas de luso e modas; assim como de primeira
neeessidade. As pessoas que negociam em peqaena escala u'esta loja poderle surtir-
te vendendo-se-lhcs pelos precos que comprara, n*s casas inglezas; assim cosi as ex-
oollentissimas familias poderlo mandar buscar as amostras de todas as fazendas. ou man-
4ar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja m suas casas; o estabelecimento se
cha constantemente aberto das 6 horas da manh5a s 9 da noite.
FYntondsdn sAi^r-imputo dft Uazinhas modernas na losa do pavXoJ
riApiiUliUU bOrllUUJUW U Ctaegomiara este estanelecimcito um grande
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO JfaWJA DA
IMPERATRIZ rT60
Acha-se este graade esUbelecaneato com- rr(M4wis
Bletamente sortide das melhwes roupas,
^endo calcas pautis e-coletos de casemira,
de panno, de brn, de alpaca, e desdas maK boratoscrochs proprios para cadei-
ras mats fazendas que os compradores pos- ras-sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
ara deseiar, assim come a mesma loja oomo propnos para cobr.r presentes, c ven-
tera om bello sortimento de pannos asemi- de-se mttsDarato do que cm otftraqual-
ras, hrins, etc. etc. par *e mandar fazer qtralquer peca de obra, cora a maiorpromp- GLAGE' A 1:200 "MR A VESTIDOS
tido vontade do fregeez, e to sendo q Pavao tem esta nova tueada lisa pro-^
obligados a acceita-las, quando nao stejam pra para vestidos, -,om as mais delicadas
completamente ao seu contento, assim como C5res e ccm n,as Uire ,]0 q03 a propria
n'este vasto estabelecimento encontrar o serja 4 pa|m0s de largura que facilita
respeitaver publico um bello sortimento de fazer-se-qualqur vestido cora 10 covados
omisas francezas e inglezas, ceroulas de e vndese pelo baratissimo praco de 1:300
sorliment das moltures e mais modernas laazi-
ntaas pava vestidos, sendo tapadas e transparentes
Ue todos-os precos o qua!idade-s que se vendam
mais barato do que o.n otra qclqucr paite.
para cadeiras e afs
O Pavao tem um grande sortimerito dos
inho e algoo e tros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
lendo-se-lbe vender mais barato do que em
outraqualq&er parte. Na ra-da lmpera-
triz n. O, loja e tiwazem de'-Flix Pcrei-
ra da SHva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-so urna grande porcao de cera de
carnauba era saceos, por preco mais barato
do que em oulra qualqur: na loja do
Pavo rea da Iraperatriz gn. 50. De Flix
Pereira da Silva.
FAZENDAS PARA UTO
Na toja do l'svj.i.
Encontr o respeitavel publico noste estalwleci-
uento um grande sortimento de fazendas gretas,
como sejara, cassas francezas e inglezas, chitas
:.retas de todas as qualidades, fsaenda de la de
sodas que tem viudo, proprias para luto, como
sejam, ftanhas, alpacas lavradas e lisas, csntao,
ombazinas, merin,etc, que tado se vende por
preco barao.
AS CASSAS DO PAVAO
Cavado a 300 re.
Vendem-se Onissiinaa cassas francezas covu lio-
:"?.s d.>nhas e corea fixas a 300 rs. o covado.
Madapoiao fraucez a 7 $000 rs-
Vemlo-se pecas de madapoiao francez
'?0m -'1 metl'OS p^ln b.iratniino prafo do
7)5000 a jK!ca, pecbinclia.
Altas-nowdades m sedas
Chegou um grande sortitawito das mais
modernas poupelinas ou gorgares de -seda
elinlio cea os mais elegantes padrees .que
tem viodo a este mercado sendo, miudes e
grandes, taato em cortes para vestidos cerno
para en4er em covado, assim como um
bonito ortiflaento das mus bonitas sedas
listratl*? que se vende todo muito em coala
Grosd^naples de cores
Cbegou um graude sortimento dos mais
itoatos grosdenaples de todas s cores paa
vestidos que se vendem muito mais barato
do que eui cuta qualqur parte.
GRANDE f ECUIKCtlA A 3:OlM) KS. PECA DE
Breuuu
Vende-se pecas de -uperior bretanlia de
4dgod>i teado qua-o palmos de largura
ora -20 -.aras ou 2 roetrHS cada peca, esta
ftzecda seria para custar 83000, a nao f er
ama grande compra que se fez, e liqida-se
a 55600. cada peca.
m n lili HI
1AS1NHAS LUSTROSAS A iOORS. 0 CO-
VABO.
S o Pavo
Vende-se um grande sort'ineno das
mais moderis e legautes lasinbas para
vestidos, com as ores mais novas que tem
vinto a este raercao, sendo com tistnnlia%
miudinhas que parecen de urna & cor e
com tanto luatro que taitam perfoiiamente
s poupelinas 4e seda, e endem-se pelo
barato preeo de WO rs.
Bre'.iokaf, 4e rolo a 9^&# a
peca
Venda se &opmm bretaoha de rolo ten-
do iO varas 00 H metros com i palmos
de largura peio barato preco de 24300,
pecbiocbt. _
Os setas do Pavo
Vndemeos mais bonitos setins de cores
e mais eneoifados proprios para vestidos
leralo de dwmas cores.
AOS PAUTTS DO PAVO A 185 e
20.J000.
Vende-e oa bonito sortimento de palito-
te france*fi seoo, sobrecwacados e pro-
prament fcjtttxasacos, qne se vendem
Errados de alpaca a 184000 e forrados de
eeda a 90$m, peclBcba.
COCAS DE FU^AO
Na loia do *#b> vndese am grande sortimen-
to te eScha* de foito sendo brancas e de cftres
Sta7(tewoeb para amas te noifa, assim m>
^omiob datws te lia para entebaa.
Na loui ae Pavo vtsndem-se os mata
bonitos ohalee de verdadeira cacbemira d.-
cor com os desenbos aaw modernos, a 10 e I1000, a muito b'arato na ra da Im-
Quaado a AGUIA BRBNCA, mais precisa scientificar ao respeitavel pubbcoem
geral, e era particular a sua boa fregueria, da iramensidade de objectos queuMimamen*
te tem reeebido, iustamentetquando ella menos o pode fazer e porque essa faHa e rovo-
liinUrt ella confia e espera na benevolencia de todos que lh'a attenderio e retevarao,
continuando portento a dirigirem-se a bem connecia kja da AGUIA BRANCA ra do
Queimado n. 8, onde sempre acbarSo abundancia cm sortimento de supenoridade em
qualidades, modicidade em precos e o seu nunca desmenltido AGRADO E S1NGERIDADE.
Do que cima fica dito se conheceque o tempo de que a AGUIA BRANC ^ pode
dispr, empregado apezar de seus custosno desempenho de bem servir a aquellos que a
honram procurando prover-seem dita loja do que necessitm, entretanto sem enneme-
rar os objectos que por sua natareza alo mais conhecidos ali, ellit resumidamente radi-
car aquSles coja importancia
brm seja
elegancia e nondade os tornam tecommendaveis, como
Corpnibos de -cambraia, primorosamente
enfeilados com -fitas de setira e obras essas
cuja iKwidadfttiemolde eperTeicabeador-
os os tornam apreciados.
Fitas mni largas de d'rversas cores e qua-
lidades para cintos.
Loques uesse objecto muito se poderaa
dizer querendo descreve-los minuciosamente |
por suas qualidades, coree e deserihos, ta'
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortiaen'io de flores ftnas.
Fil de -seda, pretu.
iPERFMARIA
Grande e constauto sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
i Lindos vases com p de arroz e pinsel,
CainehasMxim ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
o "rande e variado sortimento que acaba para circular o coque
de ebegar, mas para n5o massar o preten-, Bonitos brincos de plaquee.
se lbe apresontar o que poder de |
oeratriz n. AO-
^ BAWWNAS A li000
Na loja do Pavao vendle as maia m<"-
drnas baaoamt 00 mentmetes de guipure.
pelo barato preco de IftflOO cada urna.
Tortea de orgatidys com barras
pira a toja do PavSo rbfaram, os mau
lM.n.t. orteae organdvs rom barra, rouri
cad^ uui *m teo carta-., com o cimpeteute
firuriim, uiuito proprios para fzer pre-
sentes'
rs. o ovado, pechincba.
Organdjs a M rs.
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores eom padies miudos e graudos. ten-
do todos de cores fixas, pebs baratos pre-
cos de 300 rs. o covalo.
ALGODO ENTESTADO
Vende-se urna grande porcao de algodSo-
sinho americano com 8 palmos de le'gura
proprio para tences e toalhas tende liso e
trrncado que se vndfl por preco muito em
conta.
vanos de llaho
Chegou um grande sortimento de pecas
de panno de liubo do Porto que se vendem
de 700 rs. al 13000 a vara, garar,tindo-se
que em fazenda de l:rho nao ha iwda me-
lhor, nem mais proprio para lences e toa-
lhas.
PECHICKA EM (.KAPEOS DE SOL
Chegou mn grande sortimento dos me-
ti.:res chapeos de sol de se-'.a, inglezes ten-
de ncsle art go o melhor que tem vindo ao
mri-irln acia eooto aran gritado por^So He
iii s de alpaca de todas s eoow e todos
se vendem por prnco muito mais barato do
que era 00 Ir a qoaJqaer parte, por bavec
grende percio.
teneos braueos
Vende-se um grande sortimento de len-
cos hrancos para horaem, ?endo a duzia a
L*00, ^UOO e 3^000, ditos abanhados
muito linos a >5 e G5000 a duria, ditos de
essGsUio faieiida muito superior a'', C5 e
7^0MO,
Peehicha ea easeaairas a 4:<0
Vende-se fiLissimascasemirasde cor com
listras ao lado, tendo du^s larguras e com
as cresmais novas e mais bo-iitas que tem
viudo ao mercado, pelo barntissimo prego
de 4)5000 o covado ou 7'?OG0, cada corte
de calca. w
Os biocs Cheg u um graade EorLiento dejbalftes
mu crenolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos entesgados que se
vende pelo baratissirao preco de 2fiQQ ca-
da um grande pechincba.
AS CA IBRAIAS DO PAVO A 4:500 RS.
Vende-se urna grande por$3o de pegas
de finissimas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com mais de vara de
largura pelo baratissimo prego de 45300, a
peca seado fazenda que cunea se vendeu
por meaos de 8000, grande pechincha.
AS POUPELWS DO PAVO A 500 BS.
Chegara as mais lindas poupelinas de
15 com iraitaco das poupelinas de seda,
um fazenda muito leve com as mais lio-
dascores, sendo: verde Bismark, roxa, azul
iyrio, c nsenlo, peroila etc, etc. o vende-se
pelo baratissimo pre;o de 500 rs.
Fustes brancos para vestidos
Chegoo um lindo sortimento dos mais ba
ratos e bonitos fustftes hrancos com listras,
e eordoes, sendo fazenda b-stante larga e
flesivel,' muito propria para vestidos e ron-
i.as de mpninos o vendem-se a 640 o co-
vado.
BONITAS LA4SINHAS
OU ANAWNAS A f 000 BS. O COVADO.
Cbegou para o Pavo, um grande e va-
riado sortimento desta nova fasenda de la
e seda propria para vestidos, cora os mais
delicados desenhos emais modernas cores,
tendo bastante largura que facilita fazer-se
nra vestido com poneos covados, peto bara-
tissimo preco de 1*ki0 o covado, por ja es-
tarem muito probos da fe.-te.
BETONES MATISAKXS PARA VESTIDOS
A 640 K OO RS.
Para a loja d< Hava chearam os mm
honitos eretones Kwuros mati>ad pro-
nos para ventid s, ntupaV chambres etc
qiiH >e vendem 800 rs. o ovado. a cuino a mesma fazend a inrO^n clan
D-i.prios para vestidos e mupaVde meni-
iiat h 64" o covad >ea uwd'-iuis que tem vinito ao mercado.
Chilas francezas
Pira a loja Jo Pava. chegaram as nwh<
i-ias b b>niiis 1 Inu* escuras, propriamotite
franceww. e ve-i-b-s a 5\K) ra. o covado.
dente
melhor.
Entremeios cm pecas de tiras.
Guipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenbos. ._
Ditos de algodSo com llores e lisos.
Ves de seda 'iwra chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertasde fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Bnxovaes completos para baptisados.
Aderemos e brincos de raadreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Tbesouras para frisar babadinhos.
Aspas para balo.
Novos stereoscop)s com 48 vistas, as
quaes slo movidas por um macbiBismo
uiaas sul)stituem as outras.
Vistes para stereoscopos.
Bonitas caixtftbas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com d Bollas de borracha para brinquedo de
rapos da ra do Imperador b
uo Bltuito de senir atisfatoriiraeatc aos
seus innumeraveis amigos e fregucy.es, cm
pajticular e em geral ao respcitavel publico,
desta cjdad ; avisa aos que estrfeiem pas
sando o tempo calposo, nos deleitaveis
arrabaldes desta 'pila!, que tem resolvido
vender, de ds superior qualidade, a precos
razoaveis, os segulntes gneros a saber :
jijj PAPA CIMA DE APARADORAS
Xatas com doce eip eulda de diversas
qualidades nacionaes o estrangeiros.
Ditas com pexe a saber,; salmn, ostras
elagostes.
Ditas com ervilhas francezas e portugue-
zas.
Ditas com gela u:anceza;
.Cerveja frajieeza verdadeira Bobee.
Presunto para fiambre PABA .SPENSAS
Lates -com chourigai .aovas sendo de 8>,
cada urna. M
Pregantes de Lamego para tompeiro.
Guias do Para (piuladas pelos indgenas
daquella provincia.
Copos de vidro cora .lobradiga e tatnpa
para diversos misteies.
PARA OS QUARTOS DE DORMIDA
Porta-phosphoros cheio's de phosphoros
de segnranga.
PARA SALA
Charutos de Flix do afamado fabri-
cante Costa.
Fumo picado do Daniel de S. Joo do
Rio de Nevo.
Alera desses gneros, o Campos tem con-
viego de que o seu estabelecimento um
dos que podera s&tisfazer com garantas as
exigencias bem entendidas, dos Ilustrados
habitantes desta heroica provincia, porquan-
to se acba elle bem prvido de gneros su-
periores, de manen a a nao desmentir
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados naneas
e meis para ditos Diversos objectos de porcelana, proprios
tamisinhas bordadas pura ditos. pa erifeites de mesa e de lapinhas.
SORTIMENTO P4RA i FESTA'
Yende-se por menos de 10,20 e 30 io .
SO' NO
CONSERVATIVO
. 23Largo doTerpo.N. 23.
DE
SIMAO DOS SANTOS ft C.
Os proprietarios-deste bem sortido anuazem de secco e moldados estao re-
vidos a fazere urna ranfla diminuicao de procos as suas mercadorias, como se apro-
xima a festa e sempre se fazein avultadae compras para o centro e praca, por
o previnem ^o respeitaval publico em geral, que mande fazer suas despencas e cer-
tos de que verSo a graade daTerenca em presos mais do que em outra qualqur parte
e ffarantindo-se as supertore^ qualidades.
" *" AMERICANO J$00 a lata, e 4 40
Na loja e armnzem. do PavSo rvi da Imyeratriz n. 60.
GAZ
re. a garrafa
e 660 rs. o litro.
SEVADBHA E SAG 280 rs. a, libra e
620 rs. o kilogrammo.
VNH0""vERD"\DEfRO FlGCElRA oO FARINHA DE ARARUTA VERDADEIRA
rarrafa e 4I80 a cacada e 800 rs o ti 640 a libra e 14400 a kilogrammo.
BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
a garrafa, e 4^590
tro. t
DEM DE LISBOA das mRiores marcas,
4(W), 440 e 500 rs. a garrafa, a 26800 e
35200 a caada, 6C0e WO-!*- o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 4#0G0.
a caada e 360 a garrafa, e 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a.garraa, 15400.
!8O0 c 23200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, o a T^a-canada, e 16340 o litro.
MANTE1GA INGLEZA FLORl^iOOe
15280 a libra, 30GO e 25780 o kilo-
grammo.
DIT\ FRANCEZ A 960, 900 e 830 rs.
a libra, o 25100, 1590 e 15860 o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a li
bra, 15220 o kilogrammo, era porc3o se
far abatimento.
BANA DE PORCO DE BALTIMOOR
720 rs. a libra, c 16360 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
400 rs. a libra % 8<>0rs. o kilogrsmmo.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANZA, 260, 400 e 560 rs. o masso,
36200 e 65300 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAb
DE MUITOS TAMANHOS 15280 25500
35B00,45300, 5:S300 a lata e a retalho e 15
a libra.
GOMMA DE MILWO AMERICANA 400 rs
c masso. e em caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARC\ II 55500
a nzia e 500 rs. a garrafa.
*IDEM BASS, VERDADEIRA IHLERS &
BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a dnzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 15500, 15200, 15 e
porco se far abatimento
ARROZ DO MARANHOE DA INDIA i
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
35400 a ara-Iba.
ALPISTA 4 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, etf5000a arroba.
CAF EM ORAO 65 e 6550 a arroba,
200. 240 e 260 .rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se far abalmento.
SABAO MASSA i 240 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a librare
15220 o kilogrammo.
HfLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS jQUALDADES, bem como perola bri-
Ihante.comynation, Franef-cracynel, nvxed
Britaoia. Mesura, Fancy-nje-nac, a. b, c, e
soda a 16000 e 15400, cada urna lata.
Assim como ha antros muitos
GENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 75 e 65 a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE L\RANJA DOCE AROMTICA,
115 a frasqueira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35000, 25800 e 25400 em caixa ba abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 ra. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 115500 a arroba.
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 16000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TOal5O00rs. a lata.
CHA FINO. GRAUDO E MIUDINHO
35200 e 25800 a libra, e 65100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 25000.
26200 e 15800, rs. a libra,
gneros, vinho era ancoretas, azeitouas,
muito novas, nassas e figos novns, charutos de diversas marcas,, marraelada. finta pelos
melhores conserveiros ero Lisboa, gela de marmello, pcego, ^ilhas, em latas, pir-
tugu-'zas e fraorezas, vinho verd* engarrafado retalho, peixe em latas, bt^m como
pescada, tainlia, pargo, goraz, lula, corvina, vezugo, cavafla. sarda e sardinhas de Nan-
tes. Janella, cravo, ervadoce. commho, pimenta, gran> Finalmente minto< outroa gneros que dvifandonho A m^nriona-los.
PARAAFEftTA FjiriiihL da ierra.
3 portas, 1 jh de frr httrn J^tttttittZSft
53-Raa Direita-53
- 1
Nest (TaBUf e\a.Mt*\tn>ntQ, Iw para vondnr
um enniplctii siirtimfloto de ferrag>'tn, f tiiAfinn
tina e griwsai, mim wjain bandeja- ch i arias!
arios iit) I 2 itx>-
(nadrada* n iivaes. Tara- Hartos 1 l) idd- rt,__
iW balando inirtro i/i bafcuipi; panHIas, i-ha- fJOS ttllilUaZ^, rilil'QH \)T\\2
ibfirai, acar-llas*. frigMwra-, a-adHira9, taM-i
,Wti-rr coiiio d p-ir^.'-lana, inoi*o para raW da ]|. [[),
\ tirro como (Wi pnriV'lana, imiinbo* para raW de ,
r| vnrsos lawfehlti- -t fibrirante Japy. hiis kile-
yranmo, tanto c. frrro rotm de lia, ineir9
\mta amhr faawla mV> d* wr rm de laiao,
' alre. breo, barbante, enxofre. papl marra via-
lo, ifo.v.r.i.d.'in.'P.rardo, marhliia^ pera'tosca-
p.r,n* alpina"; al^m do "ntros artijr.K cl 'cira-
gem, intedc'a cjtllaria- tina*, qm- s o tu ?,VIS"
u vrrifici: na ra dimla n. -"3 loja (M 3 po'-
la de Mauue Reotu da Oliwlra Braga* C.;
Ha preznnto? ruaos do lywriw onalida lo. lun
cm fiambre, rnivlif- ;
duros de hurtas -erm* e em calda, vinn k fin -s,
e toda qiulijuer eniMBuneu.da confumcnte AQtl
wv >._________
VffMMn-f d-.us.Mfir> i* ferr > ean g'MJ
uso. de animadle* fabricantes cu Piris : na ra
do OiuuBrci p, 9,1 audar.
O Campos.
BRACO
Ra do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento enconlra-se
diariamente um variado sortimento de bo
linhos para cha, pastis, ;iudin>, bollos in-
glezes, pes de l. presuntos, ditos un fiam-
bre, superior cha Hvsson, preto, e ,miudi-
nbo. Violtos finos de todas as qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, fructas muito boas, por-
tuguezas e francezas.
Um completo e variauo sortimento de
caixinhas de todas os gos'.os e prefog para
mimosear senhoras, estas caisiniias recen-
lemente chegadas de Paris sao de prmora-
do go.-Uo, offeresse-mo-Ias aosgalanteadoies
do bello sexo pois nellas acharao nm djgun
e serio presente para as donas s ''seus
pensamentos. Tambera os apreciadores da
boa fumaca encontraro charutos dos me-
lhores fabricantes da fiahia e de llavana
sigarros do Kio de Janeiro ote. etc..
KO BAZB M MODA
DE
Mi 1 tt'ft WAK
Ra Nova
VDfDr-?B MUITO BARATO PARA LIQUI-
DAR A DlNWEao.
E.MV118.
De peiiea branca muito fi das
[ior este ulf'iiio vapor pan liomens, sentio-
ras ex de cores e prelas para meninoso
par 25600.
Minhas festas
Lindos objetas para mintos, romo sepm:
Kstojost caitoM* msica, botciulias e
sestinhas, vasos e'-balainhos ch porcelana
dourada, f'guras, tintfciros, port-bouquet,
caiwnhas para j< jas, int6rt.anes .ronchiitias
com frascas para excem'ias, ricos qoedros
para retratos, apparellios de plagu, cama-
ro e madreperola, lindos vasOSvCota perfu-
maras etc. etc, e muitos outrosxpbjectos
para este fim.
Ch.ipo* de sol ou soFiJi'2nK5M
rc setim ricamente enfeitados c mais mo-
dernos qqe pode haver para scihoras a
145, m e 185000.
CtIPREO: CHOCHE
prelo ou branco que o pode haver de mais
bonito empadies e superior c-m qualidades
para casacos, capinhas, Mrp'umos, meias
saias etc. e vende-se muito barato.
LINDAS CAMELIAS
brancas e cor de rosa de dous tamanhos
cada rosa a L>200 e 1-VJOO.
Cliapeos para seotics-as,
de palha fina de Italia elegantemente endi-
tados e gestos muito modernos do I3$080,
vende-so para liquidar a 105000. E' pe-
chincha. '' __ ______
ATTENCAO "
Vende-so urna casa do podra o cal m villa la
Esiila, cm.. grandes coiauoJu pa familia, .-i-
lio ari>,.:-.:] '. rruteiras e Bn*tanto3 pa le d r .
tendo ;iW:n dito dWfe'Ms stiBleiontej para do:n
ostabeleeifi^ntos : asohradad*, med -cuta e
dous palmos -4e frente o tola, de faado. : aa> '.
preteadtr eoaiMa^la Jirija-e a ra do Qoeiin i
n. 12, loja fle Suva Itoi ha i Mu-I..: i, ue est s
Indica rao n ; w>Oa qo> ^ner vmd-ta.________
"Papel."
Ni ra do imperador n. iS&froBte ^^ <-
Francisco, icia->e a vumli papel ara impresso
grao Jesu, duplo dito, e Jo for/nab) do diario, tan-
to em fardes, como em resma?, e mesura em mi s,
papel para litros ifl oontMarcie graude, Jes,
raisio, carri". cc, Romo, liso e p.^ajo, de liiil'.o
liso, e paulado, de cores gaario, o ien | .10, o urna
grande porcao de um pape] e*pjcal pola sua lin-
da cor. o grande forninto, pipM amlsade enve! i ,
i! oulras niBifas quaiidadi-s, tudo i pflos rasaa-
VC.
Vt-oCe-scuma aseravi *<, perfeita en^im-
madnira e cociobeira : a iniar na ruA Sova, lija
n. 57.
ESCSVSS FUQ0SS.
Fugio no dia 7 do corronte mol i!e novem-
bro, a esarara J^atiuina, criouia, do idade iOan-
n. ebt preta, baixa e ob ia do corpo, Leni
orclha rasgada no logar do brtoeo, ooia pequir-
na cicatriz Ka testa a am lado, doos denlos o
frente aberto? (ue pareen falla de um, mas nao :
esta Bserava sooocupava emcarrerragua no pa-
leo do Tercc, ou lavando roopa polos coqueiro?
junto a ra Imperial, e por sIm I ; : qm
ella ce.-;;. andar. lU'jza-se aos Si eanjlSesdi.
Fama a mltiI3o do>ta ewrava e a I
, .. Itlfirpt'ii BjHnirii.it" w^_- i >........ --
Doces dovos seceos, ;.i.'.istalisauos q ue jTua.rfo*jfiTtT!-*fm. :'.v ionvira andar cu > praca
calda, ditos de caj ede outras qualidades! lo Qw\ o Santo u. 17 primelro andar, que aarax
Nesta casa receiiem-se enOmmendas para j bem rocotnpeasadjw.
bailes, casamentse bripiL-.los e qualqur i T).i0-^000 do i'l'^itii1 -
encQiDmends avuisis, oumo seja pao d- i i
e bollos enfeitados e otros rauitas uouus j (JilO
r 50 do prximo pausado mez a :-
l crava de r'- ;; it.dez', idade t5 annos i
i u mei i, < r i ai la, c; bi II .i!i-..-,
que cnfadoiilio nvnciwiar.
~~r,
Wffl
A tendi
Joaquira Rodrigues lavaras do Mcll
tem para vender ao seu tecrptorio, pra-JSJ
ca do Corpo Sanio n. 17 primeiro andar,
potassa da Rassia ultiraamantechegada..1
cal de Lisboa e vinho Bordeaux de supe-
rior qualidade.
pomas gros !, dedos (!',s pos c
Nr.aos eompri'ios, lo ; i^Oena, beicos grosso*,
bocea regular, anda m tu ligara b i nllsntc,
Imum vo C i (' labjriullw o saiatan beo,
ambos, fcranc p, temnm sigua! de mn atitaaz i
nuca, dotado direito ou,p*ioerao : raaa-s'o, r-
tanto, as s | lilaos de cam-
pa i apprena da mesma, o lova-la ao Ri i
dio, casa t :,-aix.i asignada
ni i Mi im llee Coi leiro i ia
Vuf\- nu dia s do crreme mez de <. .i-
bra de 18C?, do cngenbo liqui, freguuia da i?v-
eada, o escravo Paulo, cabra, de Idado kO i dos,*
Resu venda um eseolhido sortimento de ob a!'"ra e f'.,.r'' r,'Plll:"vf- barbad", cabellos r ra-
,ectos de marciueria, como sojam, mobiiias de ja- KS ^1 *J?\ T fffS 2? ?
Varanili mnimA A9mnl!o nh mZn,ltrn. m!,rcaS '' W "' mire:, de CblCOl.' ;
| cusas com purencias Ue quptmadnras, vestido ccm
ajea do brlm fird >, camisa de* oudipoiio, rhs-
I peo de palha do carnauba, fui escravo do padre
Luiz, pinradcr nos Afufados, tendno mosrn rs-
j -ravii Ditrtber c limo oesse (ligar : p:iga-se 100^
I o> gratifica ",i a quem o prrndcr e leva-lo So dito
nbo, ru na nu do Cabug n. 11 ao Sr. Fi .*
I cisco Antonio de llrilo.__________
GRATIFICA SE BEM
Fugio no dia :t0 de setembro o e^i--:^
Ji3o, creoulo, conhecido por Joio Bah. do
idade 40 a 45 annos. tem falta de denles,
falla moderado, muito ladino, tem um
grande ulcera era urna perna, pelo que tnl-
vez ande mendigando ; pede-se as aut r-
dades policiaes e capites de campo a ap-
prehens3o do mesmo, e leva-lo no onp;.--
nho S. Jc'o em Gam'-Heiri. ru nesta rida-
de ao Sr. Domingos Jos da Costa Gira-
res.
rand, mogno eamarello, obr^ nacional e estran
zeira, ae apurado gosto e por praco< razoaveis:
oa ra estreita do Rosario n. 3i. Nesta mesma
sa fazem-se com perfei;ao iodos 09 trabalhos d
palhinha, como sejara, empalhairentos de lastro-
>ara camas, cadeiras e sophs.
A ra do Livrameno a. C, contina a ha-
ver para vender por precos rasoaveis, o
melhor vinho verde at hoje vindo a este
mercado
RIJA OA GLORIA \. 5
Olaria do Fundao.
Ha sempre nesta olaria grande sortimento de
maieriaes,.como tiiolos de alvenaria batida, ladri-
Ibo, quadrado de 8, 9 e mais pocgadas, telhas e
telhdes, tijolos de tapamentos. 0 proprietario des-
ta olaria garante a bondade e barro de taes maie-
riaes, comptambem vende-se mais barato do que
em entra qualqur parj.
Sag, sag
muito novo a 100 rs. a libra, o 80 rs. de 10 libras
para a im; na ra Nova n. 60. rmazem da Lipa
Vende-se nm carro de q na tro assentos, paro
dous cavados, com arreios. Os prelendenles po-
dem vd-lo na ra do Hospicio offlrina do Sr. lie-
raido, corneiro, e tratar com Vicente Ferrelra da
Cortil: ra de Riachuelo. ,_________
Vendes* a casa terrea com ?"lacorrida, ba
poueo construida, sita ra da Camba do Carmo
n. 17 : a tratar na rna Isrga do Rosarlo, armaiem
de biuca de porta larga.___________________
Vende-se urna bonita prla peca de 15 an-
nos. de babdidades e cotn urna cria de nm armo
Urohern preta, na rna deHTlas n. 96, na mesma
casa ba ontros escravos para vonder-se.
Vinhos ouros
Henriqne & Az^vedo, em senarmazem a ra d,i
r.adla n. 34. teem'para vender vinbo.- das seguin-
tes qaatidades :
Odiares em ancoretas.
Ilainada dem.
Kucelfes idein.
Brane.i boiu em caixoics de urna duzia, engarra-
fad-.
Rairrad idem idttu dem.
Port dem idem dem.
B.istos dem id-m idwn.
Vendra umc*vll-> ruda*. d mareH ie-
qu^na. proprin para nenin". mnilii.man< >. and^
de baix" a mei : na coohoir* da ra do S>>l nu-
lUPpi Vi,
Piulido l)<>ur.
Flix PeCeira da Sdv* rwben novamenle pf
can.ilp liarris do bn n culi ci.| mi ix -cliente vinb'
pr d i r>inr.), inuip propr p*ra mesa, c viii.ie i na ra do Qu-unalo, loja de fa** ,
mr nr,c v Joo Paulo de
No dia 12 de dez mbio fugio do cugenUo Pi-
timbd da comarca do Cabo o escravo crionlo. do
nome Domingos, rOr preta, de idado de 18 a SO
annos poueo mais ou menos cheio do corro, an-
dar banzeir.i, tem todos os denles, soppoe. si es! i
acoitado en; apipucos, por ter sido daqoelle Ingri.
e foi comprado anno passado ao Sr. barao de
Nazareth : pede-so s autoridades policiaes e ca-
pitaes de campo a captura do mesmo e enirrtta-io
no mesmo ergonho ao Sr. Domingos Martins Pe-
reira Mnntfiro, i'U no Recife ra da Moeda n. 3*
andar, cscriptorio de Manoel Alvcs Ferreira A C,
qup serao gratilicados.
AVISO
Fogio nc dia 13 de dezembro do correte amvo
do cngenbo Sai* Memh** da comarca de N^-
zareih da Ifatta, urna escrava nerteneente a Laa-
rratinn fiorr.es da Cunba Pereira Delirio, de no-
mo Maria cnoola. idade 4S annos poueo iim-
menos, baixa o grossa, cJr preta, cara redonda,
tem em um c outro canto do queix cabello: que
ella plc rasp.ir, cauellas finas, ps secc-s e n-
parraihados, tendn o dedo grosso Jos ps r.
maior que i > outros, c hem ladina, gostanri > .fe
bhpr aguldente o de a-istir a qualq er i vor-
limento uno en>'iitro : r-ga-se as autliorida.i c
capites oe rompo e a qualqur pe endentregue no iwfmn p'igp-
iho ou no l-cif.- aos Srs Olivaira Filn.'< A C.,
l>re* du Corno Santo n. 19, t,} andir, q T
bem ttratifica'l-).___________________
Fugi im d.a 18 do rorrete mei de di tv<->-
bro a escr iva di- ihiiip Miqudina, de 30 a 40 .-.-
nos d^ ladi, rr mei.i, tendo w signai s
falia de 'cutes oa fr nt.-, magra, fanel'a- foaa,
i>tt seciv.t, ti- ;.-t pequea, cuja osi-rava -m-
raila aMti..... lri^pioi d>> Pa.s>, mar:*! i<
G.il doigarabira cijade Ja^arahjtka. i
ro^ se i -ini"ii lades i- capiaesde en |
heo da tin ma i-crava, p entrega la :- *
Ma n. 4". I* andar a *ai Paulo de
i
nierul
_>.:.^ ..--:- pH --.


9
Diario de Peniambuco Quinta feirfr 23 d: Dezembro de 1869.

...,
r '
r- '

. I ...

f
UROiTQBi
ffcsy:
fstemas (fe differentes moe-
das interriiicionaes.
t/ae objeegao se Uie pode apresentar f
frimeiraraente, no poni de vista ingle,
qoe sempre donde rean a opposigao, se
diz qua ella s aproximar rauito do meio
oU..ur.) Je 12 franco e 50 centesimos,
aavendo perico era confundir as duas moe-
as, a que os eaixeiros n3o estaro dispos-
D aac ilar urnas por outras. E>sa objec-
aao nao sria, qae a distiucgSo pode ser
ttruwna per por nanitas maneas.
Pode se-He dar maior espessura e me-
oor dimetro taaabem & pode a ellas ara
orte e um3 estampa^articular; parece dos
qne por esse meio operigo da confuso ser
fesmneiile evitado.
Quando dos tinhamos,, em Franca, as
Moedas de 2fc.e 49 fratcos em concurren-.
c 6 as de 20 e 40 francos, ninguem
seequifocava. tomando-as urnas por outras
su- grado a aprosraiagSo dos pesos ; no-
ta3m-so" differencas toge ao primero lance
de vista. lncootesto**el mente ha de acon-
tecer o mesmo acerca- da nova moeda de 10
franco em referencia ao meio soberano.
Dizem mais qo, sendo ella recebida
orno o equivalente de 8shllngs, para que
Jla se torne decimal, e repouse sobre o
ppnny, qoe ficaria sendo sua centesima
parte, ficaria mnito enflaquecido o valor
iessa ultima meada.
O shilling sendo de ti pence,8 shillings
spresentam-SS. o qu* d 4 por oento de
saars que a divjsao centesimal da moeda de
*l francos. Rescrita que, todos os iute-
resses- que repouso sobre o penny Ocaram
sacrificados, experimentando um prejuizo
eoosiderave, e fazam a enumerago desses
irrterosses entre os quae* citam-se os peda-
mos sobre- pontes e estradas, e as tarifas
os camfnhos do ferro.
Pde-se responder a isso que urna tal ano-
alia se d por considerarera1 o penrj va-
lerido menos como troco, do que quando
convertido em shillugs, por isso que na
prac nao se d a maior atten?5o a seme-
jante cousa, pois nao possivel considerar
o penuv em si mesmo, fazendo-se abstrac-
53o da retocan em que elle se acha para
om o siiilliog.
Intrinsicamcnte, pde-se dizer que, elle
nlo lem neoiium valor como todas as moe-
das miudas, a avaliago que se Ihe atribue
t puramente arbitraria e sem a menor con-
saquead. Ninguem exigir 12 pence em
tez de um shilling, assim como ninguem
recusar recebar um shilling para delle ti-
rar 2 ou 3 pence, dando o troco excedente.
Nao ha portante distincges que se devam
fazer entre as duas moodas, e qnanto aos
pequeos tributos ras pontes e caminbos de
ierro, podem cites raaito fcilmente serem
pagaveis cara sbillings.
finalmente ningnsm tomar o trabalho
de guardar urna grande quantidade dessa
pequea moeda, pela vantagem de4 /o que
poderia ter do emprego della particular-
mente.
A nica diflerenga que se deve conside-
rar a que existe entre o valor intrinsico
dos 8 sbillings, que sao equivalentes aos 10
francos.
ura, e.ssa difforenga de 3/4 % como
da libra esterlina em relacao a moeda de
25 francos.
Ser essa urna dierenga bastante para
perturbar todas as relaces, e modificar
scnsive mente os contratos, impedindo que
s nova moeda nao se coadune com o syste-
aia inglez?
Nos nao o acreditamos.
J se propoz tambem que a nova moeda
fusse ciriada simplesmcnte como moeda le
Irocos, e que nos pagamentos, feilos no in-
terior, so fusseella aceita at a importancia
de libras esterlinas.
E esse ura meio de evitar os embaracos
-esulUates dos dirotos adquiridos, mas
BN&0 difficil de dar-se-Ihe existencia legal
abMihita.
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
POE
Paulo Fval
Terceira parte
A FLORGIT% DE PAHS
III
cscoberia da vacclna
(Continuaco do n. 292)
Sob o aspecto moral, era pasmosa a vir-
tode com- que cbalot ia de lempos tem-
pos ao canal lavar a raeia duzia de terri-
veis trapioalbos que constituiam o enxoval
do Saladim. A agua repugnava-lhe
i ponto tal, que chegava a despresar com-
pletamente o seu talento do pescador li-
nda, com inedo d^ella. X idea de Similor
era simplicissima : q*eria tirar com E;halol
i represa e pesca-lo depois.
A dilferenca eslava em que Eohalot nao
quer.a.
Tu ao subes Mdar I protestou este
ultimo, que estreraoceu n'uma convulso e
arredou o prato. Sao ms brincadeiras.
Ora, faze-te medroso I disse Similor,
i ameagando o.
Ei fa^o sempre qnanto qaeres, mas
i cousas de agaavtoso n9o ; nao entra ei
as m'inbas ideas.
E difes tu qnees?acreatura te chara I
exclamiu Similor, levantando as mos am-
bas para o Saladim, que dorma-pendurado
na escpula. Com!. meu maricas, como.
Vjam ^ para qoe serve a gente effectuar
novas deo iberias I cume 11 cune f!l
J, porcia, E ;halot n liaba fome. lla-
wm-lti:! alravessad) o al moco.
Amadeu, dfo*e com tristeza, offeo-
rfes-m; nos meusmais sagrados sentimen
tos '.
Quat Amadeu, nem meio AaiKfcu I
tu serves de obstculo urna empreza gi |
paotesea.
Inventa q^ialquer ootra cousa, qaa
stou nrom,)to. \A a agua, isso n3o.
Tona o airo -moto de ganbar Viste
eco francos sem trabalhar t
Podemos procurar. .
A procurar antas taba triota e efaco
Maos. Ni es diga-) do faaer parlada
ainha ssociacfo.
ue milita
Eira ov:ontract
liia a urna c
just*.
Todos tabea mnito bem que, qotido
na Hollanda, em 1830, dimiuuto-se o
da moeda, cerca de om e meio
nao concedeu-se l nenhuma com
mas nos preferimos o excmplo
que, por occasiao de convertr a at
bra toroaza em francos, marcou-se
escala de conversao para todos os contrac-
tos que estrvessem em via de execurlo.
A differenca era de um e um qtirto pcir
cento; 100 francos valiam 101 libras lo--
nezas e um quarto.
E' certo que a compensarlo, facMBid
certos contractos, nao o serir em ti*l>8;
pois nao se poderia estabelecel-a por aqtwlles
que fossem inferiores a cinto sfitmhgs,
porquanto n3o representara ella nom
mesmo a metade de um penny. Nesse caso
liaveria urna perda, mas quaes sao, em tima
sociedaqe, os contractos cuja importancia
fe^fes reeorper-t>-1 dado, sobre qualquer baso que so proi-
nlo chega- a ciqpo sbillings ? Alm *e^gt com a tomafacao das moedas; basta
vea de cunhar a
rem mudo pouco nmeros
urna duracio epheiqf^i; na poca da re-
novacjlo podem eHtsflcar em relajo com
A nova moeda.
' ParaW antros nada mais fcil do qu i
estabelecer essa compensagSo. O bance
de Inglaterra se encarregar della quanto
aos ttulos de renda ; as sociadades indus-
triaes ou financeiras quanto valores que
Ibes perteocam, e, para os arrendamentcs
de trras e locacSo de casas, usar-se-ba de
urna tarifa de conversa?. Por essa forma,
anda que se faga da nova moeda interna-
cional urna moeda de troces m;udos, ou
urna moeda legal com os mesmos diritos
que as outras, n5o haver menor difficut-
dade na execucao.
Que outra objeccao ainda se poder fa-
zer? Que ella nao nma unidade s.ffi-
ciente, sendo preciso urna mais forte. Po-
rm, pela decimalidade da moeda de 10
francos pde-se, qaerend), ter 109 francos
como moeda as contas e factaras, bastando
para isso simplesmentc a deslocajaii da
virgula. Nem se torna netessario cunhar
urna tal moeda, urna vez que se tera a di-
visan exacta. O que mais se pude desejar,
e qual a combinacao que ofi'erecasemelhan-
tes vantagens ?
Os inglezes n5o contestam qne o syste-
ma da moeda de 10 francos seja digno
de apreco; esse systenvi foi apresentado
pelos seus proprios delegados na confe-
rencia de 1867 e sastentado pelos homen.i
os mais autorisados n> ultimo inquerto
inglez.
Sement queram que se domonstrasse
nao baver outro que mais se approxime do
systema monetario em uso na Inglaterra, e
que possa ter tao bom xito.
Essa demonstraejo parece-nos que resul-
ta de tudo quanto havemos dito; cedamos
inglezes e a unificacao nao encontrar obst-
culos. Por corlo que os americanos se Mo
opporiam, porque elles j estiveram dispos-
tos a alterar o dollar, a fim de pol-o em
relacao com a nossa moeda de cinco fran-
cos. Se elles voltaram atraz, foi porque
viram as objeccoes da Inglaterra, e com-
prehenderam, o que muto justo, que o
seus maiores interesses sa achavam daquelle
lado. No momento em que os inglezes ce-
derem, os Estados-Unidos nao aprsenla-
rao mais dilficuldades. A Allemanha tam-
bem nao se oppor, se bem que a sua
moeda nao quadre muito com o systema
novo, e que nem o thaler e nem o florim
sejam divisoes exactas' da nneda de 10
francos.
Ella bem sentio os inconveniente das
suas differenQas monetarias, e iso que pro-
pomos vale muito mais do que a sua equa
cao de 1857, que nao muita exacta, e que
julgamos n3o haver dado bons resultados.
Adoptando a moeda de 10 francos, os alie
Bies nao seriam /"orea los a abandonar nem
o thaler e nem o florim; podiam perfeitamen-
te conserval-os, assm como a Inglaterra
o seu shilling e a libra esterlina.
Elles apenas teriam de cunhar a nova
moeda com suas divisoes decimaes, e a;
suas moedas, que boje sao oppostas a uni-
Dizendo isto, Similor, que dra corita
da sua salchicha, puxou para si o prato do
ex-pharmaceutico, e tratou de cogor tam-
bem a delle.
Ouve, disse Echalot, sem se queixar
d'aquella espoliado, que secretamente Ihe
alanceava o animo ; olha que a represa \j
multa runda.
E funda, respoudeu o Similor ;
mas poucu larga.
-*- Pois olh3, entao atira-te tu a agua,
que te dou a minha palavra de honra que
te ponho secco.
Similor fulminou-o com a vista.
N3o sabes entao, que um banbo de-
pois de comar a morte repentina do teu
amigo I
Ecbalot teve a delicadeza de nao retor-
quir. Nunca elle abusava das saa^fttita-
gens, e-era isso o que toruava l agr-
davel aquella convivencia. Votaram-se ou
Ira vez a buscir partidas. istp para
aquella raga snbtil, e jue se considera sin-
ceramente como a mais engenhosa do uni-
verso orna oceupagao ebeia de. encantos.
Vale quasi tanto como devaneio dos
poetas. E realmente sao elle poetas, que
vo vvendo de illus3es no meio das mais
repelientes realidades.
Nao offerece a cagada das partidas, feta
om collaborago, menos seduccoas do que
a montara ao meio-4rama. Aiinal, ambat;
sao de algara modo especiaes floresta de
Paris : nao porque nao naja algures adep
tos da industria transcendente e devotos di
decima musa, que se chama Fictlie, Ma
Paris o centro das artes, e ao resto do
universo so cabe o refago.
-Vo, voltam, farejam, batem as en
cantadas brenhas da phantasia. Exis-
tem ideas em suspenso n'esta almosphera
fecunda : ideas de dramas para Este tao o
Alaur.cio, ideas de partidas para Echalot e
Similor. E um slo california onde I
cada passo se pode pisar um tuasouro.
Calculam, tarauuieam, delirara : na ex-
travagancia que s vezes se encontfa. a sor
te grandp.
Pepois chegara as reminiscencias, refl>-
rescein as desprezadas imaginativas, cm-
briagam-se sem beber, oa sebeado, coa-
fo'iac o estado da bolsa, ferve a graca, c
capricho canta, mata-se a inulher...
E de oerto oecasi8o para eifitorarmoi
aqu e-s poema grandiosa esse idylio
temo e iuteirainente parisiense ; o n i'sci-
ment do SaiatliinV creanca tbeatral, otoo
de paoelo, tal vez chamado da futuro al
domar ledos, dtvorar saows, oa *ewm-
n, adaptar-sc-hiam entao perfeitam
com essa moeda. 0 thaler representiria
3i centesimos da moeda uatversal; a-llo-
rna do norte 21 watettaO, e o florim do
sul 25. .
Todos so entenderam nao si qnanto s
pequeas tintas, como tamas acarea (ras
grandes e cada qm pria na moeda nacional
um ponto com muro para as transaegoes
com o exterior.
Quanto Uus
que ella nao traria diflcaJdades a esse
systema que.a ff^ria^eoreE^Bp a Eu-
ropa e com oHflGpidiAiro. Isso ser-lhe-
hia tanto mais fcil qaansb, drfWiimeottt para
ella, falta-lhe quasi que o conltaiawot da patKis.
moeda melallica; no uso do papel-meda E' p'
o seu rublo perde com o cambio de 12 a
IS por cento.
No di i em que a li filiar e par
pel-moeda (e de Mipp**^* esse da nao
esleja longe) ete nao tara despezas a fazer
mazem onde, da ido -si urna quantidade
fzemfa, recebe-se m torna a^mesma
quantidade convertida em .vestidos ; o
pn/fik a vestido no mercado nao sera
mais caro d) que o prec da fazenla,
ao passo que se so pagaaw, orno justo
> do barico o vestida Valeria mais
qne a arendi. E' o qm acontece
com as barras metalicas convertidas em
moedas.
En bem ser que, em refei enca ao mr-
calo estrangeiro, essa conversan nida
significa, porqtw nao augmenta cousa al-
gMpa ao valor- di mstal, Aito com na
mator parle (fos casos* a nweda tein de
ser Fcftiodida para ter-ci*catagaoem outros
cuiihar a moeda novaem
antga.
Nao tratarei de outros pequeos Estados,
que-na Europa, usara de moedas laes como
os educados, nwdalers e piastras; el.es
naturalmente farao e mesmo que os gran-
des Estados fizerea.
Assim pois, a moeda de 10 Crneos apre-
senta-se com as segointes vantagens, qae
nenhuma outi a possue no mesmo grj:
ella peafeilamente decimal ; quadra muito
bem com todos os systemas; o offerece
uma unidad: que sullicienternenle parte,
tanto quanto ae podo dosujaj.
E" desnecessario dizer que seno fica
obligado a ter somante, essa mda ; po-
der-se-ha cunhar tambem de 20 francos e
aes-no de valor mais alio, sempro com a
condicao de observar o systema feci
mal.
Resta examinar as questes accessorias
da despeza e de susceptibilidade nacional.
J dissemos que o delegado americano, ava-
hando em dous milhdes de dollars a im-
portancia animal que os cambistas arreca
dam por causa da differenga das moedas,
allirmou que nao se despendera mais com
a realizado da unidade monetaria. Se re
flectrmos bem que nao necessaro refun-
dir todas as moedas, sendo possivel, a
coexistencia de muitas juntamente com a
moeda interncional, a qual smenle ser
cunhada pnoporco que dola se fr tendo
necessidade: deve-se crer qoe a despeza nao
ser excessiva.
Se avatiarmos as necessidades immedia-
asem5 mil ovillis; alnitiiud queseja
de um quinto por cento o pre^o da cuoba-
tgem (que o taxado para a fabricacao das
moedas de ouro em Franca), ser uma des-
peza exacta de 10 milhee para todos os
Estados que codcordarem na unidade, re-
partida essa quantia segundo a importan-
cia de cada um delles.
Ainda preciso accrescentar que essa
despeza nao pesar sobre os respectivos
governos, mas sobre os particulares que
mandarem fabricar a moeda intercional,
conforme se pralica na maior parte dos
Estados.
O facto de converter uma barra metlica
em moeda*, marcando-a com uma efligtc
qualquer, garantindo-lhe o titulo e o peso,
por certo que coastitue uin serv ;o. O
metal assim cunhado e garantido 'circula
mais fcilmente do qua a barra e oresta-se
mais s reaces 'eommerciaes.
rvr que m nvo o estado prestara esse
servco gratuiammte ? Em um paiz
miaba, a Inglaterra (e o nico de que
temos noticia) n) se recebe nenhum di-
reito para cunhar a moeda;, mas isso
uma liberdade que nao se funda era cousa
alguna e que nada pode explicar. Se
fosse cobrada uma taxa leve para fabricar
a moeda ingleza, essa immedialamente
adquira um excesso de valor propor-
cional.
Hojo nao acontece asiim pela segninte
razio que deu Stuart Mil apresen laudo
um exemplo frisante : < Supponbamos,
disse elle, que o governo tenha um ar-
penbar utilHacks com certo brilbo na sce-
na do Ambig.
Corita va menos tres anuos o chapeo
pardo de Similor. Echalot vairia uma
pbarmacia zamparina da roa de Vaugirard.
Amaveleeito para agradar, Similor dava
anda ligues de danga na barreira do mon-
te Parnaso."
lia. Corbeau, -por antonomasia a Face de
Prata,%alida da conquista de Argel, ven
da limos, bolinhos e limonadas del'ron te
do Zimborio. Era ella venerada no sitio
e conbecida pelos seus numerosos galan-
teas com as relqaias das nossas glorias.
Antiga vivandejia, Ida Corbeau, matrona
de alta, estatura, era ossuda, alcacbinada e
dotada de cabellos grisalbos e bigode varo-
nil. A origem da face postiga, que traza
da direita, e.lbe. dava ao aspecto um nao
sei que de imprevisto, conservava-se mys-
teriosa.
Al ento, Ecbalot e Similor, sofllcienles
um para o otro, nlo tibam amado, ti-
ran Ida, uma tarde que ella despejava na
barreira copo sobre copo de agurdente,
cercada por enorme e esoelhida corte.
Aquelle fego, de que falla a lesbiana Sapho
nos seus caraies immortaes, circuloa-lhes
immedatamente nis veas. Pareceu Ihes
o ar mais tpido, mais arroubada de perfu-
me a brisa; comprebenderam a primavera,
o gorgeio dos passarinhos, o sorriso das
flores. a
Ida entoou uma copla patritica. Dansou
com um cavalheire que tmha duaspernas
de pao ; foi decidido o destino de ambos
os nossos amigos ; mas aqui, como sem-
pre, devia Echalot esempentiar o gene-
roso papel do amigo que se sacrifica. Pou-
co delicado, Simfror ato tinba ciimie- dos
outros; s Echalot Ihe fazia sombra. Quem
sondar la singularidades do coragio hu-
mano I
Echalot envolveu-se na sua abnegsgao.
Foi n'aqaella poca que alie aprenden a
arle da fabricar pos d taco.
No fim do algans mezes paasados n a-
quelle jardim de Armida, coja porta fi-
ca va o melancoliza Ecbalot, experimentou
Similor subido jubilo e eibaheiante or-
gulho.
EUe era m3i f
A datar d'aquelle dia, auao. mais Ha
por isso que a barra motallica
muitas vezes bascada di preferencia.
A libra eaterlio vale hoje 23 fra icos e
20 centesimos uaamante pela quantidade
de autoque ella outem ; ella na valeria
nem mais tem menos se livesse de pagar
uma laxa de cuuhjg.;m. entretant se isto
assim 3a>teGe com as moed'as naoionaes
que nao tm curso fra do paiz, nao
o mesmo para orna moeda intimacin al
que tem de passar as froateiras, e que
sor recebida sem difficuWades.
Ella a^lquirir imne liatamaote um cx-
cesso de valor, por isso que est apro-
priada ao uso universal, e poder sup-
portar perfeitamente a despeza occasionada
p-^la refondig.), sem que disso venln pre-
juizo para alguem. Fra absurdo dentar
as caas de moeda entregues gratuitamente
disposi'.a) do publico. A Inglaterra
lussmt ver-a-hia l'urcada aceitar o sys -
tema das domis nsgoes, caso nao quizesse
fazer ella s as despozas da fabrcagj da
nova moeda.
Nao ha dilicu!d.ides acerca dessas des-
pezas. nem lio pouco qnanto ao augmento
que so daveria fazer na base inetallici
para crear a nova moeda. Esse augmento
seria desnecessario, porque n3o se cunbaria
tantas libras esterlinas, dollars e thaters,
e a innovagao ficaria o menos n'ommoda
possivel.
Temos anda a questao das soceptibili-
dades nacionaes. Essa questao lem alguma
importancia e nos n3o desconhe:emos o al-
cance della.
As nages t:n o direito de mostrar sus-
ceptibilidades ilesse genero, que derivam
do carcter proprio de cada ntaa, e que
consttuern isso que vulgarmente chamamos
patriotismo.
Cada povo ama a sua moeda, assim
como ama a sua b mdeira, ou a lingua do
seu paiz, e, em quanto as fronteiras nao
desapparecerem e o mundo se nao con-
fundir em om cosmopolitismo universal,
devenios esperar esses ciumes de influen-
cia, todas as vezes qoe o ponto de vista
inglez ou allemo nao fr o ponto de vista
francez; 6 preciso, porem, nao exagerar
esse sentimento, nem tambera appliea-lo
onde elle nao tem cabimento. No caso
presente, a menos que se nao guaira d-;s
truir os systemas monetarios, conven a
proximago mais oa mono de alguns doi
systemas em vigor.
Nos propozemos a moeda de 10 francos
por ser a quo mais qnadr cont os u*as
establecidos, e a qie mais vantagens of-
erece, e dizcm, porem, que ella do
origem fr.moza.
A assergo q3o 6 absolutamente exacta,
por isso que n3o i*n*os aaidade da tal al-
garismo, e fra preciso que nw>ciiica uma
innovagao. Demais, a origem franceza
ficou sendo a de todo o grupo que adberio
convencao de 1865, isto do 100 milhoes-
de individuos. Isso j alguma cousa
para attenuar susceptibilidades particulares;
pde-se liesipr em adoptar a moeda de um
povo, nao se hesita, porem, quando ella
a de muitos povos. Aiem do que, poder-
se-hia faz ir uma transaego por meio da
qual se mudasse de algum modo a origem
franceza ou latina da moeda de 10 francos.
Porqae nao se haveria de cbamar victoria-
a nova moeda, agradando por essa forma
aos nossos viznbos e prestando-se homena-
gem sua soberana ?
Se esta appellagao exutasse os ciumes
das outras, arhar-se-hia ern um terreno
neutro um ame Lear conaodo, sem ca-
rcter nacioaal, e que saSsfizeaso a todos.
Tomar-se-hit, pac exemplo o norae do
grande imparador, que autr*ora feHrou> ao
Occidente, o nom'e da Carlos Magno. Cha-
mar-sa-hia a moeda um Carlos Magno, assim-
como actualmente existem Napolees e
Fredericos.
Esta qualificag5o bastara para indicar a
universalidade. Finalmente, se quizesse se
fazer alguma cousa inteiramente nova, o
que' obstara que se adoptaste um norae
symbohco, indicador da idea de progreso
a que s prende a medida ?
Seria cousa muito fcil o ebegar todos a
um aecrdo acerca da semelhante assampto.
Por todos esses motivos suppomos que
a mela de 10 francos offerece a verda-
dera solago para a moeda internacional;
quanto mais reflectir so a esse respeito
mais as vantagens se manifestarao. A ratina
e os preconcetos que podem, se n3o im-
pedir, pelo menos retardar a adopgSo de
semelhante alvitre. Infelizmente esses obsta-
culos s3o muito poderosos. Quem quizese-
fazer a historia dos progressot da hamsa
nidade, teria de ver, que os mais legitimo,
foram dificultados pela forga da inercias
nascida de hbitos adquiridos.
Demonstrou-se a iniquidade nos amigos
tributos, nm seculo antes delles serem abo-
lidos para estabelecer-se a igualdade dos
imposlos.
Supportaram-se as regalas e privilegios
nao abstante ser reconhecido e proclamado
pelos philosophos e economistas que a pri-
melra de todas as liberdades a do traba-
Ih t
Quantos es6>rco3 nao foram empregados
afim de abaixar as barraras que separam
os p>vos, snpprimindo o direito de arre-
cadaco dos espolios estrangeiros (drotV
i'aubaiu:) c os passaportes ?
Quem se n3o recorda ainda das lutas
seno porque a Face de Prata estremeca
Corbeau sahio da bebida.
Similor que Ecbalot Ihe
delirantemente a salada. Pela suave graga
de que era dotado, havia Echalot de brHhar
em muitas sociedades philarmoncas.
Uma noute, quiz a Ida beber-lhc mais um
trago ; mas era impossivel. Qualqner gota
faz transbordar o vaso que estcbeio. En-
tregou a alma Deus no momento em que
o Saladim entrava n'este- mundo. O roaga-
n3o do rapaz naneen borracho. Echalot
jurou solemnemente que olharia pela edu
cago do pequerrucho. Similor, inconsola-
vel, desejou salvar pelo menos a face que
tanto amara ; novo desgosto: a face era de
estanho.
Assim acabou aquella rnlfeer intemperan-
te. Est actualmente de todo ponto olvidada.
S Echalot vai de lempos lempos des-
folbar-lhe algumas flores can^eainas sobre
o modesto sepolcbro ...
Pelo meio dia, vendo a Sra. Eusiacha,
dona da (^berna, que j nao fazam despeza
poz na roa os nossos amigos. Eram Echa-
lot e Similor d'aquelles que podem calcar
durante doze horas, sem cangaso nem enfa-
do, o terreno da metropole. Gostavam de
ir tomar o fresco para as ppntes, ou, se-
Sundo a temperatura, dse aquecartaman-
. a raposeira encostados aos muros qne
atgemam "o Sena. A incessante basca de
partidas animava-lhes a palestra, e assom-
brra eu as pessoas que se oceupam de
esthetica, se os limites d'este estado mo
conseotissem que dsse por extenso a pra-
tica q-ie entre ambos tinham. Similor era
mais brilhaote, mais audaz, mais romnti-
co ; Echalot tinha mais senso pratico, mais
amenidade, mais magia ; ms, em snrama,
ambos eram arcades, e se Virgilio estlvesse
escata, liavia de tradazir-lhes em concer-
tados versos os. pasmosos dilogos.
E ainda o pastores de Virgilio se pri-
vavam habitoalmante do suave elemento
que ptrfama a-sAtifta apeHaga ffl>dema:
o filho, o froctu do a.aoi, prwaessu viva
dp./uturo. Exhatot aparretava com o -
ladim derjaixo dobrago;era raroesque-
ce-lo encostado aos marcos, e quando Ihe
aconteca suffoca-lo ao gesticular, bastas a
a a da toara creatorinba para Ihe des-
pertar a materna attog5o. Pegavalhe ea-
tSo ptrtos ps e ftria-o voltar com cari-
_Ent5o permittio nbosa ligeiraza ; depois de duas ou tres
vattaa, poaaa-lba outea vez a cabfeca paa
fizesse algumas
0 parecer do-banco foi favoraTel-anw
nuienrao do s em contradicho
co o da imir ridies coasal-
daa. Maa, esparex* inteiramente
desinteresado ?
Por cario qiioo* borataa qte wmpoem
o consellio administrativo do banco s3o pes-
soas muito honradas, independenles o es-
clarecidas, porm,.elles sao banqaeiroa e
sua materia, e, por maior al)nega3rqae- se
Ibes saapunlM, idigossivel fue, sendo-
llies submellida njna questi, ella nao fosse
tambe encarada atravs de seus mlresies
partieulares.
0 homem assim; elle se persuade
hcilmante que o aeu interesse priva-
do igualmente o interesse de todos.
Soppaaba-se por um momento, quo o
conselbo do banco estivesse composto por
outro modo, n3o preponderando nellc os
banquearos.
E' muito duvidoso que a reposta fosse
a raesma, porque, em difinitiva, o banco de
Franga nao tem interesse na questao, aa
antes lem apenas ura que justamente o
ateresso de todos. O banco sabe perfei-
tamente que, se elle puzesse 300 milhoes
da prata era seus depsitos, no dia em qne
esse metal foi desmoedade elle ser embal-
sado ao par.
Facam o que fizerem, quando uma idea
se ada amadurecid como a da moeda in-
ternacional, nao se a podo ctesprezar lao f-
cilmente.
Ella ser realizada 'com a moeda de 10
francos, ou com ontra qualquer combina-
gao, por isso que o mundo inteiio nao so
resignar por mais lempo a supportar os
prejuizos excepciones do cambio, quan-
do elle muito bem: podo prescindir
disso.
Ao terminarmos. se quizessetnos lanzar
que precederain a" aoVgo'daTestradas del f1 9ob*e fu^o e prever o q.te se
Ierro f E nem ba motivo para admiragao 'ua J P33*"" QMdo fer adoptada rnaa
pen- isso que o hornera um ente beio de ; moea mternacional, nao teamos dnvMa
hbitos, quo recaa tudo aquillo que nao 'em aranaarque as vantagens sern por la!
conhece, ainda mesmo senlindo os teconve-'forma apreciadas, que maguera mais qne-
nientes do que elle conbece. rer saber de outra, desapparecendo suc-
Seguramente que desagiadavel 3 qnal- icessiTamente o florim, o thaler, o ducado,
qoer pessoa o ser obrgado a trocar de ]. dof,ar> a Wr esterlina e o proprio fran-
moeda assim que atravessa afronteira, sof- co' P3" cederem o lugar nicamente a essa
cora os seus mltiplos e
frendo o agio dos borneas que vivera desse
negocio ; assim como desagradavel pa-
gar letras de cambio para o estrangeiro por
um prego mais alto do que o regular, pela
simples razao de nao ser elte paga na mes-
ma moeda. Desagradavel firvalmente nao
se poder Icr, cora os mesmos algarismos,
as estatisticas e oreos correntes de todos
os paizes; entretanto, como j se est
habituado a esta situago, ser preciso ura
grande esforgo para altera-lo.
moeda universal,
submltiplos.
A mesma unificago infallivelmcnte so
ha de operar acerca dos pesos e me'id,
e, no dia em que estes dous progressos
forem realisados, os naces terao dado aat
grande passo para as ideas de comVaierni-
dade, qne tendera a uni-las mau grado-
tudo:
A poca em que vivemos aprsenla cora
Er o mesmo quo acontece com o> mus ..,
impostos ; alo ha quem os aprecie, todos f^ fJJS^JEfSfJ n0."f^
criticara a existencia delles, que, entretanto,; te.mP? em "\os Povo,s f l^M* a
v3o sendo conservados, pelounko facto de -fluUse divisoes. amstadas guerra pe-
existirem i governos, elles. entretanto, sentem
" Almdessa resistencia hauma=oulra BibfcLilto? t^T^i qU6 S "**
forte do que a ratina : a resistencia dos Wm uns aos outros.
que a rotma:
interesses opposlos.
Os dous mil cambistas que vivem da
dilferenca das moedas, e o n3o menor nu-
mero de banqueiros, que especulara com o
cambio, nao esto disgustos a aueitar um
inelhoraraentu que ser a ruina da industria
delles.
Por 0ooo motivo oombatrtm todos elles
contra a idea da moeda internacional,
o quo oomprehende-se perfeitaraente.
Elles procedem como outr'ora os empre-
zarios das postas e diligencias, quando
tratou -se da creajao de caminhos do
ferro.
Por semelhante motivo nao se deve dar
a tal opposicao urna importancia maior do
que essa qde ella realmente tem.
intimamente, no inquerto que se proce-
deu acerca do padrao duplo, pedio-se o pa-
recer do banco de Franga, pela mesma for-
ma por que pedio-se- aos recebedores ge-
raes e trbunaes do commercio, que infor-
massem sobre o assumpto.
Essa forga a honra da civilisag3o; ella
que mantm a paz, neatralisando tedos os
designios ambiciosos.
Victor Banrr.
cencas cora o masculino profil de Ida Cor-
beau, a Venus invalida.
Faliam no campo, sem|pe o campo Por
que f Cuidara qne a paysagem parisiense
nao tem aiiractivos nem poesa ? Q fin-
mente tambero grato nos pass^ios das
roas ; defronte di porta das casas de pas-
to, impregoa-se a brisa como nos algreles
de rosas ; colherase de passagem sorrisos,
que valem bem- as flores, e seriam precisos
militares de passarinhos sabios para suhs-
tituirem os trmolos do Snherme- Tell
exeeptados. pelos realejos.
Achariara tal vez nos campos solitarios
esses bardos roofenhos queentoam canges
popubres^ es^as raparigas perfeitaraenle
corttdas, que saltara na corda, esses bo-
mens qne levantam calgadas forga de+
queixos, e sobre lude o jugador de pao, o
estimaveljogador de pao, que apanha uma
pilia de cobre no escancarado bolso do
colete l
Erara. Echalot e Similor Glhos de Paris,
impressionavam n'os profundamente estas
bellezas.do illusire bergo, segundo a diffi-
reiiQa das tendencias. O Similor prefera
o jugador dts p, Ecbalot d'jxava-sealtra-
hir pela sanfona; Similor gostava das en
cruzilhadas rumorosas, Echalot aprazi
eu contemplar os pescad' res liaba, Que
de diversos espectculos I Qumlos ges-
tos, quantas satisfacSes. Porque ainda ha
as fras Jo Jardim das Plantas, (iuignol, os
jogadures -do bola, a* represas, a Margue
e a artbaria do Palas hoya!.
At?< noute, passeiaram vagarosamente
em zigue zague, bateado, o cbnello e de-
sejando quanto viara como duas mancas.
Acharara uma quantidade eonsideravel de
partida*, engenbosas, sim, mas, impossveis
de prati;ar. Matara ranlber fra tao. sim-
ples I- Tiveram imagiuagoes chistosas;
Similor, que tinha graca. propoz quo euf-
pentnssem. o Saladim m monte-po : era
brinedeira ; nem. Ecbalot ;onsentia que a
questao fosse debatid' serio.
Ali, pelas- oito horas, tinham elles an-
dado oito legua*, 'e prtiiia- alguma til
sabira d'aquella collaborsgao. O apetite
crescia : o cheira das bodegas teruava-ae
fcada vez mais' attrabenle ; pozeraio-se a
fallar defffltezeteaas-e aoompor Ust do
banquete com qu se deviam laa-ber no
dia {inmediato ao do negocio. Hi > ba
:oust pa cavar a estoaiago como aqaete
franquezas. Passavam das inteiros a en->eiraa, o qua o Saladim Iba renwaarew perigoso pauaiamao: cada prato evocado
sopar a Ida, que pensava serumeute era am tremenda carantona, qoa a' Ite-cns surgiasco o seu fragrant e especial va
mudar do vida... para depuis. timia verdadeiro sorrbm. Echalot coatem- por ; era tal de-live, pode o mais sobrio
Foi Echalot quem descobrio o oome de plava-o ; acha va elle u*aqueJlas
atadira, nao par algara sentimento turco,
es- varan dar comsigo a lafbcr> os, heicos. O
boctclis colher, esUmavei e vaffipage pensamerito de um lorabo lardeado, impru:
*
POUCO DE TUDO.
VELOaMAWOS.A' iavengo do* vel.,-
cipedes susccedeu a dos velocmanos. E"
nm novo systema de carruagens mocbaui-
eas inventadas pelos Srs. Bai o de Cabciere
e Doirier, fabricante de carruagens em Pt-
rigueux. Com o faci! meGbanismo de unws
manivellas, que se pdera mover alterna-
damente, cora as raaos, ou cora os pus.
consegue-se, sem fadiga. alguma, o movi -
ment deste vehculo da-quatro rodas, qne
vence, ordinariamente, 15 kilmetros por
"SF- .____________________
dentemente apresentado por Similor, fez.
com que os olhos de Echalot se arrazas-
sem de agua.
Sem/disiimular a corarnogao, respondeu-
Ihe com urn empadao de perdizes. Ha pa-
lavras que vao direitinbas alma. Apemr
de voltairista, Similor n3o pode conter um
solugo.
Estavam ao p da rotunda do Templo :
a vista de tantas riquezas penduradas enii;e
os piulares: botas velbas, casacas cossadas,
blusas azues balougadas pela brisa, lencos
de xaoVea;'' ps de forno vaasouras, panel-
las e bonets mi lares, podiam leva-l,i>
alguna extremo, quando os oraos Ibes bate-
ram simultneamente n'um edita), pegado
na parede altura da casa.
Quem ideou a partida ? Echalot oo Si-
milor ? Conjunctamente e unisonos c4am-
raui ambos :
Alii est urn achado d fres francos e
meio 1 ^^
Tinham descoberto a vacema. *
O edilal continha em resuma :
Sexta circurascripgao adrainistratva.
Vaccinas gratuitas das dez-lioras ao meip
dia, no hospital de S. Lnit. 'Sstabeleen^se
o premio do tros francos e cncoeqta-cente-
hnos para os prenles \flue apeentarera
attstado de pobreza.. O Saladim nao esteva
vaccioado.
Echalot e Similor carampor um pst
te .sem poder articular palaa Descobre-
tas d'estas produjera a atea que sirffo-
ca.'fl4te'ia com ludo um obstculo: era o
attstado .de pobreza.
Ora, decidi Similor qoe nanea gas-
t*va muito tenjpo a scjsmar,; ves tu bus-
ca lo sozioho.
O pa sJobjectou CTiatot.
fcil de oaaneber o ioetiaeti vo horror
dos nossos amigbs para, os Ingaraaoae
se passam aUestados.
Echalot l tinba, p rm#a sj^a i4a. A{ -
proxiraou-se do aviso a arrancn -o de una
s vez 9 intoiriaho. Conslitua teto ouui
arte; na numarosa ftnilieque deba \v
vom-. A'i pergaatea de Similor, rsp
deu :
Gracas i diisrtia luMMMde, Amadeu,
vo os tres franca* ra io wr elevado* ao
duplo e at aa antei; a nj*. s tesa:
poupamnos tea-fiiao doc da>assaf pela*
torturas da Uftiejta,

\
1

TIV. PO DIARIO- ifi DAS CRVOBHk .

-



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHGWSOWO3_WG2KU7 INGEST_TIME 2013-09-14T00:50:57Z PACKAGE AA00011611_12025
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES