Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12013


This item is only available as the following downloads:


Full Text
--*r
I '
M0 XLV. NUMERO 281____
t**k a urna z vBumrifm no u mu rmi.
w tre'g mezes atfciatattos........... .^w
#or seis ditos dem...... ........... ,**>
# am aano dea..... ........
Wtwaaroayuko ... i! ."i i !......... **?*X
, QUINTA, FE1RA 9 DE DEZEMBR D 1863.
PABA DEITBO E FOBA DA PROVUClA.
Por tros mezcs adrntados.
Por sits ditos ideto. .
Por rom ditos dem .
Porumanho.....
a
,

Propriedade de Manoel Fignera de Faria & Flhos.



t
SAO CHENTE*! :
QiSrs. Gerardo Antonio Alves Filhos, no Para; Goncalves Pinto, no MaranMo; Joaqnim Jos de Oiivein, no Cear;" Antonio da Lemos Braga, no Aracah- Jlo Mara Julio Chaves, no Ass; Antonio Marae da Silva, no Natal; Jos Jnstm
ra-eira Aimeida, em Mamangnape; Antonio Alejandrino de Lima, na Parajba; Antonio Jos Gomes, na \lla da Peona; Belarmino doi Santo Balcao em Santo AntSo; Domingos Jos da Costa Braga,
em_ Nazareth; Francino Tavaies da Costa, em AJagas; r. Jos Martins Alves, na Bahis, e Jone Jtfbero Gtsptnooo, no Bio de Janeiro.
PARTE 0FFKIA1.
tSoverao da proviuca.
, &MKMSmH MHMMM PKUO KH. SH. D. MANOEL
W NMaaKKTC MACHADO POnTKLLA, VICB-PHE8I.
CKTEDA HIOYIKCU, EM 30 08 SETRMBaO RE 189.
l'seccjk.
X. 8W. Portan* aoExm. Sr. general comman-
jte das arma.Para poder dar cumplimento
i que me fui determinado pelo aviso circular da
repirticiio da guerra de 6 do crreme, junio por
*Vijm(, meira V. Exc. deelarar-mo o numero de
iraca que pode ser recebido em cada um dos
luartois existentes wsta provincia ; propondo V.
KMk logo as medidas neeessariis para que sejam
rfles fiara i-so conveniciitcinente preparados quan-
X. St4.Dila ao mesmo. Communieo a V.
r.xc. para ron eonheeiincnlo, o alim do que taca
nas'-ir ao lente reformado do exercito- Manoel
Aaftotiiu Marinho Patco, (|ue se acka na secrea-
ria do gnvtrno para lhe ser entregue depois de
;;<>- o respectivos direitos, a portara pela qual
Sea Magcstado o Imperador houvepor bem con-
r-lhe leenca para transferir sua residencia
-iesla provincia para ossertes limitrophes da Pa-
rahvba e Rio Grande do Norte.
X. Op.Dho ao mesmo.Para cumprimento do
wnso 4o ministerio da guerra de IV do Brrente,
-i-*e V. Ene. de tusnJar submeiler a iospeo
3J le arttllmria a p Gaspar Henrique Jos dos Res,
! ''vie-me o respectivo termo, alim de ser trans-
^ti&do aquella secretaria do estado na friua re-
:nicniUda m citado avise.
X. 905.DK.i ao mesmo. Expeca V. Exc. a
soas orlen-, para que siga para a corte, alim de
se r tiiiir ao exercito em operaeoes, e ao sen cor-
wo capilao do 11" li.itiluao de' internara Manoel
fiiaqaim Uelb, eoino me foi delenrinado em aviso
Ja renartico Ja guerra de 18 d) frrenle.
X 907. Dita ao mesmo.Mande V. Exc. apre-
-oattr ao f)r. rtiefo do Jetien, alim de lhe dar o
desla i que ju'gar conveniente, o guarda nacional
lo tiatalhau o. 18 de infamara do municipio de
Nazareth, Francisco Ferreira da Silva, vislj ler
-ie julgado incapaz do servico' da guerra para o
imil Bra designado.
N 998.DHa ao mesmo.Pide V. Exc. man-
lar s.'fiir para a corte, para O quo licain expe-
didas as couvonieates oruensos recrutas mencio-
ti J.is na re cc quo veio annexa ao seu offlcio
desta dal :'K 1, menos os de nomes Joo
"anoi i- tiirefb, .1 Leamnc) d;t Silva e Gal-
lillo Manoel da Costa, visto terem requorimuntos
|MdeaUU a decisj tinal desta presidencia.
K. 5tti). -Dita no mesmo. Constando de viso
iia reparticao da guerra de 21 do corrente, nao
i-x chegado na corte, o reernta de noine Eugenio
JerfeiTft da Silva, meacionado na relaco aunexa
m flicio de V. Exc. de t do corrente sub n. 338,
irvs-so de declarar ine o de-lino que elle 'leve.
X. 010 Dita ao inspector do arsenal de mari-
ika.Coinniunico a V. S. para seu conheeimeoto.
u afnu de qae faca cunslar a Antoni Francisco
Sf naci do Jesu, que aclw se na secreuria do go-
v.yno para ser eutreguo depaij de pagos os re-
oeevns direttes, o titulo de sua nomeacao para o
Jugar de | rteifo desse arsenal.
X. 'Jli.' Dita ao mrsmo, como presidente Jo
uipras aavaes. Sendo excessivo o
proco porque h\ feito o-contrato parafjtecinifln-
'.de:'!! '>- sos cstabelecimentos Je marjona nn
no:.-:iic de ontiib'o a dez-'inbro deste no de
qtte trata o oficio Je V. S. de 23 do crrente, con-
.vai que s ja posto novamenle em concurrencia o
jh'Sio f irueciine:ito.
X. 912. Dita au eommandante do presidio ck>
-e/naiil). Km observancia ao fleodo ministerio
Ja jii-iic;. de 11 (leste mez, inlorrae Voto, o que
:l:c constar cora macis ao reo Gomesindo, escra
i de E. S. Araujo, qae se acha nesse presidio
cvwpriud sentenca, devendo declarar em que
n i u jnizo i'ii tile julgado.
2' seccao.
X. 920. Portara ao Exm. Sr. presidente do
llienial d< commercio.- Transmiti a V. Exc. pa-
x ler o conveniente destino a carta de registro da
tarca brasileira Rocha, que foi vendida em hasta
publica na Una Je S. Miguel, a qual rao fui remet-
ida prln ministerio dos negocios estrangeiros.
M '.'!;.Dita ao Dr. chefe de polica uterino -
Por parte do eommandante das armas,ser reinel-
'. V S., afin de lhe dar o destino que convier,
o guan?, nacional do bntalhao n. 18 de infanlaria
la municipio de Njzarelh Francisco Ferreira Ja
Suva, visto ter sido julgado incapaz do servico da
.nierra para o qual fura designado.
X. 923Dita ao commaudante superior interi-
no da guarda nacional do Recite.Em vista do que
ue leprescutou o director geral interino da ius-
rmrcaa publica,* officio de 29 do crreme, sob
i. 317, mande V. S. dispeusar du ssrvicpde aquar-
tdlamente o guarda du 3o batalhao de infanlaria
i i. I Archanjo de Souza Lima, visto ser alum-
io da escola nocturna da fregue/.ia da Itoa-
vista.
3
de vveres destinados os indigente do tormo de
Ruique que estavam solTrendo Como em consequen-
ciad* secca que alli lem havido ; assitn o com-
inunico a V. S. para seu ronhecimento.
N. 930.Dita ao inesmo.Com nunico a V. S.
parastHicwnheciroeDtoquesegundoJconsta do avjso
da repartieao do imperio de 46 do cerrante, foi
concedido pela verbasoccorros publeosdo excr-
cic de 1868 a 1861 os segetnles crditos na im-
portancia de 3.'lij o de 304 para pagannato d*
gratifleacaff que venceu Manoel LMsilgado, a
contar de 16 de abril a 30 de jnnho desle anno co-
iu commetlidosdaepidomia da varila na villa de Se!
rinlem na razio de 43 diarios e o do 30 para
pagamento de urna carteira horaeopathiea a Au-
gusto Xavier do Souza Fonseca para aquelle
N. 931.Dita ao mesmo.Commanieo a V. S.
para seu coiiheciinenlo que segundo ponsta de avi-
so da repartirlo do imperio de ti do corrente foi
concedido o crdito de Iii."> pela verbasoccorros
pul;li*para pagamento dagratiflcacao na ratio
de o i diarios que venceu Floriano Pereira da Ro-
cn, desdo o 1 de maio at 21 de agosto ultimo,
como encarregado do tratamento dos indigentes
accomineltidos da varila na villa de Serinhacm e
de propagar all o fluido vaccinieo, devendo, po-
rm, ser levado au exercicia de 18B8 a 1869 a
quantfa de 303*000 e ao de 1869 a 1870 a de
2COJ0OO.
N. 932.Bita ao mesmo.Transmuto por copia
a V. S. para sen conhocimento o (lns convenientes
o inctnso aviso expendido pela rdparticao do impe-
rio em 17 do corrente, coneedendo pela verbi
soccorros ouldicosdo exercicio de 1868 a 1869,
o crdito de 40 para pagamento da gratilicaco
que se licou restando nessa importancia a Justino
Eugenio Lavenere no periodo decorrido de 5 a 20
de julho do anno passado como encarregado da
vaccina e do tratamento das pesoas desvalidas
atacadas da varila na villa do Ronilo.
X. 933.Dita o inspector da thesouraria pro-
vincial.Djclaro a V. S. para seu conbecimentoe
lins eoavenientes que de ve entender-se como "en-
cnenlos o prazo improrogavel do 30 dios que por
deliberarao do 3 de agosto ultimo foi concedido ao
professor Manoel Flix do ascimento, para en-
trar no exercicio de sua nova cadeira na poyoaejio
de Qneimadas.
X. 93.Dita ao mcsmo.=Nos termos de sua in-
formacao de homcm, sol n. 597, mande Y. S. pa-
gar, Je cofiriniJado com o parecer da contado-
ra dessa thesouraria c que justamente se dever
aos contratantes da estrada do norte, a partir da
cha da Mangabeira ao engenho Bujary, prove-
niente da ptestacao a que lem direito, segundo
o ccrtilicado annexo ao requerlmenlo que incluso
Jerolvo.
N. 93l. Dita ao chefe da repartido das obras
publicas.Maude Vine, quanto antes dispensar o
feitor do jarJim deste palacio atientas as razucs
que j lhe oxpuz, cumprindo qjie, em quanto nao
chamar Vmc. outro feitor soja encarregado dse
mais conveniente.
N. 936. Duliberacao. O vice-presidente da
provincia resolte conceder 3 mezes de liconca com
venciinenlos aoescripturario do consulado provin-
cial Joaquim de Gnstuao GwMho, alim de tratar de
sua sade onde lhe cenvier.
i* seccao.
o
N. 938.-Dlo ao presidente da provinciano Ri
Grande do Norte.Participo a V. Exc. que nesta
dala, em vista do que representaram os agente*
da cornpanhia'Brasileira de Paquetes em offlcio
do boje, flz desembarcar do vapor TocaiUins e re-
colher a enfermaria de marinha a praca Honorio
Bispo Professor que lendD vindo cora direccao a
essa pruvinci nao pode segnir por se adiar do-
enU!' > ..
N. 939.Di'.o ao presidente da provincia de Mi-
nas-Geraes.Acenso recebido com o offlcio de V.
Exc. de H do corrente, 2 exemplares do relatorio
com que o Dr. Domingos de Andrade Figucira
passon V. Exc. a administraco dessa provincia.
N. 9iO Dito ao presidente da provincia do
Cear.Arcuso o recebimento do offlcio de V.
Exc. de 11 deste mez sob n. 22, era que participa
ler a 6 do corrente tomado assento na as
sembla d'ssa provincia o bacbarej Joo Cle-
meatino Pessoa de Mello, juiz de direito da comar-
ca de Tacaraiu desta provincia, do que fleo intei-
rado.
N. 911.Portara ao director geral interino da
nstruegao publica.Tendo o Dr. Jos Sosres de
Azev -do p dido dispensa de examinar em geogra-
phia e historia do Brasil no concurso a que se vai
proceder amanhaa na thesouraria de fazenda. aca-
bo de designar para o substituir o professor do
gymnasio bacharel Antonio Rangel de Torres Ban-
deira. O que declaro a Vmc para seu conhecimen-
toeflnsindicado? era meuofflcio de3 do corrente.
X. 9i2.Dita ao mesmo.Declaro a Vmc. em
additamento ao meu offlcio de 23 do corrente, e
para os fins indicados no mesmo offlcio que tenho
designado o professor da escola normal bacharel
t* seccao.
N. 950.Oflfcio ao director geral da secretaria
de ej.tado dos negocios da justiea Jos da Con lia
Barbosa.Accuao o recebimento' do offlcio'de V.
S. de 22 deste mez, ao qual acompanhou a paten-
te do lente-coronel Vicente Ferreira PaHn
Cahmibv, a qnem nesta data so faz a necessaria
i-umirunicaofe ptvaHaaatWBj
devulns.
N. 'Ntt.Pto ao mesmo.Asenso o rwpM
mente do offlcio de V. S. de 20 tt mm,
raa enva a portara de 17 do dito imc, pMa qual
concedida ao escrivao do juizo eapocial do com-
mercio desta capital Manoel de Carvalbo Paes de
Andrade um anno de licenca para tratar de sua
sade.
N. 952- Dito ao eommandante superior da
guarda nacional de Cabrob O Exm. Sr. vice-
presidente da provincia manda declarar a V. S.
que flcou inteirada pelo sen offlcio de 7 do corren-
ta sobre ter nessa data expedido ordera para se
tornar eflectva a ordera da presidencia relativa
ao (tistrietj de Salgneiro
N. 953Dito ao Dr. Mareos Correa da Cmara
Tamarindo.O Exm. Sr. vlce-presidente da-pro-
vinci, manda declarar a V. S. que flcou nteirado
pelo .en offici do 22 desie mez, de ter nessa data
assumido as funccOes do cargo de juiz de direito
da coinarca do Rb-Formoso.
N. 954.Dito ao Juiz do direito da comarca de
Garanhuns.O Exm. Sr. vce-presidente da pro
vincia, punda aecusar o recebimento do offlcio de
V. S. (le O desle mez, em que participa ter con-
vocado pm o dia 18 do mez de oiitobro vindouro,
a 2" sasSo judiciana do jury de Garanhuns.
!i. U5S.Dito ag juiz municipal do Ro-Formo-
so.Q E.n). Sr. viec-presdenW da prbvincia.
inaofla acensar o recebimento do offlcio de V. S.
de 22 do corrate, en que commuoi.'a ter nessa
data reassumido o exercicio das funeces do seu
cargo por ter o juiz de direito dr>ssa comarca ba-
clurel Marcos Correa daCaaaara Tamarindo asso
mido as do seu cargo.
N. 956.Dito ao bacharel Angelo Caetano de
Souza Cousseiro.O Exm. Sr. viee-presidente da
provincia, mauda declarar a V. S. que licou ntei-
rado pelo seu offlcio de 16 deste mea, de.havcr
nessa data deixado o exerci :io das tonceas de
juiz municipal desse termo pjr, ler nessa Bata
compleado o quatriennio.
N. 937.Dito ao teoenie-corotalVicente Ferrei-
ra PaJilha Calumby.Pela secretaria do govern.i
se participa ao Sr. tenente-coronelVicenie Ferreira
Padillia Calumby que nella se acha a sua paterno
Je reforma, cunvmdo que a venha ou mande so-
licitar, salisfazendo os direitos e emolumentos
delta.
X. 958.Dito ao Sr. Manuel de Cirvalho Paes
de Andrade.Pela secretaria dogovernose com-
muoica ao Sr. Manoel de Carvalbo Paes de Andra-
de escrivao do juiz-; especial do commercio desta
capital, que nella se acha a portara de 17 desle
mez, pela qual lhe concedido peto governo impe-
rial, nm anuo Je lieouca para tratar dt sua saine,
DESPACHO p.\ PnBSllEXCIA DA PU0VL1CIA DO DI.
4 be DEZK.imno.
. Associacjto Commercial Agrieola. Dfrijam-se ao
Sr. ebefe interino da re|>arUcio das- obras pu-
blicas.
Bactoare' Chrysolo F. de Castro Chaves.Ao
Sr. iaspectpr da thesoraria de. fazenda para man-
" que for devido ao supplicante.
Catira do (1 e Santos.Informe o Sr.
?<(' rnsiroacn publica.
Wnefee Alvos tibeiro.Ao Sr. major director
do arsenal de guerra para informar.
VtiaMiMD Ferreira Borges.^Ao Sr. inspector da
themrrfaLe fazenda i^nn portara d'esta data.
Guiibenntaa Francisca de Elranjo Lins. -Lavre-
se deHberacao eoncedendo a permuta reque-
rida.
Joanna francisca Evangelista.-Mnfortuo o Sr.
dosembargador provedor da Santa Casa de Mise-
ricordia.
Josephma Benvinda- da Cunda Souto-Mioj".
Remeltido ao >>r, fr. dir.eeIm* geral da inslruccao
publica, para altenJer a snppbcante nos tormos
de sua infirmaran n. 370 Ju do correte.
Joaquim Margal lo X iscimento.Inleferido,
viga da inforinaeoes.
Joo Alvw da f>uz.Volte ao Sr. inspector da
thesouraria do fazenda com o equerimeoo ante-
rior para Mfirmar.
Capitio-Sguel. Ferreira Velloso.Informe o Sr.
inspector qp thesouraria do fazenda.
I cowiderado melindroso. A' nifima hora pet'tar e o conflicto por bees havi de trarer
recebera-se em Montevideo um teiegratnma
aeooociando que o general Tboada se
achara em rebellio aberta contra o go-
verno d Buenos-Avres.
Em Slonteyido havia socego ; receia-
va-se, porm, que as eleices jossem- am-
ianto agitadas.
Recebemos tambera pelo Bsi'/acio-daas-
de Soota Catharina at 25 do corrente.
Nada oecorrera de importancia.
IKe|>nrivr)i da polica.
2" seccaf-Secretaria da polica de Pernarabu-
S>, 1 de Wmbro de 1869.
N. 1702.-4-IHiii. e Exm. S>. Levo ao conheci-
mento ilo Vyj'xc. que, segundo consta das part-
eipacoei Mccbidas n'esta repartieao, foram
recolhidos konte.rt-; cusa dedetencao os seguiates
individnos:,
A' raiiiha ordem, Virissimo Jos- Joaquim de
Saat'Anna. c Manuel Francisco Pereira da Silva,
para averiguarles sobre eriine v feriinonios.
A' ordeiido siihJeleg ido Je S. Jos, Feliciana
Maria da HcaVn:ico, |Kr embriaguez e distur-
bio ; Antonio e Benedicto, escravos esto de Au-
gnslo Moni Machado, e aquelle de Franeelino Ma-
chado, por screm encontrados depois de 9 horas
da noute sem billete de oua scpjioras.
A' ordem da Boa-Vista, Januario Uorges de
Lvra, para farruta ; Joo Frujtuoso- por oistur-
hios; Joo Manoel do Xascimenlo, como indicia-
do em rime de furto ; Andr i'ortella, por.crliue
de ntrala em casa alttuia, e Jos osera>o Je Do;
mingos Martins do Rritto, por ser encontrado de-
pois de 9 hora- Jan unte sem bilhete de seu se-
nhor.
Deus guarde a V. Exe.Im. c Exm. Sr. se-
nador Frederieo de AlmeiJa o Al'ouquerque, pre-
sdante da provincia. O chefe de polica, Luiz
Antonio hWnandes Pinltciro.
W..WU, ...... ........ ..iv... .-. j.. .,,1, n, i <,0..<..^ v.- i Jai, HU .IIUIU UU lllLUIil p.ll.l UiMI Ui ya muuv,
seryn aqucll" dos trabalhadores, que Ibe parfenr1 WBWn.lo que venda ou mande solicitar dito
titulo.
3." scelo.
N. 059.Offlcio ao inspector da thesouraria de
fazenda.0 Exm. Sr. vice-presidente da provin-
cia, manda declarar a V. S. para os fins couve-
uiente-, que segundo panicipou o juiz municipal
do termo do Rio-Forinoso bacharel Jas lulio Ri-
guera Pinto de Souza, em offlcio de 22 do corren-
te, nessa data reassumio elle as funches do seu
cargo.
X. 960.Dito ao mesmo.De ordein do Exm.
Sr vce-presiJeute da provincia, communicoaV. S.
que sqgjtnJo o offlcio dfExm. presidente da pro
vincia po Cear de I! do corrente sob n. 2i, a 6
deste mez,. tomou^assento na assatnbla Jaquejla
INTERIOR.
BIO I) 13 I.4WKIUO
2& de nnveinhro.
Por purlaria de t) do corrale fui no-
meado Luiz Prospero UiUon para o lugar
de preticairto da secreiaria de estado dos
negoios da rnarinh.
Por decreto de \ do corrale foram
c.'iicedidas, em atteinao aos relevantes ser-
viro- prestados na guerra contra o governo
42
provii.eiaobac*iilioa^iail^Pas^oaJeMello do Paraguay pelo eapilai) do extracto 42
juiz J-direito darnoinarea deJacaratu. corpo de voluntarios di patria Thomaz
Pereirn Pinto e peta 41 sargento reformado
:iajHsB*{a de ti deste mea infama V. S. om que
i f 'gado o reo Gomefntlo, e.-cravo de E.
S. Arauj >, qae se acha em Fernando cunprado
atenea.
3" scelo.*
9S5-Portara ao inspector da 'hesooraria de
iaz4Ml.-*-Tnao o Dr. JosSoares deAzevedo, pe-
dide dispensa de examinar em geographia e histo-
ria dorasil uo concurso, a que se vai proceder
imanha ues?a thesouraria desgnei para o subs-
inlr ii i rofessor do Gvmftasio bacharel. Aut nio
jpel ifc Torre Bandara. O que declaro a v.
ira seu conbeciinoato e em aditamento ao
-ri offlcio de 23 do corrate.
N. 920.-Dita ao mesmo.Declaro a V. S. para
, rtf.nbecimeat e em additamento ao moa offlcio
:,-. Jo corrente, que enlto desigua Jo o profes-
. ir da Escola Normal bacharel Exeqaiel-F#anco
laminar em -aiithmetica o soas ap-
_o commercio, etc., etc., no concurso a
ae-ee vt-proceJer nessa thesouraria, em subs-
iliiieiiii ao tacharel Antonio Witruvio Pinto Ban-
teira c AVvii.1' d Vasconcellos, quo obteve dis-
Exeqnicl Franco de S para examinar em arith-
X. 92LDita ai jai;, mupicipal da 1' vara des- I metici e suas applicacoes ao commercio etc. no
i cidadjt. E observancia ao aviso do mmifterio concurso a que se vai preceder na thesouraria de
fazenda.
N. 843.Dita ao director interino da Faculda-
de de direiUr do Recite.Em observancia ao aviso
do ministerio da jutiga de 16 do corrente, haja
V. Exc. de enviar a cMa presidencia una lista dos
hachareis que tomaram grao nessa Faenldade nos
anuos do 1853 e 1854.
X. 9*4.Dita aos agentes da eompanhia Rrasi-
leira de Paquetes a Vapor. Podera Vmes. fazer
segnir para os portas do stil o vapor Giwird ama-
nhaa a ora indVada em seu offlcio de boje.
N. 94!*.Dita aos meamos.Os Srs. agentes da
eompanhia Brasileira de Paquetes facam receber
e transportar para a c&rte no vapor Guw por
conta do ministerio da marinha os dous recrutas
Justino Jos de SaM'Anna o Gercenio Joaquim
do Reg.
N. 946.-rDita aos mesaos.-Os Srs. agentes da
eompanhia Brasileira de Paquetes mandem dar
transporte pr,a a corte por com do ministerio da
guerra no -vapor Guar aos recrutas constantes da
relacao junta"assignada pelo secretario do go-
verno.
Relacao de que trata a portarla snpra.Anto-
nio Geratdo Soares, Eugenio Francisco da Silva,
Joo Antonio da SiWa, los Antonio Moreno, *ia-
quim Alves de Queiroz, Manoel Francisco dos
Santos o Lu los Barbosa de Vasconcellos.
N. WT.Dita ao gerente da Ompanhia Per-
nambucana.O Sr. gereme da Cmnpanhia Per-
naubueana mande dar ama passagem de estado
a proa do vapor IpofHoa aj o Aracaju a flay-
mundo Jos Teixeira.
KXPBWKNTE A8SI0KAD0 PKLO SB. DH.JOAQUI* CimnRA
DR ARAOJO, SEORRTABIO DO GOVRRKO, EM 30 DR
SKTRMBrO OE 1899.
i seccao.
N. 04b- effloiy ao Exm. Sr. general comraan
danto das arenas.De ordem de B: f!xc. o Sr. vi-
ce-presidente da provqca declare a V. Exc. para
fu onfceetment, que ^wr despacho desta data
ueava.
X. 'i7.-*Dila ao itwssbo.AtteBdendo oque
xpoz e Dr. Ludgero Goncalves da Silva, no re-
.ueriinente. que incluso aevoWo e a que se refere
a sua infofroacao de 22 da eorrenta, sob n. Si,
iori-o V. 9.'a mandar pagar por inteiro o orde-
uado do supplieante como cbafe da polica desta
provincia, a contar de jnnho asto anno visto ter
elle declarado em 2 daqnelle mas a'eeitar a san no-
uieaco para esse lugar do qual f>i exonarado por
decreto de lodo corrente,segmndo coorta-do jornal
official. _
_V 9i8.Dita ao mesnM.Wteommndo a V. S.
jue em observancia da a*tse4n*mle*n dt bas-
tica do 18 deste nwz envi, tofo que termine o
semestre adicional a secmtarta de estado mepee-
a Jemonstracio do'anetrfe despoodido du-
rante o excrcieto naneairo da t6M*>iMI em
os dWerentts ratnos de trrica-^laytBa a rgo do
-citado ministerio.
N. 929.Dita ao meaaao.-^afftand de wriso
>la repartieao du intanrin 4
di lo agprpjadjj
I*
de igual
lo termo da Panellas coas
)WMH
SBR,
X. !)l.Dit. .O.Exin. Sr. vce-prc
sidenle di proviuca, manda declarar a V. S. para
as J|m convenientes, que segando.panicipou o juiz
de Jireilo da comarca do Rio-Porrnoso, Dr. Marcos
Correa lia Cmara Tamarindo, em offlcio de 22
doste mez, nessa data assumio elle as funecoes do
dito cargo.
X. 962.Dito* ao me^mo 0 Exm. Sr. vce-pre-
sidente da provincia, manda declarar a V. S. para
os fins convenientes, que segundo partieipou o
jaiz municipal e de orphos do termo de Villa
Bella bacharel Angelo Caetano de Souza Coussei-
ro, em officio de 16 deste mez, nessa data deixou,
por ter completado o quatriennio, o exercicio das
funecoes do dito cargo. *
X. 963.Difc ao mesmo.S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia, manda transmittir a V.
S. as 11 inclusas ordena, sendo 8 dotrib.mal do
thesouro nacional sob ns. 147, 149 a 151,154, loo.
157 e 15s, 2 do ministerio da guerra datadas de 9
do corrente e 1 emduplicata expedida pela repar-
tieao do ajudante general da" repartieao dos nego-
cios estrangeiros, apresentada a asserabla geral
legislativa.
4.' seccao.
X. 964.Offlcio ao director geral da repartieao
da agricultura, commercio e obras pubcas.S.
Exe. o Sr. vice-presidente da provincia, manJa
aecusar receidos com o officio de V. Exc, de 11
Jo crreme, 30 exemplares damemoria sobre
migr..eao chiueza publicada por detfberacao do
Est. Sr. ministro dessa repartieao.
. 965 Dito ao director geral interino da se-
cretaria, de estado dos negocios do imperio.S.
Exc. o Sr. vice-presidente Ja. provincia, manda
accimar recebido. como ofliew Ue V. Exc.Ue 6 Jo
crrente, o titulo Je uaturalisaco Jo suhdito por-
lugnox Joaquim Tuixeira Bastos.
X. 9C6.Dito ao Jirector geral interino da ins-
irueao publica.S. Exc. o Sr. vjce-pres'ulonte da
provincia, manda declarar a V. S. euirusposta ao
*n i lucio Jo 29 do torrente sob o. 317, que tiesta
Jala flca expedida a conveniente ordeni para ser
dc-spnnso du servido de aqiurtclaraeuto o guarda
do 3n batalhao Je. infantera Gabriel Arcbanjo de
Souza Luna, visio ser aluuiuu Ja escola nocturna
Ja fcejLiiezia da Boa-Vista.
X. 967.Dito ao Dr. secretario do governo d,a
provincia do Cear.Xesta i\aia remeti ao Dr.
Adolfo Generino Rodrigues dos Anjos o offlcio quo
para ter esse destino V. S. me envin com o seu
Je 22 do corrente.
X. 968.Dito ao Dr. AJ#IIo Generino Rodrhues
djs Anjos.Remello a Y. S. o iueluso offlcio' que
para Ur esse destino me foi enviado pelo secreta-
rio'da provincia do ftear am data de 23 do cor-
rente.
X. 969.Dito a Joaquim Teixeip Baalos.Pela
sacrslana do governo se coinmnaica ao^IUm. Se.
Jwquim Teixeira Bastos, que exisle na mesia se-
cretaria para le ser entregue, denota do pagjs os
direitis devidos, o seu titulo do naiurali^j^o de
cidadaa brasiieiro.
N. 970.Dito a compaflhja Jnjdjia ,toftbern
Asaprauce CympaQy.-Pela swreWado*i(arao
se conimnnica a eompanhia mgleza rvwll^n.A-
do 4" batalhao de infanlaria Virgilio Alfre-
do das .Noves, a este as honras do posto
de alfres e aquello as de capilao do exer-
cito.
- 27 -
S. M. o imperador, acompanlmdo de
sens semanarios, cegou hontem s 9 i/2
horas da manhiw m> arsenal de marinha,
onde visilou as olficrnas de machinas,; em
seguida, embarcando na galeota Imperial,
e foi armaco, d'onde voltando I hora da
tarde desembarcou no arsenal de guerra.
Por decreto de 24 do corrente fi con-
cedida a. ejooeracjio. qpe.pedio o bacharel
Beoto Luc de Oliveira Lisboa do cargo de
presidente a provincia de Santa Camarina.
Por car imperial do mesma data foi
oomeado para o dito cargo o bacharel An-
dr Corde de Araujo Lima.
Por decretos' de 19 do corrente mez
foram nomcadb o Dr. Miguel Teivc e Ar-
gollo, pr-estesUe elloclivo da ImperijI las-
liluto-Bahiaoo de Agricultura, e o com-
mendadr Egas Moniz Brrelo de Arag5o,
Ihesoureiro do mesmo Instituto.
Por decretos de 27. de corrente foram
noraeados Alfonso do Reg Barros para o
lugar de administrador do correio da pro-
vincia de Pernamboco e o Dr. Francisco
de Macedo Costa, para igual lugar na da
Babia.
30-
Fbi exondado o bocbarel Evaristo de Araujo
Cintra do cargo de 2? vice-presidente da provincia
de Gopz; por se ter modado para o Rio Grande
do Sul, onda exrce as fcraccoes de juiz de direito
da comarca de S. Unja.
Passsarampara3 vice-presidonte o 6*, bacha-
rel Joao-Augusto de Padoa Pleury, o para 5o o 4",
coronel Joao-Nones da Silva.
Foram horneados : 4-" vtee-presidento Benedicto
Flix de Souza. e 6" o core-nel Francisco Jos da
Silva.
Por decreto de 97 do eorrente fiwam concedi-
das, era atienen aos relevantes servcos prestados
na guerra conira o governo do Paraguay, honras
de postes militares do exorcito aos individuos abai-
xo mencionados :
De enfilan:Aos capitaos : do 10" corno provi.
sorio de a vallara da guarda nacional do Rio
Grande do Sul Verissiraanda Costa Vallo, e do 14*
corno dito Bernardrao da Costa Pacheco.
De tenentc:Aos lenles : do 54 de volunta-
rios da patria Victorino Jos Dtas Cadete Jnior,
o do extracto 24 dito Ricardo Loan Belforl Sabino.
De alferen.KM alfere* T do 55" corpo dito
Olympio Lniz Goncalves de Xoronha, do extinelo
26" dito Antonio Leal de Miranda, e ao ex-alferes
do 50 dito Francisco Corroa de Mallos.
Por despacho de 25 do corrente foi concedida a
Manoel Joaquim Viera Botelho a demssao qiie pe-
dio do lu^ar de praticante da thesouraria de San-
ta Cathorina.
Por decreto de 26 deste mez foi perdoado o
resto da pena de seis mezes de pnsao que o for-
riel do oorp de imperiaes marinheiros Francisco
Antunes Terceiro eslava cuinprindo por sentenca
do conselho supremo inditar de juUi^a.
Por otros decretos da-mesma data foi demitlido
Flix Pereira Dourado do lugar de almoxarife do
arsenal de marraba da provincia d > Para e no-
meado para este lugar Francisco Xavier Rodrigues
de Moraes.
Por caria imperial de 4 do corrente fot
naturalisado o subdito porluguez Jos dos
Santos Cirvalho
Por decretos da mesma drta foram con-
cedidas as seguinte.s pensoes, que fieam
pendentes de approvaco da asserabla
geral :
A D. Quintilla Feliciana dos Santos.l'ru-
copio, vinva do tenente do 89* corpo de
voluntarios da patria Jtodolpho Joaquim
Procopio, a do 21$ mencaes.
de S Ate. o Sr. vtee-pNsMaate fa
etaro a H. Bse. em resaosta' o
ia de-
flWodeW
da nafrante seo.am'qno pnde-fazer seguir para, drectflPt ja mem
a orto fie vapr 9**ri os dous recrutas Justino
Jone d ant'Anoa, *> 6erenio'JaqiUm do llego,
para quo (team espedidas as cenvQntentes oMns.
y do a^so da
o obras pu-
que o
unmnio em
sunnee otnuauy.qoe.lfijpndn
rep.iTlicao da agricultura, /Coto,
lilieis Je 16 do corrente, d
governo possa resolver sobre g
que a bw> *n\*
estender suas operaftoee a
imperio sugeiiiivlo -se as clausulas do decrete
n. 3,811 de de maren de;M?,que Jobo Uberi
fxbba % arocu^"
las
rerein npnj9_d^la.,n
Por tetegramma recebido hontem sabe-se
que ebegou ayeslerro anle-houlemo trans-
porte Bonifacio. Sabio de Angustnra >p.
dia 9 do correle s 3 horas da Larde ;
chegou a Montevideo no da 22 s .'i lioias
da tarde, e Santa CiHiarina ao meio-dia
de 25 ; nao foi Assumpco por falla
d'agua
Da guerra nada ha de importante. S.
A. o Sr. conde d'Eu gozava saude.
28
Entraram hontem do Rio da Prafca o va-
Lpor inglez Gtyof Hi< de Janeiro, o (raonez
Poi'ou e o transporte de guerra Bonjfacio,
pelos quaes recebemos folhas .ai.^1 do
correte, alarde.
As correspondencias da Assatmpco at
data de i 3 nnda de positivo mencionam,
relativamente u guerra, reerindo ?penas
que alguns trnsfugas das. torgas de Lpez
asseveram que entre os seus se suputiba
ter este fgido, pois que nrajjuem sabia.
oode parava. Accrseeutam que cinco (a
milias sabidas de Santa Rosa tinham viado
dar s nossas lindas anoonciando que o
exercito e as familias paraguayas estavqm
indecisas e perplexas, por qp.e hav^4rea
semanas que nioguem sabia o que liaba
sido feUo e Lpez. Suppunjvam o i
elle morrera, outro6 que s refriara jooto
do J5all.,de.^uay4r ; arauHos sql^i*!
mham de iamtai cto&ceam da mmw
de Caaguay de*mdeod os ossos .$*
p^meotos. jy^o meaos o qu jrM
a*,tfcesp^Bhte* dA&oUias do Rio da
Prato.
O eetade drupoUr^ ^geptioa m
O vapor Santa Cruz entrado hontem des poT-
tos do sul trouxe-nos datas do Porto-Alegre at
15, Rio-Grande 20 e Santa Catharina 26 do cor-
rente.
O presideuta Ja provincia de S. Pedro Jo Sul,
acompasado da, chefe de polica, partir no dia
17 para Jaguarao e Piratiny.
No dia 18 evadira-se da eadea da cidado do
Rio-Grande o.reo Eduardo Augusto Po.rejr, con-
demuaJo a 7 annos da priso com tiidialho, como
assassino do policial Eirmno.
Xa mosma cldade fallecer o proprictario Jacta-
tho Alves Borges, subdito porluguez.
Lesa no. Rio-Grande me da capiBn: i
Com referencia ao que. publicamos em Jia^y
de seteinbro ultimo sobie o assassinalo de.Autonnr
Martins Fortes Jobim, cujo cadver foi encontra-
do* a 2 de agoste^anterior em- um vallo no torno
doS. Gabriel, tomos'a actraseentar que por llicio
do doulor (leleijado de polica Jaquel lo termo ao
doctor ciiefe. de poli^ia consta que sendo proces
saj s pela siiBdelegacia do districto Vasco
Gnedes de S'imiir, sobre qom reoahe a proba-
teldjsbA ler assassinado aipielle J iudicTados.ou ev#niventes no inesmo crime Aman-
ci Gueites de Siqueira e Marcos da Cruz Jobim,
este irma do morlo o aquelle cunhado, todos
presos.
A aulorklade proeessante, bem como o don-
lor delegado de noticia, se osforenm para descu-
brir no mysterio desl marte o-autiM" de.lla ou o.
motivo que a determinou.
De Santa Catharina nao ha 'noticia algnbia
de interesse.
maiores males.
Felizmente a indote da nossa mondado excel-
leme o a reflexao a lera feito reconhecer que tri -
maya um caniinho aado. Sobretodo o amor a. fa-
milia desviar essos mojos de travarera conflictos.
3ue podem cansar a seus pa's e parentes serios
esgostos. E', piis, en nome de snas familias, e
por amor debes mesmo, esperanea da patria, quo
mes pedimos que nao formen mais aj ornamento*
tumultuosos, que nenhun polica, em quaesquer
maos que' ella eslvesse, podbria tolerar qne con-
tinuassem a perturbar o socego da eidada.
Suppor dB'parle de quem querque seja m ven-
taje moddade, Vabsurd.; todos temos filhos ou
prenles, qno sao, Ibrara ou ten da sor estnibmtes.
A causa delles a de nos todo*, no lia quem nao
Hueira realmente o seu bem.
Anda umn vez repetimos q.u ignoramos como
se passaram os faqtpo. Sobro o de hontem en-
viara-nos' da secretara da polica a seguinte com-
municagao,' que pubhcamos, o*ewando a qnem
quizer o direito de reclamar contra qsialqner ponte '
que lhe pareja menos exicto:
Gemquanto houvesse hoje 2JX grande numero
de estudantes e pessoas do povo na romediacSes
do extrnalo docollegio de D: Pedro H, nao so dea
alli, todavjai fado algum dMasrartttvet, empregan-
ao o f delegado inccssantuincnte e com bora re-
sultado medidas adequadas momnencao da
ordem.
Oatro tanto; porm, uo acontecen fra da.-
qaelle lugar.
Om grupo numeroso, tendo a frente oqjlr.
Fernanda Francisco da Costa Ferraz, pereorreit
as ras proferindo discursos qaasi todos com re-
ferencia nolchi das oceurreneias do da 27 qn
a polica dera pelo Jornal (lo Coautvrcio de boje.
Este grupo de-mil pessoas tal vez, era composto de
alguns estudantes de prepiratorios, e de inuitos
da escola central e da faculdade de medicina. A
poltica era em alta voz diseada no grupo, inju-
riando-se e vituperando-se descomeJidamente o
governn, etc., ote.
I!oiiosassustadores apparoceram, ea auteri-
dade teve de providenciar para nao se effecluar
sua realisaee.
< Api-esentou-seboje na secretaria de polica
um esludante qaeixando-so de haver sido espa-
deirado por um urbano, c procedendo o medico a
minucioso exame, em prosenga de cio pessoas
qne o acompanharara, veriheou-se nao existir
signal algnm de olleusa pliysica.
Tem-sc esforzado a autoridade era empregar
os meios consentaneos a evitar a alteraco da.
a rdem publica c da seguranca mdividual, o nin-
gum em boa >f-peder conlostar asumma mode-
rarlo cora qne se-ha portado. Este estado do
cousas, porm; nao deve continuar, a lei nao to-
lera seraelbantes ajnntamentos, que podem do re-
pente tomar carcter perigoso e occasionar matas
irreparaveis. Aos-pas incumbe aconselhar sens
filhos, para nao (azaren) parte de laes reunios,
e aos bons eidada* corre o devor de respeitar a
lei e de garantir a ordem publica em bem da sui-
cidado. -.
1; de dezembro.
Por ttulos d-2) de novembro ultimo foram no-
raeados :
2." escripturario da Miesonraria- das Alagi4a, o
amanuense da respectiva secretaria Estanislao
Wanderley.
Praticante i da do Varanh.), Alvaro Cesar Sloa-
sinho c RanJoljiho Mnnlroso Rosklin da Silva Mar-
tins.
Por decretes de 23 de novembro ultimo foram
unmeados :
Presidente effeciivo d% imperial instituto per-
nambucano de agricultura, o conde da Brta-Vteta.
Vice-presideato da directora do referido insti-
tuto, o Dr. Francisco do llego Rarro* Barrete.
Por portara do 27 do corrente mez foi noaaia-
do'o hachare! Jos do Cupertno Colhri Cintra di-
rector e engenbeiro da colonia Santa Leopoldina,
na provincia do Espirito-Santo.
Por portara da mesma data foi demittido. por
assim convir ao servico publico, o Dr. Francisco
Besdio do lugar de-director da colonia Santa Leo
noldina, na provincia do Espirito-Santo.
Por portara de 27 do corrente mez fot Hornea-
do Carlos Peletan agrimensor da colonia Sania
Lcopoldius, na provincia J i Espirito-Santo, como
vencimento diario Je 3*30',), flxndo no art. 13 do
regulanjenlo le 18 de maio de I85i.
Por portara da mssma data foi exonerad Joa-
quim Alvares dos Santos S Miza do lugar de agW-
mensiir da eommissao que exercia e engonheiro
HMIoel Gomos-Borges, na referida provloai.
Por carta imperial de 2-7 de novembro (indo foi
nomeado cavalleiro da ordem Ja Bosa Fordinand
RilnS, archivista da emlxiixada da Frauc em
Viemia.
Por decreto da mesma dala foram nomeadns
cavalleiros da ordem de S. Bente de Aviz o capi-
lao Antonio-Augusto Sarment e o capilao- com-
missionado no posto de major Antonio Pedro da
Silva.
S. M. o. Imperador, acoiupanhad. Je seus
pare,s,doSr. ministro da marinha, e dos pynci-
paes kinccionaris do arsenal de marinha as-
Bistio bontom experiencia da cabrea llucluante.
A cabraa pode auspeader pesos at SjiO tunela-
iLis, par weio de uan- guincho movido por urna
machina efe ferc de 8 cavallos, que tambera poe
em gyro, dous cabrestnte?, mocados^ sobre o
coovs e destinados a manobrar o pomo. O al-
cance da. ct*ea 6 de i metros.
A experienoia (oi feila. cora um.batela> de co-
brtn do servico do arsenal, com lastro para per-
faxer o peso de132-' tonelada.'*.
Por occasiao dos exaoies do preparatorios tem
s dado nos uliiiBus djas, enli-o os osluJanies, os
examinadores o a pollcia, desagradavais acopteci.
.mentes, de que po,podemos consptuir-no* narra-
Mores, por isso que nos absolutamente impossi-
vel averiguar a verdad* oui todos os seus porme-
nores Muitfts vnflBS urna poquena queslao. de
tacto pode lser pead>r a balanca da razao para
um ou outeolado; entretanto no meio de asser-
coes contraditorias nada mais difflcil do que preci-
,sar esse raesrao laclo. Sao raro teaualus nc-
culares afirmaren o tna|rario urnas das outras,
[e estaremxMBiudn de boa l.
Do que naTresta duyida que alguis mocos
arrastados pelo cdtof'do sangue o oxallaeo pro-
pria da idade, an*raram-se a daptorawiis *aes-
sos, quer da partedp Montes svbalteruos da pa-
Sobre as oc,eurroncia< da ra cora-nanicam-noa
da secretaria da polica :
i Das informaciies eothidas esuka o seguinte:
Al 1 1/4 hora ca larde nao oecwreu nuvidadn
alguma as proXimHlades do extrnalo do colte-
gio de D. Pedro II. A essa hora, porm, um gr-
po do mais de iO- pessoas, entre as quaes se
iehavam estudane* do preparatorios, da escola
central, da laculdade de medinina e dn oatra
emsses oomecnu a (azor oorrorias, implieandu com
o transentes, -praticaad', actos menos conva-
nientes.
DeolnTon-se-lhes me alargo seria evacuad.
por meio da forca se nao gnardassem a ordem, e,
orno nao nttcwtessem a essa intiraa fol/v
grupo dispersado por qnatro praoas de eavaltiia.
depois 3e alguma dMcutdnde, em que entretno-
lo qualqner pessoa fosso maltratada.
t Retiraranvsc dizenao ipie iam ao Club-da
l'.oforma receber instruecocs ; mas, passando pelo-
largo de S. Francisco d? Paula, onde harta pairo
[Ibas de cavallaria, seguvam em magotes pala ra
,do Ouvidor seos passarem. n> Club Ja Itetorma.
mem ora (rente s typogrnplas, diisotvae
(gradual e pacilfcainente o njtinlmnemo, sa.las-
tir im inUnwelto que, na ra do OnvMb% esqpiBa
Ja abwcSrves Das, Aaeram algomas. praoas da
gnarda urbana para s retirarein. Sfcdn noraa-
bro.
lieia Ivuuvi
queslao em
perior con
que eflecti
'.Ifeo
deleito
> nao algu,n abuso do for^a,
entramos. A autoridade su-
destes ponfes, e eonsla-aos
. nstetuoaaoi
se iulsavam Mam** Pr
inte oudos examinadores,.esta.-
Desde^potem, qu ep
i
jt slrraa,pmos tumultuosos, ciarv,
?l^j
Hontem, 1 bora da tarde, teve lugar no sala-,
da praca to Caawnoroio a nlatoo da juula Je cor-
rectores que lem de servir no aao< do (970. EV
coi cemposia dos Srs. Booclenno Bruce, Fnp-
cmo Adioan de Feria, Paulino, do Oliveira e Sou-
za, IbmrbpM Harper o Franoibco Domingos He>
cbado.
C iminunicam-nos da snerolaria da polica:
Pcneedeado-ss no trnalo do eoltec! > de
Pedra aoaenma de luoparaterios, foram. a-
viadoa, avUla de requvicau doinspeotoi gjaral da
insicuccaa pnbbea qnaMe roanos i paisana ate
lio, roltadi i m no prasari do odibrip n na tfCans
dn,apera dos aluranoa, impodirem qer> se'paawr
sem tumultuariamealn de urnas para ouiraa >
a lzessom algaaarvn que nerturnaedo o*
das mesas exa ninadoas. Aasisa se tem feito i
anees anteriores,
Xa da 2nsofftx*ana!f^ateAit r dfitfcz^sQr^s-Kaijao o.ajqma violencias, vmlando oomasi
> i
.

xi*
ugn


i
Diario de Pernambuco Qwirita feitft
--------------- -'.-- "> ------------------------------------'
9 de Dezembro de 1869.
.j
te dsse outro

pas rasgadas, sem qae, entretanto,
desaguisado.
No dia 7K as 10 1/i da manha, a'inspcctn-
ra da instrncco publica rcquiaitou do commau-
dante do segundo districto da guarda urbana pro-
videncias, visto estarem os estndantes,- e outras
pessoas reunidas em (rente ao extrnalo, aneando
yedras para o edificio, quebrando as vidraeas das
jaaetlas, dando vaias e ineommodando os tran-
sentes.
Seguio logo o coramandante do districto cora
algumas pracas, e ahi chegando ubservou que os
ostudanles era grande nume/o arrojavam podras
M externato e as casas visinhas, que llcaram coui
as vdr?cas quebradas f"
Os estudantes e ooiras pessoas all reunida?,
talvez mais di tresentos, logo que avistaram a
torca, deram gntos i morra a policia e accommet-
teram-no coin pedras e paos, atirando estalos ful
minantes. .
O commandante da torca, assira inopinada-
mente e sem razio aggredido, vio-se toreado a re-
pellir a aggresso, tendo serapre em mira defen-
der se. Evacuado o espaco prximo porta da
entrada, eontinuou a torca na Urelade impedir no-
vos disturbios, que de continuo eram provocados.
Immediatamente seguio para o externato o
Dr. i" delegado acompanhado do commandante
geral da guarda urbana, e deu as convenientes
providencias para o caso de novas violencias. Os
studantes a principo deram algumas vaias, e de-
poisarremeteram contra a porta do externato, que
osla va fechada, sendo nessa occasio mandado
apresentar ao Dr. chefe de policia Joaquim lluei
Bacellar, estudante do o." anno da escola central,
que se raostrava possuido de mais ardor, mas, nao
obstante, toi mandado em paz, depois de admoes-
taflo.
Os estudantes, que acompanharam Joaquim
Huet Bacellar secretaria da policia, regressaram
depois para o extrnalo, dando vivas e vaias, e,
erigndo em tribuna a janella de urna casa da ra
estreta de S. Joaquim, proferiram discursos todos
etles, se nao criminosos, ao menos inconvenientes,
laucando o ridiculo sobre a torca publica, etc.
Nesses discursos distinguiram-se um lilho do con-
selneiro Salles Torres Homem e outro estudante
de nomo Liberalli, ambos da escola central. No
grupo dos estudantes achavam-se os Drs. Silve
ra Kartns, Dias da Cruz e Silva Pinto, o tenente
Soares,.alguns trabajadores do arsenal de raan-
nha e diverso* outros individuos, que costumam
comparecer em lugares de reunido.
t Os estudantes ao regressarem da secretaria
da policia, provocaram com palavras injuriosas os
moradores da ra do S. Jorge, e quebraram os vi
dros das vidraeas das casas ns. 7,11 e 27, e a ro-
tula da de n. 4o. Depois das 2 1/2 horas da tarde,
J o grupo mais reiuzido, descendo pela ra do
Ouvidor, fei casa n. Cl da ra dos Oun-
ves, pertencenle ao Club da Reforma, habita-
da pelo Dr. Rangel Pestaa, e collocando-se em
trente mesma, sendo acompanhado dos Drs. Da*
da Cruz e Carlos Ottoni, pronunciou longos dis-
cursos dando vivas repblica, etc.
O chefe do policia recommemlra instante-
mente toda a moderacao, afim de evitar conflictos
com joven* inexperientes, aculados por pessoas
mal mencionadas, sendo certo que apenas so em-
pregou a forca em defeza propria e com toda a
cautela, como' Boa exposto Nada consta relativa-
mente ferlmontos ou contusoes, e ninguem disso
se queixou at agora. Procele-sc, nao obstante,
a minuciosas indagacoes.
t Com os estudantes de preparatorios achava-
secrescido numero de estudantes da escola cen-
-tral e da faculdade de medicina, al.n de outras
pessoas que ardentemente, e sol) frivolos pretextos,
incita vam aquclles mocos reprelicnsiveis ex-
eessos.
da de ferro, servida por nimaes, da corto ao
bairro de S. CuristovZo. Pelo largo de S. fran-
cisco de Paula e ra da Lampadoza, junto da es-
tacao principal, estavam estendidos 14 carros, que
partiram s 9 l|i horas, levando os convidados
Ao ouegarem os carros ao porlo da Corda, en-
traram no que ia na frente, puchado por quatro
cavallos, SS. MM. o Imperador e a Imperatriz, a
princesa imperial, os semanario e o mtnistro da
agricnliura e voltaram ao dito largo com os mern-
bros da directona da companhia que esttvam pre\
sentes. .
Alli toi servido um almoco i familia imperial no
sobrado, e aos outros convidados n'uma das co-
cheiras. ...
Fizeram-se varios brindes companhia, a cida-
de do Rio, cmara municipal, ele, sendo encer-
rado o festim pelo brinde de honra i 8. M. o Im-
perador, proposto pelo Sr. desembargador Jeto-
nymo Martiniano Figueira de Mello.
O cambio regulava sobre Londres a 10 J/i
d. por 1*. ,
A alfandega rendeu no mez de novembro
2.776:281*265. a _
Os soberanos () vendiara-se de 12*5b0 a
12*370 cada um.
Sahiram para Pernambuco: a 30 do passa-
Jo, barca portugueza Xovo Silencio e patacho di-
namarquez Dorothia.
Fjcavam carga para Pernambuco : barcas
portugueas, Claudina, Coica, Amelia e Nova
Sympathia e lugre Julio.
Baha.
No dia 28 do passado procedeu-se na provin-
cia a eleicao de depulados respectiva assembla.
No collegio da capital (Io districto) obtiveram
maioria de votos:
Freir de Carvalho
Monteiro ,.
Pacheco Brando .
Ilorta
No dia 27 do passado hoave ntn pe-
queo incendio no trapiche Novo, cm Jan-
gua, produzido por um foguele qae cahio
no telliado. Apenas ficaram damnificadas
20 saccas com algodao.
PERNAMBUCO.
211
201
197
178
Manoel
Jeronymo......... J?6
153
152
832
819
812
799
798
797
793
782
638
Rocha
Correia Garca .
Nos collegios de S. Francisco, Cachoeira, Santo
Amaro, Tapera e Camso (2o districto) toram mais
votados :
Commendador Manoel Galdiuo d Assis .
Dr. Francisco Muniz Brrelo de Aragao .
Dr. Olympio Manoel dos Santos Vital .
De3emba gador Antonio Catmon du Pin e
Alireida........
Conego Henrique de Souza Brandao .
Dr. Joo Garcez dos Santos .....
Cngenheiro Jacome Martns Baggi
Dr. Araerico de Souza Gomes ....
Dr. Amerco Muniz Brrelo da Silveira .
Nos collegtos de Nazareth. Jaguaribe e Itapanca
(3- districto) obtiveram maioria :
Joio Marlins.......... J
...... 145
...... 145
... 145
..... 144
...... 141
...... 139
...... 138
..... 135
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIFE, 9 DE DEZEMBRO DE 1869
Noticias do siil do Imperio.
Hontem. depois do meio da, fundeou no nosso
Siarto o vapor Pirana, trazendo datas do Rio de
aneiro at 1, da Baha at 4, e de Alagoas at 7
do correte.
TlIEATRO DA GUERRA.
Ao que publicamos sobre a rubrica Interior,
tamos a acreseentar o seguinte, que trascrevemos
ao Diario do Rio.
Dos jomaos que recebemos extrahimos as se-
grales noticias :
. O Tiielegrapko Miritimo de 2") diz .
As noticias recebidas hontem annunciam que
mais alem de S311U Rosa est o exercito de Lpez
e grande numero do familias, sem saber que a-
zer, porque se diz que Lpez desappareccu, nao se
sabe para onde, abandonando todo o exercito.
Ao Rosario do Paraguay chegaram cinco fa-
milias que do esta noticia e varios soldados a
conflrmam.
Entreunto na Tribum de Buenos-Ayres de
20 encontramos a seguinte corresoondencia :
t Urna pessoa autorisada de Assumpcao, em 14
do crreme, nos escreve a seguinte caria, que alem
das noticias que da sobre operaeoes militares, traz
um paragrapho que repulamos de impo:tancia,
' razo porque damos a esta carta un lugar prefe-
rente. Copiamos o mais substancial.
O principe reuni alguns elementos de mobi
lidade, afim de dar um golpe decisivo sobre os
restos do inimigo, de combraaeao com o general
Cmara.
Uma parte daquelle, est em Iguatemy e par-
te um tanto ao norte, talvez em direccao da Boh-
wa, segundo alguns passados e entre elles um
cura.
o Do lado da Conceico. algumas torcas dadi-
\isao de Cmara encontraran! duas partidas inimi-
gas : urna em Bella-Vista porto do Apa. S cora
a presenca de. nossos soldados, os mlinigos fugi-
rana, deixando eio nosso poder seus cavallos en-
silnados e doze prisioneiros.
Outro tanto succedeu com fuma partida en-
contrada em S. Salvador ; 80 homens de cavalla-
ria brasileira a dispersaram completamente.
< Isto como feito de armas primeira vista nSo
tcm importancia positiva; porem tem o rauito
grande, se se considera que o inimigo j nao faz
um apparato de resistencia, o que me faz crer
mais que nunca no tira proxiniB dosta campanha.
No meio do consolo que esta idea me produz
nao deixa de aflligir-me que uma parto da im-
prensa argentina, pelo motivo da viagera do mi-
istro das relaoes exteriores se entregue a com
montanos e retlexoes que pretenden) fazer crer
que ha desintelligencia seria entre os alliados.
A este respeito posso garantir que nunca toi
mais intna e perfeiu a eordialidade do plenipo
tenciario brasileiro, com o goveruo argentino, O
Sr. Paranhos, longe de oppr-se sahida de uma
parte da- torcas argentinas, consta que indicou
a sea govento igual medida a respeito das torcas
nacionaes.
Ulk OKIl.ABS
No CoKseroador, da Campanha da Princeza,
de 20 do passado. le-so :
No da 31 de oulubro prximo paspado, cahio
sobro o arraial do Carino, municipio da 'Cristina,
uma das mais horriveis tempestades, acompanha-
da de podra, de que na noticia por estes lugares.
< Todas as casas soffreram consideraveis estra-
gos ; a igreja da parochia geno en lamentavel es-
tado ; grande numero 4e arvores dos quinUes e
airedores toi denibado; par toda a parte eram
vistveis os 'eitos destruidores da medonha tor-
Coosta-iits que sucumbirn) at, victimas das
grandes pedras que eanirara, duas criancas do
arraial.
A roesm* tolha d, em dala de 11, a noticia se-
pointe:
Prximo ao ribeiro de Santo Antonio, desta
-cidade, acaba de ser descoberu urna tonte d'agua
larrea que, asegurm-nos, sao em nada infe-
rior s geralmenle conhecidas de Baependy, Aguas
Virtuosas, ambof|uira, Pic, etc.
G01AZ.
O Rvai. diocesano achava-se era visita pas-
toral na cidade1 da Uberaba. Alli receben-se noti-
cia da morto do mego Jos Joaquim Xavier de
Barros, vigario geral do bispado e parodio collado
na cathodral deSant'Anna de Goyaz. 8. Exc no-
meoa vigario da vara, encarregado do expediente
ccclcsiastieo na capitel o Sr. conego Joaquim Vi-
cente de Azcvedo, investido das faculdades geraes.
s. PAULO.
Do quartel do contingente da guarda nacio-
nal, em S. Paulo evadiram se un dia 20 do passa-
do, dous galos, Joaquim Pedro e Albino Jos de
Ovcira : este toi mais larde capturado.
ProcoJora-sd na mesma capital exbumacao
do cadver de uma preta, eteravo de C. Boorrul,
sendo e estomago (ovado pela policia para proee
der aos necessarios oxatnes.
SANTA CATHARWA.
__Asumi? as redeas da administracio da pro-
viuda o segundo vwe prosidonte Dr. Manoel N. da
P. Galvo.
BIO DG JANBtBO.
No dia 2 j do passado fot au;arada a stra-
Canto Brum...........
Pedro de Ahreu.........
Romualdo de Seixas........
Ramiro Monteiro.........
Pedro de Argollo.........
Abellardo Alves.........
Correia do Araujo........
Emygdio dos Santos........
Lemos no Jornal :
A commisso central dos soccorros pblicos
enviou para Alagoinhas no dia 30 de novembro
100 saceos com 2O0 alqueires de farinha, 60 arro-
bas de carne secca, e 20 saceos com 60 rlqueires
de feijo. .
No dia 2 do oorrente mandou para a Cachoei-
ra 100 saceos com 200 alqueires de farinha, 90
arrobas de carne secca e 21 saceos com 63 al-
queires de feijao. ,
e As remessas feitas para Alagomhas devem
ser partedistribuidas com os inmigrados qu
nao poderem ganhar a vila, e parteremetudas
p ira os pontos mais necessarios, como Barracao,
Monte Santo ele. _
t As que toram para a Cachoeira fao tambera
destinadas aos logares mais perseguidos do sertao
pelo lado da Feira, Camiso etc.
Outras remessas sarao feitas com brevldade,
at que venhain melhores noticias do interior.
No dia 30 do passado seguio par Sergipe o
tenente coronel Francisco Jos Cardoso Jnior,
presidente nomeado para ossa provincia.
Chegou nesse dia, procedente do Pernambu-
co, o brigue escuna de guerra Tonelero.
A alfandega rendeu no mez de novembro
718;8tU8U rs.
Lemos no Americano da Cachoeira :
1 Um nosso assignante da Conceico da Feira
communica-nos o seguinte :
Ha n'esta freguezia uma mulber casada ha 3
annos cora Autonio Alves de Souza (crioulos), e
no decurso d'esle tempo tem tido 4 partos suc-
cessivos, de cada um tem dado a luz dous filhos,
dos quaes eslao vivos tres, ip d'esses parios toi
abortado, pormos fetos j se ^chavara em estado
de distinguir-se o sexo. ^-^
Outra raulher casada com Seraphim Alves
de Souza (ambos pardos) deu a lu em 1865 3
fllhos de um s parto, e todos at o presente
estao vivos, apesar da grande pobreza em que
vivem os pas.
As criancas comecaram a andar, uma cora
idade do um auno, outra de dous e outra de tres
e meio.
< Foram todas amamentadas pela propria mai,
auxiliada apenas por uma cabra (bicho).
O cambio regulava sobre Londres 19 3/4 a
19 7/8 d. por 1*096. rs.
SERGIPC
-7- Presiou juramento e tomou posse do
cargo de chefe de policia, no da 29 do
passado, o Dr. Jos da Motta de Azevedo
Correa.
A presidencia da provincia contratou
com o Sr. Horacio Urpia o encanamento
das aguas do rio Pitanga para abastecimen-
to da populacho da capital, obra autori-
sada pelos orcamentos provinciaes de 1865
66, art.26 186667.art. 31 e
1868-69art. 2o.
Lemos no Jornal do Aracaj :
O capital) cirurgi3-mr do commando
superior da guarda nacional dos municipios
do Lagarto e annexos foi em dias do mez
passado pronunciado no art. 192 do cod.
penal, pelo facto deter, na villa de Ha
baianinba, concorrido para a morte de
uma creanca a qaem propinoa alia dse de
opio por occasiao de fazer uma operado
cyrurgica sobre diversas manchas que ap-
pareceram no rosto da me-ma creanca.
Alagoas
No dia 2 do corrente foi iostallado,
na cidade de Macei, o Instituto Histrico
e Archeologico.
Acerca dassa fesU lemos no Diario das
Alagtas :
Terminada a solemniade do cortejo,
teve lugar na sala principal do palacio da
presidencia o acto da installaeio do Insti-
tuto Histrico Areheohgico.
S. Exc. o Sr. presidente, depois de
proferir um cloquete discurso, declarou
installado o Instituto, presentando em
seguida os estatutos, que o devem reger.
< Passou-se a proceder a elettfo dos
membros da mesa sendo votados por es-
crutinio secreto os seonores:
Presidente.
Commendador Dr. Silverio Fernandos
de Araujo Jorge.
i" vise presidente.
Dr. Jos Angelo Marcio da Silva.
2o vice-presidente.
i Vigario Francisco Peixoto D curte.
Secretario perpetuo.
< Dr. Joio Dias Cabral.
t Orador.
; Dr. Mariano Joaquim da Silva.
t V secretario.
< Major Manoel Claudino do A. Jaime.
Thesoureiro.
Dr. Monel Looronco da Silveira.
Ajuntos dos secretarios.
Tiburcio Valeriano de Araujo.
c fldeffonso de Paula Mosquita Cor-
queira.
Terminada a eleii;5oc&upnu a cade-
ra da presidencia o presidente eleito, o
Exm, Sr. Dr. S Iverio, send<> proposto para
socio honorario e appTOV.td 9 Bxm. Dr.
Joso Bento da Caoba V)gmfH9 Junier.
REVISTA DIARIA.
MINISTERIO DA.JUSTICA.-Poi publicado o
seguate aviso, dirigido a Exm. Sr., presidente
de Pernambuco:
1 Rio de Janeiro em SO de novembro de 1869.
Illra. e Exm. Sr.Em rosposta ao olflcis de V.
Exc. de 29 de outubro ultim), submettendo de-
ciso do governo imperial a duvida do escrivao
do civel do termo do Rio Formo-o sobre a legali-
dade com que o 3" suppleote do j ti izo municipal
major Antonio dos Santos Vital exerce o cargo,
visto ter mudado de domicilio e nao ler lirado seu
titulo de nomeacao ; declaro a V. Exc. que o es-
crivao do juizo nao pode deixar de reconecer
como tal o referido supplenle e com elle servir,
sempre que Ihe pertenca a subslituico, eraquanto
por essa presidencia, que o poder competente,
nao tor declarado vago o lugar; con viudo, po-
rm, para que nao sonra a administracao da jus-
tica, que V. Exc. resolva quanto antes sobre a
perda do cargo, visto serem motivos legaes para
so a mudanca do domicilio e a falta de titulo de
nomeacao. -
Deus guarde a V. ExcJos Mcrluuano de
Alencar.
MINISTERIO DA FAZEND.VEra J5 do pas-
sado foi expedida a seguinte circular todas as
thesourarias de fazenda :
t Rio de Jaueiro, em 25 de novembro de 1809.
O visconde de ltaborahy, presidente do tribunal
do thesouro nacional, transmillo aos Srs. inspec-
tores das thesourarias de fazenda, para que tenlia
a devida execuco as diversas alfandegas do im-
perio, a deciso constante do aviso, junto por co-
pia, dirigidj ao inspector da alfrndega do Rio de
Janeiro em 11 do corrente, tixando a intelligencia
do art. 1 Io do decreto n. 1750 de 20 de outu-
bro prximo passado, em relacao aos despachos
processados al o dia 31 de dezembro do corrente
anno.Visconde de llaborhij. :
Rio de Janeiro, em 11 de novembro de 1808.
lllm. e Exm. Sr. Participando-me V. Evc, em
seu offlcio n. 1131 de 29 de outubro lindo, ter o
chefe da 2" seccao dessa alfandega consultando<
V. Exc. se os despachos processados at o dia 31
de dezembro do correnie anno ficavam isentos do
pagamento dos 15 % em ouro do dia 1 de Janeiro
de 187o om diante, em virtude da disposicao do
art. 1 1 do decreto n. 1750 de 20 de outubro
prximo passado, ou si a respeito delles vigora va a
doutrina do art. 169 % 2 do regulamento de 19
de seterabro de 1860, e haver V. Exc. declarado
em despacho do 28 do mez Prado que era apphc-
vel ao caso da consulta a doutrina do referido
artigo 169 2, devendo entender-se por prin-
do principio do procesw do despacho a distribu-
cao da nota, conforme explicou o aviso deste mi-
nisterio de 14 de Janeiro de 1863, e tendo sido
approvade o dito despacho, assira o communico a
V. Exc. para sua inlelligencia e ins convenientes.
Deus guarde a V. ExcVisconde de Itabo-
rahy.k S. Exc. o Sr. inspector da alfandega da
corte, o
DINHEIRO.O vapor Paran trouxe as seguin-
te* sommas para os Srs.:
Augusto F. de Oliveira & C.
Joaquim Jos Goncalvcs Beltrao
Jos Mara da Trindade
Marques, Barros & C
Jos Pereira da Cunha
Pereira da Cunta & Irmo
Theodoro Simn & C.
Juvencio de Atahydo
Justino J de Souza Campos
J. Gerardo de Bastos
. Para as provincias do norte
&MT 1:3081000
Maranhao ;S?S^
Par 129:591*890
PARANEste vapor tira a mala hoje, s 3
horas da tarde, para os portos do norte do im-
perio.
PALLECIMENTO. Fallecen hontem pelas 2
horas da larde o Sr. Antonio de Souza Guerra,
euarda-livos da casa commerci! do SrJos di
Silva Loyo. O finado era mogo de disiinctas qua-
ldades, amigo fiel e esposo exemplar. O seu
corpo acha-se depositado na igreja de S. trancis-
co, onde pelas 8 horas da manha de lnoe satura
para o ceinitero publico. A' sua excellentissnna
familia damos os nossos sinceros pezames.
S FRANCISCO DE PAULA.Sb esta invoca-
cao acaba o Sr. Dr. Francisco Jos Rabello de
instituir um collegio para insiruccao primaria e
secundaria do sexo masculino na travessa das
Barreiras do bairro da Boa-vista. A creacao de
estabeleciment s dessa ordem deve sempre ser
recebda como um importante beneficio, porque
mais um foco de luz que se derrama no seio de
nossa populacao, e offerecendo seu instituidor so-
lidas garantas ao publico pelos seus conheci-
mentos e moralidade, como estamos informados,
de esperar que o estabelecmento prospero, e o
publico colha as vanlagens que para desc-
jar-se.
FESTIVIOADE.Domingo festeja a rmandade
17:000 JO00
10:0005000
10 OOOOOO
:0K)JO"0
6813000
300SO0O
5001000
250S000
2005000
8161*00
trouxe esso va-
E' um trabalho minucioso e importante, nao so
Sela clareza porque se acha escripto, como pela
dclidade das citacoes, bom metnodo de organisa-
cao, c sobre tudo pela conclzao o precsio doster-
mos e pnrases. E' seu aulor, o Sr. Francisec^u-
gusto de Almeida, digno primeiro escripturario
da recebedoria de rendas.
Recomraondamos essa obra todas as pessdas
do cominercio, aos ompregados de fazenda e do
toro.
PIRAPAMA.Chegou hontem esto vapor da
companhia Pcrnambucana, trazendo jornaes do
Cear al 30 do passado, do Rio Grande at 5 e
da Parahyba at 7 do corrente.
Rcunio-so no dia 27 do passado, na casa da
cmara municipal da capital, a commisso eman-
cipadora. Foram aposentadas 3i propostas para
altorria de escravos, sendo 2i do soxo femenino,
e 10 do sexo masculino. A commisso, conside-
rando que as propostas 1 ra existentes chegaram a
3i, excedentes em numero de li ao numero
que a quantia d atribuida para este termo per-
minia, deliberou, que na forma da le, se dsse
preferencia s do sexo femenino, e que sendo es-
tas mesmo j excedentes, que a commisso pro-
raovesse uma subscripc&o para completar a quan-
tia necessaria indemnisacao dos donos pela li-
bprtacao das 21 cranlas.
Falleceu, no Crato, o tabellio Antonio Duirte
Pinheiro, membro importante do partido liberal.
No Rio Grande nada occorreu, que mereca
mencao.
O resultado da eleico senatorial em todos os
collegios da provincia o seguinte :
Conselheiro Salles Torres Homem. 37i
Dr. Jeronymo Raposo Cmara. 355
Dr. Tarquiaio. 31o
Na Parahyba cncerraram-so os trabalhos da
assembla provincial no dia 1." do corrente.
A presidencia da provincia convocou urna reu
nio extraordinaria da assembla provinciaj, do
biennio de 1870-1871, para o dia de fevereiro
prximo vindouro.
BILHETES OFFERECIDOS. Numeracao dos
bilhetes da lotera 1:10a offerecidos pelo thesoureiro
das loteras para auxilio das despezas da guerra :
Bilhetes ns. 4090 a 4099.
PASSAGEIROSDo vapor Pirapaim, viudo da
Granja e portos intermedios:Frraino Candido de
Fgueredo, Dr. Jos Ignacio Fernandes Ramos e 1
escravo. Dr. Caetano Estellita Cavalcante Pessoa
e sua familia, Francisco Jos Pereira Cavalcante.
Joaquim Manoel do Souza, Antonio VileUa de Mo-
raes, padre Targno Paulino de Carvalho, sua mai
e 4 soberanos, Manoel Candido de Oliveira e sua
familia, Francisco Theophilo R. Bezerra, Daniel
Jos da Costa Sampayo c seu mano, Augusto
Joaquim de Carvalho, Manoel Jos Delgado, Dr.
Jos Antonio Rodrigues e sua senhora. Porfirio
Antonio do Amaral, Jos Serqueira do Carvalho,
Angelo Custodio Correa, Jos C. Pcs-oa de A. Mel-
lo, Manoel Jos de Medeiros Correa, Jos Augusto
da Silva, coronel Manoel Lias Wanderlcy e seu
mano, Jeronymo Rodrigues Rosado, padre Manoel
Jeronymo Cabral, Dr. Joaquim Anto de Senna e
l criado, Joao Jos de Albuquerquc e 1 criado,
Francisco Avelino da Costa Bezerra, seu mano e
1 escravo, Nicolao Csrtez, Gustavo dos Prazeres e
4 escravos, Antonio Faustino Corroa de Araujo,
Francisco Bezerca de Souza, Joaquim C de Albu-
querque, Carlos Jaimes Seixas, Bemardino Gomes
de Paiva e 3 escravos a entregar
Sahidos para Mossor c Rio Grande do Nor-
te no hiate hra-ileiro (Irados 1 :Justino Euzebio
Meirelle, Francisco Bernardo, Clementino Gon
calves Tavares, Manoel Gomes lavares, Antonio
Ferreira Pinto, Antonio Prxedes, Jos J. Seve,
Jos Bonolino, Francisco Viriato, Domingos Arie-
na, Nicols.
Entrad) de New-York nabarca ingleza Ta-
lismn : W'illiam T. Raincy.
J3o vapor Paran, viudo dos portos do sul :
Francisco Xavier Carnciro dos Anjos, Agostinho
Martins, Joo Evangelista da Silva, Dr. Heraclito
Vespariano Fiok Romano, Dr. Custodio Leite de
Salles, sua senhora, 1 (i I lio menor e l escreva, Jn
lio Peard, Deolinda Maria do Sacramento, tenente
Laurentino Pereira de Vasconcellos, 1 pra?a e 1
preso, Vctor Sauvage, Ludovico Gjrra de Oli-
veira, sua senhora, 1 flllio e 1 escravo, Joao Sabi-
no do Lima Pnho, Sabino Olegario Ludgero Pi-
nito, commendador Euzebio Rapliael Rabello, Sa-
bino Francisco Monz, Dr. Francisco Gomes de Aii-
drade Lima, Dr. Manoel de S Barrlo Sampaio 1
1 escravo Charles Eduard Redfen, Manoel Candi-
do de Araujo Lima, Salvador Parco de Oliveira,
Paulo Jos da Costa Araujo, Manoel da Rocha
Wanderley, Francisco Claudino Duarte, Thoraaz
de Aquino Silva Loureiro, Antonio Francisco de
Moura, Carmo Josc de Castro, Belarmioo Pinto de
Araujo, Jos Alves da Silva, seu irmo e 1 escra
vo, Joao Antonio das Chagas Cravciro, Jos Joa-
quim de Oliveira, Joao Lopes de Abrea Lage, Ma-
uoel Francisco da Costa e 20 cx-pracas.
Seguem para o norte :
Laurentino Pereira de Vasconcellos, Piaymundo
J. dos Reis, Dr. Jos de A. Rosa D., Pedro Fran-
colino Cuimares Jnior, Joaquim Constancio de
Moura Costa, Franklra Mendes Vianna, Antonio
Teixeira Mendes, Jos Tavares, Cyrillo Pinto de
Almeida Castro, Gentil Pedreira, Joo da Rocha
Morcira, Francisco Lui2 de Magalhes.
Llda, foi approvada a acta da sesso de 3.
PllOTeSTO DE LKTBS.8.
O escrivijo Albuquerque registrou o ultimo pro-
testo do letra 3 do corrente sob o n. 1921; e 0
escrivao Alves de Brito 30 do passado sob o n.
1905.
ACORDAOS ASSIGNADOS.
Juizo especial do commercio : embargantes, os
administradores da raassa fallida de Siqueira &
Pereira; embargado, o Dr Augusto Carnciro
Monteiro da Silva Santos.
Embargante, Joo Pinto de Lemos Jnior; em-
bargado, Mariano Xavier Carneiro da Cunha.
JULGAMKSTO.
Feito adiado da sesso de 29 de novembro vin-
do do sobredito juizo. Appellante exequente,
Alexandro dos Santos Barros ; appcllad) embar-
gante 3., Manoel Jos do Miranda : juizes, s
Srs. desembargadores Accioli e Silva Guimares e
deputados Rosa e baro de Cruanzy.Foi confir-
mada a senlenca, sendo vol vencido o o Sr. lio
sa pelo fundamento do que do auto de examc feito trates companhia.
por peritos nos livros do embargante i.' consta Queremos porm ir alem e n
que a compra em questao tora eleetuada em 9 de aC|0S fo s. Exc que nunca toi
Santa Isabel nito se lornasse perigooencontran-
do o das locomotivas da va frrea de Alinda.
Se S. Exc. nao houvesse assim procedido antes
de proferir decisao final, nao seria talvez o Sr.A.,
quera o censurara, mas nao faltara quera o fiew-
se, e ento .1 circunstancia de ser S. Exc. accio-
nista da companhia, seria aproyeitada, aitribuindo-
se-lhe Outro interesse que no o pnbiirn,
O chefe da reparbeao das obras publicas no e-
tado offlcio de 30 de seterabro cmlio seu parecer
sobre a conuraeoio da ponte, estacao terminal, e
condictoes necessarias para serem collocados os
trilhos na direcao proposla.
Foi depois destas informacoes necossanas que-
S. Exc. em 2 de oulubro proferto na peticao de-
que se trata o seguinte despacho. Apptvce-u ar
conformidade com a informaeo do engenketro
chefe da repanirao das obras publica* de 30 do
mez passado. 1 .
Em vista do quo fica referido ninguem poden
dizer que S. Exc. procedeu de modo a causar en-
que-a compra em que
juilw de 1866, no entanto que o papel de tras
pass'o feito pelo vendedor ao sohredto embargan-
te 3. datado de 13 de agosto do dito anno.
Por nao estar presente o Sr. desembargador
Reis e Silva nao foram pro posto s os segrales fei-
tos:Juizo municipal de Ipojuca : appellante,
Feliciano do Reg Barros Araujo, por si e como
tutor de seus lilhos; appellado, Jos Francisco
Lavra Penna :Juizo municipal de Itamb : ap-
pellanies, Balduino Amando Freir e sua mu-
Iher; appellado, Jos Flix do Reg.
IHWItTIT
Contina adiado o feito vindo do juizo especial
do commercio, entre parles: appellante, Domin-
gos Alves Matheus ; appellados, os administrado-
res da raassa fallida de Aiuoriin, Fragoso, Santos
& C. no qual juiz relator o Sr. desembargador
Reis e Silva.
AGGnAVOS.
Juizo especial do commercio : carta testemu-
nhavel: aggravante, Clementino Goncalves de Fa-
rias; aggravado, Joaquim Antuaes da Silva.O
Exin Sr. presidente nao tomou conhecineuto.
AGGRAVO DE PETICAO.
Aggravante, D. Lodovna Emilia do Sacramento
Cabral; aggravado, Rufino Jos Maria.
O Exm. Sr. presidente negou provimento.
Nada mais houve, e foi encerrada a sesso
uma hora da tarde.
PUBLICACOES A PEDIDO.
da Congregado sua padroeira Nossa Senhora da
Conceico, co'ra o brilhantsmo do costume.
LOTERA.A que se acha venda a 130", a
beneficio do patrimonio dos orphos, que corre no
dia 14.
IRMANDADES E CONFRARIAS.Afim de dar
cumprimento circular do.ministerio do imperio,
de 30 de outubro ultimo, o Sr. Dr. juiz municipal
da 2.* vara da comarca do Recito convida todos
os secretarios da qualquer associacao religiosa
(irmandades ou confrarias) a Ihe apresentarem
at o dia 23 do corrente uma relacao contendo o
nomo da associacao, o numero de socios, seu pa
triraonio, qualidade c rondimento.
N UFRAGIO.Informa-nos o commandante do
vapor Pirapamn, que no l. de de/.embro tora a pi-
que em frente a cidade do Cear o pequeo va-
por Felor Argentino, o qual sahira de Greenock a
5 de agosto, com destino a Buenos-Ayres ; sendo
que sua tripolaco, felizmente, pode salvar-se em
um escaler do mesmo vapor.
PROCLAMAS.Foram lidos hontem lia matriz
da freguezia de Santo Antonio os proclamas se-
guintes :
17* denunciaco.
Thomaz de Aquino Bezerra, com Maria Magda
lena Leal.
Beaedito Antonio Jos, com Luiza Maria da Con
ce icio.
Herculano Alves Pereira dos Santos, com Malina
Julia da Gama.
Salusliano Bezerra do Nascimento, com Franco
lina Maria da Soleiade.
Henrique Antonio Francisco DorneHas, com
Alexandrina Luiza dos Guiraaros Peixoto.
2.* denunciacao.
Olegario Mililo da Silva, com Vessia Filadelphia
Maria de Souza.
Jos Delfino da Silva Carvalho, com Maria
Guinter.
Elias Bispo Aniceto, com Joanna Maria de Bar-
ros Wanerloy.
Ignacio Thomaz de Freitas, eom Maria Francis-
ca da Conceico Fonseca. ,
Jos Marques d'Amorim, com Candida Marques
de Mello Accioli.
Jeronymo Ferreira dos Santos, com Constaaeia
Maria da Cruz.
Joaquim de Gouv.'a Cardoso, com Maria Isabol
de Amorim Lima.
3.* denunciacao.
Francisco Baptieta dos Santos, com Luiza Maria
da Conceico.
Jos Joao de Amorim Jnior, cora Mariaona do>
Prazeres Leal Loyo.
Joo Jos Gomes da Suva, eom Auna Felicia de
Senna.
Antonio Vieira de Melle, com Maria Felicia da
Conceico.
Joo Baptista dos Santos, eom Maria Leocadia
de Mello Reges.
Antonio Fortunato Barbosa, com Francisca Maria
do Nascimento.
Joao Pinto do Mello, com Carolina Francisca
Alves Ferreira.
NOVA PUBLICAQAO.-Aeafea de sahir taz a
CoHeocao de varioi regulamentos de impestos alte-
rados e creados pela lei n. 1,607 de 26 de setenbro
de 1967, comprehendendo os do pessoa I eseravos.
industrias a profissoes, sello, tefltoissao do pro-
priedade, dizima de ehancdHNfemolumeotos,
multas applicadas fazenda fblica, e cofre de
depsitos pblicos, cada um dates anuoiado com
as fnstracj58 o dods^es posteriores at pubii-
caSo prstate.
CHRWHIAJUDIIIARIA.
TRIBITMAfcHO COMWEHCIO
ACTA DA SESSaO ADMINISTRATIVA DE 6 DE
DEZEMBRO DE 1869.
RESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR ANSELMO
FRANCISCO PERETT1.
As 10 horas da manha, reunidos os Srs. depu-
ados Rosa, Basto, Miranda Leal e baro de
3ruangy, S. Exc. o Sr. presidente declarou aber-
ta 1 sesso.
Foi, depois de lida, approvada a acta da sesso
le 3.
EXPEDIENTE.
Offlcio do presidente e secretario da junta dos
orretores, firmado de 4 do corrente, remetiendo
> boletim eomraercial da semana prxima Anda.
Archive-se.
O n. 279 do Jornal O/ficial.Xo archivo.
DESPACHO?.
Requerimonto da direccao da companhia de se-
guros martimos e terrestres denominada Phenix
Pernambucana, a presentando registro os com-
petentes estatatos a carta imperial que os appro-
vra, assira como o Jornal Ofiicial quo contera o
decreto n. 4,432 de 30 de outubro ultime conce-
dendo a autor sao ao que impetrara para funecio-
nar nesta praca.Vista ao Sr. desembargador
fiscal.
De Jos Pereira Vianna, juntando o contrato de
sociedade commanditaria sob a razo doPereira
Vianna & C. celebrado na corte do Rio de Janeiro
em 2 de novembro prximo findo e pedindo que
se o admita registro.Vista ao Sr. desembarga-
dor fiscal.
De Themistocles Canuto do Aguiar apresentan-
do para se Ihe registrar a nomeacao que dera a
Manoel Antonio de Araujo e Manoel Soares do
Couto Sobrinho para caixeiros de sua laja de fa-
zendas ra da Iraperatnz n. 13 A.Registre-se.
De Jos Vctor de Souza Costa (assignado por
seu bastante procurador Pedro Affonso de Mello,
3u i exhibi a competente proenracao) apresentan-
0 registro a sua nomeacao do caixeiro do com-
merclante matriculado Luiz de Seixas Correa es
tabelecido na capital do Cear.Registre-se.
Dos directores do Brasilian Street Railwav Cora-
pany Limited, ponderando que se Ibe nao pode
exigir o sello de que trata o art. 4." i nico do
regularaento annexo ao decreto n. 4,354, porque
seria repetir se o pagamento desse imposto, visto
cerno j pagara os novos e vclhos direitos e o sel
lo devido pelo decreto de sna incorporaco. Nao
tem lugar o que requer a supplicaute, sendo que
o aviso que ella cita, bem longe de ser-Ihe favo-
ravel i contrario ao que pretende.
COM IXFORMAfO DO SR. DESEMBAR3AD0I1 FISCAL.
De Daniel Antonio dos Reis e Balthazar Pinto
de Gouveia, dislrato de sociedade.Registre-se.
RESOI.UgO.
O tribunal nomeou para servir os cargos da
junta das corretores que tem a funecionar do 1.*
de Janeiro ao ultimo de dezembro de 1870 os se-
guinte individuos:Gongalo Jos Alfonso para
presidente, por unanimidade do votos, para se-
cretario MesquMa com tres votos, thesoureiro Au-
gusto Pfato de Lemos cora tros votos, obtendo es-
te 2 votos para secretario, o Mosquita 2 para the-
soureiro.
Nada mais sendo submetto despacho, S.
Bxc o 8r. presidente encerrou a sesso as 11 ho-
ras e melado dia..
SESSO JUDltijmU EM 6 DE DEZEMBRO DE
tm.
'BtsmciioiA do rcM. sr. dseme a rgadoh a. r. pb-
Rim.
Sn-
Via frrea de Oliuda.
0 communicado que sob a epigraplie cima toi
publicado no Jornal do llxtfe de 2 do corrente
merece resposta, quo vamos dar para que o publi-
co conheca quanto inexactas sao algumas prepo-
sicoes ah cinittdas e infundadas e injustas as cen-
suras feilas ao Exm. Sr. vke-presidento Or. Ma-
noel do Najciraenlo Machado Poriolla.
Pretende o Sr. A., signatario d'aquelle artigo
, que a erapreza dos trilhos urbanos de Recito
Olrada tora encontrado entrares creados pelos
mais altos funeciouarios pblicos da provincia,
especiaimenti pelo Sr. Dr. Nascimento Portella,
quando na presideneia, apesar de ser accionista
da cainpanhia, e filho da provincia, a ponto de le-
var quatro meses para despachar a petico em qae
a couipauhia requera a approvaco da linha di-
rectriz.
O publico va ver quanta injustica ha em seme-
Ihanle assercao.
Quando geralmenle reconhecido o zelo que
manifestou o Sr. Dr. Portella pelos raelhoramentos
maieraes de sua provincia, surprehende que seja
ello posto era duvida para com quelle que se
propSe realisar uma corap inhia, deque S. Exc.
faz parto, sendo portinto duplamente interessado.
No primeiro mez em que S. Exc assumio a ad-
ministracao da provincia apenas a con.panlna re-
queren foi concedida prorogaco do prazo para
terem comeco as obras.
Nao exaeto que S. Exc. levasse 4 mezes para
despachar a petico a que alludo o Sr. A. Esta pe-
tico datada de 3 de julho foi despachada a 5,
mandando informar ao chefe interino .da repart-
cao das obras pu3licas, deu este a iutormrco em
12; foi-remettida em 21 acamara municipal desla
cidade com copia do aviso de 6 de margo do mi-
nisterio da agricultura; deu a cmara informa-
cao a 28 do mesmo mez; vultou de novo a cma-
ra em 17 de agosto para quo ntormase sobre
certos pontos, que nao haviam sido mencionados
n'aquella nfonnaco. Nao tendo a cmara at
20 de setembro dado a iniormacao S. Exc. offlciqu
a mc.sma cmara solicitando a pedida intormacao
que toi presta la a 22: voltou a petico com todas
as informacoes ao chefe effeclivo da reparticao
das obras pubiieas a 27 do mesmo mez de setera-
bro, e a 30 deu elle parecer, seguindoso logo no
dia 2 Je outubro despacho final.
Por essas datas ver o publico que de 3 de ju-
lho a 2 de outubro ha apenas tres e nao quatro
raezes, o que essa demora nao pode ser inculpada
a S. Exc. quo nao poda, e nem deva prescudr
dos csclarecimentos precisos, mostrando-se at
solicito em resolver apretenco da companhia a
ponto de exigir da cmara a intormacao que aguar-
dava.
Dir-se-ha : porque razo toram a reparticao
das obras publicas e a cmara municipal ouvidas
Jnas vezes sobre a petico ?
Eis o que passamos a responder, para que fique
bem conhecido, que por niaior que fosse o inte-
resse em decidir nao poda S. Exc deichar da
ouvr pela segunda vez a cmara e o chefe da
reparticao das obras publicas.
A companhia dizia em sua petico que via-ie
obrigada pela cmara municipal a mudar o pon-
to de partida opprocado pela reparticao das obras
publicas, e pedia approvaco para a planta lti-
mamente exigida pela cmara municipal.
Em sua primeira intormacao limitou-se acama-
ra a 4izerque em vista do disposto no aviso do
ministerio da agricultura, commercio e obras pu-
blicas de t de marco, achou-se a mesma cmara
habilitada para designar o lugar da direccao dos
trilhos, nao se Ihe offerecendo por isso mais nada
a acrescentai- a respeito.
Ora nos termos do aviso de 6 de marco a cma-
ra devia ser ouvida sobre o trocado da via frrea,
mas nao poda designar nova direccao e menos pon-
to de partida, o que nos termos do contracto com-
pete a presidencia, dependente quanto ao ponto de
partida de accordo com a companhia de trilhos
urbanos do Recito Api pucoscitado aviso.
Alem disto nao constava que a reparticao das
obras publicas houvesso dado approvaco a ponto
algum de partida, como allegava a companhia, e
nem Uso era de sua competencia. Nestas cir-
cunstancias, e altent i deficiencia da iniormacao
da cmara prudentemente procedeu S. Exc. re-
commeadanoo a mesma cmara em 17 de agosto
que em vista de tudo isto com breotdade ufar
musse quanto a respeito constasse-Uie, declarando
os rnottvs porque pareceu-lhe Imuis conveniente a
nova direoco.
E' sabido que segundo a direccao approvada
pela presidencia da provincia era 2o de Julho do
anno passado deverao os trilhos passar pela ra
de Riachuelo: para que a presidencia resoivesse o
contrario approvando a modificaco propo-ta pela
companhia nao era bastante aquella primeira in-
tormacao, necessitava das que pedio no citado ora-
do de 17 de agosto. E' isto o que cemprehende
qualquer pessoa que despida de prevencoaltender
para o que Oca exposto.
Acrescia que a mudanca proposta se dizia as-
sentar em que nao era mais possivel a direccao
pela ra de Riachuelo, porque nao eslava decidido
se o canal nella existentente seria on nao atierra-
do : a cmara municipal era quem poda informar
oque haviaa tal respeito para qae se soubesse si
o canal tena ou nao de ser alienado, ou se inde-
pendeote de atierro nao previsto ao temp> da
approvaco j dada a planta, poda haver incon-
veniente era que pela ra pavsassem os trilhos.
Pela segunda intormacao da cmara foi que se
ficou sabendo alera do que Ihe foi perguntado, que
havia sido por ella approvado em 6 de mato o pa-
recer de sua commisso no sentido de serem os
trilitos collocados %a ra que vem ter a da Aurora
confronte a ponte de Santa Isabel, podendo serem
prolongados at o bairro de Santo Antonio, me-
diante a construcedo de uma ponte que v ter ao
lado posterior do theatro, procurando o sul do
mesmo, em cajo largo eslabeleceria a compankin a
estacao terminal.
Em vista desta intormacao nao poda deixar da
ser ouvida a reparticao das obras pubiieas, nao
tanto a respeito da direccao pela na fronieira a
ponte de Santa Isabel, como principalmente. sobre
a conveniencia da ponte para o bairro de Sanio
Antonio, e esiagao ao sul do theatro. A simples
mostrar por outros
que nunca toi seu pensament"
embarazar a companhia na execuco das obras.
Era 15 de julho requereu a companhia appro-
vaco-da planta paia a collocaco dos trilhos pelo
Salg*dinho e povoacao dos Arrombados ; ouyido
o chefe interino da reparticao das obras publiaas.
e a cmara municipal da cidade de Olinda foi por
S. Exc. em 14 de agosto approvada a planta. Ahi
nao havia nenuuma dfficuldade a resolver, as
informacoes eram accordes era favor da pretencao
da companhia.
Anda mais, a approvaco dada pela presidencia
em 25 de julh. do anno passado a planta apo-
sentada ficou dependente de exames e cstuuos que
o ento chefe da reparticao das obras publica.-
dizia serem necessarios para conhecer a exaetid"
da planta e conveniencia do tracado.
Taes estudos e exaraes nao haviam orada sidv
feitos e ah ostava a approvaco da planta depen-
dente delles: S. Exc. (tosejando que quando a
companhia executasse suas obras nao en.-ontras-
se duvdas, e embaracos por ter llcado dependen-
te de taes ostudos aquella approvaco detcrminou
ao chefe da reparticao das obras publicas 4ejn t-i
de agosto, que Ihe informasse se haviam sido sa-
tisfeitas aquellas condceoes, e tendo respssla af-
firmativa no mesmo offlcio de 30 de setombro, em
2 de oulubro declarou definitiva a approvaco
dada cm 25 de julho.
Quem assim procede est longe e 'milito kmg-'
de merecer a censura de erear entrares a nina em-
pre-a, e antes se torna merecedor de elogios pela
prudencia, relexo e previdencia coro que proce-
deu conchando o interesse publico com o da com-
panhia.
(Continuar-se-ha.)
Mofina.
Clamor publico '.
Clama, ne cesses I
Pede-se encarecidamente ao Exm. Sr. prcsideni-
da provincia, que se digne de mandar concertar,
quanto antes, a estrada de Tararuna para Olinda
c, se Ihe for possivel, que haja de dar jwr ella um
passeio, alim de verificar como se ada muito ar-
ruinada em diversos lugares, quasi intransitavel,
e at muito susceptivel de occasionar grandes des-
grecas a numerosas familias que nesta poca alli
tem ido residir, e vo diariamente em mnibus,
carros, etc., pagando alias o competente pedagio
para terem boas estradas, e nao abysmos e pe-
rigos
Assim, S. Exc. far um valioso servien s ren-
das publicas, e subido obsequio cssas pessoas
que rauito Ihe agradecero.
Recorre-se logo assira para S. Exc, porque o
Sr. director das obras publicas nao tem olhos para
ver o pessimo estado dessa estrada, do passeio do
caes da ra da Aurora e outras cousas do seu
officio, como eraba Ide se tem chamado sua at-
tenco.


Protectora das familias
Os senhores contribuintes essa associa-
cao, que prefer m mandar pagar suas au-
nuidailes nesta provincia, podero dirigir-
se ra do Livramenlo n. 19, Io andar,
antes do dia 10 do prximo mez re de-
zembro, afim de que os futidos possam dra-
gar na sede da associacao, no Ilio do Janei-
ro, no seu vencimento de 20. a .11 de de-
zembro de 1869. Depois de cuja data pa-
gano a mais da annuidade o juro que mar-
ca o artigo 24 do regulamento.
Recife 17 de novembra de 1809.
Narciso de Vidal.

COMMERCIO.
1 -
1
i
Ao
bargadores Silva Sumaries e Aeaoli, faltando o
Sr, desembarga ior Res e Silva, e depntados Reta,
Rasta, Miranda Leal e arfo de Cruaogy, o Exm.
Sr. presidenta declarou abena a seisaa.
'vindo de secretario, o oficial I. A. de F. Torres, direccao dos trimotor uma ra fronteira a ponto
Ao meio dia cuando reunidas os Srs. desem era questao d* nafetreza tal que nao poda deixar
de merecer a aUeocio do diguo administrador para
nao re-ol vela, sem que pela reparticao competen-
te fossem Hpjicadas as condceoes aecessarias
para que o transito pela ra da Aurora e ponte de
k'RACA DO RECIFE 7 DE DEZIiM.RO
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA T.VRDB
Algodo de Pernambuco sorte 073 rs. por
kil. (hontem o hoje).
Algouo da Parahvba i' sorte-1*021 rs. por kil.
posto a bordo, frote de 5|8 d. e 3 0|0
Cambios sobre Londres 90 d/v 10 7/3 d. por
1*000 (hontem e boje).
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario
Sociedade baucaria ern com
inaudita
Theodoro Simn $* C,
Compram e vendem por BOBta pro-
pria metaes, moedas nacionaes, e estrau-
geiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e o .tros ti
tolos commerciaes.
Encarregam-se por corita alheia Jas ms-
alas transaccSes, da cobranca de letras d
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebum quaerquer quanlias era depo-
sito, em conta corrente, e a prazo Oso.
Largo do Pelourinho n. 7
ENGLISHBANK
Of 'Rio de Janeiro Limited
Descoata lettras- da praca ta.ia a coo-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corr:.te a
praso fixo.
Saca vista ou a praso sobre as Jades
prlncipaes da Europa, tem correspondeotes
na Babia, Benos-Ayres, Montevideo, Ne*-
e New-Orleans, e emitte cartas de credilo-,
para os mesmos lugares.
IiA DO COMMERCIO N. 3S-
ALPANDEOji.
dendimento do dia 1 a 6 :005*om
dem do dia 7......43:403*117
. ..
':
V
302:500!!!
MOVIMEm) DA ALFANDEGA
Volumes entrados com faxeadas 761
dem dem com gneros 87!
Volamos sabidos com fazendas 283
dem idem com gneros 440
lC3oi
76,1
1
(
Descarregam hoje 9 de dezembro
Patacho dinamarquazMargareth raerea orias
Brigne dinamarqusChristianmercader as.
Vapor inglezSapkiraidem.
Barca inglezaRio Grandeidem.
Patacho inglesMora Anuaidem.
Barca inglezaRosemonddem.
Brigne inglezOHnto pacaiho.
Barca inglezaImperadorfarinha e ga:.
Brigue inglesJfomlsMmercadorias
Patacho americanofeoidem.
Patacho inglezAtme Ingra taboado.
Hiato amerioaaoJi W Bnnemerca^ c.
Brigue norte allemaoHerWw -idem,
Polaca italiansSaraidem.
Barca ingtezaMnranhidem.
Escuna iagieuUnru tomes-Um.
RBCWSDOBiA DC RENDAS LNTDfiNAS HE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Reodimento do dia 1 a 6 t:i94MO
Idemdodia7........ 3:MI*k
!2:t*|fH
\
"^"
-9
*L


Mi


Diario d Pernambuco Quinta eira 9 CO.NSUI.ADO
Readiraento dn >\h i .- G.
Mem do ia 7
PKOVINCIAI
. 24:8934611
8:li767
:i;::nu:ii6
MOVIMENTO DO PORTO.
.Vn'o entraioi no diu 7.
Hilor Grace 23 da*, burea ingleza Fleticing, de
219 tonol.id is, capil.r H. Bailey, equipagem 13,
arga 3i;il harneas com bacalho; a Saunders
Brrtn ts & C
MtatiJ i{O ilia*. pnicho americano Valencia,
d ;i 13 t'lindad is capiao D. G. Stront, equipa
g" h II) cu lastro; a Honry Forster V C. Seguio
para S.Thomaz.
Tncsto*j(i dh, barca ingloza frite, de 246 lonc-
la las, cap:i.i> I. Craig, equipagem 10, carga
28i:i barrii-as eom farinlia du trigo ; a H. Oettlie
4C.
Liverpool37 dias, E-cuna ingleza Marn Jame.*,
de 16:! toneladas, capitn Wiiliam L-gg, equipa-
* Rem 8, carga diforenlds gneros; a Tasso Ir-
msos.
ftavios saltillos no niesmo din.
BafciaVaf.tr hrasileiro do guerra R cife, com-
mandan!" n espitan lente Jaciniho K. Piatairo.
Mossor pelo Hii Orando ili norteHiato hrasi-
leiro Graciosa, eapitie Jo:i piim A. de Figuei-
redo, carga v.xios gneros.
Penedo por M.ieei Vapor brasilWro G/'gm, com-
mandante Azevedo. carga varios gneros.
Obscrviiciio.
Suspend >a do I ini.irfio para S. Thomaz a baria
americana Abcrtf, capitn T. W. Treate, com o
mesmo lastro que tronxo do M mtevil >.
Nucios entrados no da &
New YorkIS das, burea Inglesa Talisma, de
366 tonelada*, capio Andero*, eq lipagem 10,
cama 3350 barricas com Cariaba do trigo; a
Philipps Brothers & C.
Sew-Ydrk19 dias, punch j americano Lumuird
ilegcrs, de 204 toneladas, capiao Jolm Ifirte*,
cquipagem 8, carga furinha da trigo, madeira e
latiros gneros : a Tasso Irm'ios.
tirana e aortas intermedios1 dias, vapor bra-
sileiro Pirapuat, lo lili toneladas, comman-
dante Torres, equipagem 32, e.irg differentes
genero*; a companhia Pernambueana.
New-Yirk37 dia<, barca ingle/. Santa rsula,
da 288 tonel idas, capital Lor.borg, equipagem
12. carga 38K) barri -as com farinlu de trigo e
litros gneros, a Phipps Brothers & C.
Portos do sul-8 dias, v.ipir brasileiro Paran.
de 850 toneladas, couvn andante .Mmes, equi-
pageiu i, carga dilTerotej gneros ; a Amonio
Luiz de Oliveira Azevel > & C.
ioyanna6 horas, vapor brasileiro Parakgbj, de
01 toneladas, eommanJaute Mello, equipagem
11, carga assucar; a e-tinpanhia Pernambueana.
ObservaM >.
At meio da nao h nivcium sabidas. Apparcce
a leste 3 embarcaedes.
da, nos mms a Janeiro marco de 1870.
-Sinta Qts.i ilb Miserioordia do Recife, 6
de dezembro de I8IS).
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
VaregafJo costera por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Gear, Mandah, Acarac e
Granja.
O vapor Pirapama, commandanu
Torres, seguir para os portos
cima no dia lo do corrente as 3 hora
la tarde. Recebe carga at o dia II encom-
mendas, e passageiros e dinheiro a frete at as
t horas da Urde do dia da saluda no escrito-
rio no Forte do Mattns n. 12.
JL
COMPMHIl
DAS
Mcssagerics imperiales. .
At o dia 13 do corrente mez espera-sc da En-
ropa o vapor frannoz Estramadure. o qoal depois
da demora do costme seguir para BuenosAy-
res tocando na Babia, Rio de Janeiro e Monte-
video.
Para condicoes, fretes c passagens trata-se na
agencia ra do Commcrcio n. 9.
At odia II do correntenvz espera-se dos por-
tos do sul o vapor francez Qironde, capitn H. de
Simer, o qaal depois da demora do costme se-
gniril |;ara Bordos tocando em Dakar (Gorr) e
Lisboa.
Para condicoes, fretes e passagens trata-se na
agencia roa do Comniercio n. 9.
Porto.
mea, 3 transparentes, 2 espelhos, 1 mesa elsti-
ca, i apparadar, 1 guarda louca e 1 apparelho
de Iliaca branca para jantar. 1 estanle par li-
*tos, 1 aileira, I mesa de advogado o ouiros ac-
eessorios.
Sextiifcira 10- de dezembro
no irimeiro andar do sobrado da ra do
Imperador n. 57, por cima do antigo anna-
zem Prosxesso, entrada pilo. caes.
0 agente Pinto autorisalo por una possoa que
mudou de residencia far leilao dos movis e
mah bjectos cima mencionados as 10 horas do
dia.cima dito no primeiro andar do sobrado da
ra* do Imperador n. 57. entrada pelo caes.
Sabfcado 11 lo corrente
De aiarca FAB & C n 7, 8, 19 saceos com te:-
iao, do 75 kils. cada um.
De marca FAB & C. n 133, 134, 4S3 caixas com
massas, pesando de 23 a 30 libras cada urna.
De marca FAB & C. n.10, 15 saceos com Trelo,
de 50 kils. cada um.
E. A. Bourle & C. far leilao por conta e risco
dequemperlencer, dqs gneros cima menciona
dos, avarrados do agoa salgada, conforme declara-
ran] os peritos nomeados pelo Illm. Sr. cnsul de
Franca nesla cidade, vindos de Marseille na barca
franceza Reine Marijuerilh, capito Dans, os
3naos gneros serao vendidos no dia ?al>bodo, II
o corrente, as 11 horas da manhaa, no armazoin
do Sr. Azevedo, largo da escadinha da alfandega,
as massas e farelo, e no armazem do Sr. Annes,
largo da alfandega, o feijao.
EDITAES.
\\ Dr. Arn-.inio ('(-riolano Tavares dos Santos, juu
municipal da secunda vara, provedor dos resi-
duos e c ipellas nesla cidade do Recife e scu
termo por S. M. I. e G. qn Oeus guarde, etc.
Fajo saber aos quo o presente fdital virem, que
alim de ser cumprido o que foi exigido pelo mims-
lerto do imperio no aviso circular de 30 de oulu-
rw do corrente anuo, a convidados todos os se-
cretarios de qualquor associacao religiosa d este
termo, a apresentarino at o dt.t 23 do corrente
OMX, urna rcfcicao contendo o nomc da associacao,
o numero dos socios, seu patrimonio, quahdade e
rendimimto d'elic.
E para que chegue ao conhecimento ae toaos,
iiassou o preseut", que ser publicado pela im-
Dado c p35?ado nesta cidade do Recife, em 7
de dezembro do 1869.
Eu Galdino Temistocles Gabral de Vasconcellos,
erari- m _
Arminio Coriolano Tacares dos Santos.
Vai sabir breve a barca Laura ; para carpa e
passageiros, trata-se com os consignatarios Carva,
Iho & .Nogueira, na na do Apollo n. 20._______
COMPAIIA RASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 11 do corrente o vapor
Toc'intins, commandante J. Bl. F.
Franco, o qual depois da demo-
ra do costume seguir para os
os portos do >u\.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
*er embarcada no da de sua chegada. Encommen-
las e dinheiro a frete at o dia da sua sahida as 3
horas. _
Nao se recebem como encommendas senao oh
lectos de pequeo valor e que nao excedm a duas
arrobas de peso on 8 palmos cbicos de medican
Pudo que passar destes limites dever ser embar
ca lo como carga.
Provine-se aos Srs. passageiros, que suas pas-
sagens so se recebem na agencia ra da (,ruz
n. 57 primeiro andar, escriptorio de Antonio Luiz
do Oliveira Azevedo A C.___________________
Rio de Janeiro
Segu com brevidade para o poi to cima o bri-
gue nacional Isabel, tem a bordo a maior parte de
seu carregamento; para o resto que Ihe falta tra-
ta-se com os consignatarios Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, ra da Cruz n. 57, 1" andar.
AVISOS DIVERSOS.
[\STITLT0 ARCnEOLOGICO E GEOGRAPflICO
PER\ VMliLCWO.
llavera sesso ordinaria quinta-feira 9
do correnlo dezembro, pelas 11 horas da
manha.
ORDF.M DO DIA
Pareceres e mais trabalhos de commis-
ses.
Secretaria do Instituto, G de dezembro
de I8G9.
Jos Soares de Azevedo,
Secret rio perpetuo.
J. Ferreira Viilela.
PHOTO&I&4PIIIA iiu>i:nlii.
18A RA DO CABUG18'
A entrada pelb pateo da matriz.
Esperamos que os tralialh de rcediflcaco de3ta
plvilograplna qtie j daram cerca de dez metes,
estejam acabados al a piiraeira quinzena do mei
do dezembro prximo futuro.
O predio em que est collocada essa plwtngra-
pbia acba-so mu augmentado, e so a parle desti-
na la ao cstabeleclmento eonta cinco um, inclusive
as do labonftorio. TiJtlos os concertos e aogmen-
tos temi sido feito expressamente parase montar
convenientemente a pho'ographia, e nao se poden-
do melhnr modelo escollier do quo a Photngraphin
Imperial do Sr. In.-ley Pacheco do Rio do Janeiro,
o primeiro pbotograplio do Brasil, e um aos pri-
meiros do mundo, segundo a opinio dos mais
abalisados mestres, a nossa photographia acha-se
dispoaUt o reedillcada pelo mesmo plano da do Sr.
I. Pacheco, a qual f montada soh todas as regras
roeoinmendadas pelos mais distinctos professores
de aordo eom as inodillca?oes necesarias ao clima
do Urasil, reconbocidas e esludadas pelo habilissi-
mo e pratieo Sr. I. Pacheco.
Todo o interior do predio em que esl a nossa
pliolographia foi mudado desde a soleira da pona
da roa at a roberta tendo-se demolido todas as
paroles interiores paia so fazerem as novas salas,
ediu>ando-sc um novo terraco envidracado mui
espacoso e elegante.
C( mn sabido lizemos urna viagem expressa-
mente a rrte para examinarme* as melhores
pliutograpbias d'ali, o foi a do Sr. I. Pacheco, a
qno uicllior corresponden aos nossos desejos e
aspiracoes, e da qual trouxemosos planos depois
de ali'eslarmos todo um mez estudando e apro-
veitando ;is licoes de Iao dislincto mestre. Pen-
samos me jutaiido os nossos estudos e tonga
pratica de 15 anuos de pliotngraphia as utissimns
linVs ultimameole reccoidas do Sr. I. Pacheco,
lendo montado a nossa photographia como se
arba, poderemos, apenas encelar os nossos novos
triballios offerecer ao illnslrado publico desta
cidade, e aos nossos numerosos fregnezes traba;
Ihns do photographia Iao perfeitM como se poder
disijar, edisto convencidos esperamos que conti-
nuem a dispensar-nos a mema proteccao com
que a 15 anuos nos tem honrado o anidado.
DECLARACOES.
KiTUOO
de rwfmwii
Jos Soares de Azevedo, profossor de
linaria e littcratnra nacional no gymnaiio
provincial do Recite, tem aberto em sua
casa, ra Bella n. 37 :
Um curso completo
- de Lingoa porngtueza;
(U
Ungoa
franceza, versoes
Aiu ama casa em Beberibe : a tratar com J. I. de M.
Reg, ra do Commercio n. 34.__________^__
Eugommadeh'n.
Precisa-^e de urna criada para engOmmar : na
roa do Imperador n. 73, 2* andar.
P>
tX
9

KM
ores c escripias de portiguez para francez
e tice versa, de conformidade com o novo
programma do governo ;
de eographla physica, poltica
e astronmica;
de Historia universal;
de Philosophla, Racional e Mo-
de Rhetorlca e Poetic*.
As pessoas que desejarem frequentar
quilquer ou quaesquer destas aulas, podem
dirigir-se indicada residencia, de manha
al s 9 horas, e de tarde a qualquer hora.
PORTO
balita Casa de Misericordia do
Recife.
A Illma. innta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Kecilc, na sala de suas sessoes
pelas 3 horas da tarde do dia 9 do corrente, rece-
be propostas para o ornecimento dos gneros que
liouverem de ser consumidos em todos os estabe-
lecimentos [os seu cargo, tanto d'esta cidade
como da de Olinda, nos mezes de Janeiro a margo
de 1870, a saber
Assucar retinado, kilogramos.
Dito de 2" sortc, dem.
Dito de torrao, idem.
Aletria, dem.
Arroz do Maranhao, idem.
Azeite doce, litro.
Agurdente, idem.
Azeite de carrapato. idem.
Bacalho, kilogramma.
Batatas, idem.
Caf em grao. idem.
Cha preto, idem.
Cha bysson, idem.
Ceblas, eento.
Carne verde, kilogramo
Carne secca, idem.
I'ai inba de mandioca, litro.
Fumo do Bin, kilogramma.
Feijao mulatinholitro.
Farelo, sacco.
Manteiga franceza, kogram.oa.
Peixe fresco, idem.
Sabao, kilogramma.
Sal, litro.
Velas de carnauba, kiilo.
Ditas stearinas, idem.
Vinagre, litro.
Vinho tinto de Lisboa, Idei i.
Dito branco, iidem.
Toucinho, kilogramma.
Os concarrentes poderao a-presentar suas pro-
postas em cartas fechadas, as quaes deverao ter a
ordem estibelccidano presente annuncio.
Santa Ca zembro de ISflft .
O eserivao,
Pedro Rodrigues de Souza. _
O inspector interino da alfandega faz puhlico
a|ue o leilao das qaatro caixas contendo 46 garra-
tas com vinho espumosa, munctado para hoje,e
me deixou de ser efectuado por falta de l.c.tan-
5 fica transiendo para sabbado 11 do, eorren
if0nrt0,ra de Pernambuco 7 de dezembro de
Pretende sabir em poucos aias a barca porln-
nueza Social pof ter a maior parte do carregamen-
to prompto; para o resto qne Ihe falta e passagei-
ros, para os quaes tem bons com modos, trata-se
com o consignatario Joaquim Jos Goncalves Bel-
tro, ra do Trapiche n, 17._____________
Para Lisboa
A barca portugueza Pereira Rorges dever se-
guir brevemente para Lisboa, j tem a bordo par-
te da carga, c para o resto trata-se cora Oliveira,
Filhos & C, ao largo do Corpo Santo n. 19, !
andar, ou com o capitao na prapa.___________
Rio Grande do Sul
Segu com brevidade para o porto cima o bri-
gue nacional Am'lia ; para o resto da carga que
Ihe falta trata-se com os consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C, ra da Cruz o. 57,
I andar._____________
Precisa-se de nina ana que engomme bem pa-
ra casa de pnuca familia : na ra da Uniao
n. 25.__________________________________
AMA
Precisa-?c de urna ama para casa de pouca fa-
milia : lia ra das Cruzes n. 23.
Precisa-se de um caixeiro que tenha prttica
de nadara ou mesmo de taberna : a tratar no
pateo do Tere > n. 6"l:________________t
Precisase de urna ama para casa de pouca
familia para cozinhar e engommar : a iratar na
ra do Calinga n. 1, loja de joias.____________
- Precisa-se alugar urna preta escrava que
saiba mgmn nar na ra da Santa Cruz n. IS.
Per iigueiro
Perdeu-se um cachorro perdigueiro, de sext-a
feira para sabbado da semana passada, de cor pc-
drez, com grandes orelhas e tmnehas cor de cafe
sobre as costas : a pessoa que o tiver agarrado,
pie leva-lo ra Nova, loja n. II, que sera bem
recom pensado.___________________________.
Aluga-se
o sobrado e sitio da Mangabeira, com commodos
para grande familia, 3 salas de frente, sala de
jantar, 8 quartos, sendo um para banho, 3 loja?, e
com muitos arvoredos de fructo, como sejam,
mingaba, sapoti, manga de superior quahdade,
a con 3 quartos grandes, sala de frente e de jantar,
cozinba, e muitos arvoredos do fructo iguaes ao
do sobrado : a tratar na escadinha, armazem n, ),
das 8 as 11 horas da manha.____________
Aos senhores fftciaes de sapateiro
Chegou a antiga loja de calcado d ra da Cruz
n. 21 (sobrado amarello) um sorlimenlo de forra-
menta para sapateiro, a qual so vende por menos
preeo d* quo em outra qualquer parte._________
h
CASA DA PE.
Aos 20:000^000.
Bilhetcs do Rio venda : ra do Cabng n. 2,
vende Vieira 4 Rodrigues._________________
Precisa -se de urna ama para casa de pouca
familia : a tratar na travessa de S. Pedro n. 10,
1 andar; entrada pela ra do Fogo.
Porto.
Segu com brevidade a velcira e nova barca
portugueza Isolina, para carga e passageiros,
para os quaes tem cxcellentcs commodos, tratase
com os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.; ra da Cruz n. 37 i" andar.
I
(pir;
BAHA
Segu para a Dahia impreterivelmento nestes
seis dias a polaca italiana Sara : quem quizer
carregar para aproveitar a brevidade, pode diri-
girse ao consignatario Joaquim Jos Goncalves
Beltrao, ra do Commercio n. 17.___________
Engommadeira
m S. Jos do Manguinho, casa n. 2, paga-se
,000 mensaes pelo aluguel de urna escrava
ira ser empregada unicatpento em engominado,
garantindo-selhcs bom "trtamento. Na mes m
casa precisase tambera de outra de 14 annos para
srvico domestico, pagando-se o aluguel conforme
o seu mereciraenlo._______________________
Aviso ao commercio.
Antonio AgosMoho Seixas da Fonseca, lendo no
Diario de hoje um annuncio de Porfirio Antonio
Pereira, participando ao commercio desta cidade
que ningnem lizesse negocio com o estabelecimen-
Dan 5jjR)00 de gratfica-
00
Fugio no da 20 do prximo passado mez a es-
crava de nome Bertoleza, idade 23 annos, pouco
mais ou menos, cor parda, cabellos carapinhos,
pernas grossas.ps seceos, dedos dos ps e das
mos compridos, scio pequeo, beicos grosso*,
bocea regular, anda muito ligeiro, bem fallante,
levoa vi; tido cabecao de labyrintho c saiatambem,
amlws brancos, tem uui signal de um antraz na
nuca, do lado direilo ou esquerdo : roga-se, por-
tanto, as autoridades policiaes e capitaes de cam-
po a apprehdpsw) da mesma, e- leva-la ao Reme-
dio, casa do abaixo assignado.
Antonio Menellos Cordeiro de Gusmao.
um moleque, agradando
do Commercio o. 3, pri-
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
1
Muita attenco
Pretende-se duas boas e perfeitas criadas na-
conaes ou estrangeiras para o servico interno de-
uma casa particular, sendo urna para servico d
cozinha e, outra para engommar e tralar de don
meninos com todo o desveilo : a pessoa que esti-
ver nesle caso, pode dirigir-se ra do Imperador
n. 6 para se tratar do ajuste.____________
Precisa-se alugar
paga-se bem : na ra
meiro andar.
Aluga-se a casa n. ii sita ra do Soego :
a tratar na ra dos Prazercs n. 50.
Precisa-se de um moco para caixeiro-de ta-
berna, com pratica ou sem ella : a trarar n ra
do Hospicio n. 26.
que mnguem lizesse negocio com ucjwucrcun.u,- _--------------------- ... .
to doannunciante,-em se entender primeiramente (Jompailbia de seffUTOS UllllUa-
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
Navegacdo costeira por vapor.
Porto de Galliohas, Rio Formse e Taman-
dar.
O vapor Parahyba, commandante Mello, seguir
para os portos cima no dia 10 do corrente, a
meia noite. Recebe carga, encommendas, passagei-
ros, e dinheiro a frete no escriptorio do forte ao
Matt s n. 12.
cwn elle Porfirio, ohrigao annunctante a declarar
que deve ; isto foi condemnado pelo meretissi
mo Dr. jniz do commercio a pagar 130000 ao
dito Porfirio, e que nao pagou aquella quaniia
porque ainda tinha o que oppr na execurao. O
'.upplicante tem de fundos no scu estabelecimento
oerca de 6:0003000, e assim o annuncio fallado
< tem por IIm injuriar o annunciante, e hoje pro-
ceden criminalmente contra o responsavel de tal
annuncio.____________________
Alfandega
II69.
taa Casa
de Pernambuco
O inspector interino.
Luiz de Cafebo Paes de Andrade.
""da Misericordia do
Reeife
PKRNAM-UCANA
por rapor.
de publica.
A direccao paga o 15" dividendo de 28*000 por
accao ou 28 0|0 do capital realisado, d meio da
s 3 horas da tarde, em seu escriptorio ruada
Cadeia do Rorifc n. 42, 1" andar.
Recife 4 jle dezembro de 1869.
Os directores,
Feliciano Jos Gomes.
Thnmaz Fernandes da Cunha
Atten$lo.
Na travessa da rna do Rangel n, 49
00 batatas das ultimas desembarcadas a
III (I Ti: V OLI\l>A. e garante-se urna arroba cada gigo :
Compr!* tavelbm O "im"o7* _angel n 49, uberna.-------------------
10, 20 e 30*palmos, e 7 l/_, 8, 8 l/i, 9 AUS"a-SG
pollegadas de grossura e quina viva, das
seguintes madeiras : amarello, oilicica, Si-
cupira, e oalras madeiras de reconhecida
durafo para o cha); a tratar no escripto-
rio da superintendencia da ompanhia a"
ra d'Aurora, das C horas da manhSa as
4 da tarde todos os dias uteis.
Escriptorio da companhia, (i de dezem-
bro de 1809,
Superintendente.
Andr de Abren Porto.
vendem-se-
1* ogigo,
na ra do
o 3 andar do sobrado n.
a tratar com J. I. de M.
I n. 34.
8 a ra da Imperalm :
Reg, ra do Trapiche
-r-
AVISO
LIG4
Anda est para
tnazem, a rna Nova
alugar
n. 00.
este grande ar-
Precisa-so de um feitor para um silio, que ens
tenda de jardim e mais plantacoes : a tratar n
Corredor do Bispo n. 43.___________________
Alugam-seo Io e-2 andares do sobrado d.
10 da ra do Arago. coin bastantes commodos
para familia : a tralar na ra de Henriqw Das,
conhocida como ra da Estancia, casa n. 4.
Precisa-se de um copeiro
mercio n. 17, andar.
na ra do Com-
Precisa-se de urna ama para sen-tro de casa:
na ra de Hortas n. 65.___________
Precisa-se fallar com o Ilim. Sr. Dr. Fran-
cisco Luir Correia de Andrade; na na da Gloria
n. 49, ou declare sua morada para ser procurado.
COMPANHIA
DE
Navegar cnsteira
Mamamguape.
O vapor JandoAi, "commandante Julio, seguir
para o porto cima no dia 11 do corrente as
horas da tarde. Recebe carga, encommendas,
passageiros e dinheiro a frete at as 3 horas da
tarde do dia da sahida escriptorio
Maitos n. 12.
no Forte do
Precisase alugar urna escrava que
saiba cosinhar para familia, a tratar na the-
souraria das loteras, ruado Crespo n. 45.
Lvto perdido.
Urna pessoa que foi ouvir missa na rapella do
cemiterio, deixou fic>r no carro que a conduzo,
um livro deoracoes ; se der os signaes do livro
na cocheira da ra do Sol n. 23 ser-lhe-ha resti-
tuido_______ '**._______|_________
_ Na ra da Moed n. 5, 2 andar, escriptorio
de Manoel Al ves Ferreira & C, vende-se vinho
verde superior em barris, ancoretas com vinho do
Porto superior e malvazia branco.
Precisase de um menino de 12 a 14 annos
de idade para caixeiro : na ra das Cinco Pontas
n. 86. ____
(MMEIRO
Precisa-se de um cozinheiro que soja perito parx
casa-de familia, prefere-se escravo : a tratar a-
ma do Amorim n. 39. _____^^^
A Illma. Santa administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recifo manda fazer publico que na
Se suas sessoes, nodia 9 de dezembro pelas
.iiiatro horas da tarde, tem de ser arrematadas a
lera mais vantagens offerecer, pelo lempo de um
a es annos, as rendas dos predios em seguida de-
ClaraE3TABELECIMENTO DE CAREDADE.
Cinco Pontas.
Casa terrea n. 114, por anno 328^000
Ra ao Calabozo
Casa terrea n. 20, por anno 242*000
''*** PATRlMbWO DOS ORPIL4.0S.
Rna do Vi gario.
I'nmeiro andar do sobrado n. 27. 2105000
Ra'do Pilar.
Casa terrea n. 98. 2035000
Sitio n. 5 no Forno da Cal........... 15*OUU
Os^iretendentes deverao apresentar no acto da
_rremataco aseuas fiancas, ou compareCerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cite, 29 de novetnbro de 1869.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de-S^nza
Santa Gasa de, Misericordia
do Recife.
A Illm. junta administrativa da Santa
i',asa de Misericordia do Recife, na sala de
suas wirtes pelas 3 horas da tarde do dia
II do Arente recebo propestas para o for-
necinMoto de p_o e bolacha, que houverem
de consumir osestabelecimentos p cM"go Uni desta cidade como da de Olin-
LEILOES.
IEMPRESTIMO SOBRE!;
M
Da arina^o. balco, registro de
gaz e fazenda da loja da rna
da imperatrlz u O.
HOJE.
Quinta-feira 9 de dezembro asMl horas.
O agente Pinto levara a leilao precedida a com-
petente autorisacao, a armacao e fazendas da Ioj.
da ra da Imperatriz n. 20 de Marques & Filho,
em um s lote constando de um grande sorti-
mento de fazendas de lei e de eonformidade com
o inventario existente em poder do mesmo agen-
te, sendo que o leilao ser effectaado as 11 ho-
ras do dia cima dito na referida loja.
I
De moris e objeetos de"eserlp-
torlo.
A ^sbor t
Um piano, 1 mobilla de Jacaranda, 2 sofs c e
amarello, 4 consolos, 2 bancas, differentes mesi-
nhas, cadeiras de balanoo, ditas de mogno, diffii-
rentes bracos opm globos [de gaz, jarros e vasos
para flores, 1 machina de costara, 1 relogio de
(SEM LIMITE.)
Na travessa da rna
das Cruzes n, 2, pri-
meiro andar, da-se qual-
quer qnantia sobre ouro,
prala e pedras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condicoes de ga-.
rantir a transaccSo que se flzer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e consjderac5o s pessoas que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
Ama de leite
Precisa-se de una ama que tenha bom e abun-
dante leite i a tralar na ra do Hospicio n. 47.
Vismia anti-escrophulo^o.
Vende-se estre prodigioso remedio para grandu .
las e tumores escrophulosos, seja qal for o seu
estado ae augmento; as*im como pilulas e xarope
de veame, pelo formulario do fallecido Paranhos :
na botica da rna Diretta n. 88._____________
A pessoa que levou por engao, sabbado 27
do passado, de um dos wagoes da macha-bomba
una eaixinha de papelio oom um vestidinho de
chita, 5 varas de uieo de crox e 7 varas de ga-
ln branco, querendo restituir, pode entregar na
ra da Cruz n. 55, 3 andar._______"
Botica
Precisa-se de um offlal de pharmaciacom bas-
tante, habilitacao : naraa da Imperatriz n. 77.
Ama
Precisa-se de urna ama para comprar e cozi-
nhar: na ra Direita n. 88.________________
Alnga-se, vende-se ou troca-se por outra
propriedade na cidade, um sobrado na iJapunga,
roa da Ventara, a beira do rio ; assim como se
aluga na mesma ra urna casa terrea grande, toda
pintada de novo n. 28, na esquina : quem as pre-
tender dirija-se mesma roa na mei agoa n. 24,
que dir onde deve tratar.________________
Aluga-se urna casa na rna do Cotovello n.
1 : tratase no 2 andar do mesmo sobrado.
Preeisa-se de urna ama para todo o servs
de casa : no largo do Forte do MatloS n. 23, ou na.
Capuaga, ra da A;raizade ns. 40 e 42.__________
O Sr. Manoel Salair Schiappa Monleiro tem
urna carta no ewriptorio de Bailar, Oliveira & C,
raa do Vigario n. 1._______________________
BwTViagem.
Desoccupa se urna casa naquella povoasao logo,
que haja quem queira aluga-la, no local raai
alegre, tem 2 quartos, quintal cercado e banbeiroc
. a tratar na roa- Direita n. 85. ___________
I Tendo desapparecido da eslacio das Cineu
PonUs, no dia sef unda-feira 6 de dezembro, ujna.
bolea j usada, contendo um paleto! sacco do me-
rino preto, urna caiga e um collete de casera ira de
Sabio luz a collec^o
de varios reculamentos de impostos altera- _,' _mTn~o de lata, um par de sapato de tran-
ta.Mi-jgu w a. mi es:_rssra&*_
indns- eenerosamente a quem levarn Nova, sobrado
Precisa se de urna ama de leite : a tratar na
ra de Apollo n. 85.______________________
Precisa-se alugar nraa ama para o servico
de orna casa : na rna Precisa-se de um pequeo boleeiro na ra
Nova n. 46.
selembro de 1867^
comprehendendo os de pessoal, escravos.
trias e profissoes, sello (organisado alphabetica-
niente,.cxplicando cada aeto a que sello esta su-
jeto, se se deve empregar estampilha ou verba,
no primeiro caso qXiem deve inulibsa-Ia),, trans-
missTio de propriedade, dizima do chancellara,
63, 2o andor. ou ra de Hortas n. 4.
== Deseucamnh,ou-se nma barrica com pedras
de cores, que um preto conduzia : roga-se a pes-
soa que a tiver em seu poder, o favor de avisar
na botica do Sr. Barbosa, ra da Cadeia n. 61,
molme^toa; mlsTpplicadas fazenda publica, que se loe ttcar agradecido.
etc., etc., e em appeudice o do cofre de depsitos precisa-se de urna ana de leite paraa.c_D_r
pblicos,
notados com as
instru _3es e decisoes posteriores at a
de criar urna menina
% loja.
a tratar na ra Direita n.
Negra ftigida
presente publicaco,
por
Francisco Augusto de Almeida, I Apolinaria, crioula, representa 40 annos, eju-
1 escripturario tura regular, andar vauaroso, raoito rea petas
da recebedoria do Pernambuco : m_u3 marcas de bexigas na cara," especialmente
vende-se na ra estreita do Rosarlo n. 12, a 4*. n0 nariz, levou vestido de chita rxa, camisas e
Torna-se de grande ulidade aos Srs. advogado, saa9 sendo urna de algodao atol, e P*nonaari_*''
solicitadores, negociantes e funecionarios pnblieps, u tim com listras encarnadas : quem a peg
faSSSo deste trabalho. Aquelk que assig ,eve-% ao Arraial, sitio rfo P,>rto, ou a lo a
narain e nao receberam promptaraonte, podem re- na esquina da ra da Madre de Dos, que
a loja n. 'i.',
ser
clamar na oiesma casa.
AMA
recompensado.
'Ama.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca fa-
milia : na ra das Crasos n. 25.
Miguel Jos de Abreu (ausente), D. Joaquina
Mana de Jezus Abreu Maciel e Jos Joaquim da
Costa Maciel, filhos c enro de D. Mara do Carmo
SaVeiro, cordialment agradecem-s pessoas que
acompanharam o enterro de dita sua mai e sogra,
especialmente aos seas, dignos rmnos 'da venera-
vel ordem terceira do Carmo o de S. Jos di Ago-
na ; e Itaes rogara o earidoso obsequio do assis-
tirem algamas missas que mandam celebrar por
alma da mesma finada, no stimo da, (10 do cor-
rente), as 6 horas da manhaa, na igreja de Santa
Therwa da veneravel ordem terceira do (, no
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia_ivre ou escrava : na ra estreita do no-
sario _jrf2,2 andar.
Precisa-se de urna ama
33, 2 andar.
na raa do Vigario n.
Paran.
Roga-se ao passageiro que desembarcou hon-
tem neste porto, vindo no vapor, que por engao
levou urna mala por engao com as iniciaes b. f.
V., haja de mandar trazer a bordo do mesmo, que
ah se pagarao as despezas que occorrer.
Lourt(ino Peretra de Vasconcellos.
Caixeiro.
Precisa-se de um caixeiro que tenha iratica.de
taberna e d fiador a sua conducta, preferindo-so
brasileiru: a tratar na ra imperial n, 47.
Declaracao.
O abaixo assignado apressa-se em declarar ao
publico que nao foi dispensado, e sim dispeusou-
sn da proeuradoria do rdlalhamento do sitio Agoa.-
zinha, em Beberibe, a que se refere o annuncio
publicado no Diario M Pernamt>nco de 7 do cor-
rente, e assignado pelo Sr. Joao Tiburoio da Silva
Guimaraes. .. ~
Luiz Antonio da Silveira Tavora.
Precisa-se de ura criado forro ou captivo, d<-
1% a w annos de idade, para o servico externo d<"
urna casa de pouca familia: na ra da Liogoet*
n. 8,2' andar. __________;___________.
A'tencdo.
Precisa-so de urna ama de leite : na roa larga
do Rosario n. 21,1" andar.
_


Diario de Pernaiubufo Quinta feira 9 de. Deiembro de 1869
PEBMMBCfl
0$ en w I "J aa
ST. ct> c: rc =. i i rt> "
o sr fD ^ s;
O.S S CS." S t ^""S
b-53s"" o S
05 ua =-
- f
a H
0

= 5 ^
"|ftff
et B a s s*
sa,3
P-' O S B
00
3 9
a a "
_.


.; z-n s o "" q,
9 3 re o.o." 3 o
<- 5? 0.72 "' m 3 m
=> f? 2 <"* ET !r* sr
o E
<=
3 s <. 5. a
g- M S ~ ~
l"C-3
3 bj T-l 2 "
- S3 H ffi 2,5.5- m
.3
3
3
O
O, <
3 L
-- 3b S, c o
C 3

_ eo _
- S B I M
BU B S
5 B '
ai
52
S""cr5
r

o
S H
_/2 >3 ~
is3
303-S "5
n -/i = -n
llisfTff
i" ^ "B a 1 -i

Primeiro introductor dos po^os tubulares
instantneos da Abyssinea.
Estes po^os fiam espalhados na Euro-
pa, tanto que, qualqoer -duvida do seu
grande valor pralico deve desvanecer vis-
ta das grandes vantagens.
Milhares de csemplos mostraram que
elle3 sao de grande titilidade aos industriaes,
agricultores e particulares; at era toda6
as expedic3es militares dos ltimos tempos
foram usados para procurar sem demora
agua fresca e pura, e tanta quanta se pre-
cisa va.
Em todos os lugares, onde um poco ca-
vado ou furado (pelo systema antigo) daria
agua, pde-so empregar os pocos tubulares.
EH.es faciiitam adiar agua multo mais
depressa, mais cristalina, mais fresca e
mais barata do que por meio dos pocos
cavados.
O systema dos pocos tubulares o ni-
co pelo qual se possa obter agua perfeita-
mente pura, livre de todas as substancias
nocivas e preservada de todas as influen-
cias athmosphericss.
Por meio de urna machina mnilo simples, consistindo d'um macaco, impelle-se para
dentro da trra um tubo d i ferro, cuja extremidade inferior est furada e munida
d'uma ponta d'aco; e logo que a sonda mostra agoa no masmo, deve-se atarrachar
a bomba faze-la funecionar. "Ari principio a agua lera substancias arenosas e terreas,
porm logo se clarifica, e cm ponc-i tempo sabir agua perfeitamente lmpida.
Outras vanlagens que apresenta este systema sao:
Priiricinimei.te, a promptido com que se executa toda a obra do assentamento, que
muitas veaas nao luva mais de urna hora, sem remocho alguma de Ierra:
Segundo, a commodidade que elle offere-ce de ser nao somonte collocado fra da
casa, como lambem dentro da mesma, com nao menor facilid.de :
Terccini, a faclidade com que se tira para fra da trra o poco sem o estragar
para o collocaran noulro lugar: .
(Juarto, a rande quantidade d'a^ua que elle pode dar :
Quinto, a possibilidde/to tornar, uteis com pouco trabalbo, por meio delle os po-
;os cavados que foram estragados pela ira u por outras causas.
Precisando-se de un* grande quantidade d'agua pde-se introduzir na trra di-
versos tubos unidos uns ts outros por meio d'um apparelho muito ; imples.
Em lugar das bombas espirantes geralmente usadas, pde-se fornecer bombas de
compressao paia eli-var aguh e conduzi-la aos andares superiores.
O emprego dos pocos tubulares sobre tudo provetoso aos fazendeiros, que em
qualquercampo onde o gado precisa d'rgua, os podem collocar e arranca-Ios para se-
ren collocados onde melhor Ihes convier.
E' tambem de grande utililirlade aos fabricantes de cerveja, aos distilladores e a
todos os fabricantes em geral, e com especialidade aos erapreiteiros, architectos, en-
genheiros e todos aquelles que precisam do quantidade d'agua por tempo determinado.
Este methodo o nico para obter em qualpuer parte agua, que seja livre de par-
tculas nocivas,. elle, tambem provetoso aos proprietarios 3e casas e jardins, tanto
para o uso diariovomo para regar as pjanteces e capim.
Pedimos aquelles que nos quizeiem honrar com MU encommendas de nos
coinmunicar: 1. em que profunddade se acba a agua, o que .fcilmente se pode vfrifi-
I car nos pocos ou cacimbas visinhas ; 2." de que especie sao as carnadas da Ierra da su-
perficie at a carnada que contera agua ; 3o em que especie di carnada se acba a agua
naquelle logar: i. finanlmonle a quantidad- d'agua que se pede por hora.
A collocaro do poco lca por cuota do comprador o!ferecendo-se porm a empre-
za a emprestar o apparelho de assentamento mediante urna retribuyo a convenco-
nar, a qual s regular pelo tempo que se achar fra.
Tambem encarrega-se de manjar urna pessoa habilitada na collocac5o d'ess^s po-
cos, pagando o comprador alm do sustento e despezas de viagem (ida e volta) um
jornal previamente convencionado.
Mas para 0$ lugares longmquos qualquer pessoa hbil ou artsti-
ca podfr colloca-las sem embaraco, singindo-se nicamente as ins-
frucees que acunpanham as referidas bombas.
As pessoas que quzerera apreciar o trabalbo dos referidos pocos, podem ir ver
funecionar l/ua da Florentina, fabrica de cerveja n. 20, cm Bebenbe em casa do Sr.
major Antunes, no Caxang no hotel junto a ponte e no Arraial em casa do annun-
ciante.
P3ra encommendas e mais AMl9*-*<*thontos a respeito a tratar na loja do Sr. F.
i. Germann; ra Nova n. 21.
Nova loja de calcado
JOAQUOi DAS DOS SANTOS 4- C. acaba de abrir um ostaftefte/inento a*e ai-
;ado estrangeiro a ra Nova n. 30, onde o publico encontrar indo o'qne nesteg*
ero d commeroio ha do melnor e de mais gpsto em Paris c Londres.
Por todos os vapores transatlnticos recebero elles constantemente remessas .
calcado novo, pelo que ter sempre o estabelcdmShto o que a respeito se pede ex
gir. Ao publico em geral e a seus amigos em particular, pedem a coopera$5e, tm+
Ihes possam dispensar, certos de que sero servidos com lealdade.
COLLEGIO INFANTIL
51Ra de Santa Martha----67
Este cftabelecimento de educ.icao, quo oocupa um grandioso o benj' apropriado palari .-
proporciona todas as coadiefiea do liygk-nc e commodidades para o inienialo dos alumnos. As auk.
e dormitorios uem preparados em vastos e magllcos Baldes s-alisfazeai plenamente aos ns para qc-
se deslinam.
Os jardins c passeio permiltem aos alumnos til e provetoso rtvreio. A instruccio primar.
e toda a secundaria, curso commercial n as bellas artes sao professadas nesta escola por illnelradv <
respeitaveis cavallieiros, que alm do legafaente habilitados, maiores cnsideracoos tem obiido .-
magisterio publico ou particular.
A seceo collegio infantil, destinada aos alumnos que pela sua tenra idade nao eonv
estejam em communidade com os mais adultos, est conliada a duas distiuetu e mtelligentes seahoras.
urna portugueza outra franceza, que a par dos cuidados malornaes cjiii que os velam, Ihes eaitti.
os rudimentos de educacao mor*I, litteraria e social, familiarisando-os ao rnesmo tempo pela iuv.
as linguas portugueza, franceza e ingleza.
N. B. Danf-se ampios esclarecimentus aqui, na pharmacia dos Srs. Dartliolorneu & fi-
nia larga doitosario n. 34, ou em Lisboa no cscriplurio do Sr. Guillierme SeUe, ra do A
n. 66.
O director da escola,
____ Joo Antonio de Baos Prenenfo
> A1140 .'
LOJA DAS MACHINAS
Acabara de chegar grande quantidade das verdadeiras niaehina*s araeritai.
para descarocar algodao de todos os systcmas e tamanhos seguinles :
12 serras 12 serras
14 ditas ii ditas
i-'i ditas 15 ditas
1G ditas 10 ditas
18 ditas 18 ditas
20 ditas 20 dilas
22 ditas -i-) ditas
25 ditas 28 ditas
30 ditas 30 ditas
35 fitas m ditas
40 ditas 40 ditas
as quaes se vendem por procos eommodos e roga-se as pes soas que dolas fueram <>
commendas de algnns tamanhos, obsequio do as mandaren! busca-las 0 mais breve pev
sivel am de nao haverem fallas. . r
RA DA CADEIA .N. 56 A
Gustavo Wertheimer tem a honra de informar o I'lm. publico que mudon o
DEPOSITO DE PIANOS E MSICAS
PARA A
Roa \ova n. 38 priiueiro andar (tasa do Sr. PhIo)
fil k C, e de ontros bons autores e de msicas as melUores ediQOes. Todos os concei'tos e
fi^es serao MtM com
Toda promptido e perfeipo.
FABRICA E PIANOS
DE
J. Rhigass, saccessor
55Sua do Imuprador55
Nesta antiga e bem conhecida casa, encontrar-se-ha como outr'ora grande sor-
laonto de pianos construidos expresamente para o clima deste paiz, e Mr. J. ltliigass
endo trabalbado muitos annos Da coostroccio de piaaos em Paris, acha-se habilitad i
a preparar os pianos que ende cora lodos os aecessorios indispensaveis nSo s sua
oliiez, como sua duracSo.. Todos os pianos sao garantidos.
Tambem ha oeste estabelecimento, grande variedade de msicas novas e dos
melhores autores, tanto vindas de Paria como do Rio de Janeiro, que se vende maiu
Jarato do qua em outra qualquer parte; assim como ha igualmente venda todos o
ftbjectos necessarios eontruccSo de pianos. Os concertos e afinares de pianos ser)
feitos com o maior zelo e cuidado.
iiAinbi* iio si;
Salt hill, perto de Wirdsor. m
COLLEGIO CATHOLICOE HllMAMDADES, I1L01I1
Sob o patrocinio especial de
Sua ryiSENCiA o cardeal wiseman, arcebisi-o de westminsteh, bos exms. nvus. sus. dr
AVHERST, BISPO DE NORTHAMl'TON, DR. GRANT, BISPO DE SOIJTHWARK, E DO RVM. DR
WAJUilNG.
Os Srs. James & William Butt. assistdos de um capell3o residente na casa dt
aptos professores, dirigem o estabelecimento cima mencionado. O curso de educac3c
encerra as linguas, latina, grega, inglesa e franceza ; algebra, arithmetica, cailigrapbia t
escripturaco mercantil.
A peusao de ciacoenta guineos, Os lugares na capella (a qual faz parto di
casa) bem como o dinheiro, que os alumnos tiverem de receber, sao pagos parte. A
pens5o paga seis mezes adiantada, e'no caso que os pais ou correspondentes d6seia-
rem que seus filhos ou recomraendados se retirem do estabelecimento, terao a bondad^
de avisar os Srs. directores tres mezes antes da sabida dos sobreditos. As ferias de
verio comegam no dia 21 de junho, e acabam no fim do mez de julho ; as do Natal co-
mecam no dia 21 de dezmbro e acabam no dia 6 de Janeiro. Desenho, msica, danss
e esgrima sao enstnados por professores modernos.
A situaco, como, bem se sabe, muito sadia : cncoenta geiras de trra per-
tencem casa, a qual espacosa e comino ta; situada perto da estacSo de Slough.
nma das da grande estrada de ferro do este, (Great Western Rairway.
Para melhores nstmccOes queira-se dirigir aos cima m< nconados; ao Rvm. R
Conego Shepherd, Priory Street; Colchester; ao Rvm. J. Banvber, Wiorndon, Essex
ae Rvm, Jobn BoU, Arundel; ao Illm. Sr. A. Btitter, 6, Aostin Friars. Landres, ou ao
directores os Srs. James & Wilhan Butt, e no Brasil provincia de Prnambuco, a Antonif
Luiz dos Santos.
TAVE
LLEIKEIKO VUmi
51Eua da Cadeia do Eecife51
Chama a atlenco dos seos innmeros freguezes, e do respeitavel publico er*
geral, para a seg-iinte tabella dos precos de sua casa, os quaes s5o vinte por wat
mais barato do que em outra qualquer parte, comecando no 1. de dezerabro:
Cabelleiras para senboras a 25,
30$, 355 e......40>000
itas para homem a 355, U o 50 jO
Coques a m, I5,J, 18*. 20a,
255, 305 e.....
Crescentes a 125,15& 185,205,
255, 305 e .....
Cachos ou crespos a 35, 45, 5>,
65, 75, 85, 95 e. .
Tranca de cabello para annel a
500 e.......
505000
325000
10,5000
15000
Tranca para braceletes a 105,
155,205, 25e.....
Cadeias para relogio a .V\ l5,
75,85, 95, IW e. .
Corte de cabello......
Corte de cabello com friccao. .
Corto de cabello com lavagem a
champou......
Corte de cabello cum limpcza da
caueca pela machina elctri-
ca, nica em Pernambuco. .
Frisado ingleza ou franceza.
Barba. ,......
.... 30)000
SSIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penleados para casa metilo
Bailes e solres
500
80#
tjfiOi
B0<
25
O dono do estabelecimento previne s
Exmas. Sras. e aos cavajheiros que ha tira
Recommenu'a-se a superior TINTURA J.V-
PONEZ.V para enegrecer os cabellos e bar-
salopara tintura dos cabellos o barba, as- iDa- unica adm'U'da na Expsito Uni*er>
. (omo nao prejudicial sade, por ser v -
sim como um empregado somente oceupa-
do nesse ser vico.
latil, analysada e approvada pelas aca-l--
mas de sciencias de PARS E LONDRr>
r" \jjfcjiiinxiJi rugjl i iLijir r-vi_Jui4Jmi
f/Sm^tSm^nC Ljii i Ti i j ^ ij iiHwr;-
!
i -
*,
ARMAZEM
EXPOSICAO DE LONDRES
60--RA DA GADEIA D0 RECITE60
RAMDE LIQUID^ClAO
h, ,PAWf ftCftBAfl NESTES DAS
eerttoados p
4 metal do
Ble msicas,
idos, ditas
-fiwKtt. para
^^^dros, ricas
i-para almofadas dita para tapetes e para deitar vamem cma> danesa relngiq- ptrcimademesa,' de"parde 7de"ouro "^TS^bn, s'^osSs^e d^ewos
AGUIA NEGRA
i
RENTO MACHADO C.
cp
cosmorama,
ailo
caixas para retratos, ditas com cheiros proprias. para presentes mesas de cbarao, bandeja de dito. Estampas 5nas para qu dros
idas dita para tapetes e para deitar vasos em cima.da mesa,^relr# para cima de mesa, de parede e de ouro para algibeira, sereoscopos de diversos
, lanternas mgicas para diveriimento em salas, qnao>os com fina guras de porcelana, ditos com movimentos. figuras bronseada para enfeites de mesa,
s para se tomar bachos no mar ou no lencos de rabos finos para algibeiras, ricas gravatas de seda, variado sortimreto de miudezas e brinquedos para criaacas
algalias, camas re ferro de diferentes tamanhos, lavatorios, stereeeespos, oesmorimas etc. etc., quesera patente ao comprador: emuitos ootros artos qne se venderao
barato para intetramento acabar, no armaz^m EXPOSICAO- DB LONDRES fu, vwus arngo qne se venaerao
60-BUA DA CAOEI DO DECP5-(M)
Esta nova loja de miudezas a ra do Cabug n. 8, vem fazer sua apreseui
ao publico esperando em breve ter fregneze. Eta loja ter constantemeute por seus
interesses e coamoda de seus fuetnros freguez-u completo sortimento dos objecl .-
mais proeuradas nesle mercado para o que oslando ligada por interesses a .urna ea i
importadora desta praca tera feito encommendas ae artigas espeoiaes como os que al
xo descreve paro a nomenclatura delles reclama mtiic5u das possoas que precisareic -
Lindos coques enlejiados, Vestuarios comolotos Dar u mosmo fim
aletas para senboras (o melhor no ge-
nero).
Esportilhos hygienicos.
Lindos jarros para Aeres.
Toncas e sapatinhos de croch,
ntremelos e babadinhos.
Facas garfos q colheres.
Caite.iras e saceos para viagem.
Grinaldaa flor de laraogeira.
Ramos para o peito.
Visporas (caixa de Jacaranda).
Aderecos do camafeo.
Fitas brancas com inseripcogs do casa-
mentos.
Chapeos, toncas e' tpallrihos de seda
para baptisad<
plotos para e mesmofun
Toalhas de labirinlhos.
Collarinbns, punhos e gollas-Dwtiadoef.
Brincos da azcivji he montado em doun-
do artigo que se confundo com o verdati
ros de ouro e garante-se a perfeicao e du-
rarn,
Cintos largos e fitas paca o mesmo &_
Ricas fitas com os necessarios para er
tura.
Lindos albnns para retratos.
Comp to sortimento de flores, peruja|-
rias dos memores fabricantes e muili
outros art'gos que nao podemos wiumi.
rar porque temos un espaco bagada d-
D'ario, "porem os nossos freguezr.
todas a_s quinsj'nas listas de qovM'U'h
Aguia STegra-Ra do Cabuga n. 8w
?


Diario de Pernambuco Quinta feira 9 de Dezembro de 1869..


Ama
i saiba. engomma r-
Preeisa-se de urna
a Til d Crut n. 573'
Alaga-se
w&fcsMaettoJa as horas do eostume : a tratar
*2.r QQancvlargo de S. Pedia
Jta prs^-a da l ..,ependencia n. 33 se da di
nheiro sobre pj da craro, prat e podra;
jir.icio-aj, seja qial f :r a qaantia; e na ni
rasa se compra e nJa objectos de oaro e pr.il.
igualmente se far. oda o qaalquer olira de en
comineada, e todi e qual711er concorto t'-tidcntt
mesan ajte.
Procisa-.-e re iuh ana para c 1 u;>rar c co-
-tinliar : na ir.-iv.-~sa do Vigario n. 3, *' anlir.
Convite
O Campos da ra do Imperador n. 28, (endo
reunido e:n scti estabelecimento um grande e va-
rien partimento de eneros |>roprios do lempo de
fes*, convida .10 publico em geral, e aos seu nu-
rnemms amigos e tregeles a virem visitar o men-
cionado eslabelecimcn'o, dnlxantto te mencionar
gem.ro por genero para se nao t' rnar por deuiais
enralooh nos aeas'anminelos, assini como alian
ira aos que, qafcerem Ii mrar-lo com a sua fregu-
m, fue encontrarn sempre sinecridade e nronip-
tidio.
Aluga-i-c nina casa ivj.u grande quintal, con-
t n4t) salas, 3 analtas, oudqjU fura, com grande
c isiar fra, caiada o pintada de novj, oonfrontc a
ca-a do Sr. Paulo Jos Gomes e sitio do Sr. Jlo
lose da Cunlia Lages, na Capunga, roa das Criou-
lasn. 28 ; assim eemo nina outra casa no Poco
'.mella. i;ia do Rio n. 25, contendo 2 salas, 3
q:i:!rt.is,-i- triaba Tora e grande quintal, caiada e
pintada de n ivo, nimio propria perapassar a fes-
ta : a tratar na travessa da Madre de Dco nu-
mero IS.
AVISO.
-Toaquim PerciM Arante?, com loja de calcados
na praea'da Independencia ns. 13 e 15, roga ato-
!< os seus eveaeres de contas antigs que ve-
iiliani pagar at o llm.do anno corrente, sob pena
de, pausando as ferias, entregar a seu procuradur
para rereber judicialmente.
Aluja-se dhas casas na iba do Retiro (jun-
10 a ponte da Passagem da Magdalena), lugar mu
sadio fresco, urna della de bastantes commodos,
leuda j banheiro feito para se tor.iar banhos ; a
tratar com o Sr. Luiz Manoel Rodrigues Yalenca
roa das Trinchetas'n. 50, 1 andar.
Algumas casas que precisarem de una en-
porrmadeira, que engomma bem roupa para
liomem e senboras : frija-o a ra de Ib rtas
i). Hfi, qne serio satisfatoriamente servidos, quer
na perfeicao do traba io e quer na commodidade
d is procos.
rv
i \i n
\a ra Velba n. 5 precisase de un criado
1 r:vi ni livra para envegar comedoria e fazer
......i- i .:> de ni:a c. -.1. paga-se hem.
Ama.
Precisa-se da urna ama para comprar e cozi-
nhar : na ria da Cadeia n. 38.. andar.
Ama
Precisase de una ama que compre o cozinlie
l ara e isa .1 > familia : no derredor do Rispo n. 23.
NA IMPERIAL
fabrica re eervpjs ! na rioSibo n. *C,
[iranv-'sefa as proprias para vinho
ou cerveja, por maior proco du quc em qualquer
outra parte. t^T~
Vr:ND*S.____
Vende-so um'borco de Jacaranda com p(iuco
na rifa Imperial"n. 16.
Vende-se
a ahorna da ruadas Cruzei i. 13 : quom preten-
der, dirip-se mesma, que adiar com quera
tratar.
Vende-se urna casa do tnipa nos Alegados
a tratar no largo de S. Pedro, sala de danea ; o o
proco inuito commodo.
FAZEMDAS
A OINHEIRO NA LOJA E ARMAZEIVI
j^iA^ag*^
!4
Ama
Precisa-se de nraa ama para cozinliar : a tratar
r.:: 1:1a do Crespo n. 18, 2 andar.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
j >, e que d fiador sua conducta, para loja
I idos : na roa da Imperatrizn. 10.
lu casa de TlISUDltO CUUlSTl-
ANSliN, rita fia Cruz n. 48, encontram-st
c". .:vauv.;.'.o Lulas a& qualkiadc de vintn
."!!X, Boui'SOg.iC a do R'iCU.
Para escriptorio.
a-se alagar urna sala na roa do rmp"-ra-
. <; : 1.1 do Crespo : quom tiver n qnteer alngar,
iiiJ -e a ruado Quenuaio n. 11, loja.
q\ .'-..:-:, i.-.mbeiu a casa te/roa sita na cidade
ti Jo .-'..;.; j.i maro, ouiu bastantes cominodos :
.-: tia'ar coro Antonio los Gomes Jnior em San-
1 I V !.!.>.
- O Sr. Atancar, ollicial de juizo, que
fui mi fi, qi)'! liizem aclia-se presetitemen-
ii' rwidimk) em Giimelleira, qneira vir 011
i:': lar dar iiu.; sobro o impos'.os das
Gii,(i;as ai preeote nao tem apparecido com os
doc.nmentns ; deseja-so nao continuar com
estrt 'iiifiicio pormais das.
i .,!.-, 1 pelo proprie-
l.i! I tHi.i Agaaztaia, um Relienbe, do Ktalha-
MMul 111 -iii por (er n4 Jes--. &r. .'.h:'. Aiiioui > da Silvcira Tavu-
ra. p'i.l- >-i- pOMOvado pelos prelendentes aos lo-
(cs do trrac qne reMan vender-se, a ra do
ral r d. 2", Ia andar, escriptorio. Ai>s do-
miogos -- eneontrar para qnaesquer nfbrmaefles
aquello sitio o engonlieiro Antonio Feliciano Ro-
drigues See.
fleeifc 6 Je dezgtbro de 18C9.
J "to Tiburci. da Silva Guiuiarns.
AMA
Precisa- de urna amaine seja boa coziohei-
rj, e q'-i 1 tenha a necessaria lubilidade para ser-
vir e:n "asa d homem solteiro : na ruada Cadeia
11 S. *
Olinda.
Alnga-se, urna excellente casa para grande fa-
milia. 11a ra de S. Rento prximo ao pateo de ,S.
I'elri-velln, onde passoa a festa. o Exm. Sr. Dr.
l'raz Hiorentino : a tratar com o Julio da botica,
.i-i 11 o Vai aduaro com o Jo5o Goelho do Rosario de
Mara de Jema.
_. l
COMPRAS.
IMH,M E WH
SSCEATOS
O mpram-se e Vendem-se diariamente para fra
o dentrq da provincia escravos de todas as idades,
1, enm tanto que sejam sadios: no
ierci-iro andar do sobrado n. 36, ra das Q-uze,
rn-gaezfa de Santo Antonio. _______________^^
- r impram-se moedas de ouro e prata de to-
Ous 1 valores, oarp e tuala wa/ibras iqutilisadas,
hcilltatttes o oais- pairas jittAosas : a loja de
inrivea do areo d O'iauKeo de joias
Na ru.\ do Cabag n. 4 compra-se ooro, prata
pedras preciosas wr preeo mais vantajosos do
qixf em m-aquaMtnerp^rte. ____
(, moedas de uuro e prata : na loja de jeias do Co-
i ido Oaro t: 2 D, ra do fabiig.
0mpra-se cobre. Da ra do Queima-
1o i). !- RIVAL SEM SEGUNDO.
HOIK libias stertinas c ooro de todas as nacSes,
ahn rumo prata,' por maior preco do que em
outra parte na roa da Cadeia do Recife n. 58,
I
Compra-se
nr roa do Hospicio n. 9& urna escrava cozinbeira;
e na mesma casa precsase alagar urna escrava
para todo o servico.
BRACO DE OURO,
Ra do Imperador n. 26
Neste novo estalielecimento enconlra-se
diariamento um variado sortimeuto de to
linhos paradla, pastis, podin>, bollos in-
glezes, pues de lo, presuntos, ditos tm fiam-
bre, superior cha Hysson, preto, e miadi-
nbo. Vinbos unos de todas as qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, fructas muito boas, per-
luguezas c fi incezas.
Um completo e variado sortimeuto de
caixinhas de tildas os gostos e precos pira
mimosear senboras, estas caixinnas rect-n-
leraente ebegadas de Pars sao de primora-
do gosto, oieresse-mo-las aos galanteado; es
do bello sexo puis nellas acharao nm digno
c serio presente para as donas dos se us
pensamentos. Tambora os apreciadores da
boa fumaca cncontrarao charutos dos m3-
liiores fabricantes da Baha e de Havaoa
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Do es d'ovos seceos, christalisados e Je
calda, ditos de caj e de outras qualidades.
Ncsla casa recbem-se encommendas para
bailes, casamentos e baptisados o qualquer
encommendas avulss, como seja pao dj l
e bollos enfeitados e milros militas couzas
que enfadonho mencionar.
mmmmm mmM
A telo
Joaquim Rudrigues Tavares. do Mello'!
tem para vender no seu escriptorio, pra-j]
ca do Ccrpo Santo n. 17 primoiro andar, fe.
potassa da Russia ltimamente chegaia,!S
cal de Lisboa e vinho Bordeaux de supe-f
rior qualidade. ||
DE
FJ2LIX ^BIWBIRA A SIIVA.
0 proprietario d'este grande estabej&fcjiaeflto, vendo que so est aproximando o fin-
Jo anno, e tondo em ser um grande deposito deposito de fazondas ; nao fallando em
imitadas encommendas que lhes estao ol>ngado todos os dhs, tem resolrido liqnfda-
5s por preco muito mais baratos do que em outra qualquer parte ; s com o fim
de dimiaar o deposito c apuran dinbeiro. -Encontra-se oeste eslabelecimento do
PAVAO, avallado sorlimenlo denaz^ndas de luxo e modas; assim como de primeira
aecessidade. As pessoas que negociara em pequeua escala n'esfa loja podero surtir-
se vendendo-se-lhcs pelos, precos que comprara, ms casas irglezas; assitu como as ex-
elleatissimas familias podero mandar buscar as amostras de tudas as fazendas ou man-
iar-setha levar peloscaixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento'se
icha constantemente aberto das 6 horas da manliaa s 9 da noile.
Explendido soTtiincnto de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
jletamente sortido das melhores roupas,
sendo calcas palitts e coletes de casemira,
le panno, de brim, de alpaca, e de todas
is mais fazendas que os compradores pos-
tara desejar, assim como na mesma loja
.era um bello sortimento de pannos casemi-
as, brins, etc. etc. para se mandar fazer
pialquer peca de obra, com a maior prump-
tido aontade do freguez, e nao seudo mais bonitos crochs proprios para cadei-
ibrigadosa acceita-las, quaado nao slejany-fas sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
wmpletamente ao seu contento, assim com^ cmo proprios para cubrir presentes, e von-
a'este vasto estabelecimento encontrar p;de-se mais barato do que em outra qual-
ALPACAS BRANCAS LAVRADAS
Chegou para a loja do Pavo um grande sorti-
mento das mais bonitas alpacas brancas lavradas
e de cordao sendo n'este genero o melhor e mais
lustroso pe tem vindo ao mercado, tem algumas
lao linas e tao-bonitas quo servem para vestidos de
noivas e vondom-se por commodos precos.
I LAAZIN'HAS MODERNAS NA LOJA DO PAVAO
Chegou para este. estabelecimento um grande
sormenio das meltores c mais modernas lazi-
nbas para vestidos, sendo tapadas e transparentes
de. todos os precos a qualidades que se vendam
mais barato do que em outra qualquer parte.
Crochs para cadeiras e sofs
0 Pavo tem nm grande sortimento dos
A AGUIA BRANCA tem conviccSo de que a abundancia de objectos de novidade-
em seu constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto detes, a superioridas
de de-qualidades, e a limitaco do seus precos, est5o na op niao do respeitavel publico
em geral, e na de sua boa freguezia em particular ; mas anda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da recepcSo d'aquelles objectos que esto alm do commum,
como bem sejam
Jllmitii
Resta venda um escolhido sortimento de ob-
lectos de marcineria, como sejam, mebilias de ja-
:arand, mogno eamarello, obra nacional e estran-
{eir, d apurado gosto e por prdgo* razoaveis :
ii ra estreita do Rosario n. 32. Nesta mesma
asa fazem-se com perfeicao todos os trabadlos de
jalhinba, c-jino s.-.N. da.outuj de lastros
jara camas, cadeiras o soptias.
A ra do Livramcnto n. 6, contii.ua a ha-
ver para vender por precos rasor.veis, c
melhor vinho verde al boje vindo a este
mercado
RA IK1 UliOKIA \. 5
Olaria do Fundio.
Ha sempre nesta otaria grande sortimejjtp de
materiaes, como tijolos de al venara batida, ladri-
Iho, quadiJo >la 8, G o mais poegadas, telhas e
tclhoes, tijolos de tapamentos. O proprietario des- j
ta olaria garante a bondad-i e barro de taes mate-
riaes, como tambem vende-se mis barato do qu|J
em outra qoalquer parte.
Confcitara dos nanazes
16Ra da CruzIB
Doces seceos, e chrlslalisadqfc ditos eai calila,
caixinhas*com amendoas oconfofMi, !n bonitas
figuras para bandejas, grupus dp noivado, bande-
ja?, bollos e paes de l decorados, omeiite com
tralialho deassnear.
Vende-se
um siiixna estrada nova le Bebaribe, na ra de
Santo Antonio, feita de pedra e cal, tem os restos
dos materiaes dentro, plantado de nsvj, tem arvo-
redos em ponto pequeo de todas as qualidades,
lem de frente 110 palmos e de fundo 472 ; 'quem
quizar fazer negocio dirija-se ao becoo dos Fer-
reiresn. 3.
Sag, sag
muito novo a 16X) rs. a libra, e 80 j-s. do 10 libras
para cima ; na ra Nova n. 00. rmazem da Liga
Vendi-se ucarro de qnalroaasentos, pare
duus cavadas, oro arrotos. Os pretendente* po-
dem v-lo na ra do Hospieio ufflnna do Sr, tie-
raldo, corneiro, e tratar com Vioente Ferreira Ja
Costa: ra de Riachuelo.
Ca de Lisboa
chegada ltimamente pelo brigae portuguez F7o-
rinda ; vende-se no armazom de Jo> da Silva
fjoyA.Filho, no Forte do Mattos.
FITA AZUL
RA DO VABUG4 *. '9
Cambraias. cassas e organ-
dj, o covado 320 ou varas a
500 rs. .
No escriptorio de loaquim Jos Goocalves
Beltrao, ra do Commercio n. 17, existe para
vender-se um cscravo crioulo, moco, com ollkio
de pedreiro.
Cal de Lisboa
chegada no ultimo navio, tem para vender Joa-
quun'Jos Gudc.ilves Beltrao, no seu oscriptori.
ra do Conmercio n. 17.
Vende-se na ra da Aurora n. 26, um ca-
briolet com inflas fortes, bom uso, com arreio;. e
pnr mui molleo prec >.
Vi-.ude-se na rua digo c.ommrcial hra u>o, por rn-trde do i|ue se vende as tojas.
Cabrio et americano.
Vende-se un cabriolet americano de duas ro-
das sibrecirreias, proprio para'lugar de maita
ara : os pretendenles podem velo na cachera
da ra do Imperador n. i8.
Vende-so una bonita osera va rtcolhida, i$
idade 18 annos, hoa engotnmadeir i bem
e cose chao, um mulato, bom pagem,' e para todo
o servico, da idad" 20 annos.nu scrava de idade
21 annos, engomma bem e eozlnha por 1:400a.
ama dita do ida le 40 nnos para todo o servido,
nma boa cscr iva de nacao Cosa coiri habilid
ptima conducta e bonita flgura, \ima dita do nyiia
rdadis muito llefe boa (JUitaneira por Yr1$0t)}:
na ^vessa do Carino n. 1
respeitavel publico um bello sortimento dej quer parte,
.'misas francezas e inglezas, cerouias dT-
inho e algodao e outros muitos artigos'
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-so-ihe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz" n. 60, loja e armazcm de Flix Perei-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porcito de cera de
;arnauba em saceos por preco mais barato
io que em outra qualquer: na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 30. "De Flix
Pereira da Silva.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Encontra o respeitavel publico neste estabeleci-
nento um grande sortimento de fazendas pretas,
orno sejam, cassas francezas e ingieras, chitas
pretas de todas as qualidades, fazeuda de laa de
'.odas que tem vindo, proprias para luto, como
iejatn, iaaziubas, alpacas lavradas e lisas, canto,
bombazinas, merino, etc., que ludo se vende por
jreco barato.
AS CASSAS DO PAVO
Covado a 300 rs.
Vendem-se finissimas cassas francezas com bu-
los desenhos e cores lixas a 300 rs. o covado.
Madapolao francez a 7$0OO rs*
Vende-se pecas de madapolao francez
om 22 metros pelo baratissimo preco de
7-5000 a peca, pechincha.
Altas novidartes m sedas
Chegou nm grande sortimento das mais
moderuas poupelina ou gorguroes- de seda
e linho com os mais elegantes padr&es que
tem viudo a este mercado sendo, miados e
graudos, tanto em cortes para vestidos como
para vender em covado, ssim como um
bonito sortimento das mais bonitas sedas
listradas que se vende tudo multo em cenia
Grosdenaples de cores
Chegou um grande sortimento dos mais
bonitos grosdenaples de todas as cores para
vestidos que se vender muito mais barato
do que em outra qualquer parte.-
CHAPEOS DE BRIM A 2000 RS.
Chegou urna grande porco de chapeos
dejjrim para cabeca que se vende pelo ba
ratissimo preco de 2#000, por terera che-
gado com um pequeo toque de mofo. E'
pechincha.
GRANDEPEGHINGHAA 5:000 RS.PECA DE
Bretanha
Vende-se pecas de superior bretanha de
algodio tendo quatro palmos de'largura
com 20 varas ou 22 metros cada peca, esta
fazeuda seria para custar 8d000, >a n5o ser
urna gramh compra que se fez, o liquida-se
a 500, cada pega.
Admiravel pechincha
ALPACAS A 400 RS.
DE FURTA CORES A iOO RS,
ALPACAS A 400 RS. j
Vende-se nm grande sortimento das mais
brilbantes alpacas de furia cores coro-as
mais lindas e mais -modernas cores imitan-
lo perfeitamenle- as sedas de furia- cores
sendo neste artigo o mais novo qie tem
vindo ao mercado, para vestidos, muito pn>
pria para as senhoras que forem pascar 1
festa no campo, por ser urna fazenda de
milita fantasa e pelo barato preco de 480
rs. o covado.
GLACE' A lOO PARA VESTIDOS
0 Pavo tem esta nova fazenda lisa pro-
pria para vestidos, com as mais delicadas
cores e com mais lusre do que a propria
seda com 4 palmos de largura que facilita
fazer-se qualquer vestido com IQ covados
e vende se pelo baralissim preco de 1:200
rs. o covado, pechincha.
GRETONE DA INDIA PARA COLCHAS
O Pavo tem esta nova fazenda cretone
propria para colchas, com os mais linios
padrees chinezes o com as cores inteiramen-
le fixas, tendo largura de chita franceza e
vende-se em conta,
Organdys a 300 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores com padroes miudos egraudos. sen-
do todos de cores fixas, pelos baratos pre-
cos de 300 rs. o covaio.
ALGODAO ENFESTADO
Vende-se urna grande porgo de algodo-
sinho americano com 8 palmos de laigura
proprio para lences e toalhas tendo liso e
trrncarJo que se vende por preco muito em
conta.
Panos de linho
Chegou* um grande sortimeuto de pecas
de panno de linho do Porto que se vendem
de 700 rs. al <000 a vara, garantindo-se
que em fazenda d3 linho nao ha nada me-
lhor, era mais proprio para lences e toa-
lhas.
PECHICLY E-M CHAPEOS DE SOL
Chegpu um grande sorlimeflto dos me-
ihores chapos de sol de se.a, inglezes ten-
do neste art'go o raelhor que tem vindo ao
mercado assim como urna grande porco de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em oitra qualquer parte, por haver
grande pore<3o.
Lencos urlicos
Vende-se um grande sortimento de len-
cos blancos para homem, sendo a duzia a
LiiOO, 25000 e 35000, ditos abanifados
muito finos, a 4< e tlOOO a duzia, ditos de
estruio fazenda muito superior a o#, 63 e
73000,
Peehleha en casentirasa 4:000
Vende-se finissimas casemiras de cor com
listras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores matS' novas e maia bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baratissimo preco
de 4*jiQOQo covado ou 7.5000, cada.corte
de cab,'a.
Os baloes o Pavo a 2#000,
Cbeg o um grande sortimento de baloes
ou creootinas do feitio mais moderuo muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preyO de 000 ca-
da um grande pochiaeia.
Bretanhas' de rolo a 50J a
peca
Vende-se superior bretanha de rdlo ten-
do 10:vars ou f metros com l palmos
de largura pelo barato. preco de 2360,
pechiucha.
OssetiasdoPavao
Vende-se os mais bonitos setins de cores
e mais eneorpados proprios para vestldoe
tendo de diversa* cdrus.
AOS PALITTS DO PAVO A 183 e
20J0OO.
Vende-se um bonito sortimento de palit-
ts franceses sendo, sobrecasaoados e pro-
priamente sobre-casaeos, que se vendem
forrados de alpaca a 183000 e forrados de
seda a 203000, pecbincba.
COLCHAS DE-PWAO
Na loja do Pav) vende-se um graade sortimen-
to de colchas de lustio acudo brancas e de cores
ditas de croch para cunas de noiva, assim como
qonttos damascos de lasr part colcha^.
Na loja ere Pavao vendem-se os mais
bonitos, chales e verdadefra cachemira >-
c'6r, com os desenhos mais modernos, a 3,
10 e 423660, muito barato na roa da Im-
peratriz n. 66.
BASQUINAS A 123600
Na loja do Pavao vende-se s mars tan-
dems basquinas ou manteletes de guipare,
pelo barato pruco de 123000 c,ada unw
ASGA-:BRALVS>D0 PAVAO A 4:500 RS.
Vende-se urna grande porcao de pecas
de finissimas cambraias brincas transparen-
tes tendo 10 jardas, cpm mais de vara de
largura pelo baratissimo preco de 43500, a
peca.sendo fazeqda que uunca se veadeu
por menos de 830O, grande pechincha.
AS POUPELINtS DO PAVO A 500US.
Chegaram as jpais indas poupelinas de
18a com imitacSo das poopelinas de seda,
um fazenda muito leve com as mais lin-
das cores, sendo: verdo-Bismark, rosa, azul
iyrio, cnsejilo, peroila ele, etc. e vende-se
pelo baratissimo preco de 500 rs.
Fustes (vaucos para vestidos
Chegou umndo sortiiento.dos mais ba-
ratos e bonitos fustdes husmeos com lisiras
e eordoes, sondo fazenda. bstante larga e
flexivel, multo propriarjra vestidos e rou-
iias de mii*iuos e vendem-se a 640 o co-
vado.
BONfttS LaISINHAS
O AfADrNAS A t3600 RS. 0 COVADO.
Chegou para o Pavio, um gwode e va-
riado sortimento desta nova fazenfla de 13a
e stida propria para vestidos, com os mais
delicados--deseahos exm't modernas cores,
tendo bstanlo largura qoe facilita fazer-se
nm vestido com poqcoa covados, .pelo bara-
tissimo prego de m*i a covado, por j es-
larem muito prximos da fc^.
Papel para embrnlho
Compra-ss na ra Loiado Pavo.
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, contendo navalhas e os majs necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
piando abertas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras roachetadas, com thesonras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rola para costura, obras de apurado gosto
e perfeico, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com msica.
Estojos ou carteiras de couro com nava-
lhas, e os mais necessarios para viagens.
ESCOVAfi DE MARFIM
Para unhas, denles, cabello e roupa.
Outras de balea com machetados de raa-
dreperola para ns mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentes, caetas,
ddaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para noivas.
Cintos de.brim, com elstico para se-
nhoras. v q
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
gentes para o pescoco.
Outras enm aljofares coloridos, e tran-
selin dOurado.
BolSes com ancora, e P. II. para fardas
e colletes.
Abotoaduras d'aventiirine com o p de
prata dourada, para colletes, cada um 53-
Botos (te cristal, enca$toados em prata,
para punhos, 43 o par.
Camisas de flanella para homem, a me-
lhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de laa para homens, senhoras e
creancas.
Ditas de dita, tecido de borracha, para esquecam de comparecer loja
quem solfre de nchac3o as pernas.* Branca ra do Queimadu n. 8.
Pannos do crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de tabyriif
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipur, bronco c
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
peonas coloridas, proprios pan pisamos,
oratorios, tic.
Bonitos passarinhos de metal nwttados,
para segurar costuras, tendo almofadin: ts,
de velludo para agulhas e alfinetes.
Tbesouras de duas, tres, quatro e cinco
pernas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhs, que
merecen ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusuUra, merece a Aguia Branca -
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a' devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de to bom
em tal genero, e ainda assim cusa ca i
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqoi a pouco abundaro
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, por.m as verdadeiras cootinuarao a
vir especialmente para a loja da Aguta
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
raes e qualidades a ininidade d'olij-,; .
que constanteranlo se acham venda na
loja d Aguia Branca, seria seno impossi-
vel ao menos infadonho por isso ella co>
fia na constancia de sua boa e anga fre-
guesa, e pede aos que de novo queirarn
reconliecer a commodidade de seus prer,
e a cinceridade de seu agrado, que nao t
d'.\
somutTO tu
Yende-se por menos de 10, 20 e 30 [fl
SO' NO
N. 23Largo do Ter DE
SIMAO DOS SANTOS 8' C.
Os proprietarios deste bem sortido annazem de seoco e moihados esto re-
solvidos a fazere urna grande diminuirlo de precos as suas mereadorias, como se apro-
xima a festa o sempre se fazem avultadas compras para o centro e praca, \> r
isso previnem ao respeitavel publico em geral, quo mande fazer suas despenis o, cei
tos de jue vero a grande dilferenga em precos mais do que em outra qualquer part-:
e garantindo-se as superiore qualidades.
GAZ AMERICANO 93500 a lata, e 4i0 SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra o
rs. a garrafa e 660 rs. o litro. 620 rs. o kilogrammo.
VINHO VERDADE1RO FIGUEIRA 560! FABINHA DE ARARUTA VERDADE1RA
a garrafa, e 43500 a caada e 800 rs o ti- 640 a libra e 13400 n kilogrammo
tro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 23800 e
33200 a caada, 660 e 720 rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 43000.
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 13400,
1S800 e 23200 a caada,
AZEIE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 73 a caada, e 13340 o litro-
JANTEIGA INGLEZA FLOR 13400 e
13280 a libra, 33060 e 23780, o kilo-
grammo. o
DITA FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 23100, 13980 e 13860 o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a li
bea, 13220 o kilogrammo, em porco se
far abatimento.
BANHA DE PORCO DE BALTIMOOR
720 rs. a libra, o 13560a kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
enW
BOLAXINIIA INGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 800 rs. o kilogrammo.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANZA, 280, 400 e 560 rs. o masso.
33200 e 63500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACIIINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 13280. 250O
33500, 45500, 53500 a lata e a retalho e 1 -.'
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 r-
o masso. e em caixa ba abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caita faz-se abatimento.
SER VEJA INGLEZA MARCA II 5350J
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADERA IHLERS
BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 13500, 13200, 13 e
porcSo se far abalimen
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
33400 arroba.
ALP1STA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 63 *:An'EM GRQ 63 e 63500 a arroba,
200,246 e 260 rs. a' libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em saeea se far abatimento.
SABO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, era caixa se
faz batimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHAfUN' E ALETRIA, '560 rs. a libra;.
13220 o kdogrammo.
BQitiHlNHAS KM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
lhanie#ombiuatioo, FrancjHa-acYnel, mixed
BritaOM; Mdium, Fancy-uic-uac, a. b, c, e
soda a 43600 e 45406, cada urna lata.
Assim como ha outros muitos
GENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 75 e 63 a frasqueira, o 500 rs. o
frasco.
DEM DE LAttANJA DOCE AROMTICA,
113 a frasqueira e 13 o-frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES, -i
33000, 23800 e 25400 em caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 re. libra, e 880 rs. o kilogramos .
e 143500 a arroba.
LINGUIGAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 13000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROME-
TO al3000rs. a lata.
CHA FINO. GRAUDO B MIUD1NH0
33200 e 23800 a libra, e 63100 o kilo-
grammo.
IDEMPROPRJO.PALV NfiGOdO 2300C,
23200 e 15800, rs. a libra,
gneros, vinho em ancorlas, azeitona<,
Na loja e armazem| da f^arSo rvi da Imperatriz n. 60.
muito aovas, paseas e figos novos, charutos de diversas marcas, marmelada. fnita pelos
melbores conserveiros em Lisboa, gela de maimello, pcego, ervlhas, em latas, por-
tugueas e francezas, vinho verde engarrafado retalho, peke em latas, bem com:>
pescada, tamba, pargo, goraz, lula, corvina, vezugo, cavalla, sarda e sardinhas de afi-
tea. Gaaella, cravo, ervadoce, comiuho, pimenia, grandesnaolhos de seboUa 4350C.
Finalow&te muttos outros gneros que enfandonho menciona-los.
OMENTO.
J POR METADE
de son valor vende-se na loja do Triumpho
a ra do Qneimado n. 7.
L3as de bonitos padroes a 320 e 400 rs.
lo covado.
E outras muitas fazendas de phantasia por,
precito commodo e breve sera aturan- m^^^SSnSS^
ciado seu esplendido sortimento. ideOWveira Aievedo4,.ro*d Croi. |7,
LOJA DO TRIUMPHO. I andar.

Vehde-se verdadeiro cimento; na roa na
Madre de Dmw n.22, armazem de JflSo
Martins de Barros.
io de algodo.


6
I
Diario de l'erambuco Quinta feira 9 Je Dezembro de
--------- ---------
1869.
LIQUIDACAO
SEM IGUAL
O proprietario do armazem do lazuml is denominado ARARA, ra da Impcra-
rz n. 72, decl ira ao respeitavel publien e seus froguezes, (uo est liquidando todas as
'azendas e roupas feitas que lem em scu estabelecimento como se poder ver no seu
nuncio c prefifltei&o mencionados.
Chitas ffr^l (M matizadas a
r.
Vendc-ss chitas francezas escuras matiza-
las a 320 rs.o covado por este preco sna
loja da Arara, ra da imperatriz u.
LAAZINHAS A 2i0 RS.
Vendo-se ljziolias para vestid<*||i> se-
ahora a 210, 280, 320 e 400 rs. o co-
vado.
BARKGES DE L.U A 500-RS.
Vemle-s?, bareges de lia com listrus para
dsti Jos de senhora a 500 o 640 rs. o
ovado.
Alpacas de listras a &OO rs.
Vende-se alpacas de listras para vesti-
los do senhora a 500 rs. o covado.
CHITAS Fll.VNCEZ.VS A 280 RS.
Ven le-so chitas francezas claras a 2S0 rs.
o corado.
CORTES DE L.U PARA VESTIDOS A
20400.
Ven-le-sc cortes d i la para vestidos de
lenhoras a 2-5400 cada um,
PKKCALES A 440 RS.O COVADO.
Vende-se percales imito finos para vis-
ados do senhora a 440 rs. o covado, mur-
solinas brancas finas, a 500 rs. o covado,
brhanlinas de cores, a 440 rs. o covado.
Baldes modernos de todas as
edres.
Vendcs?bal5esmoderno sbrancoedeco-
ras a 4. 45500 o 5^.
COBERTORES DE ADGODO A 15500.
Vende-so cobertores de algodo a 15500,
cobertas de chitas a 1<3G00 e 25 cada urna,
GANGAS PARA CALCA A 320 RS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cores para caifas de hamem e
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
cores para calca e palitots a 25500 e 35,
o covado, meias casemiras enfestadas para
.11 godo eufestado IMM rs.
Vende-se algodo enfestado proprio para
lenccs e toalhas, 900 rs. o metro, dito
trancado a 15, metro.
Chales de merino a 3..
Vende-so chales de merm estampados
a 25, chales brancos e de cores a 15000
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Voiidc-se urna grande porco de cortes
do brim castor para calca de hornera, 640
rs. cada um.
Grande poreo de retalhos
Vende-se grande porco de retalhos de
chitas e cadas pretas a 160 e 00 rs. o
cova lo, retalhos de cassas, 15a e chitas de
cores baratsimos.
LIQUIDAM A ROUPA FEITA
Verrrle-se palitots de brim de cores a 2(5,
ditos de alpacas de cores a25, dios de
meia casemira a 25 e 2(5500. ditos de pan-
no pYeto bom a 85 e 105, calcas do algo-
dio azul para escravos a 040 rs. ditas de
algodfiodc listras a 800 e 15, camisas de
nscado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
tos de brim o fustao do cores a 15 e 15500,
coletes de- cesemira de cores a 2(5500 e 35,
e outras militas qualidades de roupas feitas
quo se vende por baratissimo preco.
rs.
o covado
Vende-se algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PFCA DE ALGODaO A 40.
Vendem-se pecas de algodo 45000,
55200, 65000 e 75, para liquidar.
Baldes de arcos 1500.
Vende-se bales de arcos par senhoras
4$ NOVAS SEDAS
11-RT/A DO QTJElTf ADO--11
Chegaram da Europa pelo ultimo vapor loja de Augusto Porto 4 C. ricos
cortes das mais linda sedas de mimosas cores para vestidos propt ios para bailes e casa-
mentos. -
Grande variedade de sedas de listras de diversos precos todas do lindas cores,
gorgurao de seda prctar e grosdenaple de varias qualidades e gorguro de seda 13a de
dierentes cores.
Novos vestidos brancos de blond para noivas, lindas cohas de seda para camas,
ditas de la e seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas e toalhas de
cambraia de linho bordadas.
Lavas novas de Joavin, e elegantes sombrinhas de s Jas de cor para senhoras.
Esparlilhos de 5 at i05, lindos bournous de cachemira de cor para sahida
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Sor limento do muitas fazendas do 13a, linho e algodo todas por precos muito
mdico.
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tapetes o do alcatifa para
forrar sales tudo em quantidade; e vendem sompre^por menos que em outra qualquer
parto.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
aTgodo
loja das machinas
BASTO
Algodo de listras a 300
calcase palitots a 15 o covado, brim pardo pelo baratissimo preco de 15500 cada um
de todas as qualidades e brim branco de
todas as qualidades na ra da Imperatriz
a. 72.
Alpacas lizas a 40 rs.
Vende-se alpacas de cores lizas finas a
(40 rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o metro.
MADAP0L0 ENFESTADO A 35500.
Vende-se pecas de madapolo enfeslado
3(5500, pecas de madapolo inglez do 24
Cortes de cambraia barras
a s&ooo.
Vende-so cortes de cambraias barrsa a
25 o 35 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos de seda a 640 rs. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 45-
Vende-se carteiras para viagem t#
cada urna.
\ardas a 5#, 05400, 75, 85 e 105 a peca
72. Ra da Imperatriz. 72.
LIQUIDACAO
NO
Lourenco Pcreira Mendes Guimares, proprietario do armazem de fazendas
denominado GAIUBALDI, tem a honra de pirticipar ao respeitavel publico que tendo
recobilo diversas factrasele fazendas, de novo gosto, para a festa, estando a espera de
novas encommendas que deve estar aqui at o dia io de novembro vindouro, e vendo
que nao tem tempo antes do balanco de vender tantas fazendas de encommendas por
i;so resolveu fazer urna liquidacao para ver se d maior, estracao por isso em vistas das
;ircumstancias vender tudo mais barato do que em outra qualquer parte, na ra da
Imperatriz n. 56.
MADAPOLO ENFESTADO A 35500. | CHITAS PRETAS A 160
Vende-se urna grande porco de imdapo- Vende-se urna grande porco de chitas e
o enfestado de 12 jardas a 35500, assim cassas pretas em retalho a 160 o covado
como p*cas de madapolo inglezes de 24 tambem tem retalhos de chitas e 13a de c-
vlACHINAS americanas de serrote de todos os tamanhos para descansar algodo, do
muito conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
MACHINAS ditas, tambera de serrotes e de todos os tamanhos para descansar, al-
godo do autor New York Cotton Gin.
MACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
MACHINAS ditas de Roller Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
MACHINAS de faco do fabricante Platt B. A C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as raelhores que tm
/indo ao mercado ; e para a sua apreciacao convidam-se os senhores agricultores )
rirem a exposico das mesmas na ra da Cada do Recife n. 56 A, loja do Bastos, onde
mcontraro mais o seguinte :
Oebulhadores para milho.
dylindros para padarias.
Arados americanos.
Carrinhos de mo.
Machinas para cortar oapim.
Camos de chumbo.
Bombas de Japy.
Ditas americanas,
relhas de ferro galvanisadas.
Polbas de zinco finas.
Ditas de cobre e lat3o.
ferro de todas as qualidades.
Arcos de ferro,
olha de Flandres.
Machados americanos.
?aces ditos.
Salaios e cestas de verguinha.
Vassouras americanas.
Folies de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros artig
liversidade seria enfadonho ennumera-los.
Folha de ferro.
Balancas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda-comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Morahos para refinaces.
Azeite de espermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoura e artes, que pela
jardas ou 20 varas a 55, 55500,65,65500
75000. 85, 95 e 105000.
Corpinhos a 200 rs.
CVMBRALVS VICTORIAS A 5:500
Ven de-se pecas de cambraias victorias
crias a 55500, 65 e 75. Brilhantina bran-
ca fina para vestidos de senhoras a 500
rs. o covado
ALGODO A 45000
res que se vende barato.
Gaugas para calca a 3O rs.
Vendem-se urna grande porco de gangas
para calca de honvm e menino a 350 o
covado, xortes de castor para calca a 640
cada ut#
Brim de cores a -lOOrs.
Vende-se urna grande porco de duas
faces para calcas, palitots e colletes de bo-
Vemlc-se urna grande pirco de algodo mera e menino, fazenda inteiramente nova.
t)do de noa qualidade e 45, 55, 65, 655 .0
75, e 85, a peca de 20 jardas ou 24
viras.
AD.MIREM-SE DO QUE E' BARATO
Chamalotes a 560
Vende-se chamalotede cores, dealgod '
para vestidos de senhoras a 560 o covado.
Alpacas Usas a &OO rs.
V.'iid '-se alpacas lisas para vestidos de
cores, para senbora, a 500 rs. ditos matisa-
dis finas a 720 o covado. Ditas lisas mui-
t: largas a 640 o covado.
Brim pardo liso a 500 rs. o metro, dito
trancado lino a 800 e 10000.
Ciraade liqiMaco de chapeos
e sol
Vende-se chapeos de sol de alpaca com
pequeo defeito a 25 e 35000, ditos finos
de 12 ai tes a 45500, ditos de seda finos
de 8 astes a 75500, 85000, ditos de 12 e
16 astes a 105000, para liquidar.
Chitas para cobertas a 24 rs o
corado
Vende-se chitas francezas para cobertas a
inicio 10 LEAO
Grande armazem de fazendas e roupas feitas na da Imperatriz
n. 52, porta larga, de Paredes Porto.
ste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 35, 35500 at 65. Ditos de
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 55, G, 85 e 105, de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 30500 a 5(000. Calcas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de 45, 55, 65 a 135. Colletes de todas as qualidades e preco muito
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodo e de linho de 20 ate 55
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de linho e bramante a 25 e 25500.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a todos os precos. Meias sortimento completo a 30.
45 at 75 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-sc de quaesquer obras de encommenda tanto para homem, como
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e outras muitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de 11 palmos de largura a 15800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 64Q,rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 10200.
Basquines de guipure enfeitadas a 180000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 60500, 70, 80 e 90000.
Algodo peca com 20 jardas a 40500, 50500 e 60000.
Peca de algodo largo a 70500.
E outras muitas fazendas quVsera* enfadonho mencionar Chegnem roupa
feita que se est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (unto loja de ourives) do
LEAO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
CORTES DE PERCALES A 6:000 240. 320, 340, e 380 o covado.
Vrtden-se urna grande porco de cortes
de perales de duas saias para vestidos de
senhora, de mnito delicados gostos com
16 Vi covados a 60 70000.
CMBRVIAS LISAS DE CORES A 600
Vende-se orna grande porco de cambraia
ija de todas as cores para vestidos a 600
rs. o metro.
Orijaabys modernos a SOO rs.
Vnnde-se organdys de cores para fazer
vestidos, de duas saias, agora modernos, a
800 rs. a vara.
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas muito finas de
m.p- a 380. Ditis matisadas escuras a 320
liitas escuras escocezas a 360. ditas aleo-
ijadas a 360, ditas garibaldinas a 360 o
ovado. Sortimento de chitas como tem o
laribaldi ha poucas lojas que compitara.
7L'Vi OES para VESTIDOS A 400 RS.
V n1e-.se fusto de cores para vestidos a
'j) rs o covado
COBERTOHES A 1:400
Vende-se cobertores*de algodo a 10400
tas de chitas feita a 10600.
Vnnde-se grande porco de corpinhos a
G 4000 d40o6-
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vende-se cassas francezas para vestido
a 240 o covado, ditas muito finas a 400. rs.
assim como percales finas para vestidos a
440 o covado,
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias cruas para homem a
35500, 40. 50. e 60000 a duzia, ditas para
meninos de todos os tamanhos a 30500 e
45001, ditas para senhoras e meninas a
35500 40, e 50, a duzia.
BALES DE ARCOS A 1:500
Bales do arcos a 10500, ditos modernos
a 40000.
ATTENQO
Tem-se para vender urna grande porco
do roupas feitas de brim e de casemira, do
todas as qualidades nao se menciona por
f er enfadonho. garante-se ao comprador ven-
der mais barato do* que em outra qualquer
parte, isto s se pode conhecer com a pre-
sen<;a do*comprador e a vista da fazenda
que se'pode conhecer como est liquidando
por barato pr^co, o general Garibaldi, ra
da Imperatriz n. 56.
Chales de uterino a tflOOO
. Vende-se chales de Merino de cores es-
tampados a 20000. ditos lisos a 30500, di-
tos -stampados finos a 50, 50500 e 60000.
Machinas vapor de
forca de 3 e 4 c-
vanos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desca-
rocar algodo.
Balancas para armazem e balco.
Camas fie ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de bit-
field.
Prencas para copiar carcas.
Fogo americano patent
Bheumatismo e moles-
tas syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaparrilha
do Pai, pilulas e xarope de veame, tin-
tura e xarope de sicupira.
Doeips do ligado e liaro, ane-
mia, opilado, ete.
Emplasto, oleo, pommada, tintura, pi-
lulas, xarope e vinho da milagrosa Juru-
beba.
Sczdes oh febres intermitentes
As pilulas anti-periodicas' de Pinto.'
nico deposito destes medicamentos na
pbarmacia de scu autor ra larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quartel do corpo de
polica.
O PAVILHAO
DA
AURORA
RUADA IMPERATWZ1. 2
Esquina da rna la Aurora SE
Defronte do Caf Imperatriz.
[ Ncsle novo o sumptuoso eplabelecimen- |
to de fazenda?, encontrarlo as Exmas. 9
familias indo quanto posam desojar, lan- J
I lo em artigos de rigoroso luxo, como em |
I todas as mais qualidades de fazendas de I
* sedas, blonds, alpacas, merinos, laas, !E
cassas, mussulinas, chitas, madapoldes, fg}
| algodoes, etc., demodo a sahir bem ser- |
vido desde o mais rico e exigente amador 55
da moda e do luxo, al o mais modesto SJ
I pai de familia. Alin de se acliarem pro-
i viilos do quo melhor se enconlra nesle *J
mercado, mandaran) os proprietarios 1
| d'oste estabelecimento vir directamente jflf
o que em artigos,de modas e dentis S
I apurado gosto se cncontra em Paris.
I Urna modista especialmente oecupada g
. nos trabalhos do PAVILHAO DA AUltO- g
I KA, executar promplamenlc e com toda ft
l a perfeieiin qualquer trabalho a capricho, fM
para o que se ai-lia habilitada em tudo S
3nanto mister para o bom desempenho Tgg
e sua rnissao, o quo 6 tima grande van- |
tapen para o bello sexb, quo assim 2
vai cnconlrar em um s lugar tudoqunn 28
o pode desejar, isto fazendas do me- |M
Ihur gosto, modista para perfeita execu- S
cao de qualquer trabalho, perfumaras, g
chapeos, enfeilcs, miudezas, linas de fifi
Jotivin e tudo quanto a moda pode exi- S
gir.
Aos cavalheiros igual vantagems8ofTc- jjfi
rece, por ter o estabelecimento o mais S
completo sortimento de fazendas para fac- S
tos, c proprias para todas as estacoes, e
um hbil alfaiate encarregado de execu- S
I tar com promplidio e meslria qualquer g
encommenda. fi
Os proprietarios do PAVILHAO DA 5
| AUKOKA nao tendo poupado despezas I
para dotarem esla bella cidade de uro B
i estabelecimento digno d'ulla, confiam nos g
: seus esbrcos e no bom gosto de seus ha- jj|
i hitantes, garantindo a maior circumspec- ffi
! cao o modicidade de precos.
Com a possivel brevidade e em vista da |
Iproteccao que se dignarem dispensar-lhe, Jg
este estabelecimento trata mallas outras S
[ vantagens, primando entre ellas a publi- S
cacao de um jornal gratuitamente dis-
tribuido aos seus freguezes, o qualse oc- fa
| cupar exchisivamenio da descripeo das g
I modas, acompanhado dos ltimos figuri- 9
nos; vantagem que at boje anda nenhum S
( meslabelecimento offerecen.
tConcluindo, e na impossibilidade de des- ra
crever c rico e variado sortimento que 3
\ possuem, os proprietarios do PAVILHAO
I DA
)A AURORA respeitosamenlo convidam |
as Exmas. famlias a visitar este espa- !
coso e rico eslabelecimento que, alm de |
tudo, est dolado do pessoal necessario
para vender e levar amostras s casas !
que as pedirem.
Pelo ultimo vapor receberam ricos cor- i
tes de vestidos para casamento, luvas de |
pelica ricas chapcl'nhas para senhoras ]
e diversas fazendas modernas.
lAberto das 6 da manhaa asi
9 da noite.
MM.t,
DO
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo n. 9
Os proprietarios deste bem conhecido estabele-
cimente, alm dos muitos objectos que tinbam ex-
postos a apreciacao do respeitavel publico, man-
daram vir e acanam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento de
linas e mui delicadas especialidades, as quses es-
tao resolvaos a vender, como de seu costume,
SDr precos muito baratinhos e commodos para to-
ds, com tanto que o Gallo...
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollnhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes do tartaruga para coques.
Lindos e riqusimos enfeilcs para caberas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
lhos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leqncs de madreperola,
marim, sndalo e osso, sendo aquellos brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 3OJOO0
a duzia, entretanto que nos as vendemos por iOS,
"alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
unas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor "se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
Juanudade de outras qualidades, somo sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de i a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim c tartaruga para fazer
barba; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem assegurames sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
" Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo lm.
Grande e variado sortimento das raelhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
fanltam a denticao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores dests prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todas os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que deles precsarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre eneonrrarao destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fn
para que sao applicados, se Tenderlo com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virera
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, rna do Crespo n. 7
Seliins baratos,
N. 27 RA DO LIVRAMENTO N. 27.
Neste estabelecimento vende-se seliins e
silhoes, de todas as qualidades do melhor
que se pode fabricar no paiz, assim como os
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxoes, traviceiros, caixi-
nbas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. 0 proprietario deste esta-
belecimento "garante a pontualidade, esme-
ro e zelo de seu trabalho ; portanto pede ao
respeitavel publico sua proteccto, que affian-
?a vender tudo pelo mais barato possivel,
o por menos do que em outra qualquer
parle.____________________^__^
3 cordeiro previdente
Rna do Quelmado n. 18.
Novo e variado sortimento de perfumaria
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfo-
marias, de que effectivamente est prvidas
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
lade, qualidades e commodidades de pre-
sos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
d espera continuar a merecer a apreciado
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, n3o se afas-
tando elle de sua bem conhecida mansidlo
i barateza. Em dita loja encontrarao oa
ipreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgia) para conservarlo do
sseio da bocea.
Cosmeliques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, coa
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
a outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
(rancezes era frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial d fino e agradavel chei-
-o de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philoaime verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
som escolhidos cheiros, em frascos de defe-
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
aas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arros
i boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
P6 de camphora e outras differentei
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhoa
8 algnns d'elles ornados de flores e fitas,
est5o todos expostos apreciacao de qneo
os pretenda comprar.
GOLLNHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
rivellas e litas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objeo
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com;
prador.
RAP POPULAR
DA
FABRIf A NACIONAL DA BAHA
DE
Tctxeira Uldurtco&C.
Acha-se venda este ptimo rau, onico que
piidc suppnr falta do princeza de Lisboa, por ser
do mui agradavel perfume, viajado, e a preco o
mais mdico possivel; e por isso tem sido asss
acomido as pracas^a Babia, do Rio de Janeiro e
em outras do imperio : no escriptorio de Joaquim
Jos Goncalves Beltrao, roa do Commercio nu-
mero 17.
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa & Flho, defronte do arco da Con-
ceilo, em barncas grandes.
Na roa do Codorniz n. 8 contina a ter um
rande sortimento de doces em latas e caix5es.de
iversos tamanhos, cujo se vende por preco mais
barato de ane om o~utm a ualauer parte.
GAZ GAZ GAZ
Sementes de bortaiiees chegadas pelo ultimo
vapor : na ra do Livramento n. 38, armazem de
tnolhados. Restitue-se o importe ao comrfador, uo
ca o de nao nascerem,
Pao Senteio.
Estar venda as tercas e sextasferas, na
padaria allemaa, ru' do Lima, em Santo Amaro,
no Recife, Recreio Comm-rcrl, em frente a ra
do Vigerio n. 2, ra da Imperatriz n. 80, ra do
Brura n. 56, e no armazem do Campos, ra do
Imperador.
Chegon ao antigo deposito de Benry Forster o
ti, ra do Imperador, um carregamento de ga;
de primeira qualidade; o qual se vende em partida?
e a retalho por menos preco do que em outr qual
quer parte.
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch & C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ra do
commercio n. 32.____________________
Vendem-se dous bois, sendo um de earroja
e outro um novlbo tourno da mais para raca :
na coclieira do pateo do Paraizo, que foi aa carros
fnebres, se dir quem s vende.
Vendem-se duas escravas perfeitas cozinheiras
cinco moloques pecas de ti a 12 anuos, e um ca-
sal de escravos de meia idade, robustos e proprio?
para qualquer servico : no 3o andar do sobrado
n. 36 da ra das Cruzes.
Cabriolet.
Vende-se um cabriolet de dous e quatro assen
tos, o que ha de melhor neste genero, com bom
cavallo e arreios, ou sem elle : na ra de Santo
Amaro, cocheira de Thomaz Lins.
Cahriolet Docat.
O melhor neste genero, e perfeilo estado, ven-
de-se um ; para ver na cocheira de Thomaz Lins,
ra de Santo Amaro, e tratar na ra do Crespo
n. 16, loja, das 8 as II horas da manhaa e das 3
as 6 horas da tarde.
Vinho do Porto
Vende-se superior vinho do Porto engarrafado :
no escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedc
4 C, ra da Cruz n. 57, t andar.
CADET
CU RA
em TRES DAS
Denain?,
par i s
Paria, 36,RaaViTlenDe, D
CHABLEmeoecin
ASEIWEHHTOADAS UESSBXUAES, AS A1FHV
COKS CUTAWBAS. E ALTDLACOKSDO lAMBIBL
" OtCirUdUMRpWfMt
frf oet, otetOMU 4 n
_JM#I do tangu$. (Xaropa vegetal mkreario),
ratiras *eeea aiJW m
tomio-M dous por saman*, eegmiatee I
Depurativo : mi.refede ees wau i
Esls larop* CltreeN i
ferr de CHABLB. eua,
lngediettseeeme.ee lyiei
r*2oT!e1eC
saeote os ftuxot i fioru brame* ees i
DEPURATIF
SAIVG
PLUS Dt
COPAHU
Bsu njeeeao benigna prega-es cosa e Tareye %
O.tracto dt Ferro.
enU. Pomada e.te ae cera eea tree POMADA ANTIHERPTICA
Contra i du mucM3 dirtUHei e ctmtmt
PILULAS VEGETAE DEPlMUTeVAa
o GhaMe, ceda fraew vai I
ta foleto.
*
I
\.


Diario de Pernambuco Quinta feira 9 de Dezembro de 1869.
i
(
*
I

*
A ESMERALDA >.*
LOJA DE JOIAS
DB
1C.
>
Este antigo estab ele cimento, completa-
mente reformado le novo, est as cond-
coes de servir vantajosamente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com nm
expendido sortimento de obras de ouro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, cujos preqos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abate
Y 5 m \ DO i:\iii U N. 5
DAVID WILLIAM BOWMAN
Partecipaaos senhores proprietarios de engenhos, que aqolitecendo fallar-Ibes
agoa ou animaes para a moagem durante a prsenle safra, elle leni vapores promptos
para assentar, sem precisar de obra nova ou demolico de obras stt-ntes, e que
pode botar taes ngenhos a moer oito das depis de estarem as pecas do vapor no
engenho, garantindo-se o trabalho. /
Fundiqo, ra do Bram n. 52, passando o chafariz.
/
r
VERDADEIRAS
PILULASdeBLANCARD
COM IOOURETO DO FERRO INALTMVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Poseuindo as propriedades do loda et do /erro, conven especialmente as Affeccos
escrofulosas, a Tsica no principio,a [raqueta de temperamento e tambera nos casos de
Falta pe cor, amenorrea, em que precisareagir*obrk o sancue seja para restituir
lhe a sua riqueza e ahundencia normaes, ou para provocar e regular o seu curso peridico.
N. B. O iodnrete Je ferro impuro on Iterado um medicamento infiel,
irritante. Como prora de pureza de aothencidade das veraaaeiraa r-
talas d> Blaaeard, deve-M exigir nosso sella ale prata reactiva)
V nosso arma, aqni repradnrida, que se acba na parte inferior de nm
w rtala verde. Dvt-ie desconfiar dai falsificacos.
^ lilia na lilnia aaaramrelaa Phmrmueeuiieo, ma liaaaarte, 40, ParU
55Ra .do' ueiuiado55
i A VERDADE tendo em deposito graadt
quantidade de miudezas e perfumaras, e de-
sojando apurar dinlteiro e adquerir boa fre
guezia est rssolvida a vender muitissimt
barato, ; por essa razao convida ao respei-
tavel publico a vir competentemrtite muni-
do a sortir-se do bom e barato. Pois quan
do a Vcrdade appareco, tudo mais des-
apparece....
Grande sortimento de bonecos de cera t
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Abotoaduras moderuas para col-
letea....... 320
Cspelhos donrados pepnenos. 260
Agulhas de osso para crox a 200
Pentes para regac. com csntas a 320
Ricos globos para candieiro de gaz a 1 800
Cbamius a "....... 320
Grande sortimento de objetos de
louca para brinquedo de menino 400
Garrafa com tinta a..... 800
Dita com agua florida verdadeira a I#300'
Dita com dita dita a .... IOt'0
Frasco com oleo de babosa a 500 e 720
Dito com agua de Colonia a 300 e 500
Garrafa com agua divina a. laOO
Frasco com extractos finos a 10000
Latas pequeas com banba multo
lina a 120 e...... 160
Sabonetes de diversas quali lades a
80, 160, 240 e...... 32.
Finas escovas para dentes de 120 a 600
Lindos coques modernos a. 2000
Pavios para gaz, duzia a 240 e .. 320
Escovas para faci a 5C0, 600 e 700
Ditas para cabello a..... 500
Pentes para tirar piolho a 160 e. 240
Brincos de cores, bonitos a 160 e 200
Pecas de tranca de 15a com 8
varas por. ...... ,j 80
Oleo para machina de costura,
frasco a........ 600
Pennas d'aco finas caixas a 800 e lOO0
Dita d'aco Perry, caixa a. l#40f
Gal5o de algodo peca .... 400
Lindos babadinuos e entremeios
peca de 500 a...... 500
Ditos de louca muilo fino a 120 e 200
Ditos para calca a 160 e. 240
Caixa com papel amizade a. 700
Ditas com envelopes a. 480
Ditas com obreias a..... 40
Caixa com agulbas fundo dourado 280
Ditas de ditas ditas a..... 160
Thesoura para costura a 240 e 500
Caixa com linha de marca a 280
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........ 50C
Carretes de linha Alexandre de 70
at 200........ 100
Grampos muito finos com passa-
ros, duzia a...... 200
Cartas portuguezas, duzia a 1*5400
Ditas francezas a 20200 e .. 3iJ000
Papel almaco e de peso, resma a
30400, 3(5500 e 40500
Laa muito fina para bordar, libra 605OC
Fita de algodo para debrum de
sapatos, peca a..... 160
Ditas de laa para debrum de ves-
tido, peca a...... 480
Pentes finos para segurar ca-
bello a....... 320
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 210, 320' e...... 500
Ditos para aparar penna a 100
Rosetas pretas, par a ... 100
Tpan'a de la de caracol peca a 40 e 100
.Jnta dp coz peca a 480 e 560
Alfinets de lato a..... 100
Sapatoa de 15a para enanca a 400e 800
Gravata1 de sedas de cores a 200
Calcadeiras a....... 80
Grande sortimento de rendas das Ilhas.
Um par de suspensorio de borracha por
100 res I! til 11
Na Vertlade rna do Inclinado
ESTABTO MENELECIEM 1832
Salsaparillia de Bristol.
LEGITIMA E ORIGINAL
EM FRASCOS GRANDES
nos potipamos nem dinheiro, nem dili-
gencias ; afim de alcancarmos o melhor
e nicamente o nu-lliorde cada um artigo
ou ingridiente que entra na sua composi-
Co; 6 pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva conlianca; que po-
demos afoutamente- dizer aos doentes de to-
das as nacoes, e de todos os paizes, que na
alsaparrllha de Bristol. possuem
um remedio mais eflicaz e seguro; do que
nenhum outro, que vos tenha sido offerc-
cido at boje, e o qual por corto nao hade
mallograr vossas expectativas, na prompta
e effectiva cura das seguintes enfennidades:
to se ada elle bm prvido de gneros su-
periores, de maocira a nao desmentir
O Campos*
AVISO
OGRANDE PURIFICADOR DO SANGUEI
Esta excellente e admiravel medicina, e
preparada d'uma maneira a mais scientifi-
ca por Chimicos e Droguistas mui doutos e
d'uma instruccao profunda, tendo tido mui-
tos annos de experiencia ao par d'uma ton-
ga e laboriosa pratica.
A sua compOsicSo nao consiste d'um sim-
ple extracto d'um s artigo; mas sim,
composta d'extractos d'um numero de rai-
zes, hervas, cascas, e folhas, possuindo to-
das ellas, sua virtude especial ou poder
em curar as molestias as quaes teem sede
of essento, no sangue ou nos humores;
e estes differentes extractos vegetaes, acham-
sepdruma tal-forma combinados ponto
de conservaren! em toda a sua forra, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um de
per si possue. A raiz da planta de Salsa-
parrilha, produzida as Honduras, 6 a que
nos usamos nesta preparaejo, sendo a qua-
lidade que todos os mdicos mais prezam
e estimam. Na composiclo da ftalsa-
parrllha de Bristol entra mais de 50
por cento deste concentrado extracto. Ella
uao encerra em si cousa alguma, que pos-
sa por leve ser perigosa ou injuriosa
sade; e tanto n'este, como em quasi to-!
dos os mais respeitos, ella inteiramente
diversa de todas essas mais preparaces,
as quaes debaixo do nome de Salsaparr-
llia, sao acondicionadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada em doses
mui diminutas d'uma colher de cha por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARRIRA DE RRISTOL
em frascos grandes, e assim por este modo,
dividimos com os consumidores, o grande
proveito e vantagem alcancado por aquelles
que acondicionam sua prepararlo em gar-
rafas pequeas. Cada um dos frascos da
nossa Salsaparrllha de Bristol
oonteem a messa quantidade igual a porque
contidanaquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue ainda muito mais Jorca e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa achar contida dentro de
seis garrafas de pequeo tamanho. Por-
tante mui natural, que aquelles, que se
acham oceupados em preparar e vender as
suas prodceles, em garrafas pequeas,
murmurem e gritem contra os nossos fras-
cosgrandes: proclamando, que a nossa Sal-
saparrilha de Bristol nao possue a
menor virtude; porm qu3o effectivamen-
t| sao elles postas em silencio, quando indi-
camos, ou simplesmente referimo-nos para
rom essas centenares de certides e tes-
leimfibos autRenticos, por nos recebidos
de todas as classes da sociedade, nos quaes
plenamente attestam o poder curativo e vir-
tudes maravilhosas da nossa.
SALSAPARRILHA DE BRISTOL.
A vantagem de termos os nossos pro-
prios agentes naquelles lugares aonde as
differentes raizes, drogas, hervas, e plan-
tas de que se compoem as nossas medicinas,
sao produzidas, que nos habilita exer-
cer aquelle constante cuidado e disvello na
minuciosa cscolha; e o que assegura e ga-
rante uniformidade de excellencia.
Em quanto que, por oatro lado, DOS nao!
Escrfulas,
Chagas antigs,
Ulceras,
Feridas Ulcerosas,
Tinha,
Syphilis.ouMal Ve-
nreo
Humores Escrofu-
losos,
Irregularidades do
Sexo
Feminino,
Nervosidade,
Debilidade Geral,
Febra e Malignas e
Febre e SezSes
Biliosas,
Tumores
Absccssos Apostemas,
ErupcTx:s,
Herpes,
Salsagem
Impigens,
Lepra, febres intermitientes e remittentes,
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, achar-se-ha, que para o bom
resultado e perfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades cima apontadas o adian-
tamento da cura, grandemente promovi-
do c apressurado; usando s ao mesmo
tempo das nossas mui valiosa pllulas
vegetaes assucaradas de Bristol,
tomadas em doses moderadas em connec-
cao ou conjunctamente com a Salsaparrilha;
ellas fazem remover e expellir grandes
quantidades de materias morbificas e hu-
mores viciados que se desprendem e livre-
mente circulam espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso 'da Salsaparrilha; 9
por esta forma facilita a volta e o exercicio
normal das operaces funecionaes,
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo 4C,,P, Maaajn
C, B M,dt A.arbosa, Bartholomeu C &.
lll/li iinuvl
O Campos da ra do Imperador n. 28,
no intuito de servir satisfatori mente aos
seus innumeraveis amigos e freguezes, em
particular e em geral ao respeitnvel publico,
desta cidade ; avisa aos que estiverem pas-
sando o tempo calmoso, nos deleitaveis
arrabaldcs desta capital, que tem resolvido
vender, de de superior qualidade, a precos
razoaveis, os seguintes gneros a saber:
PARA CIMA DE APARADORES
Latas com doce em calda de diversas
qualidades nacionaes e estrangeiros.
Ditas com peixe a saber; salmn, ostras
e lagostas.
Ditas ooni ervilhas francezas e portugue-
zas.
Ditas com gelea franecza.
Ceneja franceza verdadeira Bobee.
Presunto para fiambre e afiambradps.
PARA DISPENSAS
Latas com chouricas novas sendo de 8,
cada urna.
Presuntos de Lamego para tompeiro.
Cuias do Para (pintadas pelos indgenas
daquella provincia.
Copos de vidro com dobradica e tampa
para diversos misteres.
PARA OS QUARTOS DE DORMIDA
Porta-phosphoros cheios de phosphoros
de segnram;a.
PARA SALA
Churutos de S. Flix do afamado fabri
cante Costa.
Fumo picado do Daniel de S. Joo do
Rio de Novo.
Alm desses gneros, o Campos tem con-
vicc5o de que o seu estabelecimento um
dos que podem satisfazer com garantas as
exigencias bem entendidas, dos Ilustrados
habitantes desta heroi:a provincia, porquan-
Os proprietarios do BAZAR DA MODA
sito ra Nova, nesta cidaju declaram ao
respi'ilavel publico e cotaB Bi.ilid-de aos
seus freguezes, que, pi'irw I de boje ein
diante a vendor o grande^ortimento de
miudezas, perfomarias, quinquilharias, ar-
tigos de moda para hom ;0s. senhoras e
meniuMuuim um grande abatiincnlo em
(ireroti liquidar a dinheiro.
A1 |p variedade de objetos de gosto
recebiOOT da Europa, onde os tnesmos pio-
prietarios entreten) relat&escom habis cor
respondentes habilitados a offerecer as
maiores vantagens possiveis e Ijojo estam
resolvidos a liquidar com pouco lucro, acba-
r5o os compradores urna diflerenca superior
a 30 por cento menos do que em oulra qual-
quer parte.
A PREGO FIXOsSo vendidas todas as
mercadorias constantes do estabelecimento
e por este systema de negocio podem sem
escrpulo comprar, cortos de que nao se-
r5o Iludidos.
Tem empregados proraptos a conduzirem
os objectos ou amostra a qualquer casa que
o exija.
Bazar d ModaIo de dezembro de
Jos de Souza Soares (fe C.
A 3^000.
Cha verde de excellente qa.ilid;ide : na ctica
homeepathica da vluva do Dr. Sabino O. L Pir.lM,
ra Nova n. 43.
PARA A FESTA
3 portas, loja de fer agni
53--Eua Direita-53
Ncste grande estalieK'cimento, ha para vender
nm completo sorliroeuto de hrrtfHB, e miudezas
finas e grossas, como sejam bandejas ebineus
quadradas e ovaes, (Sicas e garfos u I 2 .'.;-
toes, batane/) inleiro e /i bataneo; pancllas, cha-
Iheiras, cacarollas, fripideira-, MOdeim, tawlj
de ferro como de (xji-ceiana, nminhos inri caf de
diversos lmannos do fabricante Japy, pesos kilo-
grasimos, tanto de ferro romo de alao, metros
para medir fazenda tanto de ferro como de lati,
.-alilre, breu, barbante, enxofre, papel marca fia-
do, do verdadeiro Pcardo, machinas para tffitta-
rocar algodo; alm de outros artigna de terra-
gen, miudezas cutilaria> linas, qne fio.cota a vis-
ta se verifica ; na ra direita n. .':1 loja djs 3 ptr-
tas de Manoel Dent de Oliveira Itraga& C.
ESCRAVOS FUGEDOS.
Ainda e>la fgido o meu escravo Isaac, mu-
lato, idade 20 annos, pouco mais ou menos, tem
no dedo grande da mo dii'eitn duas unha, como
se fossem dous dedos ; na sua sahida furtou-me
'iOOa 6005 em moedas de our j, e foi bem utido;
consta-me que foi visto em Pedras d^ Fugo : pe^o,
pris, s autoridades policiaes j capics de campo
a sua app.ehensao, e que o facan cmiduzir a ra
da Matriz da Boa-vista n. 33, onde sero tem re
compensados.
Jezuino de Miranda.
Fuglo no dia 7 do corrente mez de novein-
bro, aescrava Joaquina, crioula, de idade 40 an-
nos, cor preta, baixa e ch ia do corpo, tem urna
orelha rasgada no lugar do brinco, uina peque-
a cicatriz na testa a um lado, dous dentes na
frente abortos que parece falta de nm, mas nao :
esta escrava so oceupava em earregaragua no pa-
leo do Terco, on lavando roupa pelos eoqoeiros
^unto a Fu Imperial, e por estes lagaa que
ella costuma andar. Uoga-se aos Srs.~ capiC.
campo a aprehensao desta escrava e a levar a
ra do Queimadon. 39 terceiro andar ou a preca
do Corno Santo n. 17 prmeiro andar, que sera
bem recompensados.
Grntifica-se.
Ainda est fgido o Jos-col, escravo da p?. Li-
ria allema da ra di Lima, en Santo Amaro,
muilo contiendo por ter vendido pao de leite e ter
o bra<# esquerdo corlado, crionlo, 3. annos i
idade e muitas vezes cobre o defeito do bvc, *aoi
nm panno qualquer. toma cachaca e falla has:
Protcsta-se contra quem o tiver em seu poder ; -.
a pessoa que o queira capturar sera raeompen-
sada.
I
I
i
V.
J 1
LISTA GERAL
129
l.
DOS PREMIOS DA I. PARTE DA LOTERU CONCEDIDA POR LEI PROVINCIAL N. (588, A BENEFICIO DA MATRIZ DE NOSSA SENHORA DO DE GOIANNA, EXTRAHIDA EM 7 DE DEZEMBRO DE 1869.
s. PREMS. I 'S. PREMS. iS. PREMS. I 18. PREMS. 1 JS. PREMS. | JS. PREMS. I JS. PREMS. I 18. PREMS. I |B. PRE.MS. N'S. PREMS. ! \---------------- k PREMS. RS. PREMS. RS. PREMS. INS. PREMS. -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------*-PS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. (NS. PREMS. NS. PREMS,
4 M 223 i* 485 722 41 963 4*1 161 fcj 383 8* ) 622 4*1 883 4* 2123 i*' tn 4* 606 4* 1879 -v>* 3109 4* 3307 4* 3534 4* 3736 3990 4* 4232 4* 4468 4*
8 _ 28 87 29 __ 73 __ 67 87 4S 29 84 29 82 12 81 \ 10 19 39 58 4001 33 71
13 _ 30 93 46 74 69 88 34 88 -4 33 84 16 __ 84 \ 11 21 52 89 9 38 77
14 __ 31 507 50 79 81 _ 89 40 90 m 46 85 20 90 12 24 64 66 14 . 57 78
15 ___ 45 9 54 86 85 _ 92 47 95 54 - i. 22 91 15 26 60 69 16 8* 59 ' 88
17 __ 55 16 56 87 __ 87 mm 93 53 98 --- 53 93 25 _ 1901 ma 17 31 61 70 8* 21 4* 60 99
18 m 24 58 90 1207 _ 95 99 .--- 60 96 26 2 mmmM 20 33 62 90 4* 25 mmm 61 4505
19 _ 63 - 28 60 _ 91 10 1400 62 _ 1906 __ 1403 29 _ 3 __ 27 34 -a. 63 < 26 --- 66 14
3 . 69 ur 65 _ 96 __ 16 ^_ 10 63 10 --- 79 8* 10 33 _ 4 mmm 34 40 64 28 --- 67 8* 15
28 ^ 71 ,36 67 98 8* 17 ~~ 13 66 11 --- 83 4* 12 36 _ 5 _ 35 56 67 96 38 --- 69 4* 21
37 ^_ 72 .-> 39 73 81 1000 4X 21 8 17 . 71 12 --- 90 17 39 _ 16 _ 39 57 73 3800 42 70 8* 23
38 mm^ 76 - 40 "i Oo u 1 22 4* 19 73 26 --- 93 ai 43 23 mmm 40 65 75 2 44 73 4* 27
49 __. 83 - 42 91 12 29 202* 33 74 _- 28 --- 95 36 46 _ 24 mmm 43 72 86 3 46 ~ 76 " 32
30 83 - 44 93 19 35 4* 36 81 10* 40 99 45 56 26 47 74 91 9 49 81 *^~ 41 *
7 mm 96 - 48 97 25 38 49 82 4* 41 --- 2210 _. 51- 73 __ 29 _- 52 79 94 10 ~- 52 ~"~ 81 mm 43
til 300 - 53 8{ 801 29 51 54. 98 45 13 _ 55 75 mm 32 mmm 61 89 96 ~~ 11 65 "- 85 8* 44 *
64 9 55 * 7 40 52 _ 59 _ 1703 46 17 ^^ 50 78 37 aaaa 85 92 98 14 73 mmm" 94 80 *
68 ^^ 10 59 -~- 8 __ 41 _- 53 60 _ 17 57 --- 18 _ 63 80 38 mmm 86 94 8* 3609 22 8* 78 * 97 4* 51 m*
70 11 21 60 11 _ 48 _ 56 . 61 25 65 _ 24 __ 64 20* 82 43 100* 91 .98 4* 17 28 4* 79 85 96 "~ 4301 53
86 _ 34 - 72 14 __ 53 G2 63 29 68 _ 29 _ 65 4* 88 50 40* 94 3400 . 18 31 mm 3 54 "
88 ^. 36 - 73 16 __ 55 _ ii 68 33 71 _ 30 __ 71 8* 89 84 4* 95 7 20 32 mmt 4 60 "
04 _ 37 - 80 23 __ 72 66 69 44 74 --- 47 75 8* 92 53 97 8 22 33 97 24 71 ^
96 M| 43 - 81 27 . M 73 79 71 50 75 48 i 78 4* 95 60 8* 3200 10 33 36 4102 31 76 ~^
113 VI 64 - 83 31 mm 75 80 74 51 76 56 83 98 63 4* 6 23 34 38 """ 6 31 79 82 83 86 ~~m
25 8# 05 | 86 33 _ 78 83 75 53 8* 4* 86 --- 59 85 2701 67 11 a* 24 ' 37 47 8* 7 43
27 '.* 66 87 34 __ 80 65 20* 84 56 93 --- 03 2502 . 8 69 12 M 28 46 50 61 4* 12 50 8/*
30 0m 74* - 96 36 _ 91 __ 92 41 88 61 96 20* 65 9 13 73 14 42 49 -~ """" 19 -" 53
31 _ 83 612 _ 38 mmm 97 w 94 92 62 2000 4* 75 12 22 74- 19 50 80 64 mmmw> n 35 4600 8*
38 _ 94 18 .^ 39 ^_ 99 ^ 95 95 70 2 83 8* 15 23 95 . 2T 54 52 m* 69 83 95 28 "" 60 2 4*
40 --- 99 19 ^ 44 __ 1100 98 98 79 3 , 84 4* 20 24 _ 3005 +m 39 55 69 31 41 47 50 51 53 88 59 62 63 67 75 79 89 1 61 -^ 3 ^
44 --- 401 27 - 48 __ 2 1301 1501 84 i ^" 50 7 30 - 52 5 2 ^_ 2 85 ^^ 13 N 2300 nu 30 4* 31 10 47 63 80 m 3900 V. -- 10 m^
56 9 40 54 6 5 ^^ 15 86 !^ 28 4 ama 36 44 mm 16 54 70 82 ^^ 6 ~ 71 ^m 29 ^--
87 10 41 70 8 _ 8 __ 16 95 mmp 31 7 _ 38 88 8* 17 56 71 96 15 .8 ^ 31 ^~
58 11 - 42 73 U 9 _ 33 98 mm% 32 16 41 r- 56 4* 20 60 7;i 97 1 19 90 91 4404 8 9 11 34 38 44 "*
89 62 14 -16 - 43 49 99 901 15 21 8| 81 12 21 45 49 0# 4# 1803 8 3o 36 17 19 47 49- z 0 72 ': 36 51 64 '66 79 85 TOO* 3706 8 29 34
63 20 - 51 4 31 4| 22 63 18 53 21 83 82 54 72 89 4* 9 - M i 51 52
66 21 60 8 33 26 65 19 55 22 84 2806 85 76 90 12 44
69 25 69 _ 9 36 27 66 28 - 56 32 55 16 39 8* 85 99 14 49
72 28 79 ' 10 38 32 _ 71 .31 60 84 39 56 26 63 44 86 3503 16 50 19 11 13 56
74 33 . 86 - 12 39 43 77 m 42 73 U 1 48 74 39 75 87 o 19 - 67 Wk
76 54 . 97 25 49 - 48 78 a 44 77 46 78 40 80 . 91 7 - 21 - 68 * mmmm
84 204 63 , 98 20j 1 27 43 - 54 - 79 48 97 - !il - 77 43 86 93 10 - 31 69 " 98 24 73 """
95 4J 68 700 4, l 29 44 40i i 89 - 82 M 2102 - 56 78 - 56 - 89 . 96 11 - 36 - 73 4202 26 - 77 T
96 " 70 10 - 30 - 51 M ( 68 - 94 - 89 4 - 58 88. - 58 94 . 99 16 - 38 76 - 3 - 27 78. 81 91 92 ^
900 - 74 13 - 40 - 53 - 66 _ - 98 -' 60 20j I 6 59 - 96 -! 59 95 -3301 23 4 41 - 77, 8* 24 m 35
10 77 - 17 - 58 - 54 69 -1604 - 63 M l 13 ' 62 97 - 75 4:000J ( 96 - 3 - 23 - 44 - 80 4* 25 - 42 -
13 -f 78 - - 18 - 61 - 57 - 71 - 16 - 71 1G -i 73 . 8j 1 99 - 77 3102 J 6" - 30 -1 49 - 89 -1 28 - 66


1. *, T~

8
Diario de Peruambuco Quinta feira 9 de Dezembro de 1869.
LUTERATMA.
A' memoria de Theopbllo Ot-
ol.
Da c do Norte, d'um canunbo obscuro,
Onde as grandes iaeias nao penatram,
K s tmidas phrases se sotetram.
Mas taaibem se cogita do futuro ;
Do futuro da
Que vai tul E
D'um futuro
Em oulras cond
do presente,
sem esperaoga
ue s se alcanza
com oyfra gente.
| Valeullie ludo Uso a summa gloria,
Que pode ufcridadj ambicionar,
N5o epbmera, va e transitoria,
Mas d'aquellas, que o povo sabe dar.
Ao proscripto, da9 grabas desherdado,
Gracas, que tanta gente ahi cobica,
Se detras foi indigno i al gado
Soube o povo feraer-lhe mais josti^.
E o povo os seas sen icos galarda,
Por vezes com seus votos o soffraga,
A' forga da raz3o j cede a c'ra-----
Que a razao tudo vence e tudo esmaga :
fortuna, dcixoii cm [530" tres mrltrocs de
; para a creadlo mu singariar dj es
colas secundarias baseadas sobr o princi-
pio da ensinanga mutua.
O capito MackintesaV-da aavegacao mer-
De c lo Norte, d'um cmtinho obscuro,
tiliegar minha vor, dbil embora
A' sepultura, que acolhea nest'h
A aossa garaDflRio futuro.
obscuro,

Foi um vallo as lucias do passado,
E no presente a crepitante luz,
Que ao povo, na descreda mcrgulhado,
Mostrava a senda, que ao porvir condut.
Oltoni 1 h3o de fazer-lhe adversarios
A jostici, que tem pleno direito,
Seus lilulos sSo tantos e t5o varios,
Que devem produzir tamanho effeito.
Paladino esforcado d'uma ideia
Por ella batalhou t que morreu;
As honras, que por'bi se barateia,
Nunca as quiz, porque nunca se vendeu!
Servio s a urna causamuilas vezes
Por ella ao sacrificio se votou ;
Curti deeepges, soffreu revezes,
dasvencido tjamis se declarou.
E pela corrupeo to pouco:-fagam-lhe
Essa justigasea florao de gloria;
Que os que as suas tradicoes abragam-lhe
, Deixem ao menos de si essa memoria.
Illudido!isso foi mystiflcado :
incauto passageiro em frgil nao,
Vio-se, com tantos outros, nafragado,
0 mar foi-lhe contrario e o vento mao.
a crea cao
cantil da Indi, legbu um capital de 10.0001 inconveniente,
ibras esterlinas academia real de Inver A fiberdadw^ astoaafa de que deSfruc
de una librtale absenta qtw enviden Jfer j ganisago mi formo, ao mesmo tempo qoo o
trnspteafar yQraoutefs paisas sem estado tornavn inais fa&d
systema de ensillar mas o que su deverfa -
"mvejar seria aqaielfe tal espirito nacional,
que faz Com que tal system perdure sCm
qualro escolas roaluUs
ness para-eduoagio gratuita dos Albos de
tedas as farautes, qnu lenharn osobrenome
funreo de Jjpfkwtosh. Essajerierosidadp
tam os habitantes das ilhas bnUnnicaj. na-
laramente se encouira na gente da Hngua
ingleza nos Estados-Unidos,
fftra mal calculada. Nunca se aprsenla cagos devidas aos hbitos sociaes dos ame-
seno um pequeo numero de pescas que ricanos. A instrueca secundaria estando
prova n aossoir um tal direito; de sorlc alli noglcgenciada, a primaria, pelo contra
E o vento... j passoutudo assolando,
O m,. j oulras naos de novo o tenia 1
E elle se arrisca cm novo contrabando,
Nao tem medo das furias da tormenta.
Assim so ilitide tantas vezes, quanlas
Souha enxergar vantagens no futuro
Para a causa, que julga das mais santas...
Nem repara quem seja o pulinro !
Mas... disso prescindido, outra face
Voltemos dessa vida gloriosa:
Era um dia!.. a Wretanha altiva, audace,
-trou-nos quanto ella audaciosa.
Atirou-nos cartel de-desafio,
Suppoodo supplaatar-nos por mais forte,
Mas o povo ferido no seu brio
Se ergueu em massa desde o sul^ao norte.
E nesses das de crois provancas
O grande liberal mostrou. que era
Patriota tambem :que d'esperang.as
Nelle o povo e o Brasil ento Uvera l
E lias crises quaesquer que fossem ellas,
Guiando o exigiarnpatria e liberdade,
Sem temor das indmitas procellas,
Destnascarava o erro c a iniquidade
Ai na ha pouco.. quem acaso o ignora ?
Mentira, escarneo, insulto e vituperio
Urna estatua s'erguia, que, em m hora,
Vinha endeosar o fundador do imperio I
Roubando um povo seus flores de gloria,
Tudo o que fez por sua independencia,
Pretenda apagar a luz da historia,
A gloria dos hroes da inconfidencia !
E o grande liberal factos lembrando,
Cita ditasarchoologo sublime
Destre o embuste, (ue assim vai vingando,
E o que gloria suppem mostra qu' crime.
E* crime coaofeer nobres direitos
D'um povo, que por si se emancipen;
E* crime rocusar-lhe por laes feitos
A gloria, que por clles conquistou.
E o grande liberal mostrou, que era
Patriota timbero, que a patria vinha
Dizer-lhccomo assim domina, impera ,,
A mentira, que os factos amesquinlia ?
E na imprensa e tribuna, em toda parte,
Do pausado os archivos revolvend,
Opptinha formidav.il baluarte
Ao poder, em delirio, se excedendo.
E nem s ao poder, que se exceda,
Massas faisas ideias em fermtnto;
Foi rebelde?. porm tyrannia...
De Minas falla o heroico movimento.
Mas... que homem j houve necessario,
Que devesse viver eternamente ?
A historia n3o n'o diz! pelo contrario
Da vida onadavem provar smente.
Immortaes o ser5o... mas na memoria
Das geraces por vir, que os admira,
"as lendas patrias, tradiges da historia,
Do povo no fallar, caneos da lyra.
E o povo e a lyra, e as tradiges e a historia
De Otton o egregio nome bemdirao:
Morto p'ra a patria, vivera p'ra gloria
D'um povo, que lhe amou de ceratjab.
Novembro1869.
Luiz Carlos d'Araiijo Pereira Palma.
*' _____
O entino secundarlo na Europa
(Continuacoj
Esses mestres de instrnegas primaria,
instruidos e bem remunerados, viyendo
comedidamente em villas e aldeas, n&o se
contentam com a rida taris de enainar a
ler e escrever aos* meninos camponios-; mas
averiguam as vocacoes e cultivam as apti-
des de seus discpulos, e at mesmo do
instruegio mais relevante aos que se mos-
tram merecel-a; acontecendo por isso que
at mesmo as aldeas se ensina latirn, grego
e mathematica, e qae a escola parochial
sirva de preparatorio inmediato para o
corso deestudos da universidade. Ha me-
ninos, to pobres, que andam descalcos,
que sabem traduzir Virgilio e Homero e
resolver equaces algbricas al o segando
grao. No caso de Ibes tocar alguma sub^
venci de pensionista, mdica qae seja,
esses pobres estudantes encaminham-se
logo para alguma das universidades es-
cossezas, onde se vive barato e n3o se co-
nhecem as dispendiosas distraces de Ox-
ford e Cambrigde, e onde, partindo desde
o intimo do estadio, percorrem todo o cur-
riculo litterario e scientifi-'o. Haveri um
mal em semelhante pratica, c mo disso nos
queriam persuadir Mr. Demogeot e Mr.
Montucci ? Ambos esses sabios professores
muito receiam que o joven, arrancado da
existencia montona da sua aldea para esse?
rfuo os execufores Gdei comraissarios do le-
(ailo v n-se reduzidos ha em cada anno
f.ccumularem urna pait) do rondipaenlo ao
capital. *
Nao as escolas fundadas sobre umjaprendem juntas, o os'ado n5o eterce su-
prnerpio exclusivo, como as do Dr. Bell., p:rentendencia. pois ellas s dependern das
rio acha-se 16ni generatis^a, o j so tem
querido lornal-a obrigatoria.
as escolas ondo as crianzas, rapazes c
raparigas, de familias ricas ou pobres,
qiie conven- examnar-se o que na Es-
(iOteit ti ensinanoa secundaria ; no tam-
administracesmunicipaes. O professores
no sao muito instruidos, mu sao llrme
oom nos pequeos eslabelecimentos que isatit severidade, pacientes sem /rouxidio, e
municipalidades empentadas de dividas sus-
tentara difflcilmente; nem menos tas inrin-
neras escolas particulares, s Vetes ex-
cedentes, mas quasi sempre pouco honorfi-
cas, que pollulamvera ambas as margens
do rio limitrophe Tweed'.
Mais vale para um tal assumpto pesqui-
j;arem se as grandes escolas de cidades tacs
como Edinbourg, Glasgow oU Aberdeen.
E' verdade qua os estabelecimentos escola-
res dessas cidades, .tambem so institui-
o3s paramente mnicipaes, mas partencen-
ies a cidades opulentas. Domis disso, por
urna recente reorganisacSo foram realzado
par do progresso do seclo actual'^
qu^jinda as nlo possuiam. umJ esc|a espacial sceriur
dade.
a par ao progresso ao secnio aciuai
jlTi
de ensmaaca- st> medificarem lia pouco
lempo, esl5o condecoradas com a denomi-
nac3o.de academias; comtudo, ndlas nao
;e enxerga mais, que nas.outras, urna linha
le demarcacao entre a instrucelo primaria
o a secundaria. Escolas parochiacs, aca-
demias ou universidades, todas riValisam
urnas com as oulras.
ssa emolnco em parte se origina da
uesma organisacSo dos estudos.
Nao bat-endo na Escossia um prqgramma
cominum para todos os discpulos, ensi-
nam-se as linguas mortas e vivas, as scien-
:ias mathemaiicas e naturaes e o desenho;
e estando marcado o pre<;o pela ensinanca
de cada urna das materias, podem os pas
fazer que seus filhos aprendam o que me-
Ihor lhcsconvier: assim tal pai se conten-
tar com o latirn smente, mas oulro exigi-
r tambem que o lilho aprenda matlema-
thier.
A propria nstrucro religiosa, qae nao
. obrigatoria, a maior parle das vezes
conforme os principios da igreja presbite-
riana. O* meninos de diversa crenca reli-
ligiosa, que se abstm de assbtir a mencio-
nada doutrina, praticam urna franqueza fa-
cultada a todos os estudantes. A principal
vantagem desse systema de eduiaga'o con-,
siste na possibilidade de cada pai de fami-
lia reduzr a retribuigo escolar a quanto
estudos delicados, nao seja mais do que um ||t fl^r melhor conta. Demais disso, como
ente deslocado da sua competente condigno l0(j;ls as esC()|as S0 de externato smente,
soci-.l.que se peja da sua origem obscura t qUe os estudantes, cujas residencias pa-
e se desgosta da sociedde, que apenas lhe: ternas cstiverem mui remotas, podem mo-
entreabri a porta sem curar do seu futuro, | rar M dade em aposentos accommodados
e que, finalmente esse joven camponio, -,s suas circumslancas pecuniarias, acon-
vindo a considerar-se superior a gente en-
tre quem nasceu no querer mais pegar
no arado, pois, como vulgarmente se diz,
nao lendo-se as Gergicas de Virgilio
que se lavra a trra. Mis taes receios s
mdica,
iistrucg-3o
lo substancial e prolongada como- a das
familias abastadas. Nao estranhavel que
discpulos de ambos os sexos aprendam
lece que as familias, cuja renda
proporcinala a seus filhes urna
e prolongada
seriam allendiveis, quando muito, em Fran- promiscuamente, o que mais um caracte-
ga, onde o camponez gosta emigrar da sua I rsco peculiar da instrucclo publica, na
aldea para a cidade mais vizinha. as
ilhas britannicas, o individuo que ahi nao
se acha bem, vai para o Canad, para a
India, ou para a Australia. Depois, se elle
for realmente instruido e intelligente, de
ter ganho em qualquer desses paizes bas-
tante riqueza, nos Gns de suaidade regressa
para a a sua trra natal, onde veio servir de
e exemplo e estimulo nova gerago de
seus patricios.
Est demonstrado que na Escossia nao
ha urna linha de demarcagao, bem tragada
entre a nstrucgo primara e o ensino se-
cundario. Todava, as principaes cidades
possuem estabele amentos escolares, que,
com a denominacao de escolas urbanas
(burgh sckools) ou acedemias, do s lin-
guas antigs um desenvulvimento maior
que as escolas parochiaes. Infelizmente,
muitas vezes essas escolas urbanas lem de-
caliido por falta das administragoes das mu-
nicipalidades. Ha trinta aonos, antes de
haver urna lei, que veio remediar seme-
mants abusos, na Escossia a gerencia dos
districtos mnicipaes (comimunas) era tao
(lefciuiosa, que varias municipalidades se
de.-la/aram em estado de fallenca. Nao era
que as escolas de inslrucgSo secundaria es-
tivessem menos bem aprovirionadas poi
generosos bemfettores que as escolas m-
raes. Um ecclesiastico, o Dr, Andr Bell,
que em Madrasta aecum lou urna grande
FOLHETIM.
OS CAS4GAS PRETAS
Jpor.
Paulo Fval
Segunda parte
TKISiV PAT.%M
XXX
O fitr. l.ecof|.
" (Gontincaco do n. 280)
-^*Tres Patas proseguio fallando de
apo :
A mulher 6 perseguida pelo marido.
Entra-, velada como umi figura de luto ; o
maiio m m-lliT no sncalco. Um homem
atravssa por acaso o pat-:0. A mulher nao
eat com meias medidas; entrega-lhe o cofre
s mos c desapparecel
D-me esse cofre berra o marido
ao homem, que flera passado.
Prohibo-tifo t responde segunda mu-
lher nao menos velada e surgindo pello
para o lan-e thcafral...
Quera era a outra mulher ?
Quem havia do ser a condessa Co-
rona.
De onde sabia essa ?
Debaixo de do, ao que parece.
8 Sr. Leeoq apoiou a cahega na mso.
E o homem que passava por acaso
pergontonsinda.
O Sr. Miguel.
O Sr. Li-coq erSOrieo o copo.
Excedente" Uusa, murmaron. Tudo
corre s mil marHilhas.
Tres Patas io-0 b ber sorrtado. A mo
do Sr. Lecoa tremia febrilmente, qup" lo
descangou o%ipo em cima da mesa.
Ella esl senhora do segredo, resino-
neou por entre denles. Eu quero o !
aquello velbo devia-m'o. .Anda nao balbu-
ca va o nomo da mai, o ji me detestara.
minha mimiga jurada, l'eior para ella
O senhor nao fjilla da baronaz;
Schwartz ? pergunton o alfiijado.
Sabes, interrogou com mo modo (i
Sr. Lecoq, em vez de responder, o qua a
c ndessa c vinha fazer ao-predio ?
Tinha que fallar-me, replicou Tre;
Patas sem hesita", para negociosr
O Sr. Lecoq langou ao aD'ij.ido urna vis-
ta d'olhos desconfiada.
Eu, no logar do patro, proseguk
framente o aleijado, fazia pazes com ella.
Ella sabe tanto como o senhor.
E mais que tu ?
E mais que eu; principalmente i
respeito d'aquelle Bruneau, que taato d
no goto ao patr3o.
Escureceu notavelmpnte o triumphantc
aspecto do Sr. Lecoq.
Aquelle, tem-o o diabo protegido,
murmurou. Vimo-lo tres vezes com i
corda na garganta. A' qnar'.a vez, quafdn
voltou de Londres, disse-nds o Pai : Terr.
vtatidade de mais, attraiamo-lo nos. O
pai fra um homem ; levou, porm, muito
tempo a morrer.
Agora qu j l-*ai,, disse singala-
mente o Tres Patas, por rninlia vontatfe,
ajosiav as contas coin o meu vizitbo
Bruneau
O Sr. Leeoq lomou o porta-voz, |ae
n'aquelle momento soRava* nm silvo pf-|
longado.
Espero qae o n3o bajas perdido de
visia, disse antes de levar ao otNidje-t
extremidade do tubo.
Escossia.
De quanto fica dito, deprehende-se bem
que o mais notavel no regicnem escolar desse
paiz consiste na carencia absoluta de orga
nisago. Goza-se de urna liberdade absoluta
em materia de ensinir, nao lnvendo, como
cm Franca, leis, decretos ou resoluges mi-
nisleriaes para proliibir a confuso dos se-
xosregular a ordem dos estudos, tudo isso
redigido de maneira que o mais respeit-ivel
director de collegio e o professor m lis au-
torisado nunca eslo bem seguios de saber
quantas andam em suas obrgages.
Nao existindo na Escossia nada disso.
assim mesmo l se dao muito bem com a
usanga costumarw; pois que, alin da rir-
meza e solidez da educaclo privada da ju-
ventude, existe fra das escolas urna in-
fluencia singular que corrige os vicios de
syst ma toda, tssa forga de influencia
consiste no interesse extraordinario que os
pais tomara pela educagao de-seus fi-
lhos. **
O pai de familia, que sabe apreciar
dze de nstrucgo, que conviu a seu filho,
nao s paga sem hesitar o custo, s vezes
bem caro, da ensinanga, mis tambem
que muito vale, tem cuidado todos os dias
de indagar do adiantamento do menino, to
mar-lhe contas do como procede fra da
aula, elograi-o ou-reprehndela conforme
merecer. Talvez que nao .faltem amadores
mffnfem perfeitamente a disciplina, pois que
s3o enrgicos, o qae qualidade favorita
dos americanos.
Um dos commissarios do inquerito res-
pectivo na Inglaterra relaU com admirago
que h.i tanta vi^tdife as bancadas dos
estudantes, que all mntnm toscaneja.
.Esse ge.iero di edacio) rilo dir sa-
bios, mas urna prep irar.fi 1 directa para a
vida publica, que cada cidadfio passar
naquella unillo r]e estados.
As escolas allemSes foram regene i-adas
ha 300 ami03. pelos reformadores reli-
giosos, pois os sectarios de L ithero eram
em geral pessoas letradas e instruidas.
Na Prnssia, pelo meos as escolas reeebi-
ram' no comego do presente seoulo, urna
nova auimatSo devida ao grande e pa-
tritico movimento, que modificou desde
1896 al I8I, a or,;ainsagrio civil e mi-
litar do reino. J exista, desde o rei-
nado de Frederico Grande, um conselho
sepenor de educag3o. Sob a direcgo su-
prema de ministros habis, um dos quies
foi Gailherrtie de Stnmb^ldt, que simulta-
ueamente era um sabio Ilustre e urna per-
soaagem poltica, a instrucg3o publica acom-
panhou os progressos da temporada, e por-
tanto nio de admirar que as esco as da
Prussia se Uvessem libertado das tradicres
da idade media. Mais admiravel que
ellas tenham escapado da influencia pre-
ponderante do governo central, pois at
boje ellas esl5o snbmettidas cm justa pro-
porgo, a acgj directrir de conselhos pro-
vinviaes. Nao menos notavel que nos
programmas de estudos tenham sido bem
aquinhoadas as sciencias modernas, conser-
vandg-se com fidlidade o culto pelas huma-
nidades litierarias.
O que n'outras partes se chama nstrucgo
secundaria, na Allemanha do norte dase
ero estabelecimentos de diversas cathegorias,
segundo a idade dos discpulos e a quali-
dade dos estudos a qno se eutregain. Os
meninos, que comegain pelas escolas pre-
paratorias, (Vorsclmlen), onde ficam at os
dez anuos, se forera aprovados no exime,
1] re Versa sobre a-, materias de ensinaaga
rudimentaes, sao adraitlidos n'uraa outra
escola mais graduada, quer gymnasio, quer
escola por exeellencia. Os gymnasios equi-
valenr aos lyceus francezes, excepluando-se
apenas a carencia de classes inferiores.
Os estudos sao regulados por um plano
uniforme para toda a monarchia em vir-
tde de ordenages ministeriaes, mas nao
tmeorao em Franca, programmas acanha-
dos. O professor est a seu gosto dentro
dos limites, que o regulamenio lhe tem
tragado. S na se consente que elle d
sua ensinanga 'um caracterstico pratieo
ou professonal. Gjih razao se opiua que
os estudos' na adolescencia devem ser di
rgidos com o filo mais de desenvolver as
naturaes facilidades di) joven, do que de
prepralo para vir dpois a exercer urna
profisso.
A par dos gymnasios qne preparara para
se entrar as universidades, e por conse-
guinte para profisses, como as jurdicas e
medicas, que requerem urna insiruego
superior, as escolas por exeellencia (Re-
alschullen) aquellos, cuja educagao deve
terminar raais depressa. O nome s estas
ultimas instituiges, que sao de recento
efeafo, indica bastantemente o intuito a
que se prope. Sem renunciar-se a cul-
tivar a inteligencia por roeio de estud js
de um alcance geral, quer-se que os dis-
cpulos adquram noges uteis e que en-
tr-m no conhecimento da realidade das
cousas. Ha perlo de 300 annos que s
pretendeu introduzr as escolas da Alle-
manha boreal esse modo de ensinanga, que
entao nao corresponda urna exigencia
bem determinada. O crescimento moder-
nissrmo do commercio e da industria que
tem feilo apreciarse melhor-um lal bene-
ficio. As escolas realistas, que exstiam
em 1859, recoberam nessa poea urna or-
_dfcJf-
as cidades,
O programma"daestudof dessas notaste*
tituiges didatiots nle eaclujivameute'
scientifica : o laabt conlinuade at o
do curriculo,.e as sciencias mathemati
physcas e naturaes oceupam a maior parte
do curso, senda que tambem a instrucgflo
religiosa n3o ne^ajenciada, e que as
lingoas eslrangeira, principalmente a
fraoceza, s3o cultivadas com esmero.
A Prussia em 1833, com urna populas**
de 13 m'dliojs de habitantes, p )ssuia i55
estabelecimentos pblicos de instrueco se-
cundaria, frequentados pjr 60.030 alumnos.
K' quanto a Franga enumera em seus ly-
ceus e collegios, ao passo que a Inglaterra
apenas conta 16.000, tanto nis escolas pu-
blicas, como as particulares de varia ca-
ihegoria. Dahi se conhece que a Pfussia
desses tres estados o que possue as es-
colas de nstrucgo primaria mais flores-^
cenes. Merece parqnisar-sc a que causa
devido em bom xito, que occorre n3o
obslmte a ensinanga official n3o gozar de
privilegio alguna, e at mesmo ter a des-
vantagem de nao ser ministrada sen3o
alumnos externos. Todos os jovens que
frequentam as escolas do governo, ou ha-
bitara as casas de suas familias, ou se
hospedara em pousadas particulares. Pelo
coitrario, as escolas particulares, simul-
tneamente hospedara, alimentara e lecciu-
nam os seus alumnos. O porque estas
ultimas escolas n3o tm prosperado sob
esse tal rgimen de emulagSo deve se attri-
bir em primeiro lugar exceliencia dos
estudos, e depois ao mrito dos profes-
sores, e a acertada distribuco dos pro-
grammas dos institutos pblicos. Tambem
se pode encontrar a razo desse fado na
mdifierenca religiosa e poltica do estado
a tal respeito, as prerogativas reservadas
autordade provincial, prerogativas essas
que compensam os abusos de urna con-
tralisigo muito exigente ; porem a causa
principal que mantera a ensinanga publica
n'un auge elevado, descobre-se na natu-
reza dos exames, a que submeltido o
alumno que, depois de ter terminado seus
estudos de instrueco secundaria, pretende
ser matriculado as universidades ou Tas
escolas especiaes. Passe-se a ver que nessas
provanga> de exames se encentra, bem que
dobaixo de forma mais severa, o equiva-
lente do bacharelado em letras e sciencias
da Franca.
J lieou dito que o gymnasio prepara o
aspirante para cursar a universidade, e a
escola realista para as profisses indas
iriaes. Durante muito tempo, o esludant,
que queria ser matriculado nao careca
aselas realistas, a tambern 1 mi<
ndejhJod.'iio. *
mnnipali -
Acompanho-o como a sombra, repli-
cou Tres Patas. Vivio-lhe na pello. Ce-
guei a fazer buracos no tabique, para ou-
vi-lo dormir.
E nada tens dp5coberto ?
- Nada, seno for que tambem leve o
seu S. Martinho l para as bandas da flo-
resta de Bondy e voltou de Liviy para
Pars no, repartimento dianteiro da carrua-
gem, sos com a menina Edroe Leber.
preciso apressar-nos,' pnsou eru
voz alta o Sr. Lecoq. O verdadeiro neg
ci este. Ofrqctoest maduro ponto
de ca'iir. E quando o colhermos, nao nos
faltar que rir do tal Sr. Bruneau.
O tubo acstico disse-lhe b ouvido
A baroneza impacienta-se e o bar3o
esbraveja.
Pois que esperem, resj)ondeu o Sr.
Lecoq brutalmente e com toda a forga da
voz. E diga-lhes que ainda n3p tudo,
Esperem repello, levantando-se para me-
dir o quarlo passos largos. Tenho-lhes
o p na cahega. V80 ver como rnordo.
Mudara o vento ; estava na maro das
bravatas.
Ent3o, pro8egaiq em tom vencedor
estacando diante de Tres Patas, que to-
mara na almofad urna posi?8o commoda
e preguifosa, o bar5o deixon escapar o
cofre 9
E curapriaaentando ate ao chao *
condessa Corona.
- E eomeu a peta ?
AJ erto ponte.
Cjnbe ;eu o Miguel ?
- Piirfeitameaae.
d Sr. Lecoq fez estallar apaima b
m3o contra a cotea com geaao victorioso
Tudo est a'isso, exclaaaou. Se o
houeva pago a 'Fanehetie -is horas, nal
manobrava ella mentor. O Bruneau e a
senao de pro-forma apresentar-se perante
o decano da faculdade, que elle quera se-
guir, sendo que o exarao para essa matri-
cula era to superficial, como 111 Inglaterra.
Aconteca ento que os jovens ouvintcs
desses cursos, para que elles nao -se ach 1-
vam preparados, prolongavam sem proveito
suas estadas na universidade. Isso era
tanto mais prejudicial que os estudantes,
entre oulras prerogativas, gozavam da mi-
tigaco do servigo militar.
Mais tarde determin^u-se que as provas
para matricula fossem mais rigorosa*, mas
ellas eram jtilgadas pelos professores, que
linham interesse em nao reprovar ninguem,
pois que os emolumentos de matriculas
coostiluiara ben parl^-de suas retribuiges.
Finalmente, por urna nesolugo administra-
tiva, que data de 1834, o resultado dos es-
tudos preparatorios, deve ser verificado
por certificado de urna commissSo, em sua
nwior parte composta de professores do
gyuinasio.
Na substancia de Mes esames a nica
'lif'renga que se d no que a td respeito
so passa em outros pai/.es, consiste em se
n5o avaJiar a vastide mais-011 in^nos am-
pia dos conhecimentos db discpulo aspiran-
te ; pois que, dizem os allemSes, o que se
deve ter em viste nao abastecer a me-
moria com factos nral digeridos, mas sim
desenvolver o espirito por meto do urna ap-
pficaco solida e suflicientemente prolon-
gada. Essas ideas nao sendo novas, nem
desconocidas n'outros paizes seminantes
principios, dga-se que foi talvez na Prussia
smente que isso j est em pratica pro-
veitosa; e portanto, se o candidato vier de
rima>escola publica, dever ter passado
dous annos has classes provectas, ese apre-
sentar-se como alumno de urna escola par-
ticular, dever dar provas de ter bem em-
pregado a sua applicacSo nos anuos ante-
riores. Em tudo o exame feitode sorte
que prove que durante alguns annos o dis-
cpulo receben urna educagao de boa tem-
pera.
Passando-se agora a examinar, como
exemplar, as escolas prussianas.em Berlirn,
onde sao em grande numero, cncontram-se
oito gymnasios, dous dos qunjs possuem
tua menina Edme servem-mo sem o sa-
ber. Quando um plano bom... vs?
Que lugar pedira Vine., seu Maltmus,
seufaresta, same nomeassem ni mis to :'
diga.l. A situagao esclarece se n'um uni
co lance! Para a Tente, mais nada a de-
sojar ; para traz nada mais a temer. jQuan-
to julgas tu que possa produtir um bilhete
ile mil francos, emprestado sera, juro
um vadio, no Qmde quinze annos? Qua-
tro raillioes, bastante ? Nao te incom-
modes : poda deitar a seis. Ali I ah I o
fruclo esl maduro, bem dzia o velhote.
E tu nao me has de trahir, Malheus, ouves,
porque bem sabes que os.vou reduzir todos
p. Era tres dias, meu Velbo, tens tu
ganho o premio grande : n3o te bao de fal-
lar porfls do reicidado, em ouro prala,
para comprar meio cento de molheres,
visto que gostas d'isso, meu veterano. Eu
fallo das que se ri3o venden., sem contar
todos os commodos da vida e a amrzade de
upa varo Ilustre, qu um beneficio dos
deuses, diz^a cango.
' NSq, a tragedia, rectiflcou placida-
mente o Tres Patas.
Pois seja a tragedia, se qaeres, visto
que entendes (Pisso, grande ralSo I Olia
bem para mira. Que ar de poccador, heim*
Efi n3o faco perguntaijl'estas seno uiti-
nja hora. 6e eu^fuzesse, dentro em pou-
co, eslavas jatainho para a grilbdta.
Tres Patas abaixou os omos sob a v,ista
fijta do-Sr. LaciJ Este resultado le^a ao ultimo ponte a
orgulhosa exajtegSo do agente.
fistou to senhor de'U como do outros.
prosegu>Ne o que te vale, porqu se
opo livessee^iaMrias oainhos cordaa>ila^a-
dfis ao pestogo, descoafiava de ti. fi quan-
do eu desconfi de alguem. Baata Tu
Em 1863, s essas esc ilawpiu corapre-
henderem-se as Vortiten aluiaeolas pre-
paratorias, leceionavara a 7,090 estudantes.
eo publico .ainda se queixa'va le nellas nao
haver bastante lugar par. mais -estudantes.
t Diz Mr. A rival d quo cm U>U Prussia
ouve-se a mesma queixa e que as esc das
secuodariiS a3o bastam para a affluenria
studantes. que cada dia maior O
stao augmenta as dolacoes, as municipa-
idades fazom novos sacrificios, e comtudo
sempre mais aspirantes do que vagas nao
obstante tefem-se augmentado as retrilmi-
Qoes.
O estabelecimento de nslracgo secnndi-
ria mais notavel que ha 019 Beilim, o
gymnasio de Frederico Guilher-tne. no qual
alm do gymnasio propriarcente dito, exis-
tem urna escola realista, outra preparatoria
e mais urna para o sexo feminino-, leccio-
nando-se em todas a 2.0O discpulos d
amb >s os sexos. Esta uwtiluigao, cuja ren-
da pequea s receba do estado urna te-
nue subvengo, tem a particulardade da
cobrir todas as suas despez.is cora o
que se cobra das retribuiges esco-
lares.
Tendo sido fundada, ha cem annos, por
vigario protestante, em 1809 por occasi.
de grandes reformas sujeiloit-se a superi-
ten leticia Jo governo, corno todas as ou-
lras escolas secundarias de Berlina. B;ru
que protestante de origem tambem re-
cebo catholrcoj e al mesmo judeus. _
Como as oulras escolas publicas s ad-
mitid discipaiosaxternos. O prego da en-
sinanca nunca excede de 30 francos por an-
no, e assim mesmo a dcima parte dos dis-
cpulos est isenla de pagar essa mdica re-
tribuigo.
. .De quo bem cultivados sao os estudos
eassicos, se pode ajuiaar pelo fado d
professor da aula superior faltar em latirn a
seus discpulos, que na mesma lingua Ib
respondem.
A mais afamada das escolas da Ailema-
nha do norten3o esl em Brlim, mas sim
em Pforta, que ica na parte prussiaua da
Saxonia.
Foi amigamente urna abbadia da ordem
de Cister, ou frades bernardos, que annos
depois da reforma protestante, foi transfor-
mada e.n escola lutherana.
O grande condimento daantiga abbbalia.
que passa de 200.000 francos por anno, n
boje administrado pela autordade mimieipal
Esta inslluigao que at 18logo>ava de
velhos privilegios feudaes, a ponto tal qiw
admirislrava jusliga civel e criminal, anda
conserva cortos vistigos de tradiebas da
idade media: cada dia antes de janlar os
eslu lantes entoam no refeitorio um hymnu
latino. Contara se 203 meninos, quasi to-
dos pensionistas, que pela alimentaciio, alo-
jamento e ensino pagam urna ibuuilia mui-
to mdica. As vagas que se do sao i!is-
tribudas, urna parte para o governo pnis-
siano, outra para as municipalidades da
differeniea cidades, e a terceira parte par
o governo de Saxonia. Os candidatos de-
signados devem ter pelo menos 12 anuos
de idade, e nenhum admltido sem ter
passado por um exame rigoroso. Por isso
os estudos classicos desse estabelecimento
sao afamados em toda a allenianlia. E' de
costme haver na semana um lerte em que os estudantes neaa du ligio nem
vo a aula ; mas, nao inteiramente mu da
de repouso ; pois que cada um tom ento
faculdade de estudar o q.ue lhe apranver.
Semelhante animago, dada ao misler in-
dividual de cada um desses jovens eacoli-
res, depe rauilo cm favor da appl;cagao e
carcter delles; pois bem evi,lente qu;
urna tal lenidade para com papazos da ou-
tros paizes degenerara em occjsioaar pre-
guiga.
Situada no meio dos bosques e.yndos, a
escola Pforta tambem possue como as es-
colas da Inglaterra, certas campias de res-
c/eio, coma nica dilTerenga de alli na > ha-
ver os divertiraentos favoritos do h*1<>**s-
cencia inglesa. O cricket oO joga da pella
o as regatas de escaleres sao substituidos
por exerccios gymnasticos, os qnaes, si n-
uo mais um labor do que um simples re-
creio, conven melhor, do que lugos d>' fan-
tasa a jovens estudiosos, cujas curtas re-
creages devem ser empregadas tin dis^
traeces hygiciiicas.
Em summa, essa instituigo. que veio
originada -de um intuito semelhante ao< de
Eton e llarrow demonstra muito como os
allemasjproce leram para desarraigaros rle-
feitos que os inglezes deixaram se perpe-
tuar naS suas escolas publicas. Accres-
cente tambem qtie, a corporagiio de profes-
sores nao absorve, corno na Inglaterra, a
melhor parlo do rendimento escols-
tico. (Continuar-se-ha)
vales quanto pesas, e isso para mim seria
um descosto.
Patro, disse-lhdsugelamenle o Tres
Patas, levantando de novo para elle os
glandes olhos consternados, juro-lhe que
fui mais infeliz que culpado.
O Sr. Lecoq sollou urna gargalhada re-
tumbante.
Podra, exclaoou. Eenlomiml
lis soberbo !.. .v Nio menos verdadeiro
(-que te mettes pelo chao abaixo, meu vete-
rano.
Deu urna reviravolta e agarrando o bocal
de marfira, grilou-lhe dentro :
L vai, senhores, l vai I Deixem
aquecer.
E cruzando os bracos sobre o peito,
cora, a cabega inclinada para traz, e as
ventas tmidas, voltou-se para o aleijado.
que se agachava na almofada pensativo e
humilde.
Agora sou s, j ninguem me faz som-
bra, proseguio era om secco e Irisante. O
out'rp levou-o o diabo. Era volho ; incom-
modva-me. N3o Ih tocara nem em um
s dos seus ;abellos brancos, porque era
o Pai. Mas est raorto, e eu sou o Pai
mea turno ; o geral da Camorra ; o Casa
ca Preta, segunao o rito da Merc ; o
Meslro ern* Pars, em Londres, o Mestr
em teda aparte. Aqhelles dous que alf
est3i esperando b3o presa minha ; bem o
sabes. Mas como vai ella ser. devorada,
ninguem, nem mesmo tu, capaz de ade-
vinha-lo. Pois presta attengo, para apren-
deros. Enceto-os pela expectago, que-
bro-os ,primeiro, Ijumilho-os, macero-oa.
infundo-lhes medo. Islo engrandece me
amas juinbando-os lies, d-me toda a
forca qae perder. Ha te de parecer qae
estou cbab-andov e astou era acepo. Quanto
mais esperarem, mais maleaveis sao, pre-
ciso d'elles macios e flexiveis como urna
luva de pellica. D'antes, eramos obligados
a andar artijiciosamente, como o gato em
volta do rato ; desfranziamos os beigosem
'Orrsos e curvavainos a espiaba. Tudo isso
mudou. Segundo os lempos, o inundo
toma esta ou aquel'a maneira de nahir na
infancia. Era beato, agora ptiHpsopbo
e descamba em parvo forga da. recelar
o papSo fradesco, Croquemitaiie-Caiolin.
Tartuffo, Basilio e outros monstros de car-
to, collados pelos homens de genio. Mu -
danga geral de aspecto : o opposkor do
Tartuffo a o grosseirao beneficeate. S
brutal, qoe acreditam em ti : trata tolos
aos ponanos, e ahi trens a franqueza. Falla
cada instante do teu egosmo, o rao
corasigo : um santo. Moliere c Beaumar-
ehais fizeram com que muito boas nego-
cios se leuhaia ell'ectua lo, porque a hypo-
crjsia ra-se murchando com os mydos que
ha\ia tanto segua. Po|S vais ver, mea
velhote, como aproveiterajos da comedia.
Date ao trabalho de entrar para a casa da
guarda (designava a porta do quaito di-s-
ornado), l est um ralo pala ouvires e
veres ; e papel, peona e tinta para estre-
veres tua vontade.,.
Emquaalo elle fallara, atravssa va Tres
Patas o quarlo de rastos. No momento
em que este transpunha o Jimiar 'do quar-
lo Droximo, acabou o Sr. Lecoq, acen-
tilgudo as palavras :
Ouve, v, toma.no
como qualro mi limes,; ,r
tiempo tesmuofia e es
Fien saiente,
Iatrodutftm a
denou o Sr. Lecoq
- .: (r
TVP. DvPIAIW-RWfAStlttlifiii, a.
,; isto si'rio
.ser aojnesmo-
1



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5D4VLWHD_LION3F INGEST_TIME 2013-09-14T01:05:07Z PACKAGE AA00011611_12013
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES