Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12015


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*
i'
ANUO XLV. NUMERO 283.
w

.*** t W1TA1 T TGAIES ffirB Ififir S ?tl POTO.
.........: : : ::.: fi*
"mmmn dem............... oI^XX
adaauaroavulso ............ i ^JSo
ODUU'
SAgBAD II DE DEZEMBRO DE 1869.
7111 DEITBO t FORA DA PHOTUCIA.
Por trs fiize afflantsd<*
Por seis ditos idem. .. i
Por no\ t ditos idem
Por uta anuo

Propriedade de Manoel Rguira de Faria & Filhos.
W4<> AGENTO:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves Wlhos, no Para; Goncalves d Pinto, no MranhSo; Josqmm Jte Se Olivefr, no Cear; Antobfo de Lemos raga, no Araeaty; #o*o Mara Jnlfo haTW, no Assfi; Antonio Marqnes da Silva, no Natal; Jo$*fci!fr
Pereira dAtmeA*, em Mamanguape; Antonio Aexandrfeb de Lima, naParabyba; Antonio Jos Genes, na Va da Penha; Belarmino dos Santos BtiteSb, em Santo Anfao; Domingo Jos da Costa Braga,
__________________^ m Nmreth: A*"* Tararos da Costa, em Ategas; Or. Rfertms Arres na Bahia, e Jos BJbeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
OFFTCIAL
=:
-v< rt d |wrTtete.
ontubrn de 1831 as eontas e balancn fle Sna recei-1 informeV. S. circomstandadamente sobre os aba-
t e *Hpeci no exercteio prximo fiado, beiu co- sos o violencias tribuidas, na sessao do sedado
o oreameoto d > ftcereieio de 1870 a 1871 que de ti de jtmho ultimo, as autoridades desla pro-
devem ser ansulmflnte apresenlados a asamblea' vincia durante a administrara 4&*Sr. conde de
lgwativa provincial, vindo acompanhades de urna. Baepetidy.
exposn
munei
tr AssKxwo-monuf. sn nn. MAmfct no
fcJTO M\OHAQO FOltKlXA, Vil
VE DA MWVI.\CU, E* t Ni *otuJwk48.
1* ser^4o.
3?. 76.Portara ao director do arsenal de guer-
ra.Em additamento o mea oficio de 2 do cor-
verte peca V. S. as suas or vis aflu de que
*j derembarcados, e rwet&Mas tos lugares
1 peteotes, os artigos befRco* eonsUntes ta 1.*
na 4o eonliecimento, e o ofllcio do director do ar-
t**\ 4 guerra da corte, juntos por copia, que
iaram da corte no brigue brasileiro Daino aeon-
iaaados cjin 162 volumes, segundo informa o
spector da alfandega, providenciando para que
(auto antes tenham o conveniente destino aquel-
' fe na i se destinara a esta provincia.
77.Dita ao corhmandante de Fernando.
5* Trac, seguir para esta capital -na I." occa-
ii cora a precisa segoranca, a ser aprsenla lo
'\9 Wr. ekee Ue polica o sentenciado M.iHoel Frail-
ase dos Santo, .que seiumto olleio do jatt.ftM-
:ir.ii \ Ja cumnlo a pena a que Coi eondertaad*.
V. 7SDita ao mesmo.Na primeira cppor'.u-
5 ie faca Vmc. regressar para esta capitel o te
sute do 8.a batalba o de infantaria da guarda na-
-ioca' ilfsie municipio Jos Antonio de Atbuquer-
.a^ Pedros, que est ahi destacado, visto nesta
at erpedir ordem a i comtnanJa'trte superior res-
ir,i ^ara f.rze-lo retirar.
V. 7s).Dita ao mesuro.Ex pega Vmc. a eon-
i'Ptes ordens para qae na 1.* occasiao opjn>r-
'.!\\ c com a seguran? precisa, reiressem para
i:>!(al a ser apresntad)S ao eliee de polica
i. nados Jos Lourenco da Silva (*) termo
j l''lieralm em Minas Geraes), Francisco de Pau-
-v, Hanoel loaquim de Millo (conhci'.ido por M i-
tel assa-vo), Jos de Barros de Albuquerifue
conheeido por los Sjbanga). Joao Fi-aacisco dos
-'a*l is ('onlu'ciJo i ir Joao Jficacio), Caeuao Al-
>!.i Silva, Joao Paieir d i SMv, Jos Lins
rarreira (conheeido por Jos do (arwo) e Al*noel
i?o Sant'Anni, que pele juiz munirlprt da 1 '
ira sao reqaisitados em oiD.-io de i dusirrent'.
.V. 89.DelH>raea>. O flce-presidmite di pro-
:-da ati'u l-'n o a o que requere Joao Fio da
seca, resolve conceder-llie licenea para ir ao
:re;Jo de Fcrnan-li n> priuuifo va';ur da Cim- asseml
r\,\3 Penumbucina que paraalli seguir.
' soccao.
'If. 8i.Portara ao Exm. Sr. presidente do tri-
vusal da relacao.Informe V. Exe. sobro o que
-;r \ inustn de Hollaada Chacn.
N. S3.Dita ao coininanlania superior interino
a guarda nacional do ReciteEspesa V. S. as
aa-. ordens NrJUt^WAliMIr' ^l"1,1'
lo <.* ^aMK^nlRHPnrwste m
Autoni'ide Albuquerqu; Pedrosa, que se
'ht destacado presidio de Fernando de N ro-
jha, independente de ser por outro substituido,
oslo como informa o comimnd inte d'aqnelle pre-
r>io serem precisas alli o* seus servais.
S. H,Dita ao juiz de direito do Limoeiro.
lm raposta ao flelo de V. S. de 10 do moz lin-
io, teniio a dizt-IIig que segundo informa o en-
chefe da reparlicio das obras pdbli-
li i o de 2 do crrente rao principiar os
s da enleia deesa villa, de que trata oseu
I 90.
'. Dita 11 Sr. J >- de Y.isconcellos.Ion-
scieacia, por.ntermcdio di cimmisso encar-
ie alforriar creancas nos termos da le4
[acial n. 833 de 23 de janho ultimo, de que
i. &. entregara a mesma eommiseio, a quantia de
[7Jf6Q0 producto de urna subsenpeo que pro-
ra, cono 'rrendo assim para que >e lib-jrtasstj
- una ereanea, cabe-mu agradecer e louvalo
esse acto.
H. 88.Dita ao labellio Portocarreiro.Tendo
acia, |i ir intermedio da commissao encarrega-
ial n. 883 de 2" de junho do Brrenle anno, de
V. 8. se preaMo coma maior proinptidio a
n'strar gratuitamente, confmno 9 sen otfereci-
.'..asent- ile li i> Tdal" d'a.|'ie!las crean-
b .i igradecer e toura-lo por esse acto,
V 88. Dita ao eommaa l.mte do eorp> provi-
e lit a Pi'> le Vine, engajar no corno sob
sen ominando, tendo para isso a necessaria
I le. ,,- paisan Anl mi Jo- de Oliveira,
lose il is Santos, Manoel d <. Vera Cruz e
Miguel dos Anj >s Pereira ais quaes se refere o
Befo n. io" Je i do corrate.
3' seeeei.
N. 9!). Portara ao inspector da tliesouraria
rineial. Kn vista do pret juntoom dupliesta
iac remtten o cimniulante sup'nor .do
le Santo lnth co-n ollieio de 23 de se-
, araultim i. minio V. *. li imdare pagar ao sar-
- ( ii i l) i ; i I is FrancUco d.is Ghagas, os venci-
h r-liti.'is ao mezde agosto deste auno dos
.-tardas ua-ionaes destacados na villa da E-cada.
'" II.tita ao inesmo.Nos termos de sua
: lo l- do correte sob n. 607, mande
a liantar mediante liaaca idnea, a pro
.a nojiL'.ilapar.i a cadeira de instrueco prima-
i i vill I. Buique, Domingas Paulina Ayres a
nlia d OD 5009 para llie descontada, n i?
i; is do ar. 23 da lei n. 598, da 13 de mato di
[861.
S. 91 Dita ao mesmo.Pode V. S. mster-
la sua informacao de i do corrente^ob
i i, m lar entregar a > lliesoureiro da irman-
lile de s Pedro desu cidade, Br. Franciseo Pe-
la Cruz Nev?, depo.s de prestar fianca ido-
t importancia que se acha recolhida a essa
ireria proveniente do beneficio da parte da
ra extraukla ltimamente a favor das obras
d(iaella igreja.
V 93.Dita ao inspector da alfandaga.Receb
ofiieios que vieram annexos ao que Vmc. me
ii boje sob n. 731, vindo da corte por nter
medio da mostr d> brigue brasileiro Biho
lanto aos volumes, que oonduzo o mencionado
lirigne, o a que se refere o seti citado efeto, o oi-
rector do arsenal di guerra tem ordenr para re-
eefiMos. _
N. 91.Dita ao chele da reparlicao das obras
publicas. Bemetto por copia ajVmc. para seu
^nhecimento, o incluso acto desta data pelo qual
resolv approvar do confo'rmidade com a sua infor-
aucao do SO d aetembro prximo findo, a direc-
io dus triluos urbanos desla cidade para a de
'Olina, como roquereu a resoecliva coiapanhia.
4." leccjki. .
U. -gs.Portaria ao tbesoureiro das telaras.
\ttend ailo ao que requereu a ordem 34e Nos-
qa'Sanhora do Carmo desta cidade e ao que iu-
ftrmou a thesouraria proyiocial em 2 do corren-
te, pode Vmc fazer extraWr de confcrraidad* com
a fita informacao de 37 de agaMo prximo 9Mo,
a parte que falta corrern comptetar a primeira
las loteras concedidas em beneficio das obras do
hospital da mesma ordem e de que trata o 13o do
irt. 62 di lei do ornamento vigente. -
H. *8.-)ita ao gerente da Companh INgatn
bgcaaaO Sr.gerente daCompanhla^rnatjwu-
,-at, inandedar urna pa-sagem de atado a re;
*tte primeim vapor que seguir para o norte ao
. prometer pnbMco f Comarca do AatuYfl .Toj
aecessidades mais urgentes do sjra!
aflm de ser tambem. presento aTQmma'
nm sna prxima ronnlao. Iguae3Tf<
demais cmaras da provincia.
BXP8DIE.NTK ASSIGN.VOO PELO SR. DR. JOAQUIX COR
REA OE ARACIO, SECRETARIO DO GOVERXO EJI i M
OOTUBRO DE 1869. "
i' seccao.
N. 97. Offlo-io ao commandante superior da
guarda -nacional de Santo Antao.Nesta data au-
lorisou-se a-thesouraria provincial pagar ae sar-
gento Doomdes Francisco da Cliagas os venci-
mentos constantes do ofllcio de V. S. datado do
23 de selembro ultimo, o qual fi'.a assim .iespon-
dido do ordem do Exm.
provincia.
N. 98.Dilo ao juiz municipal da 1' vara de3ta
cdade.X) Exm. Sr. vicepresidente da provincia
manda declarar a V. S., que nesta dala se expedio
ordem ao commandante do presidio da Fernando
de Noraoha para enviar pira esta capital os Set-
teaeiados de justiea do termo do Garanhuus* o
du d Uneraba, em Minas, de que tratam os seu
olTicioi di>sta data.
X. 99.Dito ao mesmo.0 Exm. Sr. vice-pre-
si lente da provincia, manda declarar a V. S. que
nesta data se expedio ordem ao commandante io
pre.'idio de Fernando, para remeUer para e.ta ca-
pital o seateneiada Manuel Francisco dos Santos,
que alinde o son odelo desta data.
N. 188. Bito a juiz municipal e interino e
direito do Bonito. -O Exm. SrWice presidente da
provincia manda declarar a V. S, que lcou.*i;
rado palo seu offlcio de 26 do m'ez flndo, d~er
flessa data assumido o exercicio das func$6es da
vara de direito dessa comarca uo impedimento do'
respectivo juiz.
3"seeco.
N. 101.O.'fieio ao inspector da thosonraoia de
N. 110.DU M commandante superior da
Suarda nacional do Cabo Tendo del
e com a pniposta do tenente-coron
(Jante do batalhao & 39, sobre que versa a sua in-
formago n 64, de 26 de jolho ultinw/bonttrado
para o referido batalhao os omciaes conmantes da
deliberacao Junta por copia, detaei de promover o
alferes 'andido Jos L^pcs do Miranda a lente da
8a conipanhia, por quanto nao consta da secreta-
ra do governo qne se tenha mndalo dar guia do
mudanca a Bernardino de Senna Teixclra Caval-
cante, que o exercicia, e acerca do que cumpre
que V. S. ministre as neessarias infonnacies. En-
tretanto esta exclusao jiao prejudica a nomeacao
Sr, vice-presideate ffajde Joao Francisco do Reg Barros, que para
preenclier a vaga de alferes existente na referida
cia manda declarar a V. S. para os fins convenientes
do faada. Recontmendo a V. 8V en vista dos
pret Bominaes jimios em duplksiu mande Ik/ui-
dar os vencimentos relativos aus mezes de jaldo e
agosto :(te'1867, dos guardas nacionaos do municio
de CinfMKV, que destoca rain para a povoacao de
AfogadiKi.no termo de Inzazeira, o levar a sua
0 ao quadro da divida do exercicio j
Je 1867 a 1868, almi de ser paga- a \n-
toniofeasoa a Siqueira Cavatcanti conforme so-
liCitou^'eomiHuiidante superior do municipio do
Brejo em otllvfe de 27 de seembr> ultimo sol) n.
#2 '|ua*io fr volado o necessario crdito
N IW.Dita ao mesmo.Accuso ecebido o
oOJflirijb 2 do eorrente sob n. me patoeipon ha-ver Pedro Jos de Siqueira arre-
matada, por 76i as podras do nlvenaria e canta-
ra, de te.traa o-citado ofllcio, e em resposta lo-
nho a dfier que sendo muito diminuto o precu da
arremaMe mande p^r novamente e:n praca as
mencioMias pedras.
N. lit. Dita ao mesmo. Declarando me o
3a companhia por ter sido Jo3o Clirysosthomo de'"Exm. Sr. ministro da guerra por aviso de 16-de
Senna promovido a teueuta do batalhao n. Si por
.deliberacao de 20 de marco de 1868. O que com-
munico a V. S. para seu conhecimento e direc-
9o.
N. 117.Dita ao mesmo. Tenia de conl'ormida-
de com as suas ioformac5es de 26 de abril e 13 do
jtinho ultimo, nomeado para os batalhoes ns. 41 c
51 sob seu commaudo superior^ os offioiaes cons-
tantes das deliberarles incioMs-por copia, resolv
tambem privar dos postos o alferes porta-ban lei-
ra Joaquim Manoel do Reg Barretto e os tenentes
Sehasti.io Carneiro de Barros Campello e Francis-
co Xavier Cirneiro da Cunha Jnior, todos d >
batalhao n. 5i, este por ni) ter solictalo patente,
o aquellos por nao se terem fardado no praso le
gal. O que communico a V-. S. para seu eonheci
ment o lins convenientes.
N. 118.Dita ao commandante superior da
Suarda nacional do Pao d'Albo.Tendo de Con-
formidadocom a que representen o tenente-coro-
iiel conimandanti do batalhao n. 16 da guarda na-
] cional desse municipio no otRci que acompanhou
faenda.O Exm. Sr. vice-presieente da provin-1 'o de V. S. do do eorrente, privado do posto o
alferes da 4* companhia do mesmo batalhao Joao
que segundo ofllcio do jufz municipal do termo dovCarueiro da Molla Silveira visto nao se ter fardadj
Bonito bacharel Jos H'wlrigues dos Pa de 26 de inei'nndn, nessa data assnmio elle o
exercicio das funecoes di vara de direiio da co-
marca dosseflome, por ter o juiz effectivo bacha-
rel Joj Rodrigues Chaves ido tomar assento na
a provincial da Parahyba. x?
4* seccao. ,
N. lu. OlBcio ao engenheiro fiscal da estrada"
de ferro S. Exe. o Sr. vico -presidente da, provin-
cia manda communiear n V. S., que plo seii o-
de2 do corrate, ujuu inteirado de "UrVilo
concedida a exoneracao que pedio Francisco B -
Mrrnjno des Santos Preilas, do lugar de escreven-
te dessa reparliyo c nomeado para o substituir.
Jos Izidnrol'jsreira dos Beis^^J"t^^"^^
I'>1fmm' temor do gymnasio pro
cial. S. Exc. o Sr. vice-preslflnte da provincia,
manda communiear a V. S que peio seu ofdeio
do Io do eorrente, ficou inteirado de haver V. S.
nessa dala assumido o exercicio interino de rede-
dor do gymnasio provincial, visto ter entiado no
goso da licenea que Ihe fol onendida para tratar
de sua saude o respectivo proprietano.
XPBBIRTTG ASSIlIMAM PELO EXM. SU. DR. MANOF.L DO
N.\s UIBXTU MACHADO PORTF.I.LA VICK-PRESIDEX ru
DA PllOVIXUlA, li.M*0 Di! OUTUU.IO DE 1869.
I.' seccao.
If. Mi.Portara ao Exm. Sr. general enroman
dante das armas. De:larando-me o Exm. Sr.
ministro da guerra, por aviso de 17 de selembro
prximo fia lo, ter solicitado do da fazenda a ex -
pedicao de ordens, para que pelo g li do exerci-
cio eorrente a thesouraria de fazenda desla pro-
vincia, seja aberto uin crelito das quantia- de
o23.3800 para pagamento d >s reparos, caiadura
e pintura da enfermara militar, ede 4815460 pa-
ra dos concert^ e pintura do laboratorio Pyro-
technico, assim o communicc a V. Exc. para sua
inielligeaeia.
N. 105.Dita ao inspector do arsenal da mari
nlia.Ucspondend) a) officio que V. S. me diri-
gi em 2 do corrate sob n. 1813sO autoriso a
mandar retirar da t es Mirara de fazenda. para o
que fie.am expedidas as convenientes, ordens a
quantia de3til22 em que imoortam os peculios
pertencontes aos aprendizes avulsos da compa-
nhia de artfices desse arsenal Joao liento Moutei-
r* di FMnca e Luiz Pinto dos Santos, d.i des-
aquariefarftm da dita companhia.
,N. 103.Dita ao ensenhetro militar.Declaran-
do-me o Exm. Sr. ministro da guerra por vj*o
de 17 de setembt'o prximo fin lo, ter solicitado do
da fazenda a expedicao de ordem para que pelo
liObras militares' do exercicio eorrenteseja
aberto thesouraria de fazenda desta provincia,
un ere lito para pagamento da quantia de 52o 300
em que foram mea los os reparos, cavadura e pin-
tura da enfermara mi.itar e da de 491-5*60 cm
. 1 o foram os cmeertose piotura-do laboratirlo
pyrotechnio : hajaVmc. de mandar realisar essa*
obras com as formalidad* lgaos.
2a seccao
N. 107.Portara ao chefe de polica interi-
no. -Sirva-se V. S. de informar com o que bou-
ver occorrido acerca, do assassinalo que, segunda
o offleio do con mi de Portugal incluso pir >
consta ter 1 perpetrado na pe Iguez Pauslin 1 SimSes Ferreira, na freguezia
de Qaipap, on le era domiciliario, declaran I
caso alDr.nativo, qual o procedfn,iiio Iwvido p ir
parte das -autoridades pira a punicio do autor ou
autores desse crime.
N. 108.Dita ao mesmo.den o ofilcio e nfor-
qo juntas por copia doenaonhtiro ajudante d)
repartico das obras publicas de ii de oMtubM de
1867, rsp'iils a dus-ida de que trata o oflieio'de
V. S. de 11 do corrento sob n. 1318, quanlo a per-
lencer o eiigenh > Sani'Auna ao districto de Pere*
ou ao do Jaboatio.
N. 109.Dita ao mesmo.Pode V. S. mandar
por Joaquitn Leonel de Menear, para o delegado
de polica do termo do Ourieury, a quantia que
pela thesouraria de/acuda foi entregue ai lh;-
toureiro dessa reparticJo para esa dlra.
N. UO.Dita, ao mesmo.Em resposta ao
no "prjiso legal, e achar-se por i-so compreendido
na disposicao do ldo art. 65 d lei n. OOldfe 19
de selembro de 1850; assijm o communico a V. S
para seu conhecimento ndlrecc^o.
N. 110.Dita ao coMttn-1-iiiie. su)erior da
guarda ^cional do LiinoeTro.Inteirado de quan-
lo V. S. expoe em ofilcio de 28 do mu?-findo. rela-
tivamente ao sargentoPedro Alexandrino Correa
e Mello, de que tratajWMrtaria desta presiden-
cia de 2i do mer. Andflpnho a dizer-lhe que a,
respeito j foram dada? as necessarias providen-
cia-.
N. 1-20.Dita ao juiz iqunici|Ml da Ia vara desta
' 'ade.-Mande Vmc. apreentar aocommanlante
i.-ori )...dMtm^Mmgffi da
do qoi
que indicou em ofHcio de 18 de agosto prximo
lindo.
N. 121.Dita ao jniz municipal do Carua-
r.Informe Vine, com o que houver occorrido
acerca do assassinalo que no ofllcio incluso por
copia, datado do 1" do correte, refere o cnsul
de Portugal, t"r sido perpetrado no pessoa do sub-
diu pa-tuguez Faustino Simos Ferrara, declaran-
do SO 1 ir ess- j.iizo l'.ii inventariado e arrecado, e
que destino levo o espoliodeixado pelo finado.
N. 123.Dita ao commandante do eorpo provi-
sorio de polica.Mande Vmc. desligar do corpo
sob o seu commando o 2" sargento Joao Capstra-
no de Araujo, de que trata o seu officio n. 456 de
i do orrente, visto ler Sido julgado incapaz de
continuar a servir.
N. 121.Dita ao mesmo. InformeVme. em quo
dala angajou-se no corno sob o seu commando a
praca ''auil Ferreira da Cruz.
X. 125.Deliberara!. 0 vico-presidente da
provincia, tendo em vista a proposta do lente
coronel commandante do batalhao n. 39 do muni-
cipio d 1 Cah 1, e o que a respeito informou o res-
peclivo commandante superior em ofllcio de 26 de
jullio ulti no sob 11. 96', resol ve nmnear para o
referid 1 batalhai os offi.-ios soguinles:
Bstado-maior. Tonenta-clrurgii Victorino
Antonio de Alcntara; tenente-quertel-mestre, o
alferes da 3a comuanhia Sezinando Pereira Mat-
toso; alferes-secretario, ltotilio Toientino de Fi-
gUjroJo Lima.
2." companhia.Alferes, Manoel de Oliveira
Lins.
'.' dita. Alferes, Firmino Evaristo Rlbeiro
Varcji >.
6.* dita. Capitn, o eapitao do 17'batalhao
aggregado Francisco Virginio Rodrigues Campel-
lo ; alferes. Francisco Izidoro Ribeiro de Carva-
llo.
8.a dita. AJeres, Joao Francisco do Reg
Barros.
setembro ultimo que competen! ao mnjor do esta-
do motor da l.J classe Francisco Raphael de
Mello tt*4go, emquanto estiver no exercicio de di-
rector djk arsenal de iruerra desta provincia, as
vanlagdK arbitradas para as commissoes de resi-
dencia j'-assim o communico a V. S. para seu-co-
nliecimeoto e devidos lins.
N. 13t.Dita ao mesnio.Communieo a V. S.
para seu conhecimento e lins convenientes que
exped ordem nesta data para se realisarcm os re-
paros, caiadura e pintura da enfermara militar e
do laboratorio Pyroteclinico autorisados pelo aviso
do micintaro da'guerra de 17 de setembro prxi-
mo lindo, junto por copia.
N. 13iDiti ao mesmo.Inteirado pelo ofllcio
que VS-me dirigi em 2 do eorrente, sob n. 687,
de li.ivd|ivcrsas pessoas arrematado por 1:895
urna |>OBo de pesos de bronzeede ferro conchas
de matura de urna batanea, urna bomba estraga-
da de apagar incendio, un guindaste e outros
objcct.)9*ellios e inutilisados, pertencentes ao ser-!
vico da'aJfan i'.'a desta capital, tenho a dizer em
resposta"so citado ullieio que approvo essa arre-
mata cao.
N. '134.Dita ao mesmo.Faca V. S. entregar
ao corotondutue da companhia de aprendizes ar-
tfices arsenal di marinha, I." tenenle reforma-
do BrazJos dos It'is a quantia de ;t7!22, per-
lencent aos avulsos Joao liento Monteiro da
Franca a Luiz Pinto dos Santos, visto terem com-
pletado, a idade de 21 ana is, marcado para Ihe
serem rtrt'i-'ues o- peculios, que tem ellos di-
reito nfuelia importancia.
N. 131Dita ao mesmo Cmvm que V. S
ministra esta presidencia at o lim de Janeiro
proxiarflkiadouro imprcterivelmente, as informa-
coes q;fe tem de dar essa repartico para acon-
lerei i do relalorio que deve ser apresentado
assen>Ma legislativa provincial na sua prxima
n?u4|d8k(u,qiia&jicaiapanhara uiaa relacao.dos
iirpWWnacioiiaeJ ora ex'oteole.
N. 130.Dita ao mesmo.Em observancia ao
aviso do ministerio da jufilica de 4 do mez findo,
iniorme V. S. circumsunciadamenle qual a im-
portancia despendida com a guarda nacional
uquartelada ou destacada desde 23 de agosto do
anno prximo passado al II do abril ultimo, de- '
clarndose a idntica despeza feita em cada urna
das admiiii-tracoes anteriores, a contar do anuo
de 1803.
N. 117.Dita ai inspector da thesouraria pro-
vincial.-Mande V. S. pagar a quanila de 5:000-3,
proveniente da subvencao relativa ao mez ae se-
tembro ultima, com que' a provincia auxilia ineu-
salm-nle a companhia Pernambucana, que sals-
fez n.iquelle mez os seus compromissos, como *e
v di) attestado annexo ao incluso requermento.
N. 138.Dita ao mesmo.Cjnvm que V. S.
uiiiiiMiv. esta prisideiici.a. at o lim de Janeiro
prximo vindouro mpreterivelmenle, as inlorma-
ees quo lem de dar essa r partico pafs a con-
. 1 do relatono me aev sor apresentado as-
semidea legislativa |Jovincial na sua prxima rcu-
aio s (naos acompanhar urna relacao dos pro-
prios provineiaes ora existentes.
N na.Dita ao rnesmoiAttendendp ao que
solicitou 111 ipetuso requer nento o collaborador
1 jecretaria desta pre-idencia, Thomaz Luiz lli-
jira Guimaraes, recouimendo a V. S. que mande
pagar integralmente ao supplicanle a sua gratili-
caclo vencida no mez de setembro ultimo.
N. 140.Dita ao mesmo. Tomando em-considei
racno o que exooz o dirctpr goral da instriveao
publica em offlcio tle 16 de pg'to ultimo, sol) n.
275, a que se refere a sua infonnacao.de 23 de
eienilin prximo lindo, recr-mnipiido V. S. que.
Hkl das conlas e recibos que incluso dtfvolvo,
mKide pagar a quantia de 7373320 em que, se-
gundo o parecer da contadura d'essa thesouraria
hnportam os movis, um quadro doCruciticado
e um rologio fornecido para u-o da aula do sexo
ma-ealno da Passagem da Magdalena e 4a cadeira
N. 126.Dita.0 vico-presidente da provincia, dol/eniiniio na freguezia de S. loso d'esta ol-
iendo em vista a propest do tenente-coronej com-
mandante do batilho n. i do municipio do Cab"
e a que iufhrmou 11 respectivo coiTiniandante su-
perior em olficio de Uide junho ultimo, sob n.'.rxi,
resolte nomoar para o referido batalhao os ofli-
eiaes seguintes.
Estado-maior.Alfeifcs pofla-bandeira. 0 alte-
res da 4.a companhia Joao Gervasio da Cunliu
Pern, (leando privado deste posto Joaquiui Ma-
noel do Rogo Barreto que nao se fardou no praso
*.' cimpanhia.Tenante. 0 tenenle da 3." dita
Fernn 11 tepple da Silva.
3.a cenpanhiiTenenle. O alferes da mesma
fiemo Jis'do Silva Mialhes; alferes, Carlos
Carnoiro Mintoifo da Silva Santos. .
4.a companhia Tenenle. O tenenle da V-J5?.
Genuino l'envra ; alferes, Antonio Prasbijgfco da
EsKetacao.
5.a coiioanhia.Tenenle. O alforcs aggre?ado
. "^ 'Scverino Jos dos Santos Aguiar, flcando privado
- do posto Sbistio Carneiro do Barros Campello,
que nao se fardou 110 praso legal.
companhia.r-Teneate. 0 tente da
ci de V. S. de i do eorrente s ib 11. Ii37, tonho a
dizer-lhe que a guarda d) jury do termo de Olin
da deve ser prestada pelo destacamento da guarda
nacional alli existente.
N. 111 Dita ao mesmo.Em additaraento a
portara desta presidencia de 24 de mez findo, re-
mello a V. S. o ofllcio junto por copia do comman-
dante superior interino da guarda nacional do
municipio da Limoeiro de 26 do mez prximo
passado, e bera. assim dos ofliciQs a que o mesmo
se rafere, com relacao ao sargento Pedro Alexaa-
driao Correa de Mello.
J.-112.Dita aa mesmo. Determinando o
art. ldo decreto .n 1658 d$ll de.agosto ujimo,
publicado no Diario Oficial n. 199, e iransmludo
a esta presidencia em aviso circular do ministerio
do imperio de 31 do mesmo mez, que as disposi-
t>es do arL 108 d lei n. 337 de 19 de agosio de
18W, sejam onservadW todas asvezes que se bou-
ver de tazer qualquer eleijao do eleitores, juies
de paz on vareadores, de-vendo susponder-se o
cecrutameuto ra. todp P municipio,jinda qae a
elcica se faca sme^te cm parte delle: assim o
comownlco a-T. S. pa^4 sua Inlefltgencia e exe-
Sonlo, afim dejua. norte sontido_expeja suas
6.a companhu.r-Teneote. 0 tente da 4.' dita
Florentino C.'de Albuquerque, flcando privado do
p^^!o Francisco. Xavier Carneiro da Cunha Juaior,
ue nao solkilou patente no praso legal.
N. 127.Dita.O vice-presdanlo da provincia
leudo em vista a proposta do lente-coronel com-
mandante do batalhao 41 da guarda nacional do
municipio de Ipojuca, a rospeito da qual informou
o respectivo commandante superior em ofllcio de
26 do abril ultimo, sob Q. 201. resolve npmear
para o referido batalhao os seguintes olBcj&es.
1. eo:iipaiiliia.TTCapU. 0 tenenle da 5.a Lou-
renr) Bezerra de Stqueira Cavalcanti.
3." companhiaAlfors. Manoel Jos da Costa
.Jnior.
4/ companhiaTeaent. O atfores > 5. dila
Hzidiro Camello Pessoa Un SJquelra Cavalcanti
Jnior; alferes, Flix Jos.da Cmara Pimentel.
8> companhia.Capito. O tenante da 3/ dita
Chrislovao de Barros Rogo.
deoua n
rjtondades
paovtocia,
tfnle coro
N. 128.Dita__0 vicepresidente da
tendo em vista o que representou o bjMOL
nel commandante dfe batHfio n. 4 dt guarda
nacional do muatoipio de Pao d'Albo, uo offleio a
qne acompanhou o do re|eclivo commandante
superior do i. do cqrrante, resolve ornar &>
posto do alteres da 4. companhia d'aquelle bata-
lhao a 1'V) Carneu-o da Bolla Silvdr, xisto n-i
se i* este fardado, achar-te por
dade.
I" seci-ao.
N. lil Foliara ao xm. Sr. desembargdor
prr vedor da Saata Casa de Misericordia.Sirva-se
V. Exc. de remetter esta presidencia at o da
12 de Janeiro vindouro, o rotatorio do estado de
todos os cstabeleciiieatos a cargo da S
do Misericordia, indicando as suas necessidacl
as medidas que para remedia-las develo ser leva-
das ao conhecimento da assembla legislativa pro-
vincial em sna prxima futura reunio.
N. 142.Dita ao governador do bispado.Rogo
V. S se sirva tic remcller esta presidencia at
-o dia l-'i de Janeiro vindouro as informacifoiqo
estvlo sobre o culto publico na provincia, l*de
do'ao mesmo tempo suas mais urgentes nee
dades, c fazendo-as vlr .a.c.onyiauhmla de un qua-
dro nominal de todos os parochos e coadjutores
por comarcas, municipios e freguezias, collados t>u
onuommeudados, as datas de \m nomeacoes'para
serem levados ao conhecimento da assembla le-
gislativa provincial em sua prxima futura reu-
UftO.
N. 143.Dita ao director geral interino da ins-
trucci) publica.Declaro a Vmc. para seu conhe-
cimen q e em nesposta ao ofllcio que me dirigi
em 26flo agosto ultimo, sob n. 273, qne acabo de
autnriiar a thesouraria provincial a pagar a qnan-
tia de 737jj-i20 rs., proveniente do fornecimento
de moris, um quadro do Crucificado c um relo-
gio para uso da escola do sexo masculino d-Pas-
saijem da Magdalena e da 4.* cadeira do sexo fe-
mi uno da freguezia tle S^Jos nesta cidade, C)ti-
vuido qje em ornecmentos idnticos seja obser-
vado o regulaiaento interno dado em 30 le junho
de 1839 para as escotas de instrueco primaria. | cerio
N. (44.Dita ao mesmo.Itemetta Vmc. a esta
presidencia al o dia IS de Janeiro vindouro, unta
ejposicio circomstanciada acerca dos negocios da
repartffSo a seu cargo oceorridos no decurso do
Srsente anm acompjnhada dos respectivos qna-
ros poi comarcas, municipios e freguea?, indi-
cando cjmelhoramontq quo entender convenien-
tes e at medidas qae iirem neeessarlas para eflec-
tua-las, aQm de aerara levadas ao conhecimento'1
dt. asseubla legislativa provincial wn sua prxi-
ma intu* reuna>.
Em resposta ao seu ofllcio de 23 do mez findo, te-
mi a dizer-lhe que deVolva ao Dr. chefe de poli-
ca1 os officios qve por falla de estafetas nao poder
expedir, commonicando-lbe Isso mesmo, visto nao
convir a demora d'etle* nessa reparticiio por dous
ou mais moros, em dbtiloiento oV> servico pu-
blico.
N. 147.Dita a9 inspector dr s>te publica.
Remetta Vmc. a esfc presidencia at o (fia 13 de
Janeiro vintlouro, un informaicao ccwnstancia-
da acerca do estado sanitario da provincia no cor-
rente- am.
N. 148.Dita ao inpector da sade do porto.
Convni que Vmc. remeta a esta presidencin al o
dia 13 de Janeiro vindouro urna informacao cr-
i'umstanclada acerca do^eslado sanitario do porto
desta cidade no crrente anno.
N; 14ftDita ao eommissario vuccraador pro-
vincial.Convm que Vmc. remeta a esta presi-
dencia at-o dia 15 de Janeiro vindocroum miH
pa dos individuos vaccinados durante o anno enf-
rente expendo ao mesmo tempo o que Ihe occorrer
acerea da propagaco da vaicina nos dilferente
municipios da provincia.
S. toD Wla ao gerente da-companhia Per-
nambucana.O'Sr. gerente da compairtna Per-
nambucana mande dar urna passagem d estado
at o presidio de Fernando a proa do primeiro va-
por que seguir para alli a Francisco Xovior do
Parva.
N. lol.Ditaao mesmo.Remeta Vmc. a esta
presidencia at-o da 15 do Janeiro vindeuro as ne-
cessarias iuformacoes acerca dessa companhia,
alim de serem levados ao conhecimento da assem-
bla legislativa provincial em sua prxima futura
rounio.
N. 152. Dila ao mesme.O Sr. gerente da com-
panhia Pernambucana mando dar urna passagem
de eslado al o Cear a proa do primeiro vapor
qne seguir para o norte a Carolino Alejandrino Bo-
telho Neto.
. f. 153.Dita ao mesmo.O Sr. gerente da com-
panhia Pernambocana mande dar urna.passagem
de esudo a r a Joao Pto da Fonseca no primeiro
vapor dessa companhia, que seguir para o presidio
de Fernando.
KXl'KDlF.NTE ASSIGKADo PELO SR. DIl. IOAQt'iM CORREA
DB ARAUJO, SECRBTAIUO DO 0VF.RN>, EM 5 DB
OGTBRO DE 18C9. 0
2* cecao.
N. 154.OScio ao commandante superior do
guarda nacional do Brejo.O Exm. Sr. vjee-pre-
sidente da provincia manda declarar a V. S. o'm
resposta ao seu offlfio de 21 de setembro ultimo,
sob n. 12, que transmrfto a thesouraria de fazen-
da para os flris convenientes, os prets nommaes.
t|ue em duplcala vieram annexos ao citado of-
fleio.
N. lo'i.Dito- ao presidente e memoro do con-
selho do revisad de qnaliearao da guarda nacio-
nal de Garanhuns:O Exm. Sr. vi ce presidente da
provincia manda declarar a Vv. Ss. que ticou in-
teirado por sen offle) de 20 do mez findo de ter a
16 do dito mez encerrado os seus trabalhos oenn-
selho de revisan da-qualilicacao da guarda nacio-
nal desse municipio, de quo fizeram Vv. Ss.
parte.
N. 156.Dito ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.O Exm. Sr. vice-presidente da
provincia manda declarar a V. S. que nesta data
expedio ordem ao juiz municipal da Ia vara para
Ihe mandar apresentar o sentenciado Marcelino
Francisco deSouza por elle indicado para tazer o
servico da fachina no quartel do dito corpo.
3* secc.o.
N. 157.Oilico ao inspector da thesouraria pro-
vincial.De ordem de S. Exc. o Sr. vce-presideu-
lo da provincia communico a V. S. para seu co-
nhecimento, qie segundo consta 1o ofllcio do cen-
sor duGvmnasio Proviucial do 1 do eorrente, as-
sumi elle nessa data o exercicio interino de rege-
dordaquelle estabelecimento visto tcr#entrado no
gozo da licenea de tres mezes que fol concedida
para tratar de sua sade .ao respectivo proprie-
tario. i
N. 158.Dilo ao mesmo.De ordem do S. Exe.
o Sr. vic3-presidente da provincia cortimunico a V.
S. para seu conhoeni''nto, que segundo consta de
offleio do ensenheiro fiscal da estrada de ferro do
Uecife S. Francisco, de 2 do correte, foi conce-
dida a exoneraco que pedio Francisco Belarmino
autos Froitas do lugar de escrevcnte daquella
repartico e nomeado para o substituir Jose-fzido-
ro Pereira dos Res.
DESPACHO DA PRESIDENCIA DA PROVINCIA ODIA
7 DR DEZEMBRO.
Antonio Servulo-Pessa de Lcenla. Informe o
Sr. commandante superior da guarda nacional do
municipio do Limoeiro.
Companhia Pernambn ;ana. -Informe com ur-
gencia o Sr. inspector da thesouraria provincial.
Feliciano Jos Gomes.De-se.
Fulden Brothers.llemettido ao Sr. inspector
da thesouraria provincial para attender ao sup-
plicante de conformidade com as ord:ns desla
presidencia.
Padre Jos Porfirio Gomes.Informe o Sr. m
Para que, porm, o caminbo de ferro rea-
lise todas as vantagens, que promctte'e le
3ado, faz-se preciso que, ulm de ser cons-
truido econmicamente, possa elte fatar e
sahtr victorioso da lata cora os nutru^meios
de fransprte, entre os quaes figura na pri-
meira linlia o transporte por agua, masa
o fluvial.
A estrada de ferro do Recite ao S. Fraa.-
cisco, por causas qne ntfo queremos analysar.
custou urna sorama superior qae seri*
precisa, para construir talvez o dobro dV
extens5o frrea qt mde. Sob este-
ponto a qeesto de economa foi sacrificada.
A zona que ella aira vessa cortada por
algnns os que se prestara i uavegacaV> de
barcacas e candas, o era por este mero qw?
amigamente ae fazia tod> o transporte dos
seus productos agrcolas, que em boa par-
to anda hoje se dirigem este mercado
por aque'las vias, chamadas por utn esertp-
tor modernooaminhos <\[W andam.
Aberta ao transito a estrada do S. Fran-
cisco, mal chegava para o seu coste o
producto de su.is tarifas, (te, sendo bas-
tante elevadas, creavam embaracos eni-
prea e de alguna forma traziam em che-
que o seu futuro, tornando-lite impossi-
vel a luta com a na\\;gai.Tio fluvial c at
com os transportes fetos as costas de ani-
maes. Sob este ponto anda a estrada do
Recite ao S. Francisco, peccaw contra a
economa. .
Este estado, realmente lastiraeso, fot-sa
mantendo at I86i, poca em que o engenhei-
ro fiscal d'aquella cmproza.de acoordo com
as instruccoes do governo, cojos in'eresses
representa va e resgoardava. organisou um
pfjecto de tarifas, que foi mandad adoptar
provisoriamente por aviso do ministerio da
agricultura de 17 de fevereiro.
Aquelle funecionarki' publico, comprehen-
dendo o alcance finanecito de u-ii rebaix:!-
menlo as tirif.s da esttad-i i!e ferro, luse-
ando-se nos raais saos principios de econo-
mia poltica, nao Irepidoa arcar com o re-
presentante da companhia, quejolgoa dever
salvaguardar os seus [nloreases, protestin-
do contra a medida.
Um anno depois a lgica serrada dos (m-.-
tos consummados veio jplgar da medida
tomada, e atacclona-la, atleitaodn nm aug-
mento de 48:S80i)88& sobe,' a receta do
auno anterior, cm favor da garanta de
juros.
Este resollido, previsto pelo nteWgente e
zelloso empregado, oi tanto mais para no-
lar quanto o auno de I8rt4 tornon-sc saliente
pela deficiencia de prodtictTto dos districlos
do sol, onde a agricultura soflVeu bastante,
e s poda provirdeom accrscimo notatvet
no numero de passageirose de arrobas lc
m-rcadorias transportadas.
E foi o que se deu.
Os agricultores, consultando os seus inte-
resses m.its imtnediat.is, vendo a barate.
par da rapidez nos transportes, Ihes ser
offerecida pela via forrea, corrern a dar a
preferencia esse meio de remessa de seus
productos ; e por essa foiuia sanecioaaratn
a superio'ridade .da estrada de ferrnos
transportes econmicamente foitos.
A estrada de ferro pode desdeentSo lotar
ventajosamente com as vas fltiviaes; e se
lh>'sna:) tem roubadoa totalidad dos trans-
portes, isso devido a seren as tarifas anda
um pouco taras para certas distancias, e
bata assim ao forcoso roiardainento que ex-
perimentara os producios, do ido falta
de trem rodante, falla que tera sido bastan-
te calamitosa, e para a qual o governo na i
aquello iiUeresse qae llio
os negocios do I'ernam-
peclor da thesouraria provincial.
Joo Manoel de Sanf Auna.Informo o Sr. cap-
lao do porto. .
Marianna Lins do AlbuquerqueUoqueira por
intermedio do Dr. director geral da instrueco
publica. ,
Hita Dnarte Negfeiros deMenems.A vista di
informacao nao tem lugar o qne requer. ______
lem olhadocom
ctviam merecer
buco.
DIARIO DE PERMAMBC
PMABIBCO.
qae ihe sao subordina-1 dide, na disposico do i. d art.
' yino'Americo Rapo da Cantara.
*. 95 bis.-CreuJ*AflFamumdpaldoRa-! < ** aat--------
^SSiTSmSSg^ hm-** m^o-Emobservanciaao 4e,9de?6tfflfcro%1%p.
STIf!t&%^W? RECIPE, H DE DEZEMBRO DE 1809,
0 SR. MINISTIIO DA AGRICULTURA E A F.STIIADA
DK FElltlO DO UECIFE A S. FRANCISCO.
I
De todos os os inventos que abrilhantam-j
o secuto XIX sem coatradiccao. o cami-
nho do ferro o que maior somiua do pfo-
veho trotnw humanidnde.
A' sessenta annos passados seria tido en
conla de louco* quera pretendesse ver n'iun
futuro, que nao esteva longe, a uunrasa
rapidez do transporte que alguns annos
q>ais varde realisou a locomotiva.
Alero, da vaoUgem di rapidez dos trans-
portes, que redunda sem pre n'um Itifiro
certo, outrasoao menores trouxe socieda-
de o Invento dos catqinhos de ferro ; e no
numero deslas conta-se cerno principal a
soJ.ui.ao do diflfcltirao problema do barato | collego de Cimbres, que reunido ao do Brej<>, or
movimento de m-ircadarias de toda a sorte ganba assim a lista ^ vendos:
e de passageiros. probten at fento coa- j* gg;\*$te Almeida
sklerado insoluvel.
O, caminho. da ferro *, Um agente pode-
roso de ecoMlaX Qualquer qne *eja o
REVISTA DIARIA.
GUARDA NACIONALl'or Ilibcracao da 9dn
eorrente foram nomeados, para o municipia do
Limoeiro :
li).- egqm*ro de rirattarta.
CapitSes da i* e ?' vuto Jos An-
tonio iv-taiu ealferes Jos PiaWNco Cordeirc
de Arrutla.
11.a batelkOo de ,nfn.ilari:i.
teen efrnrglto, Ftlietano "vira de i
Lopes.
Al reres pirla-estandarto, Manoel Aagusto da
posta devorado.
f. companhia. Mferea Francisco IJno da
Paula.
%' dita.- Tenenle anl to Vctor Titlarim, al-
feres Antonio Luiz Bioroes.
4." dita.Tencnte Francisco *e Paula Gomas.
dos Sanios, alferes Eloy Travasso Sariulio.
Por dita de 7, foi transferido da i" para
companhia do batalhao n. \ t do Sernh5em o. ea-
pitao Jos Pereira Chaves.
DEPUTADOS PltOVINCtAESAcha-seconclui-
da a eleiciio do quarto dtstvcto, sondo (Jepulados
or elle os Srs. :
inquina Pedro Barroto delello Reg w
Vigario Joaquim da Cunha
Dr. Joao Vleira de Araujo
Br. Antonio Paulino Cavalcanti *
Dr. Eduardo Augusto de Oliveira
Dr. Ernesto Vieira de Mello *
Do quinto districto recebemos o resultaoo u
pookx se o estade e en-
N. t*A-Dita ao engenheiro Oscal da estrada de F,.JW j fo^ ^ incentlvo ao deie'n-
- d volviw^, 8r6 Ilrfico com que o scu-
*.*^al pofeWndar a homanidide: e'
da thesQttwria1
fer
1,5 de iaeir& vindouro urna" expsito acerca dos
bigocioa da estrada de ferio do Recite a S. Fran-;
tsco, e a sua receila e despeza mi decurso do 6 rente anlo, am de serem kvados ao conhooitnent'j
dft assenula legislativa pri viacial om wa pr*',.
ma futun reuhiSo.
ll.2l6y.Dila a,a amif\ltr5(}')P do ^.^io
Dr. Jos Joaquim de Oliveira Fonseca
Dr. Frmclsco Domingues Uibero viaona
Vigario Antonio Jos F. do Novaos
Coronel Cualler M.de Alencar
NOVA GUAMMATICA.-0 Sr. Dr. A. J- do*-
lo Soraes, enviou-nos u exemplar do nowTO^
matica da lingoa portugueza por S. S. puDiie*"
- aue se* ada.um dia a. ebave com|^^
quese ha deabriras portas da livre troca d:^ajgS^oi*asoa. o oompuode
productos, a'jlri (jue cammham os povos SU1 bibotheca. {wo tm.fre
iHumtnados petas lazas do pcogreSO. A tmaennobra **> amtypoanm,^


**
8a
9k
'




-.

I

m
MELHOR EXEMPLAR tNCONTRMIO l
ILEfiiffL
l '


*
' '
I
m

mw timm ao to8fteod.
Femambuco Sabbado 11 de Dezembro de 1869.
=
n

nos : ensina a lngua portuguesa por riei'o deqrfa- J lados Rosa, Basto e bro de Cruangy," raltanf >
Iros annalypticas ; inctliodo que, diz o autor, e
faeflimo paro se aprender. ^
O trabante do Dr. Mello Moraes, posto que 8c
tlificilioio julgamenlo, pareeeu-nos lodavia credor
.le apreoo, e por nosso lado nao trepidaramos de
aeoaselhar a nslrucco publica que llzessc uso
deesa graramatica as escolas publicas, onde
necesario que ella recoba a sanccoA experien-
cia, que eleve j^fcla em ultima SaBoia prali-
amento.
AcompanhB Mmmalica tres grandes qua-
dros analypliefli^Sniendo un a toda a raytbolo-
gia, outro a arte potica e o terceiro a rbetorica
on arte da eloquencia.
Estes quadros se acbam no mesmo caso da
*'grammalica. Mas sendo mais fcil o ja tomen-
to e simplicimo a comprehenso do Jfl m>, cre-
aos nao noi nffast.irmos da rcalloH pizendo
qne sao milito mteressantes, c que iM^Hacilitar
tostante o estillo dosses conbecimentos humano?.
ASPHYXIA POR SUBMERSO. Foi tirado do
rio de Serinhcm, no dia 27 do passado, o cadver
ilo subdito portuguez Ricardo Jos de Carvalho; o
qoal, sofirendo de aliena cao mental, iulo banhar-
se nesse rio, ahi falleceu.
HERANCA A RECLAMAR. Na delegada da
freguezia de Serinhcm se acbam depositados di-
versos papis e 4I100) em sedulas, espolio do
subdito portuguez Ricardo Jos de Carvalho, fal-
lecido sem berdeiros conhecidos.
MORTE CASUAL.Estando o canoeiro Manoel
.loaquim com outros da mesma profi-so, no dia
.! do corrente no lugar Pont al, da freguezia do
Cabo, a beber, e*corrcgou lo infelizmente que
cahio sobre urna faca que (razia c merreu.
DISTURBIO K MORTE.-Em Ierras do engcuho
Japaranduba, do termo do 4gua Preta, Francisco
loaqaim de Torre?, que por all passava com seu
irmo Manoel Joaquim, foi brbaramente assassi-
uado a liro e pauladas por Joo ltastos, Domingos
"Lopes, Manoel da Preguica, Antonio da Preguica,
: Jeaqum da Preguica, por ter Torres tomado ao
primeiro um faci, com o qual ameacava dar em
um induviduo que all se achava. Igualmente foi
ferido por esses malvados Manoel Joaquim, por
procurar defender seu irmo.
Segund,. as informacoes colhidas pela autonda-
de de polica, o flm desses celerados era roubar a
Torres, o dlnlieiro que trazia, tendo feto aqueite
disturbio para diminuir a impresso do assassi-
nato.
ESTRADA DE OLINDA.Afraal est se fazendo
alguna cousa para luclhorar o estado lastimoso do
lefio desta estrada, mas por tal forma que nem
em dous annos se conseguir o desejado resulta-
do. A raorosidado com que anda a carroea, e a
diminuta qnantidade de caliea que carrega do ca
da vez, hzem com que soja pre.ferivel a eonducao
em canoas, que alm de levarem maior poroao de
material, podero ir pela margem da Irada des-
pejando proporcao que fr preciso.
Ser, porm, bastante caliea so hincada solta,
sem ser batida ou ao menos militada ? Porque ra-
zio se niu> Faz urna obra boa e adequada T
Aiada pedimos a allenco do Exm. Sr. presi-
dente da provincia.
AULA PURl.iCA Enterraran-so, no dia 7 do
corrente, os Irabalhos lectivos da escola de ns-
lrucco primaria do sexo feminino, da Enrrnzi-
thad d.) Rosarmho ; sendo precedido o acto de
urna missa celebrada na etpella da estrada de Joao
de Barros, com assistencia da professora, suas
alumnas e grande numero de convidados.
OUNDA.Urna soeiedade do jovens, actual-
mente residentes em Olinda, do boje um serao
Qansanlc no autigo palacete da Academia Jur-
dica.
03RAS PUBLICAS.De sesunda-feira em dian-
te Sea prohibido o transito de vehculos e animaes
pela ponte da Ba-Vista, emquanto se procede os
reparos de que ella precisa.
FESTIVIDADES. Aminha celebra se a festa
de Nossa Scnliora da Coureicao, queso venera na
capella dos Cuqueiros rita da Conceicao da fre-
juezia da Ba-Visto, sendo o orador na festa e no
Te-Devm o Rvmd Or. Pelinea. A" noule ser
queimndo um lindo fogo de artificia
Amanilla celebra-se a festividade de Soasa
Scnliora da Conceicao em sua igreja da Congre-
garn. E" feita e-la festividade pela respectiva Ir-
mandado, que nao obelante disporde poneos re-
cursos tod is oa annos ne-te dia, Bolemnisa com
toda pimpa e britha tismo a sua excelsa pa-
roeira.
Ocupanio a cadeira sagrada, ao evangelho o
Rvm. Fr. S.:aquin do Espiril Santo e uo Te-
Demn o pa Ir Jos Esteves V'ianna.
Ii Il.II) \!'. PUBLICA.Era oulra parte do pre-
sen' ; '' plilieaoms hojeo relatojio da com-
panbia de seguro Jes-a denomina cao, no anno
corrente, lo-qual se v que durante csse tempo
reslisaram-se 106 seguros na importancia de.....
3,?M ds quaes percebcu a companhia
J.SH lquidos.
Alm disso a companhia descontou lol letra-
da \irai; i no valor de 975:83J993, i|uc lhe deixa-
ram o fucm linuido de 6:7364350.
Abatidos 33:7835841, quantia que se elev-
ramos prejuizos durante o anno, ordenados a em-
pwpados, etc., licou o Slldo de Ii:3023l9o para
dividendo das apollces.
Deas i apanhado e do respectivo relatono e
mala de halaneo, se v o estado prospero desta
,-oim, v'ido, sem duvida, ao zelo e interes-
se que ton'.ain os Srs. directores.
BLEPBANTE COM BOTAS. O grande estabe-
leeiinen'.o desta denomina cao, sito ra Novan.
11, de propriedade do Sr. Antonio Jos de Azeve-
do, acaba de receber variado sortimento de mu-
sicas, instrumentos musicaes tamo de sopro co-
mo de corda s, alin de porfo de pianos das me-
Ihores o inais acreditadas fabricas de Franca, In-
glaterra e Allemanha. Segundo accordo feito com
o afamado fabricante A. Dlondcl, de Pars, nes-
to estabelecimento o unico deposito dos pianos de
teclados kos e movedie-is desse fabricante.
ESTRADA DE FERRO DO RECIFE AO SAO
FRANCISCO.Esta va de comraunicacao no pro
ximo lindo mez de novombro
rendeu 87:53i5i0
despendeu 36M37J367
9r. Miranda Leal, 8. Exc. o St. presidente dela-
rou aberta i sessao.
Foi. depois do lida, approvafta a acto da _sess5i
de 6 com declaracio que o requerimonto da com-
panhia Phenix Peroambucana viqhj instruido s(>-
Pka liquido para dividir
ll:30lit5
-_
mente com a carta imperial que approyou seis
estatutos os quaes, com o decreto n. 4,Wi de 1:0
autorisou sua incorpora
nal Oficial, qttt juntan.
.BNTB.
do outubro iilimf
cao, locontiuham ti
K
Ao Sr. deputado lias
Diario de Amonio de
DESl
i distribuido o livro ^esperanca do mo
Rraz & C.
._ ios.
Roquerimento de Manoel Aires Barbnza, apre-
senlando registro urna fiertptnra ante-nupcial.
Registre-so.
Do Jos Joaquim da Silva^GdAes, tamkeui aprt
RelaLindo como do nosso dever o "estado pre-
sente desta companhia,' corao cima fiea deqjons-
trado, resta-nos apenas dizer vos senhores, aif'uma
cousa em relaja > a crise porque airaba de passar
a nossa praca, com referencia a casas fallidas, que
inai* o:i menos affoctavam todas as casas de des-
contos, em cojo numero se conta esta associa
com as leltras descontadas aos flotsos ex-soi
Maia & Espirito Santo, das quaes porm nutriilof
sentando registro a nomeacSo de seos caixeirrs
Alfredo Lucio de Castro e Trifilo de Araripe Fa-
rias.Como requer.
Do Antonio Firnvno Domont, successor de Uyf
potito Domont, apresentando igualmente regis-
tro a nomeacilo de seu caixeiro Joao Paulo da
Silva Gulmaraes.Registre-se.
De Jos Salles de Mello, tambem appresentano
registro a que dera a Juaquim Fernandes Vian-
na, para caixeiro de seu armazem de gneros de
estiva ra do Amorim n. 33.Registre-sc.
Nada inais sendo submettido a despacho, Ii.
Exc o Sr. presidente encerrou a sessao as 11 ho-
ras e meia do dia.
Kantissimo Sacramento a vista dos fiis invocando
o.mesino Rvmo. Fr. Fidelis a Divinladb era pr
dasecesidadi espirituaes e temporaes dos ha- D. Silvina Fernandes A'branies.
hitantes desta freguezia e dos que concorreram a*t>.r
a 20
dando de saldo liquido
51:397^173
No mesmo periodo transitaram na linha 18:489
passageiros; e foram transportados :
4:163 volumes com 77:218,5 kilogrammas, de
bagagem, 6:030 toneladas e 58,3 kilogrammas de
mercadorias, e 585 annimaes.
as mercadarias esli comprehendidas : 852
saccas de algodo com Ii958 kilogrammas, c
48:721 saceos de assucar, com 3:700:336 kilo-
grammas.
A despeza foi 41,28 V da receita.
LOTERA.A quo so ada venda a 130a, a
beneficio do patrimonio dos orphaos, que corre no
dia 14.
PASSAGEIROS. Vindos de Mamanguape no
vapor Mandakii :
Francisco Luiz Mu ni/. Pereira, sua mulher, 2 fl-
Ihos menores e 1 criada, Joaquim Flix Dantas,
Antonio Dalizo, major Joaquim Justiniano liuima-
raes, Manoel Alfredo do Amaral o Mello, Joaquim
Jos Soares e Francisco Antonio C. Dias.
Sabidos para os portos do norte no vapor
brasileiro Paran :
Anglica Mara da Silva, Joao Climaco do Arau-
jo Lima, Dr. Antonio Augusto de Araujo Luna e
i criado, Antonio Jovinta Correa da Silva e sua
sobrinha, Joao Gabriel aptsta o 1 criado, Manoel
Joao Carreira, Jos Teixeira de Vasconcelos, Ni-
colao Mariano, Ozorio Lurasde Souza Rangel, Jos
Demetrio Bezerra da Rocha Moraes e 1 criado,
Joao Rodrigues Vianna Baima, Dr. Antonio Pe-
reira da Silveira Castelto Branco, 1 escravo do Be-
iarmino di Reg Barros, Dr. Leopoldo Cesar de
enedo e I escrava, Dr. Antonio Jos de Souza
Frei'as, Ignacio de Almeida Fortunato, Salvador P.
deOliveira, Alfredo Teixeira Mendos e Francisco
Teixeira de Vasconcellos.
CEMITERIO PUBLICO.Obituario do dia 9 do
corrate :
Antonio de Souza Guerra, Bio Grande do Sal,
32 annos, casado, Boa-Vista ; ttano tranmatico.
Henrique, Pernambuco, 18 mezes, Boa-Vista ;
gastro interite
Joao, Pernambuco, 60 annos, solteiro, Santo An-
tonio tubrculos pulmonares
Eufrozina, Pernambuco, 28 annos, solteira, Boa-
vista ; archia chronica.
Cosme D.miio Bezerra, Pernambuco, 23 annos,
solteiro, S. Jos ; ascito.
Augusto, Pernambuco, 3 mezes, Reclfo, n-
flirama^ao no apparelhy digestivo.
CHROMCA JtDITUUHA.
TR1SII \AI. DO tOWMBKUO
ACTA DA SESSaO ABMINISTRyTIVA DE 9 DE
DEZE JIRO DE 11169.
RKSDSXC!\ DO EXM. SR. DSSBMBABOADOH AJSSUIi
FRANCISCO fERETIL
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. depu-
SESSAO JUDICIAItlA EM 9 DE DEZEMBRO DE
1869.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADO!! A. F. W
un,
Sercindo de secretario, o oficial l. A. de F. Torrei.
Ao meio da estando reunidos os Srs. deseui
bargadores Silva Guimaracs, Reis e Silva e Accio-
Ii, edeputados Rosa, Basto e baro de Cruang/,
tallando o Sr. Miranda Leal, o Exm. Sr. presiden-
te declarou abert a sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessao de 6.
ACGORDO ASSIONADO.
Juizo especial do commercio.Appellante exe-
quente, Alexandre dos Santos Barros ; appeilado
embargante 3,, Manoel Jos de Miranda.
IULGAMENT03.
Feto adiado da sessao de 3 do correnle.Juito
municipal de Itamb. Appellantes, Balduiuo
Amando Freir e sua mulher; appeilado, Jos
Flix do Rogo.Juizes os Srs. descinbargadur:s
Silva Guimares e Reis e Silva e depulados Rosa
e baro de Cruangv.Foi refrmala a senlenca
com o voto do Exm. Sr. presidente, para quo fos-
sem rebebidos os embargos com condeinnacao,
sendo votos vencidos os dos Srs. Reis e Silva e
baro de Cruangy.
Por nao estar presente o Sr. Miranda Leal, nao
foram propostos os autos adiados da sobredila sej-
so e vindos do juiz municipal de Ipojuca em
que sao appellantes, Feliciano do Reg Barros
Araujo, por si e como tutor de seus (lirios ; ap-
peilado, Jos Francisco Lavra Peona.
Sendo submettido a julgamento o feito vindo do
juizo especial do commercio entre partes : appel-
lantes, Oliveira Filhos & C. ; appeilado, Eduardo
Burle & CFoi adiado pedido de um Sr. depa-
tado.
Contina adiado pedido do um outro Sr. de-
putado o feito adiado da sessao de 3 do corren ,e,
e vindo do sobredilo juizo especial, entre partes:
appellante, Domingos Alves Mathuus ; appeilado.
os administradores da massa fallida de Amorim,
Fragoso, Santos & C.
DA PARV JULGAMENTO.
Juizo especial do commercio.Appellantes, a
vuva e berdeiros de Jos Hygino do Miranda e D.
Josepha Benivinda da Cunha' Souto-Maior ; appel-
lados, Mills Lalhan Je C0 1." dia til.
O Exm. Sr. presidente ordenon que se ofllciasse
ao Sr. desembargador Gitirana para vir receber o
feito que pende de appclbcue e n que juiz, en-
tre partes : appellante, Jus Rodrigues de Anejo
Porto, por sen procurador nesta cidade ; appella-
dos, Isidoro Bastos & C.
PASSAGEM.
Appellante, Carlos Rosker, representante da fr-
ua fallida do N. O. Bieber A C.; appeilado, o
L' ndon and Braslian Bank, representado por sju
gerente.Do Sr. Silva Guimares ao Sr. Reis e
Silva.
DtSTRIBl'lCO.
A) Sr. Silva Guimares. Appellante, Antonio
Joaquim Salgado ; appeilado. l.uiz Fonseea de
Macdo. I
Ao Sr. Reis o Silva.AppelfanU, Joaquim Sal
vadur Pessa de Siqueira Civalcante ; appeilado,
Salvador de Siqueira Cavalcante.
AGGRAVO.
Juizo especial do commercio.Aggravanto, o
London and Brasilian Bank ; aggravadu, o deten-
to Luiz de Oliveira Lima JniorO Exm. Sr. pre-
sidente jurou suspeigao e passou os autos ao
substituto legal o Sr. desembargador Silva Gui-
mares.
Nada mais Tiouve, e foi encerrada a sessao
urna hora e 20 minutos da tarde.
Msperanca de nao exceder o seu jinjuizo
% do capital descontado. Sao estas senhure
ponderacoes que temos a (azer perante o Voleo!
conhecimento, e>|ierando que seris concordo*
com esta diretoria para que se faca o dividendo do
28 /o sobr* o capital realisado, ou 28^000 por
accao equivalente a somma cima, e ao m^H
tempo contamos de vossa parte com a indulgencia
propria de associados lio distinctos.
Pernambuco, 13 de novembro de 1869. ..
Os directores.
Feliciano Jote Gomes.
Tlwmaz Fernandes da.CHjjha.
BALANgO DA COMPANHIA DE SEGUROS MARTIMOS l TI-
LIDADE PPBUCA, A OS 3t DE OUTUBRO DE 1869.
Activo.
Accionistas.
Bens Movis.
Caixa.
Lettras a Receber.
Lettras protestadas.
Segures a pras.
Segurados.
360:0JW*>0
:437/90
\ 2:1295452
90:2345*93
l:000i0
14.340*fttff
2:l$9>40a
Capital.
Fundo acumulado.
Dividendo.
Lucros & Perdas.
Passico.
471:302 J49S
400:000*000
WHWWOO
11:200*000
lefia
-- Delllna Fernandes TavaM.
misso e ainda mo^mo a favor dos amodorrdosno D. Anna Anglica dos Santos Rodrigues,
neceado para que se convertessera e procurassem
o camiho da saivacao.
Receba o nosso Rvmo. missionario este fraquissi-
' io m0o Be Ibes do os paroehianos da Luz e
.lidade desto seu humilde criado.
i da Luz, 6 de dezembro de 18.
trio Ignacio Alves da Cu%a Souto-Maior.
471:aO4S
Pernambuco, 30 de outubro de 1869.
Os directores.
Feliciano Jos Gomes.
Thomaz Fernandes da Cnnli-i.
OHM0N6TRACA0 DA COSTA DE LUCROS E PERDAS, DA
COMPANHIA UTILIDADE PUBLICA, DE I* DB KOVEM-
BRO DB 1868 A 31 DE OUTI'BRO DE 1869.
DebHo.
Sinistros 33:785 8-21
Despezas geraes 7:4635979
Bens movis 174.000
Dividendos 11:200^000
Saldo desta conta 102^495
Por pilheria.
flUTACAO.
Cabeca que desconsol I
Cabeca forca dize-lo,
Por dentro nao tens milo.
(Extr.)
Meu ''.andinho Cachimbo, h teus versos
Foliutim da Careta, firam bonitos
F.dguei de conhecer-te e ri-re inuito
Por ver que a carapuca te servia :
Petas tripas de Judas teu patrono,
iE's_ poe^i sublime e teu talento i
Em motes o epigrammas pasma a todos 1
Dio-me prazer os versos e charadas,
Concebidos na la cabacinha
De lao podre milo carregada,
Nao le zangues com isto,* porque sendo
D'imprensa a iiberdado para todos
Eu vou aqui teus versos criticando,
Vas tu mordendo osmens como quizerec,
To simples cousa ignorar nao deves
Tu s nm bacharel, eu sou caixeiro,
} Seria moa mizeria eonsentires
Em ti ou lembrar em versos como estes,
D* que tal/ez te esquacas meu querido :
Quem conhace um poeta sublimado
a voz do coracao f Quero expixa-Io I
E' mais doce qujj o cntico do gallo,
Ou sino com cem annos de radiado.
Premios de seguros
Descontos
Saldo existente de 1868
B2:728{293
45:818* US
6:726350
173*830
52:728.2'.t3
Compauliia de Seguros Mari-
timos Utilidade Publica.
Srs. accionistas.A presente directora elrita
por assembla geral em 30 de novembro de 18i)7,
vera boje apresentar-vos os irabalhos de sua adi ii
nistraco durante o anno social decorrido de Io de
novembro de 1868 30 de outubro do corrente
anno. O presente relatorio que submeltemos a
vosso exame de accordo com o bataneo que apo-
sentamos, e do confonnidade com nossa escriptu-
racao, e de todos os mais documentos em relajo
aos actos de nossa gerencia no periodo relati'.'u,
vos esclarecern o verdadeiro estado desta compa-
nhia, seu crdito e prosperrdade, concorrendo em
verdadeira competencia com as dentis compa-
nhias aqui estabeleeidas, o que assim nos iof uz
a crer o mais brilhante futuro. Tal Srs. accio-
nistas na opinio desta direccao o estado da cotn-
pauhia Utilidade Publica, qu em seguida passa-
mos a descrever.
. Effectuaram-se durante o anno
decorrido 406 seguros na impor-
tancia de 3,590:604*726, que a di-
versos premios o suas apolices
renderam. 47:577 Ji 40
Deduzindo os reseguros e retor-
nos pagos. 1:749*023
Pernambuco, 30 de outubro de 1969.
Joaquim /'. Gomes.
Guarda-livros.
Srs. accionistas da companhia Utilidade Publica.
Emvirtude do artigo 41 dos estatutos desta as-
soeiacao, vem a commisso de contas apresentar
o resultado de seus irabalhos. Procedendo ao
exame nos livros e Bocumentos relativo ao anno
commercial de 1868 a 1869 de que a direccao se
oceupa rio relatorio, que nos ministrou, -Otuios a
satisfacao de declarar que acharaos ludo na nie-
llior ordem, accio, o regularid.ide.
De conforo idade cora os encargos de que [untos
revestidos, jleyemos informar, que o estado da
carteira nao c tao lisongeiro como se devia es-
perar.
A direccao na melhor ba f descontou lettras
dentre as quaes se achara algnraas protestadas de
prev^n$o, no valor de 40 012*323 rs., em conse-
quencia da fallencia dos saccadores, e de algnns
dos aceitantes alera de tuna nutra letlra de 1:000*
de que faz menco a directora. Como nestes t-
tulos a companhia ter de snffrcr prejuizos, (le
sero ainda aggravndos pof mais um sinistrn de
12:000* que se deu ultimamen'e c que a com-
niisso entende dever levar ao vosso conheMMto;
to. ella pois de pareeer, nao obstante o bmu es-
tado da companhia, na garanta qne offi
seu fundo de reserva, e pelo crdito ira
mente gosa, que se nao faca o devideufln
forjar o seu fnndo de re-erva, c melhor giruUia
aos interosses dos segurados.
A commisso tendo por esta succinta exposieo
dado conta da sua espinhnsa tarefa conclue lera
brando que se recommende directora para que
seja mais rigorosa a eseolha dos ttulos qu des
conta cujos risco deveriam ser mais dividido, e
pede-vns a approvacn.
Recife, 1 de dezembro de 1859.
Luiz de Moraes Gomes Ferreiva.
Francisco Joo de Barros.
Joao Jos Rodrigues Mendts.
Assembla peral reunida em numero de 183
actes representando quasi metade do capital da
companhia aprovou o parecer da 'omuiisso de
exame de contas, quant > a primeira parte, deci-
diudo-se |uanto a i' contra a opinio da mesma,
e a favor da directora mandando assim True se
effectuasse o dividendo imposto no relatorio da
direccao de 28 % do capital realisado equivalento
a 28* poraeco..
Recife, 3 de dezembro de 1859.
Os directores,
Feliciano Jos Gomes
Thomaz Fernandes da Cunha.
Ninguem, ninguem responde ? 'Stou pasmado t
Se eu podesse as quinas retrata-lo
Cora seu livro na mao, e auilotalo,
Emboca fossecomo verniz filado...
J todos me diriam : que rebeca
De harraonioso cantar, um portento !
Inspira muito mais que unta marreea
Oh I todos rir-se-hiam do talento
Que aspira no Recife vestir beca,
Tendo lia muito ensaccado o pensamento I
Tens sobrada razao meu bom Candioho,
Tu podes escrever, disser asnoira
Pelo titulo que hns, sejaraos francos
As coras de melo que a fronte ornavam
Do Pereira e O' Pestaa, a muito tempo
Te fiz presente d'ellas, e na > devo
To as tornar a pedir que vergonhoso.
Tu desejas saber se eu tenho manos ?
M"u pai nunca m'o disse o hem possivel
Que at tu, meu amor, meu mano sejas.
Mereces compaxo I pois ignoras
Da palavra o sentido ? Vai ao mestre
Saber meu gram-doutor, o que maniilio.
Se podes ser ou nao substantivo ;
E se elle responder-te em gargalhada,
Sabes ura meio bora : faz-lhe caretas,
Que eu por isto nao fico mal comtigo.
,Tn sonhes com comarcas, tens motivo...
Q'ieres tu, que te chamen de Colombo,
Acho mo, meu doutor, se o geito falta
Para seres aqu advogado;
Tira a mascara da cara e faz caretas,
E's bonito rapaz, nao Qcas feio,
Escreve por dinlieiro qualquer cousa,
Tens talento le mais, ninguem te igualha '
Golpeia o portuguez tu aju s machado,
De cascalbo o f.-rrugsm JHhttuiido,
Isto disse um ferreiro, teifbarente,
Innao do Porco em p, teu fabricante,
offeri'cjtjji'lo
qoe Mba-
iwo pm re-
Pfea liquido.
iNo periodo do anno demostra-
tivo descontamos tol leltras no va-
lor de 273:833*993, que a diversos
premios renderam.
Saldo da. conta de Lucros & Per-
das de 1868.
TotaL
Despezas.
Commisso aos directores, hono-
rarios ao guarda livros, e ao co-
brador, ao advogado, ao procura-
dor, impostos do escriptorio, etc.
Bens Movis.
Differenca levada a conta de Lu-
cros & Perdas.
Sinistros.
A Cunha Irmos & C avaria em
gneros no patacho Garibaldi, para
o Porto, apolices 3738 e 3748.
Ao baro. da Soledade, pelo seu
patacho .4/ic, naufragado noAss,
apolico n. 3900.
A Marques Barros A C. por ava-
ria grossa na barca HueUldade,
para o Porto apolices ns. 3386 e
3389.
A Francisco Ribeiro Pinto Gui-
mares ivaria em gneros no na-
vio Gazelle para Liverpool apolico
3837.
A Thomaz Fernandos da Cunha,
avaria em genero* ne patacho Ga-
ribaldi para o Porto apoliee 3767.
A Luiz Antonio de Siqueira, por
gneros no hiate Santa Cruz, nau-
fragado em roaem, para o Araca-
ty, apoliee 408
A Joaquim Jo Gancalves Bel-
tro por seeros na barca Beln,
naufragada em viagem para o Para,
apoliee 4077.
A Carvalho & Nogueira, avaria
em gneros na escuna Oliveira,
para a illia de S. Miguel, apolico
A Caropiano 4 Cordeiro, Mem,
idero, idem, apoliee 3948.
A Luiz Duprat, por generas na
barca Be/em, naufragada em via-
gem para o Para, apotlce 403.
43:828*) 15
6:726*5150
173*830
'.i-.int'm
7:465*979
45:262*316
174*000
45:088*116
I 2iii>:!92
12:171*088
68*880
75*736
62*700
1:710*000
17:310*720
174*106
l:470*(i00
PUBLICACOES A PEDIDO.
As missoes ua freguezia da
Luz.
Nao tora sido e nem pode ser polmico o pro-
ven-1 espiritual que fruein osehristos das missoes
Evanglicas pregadas pelos missionarios capucW-
nhos, porque em regra sendo elies iHustra J s e
dotados de unta moral purissima, instruem o edi-
licam ao mesmo tempo, com a palavra o com o
exemplo, c se isto so observa gerahnenle cora fe-
dos, mais especialmente se observen as ollinfa-;
missoes pregadas nesta freguezia. onde o Bvio.
Fr. Fidelis de Mara mostrou grande crudicio e um
azo especial, para as missoes evanglicas, colheo*
do ero geral os ouvinles dulcissiino fructo espiri-
tual em perfeita razo.
O Rvmo. Fr. Fidelis, ao passo que prega va/a
doutrina cathoiica em toda a sua pureza, fanatismo a expunha em linguageut clara e I
concisa qnanto o permittia a inteflgenc a dama!
ria dos ouvintes.
Chegando aqu no dia 15 do novembro prximo
passado, pregou 14 dias consecutivos, nao embar-
gando ter enroquecido logo nos primeiros dfis, le
modo quo muito a custo se exprima. Contpr-
hendea perfeitamente as verdadeiras necessidadks
da lreguezia, porque ao passo que pregava a don-
trina cathoiica, acon-elhou a factura de urna
cruz em ponto grande para a frente da matriz, aflm
de ser levada a qae ah bavia para o cemitrio, o
que se concluio em poneos dias, indo todos os ho-
mens validos conduzir o grande madeiro que (o
transformado era um bello cruzeiro bein entalhado
e de custosa fabrica.
Durante o tempo das missoes tratou mullo Sf-
rianiente das conBssfcs, baplisados e casamentes
dos amancebados e, no flm do santo chrisraa, tendo
confessado contigo continuamente o mesmo IY.
Fidelis, o Rvmo. vigario da Gloria o o Rvnt. Fr.
Paulino da Soledade, que a meu pedido se presta-
rara a este trabalho, que deserapenharara satisfac-
toriamente pelo que Ihes dou mous elevados agr-
decimentos.
Recebcrara a sagrada communho 911 flein,
baptisaram-se 16 enancas, chrismaram-se lltf
pessoas e casaram-se 22 sendo 14 amancebados
alm de outros que se estao habilitando pera o ca-
samento !
Findo o levanlamcnto do cruzeiro, quo tem 4>
palmos do altura e 10 do calvario feito por pedret-*
ro, benzeu o Rvmo. Fr,' Fidelis em presenca de na-
merosissimo ajuotamonlo de poyo, senji padri-
nhos.o major Jos Vendes Canieiro da Cunha, o
morgado Luiz Fencra da Silva, o proprietarl
Raymundo Nonato Correa de Barros, o Dr. Jo|o
Severiano Carneiro da Cunha, o capity Jojo de
Azevedo Araujo Pinbeiro, Antonio Luiz dos San-
ios, o capillo Jerony/no Pacheco do Albiquerque
Maranbao, o capilo Francisco Antonio Cabral de
Mello, Joao Correa de Araolo Vasconceltg, Caeta-
no Ferreira Chives, o capitao Jos Geisiniano de
D. Alexandrina dos Santos Miranda Magalhaes.
I). Antonia de S Aranjo.
D. Mara Ho'notau Tavares Marlins.
D. Antonia Pereira Caldas.
D. Leopoldina Carolina de Souza.
D. Henriqueta Paine.
D. Braselina Senliorraha de Mello Lima.
L, Lidia da Silva Moreira.
0 vigario Antonio Manoel d'Auumpftto.
Infame, cobarde, c calnmnlador, quem apresen-
tou proclamas de Francisco Marrano de Rarros,
meu ilho, com Arminda, querendo assim enxova-
lhar-me, enganou-se?.......... O reverendo vigario
deve syndicar quera na igreja se propz a enxo-
valha-la, apresentando proclamas sem os contra-
tientes terem sciencia : apresente-se, nao acober-
le-se cora a capa doanonyrao, que encontrar ho-
mem para o hm que pretender. Engenho Campo
Verde 7 de dezembro de 1869.
Manoel Honorato de Barros.
Mofma.
Clamor publico I
Clama, ne cetses I
Pede-se encarecidamente ao Exm. Sr. presidente
da' provincia, que se digne de mandar concertar,
quanto antes, a estrada de Tacaruna para Olinda
o, se lhe fr possivel, que haja de dar por ella uin
passlo, afim de verificar como se acha muito ar-
ruinada em diversos lugares, quasi intransilavel,
e at muito snsceptivel de occasionar grandes des-
granas s numerosas familias que nesta poca all
tem ido residir, e vao diariamente am mnibus,
carros, etc., pagando alias o competente pedagio
para terem bas estradas, e nu abysmos e pe-
rigos___
Assim. S. Exc. far um valioso servico s ren-
das publicas, e subido obsequio essas pessoas
que rauito lhe agradecerlo.
Recrrese logo assim para S. Exc, porque o
Sr. director das obras publicas nao tem olhos para
ver o pessimo estado dessa estrada, do passeio do
caes da ra da Aurora e outras ousas do seu
offlcio, como embado se tem chamado sua at-
tencJo.
Protectora das famihas
Os senhores contribuintes essa associa-
rao, quo preferrm mandar pagar suas an-
imidades nesla provincia, poder5o dirigir-
se ra do Livramenlo n. 19, Io andar,
antes do dia 10 do prximo mez de de-
zembro, afim de que os diados possam ebe-
gar na sede da associaclo, no Rio de Janei-
ro, no seu vencimento de 20 a 31 de de-
zembro da 1809. Depois de cuja data pa-
garo a mais da annuidade o juro que mar-
ca-o artigo 24 do regulamento.
Recife 17 denovembra de I8G9.
Xarciso de Vidal.
carga differentes gneros ; a H. Oeltle k C.
Manianf uape15 diaj, vapor brasileiro Mamlah.
de 2*2 toneladas.-eommandante Julio G. da Sil-
va, cquipagem 14, carga algudo e outros geno-
ros ; comoanbia Pernarabncana.
Da pescatendo sahdo de Rermnda ha 67 dias,
hate americano S, R. Sater, de 88 toneladas,
capillo R. D. Eldridus Me6 2-. rarSa
azeite de peixe, mesmo caffjlo ; vcio refres-
car, e seguio para a pes
Guanape ItandW dia?, galera argentina David
Stuart, de 678 tonelada?, capitn Frentes-,
equipagem 17, carga guano, no mesmo capito.
Veio refrescar e segnio para Huoptn Road.
Ro de Janeiro 42 dia?, escuna normiliense Oal,
de 136 toneladas, capitae Sclvig, equipagem
7, carga caf, ao consol. Arrlbon este porto
poi haver albarroado com urna barca franceza.
Seu deslino era Li sboa.
Obtervaco.
Nao houveram sabidas.
Suspendeu do lamarSo para Macei a barca n-
gleza Jessie, capilo W. Clack, com o mesrao las-
tro que trouxe de Montevideo.
EDITAES.
Aleas querido meu, meu hora Candiuln ;
ICserovo-iuo teus versos delarabidus,
M" faz umh carea todo dja,
Feia, bein f--ia, que provoque medo
Que me faca correr, porque te juro
Sendo eu teu amor, meu (hmtorsinho,
Ni posso te temer. Vera eirte espero,
Caretas contra mira fazer eternas,
S-! tu eterno s, deves Candinbo,
Eu gusta de rae rir. faz-me caretas.
Miguel Fontoura,
Ura voto de gratidao.
A soeiedade Liberal Unio Benefieento, seria in-
justa para com um dever civil, seno viesse pe-
rante o publico reconbecido agradecer cordial-
mente as distinclas corp iracoes religiosas e hu-
manitarias, que tomaram parte activa era auxilia
la para.o abrilhantamcnto des actos do 2 anni-
ver.-ario de sua inauguradlo, s--nJo ellas as irman
dades de Sant'Anna. S. "om Jess das Portas,
Nossa Srnhora Mi dos Humen?, igreja da Madre
Deus : sociedades Monte Pi Popular Pernambu
cano, Unido feneficente Martima; assim como
os Srs. acadmicos Jos Maria da Rocha Carvalho,
Aquilino Porto, e os nossos mui dignos socios
honorario* e convivas, que testemunharam pes-
sualmentc, seus actos solemnes e aquelles que
concorreram com seus bens auspicios para sua
realisaco.
E as Ilustres redacoes das folhas publicas nosso
reconhecmento, cora especial menco ao Diario
de Pernambuco um brado unnime pelos relevan
tes servicos que nos ha prestado e contina a
prestar, de nos fazer a graca de gratuitamente
publicar nossos avisos e mais" escrptos, c inffuin-
do com sua erudita penna, para atoar o nosso
curso humanitario.
. Contintlem sempro Vv. Ss., que as verdadeiras
recompensas quem decreta o creador. A todos
fazentos ardenles votos de sincera consideraco
paternal duradora naz, e prosperidade, da qual
desde j esta .-ociodade so considera devedora de
pesados tributos,ponJo a d sposico seus pequeos
prestimos.
Secretaria da soeiedade Liberal Unio Bonefl-
cente, 10 de dezembro de 1869.
O 1 secretario,
nefito Pedro do Rosarios
COMMERCIO.
PRAGA DO RECIFE 10 DE DEZEMBRO
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE
Algodo de Pernambuco 1" sorte 980 rs. por
kil. ihontem).
Algodo da Parahyba 1' sorte1 021 rs. por til
posto a bordo, frele de 5(8 d. e 5 0|0 (hontem).
Cambios sobre landres 90 d/v 19 7/8 d. por
1000 (hontem e heje).
Dito sobre dito -90 djv. 19 3|4 d. por'l do ban
co (boje).
Combio sobro Portugal60 d|v. loa OjO de premie
Oioje).
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
Soeiedade
baucaria em cora
mandita
M.' Theochro Simn fy C,
' Gompram e vendem por conta pro-
pria metaes, moedas nacionaes, e estran-
geiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno o do banco do Bsasil.
Dcscontam letras da trra e outros ti
tulos commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas Iransacc5es, da cobranca de letras da
Ierra e de outros ttulos commerciaes.
Receb-m quaerquer quaniias em depo-
sito, em conta corrente, e a prazo tlxo.
Largo do Pelourmho n. 7

Pauta
s irmes e devotas de Nossa Senhora Mi dos
Horaens, que teera de solemnisar o mez Ma-
rianuo no prximo anno de 1870, nesla igreja da
.{Madre de Deus.
Juiza perpetua.
A Illma. e Exma. Sra. Barooeza do Livramento.
Juzis protectora.
As Illma?. o Exims. Sras :
O. Francisca Lino di Cunha Porto.
Baroneta do Bemflci.
Baroneza de Cruangy.
Barooeza de Campo Verde.
Baroneza do Nazarelh.
Baroneza de Villa Bella.
D. Fcaneisca Thoodeiina Vieira Ligo.
D. Antonia Ricardo da Silva Oliveira.
D. Juanna Isidia da Osta Fradique.
D. Carolina da Cunha Ferreira Batlhar.
D. Constanga Perpetua Machado Beltro.
D. Mrria Candida Leal Loyo.
D. Herraelinda Francisca Pinheiro.
D. Emilia Fioh Pinto.
D. Pastora Thcoderica dos Santos.
D. Candida Branca Muniz Machado.
D. rjola Cordulina de Almeida Cruz.
D. Maria da Silva Castro Azevedo.
D. Albertina de Moraes Sarment Belfort.
D. Delnoa Correia Dantas.
D Joaquina Pires Portella de Souza Leao.
D. Ceciliana Spindola de Maura Rohm.
D. ldalina de Souza Moutinho.
D. Soares Poixoto.
E. Anna Carolina de Almeida Carneiro.
D. Joann Maria Sintoes Barbosa.
D. Augusta Candida Gomes Coirabra.
D. Maria Isabel de Mello Coirabra
D. Anna Marcolina da Costa e Silva.
D. Julia Halliday Garca.
D. Engenta Francisca da Costa Sondes.
D. Erinelinda Maria Pinheiro.
o. Fratwteca Lniza de Mello.
D. Emijfcr Adelaida Netlo-
Araujo Pinheiro o o Dr. Joao Antonio de SouzilD. Carolina Soares do Amorim Moreira.
Bettrao Arauj > Pereira, os quaes assistimm c-jmw '
clero e a frente do povo.
feguiose aps este acto o da bencofi dos ped
da ds -anta misso emqueo Rvmo. Fr.Fidel;s de-
pois do ama allucucio ao povo (que dle avatinn
em 8,000 possoas) doitou a boncao a tcto3 com o
C omiuaado das armas.
Faz-se publico paja conhecimeuio dos interes-
sados, que pela repartico do ajudante general, na
data de 24 de novembro ultimo, foram remet-
tidas a secretaria de estado dos negocios da
guerra com destino a thesouraria de fazenda dasta
provincia, as cartas de penso dos soldados Joa-
Suin Custodio da Rocha e Bento Francisco Lopes
a Fonccca.
Secretaria do commando das armas de Pernam-
buco, 9 de dezdinbro de 1869.
Francisco Camello Pessoa de Laceria.
____________Tenente coronel secretario._____
O capito Manoel Antonio Itibeiru, juiz de paz pri-
meiro volado da freguezia de S. Jas do Recife
e presidente da junta de qualiucaco, era virio-
de da le, etc.
Faco saber que, devendo proceder-fe rtvisao
da quaficaco dos volantes d'esta freguezia na
terceira dommga do mez de Janeiro prximo futu-
ro, de conforn idade cora a le regulainentar das
cloiQoes de 19 de agoslo de 184G e mais decretos
em vigor, conforme me foi communicado por ofG-
cio da cmara municipal d'esta cidade, convoco
aos Srs. eleilores e supplentes residentes na fre-
guezia, e abaixo declarados, para que eompare-
cam no dia referido, terceira dominga do dito moz
de Janeiro de 1870, s 9 horas da manba, no cor-
po da igreja matriz, alim de se organi>ar a junta
de qualificaco, flcando sujeitos multa de 40* a
60, aquelles que sem motivo justificado deixem
de comparecer : ou mesmo comparecendo, nao
assignarem a respectiva acta.
Eleiteres.
Capito Manoel Joaquim Ferreira Estevas, Antcr.w
Moreira de Mondonga, capito Manoel Antonio R-
bairo, Jo.- Simplicio de S Esteves, Juo Baptista
doRego, padre Antonio de Mello Albuquerque,
Joao Soares da Fonseea Velloso, Joao Antonio da
Silva Pereira, Ignacio Pessoa Esteves da Silva, Jusc
Lopes Dias, Jos Francisco Bento, Joaquim Pedro
dos Santos Bezerra, Dr. Francisco Teixeira de Sa,
Juo Cesar Cavalcanti de Albuquerque, Jos \nio-
no Candido de Lira, Miguel J s da Silva, Jos
Elias Maaltado Freir, Manoel Cosme de Moraes,
Jos Xavier Collio, Paulino Herculano de Figuei-
redo, Manoel de Paula Correa, Juo Moreira do
Mendonca, Antonio Percitiano de Barrosa arinho,
Francisco de Paula M.irinho Falro, Joao Xavier
da Fonseea Capibaribe, Ernestmo Cavalcanti do
albuquerque^ Jos Jtfvenal Das Barreto, Antonio
Muniz Tavares, Claudino Jos de Siqueira, Antonio
Dias da Sila Cardeal, Caetano Gomes de S, Jro
Guallieitade Paula Franco.
Supplentes.
Jos Aa&gjjap Qonaga Je Oliveira, Jos Antonio
Camello, Liberato Luiz de Fieias, Juo Carian'
de Abreu, Firmino Jos do llego, Antonio Tavare;
Catanho, Luiz Antonio da Silva Pe eir, Belehinr
Miguel dos Santos, Domingos Franciseu Dura.'--.
Antonio Soares de Carvalho, Cirneme Soares do
Carvalho, Antonio Jos da Costa llego, Franesc-t
Joaquim Viega?, Firmino Firnn de Azevedo, Mar-
colino Antonio Alves de Brilo, Ilerntiilo Herculano
Alves de Souza, Hemetrio Manel da Silva, Jo.':
Bernardo de Carvalho, Joaquim Jos Tavare-.
Pachecu de Menezes, Jos deMraud> Duiao. '
Guatberk) dos Pasaos, Luiz de^Soori Mndeir?,
Manoel do ascimento Pava, Simplicio ttenieterio
de Farias. Joo Paula do Albuquerque, lun Nico-
lao de Paula, Manuel du ascimento Rodrigues
Franca, Antonio do Espirito Santo Sena, Antonio
Jacintho Pereira Jnior, Antonio Joajuim da Sil-
va, Canuto Jo Mendes Guimares.
E para que chegue a noticia todos, mandei
lazer o presente, que ser afllxadu nos lugares d'_
costumo c publicado pela impnnsa.
Dado c paseado nesta freguezia de S. Jos do
Recife. aos 9 de dezembro de 1869.
Eu, Jos Concalves de S, e.-crho de paz, o cs-
crevi.
Manoel .luanid Ribeiro.
ENGLISHBANK
Of Rio de Janeiro Limited
DescoQta lettras da praca taxa a cb-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
praso tlxo.
Saca vista ou a praso sobre as cidades
prlncipaes da Europa, lem correspondentes
na Baha, Buenos-Ayres, Montevideo. New-
e New-Orleans, e emitte cartas de crdito,
para os mesmos lugares.
RA DO COMMERCIO N. 36-
ALFANDEGa.
rtendimento do dia 1 a 9.. 367:8l86
dem do dia 10 ....... 71:1721648
438:6#)>8a4
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
/olumes entrados com fazendas 44
dem dem com gneros
Volumes sabidos com fazendas
dem idem com gneros 839
368
1084
Descarregam boje li de dezembro
Brigue inglez/ay/?e'dmercadorias.
Vapor inglezSaphiraidem.
Barca inglezaRosemond dem.
Patacho inglezMaru Aunaidem.
Paucho americanofeaidem.
Barca francezaSphei vdem.
Barca ingleza|aWrudrfarnha e gaz.
Barca inglezafiaranAaocarvo.
Brigue draamarquezC'AWsfanmercadorias.
Patacho dinamarquezMargareth mercadorias.
Escuna inglezaMary James-*Wem.
Paijcho americanoLeonardidem.
Brigue noruegnenseMandaiimtabeado.
Barca inglezaTilismanfarinba de trigo.
Barca InglezaS. rsulaidem.
Fatacho bollandez Tasminiaidem.
Sumaca hespanhola Doloresdioros gneros.
Brigue portuguezRelmpagoidem.
HWBBfiiHMUA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
rtendimento do dia 1 a 9 14:070*420
Idemdodia 10........ 2:235*904
uECLARACOES.
16:306*324
CONSULADO PROVINCIAL
Keudimento do dia 1 a 9. 43:737*969
(dem do dia 10....... 11:499*328
oo:237*87
MOVIMENTO DO PORTO.
Thereza de Jezus Oliveira Magalhae3.
D. Joairaa Victoria de Brito- Cunha.
D. Maranna Al-xan nina tfo Oliveira Loyo.
D. Emilia Luduvica Marque.
D. Theodelraa Mamede Pereira de Mello.
D. Emilia Ros\ Gomes Coimbra.
Navio taido no dia 9.
LiverpoolBrigue norto-alleino Carotina, capilo
Aug vos Appen, carga algodo.
Navios entrados no dia O.
Liverpool49 das, patacho ioclei f. Rwrley. de
143 toneladas, capito W. F. Hartford, equipa-
Sem 8. carga carvlo ; a D. C C. C. Sempson
C
Rio de Janeiro24 dias, lugar francez Alikf, de
S28 toneladas, capito A. Somet, equipagem 9,
em lastro ; a Biliar ic Oliveira.
Lisboa35 dias, brigue p. rtBfDfz Relmpago, de
23.1 toneladas, capito ioo Epiphanio da silva,
equipagem 14, carga vnho e outros (eneros ;
a Thomaz de A. Fonceca & C.
Marsille30 dias, escuna dinamarqueza Ai tai-
de, de 13o' toneladas, capillo Roo, eqaipagem 6,
" O n-pector interino da alhhdepa faz puhlie
que o leilii das quatro caixas contando 40 parra-
fas com vinho espumoso, aniuinciado para boje, e
que deixou de ser effectuadu por falta de licitan-
tes, fica transferido para sabbado 11 do corrento.
Alfandega de Pernambuco 7 de dezembro d<
1969.
, O inspector interino,
Luiz de Carvalho Paes de Andrade.
Conselho de compras
navaes.
O conselho contrata em 13 do eorrente mez.
avista de propostas recehidas at as 11 huras du
manba, e sob as condieoes d i estylo, o forneci-
mento no trimestre prximo vindsura do janeiro a
njarco de 1870 aos navios da armada e cstabelc-
cimentos du marraba dos seguimos objoctos de
fardamento.
Para aprendizes artfices.
Bonets do uniforme, bouets d > servico, blusas de
brim branco, blusas de algodo azul, blusas du
panno azul, caigas de brim branco, caigas d; al-
godo azul, camisas de ajgodozraho, cobertor-,? do
la, cobertores de .Igodo, -calcas de panno azul,
colchoes de linho cheios de pallia, fronhas oe al
godozinho, lencos de seda preta para grvala,
lences de algodaozuiho, sapaies. saceos de guar-
larroupa. e travesseiros e Hubo cheios do palha
Para imperiaes inarinheiros e aprend/es
ditos.
Bonets de panno azul, camisas de brim brano,
calcas de algodo aznl, camisas de algodo azu!,
caigas de panno azul, calcas de brim branco, ca-
misas de bata azul para imperiaes marinheiro:
tendb 4 l|2 palmos de comprimento no corpo e "
as mangas inclusivo os punhos, camisas do baet.i
azul para aprendizes raarinheiros, tendo 3 palmo:
de comprimento no corpo o 2 na: mangas melisi*
ve os punbos, tardetas de panno azul, lencos do
seda para grvalas, sapatoes c sceosle lona para
marinbagom.
. Para artfices avulsos.
Blusas de panno azul, blusas de algodo azul,
calcas de brim branco, calcas de panno azul, cal
cas de aigadao azul e camisas de algodozinho.
Tamben o conselho contrata no mencionado di.)
13 do crrante, por igual forma o tempo indicado,
o fornecimento aos navios da armada e cstabele
mentos de marrana, de leona em achas o sal.
Sala dassessdes do conselho do campra3 r.a-
vaes 9 de dezembro de 1869.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Aujos.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DI
%aTega?o costera pmr vapor.
Pvahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Grtbja.
O vapor Pirapama, eommandante
Torres, seguir para os porto"
_______cima no dia flh > corrente as 5 horas
ebe carga at o da 14 eneom-
, e passageiros e dinheiro a freto at as
i horas da tarde do dia da sabida so escripto-
rio no Forte do Maltes -n. 12.
na
la
Porto.
i

I


J

i
-
":
I
Val satrfr bteve a tOKt.Laun ; para arga o
passafiiros, trata-se com 03 eonsipatarios Carra.
Ibo di Nogueira, na ra de Apollo n. 20.

.*r


-K
_I
___

D
d Pernambuco
vi* i i
Sabbado 11
de Dezembro de 1869.
1
Rio Grande to M
Para o referid dias por
ter qnasi toda r,i porjii
4,'iieia .1. miad i tittkt pode
tratar-se com .tvi.l l'erreir.i H.iltir, rua do Brum
ii. 9i. *
i uussa* e
I largo da alfa
Companhia americana c hrasilei-
ra de paquetes a vapor.
Air o dia 13 do crrante '> esperado de New-
Wk por S. Thomaz uWi 6 vapor americano
.^a/A Anwnca, o qua pos da demora do eos
iurac seguir para os portos di sal, para fretes e
passagens trala-se com os agentes Honry Fotster
(i., rua do Trapicho n. *.
llio (le Janeiro
Segu com Brevidade para o-pono cima o bri-
gue nacional /ftri, tem a bordo a manir pane de
>cu carregamento; para o resto que llie falla 1ra-
(a-se cora os consignatarios Antonio Luir do Oliva-
ra Aievedo C, rua da Cruz, n. .'i7, andar.
PORTO
Pretendo, sahir em poucos nas a barca porto-
truoii Social por ter a roaior parte do carregamen-
lo prontpto; para u resto qne llie falta e passagei-
ros, para os quaos icm bons conimodos, trata-se
'on o consignatario Joaqum Jos Goncalves Bel-
i rao, rua do Trapitlut n. 17.
Para Lisboa
A barca portuguey Pereira Borgrs dever se-
nir brevemente para Lisboa, ja tem a Itordo par-
'e da carga, e para o re.-io trata-se com Oliveira,
Filbos & C., ao largo do Corpo Santo n. 19, 1*
nidar, on com o capito na praca.
Rio Grande do Bul
"Segu com brevidade para o porto cima o bri-
uc nacional Am*lin ; para o resto da carga qoe
Ihe fulla trata-se com os consignatarios Antonio
Luiz do Oliveira Azevedo 4 C, rua da Cruz n. 57,
pandar._______________________________
COMPANHIA PEUNVAIBUHANA
M
"lavesa^o coseira |or vapor.
Mamamguape.
O vapor Mandak, commandante Julio, seguir
para o porto cima no dia 11 do crrante as 6
^oras da tardo. Recebo carga, encommendas,
passageiros e dinheiro a frete al as 3 horas da
tarde do dia da sabida escriptorio ao Forte do
Maitos n. 12.
CWJHPAtfHIA
DAS
Messageries imperiales.
Al c dia 13 do corronte mez espera-se da Eu-
topa o vapor francez Eitramulurc, o qual depois
da demora do eos turne seguir para Buenos-Ay-
res tocando na Babia, Rio de Janeiro e Monte-
video.
Para condiees, fretes e passagens trata-se na
agencia rua do Commercio n. 9.
Al odia H do crrante mez espera-se dos por-
tos do sul o vapor francez Guonde, capito H. de
Somer, o qual depois da demora do costume se-
guir para Brdeos tocando em Dakar (Gor) e
Lisboa.
Para condicoes, fretes e passagens lrata-se na
agencia na do Commercio n. i>. ______________
COMPANDIA BRASILEIRA
DI
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia H do colrenle o vapor
Tornnrfn, commandante J. M. F.
Franco, o qual depois da demo-
ra do costume seguir para os
?? purtus do >ul.
Desde ja recebem-sc passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sabida aa 2
oras.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de modicae.
Yudo que passar destes limites dever ser embar
ca lo com.) carga.
Previne-so aos Srs. passageiros, que suas pas-
sagens s so recebem na agencia rua da Cruz
n. 57 i'iimeiro andar, escriptorio de Antonio Luiz
do Oliveira Azevedo & C.
Porto.
Soguc com brevidade a veleira c nova barca
portuguea holina, pan carga e passageiros,
para os quacs^em excellentes commodos, trata se
con os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.; roa da Cruz n. 57 1 andar.
COMPANHIA PEUNAMBJCANA
DE
Navegando costara por vapor
Goyanna.
O vapor Parahyba, seguir para o porto ci-
ma, no dia 16 do corrente, s 9 horas da noite.
Recebe carpa, encommendas, passageiros e di-
nheiro frete, no escriptorio do Porte do Mat-
toS B. 13.______________________________
COMPANHIA l'ERNAAMBUCANA
DE
^'avega^a costelra por vapor.
Macei, escalas, Penedo e Aracaj.
O vapor Potengi, commandante Mello, se-
guir para os portos -cima no dia 15 do correnle
as 5 horas da tarde. Recebe carga at o dia 14,
encommendas, passageiros e dinheiro a frete at
as 2 h >ras da tarj do dia da saluda no escripto-
rio do Forte do Majtos n. 11 ________________
BAHA
c no armateui
o feijo.
t|V 9*. rttilMl*,
LEILVO
Segnda-feira 13 do corrente
De calcado a (aralas avanads sob marca
E A B & C. rt. 10396-1 caixa coleado ; A E S
e E A B 4 (i n. 10357, mosma malta e n.
i0359Mpwma marca o n. 103363 fardos es
topa ; Sifisma maraa e n. 103711 dito cober-
tores de 13.
E. A. Darle A C. atio leilao por inlarvencio
do agente Oliveira, e por conta e risco de qum
porten er, dis me/cadorias siqira me'cionadas,
avariadas d'agua salgada conforme ;a declarajao
dos peritos nomeadoa pelo lllm. Sr. cnsul de
franca nesa cidade, viudos do Havre pelo navio
SiUie, capito Be ni.
Segunda-feir
as 11 hora- da manhia em ponto, em seu arma-
zem roa da Ctfir. n, 48.
LEILAO
De duas casas terrees sendo urna
com grande sotca,
O agenle Puntual ^competentemente auiorisado
vender em leilg nina casa terrea sita rua da
praia do Caldcireiro o. 37, solo proprio agrande
quintal, urna dita com urna sof, solo foreiro, si -
la rua da Palma ns. 90 e 92, a qual rende 6123
annuacs. Os Sr9. pretendientes podcro examina-
las e cuneorrerem ao le.ilao.
Terca-ieira 14 do corrente.
No i' andar do sobrado n. 62, rua da Cruz,
as II Imras.
LHLIO
De urna importante mobilia de jaearanda a
Luiz XV com 18 cadeiras de guarnioao, 4 ditas
de bracos, 2 censlos, uin sof e una jardineira,
um rico piano do fabricante R Bord, um guarda
roupa dj amarebo, 1 toalhete de Jacaranda, 1
mesa elstica de amarello, 1 mobilia de Jacaran-
da cotn 11 cadeiras de guarmcao, 2 ditas de bra-
cos, i contlos com podra e 1 sof, 1 cama fran-
eeta do amarello, 1 inarqnezao, 1 commoda de
amarello, 2 consolos, 1 mesa de amarello, 1 par
do serpentinas ue crysial, 1 rico candieiro para
gaz, 2 jarros grindes, i meio apparalho de porce-
lana para jantar, 1 par de garrafas para vinho, 1
sof de atnarello, diversas cadeiras avulsas e inui-
tos dUtros oltjerto?.
Terca-feira 14 do corrente.
O agente Martins far leilo por ordem de o na
familia que so rctirou desta provincia dos movis
cima no armazem da rua do Imperador n. 16, as
II horas do dia
Seue para a Bahia imprelerivelmenle nestes
iliai a polaca italiana Sara : quem quizer
arrogar para aproveitar a brevirfade, pode diri-
uir-sc ao consignatario Joaquim Jos Gongalves
oltrao, rua do Commercio n. 17.
ABACATV
Segu nesles dias u palhabole Sobralen-
v, anda recebe algiima carga frete a tra-
tar com S Leitp & irmaos, raa-da Ma-
dre de Deas n. i.
LEILOES.
HOJE.
e marca EAB & C n 7, 8, 19 saceos com fei-
jo, de 75 kils. cada um
t)e marca EAB & C n.133,134. 4S5 caixas com
massas, pisi4Oj 25 a 30 libras cada um
DA
grande fabrica de refiuar e crys-
tasar assucar no largo do
Monteiro.
0 agente Pontual, competentemente autorisado,
vender em leilo os gneros da fabrica de refl-
nare crystalisar assucar, no lugar do Monteiro. a
qual estar em expo-ico das 8 horas da manha
s 5 di larde, desde o dia 12a 21. No mesmo es-
tabeleciraonto encentra rao as pessoas que o qui-
zerem examinar, pessoa competente para dar as
explicarles que queiram exigir
Seguuda-ftira 21 do cor-
rente.
Dever ter lugar o leilao no mesmo estabelecl-
mento no Monteiro, s i 1 horas.
2 caldeiras de cobre de dous fun-
dos para desearrregar o mel d-m
5 ps e 3 polegadas de altura, e 6 ps
e 2 polegadas de largura 4:0003000
1 dita com urna torneira grando
de metal, com 3 ps c 5 polegadas
de altura e 3 ps e 5 polegadas de
largura
1 tanque de ferro com 8 ps de
comprimento 3 ps e 2 polegadas
de largura, e 1 p e 5 polegadas de
altura
1 cano de cobre com 7 ps e 6 po-
legadas de comprimento e 3 polega-
das de dimetro
1 dito com 9 ps e 7 polegadas de
comprimento e 3 1/2 polegadas de
dimetro
2 tufos de cobre 35
3 tanques de ferro de receber o
mel para cuar com 3 ps e 7 pole-
gadas do altura e 3 ps e 5 polega-
das de largura, cora 3 torneiras de
metal 100*
1 bica de pao forrada de cobre
com] 19 ps de comprimento e 6 po-
legadas de largura
1 cano de cobre com 19 ps de
comprimento e 2 polegadas de di-
metro
1 taboleiro de cobre, 8 tubos para
oolar o nitl nos saceos para cuar,
com 3 jis de comprimento e 4 pole-
gadas de largura |
3 tanques de ferro 7 ps e 3 pole-
gadas de comprimento, 2 pos e 7 po-
legadas de altura, 4 ps e 5 polega-
das de largura com 12 torneiras 120
3 canos de cobre com 12 ps de
comprimento e 2 polegadas de di-
metro
1 bica de cobre com 15 ps e 4
polegadas de comprimento, 7 polega-
das de largura e 4 polegadas de al-
tura
3 filtraste ferro com 12 ps, 4 po-
legadas de altura e 5 psjie largura
com 3 torneiras de metal
1 prenca de madeira com 1 tan-
que de ferro para imprimir as bor-
ras do assucar, com todos os seus
pertences
1 tanque do ferro com 5 ps e b
polegadas do altura e 5 ps e 5 pole-
gadas de largura
3 ditos com 8 ps de comprimento,
3 ps a> largura, e 2 ps e 4 polega-
das de altura, com 4 torneiras de me-
tal
1 bica de cobre com 11 ps e 1 po-
legada de comprimento, 1 p e 5 po-
legadas de largara e 3 polegadas de
altura
1 cano de cobre com 8 ps e 4
polegadas de comprimento e 1 1/2
polegada de dimetro
1 dito cora 4 ps e 5 polegadas de
comprimento c 1 \i polegada de
dimetro
1 caldeira de xacco de cobre com
8 ps e i polegadas de largura e 3
ps de altura, com urna torneira
grande e quatro pequeas ; tendo 1
cano de cobre com 3 entradas para
a caldeira com 4 ps o 2 polegada
de abura, 2 1/2 polegadas de dime-
tro com urna torneira de metal
1 caldeira com ?uma torneira de
vlvula com 3 ps de comprimento e
i polegada de dimetro
1 bica de cobre com 7 pe e 4 po-
legadas de comprimento e 8-pulejra-
das de largura
1 columna de ferro com 2 serpen-
tinas de cubre por dentro com 10
|p* de altara e 6 ps e 3 polegadas
de largura
ano de metal para a caldeira
com fi ps e 3 polegadas do compri-
mento, 2 p; e 3 polegadas 4* Rro8
8:0005000
mmo
1205000
24*000
:05000
65UOO
3005000
40*000
405000
305000
360*000
6405000
150*000
1:800*000
I80JQQP
120*000
600*000
2005000
20 5000
12*000
m marea EAB A C. n.10, 15 sar
' de 50 kils. cada om.
E. A. Borle A C. far i
de quem perteneer, oor in'
dos MM>
a|oa PpRS conforme
nome.;' Ulra. Sr
ta cidade.
ceta Reine i
remeros s
oofre
do&r > 4iea*

6:000*000
120.50O
80*000
6005000
sara, e 4 torneiras de metal na co-
lumna 200*000
1 ei Jj,
100*000
i
1 caldeira i 4 ps de
e largura.com urna
oe d ios fondos 3:000*00)
1 lauque W ferro con quatro
ao para levar agua
i fabrica 4:000*000
vapjr da forea de 8
avallos _.:u
3 t(binas ou machinas do parear.
1:500*
1 aguilita de ferro com 27 te
3 polegadas decoinpriment
ssura cotn 5 volantes de di-
icgrs& tamaitos
2 machinas de relar assucar 800*
i (orno e seus pertences
1 moinho de ferro para carro*.
animal
1 dito de pedra uno
1 peneira grande de peneirar 5
cualidades de carvao ao mesmo
Uinpo
1 aguilhao de ferro com 18pese
l polegadas do comprimento c 3 po-
legadas de grossnra
1 aguilhao com 7 ps e 7 polega-
Wlas de comprimento e 3 polegadas
de grossura com um volante grando
1 roda de pao c ferro movida por
agua para todo o machinismo da fa-
irica, com 16 ps o 3 polegadas de
altura e 3 /ts e 5 polegadas de lar-
gura com dous rodetes de ferro
1 fornalha com duas chapas de
ierro com 6 bocea para reflnar em
laxa
10 colberes de pao para bater as-
sucar
3 ditas de ferro idem idem
1 caixao de peneirar.
10 ^cusirs de rame diversas
(toss nras
10 armaces de amarello para as
nesmas
1 caldeira de ferro com 5 ps de
Urgura e 3 ps e 5 polegadas de al-
tura, cora urna serpentina de cobre
com sete valias com peso de 14 ar-
robas e cora 3 torneira* de metal
1 (iliro de ferro cim 6 ps de al-
tura e 3 ps e 1 polegada de larga-
ra, com una torneira de metal
1 assentament) de madeira com
! laxas de cobre com 2 serpentinas
dentro das raesmas e 6 torneiras de
metal para rellaar assucar a vapor
com seas encanamentos
1 lauque de ferro com 5 ps e 9
polegadas de comprimento e 3 ps c
i polegadas de largura e 7 polegadas
le altura
1 bancada de pao com 5 boceas
ora bater assucar
1 encanamento de cobre com 31
(es de comprimento e 1 1/2 polegada
de dimetro
1930 formas de ferro de purgar
assucar 2*500
1 caldeira do ferro com 9 ps, 6
polegadas de comprimento com to-
dos os encanamentos de cobre, va-
lor para purgar
3 torneiras de metal
3 tanques de ferro com 7 ps e 3
polegadas de comprimento, 3 ps c
I polegada de altura com 3 ps e 7
xilegadas de largura com 3 tornei-
as de metal 120*
2 laxas de ferro com 3 ps e 5 po-
legadas de bocea 120*
1 bomba de japy n. 3
2 bicas grandes de pao forradas
de zinco
1 pnrcao de bicas de zinco que
communicam com os depsitos do
mel
2 taboleiros grandes de pao 20*000
27 ditos pequeos 10*
1 dito grande do zinco
2 estafas para seccar assucar
m pao, com 2 caldeiras grandes
Je ferro, encanamento de cobre e
torneiras de metal e madeiras
300*
1 estufa de seccar assucar relado
om urna caldeira de ferro com en-
canamento de cobre e torneiras
17 tanques de ferro com 2 ps e
5 polegadas de altura e 3 ps de
oocca 100* ^k
I volante gran^^werro
Una porcao de a^rao animal gros-
o e lino 1*200 a 1*300 a arroba
1 assentamento com 7 caldeira de
ferro patente para vapor com todos
os seus pertences e encanamento de
(obre com 11 torneiras de metal
1 tanque de amarello para lavar
carvao
1 coche de UmareHo com sarrllo
para lavar carvao
1 encanamento para levar agua
aos tanques c coche *-
4 carros de ferro (de mo)
1 dito sem armacao
1 ca roca pronpta para cavallos
com seus pertences
2 rodas de carroca em bom estado
1 lixo de ferro e mais ferragens
1 correia grande nova ctm 24 ps
comprimento c 4 polegadas de lar-
gura
2 ditas com 2 polegadas de lar-
gura
1 forma de bronze para fazer pao
de assucar
3 ferros de soldar de cobre
5 ditos de estanho e sida
7 manmetros em bom estado
Urna porcao do bronzes velhos o
novos
1 dita de canos de cobre perfeitos
1 dita de chumbo novo e velho
1 dita de parafusos com porcas
1 dita de ferramenta pertencentc
ao fabrico do assucar
1 folio de ferreiro grande
1 safra e toda a l'erramento per-
tencente offleina cima (de ferreiro)
e moldes de fniidicao
1 tarracha grande com todos os
machos
1 tarracha pequea com todos os
machos
1 caixao cora areia de moldar
2 caixas para moldar obras
1 pbrgo de ferro de diversas gros-
suras
1 folba de ferro grossa
1 1 bancada com 2 tornos, grande e
pequeo
1 porcao de chaves de 2 boceas de
diversos'tamanhos
1 porcao de ferramenta de carpina
1 banco de carpina
1 dilo de corrieiro ferramentas
20 saceos asios de lona
30 dilos ditos volhos
1 fita de medir 110 pollegadas de
comprimento
1 braco c conchas de balanca
grande
5 pesos de 2 arrobas, 1 de 1 arro-
ba, 1 de 16 libras o 5 de 8 a 1/2 libra
1 agullio de f irro com 10 ps de
comprimento e 2 pullegadas do gros-
sura com I volante
1 agulhao de 3 ps de comprimen-
to, 1 3/4 polegadas de grossura com
2 volantes e 3 manees dos mesmos
1 escada grande da casa de purgar
1 dita do servic i da casa
1 dita de dito dos filtros
2 canecas de folha
5 ditas de forro galvanisado
3 ditas de zinco
4 ditas de folha' e 4 pratos de dita
para tirar mel dos tanques
1 coco de cobre para o mesmo Om
1 dito de. folha para a casa do
purgar
2 calimbos para fundlcio
2 corredores grandes
1 dito pequeo
1 pedacu de pranchao d'amarello
1 1/2 dito de dito pau carga
2 machados
f iscadores
1 encbada
1 |Hircao de er
1 picareta
1 aparelho de suspender madeira
6 latas com verniz da China
1/i caixa eom f.lhas de (landre
1 ln oca
2 mangas de I' Tro com brooi^Mj
1 pe, ida de rame
2 ditas fallando Ihe arcos
1 cano de cobre de 3
comprimento e 3 1/2 poli
dimetro, de conduzir pe b^H
1 cano de de 31 ps de
ment o 2 pollegadas de
: 500*001
1:8
150*000
3:000*000 qu'cjjsJiiz o mel do moutejd para a
calleira d cozen
1 rano de ',o p_|6euniprimento
o 2 pdl <:; da deufHrneiro, que con-
duz o- vapores sorVUos
1 cano de cobre do 20 ps de
comprimento e 2 uollegnlas de di-
metro, que conduz vapor para o
uiontej
1 cano de cobre de 25 ps de
comprjmento o 2 pollegadas de di-
metro, que couiluz vapor para a cal-
deira de cozer
1 cano de cobre de 31 ps de
couiprimento'c 3 pollegadas de di-
metro que conduz agoa da levada
para o tanque do 5' andae
i dito de 20 ps o 5 polegadas de
comprimento c 4 polegada* de di-
metro
2 ditos de 20 ps e 4 pollegadas de
comprimento e 2 pollegadas de di-
metro
1 dito de 81 ps de cun primen t o
e 3 pollegadas de dimetro
1 dito de 81 ps de comprimento
2- pollegadas de dimetro
1 dito de 45 ps de comprimento
.i 3 pollegadas 1/2 do dimetro
1 Ato de 81 ps de comprimento e
3 pollegadas de dimetro
i dilos de 33 ps de comprimento
e 2 polleggdas de dimetro
1 porcao de canos de diversas gros-
suras que conduzem vapor para as
caldeiras das esturas, com 2 tornei-
ras do metal
7 torneiras do metal, grandes
6 ditas de diversos lmanlos
7 atas pequeas
2 canos do cobre de 30 ps de
comprimento c 3 ^llegadas de di-
metro, que conduzem agaa para as
caldeiras de vapor
3 repartidores grandes quo div
dem H inel pelas formas 30*
2 repartidores pequeos com 10
libras
1/2 barrica do cebo
1/2 dita de breu
1 porcao de panchas de queimar
osso.
1 porcao de canos de ferros grossos
1 toreador para caf
1 apparellio para guindar.com den-
les e duas rodas de ferro
1 dito de guindar saceos, com cor-
rentes
2 portas de fornalltas
1 assoalho de amarello da casa de
purgar, forado para 1930 formas
2 lorneiras grandes postas no cen-
tro dos encanamentos geraes 220*
3 bombas de abrir as lorneiras de
filtrar as turbinas, machinas do pur-
gar I arrobas de assucar em 5 mi-
nute dando una quaiidade superior
ao assucar sao, de grandejvantagein
para os Srs. de engenho
200*000
2405000
120*000
1:200*000
120*000
5*000
3*OOo
50*000
50*000
600*000
240*000
200*000
150*000
30*000
100*000
4:825*000
280-5000
60*000
360*000
240*000
60*000
20*000
2405000
40*000
270*000
10*000
600*000
300*600
1:700*000
60*000
2:400*000
2:000*000
50*000
50-5000
30*000
16*000
2*000
80*000
20*000
20*000
30*000
30*000
25*000
3*000
3*000
21*000
100*000
200*000
20*000
405000
30*000
50*000
12*000
D*ooo
3*000
10*000
3*000
20*000
10*000
20*000
30*000
30*000
205000
10*000
105000
20*000
1*000
30*900
26*000
60*000
60*000
10*000
5*000
3*000
2*000
10*000
6*000
6*000
2*000
100*000
1205000
60*000
80*000
120*000
80*000
80*000
350*000
240*000
160*000
350*000
240*000
150*000
150*000
80*000
6040U0
240*000
90*000
10*000
20*000
10*000
300*000
120*000
20*000
100*000
120*000
40*000
600*000
440*000
10*000
^- Manoel de Castro Guimariio* rolira-se para
Portugal, tratar de sua saiide.___________
Veneravel confiara
de Santa Rita de
Caa&ia. t
De ordem do irmao juiz, convido a todos os
nossos irmaot para se rcunirem domingo-12 do
corrente -* 11 horas do dia, allm de que, incor-
parados em mesa ge ral, se proceda eletrao do
procurador geral, que ebteve sua demissao,
Secretaria da veneravd confraria de Santa Rila
de Cassi, 10 de deieirfbro de 186!).
/. C. L
mi,
Escrivao.
Devoro tle Nossa Senhora
da Luz.
Por ordem da mesa regedora desta devocao,
erecta na igreja de S. jos ue Riba-mar, convida-
se aos limaos em geral para domingo 12 do cor-
rente, pelas 2 horas da tarde, no consistorio da dita
igreja, afim de se proceder a eleicao dos funcio-
narios que tem de reger esta devcao no anuo de
1869-70.
Consisiorio da devocao de N. S. da Luz 9 de de-
zembro de 1869.
Leandro Honorindo Josa de Sampaio,
_________ Secretario interino._________
Precisa-se de um eaixeir que lenha pratica
detaberna.de 12 a 16 annos de idade, e qued
liador a sua conducta, paga-sc bem : a tratar na
rua da Santa Cruz n. 3. Na mesma casa precisa-
se alugar urna pretaque saiba eozinbar o diario
Marcolino Vctor de Moraes, sua esposa e Joao
da Malta Vctor de Moraes, convidara a todos os
prenles e amigos do seu sempre chorado pai e
sogro, Modesto Honorato Vctor, fallecido na pro
vincia da Parahyba, a assistirem algumas mi>sas
que por fllma do mesmo mandam celebrar no con-
vento d i (.armo, no dia II, as 7 1|2 horas da ma-
nha. Desde j se confessant ponhorados.
"Precisase de um destilador que sejmcnrre-
gue do trabalho de urna pequea destilacao de en-
genho : a tratar na rua de Apollo n. 28, pninciro
andar.
57:288*000
AVISOS DIVERSOS.
E$TlTDO
Ili
Jos Soares de Azevedo, professor de
lingon e litteratura nacional no gymnasio
provincial do Recife, tem aberto em sua
casa, rua Bella n. 37 :
Uin curso completo
e Llngoa portigtueza ;
di Ungoa franceza, versoes
oraes e escripias de portuguez para francez
e vke versa, de conlormidade com o novo
programma do governo;
de eegraphla physica, poltica
e astronmica;
de Histeria universal:
de Plillosophla. Racional e Mo-
ra!
de Rheterh'a e Poetle.
48 pessoas que Jesejarem frequentar
quatquei* ou~q"aesqw destas aulas, podem
dirigir-se indicada residencia, de manh5a
at s 9 horas, e de larde a qualquer hora.
Na rua da Moeda n. 5, 2* andar, escriptorio
de Manoel Alves Ferreira A C, vende-se vinho
verde superior em barris, ancorlas com vinho do
Porto superior c mal vari a branco.
AMA
O Sr. Dr. Jos llcltoa Cavalcanti tem una
carta vinda do norte nesla typogaaphia.
O Sr. Felisberlo Rodrigues de Oliveira tem
urna carta, com ausencia ao Sr. Fernando Caeta-
no Barrilha, vinda de Lisboa, na rua do Commer-
cio n. 48, Io andar. _____
OITerecc-se urna ama de leite sem filho : na
rua do Caldeireirn n. 86.
Declarado.
O baixo assignado apressa-se em declarar ao
publico que nao foi dispensado, e sim dispensou-
se da procuradura do retalhamento do sitio Agoa-
zinha, em Beberibe, a que se refere o annuncio
publicado no Diario de Pernambueo de 7 do cor-
rente, e assignado pelo Sr. Joao Tiburcio da Silva
Guimaraes.
Luiz Antonio da Silveira Tavora.
Precisa-se de um menino brasileiro para
caixeiro : na rua do Rasarlo da Boa vista n. 2.
O Sr. Francisco Cornelio de Albuqnerque
Almeida tem urna carta vinda do Rio de Janeiro no
escriptorio de Joauuint Jos Goncalves Beltrao, rua
do Commercio nr!7, andar
Cozinheiro
Precisa-se do nm bom cozinheiro que tenha boa
conducta, para casa de peqnena familia, paga-se
bem aluguel agradando : a tratar no caes de
Apol'o n- W-____________________________________
Na fundiea da Aurora se entregar um di-
nheiro que W achado na ponte do Recife, dando o
portador os lgnaes certos e pagando este annun-
cio.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca fa
milia : na rua das Cruws n. 25.
Nova tinturara franceza
26RUA DAS FLORES25
Otto Sehnelder
O proprielario desle importante esiabelectmenio
tem a honra de participar ao respeitavel publico,
que tendo mudado-se da rua do Rosario da Boa-
vista para a ruadas Flores, achandose bem mou-
lado com machina c tintas de todas as qualidades
proprias perfeicao de seu trabalho. Tinge se e
lava-se com a maior perfeicao toda quaiidade de
fazendas, em pe^as ou em obras, de quaesquer
que sejam, taes como, laa, algodao, da, touquim,
chapeo de Miro c de manilha, pallfnha de to_s
as cores : os senhores negociantes, loglstas e par-
Mculares experimenten!, que todos achara) pro-
- Te
Advocada.
Caroiino de Lima Santos, (o ilho)
baili3rel em dircilo acha-se a na
estrella do Rosario n. 23 onde pode
ser procurado das 9 horas da ma-
B nhSar f$ 3 da tarde.
asBiis'sasi
CASA
Aos 20:0004000
\o Recife areo da Concelcioa.
Os atjjjxo assignados tendo-se habilitado a
i bjis, tem ex posto a venda os sens fefi-
o|as loteras do llio de Janeiro, na casa
u'ima, M|3e so pagaran as sortea que sahirera
uo mesmos bilheies, com o descomo somente
da le.
PtGO&
Bilhete inletro 24*000
Meios 121000
Uarlos 6*000
E de 100/ para cima a 225 o bilbete.
Figuciredo A Leite.
CASA DA WlTir
Aos 4:000$
Bilhetes garantidos.
A na do Crespo n.23 e casas do costme.
O abaixo assignado, tendo vendido alm de ou-
tras sortes, dous quartos n 2875 com 4:00# da
lotera que se acabou de extrahir a beneficio da
matriz de Nossa Senhora do O' de Goianna (129*).
convida aos possuidores vircm receber na
conforinidade do costume sem descont alguin
Acham-se a venda os felizes bilhetes da 13*
parte da lotera beneficio do patrimoniodae
orpbaos (130*), que se extrahir na terca-feira 14
do corrente mez.
Procos.
Os do costume.
Manuel Martins Ftuza.
O Dr. J. B. aa_ova, pode ser
procurado qualquer hora em seu cojwl-
TOiuo especial iio.MEOPATiiico, ao Iprgo da
matriz de Santo Alonio n. 2. No mesmo
consultorio acha se sempre venda os mais
acreditados medicamentos, de homeopathia
e tudo quanto necessario para as peseoas
que se dedicam ao tratamento por este
systema.__________________________
Companhia tle seguros oliliila-
de publica.
A direccao paga o 15 dividendo de &0OOpor
aceiio ou 28 OpO do capital realisado, d meio dia
as '! horas da tarde, em seu escriptorio roa da
Cadeia do Recite n. M, 1" andar.
Recife i de dezembro de 18li'J.
Os directores,
Feliciano Jos Gomej.
Thomaz Fernandes da Conha
Precisase de um menino de 12 a 14 armos
de idade para caixeiro : na rua das Cinco Puntas
n. 86.
Botica
Precisa-se de um oflicial de pharmaria cont bas-
tante habilitacao : na rua da Imperalriz n. 77.
Precisa-se de urna anta para casa de pooca
familia, livre ou escrava : na rua estreita do Ro-
sario n. 32, 2 andar.

D. Mara Amelia Bastos Guerra, Manoel da Sil-
va Bastos, D. Joaquina Correia da Silva Bastos, Ma-
nuel da Silva Bastos Jur ior, A (Tenso Henriqws da
Silva Bastos e Jos da Silva Bastos, mulber, sofro,
sogra o cunhados do nado Antonio de Sonza
Guerra, fallecido no dia 8 do corrente, cordialmen-
te agradecen a todas as pessoas que Ihes lizeram
o caridoso obsequio do acompanhar ao eemilerio
publico os restos mortaes do mesmo finado; e dea-
de ja ihes rogara a aasurau as uib_o de mo
dia que se tem de resar na capella do cemiterio
publico, as 7 horas da manha do dia 14 do cor-
rente, pelo que desde f protestara o seu reconhe-
cimento.
Engommadeira.
Precisa-se de urna criada para engommar
rua do Imperador n. 73, 2o andar. _______
na

m
Precisa-se de urna ama que engomme b
ra casa de pouca familia : na rua da
n.25.
Unio
Precisase de urna ama para casa de pouca
familia para eozinbar o engommar : a tratar na
rua do Cabug n. 1, luja de joias.____________
Jos senhores n/fwiaes de sapateiro
Chegou a antiga loja de calcado d rua da Cruz
o. 21 (sobrado amarellol um sorlimento de ferra-
menta para sapateiro, a qual se vendo por menos
preco d< q'ic em nutra qualquer parte.________
reito o vantagens.
" Precisa-se de um porluguez para feilor de
um engenho distante desta praca 12 a 14 legoas :
quem estiver nesus condicSes dirija-se a botica da
praca da Boa-visla n. 19. ______
- Precisase de um moleque para o servico de
casa de boniem solteiro : na rua do Mondego nu-
raero 93._______________________________
Aluga-se o segundo andar da casa da rua
do Aranrim n. 2l.no Recife : a tratar na. mesma
rua n. 52,.armazem.
C\%\ DI FE.
Aos 20:000^000.
rua do Cabug n. 2,
Bilhetes do Rio venda
vende Vieira & Rodrigues.
Precis; -se de urna ama para casa de pouca
familia : a tratar na travessa de S._ Pedro n, 10,
1 andar, entrada pola rua do Fogo.______________
Club do Monteiro
Hoje ha reunan familiar e haver um
treg. s II horas da noite.
P. J. Uiyme.
Aehouse. unta earleira contendo certa quan-
tia, e bem assiin um pequeo embrnllm ; a pes-
soa a quem pertenrer taes objectos, dando os sig-
naes certos ns receber, salisfazendo a despeza do
presente annuncio : a tratar no Io andar do so-
hrado da rua do Pilar n. 131. _____________ '
AMA DE LEITE
Precisa-se de urna ama qne tenha bom leite, e
que nao lenha fllho ; na rua do Livramento n. 36
1" anlar.________________________^______
Atten$o.
A' rua Nova n. 4fi, precisa fallar-se ao Sr. Joio
Pitangueira Paes Brrelo, a negocio que nao
ignora._____________________________________
Paran.
Roga-se ao passageiro que desembarcou hon-
tem neste porto, vindo no vapor, que por engao
levou urna mala por engao eom as imciaes L. P.
V., baja de mandar trazer a bordo do mesmo, que
ah se pagarao as despezas que occorrer. O mes-
mo abaixo asi ignado previne aos senhores passa
geiros que seguiram honteni para a Parahyba qne.
no caso de apparecer a dita mala, seja enviada
agencia desta cidade.
Laurentino Pereira de Vusroncellos.
Quer-se una homem que entenda bem de
ierdim para _m pequeo sitio perto desta
cidade
largo do Corpo Santo n.
3100
20I)
1 000
4fi000
200q
lifioO
101
<)0SU(K>
lOOOO
?0*001'
81000
|C00
Attenco.
O Sr. Dr. 'Francisco Joo Carnciro da Canha,
lema rua Nova n. 4C, una carta para ser-lhe
entregue. '_________________________
Ama ou cosiiiheiro
Precisa se; rna do Queimado n. 7 loja.
Pedido
Caixeiro
Precisa-?? de um caixeiro com pratica de ta-
berna : a tratar na rua da Concordia n. 152, ou
Augusta n. 78.___________________"
Ama
Precisa-se de- una ama livre ou escrava para
cozinhar, paga-se bem : na rua da Cruz n. 6tf.
N'um dos numiji
nambum, tond(Mi-e um anuncio res-
peito de urna pijbwra, o tjaal joijja se ter
sido botado ->el subdelegada dos Affoga-
dos e-lgnofando-se a residenda do annun-
ciantc, pede-se a cial obsequio
de declarar a sua morada. "
Commoditlatle publica.
As pessoa que preoiarew de amas deleite,
fBadas, feiftrw, iardinelrot, coonhelrjei beteeiros,
copeiros, caixeiros, tanto par a praca como para
o irtto; assim como qnem prefijar alngr casa>,
tanti na cidade uno no campe, podem desta 1ta
em diaate man_WHn o. seuawpdidos parcripto
os s*guintes Ingans : rua Nova n. 34, rutda
Iraperatriz n 68. rua" da Cadeia do Ptecfo n. 4C,
eraSmto Amaro das Salinas n. 76.
Pedo-se aos segnintcs Srs. se disrnem a compa-
recer na leja do Paco rua do Crespo n. 7 A, a
negocio de seu particular interesse : Antonio Pe-
reira de Souza e Domingos Martins de I
Monteiro.
Collegio de S. Francisco de
Paula.
O bacharel Francisco Jos Babello. competente-
mente habilitado pela directora da intruecao pri-
maria, tem aberto um collegio para educara) pri-
maria ewcundaria do ano loascolino, a travessa
das Barrearas n- 2. Ko mesmo collegio se pode-
ro desde j inscrever os alumnos que pretende-
ren) frequentar o eur-o das ferias no qual espe-
cialmente se eusinar) a< materias para os exa-
mes na lacnl lade no mez de marc

I
Aluga-se o sobrado com oxcellente cocheira e
![rande sitio, com boa baixa de capim. bstanles
rucleiras. entre as quaes boas mangas, cajos.
etc. etc. ; o qual quem o pretender, entenda-s<-
com Manoel Ferreira Ramos, na rua ao Artgao n
31, ou com Jos Peres da Cruz._________________
Na noite de 30 de novefflbro prexmo passa-
do furtaram do cercado do engenho Araripe df
baixo do termo do Cabo, um cavallo ruco com as
canellaa rodada*, dinas e eauda tambera nidadas;
era grao, anda baixo brando, e ao meio um pouco
atrapaihado, quando furlarain eslava um poaco
mancando do quarto esquerdo de um coice que
levou, idade de 8 annos, pouco mais ou menos,
tamrnho regular, um tanto pesado tabica, e :i
espora nao amito ardigo, tem no e^pinbaeo ca-
bellos dilTerentes de una bextga que leve, nc
quarto direito tem alguns ferros que se ignora,
e cima delles o seguinte K, e est ventado das
raaos: quera o apprehcnder ou der noticia certa
no retando engenno, ser gratificado : pede-se s
autoridades pobciaes que recommendetn a appre-
hensao do referido cavallo._____________________.
Manoel Jos de Araujo tem rraado sua re-
sidencia em Ganguaretama desde o 1" de junh>
ultimo.
Caixeiro
ixeiro com pratica de labor-
n. llkaija.
taberna:
ro com
a 33.
pratica do
Negra fngida.
Da Capunga-nova fugio hontem, 9 do corrente,
das 7 para as 8 har dt no'to, a escrava Fausti-
na, crionla, idade de 23 annos, pouco mais ou
meno; de estatura alta, cor fula, cara larga,
beiexis grossos, denles miudos, e quando fala pa-
rece nao os ter, bracos e maos cmpralos pus
apaltalados, e tem orna ferida na perna direila
pro6eiitc de um arranhao ; levou vestido de
chita roxa de letras e chale de mermo preto. L
muito conheci la na cidade de Olinda por ter sido
escrava d'. Sr. Dr. Agnello 0miaga, e no Recife
do Sr. Ignacio flora botiea no Terco : recmmen-
da-ae a sua ap(.r.diensao polica ou a qualquer
pesaoa quede-w mi-te* se quetra oncarregar, e a
m^Tvar a rua do Que.m.do tf 19, leja de
Santo Celho, ou rua das PernaHimcanas, na
Caponp, niiiu ^BB^jm^J^JOL!-*!*:_______I
_ PYi le. un pequeo boieeiro : na mf
Nora n. 46.
No engenho Jacar, comarca do Nazereth, sv
prerisa de dous homens para serem empregados
no mesmo engenho, sendo um para eilor de cam-
no e outro para urna destilacao, prefero-se porm
guezes i hespanhoes, on mesn de qualquer na-
ci malidade ; pudendo se dirigir ao-mesmo enge--
nho, entendeado-se primeirameBte com os Srs
Leal & rmaos no Recife, rua da Cadeia n. 66.
Io andar._______ ,. ________
mnibus de 0 inda.
Flix Alfonso de Barros, proprietark) do mni-
bus Encouracado de Olmda, pede s pessoas qne
pe queiram vir no praso de oito dias trocados, pois
que, dessa data por diante, flearao sem valor.
No dia 9 do corrente mez fugio o negro Se-
bastiao, e totuma a mudar o nome para Banedic-
to Jos de Sant'Anna, com os signaes seguintes
haixo c cheio do corp, com marcas de bexigas
bus ricatrizes na barrigas dts pernas, c as ces-
tas tambem cicatrize', e lem unta aindade freact'
as cosas, ou sobre um dos hombros, ja pinta.
i lade 50 annos, pouco mais ou me%)S, m tito re-
rr da Paz n. 13 (cocheira) que -era recoman* a da
Pergunta-se, est regendo a fregaeria do Poco da Panella, en
gir de quetn vai se casar a noite na igreja matnr.
mtia do 105 para administrar o Sacramee
m pcrgnnta-se, so os fi* -a* eslau. aotorisa-
mpor a quem infringe as pasturas, eo-




__
llrStfrl
______________________________-----'
%


i
I
io de Pernambucp --- Sabbado 11 de Kizembro de 1869
II
II
I
2 3 v> :
le.* s'l w
B 5 '; 'c "
f, zz "saa
nftif lifsi-B
fII s = r -l s t"
^ "" -, a r. -* -
e 3 ? 8* ? I i r


o
3 s i i.
.. < i. ti) ~

I sis-"* in
Primeiro introductor dos po$os tubulares
instantneos da Abyssinea.
Estes pocos oram espalhados na Euro-
pa, tanto qpo, qualquer duvida do seu
grande valor pratic6 deve desvanecer a vis-
ta das grandes-yantagens.
Milhares de' exemplos mostraram que
elles s3o de grande utilidade aos industriaes,
agricultores e particulares; at em todas
as expedicoes militares dos ltimos tempos
foram usados para procurar sem demora
agua fresca e .pura, e tanta quaota se pre-
cisava.
Em todos os lugares, onde um poco ca-
vado ou furado (pelo systema anligo) daria
agua, pde-se empregar os pocos tubulares
lles facilitara acnar agua muito mais
depressa, mais cristalina, mais fresca e
mais barata do que por meio dos pocos
cavados.
O systema dos pocos tubulares o ni-
co pelo qual se possa obter agua perfeita-
mente pura, liyre de todas as substancias
nocivas e preservada de todas as influen-
cias athmosphericas.
Por meio de urna machina muito simple, coosistindo d'um macaco, impelle-se para
dentro da trra um tubo d* ferro, cuja extremidade inferior est furada e munida
d'uma ponto Tace; e logo que a sonda mostra agua-no mesmo, deve-se atarrachar
a bonilla c faze-la funccionar. "Ao principio a*agua ter substancias arenosas e terreas,
porm logo se clarifica, e em pouc lempo sahir agua perfeiamente lmpida.
Oirtras vantsgeos que aprsente este systema s5o:
Primeramente, a promptido cona que se executa toda a obra do assentamento, que
omitas veaes nao leva mais de urna hora, sem remocio afgma de trra:
Segundo, a commodidadc que ello offere-ce de ser nao someDte collocado fra da
casa, como tambero dentro da mesma, com nae-menor facilidade :
Terceiro, a facilidado com que se lira para fra da ierra o poco sem o estragar
para o collocarem noutro lugar :
(hiaito, a grande quantidade d'agua que elle pode dar :
Quinto, a possibilidade de tornar, uteis com pouco trabalho, por meio delle os po-
cos cavados qtw Emn estragados pela arda ou por oulras causas.
Precisant-se de urna grande quantidade (Pagua pde-se introduzir na torra di-
versos tubos unidos uns aos oulros por meio d'um apparelho muito imples.
Em lugar das bombas aspirantes geralmente usadas, pde-se forneccr bombas de
compresso para elevar agua e cockiei-la aos andaras superiores.
O emprego dos poc/> tubulares 'sobre ludo proveitoso aos fnzendeiros, que em
qualquer campo onde o gado precisa d'agua, os podem colocar e arranca-Ios para se-
rem enllocados onde mehor Ibes cnvicr.
E' tambem de grande utililidade aos fabricantes de ceneja, aos distilladores e a
todos w.uUittMiti eingeral, &-coiB especialidade aos empreiteiros,' architeclos, en-
genheroe-e todos aquellos que prerisam de quantidade d'agua por lempo determinado.
late meihoite'o nico para obter em -qualpuer parte agua, que seja livrede par-
liculas nocivas, elle tambem proveilose aos proprietarios de casas e jardins, tanto
I para o uso diario cgme pan regar as plantadles c capira.
i Redinjos aquellos que nos quizeremj honrar com suas encommendas de nos
communirar: I.0em que proJuudidode se aefaa a agua, o que fcilmente se pode verifi-
car nos pocos ou caqmbs vlsfntas; 2 da que especie sao as carnadas da ierra da su-
perficie al a carnada que CQtmagua; 3" em que especie de carnada se a cha a agua
naquelle logar: 5." finauinente a quwdad- d'agua que se pede por hora.
A Cllocac 9 fl'i poco fioa pqr Cinta do comprador otiisrecendo-se porm a empre-
a a emprestar o apparelho le ass,entameoto mediante urna retribuico a convencio-
nar, a qual ir pelo lempo que se adiar fra.
v Tambem en.carcega.-se .le piandar urna pessoa habitida na collocacSo d'ess< s po-
cos, pagando comprador jem do sustento e despezna de viagem (ida e volta) um
jornal previamente con\endonado.
Mas para os Lugares louymquos (iiaiqu r pcsso(^^bil, ou artsti-
ca podev Aloen-los mm embararo, aingvi'fo-se Untcantcnte as ins-
truccMs que ac< Hip'tn/tam as re ftidas bombas.
Aspessons qut; qui^erem apreciar o trabalno dos referidos pocos, podem ir ver
funccionar roa da florentina, fabrica do cerveja n. 20, cr Reberdia em casa do 9r.
majqr AnUimM, n^axang iw hotel junio a poute c no Arrainl em casa do annun-
ciaulu.
II D01I4D0
oja ie calpado
JOQIIM DLVS DOS' SANTOS 4 G. acabam de abrir utn-esta*taat de at>\
Tido erti^angeiro a ra Nota n. 30, onde o pablicu encontrar* ttdo qne neg%t"
aero da comraercio ha de melteor e de mais gosto em Paris e Larfres.
Por todos o vapores transatlantirus receberao elles constantemente remess-*t*.
tallado novo, pelo que ter sempre -u estabejecimento o que a respeito se pe-esi-
gir. Ao publico em geralo a seus amigos em particirfar, pedea a coopera^* qc*-
Ibes possara dispensar, certos de que sero servidos com lealdade.
GUSTAVE
CABELLEIRElRd FRANCEZ
51Ra da Cadeia do Recife51 -
Mama a attenco dos seus innmeros freguezes, c do respeitavel publtf eak-
geral, para a seg'iinto tabella dos precos do sua casa, os quaes b3o vinte porceeu
mais, barato do que era outra qualquer parte, comecando no t. de (tezembro':
Cabelleiras para senhoras a -2'), Cadeias para relogio a 5^, 6&
30$, W e......40000(. 7;?, 8,?, 9, i? e. U3(tm
Ditas para hornera a 354 405 e 50000:
Coques a I2& 13^, 18/1, 20^, Corte de cabello......\ WW
235, 30* e.....30,5000 ... .. .
Crescentes a 12:i, ISA, W, 04, Corte de caJ,ell com fr,cta0* *>*
23*, 30* e *' 32*000 Corto (1 cabell com lavagem a
Cachos ou crespos a 3*, ty, 3$, champou. ...... i^'tv
6*, 7*, 85, 93 e. I0JO0O Crle de cabello com limpez da
Tranca de Cabello para annel a cal)eca pela machina electri-
500 e. .... IJiOOO' ca, nica era .Pernambuco. .. I.SO0*
Tranca para braceletes a 10,5, Frisado i ingleza ou franceza. 9ftt<
13*. 0*r 3 e.....30-5000 Barba.........
ASSIGNATURAS MENSAES
Especial id a de de penteados para easaineuto
Bailes e solres
0 dono do estabeleciracnto previne s Reromme-nda-se a superior TNT171A-
fexmas. Sras.'e aos cavalheiros que ha um PONEZA para enegrecer os cabellos e kar-
salopara tintura dos cabellos e barba, as- ba unica l(linlli,1a na Exposicao Unta
como nao pr< judicial a sade, por ser nt
sira como um empregado somente oceupa- iatil, analysada o approvada pelas acal-
do nosse servi<;o. mias de sciencias de l'Aitl E LONDKF

5
d
BEMO MALUA a C.
ce
tkmt
V. .'i:iriii-:r i.iiua honra de informar o lhii. pnLlico quo mtiJou o
I'ara encommendas c mais < atar na Iota do Sr. F.
J. Germarm
ra Nova n. 21.
-----------.----------
DEPOSITO DE PI^OS E MSICAS
PAIM A
M-i \ova n. 'i8 'primeiro andar (casa do Sr. Pinlo)
a*- i t nm irtiweoto dos j;i bem conhecido pianos da fabrica de Boisisclo'
W *... :('.i.ir.i< b(.m atforeg a de uiasicas as melhores ediles. Todos us concertos o
i .- .ni
Toda promptido e perfeipo.
i
A CHINAS
Esta nova loja de minoezas a ra .lo Cabug n. 8, voin fazer sua apresenta^v
ao publico esperando em breve teT freguc/.-'s. E^ta loja ter con.-,iantemeutc por
nteresses e qllimodo ? seus Jucturos fregnezH's ctwp! to si rtiienlo das nbp
Liis procuradas oeste meresdo para o que estando ligada por interesses a uroa
ii^Piiladora dcsia praca ten teito eocommeuOf Oe artigos especiaos como os qaeab?.
\o descreve paro a nnmenctataft dell-.-s reclama aliearao das pessoas que precisarea -
Acabam dei-brgar grande quantidade. das vrfla8eras machinas asacrfcanai
para ikscawcar algodio de todos os systemas o tamanhos segintes:
P4BMCA DE PIANOS
i'2 ser ras
14 ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
10
(8
0
22
12
li
15
16
18
20
serras
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
10
T
10
55
J. Rhigass, successo
Ra do Imperador55
'.\ litiga e bem conhecida casa, encontrar-se-ha como outr'ora grande sor-
iJBWito de ; ianoj construidos expressamente para o clima desto paiz, o .Mr. J. Rhigass
-m&> tibaltiado muitos annos na construccSo de pianos em Paris, acha-se habilitado
a pnepajar os pianos i.jue >ende com lodo6 os aecessorios indispensaveis nao s sua
?9tilez, como a sua duraco. Todos os pianos sao garantidos.
Tambora ha neste estabelecimento, grande variethde do msicas novas e dos
-*5bor* aotori-s, tanto vindas de Paris como do Rio de Janeiro, que se vende mais
rato do quj em outra qualquer parte; assim como ha igualmente venda todos o
^ijectos b os i contruccao de pianos. Os concertos e araacbes de pianos sero
""tes coa e maior zelo e cuidado.
22 ditas
25 ditas
30 ditas
33 ditas
40 ditas
| as qaaes se vendem por precos commodos e roga-se as pessoas que dellas flzeram en
icommendas de alguns tamanhos, obsequio de as mandarem besca-las o mais breve dos
' sivel aim de nao haverem faltas.
RA DA CADEIA N. 56 A
Lindos coques enfados,
Meias para senbwis (j> melhor r.o ge-
nero).
Esportilhos hygienicos.
Lindos jarros para flores.
Toucas e sapatidhos de croch,
ntremelos e babadinlms.
Facas garfos e col he res.
Carteiras e saceos para \iagcm.
Grinaldas flor de larangeira.
Hamos para o peilo.
Visporas (caixa de Jacaranda).
Aderecos do camafeo.
Fitas brancas com ioscripces de casa-
mentos.
Chapeos, toucas e sapatiithos de seda
para baptisados.
Vestuarios completos para e iiesmo 8m
Toalhas de labirinthos.
Collarinhr.s, punhos e gilas borda
Brincos de azeiviehe montado em dotara-
do artigo que se confundo com o verdades
ros do miro e garanle-se a perl'ei- ao e
raco,
Cintos largos e fitas para o mesmo m
Bicas fitas com os necessarios par
tura.
Lindos alhuns para retalos.
Comp' to sortimento de llores, pett'nvM-
rias dos melhores fabricantes e nui
outros aillos que nao podemos ennust*
rar poique temos um espago limitadonp
D'ario, |iorem es nossos freguezes kr
todas as quinsenas listas de novos artigas-.
Aguia IegraRua do Cabuga n. 8.
INJECTON BRO
I-, InlMIftci e rrcMrTMt*, b
* beteu 4* Buude. (E iigir i Ina
rae**. Iwhwi Bhnm. mi.
STiSJ^iir,
ARMZBH


XPOSICAO DE LONDRES
60--RA DA CADEIA DO RBffiEfi
n .,,. M PaRiyffiABAR UESTES DUS
(i proprietano deste estabelecimento teado de paitiifnuito breve para os Estados Unidos o Bwopa, faz coroaleta quidacio nesles #asy eara acabar
<******> p janellas cobertores ragleies finos, calcado o>f aeo, hijoterias dV-uro de fomq rtsetae d* rtbante, aneil. ocolo, lunetas, trancelins etc., apparehos
b ha para almoco, bandeja* etc., perfumaras de diferentes fabricantes, differentes caixinbaa, vasias coa enfeites muilo proprias para presentes, caixas
pertenees para costara, ferro de engommar, nao*sendo preciso carvSo nem fgaUrtro, naebmu de delir (atalaa ditas para preparar a carne para gui-
baer ovos e bollos, grande variedade de porcelanas, como, vasos paia toilette, apparelUes para tasa etc., duftrMrt* obiectos de vidro como seja: lustros e
-**i V*** S3,.,!8- "ternas para cima de mesa, esearradores eie., une exceileobM cofre* :as para retratos, ditas com ebeiros propras para presentes, mesas de cbarao, bandejas de dito. Estampa fiaas para quadros talagarsa
waa p:r dita para tapetes e para deifar vosos em cima-da mesa, relogio para cima de meea, dtfparede e de-*-o para algibeira, stereoscopos de diversos
Mita as mgicas para diyeftoen em salas, quadros com finas figuras de porcelana, ditos- comjBoyimenft>' mi bronseadas para efeites de esa,
**u .r banhos noraar ou rro^ ienens de liohosfinos para'algibeira!}, rieas- gmataf de seda, yart sertHaento di miudezas e brinquedos para crlancas
(airo de differentes tamanhos, lavatorios, stereocospos. ooemoramas etc. etc., que ser patente ao comprador; e mudos ostros artigos qea se vender3o
jsifts barato [ a inteiravente acabar, no armajera EXPOSICiO DE LONDRES auido
DA CADEIA
DO
A99
60
MEUHM EKEMPIAR ENCONTRADO
1
\



i
r


i

HpKo d Ptemambuco SabbaJo 11 de Dezembro de 18W.

E COM BOTAS
mam, msicas e instrumentos
4NTONIO JOSI DE AZEVEDO
r.a, acaba de
ehegar um
Partecipa ap resptilavel publico desia cidade
grande e ex atendido sortimento de
N. 11- RA \0VA-N. 11
f
r Aluga-se ama
mde quintal, con
o, Azfeha fura, cm gratule
tciidd 2 aah
copiar Pora, ciliada o p casa, do Sr. Paulo Jos nines o sitio do Sr. Jlo
Joto da Cualu Lages, na Capunga, roa.das Criol-
las n. 28 ; a?f.:n cono urna oatra casa no Poco,
da Panella, nn do Hio n. 28, conteni 2 salas, 3
rju irlos, cosinha fra c grande quintal, caiada e
pintada do no\o, muito propria pera passar a fes-
la a trtlar na travesa da Madre de Deo na
mefJ3:____._____.___________
Aluia-se uma mulata ja de Hade para leva
menn*8.i e>oa as horas do costume : a traa''
no sobrado da sala de dnca no largo de S. Pedro-
l
55
O (jte ba tle mais moderno, do teclado fixo e mobile, e cooi transposicao ou seifr ella, de autores
afama Jos e bt?m cor.iieetdos pianos da fabrica do Sr.
e das mais provincias yisiulias, que o seu grande e bem acreditado armazem de instrumentos para musi-
ados nesta cidade, como sejam : os
f a*
de Pars,
i.'ac
AFFONSO BLQN
de mica o annuucianle e o nico agente nesta cidade, como prova cera, o documento abaixo trausepp

cadbs especialmente para o clima deste paiz, sao os nicos que offerecem tima garanta segura de sua duraelo.
seja necssario insistir sobre sua superioridade. As suas vozes sao muit'd flautadas e melodiosas. Elles
senhores pianistas.
Tullas as pessoas que compratem pianos nesta casa, sao rogadas a exagirctn o certillcado de orifem asigna
aut ncidade do numero de piano cun o de certificado.
,*
e s5o aqu
possuem uq^- tecladi
-
itor. Brondel. Estes pianos, fabr-
h4e onliecidos desde 1841, para que
ue so piesta a todos os caprichos do

o sr.
BlondeJ, aSm de p.-ovar a sua
AO PUBLICO
i
Mr. Alplionse Blondel, fabricante de pianos em PARS, declara ao respeitavel publico de Pernaabuco que o mico deposito de sena pianos na cidade
o Recife, .i RA .NOVA N. H, armazem de Antonio Jos de Azevedo. Outro sim que tedos os seus pianos iro-tcconipaanados de um certificado de origem assig-
nado por mim.
i'aiis, 2 de julho de 1869. (Asssinado) Alphonsc Blondel.
O anBUCian e tambem troca e alnga pianos. E tem o maioRfl mais explendido sortimento de novas
11!ICA PAK1 PIAMOS
V> quees recebe trectameote da Europa e do Rio de Janeiro: das ac/ed laclas casas dos Sis. Fi-lippoue iV Toraagbi, Narciso, Ailhur Napuleo i C,
Tambem tem grande sortimento de papel para msica e desenlio ; cordas para todos instrumentos, ricas grasuras e quadros para ornamentos de salas,'oleados para
assoallio de salas, ricos espelhos dourados, quadrados e ovaes, caixinhas de costura eom' msicas e sem ella, esloj'os paraviag-m, nlogics com despertador, vidros para
fulos de iodos os tamanhos, talagarca, I3as o agulas para bordar, e muitos outn s artigos que o respeiLavel publico enconirai sempro neste armazem, o qual estar
os das at as 0 hor*as da noite afitn das Exmas. familias poderem i\apreeiar os seus pianos.
1* -t ,
J, Eerreira Vilfcia.
1*R IS----A RA IK> CAMY.A-r18
.1 t:ilr ida (: pelo poleo da matriz.
, rra! a!h i? do'fcediflracao desla
ia no ja dnram i" i de drz mezes,
. ;enl>ro iwoximu fu
l) ,!v i i qii ,: cada es i photogra-
-=e mu u'snii litado', -c
. :. ,i :. i i'incoalas, ineftisiv
ai ao labora torio. Ka$iien-
i -id) feitoi eipi'^-iaieii'i/ ;tir.i se montar
. o nao se pwden-
i nn*lhir u I irgphia
*;i i i ill'i de Janeiro,
ir i ph it grppho i!u lltasil, l' na i
ros lio tiitmJ ', a opinio dtaiuafc
\W.\'\-al.> iii'-!"-, a iiossa o!. .:j.'a!:iia acfia-se
li-1 '-la recditlra' la do Sr
. I acheo, a as regras
la polos mi diittteetos professores
ordo com as modifica oe* Beceaiana* ao cHuia
. reennlio is |cIj Uabittssi-
.'. > e : : (tic i Sr. I. Paelieeo.
r do ptdto fin quo est a hossa
ti a a solfirn da porta
r'i.i ieniJo-so do::iiii'i. tudas as
res '.na as novas sal; -.
)-'0 um novoterrtWff envidrarado mu
. b atipan.
ido l nos ama iageui eapessa-
para e^uaiiiar.....s as luplfeoc
d'ali, c !'<: a do Sr. I. Pacheco, a
fji' Crespn leu a d issos les
i.-jh e da ijual troujtonba os planos depois
le ali asannos iodo um ipaa estudando e apro-
d lid dsliouto incsiro. I'.'n-
itanita '.-ludus c |oaga
' l-' anmis de pliotngrphia as ujilissimas
ilii'.meiilo rcceiiida? do Sr. I. Paihi'CD,
rapbia rumo se
r:,a. puderemos, apenas encelar os oso bjovos
r a i Ilustrad i publico drsta
i ni sos fregueses traba-
graphia to nerfeitos coojo su podra
: -. ir, dista ebuwenci i s esperanios que conti-
.:ic:. a dispeosar-ni a raoma pn teccaq com
::' a l'i annos nos t.-;*i honrado o ajndado.
-- N prn^a da Independencia n. 33 se da di
nlidro sobre pnnhores d* onro, prata e pedrae
preciosaa, aeja qual for a quantta ; e na tnesma
caase compra e vende objectos de ouro e prata
e .'iialmente se faz toda e qualquer obra de en
coinmenda, e lodo e qnalquer concert tendentt
mewna arte.
Precisa-so de urna ama para co nprar e co'
linliar : na travessa do Vigario n. 3,1* andar.
AVISO.
Joaquina Petvira Arantes, com luja de calcados
na praija da Independencia ns. 13 e 13, ropa a lo-
dos os seus devedores de emitas antigs que ve-
nham pagar al o Bia do anno corrente, sob pina
de, passando as ferias, entregar a seu procurador
para receber judicialmente.________^^
Aluga-se dus casas na ilhado Retiro (jun-
to a ponte da Patsageaa da Magdalena), lugar mui
sadio e fresco, una dola de bastantes commodos,
tend j bnheiro feito para se tornar banhos; a
tratar com o Sr. I.uiz Manoel Itodrigues Valcnga
ruadas Trinclidrns n. 50. Io andar.
- Algiimae casas que [iiecisarem
iiadeir
de uma en-
gonmadeira, que engomma bem roupa para
lionicm c senfiuraa: dirija-se a ra do Ib ras
n. 80, que seo satisfatoriamente servidos, quer
na perreicao do trabalho c quer na commodiiiade
dos precos.
V VERDADE
Ruado Qneimado__55
A VERDADE tendo e'm deposito grande
quantidade de miudezas a perfumaras, e de-
sejando apurar dinheiroe adqoerlr boa fre-
guezia est rssohi eft muitissimo
barato, ; por essa ral ^Ra aorespei-
tavel publico.a vTr coiB^tentemete muni-
do asortir-se do borne barato. Pois quan-
do a Verdade apparece, tndo mair des-
e sortimento de bdhecos de fiera e
mais lindas possireis vestidas a ca-
Ama.
Precisa Isa de una ama para comprar e cozl-
nhar: na ra da Cadeis n 38. 2* andar.

GOMES DE RianOS IRMAOS
i tendo feito completa mudanza em sen antigo e
j aereditao estabelecimento de joias, eom o fim de
j dar-Ihe maiores propornoes e elegancia, convidam
"lao publico em geral e com especiaildade as Exms.
I ^^ Bro$. de >om gesto a comparecerem pessoalmente
das 8 horas da Manhaa s 9 da ncute na
Bili DO CABG4 If. 4
ondecucotraro fm complct bello e pi-eoipso em bri]hantes,''esmefaklas, ribins e lado que fa ofcras
z/2
LiOi
\ para alugar
BCazem, a roa Nova n. 00.
osle
grande ar-
*A fuga -se
ima casa em Bflfteribe : a tratar com J. I. de M.
lego, ra do Commercio n. 'li.
Alujp-si; Orna casa na ra do otovello n.
i -. tr i i" Midardo mejmo*obrad>.
Saliio hiz a coeceio
!! va: i i| regulamentos doimposios altera-
dos e creados pela lei n. 1507 ue iG de
etcnbro de 1867,
improt.-Mi lendo os de pessoal, esravo?, indas-
trias e firoflisOes, sello organisado alpliabetiea
3MS
de ouro, pr&ta e platina se podt 'deSejar.
AOEREQOS DE SiLHATES, ESMERALDAS E
de riovos rosto* assini como grand varietiede' de *$*aa e paiittjiws de
prata contrastada e de gosto ainda uo visto, e completo orlimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Compram e rocam qualquer joia ou pedra preciosa e garantm
j a qualidade dos objectos vendidos.
0 MUSEO DE
G^
ATTENCAO
O abaixo s-ignadn, cnearregado pelo proprie-
tarifi losHi'i Agoaiinha, cm Beb?ribe, d" retalbn-
mento d .i mtsmi sitio, por ter sido dispensad"
des-e si\ieoo Sr. Luiz AMobi da Silvtira Tavo-
ra. pude ?er prpeurado pelos protendenlea aos lo-
li'< de t'rras que re.-tam a vtnder-?p, ra do
Imperad* n. 27, I" andar escriptorio. Aos do-
miigos se eufcutiar para qMesi|uer arfojmatoes
n iquelle sitio o engenheiro Antonio Feliciano Ito-
dripue Be.
l'i eifc d de di'z-mbrn do 1869.
JoaoTiLnrciu da Silva Guimara^s.
liudft.
fllng-sa urna i'\-cf||.nic cn-a para prande fa-
- milia, na ra dR S. Rento prximo ao patn do S.
j Pedn-vfllio, iftie passo i a festa o .Bxui. Sr. I)r.
Ilraz Fli repiino : a tratar com o lulio da botica,
mi no VlW ara c mi o Joan Goellio d > Rosariu do
Mara d leais.
Casa para idwgar
\ ^a* urna eaaa na pomacao e- pipa'cos :
a tratar i:a tmturaria franceza a ra da luip.i.i-
tri7. u. "> i.
Ao publico.
O abaixo aricado tendo
men-ial da viny Caldas A
ci mprado a casa eom-
C, entende facer de- ,
clarar ao publico desla cidade que nii se resp... '
fsabilisa por aafito alpum da mesma viuva neni
do seu finado marido Eoas da Silva Caldas.
Cidade do As- IG de oatubro d Ij^Bh
Tranquilino da Silva Anlunes.
Ama
Lindas .asss francezas de cor iOO rs. o metro, na loja das Collumis ra
do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos.
Precisa-se de um rozinheiru que seja perito para
casa de familia, prc!'ere-se ociavo : a tratar na
ra do Amorim lyj'J._____________________
Precisa-aa de urna ama para todo o servido
de casa : no largo do F..rle do Maltos n. 3, ou ua
; cada acto a que sello est su- Capnnga. na da Amizade ns. 40 e 41
jeito, se se d3ve empregar estampiltia o) verba.
11 priniciro casj '|ucin deva inutilisa-la), trans-
i de propriedade, diurna de chancellara,
lumontu-s, multas applicadas faienda pniibca,
etc., o em appeudiee o do ofre de depsitos
(luldicos,
notados r.m as
inslruei;oe e decibles postojiores ate a
presento publicacae,
por
Francisco AugustC do Almeida, .
Io escriptarario
da recebjdori de Pemambuco :
vende- o ni roa estreita do Rosario n. l, ai.
' i i i-:*e de grande utilidad) advogado-;,
-.licitalores. neRociaute* a funecionarios pnblicos,
i acpiisicao de.sle trabalho. Aquellas fue assig
naram o nao reeeberam promptainont>, podem re-
-lunarna mesma casa.
dAma.
P- 11 urna ama : na ra do Vigario n.
:?. i'andar._____________________
Per iigueiro
IVrd.B-W um caehori i.-rdifuwry, de sext-a
tetra pa sabbadu da wuiaua pausada, de corpe-
drez, cum grandes orelhas e minchas cor de caf
sobre as costas : a pessoa que o tiver agarrado,
rlova, loja n. II,
>d. lev.vlt roa
rejymnensadn.
qno ser bem

Pre mp eserava qm
saiba cosiubar ia. a tratar na the-
>oiiiapi-da*-lterias, ma do Crespo n, 1">.
"i, j ------
Uma psoa que fei ouvir missa na capaila do
ewilerie, deixeu lieer too a conduzm.
iiauvHiiik-ora^Vs ; se der os signaos do i:.i
nMurtwIra da rea do Sol n. i3 ser-lhe-ba fres?
O 5r. Mam.i I Salaz i_r Schiappa Montciro tem
urna caria no escriptorio" de Bailar, Oliveira & C,
ra do Visarif n. 1.
Precisa-se de urna ama de leite para acbar
de criar urna menina : a tratar na ra Direita n.
2,-loja._____________
Precisase de um copeiro
rncrcio n. 17, i' andar.
na ra do Com-
Aluga-se a casa n. 5 fita ra do Socego
a tratar na ra dos^razeres-n.30.
iEPflPRESTIMO SOBRE
Precisase de uma ama que compre e. eozinhe
para casa de familia : no Corredor do liispon. 23.
Gaixeiro
Procisa-se de um caixeiro que tenha pratca de
negocio, e que d fiador sua condbcta, para loja
de calcados: na ma da Imperatriin. 10.
Abotoaduras moderaos para col
letea....... 320
Espelhos donrados pepnenos. 2(i0
Agulbas de osso para erOx a 200
Pentes para rega? com esntas a 320
Hicos globos para candieiro de gaz a I($800
Chamins a....... 320
Grande sortimento de objetos de
Iouca para brinqoedo de menino 100
Garrafa com tinl a. ". 800
Dita com agua florida verdadeira a fjOOO
Dita com dita dita a ... 1S0! 0
Frasco cora oleo de babosa a 500e 720
Dito com agua de Colonia a 300 e 500
Garrafa com agoa divina a. f500
Frasco com extractos linos a 10000
Latas pequeas com banba muito
fina a 120 e...... 100
Sabonetes de diversas quali lades a
80, 160,2 Oe...... 3v
Finas escenas para dentes de 120 a G00
Lindos coques modernos a. 20000
Pavius para^az, duzia a 240 e 32t>
EscovaS para fmto a .'i' 0, 000 c 70C
Ditas para cabello a..... 500
Pentes para tirar piolio a IfiO e. 4('
Brincos de cores, bonitos a 160 e 20C"
Pecas de tranca de 13a com 8
varas por....... 80
Oleo para machina de costura,
frasco a........ 600
Peonas d'aco Qnas calas a 800 e !;
Tiila d'irro Perrj', caixa a. l^O'
Gal5o de algodao pega ....
Lindos babadinhos e eidremeios
pera de 300 a...... fv
Ditos de lotiza mnito lirio a 120 e 800
Ditos para' calca a 160 e. 24<>
Cixacotn ppefamizarlea. .
Ditas coni euve'opes a. .
Ditas cerh obreifts a.....
i cotnagalhas fundo figurado SO
Hilas do ditas dfta a..... 1G1
Thesonra para costura a -2'iOe
Caixa rom Hnl'a de marcp a 280
Linb tic cores em hovcflos ''i-
bra) a........
Carroleis delinha Mcxa
at 200. :U, ,&\ .
Gran iilo finos eom passa-
ros, duzia a...... 2W)
ia a :'.
Hilas francezaa a 20200 e 3>?(
Papel al mato e do pe i. n : ia a
ia.'ifui 'it>:rn .>
Precisa-so do um caixeiro p rlugnez de IJ
a 16 annos : na na do Pilar, em Fra de Portas,
taberna n. 81.
ESE0S
Compram-so o vendem-sa da riamente para fra
i dentro da provincB osera vos do-todas aa idades.
cores e sexos, com tanto que sejam sadies : no
'.erceiro andar do sobrado n. 36, a ra das Cruces,
freguezia do Santo Antonio.
Compram vo moedas de ouro o prata de to-
dos ns valores, ouro e prata em obras inulilisadas,
brilliai.tes e mais pedias preciosas : na loja de
prives do arco da Conceicao, no Recife.
0 muzeo de joias
Ka ra do Calmea n. 4 compra-so onro, prata
i pedras preciosas por presos mais vantajoso3 di
iu em outra qualquer parte.
Una muito maior vaniage n c. nipram-se
moedas do ouro e prata : na loja de joias do Co-
racande Ouro n. 2 1). ra do Cabug.
160
Em casa de THEODORO "CIIIUST1
ANSEN, ra da Cruz n. 18, encontram-s.
effectivamente todas as qaaJidades de vinb'
Bordeaux. Bourgogne e do Rheno.
= Desencaminhou-se urna barrica com podras
decores, que um preto conduzia : rogaee apes
soa que a tiver or seu poder, o favor .lie avi-ar
na botica do Sr. Barbosa, ra da Gadeia ir. 61
que se Ihe flear aeradecido.________________
Ra da Concordia padaria, precisa-sede um
massaJor que venda pao ; paga-se bem.
O Sr. Ciwtodio Jos da Silva tem. urna carta
na ra d Cruz, taberna n. 31
Precisa-se de um criado para casa !* ho-
rnero solteiro : na ra da Camb de Carino n. 21,
i" andar.
Aluga-se
o 3 andar do sobrado n. 8 ra da Imperatm :
a tratar com l. I. de 31. Reg,, ra. do Trapiche
n. 34.
ItoHJirtiAft alW'p Ui llKneque, agradando
pafa- bem : na ra do Com nonio a. 3, pri-
iM "" Furiaram. doeunmbn o^nezia de
ianlo A4ao, no i" do orreni He rom ns
-^wMen sjgnaes : o branca,
.*r lMTea,um l(, oelho,
a tim fcs (tltios a i engenho,
tem atarea de paitara!, alera de alguns ferros
mais que tem. mais uma cruz no qoario direito e
tra na p, estando esta apagada, gran'!
tade de lia/ir 'Jo ; que: r no-
i roa d Caldori'inpg^^^^^^^^^l
9H* fMMsairi
13ASSA e XABOPE
DECODEINADEBERTK
PreconHados por lodos o mdicos contra i
DEKLliXOS, CATHARROS, E TODAB AS|
IRRITACOES DO PE1TO.
N. B. O Xarope A* CoA&na que mtrecv a I
Ira, alaf bem rara enlre o Sledicamctitoil
M, de ser registrado ctump um di/jttedlca-\
tus ofliciau d Imperio Pranctt disfetsa^
qualquer eloffo.
AV3M. Por causa da r*pfil>eiisi*l falsi-
(SEM LIMffE.)
Na Iravessa da rita
Crazes n, 2, pri-
meiro' andar, da-se (pal-
qner quanlia sobre onro,
prata c pedras preciosas.
0 dono deste estahriectniento,
competentemente antafHanb pelo'
governo, est as coodicSes de ga-
rantir a trantacco qae se zer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e cosideracSo s pessoas que se
dignarem de honra-la eru seu esta-
belecimen,to-
Na mesma casa compra-se"ouro^
jrata e brilhantes. i
Para escriptorio.
' Precisa-se alugar uma sala na ra do Impera-
dor ou do Crespo : quem tiver e quizer alugar,
dirija-se a roa dtr Qteima ie n. II, loja.
/
iLUGi-SE
i-.'rtiinri
suscitado o feli resultado i_
3Roj>r e us da Bcnh sonto* forcaoV^ j
i quccMi'snMKajueatotJiajuiuil
ca clh>-
l:3-l<'fr:i6CslV-jn&[^Jf
boma casa terrea sa na cidadi
nova de Santo Amaro, cora bastantes commodos:
.lar coi Antonio Jos Gomes, Jnior em San-
lo"Amaro.______________ '__________
O Sr Alencar, oficial de iuizo, que
foi ou que dizem ada- ffPgternen-
te, residindo em Gamelleira. (jfbenh vir ou
mandar dar soluyio sobro o inapostos das
carro;as que se sndou pagir'plo Sr., e
at o prsete n5o tem apparecith comaos
documentos; deseia^se no corrtttar com
este annuneio pAMHr dr.
Atenlo.
Xa -.ivessa da ra do Rangcl n. 49 vendefe-sf
batatas das ultirnMjteembarcadaa a i i o gigo.
(Tan! iroba cada g!go : na ra do
Batigel n i'.tjjbaml:______________
Aldga-ffi ;m 3* andM atraz da netriz de
Santo Aot4aaUU : a iratar a* ra das Crazes
n. 9,1 inda* da 9 horas ao atejo dia.
nflfi
TWLHOS OBBABOS
DO
RFC1FK A* CU,fc\ V.
Compra-se travs com o imprirnento de
10, 20 e 30 palmos, e 7.1jfc. g, 8 l/t. 9
tilingadas di* grossura f (foin wa, das
guintes madeiras : amarello, oUiu, Si-
cupira, e outras madtiras de duracao para o ch3 >; a tratar. n>e*prtpto-
rio da superintendencia da, companhia -l
ra d'Aurora. das 6 hra idtrmanhaa as
i da tarde todos es das utei.
Eserptorio da compaobia-, (> de denm**
bro de 1869,
Superintw^inte.
Andr de A rU).
wm
itenda de
Corredor
e tmr feitor para um sitio, qae'enf
iard^e jpais pajitafees : a tratar no
eir5.

, Preeisa-se-de m? caixeiro que tenoa pratlca de
taberna e d nador a.sa* coaiucla, pjeferiudo-ie
braaileieo i a tratara roa Oiperial n. 47.
Boa VigeiiL^
Desoceos m nata cata acuella pOTeaeao logo I
que haja qnera queini algala, no local mais
alegre, teja i quartos, quinlai cercado e benlieiro
tratar Baanufcwlton. SI
Compra-se cobre, na ra do Qneima-
do n. 10. RIVAL SEM SEGUNDO.
L
HOJE libras steruas e ouro
assim carao .prata, porraai
mura parte na rna da Ca
loja do azulejo.
todas as naque*,
jco do que em
to.'Recife n. 58,
Compra-se
na ra do Hospicio n. 38 uma eacrava coiinheira ;
e na mesma casa precisa-se alagar urna escrava
para lodo o servir.
NA IMPERIAL
fabrica de ceneja dos Srs. Ili-nrique Lei-
den i G ra do Sebo n. 35,
eompjaui :: gnalas vasiaa proprias para vinho
ou cerveja. por maior prceo do que em qualquer
nutra parle.
*rNDAS.
Liquida^ de nzendis ba-
ratas
Xo arma.: o "... rna Nora n. 'i8, venden-#c fa-
zenrias por preces baratissinios para acabar, eo-
mo sejam, i'bitqs largas,;eto perleilo estado, a
rs. o i-ovado, pecas de algodonziiiho milito-EiarajM
ditas de madapola >, llazinln^ haraltssimas, nm*
sas francezas e inglesas, caleaa de- brim parda.
inalotrjj panno lino 13i, adietes de casemir
laMOOR eouiros muitos anigos baraliasimos o
se eslo acabando. Aellas, que peemneha, vinte
mil varas de eaffltiraa*jle cores de lindos padrSes
a i'iO-rs. a vara, fazebda que todos venden a
700 rs. _____________,________________
- Vndese umberee de Jacaranda com pouco
u-o : na raaiaMrial n. 16.
3^400, 35O0 e
i.a muito fna para bordar, libra
Fita de algodo para .deb un de
sapatQs, pega a.....
Ditas de 13a para debrum de ves-
tido, pera a ......
Pentes 6noS para segurar ca-
bello a ;......
Ditos ditos de bfalo para i
a 240, 32 e......
Ditos paia aparar peana a .
Rnsetas pi etas, par a .
Tranca de laa decaraenjega a 40 e
Fita de coz pega a i80 e .
Alfinctes de latao a.....
SapatosnY 15a para crianga a lOOe
Qravata de sedas do cores a .
Cslcadeiras a.......
Graade sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio do borracha por
100 ris 1111!
HHa Verdade rna do QueEiuada
a. 55.

: ix)
100
too
no
100
800
80
A 3^000.
Cha verde de excediente qnalidnde : na botica
hnmeepf tilica da viuva do Dr. Sabino O. L Pinhe,
ra .Nova n. 43.
PARA A F ESTA
3 portas, 1 ja de fer a;em
53-Bna Direita-53
Neste grande eslalielecinioeto, ha pata vender
nm complrt.) sorlimento de ferrageai, e tniud
linas e gro.-sas, como sejam bandejas cliinezas
quadradas e ovaes, facas e garfia ue I 3 I;
mes, balanco inteiro e I/I balando ; pancllas, clia-
llieiras, eaearollas, fii^deira>, assadeiras, tanto
de ferro como de porcelana, inouihos para cal de
diversos lamauhos do pbncanle Japv, pesos kilo-
grtnmee, lauto de ferro Como de fatao, metm.s
para medir lazenda tanto de ferro cono de lati,
salitre, breu, barbante, enxofre. papel marca va
do, do verdadeiro Picardo, maeliinas para desea
rucar algodao; alm da eutros artigos de forra-
gpm, miudezas culitarias linas, que s ca a vis-
ta se verifica ; na ra direita n. 53 loja de 3 |H r-
tas de Manoel Rento do Oliveira Hragat C.
Vende-se na roa da Aurora n. 26, um ca-
briolel com molas fortes, bom uso, Cun aneioy
por mni mdico prego.
Vende-a na ra da Florentina u. 18, um c
digo cijmmereial braslleiro, ultima edicio, em bom
uso, por netrde do que so \ende as lijas.
Vende-se urna bonita escrava recothida, di;
idade 18 annos, boa engonimadf ira, cezinha bi n
e cose chao, um mualo, bom pagem, e para I
o servico, de idadeO anncs.um escrava de i<
24 annos, engomma b> m e cozinba per I
uma dita tte idade 20 annea para todo osu
orna boa ese.rava de nagLti Cusa ftnrftaMtkiadis
ptima contii'la e lt ma li|i a. i na (.:1a de n i
idade, mu ito fi 1 e 11 a ur.it; rulen a |u : (.1
na travessado (armo i
----- -1ZLI--------!--------.
|ata
>a ra do
ue eaaapre c cozinlie,
ia, jn*r-e escrava:
o. 32, andar. .....
Vendr-iPna escrava pre% rrioula, de 20
annos com uma-etia parda, de 11 mezes, a preta
engoma e cosinbai e n3o tem vicios nem acha-
ques, o motivo da venda so dir ao comprador,
na Cap uugara da. Crellas n. ID.__________
yend(Te-ou permuta-se o graudo tei i
pm que tm casa o Sr. tenenle-cowiel Cari is
Marlfci do A!rpid,i, no Montelro : a tratar na ra
do Cabnu n- M. .______'_________
1e~s#nrna iaberna sita roa Imperial
n. 198, bwn afregueadt, tanto para a torra eoaa*
para o malo e Urna commodos para familia : a
iratar na mesnia roa. n.213.
-----------------.----------------- .. .
Prupnas para iimjaiitv
VaMem-ae no armaaem da companhia Pera m-, de 4
liucalia rjiixas eoi-i uma dnzia de garrafas de vi- ruada
adeira, surtidas do puro o genuino, o me- pmpn
Ihor q vcl produzir-se ; ha apenas p>ue
tu* caixa.
a taberna da travefta da ma das Cruzes n. 12
quem pretender, dirijs*o mesma1, que aeliar
com qupm tratar.
Vende-se a taberna da rea da Concordia n.
9o : a tratar na mesma. 0 motivo se dir ao com
prader.
Vende-se
um silio cnrSanl'Anna com O palmos de frente,
eom bastantes fnnn*os,que botam para o torren
Chacn, tendo arvnredo* e lerreno fresro : a tra-
tar na ra das Trincheiras o. 24, a qualquer hora
do dia. _
Vendem-se dous fiteiros e Utas caines para
d(M*ilo, e um prqueno, um hallo do 12 palmos.
tu.lo coi bom estado : na ra do Amorim u.
Vendo se trta lotes de trra
mmenle iberias n'Agna Kria dc^^HM0^'
ara a lila feri
palmos na rna
i cm iodo o verlpp|f
-chirasn SO.
f .lia-

MEIHOR EXEMPLM ENCONTRADO
HHI
ILibim



6
'H^Ko de Pej-nambyeo Silbado
LIQLIACAO
mi IGUAL
do armazem de lazendas denominado ARARA, ra da bu
;rz n. 72, d>
agendas e ro"
anuncio e prego abaixo mencionado*.
Chita francezas matizadas a
3911 rs.
Vendc-se chitas francezas escuras matiz i-
JasaU rs.o cpvado por este pret^fjnu
loja da Arara, ra da imperatriz n. 72.
LAAZINHAS A 210 RS.
Vende-se laazinhas para vestidos de se-
ora a 2 40, 280, 320 e 400 rs. o co-
lado.
BAREGES DE LJU A 500 RS.
Vende-se bareges de 15a com Iistras para
"estilos do senhora a iOO e .040 rs. o
:ovado.
Alpacas le Iistras a 500 rs.
Vende-se alpacas de Iistras para vest-
los de senhora a 500 rs. o covado.
CUITAS FRANCEZAS A 239 RS.
Von.1e-se chitas francezas claras a 280 rs.
i) covado!
CORTES DE LAA PARA VESTIDOS A
2500.
Vende-se cortes di la para vestidos de
j'jiiuoras a 25400 cada nm,
PERCALES A 440 RS. COVADO. -
Vende-se percales muito finos para vis-
ados de senhora a 440 rs. o covado, mur-
solinas brancas finas, a 500 rs. o covado,
^rithaatinas de cores, a 440 rs. o covado.
Baldes Modernos de* todas as
cores.
Vende-sibaloes moderno sbranco e de co-
res a 45. 45500 e 55.
COBERTORES DE ADGODlO A 15500.
Vende-se cobertores de algodo a 15500,
.obertas de chitas a 15600 e 25 cada urna,
GANGAS PANA CALCA A 320 RS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cores para calcas de harnero e
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
Ores para calca e palitots a 25500 e 35,
u covado, mias casemiras enfestadas para
Algodo entestado OOOrs.
Chgarant cortes das mais iirufn sedas ^e mimosas cores para vestido* proprios para bailes e casa-
mentos.
Grande varisdade de sedases Iistras de diversos precos todas de lindas cores,
trio do armazein de lazendas denominado ARARA, ra da topera- g0rgnr5o de seda preta, e grosdenapQij varias qualidades e gorgurao de seda 15a de
respeitavcl publico eseus fregueses, que est, liqmdaudo todas as dillerentes cores
itas que tem em seu eslabelecimento como se poder ver no seu Novo8 Vestidos brancos d*Uftd para noivas, lindas eolxas de seda para camas,
ditas de laa e seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas e toalhas "de
cambraia de linbo bordadas.
Luvaslftovas de Jouvin.e elegantes sorabrinhas de sedas de cor para senhoras.
Espartilhos de 5JI al 105, lides bournous de cachemira de cor para sabida
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Sortimentq de muitas fazendas de la, linho e algodo todas por precos muito
mdico.
Tapete grandes para sof, piano e camas, pecas de tapetes o de alcatifa para
forrar saloes todo em quantidade; e venden sempre'por menos que em outra qualquer
parte. .a.
Vendc-se algodo onfostado proprio para
lences c toalhas, 900 rs. o metro', dito
trancado a 15, metro.
Chales de merino *.$.
Vende-so chales do merino estampados
a 25, chales brancos e de cores a I50u0
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA SALGA
A 640 RS.
Veude-se urna grande porco do cortes
de brim castor para calca de homem, 640
rs. cada um.
Grande porco de retalhos
Vende-se grande porclo de retalhos de
chitas e cassas prelas a ICO e 200 rs. o
cova lo, retalhos de cassas, 15a e chitas de
cores baratsimos.
LIQUIDAN A ROUPA FE1TA
Vende-se palitots de briindo cores a 25,
ditos de alpacas de cores a 25, di'os de
meia casemira a 25 e 25500. ditos de pan-
no preto bom a 85 e 105, calcas de algo-
13o azul para escravos a 640 rs. ditas de
algodo de Iistras a 800 e 15, camisas de
riscado de Iistras a 800 rs. cada urna, colo-
tes de brim c fuslo de cores a 15 e 15500,
coletos de cesemira de cores
e
que se vende por baratissimo preco.
Algodo de Iistras a SOO rs.
o corado
Vende-se algodo de Iistras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A 45.
Vendem-sc pecas de algodSo 45000,
55200. 65000 e 75, para liquidar.
Baldes de arcos 105OO.
Vendc-se baldes de arcos par senhoras
Esteiras da India de 4.5 e 6 palmos de largo.
ALGODAO ~~
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
CACHINAS americanas.de serrote de Todos os tamanhos para descarocar algodo, do
muito conttecido fabrican!, Eagle Cotton Gin.
n,mu^SJRfato ^l!L ACHINAS ditas, tambem de serrotes o* de todos os tamanhos para debocar, al-
JO!?!iJ k52??J?! .P Us godo do autor New York Cotton Gin.
CACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
CACHINAS ditas de Roller Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
VIACHINAS de fac5o do fabricante Platt B. d C, Obdhan Patent-Liverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as melhores que tm
/indo ao mercado ; e para a sua apreciaco convidam-se os sonhores agricultores 2
/irem a exposico das mesmas na ra da Gada do Recite n. 56 A, Ioja do Bastos, onde
mcontraro mais o seguinte :
Oebulhadores para milho.
"yliadros para padarias.
alease palitots a 15 o covado, brim pardo pelo baratissimo preco de 15500 cada um, *
do todas as qualidades e brim-branco de'
todas as qualidades na ra da lmperatriz
u. 72.
Alpacas lizas a 040 rs.
Vende-se alpacas de cores lizas finas a
Cortes de cambraia barras
a :i*.
Vende-se cortes de cambraias barrsa
25 e 35 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
r'l0n US"*0'larlalaaS ^ C''eS 3 32 j V0nd,-SB len?0S de ** 64 n- "da
MADAPOLaO ENFESTADO A 35500. i Um> KiJ5a o. v, i,
Vende-se pecas de madapolo enfestado LARTbIRA PARA VIAGEM A 10.
a 35500, pecas de madapolo inglez de 24 Vende-se carteiras para viagem 15
jardas a 55, 65400, 75, 85 e 105 a peca- cada urna.
72. Ra da lmperatriz. 72.
Vrados americanos.
Garrinhos de mo.
Machinas para cortar capim.
Cannos de chumbo.
Bombas de Japy.
Oitas americanas.
reinas de ferro galvanisadas.
Folhas de zinco finas.
Ditas de cobre e lati.
Ferro de todas as qualidades.
\rcos de forro.
Folha de Flandres.
Jachados americanos.
Facoes ditos.
ialaios e cestas de verguinha.
/assouras americanas.
Folies de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos ontros artig
liversidade seria eofadonho ennumerados.
Folha de ferro.
Bataneas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para refinacoes.
Azeite de espermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoura e artes, que pela
LIQUIDACO
NO
ITTl'H 10 LEU
Grande annuen de fazendas e reipas fritas ra da lmperatriz
a. 52, portrWfi tftaretfes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 35, 35500 at 65. Ditos t
merm, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 55, 65, 85 e 105, de panno oreto
A RUADA IMPERATRIZ \. 2
Esquina da na da Aurora
Defronte do Caf lmperatriz.
Ni'ste novo e sumptuoso cl.ibelecinien-
to de fazendas, encontrarau as Exm.is.
familias ludo quanlo possnm desojar, lau-
to em argos d rigoroso laxo, coioo em
todas as mais qualidades do fazendas de
sedas, blonds, alpaca?, merinos. Ib,
cassas, mussulinas, chitas, inada[H)loes,
altfodies, ele, demodo a sahir bem ser-
vido desdo o mais rico o exigente amador
da moda a do laxo, at o mais modesto
pai de familia. Alm de se achareni pr-
vidos do <|uo iitlhor so eucontra neste J
mercado, mandaran) os proprieUirios I
d'esle eslabelecimento vir directamente |
o que em artigos de modas e de mais |
apurado gosto se cncontra em Paris. |
Urna modista especialmente oceupada g
nos trabalhos do PAVILHlO DA AUR- S
RA, execotar promptamenle c com toda ]
a perfeicSo qnalqiier trabalho a eaprielto, 1
para o que se ncha habilitada em tudo !
auanto mister para o hora desempenho |
e sua missao, o que 6 urna giandc van- I
Sgeiii para o bello sexo, que asslm S
vai encontrar em um s lugar tudo quan |
o pode desojar, isto fazendas do me- i]
ihor gosto, modista para perfeita execu- S
cao de qualquer trabalho, perfumaras,
chapeos, enfiies, miudezas, lufas de |
Jauvin e tudo (|uanto a moda pode exi- !
lir- I
Aos cavalheiros igual vaniagem se offe- 1
rece, pot tero estabelecimctito o mais 1
completo sortimento de fazendas para fac- f
tos, e proprias para todas as eslacoes, e 11
um hbil ufaiale enearregado de execu- 5
lar com promptidao e mestria qualquer g
encommenda. 1
Os propnetarios do PAVILHO DA |
AURORA nao tendo noupado despezas 1
para dotaren) esta bella eidade de um j
eslabelecimento digno dola, confian) nos *
mu esforijos e no bom gosto de seus ha- j
hitantes, garantindo a maior circumspec- l
cao e modicidade de precos.
Com a possivel brevidade e em vista da |
proteccao que se dignaren) dispensar-lhe, |
este eslabelecimento trar muitas nutras a
vantagens, primando entre ellas a publi- 1
cacao de nm jornal gratuitamente dis- i
tribuido aos seus freguezes, o qual se oc- a
cupar exclusivamente da dest-rip^ao das |
modas, aci un pan lia do dos ltimos figuri- |
nos; vanlagem que al boje anda nenhum !
mestabelecimento offereceu.
Concluindo, e na mpossibilidnde de des- |
crever c rico e variado sortimento que j
possuem, os proprietarios do PAVILIlAO |
DA AURORA respetosamente convidan) |
as Exmas. famlias a visitar este espa-
coso c rico eslabelecimento que, alm de 1
tudo, est dotado do pessoal necessario f
liara vender e levar amostras s casas i
que as pedirem. ]
Pelo ultimo vapor receberam ricos cor- i
tes de vestidos para casamento, I uvas de I
pelica. ricas chapenbas para senhoras I
e diversas fazendas modernas.
iAberto das 6 da manhua ss
9. da noite.
IiO.J V
DO
sacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
Lourenco Pereira Mendes Gnimaraes, proprietario do armazem de fazendas
denominado GARIBALDI, tem a honra de ptrticipar ao respeitavel publico que tendo
recebilo diversas facturas de fazendas.'de novo gosto, para a festa, estando a espera de
aovas encommendas que deve estar aqui at o dia 5 de novemb o vindouro, e vendo
que nao tem tempo antes do balanco de vender tantas fazendas de encommendas pr
isso resolveu fazer urna liquidapo para ver se da maior, estrac5o por isso em vistas das
oircumstancias vender tudo mais barato do que em outra qualquer parte, na ra da
lmperatriz n. 56.
MADAPOLO ENFESTADO A 3^500. I CHITAS PRETAS A 160
Vende-so urna grande porcao demadapo-' Vende-se urna grande porco de chitas e
o enfestado de 12 jardas a 35500, assim cassas pretas em retalho a ICO o covado
como p^cas de madapolo inglezes de 21 tambem tem retalhos de chitas e laa de c-
janlas ou 20 varas a 55, 55-500,65,65500 res que se vende barato.
7000. 85, 0$ e 105000.
Corpinhos a 200 rs.
CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500
Vende-se pecas de cambraias victorias
ikias a 55500, 65 e 75. Brilhantina bran-
ca fina para vestidos de senhoras a 500
rs. o covado i
ALGODO A 45000
Gaitas para v:\lo.\ a 330 rs.
Vendem-s'e urna grande porco de gangas
para calca de hom m e menino a 320 o
covado, cortes de castor para calca a 640
cada um.
Brim de edres a IOOi-s.
Vende-se urna grande porco de duas
faces para calcas, palitots c cohetes de ho-
Vende-se urna grande p treo de algodo mem e menino, fazenda inteiramente nova.
iodo do ooa qualidade e 45. 55, 65, 055 '0 Brim pardo liso a 500 rs. o metro, dito
70, e 85, a peca de 20 jardas ou 24 trancado lino a 800 e 15000.
as* Grande liquidaeo de chapeos
ADMIREM-SE DO QUE E' B.ARATO
Chamalotes a 560
Vende-se chamalotede cores, dealgoi
para vestidos de senhoras a 560 o covado. de'l astes
Alpacas lisas a 500 rs. de 8 astes a
de sol
Vende-se chapeos de sol de alpaca com
pequeo deleito a 25 e 35000, ditos finos
a 45500, ditos de'seda finos
"5500, 85000, ditos de 12 e
e de cores de 35500 a 55000. Calcas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
Drancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de 45, 55, 65 a 155. Colletes de todas as qualidades e preco muito
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodo e de linho de 25 at 55
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de linho e bramante a 25 e 25500
bravatas (mantas) novtssimo gosto a todos os precos. Meias sortimento completo a 35.
45 ate 75 a duza. *
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto para homem, como
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e nutras muitas fa-
ZGluSS.
FAZENDAS
Bramantes de 11 palmos de largura a 15800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 15200.
Basquines de guipure enfeitadas a 185000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 65500, 75, $5 e 95000.
fc Algodo peca com 20 jardas a 45500, 55500 e 65000
Peca de algodo largo a 75500.
E outras muitas fazendas que era enfadonho mencionar Cheguem roupa
feta que se esta liquidando na Ioja rtfa*da lmperatriz n. 52 Gunto loja de ourives) do
GALLO VIGILANTE
Una do Crespo n. 9
Os propnetarios dcste bem conhecido estabele-
cimenle, alm dos muitos objectos que tinham ex-
"tos a apreciaco do respeitavel publico, man-
ram vir e acabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento de
finas# m ui delicadas especialidades, as quaes es-
li resolvidos a vender, como do seu costume,
por precos muito baratinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, protas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mu boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
odi
LEflO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
Vende-se alpacas lisas para vestidos de 16 astes a 105001, para liquidar.
coree, para senhora, a 500 rs ditos mntisa-
das linas a 720 o covado. Dita* lisas mui-
to largas a 640 o covado.
CORTES DE PERCALES A 6:000
Vrtden-se urna grande porcao de orles
le perales de duas satas para vestidos de
senhora, de mnito delicados gostos com
(6 V* covados a 6$ 75000.
t:\MBRAIASLISAS DE CORES A 600
Vende-se urna grande porcao de cambraia
lisa de todas as cores para vestidos a 000
rs. o metro.
Orgaabys modernos a SOO rs.
Vende-se organdys d cores para fazer
.vestidos, de duassaias,agora modernos, a
SOO rs. a vara.
(HUNDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas muito fifias de
cores a 280. Ditis matisadasHscuras a 320
ditas escuras esoocezas a 3rt0. ditas aleo
toadas a 360, ditas uarihaldinas a 360 o
covado. Sortimento de chita-* corno tem o
Garbaldi ha pgpcas lojas que cotnpitam.
tFUSTflES PARA VESTIDOS A 400 RS.
V-nde-se fusto de .-ores para vestidos a ,
*30 rs. o covado
COBERTORES A 1:400
;ide-se cobertores de aJgtMao a 15400 vt
abertal de chitas frita I460Q. V^de-s. ** dP Merino de cores es-
Vende-se grande porclo de corpinhos a lampados a 25000. ditos lisos a 35500 di-
d t) *60OO(fl- ir* |Wl8 a ^ 8|W0q e g^
Chitas para roberas a*40rs o
covado
Vende-se chitas'francezas para cobertas a
|240. 320. 310, e 3S0 o covado.
CASSVS FR\NCEZA^A 240 RS.
Vende-se cassas francezas para vestido
a 240 o covado. ditas muito finas a 400 rs.
assim como percales finas para vestidos a
440 o cov ido,
CHANDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias croas para hom^m a
35500, 45. 55, e 65000 a duzia, ditas para
meninos de todos os tamanhos a 35500 e
45000, ditas par.*, senhoras meninas a
35500 45, e 55, a duzia.
BALOES DE ARCOS A 1:500
Bales de arcos a 15500, ditos modernos
a 45000.
ATTP'.NCO
Tem-Sf para vender urna grande porc"
de ronpas fritas de brim edefcasemira, de
todas as twaJidadeH nao se menciona por
abd uho. gara ote-se ao comprador ven-
d.r mais haiato do que em outra qualquer
! ') se pode i'unhi'ceacom a pre-
l adnr a vista da faaenda
iMBfi est liquidando
:', o general Garibaldi, roa
n. 56.
Machinas vapor de
forqa de 3 e 4 c-
vanos, t
Motores ,para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de acao e serrotes para dea
rncar algodo.
Bataneas para armazem e baico.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de
fied.
Prencas para copiar capias.
f og5o americano patent
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaparrilha
do Pai, pilulas e xarope de veame, tin-
tara e xarope de sienpira.
Doencas do ligado e haro. ane-
mia, opilado, ete.
Emplasto, oleo, pommada. tintura, pf.
lulas, xarope e vinho da milagrosa Jura-
beba.
Sezes ou tabres intermitentes
As pilulas anti-periodicas de Pftito.
nico deposito destes medicamentos na
pharmaciado seu autor ra larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quartel do corpo de
polica.
CEMENTO
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeite? para cabecas das
Exraas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
lhos e sem elles; esta fazenda o que pode baver
de melhor e mais bonito.
Superior e bonitos leques de madrcperola,
marfim, sndalo e osso, sondo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores neias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, eutre as quaes algumas muito
Guas.
Boas bengalas de superior anna da India e
castao de marflm com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
auantidade de outras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas^ de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabe de marfim e tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantida- pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo fim.
Grande e variado sortimento das melhores per-
fumaras e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos centra as convulsCes,
faWlitam a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, continuamos a recebe-tos por todos os
vapores, aflm de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim poi.s poderao aquel-
les que delles precisaren), vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrariio destes verda-
deiros collares, e os quaes attendedo-se ao fim
Sara que slo applicados, se renderao com nm mui
Iminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamoc
declarados, aos nossos freguezes e amigos a viren) i
comprar por preco? mnito razoaveis loja do gall" |
vigilante, ra do Crespo n. 7
ScIIhs baratos, -
N. 27. RA DO LIVRAMENTO N. 27.
Neste estabelecimeoto vende-se selns e
silbos, de tedas as mialidades do melhor
qntf se pode fabricar no paiz, assim como o
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxoes, traviceiros, caixi-
nhas com almofadas, proprias para meninas
levar para aola. 0 proprietario deste esta-
belecimento garante a ponluahdade, esme-
ro e zelo de seu trabalba; portanto pede ao
respeitavel publico sua proteccao, queaffian-
ca vender tudo pelo mais barato possivel.
e por menos do que em outra qualquer
parte.
0 cordeiro previdente
Roa do Qnelmado a. 16.
Kovo e variado sortimento de perfumara*
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perra-
tnarias, de que effectivamente est prvidas
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
ocrtavel pela variedade de objectos, superiori-
iade, qualidades e commodidades de pre-
os; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciaco
lo respeitavel publico em geral e de sn*
boa freguezia em particular, n5o se ates-
tando elle de sua bem conhecida mansido
i barateza. Em dita loja encontrado o
tpreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray A Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, frao-
oeza, todas dos melhores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservaclo do
lseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, cono
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
i outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos a
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chai-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolhidos cheiros, em frascos de dille
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menore
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contando fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e da
moldes novos e elegantes, com p de arroz
9 boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras diflferente
realidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhea
a algoos d'elles ornados de flores e fitas,
ist5o todos expostos apreciado de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicSo.
Flvellas e Otas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com.
pndor.
Cahriolet Doca t.
O melhor neste genero, e perfeito estado, ven-
de se um para ver na cocheira de Thomaz'Lins
a ra de Santo Amaro, c tratar na ra do Cresp<
n. Ib loja, das 8 as I i horas da manhaa e das 3
as b horas da tarde.
Vinho do Porto
Vende-se superior vinho do Portoaengarrafado
bo eseriptono de Antonio Luiz de Oliveira Azeved-
& L., ra da Cruz n. 57, i andar.
FITA AZUL
RA DO CABVGA M.
Cambraias. cassas e organ-
dy, o covado 320 ou varas a
500 rs.
Na rna do Codorniz n. 8 contina a ter no
grande sortimento de doces em latas e caixSes de
diversos tamanhos, cujo se vende por pre^o mais
barato de aue em outra n uahiuer parte.
DA
FABRIf A IH DA BABIA
DE
Teixeirn Uldtirtco r C.
Acha-se venda este pf]"V .rjlA_*ir'"g
pdc suppnr Jalts dfe pjfnrfaf ejjJIJf por ser
PORTLANa
Vende-se ao armazem amarello de Vicente Fer-
rara da Costa & Pilho, defronte do arco da Con-
ceicao, em harneas grandes.
\

na laz m
Chegoa o anttgo deposito de Menry Porster
1., ra do Imperador, um carregamento de ga
ie primeira qualidade; o qual ae vende em partida.'
e a retal no por menos preco do que em outr qua*
quer parte.
J
++.
qu>-
ipni^g*'
de inri agradavel perfarr
mais mdico pos?ivel; e pot MollndXsido ass>
acollado as pracas da Baha, *o Rk> de Janeiro *
em entras do imperio no escrijNerfo de Joaquim
Jos Goncalvw Beltrio, roa ao Gomalorcio nu-
mere 17.
rnKta
Semente de hortatices chegudas pelo ultimo
vaoor : na roa do Livramento n. :)8, armazem de
moiaaos._ Beititue-se o importe ao comrrador, uo
r.a o de nao naseeroin, :
Pilo Senteio.
Estar a venda na* tprgasa sextas-feiras, na
nadan Hernia, ru do Lima, em Santo Amaro,
jo Renfe. Recreio Comm re-ai, em m-nte a rna
d. Vigenon, J, ra da lmperatriz n. 80, ruado
prum n. 56, e no armazem do Campos, ra do
Imperador. ^^
COGNAC
De superior (jualidade da mui accredita
da fabrica de Bjstjuit Dubouch d-fi., em
'ognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo' do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ra do
rommercio n. 32.
No escriptorio de Joa-p)im*fw Goncalves
fie'trao ra do Co-nmercio n. 17, existe pira
veoder-ae um escravo crioulo, mogo, own offlcio
do pedreiro.
CADET
CURA
em TRES DAS
Ph';B?Denain7
PAR | S
Pars, 36,RuiVTlenne, D*
CHABUmedecin
aaaHWKaMjuADaitoiasKxui sumot
-"" OJTANRASjLf MMi cutid
DEPURATIF
SAIVG
. i"ntf-. lampa **KtolMaaaijaflrt
ri,, rra^HM. mAmm m
tomic-se dous por umim. faiod* o
earttitaimpitmtm
mtuim. *-
PLUS DE
COPAHU
tsssn;
De- u/a/im,. t nw.remidonit aaaaa* i
Ma Xarooa
farro a CHABLE. *%
iaatadiataBaaaaulM
ame u ftuxm llores hrmucfu 4a* iaraa,
Bn injeceso benijna -f-p ff > laiaea Cilmcto di farro
Beairrlaa Pomada qaa aa cara MI wat aaaw
POWADA ANTIHERPETICA
Costra i ou alftr.fon tuttuunt
sssss s*


1
ir. II-
mm
mmm
I


Diario de Pernambuco
Sabbarlo 11 de Dezembro de 1869.
7
i

i

H
DE
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
80Boa m iiiaipaiMraiia-Ha. m
DE
FELIV PERUIRl DA SII.VA.
0 proprietario d'este grande estabelacimento, vendo quo se est aproximando o fin-
do anno, e tendo era ser um grande deposito deposito de fazendas; n5o fallando em
avalladas encommendas que Ibes esUio obrigado todos os das, tem resolvido liquida-
las por preco muito mais baratos do que em outra qualquer parto ; so eom o flm
de diminuir o deposito e apurar dinlieiro. Encontrase neste estabelecimento do
PAVO, avultado sortimento de iaz^ndas de laxo e modas; assim como de-primeira
nece-sidade. As pessoas que negociam em pequea escala n'esla loja poderao surtir-
se vendendo-se-lhes pelos precos que compram, n*s casas inglezas; assim como as ex-
cellentissimas familias poder3o mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou man-
dar-se-ba levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
acba constantemente aberlo das 6 boras da manlia s 9 da noite.
ALPACAS BRANCAS LAVRADAS
Chegou para a loja do Pavao um grande sorti-
mento das mais bonitas alpacas branca* lavradas
e de cordo sendo n'este genero o melhor e-mais
lustroso pue tem vindo ao mercado, tem nlpumas
Uto linas e to bonitas que servem para vestaos de
noivas e vondom-se por commodos precos.
LAZINHAS MODERNAS NA LOJA DO PAVO
Chegou para este estabelecimento um grande
sortimento das melhores e mai%. modernas laazi-
nhas para vestidos, sendo tapadas e transparentes
de todos os precos e qualidades que so vendam
mais barato do que em outra qualquer parte.
Crochs para cadeiras e sofs
O Pv3o tem um grande sortimento dos
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhores^ xoupas,
sendo calcas palitts e coletes de casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desejar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
raalquer peca de obra, com a maior promp-
vidao vontade do freguez, e nao sendo mais bonitos crochs proprios para cadei-
obrigados a acceita-las, quando nao stejam ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
inho e algodo e outros muilos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
lendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da ltnpera-
iriz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porco de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que era outra qualquer: na loja do
Pavo ra da Imperatriz |n. oO. De Flix
Pereirada Silva.
FAZENDAS PARA LITO
Na loja do Pavo.
Encontra o respeitavel publico ueste cstaleloci-
mento um grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam, cassa3 francezas e inglezas, chitas
oretas de todas as qualidades, fazeuda de laa de
:odas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, lazinhas, alpacas lavradas o lisas, cantao,
oombaznas, merino, etc., que ludo se vende por
preco barato.
AS CASSAS DO PAVAO
Covad-i a300rs.
Vendem-sc flnissimas cassas francezas com la-
los desenhos c cores fixas a 300 rs. o covado.
Madapolao francez a 7$000 rs*
Vende-se pecas do madapolao francez
:om 22 metros pelo baratissitno prejo do
7^000 a peca, pechincha.
Altas iiovidadcs em sedas
Chegou um grande sortimento das mais
aioder ias poupelinas ou gorguroe3 de seda
e linho com os mais elegantes padres que
tem viudo a este mercado sendo, miudos o
graudos, tanto em cortes para vestidos como
vender em covado, assim como um
como proprios para cobrir presentes, e ven-
de-se mais barato do quo era outra qual-
quer parte,
GLACE' A 1:200 PARA VESTIDOS
O Pavo tem esta nova fazenda lisa pro-
pria para vestidos, com as mais delicadas
cores e com mais lustre do que a propria
seda com i palmos de largura que facilita
fazer-se qualquer vestido com 10 covados
e vende so pelo baratissimo preco de 1:200
rs. o covado, pechincha.
CRETONE DA INDIA PARA COLCHAS
O Pavo tem esta nova fazenda cretone
propria para colchas, com os mais linios
padres chinezese com as cores inteiramen-
te fixas, tendo largura de chita franceza e
vende-se em conta,
b$ $UtMAU*
A AGUIA BRANCA tem convicclo de que a abundancia de objectos de novidade-
em seu constante e completo sortimento, a boa scolha no gosto dalles, a superioridas
ilede qualidades, e a limitaco de seus precos, estao na opniao do respeitavel publico
em geral, e na de sua boa fregmttia em particular; mas anda assim elhtjulga de seu
dever scientificar a todos, da recepcao d'aquelles objectos que estao alm do commum,
iximo bem sejam:
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
luando abortas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados edemadrepe.-
rola jpara costura, obras de aparado gosto
sente, tendo algumas om musioa. -
Estojos ou carteiras de couro com nava-
lhas, e os mais necessarios paraviagens.
ESCOVAS DE MARFIM
Para unhas, dentes, cabello e roupa.
Outras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentes, canelas,
didaes, brincos, alfmetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pn-
tenles para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin dourado.
Botes com ancora, e P. II. para fardas
colletes.
Abotoaduras d'aventurine com o p de
prala dourada, para colletes, cada um 50.
Botes de cristal, encastoados em prata,
para punhos, 4$ o par.
Camisas de flanella para homem, a me-
lhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de la para homens, senhoras e
ereancas.
Ditas de dita, lecido de borracha, para ( ^squegam
quera soffre de inchaco as pernas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrin
tho, para baptizados.
Ce bico de guipur, branco a
_ reto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
penias coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.
jfonitos passarinhos de metal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas,
de Velludo para agulhas e alfinetes.
Thesouras de duas, tres, quatro e cinco
peraas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
merecen ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusultra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
Al agora nada se tinha visto de to bom
em tal genero, e anda assim cusa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abandaro
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras continuaro a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
mes e qualidades a infinidade d'objectos
que constantemente se acham venda na
loja da Aguia Branca, seria seno ippossi-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queiram
reconhecer a commodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que nao se
de comparecer loja d'Aguia
Branca ra do Queimado n. 8. ^
11 nuvl
0 Campos .da na do Imperador n. 28,
no intuito de servir sallsfatori mente aos
seus innumeraveis amigos e frepuezes, om
particular e em geral ao respeitavel publico,
desta Idade ; avisa aos que estiverem pau-
sando o tempo calmoso, nos deleitaveis
arrabaldes desta capital, que tem resolvido
vender, de de superior qualidade, a precos
razoaveis, os seguintes gneros a saber :
% PARA CIMA DE APARADORES
Latas com doce om calda de diversas
qualidades nacionaes e estrangeiros.
Ditas com peixa a sobe; salmn, ostras
e lagostas.
Ditas com ervilltas francezas e porlugue-
zas.
Di^as com gela franceza.
Ceireja franceza verdadoira Bobee.
Presunto para fiambre e afiainbrados.
PARA DISPENSAS
Latas com chouricas novas sendo de 8#,
cada urna.
Presuntos de Lamego para tompeiro.
* Cuias do Para (pintadas pelos indgenas
daqueHa provincia.
Copos de vidro cora dobradira e lampa
para diversos misters.
PARA OS QLARTOS DE DORMIDA
Porta-phosphoros cheios de phosplioros
de segnranoa.
PARA SALA
Churutos de S. Flix do afamado fabri-
cante Costa.
Fumo picado do Daniel de S. Joao do
Rio de Novo.
Alera desses gneros, o Campos tem con-
vicio de que o seu estabelecimento um
dos que podem Satisfazer com garantas as
exigencias bem entendidas, dos Ilustrados
habitantes desta heroica provincia, porquan-
to s acha elle bem prvido de gneros su-
periores, de manera a nao desmentir
FIO DE VILA.
Barbante
Em casa de Rabe Schmetau & C. Corpo
Santo n. 1/5
SHERRY 0LOR0Z0.
Glo seal.
COGNAC HENlESST*
Em casa de Rabe Schmettau .C. Corpo
Santo n. 15.
CAIIMPANHA
SUPERIOR.
Roussillon, earte blanehe.
Em casa de si abe Hchnieltaii t
U Corpo Sanl'i n. 15.
VINHO
DE
BORDEAUX SUPERIOR.
CHATEAU L\ ROSE.
CIIATEAC RALXAM
Em casa de Rabe Schmettau A C. Corp'i
Santo n. 15.
O Campos.
AVISO
r>
jara
mais bonitas sedas
ludo muito em canta
bonito sortimento das
Jotradas que so vende
Grosilenaples de cores
Chegou^um grande sortimento dos mais
bonitos gro-nlenaples de todas as cores para
vestidos que se vendem muito mais barato
do que era outra qualquer parte.
CHAPEOS DE BRIM A 2,5000 RS.
Chogou uraa grande porcao de chapeos
de brim pata cabeca que se venda pelo ba
ratissimo preco do 2>5000, por lerem dic-
tado cora ura pequeo toque de mofo. E'
pechincha.
GR.\iNDE PECHINCHA A 5:000 RS. PECA DE
Breianha
Vende-se pecas de superior breianha de
algod5i tendo quatro palmos de largura
ora 20 varas ou 22 metros cada peca, esta
i'azenda seria para custar 8000, a nao ser
^ima grande compra que se fez, e liquida-se
a 5(5600, cada peca.
Admiravel pechincha
ALPACAS A 400 RS.
DE FURTA CORES A 500 RS,
ALPACAS A 00 RS.
Vende-se um grande sortimento das mais
brilhantes alpacas de furia cores com as
mais lindas e mais modernas cores imitan-
do perfetamente as sedas de furta.cores
sendo nesle artigo o mais novo que tem
vindo ao'mercado, para vestidos, muito pro-
pria para as senhoras que forem passar
fesla no campo, por ser urna fazenda de
muita fantasa e pelo barato proco de iOO
rs. 6 covado.
Bretauha*' de rolo a ASOO a
peca
Vende-se superior bretanha de rolo ten-
do 10 varas ou 11 metros com i palmos
de largura pelo barato prego de 25500,
pechincha.
OssetinsdoPavao
Vende-se os mais bonitos setins de cores
e mais encorpados proprios para vestidos
tendo de diversas cores. m
AOS PALITOTS DO PAVAO A 18 e
. 204000.
Veode-se um bonito sortimento de palito-
ts francazes sendo, sobrecasacados e pro-
priamente sobre-casacos, que se vendem
forrados de alpaca a 18$000 e forrados de
seda a 20)5000, pechiacha.
Organdjs a 500 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores com padres miudos egraujlos. sen-
do todos de cores fixas, pelos baratos pre-
jos de 3G0 rs. o covalo.
ALGODAO ENTESTADO
Vende-se urna grande porco do aigodo-
sinho americano com 8 palmos de largura
proprio para lences e toalhas tendo liso e
trrncado que se vende por proco muito em
conta.
Pauos de linho
Chegou ura grande sortimento de pecas
de panno de liuho do Porto que se vendem
de 700 rs. at lOOO a vara, garantindo-se
que em fazenda de linho nao ha nada me-
lhor, nem mais proprio para lences e toa-
lhas.
PECIICriA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um grande sortimento dos me-
jores chapeos de sol de seda, inglezes ten-
do neste art go o melhor que tem vindo ao
mercado assim como urna grande porco de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por prego muito mais barato do
que em otlra qualquer parte, por haver
grande porco.
l.cucos braueos
Vende-se ura grande sortimento de len-
cos brancos para homem, sendo a dtizia a
:j(J00,25UO e 3-5000, ditos abanhados
muito tinos a lo e jOOO a duzia, ditos de
esguiao fazenda muito superior a 5& 65 e
7^000,
Pechicha eui casemiras a 4:000
Vende-se fraissimas casemiras de cor com
listras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores mais novas e mais bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baratissimo preco
do 4#000 o covado ou 7/S000, cada corle
de caiga.
Os bales do Pavao a 2#000,
Chog u um grande sortimento de baloes
ou crenolinas do feto mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados quo se
vende pelo baratissimo preco de 2)5000 ca-
da um grande pechiacha.
AS CA-IBRAIAS DO PAVO A 4:500 RS.
Vende-se urna grande porcao de pegas,
de flnissimas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com mais de vara de
largura pelo baratissimo prego de 4I500, pega sendo fazenda que nunca se vender,
por menos de 8.->O00, grande pechincha.
SOBTHTO PARA A FUSTA
Veude-se por menos de 10, 20 e 30
9. SO' NC
ARMAZEM CONSERVATIVO
N. 23Largo do Ter DE
S1M0 DOS SANTOS ft C.
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secco e molhados estao re-
solvidos a fazere urna grande diminuto de precos nassuasmercadorws,.comose apro-
xima a festa e
o"
se,mpre
se
fazem avultadas compras para o centro e praga, por
ssoVevneai ao respeitavel publico em geral. quo mande fazer suas despengas e cer-
tos de que verlo a grande differenca em precos mais do que em outra qualquer parte
e garantindo-se as superiores qualidades.
Os proprietarios do RAZAR DA MODA
sito roa Nova, nesta cidade, declarara ao
respeitavel publico e com especialidad? aos
seus freguezes, que, principiara ie boje era
(liante a vender o" grande salimiento de
miuJezas, perfumaras, quinquilleras, ar-
tigos de moda para borams, senhoras e
meninos, com um grande abatimento em
pregos para liquidar a dinbeiro.
A grande variedade de objeclos de gosto
recebidos da Europa, onde os mesmos pro-
prietarios entretem relacoes com habis cor
respondentes habilitados a ouvrecer as
maiores vantagens possiveis e boje estam
resolvidos a liquidan com pouco lucro, acha*
rao os compradores orna difieren-;-* stlperior
a 30 por cento menos do que em outra qual-
quer parte.
A PRECO FIXOsao vendidas todas as
mercadorias constantes do estabelecimento
e por este sysleraa de negocio podem sem
escrpulo comprar, certos de que nao se-
ro Iludidos.
Tem empregados promptos a conduzirem
os objectos ou amostra a qualquer casa que
o exija.
Bazar d Moda Ia de dezembro de
Jas GAZ AMERICANO rs. a garrafa e CGO rs. o litro.
VINHO VERDADEIROFIGUEIRA 06O
a garrafa, c 45500 a caada e 800 rs o li-
tro.
IEM DE LISROA das melhores marcas,
400, 4iO o 500 rs. a garrafa, a 2800 e
33200 a caada, 660 e 720 rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISROA a 43000.
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, i#400,
13800 e 23200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 73 a caada, e 13340 o litro.
M\NTEIGA INGLEZA FLOR 13400 o
1328 a libra, 33060 e 23780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 23100, 13980 o 13860 o ktlo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a h
bra, 13220 o kilogrammo, em porg5o se
far abatimento.
BANIIA DE PORCO DE BALTIMOOR a
SfcVADINIIA E SAG 280 rs. a libra e
620rs. o kilogrammo.
FARINIU DEARARUTA VERDADEIRA
640 a libra e 13400 n kilogrammo.
BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 800 rs. o kilogrsmmo.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso, em catxa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANZA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
33200 e 63500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CAHINIIAS
DE MUITOS TAMANHOS 14280. 23500
3>500,45500, 53500 a lata e a retalho e 13
a libra
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso, o em caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA 11 55500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IIILERS &
BELL, 800 rs. a garrafa e 93 a dnzia.
VINHO. DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 10500, 15200, 14 e
DO
BRACO DE DURO,
Ra do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento encontra-se
diariamente ura variado formeutn de bo
linhos paracha, pastis, podin-, bollos in-
glezes, pes de l. prsenlos, ditos mi fiam-
bre, superior cha Ilysson. preto, e raiudi-
nbo. Vinlu'S finos de todas as qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, fructas muito boa?, por-
tuguezas e francezas.
Um completo e variado sortimento de
caixinhas de todas os gestos e pregos para
mimosear senhoras, estas caixinhas recn-
tenteme chegadas de Pars sjo le printora-
do gosto, ol'eresse-mo-las aosgalanteawne
do bello exo pois nellas acharo nrn digno
e serio presente para as donas dos seus
peBsamentos. Tambcm os apreciadores da
boa furaaga encontraro charutos Jos me-
lhores fabricantes da Bahia e do Havana
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, christalisados e de
calda, ditos de caj e de outras qualidades.
Nesta casa recebem-se encommendas para
bailes, casamentos e baptisados e qualquer
encommendas avulss, como seja p3o d- lo
e bollos enfeitados e outros nraitas couzas
que enfadonho mencionar.
Elle um preventivo seguro e corto contra
a cal vico,
Elle di e restaura forra e sandade a palle
da cabeca,
Elle de prompto faz cessar a queda prema-
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lustro aos ca-
bellos,
Elle doma p faz preservar os cabellos era
qualquer forma e poieao que se desojo
n'um estado, formoso, liso o macio,
Ele faz crescer os cabellos bastos e com-
pridos,
Elle conserva a peile e o caaao da cabera
limpo e livre de toda a especie de caspa.
Elle previne os cabellos de se tornaren
brancos,
Elle conserva a cabera n'um oslado de feoa
cura refrigerante e agradavel,
Elle nao demasiadamente oleoso, gordu-
rento ou pegadico,
Elle nao deixa o menor cheiro desagr.
davel,
Elle o melhor e o mais aprasivel artigo
para a boa conservaco e art aojo dos ca-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio para o peta-
teado dos cabellos e barbas dos senho-
res,
Nenhum toucador de senhora se pode con-
siderar como completo sem o
0 CABELLO.
Touico Oi'eutul
o qual preserva, limpa,fortifica e aforraosoa
Acha-se a venda nos estabelotiimentos d
A. Caors, I. da C. Bravo A- C. P. Mam. r
& C, M. Barbosa, Barthptemeu i- C, c em
todas as principaea tojas do perfumaras
e boticas.
Vende-se
roba.
Sevada
na ra Direita n. 30, 3*800 a ar
- VennV-e um carro de quatro a^ent ?, pai'
don? cavallus. c m arroioi. Ospretc lul i
tem v-lo na rea dn Hospifin ma du Sr.
raido, eorncim, e tratar c<>ni V i ftrrrirt ds
Cosa : ra d ltia -liuelu.
EDCitLAVQS FGIDOS.
60 o ktlograramo, em ^ Mgnfc. ^^ H^ffiUR_
GUEZA H e U a frasqueira, e oOO rs. o
COLCHAS DE FrTAO
v. fot* do Pto vende-so um grande sortimen-
to'de colchas de fosto sendo brancas e de cores
ditas de croch para camas de noiva, assun como
aonitos damascos de lia para colebas.
Na loja a PavSo vendem-se os mais
bonitos chales d verdadeira cachemira de
cor, com os desanos mais modernos, a u\
10 e 12)5000, muito barato na ra da Im-
""I* \w>ms a .,5ooo .
vende-se as
Na loja do Pavo vende-se as mais mo-
dernasjbasqoraas ou manteletes de guipure,
pelo bawio preco de 12*000 cada urna. -------
Na toja e armazem do Pavo rv i da Imperatriz n. b.
AS POUPELINAS DO PAVO A 500 RS.
Chegaram as mais lindas poupelinas do
la cora imitaco das poupelinas de seda,
um' fazenda muito leve com as mais lin-
das cores, sendo: verde Rismark', roxa, azul
lyrio, c nsenlo, pcrolla etc, etc, e vende-si
pelo baratissimo preco de 500 rs.
Pustea brancos para vestidos
Chegou um lindo sortimento dos mais ba-
ratos e bonitos fustes brancos com listras
e cordes, sendo fazenda bastante larga e
flexivel, muito propria para vestidos e ron-
oas de meninos e vendem-se a 640 o co-
"bonitas LUSINHAS
OU ANALNAS A 5000 RS. O COVADO.
Chegou para o Pavo, um grande e va-
riado sortimento desta nova fazenda de lija
e seda propria para vestidos, eom os mais
delicados desenhos emais modernas cores,
tendo bastante largura que (acuita fazer-se
nm vestido com poucos covados, pelo bara-
tissimo preco de 15000 o covado, por j (s-
tarcm muito prximos da festa.
Papel para embrulho
Compra-ss aa ra da- Imperatriz n. CO.
Loja do Pavo.
porco se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
3$i00 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 65000 a arroba.
CAF EM GRAO 65 e 65500 a arroba,
200.240 e 260 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SARAO MASSA 240 a 200 rs. a ttbra,
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 500 rs. a librado
15220 o kilogrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como parola bri-
Ihante, combination, Francy-cracynel, mixed
Britania. Mdium, FaBCj-nic-nac, a, b, c, e
soda a 15000 e 15400, cada urna lata.
Assioa como ha outros muitos
|KM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
(15 a frasqueira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
25800 e 2)400 em caixa ha abati-
to.
L'CINHO DE LISBOA MUITO ALTO
rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
15500 a arroba.
L1NGUICAS FWAS PROMPTAS EM LA-
TAS 15000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TOa!5000rs..alata.,
CHA FINO. 'GRAUDO E MIUDINHO
35200 e 94800 a libra, e 65100 o kilo-
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 25000,
25200 e 15800, rs. a libra,
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
Assim como na uuirus uiuiw 5"i """" "" ~' e. .no
muito novas, passas e figos novos, charutos de diversas marcas, marmelada, tarta pelos
melhores conserveiros em Lisboa, gela de marmello, pcego, amibas, em latas, por-
tuguezas e francezas. vinho verde engarrafado retalho, peixe em latas, bem como
pescada, tainha, pargo, goraz, lula, corvina, v^ngo, cavalla, sarda e sard.nhas de Nan-
tes. Oanella, cravo, ervadoce, cominho, pimenta, grandesmolhos de sebolla a ii>w-
Finalmente muitos outros gneros qq enfandonho menciona-los.
A tenco
Joaquim Rodrigues Tavares de MclloS
tem para vender uo ?eu escriptorio, pra-gR
cadoCorpo Santn. 17 primeiro audar.Sg
potassa da Hussia ultimament; cliegada.^gj
cal de Lisboa e vinho Dordeaux -le supc-jB]
rior qualidade. |
Ll
Resta venda um escolido sortimento de ob
lectos de marcineria, como sejam, mobiiias de Ja-
caranda, mogno eamarello, obra nacional e tran-
zeira, de apurado gosto e por pr<$o* razoavets-r1
aa raa ostreita do Rosario n. 3. Sesto mesma
asa fazem-se com porteicao todos os t: abamos m
jalhinha, como sejam, empalhamentos de lastrof
>ara camas, cadeiras e sophs.
Cal de Lisboa
cliegada no ultimo avio, 'tem para vender Joa:
quim Jos Goflcalves BetfrSo, m seu escriptorio i
ra do Commerclo n. 17.
. Cabriolet americano.
Vende-se um cabriolet americano do duas ro-
das s'ibro corroas, proprio para lugar de muita
ara : os pretendemos podem ve lo na coiheira
da raa do Imperador n. 49.
CMENTO,
Vende-se verdadeiro cimento; na ra da
Madre da Dos n. 22, armazem de Jo3o
Martina d* Rarros^___________________.
Fio~ie lgodo.
Vende-se fio da slgodao da Baliia om saceos de
30 e 100 libras : no esrriptorlo do Antonio Luw
de OHveira Azevedo & &, rus da Cruz n. 57, f
andar.
A ra do Uvramento a. 6, contina a ha-
ver para vender por precos rasoaveis,
melhor vinho verde at boje vindo a esti-
mercado. ______-
RUA DA GLORIA 5
Olaria Hasempreaesu olaria grande sortimento de 1^
materiaes, como jotos do alveuana batida, ladn-
Iho, quadrado de 8, 9 c ra.iis pollegadas, toinas e
telhdes, lijlos de t.ipamenU. O propnetano des-
ta olaria garante a bndado e barro de tae* mate-
riaes, comotambem vende-se mais baratlo que
em outra qiialqiiT inrie.'___________________
Ainda e-la fgido o meu escravo l-a.ic, u! ,
lato, idade 20 ami-s poucp mais ou menos, li a
no dedo gr.ni.le d: ma direita dnas unir.-, rnm
se fosse duas dedo? ; na MU saliida tortoa-me
OOa tlOOfi em moedas de oun, e foi bem vestid
eoBsta-me que foi visto em Pedras de rVg : pe
pote, s autoridades policiaes 3 eapiliee de camp .
i sua ipp.ehengao, e que o facam condnzir rr..i
da Matriz da Boa-vista n. 33, onde sero bem ra
compensados.
Jezuino de Mii'.imla.
Fugio no dia 7 do corren te mei de noven;-
bro, aescrava Joaquina, erionla, do idade 40.ii:
nos. cor prea, banca e ch ia do eerpo, tem un-.n
orelha rasgada no logar do hrjnco. una peque-
a cicatriz na testa a um lado, dous denles na
frente abertos que parece falta de um, mas nao ;:
esta escrava se oceupava em carregaragua no pa-
teo do Terco, ou lavando roupa pelos roqueiros
junto a ra Imperial, e por estes lugares e qtie
ella costuma andar. Itoga-se aos Srs. eapilaesd.i
campo a aprehensao desta escrava e a levar a
ra do Queimado n. 39 terceiro andar ou a pwa
do Corpo Santo n. 17 primeiro audar, quo scrao
bem recompensados^______________i
Gratifica-se.
Ainda est fgido o /os-col. escravo da paih
ria allemaa da ra do Lima, em Santo Amaro,
muito conhecido por ter vendido pao de leite o t o braco esi|uerdo cortado, crioulo, 35 aimo di
idade'e muitas veze< ctibrc o defeito do braco eom
um panno qualquer. toma cachaca o falla bastan1 r
Protesta-se contra quem o tiver em seu poder ; .<
a pessoa que o queira capturar ser recompen-
sada. ___
NegraTfugida
Apolinaria, crioula. represenU W annos, este-
lara regalar, andar vagaroso, muito feia pel.<
muitas marca de bexiga* na cara, e>pn-ialment.>
no nariz, levou vestido de chita rx.i, camisas o
salas, sendo urna de algoJao azul, o panno da Cos-
ta Uno com lietras encarnadas : quem a pegar
leve- ao AfTaial, sitio do Porto, ou loja n. *,
na esquina da ra da Madre do Doos, que sera
recompensado.
DiSe- 5(p" de gratiea-
($0
Fuijio no da 39 do prximo passado mez a es-
crava de nome Mertolezs, idade o onnos, pouco
mais ou menos, cor parda, cabello* carapmhos,
perna* iro-sas, ps seceos, dedos dos pes e aa*
naos compridos, seio peqnenn, beic^ grosso?.
bocea regalar, anda muito ligeiro. e b-m fallante,
levou ve tido cabecao de lahjirinlho e saia tambcm,
ambos brancos, tem um signal do um anlraz na
nuca, do lado direito oa esiroerdo : roga-so, por-
unto, as autoridades policiaes o capiaes de cam-
po a apprenenso da mesma, e leva-la ao Remo-
casa do abaixo assignado.
Antonio Menellns Cordeiro le Gosnu?.
do
\
Sag, sag
muito novo a 100 r-. a libra, 0 r*. de 10 libras W^ fejgeoTn :
pan a to; na ra Nova :.. 00, armazem da Liga g.-nho cima, ser
IllJlllT I
Pugio ha dias do moz nraximo PaJs-'(,^.^>
ongenhoFornodaCal. os doos miw yj.-
prato cnonlo, ida le 40 anno., P l011 ?'
,,s de estainnrregular, tero W*"*%&J.
cntla-se ailar por Son na, Jto tor
genho lasare ; e Raymundo cabra
i aos, ponen mah eumenos, tem
-ja.-m o* pegir i
bem recompousaao.
,idade 21
bonita flgun "
qoi-m opegnr ole-tos ao en

I
s.





i

8
MBtATOA.
As rosas.
"ti > principio eran mais doces os oloates
Socegados de Deus,
Era mais verde -o manto (testes Kmares
E mais zoes os cos.
_-
E a rosa era brnnta, como -angue,
cuino .haie assim
Nao tinr n"viwi l;sol na ma,
era tornMaV o su!,
N:m era como o owr d'um idiota
Irapassivel o Mu.
M aramios d'al
Tu rae disseste:
MouDeus, como sao fingidos os poe-
tas. A mentira seesconde em suis pale-
Bras seductoras, como o veneno sob o per-
ime de certas flores delicadas!
Sou poeta ?
Nao chora vam no val escuros casos i
Os desastrosos valos,
Nem erara como boje nos occasos
Os cos sanguinolentos!
Dos nao tinha vibrado ainda o apetite
A geraces inafiras,
Nem o Ghnsto sura a longa noute
No jardim d'OUveiras. ~~
N5o andavara os lentos miseraveis
Torcendo os bracos n s, <
Nem erravam na troya nconsolaveis
Os expulsos da luz.
Nao andavnm no ar choros errantes
ConM|ue hoje-nn3 contristo,
Nem os trates pacbavam solucantes
Pehjhauto do Christo.
E nao havaa* sangue inda chorado
Os "santos nos desertos,
Nem no crneo do morto esverdeado
Ioda Iyrbs abaftos.
Njo pisira inda om p selvas umbrosas
E florestas bastas,
Os mares eram serenos e as rosas
Erar alvas e castas.
N5o era cor de sangue assim vestida
Inda a rosa verraelha,
Nem o ceo tinha a cor desvanecida
D'uma tnica velha.
Nao fugiam no ar aves medrosas,
Medrosas que as deforem,
Nem eram cor de sangue assjm as rosas
E nao nascera o homem !
Diario de P<
11 d Dezembro de 1869.
uso
co

Que derramen Can!
tas fa'
'sss
nso >e sinceri
confesaasto qu4
te adore
Ainda bem
medistMMM
dade dalftpu sentimento
te affir, reconheceste que
o- santo e immenso, oam Qjrie *
pirados do amor amam e adoram o ideal
grado dos seos sonhos delirantes.
T o disseste, sou poeta.
Esta palavra dos teus labios foi a -catta,
com que o anjo da poesa engrinaldou-nro a
fronte orgujbosa e escrava das tuas inspi-
aajoVg! Sou poeta, porque minh'alma ajoe-
Iba-se e dora extasiada a toa iraagem pal-
uda e vaporosa, porque de meu eoraco
trasborda o amor aoto qoe banba-te al-
fronte anglica e perfumada, porque minia jijai
imaginacSo nao canea de tecer flores .daes
para coroar-te a bellezajobrenatupl.
Sou fingido?.. *^
Foi o ciume que te fez atirar-maafjij
aecusaco injusta e cruel i Ella en vafe
um espinho que me veria ferir se n3o se transformasse no filtro mgico
qae traosportoii-rae s clicas regioes
a tua inflfer
tinto! Foi aquella
agora, Mari a
IHu aegre^H^
j^Ko como um
>mo um eseej
Mi que me
te, Mara 1 T jue tornaste
tallecer que nao es
r*o de mofa com que
< fiinims palavras!
M ;u Deas, como o tnjos querem pare
cer naos 1
A bondade nao abatoflona-lhe um Ino-
rnaato o eoraco innocentinlm, e a crue
;dej'a-lhe eoawmto b labios puros e
igivos!
T..em tregua,-urna pena diaria, um continuo
elicidade, Cazendo-me conhecer que rae sufragio da vida,"uma batalha perniciosa.
POUCO DE TUSO.
MULHER NO SENTffiD BURLESCO.
,er um pequeo animal doce-
tai) capricho, matada ra-zfo ;
"" 's:o harmnico cm que se
as vezes muitas dissonan-
aria e a raz3o sao incompa-
o espirito da mnUtt^juc s
a a ama Wmr a
J mcons-
combate
Toda urna noute, a mi primaira errante
E todo um dia andou,
Dj noute a branca luz de diamente
Os passos lhe guiou.
E abandonavam seos porabaes as pombas
Pr'a chora-la na estrada,
E o mar dizia ao vento : Pr'a que zombas ?
Pobre mi desgrenhada!
. as montanhas chora vam. Pois poderam
Prantos de mi fende-las,
E toda a noute pelo co correram
Saludando as estrella?.
E o marimba urna vozdurida como
Na noute de Salem,
E quando o sol nasceu em gneo assomo,
Arrastava se a mi I
E perguntsva ao vento : Onde est elle ?
Quemo meu filho vio?!...
E O vento responden: N5o sei d'Abol! !...
E ornar alm carpi f...
E arraslava-se assim no (im do dia,
J quando qnasiexange,
Vid nina roseira alm queja tingla
A cor viva dr. sangue.
Ento dor'.da estatua, birlos os passos
Ai de mim! Ai de mim!
Gritn convulsa a mi torcendo os bracos:
Aqui passou Cain !!.. lf
No principio eram mais doces os olbares
S'jcega loa de D ms,
E era mais sorde e itanta desies mires,
E mais azues os cos !
amas, qnejiSo es insensh'el como quera!
parecer aos olhos apaixonados, qae n3o s
m como denunciava o riso de mofa com
que sempre ouvias as minhas palavras ? !
Ouve:
Foi ha poneos dias. Minh'alraa soffria
o martyrio de um desespero inconsolavel,
e eu disse, ferido pelo escarneo esraaga-
dor: *
Porque amo eu ainda aquella mo?a ?
Porque na"o pago com o meu odio a sua
indifferen?a desesperadora ? Porque, por-
que, meu eoraco?
O eoraco respondou, estreraecendo-me
no peito:
Porque ella deu-me vida, porque ella
encheu-me de illusoes I. .
E o cerebro me disse ento, serenndo-
se como urna manha, depojs de urna noite
de tormenta.
t A mulher o insaciavel no amor!
Quanto mais amada, mais deseja se-lo f
Maltrata muitas vezes aquelle que a adora,
para v-lo preso a seus ps adorando-a
ainda mais, se possivel, e satisfazendo
assim a sua vaidade de rainha !
Louco. Finge que divides por mui-
tas o amor imraenso o que lhe olereceste
e v-la-has voltar-se a ti e rasgar o veo
que encobre-lhe cuidadosamente q corarlo
frgil e santo.
E eu tornei-me voluvel, como me pare-
ciam ser os teus olhos vividos e feiticeiros;
e eu tornei-me doudejante nos salSes, co-
mo colibr cm um jardim variado do flo-
res.
Erauma noute serena, como-o palpitar do
ce do teuxoracao innocente ; risonha, como
a expressio anglica do ten rosto encantad r;
perfumada de luar, como os teus cabellos do
aroma do junquilho que tinbas as trancas
negras e asseiinadas I
Til choraste...
Pen>as que nao vi ?
A ligrima com que perfumaste o ten len
cinho mimoso, espalhou o seu perfume de-
licado at o ambiente de minlia alma. Eu
o senti c meu eoraco estremecen de feli-
c i dade 1
Dous dias mous olhos charaaram-to de-
balde, e meu confo prcurou-te gemen-
do.de saudade.
dous dias nao me apparoccsle 1 -
Quando vi te...
Foi honteni...
Tinhas de novo a ndiffarenca no rosto,
mas a tristeza empalliderii-te ainda mais a
face ra.ro r;a e arrebatadora!
E t me disseste:
Meu Deus. como sao fingidos os roo
tas! A ni ntira esoftnde-se em suas pala-
vras seda turas, como o veneno sol) o per-
fume de certas flores delicada- *
FOLHETIW
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
ron
Paulo Fval
Segunda parle
/TilESa PATAS*
XXXI
Coafvonio.
(Continuaco do q. 282)
ra o Sr. Lecoq alguns passos ao en-
contr da nova visita, e assim lapava Julia.
Duas pal,ivr;is a ilizer, pros guio o
Sr. Schwartz, fallando era todo rigor a sua
algaravia abreviada. Nada de desoulpas,
perde tempo
Nao tenho descnlpas a dar-lhe, se-
Obor bariOi declamou po contrario oSr.
l^ecoq cQin empbase. Obrei como tfevia, em
su interpsse.
Meu interesse disse o millionario
levantando a cabefa orgulhosarnente.
O Sr. LecoqdesWou-se cora aquella agi-
lida le que couservava, e que o fazia mais
mo;o do que effeclivamonte era. A' vista
da ba -oneza, immovel e recurvada, o bar3o
Schwartz recuou mu los passos, o os den-
les bateram-lhe secoamente.
De nada, servir o veo. Coahecera a
mulher n'uma vista d'olhos.
Ah disse elle, fulminado violenta e
inesperadamente, apezar das sospeitas que
turna urna hora &e lhe apossavam do espi-
rito. Era ella I
Caspite I So'.tou Lecoq com o seu
risogrosseiro. Disse bem iste o nosso
centro : Era ella I
O barSo ficra petrificado. A insolencia
nao lhe fazia mossa... ou redobrav-lbe o
pa^mo.
No qaarto imaediato. Tres Patas ouvia
e esprsitava. R^miIh a respirarlo ; n'elie
o coracSo tinha medo de palpitar.
A conducta de Leeoq era para-elle un
enygrna meio adeviohado ; otas ba dramas
cujo deseBlaGe'e sabe de antemao, e qoe
nao obstante isso, provocam pongenles
eoramocOes.
^r=
. E preciso esclarecer a situacfl, re-
peli pela teiceira vez o Sc*Lsapg. pro-
longan 1o do caso pensado os preliminares,
para assim, em primero I-^ar, sobrecar-
regar o peso que actbrnnhava o peito dos
que o tinbam procurado, e em segundo lo-
gar, para elle proprio subir ao diapasa i
|u previamente preparara. miVter filar
o (oiro pelas arms. Os senhores nao
eslao em nons Itnces, nao. Que diabo !
eu nao sou nenbum S. Vicente do Paula.
Qoeap o acreditara, se odisse-se ? I'oss'o.
pjrm, prestar seivigos, quando n'isso val
o meu interesse.
Senlira baroneza... q;ue com
baro Schwartz.*
Voc calle-se, Joo Biptista, inter-
rompeu redondamente o Sr. Lecoq.
Aquelle nome de bapli.smo, eraprugado
de iaprovj ,.;i effeito tingalarlsai-
mo. O miuignjcto callou-se dcilmente e
parecen i '"^Mfr'; -O-
E tal')0^a|"> Tres Patas nn
l'Je d.-i r la no seu esconde-
rijo, moliioa a i i:.,Liio c l:.u'oii
algumns linhas prtssai.
Temos que conwrsar lodos tres,
prosrguio o Sr. Lecoq, procurando utna
caitra ao baro, tornos quo conversar de
consas l:o assimbrosas, que se o senbor
Bcasse de p, podena caliir reurjidamuite.
fi-sc ao incommodo de asseUr-ae
O senhor diz isso com tal modo !...
balbu.oiio baro, abandoriando de repen-
te as elypsesda sua Imfuagem usual.
Assentou-se, porem, desviando os olhos
da baroneza, que pareca urna defunli.
Gostariam mais de quem Ibes douras-
se ae pululas ? raplicou o Sr. lecoq, oc-
cultando sob a verbosidade arrojada a ve-
Ihacaria da esgrima. Ninguem se trans-
forma, sobretudo na rainha dade. J nao
temos vinte annos, Joo Baptista. Eu sou
rauilo franco, vou direito ao flra ; prcflro
magoar a Iludir. Ah tem, pois, a cousa
em pratos limpos : senbor baro e senbora
baronesa, apezar dos seus milUes, nao
Ib s qoeria estar na pello.
Espliqae-se com brevidade dtsse o\
Sr. Schwtrtz, que procorou reassomir au-
tordade.
Hei de explicar-me como quizar, raen
rapaz; qoa te parece T N3o ieram aqui
ter comigo, cada um de seo lado, pelos
latas olhos bellos, creio eu ? Qualquer
um fardo ifwupportavel e urna humnale
natural ascravidlo.
Em rail homens se encontra am bm, e
A wriher urna santa na izreja, um
anjo na roa, o diabo em casa, ama coruja
as janellas, um cSo na porta, urna cabra
rio jardim. -ja|k
A mulher um animal timido/mnsqie
nao deixa de se faaer temer; s combate
para ser vencida, e pede quartel quando
cessa de defender-se."
Queris bem conhecer urna mulher?
Imaginai am lindo nsonstrozinho, que en-
canta os olhos, e que transtorna a razio,
que agrada e que repugna, que no exterior
i um anjo, e no interior harpa.... ajuntai-
Ihe urna cabeca de fuinha, a lingua de urna
rpente, os olhos de urna cascavel, o
nimor de um galo, a destreza de nm ma-
eaco, a inclinac-es nocturnas de urna co-
ruja, o brilbo do sol e a desigualdade da
ua ; envolvei tudo em alvissima palle,
ajuntai-lhe bracos, pernas, e tereis uma
mulher completa.
A mulher achefe do peccado, a arma
do demonio, o destorro 4o paraso, e a
cormpco da priroeira le aotiga que o co
derf aos homens.
A mulher o orgo do demonio.
Uma mulher umi machina parlante
que pe todo o universo em mjvimento.
As mulheres ^o as perfeilas operaras o
artistas de todas as-maldaiesique fr pos-
sivel inventar-se.
A mulher um animal qae se aborrgee.
A mulher o paraso dos olhos, o in-
ferno das almas,*o porgatorio das algSei-
ras, e o motu-gontinno do pensaraento.
Deve-se julgar a mulher desde o calcado
al o ponteado inclusive.
A mulher o manjar digno dos deses,
quaado o diabo nao tempera.
A' INAH.-Lembras-te, Inah, dessas noites
heias do doce harmona, quando na selva
batia o ventsem brandos acoutes? Quando
as estrellas sorriam, quando as campias
tremiam as dohras de hmido veo, e
nossas aimas unidas se desmaiavam sen-
tidas ao langor daquelle co ?
Lembras-te, Inah ?
Helio e mago, da nev por ent
manto, erguia-se ao longe os canl)S
pescadores do lago ; os regalos sonc-
os pinheiros susurravam no viso di
dilheira, e a brisa lenta e tarda o chao re
voso sobria das flores da araendoeira.
Lembras-te, Inah ?
Eras bella: ainda no albor da vid;i,
linhas a fronte cingida de urna celeste .ca-
ella, ten seio era como a lyra que trafce,
ta e suspira ao rossar de tenue aragem.
jesuta annavav-lhes para ah um mon^Hb
palranhas ; eu nao tenho tempo para isso :
Sua mulher euganou-o, meu charo $e-
p*raru wVes com
>or eitre a escura foihagem.
os nafro i horrores nem pre-
; teas (lias ledos, mulher,
os e flor. Ob4 primavera
I brancas snrwts loS-ermos!!
de amor en iin passaste dei-
tanfia apenas por te#a cabidas ponnas das
atas de um seraphim 1
Ah Inah I quanta osperanca eu nao vi
nos cos ao luzir dos olhos teus,
sorrir de r.rianga I.... Quanto te
! que fnturos ? quo gozos santos e
pinos! qu divina eternidad! Quantas
enancas me alentavam quando as nnvens
sf crataai to arrebol faiM jws noites do esto, ao sopro do
tent brando, rola o selvagem cantando
na corrente do rio, assim passando en no
mundo, nesse descuido profundo que ehe-
a dita prodnz. Tu eras, Inah, minh'ahna,
de raen estro a gloria e pilma, de msus
cam'mhos Wi !
-Que 6 feito agn de torio de tinta
illuso querida ?.... O jardim nao tm
mais vida, o lar deserto e modo ? Onde
foste, oh pomba errante, branca estrella
scintiHante, que apontovas o potvir ? Per
qee lo prendes ao fundo do abysrao tredo
e profundo, linda perola de Ophir ?
Ah! Inab, ea toda a parte que leu es-
pirito 'esteja, minha alma, que te deseja,
nSo cessara de buscar-te! Irei s mrtens
serenas, refundo as ligeiras pennas -do
mais ligeiro cndor, irei ao pego e-pu-
raante, como da Asia o passante mergu-
lhador.
Irei Ierra das fadas e dos sylphos, erra-
bundos, irei aos antros profundos das
monlanbas encantadas ; se depois de im-
raensa < dores,, no seio ardewte de amores
eu nao puder apartarte, quebrando a dura
barreira deste mondo de poeira, talvez,
Inah, hei de achar-to *?
afltijroi MWiTofitamt, dize.11 laaftaV
com ufinia pis*i ab cem^mgm
Entretanto, su eafstisee a dita ca
nao haveria tirrtos A>loms, porque %_
acuelles que nao estivessem nos termos da
le, ser-Ihes-ia aosto na testa umTcom
tinta encarnada, as costas outro igual,
para ser reconhecido por ambos os lados.
Deste modo, evitavam-se, Ulvez, muitus
desgostes... e com o correr des lempos
vjnha a *xtingur-se a raca do naorador,
o q q seria um grande bem' para a socio
dade........
nao bolio. O baro fechou os mor-'
resrnungou :
D'isso desconftava eu.
A decomposico do semblante exprimia-
Ihe ainda mais consternact que colera, e
fra impossivel ao mais arrojado zombateiro
tomar a situago pelo lad comiuo I
Xas feieoes de Tres Palas, ijue* Be-consei-
vava espreita, era prinripalmeat BouVepn
curiosidade o que n'aquelle ..mononto s
pintava.
O NAMOttADO D'OFFICIO.Ora eis aqui
um dos. lypos da gallera humana, qae a
meu'ver, anda fra da graca de Deus,
porque sem ter carjdade alguma brinca
com o amor sensive do bello sexo como
qualquer crianza quo brinca com um bo-
neco de ceira.
O namorador um hero temivel, que
subjuga centenares de coraces feUtninos
ao poder da sua lluseria linguagem. Mi-
apesar de todas as tyrannias sempre um
lypo, que interessa s leitoras... E que-
rem saber porque ? Eu Ihes digo.
As interessantes filbas d'Eva, todas teem
uma grande nclinaco para o sexto sacra-
mento. O que nao admira porqie ] as
ceram para casar. Ora, partindo deste
principio, emgeral, nnmoram logo o pri-
meiro homem, que se aprsenla a reqnes-
tal-as... e a maior parte das vezes empre-
gam to mal o seu tempo, que mais valia
que nSo tivessem nascdo.
O namorador em geral, anda sempre
vestido no aparo da moda; fraque de ban
das bem feito, usa sempre de luneta para
ver raelhor os rostos encantadores, e :raz
sempre uma flor ao peito. Ora com todos
estes matadores, qual ser^a mulher que
lhe res sta? ~
As suas palavras amorosas sao cappuea
elstica. O que diz por exemplo Miri-
(ainlms vai repetir Sophiq indo depois di-
zef^Hitinhn o mesmo. um eute que
nunca j)de estar preso a uma marra;
tem conquistas nos tres bairros; orienta!,
occidental e central, o as vezes, fra de
portas; faz do amor um monopolio, nao
esl mais na sua mi.
Os namorados (o plural agora refere-se a
ambos os sexos), se tivessem uma afdfic
como teem os p.'sos medidas; se fosse possi-
vel crear-se o na casa fiscal para julgar os
senim :ntos de cada um; o genero hava for-
cosaniente escassear no mercando, c dentro
em pouco os sectarios da volondidade se-
riara libraros que algu:n que por acaso ap
pareceos era logo remeltido para o M i-
seo.
Certos, porrx,. da sua impunidade, os
galanteadores de o.Tieio, esses cupidinhos
d'alcorca que andain por ahi aos cent
como os titulares, e os conselheiros, va o
alimentando esperancas e n muilos corai;5
para de repente as matarem. O temorso
nao os tortora, e assim como contam aos
Agora vamos a analysar e typo, que na
minha opinio um dos que mais se presta
a o escapell o da critica, tal a dze de re-
diculo, com qae a natureza o dotou...
O namorador commum de dois: ho-
mens e mulheres soffrem desta doenca.
Segundo as melhores estatisti;as, o mais
atacado e em anior escala sempre o sexo
masculino. Ha daas razies para esta dlffe-
renca: primeira. par ser o sexo mais
forte: segurla, p;la liberdade que te-
mos... e pela- que tomamos-por nossa
eonta.
O namorador s vezes ainda frequenta
a escoHia e j olha significativamente para
as Raparigas. Muito cedo so revelam as
ncaacSes.
O verdadeiro namorador anda mois do
que uma ventuinha.
Os sapateiros poam vender-lha o cal-
cado por nietade do preco, porque o ven-
dem s ontras pessoas, porque ainda ga-
nhavam com o freguez.
O nosso here econhecido poruns pou-
cos de alcunnas; chamara-lho cabeca de
vento namora paredes, quebra quinas, bocea
aberta e muilos mais nomas, qua nao me
lembram agora. Para os garotos smpre
o alvo da cacoada.
A's vezes est o pobre homem contem-
plando o seu anjo, aassa um, e diz-lhe de
modo que se ouga bem, larga o osso!
O offendido, se intenta castigar o inse-
lenle, d um espectculo ridiculo, corren-
do atraz do garoto, que nao consegue
apanhar, e qo3 dahi a pouco vem uma
grande sucia, procurar a sua victima,
e obriga-lo a fazer uma vergonhosa reti-
rada .
O namorador, parece que tem padeci-
miento da garganta, porque toma rauilo
miudo gargarejos.
Algomas pessoas julgam que elle 6 em-
pregado no observatorio metereologico, em
consequencia de o verem sempre olhando
para o ar.
O man temp)no serve nunca de obst-
culo ao nosso conquistador.
Faca calma, ou faca fri
Anda sempre em corropio.
Apanba cada carga d'agua, que mesmo
um louvar a Deus. Se livesse uma doen-
ca que lhe fosse preciso tomar banhos de
chava, era intil receitarem lh'os, porque
estando j to coslumado a elles, nao
podia tirar proveito da sua applicago.
O namorad'if freiraenla as festas da igre-
isthjatros, os passeios etc, e onde elle
esl logo*conhecido pela ternura do seu
olhar e pelos puches que d ao bigode e a
pera, tudo para disfarco.
Quando vem o tempo da semana san-
ta efltao que nao lhe falta que
fazer.
Entra em todas as igrejas, faz aper-
to, diz huesas, e apanha tambem as
vezes a sow bofetada por causa do
amor.
Alm das qualidades apontadas o namo-
rador conhecese tambem pelo cheiro, por-
que vive n'uma aimosphera de perfumes ;
v-se ao espelho com vaidade/orno se fosse
qualquer dama do tora, lm grandes pre-
tcncoigua espirituoso. A sua sensibidadc
pelo sexo femnino tm sido causa de en-
gracadissimas aventuras.
O namorador segu lodas as mulheres
c 'ino um clesinfao fraldiqueiro ; apanha ca-
da estafa que, se nao tvesse uma organis cio especial, era impossivel resistir.
Um destes seres privilegiados, ia cami-
nhando atraz de certa senbora, que em con-
sequencia da lama que havia as roas, leva-
va as saas um pouco alevantltlas.
O conquistador satisfeito, mas nao farto
V3) ver como condnzo uma discusso.
Occupeime d >s senhores toda a noute.
Conhecem o Sr. marquii de Gaillardbjis ?
Obarao desalou o n da grvala.
Se nao a escolher fulminante, o que
ser naja soluco completa, rosnou mal
assombrado o Sr. Locoq, u.na apoplexia
n'este momento vinba mu fra de propo-
sito, lim pouco de vigor, com a breca !
tanto custa isso Seja homem, que ha de
sabir do embaraco. Fallava-Ihes eu d'a
quelle estimivel Giillardbos, porque faz
qu Hito pode para sor prefeito de polica.
E homem subtil c persistente. Agora vo
tou se elle pisca dos Casacas l'retas. A'
-Tratava ento, proseguio o Sf.Lagpq quanto se eleva, meu charo sauhor, a
om soberan i desprezo, de por em acca
as verbas scenas de ciumes, de esquadri
nhar, espionar, roubar chaves, tirar^
ni ilde para abrir gavetas 'de secre
como qualquer gatuno ..
Senbor, quiz interroraper o bi
Bem sei, capaz de me di
nao traz ahi na algibeira o molde da
u > ? E eu respondo-lhe qpe j n
na tal gaveta. Console-se, porem
mrioso val saber tudo. Qie poda
nhar na gaveta? A ajaajira de sua
iier. Isso.dj mentiras acabou ; ba lempo
para tudo, e ahi est a senbora baroi
que lhe vai servir um prafo d verd
-ntao a senhora qem ass
desafia ?pirguntou o bario c
dade dos profundos desgostos. ,
Pois que exclamou o Sr. Leo
enlo o senhor ainda nao porceoeu que se
nao trata a jui de una dispata caseira? Eu
nao sou nenbum malvado. E nao os vinba
por em presenca um do outro s para
atormentados. Foi o senhor que comee
O senhor enganou sua mulher, Sr.
wartz ; sabia qne o priraeiro onrido e
Affirm ... comecou o baaqueiro.
Faz mal em affirmar.
Juro...
Nao jure, pronuociou lentamente a
baroneza, gue se conservara muda at
ento.
At qae aflaal f dtsse Lcoq. Refeo-
brou a palavra esta ioteres'ante aenhora 1
preciso que saiba, seabor bario, qae a
senhora baroMza est palo meos to ad-
mirada como o armur. Isto uma sor-
prailei>artea jarle. Sempre sooubj
magano de bom gosto, lo Dies parece T
la das suas commissoes nos negocios do
coronel Bjzzo ?
Foi isto dlo como por incidente e com
um aedepouca importancia, admiravelman-
te representado.
Entre aat que ali estivam, s Tres Palas.
ter a pergunla.
O baro responden extenuado :
Em minha casa toJasas conlas esto
patenles. Dirijam sin pergunla aos meus
empregados.
N'isso que est o mal, disse o Sr.
Lecoq -abaixando a voz; o granJe mal
Quem qu r dormir descaocado, nao manda
d'aqoellas contas para 03 esrript'orios pa-
teutes. Aqaelle diabo do Gaillardbois es-
tava bem informado. Disse-me raui posi-
tivamente : o banquahl dos Casacas Preta-
o Sr. harto Schwartz.
E' orna calumnia, replicou o barSo
com simplicidade.
Poi justamente a resposttfque eu dei
ao Gaillardbois O senhor 5o tem um
criado chamado Domergue ?
Tenho sim ; e um servo velho-e
fiel.
t precia dizer-llie-flu^ com o nego-
cio dos Casacas Pretas bem conduzido,
Gaillardbois toma e assalto a prefeiura.
Cada qual caminhl^Hca os*seus flus con
frma enten>i, nt ttrttde ? lia agen-
Sera por Buajjtonta, minha senhora ?
perguntou oSr. Lee 11.
responden ella corajosamente.
No pifr.-l que linha diante de si acabara
a mo distrabida de Maiheus de tracir es-
tas palavras :
Uma aranba que fabrica a sua teia...
E effeclivamenle. trabalham ellas de um
para outro lado, pegando por toda a parte
o viscoso fio que ha. de supportar-lhes o
trabalho .sirio. A' priniipin," Rio se alevi-
nha a forma regular daquella rede mara-
vilhosaineute di--posta. Dr-s;-hia que la-
buiam ao acaso. Em breve, porm, ap-
parece % trama, deixando ver a jngenhosa
serie das malnas. coawBtricas.
E quanto pretenda passar alravez, ali fica
captivo.
O Sr. Lecoq cu.nprimentou a baroneza.
voltou-sti para o marido :
No^ci tudo, dlsee. Mi&ca> pa&-
si ve I Barbad i, qoando aidam
da sira observa^o, pressoo mat o
pan ver a cara desconlucrda.
AO chejar perto da dama eppfica-llie ama
Indagidora loneta ; o ella, wltando-se para
o curioso cavalhelro. oxclamou, euiUando-
Pie ti conWr o riso :
Tolo! pois nem cu le escapo?!...
A espirituosa senhora. era a mi do nos-
so herae! vejan o- que faz uma pesaoalo
ter a vista clara. Alguns namorados cur-
tos de vista rpiando /lgam ter um*dw de n'ama agua.faj-tada, encontram depois
uma mulher horrenda.
Ao namorador acorrteeemdhe des; e,
muito mais poderia dizer, se nao receias-
sc tornar-me massador. Concluirci a dis-
cripeo do meu typo deaejando que quando
marra algum, a ierra lhe seja to leve com
elle tem a cabeca.
TRANSFS.iO DO SANGUE.Para ope-
rar a traB8fus5o do saogue um medico de
S. Petersburgo, o Dr. Gesellus, rejeitando
o oso do sangue defibrinado e do saague
das veias, propfie que se tire o sangue aos
espillares cutneos. Para isso emprega nm
pequeo apparetho composto de uma ven-
tosa de vidro assaz delgada, de om saerrfi-
cador de 19 laminas finas, dispostas e
cinco linhas, movidas pela presso de nm
boto; de uma pequea bomba pneumtica
situada na parte superior e lateral do ap-
parelho, de um tubo de vidro preso her-
mticamente na parte superior do mesmu
apparelho, tubo terminado por um pequeo
trocarle para abrir a veia e conter chico
oncas de sangue.
, Ventosa e tubo sao envolvidos em urna
capa de borracha que, cheia de agua em
35", impede a coagulaco do sangae.
Posta a ventosa sobre as costas de om
homem sadio, e cahindo o tubo perpendi-
colarmente, prende-se a ventosa com a
mo esquerda, cm quanto a direita move a
mola do tubo. Desde que o paciente ex-
perimenta nma sensr.co desagradavel, uma
pancada com a mo aberta sobre o boln
do sacrificador faz entrar na pelle as lami-
nas e o sangue entra a correr. Apenas se
coche o tubo, abre se o registro, e intro-
duzindo o trocarte na veia mediana, cepha-
lica ou basifica do doente, o saogue entra
pelo seu peso no vaso. Basta fechar o re-
gistro para interromper' a operaco. Uma
escala, gravada no vidro do tubo, indica a
cada instante a quantidade do sangue in-
jertado.
NOVA MACHINA DE GUERRA. Mais
uma machina de guerra, mais uma nven-
cjio para destruir.
E' uma espingarda de novo systema car-
regando-se pela culatra, inventada pelo Sr.
0. Krag, tenenle de artilharia norueguez.
A arma pode ser de repelico ou carregar-
se a mo.
Debaixo do cano ha um deposito que
pode conter li cargas. O mechanismo que
conduz os cartuchos do deposito ao cano
muito simples; compoe-se de tres peda-
Cos. Nao querendo empregar esse meio.
fecha-se o deposito das cargas por meio d
urna mola, e carrega-se a espingarda pela
culada mo.
Esta arma de repetico atira, sem us. r
do deposito. 18 tiros durante um minuto;
os I i tiros correspondentes carga do de-
posito d i-se em 30 segundos apenas.
Os cartuchos sao de cobre.
EXAME PVUA CARRASCO. Faei-?e
justiga aos aliemos, em geral, e aos prns-
sianos em particular; gostam de f.izer ss
cousas com seriedade. O Jornal de F/am -
furt annuncia que quem quizer obter as
funecoes de carrasco precisa apresentar
orna certido de execntor em quo proveqti>
leve cnsino pratico, bem como nma declara-
ro quo certifique a sua babidade.
Esses documentos sero sujeitos a tri-
bunal supremo que designa um commissa-
ro para examinar o postulante. Examina-
se a leitura o a escripia ; o peticionario
deve descrever o suppl:io em todos os
seus pormenores; deve sabor irfticar es-
pecialmente o lugar do pescoco que o car-
rasco deve'ferir para que a morte soja ini-
vitavel desde o primeiro golpe. Parece
nos estar em plena idade joaedia. Entr. -
tanto houve no dia 1" de outobroaum exame
desse genero em Berlim,
lad j, quarulo a flam srihons
adevinhou urna parte do alcance que poJia* metlid fn'estas cousas. A minha tnica
prtsltni;ao-saber bastante para poder dar-
lhe um bom CMiseluo, bom para o senhor
e bom pira mim, porque bem deve suppor
pie nao trabalho aqui p3ra os meninos or-
phos. Talvez vollemos ao amigo GajJIard-
bois, que est em camiuho do apanhar a
pr-feitura ; passom is, porm, adianto.
Tendo a senh ira baroneza outro marido,
do que est ao facto, nao cstranhra quan-
do soubor que Ddus aoencora aquella
unio e existe um filho.
Miguel ? murmurou o baro Sch* Vp
warlz, cujo rosto se illuminou francauerfte.
E accrcscentou voltando-se para a mu-
lher e com cxpresso verdadoiramente
apaixonada:
Oh I senuara, oh Giovana, porqoe
uo o dizia ?
Conservou-se ella silenciosa. Pelos in-
tersticios do veo deslingoiam-se-lhe o olhos
Unos e o palior das faces.
OSr. Lecoq.rio com satisago.^
Ah tem o que faz falta na yelha
peca da Mulher de tlous mardvsl prose-
guid ; um magano da miuha ba, e.sta-
Ueleceudo iiama situado d'eslas. Mas va -
tes qu os cercam e os" vigiara a5s senhore* mos, nlo' possivel explicarem-so, em vez
tanto em Pars como no campo. O tai Do- de se entregaren) s intermnaveis scenas
inergue, o tal servo velho e-fiel, 'bga o deum awkj^rama ? Bem sabe qae
jngo do Ihmpcrd o ia eminhtm t~ pe(asd'estas Se .represerltlal doze vetes
A baropeza detsftu escapar am wvi- per *a em Pars, aade a bigamia eoodui
ment. aos tribunaes. Debalde os tribuaaes ear-
regam o sobrecenho. nada evitara comiss >.
nao v assim ? E, fallando serio, a m ilher
tem quasi sempre boas razes para se jus-
tificar ; baslava-lln abrir bocea: abra-
cavam-se e ludo brava om agua mema ;n3o
da minha opinio, Joo Baptista ?
Era a terceira vez quo o Sr. Lecoq e:i-
pregava aquelle npme, e cousa alguma, im
suas osuaes relaf.'s cora o rico hinqoe-
ro, o autorisava aquella' familiaridade, qs
entre tantas cousas dispostas pira caaaar
assapiro,sorprenda Julia ao ultimo pon.
Sihwartz nao proteslava. Conservava-
se de algum modo esmagado sob a sing-
laridade da situaclo quo, segundo os seus
presentimentos, ia em breve dar novas
araeacas.
A expresso do Sr. Lecoq despeitava-
'ie c mi singular vjvacidade longinqias r-
mioiscencias. Experimentava na momofia.
se 6 lcito asaiiB expriai r-nos, o proprio
sabor das imprespes que Uvera, quan|u.
"i !' -!; jivfnB" !S2"> encontrou no cae
lo rue o desfacijo ('onmissario da casa
ier d- C. Por isso estremeceu. comr
se o proprio pensamento houvera Lillado,
quando Lecoq, cncartrndo com elle, e so-
terrando as mos as algheiras do cham-
bre, proseguip sbitamente :
-^Jogo, mulheres e vioho Icrabra-re,
amigo ? E o nosso jautar na estaagem do
Gallo sem pavor ? Qae tal cozinhava a
lie Brol ?... E o marido ? o celebro
ido ? porque tambem se falln n'um.
fui admnvel foi o preparativo para
a excepeo d'alibi ; aquella beogalla asque-
cida ao canto, a minha bengalla dd'castan
(le prai. E a ligo repetida ao commissa-.
rio de polica ? outro Schwartz ; sao Untos
como as pedras da roa, N'aquelia ooute,
por aquella estrada, a altivez nao' era raai-
ta heinr? E na azinhaga ? a nota de mil
francos !... Ahi est uma nota que pro-
duzio de ento para c muitas nolinlws.
o5o 6 verdade. Joo Baptista f
O suor corra em bagas pelas fontes do
baro.
6 comprimido sasairo ergueu o jejlo
do ateijado, qae era va va no vacad as albos
pensativos.
TA M WiKia-8U ttlftfKffttlTa.
/
..
vi


-
-
I
f
aaaai


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBRKWL9WJ_1NL3EB INGEST_TIME 2013-09-13T22:06:34Z PACKAGE AA00011611_12015
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES