Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12019


This item is only available as the following downloads:


Full Text
II
i
>
! .
? *NHO XtV. .MUMEBO 287.
--------------------------------**------------------- r. : ,i.1.
9 MU -k AWfAL I 1DCARES OIM *, SE PACA NTO.
foriw mecas diauudee........
l*or tm ditos Me*......... ........
t*or um anoo dem.........'.'.',......' *
Cada numero a vulso ........ .....
WOOO
tmoo
24)1000
#320
QUIMA FElfU 16 DE OEZEWBFtO DE 1869.
UH ramo E F0HA DA PR0VIICI.
Por tr^metos i^H ............, qpu
tvji-st i5 ditoi tdfl^K................ 13186
Por nmtdNol idea .......*............ tOJMr
Por um anuo...................... T7#ot

_
Propriedade de Itanoel Rgueira de Faria & Filhos.

------
ACUSMTEU:
Gerardo Antonto Alvsd(^J^ GobjiIw* Pfte no MaranMo; Joaqnm Jos de Oiiveira. no Cear; 1 i Lemoe Braga, no Aracaty; Mo Mara Ho Chaves, no Asi
Perera d Almeida, em Mamangnape; Amon.o Alexandrmo de Lima,\a Parabyba; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penba; Belamino dos Santos BnlcaTem Santo Anti^D^^ TTco 1*2"
_____________________m ^reib; Franco Tavares da Costa, em Alagdas; Dr. Jos Marthrt Arves, na Babia, e Jos Ribeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro. *

PHTE(ffTHIIAL
oreraa da provlart
^KPEWBHTC ASSIC.VADO pfitO RXU. SR. DR. MANORt D'i
-HAXCnffifTO MACHADO PORTGLI.A, RVICG-PESIDEX-
Tg Apqovwav,EM 8 de OCTqitRO de !89.
..- 2-" Cao.
X 240. Portara ao Br. ehof de. polica inferi-
-eapntendeo offlcio do Vr. S. de 21 do mes
-lado son. 1,175 tonho a declarar-lho que a 88
Je jnllro uhimo, oxpedio-so ordcm ao comman-
4ate superior da guarda nacional do municipioi
-4 Moa-vista para substituir por nutros o offieiaf
eara^ as que eompfte o destacamento de Oarieury,'
ai se poiend p ir em quanto mandar para -
f ieUa localidado destacamento algnm do corpo de
jielicia.
S. i.Bita ao mesmo.Bevolvo a V. S. o at-
iesado qne veio aunexo ao sea offlcio de 16 do se-
-..iqifcro ultimo sob n. 1,709, relativamente ao alu-
ruet, vencido de 17 do agosto do anoo prximo
<*m*4 a 17 de abitl 4eMe HM.dft cas quo aer-
i de eadea no termo de Papacara, afim de ser
reformado na radt de 31000 mensaes, do confor-
-miaade eom a aiitersacao concedida por offlcio
dirigido a essa repariico em 29 do citado mez de
-ag^to.
X. 242Dita ao mesmo.Constando de com-
nunicaco do juiz municipal do termo de Es
4c 17 do mez lindo de se terem evadido 6 crimi-
nosos qne so nena varo presos na cadeia daquella
caudado, fon-ando nesse dia, pelas 2 lioras da
aoate, a grade da priso, pudendo apenas ser pre-
. nm delles, tenlio a dizer-lhe que recommende
telegado daqnello tormo empregue toda a deli-
.tn* para a captura dos outros 5 que con-egui-
ram fugir.
N. 2il.Dito ao commandante superior interi-
.vi la guarda nacional d) Recife.Communico a
T. S. para o seu conhecimento c fins convenientes
a.ue por delheraca desta "data e de conformidad'!
*,om o disp i-to na 2* parte do art. 68 da le n. 602
-de 19 de setemhro do 1839, conced ao tenente-
auartal-nMMre do 7u batalhio da cuarda nacional
(te municipio lote Pereira do* Santos Alvarcn-
S a reforma que pedio no posto de capital.
X. IIV.Dita ao mesino. Eapeca V. S. as suas
Qtmi para que sejaoi dispensados do servico ate-
-uro da guarda n icional at a primeira reuna >
j respoi:tivo eonselho de revisa > da quallcacao,
os guarda do 1 Intalnao de artilliana dcste mu-
iripio J>s Francisco da Oeta a Alfredo Goncal-
-TesPereira Lima, que mostram ser caixeirus de
casa eomraereia matriculada tiesta praca.
V. 215. Dita a> comman lano superior da
; nrda nacional de srd'ts para rpe seja postada em frente da groja
matriz de S. LoaradM de Tejucupapo nina gnar-
tial sob scu camminlo superior, afina de assistir a
Testa que all se tem de celebrar no dia 2i do cr-
reme e aenmpanhar a prncissao que naqucllo dia
ten de sabir da referida igreja.
K. 216 Dita ao coinmanlanle super*- da
~ nuria nacional de B irreiros e Agua-Preta.Ten-
Jo de onformidade com a proposta do major
commandante interino do batalhio n iti da (ruar-
la nacional do municipio de Agua-Prela. sobre a
ipaaJ Tersa a sua infjrmacao de 30 do setembro
ultiiso. nomeado para o referido batalhao os offl-
iaea constantes da deliberacao desta data, inclusa
aor cjia ; assi n o eoinmu'nico a V. S. para seu
sooberimento e direc^ao.
W. 247.Dita ao commandaite superior interi-
no da guarda nacional de Cabrob. Nesta data
exped orden a thosouraria de fazenda para abo-
nar a qncm por V. S. se mostrar autorisado a
.^uantia d? 5O000 para a despeza do expedienta
lesse commando superios, nao pudendo ter lugar
i pagamento de gratideacao ao auxiliar da res-
-'iva escipturaclo por nao haver le que a
riae. Quanto aos d-wres do secretario deaae
commando superior declaro que o art. do de-
i 1,391 de 6 do abril de 18,'4 os enumera,
sendo um delles eomnareeer no quartel do com-
mando superior nos dias que forem designados, e
extraordinariamente sempre que o servico o exigir
e a sua ninis^ i est como outra qualquer falta do
inesino servico ^ujeita a parte penal da lei n. C02
de 19 de setembro de 1830, til. cap. 1". Assim
: ondo ao offlcio de V. S. de 30 de agosto ul-
timo.
N. 218.Dita ao juiz municipal da 1" vara dr-n
le.Fico de pos-e do offlcio de 7 do cor-
rente, a que eonipannaram os mapiias entattati-
le ns. 9 e 15, que esse jui/.o cnnipre ministrar-
me. Pallando-llie remetter-me anda o de n. 22,
retoca man do que o envi com beavidide.
N. 2'i9.Dita ao juiz municipal e de orphios
3e Agua-Preta.Mande Vine por a concurso, ob-
servando e di-posto na lei, a serventa.vitalicia dos
jfflcios de partidor e annexo; desse juizo.
N. 2'iil. Dita ao juiz municipal e de orphaos
de Itanib.luteirado de qnanto Vine, refere em
sen offlcio oc 23 do mez lindo quanto ao ferimenjo
feko pelo soldado do corpo provisorio d* polica
Ifatnel Ferreiri de Lima, recommendo-lhe que
raga ao conneciaento desta presidencia o resulta-
do proeessfo.
N. 131.Dita ao juiz municipal d t Es. In-
u-irado de unto Vine, communica em offlcio de
17 do mez fin le. qnanto ao facto da p terem eva
.lido algn- presos da ca Icia dessa villa, feriando
is grades da mesina, tenlio a recomm-ndar-lh
que instaure proeeaso contra quem estiver em
entpa por csse faito procedendo a todas as doli-
g tneiaa para a captura dos que se evadiram.
X. 231Dita ao commandante do corpo provi-
sorio de polica. Autnriao-o a excluir do corpo
sob seu c muan 11 o 2? sargento Francisco Jos
Ferreira, de que trata o seu offlcio 463 de 5
do correte, visto ter sido julgado neapaz de con-
tinuar a servir por molestia.
N. 233.Dita ao juiz de paz do districto de
Sao Bento, Joao d.1 Porciuncula Valonea.Com
i effleiojanlo por copia do insperi >r da (h'-sou-
raria da fazenda respondo ao do Vine, de 13 do
mez liado, qnanto ao sello dos papis e requeri-
raektl que correm por esse juizo, sujeitos a esse
imposto.
N. 234 Ddiberaco. G vice-presidente da
-provincia do conformidade enm a proposta do che-
fe de polica em offlcio n. 1149, de 4 de agosto ul-
timo, resolve conceler ao cidadio .Antonio Mr-
-ques de Albuqusrqae Cavalcante a pxonera?ao
por elle pedida do cargo de sopplente do iele-
gado do termo do Buique.
N. 233.Dita.O vjee-presidente da provincia
de conformidade eom a proposta dochefe de po-
lica, em of&eu' n. 1149, de 4 de agosto ntttmo,
resolve poinear para o cargo de supphwle 1o
delegado do termo de Biilqne o cMtdao Leonardo
Balhinn Pe(.a Cavalcante.
N 256 BiU.-^ vice-presidente da provincia
attendendo ao que^,requeren o tenenle-qoartrd-
meslre i 7* hatalbao de rnantaria da guarda na-
cional do municipio 4) ReeKe, JusA Pnreira dos
Santas lvarenga.que p^vou ter maf* dcincoen'a
annes de idade, e de vinte de bons serviros e em
viita do que informou o rofiwetivo eom neniante
superior, em offluo n. ,SH ne ti de deivinro do
ann pnixiim iiassado re ;i u d'ni>i-to no art. 68. e'inJt parm da lei n
02 d 19 do setembro de IM0 reforma* no
. no'to de capitlo.
S. 257.D:U. 0 vice-preid)te da nrovteeia.
'tendo em vista a propMa d> majir cminandan-
in'erino do batalhao n. 46 da goarda nacionaj do
r
informou o respectivo commandante superior em
offlt de 30 de setembro ultimo, resolve nomear
para o referido batalhao os officiaes seguimos :
* companhia.Alferes Francisco Domingos de
Barros Lcssa.
3' companhia.Teaente, o alferes da 8* Manoel
Paulo do Souza.
4* companhia.Alferes, Jos Antonio Alves Ma-
clel o Juveocio Antonio Gaio.
51 companhia Capitao, o lente da 3' Pedro
Francisco do Kello, alferes Francisco Machado
Teixeira Cavalcante.
6* companhia.Tente, o alferos da 2* lanool
Antonio Ramos.
7a companhia.Capilao, o tenento da 63 Aastri-
clino de Castro S Brrelo.
8" companhia. Capilao, o tenentc da mesma
Joso Antonio do Mello, tenente o alferes da 4* Er-
nesto Miliano da Silveira Lessa e alferes, Pedro
Miliamnla Silveira Lessa Filho.
N. 258Dita.O vico-presidente da provincia,
conformando-so com a proposta do chee de poli-
ca era offlcio n. 1448 de 2 deste mez, resolve e nerar dos carg is do 2 e 3' supplentes do subde-
legado d-) districto de Correntes do tor.no de Ga-
ranbus Antonio Pinto Corroa e Joaquina Jos
dos Santos Jnior.
N. 239.Dita.O vico-presidenta da provincia,
de conformidade com a proposta do chefe de po-
lica em offlcio n. 1448, do 2 deste mez, resolve
nrtmoar para os cargos de 3o e 3' supplentes do
subdelegado do districto de Correntes do termo
de Garanhuns, aos cidados seguimos na ordom
de sua collocaca > : Jos'Laurindo Arselindo de
Veras e Flix Ferreira de Brtto.
N. 260.DitaO vice presidente da provincia,
conformndose coma i roposta do chefe de polica
em offlcio n. 1416, de 28 do mez lindo, resolve no-
mear pora os lugares d-i 2, 2o, 4 e 5o supplen-
tes do subdelegado do districto de Sao Caetano da
Raposa do termo de Caruar, os cdadaos segra-
les, na ordem em que vao enllocados: Antonio
Becerra da Silva, Fancisco Gapitulino dos Santos,
Manoel Francisco dos Sanios c Jos Gomes do
Nasciraento.
N. 261.Dita.O vice-presidente da provincia,
ife conformidade com a proposta do chefe de po-
lica, em offlcio n. 1416 de 28 do mez lindo, re-
solve exonerar dos cargos de 2o, 3", 4", 5o e 6"
supplentes do subdelegado do districto de Sao
Caetano da Raposa do termo de Caruar, a Ma-
noel Cyriaco do Macedo, Francisco Germano, le-
xandre Francisco dos Santos, Pedro Ribeiro de
Andrade e Manoel Francisco de Macedo.
N. "262. Dita U vice-presidente da provincia,
conformando-so com a proposta do ehefe do po-
lica, em offlcio n. 1430, de 30 do. mez lindo, re-
solve exonerar dos-lugares de 3, 3' e 6 supplen-
tes do delegada do Ierra i de Siio Bento, Antonio
Victaliano de Mello, Jos Lean Vctor de Oiiveira
Ledo e Antonio Pereira da Silva.
N. 268.Dita.O vice-presidente da provincia,
le conformidade com a proposta do chefe do po-
lica em offlcio n. 1430, de 30 do mez -lindo re-
solve nomear para os cargos de 3", 5o e ^supplen-
tes do lelegado do termo de Sao Bento os cida-
daos UlyssesCoriolano Accioly, Antonio Aureliaho
da Silva Burgos c Hermenegildo Freir dos Santos.
3" sefcao
N. 264__Portarla ao presidento da assnciacao
Coramercial Benefi-ente Respondendo ao offlcio
de 29 do raaio ultimo, em que a direccao da asso-
ciaeio Commercial Benefi-ente, reclamou provi-
dencias sobre a factura do passadico que a com-
panhia do Beberiboest se fazendo (unto a ponte
provisoria de madeira que est demolindo, lenho
a dizcr-lhe que a referida companhia, segundo
declarou-me verbalmente o respectivo presidente,
proceder do forma a atiender, tanto quanto fr
po-sjvp| a reclamacao dessa associacao.
N. 263.Dita ao inspector da thesouraria de
fazena.Mande V. S. abonar do conformidade
co n a sua informaran, em offlcio n. 693 de 5 do
cocrenle, ao commandante superior da guarda na-
conil do municipio do Cabrob,, ou a pesaoa que
para esse lim mostrarse autorisada a quantia de
50^ para as denpezas do expediente a cargo da
secretaria do mesmo commando superior.
N. 266.Dita ao mesmo.Em vista do pret
nominal junto em duplcala, mande V S. liquidar
os vencimentos relativos ao mez de agosto ultimo
dos guardas naclooaes destacados na villa de Ca-
brob, e pagar a sua importancia a Dinamerico
Angosto di Reg Rangel, conforme soBVIton o
capital commandante interino do batalhao n. 48 de
intentara daquelle municipio, ein offlcio de 11 de
setembro ullimo.
N. 267.Dita ao mesmo.Recommendo a V.
S., que em vista d.vfolha relaeo nominal e prets
juntos em duplicata^unde liquidar epagar ai
alfnres Jos RagnundB'rereirn, ou ao seu procu-
rador, conforna-sclicitou o commandante supe-
rior interino do "municipio de Flores em offlcio de
12 de setembro ultimo, os vencimentos relativos
ao mez de agosto deste anuo, do offlcial e guruas
nactonaes desticado- em Villa-Relia.
N. 268.Dita ao mesmo.Km resposta ao offl-
cio que V. S. me dirigi hoje, sob n. 699, tenno a
dizer que na approvaeao que em 5 do carrete
Id ariemaiacao dosohjectos velhos o inutilisa-
d is, que e-iiveram ao servico da alfandoga. deve-
so eomprehender os 5 guindastes que Dg-nraram
na ni"sma arrematar", e que por engao foi
mencionado un sonimente no sen ollicio de 2
de te hipe n. 687, solicitando aqueJIa approvaeao.
H. 2;9 Dila ao mesmo Communico a V. S.
para seu eonhecimenn que o inspector do arse-
nal le marinha, segundo commnnicou em offlci'H
ife 7 do c irrente nnmeou a Miguel Paulo de Soa-
sa, Bscrevente do patro-mr, para exercer inte-
rinamente o lugar de esiuiva das ufflcina- iV<
ni '.-rao arsenal, durante o impedimento do respec-
tivo proprietario Horacio do Gu-mao C Iho, p "
ter este deixafliJ de comparecer a repartir i I
odia 3 deste mez.
N-. 270. D^a ao mesmo.Transmiti a V. 8.
relaeo nominal e pret junto em duplcala, tiran-
do vencimentos, relativos ao mez de agosto uluio
para as pravas da guarda nacional destacadas na
villa de Buique, alim de que, depois de liquida-
dos taes vencimentos, seja paga a san importancia
ao capitao Joaquim Silvxrio do Souza, Bonforeie
solicitou o coramanihnle superior do municipio
de Garanhnns em offlcio do 11 de setembro ulti-
mo, sob n. 8.
N. 271.Dita ao inspector d" thesonrarla pro-
vincial.Tomando em eonsideraco o que expz o
chefe dareparti^ao das oirs publicas, em offlcio
de 4 do correntc, sob n. 333, acabo de autorza-
lo a despender pela verba eventuaes at a quantia
de 120J coma deaapropri.vo amigavel de 77"pt4s
dfleafeseiros e 12 delaraogeira, pertencentes a
Maria Jos de Jess, e que teriio de ser destru
dos com a passageirt da estrada de Itapossnma a
Pasmado pelo sitio deste nomo. O que declaro a
V. S. pare sm conheclmento e fins convenientes.
N 272.Dita ao mesmo.Tendo designado o
chefe de seccao do consulado ptovincial bacharel
Antonio Wfllrnvlo Pinto Bandeira Accioli de Vas-
coftceltos para examinar em arianVnetiea no con-
curso a qne se ni proceder no lia 12 do corren-
t. na repartirn das obras pabHcas. para preen-
chimonto da vaga de escrevente alli existenc
assim o declaro a V. & para sen cohhecimento, e
alim de que o faca constar a esss empregado, que
na villa do Limoaim, seja, naga a sua importancia
a Jos Mara Ferreira da Cunha. conforme solid-
tou v comnianaimte sepeHor interine d'aquclle
municipio cm offlcio ii 22 de setembro ulthne.
N. 274.Dita ao mesmo.Tenaos om 14 de
outubro do auno prximo passado, mandado adi-
anlar a Jos Atmt, na qualidade de empresario
da companhia Lyrica do theatro de Santa Isabel
a quantia de I0:000, curopre que V.Ts. informe
se effectuou-se esse adan lamento, e que quanth
roceb sterormentc, allm de se poder re-
solver acerca dos pagamentos, a que se referen)
as as inferatandes de 2 do corrate sob ns. 609
e610.
V. 275 Dila ao mesma.Trausmitto a V. S.
para os devido 8ns, a deh'benfrio desta data junta
por copia, pela qiwl conced ao soldado do corpo
provisorio de poiieia Manoel Francisco de Rollan-
da Cavalcante a anosentadnria por elle pedida
com os vencimenlos proporcionaes ao lempo qne
liver-do servico.
N. 276Dila ao ehee da repartidlo das obras
publicas. Remeti a Vine, as tres inclusas pro-
propostas apriseatadasparaocncanamento d'agua
potavel para a cidade de Olinda, alim de emiltir o
seu pirccr sobro cada tama deltas.
N. 277. Dita ao mesmo Inteirado de quanto
Vine, expoz cm seu offlcio de 4 do corronte, sob
n. 333, lenho a dizer em resposta, que concedo a
utorisaco nel o solicitada para despender pela
verbaeventuaesal a quantia de l:2000 com
a desapropriaco amigatel de 77 pos de eafeseiros
e 12 de larangeiras; portencentes a Maria Jos
de Jess, e que ser) destruidos com a passagem
da estrada de Itapcssuma a Pasmado no sitio desle
nome.
N. 278.Dita ao mesmo. Declaro a Vine, para
seu conhecimonto e em resposta ao offlcio que mo
derigio hontem, sob n. 339, que acabo de designar
o prefessor Simplicio da Cruz Ribeiro e o empro-
gado publico bacharel Antonio Wilruvio Pinto
l'andeira Accioli de Vasconcellos, para examina-
rem no concurso, a que se vai proceder no dia li
do correte, para preenchimento da vaga de es-
creyente dessa rciwrlico sendo o i* em lingua
nacional c calligraphia, c o 2 em arilhmetica.
X. 279.Dila ao mesmo.Recommendo a Vine,
que depois de rever a planta e ornamento apresen-
lado por essa repartirn para a construeco da
ponte sobre o rio Una,' informe se com esse orea-
ment) pode hoje fazer-sc aquella ponte. se' a
planta a inais conveniente.
4.' seceo.
N. 28LPortara ao director gcr.il ioteriuo da
insti uceo publica.Tendo designado o profossor
Simplicio da Cruz Ribeiro para examinar em lin-
gua nacional a calligrapl.ia no concurso que se
vai proceder, no da 12 do corronte narepartieo
das obras molleas para precnchimeoto da vaga
de escrevente alli exigente, assim o declaro a
Vine, para seu conhecimento o alim de que o faca
constar a es-e profesor que para sso deyer en-
com o chefe daquella repa lico.
N. 282.Dita ao mesmo.Em visto de sua n-
lorniaco de 13 de agoslo ultimo sob n. 251, e nos
lennus da lei n, 873 do 12 de junho do crreme
auno mande Vine, adinittir no Gymnasio Pernam-
bucano como pensionista da provincia ao menor
Arthur de Abreu e Lima, llho to Antonia de
Alnvu e Lima.
N. 183.Dito ao mesmo.Designo a professora
Alexandrina Senbormha' de! Albuquerque para
funccionar no exaine de liabilitacao de que trata
o seu offlcio de 6 do correnle sob n. 323 que fica
assim respondido.
N. 284.Dito a cmara municipal do Recife.
Declaro a cmara municipal desta cidade ein res-
osla ao seu offlcio de 29 de selembio prximo
ado soii n. 84, que ajiprovo pela quantia de
22:800^ e por lempo de um anuo a arrematarn
do imposto do afericao de pesos o medidas.
N. 2S3. Dita a c nar.i municipal do Rio For-
raos;i.=Approvo as arrematarnos los impostes de
que trata o termo de contrato' que me dirigi a c-
mara municipal da cidade do Ro Formoso, ein 28
de*se:c!iibro prximo Irado, o qual fica assim res-
pon d do,
N. 286 =Dita a cmara municipal da villa do
Cabo.Remello por co,iia a cmara municipal
da villa do Cabo para seu conhecimento e em res-
posta ao scu ollicio de 23 de setembro prximo
Hado -ob n. 239 o inclufo aviso da repariico da
agricultura, commereio e obras linblicas de 24 de |
agost.i u'lim i, approvando a deciso que rteu esta
vioe-prosidento da provincia, manda declarar a V.
9. em resposta ao sen efflcio de 12 de setembro
ulorao, quo a thoHraram de fazenda tom ordem
para pagar ao alferes Jos Raymundo Possoa#u
ao sen procurador, os vimcimentos constantes d i
sen ctalo offlcio.
N. 296.Dito ao commandante superior interi-
no da gaarda nacional de Limot!iro. O Esm. Sr.
vice-presidente da provincia re?poudendo aooffl-
e (fe V S. datado Se 22 de seltflnpro ultimo,
mSna doclarar a V. S. qui a thesonrarla provin-
cial tero ordem para pagar a Jcfs Baria Ferreira
da Cnaha, os venermea*) coosdmtes do citado of-
DOMb
H-tM- Dito ao commandante superior da
guara nacional fle Garantios. A thesotirari
de fatenda aulorisou-se nesta data a pagar ao ca-
pillo Juaquim Silvano de Sou/.i, os vencimentos
constante; doofflvio de V S. datado de ti de se-
tembro ultimo, sob n. 84, 'o qual fica assim res-
pndelo de ordem do Exm. Sr. vice-presidente da
provincia.
N. 298.Dito ao capitn comman danto interino
do batalhao n. 48 de infanta ra da guarda naci-
le Cabrob.Do ordem do Exm. Sr. vicc-pre-
da provincia, declaro a V. S. cm resposta
offlcio de 11 s setembro ultimo,, que nesta
ilorisou-se a thesouraria Dinamerico Augusto di II yo Mangel os ven-
cimentos constantes do citado oljcio.
N, 299.Dito ao juiz municipal de Flores e in-
terino de direito bacharel Bento Ceciliano dos San-
tos Ramos.O Exm. Sr. vice-ircsidenU) da pro-
vieta manda acensar o receliimento do offlcio de
V. S. de 18 do mez flnd i, em qne communica ter
no dia antecedente assuniid o xercieio das tune-
ces do cargo de juiz de direito da comarca do
Flores, cuino i" substituto doli.
>'. 300.Dito ao juiz municipal d'Agua-Preta,
bacharel Pedro Gaudiaui de P.atis e Silva.O
"Exm. Sr. vice-presidente da provincia manda d
clarar a V. S. que leon Inteirado por sen oOh'io
de 22 do mez (Indiada (cr a 21 terminado a licen-
cia de tres meses qne Ihe fr.i concedida, deixando
V. S. de reas'somir o exrrciein de seu cargo por
continuaren) os seus incommodos de sade.
.'I1 scelo.
N. 301.Offlcio ao inspector da thesouraria do
fazenda.O Exm. Sr. vire-presidente da provincia
manda declarar a V. S. para os (m* convenientes,
que segundo parlicipon o juiz municipal do termo
d'Agua-Preta, bacharel Pedro Gandiano de llatis e
Silva, a 21 finalisaram os tres :ne/esdj9 liconQ.i que
Ihe Foram concedidos, deixando por cnitinuarem
os seus incommodos de sade de assumir o xer-
cieio das funcees de dito cargo.
N. 302.Dito ao mesmo.O ExjM Sr. vice-pre-
si lente da provincia manda declarar a V. S. para
os fins convenientes, que segundo participen o juiz
municipal do termo de Flores, bacharel Bento Ce-
ciliano dos Santos llamos, era offlcio de 18 do mez
lindo, no dia anterior assnmlo elle como 2" subs-
tituto e no impedimento do juiz cffeclivo e do Io
substituto o exercicio das funecoes da vara de di-
reito da comarca de Flores.
4* seecSo.
N. 301Offleio ao serr la Hb do governo da
provincia das Alagas.Remello a V S. um exem-
pUr do regulamento da tli:'sn;iriria desta provin-
cia de 21 de julho ultimo. Fica assim salisfeita a
requisicao de V. S. c mtida em seu offlcio de 26 de
Janeiro "di crreme anno.
DESPACHO DA PHKSU)EXi:IV l)\ PROVINCIA DO DIA
13 DF. DEZK.MUI10.
Antonio Francisco Paos de Mello Brrelo e Anto-
nio P-reira di Cmara Lima.Informe o Sr. ins-
pector da l'oe-ouraria provincial.
BachareJ Francisco de Carvalho Soares Rran-
dao.Informe o Sr.4nspectpr da Uiesonraria de
fazenda.
llerculano Cavalcante de S e Albuquerquo.
[ndefertdfl vsti das informare
Jo- Vicente do Arroda.Inlonne o Sr. Dr. juiz
mumcipal da Ia vara.
loao VaJentim Ferrara Da tos.Em 10 do cor-
rente expedio-sc ordem para o suppiicante ser
posto om lilierdade.
Jos Polyearpo de Freitas Jnior.Informe oSr.
coronel commandante superior da guarda nacio-
nal de Olinda e Iguarassii.
Bacharel Joo Hcoriqu Mifia.De-se.
Ji.-e Ribeiro da SUra.Informe o Sr. i
presidencia sobro a aferico dos pesos o bataneas
da conipauhia da estrada de ferro.
N. 283. Dila a cmara municipal do Rom
Couselho.Respondendo ao offlcio que mo dirigi
a cmara municipal do Boui Conselho a 18 do mez
Dado, tonho a diser-lhe que nao ten lo Adrin Pe-
noro d Albuquerque aceitado c exercjdo o posto
de asnillo da 1 companhia do esquadrao n. 13
da guarda nacional oesse municipio para que fu-
ra u lineado, visto como consta ija secretaria do
governo que nao solioMou anda a respestiva pa-
tento nao perdeu o lugar de ^upplente do juizo
municipal desso termo em face do que declararam
os avisos de 25 de novembro de 1868 e 13 de Ja-
neiro de 1869.
N. 289.Dito a cmara municipal da villa de
Ipojuca.-ReaieOo por'cOpa a cmara municipal
da villa de Ipojuca, para seu conhecimento e em
addilamen'.e a minha portara de 31 de julho ulti-
mo, o incluso ayjso da repartieo da agricultura,
conjsnerciu e obras publicas de 24 do agosto pro-
xim lindo, approvando a deciso que deu esta
presidencia sobre a aferico dos pesos e bataneas
da compinhia da estrada de ferrarIgaaes as c-
maras municipaes de Serinhcm, Agua-Preta o
Esc ida.
.N. 290. -Dita ao oafienhoiro fiscal da estrada
!' a 3. francisco. Remetto por
para seu conhecimento o inclus>.
vBo repartieo da agricultura,
publicas em 21 de agesto nlli-
l'IJat"'1' '',!I"'J*:, 'i'1'1 deu esta presiden-
cia acaVa alliraro dos pesos e bataneas da
eompaUnta na via fern a .
irxpRDiEtrrl assig:iabo psr.o su. dh.joaol'iw correa
DB AHAUJO. SRCRETAR10 DO GOVERXO, KM 8 DE
oun'Bro di: 1869.
2." seccao.
. 281.Offlcio ao Dr. ebrio de polica interino.
Be ordem do Exm. Sr. vice-presidente da pro-
vincia, transmiti a V. S. os ttulos juntos de no-
meacao do 3o, 5" e 6o supplentes do delegado do
termo de S. Bento, de conformidade com a sua
proposta em offlcio' n. 1430, do ultimo do mes
lindo.
N. 292.Dito ao mesmo.De ordem do Exm.
Sr. vice -presidente da provhwl, Transrtrtrio a V.
S. o titulo junto de no:neaclo no Pcssoa CavirtranH para cargo de Io suppbn-
te do delegado do termo de Buique, de conformi-
dade com a saa oropesta em oloio de 4 de agosto
ultimo, sob n. 1149.
N. 293.Dito ao mesmo.De ordem do Exm.
Sr. vice-presidente da provincia, transmiti a V.
S. os titulas juntos de nomeacao dos 2o, 3, 4 c t"
sapplcnte- do subdelegado do districto do 6.
Caetano da Raposa do termo de Carnaru, de con-
formidade cora a proposta de V. S. era offlcio n.
1416 de 28 do mez Ando.
y. 294.-7ito ao mesmo.De ordem do Exm
Sr. vire-presidente da provincia, tansmitto a V. S.
rectir d i arsenal de guerra.
majar di-
Jos Martinaii) daSonaa.Conceda-so seis me-
zi^ nos term >s da lei n. 893 de 25 de Janeiro do
crreme anno.
Itaclnrol Jiis Maximiam Alves Civalcaite.
Informe o Sr. Dr. director ger.il da instruccao pu-
blica.
lean Dnnae'.ly. D-so.
Maria Joaquina de Soaz).fndeferido vista da
nforniaco.
Manoel Daraasio Ferreira.Seja posto em liber-
dade.
Repartidlo la poicia.
2' seccao.Secretaria da polica de Pornambu-
co, 15 do dezembro de 1869.
N. 1751.lihii. e Exm. Sr. Levo ao conheci-
mento de V. Exc. que, segundo constadas parti-
eip.'ices recehklas n'esta repariico, foram
Iwntem recolhidos. casa dedetenco os segra-
les individuos :
A' ordem di subdelegido do Recife, F. Lergone
e F. Banmbacle, por disturbios; \Vdliam Sauh, a
rpquisyao do cnsul da cnilederaco Norle-Alle-
m5a ; Manoel, escravo do Starr & C, por tes sido
encontrado depois de 9 horas da noite sem bilhete
le sata senhores e Vicc-nte, oneravo de J laquim
Jos Goncalvcs Beltro; a requerinento deste.
A' ordem do de santo Antonio, II iraeio, escravo
de B. Barbara do tol, a requer ment do deposi-
tario.
A' ordem do de S. Jos. Podra.Celo*tino Boierra,
por embriaguez e esordein ; Joo Manoel Augus-
to, por embriaguez e ofisiisa moral pufflica.
A' ordym do da Boa-vrjta, Jos Baptista da Mol-
la Campos, por uso de armas prohibidas ; Fran-
cisco de S.uza Ferrar, por disturbios e espanca-
mentos.
Por offlcio de 26 de noyombre ultimo, eommuai-
cou-me oplegailode Villa Bella que no dia 15 do
mesmo irei lora capturado na freguezia do Ollw
d'agua e recolbido a cada daqaolla villa, o cele-
bre criminoso d diversas mortes nos termos de
Taearale Floresta, Manoel Silvestre da Silva.
fita dato de 30 do referido mez, commnnicou-
me anda aquella aut iridade ipie no da 22, duas
leguas distante daquella villa, fra assassi
con um tiro >|iieiui i-rouoa o fazmdeiro
Gjraos TavarcS, por um escravo de nome J^lL
propriedade do. capital Manoel de S Maranhfn,
que ha annos aelia -so fugido; que diligenciara a
captura do criminoso, contra quem ia iostanrar o
competente processo.
Deus gnanlu a V. ExcIilm. o Exm. Sr. se-
aador Frederk de Almeida e Albuquerque, prc-
?idente da provincia. O ehefe do -polica, Luiz
Antonio Fit/ioikIiiii Pt'nlftint.
para isso ifever" eatender-se eom b ehefe dn-., os titules juntos de nomeacao dos 2* e 3o sup-
quell i reqarticao. [ plentes do subdelegado do districto de Correntes
N. 273.-!-Dita a. mesmo.-Providencie V. S. filo terflto de Garanhun", de conformidade coma
para que depois de liquidado?, em vista do incluso sea proposta em offlcio n. liWde I do orrente
pret nominal, os vencimentos relativos ao mez de:] N. 295.-Dito ao eomntandante snperier intefi
aunicipio.de ga-Preto, e o qete a respeito (fellf agost) ultimo, dos guardas nadonaes destacado? I no da guarda nacional de Plores.S. Exc. o Sr.
e seo primeiro snpplenle Antonio Saldanha de
Alencar.
Delegado do termo de Garanhuns o capitao An-
tonio Vicft r Correa.
Porontra igual de 14, foram nomeados, para
o batalhao n. 15 da guarda nacional de [tamb os
officiaes segninte :
Tenente-eirurgiao Vicente Ferreira da Sil-
va Maia.
2* companhia.Airen Francisco Xavier da Sil-
va Ario.
4' companhia.Capitao o tenente da mesma
Manoel Guedes Correa Gondim, tenente Manoel
Correa de Oiiveira Andrade.
5* companhia.Capitao Joaqaim Velloso Frei-
r, tenente Trajano Evaristo Ferr) Castello Rran-
co, alferes Henriipie Faustino Cava|canli de Albu-
querque, atferoa-Jos Amonio da Costa Medeiros.
6' companWa.Alferes Joao Candido de Mello
Lima.
8" compitrtila.Capitao o capitao aggregado Jo-
si Faustino Cavaleanti de Albuquerque.
DEPTADOS PROVI.VCTAES.Achando-se afl-
nal publicada a eleicao do Cabo, sao deputados pe-
lo terceiro districto eleitoral os Srs. :
Dr. Jos de Ges Gavalcanti.
Dr. J. M. de Barros Wanderley.
Dr. Honriquc Mamede L. de Alraeida.
Dr. Francisco Augusto dalosta.
Dr. Gaspar Drumraund,
Dr. Pedro Alfonso Ferreira.
Dr. Antonio Luiz Cavaleanti de Albuquerque.
Tr. J. F. Paes Barrate
Padre Antonio da Cuaba e Figueiredo.
ASSASSIXATO.-No dia 22 do passado, duas
leguas distante do Villa Bella, foi assassiaado, com
um tiro queima roupa, o fazmdeiro Rufino Go-
mes Tavares, pelo preto Jos, escravo de auoel
de Sa Maranho, escravo que ha anuos anda f-
gido.
SOCIEDADE BEMEFICENTE DEZESETE DE
JANEIROHaver boje sesso extraordinaria do
eonselho director desta soeiedade, na roa da Ca-
deia n. 41, s 5 horas e meia da tarde, alim de se
tratar de "negocio nrgontc. Sao para ella convida-
dos todos os re.raectivos memoro?.
NOVA SOCIEDADE.-No dia 14 do correnle,
os talhadores de carnes verdes desta cidade, reu-
nidos em numero de cerca de duzenlos, no salo
do sobrado n. 1 da roa Suva de Santo Rita, ins-
tollaram a sociedado Unido Bencffcente dos Ta-
lluulores de Carnes Verdes, sob a presidencia do
Sr. Floriano Correa de Prito, e servindo de secre-
tarios os Srs. Jos Joaquim de Alme'da Nobro e
Francisco de Paula e Silva Lins.
DINHEIRO.O vapor Pirapama levou hontera,
para os portos do norte de sua escalla, a quantia
do 106:535350.
~ O vapor Potenqi levou para os portas do sul
de sua escalla. 164:8O003O.
LOTERA.A que se ach venda a 131", a
beneficio da igreja de S. Joo de Abreu de Una,
que corre no lia 21.
PASSAGEIROS-Viudos do
barca portuguia Stgiu-iiira :
Antonio Lopes da Cunh e
xandrina Lima.
Viudo de New-York no hiato americano S.
C. Era n s :
Joo Joaquim Alves.
Aggravante, o London and OrastKan Bank ; ag-
gravado, Luiz de Ofiveira Lima Jonior.
Aggravante, Luiz de Oiiveira Lima Jnior ; an-
gra-vado, o London and Brasilian Uank.O Exm
Sr. desembargador Silva Goimaries jaron, sos-
peicao.
Nada rnais bou ve, e foi encerrada a sesso x
urna hora c meia da larde.
PUBUCACOES A
Rio de Janeiro na
Guilhormina Alo-
CHRONICA JUDiriARIA.
PEMAMBCO.
REVISTA DIAEIA
ACTOS OFFICIAES.-Pdr rteKberacao do F.
presidente da pruvinria de 10 do eorrenle, fwanV
Asis da Silvefra
Peixdnsubdeleeadc'jH^^^^^BH "do Epi
rniiirvt, do comugrcio.
SESSAO JUDIC1AH1A EM 13 DE DEZEMBRO DE
1869.
'RESIDENCIA DO EXM. SR. DESRMUARfiADOR A. F. PE-
RETTt.
Servindo ile secretario, o oflkinl I. A. de F. Torres.
Ao nieio dia estando reunidos os Srs. desem
Cargadores Silva Guimarcs, Reis e Silva, Accio-
li o Gilirana, e deputados Rosa, Basto, Miranda
Leal e baro de Cruangy, S. Exc. o Sr. presidente
declarou aborta a Batsl t.
Foi lida o approvada a acta da sesso de 9, com
declararn i que foi com causa participada que
Jeixou do comparecer o Sr. Miranda Leal.
Foi presente o offlcio do Exm. Sr. presidente do
tribunal do commereio do Miranho com data de
3 do corrinte, declarando, em resposta ao que
Ihe dirigir o Exm. Sr. presi lente doste tribunal,
que das decises proferidas por elle em materia
de aggravo nao havia exemplo de so ter interpos-
to recurso de revisto.
O Sr. desembargador Gilirana recebeu o feilo
em que juiz certo, entre parles : appellante, Jo-
s Rodrigues de Araujo Parlo por seu procurador
nesta cidade : apoellados, Isidoro Bastos A C.
Venfk'ou-se pelos livros de rogistro dos protes-
tos de letras que o ultimo protesto registrado pelo
escrivo Albuquerque fra sob n. 1,927 era 7 do
crrente, e pelo escrivo Alves do Brilo, 1,911 em
11 do dito mez.
ACCOnDAO ASSIC.NAOO.
Appellanle, Balduino Amando Freir c sua mu-
Iher ; appellado, Jos Flix do Reg.
JIJI.OAMEVTOS.
Juizo rnnnicipal de IpojucaFeito adiado da
sesso de 3 do corrente. Appellante, Feliciano do
Reg Barros Aranjo por si e como tutor de seus
fillios; appellado, Jos Francisco Larra Penna.--
Juizes os Srs. desembargadores Silva Guimares e
Iteis e Silva, e deputados os Srs. Rosa e Miranda
Leal.Proposta a preliminar de se dever ou nao
tomar conhecimento da appettacAo, decidio-so pela
negativa.
Juizo especial do commereio.-Adiado 1a sobre-
dita sesso.Appellante. Domingos Alves Mi-
fliciis; appellados, os administradores da massa
fallida de Amonm, Fragoso, Santos &.CJuizes
os Srs. Be e Silva. Aceioli, Miranda Leal e Bas-
to.Foi confirmada a sentenca com o voto do
Exm. Sr. presdeme, sendo vencidos os Srs. Ac-
cioli o Miranda LoaJ.
Com dia assignado.Appellantes, vi uva e her-
deiros do Jos Hygino de Miranda e D. Josefa
llemvinda da Cunta Sottto-Majpr; app"llados,
Mills Lathan & CSortead)? os Srs. Miranda
Leal e Rosa.Foi adiado pedido de um dos di-
tos senhores.
Appellante, Francisco Moreira de Sou,za % sua
mnlher; appellados. Franeisco Colho da Panac-
ea e Jo4o Antonio do Amaral.Sorteados os Srs.
baro de Cruangy e Miranda Leal.Foi adiado
pedido de um dos ditos senhores.
Appellantes embargado, Carlos Rookor A C.;
appellado embrgame, o London and Brasilian
Bank.Despresados os embargos.
Appellantes, Oiiveira, Filhos & C. ; appellados.
Eduardo Burle A CAdiado pedido de um dos
Srs. deputados.
PASSAfiEM.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Reis e Silv.rAppellantes embar-
gante?, Guimares A Oiiveira cm liqiidaco ; ap
pellados, embargados, o presidente o directores da
Caix* Filial do Banco do Brasil nesta cidade.
JW50RAV09.
Do Rllso espeeral do commercio.e^Aggravanle,
Antonio Franei'co de Oiiveira ; aggravados, Tasso
Irinos.O Exm. Sr. presidonte don provimenlo
Aggravanle, Jos* Peres da Grnz: aggravado,
Manom Aires l^rrelfa.-O mesmo Exm. Sr. ne-
gon prnviraento. .
Agervantes, os caradores fiscaes da fallencia
de ^SSta .iTOastro i agfravada, a enmpanhia de
li'BNTio MINUTANDO ACRAVO INTKHOST0 P0B L0SPO5 AKD
BRASILIAN BANK, DA DECISO DO DR. JUIZ DR Dl-
RBITO ESPECIAL DO fXIMHRR.'.n>, QUE MANO CEs
SAI1 A DKTETICAO PESSOAL DE LUIZ DE OUTKllA
LIMA JUNIO t.
Illm. f. Exm Sr. Presid-ule do Merdisstmn Tri-
bunal do Cominrrcio.
I
Para V- Exc. se aggrava London and Brasilian
Bank, da deciso a fK 73, proferida pelo digno
Dr. Juiz do Direito Especial do Jimmercio, re
formando o seu respeitavel despacho a f. 15,
que ordenou a deteneao pos-nal de Itoir. do Oii-
veira Lima Jnior; sob o fundamentoess i novo
juizo, d,.. que pela justificarlo a lis. 49, se lemoos-
ira nao existir a circunstancia da oceultaco, c
projeclada fuga do mesm i Lima Jnior, depais d-a
grande debito por elle conlrahido ; o qne a'ias ser-
viudebase para aquella deteneao. O pro-enteaggra
vo tora assenlo nos || 15 o 17 do Regulamento n.
737 de 25 do Novemtiro de 1S50, o funla-so na.-*
seguimos coasideracoes. _
' II
E' ateto inconirovers i, que o dito Luiz de Oii-
veira Lima Juior, desde Fevereiro do 1868 a-
Setembro do corrente auno, fez profusw habitual
de operaeoes cambiaes de lescontos it tlnt umr-
canlis nesta Praca, "as quaes elle presto va o scu
indosso para auferir a vantagem de um e meio-por
cento exclusivamente, ou sem procedencia do al-
guma outra transacro ; descontos esses, qn
elevaram-se a supe ior quantia de 1,000:000}M(>.
III
Que o mesmo Luiz de Uliveira Lima Jnior fa-
sia prolisso habitual de toes descontos, mediante
a judia porcentagem, os quaes avuliaram a tan
enorme quantia, no curto periodo de _I8 meza-
(III) acha-so plenamente provado nao s pela
sua propna confisso perante o nobro Juiz quo,
pelo documento prestad i p >r nove respeitaveis ne
gociantes desta praca, e pela inquiricao do tres
testemunhas do'inaior exci-pc'', seno tam-
ben) pela douta sentenca daquclle digno Juiz, que
declarou a fallencia do dito Lima Jnior ; ludo co-
mo se evidencia do docunieiito ora junt sob n. 1-
Que as sobreditas traasaerdes nu operadas d*-
cambio conslituem neraiMUt tamlieni fra de
toda a duvida, porque assim as considera o 2
do art. 19 do citado Regulamento n. 737.
Em summa, dos autos consta a 11- 4, de IK 6 a
lis. 10, a lis, 19, a lis. 2i, e segralesque o men-
cionado Lima Jnior ccssiu inteiramenie seus pa-
gainentos, e acha-se completamente fallido, em
verdadeiro estado de insolvencia (art. 806, 807, do
Cdigo Commercial.) como olio mesmo ainda con-
fessou na sua petici a lis. 50, e at se fez carago
de prova-lo exuberantenienie pelas siias proprias
testemunhas a fls, 55 v, a ITs. 58, a lis. 67 v ; afea-
trahindo entretanto da robusta prova resultante
da inquiric.ao produzida pelo aggravante, e cons-
tante do documento junto sob n. I, de fls. B a
lis. E etc.
IV
E pois achando-se bem verificados os.=es toctos
Imputados ao dito Luiz de Oiiveira Lima Jnior,
resta averiguar, se elle c >ntrahio laes dividas, e
empenhos extraordinarios com mnxifesta m (.
em trnipo prximo no sen fulmento, ou se com-
mettru algnns artificios fin minenlos etc., para an-
tortear a sua deteneao posa iaj nos tormus do art.
343, o do citado'Regulamento n. 7 17 etc., que
Ihe foi decretada pelo mandado a lis. 13.
Dos il poimentos de lk 6 v. a fls. 7, a I1-. 8, a
lis. 9 v, de lis. 10 v, a_ k 11 se evidencia, que o
imana Lima Jnior n> s aff-ctava aos seus cre-
doresachar-seein boascircumstinciasparanagar-
ho*, 0 que por ventura Ihes devessem. se na tam
bem assegiir.ivalhes acoiljuv -c i, -ou o ouMNfso
de seu Pa. o de seu sogro, cidada is probse abasto-
dos, os quaes farinin face par suas pases a qnilquer
conting'nda il'iqnellas suas transacrS-s ; O quo
robusteca a grande confianca, o;iie Ihe era d-pc
sitada ; tam mais qinnti M observava. que He
rceeMa conatgnaeoes de assnear d i interior da
provincia, pissui.i o predio onde mora va ( a fls,
56) etc. etc.
V
Entretanto tudo isto era faUo, e artifi.-ioso para
defraudar seus credores. p >s luje eonfessa publi-
camente, que nada possae, o. que alias se verilea,
pois at casou se por ti'nl > d.ital,, c uno se v do
documento ora 'junto so!) 0.2, levando anda a
a sua ra f ao ponto de qaerer boje mesmo pes-
tes antos a lis. occirtar ease euiprazamento aos
diios.seus cred ires, segundo eoaala de suas pro-
prias palavras, e hem exp'icia eonlUsn a fls. 45
v.; alera dn e.-pancar a nmn pess- a nada
c negociante milito acreditado nesta praca, s pelo
ficto de pr-icur i-lo para nbter dellc urna conven-
cao rasoavel, qm-ilic prop uilia.e a e-peravaobter
em nome de sua pmpri i h inra, que nvueava,
o que indo bou pubhc >, nesta Cidade,
e se deprelicnde do doMinienle junto a fls. 72.
Vi
Alem disto, dos depoim utos a fls. 7, a fls 10 e a
11?. 11, consta que o'! luoi-o- se ocuttata
aos seus credofes,quinde pmearavim 'asa
e pretenda retirarse para i ('Irte: fac-
tos e t-is, bem eomo qelles sen? empenhos exrraefdi-
na'rias. ao sen contracto -dita) ele, e t- s rttes
mu significativos da m fJ com que prntlr >u ;em-
pre para com os mesm -mis ere l res. > ie ati<
para com elle foram > traucos e lo generoeo?.
vil
Establecidos estes princitnos. que resnltam o>
presente pmcesso, ( forc is i rec Hiheeer, q'ie me-
nas justa foi a d.-cis', do que se aggrava, ?npie
(portn aaegaco ilelle?, quo alia pa-
tentes, o at reconheridos pelo illustraito Juiz a
quo; .no qual sem duvida mate actuaran) nores-
la vez Os sentimenlos co-n;>.issivos do quo o r%Df
jurdico na aprceiaejn de too robustas provas ; i
que de passagem seja Sito, sem a ininima inlen-
caoolTensiva sua asssfz comnrovada reclirto.
Deseara w porm, a ainlv-e do nnieo fundamen-
to da deciso aggravada para de: tu
inJtSttea( como devid respeito), que dena res-
sumbra, como considranos.
VIII
Pnr essa respeitovol decisilo foi consagrado que
dosappareceu, em face da justilicacio a fl-. 49, a
bas do despacho a fl;. i, i ti o facto de gran-
de debito contrahid- por Lima Jnior, acomparrtia-
do da eirenmstancia da oceultaro e projeclada
fuga.
Mas, o granda debito do miis do 1,000:000000
que eonlrahio o mesmo Lima Jnior, por relo de
toe? descontos, sem precedencia dn qualquer ou-
tra transacra i, s para auferir o hiero ajwn*
porcentagem, e mediante o seu iadufso *e-eeta-
so provadissimo como ja vimos) pela prnpria cen-
flssao delle, pela inquheao iU te^teiminlos, pet*
rewtnfos NoHhern de lon4res.Deseeram para l sua fallencia (pelo monosculposanos terna *
saft-H*friee urna alga** *) fctra. Sr. preai-Ut 899g4 do Cdigo Commereki^ asj
*ni'
tj v do doeamento junio sob n. i ; atem dofw Te-
I


#
Diario
rniambuco Quinta fera 16 dtf Dezembro de 1869.
sulla das doeis provas jaapoutadas, o constaal
itestes auto?.
Mera 4slfflcacS>i a R W fez desapparecor
circo instancia nccessoria d'aquelle facto a occuUn-
cb de Urna '/tiHtoi, e s
tata c/darfe, por quanto, J^V
incompetencia do nobro Juiz*
essa iustiflca|lb sobro fac
jnrlsdicco. toda restricta
3 do Regiment N
dos actos e pessu, que flxantm
do Cod. Gommercial, e osarte. 10. li, 19
idente
ara admtUir
da sua
hrts.
si va
6 30.
1.1
^.
&**
nadas,
3; c art. 20 do mesmo Regnlamenjo, mas nunca
caaa relacito a factos negativo*, iateiramoate inad-
nussi veis e prova (Ord. liv. 3 tit- 51 10) o
proprios da jurisdiccio rommiim, coma largamente
.lemonstreu-se do IH 63 a fls. 65 v, oeeorre que o
ironno digno Juiz a quo em sua doma deeisao a
fl* -69 s julgou procedente essa justlflcacid a fW o monos imprepno-s tromes, e os
*9. qaanlo ao'2. quesito, Uta que desde a [tib- quelle seus psrentes
tencta de Maia fe Espirito Santo** do Lima *t- XIV
nier se co,ueixnta nesta Cidade indo quasi o* os Sobreleva anda, que contra a
/Ha* a no Rtcife, sendo fie a prota testemunhal da
'.[trida jnttifieacao nao era concluiente per dt-
opi
goeij
Pirca asvaefeda qtantia de mt{ tontos
(4,000:000 ta poriado
zas, (como a lacidamonto demonstrad pharttas4art o por em
rtrtm as UslemunKas, q -e nada Ihe consima to-
hre os [actos, cuja negativa se pretenda proven;
. a*sm como o 8\ quesito era de inera cigitacuo
Lima Jnior, mo constitua [acto externom-
. preciavel, t importava apenas urna vokcaodel-
. te. inadmissivel d aquella prora tettemunlial.
Portanto. si dessa jusuficaco apenan constava
a conserva> de Lima Jnior ue*ta Cidade desde
* raltencia de Maia & Espirito Santo, o a sua ida a >
Rerie, conformo aquella deeisao a 69 ; si u
inesma justificacao nao era procedente qqinlo aos
domis pontos, "principalmente sobre a na pro
jecladnfuga dalle, segu-se, que a Tallada ju-tili-
cac nao destruio a base do despacho a lis. li
na pnra osserespeitavel despacho a lis. t fnndou-se em
hacer aggracante provado(de fls. 6 a fls. 11 ) rate
o mencionado Luna hwia procedido com m fe.oc-
uUuniose, e pretende/ido relirierse ; faelos abaz
djetinetos.
tro sim, essa mosma justificacao a B*. 49 nao
destre evidentemente aquella base d > despaeno *
s. I2># te os res|iectivos dopoimento>, pois i|ue
asegunda testemool di*-cA fls. o*. *que nao
poita afirmar que ojnslifimftt se ocullasseem cu
xa aos sen* ardores Iwm como, que pretendere re-
tirarse para fura da Ct&idf, a tnrceira testemu-
Bha a fl-. v d-poz que nao affirmiva. nem ne
Hava, que o justificante pretmdesse retirarse desta
Giiaie, assim como que ignorava se elle se orculla-
va em casa nos credores, que ahi o procuravao; a
Uarla testemmilia ihwa jastifleacao jur
l que nunca viu credor algnm do juttific uve
procural o em sua caza, na qu l alizelle Ummu-
4tha nao moraoa, c poruso nao o poi
assim coa>i" que sabid) que quem se aclia em
toes circunstancias, e tem iiUcnraa de retirarse
nao o'eonmunica pessoa alguma, nem tan tem
faz o que elleftzia de apre na Rifr; sndo e conjecturadim'smatestemunha, mas na un IhH
-da sciencia pronna Q alheta sobre o |tal era ex-
clusivamente obrigado depir.
Ora, si diwsas qiutro lostemunhas i.rodnzia.v
natalastiilcci) ir.;s deotueram a damwiryx' u'i n"' Wirmir a esuUaeyi e a
pretencao} de uiUenlafte de Lm*J**or, h ?'-'
concluir que a diu j s fie iCl nao pr-ivou c-sa nt
occultamo e nao prvjrctada faga Me; e ir l**'
nao tordestralda i base >ldc<|ucho a B. 12. Wo
i, a prova concludenie nenie produzda s mre ao\-
ataneb deses dooa faclo-( alias em forma posi-
tiva ) p kw dejii nontis de Wi* ie ores de tula a excepc5o( a fls. 7; a fk 10; 8 a li-
li; ) olT'ivcM.is pelo agiicavante, iwbre eoj nWr
probatorio undou-so o r.-ierid i despacho a 1h. \i
X
l);piis d-st). m f\-\ n -Ucvis'rcae-se em su i
casa, edt irm Reeife diariamente como auribuj-
rain ao ja*tHVanl aquellas suas te>temunhas, na
de.-trc o a (Hia oceultacao aos seus cn-dores, aw
o trocara vara era ma casa, pois sofictis di-*
tinelos, curan bra reconheceram cssas ine-im*
testeminhis, ns qnaes ubre este ponto nada pu-
deram a/firm ir (ais. ;i7,rj9 e 61); tant. mai- .pianl
eramais nainral raesrao na > piorer alie apoarecer
(provaveloiente para evitar vexan s) a eses indi-
viduos..! iin'in havia illa bdo la > de-conimiiulm^n
te, c mui.l.ivaofr'ivc-r llvs nra pigtmeiito inde-
cencias ; em urna patarra, qnando j luvia aspan
cado a um cav.illwir, qne in*s-e pauaov-nti ib-
fallara, MURO 6 bmlineab* sabid > n-4a Cidade, k
consta d i :\< naoentu de fl. 7, e do do duconieul
a fl 71
XI
Tambera o f.ctode hir aqntlie juitifieanU m>
R:::fe i : c-: : ; di<:i. r) Ihe empresiaram
:i :':;.-.. !,i:|.|ii.-n na-de-tro.-a sua o--
col'ic.i' a >- :c--lora la casa l-'lle. n.iqu-l-
lofirri; -;ni qno v sh d> .I [i .i-n^nt
de lis. 8 i fls i v. ./!.' ilt-pois da snspeMa dos
pagan \fgnu onnt siga it irins d-ix le-
trat, od to i. h i naoinha apptrecid ni Binco
tu'ez ele,
tira 1j.mii nalural. que o mesm Lima na> ap-
p:,:.' -'! i, n<*gin I >s- em ca*.i aos -eas orad ir-,
cono Oca priivado a fls.7,10 e fl ...^ < *e il-do
das suas pr 'lirias limieraanfeM ; fl-. 37 v. i9 v <
61, por igual -ind ao K-cife timbera prociirass
evitar all u enfvmln. e at aipr'>xinia#v> del
le-; pii'sonii'i.i '!-'a, qne >e acUa onrriiiiiirada
pelo dep i ni' ifci de lis. 57 e 57 v. e ain 'a niai-
jK-ios da o 58 v, das tr>t-in'inlia-
'por i'll pi huidas isti *. aqiflla que qu in-
di o referido Lima ia ao Recif' pissava pe'o scu
Eslabt'ecimenlo no Caes de 2J de N'Wembro,
qul alias nao vvrdadeiro caiinnh i para >|u-in
para all s-.luige vin lo da Slela K onle vt*
ni'-rii; i- e-ta que o tnencionndn L-mttntrnva nn
seu Eslaheleeimi'ito A Ra di Cadeia pira des
tangar ediv:ersir, d udo >i polo concluir, pi-
el na i dViXava la procurar caonlio menos g--
ralm.'nU! aognidii para aquella direccao, partir
de su i casa n i S dodade, u ain la niais qu- reco.
Ihia se nos-n p mo p .ra uao l >rnar se eoconiradi-
;o cji.ii os s.us Credon-s >* quaes se oivultava
em sua pnpnacasa por es-a in-suia razi, qm-
pur corto dev.-ria actuar-lhe p ir toda a parle.
Na para doisar de reparar, que dessas qua-
tr> te-teoiunlias prinl izida* pido dito m na Janior
na referida ustiOcacae a fl -. 49, a priincir a, e a
qo.irta sa> seus visinhos Silelad-, seus amigu-
intiraos, p'l > ne di-s^ram ; a segn la eonfesou a
11... Iiaver tido i'.kd ell- transaccoes de de-conto-
dt letras, e estar asim em s"uas iinmedi tas rea
5d>s; e a quaria ler com elle grande franq va imiuiida le, eomo tambem di*clarou a fls...
P.irconseguinte essas teste nunhas *> su de mxima parcialidade, alera do inconclulentes,
xpgnndo deixou entrever a deeisao de quo se ag
grava, com > llca a-ss demonstrado.
Logo por todos os ttulos aquella justificacao a
lis. 49, alm de sua manifesta o radical nullidad-
(por incomp-teocia deste luizo para sua prudtt-
C3 >) inteiramente iraproce lente, na) destre, h
antes coafirma a nasu do despacho a fls. M, qu-
aatnursou a detcnc i pessoal do dito Lima Jnior.
XII
Di raesmo modo, na.> se arha destruida por
aquella jastiiieaco a fl-. 49-a circum^tancia d
jtraiectada faga d>' Urna Janior, desdo que pelo
Aieuioeuto ora jnelo sob n. 3 se nbtm a prova
iaequivoca de queja elle preso (em virtuded-
inauli.l i a fls 12), e quanl i era conduzi lo para a
tasada Detencao pelos OD ;iao- de J itlicapro
enrou evaitir-sii, entrando precipitadamente e san
previo Ciuhecimento d'-lles m una botica a
Prac* da Boa-Vista, onde penetnra at o interior.
prximo urna porta lateral de sabida (-rearas
Canci.i esta fcil do verificarse por que o all pas-
sart, segn lo cortificaram os mesmos OUciacs.
Or, -i o dito Li na Jnior nao quera natural-
siente assim evadir-se das inos da'|Ulles Offi
ciaes, para sua casa, pois deveria saber, que a
Airc.i publica, o braco da Jusiica iria d'ahi tira-lo,
o s-ria anta > intil, e desairusa por domis aquel
Ja aa eva- >, sogue-se lgicamente, que a inesma
sna inicala eva ^i>tioha por lin, ou p>r om8|ueneian'ce-sa-
xia o infalbvel a sua oceultacao ; s-nloque neste
aso quebrar-se-lna sera dnvila a Qanca pir e|
prestada, segundo se v lo docuraeuio jnnt) a fl-.
Vi ; e or i-su raesmo nao cintlulenl o ar-
gumento oiTerecid a fls. 46 v p>r parte di
mmino Ln i Juni ir. to aae por arhirse elle
tus'm affiiacad-i nao quererla evadir-te-pira uo
quebrar a respectiva flanea, pois aqoelle faci
sgaili 'ativ da imis cueulaila funa, e al j
meomecide oxeatoca>; sera >e importar aba*
cora o tal pavor inculcado de quebrar a referida
Aam
XIII
Urot oatra sene d> c-ra 'K'racoes se apr^senton
yor parte lo mes n > Luiz de bveira Lima Juoir
aua alle^acdes de ds. 43 a fls. 47, qua sao sobre-
mo irapr.j.'dentes, corij se passa demons-
tra?.
1.* Aurrfo. Qiea de'engo pessoil dt ntetmo
Ltmi Junar foi reqiyri com o una> fim 4r
mutmtm o igg--inan'e os dem-ut pifiadores de li
tras mercantil porelte induesadas, que teu Pait
prcbabilriada de
intervencao do Pai, c do Sogro do dito Ltioa J-
nior, para saldar seus dbitos, conspiram o< lac-
ios boje bem canhecidos nosta Cidade, e por isso
raesmo por todos os Credores dalle, que o dito sea
Pai :iju(km-o a espancar em pleno da a Adolph
Pereira Carneiro, por Uie fallar em una conven
ci) sobre pagamenl. do seus dbitos, e anda mai-
Iae offerocia indecencias para ctie-tivhla 'e
alie, quando alguem para isso o acooselnava;
assim como que sea Sogro se julga uisso de^obri-
gado por aquella contracto dotal (documento juu
cto sob n. 2), o por nao naver tomado parte algu-
ma aaquellas dolosas transaeos do referida sea
genro;; como bem sodeprehondo do seu comple-
to siloncio, e da total indiferenga acerca da po-
sicao critica delle ; a nao ser, que se queira con
jeclurar que confiado nos seus proprios recursos
no prestigio de sua familia coote velo livre, salvo,
sera repressao, e indemnisagao alguma devida por
todos osses reprovados fados.
XV .
Em summa, aquella assercao tanto mais in-
fundada, quanto a detencao pessoal do mesmo Li
ma Jnior nao foi aulborisada |>or mero arbitrio
sob futis pretextos, mas simdepois de mbusta-
prova-, que foram pr duzidas; e boje anda ella
so achantis plenamente justificada pela sua pro
pria confls-ao, pela inqunelo do tres testeinunlias
raaiores de toda a excepcao, pela senteaca da de-
elaracao de ua fallencia (o que consta do docu-
aieato jnelo sob n 1), bem como pelos doeu lien-
tos annexos sob ns. 2 e 3 ; sendo qne e a casos
tacs essa detencao cabivel por forca do art. > ->
S 15 do Regulameolo n. 737, e tem sido p ir veres
decretada sem pravas alias ta > robustas, segundo
a tradicao forense desta Capital, e da Corto etc.;
pois de outro m-Hlo dar-sc-hia o maior triumpn,
o o mais feliz xito i fraude escandalosa do qu !
qnr devodor que, a pretexto de se Ihe qu-rer ta-
zar presso, viria lograr a impunid ido
Ofactodehaverem os Credores de Lima Jnior
requerido a fls. 19 e a ds. 24 (Theodoro Sim m &
C. o Adamson Howie & C.) para subsistir a de-
tencao delle, at que preste flanea ao qua Ihes de-
ve na importancia total do cerca decent e tnn-
la o dous cootos d- ris(i32:009*00.>}.segundo as
oatas a fl=. 21 c fls. 2i5,- auth >nsad i pela di--
pisic) do 3do art. 349 do llegulamento n. 7.(7 ;
e por isso mesmo nli foi umacto arbitrario, nem
coastiluc pressao alguma, como inculca o dito Li-
ma Jnior.
XVI
8S Amrco. A prov produzda pelo aggra-
vante para iclcnrao de Lima Jnior defeUuo-
M, porque p oceie ile tes'.emunhas to.mhem de/ei
tuosas por swpeita de pnrcialtdade.em razo di
seu in'erc^epessoil-.purser a primeira (fls 16)
i gerenteilo Londun and BtsiUan Bank; a sejundi
i (i fit. 70i gerente do liaglisk Bank of Rio de Ja-
c Miro ; a branra (a fis 9>, ge ente dt cas ule
t Adtmson Houwe < C. e a qu ira (a fls. 10) ge_
rente da Casa Bancana de Theodoro Simo* .u
C. ; alm de. que a primeira e >egnnda sao pro-
testantes, terceira isiaelita.para o* quaes nao
dert. te.r valor algam o jrame to que elles en
grollaram sohre os S nietos Evangellms, em que
o ultimo niio ere, eos outrns provavlmente mo
crerao ; palavrax estas textuaes das referidas
allegaces por parle de Lima Jnior a fl-. 43 v.
Refutucao.E-lava reservado pan se dizn' por
pane da dito Lima Janiorno scula XIX. le geral
tolerancia de cultos.o de iiherdadi de c* i -ciencia
que -a > teste u i ibas n lig las de fe, e defeituosas
un protestante e um israelita.
Cnib1. poi-ti'i'o, ji mo-aii Lian Jnior, a gU-
iia le re-taur.T pica uosso secal i, e para nissi
legisla :a... a Lii Ruiaui' 21 C m|. liv. |.ul.5-d-
liojrticis &n. que prohia a aim^ssao de hereges. e
jadeas com testemanhn COUri os CnlhoUcos II!
Parece Mo i non val, as urna triste realida le
ewnprova la a fls. 43.
Corfbe aiila a gloria ao mes n i Lima Ju iior. de
qiererqae s o Citbdico nao possa perjurar.
si-r h i no a eoii-cieii -ioso.n ver la leu- >, n i- n > as-
siai o protestan!;, o israeata, e a i n o 10 livi la
que abracar nutra qualqu -r R -biia i,ou mesm al-
.' i na ieita ; desorle, me para "He ^ aq lelle- e
na i este- m-c-c-n cieduo, .siidgius de f. sa>
lio nens .Je 0 na, quait la saludoque c, t l ms
[adas i.
XVII
Q le n estiver a oar dos fados occurranles a la|
respeo, quem smb-r da gravi-stma imporiancia.
qua os saetn is de ultras lt-hitioe (piiacinul ii-ii-
te os prote-tmie-) la nbem hgara a i juramento, e
la severulale das p-nasialligdasaos |ue perjq-
pas indicadas, a fls. 43 v.;
i nao mltiliia de serem el-
im todo va-
^^^kiment is avista das
^plo ccrehceutaf-se,
^Hpmunha, que o art.
clas-illcanuo as pes-
menciouou o Caixti-
iiora estes, nem outMs qujesquer
'sideradot domsticos jamis f iran
,1 ir, qaan do lacios (comoi
-o vorlentej |>or acia-
^Bla i^KraI^Kzi Profc Civ, oot.
ProcCiv. H1*?0.
Ord. liv. 1 tit. 33 iifrHnc. nao 4avidou
l^iBoimento iliH'lroad is, b mu como o
iraercial P.irtuwojez manda ex-
seja admittiio i ir tulcmunhu
"outro srvenle de escrlptorio, posto
q\ie ltmestico=sobre facto commercial paseado no
Hh escriptorio armizem, ou loja etc., ele, bem
que Ihes seia dada a ierda [i.
Logo evidente, que o dep lmenlo dessa pri-
meira lesienuuha (a fk 6) da ve merecer todo o
valor sobro faelos por elle presocciados o doms-
ticos. *
XXI ;
A respeito das outras icstcmunhas basto a sim-
ples consideracao, de que ellos, a despeiio de mui-
to prejudicados por Lima Jnior, nao foram que
requareram a sua detertcio [>esaoal o a sua fallen
oa ; mas sim o aggravaute, coma se vea fl*. 2 ;
sem duvida por se haver anlocipado nesse proco-
lmenlo, o qual muito provavtdmente elles em se-
guida vinam reali-ar.
bto p isio, intuitivo, que ossas tres testemuahas
ulo vieram depirpi,r seu iuteresse proprio,ou pes-
oal (c *no Ibes era prohibido), mas sim em causa em
*|ue p irte pessoa para elles umita estrauh i ;
eubora tambera pr sna vez tenhun sido victimas
do artificio fraudulento do dito Lima Jaoior. e te-
libara por isso m naas do Brasil nii Ihe doam boin xito, ou trium
pho dosso trama descommunal (que tanta impres
sao tem causado nesta Praca Commercial), a des-
peit i das poderosas relaes que o balcjam......
Quem poieria melbor informal do que esses
individaossobro as transacSes feiUs- com elles
por Lima Janior, bem com labre a sjl occulla-
cai), qua ido o procuraram, sobreT oqtlcta de
-ua projectada fuga ?
Sem duvida, que s csses inlividuos, melhor
podenam sabor desses fados, c na > p'rlacip ie-
victi as, <>u picientes delles ; o que ainJa le acha
corroborado pelos documratos orajuictos sob
n. 1 a n. 3.
Logo l.das cssas testemunhas, longo dos Mel-
lo*, quelites foramaltribuidosa fls.43 v., sa muito
idneas, habis, o os seus depoiineutos teem toda a
forga probatoria.
XXII
5 Asserc'to.Nao hauve artificio fraudulento
da parte de Lmi Jnior, porque elle nao empregou
fianmenlo algum, descontaraco i os seu$ proprios
recursos letras, e no contraluo divida alguma
direclame te (de fls. 44 a fls. I),
R'[utacao.Q artificio fraudulento naeconsiste
somante om aecoas, mas timbera em palavras
fementidas, ou em mentira-, como conside-
ra -BjlarrideTratado do Dolo c da Fraude, lom.
I, n.90 a n. 100; dan lo aos Tobunaes aprulente
faculdade de apreciar esse do positivo e for-
mil.
Ora, pela longa exposico j foita, o eomprova-
dase evidencia que Lima Jnior usou nao s d^
falsidade, em suas asseveracoes, quando conlrahia
aquella enorme debiio, coiqo por actos priicuroa
aliro juellar-se de qualquer eaeeucii para paga
i
Presidento do Merelissimo Tribunal do Commercto,
devida reparacao, a vista de tan robustas pro-
vas constantes dos autos, e ora juntas, e sobro
tudo da reciido, que tranluz oui suas deci-
ses.
O aggravanto pede deseulpa V. Exc. pela pro-
lixidade, em que cahio incvitavelmente, para poder
dar maia ampio dese'avvlvioieolo a refutado da
ftil e lobga defeza do mesmo Lima Jniour.
Nestanfirnios
Pede^BBxc. so digne de mandar, que o digno
Jujz a qudlbforme o scudespieno a fls. 73, efaca
subsistir o do fls. 12.
E R. M.
Dr. Antonio de Vasconcelos Menttes de Drummond.
GOMMERCIO.
por
alent dell-, pjisnal visivel p-issuia. quena'
e-tivesse sob o oiiusdoseu dtente; (I leumentosoii
n. 2), e iiie,ulcava- nauno de assacares, e u u na palavra osilia l>
p-los .sea* opulentosPai, e Stgru; os quaes ac-
diriam qualquer contingencia desse sea oun iicrao,
qu nulo nao basasseia seus proprios bns!!!
Nopossivel poisdar-se mam abuso d-eonfvVm
ca, e mus caraeterisa lo ariificio IVmi liento d i
|ita esse, que assiat-pralicou o dito Li na Jurawr;
pelo qua lera si lo digno do reprovaco gerai ta
inesperado procediments
Si elle negoeiava com os seus proprios recu
sos, (cuno hoja diz) quaes ellas erara, qual
nada possuia, viveu da falsidade, locoplatou-*
com ella, inculcando-so com outro ben-, alm los
Jotaes, cspaiieauJo a quera Iba fazia prop hm
ainijiavcs para pagamento da seus debit >s olio
re-endo pura isso vardadeiras indecencias, com
publico nesta Guiad- .'!
O a snio Lina Juiior, que anda a*sira filtou
p ir mais u na v.-za verdaden i sera c i,i u. de
in licar quaes o^ bens, que p issu- pira -olne > d
seus debita, enm tambora n) oo|-raul apo tal-
as -mas testaraiinh is a fls. 6.57 v., 5!)-57 v, mi-
snn que elle ach wa-se emesiado rerd ideiro de in-
sol"nci i, pr haver indas ido letras superiores a
seas lie as etc. 1 Q te proce lmenlo iiipialifica-
vcllll
Si era verdadeo dito Lima Junifir na tem
principalmente conlrabido d-bitos dirac.in. (etubi
a/ora diz a fls. 44 v., pira appar-ailar anda
s-a artificio fraudulento), -eoi duvida p >rqie
elle s a exclusivamente vivia. fazia proli-s ha-
bitual de descontar letras para, ap mas c m a
pre^tacao Je sua firma por indo-sos, sem valor
Igum real, colber aun porceotagam para si;
piando alias nao corra em ludo isso rfcw
algara, vi-lo cora' seus bens e-tavam bom re-a-
lo. e s ne de tulla o trabadlo de Iludir aos seus
FHACA DO UCiFE li UE UEZEMBRO
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE
Algodao de Pernambuco 1' sorte 987 rs.
kil.
Cambio sobre Pars 90 d|v. 483 rs. por franco.
Descont do letras9 0/0 ao anno,
r\ J. Silveira
Presidente.
LealSeve
Secretario.
r.nnp-laL-gislaca i disMacoes mais cultas da Eu- (re lores, por meio daquellas falsas demonstra
ropa, rom pela a de Inglaterra, h de sem duvid
rev.iltir-se eooira a juella assercii, escripia alia-
iiorun Ietoda aeao livre,e civilisada; siberaqu-
bi iiiiism i nao p'e merec -r as-entimeut al-
nura essaopinio uura nenie individual, luda err-
nea, tola ana-hroaic.a, a toda anti-social.
,\ec,re -xore^a n -nlo -como teslemanhas os ind'V'daos de
qualquer Beligllio nuseita, e al* asmiadij\ru
"oes.
E' p es consoquente, quo par nao ter o mesmo
Lina Jnior f-it-i tra.saco alguma alheia ue lies
deseoutos (la (|ie viva e locupletava-s-) hoje po
lera apprasentar-se talv-z, se u d biio iigu n
directo, cuno i ic.alca desde j; o qua alias s
lempo podera bem justificar.
XXIII
Finalmente sao destitu las de tolo fundaneuto
mentar.siten sid- talseitt fnrem que ojuramealo asdenais asseredas off-recida< por da Lima
sejn prohibido, coalo lispo o art. 8J I ti I d
Proe. Cn a. e o art. 175 d R-gulnneuto N. 717.
L ig i. nao p le a pululada la ser teslem raba
protestante, ou israelita por si>dimiouT (pela
nossa LegiSiae ) a miiioriancia de seu depoim-nto,
corao,f a phan'asia lo a fls. 43 v., e consta do d pu-
nanlo ora ju icio sob n. 10.
XVIII
linda falso que a pri neira testemunha Joo
Bernardina Botellio (a fl. 6) seja protestante ; qua-
li dada, qua le foi empre-lad* por parle de Lima
Jnior, p>r quanto n ha quera ignore uesta Cida
d-, onda elle vivo, ha rauilos anuos, qua Ca
tholco Apostlico R miao, e Cidadi Porluguez;
alm de que a assercao contraria foi apenas mais
um act i da phanta-ia do raesmo Lira i Jnior (a II.
4iv); o Qa. I atein laes frivohd ules eoxarga pon
to- pira sua daieza. Por igual,a terceira lesleinunha
(i fl. 9) Tnomaz J.s H*rding, embira seja Ci la-
Junior era su is allegacdds le 11- 44 e t-.l3. que 1. o seu debito proced- ornen te in
dossos a Maia & Espirito-Santo; rqua fdi
coma a fls. 21 a lis. 21 v. a 26 se evio cia 0 "oa
ir.irio-isio .px^elle indntou ouir- in
nilividuiM, dos qiaes aiguns jase acb-.m ti .. i> ;
a nem por manos to poderia ser, vism cora i para
elle o tnico alvo era obt-r o duiheiro alb -io, pas-
sa-lo s raaos de terceiro, deduzindo logu o seu
lucro nesse transito, era premio do illulir aquel
les horneas da luja f, qua eonliavam nelie e d
prestar a sua firma no ind isso, a qual b >je ella
masino diz, qu9 nunca valeu: 2. que Mata
4 Espirito -Santo, fautor principal de toda essa
de-graea, nao foi preso, como elle -porqumlo nao
corre isio por cunta do aggravante, e esta prova-
do a fls. 21, 25,26. ote ote, qua o dito Lima J i-
nior nao descout ra letras s nenio da Miia dt E-pi
rilo-Santo ; alera de qu quandoeste-* nao tentara
dan Ingiez. Calholico Aoostolico Romano, de au ainda recebido a devtda repressao. que ra drecera,
lera observancia, como bem sabido nesta Cidade, ao entender do mesmo Lima Jnior, nao aatorsi-
nle reside, lia muitos anuos; tao assim qua
eiiiprcvi-to.no* Te nplos da no.-sa Hehgii, por
occasi;io dos O.licios O vinos acora a mais profunda
devocao.
Logo, segundo aquello errone principin. a fl.
43 v.de smerecem valorp'obatorio.osdepoimen-
tas de pessnasCatliolicis.-Ao'U essa forca inspirara
>s dessas dua tesiemuohas contesto* ( fls. 6 e9),o*
quaes sao Cathobcos, e hoaieiis verdadeiros, (como
. de not iritdade publica)Pereira e SouzaProc.
Civ. g 227.
XIX
Si tivesse havidoex adverso mai* algara es-
lu lo sobre essa malariado juramento das teste-
muiihas.;\e ar-se-bia Ioko a cabal improceden-
cia daqueila assercao, pois at o secuto XIII o mes-
mo jura nenio era di-pen*ad > aos Clrigos -sagun-
lo Boheraero ad Decretliv. i til. 20 23, oo
lempo era que os seus depoimentos linham valor
superior ao de outro qualquer; bem cora-
anda boje os Cardias, 0- Rispos, oa Nunc o
Apostlicos etc.e os ditos Clrigos era atguos Esta-
dos Calhilicos (menos en Portugal enBe ii)sa>escriptuia ulgum% de contracto ante-nupcial
admitti los depor, iudepanilenle de j'iraemio -Idelle; istoopn-urando asim tinda nasw ponto
lact'is Evanoeuis,sedsuppositiseis etyacto peedore jk|ulir telaqualidadedo litulo da ni ser escrip-
conforme dizera Pagas tomo 6 ad Ord. bv. 1 Hm publica, mas sim papel privado, cmase
86 ra prine. n. 10, Stryck -U* modarn. Liv CTi wrna evulmite.
tit 5 3 13, 20 etc., etc.; d'oude ?e evidencia, quy *-..Di docuraenloora juoto sob n. 3,motra-se,
nao smente o juramento, uns tamb m o sarao IqUa j dajHiis Ja preso, em cuninho p ra Deten-
tar integro di testemunha, que iuflue pxlarma- cto, o dito Lima Jnior quiz evabr-se das mos
na a que eHe gosasse da masma irapani lada, an-
da mesmo estando ora ido-nticas (enao |eiores)
circunstancias.
L igo concludente, que frivola*, e improceden-
tes sao essas dua* ultimas assorces olferecida
em prl de Lima Jnior.
XXIV
Nao deixaremos anda de chamar ama
vez a benvola attencao do Conspicuo Julgadn-
para os dous faelos segrales as** daraonstralivos
das ioteticdas do mesmo Lima Janior :
1.a D i docum ralo ora junto m>b o. 2, Cisja
que no Merelissimo Tribunal do Oimaiercio f ti
registrado um titulo particular da dota feito a
C o-.irte do mesmo Lima Ju iior ais 16 de marc >
de 1 <6S, (data poster r ao com-co daquelles seu-
arapios descontos, segundo se v de aua conflssin
a fls. A A) ai) pass.i que anda mesm a-lualraen.-
sem pjoalle dissa fl. ib.queesta assercao era urna
fiusidutequerendoassim provar com od m un-
to a fls. 4H, que ama certidi do mesmo Tribu
al em que se dolarafue nao lia ahi regstradi
atante para sua crediDilidaae, como se procumu
lescmlweer, a fl*. 43 v.
A* dua* ou ras te-temnnhas (a fls. 7 v. e a fls
10) Francisco Bridg e li|.ixhain.proteslante,o Thao
loro Sim .israelita sao tambera pessoas notoria-
nente conhertdas nesta Cidade e coosiderada
como caracteres ra ii distmcio-, p ir sua probidad .
a procedimaob) irreprehensivel; pelo qua os seus
'lapoiuwntoM sao diguos.de todo crdito, e tem lo-
la valor probatorio.
XX
anda falso que Joa Bernardine B telho seja
h >ja Geraoia do Loo Ion an I Brasllian Bank, lugir
occiipadoibg'iwMonte por W'lliJtin llaynes, Apaiia-
alie Harebedor da nv*m i Casa flaneara onda
ra rece e gota de orafimea.
certa porra, que as miras tres testemuahas
lo* offleae*. e por 'on*Mgnrala d'a-t'aria t\e 4w
i rada a sua assercao afls.46.de que nao pase iva o
por suiinieaco [agir, visto com estam afianci-
do i documento a fls. T) e esta [uga Ihe arrastari t
qufbramealo di respectiru fianr. t. O que Ihe nao
convinhi; porunauto stasta c msideraca > pudesse
prefaiaeer, elle p>ir eerto nao -a arriscara as
masmas eousequ mcias, quan-lo preura lan eva
dir-ra em san transito para Detenga i, em coja
occasi5> assim tambera Ihe faccedera.
XXV
Era coaclii-t, *o aggravante em procurado
levar evidencia todo artificio fraudulento do
na**ao Li e os outro* raobv.i.* justifi-
-ativos !.. -tancao, para den rastrar quiio
iafumlad-i.e Hb M adeci-ao agravada ; palo
qaa apara, e era** obter de V. Exc, fixin. *.
Sociedatle bancaria em cora
man dita
Theodoro Simn fy C,
Comprara e vendem por conta pro-
>ria melaes, moedas nacionaes, e estran-
,'eiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno o do banco do Bsasil.
DesconU letras da trra e outros ti
tulos eommerciaes.
Encarrtgam-se por conta albeia das mes-
illas transaccOes, da cobranca de lebas da
'.erra e de outros ttulos comnaerciaes.
Receb m qoaerquer quantias em depo-
(ito, em corita correte, e a prazo flxo.
Largo do Pelourtnho n. 7
ENGLISH BAN&
(3f Rio Deseo ita lettras da pra^a taxa a con-
yenciotiar.
Rcebe dinheiro em conta corrente e a
praso tixo.
Saca i vista ou a praso sobre as cidade?
prlncipaes da Europa, tem correspondentes
ta Baha, Buenos-Ayres, Montevideo. Nw
i New-Orleans, e emitte cartas de crdito
para os mesmos lugares.
IlUA O COMMERCIO N. 36-
ALFANUEGa
condimento do dia 1 a 14. Ca:662*21.
dem do dia 18 61:312*300
68o:974a573
MOVIMENTO DA ALPANDEGa
Humes entrados com fazendas
dem idem" com gneros
muraos sabidos cora fazendas
dera idem cora genero*
878
1044
IS8
MI
-----.599
1922
Oascarrejiam hoje 16 de dezembro
Barca InglcezaSphere in.Mcadorias.
".*ap ir nglez Supluradem.
arra inlezaRusemnnddem.
B irea maleza Mira ni a hacalho. \
K-cuna ingiezaBe/teidam.
B.rca portuguazaScam-tnc'ivarios gneros.
Esr.un.-i diuara irq leza Cordnidem.
Patacho am 'firmoIza dem.
Patacho americano Leonord-idem.
Rsenoa ag -za tf un Jamesdem.
Patacho hollandei Tasn i na idem.
Barca inil-za Talismnfarinha de trigo,
ftriguo portuanaxRelmpagovarios gneros,
ruino dina narqaez B-chslina idem.
Kriime nglez \lagield idam.
Bngn*portmj'MfAlntmire llmnlam -idem.
Patacho purtiigdez Mar amia ff-lam.
IKCEKEIMHUA DE itli.NUAS i.Vl'KH>
RABS OE PERNAMHUCI
taadiraenin lo dia 1 a 14. .
dem do dia 13*......
os votantes para as eleicoes de eleitores,
juizes de paz e vereadores da cmara muni
cipal, -sendo multados conforme determina
a le aquellos que nao comparecerem o dia
cima indicado:
Eleitores.
Jos Pedro das Neves, Dr. Antonio Go-
mes Tavares, Joo da Cunha Mag Jnior, Jos da Silva Loyo, Mauoel Jos
Baptista, EstevUo Jorge Baplista, Manoei
Francisco Marques, Jos Estevao de Olivei-
ra, Juo Marques Correa, Antonio Jos da
Costa, Herculano Jos Rodrigues Ptoheiro,
Manoel Estanislao da Costa, Jos Marqu**
da Costa Soares, Francisco Joo de Barros
Jnior, Bernardo Ferreira Loureiro, Bal-
tliasar Jos dos Reis, Antonio Rufino de
Andrade Luna, Manoel Marques de Abru
Porto, Jos AdriSo da Costa Moreira, Joa-
quim Anastacio da Cunha, Jos Izidoro Pe-
reira dos Reis, capito de mar e gera
Hermenegildo Antonio Barbosa de Almeida,
padre Miguel Vieira de Barros Marreca.
Supplentes.
Francisco Jos JaymeGaho, Jos Pedro
dos Santos Neves, Joaquina Mauricio Lina,
Jos Luiz Sen a Cavalcante, Goncalo Rodri-
gues de Almeida Leile, Christovo Januario
Vieira de Barros, Antonio Jos da Costa,
Eduardo Duarte* Rodrigues, Jos Maria do
Regb Aibuquerque, Americo Vespucio de
tiollanda Chacn, Pebro Jos de Siqucira.
Manoel Jos Bastos Jnior, Antonio Pereira
da Rocha, Jos Joaquina Fernandes, Manoel
Joaquina da Silva Ros, Joo Lourenco Pe *
reir da Costa, Manoel Jos da Foncoca
Mariz, Si I vino Antonio Rodrigues, Francis
co Fernandes de Mello, Manoel Gomes de
Miranda Leal.
E, para constar, mande passar o presen-
te que ser afftxado nos lugares mais p-
blicos desta freguezia, e publica-lo pela m-
prensa. Freguezia de S, Froi Pedro Gon-
calves do Reeife, 14 de dezembro de 1809
Eu, Innocencio da Ctinha Goianna, escri-
vo o cscrevi.
Jos Pedro das Neves,
Juiz da. paz
0 Dr. Francisco do Carralho Soarea Brandan, juiz
de orphaas e ausentes da cidade do Reeife e seu
termo, por S. M. o Imperador, que Dos guar-
de, etc.
fraco si-bcr a quem o conhecimento deste per-
tencer, que a roquerimento de Joo da Cunha Soa-
re3GuimarSes, curador da interdicta D. Francisca
Thomazia da Concetco Cunha, vai a praca por
tres annos o arrendmento do Io o 2o andares do
sobrado da ra da Imperador n. 29, a razo de
2:000*900 por anno, com as condicoes soguintes :
1" n arrendmento do preJio cima mencionada
se effei luar por tres anuos a rasao de 2:00 annuaes.
t" o arrendamentario ser obrigado a fazer a
sua custa as pinturas, eaiaclo, varos e todo o
a-seio da casa a sua cu-ta, s.m que em teinpo al-
gum possa pedir iudeninisacao nlginia.
3o o arrendatario dar hadar idneo a .-ontento
deste jnzo ao irrendainenidos alngueis do pre-
dio, o qual ser pago mentalmente.
E para constar inandei passar o presnto que
ser affix ido nos lugares do co'tumc e publicado
pela imprensa.
Eu Floriano Corroa do Brito, cscrvo, o Oz es-
crever snbscrev.i.
Itecifa 14 de de/embro le I8.
V., alferet.Francisco C. Monteiro, Prancico C. Mello
Bego, Antonio Lius Caldis, Antonio J. Gomes d^
Correin, Joo Francisco do liego Maa. Dr. i
Bernardo CalvSo Afcofarado, caal.) Jos Ceario
de Mello, li-nenle Antonio da Hacha Accioli Lilis,
Dr. Jos Bernardo Galvo Alcofurado Jnior.
SPPLEXJIiS
Serapio"-i'Mella Carneiro, Manoel Franc
Coelbo Jnior, Joaqgfm lunario da Costa, Antonio
Flix Maciel, Benio da lincha Wanderlcy Lius,
Jos Gregorio Pinto, Fr-.ucisco de Paula Machado,
Christi.ino da Gama Lobo, Manuel Carneiro Rodri-
gues Canipello, Antonio de Paula llibeiro, Antonio
Camilla, da Coala. Joa#Franci*eo Iluto,. Francis-
co de Holl.inda Chaco, l'ozendo M.iximano dn?
Santos, Jlo' Venancio Machada da Paz Jnior,
Candido Theodoro Rodrigues Pinto, Jos Maria
Mello Jnior, Manoel Joaqnim Carneiro Monteiro,
Leopoldo do Reg Barros, Francisco Hermogencs
Correa de Albuquerqve, Sebasto Correa de Al-
buquerquo.
L para constar, mandei fazer o presente o afl-
xa-lo nos lugares mais pblicos da Ireguczia, o
publica-lo pela imprenta.
Primeiro dstricto de paz da freguezia do Poco
da Pancha, 15 de dezembro de 1869.
Eu, Manoel francisco Coelho Jnior, eserivao
que o escrevi.
Antonio da Rocha Accioli Lins
Juiz de Paz em exercicio.
0 Dr. Tristo de Alcncar Araripe, ollicial da im-
peperial ordem daRosaejuia do direito eepc-
cial do commercio, nesta cidade do Reeife do
Pemanibnco, por M. Imperial o constitucio-
nal o Sr. D. Pedro II, a quem Deus guarde etc.
Paro ssber aos que o presente edita! vircm o
delle noticia liverem, quedculni de trinia das re-
cebe este juizo propostas em carias fechadas, pa-
ra a arrematarn por venda a qu-m mais offerc-
cer sobre avaliaco de 1:2005, a oscrava Maria,
crioula, de dezato nnos mais ou menos, sadi .
do servico domestico, a qual fura penborada por
oxecuco de Joaquim Pereira Arantes, contra Ma-
noel Ignacio das Candelas, cuja arrematarlo ser
cITuctuada ppla forma que determina o art. Io do
decreto n. 1,695 de lo de setembro do corrente
anno.
E para quo chegue ao eonUeeimealo de todo3,
mandei passar o presente, que ser affixado
nos lugares do costumo o publicado pela im-
prenta.
Dado e passado n&sta cidade do Reclfo de Per-
nambuco, aos 15 de dezembro de 1869.
Eu Manoel Slvino de Barros Falco, escrivo
interino o subscrevi.
Tristo de Menear Araripe.
l.NAS tir-
23 733 5W
2:127*1577
25:861*207
INSIILAI)0 PROVINGlAi
tendimantodo da 1 a l'i.
tem do dia 15
80:117*50 i
74943156
87:611*658
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entradas no da li.
Para por M na ra 9 da*, b irvet i a vapor na
cmual Paraense. co iiinandante capito-teneuie
Fraucisco |. da Freilas.
Navios entrados no dia 15.
Rio de Janeiro 30 lias, barca hesnanhnla Vir-
gen tas Neves, de 528 imieladas, capitn Jayme
Escota, equipagem 16, em lastro ; a Pedro
Maurv.
Rio le Janeiro 15 dias, barca portugueza Novo
Silencio, da 350 i melada-, capitn Francisc >
Mai luis deC.rvalbo equipagem 15, em lastro ;
Ohvaira Filhos 4 C.
Rio do Janeiro 9 das, lugar posiuguez Julio,
de 371 toueladas, capitn J ,o de Barros equi
pagara 12, era lastro; a Thomaz d'Aquino Fou-
-eca & C.
Rio da Janeiro 15 dias, ascuna din imar |ueza
Dorothea, da lio' toneladas, Rpita M. Petersen.
ejui|iageii 7, em lastro ; *.morm Irrao.
.Monlavi.lo 32 dias, brigua inslez Kellia Lase.
de. 18i toneladas, capitn David Jones, equipa-
gem 8, em lastro : a ordem.
Vw York 37 lias, hiate americano S. C
Evans, de 281 toneladas, capito Hotbill, equi-
pagem 8, carga 609 barricas cora farinha de
trigo o outros gneros ; a ordem.
Navios sithidos no mesmo dia.
Rio do Janeiro e Babia Vapiir ingiez Rakaia,
coramandante E. Veten, carga parte da que
tronxe de Swlarapbw.
Aracaj e porto* intermedias Vapor brasileiro
Potengi, cainmandante Mello, carga varios g-
neros.
Granja e portos intermedios Vapor brasileiro
Pirapama, commandnte Azcvedo, carga varios
genera*.
BahaPolaca italiana Sara, capito Marcos OH-
veira. carga parte da que trouxe de Genova.
Marseillo Barca nordeguensa Esmmrald, capitn
.V. E. Beck, carga assuear.
Marseille Patacholorte-allerao Bese, capito
Taads, cama assuear.
Canal Brigua ingiez Souvenir, capito Deacon,
carga aasucar.
06jiiofdo.
Suspendan do lamar > para o Rio de Janeiro a
barca p irtugueza A nisade, capito Augusto Bar-
gas Cabral cora o raesmo lastro quo trouxe e par-
te do* pa-siigeiros.
dem para Serra Leone lagar francez AUki en
oito Soumet, com o mesmo lastro que trouxe do
Rio de Janeiro.
OECLARACOES.
ECITAES.
O capito Jos Pedro das Neves, 1. juiz
de paz i5 subdelegado da freguezia de S
Fre Pedro Gm^alves da cidade do Re-
eife, -te.
Faoo saber aos Srs. eleitores e supplen-
tes abaix.t declaradla, qu^: em virtude d
lei regu'am ntar das eleicoas, e em virude
lo avi*t de 14 Ji dezembro do annn nd..
e ia lis ili'posicdes em vigor, convoco aos
rombo* seiinores. para que comparecaui
ue di 11 (file jaoeiro oo auno vjudooro (3* do-
liug) no c>rpo da matriz desta frvguuzii
as 9 h ira* da miuhi ali.n de se orgainsar
a junta qualiiica I0>a. que trao de rever a
qualificaco do anno de 1808 e qualifkar
0 Ur. Abilm J-i>e vavara* u.i au mimai <
pt-rial ordein da B"Sa, juiz privativo dua fritos
da fazenda nacional por S M. Imperador e cons-
litucnnal o Sr. Pedio II, a quem Deus guar
d; ele.
Faco saber aos que o presente edital vrpin. qne
em i-uuipriniento da onlein da thesnuro de 30 de
ilezambro da 1865, e em liserv, ni-ia das nstroc-
ceH, que rom a inesma baixaram na mesna data.
liado a praso de 3 matea, a cantar da data da pu-
lilira<;o dente, si-ro arrematad, is e vendidos em
ba>trt publira, celebrada na st'de da enmarca da
Goyanua, a quem na* precu offereci-r, a vista
mi a praso, at 10 aanus, nuanda niiiit-i ara-umn
laiido-se ao prt'CM da arreiuataco o jum de 6 %
peln te upo da "mora, as tre- compivhen^des do
iucapellado da It.mb. e a>cravns, a saber :
Coiiipri heiiso ileunminada Paneau, rom a ex
tensan apr iximadameiiia de niea legua de testada,
a tres quartas da legua de fundo, pnuco mais ou
aienas, cjim grande liarte de terreno de vanea.
na qual p der->e na fondar urna planta da 2.000
paV de assuear, puQfiu lllais Ol llleims, a eoRI au-
llas parles de terreno, que nao se presta lavan-
ra, avali da por I5:000at'00.
Cmiiprabensao oVaonjinado Cumbo, ron um
quartu de legua le testada, e ineia learoa de luinln
pnuea mais mi menns, sendo parla do ti rreno
acarrascnln, e nutra parte proprin para fundar
una planta da 800 pes da assuear, puuca ou uns
ou menas avahada por O.OOOOOO.
Compreheii>an denaiiiinaita i-iu'eiiha Novo, com
nma e maia leyaa da cumplimiento, e nvM legui
ile largura, pnuco mais nu menns, com as ten ai
la boa qualidade, caberlas de ilifuma-- matas que
se prestara nao > a eoJinra da caima, cano a ou
tras lavniuas, axistind inrravadns na mestna
cimiprehenso dua- prnpnedades, urna pertancente
ao coronel Antonio Alve Viauoa, daimuiinada
Partido Grandee a mitra u dominio e posas Boj*
dns herdeuns da Mna do Mello, -slando as ubi as
la inesma cmnprehensn e enuenho en bom esta-
llo, com todas as >uas beuifeitonas e utensibns,
avahada por 50:000*000.
I) unan i. parda, de 5 loases de idade, avahada
por lOOOOO.
Aquilina, parda, eran i annns de idade, poueo
mai- nu menos, avahada por 200*000.
Devendo a arrematacao ter aff ilo na cidade de
G yanna, depois do afrontados palas procos das
avaliacoes o respectivos posseros, na forma do
decreto n. 776 de 6 de seienbro de l*5i. o nbser-
vando-se n> prooass as citadas instruccoe.'.
K pira que ehegue a noticia ao cminecimentn
la indos mandei pa-sar o presante edital, que ser
alixado nesta capital as lugares do costmne, c na
cnlade de Goyanna, e publicada nina vez cada se-
mina durante as referidos 3 mezas em todas a-
folhas da provincia e as de maior circulago da
rrto.
Dado e paspado nesta cidade do Reeife, capital
la provincia de Pcrnainlraco aos 13 de dezamorn
de 1869.E eu Luiz Francisco Barreta de Almei-
da eserivao subscrevi. Pagou a nal 800 ris de
sello. Luiz de Almeida.
___________Abiliv Jos Tavares da Silva.
O inspector interino da alfaudega, faz publico
a quem interessar pos.-a, para que no prazo da
30 dias, v!r despachar um tanque de ferro depo-
sitado no caes da oeadinha, u qual est incurso
na disposcao do 2* do art. 301 do regulaun-nt
da 19 de setembro de 1R60, sub pena de ser arre-
matado em hasta publica por conta o a custa da
seu dono, nao o despachando dentro do referida
prazo.
Alfandega de Pernambuco, 9 de dezembro do
1869.
O idsppetor interino.- Luiz de Carvalko Paesde
Andrade.
O cidadao Antonio da Rocha Acrinly Lm-, .. jum
do paz do Ia. districia da pamchia do P.^.. J.
Panella, em exercicio no imp.'dinenio do affrc
tiva. e presidenta da junta de qualilicacao da
inesma em virtude da le, etc.
Faco saber qua em virtude da |e, e c-mmunira-
cao da cmara muninpal da,edade do Reeife, c vnco os eleitores e supplentes desta pamchia, qua
vio abaixu declarados |mr seos Domes, |>ara que
cninparacio Uo da 16 da janairo prximo vindou
ro (3*. di minga), no craisistnrio da igreja matriz da
tila frennezia pala* 9 horas da manhaa, aflm de
organisar->e a junta de qualificaco, que tem de
rever a qualinVaco do anno antecedente ds ri-
ildaos que lom direito de votar oa* eleieVs, fl-
caudo oa iiftdfefeocia os referidos eleitores a sii|i
alent* rouWpuos que .* ffierao a multa de 40*
a 60*000 reis se uao eomparacaram, ou landn
imparecido deixaretn de assiguar a respectiva
acta.
FLF.ITORES.
Tente-coronel Jos Francisco Pire*. Dr. Antn
nin J laquim de Mofara Silva, rapitaa Joan Luiz
Virtor Li>uthiar, Manuel Josii da Paiva Pinto.
Felippe Duaiie Paraira uninr, Thanphilo Alvas da
silva, Jos Paulinn Ribeim da Mello, Seba*ti.
\ff mso do Reg-Barros, capillo J m Camello d
R. Barros, len-nte Ja-e F. do Hago Barms, canito
Hanrique de M. Heuriques, GalJiuu T. Cabral ae | Dito de tridacio, idem.
Santa Casa da Hisericordla do
Recite.
A Illma. junta admintrajtiva da Sania Casa di
Misericordia do Reeife manda fazer publico qne na
sala do suas sesses, no, dia 16 de dezembroJjpelas
[uatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
juem mais vantagens offerecer, pelo tempo de nm
i tres annos, as rendas dos predios om seguida de-
clarados :
ESTABELECIMENTO DE CARIDADE.
Ra ao Calabouco
Casa terrea n. 20, por anno 2125000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ba do Vigario.
Primeiro andar da sobrado n. 27. 24d*000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 98....... 203*000
Sitio n. 5 no Forno da Cal........... 150^000
Os protendentes devoran apreseutar no acto da
arrematacao as suas fiancas, ou comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
fe, 29 de novembro de 1869.
O eserivao,
Pedrn Rodrigues de-Souza
6auta Casa de Misericordia ilo
Reeife.
A Illma. junta administrativa da Santa Cisa de
Misericordia do Recite, manda fazer publico, que
precisa contratar o fnrnerimento dos medicamen-
tos abaixo declarados para os mezes de Janeiro
margo vjndnum, saber :
Ahsinibo, klli'gramina.
Acido actico puro, idem.
Dito cetrico puro, idem.
Dito marinan, dem.
Dito ntrico puro, idem.
Dita oxlico, dem
Dito sulfrica., dem.
Dito tartrico, idem.
A jo preparado, onca.
Acnito, dem.
Agua do colunia, dusi.i.
Dita flr de larangeiras, idem.
Dita de rasas, idem.
Dita de S lilil, garrafa.
Oda da Vicby, idem.
Dita ingleza de L Mina, dem.
Almo! de 36 graos, litro.
Al-crim, bi'lngramma.
Alfazema, dem.
Algalias malezas de ns. 1 a 12, dus.
Aloes, killngramma.
Alvaiada, idem.
Ameixas passadas, dem.
Aiiiumiiiaco liquido, idem.
Arsnico, idem.
A;-safetida, idem.
Assucir candi, idem.
Dito de bita em p, idem.
Avenca, idem.
Ragas de zinho, idem.
Balsamo de cnpahiba, idem.
Dito da jioravanti, dem.
Dito de lulo, nli ni.
Dito de peruviano, idem.
Ditn tranquillo, id.mu.
Ranha de porro, idem.
Ralbante flno, idem
Rejumi da Lisboa, idem.
Belladona, idem.
Banziua, idem.
Bicabornato de soda, idem.
Borrachas surtidas com nipos, duzia.
Baldes da rosas rubras, kiilagramma.
Bro norato de p itassa, id-m,
Cabcca de papoulas, idem.
Cainca, idem.
Caixas para piplas, grosa.
Cal virgom. killngramma
Calranelana ingiez, idam.
Clices de vidfos graduados D. 2. u:::.
Carnphort, killngramma.
Cantridas em p. ilem.
Capsula de c upan iba, raixa.
Carbonato de magnesia, killngramma.
Dito de pntassa, dem.
Dito de soda, dem.
Camba, idem.
Centaura mener, idem.
Cera nmarella, dem.
Dita branca em gromo, idem.
G-vada, idem.
Cevadinha. i tem.
Chicoria, idam,
Clnralo de pntassa, dem.
Clorofnrmio. idem.
Colla de (landres, dem.
Confaiio* lactato de farro, doiia.
Cremnrtartaro em p, killogramma.
Cubabas em p, idem. -
Digitalis. idem.
Dulcamara, dem.
Emplastro de cicuita, idem.
Dito de aquilo gomado, idem.
Dito cninmiim, idem.
Espallas de ac surtidas, urna.
Essencia de aniz, grarama.
Dita de canalla, idam.
Dita de cidra, idem.
Dita da. flor de laranja, idem.
Dita de burtela piuieiita, idem.
Hila de rosas, dem.
Dita de sal-a parrilha, vidro.
Dita de thebarentina, garrafa.
Dita de vargaraota, gramraa.
Eigotma, idam.
Etiier clorylricn, dem.
Dito sulfrico, klogramnia.
Dito ntrico, tem.
Extracto de acnito, gramraa.
Dito de alcas-s, idam.
DiUido belladona, Idem.
Dio de camomila, idem.
D to da cicuta, idem.
Dito de f*vas de caiabar, idem.
D to de fumaria, idam.
Dito de genciana, idam.
Dito de juraheba, idam.
Iitn de u a
Dtodenp i. idem.
Dito d sal-a-parrilha, dem.
I

\
,
?



Diario d Pernambuco Quinta feira 10 de Dezembro d^s 1809.
3


ma.
OOC:l?.
Dito de valeriana, idea-
do toro, killognPtl
Flor de arn
Dita de b Dita do etixofn
Dita de malva
Dita de sabuguuhu, dem
Dita de tilia, idea.
I'igadu de nxofre, killogramma.
Fumaria, dem.
Fuir de vidro n. 2. um.
Genciana, killogramma,
Glicerin branca, dem.
Gomma de batata, idem.
Dita purgativa^idem.
Dita arbica escolhida, idem.
1 >ta em p, idem.
Graos de porcelana n. 1, um par
Dito do vidro n. 1, idem.
fierra terresire, killogramma.
Hydroclorato de martiin, gramma.
Hysopo, kilhgrnnimu.
Inscnso puro, idem.
(ode puro, idem.
lodureto potassio, idem.
ipepacunha prcta, idem.
Jalapa em p, dem.
rLernes mineral, gramma.
Licor de laharraque, garrafa.
I.inhae.i em p, kilugramma.
Dita itcira, idem.
JaccIla gallega, idem.
Magnesia calcinada, idem.
D la do Henry, vidro.
Mann commuin, killogramma.
Dita lagrimas, idem.
Manteista de cacao, idem.
Massa caustica, idem.
Mol de abelhas, garrafa.
Mercurio doce, killogramma.
'rlcseriao. idem.
Mosiarda, idem.
Musgo iflandieo, idem.
Nitrato de pr.ua em lapis branco, gramma
Nitro puro, killogramma.
Noz moscada, idem.
Oleo braceo de Cheviar, vidros Jo Ronca?.
Dito dtvalfnzeina, killogn mr.:..
Dito de amendoa inglcz, idem.
Dito de batiput, dem.
Dito de cravo, gramma.
Dito do figado de bacalho, garrafa.
Dito de bacalbo ferruginoso, vidro de 8
Dito do linhaca, killogramma.
Dito do ricino", idom.
ilito de vermfugo, idem.
Parietarias, dem.
Papel azul para embrulho, resma.
Dito branco, idem.
Pasm de jujuba, killograxBBia.
Pastilhas do llelloe, eaixa.
i -ita de Kemp, idem.
litas de Na fie, eaixa.
Pe_fc umo, kiitogramma.
Veneira de raell, urna.
Dita de seda, idem.
Perclilorureto de ferro, killogramma.
Ps de borgonba, iiem.
PUjisphato de ferro de Leras, vidro.
Ptalas de Allissons (verdadeiras), caix.%.
-Ditas do Valet, vidro do 50 plalas.
Poligula senega, killogramma.
Pulpa de tamarindos, idem.
Pomada mercurial, idem.
Puntas de valo calcinadas, Mein.
Pos de Rogge, vidro.
Polassa eau-liea, kitlogramrca.
Potes do I a 8 onc.as, duzia.
Precipitado rubro'de mercurio, idem.
I'rotowdureto de mercurio, gramma.
Parga^llWie 9m francez, garrafa a Cl cucas.
Ouacia, killogramma.
Ouiua em casca, idem.
Quina em p, idem.
kaiz de,alcasss, idem.
Ditas de altea, idem.
Ditas de espargo, idem.
ltesina de anuico, idem.
Dita de batata, idem.
Dita de guiaco, idem. -
huibarbo cm p, idem.
abao branco amydalino, idem.
Dito de npodeldok, idem.
Sabonetcs de alcatrao (Antonio Nevos
duzia.
Sal amargo, killogramma.
Salsa bortence, idem.
Salsaparrilha, arroba.
Saecharureto de oleo do bacalho, caixa.
S.issafrao, killogramma.
.-celia, idem.
Senue, idem.
Sement* de angel m, idem.
Serpentaria, idem.
Spermacelo em rama, idem.
Solueao. do protoiodureto de ferro, idem.
Strmonio, idem.
Subnitrato de bismtitli, idem.
Sueco de grozellas francez, garrafa.
Sulfato de ferro, killogramma.
Dito do soda, idem.
Dito de neutro atropina, gramma.
Suspensorios escrotaes, duzia.
l.insagem, killogramma.
Vidros com rolbas do 1 a 4, duzia.
Dit is de opoldelduk, idem.
Vomitorio de le roy francez, vidro.
Vinlio de jurtibeba, garrafa.
Dito de corvisat, idem.
Xaropo de Bonrgoi?, idem.
Dito de espargo, vidro.
Dito de Quv, idem.
Dito de hydureto de Gibcrt, idem.
Dito de jurubeba, idem.
Dito de Labcllony, idem.
Dito deLamourcaux, idem.
Dito de Naff, idem.
Dito pei'.oral inglez, idem.
Dito do quina ferruginosa de Gnmaut, dem.
As pessoas (pie quizerem fazer dito fomecimen-
to, devem aposentar soas propostas ate o da 10
uv presente mez, e dar fiadores que se responsa-
bilisem pelo fiel cumprimento do contrato.
Santa Casa de Misericordia do Recife, 13 de do-
zembro de 1869.
O esenvao,
Pedio Rodrigues de Souza.
Consit ado provincial.
Pela adininistraeio do consulado provincial faz-
d'amaanhaa por dianio cometa r. correr o praio
dos 30 dias nteis, marcados no art. 21 do regula-^
aento de l de abril de 1843, para a cobranca a
occa do cofre do primelro semestre dos impos-
tos da decima urbana e de 5 por cento sobre a
renda dos bens de raz pertencf ntes s cprpora-
edes da mao morta, no corrente exercicio do 1869-
70, incorrendo na multa de 6 por cento aquelles
dos contribuinles quenco os satisfizeiem nesse
prazo.
Consulado provincial, 30 de novembro de 1869.
Servindo de administrador, A. WUruvio Pinto
Bandeja e Accioli de V O administrador da recebedoria de rendas
internas genes avisa oos contribu ntes dos impos-
tes lancados. relativos ao exercicio do 1868-69
om liquidaco, a saber : renda dos pmprios na-
eionaes, foros de terrenos c de inarinlias, decima
addicional de mao moita, imposto sobre loja9, ca-
sas do descont etc., dito sobre casas de movis,
ronpa, etc., fabricado em paiz estrangeiro, tasa
dos cscravos e imposto pessoal, que no correle
mez de dezembro expira o pra*o da cobranca dos
referidos imposto?, promovida pelos cobradores
nos domicilios dos devedore?, que tambm os pode
vir pagar na repartieao, e que ffndo o dito mez o
proceder a cobran jja execuliva.
Recebedoria do Pernambuco .* de dezembro de
1869.
Manoel Carneiro de Souza Laccrda.
Porto.
Vai sattr breve a barca- Aiura. ; para
pnsaafeiros, trala-se com os consignatarios C
Iho & NogHCira. na me de Apollo n. 2K
Rio Grande do Sul
Segu com brevidado para o porto cima b bri-
gue nacional Amrtw; para o rosto da carga que
Ili3 falta trata-se com os consignatarios Antonio
Luiz deOliveira Azevedo 4 C, ra da Cruz n. o7,
1* andar. _______'
COMPANHIA PERNAMUUCANA
DE
Navegagdo costara por vapor
Goyanna.
O vapor Parahyba, seguir para o porto ci-
ma, nodia 16 do crranle, as 9 horas da noite.
Recebe carga, encoramendas, passageiros e di-
n eiro frete, no escriptorio do Forte do Mal-
tos n. 12.
LEILOES.
O administrador da recebedoria de rendas in-
ternas genes, declara em additamento do annun-
cio de 3 do corrente, que neste mez deve tambem
ser paga livre da multa, a"decimadas eorporaroes
de. ao morta. relativa ao 1 semestre do exercicio
corrente de 1869 a 1870. qne gualmonte estao sujei
tos ospredio pertencentes aos bancos, compaohias
c sociedades annnvmas e quaesquer associacdYs
pias benellcentcs ou religiosas, e que Undo o mez,
ser paga com a nimlta de 6 por cont. '
Recebedoria de Pernambuco 9 de dozembro de
1869.
Manoel Carneiro de Souza Laceria.__
lospef cao do arsenal de
marinha.
Faz-se publico que a commissao de poritos,
examinando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de
1834, os cascos, machinas, caldeiras, apparelhos,
mastreacoes, veame?, amarras e ancoras dos va-
poras Potengi e Pirapamn da companhia Pernam-
bncana de avegacao costeira, acbou todos esses
objectos em estado de poderem os vapores na-
vegar.
fnspeccao do arsenal de mirinlia de Pernambu-
co 13 do' dezembro de 1869.
O inspector,
H. A. Dirbosa do Almeida
No da 18 do corrente, depois da audiencia
do Dr. jniz municipal da 2* vara, se ha de arre
matar diversos movis pertencentes Goncalo
Augusto da Graca e Mello por execucao de. Ga-
briel Antonio, cuno tutor do orphao flllio de Ma-
noel do Reg Lima.
LEIUO
Da arniacao, gneros o periences da taber-
na do pateo de S. Pedro n.l,garante-se
a casa ao comprador do estabelcrimonto.
O agente Marlins far ieilao competentemente
autorisado da taberna acuna em um ou mais lotes
a vontado dos compradores, sendo que a locabda-
do excellente para quem queira continuar fl a
cusa est bem sortida.
HOJK.
As 11 horas do dia no mesio cstabelecimonto.
i.% BA FE.
a|B:0005000.
venda : ra do Cabug
6aixeipo

Precisa-sc de um aixeiro que fenha pratiea.4e-
pgocio, e que d fladV sua conducta, para leja.
i calcados : na ra da Imperatrizn. 10._______
Attencao.
AVISO.
Terco
Anda nao fo possivel vencerem-se os
trabalhos de acabamento da PI1UTOGRA-
PIHA IMPERIAL da ra do Cabug n. 18.
osquaess estario terminado no da 7
de Janeiro do 1870.
Pudimos indulgencia c pacioncta i aquel-
las pessoas que se tem dignado esperar
que princ piem os nossos novos tabalhos
photographicos para se fazerem retratar
Uecife, ii de dezembro de 1869.
J Ferreira Vtllela.
iso de
,sa de milito
idade
fam-
LE1LA0
conducta, para casa de mimo pouca i.
lia : a trataffro patei> fte S. Pedro n. H, loja.
Ama fe Jeite
Precisa-se de Orna ama de leito: a tratar na ra
Jo Queimado, loja de miudezas da Boa Fuma nu-
mero n. :"!.
Ama
Quem precisar de urna ama para cozinhar
comprar, dirija-se a ra da Cadeia n. 29.____
AVISOS MARTIMOS.
Da taberna da roa das Cruzes n. 12 cm
lotes a vonlade dos compradores cons-
tando de um bom sortimento de gene-
ros.
O agente Martins far Ieilao dos gneros
os
b ;rna cima em lotes sendo todos
primeira qualidade.
Sexta-feira 17 do corrontc.
Na iresma taberna, as 11 hora* do da.
da ta-
gneros de
llll IMi 1I1IJ
Jos6 Soaies de Azevodo, professor tic
lingoa e lilteratura nacional no gjmnasio
provincial do Kecife, tem aberlo em sua
casa, ra Bja n. 37 :
Utn curso completo
de Lingoa poriigtucza ;
d; Lingoa franceza, versoes
oraos c escripias de portuguez para francez
e vicc versa, de conformidade com o noy
programma do governo ;
de Gcographia pbysica, poltica
e astronmica;
- de Historia universal:
de Phllosophla. Racional e Mo-
ral;
do Klhetorlea e Pocic;.
As pessoas que desejarem frequentar
qualquer ou quaesquer destas aulas, podem
dirigir-se a indicada residencia, do manliaa
at s 9 horas, e de tarda a qualquer hura.
Nova tinturara franceza
23 RVU DAS FLORES25
Otto Mchueidcr
0 proprielario deste importante eslabelecimento
tem a honra de participar ao respeitavel publico.
Alnga-sc urna c.isa para passar a testa, pin-
tada o caiada, com bastantes commodos c perto do
banlio, no Po?o da Panella ; e junlamento se como
pra um tratado de escripturaeo mercantil por
Edmond do Grange : a tratar da ra do Hospicio
n.26._________________________________
Atengdo.
Engomma-se com perfeicao : na ra dos Coe
Ihos, leja n. 20.__________________________
uga-se urna casa com muitos comnodos,
na cidado nova de Santo Amaro n. 12 : a tratar
na ra das Crnzcs n. 36 com Joaquim de Souza
Neves.
Jeaquim i iranes, com loja de calcados
na pra?a da hxl ia ns. tJ e 15, roga ato-
dos os seus dSwdc res de contas antigs queve-
nhaiB pagar at o flm do anno corrente, sob pena
de, paesando as ferias, entregar a seu procurador
para receber jodicialrnente._________________
Olinda.
Alga-so urna exeellenie casa para grande fa-
milia, na* ra de S. Benlo prximo ao pateo de S.
Pedro-vellw, ono passou a festa o Exm. Sr Dr.
Uraz Florentin i : a tratar com o Jallo da botica
ou no Varailouro com o Joo Coelho do Rosario d
Maria de Jezus.__________________________
Precisase de um copeiro : na ra do Com-
mercio n. 17, 1" andar. _________
No largo do Coi po Santo n. 17,2 andar, ten
para alngar urna eserava que enzinba o lava.
Ama.
Precisa-so de urna ama que compre e enzinhe
na ra do Crcsoo n. 20 A.
da Costal
CWANHIA BRASILERA
Paquetes a vapor.
Dos portes do sul esperado
at o dia 21 do corrente, o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante J
P. Guedes Alcoforado, o qual
depois da demora do costume se-
09 portos do norte.
Desdo ja recebem-se passageiros e engaja-se >
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ier embarcada no dia de suachegada. EucoTnmen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sabida as i
horas. _
Nao se recebem como encommendas senao ob
lectos de pequeo valor e que nao excedam a dua>
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de aiedico
Tudo que passar destes limites dever ser embar
calo como carga.
Prc\ine-se aos Srs. passageiros, que suas pas-
sagens soso recebem na agencia ra da Gru
n. 57 primeiro andar, escriptorio de AnU-uio Luiz
do Oliveira Azevedc & C.
I niii balauea, pezos e unta me-
sa pequea.
Sabbado 18 de dezwiqro.
0 ageate Pinto far Ieilao a roquerimento do
depositario da massa fall ia de Florencio T. do
Pego -;osta, e por despacho do Jllm. Sr. Dr. jui
especial do commercio, dos objectos cima men-
cionados existentes no armazem da ra da Praia
n. Zj), onde se efectuar o Ieilao s 10 horas em
lonto._______________
mmnt
BUASILEIM
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at(j o dia 27 do corrente o vapor
Paran, commandante J. S. Mo-
raes, o qual depois da demora
do costume seguir para os por-
tos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
sua sahida.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
lectos de pequeo valor c que nao excedam a 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medi-
ca0-
Tudo que passar destes limijos devera ser
erabareado como carga.
Previnc-sc aos Srs. passageiros que suas passa
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57
1 andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo 4 C.
jrranJe fabrica de refutar e crys-
tahsar assucar no largo do
Monteiro.
0 agente Pontual, competentemente autorisado,
vender em Ieilao os gneros da fabrica de reti-
nare erystalisar assucar, no lugar do Monteiro. a
qual estar em c;.posicao das 8.horas da manhaa
ns 5 d i tarde, desde o dia 12 a 21. No mesuro es-
labelecimento encontrarfw as pessoas que o qui-
zerem examinar, -pessoa competente para dar as
explicicSes que queiram exigir
Seguuda-f-ira 21 do cor-
rente.
Devora ler lugar o Ieilao no mesmo cstabelccl-
mento no Monteiro, s 11 horas.
Aluga-se para casa de familia una eserava
moca e com algumas habilidades : a tratar na
na" da Santa Cruz n. 2.
AMA
Precisa-se de. urna cozinheira ou cozjnheiro, pe-
rito na arte paracasa de pequea familia, sendo
de boa conducta, paga-se bem ; a tratar na ra
do Livramonto n. 1!, loja.
Pede-se aos scguitites senhons, se ilig-
qiie edo mudao-se. 'da ra do'Kosario da li->a- nem comparecer na loja do Passo ra do
Crespo n. 7 A. a negocio do seu particu-
lar interesse:
Antonio I'ereira de Souza.
Martins de Barros Monteiro
vista para a ra das Plores, achaudo-se bem mon-
tado com machina c tintas de todas as qualidades
proprias a perWcao de sen trabalbo. Tinge se e
lava-se com a mator perfeb^o toda qualidade do
fazendas, cm pecas ou em obras, de quaesquer
Precisa-se de um iissadol e um caixeiro:
na padaria allemaa, cm Santo Amaro, rna do Lima.
os. 2 e 4.________;___________________.
Precisa-se de um portuguez para feitor de
nm engenho distante de.'ta praca 12 a 14 legoas:
quem estiver ne;tas condicSes dirija se a botica da
praca da Doa-vista n. 19. _________________
Ha para alugir una'eserava de li anoof,
honesta, cozinha, ensaboa, engomma soffrivel, sabe
andar rom meninos : a tratar na ra de S. Joo
n. 3, das C s 8 horas da manhaa.____________
= Aluga-se at o lim de narco prximo vin-
douro urna casa na pcvuacao de Apipucos : a tra-
tar no armazem do Campos, ra do Imperador nu-
mero 28._______________________________
Alyga-se urna casa muito fresca naCapunga.
Vnm commodos para familia : a tratar no mesuro
lugar, ra das Crnalas n. 5._____^^^^
AMA.
Precisa-se de una ama para cozinhar e fazer
compras : a tratar na ra da Cadeia, sobrado n.
:t4. 2 andar. "______________
Precisa-s! oe urna ama
Apollo n. 55, 2o andar.
de leiic: na ra de
: aojam, tacs como, Ha, algodao, -da, tonqa
Domingos
chape de ( Uro e de m.inil'ua, pallf nha de todas
as cores : os senhores negociantes, legistas e par-
ticulares experimntelo, quo todos achara)
veito c vantagens.
Precisa-se alugar urna eserava cosioheira
aara casa de familia: a tratar na ra do Sebo
ii. 28.__________________________________
Precisa-so da um criado para tixio servieo
no hotel Lisbonense : na racstieita do Rosario
n. 11.__________________________________
Na ra da Moeda u. o, 2" andar, escriptorio
de Manoel Alvos Ferreira 4 C, vendeso vinho
verde superior em barris, ancorlas com vinho do
Porto superi ir e malvazia branco.____________
Na ra da Cadeia n. 23 casa em cons-
trucc3o, offerece-se perco de boa calica e
pedras, excellente argamassa para lugares
arenosos. ____.
" CLUBX
Reuniao boje quarta-feira s 7 horas da
noite no Club Pernambucano para tratar-se
de negocies urgentes o eleico da directo-
ra.
Evoh,!
Na ra Direita n. 6 primeiro andar, for-
necc-se comida para fra, com asseio e
promptido ; e mais barato do que em
outra qua'quer parle.
Aluga-se no i" andar da casa n. 57
ra do Imperador, urna sala espacosa for-
rada de papel, tondo gas. A fallar no mes-
nio andar.__________________________
Collegio de S. Francisco de
Paula.
0 bacharel Francisco Jos Rabello. competente-
mente habilitado pela directora da instrueco pu-
blica, tem aberto um collegio para educaco pri-
maria e secundaria do sexo mascolino, a travessa
das Barreiras n- 2. No mesmo collegio se pode-
rlo desde j inscrever os alumnos que pretende-
ren! frequentar o curso das ferias no qual espe-
cialmente ra ensinarao as materias para os exa-
mes na tacnldade no mez de marcA
Precisa se alugar um criado e urna criada.
ou ama : na ra do Cabug n. 18, eulrada pelo
pateo da matriz.
SEGUROS
MARTIMOS
COITRAFOCO.
A Companhia Indemnisadora, establecida
esta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: a
na do Vigarion. 4, pavimento tereo.
PRIMEIRO E SEGUNDO L1VR0S
DE
LEITURA
0 lllm. Sr. consclheiro inspector da thesou-
rana de fazenda desta provincia manda fazer pu-
blico, que em virlude da ordem do thesouro n. 22J
de K3 de novembro ultimo, se acha a mesma tlie-
souraria autorisada a paaai ans credores djdi vi-
das de exercicios lindos de 1866-1867 o 18b-b8
oenencentes ana ministerios do imperio justica,
marinha, guerra e fazenda. Secretaria da thesou-
raria de fazenda de Pernambuco, 11 de dezembro
dc b Servindo de offlcial-maior,
Manoel Jos Pinto.
Ilha de 8. Migue .
A escuna Port Dias sane com a maor brevida-
d, e para o resto da carga e passageiros, para os
quaes tem bellos commodos, trata-se com o seu
consignatario Joao do Reg Lima, ra do Apol-
lo n. 4. ^^^_^
AVISOS DIVERSOS.
IXSTITLTO ARCHEOLOGICO E OEOGRAPUICC
Santa casa da misericordia do
Recife
A Illma. junta administrativa da Santa Casa em
Mwin do dia 16 do crrente recebe propostas pe-
tas 4 horas da tarde para o fornecimenlo de carne
verde que houvere'm de consumir os estabeleci-
mentos pios a seu cargo, tanto desta cidade como
da de Olinda, no trimestre de Janeiro a marco de
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 13 de dezembro de 1869.
0 esenvao,
Pedro Rodrigues de Sozua
COMP.LNHIA PERNAMBCANA
DE
Navegagdo costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formse e Taman-
dar.
0 vapor Parahyba, seguir para os portos ci-
ma no dia 20 do corrente, meia noite. Recebe
carga, encommendas, passageiros, e dinheiro a fre-
to no escriptorio do Forte do Matt s n. 12.
Rio de Janeiro
Segu com brevidade para o poito cima o bri-
gue nacional Isabel, tem a bordo a maior parte de
fa-se com os consignatarios Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, ra da Cruz n. 57, 1 andar.
rfaver sesso ordinaria quinta-feira I<3
do corrente dezembro, pelas 11 horas da
manha.
ORDEM DO DIA
Pareceres e mais trabalhos de commis-
soes.
Secretaria do Instituto, 13 de dezembro
de 18G9.
Jos Soares de Azevedo,
______ Secret rio perpetuo.
Gabinete Portuguez de Lcitura
PEUYBICO
De ordem do lllm. Sr. presidente do conselho
deliberativo convido a todos os senhores socios
effeclivos a reunirem-sc em assemblea geral, na
sala das respectivas sess5es, domingo 19 do cor.
rtnte, as 11 horas da manhaa, afim de ser cum-
prido o disposto no art. 43 dos estatutos.
Secretaria do conselho deliberativo do Gabinete
Portuguez oe Leilura'em Pernambuco lo de de-
zembro de 1869.
J. P. Fonsea,
i secretario.
CASA DA FORTUNA
Aos 4:000$
Bilhetes garantidos.
A roa do Crespo n.23 e casas do costume.
O abaixo assignado, tendo vendido alm de ou-
tras sorles, dous quartos n 2801 com 4:0003 da
lotera que se acabou de extrahir a beneficio do
patrimonio dos orphaos (1301), convida aos po
suidores vircm receber na conformidade do
costume sein descont algum
Acham-se a venda es felizes bilhetes da 2'
parto da lotera beneficio da igreja de S. Joao
de Abrou de Una (131a), que so extrahir na ler.
Ca-feira 21 Jo corrente mez.
Procos.
Os do costume.
Manoel Martins Pino.
PARA USO DA
INFANCIA
PELO
BRASILEIAA,
Dr. A. Cesar Borges.
(*
PORTO
O conselho econmico do deposito de remi-
tas contrata no dia 17 do correle mez, pelas 10
horas da manhia, em vista das propostas que ao
me-mii conselho forera entregues, os gneros ali-
menticios de primeira surte, abaixi mencionados
que devem ser fornecidos durante o primeiro se-
mestre do anno de 1870 : arroz, asquear branco
mascavo refinado, aletria, azeite date, bacalho,
bolacha, cha, caf, carne verde, dita secca, doce de
oiaba, tarinha de mandioca, dita do Maranhao,
dita de araruta, feijo mulatinho, galinhas, lenha.
manteiga ingleza e fianceza, ovos, paes de 6 e 4
oseas, toucinho, vinagre e vinho do Porto, bem
como a lavagem e concert da roupa foTnecida aos
doente na enfermara militar.
Quirtel na Soledade em Pernambuco 10 de de-
zembro de 1869. .
Francisco Antonio de Sa Darreto Jnior,
Teoonte-secretario.
Pretende sahir era poucos aias a barca portu
guezj Social por ter a maior parte do carregamen
to prompto; para o resto qne lbe falla e passagei-
ros, para os quaes tem bons commodos, trata-s*
com o consignatario Joaquim Jos Goncalves Bel-
tro, ra do Trapiche n, 17.
100,000 RS.
Gratifica-se a quem pegar o escravo Joao, co-
nhecido por Joao marcineiro. preto, crioulo, re-
presenta ter 30 e tentos annos do idade, com os
igoaes seguintes : altura regular, bastante ma-
gro, pouco barbado, e falto de dentes na frente,
andar apressado, levou calca e camisa de algodao
azul, chapeo de palha ordinario, muito regneta.
Este preto foi criado na Capunga, em casa de Joao
Evangelista, e vendido pura a ra do Livramenlo
e depois para a ra Direita ; e, antes de ser ven-
dido, trahalhava de marcineiro desde pequeo, tem
u na filha cm Ponte de Uetaua, e ltimamente se
empregava vonlendo agua nos pateos do Terco e
Carmo, faz dias que est oceulto : recommenla-
se a algum marcineiro desta cidade ou a qualquer
pessoa que o ptgar, lcva-!o ra Direita o. 133 ;
assim eomo prolesta-se contra quem o tiver oc-
cultt*.
Aluga-se
o sitio da Mangaheira com muita frucla sendo
mangaba, mara-nj, sapotis e pinhas c outras
mais fructas. com um sobrado, 3 salas de frente,
sala de jantar, 7 quartos, c isinha fora e 3 lojas
muo superiores, agua para beber e tambem se
rende a qual rende 30* mensaes, lenha para gas
to, c urna casa terrea com igual sitio ao do so-
brado com boa baixa para capim : a tratar na
escadinha armazem n. 3.__________
ALUGASE
a casa terrea na ra de S. Pedro Novo era Olinda
junto ao Passo Castelnano reedificada novamente,
sala de visitas com porta no oita i, 4 quartos, ten-
do jane la na cosinha, sala de jantar com loj i da
parte de detraz, portan ao lada do norte : a tratar
na escadinha armazem n. 3.

Firmino Jos de Oliveira, manda resar urna
missa, no dia 17 do corrente as 7 horas da ma-
nhaa, na igreja do convenio do Carmo desta ci-
dade, trigessimo do fallecimenlo da Exma. finada
D. Firmina Cavalcante Paes Barrcto, pelo repouso
aterno da mesma finada em prava de amisade e
considerado, que tribua a sua respeitavel fami-
lia. Recife, 14 de dezembro de 1869.
O Club Popular desta cidade, tendo de mandar
celebrar, cm nomo do povo desta 'capital, um olli-
cio solemne no dia 17 do corrente, s 9 horas da
manhaa, na igreja do convento Carmo, por alma
do Ilustro obele liberal o senador Theophilo Be-
nedicto Ottoni, convida a toda a popularan desta
cid de a comparecer a esse acto de rclifria, _o
qual ser ao mesmo lempo um preito de gratido
rendidfl a memr.ria do illustre finado.
^ Alvaro Augusto do a I incida & C despedi-
rn) o seu caixeiro llugulino Machado da Cunha
boje li.
A' ra do Livramento n. 6, precisa-so de urna
ama perita cosinheira. para casa de homens boI-
teiros. *
9
sahir com toda a brevidade o pailebote portu-
guez Villa-Flor tem a maior parte da carga en-
gajada : para o que Ihe falta, pode tratar-s con
David F. Bailar, roa do Brum n. 92, ou com o cn-
pito do mesmo navio._______________,_______
AB4CATY
Seeuc nestes dias o pathabole Sobralen-
se, ainda recebe alguraa carga frete a tr;
tar cora S Leito A- limaos, A
dre de Deus r. 1.
ra da M<
Precisa-se de urna ama que cosinhe com
perfeicjio e seja de bons costnmes, tambem se pre-
cisa alugar urna eserava as mismas condic^oes :
a tratar na rna d > Vigirio n 5, 3o andar_____
Eiigoramadeira.
Precisa-so de urna criada para engommar
ra do Imperador n. 73, 2o andar.
na
_ Sexta-feira, 17 do corrente, tem de ser ar-
rematado em praca do juizo de orphaos a pnsse e
beoif.'ilorias de um terreno de marinha n. 232 A,
no cae* do Traieh-\ em seguimento a casa da
r,i ii.iinhia Pemainbucam, no bairro do Recife, nn
ml -e ii eedifl'-ar um grande armazem. Esta
. i-ie-que ihe. eorreapondeoi.', ese acha
t, .ii^pi-aii e mirado nfrente, com porta i .
m ler driji-ses sala das audiencias
4""
9.> r.
i lia.
Para Lisboa
A barca portugu^za Pereira, Jorges dever s
guir brevemente para Lisboa, j tun a bordo par
te da carga, e para o resio trata-se com Oliyeira
Filhos & C, ao largo do Gerpo Santo n. 19, r
andar, ou com o capito na praca.____________
Porto.
Segu cora brevidade a veleira e nva barc.^
portugueza Isolinn, par carga o passageiros.
i^-m ex'-ellenles commodos, trata
Antonio Luiz de Olive ra
Azo\'e lo & C.; ra da>Cruz n. 87 1 andar.
Pocos tubulares ins-
tantneos.
Travessa do Corpo Santo a. S.
armazem. e rna Xova n. 38,
loja.
Bandeira, Maphado & C, avi^am ao respeitavel
publico que nos lugares cima encontrar no mes-
mo sempre grande quantidade de ditos poco, e
que se achara habilitados para vender por monos
que ontro qualqrer, por isso que os recebem di-
rectaminte do fabricante Norton, de Londres.
As vantagens que offerecera os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem ser enllocados den-
tro de casa ou fra, com o trabalho de urna chas
horas; segundo, fornecerem o mesmos agua pu-
ra e abundante, pdenlo screm removidos de um
para nutro lugar, quando assim convier.
Os annunciantes s reeeb-rao a importancia dos
referid* pe,.is d'-pois de collocados, satistazonoo
espectativa do comprador.
Ama
Precisa-se de tima ama para casa do pouea la-
milla : na ra da Palma n. 18.______
Precisa-e alugar na na da Cruzn. 31 nina
ama forra ou eserava, boa cozinheira, para cas.
de pouca familia, um molecole para cntegar agua
e comprar, paga-:o bom ahiguel.
da fesiividad ceigSo na matriz de Nossa Senhora da Paz
dos Afogados-.
Sabbado 18 do corrente lera lugar o levanta-
ment da bandeira.
Dominfo, 19 do corrente, pelas 11 horas do da,
entrar a festa, sendo o orador do Evangeibo o
Rvm. padre-raestre Antonio de Albuqnerque Mel-
lo, linda a festa sorw-se-ba um lindo balao, a
lardo sahir em procisso a inmaculada C>ncei-
ca, que percorer a* ras daquella povoacao
recolhida a procissao soltar-se-ha varios baloes a
noite ter o Te-Deum, sendo orador o padre Dr.
Luiz Ferreira Nobre Pelinca.
Os cncarregados da mesma festividad^ pem
encareeidameete aos moradores para lluminarem
sa frentes de sna* caas, tanto na vespora oomo
no dia. para ms brilhantismo do acio.
Nao mas cabellos brancos
A tintura japnr^za para tingir os cabello>
da cabeca e da barba, foi a nica admittid*
Exposifo iinvmsal, por ter sido reco-
nbecida sapwior i tndas as preparacoes au
b.oj existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a 4^00 cada frasco na
Ba da Gada n. 51,
ALUGA-SE
o primeiro andar do sobrado da rna do Vigario
n. 5, com bons commodos para familia c para es-
criptorio : a tratar no armazem da travessa do
Corpo Santo n. 25.________________________
SAMO -V LUZ A OBRA SEGUISTE .
DICCIONARIO
DE
d.\s mm ACCESSORIAS
contendo a descripcao das cuusas, symptoraas e
tratamento das molestias, um receituario especial
para cada molestia, e muitos conhecimentos uleis,
4a ediccao
reformada e consideravehnento augmentada
PELO DR.
Pedro Luiz lapoleo Chernoviz
Dous grossos volumes. encadernados, contendo
a materia de quatro voluines ordinarios, com um
total de 2,296 paginas e*22 figuras no texto : ven-
de-se ift-livraria-de Jos Barbosa de Mello, ra da
Cruz n. 82 ;, proco 303000.______________
Precisa-se de um pequeo boleeiro : na ra
Nova n. 40*.
COMEDORIAS
Fornece-se comelorias para fra de nma casa
da familia, com todo o asseio o promptido na ra
estrella do Rosario n. 35 sobrado, o tambem se
prepara alraocos o jantares avulso ou qualquer
peca de comida, isto e, sendo encomraendada com
tempe._________________________________p
Os abaixo assignados tendo justo e contra-
tado comprarem o ostabelecimento da ra Direita
n 74, pertencenie no Sr. Joo Felippe de. Santiago,
avisa a qualquer interessado ou a quem com di-
reilo se achar, de reclamar no praso de oito das,
contados deste, (Indo os quaes nao se attendera
reclamacaoalguina. Recito 15 de dezembro d
18). Ladislao Rodrlpho do Araujo
Irmao. _____.
EDICO MUITO MELHORADA E
* AUGMENTADA)
Estes dou3 livros, resultado de grande expe-
riencia e cstudos especiaes do autor, vieram sa-
tisfazer a urna das mais instantes necessidadea da-
inslruccao primaria, e por tal forma que, pelot
governo's de quasi todas as provincias teem mp
adoptadas para as escolas publicas, assim como
por grande numero de professores particulares.
O primeiro lino ( absolutamente diverso das
cartas vulgarmente conhecidas pelo nome de A
B C) e coinposto segundo um systeraa natural,
philosophico e ameno qne aos jneninos feciUta
extraordinariamente o conhecimento da leilura,
tornando-Ibes multo mais rpido?, e a nito menos
penosos, seus primeiros, tmidos c vacilantes pas-
sos na vida ltteraria.
O segundo livro consta de muitos artigos. con-
tos etc., todos to breves como convem fogaz
attencao das crianzas, c escriptos em linguagcm
a eslylo apropriados franqueza de sua intelli-
gencia. ,
E do raaneira combinadas nelle se acham x
materias que, ao mesmo passo quo vivamente m-
ttressam e deleitara os pequeos leitoies, leyara-
Ihes e implantam-lhcs no espirito e no corara-) fe-
cundos preceitos de moral, inspirando-lhes, desde,
logo, com o gosto da leilura, o amor da virtud-
c a repugnancia da do vicio.
Sao ambos estes livros ntidamente mpressos e
elegantemente encadernados cm Paris, e conten
estampas finas representando os assumptos dos
contos ; o que os torna mais convidativos aos me-
ninos e muito proprios para prescuta ou prontos
dos mesmos.
Contera domis o segundo dous bellos hymno?
com msica para o cooteeo e fun da escola.
Recommendamo-los pon confiadamente aos se-
nhores pais de familia, e professores que anda es
nao conhecera.
Primeiro livro. ouu
Segundo 2000
A VENDA NA
Livraria francaza,
9-RUA DO CRESPO9__________
Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
RA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os serran-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimarles.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde-
Arcos de Val de Ver.
Vianna do Castollo.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de]Famalic5o.
Lamego.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valoassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellns.
1. andar.
Cesar &
iFugio do engonho Rocas-Velhas. freguezia
do Cabo, no dia 8 de dezembro de 1869, o cscra
vo do nomo Domingos, crionh, com os signae?
seguintes : alto, beicw grandes e nos, pernas cont-
undas : quem o apprehcnder leve ao cima men-
eionado engenho, que ser bem recompensado
pelo mesmo senhnr do engenho Jos Mondes Ro-
drigues Campello.________________________
Em Olinda, ra i
urna ama pura
lgn.
rIMl
cisa-se de
i. prelerin-
usa dir boa
MASSA e XAROPE
DE COOEINA DE BERTHEI
Preconizados por todos os mdicos contra osl
DEKLUXOS, CATHARROS, E TODAS AS|
IRR1TACOE8 DO PE1TO.
W. B. O Xarepr di Coddna que mtrtcto a\
kunra, alia bem vara taire m Jfrfirimfiilosl
iioruj, de ser registi ado eomo um dos medica-1
meniot oflieiaa do mptrio francti d'i?ria|
qua'quer elogio.
A\ ISO. Por caus da ruprchenjivcl fulsi-j
i qui' U'tn tuscill'Io o feliz c-iil: idndol
iti- Den li sofims toldado
lemliiar que sus mc(licaui<.'utos laOjsuui'OU'l
\r- (U ni
hasvlrkl.
a assiRiiartr em r~ !3t'
fitiiii'.
a6. Hue des ctilet.
t*4




4
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
Acabam de chfgar" grande quantidade das verdadeiras machinas americana!
-para descarocar algodao de todos os systemas e lmannos segointe:
12 serras 42 serras
I i ditas 14 ditas
13 ditas 15 ditas
16 ditas 16 ditas
18 ditas 18 ditas
20 ditas 20 ditas
22 ditas 22 ditas
23 ditas 5 ditas
30 ditas 30 ditas
35 dilas 35 ditas
40 ditas 40 ditas
. s qaaes se vendem por presos cominodos e roga-se as pessoas que delias fizeram en
.oiumondas do alguns tnjannos, obsequio de as maudarem busca-las o mais breve pos
ivel lira de n3o havcrcm faltas.
RA DA GADEIA N. 56 A
DAVID WILLIAM BOWMAN
Partecipa aos senhores proprielarios de engenlios, que acontecendo faltcr-lhes
igoa ou animaes para a moagem durante a prsenle safra, elle tem vapores promptos
>ara assentar, sem precisar de obra nova ou denmlicao de obras existentes, e que
1>de botar taes ng^nhos a moer oito dias depois de estarem as pecas do v3por no
o**enho, garantindn-se o trabalhn.
Fuiuliqao, ra do Bram n. 52, passando o chafariz.
J. Rhigass, successor
55Eua do Imperador55
Nesta anliga e bem conhecida casa, encontrar-se-ha como outr'ora grande sor-
smenlo de pianos construidos expressamenle para o clima doste paiz, e Mr. J. Rliipass
., trabalL'ado'muilos annos na construyo de pianos em Paris, aoha-se habilitado
i preparar os pianos que ende com lodos os accessorios indispensaveis nao s sua
WSfifez, como sua duracao... Todos os pianos sao garantidos.
Tambem ha neste eslabelecimento, grande variectodo do msicas novas e dos
.saeUiosvs aurores, tanto vindas de Paris como do Rio de Janeiro, que se vende mais
;arat<*.v!o que em outra qualquer parte; assim como ha igualmente venda todos o-
los uecessarios cntrucco do pianos. Os cocertos e afinacoes de pianos sero
3t< s com o maior zel e cuidado.
Ciffarreiros
l'i.,-i.->-.-. o dos oflieiaes cgarrelros : ua rua
i a l'.iliii.i ii. (ti.
A ujaw u i- andar dn obrado d. 32, Hto
a pr$fa da Di\iv,.-i.t, n m Ma e quartn* wleira-
' ii mi do; pni.i raude familia, nrheira, es-
tribaria, raa jura Lai.hu : a ti alar na rua do Ate-
At03a-*
i -^u"'-' andar da rasa da rua
di Am..riii n. i\ mi K.vil'e : a iralar na mesma
riU li. 52 :il'in::7ciu.
Akijta-fr un a ra#a cota grande quintal, con-
; iido i sala?, -i iioart >. a zinha fura, cum grande
ojiiar lora, raiaoa < pintada de nov.i, confronte a
can do Sr. Paulo Jus lcmes o sitio do Sr. Joao
Jote da Coi ha !.;iji-. ni Canunga, rua das Criou-
lasi. 8 ; ;s>im ci mo nnia i.titra rasa no Poen
da RaneHa, rna d> Bio u. 86, enntendo i ?ala,*3
(nados, cdzinliA fra e grande- quintal, rajada el
lintada de no m, mnilo pronria pera passar a fes-!
i : a tratar na. travesa da Madre de Deoi na '
18.
CASA FELIZ
Aos 20.000*5000
\o itecife arca da Couceico u. 3
Os abaixo assiiriados lendo-se habilitado ni
forma das leis, tem Mposta a venda os seus feli
le* bilhetes das loMriaa d Rio de Janeiro, na cas;
cima, aonde se pagarao as serles que sahiren"
uos mesiuos irideles, com o descomo somontf
da lei.
PREiX)S.
Rilhete inteiro 24000
Meios 12*000
Qu artos 6$000
B de 100* para cima a 22 o bilhete.
Figueiredo 4 Leite.
Xaurada ca Independencia n. 3!5 se da di-
u'uiro sobre penhoi iro, prata e pedra*
aredftfiaa, seja qnal Ibr a qnantia; e na mesma
.9ja n cvmpra e vende objectos de ouro e prata,
Mmenle se faz (oda e qualquer obra de en-
torneada, e 'ndo o qualquer concert tendente
i mesma ;.rte.
EsLindo vago o lugar dt sarbrislo da vene-
ravel ordem terceira de S. francisco, o Sr. minis-
tro manda convidaros chaiissimo* irmaos no caso
de bem pieenrlierem o dito lugar, de apresenta-
rem seus requeriiuentos mesa regedora, para
esta deliberar como tur do justica.
Secretaria da venera vel ordni terceira de S.
Francisco do Recife 1.3 de deirnpfp de 1869.
O secretario,
___^_______J. Ruiino Climas da Silva.
PreciSt -se de urna ama para casa de pouca
familia : a tratar na travessa de S. Pedro n. 10,
! andar, entrarla pela rua do Pgo.
L OHM I PE
Primairo introductor dos po$oa tabulares
instantneos da Abyssinea.
mais barata do que por meio dos pocos
cavados.
O systema dos pocos tubulares o ni-
co pelo qual se possa obte'r agua perfeita-
mente pura, livre de todas as substancias
nocivas e preservada de todas as influen-
cias athmosphericas.
Por meio de urna raaehina muito simples, consistindo d'nm macaco, impelle-se para
ientro da torra um tubo d* forro, cuja extremidade inferior est furada e munida
J'uma ponta d'r.co; e logo que a sonda mostra agua no mesrao, deve-ae atarrachar
bomba e faze-J i'unccinar. Ao principio a agua lera substancias arenosas e terreas,
porm logo se cerifica, e em pouc lempo sahir agua perfeitamente lmpida.
Outias vanlagens que aprsenta este systema s5o:
Primeii ament, a promptido com que se executa toda a obra do assentamentor qHe
omitas vezes nao leva mais de urna hora, sem remocao alguma de trra:
Segundo, a commodidade que elle offere-ce -de ser nao somente collocado fra da
asa, como taml^m dentro da mesma, com nao menor facilidade :
Terceiro. a facilidade com que se lira para fra da trra o poco sem o estragar
para o collocarcm noutro lugar:
Quao, a grande quantidade d'agua que elle pode dar :
Quinto, a possibilidade de tornar, utes com pouoo traballio, por meio dclle os po-
os cavados que furam estragados pela arca ou por outras causas.
Precisando-se de urna grande quantidade d'agua pde-se introduzir na trra di-
versos tubos unidos uns aos oulros por .meio d'um appareiho muito simples.
Em lugar das bombas aspirantes geralmento usadas, pde-s3 fornecer bombas de
ompressao para elevar agua e conduzi-la aos andar s superiores.
O entprtgo dos pocos tubulares sobre ludo proveitoso aos fazendeiros, que em
qualquer campo onde o gado precisa d'agua, os podem collocar e arrancados para se-
rem collocados onde melbor Ibes convier.
E' tambrm de grande utiliiidade aos fabricantes de cerveja. aos distilladores e a
iodos os fabricantes em geral, e com especialidade aos empreiteiros, architectos, en-
genheiros e todos aquelles que precisan) de quantidade d'agua por tempo determinado.
Este methodo o nico para obter em qualpuer parte agua, que seja livre de par-
tculas nonvas, elle tambem proveitoso aos proprietarios de casas e jardins, tanto
para o uso diano como para regar as planiacocs e capim.
Pedimos a aquelles que nos quizerem honrar com suas encommendas de nos
:ommur.icar: 1. em que profundidade se acha a agua, o que fcilmente se pode verifi-
:ar nos pocos ou cacimbas visinhas ; 2 do que especie sao as carnadas da trra da su-
perficie at a carnada que costeo agua ; 3J em que especie de carnada se acha a agua
aaquelle logar: i." -ianimenle a quantidad d'agua quo ge pedo por hora.
A colIocacSo do poco tica por conta do comprador offerecendo-so porm a empre-
ta a emprestar o appareiho de assentamento niodiante urna retribuido a convencio-
lar, a qual s regular pelo lempo que se achar fra.
Tambem encarega-s de mandar umi pessoa habilitada na colloc;) d'ess*s po-
os, pagando o comprador alm do sustento e despezas de viagem (ida e volta) um
ornal previamente conveneionado.
Mas fiara os lugares longinquos qualquer pessoa hbil ou artsti-
ca pod/r colloca-las sem embarnco, singindo-sc nicamente as ins-
trucees que aa mpinltam as referidas bombas.
As pessoas que quizerem apreciar o trabho dos referidos pocos, podem ir ver
fnnecionar rua da Florentina, fabrica de corvoja n. 20, em Beberibe em casa do Sr*
raajor Antunes, no Casanga no hoiel jont a ponte e no Arraial em casa do annun-
cianto.
Para encommendas e mais esdareeimentos
. Germann: rua Nova n. 21.
GUSTAVE
CABELLEIREIRO FRANCEZ
51^Eua da Cfedeia do Recife51
Snde^alo? orallo (leve dSlanecer S 8era1' Para se8,,inte fbella dos preces de sua casa, os quaes s3o vinte por cen,
S da ?5p? neins desvanecer V,S mais barato do que em outra qualquer parte, comecando no I. de dezembre:
"m&JKS^ISS mostraram que Caberas para senboras a 25^, (^deias para re.ogio a 5fc 6*
ellessao de grande utUidade aos industriaos, n.,J*' d5? e- ; i0f, U, 8&, W, W e. .
agricultores e particulares; at em todas ^,t\l)ara.hj)me.m. J f *Q W*000
as expedicSes militai'es dos ltimos tempos f 5?^s \l *' *' ^
foram usados para procurar sem demora! t ,a iica'io* n*
agua fresca e pura, o Unta quanu so pre-j Lre)sc^nte| a '-> 15*18' -*>
cisava *^f' *"* e _.
Em'todos os lugares, onde om poco ca- Cachos ou cresPos a 3*. ** W.
vado ou furado (pelo systema antigo) dara 65, 75. 85,* 93 e. .
agua, pde-so erapregar os pocos tubulares. Tranca de cabello para annel a
Ellos facilitara adiar agua muito mais
depressa, mais cristalina, mais fresca e
IMGQ6
30*
50-
l;SOO>
10,5000
300 e
Tranca p3ra
braceletes a 10$,
30
Corte de cabello......
j &uw ^rte (je cajje|j0 com frCC50^ .
325000 Corte de cabello com lavagem a
champou.......
Corte de cabello com limpez da
cabeca pela machina electri-
4#000! ^ UD'ca cm Pernambuco. .
Frisado nglew ou franecza.
IU, M, 25 e. .... 305000 Barba.........
ASIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento .
Bailes e solrtres
Colono do ostabelecimento previne asi Recommenda-se a superior TINTURA JA-
Exraas. Sras. e aos cavalbeiros quo ha um PONEZA para enegrecer os cabellos e bar-
salSo para tintura dos cabellos e barba, as- ba- UDca adm'itlida na Exposiflo nirersal-
como n5o pn-judicial a sade, por ser ve-
stm como um empregado somente oceupa- iali|t anaiysada o approvada pelas aeade-
do nesse servico. mias de sciencias de PARS E LONDRES-.
CASSAS DE COR
Lindas cassas frmcezas de cor 400 rs. o metro, na loja das Collumnas ri
do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos.
a respeito a tratar a loja do Sr. F.

-t-i
o> 9
11 03 p
r< m
o> 9
TS i
o e
id
^-<
LH
Q
re*
OS
'o8
HOJE
& O ro w n -
-= c 2 tS
r c a S a
O fc. C Oi a
""O
c a
~ a i
m
re s
-, a
s *>
a> 3?
1.2
i
S S.5 *
Sl| 11
re O 5-o.
3 J c ro M
3 g S E -3 S
o
O.
o
3 o g c
re^
3 o .JSSS
-Boa"2
-j '.-. /> re
ts a a
re t- o -S
S B E p o a
5 l"
* m > re
Cm
s>
re
.
O re
CU
re
re"0
re o
--> a
f o
re '->
H
a
o n re a
2 k a a
re
sr. g re .i 2 2 g
S "1 So ** o O
* S -s, % m 23 m

ore c^
> t- O
3 O J=
o o.

>" a s
S2
- i a is s
_ 2 -s-s r
i3 T3 U'^3 C re
J^
DE 1869
DA
ttittiere ic all'eufde.
i(.kreir< c ialbeteiro.
Mwlfo* de e:a e eestn
p&ra j'cso.
^Httfm* c palmatorias.
Parras, barias < esearra-
Ifiras.
Poae^elras e bai^eltas f*-
niesa.
Ir Algos para hoteis e -
feltarias.
EscriTaniubas e pailieif av
Caadeltbros s serpentina-
Ursas para refrescos. -
Eua da Impratriz n. 47, 1. andar. *
A Milet Fik & 8, representautes desta granfti fabrica vendem todos sens prodactos pelos precos da tarife que fra^ueam ao ro.speitavel pubUco.
aHs dotada Jos aporfeicoamenlos mais importantes deste seclo. P"W^*P .tetnies meinoramenio introiJuzi(Ios no seu fabrico permitlem de firmar ajnda mais a supremaca dosle-nome, om mna-induetna creada pWos Srs. Cbristofle 4 C. e pn*
Una dnzia de colheres de mesa alfenide...... 20 Urna dita de cirios...................... 205n<0
lima dtia de facas....................... 214006
presan*. I > m Pernsmbo^ para corresponderem impo,tanda da industria que representan), obrgam A Miliict m & C. contrataram tambem com es.** Mufe.represento .em Pernambueo, ata de porem ao alcance do consnmidof de bom goslo nma inflnirlade de arUgos de crystal, nlo s para uso domestio). come de pbantasia
Vasos para flores, lustres, candelabros, servicos de sobrenfesa, etc. etc.
Tafflbca vende o ijoe ha de mdhor em
A V.illiet i-ils & C. ji sao representeotes acreditados destas duw fabricas-nor-Bio de Janeiro, frrua dos urives.
i
FINAS
FESTAS DO FLM DO AMVO
GRANDE SORTIMENTO DE LEQES
motAVBmnB rni <. iWs nA europa
lo a icoo, m, ynco. cooo. omkjo. 7ooo, tool oooo, iqw, nm^-m^o, wooo. j^-oo e isaoco
de madrcporola a 84000, 13*000, 14400O. 184000, 204000, 28*000, a#o90, 8400. 404**, 5*4900. 604(^^794600
rt para nonas, e para ludo. '~^w e ivmruv.
RA DA IMPERATRIZ N. 47, l. ANDAR


Diarta de Pernambuco Quinta feira 16 de Derembro de 11M59.
i
DE LONDRES
O Dr. J. B. Casan va, pode ser
procurado qualquer hora em seu cnsul-
tohio especial iiojieopathico, ao lpro da
matriz de Santo Alonio h. 2.. No raesm/
consultorio acha so sempre venda os mais
acreditados medicamentos, de borneoathia
fe ludo quanto neccssario para as pessoas
que so dedicam ao tratamento por este
systema.
para acabar ; como
n'ns etc., apparelhos
60--RA DA CADEIA DO RECIFE
PARA ACABAR NESTES DAS .
O proprietario deste estabelecimento tendo de partirfmuito breve para os Estados Unidos e Europa, faz completa liwttSo uestes.dias,
tinados para camas ejanellas cobertores ingle tes finos, calcado de pao, bijoterias d'ouro de 18, como r( setas de brilhantes, aneis, oew, lunetas, trance?
U metal do mais too que ha para almoco, bandejas etc., perfumaras de differentes fabricantes., dififerentes caixiDbas, vasas com enfeit^s ifcuilo proprias para presentes, caixas
tfe mjsicas, ditas com pertenees para costura, ferro de engommar, nao sendo preciso carvao nem fogareiro, machinas de delir batatas, Jdilas pa?a preparar a carne para gui-
i, ditas para hatef ovos e bollos, grande variedade de porcelanas, como, vasos para toilette, apparelhos para mesa etc., differentes objectos de vidio como seja: lustiose
gt&M pnra catites. ljntcrnSs para cima de mesa, escarradores etc uns excelentes cofres de ferro, espeihoe de diversos tamaHhos do moldura domada e preta, molduras
para qoadros, ricas caixas para retratos, ditas com cheiros proprias para presentes, mesas de cbai5o, bandejas de dito. Estampas finas parar- qoadros talagarsa
joruada para almofadas dita para tapetes e para deitar vasos cm cima da mesa, relogio para cima de mesa, de paredo c de ouro para algibeira, stereoscopos de diversos
aaanhos, cosmoramn, lanternas mgicas para diverlimento em S3las, qnadros com finas figuras de porcelana, ditos com movimentos, fiamas bronseadas para- enfeites de mesas
-aiva-vidas para se tomar bauhos no mar ou rio. lencos de linhos finos para algibcires, ricas gravatas de seda, variado sortimento rniudezas e brincjuedos para crianca,
% hengallas, camas de ferro de differentes tamanbos, lavatorios, stereocospos, cosmoramas etc. etc.rque ser patente ao comprador; muitos otaros artigos qoe se venderlo
'aflato barato para^inieiramente acabar, no armazem EXPOSICO DE LONDRES
RIJA DA CADEIA DO RECIPE-
zn
GOMES DE W1ATT0S IRMftOS
tendo feito completa muanca em sen antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-ihe maiores proportjoes e elegancia, convidam
ao publico em geral o com especialidade as Exhis.
Sras.de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da nonte na
CABUGA
v^
C/2
onde eiiconlrarao um completo sortimento do que ha de tais elegante,
bello e precioso em brilhantae, esmeralda*, rabins e ludo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADERECOS 0E BRILHAHTES, ESSOLDaS E RUBENS
de ovos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto ainda nao visto, e completo sortimento de
< objectos de prata para uso das igrejas,
Compram e trocara qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
a qualidade dos objectos vendidos.
E0 DE JOIAS
-iBBaSSS.,'
*Q
t
te
LOJA DE JOIAS
DK

PHRM4CIA
ESPECIAL HOMEOPTICA
mu do m. m\m o. i nm
43Ra Nova43
LOJl O: tltltUOSti:
D. Umbelina Rosa de Lima Pmho, viuv;
Jo Dr. Sabino Olegario Ludugero l'inho.
achando-se competentemente autorisada
pula inspeccao de sade publica continua
Com a botica homeoptica di> seu finado ma-
rido, ra Nova n. 43. 1 ja de marmore,
tendo frente de.sea eslabelecimemo a
mesma pessoa habilitada que prepara os
medicamentos cora todo o esmero e asseio
como d'antes ; e peda a confianza de seu>
numer -soros 'reguezes e do iv>>p'iiavel pu-
blico enviando llie sosa reeettas e encom
mendas que serao preparadas com a mainr
pmmptidao e escrpulo e pelo mesmo preco.
Nesle importante estabelecimento acha-se
ludo o que necfcssario para a pratie &
HOME JPATHIA: medicamentos era glbu-
los, eui tintura, carieiras portateis e caixaf
de medicamentos em glbulos e em tiulura
Je diversos tamanhos.
Vende-se igualmente o THES.OURO HO-
ME PATHJCO OU VADE MECUM 1)0 HO-
MEOPATHA polo Dr. Sabino, obra de re&i-
nhecida necesaidadc a pratica. da homeop
thia.
Acha-se venda no mesmo estabeleci-
mento ; .cha verde a 34000, a libra, cho-
colate a 25000. Sudo de superior qualidade.
Piulas assucaradas de Bristol.
coxifAo rea nem calomelanos .nem nenhuai
OTRO MINEIUL.
A grande necessidadu e falta de um ca-
thartico ou do urna medicina purgativa, ha
muito que tem sido sentida, tanto pelo po-
vo, como mesmo por meio da faculdade
medica; e por isso, infinito o gosto e
prazer que sentinas, cm pdennos com
toda a confianc e seguridade, recommcndar
.as pihdas cegetaes assucaradas de Bristol,
como uina excellente medicina purgativa, a
qutl cncerra em si todas as partes e mais
ingredientes essenciaes, tomando-se em um
perfeito, seguro e agradavel calhartico de
familia. Este remedio nao composto
-dessas drogas ordinariamente usadas na
dooiposicSo dessas pululas," que por ahi se
vendcm, mas sim, sao preparadas com as
mais finas o superiores quadades de raizes
medicinaes, hervas e plantas, depois de se
liaver oliimicanient* cxtrahido e separado,"
os principios activos, ou aquellas partes
que contem o verdadeiro valor medicinaK
/iquellas poicos fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especficos, podemos nomear a po-
liophgtn, a qual segundo a experiencia
mm demonstrado, possue um poder o mais
jaravilhoso possivel sobre as regics do
ligado, assim como sobre todas as secre-
ees biliosas. Isto de combinac3o com o
leptaiuh'in, o mais alguns extractos vege-
taes e dOgas altamente valiosas, consti-
tuem c formara urna pilula purgativa, tor-
nando-se por isso muitissimo superior,
qualquer urna outra medicina da mesma
natureza, que jamis fora apresentado ao
i publico. s pilidas vegetaes assucaradas
de Bristol, achar-se-ho sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente effi-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam as seguinte
Dyspepsia, ou indi-
gestan,
Adstringencia, ou..
prisao do ventre
habitual,
Azia do estomago o
flatulencia,
Perda do apetite,
Estomago sujo,
Hydropesia dos mem-
bros ou do corpo,
Aflecces do figado,
Ictericia,
Hemorrodias,
Mau hlito, o irregu-
-iaridades do sexo
femenino,
Dores de cabeca.

Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado le novo, est as condi-
i?oes de servir vantajosaraente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
ex ilendido sortimento de obras de ouro e
jarata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, oujos preqos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
ge em troca ou compram-se com pequeo
alate.
\ 5 REA DD CANGA N. S
Em todas as molestias que derivara ?
sua origem da massa do sangue: a salsa
parrilka de Bristol esse inelhor de todo.'
os purificadores deve ser tomado conjun
lamente com as pilulas. pois que estas
duas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obrarem de harmona urna
com a outra, quando fielmente assim se faz,
n3o nos resta a menor duvida em dizer,
que uoraaij- numero dos casos, podemos
affiancar no sOum grande alivio, como
tamben urna cura prompta e radical, isto
est4 bem visto, quando |o doente nao se
ache n'um estado muito alm dos recursos
humanos.
;ii,5Wi_i.j.iiii_iiiiyBiJ|
a
Bste admiraTtl
ll)tpurlTO oao
iodo oo
lawntaM um
Iviiiorow modii*
eador pao aiifM eenn rsdlealmeatcM oioirsiiatk:p . !>'*. os PamMM, tic Emprimado dhriani-i.lo dle refresca a massa do sango* eeoaaaM* o sandc
A IRJECCAO CADET "" -" *** <*"** "^
*4i8, 7. B< Oraaia,

o* mait rebeMes.
COMFANHIA
1)08
TRILHOS URBAROS
DO
KECIFK A9 OiaKVBA.
C"inpra-se travs com o cfimprinifnto de
10, 20 6-30-primos, e 7 ifi. 8, 8Afi.'.)
pollvgadas dgtossura equina viva, da*
seguintes madeiras : amarello, oiticica, Si.
cupira. e ouiras madeiras de reconhenda
duracSo para a cha ; a tratar" no esrriptn-
rio da superintendencia da enmpanhia
roa d'Aurora. das O horas da manhaa as
i da tarde todos os das uteis.
Escriptorio da coropanhia, fr do dezera-
bro de 1869,
Su per in tendente.
__________jtwrir* dt Ahrw Porta.
O Sr >leiicar, nfficial de juizo que
foi ou que dizem ach;<-^e presentemen-
te residindo em Gamilleira, qoeirt viro*
mandar dar s< lnc3o sobre o imporios das
\ carro ;as que se mandn pagar pe-lo Sr., &
, at o prweote-nao- tem apparefido romos
documentos; deseja-se n3o continuar com
ete mowncio prmais diaa.
- Era. casa de THEODORO GHfBS
ANSEN, roa d* Crua o. 18, eMostn
effestivamente tolas as qnalidades de *<<
Bordeaox, flourgogue e do Rheno.
EMPRESTIMO SOBRE
IBS I
(SEM LIMITE.^
Na trwcssa da roa
das Crines n, 2, pri- |
meiro andar, da-se qual-
quer parta sobre ouro,
prai e pedras preciosas.
O doao deste estabelecimento,
competentemente autoriaado pelo
governo, est as condifes de ga-
rantir a VrmuuiQlo que-se fizer em \
[ sua casa, promettendo todo e seto r
e consideragSb s pessoas que se4
dignarem de honra-lo emseu esta-
.belecinmola.
f NaalPMii casa coapra-se ouro,
prata e brilhante
Aluga-se urna mna na roa du Colovello n.
t : trala-se no 2a anJ.ir do mesmo sobrado.
COSINHEIRO
Precs.i-se do um cozinlwiro que jeja porito para
casa de fafoil, prcfcre-se escravo : a iraiar na
ra do Amoro) n. 39.
Aluga-se
o 3o andar do sobrado n. 8 ra da Imneratriz :
a tratar com J. t. de M. Reg, ra do Trapiche
D. 34.
Ao publico.
Em Olinda, ra deS. Bouto n. 19, acha-se con-
venientemente preparada urna casa para frnecci
comidas a^ oessuas que quizerem passar um dia,
ou mesmo mensnlmente, garaote-se a ptido. Na incMoa casa ha caf ludas as noites e
aliuimas distraees para o mesmo publico.
Per iigueiro
Perden-se um caclmrro perdigueiro, de sext-a
feira para sahbado da semana passada, d*- cor pe-
ilrez, com grandes orelhas e nitnclias cor de caf
sobro as eoMa : a pessua que o tiver agarrado,
liie leva-lo ra Nova, loja n. U, que ser bem
rpcomanusado.___________________
Precisa se alugar urna escrava que
saiba cosinlinr para familia, a tratar na the-
souraria das loteras, ruado Crespo n. 45.
LIG4
Anda est para alugar este grande ar-
vazara, a roa Nova n. tiO.
Sahio luz a eollec^o
de varios n'gulamentosfde irapo>ias altera-
dos c creados pela lei n. 1507 ae 2G de
seternbro de 1807,
compreliendendo os do pessoal, escravos, indus-
trias e pruflssoes, sello (organisado nlphabetica-
monte, explicando cada acto a que sello est ra-
j>'ito, se se d'i-o empregar estampilha ou verba
no primeiro cas > quero tfeve inuiisa-la). traes-
mi.-sao de propriedade, dizima do chancelliria,
emoluiiientos, mullas applicadas fazenda publica,
ele, etc., o cm appoadiaa o do cufie de < epusitos
publico?,
liudos com as
instruccoes e decisoes posteriores at a
presente pubiieacao,
por
Francisco Augusto de Almeida,
1 escriptnrario
da recebcl.iria de PTnamhuco :
vende-se na rea estreita o Ro>ano n. 12, a i|.
T'irna-se de grande ntilidade aos Srs. advogado>,
soctadoras. negociantes o funcchvnarios pnhliois,
a aequisieau djsle tiabalho. Aquellos que assig
nartn e nSo rerei>enini prompta ment-, podem re-
clamar na mesma :-a.sa.
A'84000.
'Cha verde de escolenlo qualidade : na botica
honieepahica da vluva do Dr. Sabino O. L PinliN.
ra Nova u. 13.
Vi-ndi-se um carro de qnatro as-entos, pare
dous cavallos, c un arreios. Os pielendentes po-
dem v-io na ra do Ho>pici.i i.fllcina do Sr. Ge-
raldo, corneiro, e tratar cun Vicente Fcrreira da
Costa: ra de Riachuelo.
Vende--t urna taberna propria para princi
piante por ter poun fundos : a tratar na ra do
Cotovellu n. 2, qii ra do Sebo n. ;>t. _______
Sociedade Liberal Uniao Be-
neficente.
Sao convidados os f eus associados a reunirem-
se cm assembloa geral, domingo prximo, as 10
horas do dia, alim do empossar-se a nova admi-
aistraejio, c apreciar o parecer da commis-3o de
cuntas.
Secretaria da Sociedade Liberal Uuiao Benefi-
ecnte 14 de dezembrode 1869.
t. Secretario.
TheopkUo Pedro ilo Rosario.
O abaixo asignado participa %<* re-peilavel
publico e com cpicialidade ao^corpo do eoinmer-
i-io, que tem justo e contratado" a compia da ta-
berna n i do Pdfci da Panella defrnnte da igreja
da Saude, nm'o Sr. Antonio Jos Gomes, livre e
desembarazada : quem so julgar com direito a al-
gum mpedioiento, aprsente se aos mesmns no
praso de oito das, lindos os qnaes o annunciante
pomada so responsabi isa Puco da Panella 13
de dezembro do 1869.
^inoel Duarle Rodrigue* P.nto.
COMPRAS.
Compram-se e vender-se diariamente para fr
e deniro da> provincia escnivos de todas as idades.
sores e sexos, com tanto que sejam sadios : no
lereeiro andar do sobrado n. 36, rua das Cmzes,
frejtttezia de Santo Antonio.
Compran) w inoedas de uuro e prata de to-
dos os valores, ouro e prata cm obras inutilisadas,
brilhantes o mais pedras preciosas: na loja de
turives do arco da Conccicao, no Recife.
O muzeo de joias
Na raa'do Cabug n. i conrpra-se onro, prau
podras preciosas por presos mais vantajosos d>
iur >*m ristra qualquer parte.
U)iu inuito Hiaior vauagem coinprain-se
moedas de ouro e prata : na loja de joia3 do Co-
raran de Ouro n. i O. rna do Cahng.
Compia-se cobre, na na do Qucima
do n. 4J. RIVAL SEM SEGUNDO.
1I0JE libras ste lina- e ouro deludas as nacSes.
wina como prata, p mira parto na rna da Cadeia do Iteeife n. 58,
loja do azulejo.
VrNDAS.
ATTEN^AO!!!
Vende-so nina taberna cun pwuoos fun loa, na
roa dos CwlhtM n. H : .i tratar na roetma.
Vende se um ca hubo aiuericauu de quatro
mdas, do dous e quatro assentos, e em mnitu bom
estido : para v. r tratar, na ra da Florentina,
olnVina do Sr. Grnsjwm.
A VENDADE
55Ruado Queimado__55
A VERDADE tendo em de[josito grande
qnantdade demiudezase perfumaras, e de-
sojando apurar dinheiro e adqoerir boa frc
uezia esta rssolvida a vender muitissimo
barato, ; por essa razo convida ao respei-
tavel publico a vir competentemente) muni-
do a sortir-se do bom e barato. Pois quan-
do a Verdade appareee, tudo mais dec-
apparece....
Grande sortimento de bonecos de cera e
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Abotoaduras moderuas para col
letea ..... 320
Espeihos donrados pepnenos. 200
Agullias de osto para crox a 200
PBiitea pare regag com esntas a 320
Ricos globos para candleiro de gaza l&tHK)
Ghaniins a....... 32
Grande sortimento de ubjetos de
louga para brinqoedo de menino lOi*
Garrafa com tinta a..... 800
Dita com agua florida rerdadeira a i #300
Dita com .uta dita a 1(50' O
Frasco comoleo debabosa a i500 e 720
Dito corn agua de Colonia a 300 e 500
Garrafa com agua divina a. !500
Frasco com extractos lin>s a l(500u
Lat;.s pequeas com banbi muito
fina a 12'e...... 100
Sabonctes de diversas qu;i!i iades a
80, 100, 240 e..... 32u
Finas escovas para denles de 120 a 600
Lindos coques modernos a. 2000
Pavios para paz, dwzia a 240 o 320
Escovas para fado a 3u0, 600 e 700
Ditas para cabello a..... iJOO
l'ent's para tirar piolbo a 100 e. 240
Brincos de cores, bonitos a 160 e 200
Pegas de tranca de la com 8
varas por....... 80
Oleo para machina de costura,
frasco a........ 600
Pennas d'aco finas caixas a 800 e 15000
Dita d'a?o Perry, caixa a. 4#400
Galn de algodao pega- .... 400
Lindos babadinhos e entremeios
pega de 500 a...... 14601
Ditos de louca muito fino a 120 e 300
Ditos para calcA a IkO e. 240
Caixa com papel amizado a. 700
Ditas com envclopes a. 180
Ditas com obreas a..... 40
Caixa comagulhas fundo dourado 28v
Ditas de (lilas ditas a..... 160
Thesoura para costura a 240 e 500
Caixa com linba de marca a 280
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........
Cairelis de linha Alexandre de 70
at 200. .......
Grampos muito finos com passa-
ros, duzia a......
Cartas portugu&zas, duzia a .
Ditas fiancezas a 2200 e .
Papel almaco e de peso, resma a
35400, 3(5500 e .
L.5a muito fina para bordar, libra
Fita de algodao para debrum de
sapatos, pega a.....
Ditas de la para debrum do ves-
tido, peca a ......
Pentes finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240. 320 e......
Ditos para aparar penna a .
Rosetas pr-tas. par a .
Tranga de 13a d- caracol pega a 40 e
Fita de coz pega a 480 e .
Alfinetes dft latao a.....
Sapatusde la para crianga a 400e
Grvala de sedas de cores a .
Cslcadeiras a.
Grande sortimento de rendas das llha
Um par de suspensorio de borracha
100 ris 1!!! !!1
\a Verdade na do Queimado
n. 55.
500
! 06
gAQ
IiO
309l

5>
i'i
100
roo
56o
100
800
20(-
80
por
dous bowiios esi-ravos. sende um pardo di- "> a..-
nos, e um crinlo de 16 annos, ci-m principio de
mnrinheiro, de muito bom compirtament", sip
defeitos : na ra da Cadeia-vciba, casa n. 1, Ba-
gando amler.
Vende se nina lancina sita >ua Imperial
n. 195, tan afri-fiiezada tanto para a trra CiiUaQ
(i,na o malo, e bous eonimodos para familia : a
tratar na mema ra n 213.
ATTENCAO
Liquidaijao de blendas por todo o preco : a
loja da rna da Imneratriz n. 20.
-r- Vende-i-e um moleque pcija, de 9 a 10 an-
uos : na ra d> Livramenlo n. S7.
Uquidagao
A "Toja de fazoodas n. 20 da ra da imperatm,
est em liquidaca, e por csse motivo venJcni-st
as fazendas r obras fetas no paiz, i-xistenles hj
dita loja, com grande reduccao cm precus para
acatar.
9I000.
Vende-se na roa da Cadeia n. 50 A, borzegul>
francezes com auas solas, pelo diminuto prer;o d.-
91000. assim como sapa toes brmmi, ubra boa, 3
55OOO, sapatos de tranca a 1*909 ; vonham 3
.lies, antes quo se icabem, detruute da ra du
M>dre de Dos._____________
Wnde se uina m mida inuiUi boa dejaca
randa ooia tosaos de |1ra, "coasolos cadeiras
j balan?) e mais pertenees. por preooj outft
vn conU ; no Corn dor du Ws>" n. S5._______
Advocacia.
Carono da LiinaSantos, (a filho)
bauharel em direito acha-se a ra |
^toaita doRoaarmn 23ande porte i
ser prwurado di* 9 honra da ma- 1
| nhSa s 3 da tarde. |^
mmmmm mmmm mmmm
dorias e uiudeira,
Wudem-se portas em bom estado, a'gamas at
ciim ferragpns. a-Mm como madira de obras qin*
se desmanchoa : no pateo da matriz de Santo An-
t'g)o.______________________________^_________
Na travb cetlcnu; rmiramba crioula recomida, engomma.
cose e p' zinha, nma dita em tima filbinha de l
anuos 1I5 lsfile |>r 1:0002000, moa e-rrava da
Calla, Ih.i i|iiii'iii'deira. e em mais hahiluladcs,
um ti.mito muan' de 18 annir paia iodo
-civic 1. iwm 1 serav de Midc iS aunas,
PBji mma b"io. rose p r >tufa
Veolem- em vulto Amaro de
Jabona 1, nina na rna t\>> Balxo. prxima feira,
e ontra na roa 1I.1 M itriz : a iraiar na rna do lm-
|M>ra'liir n. 57, t" andar, entrada ptli caes 2i de
.Movi'mbro.
CIMENTO
. Veode-se verdadeiro cimento; na ra a
vfadre de Deoa'-n. 22. armazem de Joan
Martin* d Barm
Fio de algodao.
Vende-se fio de algodao da Babia em saceos de.
SO e 100 libras : no escritorio de Antonio Lon
de OMwiira Aievedo t C, roa, da Onr n. 87, !
andar ______________________________
Vendee urna boniu crioula. rmlhida, >
idade 16 annos. sadia e sem vicio alguin ; 1
ver-st no anDazem do earae .-oea n. St, ra i*
Praia._______
Pussarinhos tle metal prateailo.
Chegou nova r>messa deaaes -Ixinit") passannhQ*
Je meial iirateailo para s-gnnr a costura______
Vendii.- vindo< d'i- norte : a tratar na rna da Madr>:
Dos n. 1.
a rcfinacSo da ra do Arabia n. 19 : quem
teudc-la, dinja-se tratar na mesma.
pre-
CKVADA.
Vende se nr ra Direito n. 30. a 3#Sdfr jl
roba. _________________
Vendein-se dou> exctlientiw mr*j|iies d !t
a 13 annos de idade : na, 1 de S. O calo Ha-
rnero *9. m______________________
- Vende m .* Iiir-wto-* graude wf
m que tm caa o Sr. tenente-eomnr
Martin- de Almeida, no Monteiro a Iral
do Cabngi o. I i-


(!
Diario de Peuiambuco Quinta eira 10 Je Dezcmbro de 18G9.

O proprietario do armazem do fazendas denominado A1URA, ra da Impera-
rJ/. n. 72. declara ao respeitavel publico aseas frogtiezes, que est liquidando todas as
endas e roupas feitas que tem eirf gou estabolecimeoto como sepoder ver no seu
umuncio e preco abaixo mencionados.
orles das
menlos.
Chitas francesas matizadas
30 rs.
Vomle-se chitas francezas escuras naUxa-
laa'30 rs.o covado por este prego sna
, ja da Aran, ru.i da mperatriz n. 72.
LAAZINUAS A 240 RS. .
Vende-se.lazinhas para vestidos de sc-
ihora a 210, 280, 320 e 400 rs. o co-
lado.
B.VREGKS DE LA A 500 S.
Vende-se bareges do'13a comllstras para
eatidoS da senhora a 500 e 640 rs. o
ovad '
Alpncis de listras a 500 rs.
Verfle-so alpacas de listras para vosti-
1..3 de sen'.ion a 500 rs. o covado.
COTAS FRANCEZAS A 289 RS.
Vonle-se chitas francezas claras a 280 rs.
i covado. >
CORTES DE LA PAliV VESTIDOS A
200.
Vende-se cortes d; la para vestidos de
.moras a 25100 cada nm,
PERCALES A 40 RS.O COVADO.
Vende-se percales 'imito finos para vts-
idoa de seahora a iiu rs. o covado, mur-
olinas brancas Unas, a 500 rs. o covado,
orilliantinas de cores, a 440 rs. o covado.
Balcs modernos de todas as
cores.
Vendes^ bales moderno sbranco c de co-
res a 4. 40300 e 5#.
COBERTORES DE ADGODAO A U800.
Vende-so cobertores de algodSo a 13500,
-..bertas de chitas a 15(500 e 25 cada urna,
GANGAS PARA CALCA A 320 RS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brira de cores para calcas de hamem e
meninos a 400 rs. o covado, casemiras do
ores para calca e palitots a 25500 e 33,
covado, meias casemiras entestadas para
calcase palitots a 15 o covado, brim pardo
do todas as qualidades e brira branco de
'odas as qualidades na ra da lmperatriz
u. 72.
Alpacas lizas a 4 rs.
Vende-se alpacas de cores lizas linas a
040 rs. o covado, tarlatanas do cores a 320
rs. o metro.
MADAPOLO ENFESTADO A 33500.
Vende-se pecas de madapolo entestado
\ 35500, pecas de madapolo inglez de 24 Vende-se carteiras para viagem 15
ardas a 55, 65400, 75, 83 e 105 a peca. cada urna.
72. Ra da lmperatriz. 72.
Algodo enfestado a OOO rs.
Vende-se algodo enfestado proprio para
lences e toalhas, 900 rs. o metro, dito
trancado a 15, metro.
Chales de meria a 3.
Vende-se chales de merino estampados
a 23, chales braucos e de cores a 15000
cada nm.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Veode-se urna grande porco de cortes
de brim castor para calca do homcm, 640
rs. cada um.
Cirao/lc porcao de retallios
Vende-se grande porcSo de retamos de
chitas e cascas pretas a 160 c 200 rs. o
aova lo, rcialiios de cassas, la e chitas de
cures baratsimos.
LIQUIDAN A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brim do cores a 23,
ditos Je alpacas de cores a23. dios de
meia casemira a 23 e 25500. ditos de pan-
no preto bom a 83 e 105. calcas do algo-
dio azal para escravns a 040 rs. ditas de
algodo de listras a 800 e 13, camisas de
riscado do listras a 800 rs. cada urna, cole-
tos de brim e fusil do cores a 13 e 15500,
coletes de cesemira de cores a 23500 e 35.
e outras militas qualidades de roupas feitas
que se vende por baratissimo preco.
Algodo de listras a 5O rs.
o covado
Vende-se algodio de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A 45.
Vcndem-se pecas de algodo 45000,
53200, "65000 e 75, para liquidar.
Balcs de arcos 150.
Vende-se bales de arcos par senhoras
pelo baratissimo preco de 15500 cada um,
Cortes de cambrala barras
a 3 A.
Vende-se cortes de cambraias barrsa a
125 e 33 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos de seda a 640 rs. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 13-
SvsV'^'s .A.
DI
Lourenco Pereira Mondes Gnimares, proprietario do armazem de fazendas
d-.inminadoGARIBALDI, lema honra de pirlicipar ao respeitavel publico que tendo
recetlo diversas facturas de fazendas, de novo gosto, para a teta, estando a espera de
uova-4 enfcommendas que deve estar aqu al o dia 15 de novembro vindouro, e vendo
que nao tem terapo antes do balanco de vender tantas fazendas de encomiendas pjr
isso resolvtu fazer urna liqaidacSopara verse d maior, cstragao por isso em vistas das
circomsUncJas vender tudo mais barato do que em outra qualquer parte, na ra da
(mperatriz n. 56.
MADAPOLAO ENFESTADO A 35300. | CHITAS PRETAS A 160
Vende-so nma grande porcao de madapo- Vendo-se urna grande porcao de chitas e
lio enfestado de 12 jardas a 35500, assim cassas pretas em retalho a 100 o covado
como p-ca; de madapolo inglezes de 2 i tambemtem retalhos de chitas e 13a de c-
janlas ou 20 varas a 55, 55300,65,65300 res que se vende barato.
75000, 85, 95 e 105000.
Corpinhos a 200 rs.
CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500
Gaagas para calca a 3SO rs.
Vendem-se urna grande porcao de gangas
para calca de hom-m e menino a 320 o
Vende-se pecas de cambraias victorias covado, cortes de castor para calca a 640
Brilhantina bran-
senhoras a 500
tiaaa a 53300, 63 e 75-
ca fina para vestidos de
rs. o covado
ALGODO A 45000
Vende-se urna grande p >rco de algodo
todo de boa qualidade e 45. 55, 63, 58 0
"5, e 83, a peca de 20 jardas ou 21
varas.
ADM.REM-3E DO QUE E' BARATO
Chatnalotes a 560
Vende-se cbamalotede cores, dealgod'
para vestidos de senhoras a 560 o covado.
\ I pacas lisas a 500 rs.
Vendase alpacas lisas para vestidos de
cores, para senhora, a 500 rs. ditos matisa-
ia* tinas a 720 o covado. Ditas lisas omi-
to largas a 640 o covado.
CORTES DE PERCALES A 6:000
Vrtden-se ama grande porcao de cortes
de percales de duas saias para vestidos de
senhora, de mnito delicados gostos com
16 V* covados a 65 73000.
CAMBRAIAS LISAS DE CORES A 600
Vende-se ama grande porcao de cambraia
usa de. todas as core,s para vestidos a 600
rs. o metro.
Organbys moderaos a SO rs.
ViMnie-se organdys de cores para fazer
vestid .3, de duas saias. agora modernos, a
$00 rs. a vara.
)R \NDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas mito Anas de
-.ores a 280. Dit s matisadas escuras a 320
litas >'scuras escocezas a 360. ditas aleo-
loadas a 360, ditas garibaldinas a 360 o
.ovado Sortimento de chitas como tem o
la'hiidi ha poncas tojas que compitan).
USTOES PARA VESTIDOS A 400 RS.
V 'ii'e-se fustlo de cores para vestidos a
iOO'rs. o covado
COBERTORES A 1:400
Ven le-se cobertores de algodo a 15400
,oberf;is de chitas frita a 15600.
cada um.
Brim de cores a 4Ors.
Vende-se urna grande porcao de duas
faces para calcas, palitots e colletes de ho-
rnsm e menino, fazenda inleiramente nova.
Brim pardo liso a 5<0 rs. o metro, dito
trancado Gao a 800 e 15000.
Grande liqnidaco de chapeos
de sol
Vende-se chapeos de sol de alpaca com
pequeo defeito a 23 e 33000. ditos finos
de 12astes a 43300, ditos de seda finos
de 8 astes a 7550U, 85000, ditos de 12 e
16 astes a 105000, para liquidar.
Chitas para cobertas a 40 rs o
- covado
Vende-se chitas francezas para cobertas a
240. 320, 340, e 380 o covado.
CASSAS FR\NCEZAS A 240 RS.
Vende-se cassas francezas para vestido
a 240 o covado. ditas maito Anas a 400 rs.
assim como percales finas para vestidos a
440 o covado,
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias cruas para homem a
35500, 45. 55. e 65000 a duzia, ditas para
meninos de todos os tamanhos a 35300 e
45000, ditas para senhoras e meninas a
33500 43, e 53, a duzia.
BVLOES DE ARCOS A 1:500
Bafes de arcos a 15500, ditos modernos
a 45000.
ATTENCO
Tem-se para vender urna grande porcl"
de roupas feitas de brim e de casemira, de
todas as qualidades nio se menciona por
ser enfadonho. garante-s ao comprador ven-
der mais barato rio qne em outra qualquer
parte, isto so se pode ronbecer com a pre-
senca do nomp. adore a vista da fazenda
que se pnde.rmihi'CP.r cuio est liquidando
por barato preco. o general Garibaldi, ra
da lmperatriz n. 56
Chales de merino a 960
Vend-tu* chales de Merino de cores s-
Vyi"le-se grande porc3o de corpinhos a tampadus a 23000. ditos lisos a 33500, di-
4 as mm SEDAS
11-BTJA DO aUEIMADO--ll
Chegaram da Europa pelo nWmo vapor toja de Augusto Porto C. ricos
s mas linda sodas de mimosas cores para vestidos proprios para bailes c casa-
Grande variedade de sedas de listras do diversos precos todas de lindascres,
gorgurao "de seda pre'ta, e grosdenaple do varias qualidades e gorguro de seda 'la de
dillerentes cores.
Novos vestidos trancos de blond para noivas, lindas colxas de seda para camas,
ditas de la e seda, cortinados bordados para camas e jancllas, fronhas e toaluas de
cambraia de linho bordadas.
Luvas novas de Jouvin.e elegantes sombrinhas de sedas de cor para senhoras.
Esparlilhos da 53 at 105, lindos boornons de cachemira" de cor para sahida
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras. '
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens o meninos.
Sortimento de muitas fazendas-do la, linho e algodo todas por procos muito
mdico.
Tapetes grandes para sof, piano c camas, pecas de tapetos o de alcatifa para
forrar sales tudo em tjnantidadc; e vehdem sempre^por menos que em outra qualquer
parte.
Esteras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
ALGODAO
L0.ll DAS MACHINAS
BASTOS
dACHINAS americanas de serrlo de todos os tamanhos para dcscarocar algodSo, do
muito conbecido fabricante Eagle Cotton Gin.
CACHINAS ditas, tambera de serrotes e do todos os tamanhos para descarocar, al-
godSo do autor New York Coltoo Gtn.
dACHINAS ditas do todos 03 tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
VIACHINAS ditas de Rollcr Gins, de cujo trabalbo faz obter mais 2.000 em arroba
de algodio.
ACHINAS de facao do fabricante Platt B. C, 0bdl>3n PatontLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade o as melhores qno tm
dndo ao mercado ; e para a sua apreciac5o convidam-se os senhoros agricultores "
rirem a exposicSo das mesmas na ra da Cada do Recife n. 56 A, loja do Bastos, onde
mcontraro mais o seguinte:
1 OPAVUHAO
Debulhadores para milho.
Cylindro3 para padarias.
Vrados americanos.
3arrinhos de mo.
achinas para cortar capim.
Cannos do chumbo.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Tenas de ferro galvanisadas.
Folhas de zinco finas.
Ditas do cobre e latSo.
?erro de todas as qualidades.
Vrcos de ferro,
j'olha de Flandres.
adiados americanos.
S'aces ditos.
ialaios e costas de verguinha.
^assouras americanas.
?olles de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros artig
liversidade seria enfadonho ennumera-los.
Folha de ferro.
Balancas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes do madeira ditos.
Temos do bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para refinaces.
Azeite de espermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaos e todos os mais perlenccs para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentcs iavoura e artes, que pela
Grande armazem de fazendas e roupas feitas roa da lmperatriz
n. 52, porta larga, de Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 35, 35500 at 65. Ditos de
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 55, 65, 85 e 105, de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores do 35500 a 55000. Calcas de brim de cor finas c ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de 45, 55, 63 a 155. Colletes de todas as qualidades e preco muito
barato. Completo sortimento de camisas francezas do algodo e de linho de 25 at 53
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de linho e bramante a 25 e 25500.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a todos os precos. Meias sortimento completo a 35
45 at 73 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto para homem, como
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e outras muitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de 11 palmos de largura a 13800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poilde-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 15200.
Basquines de guipure enfeiladas a 185000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 65300, 75, 85 e 95000.
Algodo peca com 20 jardas a 45300, 55500 e 65000.
Peca de algodo largo a 75500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem ronpa
feita que se est liquidando na loja ra da lmperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
LEaO da porta larga
DE
Paredes Porto.
DA
Machinas vapor de
forpa de 3 e 4 c-
vanos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desca-
rocar algodo.
Balancas para armazem e baldo.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de hit-
field.
, Prencas para copiar carlas.
Fogo americano patent
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaparrilha
do Pai, pilulas e xarope de veame, tin-
tnra e xarope de sienpira.
Docncas do ligado e karo, ane-
mia, opilado, oto.
Emplasto, oleo, pommada, tintura, pi- gjJJJJj; g^PPlicados.e Tenderlo com um mni
AURORA!
1UADA liPEHATMZM
Esquina dama da Aurora
Defronte do Caf lmperatriz.
Ueste novo o sumptuoso estabelecimen-
to de fazenda?, encontrarlo as Exmas.
familias indo nuanto possam desejar, tan-
to em artigos de rigoroso luxo, como em
todas as mais qualidades de fazendas da
sedas, blonds, alpacas, merina, lias,
cassas, mussulinas, cuita?, mndapoloes,
algodoes, etc., deuiodo a sahir bem ser-
vido desde o mais rico c exigente amador
da moda e do luxo, at o mais modesto b
pai de familia. Alm de se acharen pro- Cg
viilos do que melhor so encontra neste *
morcado, mandaran) os propietarios 1
d'cste estabelecimento vir directamente Sj?
o que em artigos de modas e do mais 8
apurado gosto se encontra em Paris.
Urna modista especialmente oceupada |
nos trabalhos do PAV1LHO DA AURO- 2
RA, executar promptamentee com toda ]
a perfeican qualquer trabalhoa capricho, |
para o que se acha habilitada em tudo .
uanto mistar para o bom desompenho }g
le sua missao, o que urna grande van- W
tagc.i. para o bella sexo, que auhn 55
I vai encontrar em um s lugar ludo quan S
Ko pode desejar, isto fazendas do me- 15
-j. Ihor gosto, modista para perfeita execu- 2
jgj cao de qualquer trabalho, perfumaras,
5 chapeos, enfeite?, miudezas, luvas de U
g Jouvin o todo quanto a moda pode exi- !
H gir.
fflff Aos cavalheiros igual vantagem se offc- M
ge rece, por ter o estabelecimento o mais 2
f completo sortimento de fazendas para fac- }
tos, e proprias para todas as eslaces, o jg
^ um hbil alfaiato encarregado de execu- 5
I lar com promplidao c mestria qualquer g
encommenda. Sj
^ Os propneUirios do PAVILHAO DA S
^ AURORA nao tendo poupado despezas fl
as para dolaren) esta bella cidade de um B
H estabelecimento digno d'ella, conflam nos S
jJS seus esforcus e no bom goslo de seus ha- g
gg hitantes, garantindo a maior circumspec- 9
5 cao e modicidae de precos.
g[ Com a possivel brevidade e era vista da |
a proteccao que se dignaren) dispensar-ihe, g
g este csialiclecimcnto trar muitas outras 5
jjjt vaniagens, primando entre ellas a pubft- 8
| cacao de um jornal gratuitamente dis- fi
g tribuido aos seus freguezes, o qual se oc- 2
B cupar exclusivamente da descripeo das J
3 modas, acompanhado dos uhimos' flgur- |
g nos; vantagem que al boje anda nenhum S
gj| mestabelecimento offereeeu.
M Goncluindo, e na impossibilidade de des- f
gg crever c rico e vaciado sortimento que 5
B possuem, os proprietarios do PAVILHAO 5
^t DA AURORA respetosamente convidara i
^ as Exmas. famlias a visitar este espa- 5
g coso e rico estabelecimento que, alm de g
j{ ludo, est dolado do pessoal necessario |
H para vender e levar amostras s casas a
^ que as pedirem.
Pelo ultimo vapor receberam ricos cor- fi
S tes de vestidos para casamento, lavas de |
& peca. ricas chapenhas para senhoras |
9 e diversas fazendas modernas.
jwAberto das 6 da manhaa asi
M 9 da noite.
IiOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo 11. 9
Os proprietarios deste bem conbecido estabele-
cimento, alm dos muitos objeetoa que tinham ex-
postos a apreciacao do respeitavel publico, man-
daram vir e acabara de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento de
finas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de seu costume,
por precos muito baratinhes e comraodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, brau-
cas o de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas goflinhas e punhoe para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para cabecas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 304000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambera grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
quantidade de outras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni
as de 1 a 12 annos de idado.
Navalhas cabe de marfim e tartaruga para_ fazer
barba; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem assegurams sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capcllas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo Din.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumaras e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
fa-nlitam a denticlo daslnnocentes mancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por toaos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
romo j tem acontecido, assim pois poderlo aquel-
les que delles precisaren), vir ao deposito do gallo
vigilante, sonde sempre encontrarlo destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao flm
Sellta buratos,
N. 27. RA DO LIVIAMENTe N. 27
Nsle estabelecimento vende-se sellins e
siilics, de todas as qualidades do melhor
que se pode fabricar no paiz, assim como 01
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxoes, traviceiros, caixi-
nhas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. O proprietario deste esta-
belecimento garante a pontpahdade, esme-
ro e zelo de seu trabalbo ; portante pede 10
respeitavel publico sua proteceo, que affian-
Ca vender tudo pelo mais barato possivel,
e por menos do qne em outra qualquer
parte.
3 cordeiro previdente
Ru Juclnijnlo n. 1.
"ovo e variado sortimento de perfumara
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que effectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella ataba de
receber um outro sortimento que se torna
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
lade, qualidades e commodidades de pre-
;os; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a aprecia^to
do respeitavel publico em geral e de $na
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conhecida mansidao
i barateza. Em dita loja encontrarlo os
ipreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos memores e mais acreditados
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, c vilete para toilet.
Elixir odontalgico para coDservacSo do
sseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
d outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
(rancezes em frascos simples e enfeilados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
-0 de violeta.
Outras concentradas e de ebeiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo pbilocome verdadeiro.
Extracto d'oleo do superior quabdade,
ora escolhidos cheiros, em frascos de dife-
rentes tamaitos.
Sabonetes em barras, maiores e menore
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos mnito finos em caixinba para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
aas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e d
moldes novos e elegantes, com p de arroi
a boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras differente
qnalidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrlhoi
8 alguns d'elles ornados de flores e fitas,
esto todos expostos apreciarlo de quen
as pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNIIOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfei?5o.
Flvcllas e Otas para cintos.
Bello e variado sortimento de taeyobjec
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com!
prador.
Cahriole-t Doca t.
O melhor neste genero, e perfcito oslado, ven-
de-se um ; para ver na cocheira de Thomaz Linr*.
ra de Santo Amaro, c tratar na ra do Crespo
n. 16, loja, das 8 as 11 horas na manhaa e das 3
as 6 horas da tarde.
Cal de Lisboa
chegada no ultimo navio, tera para vender Joa-
qun) Jos Gndcalves Beltrao, no seu escriptorio i
ra do Commerrio n. 17.
Vinho de Bucellas
qual dado superior, em quartos de pipa.
vende-se em casa de Wu Sobsten & C.,
ra da Cruz n. 9.
Farinha de milho
para cangicas, papas, bolos, pao e outros multe*
misteres, acaba de chojfar alpumas barricas dcsta
excellenie farinhn, dos Estados-Unido?, e vende-s
no armazem de Tasso Irinlos, no caes do Apolle.
lulas, xarope e vinbo
beba.
da milagrosa Juru
tAPK POPUIiAR
DA
FABRIf A Vmm DA BABIA
OE
Teixeira UlHwtco$C
Acha-se venda esto ptimo ran, nico qu*-
pdc suppnr falta do princeza de Lisboa, por ser.
de mui agradavel perfume, viajado, e a preco
mais mdico possiwl ; e por isso tem sido ass>
icolhido na? pracas da Rabia, do Hi" de Janeiro *
m outras do imperio : no escriptorio de J,,aquim
Jos Goncalves Beltrao, roa do Commercio nu-
mero 17.
Sezftes oh febres interniitenles
As pilulas anti-periodicas do Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pbarmacia de seu autor roa larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quartel do corpo de
polica.
HCEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicerife Fcr-
reira da Costa & Filho, defronte do arco da Con-
ceiclo, em barricas grandes.
Rogamos, pois, avista d9s cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virom
comprar por presos rauito razoaveis 1 loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7
Na ra do Codorniz n. 8 contina a ter um
grande sortimento de doces em latas e caixSes de
diversos tamanhos, cujo se vende por preco mais
barato de ana ertl outra a ualouer parto.
m taz m
Sementes de hortalices chegadas pelo ultimo
vapor : na ra do Livramento n. 38, arraazera de
molbado<.'Reittun-se o importe ao corarrador, uo
Pilo Smteio.
Estar venda as tercas e sextas-feiras, na
padara allcmla. ru do Lima, em Santo Amaro,
no-Recife. Recreio Commreal. em trente a rus
d> Vigerion. % ra da lmperatriz n. 80, rna do
Rrum n. 56, e no armazem do Campos, ra do
Imperador.
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster e
., ra do Imperador, um carregamento de ga
de priraeira qualidade; o qual se vende em partida
e a retalho por menos pre qner parte.
CADET
GURA
ERTAeINFALVEL
em tres das
Ph^BDenainr
fe A R I S
Pars, 36, Ra ViTlenne, D*
CHABLEMDECIN
COGNAC.
De superior qualii ade da mui accredita
da fabrica de Bisq-uit Dubouchft dC em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. raa do
commercio n. 32.
No escriptorio te loa-piim lo< UmflJUB-
Re ira 1. rna do Commercio n. 17, existe pin
vetider-se nm escravo crioulo, mocvi, com otBc-in
de pedreiro.
DASENFF.RMll.ADA KESSfcSUAtb, AS kWWWOl
COES ruTANRA^.F. ALTS1UC0E8DO8411001.
110 AOOcunif dUMtf>MfMW
miiti/. rpu, mrnm
fcowtooa, m-hmmitjm
erfou, viciottu MM
-------Jf/i mi, mttirmeam
00 >; .e (Xrope vc^xtalMD reario). I
rl. rr,rufi BAWII i
tomio-se ilou por semina. ttiat I
!>' 'tnih-f t mmgtpntt wuui aolwtiM,
Em* XaroM Cima M
ferro CHABLB. ir
i m medi*UBiUf MlfW
ente os flnxon r fiaren hraacat 4*f Ultam m
Em* iojkcso banifu *m[iregs-* eoa a lar*** t
Citrnctn di F*rro
tuaorrairta* Pcmid qi* *t cttr Dn i*^'
POMADA ANTIHERPETtCA
Contr* u* affKfo outanta* twijj.
PILULAS VEGETAES OEPURATlVMI
io B* tfcWs. ti fruto vat i
a Ub*.
DEPURATIF
i-. SAIVG
PLUS DE
CPAHU
i

.
X
r-^


Diario de Pernambuco Quinta feira 16 de Dezembro de 1869.
7
P-

K
\\
DE
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
(80WU 5)& QaP3Qftra2=Gh (5(D
DE
FLIX PEHEIfM DA SILVA.
O propretario d'este grande estabelacimento, vendo quo se est aproximando o fin-
do anno, e tendo em ser uro grande deposito deposito de fazendas; nao fallando em
avultadas epcoramendas que lhes estao obrigado todos os das, tem resolvido liquida-
las por preco muite mais baratos do que em outra qualquor parte ; so eom o fim
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontra-se neste estabelecimento do
PAVO, avallado sortimento deiaz^ndas de luxo e modas; assim como de primeira
aecessidade. As pessoas que negociara em pequea escala n'esla toja poderao surtir-
se vendendo-se-lbes pelos precos que comprara, n-s casas inglezas; assim como as ex-
cellentissimas familias poderao mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou man-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
acha constantemente aberlo das G boras da manhaa s 9 da noite.
ALPACAS BRANCAS LAVRADAS
Chegou para a loja do Pavao um grande sorti-
menio das mais bonitas alpacas brancas lavradas
o de cordao sendo n'este genero o mclhor e mais
lustroso puejern viudo no mercado, tem algumas
tao linas e lo bonitas que servem para vestidos de
noivas e vondom-se por comraodos precos.
LAZNHAS MODERNAS NA LOJA DO PAVO
Chegou para oslo estabelecimento um grande
sortimento das nielliores e mais modernas liazi-
nhas para vestidos, sendo tapadas o transparentes
de todos os procos o qualidades que so vendam
mais barato do "que em outra qualquer parte.
Crochs para cadeiras e sofs
O Pavita tem nm grande sortimento dos
mais bonitos crorhs proprios para cadei-
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melbores roupas,
wado calcas palitts e coletos de casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
san desejar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qnalquer peca de obra, com a raaior promp-
tido vontad do freguez, e nao sendo
obligados a acceita-las, quando n5o stejam ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
completamente ao seu contento, assim como
a'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
dono e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
tra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-so urna grande pon;5o de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. O. De Flix
Pereira da Silva.
FAZlXDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Encontra o respeitavel publico neste estabileci-
meuto um grande sortimento do fazendas protas,
como sejam. cassas francezas e inglezas, abitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de la de
Codas que tem vindo, proprias para luto, come
sejam, laazinhas, alpacas lavradas o lisas, cantao.
omhazinas, merino, etc., que ludo so vende por
preco barato.
AS CASSAS DO PAVAO
Covad.. a 300 rs.
Vendem-se nulsimas cassas francezas com li-
dos des>>nl>os o cores ixas a 300 rs. o covado.
Madapoiao fraticez a 7_000 rs-
Vende-se pecas de madapoiao rancoz
com metros pelo baratissimo preco de
7/5000 a pera, pichincha.
Alias uoviilailes em sedas
(RVM>E \0V1DADE
Quaado a AGUIA RRRNCA, mais precisa scieniiticar ao respeitavel publico em
geral, e em particular a sua boa freguezia, da iraraensidade de objectos que ltimamen-
te tem recebido. jiistament**piando ella menos o pode fazer e porque essa falla invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que Ih'a atlenderSo e relevar3o,
continuando portante a dirigir m-se a bera conhecida k ja da AGUIA BRANCA ra do
Queimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sortimento de supenoridade em
qualidades, modicidade em precos o o seu nunca desmenttido AGRADO E SINCERIDADE.
Do que cima fica dito se conbece que o tempo ie que a AGUIA BRANC V pode
dispar, emprendo apezar de sen* cusios no desempenho de bem servir a aquelies que a
honrara procurando prover-se em dita loja do que necessitara, entretanto sem ennume-
rar os objectos que por sua natureza sao mais Gonhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquellos cuja importancia, eleg.nca o novidade os tonum recominendaveis, como
t>m seja
como proprios patacobrir presentes, e ven-
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte,
GLACE' A 1:200 PARA VESTIDOS
O Pavo tem esta nova fazenda lisa pro-
pria para vestidos, com as mais delicadas
cores e com mais lustre do quo a propria
seda com i palmos de largura que facilita
fazer-se qualquer vestido com 10 covados
o vende se polo baratissimo preco de 1:200
rs. o covado, pechincha.
('.RETOE DA INDIA PARA COLCHAS
O Pavo tem esta nova fazenda cretone
propria para colcha?, com os mais lin os
padr's chinezese com as cores inteiramen-
le lixas, tendo largura de chita franceza e
veude-se em conta,
Organdys a 360 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores cm pad'es miudos egraudos. sen-
do todos de cores fixas, pelos baratos pre-
sos de 360 rs. o cova lo.
ALGODAO ENFESTADO
Vende-se urna grande pnrcjb de aigodn-
sinli i ainericanw com 8 palmos de largura
proprio para lences e toallias tendo liso e
ti rucado que se vende, por preco muilo em
cunta.
Chegou um grande sortimento das mais
moder ias poupelinas ou gorguros -lo seda
e linho com os mais elegan es padres que
tem viudo a este mercado sendo, miudos e
graudos. tanto em cortes para vestidos como
para ven ter em covado, as-im como um
bonito sort ment das mais bonitas sedas
stradas que se vende tudo muito era c;-.nta
Grosdenaples de cores
Chegou ura gran-te sortimento dos mais
bonitos gro>denaples de todas -is cores para
vestidos que se vendem milito mais barato
do que. em outra qualquer parte.
CHAPKOS DK BRIM A _,J000 RS.
Chegou urna grande porco de chapeos
de brim para cabeca que se vende pelo ha
ratisimo preco de _:?000, por terem che-
gado com um pequeo toque da mofo. E'
pechincha.
GRANDE PECHINCHA A 5:000 RS. PECA DE
llretanha
Vende-se p>cas de uperior bretanha de
algod" tendo quitro palmos de Jargura
fazenda seria para cnstar 85000, a nao ser
*jma granile comiira que se fez, e liqnida-se
a 85000, cada peca.
Admiravel pechincha
ALPACAS A 400 RS.
l)E FURTA CORES A iOO RS,
ALPACAS A 400 RS.
Vende-se ura grande sortimento das mais
brilhantes alpacas de fort'a cores cora as
mais lindas o mais modernas c6res imitan-
do perfeitamente as sedas de furta cores
sendo nesto artigo o mais novo que tem
v'rado ao mercado, para vestidos, muito pro-
pria para as senhoras que forero passar
testa no campo, por ser urna fazenda de
muita fantasa e pelo barato preco de 400
rs. o covado.
Bretaahas'de rolo a *SOO a
pe^a
Vende-se superior bretanha do rolo ten-
do 10 varas ou H metros cora 4 palmo>
de largura peio barato preco do 2^300,
pecbinena.
Ossetins doPavo
Vende-se os mais bonitos setin3 de core
tendo de diversa- cores.
AOS PALITTS D) PAVAO A 185 e
20*000.
Vende-se um bonito sortimento de palit-
ts francezas sendo, sobrecasacados e pro-
priamentu sobre-casacas, que se vendem
forrados de alpaca a 185000 e forrados de
seda a 20$00o, pecuiacha.
COLCHAS DE FSTAO
Na loja do Pava vende-se om grande sortimen-
< de colchas do fastao sendo brancas o de core*
4iU de croch para camas de noiva, assim com
oaitoe daiaascie de laa para oolcbaj.
Na loja iw Pavo vendem-se os mais
bonitos chales de verdadeira cachemira de
cor, com os desanos mais modernos, a h5,
90 e 125000. muito barato na ra da Im-
peratriz a. O.
BASQUINAS A 12*000
Na loja do Pav5o vende-se as mais mo-
dernas Jwsquinasou manteletes degnipure,
pelo barato preco de 125000 cada urna.
Na loia e armazem, do Favfto rm da Imperatriz n. o
Corpmhos de cambraia, primorcsmente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de moldo e perfeico de ador-
nos (s tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores o qua-
lidades para cintos.
Leques uesso objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosameme
por suas qualidades, cftreee desenhos, tal
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
>!iFil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constmte sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos peules dourados
o "rande e variado sortimento que acaba para circular o coque
de chegar. mas para nao massar o pretn-
deme se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Enlremeios em peca? de 12 tiras.^
Guipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodSo com flores e lisos.
Veos de seda para cbapelinas o monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abenas de fio do Escossia.
Costumes ou uniformes para menros.
Enxovaes completos para baptisados.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e bi incos de madreperolr.
Caivetes liaos para abrir latas.
Tnesouras para frisar babadmhos.
Aspas para balan
Nvos stereos-copos com 48 vistas, as
quaes s3o movidas por um machinismo
urnas substituem as outras.
Vi>tas para stereoscopos
Bon.tas caixinhas de vidro enfeitados com
i pedras.
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dminos, -
Bollas de borracha para brinquedo de
Touquinhas de fil, sapatinnos bordados criancas
rais para ditos. Diversos objectos de porcelana, proprios
Camisinnas bordadas para ditos. para enfeites de mesa e de lapinhas.
mmmn para a festa
Yeude-se por menos do 10, 20 e 30 i<,
SO' NO
HiZII CONSERVATIVO
N. 23Largo do Ter DE
t-Maiis de linho
Chegou um grand- sorthnentn de pecas
de panno de Indio do Porto que sv vendem
de 70o rs. ale 15000 a vara, garantindo-se
que em fazenda de linho nao ha nuda me-
lhor, ncm m.iis proprio para lences e toa-
dlas
PECHICHA EM CIIXPEOS DE SOL
Chegou utn grande sortimento dos me-
hnre> chapos de sol do seda, ingiezes ten-
do neste art gn o melhor que tei viudo ao
mercado assim como tima grande poroo de
ditos de alpacas de toda* as cores e todos
e vendem por preco muito mais barato do
que em 01 tra qualquer parte, por have.r
ande pcrciio.
neos braucos
Vende-se flm grande sortimento de len-
cos hrancos para homem, sendo a duzia a
I56<>0,2iH0) e 3o00. ditos abanhados
muito tinos a 'l e 65000 a duzia, ditos de
etrui3o fazenda muito superior a 55, 65 e
70im.
Peehleha em caseinlras a 4:000
/Vende-se linissim^scasemirasde cor com
fbstras ao lado, tendo duas larguras e rom
as cores mais novas e mais bonitas que ten*
vindo ao mercado, pelo baratissimo preco
de 45000 o Covado ou 75000, cada corte
do calca.
Os baloes do Pavao a 2&000,
Cheg u um grande sortimento de baloes
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 2#000 ca-
da um grande pechincha.
SIMAO DOS SANTOS a C
Os propnetarios desie bem sortido armazem de secco e, mnltiadns estao re-
solvidos a fazere urna grande diminuico de preco.-. uas suas mercadorias. como se apro-
xima a festa c sempre s fazetn avultidas compras para o centro e praca, poi
isso pre.vinem ao respeitavel publico em geral, quo mande fazer su;-s despeinas o cer-
Los de que verlo a grande diflerenca em precos mais do que em outra qualquer parle
tarantn lo-sc as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 95500 a lata, e 440
rs. a garrafa e 660 rs. o litro.
SEVAD1NHA E SAG 280 rs. a libra e
G20 rs. o kiloframmo.
FARINH \ DE ARARUTA VERDADEIRA
6'iO a hbrae M4K) kilogramiiio
BOUX1NHA INGI.EZ\ MUIT(NOVAa
400 rs. a lihra e 8"Ors. kilogrsmmo
VELLAS DE ESPARMACETE a 70 rs. n
masso. em raa ha abatiinenio.
PHDSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANZA, 280. 4(10 e 560 rs. o masso.
VINHO VERDADE1RO FlGUEIRA 560
a garrafa, o 40500 a caada e 800 rs o li-
tro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 25800 o
352i0 a caada, 6<*>0e 7' rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 45000.
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA ^200 e h5o00 a groza
201, 240 e 3*0 rs. a garrafa, 1500, AMEIXAS EM .LATAS
1 800 e 25200 a caada.
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
narrar*, e a 75 a caada, e 15340 o litro.
\I\NTE1G\ INGLEZA FLOR 15400 e
152QO a libra, 35060 e 25780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 960. 900 e 850 rs.
libra, e 25IOO, 15980 e 15860 o kilo-
:jrammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a li
Ura, 15220 o kilogrammo, em porco se
ara abatimento.
0 Campos da ra do Imperador n. 28,
no intuito de servir salisfalpri mente aos
seus innumeraveis amigos c freguozes, em
particular e em geral ao respeitavel publico,
desta cidade ; avisa aos que fsliverem pas-
sand o lempo cilmoso, nos deleitavois
arrabaldes desta capital, que lem resolvido
vender, de de superior qualidade, a preces
razoaveis, os sagrantes gneros a saber:
PARA CIMA DE APARADORES
Latas com doce em calda de diversas
qualidades nacionaes e estrangeiros.
Ditas com peixe a saber; salmn, ostras
e lagostas.
Ditas com ervilhas francezas e portugue-
zas.
Ditas com gcla franceza.
Cerveja franceza verdadeira Bobee.
Presunto para fiambre e afiambrados.
PARA DISPENSAS
Latas com cliourifas novas sendo de 85,
cada urna.
Presuntos de Lamego para tompeiro.
Cuias do Para (pintadas pelos indgenas
daquella provincia.
Copos de vidro com dobradica o tampa
para diversos misteres.
PARA OS QUARTOS DE DORMIDA
Porta-phosphoros cheios de phosphoros
de segnraijca.
PARA SALA
Churulos de S. Flix do afamado fabri
cante Costa.
Fumo picado do Daniel de S. Joo do
Rio de Novo.
Alera desses gneros, o Campos tem con-
vcc5o de que o seu estabelecimento um
dos que podem salisftzer com garantas as
exigencias bem entendidas, dos Ilustrados
habitantes desta heroica provincia, porquan
to S" acha elle bem prvido de gneros su-
periores, de maneira a nao desmentir '
0 Campos.
AVISO
I
Os proprielarios do BAZAR DA MODA
sito ra Nova, nesta cidade, declarara 30
respeitavel publico c com especialid-de aos
seus freguezes, que, principiara de boje em
diante a vender o grande sortimento -4c
miulezas, perfumaras, quinquilharias, ar-
tigos de moda para bom ;ns. senhoras e
meninos, com um grande abatimento em
precos para liquidar a .dinheiro.
A grande variedade de objectos de gosto
recebidos da Europa, onde os mesmos pro-
lirietarios entreten relavescom habis cor
respondentes habilitados a ol reccr as
maiores vantagens possiveis c hojo est;nn
resolvidos a liquidar com poucolucro, acua-
rio os compradores urna dilleienc-i superior
a 30 por metilo menos do quo em outra qual-
quer parte.
A PHECO FIXOsao vendidas todas as
mercadorias constantes do estabelecimento
e por este s-ystema.do negocio podem sem
escrpulo comprar, cerlos de que nao se-
ro Iludidos.
Tem empregados promptns a i-ondiizirein
os objectos ou amostra a qualquer casa que
o exija. J0
Bazar d ModaIo do d- zembro de
Jos de. Soma Soar.es >6 C.
AS CA BRAJAS DO PAVO A 4:500 RS.
Vende-se urna grande porc3o do pecas
do finissimas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com mais de vara de
largura pelo baratissimo prego de 45500, a
peca sendo fazenda quo nunca se vendeu
porraenos de 85000, grande pechincha.
AS POUPELINXS DO PAVAO A 500 RS.
Chegaram as mais lindas poupelinas de
la com imitaco das poupelinas de seda,
um' fazenda muito levo com as mais lin-
das cores, sendo: verde Bismark, r&xa, azul
yri, c asento, perofia etc, etc e vende-se
pelo baratissimo preco da 500 rs.
Fustoe brancos para vestido*
Chegou om lindo sortimento dos mais ba
istras
E CACHINHA*
DE MUITOS TAM\nH0S 14280. 2550O
35500.455i 10. 55500 a lata e a retalho e 15
G< )MMA DE MILHO AMERICANA 400 r>
o massf. o em eaixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
3 libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 55500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM RASS. VERDADEIRA IHLERSA
BELL, 800 rs. a garrafa flMa duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANHA DE PORCo DE BALTIMOOR .i DIVERSAS M\RCAS 15500. 15200. 15 e
720 rs. a libra, u 15560 o kilogrammo, em 800 rs. a arrafa.
oorco se far abatimento.
ARROZ DO MARANIIO E DA INDIA
120 o rs. a libra, 60 rs. o kilogrammo o
I&IOQ a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 65<00 a arroba.
GAF EM GRAO 65 e 65500 a arroba,
OO. 240 e 260 rs. a libra. 440 e 520rs. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SABO MASSA 240 200 rs. a libra,
520 o 440 rs o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a libra a
1-220 nkdogrammo.
BOLACHINHXSEM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, hem Como perola bri-
dante, comnmation, Francv-cracynel, nmed
Britania. Mdium, Fancy-nic-nac. a. t), c, e
soda a 14000 e 14400, cada ama lata.
Assim como, ha outros muitos
GENEBBA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 75 e 65 a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
a 114 a frasqueira e 14 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES, a
3"O0. 24800 o 25400 em caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 114800 a arroba.
L1NGIJIQAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 14000 rs. a lata.
LOMBO DE PORGO ASSADO JA PROMP
TO a 150OO rs. a lata.
CHA FINO. GRAUDO E MIUDINHO
34200 e 24800 a libra, e 64100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 240OO.
25200 e 14800. rs. a libra,
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas.
BRACO DE OURO,
Ra do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimeoto encontra-se
diariamente um vaiadg ^oitimeutn de bo
liuhos para cha, pastis, podio bollos in-
glezes, pas de l presuntos, ditos 1 m Bam-
re. superior rli H-.sson. preto, o miudi-
11I10. Vitdios linos de todas a.- qualidades
conage, licores, conservas champagne, cer-
veja ingleza\ liurius muito boas, por-
tuguezas e francesas.
Um completo e variado sortimenta de
caixinhas de todas os g.istos e precos para
mimosear senhoras. estas raisinlias recen-
lemntecheTarias de Pars >ao de primoia-
do go.sto, olieresse-mli-las aos galantearlo es
do bello sexo pois sellas acharan mn digno
e serio presente, para as donas dos seus
pensamentos. Tatnbem os apreciadores da
t>a fumaca encontraro rharutos dos me-
lhores fabricantes da Babia o de Havana
sganos do Rio de Janeiro etc. ele.
Doces d'ovos seceos, christalisados o de
calda, ditos de caj e de outras qualidades
Nesta casa recetiem-se encoinmeiidas para
bailes, casamentes o baptisados e qualquer
encommendas avulss, como seja p5o d i
e bollos enfeitados 9 outros mui'tas r.ouzas
que enfadonho mencionar.
f|. A tendi
Joaquim Rndrifties Tavares .i MelN>^
ten para vender m> sen eseriptrin, pra-gJS
5a do Coipo Sant 1 n. 17 priiin-irn andar,
potassa da Russia ullinianiente cliepada.,"
cal de Lisboa e Vinho Bordeaux de supe-i
rior qualidade.
Grande liquidacao de Cttopdjis baratissimo
para acabar, cojas fazendas sao as que
, fornm dos Sis. Costa i GasH', qno em
dezenibio do auno proxypo passado p?-
gavam og .rua do Cte
lina Sova d. MS.
E-liio se vendend.) p.ira ltr|(i!itar grande rj'.i
tidtdc do fawndas liarat>sira;r'. 6 piv>|iriaa |>a
festa. comoteja taem |>c-n
tsUido com 3i covados a / ;Mki, pivvalias re
dM padrocs a ilOU re. o canin, caiubratas iVanes-
zas de muito bonitos padroes a 300 rs. para
bar, peras de fino camliraia vlekiPia em perfeito
e^tado ."i, ; ,.*>00 e 65, ditas traitspaivnles a
i.ih;os de iinlio para ray a loCO-a duzia, r
sasfraneatas a l^oOO rada urna, e ntrat muita
fazendas que menciona-las seria onfadoBRo. Apro-
veitem .1 perhineha.''K; at sabbado aeha se e
tudo per todo o preco.
Bartholomeu & C,
ViNi'O, \':u i..-.:., X..:;'.):'.: I TI
tk JiinueKiu sMrr.Ks k FEr.iisrHOto;
OCEO, !'-v.; vii.m-: !'"::: LA8T!B3 :;.i -a:: 9M
l'l.'.-'TA IT.HI'AU/.l.'i;.-: 'O'.l
BABTHOtOJKB i CA
L'UAH .MAC hi1 ICOS- !> li Jii U .-TAS
A J ti i i. --:-;. : c-iirt (.;.!:H.. : liujfi f^., ';
ClWI'i Bill!1 p'i - m:'U1c. i-ntiinlil AffiliClJi KiH i-!.-?:i::\T.'..'J
a l^Jue iuv". h**;i. '!:-, ili'-xi, luuiiv* nit:-
qu c -:>|rf. l*i ::]'?.
j'.-l'.a!1, :lr.; BtUU^'JHt* aU f#fT <: \:l:\ t:? p9llldtt
curf. eblonnua <; f*Mn -c ucn^ruAfAi, dr&tw*
KM A\> BftlUlpMpl, Cli;.. r <* |iC PlXim J^
imni:ner;;> pin i ll pi;|3r.i';iS ji l>c:n cotin-oiiio c Ur:io.is r*;.* ra.a
dtt4ipcUM< iuei
nos-.uS tlL'jiObttU.* ll.^tnbuil'' i-'.l" rtil('rlu> ijr
uj^ibor bbcm cootmeer a lamba seo- raralUM*
t *'i).!tcact.
PAKA A FUSTA
3 portas, 1 ja de fer Jirm
53-Rua Direita--53
Neste granuo cstihelecimento, lia |>ura vender
.un completo foriinieuto d", ferragcn", e ndiidi-zas
finas e grossas, pomo sejam bandeja^ ebini'zas
quadradas o oraos, titeas e garita de f bis-
les, balaneo inteiro e 1/2 balando : panrlia-, i!--
Iheiras, eanmila?, fri;:deiras, ,i-..-;:(lnii.,s, tanto
de ferro coma d;1 Drcelaoi.....
diversos tamaitos do fabricante Japy, pcMo kilo-
(rfavuos. t.-rnto de ferro romo delata", im-irus
para medir fazenda tanto de cito enmn i lat >,
alitre, breo, barlwnte. onxoie, panel marra da-
do, do verdadeira Picardo, machinas para de.*ea-
ro^ar algodo j alm do outros artigns de forra-
gem, mmdezas entila ras finas, ana s r ni ;i ris-
la se verifica ; na ra direila n. '.:' loja ili- ;> p< r-
tas de Marmol liento do Olivira Bra^A C"
Finalmp"" mn
lf,C
VEILDADEIRAS
muito novas, passas e iH?o novos. charuts de diversas marcas, marranada, frita pt-ln^
melhores conserveiros em Lisboa, gela ele marmelln, pcego, ervilhas, em latas, pr-
ratos e bonitos fu^tocs brancos com listras tugueMH e francezas. vinho verd engarrafado a retalho. peixe ero latas, bem com,
e cordoes, sendo fazenda b stante larga e .w8Ca(ia> tainha, pargo. pnraz, lula, corvina, vezugo, cavada, sarda e sardinhas de Nan
flexivel, muito propria para vestidos e roo- |es ,'ian^||at craVo. ervadoco. cominho. piraenta. grandesmnlhos de seholla 15500
as de m nios e vendem-se a 640 o co- p;n'Qimont0 mn i-im>
vado.
BONITAS LMSINHAS
OU ANVDIN\S A lOOORS. O COVADO.
Chogou para o Pavao, um grande e va-
riado sortimento desta nova 'fazenda. de la
e seda propria para vestidos, com os mais
delicados desenhos e mais modernas cores,
tendo bastante largura que facilita fazer-se
nm vestido cora poucos covados, pelo bara-
tissimo preco de 4*ki o covado, por j es-
tarem muito prximos da fe>ta.
Proprias para urajantar
Veudem-so no armazem da ompanhi lvr>i m-
bneana elxas com una duzia de jairafa- iW. vi-
nho Madeira, sortidas de puro e gftnniui, ii>e-
Ibor qoo possivel sruiiuzir-se ; lia apenan p .:-
ea> ranas.
Grande liquidacao
45Ka Dheila45
Bnrz- guins. de senhoras francezi s < da
homens, sapatos de senhora de marro-
(niin o de lustro, snalos de brim paia
hoirn-m, in-'iroqtiins, taha pata sapatia e
hniz.'giiins. conrinhos do cabra, s< h. e to-
do sin limciit prqpiio pana casas d-tle t::-
oiiiii. ([no tudo se vendo a dinheirn ir
ni nos do sen vajor, por ter sido arrrma-
tailo un Iriio e se querer liquidar era wu.
eos dias.
S5Ra Direila4u.________
Da m-dhor qa*flrtadfl o por menor preco
[|ti.: era outra qualqner part, venrtem vroa-
raKMoreira C em sctt-armizom d Cws
i!a M'and ca n 7
Milho e feiio
Vende-se m trapiche daesmpanbia, ao largo do
(Vrpii Santii n. 1^
JliiJIllll
Re3ta venda um escolhido sortimento do ot>
lectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja
rand: mogno e amarello, obra uacional e estran
{eir, ao apurado gosto o por prajjo- ra>avei>
aa ra estreita do Rosario n. 32. Nesta mesm;
asa fazem-so com perfeico iodo> os trabadlos d-
lalhinha, como sejam, empalliamentos do tastr-
iara camas, cadeiras o sopns.
Papel para embrulho
Compra-s- na roa da Imperatriz n. 6o.
Loja di PavSo.
rPILUUS DE
BLANCARD
COM IODUMCTO DO rtlMO INALTtliaVIL
APPROVADAS PEU ACAD15MIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Naminde as propriodade* do !* M do /rr*. onvan pcdalmenta na Arviccots
wjwiruiogas, a Tmka no prinelpio.a f**q**vi d i*mfram$nto tamfmm eaana do
Falta ni cAn. Awnfoaama.am jw nreeiaaF.anrt obm o sanooi neja para restltob
Uto a ana riqueza e ahwidencia normaes, on para pnnueor o regular o ton euno periodleo.
H. B. O IoataiM* da fcrre impar* o lurade mm aMdiraiMMo taifil
arritoBtc Como rror d paras* O aa atthcBridad* dki uaaarlra 14
aval, dwaal n\gk aouo aotio > arata t>Uta I
naj raandaxMa, qn H acha aa para inferior do U
. DnaM damnaiar aaa falsificco*.
fharmteiuHet, rao i
m
OaH aaaOoi. Boa i
A ra do Livramento n. ti, contma a ha
er para vender por preco* rasnaves,
nelhor vinho verde at hn|e viudo a esi-
nerrado ______________
RA DA GliOHI.4 *
Olaria lo HuiuIho.
Ha sempre nesta olaria grande s.-rtinient d.
oateriaes, como tijoloa de al venara batida, ladn
ho, quadrado de 8, mais pollegadas telha-..
elhoes, lijlos de tonamontos O pigrietan-'d>s.
a otara caranl- a bondade e tarro de toes inaln
riaes, como tmbem venuVae ni la Varato do que
m ontra qnalqo"r n*r'e.__________________
Eseaayss fueieos.
Fugio no dia 7 do eorronto mez de nnv.-m-
hro, ae-crava Joaquina, erinnla, do nhde 40an-
no. cor preta, balsa e rh ia do corn. t'm una
mclha rasgada mi lugar do brinco, nma peque-
a cicatriz na tesia a um lado, dona di ule ua
frente abertos que paree? falta de um, ma- nao :
i'-ta escrava sn oerupava em rairagaraftua r. pa-
leo do Terco, ou lavando nmpa petos rw|ueiros
junto a ra Imperial, c per estes logare- que
ella ro-tuma andar. Hoga-se aos Srs. eapHiesde
i-am|H> a aprehenso de-ta escrava e a levar a
ra do Queimado n. 39 terceiro andar ou a praca
do Orpo Santo n. 17 primeiro andar, que serac
bem recompensados. ______
])a-se 50|000 de gratifica-
Fueia no da 29 do prximo passado mez a ea
erava de nome Bertoleza, idndo 45 annns, pou.'O
mais ou mcni-s, cor parda, cabellos rarapinhoA,
pernas grosaas,ps seceos, dedos dos p.- c das
inaos eoinpridos, seio pequeo, beieos biwsk,
bocea regular, anda mnilo ligeiro, b-m fallante,
levou ve tido cabeca de labuiniho e saiatambem,
ambos bmnco?. tem om sig'nal do um antiaz na
nuca, do lado direitn ou esquerdo : roga-M-. Mir-
tatltn, as autoridades pollrines o eapi'aes de cam-
po a apprenensao da mesma, o leva-la ai> Reme-
dio, casa do abis assignado.
Antonio Menelles Cordeiro de Cusmao.
Kugio ha dias do mez prasim pa-s. d.>, do
engenho Fornn da Cal, os don* oscravo-. VidI,
preto erioiilo, iiadc 10annos, p>Dco mais iios, de pstatnra regular, tem barba -erra a. dns-
e.onfia--e andar por Goianna, visto ter -ido d.- en-
genho Jacard ; e Rayn undo, cabra, idade ?J n-
iins. poueo mais ou menos, tem bnita flgura e
fallo femenina : qm-m os pegar e leva los ao en-
genho aemia. ser heni reromnensad.
_ Fug.o no dia 8 do coi remo mea de deten)-
hro de 1K69, do engenhu Giqui, freguezia da Ka-
rada, o cscravo Paul, cabra, de idade 40 annos,
llura e eori. regulares, barbado, cabellos cara-
pmh-n, peitos e pernas bem cabelluda, rj-ra r in
m n*as de lv_iias. ti-m marca do rhici ie pelas
oslas rom iwrenrias de qneimadaras, ve>iido ora
calca de brim pard>>. camisa de martap> I", cha-
i^o de palha de carnauba, fui eseravo do padre
Loiz, m rail;ir nos AT gados, tendeo nie-ni -
cravo lailtier e lilhos n.sse lugnr : ng->v 1001
d> gratifle cao a qoem o prender e fem-ln ao ojio
engenli. ou na ru; do C.abug n. II ao Sr. Fru-
iseo Ant-iiio d Rrilo.
Sag, sag
muito UO'O a 100 r-. a libra, e 80 r*. de 10 libra-
para a im; na ruj Nova u. 60, armazem da Liga
Fugio no da 10 0" n.rivute me. 'I" Ny.nlio
Hegaa, lieguezia da V;-r ea, o esera < e
Julo, de naca- Angola, balso, corpo regular, fil-
iante, p-apalhetados, de.losdos psabr' -. inaos
e bracos grossos. temto nm dellcs um def-o um
nm 1-an.C" en. mu da raalas prov,.,,..-!,.,. de
urna ferida. dente- alvo-, cabe! r !*
pirfond, tend.i n centro da cabeca cm e-i-ne
le crva : n-ga-e as aiH-N
p taVs de campo ppreh.-_ i
loao dit. engeuh, quo soiau redaVf"*
!
leva-


8
Diario de Pernambuco Quinta feira 16 de Dezembro de 1869.
i
UTTERATOA.
Biblias protestantes.
Aot Seis esta fregnezls.
A recente emisso de biblias de edicclo
viciada, nesta capital, tem dado lagar a
muitas duvidas por parte denos, e inter-
prtameos inopias e malignas por parte de
outros, que por ignorancia ou m f vo
iHiauJo :ios espirites menos precavidos
e Ilustrados o virus pestilencial da horesia
e impiedade.
Aquelles', que 09tremecem em presenca
de tanta indifferenca religiosa interrogara:
-Porquo se permittiu n'alfandega desta
capital o despacho desses livros condemna-
dos pela igreja,' e se consente soa venda
sem reserva 1
N5o sendo o digno Sr. inpector o'alfan-
dega sectario por moda, ou con.vicc.So du
protestanismo, distinguindo-se alias, por
seu espirito religioso e obediencia s leis
da igreja calholica apostlica romana, claro
est que nao consentira em despacharem-se
essas biblias protestantes, se terminante-
mente prohibissom-no os regulamentos, a
que est sujeita a repartiese' a seu cargo.
E' o que tenho respondido aquelles
que so incommodam e escandalisam com o
transito fcil desses livros, que a associaco-
biblica-protestante de Londres, tem feito
derramar pelos seus eoaissarios, por todo
o orbe nlholico, pasando por todas as es-
tacos liscaes livre e desembararada-
mente!
E, tanto assim que sobre este assump-
to me consta nao podorem ser despachados
5as alfamiegas deste imperio smente os
npressos, que tendam a propagar dontri-
nas, que vo directamente ferir os dogmas
fundamentaos da religio christ:a exis-
tencia de L'eos, e immortalidade d'alma.
E sendo assim, como legalmente obstar-
se a sabida dos livros, e a industria do seu
mercador, quando o govorno em aviso de
4 de maio de 4868 son n. 146 adverte ao
presidente, e chefe de polica de Sergipe,
que era do* sen rigoroso dver respeitar e
mcmter a libeniade iiwidual, consagradas
no art. 179, i (1) 4* (4) i 24 (3) da Cons
tituio, (*> e que a polica nSo podia pro-
hibir a venda das biblias reputadas falsas,
seno nos casos expressos nos arts. 272 e
278 do cdigo criminal.
Eis porque d'cntrs mais de um milho
de biblias protestantes, que a assocaco da
propaganda tem mandado imprimir em
Londres e New-York, urna grande porco
coube esta trra da Santa Cruz ; e o que
mais sem que o poder civil, por causa
do poder civil, possa legalmente prooibir,
o seu mercado.
E, como, repetmos,, se o governo nesse
mencionado aviso citados 5 da Constitui-
co e cdigo criminal que raantm a invio-
labilidade dos direitos civis, e polticos dos
cidadaos brasileiros. que tem por base a
liberdade e seguraba individual e a pro-
priedade, garaniida pela mesina Constitui-
Co?
Eis por que foram despachabas as bi-
blias de edicc-io viciada, e som reserva sao
vendidas, sendo quo no foro externo nem
urna censura merece de direito civil o mer-
ca.'or, que desse modo de vida aufere la-
aras para a sua subsistencia.
A nossa constiluico poltica nao tolera
todas as regiocs. com seus cultos domes-
ticos ? (5) Nao se tem permittido a funda-
gao de mesquitas ? Nao se tem ensinado pu-
blicamente particular as doutnnas do pro-
testantismo ? Nao foi na capital do Rio de
Janeiro que a populado j observou un
escndalo edificanteas baionetas apoiando
as missoes de Luihero ?
Como porm a igreja, de que somos in-
digno ministro, nao tem ainda, e eremos que
nunca ter, reguiameutos que permutara a
destribuc i ou venda da livros, que offen-
dara ao que ella inspiradamente tem esta-
tuido c preceituado a seus filhos, o que
nos cumpria fazer, foi o que j fizemos
estaco da missa parochal do dia 21 do
correte, csciarecendo em um breve discur-
so, aos nossos. parochianos menos Ilustra-
dos e mais fervorosos a doutrina correnlc
da igreja sobre os livros da biblia catlvdiea
considerados cannicos pelo sagrado con-
cilio de trento em sua 41 sessSo de 8 de
abril de 1846. .
E, como nao fossem ainda sufcientes es-
sas nossas observaces, desde que nio fo-
ram feitas, pelo meos, maiorta oes
nossos parochianos, cumpre-nos que nos
socorramos de um outro orgSo de pubhci-
dadea imprensapara que apadrinndo-
nos com urna autoridade respeitavcl da
igreja brasilea, e eminente prelado, o ac-
tual Sr. arcebispo da Baha, demos mais
algum desenvolvimento ao que j deixamos
dito. ,
Com qoanto nSo nos seja possivel era
um s artigo de jornal tocar em todos os
pontos da biblia cainoliea.-quo tem sido
maligna e herticamente interpretados pe-
los livres pensadores; obretros do passado
e caminheiros do futuro, r mente aquelles que m3is teem silo esplo-
rados pela livre conscioocia dos inftiga-
veis mineiros do presento : a virgiodade
e concedi da Mai de Deus.
Leamos alguns excerptos da luminosa
Carla Pastoral do eminente prelado, pu-
blicada na Babia aos 29 de selembro de
1862, e antes que o facamos, cumpre
que demos urna ligeira noticia dos livros
bblicos, que em seu canon, a igreja catho-
lca considera sagrad >s ; bem como qnaes
os que foram supprimidos nesses volumes
que quando fechados, se intitolam de bi-
bliaspelas costas...
0 Sacrosanto Ecumnico e geral con-
cilio Trideotino convocado legtimamente
no Espirito Samo decretou como sagrados
e recebidos pelo raesrao Concilio os se-
grales livros :
VELHO TESTAMENTO.
Em todo fnso abracar (nd elttettam) >>
cclcclismo religioso, que 6 um navegar
seguro mais tranquillo em mares nunca
d'antes navegados poli softo do S. Pe-
dro !
inen
Oucam"j
tropoitano quando
verdades do I
luminosa pasto
prerogativas da
Deus
t Se aos Santos,
culto por que elle*
podem interceder:1
e piadoso Me
s^H eternas
~~ em stia
o culto, e
Mai de
presta um
de Deui,
* E, Jas sen esposo como era justo a
n3o quera iufSma-h: resolveu deixa-la
secretamente. Mas andando elle com isto
no penaamento, eis que Ihe appareco em
sonhos am Anjo d Stnhor o Ihe diz:
Jos, filho de Dovid, b3o temas receber a
IBaria ttia esposa, porque o que nella te
gerou obra'do Espirito Santo : e ella dar
a loz um'Aiho : e Ihe chamar' por nome
Jess: porque elle salvar o povo dos seas
peccados, (>8)'
Cinco de Moyses a saber: Gnesis,
xodo, Levitico, Nmeros, e Deuterono-
mio (6), Josu, Juizes, Ruth ; quatro dts
Res, edousdosParalipomenos; de Esdras
o primeiro, e segundo, que se intdula
Nenemias ; Tobias, Judth, Esther, Job, o
Psalteiro de David, ie cenlo ,e cincoenta
psalmos; Parbola, Ecclesiastes, Camitico
dos Cnticos, Sapiencia, Eclesistico,
Izaias, Jeremas, cora Baruch. Ezequiel,
Daniel, doze prophetas menores :Oseas,
Joe!, Amos, Abdias, Joas, Mchas, Nanum,
llabacuc, Sophonias, Aggeo, Zacaras, Ma-
laquias, dous dos Machabeos, primeiro e
segundo.
NOVO TESTAMENTO.

Os qualro Evangelhos, de S. Malheus,
S. Marcos, S. Luca3 e S. Joo. Os actos
dos Apostlos, escriptos pelo Evangelis-
ta S. Lucas. Quartoze epstola de S. Paule
a saber:aos Romanos, duas aos Corin-
thios, aos Galatas, aos Ephesios, aos Phi-
lipenses, aos Colossenses, duas aos Tnas-
sa'.oncenses, duas a Thiinoloo, urna a
Philemon, urna aos Hebreos.
Do apostlo S. Pedro, duas; do apos -
tolo S. Jo3o, tres; urna do. apostlo
Santiago, urna do apostlo S. Judas, e o
Apocalypse do apostlo S. Joo.
(1) iNera um cMadu piio ser uun
gado a fazer ou deixar de fazer alguma
cousa seno cm virtudc da lei. (Const.
Pol. Tit. VIH 1.)
(2) Ninguem pode ser perseguido por
motivo de relifiao, urna vez que respete a
do estado, nao oifenda a moral publica.
(onst. Pul. Til. VIH. V.)
f3) Nem um genero de trabalho, de
cultura, industria ou commercio pode ser
prohibido, urna vez que nao se opponha aos
coslumes pblicos, seguranza e sade dos
cidadaos. ('onst. Pol. Tt. VIII XXIV.)
(i) E' sempre nessas occasi5es que com
fava so r.voca, c adora a nossa arca
santa!...
(51 A religio ctholica apostlica ro-
mana contina a ser a religio do imperio.
Todas as onlras r^ligies sero permittidas
cora seu culto domestico ou particular, em
casas para isso destinadas sem forma al-
guma exterior de templo, i ("Const. Pol.
Tit. I. Alt. 5.
FfJLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMAHCE
POP.
Paulo Fval
Segunda parte
TR124 PAT.IHI
XXXII
Dansar-c-ha
(Cootinuacao do n. 280)
O Sr. Lecoq arredou a cadeira e foi
por-se defronie do fogio, com os bracos
crosados atraz das
O senhor, disse a baroneza. dirign
do-se ao marido, perguntou-n:*se o acom-
panharia.,.
'Opiiio modada,
rao, volViii !o i s
le fuga
Previ-riviil Bear, m
O Sr. Lecoq. incnando-sc,
sorriso ceptteo o av&hacatto.
Mais arrojado, disse. parodiando o
laconismo do banqueiro. Menos seguro..
Se alguem, diz o sagrado concilio da
Trento, nao receber por sagrados c ca-
nnicos esies livros inleiros com todas s-
suas partes, como se costumaram ler na
igreja calholica, e se achara na amiga ed
cao vulgata latina, e adccrtidatnenie des-
prezar as sobreditas tradieoes anathemasit,
seja excommungado.
digna de cscutar suas oracoee, por maior la
de razSo deve merecer toda noSs ^Orttlaac
aquella 'que bemdita entre todas as mu-
Iheres, e que na sua eminente qualidadode
Mai de Deus foi a causa da svaeo de todo
o genero humano.
Mara nao s foi a alma do mundo
mais perfeita, mas de lodns as obras do
Creador so pude dizor que foi a ntas ex-
celente, e para encontrar algumi coti-
sj do mais grando na natnreza foi n?-
cessario ir al ao autor da nresma natu-
rezj.
Assim que etta o objecto particul.ir
de nm culto especaf na igreja, que a ten
sempre considerado como nossa advegada
junto a Deus, celebrando seus ttulos, sir.is
virtudes, e sua gloria.
Todas as ger*ces a tem chamado, e
nao cessara de chamar bemaventorada.
porque Ihe fez grandes cousas o l Todo Po-
deroso. (8)
Mara Mi de Deus, e por este titv
lo ella etow-se ackBa dos Saokis e Ais
Aojos, e de todas as'crealuras. Ella
a Mi de Deus em toda a extensa des-
te termo; ella concobeu, e criou a lesna
Christo, o til lio de .Deus feito homem; e
ea*seu seio e que enarnou o Verbo
Eterno.
Pelo ficto de ser a Mai ,t Deus, e de
ler dado a luz ao Salvador, Maria no
deixou de ser virgem; era virgem quan-
do o Anjo Ihe annuncioii o grande mys-
tero que nella se devia operar:i Nao
lemas, Maria porque achastes gra?a adan-
te de Deas ; eis concel>ers no teu ven -
tre, e darte a luz um O'ho, o. por-lhe-
has o nomo de Jess; este ser glan-
de, e ser chamado Filho do Altissimo.
(9)
E, Maria nao menos certa de sua \ir-
gindde do que solicita da dignidade da
Mal de Deus responde :Como se far so
pois eu nu conheco varo ? (10)
E, o Anjo Ih j manifesto'i o m >do como
sem consorcio d) varao devii coicebor :
O Espirito Santo descera sobre ti, e a
vi ilude do Altissimo te cobrir de sua som-
bra, e por isso mesmo o santo, que hide
nasccr de t ser chamado filho de Deus.
(II)
Izaias, que escreveu a historia do
nascimonto, vida, paixo, e morle de Jess
Christo, tanto i seculos antes de sua vii da
ao mundo tnln assim vaticinado (12). Eis
quo urna vrg'in concebor e dar a luz
Em apolo desta grande verdade, qae
^oSenhor^ Maria permaneceu vngem dc-pois do parto
provada peta e*:ripnira vem ainJa o tes-
tamarrao de toda tradieelo. anda a mais
antiga. E, |)ensar o contrario, diz Origines,
que urna insania, e santo Ambrosio, que
nm sacrilegio.
--Que Maria' permanecen virgom depois
do parto unnime o iosentimenle des
padres^ e sem blasfemia, sem sacrilegio, e
sem insania nao so podo contrariar este
dogma: e delle cstiveram os fiis sempre
15o persuadidos, quo teem considerado o
titulo de virgem como a mais excellente
pnerogitvada Mi de Deus. Assim que
diz S. Epipbanio: em quo tempo existi
jamis alguem, que se atravesse a chamar o
nome de Maria, que nao accrescentasse o
nome devirgem? (16)
virgem summament diflcil expor como
elle foi temi sido um mysterio, que nao
dado razao explicar e smenle fe....
Querer-se prescrutar a divina intelligencia
dos decretos oexoraveis do eterno preci-
pitar se o abyamo insondavel do erro
quem tonlal-o fazer; ver com os olhos da
f, e crer com f viva orna homenagem
da razo prestada f: obsequtum fidei ra-
tionis.
E, por ventura se explica como o sol
penetrando o yidro transmit-? a luz, e o ca-
lor, sem quo mesmo vidro soflra a menor
alteraco era sua essenr.ii? Entretanto este
um phenomeno natural que todos os dias se
observa !...
s
segundo
8
Ao dogma catholico oppocm os hereges
esta proposico de S. Malheos : E, elle
tiiio a conkeceu at (pie den a luz o seu fi-
Ut primognita. (17)
A expressoat queno latimdoee
como traz a vulgata entre os cscriplorcs
sagrados nom sempro significa a cousa, quo
antes se nao f.-z.e quo depois acontece .
No Gnesis, por ex. diz Moyss, fallando
do corvo que N > harta sollado, quando
hiam as aguas du diluvio em diminnic), e
ja appareciam no dcimo mez os cumes dos
monteso qual sabio, e n"o voltou mais al
que as aguas, que estavain sobre a torra se
seccaram. (18)
Por tanto a expresso at quede
nem -um modo cxclue a cjntinuaco da vir-
gindadena Mi do Deus depois do seu mi-
raculoso parlo, porque por essa expresso
co-iuma a escriptura significar a perpetni-
dade em um mesmo estado como se prova
com outros muitos exemplos. (19)
Oppoem os hereges to be.n esl oulra
proposico do mesmo Evangelista S. lia-
theos : deit a lu z o seu filho primognito,
(O) como querendo dar a entender, que a
Mi de Deus livesse gerado outros tilhos.
A pilavra primognito as escripturas
tanto explica o liiho anles do qual nem um
oulD foi gerado, como aquello, depois do
qual nem um oulro se gerou.
S. Jeronymoe plica islo, (21) c o prova
com a mesma lei, pela qual Deus mandn
que todo o primognito, ou hascido dos
homens, oudos animaos fossem consagrados
a Deus, sendo o primognito dos homens re-
Eis a geraelo de Christo
carne :
Matban foi o ultimo descendente de Da-
Vid. linba recta parjindo de Salomo.
Mathan teve tres filhos, Jacob, pai do S.
Jos, esposa de Mara, da qual nasceu Jess:
Sanl'Annao Sob mi de sania Isabel: Cleo-
phas, que tambem era filho de Jacob casou-
se com urna mulher, a quem o Evangelho
chama Mara Cleophas.
Teve esta duas filhas, Salom e Mara, mais quatro filhos : Thiago, Jos, Jadas
Thado, e Simeo
Salom tomou por marido a Zabeien, de
cojo consorcio nasccram : S. Thiago Maior,
e S. 1.3o Evangelista.
Assim pois santa Isabel, que era filln de
Salom, irm de SanlAnna era prima coir-
m de Maria SS.
E. Mara Cleophas, que S. Joo em seu
Evangelho (25) chama irm da Mi do Je
sus-tihristo, segundo o uso commum dos
judeos, nao era seno sua cunhada por ser
irm do S. Jos, e por conseguinle ta pu-
tativa de Jesus-Christo.
Assim q e ossseis filbos de Cleophas, ir-
mos do S. Jos eram primos, co-irmos
putativos de J-^sus-Christo, que S. Lucas
chama seus irmos segundo o anliguissimo
coslurae dos Hebreos de chamaren) irmos
aos seus con-aguineos, assim como chama-
mos prenles aos nossos, enlretanto. que o
termo prente explica pai o mi.
ura filho. E, que este orculo diz respito mido por preco, que cedera em benolicio
biblias protestantes os
do Vellio Testamento,
se-
t.1
Faltam as
guintes livros
bem truncado :
Os livros de Tobias c de Judth; os ca-
ptulos 11, 12, 13, II, 15 o 1G, do hvio
de Esther ; os livro- da sabodona, e do
ecclesiaslico, que se nao deve confund.r
cora o do Ecclesiastes que um outio
livro inicuamente difireme ; a prophecia
de Baruch, a orago de Azarias, e_o
hymno dos tres meninos da lornalha (7),
\Ao do v. 21. do cap. 3o de Daniel at
b v, CO. e os v. 98, 99 o 100 do mesmo
cap. sendo os versos qae se leem no cap.
3 de Daniel do 21 a 30 os de 91 e 67
da vulgata latina ; os capiltuios 13 c 14
do mesmo propheta Daniel, e os' dous
livros dos Machabeos.
Os hereges, como sabiamente diz o I-
lnstre Primaz do Brasil, variara Consid-
ravelmente na adopro dos livros do seu
famoso canon.
Bm o novo (estamento sobre todo lia
urna perfeita confusoura nultuf orlo el
sempternus horror...
Os livros, que Luihero aceita como sagra-
dos, sao regeilados pot Cilvino, e seus de-
votos, o viB-vorsa, como fcil ser exami-
nar-se ; d* s;>rle que os que teem queda
para protestantes nao sabem ao corto para
que lado pendero. ______
(0). Estes rinco livros compem o Pen-
tateuco : palavra grega, que significa anca
a volume. Todos estes livros reunidos
eram chamados a lei pelos judeus, por-
que a ana parto mais essencial traa la
lei que Deus den ao [ovo judaico palo
ministerio de Moyses. .
(7). Canto de Ananhs, Azarias c Israel:
Denedicile omniu opera Domiiii Domino.
inlcmmpeu oba-
ibrovinda com
'perado. in-
ra aos o'hos.
abri um
Bu, declarou a Si a. Sdiwa.lz, pa.-to
com miuha lilha...
Discreto, opinou Schwartx.
Admiravol, ac a Lecoq ser-
rindo.
ObarSo levantou so.
Meu charo senhor, ""disse, csludaad
a prase, ecoiu af^esembaifa?ado ; o sa-
nhor oceult sob extravagantes iqiparnc as
muito bom sensd e muih dedicaco ; sei
isso. Eu nao me recuso de modo na-
nhum a fazer aconta dos juroa... e p
juros-dos juros d'aquella n.-li do mil fr in-
coe, que reconheco ler recebido da oa
mo em 182o, se bem que, ao que devia
parecer, cfsenlior prelendei comprar por
aquella' preco o meo silencio, proposito
de nm crime ou de rtm delicio ao qial
tomara parto sem ser sabedor. I'
ceo-me perceher isso. Dez ou dnze mil
luizes, oo mesmo mais, sao para iijiru uiffa
bacatella. Ueflrctamos imbos. Bu d.)n
.na quarta-feira noule um b;iilezito [Hilo
santo do nome do minha filhs, que, wiio
ao mundo no dia de S. Cypriano. Teflho
a honra de couvjda-lo, e o me*roo fai a
senhora baroneza.
Offerecen o braco mulher, que o ic.
ceitou.
Dansa-se ? perguntou o Sr. Lefloq
ironicapente.
rasa-se, replicou o banqueiro, qae,
coinprimonlou e abri a .porta.
a Jess Chr st, o nelle se completnu.
prova-se pelas seguinte* palavras de S, Ma-
lheus: Mas todo isto aconleceu para
t que so enmp ssc o quo fallou o senhor
pelo propheta, que diz :Eis que urna
virgem cenceber e dar a luz um filtra,
e appellida-lo-lio p^lo nome de Emmanuel
qnequer dizer Deus com hosco. (13)
Ora a CMiceico de Jess foi desta ma-
f neira Estando j Maria sua Mi despo-
sada<*om Jos antes do so unirem (14)
se achou ler ella concebido por obra do
Espirito Santo.
(8)S. Lo-., 1,48,49.
(9) S. Lnc, 1, 30, 31, 32. r
(10) S. Luc. 1,34.
(14) S. Loe. 7, 14 f
(12) S. Mal). 1. 22,23. || {
(13) S. Math. Ibidem.
(14) E' S. Jeronymo quem dizque o
evangelho refere o que na verdade se pas-
snu, e foi: conceber a SS. Virgem seu
consorcio marital de S. Jos: mas que de
nenhum modo se pode daqui inferir,
qud esta consorcio- posteriormente se
disc. _
E, nos dZ' mos que repugna islo ao co-
nheriine'ito que S. Jos teve da Cooccico
sobrenatoral de Jess Christo ; repugno ao
acatamenlo, irreverencia, quo elle sempre
moslrou a SS.' Virgem na apreciaco de sua
extraordinaria prcrogativa de" ser Mai de
Deus; o ivpnyna a propria razo, desde,
que se reconhece, e adora to eshipendo
mysterio. '
E, como poderia a Bemavenlurada Ma-
ria ser Mi de Deus se nao fosse Vir-
gem.
Para corroborar a sua argumentarlo con-
tra Welvidio, que se prevalece contra esla
passagem de S. Malheis pan Impugnar o
dogma da virgindade de Nossa Senhor.) faz
o santo doutor esla pergtinta :Se disser-
mos que Helvidioantes quefizesse penuj
tencia fi'i prevenido pela mor te, vos eon-
cluirieis, que elle a fezdepoisde ter
morrdo ?
A duvida, quo esse impio heresiarcha
dos sacerdotes. (22)
A baroneza disse em voz alta, ac-iriras-
pr o liraior :
Aiaanlia, tenho que Ihe fallar, Sr.
LccOq.
A' seu turno, Le:oq inclinou-se, mascm
silencio.
Quando se vio sos, enterrou as roaos
ambas as algibeiras do chambre e licni
\ pensativo, de pe no raeio do qulrto. Urna
porta, que rangia ao gyrar nos goozos, fez
he levantar os olhos. Vio Tras Palas
ennovelado diante da mesa e lendo anda
a peona na ma"o. A luz do candieiro al-
lumiava de prumo o singular rosto do alei-
jado.
Por um instante o Sr. Lecoq lbou para
elle sera fallar. Tres Patas sorria :
Porque ris ? perguntou-lhe spera-
[w#n'e Lecoq.
Porque tem graca, rapticou o
jado.
Depois, passado outro silencio, pvose-
gaie:
Cnts o tal Aadr M#ynoite esteva
|
Ainda objectam, quo no Evangelho s
declaram como irmos de Jesos-Christo,
Thiago, Jos, S mi, c Judas -.Por entu-
ra')uio 6 este o filho do o/ficial? A't/o se
chama va sua Mi Maria, e seus irmos
Ihiago, Jos, Simo, e Judas: e suas inns
nao vivem ellas tois entre nos ? (23)
E, concluem d'aqui. que Nossa Senhora
teve alm de J.-sus-Christo ma filhos do
seu esposo ; c isto um erro, um sa.rile-
gio, urna insania, urna impedade, urna he-
resia erafim !

Izaias disse fallando de Jesus-Christo :
quem contar a sua geraco ? (2)
Pelo que toca sua divindade impos-
sivel conhecer os mystcrios do nasciinento
eterno do Verbo ; eraquanto ao parlo da
Coacluamos. Como lenhara sido essas
as duvidaspouco mais ou menosque
na quadra actual de biblias baratas mais tem
feito" estremecer as almas escrupulosas
d'aqnelles que andam cata de duvidas para
tranquillisa'em suas conscioncias, sempre
susceptiveis, parece, quo, apadrinhando-nos
com pareceres to autorisados na materia
nada mais devenios acrescentar sobro o
assumpto.
J da tribuna da igreja, e agora, na im-
prensa temos comprido o nosso dever, cada
qual cumpra o seu.
Nao discuiimos, o nem pretendemos con
vencer calmbeos Ilustrados, e que ver-
dadeiramen'e professam os dogmas da
igreja de Jess Christo.
Escrevemos, apenas, para aquelles, quo
enlendem, que a superiordade das biblias
protestantes sobre as catholicas est na
razo directa da economa.
Por prego nfimo tem entrado mnita alma
no inferno ; qualqoer dessas biblias pode
costar mnito menos de tres mil i eis...
Nadj m-ais em conta.
E' que os hereges nao fazem qupsto de
inheiro, bem como Satanaz nao faz ques-
lo de seitas com todo aquelle, que por eco-
noma Ihe for bater porta.
Nao se compre por tres mil res urna ter-
nidada, de penas!
Quts habet aura, audiat.
Macei 29 de novembro do 1869.
O vigaro.P. Duarte. -
propunhacomo pode Miria permanecer
virgem sendo Miresponden o apostlo
do dizerto, e propugnador do dogma da
virgindade de Nossa Senhora :e c-uno
que Jess erttroo cm urna casa estando as
portas fechadas, al'un de fazer ver pelas
aberturas de seus ps, e de-snas raaos que
nao era um phanlasma ?
Maria foi virgem depois do parto, as-
sim como foi mi sem consorcio marital, Je-
ss Chirslo virgem, e Maria virgem consa-
graram ambos a virgindade.
(15) S. Math. 1,18, 20, e 21.
(10) Hoeres 78, num, (3.
( 7) S. Math. 1,25.
(18) Genes. 87
(19) To bem nos empregamos a expres-
soal quepara significar a continua
cao de um mesmo estado, e asrim dizemos,
por exemplo:e nao satisfaz a sua pro-
messaat queDeus o levou, etc.
. Tanto havemos de combatero erro at
qne-^a iiupiedade se*comerla, ele. etc.
(20) S. Math. 1, 23.
"(21) Contra Helvidio n. 8.
(22) Exod. 34, 20. Num. 18, 15.
(23) S. Math. 13, 55, 5o.
(24) Izaias 53, 8.
Iaslallaqao do Instituto Archeo-
logico Alagoano.
Discurso pronunciado pelo Sr. l)r. Jos
lenlo da Caaha e Figueiredo Jnior.
Senhores.Ha cerca de sete anuos que
algmisprestrnosos cidadaos so rraniram
n'uma das salas do convento do Carrao do
Recifo para a feliz installaco do Instituto
Archeologico eGographico Pernambucano.
Ni meio das agitanes polilicis, e desse
movimento mercantil que conslilue urna
das Meos mais caractersticas do seculo,
tiveram a nobre inspiraco de salvar de nm
olvido lamenfavel as gloriosas o j qoasi
apagadas tradieoes do nossa historia pa
tria.
li im lugar escolherarn ees para o pac-
to solemne do sua romaria. As paredes
de urna clausura qtiasi erma documenlo
trifte do moderno des pego a antigs ins-
lituicoes. do que tantos beneficio colheo
a humanidadodeviam testo.miahar a sin-
cera, embora modesta protestaco dos
novos peregrines que se dispunham a fazer
excavaces proficuas do passado.
A historia tem urna missi mu variada
Alm do mais, deleita com as recordacoes,
estimula as almas apoucadas a retempera
as organi-nriVs felfees:
Isto nao passa de urna verdade trivial ;
mas infelizinento era nosso paz (a certos
respeiios) o progresso ortico acofi|HWyi
mui lanamente o ihooriv. Ciega o Hi
em que urna boa idea realisa-se, e ficamos
por assim dizerenvorgoflhado; do qti
nm resultado lo fj-iln> so ti.esse con-
seguido mais cedo. O q-re digo em geral
pode applicar-se coaa maioria ilo razo s
descobertes aicheologicas. Cada dia qtid
se passa nmi nova carnada cora que a
ae.gio do lempo oceirita aos mussos oaos
ihesouros ineslimav'cis.
Eu bem sei qae os obstculos com qae
lutam no paiz os obraros Iliterarios con-
trastam singularmente com os avances
s vejes assombrosos dos homens qn
se aferram s operacos do proveto pjs-
soal.
O desvio de algumas vecaces felizos.
que se|retrabem ou preeipiamse da altura
de suas glorias sonhadas para o campo das
espeoul.g5es de outra ordem, revela a
coBSciencia das di Ificuldades iludidas,
quaudo nao apenas o resollado do ama
ambico soffrega, que visa facis triam-
plios.
A careslia dos trabalhos lypograpliicos,
aggiavada pe is impostes; a punca ex-
iracgi dos exemplores do qialqncr obra ;
a necessidade que tem o amor ile roiibar a
melhor parte' do sen tempo para promover
a acquisico dos meios de subsistencia,
porque nao pode fazer das. lefas pruds-
s.o Iwbilua!... ludo isto contrboe activa-
mente para agorentar disposieScs auspi-
ciosas.
A falta de qualqoer auxilio, ao indtlTe-
rentismo criminoso dos que podiam pres-
tado, ajunte se agora o desdora dos ho-
mens positivos, e ter-se-ha cm breves tra-
ios a sortc uiesquinha das emprezas intel-
lectuaes.
Despendem-se enormes sommas cana
objectos de utilidade equivoca. Mas a idea
da subvenco lit'eraria quasi sompri re-
cebida de mo humor.
Todos faltara na superiordade do espiri-
to sobre a materia, preferem os dotes d'at-
ma, como irradiarues divinas, aos Irium-
phos oblidos pelo acaso ou pelo egoismoem
suas formas variadas.
SI nos valessem essas Ihcoras ncontcs-
taas, j nao seria um problema a r?genc-
rarao da humanidado. Mas b m poneos
sao 03 que as praticmi. Ji fracos de si
mesmos, os proprios deslierdidos da t>r-
tuna material, cm vez do se forla^'cerem
pela unio, pela constancia, pelo trabalho
glorioso e til, ou acabara por transigir
com o systema condemnado, ou descambam
para o terreno das abstraceoes o devane*
esteris, seno perniciosos, ou dispordicam.
toda seiva o o precioso cabcdal do tempu
no crculo vicioso das hitas inesquinhas,
rocriminagoes e ciumes ostensivos ira sub-
terrneos ; colhendo por finalm do ou-
tros dissaboreso -arrependimento c ore-
raoiso.
Nesse estado pouco lisongeiro snrgjrada
vez em quando alguns motivos de coriso-
laco e de alent. Aquelle, cojo aniver-
sario natalicio memoramos, nunca falten
com palavras de conforto ao mais humilde,
cultor das lellras patrias. A exemob do
Monarcha, ou por dftposhjo cougenita.
alguna dos nossos estadistas nao *) tern
mostrado nsensiveis aos esforcos du talento
e estudo productivos. A amsteneta do Ins-
tituto Histrico o (eographico Brasileiro,
fundado em 1837, atiesta por sua par-
lo a solL-itudo dos podaras pblicos, e a
vantagem miracnlosa do espritu de, asso-
ciaco.
A idea do instlutoPornamb'.ic3no laivez
fosse despertada pela discusso quo alli
se moven sobre pontos histricos durante
a visita imperial. O certo que elles Rea-
rara aclarados, o novas conquistas so luc-
rara. A publicado de urna revista peri-
dica ; o" reconheeimento de vestigios quasi
extractos de antigos hospicios, casas tr?.-
dicionaes, lugares de batams e forlifiea-
i s do tempo da memorav.l guerra
bol andeza ; o conveniente assignalamenlo
de algumas dessas posires h:sloncas; a
collocaco de monumentos e in-criproes
que perpetan) a lembranca de faclos no-
taveis ; urna serie de memorias deudas a
lucubraeoes dos socios ; o as col leer es de
irapressos. jornaes, mamisciiotos, c objectos
;ircheologicos ou siuiplesmente c iriosos,
i.ies sao os fructos que em to curt pe-
riodo nos atiestan) o poder ingente da boa
vonlaic e da persoveranca.
E entre outros padroes que symblisara
o zelo do instituto Peinambueai.>, l exis-
ten) por exemploa taboa monumental
em podra indicando s geTaces futuras o
domicilio do Vieira : a lapida coinmemo-
rativa do logar ondo exista o luiga arco
que foi porta da eilail-, as~im igreja do Bom Jess edificada sobre o
mo>mo aico; e finalmente opr-jeclo. para
o levantamento das estatuas dos qinlru
hroes dessa luta agriosa, de urna colonia.
ainda nascente e clesrovido, com um novo
opulento e amestrado na peleji.
Sen fazer-menco do ouos empenhos,
fullare do passagem num dos mais to-
cantes a que ti ve a satisfago de associ-
ar-m.
(21) S. Joan. 19, lo.
innocente na histeria ,de Caiin ?
Lecoqncoibu os hombros, e.poz-sea'Ibes em'jrul.hgi com'f
passeiar no quarto passos largos. Rile quiz api ira oc;
inda ou tereffa voW, esticou Mrtnufi'iai
sPataa.me nao the'Ulfaia os; es^ a fuga t
^olawi^te cima. -he baile
- Tu, ivMaungoa 'Leceg, awiloeiitis
seoraHa, 3fogav^te.

fao havia do enr^drfflcil, respoodeu. papativos e avrtio em qa
! brandaroeole o aleijado.
Ha momentos em quo me mettos
raadOi proseguio o Sr. L:c> j fallando com-
sigo. Mas sei que o Bruneau Aodr
Maynolte, seio-o cim certeza.
Patea quera lli'o disse, patro...
E verdade foste tu...
Os olhos de Lecoq, desconfiados o duros,
cravavara-so fi'ee.
ben bonita, aquella baroneza Sch-
wartz disse o aleijado, cojos olhos re-
brilharara.
Estou dondo -rosnou Lecoq, que
voltou costas para conauar no seujias-
scio.
Eu pareco-me de;;a^iffl modo com
o tal Andr Maynolte ? perguntou Tres
Patas.
Porque ? disse Lecoq. que estacn
ponte.
Porque elli conserva por elle seu
tetca, ro|pOndeu o aleijado com urna
aspeow de pueril eynismo, e aasim sa n
(reeessa com elte.
Estpudoud 1 repeli
poq. Sa-
Itamente ?
de eu o
as horas,

E o baile que o
.jba. Quaria-feira, lera
' WJwoqiwHa'de jonWr
perte
os pte
cinco mi
Em olas di banco do Inglaterra, se
para l que v.ii.
Nem por sombras, isso dava r
Ha do juntar moito boas e muito bonitas
olas do banco de Frasca, como se se
tratara de urna transoste extraordinaria.
Eu conheeo-o : tem geito para as p
quenas cousas.
E a mulher ?
A mulher alo por dez Schwarlzs.
Encarfego-t'o do Bruneau ; ouve bem isto;
ha ura obstculo entre o Bruneau o a bi-
roneza ; conbeco-o porquo fui eu qup i
levantei. Se cahisse. e umi palavra di
baronesa fa-lo-hia cahir, era guardar do-
baixo. Alerta, M ilheus, olha que tens o
raelhor posto, o se adormcce3ses na gua-
rda, nao aeordavasma;
Durmo sempre com um olho alerta,
patro.
O Sr. Lecoq encarou com elle oulra
vez. Nada se lia n'aquelle rosto petrifi-
cado.
O Sr. Lecoq trmspoz a soleira da casa
da guarda, e leu o papel por cima do hom-
bro do Tros Patas.
Vinte linias, disse p>r entro denles.
c todo esl apontado. As.sigoa. raister,
que o senhor ea seqliora Schw irtz saibim
amaiihSa- que havi ao lado d'eHes o que
ea te disse: una teslemuoba e ura
"10.
r, Tres Patas assignou o nomo
de Mdtheus e accrescentou a firma.
(Continuar-se-ha)
Na casa Se!;\varlz, disso 'com certo
desvam cimento, con'iecom a nimba assig-
oatara. '
Le isto, ordeos o Sr. Lecoj, met-
tendo Ihe na mo o trabalho do hque-
puce.
O'hern I olucm soltou o aieifado.
Entie ludo o quo o senhar tem foito
para encher a arca antes de despeja la.
0: Sr. Lcoq s responden, por umri-
soneo meneio de cabeca.
E um tra'o.ilhiiiho delicajlo, murmti-
rou Tres Patas. Mas para que servem as
notas falsas ?
O Sr. Lecoq estiva realmente avasalla-
do pelo orgulhu do autor applau dp-
Has de ver, disse. Isso o melhor.
E^fregou as raaos e contiuuou.
HivOmos de ter precisa) de actores,
e decomparsas. AmjnhJa has de tu re-
ceber a dstribbico das panes, e lias lo
escolher.a tua gente no botequim da Es-
piga Ceifada.
Est dito, palro.
Tens alm d'isso a tiragem das ootas:
quatro milhoes, pelo menos.
Est dito.
E o Bruneau... sobretado o Bro~
neau.
Ess, patro, disse Tres Patas sin-
gell.-imente, prometi separar-mc 'tanto
d'elle como d< minha sombra.
'tar-se-hx
TYf. DO MAR 10-111) A 1>\S CRCZES &,
>t

T




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZDNZW59L_51YYCI INGEST_TIME 2013-09-13T23:18:43Z PACKAGE AA00011611_12019
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES