Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12017


This item is only available as the following downloads:


Full Text
U
mo ^mm 28S.
**" *~ WMIAIr UftitBS MK HD Ss F&6A P0TOC
Por seis ditos idear. ......... JP*
.8I !jl aawfl ?t i i
Por nm moo idea.
or
#
I
I
1
I
'
*u
j
I

. JEBaFEUU 14 OE
l'orKttm.ktaB
PornoN'v^toidMi
Por nm wo. .


Proprieclade de BTanoel RgtKra de Sana & Filhos.
m
~..
_
.....
.....
.
-
A ACBlrri*: r*r
_________________,_________ em Nazr^.- ^mchio Tavaies di Costa, era Alagas; Dr. Jos Martas Ah, na Bato, e Jos Ribefro GtsptrtBfo, no Rio de JWJre ^S ***<& ^U Braga,
Wt AVPUtYjftY k> tofrin f.>ji. ._*______._______.. _________.., n -------
xAllIlj VltJlL.
Terno da provincia
-^iranstk asignado rBi.oExu. snvwi.-ianoex do
-TICUTRNTo mniADOpOltTRI.LA, VlrR-PnKSIDEKTK
ux mawi.voi.a, vm 7 n ovmmo as 1869.
I' seeciio.
N-W.Portarla ao director da arsenal do
erra.Faca V. S. embarcar na vapor da eom-
;ahia I'ernambucana qne ten d seguir para o
o-Oriade do Nerte no da lado mes correal.;,
disj,orcao do respectivo presidente 200 napin-
ardas com o competente corrame que por em-
icesJJaio solicita em fSeio de 4 des corrente
' MCI.
>'. S8Bita ao mesmo.Em olue-io aooiBeio
*s y. S. de 23 de agosto ultimo sob ri. 163, tenho
1 dizer-tlYe que nao mande mais maiwfacturar
irempnto em qoanto nao tiver esgotado o iue
aiSte ne.ise arsenal, e que devera ser destnbuido
aos nrpo* que dette forem precsanos. Qoanto
i- panno azul de m qaalidade, aqueallude o
atada odre, consulto nesta data ao Sr. ministro
Ja guerra acerca da applioacao que se deve dar
ele.
.' seccao.
*N. #.portara ao joiz de direito da comarcj
te ")<.Jim additamento ao mea offlcio de 2 lo mez lindo, declaro a V. S. que deve r.ijuisitat!
10 commandante superior toda e qnalquer forra
t* guarda nacional, que precisar para deligencias,
:nawj*rfae'o que dispenso-a apenas nS se torne
;f!a precisa.
X. SU. -Dita ao comniandante do corpo prov-
irio de polica.Transmuto a Vine, paraos de-
viles fins a deliberaeao junta em que designa os
ilHeiaes c,ne devem ct>mpr o conselho de julg 1
meato do soldado do corpo sob o seu cnmmamlo
1*5 Francisco do Reg, eujo conscllio do invest-
.jarlo dcs'olro.
N. 211 Dita ao ni\mo.-F.ic.a Vmc. apresen-
tr amanjiaa < 8 horas do da, a casa d.i deten-
;i ma escolta composta de um o.'Ilal e 2">
iracas do enrao sob oseu comnaanda, para conlu-
ir ao tei-iuo de Olinda. o criminoso Tnomiz, que
es termo, devendo a dita forca all permane:er para
mieMfixif o reo areferida prisa 1, depois do jul-
gMieato.
-V. 2l.).=Dita ao mesmo.Por deliberaco desta
data coneedi ao soldado do corpo sob o sen ;om-
o*4o Min h-I Francisc de Hollanda Cavalcame,
t aenl:idoria por elle pedida con vencimentos
rojwrcinal ao tempe que contar de servico, o
ue luo c jinmunico para es dc\dos fins.
- .1. 211 IMiberaciio O vice-presidente da
wwinda, alL-udendo' ao que Ihj requeren o sol-
lafl* do rorpo provisorio de polica Manoel Fran-
cisco do riollanda Cavaieante e em vista das in-
furmacoes do commandante do dito corpo em offi-
ci* a. 430 de o deste mez e do inspector da the
-ouraria provincial de 6 de selembro ultimo wb
n. 5! e do parecer da junta militar de saude a
qne alinde o olficio do general ciiniraandante das
armas do 22 do mez Sudo, renlve de eonformida-
le con o disposto as leis provineiaes n 276 de
7 de abril de 1837 c 4U6 de 26 da iiiaio de 1858,
ceder a dito soldado posentadoria com wcoci-
mentospropnreionaes ao lempo que tiver de ser-
vtco.
N. r 15. Dita.O vice-presidenta da provincia,
atiendealo ao que requereu Amador de Araujo
'essna, alteres do corpo provisorio de polica, re-
solv.cunee ler-lhe tres mozos de lieenea com ven
etawWl para tratar do suasamle.
H. II*.-Dita.Para o conselho que tem de ni-
ir a soldado do cor|io provisorio de polica Jos
francisco do Mego, incurso nos c.rimes de que
iraao art. 108 e 109 do regulimento de 2 de de-
MOSkro e 18o3 desiO):
J'residcnte.Capitao, Francisco Borges Leal.
Auditor. 0 Dr. promotor publico, Mi Thom
Sflva.
Vngnes. Tcnente-cinirgiao, Joaquim Jos Alves
Se Alhuqueriiue ; tenente-quartol-mestre, Antonio
deotua e Silva; alferes, M*rcolino dadista
Rayosa, llaaocl Malheus Cavaieante e Amador de
Araujo Peaaoa.
3" seceo.
N. 1S.lvi'laraao inspector da ihesourariade
"Vaieivi.Mande V. S. liquidar em vista da fulliae
-re junt ifl (ni dasHeaU, os vencimentos relativos
'. 1 i' di sel -moro ultimo do oIBcial e pravas da
..irda aadoBnl ilestaeados na villa de Cimbres,
,111 arsiiueira e pagar a soa iroporiancia ao lenle
Pedro Paulo dos Sanl |, confirme sohcitou ocom-
mandaate superior do municipio do Brejo era olu-
.'- i.-; do corrente, sob n. 13.
?. 219.Dita ao mesmo.Transmiti a \. o
oi-luso prn nominal, que me remeUou o comraan-
daale superior tlcste muuicioio, com otficiu de o ao
,rrente, sol. 11. 20:j, alim de (ue mande liquioar
' pagar os vencimentos a contar de mam a agost)
dedM : no, dos tambores, cornetas e clanns em-
pregados nos corpos da guarda nacional do mesmo
'Jiuniciiiio. '_,
N MO.Dita ao inspector da lliesourana pro-
vioeat.BeeJaro a V. *. para seu conbecimento
ns contenientes, que 1 ongenheiro chere da re-
natcao das oirs pul.ficas participou-me cni1 om-
do di 'id,, cerrente, sob n. 3.(6, que achando-~e
. i.___.....n.i;* n ,A\V\ l:l lUlt'l-
4' scccSo.
N. 228.Portara #gerente da companha Por-
nambucana.O Sr. gerente da companha Per-
nambucana faca reeaber a bordo do vapor que tem
de seguir para o Ro Grande do Norte no da 15
do corrente e tranporlAr para lili a disposicao do
respectivo presidente^OO espingardas e o compe-
tente corrame, que "lies serio apresontadas por
parte do director do arsenal de guerra desta pro-
vincia.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PitO DR. JOAOOtM fiORRBA DE
ARAUJO, SBORETARIO DO GOVRBKO, EM 7 DE OUT-
BRO DE 1869.
1.a Mceao.
N. 229.OiBeio ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.De ordem de S. Exc. o Sr.
vicepresidente da provincia declaro a V. Exc.
em resposta ao seu offlcio desta data, sob n. 601,
que se mandn satisfazer o pedido de fardamento
para os prisoneros de guerra paraguayos quo
Veio annexo ao seu citado offlcio.
2' seccao.
N. 230.Offlcio ao Dr. ebefe de polica interi-
no. O Exm. Sr. vice-presidente da provincia
manda declarar a V. S. que se expedh) ordem ao
eoinmandautu do corpo provisorio de polica para
amanhia s 8 horas do da fazer apresentar na
casa de detencao desta cidade urna escolta de um
offl;iale2j pracas daquelle corpo para conduzir
ao termo de Olinda o criminoso Thomaz como por
V. S. foi requisitado em offlcio n. 1,463 de 6 do
corrente.
N. 231.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vce-pre-
sidente da provincia manl;i declarar a V. S. em
resposta aos seus offleos de 4 do corrente, sob ns.
1,435 e 1,456, que athesonraria provincial tem or-
dem pira pagar a Viriato Senteio Lopes a quantia
163 000 e a Joao Luz do Almeida Itibeiro a de
13S30 constantes de seus citados offleos.
.N. 232. Dito ao commandante superior da
guarda nacional do Brejo.Nesta dala autorisou-
se a thesouraria de fazenda a pagar ao lente
Pe 1ro Paulo dos Santos os vencimentos, constantes
do otllcio de V. S. datado de 3 do correle, sob n.
13, o qual lica assim respondido de ordem do
Exm. Sr. vire-presidente da provincia.
N. 233.Dito ao bachwel Antonio Farnaudes
Trigo do Loureiro. O Exm. Sr. vee-presidento
da provincia manda declarar a V. S. que (lcou in-
teirado de haver finalisado as liconcas que lite fo-
ram concedidas, e de nao poder por enguanto re-
gresear ao termo de Buque, a reassuimro exer-
rieio da* funcces do cargo de juiz municipal e
de orphaos, p-ir continuar doenle.
N. 234.Dito ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.Nesta data autorisou-se a the-
souraria provincial a abonar por 3diantamento os
vencimentos e sold do ofllcial e pracas, de que
traa o offlcio de V. S, datado de 5 do corrente,
sob n. 461, o qual fica assim respondido de ordam
do Exm. Sr. vice-presidente da provincia.
3' seceo.
N. 235.Offlcio ao inspector da ibefonraria de
fazenda.S. Exc. o Sr. vice-presidente da provin-
cia man la transmitir a V. S. as 7 inclusas ordene
send 6 do tribunal do Ihesooro nacional s< b ns.
139 a 161, 161, 165 e 166 e 1 do ministerio da
feliz niorto por nm th-o, que se Hw emptegon abal
xo do umbigo, fleava averiguado o faci, atlm de
cooherar se a morte foi casual oa o resultado de
algum crime.
Deos*gtiarde a V. ExcIHm. o Exm. Sr. se*,
aador Prederico de Almeida e Albuquerqoe, pre-. e9ta<
sidente da provincia. O chafe de polica, mttr
Antonio Fernandes Pinheiro.
Ooti'oslioitos anda exlstm qu<5 faeililaiB IMedelro3Filho, J. C-Cabra, Xmda Oiafj>4|Bn>e
o Kigacnlo do traego, o entre este no- ?I,,?;A0!? AofcTisioilloel de -Souza e:-A lar.
menos
OI/IRIO OE PE
REIFE, i 4 DE DEZEMBRO DE 1861,
guerra datada de 21 de setembro ultimo.
N. 236Dito ao raesmo.-^ B\m. Sr. vice-pre-
sidente da provincia manda declarar a V. S. para
os fins convenientes que segundo particiou o juiz
municipal e de orphaos ds termo do Buque ha-
chare! Antonio Fernandos Trigo do Loureiro, em
offlcio de 6 do corrent*- nao pode elle por em
quanto regressar aquello termo a reassumit as
funecoes do sen cargo por continuar doenle.
X. 237.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial.-De ordens de S. Exc. o Sr. vice-presi-
dente da provincia commnnico a V. S. que se-
gundo con>ta de oeio do thesoureiro das lote-
ras de 6 do corrento entrn elle nesta data no
exerricio de snas funecoes, renunciando assim o
resto da liecnca em cuio goso se aehava
4 seceo.
N. 238.-Offlcio ao Exn. Sr. desembargador
provedor da Santa Casa de Misericordia.O Exm.
Sr. vice-presidente da provincia manda declarar a
V. Exc. em resposta ao seu offlcio do do cor-
rente sob n. 2,168, que a thesouraria provincial
tem ordem para entregar ao tnesoureiro desse es-
labelccimento a quanta de 5765000 constante
citado offlcio.
do
m Mr(iio estado de conservado a obratojide;
vado Livtiik nio etendo decorrido o pgaso dt
rcsponsab^lade mandara laviar o termo dovn-
uega deflwtiva des^a obra e passar ao respectivo
imowfeMtte o rompetcat cruiicado.
\- 2)| Dita au mesuio.Expeca V. b. suab
rdeas para qw em *** di inclusa nota, qne me
remettec o provetor C;ta hdc H?Z'
dia e.nn -IBi-io do de corren-e, sob n. 21W, ><--
ja paga at-respectivo itasoarciro, m,ne"dr^}'*1.
los Pin Ferfera, o que justamente se dever das
men.salidadcs correspondentes ao rimeslre de u-
ho a setembro deste antodos filhos dos volunta-
rios da aairia, recolhidos aos col egios de orphaos
virtade db disposto noarU 14 da Tei n. 611 dt
2dei.ii:' de 1865. ... .-!
S iii.Uia ao mesmoA Vinato senteio lo-
ms'mando V. S. pagar depois de liquidada em
vNa -las coiitM e relaedes juntas que me remei-
leu o chele de polica coot ofBeiu do 4 f*^
te. sol 1436. a itnportaucia da despeza felta como
s^itodcsrrrsoi pobres da adata da tora de
SSosduranle of mezes di julho e agosto des-
* BM -Uto ao mesma.-Oepm^de liquidada
em" ; ;sta da conU junta 'em desata a despeza
feti durante o mez do setembro ottmio, com o for-
necmento e lat e agaa para o uiii.miI da viHa do Unrat jaaade S. *. pagar
Vsaa-fcporlwida a JoioLuii AlMda Rilwiro
conf.*n^e solictou o cae* de polica em offlcio de
\ 4o o*reata,so* a. lio..
N 24.Wta ao mesme.-Annuind aa que so-
ldala e taaeate coronal (sorainaadaBte do oarpo
nro isorio de pelteia eaa otWe de 5 do oriente,
ion n. m, reconuneaA a V. S. anvwde abonar
or adanlaanoaio tres mee d vaamaienJoa ao
alferes 'Lcrenlo Goncalves de Azevedo, "
aclndcatacaeom ukim e^ asadojalda
ir W prtfas, que osti. ^^2|^* *
ae$mD.atfres,no a .contar do Vjdarte mi.
N. 425.-BU* ao crafaik rwarttos das obra*
oubl*cas.-Aeusando receido o offlciode 5 dd
Pu,,Wli a,B. 316,e**pe So7?*3adb Uvrar o termo oe rtastmealo de,
SitUva da ebra d laaWr da Livramonto e passa
i,kue-^W aetflcladbr
^al or*e*t*W eCcitos.
DaSPACHO D.V PRESlOEir.IA DA PROVINCIA DO Dt.V
10 DE DEZEMI1RO.
Anua Bozerra CavalcautiIndeferdo a vista da
informa(e.
Augusto Xavier Carneiro da Gunha.=Infonne o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Anselmo Pereira de Luoena.Como requer.
Claudno MaMins de Mello. -Bequeira ao Sr.
inspector da llia-onraria de fazenla.
HelioJoro de Aquino Fonseca.=lnformc o br.
n ipeal ir da lhe w iri i de la*ad.
francisco Alves Rib-iro.iatisfaca o disposto.
no re meriinento do 3 do Janeiro de lo.
Flix Ribeiro da Luna. D-se a bnxi reqm-
Ignez Feliciana Pereira do Lyra.Indeferido
vista da informag. ,__
Joaquim Francisco de Souu Chaves.Informe
o Sr. coronel com nint inte superior da guarna-
nacional doi municipios de Santo Antao e hs-
cada. a
Jos Isidoro Pereira dos Reis.Informe o sr.
inspector da tlies turara de fazendi. .
M Augusto de Araujo.-Nesta data se auton-
sa a thesouraria provincial a p5r em hasta pumica
,- reparos a >|ue alluda, servindo de base o otere-
cmento feito pelo snpplicanle. ..
Manoel Joaquim Rodrigues de Souza.Dirja-
se ao Sr. chefe interino da reparticao das obras
publicas. _
M moel Benvennto Nepomneeno.loorme o >r.
capitn do porto.
Mua da Ascencao Civalcanti de Albuquerqne.
Volle ao Sr. inspsetor da arsenal de mannha
para inf-rmar com o resultado da inspecc.ao.
Romualdo Estoves.-A commissao de -synditan-
ca do arsenal de guerra para mandar passar a
certido pedida.
llcpaiifo da polica-
2- seceo.Secretaria da polica de Pernambu-
, 13 de dezembro de 1869. .
N. 1735.IHm. e E^m- Sr. Levo ao conheci
ment de V. Exc. que, segundo constadas parti-
cipacoes recebidas u'esta rcparti?ao, foram
recohdos casa de detencao os segumtes indi
' No dia 11 do corrente, minha ordem, DamiSo,
escravo de Simao CabraV Maa, viudo da provincia
da Parahyba, como criminoso no termo de Goianna
A'ordem do subdelogado do Recife, Flonauo
Jos Ramos, por Insulto?. _...
A1 ordem do da Boa-vista Satyro Antonio, para
recolta, e Joaquim Fwwclsco Cof6a de Araujo, por
suspeito em crime de torio
No dia 12, a ordem do subdelegado do Reeffe,
John Frarae e Jos Welrlns, mglezes, a requisito
do respectivo cnsul.
Por offlcU de 9 d'cste mez, oommomcoa-meo
delegado do Limoeiro, fm, pelo subd*l*gade*o
orimero districto do B un'lardim, do mesnww-i
no, foi-Ihe participado haver'appareada'no'dlB-
no lugar Caraba d'aqWlf *****, 0l*FT2l
mdviduo de nome GaMipo **%**[
O SB. MIMSTBO DA AGRICLLTCR.V E A ESTBABA
di: KKiino do hkcife A s. Fit.\.N':rsco.
ffl
Eu"; (odas as estradas de ferro do mun-
do a questao qne mais preoecupao espiri-
to d'aquelles qe as dirgeme a da modici-
dadeilas tachas de traasporte, de sorte tor-
nar nulla a coneurrencia dos outros meios
qoe s offerecem aos productores para fa-
zerem ;hegar aos centras consnndores oo
der comnercio de exportado os seas pro-
duetcs.
Una outra questlo importante, e quo na
Europa continua a captivar a attencao p
eca, a da velaciJa.le, que. de dia para
dia, {anha terreno, mxime depois dos
esforcos valiosos empregados pelos engenh. i
ros constructores de locomotivas no aper-
reicoamento d'estes motores.
Esta quest5o estuJada vigorosamente,
e as horas perdidas ou ganhas no transpor-
te s8o calculadas por urna tacha remonera-
dora ilo trabalho, e a cs'tatistica dos cami-
nho3 do ferro attesla urna economa de
muitos milhos, realisada annualmente pela
velocidade.
En ,re ns, onde quasi todos os negocios
de inleresse publico sao pouco estudados,
esta f[uesto nao tem tido desenvolviraento,-
e ere nos que anda por muitos annos dor-
mir 0 somno do indefferent'ismo.
Istd, porm,nadae relativamente aopopco
ou nenhum caso qne se mostra pela ques-
to da barateza, que vital para os cami-
nhos de ferro.
A sstrada de ferro do S. Francisco
d'essas vas de communicaQo do Brasil a
que hoje melliores vantagens olferece ao
agricultor, sob o ponto de vista do trans-
porte.
Su ts tarifas sao modbas no geral e sSo
protectoras da agricultura.
Betn longo estao ellas de se aproximaran
das dos caminhos de ferro europeos e ame-
ricanas; mas, fort-n confessar que, relati-
vamente ao custo de construeco, a diffe-
retica se Ihes nao favoravel, pelo me-
nos milla.
r:isjflag.progresso em tal materia, digno
sem duvida de itaitaijlo. qi turapre fique
bempalttjite e gravado no espirito, nao s
dos igdntes das diversas companhias as
ourflis provincias, como tatnbem dos fiseaes
do governo as diversas estradas que go- ?
za!n do privilegio da garanta de juros
En S. Paulo, Onde as condiccSes de cs-
tabeecimento da estrada-de ferro de Jun-
diahy sao diverts, onde ha, obras de im-
portancia capital, que custaram sommas
crescidissiraas, comprehende-se que sejam
elevidas as tarifa, sobre tudo sabendo-se
que all a estrada nao tem do sustentar a
concurrencia das atas navegaveis, que a
regSo nao apresenta.
Os agricultores de S. Paulo vem-se_ col-
locidos n'um dilemma cruel: ou se hio d
sujtitar aos presos elevados da estrada de
forro, ou terao de1 recorrer ao transporte
as costas de aniraaes e outros meios pri-
mitivos, smpre evados do vicios, que d i
ordinariimeute em resultado, alem ae urna
pe Ja inextimavel de tempo, um deprecia-
meato no producto, que faz o trajecto, ex-
posto as intemperies do lempo.
liin Pernambuco as condices sao outras
e es ros, e a navegaco fluvial ahi estao
protestando contra urna alca das tarifas.
No eutanto, com bons fundamentos afr
mamos que, pretende-se augmenUr o prego
do transporte 4ia estrada de ferro do Reci-
fe ao 9 Francisco.
E, porque ?
Pelo simp es fado de serem suas tarifas
mais mdicas .pie as de S. Paulo, onde a.s
condices, como j dissmos, sao diver-
sas.
Quer-se ver, na pequea renda uquiua
que produz a estrada de ferro do S. Fran-
cisco, um mo resultado, devido pequea
tacha cobrada nos trasportes, mas ninguem
se quer oceupar de estudar a historia d'essa
via de communicacSo, onde se encontra o
edideante resultado colindo do rebaixamen
to das tarifas, effectuado em i86i.
Para este resultado chamamos instante-
raents a atlenc5o do Sr. ministro da agri-
cultura, em cujo prestigio e nome se apoia
o agente da companhia para tentar essa
ante-economica, que sem duvida
tenwv
Tres
: devtem
renda
Sao el
trem r
traer para
aproxima'
boas estradas de roda-ijem ou pelo
"S caminhos que conduzam s
interiores, 6 que infelizmente nao
dt que bem ponco.se cura.
porm, com *e4pBiaiidad*
muKo vantajosamente na
ada de ferro do S. Francisco.
2* protowjMwnto da es-
iaterior os armazens de deposito
de xpotacax; fr concessio 4a wtenslo
la garatli* e juro* aa capital reahnento
despendido i su constroc?o.
ISsta bIcq)! condtcc'aj de qoe est muto
dependente-o or da estrada, ha de in-
fl-iir desden n> sen trafugo, p\o mator
erapefrho qoe ia de ter a mpinhia em
augmentarlo, >t todos os modos possi-
veis, com ,a ra. oo prolpngament da
estrada pa o oterior da provincia.
Estas tre c aliccoes-esto, portm de-
peodentes'dje oluc;3) dogoverao. e como
mudas quiras .Wstoes de inleresse pu-
Olko. dai-mett- os. II
terjijs '^Ol
dera dos neicioi de l'arnambnso, que
devem ser triados .m. corte.
De cada um d'ellas. nos oceupareaaos
sm m artigo especial.-
S|H5
PERSiMBOCO.
\maiia
aaHlo
Ptena,
Jacntho Policarpp Cameir^JIaria dor'Airjbs.
VTados de Tatnamftr' e poflos do rscala no
vapor PfMhyba:
Antonio Jos Percha1, Joa|nm Beroardb-dos
Keis, Manoel Pereirt d Oaafn, Manoel Henrique
de Almeidaj. Jnveniano d Costa Moateiro, sua se-
nhora, 1 rtRioe 1 eserat, Mo Rilo de Souza;
(Antonio Alvo? de Carvallio Vera.
~ ^^Cfi!*'w Portt'9 ** no vapor na-
Alferes tciaaOalfcrMw, Wria Amalia
Bbeno.Digeho^rlrae f da*, Aatank
Peres de Sonza. Qt. Arsnico C Athera, ca
tenente JacntwfTflaaelro, Df. Prflewei I
Dr. Francisco fts'MKBtiro, Antonio Perretra da
SilvaBflaia, Manrci PTsncisro Frreira da Silva
e 1 criado, CaVAo'As-A! Castro, Bellarnih Pta-
lo de Araujo, Lnf de Awllar, Phmcteco Per-
nandes-d Aranjo Lima; Dr. AnrafiBo-dS Wflbi
VasconceHos, Thoniai de Aatrfne- Silva Loru.,
Antonio Martin* Miranda, Manoel Praoelsoo.' Jalo
Estanislao da Silva Lisbfa. AmertcoPtews^iCar-
valho, Joainim P. M. Jores, JbJo IWfe 1 drk-
do, Dr. Paulo Jos d Castro Aran. D haoel lia-
ra da C.onceicao. Mara LWrnh da Coneai-
cao, Francisco lfUstib da 0aclpo, Wenok,
Anna FcrrelrS Catfc e 1 criad, boiz DUarte da
Silva, t prard*pltcia. AaKmlO Jeaqnim- Ama-
nes, Job* d Costa, Jonna Ai dVOHveira, Dr.
Lniz Caetaoo Prlra Gaimaraas Janior e-1 re-
"V&mKWD- PUBLICO.Wrasrra mi um n w
eorreate :
Victorino Jo* das ?feve?. Portogal, 40 annos, sol-
teiro, Santo Antonio ; corebrete.
Mara, frica, 90 mo, csala, &: Jos ; gaetro
interite.
Antonio, Pernambnco, 3 mezes, S. Jos ; espasmo.
Feliciana, frica, 80 armes, solteira. Alegados ;
RETC5TA DIARIA.
THI30UI!ARIAPKOVLSCUL.-Poraatea.jnnta
adaiiiiislrai-tiva ddu reparticao, vao a prnea.
No da 30 do eot-ento, os reliaros do caes da
ponte da Uena, ailados em 1:870^000 deveodo
as olirass.;rem c*irluidas dentro do praro i
iloiis nataai
No dia 16 do coirente, a con>trufla> da powe
que deva substiuiirj a exteate no cual de Itia-
chuel), a na dn korota, avaiadi em 4:0O6,
devendo a obra coiiecar no prnso de tres mozos, o
ser concluida uu dt seis.
No dia SU de Janeiro prbkiatt, a construccao da
ponte da ra Rolla m 1U- Ponooso, e a recons-
trnccaaa outra punte e do aterro na estrada
deasa cidade, avallados em 11:660*. devondo as
obras ciiBeearem dwiiro de 30 das e serem con-
eluidas'no de 12 mez;s.
NAVIO ENCONTRAD!):O brigue francez Be-
Ihn em sua viagein do Havre ,iara o nosso porto,
rallou,'en o burra da mesn iww .-liynda
jr,,,,r4mto i luyaaua. para M mtevidiiya
orrente, na lit. N. V !<">R- <
da *> do
Pars 3, tend -.-eu lnrd,. ulsiuos iinmigrantes.
JUNTA DKorAUFICVCiO.-Nj tercero do-
mina i do mez dejan*iro Jev rmoir-so a jnnta de
quaiiicaeo dos votantes da fregoa^ do Santo
Antonio. Paraesse acto >d oorMmdfc pelo juiz
de paz re peetivo, os eMMras e supplentes, sob
pana de 403 B6fl do mnO-
MORTE CASAL-No din do corrente foi en
contrado morto, n< Ingaa Caraba, do termo de
Limoeiro, Galdino Fra:;n<-o do Svjz.vlWdo a seu
lado urna espingarda descarragada. Pelos indicios
adiad.!-, snppoe-se ter ello ri* victima de sua
i nprevdoncia, pr se i r d.;searrogado a arma
ruand elle menos esporava.
LfflLAO. Aawahtl s 10 horas, ,clTfta o
agente Pinto ara seu escriptorio o leiliio do divi-
das n i itupirtancia do 2:S,ii;i-*00 rs., de confor-
midad.' cooi o anuuocio awrido no lugar compe
tente d"esle Hiarto.
As 10 10:2 horas elT.>Lu o nvesmo agente o
il salvados ,do navio framjez //os.s/k". sto l"'
mizen do birbd Livraineat-s no caesilo Apollo.
OMPANIIIA PERSAWBtsN-VHijoo ulti-
) dia em une reeebem raii ns vaporea Pimpa-
dyarrha.
Antonia, Pernamkico, 6 mezjs, Boa-vista ; eein
vnlsdas.
Mara Armia de OMrtallee, Pomambueo, 80 annos,
Boa-vista; phtysk na argama.
Anna, Pernambue, 7 annos, solteira, Snto Ao-
ionio; varilas. .
Mara de Jess, Pernambuco, 30 annos, solteira
Boa-vista ; bexigas.
ia-
Luza Mara do Rosario, Pernambuco, 80 aunos,
solteira, Recife ; molestia de coraeao.
Emilia, Pemambnco, 46 mezes, Boa-vista ; con-
vulsoes.
Aucta. Pernambuco, 15 mezes. S. Jos ; espasmo.
Mara Ribeiro das Neves, frica, 70 annos, viuva,
S. Jo.
Mara, Pernambuco, 1 anno,espasmo. -
Joanna Baptsta Pereira Lago, Pernambuco, dt
annos, Recife ; molestia chronica do otero.
Joao Pedro, Pernambuco, 30'annes, solleiro, Boa-
vista ; tubrculos pulmonares.
A'nloni da Costa, 40 aonos, solteira, Boa-vista ;
anemia.
Belizio Cavalcanti de Moura Lima, Pernam-
boco, 22 annos, solteiro, Poco ; inflammacao no
pttwliuo.
I>
Umbelina Joaquina do Seeramenlo, Pernnmbueo.
60 annos, solteira, Boa-vista ; cancro na lingtta.
Anna de Jess, Pernambuco, 50 annos. solteira,
Boa-vista ; apoplexia.
Bernardina, Pernambuco, 2 mezes, Santo Antonio ;
cmara de sangue.
Narcio Jos Machado, Pernambuco, 38 annos, ca-
sado, Boa-vista ; hypertrophia no coracao.
Caetano Alves do Sacramento Rosa, Pernambuco,
31 annos, casado. Boa-vista ; intente cliromca.
passadb, pa>-ticipan(l ter na nesma (htit offlciad
lambem aojorrnador do bispado |ieda*> sua,
OWro do eafeahciro cordoador, infunMttdjy a-
rerjuermwBto do Bartholomeu Franeisco Soa,
tem a zer upe parece-lbe s?r cavcninte espe-
rar ojooas ra menrionndas pelo nppKcaCtie'os-
tqam omplelawenle calcadas para eotSo se ori-
ar ao Droprietorio* faeeram as imidancas exigi-
Sw" J>fc ~Qae K ^Mm m sentb to
_J**f*l tjmmm, infaman* sobre o rauwrtv
nmom^mn Alves ISeir JuatoT>aar-
prBW afaer que nmfa totn a oppr, daado-ae *o*
a corueac5o^-Maffl|o-se cordear.
Oblfo do mesmo, n>rnuddo o remierl*ebt
AMOmo Jbs da (htt Bgo; eorribre-lh^iW
qoao MDrad MppNcame maio blto. ?
3ne le pretende fiatr quasi urna reediOeca*-
a frente, e unta ver qne execute as obras com as
diownsSes das postura parece-lbe que se pode
conceder a ffeei^.Coocedeu-se de confcrmdade
com a informaoao.
Oafro do mesmo, infummuiio o reqoeriment e
Jo.se Gofdaio do fteg Pwiles; tem a dizer qoe
nada ha a opimr, deao-se-ibe a competente cor-
aeacao_-Mlmdou-se; cordear.
Outra do niesiao, irtftnnondo aobre o requen-
menlo de Antonio ht; i Costa Begn ; declara
que nao ha noonvetiwar no qne pede o sappti-
cante.Coneedeu-se.
nao)?nrointoaiae"fW^)tMM^^.v^^
dando s portas as dMenroes marca-las as pos-
taras, e coHncando as aeloiras no mesmo aivtl da
oulras.Concedeu-se. .
Outro do mwmo,. m>mnino\> ?oIm o reqneri-
mento de Aulonio Jo dSi Costa llego ; rumpre-
Ihe dzer que a eaaai do sopa**ante toja sement
20 palihos de largura, mas como nao dispoa elle
de mais terreno, e na liras- que vai fazer aforno-
sa a ra, pode-so-eoakadcr o que requer, dando-
se-lhe a cordea^ao.Quo o enumheiro drclaro se
o terreno fica entre oulras casas.
Outro do memo, informando sobre o reqoeri-
menlo dos herdeiiw de-D. Maria Proncisca do He-
go; cumpre-lba dizer qne petas postur* em vigor
i-asa de taipa na (lasa-
asas5=i^3asSaRS
cipera^ao _
Uinai mais embaracosa a posi?ao daem-
preza, e trar um accressimo improdactiVo
de despeza au thesouro, actualmente bem
enerado.
Dissmos cmte-cconomica e (menua ao
taesouro, por que essa medida armiar
como consequencia a diminuljao da reuda,
da estrada, pelo empregQtjw arao os'
igricultores de outros raeios de transpnrte
;to seu alcance, e d'atot accwsctmo do-
juros garantidos, que teri de desoaabolMr;
o thesouro.
NSo este, por carty ?< *fne-!
Ihado pela pralica do prhx*p ecarao-i
micos para fazer auguvaUr a renda de
urna estrada de ferro. tfoUediHt- a Ja-
rateza eis os daus pritiipM
!H) na em q .
mi e Po.'fiioi para es partos ds norte n sul, con-
forme o annuocto da menina rompinliia.
LOTERA.A que se aefla venda a 130', a
beneficio do patrimonio dos ofphSos, que corre no
lia II
V.V.SSAGlilllOS.-Vindo.s dos portes do norte no
vapor nacional Tocantinx :
Manoel de Araujo l.una, sua senhora, 3 Affios
menores o escravos. Manoel Jos Pereira Marf-
nlu), Rapliael Serninja, J. seph Benyd, Dr. Joan
Caetano Lisboa o 2 e-eravos. Dr. H>nnquc Perei-
ra de Lueotia, sua senhora, I cunhada e 3 escra-
vas, Pasch >sl D i dlngos, Caetano 1) .mingos, Ra-
pliael 1. Marri, Dias P. Marri, Matlie.is Jos Bau-
tista, Juvino Cesar, Pompen Exeqmel dei Souza
SanfAgua, Manoel Ruback,II'rmenegdJo de Sou-
za Lolw, Dr. Pelizardo Tosrano de Brito e seu fi-
II.. Alx*a4re, Br. V*aente do Iteo i. Uarrel*,*
criminosos e 2 praoas que os oscollam.
Seguem pana o sul :
Jo* Frreira Cardozo, Joan Julio de bouza, Dr.
Francisco Jos Cardoso Guimarae* c 1 escravo, .
Leopoldina Amerita da Silva Mello, 2 lilhos meiio-
re< e 1 escrava, Joao Jos Gongalves, Lucrecia dos
Rcis, Joivi Lopos Malhas, Joa^tm Jo da Silva,
Joao los Flora, 6 recratas, 1 cadete, 23 escravos
' Viudos do S. Miguel na barca portugueza
Amisade: .
Manoel do Amara!, Jos de Souz.i, Antonio Ja-
.iniho do Aragi Antonio Ja Costa, Virtorino de
Medero-s Jos Pereira. Luz Raposo, Rulirio Jos
RjJrgaes, Joao de Mederos, Mariano Martin- e
sua senhora, Manoel Jos Alves JiM(la Silva,
Maraarida Julia Manezes.Jos da SilviNunose sua
senhora e 1 Bina, Antonio Paulo. JjjCmtho de
Araujo -Manoel Bernardo, Antonio PeTOiau' Me>
deiros Calisto, Jacintho de 8-juza e sua,. senhora.
Antonio Paeheco, Antonio da Cosa, Joao Claudio,
Pedro Jos dos -Rsis, Manuel do Rogo Pontos, Jao
Serrao de Lima, Manoel Gordeiro do Amara!
noel Duarte, Antonio Raoo\ Manoel Du
Mtllo, Manoel Rapuo Ganiwft.siwmuer.
e 3 nel'-s, Menoel J.vsc ot*tA1losa de,
ros, e urna flfna, Manoel de Medhros f*
noel JaeipMWlwa Amena da
l.uiz, ^nasottiara e 1 Hlha, l'*..*
Jos Joaquim de MeHo, Manoel Mun.z, I. de \\-
nMotek^ Ignacio ^MedoirosABttrto Jacsn-
tho Baptleta. A. Francisco M. Cabrjl, sua semura
e t-BIto, Antonio Jos de Barros^Joio de FjfMi-
red, los Mara do Reg l>n,pramnsco Pereira
do Reg, M. do Rf> tjaeaife.nMMonlo Ptgrw o
sua atrihan, II. AMteodf. Oaatwho, wt-M*Qm*,
IHhae i.Nma,MldKlllN* e sp *fc<>g
Jos de Lima, sna sentar, {Mrfhw, *
de Melle, Manoel Tavaros Cima, s nw
I (iHw. ifaflM laaI^V". *
Prrefr, Wi miim I
CMARA MOICIPAL.
SESS.AO EXTRAORDINARIA AO 1 DE DEZEM-
BRO DE 1869.
PaKSroKNCI.V DO SR. DR. SOZ\ I.BAO.
Presentes os Srs. Dr. Barros Brrelo, Dr. Piton-
ga, Dr. Moscoso e Souza Magalhes, faltaudo com
causa os mais senhores, abre-se a sisso, e e lida
c approvailaa acta da antecede ote.
Leu-sa o seguinte
EXPEDIBITK.
Um olHco do Exm. presidente da provincia, de
io do corrente, convidando a camar3 para assistir
ao cortejo que se tem de faaer ein palacio a eiligie
de S. M. o Imperado? pela 5 hora* da tordo do
.lia He dezembro, anniversano natacilio do mes-
mo augusto senhor.Iiiteirado. *
Oturo do mes no, -4a 1 de novembro passado,
declarando a cmara,' em resposto ao seu ofllcio
do 21 daquelle mez sol) n. 9e, qae approva a ar-
rematacao da obra da c.onstruecao de v.nto iare.-
. .. ir._!.._- .________.~ ...,i.n,>,-> nara adurtos
de catacumbas no cemiierio publico para
, para prvulos na imporlaneia de 2:UUU*uw.
luteirados, faease o termo de contrato, c se recom-
mende ao engenheiro a inspeeci.o da obra.
Outro do mesmo, de 2 do corrento, dizendo que
tendo naquella dau solicitando ao governo impe-
rial providencias para a reconstruceao da ramiia
do caes do Capibaribe. no lugar ponte ve ha em
vista do que representou a cmara em dala uo o
do outubro, recommenda a mesma cmara qoe ta-
ca remover dalti o lxo que existo atnontoado, e
novdencie para que o desembarque de grossas
madeiras nao continuo a deteriorar a rampa e
caes. -Que se recommendo ao fiscal.
Outro do Dr. juii de direito da 2* vaia, pedindo
a cmara que Ihe mande pagar a quanta. de
deJ_
a-
Manoel
ta Res,
2i)Sl00. mportoncia das custas a que foi condem-
nado o cofre municipal, como constava da ceriidao
nuoremetlia. Quesepasse mandado de |>agamento.
Outro do DT. jais de oiphaos, conmunicando
que tendo cessado o encommodo de sadde (jue
deu lugar a p**v o exercicio ao 1 suppMnW, as-
sumia em 24 do novembro ultimo o niesmo exer-
etiMo.Intewado. ,
Outro do 2 supplente do subdelegado da Tre-
gueia do Recife, participando haver m 30 de no-
vembro ultimo assumido a exercicio do me-mo
cargo, por ter dade parte de deonte o effeeitvo,
e deixado de acceitar o exercicio o Io supplente.
Iateiraio.
Outro do atlvogado, declarando qno e seu pa-
recer que o escrvao do subdelegado nao porte
exercer funeedes perante o liscal, o qual deve
mondar lavrar os termos de infraccao pelos empre-
gados da cmara, e no caso do nao poder faze-lo
leve levar o infraotor com a twtemunha a pre-
senca da autoridade policial para larrar o respec
ro' termo. dens
Outro do naesmo, em additamento ao offlcio de
20 do outubro, participa qoe foi julgado eman-
teoca favoraVata notifleaca intentado contra irm-
larroyos, acerca da terreno destinado para a nw
Sdouro p<** da fregaezia doPooo.-lnw.rada,
rwqiaiaaieve quo continuo a activar o anda-
inaoto da quastao. ,. ....
>itro do mesmo, em resposta ao qaoM foi o>
rttido e-n 26Sle outubro ultimo, declara quo, en-
Jas afercfcs para o municipio em qaaaaa tai-
tas, nao pode servir para outro; ******}*
ahain o eaMWr puMeo, todava tu P^ern >r
almdo moniMpio om qoe so Pf*^*^ ^r '
porque aao ha garanta, <^ qoaterta a afiari-
do taa*Uraae Mu ; pareaoBdo-lha, po-
JTaa [*ovma;--Qiiee mformo a.asl4o*-
o sentto iiHlead.) pelo advogado _..
tro do a*k^*i*wr do cemium-!'".,
leoimei o Ihe offloiara en 3t**W
nao penaittido edificar
Forte.Indeferio-sc
Outro dn niesmo, infomaadb soarc <> requon-
mento de Anastacio Pacliooa d Almeida : declara
qui! as posturas municipaos ein vigor nai> adiait-
tein cuss de laipo nn estrada de Joao .lo Barros
Indeferio-se.
Outro do mesmo, i!i6jrm:mdo o renoerunent. da
Chrislovao dos Santos Cavalcaule; tem a dieer
'que nada lia a oppor a pretewa. do supplicaata,
d mdo-se-lhe a competenle cordeacao.Maudou-se
cordear, impondo-se-loe fc'go a condicao de asig-
nar termo.
Outro do mesmo, intui-roau* o reqiKi miento do
Jos Antonio Pereira ; declara que nao lia incon-
veniente na concessao que.pede o supplicante, col-
locando elle a nova solirn no nivel da outra.
Concedeu so.
Outro do niebiao, iofi wnando sobro o requer-
ment de Thomaz do Aquino Ponscea ; i-umpre-
Ihe dizer une a casa d i soaplicante acha-se bas-
KMite arruinada, o -nnmUflT- nao amea -o desaU-
mehlo, comtndo prudenio nao demorar -o limito
a- demolicao, e deve ser-tta antes do invrrno.pa-
reeendo-fhe que, permitUndo-se um prazo de tres
quatro mezes, soflrWe para sanar as diffl-
culdades que enccnlta artuakpcnle o siipplieaate.
Concedeu-se lres metes.
Outro do mesmo, informando o reqneriinento do
Gara Clemenlina Carlota de Brito; de'ara qoe
nada tem qne oppor, dandn-sn-lhc a competeidH
cordeaQo.Mandou-se cerdear.
Foi remettida commissao desande nmapeticia
de Jos Maria Ramonda. pedindo lrenra para es-
tabelecer na ra da matriz da Boa-vista n. 20 urna
padaria. _
Foi nomeado o Sr. Souza Magalhes para subs-
tituir ao Sr. Dri Rento Costa na commissao dos
negocios dos cemiterio de fora da cidade.
Despacliaram-se as pe lees de Antonio Henn-
(iue de Aranjo. Antonio Jos Frreira Monteiro,
Anastacio Pacheco de Almeida, Antonio h.- da
Costa Reg (i), Antonio Mdburge Saraiva Galvao,
Clara Clomentiiia Carlota-de Brito. Carist-vao dos
Santos Cavaieante (), Prancisco Guedes de Arau-
jo, Felzarda Miria da Conccicao. o escrvao Fran-
cisco d "Barro- Corrja. Francisco Jos Arante,
Fra-icelino da Caoiarfl-iits, Francisw) Alves Moa-
teiro Jnior, Francisca Maria da Concoca i, I-eli-
zardo Manoel da BosU Fernandes, H.-nnqiie da-
Silva Moreira, .Itoit.ir A; Suopaio, Joao de iive.ra
Leite o Souza, Jos*Antmii.i Perreira. Joao daf!a-
w, Joaqnim do Sant'Ann.1 do Espirito-Sanio, Jos-
de Brito Correa, Joaquim Pereira de Sonza, Joatt-
na Mara das Dores, Dr. J .iquim Jos do Miranda,
Jos Caetano le Cirvalho, Jos Coadein <11 Regu
Ponies. Joao Rodrgnes de Carvlho. Joao Bapti-U
dos Santos, JoaoLuiz Bitieiro, Jos Jacntho deOhV
vera. Luz Jnse da QnMa Amorim, Manoel Josa
Marques da Silva, Manoel Joaquim RoUrigeei de
Souza, M.a i.- Irmai-s, Maria da Paxao de Jess,
Manoel Cavaieante l/ielln, Manoel da Costa lian-,
Manoel Ribeiro Bastos, Paulo Jos Gomes. Pocas 4
l, Recife Dranaje Comperni, Tlvmaz da Aquu
I" inscca, Thom Rodrigues daCunba, V.ceatc I se
de Olivcira, Victorino de Almeida Ribeiro ; c le-
vantou-se a sessio.
Eu Francisco Canuto da Boi-viagom, secretario
a subserevLIgnacio Jrmquim de Soici Uao,
pro-presidenteDr. Pedro dt Alhayde Lobo itos-
ro de' Souza Mmfilluies.tr. Fntxet'ti Gomes
dfifyuza Pitanja. 11, IM_ ,
PUBLICACotS A rEDICO.
mm umm
.4 loolscrvaacla da eU pelo Sr.
tenente caronel Fraue-see de
Hlrantla Leal Seve.
Um (jolpa na lei importa umi iiiftistira
clamorosa, que rovblti e reclama prompta
reparado, alim de que a ordiMii social nSo-
seja abaiatLi, os direitos. de cnJadSos con-
culcados os inferesses dos.ittendidos, em
summa, aflm dn qriR seja sempre miittr
o imperio da raesma lei deste prhnp
de ordem quo reg as sociedades bm ui-
gaaisadas e constituidis.
Este piinpipioaceito universataieftle. n5o
enccp.trou, porm, |>oio na ctwscfeacw do
9r. tanemte-c*mnd ft*a, eomjWf0'
guarda naciontl G*teni) Jus olri|# de
Bamvi, que acauou du sorer uinttpNsgft-
de tO dias na fortaleza do Brum, duajyiD
a lei determina expressameate que, o gaar-
da que cammetter urna falta quakpfer tpte
ella seja s6 pode soffrerprisJo ot'te*o.s.
E' ainda a mesma lei, que, om si vti.
98 diz qae, quando a (alta pqr _3J^B|
circumsuacla fica ggravada ewqtwMg*
puaitao, o giwrda wwional ttwrw' *
:
'
I
--'-'l
ILEGtVEL
*-r



1
4 '
a*jfuMi umm^ ****** ~ *<**% w ** -mtI; d; *. 5SSWWS1
u
DVtselko dewWipUn,. o quat poder;i
t|p iinpi .' "! de priso at do6 raezes.
E un msterio da jnkitf de
26 demarco de 18B6, declara que Os
gmacdas nacionaes, iotursosem crtaeS ptt-
ramente militares, netos quaes teaham de
responder conseilv) di disciplina, defen-
dam-se sollos. *o
Em face,'poisJustes preceitos
tio terminanles "jositivos, quem
.f* dir que o Si .bigrvoii
a lei, conservando prd^^Hn> go
espaco de JO dias, cometteado umagraa-
de injustica W Nk|]em certaaente. .
Daqui resulta olkgutate dltenuMf* Ou
o Sr. Seve como commandanle nao paula
como deve. os seus actos pela le, porm
pela sua vontade capriafcasa, Alba das oc-
casioes, e nesle caso devcr intervir a au-
toridade superior ; oo ento nSo eotende
a lei apezar da sua clareza e concisao,
ueste caso dever recorrer a quem Ih'a ex-
plique, para nao commeter injustifas.
Do contrario, o Sr. Seve deixar sempre
de observar a le, em detrimento daquelles
que nella encontrar (e deverao encontrar)
proteccao e respeito aos seus direitos. aflm
de que n5o apparegam queixosos, como o
dito guarda Caetano, e um alferes do mes-
mo batalho que tambem soffreu urna pri-
Bo de 51 das como foi publico e noto-
rio nesta cidade.
Ja que fallaras e appellamos para aopi-
niio publica. n5o podemos deixar de in-
vocar a aitencSo do digno presidente da
provincia e" do zeloso commandante supe-
rior, para o que ica expendido, pondo um
obi e aos actos do Sr. Seve, o qual, se-
gundo parece-nos, a lei personiQcada do
3' batallfaoihealro das suas facanhas.
Ao concluir, dizemos ao Sr. Seve, que
pode ficar plenamente convencido de que
recorreremos imprensa, sempreque S. S.
desviar-se do caminho legal, daquelle que
dever trilliar. para nunca commetter actos
injustos e clamorosos.
Recife 11 de dezembro de 1869.
Um tjua*4a do 3a batalho.
i ALFANDEGA.
eadimenta do di 1 a 11.
dem do din 13 .
(alendas
yiniu mi ~
I dem dem cm velas, .
UMM4I51 CU........
M:88.'HB47 Cocas seceos......
--------, Colla.........
547:44 D8 Couros de. ql seceos salgados,
fdemidem espichados. .
dem idem verdes
__rf.
IMBNTO DA ALFANDEGA
687
Mi6
S* 18<
552
idem de cabra coitidos .
dem do o
734
e i'i de dezembro
\j$ttanmereadori as.
gareth merea(iorla3.
ero.
idem.

cen
kilog.
OD
U3f
4*000
M4
560
640
330
val',
: .-'" ;,', ', \"' atfwo wpp'h i !.'
n ff*
Devotos que hao de concor-
---------------------1-------*-----------...^.. .* UUUl
Brigat dinamaroue;
Patacho dioamarquei
Vapor ingloiSaphai
Rarca franeeta Sph
Barca InglezaRosemonrfdem.
Escuna ingieraMary Jamesdem.
Patacho americano"Leonoraidem. ,
Patacho americanoIza id'sm. SCJAaJ
Brigue portufiezRelmpagoidem.
ihrea portuguezaiegurancaidem,
Barca inglezaTalismnfarinha de trigo.
Brigue norte-allemao*- RecMina farinha de
Higo. '
Barca inglezaS. lYsiitaidero.
Brigue noruegnenjeMandarim taboado.
E*cuoa inglezatW/e-bacalho
Barca iagleza-^-Jftrada idem.
Escuna ingieraCorda*idem.
Importar o.
Vapor frtmcez BXnreMADURB, vindo Ai Br-
deos t Lubna, manifettou :
4 ca xas calcado ; a L. Haus & C.
9 ditas dito; a Lyra & Vianua.
1 dita dito; a Satyro Seraflm da Silva.
400 ditas violto, 7 d tas calcado, marroquuu e
tecidos diversos ; a H. Wilmor.
3 ditas miudezas ; a adunia Adour.
i dila ditas; a Maturlno Barroso de M.
1 dita diUs ; a F. C. Burlamaque & C.
1 dita ditas; a J. J. da Costa Maia & C.
i lita ditas ; a Cmara 4 Guimaraes.
1 dita ditas,A ditas joias; a Lehmaun iteres.
1 dita ditas o miudezas; a L.^A. Siqueira.
1 dila calcado e joias; a Joao Pereira Mou-
tinho. _
I dita ditas; ao bario da Soledade.
60 ditas quoijos; a Corga Irmaos.
25 ditas ditos; a Lima, Silva A C
68 dilas ditos; a Camino Zenha & L.
30 dilas ditos; a J. J. G. Beltrao.
65 dilas ditos ; a F. A. Mouteiro Jnior.
58 dilas ditos; a Joao Ignacio da Costa.
24 ditas dito ; a J. SL da Rosa A Filho.
40 ditas ditos; a Foo-eca A Santos. ^
40 ditas ditos; a Jos Correa Braga A G.
50 ditas ditos; a Von Sosten A C
II ditas dito; a Jos Joaquim Alves.
12 .litas dito ; a Barbosa A C
25 ditas ditos ; a Mauoel F da Costa A L.
46 dilas dito*'; a Guimares A AlcoforaJo.
12 dilas ditos : a Silva A Joaquim Felipoe.
aCA. SodrdaMotta.
a Meuron A C.
dttzia.
ceniu.
W\
Bom Jess dos Pobres Af-
flictos" da igreja de S. Gon-
?a o, no anno de 1870.
"roveilorcs
O Exm. Sr. Baro da Soledade.
Os Illms. Srs. :
Rvd. vigario conego Antonio Eustaquio Alves da
Silva.
Capiti de mar e cnerra Hermenegildo Antonio
Barbor.u do A Impida
Dr. Alexandre de Soura P-reira do Carmo.
Dr. Jt'ann L >pes de Miranda.
Frandsco Ferreira Borges.
I"rovc As Ex na?. Sras.:
D. Rita, espora di Illm. Sr. tenente-coronel Agos-
linhn Bezerra da Silva Cavalcanti.
D. Joaquina Babina da Cosa Ferraz.
D. Marcolina Duarto Villas-Boas.
D. MHeiitina esposa do llm. Sr. Dr. Rufino Au-1
gusto de Almcida.
D. Enilia. esposa do Illm. Sr Dr. Francisco do
Reg Carros Uarrettu.
D.Lonrenca, osp-xa d> Illm. Sr. Antonio Augus-
to Ferreira Lima.
Ilsci'iwes
Os Illms. Sis. :
Majur Jos Luiz Pereira.
Dr. Eduardo d; Barros Falcao dj Lacerda.
As Exmag. Simj. :
D. iliria, osuosi do Illm. Sr. Dr. Cicero Percsrio"
d Silva.
D. Candida. cJp )>a do Illm. Sr. Vicente Carduzo
Ayro-.
.Uor Ionios
Os Illms. Sis. :
Taoanto Tlieopliih Alves da Silva.
Toncnte Emiliano F.rnesto de Mello Tamborn).
Jos Carnciro da unha.
Franrisco Alws de Carvalh<.
Capilao Antonio Jos da Costa e Silva.
Luir Epiplianu Kauriea.
Capitao Anlonio AiiRU-to da Fonceca.
Dr. J-ao lavenrio Fcrivira de Aguiar.
Dr J rge Oorn-llas Ribeiro Pessoa.
Plinio Angusio Xavier de Lima.
Domingos Nuik's Ferreira.
Domingos J.i.s da Silva.
JosL'pes Alheiros.
Jos P >jife da Silva.
Alfares Franklin Freir Gampiro.
Mordomas
A* Exmas. Sras. :
D. Maria, esposa do Illm. Sr. Joao Luiz Ferreira
Ribeiro.
D. Luir Adelaide de Menduoca.
B. Maria Luir Lins RlbfiroW
D. Maria, esposa do Illm. Sr. Narciso Jos Ma-
chado.
D. Dulce Augusta Ferreira de Mello.
D. Maria Amelia Prente Vianaa.
D. rsula, directora do ol -gi,, do Santa l'rcula.
D. Rayinunda dos Santos Alraeida.
D. Raymunda Maria de Miranda Couto.
D Maria Augusta le Machado Accioly.
D. Maria Jos de Machado Arriuly.
D. Hermelinda de Carvalho Moura.
D. Manuela Firmina Machado.
D. Maria do Carino de Mello Reg.
P oTedurs protectores
Os Idins. Srs. :
Commendador Antonio Carneiro Machado Rios.
Dr. padre Luiz Ferreira Nnbre Pelinca.
Provedoras protectoras
As Exmas. Sras. :
D. Olympia Lins Ribeiro.
D Argemira. esposa do Illm. Sr. Antonio da Silva
Ferreira Jnior.
.Consistorio da irmandade do Senbor Bom Jess
das Dtres em S. Gonzalo, 7 de uovembro de 1869i
O vigario, Manoel Joaquim Xavier Sobreira,
200 ditas ditos v
1 dita ulencilias de oasa
Aicotorado.
5 ditas miudezas c quinquilharias ; a J. A. Mo-
reira Das.
2 ditas livros ; a Jos Barbosa de Mello.
2 dilas ditos; a Lailhacar A C.
1 dita papel; a Tasso Irmo.
4 ditas onapoj ; a Cliristiani Irmao.
1 dila di ios ; a Franscisco do Assis do Castro e
Silva.
2 dilas ditos; a Cunha A C
1 dila ditos; a Manoel Moreira do Souza.
1 dila drogas; a P. Maurer AC
1 dito reloios ; a F. J. Germano.
4 ditas ditos o joias ; a A. Hyvernati C
18 dilas conserva e vinbos ; a Gioachino Gheli.
1 dita fructas seccas ; a H. Oeili A C
2 ditas plantas; a A. L. do Oliveira Azevedo
4 ditas lecidos de algodo ; a Joao F. Lopes.
1 dila ditos de la ; a Adriano, Casiro A C.
Doces em calda kilog,
dem em golea ou maflB Wf f
dem srccogB. f. & g^
Espanadore de peonas grades .
dem pequeos......
lem de palba.......
Esleirs de carnauba ....
dem praJMt para forroou estiva
denavio. .....
Estopa nacional......kilog.
Farinha de ararula......
dem do mandioca.....
Feijao de (iual(uer qualidade.
Fumo charufi......centro
dem cigarros...... ..
Idem ora folha bom kilog,
dem em folha, ordinario ou res-
tolho .......
dem em rolo e en> latas bom
Idem, ordinario ouresiolho. >
Rap .........
Gomma de mandioca, (polvilbo). >
(pecacuanha ( raz ).....
Caibros ........um
Enxams .......
Frecbaes. .....
lacarand (coucoeiras) duzia
Lenlia em achas..... con10
Idem em toros......
Linhas e esleios......un)
Loar s (pranchdes).....
Pao Brasil........kilog.
Idem de jangada......o
Quiris.........duna
Vinhatico costadinho de 25 a 30
millmetros de grossura. um
dem pranchoe de dous cosu-
dos at 50 millimetros de gros-
sura .....
dem taboado de menos
millimetros de grossura
Taboado divarso. .
Tatajuba........o*-
Travs.........I ia.
Varas para pescar.
Idem para aguilbadas
dem para canoas.....Jna
Cavernas de sucupira(em obra)
Fixos d cieupira para carro. .
M-Iaco.........
Mel de abelha.......
Milho. .........
Ossos......, .
Palha do carnauba polhos
Pechury. ........plog.
Podras de amolar .,..'*
Idem de filtrar .
Jm le I UlIUIlU -,
de 25
i m
zia
ia
log.
i
Pennas de ema. .
Piassava.........polhos
Pontas on chifres de novilho ou
vacca. ........ lento
12JO0O
136
681
92
279
350O0
320
1^090
2
545
2l80
170
U703
60H000
360
i500
51000
931000
3*000
124000
6000
10*000
102
5*000
6*000
16*000
20000
144*000
96*000
33
6*000
2*400
6*000
1*000
35500
1C000
50
320
68
16
1*000
817
31
18

4*706
160
t Dr. Ignacio Joaqaim de Souza Leao, ca-
anoel Joaquim Machado, Albino do Reg-
lo, Angelo Custodio Rodrigiss Pfnca, al-.
Basilio Luiz Coelho, Caetano Jos, Mendes, Dr.
Ernesto de Aquino Fonseca, capilao Francisco An-
tonio de Assis Goes, lente Firmina'5 Francisco 1
de Brito, Francolino Augusto de Hollanda Chacn,
Iteres Joaqun* Francisco de Torrea Gallineto, Ger.
mano Pin
Soaiw G
Joao Go
nques da
de Siquei.
Figuetra
nlo
?duzia
objectos para piano; a G. W'erthe-
a A. Robcrt A Filhos.
de palha ; a Phipps Lrothers
COMMERC.
Sociedade baucaria em com
ni and i ta
Thcodoro Simn $ C,
Compram e vendeos por couta pro
pria metaes, moedas nacionaes, e estran-
geiras, letras de cambio, sedulas do go-
vernoe do banco do Bsasil.
Descootam letras da trra e ou'os ti
talos commerciaes.
fincarregim-se por conta albeia das mes-
las (ransaccOes, da cobraoca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebern quaerqoer quantias em depo-
ito, em conta coiTente, e a prazo 8so.
Largo do Pelouriaho n. 7
ENGLISH BANK"
O Rio de Janeiro Limited
Deseo ata lettras da praca taxa a con-
venaoar.
Recebe dlnbeiro em conta correte e a
pras^o fixo.
Saca vista ou a praso sobre as cidades
prlacipaes da Europa, tem corresjwndente
na Babia, Buenos-Ay^es. Montevideo. New-
e New-Orleans, e oraitte cartas d3 crdito,
para os mesraos lugares.
I dita
mer.
1 dita mascaras
3 fardos chapos
& C.
1 barril vinho; a Tisset frres.
27 eaisas queijos, miudezas, sanguesugis, cal-
cado e tecidos diversos ; a urdem.
20 ditas cognac ; a Cramer Frey A C.
2 diUs chapeos de sol ; a madama Falqu).
4 ditos lecidos diversos ; a Linaeu, Weydman
3 ditas ditos ditos e calcad i; a Jos Luiz il Fer-
reira A C.
1 dii miiiilfi ; a Souza Suares A C.
1 dita ditas ; a madama Lecunlc.
8 das sela, colleabot), balldes, roapa c teci-
dos diversds ; a II. I,eger.
1 dita ditos de algudao ; a Alves A C.
1 dita sedas e camisas; a Domingos Alves Ma-
thvus.
9 ditas calcado, sedas, chapeos c tecidos diver-
sos ; a Mouteiro A Irmao.
i diias miudezas; a Joao da Rocha e Silva.
3 dilas Jilas e calcado; a Joaquim A. do Araujo
A C.
1 dila modas ; a Eduardo de Moraes A C.
2 ditas dilas; a V A Leal.
2 ditas lucidos diversos; a Ferreira A Ma-
theus.
11 ditas ditos ditos, chapeos, calcado o cm pia-
no ; a Heni ique A Azovedo.
1 dita tecidos de linho ; a T i. Christiausen.
2 ditas ditos de laa ; a D. P. Wild.
'3 ditas ditos de dita e de linho ; a F. G de 0.
Subrinbo.
5 ditas ditos diversos, papel, modas e chapos;
a Joaquim Lupos Machado A C.
1 dita objectos para escriptorio ; a Noguaira A
Modeiros.
3 dMas ditos ta dito* a JKo Walfredo de"Me-
di'iros.
1 dita camisas ; a A. D. Caroeiro Viano:. A C.
3 diia tecidos de la ; Falto V. de Caut: Iice.
4 ditos diversos ; a E. A. Borle A C.
1 dila mascaras o quinquilharias ; a Cesta Ir-
maos A C
1 dita modas ; a Angus'.o Porto A C.
. 5 ditas calcado, chapos e tecidos do alodao
a Monhard Mettler A C.
4 dalas ditos de Jia o calcado ; a Silva doso.
13 ditas lecidos diversos ; a Keller A C.
6 ditas ditos do algodo; a Fueretemberg, Flack
A C.
4 dilas ditos do lia e de seda; a Carneiro A No-
gueira.
3 ditas ditos diversos ; a Schafheitln A C.
6 ditas ditos ditos, calcado e chapeos ; a Mello,
Lobo A C.
5 ditas camisas ; a J. Carrre.
1 dita objectos religiosos ; a rmaa Magnin.
1 dita ditos ditos ; a Paul Guelphe.
Sabo
sai.....; ; ; ; *
Salsaparriiha.....\
Sapatot* de couro branco .
Sebo ou graxa em rama .
dem em velas. .
Sola e vaqueta.....
Tapioca. ......
linhas de boi." ,
Vassouras de carnauba .
Idem de piassava ....
Idem de timb.....
Alfandega de Pernarabuco,
1869.
O I. conferente, Joaquim A.
O 2." dito. Joaquim a> Carialho Mendmca
Approvo. Alfandega de Plrnambuco, 11 de
dezemVro de 1869.Pues de Arirade.
Conforme. Joaquim Tertulilo Medeiro.
lECEBEDOHU DE KENUA LNTEK.NaS (F-
RAES DE PRRNAMBUCO.
aendiraento do dia 1 a 11. 18 495*659
damdodia 13........ 3:450*031
2*800
438
10
2*0i:i
800
340
476
l200
204
380
768
> 1*200
960
de dezembro de
ta iderfcy.
21:945*690
i:o.\srn.Ano provinciai
tendimento do lia 1 a 11.
deui do dia 13 .
6l:06379l
7.115*607
71^1 i JOS
T.^BELLA DOS PRECOS DOS GNEROS SJEITO: a di-
BBITO DE EXPORTACAO. SEMANA SE 13 A 18 DE
DHZEMBRO DE 1869.
Mcrcadorias: Unidades. Vulores.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 12.
Tamandare portos intermedios6 horas, vapor
brasileiro Parahyba, de 104 toneladas, oomroaa-
dante Mello, equipagem 14 ; a companhia Pcrnain
bocana,
Terra-Nova-32 dias, barca ingleza Miranda, de
314 tonelada", equipagem 15, carga 3,537 barri-
cas com bacalho ; a D. il A C. C. Sempson
A C.
Navio sahido no mesmo dia.
LiverpoolVapor inglez Suladin, o mmandante
J. S. Kelly, c-irga algodo eouiros gneros.
Navios entrados no dia 13.
New-York33 dias, hiale americano l. P. Auger,
de 202 toneladas, capitao Aldrek, equipagem 7,
carga differentes gneros; a Henry Forster AC.
Rio de Janeiro20 dias, briuo inglez Janet, de
215 toneladas, capitao Diak, equipagem 9, em
lastro ; a Henry For-ter A C.
Li*a38 dias, paaeho portuguez Mariana 11,
de 229 toneladas, cipHi Antonio Francisco da
Silva, equipagem 9, carpa vinho e outros gene-
ros ; a Thomazde A. Fonseca A C.
Navios saludos no mesmo dia.
BahaHiato americano R. W. Brown. capitn
Horren, carga parto da que trouxe do New-
\ork.
GreenockBarca ingleza llelen Isabel, capitao
Glass, carga arouenr.
HavreBarca franceza Jtm Bnptista;rapifio Bo-
jean, carga couros e algodo.
Terra-NovaDarca ingleza Flelwing, capitao Bao-
ley, em lastro.
CanalLugar inglez Ocano Ranger, capitao R.
Hellier, carga assucar.
Rio Grande do SulBarca hrasileira Pombmlia,
capitao Antonio Alves da Silva, carga assucar
e agurdenle, c 1 escrava do capillo.
Magalhes, capilao Joao da Cunha
'es, Jos fcuciano Cabral, alferes
Ferreira e Silva, capitao Joao Han-
Jos da Cruz Santos, Joao Manoel
s do Reg Patueco, Dr, Mlfuel de
aria, Miguel Lucio de Albofuerque
e Mello, P,.OKin;)io Marques da Silva, padre Ra-
phael Antofiio Coilho, Virgilio Jos da Motta. ma-
jor Antonio-Bernardo Quinteiro, major Fellt Fran-
cisco de Souia Magalhes, Francisco Ribeiro da
Silva, Dr. Francisco Leopoldino de Gasmo Lobo,
Jos Candido de Souz) Castro, Manoel Goncalves
Agr, Rulno Paulno,da Silva Sera, Vicente Fer-
reira da Porciuncula
Supplente.
Antonio Augusto da Fonseca, capitao Hypolito Jo-
s Roberto, atieres Joaqnim dos Santos Azevedo,
Belarmiuo da Costa Dourado, capilao Daniel Cesar
Ramos, Augusto Cesar Pereira de Mendonca, Dr.
Angelo Henri que da Silva.Manoel Francisco de Oli-
veira, Marcolina Victor do Moraes, Dr. Manoel
Jos da Silva Neiva, Manoel Luiz Goncalves, Ma-
noel Simplicio Correa Leal, Manoel Ferreira An-
tunos Villana, Ovidio Ferreira da Silva, Thora Lo-
pes de Sena, Jos Flix dos Santos, Joaquim Urgo-
lino da Suva Fragoso, alferes Jos Vitil de Ne-
greiios, Julio Cesar Fereira di Rocha, Joaquim
Cardo*) Ayres, Joaquim Hcrculano Pereira Cal-
das Jnior, Joaquim Vital Machado, Jos Alexan-
dre Ribeiro, Joao Jos Rodrigues, Joao Baplista de
Moraes, Jos Joaquim da Silva Mendonca, Luiz An-
tonio Goncalves Jnior, Desembargado!- Francisco
Domingues da Silva, Dr. Felippe de Figueiroa Fa-
ria, Francisco Rodrigues d) Silva, Francisco Anto-
njo Dures, FraiK-elino do Reg Machado, Floren-
cio Domingues da Silva, alferes Faustino Jos da
Fonseca, Francisco Jos de Moraes e Silva, Fran-
cisco Flrmino^Baiinga Braga, Olegario Neivas, Joao
GonQalves Rodrigues Franca.
E para constar mandei azer o presente, afflxa-
lo nos lugares mas pblicos desta freguezia e pu-
blica -lo pela imprensa.
Eu Joaquim da Silva Rogo, escrivo que o fiz
e escrevi.
Recife, 13 de dezembro de 1869.
Ojuiz de paz,
Antonio Augusto da Fonseca.
O inspector interino da alfandega, faz publico
a quem inleressar possa, para que no prazo de
30 dias, vir despachar um tanque de ferro depo
sitado no caes da escadinha, o oual est ocurso
na disposicao do 2o do art. 301* do regulamento
de 19 de setembro de 1860, sob pena de ser arre-
matado em hasta publica por conta e a cusa de
seu dono, nao o despachando dentro do referido
prazo.
Alfandega de Peroambuco, 9 de dezembro do
1869.
n utepector inicrinu.- Lu- de Carvalho Paes de
Andrade.
o administrador da re3ebedoria de rendas in-
ternas ganes, declara em additamenlo do aiiiiun-
cio de 3 do correte, que neste mez deve tamliem Figado de exofre, killogramma.
Renzina, dem.
Bieabarnato de soda, idem.
Borrachas sorlidas com eipos, duzia.
Boles de/osQs-Bubrafi, killogramma.
Broamreto de potassa. idem,
Cabecas de papoulas, idem.
Ciinca, dem.
Caixas para utotrtag. groea, ^m
Cal virgem, jMogramma
Calomelano inglez, dem.
Clices do vidros graduados n. 2. um.
Camphora, killogramma.
Cantridas on p, idem.
Capsula de cupahba, caixa.
Carbonato do magneria, kiltogramioa.
Dito de poiassa. dem
Dito de soda, idem.
Caroba, idem. -.
Centaura inener, idem.
Cera ama rol la, dem.
Dila branca em grumo, idem.
Corada, idem.
Cevadiaha, idem.
hicoria, idem,
"lorsto de potassa, idem.
Cloroformio, idem.
Colla de (landres, idem.
Confeitos lclalo de ferro, duzia.
Cremortartaro em p, killogramma.
Cubebas em p, idem.
Digitalis, idem.
Dulcamara, idem.
Emplastro de eicuita, idem.
Dito de aquilo gomado, idem.
Dito commum, idem.
Esptulas de ac sorlidas, urna.
Essencia de aniz, gramma.
Dita de canella, idem.
Dita de cidra, idem.
Dita de flor de laranja, idem.
Dita de hurlela pimenta, ideny
Dita de rosas, idem. *
Dita de salsa parrilha, vidro.
Dita de theberentina, garrafa.
Dila de vergamota, gramma.
Ergotina, idem.
Ether clorylrico, idem.
Dito sulfrico, killogramma.
Dito ntrico, idem.
Extracto de acnito, gramma.
Dito de alcasss, idem.
Dito de belladona, idem.
Dito de camomila, Idem.
Dito de cicuta, idem.
Dito de favas de caiabar, idem.
Dito de fumaria, idem.
Dito de genciana, idem.
Dito de jurubeba, idem.
Dito de uoz-vmica, idem.
Dito de opio gommoso, idem.
Dito de salsa-parrilha, dem.
Dito de tridacio, idem.
Dito de valeriana, dem.
Feses de onro, killogramma.
Flor de rnica, idem.
Dita de borragens, idem.
Dila de enxofre, dem.
Dita de malvas, idem.
Dita de sabugueiro, idem.
Dita de tilia, idem.
ser paga livre da mulla, a'decima das corporaroes
de mo morta. relativa ao Io semestre do exercicio
crrente de 1869 a 1870. que igualmente estao sujei
tos os predios pertertcentes aos bancos, compaotnas
e sociedades anonymas e quaesquer associaedes
pas beneOcentes ou religiosas, e que (indo o mez,
ser paga com a mmlta de 6 por cento.
Recebedoria de Pernambuco 9 de dezembro de
1869.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
DECLABACOES.
Oonsu ado provincial.
Pela administraco do consulado provincial faz
se publico aos respectivos contribuintes, que
d'amaanha por diante comeca a correr o prazo
dos 30 dias uteis, marcados no art. 21 do regula-
aentode 16 de abril de 1842, para a cobranga
occa do cofre do primeiru semestre dos impos-
tos da decima urbana e de 5 por cento sobre a
renda do- bens de raiz pertencntes s corpora-
ces da mi mnrta, no corrente exercic.o de 1869-
-70, incorrendo na multa de 6 por cento aquelles
dos contribuintes que nao os satisfizeiem nesse
prazo.
Consiliario provincial. 30 de novembro de 1869.
Servido de administrador, A. Wttruvio Pinto
liaiule-ru e Accioti de Yacamcdlo**
ECITAES.
Abanos.........duzia
Algodo em caroco.....kilog.
dem em rama o em 15a. >
Carneiros vivos.......um
Poreosidem........
Arroz com casca......kilog.
(dora descascado ou pilado
Assucar branco......
dem mascavado......
dem refinado.......
Gallinnas........nma
Papagaios....... .
Azeite de amcodoim ou men-
dobira.........mro
dem de coco ......
dem de mamona.......
Batatas alimenticias. .... kog.
Baunllha ...;... ,
Bebidas espirituosas e farmeutadas:
Agurdente caduca.....]r.
dem de caima......
dem genebra...... >
dem restilada...... ,
dem alcool........ s
dem cerveja....... ,
Ideinvinagre....... >
dem viabo de caj..
8olaclna.c(fflipreloikli4os os
Wscoll s......... Kil
ordinaria, propria para
300
258
910
VXO00
1000
68
177
320
220
14000
5*000
937
675
UM
102
"i!
O Dr. Arminio Coriolano Tavares dos Santos juiz
municipal da segunda vara, provedor dos resi-
duos e capellas nesta cidade do Recife e sen
tormo por S. M. I. e C. que Deus guarde, etc.
Faco saber aos que o presente .-dital virem, que
afim de ser cumpndo o que foi exigido pelo minis-
terio do imperio no aviso cireular de 30 de outu-
bro do corrente anno, sao convidados todos os se-
cretorios de qoalquer associaca religiosa d'este
termo, a apresentar-me at o da 23 do corrente
mez, urna rclacao contendo o nome da associacio
o numero dos socios, seu patrimonio, qualidade e
rendimenlq d'elle.
S para que chegue ao conhecimento de todos,
- O administrador da recebedoria de rendas
internas geraes avisa oos contribuintes dos impns-
tos toncados, relativos ao exercicio da 1868-69
em liquidacao, a saber : ronda dos proprios na-
cimaes,.foros do terrenos o de marmitas, decima
addicional de mao murta, imposto sobre lojas, ca-
sas do descont etc., dilrVire casas do movis,
roupa, etc., fabxicado em paiz estraniroirrj* laxa
dos escravos e imposto pessoal, que nb corrente
me7 de dezembro expira o praso da cobranca dos
referidos impo-tos, promovida pelos cobradores
nos domicilios dos devadores, que lambm os >d"
vir pagar na repartan, e que ffndo odito mez c
proceder a cobranca executiva.
Recebedoria de Pernambuco ."i de dezembro de
869.
________ Manoel Carneiro de Sonza Lacerda.
i sata Cas* Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que n>
sala de suas sessdes, nojdia 9 do dezembro, pela;-
luatro horas da Urde, tem de ser arrematadas
iuem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
i tres annos, as rendas dos predios em seguida de
clarados :
ESTABELECIMENTO 'DE CARIDADE.
Cinco Pontas.
Casa torrea n. 114, por anno 328 000
Ra ao Calabouco
Casa terrea n. 20, por anno 2i>fJ0(l
PATRIMONO DOS ORPHAOS.
Ra do Vigario.
Primero andar do sobrado n. 27. 2405000
Ra do Pilar.
Lasa terrea n. 98.......203000
Sitio n. 5 noForno da Cal........... 150*000
Os pretndentes deverao apresontar no acto da
arrematacao as suas fianzas, ou comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re i
cife, 29 de novembro de 1869.
O escrivo,
Pedro Rodriquet de-Souza
Fumaria, idem.
Funiz de vidro n. 2, um.
Genciana, killogramma,
Glicerina branca, fdem.
Gomma de batata, idem.
Dita purgativa, dem.
Dila arbica escolhida, idem.
Dita em p, idem.
Graes de porcelana n. 1, um par.
Dito de vidro n. 1, idem.
Herva terresire, killogramma.
Hydroctorato de marflm, gramma.
Hy-opo, killogrammu.
Insenso puro, idem.
Iode puro, idem.
Iodureto potassio, dem.
Ipepacunha prea, idem.
Jalapa em p, dem.
Kernes mineral, gramma.
Licor de labarraque, garrafa.
Linhaca em p. kilogramma.
Dita intoira, idem.
Macella gallega, dem.
Magnesia calcinada, dem.
D ta de Henry, vidro.
Hanoi coininn, killogramma.
Dita lagrimas, idem.
Mantoiga dr cacao, idem.
Massa caustica, idem.
Mel de abelhas, garrafa.
Meicurio doce, killogramma.
Meserio, idem.
MoSlarda, idem.
Musgo islndico, idem.
Mralo de praia em lapis branco, gramma.
Nitro puro, killogramma.
fm moscada, idem.
Oleo branco de Chevier, vidros de 8 OBcas.
Dito de alfazema, killogramma.
Dito de amendoa inglez, idem.
Dito de batipnto, dem.
Dito de cravo, gramma.
Dito de ligado de bacalho, garrafa.
Dilo de-hacalho ferruginoso, vidro de H
Dito de linhaca, killogramma.
Dilo de ricino, idem.
Dilo de vermfugo, idem.
I'are:arias, idem.
Papel azui para embrulho, resma.
Dito branco, idem.
Pas a de jujuha, killogramma.
Pastilhas de Belloc, caixa.
Ditas de Kemp, dem.
Ditas de N.ff, caixa.
Pedra ume, killogramma.
Peneira de cabello, urna.
Dita de seda. dem.
Perehlornreto de ferro, killogramma.
Psde borgonha, iiein.
Phcsphatode ferro de Leras, vidro.
Pilulas de Allissons (verdadeiras), caixa.
Ditas de Valet, vidro de 80 pilulas.
Poligula senega, killogramma.
Polpa de tamarindos. dem.
Pomada mercurial, idem.
P"ntas de valo calcinadas, idem.
P? de Rogge, vidro.
P"tassa cau-iiea, killogramma.
Ples de 1 a 8 oncas, duzia.
Precipitado rubro de mercurio, idem. '
Prptoi tdureto de mercurio, gramma.
garrafa a 61 oncas.
oncas.
Santa Casa de Misericordia do Recife, M de'de-
zembro de 1869.
-('rivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
O ItlfD. Sr. conslhiro inspector da thesou-
raria de fazenda desta provincia manda fazer pn-
blico, que rm \MT da odem do thesouro n. zi'-t
de 16 le novel ID nllm, se aeha a mesma thr-
sourarla autorizada a pagar aojeredores de divi-
das de exerciciorflndo de 1861867 e 186-68
perteicenies aos minisl Ijfcperio, justica,
martoha, guerra e fnzH. S^Ptaria da ihesou-
raria do fazenda de Pernambuco, 11 de dezembro
de 1869.
^^^^^B offlr ia l-ma ior
Mama Jos Pinto.
Santa casa da misericordia do
Recife
/
A lllma. junta administrativa da Santa Casa em
sessao do dia 16 do corrento recebe propostas pe-
las 4 horas da tarde para o fornecimenlo de carne
verde que bouverem de consumir os estnbeleef-
mentos pios a seu cargo, tanto desta cidade cou-
da de Olinda, no trimestre de Janeiro a marco de-
1870.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cito 13 de dezembro de 1869.
O escrivo,
IVii.o Rodrigues de Sozua
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAAMBCANA
DR
Xavega^o coittclra por vapor
Macei, escalas, Peoedo e Aracaj.
O vapor Pottnjn, commandante Mello, se-
guir para os portos cima no dia 15 do corrate
as 5 horas da tarde. Recebe carga at o dia 11.
encommendas, passageiros e dinhoiro a frote ali-
as 2 horas da tard do dia da saluda no escripto-
rio do Forte do Mattos n. 12.
COMPANHIA BKASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperad*
at o dia 21 do corrento, o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante J
P. Guedes Alcoforado, o quat
depois da demora do costme se-
os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
4er embarcada no da de suachegada. Enconnneu-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sabida as 2
horas.
Nao se receben) como encommendas seaao ol.
lectos de pequeo valor e que nao excedam a dna
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medica*
Tudo que pas'sar destes limites dever ser embar
ca lo como carga.
Previno-se aos Srs. passageiros, qne suas pas-
sagens s se recebem na agencia ra da Cruz
n. 57 primeiro andar, escriptorio de Anti nio Luiz
de Oliveira Azevedo & C.
" COMPAiWIA BRASILEieT
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperad
at o dia 27 do corrente o vapor
Paran, commandantt J. S. Mo-
raes, o qual depois da demoi;
docostume seguir para os po-
tos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia do suachegada. Eneomraeo-
das e dinheiro a frete at as duas horas do fia da
Nao se recebem como encommendas senao ol
celos de pequeo valor e que nao excedam a 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medi-
Itmiti s Jerer ser
cao.
Tudo
que passar destes
embar -ado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que snas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
I" andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
\tPVe4o & C
COMPANHIA PERNAMBCAA
DE
D/avegagdo costeirapor vapor.
Porto de Gallinnas, Rio Formse < Taman-
dar.
0 vapor Parahyba, seguir pra m portos ci-
ma no dia 20 do corrento, j neja noite. Rere}.-
carga, encommendas, passageiros, edinJieiro a.fre-
te no escriptorio do Forte do Matt s n. 12.
Rio Grande do Sul
Para o referido porto sihir nestes dias por
ter quasi toda a carga prorapto a barea portu-
gneza Armind'i. pnra o resto que me falta pnd
tratar-se com David Ferreira R.-iltar. raa do Brum
n. 92.
americana c brasile-
ra de paquetes a vapor.
At o dia lo do correle esperado de Pfew-
York por S. Thumaz e Para o vapor, american..
South America, o qual depois da demora do cos-
tume seguir para os portos do sul, para frues e
passagens trata-se com os agentes floary Forstu
& C ra do Trapiche n. 8.
Santa Casa de Misericordia do
Recife.
A HIma. juntojidministrativa da Santa Casa de
manda fazer publico, que
43a se passou o presente, que ser puBlicado pela im-
- 'prensa v
Dado e pausado nesta cidade do Rocife, em 7
de dezembro de 1869.
Eu Galdino Temistocles Cabral de Vasconcellos
escrevi. '
_______Arminio Coriolano Tavares dos San tos.
0 cidadao Antonio Augusto da Fonseca, cavalleiro
da imperial ordeno da Rosa, e miz de paz do 1
anno dfcfreguezfa do S. S. do toro da Santo
AntoofBa cidade do Recife, provincia de Por-
nambuf ;
1911
39Q
-33o
300
(dem
boto
(dem escoUia ou restolUo .
dem torado o;i moid
Carao saeea (xarque ). .
Carvio vegetal. .
Cera amarella......
dem dewraba em bruto.'
ber que, em virlmle da lei reguljinerrtar
las eleicdes, e om, visto do aviso de 14 dedizem-
I bro do anuo passado, c maisdisposices tm vigsr
ntesdesto parochia!
II u^ nome.-, para
p dominga do mez do Janeiro
i ma matriz desta
IMIregueaa, pelas 9 b manhaa, aflm de or-
icadora, qno tem do re-
MliQear os ve-
paz o ve-
lo scieuto. os
^o J*fcirad4,
000 so na,

490
mi
> Manoel BrtamTSTsiV
Misericordia do Recito,
precisa contratar o fornecimenlo dos "medicamen-
tos abaixo declarados para os mezes do Janeiro
marco vindouro, sabor :
Ahsintho, killogramma,
Aeido actico p.iro, idn.
Dito cetrieo puro, idem.
Dito marinlio, idem.
Dito ntrico pnro, ide";.
Dito oxlico, idem
Dito sulfrico, idem.
Dito tartrico, dem.
A{d preparado, onja.
Acnito, idem.
Agua de colonia, rrasia.
Diu Afir de larangeira, ide^.
Dila de rosas, idem.
Dita de Sdillts, garrafa.
Dita de Vichy, idem.
Dita ingleza da Lsboa,idera.
Alcool de 36 graos, IKro.
Alecrira, biUogramraa.
Alfazema, idoin.
Algalias inglezas de ns. 1 a 12, dusia.
Aloes, killogramma.
Alvajade, dem.
Ameixas passadas, dem.
Ammoniaco liquido, dem.
Arsnico, idhro.
Assaettda, idem.
Assacur candi, dem.
Dito de Icito em p, idem.
Avenca idem.
Bap de ziuho, idom.
Balsamo do epabiba, idem.
Dito de jioravanik dem.
Dito de t il, idm.
Dito de peruviano, idoci.
Dito tranquillo, dem.
Ralba de (torco, dem.
Barbante fino,
do Narfraooto M .rteiia, Francisco ca S. j Kdan," idTn):
oa, ider
jante de Le Roy francez,
Qnacia, killogramma.
Quina em casca, idem.
Quina em p, idem.
Raiz de alcasss, idem.
Dilas de altea, idem.
Ditas de espargo, idem.
Resina de angico, idem.
Dita de batata, idom.
Dita de guiaco, idem.
Ruibarbo em p, idem.
Sab .o brauco amydalino, idem.
Dito de opodtldok, idem.
Sabonetcs de alcatro (Antonio Ncves da Costa),
duzia.
Sal amargo, killogramma.
Salsa hortenco, idem.
Sal-aparnlha, arroba.
Saccbarureto de oleo do bacalho, caixa.
Sassafrao, killogramma.
Sc Senne, dem.
Sementj de angelim, idem
Serpentaria, idem.
Spermacete em rama, idem.
Soluco de protoiodureto de ierro, idem.
Stramonio, dem.
Suhnitrato de bismnth, idem.
Sueco de gmzetla* francez, garrafa.
Sulfato de ferro, killogramma.
Dito de soda, idem.
Dito de neutro atropina, gramma.
Suspensorios escrotaes, duzia.
Tansagem, killogramma.
Vidros com rolha de 1 a 4, duzia.
Dit >s de opoldeldok, idem.
Vomitorio de le jpy francez, vidro.
Vmho de juruneoa, garrafa
Hito de corvisat, idem.
Xarope de Bourgois, dem.
Dito de espargo, vidro.
Dito de Quy, idom.
Dito de hydureto de Gibert, idem.
Dito de jurubeba, idem.
Dito de LabeUooy, idem.
Dito de Lamoureaux, idem.
Dito de Nad, idem.
Dito pei toral inglez, idem. .
Dito de quina ferruginosa de Grimaut, dem.
As pessoas que quizerem fazer dito forneciraon
io, deven aprosentor sgas propostas at o dia M
de presento mez, o dar fiadores que se rei-ponsa-
bihsem pelo fiel cumprimenlo do contrato. tos i
Rio de Janeiro
Segu cora brovidade para o poi :o ana o bri-
gue nacional Isabel, tem a bordo a nalor parte de
seu carregamento; para o resto que he falta tra-
ta-se com.os consignatarios Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C. ra da Cruz n. o7. andar
PORTO
Pretende sabir em poucos at; a tire* portu-
gaetiHtocial p3r ter a maior parto d ?arregamn;
lo prompto; para o resto qne Ihe fa^) e passagn-
ros, para os ijuaes tem bons commoJos, trau-s*-
com o consignatario Joaqnim Jos v^nclves Bel-
tro, ra do Trapiche n, 17.
Para Lisboa
A barca portngueza Pereira Bo^g;; dever se-
guir brevemente para Lisboa, j t?r.) a bordo par-
to da carga, e para o resto trata-se : jro Otiveiri.
Filbos & C, ao largo do Corpo Seio n. 1% !
andar, oo com o capitao na praca.
Kio Grande do Hx
Segu com fcrevidade para o pono -cira. o fcri-
gue naconal Amlia ; para o resto da carga gne
be falta trata-se com os consig**teris AoUa
Luiz de Oliveira Azevedo & C. ru Crn n. 67
! andar.
COMPAMHIl
AS
Messagcries imperks.
At o dia 14 do corrente mee oipera-se mau
tos do sul o vapor francas Gironde, capiti Td
S imer, o qual^poU da demora do eos toast ae-
Entra para Brdeos tocando em Dakar (GorcV) t-
isboa.
Para condicOos, frotas a passag ms irata-aa na
agencia roa do CoromerHo n. 9.
COMPAMUA l?ERNAfBOCAK\ '
Navegado costeirapor oapoi
Goyanna.
O vapor ParaAyb.. seguir p^a o porta ci-
ma, no dia lo do correte, s 3 Un da do>|.
Recebe carga, encommendas, paataailroa a di
nhelro frete, no escritorio i-ffirto do Mat

}
- I
utKffl
sta


W^M
H^^^H
mM
MUBBHHBH


'
Diario d Pernambuco
Terja fcira
B
.-*-..
ira 14 Je Dezembro d 1&69-
*____-- i ^.og^
8
SeRTie
m?, anda
tar com S;
4 Peus o.
ralett'
a ira-
rua da Ma-
.
HIA PB1NAMBUCANA
ff DE
T*lj*$I oosfera por vapor.
Pariifla, Nata'. Maco, Mossor, Ara-
city, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
^Stk 0 vapor Pimpnm% commandanu
^X^4 Torres, seguir para os porto*
HB cima no da lo do correute aa 3 hora.-
da tarde. Recebe carga at o dia I i encom
mandas, o passageiros e dinheiro a (rete at as
2 horas da tarde do dia da sahida no escripto-
r no Forte do Maltas n. 12.
Porto.
Vai sattir ireve a barca Latir* ; para carga e
MH,wrn?, trata-s* com os consignatarios Carva,
ho&_NnRueira, na ra do A polln. 20.
Porto.
^'guii com hrevldade a teiotra e nova barca
Portuguesa IsuHnn, p.iri carga e passageiros.
para os fuaes tem excellentes coramodos, trata so
-o os consignatarios Antonio Luir, de Oliveira
\ wk.Ii & C.; ra da Cruz n. R7 Io andar.
LEILOES.
LE1L40
f)e duas casis frreas sendo vma
kwpi grande solea,
Oaii'Hto Puntual ^competentemente aaiorisado
v.uidera ein leilatuma casa terrea sita i roa da
yraia do Cadk-ireiro n. .17, solo- pr iprio e grande
quintal, mua ita eom ama ova, solo foreiro, si
la na da Palma n^. 90 e M, a qua! rendeG|Ji
amuiaes. O* Srs. pr-.temlen'.eS poderlo examina-
las e coitcorrereni ao loilSo.
1IOJK.
Xn I* andar do sobrada n. t-', r:a da Cruz,
a* I! Iioras.
gniii'Je fabrica de refinar e crvs-
talisar assucar
Monteiro.
no
largo
do
O agente Pontual, competentemente aatorisado,
vender em leilao os gneros da fabrica de reti-
nar o erystalisar assucar, no lagar do Monteiro, a
qual estar em exposicao das 8 horas da manha
as 8 d tarde, desde o dia 12 a H. No mesmo es-
tabelecimonto encontrarlo as pessoas que o qui-
zerem examinar, pessoa competente para dar as
cxplieicocs que queiram exigir
Seguuda-ft ira 21 do cor-
rente.
Dever ter lugar o leilao no mesmo estabelecl-
ment no Monteiro, s 11 horas.
AVISOS DIVERSOS.
INSTITUTO ARCBE0L06IC0 E GEOGRAPHIGO
PERUMCAM.
Haver sessao ordinaria quinta-feira 16
do corrente deaembro, pelas 11 horas da
manluta.
OHDEM DO DIA
Pareceres e mais trabalhos de commis-
soes.
Secretaria do Instituto, 13 de dezembro
de 1869.
Jos Soares de Azevcdo,
Secret rio perpetuo.
O abaixo assignado previne ao respeitavel
publico, que no dia 2 do crreme mez, perder
urna letra da quantia de 1U0, assignada por Ma-
nuel Joaquim Pereira de Gamillo, a <|ual ven-
cia-se nesse mesmo dia 2 do corrente, foi perdida
na fregui.zia da Matriz da Luz; arista disto, pre-
vine aa acivilante Muioel Joaquim Pereira de
Carvalho, aflm do pagar tal letra gmente ao abai-
I vi assignado legitimo dono. Engenho S. Paulo, II
de dezembro de 1801).
Piulo Furia de Oliveira.
AMA

Precisase do unta ama para ca
iH:a : na ruadas Gnes n 2o.
Engommadeira.
Precisa-se de naja criada para engonimar :
ra do Imperador n. 73, 2 andar.
V
na
ANA
\Q*.
Precisa-se de urna ama que engomme b
ra -asa de pouca familia : na ra da
n. iiS.
:j
Uniao
Precisase de urna ama para casa do pouca
familia para cozinhar e engommar: a tratar na
ra do Caoug n. I, luja de joias.
CA*\ DI PE.
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Rio venda: ra do Cabug n. 3,
vende Vieirs & Rodrigues.
FEITOR
Quer-sc uai hornera que entenda bem de
jardim para nm pequeo sitio pert desta
cidade ; no largo do Corpo Santo n. 10
ometoriai para Tora de urna caft
Ja {.a ib*, ni tudo o anseio o promptMo n.i roa
d'> llusario n. 33 sobrado, e tambenve
prepara almocos o jamares avulso ou qualquer
peca He comida, isto sendo enconimendada cof
.tony.
Precisa-se' de urna mulher de idade para
ama dtj.cosinhar em casa de pequea familia : no
pateo o Carmo, esquina da ra de Santa Theerza,
sobrado de nm andar.
Declara#to.
0 baixe assignado apressa-sc em declarar ao
puWico que nao foi dispensado, e sim oispensou-
S9 daprocuradoria do retalhamnnto do sitio Agoa-
zinha. em Bebcribe, a que se refere o annunno
publicado no Diario de Penuunbueo dn 7 do. cor-
rente^ assignado pelo Sr. Joilo Tiburcio da Silva
(luimaries.
f.uiz Antonio da Silveira Tavora.
Cozinheiro
ATTENCAO
F'recisa-se de urna
cosinhe para casa de
fere-se escrava, ra
i." andar.
ama que compre c
pequea familia pre-
do (Jueimad n. 32,
l)c tima importante mobilia de abaranda a
?>uix XV coi 18 cadeirai de guarni.'o, i ditas
de lir.ie.is, 2 censlos, um sof e .'na' jardineira,
un rio'i piano do fabricante R. Bord, um guarda
'.Miipa da amarelio, 1 toalhete de Jacaranda, 1
masa, lvica de amai lio, 1 mobili Je Jacaran-
da com leadeir.is de giurnicvi. 2 ditas de bra-
cos, 2 malos com -^ilra e 1 sof, 1 cama fran-
i:eia de amarello, 1 mar.piczao, 1 commoda de
auiarelbi, 2 consolos, 1 nicsa de amarello, 1 par
le serptmtiuas do cnslal, 1 rico caudieiro para
ni, 1 jarra* |tB.'les, 1 mcio apparelho de porce-
lana para jantar, 1 par dt) gtmua pira vmho, 1
>o de amarello, diversas cadoiraa avulsas e mui-
i.")S outros objectos
HOIE.
O ageule Martins tara leilao por ord;m de tima
: imili a^uu armazem da ra do Imperador u. lli, as
II horas do dia
cabo:
brigue
lie utuLoie, velas, vergas, mastros.
e os mais ofijiNios salvados do
fram-ez Rossi-i.
taaarta-fclra I. a O i|' horas.
O agente Pinto (ara fifio por autorisaQo do
>r. cnsul de Franca, em presenca de seu dele-
gado, com brenca do Inspector da alfande^a, com
..ssstencia de um empregado da mesnia reparti-
.-aoparao limnomeado e por conta o riso do
qoein perU'Wcr das velas, verga-, austros, cabos
j outros objectos salvados do brigne francez Ros-
. to zrmxrvm aKandcgado do barao do Livramento,
uo ces do Apollo ande su offectoar o leilao as
(O 1|2 horas do da acuna dito.
Aos hatillos no Monteiro
Aluga-se por festa ou por anno a casa que tem
um pe de oitombeira na frente, na iravessa da
levada na povoacao do Monteiro, contendo 2 salas,
3 quarlos e costaba fra, junto aos rnelhores lu-
gares de banhos no rio e na levada, e muito perto
do theatro e do hotel, propria para mocos soltei-
ios : a tratar na ra da Lapa n. !.">.
Precisa-se alugar urna escrava cosinheira
para casa de familia: a tratar ua ra do Sebo
n. 28.
Precisa-se de um criado para todo servico
no hotel Lisbonense : na ra estreila do Rosario
n. II.__________________________________
Precisa-se da quantia de 830, sobre paga-
mento de aluguel de um predio, o qual tem bom
rondimenio, a pessoa que quizer venha tratar: na
Boa-Vista, ra Veltaa n. 54.
A commissao administradoura da rmandade de
N'ossa Senhora do Rosario da fregaezia da Boa
Vista, tendo de mandar celebrar hoje U do cor-
rente pelas 8 horas da manhaa na capella provi-
soria da mesma igrej.i, urna roissa pelo repouso
eterno de seu prestimoso irraao Antonio de Souza
Guerra, convida para este acto, a familia, parentes
e amigos do mesme fallecido, para assistirem a
este acto de caridade e religio.
O secretario,
Cetario Aureliano Ventura.
ESTUDO
r
r divlaas na importancia de
Juatta-feira 15 de dezembro a? 10 horas
em ponto.
O apmtc Pinto Har l.-ilao a requerimento dos
candores fiscaes da massa fallida da Bcmvenulo
i^avalcanti Barqne de Alhnqaerqne e por des-
pacho do Illm. Sr. I>r. juiz espec4al do coinaaercio
.fas dividas activas periencentos a referida massa,
na importancia de :8'JiS00, as 10 horas do dia
cima to.noeseriploriodo referido agente, aon-
ii podarSo o> preiendontea obler quaesqow
i'jonnaces.
Attenpo.
nt) pateo do Ten;o
Olfcrece-se um cozinheiro
n. 28.__________________________________
Precisa-se de urna ama forra de meia idade
e boa conducta, para casa de muito pouca fami-
lia : a tratar no patoo do S. Pedro n. 12, loja.
Ama de leite
Precisa-se de urna anta de luite: a tratar na roa
do Queimado, loja de miudezas da Boa Fama nu-
mero n. 33.
Ama
Quem precisar de urna ama para cozniwi e
comprar, dirija-so a ra da Quieta n. 20.
Aluga-se urna casa para passar a festa, pio-
lada ; calada, com bastantes commodos e perto do
banho, no Potjo da Panella ; e juntamente se como
pra m tratado de oscripturacao mercantil por
Edmond de Grange : a tratar da ra do Hospicio
n. 26
Enromma-s6
Ihos, Ibja n. 20.
A'tencdo.
com perfeicao :
na ra dos Coe
Havendo fallecido .-m Pariz o commendador Dr.
Mancel Adriano da Silva Pontes, o Dr. Praxfde
Pitang convida aos seus amigos e aos de seu fal-
lecido compadre e amigo para assistirem as mu-
sas que por sua alma manda resar na matriz oa
Boa-"istann dia 17,das 7 as 7 1|2 horas da manhaa.
Aluga-se urna casa com muitos commodos,
na cidade nova do Santo Amaro n. 12 : a tratar
na rita das Cruzcs n. 30 com Joaquim de Souza
Neves.
AVISO
Pcde-se ao senhor que em o dia sexta feira, 10
do corrente, as 2 l|2 heras da tarde entrn na fa-
brica de cigarros, sita ra Direita n. SO, para
comprar um raaoo de cigarros de seda, e por en-
gao leviu um chapeo de sol do abaixo assigna-
do e deixou o sen, em vista disso tenba a bondade
de vir trocado, do contrario eu declaro o nome
para nao se chamar a ignorancia.
Franciseo Jos Ribeiro Braga.
Ama.
Precisa-se do nm bom cozinheiro que tenha boa
conduca, para casa de pcqnemt familia, paga-se
bom aluguel agradando : a tratar no caes de
Apollo 3-____________________________
Nova triturara franceza
25-RIM DAS FLORES25
tuto Schneidcr
O propriclario desle importante citabelecimcnto
tem a honra de participar ao respeitavel publico.
que tendo mudado-s da ra do Rosario da Boa-
vista para a na das ores, adiando-so bem mon-
tado com machina e tintas do ledas as qualidades
in-oprias a perfeirao de son trabalho. Tinge se ei ulioras.
lava-se com a maior perfeicao toda qualidado de '
fazenfe, em pe^as ou em obras, de quaesquer
que sefam, taes como, lita, algodao, d'.la, louquim,
chapeo do Miro e de manilha, pallfnha de todas
as cores: os genitores negociantes, legislas e par-
ticulares experimenten!, que lodos achara) pro-
veito e vantagens. _
PERftfitfE INEXTINGUnrCL.
Par\ IjK'Nt' Tow;uk>h, e Banho.
15 ,
Preciosa publicacao
juriicae l
Comunitario dn Cdigo Comimdal Potin-
gue: e Bratileiro.
Vende-se na loja da roa do Crespo n.
esquina da do Queimado, a impor-
tante e h?0derna obra sob o titulo de an-
. nottfks ad coffji) to COintnercio portuguez
I em 6 volumes pelo Exm. Sr. conselheiro
Dr. Diogo Pereira Forjaz de Sampao P-
mentel, lente catbedratico na tiniversidado
de Coimbra. Os subidos crditos de que
goza muito merecidamente.aquello eximio
commercialista por si s bastariam para re-
commendar tao importante obra, quando
nao concorresse mais para isso a grande
mo commentario
ao cdigo commercial brasileiro (na falta
absoluta que ha de quaiquer outio) pelamo-
xima bomogencidade de entre muitas das
A MU afamada
agua DE FLORIDA,
DE
IHH1V iV l-WHW.
He o mais delicado e mimoso e ao mes-
mo tempo ornis cstavel de' todos os per-
fumes, e encerra em st, no seu maior auge
de excellencia, o proprio aroma das vera- T?r / ^ ,,m. 7
deiras flores, quando anda na sua flores-
cencia e fragancia natlral. Como um meio
seguro e rpido allivio contra as dores de
eabeca, nerv'oeidade.debilidade, desmaios. i ;"as disposigoes. e as do menconado codt-
riatos, assim como contra todas as formas Portuguez. ordinarias de accidentes hystericos; de
summa eflicacia e nao tem ontro que o
iguale. Igualmente, quando destemperada
com agua, torna-se um dentifricio o mais
agradavel e excellente, dando aos dentes,
aquella alvura aperolada apparencia t3o
altamente apreciada e desejada pelas Se-
Precisa-se de um portuguez para feitor de
um engenho distante desta prac 12 a 14 legoas :
qnem esliver nestas condicoes drija-se a bolica da
praca da Boa-vista n. 1!).'
- Precisase do um moleque para o servico de
casa de ho.iiem solleiro : na ra do Mondeg nu-
mero 93.
Alum-se o segundo andar da casa da i aa
do Amorim n. 21. no Recife : a tratar na mesma
ra n. 52. armazem.
Manojl da Silva Jacome Pessoa, convida os
parentes e amigos do Uado Antonio de Souza
Guerra, para assistirem a missa que por alma do
mesmo finado manda celebrar na igreja da Santa
Cruz as 7 o meia horas da manhaa do dia 13 do
correte.__________^___^_^__
Da-se de aluguel para passar-se o tempo da
festa, urna morada de casa de cal e tiiolo com um
bom sotao, para tomar-se fresco, tendo dita casa
um bom poco com excedente agua para o oso da
mesma casal sendo a sobredita casa sita reta-
Suard da igreja do N. S. da Boa Hora da cidade
i Olinda, em dircitnra da ra do Cahral, defronte
da casa que foi do pharmaceulb'o Braz : quem a
pretender para dito passamento da festa, dirija-se
a mesma casa annunciada, onde fallar com a pes-
soa que a d de aluguel mediante a quantia de
SOiOO mensaes. garantindo-se para isso com di-
nlieiros adiantados.
I
Aluga-se o sitio denominado Olho de Vidro, em
Parnaineirim, com urna excellente casa de morada
de sobrado, cocheira, quarto para cscravos e fei-
tor, cas?. 4e fazer farinha, com prensa e roda, ca-
cimba com bomba e tanque para banho, grande
baix.i do capiu, urna fonie que d excellente agua
pouvel, muitos arvoredos fructferos, alen de
grande terreno para planlacao: quem o preU-nder,
dirija-se ra ao Arigo n. 31, a entender-se com
Manoel Ferreira llamos, ou com Jos Peres da
Cruz. __
Como nm remedio centra o mau balito
da boca, depois de diluida gm agua,
sitmmamente excellente, faz remover neu-
tralizar todas as materias impuras que se
mam roda dos dentes e das gengivas,
tornando-as duras, sadias e d'uma linda cor
encarnada. Quanto a delicadeza, riqaeza
e permanencia do sen fragrant aroma, ella
por certo nao tem igual; e a sua sope-
rioridade sem rival. Ella igualmente tor-
na-se um meio mui excellente, para fazer
remover de sobre a pelle do rosto, toda a
qualidado de brotoejas, ebulicoes, sardas,
pannos, manchas, rapigens e espinhas.
Quando se queira servir della como reme-
dio para fazer desaparecer qualqucr um
destes disfignramentos, e que tanto desfei-
m r.. u, f-;:"-" r, Yv\\\n oov>- lovora.
se usal-a n'um estado de dillai(,ao, destem-
perando-a n'uma pouca d'agua ; porm no
tratamento de qualquer espiaba, usar-se-ha
della pura em toda a sua forca. Final-
mente como um admiravel meio de com-
municar as feicoes trigueiras e paludas,
urna pelle macia e d'uma transparente al-
vura, dando-lhe urna linda cor de rosa :
para um tal fim, ella leva a palma a todos
os perfumes que se teein inventado at ho-
je, e existe em plena soberana sem rival.
Bem entendido tudo isto se refere nica-
mente a Kcvx de Florida de Murray A
Lanjtcn.
As imilaces que se tem feito na Franca,
Allemanha, assim como em outras partes ;
s5o inteiramente inuteis e invaliosas ; por-
tante recommenda-se mui especialmente
s senboras, que tenham toda a precauc5o
e cuidado, de quando comprarem, estejam
certas que compram.
A Genova
AGUA DE FLORIDA
DE
MURRAY 4 LANMAN,
A qual preparada smente pelos nicos
Proprietarios,
LANMAN dt KEMP, DE NOVA YORK-
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo, A C. P. Mau-
rer & C. A. A. Barboza Bartholomeu, & C.
Coi re pressurosos, distincta moridade
do 4." anno da Faculdade de DireHo desta
cidade e notareis jurisconsultos, a prover-
vos desse poderoso auxiliar para ossos
trabalhos da scie.ncia, e pelo pinjo commodo
de 205. toda a obra emti vol.
Sublime pnbllcaco Iliteraria
sob o titulo de Memoria do
Bom Jess do Honte, eiu
Hraga.
^ Ach.a-ne venda na loja da ra do Cres-
po n. 25 A, esquina da do Queimado a pri-
morosa Memoria do Bom Jesus do Monte em
{raga, ornada de gravuras finas, segunde
ediiTio, obra da pena de ouro do mu Ilus-
trado lente da universidade de Coimbra, o
Exm. Sr. conselheiro Dr. Diogo Pereira
Forjaz de Sampaio Pimentel. Quem tiver
noticia da extraordinaria devoco que exis-
te em Portugal para com aquella milagro-
ssima imagem, afiluindo -erapre para o
sen magestoso templo em romaria o nume-
roso povo de todas as partes desse reino ;
quem souber avaliar as briznantes desenp-
ces, e o bello cstudo daqnelle consunoma-
do jurisconsulto e eximo Iliterario portuguez
iuo uviaaiH v f -- ---* a .
ver-se de um exemplar da dita memoria,
pelo diminuto preco de 3sL na loja indica-
da, onde ha pequeo numero bellas.
I
N.. da 18 do corrente as iO lioias.^
>J agente ."rfarns far.i leirw por mandado do
l im. e Kxm. Sr Dr. jui/. especial do -.ommercio
lio todos m movis pertencentes a massa fallida
deHattlt Bpipto Saoto existentes no sobrado
n. i da ra de Rom Pica, assim como recebe
propnsias jiara a renda dos osoravos perteBenies
': mesnu mas.-a, do conl'ormida''.e eom o decreto
n 1695 d3 lo de SCUlDbro do corrento anno. e
mandado pode ser examina!-) omjnao do dito
agente qne dar (raalqucr informagao.
Jos Soares de Azevedo, professor de
lingoa e litteratura nacional no gymnasio
provincial do Recife, tem aberto em sua
casa, ra Bella n 37 :
Una curso complete
de Liugoa pomgtueza ;
de Lingoa franceza, versoes
oraes e escripias de portuguez para francez
e viceversa, de conformidade como novo
programma do governo ;
de Ceographla physica, poltica
e astronmica; mq
de Historia universal:
de Phllosophia, Racional e Mo-
ral;
de Rhetorica e Poetic.
As pessoas que desejarem frequentar
ipialquer ou quaesquer destas aulas, podem
dirigir-se indicada residencia, de manhaa
at s 9 horas, e de tarde a qualquer hura.
Na ra da Moeda n. 5, 2 andar, escripturio
de Manoel Aires Ferrer & C vndese
verde superior em
Porto superi ir e ma
Fugio no dia 10 do corrente mez, do engenho
Regala,'fregaeila da Var ea, o escra/o de nome
Joo, de nac') Angula, baixo, copo regular, jftl-.
tante, pj^apalhetados. dedos dos ps abertoMuaos
e bracos grossos, tendo nm driles um defeitof lem
m croco em urna das caoellas proveniente de
urna ferida, dentes alvos, cabellos (arapinhcjB e ja
pintando, tendo no centro da cabera urna especie
de coroa : roga-se as autoridades policiaes e ca-
pilaes de campo a appreheuso do mesmo o lva-
lo ao dito engenho, que sero recomponsados.
Precisa-se de urna ama que compre e cozinlie :
na ra do Crespo n. IB A.__________________
Aluga-se para casa de familia urna escrava
moca e com algumas habilidades : a tratar na
ra' da Santa Crnz n. 24.
AMA
Precisa-se de urna cozinheira ou cozinheiro, pe-
rito ua arte para casa de pequea familia, sendo
do boa conduela, paga-se hem ; a tratar na ma
do Livramento n. 19, loja.
PE
Pede-se aos seguintes senhores, se dig-
nen comparecer na loja do Passo na do
Crespo b. A. a negocio do sen particu-
lar ir.teresse. Antonio Pereira da Silva e
Domingos Martins d Birros Monteiro
ra Direita n. G primeiro andar, for-
asseio c
em
ontra qtia'quer parte.
mnibus de O.inda.
Flix AiTonso de Barros, proprietario do omni
bus Entomatado de Olinda, pede s pessoas qut
pessuem bilhetes do ingresso no seu mnibus,
queiram vir no praso de oito das trocados, pois
que, dessa dala por diante, ficarao sem valor.
Ama
Precisa-se de urna ama livre ou escrava para
cozinhar, paga-se bem : na ra da Cruz n. 66.
SEGUROS
MARTIMOS
COMTRAFOGO.
A Companhia Indemnisadora, estabelecida
esta praca i toma seguros martimos sobra
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: a
ra do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
.eda n. 5,2 andar, escripiuno Na mg rjreta n. G primeiro andar, I
a. alvazia Iranco. prompti(13o | e mais barato do que
i\a noite ue 30 de iiovembro preximo passa-
do furlaram do cercado do engenho Araripe de
baixo do termo do Cabo, um cavallo ruco com as
canellas rudadas, dinas c cauda tamben) rudadas,
em grao, anda baixo brando, e ao meio um pouco
atrapalhado, quando furlaram eslava um pouco
mancando do qaarto esquerdo de um coice que
levou, idade de 8 annos, pouco mai ou menos,
tam?nho regular, um tanto pesado tabica, e i
espora nao muito ardlgd; tem no espinhaco ca-
bellos differentes de urna fcexiga que te ve, no
quarto direito lein alguns ferros que se ignora,
e cima delles o seguinln K, e est ventado das
maos : q-.iem o apprehender ou der noticia certa
no referido engenho, ser gratificado : pede-se a?
autoridades poheaes que recommendem'a appre-
hensao do referido cavallo. __"______
D:i armario, gneros e pertences da taber-
na do pateo de S. Pedro n. l,garante-se
a casa ao comprador doestabeltcimento.
O agente Martins ar leilao competentemente
aatorisado da taberna acuna em um du ni
a matada dos compradores, sendo ao*
-i; .:xcelleate para quem queira
isa est bem sorlida.
Quinta-feira 16 do corrente.
AsII horas do dia no mesmo estabelecimento.
a localda-
eontinuar e a
Nos primeiros dias do mez d novembr fu-
gio do sitio Vj S Miguel, nos Afogados, urna mula-
ta de nome Klleidade, corpo regular.cabellos cres-
pos, cor plida, signan de bexigas, nariz alguma
cousa grosso, falla de dentes, a primeira vista re-
presenta ser forra por ser muito vaidosa, ella veio
do pago de (.am.tragibc a um anno, pouco mais ou
menos, e disso ella que era irmaa de um escravo
dos Srs. Bailar 5c Oliveira, julga-se estar mesmo
ne-ta praca : a pessoa que a pegr leve-apo sitio
cima mencionado, que ser generosamente re-
compensado.
Aluga-se uo I" andar da casa n 57
ra do imperador, amsala espacosa for-
rada de pape, tendofei. A fallar no mes-
mo andar
Colegio de' S. Fraiicisco ele
Paula.
0 bacharel-Francisco Jos Rbello. competente-
mente habilitado pela directora da nstrucco pu-
blica, tem aberto um colegio para educacao pri-
maria e secundaria do sexo matooNn, a Iravessa
das Barreiras n- No mesmo colegio se pode-
ro deede insrrever os alumnos que pretende-
ren! frequentar o curso das ferias no qual espe-
cialmente se eiislnarao a< materias paraos exa-
mes na [acaldado no mez de marc":
"" Precisarse de um destilador que se encane-
guo do trabalho do urna pequea destilaro de en-
genho : a tratar na ra de Apodo n. 28, primeiro
lili
Nfto mais cabellos forneos
\ tintura japoniza para tingir os cabellos
da eabeca e da barba, fei a nica admittida
Exposicao Universal, por ter sido reco-
nhecida superior todas as preparacoes atf
boje existentes, seni alterar a sade.
Vende-se a 15QXJ cada frasco na
Ra da Cada n.
1. andar.
51,
Guilherme Porto k C. fazem scienteque ten-
do-se desencaminhado. duas letras que do Ri >
Grande d) Norte Ihes foram remettidas. e aceitas
pelo Sr. Antonio Renevides Seabra de Mello, no
valor de 1:3973270, sendo urna de 1:0005 e outra
de 397f 270, sacadas em 28 de outubro de 1869, a
vencerle em 28 de abril de 1870 : se previno a
que ningueai faca negocio com ditas letras por
licarem estas sem valor algum, visto que o mesmo
sr. Seabra se compromelle aceitar novas letras
em substiluicao s perdida*. Recife 11 de dezem-
bro de 1860. I V
PHARMaCIA
ESPECIAL HOMEOPTICA
VILVA DO DR. SABINO 0, L. PIXH
43Ra Nova43
I.O.H de niiMiom-:
D. Umbelioa llosa de Lima Pinho, viuva
do Dr. Sabino Olegario Ludugero Pinho,
achando-se competentemente autorisada
pela insi>ecci5o de sade publica continua
com a botica homeoptica do seu finado ma-
rido, ra Nova n. 43. loja de marmore,
tendo frente de seu estabelecimento a
mesma pessoa, habilitada 4116 prepara os
medicamentos com todo o esmero e assei*
como d'antes ; e pode a confianca de seus
numerosoros Mguezes e do respeitavel pu-
blico enviando Ihe suas receitas e encom-
raendas que seo preparadas com a maior
promptidao e escrpulo e pelo mesmo preco.
Neste importante estabelecimento acha-se
tudo o que necessario para a pratica da
IIOMEOPATUIA : medicamentos em glbu-
los, em tintura, carteiras portateis e caixas
de medicamentos em glbulos e em tintura
de diversos tamanhos.
Vende-se igualmente o THESOURO HO-
ME )PATHICO OU VADE MECUM DO HO-
MEOPATHA pelo Dr. Sabino, obra de reco-
nhecida necessidade pratica da homeopa-
tbia. .
Acha-se venda no mesmo estabeleci-
mento : cha verde a 3#000, a libra, cho-
colate a .SOOO, iudo de superior quahdade.
Joaquim Jos Gon-
palves Beltro
RA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os sejmin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castalio.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de]Famalic5o.
Lamcgo.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
micelios.
POS DE ROG
Approvadot *pela Academia tnijiertal
de medicina de Pars
Dm frasco do P em urna garrafa d'agna, d ama limonada
agradavel, que purga rpidamente de
um modo certo, sem causar a menor
irritacao como acontece com a maior
parte dos outros purgantes. Om PA4e
Bog, sao inalteraveis por isso empre-
gam-se fcilmente em viagem.
. I em r>o-Jiino, Dtponcueile; ChenUt.
1 i em Permkkco. laurer i C".
AMA
Em Olinda, ra de S. Beato n. 19, precisa-se de
urna ama para cozinhar com perfeicao. preferm-
do-so escrava, agradando nao se escusa dar boa
paga
Precisa-se de um pequeo boleeiro
Nova n. 46.
na ra
PIIiULES
DE VALLET
s^M-Lf;
As r 11 l ballet, approvadas pela
Academia imperial de medicina de Pariz,
sad empregadas cora o maior ^g^^
xito para curar a chlorosis,
e fortificar as constituicaes
fracas. Nunca este ferrugi-
noso ennegrece os dentes. "^^^
Para a garanta da sua authenticidade,
o nome do inventor vai gravado em cada
pilula como i margen.
. .. j em Bio-Juieiro, Dtponchelle; Chccolol.
"I* i em Pms.M.i-co, Utirer C".
!RUA
'|DO
CABUG
esquina
da ra larga do
AO ANNEL DE OURO
Este importante estableeimento no sea genero, m %mfh t sbrtimento sem igual,
e vende por precos que nenhuma outra casa pede vjwder. .
A vista da qualidade e do preco das fr|*ada ^Hee-ha convencer dayerdade.
Rosario. Garante-se ser tudo de lei. 'TOompra-se o*|^ta^P^a fina por preeos nmito ele-
vados.
i loja esta aherta ntfi as 9 horas na uonte.
RIJA
EO
CABUfi
esquina
da ra larga doj
Rosario.



1 '
;


i
TFT
de ViMmkt Terca feira 14 i D^embO de U#9
:G
LOJA DAS MACHINAS
**
paja descaroear algdSo de todos os sys'tmas e tamanhos segantes :
42 serrat' jswras
15 ditas
16 ditas
americana!
14 ditas
I ri ditas
l ditas
st
18
20
2?
-23
30
35
O
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ig ditas
20 ditas
22 ditas
o dita
30 dUas
35 dita*
40 ditas
s quaes se vendem por precos commodos e roga-se as pessoas que dellas fizeram en
commendas de alguns tamanhos, obsequio de as uiandarem busca-las, o mais breve p<*
sivel aura de nao baverem faltas.
RA DA CADEIA N. 56 A
I' g "3 3
"1 O 1 C !fi ^
I
w u cr.
3
3
i?^
iill'ffiiJ*
a s-s i'l
6 S f B 2 si
O 3 .. r- I K O 2" ; S s *o
no"-!? 5-= S^ S
:ire-=f.i-_"s
e.-_ 3 c S.C a|s

33
5 sr = c
=.3 o re r
u a,- "> S _
* <5 re =?S
-s-B NE
o.
S
-**'> O r*
* = re = re
a *? o 5* '
es i /> re i
3 .
i
rES
8 a Sf Sf ft. a
!????
UDANCA
Gastaro Weiihe-nx*r Mu !> na de oforBwr o lllm. publico que uiudou o
DEPOSITO DE PIANOS E MSICAS
para a
Una toa il .'>8 priuieiro {indar (asa do Sr. Pinto)
ntiada a ter um ,'ontplcto sortimento dos j beiu conhecidos pianos da fabrica de B<
C, c Je outros bmis Morca e de msicas as meihores edi'-oes. Todos 33 cono
rao feitos eom
Toda promptido e perfeipo.
Praeiro ipitroductor dos pcnjos tubulares
instantneos da AbyssiM*.
CABELIIfflEIfM) FflANCEZ
ISAM*
as expedlfS^s litares dos ltimos tempos
foram asSlbs para- prottirar sem demora
agua fresca e pura, e tanta quanta se pre-
cisava.
Em todos 0$ lugares, fwide om poco ca-
vado ou furado 1 pilo syatema afttigo) daria
agua, pde-se em pregar os po$ps tubulares.
Elles facilitara acbar agua milito mais
depressa, muis cristalina, mais fresca e
mais barata do que por meio dos pocos
cavados.
0 systema dus pocos tubulares o ni-
co pelo quai se possa obter agua perfeita"-
mente puf a, livi-e de todas as substancias
nocivas e preservada de todas as influen-
cias atbmosphei icas.
Por meio de urna machina muito simples, consistindo d'um macaco, impelle-se para
dentro da trra um tubo d ferro, cuja extremidade inferior est furada e munida
d'uma ponta d'aco; e logo que a sonda mostra agua no mesmo, devfl-sc atarrachar
l'UI
a nomba e faze-la funccionar. Ao principio a agua lera substancias arenosas e terreas,
porm logo se clarifica, e em pouc Outras vantagens que apresenta este systema sao:
Primeiramente, a promptido com que se executa toda a obra do assentamento, que
muitas vezes nao leva mais de urna bora, sem remoeao alguma de ierra:
Segundo, a commodidade que elle offere-ce de ser nao somente collocado fra da
casa, como tanibem dentro da mesma, com nao menor facilidade :
T^rceiro, a facilidade com que se tira para fra da trra o po$o sem o estragar
para o collocarcm nutro lugar :
iuarto, k grande qpantidade d'agua que elle pode dar :
Quint, a possibilidde de tornar, uteis com pouco trabalbo, por meio delle os po-
^)S cavados que foram estragados^ela aia ou oor.oniras causas.
r. uu.xiiiuo-st ne urna graodw- cjnntidade d'agua pde-se iutroduzir na trra di-
versos tubos unidos uns aos outros por meio d'um appareiho muitp imples.
Em lugar das bombas aspirantes geralmente usadas, pde-se foraecer bombas de
oompresso para elevar agua e condu-la aos andar.*uperiores.
0 emprego dos pocos tubulares sobi e tudo proreitoso aos fazendeh-os, qne era
qualquer.campo onde o gado piveisa d'agua, os podem cellocar e arranca-Ios para se-
rem collocados onde melbor Ibes convier.
I
E" tamben) de grande utililidade aos fabricantes de cerraja, aqs distilladorcs e a
todos os fabricantes em peral, o rom especialidade aos eniprciteiros, architectos, en-
genbeiros e todos aqclles que precisara de quantidade d'a;;ua por tirapo determinado.
Este metbodo o nico para obter em qualpuer parte Jgua, que sja livre de par-
tculas nocivas, elle tatnbem proveitoso aos propietarios de casas e jasdins, tanto
para o uso diario como para regar as plantacoes e capim.
Pedimos aquellos que nos quizerem honrar com suas encommendas de nos
communicar: |. em que profundidade s.e acba a agua, o que fcilmente se pode verifi-
ar nos pocos ou cacimbas visnhas: 2 de que especie sao as carnadas da erra da su-
perficie at a carnada que contera agua ; Q em que especie de carnada se acba a agua
laquelle logar: !. linanlmente a ipiantidad d'agua qde se pede por bora.
A collocacao do poco fica por .cunta do comprador offerecendo-se porm a empre-
a a emprestar o appareiho de assentamento mediante urna retribuico -a convencio-
lar, a qual s regular pelo tempo que se adiar fra.
Tambem encarrega-se de mandar uma.pessoa habilitada na .joUocaco d'esses po-
;os, pagando o comprador alm do sustento e despezas de vtegem (fida e volta) um
ornal previamente convencionado.
Mas para os lugares tonyinquos qualquer pessoa hah ou artisti-
eupodin coUoca-las sem embarazo, singiwio-se nicamente as ins-
truegaes Aspessoas que quizerem apreciar o trabaluo dos referidos pocos,'podem ir ver
funccionar ra da Florentina, fabrica de ceneja n. 20, em-'Baberbe era casa do Sr-
major AnUmes, no Caxang no bote junto a poute e no Arraial em casa do annun-
ciaote.
81Boa M Caflek do Recife51
Estes pocos foram espalhados na Euro- Chama a ltic5o dos mus innmeros reguezes, e do respeitavel publico en
pa, tanto que, qualqoer duvida do seu gera> ^^ a aegTinte tabella dos precos de sua casa, os quaes sao Wote por ol
grande valor pralico deve desvanecer vis- mai9 ^nl0 do qtw m mlr9 quaiquer pariei coraecando no 1. de ttezembro:
ta das grandes vantagens. Cabelleiras para senhoras a 25$, Cadeias para relogio a 5^, 60,
Milhares de cxemplos mostraram que ao^, 35$ e......40tj00. W, B&, 9>, 124 e. .
elles saode grande utilidade aos^dostnaes D h m m ^^^ |
agneulteres e particulares ate em todas f. ti 1S3 l(^' ^ ^ r/>rt dp rahfH '
Cresce'ntes a 124. W.l, i,
m, m e.....
Cachos ou crespos a 35, 40, 55, I chamPo
6f?,75, 85, 95 e. 10000 Corte de cabello com hmpez da
Tranca de cabello pura annel a I <***&. Pela macana electn-
500 e. .... I50001 ca, nica ea PernambBCK. .
Tranca para braceletes a m, (Frisado ingleza ou franceza.
155, 201, 25 e.....305000 Barba.........
ASIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Bailes e solres
O dono do estabelecimento previne s i Recommenda-se a superior TINTURA -
Exmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um PONEZA para enegrecer os cabello e bar-
sal5o para tintara dos cabellos e barba, as- ba- unif admilda na Expsi^Je niversai
^ como n5o prejudicial saude, por ser n>-
sim como um empregado smente oceupa- iat.il. analysada o approvada pelas aeade-
do nesse servico. mias de sdencias de PARS E LONDRES.
Corte de cabello com frieco. .
325000 Corte de cabello com lavagem a
10)000
150001
506
1504*
0m
90
m.
Para encommendas e mais esclarcciuientos a respeito a tratar na loja do Sr. F.
i. Germann; ra Nova n. 21.
AGIA NEGRA
03
BENTO MAIHAIX) fr C.
QO
Esta nova loja de miudezas a ra o Cabug.i n. 8. veni fazer su apresenia^.*.
ao publico esperando em breve ter freguis. Esta loja lera constantemente por seu-.
interesses e coramodo d i s Netros fri-guezes completo sortimento dos objeit'1**
mais procuradas neste un.toiI.i para importadora desta praca imn feito eiu'nmineiM xo descreve paro a iiomiiiiclaiuia delles re-lama aii.'iic" ,lm ]>? M .|W preciswe?-
Lindos coques onieitaiios.
Meias para sc:i!imi.-,s (o h>mi- no ge-
nero).
Esportilhos liygi. i:, os.
Lindos jarros para flurue.
Toucasesap3tinhos 6t croch,
ntremeos e babadiubos.
Facas garfos e cotheres.
Carteiras e saceos para viagem.
Grinaldas flor de larangeira.
Ramos para o peito.
Visporas (caita de Jacaranda).
Adereces do camafeo.
Fitas brancas coro inscripdks ra en tos..
Chapeos, toncas e sapatinhbs de seda
Vt'sluau(/< i-iit.ul" '>* para C mosmofitr
ioallns i;.ill.i!!i: *. putiii golhas bordados.
lhi:i-i-< .i/i'm. !>e montauV) em doura-
.!! aiii;.-,,.uiH s>' i-trfiiado com o verdadei-
i.;s .!; uuiu > -uante-se a perfeiro e
i utao.
Cintos largo? c filas para o me-H,to <~
Ricas fitas com os necessario para al-
tura. -i*4
Lindos albnns para retratos.
Corapi ;to sortimento de flores, perfuma--
rias dos meihores fabricantes c muil<>*
outros arligos que nao podemos ei)nu;>-
rar porque temos um espaco limitado no
D;ario, porem os uossos freguezes kra
todas as quinsenas listas de noves artigo.>
para baptisados.
Aguia NegraRa do Cabuga n. 8.
ABiiUTUA
*Vh>
VIkvrrs tic aKcnhU1.
r uereiros c ciMoicrot
*wI?m de e c resta*
para pao,
< .ief< ;ip< e pattunf(rla>.
'.??;. ar!a* c irra-
Poueheira< e hallulla 4c-
aesa.
Arijo.% para boleia e
feitarlas.
EseriTanfnbas e palHeirK
Candelabros sserpentina>
i mas para refreseos.
Ra da Impratriz n. 47, 1. andar.
1DAKTA FEIBA1S flfi 1SZEHBR0
A Miiliet BJls C, representarte desta graade fabrica veudem todos os seus productos pelos precos da tarifa que franqueam ao respeitavel pubco.
Na ooiimmt M> apreciada e reconhecida por seu justo valer, en) todo o grande mercado do globo, onde mi offerecida ao consommidor por meio de representantes acreditados, pelos fabricantes i i r^ia grande muntidU. ~** ,,*=> ^,l
sus ^Sss^ss^&Ssrredcc* m I,^e03,ra t De,tora,eoios i",ro<,u*3 rS6U rabrico mJm ^&ttsp&&rT&'^^ tstsatstL
lima duzia de colheres de mesa ali'enide...... I05000
lima dita de garfoe...................... 20JJ000
Urna dita de facas <..................... 214006
t
QtfWtteffttttof cm Pernambfco para coirespondereui importancia da industria que represaotam, obrigaro-se a receber em quakjuer tempo os talheres vendidos por elles pela metade do seu valor em troca de novo*
mmm mu cristelleries de bacarat
A mato nw o :. oa.b-atar Uubni com essa grande abrica a sua renre*^taao em P^ambuco, oflm de porem ao alean** censuare bom gste urna infinidade (teartigos de crystal, n*> para uo domestico, como de phantasial
Vasos para flores, lustres, candelabros, servidos de sobremesa, etc. etc.
Tamb'.'w vt ude o

e iia 1* nettior em
PORCELANAS FINAS
A lid*, i tfit v t y.i .^fesenlanAes acreditados desta duafpfcbricas oo Rw de Janeir, 8 m dos Ourives.
FESTASWfDIO AMO
GRANDE SflfiTIMEMTO DE LEGUES
\OV t ti \TF ( HEt AIMS DA EUROPA
,u^ 1. nen a 25000, 35000, 15000. 5-iOOO, 65000, 75000- SjOOO, 90000, 10500, H5000, IjMNX), 135000. 145000 e 15500
Lcqucs Je iiwdrepqrofa ,rH5000, I25OOO, | V5000. 18(K)00, 205000, 25*000, 305O80i*v|0ft 40*000, 5*#000. OOfOOO e 705Sa
I.eqoes para 1: para ludo.
ra da mmmu n. 41, v andar
IIEGMR


Diario de Fernambttco Tert;a ira 14 de Dezembro de 1869.
5
ELEPHANTE
Msicas e
fe ^ta.aaaan'am 4%
POTAS
.a
ANTONIO JOS DE AZEVEDO
N. U-RUA WA-N. 11
Partecipa ao respeitavel publico desta cidade e das mais provincias visinhas, que o sea grande c bem'acrejlitado armazem do instrumentos para msi-
ca, acaba de ohegar ura grande e exslendido sortimeolo de
PMMO ;, ^
O qne ha de mais modorno, de teclado fixo e mobile, e com transposfcfio ou'sera eiia, de aolores os mais aererpatios nesta. OMlade, como sejam : os
afama tos e bem conhecidos pianos da fabrica do Sr.
Ataga-so urna casa c. grande quintal; coa-
tendo 2 fOra, com grande
copiar fura, caaJa <: piulada d# nova, canfro-ite'-a
Jos da Cuaba Ln::u-, na Chunga, ra das Criou
lasn. 28 ; *f ccrto (una outra casa no Puco
da Panada, ate do, Rio u. 25, contando 2 sal.
quartos, coza caiada o|
pintada di uto propria pera piafar a es-
la : a tratar
moro la.
prta pi
da Ha
dre de Dos- bu
i ... l i.ai M. .... i i
AIUr'a-?o urna mulata j de i^ade para leva,
meninas i e no sobrado oa 9(3 flc danca no largo de S. Pedro
Na praca da Independencia n. 3.3 se da di
nhefro sobro penlrores oe ouro, prata e pedras
preciosas, seja qnal fur a quaolia ; e na mesms
casa se compra e vende objectos de ouro e prata.
e igualmente se faz toda e qaalquer obra de en
eommenda, e todo e qualquer concert tendent*
mesma arte.
AWS0.
AFFONSO
de P.iris, de qiiem o annunciante o nico agente Desta cidade, como prova com o documento abaixo transcripto c assignadp jjel,., dite Sr. Brondel. Estes pianos, fabri-
cados especialmente para o clima deste paiz, sao os nicos que offerecem urna garanta segura de sua doraco. Elles s5oqSfSsmrJte-cenbecidos desde 1844, puraque
wja necssario insistir sobre sua supcriorklade. As suas vozes s3o muito flautadas e melodiosas. Elles possuem um teclado, pie s presta a todos os caprichos do
senltores pianistas.
Todas as pessoas que eomprarem pianos nesla casa, sao rogada a exigirem o certificado te origegt asgnadoj
ant ncidade do numero de piano com o de certificado
le provar a sua
AO PUBLICO
do Jtecifu, RA
nado por mim.
Mr. Alplionse Bloudel, fabricante de pianos em PARS, dejara jo respeitavel publico de Peraambuco, que o vunieo deposito de seus pianos na cidade
NOVA N. 11, armazem de Antonio Jos, de Azeyedo. Outro sim que tedos os seus pianos rao accompaataados de um certificado de or^om assig-
Pars, 24 do julho de 1869. (Asssignado) Alphonsc lllondel.
O annucian e tambera troca e altiva pimos. E tem o maior e mais explendido sortimento de novas I "..- > --n
MSICAS PARA PIAMOS
As quaes recebe directamente da Europa e'do Rio de Janeiro; das acreditadas casas dos Srs. Felippone A Tornag'ui, Narciso, Arlhur Napuleo d C;
ele. Tambem tem grande sortimento de papel para msica e desenlio ; cerdas para todos instrumentos, ricas grasuras e quadros para ornamentos de salas, oleados para
assoa.'ho de salas, ricos espelbos donrados, quadrados e ovaes. caixinhas de costura com msicas e sera clin, estojos para viag m, nlogics com despertador, vidros pnra
TKihos u todos os tamangos, talagarca. Ia"as c ulnas para bordar, e mnitos outivs artigos que o respeitavel publico encontrara sempre neste armazem, o qaal estar
aborto todos os das ato s 9 horas da nnito alim das Exmas. familias poderem ir apreciar os seus pianos.
J. Fcrreira Yillela.
i*ieoto21 iroii.t iupkrial
18A RIJA >0 CABUG18
.i entrada pelo pateo da matriz.
Esperamos que os traba Ih>s de reefliflcacao desta
plintographia que j duram certa de &A mezes,
'stcjim acabados ale a primeira quinzena do mez
ih> dezembro prximo futuro.
o predio em que es'. enllocada ossa phoingra-
pnia aha-e mtii ausmentado. e so a parle desti-
nada ao estabelecimento conia cinco r-abts, inclusive
as A 4iiburtorio. Todos os concertos e augmen-
tas t.'udii ^nvimientemente a pho'.ographia, e nao se poden-
do ntelhor modelo escollier do quo a 'hotajraphia
imperial do Sr. Inley Pacheco do Rio de Janeiro,
i i.;!ii<-tm ihutogr.Tpbo do Brasil, e um Jos pri-
nieiros do mundo, segundo a opiniao dos mai:-
abalisados mestre?, a nosaa photograpbia acha-se
dfcHWO c n-ediiicida pelo msmn plano da do Sr.
1. Pacheco, a qual foi montada soh todas a9 regras
recommendadas pelos mais distinctos professores
do acord com as modilicacoes nocesrias ao clima
lo l!n<, reeonnecilas e cludadas pelo habilissi-
iiv e pri'.ieo Sr. I. Pacheco.
Ti id* o interior do predio nm qne est a no. sa
lifcctograptin ti mudado tp4 a soJeira da porta
da fu at i coberta tendit-se demnliilo todas as
p irp les interiores para se azercm as novas salas.
edifi '.indo-se um rwvo terraco envidracado mui
espaooso e elegante.
O ukj sabido lizumos urna viagera expressa-
te a corte para i:.xa;!iinanno.s as melhores
phi'l.i-r.iphias d'ali, c toi a do Sr. I. Pacheco, a
que i.telbor corresponden aos nossos desejos e
*mkiic.!-, e da qual tinoumoi os planos depois
de al i '-tarmos todo um mez ostudando e apro-
itiiulo as heocs do lio dislincto meslre. Pen-
aiiM** que juntando o? nos sos estudos e longa
pr.itici de Ki anno- de photographia as tilsimas
lifoes uliimau)onte receoidae do Sr. I. Pacheco,'
'.judi montado a nova pbotographia como se
acb, noderemos, apenas encelar os nossos novos
tnbaihos olTerecer ao ilrastrado publico desta
cidaik, mkm nossos numerosos freguezes traba-
Ihns d>> ph .tographia to perfeitos como se poder
deaejar, ; dilto convencidos esperamos que conti-
nuetu a dispensar-non .a mesina proteccio com
jije i lo annos nos ton honrado e ajudado.
LIGA
\iinla est para alugnr
ir.>:< ni, .i rna Nova n. 00.
este grande ar-
0
__

zn
GOMES DE MftTTOS 1RM0S
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores propor^oes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
| Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da uoute na
RUS DO CABUG N. 4
oude encontraro um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmer^Uhiss rubins e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pd' ADERECOS OE BRILHANTES. ESMERALDAS E RUBINS
de novos gostos, assim como grande variedade 'de s^va e paliteiroa de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejjas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
a qualidade dos objectos vendidos.
0 MUSEO DE JOIAS
Joaquim PereiM Arantes, com loj.t de calcados
na praca da Independencia ns. 13 e tfi, roga a to-
dos os scus deveeres de eonlas antigs que ve-
nliam pagar at o fim do annn correte, sob pena
de, passando as ferias, entregar a seu procurador
para receber judicialmente'.
Aluga-se duas casaa na ilba do Retiro (jun-
to a ponte d.t Passngem da Magdalena), lugar mui
sadio Iteseo, nrna dete de bastantes commodos,
tendo j banbeiro feito para se tornar banhos ; a
tralar como Sr. Luiz Manoel Rodrigues Valenca
i: rna das Trincheiraa n. SO. 1 andar.________
Algumas casas que precisarem de nma en-
gonimadeira, ue engnmma bem roupa para
liomem e senlioras: dirija-sc a ra delbrta-
n. -8, que serao satisfatoriamente servidos, uuer
na perfeicao do irabalhoAjuer na commodiaade
doa prefos.
I |U|I
O abaixo as-ignado, encarregado pelo proprie-
tario do sitio Agoazinha, em Beberibe, do reta Iba-
monto db rmsino siti >, por ler sido dispensado
desre servicon Sr. Luiz Antonio da SilveiraTavo-
ra. pode ser pioctirado pelos pretendemos |os lo-
tes de trras qne re.-tam vender-se, ra do
Imperador W. 7, andar; escriptorio. Aos do-
mingos se encontrar para quaesquer informacoes
naquelle sitio o engenlieiro Antonio Feliciano Ro-
drisues Sene.
Itecife 6 ile dezembrn de 18C9.
JoSoTbnrcio da silva Guimarcs.
(ilLptT
Alugvs urna exivllt-lc casa para grande fa-
milia.na rtia de S. liento prximo ao pateo de S.
IVilro-velho. onde pnsMa a fest o Exra. Sr. r.
[raz Finrwiino : a tratar com o Julio fia botica,
on no varadenro com o leioCoelhoda Rosario de
Mar de lazos.
Ao publico.
O abaixo assignado tenrfo ci mprado a casa rom-
mereial.d^^mta Caldas & C, ehtende l'azerde-
[ clarar ao publico drsta cidade. que nao se respon
' sabilisa po dMiiln nlgum da mesma viuva nern
do seu finado marido Eneas da Silva Caldas.
Cidade do As- 16 de ouluhru do 1869.
Tranquilino da Silva Antones.
Precisa-se de um caixeiro portuguez de 13
a 16 annos : m ra do Pilar, em Fra de Portas,
taberna n. 8-4. ,\ n
AMA
Na ra Augusta n. 5S precisa-fe de urna tma
para casa de pouca familia fra desta cidade, que
saiha cozmhar e enuommar algnma cousa
Aluga-so una negrinlia de li annos para o
servico de casa : na rna do Iisperador n. 50, 3*
andar._________________'_________^_______
Precisa se de um trabalhador : na reflnacao
da ra Imperial n. 51. Na mesma ompram-se
dous escraos sendo um de meia idade._______
Compaitbia de seguiros ulilids-
de publica.
A direccao paga o 15" dividendo de 28*000 por
accao ou 28 0|0 do capital realis.tdo, da meio dia
s 3 horas da tarde, em sen escriptorio ru3 da
Cadeia do Recite n. 42, 1" andar.
Recife 4 de dezembro de 1869.
Os directores,
Feliciano Jos Comes.
Thomaz Fe nandes da Cunba
Precisase de ura menino do 12 a 14 annos
de idade para caixeiro : na rna das Cinco Ponas
n. 86.
Botica
Aluga-se urna casa na roa do Cotovello n.
1 : trata-se no 2o andar do mesmosnhradn.
Sahio luz a collecfo
!; virios iTgalarBWitosde impostos altra-
los e creados pela le a. 1507 de 20 de
iiaimtm de 1807,
c )nprehendendo os de pessoal, escravos, indus-
trias a protissoes, .-.ello organisadi alphabetica-
mente, exfCMdo cada acto a que sello est su-
jeito, se se deve empregar estampilha ou verba.
io primeiro coso qr.em deve inubsa-la), trans-
,i de propriedade, dizima do chancellara,
emolumento, multas ipplicadas fazenda publica,
!tc.. Me.,.; em appeudi'.-e o do cofre de depsitos
i-'OS,
notados con as
instruccoes e decisoe posteriores alta
presente pnoneacin,
por
Francisco Augaafovde Almeida,
1* cscriptwsrio
da recebedori de Peraambuco :
, '-se ua rna eslreita do Roario n. 18, a 43.
Torna-sc de grande utilidade aos Srs. adrogados,
sMiciadores negociantes e fonecionarios poblicos,
a acquisioao deste trabaiho. Aqoelles que assig
naram o nao receberam proroptamonti', podem re-
damarmes3asa.____________________
~~. Per ligueiro
IVrdeu-i um cachorro perdiguelro, de sext-a
i para sabbado4a semana passada, de cor pe-
sobre as costas: a pessoa que o tiver agarrado,
pode leva-1 a roa Nova, loj que ser bem
recotn neniado.
CASSAS DE COR
5CS
Lindas cassas francezas de cor
do Crespo n. 13, de Antonio Correa de
i 00 rs. o metro, na
Vaseoncellos.
luja das Collumnas
c
Preeisa-sc de um cozinheiro que seja perito para
casa de (abulia, prefere-se escravo : a tratar na
ra do Amorim n. 39.
Precisa-se de ura copeiro : oa ra do Cotn-
merc'io u. 17, Io andar.
Aluga-se a casa n. -'i sita rna do Socego :
a tratar ua ra dos Prazeres n. 'iO.
Precisa se alugaf ama escrava que
s-iha cosjnbar p^a familia, a tratar na the-
sourari das lottias, puado Crespo a. 15.
lina da Concordia nadara, precisa-se de i\ni
amassaJor que venda pao ; paga-se bem.
O Sr Custo.lio Jas da Silva tem nm carta
na rna da Cruz, taberna n. 32.
Procisa-se de um criado para cas* de ho-
raem soltciro : na rna da Camba do Carino n. si,
1 audar.
Aluga-se
o 3o andar do sobrado n. 9 rna da Imperatr.z :
a tratar com J. I. de M. Bego, ra do Trapiche
n.34._________________________________
o publico.
Em Olinds, rna de S. Bcnto n. 19, acha-se con-
venientemente preparada orna casa para fornerer
comidas pessoas que qaizerem passar um illa,
ou raesnio mensalmenie, garante-se a-"seio e prom-
ptido. Na mosma casa lia caf todas as notos o
afumas distracAs para o mesmo publico.
Manoel de Castro Guimares retira-se para
Portugal, tratar de sua sari.de.
jEMPRESTIMO SOBRE
Ama
(Mi DA VMTIINA
Aoa 4:QKt.
Bilketes ga^aatios.
A ra dp Crespo n. 43 o c^s^s do costme.
O abajjo
iras or

com 4:
JOU
\t da
dous iiuartasn
Mafia que so acabou, de extrabir a beneficio da
Nussa Senhora 4o Of ftGoianna {'),
niiKi i a* possuKiores viren reeebef na
cotuwBii>lade do costme seto descont algun
Aaaam*se a venda os felaW bilaetet da 13'
{r da loreria "neneft>to do paiflmonid>>
xtrahir na terca-felra 14
Precos.
O* do coatonv.
Mnrlmf""- Fiaxa._____
O Dr. B. Casaaova, pode ser
procurado qualquer hora em seu consul-
torio ESPECIAL HOMECPATHICO, aO IprgC d?
matriz de Santo Atonio n. 2. No meim/j
consuliono acha se sempre venda o mata '
acreditados niedicamnts, de homeonaihia
e tudo qnantn necssario para as pessoas
que se dedicam ao tratamento por este
systema.

(SEM LIMITE.)
Na Iravessat da na
das Crines n, 2, pri-
meiro aadar, ^s% qaal-
quer qnantia sobre onro,
pitia e pedras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorsado pelo
governo, esta as condic5es de ga-
rantir a transaeco que se fizer em
sua casa, promettendo todo e zelo
e consideraco s peasoas aue se
dignarem de bonra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se onro,
rata, e brilhantes.
Precisa-sede urna ama que compro e coajlie
para asa de familia : no Corredor do Bispo n. M
Caixeiro
Precisa-se d um caixeiro que tenha pratica de
negocio, e que d fiador sua conducta, para loj%
de calcados : na rna da itnperatriz >. 10._______
~ Em casa de THEODORO CHR1ST1
ANSEN, ra da Cruz n. 48, encontram-s.
fleetivamente todas as qualidades de vinb>
Rordeaux. Bourtroffne do Rheno._______
OSr Alencar, offictal de jtzo, que
foi on*, que dizem acha-se presentemen-
te residindo em Qamelleira, qneira vir on
, mandar dar-soluto sobre o impostos das
cirrojas que se mandou pagar pelo Sr., e
at o presente nao tem apparecido rom os
i documentos ; deseja-se nao coatisaar cam
este aanoncio normis dras. ____
Alaga-se om 2o andar atraz dsr roajrit te
i Santo Antonio 23 : a tratar na ma das Crnzes
n. 9, Io andar, das 9 horas aojiieio dia. _
mWPmmmm aVWaaW llaaaaWP
I Advocacia. i
Carolino de Lima Santos, (o ilho)
bacharel em direrto acha-se a raa
eslreita do Rosario n. 23 onde pode
ser procurado das 9 horas da ma-1
I nha s 3 da tarde.
mmmw* a wum
CASA FELIZ
Aos 20;000S000
W Hcolloarcm* roacelfion. t
Os abaixo aasigaados tendo-se habilitado tu
- &rma das leis,4aai aposto a voad os sens feli
l zas bflaeles das lj(|is do Rio4e Tsneiro, naop>
acima.'aonde s_pa
Precisa-se de um oUcial jante habililacao : na ra da Imperatriz n. 77.
Preeisj -se de orna ama para casa de pouca
familia : a tralar na trarew* de S. Pedro n. 10,
Io andar, entrada pela ra d<> Fogo.
55Ra do Queim(io___55
A VftDADE ando em aposito granda
quantidade de miudezaae pcrfuniarias. e de-
Iheiro e adquerir boa fre-
uveih est rssolvida a veBder rouitissimo
barato, ; por essa raz3o convida ao respei-
tavel publico a vir competentemente mani-
do a sartrr-se do bom e barato. Pois quan
do a VerdaV apparecc, todo mais dcs-
apparece-----
Grande sortimento del>onecos de cera e
m'assa as mais lindas possivis vestidas a ca-
rcter.
Abotoaduras modernas para col
letea.......
Espelhos donrados pepnenos. .
Agulhas de osso para crox a .
Pentes para regac com csntais a
Ricos globos para candieiro de gaz a
Cbamins a.......
Grande sorlinento de objetos de
louca para brinquedo de menino
Garrafa coco tinta a.....
Dita com agua florida verdadeira a
Dita com dita dita) a .
Frasco com oleo de babosa a 300 e
Dito com agua de Colonia a 300 e
Gairafa Com agua divina n. .
Frasco com extractos finos a .
Latas peqoenas com banhs muito
fina a i2"e......
Sabonetes de diversas quali ludes a
80, 100,240 e.....
Finas escovas para denles de i 20 a
Lindos coques modernos a. .
Pavios para gaz, duzia a 2i e .
Escovas pnrafacto a 500, 600'e
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar piolho a 1G0 e.
Brincos de cores, bonitos a 160 e
Pecas de tranca de la com 8
varas por.......
Oleo para machina de costura,
frasco a........
Pennas d'aco Anas caixas a 800 e
Dita d'aco.Perrv. caix a. .
Gal3o de algpdo pega ....
Lindos babadtnlios e entrcmein-
peea de 500 a......
Ditos de louca muito fino a 120 t-
Ditos para caira a IHO e. .
Caixa com papel amizade a. .
Ditas com envelopes a. .
Ditas com obreias a.....
Caixa comagnllias fundo dourad.
Ditas de ditas ditas a.....
Tliesoura para coslua a 40 l
Caixa com linha de marca a
Linha de cores em dovcIIos (li-
bra) a........
Carreteis de linha Alexandre de 7
at 200. \ -
Grampos muito finos com pasa-
ros, duzia a......
Cartas portuguezas, duzia a .
Ditas francezas a 200 e .
Papel almaco e de peso, resma a
3,5400, 35300 e .
M muito fina para bordar, libia
Fita de algodo para debrum de
sapatos, peca a.....
Ditas de 13a para debrum de ves-
tido, pe$a a ^ .
Pentes finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisu
a 240, 320 e......
Ditos para aparar penna a .
Rosetas pretas, par a .
Tranca de 15a dHearacol pega a 40 e
Fita de coz peca a 480 e .
AI fine tes de lati a.....
Sapatos de la para crratYca a 400e
Gravata de sedas de cores a .
Cslcadeiras a.......
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio de borracha pr?
100risI! 111II
Ma verdade rna do Queiniad*
n. 55.
320
26*
200
320
{800
320
m
80*
1300
lO- '
720
500
\$sm
4(5000
ir.o
32v
60
2000
326
70C
500
240
20
b->
U09
*m
i"'.-
20*"
246
700
' 18*1
0
28
3D
yoit
aso
5O0
108
taOfl
30O>
4450<
6t950c
I6<
4S-
3-. :
m
10(
106
5d
iOC
800
2O0
80
COMPRAS.
SSCRAVOS
Comprani-se e vendemse diariamente para fra
i dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejam sadios : no
terceiro andar do s-ibrado n. 36, ra das Cruzes,
Iregnezia de Santo Antonio._________________
Compram se moedas do ouro e prata de to-
dos os Talores, onro e prata em obras notilisadas,
urilhantes e mais pedras preciosas: na toja de
torives do arco da Concieao, no Recife.
0 muzeo de joias
Na fu do Cabug n. 4 compra-se ouro, prau
a pedras preciosas por precos mais vantajosos do
pie em oatra quakm parte-_______________
Lora mmto maior vantagem coniprara-se
raoaaas de earo e prata : na toja de joias do Co-
racao de Ouro n. i D. rna do Cabug._________
Compra-se cobre, n ra do Queima-
do jl. 4, RIVAL SEM SEGUNDO.
A
DOO
teaifaVst da um riiiiian qa* tenha pratica de
ubern e d flailer a sna eondaeu, preferindo-ss
bra-dWf. a tratar na roaaHrt>l" 4
^ AUiga-se at" o flnJ-i
4juro orna casa n* pever
tar aft armaun do Cara]
taca
prximo vin-
de Apipucos: a Ira
s. roa do Imperador nu-
Ho engenho- Jcaro, comarca de Na^irtJb.8*
precisa de dous honiens para serem
no mesfro engenho, sendi nm para feitoi
pp e outro para urna destilaejio, prefeifl-se pirtn-
gtiezcs ou hespanhos, ou mesm# de qualquer na
cionalidade ; podehdo fe atrigir ao mesmo enge-
nbo, entendendo-an prime i rimen te com os srs.
Leal & Irmaos no Recife, ra da Cadeia n. 845,
t* andar_______.
Manoel Jos de Aratijo tem rroad* ua r-
sideocia em Canguaretama desde o i* do janho
ultimo.___________ .________ '
O abaixo assi)in do taz saber ao publico e ao
commerek, qd comprou io Sr. Vicente Frreira
da Silva Iteis a armacio da toja da funileir) da
rna Direita n..47. a qaal foi arrematada em orara
nabliea livre e desembaracada. Becife II de d-
embro de 1869.
Anselmo de Jczu9 Carvalho.
tnllW
ao as sanee tjne
eom o- deseonie

TBILHOS URBAJOS
DO
Compra-se travfs tova, o cofj)
10, 20 e 30 palmos, e 7 I
pallegadas de jjrossura e quina, viv, d*
seguintes madeiras : ainareno, oiticii, ~
cupira, e outras madeiras de reconbei
duracSo para o ch5o ; a tratar ne e*crjptp:
rio da superintendencia da. cofiipMma-fi
roa d'Aurora. (Vb dhw*| da manbSa as
4 da tarda todos os dias utes.
Escriptorio da comparmia, li de dezem-
bro de Tm,
aos raeamaa
da lei. ,.___
PRISCOS.
Bilftatp aterro m
Si
EdeiOOa paraehnaa
t Flguelredo
sahimr,
somealt
HOJE libras sterlinas e ouro de Mas as nacoes,
assim como prata, por maior preeo do que em
ootra parte na rna da Cadeia do Recife n. 58,
leja do azulejo.
NA IMPERIAL
fabrica de cerveja dos Srs. Henriqoe Lei-
den & C roa do Sebo n. 3o,
comptam-se garrafas vasias nroprias para vinho
oa cerveja, por maior preco ao que em qaalquer
outra parte.
A 3*K)0.
Cha verde de excdeme qoalidade : nabn'.i-.-
homeep; loica da viuva do Dr. Sabino O. L Pin!,
ra Nova n. 43.
Vend-se ura carro de
dous cavallos. om arreios.
jnatro aseemos, par>
Os preleudeDtes
dem vd-lo na ra do BopJcJo cfflcina do Sr. l -
raido, enrneiro, b tratar com Vicente Ferrara 'a
i^jsta : ra de Hia Vende*se orna taberna propria para princi-
piante por ter poucos fundos : a tratar oa ra n
Cotovello n. 2, ou ra do Sebo n. 54.
Vendemse dous escellentes moleqmss de 1?
a 13 annos de Idade : na roa do S. Guncalo nu
mero 29._________________
Vende-se una taberna sita ra Imperta'
n. 198, bem afreguezada, tanto para a trra com
para o mato e bons commodos para familia : .i
lralar na mesma pa n. 213.
Vendse ou permnta-se o pande ierre:.
mi qne tem casa o Sr. tenente-coronel Carlos
Martin? de Almeida, no Monteiro : a tralar na rm
oV Cabag n. II. ___________
Vender urna escrava preta, crinla, do i
annos com nma cria parda, de II mrzes, s pre:
engoma e cosinba, nao tem tictes nem aclu-
ques, o motivo da venda se dir ao comprado:,
na Capnnga ra da> Crollas n. 16.
VENDAS.
te.
Do Moadeip ao MTiaaaaho, antrada doauHDie.
rralal, perdeo-se nota correte de latao
fom cinco chaves de gavera : ejoem acnou leje
ra do Ifc&aVgn, atara a. 13, que sertipratiB-
cafo por arcaaDo Lia. Iones.
Paaswrinhos de metal prateado.
Ctiegou nova remessa dees bonitos passannhos
da metal prateado para segnrtr a costura.
_.aad- mnito acreditada, mmto fresca, com alguos
commodos para familia, e com poucos fundos : a
ftratar na mesma. ______, _______
Vende-se nm berco da Jacaranda com pouco
ao : na-|u Imperial n. 16.________________
HaaWvos
Venda-se vwdadeiro ciuieiitr; na ra ds
Madre de Dos i. 22, armazem de Joan
Viartins de Rarros
Fio deigodo.
Vendo-se flo de algodaa da Baha em accos -y
50 e 100 libras : no escriptorio de Antonio Lu;
de rWiraMawrreio & C, ra da Crtrzn. 9T, I
andar.
SoperinteRdente.
.indr <& Abreu Porto.
0 'fflur de sa
rad
Esund% v_
'ir.oa aaarB*OM
em o dito hutaf,
,aiaates mesa
o*d tor datosti.
Ea venara val: oadan
Praaoiaao dp Reaib 13 de damaaro
O se*r*tario,
l Rufino Clintaco da Silva.
dawene
minis
aocas
aa-aarnawa-
para
Venderr.-se dous ei
viadas do norte : a tratar
Dos n. 1.
de
na roa
CEVADA.
bonita figura
da Madre de
Vende.se nr roa Direita n. 30. a 3#o00 a ar-
roa. -.^-_____________
qoeero ontra qualqoer parte, vendem Ama-
ral Morefra dr ., em sen armatem do Cae
da AUandega o. 7.
Caldo Lisboa
chegada no amo navio, tem paro vender Jo
quim Jos Godcalves Beltrao, no sen escripau
raa do Conimcreio n. 17.
Cabio'et americano.
Vende-se um cabriotot americano de duas ro-
das sobre correiaa, proprio para rugar dt mniu
arca : os preteadentes podem va-lo na cocbatr.
da rna dtilinperador n. 48.^
Gr?nde liquidacao de fazendas baratissima*
iara acabar, cujas fazendas sSo as qac
oram doa Srs. Costa 4 Castro, que em
dezembro do anuo prximo paseado pe-
pavam fogo roa ao Crespo.
E-iao se vendendo para liquidar grande quau
tidad% de lawndas baratissimas e propria para a
festa, como sejam, pecas de chita r
filado com 34 covados a 71000,;
do* padree* a 300 rs. o coadh, d
zas de muilo bonitos aaataM a 38* { _
bar, pecas de na.camhraia victoria en iw-rfei:.
e-tado a 5X 5*500 e 61, ditas transparentes a 4a,
fFMVNTO
Damelbor qualld.de epo, menor ^SRSWS3?!S&'St
^
fazaada* que nwnciona las seria lUtAiah*. Apr
veitem a peehincha que at sabbado acata ss w
tudo por todo o pre^o.





Diffj % ^W^tt00-,^ ?^\ ffofVf*4 Je Pezeuibro de 1069.
0 proprietario do armazem de fazendas riz n. 72, declara ao respeitavel publico e seus fregoeze?, que est liquidando /odas as
azendas o roupas fcitas que ten em sen estabelecimento como se poder ver no seu
anuncio e preco abaixo mencionado?.
Chitas fra acezas matizadas i
SlOfs.
Vende-se chitas francezas escuras matiza-
das a :t-0 rs.o covado por este prego sna
loja da Arara, ra da iraperatrin. 72.
L.UZINIUSA240RS.
Vonde-rse Uazinhas para vestidos de se-
oliora a 240, 280, 320 e 400 rs. o co-
vado.
DVREGSS DE L.V A 300 RS.
Vtiide-se bareges de ISa com Ifstras para
*est !s de senhora a 500 e 640 rs. o
ovado.
Alpacas de listras a 300 rs.
V,;nde-se alpacas de listras para vesti-
dos de senhora a 500 rs. o covado.
CHITAS FRANCEZ V A 289 RS.
V^nle-se chitas fraocezas claras a 2S0rs.
> covado.
CORTES DE Lia PARA VESTIDOS A
20400.
Vende-se cortes d 15a para vestidos de
enhoras a 25500 cada nm,
PERCALES A 410 RS.O COVADO.
Vende-se percales muito finos para vis-
ados de senhora a 440 rs. o covado, mur-
soinas brancas fifla3. a 500 rs. o covado,
brilhantiaas de cores, a 440 rs. o covado.
Uales moderaos de todas as
edres.
Vende-sflbaloes moderno sbranco e de co-
res a id. 4#00e5;J.
COBERTORES DE ADGODO A 15500.
Vende-se cobertores de algodo a i 5500,
oouortas de chitas a 15600 e 25 cada urna,
GANGAS PARA CALCA A 320 RS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
cres para caifa e palitots a 25500 e 35,
o covad-, meias casemiras enfestadas para
algas e palitots a 15 o covado, brim pardo
Je todas as qualidades e brim branco de
'.odas as qnalidades na ra da lmperatriz
o. 72.
Alpacas lizas a to rs.
Vende-se alpacas de cores lizas finas a
640 rs. o covado, tarlatanas de cores a 320 i
rs. o metro.
Algodao eafestado SOO rs.
Vende-se algodSo enfestado proprio para
lenges e toalhas, 900 rs. o metro, dito
trancado a 15, metro.
Chales de merino 56*.
Vende-se chales de merino estampados
a 25, chales brancos e de cores a 10000
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Veude-se urna grande porcSo de cortes
de brim castor para calca do horaem, 640
rs. cada um.
Clraude poreo de retalhos
Vende-se grande porche de retalhos de
chitas e cassas prelas a 160 e 200 rs. o
cova lo, retalhos de cassas, 18a e chitas de
cores baratissimos.
LIQUIDAN A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brim do cores a 2(5,
ditos de alpacas A cores a 25, di os de
meia casemira a 2?^ 25500. ditos de pan-
no preto bom a 85 e 105, caigas de algo-
do azul para escravos a 640 rs. ditas de
algodo de listras a 800'c 15, camisas de
riscado de lisiras a 800'rs. cada urna, cole-
tes de brim c fustao de cores a 15 e 15500,
colotes de cesemira de cores a 20500 e 35,
e outras militas qualidades de roapas feilas
que s^ vende por baratissimo preco.
Algodo de listras a 300 rs.
o covado
Vende-se algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PFQA DE ALGODaO A 40.
Vendem-se pegas de algodo 4)5000,
!AS IVAS SEDAS
11--BUA DO ftEIMADO-11
i
do, brim de cores para caigas de hamcm o :hSi00 fiSnnn 7 i,qar.
Balees de arcos 14500
Vende-se ba!5es de arcos par senhoras
pelo baratissimo prego de 15500 cada um,
Cortes de cambrala barras
a 3AOOO.
Vndese cortes de cambraias barrsa a
!25 e 35 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lengos de seda a 640 rs. cada
Chegaram da Europa pelo uUirho vapora loja,de Augusto Porto & C. ricos
cortes das mais lidasdas ,de mimosas cores para vestidos proprio para bailes e csa-
me ntos.
Grande variedadede sedas defetras de diversos pregos todas.de lindas cores,
gorgurao de seda prcta, e grosdenaplo de varias qaelidades e gorgueo 4fifeda la de'
din'crentes cores.
Novos vestidos brancos de blod para noivas, lindas colxas de sedpara camas,
ditas de la e seda, cortinados bordados para camas e janellas, frondas e toalhas de
cambraia de linho bordadas. i i i /
Luvas novas de Jouvin.eelegantes sombfinhas de sedas de cor para sonnoras.
Espartilhos de 50 at 10f>, lindos bournpus1 de cachemira de cor para sabida
de baile, basquinos de renda preta, e dtjos de croch branc e p'reto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Sortimento de muitas fazendas de la, linho e algodo todas por pregos muito
ondico.
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pegas de tapates o de alcatifa para
forrar salBcs ludo em quantidadu; e vendem sempre'por menos quo em outra qualqoer
parte.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo,
Talgodao
loja das machinas
CACHINAS americanas de serrote de todos os tamanhos para descarogar algodo, do
muito conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
CACHINAS ditas, tambera de serrotes e de todos os tamanhos para descarogar, al-
godo do autor New York Cotton Gin.
CACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
VIACHINAS ditas de Roller Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
V1ACHINAS de faco do fabricante Platt B. d- C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as melhores que tm
drdo ao mercado ; e para a sua apreciago convidam-se os senhores agricultores "
zirem a exposigo das mesraas na ra da Cada do Recife n. 56 A, loja do Bastos, onde
ai^nntrarao mais o seguinte :
MADAPOLO ENFESTADO A 35500. iura' P3" li1uidar-
Vende-se pecas de madapolo enfestado! CARTEIRA PARA VIAGEM A 10.
a :>>500, pecas de madapolo inglez de 2i! Vende-se carteiras para viagem
ardas a 55, 65400, 70, 85 e 100 a pega. cada urna.
72. Una da lmperatriz. 72.
10
LIQUIDACO
Debulhadores para miho.
Cylindros para padarias.
Irados americanos.
Carrinhos de man.
Machinas para cortar capim.
Camos de chumbo.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Telhas de ferro galvanisadas.
Folhas de zinco finas.
Oitas de cobre e lato.
Ferro de todas as qualidades.
Vrcos de ferro.
Folha de Flaodres.
Hachados americanos.
Faenes ditos.
Halaios e cestas de vergainha.
Vassouras americanas.
Fo les de todos os tamanhos.
romos e safras para ferreiros.
Finalmente uiuitos outros artig
liversidade seria enfadonho ennumera-los.
Folha de ferro.
Balangas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para refinagoes.
Azeite de espermacetc, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoura e artes, quo pela
i Amada imperatrizu
Esquina da lita da Aurora
Defrotrte do Caf Imperairiz.
Neste novo e sumptooso estabelecimen-
to de faiendas, encontrarao. as Exmas.
familias todo quanio possam desojar, lan-
o em artigos de rigoroso luxo, como em
todas as mais .qualidades de .fazenda de
sedas, blonds, alpaca.'-, merinos, laa?,
cassas, mussuinas, chitas, madapolftes,
aljrodoes, etc., demodo a sahir bem ser-
vido desdo o mais rico oexijzente amador
da muda e do luxo, at o niais modesto
_ li de familia. Alm de se arliarem pro- i
vidos do que mellior so encentra neste
mercado, mandaram os proprielarios
d'este eslabclecimenlo vir directamente
o que em artigos do mudas e de mais
apurado gosto se eniontra em Paris.
Una modista especialmente ocenpada
nos trabalhos doPAVII.HAo DA ALI10-
RA, ciK'Cotar pronptamente u cum toda
a perfeicao quafqiier Trabalho a capricho,
para o que se aclia habilitada em ludo
Suanio mister para o bom desempenho
e sua missao, o que urna grande van-
tago-i. para o bello sexo, que assim
va i encontrar em um s lugar ludo quan
o pode desojar, isto fazendas do me-
Ihor gosto, modista para perfeita exeru-
cau de qnalquer trabalho, perfumaras,
chapeos, enfeites, mitidezas, luvas de
Jouvin e tudo quanto a moda pode exi-
gir.
Aos cavalheiros goal vantagem se offe-
f rece, por ter o estabeleciment o mais
completo sortimento de fazendas para fac-
| tos, e proprias para todas as estacos, e
um hbil alfaiate encarregado de oxecn-
I tar com promptidao e mestria qualquer
[ encommenJa.
Os proprielarios do PAVILHAO DA
[ AUItOKA nao tendo poupado despezas
[ para dotarem esta bella cidade de um
i estabelecimento digno d'ella, confiam nos
J seus esforcos e no bom gosto d seus ha-
| Litantes, garantindo a maior cireumspec-
' Q.o e modicidade de pregos.
Com a possivel brevidade e em vista da
; protec^ao que se dignarem dispensa r-lhe,
S este estabelecimento trar muitas outras
[ vantagens, primando entre ellas a publi-
[ cacao de um jornal gratuitamente dis-
; tribuido aos seus freguezes, o qual se oc-
cupar exclusivamente di descripcao das
: modas, acomnanhado dos ltimos flguri- 1
; nos; vantagem que at boje anda nenlium j
mestabelecimento offereceu.
Concluindo, e na impossibilidade de des- l
crever c rico e variado sortimento que j
possuem, os proprielarios do PAVILllAO j
DA AURORA respetosamente convidam j
as Exmas. famlias a visitar este espa- j
coso e rico estabelecimento qne, alm de \
indo, est dotado do pessoal necessario |
para vender e levar amostras as casas |
que as pedirem. |
Pelo ultimo vapor rereberam ricos cor- l
tes de vestidos para casamento, luvas de 5
pelica. ricas chapelinhas para senhoras {
o diversas fazendas modernas.
|Aberto das 6 da manhaa ss
9 da noite.
NO
Lourengo Pereira Mendes Guimares, proprietario do armazem de fazendas
t.'.-i.irainado G.VKIBALDI, tema honra de participar ao respeitavel publico que tendo
rec:!.i lo diversas facturas de fazendas.de novo ?osto, para a festa, estando a espera de
uovasentommendas que deve estar aqu at o dia 1'5 de novembro vindouro, e vendo
que oo tem tempo antes do balango de vender tantas fazendas de encomrcendas por
isso resolveu fazer urna liquidagao para ver se d maior, estr'ag3opor issoem vistas das
circuTistancias vender tudo mais barato do quo em outra qualquer- parte, na ra da
lmperatriz n. iG.
M\DAPOLO ENFESTADO A 3*500. | CHITAS PRETAS A ICO
V-nde-se urna grande porg3o de madapo- Vende-se urna grande porr/to de chitas e
So nfestado de 12 jardas a 3;300, assim cassas prelas em relalho a 160 o covado
como pega de madapolo inglezes de 2i tambem tem retalhos de chitas e 15a de c-
jardas ou 20 varas a 55, 55300, G0,0^500 res que se vende barato.
"A000. 8, n e 105000. i Gangas para cal?a a 3*0 rs.
Corpinhos a 200 rs. Vendem-se urna grande por.-.ao de gangas
CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500 para caiga de 'hom-m e menino a 320 o
V 'ivle-se pegas de cambraias victorias covado, cortes de castor para caiga a 640
fijas a 5#500, 65 e "5. Brillantina bran- cada um.
ca fina para vestidos de senhoras a 500 Brim de cores a 49i)rs
rs. o covado \ I Vende-se urna grande porg5o de duas
ALGODAO A 45000 : faces para caigas, palitots e colletes debo-
Vende-se urna grande p-irco de algodo mem e menino, fazijoda inteiramente nova
todo de hea qnalidade e 45. 55, 65, 635 >0 Brim pardo liso a 5<>0 rs. o metro, dito
"5, e 85, apega de 20 jardas ou 2 i trangado lino a 800 e 15000.
Grande liqnidacao de chapeos
, ATTMI1 Lili
Grande armazem de fazendas e roupas feitas rna da Imperalri?.
n. S2, porta lai^a, de Paredes Porto.
rfp rnnna.NSte, e.slabe,ecunf."to1 encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento
de romas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 35, 35500 at 65 Ditos de
merm, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 55, 65 85 e 105 de panno oret
sacos e sobredeos Ditos de brim pardo finos o ordinarios D tos de alpaca bE
decores de 35500 a 55000. Caigas de brim de cor finas e ordinarias, d.ta
IiOJTA
DO
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de caserna
de cor e preta de 45,55, 65 a 155. Colletes de todas as qualidades e pr^ SSto
barato Completo sortimento de cam.sas francezas de algodo e de linho de25 at 55
fvat',ia! r ?nt? C ?e-U aS francezas de-algodo. de linho e bramante a 25 e 25500.
4 at UmaanduzSian0V1SS,m gSt ^^ MeaS 8orlimento^ompletoT35.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto para homem como
2S,TS!!iS?,I?Vd!,de' m SS qUe ltm Um bonito ormento de Szendas0!
S1. (Iual,dades ^nto em casem.ras como brins, pannos finos e outras mnitas fa-
cuyas.
FAZENDAS
Bramantes de II palmos de largura a 15800 o metro
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 15200
Basqumes de guipuro enfeitadas a 185000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs
Madapolo fino a 65500, 75, 85 e 95000
Algodo pega com 20 jardas a 45500, 55500 e 65000.
Pega de algodo largo a 75500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cb
feita que se est fijando na .oja^almp^, n^^So ^aTour^
LElO DA PORTA LARGA
DE
'-
ADMIREM-SE DO QUE E' BARATO
Chamalotes a 560
de sol
Vende-se chapos de sol de alpaca efim
\ende-se chamalote de cores, de algo da' pequeo defeito a 25 e 35000, ditos finos
para vestidos de senhoras a 560 o covado. de 12 astes a 5500, ditos de seda fin >s
Uparas lisas a OO rs. de 8 astes a 75500, 85000, ditos'de 12 e
Vendi-se alpacas lisas pan vestidos de 16 astes a 1050O, para liquidar.
cores para senhora. a 50U rs. ditos uutisa- emitas para eobertas a 8 40 rs o
;a> linas a 20 o covado. Dita* lisas mu- covado
10 lalrSJLi0 CVad0' Vend,5-se cnilas francezas Para cobertas a
CORTES DE PERCALES A 6:000 240. 320. 340, e 380 o covado '
\ de |)ercales de duas saias para vestidos del Vendase cassas francezas para vestido
senhora, de mnito delicados gostos com a 240 o covado, ditas muito finas a 400 rs
n/iSS^Xfi lm0- ,assim como percales finas para vestidos a
C \MBRAJAS LISAS OE CORES A 00 440 o covado,
Paredes Porto.
Vi' le-senma grand*? porco de cambraia
isa de todas as cores para vestidos a 600
rs. o metro.
Organbys modernos a 8 rs.
Ven.te-se orgahdys de cores par Tazer
vetfidns. do duas saf^s, agora modernos, a
30O rs. a vara.
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas mnito fifias de
:ores a 280. Ditis matisadas escuras a 30
ditas escuras escocezas a 30. ditas aleo-
loadas a 360, ditas aribaldinas a 360 o
^ovado. Sortimento de chitas como tem o
aribaldi ba poucas lojas qun oouipitam.
?USTOES PAA VESTIDOS A 400 RS.
V^nueje uslao de cores para vestidos a
iOO rs. .\covade
COBERTORES A 1:400
WndVse cobertores dealgndSo'a 15400
i'bertaa ^-chitas f^ita a 1||600.
- Vende-se grande porgo de corpinhos a
4d 040000o6-
GRA.NE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias erijas para'homem a
35500, 45. 55. e. 65000 a duzia, ditas para
menmos de todos os tamanhos a 35500 e
4500, ditas para senhoras e meninas a
35500 45. e 55, a duzia.
BVLOES DE ARCOS A 1:500
Balites de arcos a 15500, ditos modernos
i a 45000.
ATTRNCO
Tetn-se para vender Tima grande porgar,
de roiipas Teitas de b'rim e de casemira, de
todas as qualidades nio se menciona por
*er enfad .niiii. (aranto-se ao comprador ven-
der mais haiato.doaqne em outra qualqut-r
parle, istd s se pode rxmhecer com a pre-
isenc do coinp.adore a vista da fazenda
que se po.de .-nrihecer como est liquidando
por barato ,. () ^^^ fiarjalli, roa
da lmperatriz n. 56
l'feiJfis de erfno a tsOOO
Vndese chalesle Merino de cores es-
tampadas a 5000. ditos lisos a 36500, di
tos alampado finos a 55, 55500 e 65000
Kachinas vapor de
forqa de 3 e 4ca-
vallos. ''
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desca^
rogar algodo.
Balangas para armazem e balco.
Canias de ferro.
Cofres de ferro de Moej e de Unit-
field.
Prenca-;para copiar carias.
Fog5d*americano patent *'
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, jarope de salsaparrilha
Jo Pai, pilulas e xarope de. veame, tirw-
^ua e xarope do si^upira.
do ligado e tafo, ane-
mii. opilado, olo.
Emplasto, oleo, pommada, tintura, pi-
ib, xarope e vinho da milagrosa Juru-
Sei&cs ou m inlermileiiles
As pilulas anti-periodicas de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
Pharmacia do seu autor ra larga do Ro-
Mrfo n. 10, junto ao quartel do corpo de
polica. '
RAPS POPITftiIR
DA
FtlBWf A SACIOIAl DA BAHA
M
Teixwa Ulftunco&C.
Acha-e venda este ptimo rati, too qne
pode sup3m*:flt de princm de Lisboa, pnr ser
ae moi aartdavnl perfame, wijado, e a prp$o is mdico posive); o por isso temado asss
inplro
CEMENTO
POflTLAN').
Vende-.se no aimaxem amarello d Vi
ara ia Gusta Pifto, delronte do arco da Co-
Cjgao. ta llameas grande.
GAI.L0 VIGILANTE
Rna do Crespo a. 9
Os proprielarios deste bem conhecido estabele-
cimente, alm dos muitos objectos qne tinham ex-
postos a apreciacao do respeitavel publico, man-
daram vir e aoabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento do
Unas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como 6 de seu costume,
por pregos muito baratinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas c de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinlias e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de raai< moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para cabeeas da?
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhur e mais bonito.
Superiores, e bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempro se venderam por 30*000
a duzia, entretanto qne nos as vendemos por 20$,
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas. ,
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marfim com. lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de mellior se
pode desejar ; alm destas tomos tambem grande
quantidade de outras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a l annos de idade.
Navalhas cattfdwiarom e tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos, por nossa vez tam-
bem ass.'grams sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas espolias para noiva.
Superiores agnlhas para machina e para crox.
Linha muilo boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bbns baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tontos para o mesmo Dm.
Grande e variado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARKS DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsSes, e
fa<*ilitam a denticao das innocehtes criancas. So-
mos desde omito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos, a recebe-los por todos os
vapores, afim do que nnca faltom no mercado,
tomo j'i tem acontecida assim pois poderao aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do galle
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deiros callares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderao com um mu
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamo?
declarados, aos nossos freguees e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7
.tTh;
Na rna do Codorniz n. 8 contina a ler unv
ind" "
- Selhr tarafe,
N. 27. RA DO LIVUVMENTO N. 7
Neste estabelecimento vende-se sellins e
silhoes, de toda as qualidades do melhor
qo6 se pode fabricar no paiz, assim como oa
mais arreios pertencentas ao mesmo, ven-
dc-se tambem, colxes, traviceiros, cahu-
nhas com almofadas, proprias para meninas
Jevar para aula. O proprietario deste esta-
belecimento garante a pontualidade, esme-
ro e zeld de seu trabalho; porlanto pede ao
respeitavel publico sua protecr5o, que affian-
Ca vender tudo pelo mais barato possivel,
e por menos do que em outra qoalqoer
parle.
J cordeiro prevdente
Rna do Quelttlfedo n. 1.
Sovo e variado sortimento de perfumara
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que effectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba d
receber um outro sortimento que se torna
-otavel pela variedade de objectos, superiori-
iade, quaridades e commodidades de pre-
vos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
a espera continuar a merecer a apreciacSo
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nSo se afts-
tando elle de sua bem conliecida mansidSo
i barateza. Em dita loja encontrarao oa
mreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & I.animan.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
oeza, todas dos melhores emaisacreditadoa
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservac2o do
isseio da bocea.
- Cosmetiques de superior qualidade e chei-
/os agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, con
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos a
(rancezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
'o de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
:om escolhidos cheiros, em frascos de diffe-
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menorea
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabooetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fl-
oas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papello igualmente bonitas, tam-
ben) de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arrox
i boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras differentet
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
AI ma mais coins.
Um outro sortimento de coques de no
os e bonitos moldes com filets de vidrilhoa
a alguns d'elles ornados de flores e fitas,
sto todos expostos apreciafab de quem
m pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e pereic3o.
Vi relias c Uta para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes objec
ios, ficando a boa escolha ao gosto do com:
prador.
Cabriolet Doca-tt'
O melhor neste genero, -o pe fr-im oslado, ven-
de-se um ; para ver na cocheira de Tboinaz Lins
a ra de Santo Amaro, e tratar na ra do Crespo
n. lo, toja, das 8 as (1 horas oa manliaa e das 3
as b horas da tarde.
Vinho do Porto
Vende-se superior vinho do Porto engarrafado
no escriptono do Antonio Luiz de QUnira Azevedo
C, ra da Cruz n. 7, | audar.
Vinho de Bucellas
qual dade supe ioi\. em quartos de pipa,
vende-se em casa de Won Sohsten & C,
ra da Cruz n. 9.
FitrinJia de niiio
para cangicas, papas.-bolos, pao e outros muitos
mislores, araba de chognr algunas barricas dcsta
exceiiento farinha, dos Estados-nidns. e vende-se
no armazem de Tasso Irmos, no caes de Apollo
GADET
CURA
em TRES DAS
?. Denai
i s
grande sortimento de doces em latas e caixoo de
diverso? tamanhos, cojo v,nJ,> por preco mais
barato de qm>em outra nualmipr parte
(4Z (AZ GF"
t Chegon ao antigo deposito de Henry Forster >
., ra do Imperador, um carregamento de ga
de primeira qualidade; o qual se vende em partida.
e a retal ho por menos preco do que era outr qua1
quer parte.
Somantes de. hertalices chegadas pelo ultimo
mShJ nVU* ^ Llvrarento B. 38, armazem de
mt bat0i._ npwtiMt* Importe ao comrradqr, ur.
ca- o de nao nascereiu
I IU,
Ao SenteT
acolhldo tm prscas da Baha, do fllo
om outras do imperio : no escriptorio de Joaquim
Jos Goncalves Beltrio, ra do Commercio nu-
mero 17,
Estar venda as tercas e sextas-feiras, na
pafcna xJtoda, ru 4o Lima, em Santo Amar?
jo Recife, Recroio Comm rc/al, em .rente a ra
a> \lgenon. i, rna da lmperatriz n. 80, ra do
Keralf' 0 "mV>m d C'mm' nn Aa
De superior qualidade da mui accredita
da fabrica de Bsquit Dubouch C, era
cognac orne das que niaii agurdente d^
cognac, fornecem para o consummo de
fteino da Inglaterra.
Vende-se em, casa de Th. Just. ra do
commercio n. 82.
J-W escriptorio de loaiuirn J w (ImeaUe-i
Be'irao, rna do Commorcio n. 17, existe para
vender-se um escravo crioulo, moc.), com oBcio
de pedreiro.
Paris, 36,RaaViviana, D
CKABLEmedecin
JAawrRKiuuaiaSDtssExiiaia. AstnW
rrawKAs.KALTEnaoogs do sames.
OEPURATIFj
SANG
t <**, vieiotmt 4 i _
i IMB'Mft 9 flJf^v^a^^a^aM
**":' '*" vas*alaamano).y
ratlva. rrte BANUO* HIBliaU
toaao-M iiou por ssatna. ogaioa. -.lmT
'iiutirii floiitfaaado aas mmat aolaifla
PLUS
:opahu
OM l
CHAI
ferro de (HABLE ctra
*""*"*-----ti pnliat
uau os Huios 1 iDJoccto t.DljM lailHI ti ttr^m, h
CMraeUi de Frrm.
rafmMat fMiada aa as ara u rna aiaaV
POMAOA ANTIHERPETICA
.Coaira ai.* *ftc( PILULAS VEGETAE8 DEPURATIVA*
to w cafc!.. ata basca ai iiiaamaiITS
tai foiaaia. ^^ --------


s

u
(v38 U
Diario de Pemanibuco Terga feira
4
i ^ fi*
de Dczeinbro de 1869.
7
-tr
M!
i .:
--------_
1 n i n


3=
----------!
0E
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DE
FEfilX PRfiIRA DA SlfcTA.
0 proprielario d'eete grande estabelacimento, vendo que se est aproximando o fin-
do anno, e tendo em ser um grande deposito deposito de fazendas; n5o fallando eni
avultadas encouiraendas que Ibes esto obrigado todos os das, tem resolvide liquida-
las por preco raudo mais baratos do que em outra qualquer parte ; so com o fin)
de dimiQuic o deposito e apurar dioheiro. Encontrase neste estabelecimento do
PAVAO, avultado sortimento demandas de luxo e modas; assim eomo de primeira
necessidade. As pesseas que negociam em pequea escala n'esta loja poderlo surtir-
se vendendo-se-lhes pelos procos que compran, ms casas inglezass aesim como as ex-
cellentissim'as familias podero mandar buscar as amostras de todas as- fatendas ou man-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
acha constantemente aborto das 6 boras da manhaa s 9 da noite.
ExpWdidn flnrtmATi^n \\ cas lavradas

. .1
GRANDE KW1MDE
lendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente surtido das melbores roupas,
sendo calcas palitots e coletes de casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desojar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, com a maior promp-
Chegou para a loja do Pavo ura grande sorti
ment das maia bonitas alpacas brancas lavradas
e de cordao sendo n'esle genero o melhor o mais
lustroso pue tem vindo no mercado, tem algumas
uio linas e o bonitas quo servem para vestiuos de
uoivas e voudom-se por commodos precos.
LAZIMIAS MODERNAS NA LOJA DO PAVO
Chegou para este estabelecimento um grande
sortimento das uielhores e mais modernas laazi-
nhas para vestidos, sendo tapadas e transparentes
de todos os precos e qualidades que se vendam
mais barato do que em outra qualquer parte.
Crochs para carJeiras e sofs
0 Pavo tem um grande sortimento dos
Qaaado a AGUA BRRNCA, rasis precisa scientiticar ao respeitavel publico em
geral, e em particular a sua bo-a IVegueaia, da irnmensidade de objectos que ltimamen-
te tem recebido, justamentefquando ella menos o pode fazer e porque essa falla invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que lh'a atlenderao e relevarlo,
continnando portanto a dirigiivm-se a bem conbecida le ji da AGULA BRANCA ra do
Qircimado n. 8, onde sempre acuario abundancia em sortimento de superioridade em
qualidades, modicidada em procos e o seu opnca desmeutdo AGRADO E SINCERIDADE.
Do que cima fica dito se conbeceque o tempo le que a AGUIA BRANCA pode
dispr, empregado apezar de seus custoi.nodesempenbo de bem servir a aquellos que a
honrara procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem ennurac-
rar os objectos que por sua natureza sio mais Goabecids ali, ella resumidamente indi-
car aquellos coja importancia, eleg>noia a novidade os tornara recomraendaveis, como
b+m seja :
Corpinhos de cambraia, *morc sanente
tidao vontade do freguez, e nao sendo mais bonitos crochs proprios para cadei
obligados a acceita-las, quaudo nao stejam ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linbo e algodao e outros muitos arligos
proprios para bomens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix l'erei-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porco de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo ra da Itnperatriz |n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavo.
Encontra o respeitavel publico neste estabeleci-
mento ura grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam, cansas francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de la de
todas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, lazinhas, alpacas lavradas e lisas, cantao,
bombazinas, merino, etc., que tudo se vende por
prego barato.
AS CASSAS DO PAVAO
Cavado a 300 rs.
Vendem-se fiuissiuias cassas francezas com lia-
dos desenhos e cores xas a 300 rs. o covado.
Madapolao francez a 7$000 rs*
Vende-se pecas de madapolao francez
com 22 metros pelo baratissitno preso de
7^000 a peca, pechincha.
Altas aovillaos em sedas
Chegou um grande sortimento das mais
moder ias poupelinas ou gorgures do seda
e linbo com os mais elegan'cs padroes que
como proprios para cobrir presentes, e ven-
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte,
GLACE* A 1:200 PARA VESTIDOS
0 Pavo tem esta nova fazenda lisa pro-
pria para vestidos, com as mais delicadas,
cores e eom mais lustre do que a propria
seda com 4 palmos de largura que facilita
fazer-se qualquer vestido com 10 covados
u vende-se pelo baratissitno preco de 1:200
rs. o covado, pechincha.
CRETONE DA INDIA PARA COLCHAS
O Pavo tem esta nova fazenda cretone
propria para colchas, com os mais lin'os
padroes chinezes e com as cores inteiramen-
te fixas, tendo largura de chita franceza e
veude-se em conta,
rgandys a 300 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores com padrees miudos egraudos. sen-
do todos de cores fixas, pelos baratos pro-
cos de 360 rs. o cova lo. .
ALGODAO ENTESTADO
Vende-se urna grande porco de aigodo-
stnho americano com 8 palmos de la gura
proprio para lenccs e toalhas tendo liso e
trrncao que se vende" por preco muito em
cuita.
*anos de Ifnho
Chegou um grand* sortimento de pocas
de panno de Indio do Porto que se vendem
de 700 rs. at 15000 a vara, garantindo-se
que em fazenda de linho nao ha nada me-
lera viudo a este mercado sendo, miudos e ihor, nem mais proprio para lenoes e toa-
graudus, tanto em cortea para vestidos como
para vender em covado, assim como um
bonito sortimento das mais bonitas sedas
listradas que se vende tudo muito em cuta
Grosdenaples de cores
Chegou um grande sortimento dos mais
bonitos grosdenaples de todas as cores para
vestidos que se vendem muito mais barato
do que em outra qualquer parte.
CHAPEOS DE BRIM A 2*000 RS.
Chegou urna grande porco de chapeos
de brim para cabeca que se vende pelo ba
ratissimo pro;o de 25000, por terem che-
gado com um pequeo toque de mofo. E'
pechincha.
GRANDE PECHINCUA A 5:000 RS. PEQA DE
Krctanha
Vende-se pecas de uperior bretanha de
algodl > tendo quatro palmos de largura
com 20 varas ou 22 metros cada peca, esta
fazenda seria para costar 85000, a nao fer
wia grande compra que se fez, e liquida-se
a 55000, cada peca.
Admiravel pechincha
ALPACAS A 400 RS.
DE FURTA CORES A iOO RS,
ALPACAS A 400 RS.
Vende-se um grande sortimento das mais
brilhantes alpacas de furia cores com as
mais lindas e mais modernas cores imitan-
do perfectamente as sedas de furia cores
endo oeste artigo o mais novo que tem
viudo ao mercado, para vestidos, muito pro-
pria para as schoras que forera passar
festa no campo, por ser urna fazenJa de
muita fantasa e pelo barajo preco de 400
rs. o covado.
llretanha*' peea
Vendse superior bretanha de rolo ten-
do 10 varas ou 11 metros com 4 palmos
de largara pelo barato preco de 20500,
pecuiacba.
OssetmsdoPavao
Vende-se os mais bonitos setins de cores
mais eocorpados proprios para vestidos
tendo de diversa* cores.
AOS PALITOTS OQ PAVO A 185 e
-05000.
Vendo-so uni bonito soi tiiaeuto de palito-
ts francezes sendo, sobrecasacados o pro-
priameate sobre-casacos, que se vendem
forrados de alpaca a 185000 e forrados de
*eda a 2O,?000, pechiacha.
enfeitados com fitas de setim e abras estiaA.
coja novidade de molde e perfeicio de ador-
os os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qoa-
lidades para cintos.
Loques uesse objeclo muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciasamenie
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
Capailas brancas para meninas.
Cundes sortimento de flores finas.
Fi de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante r sortimento de dita,
seraje melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,,
Caixinbas com dito aromticos.
Ron i tos e modernos pentes dourados
o grande e variado sortimento que acaba para circular o coque.
de ebegar, mas para n5o massar o pretn-
deme se lhe apresentar o qae poder de
melhor.
Enlremeios em peca? de 12 tiras.
Guipure branco e prcto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodao com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Melas de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaps completos para baptsados.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de madreperolr.
Caivetes tinos para abrir latas.
Tnesouras para frisar babadrahos.
Aspas para balao.
Nuvos stereocopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
urnas substuem as outra s.
Vistas para stereoscopos.
Bon.tas caixinbas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envern'tsada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados enancas.
e meis para ditos. Diversos objectos de porcelana, proprios
Camisinhas bordadas para ditos. pa enfeites de mesa e de lapinhas. *
SORTIMENTO PARA A FESTA
Vendu-se por menos de 10, 20 e 30 \Q
SO' NO
ARMAZEM CONSERVATIVO
N. 23Largo do Terpo.N. 23.
DE
simo nos santos a- c.
COLCHAS DE Ft'STAO
Na loja do Pavio vende-se am grando sortimen-
to de potabas de fosio sendo brancas o de core
litas 4eiiw* para earaas de nota, assim como
vionito dama*co3 d lia para colebas.
Na Wa ce Pavio vendem-se os mais
bonitos cbates de verdadeira cacbemira de
cor, com os desenhos mais modernos, a /(,
10 e I2d000, omito barat na ruada Im-
Mltrt o. 60. m
BASQUINAS A 12,5000
Na loja do PavSo vende-se as mais mo-
pelolwwto^reco de 12KNI tadt turfe
K loja e armazem do Pavio mu da Imperatriz n. 60.
Ihas
PECHICHA FM CHAPEOS DE SOL
Chegou bm grande sortimento dos me-
hores chapeos de sol de seda, inglezes ten-
do neste art go o melhor que tem vindo ao
mercado assim como urna grande porco de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
fpie em oitra qualquer parte, por baver.
grande percao.
* citaos braucos
Vende-se ura grande sortimento de len-
cos hrancos para homem, sendo a dnzia a
156IK), 25 muito finos a 4iJ e 6.5000 a duzia, ditos de
e^iruio fazenda muito superior a 55, 65 e
7,30110,
Pechicha eui caseuiiras a 4:000
Vende-se finissimascasmirasder com
listras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores mais novas e mais bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baratissimo preco
de 4;>000 o covado ou 75000, cada corte
Os balos do Pavao-a 2S000,
Cheg a um grande sortimento de baloes
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 25000 ca-
da um grande pechincha.
AS CA BRAIAS DO PAVO A 4:300 RS.
Vende-se urna grande- porco de pecas
de finissiraas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com majs do vara de
largura pelo baratissimo preco de 4^500, a
peca sendo fazenda que nunca se vendeu
por menos de 8*000, grande pechincha.
AS POUPELINAS DO PAYAD A 300 RS.
Chegaram as mais lindas poupelinas de
la com imitaco das poupelinas de seda,
um fazenda muito leve com as mais lin-
das cores, sendo: verde Bismark. rosa, azul
ijto, c nsento, perolla etc, etc. e vende-se
pelo baratissimo preco de 300 rs.
Fustcs trancos para vestidos
Chegou um lindo sortimento dos mais ba-
ratos e bonitos fustes brancos com listras
e cordes, sendo fozoda bstanta larga e
flexivel, muito propria para vestidos e roo-
vas de m -nios o vendem-se a G40 o co-
vado.
BONITAS LiASINHAS
OU ANADFNAS A 15000 RS. O COVADO.
Chegou para o Pavo, um grande o va-
riado sortimento desta nova fazenda de l.i
e seda propria para vestidos, com os mais
delicados desenhos e mais modernas cores,
tendo bastante argura que facilita fazer-se
nm vestido com poucos covados, pelo bara-
tissimo preco de li000 o covado, por ja es-
tarem muito prximos da festa.
GAZ AMERICANO 800 a lato, e 440
rs. a garrafa e 660 rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FIGUE1RA 560
a garrafa, e 4^500 a caada e 800 rs o li-
tro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 300 rs. a garrafa, a SOO e
33200 a caada, 6(50 e 720 rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 40000.
a caada e 560.a garrafa, h 840 rs. o litro.
VINAGRE VEBDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 10400,
1^800 e 25200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 70 a caada, e 10340 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 10400 e
10280 a libra, 30060 e 20780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
a libra, o 20100, 10980 e 15860 o ktlo-
gramrao.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a li
bra, 10220 o kilogrammo, em porclo se
far abatimento.
BANHA DE PORCO DE BALTIMOOR i
O Campos da ra do Imperador n. 28
no intuito- de servir satislatt mente aos
se us innmera veis amigos e freguezes, em
particular e em geraJ ao respeitavel publico,
desta cidade ; avisa aos que ostiverem pas-
sando o tempo calmoso, nss deleita veis
arrabaldes desta capital, que tem resolvido
vender, de de'superior qualidade, a precos
razoaveis, os seguintes gneros a saber :
PARA CIMA DE APARADORES
Latas com doce em calda de diversas
qualidades nacionaes e estrangeiros.
Ditas com peixe a saber; salmn, ostras
e lagostas.
Ditas cota crvilhas francezas e portugue-
zas.
Ditas com gela franceza.
Cervjja franceza verdadeira Bobee.
Presunto para fiambro e afiambrados.
. PARA DISPENSAS
Latas com chouricis novas sendo de 80,
cada urna.
Presuntos de Lamego para tompeiro.
Cuias do Para (pintadas pelos indgenas
daqueHa provincia.
Copos de vidro com dobradica o tampa
para diversos misteres.
PARA OS QUARTOS DE DORMIDA
Porta-phosphoros cheios de phosphoros
de segnranca.
PARA SALA
Churutos de S. Felis do afamado fabri
cante Costa.
Fumo picado do Danif de S. Joao do
Rio de Novo.
Alm desses gneros, o Campos tem con-
vicc3o de que o seu estabelecimento um
dos que podem satisfazer com garantas as
exigencias bem entendidas, dos Ilustrados
habitantes desta heroica provincia, porquan-
to sh acha elle bem prvido de gneros su-
periores, de maneira a n5o desmentir
0 Campos.
AVISO
Os proprietarios do BAZAR DA MODA
si tu il ra Novo, nocla cidado, respeitavel publico e com especialidde aos
seus freguezes, que, principiam de hoje em
(liante a vender o grande sortimento de
miulezas, perfumaras, quinquilleras, ar-
tigos de moda para hom ;ns. senhoras e
meninos, com um grande abalimento em
precos para liquidar a dinheiro.
A grande variedade de objectos de gosto
recebidos.da Europa, onde os mesmos pro-
prietariofrentreleoa relacSes com habis cor
respondentes habilitados a olIVrecer as
maiores vantagens possiveis e hoje eslain
resolvidos a liquidar com pouco lucro, adia-
rlo os compradores urna diflerenca superior
a 30 por oento menos do que em outra qual-
quer parte.
A PHECO FIXOsao vendidas todas as
merGadorias constantes do estabelecimento
e por este systema de negocio podem sem
escrpulo comprar, cerlos de que nao se-
r3o aludidos.
Tem empregados promptos a conduziretn
os objectos ou amostra a qualquer casa que
o exija.
Bazar d ModaIo de di'zerobro de
Jos de Souza Soarcs & C.
Os proprielarisdesteiemsoTtllo armazt-m de secco e'molhados estao re-
solvidos a fazere utna grande (liminnic5o do p'-eeo as suas mercadorias, como se apro-
xima a festa e sempre se l'azein avultadas compras para o centro e praca, por
sso previnera ao respeitavel publico em geral. quo mande fazer suas despencas e cer-
tos de que verlo a grande diflerenca em precos mais do que em outra qualquer parte
e garantindo-se as superiores qualidades.
SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra e
620 rs. o kilogrammo.
FARINHA DE ARARUTA VERDADEIRA
640 a libra e. 16400 o kilogrammo
BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 8*0 rs. <> kilogrsmrao.
VELLAS DE ESPABMACETE 720 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPHOBOS DO GAZ E DE SEGU-
RANCIA, 280, 4O0e560-rs. o masso.
30200 e 0500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 1 10280, 20500
30500.45500. 50500 a lata e a retalho e 10
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso. e em caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISROA 60 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SEBVEJA INGLEZA MARCA II 50500
a duzia o 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERSi
BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 10500, 10200, 10 e
FIO BEYILi
Barbante
Em casa do Rabe Sclimelu A C. Corpo
Santo n. 13.
SHERRY 0L0R0Z0
Gelo seal.
(OftVU III WISSl.
Em casa de Rabe Sduneliau C. Corpo
Sanio o. 15.
CAHMPANHA
stPEKIOK.
Roussillou, curte blaneho.
Em casa de Rabe Mehmettau A
i. Corpo Sant d |j.
VINHO
DE
BGRDEAUX SUPERIOR.
CHATEAU LA ROSE.
C1IATEAIJ R.HJKAN
Em casa de Rabe Schmettau d C. Corpo
Santo n. 15.
PIBA A FESTA"
3 portas, 1 ja de 1er arem
53~Rua Direita--53
Neste erane eslalieleruncnto, ha para vender
ura completo sortimento de fernigam, e mindeza"
Anas e grofsas, como sejn bandnjas- cliUK.za.i
quadradas e ovaes, aca> o garios cl 2 b:
loes, balando inteiro e {/i bataneo; panellas da-
Iheiras, ea^rollas, friaideira-1, a>;aoeiras, fanin
de ferro como de porcelana, moinhfW para cafii d''
diversos tamanlios do fabricante Jnpy, pesjs kilo-
graiino, tanto de ferro como de atao, inclus
para medir fazenda Ututo de ferro amo de lutao,
salitre, breu, barbante, enxnfre. papel marca \in-
do, do venladeiro Picar Jo, machinas para desca-
rnar algodaa; alm de ootros arligos de ferra-
gem, miudezas cutilarias linas, quo so aun a.vis-
la se verifica ; na ra direita n. 53 lo>a iL^ ,'i per-
las de Manuel liento da Oliveira BraqaA C."
PlY)pra |:ir UIU j un tur
Veudem-se no armazem da cumpanhia Pern ni-
bucana caixas eom una duzia de garrafas do vi-
uho Madeira, sortijas de puro e genuino, o me-
lhor que possivel prodnzir-se ; ha apenn? pou-
cas caixas.
Grande liquidaqao
45Una ulrelta f &
Borzrgoins de senhoras francezes e de
homens, sapatos de senhora de marro-
quim o ile lustro, sapatos de brim para
hornero, farrotjofns, tais a p-tr:i sapatos" e
boizcguins, ciiuiinlios de cabra, si la e to-
do sortimento proprio para casas diste ne-
gocio, ipie ludo se vend a dinheiro or
m^nos do se valor, por ter sido arrema-
tado mi k'ilao e se querer liquidar em pcu.
eos das.
53Ra Direita .'i.
ESCRAVOS FGIDOS.
Anda e-i fupMo o mcu Mfravo Isaac, mu-
lato, idade 20 onns, pniirn mais ou menos, ion
no dedo gmndo da mau dimita duas nnlia-, romo
se fosseni dmis dc->l>.s ; na sua sahida furii'U-mc
500a 0,003 em inoedas de our >, o fui bem v-tido :
coiila-me que foi -^ft em Pedras d- |>i.gii : |>
pei., As autcirlades policiaes .capilies de ran-p'
a sua app. "'hensao, e que n facain runduzir a ra
I da Matriz da Boa -vista n. 33, onde serio bem re
i compensados.
Jezuino de Mil and.
BRACO
720 rs. a libra, c 1(5500 o kilogrammo, om 800 rs. a garrafa.
porc3o se far abatimento.
ARROZ DO MARANHOEDA INDU
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo o
3>100 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs.. o
kilogrammo, e 05000 a arroba.
CAF EM GRAO e 6d5O0 a arroba,
200,240 8 260 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SABO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA'^OPA, MACARRO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 re. a libra e
IiJ220 o kilogrammo.
BOLACHNHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bm como perola bri-
Ihanto.combination, Francy-cracynel, mixed
Britania. Mdium, Fancy-niiwat, a, b, c, e
soda a !i$000 e i5400, cada urna lata.
Assim como ba outros mni tos
GENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUESA 75 e 65 a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
lia a frasqueira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35 mento.
TOUQNHO DE LISBOA .MUITO ALTO
400 re. a libra, e 880 re.-o kilogrammo,
e H 5300 a amiba.
IJKGUICAS FINAS PROMPTAS EM U-
TAS. 15000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TO a 15000 rs. a lata.
CHA FINO. GRAUDO E MIUDINHO
35200 e 25800 a libra, e 65100 o kilo-
gntfaa.
DEM PROPRIO PARA NEGOOO 25000,
25200 e.i5800. rs. a libra,
gneros, vinho em ancoretas, azeitoaa,
Ra do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento encnnlra-se
diariamente om variado sortimento de bo
linhos parach, pastis, podio-, bollos in-
glezes, pes de l presuntos, ditos t m fiam-
bre, superior cha Hvssun. preto, e miudi-
oho. Vinhiis finos de todas as qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja mgleza, fructas muito boas, por-
toguezas e francezas.
Um completo h variado sortimento de
caixinhas de todas s gostos e precos pata
mimosear senhoras, estas caixinhas recen-
teraente chefradas de Paris sao de primora-
do gosto, offeresse-mo-las aos galanleadoi es
do bello sexo pois nellas achar3o nm digno
e serio presente para as donas dos seus
pensamentos. Tambera os apreciadores da
ha fumaca encontrado charutos dos me-
lhores fabricantes da Babia e de Ilavana
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, christalisados e de
calda, ditos de cajo e de outras qualidades
Nesta casa recetiem-se enommendas para
bailes, casamentos e baptisados e qualquer
encommendas avulss, como seja p5o d- l
e bollos enfeitados e outros mudas couzas
que enfadonho mencionar.
Fugio no (lia 7 d col-iente- me/ de ni.vem-
bro, aeserava Jnaijuina, crioula, de idade '0 an-
uos, cor prcta, baixa e ch ia do carpo, tem urna
orelha rasgada no Ingar do lomeo, una peque-
a cicatriz na te^ia a um lado, dous dente-i na
frente abortos quo parece falta de nm, mas cao 6 :
esta escrava .se ueeupava em rarregar agua no pa-
leo do Terfo, un lavando mupa pelos coqueiros
junto a ra Imperial, e por estes lugares <"> que
ellacostumaandar.IIoga.se aus Srs. capilesde
campo a apreli.nisao de-ta escrava o a levar a
ra do Que.imadon. 39 (eiceiro andar ou a [iraca
do C"rpo Santo n. 17 primeiro andar, "pie scrao
bem recompensados.
A ten^jRo
Joaquim Rodrigues Tavarcs de Mello'
tem para vender no seu escriptorio, pra-JB
ca doCcrpo Santo n. 17 primeiro andar, .
potassa da Russia ltimamente chegada,
cal de Lisboa e vinho Bordeaux do supe-
rior qualidade.
Gratiftca-se.
Papel para embrulho
Compra-ss na roa da Imperatriz n. 6U.
Loja do Pavao.
mnito novas, passas e figos novos, charutos de diversas marcas, marmelada. feita pelee
melhores conserveiros em Lisboa, gela de marmello, pcego, ervbas, era latas, por-
tuguezas e francezas, vinlio verde engarrafado i retalho, peixe em latas, bm como
pescada, tainha, pargo. gorat, luU, cnrvln. vea^p, cavalla, sarda e sardmhas de Nan-
tes. Caifla, cravo, ervadoce, cominho. pimenta, grandesraolhos de seholla 15500.
Finalmente mu tn< nutro gpnern* nn *>nfndnnh^ nvni-inna-lna
rPILULAS deBLANCARD]
LI
Resta venda ura escollado sortimento de ob
jectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
jarand, mogno e amarello, obra nacional e estran-
jeira, de apurado gosto e por praca* raipaveis :
aa roa estreita do Rosario n. 33. Nesta mesma
>a&a fazem-se eom perfeicio todos os trabaihos dr
Shinha, como sejam, empalhamentos de lastro'
iara cama?, cadeiras e sopfis.
com foomtCTO do rimo inaltravil
APPROVADAS PELA ACADEMIA DB MEDiaNA DE PARS, ETC.
Powuino as propriedades do U4 et da t^rtm. conven DeeWraente as ArrECCOS
kcrotoiosas, a TtSKl no principio,a fraqueta d* temperamento e tambem nos casos >
PatTe t>* eos, AMiwoiiniEA.atn pie precisa reagib ">bu o saugui seja para restlwlr
lfca aa fkmeea e a>dfata atonaas, ou para pro>car regutar aeu curso peridico.
I H. B. e ndBtMa ftrro tapai* alttnd* u aMdieaaMBt* iM
irritant. Ototo prora da pama *A* MwmcidaiU du et-4a'rir T\
tata mmwmt^ &** ifir boso MU* a*a4* imHIw
boho wt axoi rapraduaida, q H acha aa parta iaHrior da al
rafcat* errf*. Bcre-M dconlliir das faliiflcaoi.
kim___PhurtnaetvUe, r>ut Mmipirt, *Q, Parto
x nosso
ii*m4m r
1
A ra do Livramento n. 6, contina a ha-
ver para vender por precos rasoaveis, o
melhor vinho verde at hoje vindo a este
mercado.
RIA HA^IOHIA M. 5
Otaria do Fundao.
Ha sempre nesta otaria grande sortimento de
materiaes, como tijolos de alvenaria batida, ladri-
Iho, quadrado de 8, 9 e mais pollegada, telha e
telhdes tijoloa de tapamentos. O pmprietano des-
ta olaria garante a bondade e barro do taes mate
riae<, comottmbem vede-se mais barato do que
em ontra gnalquer parte.___________________
Anda est fgido o Jos-col. esclavo da pada;
ria alleina da ra do Lima, em Santo Amaro, <
mnito couliecido por ter vendido pao de ielti u ler
o braco esquerdo corlado, crionfo. .36' anno de
idade e multas veie* cobre o defeito do brac?' con)
nm panno qualipier. toma cachai;a c falla Bastante.
Protesta-se entra quem u Uver em seu p id. r ; e
a posoa i|ue o qneira capturar sera rewmpcn-
sada. __________
Negra fgida
Apolinaria, crioula, representa 40 annos, c.-ia-
tura regular, andar vagaroso, mnito feia pelas
muitas marcas de bexigas na cara, aapeeialR ci-
o narir, levou vfstido de chita rxa, camisas c
saias, sendo urna de algodao azul, e panuj da Cos-
a fino com listras encarnadas : quem a pegar
leve-a ao Arraial, sitio do Porto, ou loja n. 4t,
na esquina da ra da Madre de Dos, que sera
recompensado.
Da-se 50|000 de gratiticn-
Fugio no da 29 do prximo pausado mez a es-
crava de nomo Dertoleza, idade 23 anuos, pouco
mais ou menos, cor parda, cabellos carapinnos.
pernas grossas, ps seceos, dedos dos pea e das
inaus eompridos, seio pequea, bei^os grossos,
bocea regular, anda muito ligeiro. bem fallante,
levou ve tido cabecao oc labyrtntbo e saialambeni,
ambosjirancos, tem um signa! de um uitniz na
nuca, do lado direito ou eaquerdo : roga-se, por-
tauto, as autoridades policiaes e capilacs Je cam
po a appretiensao da mesma, e leva-la ao Reme-
dio, casa do abaixo assignado.
Antonio Menelles Cordeiro Je Guamo.
Fugio ha das Jo mez praximo passado, dj
engenho Forno da Cal, oa dous eseravos, Vidal,
prcto crioulo, ilaie 40annos, pouco mais ou me-
nos, de estatura regalar, tem barba .-errada, des-
contla-se andar por floianna, visto ter ria do en-
genho Jacar ; e Raywwdo, cabra, idade U an-
uos, pooco mais oa'menfls, tem-baniu figura e
ralla femenina : qjcm is pegar e lvalos ao en-
genho acuna, sera bem recompensa Jo.
No dia 9 do corrale mex fugio o n^gro Se-
bastiao. e custuma a mudar o nome para Benedic-
1o Jos de Sant'Anua, com os signaos seguintes. :
haixo e cheio do corp-i, o-m marcas Je bexigas,
dna cicatrizes naa barrigas daa Bernas, e as co-
tas tambem cicatriz-. e tom urna ainda de Iresco
as distas ou sobre um dos hombros, ja pinta,
idade. 50 annos, pouco mais on menos, 6 mnfto re
grla : quem o pegar leve-o a Sea senhor ra
da Paz n. 13 cocbeira) quo ser recompensado.
Sagiinsag
muito bo* a M30 r. a UBra, e 80 rs. -de 10 libras
para a im; ua ra JHoW. 60, raflm da Liga cisee Antonio de Bi
Fugio no dia 8 Ai crrente mei de dezeni
bro de 1*69, do engenho diqni, fregueiia da Ev
cada, o cscravo Paulo, cabra, de idade 40 annos.
altura o corpo regulare*, barbado, cabolloa cara-
pinliiis, pellos o pernas bem cabelludas, cara com
m-rcas Je bexigas, ti-n marca de chirote pel-
roslas com carencias de queimaduras, vestid. >
calca dahriiii pardo, camisa
peVtde pajba de carnauba,
Luiz, m ^raaor nos A
cravo n.nlaer e filho *
Je gratiiicclft a ya** Bpren engcphu. pi
ii


*
ad


8
Diario de Pernambuco Terqa eira 14
COyJ *_______
de Dezembro de 1869.


CANAL IH fiBtZ.RucqMiWs no
jornaes da Europa as segumtes noticias
obre a abertaa* tWte canal, dos prece-
dentes e subsecuentes fados:
Os eccoa do Egypto e do canal de Suez
ihegam al os saloes parisienses, onde se
eoponi prodiflM das festas W que s5o
obsequiados a imperatriz Eugenia e es sao-
vidados estrangeiK. O vice-rei do Egypto
mandou ir de Pars urna verdadeira pha
O Dmri nfllrint do imperio 1
publica ootima-de Cairo-tle 2tkb o
dando ligaos formenoree sobre a
da impaaBlrfe tufen i a no Egyplo.
abrl&rfiieipAoqueallLtive. mj/tm
imperial Ajan*urou no porto de Adexat-
dria no dia 21 e o khedive aproseatoihse
imaaediatamenle a bordo para cmapriaen-
tar a S. M. a imperatriz, depois de terpir-
mauecido (tes horas no porto, passou para
urna lancha, e foi direeaaeneiestacodo
caminho de .ferro. Ao asesino tempo faz
saber colonia fraaceaa, que liaba oigm
veraaneira pna sado ama manifestago em sua honra, que
Ijfhge da wmiarav*fli*es. btciaos e--*- a rccebwia quando voltasse do Alio Egypto.
ras- drtanhr^-Estao fondeados qaareMa afsffia-fle-ieaarta, e- sobretodo a hora
tres navios no lago Tiimah. 1 adianlada da noute, qnando a ausencia pro
O America, do Lloyd, vapor de
^HP^W
stas, cojo total ete*a-se a 440 pessoas
As decoracoes a tragaataorrem paramas
4*
S. M. I. aiompaabada do vice-rei e des
ministros egypeaasahegoa no naeenwdiaSS,
cora o*nera e meiacmanlo doa artistas, a8 Cairo, e hoapedou-se no pateo, wan-
e eonta-sa.qa nacamente madama Barn,
da Paria, eotioupara o Egypto tragas par*
servirem na suena egipcia no alor de 7
tontos de res. .
Os bitas (labradores egypaioa), que
aadam quasi aa casa admirados ao
ver pessoaa lia beat vestidas !
Na Earopa paecisaaiaonps de seis ou
sete annos para edificar um theatro de Ope-
ra, mas no Cairo bastabas cinco mezes
para construir um de grandes dmensoes,
de pedra lawada, com columnas coryn-
iias. estarnas, etc.
A opera a a comedia slo exploradas
ftm noaae do kbedive po superintendente
de thealios, e o circoporque ha tambem
um circofoi cedido um emprozario, a
quem su da urna subvengan de 40 coulos
por seis mezes. 4,
As carias do Cairo dizem que no thea-
tro da opera epresentam <**! enev
n a Grar.-duqt**. SamelbaMes dispara-
tes a alguns kilmetros das Pyranndes! yae
diriam os antigs Pharas se podessem sabir
dos seus sepulcros I ___
A viagem a Suez nao deixara de exer-
cer a sua influencia as modas, diz urna
folha parisiense. Diversas elegantes j se
preparara para modificar os costumes oca-
entaes na mane-ira de pentear-aa. de ser-
virse do veo, de trazer a tnica, dedeco-
ar o corpo do vestido, etc, etc. O re-
gresso de Suez trar-ns-ha indubitaveluiente
inais de urna extravagancia, e os quadros
vivos, que certos saloes n5o deixaro ae
offerecer este overeo aos amadores da
boiicM phwtiM. oprfleAmaran Rwn ovilla
almees o odatiscas como na opera toinha
de Golconda. As muiheres de bom gosto
far3o bem em precaver-se contra o enthu-
siasmo dess innovages. Embora se ras-
pirem nos taages e adornos do Egypto e da
Turqua, mas nio se queiram -parecer a
esses coleccionadores que ainda collocam
crocodilos embalsamados, momias ou ovos
de abeslruz nos muzeos e gabinetes arts-
ticos. _"
Escrevem do Egypto a Patrie que o
aviso a vapor L'ciif chegou no da 3 do
torrente a Alexandria, tendo a seo bordo
os officiaes da esquadra franceza encarre-
gados de percorrer o canal martimo desde
Porto Said ale Suez e de estudar a sua hy-
drosraphia.
Pozeram-se bausas em Porto Said. u
}'3clu da imperatriz L'Atgle ter com o
Greif ya ht do imperador da Austria, o
jug-r be honra no ancoradouro. Qoapdo
se cffccloar a passagem pelo canal, o Aigle
ir na fenle, segundo os desej s do impe-
rador da Austria, que quer ter esta die-
renca com a soberaua franceza.
A imperatriz devia ebegar hontem, 16, a
Alexaadria de regresso da sua excurslo ao
alto Brolla, .Algumas horas depois o
Aigk oe'via apparelhar para se dirigir a
Porto-Said.
As ceremonias relativas inaugurado do
canal martimo teem lugar hoje e amanhaa.
No dia 19 pela manhaa o Aigle sahir de
Porto-Said com destino a Tol5o, onde a im-
peratriz pas.ar o dia 26 do correte para
assislir queda n'agua da nova fragata
eouracada Jfara?;/o.,.quc considerada
como um dos melliores typos do navio de
comba e.
Para fer-se idea das despezas que
causa ao vice-rei do Egypto a inauguraco
do canal de Suez, basta ler urna carta es-
cripia por um arlisla da companhia de ope-
ra contrallada pelo khedive.
O vice-rei d habitado a todos os seus
convidados, pagando-a a razao de 63 fran-
cos diarios. Um aposento mediano custa
1,200 francos por mez. Os professores
de orebesta e o pessoal de coros e baile
esto abitarlos custa do khedive em casas
que fes mobifer caivenientemente.
Alm disso o vice-rei fez comprar na
Europa in.mensas provises de manteiga.
macan oes, vegetaes seceos, vinho, azeit',
vinagre e outros. gneros, e cede-os a todos
os escriturados pelo custo de coopra e
transporte.
O Cairo pequeo paro tantos forastei
ros como esto esperando, e as vspe-
ras da inaugurado do islhmo ser impossi-
vel encontrar quarto por menos de 100 fran-
cos diarios.
Noticias do Cairo de 4 de outubro,
annnnciam qu foi destruido por um incen-
dio o theatro da Opera, precisamente no
momento em que o vice-rei do Egypto fazia
as huirs do seu camarote duqueza de
Aosle.
Representava-se o RignleUo e nao se tinha
poupado nem luxo nem despezas par'a obter
um brilhante resultado.
O incendio declarou-se durante o segundo.
acto e proiltiziu urna coufusao espantosa, da
.|ual resullaram algumas d^ragas pes-
soaes, posto que de puuca gravioade.
O ibeatro. passadas poucas horas, era-um
nontao de Maaa.
/ imperatri? dos franeczes presencou no
Alto Egypto um dos mais bellos espectcu-
los que pode contemplar a vista humana,
a cheia e espraianaento do Nilo.
Precisarm-nle este anno o anligo Osiris
quiz dar um* alta idea deste phenomeno.
As aguas elevtfam-se altura de doze me-
tros, cousa nao vista ha muitos annos.
Com.tudo 5a houve desgranas a lameg-
ar, graca s grandes procaucoes tomadas
ielas autoridaiss para desviar as aguas do
rio das cidades e aldeas.
Os convidados do virc-rei do Egypoto
devem visiur na sua viagem do Nilo as
grutas de Eletbya, situadas na margen di-[que apoiaraa pelicao.
leila do rio, mais alias que Tbebas, Her-
montia e Litp lis, e a m-sio caaiiobo de
AppollinopeHe.
Sao duas as grutas. As suas paredes
esli ornadas de jjinlura no esiylo dos egyp
cias. Nwtas ptaturus tiguraiu parto de 200
* personagen9 fe 25 centimetros da altura.
As pinturas principaes repfesentam : a
lavra. asemsateira, a colheita, a vindima,
a faWicaco do vinbo. a patea a caca, o
wnwercio, a navegafo, k, etc. .
seh, sendo victoriada entnusiastwnaeatc
quando passou pelo consulado fratces* A'
noute sahio a imparatriz com o khedive em
carroagem descoberta, e paiwrnaacaajaidn-
cipaes roas do Cairo, que eslava<%*aa-
temente illuminadas.
Na manh5a de 23 visiloa a imperatriz o
museo Boulaq, as mosquitas e a cidadalla.
A' noute tomou parte n'um banquete qae
deu em sua honra a princea mii no pate-
cio da Kasr-el-Ali.
Na manh3a seguinte, domingo, um dos
padres ia Terra Santa celebro missa as
habitarles do palacio de Gberiseh, a 4 aoute
a imperariz assistio no harem da ^pinoeza
m5i ioda de um dos officiaes de S. A.
Na segundafeira 23 a imperatriz foi a
Matarieh e quando voltea desta excursSo
demorou-se algum tempo no palacio do Es-
No dia 16 S- AKfcartio para o Alto Egyp-
to oade leneioaava demorarse alguns das.
O celebre emir Abd-et-Kader, a quem a
imperatriz fez saber que desejava vebo as-
sislir inauguracSo do canal de Suez apres-
sou-se em aeceitar este benvolo comit.
Escrevem de Beyroulh que Abd-et-Kader,
julgando-se feliz por ter oceasiao de olere-
cer imperatriz um novo tributo do seu
resfieito, tinha embarcado no dk) 20 de ou-
tubro para Alexandria.
Acerca da inauguragito foram rece-
bidos em Pars os segnintes telegram-
mes :
t Port-Said 17 de novembro, pela ma-
nilla. Monten, aa.3 horas da tarde, *im-
porutrin ohogou o Por^Soid- ** recet>kia
no caes pelo khedive. A imperatriz, o khe-
dive, o imperador da Austria, o principe
da Prussia e grande numero de convidados
pertencentes a todas as naces assistiram
a ceremonia religiosa o a beng,5o do canal
em presenga de urna immensa mullido.
Pr nuncaram-se varios discursos. Hoje o
Aguia e os outros navios pariem para 1s-
mailia.
Ismailia 17 de novenmbro aa6 horas
da tarde.Depois de urna viagem-muito fe-
liz, entroa em Ismailia a imperatriz Euge-
nia a bordo do yacht imperial Agttia que
era seguido pelos yachis do imperador da
Austria e dos principes da Prussia e da
llollanda. Seguiam-se depois os vapores
que condoziam os embaixadores das po-
tencias eslrangeiras em Constanaopla e
outros personag^ns, que finan parte da co-
mitiva dos soberanos.
Actualmente contam-se oito navion-he-
gados de Puri-Said a Ismailia. Ontros mais
eslo em viagem.
Alm disto, tres cheganm de Suez,
sendo um delles egypcio, um fraacez e um
mgiez.
O khedive, a bordo do seu yaclit.
tinha aqu precedido os seus hospedes.
A cidade est de gala. A cliegada
dos augustos viajantes foi saudada por una
illuminagno .geral e por um fogo de art-
llelo.
O khedive visitou de nonte a cidade.
em carro de.-cobi-rto. e acompanhado por
seu lillio o principe herdeiro.
Isnnilia 17 de invernar, as 8 horas
e 15 minutos da tarde, \a Malta.O Aguia
tendo a mperatriz a bordo, fundeou no la-
go Tiinsah.
< Os navios do impera lor da Austria,
do principe real da Prussia e do principe
Henriqne dos Paizes Baixos chegaram igual-
m uto em fenle de Isin tilia.
i Lodos estes navios foram saudados a
sua i bogada pelo aviso Salamandra e pir
tres navios de guerra gypcios viudos do
mar Vermellio.
i Ismailia 18 de novembro.Hontem a
noule leve lugar o banquete uficreeido pe-
lo senhur de Lesseps os membYos docpn-
gresso comni'ivial, s camiras de rrom-
niercio e aos adininistradori's do canal de
Suez.
O senlior de Lesseps pronuaciou una
diseurio, diaaado que a obra do canal el8
teiminada, mas que neessario, pra a
'l.'scuvolver, regularisar a adm nislrau') da
jtuliea que, em virtude das differenios ju
Vis iigo exislentes, 6 q.iasi nu'la nd
Egypta
c O senlior de Lesseps disse que urna
grande parte dos recursos da companhia
eaa paralysada pelo actual e.stadc de cou-
sas que o goveruo egyp io qn^ria reformar
de acord com as .potencias, mas que com
pesar devia conlessar que era o governo
fraucez que oppunlia mais vi va/sis tercia
a estas reformas to necessaria a conpat
nhia. aos estrangeiros residentes^ ni
Egypto, bem como a pjpalagj *iodi-
gena.
O senlior de Lesseps atrescentou que
oxoiisellw de aduiiiiisiit t das companhia
dio aprcsentur Urna peii(jSqi*ao governo
Irancez para Ibe supplicar quffto so op-
ponlia ao projeete do governo egypcio,
jue dava garantas muloss a todo o
mundo.
Disse que, tendo-se j pronunciad"
em favor deste projecio o membros do
cbngrcss, os reunir com os outros mem-
bi'"8 das cmaras de commercio- para du-
ren mais forra a petigao, pelo asstnlimcn-
to^stodos oameinbros pr0penti% tolos
interessados no des iivolvirnente ^taaegn-
ranca do comnercio.
Este discurso foi acollado com de
raonstracui'S unnimes do approvagJio po:
todas as possoas presentes. O presiden
da companhia do Lloyd austraco respo
de 62 pos de comprinpqfr
te at as o
senga de A
inheiros noiawae urna grawl
dopovo. ^^
Toda a gente cstf *
dado da passagem
Ismailia 18 d
Iriz depois de ter ampp
Aguia, dirigio-seAcavallia ET-Ga
par hada do priqpfa fcesdeiro do
8. M. fui alli eritrwsiaitwmeaw ^cW^
pel populagSo. ."nalnJ
t As quatro horas a imperatriz aOJuna
eezrjs e o imperador da Austria deram um
passeio pela cidade enjarro descoberto.
Eram seguidos pelo khlt^a, K^KI ff!*8.
da Prussia e de Hollania^pariantoa *r- encema a i
soagcas, da distincrtKr; A-s+reps^cpa* ia da^iWMs aa
formavam alas.
marido e de seu filho Cus
ji inspirado "algumas ap
o va-
Idos com
Os qnaes
_____ _^Mi da ospeca agao
Hnios fallar das
P mandadas de
iprnin, dasprtsTi.'s
etc.
&te horrili P^ito vo
comocir, o dk-sa 06 Troppmm
hera o seu d:f*mf.
~~ Direito:
Troppman n3o fez declarado alguma
r occasio dos interrogatorios que Ihe
z Mr. Oouat d'Aitd; porm. depois de
strtiar^iv minifeston desejo
pfcanft*, pedindo para ser
tevado a Alsaeia, ala de dar indicagoes
Mino da Italii. ofb especial,
t Ha alm *> OJ bispos flarlencentes o pitysWoaiati ^aoria lar durante
Franga e mk wiJfcfcggfll>iipil' quinto tempo um shaora^o oV vida p de-
suas colonias, e 27 a Portugal, sommindo a serassimentretirtoartiilcialraente. (fran-
ao todo 439 prelados de pura raga latina,- de f() Sua adrairagao quando vio que, no
Hoie as dtms horas ja Iravis qaareata' -neeassarias para a descobarta do cadver
* a -- a L I a 9 ^ 1T .>a Ir D. \ ^ n ,"\ rt flilVIM i il O l! 1 m lili
Ismailia 18 de novembro, nsj$
20 minutos du munliaa. A entrada dosn;
vi .8 as aguas de Ismailia foi magnili
e execulouse erar, muita felicidads
< O-canal est por toda a parle em
condicoes de profundidadc.
Trila ajurenla navios es!3o nes-*
te momento fondeados no lago Tiaaaak
< A n^ajiha pela manba ter lagar
partida para-Suez.
IsauMia 18 de novanbcoi as duas *
e cioco navios ancorados no lago Timsah.
t Ismailia 19 de noyenroro as O horas
da-mpnhaa. Tbij aesqrracrabiwugiTra-
ig5o do canal de 9tiez, tendo a-jtw ^frente o
yacht imperial francs 'Apata. lawnW* fer-
ro esta tarde para ir fundear lj sl0
era frente do pharol Sol do -lagos Amar-
gos, e .tmanhaa de raanbaa no ttar Verrae-
Kabrelt 19 de novembro as 6-horas da
tarde.Hoje as 4 horas e meia, o Agola
e a esquadra de inaugoraejo do mal de
Suez fundearam em frente do pharol sol,
nos lagos Amargos.'
Urna fcflia estrangeira refere do se-
guate modo a origeai do casamento doho-
mem a quem se deN'e o corte do istbia Se
Suez.
Urna noute estava Fernando de IJesseps
em casa de seu fHio em companhia de di-
versas senhoras amigas da esposa dwteul
timo, entre as quaes se centava a sympathi-
ica crooula da Itha Mauricia, hojo Madanc
de Lesseps.
Recebeu-se alli urna quantidade de ro-
sas de Jeric, as quaes d5o grande valor as
muiheres, pois, segundodrzem, entre ou-
tras virtudes tcem a de conceder o que se
deseja, se ao po-1as em agua se abrem pas-
sa Jos poucos instantes.
Lesspps pegn as rosas reprtio-.as
pelas senhoras; estas apressaram-sea col-
Ioca-Ias em copos cheios deagaa. Passa-
ram alguns instantes, as rosas abriram se,
s ama ficou fecliada era a da bella
creoula.
Resentida a filha-dos trpicos, que tinha
pedido a flor, Deus sabe aaotas cousas,
pegou na rosa, e dirigindo-se a Lesseps
queixou-se amargamente da sua m sorte.
Lesseps respond(T*4he :
Senbora, nao tenho culpa de que
essa rosa se nao abrisse, porem d'rzei-ne
o que desejaes e eu procurarei fazer quan-
to em mim caftia para que 6queis satis-
feita.
Peis bem, desejo o^ue vos quizerdos
responden a doraella.
oero ser vosso esposoreplicn Fer-
nando de Lesseps.
E hoje a bella creoala fi dnquera de
Suez.
CRIME DE PANTIM.Sobre este facto
e o processo do autor, exlrahimos dos jor-
naes da Earopa os segointes lieclios :
L-se na folha parisiense a Opinia Na-
donar:
t Sabemos de origem que temos razoes
para julgar be.n informada, que o miseravel
assassino de-Pantin, instado com perguntis
e tah'ez cansado de solfrer as terriveis ac-
cusages qnj pesam sobre elle, se decidi a
fazer revelagoes completas.
i E' elle o nico culpado.
Eis pouco mais ou menos a narraeo
que elle fez da horrivel carnificina :
Depois de ter assassinado Kinek pai a
2o de agosto, n'uraa planicie prximo de
Guebwiller, o de o ter enterrado em um
sitio que indicou, Troppman tratou de des-
fazer-se do filho mais vellio, que, como
sabido, tinha, pelas falsas indicacoes delle,
do reclamar ao corroio de (iuebwiller urna
ord^m de o:0)0 francos, mandada por
madame Kinck a seu marido.
Gustavo Kinck voltou a I'aris, foi cba-
madi a P^ntin e assassinado dous das an-
tes de sua mi, n alguns passos da cov que
devia em breve servir de sepultura a toda
sua familia.
* Finalmente, no dia 20 do setembro,
depois de ter feito os seus preparativo.-.,
Troppman conduzio a Pantin em um carro
de altiguer a familia Kinck. Tendo che-ga-
do ao Caminho Verde, fez apear madanv
Kinck, sua filha c o filho mais novo, e to-
rios quatro depois de terem passado as
ultimas casas que orlara essa avenida es-
treita, sinuosa e de hoje em diante sinlstra.
chegaram planicie.
A cova tinha sido feita n'uma-corva
do t-rreno milito pouco saliente, mis o
bastante para que, da estrada de Aubervil-
liers, nao se portease fcilmente distinguir
o que se passava. O cirro ficou no cami-
nho-Verde e as encruzdhadas do oaminho
impediam que o cocheire suspeitasse du
lerrivel crime que ji commetter se a 50Q
metros de dijtaicftrr
Troppman* precipitoa-se como o raio
sobre a menina, que crivou de facadas,
daitandoa em seguida ainda convida
cova; depois arrojeo se sobre a m6ir.com a
pial travou urna pequea lula, luta tan'o
mais lerrivel, que, segundo as indicares
do assassno que nos firam ministradas por
pessoa fide nha agarrado ao vestido de madanaifcinck
e dava gritos dilacerantes (de certa os que
foram ouvidos pelo velho de ama fabrica
atoada as proximidades). +
Nio lardaram a cessar os gritos a o
assassno, proseguindo na sua ebra, apres-
sou-se a ir buscar o mais veltoo e os dous
mais novos, que tinham Ucado no antro e
que de nada suspeilavam.
t Os tres jovens dirigiram-se para a co-
. 4a
dadas e caminhando.^ fniftl
ovos^iante e o mais velhoal^
degolou os outros do
a distancia de mi* ajgiios. passos j1
vijltandft ao mais velho, que anda i
gins slwm, de vida, acabon dte d matar
>iMl.
t 3 auto Hporpo.de deH<> dirn sen
duvida todas aa aacUraeineotos des^a
nra os,paetextoa fee Troppmao. toaw|
ara fazer vir urna mii e seos filhos a um
a
de Jo5o Kia*. Responderam-lhe que. no
estado da hrformacao, nao se jolgava neces-
sario acattar o sen pedido, ao menos em-
qmato no foste aneontrado o cada**r de
Knek, acci mmmn ^lar alguns escrarwnTOntos sobre o modo
como o crina traba sido praticee e a res-
"pefto do logar om que o cadver tinha
sido enterrado, poda dar todas as cxplica-
C033 que julgasse convenientes.
Troppman declarou que depois de ter
levao Joao Kffck ae engao ao campo,
parto da aldeia de Horenfluch, o convidara
a descansar alguns instantes e lhe offerece-
ra ama ponca de agaardente que tinha le-
vado n'oraa garrafa. Quasi no mesmo
instante em qae Joao Kinck chegava a gar-
rafa aos labios, caba fulminado. Tropp-
man diz que tinha misturado acido prussioo
na aguntente. Alm disto fez urna planta,
inaicando o lugar om que segundo elle de-
clara, Joao Kinck suc urabio o foi enter-
rado. A cova em qae elle diz ter sido
langado o corpo de ve ficar na extremidade
de urna raatta, a alguns metros de um des
penhadeiro.
Eslas explicaces sero sinceras ? Ha
motivo para o dnvidar, porqu-j ellas s f-
ram dadas depois que Troppman soube do
despacho que o remetteu para o ministerio
publico. Esta noticia impressonon-o pro-
fundamente e 6 provavel que o seu fim te-
nha sido ou retardar a mar ha da informar
gao oo crear algumas contigencias de eva-
s3o.
c" EsU dupla aspranei nao se pode
realisar, porque se, pelas ndicacoas dadas
por Troppman, se fizerem algumas inves-
tigagoes, estas nao retarda rao um dia a so-
lugao do processo, solacio que prxima-
mente deve vawficar-se.
Esperav-se que esta causa poderia
ser jukjada na segunda quinzena deste mez,
porm parece que nao ser possivel salis-
Uiev a indas as formalidades indispensaveis
dentro do lempo necessario para que Tropp-
man seja julgado no decurso da segunda
seesio de novembrou
L-ae no Jnrnal de Amiens :
Recebemos a visUa-de um carpinteiro
dos a'rrahalrles de Ami *ns que se jnbja
mais bm informado du que nioguem, e
que i dirigi ao procurador imperial, para
Paris, tambem a sua versao a respeto do
assassinato de Joo Kinck. Eis essa
verso, sob a exclusiva responsabilidade
de seu aator :
Jo3o Kinr k foi assassinado por dous
curaplices de Troppman, um casado, de
idade de trinta e tres annos,, louro, com
dous dentes falhos da frente; o outro, de
vinte e nove annos, alto e trigueiro. Este
devee tar a esta hora preso em Brnxellas,
onde fei capturado como vadio; o pri-
meiro' refugiou-se na Prussia.
Troppman, tendo levado Jo3o Kinck
a Mons, condnzio-o em seguida a urna
cidadf prxima, onde se juntou com os
seus dous companheiros, que de ante-mao
liuliira preparado urna cova, como (na
tarde Troppman fez em Pantin. Joo
Kinck, embriagado por Troppman, foi con-
duzi lo sem desconfiar de nada tora da
calarte e assassinado entre as onze e as
doze horas da noute de 9 para 1T de se-
lembro.
Depois de o ferrem com nove facadas,
tiraram-lhe os objectos e valores que trazia
oomsigo ; porem 1 -ve ainda encontrar-se-
iho n'um dos bolsos 'orna carta de sua
mulher.
O carpinteiro de Amiens dirigi ao
Drocurador imperial do Paris os esclarcci-
raentos que acabam de ler-se, porem
milito mais circumsladciados. Nao tendo
ainda recebirto resposta, escretfeu oatra
caria, na qual pede para ser confrontrado
com Troppman e conduzido a Blgica, ao
lujar que indicou.
L-se no Patfs :
O delegado do ministerio publico juolo
do tribunal imperial de Paris acaba de
ordenar que se proceda a urna instruegao
suppleinentar no processo de Troppman.
Esta instruegao supplementar, "que
motivada peas explicagoes fornecidas por
Troppman, Wr piovavelmente por couse-
quencia adiar os dbiles d'este dramtico
precesso para a sesso da segunda quin-
zena de dezmbro.
Troppman, cimpletando as suas ul-
timts revelagos. deciarou que, vendo-se
c mpromettido ia diz AfflrffiU que abrir a.-ascovas para as
suas victimas ; que envenenara e enter-
rara Kinck pai no dia 25 do agosto, cineu
das antes da reclaai3c3o por olio feita na
adminwtracao do correio de Guebwiller
da caita qa,onlint)a a ordem de 5:U0
francos, frifAi por Mme. Kinck a seu
marido ; finalmente que assassinara Gustavo
Kinck na noute de 17 para l de selemr
bro, isto dous das antes dos assassina-
tos das seis ultimas victimas.
c O criminoso fez mo, plano du sitio
onde ii ter matado a-:entorrada Kiovk
pai. <
-..
trafca/di Correspondencia de Roma alguns
dados interessantes, relativos ao prximo
conaflk) ^fecuoVwco ^| | *x
, tornero da prlalotAveados do
iraa da tonar lugar "no plio Jo Va-
);anp e que ceceberam o aceitaram como
o coijy|e dpnapa, nio nlenoi%l
segundo parece, a 999. tTestes qj muitos
qo an s6 bjspos ia pnrtftns. |)s que
raHei"cam, o romlsterio pastgeal.e rtrainis+
mm dtacat ia essaem a 106, dos
dtf' *) araabispos 431"* bispos
dps.pdn.iaa rteior
au aaaaraawca. resul'
que urna tenja pSrte
pertencentes s J, Europa, ees quaes sai
deve accresecntip como afos a elles, 9i
arceblspos e bisffes dos diferentes eltados
hespanboes e portuguees da America
(Mxico. Brasil, Aera, Chile, repblica Ar-
gentina, etc.,) que etevam o aunSrd prelados latinos do concilio a 520 isto ,
mais de duas tergaa paites de tedjh> epis-
copado activo.
t Em contraposigao d'esse consideravel
numero, asraoas altemes oh sem-aliemies
8 podem apresentar 22 prelados da Afle-
manha, 52 da Austria, 5 da llollanda, 6 da
Blgica e 5 da Swsta, ao tado- O prela-
dos.
< D Inglaterra, Irlanda e colonias bri-
tannicas esperam-se 69 prelados, e estes
com 55 dos Estados-Unidos constituirio
o que peder chamar-se o elemento anglo-
saxonico. O Oriepte enva 33 prelados da
Russia, Grecia, Turqiia e Persia.
O Times observa que como dos bispos
inpari-ibus nio auos sao italianos, addi-
des cmara ae Sua Santidade, aa que
rlesempenham altos cargas e dignidades nos
dominios pontificios, resulta qne os pre-
lados de raga latina estarlo a respeite
dos das outras ragas na propor$ao de
tres para um.
fat de daas iMnniinaqHw rrapMa-ain
b a iafliienciiHa nfttm elcc-
0 CORRER) NA HOLLANDA.Aqoi vSo
algumas notieias acerca das operages do
rjorreio nos Paizes Batios.
O numero das cartas expedidas do inte-
rior para o interior subi, em 1851, a...
8.552:000; em 1885, a 11,7 1:000; em
1867, a 20,784:000; em 18G8, a.......
21,092:00.
Durante esses mesmos annos, as cartas
trocadas cora o estrangeiro sabiram a-----
2,268:000 a 3,071:000. a 6.05:000 e a
6,385:000.
Sobre 234 cartas ha urna que nio che-
gou ao seu destino.
As rendas do correio subiram, em 1848,
a 1,350:000 Horras ; em 1808, a 2,460:000
florins.
O numero dos empregados da admiras-
tragSo dos correios de 2:768, nio con-
tando os supranumerarios.
As despezas subiram em 1849, a......
479:000 florins, em 1868, aproximativa-
mente a 1,305:000 florins.
0 saldo era de 871:000 florins em 1849,
e o de 1,155:000 em 1868.
NOVA SOCIEDADE. Est a fundar-se
em Londres urna singular sociedade.
Tcm havido ltimamente queixas contra
as violencias praticadas pela polica as
ras contra os cidadaos. Decidise que
para remediar esse estado de coasas se or-
ganisasse urna sociedade encarregada de
vigiar os movimrntos dps policimcn e citar
perante os tribunaes todos os que ultra-
passassem as suas atlribuiges.
Trabalhase com rnuito ardor na funda-
gao desta nova, associagio, e provavel
que, dentro de algumas semanas", tenha-
mos urna Society for tbe Protection ofthe
subjecl against tho violence of the plice.
CONGBESSO SINGULAR. Falla-se de
um congresso do bello sexo inglez, com o
fim de applicar algum remedio a diminui-
co progressiva da especie masculina no
reino Unido.
O facto que os estatisticos inglezes es-
li mpressionados com o excesso da po-
pulagao feminina.
Sobre 100 muiheres do Reino-Unido, com
20 annos de idade, 55 s.i casadas, 13 viu-
vas e 32 solteiras. De tres milhoes de
muiheres de 2 a 24 annns, na Inglaterra e
no pai/. de Galles, 1,248.000 esto sol-
te i rao.
da dnrav* sol
Wto, Wmifi&WGrW&a tetaWP^aer-
ta regularidad; opulao nata frasamente,
mas de naneira seasivef. Continuou-se a
experteoa sem (hscanff).
Depois de 72 horaa reconheceu-se, com
espanto, manUesU traliamo da circnlagao,
(t conacava a operawt as beradas da
secgao. Um pouco mais tarde, signaes do
vida manifettaram-^o espontneamente na
cabega e nos membaos, at entio privados
de movimento. Foi nessa occasio que o
director da prisao, enirando pela primeira
vez na sala da experiencia, vio qne, por erro
singular devido .pretpilacio occasionada
pelas exigencias da propria operago, a ca-
bega de Carines fra tomada pela de A-veiro
e collocada no corpo deste. Todava cant-
nuou se.
Tres dias depois, os movimentos respi-
ratorios restabeleceram-se por si mosma,
pdese suspender o eroprego da eleciri'l-
dade.
ODr. Lourcngo do Carmo e seus aj-
dantes eslavam espantados, assustados, coai
to inesperado resultado e cora a forea da-
quelle agcnle que em suasmios restatiele-
cra a vida n'um corpo a que a lei tirara o
direito de existir.
" O sabio cirargiSo, qae nio Uvera em
vistas senio urna simples experiencia de
physiologia, empregoo toda sua habrtidade
para continuar aquella obra que a seieoeia,
contra toda especlativa, auxiliada pela na-
tnreza, havu singularmente comegad. ka~
xiflou o trabalho da cicalrisago, que conv
pietouse as mais favoraveis condices;
por meio de uma sonda sophagiana foram
introduzidos alimentos liqodos no esto-
VARIEDADE
anas petas
A imprensa americana inventou as petas
conhecidis no mundu jornalisiico com a
denominagao de cananU Parece, porm,
que as folhas francezas tem aperfeiroailo
esse genero de noticias, a ponto. de sahi
rem inelhor os discpulos'do que os mes-
tres. *
O peridico francez Xes' AwHarVs de la
medicine et de la cirurgir (tragfre, titulo
qae devia incluil-o no numero das publica-
goes >rias, n3o hesitou em dar a seguinte
ii o A fSde abril de 1868 houve na cad\i
de Villa Rica (provincia de Minas Geraes) no
Brasil, uma dupla execncSo capital; a dos
chamados A*eiro e Carines. No Brasil as
excnces sSo feitas a portas fechadas, no
interior da priso.
0 Dr. L.urengo do Carmo, do Rio de
Janeiro, m i lo conhecido dos sabios por
seus notaveis trabalhos sobre a electrici-
dade opplicada physiologia., sua habilida-
de como cirfrgio e seus triuraphos as
operages de autoplasiia, Iembrun-se eleve
autorisago para prevalecer-se daquella cir-
cumstancia aft de verificar experimeiital-
menie o podepda electricidade e demons-
trar sua analoga com alguns phenomenos
da vida.
At enlo, as numerosas experiencias
teutadas sob estas vistas haviam sido feitas
na cabega e no tronco isoladamonte; o Dr.
Lourengo do Carmo ramaginou. renovar a
experiencia reunindo-os.'
t As cabocas dos dous condemnados ca
hiram enm curto intervallo no mesmocesto;
a de Carines primeiro, dr^iois a de Aveiro.
Irftmediatam'nte em seguida segunda exe-
crado, om dos alumnos que ajndavam o Dr.
Lourenco comprimi as arterias cartidas^
de Aveiro para estancar a hemorrhagia ;
sendo eotao depositado o corpo i um lei-
to preparad i com antecedencia. Tendo um
dos ajudantes apanbado com ardor uma das
cabegas, applltou a o Dr. Lourengo com a
raaior exactidio possivel na secgao e fes
com que fosse conservada nessa posig3o.
Os alveophorosde uma. pilha elctrica
poderosa foram appllcados base do pea-
cogo e no peito; sob esta influencia, vlo-se
Tmmediadamente, como as precedentes ex-,
periencias; ex cOtarem-se os moTjinentoR
rajriratorids. tontoo sangue que pener-t-
va em abnftdsnofe pela Wperfire 4a s*c-
klo na trcbeae nosbronebios corria risco
, MI de embaracar a entrtda do.tnijnliaNi't
No fim de cerca de tres mezes, aciea-
trisagao era completa ; os movimentos, pns-
to que ainda dlBceis, tornaram-se cada vei
mais ampios. Finalmente, passados seta
mezes e meio, Avetro-Carines prVlc levan-
ta^se e andar, experimentando apenas al-
guma dureza no pescoco e fraqneza nos
membros.
Que muito que a imprensa franceza es-
palhe deslas petas, impingindo as como pH*
sadas no Brasil, quando a respeto da pro-
pria Franca, isto da sua colonia de Argel,
appareceu no jornal Le Peuple Faancais, sob
o titulo r/ decapitado fallando, o seguinte
artigo assignado por um ofhVial do exer-
cito !
Senhor.Muitas discusses scientilkas
tem havido a respeto de degr>llados. para
saber-se se a morte instantnea. Seju!-
gardes que a seguinte vandica historia que,
segundo creio, nunca foi publicada, pode
ser agradavel aos vossos leilores, alti ella-
vai sem reflexoes.
Era em 1838, n'uma bella maiiha da
primavera. Eslava eu passeando no largo
do Pago, em Conslanlina (Algeria), com um
cirurgiao, quando vimos desembocar pela
ra daigreja soldados que gondnziam ao
quarlel do eommandante da praca L(m ara-
be ferido na cabega, e cujas mos arha-
vam-se slidamente amarradas atraz das
costas. Acom?anhamol-o. Meu compa-
nheiro separou-sc de mim para ir pensar o
ferido. No mesmo instante ouvi uma voz
grave chamar o sargento, portador da part>s
dada pelo ofcial de guarda no Bardo (guar-
da do rebanho); era a voz do general N-
grier ; elle fnraava, como ei seu costum-.
um charuto porta do palacio.
t Ora essa parte, de qae elle laman co-
nhecimento, reUtava qne pelas 11 h tras a
meia da noile fra dado um tiro do meio
do rebanho contra uma sentinella : qite o
sargento da guarda, guiado petoi signaes
qne lhe dera o ferido, pnzera-se e;n bisca
do criminoso, que foi perseguido e citiiado
no momento era que ia cscapar-se ; trazia
ainda a espingarda, que nao Uvera lempo
de tornar a carregar, e uma Mftft'h ira
bein recheada.
Demais, o culpado confessava o crime
e declarava que o commettera p >r odio aos
chrislaos.
O general iNgrior, cuja jusliga.e. a sem-
pre das mais expeditivas, mandou diz r ao
cirurgio que o ferido nao precisava mais
dos seus cuidados, e chamar Harada, s:n
chaouch, a quera ordenou que fosse ejecu-
tar o preso na porta da Brecha.
c Hamda passava ento pelo mais hbil
corta cabegas da provincia ; nao hav:a ex-
einplode que livesse jamis errarlo o^ I^e.
Acendendo o cachimbo, pot-se a .oantiQbo
cora o preso, escoltado por qiuo wlda-
dos, tendo o cuidado de gritar de ilisthcia
em distancia, conforme o n^o da poca:
Ala si, ada tr, oquo quer dizer: E*
a justiga.que passa.
Ao primeiro grito o preso comprehee-
deu qual era sua sorte ; de nwtefra ipn-
apressou-se em dizer ao chawch ; OU
caoitia (meu irmao) peco-te que nio erres
o golpe.
i Hamda, admirado de semellianfe re-
commendagao <(asi que suff-icon, MigoHn-
do mal urna baforada de fumo; di'pois en-
rliroitando sua elevada estatura, respondM-
Ihe : 0!i crouia (mea irmao) vejo qm s
i'strangeiro nesta provincia, porst qu> duvi-
das de minha destreza.
t Coniinuou-se a caminhar. aun rleda-
lo de ruasuihas, e o paciente sempre a re-
commoadar: Oh crwia, njk enes o
Olpe.
Finalmente, chogoa-se ao lugar fatal.
Hamda poz no chao o burnous e o cachim-
bo, mandn ajoeHiar o preso, tlrou o al-
phsnge e ia cortar a cabega, quando elle
{ritou : Oh crotiia por qaem e*. nao
er... Nao teve tempo d acabar. Hata-
da tinha j dado o gofpe, fazendO' mm> pi-
rueta. Esta vamos todos persflaifM&s de
que havia famado; e mais o atre#iAMaas
quando ouvimos o paciente exclamar: Ol
cromo, erraste.
Hamda que, segundo seu c
havia pausado a fainada df~
o labios, receioso de qne pe
pera, tornou-sa carmezin ; aats*/ rcadtfui-
rinflo deJpromptaseBisaflijaalrBii a9MM -
Cuspe!... e eatto o*ia aa*pca I
C. Quingl, cliefe de
mado.
^bSatlfiarrefit-

.
V,
M
k
x
j' 'iwi


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EG5XY5144_HICONZ INGEST_TIME 2013-09-14T04:32:02Z PACKAGE AA00011611_12017
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES