Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12012


This item is only available as the following downloads:


Full Text
mo XLV. NUMERO 280.
PAfiA A SAHTAfr l LBSARE1 MK IAO S PACA P0BTL
*or tros raezes atftantndos. ....... )
*or seis ditos dem.............;...... .J^
*>or um aarjo dem............. ...... zjuuu
"Cada numero a?oteo........ *...... Sq
TERQA FIRA 7 DE DEZEMBRO D 1869.
<
PARA DEHTBO E FOBA A PROWtHCIA.
Por trts menps-aaianUdos.
Por svis dito Mea. .
Por don i ditos idet .
Por um auno.

IfEt
27JB0*
--------------i
.
de Manoel Rguera de Faria & Filhos.

-

ts Srs. Gerardo -Antonio Alves4 Filhos, noPar; Gonpalvesd- Piato, no Maralo; Joaqoim Jos de Olivein, no Cear; Ant-anio de Lemos Braga, no Aracaty; Jlo Mana Me Chivea, no Ass; Antonio Maraes da Silva, no Nilal; JosJstia
rercira dAimcida, em Mamangoapc; Antonio Atexandrino de Lima, naParaiiyba; Antonio Jos Gomes, oa Villa da Penna; Uelanaino dos Santos Balcao, em Santo Antao; Domingos Jos da Cosa Braga,
em Waainen; F*ancino Tavares da Coatn, em Aaffes; Dr. Jos Martins Atoa, na Babia; e Jos Bibeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
--1
PARTE OFCIAL
s
Covcrno da provincia
-r.XPEOIKKTB AS-inNADO PELO EXM. SH. BU. 1IAN0EI. DO
.\ASraUE.Vro MACHADO PORTEI.LA, VICB-PBKSIO EN-
TE DA rftOVJXCIA, E.\t28KSKTEMm DE 1889.
1* seeiy
N. 88.Portara ao Exm. Sr. general comman-
'lantc das anuas. Visto tcrcm silo julgados iaca-
pazcs para o sorvleo do cxerct, os recrulas Izi-
loro Das dos Santos o Tiloma* Nunei Jass, como
consto do trra > de inspece) qua ai > annexo'ao
ijii villero de 27 do correte sob n. 578, mande V.
S. aprescnta-lu* ai) Or cnsfe do noticia interino
iiiin de dar-Ibes o dediu, que julgar conveni-
ble.
X 823. Dita ao mesan. IVovidonoie V. Exc.
liara que, por uceasi.ai de embarcar para a Euro.
!i aa vapir franeez que so espora di'sal, o Exm-
Itera. Huno diocesano I). Francisco Cardoso Ay-
r\-a tejam Un aa lateas que fure:n devidas.
i' aeccu.
S. 822.Portara a Dr. ehef-j de palicia inte-
viM-Mriada Je quinto V. S. relato em seu of-
icie n l'iO) de i't deste mez, com referencia as
.irovideocias dadas palo subdelegado do Baixa-
verden delegad de Vilto-ltella para a captura dos
issa*flfan* ifc' italianos Juao o Francisco morios
n termo-de Flores, tenlio a dizer a V. S. que re
eoraiaenda a fuellas aut-iridaJes conlinnom n. era-
pregar todas as diligencias para apprehcusa
\m crimin sos e instaure o respectivo proresso,
i lijiiindo que V. S. louve ao subdelegado de
St.iixa-Varoe pola* acrtalas providencias que
dea.
X. 81. -Dita a-i mesmo.Por parte do briga-
tejiro cominan Jante das armas Ihe seriio manda
11- ririseii'ai, alio de Ihe dr o conveniente des-
iU i. os ivrrutas huliro Das dos Santos a Til-imaz
Nuues Jassc, visto terem sido ellee julgados imra
4
N. 816. Dita ao inspector da tbesooraria. pro-
viDcial.Mande V. S. abonar Dor iantamento
quitro mezsde snldo a coatar do 1* de oninbro
prximo rindouro. aos capities Antonio Jos de
Andrado e Paulino Toixeira de Car ralbo, ao te-
neote loin Pereira Lagos e.a alferes Joo Fran-
oiaco Paes Barrlo, o bem assim a cincoenta pra-
Jca, quecoin aquello* olliciaessegucra em diligen-
cia para a Vrtta B-^Ha c Salguein, fazendo tam-
bora abonar i cada nm desses oIBciaes a quantia
do 130S como ajuda de cu-to.
N. 8i7.Dita ao mosiuo. De conformidade
com a sua mformncao de 22 du corrente sob n.
58J, acabo de conceder a autorizan que gotlci
ion o engenheiro liscal da illnmra.cao publica de*-
ta cidade, pira maular collocar os lamptoes que
t'orara antoris idos pela let do on-am:nto vigente,
sendo doze oa rna da Esperanoi e cincoenta na '
prolongacao da illuininacao di estrada de Apipu-
cos. O que declaro a V. S. para sea conheciracn-
to e de vi dos effeitos.
4a scelo:
N. 8i8. Portara ao engenutfo fiscal da illo-
minacao publica dest cidado. Conced i a .tutori-
s:ii-io ijue V'mc. solieitou em nlcio do 1" do cor-
reme 4)b n. 30, para mandar a empreza do gaz,
coll >car doze lampioVs na roa da Esperanca e cin-
coenta na prolongaran da illuminacao da estrada
de Apipucos como f >i decretado pela lei do "orc-
iinmlo vigeuto. Amh Imm respondido o *eu rtmia
ofB'-iti.
N. 8i9. Dita ao engenheiro ancarregado das
obras geraes.Fieo scieote pelo seu oflic-io de 26
jd i corrcnlc de nao ter at aquella data o arrema-
tante da pintura das pontes Santa Isabel e Sete
de Seiombro dado principio a pint ra desta ulti-
ma ponte, cumpriadu que Vine, informe emquan-
to importaram os reparos da que segund i o seu
citado oflci precisa a grade da mencionada ponte
Sete de Setemtiro.
N. 850. Didibcra^ao. O vice-presidento da
proviocia alten.leudo ao que requereu o professor
paieo ii' i o -i-rvie iJo exercilo, como consta .
i i ol d napecajao que veio ann.'jo ao oIBcio do ; publico da cadena de instruceao primaria da po-
in ;sm i enmmindante das armas de 27 do corrente v*Jai;;i> de Allnnca, Manoel Pereira da Silva e ten-
do e;n vista a informa cao do director geral me-
riii i da instruceao publica de 17 .do corrente sob
ii. :tO,1, residve wmeeJer de conformidade com o
a'M. i.' da bri u. 5tl8 de 13 de maio de 1884, a rc-
uiocao que pedio o referido professor daquella ca-
d'-ira para a de Venda Grande.
N. 8-M Dila.O rice-presidente da provincia
de cj 'fonnidade com o art. 30 do regulainento de
39 de Janeiro de 18154, nsolve DomeAr o cidalfio
Jos Bezerra Cavalcanti Maciel, juiz eomnnssario
le medicao de trras publijis no munici|>io de
irreiros.
PEDIF.NTE ASSIGSADO PEI.0 Sn. DR. J0AQUIM COR-
UEIV DE AI'.AUJO, SBCUKTAniO DO OVEUNO, EM 28
DS BETFMUl'. DR 1869.
2 seecSo.
N. 8"2.Offlcio ao Dr. ebefe de polica inlcrinn.
O Exm. Sr viee.pre declarar a V. S que nesta data se exoedio nrdein
ao direclordo -arseaal de gaerra, para mandar
(Vnercr a V. S. o- carlnxame e espoletas de que
- i!i ii. ."7S.
N. s!i.-Dita m mesmo.Constando do o(co
'li ciii naii-laute su.ien-o-da suardanaeioaal do
inanicirdi) d: Garanbann de 7 d>;ste mez' so!) ri.
7. na i ter o subdelegado de poHcia de S. Bento
ieai idilio u eo:i-elb > db revisa:) da qualleacan
laiuclla fregiii'zia. a rolar' de que trata o art.
I I d i decrete 1130 de' 1 de muvo de 18o3,
. ,.":!-l!ie V. S. ordem nesso sentido, de modo
i i. I'T aquello conselbo salisfazer o preeeito da
let.
N. Si'i. Dita ai ui'jaixInleirado de. quanto
V. S. me participa, em seu o,fkio n. I3*8 de 18 do
trrente, rdativa no muaicipiod) \'.\n, e das deliiienci.iseinprega la-'
i 11 delegad i da policia respeaivo para a capta I
ra los criminosos, teribo a dizer-lhe qm convm \
. c iiiiaiei lar ao dito delegado toda :i pradem-ia
mi ta-s deligencias, piincipalinente-iio que disser
as faiiilias dos b ragidos. Quanto ao des-
luii'i I vi il -linr a V. S. m na doyo
I ledefo nuwerw fixado nal taUoitade ->rte
w ivemliro do anno prximo lindo, o no caso de ser
i-1 u o iiiiioruu nafa de praca-- p>ra deligjn-
!.-. seja u estas re auisitadas aos cltefes da guar-
l.i nacional, som que por Uso sejatfl considerados
i-n i i '-; irado*,
X. 8iii.Dita ao commandantc superior interi-
no da qu.ird.i riacioual do Kecife. Pcovidencie V.
S. para queao chega/ o vapor frtneez que se. es-
pera di sal, se aprsente no Campo das Princesas
i f irc.i da larda naeioml que for necesaria, pa
: i fazer aj honra- deviila- ao Kxm. o Rvoi. Sr.
...I'-ti dioco* D, Francisco Cardo*o Ayres,
r, ir lo rea embarque para a Europa.
X. 837. Dita ao commandante superior da
guarda nacional de liaranbuns. Nsu data re-
ciiiii 'ido ao juiz de paz do dislrieto dessa fre-
V e ao Dr. chele de polica para que ordene
i respodivo sub lelega lo ijuo enve ao conelho
reviioda qualicacao d.s*a freguzia as rc-
- !.' que, trata o art. 10 2 e 5 do decreto
K30.de ii de marco de 1833, providenciando V.
S. na foTou prescripta pelos arts. 9, 2a parte do
citad) decret e art. Io g 26 do de n. 135'i de 6
iMI da IS.'i, para que elle se rena no dia
i l'or designado.
X. 838. Dita ao commandante superior da
.ida nacional de C-ibrob.Devendo guardar-
na n imeacii dosofflciaes para eorposj orga-
i isa I is ;i ordem.gradual d> accesso, devolvo a V.
S. a pioiiosta junta, que vate annexi ao seu offl-
cjjTle 17 do mez lido, para que nella sejam
Urado-i os pos los dos offleiaes sao prpostns,
i determinado pelos avisos de 18 de Janei-
ro de 1860, e bem a--hn a dado, renda e pp'fi*
-.Vi dos mo-mos, advertalo que o simples tact >
,: enciadi um oflicial nao bastante para
isi Iji-ar se vago o posto por elle occupado.iendo
. ..b-i'i-var-se ueste raso o disposto no decreto
;,:):j de ?3de nuiembrro de 186'. Finalmente
l'aco nota; a V S. que consta da secretaria do go-
veni'i sA laante da 6" compa-ilnaMo batato) n,
; I-iiiiiii) da Costa Miranda, e nao Ignacio Joa-
ii Hai leira, como diz a pMiN.Hu e ser alfere<
mesma companha Cosario de Souza Lelo que
: patente.
y 8:)).Dita ao promotor publico da comarca
ploren. ii i comineado a Vmc. preste tod .
i dado e empregue toda a i ajnala para
i pr ic'.-o quj se deve instaurar pelofacto
, i'sassia it i -1 >s italianos Franis o e Joao. seja
, rasral ir ijj i'e.cu nprinlo que reducir quan-
fir a btiin da justira, cdoscoliriincnto da v.r-
I'. afHB de qie nao flqnem impunes os seus
toro'.
\" 8iO.-Ditaao juiz de paz do Bom Conselbo.
bivio Vmc. ao couselbo de revisao da qualilica
la guara nacional dessa paroelua a rejarao
que traa o art. 10 2' do decreto U30 de 12
narco d-; 18."i3.
S. 811. Delihera;rio. O vico presidente da
.ni-ia, coiii'onnando-se com a.proposta do Dr.
;' de polica interino, em offlcio de hoje dala-
. resolve exonera! do cargo de delegado do ler-
do Salgueiro ocidaio Bomao Pereira HI-

icira Sampiio.
N 842.DinO vico presidente da provincia
informidad* com a proposta d< Dr ebefe le
i, ,.| o'fflcao de boie datado, reaolve nom-ar
i era. de delegado do termo da Salgueiro o
apilan Paulino Teixeira de Carvall.
3asecci. j
X. milPortarla ao inspector da tliwourana
de fazenda.Dwlarando-me o engenheiro encar
egado das obras gerac^ eni ofiicio de 86-do cor-
i :nte, nao ter at aquella data o arrematante da
t m'.ara das ponWs Santa Isabel e Sete de Setembro
dada principio a pintura desta ultima uoate e
.cbar-se por isso sn^eito a mulla quelhe foi mar-
i pelo nao cumprraento do seu contrato ; as-
m o cofraunico a V. S. para seu conbecmento
<- fin r,invenieB|es.
X. 941 -DiU ao mesuje. Expela V. S. suas
i idens para qua#o dia Io do mez de outnbro vn-
Oour as 6 oras da manba o eijiorrgado que
i.ara i*so dniguar, passe revista de moatra ao 3*
i-atallii" de infamara da guarda aaciooal deste
nuwofoio v* est aqiWWAdo. ,
X~8T5.Dita ao rao?mo. Expe;a V. S. suas
i>rdan4Baraej.por utemodin df-ttosoareiro
Ax nMUrticio da palicia, ^ TaVinHj? ^dalega-
j4Hepun.da. Kila. BfliaV e ^ntOk da LOOOji,
vara pagamento *te iliJliHII' aara* 'l4'
cionalaili dosUaaaW dnaJo o mencionado da,
prestar oppartnnamente eoetae m
laudo pe
'Hr%..
ma iijw nBriu n. l,-'7
seri'in remetttos ao delegado doKx.
X. 833.Dito ao mesmo.-Oe ordem do Exm.
Sr. vce-presidi-nto da provincia decl ro a V. S.
que nesta dita se. eypedio ordem ao director do
ar-enal de guerra para mandar entregar Ihe cin-
coenta armas e dous cunbetes com nrralos em-
balan is em vi^la do que V. S. exp5e cu ^eu offlcio
n. 1,398 de 2i do corrente, sobre os fados occor-
ridos em Salgueiro.
N. 85i. Ditoao mesmo. De ordem do Exm.
Sr. vice presidente da provincia tran 5. o tuli junto de oomeaco do capitn P.mlinn
Toixeira de Carvallm para o cargo de delegado d"
polica do termo de Salgueiro de conformidade
cun a sua proposta em nflicio de boje.
X. 833.Dito ao commandante superior interi-
no di guarda nacional do Recife. O Exm. Sr.
vice-presidento da provincia minia declarar a V.
S. que nesla data expedio ordem a IheSABrWia do
fa'.enda, para no dia 1" de outubro prximo futu-
ro as 8 horas da manhaa >e patear revista de
mostra ao 3 batallan de infantara que se aclia
aquartelalo, como p >r V. S. 6 pedido em offlcio
n. 194 de 27 de sett mhm ultimo.
X.8>6.Dito aoenmmandante do corpo previ-
sorio de polica.S. Exc. o Sr. vice-presidenls da
provincia inauda declarar a V. S. era resposta ao
-eu offlcio de boje sob n. 449, que a thoscuraria
provincial tem ordem para abobar os suidos e aja-
das de casto de que trata o citado offlcio. que ti-
ca assim respondido.
31 seccao.
N. 837.Offlcio ao in-peclnr d i thesourara pro-
vincial.S. Exc. o Sr. vice-presidcnte da pnivn-
cia ten lo por deliberaca desta data, e em vista da
infiinnaco do director geral interino da in-ti uc-
ean iiublica de 17 d > convine sob n. 103, r.: olvi-
do conceder ile COnRirmidade com o art. 23 di lei
n. 598 de 13 de maio de 1861, a remocio quo pe-
dio o professor publico Manuel Pereira da Silva da
cadeira de instruccao primarla da povoacao di
AHianea para a da Ven la Grande; assim o man-
dil communicar a V. S. para sou conhecimento e
lias conveuientcs.
4" servio.
X. 838. -Offlcin a Jos Bezerra Cavaleani Ma-
de}.S. Ex-, o Sr. vice-presidente da provinria
lendo por deliberacao desta data resolvido nomear
V 9. juizrmnmiss.irio de inecoes de tf-ras pu-
blicas' no municipio deBarreiros assim Ifefo tianj
da comnunicar para o seu conhecimento, e afun
de que solicite nesla secretara o competente li-
tlo.
N. 833 Dito ao director geral interino da in<-
truccSn puhiica.S. Kxc. o Sr. vice-presidont la
provincia tendo por deliberaciin desta dala, e em
vista de ma informac-o de 17 do carrete, sob
3'KI, resolvido ron--eder do confiH'midade com o
art. 23 da lei n. 598 .le 13 de maio de 1864, a re-
nocao ql pedio o professor pu Uro Manoel Pe
reir da Silva da cadeira de instruccao primaria
da povoaciio de AHianea para a d Venda Gran-
de ; assim o manda communicar a V. S. para
sen ronh cimento.
eXPE&IBNTB ASSIGNADO PEI.0 EXM. SR. BR. MAN08L DO
NA8CIMRNTO MACHADOPOftTRtLA, VICE-PRBStDKNTE
DA PROVINCIA, EM 29 DE SETEMBRO DE 18l9.
*'* 't?#tfu. -~"--
N. 864.Portarla ao Ein> Sr. general comm.in-
dante das arrtw*. D-^lam V. Exe. em resposta
ao seu officio n. 581 desta data que, de conformi-
dade co as orduns ex d|d|s por mous auteces-
sores, cm casos idnticos, podo V. Exc. mandar
dar as salvas de que tratei em mea offlcio de hon-
tein pr occasio do embarque do Exm. e llvm.
bispo diocesano D. Francisco Cardoso Ayrgs no
vapor francez que boje segu para a Europa.
N. 863. Dita ao inspector do arsenal de mari-
nha.Faga V. S. de-emharrar do vapor Toc-wi-
lins e recolher a enfermaria dessa repartieo h
praca de marinha Honorio Bispo Professor, qae
tendo vindo com direaffi a provincia do Rio
Grinde do Norte, nao pdlo por dbenrc segtftr 8
seu destino.
N. 866.DiU ao consdho de compras navaes.
Firam approvados os contratos qne segundo os
termos datados de 10 e |i e offlcio de Jurado do
mez corrente celebren o ronnsHM.de compras na
raes com diversas pessoas para fornecimento dos
navios da armada o estabelecimento de marinha
de fardamento, vi veres, dietas e entro pbjectos
de consumo no trimestre de outnbro a deterapro
deste anno.
'N. M7.DiU ao mesmo.Peam ipprovado os
contratos que o conselbo do compras navaes c
lebrou com diverjas pessoas para fornecerem ao
alioxarifado do arsenal de marinha os objeclos
mencionados no offlcio do mesmo conselbo datado
de 21 do corrente a que responda
2.* secuto.
N. 869.Offlcio ao Exm. Sr. conscmelroJose
Marrellino de Bfito, presidente do snprenw'aw'u-
nal de justica.Levo ao conhecimento de V. Exc.
que segundo participan o jolz de dircito da co
marca do Bonito, hachare! Joao Rodrigues Cha-
zos, em offlcio de 25 deste mez nessa data deixeu
elle o exercicio das fanecies do sea cargo para ir
lomar assento na assembla provincial da Parahy-
ba, que deve abrir-.se a i do mes vindpuro.
N 870.Portara ao befo de polica intarioo.
Declaro a V. S. para seu conhecimento c lins
convenientes que acabo de recommenJar ao ins-
pector da tbesourana de fazenda que mande
adiantar por intermedio do thesoureiro dessa re-
parti'cao, ao delegado do termo de Villa Bella a
quantia de 1:0005000 para pagamento dos venci-
mentos da guarda nacional all destacada, deven-
do o mencionado delegado prestar oppoi tunamen-
te contas dessa quantia, que ser levada a seu
destino pelo capito Antonio Jos de Andrade.
N. 871.DiU ao mesmo.Tendo nesla data au-
tonsado o inspector da thesourara de fazeoda a
mandar adiantar ao delegado do termo doaBuri-
cury por intermedio do ihesoureiro dessa re|>ar-
lieio, a quantia de 2;440390 para paj^amento de
tres mezes de vencimentos do destacamento de
guarda nacionaes all existente, visto nao pode-
reifl Ins vencimentos ser entregues a Joaquim
Leonel de Alencar, com > deliberei em 20 desle
mez, a*sim o declaro a V. S. para seu conheci-
mento e fm- convenientes, prevenindo-o de que o
predilo delegado devora prestar opportunamente
contaa .dessa .quantia.
X. 812.Dila ao mesmo.Raa que possa ter
I oparip pagamentos solicita los em seu offlcio de
13 do corrente" sob n. 1,337, das despezas feius
ean o sustento dos presos pftl res da cadeia da
villa do lloiquo durante os mezes de junho a
agiisto deste anno, faz-se preciso que V. S. rcmet-
U a relacao dos presos que n'aqu-lle lempo esti-
veram recolhidos a menci mada cadeia conforme
solicita o ins|teetor da ihesouraria oni ullico de
27 desi.i me/, nmeros 592 e ti'XX
X. 873Dita ao juiz de dircito nlerno da Co-
marca 'lo Cabo.Renietto V. Sya inc;us.ipelic-i
documenlada, que me dirigi o terrenie-coronel
Gaspar Cavalcanti de Albuqucrque Ucha, quei
xando-se do 6." supplcnle do juiz municipal exercicio do termo de Ipojuea, aum de que V. S. a
remella aquello juiz para wer em termo breve,
que designar o que se Ihe offereivr em sua de-
reza.
N. 874.Dita ao commandante do corpo provi-
sorio do pnliciaiTransmilto Vmc. para seu co-
nheeiinonto e devida execuco as sentencas da
junta que em ultima instancia julgou a 28 (Teste
mez o- soldados do corpo sob seu cumulando Jos
Francisco do Reg e Denlo Jos de C;irvalho, cuj is
ronselhos do julgaiueuto devolvo, couviado que
Vmc. remetia-me relacao dos offleiaes que nao es-
i.ojreuvo i'.iki u liitpuUiq.ij pra frtei paiu do consellio, atlra aVfpfreoto i sci> n. I.jftttf.u qaal tica assim res-
contendo 6 pares de laminas' e 2 tubofeom puz
vaccinjci'. que V. Exc. me solieitou em seu offlcio
ile dn narrante.
N. 887.Wto ao,a4o|a^^in o offlcio de V.
Bxc. de 2 do eorrente, rocel>i 2 exemplares dore-
latorio com que V. Exc. abri a assamble3 legisla-
tiva d'e-wa provincia no dia Id do mareo ultimo.
N 888,Sortaria aos agentca da'cuiopanbia
Brasileira. de paquetes a vapor.Pdem Vmcs.
fazar soguir para os partos do^^^o vapor To-
cantint, amanha, b ni in lli^IRRHle Offlcio
N. 831Dita ao mesmn.XfSUdata ox|Co as
nccessarils ordens ao iaspelar'dn arsenal de ma-
rinha, para fazar desembarcar de bonto d ) vapor
TocaMtHsc recolher respectiva enfermaria a
prapi Hunprio Bispo Professor, do que .trata o seu
offlcio de hnj'. '
N. 890.Ditaao gerente da comiianhia Perno m-
hueaia. Tiasmitto por copia ;i Vrac. para seu
conhecimento o acto desta data peloqual reanlviap-
provar de conformidade com > ;.rt. 89.1 de 23 de ju-
uho do corrente anno, a nova tabella tambera junta
por copla dos emolumentos que deve perceber a
comuaiiliia vigilante pelos servicos de seus vaiwre.-
de reboque.
N. 8l. l),!itieia^a.i. O vico-presidente da
provincial atlendendo ao*i.uo requereu a cumpa-
nliia vigenle e era visto da infoajiiaciio da thesou-
rara pavinci.il de 27 do corrente sob n. 590 ra-
solve do c informidale com o art. C!) da lei n. 891
de 25 n jmtio ultimo, approvara nova tabella
dos emolumentos que deve perceber a mesma
1866, com os vencimentos do art. 3 3 1 de citado
decreto, para tratar de sua* saude, devendo diu
IHeoc sef couda do dia 4 do referido me, em
que lerminuq a d 3 mezes, que gosou concedida
pelo governo imperial.
3." Finalmente, que hoje o 3 batalho de ia-
fantaria da guarda nacional do municipio do Re-
cite fui substituido no servici) da gdarnicao desto
cidade, pelo f batalho da masma arma'c muni-
cipio, satisfazendo aqarlle (era qnanto aquartella-
di) as exigencias do mesmo servico, e deixando o
quartui qo etada de liuipeza e aceio em que o ea-
coutri u.
Assignado loaquim Jos Gonqalves Fones.
Con(T,rmeRttiliano Ernesto de Metto Tambo-
ril, tenente ajudante de ordens cncarregado do
detollie.
companbia pelos servir js de seus vapores de re- Q\it por jnsui.i*.
Repartl^Q da polica.
2' seceso.Secretaria da polica de Pernambu-
M, C de dezembro de 1869.
I*. 1698.Illm. e Exm. Sr. Levo ao conheci-
mento de V. Exc. qae, segundo consto das pirti-
cipaccs recbalas n'esU repartico, I'oram
recolhidos casa de detenco os segrales in-
dividuos :
No d i do corrente.
A ordeiq d juiz municipal da I* vara, Jos
Eustaquio Fernandes Chaves, como indicia lo no
erinie preMiriptu no art. 2ti j 4 do cdigo cri-
minal.
A' ordem do subdelegado do ecife, Antonio Luis
boque.
'.Xl'EIMENTi: ASSIGNADO PELO Sil. -DJt. JOAQUIM COR-
REA D8 ARAUJO, SECRETARIO OO (OVKBNO, KM 29 DE
SBT6miaO.DE 1809.
I1 secejio.
X. 893.Offlcio ao com mandante do presidio de
Fernando.O Exm. Sr. vjeo presidente da provin-
cia manda declarar a V. S. que segundo commu-
nicou u ehefede polica, em offlcio de 27 deste miz
sob. fu l408, falieceu na '.provincia to iti'o Grande
do Xne, oue arriben e vapor Gmunpe, em que
ia para'esse presidio, o sentenciado Antonio de Sal-
les Correa de que trato a relarao que acoinpa-
nhou i portara do mismo Exm. Sr. de 11 de agos-
to ultimo.
2' seccao.
X..W3.O.'licio ao Dr. chite de polica ioteinp.
Do or.iem de Kxm. Sr. vice presideale da pro-
vincia transmiti a V. S. os ttulos juntos de no-
mi-a fi do 2" snpptente do delegado, Un subdele-
gado e do 1" aiiMpiauto do l- Ji-uicto Jo termo de
Ouricury de c infornndade com a sua prqposla em
ollicio n. 1,393 de 24 do corrente.
N '894. Dito ao me.-mo.0 Exm. Sr. vicc-prc-
sident; da provincia manda declarar a V. S. em
resposta ao seu offlcio de 27 do corrente sob n.
1,402, que a thesourara provincial tem ordem
para pagar a Jos Maria Ferrein da Cunta a
quantia do'935450, con-taule do citada offlcio.
X 895. Dilo uo iiiusm-'. Xesta dato autorisou-
se a-thesouraria provincial a pagar a quantia de
62J't00. corU;t.-ui!e do offlcio do V. S. datado de 27
de serera llcs designados.
N 873. -Deliberacao. O vice presidente da pro-
vincia, de confor nidadi com a proposta do Dr.
rhefe de polica interino em offlcio n. 1393 de 24
do corrale, resolve nomear para o cargo de 2."
suppjente do subdelega Jo do termo do Ouricary,o
eitala Joan Praneiscj (to oraes.
X. 876.O vice-presidenie da provincia, con-
Cormando-se com a propozta do ciiefe de p dicia
interino em officio n. 1393 de 24 do corrente, re
sol ve nomear para o cargo de subdelegado do pri-
mero districto do termo de Ouricury, o cidadn
Il-reulann de Lima c Abocar, e pao del.
suppleute lo me-nn snb lulegado o cidadao Fran-
cisco d Paula Vieira d i Coulo.
X. 877. Dita.O vice-presidente da provincia,
centn lando-sc cora a propo-la do Dr. chefe d"
polica interino de 24 do corrente sob n. 1393.
resolve exoerar aVmalano de Luna do cara i
de I. supplente do subdelegado do 1." distrirtouo
termo de Ouricury.
3* seeelo.
X. 878.Portara ao inspector da Ihemarariado
fazendu. Inteira lo d>- qiaui i V. S expoz om s-u
officio de 27 do crrenle, sob n. 672, lenlic a dz>r
em resposta, quo considere de nenhum elTeito a
minha ordom de 20 d'ete mez, que alinde o ta-
lada offlcio, e mande adiantar ao delegado do ter-
mo do Ouricury, por intermedio do thesoureiro da
repartir i da polica, a quantia de 2:44''5-390 rs
para pagamento de tres mezes de vencinontos d
destacamento dos guardas uacionaes all exi-leute.
de vendo o predilo delegado prestar opporluna-
inentn eonia dessa quantia.
N. 879.DiU ao mesmo.Turnando em rouside-
racan o que expoz gerente da companbia Per-
nainbticana, n > requerimento que incluso devolvo
c a quo se reare a sua informaco de hnntem,
-nb n. 673. autoriso V. S. a mandar pagar a quan-
tia de 210^880 qu? foi glosada nessa lhe sendo 122880 rs. proveniente do fretc da mobilia
do cajiitao Tihurcio IMario da Silva Tavares.
quandn rograsMtt do presidio de Fernan-I>, e 28S
de i'xcisso de bagagein do capitao Joaquim Anto-
nio de Mnraes, i|ue para alli segu, delntando-so
esses 1 lela. pela supradita quanth, que dever
ser descontada de seus vencimentos na forma
da lei
N. 8s0.Tendo n&sta data npprovado os con-
tratos juntos por copia que o conselbo de compras
navaes cclfbmu cun diversas pessoas para forne-
ciiueu'n doj navios da armada o estabelecimentos
! marinha de fardamento. viveros, dietas e outros
objeclos de consumo no trimestre de outubro a de-
zembro do corrente anno : as-m o coraraunico
V. S. para seu conhecimento.
N. 881.Dita ao mesmo.T rado nesta data ap-
provado os contratos constantes do terran junio
por copia, quo o cunselbo de compras navaes ce-
I bmu rom diversas pessoas para fornecerem au
alnnxinfado do arsenal de marinha os object'js
rn^lo mencionados; assim o communlco V. S.
para seu conhecimento.
X. flDita ao inspector da thesourara pro-
vincial. Providencie V. S., para que, em sta dos
inclusos d icu/iientns, seja liquidada e paga em
preza da illumnaco publica d'esta captol, a quan-
tia quo iustaineaiajp dever proveniente di gaz
consumido com a fliuminacao durante o mez de
,ulho ultimo.
N. 883.Dita ao raosmfl,Transmuto por copia
pSHKilu, le ordifi"Qvj Kitm.'SrftlW'lllwaenTe-Tra
proviiici 1.
X. 896.Dito ao juiz de direilo da comarca do
BonitoO Exm Se. vice pre-i-lente da provincia
manda declarar a V. S. que Iteou imcir.id pdo
sen officio d.-25 do cnrfento.'fle ter V. S. nessa
data Jeixado o exercicio das fuaccocs de seu car-
go para ir tunar assent. na ajscmbla da pro-
vincia da ParahylNt
N 8;7.Dito ao juiz municipal da Ia vara desta
cidade.O Exea. Sr. vicc-pre-idente da provincia
uiaiala declarar a V. S. para o seu cunheciaientn
e filis convenientes, que segund o offlcio do chefe
de polica de 27 dnsle mez n. 1,408, falleceu
na provincia do lli Graotto d 1 .Norte, o sentencia-
Jo Antonio de Salles Curr, que inlo para o pre-
sidio de l'eiiiando uo vanr (.nuripc, pela arri-
rbada deste, foi ter aqui-lla pr .vinria.
N. 898.Edita!.Pela .-errci.ina do governo se
convida os Sis. Jo- r'rancis.-i. do Reg Barros,
AUjtU-to Cesar Pereira de M nlonca, I.uiz Augtts-
1.1 C lii' Cintra, bacliniul Uernar.lino de Senna
Das Jnior, Ernesto Augusto de Athayde, barba-
re! los da Co-ta Carvalbo Guimaraes, Manoel Jos
ile OUveira Miranda, Leopoldiuo Antonio da Fon-
ceca a itera ou uuadarcm a adininistrac > do cor-
reio pajar os portea Je seus requerimcntos enca-
minoadus ao ministerio da justica para que possa'm
ter o conveniente dvtio. ^
3' si ccao.
N. 899.Officio ao Sr. inspector da thesourara
de fazeiida.O Exm. Sr. vicepresidente da pro-
vincia manda devolver a V. s. Competentemente
desp ichadn o incluso requer ment documentado
de Francisco Philnmen 1 da Co-ta Mello, a que
se ref'-re a sua imfurmacao de 23 do cerrente sob
11. <68.
N\ 900.Dito ao mesmo.O Exm. Sr.vico-pre-
siJi uto da provincia man la declarar a V. S. que
segundo participen o juiz de direito da comarca
do i mito bacharel Joo Podrigues Chaves a 23
deste mez deixuu o elfcrcicio Jas f un cees de seu
cargo por ter de ir femar assento na assembla
da provincia da Parahyba que deve abnr-se a i
de outubro viudouro.
A' ordem do de S. Jos, Luiz Francisco de Mello
Santos e Bernardo Jos Carnciro Monteiro, por de?-
ordeiu e espancamento.
ordem d-i da Boa-vista, Jacintho, escravo de
Matinel Alve- Guerra, por disturbios.
A ordem dt da Capttnga, Friincsco, escravo de
Jos Bernardo Je Senua, a requerimento deste.
nrdem do da Magdalena, Antonio de Mello
Magalhaes, por ftbriaguez e desordem.
o da '>.
A ordem do subdelegado de Santo Antonio, Flo-
riano Jos Galvo, por crme de ferimentos, e Joa-
quina Maria de Freilas, por desobediencia.
ordem do de S. Jo.-, Antonia Maria, por dis-
turbios.
ordem do da Boa-Vista, Luiza de Franca c
Tlieri za Maria da Cofteelcao, por briga ; e Frede-
rico Jos dns Santos, por disturbios.
Era offlcio de ojo dRtodo. participou-me o sub-
delegado do 1" djsiricto da l'reguezia de Jaboatiin,
que tendo sido informado de que por voita das 8
horas da ni-ito do da 4 do crrente, dera-sc urna
altercarn entro Vicente Ramos Pereira da Silva,
Manoel Muquas Pianeo e o lente Jos Fernan-
des Dalt.'o, na loja de fizendas diste e um seu ir-
m.ao. e que ao retirarem-sc os mesmos para suas
casas travarain uina luta da qual resultara um es-
pancami'nto feito na pessoa do referido tenente,
pelo mesmo Vicente Ramos e seu. irmo Throdoro
Vicente Pea-ira da Silva, maudara-os prenderlo os
Hiera pouco di'pois |>r em lberdade, visto nao se
ter dado pruao oin ftugruato debelo ; e bpin as-
quu tf-ndii-se verificado do corpo da delicio a
[recedera-t'+em sido l-s-e aa-etteusas, aguar-
Java a competente queixa para entao proceder uos
termos da le contra os offensores.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exra.Sr. se-
aador'Frederico de Almeida e Albuquerque, pr-
ndente da provincia. O chefe de polica, lats
Antonio Fernandes Pinlieiro.
3IARI0 OEPERNAMBUCO
RECIPE, 7 DE DEZEMBRO DE 1869
pEMAraco.
spec-
seu conhecimento acio d'esta data,
p.lo qul resolv, em vista do sua iiformaco de
.7 dorrento approvar, de conformidadntom o
art. CO da lei n. 891 de 23 de junho do corrente
anno, a n..va tabella lambeta junta pir copia, dos
emolumentos que deve porceber 4 companha Vi
guamo putos serv);o de sfens vapires a reboque.
ft. 884. Dito ao mestno.Attendend' Q que
solici aiu o chefe de pulira interino em offlcio do
27 de corrente, sol n. 1402, redomroendo V. S.
que, em vista da. inclusa coala, mande pagar a
HH Mra Perreira da Cunta a qnairtla de.....
234430 rs., despendida com o concert) de um ar-
romtamnnto feito na cadio da vida do Limieiro.
N. 885.Dita ao mesmo.Era visto da* inclu-
sas contase relacao que me remettou o chele de
polica inlcriuo com oteio de 27 d6 corrente, se*
n. 1509, mande V. S. liquidar- e paar a ieapeta
feito com o sustento dos presos peers da cadeia
do termo de Barreiros durante oi metes de de-
zem'tro do anp prximo passado a maio ultimo.
N 886.-Ofllcji> ao ftrK'Sr. presidente
Al{ -ton. -itemetto Y. Bxc. o
DSPAC1I0 DA rP.KSIUS.N'CIA DA PROVINCIA DO DIA
3 DE D2ZE.MDR0.
Claudino Martins de Mello.Informe o Sr. ins-
pector da thosuur.iria de fazenda.
Francisco Rjtjeiro P"lo Guimaraes.Declare
que batalho pertenceocaixeiro do supplicante.
Henedin* Floresta dos Santos Cirdeiro.Uenet-
ta-sc ao Sr. inspector da thesourara provincial
para o Un declarado na portara dota data.
Luiz Francisco Vieira de Luna.Ao Sr. ia
lar da tliesouiaria de fazenda.
Maria Joaquina do Merlo e Silva. Informe o Sr.
inspector da thesourara d? fazenda.
'. Mauer C. satisf.icci a exigencia do te-
nente-; >ronel Commandante do 1* batalhro de ar-
Ulharia. .,
Pedro de Alcntara dos Guimaraes Peixoto.A
vis-.a da infirmara 1 como requer, pagos ns direi-
tos lic.es e remetiendo so a presente petiro d icu-
meutada ao Sr. inspactor da ihesouraria de fazen-
Ja para o; Qiis conveuientcs.
Ilomiialdo E-tevn.Informe o Sr. coronfl com-
maudante superior interino da guarda nacional do
municipio do Recite.
Romualdo Esteves. Remettendo ao Sr. major
ditector do arsenal de guerra, para attender ao
suppticanje mandando passar a reida) pedida.
Sociedade Liberal Uo.. Benrllccnte instalada
na^ta riJale. Soja nomeado o mencionado em
primeiro lugar.
c oumiaudu das arma
QBAIITKL-KMiRAI. DO C03WANDO DAS ARMAS &K
PBaN.XIIBCO, K* DK BKZKMBnO DE ibtift.
Ordem do aVa n. 453.
O brigadero conun.tudaato das armas declara
para os Mus convenientes : n
l." O/w a 13 de aovembr nodo seguiram pa*a
a corte no vapor Craswro Tiburcio Hilario da Silva Tavares e Jos Longni-
nh) da 6to Loite, este do 8* hatalh?W de infcwta-
riii do exorcito, e aquella do estade-mator de ati-
llafi.
1* 4}ue a presidencia resolveu por | 24i do lae-mo mea eoacoder dona maie< de Meenca
|ao8r alferes do 1 wfiec#to d *aHaria K|
Duplamente glorioso nos annaes do catboheismo,
o dia de auianha vai con agrar o mais importante
acontecimentn d'ete grande secuto que tem assis-
todi ordem d irausfor nagoes era todos os ra-
mos do osforeo humano desde as maravillosas ap
plicaces do vap ir e da eleciricidade at os ^ mais
atrlwidos avaneoa no dominio das idis. Foi era
igual dia.e ha arada poucos anno* que o suprein
pist.rda groja aoiversal.o veueravel Pin IX,rece-
ben d i Espirit 1 sant ia inissaftiuguslissima le de-
finir e proclamar- adoracaoA rebanho.de que foi
instituido guarna e o ebefe, Wnogma consola lor e
suavissimo da Immacuiada Conccicao de Mara,
elevando assim altura de urna verdado irrecu-
savel e desdo enlo indiscutivcl a crea; univer-
sal de todos as igrejas do catholicismo.
E' anda no mesmo dia que, por um designio
mysteqpsamente providencial, e>l reservado ao
iiiiiiortat ponti-e dotar o mundo com os beneli-
cios de mu- concilio ecumnico que, congregado
para o Vaticano, vai cercar a cadeira do S. Pedro
e, sol) sua autoridade e inconteslavel prinudo, re-
ver a di-cipliua da igreja em tolas as suas impe-
riosas neeessidades, indicar os erras e desvos do
espirito humano na or leui das deas moraes, scieu-
tilicos e religiosos, restabelecer a ortlmdoxia era
sua pureza pela severa eundeinnacao doi absur-
dos grosseiros que invadiram a sociedade moderna
assentar eui urna base estovel as nstocoes de igreja
.1 do esladoe desenvolver o dogma e a douliuia
pela alto promulgacao das grandes verdades que
a situaco creada pela philnsophia do secuto est
pedindo'o reclamando como heroico remedio aos
transviamentos do espirito de indagacao.
t)e. lis do um quarto de seeulo di- mais duras
provaces,o vulto venerando de Pi IX. ostenta-se
coreado por urna aureola verdaderamente divina.
Xunoa a liara brilhou com um bnlho mais esplen-
dente. X inca o vigario de Ctinsto se impoz a
mundo mais digno de admiracao. A reuma 1 de
um concilio ecumnico, n'estes infelices lempos
que correiu, ora que o espirito de revnlta tu
niou toda as formas de seduccao e ex.-iltomento
ameacamlo arrebatar na correte de suas ideas as
verdades mais fundamentae* e os principios menos
contestovets, aconteciraenlo que vai abrir urna
nova phaae historia da humanidade. \ssim
como a duvida systematira de- Descartes abri a
idadi moderna o'prepamuo caminho as ideas que
lizeram seu curso 00 monda, assim" dogm vai
abrir nuraanidade urna epocha decisiva em que
a fe as verdades sohrenaturaes se oppor com
imquebrantavel resistencii a* leoumeus do espi-
rito orgulhosamenle refonnista.
Serapre qua a naja aflfcgida de males pro-
fundos, de ataas despiedados que i.nsam aiteiitor
consra as verdades do que eWa a depositara e
infallivel me-tra, o Bspirito Santo que promeitoii
estar com Ua al- a eonsamacao dos seeutos
Ihe acode com um remedio horoicu. A historia ato
est para altesur qne a pureza immacuiada la
d.mtrinacatholiraauioafoi aucadaimpunemete.
Cada wna beraila toi por mu ez, n seu lempo,
reetber de um grande concilio, de urna d*sas sa-
era las asjemblas do bispos e altos titulare da 1
igreja, a sua toimal refuiaoao e immedlato eon-
detaoacao. Deados quatro prkiieiros c.arillos do
Oriento que resubeteeeram contra a subloza da*
eaooias rdMtoaopa**. de Alhenas e do Atexandna
a erooca pura e simples as verdades aonrenatu-
raes da Triodade e d Incarnacao at ao conwlio
4 frente, que leve de lutar de um testo contra a
harasia protesttnle qae ganhava as mais llores
oaann aroviaeia da Alternanha, da Italia e do
STminmana, edo 3^3:
cao do dar, asantida e aaunada 1
REVISTA DIARIA
FESTIVIOA DES-'-Amanhasi commemoru a tgre-
j 1 o imprtame dogma <1:> Iminaculada Cmceigao
de MariaSautissim, para que tolos os hymnos
e todos os louvores sao pouco. Q.iasi todos o*
templos se vestem de galas, e em cada um delles
se ergUPin vota* P;'ra cntoar cnticos sylemncs
Mae do Itedemptor.
No convento do.S. Francisco, desta ciilade,
haver missa solemne, orando ao Evangelto o
llvm. los Esteves Vi.mua, enoute ao Te-etm
o Rvm. Manuel Joao Gooies.
Hoje, s 4 horas d 1 1 rde, proceder -si-ha ben-
cn da imagem do Santo Chrialo, do coro, cala
obra se acha de todo cuucluida, esfurros do
milito digno guardia. .
A orcheatra ser regida pe'0 professor lose Mi-
guel da Costa. Durante os inlervallas de todos
os actos, a banda le msica do 1" liatolhao de in-
fantara da guarda nacional tocar os mediares
trechos d seu repertorio.
Em convento do Carmo de Ohnda a testo
da Cmce'n;a 1 ser expen-lida, segundo se annun-
cia. Pregar ao Ev.mgelho o Rvd. Fr. Joaquina
do Espirito Santo, llavera baloes. fog do ar,e
um grande fog pn-z .tps o TeDeum, onde ora-
r Rvd. Manuel >o.
A' tarde haver procKsao, c var03 en'rcioru-
1
!
dogma at proclamaco do subversivo prlartaia1
dollvreexatne, a igreja catholica oppoz mvaeia-
velmente i torrante impetuosa fia Iwrttto nnut
barreira inveucivel e imquebravel.
Depois dos ltimos tresentos anao<, a neeessida-
de de um concilio eeumeniij mosircu-se mato
imperiosa que nunca. N'uraa poca de patena*
transformareis en que a neg'cao tomn o lmW
da certeza, e a duvida mais desconsoladora parece'
ser a fetcao caracterstica da sociedade ; quaada"
o erro toraou todas as termas c as mais gigantes-
cas proporees, tentando abalar toda a ordem so-
brenatural e nada respeitando em suas horrendas
investidas ; quando a licenca tomou aattiludu da
lberdade sinceramente devotada ao bem ; qaaa-
do todas as ideas fundamentaes cstao anwafadas
por urna ostentosa conspiraco, e o auqoa a don-
trina catholica parece ser o ponto de iinia das in-
nmeras escolas que dividem o espirit" philoao-
pbico, a convucaio de um concilio um faci r-
dadeiramente providencial. Em seu tempu, dir
om Ilustre escriptor, Arius ne.gava a divindade
de Jent* Christo. mas cria nos outros dogmas da
reyelieao ; Lutlnio negava as indulgeneias e o
primado do soberano pontfice, mas faria i|iu-ituar
aquella que ousa^se por em duvida a nupiraco
do* livros sagraitos. Boje nega-se a ordem so-
brenatural uteira, nega-se a Deus, nega-se a al-
ma, nega-se a propria raaao. Oulr'ora tiih;i o erre
um noin, um chete, urna |alria ; buje chama-se
com Todos os nomes, diz se de todos os horneas e
de tdos os paizes.
Tal sem muito Ihecarregar as cores, o eto-
do dos espirites. Orguihosa de seus triuinpbos sa
ordem natura!, a razao -Jltenta contra a ordem
de deas sobrenatural. E" neste lamentoso esta-
do que o concilio do Vaticano vai receber em seu
bracos a sociedade moderna.
ResUbeleccndo a autoridade do dogma, cantea-
do o lvre rame nos limites quelhe impfie a.pco-
pria razao, acudiendo o espirito scientiRro com s
seu* rrros e as suas neviUveis imperfeices, o
novo concilio proclamirr de ama vez | or tedas
que, longo de ser iucompativel com a sociedad*
e com o progresso.. a Igreja cathi lira o grande
templo a que se podnViirijiarem plena paz eim-
perturbavel seguraseIndas as nobres conqni-tosda
civilisaeao. Sem de iianhainmodo quebramar a se-
rena e magestosa immobilidadedesua d citrina, eBa
se elevar rima do erro e da beresia como a are*
santa de todas as liberdudes e de todos os pro-
gress is ,/.ara proclamar e definir os legtimos foros
da razao luimana.
Paz todas as escolas O nqvo concilio va,
seguramente assentaY era tima base ncontestove
as relagdcs supremas dn razao c da f. O Espi-
rito Santo, que esta com a sua igreja, e nunca a
abandona, lera designios secretos para salvar as
mais difflceis conjuucturas o deposito sacratissiina
das verdades revelada?.
Una nova phase se abre decididamente histe-
ria da humanidade :nos a sondamos romo bmts
e afervorados catlioli ".os. e como rear^enuntes
na imprensa de um vasto paz eminentemente a
immudnvolmontt clluico !
f-
/
MB

184
179
o. erro sanio vie.tor ^la-vnl^
r^aTauvMnV
oentos antes e depos di-ila, tocando urna banda
de muaiea marcial.
CIXCO MIL R1J POR ESCRAV03. Termina
hojeoprazo iiiirciid pelo consulado pr.iviaeiil,
para a entrega voluntoria por parle dos dimos da,
notadas eacrav m residentes nesla cidade, que f-
ram -ugeitos ao ituposl d-- .'i-lOOO pela lei do i-r-
cjamento vigente.
Si' sugi'itos a esse imposto todos os esrravusde
ambos os sexoa, .xceplos purera os do servido do-
raesiico c empreados em fabricas.
DIOGAS HOMEOPATH1CAS.A pharmaea es-
pe :i il boineopatluca do tinado Dr. Sabino continua
a pre-tar se com toda a saffieieacia ao publico, no
firnecimcnio de reiiwdfoa pn>|)rios dn sysieraa ho-
menpatmeo ; e para isro obtere aumrisaco dn
in-pectoria da sa le publica a Exma. viiiva. dn-
ou-lle llnadn. pruiiietaria di mosma pbarmaria.
A' testodesla aelia-se pcssa habililad, qne e
tal altura sempre nWoeeu plena conftaac* te.ti-
nado, e- bem foanaaMa neate cilade, pora ga-
rantir a exeellenria da* preparac/ies.
DEPTADOS PROVIXr.lAES.Recebemos heu-
teiu as segiuntes noticias eleitnracs:
Tercriro distrirto.
D/. Jos Manoel de Barros Wanderlcy
Dr lliT.riq'e Mamede L. de A.
Dr Paulo de Amorim Salgado Netto
Dr. Jos de Goes Cavalcanti
Dr. Gaspar Driimih n I
Padre Antonio da Cunha e Figueireda
Dr. Fran-i-ro Augusto da Costo
Dr. Pedro VlTonso Perreira
l>r. Joauuim.F. Pae* Brrelo
Dr. Jos Zi.'rino Pires de Lyra
Quorlo dUtriet.
Resumo de todos os colleglos, excepta
paraca :
Jnaquim Pedro B. de Mello liego
Vigario Joaqoim da Cunha Cavalcant-
Dr. Ernesto Vieira de Mfllo
Dr. Antonio Paulino C. do Albuqucrq?
Dr. Joo Vieira de Araujo
Dr. Eduardo Mntn de Overra
Jiiao Manuel Pontaal
Dr. Adolpho Lamenlia Los
D. Alvaro
Dr. Lacerda
C01W DE POLICA.Por deliberaeto da wa-
sidencia, de 4 d corrento, foi dewiltido o alteres
do cort de pRoia Felippa de Saafcagt "R*res
Galmdo, e nomeado para o substituir a sargento
\ntonio Joaquim de Barros Urna.
DISTURBIO E lSPASCAMJNT.Na pajgr
co de laboain, Vii-ept lUmoa Pnraira mmm
c Manool Majaquias Franco, debis, dn "MM-
caoio vocal cvm o tenente tes Parra uauarnan"
pancaram-o, tozendo Iho a^oaaa noMna*
se tendo realido a orbo dos detlninan
{orara cana rolanado daytannrfP
458
I!
143
115
adaFa-
B
20t>
Itf
t
I
S
IM
87
ILEaU

...




a.
Diario de Pernambuco Terqa feira 7 de Dezembro de 1869.

Ihes havia sido intimada pelo subdele^ ^ ,.1
v 1

trelo, qae os savia feito prend"-
,.'I?JF-SIATAfi- US 08RAS.-Porante a junr
u mr -.oafam provincial vio dg novo a praca,
BO da 0 do corrente : a construccao da ponle so-
bre o rio Pirapnma, no engenho desse nomo, ava*
liada por 9:02" j re. ; os reparos do atuejro do
Aojo por 4:736*; o 7o balaiqo da estrada do Li-
mooiro por 3:674 J; e 8o laneo da mesma tstra-
da por 2:530*000.
AFFOGADOi. -* Moradores da freguezia desta1
denominaclo, se nos qncixam da escassez d'agna
potavel que ali lia, ponto di ser preciso osperar
meia hora para oMter cada caneco. A directora
dacompanhia do Refeeribc devo mandar examinar
qual a causa (lossaralta, e providenciar de forma
a qno cesse ella j e ja, pois que os moradores
d'ali soffrem granae atropello com essa escassez
d'agua.
TIUOADE PUBLICA. Esta wmjMUihia de
seguro1 paga o seu 15 dividendo razio dd 28
por accao, diariamente, era seu eseriptorlo roa da
Cada n. 42.
NIAO BENEFICENTE.Amaoba solemnisa
esta sociedade o 2 anniversario de sna iustallaclo,
cora missa na reja da Madre Den*, e^essao
magna na casa de suas sessoes, ra do Vigario
n. 18.
THESOURARIA PROVINCIAL.Nos cofres des-
ta reparticao existia a 30 do me* passado o saldo
da quautia de 737:920*371 re., sendo:
Ao**- em deposito 128.933*000
Ledras de arrematares 291:7233897
Aoolices da divida provincial 75:0004000
Dinheiro 242:2324*74
OLINOA.De dia em dia peiora o estado da es-
trada que rae do Recife Olinda, sem que ao me-
nos te d urna providencia, e sem ali apparecer
um profissinnal legal para apreciar o quanto dam-
nificada est a estrada, o qual o meio de repara-
la de prompto. Que fim ter o importe do peda-
gio, que designado por lei para a eonservaco da
estrada Y Cremos qno se gasta com quatro ou
cinco homens que, de vez era quando, ali appare-
cera a reparar as margens do calcameuto prxi-
mo > Santo Amaro, lugar justamente aonde nao
preciso reparo.
E' irrisorio que se pague um homemque se
dis viga e conservador da estradapara elle mo-
rar em Olinda, e nem ao menos dar um passeio
para verificar se as continuas reclamaeoes que
se lbe faiem sao ou nao verificadas.
Chamamos para essa estrada a alleneao do Exm.
' Sr. presidente da provincia e director das obras
publicas.
GAMELLEIRA Escrevem-nos desta localidade:
No da 2 do correnle, anniversario uatalicio de
S. M. o Imperador, h-uve revista geral do bata-
lbo n. 43, pascada pelo tenente-coronel eomman
danlo. Ounp.ireceram 283 guardas, c, depois
de orna breve exposieo animando os guardas no
amor ao servien publico, concluio o mesmo com-
mandanto com vivas ao Imperador e outros. do
estyllo
E" esse um dos balhoes do matto, qne mais
prompto tem sido. Louvores pois a seus cueles.
AH1HZRU DE GNEROS.Aos nossos leitores
reconiniendamos o armazem de molhados do Sr.
Bernardino Campos ra do Imperidor n. 28, que
se aclia montado deforma asatisfazer qualquer
exigencia ou desdo da freguez, sobretudo no ge-
nero indispen-avel qualquer casa de familia.
CLUB DO MONTEIRO.Sabbado ultimo, 4 do
correte, teve lugar a abertura dos saldes do Club
do Uonteim, hav.mdo um soir dancante, bastan-
te coocorrido e bem servido.
(LOTERA.A que seacha venda c a 129',
beneficio da igreja de Nossa Senhora do O' de
Goyanna. que corre hoje.
CEM1TERIO PUBLICO.Obituario do dia o do
correte :
Mana. Pernambuco, 4 mezes, Boa-vista ; con-
vulsas.
Mara Theodora do Espirito Santo, Pernambuco,
68 annos, viuva, Boa-vista ; gaslru intente.
Um homem que foi recolhido ao hospital, cuj"
neme ignora-se
6
Franjeo, Pernambuco, 2 annos, S. Jos; es-
pasmo
Diniz Barbosa, Pernambuco, 30 annos, soltero,
Boa vi>ta ; expluso.
Delfina. pr-ta, 00 anuos, solteira, Santo Antonio ;
cancro no peito.
Antonio, Pernambuco, 2 annos, S. Jos ; intente
Luica Karia da Conceicao, Pernambuco, 28 annos.
solteira, Boa vi*! umor no ri-uiru.
lante embargante 3.", o Dr Augusto Carneiro
Monleiro da" Silva Santos; juizes os Srs Silva
Guimaraes, Reis e Silva, llosa e barij de Cruan-
gv.Foram despresados os embargos, sendo voto
vencido o Sr. desembargador Silva Guimaraes.
Juizo especial do connnorco: embargante exe-
quente appellado, Jlo Pinto de Lemos Jnior;
embargado appellante executado, Mariano Xavier
Carneiro da Cunha : juizes os Srs. Silva Guima-
,res. Reis e Silva, bario de Cruangy e Rosa.
Forana recebidos os embargo?, sendo voto venci-
do o Sr. desembargador Silva Guimaraes.
Juito especial do coromercio : appellante, Aie-
xaodrjdes Santos Barros; appellado, Manoel
Jos dtniiranda : adiado a pedido de oulro sr.
deputado. -
Juizo especial do commercio : appellante, uo-
mingos Alvos Malheas ; ampollados, os adminis-
tradores da inassa fallida de A. F, Santos & C.:
adiado a pedido do um Sr. deputado.
Juizo municipal de Ilamb : appellantes, Bal-
duino Amando Freir e sua mulher ; appellado,
Jos Flix do Reg : adiado a pedido de um Sr.
deputado.
Juizo municipal do Ipojuca : appellante, Feli-
ciano do Reg Barros Araujo, por si e como tu-
tor de seus fllhos ; appellado, Jos Francisco La-
vra Penna : adiado a pedido de um Sr. deputado
PASSAGBKS.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr
desembargador Res e Silva : appellantes, a viu
va e berdeiros de Jos Hygino de Miranda e D.
Josefina Bemvinda da Cunha Souto-Maior ; appel-
lados, Mills I.athan & C.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar
gador Silva Guimaraes appollautes, Tasso k Ir
mo; appollados, Manoet Nunes Pereira C
Do Sr. desembargador Reis e Silva, por sus
peicao, ao Sr. desembargador Accioli : appellan
tes, Francisco Moreira de Souza e sua mulher
appeilados, Francisco Colbo da Fonsoca e Jos
Antonio do Atnaral
Nada mais houve, o foi encerrada a sessao a
urna hora e um quarlo da tarde.
cusagao, nao tinha elle meio algum para gusten-1 (dem do da 6.....; 3:216*034
tar a falsldade que aventurara.----------------
- J-----------. 8>1,.19*210
doni;a; appellado, Dr. Pedro de AlhaydeLobi
Moscoso. Appellante, Jos Bernardo Bezerra ; ap-
pellado, Ignaelo Alves Barreira.
Do Sr. desembargador Dotningues da Silva ai
Sr. desembargador Regueira Costa.Appailaco
civel: appellante, o Dr. curador geral appellado,
Manoel Jos Baplista. Apnellacoo crime : appel-
lante, Jos Ferrara Lima; appellado, o juizo.
Ao Sr. desembargador Gltirana.AppellajiJ
avel: appellante, Mara Amelia Candida de Bur-
ros; appellado, Jos Candido de Barros.
Do Sr-desembargador Regueira Cosa ao Sr.
desembargador Souza Lelo.Appellacocs crime:
appellante, Lourenc<> Bezerra da Silva; appi.llado,
H juizo. Appellaine, o juizo; appellado,Manool
Marques Evangelista. Appellante, o jnizo; appel-
lado, Thomaz, escravo. "
Do Sr. desembargador Souza Loao ao Sr. des-
mbargador Gilirana.Appellacao eivcl: appel-
pellante, Dr. Benlo Jos da -osla; appellada, a ir-
mandade de Sant'Anna.
Dexigkncia criiik.Ao Sr. desembargador pro-
motor da iustica.Appellacoes chines : appellante
Manoel Alves do Lima; appellada, a justica. Ap-
pellante, Anna Linda do Amor-Divino ; appellada,
Isabel Mara de Jess.
Deligkncia riVKL.Ao curador geral e ao Sr.
desembargador procurador da corda.Appallacko
civel: appelladte, Manoel Cassimiro Lucio (le
Souza ; appeilados, os berdeiros de Pedro Vieira
da Cruz.
A' l hoja da tarde encerrou-se a sessao.
Englsh Bank of Rio de Janeiro
Limited.
Capital do Banco 50.000
ac^es de 20 cada
nina ,.......
Capital realisado ....
Fundo d 5Bseq|. .
1,000.000
.00.000
120.505
(HRONU \ JUD1C1ARIA.
lltlIll^U. DO COHMUntlO
ACTA DA SESS.a) ADMINISTRATIVA DE 3 DE
DEZE BdO DE IH69.
PBESn)ENCIA DO KXM. SR. DKSKMBARGADOR ANSHLMi
FRANCISCO PERBTTI.
s 10 horas da manhiia, reunidos os Srs. depu
lados Rosa, Basto, Miranda Leal c barao de
Cruangy, S. Exc. o Sr. presidente declarou aber
ta sessa<>.
Foi, depnis de lida, approvada a acta da sessao
de 29 de novembro prximo pretrito.
exped ente.
Foram rubrica os seguintes livros : Copiador
de Prente Vianna & CDiario de Lira & Van-
la. Dito de Bfmardino de Azevdo Pereira
' Maia.
DESPACHOS.
Sobre informadlo a secretara dada nos pa-
pis da Compaiiha Liverpool ani London Globe
lusuranre que pretende ser isent da do deposito
que se Ihe exigir para p"der funceionar nesia
pra^a ; vista dos quaes combinados com os res-
pectivos decretos, teve o sepuinte despacho :O
que a snpplicanle allega sobre as agencias do En-
glish Bank of Rio do Janeiro Limited sem fun-
damento, visto que os decretos nnmeros 3.212 e
3,796 nao i opozeram condicao de deposito algum
a este ctabelecimentn, mas tendo-se. o decreto n.
. 3,788 referido ao de n. 3,673 fra de duvida
que .em novo deposito nao pode ter lugar o re-
gistro requerido.
Sobre a peiicii do amanuense deste tribunal
Francelino Augusto de Hollanda Cbacon que pede
por certidlo :desde quando ox> reo o seu em-
prego, que lcencas lem obtido e por que tempo,
quantas fallas tem dado e se ellas foram ou nlo
abonadas, e finalmente qual o seu comportamen-
to como empregado :Como requer, passando-
e oerlidao do que constar dos livros e papis do
archivo.
Sobr- a de Antonio Moreira do Mcndonca em a
qual pede que se Ihe registre a nomeacao de seu
raixeiro Jos Ignacio Ferreira Babello.Regis-
tre-se.
Tambem na de Ignacio da Silva Pessoa cora le-
ja de charutos praca da Boa Vista n. 21 pedin-
do igualmente que se admita registro a no
leaclo qae dera a seu sobrinho ttoripe da Silva
Ftessna para caixeiro de dito estabelecimento.
ReKslre-se.
Na de Daniel Antonio dos Reis c Balthazar Pin-
4o de Gouveia, pedindo o registro de seu distrato
social.Vista aoSr. desembargador fiscal.
E na de Antonio Barbosa de Moraes Cabial,
off -recendo a flanea que se Ihe ordenuu prestasse
para poder ser nomeado agente de leudes da pra-
$a de Macelo. Passe-se titulo e preste juramento.
Nada mais sendo submettido despacho, S.
Exc o Sr. presidente encerrou a sessao as 11 ho-
ras c meta do dia.
TItIItl MI DA HEL%.'AO.
SESSAO EM 30 DE NOVEMBRO DE 1869.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHBtRO CABTANC
SANTIAGO.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. des-
embargadores Gitirana, Guerra procurador da
corda, Lourencp Santiago, Motta, Doria, Domingues
da Silva c Souza Lelo, faltando os Srs. desemjai
gadores Almeida Albnquerque, Regueira Cosa
e Assis, abrio-se a sessao.
Pausados os feitos, deram-se os seguintes julgi-
mentos:
Aggravos de peticao. Aggravante, bacharrt
Joao de Barros Falcao d'Albuqucrque Maranhao;
aggravado, o juizo.Relator o Sr. desembargador
Lourenco Santiago, sorteados os Srs. desembarga-
dores Gitirana e Motta. Negou-se provmen-
to.
Habrs corpas.Concetleu-se soltura a Antonio
Joaquim de Sant'Anna, e a Galdino Gomes.
PASSAGRNS.
DoSr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar
gador Lourenco Santiago.Appellacoes criraes :
appellante, Ars9Uio Celestino Vidal; appeilados, o
juizo e Joaquim Germano Lopes. Appellante, o
juizo ; appellado, Simiao Correa Lima. Appellan-
te, o prumoor; appellado, Marianna Fernandes
da Coneeicao.
Ao Sr. desembargador Guerra.Appellacao ci-
vel : appellante. Francisco Jos Leite; appellado,
Jlo Baptista Gomes Penna.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Almeida Albuquerque.Appella-
coes crimes ." appellante, Manoel Jos Fidelis Cai-
pora; appellada. a ptica. Appellante, o juizo ;
appellado, Salviano Cona de Mello. Appellacoes
civeis : appeilanlt-, Carlos Holms; appellado, Ma
nael Marques de Oliveira. Appellante, Autonio
Ferreira da Silva; appellado, Manoel Dultra de
Souza. Appellante, Joo Baptista Rodrigues de
Souza; appellada, D. JosepNh Leopoldina de Mel-
lo. Appellante, Manoel Thomaz do Albuquerque
Maranhao; appeilados, a viuva de Mcinede e
Ihos Appellante, Antonio Jos Pinto; appellada,
D. Maria Ferreira da Costa. Appellanies, Jo-
Ignacio de Bjrros e outros; appeilados, os orphaos
Luiz e Joaquim.
Do Sr. desembargador Motla ao Sr. de-embar-
gador AssisAppellaglo crime: appellante,
juizo ; appellado, Pedro Antonio de Norontia. Ap-
iiellaroes civeis: appellnte, D. Joanna Ferreira
Carneiro Mmteiro; ap|iellado, Symphromo Olyn
iio lo Queirona. Appellante, Americo Nettu de
Mor.'iCS ; appellado, Manoel Marhodo dt Silva.
Ao Srs. desombargador Djiqjngiies _da Sil-
va.Appellacao civel -. appellante. Antonio Alvo
Vianna; appellado, Jos Das da Silva.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva a-'
Sr. desembargador Regueira Cosa. Appellacoes
civeis: appellante, Euesto Bra>il de Mallos; p-
pellados, os berdeiros de Miguel Alves de Me.-
lo Appellante, Joaquim Salvador de Seque ra
Cavaleante ; appellndo, Jos Domingues Mata.
Do Sr. deseml'argador Regueira Costa ao Sr.
desembargador Souza Lelo.Appellacoes crimes:
appellante, Joanna Esmoria Cavaleante; appella-
da, a justica. Appellante, Joanna Mana da Silva ;
appellado, anoel Vicente Pereira de Mello. Ap-
pellante, Francisco das Cbagas Baptista; appella-
da, a fazenda.
Assignou-se da para julgamento dos seguintes
feitos:
Appellacao civel.Appellante, Manoel Alves
Maciel; appellado, Luiz Francisco Barbosa Cma-
ra.
Appellaqoes cniMES-Appellante, o promotor;
appellado, Franci>co Ignacio da Silva. Appellatfle
o juizo; appellado, Ignacio Jos de Oliveira. Ap-
pellante, o juizo ; appellado, Felippe, escravo.
Ao meio-dia encerrou-se a sessao.
Balanro da caixa filial em Pornambwo, em
30 de novembro de 1809.
Activo.
Letras descontadas. I,014:09i,*i00
Emprestimos e coritas
caucionadas..... 107:330*000
Letras receber. 183:623^020
Garantas e valores de-
positados.......
Mobilia etc. do Banco.
Diversas contas.....
Caixa.
46l:l90:>0i0
20:207*880
53l:85l*710
838:999*' 20
3,HK):398*07(i
SESSAO
Jl'DlCIAItlA EM 3 DE DEZEMBRO DE
1869.
fn&SIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR A. F. PE-
Ml
Servindo de secretario, Reg Rangel.
Ao meio dia estando reunidos os Srs. desem
Larcadores Silva Guimaraes, Reis e Silva e Ac-
bario de Cruangy, o Exm. Sr. presidente declarou
aborta a sessao.
Lida, foi approvada a acta da precedente sessao,
oro a deolaraelo de ter o Sr. desembargador Sil-
va Guimarles sido voto vencido no julgamento do
eitn entre partes, embargante. Dr. Jos Eugenio
da Silva Ramos ; embargado, Francisco da Costa
Maia.
ACORDAOS ASSIGNADOS.
Juizo municipal de Baturit : embargante, An-
tonio Francisco da Silveira ; embargado*, J. V.
Graf & C.
Jnizo municipal do Pendo : appellante, o ma-
jar Jos Nunes de Barros Leite ; appellado, Luit
Caetano da Silva Campos.
Juizo municipal do Penedo: embargante, Fran-
lco Loitao de Carvalho ; embargado, o Dr. Joa-
quim Serapilo de Carvalho.
Julio municipal de Seriuhlem : embargante, o
Dr. Jos Eugenio da Silva Ramos ; embargado,
Francisco da Costa Maia.
JURAMENTOS.
Juizo especial do eommercio : embargantos ap-
peilados x5qtientes, os administradoras da raassa
fallida de Siqueira A Pereira; embrgalo appdl-
SESSaO EM i Di DEZEMBRO DE 1869.
PltBSIDENCIA DO EXM. SR. C0NSF.LHKIR3 CAEToNO
SANTIAGO.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. desem-
largadores Gitirana, Guerra procurador da corda,
Almeida Albuquerque, Motta, Domingues da Silva,
Regueira Costa e Souza Lelo, fallando os Srs. tes-
euibargadores Lourenco Santiago, Assis e Doria,
ibrio-se a sessao.
Passados os feitos, deratn-se os seguintes julga-
nentos:
Appellacoes civeis.Appellante, Alexandre Ro-
drigues da Silva; appellado, Jos Joaquim da Sil-
va.Reformada a sentenca Appellante. Joaquim
da Silva Costa; appellado, Firmiano Jos Rodri-
gues Ferreira.Reformada a sentenca. Appell in-
te, a parda Angela; appellada D. Virginia Zenan-
des Ferreira Confirmada a senienca. Appellan-
te, Ermeljnda Mara da Conceicao; appellada, D.
Clara Sophia Feulon.deformada a sentenca.
Revista civel Reccorronte, Diogo Oliveira
Campos; reccorrido, Antonio Joaquim de Campos
ordeiro.Relator o Sr. desembargador Soaza
Lelo, sorteados os Srs. desembargadoros Don.in-
gues da Silva o Regueira Costa.Nullo o f ro-
cesso.
Appellacao crime.Appellante, o juizo; appel-
lado, Francisco Ignacio da Silva.Improceden-
te.
Babeas corpus.Concedeu-se ordem a Gabriel
Archanjo Bispo, e Rosa Raymunda de Lima, para
0 dia 7 do correnle.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
feitos:
Appellacoes civeis.Appellante, Galdino dos
Santos Nunes Oliveira; appellado, Manoel de Aze-
vede Andrada. Ampollante, Feliciana Maria Olym-
!ia app.dlado, Joao Ferreira Colho. Appellante.
ose da Silv. Nunes Braga; appeilados, Francisco
Gonralves Servino e outros.
Appellacao crime.Appellante, Antonio Telles
de Menezes; appellada, a justica.
PASSAGBNS.
Do Sr. desembargador Gitirana aoSr. desemlar-
gador Guerra.Appellacoes civeis : appollanta, a
Santa Casa da Misericordia; appeilados, os her-
deires de Jos da Costa Teixeira. Appellaile,
Luiz de Albuquerpue Maranhlo; appellado, Ger-
vasio Jos da Cosa.
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desombar-
gador Louronco Santiago.Appellacoes civeis :
appellante, Jes Samico; appellado, Pedro da
Costa e Silva. Appellante, F. J. Leite; appelhide,
Joao Baptista Gom s Penna. Appellante, Antenio
Oirra Lima; appellado, Manoel Pereira dos An-
jos Cavaleante. Appellante, Joaquim Jos Pereira
da Cunha: appellado, Jos Bezerra de Almeida.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Motta. AppeUacdes civjis:
appellante, Joaquim Jos de Almeida; appellidn,
Francisco Caetaoo Alves. Appellante, D. Joanna
Maria das Dores : appellado, Ago>tinho Joao da Cu
nlia. Appellante, anoel Thomaz de Albuquer-
que Maranhlo; appeilados, a viuva Maruede o fl-
lhos. Appellante, Manoel Florentino dos San os;
appellado, Bartholomeu Brandao do Sobral. Ap-
peUacdes chinos: appellante, o juizo; appelk,do,
1 laqmm Goocalves da Luz. Appellante, o juizo;
appellado, Jos Gomes da Suva.
Do Sr. desembargador Motla ao Sr. desembar-
Pnssivo.
correntes sim-
581:004*000
Depsitos praso fixo,
com aviso e por le-
tras 1,001:901*320
Contas
pies
Reagindo. contra a evidencia da prova, soocorre-
se o clnvlowtoriedade publica recurso favori-
to dos calumniadores, v a forca de dizer que o
notorio ler o Sr. Dr. Portella continuado a ser o
advogado de Vsrejlo, procura esquecer as menti-
rosas assercoe* uue fez.
E' anda sob allegaclo de notorifta-k-qno o
Sr. Dr. lie I for, acrescenlaQue embatcatUm do
vice-pva^ie^am acreditados perante ot ;"'-
mra consugair'cm snfs rotos em furor ta Va-
rtido ni*,Jap notorio, masj-nUo declinamos
nomes port/ue Wnproprio de nos.
Se proprio do Sr. Dr. fazer aecusaedes ca-
lumniosas; se anda proprio dellc aventurar, sob
a capa defacto notorioterom havido embaixa-
dores acreditados, pareco que s proprio do Dr.
Bell .rt nao declinar nomes, porque se o tlzesse
seria lio bem confundida e bem qualiflcada essa
falsidade, como foram a oulras do arifo a que
rospondi.
Verdado que S. S. acrescenta que ro a este
respeito informado por pessoa em que conOa
ft.mo succedera a respeito das aecusacoea oj*
falsidade provamos; tem razio o Dr. em acautel-
lar-se em tal nctoriedade, para que nao passe pelo
dissabor de ser desmentido como foi naquellas
Todava Ihe direi que em quanto nao declinar
os nomos dos taes jmbaixadores, para que possa
ser apreciada a sua as.-*rco, nao podera oseapar
esta, a qualilicaeo quu dei os demais, e cera que
lano, c sem razio mos!.ru-se offendido.
Concluirei fa.zendo sentir que se a reciprocida-
de no iralamento fosse para o S^ Dr. Belfort urna
norma de conducta, cortamente seria inexphea-
vel o seu (irocedimento para com o Sr. Dr. Por-
tella que nlo me consla haver faltado para com
S. S. com a justica o iirbamdado; embora o con-
traro diga o Sr. Dr. Belfolt, sem que contud de-
clinaM a nalureza da injuslica e falla de urba
nidada, o que teria sido conveoenlo para que o
publico ajuizasse da offensa que S. S. diz recebera
daquello aquera lio njusU e descommunalmente
acepta.
Rccife, 4 do dezembro de 1869.
Adolplto Lam'nha Lins.
Agua de Florida de Murray
e Lanman.
Almda sua avantajada superioridade comoum
perfume sobre as mais valiosas composicoes es
irangeiras ; esta deliciosa quao deleitavel essencia
Rural, forma urna agradavel lavagem para os den-
les e geugivas servindo de conservativo para os
mesmos, e como applcacao suave e modificnie
para a pello do rosto depois de se haver eito a
tiarba, diluida em agua.
Um lenco mulhado com algumas gotas da mes-
ma e appiicado \esla, a fonles, promptameute
dissipa e faz desapparecer as dores de cabeca as
mais violentas ; e as senb.ras que prezam sobre
ludo una eompleicao clara e trasparente, acora-
nhada de una pelle macia e avelludada, acharao
que ella extremamente mil, em remover ebulli-
coes, espinhas, sardas, sapinhos, mculas, assim
auno todas as mais erupcoes externas o discolo-
ridos que militan contra a pureza, iransparencia
e flexibilidade da pello.
CONSULADO PROVINCIAL
itendimento do da 1 a i. 18:2631430
'dem do da 6....... 8:630ili
S 26:8934644
HH
MOVIMENTO DO PORTO.
i '*- m -.......~ m
Mario entrado no dia S.
Buenos-Ayres 37 dia, barca hespanhola Olym-
pa, de 303 toneladas, capillo Jos Ponce, eqni-
pagem 17, em lastro ; a Pedro M. Maur.
Navio saludo no mestno dia.
Rio da prata w- briguo hespanhol Terceiro Bar-
ullos, capillo Jos Ferondona ; carga assucar.
Barcelona sumaca hespanhola Portollas, capi-
llo Pedro Isern ; carga algodo.
Barabyba lugar Macante, capillo Henry Lau-
renson; em lastro.
Navios entrados no dia 6.
Rio-Grande doSul 35 di*s brigue brasileiro
Siiy de 200 toneladas, capillo Joaquim Fer-
nandes Goelho, equipagem II, carga 10,000 ar-
robas de carne ; a Amorim & Irmao.
Cardiff 36 das, brigue inglez Queen of the Fleet,
de 265 toneladas, capillo Balmano, equipagem
10, carga carvlo ; a D. C & C. C. Sumpsom
4C. ..
Rio de Janeiro 26 das, barca franceza Paula
Maria, de 203 toneladas, capillo A. Bourdase,
equipagem 10, em lastro; a Thomas Jefferces
AC
Montevideo 26 dias, barca americana Aberdeon,
de 321 toneladas, capitao F. W. Treale, equi-
pagem 10, em lastro ; a Henry Forsier & C
Navios snhidos no mesmo da.
Rio da prata patacho norte allemlo Eunomia
capillo Kromer ; carga assurar e agurdente,
dem e-euna norta alleml Adelaide, capitao
. Graner ; carga assucar e agurdente.
Aracafyniate brasileiro .Maria Amelia, capitao
Francisco Thomaz de Assis, carga dfferentes
generas.
Observacoes.
Suspendern! do lamara para Macelo a barca
Austraca Belu, capillo Nieola Pevechech, com o
mesmo lastro que tr< uxe da Baha.
dem para S. Thomaz briguo norte allemao
Amia, capillo Gerdan, como mesmo lastro que
trouxe de Montevideo.
dem para Parahyba, briguo norte allemao 7fo-
sflia, capillo C. F. Rohd, com o mesme lastro
que trouxe do Rio de Janeiro.
dem para Corck a galera ingleza Loltee Mane,
capillo Grafan, com a mesma carga que trouxe
de Howard Soland.
Letras pagar.....
Ttulos em cauro e de-
posito .#.....
Diversas contas.....
2,242:9G5;5380
42:522->tiO
401:190,5040
41-1:7193770
3,iGo:398?$tt70
S. E. 0
Pernambuco 4 de, dezembro de 18G9.
J- B. Blorhnam. Mdfliger.
J. Lambley, Accoiiuianl.
PUBLICACOES
A PEDIDO.
Carne verde, kilogramn.
Carne secea, dem.
Farinha de mandioca,-IHro.
Fumo -do Rio, kilogramm?.
Feijao mujalioliojjlilro.
Farelo, sarco.
Manleiga franceza, kilogramnw
Pebtd-fresco, dem.
Sabio, kilogrammn.
Sal, litro.
Velas de carnauba, killo-
Ditas slearn.is, idcni.
Vinagre, litro.
Vinho tinto de sb'a, deur.
Dito branco. iidem.
Toucinho, kilogramma.
Os concurrentes poderlo aprosontar suas pro-
postas em carias fechadas, as quaes deverlo ler :i
ordem estabelecda no presente annnncio.
Santa Casa de Misericordia do Rccife, 5 de de-
zembro de 1869.
O escrivlo,
Pedio Rodrigues de Sonza.
uta Casa da Hlserleortlhi o
Heelfe.
A IUma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que n
sala de suas sessoes, nojdia 9 de dezembro, pela*
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas a
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de nm
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
ESTABELECIMENTO DE CARIDADE.
Cinro Ponas.
Casa terrea n. 114, por anno 328000o
Ra ao Calabou?o
Casa terrea n. 20, por anno 242300o
PATRIMO.MO DOS ORPHAOS
Ra do Vigario.
Pnmoiro andar do sobrado n. 27. 240j00u
Rna do Pilar.
Casa terrea n. 98.......20300u
Sitio n. S no Forno da Cal........... 13)000
Os pretendentes deverlo apresentar no acto da
arrematacao as suas flaneas, ou conHareeerari
acorapanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 29 de novembro de 1869.
O escrivlo.
PIro Rodrigues >S*nza
O Liberal de 19 do mez passado havia assevera-
do que o Sr. Dr. Manoel Portella foi eocarrej;ado
da de.fesa 'lo Virejao quando ja eslava na adnii-
ui-traclo da provincia, e que efectivamente foi
con-tiiuido advogado em 19 de abril.
A essa aecusaelo resuondi pelo Diario de 23,
mostrando ser culumniosa em face de documentos
o varas consderac.oes, fazendo tambera oi'mal
|iniv,.L-iico par* <|U0 fos3i.-iii cxplirudi:i algumu^
insinuacoc maliciosa*.
A red'acca do Liberal nao replicando,, parece
haver recoiihecido a procedencia da r> Sposta ;
mas o-Sr. Dr. Belfort a quem nlo me havia refe
rido, e que u ignorava, lizesse parle daquella
ledaccao, ahi aparece no Liberal de hoiiteui, da
formal porm, a mais triste que se podena es-
p-rar.
Confessando a autora do artigo a que respond,
o Sr. Dr. Belfort, longe de vir provar as assevera-
edes que mostrei serem calumniosas, e responder
as cousideracoes por mira apresentadas, alira-se
contra ini>n com expre soes que revelara a sna
fina educacao expndese em omsideracoes banaes
stibre a hypocrisia o oulras alusivas ao Cumio
Pernamhucuno.
Nao descerei a apreciar as amabilidades com
que honroume o Sr. Dr. Belfort: sena improprio
de mira retnbui-las; partmdo de S. S. repUo-at
como nlo escripias : E nem tambera me faQn
cargo de acompanha-lo era suas considrameles
sobre a hypocr'sia. Minlia missslo uutra c uiuilo
differente.
Ao Sr. Dr. Belfort, como autor do artigo corra
a obrigaelo de provar as assercoe. nelle comidas,
nao o fez; e na iinpossihilidade de faze-lo, declara
qoc fura elle escripto porinformnroes=e, que a
questao de pmcuracdo, mntente em materia cri-
minali secundaria!
Quera leu aquello artigo e vio que seu autor as-
sevenra que o Sr. Dr. Portella foi procurado para
a defeza do Varejao qnando cstava na presidencia
da provincia, lano que em procurar!) passada
em 19 de abril foi constituido advogado, nlo pode
deixar.de licar suxpreheudido, que o autor do
mesmo artigo, agora sob sua assignatura, diga
que foi levado por infonnacoes e que a questao de
prucuracao secundaria!
O publico que ajuise da facilidade com qne o
Sr. Dr. Beif it aeeeitou as informacOes que diz
recebera e aquilate o criterio, com que a qucMlo
de procuraclo elevada a tuda i altura, a ponto de
phnnttisiar-se urna data para tal procuraclo foi de
prompto rebafxada a questao secundaria I
O que porm nao menos sorprehende e cerla-
mente seria admiravel se nlo partisse do Sr. Dr.
Belfort, qie elle nao prctendendo mais que o
Sr. Dr. Portella fora procurado para a defesa de
Varejao, quando eslava na presidencia, e sim em
fevereiro, (dous mezes antes de assumi-la) ainda
queira insistir na aecusacao pirque: ja nesse
tempo havia sido o Sr. Dr. Portella nomeado vice-
presidente, j se sabia que o Sr. deserburgador
Astis era candidato pela Parahyba e ira pura a
cmara, e que portante por occa-ilo do julgamen-
to de Varejao (cousa principal) j estara o Sr. Dr.
Portella na adoiinistraclo!
Em verdade at onde pod chegar o espirito
eonjoctural de lio injusto aggressor 1
& podesse prevalecer to e-tranha argumenta-
cao, a conclusao seria que desde julho do anno
passado em que o Sr. Dr. Portella foi nomeado %'
vice-presidente nlo podia cncarregar se de qual-
quer causa e muto menos criminal porque dri-/o
prever que o presidente, o Sr. conde de Baepeody,
lomara assento na cmara ou mesmo no senado,
e que o Sr. desembargador Assis lomara assenlo
em qualquer urna das cmaras.
A eleico duquelles senhoros teve lugar em
marco : anda quando em fevereiro tivesse o Sr.
Dr. Portella certeza do que as candidatura de
ambos triumphariam, seria preciso que certeza ti-
vesse qne o governo imperial nlo nomearia prest
dente. E anda mesmo admtlindo que Je tudo
isto tivesse certeza, nlo sei porque motivo poderia
licar privado de acceitar o patrocinio d qualquer
causa antes de entrar para a administradlo.
A prevalecer lal argnmenlacio, sena conse-
3iieote que hoje, que sabido ser o actual presi-
ente membro do senado, e que o Sr. desembar-
gador nao apenas um candidato, mas deputado,
e qae ambos nestes poucos meaes naturalmente
seuirlu a tomar assenlo em suas respectivas
cmaras nao pode o Sr. Dr. Manoel Portella enear-
regar-so do qualquer causa, porque Ai possibili-
dada de ossumir a admimstrarao I _
Argumentacao de tal nalureza nlo corresponde
a eravidade da aecusaelo.
Nio monos especiosa a que o Sr. Dr. Belfort
doduz do fact< de estar comigo constituido na
me cuinstanca que se tem dado era quasi todas as
procuracoes ees que tenho sido constituido advo-
gado em iiff.-renies causa.-.
Mas craflin, outra cousa nlo poda fazer o Sr.
Dr. Belfort, desdo quo provada a calumnia da ac-
Protectora das familias
Os senhores contribuintes essa asscia-
Co, que prefer m mandar pagar suas an-
niiiilades m-sta provincia, puilero dirigir-
se a ra do Livramento n. 19, Io andar,
antes do da 10 do prximo mez de de-
zembro, aim de que os fuudos possam che-
gar na sede da associaco, no Rio de Jan- i-
ro, no seu vencimento de 20 a 31 de de-
zembro d.5 1809. Depnis de cuja data pa
aro a mais da annuidade o juro que mar-
ca o artigo 24 do rejiulamento.
Recife 17 denovembra d^ 1809.
Narciso de Vidal.
COMMERCOT
ECITAES.
Juizo de orphos.
Terca-feira, 7 do crrenle, ao roew dia, epoi-
da audiencia do juizo de orphlm, serlo arremata-
das por venda duas casas terreas ns. II e 13, de
pedia e cal, sitas na Baixa^verde da Capanga.
rrgoezia da Boa-vista, cora abate da quinta parte
do valor da avllelo, isto por 1:2005000 rada
urna ; e na mesma conformidade dora terrenos-
contiguos s mesmas casas, um por 9O40OOO eon-
tro por 4320000 ; bem como a quarja parle da
casa n. 6, de pedra e cal, sita na ra da Esperan
ca, freguezia da Boa-vista cuja avaiiafio ficen
reduzida a quaniia de 7000.
0 inspector interino da alfandega faz publi-
co que no dia 7 do correnle mez,_ depois do
meio dia e a pena da mesma reprtalo, serlo le
vadas a hasta publica, livre de direitosao arrema-
tante, quatro caixas com 46 garrafas de vinho es
pumoso medrado 32 litro no valor de 860400; as
quaes foram apprchendidas pelo guarda desta re
pariiclo Adolpho A. G. Alcuforado ao italiano An-
tonio Gauuolplio.
Alfandega dp Pernambuco 3 d i dezembro de
1669.
O inspeator interino
Luiz de Garvallto P. de Andraile.
PHACA DO Ei.ll-t 6 l)t DEZEMBRO
DE I8ti9.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE
Assucar mascavado purgado3400 por 15 kil.
Algoao de Pernambuco sem inspeceo923 rs.
por kil.
VlgoJao da Parahyba sorte1021 rs. por Kil.
posto a bordo, frete de 3|8 d. e 5 0|0
dem dem 2' rio-953 rs.for kil. po :rete de |8 d. e 8 0|0
Couros seceos salgados562 rs. por kil..
Frete do assucar par Marseille30( por tonelada
sem capa.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secrotano
Sociedade Taancaria em com
mandita
Theodoro Simn $ C,
Comprara e venden) por conta pro
Oria metaes, moedas nacionaes, e estran-
verno e do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e outros ti
mos comme.rciaes.
En'-arregam-se por conta alheia das mes-
nas Iransacc5es, da cohranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Receb m quaerquer quandas em depo-
sito, em conta corrente. e a prazo fixo.
Largo do Pelourinho n. 7
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Deseo ita lettras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dineiro em conta corrente e a
praso tixo.
Saca vista ou a praso sobre as drades
prlncipaesda Europa, tem correspondentes
na Bahia, Buenos-Ayres, Montevideo. New-
e New-Orleans, e emitte cartas de crdito,
para os mesmos lugares.
RA DO GOMMERCIO N. 36-
ALFANDBliA.
tendiraento do dia 1 a 4 .
dem do dia 0
'
211:5291179
47 47308*3
239:0050004
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
684
783
-----1467
205
871
7ol umes entrados com fazendas
(dem dem com gneros
Voluntes sabidos cora fazendas
fdera dem cora gneros
----- 1076
escarregam hoje 7 de dezembro
Patacho dinamarqusMargarrtA mercadoriss.
Brigue dinamarquezChristianmercadorias.
Brigue norte allemlo- Herthafarinha de trigo
Barca ingleza/mp Patacho americanoisadiversos gneros.
Brigue inglezItayMdmercadorias.
Hiate americano R W Bronemercadorias.
Vapor inglezS Barca ingleza Maritnhaoidem.
Barca inglezaRio Grandeidem.
Patacho inglezlicry Aunaidem.
Barca francezaSplteredem.
Barca inglezaRostmonddem.
Inportacio
Pataclio americano Iza, vindo de New- torfy
consignado a H. Forstcr t C- manifestou :
40 taixas machinas para desoaxocaralgodao ; a
Sbaw, Ilawkes A C,
2 machinas para padaria ; a Joaquim Lopes Ma-
chado A C.
800 barricas farit.ha de trigo; a Jlo Quirino de
Aguilar A C.
23 rolos esleirs. 36 peca* de cabo, 400 volumes
arcos, 5,500 barricas abatidas, 46 volumes madei
ras para caixa, 1 par de rodas para carro, 1 cai-
xa botdes, 1 da sanenles, 35 ditas machinas para
descaroear algodlo, 10 ditas drogas, 10 ditas ca-
nclla, 2.500 ditas kerosene, 20 barris pregos, 2
ditos presuntas, 250dMos banha, 100 barriquinhas
bolachinhas; aos couignatarios.
RECEBEDOH1A DE HENDAS INTERNAS GB-
RAES >E PERNAMBUCO.
aendimento do dia i a 4 4:9830176
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da im-
pe|ierial ordem da Rosa e juiz de direito espe-
cial do eommercio, nesta eidade do Recife de
Pernambuco, por S. M. imperial e constitucio-
nal o Sr. D. Pedro II, a quem Deus guarde etc.
Faco saber pelo piesente que Jlo Evangelista
do Espirito Santo, por seu advogado nos derigio
a peican seguinte : Jllm. Sr. Dr. juiz do eom-
mercio, Joao Evangelista do Espirito Santo, send
credor de Jlo Daulas de Oliveira, e do Dr. Lmzl
Jo- Correia de S. da quantia de quiuhentos
mil res e seus juros, importancia de uoia not*
promissoria mecada em 24 de agosto de 1864, a
vencer-se em oulubro de 1866, acontece que os
supplicados devedores nio tenham at o presente
pago dila ola promissoria ; porque_ esteja pro
ximo a espirar o termo da prescripclo, quer o
supplicante para reservar os seus direitos futii-
nw, iiii.o-(j..r o competente prulPto, uliin do qu
fi pie interrompi la a dila prescripclo, e requer a
V. S. que se digne mandar lavrar n competente
protesto, e sejam intimados os suppl^alos que
por se acharem auzenles em lugar incerlo e nao
sabido, requer o supplicante que sejam intimados
por carta de editos com 0 praso legal, precedida
a jusiillcaclo que o s pplicante : cquer designan
do V. S. dia e hora para as testemunhas seren
inquiridas. Pede V. S. defferimootoE R. M.
O procurador Bnd dpho Jlo Barata d'Almeida.
Seilo, N. 85.Duzeiilos, pagou 200 reis.Rece-
liedoria de Pernambuco, 16 de agosto de 1869.
Alcntara.Franca.
E ne-ia peticao dei o despacho seguinte : Sm,
licaudo designado o dia d'aniauhla para a inqui
rielo, pelas H horas.
Cidade d> Recife, 16 de agosto de 1869.Alen-
car Araripe.
E sendo felta a de.strihuican do escrivlo Paes
dWndrade. o escrivao interino fez lavrar o com-
lieteote termo de protesto o qual do theor se-
guinte:Protesto.Aos 16 do novembro de 1869,
nesia cidade do Recife em meu Cdrioro perante
miiii e as testemunhas infra assignadas compare-
cen o supplicante por seu procurador o solicita-
dor Rodolpho Jlo Barata d'Almeida, e por elle
loi dito quo reduzia a termo o conteudo de sua
peticao que offerecia como parte do presente e no
qual depoi de Ihe ser lido se.assignou com as
indicadas teslemunhas. Eu Manoel Sil vino de
Barros Fal-ao escrivlo interino o escrevi.Ro-
dolpho Julo Barata de Almeida, Luiz Francisco
de Mello Tasares, Affonso Ferreira Marlins Ribei-
ro. Era segu 'a do que produzo o supplicante
as suas testemunhas, as quaes sob juramento dos
Santos Evangelhos, que Ihe deferio o juiz. jura-
ran) convenientemente acerca da ausencia dos
supplicados, feito o que o referido escrivao fa-
zendo tudo autoar, sellar e preprarar me fez os
autos conclusos, e nos quaes dei a sentenca se-
guinte : Ilei por ju-tillcada a auz-mcia dos sup-
plicados os quaes serlo citados por editos de 30
dias para o Um requerido a folhas duas, pagas as
custas ex causa.
Recife, 27. de novembro de 1869.Trstlo de
Alencar Araripe.E por lonja desta sentenca o
respectivo escivlo fez passar o presente edital,
pelo theor do qual chamo cito c liei por citados
aos referidos supplicados auzenles para que den-
tro de 30 lias comparecam ante este juizo por si
u por seu procurador alegando o provando o
que for a bem de seu direito e justica sob pena
de revelia.
E para que os supplicados nlo fiquem indefe-
zos toda e qualquer pessoa, prente, amigo ou
conhecido poder-lhe-ha fazer sciente de todo o ox-
pedido.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente, qne ser afflxado
nos lagares do costume e publicdmela im-
prensa.
Dado e passado nesta cidade do Recifo de Per-
nambuco, aos 3 de dezembro de 1869.
Eu Manoel Silvino de Barros Falcio, escrivlo
interino o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
JUIZO DE ORPHAOS.
Vio prac^i amanhaa, 7 do corrente. rom o
abatimento da quinta parte sobre 2:5OO0"OO, os
dous caixoes de casas ns. 30 c 321 ra dos Os-
divididos em seis mei agoas. com quintal morado
e cacimba, que rendem 37000 mensaes; enja
arrematacao se faz com autorisaclo do respectivo
juizo, para occorrer despezas do inventario d fi-
uado Sebaslilo Jos Gomes Penna, e oulras de na-
turoza preveligiadas.
Tribunal do commrreio
Pnr esta secretaria se faz publico que
nesta-data fui ryeistradu o rontractn de so-
ciedade de J<>ii Paulo dos Santos Jnior o
Jernnymo Das Alves Pimenta, estabele- idos
nes'a cidade cm Inja de fazendas, sob a
lirma de Alves Pimenta & C, e o capital
re 19:313i536.'. foim-cido peio snci" San-
tos Jnior fin fazendas, dinheiro, amavao
e lvidas activas.
| Secretaria do tribunal do eommercio Pernambuco, 3o de novembro d 1869.
Servindo tego Ranget.
Santa Cas i dn Jisericurdi
do Rfcife.
A lilm. junta aiiininistrava da Sania
Casn de Miseiicnrdia di Recife, na sala do
suas seseos pelas 3 horas da tarde do dia
9 do eom-nte recebe prapMtas para o for-
necimHnto re po h bolacha, que houverwn
de consumir os estahelecimenlns pi s sen
arf{0 tanio dest- cidade como da de Olin-
da, nos mezes de Janeiro ,i marco rio 1870.
Sania Casa d Misericordia do Recife, 15
de dezembro de I8i>9.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues do Souza.
DECLARACOES.
Santa Casa de Misericordia do
Recife.
A IUma. jimia administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recite, na sala de suas sessoes,
pelas 3 horas da tarde do dia 9 do corrente, rece-
be propostas para o fornecimento dos gneros que
houvereni de ser consumidos em todos os csiabe-
leciraentos pios seu cargo, tanto d'esia cidade
como da de Olinda, nos mezes de Janeiro a marco
de 1870, a saber
Assucar refinado, kilogramma.
Dito de i' sorte, idem.
Dito de torrlo, idem.
Ah'lria, idem.
Arroz do Maranhlo, idem.
Azeite doce, litro.
Agurdente, dora.
Azeite de carrapato, dem.
. Bacalho, kilogramma.
Batatas, idem.
Caf em grao. idem.
Cha preio, Idem.
Cha nysson, idem.
Ceblas, cecto.
SO^IDAE ESP2RANgA PERNAMBCAIA.
ESPECTCULO EXTRAORDINARIO EM FATOR
DA D MA DESTA SOO^DADE
TERCA-FEIRA 7 DO CORRENTE.
Subir a scena pela segunda vez nestr
iboatro o mimoso drama era 3 ctos
IIIK
Finaliza o espectculo com a espirituosa
comedia em 1 acto
IIICHWEW DE CHA
0 Io secretario.
Jos Ricardo Coelho Jnnior,
AVISOS MARTIMOS.
tu.
\avegaciio coseira por rapr.
Macei em direitura o Penedo.
O vapor Giovt, .'>r:mandante Aze-
vedo, seguir para os portos acuna o<<
dia7 do corrente as i horas da tar-
de. Recebe carg^a at o dia 6, cncommendas,
passagens e dinheiro a frete al4 s 2 horas da
larde do da da sabida ; no escrifrtoria do Forte
do Mattos n. 13.________________________
CMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
\avegaco costera por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, !ossor6, Ara-
caty, Ccar, Mandah, Acarac e
Granja.
O vapor Pirapam.;, commsndatte
Torres, seguir para os porto
cima no dia 15 do corrente as 5 hora.-
Recebe carga UA o dia fi eneom
passageiros e dlimelro a frete al *
! horas da tarde do dia da sabida no eseripte-
rio no Forte do Mattes n. 12.
Ma
la tarde.
nendas, e
CMPANHIA
DAS
lessageres imperiales.
At o dia 13 do corrente mez espera-se da Eu-
ropa o vapor francs EstratMuiwrs, o qol depois
da demora do costme seguir para men->R-Ay-
res tocando na Bhia, Rio de Janeiro e Monte-
video.
Para condicoos, frotes c payaseas irala-se na
agencia ra do Commorco u. 9.
-------
A. t o da 14 do corrento mez espera-se dos por-
tos do sal o vapor franeez Girtnde. eapitio H. d(<
Somer, o qnal depois da demora *. eos turne te-
guiri para Brdeos tocando em Dakar (Gort) c
Liboa.
Para condicCes, fretes e pnssageas trata-se na
agencia rna doCommerclo n. 9.
\l
Porto.
Vai aahir breve a barca Tsiu'r*; par carga
passageiros, trafa-se com os oneijoaurios Garra.
Iho 4 pognefra, na ra i? 20.



Diario d Pemambuco Tercia feira 7 de Dezembro de 1869.
______.-----~-^T=T----------
j----------;------------- ..ni :



mmm\ nmm
Paquetes a vapor.
* tonos do ui,
perado
at o ka 11 do crreme o vapor
Tocantins, eommandante J. M. F.
Franco, o qual depois da demo-
ra do costumo seguir para os
j rccebem-se passageiros c cngaja-se a
carga ano o vapor poder condazir, a qual devera
ser emnarradano diado suachegada. Lncommen
daseJaneiro a frote al odia da sua sabida as !
horas.
Nio se recibum cerno enenmmendas senao ob
/eetoa de pequeo valor e quo nao exeedam a dua.'
arrofcasde peso on 8 palmus cbicos de medicad.
Todo quopassar destes limites dever ser embr-
calo orno carga.
Preae-fe ai Srs. paftsageiros, qno suas pas-
satina so pe receben! na agencia a ra da Cru
n.57
do Ofiweira Aievndn A O.
Da loja de sap.itos a;\ rn.i Dlrei*
tu o. 45.
0agente Martin levar novamente a leilao por
despacho do lllin. Sr. Dr. juiz de dtreito da pri-
meira vara crime e substituto da do commercio
loja de sapatos cima pujencente a massa fal-
lida de Antonio MarasfftHpell Jersey.
As H horas do da na me-ma loja.__________
receben na a.
primeiro andar, escriplorio de Antonio Luiz
Rio de Janeiro
Segu com brcvidadc para o poi to acuna o bri-
gue naemM Isabel, tem a bordo a maior parte de
- U-so com os consignatarios Antonio Luir. deOlivi-i-
ra Aicvcdo & C. ra da Cruz n. 57. i" andar.
I
nii
LEILAO
LEIL40
De 140 tuzla* de luvas.
As 11 toras do dia 7 de dezeinbro.
0 agente Pinto levar a I ilao per autorisacao
do cnsul de Franca, a rqnerimonto de Montei-
ro & Irmao c por cnta e risco de quem penon-
eer de urna caixa marca SAI n. 1005, com tiOj
dalias de luvas rio de Eseossia, avariada a "Dordo
do navio francez Solide, as it hftr** do dia cima
dito em seu escriplorio, ra da Cruz n. 38.
Km coat ii aaeao
vender-se-ha
1 caixa com meias avahadas, 1 dita com 50
chapos do Chyle, 30 pecas de franjas, 60 ditas de
Ota*, 12 duzias de lencos, 12 pare de sapato?, 30
caetas e 87 cachimbos o ontros^bjecto?.______
Perigueiro
__ aado,
ser bem
Prrden-se um cachorro
feira para sabb
:, eom pratid '8 o
abre as costas : a pe
pode leva-lo ra Novjjpfa n. 11, qoe sel
recompensado.____________ _______
Aviso ao commercio.
Antonio Agostinhp Seixas dabnsoca, lendono
Diario do hoje um annuncio de Porfirio Antonio
Pereira, participando ao coinlmrtio desta cidade
quo ninguem Uzease negocio com o estnbelecimen-
to do annunciante, em se entender primeramente
com elle Porllrio, obriga o annunciante a declarar
quedeve ; isto foi condemnado pelo merellssi
mo Dr. jniz do commercio a pagar IjOOOO ao
dito Porllrio, e que nao pagou aquella qnanlia
porque ainda tinha o que oppr na execurao. O
supplicante tem de fundos no seu cstabelecimcnto
cerca de 6:00031)00, o assim o annuncio fallado
tem por fim injuria/ o annunciante, e boje pro-
ceden criminalmente contra o rosponsave de tal
annuncio. ^^______
Pretendo sabir em poneos aias a barca porto-
jruezi Social por ler a maior paite do carregamen-
to prnmnto; para o resto qot llio hita a passagei-
ros, para os com o consigna! irto J laqoim Jos Goncalves Bel-
trio, ra do TrapWie n. 17. _____'
Pirii Lisboa
A barca portucm za Prntra Bonjs dever se-
guir brevemente para Lisboa, j tem a tonto par-
ta da carga, e para o resto tratase com OUvaira,
Pilaos &. ao largo d > Corno Sanio n. 19, !
.oudar, ou com o capitito na praca.___________
Rio Grande do Sul
Segu com bnvidade para o porto cima o bri-
rue nacional Am'lia ; para o resto da carga que
Ihe falta trata-aa com os consignatarios Antonio
lata defXiveira Azovedo A C, ra da Cruz n. 57,
l* andar.__________________
lMMIA IMIII!
OB
Paquetes a vapor.
Dos Mitos do aol esperado
at o dia 8 do correte o vapor
Paran, eommandante i. S. Mo-
raes, o pial denota da demora
' docostume seguir para os por-
tijs do snl.
Desde j recebem-sc passapeiros e engaja-se a
carga que o vapor poder eonduzir, a qual dever
aeroabartada no dia de snachega-la. Encommen-
das e dinheiro a frote at as duas horas do dia da
sua sabida.
Nao se recebem como encommendus senao ob-
(octos de pequeo valor o que nao excedam a i
arrobas de
.;ao.
Tudo qno passar desle limites devora ser
vinbarcado como car;-' i.
Previne-se ios Srs. passageiros que suas passa-
ncns s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57.
i* andar, escriplorio de Antouio Cuiz de Oliveira
Axevedo LEILAO
Do casco do brigue francez ROSSINI, mas-
Iros reacs, i correnle do 80 bracas. 43
kilogrammas latas com conservas, 500
ditas Glen novo, algnns mastros e ver-
gas de rezerva, ludo em um s lote c
tal qual se acha encalliado nos arrecife?,
onde naufragou no dia 3 do corrente.
HOJE.
i hora da larde porla da Associagao
Commcrcial.
O agente Pinto levar a leilao por autorisacao
em presenca do Sr. cnsul de Franca o por eonta
e risco de quem pertencer, em um s lote, o cas-
co, mastros reaes o mata objectos acima_ mencio-
nados do navio francez foxsini, capitao Holley
Williams e existeute no mesmo brigue, tal qual
>e acha encalhado nos arrecifes, onde naufragou
no da 3 do corrente inez, o leilao ser effectuado
a 1 hora do dia cima dito em frente a Associa-
cao Commcrcial.
casa da roimi*
Aos 4-.000
Bhetes garantidos.
A. roa do Crespo n!23 e casas do costme.
O abaixo assignadn, tendo vendido alm de ou-
iras sones, um mel n. 3532 com 4:0603 da lo
teria quo se acabon de exirahir a benelicio do
patrimonio dos orphaos (128'), convida nos pos-
suidores virein receber na con formiJado do
costume sem descont algum
Acham-se a venda os felizes bilhetes da 1"
parte da lotera beneficio da imtriade Nossa
Senhora do O' de Goianna (li9,)> que se extrahir
terca-feira 7 do mea vindouro.
Proco.
Os do coatiime.
U^noel Marlins Fiuza.
Precisa-se alugar urna escrava que
saiba cosinhar para familia, a tratar na the-
souraria das loteras, ra do Crespo o l.'i.
Irraandtide do 8enliorBom
Jezus das Portas.
Em virtude do convite que a esta irmandade
dirigi a sociedade Liberal Unio Beneficenle, con-
vido a nossos irmos para, encorporados, as?bar-
moa a missa do anniversario, que aquolla socieda-
de manda celebrar em nossa_ igreja no da 8 do
corrento, as 9 horas da manhfia.
Kecife 3 de dezeinbro de 1869.
O secretario,
Manoel Moreira Campos.
J. Ferreiira Villela.
photoii tPiniA inps:ni \I
18A RA TM) CABUG18
A entrada pelo pateo da matriz.
Esperamos que os trabalh >s de reediflcacao desta
photographia que j dnrnm cerca de diz mezes,
cstejam acabados at a primeira quinzena do mez
de dezembni prximo fuiuro.
O predio em que est colloeada essa photogra-
phia acba-so mui augmentado, e s a parte desti-
nada ao.estabelcclmentn ,-onta cinco >alas, inclusive
as do laboratorio. Todos o* concerlos e augmen-
tes leudo sido feilo expresamente para so montar
convenientemente a pho ographia, o nao se poden-
do mellmr modelo escolber do que a l'hotnnraphia
Imperial do Sr. Insley Pacheco do Rio de Janeiro,
0 primeiro [ihotographo do Brasil, e um Jos pri-
meiros do mundo, segundo a opiniao dos mais
'balisades inesins, a nowa photographia acha-se
disposta o reedilicada pe o mesmo plano da do Sr.
1. Pacheco, a qual foi mentada sob todas as regras
reeommendadas pelos mais distincin professores
de acord com as modilicacoes necesarias ao clima
do Brasil, reconhecldaa a estudadas pelo habilsi-
mo e pralico Sr. i. Paclwco.
Todo o interior do predio em que est a nossa
photographia foi mudado dede a soleira da porla
da ra at a coberta tendo-so demolido todas as
paredes interiores paia se fnzorem arnovas salas,
cdifi'ando-so um novo terraco envidragado mui
esjiacoso e elegante.
Como sabido llzemcs urna vlagem expressa-
mente a corle para examinarmos as melhores
phntographias d'ali, o foi a do Sr. I. Pacheco, a
que inelhor correspnnlu aos nossos desejos e
aspiracoes, e da qual Iriuxemos os planos depois
de ali esiarmos todo um inez estudando e apro-
veitondo as bcoes de t.io dislincto meslre. Pen-
Mhh que juntando o nossos estudos c longa
(imiten do l*i anuos de photographia as ulilissimas
licocs uliimainenie rec cuidas do Sr. I. Pacheco,
tendo montado a nossa photographia como se
acha, poderemos, apenas encelar os nossos novos
trabalbos offerecer ao Ilustrado publico desta
cidade, c aos nossos numerosos freguezes traba-
Ihos do photographia lao perfeitos como se peder
desejar, e disto convencidos esperamos que conti-
nen! a dispensar-nos a mema proteccSo com
i|ue a !' anuos nos tem honrado e ajudado.
.
K^
O
- Auaa-se
urna casa em Bcberibe a tratar com J. I. de M.
Reg, ra do Commercio n. 3i.
cobertores
i peso ou 8 palmos cbicos do medi-
DE
uuia caixa com
(com a aria.)
HOJE
O agente Pinto tara leilao. a roquenmento de
Linden Wevdmann & C, por autorisacao e em
presenca do Sr. cnsul da Blgica, por conta e
risco d quem pertencer. de urna caixa marca L.
W. & C. n, 36 com 107 cobertores de algodao a va-
riados, bordo do navio fraucez Solide : o leilao
ser effectuado s 10 h iras do dia cima, no es-
criplorio do referido agente, ruada Cruz n. 38.
Porto.
SegM com brevada a veleira e nova barca
vjrtn'gncza solina, para carga e passageiros,
para os maos tom exccllentes commodos, trata se
(i os euncignatatOM Antonio Luiz de OUveira
Azeredo & C.; ra da Cruz u. 37 andar.*
Segu para a Babia impreterivelmente nestes
seis dias a polaca italiana Sara : quem quizer
.arregar para aproveilar a brevidade. pode diri-
girse ao consignatirio Joaquim Jo Goncalves
iteltrao, ra do Commercio n. 17.
~ C0MPANH1A PEHNAMBUGANA
DE
'Navegaco costara por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formse e Taman-
dar.
O vapor Parahijba, eommandante Mello, seguir
para os porto cima no dia 10 do corrente,
meia imite. Recebe carga, encommendas, passagei-
ros, e dinheiro a freto no escriptorio do Forte do
Matt s n. 12.
Da ariiiiivo. balco, egistro de
gaz e fazeudas da loja da ra
I Ioiperatriz n SO.
Quinta -feira 9 de duzembro as 11 horas
O agente Pinto levar a leilao precedida a com-
petente autorisacao. a armacao e fazendas da loja
da ra da Imperatriz n. 20 de Marques & Filho,
em um s lote conslando de um grande sorti-
mento de fazendas de lei e de conformidado com
o inventario existente em poder do mesmo agen-
te, onda qoe o leilao ser effectuado as ti ho-
ras do dia cima dito na referida loja.
Sociedade Liberal Unifto Bd-
neficente.
Esta sociedade tendo de solemnlsar o 2o anni-
versario do sua nstituico, no dia 8 de dezembro
prximo, com urna missa solemne sua excelsa
padroeira a inmaculada Conceieo, celebrada na
igreja da Madre de Dos, as 9 horas do da, lindo
este santo sacrilicio, segoirse-ba na sala de suas
funecoes, ra do Vigario n. 18, a sessao magna :
tem a honra de convidar as pessoas que decente-
mente a ellfs queiram dignarse comparecer, ja
com sua presenca, como com a aulorisada pala-
vra ; assim como activa a circulares j distribui-
das s distinclas corporacoes e socios, da qual
tambera pedo suas desculpas, se por acaso deixou
do chegar sedes sociaes o seu convite. Iicaudo
desde j pela publicaran deste convidadas. A noi-
le a casa estar exposicao publica, havendo al-
guinas pecas de msica. _
" Secretaria da Sociedade Liberal Unan Bcneli-
cente 3 de dezembro de 1869.
1. Secretario,
Tlieophilo Pedro do Rosario.
Livro perdido.
lima pessoa que foi ouvir missa na capclla do
cemile^i deixou ficar no cario que a conduzo,
um livro de orajes ; se der os signaes do hvro
na cocheira da ra do Sol n. 2o ser-lhe-ha resti-
tuido__________________________________
Na ra da Moeda n. 5, 2 andar, escriptorio
de Manoel Alves Ferreira & C, vende-se vinho
verde superior em barris, ancoretas com vinho d(>
Porto superior e malvazia branco.
Eugommadeira.
Prccsa-sc de una erada para engommar :
a do Imperador n. 73, 2" andar.______^^
n
na
l!l\
Precisa-so de urna ama que engomme bem pa-
ra casa de pouca familia : na ra da Unio
n. 2.1
/
AMA
Prccisa-sc de urna ama para casa de pouca fa-
mili : na ra das Cruzes n. 2o._____________
Precisase de um caixeiro que tenha pritica
de nadara ou mesmo do taberna : a tratar no
pateo do Tere n. 63.
Precisase de umi ama para casa de pouca
familia para cozinhar e engommar : a Iratar na
ra do Cabug n. I, loja de jotas.___________
- Precisa-se alugar urna preta escrava que
saiba angommar na ra da Santa Cruz n. 18.
Aosscnlwres n/Justaen de sapateiro
Cheguu a antiga Iota de calcado d ra da Cruz
n. 31 (sobrado amarelh) um sorlimento de ferra-
menla para sapateiro, a qual so vende por menos
preco &i quo em nutra qualqner parto._________
COMPANIII.V PEUNAMBUCANA
DF.
^avega^So cnstelra por vapor.
Mamamgnape
O vapor Mandah, eommandante Julio, seguir
para o porto cima no dia II do corrente as 6
horas da tarde. Recebe carga, eu.-ommeudas,
iasageiros c dinheiro a frote at as 3 horas da
tarde do dia da saluda escriptorio no Forte do
Mailos n. 12.
C \* \ I % PE.
OOOOOO.
Bilhetes do Bio venda : ra do Cabug n. 2,
vende Vieira 4 Rodrigues.__________________
"* Precis; -se de urna ama para casa de pouca
familia : a tratar na Iravessa de S. Pedro n. 10,
4" andar, entrada pela ra do Fogo.
EMPRESTIMO SOBRE'
LEILOES.
LEILAO
l>e urna caixa de papel pautado
HOJE.
Tdrca-feua 7,de dezembro as 11 horas.
O agenU' Pinto far leilao a requerimento de
Jos A. Moreira Dias, por autorisacao do cnsul
de Fran.;a c [wr conta e risco de quem pertencer
de urna caixa marca Dias n. 18, com papel para
oserever, a variado a bordo do navio francez S.
A'div, as 11 horas do dia cima dito em seu os-
-.riptono ra da Lruz n. 38.
De movis e objectos dc^escrip-
torio.
A saber:
Um piano, 1 mobilia de Jacaranda, 2 solas de
amarello, 4 consolos. 2 bancas, differentes mesi-
nhas, cadeiras de balanco, ditas de mogno, diffe-
rentes bracos com globos ;dn caz, jarros e vasos
para flores, 1 machina de costura, 1 relogio de
mesa, 3 transparentes, 2 espclhos, 1 mesa clsti-
ca, i apparadsr, 1 guarda louna c 1 apparelho
de longa branca para iantar. 1 estante para li-
vros, 1 arteira, 1 mesa de advogado e ouiros ac-
cessorios.
Sexta-feira 10 de dezembro
no primeiro andar do sobrado da ra do
Imperador n. 57. por cima do antigo arma-
lem Progresso, enlrada pelo caes.
O agente Pinto autorisado por una pessoa que
mudou de residencia far leilao dos movis e
mais objectos cima mencionados as 10 horas do
dia cima dito no primeiro andar do sobrado la
ra do Imperador n. 57. entrada pelo caes.
AVISOS DIVERSOS.
De 30 saceos com rolhas.
HOJR.
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de quem perteacer de 30 saecos com rolhas, as
uaes ser) vendidas em um ou mais lotes a
vonlade, terca feira 7 do correte pelas 11 horas
da manaa no armazn do Annes defronte da al-
fandega.
INSTITUTO ARCHEOLOGICO E GEOGRrVPUlCO
PERNAMBLCANO.
Haver sessSo ordinaria quinta-feira 9
do correnle dezembro, pelas 11 horas da
manhaa.
ORDEN DO DIA
Pareceres c mais trabalhos de commis-
ses.
Secretaria do Instituto, 6 de dezembro
de 1869.
Josi Soares de Azeved,
Secret rio perpetuo.
(SEM LIMITE.)
Na Iravessa da ra
das Cruzes n, 2, pri-
meiro andar, da-sc qual-
qner quanlia sobre ouro,
prata e pedras preciosas.
O dono deste estabelectmento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condifSes de ga-
rantir a transacco que se fizer em
sua casa, promettendo todo e zelo
e consideragao s pessoas que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
Da-se 50^000 de gratifica-
do
Fugio no da 29 do prximo passado mez a es-
crava de norne Bertoltza, idade 23 annos, pouco
mais ou menos, cor parda, cabellos carapinhos,
pernas grojas, ps seceos, dedos dos ps e das
mos compridos, se o pequeo, beicos grosso?,
bocea regular, anda ninitn ligeiro, 6 bem rallante,
levou ve tido cabeco de lahyrintho e saiatambem,
ambos braneos, tem um signal de um antraz na
nuca, do lado direito ou esquerdo : roga-se, por-
lanto. as autoridades pnliciaes e capuaes de cam-
po a apprehenso da mesma, e leva-la ao Reme-
dio, casa do abaixo assiynado.
Antonio Menelles Girdciro de Gusmao.
Precisa-se alugar nm moleque, agradando
paga-se bem : na na do Commercio n. 3, pn-
meiro andar.____________________________
Aluga-sc a casa n. 5 sita ra do Socego :
a tratar na ra dos Prazeres n. 50.
COMPANHIA
? DOS
TRILHOS URBANOS
DO
REC1FE A9 OMAHA.
Compra-se travs com o comprmento de
10, 20 e 30 palmos, e 7 1/2. 8, 8 1/2, 9
pollegadas de grossura e quina viva, das
seguintes madeiras: amarello, oiticca, Si-
cupira, e outras madeiras do reconhecida
duraco para o chao ; a tratar no escripto-
rio da superintendencia da companhia
ra d'Aurora, das 6 horas da manhaa as
4 da tarde todos os dias uteis.
Escriptorio da companhia, (i de dezem-
bro de 18G9,
Superintendente.
Andr de Abren Porto.
Botica
Precisa-se de um ofllcial de pharmaciacom bas-
tante habilitacao : na ra da Imperatriz n. 77.
Precisa-sede urna ama de leite
ra de Apollo n. 55.
a tratar na
Precisa-se alugar urna ama para o servico
de-uma osa : na ra da Imperatriz n 9. loja.
Precisa-se de um pequeo boleeiro : na ra
Nova n. 46.
Irmandade do Seiihor Bom
Jezus das Portas.
Pelo presente sao convidados os irmos da ir-
mandade do Senhor Bom Jess das Portas a com-
parecerem no dia 8 do corrente, as 10 horas da
manhaa. no consistorid da igreja da Madre de
Dos, aflm de se eleger a nova mesa que tem do
dirigir a irmandade no futuro anno de 1870 a 1871
Recife 3 de dezembro de 1869.
O secretarlo.
Manoel Moreira Campos.
Ama de leite
Precisa-se de una ama que tenha bom e abun-
dante lei le : a iratar na ra do Hospicio n. 47.
Precisa-se de um moco para caixeiro de ta-
berna, coinpratica oa sem ella : a tratar na ra
do Hospicio n. 26.___________________
ATTENfjM
Widow Ravmund 4 C pede a alguns dos seus
devedores, que tem Mil renitentes em pagamen-
tos de suas contas, o favor de o fazer amigavel-
mente at o fim di dezembro do corrente anno, do
contrario so verao obrigados a entrega-las a seu
procurador, para serem recebidas amigavel ou
judicialmente.
LIGA.
AMA
Precisa-se de urna ama para casa de pouca fa
milia : na ra das Cruzes n. 25.
Fettor.
Na ra do Mondego n. 61 precisa-se do um fci-
,or pira tratar de um qninial.____________
Vismia anti-esorophulo o.
Vende-se estre prodigioso remedio para grandu
las e tumores escrophulosos, seja qual for o seu
estado ae augmento ; as*im como pilulas e xarope
de veame, pelo formulario do fallecido Paranhos :
na botica da ra Direita n. 88._________
A pessoa que levou por engao, sabbado 27
do passado, de um dos wagoes da machambomb
urna caixinha de ppela > com um vestidnho do
chit, 5 varas de bico de crox e 7 varas de ga-
lao branco, querendo restituir, pode entregar na
ra da Cruz n. 5o, 3o andar.
Aluga-seo 3o andar do sobrado sito rua
estreita do Rosario n. 31, com bastantes commo-
dos : a tratar no armatem do mesm.
Irmandade da Senhora San-
t'Anna da igreja da Madre
de Dos.
De ordem do Illm. Sr. provedor sao convidados
todos os irmos comparecerem em nossa igreja
amanhaa 8 encorporados, assistirem a festividadelque a socie-
dade Liberal Uniao Beneleente manda celabrar.
Consistorio 7 de dezembro de 1869.
O escrivao,
____________________J. X. V. Ligo.
Precisa-se de urna ama para servteo de casa:
na ra de Hortas n. 63.
inda est para alugar
irazem, a rna Nova n. 00.
este grande ar-
Precisa-^e
De urna ama para cosinhar e engommar, para
casa de urna familia pequea : a iratar na ra da
Cruz n. 19, Io andar.
Companhia de seguros utilula-
cle publica.
A direccao paga o 15 dividendo do 285000 por
accao ou 28 0|0 do capital realisado, da meio da
s 3 horas da tarde, em seu escriptorio a ra da
Cadeia do Recife n. 42, 1 andar.
Recife 4 de dezeinbro de 1869.
Os directores,
Feliciano Jos Gomes.
Thomaz Fernandes da Cimba
Precisase de ura menino de 12 a 14 annos
de idade para caixuiro : na ra das Cinco Ponas
n. 86.
Precisa-se fallar eom o Illm. Sr. Dr. Fran-
cisco Luiz Correia de Andrade; na ra da Gloria
n. 49, ou declare sua morada para ser procurado.
Ama
Precisa-se de urna ama para comprar e cozi-
nhar : na ra Direita n. 88.
Aluga-se, vende-se ou troca-se por outra
propriedade na cidade, um sobrado na Oapunga,
ra da Ventura, a beira do rio ; assim como se
aluga na mesma ra urna casa terrea grande, toda
pintada de novo n. 28, na esquina : qpem as pre-
tender dirija-se mesma ra na mei-agoa n. z,
que dir onde deve tratar.__________________
Aluga-se urna casa na ra do Colovello n.
I : trau-se no 2 andar do mesmo sobrado.
ASSA e XAROPE
OE CODEINA DE BERTHI
Prwonfcados por lodos os medico contra osl
DEKLUXOS, CATHABHOS, E TODAS
IRRITAQOESDOPEITO.
!. B. O Xarope de Codetna que mereci a l
konra, alia bem rara entre ot Medcame>itoi\
novoi, di ur registrado como um do$ medica-1
menwi offieiaes do Imperio Francet dltpental
qualqner elogio. I
AVISO. Por eau da reprehensiscl falsi-j
Bracio que tem uettdo o felii rwuludo doc
Xarope e massa de Berlli somos Toreado a
Icn.brar queesicsmcdicameiilos lajusiaim-nlej
conce.loados t le ^^<-
Ti'udc-ro em caizin- ^^^ A
faa i'frascos levando ~_J^^L^T!,* ,
a assignatura em C-~~^J~~~~
ftvnlc.
6 Hm dts tolcs, t na Ph.nrmacia Central
de Kranva, 1, Jl- "" i'"' '" e em\
todas as l'hannarias prnci|.es do nr7i!.
RA
CABUG
esquina
da ra larga do
Rosario.
AO L DEOfJRO wm
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre nm sortimento sem igmal, esqmna
e vende Dor oreos que nenhuma ontra casa pode vender. da rna largado
Tvtate da qnadade e do preeo dasjoiaseada um poder-se-ha convencer daverdade.1
a ? A ... c^pra.ge ouro, prata e pedras finas por precos mmto ele
t
Garante-se ser tudo de lei.
vados.
Rosario.
A loja est aherta at-tte 9 horas da nout^.
i:



I
Diario d* P3>aafcbuco Tensa feira 7 de Doswabro de 1869
'

Primeiro introductor dos popo tubulares
instantneos da Abyssinea.
Estes pocos foram espalbados na Euro-
pa, tanto que, qualquer duvMa do seu
grande valor pratico deve desvanecer S vis-
ta das grandes vantagens.
Milhares de exemplos mostraram que
elles sao de grande utilidade aos industriaos,
agricultores e particulares; at era todas
as expeditfjes militares dos ltimos terapos
foram usados para procurar sem demora
agua fresca e pura, e tanta quanta se pre-
cisava.
Em todos os.lngires, onde nm poco ca*
vado ou forado (pelo systema antigo) daria
agua, pode-so empregar os pocos tabulares.
Elles facilitara acbfr agua muito mais
depressa, mais cristalina, mais fresca
mais barata do que por meio dos pocos
cavados.
O systema dos pocos tubulares o ni-
co pelo qual se possa obter agua perfeita-
mente Dura, livre de todas as substancias
nocivas e preservada de todas as influen-
cias atbmosphericas.
Por mcio de lima macbina muilo simples, consislindo d'um macaco, impellc-se para
denlro da ierra itm tubo d- ferre, caja extremidade inferior est furada e munida
d'uma ponta d'aco; e logo que a sonda mostra agua no mesmo, deve-se atarrachar
a bomba c fnze-la funccionar. Ao principio a agua lera substancias- arenosas o terreas,
porm logo se clarifica, e em poucn tempo sahir agua perfeitamente lmpida.
Outras vaniagens que aprsenla este systema sao:
Primeiramente, a promplido cora que se executa toda a obra do asscntamento, que
muitas vezes nao leva mais de uina'bora, sem remocao alguma de trra:
Segundo, a commodidade que lie offert-ce de ser nao somento collocado fra da
casa, como tambem denlro da mesma, com nao menor facilidade :
Terceiro, a facilidade com ijue se tira.para fra da trra o poco sem o estragar
para o collocarem noutro lugar:
Quarto, a grande quantidado d';igua que elle pode dar :
Chiinio, a possibilulade de tornar, uteis com pouo Irabalbo, por meio delle os po-
sos cavados que foram estragados pela ara ou por outras causas.
Preci?ando-?o de urna grande quanlidade d'agua pde-se introduzir na trra di-
versos tubos unidos uns aos outros-'por meio d'um apparelbo muito .'imples.
Em lugar das bombas aspirantes geralmentc usadas, pde-se forneccr bombas de
compressao para elevar agua e conduz-Ia aos andar-s superiores.
O emprego dos pocos tubulares sobre ludo proveitoso aos fazendeiros, que em
qualquer campo onde o gado piveisa d'agua, os podem collocar e arranca-Ios para se-
rem collocados onde melhor Ihes convier.
E' tambem de grande utililidade aos fabricantes de cerveja, aos distiltedores e
todos os fabricantes em geral, e com especialidade aos empretteiros, architectos, en-
genheiros c todos aquelies que precisam do quanlidade d'agua por tempo determinado.
Este melliodo o nico para o[ler em quatpner parte agua, que seja livre de par-
tculas nocivas, .elle 6 tambem proveitoso aos propnetarios de casas e jardins, tanto
para o uso diario como para regar as planiaccs e capim.
Pedimos aquelies que nos quizerem i-ionrar com suas encommendas de nos
communicar: 1. em que profundidade se acha a agua, o que fcilmente se pode verifi-
car nos pocos ou cacimbas visinhas; 2. de que especie-sao as carnadas da ierra da su-
perficie ate a carnada que conlm agua; 3o em que especie de carnada so acba a agua
naquelle logar : 4. finanlmenle a quanlidad dagna que se pede por hora.
A collocarao do-poco fica pnr conta do comprador olerecendo-se porm a empre-
za a emprestar o apparelho de asscntamento medanlo urna retribuyo a convencio-
nar, a qual s regular pelo tempo que se adiar fra.
Tambem encarrega-se de mandar urna pessoa habilitada na collocaco d'css'S po-
: eos, pagando o comprador alm do sustento e despezas de viagera (da c volta) um
jornal previamente convencionado.
As pessoas que quizerem apreciar o trabalho dos referidos pocos, pofm ir ver
] funccionar ra da Florentina, fabn'ea de cerveja n. 20, em Bebenbe em casa do Sr.
I major Aniunes, no Gaxang no holel junto a poute e no Arraial em casa do annun-
cianle.
Para encommendas e mais esclarecimontos a respeito a tratar na loja do Sr. F.
J. Germann ; ra Nova n. 21.
Gustavo Wertlieimer lera a liojira de informar
DEPOSITO DE PIANOS E MSICAS
, para a
Ra Nova n. 38 primeiro andar (casa do Sr. Pinto)
ande mtina a ter nm completo sortimenlo dos j bom eonhecidos pianos
Sis 4C, e de outros bous autores c de msicas as melhores edicoes.
*faa?6es serao feitos com
da fabrica do Boisseloi
Todos os concortos o
Toda promptido e perfei *
FABRICA DE IIAMIS
DE
J. Rhigass, successor
55Ra do Imperador55
Nesta anga e bem conhecida casa, encontrar-se-ha como outr'ora grande sor-
iMnto de pianos construidos expressamente para o clima deste paiz, e Mr. J. Rhigass
tendo trabalnado muitos annos na construccao de pianos era Pars, acha-se habdilado
a preparar os pianos que vende cora lodos os accessorios ndispensaveis nSo s sua
BoliJez, como sua duraco. Todos os pianos sao garantidos.
Tambera ha neste estabelecimento, grande variedade de msicas novas e dos
aelhores autores, tanto vindas de Paris como do Rio de Janeiro, que se vende mais
barato do que em outra qualquer parte ; assim como ha igualmente venda todos o?
ofejectos necessarios contruccao de pianos. Os concertos e anacoes de pianos serao
Jeitos com o maior zelo e cuidado.
Salt hill, perto de Windsor.
COLLEGIO CATIIOLICODE HUMAWDABES, EML0M1S
Sob o patrocinio especial de
SOA F.UINT.NCI.Y O CAKDEAL WISEMAN, AUCEBISPO DE WKSTMINSTRR, DOS EXMS. RVMS. SRS. DR
AMIIIRST, RISPO DE NORTHAMPTON, DR. GRANT, BISPO DE SOLTHWARK, E DO RYM. DR
WARE1NG.
Os Srs. James & WilliamBult, assistidos de nm capello residente na casa di
aptos professores, dirigem o estabelecimento cima mencionado. O enrso de educare
encerra as linguas, latina, grega, iagleza e franceza; algebra, arithmetica, calligrapbia f
escrpturaco mercantil.
A penso de cincuenta guios, Os logares na capella (a qual faz parte di
casa) bem como o dinheiro, que os alumnos tiverem de receber, sao pagos parte. A
pensao paga seis mezes adiantada, e no caso que os pais ou correspondentes deseja-
rem que seus filhos ou recommendados se retirem do estabelecimento, terSo a bondad*
de avisar es Srs. directores tres mezes ames da sabida dos sobreditos. As ferias de
vero coraocam oo da 21 de juoho, e acabara no fira do mez de julho; as do Natal co-
mecam no da 21 de dezembro e acabara no dia 6 de Janeiro. Desenho, msica, dansa
e esgrima sao ensinados por professores modernos.
A situaco. como, bem se sabe, muito sadia : ciocoenta geiras de trra per-
tencem casa, a qual espacia e coramola; situada perto da estaco de Slough.
nma das da grande esteada de ferro do este, (Great Western Railway.
Para melbores instrueces queira-se dirigir aos cima m- nci'onados; ao Rvm. R
Conego Shepherd, Priory Street, Colchester; ao Rvm. J. Bamber, Tbomdon, EsSex ;
ao Rvm, John Butt, Arundel; ao Illm. Sr. A. Bntler, 6, Aostin Friars. Londres, ou aos
directores os Srs. James & Willian Butt, e no Brasil provincia de Ptraambnco, Antonir
Luiz dos Santos.
BORZEIffl MORADO
Nova loja JOAQUW DAS DOS SANTOS A Cacaba cado estraogeiro a na Nova n. 30, ande o psMico encontrar indo o qne nesta fe
aero de Wmercio ha de mthor e de mais gosto em Paris o Londres.
Por ledos os vapores transatlnticos receber5o elles constantemente remessas >
cateado novo, pelo que ter sempre o7 estabelecimento o que a respeo se pde->
gir. Ao publico em geral ev a seus amigos em particnlar, pedem a cooperacS, qu.
Ihes possara dispensar, certoe de que serao servidos com lealdade.
COLLEGIO INFANTIL
51Ra de Santa Martha67
LIS
Este cMabelccimento de educac/io, que ocrupa um grandioso e bem apropriado patarv
proporciona todas as condic/ies do hygiune e eommodidMea para o intrnalo dos alomos. As aul..-
e dormitorios bem preparados em vastos e magflcos salos >atisf.uuni plenameDte aos lins para mh
se destinam.
Os jardins e passeio permittem aos alumnos utii e provWtoso recreio. A instruccao primaria
e toda a secundaria, curso commercial e as bellas artes sao professadas neta escola (or lustrados
respeitaveis cavalheiros, que alm do legabncnto habilitados, maiores cousideracoes tem obtido nt
magisterio publico ou particular.
A sercim nillcgio infantil, destinada aos alumnos qne pela sua tenra idade nao convis
estejam em communidade com os mais adultos, est confiada a duas distinctas e intel!igentc3 senhora,
urna portuguesa outra franceza, que a par dos cuidados mnternacs com que os velam, bes cnsinai
os rudimentos do educaqai' mor; I, litteraria c sucial, familiarisando-os ao mesmo tempo pela pratic
as linguas portugueza, fianceza e ingleza.
N. B. Dam-se ampios eselarecimentos aqui, na ptiarm&cia dos Srs. rtarihobmen & C.
ra larga do Rosario n. :ii, ou em Lisboa oo cscriptorio do Sr. Guilherme Selle, rba do Ampar-
o. 66.
O director da escola,
Jo<7o Antonio de Barros Presenc v
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
Acabara de chrgar grande quanlidade
para descarocar algodo d todos os systemas e
12 serras
14 dilas
las vtidadciras machinas amcrioan
tamanlios seguinles :
\ serras
I i ditas
15 ditas
10 ditas
18 ditas
20 dilas
22 ditas
23 ditas
:;0 ditas
::3 ditas
40 ditas
s quaes se vendem por procos commudos e roga-;e as pessoas que dellas fizeram ea-
commendas de alguns lamanhos, obsequio de as mandarern busca-las o mais breve po*
sivel alim de nao haverem laltas.
15
1G
18
20
22
25
30
35
40
dilas
ditas
dilas
ditas
altas
dilas
dilas
ditas
ditas
RUI DA CADENA N. 56 A
USTAVE
CABELLEIBEIRO FMNCEZ
51Eua da Cadeia do Eecife51
Chama a attenco dos seus innmeros freguezes, e do respeitavel publico em
geral, para a seg'iinte tabella dos precos de sua casa, os quats sao viole por cent*
mais barato do que em outra qualquer parte, comecando no 1. de dezembro:
Cabelleiras para senhoras a 23-.1,
30, 35^1 e......405000
Ditas para homem a 35,\ 40$ e 50r50OO
Coques a 12& I5, 18;5i, 2,J,
25,-?, 30 e ..... 50;W00
Crescentes a 12-5, Hd, 18-5,20^,
25#, 30$ e.....325000
Cachos ou crespos a 3>, ty, 5-1,
65,1&, 85, 9 e. 105000
Tranca de cabello para annel a
300 e....... 15000
Tranca para braceletes a 105,
155, 205, 25 e.....305000
Cadeias para relogio a 5& 65,
75, 85, O, 12<5 e. .
Corte de cabello.
Orte de cabello com frieco. .
Corle de cabello com lavagem a
;i ehampou......
Corte de caballo com limpez da
cabeca pela machina elctri-
ca, nica em Pernambuco. .
Frisado ingleza ou franceza.
Barba. ........
l>,)00>
500
50*
A #00
yooo
600
25
SS1GNATURAS MENSAES
Especialidade de penteads para casamento
Bailes e solres
O dono do estabelecimento previne s I Recommenda-se a superior TINTURA J.\-
Exmas. Sras. c aos cavalheiros quo ha tnn PONEZV para enegrecer os cabellos c bar-
salaopara tintura dos cabellos e barba, as- ba> uaica admittida na Exposico nivmai
; como nao prejudicial sade, por servo-
sraicomoum empregado sement oceupa- jat|, analvsada e approvada pelas acade>
donosse servico. mas de sciencias de PAH1S E LONDRES-
I
ARMAZEM
EXP06ICA0 DE LONDRES

60--RA DA CADEIA
GRitMDE
PARA ACABAS NESTES DAS
00
S3
-O
S
BENTO MACHADO & C.
oo
Esta nova loja de miudezas a ra do Cabug n. 8, vem fazer sua aprestotacio
ao publico esperando em breve ter freguezes. Esta loja lera comtontemeule par seu*
inleresses e commodo de seas fuxturos freguezes completo sortimento dos olfectos
mais procuradas neste mercado para o que estando ligada por interesses a uifs casa-
importadora desta praca tem feito encommendas de artigos especiaos como os yy ab,i:
so descreve paro a nomenclatora delles reclama atlencao das pessoas que preci^fem -
como
Mml. MM nm? PJ^?Pr,elllar10 t*&* estabe ecimepto tendo de partir|muito breve para os Estados Unidos e Europa, fas completa liquidacSoTestes dias, para acabar :
wtmados para camas e janeas cobertores ingleses finos, calcado de pao, bijolerias d'opro.de 18, como rosetas de brabantes, aneU, o^los. lonetas, trawetos etc., ippare
a^elal do mais lino que ha para almoCo, bandejas etc., perfumaras de differentes tabricantes, diffrentes caixnhas, vasias com enfeites muito prorias para presenteTcaixas
MLsi&as, ditas com pertences para costura, ferro de engomm<.r, n5o sendo preciso carv5o nem fogareiro, machinas de detr bataUs, dilas para preparar a carne cara ui-
,dilas para bater vos e bollos, grande variedade de porcelanas, como, vasos para toilette, apparelhos para mesa etc., d.fferentes objectos de vidro como seia: lustrse
para sal&es. lanternas para cima de mesa, escarradores etc., ns excelleotes cofas de ferro espelbos de diversos lamanhos de moldura dourada e preta mol(Uira l.tpiadros, ncas ca.xas para retratos, dilas com cheiros proprias para presentes, mesas de charSo, bandejas de dito. Estampas finas para quadros talagarsa
la para atmoUdas dita para tapetas e para donar vasos em cima da mesa, relogio para eima de mesa, de parede e de ouro para algibeira steroscoDos de diversos
los, cosmorama, lanternas mgicas para diyerlmentoem salas, qnadros com finas figuras de porcelana, ditos com movimentos, fijaras bronseadas para enfeites de mesa
T LfllT/ banhos no mar ou no lencos de linhos finos para algibeiras, ricas grvalas de seda, variado sortimento de miadezas e brinquedos para enancas'
bengallas, cama de ferro de d.fferentes tamanlios, lavatorios, stereocospos. cosmoramas etc. etc., quesera patente ao comprador; emaitos outros artigos qne se venderao
&ato barato para mteiramente acabar, no arroaz.- EXPOSICAo DE LONDRES 8 q B veuuerao
- RIJA li CAlil l m
-m
^i^jiiiijjpiTiiiii^ri
Lindos coques enfeilados,
Meias para senhoras (o melhor no ge-
nero).
Esportilhos hygenicos.
Lipdos jarros para flores. '
Toncas e sapatinhos de croch,
ntremeos e bahadihos.
Fai'as garfos e colheres.
Carteiras e saceos para jipgem.
Grinaldas flor de laran^d.
RaiiKis para o peito.
Visporas (caixa de j icarand).
Aderecos do camafeo.
Fitas brancas com iuscripcoes de casa-
mentas.
Chapeos, toncas c sapatinhos do
para baptisad'
Aguia NegraRa
Vestuarios completos para e mosqjp fin:.
Toalhas de abir^.os.
Collarinhos, punhos e gollas bordajts.
Brincos de azeiviche montado em dour 1-
do artigo qua se confundo.com o veidadei-
ros de ouro e garnnte-se a perfeico d da-
rac5o,
Cintos largos e fitas para o pe$w> lai>
Picas firas com os necessarios para c
tura.
Lindos albuns para retratos.
Conipl :t" srriimento de flores, perfbma-
rias d'S m Inores fabricantes e muitos
outros ai tigd's que nlo podemos eannme-
rar porque temos um espaco limitadi
D'ario, fo
todas as q
do Gabuga n. 8.

VH>:



1


Diario de Pemambufeo Terqa ffera 7 de Dezinbro de 1869.
g
Bolos para
35-Ruaestr Ama
No primeiro-*
dilTorcMes armacdes, bobunos de diversas iuafttla-
enfeitados ao ultimo gosto, com boquets e (1-
om dsticos a ouro; asiftn como pfeaaraiB-
se doces de todas as quididades com pcneicJk) e
Aluga-se
camero, pedlns, bolos iagiezes, pndelos, o as do-
mis iguarias proprias de das festivos ou presen-
tos, ornados ou simples. Tambem se fabrieam llo-
res do todas as qualidades, quer seam de panno
u cera, e tudo quanto for tendente a flores artili-
ciaes, desde a rosa at os arcos para ornamento
do imagens, iuclusive ornamento de velas pura
bu plisados; armam boquete do era vos ou flores
nalttraes para casamentes com fitas ou sen ellas,
ote. etc. : os pretndanles devem vir ora lempo
fazer as encommendas, que ser garantida a por-
feicSo exigida o por commojo proco.
Dr. i. H. Casanova, pode ser
procurado qualquer hora em seu consil-
Tonio especial iio.vEoivtTiiico, ao Iprgo da
matriz de Santo Atonto n. 2. No mesmo
consultorio acha se sempre venda os mus
acreditados medicamentos, de bomeowttua e tildo nantn npppirin mi* as nossnas. d!*,Pron',s-S. da mesma irmandadn, convida a
s earissimorirmans para no domingo 3 do cor
rente mez, reunirem-se no consistorio da mesm?
LOJl DE
x
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado ie novo, est as condi-
C03S de servir vantajosa*uente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
expendido sortimento de obras de ouro e
prata de lei, assim como brilhantes ou-
tras pedras preciosas, oujos preqos sao os
mais xnodieos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abate.
DAVID WILLIAM BOWIIJ
Partecipaaos senhores propnetanos do engenhos, que acontecendo faltsr-lhes
agoa ou animaes para a moagera durante a prsenle safra, elle t^m vapores promptos
para assentar, sem precisar de obra nova ou dem-iliro de obras exist-nles, e que
pele botar taes i ngenhns a moer oito dias depois do cstarem as pecas do vapor no
engenho. garnnlitido-se o Irabalh".
Fundidlo, ra do Bram n. 52. paseando o chafariz.
L
uc compre c cozinbe
pyHMordo Bispon. 23.
Ama
Precisa-se de urna ama para cozinhar : a tratar
na rna do Crespo n. 18, 2 andar.
Oaixeiro
Preeisa-se de um caixeiro que lenha pratiea de
negocio, e que d fiador sua conducta, para toja
de calcados : no roa da mperatriz n. 10.
AVISO,
de calcado"
Joaquim Pcreira Arante
na praca "
dos 09"
nham pagaftte o fim do anno correle, sob pena
de, passando as ferias, entregar a seu procurador
para roceber ji.
meia os. 13 e 15, ruga a to-
ntas antigs qd*ve-
CftS FELIZ
Aos 20:000^000
\o Recite arco da Conccieo n. 8
, Os ahatxo asignados tendo-se habilitado n;-
urna casa na ra de S. Pedro-novo, em Ollnda, rrma das lei, tem exposto a venda os seus feli
junto ao Paco Casfelhano n. 15, retiflcada de novo,
sala de frente, 4 quartos, sala de jantar, cozinha,
loja e quintal com portao ao lado : a tratar na
escadinha, armazem n. 3, das 8 as 11 horas da
manhaa.
---------------------------------------. __________________
AVISO
O cscrivao da irmandade de N. S da Conceicao
que so dedicar
systema.
ao tratamento por este
Gotfsehalk
m

PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
PHARMACBUTICO, 2, IUE DES LIONS SAINT-P*L, PARS.
XAROPE DEPURATIVO.
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
Cm IODURETO de P0TAS810
O Iodureto de polassio um verdadeiro alterante, ura deparador de incon lestavel effi-
cacia; combinado com o xaropo de cascaa de laranjas amargas, e aturado
sem perturbacio alguma pelo temperamento'* os mais traeos, sem alterar as fuwcoes
do estomago. As doses mathematicas que elle conten permiitcm aos medico* de receual-o
para todas as eomplicacScs as affece' s escrofulosas, tuberculosas, canco-
rosas e nos accidentes intermitientes e terceiros; alero d'isso, o
agente o mais poderoso centra as doencas rneumticas.
XAROPE TNICO XNTI-RERVOSO
da cascas de laranjos amargas.
35 annos de successos aitestao a sua cfli-
caeia para curar: as doencas nervosas,
agudas ou rhronicas, a% gaslrites, gastral-
gias ; e facilitar a iigeslo.
XAROPE FERRUGINOSO
de cascas de laranjas quassla amar.
E' sob a forma liquida que mais fcilmen-
te se assim i la o ferro; n'esta forma prefe-
rivel as pilulasc paslilhas en todos os casos
em que sao prescriptos os ferruginosos.
DENTIFRICIOS LAROZE
COM QUINA, PVBETHR0 E GAIACO
Unir dentifricto, para a alvura e con-
servafo dos denles, corando as dores
causadas pela caria ou prodazidas pelo
contado do calor ou do fro
t dentifrcio, com base de magnesia
para a alvura e cooservacao dos denles,
provenindo a descarnadura, provocando o
trtaro de que empede a reproduc.
Deposite em Rio i* Janeiro, s. ckeToiot; em Pernombueo, P. Murare C; em Momio,
Falco Mas: em Ptlotat, Aafrra Lelvaa; em Baha. Da flacha; em Porto Alegre, Jas
ella; em Uaranhio Ferrclra > C'\ em Ouro Preto, C. J. V Weleraen \ em Santo Catka-
rxna, s. ecfaatel; < Montnideo, G. Imkerl) em Buenos-Ayres, Eleheaarrkerda
Antonio Jos do Azevedo, rncarresjado
* pelos Srs. .Narciso, Arthur Napolen i fj.
V{' do llio de Janeiro, tem aherto em seu
** aTr,nazom do pianos c musirs, a roa
*rt Nova n. II, urna lisia pura assignaiuras
v.Jg de 8 pecas do msicas |tara piano, inedi- |
tj tas, cmnposicao do celebro pianista J5
3$ Goltschalli, que tanlo furor tem feito na 'fl
5j corte. A assignatura cusa 205, que ttj
*S *e Pagus na occasiao da entreca das
.*! msicas.
Muita attenco
Pretende-se duas boas e porfeitas criadas na-
cionaos ou estrangeiras para o servic/j interno de
una casa particular, fondo urna para servico de
cozinha e entra para engommar o tratar fle dotis
meninos com todo o desvello : a pessoa que osli-
ver neste caso, podo dirigir-so a roa do Imperador
n. 6 para se Iratar do ajuste.
A&tmtfo,
Na travessa da ra do liangel n, 49 vendem-sc
batatas das ultimas desembarcadas a 1J> o gigo,
e garante-se tima arroba cada gigo : na roa do
Itangel 11 49, t ibern.i.
Aluga-se
o sobrado o sitio da Mangabeira, cora commodos
para grande
familia, 3 salas de frente, sala de
jantar, S^aiius. sendo um para banho, 3 lojas, e
com mullos arvoredos de fructo, como sejan,
mangaba, sapoti, maoga do stiperior qualidado.
agoa muito boa, sendo para gasto ; a casa torrea
com :) quartos grandes, sala de frente ede jantar,
cozinha, o muilos arvoredos de frncto iguaesao
do sohrad > : a tratar na escadinha, armazem n, 3,
das 8 as 11 horas da manhaa.
Cozinheira
Precisa se de urna euanbeira escrava ou forra,
para casa de familia : a tratar no armazem da
travessa do Corpo Santo n. 2o, das 10 as 4 horas
do da.
Engoramudeira
Km S. Jos do Manguinho, casa n. 2, paga-se
30$000 mensaes pelo aluguel de urna escrava
para ser empegada nicamente em engommado,
garanlindu-selhes bom Iratamentu. .Na me-nu
casa peaisa se tambem deoutra de l annos para
servico domestico, pagando-se o alugnel conforme
o sen mereeimento.
Aluga-se
o 3o andar do sobrado n. 8 ra da mperatriz :
a tratar cum J. I. do \fc. Reg, ra do Trapiche
n. 34.
Sr. Rubens Jane acabuu de ser caixeiro
da agencia geral, e portanto nao est mais auio-
rindo de fazer negocio alpum por cunta daqnelle
e>tabelecimento. Kecife 3 de dezembro de 1869.
AVISO
Precisa-sc de nm fetor para cm silio, que ens
lenda de janlim e mais plantarnos : a Iratar no
Corredor do Bispo n. 43.
Alugam-se o 1 e 2* andares do sobrado 11.
10 da ra do Aragao, com bstanlos commodos
para familia : a tratar na ra do Henrique Das,
conhecida como ra da Estancia, casa n. 4.
l'i eeisa-so de um copeiro
mercio n. 17, Io andar.
na ra do Coin-
ATTENCO
Na ra Velha n. 54 precisase de um criado
escravo cu livre para carregar comedoria e fazer
9 mais servico de urna casa, paga-se bem.
Ama.
Precisase de urna ama para comprar e cozi-
nhar na ra da Cadea a 38, 2a andar.
DE JOIAS
GOMES DE MATTOS IRMAOS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RUfl DO CABUGft N. 4
onde enconlrarao um completo aortimeuto do que ba de mais elegante,-
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
de ouj-o, ppata e platina se pode desejar.
ADEREMOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de novos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto ainda nao visto, e completo sortimento de
objeotos de prata para uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joia ou podra preciosa e garanten,
aquadadedosobjectos vendidos.
0 MTISEO DE JMS

E
Ha.
igreja,as 9 horas do dia, para em mesa geral ele
uarem os wesarijs que tem de reger a irmandad
no aseo de 1870.
taas cassas francezag e o, pelo baratissimo preso de U H&l
o fioiado: Joja das Columnas na roa do Crespo n. 13, de Anlonio Corroa Ae Vasconcellos.
Joaquim Ferreira dos
8ilDtOS
aMor ilc dansa, natural de Portugal, chegado
neo da Em-opa com sua esposa esta pr ivin-
cia, tem a boma de participar aos seus alustres
habitantes e mu principalmente aos pais de fami-
lia,'que contina a leceionar cm dansas com todas
asregra as tonas o quintas-feiras, das 3 horas
da tarde s 10 da noite, em sua casa na ra es-
trella do Rosario n. 31, 2o andar, e nos domingos
de manhaa para Indas as pessoas que naopodem
vir nos outros dias, sendo a ligo aos domingos a
nuie goral para todos. Tambem se promptiliea
ir aos collegios e casas particulares nos outros
das.
WHH
Advocacia.
Carno do Lima Santos, (o filho) s
bacharel era direKo aclia-se a ra |
estreila do Rosario n. 23 onde pode S
ser procurado das 9 horas da ma- 91
nh5a s 3 da tarde.
Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
RA DO T1UPICHE. N. 17, 1." ANDAB
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban
x do Minho, em Braga, e sobre os sejtuj)
es logares eai i'ortugal:
Lisboa.
Porto.
Valenc-a.
Guimarcs.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castelio.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de]Famalicac.
Lamcgo.
Lagos.
Govilha.
V*sal (Valpasso).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
Aluga-se duas Basas na ilha do Retiro (jun-
to-i ponte da Passapeai da Magdalena), lugar mui
samo e fresco urna Jella de bastantes commodos,
tejdo j banheiro feito para se tornar banhos; a
trotar com o Sr. Luis Manoel liodrigues Valenca
ra da* Trincheiras n. 50. 1 andar.
Abjnmas casas que precisarem de urna en-
gonimadeira, que engmnma bem roupa para
homem e senhoras: dirija-se a ra do Ib rta
n. 86, que scrao satisfatoriamente servidos, quor
na perfeicao do trabalho e quer na commodidade
dos presos.
ALUGA-SE
o primeiro andar do sobrado do cae* do Apollo
n. 7o, com commodos para grande familia e por
barato preco: a tratar com Luiz L. dDS Gnimaraes
Peixoto na botica -da ra larga do Rosario n. 34.
Precisa se de urna ama livre ou escrava que
eozinhe com perfeicao : na ra do Vigario n. 3,
3o andar.
Nao mais cabellos brancos.
A tintura japoniza para Ungir os cabello*
da cabera e da barba, fei a uoica admittida
Exposifao Universal, por ter sido "reco-
nhecida-superior todas as preparacoes at
bj<} existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a 1(J0OO cada frasco na
Rna da Cada n. 51,
SL. andar.
Ama
Precisa-se de urna ama que saiba engommar-
a ra da Cruz n. S7, 2 andar.
Caixeiro
No largo do Carmo n. 1 precisa-se do ora ho-
mem porluguez para caixeiro de um dos melhores
engenhos, inoito prximo da esta^ao de Frexeiras,
do caminho de ferro.
Alui!a-se urna mulata ja de i-ade para levar
meninas ecola s horas do cosame : a tratar
no sobrado da sala de daoca oo largo de S. Pedro.
Na praca da Independencia n. 33 so da di-
nheirosobre, peohores de ouro, prata e podra;
preciosas, eeja qual for a quantia ; e na mesma
casa se compra* e vende objeetos de ouro o jipata.
*gnalmente se faz toda; e qualquer. obra de en
cdmmenda, e todo e qualquer concert tendente
mesma arte.
Em casa de THEODORO GHRI8T1
\NSEN, ra da Cruz n. 18, encontrara-s-
eflectivamete todas as qualidades de wohf
Bordeaox. Bourpogne e do Rbeno.
Convite.
O Campos da rn. 4o Imperador n.-JS,. lando
reunido em seu estabeleeimealo um grande e va-
riado sortimento de laneros proprios do tempo de
festa, convida ao publico em geral, e aos seus nu-
merosos amigos e reguezes a virem visitar o men-
cionado estabelecimento, deixando de meoeienar
genero por genero para senio trrnar por dnais
enfadonho una seas annancios, assim como alian-
ga jaique quizer.1!!) iwnrar lo com a sua fregu-
zia, que encontrarSo sempre sinceridade e promp-
Aluga-se urna ra*a*nm grande quintal, con-
tendo J salas, g quartos, cozinha fra, cnni grande
cepiar fra, aia*la o pmUda de novo, confronte a
ca Jos da Cunha Lages, na^apunga, ra das Crioli-
tas n. 28 ; ssim cerno urna outra casa o Poc>
da PaoWla, rna do Rio n. K, contendo 2 sala?, 3
quartos, coinaa fra e grande quintal, aiada
,|Hiiiada de novo, minio propria pera passar a fe<-
i : iratar M.ttaveju da Madred#ees nu
l'jwro 18
A tenido.
Prw.isaie.de urna ama deleite: na roa larga
do Rosario n. 21, andar.
somente :
-es hilhetcs das loteras do Rio de Janeiro, na cas*
cima,sonde se pagarao as sortes que sabiren-!
nos mesmos bilheles, com o descont
da lei.
PRECOS.
Bilhcte inteiro 2ia000
Meios 12*000
Quartos 6*000
E de 100* para cima a 22* o bilhote.
^_______Figueiredo & Lei te.
A agencia geral
precisa alugar sitios, casas o criados
eos, etc.
A VIRDAE
55Euado Queimadu_5i
Pava escriptorio.
Precisa-se alugar urna sala na ra do Impera-
dor ou do Crespo : quem tiver e quizer alugar;
dirija-so a ruado Queimaie n. 11, loja._______
"KTVDlT
uuj
Jos Soares de Azevcdo, professor de
lingoa e lilteratnra nacional no gymnasio
provincial do Kecife, tem aberto em sua
casa, ra B-ll.i n 37 :
Um curso completo
de Wajoa porugtueza ;
d-j Llagoa franceza, versoes
oraes e escripias de portuguez para fraocez
e tice versa, de conformidade com o novo
programma do governo ;
de Cicographla pbjsica, poltica
e astronmica;
de lies!orla unlYersal:
de Phllosophla. Racional e Mo-
ral ;
de Rheorica c Poetic.
As pessoas que desejarcm frcqueiltar
qualquer ou quaesquer destas aulas, podem
dirigir-se indicada residencia, de manhaa
al s !) horas, e de larde a qualquer hora.
ALUGA-SE
e vende-se tambera a casa terrea sita na oid*de
nova de Santo Amaro, oom bastantes cnmmndns:
a tratar com Antonio Jos Gomes, Jnior era San-
to Amaro.
O Sr. Alinear, oflcial de juizo, que
foi ou qoc ilizem acha-se prescnlemen-
te residindo em Gamelleira, qneira vir ou
mandar dar soluco sobro o impostos das
carro;as que se mandou pagar pelo Sr.,.e
al o presente nao tem apparecido com os
documentos ; deseja-se nao continuar com
este 3niiuncio por mais dias.
CRICKET
A Match \ve!l be played betreen lite fersl
werens of the Excelsior and Pernambueo
Cricket Clubs on Weduesday nexl the
8 h. wisl ou the ground at Santo Amiro.
Wicllels lo be pitched at 9: 3o. a. m.
George & Bradey.
Sec. P. C. C.
ATTENCO
O abaixo asignado, encarregado pelo propie-
tario do sitio Agoazinha, em Beberibe, do retalha-
mento do imsmo sitio, por ter sido dispensado
des-e servico o Sr. Loiz Antonio da SilveiraTavo-
ra. pode ser procurado pelos prelendentes aos lo-
tes de trras une ie>tam \Hider-se, ra do
Imperador n. 27, Io andar, escriptorio. Aos do-
mingos se encontrar para quaesquer informayoes
naqnell" sitio o engenbeiro Antonio Feliciano Ro-
drigues Setle.
Recife 6 de dezembro do I8G9.
JoaoTiburcio da Silva Guimaraes.
AMA
A VERDADE tendo cm depr,.!^ brasde
quantidade demindezase perfumaras, e to-
sejando apurar dinheiro e adquerir ba fre-
guezia est rssolvida mA veader rouitiseB*
barato, ; por essajHt convida ao respec-
ta vel publico a vir PnpeleiiU'iin'nif iuhj-
do a soi tir-se do boro e barato. Pois qua-
do a Vcrdade apparece, tudo mais des-
apparece------
Grande sortimento de bonecos de cera ?
nass* as mais lindas possi.eis vestidas a ca-
rcter.
Abotoaduras moderuas para col
letea....... 32
Espelhos donrados pepnenos. 2(W
Agulhas de os;o para crox a 206
Pentes para regac com csnlas a 32*
Ricos globos para candieiro de gaz a \
ti- Chamins' a......: 3o
Grande sortimento do objetos de
lonca para brinquedo de menino 06
Garrafa com tinla a..... 808
Dita com agua florida verdadeira a i>'M'<
Dita com dita dita a "... ifO' 0
Frasco com oleo de babosa a 500 o 7
Dito cora agua de Colonia a 300 e
Garrafa com agua divina a. liiOQ
Frasco com exilados finos a ||008
Latas-pequeas com banlu muito
fina a i2t'e...... \m
Sabonetes de diversas quali iades a
80, ICO, 240e..... 3 Finas Cscovas para denles de 120a 608
Lindos coques modernos a. ._ 23000
Pavios para gaz, duzia a 240 c 'ito
Escovas para facto a StO, 600 e 70fe
Ditas para cabello a..... B06
Pentes para tirar piolho a 400 e. 24#
Brincos de cores, bonitos a 460 e 2*
Pecas de tranca de 15a com 8
varas por....... ge
Oleo para machina de costura,
frasco a........ 600
Pennas d'aco Anas caixas a 800 e iAOOft
Dita d*aco Perry, caixa a. -ii4O0
Galo de algodo pega ..... 400
Lindos babadinhos e entremeios
peca de S00 a...... 1,9508
Ditos do louca muo fino a 120 e 900
Ditos para calca a HiO e. 244*
Caixa com papel amizade a. 700
Ditas com envelopcs a. 48(*
Ditas com obreias a..... 40
Caixa com agulhas fuudo dourado 888
Ditas de ditas ditas a.....- iQ%
Thesoura para costura a 240 o 809
Caixa com linha de marca a fj?
Linha de cores cm novellos (li-
bra) a .......... SOS
Carreteis de linha Alexandre de 70
at 200. ....... 100
Grampos muito finos com pasea-
ros, duzia a......
Cartas portuguezas, duzia a .
Ditas francezas a 25200 e .
Papel almaro e de peso, resma a
3100, 3tfa00 e .
-.fia muilo fina para bordar, libra.
Fita de algodo para debrum de
sapa tos, peca a.....
Ditas de 15a para debrum de ves-
tido, peca a ......
Pentes finos para segurar ca-
bello a ........
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 2i0, 320 e......
Dilos para aparar penna a .
Bosetas pretas, par a.....
Tranca de 13a djcaracol peca a 40 e
Fita de cozjieca a 480 e .
Alfineles de latao a.....
Sapatos de la para enanca a 400e
Grvala do >edas de cores a .
Calcadoiras a.......
Grande sortimento de retidas das lii.as.
Um par de suspensorio de 'borracha por
100 ris! !!!!!!
Na vci'dadc rna do Qneimadc
ii. 55.
Precisa-se de urna ana qu seja boa cozinhei-
ra, e que tcnba a necessaria habilidade para ser-
vir em casa de homem solteiro : Ha rna da Cadea
n. 59._________________________________
Precisa-se de um criado forro ou captivo, de
12 a 11 annos de idade, para o ;ervico externo de
urna easa de poura familia : na ra da Lingoeta
n. 8, 2a andar.
COMPRAS.
!oa
30OC
0500
150
4k)
i*
fJOO
106
106
IOS
560
loe
80S
2-H
88
Compram-so e veudem-se diariamente para fra
e dentro da provincia escravos de todas as tdades,
core e sexos, com Unto que sejam sadios : no
terceiro andar do sobrado n. 36, ra daa Crines,
freguezia de Santo Antonio.
Compram se moedas de ouro e prata de lo-
dosos valores, ouro e prata em obras i nu ti usada.-,
brilhantes e mais pedras preciosas : na loja de
ourives do arco da Conceicao, no Iteeife.
Jimzeo de joias
Na raa do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
a pedras pireciosas por pregos mais vantajosos d<
iae em outraquaUjuer parte._______________
Cora muito maior vaniagem compram-se
moedas-de onro e prata : na loja de joias do Co-
raciode Poro n. 2 O. rna do rahng.__________
Conrpra-se cobre, na ra do Queima-
do n. 40. RIVAL SEM SEGUNDO.
BOJE libras sterlinas e ouro de todas as naroes,
assim como prata, por maior preco do que em
outm parte :-a rna da Cadeia do Recife n. 68,
(oja do ainlejp. _____________________
Compra-se
na rna do Hospicio n. 38 urna escrava cozinheira ;
e na mesma casa proeisa-se alugar una escrava
para todo o servico. ______________________
NA IMPERIAL
fabrica de ceryeja dos Sis. Heniique Lei-
den 4 C, ra do Sebo n. 35,
compram-se garrafas vasias proprias para vinho
ou cerreja, por mai r preco do que em qnalqutr
riwAs.
- VewW-w umrarro de qnatro as>entos. pare
doas cavallns. enn arri-ins. Os prelendentes po-
dem velo na ra dn Ho-pirin ifflrina do Sr. i>p-
ra'do, eerrieiro, > tratar com Vi rute Ferreira da
twta : roa de Riachuelo.______________.
"Ci fin Lisboa
chegada ltimamente pelo hrigue
riadit ; veadi'-e no arpiazem
Loye Filho, no Forte do Mallos.
Kguez Flq,-
da Silva
O Campos da ra do Imperador a. 28,
no intuito de servir satisfaVari mente aof
seus iunumeraveis amigos e freguezes, en
particular e em geral ao respeitavel.publiu.-,
desta cidade ; avisa aos que t-sti ve reta pas-
sando o lompo calmoso, nos deleitaveis
arrabaldes desta capital. i|ue tem resolvido
vender, de de superior qualidade, a prec^f
tazoaveis, os seguiutes gneros a saber :
PAR\ CIMA DE APARADORES
Latas com doce em calda de diversas
qualidades nacfonaes e estraogeiros.
Ditas com peixe a saber; salmn, os(r3
e lagostas.
Ditas com crvilhas francezas e portugue-
zas.
Ditas com gela franceza.
Cerveja franceza verdadeira Bobee.
Presunto para fiambre e afiambrados.
PARA' DISPENSAS
Latas com cbouricas novas sendo de 8&
cada urna.
Presuntos de Lamego para totepeiro.
Cuias do Para (pintadas pelos indgena
daqueHa provincia.
Copos de vidro com dobradiC e tauspa
para diversos misteres.
PARA OS QUARTOS DE DORMIDA
Porta-phosphoros chelos de phosphoroi
de segnranca.
PARA SALA
Chorotes de S. Fehx do afamado fabri-
cante Costa.
Fumo picado do'Daniel de S. JoSo d*
Rio de Novo.
Alm desses gneros, o Campos tem con-
victlo de que o seu estabelecimento % ni
dos que podem salisfazer eom garantas as
exigencias bem entendidas, dos iHusradoi
habitantes desta heroica provincia, porquan-
to s>* acha elleTiem prorldo de gneros ?.
periores, de maneira a nao dennenlir
O Campos.
A 3^000.
Cha vacie deexrellente quaHdade : na botica
hoincep: thica da viuva do Dr. Sabino O. L Pintoa,
ra .\'ya n. 43.
Pao Sent*
Estar Tienda as
nadari* allemia, ru do
no lien
d i Vig
DruTi n. 85, e no arma
ador.
f


6
eviiainbuco Terca eira-;7 de Dezejubro de 1869.
SEM iGUAL
0 propietario do rraazetn fazondis il.iuominado ARARA, ra da mpera-
:z n. li, defhl-iflfcrespeitavel nub'ic. osous frOgueas, que est\ liquidando todas as
i lis e roupaB g|s que tota or. Au csu^lccimonto como sepoder ver no seo
. unoncio e prec,^ wxo mencionado
AS
Chitas francezas matizada*
39 rs.
fende-se chitas francezas escuras matiz-
is a 320 rs.o covado por este pretp sna
-ja da Arara, ra da mperatriz n.'
LAAZINHASA.ORS. ""/"
Vende-se ISizinhas para vestidos de se-
niora a 2iO, 280, 320 e 400 rs. o co-
BAREGES DEL.UA 500 R?.
Vende-se baregs 4b la com listras para
los do sonhora a 500 e GiO rs. o
nulo.
tiplea de listras a *$ rs.
Vndelo alpacas de listras para vest-
is de seuliora a 51)0 rs. o covado.
CUITAS HIANCGZAS A 280 US.
Venirse chitas francezas claras a 30rs.
CORTES DE L.U PARA VESTIDOS A
2J100.
Vende-sa cortes d i 13a para vest. los de
leaboras a 25500 cada nm,
PERCALES A 4W1 RS.O COVADO.
VenJe-se percales nuito finos para vis-
ura a 4i0 rs. o covado. raur-
,o!inas brancas finas, a 500 rs. o covado,
rliantinas do cores, a 440 rs. o covado.
Baldes modernos de todas as
cores.
Vendes'balos moderno sbranco e de co-
res a 45. 45500 e 55.
JOBERTORES DE ADGODAO A 1 $300.
v nle-se cobertores de algodo a 14500,
jertas'de chitas a 15600 e 25 cada urna,
GANGAS PARA CALCA A 3*0 fS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
io, brim de cures para calcas de hamem e
neninos a 400 rs. o covado, casemiras de
Ores para caifa e palitots a 25500 e 3,
i covado, meias casemiras enfestadas para
-alease palitots a 15 o covado, brim pardo
te todas as qualidades e brim branco do
odas as qualidades na ra da lmperatriz
a. 72.
Alpacas lizas a 4 O rs.
Vende-se alpacas de cores lisas linas a
440 rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOL.lQ ENTESTADO A ll&OO.
Vende-se pecas de madapoiao entestado
i 3*500, pegas de madapoln inglez de 24
75, 85 e 105
liiananniLimn
1 O PAVILHAO
Algodo cufestado OOrs.
Venil-sc algodo entestado proprio para
lences c loalhas, 000 rs. o metro, dito
trancado a l/r, metro.
Chales de merino .
Vende-so diales de merino estampados
a 2-5, chales blancos e de cores a 15000
cada um.
CORTES *DE BRM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Voiide-se urna grande porejio de cortes
de brim castor para calca de homem, 640
rs. cada um.
Grande porcao de retalhos
Vende-se grandu porc5o de retalhos de
chitas o casias pelas a 160 e 00 rs. o
cova lo, retalhos de castas, 15a e chitas de
cores baratsimos.
LIQUIDAN A ROUPA FEITA
Vcnde-sc palitots de brim de cores a 25,
ditos de alpacas do cores a25, dios de
mcia casemira a 25 e 25500. ditos de pan
no preto bom a 85 o 105. calcas do algo-
n9o azul para escravos a 640 rs. ditas de
algodo de-4istras a 800 e 15, camisas do
riscado de listras a 800 rs. cada urna, cele-
tes de brim c fustlio de cores a 15 e 15500,
coleles de cesemira de cores a 25500 e 35,
e outras muitas qualidades de roupas feitas
que se vende por baratissimo preco.
Algodo de listras a OO rs.
o corado
Vende-se algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODa.0 A 45.
Vendeni-se peras de algodo 45000,
SgiOO 6;)00e7r>, para liquidar.
Baldes de arcos 16500.
Vende-se baldes de arcos pan senhoras
pelo baratissimo preco de 15500 cada um,
Cortes de cambraia barras
a 3AOOO.
Vndese cortes de cambraias barrsa a
25 e 35 culi um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos do seda a 640 rs. cada
um, para liqoidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 15.
Vende-se earteiras para viagem 1<5
cada urna.
11--RUA DO QUEIMADO--11
Chogaram da Europa pelo ultimo vapor toja de Augusto Porto & C. ricos
cortes das mais linda sedas de mimosas cores para vestidos proprios para bailes e casa-
mentas.
Grande variedade de sedas de listras de diversos precos todas de lindascores,
gorguro de seda preta, e grosdenaple Je varias qualidades e gorgurao de seda la de
diflerentes cores.
Novos vestidos brancos de blond para noivas. lindas colxas do seda para camas,
ditas de la e seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas e toalhas de
cambraia de linho bordadas.
Luvas novas de Jouvin.e elegantes sombrinhas de s Jas de cor para senhoras.
Espartilhos de -5 at 105, lindos bournous de cachemira de cor para saluda
de baile, basqninos de renda preta, e ditos de croch branco o preto para senhoras.
Crande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Sormento de muitas fazendas de la, linho o algodo todas por precos muito
mdico.
Tapetes grandes para sof, piano c camas, pecas de tapetes o de alcatifa para
forrar salos ludo em quantidade; e vendem sempre^por menos que em outra qualquer
parto.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
DA
LOJA
ALGODO
DAS MACHINAS
TOS
ardas a (0, 05400, 75, 85 e 105 a peca
72. Ra da lmperatriz. 72.
Lourenco Pereira Mendes Guimaraes, pruprietario do armazern de fazendas
dea Mimado GARIBALDI, tema honra de pirticipar ao respeitavel publico que tendo
recehilo diversas facturasde fazendas, de novo goslo, para a festa, estando a espera do
novas encommendas que deve estar aqu at o dia l' de novembro vindouro, e vendo
que nao tem-tempo antes do balance de vender tantas fazendas de encomiendas por
.sso resolveu fazer urna liqcddafo para ver se d maior, cstraco por isso em vistas das
iieumstancias vender tudo mais barato.do que em outra qualqaer parte, na ra da
lmperatriz n. 56.
MADAPOLO ENTESTADO A S5500. | CHITAS PRETAS A 100
Vende-se urna grande porcao de madapo- Vende-se urna grande porco de chitas e
to enfestado de 12 jardas a 3550), assim cassas pretas em retalho a 160 o covado
como peces de madapolo inglezes de 24 tarabem tem retalhos de chitas e 15a de co-
lardas ou 20 varas a 55, u5O0,65,65500 res que se vende barato.
7,5000, 85, 95 e 105000.
Corpinhos a 200 rs.
CAMBRAIAS VICTORIAS A
Gangas para calca a 3SO rs.
Vendem-se urna grande porcao de gangas
para calca de hom m e menino a 320 o
_ 5:500
Vende-se pecas de cambraias victorias covado. cortes de castor para calca a 640
Saas a 55500, 65 e 75. Brilhantina bran- cada um,
sa fina para vestidos de senhoras a 500 Brim de cores a -iOOrs.
rs. o covado Vende-se urna grande porcao de duas
ALGODAOA 45000 'faces para calcas, palitots e colletes de ho-
Vende-se urna grande p ircSn ce algodo mam e menino, fazenda inteiramente nova.
iodo da boa qualidade e 45, U, 65, W5 O Brim pardo liso a 5(0 rs. o metro, dito
75, e 85, a pe?a de 20 jardas ou 21 trancada lino a 800 e 15000.
ACHINAS americanas de serrote de todos os tamanhos para descarocar algodo, do
muito conhecido fabricanto Eagle Cotton Gin.
ACHINAS ditas, tambem de serrotes e de todos os tamanhos para descarocar, al-
godo do autor New York Cottoo Gin.
ACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
ACHINAS ditas de Roller Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
ACHINAS de faco do fabricante Platt B. & C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as melhores que tm
/indo ao mercado ; e para a sua apreciaco onvidam-se os senhores agricultores "
rirem a exposico das mesmas na ra da Cada do Recife n. 56 A, loja do Bastos, onde
mentraro mais o seguinte:
)ebulhadores para-milho
]ylindros para padarias.
Vrados americanos.
2arrinhos de mo.
\Iachinas para cortar capim.
Pannos de chumbo,
bombas de Japy.
)las americanas.
Telhas de ferro galvanisadas.
boinas de zinco finas,
litas de cobre e lato.
?erro de todas as qualidades.
Vrcos de ferro.
7olha de Flandres.
Machados americanos.
?ac5es ditos.
3alaios e cestas de verguinha.
Vassouras americanas,
bolles de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos oulros artig
liversidade seria enfadonho ennumera-los.
Folha de ferro.
Bataneas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas finas. #
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para refinacbes.
Azeite de espermacele, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pe tcnces para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoura e artes, que pela
raras.
AOMIREM-SE DO QUE E' BARATO
Chamalotes a 560
Vende-?e chamalote de cores, de algod
?ara vestidos de senhoras a 560 o covado. de 12 astes
tJpacas Usas a 500 rs.
Vendi-se alpacas lisas para vestidos de
cores, para senhora, a 500 rs ditos matisa-
das finas a 72" o covado. Ditas lisas mui-
u largas a 640 o covado.
CORTES DE PERCALES A 6:000
V^den-se urna grande porcao de cries
da percales de duas saias para vestidos de
vmbora, de ranito delicados gostos com
16 Vj covados a 65 "75000".
Cirande lifjtildaco de chapeos
de sol
Vende-se chapos de sol de alpaca m
pequeo defeito a 25 e 3500. ditos finos
i500, ditos de seda finos
de 8 astes a 75500, 85000, ditos de 12 e
16 astes a 105000, para liquidar.
Chitas para cobertas a 94LO rs o
covado
Vende-se chitas francezas para cobertas a
240. 320. 340. e 380 o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vende-se cassas francezas para vestido
a 240 o covado, ditas muito finas a 400 rs
, assim como percales finas para vestidos a
Grande armazn! de fazendas e roupas Coilas alna da lmperatriz
n. 52, porta larga, de Paredes Porto. -
Nesle estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 3.5, 35500 at 65. Ditos dt
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 55, 65. 85 e 105, de panno preU
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo Gnos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
a de cores do 35500 a 55000. Calcas de brim de cor finas c ordinarias, dita.-
jrancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
ie cor e preta de 45, 55, 65 a 155. Colletes de todas as qualidades e preco muito
carato. Completo sortimento de camisas francezas de algodo c de linho de 25 at 55
ima. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de linho c bramante a 25 e 25500.
3ravatas (mantas) novissimo gosto a todos os precos. Meias sortimento completo a 35
15 at 75 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-so de quaesquer obras de encommenda tanto para homem, como
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito so'rtimento de fazendas de
lodas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e oatras muitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de 11 palmos de largura a 15800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores, a 640 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 15200.
Basquines de guipure enfeitadas a 185000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 65500, 75, 85 e 95000.
Algodo peca com 20 jardas a 45500, 55500 e 65000.
Peca de algodo largo a 75500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem roupa
eita que se est liquidando na loja ra da lmperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
LEJO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
CAMBRAIAS LISAS DE CORES A 600
Vende-se urna grande porcao de cambraia
isa de todas as cores para vestidos a 600
.s. o metro.
OVganbys moderaos a SOO rs.
Vmwle-se organdys de cores para fazer
vesti'los, de duas saias; agora modernos, a
300 rs. a vara.
GRANDE SORTIMENTO DEHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas muito finas de
ta a 280. DitiS matisadas aturas a 3^0
utas escuras escocezas a 360. ditas aleo-
toadas a 360, ditas garibaldinas a 360 o
lovadn. Sortimento de chitas como tem o
arihaldi ha poucas lojas que compitam.
TOSTABS PARA VESTIDOS A 400 RS.
V^nde-se fusilo de cores para vestidos a
xiiO rs. o covado
COBERTOKES A 1:400
Vende-se cobertores de algodo a 15400
iwnertas de chitas feita a 15600.
Vende-se grande porcao de corpinhos a
5o 4000 *040oS- '
440 o covado,
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias cruas para homem a
35500, 45. 55. e 65000 a duzia, ditas para
meninos de todos os tamanhos a 355 4500, ditas para senhoras e meninas a
35500 45. e 55, a duzia.
BALOES DE ARCOS A 1:500
Bales de arces p 15500, ditos modernos
a 45000.
ATTENCAO
Tem-se para vender urna grande porcao
tJe roupas feilas de brim ede casemira, de
todas as qualidades nao se menciona por
f er enfadonho. garante-se ao comprador ven-
der mais barato do que em outra qualquer
parte, isto so se pode conhecer com 8 nre-
senc do comprador e a vista da fazenda i>
que se pode conbecer como est liquidando
por barato pr^co, o general Garibaldi, ra
da Iinper.itri7 n. 56.
Chales de merlino a tAOOO
VtwdH-se chales de Merino de cores es-
tampados a 25000. ditos lisos a 35500. di-
jos estampados finos a 55, 55500 e 6,5000.
Machinas vapor de
forqa de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavados.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desca-
rocar algodo.
Bataneas para armazern e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar car-as.
FogSo americano patent
WtPfiS POPUIjIK
DA
FABRIfA NACIOUL DA .BABIA
DE
Teizeim Uldurico tif C.
Acha-se venda este ptimo rano, cnico qr>
pode Kuppnr falta (lo prinr4ia de Lisboa, por ser
di i mu aitradavul perfume, viajado, e a preco .
mais modieo pomdwl; e pur isso tem ido m>
aiHilbido na? pravas da Baha, do Rio de Janeiro h
ein ontra do imperio : no eseriptorio de J.,aa^iim
hx Goncalves Beltrao, ra do Commercio nu-
maro 7.
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaparrilha
do Pai, pilulas e xarope de veame, tin-
tura e xarope de siropira.
iVmas do Ogado e haco, ane-
mia, opilado, etc.
Emplasto, oleo, pommada tintura, pi-
tillas, xarope e vinho da milagrosa Juru-
beba.
Sezftes ou febres interniitentes
As pilulas anti-periodicas de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pharmacia de seu autor ra larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quarlel do corpo de
polica.
Liquidando .
A cnmmi'sao encarrepada da liquidarlo da so-
'iedade musical Nova Harmona, vende os perten-
ees da mesan; alem de muito. instrumentos, urna
panradarla conipliManvnic nova. A commisso
convida ao* Srs. pretndanles examinar, e tratar
ra da Fraia n. 44.
AURORA!
ROA DA 11IPEBATBIZ \. 2
Esquina da ra da Aurora
Defronte do Caf lmperatriz.
Neste novo e sumptuoso ostabelecimen- 8
to de fazendas, enconlrarao as Exmas. g
familias ludo quanlo possam desejar, tan- j
to em artipos de rigoroso luxo, como em g3
todas as mais ipialidades de fazenda^do gE
sedas, blonds, alpacas, merinos, iras, g
cassa, mussulinas, chitas, madapol5es, jj
alsodflcs, etc., demodo a sabir bem ser- gg
vido desdo o mais rico e exigente amador
da moda e do livxo, al o m.iis modesto S
pai de familia. Alin de se ai-liareni pro-
vidoa do ijue mellior se encunlra neste *
mercado, inandarain os proprielarios i
d'estc estabelecimento vir directamento M
\ o que em artigos de modas e de mais S
i aparado gosto se enconira em Paris. 9
Uma modista especialmente occupaila K
nos Irabaltios do I'AVILllAO DA AUNO- SS
I RA, executar promplamentc c com toda |
a pcrfci$3oquali|iier H;>''lho :i capricho, M
para o que se acha habilitada em tudo H
quanlo e mister para o bom desempenho m
ao sua missao, o que 6 urna grande van- |
tagc.i. para o bello sexo, que assim 2
vai encontrar em um s lugar uidoquan S
o pode desojar, isto fazendas do me- S
liior gosto, modista para perfeita execu- 2
?ao de qualquer trabalho, perfumaras, g
chapeos, enfeiles, mindezas, luvas do fi
Jouvin e tudo quanlo a moda pode exi-
gir.
Aos cavalheros igual vantapem sa olie- M
rece, por ter o estabelecimento o mais 5
completo sortiinenio de fazendas para fac- 8
tos, e proprias para todas as cstacoes, o ig
um hbil alfaiate encarregadn de execu- 2
! tar com prnrnplido e mestria qualquer gjj
encommenda. fl
Os proprictaros do PAVILHAO DA s
AUHOHA nao tondo poupado despezas
para dolarem esta bella cidade de um fl
I estabclecimenlu digno d'clla, conliam nos g
[ seos esforcos c no bom gosto de seus ha- g
i liitantcs, garantindo a maior circumspec- B
cao e modicidade de precos.
[ Com a possivel brevidade c em vista da 8
I proleccao que se dignaren) dispensar-llie, g
este estabelecimento trar muitas oulras 2
| vantagens, primando entre ellas a pobli- I
IcaQo de nm Jornal gratuitamente dis- p
tribuido aos scus froguezes, o <|ual_se oc- S
I copar exclnsivamenic d:i descripcao das \
modas, acompanliado dos ltimos figui i- E
nos; vanlagcm quo at boje anda nenhum S
[ meslabelecimento offerecen. |
l Conclundo, c na impossibilidade de des- g
crever c rico c variado sortimento que S
I possuem, os propietarios do PAVILHAO jj
DA AUROHA respetosamente convdam i
as Exmas. hmliaa a visitar eslo espa- S
( coso o rico estabelecimento que, alm de
| tudo, est dotado do pessoal Decenario |
5 para vender c levar amostras as casas s
| que as pedircm. |
Pelo ultimo vapor receberam ricos cor-
. tes de vestidos pitra casamento, luvas de S
t pelica ricas eliapclmhas para senhoras {
e diversas fazendas modernas.
jAberto das 6 da manhiia sj
9 da
noite.
IOJI
DO
GALLO VIGILANTE
Rua do Crespo n. 9
Os propnetarios deste bem conhecido estabele-
cimento, alm dos muitos objeclos que tinham ex-
postos a apreciaco do respeitavel publico, man-
daram vir e acabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e variado sortimento de
finas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
tio resolvaos a vender, como de seu costume,
por precos muito baratinhos e commodos para to-
dos, com tnto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, brau-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riqniesimos enfeites para cabecas da>
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais jwnito.
Superiores e bonitos loques de madreperola,
marhm, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores moias fio de Escossa para se-
nhoras, as quaes semprc se vendoram por 30JO00
a duzia, entretanto que nos as vendemos por SO},
alm destas, temos tambem grando sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marfira cqm lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
Suantidado de oatras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda c borracha
para segurar as mcias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 anuos de idade.
Navalhas cabo de marm c tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bera asseguramas sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capillas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas" para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumaras e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos mapeticos contra as convnlsoes, e
(vilitam a donticao das innocentes criancas. So-
mos desde muit recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois podero aquel-
les que detles p;ccisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre eneontraro destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao nm
ara que sao applicados, se renderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dDS cbjectos que deixaraos
declarados.' aos nossos freguozes e amigos a virem
comprar por precos muito rzoaveis loja do gallo
vigilante, rua do Crespo n. 7_______________
Sellins baratos,
N. 27,-r- HUA DO LIYItAMENTO \. 27.
Nesle estabelecimento vende-se sellins e
silboes, de toda as qualidades do melhor
que se pode fabricar no paiz, assim como os
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxoes,. traviceiros, caixi-
obas com almofadas, proprias para menina
levar para aula. O proprietario deste esta-
belecimento garante a puntualidad, esme-
ro e zelo de seu trabalho; portanto peds ao
respeitavel publico sua proleccao, queaffian-
5 vender tudo pelo mais barato possivel,
e por ntenos do que em outra qualquer
parte._______________^______
J cordeiro previdente
Rua do Inclinado n. ltt.
Vovo e variado sortimento de perfamariaj
finas, e outros objeclos.
Alm do completo sortimento de perfo-
marias, de que effectivamente est prvida
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento qne se tora
lotavel pela variedade de objeclos, superiori-
iade, qualidades e commodidades de pre-
jos; assim, pois, o Cordeiro Previdente ped*
a espera continuar a merecer a apreciarlo
lo respeitavel publico em geral e de su
boa freguezia em particular, nao se afas-
lando elle de sua bem conbecida mansidao
i barateza. Em dita loja encontrarlo o
mreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray 4 Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
jeza, todas dos melhores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservacSo do
tsseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
'os agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
oomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
i outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
francezes ero frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
o de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolbidos clieiros, em frascos de difle-
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menore
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
lias perfumaras, muito proprias para pr-
senles.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bero de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
* boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras differentci
dualidades tambem para denles.
Tnico oriental de Kemp.
Anda mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilho
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
ist3o todos expostos aprecia(3o de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeiro.
Flvellas c Otas para cintos.
Bello e variado sortimento de laes objec
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com;
prador.
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazern amarello de Vicente Fer-
reira da Costa & Piltio, defroute do arco da Gon-
eicao. em barnras grandps.
Sementes de hortalices chegadas pelo ultimo
va mr : na rua do Livraraento n. 38, armazern de
tmilhudo-. He-titne-se o iriporte ao comrrador, ao
ca o de nao nascerem,
N* rua do Codorniz n 8 contina a ter um
grande sortimento de doces em latas e caixoos de
diversos tamanhus, cujo so vende por preco mais
barato de ane em outra o ualouer partp.
AZ (4Z (L
Chegou ao antigo deposito de Henry Forstor
C, rua do tmnerador, am carregamento de ga
de primeira qualidade; nqnal se vende em partida-
e a retalho por menos preco do qae era ontr qu1
quer parte.

COGNAC
De superior qualidadsda mui accredita
da fabrica de Biaquit Dubouch 4 C, om
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-so em casa d Th. Just. rua de
commftrrin n. 32.____________________
Venilem-se d"s bois, sendo nm do carmea
e ontro um novilbo toiirin da mais pura raca :
na cocheira do pateo do Paraizo, que foi de carros
fnebres, se dir quem os vende.
Ycudem-se duas eserarn pcrleilas conheirai
cinco moleqiu's pecas de ti a i'.' annos, e um ca-
sal de escravos de meia idade. robustos e proprios
para qualquer servico : no !n andarlo sobrado
n. 36 da rua das Cruzes.
Cabriolet.
Vende-se um cabriolet de dons e quatro assen
tos, o que ha de melhor nesle genero, com bom
cavallo e arreios, ou sem elle : na rua de Santo
Amaro, cocheira de Thomaz Lias.
Cahriolet Doca t.
O mellior nesle genero, e perfeito estado, ven-
do se um ; para ver na cocheira de Thomaz Lias,
rua de Santo Amaro, c tratar na rua do Crespo
n. 16, loja, das 8 as II horas na mauhaa e das 3
as 6 horas da tarde.
Vinho do Porto
Vende-se superior vinho do Porto engarrafado :
no esenptorio de Amonio Luiz de Olrveira Azevedo
& C, rua da Cruz n. 57, 1 andar.
CADET
CURA
em TRES DAS
y. Denain
PA R I S
Pars, 36,RutVivIenne, D*
CHABLEMOCCIN
SA8INPKRHIHAUAS OESStXi Ah!,. S AjIM*
&)t* tTANr.-. E ALTERACOK9DOSAIWH1.
l^n000curasdiitai*nnfM
\intttultu. ktrpe, linn
comixoM.wimeMtj t
V*rfou, ncioi do M.
--------bu; na. ttfrfm
* "' Xropr e rati irtrtmt UHMM WIOBi
tontao-se lUB -ni rrt;do ai rstnaiK boImIm.
KU Karoite CilraM te
farro de CHABI.R cara
mad ia u BAOM aaaifMi
DEPURATIF
i<> SAIVG
.PLUS...di-
COPA HU
rxBZiira*
C'iti-acn

ente os/fvji ftiirtt bronces 4a.
ctt injaccao benigna taiprtfa-u no* a X*raa
icw> di Frrro
l Ponida qaa aa cara aai naa ataaV
POMADA ANTtHERPETICA
Contra- aa* t-Bratom uloneo* muanal
PILULAS VEGETAES DEPURATIVA
to av ckaki*. tadi fraaea vai i
ta feifctto.


Divio de Pernafflbuco Ter<;a feira 7 Je De/.embro de
1869.
7

\\ '
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DE
FLIX PEREIBA DA SILVt.
O proprictario d'este grande estabelacimento, vendo que se est aproximando o fin-
do anno, e teodo em ser um grande deposito deposito de fazendas; nao fallando em
valtadas encominendas que Ihes est5o obrigado todos os dias, tem resolvide liquida-
las por prego muite mais baratos do que em outra qualquer parle ; so eom o flm
de diminuir o deposito e apurar dinhoiro. Encontrase neste estabelecimento do
PAVAO, avultado sortimeoto de abadas do laxo e modas; assim como de primeira
aecessidade. As pessoas que negociam em pequea escala n'esta loja poderlo sortir-
e vendendo-se-lhcs pelos precos que compram, n cedentsimas familias poderab mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou man-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; n estabelecimento se
acba constantemente aberlo das 6 boras da manhaa s 9 da noite.
ALPAGAS BRANCAS LAVRADAS
,A *0 $UMA*6
A AGUIA BRANCA tem conviccSo de que a abundancia de objectos de novidade-
em seu constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridas
de de qualidadcs, e a limitacab de seus precos, est3o na op n3o do respeitavel publico
em geral, e na de sua boa freguezia em particular; mas ainda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da recepclo d'aquelle* objectos que estao alm do commum,
como bem sejam
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melbores roupas,
sendo calcas palitts e coletos de casemira,
de panno, de brm, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desejar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qoalqucr peca de obra, com a maior promp-
Chepou para a loja do Pavao um grande sorti-
mento das mais bonitas alpacas brancas lavradas
e do cordo sendo n'este genero o melhor e mais
lustroso puejetn vindo ao mercado, tem alpumas
tao (inas e tao bonitas que servem para vestaos de
noivas e vondomso por coramodos precos.
LAAZINHAS MODERNAS NA LOJA DO PAVAO
Chegou para esto estabelecimento um grande
sortimento das meibores e mais modernas laazi-
nhas para vestidos, sendo tapadas o transparentes
de todos os presos e qualidades que se vndam
mais barato do que em outra qualquer parte.
Crochs para caleiras e sofs
O Pavo tem um grando sortimento dos
tido vontade do freguez, e nao~sendo mais bonitos crochs proprios para cadei-
obrigados a acceita-las, quando nao stejam ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
completamente ao seu contento, assim como como proprios para cobrir presentes, e ven-
n'este vasto estabelecimento encontrar o de-se mais barato do que em outra qual-
respeitavel publico um bello sortimento de, quer parte,
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
nho e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
sendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. tO, loja e armazem de Flix Peroi-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porcSo de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavao ra da Imperatriz ,n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Eucontra o respeiiavel publico neste estabeleci-
mento um grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam, cassas francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de la de
todas que tem viudo, proprias para luto, como
sejam, laaziuhas, alpacas lavradas e lisas, cantao,
bombazinas, merino, etc., que tudo se vende por
preco barato.
AS CASSAS DO PAVO
Covad a 300 rs.
Vendem-se finsimas cassas francezas com lin-
ios femabas e cores flxas a 300 rs. o covado.
Madapolao frartcez a 75000 rs-
Vende-se pecas de madapolab francez
com 2 metros pelo baratissimo prero de
7)5000 a pera, pichincha.
Altas noviduiles em sedas
Chegou um grande sortimento das mais
moder tas poupelinas ou gorguroes de seda
e linho com os mais eleganies padroes que
tem viudo a este mercado sendo, miudos e
graudos. tanto era cortes para vestidos como
para vender em covado, asskn como um
bonito sortimento das mais bonitas sedas
listradas que se vende tudo muito em canta
Grostlenaples de cores
Chegou um grande sortimento dos mais
bonitos grosdenaples de todas as cores para
vestidos que se vendem muito mais barato
do que em outra qnalquer parte.
CHAPEOS DE BRIM A 2f*000 RS.
Chegou urna grande porco de chapeos
de briro para cabeca que se vende pelo ba
ratissimo preco de 2#000, por terem che-
gado com um pequeo toque de mofo. E'
pedrincb.
GRANDEPECHINCHAA 5:f>00 RS.PEfA DE
Bretanha
Vende-sc pegas de uperior bretanha de
algod teodo quatro palmos de largura
com 20 varas ou 2 metros cada pega, esta
fazenda seria para costar 8/5000, a nao ser
?raa grande compra que se fez, e liquida-se
a 54600, cada peca.
Admiravel pechincha
ALPACAS A 400 RS.
DE FRTA CORES A 400 RS,
ALPACAS A 400 RS.
Vende-se um grande sortimento das mais
brilhan'^es aipacas de furta cores com as
mais lindas e mais modernas cores imitan-
do perfeitaraente as sedas de furta cores
sendo oeste artigo o mais novo que tem
vindo ao mercado, para vestidos, muito pro-
pina para as senhoras que forem passar
festa oo campo, por ser urna fazenda de
multa fantasa e pelo barato preco de 400
rs. o covado.
Bretanha* de rolo a 14500 a
peca
Vende-se superior bretanha de rolo ten-
do 10 faras ou i 1 metros com 4 palmos
de largara pelo barato preco de 20500,
webicba.
OssetnsdoPavao
Veadc-se os mais bonitos setins de cores
e mais eucorpados proprios para vestidos
teodo de diversas cores.
AOS PALITTS DO PAVO A 180 o
200000.
Veoe-3 um bonito sortimento de palit-
ts fraocezes sendo, sobrecasacados e pro-
priamecte sobre-casacos, que se vendem
forrados de alpaca a 180000 e forrados de
seda a 2G,',Q00, pechincha.
COLCHAS DBFC8TAO
Na loja do Pavo vndese um grando sortimen-
to de colcl&s de fasto sendo brancas e de cores
ditas de croch para camas de noiva, assim como
qotutes damascv do la para colchas.
Na toja ae Pavao vendem-se os mais
bonitos chales de verdadeira cachemira de
cor, com os desanos mais modernos, a t>0,
40 e 120000, muito barato na roa da Im-
peratriz n. 60.
^ BASQUINAS A 120000
Na loja do Pavao vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
peto barato pr$o de 12#M0 cada orna.
GLACE' A 1:00 PARA VESTIDOS
0 Pavao tem esta nova fazenda lisa pro-
pria para vestidos, com as mais delicadas
cores e com mais lustre do que a propria
seda com 4 palmos de largura que facilita
fazer-se qualquer vestido com 10 covados
e vende-se pelo baratissimo preco de 1:200
rs. o covado, pechincha.
CRETONE DA INDIA PARA COLCHAS
0 Pavo tem esta nova fazenda cretone
propria para colchas, com os mais lin os
padroes chinezese com as cores inteiramen-
te fixas, tendo largura de chita franceza e
veude-se em conta,
Orjrandvs
. a 500 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores com padrees miudos e graudos. sen-
do todos de cores fixs, pelos baratos pre-
sos de 300 rs. o covaJo.
ALGODO ENFESTADO
Vende-se urna grande porco de aigodao-
sifiho americano com 8 palmos de la gura
proplin para lences e toallas tendo liso e
trnicao que se vende por preco muito em
conta.
"anos de liuho
Chegou um grand- sortimento de peca?
de panno de linho do Porto que se vendem
de 70o rs. at 10000 a vara, garantindo-se
que em fazenda de linho nao ha nada me-
lhor, nem mais proprio para lences e toa-
Ibas
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
. Chegou um grande sortimento dos me-
nores chapos de sol de seda, inglezes ten-
do neste art go o melhor que tem vindo ao
mercado assim como urna grande porco de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por prego muito mais barato do
que em o tra qualquer parte, por haver
grande porco.
neos brancos
Vendc-se um grande sortimento de len-
cos hrancos para homem, sendo a dtizia a
15600,25000 c 30000. ditos abanhados
muito finos a 45 e 65000 a duzia, ditos de
esenio fazenda muito superior a 50, 65 e
70Oiio,
Pechlcha em casemiras a 4:000
Vende-se finissimas casemiras de cor com
listras ao lado, tendo duas larguras e rom
as cores mais novas e mais bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baratissimo prego
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, contepdo navalhas o os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
juando abertas
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rola para costura, obras de apurado gosto
e perfeico, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com msica.
Estojos ou carteiras de couro com nava-
lhas, e os mais n&cessarios para viageos.
ESCOVAS DE MARFIM
Para unhas, denles, cabello e ronpa.
Outras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes do cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
gentes para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin dourado.
Botes com ancora, e P. II. para fardas
e colletes.
Abotoaduras d'aventurine com o p de
prata dourada, para colletes, cada um 55.
Botes do cristal, encastoados em prata,
para punh%, 45 o par.
Camisas de flaneila para homem, a me-
lhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de la para homens, senhoras e
creancas. ,
Ditas de dita, tecido de borracha, para
quem sofTre de nchaco as pernas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrin-
tho para baptizados.
Renda e bico de guipur, branco
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
pennas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.
Bonitos passarinhos de metal prateados,
par* segurar costuras, tendo almofadinhas,
de velludo para agulhas e alfinetes.
besouras de duas, tres, quatro e cinco
percas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLSLTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusultra, merece a Aguia Branca as
honras d'um arinuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de to bom
em tal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundaro
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras continuarlo a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
mes e qualidades a infinidade d'objectos
que constantemente se acham venda na
loja da Aguia Branca, seria seno impossl-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia. e pede aos que de novo queiram
reconhecer a commodidade de seos precos
e a cincridade de seu agrado, que nao se
esquecam de comparecer loja d'Aguia
Branca ra do Queimado n. 8.
BRACO
Ra do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento enconlra-se
diariamente um variado soi tmenlo de bo
linhos parach, pastis, podin>, bollos in-
glezes, paes de l. presuntos, ditos mi fiam-
bre, superior cha Hysson, preto, c niiudi-
nho. Vinhos finos de todas as -qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, fructas muito boas, por-
tuguezas e francezas.
Um completo o variado sortimento de
caixinhas de todas os gostos e precos para
mimosear senhoras, estas caixinhas recen-
temente chegadas de Pars sao de primoia-
do gosto, olcresse-mo-las aos galanteado! es
do bello sexo pois ncllas acharao nm digno
e serio presente para as donas dos seus
pensamentos. Tambem es apreciadores da
boa fumaca encontraro cliarutos dos me-
lbores fabricantes da Baha e de Havana
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, ebristalisados e de
(jalda, ditos de caj ede outras qualidades.
Nesla casa recebem-se encommendas para
bailes, csame utos e baptisados e qualquer
encommendas avulss, como seja pao d-- lo
e bollos enfeilados e outros multas couzas
que enfadonbo memflmar.
A'telo
Joaqtum Rodrigues Tavares do Mcllog
tem para vender no seu escr|torin, pra-^g
cadoCoipo Santn. 17 primeiro andar,^
potassa da Russia ltimamente chegada.^r
caLde Lisboa c vinlio Bordeaux de supe- '""
rior qualidade.
SOilf HLVrO PARA A FESTA
Yende-se po; menos de 10, 20 e 30 \Q
SO' NO
ARMAZEM CONSERVATIVO
N. 23Largo do Tenjo.N. 23.
DE
SIMO DOS SANTOS ft C.
Os proprietarios deste bem sortido annazem de secco e molhados esto re-
solvidos a fazere urna grande diminuicao de preces as suas mercadorias. como se apro-
xima a festa e sempre se fazem avultadas compras para o centro e praca, por
i^so previnemao respwtavel publico em geral, quo mande fazr suas d^spencaie cer-
tos de que vero a grande dilereuca em procos mais do que em outra qualquer parte
e garantin'to-se as superiores qualidades.
"GAZ AMERICANO 3300 a lata, e HO
rs. a garrafa o G rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FtGUEIRA 00
agarrafa, e*#500 a caada e 800 rs o ti-
tro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 50 rs. a garrafa, a 28O0 o
3tJ2(K) a caada, 060 e 7o rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 45000.
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA a
00, 240 e 320 rs. a garrafa, l!l400,
I #800 e 23200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 7$ a caada, e 1340 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 400 0
280 a libra, 30G0 e 2780 o kilo-
SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra e
620 rs. o kilogrammo.
FARINHA DE ARARTA VERDADEIRA
640 a libra e 4(N) o kilogrammo
BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 8tK)rs.< kilogrsmmo.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANCA, 280. 4(M) e 560 rs. o masso,
35200 e 65500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 280, 25500
3 7500.45500, 55500 a lata e a retalho e 15
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o jnasso. e em caixa ha abatimento.
"DATATAS NOVAS DE LISBOA 00 rs.
iimiiii
Resta venda um escolhido sortimento de ob
lectos de marcineria, como sejam, mobilias do ja-
nrand, mogno eamarelln, obra nacional e estran-
jeira, de apurado gosto eporpraco- razoaveis :
ta ra estreita do Rosario n. 32. Ncsta mesma
asa fazem-se com pcrfeico todos os trabalbos de
jalliinha, como sejam, ompalhamentos de lastro-
i,ira canias, cadeiras e sophs.
PR1BIID E SEftlJDO LVBOS
DE
LEITURA
PARAUSO DA
INFANCIA
PELO
BRASILEIAA.
Dr. A. Cesar Borges.
(2a EDICO MUITO MELHORADA E
AUGMENTADA)
Estes dous livros, rehltado de -rrande expe-
rirnria e estudos especiaos do autor, vicram sa-
tisfaar a urna das mais instante n:i-?ssiilades d
jnstrucco primaria, o por tal forma que, pelos
governos de quasi todas as provincias tecm tu
adoptadas para as escolas publicas, assim como
por grande numero de profesores particulares.
O primeiro Itero ( MMuialamentQ diverso das
cartas valgarmente conhecidas pelo nome de A
BC) e composto segundo um systema natural,
philosophico e ameno que aos meninos fecillts
extraordinariamente o conhecimen'o da leitura.
tornamlo-llies muito miis rpidos, ; nito raeno>
penosos, seus primeiros, tmidos e vacilantes pas-
sos na vida Iliteraria.
O segundo livro consta de muitos artigos, con-
tos etc., todos to breves como convem Coga2
attencao das criancas, e escriptos em lingungcm
e estylo apropriaoiis a frauqueza di sua inteli-
gencia.
E de maneira combinadas nello se acham >
materias que, ao mesmo passo qne vivamente in
Uressain e di'leitam os pequeos Ieitore?, levam-
Ihes c iniplantam Ibes no espirito c no coracao fe-
cundo* preceitos de moral, inspiradlo-Ules, desde
logo, com o gosto da leitura, o amor da virtud
e a repugnancia da do vici.
Sa. ambos estes livros ntidamente mpressos t
el"gantemente encadernados em Paris, e conten
estampas linas representando os assumptos dw>
contos ; o que os torna mais convidamos aos me-
ninos e muito proprios para presentes ou premn
dos meamos.
Oitetn demals o segundo dnos bellos hymno^
com msica para o onmeoo e lim da escota.
Recommendamo-los pois confiad.mente aos se-
nhores pais de familia, e professorc? que ainda >
nao conhecerii.
Primeiro livro. SO1)
Segun.lo 2;00'J
A VENDA NA
Livraria fraocaza,
9RA DO CRESPO9
de 4000o covado ou 7i?000, cada corlegrniTTVR\NCEZ\ 960 900 e 850 rs. a ''^ra' em ca'xa fa5:'8e abatimento.
a libra, e 2H00,
Pavao a 2^000, ,,ramm0.
de calca.
Os bloes do
Cheg. u um grande sortimento de bales
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 2#000 ca-
da um grande pechincha.
AS CA iRRAIAS DO PAVO A 4:500 RS.
Venderse urna grande porcSo de pecas
de linissimas camhraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com mais de vara de
largura pelo baratissimo proco de 500, a
peca sendo fazenda que nunca se vendeu
por menos de 8^000, grande pechincha.
980 e 860 o kilo-
AS POUPELINAS DO PAVAO A 500 RS.
Chegaram as mais lindas poupelinas de
la com iraitaco das poupelinas de seda,
um fazenda muito leve com as mais lin-
das cores, sendo: verde Bisraark, rxa, azul
lyrio, c nsento, perolla etc, etc. e vende-se
pelo baratissimo preco de 500 rs.
Fustes brancos para vestidos!
Chegou um lindo sortimento dos mais ba
ratos e bonitos fustocs brancos com listras
e cordbes, sendo fazenda bastante larga
flexivel, muito propria para vestidos e mu-
rtas de m-Hinos e vendem-se a 640 o co-
vado.
BONITAS LUSINHAS
OU ANADINAS A 1,5000 RS. 0 COVADO.
Chegou para o Pavao, um grande e va-
riado sortimento dtsta nova fazenda de la i
e seda propria para vestidos, conw mais
delicados desenbos cmais moderna* cores,
tendo bastante largura que facilita fazer-se
nm vestido com poucos covados, pelo barc-
tissimo preco de IdfaMK) o covado, por ja es-
tarem muito prximos da fe>ta.
Papel para erabrulho
Compra-ss na roa da Imperatriz n. 60.
Loja d'Pa'io.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a li
bra, 1#220 o kilogrammo, em porcSo se
far abatimento.
BANUA DE PORCO DE BALTIMOOR
720 rs. a libra, t> 1560 o kilogrammo, cm
porco se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
3400 tt arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 65000 a arroba.
AF.EM GRAO 63 e 6S00 a arroba,
200.240 e 260 rs. a libra. 440 e 520rs. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SARAO MASA 210 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHARIN E ALETRIA, JO rs. a !ibra_e
13220 o k'logrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
lhante.combination, Francy-cracynel, mxed
Britania. Meitium, Fancy-nw-nac, a, b, c, o
soda a 1(5000 eUiOO, cada urna lata.
Assim como ha outros muitos
SERVEJA INGLEZA MARCA II 5$500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM RASS, VERDADEIRA IHLERSA
BELL, 800 rs. a garrafa e 93 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 13500, 15200, 13 e
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 73 e 63 a frasqeira, e 500 rs. o
frasee.
DEM DE LARAMJA DOCE AROMTICA,
113 a frasqeira e 13 o frasco.
QEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
33000, 23800 e 2.400 em caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 113500a arroba.'
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 13000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TO a 13000 rs. a lata.
CHA FINO. GRAUDO E MIUDINHO
33200 e 23800 a libra, e 63100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 23000,
125200 e 13800. rs. a libra,
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
A ra do Livraraento n. 6, contina a ha
ver para vender por precos rasotveis, t>
melhor vinho verde at hoje viudo a est
mercado
RA IIA LORIA \. 5
Olaria do Fundao.
Ha sempre nesta olaria grande sortimento de
materiaes, como tijolos de al venara batida, ladri-
Iho, quadrado de 8, 9 e mais pollegadas, telhas e
telhoe-;, tijolos de tapamentos. O roprietarlo des-
ta olaria garante a bondade e tarr) de taes mate-
riaes, como tambem vende-se mais t.arato do que
em nutra qualquer parle.___________________
PARA A FESTA
3 portas, loja de er ajwni
53-Eua Direita-53
Neste graoae estabelecimento, lia para vender
um completo sortimento do ferrag?n, e miudezas
finas o grossas, como sejam ba viejas cblneas
quadradas e ovaes, facas e garfrs de J 2 bo-
t6es, balando integro e t/ balan jo; panellas, cha-
Iheiras, cacarollas, frlgidelras, assadekte, tanto
de ferro como do porcelana, ni 'ios para caf de
diversos tamaitos do fabricante apy, pcos kilo-
gratimo?, tonto de ferro como te h\%\ metras
para medir fazenda tanto de ferr; como de lato,
salitre, breu, barbante, enxofre, papel marca via-
do, do verdadelro Picardo, machinas para desea-
rocar algodao; alm de outros- artigos de ferra-
gen, miudezas cutilarias fina, (na i cm a vis
ta so verifica ; na ra diroita n. ri3 loja de 3 pi r-
tas do Manoel Bento de Oliveira Rrap A C.
muito novas, passas e figos novos, charutos de diversas marcas, marmelada, feita pelos
melhores conservemos em Lisboa, gela de marmello, pcego, ervilhas, em latas, por-
tuguezas e francezas, vinho verde engarrafado retalho, pexe em latas, bem como
pescada, tainha, pargo, goraz, l!a, corvina, vezugo, cavalla, sarda e sardinhas de Nan-
tes. ianella, cravo, ervadoce, cotninho, nimenta, grandesmolhos de sebolla 13500.
Finalmente muitos outros gneros que entandonho menciona-los.
Nb ja e armazem do Pavao m da Imperatriz n. 60.
POR METADE
de seo valor vende-se Da loja do Triumpho
a ra do Queimado n. 7.*
Las de bonitos padrees a 320 e 400 rs.
o covado.
E outras mu tas fazendas de phantasia por
preco muito commodo e breve aera annun-
ciado sen esplesdido sortimento.
LOJA DO TRIUMPHO.
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento; na ra da
Madre de Dos n. 22, armazem de JoJc
Martina oV Barros.
Fio delgodo.
Vende-ao fio do al(|od3o da Baha em aoeos d
50 e 100 libras : no ascriptorto do Antonio Luii
do Otiveira Aicvedo ,'it C., ra* da Cruz n. 87, i*
andar.
Confeilaria dos Ananazcs
16Ra da Cruz16
Doces seceos, e christalisados, ditis em calda,
caixinhas com amendoas e confoltos, ha bonitas
figuras paia bandejas, grtipos do noivado, bande-
jas, bollos e paes de o decorado-., somente cim
trabalho de assucar.
AVISO
Os proproiario (lo BAZAR A MODA
sito ra Nova, nesta cidade, dci lar;:
rtspenvel publico e com
seus irecrn.e/.e.s, que, '.ehoe*'!ii
llanto >:;.'icr o grande soitimei to rio
mo I rfuman.i, gainquilharia?, ar-
laos de moda para boai.-ns, schnon's o
men; .-->$. .rn um graadjL abatimento en
procos p;-.i !iuiilarJMBti-o
A grande vai-icdadllilibjechs degisto
recebidos da Europa, onde s m.smos pro-
prietar'Q.s entretem relav5es"com InHkis cor
respode:;l''s habilitados a ofrrccer as
maiores varit3gens possiveis e hoje e^lim
resolvaos a liquidar com pouco lucro. p.d>A-
ri?o oscnipradoresuma tlilliren^isnpeii.ir
a .10 po- ceuto menos do que em outra qual-
quer parte.
A PRECO FIXO-sSo ven-lUas todas as
merradorias constantes do eslabelerimento
e por este M'stema de negocio podem sem
escrpulo comprar, certos de i]t.!e nio t- -
rao Iludid g.
Tem empreados promptos a condozircm
os objectos cu amostra a q'uaffjner casa que
o exija.
Uazar d Moda1 de de/embro de
Jotfde Soiuti totM S C.
---------------------------------------------------------------------------------------------------..-.--------------------1____________________.
Vende-se tima casa do taifa m>s Albga I '
a tratar no largo de S. Pedro, sala do daoca ; c
preco ranilo commodo.
Bartholomeu Se C,
Vinho, Pilulas, Xakope : T:ntura
DE JuRL'pEBA SIMPLES K PEI'.RL'ClI.'CSii.
o, Pomadas Emplastro q.\ hesmm
PLANTA PrtBPAR.%008 POR
8ARTHOLOVSE0 &
PH A ti M AC EUT ICOS- UllOGLIS TAS
PLItV4HEU < U
A Jurubeba : >u |ilaii!;i buje rec :','.K-(lt
eolio o mais |ioderosn t.i co, coinu o aethu
daeotwlrueule. e como lal a>uiicria uos paJeeioicaiM
da Qpilue luri, hf|i.iiiies. ares*, (muer.:) aier-
oq> a Mpecialmenia lo mero. hjdrofaiiiH, mn,
pella, .le; e associada ao erro e ulil na pallidaf
cor, chteroses e talla de nieii.tniacao, deiarraD-
jos Jo estomago, ele, < o .ue liiaemus ailcsll
Innameraa curas impuiiscics obtiitos eom aosso
ri 'arados ja hein conhi-ordo e usados pelea man
distinclos mdicos do pan t l'onapl. 'm lodoa o
Q055OS Jeosiios distribuimos gratis folbc'.oa qm
?i-lhor fasera conbecer a Jambaba stoi rssultadoa
a applicaflo.
XEOPIBFFr.E r P,0F T
fc'di! Il0':ii'[i''ari;i viT l;i.rr,i:!ici]!i' ,
viis como mn.;mlr r? y-'i :rn ncrvo'oc '
npplicai'o contra a .ira.-ia, nathnM, losst
convulso ou i-oquelur!'!, Iopso rcenles ou an-
lifrns BufTocc '.o ,catnrrh>* h- mi tcamete.'
a iinnl conlra lO'J.s r SOnVimentofi cl-:-
nssawtorias, c un phiisira po|ntona*%si -i \
tudeconlrao lnnoouespasroos,cconT l incon'eslavi ening n toiaiieodesranhc^.
nico deposilo, n'; larga doIloario n. 10.
junto r.o qutrlcl fio p :i.;ia. Punianiburo.
Continunflarnonle ;nosnpresentamnovos
tcsk-mr.nhcs daelflcacia to fi tlogoso Pernnm-
PILLAS, ViNHO E XAROPS
n: jijHiittKBi
i ; i-ttws pn.i pn.ni!CfnTi:o
JO.tQl III DE VI.H1 EDt PIMTO
As pn paraf-'esdo jv.rubebasao hoje vnnta-
josamente conhecidas c prconisadas i elos
mais hahci? medicc. '.anlo da Europa como
rio paiz, pela sua efBcacia nos casosde anemia,
hloroze, hydropesia, obr^rucoao do abdomen,
i lambis nos tic menstrmsao dilflcil, oathnrfo
na bexiga, etc. etc.
Vi'ndra-se nm porco c a retaiho na cidad*
do Ueciti". phavmacia do seu compositor. ru.i
larga to Rosario, n. 10, junto ao quartel da
polica.
PINTO l'HABMACKUTICO
XAROPE DE SALSA PARR1LHA DO PARA
ou
)EPURATIVOdoSANGUE
Quilas as molestias rhi-iimalicas, e uli-cras venreas.
ISLA MEiM DO IIOSARIO, IV. 10.
ESCSAVOS FGIIOS.
i l^ni ve-tido ;
k Ki'g-> : para.
ites d-' campo
Ainda e-t fagidtvo mea escravo Isaac, m 1-
lato, dade 20 anno, pouco mais ou menos, te >
no dedo grande da inao dircita duas unhas. coaw.
so fossetn dous dedos; na sua sabida farlou-n e
500a f>005 em moed.is de onr i. e foi Iwm ve-tide,
consla-me que foi visto em Cedras d'
pois, s autoridades anticues capitaes
a sua app.ehensSo, e que n facnm cunduzir ri
da Matriz daHtoa-vista n. 33. onde serao bem le
compensados.
Jezuino de Miranda.
Fugio no ia 7 do crreme mez de noverr-
bro, a escrava Joaquina, crioula, do idada 40an-
uos, cor preta, baixa e cb ia d> cerpo, tem un .i
orelha rasgada no lugar do brinco, urna p^qu-1-
na cicatriz na testa a um lado, dous duales n
frente abertos que parec' falta de um, ma'i nao
esta escrava se oecopava em carregaragna no pi-
teo do Terco, ou lavando mupa peh*s coqneir.
junto a ra Imperial, e por estes lugares m>
ella costuma andar. Roga-se aos Srs. capitaes !
campo a aprehensao de ra do Queimado n. 39 terceiro andar on a pra ,1
do Girpo Santo n. 17 primeiro andar, que ser3i
bem recompensados.
Vende-se
um sitio na estrada nova de Behcrib, na ra e
Santo Aatonio, feila de pedra e eal, tan os restos
dos materiaes dentro, plantado do nvo, tem ano-
redo* em ponto pequeo de todas as qualidades,
tem do frente 140 palmos e de ft ndo 474 ; quem
quizer fazer negocio dirija-se ao becco dos Fer-
reirss n. 'X
Sag, sag
muito novo a 100 rs. a libra, e 80 rs. do 10 libras
para cima ; na raa .Nova u. 60, armazem da Liga
50$000 de Gratn-
capo.
No da lo do ciirrente fugio do engenbo S. Pe-
dro da freguezia da Escada, o esc raro Bernard i.
de 20 anuos de dade. altura regular, ebaiu
corpo, tem bous denles, nariz chato, testa grano.',
olhos regulares, olbar de parco, nsonh
andar embalar.ca-.lo embaanla muito cum .-.
bracos qnan-to'anda, carreiro o muito esperta
bom Teitoe robusto, fallante e muito fi ta,
o cabello bem tratado, eoor da pello, o do cabe.to
bem preto. Foi comprado no Recife ao Sr. Fra-i
cls -o Marinho Falco, residente hojo coi A'o+-
Preta : qem o appreb^nder o conduzir ao eng-
nhu cima mencionado, ao sen senhor. u no Rv
fe ao Sr Ikrnardino de Sena Puntual, na ra 1
Senuria-neva o. 38 receber a gratificado ac
mencionada.
Gratiflca-se.
Aiaia est fgido o Joso-col, escravo da pa.lv
rt'a alfemaa da ra do Lima, em Santo Amaro,
innito conliecido por ter vendido pao de leite o ir
o braco es.|nerdo cortad, crionlo, 33 os
idado i> muitas vezes cobro o defoito do ferc
um panno qualquer, toma cachaca e falla
Protesta-se contra mam otiverom r n
a pas')a qu? o qaelra eapiar,--r sera ntwipei-
iala.
?
1


8
*
/

Diario e Pernambuco Terra feira 7 de De:sembro ty 1869.
MM
A AMERICA
(Trad. do hetpanhol A. amano.)
Gngida de jasmins e trepadeiras
Entro vtlhas montanhas escondido,
Passou suave o indolente vida
Bina trra bellissioM.umjardim.
America -por alguns denominada,
fe seos nttins dopois ta a chamaran,
E n'ella > domicilinjeu (ixnram
k syl>!iid, fadig Jecraphim.
licilio jeu (ix
As auras dos seus bosques centenarios
Bmballam-ihe os jasmins, que traz na frente,
E aroma purissimo, innocente
Si desprende do pistillo virginal.
Formam de sua fronte o diadema
Exercilos de palmas ziimbidoras,
Altivas e perpetuas moradoras
Do diserto e do trrido areal.
Ei lindos turbilhSes se precipitam
Cscalasde perqlas fulgentes
Que rosciam as petlas oleles
Oe muita agreste e nunca vista flor!
Povoam os seus robles e palmetas
Em bandos, as mil aves tropicaes,
Ostentando os coreados cardiaes
Da purpura de Tyro a rubra cor.
As nereidas gentis lanoam as praias
rfcisos. conchinhas, algas e coraes,
Transformando os disertos areaes
En ura cinto do per'las e rubins.
Arroredo vrente e pitnresco
Constitue sua linda vestidura,
Tornando-a tilo formosa, ca>ta e pura,
Morada de celestes chrubins.
i}m co azul, benigno, transparente,
De nuvens d'ouro e ncar reamado,
E* m noites d'amor abrilhantado
Por m riadas de estrellas a brilhar.
E? seu todo magnifico, explendente,
E tanto que sorrindo n'elle frisa,
Levemente embalado pela brisa
O archanjo dos sonbos e gosos!
Osoibosdas formosas sao estrellas
De raios fascinantes, que enlouquecem.
potencia* formosas ser parecem
Que b ixaram do co cbias d'amor!
Saas morenas faces, seus cabellos
Seus seios lorniados, palpitantes,
Do coi ae>) arrancam delirantes
De paixo md suspiros, com fervor.
Teus bosques e ros, e puras cascatas
Eternos sims flores, e aguas te deem,
fi as auras fugaces, d'olor carregadas
Emballem-le as palmas, com brando vaivem.
Ten co estrellado asul, transparente,
Derrame seu brando fulgor sobre ti,
E rica e altiva, famosa, potente,
Os ses le allumiem, phantastica houri!
Esconda enire flores, as lagr mas puras
O candido dia farinoso de paz,
G>bi iodo-te as verdes, extensas planuras,
Com o veo perfumado de gratos rosaes
Emballem-te o placido sonhar feiticeiro
\s brisas da selva com doce rumor,
i o cauto do passaro silvestre fagueiro,
Soraeiite o perturbe com liymnos d'amor
Doscam em brilhantes turbilhoes
\s ccalas, de per'las ornados,
E oivalhem as corlas perfumadas
Da f!r que jas occulla e virginal.
njam-te a bella frontequal diadema
Eiieils de palmas znmbidoras,
S-m^re altivas e eternas mo.radoras
Da planicie, do bosque e do areal.
Vert Deu^ em torrentes no teu slo,
Saber, vi tude, prosperar, bonanza,
E o eterno pliaual d'alma esperanza,
Wclaie o teu dormir, o leu despertar.
One dos lempos o genio misterioso,
Sonto a iinmen.-a trpode sentado,
Te augure tal a.f U'um inspirado
dorias, qne jamis possam lindar !
Recife1809. "
O casino secundarlo na Enrpa
(Conlimuicdo)
Os ingleses tena at o presente opinado
que o infandirem-se Da mente do* menino
pensamontos e dictamos uteis, tem menos
importancia do que inspirar-lbo urna tem-
pera viril e vigorosa, e qne o estudo das
linguas mo tas o melhor meio para se
Ihe desenvolver a inlelligencia. No pare-
cer de seus doutores. aeducaco e a tns-
irucco api'imoradas eram fructos dos es-
tudos gregos e latinos. A vida em com-
mum as escolas, o culto pela anliguidade
classica e o gosto pelos exercicios alhleti-
cos, taes eram as tros condicocs necessa-
rias e sufficientes para se formar ura per-
feito cavalbeiro, ura bom cidadao, e um
horaem til. Mas, nuo momento critico
no mais accesso da guerra da Crimea, os
ingltzes viram-se obrigados a reconhecor
que os seus yfficiaes, posto que mu valen-
tes no campo da batalha, peccavam muilo
pela falta de instrueco lecbnica. 0 exer-
oitu inglez possue tres escolas militares, a
academia real de Wo Iwich, que prepara
para a arlilbaria e engenliaria, o collegio de
Sandhurst para ca val aria e infamara, e
urna escola para o eslado-maior tambera
em Sandhurst. Antes de 1855, era-se ad-
mittido em Woolwieh por empenho, e o
exame, que era bem insignificante, nao oc-
corria se n5o de se ter sido admiludo ;
mas, desde alguns annos a esta parte nSo
se mais aceito as tres escolas seno por
meio de concurso.. Os alumnos que ao
entrar forcm classificados na orden cor-
respondente ao mrito de cada um, com o
mesmo predicamento sao recebidos no ser-
vico activo do exercito: os que csto na
cabeca da lista alcancam gratuitamente
urna patente de alferes, e os mais que es-
lau mencionados em clausula mais secun-
daria, s tem dreilo de por meio de com-
pra obterem o posto de official subalter-
no. Acontece que os jovens offlciaes, que
a custa de dinhero adquinram a graduago
ficain desde o principio menos conceitua-
dos que os seus cantaradas ; o que parece
ser um ptimo meio de se desacreditar um
costume anligo e deplravel, quo se nao
ousa supprimir de urna vez. Demais disso
o exame que se exige de todos os que as-
piram a obter um posto de alferes, nao tem
nada de atemorisar, pois o programma
delle Daslantemente elstico, para nao re-
pellir qualquer joven de inlelligencia soffri-
vel. Os elementos de matiiematica sao
obligatorios para todos os pretendemos, e
como complemento accessono de profi-
ciencia, uns pedem ser interrogados as
linguas antigs e outras, as linguas vivas as
sciencias naluraes, e at mesmo no snscrito
e nos indiomas da luda. O candidato dc-
ve. provar mais quo possue um espi-
rito culto, do que conliecimentos espe-
cines.
O governo tem proscripto para ntrar-se
as carretas civis, de que elle dispe, como
alfandegas, correos, secretaras e ministe-
rio e o servio civil no governo da In-
dia, um concurso, ou pelo menos um ex
me de suicienca, sendo as provas de
admisso a esses estabelecimentos reguladas
pi.uco mais ou menos romo as de Wool-
wieh o. Sandhurst. Nao parecendo nada
mais natural que taes regulamentos, (leve
dizer-se que esse preenchunento de cargos
e urna muovaco de da.a recente. smes-
elas universidades, nao obstante sua inve-
terada adliesfio aos estudos classicos, dc-
diram-se a acoroeoar os e.-ludos mixtos,
que propiciara aos empregos publicas; e
iiesse intuito instituirn o que se chama
etames, locaes que versara sobre outras
maierias ohrigalorias, como a grammatica.
a arithmetica, a geographia a malhematica,
as s< encas physicas e o desenho. Esses
exames e seus competentes certificados
tornam-se para os lillios de familias de
classe media o de que para os das fa-
milias abastadas servem os graos universi
larios.
Lima semelhanle instrueco variada, que
o governo e*fge dos s- us serventuanos
civis, e que as universidades certificara por
\a de exames locaes. pollera pelos Rifan
da gente indigente ser adquirida as esco-
las de grammatica, as quaes muilo menos
presara as dutririna maihemalicas, o donde
as ciencias physicas quasi que esto au-
sentes ? As escolas antipas nada cudam
de preparar candi.latos para esse genero de
exames de suffienmeia e s tem o numero
de alumnos que Ibes bast, c ntinuando
voga gerat a acortipanlia-lns no- ItmitHlo cir-
culo dj erudpo cisssica, e os prebostes;
substitutos c retores a se consideraren!
ce mo respnnsaveis da manutengo das an-
tipas tradices ^sooiatlfca*,. dw quoes tan-
l'. por ccnviccI pofwal, como em.venera-
fo dessas usaras seculares,,raeoum se-
fcarar-se. Achando-se as-cousas nesse pfi
loi urgente que se creas'sem escolas novas,
mais bem apropriada a instruccio profes-
s onal, que o estado reclama como
of negociantes, e os empizanos indas-
liHies.
Entre os cstaUeJieinwijtos, que- vieram
supprimir a dita ltnn*, a escota de Mirl-
borough merece ser m.in.inmd-i.com.c^M!-
c alidade, niio s pdrque os estudos' srtli-
st3o bem organisados, como por ser a
nsliluifiao obra de urna sociedadn mu sin
!ulac. Ecclcsiastcos anglican >s do gremio
protestante, os quaes, cjmo bem sabi-
do, quas todos sao casados,.vendo com pe-
liar seus lilhos icarera prvalos das boas
escolas de grammatica, primeiraraenle por
quella educofo costar muito caro, e em
segundo lugar, por ella-nao ser capaz le
preparar directamente o educindo alm
(elle poder vr a entrar logo em exereicio
de qualquer profisso ; ha vinte annos, com
fcinaram~se entre si para fundar urna es-
cola preparatoria de funcQes civis e olB-
tiaes, a qual, tendo sido administrada as
raelhores condices econmicas, na*o dis-
pensa nenhuma das vantagens pedaggicas,
ju,! se enconlram as antigs insiluices.
\ sede desse moderno instituto, que foi fl-
xada em Marlborougli, pequea cidade
de 3,000 almas, distante dj Lmlres 30 le-
guas, acba-se n'uraa regio, onde o valor
do terreno nao ascfflMtoo, e os gneros
alimenticios costara binto. Tendo essa
instituicSo um caracterstico francamente
cclcsiasnico, o bispo diocesano, o aroebis-
po de Canterbury e o hispo de Londres fo-
rantsetis principares dignatarios-. Todo obisp
do reino-unido, que contribuir por urna s
vez cora 100 libras esterlinas, adquiro o di-
reito de aposentarlo de um alumno, c de.
quando esse sahir. poder apresentar mais
ura outro. Alm disso, cada pessoa, que
fizer um donativo de 20 libras, obtem o t-
tulo de doador com privilegio de por urna
vez smente fazer admittir um educando.
Fra dessas apresentaces por nm desses
taes associados, nenhum minino pode s*r
recebido.
Ha actualmente perto de 500 educan-
dos, pagando por auno os filhos do laicies
1.700 francos, e os de eclesisticos um
quarto menos. Os professores, que sao
em grande numero, sao muito instruidos,
mas nao gozando dos avultados salarios de
Etntfou Rogby, no poJera ter estabilidade
o ate ba vontade deisam a escola logo que
se Ihes depara emprego mais lucrativo. 0
ensrao, que classico para os que se des-
tmam ao curso universitario, de. materias
modernas para os mais estudantes : tambera
ah se cursara, e cora b-jra xito, estudos
preparatorios para a academia militar de
Woolwkh. No mais os meninos desfruc-
tam urna plena franqueza, como a de s-us
collegas das esofas.antigs. Pode dizer-se
que nao nem organisaco antiquada de
Eton, era mesmo o sysienn rispido dos
lyceus francezes.
' O collegio de Chettenbam tambem urna
escola de accionistas (proprietary sehool),
urnas das clausulas da associa^ao, que o
administra, coasiste em serem as accoes
taansmissiveis, como qualquer outro valor,
mas com a reserva de nao poder ser isso
seno a memhros da igreja anglicana. Cada
accjio confere odifeito de apresentar un
educando. No collegio se ensuu a mus
de 0f> estudantes. morando WO quasi dos
quaes, como pensionistas, as casas dos
professores, que ticam cm torno do ediii-
io collegial, e os restantes as casas de
seus pas na cidade. Na classe de men i
monta, chamarla JMOOMfo de/)aremen/e,onde
nao se pode permanecer enSo ate a ida.de
de 13 annos, ha -rnente ura nico genero
de ensinanfa. Em seguida, os estudos se
repartem em duas divises, urna clstica e
jotra moderna. Eis como --m Marlhoron h
ja existe urna bifurcado, e.-iabdeci la para
meninos da idade pouco mais ou menos,
para a qual se prelendeu creal-a em Franca
ha algus annos passados. Isso n5o tem
provado mal; mas deve-se considerar fte
cora os lyceus francezes nada se assem-iiha
menos di que urna escola ingleza desse ge-
nero, na qual nenhum menino pode ser
idiniltido sera ser apalrocinado pnrjpB dos
>uistas.
Em condices mui ii.feriores, se arran-
iint muilisslmaa institmces particulares,
sao sotnento obra devespeculacdS in-
kies. Cada villa o cada aldea tem
o escoia,.ciijo meslra,as vezes
ajudido por um cortt>mestre, rene de
urna duzia violo-{wnsioaUlas para Ihes
ministrar urna ns'.ruc&o, cujas vanas mi-
ti'riaswlu tjbem tarifadas, que por
excmplo, so pago-eerlo prt?o para se apren-
der graramitica, outeo-para arithmetica, e
quall'ouU pdo lalim ou framsoz. M jilas
\-e alli so achara pronaisouawente reuni-
das discpulos de ujjb o-oiito sexo.
Qh.vh1*o mostr clrigo, ou teto al-
gura grao de forraatun cm universidade,
cuida muito de ostentar essa circumstan-
cia, que serve de grande recomraendacao
para com o geral do rwWlco.
Motivado pila liberdad.s absulata de en-
smar, que prevalesce na Inglaterra, as hon-
radas funeces de mestre de escola nem
sem re te n sid exerc.idas por pessoas
sulflcient imcnte dignas, p s qn'.- nao sendo
necessario, para la se abrir u na. escola,
apresentar certideadj de capacid-ade ma-
gistral, nem harnea (la auloridad admi-
nistrativa, acontece s vezes qiw essa pro-
fisso to honesta torne-se r..fugo de algum
desvalido, mo tonlou debalde qunlquer
outro meio de vida. Dickens, o roman-
cista da voga popular, ja na sua novella
Ni'coKrs Nickleby. deu a discripeo do que
era outr'ora o regimem escolasti :o as pe-
inas cidades das provincias.
Comecando desde a fauuosa Eton. para
onde a udalguia man'la as crealum da
sua progenia. e descarado at a humilde
escola de aldea, que aceita, como pens'o-
restas, os-UIiu* de &diosres propne'a-
rios, acha-se urna grada^o completa, onde
se encontrara escolas acramodidas a todos
os gostos. Priucipiando pelo reitor de
BtQq, que regorgita era sen estipendio an-
imal de 150,000 francos, e acabando no
pobre pedagogo de districlo rural, que
pa*sa fornes junto com seus aprendices,
tambera se tem professores por todos os
oreos.
Em toda a parte das que se acaba de
alludir, ensinando-se mais ou menos bem
lalim, a historia, a malhematica, e em
surama, todas as doctrinas, que se compre-
hendem na expressi genrica de ensiito
secundario, p le ura pai escoiher o que
conviermelhor ao astado de suas finaneas.
Absolutamente ha inteira liberdade. Mas
qual ser disso o resultado? Os Traucezes,
imbuirlos em suas p-npri is ideas de regra,
organisafao e disciplina, na ser*) capaes
de apreciar as partes boas ou mis desse
tal rgimen. Portanto, consultaii'lo-se o
que acerca disso dizom os inglezes, que
esto muito no caso de coahecer o que Ibes
falla, dos respectivos rotatorios se depre-
hende que os regios :oramissaros adhw se
exprimem da maneta segralo: Se um
mancebo, que, tendo na idade de 10 annos
mirado para a escola e della sabido na de
r9 annos, no for capaz de, sera soeeorrer-se
de diccionario, traduzir um trecho fcil 'le
lalim ou grego e de escrever grainmaiical
mente em latun; q ie nao sibendo quasi
nada da geographia o historia de yu paiz.
e ignorando qualquer lingaa morlerna ex-
cepto a sua verncula, apenas esliver era
tstado de escrover irglez correctamente, de
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
por.
Paulo Fval
Segunda parte
TItl* P4HN
(Continuaco do n. -279)
XXX
O Sr. I,eenq.
No momento em que o marquez de
;ai||anlbois sabia pela porta principal, a
que dava para a oeq.ena quadra gyron
ios gimizos, e a cabeca vellosa oo aleijado
;ipi),ire.'u seis pollegadas do chao, fyw-
se Tres Patas ponto de passaras peinas
menea para quem da soleira, e a gera
nouve que delraz delle feohou immediata-
mente a porta.
O r. Leq tomn urna das almofadas
lo sof e atirou Ih'a pel ar.' Tres Patas
)arrou-a e i sUllou-se n'ella, soltando
m ai de allivio.
Vera tarde esta noute, Sr. Matheus,
disseo pairo.
J nao enh'fe as mihdas pernas dos
ijuinzd annos, rep.icou Tres Patas, e tra-
balhoi boje muito.
Agoabodo como esiava no chao, rece-
bia em cheio no rosto a luz do candieiro
dirigida pelo reflector. Era de certo uraa
stiuiavel creatura ; mas havia no desenlio
d'aquelkis feivws exlraordinar o vigor. Os
olnos grandes e negro?, oppresso pelas
rebelde farripas, eram de uraa iriste pa
cidez .: adevinhava-se-lho na expresso a
uta ncessante, mas resignada contra um
pezar de lodos os instantes, fosse elle mo-
ral ou fosse physico.
O resto do semblante, cojo principal ca-
rcter era urna iinmobidade taciturna, re-
:cbia da barba inculta, extravagantemente
hirsuta, uraa apparencia feroz ; e entre-
unto as bubas da nariz e a curva dos la-
otos n3o careciam de regularidade.
nada,a manifest stiperioricnde do Sr.
l&Mix fosse ora que genero fosse, a ap-
parico d'aquuile dosditeso ente semii-
Ih.rnt'i hora, no antro em que o encontra-
mos, devia despertar a idea de urna p<-ss<
compila e de uraa verdadeira escravido.
Pessiias da aia do Sr. Leco i tem instru-
montos humanos, que empregam l)eus sa-
be era q >e. Mas, por nutra parle, na
physionomia do alejado, algu.aa eoosa
havia, ser-me-hia irapossivel dizor qual
que desmenta aquella arenca to plausiv. 1.
Nao seria proprio fallar de lea o proposito
d'aquelle fragmento humano, que arrastava
com grande cusi alraz de si melado do
cadver; nunca houve leo paralylico".
supponham, porra, que o houvesse...
Tres Patas Itinpou enn as costas da mo
o suor da testa, o qual Ihe corra era bagas,
e a xrescentou :
Esto muito cansado, pairo.
Eras irapagavel, replico'i o Sr
Lecoqr-cujo aspecto se deslranzio, se ti-
Vesses as tuas pernas.
E enebeu o copo do marquez at a bor-
da, e esteudeu-o ao alegad-, que beoeu
com soffregui'lo. Emquanto elle be lia,
disse~-lhe o Sr. Lecoq.
A prefeitura est-nos perna, sa-
bias ?
E e tentamenlo.
E isso regosja-o, pairo ? perguutou
o Tres Patas.
Se regosija. meu velho A' ti digo-
te tudo : porque s eo-oo mundo te posso
dar o que desejas. Reg 'Sija-mo, porque
a matilha vai toda procurar me aonde en
nSo eston... mas amule d; c ',rto poder i
estar nm dia ou outro, e*.n iidou, porque a
partida vale a pena de ser jogada ; qne
acbas?
De certo, disse o aleijado ; aquelle
moco tem o profil de Luix X.VI, que a gen-
te ve as moedas de cobrv Mas nSo pode
ser seno neto ; resta saber da Qlito.
Tu nao te atrevas a desfarcar-to em
Lniz XVII, Matheos ; qoe ?
Airevo-rac todo que o pairo man-
dar ; masfalta-m* a dad*.
fazer urna operaco siugela de arethmelic;
e de demonstrar uuu pioposk,o fcil de
Euchdes ; e que, cora olhos e raaos que nao
se applicaram a desenliar e ouvdos inertes
msica, se achar obsolutamente ignuraut
Idas leis que aatuam q mundo pliy-io e s
possumdo um wpirit) pouco cultivado e sem
j gosto pela leilura nem p.da observaro :
urna semednntc oducaejo deveria ser en-
carada como cousa falseada, anda mesmo
que nada houver dt exprobair se a um tai
estudante, n m em razo d sem princi-
pios, de seu carcter, ou de sua moralidi de.
Longo de nos o pretender que a dita des-
cripi;o represent o resultado ordinario de
instrucoo dada as escolas pubttea; mas,
a ju'garmos p los depoimentos que rece-
bemos, e pelas obs rvages, que cada da
toda a g-mte faz. p idemos dizr que a tur-
ma de jovens estudantes, a quera quadra
essa discr|)';o, mais numerosa do que
deveria ser.
s insilezes tambem notam discreta-
mente que "taes casos de cdiicaco Irus-
trada occor'rera principalmente em jovens
E proeurqu dar ao riso a feioo mais
prasenleira.
Pois, o diabo me leve se nao era isso
0 que convinba, rastgou o Sr. Lecoq
terrando se n earaap ; se nao fora u esses
vinte annos. Mas com urna cara como a
tua... e as enferraidades, causadas pelos
raaos tratos dos leus crueis verdugos...
t que tratante n i era aquelle c rcereiro,
em que estado elle te poz, meu pobre ve-
1 lile I
Soltou o seu ri tas, rindo tambera, responden :
O'factu que me nozeram em mi-
sero estado, patrio.
Tu mataste, Mitlieus ? pe'gunton Le-
coq de clifre, mas sem perder a usual
chocanicc.
Era evidente que aproveitava um mo-
mento de expanso para obter do cotnpa-
nheiro urna resposta, fallarla ou muda.
O Tres Patas, porm, conservou o seu
sangue fri, respondendo :
E o seahor, pafro ?
E como o Sr Lee iq franzia as brancas
obrancelnas, accrescentoo :
Omo que o Sr. Sehwartzesta na sala,
e a bironeza no gabinete reservado.
A' dous passos um do outro, murmnrou
o Sr. Lecoq, de sbito ser-mado por um
pensament novo. S urna porta os separa
e t apenas no fecho.
De que seria capaz aquello Olhello da
Alsacia ?
A baronoza sabe que elle est ali,
responden o Tros Patas. Tem o roto co-
berto por um veo tapado como urna mas-
cara.
O Sr. Lccoq apoiava contra a testa a
punta do dedo.
Aqu dentro ha mundos : disse com
orgulho profundamente convicto. Iremos
longe, Sr. Mitbeus, o Vmc. ha de achar
um par do pernas, ae isso cousa que se
possa comprar com as notas ,do banco. A'
proposito de notas, as nossas esli reto-
cadas
Tres PaUs desabotooo a vesta de vel-
butina e saceou d- bolso tinaoarteira.
ricos ou da basa familias, d)5 quaes est)
caeias as principis escolas p iblicas, ao
passo que os lilbos-familias da classe media
rocebem as escolas especiaos urna edu-
caco melhor apropriada ao$ tempos
modernos, de aorta que a nata da popu-
lacho a nica que Qca estranha ao3 pro-
gressos di sciencia e da industrii. Da
abstinencia de estados utois, de que pro-
vena a riqueza pablica, abstinencia que
tanto gnardam o clero e a nobreza, de
receiar que o refpailo .dis classes medias
para com as superiores v diminuin lo
cada vez mais. 0 que mais se censura
dfts escolas publicas, bem tntendido, as
que se achara aprovisionadas de apanagios
e dolaces, o acanhado d >s programmas
classicos e as antigiulhas dos methodos de
ensino. Sa nio fossem favorecidas de bens
proprios, nao se poderia acoima-las por
motivo algum. pois que, em tal condico,
seria licito que tivessem todo o alvedrio,
mas proviudo de legados pios e ampio
rendimen'to, de que ellas dispoem. isso
obsta a que instituMois miis moderna
sb estabelecara em p cstavel de prospe-
ridad'?.
II
Bem que, j desde dous seculos e meio,
reunida a Iogiaterra por um laco poltico,
a Esco-sia arada conserva em seus costumes
e inslituicSes certo carcter de naciona-
lismo, eminentemente abalisado, sendo es-
iranhavel que, nao obstante o seu afasia-
ment, licasse mais greco-latina, que teu-
tnica. O escossez intelligente, frugal,
ecomomo e amador do trabalho. Para
qjalquer paiz que elle emigre, isso fai
de caso pensado e com^nimo feito, e qual-
quer que soja a profisso, que emprehenda
sera cusi sahir-se-ha bem della. Assim
que essa anliga regio manlein-se era gra-
duado honorfica na oriemdas naces ci-
vilisadas, posto que o clima seja spero,
e pouco feriil, o solo montanboso. A po
puiaco escossaza mal conhece a mana so-
cial de espeeulacSes temerarias c sbitas
opulencias, pois os costumes da socwdade
anda parecem patriarehaes. Empregando
a bem achada expresso de Fearon, rep-
ta-se que a riqueza nao se amp ia mus da-
pressa q ie a civilisaco. Exceptuando-se
tahez era Glasgow e n'outras cidades de
muito trafego, nao se enconlram esses
parvos medrados, to frecuentes em In-
glaterra, os quaes, sabidos da intima classe.
por um lance da firtuna se improvisaran
emparelhar com familias de alta classe.
Ni Inglaterra, o homem que possue urna
renda d i 100.000 francos, 09qiva-se de
frcijuentar o que s tora a de 10.000, e
este mesmo tambem menos preza daqueile
outro que nao tem nenhuma O negociante
se ervergiinharia de ver seus filos edu-
cando-s na raesma escola par dos libios
re seus caixeros. Pira cora os escosse-
zes, porem, qne nao sao des dnnosos,
nem se prezam de pundonores fantsticos,
suas escolas sao frequjntadas por meninos
de tolas as'condic-es, sendo que assim a
instrueco esteja muilo desseramada, e que
a educar* escolstica seja devdamenle
evaliada em razo do resultado di exames,
o que, a mor das vez s, cITeito da acaso,
quando nao do favor.
Todava, convem fazer-se urna restriceo:
dando-se as escolas oooooseaaa umi mis-
tura fraternal entre os lilhos de arteso
e os da gente median, acontece que o<
grandes proprietarios de trras o os princ-
paes manufainreiros preferem mandar seus
filhos educarem-se na Inglaterra, oad^
esses, depois de recebida a inslrucco se-
cundaria em Eton, Rugby, ou Harrow.
paasVn Oxford oa Cambridge se form-
rem em sciencas superure-. NSo que
seraelhanles estabelecimentos em seu puz
natal sejam menos dignos de educar urna
mocidade rjea e intelligente, pois muitas.
vezes tem tido, principalmente as cadeira
de philosophia e sciencias exactas profe-
sores, cuja nomeada se tornou de notorio*-
dade europea; mas sim parece qn a p rsi-
tura dos estudos teniia taiaade em como-
quenca de varias crcumslancias. umidas
q oes, a facilidade de coramunicac^s,
Ulvea tenha contribuido muito. Demais.
leudo a gente escosseza nina pronuncaco,
que nao grata aos oovidos dos pesso-as
cultas do re>to do reino um lo. e que,
junta com certo estylo peculiar de frasea lo,
acojinada do ser marca de provincialismos;
os pas de familia, que muito anhelara
por livrar seus lilhos de se arraigaren) na
Em que anoo nasceste ?
180*. 1803, queta podar dize-lo T L Eaiquanto aabria, prosegua o-^r. Le-
Olhe, paro casar nunea prooisei de cerlidOuOoa^i No mi qae o tal ScJwart e
de idade. | a awlaer esperem. E preciso qm saibam
com quera traiam. Ha de se ver logo
aqu urna scenS curiosissina. Eu tenho
ludo na cabeca, tudo !
O aleijado esteudia-lhe dous pedacos de
papel. Elle levantou-se para pegar u'elles
Sien, disse o Tres Patas, bora que
esperera, mas tarabem b ira que o seahor
saiba o que IJies ha de dizer, e isso ha de
acua-to no meu rotatorio.
O Sr. -Lecoq nao replicou. Etammva
as duas notas cora minuciosa aiienco.
Qual a verdad ira ? pergunlou. Vai
fazendo u teu relatorio, homem.
Cullou ao ollio uOaa lentezinha drelo
joeiro e acercou-sa da luz. Durante aquella
''xame, larapejayam os olhos de Tres
Patas.
Quando cheguei, disse elle, eacontrei
a meiiiua Edme Leber porta do cas-
tello.
Porque mencionas isso ?
Vai ver. O Sr Sehwariz recebeu-rae ;
o, pelo .seo lado, a senbort baronaza roce-
beu a menina dra^ L-ber.
Que voz to singular que tu tens
quando pronuncias esse noae I adrairou o
Sr. Leitoq sem faslar os olhos das notas ;
a menina Edme Leber...
O raen coraeio nlo est paralynco.
replicou. o Tres Patas. A pequea boni-
ta como o$ amores !
Cora effeito I O diabo me leve, se
estes dous pedacos de papel nao sao em
tudo igualissiraos. Eolio nao coniinas no
leu cont da Bella h a Fera com a con-
uessa Corona ?
- Eo.morro pelas mulberes, respondeu
o Tres Patas-com einphase subitnea.
E eu tamben), disse o Sr. Lecoq
diasiraulando um sorriso. Vine, Sr. Ma-
t eus, lerrivol. E quando tinha as suaa
pernas havia de ser tira .magwiSo 4e traz.
.Nunca \m pernas, e ainda son ma-
gan3o* pfununcwuioeioamcnia o Tro? Patas.
As notas servem 1
Quer dpr, qu o grovador do ban-
co nao era caja d) saber qual era ver-
dadeira, preciso fazer a tirageca, o
depressa.
. Jcoeotlo tirando. Eoaaatdpei-
rae a-dar o tumi.
Bnvof Coa isso, men velho Matneus,
locuro vioio;.i, &tt8U& (I > expedi0rtr
de man l.ilus,.lug ) i.ouericia, residir
por muito teojpo na Inglataff. aflra de
perderera esse tal debito, qne os exporia
um tanto de ridiculo no curso ulterior de
vida publica. Uesta systurnatica ausencia
de filhos das familias gradas teta resultado
que os meninos, que era pequeo numero
anda frequeiitain ai.escuia^alriiis, icabam
lazee de prolongar sua entada al a idado
,'le-il ou ii. annos, termo costumario dos
estudos universatorios. Presentemente j.i
est em costume" que a Mtruccao secuo-
daria se termine na idada de 15 ou IS
annos e que a nstrucfo superior, pro -
pnamento dita, que' s a idade pelas uni-
versidades, continu a idade de 19 annos
a' mais menos.
A Escojsia tem jus ije se ufanar da anli-
guidade das suas escolas, pois quo cilam-
se varias, que ja existan) antes de liOO pa-
rece certo que no seculo XVI havia grande
numero de escolas de grammatica nesse
paiz to apartado do centro intelectual da
da Europa do entao. Citase mesmo nm
documento daqnolla poca, no qual se im-
punha o ensino obligatorio aos filhos dos
proprielarios fundiario*, ordenanca e^si
que foi bem antecipa la. mas que sem du-
virla naquellas eras remolas fieou olvidada
como carta de letra murta, porquanto, no
dia de h ijf tem-se muita dilliculdade em
faze-la adoptar por esses mesmos, cujos
ascendentes a promulgaran). A creagao de
um systema geral de ensinanca popular 'i
obra da reforma religiosa, que na Eseolsla
te^e um carcter especial de regidez. Por
um i lei que dala de mais de dous soclos,
cada panrlrii (oi obrigada de man ter esca-
la sua ; uepois, pouco a pouco loram-ae
formando escolas mais importantes, que se
chamaram cojlegios ou academias, e mnis
as universidades, que sendo ainda cinco
par cera excessivas para um territorio la i
pequeo.
No se dei contar com achar-se as
escolas paroeaiaes desse paiz o simile do
que sao as escolas primarias n'outros pai-
zes, nomeadaraente em Franca. As ad-
ministraces parochiaes acalraam com libe-
ralidade as carencias da instruetjo publirra.
sendo q'ieo director, cobra addicionaido-
so grablicac5es e outros proventos menores,
urna paga annual, superior de i,00J fran-
cos, o que, em une paiz onde as vituadia.
custam barato c a frugalidade habitual,
se estima como pouso olTicial bem coramn-
da. L"gados consideraveis, que tera si Ir
deixados a escolas de minios lugares, uv-
Ihoram a posigo dos mestres escolas.
Assim que o legado Milne assegnra un
supplemento de 500 francos por una ao
salario dos rastres das escolas do condado
de Abcrdeen, cora a clausula de que cada
um dos professores ensinar gratuiameat';
a ,'i discpulos. O delegado Dck, enj ca
pilal monta perto de 3 milhes de fraile?,
se reparte, entre as escolas dos tres coila-
dos, (comarcas ou dis tre tos admiuistrali-
vos) de Moray baole aberdeeu. O doa-
dor, que fui ura Mr. Jayrae Dick, bHeoio
era 18S, consagrou sua fortuna quasi to-
da ao uiidnoraincnto da inslrucco. afimdi-
ir-se gradrialmente realcando a anbga ovft-
rliCo a positura Httcraria de prolessoics e
discpulos. As pessoas que administrara
esse importante capital, incumbem a um
inspector de, ao menos uma ou em cada
biennio inspeccionar as escolas paroehHes
dos ditos tres condados. Na Inglatena
exisem escolas dotarlas capricliosaineiile
cuja renda por bens de raiz se ach h >i'
r'in da mu lo raulliplicaila cm virtud? da
diuturnadade das fundaces.
S-.melhanles dotaces, que existem m
Escissia, sao mais regulares. Em arabos
saes pazi's acontece que seja a individua
lida le cvica que espontneamente roo ier
co n a aeco do estado. Era Franja, e
mais albires, nada se encorara de semr-
Ihantoa issf Nenhum bemfeitor ponsa-
ri i em dotar ricamente uma escola su'..-
mettida a regra uniforme do um p i le
nico e cenlralisado. A benfica iidlu.n-
eia dos adjuctorios de salario supplem li-
tar, de que se acaba d^ trotar, nao baauH
muito em provar-se. Os almiuisi,,adores
do legado Dick, tendo sujeita io os in^irui-
dores aserias provanras de haiilltacjo .ntes
de se Ibes concederem as corap-ienfes quoas
das opulentas dotaces, conseguiram qa i
quasi todos os mestres, ora empregalos.
sejim pessoas de um mrito reconlieci I.
isto licenciados pelas universidades.
podas obter um serralho como o do grito*
turco.
Se com isso que o senhor lenciona
saldar a minha conta... comefou o Tres
Patas com mo modo.
Homom sem f, repbcoiwVSr. Le-
coq com aqrnlla perfokta satisfaco de si.
que coustituii a sua forca, o meu plano
um primor d'arle : nada de sahir d'elle
lia uma cafa onde se apauham passaros
vivos com outros empdbadoi. Eu nao te-
nho mais des jo do que tu de pascar n tas
filsas : oogenia cousa. Triste otficio I ..
Quantas.se podem tirar om vinte quatro
horas ?
Duas mil por da. Demanda cui-
dado.
Tres das para seis mlhO'-s. Na qu la-feira passo eu n'um relance ludo o que
tivferraos lirado... Vamos-ao relatorio.
Anda.
Tres Palas comecou immodialamentc.
Fui recebido pelo senhor. baro e fui
deixando cala* as palavrnhas que o senhor
me disse.
Por isso elle est ali na casa da
espera.
-Vea para outra cousa... so-bem
que haja estremecido e empallidecesse
quando falle da cidado do Caen, di ban
quebr desgracado, do coroael do antigo
comrassario de polica.
Que dssO|.tft|? P
Nada, f -me pergonlas respeito
da'condessa Gerona.
Que ihe respondesle ?
vSada ; eu n5o tenho que dar conta
seno ao senhor. O barao Schwartz acha-
se esta noote tm casa do patro, porque
Urou Como um ladro o molde de uraa
chAvque abre a secretria da baroneza.
O Sr. Leceq afagava a caixa de papeRo
onde eslava o pedaco de cera.
~ O rendes choveo). muratarou.
DpflipfeSBgttio enftroz alta:
Capaz dHsse elte. Mas como sabes
t essas cousas.
Sei o.
E nao queres dizer como ?
Nao.
Porque ?
Porque o meu meio de saber i
meu ganha-p5o.
justo; E a baroneza ?
A baroneza est em casa dosenk
porque a menina Edme Leber Ihe lev.iu
um boto de diamante que foi perdido na
escada do Sr. Miguel.
B.mf. Sai a historia. E que B*jte
eu fazer n'sso ?
0 senhor ver... E. alm disso
por saber que o marido lomou o mclde da
chave.
Excelleate I exolamou o Sr. Leceq.
Qu ndo um plano bom, tudo vem mefiu -
ra-lo. Excedente.
.Nao ucabei. Quando vinhara, sem x>
siber. para o mesmo lugar, o baro e ;r
baroneza enconlraram-se.
Onde fui isso ? peivuntou o Sr. LC-
coq, que se tornou mais atiento.
No seu pateb. A baroneza irazu
n'ura c ifreznbo o conte-lo da gaveta, cu[a'
chave o bario Ihe vera, pedir em troca ao
molde que traz comsigo.
Conbecerias to o contedo da ta*ga-
ceta, raen velho ? perguntou o Sr. Lecoq
coro meiguice.
N3u conheco, responden framente Ttes
Patas.
A baroneza anda tem o cofre !
Nln tem. Hoovo no pateo, por bailo
das suas janellas, ama scna a Beaewn*t-
chais.
AssitUale a ella ?
Em camarote do rotla, o mn ol-
Ha.
Vamos t avtrrlal sceaa; s atn
grande rato I,
(tNwaOr-w-AfliA
-.
A


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZMM1O9L7_DVTODU INGEST_TIME 2013-09-14T03:51:27Z PACKAGE AA00011611_12012
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES