Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12014


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANISO XIX NUMERO 282.

a;


'
Por tres metes adjuntados. ,
Pw seis dito idam. .....'' ..........OOO
JPor om aano idem. ........ "120000
SaW FEIM 10 DE 0EZEMBR0 DE 1869.
PARA DE5TE0 l F01A DA PWVCIA.
Por tr es inczes achantados..............
Por seis di los Wem.................
PornoM ditos idea...............
Pormuanno........,.........,

Propriedade de Manpel Rgueira de Palia & Filhos.
~,,---------------
O.Srs. Guardo ^rcd"^^ J^m Josde (Miveira. m oAracaty; Mo Mari, Jto Chaves, doAss; Antoeio Marqnat da Sil,i
Aimeaa, em Mamangnape,^Antonio Aloxaudrme d<> Luna, na Parabjfca; Antonio Jote Gomes, na Vito da Penua; Ilelahnino dos Santos BulcSo. em Santo Ant5o; Domingos Jos da Costa Braga,
.__________!_________,_________________*" NaMrett; Fnacmo Tabres da Costa, em Alagns; Dr. Josa Martin* Aiveavna Bahw, e Jos ftibeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro. ^^ '
mHatal: Jos
PARTE ornciAL
toveruo da provincia.
CXTOMEXTE ASIGNADO PELO EXM. SR. Mi. MANOKl DO
>'XSCfME.NT0 MACHADO NBMU, VieR-FflESIDEK-
TE DA fROVINCIA, EM i DE OUr.HBttU DE 1809.
I* seccao.
N. 5 Pertaria o director do arsenal de guer-
ra.=Bectmimeodo a V. S. toda urgencia no enm-
oriniento da ordem qne Ihe fui expedida a 23 de
setembro ultimo, quanto a subsiituico e forneci-
nento de armamento e bjectos Mus pedido
Veto commandante do I* batalhao de artitharh da
guarda nacional deste municipio, mandando tara
bein quo ao quartel-meslre do tito batalhao sejam
-entregues 4 cmelas de toqao.
N. 6Dito ao eogenheiro mnitarPode Vrae.
acreilar, como mais vantajosa a fazenda, a pro-
posta que faz Manoel Antonio Teixwra de encar-
regar-se pela quanlia de 3:0&JW0 da execneio
ios coBeertos necessarios ao quartel da Soledade.
Fica assim respondido o seu cilicio de 25 de se-
teinhro ultimo.
N. 7.Ueiiberacao.O Tice-presidente da pro-
vincia attendendo ao que requereu Jos Maria
"neira di Costa, resolve eonceder-lhe licenca
para poder embarcar pura o presidio de Fernan-
do no 1* vapor qae para alli seguir da Compa-
oliia PernamOueana, os gneros .constantes da re-
lacio unta assignada pelo secretario do governo,
'lio pudendo pofm desembarcar os ditos gneros
sem que por parte do comaandante "do mesmo
presidio, se proceda a exame afim de se verificar
se lia agurdente ou ouira qualquer t ebida espi-
rituosa.
2a scelo.
N. 10.Portara ao commandante supertor in-
crino da' guarda nacional do Hucife.Expeca V.
& as suas ordens para que seja dispensado do er-
vico activo da guarda nacional, at a nova rcuniao
nacional da respectiva parochia, o guarda do 1" ba-
lalho de arlilharia deste municipio Jos Alves
Jiarliosa Jnior, que alinde o seu ofllcio de 29
do inez lindo sen n. 198.
N. 11.Dita ao caminandanle do corpo provi-
sorio de polica.Pode Vine, engajar no corpo
sob e seu commando o paisano Manoel Alfredo
ijoncalves dos Iteis, de que trata o seu olllcio n.
151, de 29 do mez findo, se tiver para isso a mo-
ralidade necessara.
3* secejio.
N. 13. Portara ao inspector da thesouraria
de fazenda. Fxpeca V. S. suas ordens, para
ana seja paga a quanlia dt 11:16666Gproveniente
da sub veneno relativa ao mes de setembro ultimo,
rom que o governo imperial auxilia a Companlna
Peruanibucana de Vapores costeiros visto ter essa
Compontes salisfeito os seus compromissos no ci-
tado mez como se v do incluso requerimento.
" -X. 14.Dita ao mesmo.Hecommendo a V. S.
que em ysta das duas contas juntss e em dupli-
-cata, mande liquidar a atopesa feia com o fuo
.iiiiento de luz e agua p3ra e quartel do destaca-
mento de guardas nacionaes existentes na villa do
&>nito, a contar de 22 de nuio a 30 de setembro
deste auno, e | igar a sua importancia a Joao los
de C.arvalbo, conforme solicitou o chefe de poli-
via em offlcio de 2!) de sotembro ultimo sob n.
1420.
X. lo.Dita ao mesmo.Transmuto a V. S.
i com a copia do aviso do ministerio da marinha
de i de setembro animo o incluso requerimento,
que ate se;i devolvido, no qiul Heit Wilson 4 G.
peden providencias para que por essa lliesoura-
ta sij no pagas diversas contas de fornecimento
de trvid do pcJra e qun o nao tcm fido por
achar-se esgotada a respectiva verba, am de que
V. S. informe a semelhanle respeito e jusiifique o
dficit, conforme" Ihe Fil exigido por odlcio de 17
do mez ultimo em observancia de outro aviso da
lado de 27 de agosto prximo findo.
>'. II. Dita ao mesmoTransmiti a V. S.
para sen eonlieeimento e em resposta ao seu offl-
cio n. 3"57 de 13 do agosto ultimo copia do aviso
lo miiiis'.i rio i agricultura, commercio e obras
publicas de I! de setembro prximo findo relati-
varaente a i roatenal [ofegrapitM vindo de Ham-
barfo que se acha ba hiv.o tu, alfandega
.N. 17.Dita ao mesmo.Declaro a V. S. pan
i !.!: c acote e Has convenientes qae loado o
professor Antonio Rangel de Torres Bandeira pe-
dido dispensa de examinar em geographla e histo-
ria (I i Brasil to concurse, a que se vai proceder
nessa tliesooraria acabo do designar o Dr. Manoel
Perreira da Silva para o sub-lilur.
N. IkDita ao mesmo.Depois de liquidados
1 n riela da l'Hia e pret juntos em duplcala, que
e renwtea o Exm. Sr. brigadeiro commandan-
te >lis armas coa otlieio de boje sob n. 583, raan-
de V. s. pagar os vene meatos do olficial enanrre-
gado do deposito- dos prisioneiros de guerra para-
goajros e dos mesmos prisioneiros, sendo os d"a-
qiieHe re.hlivos ao mez de setembro ultimo e os
detes a 2.' quinzena do mesmo mez.
N 19.Dit i ao mesmo.Transmuto a V. S. a
.' ilba o orets juntos em duplcala, que me remet-
ida o Kxm. Si', brigadeiro commandante das ar-
mas con offlci i do Imjo sob n. 384, altm de quo
oi.iu le liqni lar e pag.ir os vencimentns dos ofil-
eiaes, prac is c calcetas, empregados no deposito
d; recrutas, send.) os dos offliiaes c calcetas rea-
is ao mez de s;tembro ultimo, e os das pracas
a 2' quinzena do mesmo mez.
N. 2!.Dita ao mesmo.Km vista dos inclusos
documentos, que me" remellen n commandanto
superior dsk) municipio com oQloio de hoje sob
n. 200, m.!ii;li! V. S. liquidar c pagar os venc
menjos dos offlciaes e pravas do 3." batalhao de
nfantaria aquartelado no Hospicio e a despeza
felta rom o foraecimonto d'agua para o mesmo
batalhao, sendo esta c os vencmentos dos ofcaes
.vos ao mez do setembro ultimo, e os das
pracas a 2.* quinzena do citado raez.
N. 21. -Dita *i inspector da thesouraria pro-
vincial.Mande V. S. entregar ao thesouroiro do
Instituto Archcologico e Geographico Pernambu-
ano, Dr. Gervazio Rodrigue* Gampello para esse
flia indicado em offlcio do secretario perpetuo do
mesmo Instituto, datado de 2 de setembro ultimo,
a suvencao de 1:3008000 volada na lei do orca-
mento vigente para aquella sociedade.
4.* seccao.
TI. 2.Portarla ao co>iego FraocHeo Jos Ta-
cares da Gama, gobernador do bispadc-^Pelo of-
lleio de 30 de setembro ultimo, llquei inleirado
de haver V. S. n'aquella data assumido a admi
uistra^o do governo desla diocese por ter segui-
do no dia anterior para Roma a tomar parte no
concilio eenmenieo o Exm. e Hvm. Sr. bispo D.
Francisco Cardoso Ayres.
N. 23.Dita ao mesmo.Responden*) ao offl-
cio de V. S. dcsta data, tenho a dizer que fica ex-
pedida a conveniente ordem para ser postada no
caes de 22 de novembro a galeota que deve con
duzir o Exm. e Rvm. bispo do Para para bordo
do vapor Guara q e segu noje para o sal.
X. 24.-Dita ao Exm. Sr. director da Faenkla-
- de de Mreito.Tendii designado o professor do
eoUtom das artes, Dr. Manoel Perreira na Silva
jra amioar em jssgnphh e ntttocia, do Brasil
no concursa me se raijproeeer na thesouraria
de tmola narapreeschimenlo dos lagares vagos
de praticanfDS o 3.* esertfUQtrit da mesma the-
souraria, alfandeg e rseeneiosla, assim o detla-
ro ,a V.-Esc. para sen eoobecimento, e afta de
nni W constar ao mencionado professor, que
isso de veri eotender-so com o preSto Ins
fftttr.
.-.
-JL-
N. 2o.Dita a cmara municipal do Recife.
Hecommendo a cmara municipal do Recife que
em vista do aviso de 14 de deze nbro d) anno pas-
sado, e de conformidade coa o art. 7 da lei n.
J87 de 19 de agosto ds 1848, d as necessaras
providencia* afim de que se rcunam as juntas
qua ifieadoras das frogaezias-do seu municipio,
na 3." domingo- da Janeiro prximo vindouro, ha-
vendo o maior cuidado para que se faca regular-
mente todi o processo di qualilicacao e se obser-
ven! todas as dsposieoes da legislacao em vigor.
icoes da legislacao
Igual a todas as eamaras da provincia.
EXPKDIE.VrK
ASSIC.VADO PEI.0 su. Dn. joaouim con-
UEA DE AHAUJO, SBCRETAIUO 00 C0VEBS0, BM 1
be oirriano de 1869.
1." seccao.
X. 2J.Okio ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.De rdea de S. Exc. o Sr. vi-
cepresidente da provincia declare a V. Exc. em
resposta ao seu offlcio desla dala sob 586, que
se mandn satisfazer o pedido de artigos de ves-
tuario para o sentenciado civil Manoel da Rocha
(Miveira, qne se acha empregado no servico da
fachina da fortaleza do Brum.
N. 27.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. vicepresidente da provincia, declaro a V.
Exc. para seu conhecimento quo por despacho
desla data concedeu 15 dias de praso para po-
var iseno legal ao recruta Joao Mauoel Martina.
2.* seecJo.
N. tt.-'-Offleio ao Dr. chefe de polica interino.
Nata data autorisott-se a thesouraria de hzen-
da a pagara Joao Jos de Camino a quanti de
27720 constante do offlcio de V. S. datado do 29
de .setembro ultimo e sob n. 1,420, o qual fica as-
sim respondido de ordom do Exm. Sr. vice-presi-
dente da provincia.
N. 29.Dito ao commandante superior interino
da guarda nacional do Recife.O Exm. Sr. vice-
presidente da provincia manda declarar a V. S.
que nesta data se racommendou ao director do
arsenal de guerra mandasso fornecer com urgen-
cia os objectos pedidos pelo commandante do l."
batalhao de arlilharia, a que se refere o offlcio de
V. S. de 30 do mez findo sob n. 199 e bem assim
as quatro cornetas por elle pedidas.
3.' eccao.
X. 30.Offlcio ao inspector da thesouraria de
fazenda.Participando o conego Francisco Jos
Tavares da Gami, em offlcio de 30 de setembro ul-
timo, haver naquel la data assumido a admmistracao
do governo desta diocese por ter seguido no dia ante
riorpara RomaoExm. e Rvmo. bispo D. Francisco
Gardoso Ayres, assim o communico a V. 8. de or-
den de S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia
para seu conhecimento.
X. 31.Dito ao mesmo.De ordem do Exm. Sr.
viee-presidenle da provincia communico a V. S.
para os fms convenientes, que segundo consta do
Diario offlcal n. 222 de 18 do mez findo por de-
creto do 15 do dito mez, oi dispensado o juiz de
dimito Ludgero Goncalvcs da Silva do cargo de
chefe de polica desla provincia.
4.a seccao.
X. 36.Portara ao Exm. Sr. general comman-
dante da* armas.Mande V. Exe. apresentnr ao
Dr. chefe de pene .mSeinsy am de Ihe- dar o
destino que julgar conveniente, os recrutas Rufino
Gomes, ^ehastiao Gomes de Lacerda. Jo Fruc-
tuoso de Vasconcellos o Joao Manoel Martin?, visto
tarea sido julgados mesnases do servico do exor-
dio eai inspeccao de sade como consta do termo
annexo ao seu ofllcio do 1" do corrente, sob n.
588.
DI. 37.Dita ao director do arsenal de guerra.
Em cumpnmeuto ao que reqnereram os consigna-
tarios do brigue nacional Damao, que se arpera
oestes dias do Rio de Janeiro, recommendo a V. S.
que man le receber a bordo do referido brigue e
recolher aos armazens desse arsenal, logo que para
isso for avisado por aquees consignatarios, as mu-
mces de guerra que leein de vr da corte com des-
tino a eslaprovmm.
"2." seccao.
X. 39.Portara ao Dr. chefe de polica inlerno.
Para que posa resolver sobre a remoc/io para
esta caiiital dos presos existentes na cadelade Flo-
res, de que trata o ofliojo de V. S. n. 1438 do Io do
Brrente, eampre que o juiz de dreito daquella
comarca informe quantos elles sao, quaes esli
processados e delles quaes os que teem de ser jul-
gados neste anno.
X 40.Di la ao mesmo.Informe V. S. so.se
acha preso alguem com o nome dn Solero para re-
cruta e no caso allrmativo por que autorldade fui
rec rutado.
X. 41.Dla ao mesmo.Por parto do Exm.
brigadeiro commandante das armas Ihe serio man-
dados apresentar,"afun de V. S. Ihes dar o destino
que julgar conveniente os recrutas Rufino Gomes,
Sebastiao Lopes de Laceria, Jos Fructuoso de
Vasconcellos e Joao Manoel Hartins, visto terem
si.lo julgados incapazes do servico do exercto em
iospeSM de sade, como constou do termo que
veio aunexo ao oflkio do mesmo commandante
das armas do 1 do corrente, sob n. 589.
X. 42.Dita ao. commandante superior da guar-
da nacional de Goyanna.Expeca V. S. suas or-
iens afun de que ulna guarda de honra de uin dos
batalhSes da guarda nacional sob seu commando
superior asssia a fusta do Saata Thereza que se
teifl de celebrar no dia 17 do torrente, na groja da
Ordem Terceira do Carino dessa cidade c acompa-
nhe a procissao da mesma Stnhora, que na tarde
d.iquelle dia teiu de sabir da supraeitada igrija.
N. 43.Dila ao Dr. Ignacio Joaqun de Sonta
Leaoe mais membros da commissao encarregada
de libertar criaucjs.Receb o oficio qtte Vv. Ss.
me dlrigiram em"28 do me/, lindo, c bem assim as
castas de liperdade de maia 8 criancas, que foram
all'orMadas. Inleirado do que Vv. Ss. me partM-
pam relativamente ss duas criancas do D. Paula
Maria do Fraga Caldeira, tenho dzer-|hes que
ao Dr. juiz de orphios don conhecimento do que
oecorrcu, afim de ine ello providencie de modo a'
verilicar-se a presidencia do que allegouo filhoda
mesma D. Paula.
N. 44.Ditas ao Dr. Ignacio Joaqun de Souza
Lcao, Dr. Antonio Jj.tquim do Moraes e Silva, Dr.
loao da Silva Ramos, Joo Ignacio de Medeiros lle-
go a Antonio Gpmes de Miranda Leal.Tendo a
commissao ror esta presidencia nomeada, para
dar exeeuco a lei n. 885 de 23 de junho do cor-
rente anno, concluido os seus trabalho3, cmpre-
me agradecer a V. S. como membro da mesma
commissao, nio s os servico* que prestou no sen-
tido de ser applicada pela mejhor forma a qnantia
de 20:000^ destiaada pola citada lei para alfofria
de criancas do sexo f. menino, como tamben o ter
coneorrido para que mais urna crianza fos. e li-
bertada completanto para isso a quantia pre-
cisa.
X. 45.Dita ao juiz de orph03 do termo do ne-
cife.Remello a V. S as cartas inclusas de mais
8 criancas que foram libertadas em exeaicSo a lei
n. 885 de 23 de junho do corrente anno, bem cerno
copia do offlcio que me dirigi a commis>5o no-
meada para aquello flm, do qnal consta que nm
fllho de D. Paula Maria de Fraga Caldeira, decla-
rara nao poder esta alforriar as duas criancas, cu-
jas propostas havia apresentado, por ser casada,
eumprindo que V. S. d curador asmesmas crian-
cas, visto como j estovan pastadas as respectivas
cartas de lberdade, afim de que seja em joizo com-
petente discutida a questio, pois come V. S. ver
dos papis juntos, outrsflltios da mesma D. Paula,
declararan qae se conformaran comoatopor
ella pratieado, e se responsabllisavam para com
aquelle qae fizera tal allegacSo.
N. 46.Dita no commandante do eorpo provfso*
re de polica.Em addilamento a portara dbsta
presidencia do 4 de raaio nltimo mande Vibc ad-
dir ao corpo sob o seu commando ao lenle Joao
Francisco Paes Bamsto, qae como alfores de de
polica desta proviama seguo para o Paraguay.
N. 47. Diliberaci). O vice-presidente
vncia da provincia de conformidad eom a propos-
ta do Dr. chefe de polica ea otltcM n. 1441 do t
do c jrrente. resolve exonerar dos car&js de Io, 2",
3, 1, 5e 6o supplentes dj" delegada do termo de
Taciiratd, os cidados seguinies : Jos da Cunha
Gavalcante, Flix Alves Brando, David Barbosa de
Sou;a Ferras, Francisco Antonio de Xraiyo, An-
tonio Francelino de Koraes c Panlaleao Delirio de
Arauio.
N 48.Dita.O vice-presidente da provincia,
conlorraando-se com a proposta do chefe de poli-
ca em offlcio n. 1442 de 1 do corrento, roso! ve
nomear para os lugares de 1, 2', 3". 4o, 5- e 6
supplentes do delegado do termo do Tacaraid, na
ordem em que vao collocados os cidados seguin-
iaj u.,..i .._!. i-_____ I..P_____:..To.

1.65.Dita ao engenheiro fiscal da estrada de
le Ileeife a S- Frenis-o.RameWa Vmc. ao
tor dn thesouraria provincial qae assim o
M sm officio do ') do setembro ultimo sob
urna nota da divida proveniente do juro
r eento garantido pets provincia a essa
0 vencido de jumo io anno prximo pas-
s-ido a jnnbo ultimo, atim do ser essa divida es-
criptonadji, e opportunamente se pessa o necesa-
rio Yedronara sen RagameiHo.
X. 66.Dita ao superintendeute da estrada de
ferro.Com o osloio de 23 de setembro prximo
findo, recetor o protesto na fez o Sr. superinten-
dente interino di estrada de fbrro do aooia a S.
Francisco contra o preritegio concedido ao Dr.
Bento Jos da Costa Jnior, para a linlia ferroa do
Recife a Jaboatao ni parte que le parece preju-
dicar o previlegio anteriormente cWedido a refe-
rida ostradn.
X. 67.-4)ito ao Di. Bento Jos da Costa Jo-
tes : Manoel Antomo Vianna, Jos Francisco Ca- nior.lhsmetto por oopia a Vmc para sen eonhe-
valcmte, Jos Xayier de S, Jos Nonato da Sil- |ciment) nincluso protesto feto polo saporinten-
va uypnano Exalto de Araujo, Francisco Perera.mte interino, dn estrada do ferro do Recife a S.
matri8V- [Francisco contra o previlegio concedido a linlia
; 4t,-PltaO vico-presidente di provincia, frrea do Kecife a Jabiata o ni pirte que o mssmo
conformanio-se com a proposia do chefe d* poli- superintemlele iaree preju-liear o previlepio
ca ci offlcio n. 1142 de 1 do corrente, resolve
exonerar dos cargos de Io, 2% 3', 4 e suppJeltes
do subdelegado da fregueaia de Tacara l : Fran-
ciscti Antonio Correa de S, Ignacio Gomes de
Loyola, Luiz de Souza Pjssos, Manoel Je** Gomes
do Espirito-Santo, Manoel Cavalcante da Suva
Albuquerque.
N. 50.Dita.O vice-p"residento da provincia,
conformando-se com a proposta do chefe de poli-
ca em_ offlcio n. 1442 de 1 do corrente, resolve
nomear para os cargos do 1, 2o, 3", 4o e 5 sup-
plenles do subdelegado do districto de Tacaral,
os cidados seguales na ordem da sua colloca-
cao : Manoel Vctor da Silva, Francisco Rufiniano
da Silva, Jos Pereira de Barros Malveira, Pedro
Gonealves Cavalcante, Manoel Barbosa de Si-
queira.
N. 51.Dita.O vico-presidente da provincia,
altendendo aoque Ihe requereu Luz Jos de Fran
ca, cabo de esquadra da 5' companha do corpo
provisorio de polica, resolve conceder-lho doos
mezes de licenca, com o respectivo sold para ir
a Garanhuns buscar sua familia.
3" seccao.
X. 52.Portara ao inspector da thesouraia de
fazenda.Expeca V. S. suas ordens para que seja
liquidada e paga em vista da conta junta em du-
plicata, que me remetleu o chefe de polica com
offlcio de hontem sob n. 1434, a despeza feila com
o fornecimento de diarias aos quatro recrutas
mencionados em dita conta, os quaes veram do
termo de S. Sent e foram postes em libordade
o de nomo Jos Ferreira dos Santos por nao ttr
idade legal c os demais por incapazes do servico,
segundo consta do predito offlcio.
Ji. 53.Dila ao mesmo.Satisfazendo a reqm'si-
cio Je V. S. contida no final de seu offlcio de 30
de setembro ultimo sob n. 583, lenho a dizer que
segundo informa o chefe de polica interino, o de-
lega lo em exercicio no termo de Villa- Relia,
Joaquim Pereira da Silva TristSo e no Onricury o
1 suppleute Joaqun Pardeus Rodrigues S;i-
xas.
N. 54.Dita ao mesmo.Recommendo a V. S.,
que em visla da ociosa folha que me remetleu o
inspector de sade d) porto com offlcio du hontem,
manda pagar a gratifiracao do 3 diarios que ven-
cea Jos Pedro dos Sanios Noves'durante, o mez
de setembro ultimo, como eocarr'gado das desm-
feccoes dos navios precedentes dos portos aBecta
dos de febro amarella, fleando na intclligcnria de
que, segundo consta do citado offlcio. foi elle dis-
pensado na mesma data dessa commissao.
N. 55.Dita ao mesmo.Depois de liquidada,
em vista da conta jauta em duplcala qne me re-
meticu'o chefe de polica com offlcio de hontem
3ob i. 1436, a despeza feila com o fornecimento de
luz e agua para o quartel do de-tucamnnlo 11
guardas nacionaos de termo do Cimbres durante o
mez de agosto ultimo, mande V. S. pagar a sua
importancia a Malaquias Jos Barbosa ou ao sea
procurador.
X 56.Dita ao mesmo.Cinstando de aviso da
repart cao da guerra de 15 do setembro ultimo,
ter-se solicitado ao da fazeivli a oxpedmao das
convenientes ordens para que seja aberto a the-
souraria da fazenda desta provincia mu crdito de
10J destinado a occorrer ao pagamento da despeza
feila com o concert indspensaivl lo porto di
entrada do quartel do deposito especial de instruc-
co ; assim o communico a V. S. para seu conhe-
cimento.
N. 57.Dita ao mesmo.Consta de aviso do
ministerio da guerra de 21 de setembro prximo
findo, ter-se naquella data gelioitado ao da fazen-
da expedico das necessir^s ordens para que o
teiiontoieformado do exercto Manoel Antonio Ma-
rmi o l'alci i a qaem por portara da mesma data
se concedeu licenca para transferir sua residen-
cia dosti provincia para es serti5es liuiitropnei
desla provincia e Rio-Gran le do'Norte, continu a
pereeb-r por essa thesouraria os sous respectivos
ven imentos, j que communico a V. S. para seu
con lecmento.
X. 58.Dla ao inspector da thesouraria provin-
cial Mande. V. S. liquidar em vista das contas e
relacoes juntas a despega feila durante os metes
de narco a acento deste anno, com o sustento dos
presos pobres da cadea do termo de S. Bento, e
pagar- a sua importancia ao delegado daquelle
termo ou ao seu procurador, conforme sehcitoii o
coefi de polica em offlcio de hontem datado sob
n. 140.
.V 59.3!a ao mesmo.Em visla do incluso
pet iJo, mande V. S. entregar ao Ihesoureiro da
re| anicao das'obrad publicas, a quanlia de.....
13:85Q,*T|iie segundo consta de offlcio do respec-
tivo cltefe, datado de houtem sob n. 333, torna-so
necessario para occorror-ss as despezas com a?
obras or ailmini-trac^io no corrente mez.
W. 60.Dita ao mesmo.Accuso receido o
offlcio de 30 de setembro ultimo sob n. 602, em
quj V. S. participou haver Thomaz do Carmino
Soares lirandio Sobrinho, diuido por fiador o ba-
ra: do btaramento, arrematada com o abate de
tres por eento no preco do rospestivn orcainento,.
a obra do atierro e bomba da estrada de Ubao e'
em resposta tenho a dizer que approvo essa arre-
ma la cao.
4* seccao. -
N. 62.Dito aa presidente da provincia do Cea-
r.Aceuso recebtdos com o olllcio de V. Exc
de 11 de setembro prximo findo, 2 exempiares
impressos dos appensos ao relalorio com que o
ex -presidente Dr. Diogo Velho Cavalcante de I-
bu querque, abri no dia 1 de oovembro do anno
pajsado. a assembla legislativa dessa provin-
cia.
X. 63.Portara a cmara municipal do H ri-
fe.Remello por copia a cmara municipal do
Rf cife para seu conhecimento, o incluso acto desta
dala pelo qual resolv approvar de conforuidaJe
con a informacao do chefe da repartiyao das
obras publicas de 30 de setembro ultimo sob
n. 332, a direccjto dos trunos urbanos desta cidade
para a de Oluda, como requereu a respecttvs
companha.
X. 64.Dita a cmara municipal da via dn Pao
d'Albo.Respondo o offlcio que me dirigi a c-
mara municipal da villa de Pan 4'Albo em 20 de
asombro prximo Onda, dnemMbe qae remeta
o M-eainento da deapnus a fsser-ee eom simna<
ros de que precisa a essa que serve pasa a<
sesudos da n>esm eam*ra, jury, audisneiaa dos
juises da dreito'e uuuHctaaes e de cntala.
anteriormente concedido a estrada.
X. 68.Dila direceao da ompanhia dos tri-
filos urbanos-da cidade do Ileeife a do Olnda.Re-
mello por copia a diroeco da. eomp inhia dos tri-
filos urbados da cidade do Recite a de Ohnda, o
incluso acto desta data pelo qual resolv marcar o
ponto departida dos referidos trifilos, como re-
quereu a mesma companma.
X. 6'J.Del ibera cao.O vice-presidente da pr?
vncia at'.eadendo no quo requereu a companha
dos trilhos urbanos desta cidade Otinda e Bebe-
ribe, e tendo em vista as inbrianajM ministradas
pela casmra municipal do Recife em 28 de junho
e 22 de setembro prximo lindo, e pelo engenhei-
ro chefe da roparlicao das dirs publicas em 30
do mesmo mez, resolve que na direccao geral da
linha dos referidos trilhos dida pela' planta ap-
provada por despacho de 25 de junho de 1863,
se faca alm da modiilcacao consunto da delibe-
ra cao do 14 de agosto ultimo, a quo indicada
pelo traco de tinta verde da planta parcial, ora
approvaaa, eom direecaia rja do Principe, ten-
do por poni de partida o lugar marcido pela
aguada verde-nojerceiro quarieiro a i>squerda
da ra do Santa 1-tabeidi l'r-gueza da Bija vista
era frente a ponte de Santa Isabel donde se deri-
vara, nm proloiigiineiiio nos trilhos at a dis-
tancia de 25 oieiros coutados do aliadamente d:i
ra da Aurora swntnte para receber ah passa-
geiros na. se demorando o tren mais que o lem-
po para isso indspensavel o leudo a locomotiva
para o lado do flospico.
Exi'F.DIg.VTB ASSlGMADO PEI.0 SI'. DU. JIAQUIM COIl-
m;f.\ dr arauj, sacnsjLuiMi do govkrxo, em 2
di oirruBno dr 18C'.'.
2.* cecao.
X. 70.Offlcio a< Dr. eliefe de polica nterin.
Nesta dato mandou-se pasar pela thesouraria
de f izenda a quana de 2f>4 :>, provenient* de
olferecidas por simples peticao, poda tomar dellas
conhecimento, e fazer novas nomeacoee. >
< Em resposta declaro a V. Exe., quauto pri -
meira duvida, que o reo por si ou por sea procu-
rador, s pede averbar de suspeito qualquer mem-
bro do conselho, durante a priaeira sessao, e an-
tes de comecar o processo, conforme dspfte o art.
8. do decreto n. 1,335 de 18 de fevereiro.de 1854 ;
e quanto ssgunda que, vista do mesmo artigo,
a autoridade que nomeou o conselho nio deve to-
mar conh'cment da suspciejio, por simples peti-
cao, mas em face do termo Uvrdo e assignado no
conselho, com todas as rasdes e pravas da sus-
pecao.
Ao presldent do Maranbao.Illm. eExm. 8r.
Em offlcio de 4 de agoste ultimo commnnicou
V. Exc. que, tendo-lbe o juiz municipal substituto
d;os termos de 8. Bernardo o Thtova, aessa pro-
vincia, consultado quanto ao modo de contar o pra-
so da interposicio do recarso de qae trata o art.
73 da lei de 3- de dezombro de 1841, V. Exc. de-
clarara em resposta quo devia aquelle praso ser
contad.0 por dias ordinarios (de die ad diem), en-
tendendo-so um dia civil de 24 horas contadas de
meia noute, embora estvesse meia noite j come
cado o primare dia do prarso. O governo imperial
approva a soluc>j dada por V Exc. como Instruc-
cao ao dito juiz, para a Oda execucjto da lei. com-
petindo, porm, a poder judiciano, eonhecer da
legalidado de acto para seus efiellos juridieos.
Expodio-se circular aos presidentes de pro-
vincia, declarando qae os offlciaes transferidos de
uns para outros corpos ou acompanlnas nao devera
entrar em exercicio sem que apresentem ss-res-
pectivas patentes devidamente apostilladas, incor-
rendo na disposiclo do art. 65, 1." da lei n. 602
de 19 de setembro de 1850 os que o nao flierein
dentro dos prasos marcados pelo arl. 77 do docre-
to o. 722 de 25 de outnbro do mesmo anno.
Declarouse ao presidente do Cear, em solu-
ciio consulta feita em offlcio do 28 de agosto ul-
timo, que dever ser prooessado de preferencia no
tormo da Vico*, por ser o foro do crme, o indi-
viduo de nome Justino que assassinra no lugar
Gamelleira do mesmo lermo o commandante de
ama escolta, da villa de Piracaraca da provincia
do Piauhv, que o fura prender para recruta.
MINISTERIO DA JUSTICA. Por aviso de 29
do passado re'metten-se:
A' secea > de justca do conselho de e-tado,
para consultar em addilamento ao aviso de la do
corrente, sendo relator o conselliero Jos Thomaz
Nabuco de Araujo, a represonlacao do Dr. Anto-
nio de Vasconcellos Menczes de Drummond contra
o acto do reverendo Heno da diocese do 01 nda que
lornou dependeate de licenca o exercijio da advo-
caeia na curia ecclesiastic'i, e copia da confiden-
cial daquelle prelado sobre o mesmo objeclo, as
quaes vao juntas aos avisos do ministerio do im-
perfo do 24 deste mez.
Ao presidente do tribunal do commercio da
corte, a reprosentarao do de Pernambuco, do 30
de agosto ultimo, para que informe com seu pa-
recer, commnnicando qual a pratica aqui seguida
de poderem o agentes de leiles exercer as fune-
raria* abonadas a recrutas viudos do termo de edesde seu ofijeio em todas as pracas do distncto
S.ioDenlo, o a M.lapiios Jos Barbosa, o"u ao sen do mesmo tribunal, onde nao houverem agente;
procurador a do 143/87, o pola provincial a de
58t\0D ao delegado do suprrdilo lermo ou ao sou
arocurad-ir, cjnt^rim V. S. -nheton em seus of-
Hcios do Io do corronte, so i ns. 1.434, ly436 e
1,439, os (paos lii-am assim respondidos, de or-
dem do Exm. Sr. vro-pre-idMito da provincia.
X. 71.Dito ao mesmo.Do ordem de Exm.
Sr. vico-presidente da provincia transmiti a V.
S. o* ttulos juntos de todos M supolenles do de-
legado e os dos l, 2*. r, i, e '&' districlos da
sub lelesiado da fregnezta e t-rm di tacarat, do
(H.-ilonndaile eom a proposti de V. S. e:ii ollicio
1,442 de 1 do orrec ,
3." socci.
X. 72. O.flcio ao inspector da thesouraria pro-
vincial.O Esni. Sr. vice-presidonle da provincia
manda declarar a V. S. pat a ai los convenien-
tes que p ir portara ti uta i da maivlou addir ao
corpo provisorio de polica no posto de lenenfe
que otkeve no Paraguay a los Francisco l'aes
Bairet) que como alfana do corpa de polica des-
ta provincia seguio para a cimpanha.
-S. 73. Dito no mnsm > Jleeta data recom-
menda-sc ao engenjiairo li-i al da estrada de fer-
ro do Recit, a S Francisco, que remeta a essa
mes arana a nota da divida de que trata o olll-
cio de V. S. dalido do 30 do f ele nbro ultimo e
sob n 593, o qual fica assim respondida d; or-
dom do Ex X 7i.- Dito ao chefe da reparticio das ubras
publicas.0 Exm. Sr. vico presidente da provin-
cia manda declarar a V. S om respo.-la ao seu
oicio do i do corrente, s:ib n. 3s8 qne a the-
souraria provincial tea orden para mtregar ao
tbegjureiro d'essa reparticio I3:850i000 rs. cons-
tante do pedido ()ue em d"u ljala veo annexo ao
ctlado ofllcio.
"* 4a-so.:ei.,.
N 'Jo.Offlcio ao inspector da saudo do porto
O Exm. Sr. vice-president i Ba provincia finan-
do atorado do conlcudo d" oUkio de V. S. da-
t ido de houten, manda declarar em resposta que
ataba de autorisar a thesouraria do fazenda a
P igar a importancia da folha que veio anuexa
ao cilado offlcio.
nitspAcHo da MtsmncNOiA nv NtonNom do di.v
4 DE DRZFMI1RO.
Antonio Rodrigues deSxiza & Companha.-
Aauardeui os supplicantcs o augmento do crdito
podi lo ao ministerio respectivo. \
Francisco Ferreira Roigo;.Informa o Sr. .ins-
pector di thesouraria de fazeada.
Francisco Baldonirio de Alliuqnorqun Mara-
nbao.Ao Sr. injpoclor di thesouraria de fajea-
da com a portara desta data.
Franci-cfl de Pinho Borzes.Dirija-se ao Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Gervasio Elysio Bezerra Cavalcanli.Expeca-se
ordem no sentido requerido.
Jos Augusto de Araujo.Informa com urgen-
cia o Sr. chefe interino da reparticio das obras
panucas.
Mara Joaquina do Souza.Informe o Dr. chefe
de polica.
Manoel Joaquim Rodrigues de Souza.Informo
o Sr. chefe interino da reparticao das obras pu-
blicas.
Manoel Antonio de Jesns.Informe eom nrgen-
cia oSr. paovedor da Sania Casa de Misericordia,
remetiendo com urgencia a copia de contracto
que Ihe foi pedida ltimamente.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
MINISTERIO DO IMPERIO. Foram expedidos
os dous seguinies avisos:
Ao presidente da Pafaliytwi.Illm. o Exm. Sr.
- Acenso recebido o offlcio de V. Exc. datado de
SO dn agosto nltimo, relativr.mente s seguales du-
vidas, que se suscitaran por ocoasiao de ser sub-
mettido a conselho de disciplina o tenente coronel
da guarda nacional AdeJioo Candido Carnelro da
Cmiba:
i i.' Se poda o Ha areibar de suspetla almim
eos membros doeonsoiho, sem ser perante este, o
as I na sua pruneika reunio,
1* se sendaprejantes ao commiajanm supe-
mor que. wmfiou o tae) nsetbo, iinei^fes
provisionados, sem preceder licenca especial.
Declarou-se ao presidente de Pernambuco
em resposta ao offlcio de seu antecessor de 9 do
julho ultimo, quo pelo decreto de 19 do setembro
do anno passodo, considerando aggregado ao 8.
batalhao de infantaria da guarda nacional o tenen-
te-coronel Antonio Francisco Paes de Mello Brre-
lo, por ter sido reintegrado no commando do mes-
mo batalhao o tenente-coronel Francisco Antonio
Pereira Silva, nao cesseram os effeitos da dispensa
do exercicio anteriormente dada quelle offlcal,
visto subsislrom os motivos que aconselharam esta
medida; nao podendo portanto substituir o com-
mandante effeetivo nos seus impedimentos.
PARAGUAY.Damos en seguida o interroga-
torio teiio a paraguayo Victoriano Gonsalez, sol-
d ido empregado no quartel general de Lpez na
qualidade da alfaite, com 32 annos de idade, spl-
tero :
Declara que Lpez se retirou de Abajur no
dia 1 ti do correuto s 4 horas di tarde, com todo
o exeicito. Que ao escurecer desse mesmo dia
deserton elle declarante, e se dirigi para Sania
Rosa, onde leu tres innaos escondidos, e, espera
do exorcito brasilero. essa ponto se demorou
seis dias, e d'ah seguio para Pacov, onde encon-
trn urna guarda do seis pracas e um offlcal, ila
qnal se escndou. Sahindo logo adianto na picada,
carregou a arma quo trazia e veio pela e.-trada,
disposto a fazer frente aos paraguayos que procu-
ra '.'sem lolher-lho o passo.
Diz que calculSa forea de Lpez em 3,000
horneas, dos quaes apenas os bataliioes Rillis Ma-
rinos e artfices sao os que aprosentam melhor
gente, e bem assim os 50 soldados da escolta de
Lpez. Ha tambem alguns acamarotiz, que sao
SDute robusta. Que o amanenlo geral toncas,
avendo algumas espingardas, tendo os Rillis e
Marinos carabinas. Que calcula a artilharia em
18 pecas de pequeo calibre, uavendo porra um
obuz de calibre regular. Que ha 30 carretas das1
quaes s una veo com petrechos bellicos, as ou-
tras estovara cheias de polvilho, rapadura, man-
dioca, etc. Que a arlilharia puchada por duas
juntas de bois, e as carretas por ddmve tres.
t Declara que absolutamente Lpez nao tem
forca montada, constando-lhes entretanto que em
Tupipuita ha uns 400 horneas, aos quaes alguns
montados. Que Lpez se diriga para Iguatemy, c
ie oTnajor Lira dissera a elle declrame ter-se
r abrir una pioada grande na cordilheira, com o
flm de ietemar-se (/pez. Qne algumas nulhe-
res que acoiopanhavam o exercto de Lpez diste-
rain que a marcha era falta ae da e Je noute, e
quo Lpez pasava as torcas no rio Jejny com au-
xilio de um cabo de val- vem, e que desse ponto
foi que ellas, as mulheros voltaram. Que nesga
passagem afogaram-se mutas mulhores e soldados
que estavam mais- fracos.
c Declara que em Santa Rosa ha urna guarda
de 16 homens, commandada por um tenente, e
que em varios outros pontos se encontram peque-
as guardas. Que na casa em que morou Lnpez
flcou um regiment, o qual fornece essa' guardas
para um e outro ponto. Que por todos os matos
se encontrara mutas familias, grande numero das
quaos veram escondidas de Iguatemy Que ap
chegar Lpez em Abajar, o major Lara dissera a
elle declarante que tinha introduzldo em Araean-
gui ons doas < tres mil bois, e qae desse gado
que so carneara no exercito. Que Lpez mandou
reunir todos os cavatlos que pode encontrar, e
chegou a junlar uns 200 multo magros, que foram
mandados Invernar em Aracangni. Que Lpez
mandou um slfere (o mesmo que eslava era S.
Jos disso encarregado) para Iguatemy, a (Ira de
rabricar plvora.. Que Ihe consta haver Lpez,
logo que ebegou a Capvary, mandado para Uiu-
leray urnas seis pecas e dous batalnSes, a flm de
proWblrem a viada dos encouracados pelo no
Jejuy.
Declaron quo a espingarda cora que veio ar-
mado, espingarda evidentemente perlencenle in-
fantaria Drasitelra) foi-tho dada anda em Asrur-
ras pelo coronel Francisco Lpez, fllho do mar
cbaC KMk) dadas iguaes a toaos os artesaos, do-
clarando-tile que os levara elle pmprio ao om-
bate ; o coronel Lopes commanda os empregados
oo anarlfli general. Que essas esplogardan f rain
mandas bascar em Vitleta, depois dos Bmbales
ds Lomba* Valenlioas, s form enconwadaa asios
nasa tslnbucSo te ve tugar alguns
dina anits'fo partida do exercito- de Ascarras.
Declare qps com essa mareba do. e.x.crc'.i p^- bera lo^lligonte.
ra Iguatemy, muilos soldados desertaran, e- s*
achara escondidos pelos mattos circumvitiobaaav
Curuguaty, o que alguns ida as suas armas, con
servando-as para .se defenderera dos-espa.
Declara que quando Lpez estere era Santo
Estanislao mandou fuzilar todo o rgimen dr
dragues, e alguns dos que escaparan) vieranser
fuzlado3 em Capivary o outros pontos. O qn* dea
lugar a esse fuzilamento cm Capivary foi ter
Lpez suspeitodo que um alferes desso corpa afi-
elara algumas pracas, depois da rugida de Asear-
ras para Sanio Estanislao, para Jaren a mosto a
Lpez ou captura-lo.
Essa conspiradlo fora delatada por nm caaj
to qae para ella tinha sido convidado : o .
mandante coronel Monget e majer Villana
fuzitodos, nao por terem tomado parte na eowp>-
racao, mas por nio terem tido bastante vigilancia,
e nao haverem descoberto-a.
< O alferes autor da conspirarlo Aqoino, fin ons
Santo Estanislao sugeito a torturas, qiieimaraiu-o
com ferro em braza c arranoaram-lhe a Kngiw-
coin tenazes ardentes, acabando de mata -lo a pa
ladas. Que Lpez cintrada a mandar fozibr, en-
tre mu i tos sobresahem o coronel Venancio tupes
(irmo do marechal) e os coronis Murro e Umk,
os dous majores Orbeta e Palacios irmo do bis-
po), tenentcs Bonifacio e Cheriffed.
Declara ter visto o irmio de Lpez, D. Te-
nancio, quando estova sendo acontado, auta* dfc
ser levado a Resquin para fazer declar.noes : nao
tornou mais a vc-lo. Que foram acoatadm e a-
pois lanceados o tenente Uarrios e ontm pta ti
ziam parle das forcas existentes em S. Joaqnim.
Mandou matar tambera lies mulheros, dina por
terem tido ellas communicaca > con espas brass-
leiros. Que foram ha poucosdias presos pelos es>-
pis dous brasleiros do lado de S. Joaquim, rar
aadavaa tirando palmitos ou outra qual(|iier eca-
sa. Que Lpez faz constar a sua gente, que o eaer
cito brasleiro nao chegar a uruguaty, por falta
de comida, pois, ja se acia cooinendo cavallos.
Que os generaes Caballero, Resquin, Delgafc t-
Ra segniram com Lpez. Que a mi deste se acha
com os filhos e ovice-presidonte esegaram adan-
te do exercto. Que cm Curuguaty ha mutas fa-
milia? ; ignora se haveralguma forca.
Declara que era Curuguaty ha plantaeoes,
porm aindi nao esli em estado de dar alimen-
to. Qne da caima que havia, mandou Lpez fawc
melado e rapaduras; nesse trabalho gastaram-sn
mais de quinze dias. Que madama Linch seguio
junto a Lpez, ora vai en carro, ora vai a ca*at-
lo. 0 carro puxado por bois, c quami se ean-
eam estes sao substituidos por soldadas
Declara que era alfaite de madami Lima, e
que ha pouco lempo fez-lhe alguinas saiasd.; mus-
selina, porque a bagagom della toi toda tomada pelo
exercito alliado nestes ltimos combates, o poura-
roupa Ihe ficou
Declara que nao vaqaeaiTO. Nada mais
disse. >
RIO GRANDE.DO NORTE. Escrevem-nos da
cidade do Natal, em 2 do corrente :
Depois da minha ultima de ti poneos fmm
os acontecmentos que se dc-ram.
Falleceu no lermo do Cea -nrim a menor
Anna, que fra estuprada pelo celebre Jos Omito
Roque Rocha, filho do escrivao Antonio PhHadel-
pho ds Rocha.
Segundo se diz geralmente a morte fra an-
da a conseqnencia do inaudito alternado to br-
baramente perpetrado na pessoa daquella Infeliz
menina.
Quizcra que me dissessem se o jornal comtr-
vador tevo ou nao bons fundamentos, quando em
seu n. 6 de 24 de mareo ultimo, referi lio horro-
roso'crime pido segrale modo :
Comparece'! polica antc-honlem Emilia Ma-
ria da dmceicio com su i lilha de nome Amia,
menor de nove a dez anuos, SfiBuado paree,
queixou-se Coaira Jos' Osorio Roque Rodia pa-
lo faci de haver estuprado aquella uiiseravet
crianca.
Proceden-se competente visloria e por ella
verilicou-se a existencia de semelhanle crime
tanto mais revotlaute e. ollea-ivo, quanto cert
que foi commet'.ido pela mais brutal o atroi con-
cupiscencia.
t A infeliz menina morava
quelle individuo, contra qoora
de j haver dellorado a mais
ci rearaste acias.
Diz ella que por elle foi mandada ao rogada na
lugar Poco-limpo tanger urnas cabras, que nessa
occasio o flensor aggredio-a, deilou-a por trra
e salislez os seus brutaes e libidinosos desejoa.
t 0 facto dense em dawmbro prximo passa-
do c atada lije faz horror ver-sc as partes pu-
dendas daquella infeliz
Desde enlio tima febre e completa languidez
Ihe nao saliera do corpo.
Triste c abatida, sem poder andar, soffrendo
terrveis incoramodos, a inlliiz corre perigo um
sua existencia.
t A morte parece inevavc! talvcz pela Calta de
prompto iratanien'.o
A qnesto seria ; e a polica, segando cons-
ta, tomando-a na devida consideracio, vai proce-
der na forma da lei contra o autor do delietu.
Misera crianca I
t Falleceu depois de urna serie nao interrumpi-
da de soffrimeftlos, I Mmente esgotada por um
corrimento vaginal, devid* violencia brulal di
que fra victima infeliz, sen um meia therapeaSi-
co a empregar ao alcance*dr sua pobcea, smsta
observancia r na carcncS-dos cuidid. hygieai-
co3 necessarios i sua salv
O doloroso prognosti.M realisonxsn fatalmen-
te Fora a rimrte, por assii:i dizer, o detsasim
golpe que a mao da peprersldttdfl desfecliara so-
bre aquella desventurada m-mini.
e O qne dtrao agora os defeusires de Jos Oso-
rio, cujo proceso anda se nio coini.i:ooodi4ir.c-
lo de S. Goncalo ?
Fot exonerado do cargo de promotor publico
da comarca de S. Jos, o Dr Horacio CindiA d
Salles e Silva e nomeado para subslitnMo o nosso
prestmoso amigo Dr. Lui/. Antonio Ferreira iwu-
to. Era substituirn a este na vaga que deht
Athenea Rio grandense, oomo lente de|
foi nomeado o Dr Francisco -Xavier '
Hrito, ntcnnamenle.
Ocidado Aleixo Tinoco, foi dist
lugar d eollaborador da tltcsoerana
desta provincia.
i Foi preso ltimamente no termo do
nirin o criminoso Francisco Caetano do
em conipanhia da-
pesam imputaees'
duas em idnticas
pelo respectivo delegado de polica, major Miguel
uibeiro Dantas Jnior.
t Consto-nos queso evadiram da cadeia do Ma-'
cao, por meio de airombamonto, os reos Francis-
co "Manoel l'acily e Francisco Jos do Meti, quo
alli se aehavam cora destino a cadeia da capital.
t J temos engenheiro a i provincia, o Ur. tose
Antonio Rodrigues ; e pelo qne pareen lem eBft
desanpr vado alguns rispo! de sen antere-* o
Dr. Ernesto Amara do Volle : pet meaos a obra
do palecete tem soffrido nolaveis modiflcac^as em
seu rcparlimento. As thesouras do edio>i me.
segunde -e calcula, andan ea mais da SflMOtXk
cada ama, anda assra, naoofferecem segnranca.
Diz-se gi-ralincnte qae cm um bom dia desabr
aquella importante obra, eom a qual so tea gasto
avulladas waiffl
Uule chegou nesie porto o vaps rpotnra .
nelto veto o Dr. chefe do pc*oU Asyea^ fbmnisn.
Hsnmheira, que noroesnw din puctou jusnsnsna
e entrou no exercicio de suas luonetes.
i E' na moco sympattdoo, do trato tsan-n parv
>-...
111! I1


Difcro de IVrnambuco Sexta 'Mra 10 de Dezembro de 1869.


Fol convocado o jury. de Goyaainha para o
dia 8 do corrento.
Tem de ser julgadoa diversos'criminosos, en-
tre os quaes figura o facinoroso Amonio Gome,
valgo beico lascado, autor de tres raortes o que j
oau tea, era primero jlganiento, foi condem-
nado apena ultima. >
PARAHYBA.Da capital nos escrevem, em 7
do correte :
O alvicareiro do antigo convento dos jesutas
acaba de annunciar o vapor Ptrapama, e pois,
sentme banca para dar-lhe conta das novi-
dades occorrid desdo a minlu ultima.
- No diaJl prrente encerrou-so a assemblea
rovinciall Bfleixando a pos si tragos indo-
veis den P|ada existencia.
AlgunslWIns ltimos actos, j por mira
apreciados, reveilam a poquenbez de animo de
seas membros, c as paix5es rains de que se nu-
trias) contra seus desaffectos. _...
c Deusos l.ve para o olvido, dj| unca de-
veriam ter sahido, e nos livre tufl Be seme-
Ihante pra ff pcior do quo a di
Egypo.
Por acto da presidencia de 3 do corretei ro
coavocada extraordinariamento, a nova asscmblu
provincial, (eleta om 6 do mez passado) para o 1
de fcvereiro vindouro. ... .
O Exm. Sr. Dr. Venancio Lisboa, foi obrigado
a tomar esta presidencia, para regulansar a ad-
ministracao publica, oujos servicos om grande
parte ficaram embaracados pelo espirito faccioso,
que dominon a defunta Salinha.
Espiro, pois, que os novos eleitos farao en-
trar os negocios publicas em seus cixos, habilitan-
do a presidencia da provincia com as leis de or-
namento e torga publica, que nao poderam ser
sancclonad.is por sua inconslitucionalidade.
Teve lugar no dia 2 do corrente, no palacio
dogoverno,o cortejo do coslume, por aceasiao
do aanlversario natalicio de Sua Magestade o Im-
Coniparccftu a esso acto o mundo offlcial, cor-
no consular, offlcialidade da guarda nacional e
muHas pessas gradas, fazendo as horras militares
do estylo o 1- batalho da milicia cvica desta ca-
pital.
Tanto na vespera como no dia, illuminaram-
se oTcdilieios pblicos o alguns particulares, em
si nal de regosijo por to faustoso motivo.
O Club Parhubano deu nessa nouto a sua
pariida inensal, quo foi regularmente concornda
e servida. ... ,
Hontem al io-se a ultima sessao do jury do
presente anuo, sob a presidencia do Dr. Costa
Ferreira, juiz de direito da comarca; nao pude
trabalhar por falta de_ numero legal, que so se
reunir depois d'amanbaa.
O nosso morcado de gneros continua 3
supprido com entradas regulares.
b A do algodo, porm, tem sido menor do quo
seesperava, com bastante desaponUm^nto dos
consignatarios de navios, que cada vez estao mais
atropellados com acquisieo de carga para com-
pletar os seus engajamentos.
Os oreos do assucar continuam do 2j>7UJ a
2*800 por amiba malvado bruto, e do algodao
delSjOOa |:l>200doprineirasortc, inspeceao
Des'pacharam-sc no dia 4 do corrente, os se-
milites navios : m ,
Para Liverpool, briguc francez Calton, con
siguado a M. Uubaeh, manifestando 800 saceos
de assucar bruto e 716 saccas de algodao.
. Para o ranal, escuna ingleza i-ssie,^ consig-
nada a P. P. Borges, com a carga do 3,t>36 saceos
de assucar bruto.
Ficam a carga neste porto :
a Tara Liverpool, barcas Altee B*y, Hatrutt,
Zedora e Isard, carregando algodao.
Para o Canal, bngue inglez Flormcc, carre-
gando assucar
JXTA DE COHRETORES.-O tribunal do com-
niercio elegeu para membros da junta do correc-
tores da Dossa praca aua Srs.: Goncalo Jos Ar
tonso, presidente; Antonio Botelho Pinto de Mes-
quita, secretorio; e Augusto Pinto de Lomos, lhe-
sonreiro.
BRll'E FRANCEZ ROSIM.Terca-feira foi
vendido em loilo o casco de.-te navio, naufraga-
do no< arrecifes, nocstodo emque all se ada,
por I58J600.
IMPOSTOS GERAB3. As mppsiroes goraes
pertcncenles ao anno linanceiro lindo de 1868
09, cojo semestre addicional termina com o cor-
rente mez, ? podera ser recebidos jit esse prazo,
com o qual cncerra-se a liquidacao do referido
exereico.
ESPERANZA PERNAMBUCANA.A' noute de
7 do trrenla leve lugar no edificio dessa socio-
dade theatral nm pectaculo extraordinario, dado
peta respectiva dama, a Sra. D. Virginia de
barros.
0 il sempenho foi sati-factoro, e o traballio ds-
sa sonhora merecen aplausos repetidos da parte
dos espectadores, traduzidos j em chamada
scenn, o dores que Iho enviavara cm bellus
ramalhetes.
SOCIEDADE LIBERAL INIAO BENEFICEJiTE.
Qaarta-feira 8 do corrente fe>lejou essa socieda.lt'
o seu segundo anniversario, com missa canta la
na igreja da Madre Deus., tendo lugar em segu
ment na caM das suas soasos, a qual se arhava
decentemente preparada, a ses>o magna, presi
dida pe! Sr. Bernardo Ferreira Loureiro. Vario*
*rai!o?es oeeopanm por alguns momentos a at-
s 'tenca i Ijs numerosos convidados, como o do Mon-
te Pi Pernambucano, Uno Beneficente Martima,
aaflrs. acadmicos Jos Mariada Rocha Carvalho e
Aquilino Porto, Dr, Tavora e os socios da inesma,
~ -Pedro do Rosario e Sacramento.
-**V' nouto fui o seu sala visitado por innme-
ras familias, que ao som de urna mudca militar e
variaeSea ao piano, pp|o Sr. los Coelho Barbosa.
Hospital dos Lazaros.Enfermos 30, emprega-
dos 4, serventes 2total 36.
Hospicio de alienados Enfermos 81, emprea-
dos 10total 91. .
Casa dos exposlos. Edueandas 89, meni-
nos em creaoao 8i, amas externas 83, empre-
gados 12, servente 1 total 271.
Collegio dos orphaos.Educandos 71, embrega-
dos II, serventes 3-rtotal 8of
Collegia das orphas. Edacandaa Ido, umpre-
gados 12, serventes 2total 149. .
Secretaria.Empregadcs 7, advogados i, solici-
tadores 2, cobradores 2total 13.
RecapUulMuo. -Enfermos 316, roendijos 15,
educandos 301, meninos em creacao8i, airas oo,
empregados 79, serventes 23total 903.
D'este pessoal 669 pertencem aos estabele simen-
tos de caridade e 23i ao patrimonio dos orphaos.
LEILO.Boje (10) dove ter logar o leilao de
movis annunciado para o sobrado da ra do Im-
perador n. 47, por intervenc3o do agente Pinto.
LOTERA.A que se acha venda 6 a 130', a
beneficio do patrimonio dos orphaos, quo corre no
lia 14.
PASSAGEIROS.Sabidos para o sut no vapor
Jequi u
Manoel B. B. Jnior, Francisco A. Rodrigues,
Sebastao da Costa Moaaes, Joao Mara d* Silva,
Jo vi no E. V. Castro. P. de La Grange e Manoel
Vital. .
CEMITER10 PUBLICO.Obituario do da 7 do
corrate :
Pedro, Pernambuco, 2 annos, Boa Vista; asin-
ina. '
Vicente, Pernambuco, 19 annos, solteiro, Boa-
Vista, ttano.
Mana, Pernambuco, 1 anno, Boa-Vista ; con,-
vnlsdes.
Florencia, frica, 10 annos, solteira, Recie ;
gastro interite.
Francisco, Pernambuco, 3 annor, S. Jos Gan-
grena.
8
Sergio, Pernambuco, 3 maos, Boa Vstn ; Diar-
rhea.
Ignaca Maria do Carmo, Pernambuco, 76 an-
ns, vuva, Santo Antonio ; iuflamraacao no intes-
tino.
Izabel Maria Theodora, Pernambuco. 60 annos,
solteira, Santo, Anolnio ; heodramia.
6:33o000
l:730OO
4:400 3:3015160
3 00000l
2:000')0
7673'iOO
663^000
4645000
para a thesonra-
350:000.-3 ; para a
completaran! com a melbor ordem possivel a sua
brilhante c modesta festa. Desejamos quo por
longos anuos tcnhamaquelles quo compoem lio
uul aasociajlo sempre oeeaso de folgarem por
to justo motivo.
DINHEIRO.-O vapor Ptrapama trouxe as so-
puntes somma<, para os Srs. :
Vianna & (umaraes
L. Antonio Siqueira
Alfredo A C.
Fernandos & Irmo
Mello, Lobo & C
Alfredo Garca & Irmo
Manool Luiz Gonsalves
Barao de BemOca
Prente Vianna A C.
O vapor Paran trouxe
ria de fazenda de Pernambuco .
provincia do Marauho li:olo5 e para a do Pa-
ra 184:9665.
Desta provincia levou hontem o mesmo vapor :
Para a Parahyba lOonHJOjOOO
Para! o.Natal 17:0004000
Para o Cear 24-WO000
Para o Marauho 48:1785000
Para o Para 11:2005000
ESTABELECLMENTO DE CARIDADE.Movi-
mciito do lwspicio de alienados na Misericordia de
Otinda, do 1 ao ultimo de novembro de 1869.
Existiam 31 homens e 47 raulheres, entrarara
4 mulheres, morreu 1 horaem, existem 30 homens
e SI mulheres.Total 81. .
Existem 11 empregados neste estobelecnr-f ato, 7
nomens e 4 mulheres, sendo: 1 regente, 1 medico.
i capello, poi teiro e sachristao I; 2 enfermeiros.
1 barbeii-o,' 2 enfermeiras, I rodeira e I cosi-
nbeira.
Foi visitado o mesmo estabelecimento pelo res-
pectivo medico o Sr. Dr. Firmo, nos das: 5, 11,
16,19, 2o, 27 e 30, as i, lOe meia, Helio meia
horas da raanha.
Advertencia.
Eatraraai i- mulheres, sendo 1 no dia 4, do a-
mo Vitalina Maria da Conceico, branca, solteira,
cam idade do 20 annos, natural do Aracaty; utra
no dia 20, de nome Alexandrina Francisca da Con-
ceico, preta, casada, com a idade de 25 annos, e
natuial da cidade da Victoria; outra no dia 29,
d* nome Catharina, preta, solteira, com a idade
30 annos, e natural d'frica; e finalmente, urna
outra tambem entrada no dia 30, de nome Mari;.
de tal, branca e com a idade de 65 annos, e natu-
ral da freguezia de S. Jos do Recife.
Morrea 1 bomem no dia 30, do nome Izidoro da
Paixo, preto, casado, com a idade de 48 annos e
natural do Rio de Janeiro; estupor. Entrado a 4
4a setembro do corrente anno.
Hospicio de alienados na Misericordia de Olinda,
30 de novembro de 1869.
O mordomo de mez,
J. infurtes.
O regente,
Luiz do teao Barros.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO RECI
FE.O pessoal existente nos estabelecimentos
argo da Santa casa no mez de novembro, loi o
seguint*
Hospital Pedro II. -Enfermos nacionaes 181, w-
anageirus 24, mendigos 15, tilhos de enfermos 6.
gaii'i 17, ^erventes e lavadeiras 15,tota)
IRNICA JUDIURIA.
I StliU \AI, D % IH2I-1C, 1O.
SESS.iOEM 7 DE DEZEMBRO DE 1869.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSEU1S1UO CASTAO
SANTIAGO.
As 10 horas da manha, presentes, os Srs. des-
embargadores Gitirana, Almcida Albuquerque,
Moita, Assis, Doria, Domingues da Silva eRegueira
Costa faltando os Srs. de*em'jargadores Guerra
procurador da conia e Lourenco Santiago, abri- se
a sessao.
Passados os feitos, deram-se os seguintes julgt. -
montos:
Rscunso cniME.Recrreme, o major Leandro
Jos da Silva Santiago; recorrido, o juizo.Rela-
tor o Sr. desembargador Mblla, sorteados os Srs.
desembargailores Domingues da Silva, Assis e
Almeida Albaquerque.Deu-se provimento para
reformar a pronuncia.
Acgrwo de pbtioao. Aggravanle, a liberta
Prscua; iggravado, o juizo Relator o Sr. des
embargador Regueira Costa, sorteados os Srs.
desembargadores .miingues da Silva o Gitira-
na.Deu-se provimento.
Haueas corpis.De Rosa Raymunda de Lima,
concedeu-se, soltura.
Appellacoes crimesAppellante, o juizo; ap
pellado, .Manoel do.Uego Ponte*.Improceden-
te. Appollante, o juizo; appellado. Jos Luiz dos
Santos. -Nao tomou-se connecunento. Appellan-
te, o juizo; appellado, Primo Feliciano da Sil-
va.Improcedente. Appellanto, o juizo; appella-
do, Franci-co Ferreira da Silva.A' novo jury.
PASSAGKNS.
Do Sr. desembargador Gtrana ao Sr. desembar-
gador Guerra.Appellacao cvel: appellante, Ma
iia Amelia Candida Correa; appellado, Jos Can-
dido de Barros.
Ao Sr. desembargador Lourengo Santiago.Con-
flicto do juri feitos di fazenda da provincia da Parahyba.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque.--
AppeUaeSo cvel: appellante, o badian-l Benlo Jos
da Costa ; appell ola, a irniaiidade de Sant'Anna.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Motta.Appellaces civeis:
appellante, o bacharel Manuel Nicolao Rigueira
Pinto di-Smza; appellado*. os menores Luiz e
Joaquina. Appellante, Antonio Francisco do Sal
lea Pessoa; appellada, Tbreza Mara do Je-
sus. Appellante, D. Joanna Mara das Dores; ap-
pellado, o pardo Antonio por seu curador.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr desembar-
gador Gitirana. Appellacao cvel: appellante,
Joaquim Jos de Almeida; appellado, Francisco
Caetano do Abr.'U.
Ao Sr. desembargador Assis. Appe laco c-
vel: appellante, Lufz Marques le Lima; appella-
do, Ignacio Manoel Sarana.
Ao Sr. desembargador Domingues da Sil-
va.Appellacao civol: appellanto. D. Joanna Ma-
ria das Dores; appellado, Agostinho Joo da Cu-
nda.
Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desemba"
ad'.r Doria.Appellacao eivel: appellante, Ma-
noel do Mesquita Lardoso; appellados, Ignaci
Pedro das Nev* e outros. Appellacao crime: apj
pellante, o juizo ; appe lia lo, Jos Felippe Santiago.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador DominRues da Silva.AppelUcaocrimc: ap
nellante, o juizo; appellado, Jos Luiz dos San-
tos.
Do Sr. de-eiiil-argador Regueira Costa, ao Sr.
desembargador Souza Leo.Apnellacoe* crimes:
appellante, o juizo ; appellado, Justiuo Rodrigues
de Carvalho. Appellante, o juizd; appellndo-,
Joo de Paula da Costa e ouiros. Appellante, Dr.
Alexandro Penvira Gomes de Lima; appelladus, a
usti'ci e Francisco Gomes da Rocha.
Assignou-se dia para jujgamento dos seguiutes
feitos:
Appellaces crimes.Appellante, Manoel Jos
Fidelis Caypora ; appi-llada, a justica. Appellan-
te, o juizo; appellado, Silvino Correa ile Mel-
lo. Appellanto,o juizo; appellado, Manoel Gomes
da Silva. Appellante, o juizo; appellado, loaquin
Gjncalves da Luz.
Appbllac3es civis.Appollante, Manoel Flo-
rentino dos Santos; appellado, Bartholomeu Bran-
do Sobral. Appellante, Manoel Thomaz de Albu-
querque Maranho; appellados, a viuva o filhos
do Dr, Jos Mamedc Alvos Ferreira. Appellante,
Antonio .imingues da Silva ; appellado, Manoel
Dultra TSouza. Appellante, Alexandro Augusto
de Fras Villar; appellados, a viuva Nevos &
Cardoso.
As 2 horas da tarde encerrou-se a sessao.
Uymnoda Creaqao, cntalo por vario alumnos,
com aeainpanhainento a piano pelo distiocto pro -
fessor de msica Joo Bisp) da Igroja.
." pirte.Decurias: do p >rtugnepar* o fran-
cote inglez, e vico-versa, contaodo de leiwra e
argumento, em prosa e verso ;
Hymno a abolico do castigo phyrcn as casas
de instrneco, executado aa mesma forma que o
preoedente, offerecido ae Br. Abilio Cesar Bor-
ges, que oonsagrou a quaudo director gral dos
estudos na provincia.
5.' parte.Recitaco de cor, e rrepreheusivel,
de nota veis poesas om francs o inglez, por colle-
giaes das diversas das
'6.' part.Discursos congratulatorios o da des-
pedida, pronunciados com mnitos'e merecidos ap-
plauso por tres alumnos, que, pertencentos s
tres classes escolare pelos seus companheiros
foram eleitos para o indicado fim ;
Hymno a amisade, entoado como os dous j an-
teriormente referidos.
7. parte.Bellas estropbes recitadas por um
iroCessor do Gymnasio, anlogas ao acto que ce-
Bbrava-se, o em honra 4o eslabelecimento;
Opulenta poesa, em idntico sentido, recitada
por Joo de Britto, joven cujo talento e voeacao
Iliteraria o publico desta capital Wr-xonhece.
8." parte.H\mno*e dcslrbugao dos premios;
terminando a aoemnidado com a inesperada col-
locaclo de urna conia, polas nos de S. Exc.
Rvma., na fronte do Or. Abilio Borges, como jus-
to galardo dos soiis cointantes desvelos e sacri-
ficios pela educaco-da mocidade brasileira.
O Gymnasio Bahiano arrera-sedc galas e jun-
cara-se do flores para diante de urna asssetnbla
numerosa o huida, ao som das melodas musicaes,
dos cnticos dvindade, dos applausos de todos,
e por entre as lagrimas de sitisfaco e roconue-
cimento dos pas, prenles, irmos e amigos, ce-
lebrar pela dcima segunda voz a pas:hoa da sua
bom fadada instiluieo.
LISTX DDS ALUMNOS PREMIADOS NA *STatBUICAO D8
PREMIOS HAVIOA A 21 DO cobresie.
Medalhas de oaro
Amaro B. do Albuquerque Maranho, do Rio-
Grande do Norte.
Guilhcrme C. Studart, do Cear.
Mr.dalluts de prata.
Albano do Prado Pimentel, do Sergipe.
Avclno Candido Andrade Peixoto, do Maranho.
Jos Augusto Saraiva, Babia.
Manoel Jos Vieira Filho, idem.
Antonio Pinto Nogueira, do Cear.
Confirmaco das medalhas de prata obtUlas nos
annos antecedentes.
Plilippe Alves da Costa, da Baha.
Nicanor de Souza Ponna, do Rio Grande do Sul.
Mensoes honroias.
Antonio Goncalves Ramos, da Baha.
Eduardo Ribeiro da Silva, dem.
Felisberto Rodrigues Pereira, dem.
Fabricio Gomes Pedroso Neto, do Rio Grande do
Norte,
Francisco Salles Gomes, da Baha.
Francisco Jayme Torres, do Cear.
Fructuoso de Souza Dias, dem.
Hormindo Leite de Mello, de Sergipe.
Joaquim Jos da Cmara, de Pernambuco.
Jos Sombra, do Ceara.
Jos Tello* de Menozes, de Sergipe.
Jos Angelo Leito de Mello, iJem.
Jos Joaquim de S e Oliveira, da Bahia.
Napoleo Siindes do Oliveira, idein.
Peuro Mus Velloso, dem.
Pedro Marani, idem.
Ulvsses A. Rocha Cavalcanie, de Alagoas.
Virgilio de Oliveira Sampaio. de Sergipe.
Confirmadlo das menres honrosas Midas nos
annos antecedentes.
Custodio Rodrigues Vascoucellos, da Baha.
Francisco Viriato da Itoeha, idem.
Jos Carneiro Ribeiro, idem.
Jos Cynno dos Santos, id^m.
Marco Rodrigues de Jess Madeira, do Piauby.
Manoel Urbino de Moraes, da Bahia.
N. B.Mutos outros foram premalos com li-
vro* e coras.
Bahia, 22 da novembro de I8S9.
A O director,
y Dr. Abilto Cesar Borges.
ra da nova ra do Principe devera ser desapro-
priado o edificio, pois olla corta diagonalmeote
parte da sala, e oceupa na ra do Hospicio 13
metros- da frente do quartel.
Nestas circum iptancias dando S. Ecx. em 2 do
outubro de conformidade con o parecer do chefe
da reparticao das obras publicas docisao final ao
requerimento da companhia approvando a planta
por ella apresen.ada nao dutidou concordar com
a parte do mesmo parecer assim concebida : leu-
do de ser iesapropriada parte da cata em que
funeciona a academia pode por ahi pttssar a U-
nhu evitando assim de passar no pequeo corre-
dor entre a acadunia e o collegio tas artes.
Era incontestavelinento inelhor para a compa-
nhia que os trilhos passassem por urna ra larga
do que por um estreito corredor.
Se porem nao fr#desaproprida a casa, se o
governo resolver mandar reedifica-la, como obr-
gou-se, se antes de deciso do governo a tal res-
peto a companhia tivesse de collocar os trilhos
o'a.|uella dlreccao, nem por isso atara embara-
oada, por quanto a approvac'i dada pelo despa-
cho de S. Exc. foi de' conformidade com o ofllcio
do chefe da reparlico das obras publicas, no
qual se encentra o seguinte :
A direccao geral da lima de trilhos urbanos
desta cidade a di Olinda pode ser approcada defi-
nitivamente, facultndose aualquer pequea alte-
racao que nao importe tnuaanca na direccao ge-
ral, couto sejam pequeos desvos a estabelecer-se
ins pontos em q passa {Sr jutgadt insuficiente, ou outra qualquer
circumtptancia que tmente na execur-ao poder
ser conhecida.
Ahi est pas lvre acompanhia a faculdade,
que cortamente ao lhe ser negada, j reservada
no odelo do chefe da reparlico das obras publi-
cas, de passar pelo corredor'ou ontro qualquer
lugar, urna vez que nao importe mudanca na di-
reccao geral.
Nao existem pois dous actos de S. Exc. em
mam festa opposteo ; nao, ambos so conciham,
como acabamos d mostrar.
Acreditamos que estas explicacoes nao satisfa-
zein o Sr. A., que parece nao ter tido por lim
promover os nteresses da companhia, de quo se
confessa a-cionista, se que mo mais algu-
iin cousa ; mas o publico imparcial que conhe
ce nao ter tido o Sr. Dr. Nascimento Portella o pro-
cedimento que to falsamente lhe foi attribuido,
far jusu'ca.
Se o fim do Sr. A., como diz no ultimo periodo
do seu communicado, dar ao publico a raso da
demora na realisaco de nm melhoramento, que
ha tanto tempo espera, nao era preciso fazer cor-
rer tal demora por conta da administraco da pro-
vincia, quando no seio da propria companhia tem
surgido untas quesldes e dsintelhgencias, que
trasdas, como tem sido a imprensa, eselarecem
bastante o publico sobre a ver-ladeira raso da
demora na realisaco desse melhoramento.
Nao podemos anda deixar de notar que se por
ventura o despacho de 2 do outubro foi causa de
embarac* para a companhia dar principio as suas
obras, inexplicavel o facto de nao ter at hoje
a inesma companhia re lamado contra aquelle
despacho, dado de accordo com o parecer do
chefe da reparlico das obras publicas, que, se-
gundo nos consta, enlendeu-se a respeto cora o
superintendente da inesma estrada.
Em outro artigo veremos se mais feliz foi o
Sr. A. com oque escreveu a respeto do contrac-
to ulimamente leito com os proprietnrios do pre-
dio cm que funeciona a Faculdado.
221 nietos do sola ; a Gustavo L. Portado de
Mendonca.
15 saceos algodao; a Saunder Brothers & Com-
panhia.
1 caix pennas, 4 barricas gomma,26 saceos
milho, 407 meios de sola ; a Jos Lopes Darin.
57 ditos de ditas, 62 couros salgados, 285 cou-
rinhos, 1 barrica cobre velho, 2 caixdes peona; a
Nicolao Xfune.
34 saccas algodo ; a Rocha Leal & C
78 ditas dito ; a L. A. de Siqneira, .
7 dita? dito ; a M. More ira de Souza.
36 ditas dito ; a Albino da Silva Leal & Com-
panhia.
9 ditas dito, 1 couro salgado, 569 mojos de so-
la ; a Luiz G. da Silva & Pinto.
130 ditos de dita ; a Joaquim Luiz Vieira.
228 ditos de dita ; a J. J. de Carvalho Moraes
A Irmo.
25 couros salgados, 17 raolhos eourinhos, 6 sac-
cas algodo ; a Berto, Res & C
40 ditas dito ; ao Dr. Joaquim Anto de Sen-
na.
7 meios de sola, 19 eourinhos ; a Francisco A.
da Costa Bezerra.
17 couros salgados, 1 embrulho couros, 13 cai-
xas velas de carnauba, 2 barricas cera de dita,
10 saccas algodo ; a Manoel Luiz Wanderley.
8 ditas dito, 50 saceos goma, 130 meios de sola,
8 couros salgados, 1 caixo resina ; a S Leito &
Irmo.
1 dito pennas ; a Fernandos & Innao.
1 sacco gomma, 4 ditos arroz, 8 ditos farnha de
mandioca ; a Juan Buson.
10 ditos'gomma ; a Ferreira Pinto A C.
3 caixSes (aseadas, 1 pacote peixe, 26 saccas al-
godo ; a Gorgonio F. de (larvalho-
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
tiendimento do dia 1 a 7 12:140*856
Idem do dia 9......*. 1:929*504
14:070*420
CONSULADO PROVINCIAL
rtendimento do dia 1 a 7. .- 35:3415316
dein do dia 9....... 8;3966W
43:73"A96o
MOVIMIENTO DO PORTO.
)lofma.
i viemo do alto da imprensa apre^entar
felicitacoes a eximia actriz brasileira, j
HomenagtiD. ao mrito.
Assstimos ao espectculo qnc na noite de 7 do
correte, deu no theatrinho da Soledado D. Virgi-
nia de Barros.
D. Virginia do Barros um nome contiendo do
n >sso publico, e que elle j prendere urna
gloria artstica, assim, aventurar algumas palavras
acerca de seu trabalho scenico lorna-se superfino;
e, querer aualysalo seria, sino uma_ousada da
n.'S-a parte, ao menos urna teniai;o lonca : e
outros pois, mais autorisados deixamos esse com
mentarlo.
Apenas viemo
as nossas felicita,,
que nao temos a dita de a communicar e fase-las
de viva voz.
Crea-nos ;seu trabalho excedou a expectati-
va publica e prova exuberantemente esta nossa as-
sercao aquella manifesta espontaneidade de ap-
plausos estripitosos que rebentaram de todos os
ngulos da ca alientos a escutavam, bem como a mullida d a-
quellas flores, que despersaciHn as suas planta*.
Receba pois, a Sra. D. Vicgtala os nosso* enco-
mios, nao duvidando da smecridade delles, pois
que, somos um daquelles d seus apologistas que
s tem a dita do a ver no palco e que tem or-
gulho de mais para dizere o que sent, leva-
do somente por um desses pensamentos srdidos
e infames, repellios pelot bom censo o estigmati-
zados pela moral, ( quando trata-jc de urna ar-
tista.
Cabe-nos tambem aqu dar um voto de ad-
miraco ao nosso sympathico patricio Taurino
Cantidio de Moris : actor novel, esto moco,
tem dado bastante prova de que com o esludo
pratico e applicacao devida, pode ser um actor
de nota ; por isso inesma que iucarnam-se em sua
pessea predicados mais que sufficienlcs para a
consecuco disto ; nao trepide pois, na vereda en-
celada, o Sr. Taurino, que lhe augura um porvir
esplendido.
Dezembro1869.
Artfdnabar.
Clamor publico!
Clama, M cesses '.
Pede-se encarecidamente ao Exm. r. presidente
da provincia, que se digne do mandar concertar,
qualito antes, a estrada de Tacaruna para Onda
e, se lhe fr possivel, que naja de dar por ella um
passeio, alim de verificar como se acha muito ar-
ruinada em diversos lugares, quasi iutransitavel,
e at muto susceptivel de occasionar grandes des-
granas s nuuierosas familias que nesta poca all
tem ido residir, e vo diariamente em mnibus,
carros, etc., pagando alias o competente pedagio
para terem boas estradas, e nao abysmos e po-
ngos....
A-sim, S. Exc'far um valioso servtno as ren-
da* publicas, e subido obsequio essas pessoas
que milito lhe agradecerlo.
Recrrese logo assim para S. Exc, porque o
Sr. director das obras publicas ikjo tem olltos para
vir o pessimo estado dessa estrada, do passoio do
caes da ra da Aurora e outras cousas do seu
olDcio, como erabalde so tora chamado sja at-
tenco.
Protectora das familias
Os senhores rontribuintes cssa associa-
53o, que prel'er m mandar pagar suas an-
nunlades nesUi provincia, portera dirigir-
se; a ra do IJvramenlo n. 19, Io andar,
antes do da 10 do prximo mez de de-
zemtiro, afim de que os fuudos-possam che-
gar na serte da associagao, no Rio de Janei-
ro, no seu vencimonto de -20 a 31 de de-
zembro d-i 1809. Depois de coja data pa
garo a mais da annuidade o juro que mar-
ca o artigo 2i do regulamento.
Ilecife 17 denovembra de 1869.
Narciso de Vidal.
Navios entrados no Ro de Janeiro 18 dias, briguc inglez Tintes de
304 toneladas, capito Gruchy, equipagem 9,
em lastro ; a Thomaz Jefferies & C.
Trieste 81 dias, escuna hollandeza Tasmania,
de lol toneladas, capito II. Doewes, eauipa-
gem 8, carga 1850 barricas com farnha de tri-
go ; a Johnston Pater A C.
" Navio sahido no mesmo dia.
Barcelonapolaca hcspanhola Temeraria, capito
F. Fontes; carga algodo.
Liverpool e=cuna hollandeza Dierk Hindr'fh,
capito Prim ; carga algodo.
.Viuios entrados no dia 9.
Rio de Janeiro 21 dias, bngue hespanhol Nova
Sabina, de 207 toueladas, capito Jayme Bar-
ran, equipagem 14, em Ubtro ; a Rbe Schmet-
tan A C.
Rio de Janeiro22 das, barca portugueza Despi-
que, II, de 384 toneladas, capito Joo F. de
Carvalho equipagem 13, carga caf e outros g-
neros ; a Ferreira A Loureiro.
Bahai 1 das, barca portugueza Novo Elizio, de
331 toneladas, capito Luiz Felippe da Cunha,
equipagem 12, carga dilferentes generss : a
Amorim Irmo.
Trieste85 dias, brigue norte allemo| Reckstina,
de 18o toneladas, capito Meyer, equipagem 7,
carga 2,100 barricas cora farnha de trigo ;
ordem.
Bahial dias, barca ingleza Prtncess Bogmur,de
443 toneladas, capito P. W Lutch. equipagem
15, cm lastro ; a Rabe Schamettau A L.
Navios sahtdos no mesmo dia.
Ro da PrataHiate bralileiro Amaro, capito Luiz
da Costa Amaro.
Rio Grade do SulPatacho brasilero Marques,
capito Manoel Antonio Marques, carga asru-
car e outros gneros.
Para o portos intermediosVapor brasilero Pa-
ran, commandante Moraes, carga differentes
genoros.
PortoBarca portugusza Siiphira, capito J. F. da
Cunha, carga assucar e ouiros gneros.
Farnha de mandioca, litro.
Fdmo do Rio, kilogramma.
Feijao mnlaiiDhor.Utro.
Prelo, sacco.
Mantelga francesa, kilogramma.
Peixe fresco, idem.
Sabo, kilogramma.
Sal, litro, :
Velas de earnaijba, k'.lo.
Ditas stearims, idem.
Vinagre, litro.
Vinho trato de Lisbta, i lera.
Dito branco, iidein.
Toucinho, kilogramma.
Os concurrentes podero apresentar suas pro-
postas em cartas recadas, as quaes deverao ter a
ordem esubeleeida no presente annuncio.
- Santa Ca de Misericordia do Recife, 0 de de-
sembro de 1869.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
O inspector interino da alfandega faz puhlico
que o leilo das quatro caixas contendo 46 garra-
fas com vinho espumoso, annunciado para hoje, e
que deixou de ser effecluado por falta de licitan-
tes, fica transferido para sabbado 11 do corrente.
- Alfandega de Pernambuco 7 de dezembro de
1969.
O inspector interino,
Luis de Carvalho Paes de Andrade.
Manta Casa da misericordia do
Recife.
A Ilhna. junta administrativa da Santo Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
sala de suas sessoos, noj dia 9 de dezembro, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
(juem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
ESTABELECIME.XTO DE CARIDADE.
Cinco Ponas.
Casa terrea n. 114, por anno 328*000
Ra ao Calabozo
Casa terrea n. 20, por anuo 2'i2/000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra do Vigario.
Priaieiro andar do sobrado n. 27. 20J00O
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 98.......203*000
Sitio n. 5 no Forno da Cal........... l0*00O
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
arremataco as suas flaneas, ou comparecerem
acompanliados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 29 de novembro de 1869.
O escrivo,
Pedro RodrtQues de Souza
ECITAES.
PUBLICACOES A PEDIDO-
Baha
O DIARIO DA BAHA, EM SEU N. DE 23 DE
NO^EMB O, DIZ OSEQUINTE ACERCA DA SO-
LEMNIDADE DA DESTRIBU1CO DE PREMIOS
DO GYMNASIO BAHIANO
Teve ante-hontem lugar no Gymnasio Bahiano
a solemnidade da destribuieao dos premios aos
alumnos-que, por seu aproveitamento durante o
anno.lectivo, fizerara a elles direito. Consistirn!
em coras e livros, em mensoes honrosas, e em
medalhas de ouro e prata.
Assistiram ao acto Ss. Excs. os Srs. arcebispo e
presidente da provincia, pelos quaes cram confe-
ridas as distinccoes o ura numeroso concurso di-
convidados, alguns com suas familias
O programma executado foi o seguinte:
/.* parte. Missa, na bem decorada eapella do
collegio, cm accao de granas ao Omnipotente, ce-
lebrada pelo facundo orador evanglico padoo Tu-
ribio Fiuza.
2.* parte.Allocuco do Dr. Abilio Cesar Bor-
ges, illustrado director, em que fez v ir qual o
lystema pratico por elle creado para proporcionar
o eosino das lnguas franceza e ingleza, junta-
mente com o da verncula, aos meninos quo desta
coraecasem a receber liceos.
Pela exposicao, e depois pelo quo respondern!
elles em decurias, sooro ponto* vagos, reconhe-
ceu-se a utilid .de de tal syslema, que todos os
estabe!crimento3 de educago devem adoptar
P.>de-sa dziT quo a mensalidade paga por utn pai
afim de seu filho apronder as primaras letlras
desde lo m posta a juro para, mais tarde, unida a
um pequeo accrescmo do subvencao, facultar
a aprendizagem das duas mencionadas lnguas os
trangeiras.
8.' parfftRecitaco de um primoroso discurso
pelo prufessor do Gyinnaaio, 6. anni ta de med -
eina, Salyro de Oliveira Das, talento superior e
cultivado, j vantajosamente conhecldo eatrens
per suas producedes Iliterarias;
COMMERCIO.
O Dr. Armnio & riolano Tavares dos Santos, juiz
municipal da segunda vara, proveder dos resi-
duos e cipflllas nesta cidade do Retife e seu
termo por S. M. I. e C. que Deus guarde, etc.
Fajo saber aos que o presente dital virem, que
afim de ser ciimpndo o que foi exigido pelo minis-
terio do imperio no aviso circular de 30 de outu-
bro do corrente anno, to convidados todos os se-
crstarios de qualquer associaca religiosa d'este
termo, a apresentar me at odia 23 do corrente
met, una relacao contendo o nome da assnriacao,
o numero dos socios, seu patrimonio, qualidade e
rendimento d'elle.
E para quo chegue ao eonhecmento de lodos,
se passou o presente, que ser publicado pela im-
prensa
Dado e passado nesta eidade do Recife, em 7
do dezembro do 1869.
Eu Galdino Temistocles Cabral de Vasconcelos,
escrevi
Arminio Coriolnno Turares dos Sanios.
Conselho de compras
navaes.
O conselho contrata cm 13 do corrente me/,
avista deproposlas recebidas at as 11 horas da
manha, e sob as condicSes d > estylo, o forneci-
mento no trimestre prximo vndsuro de Janeiro a
marco de 1870 aos navios da armada e estabele-
cimentos de marinha dos seguintes objectos de
fardamenlo.
Para aprendizes artfices.
Banets do uniforme, bonets d servieo, blusas de
brim branco, blusas de algodo azul, blusas de
panno azul, calcas de brim branco, calcas de al-
godo azul, camisas de algodoznbo, cobertores de
la, cobertores de algodo, calcas de panno azul,
colchos d" linlio cheios de palba, frondas ne al-
godoznho, leis de seda preta para grvala,
lences de algodaosinho, sapates, saceos de gnar-
Jar roupa. e travesseros de linbo cheios de palha.
Para imperiaes marinheiros e aprendizes
ditos.
Bonets de panno azul, camisas de brim branco,
calcas de algodo aznl, camisas de algodo azui,
calcas de panno azul, calcas de brim branco, ca-
misas de bala azul para imperiaes marinhero--.
tendo 4 I [2 palmos do eomprimento no corno e '.i
as mangas inclusive os punhos. camisas de bala
azul para aprendizes marinheiros, tendo 3 palmos
de eomprimento no corpo o 2 na? mangas inclusi-
ve os punhos, frdelas de panno azul, lencos de
seda para grvalas, sapates e saceos de lona para
marinhagem.
Para artfices avulsos.
Blusas de panno azul, blusas de algodao azul,
calcas de brim branco, calcas de panno azul, cal-
cas de algado azul e camisas de algodoznbo.
Tambem n conselho contrata no mencionado dia
13 do corrente, por igual forma e tempo indicado,
o fornecimento aos navios da armada o estabele-
mentos de marinha, de lenha em adas o sal.
Sala das sessdes do cnsellio de campras na-
vaes 9 de dezembro de 1869.
O secretario,
Alexandr Rodrigues dos Aujos.
Via frrea de Olinda.
Em continnaco ao que escrevemos hontem,
apreciaremos boje a parto do arlgo em que o Sr.
A. diz que mandn S. Exc. que os trilhos passas-
sem nao pelo portao (que separa o edificio que ser-
ve para a Faculdade de Direito d"aquelle em que
funeciona o collegio das artes) mas pela parte do
edificio da F culdade de Direito, que havia sido
incendiada, e no entretanto i o mesmo Sr. Dr.
Nascimento Portella qttem contracta com os pro-
prietartos do edificio incendiado a sua reedificacao
para nelle funecionar a Faculdade I I....
lsto assim dito sem mais explicaco nao pode-
rla dexar de autorisar todas as conclusoes que
tirou o Sr. A. : seria mesmo um contrasenso con-
tratar a reconstrueco da parte incendiada do edi-
ficio, e mandar que por ella passassem os Irilhos.
Se o Sr. A. antes do atlribur a S. Exc. tal con-
trasenso boavesse informado-se a respeito, nao
nos dara agora o trabalho de uon'estar o que S.
S. disse. '
E' verdado que em 18 de junho S. Exc. em
cumplimento as ordens do governo imperial, e de
accordo c m as instruccoes do mesmo recebidas,
fes com os proprictarios da referida casa o con-
tracto, do que falla o Sr. A., obrigando-se o go-
verno a reconstruir a parle Incendiada mediante
as condiodes exaradas no mesmo contracto, do
qual ao depois tratarei. Nao sabia enio S. Exc.
que a-parte incendiada tinha de ser desapropriada
para a abertura de urna ra.
Sendo publicada no Jornal do Recife de 11 de
agosto urna proposta que o digno lento da Facul-
dade de Direito, o Sr Dr. Jos Antonio de Fi-
gueiredo, flzeru a coogregaco para^uo-asta re-
presenlasse ao governo imperial a respeito d'a-
quella casa e na qual declarava que ella tinh de
ser desapropriada para abertura da rpa do Prin-
cipe, dengio S. Exc. em 17 do mesmo mez urna
portara a cmara municipal pedindo-lhe que in-
formasso se o predio tinha de ser com etteito des-
apropriado.
Tendo S. Exc. aposta afilrmativa da cmara
em olficio datado da de ao Sr. ministro do
imperio romettea cm 24 do mesmo mez copia oes-
te ofllcio o mais papis que o acompanharam,
altm de serem dadas as providencias mais conve-
nientes.
Pouco tempo depois dzendo o engenheiro da
cmara a S. Exc. quo nenhnma ra, segundo a
planta da cidade tinha do passar pelo terreno da
parto incendiada d'aquella casa, om 25 de setem-
bro S. Exc. deterranuu a cmara, e ao chefe da
reparlico das obras publicas que mandasse pro-
ceder a novos exames o informasse se deveria ou
nao ser oVapropriado o edificio por ter do ahi
ser anorta a nova roa do Principe.
Em re-posta declanu o engenheito chefe da
Sociedade bancaria em com
mamut a
Theodoro Simn C,.
Comprara e vender por conta pro
pria mutaes, moedas nacionaos, e estran-
geiras, letras de cambio, scdulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e outros ti
lulos commerciaes.
Encarregam-se por conta albeia das mes-
mas transacc5es, da eobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Receb m quaerquer quantias em depo-
sito, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Pelourinho n. 7
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Deseo ata lettras da pra^a taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
praso fixo.
Saca vista ou a praso sdbre as cidades
prlncipaes da Europa, tem correspondentes
na Bahia, Buenos-Ayres, Montevideo. New-
e New-Orleans, e emitte cartas de crdito,
para os mesmos lugares.
BA DO COMMERCIO N. 36-
ALKANDEGj.
dendimento do dia 1 a 7 302:^00*121
Idem do dia 9..... 64:958*065
l ominando das armas.
Faz-se publico paja eonhecmento dos interes-
ado, que pela reparlico do ajudante. general, na
data de 24 de novembro ultimo, foram remet-
idas a secretaria de estado dos negocios da
guerra com destino a thesouraria de fazenla dasta
provincia, as cartas de penso dos soldados Joa-
quim Custodio da Ilocha c liento Francisco Lopes
da Fonceca.
Secretara do enramando das armas de Pernam-
buco, 9 de dez-mbro de 1869.
Francisco Camello Pessoa de Laceria.
Tenenle-coronel secretario.
DECLARACOES.
367:458*186
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
v*olumes entrados com fazendas 648
dem idem com gneros 1041
Volamos sahidos com fazendas 200
idem idem coro gneros: 662
1689
862
Descarregam hoje 10 de dezembro
Brigue inglezMat/Mmercadorias.
Vapor inglesSaphiraidem.
Barca inglesaRosemonddem.
Patacho ingles.Vary Annaidem.
Patacho americanohaidem.
Barca ingleza/ropwactorfarinha e gaz.
Patacho dinamarqusMargareth raercadorias.
Brigue dinamarquezChristtanmercadorias.
Barca inglezaMaranhoidem.
Barca francezaSphereidem.
Escuna inglesaAf'iry Jamesidem.
Patacho ingles Aitne Ingra tabeado.
Brigue norte allemii-HqtfAafnrinha de trigo.
Brigue noraegnenseMandarim laboado.
Barca inglesaFleetingbc*\ho..
Itaportacao.
Vapor brasileiro pirapahia, vinio da Granja
reparlico das obras publicas quo para a abertu-1 e portos intermedios, mamfestou :
O inspector interino da alfandega, faz publico
a quem interessar possa, para que no prazo de
30 dias, vir despachar um tanque de ferro depo
sitado no caes da escadinha, o qual est incurso
na dlsposico do 2 do art. 301 do regulamento
do 19 de sterabro de 1860, snb pena dq ser arre-
matado em hasta publica por conta e a custa de
seu .dono, nao o despachando dentro do referido
prazo.
Alfandega de Pernambuco, 9 de dezembro do
1869.
O idspector interino.- Luiz de Carvalho Paes de
Andrade.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
ra
Vnvega^fio costera por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandaba, Acarac o
Granja.
O vapor Ptrapama, commandante
Torres, seguir para os portos
cima no dia 15 do corrente :s 5 horas
la tarde. Recebe carga at o dia IV encom-
nendas, e passageiros e dinheiro a frete at as
horas da tarde do dia da sahida do escripto-
rio no Forte do Mattes n. 12.
2L
O administrador da recebedoria de rendas in-
ternas geraes, declara em additamento do annun-
cio de 3 do corrente, que neste mez devo tambem
ser paga lvre da multa, a"decima das corporaedes
de mo murta, relativa ao Io semestroydo exercicio
corrento de 1869a 1870. que igualmente esto sujei
tos o* predios pertencentes aos banco, companbias
e sociedades anonyraas e quaesquer associaedes
piat benefleentes ou religiosas, e que Ando o mes,
ser paga com a mmila de 6 por cento.
Recebedoria de Pernambuco 9 de dezembro de
1869.
Manoel Carneiro de Souza Laceria.
Sania Casa de Misericordia do
Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Gasa de
Misericordia do Recife, na sala de suas sessdes,
pelas 3 horas da tarde do dia 9 do corrente, rece-
be propostas para o fornecimento dos gneros que
houverem de ser consumidos em todo os estabe-
leciraentos pos seu cargo, tanto d'esta cidade
como da de Olinda, nos mezes de Janeiro a marco
de 1870, a saber
Assucar retinado, kilogramma.
Dito de 2' sorte, idem.
Dito de torro, idem-.
Alftria, idem.
Arroz do Maranho, idom.
Asalte dooH, litro.
Agurdente, idem.
Azeite de carrapato, idem.
Bacalho, kilogramma.
Batatas, idem.
Caf em grao. idem.
Cha preto, Idem.
Cha hysson, dem.
Ceblas, cento.
Carne verde, kilograma.
Carne secca, idem.
COMPANHIA
DAS
Messageries imperiales.
At o da 13 do corrente mez espera-r-a da Eu-
ropa o vapor francez Estramadure, o qua I dopois
da demora do costnme seguir para Buonos-Ay-
res tocando na Bhia, Rio de Janeiro o Monte-
video.
Para condicoes, fretes e passagens trata-;e na
agencia roa do Commercio n. 9.
At o da 14 do corrente mez espera-<; do- por-
tos do sul o vapor francs Gironde, capital II. d>
Somer, o qual depois da demora do coslume se-
guir para Bordos tocando cm Dakar (Gard'.J c
Lisboa.
Para condicoes, fretes e passagens Irato-se na
agencia roa do Commercio n. 9.
COMPANHIA BRASILEIRA
DK
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia II do corren!: o vapor
Tocantins, commandante J. n.F.
Franco, o qual depois da demo
_ ra do costume seguir para os
os portos do mi.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-sa a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de suachogada. Encommen-
ias e dinheiro a frete at o dia da sua sabida as 2
horas.
Nao se recebem como encommendas eno ob-
lectosde pequeo valor e que nao excedam a duas
urobas de peso ou 8 palmos cbicos do medica.
Indo que passar destes limites devora s-r embar-
ca lo como carga.
Previne-so aos Srs. passageiros, quo suas pas-
sagens s se recebem na agencia a na da Cruz
n. 57 primero andar, escriptorio de Actinio Luis
do Oliveira Azevedo AC
Porto.
Soguo com brevidade a veloira e nova barca
portugueza Isolina, para carga e passageiros,
para os quaes tem excellentes commodos, trata s;
com os consignatario Antonio Luis do Oliveira
Azevedo & C.; ra da Cruz n. 57 1" andar.
BAHA
Segu para a Bahia imprrterlvelminto uestes
seis dias a polaca italiana Sara : qrtD qoww
carregar para aproveitar a brevktade, podo dwi-
gir-se ao consignatario Joaquim los Gonealvts
Boltrao, 4 roa do Commercio n. 17.
I iihB
I
'f
i
h
t.
J
V



Diario d Pernambuco Sextar feira- T& dte Dezembro- dfe 18*59.

Rio Grande do Sul
Para o referido porU sahir nestes das por
ter quas toda a tsw prompta a barca portn-
gnen Anniiula. par i|ne I he fotta porf^
tratar-su com David Ferrcira li.iltar, ra do Bru
u. y*.
Conpanliia americana e brasile-
ra de paquetes a vapor.
At o da 13 do corrento eaperado da New-
York por S. Thomaz e Para o vapor americano
South America, o qnai depois da demora do eos-
turne seguir para os porto* di sul, para fretes e
passagens trata-se com os agentes Honry Forster
< G., ra do Trapicho n. 8.
Porto.
Vai sabir breve a barra Laura ; para carga e
passageiros, trata-so com os consignatarios Carva,
llio & Nogiiefra. na ra de Apollo n. 20._________
i iio de Janeiro
Seguc com brevidade para o poito cima o bri-
gue nacional hnM, lera a bordo a malor parte de
seu cari egamento; para o rosto que Ihe falla tra-
ta-se com os consignatarios Antonio LuizdeOlivei-
ra Azevedo & C. na da Cruz n. 57, {' andar.
PORTO
Pretende s.thir cm poucos alas a barca porto-
(i'eii Social por ter a malar parte do carregamen-
to prompto; para 0 rwto qne llie falla c passagei-
ros, para os quaes tem bons eommodos, trata-sc
com ( consignatario Joaquim Jos Goncalves Bel-
tro, a ra do Trapieho n. 17.
Para Lisboa
A barca portuguesa Pereira Jorges devora se-
guir brevemente para Li-boa, ja tem a liordo par-
te da carga, e para o resto trata-se com Oliveira,
Filhos & Uj ao largo do Corpo Santo n. 19, 1*
andar, ou com o capitao na praca.
Rio Grande do Sul
Segu com brertdade para o porto cima o bri-
giie nacional Am'lia ; para o resto da carga que
Ihe falta trata-se com os consignatarios Antonio
I.uiz de Oliveira Azevedo 4 C, ra da Cruz n. 57,
Io andar.
COMPAIS'MA PEUNAMBUCANA
DE
*avegaco costeira por vapor.
Mamamguape.
O vapor Mandaba, commandante Julio, seguir
para o porto Mima no da 11 do corrente as 6
horas da lardo. Recebe carga, encommendas,
passageiros ednhoiro a frete al as 3 horas da
tarde do diada sabida escriptorio no Forte do
Maitos n. II
LEILOES.
De movis e objectos dc'escrip-
torlo.
A saber :
Um piano, 1 mobilia do Jacaranda, 2 sotas de
amarello, 4 cunelo*. 2 bancas, differentes mesi-
tihas, eadeiras de bataneo, ditas de mogno, diffe-
rentes bracos com globos de gaz, jarros e vasos
para flores', 1 machina de costura, 1 relogio de
mesa,,"! transparentes, 2'espelhos, 1 mesa elsti-
ca, 1 apparader, 1 guarda louea e 1 apparelho
de louca branca para jantar. i estante para li-
vros, l" arteira, 1 mesa do advogado e ouiros ac-
cessorios.
TIOJE.
no prjmero ailar do sobrado da roa do
Imperador n. 57. p>r cima do antigo arma-
zem Progresso, entrada pelo caes.
O agente Pinto antorisado por una pessoa que
iiiudou dt residencia far ieilao dos movis e
mais objectos cima mencionados as 10 horas do
ilia cima dito no primeiro andar do sobrado da
ra do Imperador n. 57. entrada pelo caes.
LEILIO
De um harmnico, 1 piano, 4 secretaria
de magn, 1 grande espelho, 1 machina
de csstara, 1 mobilia, rnuitos e dife-
rentes movis o outros objectos.
Hoje O horas.
No sobrado da ra do Imperador n. 47, entra-
da pelo caes.
abbailo 11 do corrate
l)c_marca_EAB & C. n 7, 8, 19 saceos com fei-
jo, du 75 kils. cada um.
De marca EAB & C n.133, 134, 413 caixas com
mamas, pesando de 23 a 30 libras cada urna.
De marca EAB & C. n.10, 15 saceos cora farelo,
de 50 kils. cada um.
E. A. Bourle & C. far Ieilao por conta e risco
de quem perleneer, dos gneros cima menciona
dos, avariados de agoa salgada, conforme declara-
rain os deritos nomeados pelo Illin. Sr. cnsul de
Franca nesta cidade, vindos de Marseille na barca
franceza Reine Marguerith, capitao Dans, os
quaes gneros serao vendidos no dia sabbado, 11
do corrente, as 11 horas da manhaa, no armazem
do Sr. Azevedo, largo di escadinha da alfandega,
as massas e farelo, e no armazem do Sr. Aones,
largo da affandega, o feijao.
LEILAO
Seguada-feira 13 do corrente
1)3 calcado e fazentas avanadas sob marca
E A B & C. n. 103961 eaixa colgado ; AKS
.5 E A B & C. n. 10137, mesma marca e n.
10139, mesma marca e n. 103963 fardos es
topa ; mesma raa^ca e n. 103711 dito cober-
tores de la.
E. A. Burle & C. farao Ieilao por inlerveneao
dj agente Oliv ira, e por conta c risco de qifem
portea er, da9 mercadorias supra me cionadas,
i varia las d'agua salgada conforme a declaraban
dos peritos numeados pelo Illin. Sr. cnsul de
Franca nes/a ci lade, vindos do Havre pelo navio
Solide, capitao Bern.
Segunda-feira
i-ll hora da manhaa era ponto, era scu arma-
zem ra da Cruz n. 48.
LEIL40
De ditas casas terreas sendo urna
com grande' sota,
O agente Pontual 'competentemente auiorisado
vender em Ieilao urna r,**a terrea sita ra da
praia do Caldeiniro o. 37, solo propria e grande
<|Uintal, urna dHa cora nraa snt a, solo foreiro, si
ia roa da Palma ns. 90 e 91 a qual rende 61
innaaes. Os Srs. pretendeutes poderlo examina-
lis e coticjrrerem ao Ieilao.
Terca-feira 14 do corrente.
No 1* andar do sobrado n. 6i ra da Cruz,
as H horas.
LEILAO
De ama importante mobilia de jaearan'da a
LuiaJLV com 18 eadeiras de gnarntc>>, 4 dita*
de bracos, 2.cnn*ok>suin sofe urna jardineir.i,
um rico piano do fabricante R Bord, ara guarda
napa de imerelio, 1 toalhetc do Jacaranda, 1
mesa elstica do amarello, I mobilia de Jacaran-
da com li lo guarnir), 2 ditas de ora-
1 cama fran-
ceza de amarello, 1 m.mjuezo, 1 commoda de
amar 1 mesa de araanllo, 1 par
rpentma< d> crvslal, 1 rico'eandieii'o para
gaz, i jarros graudes. 1 moio apparelho do porce-
lana para jamar, 1 par de garrafas para vinho, 1
sof de amarello, diversas eadeiras avalsas e mai-
tos oatros objectos.
Terca-feira i 4 do corrente.
O agente Martins far Ieilao por ordem de orna
familia que se retirou desta provincia dos movis
cima na armazem da ra do Imperador 11. 16, as
II horas do dia
grande fabrica d refinar e crys-
talisar asucar no largo do
Monteiro.
0 agento Podlual, competentemente autorisado,
vender em Ieilao os gneros da fabrica de refl
naro cry qual estira em exposicao das 8 horas da manba
s 5 d 1 tarde, desdo o dia 12 a 21. No mesmo es-
tabelecimento eneontrarao as pessoas que o qui-
terem examinar, pessoa competate para dar as
explicacoes que queiram exigir
Seguuda-f ira 21 do cor-
rente.
Dover ter lugar o Ieilao no mesmo estabelecl-fS polegadas de
monto no Monteiro, s 11 horas.
2 caldeiras de cobre de dous fun-
dos para desc;>rrregar o mol o-m
5 ps o 3 polegadas de altura, e 6 p?
e 2 polegadas do largura 4:000000
1 dita com urna tornoira grandi-
ie metal, com 3 pes c 5 polegadas
de altura e 3 ps e o polegadas de
largura
1 tanque de ferro com 8 ps de
comprimento o 3 ps e 2 polegadas
de largura, e 1 p e 5 polegadas de
altura
1 cano de cobre cora 7 ps e 6 po-
legadas de comprimento o 3 polega-
das de dimetro
1 diio com 9 ps e 7 polegadas de
comprimenl c 3 1/2 polegadas de
dimetro
2 tafos de cobre 3t
3 tanques de ferro de receber o
niel para cuar com 3 ps o 7 pole-
gadas do altura e 3 ps e 5 polega-
das de largura, com 3 torneiras de
metal 100*
1 bica de pao forrada de cobre
com 19 ps de comprimento e 6 po-
legadas de largura
1 cano do cobre com 19 ps de
comprimento e 2 polegadas de di-
metro
1 taboleiro de cobre, 8 tobos para
Dotar o ni. I nos saceos para cuar,
com 3 ps de comprimento e 4 pole-
gadas de largura
3 tanques de ferro 7 ps e 3 pole-
gadas de comprimento, 2 ps e 7 po-
legadas de altura, 4 ps e 5 polega-
das de largura com 12 torneiras 12
3 canos de cobre com 12 ps de
comprimento e 2 polegadas do di-
metro
1 bica de cobre com 15 ps e 4
polegadas de comprimento, 7 polega-
das do largura c 4 polegadas de al-
tura
3 filtras de ferro com 12 ps, 4 po-
legadas de altura e 5 ps;de largura
com 3 torneiras de metal
I pronca de madeira com 1 tan-
que de ferro para imprimir as bor-
ras do assBcar, com todos os seus
pertences
1 tanque de ferro rom 5 ps e 5
polegadas de altura e 5 ps e 5 pole-
gadas de largura
3 ditos com 8 ps de comprimento,
3 ps de largura, c 2 ps e 4 polega-
das de altura, com 4 torneiras de me-
tal
1 bica de cobre com 11 ps e 1 po-
legada de comprimento,! p e 5 po-
legadas de largura e 3 polegadas de
altura
1 cano de cobre com 8 ps o 4
polegadas de comprimento e 1 1/2
pnlegada de dimetro
1 dito com 4 ps e 5 polegadas de
comprimento o 1 1|2 polegada de
dimetro y
1 caldeira de xacco de cobre com
8 ps o 2 polegadas de largura e 3
ps de altura, com urna toraeira
grande e quatro pequeas ; tendo 1
cano de cobre com 3 entradas para
a caldeira com 4 ps e 2 polegadas
de altura, 2 1/2 polegadas de dime-
tro com ama toraeira de metal
1 caldeira cora .'urna torneira de
vlvula com 3 ps de comprimento c
1 polegada de dimetro
1 bica de cobro com 7 ps e 4 po-
legadas de comprimento e 8 polega-
das de largura
1 columna de ferro com 2 serpen-
tinas do cobre por dentro com 10
ps de aliara e 6 ps e 3 polegadas
de largura
1 cano de metal para a caldeira
com 6 pos e 3 polegadas de compri-
mento, 2 ps e 3 polegadas de gros-
sura, e 4 torneiras de metal na co-
lumna*
1 cano de cobre com 10' ps de
ciiniprimento, 3 1/2 polegadas de
de dumetro, cora urna torneira de
metal
2 manmetros na caldeiaa de eozer
1 caldeira de cobro eom 4 ps do
altura e 6 ps de largura com u&a
torneira de vlvula de d'His fundos
1 tanque de ferro cora quatro
bombas de injeceo para levar agua
a todos os pontos da fabrica
1 machina de vapDr da forca de 8
cavados
3 torbinas oa machinas de purgar,
1:500*
1 aguilho de ferro com 27 se
3 polegadas decomprimento. e 3 ps
de grossur com 5 volantes de di-
versos tamanbos
2 machinas de relar assacar 800*
1 (orno e seus pertences
1 moinbo do ferro para carvao
animal
, 1 dito de pedra fino
i peneira grande de peneirar 5
quatidades de carvao -ao mesmo
lempo
1 aguilho de ferro com 18 ps e
8 polegadas de* comprimento e 3 po-
legadas de grossur
1 aguilho eom 7 ps e 7 polega-
das de comprimento e 3 polegadas
de grossur com um volante grande
I roda de pao e ferro movida por
azua paia todo o machinismo da fa-
brica, com 16 ps e 3 polegadas de
altura e 3 ps e 5 polegadas da lar-
gura com dous rodetes de ferro
1 fornalha com duas chipas do
ferro oom 6 boceas para refinar em
tax*
10 colheres de pao para bater as-
sucar
3 ditas de ferro idem dem
1 caixao de peneirar.
10 ,ieneiras de rame diversas
trrossuras
10 armacoes de amarello para as
m-sinas
1 caldeira de ferro com 5 ps de
largura e 3 p* o 5 polegadas de al-
tura, com urna serpentina do cobre
com seie voltas cora peso de 14 ar-
rima* e con 3 tomaras d* metal
l filtro de ferro ct m 6 ps de al-
tnra e 3 ps e 1 polegada de largu-
o nina torneira de metal
t asttenUinenti de madeira com
2 laxas de cobre cora 2 serpentinas
dentro das iTiesm'as e 6 torneiras de
o'tal para retinar assucar a vapor
c un seas eneanaraenlos
1 tanque de ferro com 5 ps e 9
polegadas de comprimento e 3 ps e
8:000.4000
7501000
1205000
2J000
303000
oOOO
300*000
404000
105000
303000
3601000
6405000
1505000
1:800000
1505000
1205000
600*000
2005000
205000
125000
6:009*000
1205000
80.4000
6005000
2005000
1005000
3:000*000
4:000*000
3:000*000
4:5005000
1:200*000
1:600*000
150*000
400*000
120*000
2005000
2405000
120*000
1:200*000
120*000
5*000
3*OOo
50*000
50*000
000000
240*000.
2005000
8 polegadas de largara e 7 polegadas
de altara 1505000
1 bancada de pao cora 5 boceas
para bater assucar 30*000
1 encanamento do cobre com 31
comprimento e 1 1/2 polegada
de dimetro 100*000
1930 formas de ferro de purgar
assucar 2*500 4:825*000
1 ealdoira de ferro com 9 ps, 6
polegadas de comprimento com to-
dos os encanameatos do cobre, va-
por para purgar 280A00O
3 torneiras de metal 60*000
3 tanques do ferro com 7 ps e 3
polegadas de comprimento, 3 ps e
I polegada de altura com 3 ps e 7
polegadas de largura cora tornei-
ras de metal 120* 360*000
2 laxas do ferro com 3 ps e 5 po-
legadas de bocea 120* 240*000
1 bomba de japy n. 3 60*000
2 bicas gran les de pao forradas
de zinco 20*000
i porcao de bicas de zinco que
communicam com os depsitos do
mel 240*000
2 taboleiros grandes do pao 20*000 40*000
27 ditos pequeos 10* 270*000
1 dito grande do zinco 105000
2 estufas para seccar assucar
em p5o, com 2 caldeiras grandes
do ferro, cnconamenlo de cubre e
torneiras de metal e niadeiras
300* "6003000
i estufa de seccar assucar relado
com urna caldeira de ferro com en-
canaraonto de cobro o torneiras 300*000
17 tanques de ferro com 2 ps e
altura e 3 ps de
bocea 100* 1:7005000
1 volante grande do ferro 60*000
Urna porcao de carvao animal gros-
so e bno 1*200 a 1*500 a arroba 2:400*000
1 assentamento com 7 caldeiras do
ferro patente para vapor com todos
os seus pertences e encanamento de
Ctfbrc com 11 torneiras de metal 2:000*000
1 tanque de amarello para lavar
carvao 50*000
1 coche do amarello com sarillo
para lavar carvao 50*000
1 encanamento para levar agua
aos tanques e coche 30*000'
4 carros de ferro (de rao) 16*000
1 dito sem armacao
1 carroca pro.npta para cavados
com seas pertences H03J
2 rodas de carroca em bom estado 20*000
1 lixo de ferro e mais ferragens SOJDOfl
1 correia grande nova com 24 ps
comprimeuto e 4 polegadas de lar-
gura
2 ditas com 2 polegadas de lar-
gura 30*000
i forma do bronze para fazer pao
de assucar 235000
3 ferros de soldar de cobre 3*000
5 ditos de estanho e sida 35000
7 manmetros em bom estado 21*000
Urna porcao de bronzes velhos e
novos 100*000
1 dita de canos de cobre perfeitos 200*000
1 dita de chumbo novo e velho 10*000
1 dita de parafusos com porcas 40*000
1 dita de ferramenta pertencente
ao fabrico do assucar 305000
1 folio de ferreiro grande 50*000
1 safra e toda a ferramento per-
tencente olTicina cima (de ferreiro)
e moldes de l'uuJicfn 12*000
1 tarracba grande com tod}s os
machos SOOq
1 tarracha pequea com todos os
machos 3*600
1 caixao com areia de moldar 10*000
2 caixas para moldar obras 3*000
1 porcao de ferro de diversas gros-
suras 20*000
1 folha de ferro grossa 10*000
1 bancada com 2 tornos, grande o
pequeoo 20*000
1 porcao de chaves de 2 boceas de
diversos tamanhos 30*000
1 porcao do ferramenta de carpina 30*000
1 banco de carpina 205000
1 dito de corrieiro ferramentas 10*000
20'saccos vasios de lona 40*000
30 ditos ditos velhos 20*000
1 lita de medir 110 pqllcgadas de
comprimento 1*000
1 braco e conchas de balaiiea
grande 305100
5 pesos de 2 arrobas, 1 de 1 arro-
ba, 1 do 16 libras e 5 de 8 a 1/2 libra 265000
1 agulho do f Tro com 10 ps de
comprimento c 2 pollegadas de gros-
sur com 1 volante 60*000
1 agulho de 3 ps de comprimen-
to, 1 3/4 polegadas de grossur com
2 volantes e 3 mances dos mesmos 00 5000
1 escada grande da casa de purgar 10*000
1 dita do servie i da casa 5*000
1 dita de dito dos fillros 3*000
2 canecas de folha MOGO
5 ditas de ferro galvanisado 105000
3 ditas de zinco 6*000
4 ditas de folha c 4 pratos de dita
para tirar mel dos tanques 6*000
1 coco de cobre para o mesmo fim 2*000
1 dito de fjlha para a casa de
purgar *500
2 cadinhos para fundicao 3*000
2 corredores grandes 2*000
1 dito pequeo 1 000
1 pedaco do prancho d'amarello 4 5000
1 1/2 dito de dito pau carga
2 machados
2 siscadores 2*000
1 enchada 1*600
1 porcao do er 1*000
1 picareta 2*000
1 aparelho.de suspender madeira 10*000
6 latas com verniz da China 60*000
1/2 caixa com folhas de (landre 10*000
1 latrina de Ioac,a
2 mangas de ferro com bronze 40*060
1 peneira redonda de rame 8*000
2 ditas faltando Ihe arcos 2*000
1 cano de cobro de 33 ps do
comprimento e 3 1/2 pollegadas de
dimetro, de conduzir mel para a
caldeira do vaccisos 120*000
1 eano.de de 31 p3 de compri-
mento e 2 pollegadas de dimetro
que conduz o mel do moutej pata a
cal leira de cozer 100*000
1 cano de 40 ps de cumprimento
e 2 pollegadas de dimetro, que con-
duz o< vapores servidos 120*000
1 cano de cobre de 20 ps do
comprimento e 2 pollegadas de di-
metro, que conduz vapor para o
raontej 60*000
1 cano do cobre de 23 ps de
comprimento e 2 pollegadas de di-
metro, que conduz vapor para a cal-
deira de cozer 80*000
1 cano de cobre do 33 ps de
comprimento e 3 pollegadas de di-
metro que conduz agoa da levada
para o tanque do 5o andar 120*000
i dito de 20 ps e 5 pollegadas de
comprimento e 4 polegadas do di-
metro 80*000
2 ditos do 20 ps o 4 pollegadas de
comprimento e 2 pollegadas de di-
metro 80*000
1 dito de 81 ps de cumprimento
e 3 pollegadas de dimetro 350*000
1 dito de 81 ps de comprimento ,'
e 2 p .llegadas do dimetro 240*000
1 dito de 45 ps de comprimento
e 3 pollegadas 1/2 de dimetro 160*000
1 dito de 81 ps de comprimento o
3 pollegadas de dimetro 3504000
2 diliM do 33 ps de comprimento
e 2 pollegedas de dimetro 240*000
1 porcao de canos de diversas gros-
suras que conduzem vapor para as
calleiras da estafas, com 2 tornei-
ras de metal 150*000
7 torneiras de metal, grandes 150*000
6 ditas de diversos tamanhos 80*000
7 ditas pequeas 60*0,0
2 canos de cobre do 30 ps de
comprimen to c 3 | llegadas de di-
metro, que conduzem agua para as
caldeiras de vapor 240*000
3 repartidores grandes que di vi-
dera o mel pelas (orinas 30* 90*000
2 repartidores pequeos com 10
libras 10*000
1/2 barrica de cebo 20*000
1/2 dita de brea 10*000
1 porcao de panellas de queimar
ossos 300*000
I-porfo decanos-deferros grossos
"torrador para caf
UappareMio para gfndar.com den-
tes 6 doas rodas de fero
I todeguind ir saceos, cora cor-
ren tes
J portas do rornalhas
1 assoalho de amarello da casa de
purgar, turado para *930 formas
2 torneiras grandes postas no cen-
tro dos eiieanamontos geraos 220*
3 bombas de abrir a torneiras de
filtrar as turbinas, machinas de pur-
gar 5 arrobas de ossucar em 5 mi-
nutos dando na qualidade superior
ao nssucar sao, de grande|vantagem
part os Srs. do-engenho
1-205000
2D*00!)
100*000
120*000
40*000
600*000
4405000
10*000
57:288*000
AVISOS DIVERSOS.
ESTUDO .
ifilMR 1 PREPARATORIOS
Jos Soares de Azevedo, professor de
lingoa e litteratura nacional no gymnasio
provincial do Recife, tem aberto em sua
casa, ra Bella n. 37 :
Uao curso completo
de Un&oa porugtneza ;
de IMugoa franceza, verses
oraes e escripias de portuguez para francez
e viceversa, de conformidade como novo
programma do governo ;
de Cieogi'aphia pbysica, poltica
e astronmica;
de Historia universal: '
de Pliilosophia, Racional e Mo
ral;
de Rhetorlca e Poclic u
As pessoas que desejarem frequentar
qualqucr ou quaesquer destas aulas, podem
dirigir-se indicada residencia, de manlia
at s 9 horas, e de tarde a qualquer hora.
Manoel deCalro GiitowrSes relira-separa
Portugal, tratar de sua sade.
Veneravel confraria
de Santa Rita de
Cassia.
De ordem do irmo juiz, convido a todos os
nossos raos para e reunirera domingo 12 do
corrente s 11 horas do dia, afltn do qne, incor-
parados em mesa geral, se proceda eleic) do
procurador geral, que ebteve na demissa),
Secretaria da veneravel confraria do Santa Rila
de Cassia, 10 de deiemcro de -1869.
/. C. Lima,
Bserivio.
Dtjvo$to de Nossa Senhora
da Ltiz.
Por ordem da mesa regedora desta devocao,
erecta na igreja de S. los ae Riba-mar, convida-
se aos irmaos em geral para domingo 12 do cor-
rente, pelas 2 horas da tarde, no consistorio da dita
igreja, allrn do se proceder a eleicn dos lunccio-
narios que tem de reger esta devocao no anuo de
1869-70.
Consistorio da devocao de N. S. da Lnz 9 de de-
zembro de 1869.
Leandro Honorindo los de Sampaio,
Secretario interino.
Na ra .da Moeda n. 5, 2> andar, escriptorio
i Manoel Al ves Ferrcira-A C, vndese vinho
verde superior em barris, ancoretas com vinho do
Porto superior e malvazia branco.
AMA
Precisa-so do urna ama para casa de poca fa
milia : na ra das Cruzam. 25. -
Precisa-sede urna ama para servteo de casa:
na ra do lionas n. 65.
Engommadeira.
Precisa-se de urna criada para engommar : n^
ra do imperador n. 73, 2 andar.
m\
Precisa-se de una ama que engomme b
i a casa de pouca familia : na ra da
n. 25.
Un i ao
Precisa-so de urna ama para casa de pouca
familia para cozinliar e engommar: a tratar na
ra do Cabug n. I, toja de joias.
- Precisa-se alugar urna preta escrava que
sailia engoni nar na ra da Santa Cruz n. 18.
Aos senhores nfjictaes de sppateiro
Chegoa a antiga loja de calcado d i roa da Cruz
n. 21 (sobrado amarello) um sortimento de ferra-
menta para sapaleiro, a qual so vende por menos
preco d que em outra qualqucr parte.
CAA HA Fi.
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Rio venda : ra do Cabug n. 2,
vende Vieira A Rodrigues.
- ^recist -se de urna ama para ca-a de pouca
familia : a tratar na travessa de S. Pedro n. 10,
Io andar, entrada pela ra do Fogo.
Companhia de seguros utilida-
de publica.
A direccao paga o lo" dividendo de 28*000 por
aeran ou 28 OO do capital realisado, do meio dia
s 3 horas da tarde, cm seu escriptorio ra da
Cadeia do Recife n. 42, 1 andar.
Recife 4 de dezembro de 1869.
Os directores,
Feliciano Jos Gomes.
Thomaz Fernandes da Cnnba
Precisa-se de um menino de 12 a 14 annos
de idade para caixeiro : na ra das Cinco Pontas
n. 86.
Vismia anti-escrophuloso.
Vcnde-se estre prodigioso remedio para grandu-
kis e tumores escrophulosos, seja qual for o seu
estado ae augmento; as de veame, pelo formulario do fallecido Prannos :
na botica da ra Direita n. 88.
Botica
Prccisa-se do um official de pharmacia com bas
tanto habilitar.) : na ra da Imperatriz n. 77.
Precisa se de urna ama de leite : a tratar na
ra de Apollo n. 55.
Precisa-se alugar urna avia para o servico
de urna essa : na ra da Impcralnz n O, loja.
Precisa-se de um pequeo boleeiro : na ra
Nova n. 46.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia, livre ou escrava : na ra estreita do Ro-
sario n. 32, 2o andar.__________________________
Precisa-se de um criado torro ou captivo, df
12 a 14 annos de idade, para o servico externo de
urna casa de pouca familia : na ra da Lingoela
n. 8,2' andar. *
Aitengdo.
. Precisase de orna ama de leite : na ra larga
do Rosario n. 21,1* andar.
4*
D. Mara Amella Bastos Guerra, Manoel da Sll-
va Bastos, D. Joaquina Correia da Silw Bistos, Ma-
aoel da Silva Bastos Jur ior, Aflonso Henriques da
Silva Bastos e Jos da Silva Batios, molher, sngro.
sogra e cunhados do nado Antonio do Souza
Guerra, tallecido no dia 8 do corrente, cordialmen-
te agradecen? a todas as pessoas que tnes ffieram
o caridoso obsequio de acompanhar ao cemiterio
publico os restos mortaes do mesmo finado; edes
de j Ibes rogara assistirem as mfssas da stimo
dia que se tem de resar na capella do cemiterio
publico, as 7 horas da maoli.t do da 14 do cor-
rente, pelo que desde (a protesta m o seu reconhe-
cim*8to.
DA
Fcsta e Nossa enhora da ron
clelo dos uncirs em sua
capella na Boa-Vista
Hoje (10 do corrente) as 7 huras da noite le-
vantar-se-ha bandeira da mesma Senbora, e no
dia II as 0 1/2 horas da Hrae rhver as vesperas,
seguindo no dia 12 a festa e Te Dtum, orando e
Rvm Dr. Luiz Ferreira Nobre Pelinca, sendo a
orch"stra organisada pelo professor Benjamim do
Carme Lopes e sob a regencia do insigne artista
ta Francolino Domingos de Moura Pessoa, cantan-
do os olios os Srs. Jos Chetoo, Soares Rosa e
Tartaruga ; a noute ha ver um lindo e importan-
tissimo fogo de artificio, tocando em todos os
actos a msica do Io batalbao de artilhtria da
guarda nacional, aob a dirccjlo de sea insigne
mostr.
Caixeiro
Precia-8e de um caixeiro com pratica de taer-
na : trata-se na ra Direita n. 15, luja. _
Preciiasj de flm caixeiro cora pratica do
taberna : a rta da Penha n. 33.
Precisa-se de nm caixeiro que tonha pratica
de taberna, de 12 a 16 annos de idade, e qued
fiador a sua conducta, paga-se bem : a tratar na
ra da Santa Cruz n. 3. a mesma casa precisa-
se alagar ama prea que saib.-f cozinliar o diario
. V*
.
Marcoliao Vctor de Moraes, sua esposa c Joao
da Malla Victor de Morsas, convidara a todos os
parentes e amigos do sea sempre chorado pai e
sogro, Modesto ilonorato Victor, fallecido na pro
vincia da Parahyba, a assistirem algumas miwas
que por alma do mesmo mandam celebrar no con
vento d (.armo, no dia 11, as 7 1|2 horas da ma
nha Desde j se conlessam penhnrados.
Precisa se de um destilador que se cncarre-
gue do trabalho de urna pequea destilaran de en-
genho : a tratar na ra de Apollo n. 28, primeiro
andar.
O Sr. Dr. Jos Ucha Cavalcanti lera urna
carta vinda do norte nesta typngaapbia.
O Sr. Felisberto Rodrigues de Oliveira lera
ama carta, cora ausencia ao Sr. Fernando Caeta
no Barrilha, vinda do Lisboa, na ra do Commer-
cio n. 48, 1 andar.
OITerece se urna ama de leite sem filho : na
ra do Caldcirciro n. 86.
Declaradlo.
O baixo assignado apressa-se em declararlo
publico que nao for-dispensado, e sim dispensou-
se da procuradoria do retalhamento do sitio Agoa-
zinha, em Beberibe, a que se refere o annuncio
publicado no Diario de Pernatnbueo de 7 do cor-
rente, e assignado pelo Sr. Joao Tiburcio da Silva
Guimares.
Luiz Antonio da Silveira Tavora.
. Precisa-se de um menino brasileiro para
caixeiro : na ra do Rosario da Boa vista n. 2.
O Sr. Francisco sCornelio de Albuqnerque
Almeida tem urna carta vinda do Rio de Janeiro no
escnpU-riode Joaquim Jos Goncalves Beltro, ra
do Commercio n. 17, 1* andar
Cozinheiro
Precisase do um bom cozinheiro qne tenha boa
conducta, para casa de pequea familia, paga-se
bom alnguel agradando : a tratar no caes de
Apollo n. 69.________________________________
Na fundicao da Aurora se entregar um di-
nlieiro que foi achado na-ponte do Recife, dando o
portador os signae certos e pagando este annun-
cio.
Nova tinturara franceza
25-RU* DAS FLORRS25
Otto Schnelder
O proprietario deste importante elabelecimento
tem a honra de participar ao respeitavel publico.
que tendo mudado-se da ra do Rosario da Boa-
vista para a ra das Flores, achando-se bem mon
lado com machina e tintas de todas as qualidades
proprias perfeicao de seu trabalho. Tinge-se e
lava-se com a maior perfeicao toda qualidade do
fazendas, em pecas ou em obras, de quaesquer
que sejam, toes como, la. algodaa, seda, louquim,
chapeo de Miro o do raanilha, palhinha do todas
as cores : os senhores negociantes, legistas e par-
ticulares experimentem, que todos achara) pro-
veito e vantagens.
Precisa-se de um portaguez para feitor de
um engenno distante desta praca 12 a 14 legoas :
quem esliver nestas condicSes dirija-sc a botica da
praca da Boa vista n. 19.
- Precisa-so do um moleque para o servico de
casa de homem solteiro : na ra do Mondego nu-
mero 93.
Aluga-se o segundo andar da casa da ra
do Amnrim n. 21. no Recife : a tratar na mesma
ra n. i2, armazem.
Cozinheiro
Offerece-se um cozinheiro perfoito nesta arte :
a tratrr na ra do Rangel n. 41.
Fugio ha dias do mez praximo paseado. u engenho Forno da Cal, os dous eseravos, Vidal,
prete c non lo, dalo 40 annos, pnuco mis ou me-
nos, de estatura regular, tem barba serrala, dos-
confia-se andar por Goianna, visto ter sido do en-
genho Jacar ; e Raymundo, cabra, idade 21 an-
uos, pouco mais ou menos, tem benita figura e
falla femenina : quem os pegar e leva-Ios ao en-
genho cima, ser bem recompensado.
Arhou se urna carteira contend) certa quan-
tia, e bem assim nm pequeo embrulhn ; a pes-
soa a quem pertencer taes objectos, dando os sig-
naes certos os receber, satisfazendo a despeza do
presente annuncio : a tratar no Io andar do so-
brado da ra do Pilar n. 131.
AMA DE LEITE
Precisa-se de urna ama que tenha bom leite, e
que nao tenha filbo ; na ra doLivramento n. 36
Io an lar.
Attencao.
A' ra Nova n. 46, precisa fallar-se ao Sr. Joao
Pittngneira Paes Brrelo, a negocio que nao
ignora.
Attenqao.
O Sr. Dr. 'Francisco Joao Carneiro da Cnnba,
tem ra Nota n. 46, ama carta para ser-lhe
entregue.
Ama ou cosinheiro
Precisa se; rna do Quelmado n. 7 foja.

Podido
Pede-so aos segiintes Sr*. se diirnem a compa-
recer na loja do Paco ra do Crespo n. 7 A, a
negocio de sea particular interese : Antonio Pe-
reira do Seuza e Domingos" Martins do Barros
Monteiro.
Cullegio. de S. Francisco de
Paula.
O baclnrel Fraocisco Jos (tabello, competente-
mente habilitado pela directora da instrueco pri-
maria, tem aberto um collegio para educapio pri-
maria e secundaria do sexo masculino, a travessa
das Barroiras n- 2. No mesm > eoHeglo se pode-
ro desde j inscrever os alumnos quo pretende-
rom frequentar o curso das ferias no qual espe-
cialmente se eusinar) as materias para os exa-
mes na laculdade no mez de margo. .____________
\ A luga-.se
urna casa na rna de S. Pedro-novo, em Olinda,
junto ao Pago Gaslelhano n. lo, retifiead de novo,
sala de frente. 4 quartos. sala de juntar, cozinlia.
loja e quintil com portan au lado : a tratar na
escadinha, armazem n. 3, das 8 as 11 horas da
manbia.
WWUnfflJIBm nVntHinl PSHMPnt
i Advocada.
Carolino de Lima Santos, (o filho)
bacliarel em direito acha-so a roa
estreita do Rosario o. 23 onde pode
ser procurado das 0 horas da ma-
nlia is 3 da tarde.
CASA F
Aos 20:
Xo Recife arco da concelcao n. 9
Os abaixo assignados tendo-se habilitado na
forma das^fitem ex posto a venda os seos Mi-
zos bilhajl Hoterias do Rio de Janeiro, na casa
cima, afl bagarao as sortes que satren-
nos mesa notes, com o dcscapo somanta-
da lei. ^m'r
PRECOS.
BiUiete inteiro 24/000
Meios IlOOO
Quartos 6#000
E de 1005 para cima a 22< o bilhele.
Figaeiredo & Leite.
CASA DA FORTUNA
% Aos 4:000iS;
Bilhetes garantidos.
A rna do Crespo n.23 e casas do costme.
O abaixo assignado, tendo vendido alm de ou-
tras sorles, dous quartos n 2875 com 4:000J da
lotera que se acabou de exlrahir a beneficio da
matriz de Nossa Senhora do O' do Goianna (1$9*).
convida aos possuidores virm receber na
conformidade do costume sem descont algnm.
Acham-se a venda os felizos 'bilhetes da 13*
parto da lotera beneficio do patrimonio dos
orphos (130'), quo se exlrahir na terca-feira 14
do corrente mez.
Pre$os.
Os do costume.
____________Manoel Martins Finta.
PHARMACIA
ESPECIAL HOMEOPTICA
VIL'VA DO DR. SABINO 0. !., HM
43Ra Nova43
l.Oll III: H VBtTIOHI
D. Umbelina Rosa de Lima Pinho, varo
do Dr. Sabino Olegario Ltidugero Pinlio,
achando-sc competentemente autorisada
pela iospecro de sade publica continua
aun a botica homeoptica do seu (nado ma-
rido, ra Nova n. 43. hja de marmore,
tendo frente de seu eslabelecimento a
mesma pessoa habilitada que prepara os
medicamentos com todo o esmero e asseio
como d'anles ; e ped a confianza de eus
numerosoros freguezes e do respeilavel pu-
blico enviaudo Irte sitas receitas e encom-
mendas que sero preparadas com a maior
promptido e escrpulo e pelo mesmo prego.
Neste importante eslabelecimento acha-se
ludo o que necessario para a pratica da
HOMEOPATHIA: medicamentos em glbu-
los, em tintura, carteiras portateis e caixas
de medicamentos em glbulos e em tintura
de diversos tamanbos.
Vndese igualmente o THESOUROHO-
ME JPATHICO OU VADE MECUM DO H0-
MEOPATHA pelo Dr. Sabino, obra de reco-
nbecida necessidade pratica da homeopa-
thia.
Acha-se venda no mesmo eslabeleci-
mento ; cha verde a 3 060, a libra, cho-
colate a 000, tudo de superior qualidade.
O r. i. B. tasanova, pode ser
procurado qualquer hora em seu consol-'
TOMO ESPECIAL HOMEoPATIUCO, aO IprgO da
matriz de Santo Atonio n. 2. No mesmo.
consultorio acha-se sempre venda os-mais
acreditados medicamentos, de bomeopatbia
e tudo quanto necessario para as pessoas
que se dedicam ao tralamento por este
systema. s
Preciosa publicapo
jurdica,
Commcntario do Codigrt Cbmmcrcial Porht-
guez e Brasilciro.
Vende-se na loja da ra do Crespo n.
25 A esquina da do Queimado. a impor-
tante e moderna obra snb 0.titulo de an-
notacoes ao cdigo do commercio portuguez
em 6 volumes pelo Exm. Sr.'conselheiro
Dr. Diogo Pereira Forjaz de Sampaio P-
ntente!, lente cathedratico na universidade
de Cuimbra. Os subidos crditos de que
goza muilo merecidamente aquello eximio
commercialista por si ? bastariam para re-
commendar lao importante obra, qnando
nao concorresse mais para rsso a grande
vantagem de ser um ptimo commentaro
ao cdigo commercial brasileiro (na falta
absoluta que ha de qua quer outro) pelamo-
xima homogeneidado de entre militas das
suas disposicoes, as do mencionado cdi-
go portuguez, que Ihe servio de texto.
Cotrei pressurosos, distincta mondado
do 4. anno da Faculdade de Direito desta
cidade e notaveis jurisconsultos, a prover-
vos desse poderoso auxiliar para vessos
trabaihos da sciencia, e pelo preco commodo
de 203, toda a obra cm 6 vol.
Sublime pul icaco Iliteraria
sob o titulo fie Hemorl do
Boma lesos do Moate, eav-
Braga.
Acba-ne venda na loja da roa do Cres-
po n. 25 A, esquina da do Queimado a pri-
morosa Memoria do Bom Jess do Monte em
Braga, ornada de gravuras finas, segunde
edi^So, obrada penna de ouro domui Ilus-
trado lente da universidade de Coimbra, o
Exm. Sr. conselheiro Dr. Diogo Pereira
Forjaz de Sampaio Pimentel. Qtiem tiver
noticia da extraordinaria devooSo que exis-
te em Portugal para com aquella milagro-
sisima imagem, affluindo sempre para o
seu magestoso templo em romaria o nume-
roso povo de todas as partes desso reta<>-
qu*m souber avaliar as brilhantes desenp-
c5es, e o bello estudo daquelle consomiM-
rfo jurisconsulto e eximo litleraro portuguez
n5o deixar de procurar, quanto artes pro-
vpr-se de um exemular da dita memoria,
pelo diminuto preeo de 3#, na loja .indica-
da, oniie ha pequeo numero bellas.
Bolos para casamentes
35-Rua estreita do Rosario-35
No primeiro andar, pn>param-se bandejas com
diferentes armaedes, bolinhos do diversas qualida-
des, enfeitados ao ultimo gosto, com boqueta e fi-
tas, com disticos -a ouro; a se doces de todas as qualidades com pi-rfeicSo e
esmero, pedins, blns ingleses, pndelos, o as de-
ntis iguarias proprias de dias festivos ou presen-
tes, ornados ou simples. Tambera se fahtieam Bo-
ros de todas as qualidades, quer sejam de panno
ou cera, e tudo quanto tur tendente a flotes artifi-
ciaos, desde a r>>sa at os arcos para ornamento
de imagen, iuclnsive ornamento oar
baptisados; annam boqueta de cimvos oa Sara
naturaes para casamentes com u
etc. etc. : os pretndanles dewm vir cmiempo
faw>r as encommendas, que ser garantida a per-
felaoexic1 iodo preco.
!

I



Diario d Pernambuco Sexta feiitr 10 de Deaenibro de 1869
Primeiro introductor dos popos tubulares
instantneos da Abyssinea. ,
Estes pogos foram espalhados na Euro-
pa, tanto que, quajquer duvida do seu
grande valor pratico deve desvanecer vis-
ta das grandes vantagens.
Militares de cxcmplos mostraran! aue
elles sao do grande utilidade aosinduslriaes,
agricultores e particulares; at em todas
as expedices militares dos ltimos tempos
foram usados para procurar sem demora
agua frasca e pura, e tanta quanta se pre-.
cisava.
Em todos os lugares, onde um poco ca-
vado ou furado (pelo systcma antigo) dara
a'gua,. pde-se emprogar os pocos tubulares.
Kles facitam achar agua milito mais
rlepressa, mais cristalina,-mais fresca e
mais barata do que por meio dos pocos
cavados. <
O systema dos pocos tubulares o ni-
co pelo qual se possa obter agua perfeita-
raente pura, livre de todas as substancias
nocivas e preservada, de todas as influen-
cias athmosphericas.
Por meio de urna machina muito simples, consislindo d'um macaco, impelle-se para
dentro da trra um tubo dn ferro, cuja extremidade inferior est furada e munida
i'uma pona d'aco; e logo que a sonda mostra agua no mesmo, deve-se atarrachar
a bomba e faze-la funeciunar. Ao principio a agua lera substancias arenosas e terreas,
porm logo se clarifica, e em pouc> tempo sahir agua perfeitamente lmpida.
Outras vantagens que apresenta este systema sao:
Primeramente, a promptido'com que se execula toda a obra do assentamento, que
militas vezeg nao leva mais de urna hora, sem remoi|o alguraa de trra:
Segundo, a commodidade que elle offere-ce de ser nao somente collocado fra da
casa, como tambem dentro da mesma, com nao menor facilidade :
TercciiM, a facilidade com que so lira para fra da trra o poco sem o estragar
para o collocarom noutro lugar :
Quarto, a grande quantidade (Pagua que elle pode dar :
Quinto, a possibilidflde de tornar, uleis com po'joo traballio, por meio delle os po-+
Cos cayados que foram estragados pula arca ou por outras causas.
Precisando-se de urna grande Ijpantidadc d'agua pde-se introduzir na trra di-
versos tubos unidos uns aos oulros por meio d'um apparelho muito himples.
Em lugar das bombas aspirantes geralmente usadas, pde-se fornecer bombas de
-) cooipresso para elevar agua o conduy.i-la aos andar s superiores.
O emprfigp dos pocos tubulares sobro Inio proveitoso aos fazendeiros, que em
qualquer;carupo onde o gado precisa d'agua, os podem collocar e arrancados para sc-
rem oollocados onde mellior Ibes convier.
E' tambero de grande utililidade aos fabricantes de cerveja, aos dstilladores c a
todos os fabricantes ern geral, e com especialidade aos empreiteiros, architectos, en-
genheiros e todos aquellos que precisan de quantidade d'agua por tempo detorminado.
Este melhodo o nico para obter em-qua!puer parte agua, que seja livre de par-
tculas pavas, elle tambem proveitoso aos propietarios de casa's e jardins, tanto
para o uso diario como para regar as planteos o capim.
Pedimos aquelles que nos quizaren: honrar com suas encommendas de nos
commumear: 1. em que profundidade se arha a agua, o que fcilmente se pode vefifi-
car nos pocos ou cacimbas visabas; 2." de que especie sao as carnadas da trra da su-
perficie at a carnada que contcm agua; :j em que especie de carnada se acha a agua
naquelle logar: i. finanlmrnte a quanlidad d'agua que se pede por hora.
A collocacao do poco iea por conta do comprador olerecendo-se porm a empre-
za a emprestar o apparelho de assentamento mediante urna retribuido a convencio-
aar. a qual s regular pelo tempo que se adiar fra.
Tambem encarrega-se de mandar urna pessoa habilitada na collocac5o d'ess^s po-
cos, pagando o comprador alm do sustento e despezas de viagem (ida e volta) um
jornal previamente convencionado.
Mas para os lugares lonymquos qualquer pessoa hbil ou artsti-
ca podtrd colhca-las sem. embotara, singindo-se unidamente as ins-
truccoes que aa mpnnham as referidas bombas.
As pessoas que quizerem apreciar o trabaltio dos referidos pocos, podem ir ver
funecionar ra da Florentina, fabrica de cerveja n. 20, em Bebenbe em casa do Sr.
inajor .Vnliuies no Casanga no hotel junto a potito e no Arraial em casa do annun-
ciante.
Para encommendas e mais csclorecimcntos a respeito a tratar na loja do Sr. F.
. Oermann: roa Nova n. 21.
\mimm DMilADO
Nova loja ie calcado
JOAQUIM DAS DOS SANTOS & C. acabam de abrir um estabelecimento de car-
gado estrangeiro a ra N va n. 30, onde o pciblico encontrar ludo o que nesle gj>
aero de commercio lia de melhor e de mais gosto em Paris e Londres.
Por todos os vapores transatlnticos receberao elles constantemente remessas *
salgado novo, pelo que ter sempre o estabejecimento o que a respeito se pode eli-
gir. Ao publico em geral e a seus amigos em particular, pedera a cooperario, qu
Ibes possam dispensar, certos de que serao servidos com lealdade.
COLLEGIO INFANTIL
51Ra de Santa Martha67
US
Este estabelecimento de edoeacao, <|uo oi'cupa um grandioso e ben apropriado pa
proporciona todas as cnudi;ocs de hygiuiie e eooMBodidadcs para o inuinao dos alomos. As aufe*
e dormitorios bem preparados em vastos c maglicos saloes stiLteat plenamente aos lins para qu#
se destina m.
Os jardins e passeio permittem aos alumnos til e proveitoso recreio. A instruceao primara
e toda a secundaria, curso commercial e as bellas artes sao professadas pesia escola por illuslrados *
respeitaveis cavalheiros, que alm do legalinente habilitados, maivres consideracoes lem obtido u.
magisterio publico ou particular.
A secciio collegio iufantil, destinada aos alumnos que pela su.i tenra idade nao convm
estejam em cominunidadc com os mais adultos, est cuidada a duas ilistinctas e inteligentes scnboras.
nina portugueza outra franceza, que a par dos cuidados maternaes con) que os velam, Ihcs ciisinai*
os rudimentos de educaua mor; I, Mtlcraria o social, faaiiliarisando-os ao mesmo tempo pela praliea
as lingim portugueza, franceza e ingleza.
N. B. Dam-se ampios eselareclcieotos aqiri, na pliannacia dos Srs. liartholomcu A C-.
ra larga do osario n. 3i, ou em Lisboa uo cscriptorio do Sr. Guillierme Settc, ra do, Aiupar
n. 60.
O director da escola,
Joao Antonio de Ranos Presenqv
LOJA DAS MACHINAS
que mudou
rSITO DE PIANOS E MSICAS
PARA A
tai \ova i!. 08 primeiro andar (casa do Sr. Finio)
!a a tor nm completo sortimento dos j bem ronheradoa pianos da fabrica de Boisselot
'.., < de niiirus bous autores c de msicas as mclhores -edicSes. Todos os" eoncertos o
_. .- :*i fritos com
Toda promptido e perfeipao.

FABRICA DE PIANOS
DE
J. VlGMaES
J. Rhigass, successor
55Eua do Imperador55
Nesta anliga e bem conhecida casa, encontrar-se-ha como outr'ora grande sor-
tBento de pianos construidos expressamente para o clima de3te paiz, e Mr. J. Rhigass
*;.; trabatiado muitos annos na construcc3o de pianos em Paris, acha-se habilitado
a reparar os pianos que 'ende com todos os accessorios indispensaveis nao s sua
awii L:. como sua durado. Todos os pianos sao garantidos.
lambona ha ueste estabelecimento, grande varledade de msicas novas e dos
.tibores autores, tanto viudas de Paris como do Rio de Janeiro, que se vende mais
ttmtt do que era outra qualquer parte; assim como ha igualmente i venda lodos os
Os concertos e ainaces de pianos serao
.:-!* iwcessarfos conlruccjo de pianos.
** cota o maior zelo e cuidado.
BAYIjjus IIO USE
Salt hill, perto de Windsor.
MLLIfill CAT10LICOIIIDXA1IIIAIIS, HLII
Sob o patrocinio especial de
SUA EMINENCIA O CARDEAL WISEMAN, ARCEBISrO DE WESTMINSTER, DOS EXNS. RVMS. SR8. DR
VMHERST, BtSPO DE NORTHAMPTON, DR. GRANT, B1SPO DE SOLTHWARK, E DO R\-M. DR
WAREINt.
Os Srs. James & WilliamButt. assistidos de um capelllio residente na casa df
aptos professores, dirigem o esUbelecimento cima mencionado. O curso de cducacSr
encerra as linguas, latn*, grega, ingleza e franceza ; algebra, arithmetica, calligraphia f
escriptura;o mercantil.
A penso de ciacoenta guineos. Os lugares na capella (a qual faz parte di
casa) bem Gomo o dinheiro, que os alumnos tiverem de receber, sao pagos parte. A
penso paga seis mezes adiantada. e no caso que os pais 011 correspondentes desoja-
ren que seus nthos ou recommendados se retirem do estabelecimento, terSo a bondad
de .avisar verSo comoQam no dia 21 de junho, e acabam no fim do mez de juiho; as do Natal co-
mecam no dia 21 do dezembro e acabam no dia 6 de Janeiro. Desenho, raosica, danss
e esgrima sao ensinados por professores modernos.
A sitnago, como, bem se sabe, muito sarita: cincoenta geiras de trra per-
leneem casa, a qoal espa<;osa e commola; situada perto da eslaco de Sloogh.
orna das da grande estrada de ferro do este, (Great Western Railwav.
Para raelhores jnstroccoes queira-se dirigir aos cima m ncionados; ao Rvm. R
Conego Shepherd. Priory Street, Colchester; ao Rvm. J. Bamber. Thorndoo, Essex :
ao Rvm, John Butt, Arundel; ao lllm. Sr. A. Buller, 6, Ausn Friars. Londres, ou ara
directores os Srs..James 4 Willian Butt, o no Brasil provincia de Ptrnambuco, a Antonk
Luiz des Santos.
Acabam (le chegar grande quantidade das vercladeiras "machinas amtri >
para descarocar algodo de todos os systemas e tamanhos segtiintcs :
12 senas 12 serras
14 dilas 14 ditas
15 ditas 1 dilas
16 ditas |( ditos
18 ditas is ditas
20 ditas 20 ditas
22 ditas 22 litas
25 ditas ditas
30 dilas :m ditas
99 (lilas a5 ditas
40 ditas 40 ditas
s quaes se vendem por precos commodos. e roga-seas oessoas que dellas fizeram a-
commendas de algisns tamanhos, obsequio de as mandarem busca-las o mais breve pe*
sivel afim de nao haverem faits.
RA DA CADEIA N. 56 A_____
TAVE
CABELLEIHEIRd FRANCEZ
51Ra da Cadeia do Recife51
Chama a attenco dos seus innmeros freguezes, e do respeitavel publico era
geral, para a seg-iinte tabella dos precos de sua casa, os quacs s5o vate por cert
mais barato do que em outra qualquer parte, comeando no 1. de dezembro:
Cabelleiras para senboras a 2o;>,
305, m e......404000
Ditas para homem a 35$, 405 e 50-5000
Coques a 12,?, 15^1, 18& 200,
25,?, 305 e.....50)000
Crescentes a 12;?, 150,185,205,
255, 305 e.....325000
Cachos ou crespos a 35, 45, 55,
65, "5, 83, 93 o. 10>000
Tranca de cabello para annel a
500 e....... 13000
Tranca para braceletes a 105,
155, 205, 25 c 305000
ASIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Bailes e solres
O dono do estabelecimento previne- s j Recoraraenda-se a superior TINTURA JA-
Exm3S.-Sras. e aos cavalheiros quo ha um. l'ONEZA para enegrecer os cabellos e bar-
salo para tintura dos cabellos e barba, as- ba- unica admitda na Exposico Universal
, como n?lo prejudicial sade, por ser vo-
sim como um empregado somente oceupa- i^i, analvsada e approvada pelas acade-
donesse servico. _____ mras de sc'ioocias de PARS E LONDRES
. AGTNEGRA"
Cadeias para nelogio a 53, 65, 75,85, 93, 120 e. . 15r?000
OO
Corte de cabello com frieco. . 500
Corte de cabello com lavagem a champou...... Corte de cabello com limpez da iioee
cabera pela machina elctrica, nica em Pernambuco. . A50t
Frisado ingleza ou franceza. 800
2K1
j-^Otanii^rrja
T^5^
rjM rMi^~mmm*mmi*
'^-

ARMAZEM
XPOSICAO DE LONDRES
60RA DA CADEIA DO RECIFE60
RA1DB LIOUIDACAO
PARA ACABAR RESTES DAS
O prnprieiario deste estabelecimento tendo de partirfmuito breve para os Estados Unidos e Europa, faz completa liguidacSo nestes das, \
as e janellas cobertores ingle es finos, calcado de pao, hijoterias d'auro de 18, romo nseui d brilhaotes, aneis, oculo, lunetas, traoceli
<1A IIIO fifi mri almn/n Kan/iftiio atr norfumiric Aa Atiinraniac fi Kri-'^ntuc HifFurAnfaa AhUlnkan >:>. _. ^^ ..fn!4n. .___*.
I
MAUlADOa-C.
oo
Esta nova loja de miudezas a ra do Cabug n. 8, vem fazer sua apresenJat*>
So publico esperando em breve ter freguezes. E>ta loja ter constantemeule por eo<
inleresses o csuBodo de seus fucturos fr.'guezt*. comj>lte rtiiaento dos-ob"Ct*.*s
mais procuradas neste mercado para o que estando ligail* por intere$t a ua a casa
importadora desta praca tem frito encommendas oo artigo t*peciaes como os qoe aba;;
xo descreve paro a nomenclatura delles reclama att.-ncao das pes*a que precisaren! -
-amas
para acabar ; como
Uancelins etc., appurelbos
YiYHit'i
l4ros. ricas caixae para retratos, ditas com cheiros propias para presentes, mesas de charlo, bandejas de dito Estampas finaT'pra "quadros I
' ra almofadas dita para tapetes e para deitar vasos em cima da mesa, relogio para cima de mesa, de parece e de miro para algibeira stereoscopos de diversos
smorama, lanternas mgicas para divertimento em salas, qnadro com finai figuras de porcelana, ditos com movimentos, figuras bronse.adas para-enfeites de mesa
para se tomar banbos no mar jm rio leDeos de linhos fiaos para algibeiras, ricas gravatas de seda, varado sortimento de iudezas e brinquedos para enancas
is, camas de ferro de diferentes tamanhos, lavatorios, stereocosnos. cosmoramas etc. etc., quesera patenta ao comprador : e muitos outros rticos ana se veudarao
,aeu.i* tanlo para mteiramenta acabar, no armazrm EXP08ICO DE LONORE y ik< I4
Lindos coques enfeitados,
Meias para senhoras (o mollior no ge-
nero).
Esportilhos hygienicos.
Lindos jarros para flores.
Tancas e sapatinhos de croch,
Entremeios e babadinhos.
Facas garfos e colhe'res.
Caj-tenas e saceos para viagem.
Grinaldas flor de larangeira.
Ramos para o peito.
Vwporae (caixa de Jacaranda)-
Aderecos do camafeo.
Filas brancas com inscripcoes de casa-
mento?.
Chapaos, toucas e sapatinhos do seda
para bapiisados.
Vestuatios completos para mesmo ia.
Toalhas de labiriniios.
Oillarinbos, putilios e gollas bordados
Brincos de azeivihe montaxlo em doura-
do artigo que se confundo com o verdade-
ros de ouro c garante-sc a perfei?ao a dn-
rag3o,
Cintos largos e fitas para o mesmo fia;
Ricas filas com os necesario para cin-
tura, v
Lindos albuns para retratos.
Computo soriHwnso de flores, pprfoma
ras dos m-dhorea fhbrcsntas a muito
outros. artiga que nao podanas emiHoe-
"r porque t^aaws mu eepar* H*i*Mto oo
D'ario,' poresa os nos>8 frejnuzs lerl>.
toda? as quiiSHias listas de novos ailifos.
Agnia NegraRa do Cabuga n. 8.


Diario de Pernamhuco Sexto (eir 10 de Dezembro de 1869.
5
i
<
LEPHANTE COM BOTAS
GRANDE ARMAZEM DE PIANOS, MSICAS E INSTRUMENTOS
ANTONIO JOS]! DE AZEVEDO
N..11-RA NOVA-N. 11
Partecjpa ao respeitavel publico desta cidade e das mais provincias visinbas, que o scu grande e bem acreditado armazem do instrumentos para musi-
(), acaba de chegar um grande e esplendido soitimento de
FLuros

O gira ta de mais moderno, do teclado ixo e mobile, e com tran-posiro ou sem ella, de autores os mais acreditados nesta cidade, coirfp sejam : os
ros e bem mohecidos pianos da fabrica do Sr.
de Paria, de qnem o a.inunei.nie e o nico agente nesh cidade, como prova com o cocumento abaixo transcripto c assign.ido pelo -dito Sr. ftiondel. Estes pianos, fabri-
cados especialmente para o clima deste paiz, sao os nicos que olTerecem urna garanta segura de sua durara). Ellcs s3o squi bastante conbecidos desde 18i, para que
seja r.ecssario insistir sobre sua superioridade. As suas voies sao muito flautadas e melodiosas. Efles possucm um teclado que se presta a todos os caprichos do
cultores pianistas.
Todas as pessoas que compraren pianos 'testa casa, lo rogadas a exigirem o certificado de- origem assiguado pelo Sr. Blcndcl. afim de provar a sua
cut neniado do numero de piano com o de certificado.
O Campo? d;i ra do Imperador o. 28, leudo
reunido ern sea oSfabctecimento um grande c va-
riado sortimento de .'eneros proprios do lempo de
resta, convida ao publico em geral, o os scus nu-
merosos amigos o fregnezes a virem visitar o men-
cionado riUbrifflmrnlo. deixando de mencionar
genero p,fr genero para se nao K rnar por demais
enfadonln nos seus nnuncios, assim como alian
ca aos que quizerem Innrar lo cun a sua fregu
zia, que eiieontraiSo sempre sincoridade e promp
tidao.
Aluga-se urna casa com grande quintal, con-
tendo Isaas, 3 iiu'aitoa, Cozinna lora, com grande
copiar (Ora, ciliada e pintada de aovo, confronte a
casa do Sr. Paulo Jos Gomes o sitio do Sr. loifl
Jos da Canda Lages, na Capunga, ra da-; Criou-
lasn. 28 ; assim cemo urna r.-ulra casa no Poco
da Panella, ra di Rio n. 25, eontendo 2 salas, 3
.quartos, cozinh.i lora e grande quintal, caiada c
pintada de novo, muito pfopria pura passfa a Tes-
ta : a tratar na travessa da Madre de Dos na
mero 18.
i
Aluga-se tuna mulata j de Hade p*ra levar
meninas escola s horas do costurne : a traa
no sobrado da sala de danca no largo do S. Pedro.
AO PUBLICO
Mr. Alpbonse Rlondel, fabricante de pianos em PARS, declara ao rcspeitavel publico de Pernambuco, que o unico deposito de scus pianos na cidade
de Antonio Jos d-i Azevedo. Outro sim que te dos os scus pianos iro accompanhados de um certificado de origem assig-
di Recite, a* RA NOVA N. II, armazem
nado por mim.
Pars, 2i-.de'julbo de 18G9.
(AsssigD*4o) Alphousc BIoinIcI.
O anuncian e tambera troca e aluga pianos. tora o maior e mais explendido sortimento de novas
MSICAS PARA PIAMOS
As quaes recebe directamente da Europa e do Rio de Janeiro: das arrediladas casas dos Sis. Felippone A Tornaglii, Narciso, Artbur Napoleo & C,
i: 'i'aubcm tem grande soitimento de papel para msica e desenho ; cerdas para todos instrumentos, ricas gravuras e quadros para ornamentos- de salas, oleados para
assoalho de salas, ricos espeios domados, quadrados e ovaes, caixinbas de costura c.m msicas e sem ella, estajos para viaj? m. _r. logics com despertador, vidros para
espteos do todos os lmannos, talagarca* las e agulhas para bordar, e muilos outn s artigos quo o rcspeitavel publico encontrar sempre neste armazem, o qual estar
) lodos os dias at s 9 horas da noite afim das Exmas. familias poderem ir apreciar os seus pianos.
Na pasca da indc-pendencia n. 33 se da di
nh'.'iro sobre ponhorea de ouro, prata e pedras
preciosas, seja qual fot a quantia ; e na mesm?
casa se compra c vende objectos de ouro c prata.
e igualmente se faz toda e qualquer obra do en
commenda, e todo e qualquer concert tendentt
mesma arte.
Precisa-se do uina ama para comprar e co"
zinhar : na trave.-sa do Vigario n. 3, 2o andar.
AVISO.
J. Ferrcira Villela.
PIKtTOttit.tPIIEA KWPERIAI,
18A RA l0 CABUG----18
-I entrada pelo pateo da matriz.
Esperamos que os trahalh >s de. reedillcaco desta
phutograpliia que j duram corea de oVz mezes,
: n acabad is ai a primara quincena Jo mal
mbro prjimo fui uro.
O [?relio c;n (no est eoitocada essa puotngra-
aeh i-aa mu augmentado, e s a parte desti-
nada ao estabelecimento onla cinco salas, inclusive
as do laboratorio. Todos os uoaeerlos e augmen-
tos tendo sitio feiloj expressamente para se montar
convenientemente a pho ograpliia, e nao se poden-
do iii'lli< modelo cseollier do no a l'ltnlographia
mpert do Sr. Insley Pacheco do Rio do Janeiro,
o prneiro puomgrapho do Brasil, e un jos pri-
raeiros do niund >, segundo a opiniio dos mais
.inusados mostr?, a nossa pbotograpliia aeha-se
dtsaaHa c reedificada p.i'o mesmo plano da doSr.
I. Pacheco, a qual foi montada tob tudas as regras
recoiomendadaa pelos mais disiinctos professores
i'.; acord com as modifleages necesarias ao clima
do iasii, reeonnecMas o estudadas pelo habilsi-
mo o pratieo Sr. I. Pacheco.
Todo o interior do predio em que est a nossa
phot igrapbin > mudado de-Jo a soleira da porta
da roa at a coberta tendo-so demolido todas as
preles interiores para so fazorew as novas satas,
ediAando-se un novo leiraeo envidraeado mui
elejMlo.
O rao sabido Qzemos umaviagem expressa-
monte a corte para examinarmos as melhores
pbotugraphUs d'ali, c foi a do Sr. I. Pacheco, a
que mellior correspon leu aos nossos desejos e
;; ;i!.o;oes, e da qual trouzemos os planos depois
do ali estarmos todo un mea estuuaudo e apro-
veiUndo as liCjbes do to dislincto mostr. Pen-
saiiHij quo juntando os nossos estudos e longa
ortica do lo annos de photograpbia as uiilissimas
iie s ultimamento receidas do Sr. I. Pacheco,
tendo montado a nossa pbotograpWa como se
a 'ha, poderomoa, apenas encelar os nossos novos
ir.iballios oBreeer ao Ilustrado publico desta
cidade, o aos nossos numerosos fregnezos traba-
Itios do pbotgrapbia lo perl'eitos como so poder
desejar, e disto convencidos esperamos que conli-
nneni .i dispensar-nos a mo i 15 aunos nos tem honrado e anidado.
LIGA
.Viuda est para alugar este grande ar-
n azetp, a na Nova n. (50.
Auga-sc
ama casa em Deberibe : a tratar com J. I. de M.
Reg, ra do'Oommercio n. 34.
- I'nxisa-se tallar com o Ilim. Sr. Dr. Fran-
i- i Luiz Corrcia de AnJrade; ni ra da Gloria
K. 19, ou declare sua morada para sor procurado.
Ama
l'rccis.'wsc de urna ama pira comprar e cozi-
Bhar : na na Diroita n. SS.
Aluaa-se, vc-ndo-se ou troca-se por oulra
piopri&l-.do na cidade, um sobrado na Inpunga,
ra da Ventara, a boira do rio ; assim como se
aluga na mesma ra urna casa terrea grande, loda
pintada de ovo n. 2b, na esquina : quem as pre-
tender dirija-se a mesma ra ua mciagoa o. 2i,
que dir onde de Ahiga-se unja casa na roa do dinvello n.
I : trata-seno 2o andar do mesmo sobrado.
Sahio luz a co..ee$o
d; varios rogulamcntos de impa-tos altera-
dos e creados pela lei n. 1507 de 26 de
seternbro de 1867.
c caipreheudendo os, de pessoal, cscravos, indus-
trias e pniflssoes, sel|o (organisado alphabetica-
mete, explicando cada acto a que sello est su-
jeito, se se d*e emprogar eslainpilha ou verba
no primeiro caso quem deve iuatilisa-la). trans-
tnUsio de propriedade, dizinla do chance!larin,
emolumentos, multas applicadas faienda publica,
etc., etc., o ea app-3ud:ce o do cofre do depsitos
pblicos,
notadas com as
in-tniecoes e d^cisoes posteriores at a
presente pubiieacao,
por
Fraaeiseo Aiign*'' de Almeida,
1* escriptarsrio
di reeebsdori do P*rnambaeo :
T.mde-se na roa estreiu do Rurario n. 12, ais.
rorna-se de grande ntdidade a> flra. ndvep4o>,
solicitadores, awmoiale e anecionarios pnbBeos,
a acquiskao deste trabalho. Aqiifiies que assig
naram e n*> recenafaa^awBOainaaa'. padaia ra-
cluii !i-na mesma casa.
C/2
GOMES DE FRITOS IRM0S
tendo feito completa mudanza em sen antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manh&a s 9 da noute na
RA DO CABUG N. 4
onde encontrarao un completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes,* esmeraldas, rubins e tudo que em obra
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de novos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto anula nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
a qualidade dos objectos vendidos.
CXi
0 MUSEO DE JOIAS
E PECHINCHA
Lindas cassas francezas e oigandjs de cores, pelo baratissimo preco de 500 rs. o metro, que corresponde 320
o covado: na loja das Columna*, na na do Crespo n. 43. de Antonio Correa de VascocceHos.
Joaqnim Pereira Arantes, com loja de calcados
na praca da Independencia ns. 13 e Jo, ropa a to-
dos os seus devedrres do contas antigs que vc-
nham papar ato n fim do anno correntc, sob pena
de, passaudo ss ferias, entregar a seu procurador
para recebar judicialmente.
Alaga-se dual casas na 'na do Retiro (jun-
to a ponte da P.i-s-,i?eii da Magdalena), lugar mui
sadio e fresco, una delta do bastantes eotnmodos,
tendo j banhoiro frito para se tomar banhos; a
tratar com o Sr. Luir Mannel Rodrigues Valonea
ra das Trincheiras n. 50, J" andar.
Algo mas casas que precisaren) de urna en-
gon madeira, ~que engnima bem roupa para
homem o seimoraa : dlrija-se a ra de II rta<
n. 0, que Serfio satisfatoriamente servidos, qner
na poroieiio do trabalho e quer na commodidade
dos preQos.
ATTENCVO
Xa ra \ellia n. 34 precisase de ora criado
ascravo cu livro para carregar comedoria e fazer
ornis serviro de urna casa, pagase bem
Ama.
Precisa-se do urna ama para comprar e cozi-
nh.-.r: na ra da Cadeia n 18. 2' andar.
55~Euado Queimado5o
A VERDADE tendo em deposito grande
quaniidade de miudezase perfuniarias, e de-
sejando apurar dinheiro e adquerir b6a &-
Ruezia est rssolvida a Tender muitissimo
barato, ; por essa rjtffaconvida ao respei-
tavel publico a vir Cm enleniento muni-
do a sortlr-se do boSHawato. Pois quan-
do a Verdade apparece, tudo mais des-
appatece-----
iipnde sortimento de boner.os de cera e
Hk mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
lAbotfi'dnras moderuns pra eol-
letea....... 320
Espelbos donrados p'epnenos.. 260
Agulhas de osso para crox a 200
Pentes para regac com esntas a 320
Ricos "lobos para candieiro de gaz a 1#800
Chdiiiincs a....... 320
Grande surlimento de objetos de
louca para hrmquedo de menino JOO
Garrafa com tinta a..... 800
ita com agua llorida verdadeira a l30ft
Dita com dita dita a 16000
Frasco com oleo de babosa a Wfl e
Dito com agua de Colonia a 300 e JJOO
Garrafa com agua divina a. 15.'00
Frasco com extractos linos a 16000
Latas pequeas com banhi muito
fina a 12i'o .
Sabonetes de diversas quali iades a
80, l0,20e.....
Finas escoras para denlos de l-'O a
Lindos coques modernos a. .
Pavios para gaz, duzia a 240 c .
Escovas para fado a 5?0, 000 c
Ditas para cabello a.....
Petitcs para tirar jiiolho a IfiO e.
Brincos de cores, bonitos a 160 e
Pegas de tranca de 15a com 8
varas por.......
Oleo para machina de costura,
frasco a........
Peonas d'aco finas caixas a 800 e
Dita d*ago Pony, caixa a. .
Galn ele algorta'o pega ....
Lindos habadinhos e entremeifs
peca de fjOO a......
Ditos de louca moito fino a 120 e
Ditos para caiga a 160 e. .
Caixa com papel amizado a. .
Ditas com cnvclopes a. .
Ditas com obreias a.....
ATTENCAO
0 abaixo assfgoado, encarregado pelo propie-
tario do sitin Agoaiinha, em BeberitM, do rctalha-
mento do mtsmo siti"', por ter sido dispensado
des-e servieoo Sr. Luiz Antoni > da SikeiraTavo-
ra. pode ser procurado pelos pretndanles aos lo-
tes de trras que retam vn:der-se, ra do
Imperador n. 27, lg andar, eseriptorio. Aos do-
mingos se encontrar para qnaesqaer informaees
naquelle sitio engenheiro Antonio Feliciano Ro-
drigues Selle.
Recife 0 de dezembro de 8t9.
JoaoTihnrrio da Silva Gnimares.
ICO
.32^/
600
J^OOO
3C
700
B00
2M
20C
80
60C
I/JOOC
lOO
400
:
200
240
7t-r
480

230
100
50(>
280
AMA
Precisa-se de urna ana que soja boa cozinhei-
ra, e que tenba a necesaaria habilidade para ser-
vir em casa de homem soiteiro : na roa da Cadeia
n. .'9.
Olinda,
Aluga-sa una excellente casa para grande fa-
milia, na ra de S. Rento prximo ao pateo de S.
Pedro-velho, ondo pasoa a festa o Exm. Sr. Dr.
Braz Florentino : a tratar com o Julio da botica,
ou no Varadonro com o JoaoCoelbodo Rosario de
Maria i Jezus.
Casa para alugar
Aluga-se nma casa na povoacao de Apipocos :
a tratar na tinturara franceza ra da Impera-
tnz n. >').
COMPRAS.
nmm i
EMPRESTIWO SOBRE?
Ama.
IVo.'isa-sciieuma'aiu; na ra do Vigario n.
33, i' andar.__________________________
(SEM LIMITE.)
Na travessa da raa
das Cnizes n, "2, pri-
meiro andar, da-se qual-
qner qnantia sobre ouro,
prata e pedras preciosas.
0 dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, esta as condig^es de ga-
rantir a transacg5o que se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
o considerado s pessoas que se
dignarem de bonra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
e brilbautes.
mmmmmwmi
COSINHEIRO
Precisa-se do um cozinheiro que seja perito para
casa de familia, prefere-se eseravo : a tratar na
ra do Amoriin n. 39.
Ama
Precisado de urna ama que compre c eozinhe
para casa de familia : no Ciirredor do Bispo n. 23.
Precisa-se do una ama para todo o servico
do (asa : no largo do Forte do Mallos n. 23, ou na
Capunga, ra da Amizado u-. 40 e 41.
O Sr. Manoel Salazir Schiappa Montoim tero
urna caria no esriplorio de Bailar, Olrvejra & C,
na do Vigario n. 1._______________________
Boa Viagem.
Desoccupa se urna casa naquella povoacao logo
que baja quem queira aluga I, no local mais
Ama
Precisa-se de urna ama para cozionar : a tratar
na ra do Crespo n. 18, 2 andar.
Gaixeiro
Precisa-se de um eaixeiro que tenba pratica de
negocio, e qnc >\ fiador .na condneta, para loja
de cateados,: na rwa da Imperatriz n. 10.
Em casa de THEODORO CHRIST)
\NSEN, ra da Cruz n. 18, encoatram-s.
ale-re, toiu 1 quartos, )uuitai cercado e baniieiro: eflectivamente todas as quadades de viob
a tratar na ra Direita n. 85.
Bnrdeaux. Bonrtrorne p do Rheno.
Tendo desapparectdo da estaca o das Cineo
P.mtas, no diaeguada-feira d de dezembro, urna
bolea j usada, coaten Jo um paleto, sacco de me-
rino preto, urna calca e um e illete de casemira de
c r, um l<-n o de linlw, um par de sapalo de tran-
ca, urna cainisi com abertura de linho, e nobolfo
do collete lem duas sedulas de t009 : paga-se
generosamente a quem levar ra ! n. 66.2 andar, ou. rita de H irta* n. 4.
= Deseucaminbou-se ama narrea eom pedras
decores, quo mu preto condpzia : roga-se apee
aoa que aliver em seu p >der, o favor de avisar
na botica do Sr. Barbosa, ra da Cadeia n. di
que se Ihe fiear agradecido. __________^^
Para eseriptorio.
Precisa-se alugar urna sala na ra do Impera-
dor ou do Crespo : quem tiver c craiaer alugar,
dirija-so a na do Queimalo n. II, loja.
ATtJGSrT
e veade-se tambem a casa terrea sita na .cidade
nova de Santo Amaro, com bastantes commodes :
a tratar com Antonio Jos Gomes, Jnior em San-
W Amaro.______________________________
i Praoin-ec de urna "nade loit para acatar'-! O Sr. Alencar, utficial de joizo, que
de criar ama menina: a tratar na ruarDIreitan. foj ou ^ qe dizeni achrf-s* preswitemen-
a'_y^_ __ te rpMdindo cnt Gamellfira,
COMPANHIA
Per ligueiro
P'i-deu-s um r.aeherro perdipueiro, de sext-a
f ira pra (atibado Ja fvnwna |ia=sada, d>- cor p-
tliez, rom grandi-s orelhas e nn ochas cor de caf
.M>i.ro as cortas: ape-s.>a que o tiver agarrado,
|, le .v,i-l i ra. Soya, lq|a n. II, que ser bein
recom lensail.
- Precisa se alugar urna wen que
sair.a coaiubar para f-mi a. a tratar na the-
sourari das loteras, ruailo Crespo n. 15.
livro perdido.
lima pessaa que foi onvir inissa na capella do
eimiiteriii, oVixa flear no carro que a conduzio,
um livro de orajo>s ; se der >s signaes do livro
na c .cheira da ruado Sol n. 2o ser-lhe-ba res?
nido.
DOS
TRILHOS^RBAWOS
I1ECIFK A9 OIIVIIA,
Curapra-se ti aves com o comprimento de
10, 2 e 30 pabilos, e 7 1/2. 8, 8 1/2. 9
[lollegadas de grossura equina viva, das
seguidles madoiras : amarello, oilicica, Si-
cupira, e outras raadeiras de reconhecida
duracio para o cha ; a tratar no eseripto-
rio da superintendencia da coapanbia
ra d'Aurora, ddS 6 horas da manbSa s
i da tarde todos os dias uteis.
Esr.riptnrio da companhia, 6 de dezem-
bro de 1809,
Superintendente.
Andr de Abreu Parlo.
Aluga-sH a ca--a n. 5 sil roa do Socego !
a tratar Ba raa dos Prazeres n. 50.
.. queira vir ou
tiof IXZ ^^!m^ar dar soto^ j$obre o ^postosda.
Aaugaiu-se o 1
10 da raa do
para familia : a tratar na ra de Henrique Dias,
conlierida comrtrua da Estancia, casa n. 4.
Precisa se de um copeiro : na ra do din-
mereio n. 17, Io andar.
Da-se 50|i}y0 de gmdfica-
qJIo
Fagia no da 29 do prximo paseado mea a ea>
erara de nome Berbdez.i, idade 25 aonos, pfiuco
niais ou menos, eer parda, cabello^ earaptnhos,
pernas grossas, pfo areos, dedus das pe e das
maos ciimpridos, seio paqawk, belees i'awo-',
bocea regular, anda muito ligavo. bwo fe'Pte.
levou ve tido cat>ea8 M labyrintbo e saiattiabem,
ambos hrancos, tem um signal de um antraz na
noea, dladodir*>ito oo waaiwdw : rTi>i, p*-
tanto, u autoridades poHrfaea e eapitles da ran-
po a laBpranantin da mesma, tova-la ao Reme-
dio, casa do abaixo assignado.
Antonio Menelles Cordeiro de Gnsmo.
carro ;as que se auAdou pagar pelo Sr., e
at o pratento BSe tem apparerido-rom os
dowuBentos ; deseja-sa o30 watiunar com
este- amiuncio p")n*s dias. ______
Attengao..
Na travessa da r.na do Rang.l a 49 vendem-se
baua das ultimajr djwmbarcadas a H o gigO.
egarante-se urna aurofea cada gigo : na ra do
Jftufieln 49. t ibera.
Aluga-se
jutj'Uua. i vk
Compram-se e vendem-se diariamente para fra
i dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sesos, com tanto que sejam sadios: no
terceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cruzes,
freguezia de Santo Antonio.
60C
100
I u
:jvO(v
Caixa com agulhas fundo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para costura a 2iOe
Caixa com linha de marca a .
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........
Cairelis de IinhaAlcxandie.de 70
at 200. .......
Grampos milito finos com pasa-
ros, duzia a......
Cartas portnguczns, duzia a .
Ditas francezas a 2,5200 e .
Papel almaco e de peso, resma a
35400. 3#500 e .
Lita muito fina para bordar, libra
Fita de algodao para debrum. de
sapatos, peca a.....
Ditas de 13a para debrum de ves-
tido, peca i ...... .
Pentes finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240. 320 e......
Ditos para aparar penna a .
Rosetas pretas, par a .
Tranca de 13a d^caracol peca a 40 e
Fita de coz peca a 480 e .
Alfinetes de latao a.....
Sapatos de la para enanca a 400e
Gravata de sedas de cores a .
Calcadeiras a.......
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio de borracha por
IOOreis! !!!!!!
\a Verdade ra do Queimado
n. 55.
6*0C
k;
180
321
Kor<
100
100
100
560
100
800
20
80
A 3^000.
Cli verde do excellenle qualidade : na botica
boincep. tilica da vi uva do Dr. Sabino O. L Pir.l
ra Nova n. 43.
Compram los os valores, ouro e prata em obras inutilisadas.
brhantes e mais pedras preciosas : na loja de
iiirives do arco da Cnneeicao, no Recife.
0 muzeo de jqias
Na roa do Cabug n. 4 conipr-se ouro, prau
e pedras preciosas por presos. mais vantajosos de
ue em cmtra qualquer parte.'
Com muito maior vantagem compram-se
moedas de ouro e prata : na loja de joias do Co-
racaode um n. 2 D. raa do Cabng.
Compra-se cobre, na ra do. Queima-
do n. 49. RIVAL SEM SEGUNDO.
HOJE libras sterlinas e ouro de tudas as naces,
assim como prata. por maior preQo do que em
oulra parte na rna da Cadeia do Recite n. 58.
loja do azulejo.__________________________
X}pmpra-se
na ra do Hospicio n. 38 urna esrrava coziulieira ;
a na nesiiia casa precisa-se alugar urna escrava
para.wdqA wwiy.
NA IMPKKIAL
fabrica de cerveja dos Srs. Henrique Lei-
den A C rna do Sebo n. 35,
cnm^ram*hapD:irrafas vastas proprias para-vinhn
ou ctrveja p>r molr preco do que em qualquer
utra parte.
o 3 andar do sobrado n. 8 a roa da Imperatriz :
a tratar com J. I. .de M. Rfgo, ra do Trapiclw
Precisa-se alugar
pagarse beni : na roa
imira
um moleqne, agradando
do Comiwvcia 3, pr-
Ama de leite
Preesa-se de nma anlu bom atto-
danto leite: a tratar na raa do Hospicio n. 47.
AVISO
Preetsa-se de-tm-ettor para mu sitio, qoeen^
tenda de jardn e-nata plants^Oes : a tratar no
O'rrador da Btspo M.
ffirixeipS
Prte4saaadonncaiatif(To# tenha pratica de
taberria M tttr dm eeednrta, pn f -riiido-se
aaHeiro : a tratar na ra Imperial n. 47.
Liq[Q(la?a5 de fnzendas ba-
ratas
No armazem da rna^Nova n. 4^, vendem-se fa-
zendas por nrejos, baralissimos Dar acabar, co-
mo sejam. hit.-n largas em perfeilo estado a "zO
rs. o covado, peca* do algodS'-zinho milito barst,
litas.dojnadafMda, laaziobas baratisstaaas. cami-
sas francezas e wfoaas, I.al.itot de |>anno Ono a 15*. cJIetes de casinnr:
a 4#00. e nntrns moHN ar-iRo< baratissimos que
se esiio aeatwiwR A ellas, que nechinrba. viole
mil raras de cambraias de cores de lindos pwlroes
a 440 rs. a vara, lateada que todos vendem a
700 rs. ____________________
- Vende-se oi tenjo de Jacaranda com pouco
PARA A FEKTA
3 portas, 1 ja de fer ftrem
53~Rua Direita-53
Ncste pranue cstabeleciraonto, lia para vender
nm completo sortimento de ferragem, e miiidi z i-
finas e grossas, como sejam bandejas chinezas
quadradas e ovaes, facas e garfos ae I -JH>o-
toes, balan inteiro e I/ balance; panellas, cba-
Iheiras, eacarollas, frigideiras, assad'iras, lar!
de ferro como de porcelana, nininlios para raf'- d
diversos tamanhos do fabricante Japy, pesos tyla
graimos, tanto da ferro como de latan, metro:
para medir fazenda tanto do forro como de lati,
salitre, bre, barbante, enxufre. papeJ marca va-
do, do vprdadeiro Picardo, machinas para desea-
rocar algodao; ali^m de outros artigos de ferra-
gem, miudezas cuidaras Tinas, que sc-in a vis-
la se veriflra ; na ra direita n. K3 loja de 3 per-
las de Manoel liento de Oliveira Braga& C.
Vende-e na rna da Aurora n. 26, um ca-
briole! com molas fortes, bom uso, com arreioa <
por mui mdico prego.
Vi-ne-se na na la Pton*rtina n ?8. inn c-
digo rommercial hra*ileru, ultima edicao. m bom
liso, por nv'trde do pie se \ende nas Iojhs.
Vndese uu dado 18 annus, boa epg miiodrira, roamb:
e cose cbao. um mulato, bun pafem, e para u-
o servico, de idade20 anncs.on esrra^o de idade
24 annos, mgomnia bem o cozibha ptr l:;(i
urna dita de idade 20 annos para lndt> ni'
orna boa escrava de nscSo Cesta fm habilidade!
ptima conduca e !< iuiii lifiu. i;n t> m rS r. <
idade, muito bi1! b
na travessa do Carino i

a taberna da traversa da raa daa Cmzes ji. 41
qnem pretender, dirija-se mesma, qae achara
com onem tratar. ___________________
Vende-se a taberna da rna da Concorda .
9o : a tratar na mesma. O motivo se dir ao com
prador.
Sevada
Vende-se
roba.
na ra Diroita n. 30, a 3/300 a ar
Vende-se
um sitio em Sant'Anna com 140 taime* do Arrufe.
rom hasiaiUi^s fundos,que liutam para o t'-rren d'
Chacn, tendo arvoredos e terreno fresco : a tra-
tar na ra das Trincbeiras n. 94, a qualqnex hora
Jodia.
- Vendem-se dous fUeirbs e *>us candes par*
dino.it-, e um pequeao, u balcao de U paliaos,
ludo em bom estado : na rna do Amorim n. 34.
Vend* se tres lotes de trras rus ras .Mi-
ma mente ;b'Ttf.s n'Agua Kria de BeJieribe. on*.-
hreve passar a linha terrea, etijo* terrrtBfljsa"
de 4W> nalmos na ra dos Clrigo" e de TW-ea
na de Sarrt. Ant.W, spda.if roa 440 palmo-
nroprio para capim oo bwtolic- por. :e; na*
Ima h.iixa < f-ca em Mo o veraj: a fai-aj s*
ra dasTiiucheiran 50.
*!
i


6
Diario de Pei-nambuc gexla eira 10 de Dezembro de 1869.

LIQUIDACO
SEIM IGUAL
O nronrietario do armazem de la/cnHi; ,i,m.,m;n.i., tumi _... i~
-, n _, Poetarlo d armazem do fazendas denominado ARARA, ra da Irapera-
jten. 11, declara aojwpoitavel publico cseus freg.iezes, que est liquidando todas as
azena, e roupas I kque tem em. sen estabeleeimento como se poder ver no scu
innuncio e proco IBP mencionados,
Cliltasfranelas matizadas AlgodSo enfestado 900ra.
Vende-se chitas francezas* escuras matiza'- i-JSVfnS1? ej8tad proprr0 ^f
.las a 30 rs. o covado por este preco *An, S 0 l.0f"-.n ^ rs- merr. dlt0
toja da Arara, ra da imperatriz n. 72." TmT '* melr0-
LAAZJNffASA aiORS.
Vendo-se laazinlias para vestidos de se-
a&ora a 240, 280, 320 e 400 rs. o co-
lado.
BAREGES DE [k A 500 RS.
Vende-se bareges de 15a comlistras para
vestidos de senliora a 300 e 640 rs. o
ovado.
Alpaca* de listras a SOO rs.
Vende-se alpacas.de listras para vesti-
dos de senhora a 500 rs. o covado.
CHITAS FRANCEZAS A 289 RS.
Vende-se chitas francezas claras a 280rs.
o covado.
CORTES DE Lia PARA VESTIDOS A
2i00.
Vende-se cortes d 115a para vestidos de
senoras a 2;$400 cada um,
PRCALES A 440 RS.O COVADO.
Vende-se percales -imito finos para vis-
ad do senhora a 440 rs. o covado, raur-
solinas brancas finas, a 500 rs. o covado,
orhantinas de cores, a 440 rs. o covado.
Kaloes moderaos de todas as
cftrcs.
Vende -s balites moderno sbranco ed
r;sa45. 4,5500 e 5$.
COBERTORES DE ADGODO A 1*500.
Vende-se cobertores de algodo if300,
sobertas de chitas a 10000 e 25 cada urna,
GANGAS PARA CALCA A 320 RS.
Vende-s ganga para calca a 320 o cova-
do. brim di* cores para calcas de hamem c
tneninos a 400 rs. o covado, casemiras de
res para calca e palitots a 25300 e 3>,
-, covado, meias casemiras enfestadas para
Chales de merino *?.$.
Vende-se chales de merino estampados
a 2!, chales brancos e de cores a 15000
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
. A 640 RS.
Veiidc-se urna grande porc3o de cortes
de brim castor para calca de homem, d 640
rs. cada um.
Cirande poreo de retalhos
Vende-se grande porcao de retalhos de
chitas c cassas pretas a 160 e OO rs. o
cova lo, retamos de cassas, la e chitas de
.cores baratsimos.
LIQUIDAN A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brim de cores a 25,
ditos de alpacas de cores a 25, di'os de
meia casemira a 25 e 25300. ditos de pan-
no prcto bom a 85 e 105, caifas de algo-
do azul para escravns a 640 rs. ditas de
algodaode listras a 800 e 15, camisas de
nlcado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
tes do brim c fustao de cores a 15 e 15500,
coleles de cesemira de cores a 25500 e 35.
e outras militas qualidades de roupas eitas
e co-^ quo se vende por baratissimo preco.
Algodo de listras a OO rs.
o corado
Vende-sc algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECV DE ALGODaO A i&.
Vendem-se pecas de algodo 45000,
5.5200, 65000 3 75, para liquidar.
saldes de arcos 1#500.
Vende-se bales de arcos para senhoras
: AS IVAS SEDAS
11-BITA DO QUEIMADO-.il
Chegarara da Europa pelo ollmo vapor loja de Augusto Porto & C. ricos
artes das mais linda sedas de mimosas cores para vestidos proprios para bailes e casa-
montos.
Grande variedade de sedas de listras de diversos precos todas de lindas cores,
gorgurao de seda preta, e grosdenaple do varias qualidades e gorguriio de seda la de
din renles cOrcs.
Novos vestidos brancos de blond para noivas, lindas colxas de seda para camas,
ditis de la e seda, cortinados bordados para camas 6 janellas, fronhas e toalhas de
cambraia de linho bordadas.
Lavas novas de Jouvin.e elegantes sombrinhas de sedas de cor para senhoras.
i EsParl'"10s d ^5 at J04, lindos bournous do cachemira de cor para sahida
de baile, basquinos do renda preta, e ditos de croch.branco e preto para senhoras.
Grande variedade do camisas bordadas e lisas para homens e> meninos.
Sortimento de muitas fazehdas de la, linho e algodo todas por precos muito
mdico.
Tapetas grandes para sof, piano e camas, pecas de tapetes o da alcatifa para
forrar saloes tudo em quantidade; e vendem sempre^por menos que em outra qualquer
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
ALGODAO
LOJA DAS MACHINAS
O PAVILHAO
DA
al-
alease palitots a 15 o covado, brim pardo pelo baratissimo preco de 15500 cada um,
de todas as qualidades e brim branco de!
e
todas as qualidades na ra da Imperatriz
o. 72.
Alpacas lizas a 40 rs.
Vende-sc alpacas do cores lizas linas a
840 rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOLAO ENFESTADO A 35500.
Vende-so pecas de madapolo entestado
35500. pecas de madapolo inglez de 21
ardas a 55, 65400, 75, 85 o 105 a peca.
72. Ra da Imperatriz. 72.
Cortes de cambraia barras
a 3SOOO.
Vende-se corles de cambraias barrsa a
25 e 35 cada un.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vendo-se lencos de seda a 640 rs. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A U.
Vende-se carteiras para viagem 45
cada urna.
iACIIINAS americanas de serrote de todos os tamanhos para descarocar atgodo, do
muito conheoido fabricante Eagle Cotton Gin.
vfACHINAS ditas, tambera de serrotes e (fe- todos os tamanhos para desearocar,
godao do autor New York Cotton Gin.
\IACHHiA9 ditas de todos os taadlos, de carreta de ferro e mew toda a machina.
VAC1IINAS ditas de Roller Gin, de cujo-4rabalho faz obter raais 2.000 ea arroba
d algodo-,
vACHINAS de faco do fabricante PTatt B. Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior quadade e a memores epie tm
dndo ao mercado ; e para a su* apreciaco eonvidan>se os sensores agricultores "
rirem a exposicao das mesraa na rs da Cadea do Recife n. 56 A, oa do Basteey onde
mcontraro mais o seguinte r
Folhr de ferr.
Bataneas americanas.
Tina de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.

Jcbulhadores- para milho.
Cylindros para- padarias.
Ara jos americanos.
Carrinhos de mao.
dachinas par cortar capimv
CaBnos de chombo.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Telhas de ferro galvanisada*.
foltas de zinco finas.
Ditas de cobre e latao.
Peri'o de todas as qualidades.
Arcos de ferro.
Polha d Flandres.
tac nados americanos.
Facoes ditos.
3al;Jos e cestas de verguinba
Vassouras araerisanas.
bolles de todos os tamanhos.
romos e safras para ferreires-.
Finalmente muitos outros 3rtig
tiversidade seria- enfadonh ennumerr.^ios.
Baldes de madeira ditos.
Ternes de bandejas finas.
Trens completo* para cozinia.
Peneiras para padarias.
Balde galvanisados.
Correntes de ferro para amanjarras.
Espingardas e rewolvers..
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engoraraar.
Moinbos para refinaces.
Azeitedeespermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades-.
Serras awlsas para machinas.
Mancaos e todos os mais Dsrtences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes tavoura e artes, que- pela-
1. J. J. JU..I liillf 11 v lilj.il V
Grande aroazem de fazendas e roopa&feilas it na fclnperairiiloto.^p^^
AURORA!
ROA DA IMPERATRIZ P, 2
t Esquina da raa da Aurora
Defronte do Cafe Imperatriz.
i Hesle novo c sumptuoso eslabclecimen-
I to de fazenda., enconiraro as Exmas.
familiar ludo quanto possam desejar, tan-
( to cm artigos 4e rigoroso luxo, como em
l todas as mais qualidades de fazendas de
! sedas, blotds, alpacas, merinos 'aa>,
cassa.s, mussalinas, chitas, madapolocs,
I alodoes, etc., demodo a sahir bem ser-
I vido desde o mais rico e exigente amador
I da moda e do Foxo, at o mais modesto
pai de familia. Alm de se arharem pro-
vidos do que n>eHior so encentra nesto
[ mercado, mandaram os proprlctarios
| d'este eslabefecimente vir directamente
Io que em arligos de modas e de mais
apurado gosto se encomia cm Pars.
Urna modMa especialmente oceupada
[ nos trabalhos do PAVILHAO DA AURO-
I RA, executar prompt.-nnentcc con toda
a perfeicao qualquer trabalhoa capricho,
para o ijue se aclia habilitada em tudo
3uanto e mister para o bem desempenho :
e sua missao, o que urna grande van-
tageu. para o bello sexo, qjie ^ssini
vai encontrar em um s lugar tudouoan
o pode desejar. i>to 6fazendas do me-
llor gosto, modista para perfeita execo-
cao de qualquer traballin, perfomarias, :
chapeos, enfeiles, miudezas, luvas da i
Jouvin e tudo quanto a moda* pode exi- '
gir. I
Aos cavattwiros igual vantapem so offe-
rece, por ter o eslabelecimenlo o mais
completo sortimento de fazendas para fac- j
tos, e proprias para todas as estaces, e i
um hbil alfaiate encarregado de execu-
1 lar com promptidao e meslria qnalquer j
Sgl en com ni enra.
Os proprjetarios do PAVILHAO DA
88 AURORA nao tendo poupado despezas |
35 pa.ra dolaren) esla bslla cidade de um
S cstabelecimrwto digno d'ella, confiam nos j
ijg seus esforco a no !** gusto de seus-ha- j
M Wtantes, garaitindo a maior circumspec-
,, cao e modicidfade de precos.
Com a possivel brovidade c em vista da |
jjgj protc^ao que se dlgnarem dispensar-ho, i
SS este estabelecimcnto trar innitas outras-1
3 vantagens, primando entre ellas a pubH- 1
0B cacao de um ji H tribuido aos seu* freguezes, o ijual se oe1 i
S eupar exclusiTamentc d:i escripcao das- ]
^3 modas, acompaando dos ltimos "figure- j
=5 nos; vantagem ijuc ate hoja anda nenhum
^ meslabelecimenio-orTereceiii
Soncluindo, e mi' impossibilklade de des- j
g e?ever c rico c variado sortimento que I
8 possiiem, os propietarios do PAVILHO j
Mt 1>A AURORA rp^mito^amente eonVidam j
sg as Exmas. famlias a visitar este espa-
gj coso e rico estabelocimento qse,- alm de
g tdo, est dotado do pessoai necessario
para vender e levar amosts s casas
8 qe as'pedirem.
Pe ultimo vapor receberaw ricos cor-
S tes de vestidos para casamealo, lavas de
jf pefica. ricas chapeHnbas para senhoras |
B e diversas fazcndfis modernas.
gAberto das da manhaa s]
9 d iioite-
LOJA
00
GALLO WxILANTE
Ra do Crespo a. 9
Os proletarios dest bem confeeido estabele-
cimen, alm dos muiloa objectos que tinham ex-
postos a.apreciacao do respeitavel- pb)ico, man-
Lourenfo Pereira Mendes Gnimares, proprietario do armazera de fazendas
Icruminado 6ARIBALDI, tem a honra de pirticipar ao respeitavel publico que tendo
recebi lo diversas facturas de fazendas, de novo gosto, para a festa, estando a espera de
novas encoramendas que deve estar aqu at o da 15 de novembro vindouro, e vendo
que Dio tem lempo antes do balanco do vender tantas fazendas de encomtxendas p*r
isso resolveu fazer urna liquidacSo para ver se d maior, estracao por isso em vistas das
eircamsUncias vender ludo mais barato do que em outra qualquer parte, na ra da
Imperatriz n. 56.
mydapolao enfestado a 35500.
Vende-ae orna grande poreo de madapo-
lo infestado de jardas a 3$oO<), assim
como pecas de madapolo inglezes do Vi
jardas pu 20 varas a 55, 53-500, 63, 63500
73000. 83, 93 e 103000. .
Corpinlios a 200 rs.
CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500
Vende-se pecas de cambraias victorias cuvado, cortes
5nas a 53500, G3 e 73. Brilhantna bran- cada um.
ca fina para vestidos de senhoras a 500 Brim de cores a -tOOrs
rs. o covado I Vende-se urna gr-mde poreo de duas
AGOD$OA40OOO faces para caifas, palitots e Golletes debo-
Vende-se urna grande p)rcjio de algodo mem e menino, fazenda inteiramente nova.
todo de boa quadade e 43. 53. 03,' 635 0 Brim pardo liso a 5-0 rs. o metro, dito
73, e 83, a peca de 20 jardas ou 24 trancado lino a 800 e 13000.
CHITAS PRETAS A 160
Yende-se urna grande porc*o de chitas e
cassas pretas em retalho a 160 o covado
tambem tem retalhos de chitas e la de co-
res que se vende barato.
Gaa^as para calca a 38 rs.
Vendem-se urna grande poreo de gangas
para calca de Ivmvm e menino a 320 o
de castor para calca a 640
varas.
ADMIREM-SE DO QUE E' BARATO
Chamalotes a 560
Vende-se chamalotede core, de algo 1'
para vestidos de senhoras a 560 o oovado.
% I pacas Usas a 500 rs.
Vende-se alpacas lisas para vestidos de
cores, para senhora, a 500 rs. ditos matisa-
das linas a 720 o covado. Dita* lisas mui-
to largas a 640 o covado.
Grande liqiidaco de chapeos
de sol
Vende-se chapeos de sol de alpaca com
pequeo defeito a 23 e 33000. dUos finos
de 12 astes a 43500, ditos de seda finos
de 8 astes a 73500, 83000, ditos de 12 e
16 astes a 103000, para liquidar.
Chitas para cobertas a 940 rs o
corado
Vende-se chitas francezas para cobertas a
n. 5t porta larga, de Paredes Pwto. KeST?SJZSSStb a^SS
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento ?rpre5as rauit0 ba|-d!***os e commoios para to-
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 33, 33500 at 63. Ditos d<
mermo, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 53. 63, 8tf e 10*> de panno prefc
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos-e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e ce cores de 33500 a 53000. Calcas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pando fino e ordinario, ditas de casemira
de ejr e preta de 43, 53, 63 a 133. Golletes de todas as qualidades e preco-muito
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodo e de linho de 23-at 53
uma. sortimento de seroulas fransezas de algodo, de linho e bramante a 23 e 23500
bravatas (mantas) novissimo gosto a tolos os precos. Meias sortimeato completo a 33
43 ato /d a duza. L
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-so de quaesquer obras de encommenda tanto para homem, como
para meamos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortmento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos-finos e outras ajoitas'fa-
zencias.
FAZENMS
Bramantes de 11 palmos de largura a 13800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 13200.
Basquines de guipure enfeitadas a 183000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 63500, 73, 83 e 93000.
Algodo peca com 20 jardas a 43500, 53500 e 63000.
Peca de algodo largo a 73500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonh mencionar Cboguem roopa
retta que se esta liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
LEaO da porta larga
DE
Paredes Porto.
CORTES DE PERCALES A 6:000 240, 320. 340, e 380 o covado.
Vriden-se uma grande poreo de cortes
de percales de duas saias para vestidos de
senhora, de moito delicados gostos com
16 / covados a 63 74000.
CAMBRAIAS LISAS DE CORES A 600
Vendfl-se uma grande porcao de cambraia
lisa de todas as cores para vestidos a 600
rs. o metro.
Orgaobys moderaos a SOO rs.
Vende-se organdys decores para fazer
vestidos, de duas saias, agora modernos, a
800 rs. a vara.
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas fraNCHsas muito finas de
cores a 280. DitJS malisadas escuras a 30
ditas escaras escoceza a 30. ditas aleo
ioa las a 360, ditas arihaldinas a 360 o
aovado. Sortimento d chitas como tem o
Sarihaldi ha poucas tojas que compitam.
FTISTOES PARA VESTIDOS A 400 RS.
V*nde-se fustSo de cores para vestidos a
100 rs. o covado
COBERTORES A 1:400
Vendfl-se cobertores de algodo a 13400
obertas de chitas f*jta a 13600.
Vende-se grande porclo de corpinhos a
Q 4000 4d40o6-
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vende-se cassas francezas para vestido
a 240 o covado, ditas muito finas a 4oo rs.
assim como percales finas para vestidos a
440 o covado,
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias cruas para homem a
33500, 43. 53, e 63000 a duzia, ditas para
meninos de todos os tamanhos a 33500 e
43000, ditas para senhoras e meninas a
33500 43, e 53, a duzia.
BALOES DE ARCOS A 1:500
Bales de arcos a 13500, ditos modernos
a 43000.
ATTENCO
Tem-se para vender uma grande porc5o
de roupas fintas de brim e de casemira, de
todas as qualidades n3 se menciona por
ter enfadonh. parante-se ao comprador ven-
der mais batato do que em outra qualquer
parte, isto s se pode eonhecer com a pre-
senta do comprador a vista da fazenda
que se pode eonhecer como est liquidando
por barato preco. o general Garibaldi, ra
da Imper.itriz n. 56.
chales de merino a tdOOO
VMnrift'Se chales de Merino de cores es-
tampados a 23000. ditos lisos a 33500, di-
tos -stampados finos a 53, 53500 e 63000.
Machinas a vapor de
forqa de 3 e 4 c-
vanos.
Motores para 2 cavados.
ridos americanos.
Machinas de fac5o e serrotes para desca-
rocar algodo.
Bataneas* para armazem e balc5o.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez.e de Uhit-
field.
Prencas para copiar carcas.
Fogo americano patent
R/iPf: popitij ir
DA
lABWf A MMAL DA BAHA
DE
Tcixeirn U/durtco^rC.
Acha-se a venda este ptimo rao, nnico qnc
pode suppnr falta do princesa de Li9bo, por ser
do mui agradavel oerfume, viajado, e a preco o
mais mdico posaivel; a por isso tem sido asss
acolhido na? pracas da Bahia, do Rio de Janeiro e
m ootias do imperio : no escriptorio de Joaquim
Jos Gojcalves BeltrSo, a roa do Comiaercio nu-
mero I'.
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaparrilha
do Pai, pilulas e xarope de veame, tin-
tura e xarupe de si'opira.
Doea^as do figado e bafo, ane-
mia, opilafu, ete.
' Emplasto, oleo, pommada tintura, pi-
lulas, xarope e vioho da milagrosa Juru-
beba.
Sezfles 011 febres inleroiitentes
As pilulas anti-periodicas de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pb,axmacia de jeu autor ra larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quariel do corpo de
polica.
^eSeto~~
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa & Filho, defronte do arco da Cod-
cmcSo, em barncas grande*.*
dos, com tanto qne o liado....
lt superiores tovas de pelMea* pretos, brau-
cas e de mai lindas cres.
Muiboas e bonitas gellinhas e pnnhoa para se-
nhx>ra, neste genero o (jue ha de mais moderno.
Superiores pentes d tartaruga para coques.
Lindos e riquissiracs enfeites pura caberas da;-
Exmas. senhoras.
Superiores trancas jwetas e de cores com vidri-
lhos-e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marflm, sndalo e osso, sendo aqnettes brancos
com lindos desenhos^o estes pretns.
Muito superiores meias fio de Eseossia para ?e-
'nhoras, as quaes seaipre se venderam por 305000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,6,
alm destas, temos tembem grande sortimento de
outras qualidades, entre as qusos algumas muito
.finas.
Boas bengalas de superior canoa da India e
castao de marfim com lindas encantadoras figa-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
quantidade de oatras qualidados, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos enicotinhos de cadeia e
de outras qualidades. ,
Lindas e superiores Ugas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda pasa senhora e para meni
as de 1 a if annos de dade.
Navalhas cabo do marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas,e de mais a mais sie ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramns sua qualidade e delicadeza.
Lindas e- bellas cape Has para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labjrtatho.
Bons baralhos de cartas para voltarste, assim
como os tentos para o mesmo fim.
Grande o variado sortimento das melhores per-
fumarias e dos memores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convolsSes, e
faWlittm a denticao das innocentes enancas. So-
mos desda muito recebedores destes prodigiosos
collares, e oontinumos a recebe-tos por toaos os
vapores, afini de que nunca faltem no mercado,
como j tem acontecido, assim pois poderao aquel
les que delles procisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encoatrarao destes verda-
deiros collares, e os quaos attendendo-se ao fim
Sara qne sao applicados, se Tenderlo com um mui
minuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos cbjoets qne deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, rna do Crespo n. 7

Na ra do Codorniz n. "8 contina a ter um
prande sortimento de doees em latas e caix5es de
diversos tamanhns, cujo se vende por preco mais
barato de aue em outra a ualouer parte.
Scllns baratos,
N. 27.- RA DO LIVRAMENTO N. 27.
Neste estabelecimcnto vende-so sellins e
silhoes, de todas as qualidades do melhor
que se pode fabricar no paiz, assim como o
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxoes, traviceiroa, caixi-
nhas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. O proprietario deste esta-
belecimento garante a pontnalidade, esme-
ro e zelo de seu trabalho; portanto pede ao
respeitavel publico sua proteceo, queaflian-
ca vender tudo pelo mais barato possivel,
e por menos do que em outra qualquer
parte.
J cordeiro providente
Rna o Qnefmado a. l.
Novo e variado sortimento de perrumariaa
finas, e outros objectoa.
Alm do completo sortimento de perfo-
marias,. de que elfectivamente est prvida
loja do Cordeiro Prevklente, ella aeaba de
receber um outro sortimento que se torna
lotavel pela variedade de objectos, superiori-
lade, qualidades ecommodidades de pre-
^)s; assim, pois, o CordeiroPrevidente pede
i espera continuar merecer a apreciado
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, n5o se afas-
tando eHe de sua bem conheeida mansid56>
i barateza. Em dita leja encotrar3o o
ipreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray 4 Lamman.
Dita de Cologne inglcza, amerieara, fran-
jeza, todas dos melhores e ais-acreditado*
'abricantes.
Dita de flor de Jarangeiraa.
Dita dos A-lpes, evilete paratoilei
Eh'xir odontalgieo para conservas*) do
,isseio da bocea.
Cosmetiques de soperior qualidade eebei-
fros agradayeis.
Copos e lates, ores e meioreSj eom
pomada fina para cabello.
Frascos com dito japoneza, transparente
i outras qualidade.
Finos extractos iogfezes, americano
francezes em frascos- siaples e enfeitdos.
Essencia rmperial do 8no e agrada*^! ch-
o de violeta.
Ostras concentradas e de cheirc* igual-
mente finas e agradaveis-.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oteo de superior qualidade,
com escolhidos oheiros, em frascos de-die'
renteHamanhos.
Sabonetes em= barras, aaiores e roenore
uara aaos.
Dito transparentes* redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos-muito finos em ca-tinha para barba.
Caixiohas cora bonitos sabonetes imitando
fructas.
Dita de madeira inverniaada contendo fi-
aas perfamarias, muito praprias para pre-
entes.
Ditas de papero igualmente bonitas, taai-
bem de perfumaras finas*
Bonitas vasos de metal coloridos, e da
moldes novos e elegantes, oem p de anos
e boneca.
Opiata^ inglezae francezapara dentes.
Pos de camphora e oatras differente
jualidades tambem para dntes.
Tnica orienta* de Komp.
Alixln mais qpf,
Um ostro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes coro filets de vidrilho
e alguns d'elles ornados de flores e fitas>
esto todos expostos apreeiaclo de quem
os- pretenda comprar.
GOLLiNHAS E PUNB08 BORDADOS.
Obras de mu4o gosto e perfwclo.
Fivellas e Otas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objee
tos, ficando a boa escolba ar> gosto docomr
orador.
Cahriolet Dea't.
O melhof neste genero, e nei teito estado, ven
dse um; para ver na cocheira de Thomaz Lins
a na de Santo Amam, e tratar na ra do Crespc'
n. 16 loja, das 8 as 11 horas- la manilla c das S
as 6 horas da tarde.
Yinlio
do Porto
Vende-se superior vinbodo Porto engarrafado
no escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C> ra da Cruz n. 57, 1" andar.
, FITA AZUL
RA DO CABUCii W* t
Cambraias, cassas e organ-
500 rs.
CADET
CURA
em TRES DAS
m m i.a/
Semonles de hortalices checadas pelo ultimo
vaoor : na ra do Livramonto n. 38, armazem de
molhados. Renitue-se o importo ao comrrador, un
ca o de nao nascerem,
Chegoa ao anngo deposito de Henry Porster <>
;., ra do Imperador, um carregamento de ga
de prinieira qualidade; o qnal se vende em partida
e a retlho por menos pre?o do que em outr quai
quer parte.
PAR I S
Paria, ae.RnaVMenne, D
CHABLEmeolCn
Pao Senteio.
Estar venda as torcas e sextas-feiras, na
padari allemaa, ru do Lima, um Santo Amaro,
no Recife, Recreio Coram-rctal, ero irente a ra
do Vigerio n. % roa da Imperttriz n. 80, rna do
Brum n. 56, o no armaieui do Campos, ra o
Imperador.
COGNAC
De superior qualidade da mui accredita
da fabrica de fiisqiiit Dubouch &C, em
cojrnac uma das que mais agurdente de
cognac, forhecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em easa de Th. Jast. raa do
cnmmi'rcio n. 32.
No oscriptorio de loaqnim J' G>ncalve<
Re'trao. na do Commnrcio n. 17, existo pira
vender-se um escravo criuulo, moco, cora nflclo
de pedreiro, '
abknfejuuadas uksskxuaes, a* imoi
!S rUTANCAS.K AL-muconDOaumiiB.
\"ustvU*s, ktrvt, mi
[trtou, mcMM m mm*.
------------Iu! na,
o.r.ny.,. ,Arope vgui mm Btrcirk.^..
rt. .r|MM, uhimmm -irng
tomao-se itous por semana, filado tttwm>|
" em rtgado ui a aolMUa*.;
Isu Xarope OirMMlf
DEPURATiF
in SANG
PLUS DE
COPAHU
_
ferro d CHABU. nr%
immndiaunMMalfM|
Bfnte os luxut fioret branca as aalkarM.-*
Esta injeccao benigna tmpren-M con tiwii *%
Ctlrne to di Fto "
iQrrUdaa. Pomada im a emn w. fj^
POMAOA ANTIHERPKTIOA
Contra as affe;i;o*i eutenrm t MMW9U\
PILULAS VEOETAES OEPlMATiVAa
r
)
t
I
\
-r-~*


Diario de Pernambuco Sexta feira 10 de Dezembro de 1869.
7

V


HUn LMMCAfl
DE
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
oaoa aa asaiaiMTOaa, m
DE \
FELIV PEREIRA DA SIIiVA.
0 proprictario d'este grande estabelacimento, vendo que so est aproximando o fin-
do anuo, e teudo em ser uin grande deposito deposito de fazendas; nao fallando em
avultadas encommendas que Ibes esto, obrigado todos os dias, tem resolvido liquda-
las por preco muito mais baratos do que em outra qaalquer parte ; s com o fim
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontrase neste estabelecimento do
PAVO, avallado sortimenlo de acudas de laxo e modas; assimeomo de primeira
necessidade. As pessoas que negocian em pequea escala n'osta toja poderlo surtir-
se vendendo-se-lhes pelos pregos que compram, as casas inglezas; assim como as ex-
oellentissimas familias poderlo mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou raan-
dar-ae*ha levar pelos caixeiros da mesma toja, em swas casas; o estabelecimento se
acha constantemente aberlo das 6 horas da manhia. s 9 da noite.
Explendido sortimento de
roupas feitas
tfACSBjA BBte,
'A
\
I
k
A AGUIA BRANCA tem convicio de que a abundancia de objectos de novidade-
de de qualidades, e a limitacio de seus precos, esto na opraiSo do respeitavel publico
em geral, e na de sua boa freguezia em particular ; mas anda assim ella ui
dever scientificar a todos, da recepto d'aquellcs objectos que esto alm docommum,
como bem sejam:
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 00
Acba-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortiVdts melbores roupas,
sendo calcas palitts e colotes de casenra,
de panno, de brira, de alpaca, e de todas
as mais fazendas -que os compradores pos-
sam desecar, assim como na mesma loja
em ana bello sortimento de pannos casemi-
ras, brms, etc. etc. para se mandar fazer
qualqaer peca "de obra, coma maiorpromp-
do A vontafie do fregoe*, e no sendo mais bonitos roches proprios para endei
obligados a acceita-las, quando no stejam ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
completamente ao seu contento, assim como como proprws para cobrir presentes, e ven-
ALPACAS BRANCAS LAVRADAS
Ghegou para a loja do Pavao um grande forti*
monto das mais bonitas alpacas brancas lavradas
c de cordao sendo n'cste genero o mcllior e mais
hastioso puotcm vindo ao mercado, tem algunas
fio linas e to bonitas que servem para vestios de
noivas e vondomse por commodos precos.
LAAZINRAS MODERNAS NA, LOJA DO PAVO
Chegou para oste estabelecimento um grande
sortimento das melliores e mais modernas azl-
nhas para vestidos, sendo tapadas e transparentes
de toaos os precos e qualidades que se ve.idam
mais barato do que m outra qualquer parte.
Orochs para cadeiras e sofs
O Pavo tem um grande sortimento dos
n'esto vasto estabelecimento encontrar o
respekarel publico um bello sortimento de
omisas francezas e ingieras, ceroulas de
Snho e algodlo e oatros maitos artigo s
proprios para homens e senhoras promet-
T.endo-se-lhe vender mais barato do que em
ontraqealquer parto. Na ra da Impera-
triz n. "60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da "Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porco de cera de
carnauba em saceos, por prego mais barato
do que em outra qualquer: na leja do
Pavlo ra da Imperatriz fn. 50. De Flix
Pereira da Silva.
FAE.VDAS-PA1A LUTO
Na loja do Pavao.
Encontra o respeitavel publico neste estabeleci-
mento um grande sortimento de fazendas pretas,
jomo sejaifl, eassas francezas e inglezas, chitas
oretas de todas s qualidades, fazenda de la de
utdas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, laziohcs, alpacas lavradas e lisas, cantao,
Dombazinas, merino, etc., que tudo se vende por
jreco barato.
AS CASSAS DO PAVAO
Covado a 300 rs.
Vendem-sc finissimas eassas francesas com lin-
dos ddsenhos e cores flxas a 300 rs. o covado.
Madapolao francez a 71000 rs-
Vende-se pecas de madapolao francez
com 22 metros pelo baratissimo preco de
71000a pe$a, pechincha.
Altas novidades em sedas
Chegou um grande sortimento das mais
moderiiaspoupeliuas ou gorguroes de seda
e linbo com os mais elegantes padres que
em viudo a este mercado sendo, miudos e
raudos, tanto em cortes para vestidos como
para vender em covado, assim como um
bonito sortimento das mais bonitas sedas
istradas que se vende tudo muito em canta
Grosdenaples de cores
Chegou um grande sortimento dos mais
bonitos grosdenaples de todas as cores para
vestidos que se vendem muito mais barato
do que em outra qualquer parte.
CHAPEOS DE BRIM A i#)09 RS.
Chegou urna grande porco de chapeos
de brim pera cabeca que se vende pelo ba
ratissimo. preco de 2;>000, por torera che-
gado com an pequeo toque de mofo. E'
pechincha.
GRANDE PECHINCHA A 5:000 RS.FECA DE
Hretanha
Vende-se pegas de superior bretaaha de
algodlo tendo quatro palmos de largura
com 20 varas ou 22 metros cada peca, esta
azenda seria para custar-85000, a nao sac
'ama grande ctmpra que se fez, e liqoida-se
a iOOO, cada peca.
Admiravel pechincha
ALPACAS A 400 RS.
DE FURTA CORES A OO OS,
ALPACAS A OO RS.
Vende-se um grande sortimento das mais
imlhantes aipacas de furta cores com as
mais lindas o mais modernas cores imitan-
do perfeitamenle as sedas de urta cores
sendo neste artiga o mais novo que tem
-vindo ao mercado, para vestidos, muito pro-
pria para as senheras que forem pasRar
esta no campo, por ser ama fazenda de
malta fantasa e pelo barato preco de 400
rs. o covado.
Bretaaha**4 ra< *-*oo a
Vender superior bretanha de rolo ten-
do tO varas ou H naotros com 4 palmos
de largura pelo barato pceca de 2|S00,
pecbiadia.
Ossetinsdoravo
Vende-seos mais bonitos selins de cores
6 mais encordados proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
AOS PALTQTS DO PAV.O A 18,5 e
205000.
Vende-se um bonito sortimento de palito-
ts fraacezes sendo, sobrecasacados e pro-
prameute sdbre-casacos, qao se vendem
forrados de alpaca a 18*000 e forrados de
seda a 20)000, pecbiaeha.
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte, .
GLACC A 1:200 PARA VESTIDOS
O Pavao tem esta nova fazenda lisa pro-
pria para vestidos, com as mais delicadas
cores e eora mais lusfre do que a propria
seda com 4 palmos de largura que facilita
fazer-3e qualquer vestido com 10 covados
e vende se pelo baratissimo pre';o de 1 200.
rs. o covado, pechincha.
CHETONE DA INDIA PARA COLCHAS
0 Pavao tem esta nova fazenda cretone
propria para colchas, com os mais iin 'os
padres cbinezes e com as cores inteiramen-
te fkas, tendo largura de chita franceza e
vende-se em conta,
Ronilas caixinhas de madeiras envernisa-
clas. contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
mando abertas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesonras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rla para costara, obras de apurado gosto
e perfeico, proprias paro um bello pre-
sente, tendo aigumas com msica.
Estojos ou carteiras de ecuro edm nava-
lhas, e os mais necessarios para viagens.
ESCOVAS DE MARFIM
Para unhas. dentes, cabello e roupa.
Outras de balea com machetados de ma-
dreperla para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Lcques, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques. I
Outras igualmente bonitas, e com pro-
genies para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin doarado.
Botescom ancora, e P. II. para fardas
e colletes.
Abotoaduras d'aventtirine com o pe de
prala flourada, p3ra colletes, cada um 55.
Bofes de cristal, encastoados em prata,
para pnnhos, 45 o par.
Camisas de flanelk para hornera, a me-
lhor qualidade que em vindo a este mer-
cado,
Meias de 15a para homens, senhoras e
creancas.
Ditas de dita, tecido de borracha, para, esquecam
quem soffre de inchaco as pomas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrin-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipar, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
pennas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.
Bonitos passarinhos de metal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas,
de velludo para agulhas e alfinetes.
Thesouras de duas, tres, quatro e cinco
pernas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusultra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de t3o bom
em tal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a poaco abundarSo
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras continuaro a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por scus no-
mes e qualidades a infiqidade d'objectos
que constantemente se acham venda na
loja da Aguia Rranca, seria senSo impossi-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia. e pede aos que de novo queiram
reconhecer a commodidade de seus precos
e a cinceridade de sea agrado, que n5o se
de comparecer loja d'Aguia
Branca ra do Queimado n. 8.
O Campos da ra do Imperador n. 28,;
no intuito de servir salisfotori mente aos
seus innumeraveis amigos e freguezes, em
particular e em geral ao rcspcitavol publico,
desta cidade ; avisa aos que rstiverem pas-
sando o tempo calmoso, nos doleitaveis
arrabaldes desta capital, que tem resolvido
vender, de de superior qualidade, a precos
razoaveis, os secuintes gneros a saber :
PARA CIMA DE APARADORES
Latas' com S/ke em calda de diversas
qualidades nacionaes e estwngeiros.
Ditas com peixe a saber; salmn, ostras
e lagostas.
Ditas com ervilhas francezas e portugue-
zas.
Ditas com gela franceza.
Cerveja franceza verdadeira Bobee.
Presunto para fiambre e afiambrados.
PARA DISPENSAS '
Latas com chourifas novas sendo de B$,
cada urna. '
Presuntos de Lamego para tompeiro.
Cuias do Para (pintadas pelos indgenas
daqueHa provincia.
Copos de vidro com dobradiga e tampa
para diversos misteres.
PARA OS QUARTOS DE DORMIDA
Porta-phospboros cheios de phosplioros
de segnranca.
PARA SALA
Churutos de S. Flix do afamado fabri
cante Costa.
Fumo picado do Daniel de S. Joto do
Rio de Novo.
Alm desses gneros, o Campos tem con-
viccSo de que o seu estabelecimento um
dos que podem satisfazer rom garantas as
exigencias bem entendidas, dos Ilustrados
habitantes desta heroica provincia, porquan-
to s* acha elle bem prvido de gneros su-
periores, de maneira a n3o desmentir
O Campos.
Em
FIO DEVEIiA
Barbante
casa de Rabe Schmetau & C. Corpo
' Santo n. 15.
SHERRY 0L0R0Z0.
Gelo _seal.
Em casa de Rabe ^Piettau & C. Corpo
Santo n. 15.
1 JL_-
SUPEUIOR.
Roussilloa, carte blaiiche.
Em casa de Rabe wchmettau ft
ii. Corpo Mant u. 15.
VINHO
DE
BORDEAUX SUPERIOR.
CHATEAU LA ROSE.
CIIATEA RAUZAW
Em casa de Rabe Schmettau A C. Corpo
Santo n. 15.
AVISO

COLCHAS DE FUSTAO
Na toja do Pavio vende-se um grande sortiraen-
to*de ooiebas de fostao sendo brancas e de cures
dita de,croe para cuna* de noiva, assim como
aonUes damascos de laa para colchas.
Na loja a PavSo vendem-se os mais
bonitos chales de verdadeira cachemira d
cor com os desenhos mais modernos, a Gd.
10 e 125000. moito barato na roa da Im-
peratrix n. 60.
^ BASQUINAS A 1*5000
Na loja do PavSo vende-se as ma3 mo-
dernaiJbasquraas ou manteletes de guipare,
pelo barato preco de 1MO0O eada mna
* T 1 ______-_______ J. D.
Organdys a 500 rs.
Vende-se os mais bonitos organdjs de
cores com padres miudos egraudos. sen-
de todos de cores rrxas, pelos baratos pre-
ros de 300 rs. o cova lo.
ALGODAO ENFESTADO
Vende-se urna grande porcSo de algodo-
srnho americano com 8 palmos de la ^ura
proprio para lenfes e toalbas tendo liso e
trmeado que se vende por preco muito em
conta.
Panos de liulio
Chegou um grande sortimento de pecas
de panno de liuho do Porto que se veridem
de 700 rs. at IfiOOO a vara, garantindo-se
que ein fazenda de linho nao ha nada me-
thor, nem mais proprio para lences ( toa-
lhas.
PECHICIIA EM QIAPEOSDE SOL
Chegou um grande sortimento dos me-
nores chapeos de sol de seda, inglezes ten-
do neste art go o melhor que tem vindo ao
mercado assim como urna grande porco de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em o Ira qualquer parte, por haver
grande poivio.
i.eacos forneos
Vende-se um grande sortimento de len-
cos brancus para homem, sendo a dtizia a
U600, 25<>00 e 35000, ditos abanhados
muito finos a 43 e 65000 a duzia, ditos de
esguio fazenda muito superior a 0& 65 e
756M,
Peehlcha ent casenras a -t:O
Vende-se finissimas casemiras de cor com
listras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores mais novas e mais bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baratissimo ureco
de 45000 o covado ou 75000, cada corte
de cal^a.
Os bales do Pavao a 2$00,
Cheg u um grande sortimeato de baloes
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
propria6 para vestidos ennesgados que se
vende pela baratissimo preco de 5000 ca-
da um grande pechincha.
AS CA BRAJAS DO PAVO A fcSOO RS.'
Vende-se urna grande porco de pecas
de finissimas camhraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, cora mais de vara de
.largura pelo baratissimo preco de 45500, a
peca sendo fazenda que nunca se venden
,por menos de 85000, grande pechincha.
AS P0UPEUN4S DO PAVO A 300 RS.I
Chegaram as mais lindas poupelinas de
la com imitacao das poupelinas de seda,
um' fazenda muito leve com as mais lin-
dascres, sendo: verde Bismark, rflxa, azul
lyrio, c asento, perolla etc, etc. e vende-se
pelo baratssimo preco de 500 rs.
Fustoeg brancoe para veitidos
Chegou wn lindo sortimento dos mais ba-
ratos e bonitos fustoes brancos com listras
e cordoes, sendo fazenda bastante larga e
flexivel, muito propria para vestidos e rou-
pas de meninos e vendem-se a 640 o co-
vado.
BONITAS LilSINHAS
O ANADINAS A M000 RS. O COVADO.
Chegou para o Pavao, um grande e va-
riado sortimento desta nova fazenda do 13a
e seda propria para vestidos, com os mais
delicados desenhos e mais modernas ores,
tendo bastante argura que facilita faser-se
nm vestido com poucos covados, pelo bara-
tissimo preco de 15 mO o covado, por j es-
tarem muito prximos da fe S0RT1HT0 PARA 1FESTA
Vende-se por menos de 10, 20 e 30 io
SO' NO
ABMAZEM UISUTATni
N. 23largo do Terpo.N. 23.
--
DE
SMAO DOS SANTOS ft C.
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secco o molhados esto rc-
solvidos a fazere urna grande diminuc3o de precos as suas mercadorias, como se apro-
xima a festa e sempre se fazera avultadas compras para o centro o praca, por
isso previnem ao respeitavel publico em geral, que mande fazer suas despeneas e cer-
tos de que vero a grande differenca em precos mais do que em outra qualquer parte
e garantiodo-se as superiores qualidades.
CAZ AMERICANO 95300 a lato, o 440, SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 660 rs. o litro. 620 rs. o kilogrammo.
VINHO VERDADEIRO FlGUEIRA 360 FARINHA OE ARARTA VERDADEIRA
a garrafa, e 45300 a caada e 800 rs o ti- 610 a libra e 15100 o kilogrammo.
BOLAX1NHA 1NGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 8<>0 rs. o kilogrsmmo.
VELL\S DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. em caisa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
rs. o masso,
Os proprietarios do BAZAR DA MODA
sito ra Nova, nesla cidade, declarara ao
respeitavel publico e com especialidade aos
seus freguezes, que, principian) de boje em
diante a vender o grande sortimento de
miu iezas, perfumaras, quinquilleras, ar-
tigos de moda para hom ms, senhoras e
meninos, com um grande abatimento em
precos para liquidar a dinheiro.
A grande variedade de objectos de gosto
recebidos da Europa, onde os mesmos pro-
prietarios entretetn relaces com habis cor
respondentes habilitados a ollVrecer as
maiores vantaecns possiveis e boje eslara
resolvidos a liquidar com pouco lucro, acha-
r3o os compradores urna ditTerent; superior
a 30 por cento menos do que em outra qual-
quer parte.
A PRECO F1X0sao vendidas todas as
mercadoftas constantes do estabelecimento
e por este yslema de negocio podem sem
escrpulo comprar, ceos de que nao se-
r3o Iludidos.
Tem empregados promptos a conduzirem
os objectos ou amostra a qualquer casa que
o exija.
Bazar d ModaIo de dezembro de
Jos de Sonza Soarex & C.
Em lempos modernos nenhum dseul r-
menlo operou maior revolucio no modo de
curar anteriormente em vogadoque o
raTOMi m kmswun
TANTO NO TRATAMIENTO DA
. tossi:, atoro.
ASTIIMA, THISICt,
IIOI'QIIDO, BESOTU-MENTOS.
BnONCHITES,
TOSSE CONVULSA,
dobes de retro,'
EXPICTLnACO DESAMiCE.
Como em loda a grande serie de enfermi-
dades da r.Ar.c.ANTA, do peito e dos onfi.\03
da respoiaco; que tanto atormentan) e fa-
zemsoffrera humanidade. A maneira an-
Gga de curar consista geralmonlc na appli-
cac3o do vesicatorios, sangrias.sarjar ou ap-
plicar exteriormente ungentos rortisshnos
:ompostos de substancias vesicantes
alm
S5200 e 65500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAb
DE MITOS TAMANHOS 15280, 25300
35500,45500, 55500 a lata c a retalho e 15
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso. e em caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caia faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 35500
a duzia e 500 rs. a garraa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS
tro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
i 400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 2dS00 e
35200 a caada, 666-e 72t> rs. o litro.
DEM BRANCO DE LIS80A a 45000.
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o l.tro. BANCA. m ^ 5b0
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 15400,
15800 e 25200 a cnida.
AZEITE DOCE DE LISBOA 9G0 rs. a
garrafa, e a 75 a caada, 15340 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 1#400 e
15280 a libra, 35060 e 25780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 96, 900 e 850 rs.
a hbra, e 25100, 15980 e 15860 o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO i 360 rs. rli
bra, 15*20 o kilogrammo, em porC3o se BELL, a 800 rs. a garrafa e 95 a duzia.
for abatimento. VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANHA DE POSCO DE BALTIMOOR DIVERSAS MARCAS 15500, 15200, 15 e
720 rs. a libra, o 16560 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 75 65 a frasqueira, e 300 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
415 a frasqueira e 15 o frasco.
QEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35000, 25800 e 25400 em caixa ha abati-
mento.
TOCINHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 115500 a arroba.
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 15000 rs. a lata.
L0M80 DE PORCO ASSADO JA PROMP
TO al5000rs. a lata.
CHA FINO. GRAUDO E MIDINHO
35200 e 25800 a libra, e 65100 o kilo-
grammo. *
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 25000,
25200e 15800, rs. a libra,
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas4
BRACO DE OURO,
Ra do Imperador n.26
Neste novo estabelecimento encontra-se
diariamente um variado sortimento de bo
linhos parach, pastis, podio-, bollos in-
glezes, paes de 16. presuntos, ditos na fiara-
nrc, superior cha Hysson. preto, e miudi-
nho. Vinhos finos de todas as qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, fructas muito boas, por-
tuguezas e francezas.
Um completo n variado sortimento de
caixinhas de todas os gostos e precos para
mimosear senhoras, estas caixinnas recen-
lemente chegadas de Pars sao de primora-
do gosto, oleresse-mo-las aosga!antca do bello sexo pois nellas acharo nm digno
e serio presente para as donas dos seus
pensamentos. Tambum os apreciadores da
boa fumaca encontrarao charutos d's me-
lhores fabricantes da Babia e de Havana
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, christalisados e de
calda, ditos de caj e de outras quatidades
Nesta casa recehem-se encommendas para
bailes, casamentse baptisados equalquer
encommendas avplss. como seja pao d- 16
e bollos enfeitados e outros muitas couzas
que enfadonho mencionar.
porco se far abatimento.
ARROZ 00 MARANHO E DA INDU
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
35400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 65000 a arroba.
CAF EM GRAO 65 e 65500 a arroba,
200,240 e 260 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacea se r abatimento.
SABO MASSA a 240 6 200 rs. a libra,
520 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa se
taz abatimento.
MASSAS PARA SOPA. MACAARO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a librare
15220'o k'togramrao.
BOLACHINHAS EM LATAS "DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
Ihante.corahination, Francy-cracynel, nrixed
Britania. Mdium, Fancy-nic-nac, a, tve, o
soda a 15000 e 15400, cada urna lata.
Assim como ha outros muitos
deproduzirempolhas; cojos difidentes mo-
dos de curar, nao fuziam scniio enfraque-
cer e diminuir as forras do pobre doente,
contribuindo por esta forma d'uma maneira
mais fcil e certa para a enfermidade a des-
txoicSo incvitavel de sua victima Quem dif-
ferente c pois o effeito admiravel do
PEITORAL DE ANACAHUITA I
r..\i vi:z de inniT.\n, MonTinc.ut e CAzab
INAUDITOS SOITniMl'.NTOS AO DOENTE,
CALMA, MODIFICA E SUAVBA A DOH.
AI.I.1VIA A mniTACAO
DESEMVOI.Vi: O EXTKNDUE-NTO,
potrnncA O CORPO
e fnz com que o systema
Desaloje d'uraa mantira prompta c tapida
at o ultimo vestigio da eufermidade. Os
melhores votos em medicina da Europa (os
es dos CoHegios de Medicina de Berllm)
testiicam scremexacas < \ rddeirasestas
relaces analgicas, nnalm disso^a espcii-
cnci de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com
osle maravilhQso remedio, so mais que
suficientes para sustentarema onip3o do
PEITORAL DE ANACAULliA!
Dcvc-se notar que osle remedio se acha
itciramcnte izento de venenos, tanto mine-
raes, como vegetara, era quanto que porm,
alguns (Testes ltimos, c particularmente
aquellos que sao dados sob a Corma de Opio
e Acido Hydrocanico, formara a base da
maior parte dos Xaropes, com os quaes to
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
blico. A Composicao do Anacaiiuita Peito-
aacha-se linda e curiosamente engarrafadas
m frascos da medida de cerca de meios
quartilho cada um, e como a dose que se to--
ma so d'uma eolher pequea: basta gc-
ralmente a applcaco d"um ou dous frascos
para a effectuacao de qualquer cura.______
- Vendi'-pe mn carro de quatro acentos, pnr
dou* cavallo. cim arroios. Os pretendontos po-v
dem v-lo na ra do Hospicio nirina do Sr. c-
raldo, crirneim, n tratar cora Vieento Ferrara da
Cos>ta: ra de Riachuelo.
Papel para embrulho
Compra-s na ra da Imperatriz n. 60.
Loja do Pavjk)
9 Darawpreco ue iwuwuMuau.ua. -t-- y_ CA
Na loja e armazem, do Pavao a ri da Imperatriz n. 60.
muito novas, paseas e figos novos, charutos de diversas marcas, marmelada, feta pelos
melhores conserveiros em Lisboa, gela de marmello, pcego. ervilhas, em latas, por-
tuguezas e francezas. vinho verde engarrafado retalho, peixe em latas, bem como
pescada, tainha, pargo, goraz, lula, corvina, vezugo, cavadla, sarda e sardinhas do Nan-
tes. Oanella, Gravo, ervadoce, cominho, nimenta, grandesmolhos de sebolla I^oOO.
Finalmente muitos outros gneros que enfandonho menciona-los.
A telo
Joaquim Rodrigues Tavares de Mello"
tera para vender no seu escriptorio, pra-j
^a do Corpo Santn. 17 primeiro andar,
potassa da Rassia ltimamente chegada,.
cal de Lisboa e vinho Dordeaux de supo-J
rior qualidade. i
l
J
Resta venda um escolhido sortimento de ob
leetos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
raad. mogno e ama relio, obra nacional e estran
zeira, dfapurao gosto e por prafo- razoaveis:
oa rna estreita do Rosario n. 32. Nesta mesma
jasa fazem-se com perfeico todos 09 trabalhos dt
jalhiha, como sejam, empalhamento de lastro-
jara camas, cadeiras e sophs.
CIMENTO
I
Vende-se verdadeiro cimento; na rna oa
Madre de Dos n. 22, armazem de Jle
Martins de Barros.
Cal de Lisboa
chogada no ultimo navio, tem para vender Joa-
qun Jos Godcatves Behrao, no sou escriptorio
ra do Commercio n. 17.
Cabrio'et americano.
Venda-ne um cabrialet americano da duas ro- Vpnde-so flo do algodao da Babia em saceos de
das s-)bre crrelas, proprio para lugar de muito 30 e 100 libras : no escriptorio de Antonio Lu
ara : os pretitndentes podem vado na cesneira deOiiveira AKYCo C, ruada Crflen. 57, r
I d ru *> Imperador o. 43. I andar. -'
Fio de algodao.
A ra do Livramento n. 6, contina a ha-
ver para vender por precos rasoaveis, c>
melhor vinho verde at hoja viudo a esl.
mercado.
IIUA DA GliORlA 5
Otaria do Pundao.
Ha sempre nesta otaria grandn sortimento ri>
maieriaes, como lijlos do alvenaria batida, ladn-
Iho, quadrado de 8, 9 e mais pollegadas, tdbs
telhoes. tijolos de Upamentos. O prourielai io des-
ta olaria garante a bondade e narro de taes mate
riaes, comotambeip vendas* in*ls barato do ijiip
em outra qualqnw prte. *______________
ESCRAVOS FGIDOS.
Ainda e-l fgido o meu escravo Isaac, mu
lato, idade 20 annos, pouco mais uu menos, tt-ni
no dedo grande da mao dlrea dnns unbas, romo
se fossom dous dedos ; na sua sahida l'urlou-nv.
300a COOfi em moldas de onr-j, e foi bem ve>tido;
consla-me que fot visto em Podras de Fugo : peco,
pois, s autoridades policiaes xnpities de campo
a sua app.ehnsao, e que o facam condnzir ra
da Matriz da Boa-vista n. 33, onde serlo bem re
compensados.
Jmuoo de Miranda.
Fugio no da 7 do corrente mez de novem-
brq, aescrava Joaquina, crioula, de idade 40 an-
nos. cor prela, baixa e ch ia do corpo. tem urna
orelha rasgada no lugar do brinco, urna peque-
a cicatriz na testa a um lado, dous denle* na
frente abertos qne parece falta de um, mas nao :
esta oscrava so oceupava em carregar agua no pa-
teo do Torco, ou lavando roupa pelos coqueiros
junto a rita Imperial, e pnr osles lugares que
ella cosjuma andar. Roga-se ao* Srs. capilaes de
campo a n|rehensao de ra do tjtieimadon. 39 lerciro andar ou a praca
do Corpo Santo n. 17 primeiro andar, que sera
bem recompensados.
Sag,' sag
muito novo a 100 r>. libra, e 80 r<. do 10 libras
pu-a a.im; na rna Nova n. GO, armazem da Liga
Gratific4i-se.
Ainda est fugido o Jos-col, escravo da pada-
ria alleinaa da roa d Lima, em Santo Amaro,
muito conhecido por ter vendido pau de leite e ier
ii braco esquerdo cortado, crioulo, 33 anno- do
idade e muitas veze* cobre o deleito do brajn rom
nm panno qualquer. toma cachaba o falla bastante
l'rotcsta->e contra quem o tiver em seu poder
a pessua que o quira capturar ser recompen-
sada. __________^___^_^____^.^___^
Negra fgida
Apolinaria, crioula. representa 40 annos, el--
lora regular, andar vaaamso, muito fia |i
oinin> marcas de bexigas na cara, e^p. rialraMte
rm nariz, levita vistido de chita rM, t
saias, ^emki nina de algodao azul, e
ta fino rom listras encarnadas : quem
leve-a ao Arraial, sitio do Porto, ou a
na esquina da ra la Madre de Leos,
recompensado.
Ni
quj


Uiano de Fernambuco Sexta feira 10 de Dt;zembro de 1869
3
I
I'

ima uo pu-
LITTERATm
casi a o cenada*] o na Enropa
(Cmclumo)
Nao ha em toda a Priissia ura s profes-
aor, cojo salario chngno a f .000 francos:
o reitor de Pforta cujo cargo o mais in-
vejado, recebe 7,500 francos por anno, e
o soso gratuito de urna casa.
Os proiessures allemes, nao tendo os
fanstoss salarios dos sens cortegas britni-
cos, vivera felizesesatisfeitos, e nem por
isso sao monos M tes e menos dedicados
ao sea mister, M ptn de avultadn paga,
quo Je mais eonlWacao do publico.
Diz Air. Arnoid que, em um paiz qtie
ainda o3o esla corrompido, a estima do pu-
blico vale tanto como o dinheiro.
sumo, os allemes do norte tem
de se ofanarem 4a organisaejo da
si nanga.
Gymnasios, que do urna instrueco sci-
entilica desenvolvida sulllcientaraente, e
escolas realistas, donde o culto classico
nao fi ;a excluido, partilham entre si o sera
rivalidado os favores do publico e os adju-
torios do governo. Escolas de diversas
categoras, cujas bancadis sempre esto
ebeias de exudantes, e cujas mestres ad-
quirem urna benemrita reputado, satisfa-
zem os variados interesses de todas as
classes da sociedade.
Tauta prosperidadc se explica pelo que
se ponderen acerca das escolas escossozas:
os pais de familia, que sao pessoas ins-
truidas, sabem apreciar quanto vale urna
educaco distinguida, e tambera sabem jul-
gar que qulida^e de instrucelo melhor
convem a seus filtos.
IV
Da Allemanha septentrional passa-se a
Suissa.que dentre todos os paizes o que
se acha mais bem dotado em materia esco-
lstica.
Tome-se por exemplo Zurich, que de
todos oscantes da confederaco helvtica
0 que est mais adiantado, sera que ex-
ceda em muito aos outros cantDes. Num
territorio, e cora urna populacho que tudo
equivaleria de um departamento francez.
se achara urna universidade, urna escola
polytechoica, urna escola vetirenaria, urna
escola de agricultura, duas grandes escolas
de liUeraiura classica, duas escolas realis-
tas, urna escola normal, 57 estabelecimen-
tos de instirucQlo secundaria e 305 escolas
primarias. Convem tambem notar-se que
muitas de taes escolas sao reputadas a par
das melnores da Europa, e que todos esses
est;.bo!ccrncntos didaticos, desde o mais
soraenos at o mais graduado, esto con-
catenados pela mesma liga de urna organi-
saco comraun, achando-se no extremo i
escola primara, que toda a crianza deve
frequeotar; sendo que a instrueco efec-
tivamente obrigatoria desde a idade de 7
at a de 13. annos. O pai pode dar a seus
filbos urna educaco particular, mas nesse
caso deve justificar que tal educado to
valiosa como a publica, e tem de pagar a
mesma retribuico escolar. O programma
dessa ensinanca primaria, que nao 6 aca-
chado, coinprehende os elementos de geo
meiria pbysica, historia, geographia, canto e
desenho.
As escolas publicas est3o to bem repu-
tad is, que nellas se acham misturadas
todas as classes da sociedade. Os alum-
nos que sahem dessas escolas, ainda sao
obrigados a assistir durante tres annos, a
cursos semanaes de msica e instrueco se-
cundaria. Outros esludantes passam eses
tres annos numa escola elemeutar supe-
rior, que di urai instrueco secundaria,
(Mi eolio entran para urna escola indus-
trial, onde se preparara para certas pro-
fissodSi on tambem para um gymnasio
fjoe encamioba universidade. Na escola
iadustrial tambera so habilitara para cursar
o poliflechmctm, donde todos os canloes
tirara seus engenheiros e professores de
icias applicadas. A cada graduagj
desta escola ascendenM de insiiiuices es-
-lares, corresponde urna commisso ou
conseibo de educaco, no quai esto re-
presentados os pirentes, autoridad.; local
e a corporac o de professores. Os mesires
bem pagos, posto q=io sera superabundan-
a, gozam de coaaidravel ioflaeacia.
A e-cola industrial modelada, exceptu-
anlo-sc bem piuca cousa, egundo o plano
das escotas realistas (Realschulen) da mis-
sia, salvos o lalim e o grego, de rjae- su
n3o trata. Na Suissa allema, de que ora
b
S CASACAS PBETAS
ROMANCE
Pur.
Paulo Fval
Segunda parte
TRES PATA
(Continaaco don. 281)
XXXI
Confronto.
Urna vez a sos n'aqtiullo compartimento
desornado, especie de cabina que o Sr.
Lecoq chamavaa sua casa da guarda, ar-
rastou-se o Sr.- Matbeus al cadeira de
palh i que eslava ao pe da mesa. Em vez
do se assen'ar n'clla, acercou da porta pri-
ineiro a cadeira e depois a mesa.com aquel-
la facilidade de movimentos que pareca
vr-lM sbitamente q'iando nenhnma vista
o espiava A porta tiatia um rallo peque-
i issiato caberte ton un pedaco de panno.
Tendo Tre3 Patas levantado este, vio o Sr.
lecoq de pe no m;io do quarto, n'uma
attitude solemnemente cmica. O Sr. Le-
eoq dea tres pancadas com o tacSo, espa-
dadas segundo a arte, e disse :
ltenlo ao panno. Vamos princi-
piar.
Tres Patas responden :
Estou no meu posto, palro.
E o Sr. Lecoq, ag lando os bracos asso-
aiou nm schi prolongado.
A porta que conimunicava com as casas
da agencia abria-se n'aquelle instante.
Matheus passou pela testa a mo trmula
e retirou-a banhada em snor. Eslava l-
vido. As feicps conserva vara-Ihe a ordi-
naria mm.)biidade deinixo das raassas re-
voltas do cabalo ; mas em volta dos olbo*
escandecemos eavava-se-lhe largo e negro
circulo.
O Sr. Lecoq caraprimeatou a baroneza
eom gatauteio e conduzio-a para urna pol-
trona.
Acaso o premedRapJo, a poltrona cm
se hila, as ling as rcgiezi fmceza faze mirttoda artos e IHteraWra, akhta assn
part* do cuiso .noiiaal dos estulos. A
maior censura, qoe se ple fazer a.esse brilhar com vivo fulgor as pessoas de G*
estabelecimento, que os professorei en-
tregam-se malo a especialisaso 4* sea
modo de eosinir : formara michinistas,
cbimicos, e commerciantes, mis nao for-
Uaam horaens para o gremio geral da so-
ciedade. O mesmo se nota no gyranash,
onde o estudo dogrego nao obrgatorio,
e onde se no trata de versos nem de themas
latinos, havendo apenas urna tradcelo por
semana, o que tudo parece muito extranha-
vel. As bellas letras e as. sciencias sao cul-
tivadas mais com o lira- oS utilidade pra-
tica, que deltas o estiICnle possa vir a
tirar para o futuro, do que paca a actua-
lidade de orna educapao liberal. O espi-
rito que reina em Zuricti, diz Mr. Arnoid,
bem como nos canloes mais* adiaatados
da Suissa allema, de um industrialismo
intelligente mas que ainda nao capaz de
separar de certa valgaridade.
Bem quem em Lausane e Genbra o
uso da*lingua franceza e as tradicoes de
urna pratica intelleclual mais cultivada
tenham introduzido outros lemontos, to-
dayja, mesmo nessas cidades, o movimento
que tem occorrido nesses ltimos 30 annos
n3o tem produzido seno o desenvolv-
ment do industrialismo na Suissa allem.
Em summa a educaco dos jovens suissos
faz lembrar da que recebem os jovens es-
cossezes, a qual mais serve para formar
um po) sensato, do que espiritos de
primen J na Suissa faltara professores
de ensino superior, e por isso para lal
convidam-se allemSes. Anda assim mesmo
por melhor pagos que sejam na univer-
sidade e no Pclytechimcum, taes professo-
res nao se demorara maito em Zarich, por-
que a residencia nessa cidade n3o pro-
picia para as especulacoes scier tficas e es-
tudos litteraros. Em uraa palavra, a en-
sinan^a de nslrucc3o superior acha-se
quasi deserta. Comtudo, esse paz, ni li-
mitada importancia que representa, esl
dando um grande exemplo ; pois que a
ensnanca livre, e a abertura de urna es-
cola particular nao snjeita se n3o a me-
didas de ordens rigorosas, e nao obstante
toda a gente concorre s escolas publicas,
sendo que as particulares s tem meninos
de fura da trra, trazdos por urna antiga
nomeada, que taes escolas gozam, bem
ou mal merecidamente. Semelhante pre-
ferencia, dada s escolas publicas, a ura
paiz, onde cada um instruido e sabe ra-
ciocinar, por certo muito em favor da ca-
deira dos organisadores dos estudos.
Ainda que nao fosse senao por deferencia
s antigs tradicoes, seria injusto n3o fa-
zer-se menc5o da Italia nesta revista do
i nsino publico na Europa. Se Paris foi o
centro do movimento universitario nos
dous seculos XI e XL se Paris sempre
leve a proeminencia dos estudos Ideolgi-
cos, que enl3o se consideravam como os
mais nobres estudos, a Italia 'levo univer-
sidades aotes que a Franca ; pois que se
pretende ter sido a universidade de Pava
fundada pelo imperador Carlos Migno.
Bolonha, qm foi to celebro*por suas fa-
culdades (le diniti civil e cannico, j
lecionava naquella ooca a 12.000 estudan
tes, e Selerno adquiri igual reputacopela
ensnanca da medicina. Parece que no
correr do tempo a influencia do clero'
contribuio, assim como na Inglaterra o res
peito das velhas asaoeas, para desviar da
ensinanca publica as reformas, que as ideas
progressivas tornavara indispeusaveis. Mr.
Arnoid, que da mesma opiniSo, diz que
nada, como urna escola romana, e asse-
mellia tanto com Elon. Em materias de
instrueco o nao se adiantar junto com o
progresso geral importa o mesmo qua re-
trograda : a nica differenca a tal respeito
era favor da Italia que a decadencia foi
mais tarda. As universidades italianas,
ontr'ora tao llorescentes, vieram a ser
consideradas, nao como cenrtos de ins-
trueco, mas sira como corporaces aptas
para conferir dipiomas, e, como coase-
quencia necessaria, os exames nao foram
mais do que ceremoniaes de apparalo.
Tempo houve era que Orford e Cambridge
conferiam ttulos o caadnlatos, qoe linham
bonita apparenaia; porem era aples
via-se cousa melhor ; pois a nobre familiaj
Aveilino tinha,o privilegio .de conferir gr 4
em direito e madiciua. e de cobrar em
moedi os devido's direitos de taes donto-
ram mtos. Ten lo os seclos XVII e XVJI1
sido para a Italia unvi poca de entorpeci-
vordaJa q 10 as sciencias coalinniram a
que o Sr. Lecoj assim collocava a raidher
1lianqiieiMfuiiilionario achavase justa-
mente defrffcte do rallo.
Tres Patas so languii para ella urna vista
de olaos, depois estes crraram-se-llie, e
!i:ou scismando. Estava a senhora baro-
neza Sclawartz muito com.inov.lda, c talvez
aquella prolongada expectativa? dando-lho
livre curso s reflexoes, llio augmentara
a commooo, longe de acalma la.
Occupava-rae de V. Exc... come50u
o Sr. Lecoq.
Estou perdida .' interrorapeu olla c voz surda, que fez estremecer o aleijaio
no seu escondenjo.
Dizia aquella voz, muito melhor que as
proprias palavras, a profunda angustia que
lhe const'-rnava o corafo. |
Creio-o tanto como V. Exc. minha
senhora, replicn framente o Sr. Lecoq, e
todava estou bem certo que nao temos a
mesma opiniao respeito dos molkos da
sua perda.
O seribof pode faZer, perguulou sac-
cudiilamente a baroneza, preco de ouro
de qiialquer motlo, com one amella rapa-
riga, a ElmeLeber, e iraraedia-
lamente para a America ?
O Sr. Lecoq leve um sorriso desdenhoso
que se reflectio, mais amirco, mais triste
nos labios de"Matheus.
Respondeu :
Ha treze dias de distancia entre
Nova-Yoik e o Havre. Creio iju j se poete
mesmo ganti3r ainda ura ou dous dias.
.Mandar algnera para a America Ideas
d'essas, tinhara-se no tempo dos navios de
vela e das diligencias ; mas hojn tomam-
se melhor ^s precaoces. Nao Ihe d
inuito cuidado essa mocinlia. t a parle
meno importante da questao.
O senhor nao sabe... cortn a ba-
roneza.
Sei, soi. O peosamonto, ambicioso
ou nao. que um dia tive de ser gen#o do
Sr. bario Schwartz, fez-me brir os olhos,
o fcilmente concebera porque, sobre a
rica e honrada casa da V. Exc. A minha
priraeira suspeita veio taNz do que Vv.
Excs. cedjara aos meus- votos com certa
repugnancia. Principes do diabeiro como
es, Torricelli, SpaJlannni, Galvan 1
Volta. Mr. Arnoid, como forrate eflH
das letras antigs, 09o deixa de obsoflHl
que isso ama prova do inapto
scientifio n3o ser capa^j de sau
geral do adiantamente intelleclual d'
naco, pois que os proprh italianos
fesam acharem-se ainda no acabara;
tellectual de nrai naci, pois que 1
proprios italiano; onfessara aeharem-|
ainda no acabaiaento desse panodo de
indilTerenca Irteraria sob urai atmosphef*
pouco fivoravel a estudos aprofundados,
Mais ajustados seria dizer-se qoeogra>
de mrito da revolucSo de 1789 consisti
em libertar a Europa dos vestigios da idade
media, e que a renascenca escolar na Italia
data da oceupaco franceza: Napoleo, le-
vado de sua ndole, e talvez tambem por
calculo poltico, regeneron as escolas italia-
nas. Ao mesmo tempo, em qoe elle crea-
va em Pizi urna escola normal pelo modelo
da de Paris e que reformava a faculdade
msdica de aples, seu irm3o, b re Jos,
converta os conventos em escolas, e fua*
va lyceus as provincias semi-barbaras da
Italia austral. '
Essas reformas, posto que depois ficas-
sem encravadas pela reaccao, qoe seguiose
a 1815, sempre occasionaram nma correte
de ideas progressivas, que debalde se ton-
tn abafar.
A instrueco secundaria acha-se florecente
na Escossia e principal nente na Prussir e
na Suissa, onde a instrueco primaria est
raui generalisda, mas est muito' meaos
desenvolvida na Inglaterra, que nao tora
anda moito das escolas da prhoeira infan-
cia. E' sabido que a afiluencia da estu-
dantes a os lyceus e collegios de Franca
foi-se augmentando na mesma propongo
do progresso, que a iastruccio faria as
classes baixas da populacho. N3o pois,
de se admirar que na Italia, onde tres quar
tas partes dos adultos nao sabem ler nem
escrever, os estudos superiores estejam em
abandono lamenlavel. O anligo governo do
extracto reino das Duas-Siciiias oppunha-se
mesmo a creacjSo de escolas primarias, de
que em aples havia quatro apenas antes
da annexaco. Nao se conheciam escolas
de instrueejo secundaria.
Os eslabelecimentos sustentados pelos
frades, smente ensinavam um pouco de
lalim desprezavam o grego assim como as
linguas estrangeiras, e historia e as scien-
cias exactas. Sendo que para bem se cons-
truir por inteiro ura edifi io se deve co-
mecar pelos alicerces, assim comvm a
Italia que primeramente erapregue seus
esforcos em prol da ensinanca elementar.
Por nao sabir do assumpto da presente re-
senta, passe-se smente a dizer o que a
Italia est fazendo a favor da instrueco se-
cundaria. A lei, chamada Csate, pr m I-
gada era 1859, e que nao mais senlb
quasi urna cpia das instituices escolares
da Franca, prescreve prograramas e pro-
vaneas de exame, tanto para verificar-se o
mrito dos professores como o adianta-
raento dos discpulos; e tarabem organisa
urna especie de estado maior administrativo,
ajudado por conselhos consultivos, era qjoa
se acba representado o elemento local.
Erafira, estabelecida, corao se acha por
essas lei; urna jerarchia entre os diversos
esiabelecimenios de inslruccTio, ha gymna-
sios e lyceus, os primeiros frequ-iitados
5,000 esludantes n5o esigo delles aaahura
CTtilicado de aptido nos estudos prepara-
torios. Embora se qneira aitribuir isso
oaural frouxido do povo italiano, o qne
paree mais justo qoe a culpa deve reea-
' sobre o lamentavel regaMm dos esta-
Mei Cisate tete pretenc3o de
mar.
Acabou-ge de examinar os principios ca-
pitaes que regulara a instrueco secundaria
entre 03 poros m-ais adiantados na civilisa-
^Acha-ae que os inglezes s) excessi-
vamente sectarios do clas escojas paftlcas, moito pouco nos rae-
th')do3 de ensinanca, emito independen-
tes na orgaowadao escolar. O* exames
(pie peadem para rebaixar a positura dos
estudos, em compensac3o por isso esli
dotados com um systema mui efiicaz de
ensinanca primaria. Oj americanos do
I norte preferern os conhecimeotos nteis
urna elevada altura inteileetnal.
Os sorssos se entregara de todo as ten-
dencias rndustraes, o qoe tanto mais in-
fausto, pois que perfeita a organsacao
das sitas escoras da primeira gradafo.
A Italia ainda nao pode mostrar seno
loovaveis esforcos para reformar.
A Allemanha do norte prima pela boa
condifao de saas escolas, onde se d urna
judiciosi partilha entre 03 etudos hilera-
rios e scientifleos. E finalmente a Franca
mireha a parda Allamanha, nao sendo que
muitas vezes a influencia do poder central
supere a das autoridades e dos pais de fa-
milia; mas sendo sem duvid 1 maito digno de
elogiar-se que a Franca com sua ndole me-
nos estudiosa, se Cenha mantido na mesma
categora de seus vizinhos da -outra margena
do Wtcno
Em definitiva, reconhecer-se-ha qne tan-
to em Franca, como nos outros paizes,
abstrabindo-se de disputas polticas e reli-
giosas, q.ie nunca se deveriam misturar cora
aeducico publica, a qoesto mais discuti-
da em toda a parte acerba da instrueco
secundaria versa sobre o estaiielecer-se ura-
accordo equitativo entre as lettras e as sci-
encias. Por urna parte se aflirraa qua as
lettraj sao necessarias para se mante/ a su-
perioridade moral das altas classes da so-
ciedade, e por outra parle so pretende que
a supremaca commercial e industrial de
urna nacao depende iucontestavelmente da
diifuso dos couhecimentosscientitieos.
Tambem parece iiicontestiwi que o culto
exclusivo da litteratura nao d aos jovens a
preciso de racciocinar, de que elles ho de
ter necessidade no trato geral da vida.
Em verda le, a causa do ensino scientifico
j nao necessta mais de ser defendida, pois
que mesmo na Inglaterra as se encias lera
entrado na ensnanca das escolas de todas
as ordens. introdnzidas pelo hrecusavol
motivo de utilidade,
Se tivesse uavido cuidado de estatuir a
devida distinec) entre educaco e instru-
Co, menos se diseuliria agora a respeito
de tal materia.
A instrueco consta do que o menino
aprende, e por isso nao deve constar de
cousas otis. Aeducafao Bm urna impor-
tancia mato-elevada, a qaal firmar o va-
rao social, modificar o carcter e agnfar o
espirito. A educaco o produelo de doto
factores, o saber e a inteligencia, os qnaes
n.lo sao inteiramento iodepeadjentes um do
outro, mas que nem serapMpndara a par.
A vii lude especial das buwinidades a de
manter a ambos essesfactores era urna jus-
ta relacSo de um para ootro, e isso nao
mns nma Sw&ty for t>,e
subject ajain-il ihe cio^M
Prtdectim of Ihe
'ie plice.
divisao de gram
paraveis aos lyceus fran;ezes. A' par des
sas duas categoras de escolas, que d3o
cultura classica, as escolas technicas ad-
miitem os meninos, que buscara a ensinanca
mais modesta das sciencias de utilidade
mais pratica. Bom" o plano do todo essa
organisacao escolar; mas nao tem sido
realizado integralmente na pratica consecu-
tiva. O numero de lyceus, gymnasias e es-
colas technicas tm passado das marcas,
pois que em 1883 existiam mais de 200
institutos para menos de 23.000 discpu-
los. ,
A corporaco do professores muito nu-
merosa, e por consequencia seus represen-
tantes sao 1 n.d retribuidos e pouco* instrui-
dos. A positura dos estudos to medriocre
os examinadores que vem-se muitas vezes
obrigados a serena indulgentes de mais, do
que resulta que os diplomas conferidos se-
jam Ilusorios. A grande universidade de
aples, que costuma ser frequentada por
C0NGRE8S0 SINGULAR. Fatla-se de
ura congresso do bello sexo inglez, como
Hm de applicar alguna remedio a drminni-
fo progressiva da especie masculina no
reino Unido.
O faci quecos tfstatislicos -inglezes es-
to impressionados com o excesso da po-
pulacho feminina.
Sobre 100 raulheres do Reino-Unido, com
20 annos de idade, 85 sao casadas, 13 vio-
vas e .'(2 solteiras. De tros milhoes de
raulheres de 2 a 2i annos, na Inglaterra e
no paiz de Galles, !,2iS.000 esto sol-
teirae.
Alguns economistas' aconselliam urna
grande emigracio para os Estados-Unidos i
mas das ultimas averiguaces resolta que.
s no estado do Massachossets, em urna
populaco de 1,200.000 almas, o numero
de mumeres maior que o dos b o mona na
propor?5o de 40,000.
RGSCISA DE CONTRACTO.A grande
sociedade dos caminhos de ferro; russos
libertou-se do contrato que a ligara aos ir-
m3os Wynans, cidados americanos. O
contrato foi rompido ha poucas dias, ea
penna de ferro quo servio para assigtiar a
a rescislo do contrato, foi cravejada m ora
broche quo William Wynans offereceo a sua
mulher. Esta rescisao foi comprada me-
diante um cheque sobre o banco do estado
por urna somma de 4 milbSes e meio
de rublos, enlregues aos rmos de Wy-
Mians.
ESTRADA DE FERRO DA EUROPA.-
Eis aqui urna estattotica comparativa dos
caminhos de ferro da Europa, sua ex-
tensa e producto medio annual, por
paiz:
Extenso. Producto mensal.
Kil.
Inglaterra........ 12.9 i7
Austria........,. 7.320
Blgica.......... 3.222
Dinamarca....... 173
llespanha........ 3.061
Franca......'----- 10.231
Italia
Paizes Baixos..
Portugal......
Pru sia.......
Outros paizes
Allemanha.
Rnssla.......
Suissa........
da
7.391
1.171
508
3.128
1.631
8.588
1.331
Fr.
52.900.000
2i.O73.OO0
0.725.000
341.000
4.323.000
50.871.000
11.700.000
1.229.000
479.000
15.552.000
2.290.000
7.547.000
2.043.100
por- discpulos das classes elementares e da ^ p,)11C0 prosliino porque, se as vezes
diviso de graiuinailca, o as segundas com- } iam^i nno bit^a* ?rt ,,.
Vv. Excs., nao devem ceder quando tem
alguma repugnancia. Mas pude ser que
eu tivesse para isso razes de longa dala.
Era de certo preciso algum motivo, um
tanto romanesco para a minha idade e hu-
milde condico, para tomar o arrojo de so-
licitar to famosa allianc3.
A sua retirada deixou-nos muito^ad-
miradbs, disse a baroneza com visivel es
forco.
Essas cousas do gosto on desprazer,
minha senhora... Admirado um termo
de justo m'eio^qto nada significa. Em todo
caso, conservo-me amigo de V. Exc. se
ra'o permitte, e nutro por aquella estima-
vel munina urna affeico quasi paterna.
Fallemos, porm, de V. Exc. o s de
V. Exc.
Foi assenlar-se ao p'da Sra Shwartz.
Era evidente nao ser aquella a primeira
visita por ella feila agencia.
Desculpa o meu chambre ? prosegua
o Sr. LeeOT, ostentando-so na sua poltrona.
Eu sou sem ceremonia, como sabe. Dga-
me : enlo oque contera aquelle cofrezi-
nho to interessante r
A baroneza olljou para elle passada.
' O seuhorfaou com meu marido I
balbuciou.
Ainda n3o, replicou Lecoq.
Ento, como sabe ?...
Lecoq affectou que brncava cota as, bor-
las do rico cordo do cinto.
preciso esclarecer a situaco,disse5
como quem deixa escapar sem querer
idea reservada. Ha muito que nos conbe-
cemos, nana senhora, e essa gente que
faz comedias tem moila relo de diaer que
sempre alguma cousa tica do um primeiro
amor. Nao se offenda I A'.esta hora de-
viamos nos ter fimos lo eroeeidos como os
pais. E pode bera ser que V. Exc. nao
es'ivesse tao perto d'easa beira de fosso
onde os ps fraqoejara.
Durante a conferencia com o tres Patas,
Uvera elle sempre na mo o autogr pho
de Piquepuce papel qoe eslava, agora amar-
rotadisiiino. Tendo por acaso os olhos
da baroneza descancado no papel, deseuro-
lo^o descaradamente e alisoo-o tro joelho,
diiendo :
lamentar que a instrueco n3o se encon-
tr a- vezes em pessoas intellrgentes, em
ontro sent lo perigoso, ou pelo menos
superfluo que ura horaem tenha mais saber
do que intelligenca, o que o defeito mais
frequente de urna eusinanca mal dirigida.
//. Blerzy.
POUCO DE TUDO.
NOVA SOCIEDADE. Esl a fujidar-se
em Londres urna singular sociedade.
Tem bavido ltimamente qucxas contra
as violencias praticadas pela polica as
mas contra os cidados. Decidise que
para remediar esse estado do cousas se or-
ganisasse urna soriedade encanepada de
vigiar os movimsntos dos polkiinm e citar
pecante os Irihunaes toda os que nltra-
pas-;assem as suas attribuifer.
Trabalha-se com irnitojardor na funda-
Co desta nova associa?5o. e provavel
que, dentro de algiimas semanas, tenha-
--------------=-,-------------------------^-----------_,
aqu, raur-
Isso diz respeito- sua casa, minha
senhora. V. Exc. est ameacada de nma
grande catastrophe ; afinal, esseucial di-
zes-lh'o .
Meu marido deve estar
murou a Sra. S hwarlz.
Qual d'elles ? perguntou o Sr. Lecoq
com-amaii r placidez.
Ella licou a tremer como varas V^HbV
O aleijado no seu buraco, irerain
que ella^awda. t -
- E MRter esclarecer a sitnaco, repe-
li o Sr. -Lecoq dobrando cuidadosamente
o apontaraento tratado jor Piquepuce na
c^ruagera de Livry. O meu conhecimento
eom o senhor bro quasi to antigo co-
mo os mbus senlimentos de adrairaco por
V. Exc. e nao posso n'esta occasio deixar
de oservar que foram talvez estes senti-
inentos, quo, ainda que na verdade plat-
nicos, fornecerara V. Exc. motivaju^u
-ivul e natural para que Ihe r^aagnafflra
minha adrai -sao na sua familia. Ha em
tudo isto continuos erros. V. Esc. urna
e.tcellaote akna transviada por ms veredas.
Contino r se o senhor baro vjsse este
papel, estremeca at as entranbas da sua
burra dedinheiro; V. Exc. desceu alguoia
vez casa forte, minha senhora ?
Nunca, respondeu a baroneza. Mas
pu quera fallar-lhe na minba situagao. -
Havia de ver ama cousa curiosa,
interrompeu Lecoq com cruel irapassibili-
dade ; urna cousa que V. Exc. conbece
moito, pelo menos por ouvir fallar n'ella.
Cbama-se isto compras do encontr. D;
encontr I o termo adrairavclmente ade-
quado. O cofre de Bancelle, o desditoso
banqueiro de Caen, achava-se vend ha
alguns annos. O senhor baro bnscava nm
cofre igaal, de guardas esegredo. V. Exc.
n3o ignora qne eu sou especialista no ge-
nero. O senhor baro eocarrejgou-me da
acqasic5o, e descobri-lhe aquelle objecto,
na verdade' xceHeate e pelo qual rae poda
responsabilisar, visto que eu proprw ven-
der em tempo ao desventurado baoooelro
de Caen.
66.736
ou 13.317 leguas e 1 kilo-
metro, produzindo por
mez................. 18&372.COO
Eooranno (termo medio)2 billi5es,202
mlhos,
Segundo estas bases, o termo medio do
producto de um kilmetro de caminho de
Ierro de 01 francos por dia.
LEI CONTRA OS ARTIFICIOS FEMINI
NOS.Nesta poca de faces besuntadas e
queixos postieos, n3o ser mau desenter-
rar um acto do parlamento lavrado no an -
no de 1770 e concebido nestes termos:
Q em quer que altrahir aos vnculos
mairmoniac* algum subdito varo de sua
magostado por meio de vermelho ou al-
vaiade, de perfumes, essencas, denles ar-
tificiaes, cabellos posticos, algodo hespa-
nhol, cohetes de ferro, arcos, sapatos de
taco.allo ou nadegas posticas, sollrer pro-
cesso e o casamento ser declarado irrito
e nullo.
A PONTE ENTRE A INGLATERRA E A
l'RAECA. O Sr. Ch. Roudet convidou a
mprensa parisiense para assistir, inan-
gunrao do 2." modelo da ponte Varlway,
projeclada entre Calais e Dover. Mtiitos
jornalistas, engenheiros distinctos, corres-
ponderam ao gracioso convite do promotor
dessa obra gigantesca que deve reunir a In-
glaterra ao continente.
O modelo inaugurado tem 20 metros de
estensao e 1 metro 60 cent, de largura. E'
incrivel a sua rigidez; soffreu como prova
urna carga quintupla do peso ordinario, sem
vergar ; 40 pessoas caminham sobre ella
com passos lentos e com tanta seguranza
como se andassem n'uma calcada de ra.
Se como se diz a voz do povo de Deus, a
causa do Sr. Boudet est ganha perante a
opinio pnbca. Chegam-lho pedidos de
pontos -e pasrttJcos, e brete o pnbicrr po-
iker riineut ir e apreciar ura syste-
ma cujas vantagens sio nconteslavis o
iocontestaila.-.
Alera dos tres modelos das1 ponles qne
foram terminados cora fardo successo, foi
visto o primeiro-grande cabo de (ma pon-
te de 100 metros qoe, dizeni, por ordem
do imperador, sertfla no campo de Mar-
te, 00 no bosque do Bolonha, servir ao
mesmo tempo de modelo para a ponte de
Saint-Malo e para a grande ponte do slrei-
to. Esse cabo estndiio em todo o sen
comprimenlo. pode siipportar um pezo
pelo atoaos de i0.000 kilos; por. conse-
qnencia 100' cabos estendidos parallela-
meoMr-a reunidos em rma da tranca sup-
partariam-sera *e romperem o pezo do
100 toneladas, isto o mximo do pezo do
dous trens.
UNIVERSIDADES NA PRU8SIA. Du-
rante o ultimo semestre do invern, as no-
ve aniversidades prussianas e academia de
Munster conlaram 790 professores dividi-
dos em 408 titulares, 158 snpplentes, 1l\
pricat dorent; 37 ensinavam Iheotogia pro-
tante, 26 iheotogia catholica, 93 direito.
9 medicina, 393 phosophia e littera-
tora.
Berlira que tinlia mais professores :
2,107 ; vem depois Goettingue, cora 103 :
Bonn, 100: Brestau, 86; Halle. 76; Koe-
lorbourg, 5(3; Kiel 50;Grei-
fswold, 2; & Munster, 26.
Os estudantea inscriptos orcavnm por
7,^06 dos quaes 1,030 estrangeiros, I
(f28 estrangeiros) sejroiram o curso do
Iheolgia protestante ; 57o (18 estrangei-
ros) os de theologia calhoea; 1.352 (210
estrangeiros) estudaramdireito; 1,644(160
estrangeiros) medicina, e 2,691 (308 es-
trangeiros), philosoabia e bellas letras.
A universidade oe Berlim era a quo reu-
na maior numero de esludantes, 2,238;
depois Breslau, 88U; Boan, 875; Halle.*
838; Goethinge, 4; Kxenisberg, 440:
Munster. 436 Grirswold, 391; Marbourg,
329, e Kiel, 165.
NOVA SEITA.Tinhamos os morraons,
temos agora os broctonianos.
Emquanto os escossezes vm nascer en-
tre elles, a seita hertica conhecida pelo
nome de Antjus Couper, um reverendo in-
glez, chamado Harris, foi a.America fundar
a seita dos broctonianos. E' homem lerri
velmentu activo, o chefe da nova religio.
Comerou apalpando o universalismo, lan-
Cou-se depois ao racionalismo mergulhou so
no espiritismo, errou no povitivismo, al
que se eoterrou difinitivameute no brocto-
nismo, onde conta ficar al o fim de seus
dias. E comtudo ainda moco o Sr. Har
ris, e nao desaspero de o ver andar ceta
de um novo ismo.
A seita do Sr. Harris tira o seu nome de
Brocton, aldea si uada as margena dolao
Eri. Circularan! a respeito dos noves
sectarios os boatos mais estravagantes.
Fallava-se de urna polygamia descabellada,
capaz de fazer corar a um pacha. O casa-
mento era considerado como urna impie-
dade, a propriedade como um sacrilegio,
etc.
Fez-se urna devassa a esto respeito, e
soube-se que. o broctonismo simpfesmei.-
te um swedemborgianismo mitigado. Os
broctonianos nem sao communislas. Pa-
rece qne vivem felizes, que se ocrupam
exclusivamente da agricultura, e que consi-
deram Brocton como o grande cenlro d'on-
de devoparr a luz que hade allumiar o
mundo. Orram por mis sessenta. Segundo
o relatorio offieial publicado pelo goverua
tos Estados-Unidos, conlam-se:
10 inglezes ou inglezas.
2 japonezes.
22 cidados dos Estados-Unidos.
1 francez.
1 belga.
3 hindous.
8" canadianos.
pergumoa a fearonoza com a voz aRerada.
Porque ha eoiacidaclas pasmosos,
minha s nhora. Tambem sei aoada.ara
o bracal lavrado... ^
bracal!... repeli Juta com do-
loroso sobresalto.
Era bem Julia n'aquelle momento, Julia
Mayotle, e naa*a baroneza GiowmnaSch-
wartz, porqrie na vi a um minuto que o co-
raco Ihe viva inteiro no passado.
Quem possue ento o bracal ? per-
guntou :
Oh replicou o Sr. Lcoq, pertenco
pessoas que por cousa alguma se desfa-
riara d'elle, se bem que sejam probissimas.
Fui arba-lo no quarto de cama da Sra.
Leber.
A mal de Edme I soltou a baroneza,
cuja cabecaselhe inciinoa para o peiw.
Diriun que Tres Patas, t outro lado da
porta estava entreg-ie mudo e incom-
mensuravel desespero. Erara de fpgo as
vistas que elle clardejava aira vez d rallo.
E porque osla elle om casa da mi
da Edmee, tartajnudeou a baroneza. Por
que ?
Sabe o verdadero nome da mi de
Edme ? Ha momentos emqe factos ve-
Ibos. que de ha muitodorrai;ira, despertara.
N'est predio em que ora estaraos, conhe-
CO eu dous mocos, o filho do magistrailo
que condemnou Andr Maynotte o o filho
do commissario de polica que o prendeu,
dous mocos que tratara 'do aproveitar
aquella historia paca, urna peca theatral.
Justamente aquella historia, percebe V.
Exc. ? E'singular, n3o acha ?
J .nao sei o que Ihe quera d zer,
murmurou na maior oppresso a baroneza.
Sei-o eu, e isso basta. O boto de
diamante 1 pieguice I o molde da chave ?
ninharia I A oossa peca caranha mais ra
pida que isso. Vamos dentro em pouco
representar tres actos em dez minutos.
Que conlm o cofre ? SSo com esta duas
vezes que In'o pergunto.
As suas palavras tem ar de ameacar,
disse a bnroneza com a voz transtornada.
brasileiros.
peruano.
irlandozes.
escossezes.
mexicanos.
turcos.
arabo.
Que Ihes parece esta olla podrida:'
Franceze?, hindous, turcos e arabos fra-
ternisando as margens do lago Eri, tni
torno do reverendo Harris. Como se en-
lendem elles ?
1
4
->
5
2
1
Nao sou en quem am^ago, minha se-
nhora, si o as factos. V. Exc. fez bem em
Mas porqoe me falla o senhor n'isio?' vir aqu. Se aqai nSo livesso viado, ira
ettesta mesiaa oote aocastetlo.
Esta noute E porque ?
Porque? porque preciso filiar o
toiro pelas armas.
Consultou o relogio e lev.mlou-se. Tres
Patas fez um movimento, como se, eaqae-
cendo a sua enfermidade, houvcra querido
pr-se tambem de p.
Nada de fraqueza, proseguio o Sr.
Lecoq framente. V. Exc. vai soffrer ura
grande abalo. Esteja firme. Os 'aniqtiitos
nada adiintam, acredite o que Ihe digo.
Pegou no bocal de marfira, que justa-
mente n'aquelle momento assobiava.
O baro retirase, disse o pona-voz;
est desesperado. Devo deixa-lo ir ?
K sabido que o soui sedetm naorifi i)
d'aquelles apparelhos acsticos. N3o i!;c-
gou, pois. a minimajpalavwi aosouwdos da
banmeza, que todava escotava cora todas
as foi cas do seu terror.
,.;0 Sr. Lecoq responden :
Torne a chama-lo. Que vena
esteja socegado. Qnero-o eu.
Desia vez ooviq Julia, que disse preci-
pitadamente :
O senhor vai receber algum cxlra-
nho ? Retiro-me.
Nao extranho, replicou o Sr. Lecoq
Jaramente. Conserve-so firme. Previ-
no-a de quo todos aqui jogaraos forte, to-
me sentido.
Juba, que se linha quasi levantado, dei-
xou-se cahir novamente na cadeira.
N'aqaalle momento, a porta que com-
municava com 03 quartos da agencia
abrio-se, o o baro Schwarlz deu entrada.
Julia, abafou um ai de constornaco o
fleoo-se muda por haixo do veo, como se
fura por traz de um abrigo.
Tres Palas collra os olhos ao rallo.
Tempo perdido 1 disae o barao trans-
pondo o limiar. Massadav;. o descor-
tezia.
A ultima palavra estabeteeida as distan-
cias. Foi pronunciada eom otomapro
priado.
(Co*t**iar-it-M).
m
j
i
1 l<
l
TIF.WMtlKMIIA

1
B


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ES4B6A4SQ_9VYF10 INGEST_TIME 2013-09-14T02:09:24Z PACKAGE AA00011611_12014
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES