Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12020


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'
1 v
-
AMO XLV. NUMERO* 288.
fma umn e tmm oide no se paca jome.
Pw tres tnezes adiaattdo*.......,
foraais ditos idem............"
.....i:.:-:::::::
63000
SEXTA FEIRA 17 OE DEZEMBRO DE IS69.
PAILA DTK0 FORA BA PB&VIICIA.
. ,.
Por fr5 mezes adiantadoi.
Por seis (Utos idem. .
Por no\ t ditos idem .
Portan tnoo.....
3S
S7J00I
AMBUCO.
fropriedad* de Manoel Fifueirfta de Faria & Filhos.


1' i
-------------
. --
ACBWTB:
-O Srt. Gerardo Amonio Alves & Fllhos i^r; ^avesd- Pinto B0 Wbio /oaqaim *>** de OJveira, no Cear; Antn* te Lemo5 l^^acafr; Joao Varia Jto Chavea, no Aart; Antonio Marqu da Silva, ao Natal; Joa
I erara d Almeida, em Mamangaape; Antonio Alexandrmo de Lima, na Parahjia; Antonio Jos Gomos, na Wa da Pfenha; mMno dos Santos Baldo, em Santo Anteo; Dominaos Jos da Costa Bra,
._______________________^_ m Niziretb: 'nciflo Tavjres da Costa, em Alaga; Dr. Jos Martina AHM, na Balito, e Joi Ribeiro Gaspavinho, no Rio de 'Janeiro.
PARTE OITICIAL
Ialsterlo da if irtiaha.
llei por bem nmnear o chefe de esquadra Eli-
"JarioAntonin dos Santos, conseiheiro de guerra.
H-.iro de Cutegipe, do meu conselho, miniara e
secretorio de estado dos negocios da marrana, as-
'* o tenha entendido e faga exeeutar. Palacio
iio 8io de Janeiro, 2 dezeinbro de IB69,'48" da in-
lepen dencia e do imperio.Cora a rubrica de S.
H. o 11 operador.--B.-iro de CoUgipe.
Ten-Jo ouvido o conselho naval e de conformidad
ie com a lei, liei por bem promover os offlciaes
da armada nacional e imperial, mencionados na
relacao iu; cum este haxa, asignada pelo barao
rio de estado dos negocios da ni.irnha, qu i assim
- io de Janeiro, 2 de de'rembro de 1869, 48 da
independencia do imperio. Com a rubrica de
"S. M. o Imperador.Sardo de Cutegipe.
mrucvo nos okkiciaf.s promovios ron decreto
BESTA DATA.
A' viee-almironte.
\) vu-u-almrante graduado Dioga Ignacio Tata-
j-es, no quadro ordinario, resoluto de 20 de on-
salir, de 1796.
A' rice-almirante graduado.
O chefe do esquadra Jos Maiia Wandenkolk.
A' cliefes de esquadra.
tjj cnefes de divisao Francisco Cordolro Torres e
.Alvim, no quadro ordinario, art. 6 da le .n. 1250
do* de julho de 1865 ; brao da Passagem, no
jui Iro extraordinario, lei cima citada.
.1' cheles de divisao.
9s i-apiaesdemar o guerra Hermenegildo Anto-
Barbosa de Almeida. no quadro ordinario, reso-
iuca de 20 deoulubro de 1796; Victono Jos Bar-
*osa da Lomba, no quadro extraordinario, art. 6a
la bri n. 1250 de 8 de jtilho de 1S65 ; Mamede
Stmiej da Silva, idera ; Jos .Vil mi de Faria, no
|iu4ro ordinario, resuMfean de 20 de ontubro de
1796.
I ekeft de diiisilo gnuluado.
*0 wpitao de mar e guerra Candido Jos Fer-
reira.
A'-capitaes de mar e guerra.
Os esplines de fragata Joo Cirios Tavares, no
pudM orfinario, ivsoluoao de 20 de ontubro de
J79o ; Joio .Manoel de Moraes o Valle, idem ;
tnionio Uiaao Sido, idem; Jos da Costa Aze
vedo, idem, art. 0* da !e n. 1250 ; Joa;[Uin Fran-
cisco d,; Abreo, idem ; Jgnaci oaqnim da Potk-
eca, Mcm ; JoS6 Mwraes 3afgadi no ifTiadro ex-
raoMiurio, art. 0 da lei n. 1250 Jeronymo
Francisco Gonr.ilves, idem ; Armar Silveira da
Molla, idem ;
X capilu d mar e guerra graduado.
Ocajiilao de fragata Jos Pereira Tinto.
A' canil fies de fragata.
O eanfto de fragata graduado Genuino Augus-
fo de Barros Trrelo, no quadro ordinario, por
.intignidade, al vara de 13 de novembro de 1800;
que a isse se prestara e neste caso qoanto se des-
pende animalmente com o seu aluguel, quaes o.'
_ destacamentos exislentos e em que dutrictos, sua
fbrqa e (Im a que se desuara, se a > de guarda
nacional ou de pol cia, o as casas que Ihe servem
de qnarteis sao particulares oa nao, e no priraelro
caso qual o seu aluguel e miando autorisado, se
mayen consjrvar ou alterar a actual divisao po
jicial, liuaneotas medidas pie ra^is convenientes
j'ilgar para prevenijSo dos delietos e captura dos
criminosos e melhor meio de prever a alimentacao
dos presi que por sua indigencia sao soccorridos
pelos cofres da provincia.
N. 307:Dita ao mearan.Do offi;io junto por
copia, que rae dirigi o inspector da tbesourana de
fazenda, em data de hontem, sob n. 701, ver V.
S. os motivos, porque nSo podem ser pagas as dia-
rlas abonadas a cinco recrutas do termo de Carua-
ni o a quatro do de S. Behto, ads quaes se rofe-
rera os seus ofLlos d.> 17 de selemhro ultimo o 1"
do correute, ns. 1351 e li3i. O que V. S. far
constar a quem compefir.
-V 308.Circular a lodos os commandantes su-
Seriorej.Inda urna vez reeorameudo a V. S. a
el observancia das portaras desta presidencia de
12 de jnnho e 11 de selembro ltimos, quanto as
informaees que llie foram exigidas sobre a guar-
da nacional sob esse caminando superior, convin-
do que quanto antes rae sejam remullidas.
.N. .Jt)9. Portara ao commandante superior in
termo da guarda nacional do Reelfe. Ao alteres
Joaquim Manoel de Castro Santos da 3" corapa-
nhia do 2o batalhao de infamara da guarda na-
etoTlai deste municipio mande V. S. dar a guia de
que trato o art. 45 do decreto n. 1130 de 12 de
mareo de 1853 para o municipio de Cabo, onde l-
x iu a sua residencia, como rasolvi em deiiberacao
desta data.
N. 310.Ditas Jos jaizes de direito da 1* e 2*
vara, delegado d polica deS. Lourenco da Malta,
subdelegados de Santo Antonio, Capunga, P050 da
Panella, Muribeca, S. Lonreno da Malla, juizesde
paz do 1" districto de Santo" Amaro de Jahoatao,
Io, 2-, 3 o i" de S. L-jurungo da Malla, 1- e 2" de
Muribeca.Recommendo a V... que remetta-me
com a possvel brevidade os mappas, que Ihe cum-
pre fornecer para a estatistic 1 judciara do auno
prximo passado.
N. 311.Dita ao juiz municipal do Bonito o in-
torino. do Jircito bacliarcl Jos Ilodrigues dos t'as-
sos Jnior.Informe Vmc. com urgencia sobre o-
fados constantes da denuncia junta por copia, da-
da por Podro Pereira doOlivera Cabn.1, em razio
das violencias que soffieu o quu constata tambem
dos oITIcj do Dr. cliefe de poiicla e promotor pu-
blico dOsSa comarca.
.\. 312. Deiberae.. O vico presidente di
provincia altendendo ao que Ihe requeren Joaquim
Manoel de Casro Santos alferea da 3* compaoliia
do 2 batalhao de infanta1 a da guarda nacional
do municipio dollecife c em visto do que informa
o commandante superior respectivo em oQlcio n.
201 de 8 deste mez resol ve tpie Ihe seja dada a
guia de que trata o art. io do decreto n. 1130 de
12 de marco de!853 para o municipio do Cabo
onde fixou sua residencia.
-,-. caprtaes teisentos Cvpriamde Azevodo.4uara^ | --__, 3J secgao. __^ i
sun.no quadro ordinario, por antigndade. idem ; i -yol..portara o inspeetor **. iiincinrana'
de fazenda.Mande V. S. pagar a quantia de 60.3
em que importaram os colicortos fpitos pelo ina-
-: n
Jos Doarte io Accioli de Vasconcelos, dem, por mnreetmen-
?o, idem ; Bazili Antonio de Siqucira Barbeita,
noquadio ordinario, artigo 6." da le n. 1250;
"Francisco Freir deBoija Saloma Cnrco, dem ;
Tnomaz Pedro Dtteneouri Culrm, dem; Anto-
nio l.uiz liwnholt:, idem.; Manoel Ricardo da
Cunta Couto, no quadro extraordinario, idem;
Antonio Joaquim de Mello Tamborim, idem ; Jos
Marques fiuimaraes, idem ; Francisco Jos Coelbo
Netto, idem; H'l'.ccio de Souza Piraentel, idem ;
Francisco lt .man > Stepple da Silva, idem.
A cap 'tao de fragata graduado.
0 eapitio teueulo Joaquim Francisco Chaves.
.1 capitaes UtUHltt.
s priraeires lenles Pefro iiyppolito Doarte,
1 qoadreorJinario: porantigaidale, alvar de 13
i'invemhrode IM>); Mm lel-ltolrigues de Almei-
1i. idem ; I.wrcaco El.iv Pessoa le Barros, idem;
Pedro CorJeiro A'raujo Feio, idem; Joaquim Xolas-
1 daFouioura Pereira da Canba, idem ; Antonio
l.uizTeixeira. Jos Maximiano e Mello e Alvim. n>
Iro ordinario, por moreefaiMOto, alvara citado;
Manoel Martius de Araujo Castro, idem ; Felippe
Orlando Short, no quadro ordinari >, lei n. 1250 de
9 de jouba le 18SS ; Pedro Jos Alvos, dem ; Mi-
nel Lipes da C: i, iJe n ; Antonio Ferreira de
Oliveira, idem ; Aatonij Po.npj de Albuquerquo
;-ival(.-r!iti, idem ; Eduardo Augusto deOliveira,
no ooadro oxtraordinario, lei Citada ; Eduardo l-'a-
J>io Pereira Franco, idem ; Manoel de Araujo Cor-
lez, i lem ; Jos Antonio de Alvim Costa, idem ;
.-.ros Prederkd de N ronha. idem Carlos Bal-
thazar da Silveira, dem ; Pedro Benjamn de
Ccrqueira Lima. i>lem ; Antonio Severiano eros,
idem : Kst,,nilo Pyrewodowki, dem; Jos Pinto
da L'.iz, dem ; tus Gandido GuiUobel, dem ; Ja
lio Cesar de oronli^ i lem ; Luk Felippe de Snl-
Uanha da Uam.i, idem.
A prmteircs tetuntes.
O- sefandos.t uootcJ Hvppjlito de Simas DitteO-
Mort, Iloln-, J s da Hichi. Francisco Augjslo
de l'aiv.i R.i'i) IJranl', Jos- l-juaci 1 da Silva
Coutinho, FreJ irico Cnilu-rme de S mza Se
llonrique Faiis! 1 Bibatn, los Mar \\v-i M
.1 seguidos tutate*.
m. e?nni)s 1 r.untes Je comais-ao Sin
Jos Gon' a daab ; Jos Alves U
- Iva, 1 lem.
.1 cibUo e fragata honorario.
11 nr.ai-.-mi', capio-tenenle Fernn 1) Lt-
clit'Iurne.
Palacio do Jo Janeiro, em 2 de de/embro
d 1869.Uarfio a> otegtpe.
Dxam de ser prixn -vid'*, por nao terem lewn."
lado a clausula : r t
Os segiindw lean'.** Her.nann Ludwig Gade,
Manoel Pewirt ali Bravo. Adol|di) Paul do
,rii, JiM AoiuoiodeOliver,.
. J.) Uern-i--J: 11 l>Aianjie Manojl A'i-
; Freir.
apresentado a assembla legislativa provincial em
sn 1 prxima futura reiniao nnainfermacSo cir-
cums lanciada acerca dos aldeiamMUas dos indios
so1) sua direecao contando nj segoiules esclareci-
ranntos : l. Quantos aldeiam*ntos existem nesta
prjvincla, data de sua fundago o nnmems de al-
mas que os compoem; 2.* Oflal o deenvolvhnento
moral e inielleclnai de que sao suscepliveis, suas
inclinacSes e costuraos; 3.* Quaes ai rebeoet dos
aldeiainenlos cora as pnvoae<>es ci rciunvisinhas ;
4. Quaes as reodas das aldeias ; 5. Quantos mis-
sionarios calechistas exigiera no effectivo exercico
e como lem procedido; 6." Qua.rtis tribus exis
tera em estado selvagem o em no distrietos,
qoies os meios empregados para cnanw-los a ci-
vil sacan, e 7 Que noticia ha dos indios qoe.
aliindonaram os al leiamentos.
!f. 315.-Dita aos agentes da compimhia Brasi-
teira de piquetes a vapor.Podem Vmes. fazet
sejfiir hoje para os portos do norte o vapor Para-
n hora indicada em seu offi.;io desta data.
V. 326.Dita ao gerente da corapanuia Per-
nambucana.O Sr. gerente da oompaohia Per-
ua nbucana mande dar transporte at a Parahyba
no l.<> vapor que seguir para o norie em lugares
de r destiaadoe a passageiros de estado a Joa
tjum Pavao de Vaseoncollos empregade do lycen
d'aquella provincia e 1 saa raoUier.
EXPEDIENTE ASSIG.NADO PELOSO. DB. JOAQUIM CORREA
OE AUACJO, SECBBTARIO DO COVERNO, EM 9 DE
XmiBBO DE 18W.
l.1 soecSi).
N. 327.O.fleio ao inspector do arsenal de ma-
rrana. Exra. Sr. viise-presideiHe da provincia
manda declarar a V. S., em resposta ao sen ofll-
no de hontem sob n. 1,833 que a thesouraria de
fazenda tem ordem para pagar a mporLincia das
cotilas, que em duplcala yieram annexas ao cita-
do offieio.
. secQao.
^ S. 323 -O.llcio ao cliefe do noticia interino.
su Exc. o Sr. vice-pre-i lente daflrovncia, res
pondendo ao o.llcio de V. S. datado de 7 do cr-
lenle sob n. 1,457, manda declarar quo a Ihesoii-
raiia provnoil tem ordem para pegar a Manoel
Jo-e Joaquim da Costa Basilio a quanta de 86200
co-stante do citado olllco.
V. 329:Dito ao inesmo.Xesla data autori-
da
3=
tribunal i
pie req
UsUj da/
maor d
y. 3V
volvo a tfi
to por Fr
dei.l d>) I);
1409 de
nada aeln
N. 34,
i*) do pj
de lhes d,
recrutas
rer. de
pazos do
sande.
N. 349,
sorio de
topo sob
Manoel fc.
faga-o d
<;octao da pro viuda.
eXPKDIKSTB AlSUiNAUO PKLO RXSI. SR- Dn, MANOF.I, DO
NVsr.lMI.NTO MACIUl'O PORTKLLA, VICHHfBSIDEN
rg DA PROVIWJlA KM 9 DE OUTBBRO BE 869.
l,' seocac.
N, 305.Deliberar.io.-O vicepresidente da pro-
wucta alliiadeulo ao | jjpq'">fpl'am Pcas 4 C,
res, -Upa para remetterem pira
o prsdo de Feraand^deNoronhaiuprmeiro va-
>)orda eompap/.iia Peina nbi.-ana ipw para all se-
guir osgei tontesda relagao junta assigut-
4 uclo & i govenio, na-j podeado porem,
desembarcar os re'-rulos gneros, sera que por
parte do coiu..:mdaaie do mosrao presidio se pro-
eda a exame, aflm de se veriOcar sebaaguar-
deute ou oftlra qualiiuer bebida espirituosa.
i socro.
f(. 303.PotorU ao ?< euefe d polica inte-
rino Para do relatori.o a asseinbta
4exislaiiv 'C cm sua prxima reanio, re-
auella V. S. a lonria ala o Qm. de jaueiro
-vtadop.ro, a ir. -irciiinstoneiada qm a essa
repartiga ministrar, aobre o.etado de
egurang, individual da provincia, acom
.andada dos i.i ippas esUfaticos dos crirnes com -
mliidos a du> juigados ao anuo corrate, assim
or. soranoa, capaeidado edi-
vio pai. rwai da provin-
^ii, deelaraal arojfiWMde oacwnal,
f rovincial, muuieaal oa particular, os eaiOao*
ehinista Vicente Jo- de Oliveira no apparclho da
illuminavao do palacio da pre-idenca, como se ve
da inclusa conta em duplcala, que me remellen o
ehefc da reparticao das obras publcas com olllco
de hontem, sob n. 341.
N. 314.Dita ao raestno.Transmiti a V. S.
as inclusas contas em duplcala, que me remellen
o inspector do anenal de marnlu com offieio de
hontem, sob n. 1333, afim de que mande liquidar
e pagar o que juntamente se dever do gaz consu-
mido com a illumin.-irao durante os mezes de abril
a junho deste anno, do mesmo arsenal e da casa
da inspcCQi).
315.Dito ao inspector da thesourarta pro-
vinciil.Constando de olllco dochefe daTpW
cid das obras publicas, datado de 6 do crreme e
sob n. 338. ter-se dado engao as clausulas a-
nelas ao ornamento que por copia acompanhou a
minnaordem de 24 de setembro ultimo, mandan-
do por em arrcmaticio as obras da ponte sobre o
:i Pirapanaa no 0- laucida rarailicaca) da estra-
da do sul Tiara a villa to i^ab>, recommendo a V.
S, que faca sM'osliluir aquellas clausulas pelas que
juntas rcmetto por copia, son lo aquella ponte en-
tre o 7o c 8' laucos da referida estrada, como diz
o menei ma lo chfe c no-m 6* lanco da ramifiea-
(So do Cabo.
N. 316.Dt3 ao mesmo.Em vista do prt no-
minal, i'int) om duplicara, que me remetteu o
m nmandante superior interino do municipio do
Seriohaora com offtcio de 6 do crrante sob n. 30,
mande V, S. liquidar e pagar os vencraentos rela-
tivos ao rae: de setembro ultimo d is guardas, na-
cionaes dest ieal js i > povoada de Gamellera.
N. 317.-D::a ao m>smo.Depois de liqudul.i
em. Vista das ciut.is e relie'.e- juntas, a despeza
feita con o. sustento dos prezos pobres da nadwia
do termo da Escada a contar de abril setembro
deite auno, manle'V. S. pagar a sua Importancia
-Manoel Jos*iaquiin di G >ata Bazilio para is*o
indicado pelo ebeb de polica interino era
de 7 d> irrenlo sol u. 1,437.
W. 318. Dita ao mesiBO. BeoomnwntW a V. B
que em vista li inclnsa cdnta que me reneiteu o
cli fe je polica nterin) con offlera de 7 d. cor-
rate sob u. 1,465, mande liq I ir e pajar
peza feita p.-l) afbres do erpj provisorio de poli-
ca Mitl-jIoo da Co^i Raposo cora o forncnino-
to de luz e agua durante os neiea de agost
tembro- deste anno para as prara- trae n ello
estiveram em doligencia no termo di Iai pie.
N. 319.Dita ao chafe da reparticao das obras
pubfc notto Vine, as tre inclusa? pro-
postas aprsenla las para construeco das p
da Passagera da Magdalena e do Cachang alira
de que V:nc. sobro ellas j n eu parecer,
i.* secri >
N. 320. Portiri* a cmara municipal iLi villa
do Bonito.Declaro a cmara municipal da vtBa
d i Bonito em resposta ao seu offieio de 30 !
tembro prximo Ando, que licatn apprevadas
quanta de 2:000500!) e p r lempo de um anj
a- arremaatcSes das rendas de que trata o seu ci-
tado offlcio,
!T. 321.Dita a catnara municipal da villa do
Bm'Coaselho.Declaro a cmara municipil do
villa do Bara Consellio quo a res|ieito do muro de
que trata o sou oflkio d 18 de -elembro ul
a) tondo a mesma cmara usado en tompe
rcuaedipe ios garantidos pela legi-i
em vig^r, e estando a obra c.iucluida deve pr
der n is termos dajK. 41 d* lei J'> >- ^ U'
de 1S23, combiflflfl W *v'w do 15 de novem
hro de 1830, recorrtnW"aos meioi ordinaria ie-
raote os tribunaes. Devolvo os documentos que
acompauham o olBcio cima citado.
N. 322 Dito ao administrador do crrele.
Expela Vmc. as suas ordeas para aue a corres-
pondeucia ufflial dirigida as autoridad
marcas de Tacarnl, Uoa-Vista o Cabrob seja
feita por intermedio da ageaeia de Pirauias, on-
de locara os vapores da companhia Pernambca-
na, deveado Cf levada par
sou-se a lliesQuraria provincial a pagar a quanta
de liSO constanlo- do olBcio de V. S. datado de^
7 do correte e sob n. 1,403, o qual llca-assim
respondido de ordem do Exm. Sr. vce-presidente
da provincia.
N*. 3i!).Dito .'w commandante superior inter
no da guarda nacional de Sorinhaein. Sua Exc
o Sr. 'ici-prnsilente da provincia, manda decla-
rar a V. S. em rdsposta ao sen offieio de G do
crreme sob n. 30, que a thesouraria provincial
tem ordem para pagar os voncimeiitos '.onstanles
do pret, que, em duplcala veio annexo ao citado
offieio.
\. 331.Dito ao juiz municipal de Goyanna ba-
charel Jiaiuim Cordeiro Coelli.o Cintra.'-O Exm
Sr. vce-presidente da provincia ra inda aecusar o
rceobimenlo do offieio de V. S. de 27 de setembr.
Ullilll) CIU que inni.:,, mn uros., uavo .uajaUllli-
Uo a> funcouee do diio cargo.
.1' secQao.
N*. 312.O.Ticio ao inspector da thesouraria de
fa/.enda.0 Exm. Sr. vce-presidente da provin-
cia monda declarar a V. S. para os fins qooVb-
niento.s que segundo particpou o juiz municipal
e Je orphaos de Givanna bacharel Joaquim Cor-
deiro C<>lho Cintra a 29 do mez lindo reassumio
as funcedej do respectivo cargo.
Y 333.Dito ao chele da reparticao das obras
publicas.A' thesouraria de fa/.ciida autorisou-se
nesta data a pagar a quanta de (SOiOOO enjutante
do offieio de V. S. datado de liontein e sob n. 341,
o qual llca assim respondido de ordem do Exm.
Sr. vico-presidente da.proviue, a.
N 334.Dito ao inoswo.-Sna 3xe. o Sr. vice-
presidente da provincia manda declarar a V. S.
em resposta ao seu offieio de 0 do correute sol
n. 33S que acaba de expedir ordem a thesouraria
provincial no se.indo de ser deseito o engao de
que trata o citado oflicio.
4. seceo.
N. 333.O.llcio ao director geral uterino da
tastraeco publica.Sua Exc. o Sr. viee-pres-
dente da provincia manda declarar a V. S. em
resposta ao seu ofi.ri i de, 8 d i corrente sob n.
327, que '-.i inteii'.ili de ter -ido espacad i para
o dia 25 o ex-inie de liablitJCSes quo devrat er
lugar ni da 11 deste mez.
meid, Kir&is Tavares .> Cnciano Fjrreira
Paixao,
N. 344 -Delibiraca.).AnlorHO o conselho de
compras do arsenal da guerra a promover com-
pra dos obJeMos prftcis h para provfmente do -al-
raoTifad.* h mesm rsn\l'ennstanle do pedido
junto sob n.34.
N. 33vr-ta.-0 vce-(ire>iden/e da provincia,
attendenda^o que requeren Jo.lo Eraucisoo de
Souza; ra*1ve conceder lio licenca pira rehretter
para o pieniio e Poruaad), no 1 vap>r que pura
all seiralr ja genero* emUtw da relacao fama
antiguada nlo secretaria do goverso, nao podendo
porem effiffinir o desembarque dos menCiortolb
gneros, s que por parte do commandante do
mesmo presidio se proceda a rtx.ime, afioi de se
aariiicar sa ha agurdente ou otitra qualquer be-
bida e.sniinnia.
2'seccrn.
?. 3415,j|Portflra ao tf>brt Sr. presidente do
dPtMH
da Sania Casa de Misericordias-De canforraidadel ,vfeo da r^moo <& nem de 28 de sefcwbro
TliSS?*! raonHmo de z *> Ml^lalao, teonVde iVr remettidos para o predm.dc
Pernando os reos Jos Gomes da Sihra Riba*, e
imereio. lifore V. Exc. sobre o
[na petic) junta o baeharol Julio An-
ab Guimarao-, secret.iro e oiBcial-
Etiibunil.
Jila a o che fe de polica interino.De-
i a rolaca i j u n la i > fornecimiJBto foi
asco Antonio Lop-w ao.> pobres da ca-
feros, a que allude o san uiBco n.
Io mez findo, [.ara que ania assig-
tiro d;leg,id i.
)tta.ao m'sin i. l'or parte do cap-
Thaserao mindndos apresenar, afim
[o destilo quo julgar convouiento os
usco P.-reira la Silva e Thomsz Pe_-
lino, visto iere.ii >i.\> julgados Inea-
rvic/j di armad i Mi mpecao de
dos orphaos, a que se refere o offlcio de V. Ex;,
de 8 do corrente sob n. 2193, o autoriso a mandar
dmiilir no mencionado oollegio, na qaalidade de
pensionista da provincia, a lilha mpnor de Idalina
dos Sanios Leal de norae Celeciiu> que se aeha
comprehendida as dlsposiyoes Ame'i n. 611 de 2
do maio de 1865.
*. 365.Dita a camera municipal de Caruar.
Em resposta ao oflicio que me dirigi a cma-
ra municipal da cidade de Caruar em 27 de se-,
tembro prximo findo, tenbp a dizcr-lhe que
prora as arrematacBes en Imposto de qne ti _.
os doos termos de contratos que por copia aeom-
panharam o seu citado offlcio.
N. 366.Dita ao vce-director da companhia de
Beberbe Pelo seu ofOciode 8 do corrente, fl |uei
inteirado de se achar funecionando desde o 1"
deste mez, o chafariz da povoacSo de Apipneos de
que trata a deiiberacao osta presidencia de 28 de
JutlK ultimo.
X. 367.Dita ao gerente da companhia Pernam-
bncafta.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
eana faca receber e transportor para a provincia
do Kio Grande do Norte, por conta do ministerio
da guerra no vapor que para all segu no dia 15
do correnta, dez caixas Com espoletas reroettdas
da corte para tor esse destino.
N. 38.Dita aos agentes da companhia Brasi-
teira de paquetes. Os Srs. agentes da companhia
Brasileira de paquetes mandem dar transporte pa-
ra^ corte por eonta do ministerio da guerra no
vapor Toetntins que se espera do norte, ao eapi-
lao do 11 batalhao de infantaria do exercito Ha-
noel Joaquim Bello, que vai renmr-se ao seu ba-
lallrno.
X 369.Dita ao mpsmo. Os Srs. agentes da
companhia Brasileira de paquetes mande dar
transporto para a corte por cunto do ministerio da
marinba, no vspir Tncanttnt, qne se espera do
norte aos recratas D imingos de usmo de Al-
meida, Marcos Tavares e Ldano ferreira da
Paixao.
KXPKDIRNTE ASSltlXADO PELO SR. DR. JOAQUIM ROR
M Iti ARAUJO, SBOKBTARIO DO l'.OVKRNO EM 11 DE
OTIBRO DE 1869.
Ia seceo.
X 379.OlBcio ao Exm. Sr. general eomman-
dantedaa amas.De ordem de S. Exc. o Sr. vi-
ce-preaiiaaaa da provincia declaro a V. Exc em
resposta ao seu olllco de 9 do corrente sob n.
606, qne fleo u expedidas as convenientes ordens,
nao s nos agentes da companhia Brasileira de pa-
quetea para dorem transporte para a corte no va-
por 1ticnnln$ qtfe se espera do norte ao cap'tao
do 11" batalhao do exercito Manoel loaqum Bel-
lo, como tambera a thesouraria de fazenda para
ajustar-ltie contas e passar guia do soccorri-
menlo.
N. :*71.Dito ao direciocdo arsenal de guerra.
Xesta data aulorisou-se a thesouraria de fazen-
da a pagar a quantia de 948*), constante do of-
licio de V. S. datado o qual lija as?^ respondido de ordom de S. Exc.
- o., ^tuc-presidenle da provincia.
fian mesmo.-i'onTumni- W#i ft.-.-JfcJWn nffirin ao commandanle siiporiorda
guarda nacional de Olinda. S. Exc. o-w.vwe-
presidenWta provincia manda declarar a V. a.
em resoosta ao seu olBcio de 8 do corrente, que a
thesouraria provincial lem ordem para pagar os
vencimentos constantes do citado olBcio.
4a secciio.
N. 373.Offlcio a D. Annade len Quintal.
Pela secretara do governo se cominunica a Sra.
D. Anoa de Jess Quintal, mai do alferes do 52*
corpo de voluntarios da patria, Francisco Xavier
Alves de Quintal, que segundo consta de aviso da
reparticao do imperio de 30 de setembro |roximo,
lindo, fii nessa data enviado ao ministro da fa-
zenda, aliin de ser aberto no lliesouro nacional o
competente assentameiilo e ser fcmcltda a tlie-
souraria de hienda desta provincia, a carta im-
perial de 7 de agosto ultimo, que Ihe concedeu
pensiio.
KXPKOIKNTB ASSIfiNADO PELO EXM SR. DR. M.V.NOEI. DO
NASCIMKNTO MACHADO POBTELLA, VICICI'llKSIOE.N-
TE DA PH0VINCL\, EM 12 DE OirrniRO DE 18t9.
1." seccio.
N. 378.Portara ao Exm. general cominando li-
te das armas.Itestituo a V. Exc. o requerimento
do Io sargento do 30 corpo de voluutaros da pa-
ao c .n na i lanto J i corpo prov-
ia.VerifliMiilo Vine, ter prae% no
sen enramando o Jlndividno de nomo
da C-sta rie que" ala a nota junta,
re (ircnder, para como pede o Dr.
| djutu de oTeia coi offieio Ii7-J de 8 do corrente,
wr rcmeBdoa provincia das Alagoas de" ctzjo cor-
po de iwlicia descrlou.
3/ succao.
N. Xl.r-Portaia se m#*t>if sbjsojraria
de r.izeTida.Pora d.u' cu n,i-: liento ao aUa di
reparticao do imperio de"^ de setembro prximo
findo, ministre V. S. sua iof nnafao so o nellso
requeriroento em une o Dr Joa> Ciflyslrano Ban-
deira do Mello Fimo, lente c.ilielr*tco da Facnl-
dade de direito desta cidade pede o pagamento da
ri-spectivf ordenado desde a data et que tomou
po*.-e do referido lugar p o procuraea.
N. 3oJ.Dtta ao me.smj.Constando do aviso
do ministerio do imperio de S de setembro pr-
ximo lindo tor sido autorisado pela verba Soc-
corrof pubficos do exercico de 1889 a 1870, o
credit Jo lOiOOO, requisitndo p r esta presiden-
cia alim dt> occorrer ao pagamento do igual qnsn-
ti i que se est devend i J.iao Pedro dos Sautos
Nevos, contratado pulo Dr. inspector da salida do
porto para fazer as desinfecces dos navios proce-
*Ha3M8*#iW ftm,m,i;iii,;.:4^ ,-in',,e4li*,,esl
nhejisTato.
n. wnm
para seu ennhecimento qu; por aviso da rprti-
eo da guerra de 24 de setembro ultimo, f.i appro-
vada a deliberagao que esta presidencia tomou de
prorogar por dous mezes a licenca com que se
achava nesta provincia pata tratar (ie sua sade o
capitao do estodo-maior de animarla Tiburcio Hi-
lario da Silva Tavares.
X. 3-'ii.Dita a i meso-o.Commnnico a V. S.
liara sea roiilioei.oento que, segundo consta de
aviso da reparticao da guerra de 90 de setembro
ultimo, se i xpedirm naque!.:i data as* precisas
or leo- p ira'ser posto i iWr;> >-i-;ai desta prosdeu-
cia o le i 'ole-coronel do corp < de engenheiros-Sc-
liasti5o Jos Basilio Pvrrh>.
N. 35oDita ao mesmoT.n lo jie.-ta data au-
lorisaJ i o conselho do compras do arsenal de
guerra a promover a compra nos objeetns necea-
sari M pora proviineiito do ;A o .sarifido do mesmo
arsenal, C0OSkant6< d i |iedid i nulo por copia sob
n. 34; assim o commnnico a V. S. para seu conhe-
chnentu.
N. 3o5.Dita ao me-nio. -Expeci V. S. suas
ordens afim Jeque por essa Ibesouraria se ajuste
contas u pasee guia d <*>: isriraento ao capitaodo
batalhao n. II de infanta'a It exercito Manoel
SXPEDIEXTE ASSIQNADO PELO F.X.M. SR. DR. MAXOKI. D I
NAS'-.IMKNTO MACHADO PORTEI.LA, VICE-l'lltiSIDKN-
TF. DA PROVPCIA, KM 11 DE OIJTUBHO DE 1803.
1' seecao.
X. 337.Portara a) Exm. Sr. general eom-
manloote das aroi.v. Co noro-iico a V. Bxc. para
sin conheei geni ?,que por aviso di repnrlieao da
guorri de 24 de setembro ultimo, fui approvada a
dolilieracao qoe to nou osla pre.-idencia de iroro-
gar por ootts meaes,a livne.i que estevagoeand
o si i provincia, para tratar de sua eaude, o eapi-
too .1 i'i.'.talo-mor do a'rtilhoria Tsburciu Hilario
Ja Silva T.ivares.
X. 318Dito ao mesmo.Para enmprimonto
J) disjwsto no aviso circular da reparticao da
lio '."rf ih; 29 .1" setqmbro ultimo, envi V. Exc.
a esu presidencia a lempo do estareol na edrle
por todo o mez do Janeiro vinJ-uro, as informa
co -s, que na femado estylo, e das or.lees em
rigor sao'minietradas annnalmenta por esse oent-
o i-i de armas paca a ronfe.rcao do relatorin
pie tem de ser apresnndo pjr aquelle ministerio
a assembla geraJ legislativa no auno de 1S70.
N. 31.).Uit.) ao raosiii >.Mande V. Exc por
em lib.r.lade o recru'.a ofi Manoel de Oliveira,
isto terjirovaJo isoncao legal.
N 3','.-
isse. para eu con!
eteni
ira iXllira prarn nadueHa djita os preci-
sa; ordens para ser posto a disp '-cao de.-.la pre-
icia q tenente coronal do corpo de engenhei-
ros SebistiaiJjs Basilio Pyiro.
X. 341.Dito ao director do arsenal de guer-
:.-i. Erii respssla ao olBoie.de-V, Eso. n. 19i) do
J lo-correnle, tenho a dzer-lhe que remeta ao
lente da provineia Jo llio lliande d i Norte,
pelo vapor da Companhia Pernarabucaua quando
para all partir lo do corrente, aoineute as 200
espingaadas e corrame* de que tratei em meo
uJJkio de 7 deste mez. Fira expedida a precia.
onlein para seretn recebidas as oixaa com espo-
com oflicio Je 9 do correle s ib n. 1S), mande V.
8. pagar a empreza da illuinmaco publica desta
capital a i|uaolia que justamente se dever, prove-
niente Jo gal consumido no timli-stre de maio a
u iba Je.-: anuo, enm a illuminacao do qnartel de
conipJuihia Je aprendiM raen nos daquelle arse-
nal, e los e.mcertos felos na inesmi illumi-
nai-ao.
,\. 3o8.Dita ao inspe tor da ibes larana pro-
vincialEm visto das razos oxpoilidas pelo
chele-da renarticio das obras publicas na informa-
ca i imita Jbr copia atada de 6 do corren e sob
a. 337, resolv quo =oiam npprovndba as conlas das
J.'spezas pagas pelo tlies..areiro Jsquea reparli-
i-ao com as obras por administragao ni mez de
maio deste ano. Oque declaro a V. S. para os
Jevidos elT-.'itos, r em r-spnsta ai offiWo que me
idirigio em 30 do se:oinl.ri n!:imo n. 603, d-vol-
vumh os -1 icumentos quu vieram aao.xis ao ciLi-
do offieio.
N. 359Dita ai ine.nio.\ecus> reccbilo o
offieio de 9 do corrente s>b n. 623, em qatfjr.S.
n.iriiripoii havorThomaz do CarvaBio Soares Bran-
dado Sobrlnh i, Jaali p r li.ilor.o l>.ir:io do Livra-
alate _.
a oOTado atierro e
no mesmo. Gommunico a ^ -m^nt0 arremata V> com o alate do 3 por cen'.o no
Iliecirneuto. i| ie s.-indo consta Vil|r j.,, ri.,llccliVl) (
Je a. "ti da guerra de 29 de
, para onde fr dirigida.
X. 323 Dita ao mesmo.Communco a Vmc.
para sen cuoheeimeate que o vapor Paran Cbo-
gado dos porto do suf, segu hoje para os do
norte as 6 horas da tasde. ,,<..
X. 324 Dita ao Jirector geral dos radios.He-
metta'V. S. a ela presidencia at o dia 13 de Ja-
neiro vindouro para o relatorto que tem de
lelas que vieram da corle cora aquelle delino.
X. 34J-Dito ao mesmo.Para"eumptiraenti
do disposto no aviso circular .da rspartio Ja
gutrra, do 29 de setembro ultimo, envi V. S. a
esta presidencia a lempo ilc estarem na corte por
todo i, mez Jo Janeiro vindouro, as informa
na forma do estylo e das or-lens em vigor, sao
ministradas annualraonte por ssa directora, para
otee cao d > roialOrio (|ue tem de ser aprosen-
tado poraquelle ministe a assembla geral le-
gislativa no anuo de W70.Igual ao commandante
do preeTdto de Femando.
X. 343.Dito ao oapio do porto.Mando V.
S. aproannlar ao Dr, chefe de polica interino, ati n
estafetas d'aquella! de Ibes dsr o destine que julgar conveniente.is
reeruto Francisco Pereira da Silva, e Thomaz Pe
iraJ Aquino, os ipaaes foram Julgados icapa-
aesdo ser vi de inspeccao. que veo aunext ao sen oBoie de 9
do correnle sob n. 121, dpveudo remetter para a
corte no vapor rocaaHi, para que lleam exped
las as conveneiili s ordens i.: otas Vulf a-
dos aptos de uu:!c-s Domingos de GusmSo de Ai-
pectivo on; i no;
bomba da Chai.), c era n.*p i
appr ivo essa arrematabaj .con as eondicois com
que fui feita.
N. 360 -Dita ao mesmo.-=B i a ^ S. o
pret nominal que era d:i| annexo ao seu
ollieio do 9 Jo torrente, so!, a. G'4, na itDonan-
ca Je 36;>J>420. relativo a ..nonios de urna
escolta de guardas najejmiaes que condoli preso
dejustica Jo termo do rejipara eyta capital, te-
nlio a dizer em resposta ao rilado ofcio que man-
'de pagar somente a iiuanlia Je 3l)iit0, em que
segundo o parecer da e mtadoria dssa thesouraria
mporUm Lies voacimentos. ....
X. 301Dita ao mamiC-Taja V. s. liquidare
pajzar em vista da folba e pret Junto em duplcala
que me remetteu n eoinraamjaote superior Jo mu-
nicipio de Olmla com olBcio de 8 d> corren'
vcn.-i-oen'os relativo? ao mez de setembro ultimo,.
lo offlclal c ptaaas da $ laeda naci mal destacadas
na villa de [guanss.
X. 362.Dita a. mes n i.-C v.
par. sen c eilvecim oito que, segundo consta do
olBcio Ja corapaitiia de Beb-Tibe de 8 do crren-
te, e-t funeco I" deste mez o cha-
lib
que
ta data.
eao.
X. 36.-OU ro a Cirtw *>
Almeida Aras, enviado oxtraordinano e ministre
touipolenciario d > Brasil em Londres.Tenho*
honra de ransmttir a V. Exc. o Balanpo e copia
da acta da ItuuJafo a qne se preceden das can-
ta* da estrada de ferro do Becifo 3. Frznnisco,
reUtivaine'nto m mez In setembro protimo flnn.
N. 3tt.-portara so JciOinliaaiaiVir prveor
2o de setembro ultimo junto por copia.
X. 37(5.Dita ao mesmo.Mande V. Exc. apre-
sentar ao Dr. chefe de polica, afim de Ihe dar o
dolino que julgar conveniente o recrula Francis-
co de Albtiquerque Mnraiihao, visto ter sido julga-
do incapaz do servico do exercito, como se ve do
terino de inspeccao que veo annexo ao seu ollico
de 11 do correute sob n. 612.
N. 377.Dita ao mesmo Acabo de recommen-
dar ao engenheiro encarregado das obras milita-
res, quo se aprsente a V. Bar. para o lim solici-
tado em seu oflle n. 5'ob' de o do corrent .
N. 378.Dita ao director do arsenal do guerra.
Em vista do quo informen o biigadero comman-
dante das armas em ollico de 11 do corrente sob
n. 610, mande V. S. entregar ao coronel comman-
dante da fortaleza do Bru, os cincoenta bains
Je plvora quo vieram da corle no brigm brasi-
lero Qamao para ter aquelle destino, l'ica aSsin
respondido o seu offlcio de do corrente s
n. 187.
N. 379.Dita ao commandante do presidio de
Fernando.Segundo con*La de aviso da reparticao
da guerra de 28 de setambro ultimo, teem de ser
remettidos para esse presidio os reos Jos G mies
da Silva Ribas e Manoel, cscravo de Antonio Sub-
n i a dizer qne do de Lemos, cujas penas de morte a que se aclia-
vara coedemoado, foram por decreto de 12 He
dezeinbro do auno prximo passado coinmutadas
em gales perpetuas nesse presidio ; o que declaro
a Vma para seu conhecimento, e alim de que op-
portunamenle sejam receidos.os ditos reos.
M. 380.Dita ao engenheiro militar.Apresen-
le-se Vine, ao general commaudinte das armas,
como este solicitou, alim de proceder coin urgen-
cia aos necesarios sxames e orcamenlos dos con-
certos de que precisarem os quarleis desta pro-
vincia em cumpriraenlo do avise expedido polo
ministerio d% guerra de 6 do raez prximo flnJ".
2-- s *
X. 382.Portarla ao presidente da relacao.
Informe V. Exc, sobre o qne requerem Augusto
Cesar da Cunhae Jovno Epiphauio da Cunlia,nas
Lpetjcdes juntos, que devolver ,ce m dilainfor-
inacao. _
ao
Manoel escravo de Antonio Sebee Leaao\ atajas
penas de morte a qne se acbavaaa coadcmaaaWs,
foram por decreto de 12 de AaasmtMo de asmo
prximo passado coromutadas ew gaes perpeaeas
naquelle presidio ; o que declaro a V. S. pare ea*t
conhecimento, e afim de qm na facaesembercar
con segura ac opportonansenie.
X. 386.Dito ao mesmo.Para qae possa ter
o pagamento da qnantia de ItsVO* sil, a
e*4igt o ofaVio de 14 de setembro Maso,
n. atplf%epvadMe duraaaen aeazde agost
estsaftw, com o sustento dea prosas pebres da
eadeia d termo d'Agua iVeta, lac-se preeise jate
V. S enira do delegado d'aqu.-lle ksnan, mxtm
vie a relacao le tae* presos, a qaal sotieiWla
para o fin cima indicado' pelo inspector da Ibe-
souraria provincial em offlcio de honlein, a. 828.
N. 387.Dita ao mesmo Por parte do cowuuui-
dante das armas Ihe ser apieiftaio o recreta
Francisco de Ahonquerque Marasaban, tm le V.
S. dar-lhe desiioo quo julgar oanveoMMir, visto
ter sido julgado incapaz para o servico do exercito
em insptccSo de sande.
X. 388.-D>ila ao commandante superior interi-
no da guarda nacional deste municipio.Expeca
V. S. suas orden?, para que auto substitu 1" aor
ootra praca no destacamento do presidie de Fer-
nando de Xoronha Jos Fnociseo dos Anjos, qne
viudo esta eidade e sendo praca aft batalhao o.
42 do municipio de Serinuiem, pira'all seguiu
eomo guara d'este mnnieipia.
X. 389.Dito ao mesmo.Coranmmco S.
para os devidos fins, quo per decreto de 18 4o
mez findo, segundo consto d> Diario Oficial:
231 de 29 do alto mez, non ve por beso Sea fttoges-
tade o imperador refor nar o caaitVe do primeara
liaUabio de reserva d'este nsasopra, FWis Fran-
cisco de Souza Magaihes, m> posto de nspjor.
N. 390. Dito ao extraan Jante snperior da
Haiarda nacional da lina Vista.^asBoaace e t
S. pira os fins convenientes que segando eousta
do Diario Ofkial n. 231 de 23 do mez liado,
bsuve por bem Sua Magostado o Imperador te-
ifttregar por decreto de 18 it> dito aaez no eoaa-
raando do batalhao a. 49 de rabotara da guar-
da nacional desse municipio o teaento-corsnel i-
raas Lopes de Siqeira, Bean-ja sera affeito o de-
creto de |."i Je junho de tW7 qae o roturo*.
I- X. 391. Dito ao eummandanta eperior da
guarda nacional do Brej i. CianaiasTn a V. S.
para o seu conbeeipenio o fins coavaeienics, qne
segando eonsta do Diaria Oficial a. 231 da 19
de setembro ultimo, |or dacTelo de 18 do dtlo
raez, bou ve porbeatSna Magestade o liMaroador
reintegrar no eomraanJo .u batalhao n. 33 de ia
fautora da guarda naeinnal dosse municipio, o
lenente-eoronol Manoel r.lautlio Becerra de JJhle-
nezes, ficando sem effeito o decreto de 8 de laaie
de 1867 que o rcfijrmara.
N. 392. Circnl.'ir ao^ jnizes de direito. Kxis-
tindo no presidio de Fernando de Xoronha sn-
tenciados constantes das retacos jautos que toudn
oS,%fo*a4Jo1lf^^
V 9 iaw panminiMn .do uaadjj a ser supnrda
essa falta, para que nao sofram ellos e pos'a iiro-
ceder-se de contormuaiin -*. il_q mfisnio
mutatis mutandis ao juiz inunicipaToa f l.l
desta cidade.
X. 393. Portara ao commandante do carpo
provisorio de polica.Man lo Vmc. desligar do
corpo sob seu commando a iomedes Xavier da
Costa, visto asara o ter determinado o meu ante-
cessor por despacho de 30 do outnbro do anuo
prximo passado.
X. 394.-Dito ao juiz Municipal suppleni* da I"
vara desta cidade.Segnodo consta do aviso da
repartieao da guerra de 2^ de setembro ultimo,
tem de ser remedidos para o presidio de Fernan-
do os reos Jo- Comes do Silva Bitas e Manoel
escravo de Antonio Sabino Lemos, cujas |H-nas
de morte a que so aehavam eondemnados foram
por J reta de 12 de dezembro do anno prximo
passado, cominutadas em gales perpetuas naquel-
le presidio, o que communco a Vmc. para sea
conhecimento.
3secran.
X. 396.Portara ao uispeclor da thesouraria
fa fazenda.Uecommendo aaV. S. que em vista
da conta junta em Jnpin-ata, que me remetteu o
siiperiutendenle ca estrada de ferro do Renta a
Sao Francisco com offieio de 9 da corrente man-
do liquidar e pagar o que justamente se estiver a
dever, proveniente de prels o passagens, dadas nos
trens da mesma estrada, por contado ministerio
da guerra, no mez de set-rubro ukirao.
N. 397. -Dita ao mesmo, Ao capilao Joaquim
SilveriO de Souza, monJe V. S. pagar, depo-
is Je liquidados, em vi duplcala, que me remellen o commanJante supe-
rior do municipio de Garenhoaw com ofiieio do l.
do corrente sobe. 93, os wm-mentos. relativos *os
mezas de julho a setembro J ^te anno, deald
commandante Jo Jet icaoi.-tno de guardas aa-ro-
nacs existente na iDa Je s. B-ntu.
X. .398Dita n. iwpecl >r da thosourana pro-
vincial. F.mvisla das du.is inclusas contts,a que .
so refere o uffleia i iperin endent da estrail i
de ferro do.Recifo =. S. FraiMiaeo datado de '.i do
corrente, mande V. S. I |ui l:n e pagar o qiie se
estiver a dever, proveniente de transportes dados
nos trens da mesma estrada, por contoda provin-
cia durante o mez de seumibn nlfim*.
X. .39Ditt ao mesoi... Expeca V. S. Ras
ordens para que pela coH.-etorw de Barreirus se-
ja Mgoodestaca ment l'alti de conformidad.'.'rom
a sua iof..rm.i-a n. 629 de hontem datado.
N. itX). l:a ao mesm>. De eonffrmidade
com a informacao do dirert* geral Mffino da
instruccao publica de 6 do correnle sob n. 3. da-
da eqnj referencia a dessa ihesourana de tu de
setembro ultimo n. COI. Reeree do reqwenra.Milo
do professor publico de Tigipi Joaquim Manoel
de Oliveira e Silva, tenh i resabrtaV quo o alusuel
da casa, em qne fnneeionn a aula do supplicante
seja pago na razao de 2i" j M annuaes como era
anteriormente ao exereiri. uteiite. O qn de-
claro V. S. para seu cenhecmente e devidos c-
feitos.
" V. 401: -r Dita ao mismo. Maque V. S. p r
em hasta publica as lo:.* do 7-. e 8". tonca da es-
trada do Limoeiro, servinlo do baso a essa arre-
raataeao as clausulas e ore .mcnloslutalos p ir r .-
pia, que "me remetteu o Ctwfe da" repartie.>i Ja
obras publicas com offlcio de 16 de abrir deste
anno sob q. 149, iemjo o primeiro na imjioilan-
eia Je 3:674*900 eo sgund i na de_ 2:530 iWO.
X. 402. Dita ao chefe Ja reparticao das i-bras
publicasDeclaro a V. S. p ira seuconh"iment. e
dcrigioesnlfidc abril
X.383.-Dita ao chefe de polica interino,-\*m "^^'^'fSL.
\*ta data exuedi ordem a thesonraria provincial deste anno sob u. 149 quo a*aae)p reeoaBiayiwar
pero S?pVf"PSa cobactoria de ltarre.ro, o des- ao inspector da .hesourar.a preneei*! oa- mande
t'aeamtnto alti entente, de vende os prets ser as-, por enti hast a pn^,l.ca a *J* f '
rara annexos ae citodo elBeto.
X. 403. Dita ao mesmo. Caramanice a V
S. que nao podendo o bacharel Antonio Victrnvio
Pinto Bandeira Accioly do VastXHtetW examinar
era ariamaetioa uo concurso pie se lea f*ceder
hoje neasa repattieae- para {Kutanbasaento do lu-
gar do escroveote Jesin i para substiluir ao ca-
anbeiro Joaquina Galeno Coecbo.
X. 404. Dito ao mesme. ^m"\5^
para eav eonbecimento o em rosaos a ameio
que me derigio em 16 Jo abr*eaa a"
IW, qae acabo de rawat'naaiair ao i^paitor da.
elo fle V. S. n. 1357, do 18 do mez Ando, tenho a
diter-lhe qu, em vista do quo ponderou o com-
maadaote eoeerior da guarda nacional n> mutuci-
pio de Cabrob eo.offlcio de 16 de jnnho ultimo,
deterxnroQU esto presidencia a 20 de julho prximo
iiasMdo, fbsse -o dbstacaraento de Granito com-
mandado por um nffrier, cerno a v. S. let eem-
itnailaadii iim rtH-r *-*-
*. aiifeOito ao meemo,- Sexuado consta de
^
ILlHRI


^ .638!. 3l ?0 30 fl ASI33 &Mi*fc de Pernambuco Sexta felxa 17 de Dezmbro de 1869.
&<
YJ
n

do da Dase a essa arremalaceo as
fliusong3Wr^amento, que vieram anexos ao
citado
Hfi 4- seccio.
N. 408. Dito ao Sun. Sr. 'presidente da pro-
brincia do Rio-Grande do Norte. Pelo vapor da
companhia Piirniirabuatn|jue Mm partir d'a<(ui
no dia 15 do orraf seA en do k V. Exc.
dez cofres com esJfc Hw^pf declinados ao
deposito de aitiJHwle^Be* provincia. |i'.'
vieram da corieTHft tftflB eommunico a Ht' par*.-*1"- couliecanento e
fias convenienteglB
N. 407. Ciiv.uUr ao Ev*. $r. presidenta da
provincia i Janeiro.Kitisiin.lp no presi-
dio de Fernando daN.o >idu os sentenciados cons-
tantes das relitr>4^tadrquo 4eido do julga-
dos em diversos termos on juizos dessa provincia
foram para all remullidos c.im guias irregulares,
rogo a V. Exc. se digne expedir as suas ordens
para qno si'j.t supprlda essa falta, de modo a se
poder proceder de conformidide com a lei a rer
peito delles. Igual aos presidentes das provincias
do Rio-Grande do Sul, Baha, MnasGeraes, b.
Paulo, Sauta Galharina, Espirito-Santo, Sergipo,
Alagoas, Paran, Maranhao, Rio-Grande do Norte,
Parahyba, Para, Cear e Piauhy.
N. 408.Portara ao gerente da eorapouhia Per-
nmbucana.Pode Vmc. fazer seguir para os por-
tn do nono e sul os vapores Pirapama e Guala
no dia lo do crrente, a hora indicada em seu
oBcio de ljlerto mez. .
N. 109.Dita a cmara municipal de Nazarem.
Declaro i cmara municipal de Nazaroth en
resposta ao seu olicia do 19 de junho ultimo, que
nesta data mandei por era hasta publica as obras
do 7 e 8 leos da estrada do Lmoero uas
quaes se acha compreheudido o aguda de que
trata o seu citado ulilco.
Expediente asshinado puto su. Dn. joaquim con-
Ml* DE AllAUl.l, SBCRCTABIO 00 UOVBIINO, EM U
DE OUTOBRO t) 1869.
1 seccao.
N. 410.Officio ao Exra. Sr. general-couman-
dante das armas.De ordem de S. Ex. o Sr. vice
presidente da provincia, declaro a V. Exe. em res-
posta ao seu ollicio do n. 610, do fT lo eorrente,
que nesta data, so recommendou ao cefonel di-
rector interino lo arsenal de guerra, que mau-
dasse entregar ao eo nmandante da fortaleza do
Bromos 50 barris de plvora que vieram da cor-
te para terem esso destino.
N. 411.Dito ao mesmo.Do ordem da s>. txc.
o Sr vica-presidente da provincia declaro a V.
Eic. em resposta ao seu officio de 11 do corrente,
sob n. 611, que nesta data se mandou salilazer
o pedido do emnmandanle lo Corte do Bruia, quo
veio annexo ao seu citado oflcio.
2' seccao.
N 412Oflrio ao Dr. ehefe de polica interino.
O Exm Sr wiee-presldeote da provincia manda
declarar a V. S. que ficoadbfcirado pelo seu olli-
cio n 1481. de 9 do corrente, da ter a l desle mez
se aureseutailo e eomceado a servir as U prae
da guarda nacional ooui qucfdt augmentado o des-
tacamento* de G>yanna. Ju~ A
N 413 Dito ao com.nand.vite superior da
guarda nacional de Garanlnns. -Sua Exc. o Sr.
vice-presidena da provincia manda declarara V.
S. em resposta a i seu ofcio do 1 do correrte,
sob n. 9:1, enea fliesoarari de fazenla lera or-
dem para pairar ao capillo Joaqumi 'veno de
Souza os veneimeotai constantes das fothas. que
em duplcala viera n annexas ao citado olc >.
3' seccao.
N. 414 Offlcio ao inspector da thesourana de
fazenda O Bx*. Sr. vice-presidento da provin-
cia mand i declarar a V. S., que segundo ofllcio
doDr. rhefa de pilica le. 9 do dorante, sob n.
4481, 1 testa mei se apresontara'ii as lo pra-
cas com as quaes foi augmentado o destacamento
da cidade de uvaniia.
N. 415D,n aormsmo.O Exm. br.vice-presi-
deote da provincia manda transm'.lir a V.S. a in-
clusa ordem cm duplieata.sob n. 688, expedida pela
repirtijao do ajodaute general do exereito.
4.* seccao.
'Tf- 416. om-io ao Dr. Manoel de Figueiroa
Paria. De ordem de S. Exc, o Sr. vico-presiden-
te da provincia rogo a V. S. que de conform
dade com o son contracto minu imprimir com
urgencia, cm b m papel, 300 exemplacu das por-
taras de sabida; para navios pelo modelo indas I.
N. 417.Dilo ao supertendeute da entrada de
ferro do Rcifa i Sao Praneisco.-Pula secretaria
do governo e declara ao Uta*. Sr. superintenden-
te da estrada de farro do Recite a Sao Francisco,
em respoSW ao seu nfcio da 9 do correnta, qn?
tra:i- uilli ias t-< mrarias geral e provincial, para
xas ao '
, SlDRCIA DV PnOVINCIA D5 DIA
\'l IR DKZKMORO.
Te le A mi Uaji i da Aranjo.luforme o
Sr. e vni e i nmamlante uporior da guarda na-
cional -i i nunicjph do lerife.
! Vierra da Conha.Nesta data se
providencia para (te o supplcante nao encontr
emlnrai; > na r impaa d > genero da qno trata.
Baroneza dj Vera Cruz.Junto esto ao reque-
rimant anterior, informe o Sr. inspector da tbe-
soiiriii i Ae rateada.
Bernardo Cwieiro Mmtairo da Silva Sanios a
loao 0 i*n n >f.:i: ;iro di Silva SantosInf.irme
o Sr inspec n da Ihesouraria provincial.
laiisario AI vas Paa< Brrelo.Informo o Sr.
dazambargadir provedor da Sania Casa da Mise-
ricordia.
Onaringoa Mirlins Nugueira. O recurso de
graca a que o 'upplicanle alinde, fo indeferido
e por iss'i na i tfn l^gar o que requer.
Frailis,:. Parreira Borge*.EnearainbO'Se.
D. Francisca Freir da Cosa.Ao Sr. inspector
da Rmouraria do fazenda, para mandar registrar
as ierras de qia trata a rapplieante em vista das
declaiactes que esta jeve apreseomr nos termos
d artigo 101 do regulamento de 30 de Janeiro da
1831.
Gustavo los do P.ago.Informo o Sr. inspec-
tor da thesouraiia de fazenda.
Hermina Januaria Goelbo.Informe o Sr. de-
zainliargad,-r provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia.
Ignacio Francisco Caralcante.Exiba o suppl-
cante o ttulo pelo qual posma as trras da que
trata.
Joao Menoe) Roma Jnior.Selle os documen-
tos que junta.
las Augusto de Araujo.A vista das informa-
oes nao lem lugar o que reiuer.
* Mara RHa do Reg. -Informe o Sr. doseinbar-
gador da Santa Casa de Misericordia.
Manoel Bemvenuto Nepoipuceno.A' vista da
infonnacao nao tem lugar o que requor.
OURIO DE PERNAMBUCO
RECIFE, 17 DE DEZMBRO DE 1060.
O Sil. MINISTRO DA ACBICLXTUHA E A ESTRADA
BE FERRO DO RECIFE A S. FRANCISCO.'
V
Prolangamento fvwej o centro da cidade.
Nio 6 de iiojb que se reconiiece a neces-
sidade do prolongamento da estrada do
S. francisco pora o interior da cidade.
Desde os primeiros annos de sua abertura
ao transito que o espirito publico se pro-
nunciou por esta necessidade, de que de-
pende em grande parta o futuro d'essa via
de commuoicaco.
Partindo da coasideraco de que os pro-
ductores da zona servida pela estrada miji-
tos prejuizos solrcm eom o transporte de
eus productos das Cinco Pon tas para o
Recre em carrocas, j pelas ms condicoes
em que elle 80 faz, j pelo custo que lhes
importa, choga-se convieco d'essa neces-
sidade, aindaapoiada as dilculdades expe-
rimentadas oo.trajecto, que se faz atravez
de ras eitreitas o tortuosas, para levar os
dops principaos gneros que transtam na
slrada=assucar algodo=ao_foco do com-
mercio de exportafo.
Muitos agriculto-es, na contingencia de
tfcesourara provincial, que mande por em itorta j cdoritrS ni continnadas madfit^s : da es-
' is do T. e 8. teos da estrada do lac5o reraeUente 4 destinaUria, Bawawdo por
duas operaces de carga e lescarga dos
wagoes; da eslar/io destinataria ao arma-
zem, passando.por otitras^duas pperaQes de
carga descarga as carracas ; cntribem
para 0 depreciameq.to de alguma.dfla9, ejy
contar c^n as intemperies do'tKpo ((
sao expelas no trajecto, e anda sem con-
tar com os descuidos o ate com a m*
dos condoctores de carracas, que mu**
vezes se nao pejam de violar os voluww
que Ibe s3o entregues.
ludo isto junto con\>Mencia que
traria ao commeicioaapproxinvscao da esta-
5S0 terminal do seus armazens, situados as
proximidades dos caes, justifica a ancieda-
de com que esperado e desojado o pro-'^
longainento da estrada para o centro da ci-
dade.
A partir do 1860. diversosprojectos tem
ssido apresentados, e levados ao conhecimen-
to do governo, para esse prolongamento; e,
desde o menos pensado, no qual se preten-
da levar o prolongameato ao bairro do Re-,
cifo pelos recifes, at o ultimo do Sr.
Mann, quo propoz leva-lo atravez das mas
Nova de Santa Rita e Praia ou um pouco
mais pelo nascente, caso iiHo se resolve>se
o governo a ceder o edificio onde se a -ha
o arsenal de guerra e outras repartieses
publicas .para a estaco termina, como
pretenda o projecto ; todos tem sido mas
ou menos considerados, bem qae deixados
depois no mais censuravel esquecimento.
Em I SCO propoz a companhia fazer o
prolongamento, se concordasseo governo em
que fleasse ella desobrigada de levar a es-
trada at confluencia dos ros Una e Pi-
rangi, ficando cinco milhas quem, no lugar
Formigueiro.
Esta proposta, que a presen tou embar-
gos o engenbeiro fiscal, nao foi e nem devia
ser acceta.
Em principios de 1861 mandou o gover-
no orear sse prolongamento, l'azendo-se
os respectivos estmlos previos; mas, pre-
tendendo a companhia que a despeza para
sorequerida, corresse por contado capi-
tal a empregar n'essa obra, ou qne' fosse
ella incluida nascontasde custoio, resolveu
o governo addiar esse negocio at que Ihe
ebagasse s mos o relatorio da coinmiss3o
nomeada por aviso de i l de agosto, sobre
os negocios da ompreza que diziam respeito
a" capital.
Nj mesmo anno, de 1851, e nos sub-
sequentes, diversos projectos foram a pre-
sentados, devidamonte acoinpanhados dos
nocessarios planos e ornamentos. Nenlmrn
desses projectos mereceu as honras de ser
estu-lado e muito menos de sor approvado.
Enfr.i ellos liavia um cojo autor gro-
punha levar o prolongamento at o bairro da
Boa-Vista.
At ento nao havia o accordo que boje
esta parirte?, do que a esticju) terminal de ve
ser em "Santo Antonio, e no caes do Ramos,
pelas facilidades que traz ao comercio.
O mollior local seria sem duvidn o bairro
do Recil'e ; mas, sendo de dicilima c-xecu-
co, pela 'natureza e custo das obras que
seria miser fazer, incluinda n'estas as
dispendiosas desaprnpi-aces para a funda-
co de urna vasta estaco terminal, e se1-
vindo alera disso a ponte, sobre que dove
ria a estrada alravessaro r Capibaribe.de
maior entra va a porto ; tom-se chegado
oofOinummanle ao a.-,-.ordo de que o caes
do Ramos offerece as vaniaSaU.SjgflUeriiias.
Fo para iihi, portanto, queo3"prjJj8cio3,
ui-siiB ciiTuu,i6vaii:n u camiiiho de ferro ufh
seu_ prolongamento para o centro, da cidade;
e s estes illtimos prujectus ter oceupa lo
at certo ponto a altencao das partes inle-
vssadas.
Em offico de II de junho do 1367,
dirigido presidencia da provincia, dizia o
engonlriiro fiscal, reerindo-se esta qios-
lo :
Tres lem sido os tractdos propistos
nesta. direcljio para o prolongamento da es-
trada at o caes do Ramos i ol, costean-
do parte o bairro de S. Jos e o de Santo
Antonio, por meio de um viaducto ; o 2.
boira do caes, passand > pelos diversos t r-
renos do marraba, quo se acham n'essa par-
to da cidade ; o 3." finalmente, mais inte-
rior, procurando a ra Nova de Santa Rita
e a i ua - do "arsenal de guerra.
N'esse documento combato aquelle enge-
nbeiro as duas priraeiras propostas, n3o ^
pelo lado dispenlfoso pois que, principal-
mente a primeira, acarretavam grande
obras, como tambem pelas difliculilades qu--
trariam ao commercio, cujos armazens es-
peciaes se mudariam para o caes do Ramos
o ras adjacentes, que ficaram privadas do
goso dos caes para embarque dos gneros.
Quanto terceira, bem que paroca ser
ella a preferida, faz-lhe carga todava aquel-
le fon setenario das grandes despezas de
desapropriacao que seria mister fazer, tan-
to para a estacan como mesmo oara o esta-
belecimento do leito da via frrea, sobra-
tudo nao concordando o governo em ceder
o edificio onde funeciona o arsenal de guer-
ra e outras repartices.
A' nosso ver a melhor destas propostas
a que estabelece o viaducto ; mas custan-
do este somma importante de dinheiro, que
nao est em relacao nem com a posicSo da
empreza nem com o trafego actual, torna
se o terceiro prefervel.
A questo, porm, na"o de adopc5o
d'este ou d'aquelle projecto: ella se resu-
me na necessidade do prolongamento, com
tanto que este seja raciona*, econmico, e
de accordo com o movimento que por ven-
tura possa ter a parte da cidade que tem
de ser atravessada.
Dentro d'estes limites, po .co importa.
tenha ou nao a iniciativa da obra a actual
companhia,.iuna vez que o prolongamento
soja feito com a precisa seguranca e so-
lidez.
Nem a companhia pode exigir mais
esse respeito do que a preferencia na cons-
truccao, em identidade de cirenmstancias ;
mas, anda que ella sejulgue com direitos
adqueridos para essa contrucco, ao gover-
no cumpre entrar em ajuste com ella, eipon-
do Ibe as suas vistas, e exigindo d'ella sua
prompta execuc5o ou cess3o d'esses pre-
tensos direitos.
Dada esta hypothese, diz o mgenhtiro
fiscal, em seu relatorio de junho de 1866
dirigido ao ministro da agricultura, presu
mo que a concess5o de um privilegio para
aquella construeco, com urna tarifa espe-
cial para os transportes, ser suficiente
=
Passageiros......... 180:000
Ragagem........... 654:000 kilog.
Mercajorias......... 43:000 ton. irt&t.
Animaos............ 6:000
e calculando a renda provavel pelas tarifas
acluaes, para orna distancia de dois kil-
metros, qu^plduz: .
PassageroraT.. ^WSOOOO
Bagag< 1C(K)0 '
MorcAjH. 86:0004000
&a^^v. ioosouo
............ lf7:CI6jJOOO;-'
e, tamafldo-se 30 / Par* despezas de con-
servacSo e lracc3o',.porcentagm siiilicienu
pata-^'pequea distancia e condiro^; em
que se far o trafego etc. etc.; chega-se
'uiutroduefcj. lquido de cerc3 de........
9O!W00il0OO, que vem a-ser prximamente
8 % do capital provavel a empregar nessa
obra, cojos oreamentos nio exeedem-de
1,200:000*000.
Na hypothese, porm, de ser a actual
companhia a qncarregada da obra, nio ve-
mos desvantage-B era ser eslendjda, at o
capital necessario para o prolongamento da
estrada para o centro da cidade, a garanta
de juros, urna vez que o calculo cima pro-
melte 8 / esse capital, e tudo leva a
crr que o progressivo augmento qua va i
lendo e ha de ter sempre o trafego da es -
trda, dar em resultado urna maior renda
liquida na extenso que so va construir, e
por tanto um. maior tacha de juro para o
capital do 1,200:000^.
Elevando-se o custo do prukragamento
sobre aquella verba, anda assiaser van-
tajoso ao thesouro esse accresciraO'de garan-
ta, com tanto que o accrescirao do capital
n3o exceda de mais de 20e/0- .;
Esse prolongamento, devendo influir
derosamenle sobro a renda total da estr
alm de ser um importante inelhorartiento
nao s para a estrada de ferro, como tara
bem para a provincia, desoneraro thesou-
ro do mais um pouco da carga dos 7 "/, e
contribuir para o bem estar dos agriculto-
res, augmentaudo por consequencia i ri-
queza publica. >
Para que, porm, o governo nao tenha
de empregar a tiscalisacao nesse. prolonga
ment, melhor seria que elle se izesse
sem garanta, obrgando o governo a com-
panhia a ceder dos seus diretfis em prol
de quom se sugeitasse a faze-lo, ten do ape-
nas o privilegio (lo transporte' eumi tarifa
remtinersdora.
L'o aceorao com o que cima diurnos,
apresentou ltimamente a companhia a go-
verno um projecto ausente sobre as segu li-
tes bases, quo ella se sugeita
t 1." Aelfectuar o prolongamento da 1-
nha at o centro da cidade do R'edife ; e, no
local que fr e verno, constrair a conveniente estaco ter-
minal e fazer* as accommodaces o mais
obras necessarias, -quer refer la cslaro,
qaer s outras partes da estrada e porto do
Recife, e que se convcncionc e forem pro-
ve tosas.
2. Todas cssas obras sero feitas
contento e sob a inspeceo do governo, e
nao excedero de 150:000.
A fornocer todo o trem rodante addi-
cionar que for necessario para a estrada ole-
recer eommodo transporte, quer com o tra-
fego actual, quer com a augmento esperado,
em consequencia do prolongamento da linha,
nao excedendo o custo do novo trem *H
4oijuuiiuaue*2T!qBart(ewente
de taeS ui'spezas, ser liivantRp^^la com-
panhia mediante urna garanta srffiHent^
para semelnante (im.
Esta proposta parece-nos acotavol, cx-
cupcSo feita para os algarismos, que acha-
raos elevados. Ella merece as honras da
um estndo reflectido e serio, tanto mais
quanto j tem sido demasiado longo o pra-
zodo adiamanto dessa questo.
Akuem pensa quo a questo desse pro-
longamento est subordinada ao mclhora-
mento do porto do Pernaubu/o, t n'um
projecto para estas obras, apresentado pelo
Sr. Gaho e outras tratase delta.
Mas, alm do quo, nesse projecto, a po-
sieo da estaco terminal lica leste e
pouco afaslada do arsenal de guerra, aceres-
ce que os projectos de melboramcnto do por-
to de Pernambuco mais racionaes nao al
teram a direccao dos ros na cidade.
Por tanto, anda guando houvesso essa
immediata dependencia, nao cromos que
olla devesse projudicar o prolongamento,
ficando a estafio terminal no caes do Ra-
mos, o facilitando consequentemeute o em
barque dos productos transportados pela
via f-rcoa, p ralo qu) se te n sempre em
mira as estradas de forro da natureza das
do S. Francisco.
Em concluso, o quo queremos, para o
que fazemos votos, oqueemnomedos inte-
resses da provincia reclamamos do Sr. mi-
nistro da agricultura7 o do governo impe-
rial, a satisfaco difssa urgente necessi-
dade, e de tantas outras de quajest depen-
dente o futuro da estrada do forro, c bem
assim o da agricultura das regies por ella
atravessada.
hnmp^ao, que como sabemos, para l partir, tete
por Um apressar o regresso das tropa* de seu paiz
para Buenos-AyVes, o que se eslava verificando.
Dizia se tambem que sto nao nfportara
o Brasil conlinuasse as operaedes. ate aux-
pulsao ou captura de Lpez.
Orra igualmente, que forcas argentinas ha-
vam tomado pusic.a > territorio paraguayo, lu-
garehsflsjarvuia Oite^toajarado w'
como sfl k terreno ]rgenikad,'h:ivendo o Sr.
Wfcelh^Bpiranlios i o poverno previsoria pro-
iloHIta esle pn^cdlr dossso nllta i, que
uio esi de accordo cem a convem-io celebrada,
governo do Pe tinha mandado retirar o
seu'ministr na crt do imperio, por causa de
acreditar, diz a folha iglcxa que ja citamos, as
intrgaseos ininiigos d llrasil, qiiu conseguirn!
fazer crar_qte o reprosentaute peruano era sub-
servieoiir corte brasi Jaira mas Je esperar que
elle confunda os seus adversarias e volte a oceu-
par o lugar que tao dignamente exerce com honra
e crodilo para o Per.
Tinb cinglo i corta oDr. WiUinien, eom-
missario por paite da Boliva, para terminar, de
accordo com os commissarios branleiros, a eter-
na queslao de limites, quo temos com aquelle paz.
O banco Mau 4 C. de Montevideo recomecou
o dast mez as suas operaefies, causando logo
urna baixa de 3 / no premio do ouro.
O Sr. Ignacio Viera Machado communcon
o soguintc da eslscao do commercio em data de 7
do correle :
's 2 I/i horas da tarde deste dia cabio um
raio sobre um pequeo rancho situado no pa lo
da minba fazenda de S. Jos, freguezia de Sania
Thereza, onde abrigavam-sc cinco crioulos meus
eseravos, do que resultou matar-me dous, de 10
a 11 annos de idade, um por asphyxia e outro of-
feadido pela faisca elctrica as costas, peito e
cabeca.
O Exm. Sr. ministro da fazenda effeclnou a
venda do 23,006 opolices da divida publica de ju-
ro de 6 %, ao Banco do Brasil, sendo 3,000 ven-
cendo j o Juro dojde o 1.* de julho ultimo, e pa-
gas a raiao de 80 % egual 77 '/., e o resto a
1 -
nhos.'Z. M. da Costa, L. G. de Almeida Araujo,
Hermelinda A. de Almeida, te P d S, Spares,
F. C. uarle, F. de S. Mello. Tde A. Monteiro, .
Benjo, V. da Silva Pftihelro, M. B. Perelra, A. P.
JJorges, J. t. Pereira, P. K. Fon les, F. A. OoJA-
metda,M. Sv M. de Araujo, Dr.. Tobias B. Ue Mene-
zes, S. M. da CooealcSo, A. V. Cansa!,
Sahidosjjara a Europano vapor
Cliaco, si ni :
Victor Souvage, Holley'Welliams;
ge, M. Faraco e Puraco.
Sabidos para o Bio Grande do
te brasileiro Flor do Rio Gran':
Amerito Vespucio Somonte. TlieoOlo StOne Se-
inoute, Jos Antonio de Azevedo, Augusto Joaqaim
de Carvalho, Josd Maria Jorge Aievedo, Boaifacio
Lonreneo Be*sa, JSquim Guilherrae Cortes, Ma-
noel Jos Mgado e Trajano Jos Ferreira.
CEaiTERK) PUBLIC**Obituario do dia 13 do
corrate :
Francisco Ilenrique Jorge Pache Pernarbuco,
21 aauo, solteiro, Boa-vista; tubrculos pulmo-
nar. 0
i i pvA'
Luiz Pessoa da Cunha, Pernambuco, GO annos,
vuvo, Boa-vista ; brancho pmmonite.
Fnncisco G unes [da Costa Beltro, Pernambu-
co, 18 Baos, soltero, S. Jos ; tubrculos pulmo-
nares.
Baymuudo, Pernambuco, 45 anno3, solteiro,
Boa-vista; hepatito'clironici.
16
Antonio Novaes da Cosa, Portugal, 30 annos,
solteiro, Ba-Vista; hepate pulmona.
Francisco, Pernambuco, 22 annos, soltero, Boa-
Vista ; febre maligna.
Mana, recem-nascida, Pernambuco, Boa-Vista ;
inviobilidade.
Joaquina Maria da ConcdcSo, Pernambuco, 55
anuos, casada. I!oa-Visia ; cancro uterino.
Antonia Marginia de Oliveira, Pernambuco, 43
annos, ca doctos, sacrificando o interesse aue por ven-
tura Ibes proporcionaria a modicidade das
tarifas da estrada.
De mais, sabido que a serie deevolu-
ocs e cboqaes que experimeaUa as mer-
/
se sugoitarem aos vexames de um tal ser-
vjco, preferem mandar por agua os seu3pro- para" que a obra se reaHse, taes s5o as suas
vantagens, Armadas em algarismos que nao
soffrem contradieco.
E assim ; porque, tomando por base a
media das estilsticas dos tres ltimos annos,
qve d :
Noticias do snl do Imperio.
Era vagcm para o Havre, arribou hontem pela
manhaa ao nosso porto o vapor mgle? Cosan, da
linha de Liverpool, aflu de receber as malas de
Pernambuco para a Europa, menos as de Portugal
e Hespanba, que dfviam seguir pelo Gironde,
que era esperado em nosso porto desde 14 do cor-
rete.
O Gironde, tttjo ctksgado de Buenos-Ayres" c
Montevideano da 5, ostava carregando no porto
do Bio de Janeiro, qnando, s 6 horas da manha
de 7, fez explosao ama caldeira pequea que ser-
via para mover o apparelho destinado carga e
descarga do paquete, .linda se ignoravam as cau-
sas do sinistro ; seas tristes resanados, porm, fo-
ram a morte de doos foguistas, fenmentos em G
homens da eqaipagem, e diversas avaras nos tu-
bos que se ligav&m caldeira grande.
Os reparos dess avaras, dizia-se, levaram 5 a
6 dias, segurado o vapor logo depois directamente
para a Europa.
S. M. o Imperador, que devia visitaro navio as
11 horas da manhaa do dia em que se deu o acci-
dente, lando sido delle informado, foi bordo, e
fez conduzir os feridos para trra, mandaiidu-os
tratar no hospital portugus.
De um numero do Jornal do Commercio de 8,
de outro do Anglo BrasMan Times, e do um do
Jornal da Baha, que nos foram obsequiosamente
prestados, extrahimos as seguimos noticias.
RIO DE JANEIRO
Canlnuavam sem importancia a3 noticias da
guerra. Dizia-se agora quo Lpez eslava em
Igatimy, com tres mil Inmenso vinte pocas pe-
3nenas de artilhria : que havia oblido um gran-
e auxilio de indios gaaranys, os quaes postou
subre as monlaohas ,de Maraca/u, para impedir o
passo s no^sas irops, conferindo ao.caeiqae da
tribu a graduadlo de general.
. As forcas nossas que ostavam em Caragaaly,
retroeederam para o Kosario aonde se enenrpora-
ram eom as do general Cmara, alii de penfetrar,
se for nossivol, no norte do districto occa'pado
agora por Lpez
O Sr. cocjde d'u ai ma nao tinba a vaneado por
falta dvmailimeitos.
A lussao do mioitro argentino Vareila, era As-
vencer juro do 1. de Janeiro prximo sero pagos
no 1. de roril razo de 77, egual a 75 /- O
Sr. ministro tambem se eoropronielteu nao fa-
zer nenliuma outra etnissio de apolices ou de
bonds pagos em ouro at o 1.a de abril prximo
aturo.
O cambio obre Londres regulava a 19 3/ d.
par lOOO (papel bancario) e de 19 5/s a 19 Vi <>.
(papel particular). Sobro Franca faziamse tran-
saccoes a 488 ris por franco.
Os soberanas () vendiam-se de 123400 a...
1SM50 cada nm.
As apolices geracs de 6 % vendiam-sc de 81 /s
a 82 V, %; as do Banco do Brasil a 83 %; c as do
empresiimo de 1868 a 750O0 de premio.
O Gunr chegou do norte do imperio, e o Sa-
vote de Marselha no dia 7 tarde.
A alfandeca rendeu de 1 a 7 do corrente...
555:212000. '
DAHIA.
Pela presidencia da provincia foi _notiea>
promotor publico da comarcado Joazeiio, .o Or.
Joaqaim SimSes Daltro e Silva.
Anda a presidencia da provincia, por acto c
7 do corrente, approvou provisoriamente, as novas
tarifas para a estrada de ferro da capital ao Bio
de S. Francisco, segundo o systema mtrico deci-
mal, c o regfilamento para o servico das estacos,
que foram confeccionados pela superintendencia,
de accordo com a reparlicao fiscal da estrada.
A caixa hypotlrecaria deu, no semestre lindo
em 30 de novembro ultimo, um dividendo de
3$i00 por Mcao.
Pelo 1.a dislricto eleitoral da provincia, foram
eleitos disputados asscmbla respectiva os Drs.
Francisco de Azevedo Monteiro, Jos Eduardo
Freir de Carvalho, Antonio Garcia Pacheco Bran
ilo, Felisberto Antonio da Silva Borta, Francisco
los da Bocha, e Manoel Jcronymo Ferreira.
Sobra a capital e arrabaldes cahirain, de 5 a 8
do corrente, copiosas chuvs, acompauhadas do
trovoada3.
No 2.a districto da freguezia da Cruz das Almas,
fm assassinado, no dia 23 do passado, o coronel
Fumino da lloclla Medrado, por um seu e?cravu
chamado Militan, qne foi em ontmente preso.
\ alfandega rtndeu, de 1 a 10 do corrente
:>72:.-3Q220.
Fieava a sahir para Pernambuco a barca por-
tugueza Acaso.
O cambio regulava : subre Londres 19 3/i a 19
" i I, sobre Paria 477 ris. sobre Hamburgo 918
ris, o sotad Portugal 170 9/0.
Sant'Anna ; appellado, o ,
zo; ap|*l!ada, Maria.
As 2 horas da tari
|zo. Appellante.o jui-
^B>'se a sessao.
PBLICACOES A PEDIDO.
f
Acto de caridade
E-
i e edililf o MBrar ac?ao (testa
l o mais sublime
ro, que so poda dedicar ao sao autor.
racando nesta pobre villa de Serinhcm desde
novembro dq aaoo passal) o mal da varila, sem
exceptuar qua8laingaen ; e por consegnntc mais
soffreii'lo os indigcnies : o Hlm. Sr, raajor Prls-
eiann % Accioly I.ins, digno proprictari
n'es.ta freguezia o nico que apparece, abrindo a
sua bolsa para soecorro da classe necessilada ; ja
depositando quanlias em diversas mos de pes-
soas desla villa, para serem destribnidas pelos in-
digentes; j dando ordem para a botica forneceros
medicamentos precisos: j finalmente ordenando a
urna casa de commercio desta villa parafornecer
todo o alimento, e fazenda i para roupa > cama ;
sobresaindo mais esta aejao caridosa por estar
isenla de toda vangloria e ostentacao iwis o nc-
cessitado recebia esta esmola como cabida do co,
porque ignorava qual a nio bemfascjaque o soc-
corria.
Senhorcs redactores, tenliam a bondade de pu-
blicar estas liabas, que sao digaas do verdadeii"
mrito.
l'nrttu atsignante.
COMMERCIO.
rmiyAMBco.
EEV1STA DIARIA.
DEPI TADOS PltOVIN 1AES.Ilecebnmos hon-
tem o resultado dos collugios de Ingazeira, tores
e Bna Vista, quo reunidos aos dos collegios do
Brejo, Cimbres e Cabmb, organisa assim a lista
dos votados para depntados "pelo 51 districto :
Dr. Jiiaquim Gon;alves Lima 228
t)r. l'.ulino Augusto de Almeida 228
Dr. Jos Joa.|uun ie Oliveira Ponceca 228
Dr. Francisco Domingues B. Vianna 228
Coronel Galtcr M. de Alencar 228
Vigario Antonio Jos F Novaes 223
INSTITUTO AROHEOLOGICO E GF.OGRAPHI-
CO PEBNAMBNCANO. lleunio-se hontem esta
socedade, sob a presidencia do Exm. conselbeiro
monse.ihor Muniz lavares, e con> assistencia dos
Srs. Drs. Joaqaim Portella, Aprigio Gumanies,
-'nares de Azevedo, Jadntho de Sampaio, Gervasio
Campello, e os Srs. padre Lino, major Salvador e
Ferreira de Almeida.
E' lida e approvada a acia da antecedente.
O Sr. secretario perpetuo menciona o segrate
excediente:
Um offlcio do 1" secretario interino do/no Po-
pular, convidando o Instituto a se fazer represen-
l ir em um offlcio fnebre que no da 17 do cor-
rete manda celebrar pelo repouso eterno d'alma
do senador Thcophilo Benedicto Ottnni. O Sr.
presidente convida os socios pr senles a compare-
cerem naqnella sulcmnidade fnebre.
O mesmo Sr. secrelaro perpetuo d conla dns
seguimos ofTertas : varios n*. do Diario de Per-
numbuco, pelo consocio De Figueiroa ; um n. da
Opiniao Nacional e quatro do Assuense, pelas res-
pectivas redactes; um esemplar irapnesso con-
tend) nm discurso recitado no senado pelo conse-
Iheiro Francisco de Paula da Silveira Lobo sobre
negocios de Pernambuco, offertado pelo Dr. Cice-
ro Peregrino.Todas estas offertas tao recebidas
com agrado e mandam-se archivar.
Entra em discusso e approvado um parecer da
commtssao de admisso de socios, sendo tjfeito so-
cio correspondente o Sr. bacharel Joo Baptsta
Begueira Costa.
Nao havendo mais nada a tratar levanta-se a
sessao.
ABBEMATaCO DE ANIMAES.Vo amanhii
praca, pranle o juiz de paz da freguezia de S.
Jos, s 10 horas da manha, diversos porcos ap-
prehendidos pelo fscal interino da cmara muni-
cipal, de conformidade cora as posturas em vigor.
TRABALHADORES IXCOMMODOS.-Moradores
das roas da Unio e visiniias so nos queixam do
barulho que faz-im os trabajadores dos trilhos ur-
banos de Apipucos, de meia noute em diante, com
o assentamento dos no vos trilhos. Parece-nos que
a hora mais impropria possivel para semelhante
trabalho, sobretudo pelo iocommoda que causa aos
moradores desses lugares. Esperamos providen-
cias no sentido de cessar o mal.
'PASSAMENTO.Fallecou hontem tarde, vic-
tima de longos padecimentos, agravados por urna
terirvel herysipela, o Sr. Domingos da Silva
Campos, antigo commerciante de molhados roa
do Imperador.
O finado foi sempre homem probo, bom pai de
familia, e amigo dedicado daquelles com quera
entretnha retacees de amisade.
Damos nossos psames sua inconsolavel fa-
milia.
MORADOR. 4 ha, as proximidades da ra Bella, um convent-
culo que perturba e incommoda os visinhos, nao
s com barulho que fazem seus frequentadores,
como com as palavras obscenas qae proounciam
era altas vozes. Chamamos para all a alten cao
da jolcia.
LEILAO.Conforine est annunciado deve ter
lugar amanha as 11 taras o leilo de fazen las
avaradas por Intorvencio e era o escriptori) do
agente Pinto ra da feraz n. 38.
O agente Martms faz leilao boj* dos geoeros
da taberna da travessa da ra das fcruzes n. 12
s 11 horas do dia. fe>
LOTERA.A qae se acha venda a 131a, a
beneficio da igreja de S. Joo do Abreu de Una,
que corro ao lia SI.
PASSAGEiROS.-Sahidos no vapor brasileiro
Potengy para o Aracaju e portos intermedios.
F. y. Paulino da M C. da Oliveira, sua nwlher, 3 fimos e 3 sobri*i
CHRONICA JIDICURIA.
TRIBUNAL D.4 IIUI.UlO.
SESSAO EM II DE DEZMBRO DE 1869
PRESIDE.NCI.V DJ EXM. SR. CONSELIIEU',0 CAETANO
SANTIAGO.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. desem- }
bargadores Gitirana, Lourenco Santiago, Alincida
Albaqurque, Motn, Assis, Doria, Domingues da
Silva, Regneira Costa e Souza Leo, faltando o Sr.
desembargador Guerra procurador da cora,
abro-se a sessao.
Pausados os feitos, deram-se os segiiates julga-
meruos :
Recursos crimf.s.Reccorrente, Francisco Ma-
noel de Siqueira; receorrid.i, o juizo.Relator o
Sr. desembargador Molla, sorteados os Srs. desem-
bargadores Lourenco Santiago, Doria e Begueira
[.Costa.Improcedente. Reccorrente, o juizo; rec-
corrido, Florencio Ferreira Campos.Relator o
Sr. desembargailor Doria, sorteados os Srs. desenl-
ia Albuquerque, Molla e Lou-
renco Santiago.Improcedente. Reccorrente, o
juizo; reccorrldo, Justimano Cavaleante de Al-
buquerqueRelator o Sr desembargador Almei-
da Albuquerque, sorteados os Srs. desembargado-
res S uza Lea i, Domingues da Silva e Glira
na.Improcedente. fl
Aggr.wos de rETiijAO. Aggravante, Joaqaim
Francisco de Albaquerque Santiago ; aggravado,
o juizo.Relator o Sr. desembargador asss, sor
teados os Srs. desembargadores Souza Leao e Do-
mingues da Silva.Dou-sc proVimenlo. Aggra
vante, a Santa Casa da Misericrdia; aggravado,
o juizo.Relator o Sr. desembargador Doria, sor
laidos os Srs, desembargadores Sonza* Leo e
Domingues da Silva.Ncgou-se provimenlo.
Habeas corpl'S.De Pedro Soares Tavera, ne-
gou-se a soltara. dem de Antonio Jos da Silva,
conccdeu-?o para o dia 18 de corrento mez,
ouvindo-se a a.itoridade.
PaoBOGAn.to d?. inventario.De Joo Baptsta
Ginios Penna.Xegou so. dem de Antonio Bsn-
to de Araujo Lima.Concedeu-se.
AppbllacQes cbiues.Appellante, o juizo; ap-
pellado, Siman Correa Lima.Improcedente. Ap-
pellante, o ja izo; appellados, Boaventura de Julho
e outro.A' iiovo jury. Appellante, Joao Correa
de S; appellados, o juizo e Joo de Meadonca
Piulado.Absolvido o appellante. Appellante, o
juizo; appcliada, Felippa, escrava.Improceden-
te. Appellante, Vicente Salles Gomes Primo; ap-
p.llad.i, a justiea. Absolvido o appellante. Ap-
pellant, ojotes; appellado, Benedicto Alvo* Mon-
teiro.Mandou-se juniar a acti. Appellante, o
juizo; appcliada, Thereza de Jess.A' novo ju-
ry. Appellante, o juo; appellado, Clemente Jos
do Barros. A', aovo jury. Appellante, o juizo;
appellado, Jos. CSCrivn L-lmproeoJonto Appcl-
lanie, o juizo; appellado, Florencio Paiva Caval-
eante.A'novo ;ary. Appellante, o juizo; appel-
lado, Manoel do Valle Podrosa.A' novo jury Ap-
pellante, ojuiza; appellado, Joo Feppe Santia-
go.Improcedente. Appellaute, o promotor; ap-
pcliada, ktarianna Fernandos la Goneeicio.T-Im-
procedento. Appellante, Francisco do Oliveira
narros; appellado, o juizo.Mullo o proces-
.-o. Appellante, Manoel Marques Evangelista de
Barros; appelada, a justiea.Nao se tomou
conliecimento. Appellante, o juizo ; appellados,
Justino RodriHiiesdo Carvalho e ouiros.A' novo
jury. Apnellanle, Jos Alexandre Ferreira Go-
mes ; appellados, a justiea e Francisco Gomes da
Itoelia.A' novo jury o appellante. Appellante,
Joaquina Esraeria Cavaleante; appelada, a jusii-
oa.A" novo jury.
Arwi.LAr.oLs civeis.Appellantes, osberdeiros
de Floreucio li> Carnero Monteiro: appellado,
Symphronio Olympio de Queiroga.Despresalos
os embargos. Appellante, Felippo da Costa San-
tiago ; aupell ido, Jos Fruetuuso Dias.Des| resa-
lles os embargos. Appellante, ( pardo Mathias
por seu curador; appellado, Jos do farros Wan-
derley.De-presados os embargo*. Appellante,
Eusebio do Paula Pinto ; appelada, D. Mana Jos
da FelcidaJeDespresados os embargos. Ap-
pellante, Jos Maria Monteiro Noves ; appella.lo,
Joaquira Soares Raposo da Cmara.Despresados
os embargos. Appellante?, Maria e seus filhos;
appellado, o coronel Joo Goncalves Filgueira. Re-
formada a sentenca.
PASSAGENS.
Do Sr. dese.ubargador Gitirana ao Sr. desem-
bargador Guerra. Appellacoes civeis: appellan-
te, D. Joanna Maria das Dores; appellado, Agos-
tinlw Joo da unha. Appellante, o lenenie-coro-
nel Justino Pereira de Parias; appellado, Jos Do-
mingues Maia.
Ao Sr. desembargador Lourenco Santiago.Ap-
pellacoes civeis: appellante, Francisco das Coa*
gas Baptsta; appelada, a fazenda. Appellante, a
fazenda; appellados, Joo Lapes de Mondonga e
outros.
Do Sr. desembargador Loureuco Santiago, ao
Sr. desembargador Almeida Albuquerque. Ap-
pellacoes civeis: appellante, Antonio Corroa Li-
ma; appellado, Manuel Pereira dos A. Cavalean-
te. Appellante, Joaquim Jos Pereira da Cunha;
appellado, Jos B. de Almeida.
Do Sr desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Assis.Appellacao civel: appellante, Joo
Biplisla Rodrigues de Souza; appelada, D. Joan
na Leopoldina de Mello Maranho.
Ao Sr. desembargador Domingues da Sil-
va. Appellacao civel: appellante, o,bacharel
Bento Jos da Cysta j appelada, a irmandade de
Sant'Anna.
Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desembar-
gador Doria. -Anpellaj.ao civel: appellante, Ma-
noel Gomes da Cunha; appellado, Bento Correa
Lima.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao Sr.
desembargador Souza Leo.Appellacao civel:
appellante, o bacharel Francisco Lins Ca'ldas; ap-
pellado Joaqaim Jos de Abreu.
Assignou-se dia para julgamento dos segu'ratee
feitos:
AppELLAgdES cRisiEsAppellante, Francisco Oliveira Barros; appelada, a justiea. Appellan-
tes, Jos Alexandre Ferreira Gomes e a justiea;
appellados, a justiea o Francisco Gomes da Ro-
cha. Appellante, o juizo; appellados, Justino Ro-
drigues do Carvalho o ouUos. Appellante, o jui
zo; appellados, Joao-A finia da Costa e ou-
tros Appellante, o jan; ppellada, Marianna
Fernandos da Conceco. Appellante, Joanna Jo
ronyma Cavaleante; appellado, o juizo. Appel-
lante, o juizo ; appollado, Thomaz, escrava
Ar-PELugoES ovis.Appellanto, D. Joanna Ma
ria das Dores; appellado, Manoel Vicente Pereira
de-lello. Appellante, Antonio Jos Pinto; appel
lada, D. Maria Francisca da Conceco. Appellan-
te, Jos Eupirasio Durio; appelada, a junta
da Santa Casa, Appellante, Antonio Francisco do
Salles Pessoa ; appelada, Thereza Mara deje
sus. Appellante, D. Joanna Maria das Dores; ap-
pellado, o pardo Antonio por sen curador. Ap-
lanantes, D. Joanna Bonilacia Carneiro Monteiro
fnhos; appellado, Symphronio Olympio de Quei
roca.
Dkugencias c.iimss.Cora vista ao Sr. desem-
bargador promotor da justiea.AppefaQdes cri-
mes: appellante, o juizo; appellado, Joao Manoel
Frazao. AppoUauta, Antonio ieatjaira Jos de
PRAGA DO RECIFE 16 DE DE/.EMBRO
DE IH./i.
A8 3 i/2 HORAS DA TARDR
Assucar imito americano3 140, 32O0 e325
por 15 kil. (hontem).
Algodo de Pernambuco serte 987 c 993 rs.
por kil. (hoje).
Cambio sobre Londres 90 d/v 19 7/8 por i 000.
Marselhs ftagavet em Pars SO djv 483 rs. por
franco.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
Sociedade bancaria em com
mandita
Theodoro Si'/non $ C,
Comprara e vendem por conta pro-
pria metaes, moedas nacionaes, e estran-
geiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno e do baoco do Bsasil.
' Descontara letras da trra o outros ti
tulos commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
las transacces, da cobrarla de letras da
trra e de outros ltalos commerciaes.
Receb m quaerquer qcarnias em depo-
sito, em conla corronte, e a prazo fixo.
Largo do Peloarinho n. 7
ENGLLSH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
da praga taxa a con-
em cor.ta corrente e a
Deseo ita lettras
vencionar.
Recebe dinheiro
praso ixo.
Saca visU ou a praso sobre as cidades
principaos da Europa, teta correspondentes
aa Babia, Buenos-Ayres, Montevideo. New-
d New-Orleans, e emitte cartas de crdito,
para os mesmos lugares.
BA DO COMMERCIO N. 3t-
ALFANDEGA
dendimento do dia I a 13. .
Mera do di 11
C8j:97'i*o7.!
ol: 103*168
710:08247 l
MdViMiNTO DA ALFANDEGA
'/o'.umes entrado? com fazec dem dem -'ora gentros
'/>iumessahiil"s com {acaudal
'dora idein cora gQDeros
5S3
1038
-----1631
398
508
----- 90G
D-^carregatn hoje 17 de dezembra
Ba rea laglcM) Sfhenmarodorias.
Barca nglezaRosemon-l riera.
Barca ngleza-Mirundn- bacalbo.
Escuna nglezaBelleUh o.
Rarea portugnezaSn/wan;.!varios gennros.
Brigue portuguez/amp:;./-)varios gneros.
Brgue francos Bletu varios gneros.
Bsenna dlnanurqueaCardar.dem.
P.itacho hollaudez Tasmvii dem.
Brigue inglezMayeldid'i.
Brigae portugaezAlexandre HtrcHlano -dem.
P.iiacbo portugaezMarianna //i lera.
Hiate americanoS. C. Eoantdem,
lato merieano /: P. Anger dem.
Barea franco Miianaioai.
Brigue dinamarijuezChrisUandem.
tlECEOEDORlA l)E RENDAS LNTEKiNAS GE-
RAES DE PERSAMBCO,
tendimento do dia 1 a 13. 25:801/207
fdemdodialG........ 2:08i301
27:943*3i
CONSULADO PROViClAi
itendimentododia 1 a lo.
dem do dia 16
87:6111637
:082i6in
06:094*30-:
MOVIMENTO PO POBTO.
iVirrios entrados no dia 16.
Rio de Janeiro o Babia9 d!a% vapor inglez Cas-
sini, de 186 toneladas, ommantlnnte Johnson,
euuipagem 4o, carga cafe o outros generes ; a
Saunders Brothers & C.
Terra Nova30 dias, brigue inglez Chanticlerr.
de 220 toneladas, capili W. Hannoford. rijui-
pagem 12, carga 2636 barricas com bacalbo ;
a Johnston Iater & C. Soraio para os porto?
do sul.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio Grande do NortoHiato brasileiro Flor do Rio
Grande, captao Miguel Archanjo da uosta, car-
ga difieren tes gneros.
Rio Grande lo SulHiato portguez Hunco, ca-
ptao Jos Fernandos Alvos, carga assucar o
agurdente.
MarselhaPolaca italiana 0:-\knte, captao, Pe-
dro Narciso, carga assucar e algodo
HavreVapor inglai Cassini, ommandante Johu-
son com a mesma carga que tronxe do Bio de
Janeiro.
Qbscrvacio.
Suspenderam do iamarao para Hacei a barca
ingleza Petrel, captao G. Caldvfell, cora o mesmo
lastro que trouxe do Rio de Janeiro.
Para West Indies, brgue inglez Asenalh, eapi-
ao Welliano, com o mesmo lastro Que tronxe or
Montevideo.
EDITIS.
0 Dr. Abiho Jos Tavaros da Silva, offleial da im-
perial ordem da Rosa, juiz privativo dos terto
da fawnda nacional por S. M. Isaperador e cons-
titucional o Sr. D Pedro II, a qoem Dens guar-
de, etc.
Faco saber aos nao o presente edital vimn, qu.
em cumprimenbt da ordem do tnesonro do 30 de
deeerabro de 1863, e em observancia das iastruc
coes, que com a mesma baisaram na roe^aw data,
lindo o praso de 3 raezes. a ontor da dala da pu-
blicarlo deste, serio arromaMios o Tendioi em
hasta publica, celebrada na sede da eoaara de
Goyanna, a quem maior preco offerecer, a vksta
ou a praso, at 10 aanos, qaaad* bm aeenme-
lando-se ao prego da arremataeSe o Juro de C /,
pelo tempo da mora, s tres innprubawBa e\>
tncapellado de ItamtxS e efcr.tvos, a saber :
Comprenensio denominada Pangana, ruta a ex-
tenso aproximadamentn de mefa legan de tnmdj.
e tros quartos- de legua de fondo, poeto atis w
m:no3, com graudc parte Je t*rreao de vanes.
,1' '".'ir*



m
I
I


^LHVP^M
I
Diarip d Pernambuco
____SiJM t inrtm'iV'.fl
Sexta feira 17 de
r ...
Dczembro de 1869.
H.I.U.
-*fc*-
*-*
11^-
na (jnal p j,000j-
paes de as l ou-
tras partes de rclki ,woJ
"ra, avali; i
Comprc
quartu do legua atrttRH, c i
pouco mais uti WM, -:,
ocarrascado, e oMPfM pitaflo pifa Mili
una planta de 800 pies de janear, pouco ounuis
ra menos, avalad*por 9.00t Compreh.cr.san denominada ongenlo. No*>, com
moa o meta legua de cumplimento, e meia logua
de largura, nonco mais ou meno% com a* ierras
-re ba (juali.fcide. cuberas de atcumas matas, qi neste -!a:n nao so a cultura da canna, com5 a ou-
tras lavomas, oxistindq incravados na mesma
miprehensu duas propriedadesi urna perieneetile
ao coronel Antonio Al ves Yianaa, denominada
Partido Grandefi a uira do dominio e posse hoje
los hordeiros da Mara do Mello, esfanlo as obras
i)a mesma compre!., nstenho em bom esta-
do, com todas a? suas bcmfeitorias a utensilios,
avnliada pot ;.:OOiO0.
Damiana. parda, de o metes de idaJe, avaliada
por 00300.
Aquilina, parta, com i anuos de dad, pouco
mate ou monos, avaliada por 2005000.
Deven;!.; a arremotacao ler effeilQ na cilr.de de
'liyanni, depois de afrontados pslos precos das
avaliacoes o; respectivos posseiros, Ra forma do
decrete n. 776 de &de selembro do 18o't, o obser-
vando-se no pi citadas nstrueeoe?.
E pira que chcguc .1 noticia ao eoohecirnento
de todos mandei pa-sar presente edita!, que ser
alixado ncsia captol nos lugares do costante, o na
>:idade de Goyanna. e pubKeada urna vez cada se-
mana durante os referidos 3 mares ero todas as
(binas da provincia c as de maior circularo da
corte,
Dado o pafeadn r.c-ta drfaon do Recife, capital
ta provincia de Pernambuco aos K i!e ilnwiMn
-le 18t')9.E cu Luiz Francisco Brrelo* do Almei-
la escrivao Mibscn-vi. Pagou a iln.il 800 res de
sello. Luiz do Altneida.
AbdioJos Tn-'trts da Sllci.
Laco d'amor.
al
O basta*
_
(i sitio adiar-se-ha ronvonientomenle adornado
o Ulmntnailo, p is os benelfcitdo- niio se teem
poupado despezas pa/a qtio" o rop3tavcl publi-
co que os honrarem com as suas presencas fique
saliefettQ.
Os beneficiados aproveitam a occasiio de agra-
decerem aos distlnctoa artistas Francisco Libanio
Colas Fiibo c Francolino de Moura Pessoa a mu
neira graciosa pela qual se preslam a trabalhar
iste Os bilhetes p6dem desde i ser procurados em
casa dos1 beneficiado? ra de S. Francisco n. 25,
e ruada Concordia n. 101, e no dm do festival na
fabrica de csrveja ra do Sebo. Preco 11,000.
Principiar s 8 f/t horas.
(I) Em virtudo dos mnitos pedidos que o autor
da prsenle quadriJha tem tido para reduz-h
para piano, desde ja acha-se abena urna assigoa-
lura no grande armazem de mostea do Stv Anto-
nio Jos de Azevedo, roa Nova n. 1!, afim de
mandar imprimi-Ia.
AVISOS MARJTIMOr.
COMPAPHIA BRASILES
DE
Paquetes a vapor.
O inspector '.trino, da aifandega, faz publico
i quem inleressar possa, para que no prao de*
Odia^, vir despachar nm tanque do ferro depo-
sitado no caes da escadinha, o anal- est inenrso
ta disposicfw do 2' do art. 301" do regulamento
do 19 de selembro do 1860, soto pena de sor arre-
matado cm Insta publica por canta e a custa de
seu dono, nao o despartanlo dentro do referido
prazo.
Aifandega de Pernambuco, 9 de dczembro do
1869.
O idspeclor interino.- Luiz deCnrvalho Paes de
Andrade.
o r. Trislio de Alencar Arariue. olUcial da im-
pepertal ordem da Rosa ejuix de direilo espe-
cial do t'iiiiiruiuvio, ieaU cidadi! do Recife de
Pernambuco, por >. M. rnnerial e' constitucio-
nal o Sr. II. Pedro II."a quotn Deus goarJo etc.
Faco saber ao> que o presente cdilal vircra e
tulle noticia livcfem, que dentro de trinia dias re-
bebe este juizo prnpostas em cartas fechadas pa-
ra a arremataran por venda a quetn mais offere-
-cer ubre av.iaean de l:S0O}, a cscrava Mara,
rioula, de tle/.uito anuos mais ou menos, sadia,
de sei vico dnin sim, a qual fora peuhorada por
xecueo de Juaquim Petoira Arantes, contra Ma-
nofl Ignacio das (.tndeias, cuja arrematiirao ser
.'ll'ectuada pela lorina que determina o art. Io do
decreto u. 1,693 de 13 de selembro do-orrente
anno.
E para que chcjtue ao conltecimento de todos,
mandei passar o prsenle, que ser afllxado
mis lugares do cosluuto e publicado pela im-
piensa.
Dado e paaaatte uesta cidade do Recife do Per-
nambuco, aos !3 do dczsmbro de 1860. ^
Eu Manoel Silvino de Barros Falca?, escrivao
interino o subscrevi.
Tristo de Alencar Ararp:.
Dos portos do ral 6 esperado
at o dia 21 do correlo, o vapor
Cruzeiro do Sal, commandabte J
P. Guedes Alcoforado, o qual
depois da demora do costume se-
os porto i "do mirte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
arga que o vapor poder conduzir, a qual devori
ier embarcada no dia de sua cnegada. Encommen-
las o dinheiro a frete at o dia da sua saluda as
aoras.
.Nao se recebem como encommondas senao ob
lectosde pequeo valor e.qnenaooxcedagr.a dua>
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de iftedicao.
Pudo que passar destes limites devora fler embar
alo como carga.
Previne-se aos Srs. passagetros, que -sux sagens s se recebem na agencia ra da Cruz
n. 37 primeiro andar, escriptorio de Anttnio Luiz
do Oliveira Azevedo i C.
DECLARACOES.
O eoasclho econmico do deposito de recru-
tas contrata m> dia 17 do crreme mez, pelas 10
horas da manhaa. eitl vista das propostas que ao
tnesmo conselLo forem oulregues, os gneros ali-
menticios de primeira sorte, abaix > mencionados
que devem ser lornocidos durante o primeiro se-
mestre do anno de 1870 : arroz, assucar branco
e inasravo retinado, aletria, azeite doce, bacalho,
bolacha, cha. can-, ca no verde, dita secca, doce de
Boiaba, brinha de mandioca, dita do Maranho,
diade araruta, feijo inulatinlio, galinhas. lenha.
utanteiga ingioza e ftanceza, ovos, pes de 6 e 4
nocas, louciitlio, vinagre e vinho do Porto, bem
como a lavagem. e concert da roupa fornecida aos
doaatoi na enfi-rmaria militar.
(Juartel na Soledadc em Pernambuco iO de de-
xotnbro d.- 1860.
Francisco Antonio de S llar reto Jnior,
Teen te-secretario.
Sexta-feira, 17 do corrate, tem do ser ar-
rematado em praca do juizo de orphos a possee
liemfeitorias de um terreno de marinha n. 232 A,
no cae< do Trapiche, em seguimento a casa da
coinpanliia Pennmbucan, no bairro do Recife, no
qual se plc edificar um grande artnaiem. Est
feMo o caes (ue Ihn correspondnt?, o se acha
todo atterrado e morado na frente com porto :
quem o pretender dirij t-se sala das audiencias
no referido da.
Consu a3o promeial.
i'da adininis:racao do consulado provincial faz-
re publico aos respectivos contribuimos, que
(l'amaanha p ir di inte comeca a correr o prazo
dos 30 das atis, marcados no art. 21 do regula-
ircntode 16 de abril de I8i2, para a cobranca
rea do cofre do primeiro semestre dos impos-
to da dcima urbana c de 3 por cento sobre a
lenda dos bens de raiz pertencentes s corpora-
da m'i e: irla, no correnle exercicode 1869-
70, incorrendo na multa de 6 por cent o aquellos
dos contribuimos quena) os satisfizo) em nesse
prazo.
Consolado provincial. 30 de novomhro de I8>0.
Servindo de administrador, "A. Witmvio Pinto
Bombara e Aectoli de VrtmnrelfosA
No dia 18 do crreme, depois dVitudiencia
do Dr. juiz municipal da i' vara, se lia di; arre-
matar diversos movis pertencentes Goncalc-
Augusto da Graea e Mello por execuciio de Ca-
liriel Antonio, cuno tutor do orpho ftlno de Ma-
noel do llego Lima._______________________
Juizo dos feitos da fa-
zenda nacional
Da diia des'.e ha tres mezes se proceder na
sede di comarca de Gtyanna a venda em praga
publica de vinculo de tumb, sendo a comprehenso deno-
minada Eogenlto Novo, avaliada por 30:0005000 ;
a denominada Cumbe avaliada por 9:000000 ; e
a denominada Pangaui avaliada por I3:0:i1|000 ;
o as eseravas Damiana, avaliada por lOOiOOO, e
Aquilina, avaliada por 003000, de onformidade
cent o edital publicado.
Recife 13 de dezembro de W69.
O scrtv3o,
Luiz F. B. de AltneiUa.
llhado S. Migue.
A escuna Port Dias salte com a maior brevidn-
de, e para o resto da carga e passageiros, para os
quaes tem bellos cominodos, trala-se com o seu
consignatario Joio do Reg
lo a. 4._______________
CmiPANlIlA PERNAMBGA
DE
Navegacdo costeirapor vapor.
Porto de Gallinlias, Rio Formse e Taman-
* dar.
O vapor Pnrahi/ba, seguir para os portos ci-
ma no dia 20 do corrontc, meia ooite. Recebe
carga, encommendas, passageiros, e dinheiro a fro-
to no escriptorio do Forte do Malfs n. 12_____
Rio de Janeiro
Segu com brevidade para o poi to cima o bri-
gue nacional Isabel, tem a bordo a maior parte de
seu carregamento; para o resto que lhe falla tra-
ta-se com os consignatarios Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, ra da Cruz n. 57. 1 andar.
rfliK
Una balaa^a. pezos e tima mc-
qro.
re^uerimento do
de Florencio T. do
Sabbado
O agente Pinto far
depositario da massa*
Reg 'jista, e por des
especial do commercio,
donados existentes no armazetn da ra da Praia
n. 70, onde se effectuar o leilo s 10 horas em
ponto.
De diversas pegas de madetra
avulsas e outros objeclos para
edificace* de predios.
O agento Martins far leilaa a requerimento da
viuva D. Senhorinlta Emilia lotgo inventariantc
dos bens de seu casal por fallecimento de seo
marido Honrique Jorge e mandadg^do Ulm. Sr.
Dr. jdiz de orphaos, de diversas pe? avulsas e
materias para construccS* de predios.
Segunda-feir 20 do corrente.
Xa ra da Concordia.n... as U'horas do dia.
Atada n5o ft possivcl fencerem-sc os
trabalhos ()e aca&amento da PHOTOGJRA-
-jeclos fcim'fnien- PHIA IMPBRIAL*da roa do Cabug n. .
os .quaes s estarSo terminados no dia 7
do Janeiro de 1870.
Pedimos indulgencia c paciencia aquel-
las pessoasjque se tem dignado esperar
que principiem os nossos novo*, trabalhos
pliotogiaplcos para se fazerem retratar.
Recife, 1-2 de dezembro de 1809.
J. Fer retro Vil lela.
LEILAO
De -urna caixa marca MM4 (?n. 4001
com chapeos, toucas, bonets, bolinas e
sapatos (com avaria d'agna'salgada.')
Sabbado 18 de dezembro as 11 Jf2 horas ero
O agente Piuto far leilo por aulorisa?;
Sr. cnsul de Franca, em presenca Jo seu
gado e por conta e risco de queiifc. peitenccr
una caixa marca M M & C. o. kMl avinada
bordo do vapor francez EslranumlKai 1.1 ul-
lima viagem a oslo porto: o leilo seweffecl^^B
as 11 l|2 horas do dia cima di/o no escriptorio
do referido agente rita da Crez n. 38.
Ama
duerna.;
ama para poziahar e
Cadea n. W.
KSTttO
PREPARA
lUrtU Wi
Jos Soares de Azevedo, professor de
lingoa e BUeratnra nacional no gjmnasio
provincial'jlo Recinj, lem aberto em sua
casa, ra Bulla n. T :
Um cuip completo
de liiiisoa porngtueza ;
do Llago frrfnceza. versSes
oraes e escripias de portugnez para francoz
e rice verM, de eonbrmidado com o novo
prograadgdo gaverno ;
graphla physica, poltica
PORTO
Pretende sabir em poneos aias a barca portu-
guezi Social |tor ler a maior parte do carregamen-
to prompto; para o resto qne lhe (alta e passagei-
ros, para os quaes tem bons contrados, trata-se
com o consignatario Joaquim Jos Goncalves Bel-
tro, ra do Trapiche n, 17.
10
sahira com toda a brevidade o palltabole portu-
guez Villa-Flor tem a maior parte da carga en-
gajada : nara o que lhe falla, pode iratar-se cmn
David F. Bailar, rita do Brnmn.O?, ou com o ca-
pillo do mesnto navio.
AIACATV
Segun.neslcs dias o palhabote Sobralen-
se, ainda recebe alguma carga frete a tra-
tar com S Leilo Irmos, ra da Ma-
dre de Deus r. 1.
Para Lisboa
A barca portugueza Pereira Barges dover se-
guir brevemente para Lisboa, j tem a bordo par-
te da carga, e para o resto trata-se com Oliveira,
Filbos & C, ao largo do Corpo Santo ns l>, 1*
andar, ou com o capitao na praca.
Porto.
Segu com brevidade a veloira o nova barca
portugueza Isolina, para carga e passageiros,
para os quaes tem excedientes commodos, tratare
com os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.; ra da Cruz n. 57 i- andar.
Porto.
Vai sabir breve a barca Lama ; para carga e
passageiros, trata-se com os consignatarios Carva.
Iho & Nogueira, na ra de Apollo n. 20.
Rio Grande do Sul
Segu com brevidade para o porto cima o bri-
gue nacional Anrlia ; para o resto da carga que
lhe falta trata-se com os consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C, ra da Cruz n. 57,
1 andar.
PARA'
CTane a!>rich de refinar e crys-
talisar assucar no largo do
Monteiro.
O agente Ponthal, competentemente autorisado,
vender em leilo os gneros da fabrica de refi-
nar e cryslalisar assucar, no lugar do Monteiro. a
qual estar em e;.po>icao das 8 horas da manhaa
s o di larde, desde o dia 12a 21. No mesmo es-
labeleciioento encontrarn a* pessoas que o qoi-
zercm examinar, pessoa competente para dar as
cxplie^oes que queiram exigir
Seguuda-ft ira 21 do cor-
rente.
Dcver ter lujar o leilo no mesmo estabelecl-
ment no Monteiro, s 11 horas.
~ AVISOS DIVERSOS.
Gabinete Portuguez de Leitura
raiNtiiiiio
De ordem do Illm. Sr. presidente do conseibo
deliberativo convido a todos os senhores socios
elTectivos a reunircm-sn em assembla geral, na
sala das respectivas essoes,_ domingo 19 do cor-
rente, as 11 horas da manhaa, afim de ser cun-
jrido o disposto no art. 43 dos estatutos.
! iecrctaria docons'Mio delibefilivo l-ft)tbtiuste
Portugnez ae Leitura em Pernambuco 15 de de-
zembro de 186y.
J. P. Fonseca,
2" secretario.
Popos tubulares ins-
tantneos.
Travesea do Corpo Santo a. 25,
armazem, c ra Xova, n. 3H.
loja. T
Bandciait Machado i C avisam ao respeitavel
publico que nos lugares cima encontrar no mes-
mo sempre grande quantidade de ditos pocos, c
que se acham habilitados para vender por menos
que ontro qualquer, por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante Norton, de Londres.
As vantagens que offorecem os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser collocados den-
tro de casa ou fra, com o trabalho de urna a ditas
horas; segundo, fornecerem os meemos agua pu-
ra e abundante, podeodo seren removidos de um
para ontro lugar, quando assim convier.
Os annuneiantes s rcecbcrSo a importancia dos
referidos poc/ts depois dcoollocados, satistazendo
espoctativa do comprador.
isforla universal:
Philosophia, Racioual e Mo-
lihetorlca e Poetice.
peaipas que desejarem frequenlar
lquer ou quaesquer destas aulas, podem
dirigir-soga indicada residencia, de manhaa
al as i) aras, e de tarde a qualquer hora.
tinturarla franceza
RA DAS FLORES25
Olio Schneidcr
irio deste importante estabelecimento
de participar ao respeitavel publico.
que tendo niudado-se da ra do Rosario da Ba-
vjsla para a roa das Flores, acltando-so bem non-
lado com jnacltina o tintas de tudas as qualidades
Iftbrias BeriVicao de seu trabalho. Tinge so e
Wa-se rt a main- per/eieo toda qualidade de
faicndas, in |K'i;as ou em obra, de quaesquer
(ie sojam^taes eorao, laa. al^udo, nla, leuqitim,
chapeo il^ltro b de manilha, pa!l|nba de todas
as cores stnienhorcs negociantes, legislas e par-
ticttlarts primentem, que todos achara) pro-
yeito e vi^agens.______'______________
Preop-se alagar urna escrava costnheira
paca casa, de familia: a tratar na ra do Sebo
n. 28.
(em lio
-s tuna casa com muitos couiiiioJo?,
cidad nova de Santo Amaro n. 12 : a tratar
ra das Cruzes b. 30 com Joaquimrdo Souza
Wes- / ___________l
Aluga-se para casa de bm
e eom agumas habilidades : a tratar na
di Santa Cruz n. 21. B I
tede-se aos seguintes senhores, se dig-
oem comparecer na loja do Passo ra do
Crespo n. 7 A, a negocio do seu particu-
lar icteresse:
Antonio Pereira de Souza
Domingos Martins de Barros Monteiro
i Aluga-se no \" andar da casa a. 57
ra do Imperador, urna sala espaposa for-
rada de papel, tendo gyi. A fallar no mes-
mo andar. **
Collegio de S. Francisco de
Paula.
O baclnrcl Frao/isco Jos Rabello. compclente-
mente habilitado pela directora da instruceo pu-
blica, tem aberto um cullegio para educacao pri-
maria c secundaria do sexo masculino, a travessa
das Barreiras n- 2. No mesmo collegio se pode-
rlo desde j inscrever /os alumnos que pretende-
ren! frequentar o enr-o das ferias no (pial espe-
cialmente ce ensinaro as materias para os exa-
mes na lcnldade. no nicz de njjircn.
Frmino Jos de Oliveira, manda rosar urna
missa, no dia 17 do corrente as 7 horas da ma-
nbaa, na igreja do convento do Cumio desta ci-
dade, trigessimo do fallecimento da Exma. finada
I). Firmina Cavalcante Paes Barrete, pelo repouso
aterno da mesma Imada em prava de anisado e
considera can, que tributa a sua respeitavel fami-
lia. Recife, 14 de ilezenabro de 18t>9t
Caixeiro
Prec^a-so dr una caixeiro que lenha praica #
negocio, e que de fiador sua conducta, tara leja,
de calcados : na roa da Imperairiz n. 10.
AVISO.
Joaquim Pereira Arantes, cjm !ji decalcado*
na praca da Independencia as. 13 e l.'i, roga ato-
dos os seus devedere* do cuutat amigas qo w-
nham pagar at o fin do anno corr i ib-, sob pean
de, passando as ferias, entregar a cu procarador
para receber judicialmente.
Olinda.
Aluga-se urna rxcellenle casa para grande ta-
milia, na ra de 8, lienio areximo ao pateo de S.
Pedro-vclbo, ond6 passoa a (esta o F.xtn. Sr. Dr.
Braz Florentino : a tratar opn o Julio da botica-
mi no Vaiadottro com o Joio Coclhodo Rosario o
Maiia de Jezns.______ '_________________
No largo do Corno Santo n. 17, andar,
para alngar urna escrava que cozinha e lava.
Precisa-se de um amamaduf e nm caixeiro:
na padaiia allemaa, em Santo Amaro roa do Lina
ns. 2 e 4.
Ha para alugir urna escrava de II
honesta, cozinha, en&ba, engomma soffrivel, sato
andar com meninos : a tratar na rna de S. Joao
n. 8, das 6 s 6 horas da manhaa.____________
mu Aluga-se at o liui de inare prximo vin-
douro urna casa na pevj;tcao de Apipueos : a tro-
tar no armazem do Campos, ra do Imperador no-
mero 28._______________________________
Aluga-se urna casa muito fresca na Capunia,
com commodos para familia : a tratar no
lugar, rna das Crioulas n. .".
AMA.
Lrrlia

Na ra da Moeda n. 3, 2 andar, escriptorio
do Manoel Alvos Furrer & C, vndese vinho
verde superior em barris, ancoretas com vinho do
Porto soperiire malvazia branco.____________
Ama
Precisa-se de urna ama para casa de pouca fa-
milia : na ra da Palma n. lo.
Precisase alegar na rtw da Crnzn. 3,1 uina
ama forra ou escrava, boa cozinheira, para casa
de pouca familia, um ir.olecote para errregar agua
e comprar, paga-se bom aluguel.
Em pouros dia > deve estar aqui, pn cedente dos
Estados-Unidos, o brigoe Kalre. que seguir ao
porto cima ; recebe carga e fieles commodos:
a tratar com Tasso limaos.
GMNDE FESTIVAL
SABBADO 18 DE DEZEMBRO DE 1863.
vi imperial fabrica de eerveja
do *r. i.ejden <'., i roa do
Sebo.
Promovido por Zebedeu Garlas Cesar e J. B. C.
Harros, sob a direccSo do artista Colas Filhe.
Depois que a banda marcial do 2 batalbao de
atarla noaver executado diversas pecas do seu
-colhido repertorio, dar principio ao fostival
A ascenca i de uina gyrmdola de fogo artificial
aunoneiara a abertura do divertimenlo pela ma-
neira seguitite :
PRIMEIRA PARTE.
Masico Ca o Serillo.
Dito Donizetticavatina da. opera Torqnato
Tastoexeeutada na flauta pelo Sr Candido
Filn,
Dito C-.rdiiii-BaaJAi de RiachHtloffl pedido).
Dito C -la- F.lliobrilhante polkaA Imnada de
iyt.
O oplionia caractorisiicaFugo ao
-(linda i
O l!l
ii
Rio Grande do Sul
Para o referido porto sahir nestes dias por ter
quasi toda a carga prompta. abarca portugueza
Armimla ; para o resto que lhe falta, pode tratar-
se com David Ferreira Paitar, ra do Brum nu-
meroW._______.__________________
Rio de Janeiro
Para o referido porto pretende sahir com muita
brevidade o brigue orasileiro AdelaMe por ler par-
te de seu carregamento engajado, e para o que
lhe falta eescravos a frete, trata-se com o consig-
natario Joaquim Jos Goncalves Beltrao, ra do
Commercio o. 17. ______
Bilb<
vend
CAMA Di FJG.
Aos 20:000^000.
ra do Gabug n. 2,
s do Rio venda :
ira & Rodrigues.
Na ra da Cadeia n. .'I casa em cons-
truccSo, offerece-se porco de boa califa e
pedra^, excellente argamassa para lugares
areno.___________________
l!UORTllA
Aos 4:000^
Bilhetes garantidos.'
k na do Crespo n.23 e casas do costme.
O abaheo assignado, tendo vendido alm de ou-
tras sortea, dous imartos n. 2801 com 4:0004 da
lotera que se acabot de extrahir a beneficio do
patrimona dos orphos (1301), canvida aos pos-
-uidoref%#ireni receber na conformidade do
vosurtoe sa# daacooto algum-
AchShi-se a v.-nda o wWes*-bilhetes da 2-
parte da lotera beneficio da igreja de S. Joao
de Abreu de Una (131"), que se extrahir na ter.
ca-feira 21 do corrente mez.
Precos.
# Os do costume.
Manoel Martins Finia.
Aluga-se
o sitio da Mangaheira com mulla fructa sendo
mangaba, maraeuj, sapotis o pinnas e outras
mai- fructas. com um sobrado, 3 salas de frente,
sala de jantar, 7 quart03, eisinha fora e 3 lojas
muiio superiores, agua pira beber e tambem se
vende a qual rende 303 mensaes, lenha para gas
to, e urna casa terrea com igual sitio ao do so-
brado com boa baixa para capim : a tratar na
escadinha armazem n. 3.
O Club Popular desta cidade, tendo de mandar
celebrar, em nomo do novo desta 'capital, um ofll-
cio solemne no dia 17 do correnle, as 9 horas da
manhaa, na igreja do convento Carmo, por alma
do illusiro chefe liberal o senador Theophilo flo-
nodlcto Ottoni, convida a toda a popularan desta
cidade a comparecer a esse acto de religiao.^o
qual ser ao mesmo lempo um preito de gratidao
rendido a memoria do Ilustre finado.
mmmmmmakimKamtmmmu^m
Alvaro Augusto do Abncida & (,., despedi-
rn! o seu caixeiro Hugulino Machado da Cunha
boje 14.
ALUGA-SE
o primeiro andar do sobrado da ra do Vigario
n. 5, com bons commodos para familia o para es-
criptorio : a tratar no armazem da travessa do
Corpo Santo n. 2.'i._____ _________
SAH10 A* LUZ A OBRA SEGUINTE .
DICCIONARIO
DE
DAS SMCI.IS ACCESSOMAS
contendo a descripeo das cuusas, symplomas e
tratamento das molestias, um a-ceitua'rio especial
para cada molestia, e muitos conbecimentos uteis,
P ediceo
reformada
consideravelmente augmentada
PELO DR.
Pedro Luiz \apoleao Chernoviz
Dousgrossos voluntes, encadernados, contendo
a materia de quatro voluntes ordinarios, com um
total de 2,296 paginas ei22 figuras no texto : ven-
de-se na livraria de Jos liarbosa de Mello, ra da
Cruz n. 52 ; preco 30000. ______
Prerisa-se de nina ama para rozinfiare toaer
compras : a tralai na ra da Cadeia, sobrado n.
31. 2 atinar. _____________^____________
Precisase de tuna ama de leite: na roa do
Apollo n. 58, 2" andar.*
" PRIMEIRO ESE0ll\ ROS
DE
LEITURA
PARAUSO DA INFANCIA BRASTLEIAA,
PELO
Dr. A. Cesai* Borges.
(2" EDICAO MUITO MEUIORADA E
' AUGMENTADA,
Esles dous livros, resultado de grande expe-
riencia e estudos especiaos do autor, vieran an-
tisfazer a urna das mais instantes uecessidades do
instruceo primaria, e por tal forma que, pek
governos de quasi todas as provincias tectn sido
adoptadas para as escolas publicas, assim como
por grande numero de nrofessores particulares.
O primeiro hvro { absolutamente diverso da
cartas vulgarmente conhecidas pelo oome de A.
B C ) e composto segundo um sjstcma natural,
philosophico e ameno que aos meninos feciliu
extraordinariamente o conhecimento da leitura.
tornando-Ibes muito mais rpidos, e n uito menos
penosos,-seus primeiros, tmidos e vacilantes pas-
aos na vida litteraria.
O segundo livro consta de muitos artigos, eon-
Jos etc., todos to breves como convem i fagan
atlencao das criancas, e escriptos em liogoagean
e estylo apropriauos franqueza de sua intelli-
gencia.
E de raaneira combinadas nelle se acham as
materias que, ao mesmo passo que vivamente ba-
teressam e deleilam os pequeos leitore?, levam-
llies o implantara-Ihcs no espirito e no corarlo fe-
cundos preceitos de moral, iuspirando-lhes, desde
logo, com o gosto da leitura, o amor da virtud*
e a repugnaiTia da do vicio.
Sao ambos esles livros ntidamente impressos o
elegantemente encadernados em Paris, e conten
estampas finas representando os a^-nmptos dos
contos ; o que os lorna mais convidativos aos me-
ninos c muito proprios para presentes ou premios
dos ntesmos.
Contera domis o segundo dous bellos hymnos
com musir para o comeen e fim da encola.
Recommendamo-los pota confiadamente aos se-
nbores pas de familia, e professores que ainda os
nao conhecem.
Primeiro livro. f>00
Segnndo 2*000
VENDA NA
Livraria francaza,
9-RUA DO CRESPO9
ALIGASE
a casa terrea na ra de S. Pedro Novo em Olinda
junto ao Passo Castelhano reedificada novaniente,
sala de visita com porta no oilao, i quartos, ten-
Jo jane la na cosinha, sala de jantar com loja da
parte de detraz, porto ao lado do norte : a tratar
na escadinha armazem n. 3.
-------
Al
A' ruado Livramento n. 6, precisa-se de orna
ama perita cosinheira, para casa de homens sol-
teiros. '
Precisa-se de urna ama que cosinhe com
perfeicao e. seja de bons costumes, tambem se pre-
cisa alugar urna escrava as mesmas condicroes:
a tratar na_Lua d<> Vicario n. 3, 3o andar.
Eig-
ommadeira.
na
LEILOES.
LEILAO
Da taberna da VBpsa da ra das Cruzes
n. 12 em lotelPSOQtade dos comprado-
res coiisluid) de -nm bom sortimento
de gneros.
O agente Martins far leilo dos gneros da ta-
berna arama em lotes sendo todos os gneros de
primeira qualidade.
HOJE.
Na uisma taberna, as 11 horas do dta.

LEILAO
de estopa avariada
Sabbado 18 de deftmtiro as 11 lio as em p
O agent-. Pinto far leilo por c >nta e risco de
r de diff'r.-nles pegas de es
' i- f.irdo>s marca diamante E avariados
I. barct imrl-va M^raho. ni sua ultl-
Grande e variado espectculo
de gymnastica
\o sala o Alcafar da ra de
Malla Hitan. 1
Domingo, 19 do corrente
EM BKXEFICIO DOS ARTISTAS VALERIANO MOREI-
RA DA CDNHA
E EUSEWO BAPTISTA DE SAMA ROSA.
PltOGRAMMA
Depois que a orchestra houver executado urna
linda walsa, princpiarao os trabalhos na -ordem
seguinte ;
PRIMEIRA PARTE
Difflccis e elegantes posigoes em trapsis pelos ar-
tistasSilva, Vieira, Valeriano e o joven Vi-
cente
SEGUNDA PARTE
Lindas posteos de equilibrios pelos artistasMe-
deiros e o joven Vicente.
TERCE1RA PARTS
Diftleeis e sorprendente- po-ices, deslocaijoes,
tanto no chao com em cadeiras, pelos'artistas
torTacha e o joven Vicente.
QUAHTA PARTE
Grandes .grupos, pelos artistasVieira, Silva, Vi-
cente feMedeiros.
QUINTA PAHTE
Finalsar o divertimento com a muito interessan-
te e applaudida palhacada intituladaO 10-
MEM EMBARRICADO.
Principiar as 7 horas.
Aprovetlamos a oeea-iao para pedirtnos ao res-
peitavel puhlico a sua dina
especialidade ao corpa coinmercial desta ci-
dade.
O* bilhetes desde ja se 'acham a disposic
itavel publico em raao dos beneliciados, na
Precisa-se de urna criada para engommar
ra do Imperador n. 7-, 2 andar._________
da fesiividade de Nossa Setihora da Con-
ceicio na matriz de Nosa Senbora da Paz
dos Afolados.
Sabbado 18 do corrente lera lugar o levanta-
monto da bandeira.
Domingo, W do corrente, pelas U horas do dia,
entrar a festa, sendo o orador do vangeiho o
Hvin. padre-meslro Antonio de Albaquerque Mel-
lo, linda a festa sortar-se-ha na lindo balo, a
larde sahir em procissao a inimaculada Goncei-
cao, que percorer as mas daquella povoacao ;
recolhida a procissao soltar-se-ha varios baloes, a
noite ter o Te-Deum, sendo orador o padre Dr.
Luiz Ferreira Nobre Pelinca.
Os encarregados da mesma fesiividade pedem
encarecidamente aos moradores para luminarcm
sa frentes de suas casas, tanto na vespera como
no dia, para mais brilhantisrao do acto.
II
Fornece-se comedorias para fra do urna rasa
estreita do Rosario n. 3o sobrado, o tambem se
prepara almocos e jantaros avulso ou qualquer
peca de comida, isto e, sendo cncommendada com
lempo.
AMA
Em Olinda, ra do S. Denlo n. 10, precisa-se de
urna ama para cozinhar com perfeicao. prelerin-
do-sc escrava, agradando nao se escusa dar boa
paga.

Carolina Hara Campos, Custodio Jos Alvos
Guiraares, Antonio Jos Cordeiro Simoes, Maria
da Silva Campos Guimaraes e Senhorinha da Sil-
va Campos Simoes, mulher, genros c fllhas do fal-
lecido Domingos da Silva Campos, pelo presente
convidam aos amigos di mesmo finado assisti-
rem as exequias que tem de celebrar-se por sua
alma, na igreja da ordem terceira de S. Francisco,
luje, pelas 4 horas da tarde. Aasim como aos re
verendos que se queiram prestar- a dtzer missas
de corpo presente com a esm.ola de 4000._____
Nao mais cabellos brancos.
A tintura japoneza para Ungir os cabellos
da cabeca e da barba, fei a nica admiUida
Exposicao Universal, por ter sido reco-
nhecida superior todas as preparacoes at
boje existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a 1 900 cada frasco na
Rna da Cada n. 51.
1. andar.
Jayme E. tJomes da Silva tendo de mandar re
zar urna missa por alma de seu amigo Antonio
Mereira Puntes, fallecido no Rio de Janeiro, con-
vida (telo presente aos seos amigos e parentes do
finado a comparecerem na matriz de Santo^Anto-
nio no dia 20 de dezembro pelas 7 horas da ma-
nhaa.
AVISO

Pele-se ao senhor que em o dia sexta feira, 10
do correnle, as 2 1|2 htras da tarde entrn na fa-
brica de cigarros, sita rita Direila n. 50, para
comprar um maco de cigarros de seda, e por en-
cano Icvvi um chanco de sol do abaixo assigna-
do e-deixou o seu, em vista diss > tenha a bondade
de vir trocado, do contrario en declaro o neme,
para nao se chamar a ignorancia.
Aloga-SC o sitio denominado Olho de Vidro, em
Paruameirim, cora urna excellente casa de morad*
de sobrado, cocheira, quSrto para cscravos e ei-
tor, casa de fazer farinha, com prensa o roda, ca-
cimba com bomba e tanque para banho, grande
baixa do capim, urna fonte queda excellente agua
polavel, muitos arvoredos fructferos, alem de
grande terreno para planlacao: quem o pretender,
dirija-serua uoAr.gao n. 31, a enlender-se com
Manoel Ferreira Ramos, ou com Jos Peres dn
Cruz.__________________________________
Ama
Precisa -se de urna ama livre ou escrava para
cozinhar, paga-se bem : na ra da Cruz n. 66.
Devogo da Senhora Saii-
t'Aniia da freguezia de
Iguarass.
O secretario em nome da mesa da devocao ci-
ma, participa a aquelles fiis que subscreveram
para a festa da mesma Senhora, que resolveram
por unanimidade, que os obulos recebldos e por
haver, fossem applicados aos reparos da capea
respectiva, visto que o seu tno estado nao permu-
to demora em concerta-lo. Aproveita a occasiao
para rogar aquellos que nao sdndo-Uie pedido es-
mola para festa e queiram concorrer para os
reparos da mencionada capella, o fazerem aos pro-
curadores.
Manoel Maria Rodrigues de Nasctmeiito, convi-
da aos amigos do finado conselheiro Firmno An-
tonio de Souza para assistirem a muso dita na
igreja da Santa Cruz, pelas 7 horas do dia 18 do
corrente, anniversario do fallecimento do predito
conseP'eiro.
D. Alexandrina Felicia de Allra pterque (ausen-
te), JuJb Jos Henriques Jnior, hachare! Felicia-
no Anieeto de Albuqmrque Henriques e seos ir-
mos, rogara a lodos os seus amigos e acs de seu
presado esposo e pai Joao Jos Il-nriptes, falleci-
do em viagem para Lisboa, o favor de assistirem
as missas quesero ditas hojeas 6 horas da manhaa
na matriz da Boa-Vista por alma do dito finado,
agradecendo desde j aquelles de seus amigos
que derem essa pro va doamisade. _____
M
Precisa-se de urna ama que cozinhe com per-
i para casa do hom : na ra do
Queimado n. Bi, 6 parlas.


A\wjo-se
urna escrava mpea era vi-io* para casa de fami'
lia : na rita
'Ama deleito,


O Albos e genro do final > SebasJSo Jos Comes
Peona, temi'de mindar celebrar diversas mi
uo da 18 do corrente as 7 "mela-dioras da ma-
nhaa na Ordem Terceira do Canil i, por alma de
>eu sempre chorado pai n stigro convidam a todos
im honrarem este acto pi no pn
i'iiontii '

Furtaram do engenho Cttieira, freguezia de
Santo Anlao, no 1* do corrente, om cayailo com
os siguaes seguintes : melado, cauda e dina bran-
cas, cara branca, um p e urna mo brancos ate o
joelbo. do. lado os olbxs aaiarellos, j moeo em
ongenho, tem marca de peitoral. alera de signa
ferros mais que tem, tem mais urna cruz no quar-
to direito e outra na p, esUndo esta apagada,
grande, de idade de 12 annos, xaslrado : qnena
delle dernoticia na ra do Caldeireiro n.42, oa
no mesmo engenho, ser generosamente recom-
pensad >.
COSIME1R0
Precisa-se de um eotinbeiro que seja periloVpar
casa de familia, prefere-se escravo :. a tratar na
ra do Amoriin n. 39._____________________
Alhga-se
a casa terrea com soto, bas.antes commodos o
fresca, junto fupdice da ra da Aurora n. 72 :
trata-so na raa da Gloria n. 94.______t
O abiXo assignado faz saber :. o ao
commercio que covnprou reir
la Silva Res, a artnacao A da
u Diretta n- 47, a qual f i>raca
pnblic imbaraeala 'idede-
1869.
I
.'
-
f-
;


DkfiO de Periiambuco g'iU feifa 17 de Dezembro de 1869
*
X
LOJA RAS MACHINAS
BASTOS
Acaban rlc chegar grande quantidade das verdaderras machinas amencanti
para descare^ algodao de todos os systemas e tamantao* seguinles:
12 sertas 12 serras
U i itas 15 d'las
l ditas i O ditas
18 ditas 18 ditas
20 ditas 20 ditas
22 ditas 22 ditas
25 ditas 25 ditas
30 ditas 30 ditas
35 dilas 35 ditas
40 ditas 40 ditas
is qoaes se vendem por precs commodos e roga-se as pessoas que dellas fizeram en
commendas de alguns tamanhos, obsequio do as mandarem busca-las o mais breve po*
ivel aGrn de Dan haverem faltas.
RA DA CADEIA N. 56 A
LI
DAVID WILLIAM BQWWIAN
Partecipaaos senhores proprietarios de engenta, que acontecendo faltr.r-lhes
agoa oa animaes para a moagem.durante a presente safra, elle tem vapores proraptos
para assentar, sem precisar de obra nova ou demoliciio de obras existentes, e que
pode botar taes ?ngenbos a moer oito dias depois de estarem as pecas do vjpor no
ertgenho, garantndo-se o trabalhr. m
Eup-cliqSo. ra to Bram o. 52, paseando o chafariz.
J. Rhigass, snwessor
, 55Ra do Imperador55
ISVsta antiga e bem conhecida rasa, encontrar-se-ha como nutr'ora grande sor-
".rw'nto de pianos construidos expressaraente para o clima deste paiz, e Mr. J. Rhigass
ieno irabalbado muilos annos na construcc5o de pianos em Pars, arha-se habilitado
a preparar os pianos que vende com todos os accesorios indispenssveis nao s sua
ccliitz, como ;i sua durado. Todos os pianos sao garantidos.
Tambem ha neste estabelecimento, grande variedade de musirs novas e dos
.suclhores aulores, lauto vindas-de Paris cojo do Ifo de Janeiro, que-se vende mais
ara*) do que cm oulra qualquer parte ; assim como ha igualmente venda todos o
nbjectos necessarios A contrueco de pianos. Os concertos e afinacoes de pianos sero
fettos com o tnaior zelo e cuidado.
CASA FELIZ
Aos 20:000^000
Ao publico.
Em Olinda, ra d S. Berilo n. 19, acha-se con-
vcmhmiiiim-iiii) preparada una casa para towewt
.-omitas i u<-ssoas que quizaren) passar um dia,
00 memo meiialmeute, garante.-se zimo e prwn-: So Eectfc arfoda t'onceic&oii. 3
iilidao. Na inesnw caa ha cale toda? as licites e j Os abaixo assijm.idos leiido-se habitado ik
;lnfiias Jistracoi's para o masmo puMiro. forma da? le?, tem exposto a venda os Jws feii
AI;i)M-se nina casa na ra do Cotovello n- W9 bheles da< lotertas do Po de. Janeiro, na casi
1 : traase no 2 and ir do mosnm sohrado. cima, aonde se pagaran as sorfes rme sahircrr
' nos meemos Mneles, com o descomo soraenw
l'reri-a--e
Ni va u. M>,
ile u n peijueoo bofeeiru : na ru (j '
OiTiiTeiros
Prodsa-se de doirs ollfciaos cigarreiros
da Palm* n. til.
u,. ra
TR1LH0S URBANOS
no
Recife Apipucos.
Nosabbado S8 do corrate e todos os
sab!>ados em diante, o trem que devia
partir de Apipucos as 1030 da noite,
s partir s IJ horas.
William Raidinson.
Gerente.
CLUBX
Do ordemdo Sr. presidente, comido aos
Srs. socios a reunirem-se em assembla
geral, segunda-feira O do correnle as II
i;; da maula no ub IVrnambucano
para iratar-se de negocias urgentes.
O 2." secretario.
Miguel Carneiro Haf/gin.
Club do Monteiro
Sabbado 18 do correte haver rennio
familiar c Ireo s II horas da noite.
O empresario.
P. J. Laijmt.
O Sr. Dr. Jos Garateante de Ali>u-
qurque l'clioa, tem cartas nesta typogra-
TMTIaWiS
Fogio no dia SO de selembro o escravo
Jlo, creoitlo, conhecido por Joo Bah, de
.dado 40 a 45 annos. tem falta de-dentes,
falla moderado, moho ladino, tem urna
grande ulcera em urna peina, pelo que tal-
..'/. ande mendigando ; pede-so as aului-
lades nolirhes c capites de campo a ap-
prcht nso do mesmo, e levado no enge-
sdio S. Joo''ii Qajftallcira, ou nesta cida-
r!e ao Sr. Domingos Jos da Cosa Guima-
ile.
W\m LITTEftARIA
im COftMBO&
L Guimares Jnnior.
nii',i lo? O v.'liie i'; TOrsa* lio
tro pela Ilumnense. O livro cuntm perlo
do dacaotM pagiiMi de iipresso, papel elegante,
tiritado cora o retrato do autor. Acha-se ven-
da :ia.- princtpaea livrarin-, pelo s*pninte proeo :
Urocbadn........ &|0I
i,.arion.idi>...... oO0
iKdico d Corr-io Pernambucano.) Do mesmo
autor a publieai-i-o :
Romm il'' /.iccj iio (poesas).
lei.
PRIMOS.
Bilhete inleiro 24*000
Meios 12500Q
(Jnartos 6000
E de 100 para cima a 2 o bilhete.
_________________Figueiredo A Leite.
Siiliio luz a colleeflo
de varios., regulamcntosde impostos altera-
dos e creados'pela lei n. 1507 de t de
miembro de i807,
c Mii|irelienclendo os de pessoal, escravos, indus-
trias c prulissoes, sdlo (organisado alphabetica-
mente, explicando cada acto a que sello esta sa-
jeito, se se date emprear eslampilha on verba,
no primeiro caso i|nem deve intitili.sa-la). trans-
inissao de propriedade, di/.ima de cliaucell.ria,
emolumentos, multas applicadas fazenda publica,
etc., etc., o em appeudice o do cofre de i'.opositos
pblicos,
notadus cum as
nstruccOes e decisoos posteriores at a
presente publieaeao,
por
Francisco Aiijisto de Almeida,
1 escriptnrario
da recebedoria de I'ernambuco :
vende-se na ra eslreita do Roano n. 12, a i.
Torna-so do grande ntilidadc aos Srs. advogados,
solicitadores, negociantes e funecionarios pnblicos,
a acquisi'cao desle trabalho. Aquellos que assig-
naram c nao receheram promptamonte, poden) re-
clamar na mesma casa.
Primeiro introductor dos po instantneos da Abysshiea.
Ester, pocos foram espalhados na Euro-
pa, tanto que, qmrtquer duvda do seu
gran3e valor pratico deve desvanecer vis-
ta das grandes vantagens.
Militares de exwnplos roostrarara que
eHes sao de grande tilidade aos industriaes,
agricultores e particulares; at em todas
as expedicaes miliaires dos ltimos tempos
foram usados para procurar sem demora
agua fresca e pura, e tanta quanta se pre-
cisava.
Em todos os lugares, onde om poco ca-
vado ou furado (pelo systema antigo) daiia
agua, pde-st empregar os pocos tubulares.
Elies facilitara aehar agua muito mais
depressa, raait cristalina, mais fresca e
mais barata do que por meio dos pocos
cavados.
O systema dos pocos tubulares o ni-
co pelo qual se possa obter agua perfeila-
raente pura, livro de todas as substancias
nocivas e preservada de todas as influen-
cias athmosphericas.
Por meio de urna machina muflo simptei, consistindo d'ura macaco, impelle-se para
dentro da trra mn tubo d^ ffrro, cuja ex.tremidade inferior est furada e munida
j'uma pona d'aco; e logo que ""a sonda mosira agua no mesmo, deve-se atarracbar
i bomba e faze-la funecionar. Ao principio a agua tora substancias arenosas e terreas,
porm logo se clarifica, e em pone lempo saliir agua perfeitamente lmpida.
Ouiras vantagens que apresenta este systema s5o:
Primeiramente, a promptido com que se. eiecuta toda, a obra do assentamento, que
aiuitas vezes nao leva mais de urna hora, sem r-emocao alguma de trra:
Segundo, a commodidade que elle wffere-ce 8e ser nao somente collocado fra da
casa, como tambera dentro da mesma, com nSo menor facilidade :
Terceiro, a facilidade com que fe tira para fra da trra o poco sem o estragar
para o calmearen) noutro lugar:
Quai lo, a grande qnanlidade (Pagua que elle pode dar:
Quinto, a possibilidade de tornar, uteis com pouco trabalho, por meio delle os po-
jos cavados que foram estragados pela ara ou por oulrasx causas.
I'recisando-se de urna grarylc quantidade d'agua pde-se introduzir na trra di-
versos tubos unidos uns aos outros por meio d'um apparelho muito imples.
Em lugar das bombas aspirantes geralmente usadas, pde-se fornecer bombas de
compresso para clavar' agua e conduzi-la aos andares superiores.
O emprego dos pocos tubulares" sobre ludo proveitos aos fazendeiros, que era
qualquer.campo onde o gado precisa-d'agua, os podem cllocar e arranca-Ios para se-
rm collocados onde melhor llies convier.
E' tarabem de grande utililirjade aos fabricantes de-cerveja, aos dislilladores e a
lodos os fabricantes em geral, e com especialidade aos empreiteiros, architectos, en-
Igenheiros e todos aquellos que precisam de quantidade d'agua por tempo determinado.
Este methodo o nico jwra obter em qualpuer parte agua, que seja livre de par-
tculas nocivas, elle tarabem pnjveitoso aos proprietarios de casas e jardins, tanto
para o uso diario como para regar as planlacoes e capiui.
Pedimos aquellos que nos quizerem honrar com suas erlcommendas de nos
communicar: l. em que profundidade se acha a agua, o que fcilmente se pode verifi-
car nos pocos ou cacimbas visinhas ; do que especie sao as carnadas da trra da su-
perficie al i carnada- que conlm agua ; ,'J em que especie d carnada se acha a agua
aaquelle logar: i." finanlmenle a quantidad- d'agua que se pedo por hora.
.V collocaco iio poco lica por conla do comprador oflerecendo-M porm a empre-
sa a emprestar o ap)Brelhb de assentamento mediante uma retribuigao a convencio-
aar, a (ual sj. regular pelo tempo que se aehar fra.
Tamben encarrega-se de mandar uma pessoa habilitada na collocaco d'esscs po-
jos, pagando o comprador alm do sustento e despezas de viagera (ida e volta) um
,ornal previamente convencionado.
Mas para os lugares lanyinquos qualquer pessoa hbil ou artsti-
ca podfr colloca-las semtepiaraco, singtndo-se nicamente as ins-
fruccoes que, acvmpanham as referidas bombas.
As pessoas que quizerem apreciar o trabalho dos referidos pocos, podem ir ver
funecionar ra da Florentina, fabtica de ceneja n. 20, em Beberibe cm casa do Sr.
aiajor Anlunes, no Caxang no hotel junio a ponte e no Arraial em casa do annun-
eiante.
Para cncommendas e mais esclarecmentos a respeito a tratar na loja do Sr. F.
. Germann; ra Nova n. 21.
Vende-se una taberna proptia para princi-
piante por ter poucos fundos : a tratar na ra do
Cotovello n. 2, ou ra do Selio n. o*
Soeiedade Liberal Uiiio Be-
nefiecnte.
Sao convidados es seus assm'iados a reunirem-
se em assembla peral, diimiiipo prximo, as 10
horas do dra, alim de empossar-se a nova admi-
nwtrafio, c apreciar o parecer da comniis^o de
con tas.
Secretaria da Soeiedade Liberal Uniao Beneti-
cente 14 de dezembro de !8o).
i. Secretario,
___________________Tlieophil Pedro do Rosario,
O abaixo assignado participa ao rospeitavel
publico e com especialidade ao corpo do eommer-
cio, que tem justo c contratado a compra da ta-
berna n. 1 do Poco da Panella defronte da igreja
da Saude, com o Sr. Antonio Jos Gomes, livre e
desembaracada : quem se julgar com direito a al-
gum impedimento, apresente-se aos mesmes no
praso de oito dias, (Indos os quaes o aununciante
por nada se responsabiliza Poco da Panella 13
de dezembro do 1809.
_______ Manoel Duarte Rodrigues Pinto.
Precisase alugar um criado e uma criada.
on ama : na ra do Cabuga n. 18, entrada pel
pateo da matriz.
A uga-se o 2o andar do sobrado n. 32, sito
na pr.iea da Boa-vista, com sala .|uarlos e.steira-
do, cumuiodos para grande familia, cocheara, es-
tribara, casa para hanh i : a tratar na ra do Ale-
crim n. 30.
Aluga-se o srgundo indar da rasa da ra
do Amaron n. 21. no Re.-ifu : .a traiar na in.'sma
ra
iniorn
n. S2
armazein.
Na praca da Indepeudl'ncia n. 33 se da di-
aheiro sobre penhores de miro, prata e pedra?
preciosa*, seja qual for a qcantia ; e na mesm
casa se compra o vende objectos de ouro e prata.
e igualmente se faz toda e qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert tendente
mesma arte.
&.-_; =5 1 t
*2
m gfo & a
I
B' _t as ft, n tt
pfii:i
7 r i 9
g
o
U
B 9 2.'
iHt"
I P% 5'o________? ? ?? ? a
fH_JE5a5H5SSH5E5E15i
l'c.jiiiSlas para js leparos neiuSbaiios .i ea-
(nso Ol, capitao Silvy, arribada a
[loitn.em 10 n corrente, ua sua viagem do
fui ile JiiiMMro Lisboa para orden?, erao reee-
helada ne eooseado sueco e no-
A e- 9 )ode-se ver qual
>l"er b rio du< consignatarios Sau'i-
i ''.. largo do Corp.' Sanio n. U,
: i n.i .i, o capitfi injeita
-------------
ir da lu,
i. lo Rioa-mar, como :
ndtdftto* no dia 12
dTn qiw primeiramente m
fm nao
irr | <
Jrrp'io.__________
recolhido casa de detcncao por
*JBd. lroj qse deca ron
-oraw dj Sr. Francisco Antonio Pereira da Silva.
Precisi -si de una ama para casa de pouca
familia : a tratar na travessa de S. Pedro n. 10,
Io andar, entrada pela ra do Fogo.
PiT.ii se n/> um menino para aprender o
cilicio de cliaruieiro : o pai ou mai que quizer
mandaren-ina-lo, dirija-se a fabricado cigarros e
charutos, roa Direrta n. 50.
No dia 12 de dez-mbro fugio 0o enpenti.i l'i-
timb da comarca do Cabo o escravo crioulo, de
nomo Domingos, cor prela, de idade de 18 a 20
annos poiicu.inais ou mehof," cheio do corpo, an-
dar baszelro. lem todo- a* denlas, nopplr-so estar
aeoftado ai .-*pipur.is, por ter do Saqnelle Ingar,
e fbi comprado o .awno piH_do ao Sr. bario do
Nazareih : ped itorlflade policiaes o cn-
pitaes de campo h captura do mesnio o ontrega-lo
no mesmo engeiiho ao Sr. Domingo* .Martln-
rrira Uonieiro, ou no Itcilc na d Moeda n.
andar, pscriplorto de Manuel Aires Ferreira & C,
ratificado'.
Pastis
para a noite do resta, o melhor e o mais bem feito
nue sejpde desojar; preparam-se de encommen-
da od3o-se de veadagem ra da Detencao nu-
iHCfO 41. >
COLLEGIO INFANTIL
51Ra de Santa Martha67
LISBOA
Este estabeleeimeato de educaeao, qpe occapa um grandioso e bem apropriado palaci,.
pr e dormitorios bem preparados em vastos e magicoR saloes satlsfazem pfenamento aos flns para qu
se leftiuam. '
Os jardins e passeio permittem aos alumnos til e proveitos recreio. A instruccao primari;
e luda a secundaria, curso commercial o as bellas artes sao professadas nesta escola por Ilustrados i
respeitaveis cavalbefro, que alem do legalmente habilitados, malore? c^nsideragoos tem obtido n>
magisterio piiNic 011 particular.
A se. ^u Infantil, destinada aos alumnos que pela Ba tenra idade niio conven
n em conpinnidade rom os mal* adultos, est confiada a duas distinctas n inlelligentes senhoras
otra portugoaa oulra franceza, que a par dos cuidados maternaes.com que i- velam, Ihes cnsinan
os rudimentos de edneaeaoii)or;l; Iliteraria e social, familiarisando-os ao me.imo tempo pela pratic;
.;uas portugueza, franeea e iagleza. "
M. B-- Dam-se ampios esclarecimc-utos aqu, na pharmacia dos Srs. Bartholomeu A C-
rur laegg 3o B^3rio d. 31, ou cm Lisboa no es:riptorio do Sr. Guilherme'SeUe, ra do Aniparr
o. 66.
* O director da escola,
Joao Antonio de Baos Pre$en-v
GSTAVE
CABELLEffiElrU) FRANCEZ
51Ra a Cadeia do Recife51
Chama a atienco doi seus innmeros fregnezes, e do respeitavel publico ea
geral, para a segiinte tabella dos precos de aua casa, os qua*s sio vinte por cent*.r
mais barato do qoe em outra qualquer parte, comecando no l. de dezembro:
Cabelleiras para senhoras a 25#, Cadeias para relogio a M, 6^.
305, 'H e....... 40*000 71 8& H, m e. .
Ditas para hornera a 355, 40* e 50*000 ]
Coques a 12& 15*, I8, Q, Corte de cabello......
LluiS*.*5*;w*.o*; mm crte decabel|comricc3-
255, 30* e..... 3i*000 ^r,e de cabello com lavagem a>
Cachos ou crespos a 3*. -*,' S*. champou. .
6*. 7*, 85, Ole. ... 105000 Corte de cabello com l.mpezd
Tranca de cabello para annel a I caneca Peln machina electo-
500.c. 15000 ca, nica cm Pernambuce. .
Tranca para braceletes a 10*. FaaAo indeza ou i franceza.
15*. 205, 25 e.....30*000 Barba. ,......
.^SIGNATURAS MENSAES
Especialidade de peuteadoa para casamento
IMlles e golres
i
5*001'
SOf>
9
SO
.
/
O dono do estabelecimento previne s
Exmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um
sato para tintura dos cahellos e barba, as-
sim como um erapregado somente oceupa-
do nesse servico.
Hecommenda-se a superior TINTURA IV
PONEZA para enegrecer os cabellos e bar-
ba, nica admitlida na Exposirao Univers.->.
co/no nao prejudicial sade, por ser vo-
ltil, analysada e approvada pelas acade-
mias de scieneias de PARS E LONDRES
Lindas cassas francezas de cor 'iOO rs. o metro, na loja das Collumnas ra-
do Crespo n. 13, de Antonio Conua de Vascouccllos.
m
o
-+
o
a
m
O
%
$
ai
k
e
B
n
S
K
LO
cr
C
+->
f 3
O
a
K O N
= o
n
M
% oj *_ a>
" B i 2
--- '. "3 K 5
re rj <

i C r *
r-l. C 13
C i=
tus?
c c S 2
O n t 5 c
re =
5 a a

Xi o
3 a *'
-- 8 5-2
4S S*
-j
c3
o2 e re x
= w 2 o
O J
S 3
G o ^2
2 -| 3
2 s
cr_

o


B
CU
|
eo
>3 re
Q._
re
ers
re o
_ '/i
8 ja
m
g
g
EJ5
o
S = u
rt ~T II,
<_> *v
re
S O
S2
-as?
C = m H
re
ai
cj
fe:
"Nisilf
g ** 9 c.a.2 5s
llifM|<
_l|fa|"I
M L U _Z
reo S
_ -575
.1 s
m
y

&;
m
m
m.
-a*. niaiiitiTUiwaari
^
SOFFRIMENTOS DESTOMAGO, CONSTIPAQAO.-
i.ur em poucos dias pelo carvo de BELLOC cm p ou cm puitillias.
ENXAQUECAS; NEURALGIAS. Bamfl9H*db-
m sipadas rpidamente pchis PEHOLA8 DETMP- SD'CIUUJ.
ANEMIA, A PALLIDEZ e os --alimentos que necessitamdo
emprejo dos ferrugii'.osos sao mtBM combatiiios com o melhor resultado
pelas PiLULAS DE VULLET. Cada I'ilula tem incravado o mine Tiln.
PO OE ROG. Basta clissolter un frasco deste p em me
parrafa d'ajrua pai'a se obter urna limonada agradavel que pura;a sem fa-
zer clicas.
VINKO DE QUiNIUM de labcmwe- ~ Este vinlm, um dot
l>iicos cuja MMpM.i.i >' (aRUrtida constante, urna das nulhores pre-
lr.i es 'le {faiiito, ma acc.'n. rv.iait. Mbre os ounTalesccntes, daudo-
ibit rn>M e apvct>.....:o a olta a saude. Cura as leUM antigs que re-
sisl:in ao nitrito de quinino.
NOLESTiAS DA BEXIGA. A maior parte dess motes-
r.as. como scialic'S, lombagia, catarros, e todas as flores norrosa era
Html Sao (Miradas | olas PAROLAS U ESS.NCiA OE THEREB:NTINA do
.'1. Uatiaa. O prol.-ir Triiseau em seu Tratidodt teraputica cod-
scllia as para ereiv tomaila na orcasiio do jsntar, na dse de 4 i 12.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH.
Garantido puro e de primeira qualidade, um dos poucos aprovadot pela
Academia de medicina.
AVISO. Todas estes medicamentos foram aprovadot pe* Academia
imp riel de tmdiciim de. Paria.
DETOSITO
L. rERB, I, rae Jacek
UehaA t l'eriuiiibuca. Uaihuol et C*.
Cetra......ttona O.
t-tort eern in towrg otiju e reeentrs, enath patoonr, utlrai; ** oranln, eatertiw
Vfacai't, e _cral intra todos 01 toflriaiealM ti tiu rtuyiraf iii
DEPOSITO .El 11
i I, ROA LARGA DO R0IABH), 34
PERNAMBUCO
iherapeutica das dirersas molestias do peito,desde
a pbarjDgiie ou mal da garganta ate a toberculacao
pulnoMr, pastando pelas diversas breacbitas calarrhata
e o emfkysema acaba de ter tnrtiawcida con mais
esta Mdicamenlo, que tomar a primeira ordem entra
iodos tl hoja conhci'idos. O itrept Vegetal Americano,
garanliodo paramente ogetal. nao contm en toa
.nmposivlo om ao atonto de opiav tim somenle tic
.os de plantas indigenas, cajas propredades benelkas
a* can da molcsitasque perteacem aot orgios de res-
pirsclo foram por. nos obseitadae par leago tempo,
.om ptimos resultados cada vea mais crescenies; pelo
jae not julgnmos luloritadet i conaer e xarope que
agora aprestniamos, e t oflereca lo aos medico e ao
publico, Proiamoa cota ot altettadof abaiio o qna le-
ramos dito, a contamot qu o conceita de que ja gosa
i xarope Vegetal Americano crecer da da i dia,
deixand>> muito aps da ti todos ot peitortes ea toga.
Illa. Sr. Btrthalomeo C,-0 xarope Vegetal Atoe
ricino, preparado aa uta eoaceiiaaditMa\pharnucii,
t on atil remedio pan combater A termal aslhma.
Sofra eo aqaella molestia ha quatro metes, sem tindt
lar combatido os ataques mensaes que tinha; este ultimo
qae lite fot fortifsimo que me prostoo por 8 das, niel,
tea milagroso xarope, tomando apenas tres
rol de noo atacado. Prasa
fieaafe-
porem
J6ses,"e i
ot o presen le nto
- Dea, que u flqat re*utaltcide por um tu
Ibe, pois os mens tgrdecimentos por me ter al
tao borrivel mal. Coa i maia signiRcativa gnnidi
snbscrtTt-ae daVme. aSactnosoe atabre,
Sererino Dnflrtt.-Saa Casi 14 de fetartiru dt te
llmt Srt BirtholomeotC. Depoii de wi*i
meces de aaftiaeato coa uma tosse meeasanti-,
extraordinario, expocloracAo de um catarrlio aisatci
do, t pana Mal daa forcas. que a neaer piss
me Itligtia completaiBeole, cansado de lomar nanis ,
trQMemedioaaeai resallado Urea felicidade de
Viacs. prepararan) o xarope Vegetal Auicru
elle gneis a Deas,mead resubelrcido ha i .
dois meiat, e robaste cobo te nada titeMe soeTrid,
gratidAo me (orea a ata decltracAo, que pode) \ ux
fuer o as aya aiwrem. Son oom suatt de Vae
moitos respeiudor e criado. muoMo Joog-mm a*-.
Cwro t Silva. Beeif 6 da ftre-eiro dt 18Ci
Atieste qne sei do xarope Vegettl Amrricat. -
eonpaaiclo des Srs Eartb.olom.-o t C. pr* cura de na .
forte dttluio aaa at iraaie ama reaqa'dlo. que aa .
faiit edunder, inflammacSo e dar aa gargaa'i. lean,
grande falta deretpirieo, a Maaei eoaplettmele res-
ttbelecido coa aa so ridro 4o aetmo urone; peif
qoe Ihet proteste eterna gratidlo. hecife 10 d >
neirodt 1868. Iwqtm farttra /lrtWMM*;naat. -
EstiO taW_toci__


Diario de
Pernambuco
Sexta feira 17 de Dezembro de 1869.
=3=
. 3M ^rri^-JJJM&ng^ijilJli
pingjir?iii^niu'r
XPOSICAO DE LONDRES
60--RA DA
PARA
CAMA DO RECIFE60 ^
ACABAR NESTES DAS
O nronrietario deste'estabelecimento tendo de partirlmuito breve para os Estados Unidos e Europa, faz wtpHa liquidac3o nostes dias, para acabar ; como
**h, para aJ^^TJS^SS^^^ e p?no, lujolerias Suro VhSon**^^
i^^ir^Ufi^^TS"i^8h^/b^W^:, peVfumarias de'diferentes faDricantes, diapentes caixinhas, vastas com cnfeitesmuito propriai pan presentes caixas
escarradore* etc., uns excelentes ctf'fes de ferro espetaos
1 retratos, ditas com cheiros proprias para presentes, mesas-de charfo,
,r**t* para almofadas dita para tapetes e para deitar vasos em cima da mesa, relog.o para cima de mesa,
__;____j:..._.:___- nni nniirno enm finas fimirns (ip nnrrp ana. f II
lESiSS^
Meas gravatas.de'seda, variado sorjfcmmto de miudezas e brinquedos para crianca,
^*t^Ha7,'aOM^ cosmoramas etc. etc., quesera patente ao (*m#
i-Vil.!? para
se tomar baohos no mar ou rio, lencos de lmhos finos para algibein s,
.manhos, lavatorios, stere
1XU barato ira mteiramenta acabar, no armazom EXPOSICiO DE LOND
dor; e muitos outtos artigos qne se vender5o
rWKsr:

i



\


Moaaq


*^H
GOMES DE BHOS IRMftO
tndo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores propor ao publico em geral e com especialidade as Exms,
I Saras, de bom gosto a comparecieren! pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da nonte na
RA DO CABUG& N. 4
| onde eneontrarao un completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rtibins e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
OEREQOS DE BRILHAHTES, ESMERALDAS E RUBIKS
de no vos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e gprantem
aqualidade dos objectos vendidos.
C/2
O Dr. *. B. Casaora, pode ser
procurado qualquer hora em seu cnsul-
TOBIO ESPECIAL IIOMEOPATOICO, 30 IprgO di
matriz de iaoto Atonio a. 2. No mesmo
consultorio ada se sempre venda os mais
acreditados medicamentos, de bomeopatbia
e tudo mianlo necessario pan aspessoa
qne so dedicam ao tratamento por este
systema. ^^^^^^
Per iigueiro
Perdeu-sc um cachorro perdigaeiro, de sext-a
feira pera satebado >la semana pateada, de cor pe-
drea, com grandes orelhas e minchas cor de caf
sobro as costas: a pessoa que o tiver agarrado,
peta leva-lo i ra Nova, loja n. 1! quo ser bem
recompensado.
Precisa se alugar urna escrava que
saiba cosintiar para familia, a tratar na tbe-
souraria das loteras, ruado Crespo n. 15.
. LIGA
Anda esto para a'ugar este grande ar-
crazem, a rna Nova n. tifl.
Aluga-se
o 3o andar do sobrado n. 8 rna da Imperatriz .
a tratar com J. I. de M. Reg, ra do Trapicho
n. ai.
MMM I \BDM
Gonipram-.-e. e veudein-se diariamente para fra
e denlro da provincia cscravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejam sadios : no
tereeiro andar do sobrado n. 36, raa das Cruzes,
freguezia do Santo Antonio.
A VERDADE
5*
55Ra do Queimado
A VERDADE tendo em deposito graad*
quantidade demiudezase perfumaras, e de-
sojando apurar difheiro e adqnerir boa fiy-
guezia est rssoivida a vender muitissiana
barato, ; por essa razio convida ao reepet-
tavel publico a vir competentemente mam-
an a sortir-se do borne barato. Pois quan-
do a Vcrdade apparecc, tudo maie dee-
apparece....
GraQdc sortimento de bonecos de cera *
ma9sa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Abotoaduras moderuas para col
retea....... 3**
Espelhos donrados pepnenos. 9Ct
Agulhas de osso para crox a 20#
Peiites para-regac. com esntas a 320
Ricos globos para candiciro de gaz a l80fc
Chamins a .... 330
Grande sortrnaento de oljel06 de
loua para brinquedo de, memuo K
Garrafa com tinta a..... !
Dita com agua florida rerdadeira a 4<5B(K
Dita com dita dita a liSO'*
Frasco com oleo de babosa a 500 e li
Dito com agua de Colonia a 300 e _506
Gairafa com agua divina a. 13^
Frasco com extractos linos a 1OO0
Latos pequeas com banha muito
fina a I2ne ......
Sabonctes de diversas qnali lades a
80,160,2406......
Finas escovas para dentee du 120 a
Lindos coques modernos a.
i'avios para gaz, duzia a 240 e
Oompranise moedas de ouro o prata de to- Esccvas para fado a 5C0, 00 e
Ptalas assiioaratias de Brisiol.
Jo? os valores, ouro e prata em obras inutiiisadas,
brilhantes e mais pedra preciosa?: na loja de
ourives~do arco da Ccnceicao, no Recife.
0 rauzeo de joias
Na roa do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
fe pedras preciosos uor procos mais vantajosos do
que em nutra quaJipicr parto.___________^
U>m muito waior vantagoni coniprani-se
moedas de our c prata : na loja de joias do Co-
rarode Ouro n. S D, ra do Cabug.
NE.N1IUN
i
0 MUSEO DE JOIAS
MHMI ir*W*saSSSai
m
--
M*
&
LOJA DE JOIAS
ac
PHARMaCIA
ESPECIAL HOMEOPTICA
ha o m. mm o. l. pi\hu
43Ra Nova43
LOJA DE MARHORG
D. Umbelin Rosa de Lima Pinho, viuva
do Dr. Sabino Olegario Ludugcro Pinlio,
achando-se competentemente autorifada
pela inspeci.'o de sade publica continua
' com a botica homeoptica do seu finado ma-
rido, ra Nova n. 43. lija de marmore,
tendo frente de seu estabelecimento a
mesina pessoa habilitada que prepara ot-
medicamentos com todo o esmero e asseio
como d'anles ; e pede a confianc* de seus
numerosoros freguezes e do respitaveLpu-
blico enviando Hie suas receitas eeocom-
mendas que ser5o preparadas com a raaior
promptido e escrpulo e pelo mesmo pr'ii'O-
Neste imprtame estabelecimento acha- se
tudo o que necessario para a pratica da
NOMEOPATHIA: medicamentos em glbu-
los, em tintura, carteiras portateis e caixas
de medicamentos em glbulos e" em tintura
de diversos '.amanhos.
Veude-se igualmente o THESOURO HO
ME )PAT1UC0 OU VADE MECIJM DO HO-
MEOPATHA pelo Dr. Sabino, obra de reco-
j nbec'da necessidade pratica da homeopa-
rliia.
Acha-se vida no mesmo estabereci-
mento ; cha verde a WOOO, a libra, cbo-
colate a 2.)00O. ludo de superinr qtlW|e.
CONSJO TF.M NEM CAI.OMICLANOS NE.M
CTBO MINKll.VI..
A grande necessidade e falta de um ca-
thartico ou do urna medicina purgativa, ha
muito que tem sido sentida, tanto pelo po-
yo, eomo mesmo por meio da faculdade
medica; e por isso, infinito o gosto e
prazer (pie s Milimos, em podermos com
toda a co)fiaii(;aeseguridade,recommendar
as pitulas vegetaes assiwaradas de Brisiol,
como urna excellenle medicina purgativa, a
qual encena <;m si todas as partes e mais
ingredientes essenciaes, tornando-se em um
erfeito, seguro e agra familia. Este remedio nao composto
dessas drogas ordinariamente usadas na
eomposicSo dessas pululas, que por ah se
rendan, mas sipa, sao preparadas com as
mais linas e superiores qualidades de raizes
medicinaes, hervas e plantas, depois de se
haver cliimicamente extrahido e separado,
os principios activos, ou aquellas partes
que contem o verdadeiro valor medicinal,
dajuellas porcOes fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu-
de. Eati* esses agentes activos ou ingre-
dientes, espenfkos, podemos nomear a po-
dophgitn, a qual segundo a experiencia
mm demonstrado, possue um poder o mais
"taravilhoso possi\el aibre as regies do
Jigado, assim como sobro todas as secre-
<;es biliosas. Isto de combinaco com o
leptaudrin, e mais alguns extractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, consti-
tuem e formara urna pilula purgativa, tor-
nando-se por isso mutisvsimo superior,
qualquer urna outra medicina da mesma
natureza, que jamis lora apresentado ao
publico. Ai lulas vegetan assucaradas
de Dristol, achar-se-hao sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente efli-
caz, ira a cura de molestias, taes como
sejam as seguintes.
Compra-se cobre, na na do Queima-
do n. 40, IUVAL SB.M SEGUNDO.
HOIE libras sterlinas e ouro de todas as nacoes,
assim como prata, por niaior preco do que em
outra paito: na mu da Cadeia do Recife n. 58,
loja do azulejo. ____________ .
3w
600
2flX*
3
n
500
u@
366
Cotprarn-se Jcadeiras em bom uso
qoiJfer \ender annnncie.
quein
V'NDAS.
AITENCAO !
Vende-se nina taberna com poucos fuios, na
ra dos Coellios n. 12 : a tratar na uiestna.
Vende se um carrinlio americano de quairo
rodas, de doiis e quairo assentos, e em muito bom
estado : para ver e tratar, na ra da Florentina,
offleina do Sr. Grosjean.
Portas e madeira.
Vendem-se portas em bom estado, algumas al
eom feriagcns. a-.-im como madeiras de obras que
se desmanchou : no .pateo da matriz de Santo An-
lonio.___________________________________
Na travessa doCarmo n. 1 vende-se una ex
ceilente uiucamba crioula recolbida, engomma,
cose c cozinha, urna dita enm urna filhinha de 2
annos de idade por 1:300*000, urna escrava da
Costa, boa quitandeira, e com mais habilidades,
um bonito mulato do idade 20 annos para todo o
servico, una escrava crioula de idade 25 annos,
engomma bem, cose e cozinha por 1:150*. ____
Vendem-se linas caras em Santo Amaro de
Jaboalao, urna na ra de Baixo, prxima feira,
e outra na ra da Matriz : a tratar na ra do Im-
perador n. 37, 1 andar, entrada pelo caes 22 de
Nnvembro.
.1 refinacao da ra do Arabio n. 19 : quem pre-
lende-lai dirjase tratar na mesma.
A 3^000.
Dyspepsia, ou indi-
gesto,
Adstringencia, ou..
piisao do veatre
habitual,
Azia do est.)mago e
jgflatulencia,
Perda do apetite,
Estomago sujo,
Hyi'opesia dos mem-
bros ou do corpo.
Affec(;es do figado,
Ictericia,
HemorroiUis,
Mau balito, e irregu-
laridades do sexo
femenino,
Dores de caneca.
Em todas as molestias que derivam i
sua origem da massa do saiigue: a salsa
parrtllia de Brisiol esse meior de todo?
os purifleadores deve ser tomado conjun
lamente com as pilulas, pois qne estas
duas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obracem de harmonia urna
com a outra, quando fielmente assim se faz,
na%nos res a menor davida em dizer,
que no maior numero dos casos, podemos
alfiancar nao s um grande ;divio, como
'tamben urna cura prompta e radical, isto
esta" | bem visto, croando (o doente nao se
acn n'um estado muito alm d.s-recursos
humanos.
Cb verde de excellenle qualidade : na liotica
hoaieepthica da viuva do Dr. Sabino O. L Pinho,
rna Nova n. 43.
Ditas para cabello a
Pentes para tirar piorno a 1(50 e.
Brincos de cores, bonitos alOe
Pecas de tranca de la com 8
varas por.......
Oleo para machina de costura,
frasco a........
Pennas d'aco finas caixas a 800 e
Dita d'a?o Perry, caixa a. .
Galo de algodao peca ....
Lindos babadinhos e entremetes
peca de 500 a......
Ditos de louca muito fino a 120 e
Ditos para calca a 60 e. .
Caixa com papel amizado a. -
Ditas com envelopes a. .
Ditas com obreias a.....
Caixa com agulhas fundo dourad >
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para costura a 240 e
Caixa com linha de marca a .
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........
Carreteis de linha Alexandre de 70
at 200. .,,....
Grampos muito finos com passa-
ros, duzia a......
Cartas portuguezas, duzia a .
Ditas francezas a 2|2O0 e .
Papel almaco e de peso* resma a
35400, 3#00 e .
L.aa muito fina para bordar, libra
Fita de algod5o para debrum de
sapatos, peca a.....
Ditas de la para debrum de ves-
tido, peca a ......
Pentes finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240, 320 e......
Ditos para aparar penna a .
Rosetas pretas, par a .
Tranca de la de caracol pee* a 40 e
Fita de coz peca a 480 e .
Alfinetes de latio a.....
Sapatos de la para enanca a 400 a
Gravata de sedas de cores a .
Calcadeiras a.......
Grande sdriimento deprendas das Ilhas.
Um par de suspensorio de borracha pc4
100 ris 1! 1!!!!
HUs Vcrdade rna do Uwelsnade
n. 55.
606
iflooe
w*on
400
H6oe<
909
m
2K'i
40
X-
108
iOC
3-^-
I MIC
O!
IOC
IK
ios
108
106
5M
iC->
80
KM!
' 88
- Vende-se um carro de qnatro as>enws, pars
dous cavallos, cim arreios. Os pretendentes po-
den v-lo na ra do Ho-pifio ufOrina do Sr. Ge-
mido, corneiro, e tratar com Vicente Ferreira' da
Costa : fu do Itiaclmelo: _______^_______
Grande liquidaqo
43 lUia Ilireila15
Borzeguins de senhoras francezes e de
homens, sapalos de senhora de marro-
qum e-de lustro, sapatos de brim para
hoinem, marroquins. taixa paia sapatos e
borzeguins, courinhos de cabra, sola e" to-
do sortimento proprio para casas deste ne
gocio, i|iie tudo se vende a dinbeiro oor
menos do sen valor, por ter sido arrema-
tado em teiiao e se querer liquidar em pou.
cris dias.
55Rna Direita45.
t*

CQMPIINWA
nos
TRILHOS URBAOf
i
Este antigo estabelecimento, completar
&?ta reformado ie noy, est as condi-
^9S de servir vantajosaxnente os sens fre-
zes, visto que acha-se prvido com um
x endido sortimento de obras de ouro e
xta de lei, assim como brilhantes e ou-
:ms pedras preciosas, oujos presos sao os
m?is mdicos que se pode encontrar.
As joias eompradas nesta casa recebera-
e em troca ou compram-se com pequeo ^ XmVa, das o bor3S da manhia as
* r u i 4 da tarde todos os dias otis.
, fltv.iVvi Esorintorii) da companiia, (? de dt-ee*-
D0
A*
KF.C1FK A9 OlillVBA.
Compra-se travs com o coisprimento d
10, 20 e-30, palmos, e 7 i/i. 8, 8 ift. 9
polkgadas de gr*issura equina, viva, da*
seguintes madeiras: amarello, oiticica,
cupira, e oulras madotras de reeoob*
duraeo para o chao ; a tratar no escripto-
supeiiutendencia da campan
IEWPRESTIIWO SOBRE
. s RU4 m mu \ 5
Es:riptorio da companiia
bro de 1869,
Superintendente.
Andr de Abren 'orlo

Este edmira'ti
|n>poiaiTO na
coeteiBiAsim;r-
purio, igrio cu
^senteos un
,__risoroto inod.a-
IMiri* siugoira rnlic*laicnlca inoU.i.i> dtyli''. como a irpra, esini|iic?os, athcrpet, a
ftpioiii, e MPaeiwx, cBapwado diariancsie elle refretc a maua do ngae e eonl!d o sauie.
Cora . 9* m-si rebelde.
; i
INJEGCAO CADET
fuia, 7, fl BeMte,
0 Sr Alencar, official de juizo, que
fuiou, que dizem acha-se presentemen-
te residiudo em Gamelleira, queiravirou
mandar dar st luco sobre o impostas das
carrojas que se maafJou pagar pelo Sr., e
al o presente nao tem apparecido com os
documentos ; deseja-se nao continuar cora
este aniuincio por mais dias.______ _^
Em asT de HODRO CERISTi
\NSEN, ra da Craz n. 18, eneontram-fc
divamente tedas as qualidades de viah<
Bordeaux, Bourgogne e do Rhenu.
(S1?M LIMITE.)
Na travessa da roa
das Crines 2, pri-
meiro andar, da-sc qnal-
quor paiilia sobre ouro,
pala e pedras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
goterno, est as condiejies de ga-
rantir a tran*accao que se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e considaragto s pessoas qne se
dignarem de honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-s ouro,
e brilhantes.
CIMENTO
Da melhor qualidade e por menor preco
que em outra qualquer parte, vendem Ama-
ral Moreira A C em sen armazem do Caes
da Alland-'ga n. 7. .
Milho e feijo
Veml;-?e no trapicho a eumpanhia, ao largo do
i.rpo Santo a. 1!>
'Venilem-se linas norilha, viti-los e vaci'iis
Jo paato firieolo, boa carne para a fisla ; a ver
as 5 Loras da tard do qualquer da no sitio 8a-
pticnia cm Deberibo.
dous bopitos esrravos, %eo um pardn d. 2. a
nos, e nm crioulo de 16 annos, tom principio u*
innrinheirn, de muito bom coroporlanu-nto. -
da Cadeia-velha, casa n. !. -.
defoitos : na roa
gundo andtr._____________________
Vende se una taberna siu ra ImpenaJ
n. 195, bem a/repu*za para o mato, e bons eommodos para familia : a
tratar na mesma ra n. 21J.
ATTENC40
Llquidaeao de fozenda por todo o pr.'^o : n
loja da rna da Imporatriz n. 20.
Vende-se um moleque pea, de 0 a 10 ai.
nos : na ra doLivramento n, 27^_____________
Iiquidiigao
A loja de fazemlas n. 30 da rna da Imneralr.,
estem tiquidacan, e por esse motivo vndenl-
as fazendas e obras torta oo uaia, existentes
dita loja, com grande reduccao em preces pa
acabar.
9^000.
Vnde-so na ra da Cadeia n. O X borzc?nir-
francezes com auas solas, pelo diminuto preijo d.
930OO, assim como apatdes branens, ebra boa, :.
o3000, sapatos de tranca a I 800 : yenham
elle*, antes quo se acaftem, dofroBte da ra
Madre de Deis. _____
Vndese urna moiMlu muito boa
randa com tarnos de pedra, consol-',
ii balanr.0 e mate perlences, por proeos
^-n conta ; no-Corredor do Bispo n.
de ]
cadeir:
mni*
CIMENTO
Ac-atam de cliogar M Grande Bazar Universal
ra iNova n. 22-Carneiro Vianaaara comple
11 sortimento de machinas para costura, dos au-
tores mais coiibei'idus, as quaes eslao en) exposi-
caiino ine l'idade, e tambera eusiia-se com perfeicio a lodos
os,cmpradores. Estas maebiriis sai ignaes no
seu trabaHio ao d- 30 costureiras diariamente, o a
sua perfeicito tal como da melhor cosiureira de
Pars. Apresentam-se trabalhos esec-utados pelas
mesma?, que muito devem agradar aos preteD-
debie*.
Advocada.
Carolino de Lima Sanios, (olllio) |
bacbarel era tlireito acha-se a ra *
estreita doaosarion. 23 onde pode j
ser pronindo das 9 horas da ma- 8
nha s 3 da tarde.
' Vende se ou |*rmuta-se o grande terreno
fm que tem ca*a o Sr. tenenle-coronel Carlos
Martin* de Almc-ida, no Monleiro : a trauma ra
do Cabug-n. lf.___________________________
\TTECA0
o
Na riH da Prata nf 34, armaiem da Antonio
Fernandos Hamos de Oiiveira, vende -o em por-
n retalhn larinha de mandioca da trra de
muito boa fiualidad
Vende-se verdadeiro cimento; na ra
Madre de Dos n. 22, armaaem de Jo5>
Martius de Barros. _____________
Fio delgodo.
Vende-se 6o dn algodao da Babia em 50 e tOO libras : no escriptorio de Antonio L-ni*
de Oiiveira Axevedo 4 C, ra da Cruz n. 57. I*
andar.____________________________________
~ Vende-se urna bonita crioula recolbida, )-.
idade 1G annos da e sem vieio algum ; para
ver-se no armazem fle carne seoca n. 39, ra ds
Praia. ____________________________
Passarinhos de metal prafaeado,
Chegou aova remessadeises bonita paseattnh -
de metal prateado para segurar a costura.
bonita Ogiva
da Madre dfl
Vendeir.-ie dous escravos de
rindos do norte : a tratar na rna
n. I.______________________________
Vendetn-eo dons exeeMoles molequee deis
a 13 annos de idade : na ra de :
mero 29.
Vende-se
Veude-si' un lia lf>
annos, proprin para pagein ou boleeiro : no 3o an-
dar do sobrado n. 36 da ra das CraOS.
a casa n. 4 da roa do Proaresso fre?ueza
Boa-Vista, com um terreno ao Itoo or
palmos de frente o K09 d
ra do Hortas n W, ooraao, 6
. dianle.
nHW
ILEHRl


i
f>
Diar^e Pei-nambu^o Scxla fcira 17 Je Dc/embro fe 1869, (1
SEM IGUAL
O propriotano do armazera le .fazendas denominado AlURA, ra da Impera-
nte n. 72, <1jo1 ua ao respeitavel publico osea freguezes. que esta liquidando todas as
'azendas o roupas fcitas quo tem cm seo estabalecimentb como so poder ver no seu
innnncio e preco abaixo mencionados,
Chitas ira acezas matizada
88 rs.
Yendo.-se chitas francezas escuras matiza-
las a 30 rs. o covado por este preco sna
loja da Arara, ru.i da imperatriz n. 11.
L.AZINU VS A 240 RS.
Vendc-se ISazinlias para vestidos do so-
ohora a 240, 280, 320 e 400 rs. o co-
vado.
nvnur.Es de l.U a soo rs.
Vende-so haroges de \rn com listras para
vestidos de senhora a OO e 640 rs. o
ovado*
Alpacas do listras a 500 rs.
Venie-se alpaca de listras para vesti-
dos de senhora a S98 rs. o covado.'
CHITAS l'IUNCEZAS A 289 RS.
Veo !e-se chitas francezas claras a 2!sf) rs.
o covado.
CORTES DI-; LAA PAHA VESTIDOS A
2;>400.
V-wle-sc corles d) 15a para vestidos de
senhoras a 23400 cada um,
PERCALES A O.HS.O COVADO.
Venle-se percales 'imito finos para vts-
;idos de senhora a 440 rs. o covado, mur-
solinas brancas finas, a 500 rs. o covado,
bridiantinas de cores, a 440 rs. o covado.
Ualcs modernos de todas
cores.
AI roda o enfestado rs.
Vende-sc algodo enfestado proprio para
lences e toa'lns, 900 rs. o metro, dito
trancado a l#, metro.
Chales de uicrta a 3*.
Vendo-* chales de merino estampados
a 25, chales brancos de cores a 10000
cada nm.
CORTES DE BRFM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Vetide-se urna grande.porc5o de cortes
de brim castor para caiga de hornera, 640
rs. cada um.
Grande porco de rctalhos
Vende-so grande porciio de retalhos de
chitas c casis pretas a 160 e 200 rs. o
cova lo, retnlhos de cassas, I3a e chitas de
coros baratsimos.
LIQUIDAM A ROUPA FEITA
Vende-se palilots de brim de cores a 25,
dilos de alpacas de cores a 25, di'os de
mcia casemira a 2s e S^iOO. ditos de pan-
no preto bom a 8* o 105, calcas de algo-
dn atol para oscravos a 640 rs. ditas de
algododo listras a 800 e 10, camisas de
scadb do listras a 800 rs. cada urna, cole-
tes de brim c fustio de cores a \&e looOO,
as i coleles de cesemira do cores a 25500 e 35,
e outras militas qualidades de ronpas feitas
4S uvas Mas
11--RUA DO QiTJEIMA
rU,. C ricos
iles e casa-
Vende-se b aloes moderno sbranco e de c- que se vende por baratissimo preco.
res a i 5. 45500 e 55-
COBERTORES DE ADGODAO A 15500.
Vende-so cobertores de algodo a 15500,
oobertis de chitas a 15600 e 25 cada urna,
GAXGAS PAItA CALCA A 320 RS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cores para calcas de hamom c
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
core* para calca e palitots a 25500 e 35,
o covado, meias casemiras enfestadas para
alease palitots a 15 o covado, brim pardo
de todas as qualidades e brim branco de!
todas as qualidades na ra da Imperatriz
q. 72.
Alpacas lizas a OIO rs.
Vende-se alpacas de cores lizas tinas a \
Algodo de listras a SOO rs.
o covado *
Vende-so algodo de listras para roupa
de escravns a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A 45-
Vendem-se pecas de algodo 45000,
55200, 65000 e 75, para liquidar.
Bales de reos 1A500.
Vende-se balites de arcos para senhoras
pelo baratissimo preco de 15500 cada um,
Cortes de cambraBa barras
a 30(M>.
Vende-se corles de cambraias barrsa a
2> e 35 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Venife-se lencos
': um, para liquidar-
lo rs. o covado, tarlatauas de cores a 320
rs. o metro.
MADAP0L0 ENFESTADO A 35500.
Vende-se pecas de madapolo enfestado | LARTaJRA PARA VIAGEM A 15-
a 35500, pecas de madapolo inglez de 24; Vende-se carteiras para viagera
lardas a 5.->, 65400, 75, 85 e 105 a peca- cada urna.
72. Ra da Imperatriz. 72.
de soda a 640 rs. cada
15
Chegarara da Europa pelo ultimo vapor loja de A
artes das mais linda sedas de mimosas cores para vestidos-pri
Grande variedada .do sedas de listras deTdivcr^o? pregBbdas de-lindas cores,
gorgurJo de sdapreta, e grosdenajtte de varias (ftliddes e gorgurao de seda l de
dill'erentes cOres. dr
Novos vestidos brancos de blond para noivas, lnd|Hpxas de seda para camas,
ditas de laa e seda, cortinados bordados para camas e janOTasTfriinhas e tolhas de
cambraia de linho bordadas.
Lavas novas de Jouvin.eelegantes sombrinhas d s"Jas de cor para senhoras.
Esparlilhos de 55 at JO#-Jindos bournous de cachemira de cor para sahida
di:baile, basqumos denuda preta.e ditos de croch brancoeprcto para senhoras.
Grande variefcade de camisas bordadas 4-lisas para homen; o meninos.
Sortimento de muitas fazendas de |5a, linho e algodo todas por. precos muito
imdico.
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tapetes o de alcatifa para
forrar salScs tudo em qtiantidade; e vendem senfpro^por menos qoe em outra qualquer
parte.
Esteiras da India de 4.5 e 6 palmos de largo.
ALGODO
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
CACHINAS americanas de serrote de todos os tamanhos pata descarocar algodo, do
muito conbecido fabricante Eagle Cotton Gin.
\l\CHINAS ditas, tambera do serrotes e de todos os tamanhos para descarocar, al-
godo do autor New York Cotton Gin.
VIACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta deferro e mais toda a machina.
MACHINAS ditas de Roller Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
\1 ACHINAS de faco do fabricante Platt R. & C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as melhores que tm
rindo ao mercado ; e para a sua apreciac/o convidam-se os senbores agricultores "
rirem a exposico das mesmas na ra da Cada do Recite n. 56 A, loja do Bastos, onde
HiQontrarfo mais o seguinte :
Dbulhadores para milho.
Cylindros para padarias.
Irados americanos.
Carrinhos de mo.
\Jjchinas para cortar apira.
Gannos de chumbo.
Bombas de Japy.
Ditas americanas,
frilhas de ferro galvanisadas.
Folhas de zinco Gnas.
Otas de cobre e lato.
Ferro de todas as qualidades.
^rcos de ferro.
Folha de Flandres.
Vachados americanos,
incoes ditos.
3alaios e cestas do verguinha.
Vassouras americanas.
Folies de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros artig
iiversidade seria enfadonho ennumera-los.
Folha de ferro.
Balancas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanizados.
Correles de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para rednacoes.
Azeite de espermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaos e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoura e artes, que pela
M
Lourenco Pereira Mondes Guimares, proprictario do armazem de fazendas
denominadoGARIBALDI, tSm a honra de putieipar ao respeitavel publico que tendo
receiiiJo diversas facturas de fazendas, de novo gosto, para a testa, estando a espera de
aovas entommendas que deve estar aqui at o dia 13 de novembro vindouro, e vendo
que nao tem tempo antes do balanco de vender tantas fazendas de encomisendas por
isso resplveu fazer urna liqaidaco para ver se d maior, estraco por issoem vistas das
circumstancias vender tudo mais barato do que cm outra qualquer parte, na ra da
Imperatriz n. 56.
MADAPOLO ENTESTADO A 35300. | CHITAS PRETAS A 160
Vende-se urna grande porco de madapo- Vende-se urna grande porcao de chitas e
lo enfestado de 12 jardas a 35500, assim cassas pretas cm retalho a 160 o covado
como peija de madapolo inglezes de 24
jardas ou20\aras a 55, 55500,65, 655D0
75000. 85, 9 e 105000.
Coipiuhos a 200 rs.
CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500
Vende-so. pecas de cambraias victorias
S.ias a 555, 65 e 75. Brilhantina bran-
ca lina para vestidos de senhoras a 500
rs. o covado
ALGODO A 45000
tambem tem rolalhos de chitas e la de co-
res que se vende barato,
angas para calca a 390 rs.
Vendem-se urna grande porc3o de gangas
para calca de honvm e menino a 320 o
covado, cortos de castor para calca a 640
cada nm.
CSi'im de cores a 400rs.
Vende-se urna grande porcrw de duas
faces para calcas, palitots e cohetes de bo-.
Vende-se urna grande p rc5o de algodSo uiem e menino, fa/.enda integramente nova.
todo de boa qualidade e 45, 55, 65, 655 .0 Brim pardo liso a 5(>0 rs. o metro, dito
75, e 85, a peca de 20 jardas ou 2'itrancado fino a 800 e 15000.
varas* rande liquidacao de chapeos
de sol
Vende-se chapeos de sol de alpaca com
ADMIREM-SE DO QUE E' BARATO
Chamalotes a 560
Vende-se chamalotede cores, dealgod'
para vestidos de senhoras a 560 o covado.
4lpaea Usas a SO rs.
Vende-se alpacas lisas para vestidos de
cores, para senhora, a 500 rs. ditos matisa-
das Anas a 720 o covado. Ditas lisas mui-
to largas a 640 o covado.
CORTES DE PERCALES A 6:000
pequeo defeito a 25 e 35000, ditos finos
de ti astes a ($500, ditos de seda finos
de'8 ses a 75500, 85000, ditos de 12 e
[16 astes a 105000, para liquidar.
Chitas para eobertas a 940 rs o
covado
Vende-se chitas francezas para eobertas a
240, 320,340, e 380 o covado.
ATTENCAO111111
Grande armazem de fazendas e ronpas feias roa da Imperatriz
n. 52, porta larga, de Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento
de ronpas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 35, 35500 at 65. Ditos de
msnn, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 55, 65, 85 e 305, de panno preto
sasos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e- de cores de 35500 a 55000. Caifas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de 45, 55, 65 a 155. Colletes de todas as qualidades e preco muito
barato. Completo sortimento de camisas francezas do algodo e de linho de 25 at 55
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de linho e bramante a 25 e 255.
Gravatas fmantas) novissimo gosto a todos os precos. Meias sortimento cempleto a 35.
45 ate 75 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto para homcm, como
para meninos, e com brevidade, por isso qne tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e outras muitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de II palmos de largura a 15800 o metro.
Cambraias do cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 15200.
Casquines de guipure. enfeitadas a 185000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 380, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 65500, 75, 85 e 95000.
Algod5o peca com 20 jardas a 45500, 55500 e 65000.
- Peca de algodo largo a 75500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Chegufm roupa
teila que se est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (junto 4 loja de ourives) do
Esquina da raa da Aurora
Defronte do Caf Imperatriz.
Reste novo e sumptuoso esiaBelecimen-
to de fazendas, encontraro as Exmas.
i familias indo quanjojpossam desejar, tan-
1 lo cm artigos .le rigoroso luxo, como em
todas as mais qualidades de fazenda.* de
sedas, blond?, alpacas, merinos, \xis,
cassas, mussulinas, chita?, madapolOes,
algoddes, etc., demodo a sabir bem ser-
vido desde o mais rico e exigente amador
1 da moda e do luxo, auT'o mais modesto
pai de familia. Alm de sfl adiaran pr-
vidos do (jiic melftor so encoatra neste
mercado, mandaram os propietarios
I Teste estabelecimento vir directamente
o que em artigos de modas e de mais
f apurado gosto se coconlra em Paris.
IUma modista especialmente oceupada
. nos trafcalhos do l'AVILHO DA AURO-
I RA, execotar promplamente e com toda :
{ a pnrfeicao qualquer trabalho a capricho, i
[para o que se acha habilitada "em tudo j
I quanto mister para 'o bora desempenho :
j de sua missao, o que una grande van- :
| tagcMi para o bello sexo, que assim ]
I vai encontrar cm um s lugar tudo quan i
[ o pode desejar, isto fazendas do me- :
[ Ihor gosto, modista par perfeita execu-
[ cao de qualquer trabalho, perfumaras,
{ chapeos, ajfeites, niiudezas, lavas de.:
5 Jouvin e tudo quadto a moda pode exi- |
I gr.
Aos cavalheiros igual vantapem se offe-
f rece, por ter o estabelecimento o mais |
I completo sortimento de fazendas para fac-
Itos, e proprias para todas as eslacies, e
. um hbil alfaiale encarregado de xecu-
I tar com promptidao c meslria qualquer
encommenda.
. Os proprictarios do PAVILIIAO DA
J AUHOKA nao tendo poupado despezas
i para dotarem esta bella cidade de um
5 estabelecimento digno d'ella, conflam nos
\ seos esforcos c no bom gosto de seus ha-
i hitantes, garantindo a maior circumspec*
[ cao e modicidade de precos.
Com a possivel brevidade e em vista da
I prutece que se dignaren) dispensar-lhe,
I este estabelecimento trar muitas outras
I vantagens, primando entre ellas a publi-
I cacao de um jornal gratuitamente dis-
* tribuido aos seus freguezes, o qual se oc-
| cupar exclusivamente da descripco das
I modas, acompanhado dos ltimos flguri-
i nos; vantagem que at boje anda nenhum
J mestabelecimento offereceu.
; Concluindo, e na impossibilidade de des-
crevec rico e variado sortimento qne
I possuem, os proprietarios do PAVILIIAO
DA AURORA rpspeitosamente eonvidam
l as Exmas. famlias a visitar este espa-
I coso e rico estabelecimento que, alm de
tudo, est dolado do pessoal necessario
5 para vender o levar amostras as casas
I que as pedircm.
Pelo ultimo vapor recebera m ricos cor-
! tes de vestidos para casamento, luvas de
I pelica, ricas chapclinhas para senhoras
i e diversas fazendas modernas.
Ahfirto das 6 da manhaa sj
9 da noite.
LEAO DA PORTA LARGA
Paredes Porto.
Veden-se urna grande porc5o de enrtes
de percales de duas saias para vestidos de
senhora, de mnito delicados gostos com
16 Vs covados a 65 75000.
CAMBRAIAS LISAS DE CORES A 600
Vende-se urna grande porco de cambraia
lisa de todas as cores* para vestidos a 600
rs. o metro.
Organbys moderaos a 0 rs.
Vende-se organdys de cores para fazer
vestidos, de doas saias, agora modernos, a
800 rs. a vara.
GRANDE SORTIMENTO QE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas muito finas de
cores a 280. DiUs matisadas escuras a 320
ditas escuras escocezas a 360.
loadas a 360, ditas garbaldinas a 360 o
covado. Sortimento de chitas como tem o
laribaldi ha poucas lojas que compitan).
TOES PARA VESTIDOS A 400 RS.
Venue-se fusto de cores para vestidos a
lOQ rs.. o covado
COBERTORES A 1:400
ISn a 15400
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vende-se cassas francezas para vestido
a 240 o covado, ditas muito finas a 400 rs.
assim como percales finas para vestidos a
' 440 o covado,
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
- Vende-se meias cruas para homem a
35500, 45. 55, e 65000 a duzia, ditas para
meninos de todos os tamanhos a 35500 e
45000, ditas pa'ra senhoras e meninas a
35500 45, e 55, a duzia.
BALOES DE ARCOS A 1:500
Balites de arcos a 15500, ditos modernos
a 45000.
ATTENQO
Tem-se para vender urna grande porcjfo
dfs'aco-' ^ rouPas k'las c'e Dr'm e de casemira, de
' todas as qualidades n5o se menciona por
ser enfadonho. garante-se ao comprador ven-
der mais barato do que em outra qualquer
parte, isto s se pode conhecer com a pro
setn.a du comprador e a vista da fazenda
que se pode conhecer como est liquidando
por haram prfl$Q, o general Garibaldi. ra
da Iinner.itriz n. 56.
vh-.'ivn de merino a VdOOO
V",1: do cores es-
55, 55500 e 65000.
.Machinas vapor de
for vallos.
Totores para 2 cavallos.
Arados americanos.
[_ Machinas de faco e serrotes para desca-
rocar algodo. o
Palancas para armazem e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Ubit-
field.
P rencas para copiar carcas.
Foglo americano patent
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaparrilha
do Psr, pilulas e xarope de veame, tin-
tura e xarope de sicupira.
Doeocas do figado e baeo, ane-
mia, opilado, ele.
Emplasto, oleo, pommada, tintura, pi-
lulas, xarope e vinoo da milagrosa Juru-
teba.
Sezftes on febres inlermilenles
As pilulas anti-perioJicas de Pinto.
1 nico deposito destes medicamentos na
pharmacia de sea autor ra larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quartel do corpo de
polica.
IiOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Roa do Crespo n. 9
Os proprietarios deste bom conhecdo estabelei
cimente, alm dos muitos objectos que tinham ex-
postos a apreciacao do rcspeitavel publico, man-
daram vir e aeabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e variado sortimento de
fnas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
tn resolvidos a vender, como de seu costume,
por precos muito baratinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha do mais moderno.
Superiores pentes do tartaruga para coques.
Lindos e riipiissimos eeites para' cabecas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores c bonitos leques de madreperola,
matrffm, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhog, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 303000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
aln) dcstas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes argumas muito
finas.
Boas bengalas do superior canna da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do inesmo, neste genero o quo de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
quantidade de oatras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora para meni-
nas del a 12 anuos de idado.
Navalhas cabo de marfim- e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e n3 por nossa vez tam-
bem asseguramss sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capailas para noiva.
Superiores agulhas para machina epara crox.
Linha muito boa de poso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo Um.
Grande e variado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as eonvulsSes, e
fanlitam a dentigao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, aOm de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois podero aqnel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deros collares, e os quaes atendendo-se ao flm
para que sao applicados, ge venderao com um mui
diminuto luoro.
Rogamos, pois, avista dosebjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Graspo n. 7
Sellius baratos,
. 27 KUA D LlVRAMENTt) N. 27
Neste. estabelecimenio vende-se sellins e
silhes, de todas as qualidades do melhor
que se pode fabricar no paiz, assim como o
[-mais arreios pertencentes ao mesm, ven-
de-se tambem, colxes, traviceiros, caiii-
ribas com almofadas.-proprias para meninai
levar para"aula. O proprietan deste esta-
belecimento garante a pontualtdade, esme-
ro e zek) de seu trabalho; porlanto pede ao
rcspeitavel publico sua protecciio, qoeaffian-
ca vender tudo pelo mais barato possivel;
o por menos do que em outra qualquer
parte."
J cordeiro previdente
lina do Qnefmado n. 16.
Novo e variado sortimento de perfumara
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que effectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
Qotavel pela variedade de objectos, superiori-
4ade, qualidades e commodidades de pro-
;os; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciacao
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se atas-
lando elle de sua bem conhecida mansido
i barateza. Em dita loja encontraro o
preciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray 5c Lainman.
Dita de Cologne ingleza, americana, tras*
ceza, todas dos melhores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservaco do
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
a outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos t
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino eagradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolhidos cheiros, em frascos de diffe-
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menorea
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
ctas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e d
moldes novos e elegantes, com p de arrox
s boneca.
Opiata Ingleza e franceza para dentes.
Pos de campbora e outras diferente
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada mais coque*.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filis de vidrilho
e alguns d'elles ornados de flores fitas,
estao todos expostos apreciado de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfer.5o.
Fivellas e filas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com.'
prador.
Gahriolet Dbca t.
O melhor neste genero, e'perfeito retado, ven-
de-so Hin ; ora ver na eocheira de Thomaz'Lins,
a ra de Santo Amaro, e tratar na ra do Crespo
n. 16, loja, das 8 as H horas da manliaa o das 3
as 6 horas da tarde.
RAP! POPIJIj m
DA
FABBIf A NACOXAL DA BAHA
r>E
TetKeira UlduicofC.
Aclia-se venda es!e ptimo rano, nico qw-
pode suppnr faltado princezade Lisboa, por ser
de mui agradaveL" perfume, \
mais Tindi*' : e por isso (em 1
lh!
i7-
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazem. ama relio de Vicente Fer-
reira da Costa & Fiiho, defrente do afeo da Con-
ceicaotem barricas grandes.
Na ra do Codorniz n. 8 contnia a.tor nm
grande sortimento de doces em latas e caixoes do
diversos tamanhos, cujo se vende por preco mais
barato de nue em outra n nalqner parte.
m m m
iementej de htrtalices ohegadas pelo ulljmo
va ur narua do Llvramenio n. 38, armazem de
m< Miao-. n-titue-se o imposte ao comrrador, ao
ca o d'1 rera,
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster u
, ra do Imperador, um carregamento de ga.
de prmeira qualidade; o qual se vende em partida.-
e a retalho por menos preco do que em nutra qna'
(raer parte.
COGNAC.
F;--tar
PAo 8enio.
11 do Urna, em Sai
De superior qualidade da mui accredita
da tabica de Bisquit Dubouch & C, em
'cognac urna das que mais agurdente d3
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vendp-se m casa de Th. Just. ra
oonimi'reio n. 3i ^
du

Cal de Lisboa
ehegada no ultimo navio, tem para vender Joa-
quim Jos Godcalves Belirao, no sea efcriptorio
ra do Commerrio n. 17.
Vinho de Bucellas
qual dade superior, em qnartos de pipa,
vende-se em casa de Wun Soleten A- C,
na da Cruz n. 9.
Firinlia de milho
para cangicas. pa|ias, bolos, pao e outros muitos
misteres, acaba de chegar algnmas barricas desta
excellenio farnha, dos Estados-Unidos, e vende-se
no armazem de Tasso Irmaos, uu caes do Apollo.
CUr^A;
em TRES DAS
'enain
pars
**-'WS7f-
Paris, 36,RuaVMenne, D<
CHABUmeoecin
SASENTERMIDADAS DESSEXUAES, AS kmot
CQES CPTAWUS.E ALTaACQKSDOSANOUI.
HWcuru tuimpinmmm
uitulai. tirwi, mvim
com$sou,iu}nm
(OM, OWMMM don
'.i"
MUvaa r(eUM BMHM miltmWkAMM
tomto-jfldon por Mnasa. seguindo o traciUMAtt
DtPiJmvo .- embretado sis imu molMtia*.
SiU Xaroo Cilracu A
tarro i '.HABLE, un
iatBdiauaD(a4aalfa
pitroojao, relaxatmo,
1 < debtlH*U, umK
fc": flore branca las HulherM.
5t* injoecao baalgsa taprags-t* oon o lira 4t
Ctlroeto dt Ferro
urroW. Pomada qoe aa oara wa i
POWAOA ANTWERPETICA
OEPURATJFJ
SAIMG
PLUS [
QOP-A.HU


:i-..r-
I MU
1 u


._-_-_-_--!

Diario de Periiumbuco
b n ...
Sexta
feira 17
mu
de Dezembro
de
1869.
7
?
ff
__:
:___r:
3=
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATIUZ N. 60
K DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO -*,
PAVAO
DE
FEIIIX PERfilBiDA SIIiVA.
0 proprietario d'esle grande estabelacimento, vendo que se esl aproximando o fin
do anno, e tendo em ser um grande deposito deposito de fazendas ; nao fallando ere
valladas encommendas que Ihes estao obrigado todos os dias, tem resolvido liquida-
las por preco muito raais baratos do que em outra qualquer parlo ; s com o fin
do diminuir o deposito e apurar dinlieiro. Encontrase neste estabelecimeto1 do
PAVO, avultado sortimento deiaondas de luxo e modas; assim como de primeira
necessidade. As pessoas que'negociara em pequea escala n'esta toja podero surtir-
se vendedo-se-lhes pelos precos que compram, n>s casas inglezas; assim como as ex-
cellentissimas familias podero mandar buscar as amostrade todas as fazendas, ou man-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
acha constantemente aberto das 6 horas da manbaa s 9 da noite.
ALPACAS BRANCAS LAVRADAS
Chegou para a loja do Pavao um grande sorti-
mento das mais bonitas alpacas brancas lavradas
c do cordao sendo n'oste genero o tiiellior e mais
lustroso puejein viudo ao mercado, tem algumas
tao finas e lao bonitas que servem para vestidos de
Acha-se este grande "estabelecimento com- n^ivas e vondom-se por coramodos precos.
pletamente sortido das meluores roupas, laazlnhas modernas na loja do pavo
sendo calcas paiitts e COletes de casemira, Chegou para este estabelecimento um grande
j ..., a V_;m a* ,i,, a Aa indaa sortimento das me ores e mais modernas iaazi-
de panno, de brim, de alpaca, e de todas nhas a ves[idoSj scndo topadas e lraul).1l.enteS
S mais fazendas que OS compradores pos- de todos os precos e qualidades que se vendam
sam desejar, assim como na mesma loja mais barato do "que em outra qualquer parte.
tem um bello sortimento de pannos casemi- ^ .,
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer broches para cadeiras e solas
qualquer peca de obra, com a maiorpromp-' O P*vao tem um grande sortimento dos
tidao vontade do freguez, e nao sendo mais bonitos crochs proprios para cadei-
obrigados a acceita-las, quando nao stejam ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
completamente ao seu contento, assim como como proprios para cobrir presentes, e ven-
n'este vasto estabelecimento encontrar o de-se mais barato do que em outra qual-
respeitavel publico um bello sortimento de quer parte,,
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
nho e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-llie vender mais .barato do que em
outraqualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se tima grande porcao de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo ra da linperatriz {n. 50. De Flix
Pereira da Suva.
FAZENDAS PARA LUTO
N'a loja do Pavao.
Encontra o respeitavel publico neslo estabeleci-
mento um grande sortimento de fazendas prctas,
como sejam, cassas francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de la de
".odas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, laazlnhas, alpacas lavradas e lisas, canto,
bombazinas, merino, etc., que tudo ee vende por
preco barato.
AS CASSAS DO PAVAO
Covado a 300 rs.
Vendem-sc finissimas cassas francezas com li-
dos desenhos e cores fixas a 300 rs. o covado.
Madapolao fraucez a^ 7-5000 rs-
Vende-se pecas de mad&plao francez
com 22 metros pelo baratsimo proco de
TfjOOO a peca, pichincha.
Alias novldailcs cni sedas
Chegou um grande sortimento das mais
modenas poupeimas ou gorguroes de seda
e linho com os mais elegantes padrees que
tem vindo a este mercado sendo, utidos e
graudos, tanto em cortes para vestidos como
para vender etn covado, assim como um
bonito sortimento das man benitas sodas
listradas que s* vende tudo muito cm c^uta
Grosdemiples de cotes
Chegou um grande sortimento dos mais
bonitos grosdenaples de todas as cores para
vestidos que se vendem mallo mais barato
o que em caira qualquer parte.
CHAPEOS DE BRIM A 2.5000 RS.
Chegou urna grande porcao de chapos
de brim para cabeca que se vende polo ba
ratissimo proco de 2!000, por terem che-
gado com um pequeo toque de mofo. E'
pechincha.
GRANDE? ECHINCHA A 5:000 RS. PEQA DE
Klrcauha
Vende-se pocas de uperior bretanha de
algodSo tendo .qualro palmos de largura
cora 20 varas ou 2 metros cada peca, esta
fazenda seria pata custar 8000, a nao ser
>ima grande compra que se fez, o liquida-se
a 55000, cada peca.
GLACE' A 1:200 PARA VESTIDOS
0 Pavo tem esta nova fazenda lisa pro-
pria para vestidos, com as mais delicadas
cores e com mais lusre do que a propria
seda com 4 palmos de largura que facilita
fazer-se qualquer vestido com 10 covados
e vende se pelo baratissimo preco de 1:200
rs. o covado, e pechincha.
CRETONE DA INDIA PARA COLCHAS
O Pavo jem esta nova fazenda cretone
propria para 'colchas, com os mais lin 'os
padrees chinezesc com as coros intoiramen-
te fixas, tendo largura de chita fiar.ceza e
vende-se' em conta,

mm
Quaado a AGiA BRRNCA.'malr precisa scienlicar ao respeitavel publico em
geral, e em particular a sua boa freguazia, da immensidade de objectos que ltimamen-
te tem rocebido, justamente^quando elki menos o pode fazer e porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que lb'a attenderao c relevaro,
continuando portanto a dirigir Queimado n. 8, onde sempre acharao abundancia em sortimento de supertoridade em
qualidades, modicidade em presos e o seu nunca desfoeattido AGRADOE S1NCERIDADE.
Do que cima ca dito se coobeie que o tempo de que a AGUIA BRANC V pode
dispor, empregado apezar de seus cusios no desempenho de bem servir a aquellos que a
honrara procurando provor'-se em dita loja do que .necessitam, entretanto sem ennutne-
rar os objectos que por sua natureza sao, mais condecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja importancia, elogsndt) e novidade ortornam rcommendaveis, como
btm seja : %
Corpinhos de cambraia, primoresanjente
enfeitados com fitas de setim c obras Blas
cuja novidade de molde e perfeico de JBor-
oos (s tornam apreciados.
hitas mnrlargas de diversas cores e Rea-
lidades para cintos.
Leques uesse objeclo muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree c desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba para circular o coque,
de chegar, mas para nao rnassar o preten-, Bonitos brincos de plaquee,
dente se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Entremcios em pecas de 12 tiras.
Guipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Metas de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para men'iQOS.
Enxovaes completos para baptisados.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
LindSs vasos com p de arroz e pinsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
Aderecos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para balo._
Novos stereoscops com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
.urnas substitnem as outras.
. Vistas para stereoscops.
' Bonitas caixiiih&s de vidro enfeitados com
pedras. .
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
Touquinhas de fil, sapatinbos bordados enancas.
o meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
Diversos objectos de porcelana, proprios
para enfeites de mesa e de lapinhas.
m n m
LASINHAS LUSTROSAS A 400 RS. O C0-
VA0O.
S o Pavo
Vende-se um grande sortimento das
mais modernas e (legantes lasinhas para
vestidos, com as aires mais novas que tem
vio lo a este mercado, sendo com listrinhas
- miudinhas que pareoem da urna s cor e
oom tanto lustro que imitam perleramente
s poupelinas de seda, e vendem-se pelo
barato preco de 4#0 rs.
jretaahas'de rol a W&OOa
Vende-se superior bretanha de rolo ten-
do 10 varas ou 1 i> metros com 4 palmos
de largura pelo barato preco de 24500,
pechincha.
OssetinsdoPavflo
Vende-se os mais bonitos setins do cores
e mais encorpados proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
AOS PAUTOTS DO PAVO A 180 e
200000.
Vende-* um bonito sortimento de palito-
te francezes sendo, sobrecasacados e pro-
piamente sobre-casacos, que se vendem
forrados de alpaca a 18fOOO e forrados de
seda a 205000, pechinCha.
COLCHAS DE FUSTAO
Na toja do Pm vendse um grande sortimen-
(A de colcha. de fustao sendo brancas e de crus
ditas de croe! para camas de noiva, assim como
qonitos damascos de la para colchas.
Na loja ae Pavao vendem-se ps mais
bonitos chales de verdadeira cachemira de
cor, com os desenhos mais modernos,-a 65,
iOa 12(5000, multo barato na rui da Im-
neratriz c 00. >
BASQUINAS A 125000
vende-se as mais mo-
Organdys a 300 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores com padics miudos egraudos. sen-
do todos de cores fixas, pelos baratos pre-
cos de -3G0 rs. o cova lo.
ALGODO ENFESTADO
Vende-se tima grande porco de aigodo-
sinho amelicatio com 8 palmos de la gura
proprio para len^es o toa I tas tendo liso e
trrncado que se vende por proco muito em
conta.
irnos Chegou um grande sortimento de pecas
de panno de linho do Porto que se vendem
de 700 rs. at 15000 a vara, garanlindo-se
que em fazenda do linho nao ha nada me-
lhor, nem mais proprio para lences e toa-
mas.
PECHICHA E\I CHAPEOS DE SOL
Chegoo-um grande sortimento dos me-
ihores chapeos de sol de seda, inglezes ten-
do neste art go o melhor que tem \indo ao
mercado assim como urna grande poivo de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por proco muito mais barato do
que em o tra qualquer parte, por haver
grande perclo.
euros braucos
Veade-se um grande sortimento de len-
cos brancos para homem, sondo a dtizia a
14600,2u00 e 35000, ditos abanhados
muito tinos a 45 e 05000 a duzia, ditos de
p.seui3o fazenda muito superior a o5, 65 e
75000,
Pechlclia em caseiulras a 4:00
Vende-so finissimas casemiras de cor com
listras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores mais novas e mais bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baratissimo preco
de 45000 o covado ou 75000, cada corle
de calca.
PARA A FESTA
Yende-se po; menos de 10, 20 e 30 i0
SO' NO
SERVATV0
N. 23Largo do Terpo.N. 23.
DE
s santos a- c.
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secco e molbados estao re-
solvidos a fazere urna grande diminui?3o de presos ivas suas mercadorias, como se apro-
xima a festa e sempre se fazera aviiltadas compras para o centro e praca, por
isso previnem ao respeitavel publico em gefal. quo mande fazer suas despencas o cer-
tos de que verao a grande differenc-a em precos mais do que em outra qualquer parte
e garantin h>-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 95500 a lata, e 440
rs. a garrafa e 660 rs. o litro.
VSNHO VERDADEIRO FIGEIRA 560
a garrafa, c 45500 a cahada e 80f> rs o li-
tro.
DEM DE LISBOA das melhoros marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 26800 e
35200 a caada, 6(50 e 720 rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 45000.
a caada e 560 a garrafa, c 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO E LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, LSiCO,
15800 e 25200 a caada.
AZEITE QOCE DE LISHOA 900 rs. a
garrafa, e a 75 a canaca, e 15340 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 15400 e
152SO a libra, 35060 e 25780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 9!50, 9UO e 850 rs.
a libra, e 25IOO. 15980 e 15860 o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMI'ERO 560 rs o i
bra, 15220 o kilogrammo, emporc5o se
far abatimento.
BANHA DE PORCO DE BALT1M00R
Gi?ndiJjpp(
para acal-ar,

ele faaendas li;!ratissimas
ciij.is fazendas sao as que
I IILufi
O Campos da ra do Imperador n. 2S
no intuito de servir sallsrofri monle aos
seus innumeraveis amigos e frejuezes, i n
particular e em gera! ao respeitavel pnlico,
desta cidade ; avisa 06 que ostivci om nns-
sando o lempo ealmoso, nos daleltaVefe
arrabaldes desta capital, que tem reolvidti
vender, de de superior qaalidade, a pn-ros
razoaveis, os segaintes gneros a sabor:
PARA CIMA DE APARADORES
Latas com doce em calda de diversas
qualidades naeionaes e estrangeiros.
Ditas com-pebre a saber* salmn, ostras
e lagostas.
Ditas com ervilhas francezas e portugue-
zas.
Ditas com. gela franceza.
Cerveja franeeza verdadeira Bobee.
Presunto para fiambre e afiambrados.
PARA DISPENSAS
Latas com chouricas novas sendo de 85,
cada urna.
Presuntos de Lamego para tompeiro.
Cuias do Para (piuladas pelos indgenas
daquella provincia.
Copos de vidro com dobradica e lampa
para diversos misteres. *
PARA OS OARTOS DE D0RM1UA
Porta-phosphoros cheios de ph'osphoros
de segnranca.
PARA SALA
Charutos de S. Flix do afamado fabri
cante Costa.
Fumo picado do Daniel de S. Joao do
Rio de Novo.
Alm dessos gneros, o Campos tem con-
viccao de que o seu estabelecimonto um
dos que podem satisfazer com garantas as
exigencias bem entendidas, dos Ilustrados
habitantes desta heroica provincia, porquan
to se acha elle bem prvido de gneros su-
periores, de manetia a nao desmentir
O Campos.
i-.j, queem
i-zciii! imh pactado p1'-
gavamfio na l"1-
Mua Kora n. 48.
Er-iaosc ; H t tidaclo de f;iv.- lulas U;iati.--iiif< n |r : r;as para a
fo#l;i I m'vm ; ::. i i-isi poifcit!)
elndo com ;rnv;,ao; a 7 3UOO, pl lin-
-is padrde? a 990 r*. o c i>l4tf) tambwtf frnce-
las ile tuuiUi U"iUtS padrgc a 3C0 r-. para :ica-
b:ir, peciH (le tin; cainliraM victoria iin perfoilo
o.-t,ido 33; !55DO c Oj, ditas irarf^panite a i,
Iciicds de linlio para t\6 a :tSo<-0 adnaia, cami
Mi francou a IISOO c*a uswa, c .unas muitr.s
fazendas que menciuna.-ias snia CDad-jnho. Apro-
vellcm 3 porliincha que ate ^aWiado ac-ba ?e con
ludo pnr tudo o preco. *_______________
Bartholome & C.
1
Vitno,
X moPK i-: T n'Tvp.*
AVISO
Os proprietarios do BAZAR DA MODA
sito ra Nova, uesta cidade, declarara ao
respeitavel publico e com cspecialidade aos
seus freguezes, que, principiain de boje em
diante a vender o grande sortimento de
miudezas, perfumaras, quinquilliarias, ar-
tigos de moda para Iiomms, senioras e
meninos, com um grande abatimento em
procos para liquidar a dinheiro.
A grande variedade de objectos de gosto
recebidos da Europa, onde os mesmos pro-
prietarios entreten relatos com habis cor
responderles habilitados a ofrecer as
maiores vantageus possiveis e U>je estain
resolvidos a liquidar com pouco lucro, acha-
r3o os compradores urna dii'eienca superior
a 30 por cenlo menos do que em outra qual-
quer partp.
A PRECO FIXOsao vendidas todas as
mercadorias constantes do estabelecimento
e por este systema de negocio podem sem
escrpulo comprar, certas de que uo se-
rlo Iludidos.
Tem empregndos promptos a conduzirem
os objectos ou amostra a qualquer casa que
o exija. .
Bazar d ModaIo de d'zembro de
Jos de Souza Soares & C.
DE .Icftly'llUlb SlMPl.RS V. FElsUfCINi
Ol^O, !'iima:iae ftfaj'KSTflib ;., mi \: v
<:-\.WV.\ fKBPARAtt^S i'OH
BARTHOLOMEO &. C*
P II A II M A C B T : i:os- O nO'l U 1 ST AS
l>EtC\'MKII0
A Jiirii!"liJ : mi |il.iii l'))' T.-mih-
C4iiij.> i 111.1 > |MHlurusq I'iint.t, C(ftliO o ui':;!i/-
N-:: 1:i-1 ic, o liu la! .ii'plii't'la uu* pj*'fciaieiii -i
def ll;'ln litis'u- ti.-|iiliU:s. dllMKM. lOnOfW lAUr-
uos e e|*ciBUnciii< -I" Wrii, ijJiu|--j, ra-ys.-
psltat, cte,; 1 **"-!; ''" '"'I 'Mi paltid^i
c.ire.-. cliini'Mi> ldt:i :.: nii-ii-lrun.;jn, l.nrrsu-
jOs do luuiujin, BUS., : o -)U dlacaaut fiUllUo
iniiuuier;i Crsf ini|H>il*Mjl UnhK enm iuuui
pnusradot ji I loiibi-cirtu e unti:> uto na:,
IU-udcUm uieilioos Da^9u dtMtiloa duUribBiOXM grali- folticlos im
iiii-lln.r lfeui cootiecer a Jurnbeba loa resallad,,
applieacAo.
PARA A FUSTA
3 portas, 1 ja de fer ftgem
53-Rua B^eita53
Ntte grande MabeleeiiHPbto, lia para vender
tira compli-t) mrtimenbj i" frrngeiii, t> iniu /as
linas e gru.s, como sc-jam bautjijaa ciiiiieus
qaadradas c ovaes, facas c K-ir/JS uo 1 2 bo-
lees, balando inti-iru e i/i babnco; j>anclla?. cha,-
Iheira, eacafVrlIn, (ritMeim*\ assadoiras, tanto
de Ierro eeina ilo porcvlana, muiuln).- ,iar;i caf <:
diversos tainanb.K d fatiriciuite J-|. ,dc
graairaos, tanto de firro roin Ib b tan, metros
para modir fazenda tanto fl> ferro cerno de latao,
alre, bren, barbante, ensufra, aaael marca \ia-
do, do verdadeira l'n-anlo, laacjn? para ilc-ea-
r.njar algodo; .'.ii'in do outros arugu de ferra-
gtu, miadeas calila ras finas, qnc r vis-
ta se verifica ; na rtia dircita n fr loja I I p< r-
tas deManm'l Itonio de 01 < -iia Brapa& C".
Proprias para mjaular
Vqndem-se no armazem da coipanhia P rn m-
bocana caixas os.u una dozia dn gan vi-
uno Madeira, sortida? d i |rd a genuino, o me-<
tir que 0 |> 6sivd prodiuir-se : na apenas pxi-
ea i-aixas.
SEVAMNHA E SAG 280 rs. a libra, e
G-20 rs. o kilogrammo.
FAWNHA UE ARARUTA VERDADEIRA
GO a libra o liOO ( kilogrammo
BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 8<>0rs. n kitogrsmrao.
VELLA3 DE ESPARMACETE 740 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PH0SPII0R05 DO GAZ E DE SEGU-
RAHGA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
35200 e 66500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CAGHINHAb
DE MUITOS TAMANHOS 15280. 25500
3500,46500. 5500 a lata e a retallio e 15
a libra.
GOMMA DE MILllO AMERICANA 400 rs
o masso. e m caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caixa faz-so abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA 11 55500
a duzia e 50 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS &
BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a dnzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 15500, 15200, 15 e
NSIAVOS m
aJ
latrC.
Os bal5es do Pavao a 2|000,
Cheg u um grande sortimento de balSes
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 25000 ca-
da um grande pechmcba.
AS CA iBRAIAS DO PAVO A 4:500 RS.
Vende-se urna grande porc3o de pecas
de finissimas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com mais de vara de
largura pelo baratissimo preco de 45500, a
peca sendo fazenda que nunca se vendeu
por menos de 86000, grande pechincha.
AS POUPELIN\S DO PAVAO A 500 RS.
Chegaram as mais lindas poupelinas de
15a com imitacao das poupelinas de seda,
um fazenda muito leve com as mais lin-
das cores, sendo: verde Bisraark, rftxa, azul
lyrio, c nsento, perolla etc, etc. e vende-se
pelo baratissimo preco de 500 rs.
Fustes Lraucos para vestidos
Chegou um lindo sortimento dos mais ba-
ratos e bonitos fustes brancos com listras
e cordes, sendo fazenda bastante larga e
flexivel, muito propria para vestidos c ron-
as de meninos e vendem-se a 640 o co-
vado. _
BONITAS LftASINHAS
OU ANA01NAS A 15000 RS. O COVADO.
Chegou para o Pavo, um grande e va-
riado sortimento desta nova fazenda de 15a
e seda propria para vestidos, com os mais
delicados desenhos e mais modernas crs*
tendo bastante argura que facilita fazer-se
nm vestido cora poucos covados, pelo bara-
tissimo preco de 16 720 rs. a libra, o 15560 o kilogrammo, em SOOrs.^garrafa^.
porcao se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDLV
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
36400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 65000 a arroba.
CAF EM GRAO 65 e 65500 a arroba,
200,240 e 260 rs. a libra. 440 e 520rs. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SABAO MASSA 240 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixit se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 ts. a libra e
15220 o kdogrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
Ihante, combinatioa, Francy-cracynel, mixed
GENERRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUESA 75 e 66 a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
115 a frasqueira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35000, 25800 e 25400 em caixa ba abati-
mento.
TOUCIXHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 115500 a arroba.
LINGU1CAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 15000 rs.a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TO a 15000 rs. a lata.
CHA FINO. GRAUDO E MIUDINHO
35200 e 25800 a libra, e 65100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 25000.
Ftigio no da 7 do correntc mez de ni
bro, a i'.~crava Ji'.iuiina, crioid.i, do i '. i- ru-
no?, cor preja, barxa e ch ia do crpo. t i uina
ii'i liiaar do brinco, tima p^'jue-
aa cicatriz un testa a um lado, dous .'.-..: -na
frente aberlos qrtl paree, falta !e npi, ma? o5o:
i-.t.i o.-crnvn so i em carregaragu m pa-
teo do Tere/, oo lavando- ronpa pelos roqueiros
unto a rui Imporial. e por e?irs logares que
ella cusanla andar. Itoga-se ms^rs. capHa sde
campo a aprobansao de>ta e.-crav.i o a levara
roa do Qnetrnaaon. -'10 trceiro andar on a rara
do Corno Santo n. 17 primeiro andar, que -
bem recompeoado.___________________
Da-s 50|i)00"de gratfica-
Co
PogiO in da !fl i!iT'r sil i |" ado :r-; : -
crava de mime Brtolen, dab US annos, : meo
mais ou menos, cor parda, rajtftlo* cara] inhos,
persa! pos seceos. dcdrH dos pos e das
maes coropriJos, fio pequea, m .
boeearegular. 3ma muito ligeiro. ': l-m filiante,
li ron ve" tliio cabeco de laltyriotbo e sai.-, tambera,
ambos branev, tem nm ignal de um ai
iraca, dolado lireito on esqoerdo : ropi-se, por-
tanto, as autoridades pcliriaes e e; ti anv
eliensao da nc-nin, e leva-la ao me-
Rua do Imperador n. 28
Neste novo estabelecimento enconlra-se
(liariamcnlo um variado sortimeutn de. bo
linhos paradla, pastis, podin-, bollos in-
glezes, pes di} 16. presumios, ditos > ni fiam-
bre, superior cha Hysson, preto, e miutli-
nho. Vinhos linos de todas as qualidades
conage, licores, conservas champagne, cer-
veja mgleza, fruclas muito bas, por-
tugnezas e francezas.
Um completo e variado sortimento de
caixinbas de todjs os roslos e procos para
mimosear senhoras, estas caixinbas recen-
tmeme chegadas dejarla rao de primora- m^ ,h ll do gosto, ollertsse-mo-las aos galanteadles liil_ (..;>ll ao a|)iiiX;. ,,,,lin(!o.
Antonio Meneltes Cordeiro de GnsmSo.
Kupm lia ilia- il > ini-z iira.viii.i pa-ad". di
enpenho Korno da Cal. os dous e-eravo:. Vidal,
preto ftrioulo, i la lo fcO limos, p> UCO mais on me-
nos, de estatura regalar, tem barba >erraJa, des-
confla-se andar por Goianna, visto ter >ido do en-
genho Jacar ; e Raymundo, cabra, idade 2i an-
uos, ponen mais ou meaos, ten bonita figura e
ni ns pegar e leva-los ao en-
m recompensado.
do bello sexo pois tiellas acliarao nm digno
e serio presente para as donas dos seus
pensamentos. Tambum os apreciadores de
boa fumara encontraio charutos dos me-
Ihores fabricantes da Babia e de Havana
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, christalisados c de
calda, ditos de caj edo outras qualidades. 1 fallafemenina : quem
Nesta casa recebem-se encommendas para P'nho ae.ma, sm be
bailes; casamentos e baptisados e qualquer
encommendas avulss, como seja pao d 16
e bollos enfeitados e outros mudas coosas
que enfadonho mencionar.
Britaoia. Mdium, Fancy-nic-nac. a. b, e, e
soda a 15000 e 16400, cada urna lata. 125200 e 15800, rs. a libra.
Assim como ha outros muitos gneros, vinho em ancoretas,
A tenQlo
Joaquim Rodrigues Tavares de Mellos
tem para vender no seu escriplorio, pra-M
ea do Corpo Santo n. 17 primeiro anda
potassa da Russia ltimamente chegada,
cal de Lisboa e vinho Bordeaux de supe-
rior qualidade.
azeitonas,
muilo nova," passas e figos novos, charutos de diversas marcas, marmelada, feita pelos
memores conservaros em Lisboa, gela de marmello, pcago. ervilhas, em latas, por-
tguezas e francezas. vinho verde engarrafado retalho, peixe em latas, bem (
Na loja do WvSo
rlemafijasquinas ou manteletes de guipure, tarera mut0 prximos da festa.
pelo barato preco de 125000 cada orna.
Na loja e armazem. doTava rvi da Imrjeratriz n. 60.
pescada, tainha, pargo. goraz, lula, corvina, vezugo. cavalla.' sarda e sardinhas de Nan-
tes Canalla, cravo. ervartoc. cnminbo. pimenta, grat.dHsraolhns d splmlla a i*.*mi.
Finalmpnte rnirH '"i"-' -"' nno .nf.ipd.inho i & miionf-^.
VE31DADEIRAS
PILULASdeBLANCARD
COH lODUffETO 00 FIMIO IHALTHAVEL
APPROVADAS PELA ACABBinA DB MEDICINA DB PARS, ETC.
Possulndo as propriedades do lod et do ifarr, conven especialmente as kmecots
BaioroiosAS, a Tsica no princip o,a frapuiad impenuntnto tambero nos casca oa
Falta de cor, AnOB.RHEA,em que preciuMAoni*^! o samoot saja psra restituir
-lha a sua riqueza e abundeacia normaes, ou para protoear a regular o seu curso peridico.
i. B. O iodnma d ferro impuro oo aturado un modicwnenio inflol, y?S
IrritanM. Como prora de purera do uthencidad dra iwStlelrii jfifa*,
taUa *m MmmmL dore eaiiir aouo tianMrwaUTa mm tiara, aqoi reproduiid, que m acha na mim ifahw i* U
wolmUm vcrelc. Dtre-ra desconfiar au faliiCca;o.
ai Matad ara aaaMriar!a P\iwmeiuile9, wta lMiH, 40, HH
fiesta venda um escolhido sortimento de ob
lectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
iarand, mogno eamarello, obra nacional e estrac-
;eira, ae apurado go^ e porpre^o* razuaveis:
ia ra estreita do Rosario n. 32. Ni sta n.esiua
osa fazem-se com peieicao todos os traballios w
3alhinha, tomo sejam, empalbamentos de lastro^
jara camas, cadeiras e sopbis.
Fuaio no dia S do correntc me de dezem-
bro de 1869, do eiiftenho fiiqui, IregOfia da Es-
cada, o escravo Paulo, cabra, de idade 40 nnnos.
altura e carpo regulares, baibado, aabaUos cara-
pinhos, pcitos e pernas bem caiicllndos, cara com
marcas do bexigas, lom marca de enicote pelas
costas cora parancias do qneimaduras, vestido com
calca de brim pard, camisa de madapolao, cha-
po'de palba de carnauba, fui escravo do padro
Luis, morador nos Afofios, toado o mesnu es-
cravo mulfier e lilhos ksm lugar : puga-se iOO
de gr3tiflcacao a quem o prender e lova-lo ao diM
engenho, ou na rn do Caboga n. 11 ao Sr. Fran-
cisco Antonio de flrilo.______________________
Fugio no dia 10 do correntc mez, do engenho
Kegaa, fregueiia da Var ea, o escravo do r.onio
Juao, do naca" Angola, baixo, corpo regular, fal-
tanto. psapalbattdoe, dedos dos psabertos, mao<
e bracos grossos, icBdo nm dclles um deleito, tem
um croco em urna das canellas proveniente de
urna ferida, dontes alvos, cabellos carapinlus o
pintando, tendo no centro da cabeca ama especie
de coroa : roga-se as autoridades peciaes o ca-
pitaes de campo a apprehf usao do mesmo e lva-
lo ao dito engenho, que serao recomponsados1_i_
~FgTo-do engonho Rocas-Velhas. frepuezia,
do iibo,"no dia 8 de derembro do 1869, o escra-
vo de neme Domingo?, rrioub, c. m os signae?
seguintes : alto, heico* grandes e pe?, pernas com-
prilas: quem o npprehender leve an cima men-
cionado engenho, quo seiri bem recompnsaib
pelo mesmo senhur do engeulio Jos Mendcs Ro-
drisues Campe!!..________________________
A ra do Lrvramento n. 6, contina a ha-
er para vender por .precos
nelhor vinho
aereado.
verde at hoje vindo a esir
k BON
l_:
RU DA GliORIA W. 5
Olaria do Fuudao.
Ha sempre nesta olaria grande sortimento de
nateriaes, como tiioos de alvenana batida, ladn-
ho, quadrado de 8, 9 e mais pollegadas, telhas e
elhoes lijlos de tanamentos. O proprietarw des-
ta olaria garante a bondade e barro de tees msle-
riaes, como tombem vende-se mais barato do que
em outra qualquer parte._____________________
Sag, sag
muito rovo a 100 r>. a libra, o O rs. de 10 libras
para a im; ua-iua Nova u. 6o, rmazeui da Liga
100,1100 RS.
-Gratifiea-se a quem pegar o escravo Joao, co-
nferido pnr Joao marcineiro, preto. crioulu, re-
nta ter to e tantos anuos de idade, cmn o<
signaos seguintes : altura regular, baslant'' ma-
gro, pouco barbado, e fallo de dentes na f;
andar aprestado, levou calca e camisa de ale
azul, chapeo de pama ordinario, h muito rvgr
Este preto foi criado na Capunga, emer^
Evangelista, c vendido pira a ra d i
e depois para a na Diroita ; j?, ante
dido, traballiava demarcimiro desi-)
U na filha em Ponte de Ucba, e u\:
emprojava vonduudo agua nos pal
Carmo, faz dias que I
se a algum marcineir aM,-_ ou a
m-.s,.a que o p.
o como prel^ia-*
CUltJ.
-


8
Diario de Pernambuco Sexta feira 17 de Dezembro de 1869.
__________i__________LL____._
______

I
L1TTERATDEA.
Installaq&o to Instituto Archeo-
logico Alagoano.
Discurio pronunciada pelo Sr. Dr. Jos
Bsttlo da Cunha e Figueredo Jnior.
(Conctoso)
Entre os bispos desta docese figurou
. rei Francisco de Lima, religioso carme-
lila observante, nwi notavel por seu espi-
rito humilde e caridoso. Asccndende, ao
episcopado, continuou a seguir escrupulo-
samente as regras de sna ortlem monas -
lica, e habitou sempre o convento do Carmo
de Olinda, donde nao sabia sem pedir
venta ao respectivo prior. Depois de sua
aiorte, em 1704, encontrou-se-Ihe por
oaieo espolio uma moeda de quarenta res,
pois que os rendimeolos da .mitra eram
por elle distribuidos em esraolas ; dando
testemunho disso a-Sinccridade com que a
pobreza o pranteara at ao tmulo, apre-
fr>ando-o por santo.
Decorrea mais de um seclo e meio......
A parte do convento, onde repousavam
as cinzas do virtuoso prelado, era um
aaonlao de ruinas, sem vestigio de alguma
aoliga sepultura. Debalde procurou um
religioso encontrada; mas abandonou a
tentativa, desconfiando do xito. Chegou
a vez do instituto, que depois de penosa
xca'vaco e remojSo de materiaes, reco-
B>en ns restol d'aquelle venerando^ cadver
e com elies as insignias do episcopado,
sendo tudo collocado n'um jazigo decente.
Os pormenores da vida de D. Francisco
acharase boje coigidos e registrados em
radares Meteris.
A' testa desse institnto tem estado cons-
tantemente um respeitavel e eminente sa-
erdote que encanecer no servico da pa-
tria, e que boje, inteiramente afaslado do
torvel'mho da poltica, encaminha, ajada e
anima com seu exemplo e palavra ato-
risada os dignos consocios que o veneram.
Aquelle espirito elevado j nao tem que
mr com as ambgSes mundanas. S o en-
tretera a caridade e o amor da patria.
Sua pontnalidade rigorosa, suas phrases
graves e sempre ungidas de affectuoso
apreco para com o verdadeiro mrito,
sttrahem sympathias respeitosas e sao um
penlwr de orden e de prosperidade para
a instituto.
Siembro dessa protestante confraria, e
estemunha dos seus servicos relevantes,
tive o desato de ensaiar aqui a fundado
de uma sociedad semelhanto, que alem
do mais, anima a tendencia benfica para
es esforgos combinados, e concorre para
estreitar os lacas de fraternidade entre ir-
roftos que devem trabalhar juntos para a
gloria de sua-trra natal, sem embargo de
divergencias de outrj classe, que a com-
Diunbao litteraria pode amenisar.
A provincia das Alagoas tem sido theatro
de fados e algans legendarios que convem
apurar em beneficio da sua historia, que
tanta gago tem com a de Pernambuco.
ueste ponto as d as irms podem auxi-
liar-so com o maior proveito.
A dominical bollandeza, especialmente
em Porto-Calvo, a calibre guerra dos Pal-
mares e a orcupago diuturna das maltas
de Jacuipc pelo famoso Vicente de Paula,
sao assumptos que demandam longa ex-
plorago.
Nao existe ainda aqu una estatistica.
O instituto pode nccnmular um bom ca-
bedal para esse importntissimo trabalhi.
Dos archivos das municipalidades e al
dos cartorios tem-se extraviado urna gran-
de copia de documentos antigos. Em Por-
to Calvo constou-me que o incendio prali-
eado oulr'ora pelos cabanos consumi pa-
pis de importancia incontestavel.
Convem trasladar e reunir os documen-
tos que ainda se enconlrarem, e muilos los
quaes podem ser forneciios por obsequio
de naviculares. Nao esperemos que o de-
eixo inutilizo os ltimos residuos.
De um antigo convento da cidade das
Magoas Acertamos sem una copia de suas
reinas, ai as nao tivesse photograpbado,
a podido men, um hbil ariista. oSr. Con-
tinuo, nquem j devemds outras vistas in-
ssantes, apanbadas com esmero.
Da historia d'aquelle hospicio, fundado
ao sitio onde fui oulr'ora a capella de N.
Senhora do O', nem pede ao mena* sa-
ber-lbe a poca d fuuiacao. Coliii porem
algamas datas e pormenores bastantes
para attestarem que os espiritos foto* nao
se encontram smente as trras ws adi-
antadas. Constou-me que as -telhas do
edificio serviram para obrir um tbeatro.
Certo presidente orthodoxo, prevenido des-
sa impiedade, mandou repara-la sem de-
mora, pondo as cousas-em seu estado pri-
mitivo, mas nao em tempo. de evitar os
estragos que j tinha causado a intemperie.
Como se v, a sorte do tempto e oodnnio
do Carmo ainda foi mais. daploravel que
a da igreja do collegio do Recife, a ]qua!
embora servisse de cava 11 rica, casa de.
vaccina, tribubunal da relacio e theatro,
foi afina! decorada e restituida ao caito ca-
tholico.|
Urna associagao como esta nao tem s-
mente por fim descobrir e aulhentiear os
documentos antigos; guardur ou assignalar
as reliquias histricas, aoa ollerecer-nas
um espelbo fiel das virtudes dos aatepassa-
dos, e tamben de seus vicios para osear-
(-ment e correctivo; a associaeao que vamos
crear* alem de ser um bom archivo de con-
sulta, adianta a elassificagao des dados que
o presente deve fornleer historia, servin-
dopor assim dizerde lo entre a ac-
tualidade e o pastado; delocida pontos obs-
curos ou mal apreciados; zela a reputafo
do paiz contra as inexoctidoes dt escrip-
lores estrangeirus; ergue monumentos em
honra dos actos magninamos; concurre po-
derosamente, por meto de memorias, para
que sejam bem conbecidas as riquezas como
as necessidades da provincia e pode
tornar-se um prestante auxiliar da publica
administraco.
Seria Ulvez occaso Je ir-se constitoindo
aqui um pequeo muzeo sob as vistas do
instituto. Pernambuco nao o tinha at bem
poueo tempo, e boje conta alguns preciosos
objectos que nao se encontram no museo
nacional da coi te.
Coovm nao perder de vista a vantagem
de obter e conservar pliotographias de me*
numentos que possam ter qualquer valor
histrico. Distrahidos com as maravitbas
das construegoes modernas, esqueceino-nos
de conservar as velhas, eo que peior
de guardar o menos a dmemoria ellas para
futuras comparaces artsticas ou meramente
b storicas, realcadas pelo desenlio, que aug-
menta 9 valor das tradieces.
Nao nos desquitemos do passado por
amor do presente. E' este um dos pontos
em que dovomos imitar a civilisada Europa,
que to solicita se mostra em pesquizar e
manter tradices e preciosidades prstinas.
Ainda agora o congresso internacional de
archeologia prehistrica de Londres trata
de discutir ibemas interessantes, taes como:
os vestigios primitivos da existencia do
homem; as investigado js das cavernas ha-
hiladas pelos bomens primitivos; as pn-
meiras construegoes humanas e entrra-
menos ; os adornos e instrumentos que
mostram o grao de civilisacao dos prme-
ros tempos; e a indicacao do progresso
continuo das artes e civilisacao durante os
successivos periodos prehistricos.
O estudo comparativo de algumas pro-
vincias que mais conboco me foi tilica na
renca de que as aptides que aqui existem,
j provadas por algumas publicagoes de
mrito, garanten] o flOresei meato do insti-
tuto.
Vos sabis que em sociedades desta or
dem poucos sao os que traDalb'm e este
pheuomeno se torna a vezes mais notavel
nos grandes centros tle poi.iulai;ao, onde
existe mejor variedade de objectos que dis-
trahem as altencoes.
Quasi sempre o esforco de algans suppre
a desidia dos associados. E' um mal com-
mnm aos corpos conectivos; mas que nao
deve acobardar-nos. Homens de rabalho
aTurado e forga de vontade temel-os cm
numero sulficiente. Esta certeza tranquillisa,
e faz honra provincia.
Os socios correspondentes tambem lem
sido boas auxiliares n'ouVas emprezas se-
melliautes.
Os estatutos que vos fjffereco podero
servir-vos de base provisoria, para que se
nao retarde o comeco de vsos traba-
llios.
E' de esperar que a pa riotica assembla
que
previeeial -\to-vs fatte^eom o auxilio
a de Pernambuco nunca denegou.
Pela mioha parte, e em qualquer posi
em que me ache, deveis contar com a mi- eoiflit o"fiiwa|ago erla como o raio. i
FOLHETIM
mm pretas
ROMANCE
por.
Paulo Fval
Terceira
I
parte
DG PAS*
T-al.Ji> das ov^cus c o caul-
ii: do rvauoratlos.
Grande ou pequea, cada cousa conser-
va o cuuho da sua origem. O pro)ro fogo
sorri na larera Mu. onde se queima a le-
irlia que cusa cara, torna-se sorumbatico
e arde avermelhado na econmica citlia
atafulbada de sem luz nem
calor na foruatba aojde a lurfa dos pobres
8 consom lent mente, abafada pelas
unzas.
Provra a leona das florestas expandi-
das, foi ocoke extrahido de depsitos sem
luz, e sae a loria do immundo lodacal.
Londres foi levaolnda n'um triste pal;
Pans surgi do maravilhoso seio de urna
floresta : ard Londres mortic.a, Paris flam-
md e crepita.
Nunca hus no vdAo mundo sei edifi-
cada i'aris a'g.in.a. Paria a uVima cx-
pressa > dasnossas Cvilisace*. Tem, po
rm, agourootas Cass in Iras loHi^tJo senn-
brios presagio* e no sei que plintasmas
de !l gestas, voltan 11 pe ame pe, apaos
to*, para de novo conquistar o antigo
dominio. RoMes e-mais robles I IHfeio
do pr.grcsso incerln, maro crescent das
ala s barbarias ; robles rompendo a abo-
bada ite Nossa Senhora de Paris, robles
formando-rus runas do Loitvre nova co-
lumnata ; robles por toda a parte, o.ide o
roble p.tde brotar, e cardos na aridez do!
bairr i pndanlesco.
E-it5o, algum strapa das barberas ci-
ttlisadas, oru pro-cnsul enviado de Mysore
ou ii; Pekim para tomar o pulso agrilhoa-
do d'eala \yf!n Europa agouisante, admi
lar-se ha de actiar aqui os aninaes selva-
nba dedicado saaito sincera.
Cncluo tgradeC6*0''vos a bondade com
que vos dlgnastes acudir en eu convite,
e fazendo votos para que esta moetocHo
prospere c fructifique.
t Um dia (ja o disse em ouir^^^|
dislateto contemporneo)?
denles j de posse dos getos
era de prosperitiade n^^B
contemplar esb cenculo fl
,josos, inclinaf-W-hao reverente^
, orgulho auto a sombra -vaporadj
titulo, e os nossos trabalhos e
lias occoparlo o espirito e focaclo de
seus filhos como urna grave H<;o para lodos
e urna das mais formam pampas
da patria que fMbr i ha de fegis-
trar.
J0S BVTO DA'CuNHA FtCltlB|D0 Jl'MOIl.
insptM(3o, e licito "aqui recordar aquella i Blgica, conveliente dar urna idea clara
phraso de Z. Gutthicr. fallando da conscien-Ido rabalho dessas linhas.
ct''de V.-Hugo: < que o verso sctnlilla' As priuiras vas. frreas di
-Poucos poetas no Brasil tentaram at bo-
je o vrso alexandtvno. 8wn allarmos em
fldorftno PatMB-tJ, .Atiateldn 'unha eVic
tor de L^H
Serva no ar
'mhic5, *<"^H
Mechado de Assis Tei -
pan-J
todopoqrp^H mpe-
n liejn ap re sentad as
nposir's' ngs
ag-
ECUOS DEMOCUVtJ ;os.
tCarta Vltr de batvre)
Mea expeliente amigo e men intp*$Mo
k na dm#avei poesa dedicada a Emi-
lio Cautelar, a ou vor um4os mais in-
teressantes aceateeimeotos IRferaos que
tem alravessado, esteaono, a im iroosa per-
nambucana.
Como verso inceasoravel e como idea
soberana. Neste secuto a verdadeira, a
nica sobsrania est asMsMkda' sotre duas
columnas, que Deas apenas poderia des-
moronar:a inteligencia e a Itherdtdi
O Sr. Emiti Cislclar.'a qnem foi dedi-
cado o p lema, 4eve sentir-se realmente
enmmovido os KcIot Democrticos sao
um dos mais brilhantes testemunhos de ad-
miracSo qucpOde receber alravcz dos ma-
res, entre os dosis mundos o novo ap >slo-
lo do cliristiaiiismo.
Encarar-se a sua compisicao potica,
men amigo, em face apenas da poltica fftra
urna poerttlidade se n5o fosse um grande
peccado. O pensamento e/te dielou os
Echos Democrticos, se parti de poltica
fj de poltica universa!, se tem um partido,
c n partido povo, o partido da religio e da liber-
dade.
A poesia, a grande poesa desd3 os
Eddas c os Nwbulungcnni forma primi-
tiva, at s democrticas' inspiracSas mo-
dernas de Hugo e Lamartine leve e tem
um ndisputavel poder: o de abracar, nao
urna indvidualiilade, mas o universo, nao
a historia d'um homem, mas a epopca da
humanidade.
Os Echos Democrticos, sao, por assim
dizer, uma folha destacada da Luida dos
secutas do Iluga, o livro potico de maior
folego que concebeu o sceulo XIX.
Os Echos Democrticos nao se dirigem a
um assumpl toria a isso attraia o espirito do leibir. O
nome de Emilio Castelar implica a lem-
liranca da queda de Izabel; a esse nome
robusto e triumphante associa so a idea da
revolncao que alforriou a patria de espron-
ceda e veio qnasi que midar a face da Eu-
ropa e do novo mundo.
O assump'o qu-> I be nspirou os Echos
Democrticos abrange em quatorzc perfei-
tas, estrepites, alexandrinas o irradiante
thema da Itberdade, heranca do Cbristo, o
que hade ainda ser o Bvaogclho de todos
os altares e o verbo de todas as almis do
mundo.
Alm de seu amigo e franco admirador
de seu talento, meu poeta, tenho a men fa-
vor uma enorme incapacidade para alistar-
me ern qualqirer fileira poltica, dos que
lencionam levar a salvamento este pobre e
mais que nunca delacerado paiz.
Assim, nao sob a menor presso de
partido, que eu considero o seu mmosssi-
mo mimo Iliterario, peU) lado InteUeetual
apenas, nem urna critica, um aperto de
raifn ao moro generoso e uma saudaco a>
triumphante poeta.
Faz bem em escolher o metro alexandi i-
no para moldura de seu arrojado pensa-
mento, O carcter dessa metrifleaco har-
monisa-se fielmente com a grandeza da
i epreCio -A mais altearn o a!
o, e ipil IQti el*' '"' Mii
l(
jomo wn Edts Djiii terticos n5o possilo,
bastantes palmis para saalar o faf
poeta.
Alm das dillkuldades inherentes ao ge-,
nefo, o.eidroxdt* Abrigado no prtmeiro
iwersb de cada qn.idra di mais valor e
bngenho A eomposcao do sea poema.
A segunda eslropliit mignlica:
t O' grande G istelar, nvlnuo spirito.
Jm i gentil ila Honanlia, IIxp;inha ro-limptura !
Tu (h b deslunibranti', a freiea e m,;icn aurora
Dj dia festival, ajje bade orgfr 3e alm I
Q lando di fronte ao laDiu pensamento anglico
Te Mtede mais veloz quo a elctrica seentcHia,
Parece que o intitulo em teu saber se e<)ll.i.
Parece que do novo o Chrisio ierra vein '.
gens que ialiarem na sua patria. Ha de
um Cuvier da sua domesiicid ide medir o
esqueleto do elefante kioiini morlo no
janlim das Plantas, ao pisso que o lisio-
riogaapboda expea*ic5o contara ospihues
truacadoa da Bolsa. Dous hvros d'ahi
provirao, um de* quena presar que i rafa
perdida d s elephantes ora iMigmaria das
ivgioes de MoulTeiard, e o oulro que no
tempo Ioqjaooo, t m que a Eianca flores-
cia, exista j urna religio...
Ho de ir edicar ,Pits algores, e ser
esse o supremo capricho da historia.
L au longe, medid i que ios aopro-
ximamos do sol, ludo mais vasto ; ms-
alo com as pesadas vestiduras de enredi-
cas, as arvoies elevam-se alturas igno-
tas-; Os rios sao mares, as clis re,vosas
maiagaes; sao prec S'>s violo humeas [> u a
abracar um tronco, em vol'.i do ua! a
serpente incrivel enrola e isenrolp os
m ag ni fieos aunis; os lagartos ehumam-sc
jacars, as formigas as?.:n.dliam-se la-
gustas, e tem a grossura. de mela as
nozes que se baloucam im cimo das pal-
moirascolossaes. Que cHlado nao ser a
Pars intertropical! Cada cousa, divin-
lo nos, conserva s feica > e a fatalidad; d i
sua origem. Comparen u u i de abesiniz
com a sementiba do pisco. O que d,:vo
sabir d'd'quellas florestas virgen*, abobar-
ba a imaginacao.
Assim mesmo, acanhada c >mo dos
nossos dias, e la o estrelti^ qje do alio de
Afmtmartre a vista, por iny >oe que seja.
fcilmente pode-a abracar, Paris pd: p issar
por nota cidade Bonita." Napa ignora ella,
Mostra-se o parisiense lo Bacho e presu-
mido de sua pessoa'c posico, cmo o es-
tfuimo e o :oto.:udo, qie se -voogloriajl
dodegroque na escala dos povos-OCca
pam. Traz soTdo ijboa ci !.i!.; gi ,i:vli>
numero de escriplores, iocessanlemente e
carregtilos da duer-lhe q
fengeuho, honra e gentileza. :-;.>t re
cido que em Pari.--pode, !od o b -mein qtlfc
dispozer de ima penna, ga:fha socegadar"
nao lein livros que Ibes
o aliijo dos ps. Em
Paris como os demais
dos mandarins
nao eelebrein
quanlo isso,
[laizes.
Alas os dentis paizes nao sao Paris.
Quando nao fra do meu vil interesse prcr-
etama. lo. para respigar aqui e acola algu-
mas leiloras, cumpria-me ainda assim
reconhecer que todos os paizes do uni-
verso vein huscar*Paris Paris. As outras
capilaes gabam-se. Paris limila-se a fazer
i si prouna a justici que llie Ihe devida.
' A i.", a'8.\ a 10.a estrophes roconumen
iteni-se pela mesmi forra e correeci).
Toda a poesa (repito) no material do
mi incensuravel, o n) vo > da inspiraco
victoriosa.
A lilteratura cabe, mu amigo, e princi-
palmente a poesa, gaia.' a Iwmauidade e
aperfeicoar u povo. Besifo o legislado)- an-
tigo, que vasou as leis no caminho do ver-
so, at aos revolucionarios mrtdetaOi, que
pregavam da barricada na voz de Uouget
de L'lsle perlon^m sempre a lyra o con-
do de miis forte que a espadi. iMuininar
as massas, tra lu/.ir as paginis do c-
digo.
Mas, j VU-me alongando e le too re-
ceio de qu*algn> espritus abeltiulos nao
encherguem nesta conversa ama especie de
prolissao de f poltica ou tlgum artigo de
opposioo ao ministerio.
Depois de abraca-lo pelo seu liumpbo,
de agradecer-lbe as sympnthtcas palavras
que acompanham o seu folheto a mim di-
rigido, resla-me apenas, meu amigo, explo-
rar que uma exagerada modestia nidu/.sse-
o a esconder debaixo da cap do anonymo
um nome, j reeomaaendado por outras
composices, que o publico nao esqueceu
ainda e a que- a critica fez a seu tem|K)
os merecidos cortejos 8 coroou de llores
i nvejaveis.
Sou com desvaneciinenlo
Seu amigo e admirador
L. Sumaris Jnior.
Recife 2 de dezembro de 1809.
POUCO DE TUDO.
A ADMINISTRACO DAS VIVS FUR-
RIAS PELO ESTAD;) O rotatorio sup-
plementar, ou segundo relatorio, dos com-
missarios nomeados para examinarem a
f-questo das vas frreas Iftendezas, in-
teressante e instructivo : habilita-no para
formar opinio favoravel sobre a ,quesi i
da administracSo das vas ferrea3 pelo es-
tado, ou por um syslema de centrali-
acto.
Os\mnissarios liuliam de examinar o
servico das vas farreas da Blgica, porque
ha j annos que u na consideravcl p-jrco
daquellas linhas estao sob a super-mlon-
djncra do governo. Versaro os seus
exames, primeiramente sobre a perda pro -
vavel que podesse iinnudialamente occor-
rer, e.a diminuir os fretes das Imitas Ir-
landezas, igualando-os tarifa belga ; em
sogimdo lugar quando e como o augmento
do trafego, que se e pera di reJucco
dos fretes, cobrir e recuperar a peda
originaria: o em terceiro lugar sobre a
veniicaco do que se poderla pouparcom
a concentracao dos estabelecimentos, e
collocago de lodo o capital despendido
sob a garanta do governo.
Como os exames dos commissarios se
referem inteiramente s vas frreas da
lel
Paris Pars; diverte*-se com ludo, e tuJ
n'ella se diverte, al a^seolaslL-a que pelas
outras regioes s consegue cobrir-se de
bolor. Nao era meu desejo calumniar as
veueraveis druidas e as solemnes sacerdo-
tes que antes de nos lubitavam os b.tule-
vards e os caes ; mas o ar de Paris cou-
lm o gaz chocarreiro em tlissolucao, e j
no tempo da floresta por ahi se devia rir
bom i ir.
Nao, nao fui entre nos, na mata de San-
to II inralo ou as balsas de Ambique
se passarajji as funestas tragedias que se
entoam ou declanaam. A vestal parisiense
tuve urna historia monos sembaborona do
que -uppoem, e no ponto, d'aquelles bos-
ques, onde dev.a ser levantado o theatro
do Vaudville, defronle da casa dos cor-
rectores de fundos, tu io, al o< sacrificios
humanos, tinha de certo bomcheirode
ptlheria. Ainda boje muila gente boa
irucidada em ambos aqnelles sanctuarios :
e chora alguem por isso f
A' mim affiguram-se-me os proprips ssl-
leadores, e al os lobos, sob amavel aspec-
to. verdade que Cejar n5o cita troca-'
dilbo ajgum de bandido, nem disparate de
iialicante : sorri-me, porm, a penna ao
jipe o nome de Latecia, que todava sig*
iiica Jama, ijataa j palh4as de ouro nV
queilo lodacal, e talvez i uncoutcou elle
o pnweo aojo do parjizo das mulheres.
A prinwira Orna... veja, entretanto*
quo profundameuti oes oNHer.vajBPS %!
rtsta I uma. 0)da.4e ojia livesw sido cj\
o esrno dhiem em LODdres das ingezas,
em Berln dis prussianas. eem liara das
hullandjuas. E conheco bastante a iiltera
i-iiliActo Luinarin n der allirmar que em Pekim, as senhorar
foram oastroidas peo estado depois da
revolugao de.4830, de tianeira aue as
principaes tahas do paiz tem sido admi-
nistradas pelo governo, durante 30 aonos.
Depois de 1840, companhias particulares
e independenten^Mttniiram vas frreas
tdgica, algwnas das quaes, m n3o
^B, foram otocedidas ao estado.
m, existem all vas ferroas cons-
e faoccionaado pelo estado, vas
as rilo onostrnidas, mas dirigidas par
elle, que funecionarn sua. custa e vas
frreas i:iteiraraente ndependenles do
verao.
Destas ultimas, 'maltas tfioi sido concen-
tradas o funecionam^em grupos, systema
que produzio ptimos resoltados.
Talvez que melhor commentario dos re-
sultados praticos do systema belga seja,
[aue em 436i '#3 howe negociaeoes
*|irj ac]uiscao pelo estado de algumas
das companhias independonte*.
Alem disso, uma proposta recente de
uma companhia indepen lente para arren-
dar todas as linhas ao governo foi rejei-
lada, c pelo contrario, at se pedio que o
estado assumisse a responsabilidade e su-
perintendencia de todo o systema de vas
frreas. m
Nao isto de admirar vista dacons-
deravel cxlenso das actuaes lianas do
governo.
Em primeiro logar deve-se observar qac
o esta lo fixa sempre os fretes das cargas
por um prego baixo ; mas, compianto
desle plano tenha resu'tado sempre uma
perda temporaria, em caso nenham o ex-
traordinario augmento do trafego das
linhas deixa de cubrir essa despeza e pro-
duzir excedentes lucros.
Desle modo, quanto a merca I8-i!5, tempo em que o prego medio por
tonelada era de 3 s. e 8 d. foram trans
portados dons milhes e meios de tone-
ladas, e 8 anuos depois, em ISOi, cinco
millioes e um quarlo, quando o prego
m lio do prego era 2 s. e 8 d.
Por isso reqnisitaram-se trilhos, desvos
e outros objectos para salisfazer os pedidos
do trafego extraordinario.
Depois de deslinar 5 0/0" para estas
despezas, os commissarios verificaran qu
o publico d trante os oito annos economi-
sou 80,000 no prego dos trens, e que
ihesouro publico timbem realisou um lucro
de 231,240, livre de despezas.
Al 1806 n) se fez na Blgica a reduc-
go dos precos, das passagens, principal
minie as maiores distancias, e pelo prin-
cipio de que as viagens maiores que se
ilevian) f izer as reduegoes, de facto os pre
gos oscilaro entre 0 6,50/0/
Penniltio-so que os passageiros de 3'
classe viajassem nos Irens expressos.
O resultado principal dessas alterago;s
foi que em dous annos houve um augmento
de passageiros de milhao e meio, ou ra-
zan de 7 O/ti por aiao. A perda pecunia
ria, devida redcelo dos pregos, foi no
primeiro anuo de 18 0/0
No segundo anno nao s nao houve per-
da, mas antes mesmo de se t-rmiuarem os
dous anuos, em que houve a reduccao, rea-
lisou se o lucro de 10.000
Dcve-sc observar que no primeiro anno,
por causas lcaos, o trafego foi mo, quan-
do o segundo anno foi excepcionalmente
do por causa da exposigao de Pars.
Os commissarios observaram tr>mbem
que estes resultados nao se alcangaram s
as linhas administradas pelo Estado, mas
no trafeg) das vas frreas independentes,
porque muitas destas ultimas adoptaran* a
tarifa do governo.
Os commissarios procederam a exames
sobre os systemas de vas frreas da Prus-
sia o da Alleinanha, onde prevalece, na ex-
tenso do quasi um terco do total, a adini-
nistrsco pelo Estado. Na Prussia, em
1800, o prego por mha era poueo mais
de meio penny.
Atienden Jo, pois, ao resoltado do ayate
ma de vias forreas da Blgica, Prussia e Al
lemanita, nao lia dnvida que elle anima a
adopga) da adminislraco pelo estado e
re lcelo dos pregos na Irlanda.
Os commssa' ios porm, ponderan que
nao se deve levar muilo longe a analoga,

porque bamuilos pootosdivorgintes cati
-seroferu. oa da Irtadj
A Blgica transmiti aonaathient AMo-
manha 34 milhes Hftili m
ra, ao passo que &9mfJm 3o
admilte comparag.So.
A Blgica possae carvlo c ferro, e Ir-
4aoda nao lem ama nem autra
vorvo aluito laaLres i;itj-
sses (QPhquea Irlas-
A Blgica lem 442 pessoas em.cad.i mi-
lla quarada, e t Irlanda 171.
A rea da Irlanda q033i o triplo u> lel-
gica,- mas a dilfereoga da sua popular,
de meio milhao.
O trafego das mercaduras na Irlanda fui
em um anno de milhes e um quarto I -
toneladas; quando nj Blgica chegou a qui-i
16 millioes.
A extensSo das vias frreas na It brrt
abrange 4,892 milhas, e na Blgica
.455.
Os aicos pontos (?m que a Ir and se
avantaja Blgica sao que seu trafego ito
navegag-So muilo maior, c o cormio trans-
itoria quasi o dobro do numero do rutas.
Mis elles cilculim que muitos m:m
h3o de correr antes de sallarse a p-rdi
inmediata, e enlendem que evi Imtpwmt-
uma pequea redcelo do pn:co>'n: i til-
lar para pnlnzir o estisniio no.'evuh
sarlo, especialmenl') as viagens p-
q nenas.
E' necessario, dizem elles, faz-r ll-a^
grande reducglo, e depois de corto: g\>-
tos fixos no mnimo, ftzer a esc di pj
dagia para as difJferentes escalas de L-a-
fego appliciveis a t-ilas as digan-
cas.
Propjm elles urna reduego de peotis :
para as I. classes de 31 "/. para :is 2.'
mertte a sua vida, escrevendo todas islj^Aa. .aial tiuyeiga, bavia4ij.achar utrol
manhaas que as parisienses sao as mullerfji! .mm pare 4jignar o iutoleravl e riso-
coslas de osle. E a riqueza da regia)
As suciedades de acclimago lem procura-
do trausplanta-las para diversos paizes ;
mpossivel. .
esseucil a fljresta, a flrosla de Paris.
Nlo lites descorlinam a liliagao histrica e
sacra .'! l'os desceudom ellas, essas no-
necas clonme quasi obscuro se admira
de liguaP^m to grave tratado, desceudent
em Imita recia de Velluda, que j no seu
tempo assassinava os filhos familias com
uma arma de outo. **
Quanto vea do ... Moliere jporreu e
a Imgua perdeu a forga ; bao dd entretanto
oncordar que as rudes facecas, lo aprecia-
das pelos nossos ats, aargoavarn bem alto
a sua origem silvestre.^Os faunos conser-
vam-se muito lempo, depois de derrubado
o arvorodo. Critico ou chronista, anda o
malicioso Mercurio poderit Bpontaras bre-
abas propicias, onde, apezar dos valeotes
edificios, Semele, seja ella dnqueaa
oti costureira, fecha_ a 0 nbella para nio
perder urna gota sequer do ureo chu/oiro.
. Ll bem baldado o empean dos nossos
Estfii longo loen* .. Verdade seja
que a populaclo dosbonlevards anda e de-
sanda, fazendo da nossa fl tresfa a mais
maravilliosa rgfto venatoria que dai^Uj
pode. .Monteiros e cari ali se correm iitP <
tuameole, leal clandade do gaz. II i
porem, anda, ha de sempre haver balsas,
eorregos e cavernas para as b?as almas que
tem legtimas razos para no goslar de
luz demasiada. Diz l o proverbio, que
mister que lodos vvam.
Ha vi a em 1842 uma vella, qw comer-
a ra de S. Martinho e corra tortuo-
samente atravez de urna especie de arra-
i al ao ponto por onde boje Tica a
ana da ra Menilmontanl; mais de um
etro ; a.pa/le do bo-devard, que abre
ra para deixar ver a a Iva roUiuda do
WTrco Nipolelo, cbaraavase eotao a Galeota,
e era uma filial das barreiras. A partir
?aiji*elie paate al praga da Bastilha, o
va/d, priado te um fnico lado por
raca*, era do oulro seguido, por estrilo
n. 2, puchada -irga por nmn parclha pro-
digiosa. As casinholas prximas eram lujas
de comida com seis qninlatorios, e no ter-
rapleno erguiam-se algumas barracas de
saltimbancos.
No mesmo lug.tr onde a entrada do
circo e por detraz do edifica > i i Galeota,
liciva a afogada embocadura da viella, qae
u dar, depois de voltas s
v;
de 42-/,,
n i< nvr-
m cont, ra
Tinha a vtella
sigmvam-n'a
mais elegantes do globo ; e veruade que: rtw sanuapo qae 4aata eeeeg u 4aa. As
arcas sSo s de Paris; aqu as veta bas-
ar do'sol o <4o oorie, m oriente eao
ote ; reproduzen-se sem altara em
tura crrante do celeste imperiu, para pu 1 casumUas em Lyp, a sardiaha as nossas
lasseio. bumido,-e, U'isle, *u# iuminava a^ Pars, e construidas de alturas dtfferentes;
cae Auitlot. J-os Uauspoctes aquaticos '
0 terresffes, que Oeviam bapWsado u gleo*
yta, nao exisiam, mas em .memoria dYIIes,
* empieza dus barcos de posta do Ourcq
liaba ali u e*criptqri|tilO. wre cuja
porta se va o retrato d Agta dt Meante
do bairr > de S. Mirtinlio.
fu putaflo ; n > siti i, do
po? Caminho dos Namora! .-.
A en rada da vioKa, sombra e di.fnvi-
d.i por um porto de carro sem as portas,
tinha noute umt linterna amarellenta,
onde se va a tabolett do botequim da
Espiga Caifvln com es'a aaencl i, tragada
em sedacloreg canicteres : foga-se a pula.
Por cima da laiiteria, pedia a Imirar-se de
i um [Kiin -l, que mostrara ama espiga
gigantesca cei/da por urna foice coiossal.
Duraule. uus cinooenla a sessenla pj
a viella, lamaceuta e orlada por casebres
:i -riveis, corra paraliela ra\ Menilmon-
tanl. Encuntrava enlo o boiequi'n, nvi-
iiomeiilo da mais completa feialdade, mas
espacoso e qui de certo foa d'anleS al-
guma fabrica. A viella coutoruava-o, e
la.ido-lbe communicagao por dous la 1 s,
la sul e ao oeste, segua no seu curso,
perpendicular si uiesuio, para a ra de
Crussol. Corlava a ra de Ousspl, depois
u passadco das Dais Bolas, o eulranhava-se
pelo meio dos estabelecimenios que oceu-
pavam o terreno do antigo priorado de
Malta, por detraz dos edilteios do gaz pa-
r -lase. Ali cbamava-se ella por um as-
ante a ra do Moialio Alto, depois, cos-
teando o primeiro circo, edificado pelos
irmlos Franconi, no bairro do Templo, n.
lb\ atravessava esta grande va para entrar
u'uma ra ejeura, nao longe da casa de
posto Passoir.
D'ahi por diante mudava b aspecto. 0
camubo dos Remorados mereca quasi o
nome. De um lado eorria-lhe uma leira
de casas tristes como as villas de forma
liunular que eofeitam cortos arrabaldes de
de 4o, e para as 3.
cadorias de 4 a 7*% e pira anias do-
msticos du3i0/0-
Procedpndo depois a avalia.-) d> ;> rli
immediata que donan, resultar destas mn-
dancas no trafego existente, chegir.itn a
somatas de lib. 645.701 por anno au Gaa-
cedendo 1 b 88.000 para pagar os pn:nn.>>
devidus, c lib. 3.00 para a eoaoaaftragli
da admi-nistrago, verificaram um rteftit li-
quido de quas meio milhao estarna*.
Calcularam depois que em 11 anuos o
augmento do trafego bastara para pag.'ir
todas as despezas de qualquer especie, i|,-i-
xando um pequeo saldo a favor do L'ie-
souro. As suppostas ventag landa eram que o publico sci vin lo se das
vias frreas da Irlandj ptgar i pelo aug-
mento do trafego durante 12 annos 12,000
libe, menos do que pagara por esse tvatVyo
pelos precos existentes e que um harto
liquido de 50.000 libs. se realiamia no ti.'
auno.
No arranjo proposto para as vas fi-rroas
irlandesas evidente que experimentare-
mos o systema em circunstancias as&tz aas-
vanlajosas, com*jnarito se avantaja a | ra-
peetiva de um provavel resultado liuan-
ceiro.
Ninguem pode olvidar dos inneJi'.os
effeitos benficos para a Irlanda; mis d:-
vemos assustar-nos por ter do pagar nana
milhao esterlino por anno, ou quisi tron>
medio, um quarto de milhao par ana ?, ai-
rante 11 annos.
A somna, comtult seria, bina di<:;i-
'lula se os djso.ttmtes diminuissam ti-
bcm. ^
Mas quanto introdueco d > systema
na Inglaterra, devemos esperar al que as
vantageus das vas frreas da IU di sb
tornem facto consumado ?
Se assim. for lemos de esperar Uboitea
annos; e entretanto temos a Blgica vara
exemplo.
Eomo ella, nos temos carvi >. f-rr.i <
labricas, e um povo diligente u at.vi :
e temos mais um grande e civsa l tra-
fego com todas as partes do uvttal.-, d>:
modo que, stj a gran le despeza itn nossas
vas frreas prevaiecesse contra a uhtencin
de iguaes resultados satisfactorios, ka urna
grande margem para consegui-los h vta-
ce-Ios. Em lodo caso, j ttvmwu w
primeiras investigacoes, c tahez qu aea-
liuma posst ser mais conveniente do que
a que fot feita pela commsso quo. r. latou
sobre as vias frreas da Irlanda.
para animar e completar a paizagem.
No mez'de Janeiro de 18 3, um wan-
rado, ojoalheiro Ltssusse, mojo d- i
e dous annos, enfe-mo e raclitica. fui
assissinndo ;i pancada rom umi brm de
ferro e ent rrado'da outra banda < ratta-
d), nao longe dos actuaes arraafcins t
alandega. A ntmorada mnrava iu n da
Ponte do Kei, e elle voftava para soa
asa, situada no passadi'-ida imli-li?.
quando o homicidio teve lugar, -s f ni-
tro horas da tarde.
Singularmente tatoado, > -,. ...'!> > 1 >s
Namorados apresentayd'''em "tuli a ,-xi.n-
sao variadissiu.as larguras. Niiotiur pai-
te dos sitios, difleilmente cioinliavaa
dous homens par, e muitos .d >i seus
desiiladeiros poderiam ser mefnor defea-
di tos qae as Tbvrmopyias. D o. petKfts
liav-i, |i'H'm, em que elle era i, .jt
carros: r.as immc-1 la r.ia de Ltm\
e na parle que, sob o nuae da ni tl-i
Moinbo Alio, sufeia do bunio do Templo
aos estlejros de Malta.
Na nojte de terga para ,; w\-feira, i.-i>
e poueo mais de juaieuia e oatobacas de-
pois d'jquellamoolt d-' do::iigo coja a.s-
toria re'erimos, um cano lechad e-ia.-:.-
nava .entrada da viia, rea do \'mg
cinco passos do bairro do Templu, paoK
pial eslava voltada a cabtga do eattaHa.
Podiam ser .quatro horas da laub^i. K-
bugido no sobrebido, o c wlteifo duauij;.
Merece o carro attongao, e n > s
causa do sitio e da hora.
pr
do oulro, um vallado, um verdadeiro val
lado de rachiticos sabugueiros, sustentados
por estacas podres. 0 vallado defenda
terrenos indefinidos, onde hava cabres,
cardos ou couves. Ali ais os namorados.
iiabam, j se sabe, o ar %m couvinha
flava viole minutos que a! cbogira.
Descera d'elle uma senhora. nd-aando au
cocheiro que voltasse o cavally e a espe-
rasse. Pareca moga, a tra veri do veo. Ves-
ta cpn\elegapte simplicidad:1. EntrarV
p pela yiella e dssapparecera au prkaoiro
cotovelo qae ella fazia. Alguns sfgaadas;
antes, no instante em que o catfi-'sat do
bairro do Templo para entrar na tiavossa
um bomiiin, que eslava longe de ser lacair
sallara iesto
calcada.
do assenlo irazdro para a
' (Continuar ~$*ka.)

i
I
.!
TVi*. 1*4 UlARJO -BlA DAS BJ|USMk


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZIMJSHZL_Q3D4O8 INGEST_TIME 2013-09-14T00:36:31Z PACKAGE AA00011611_12020
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES