Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12003


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.AMO XLV. NUMERO 271.
--------------------------------------_____________________________: Q1U 9o
PAfiA A fiAITAfc I mtm OVOS m S: PAS-MWEr
Por iros "^t ifrnUMtni
Por seis ttaMila .' .'................ i6<500
Por cun ... ........ |,^
Cadaauaieru ........
, Sflffll FEln 2$ D WOyEMBBfl DE, 1869.
U DE2TB0 E FOBA DA PBOVZICIA.
Porjr'bSqiez.eaat '...........
Por. scg ditos dem....................
Por no edites idea ...................
Por un' anuo,..........
*> .


Kgrueir^a


mA ACEITEN :
'!."l
Os Srs. Gerardo ^SnS^ f ^tf hW*?.,00*V'- Jo3 Man> W-*^ D*A^ *** M-< no N^;.Jos4**
u Aipeiaa, em Mamanguape, ^' Acantono <* Lima:, na Paranyiai Antonio Jos Gomea; a Villa da Petha* Belarmmo dos Santos BulCo, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braea,
____________________________em Kaareti; Francmo Tayares da Cosa, em Aagas; Dr. Jos Martin ^Ires, na Bania; e Jos Ribeiro Gasparinho, no Rjo de Janeiro.
paute ornciAi.
iaisterlo da a^iK-jiltura. oui-
ancrclo c bras puWica-i.
DF.CRKTO X. 4433 DE 30 D". OITTUBR 1 D'. 18G9.
Concede companhia Plienix Pernambucana a ne-
cessaria aetoHsaea.i-para funeclonar, e approva
os respectivas estatutos.
Attendendo ao qua me rcquereu a companhia
igprus Phenix Peraambucana, e-iahelcoda na
ri\lxf di' provincia de rariimbuco, e devda-
>ac.iii>- representada, q tendo ouvidu o parecer d,i
seceo d>i neg icios d i imperio de conselhq de es-
tada, cavada em consulta do 31 de julho iutlimp,
haiporbem ofieeder-l'ee a necessaria ant>rrsa-
ao para funeei.mar, e approvar os respectivos,
estatuto* con as moditieaeoes que con ele bai-
xam, assignadas pqr. Joaquim Anio, Fernauies
Leao, d) ni >u cousolbo, ministro e secretario de
estad do< negocios da agricultura, commercib o
obras publicas, que assim o tenia entendida e faja
xecntar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 30 de outu.br > de
1869.481 da independencia e do imperio.Com a
-mferiea de S. M. o Imperador.Joaquim Anlo
Fernandez Leo.
Sfodj/fcacoes feiias nos estatutos da companhia
'Phenix Pernambucana, a que se refere o decre-
to n. -11J2 desta lila.
L* Art. 8." So lim do cada anuo admioistrativ i,
que principiara no i0 fle julho e terminar a 30
^e jucho, se dividiro proporrionalmenle pelos
mista* os lucros lquido realisados deopera-
'oes concluidas nos respectivos semestres, mas
!:v i 111 nao podar ser maior de 18 por
HM sobre p capital eflectivo, porque as sobras
que hoaver ser* applicadas ao rundo de reserva,
at4 que estese elwc a 300:0003. Achnndo/sc, po-
rm, preencliido estQ algarisoio, erao divididos
jdos os lacros.
Nao se far.i distribnicio dedivi lendos cmqunnto
a capital, ilosfileadd, em vjrjudc do perdas, nw
or iitre'Driinente restabtlcciilc.
O fundo de resoTra destinado a faz-r face s
jierdas di capital u:ia substitui-lo.
2.' Art. 9.* Stioprirna-se.
'." Art. 11. O juiz) arbitral, instituido ueste ar-
tigo, fli-a dependen!' do accordo especial lixadj
nos art<. C e7 do decreto n. 3900 do i6 de iuulio
.i.' Art lo Os accionistas sao obligados a re-
eoilter :i caixa da companliia 20 por cenlo de suas
oroios dentro de olio das depois de sarco ptova-
mjruor avisos publicas, feilos pela dirnec i .'0
'W?lep''HS de registradjs os estatutos ao tribunal
ronjinercio. Os que nao realisarejn asta eulra
4a serao excluidos da coiapanhia.
5 Vrt. 18". ? 2. Sappriaa-se.
0- Art. 20. Os accionistas sao nicamente res-
;ioa-aveis pelo val ir representativo das accoes
cora que onrcrein enlrailo, segundo dispoe o art.
298 do coli'.'o co-nmerci;il, e art. 5" J 17 n.3 do
Jeereton. 2711 do 19 dedezembro de 1850.
7.' Art. -iti, 8 3." Kica dependente da ulterior
" > da assembla geral dos accionistas a
ixacao Jos v.ncitnentos dos empregados da com-
pauliia.
8.' Art. 28. E' applieavel ;i este artigo a modid-
-acVi l'.'a no art. II.
y." A liquidagao da companliia ser feita de nc-
eordn com as disposi^dVs do cdigo cominercial e
So d.;nvti n. 2711 de 19 dedezembro de 1860.
Palacio do Rio de Janeiro, era 30 deoulubrodo
.' lovfuim Xatw.i Ffrnindm L-,'n.
ESTVTOS DA PHRNIX PEHVAKBL'CAXA,
('. i n'AN'IIIA D' JEGUROS MARTIMOS ETEW-
u::
CAHTULO I
la compa.ihia.
Ari. Io A ejuipanliu se denominar a Pbeaix
IVrna ubucan-, tendo por emblema a a've que a
igi. deuo nouae de Pbenix.
Art 2. Seus lins sa > tomar riscos maritiuose
e.reslres, conforme o modo quo lor estipulado no
o. regularaento interno, e as respectivas apo-
Ail. 3." 0 capital da companlua ser de......
I,o00;000 divididos em acco--s de 1:000 cada
iiimi. |> 'Ludo, porm. este capital ser elevado at
Art. 'i" A companiia durar por espago de 15
a -M'.ar do da em que os presentes esta-
.T'!-! ap''ovad'is pelo gpverno imperial.
Teroiii-ido este prazo, peder ser elle prorogado
50 os aeytooistas que repreaeiitarcm duas tercas
(res do capital, assim o resolveren!, e com ap-
l'iMvaci i do governo iuiperiaL
Ait. 5 A companhia ser dissolvida quando
loaba perdido a terca parto de sen capital, o mais
lualquer fundo de ntaacvi ane poaaa haver. Tanto
i liyoo.liie, co im na do art. ", llear resol-
v i i a nuces-ana liqoid icao da companhia.
' (i." i) fundo elf: :vo da companhia, ser de
20 per cenlo sobre o valor representativo das ac-
o'. emildas ; oecoirendo porm prejuios que
ui-em algum desfalque, ser este preencliido
.pelos aci'i nistas dentro do improrogavel prazo de
oito das.
Art. 7.* Tara qlie as accionistas flquem nwnijs
it >s novas entradas de capital, haver alm
do fuudo permanente de que trata o ariigo preces
i! ule. u o entro de rose va. formado cin as so-
Jjras dos dividendo-, na confoniiidade do que dis-
poo o art. 8, .
Art. 8." No fin de cada anuo administrativo,
apriucipljM'i no Io de jullio e terminar em 30
iivulifo proporcinalmente pelos ac-
ci.iiii.-Uis, os lucro* lquidos realisados; mases-e
dividendo nao poder ser maior d 12 por ceol"
obre o capital cUcctivo, porque as sobras que
rao applicadas, ao jyido de reserva,
pie este se eleve a 300 ando-se, porm, preeMiB este algarismo,
hI lo* todii* o# luasos.
\:t. 9." Ocporren 11 perdas que absorvana to-
dos os luurjjs da omuunma, poder, Mbir do fnn-
j de reserva, se o nouver, o dividendo ma/cadp
no art. 8", comtanto que a somraa a'dividir nao
xoedi metadedo msmo fundo.
Art. 10. A companhia nao tomar risco marti-
mo excelente a 70:0005 em; cada navio de sela
mate inte, ou 100:000$ sendo de guerra ou por, e
100:00)3 nos terrestres ; fleando subentendido
que esees limites cornirehendem nos risc-is marl-
tiaos o navio, carga e quai^quer oatras reaponsa-
<)ilij*les; o nos terrestres, o predio a valor,*
contidos. /
Ouand) o capital da companhia fdr maior -de
reis l.o0>:000j;, poder augmentar proporcional-
mente o valor das riscos.
Art. 11. As duvidas que fe suscitaren! tanto en-
tre a companhja e o> accinista<, como entre ella
e terceiros, nao podeado ser resolv la a nigavel-'
mente, se lo bao por arbitros nomeaaos pelas par-
tes, aegundo as disposieoes do cdigo eommereial.
Esta coadifau, em rola cao aos seguarados, ser,
exarada as respectivas ap CARTIH l\.
Dos accionistas.
Art. 12. Poder ser acciwsta desta companhia
r. habilitado para contratar, gozar de -ditu publico, e fdr notoriamente abonado.
Ni-nbuin accionista poder ter menos de eiooo.
representado por procurador accionista, salvo,-no da
caso de eleicio para directores, e supnlentos, em
coorormidada do art. ^ dlel n. 1083 de 22 de
agosto de 180), e decreto n. 2711 de-19 de de-
zombro do mesrno anno. .(.;/
ArL li. Nenhum accTonista poSdc despedir
da companhia durante o prazo da sua duracao;'
mas poder vender e tran-derir suas aeepes com-'
tanto que o cesionario esleja as ciroumstancias
do art 12, o seja approvado pelo presidente da
assouiba geral dos accionistas, pela oommissao
iiscal e pela direecao, c tome sobre si a rospon-
sabilidade e obrigacoes do cedente, por termo
que ambo/5, assigoarao com os funecionarios da
comp mhia cima mencionados.
Art. 15. Os accionistas sao obrigados a reco-
Iher caixa da companhia 20 % de suas acc5es,
dentro de oito das, depois de serem prevenidos
por avisos pblicos, fetos pela direccio.' Os que
nao realisarem esta entrada serao excluidas.
Art. 16. Tambara >o obngados os accionistas
a entrar no prazo d artigo precedente com as
quoUs que Ihe forem pedidas pela direecao, para
cuuprimentii do qie dLpde o art. 6, sob' pena de
serem excluidos da companhia, perdeodo, a bae-
licio desta, as eutradas q:ie houvjrem RHO e os
interesses que Ihes possara perlencer, lijando
anda raspoasaveis |>elos prejuizos que se derem
sobre riscs tomados at o da de sua excloso.
Art. 17. accionista que se ausentar ou residir
fra do termo desta cidado por mais de seis ma-
les nomear mn prjourador aqu residente, sa-
tisfaeHo4a direecao; o qual ser igualmente fia-
dor o sujeito para eom- a companhia a todas as
obrigacoes inherentes ao accionista.
Ai t. 18. Censar o ateresse de qualquer ac-
cionisla nos casos seguintes :
!.* Por raorte natural.
2 Por perdas de flireilos civis.
3. Por falleacia declarada ou nao.
4. Por falta de cumpriraento do que dispoe
e.-|.'s estatutos.
Art. 19. As aceots dos accionistas comprehendi-
dos no artigo prpeedeate serao vendidas, para o
que far a direceao publicar annuncios pelo espa-
co de oito dias no jornal de mus circulacao Ateta
celado, convidando os pretendent s a apresenla-
icm suas propostas em carta fechada, por inter-
mndio decojveiores geraes, as quaes, (indo o dito
prazo, serao aberlas em pr-senca do presidente da
assembln geral dos accionistas, da coinmissao fis-
cal eda direecao, sendo entregues as accoesa
quem maior preco offerecer e tenha a idoneidade
do art. 12.
O producto dessas accoes, depois de deduzi I as
todas as despezas, ficar depositada na caixa da
companhia para garanta do- riscos pendentes al
a data de transferencia ; mas logo que esses ees-
sarem. se eutiegara o liquido a quem de direilo
pertenoer.
Art. 20. O accionistas sao nicamente respon-
saveis pelo valor representativo das accoes com
que houverem entrado, segundo dispoe o art. 298
do cdigo eommereial; mas para que o fundo da
companhia seja tempra real, c estavpl, e nlu soasa
ser ilju-orio, nein diminuido sob preexlo e per-
das ja liquidadas eni anuos anteriores, Cica expres-
samente ricrT4T8lB*l|w> nn resp insahilidade d
eiomata nao se levara em corita qualquer qtiota
c im que seja obrgado a reforjar a caixa em vr-
tude do disposto no art. 16.
Os prejuisos liquidain-se e pagam-se do tnpsnw
modo, porque os interesses se liquidam e se di-
video.
A cada acQao abonar-se-ha somente vinte por
cento da primitiva entrada ordenada pelo art. 0'.
Art. 21. Todo accionista poder examinar os li-
vros da companhia na presenei dos directores,
que Ihes daro os esclarecimenlos pedidos ; mas
nao Ihe ser permittido tirar extractos.
CAPITII.O III
Art. 22. A companhia ser administrada por
urna direecao de tres accionistas eleitos biennal-
niente uaJ'rnia do art.'!, e Ihes servir de pro-
eiiraco a acta de sua eleieo, sendo assigoada pe-
los accionistas presente-, e registrada _no tribunal
Uo coinmercio. Os directores escolherao entre si
o ca xa.
Para ser director 6 preciso ser accionista de
quarenM ao
Art._23. as apolices e mais documentos que.a
direv'eao liniirfr, os directores usaro antea de seus
nomos individuaos da formula.Pela companhia
Www Pernambucana. 'fies docum-ntos para se-
rem validos deven sor as signa los pela maioria da
direecao.
Art. 2i. O impedimento de qualquer director se-
r suppnd pelo suiqlenle, que ser chmalo pe-
la ordi'in da votaco, e vencer a commissa i u
que o director substituid^ tinha direito.
Art. 23.Os diiitclois nao podero dispor de
sua- accoes eraquanly e.-liveiem na admiuiatracao
na compauliia.
Art. 26. Compete especialmente direccio, alm
do que Ihe e incumhiJo peles precedentes ar-
tigo* :
1." Organisaro regulamento interno, e as con-
diQoes cun que deveiu ser efiVeiuados-os seguros
lauto martimos como terrestres, levando ludo
appfovacao da a*seinlila eeral du- ace.ionislas.
2." Nomear agentes nos dilfereuie.- porlos para
onde se dirigir u ou f irein parar os objectos segu-
rados, envianlo.-lhes pr.ic/irach com instruc<
e ordens tendentes ao bam d is interesses da c
panhia. ?
3." Nomear e deaiillir os empregados, marcan-
do-Ibes seus ordenados, e. exig ndo dalles as li.i.i-
eis que julgarem oouvcuieas.
4.* Ap no mez de julho de cada anno um relatorio cir-
emnstauciado das npera(oes du anno lindo, acom-
panbade do respectivoiial&neo. cujas fecas.feeui
elimo u parecer da coinmissao li.-eal seraoMOfres,-
sos e distribuidos pelos accionista-^.
volacao.
Iiuicdes'
bravo apresentado pela, direecao eom a esori(Hura
ca i da compan|iia e examinar o estado de,sua:
operaces, e se foram fielmnte cxeautados; estes
e.-tatutos e aSjdaoisqaa da asseujbla geral, para
que a inosiiu u+focs Ihe. (ranquoac todo o es
tauelacimento, a. Ihe dar (oft# os esclarocime
que. forera exigido.
Art. 32. O resultado estes traballiH.qiie devem
cao.^ Compete-lhos, alm de outras atlrl I acerca dos inmluso+juitns. de demarcacao de ter-
designadas nestes-eltatutos, verificar o b-iras mencionada* pairelaciio jaula.
HtliiQuo (i que se. refen o aflicto supnt.
Termo de Agua PretaRvvi Jo Divid Madei-
pitao Jos Alves da Siivi, harija
nao ordinaria, da as
a commssio levar
assemblea por meto
a.sua opiniio acerca.
> v.
lindar tres dias antes
semidea geral dos
ao couUeojmenu da
do um rotatorio em qw1
do estado da companmfi
. i a
Di asumbUa gtral dos accionistas.
Art. 33. A reuuiio de accionistas que repro-
'senlarem a maior parte do capital da companhia
consiitue i assemblea geral d >s accionista^
Art. 31. A oonvoeaci) da assemblea gaaj ser
feita pela direc3o por mel de cartas e da..an-
nuncios publicados ao menos tres vezes na.Jfca
de mais ciriiulacao desta cidado.
Art. 3o. Na) se reunj'ndj a nlpero de accionis-
tas exigido no art., 33 na tiora je dia designado,
far se-lia com a mesla f iraultdaie outra touv.i-
cagj para um dia oroxmo, e eno se inlgar
constituida a assemblea geral com s accioa|stas
presente.-, ineia. hora,-depois da.fcJW designada nos
respectivos convites.
Art. 30. A mesa da assemblea geral ser ser
composta de um presidente, um vicepresidente,
que substituir a falta daquelle ; e dedous secr-
tanos, dos quaes o mais votado ser o que na
falta ou impedimento daquelle* presidir a sssao.
ArL 37. A asse nbla geral se reunir ordina-
riamente no mez de julho de cada anno, para
tomar conta direccio e julga-las.
ArL 38. Henir-saha a as-embfa geral extraor-
dinariamente seinpre que a direecao o julgar con-
veniente, ou quando llie for requerido por um
numero de accionistas que representa a quarta
parto do capital.
Art. 3.). Quando a direecao nao fizer a convo-
cacao aos casos expressos nesles eslatuUis e-ta
falta ser supprida pelo presidente da assemblea
geral.
Art. 40 as reunios exlraordinarias nao ser
permittido tratar de objecto alneio couvoca$o.
Qualquer propobta que eoio for aprasentada
licara para ser apreciada em oulra sessao.
Art. 41. De doits em dous anuos, na reuniu
ordinaria de julho, assemblea geral proceder por
escrutinio secreto, e maioria relativa de votos,
eleico da mesa di assemblea geral, direcca, (de-
renda ser reeleto ao meaos um duvetoi), tre
suppldiites de directores, c os tres memores da
co iimis-o iiscal : no caso de empate para qual-
quer dos Corgos decidir a sorte.'
capitulo vi.
, DispoiigSet jemes.
Art. 42. A allcrncao ou reforma destes estatu-
tos s p-'der ser deliberada em assomblea geral
a reqjieriuiento ou votaco de accionistas que re-
lirescularem'dous [reos do capital, e nao po ;
ser exacatada sein previa appiosino lo gov'ji^p
imperial.
Art. i:!. Ao nteiro e fiel cumprimento dos dis-
p.i-ieoes destes estatuios obrigajOrse os acstoo^tas
por si, sims herdeiros ou sueeessores, reiumciau
do qnaesquer direitos que touliain ou pos'satu vir
a ter, para impedir sin ob-ervaneia, o que vali-
dara eom as proprias assigiialura-'.
Recite de lVrnambuco.Jos! Jiftomr T Philip Frcllt Needltam.i.noel daTSilva Santos
Luis Jus da Costa Anvirbn. Jorge Jacoine
Tusso.
.acedes un o seu riMSltiplo : mas a ninguom ser' IS'WL _
fermittido posulr sais de 40 acedes. toVDtyO.
Art 13 Todo accionista tero direito a votar je
ser. volado em todo* os actos da companhia, tendo
uin.voto pvir eiuco^icgoes, estando preeatf-e pfi
sua,,ausencia dortruj desta a^taJ, pda^r,
o.' Pramo\era prosperidaile da companhia,xa-
cutare fazer executar e-ts ltimos estatutos.
6. Representar a companhia. em jnizo e fra
delle, por si, seus agentes e procuradores.
7* Exercer livre e geral administraca >, para o
que Ihe sao coiiBedid-Js pleura p ileres e sera re-
serva alguma, comprehendidos- al o di procura-
dor -ein causa prooria,
Art. 27. O* directores por suas assignaturas
serao responwvei* pelos abusos que commetiereip
na gerencia fla compaaliia.
Jirt. 28. Bea a direecao autorisada a pagar as
!lS que si feali-arejiremolijaclos seguros, jul-
Ijando que uafseguraies tera direito a indemajsa-
eao,assim como, to caSo mtrario a recusaro pa-
gauteato, proeuraado eoitudo evitar quanio fdr
possivel pleitos judii'.iaes, ompregaudo senipra os
meios que a prudencia acpnselbar para.que todas
as duvidas s,ejam ecidldasiior arbitros, na Cunfor-
midade do art. i
Art. 29. Em rerauneracao do seu trabalbo ven-
cer a direecao urna commisso de 7 0/0, deduj-
zida da importancia dos premios dos seguros que
,se reasareqi, sendo 3 0/0 para o director caixa,
e 2 0/0 para cada um dos pulios, directores.
Art. 30. A direecao peder empregar os fundqs
di-poniveisem (lulos couunerciao que tenhaqi
pelo menas duas firmas le reconhacido* crdito.
pela iinpigjtaawia das quaes serao gos directores
responsaVajs^t^soliiltt/ Ara coia a companhia,;
e por esta-gataate pen
iddt, tema assim eada direci-
CAPITULO llf.,
Di. tmmuqo fitcal.

Ml. 3L A.cotffnjtao. f}scal. -ser compos)a de
lre3accianisJA^^ef^ro.su(sUHudi()< naordam
Ciovcra da proviuea.
KXPBDIKXTE ASatCNADO PELO t:XM. SP Dfi. tURgRL
Do KASCWNTJ kUCHAAO i'oHrxi.\, vn :
DE.NTKOA rovim:i,\. KM 13 D' setbbro DB 1883.
1* seceso.
N. :>.'i7.P.irtaria ao Exm. Sr. general com-
maiidaiite das armas.Sirva-se V. Exit. de man-
dar aprsenla!' ao capilo do porto, para o seri-
e i da arm el i o racrula Justino Jo- le Sae'.'Anna
que foi remellido a esse quartel general pelo Dr.
chufa de polica.
N. 338.Dita ao iiiesrao.Transmiti a V. Exc.
parasen coiiliM-imenti, copia do aviso expedido
pelo ininisleiio da guerra em 30, additaudo o de
11, todos de agosto ultimo, reaiivamente ao modo
porque se devo proceder no presid.> de Fernn 11
em quaoto nao houver um fnni'Cionano coinpe-
teiiieni'iue para passar procuraeo.
N. 369.Dita ao com nandante de Fernando.
Um : d litamentn a portarla d'esta presidencia !
9 do eoi renie, tenhoa dizer-lhe que, segando o of-
li o do chofe de polica de i 11 leste mez, sobn. 1312
dt-ixou da seguir para e-so presidio o sentenciado
de noine Jos Vi.-enie d'Amorim de que falla a re-
afo iinnexa a dita portara.
X. 350.Di!i ao mesm-i.Transmiti a Vmc.
para seu eouhe -iraento, cpia do aviso oxpedido
do ministerio da guorfa em 30, addiiaudo o de 11,
lod is de agosio prximo Budo, rotatiyfuiente aa
ai. id porque se de ver proceder nes~e presid ,
em quanto nao boivera'elle um fuaccionario para
passar proeiiracoe-.
N. 3t.Dita ao inspector do arsenal de mari-
nlrt.De euiif irmidade com a sua informar > de
II do cnrrente, sob n. 1824, acerca do' re|ueri-
mentqqne'devolvo ile Antonio Climaco orejra
Temporal, aolniso V. S. a minilar alistar na
Companhia de apreriuNzes desn arsenal o inenr
tutelado do supplicaute de nymc Luiz de Franca
Fructuoso da Silva.
N. 382.Dita Vfranltlfi to porto.Avista da
sua in'.'oruiaco do 10 do (trrenle, sob n. Hf, do i
B'oata data.'is convenientes ordens para ser apn>-
sentado a V. S. com destino acservi^i da. armada
o recruta Justino Jos de Sant'Anna ; o que dej-
claro a V. S. para seu conheciinento.
N. 363.Dita ao .engeiiheiro encarregado das
obras miliiares.Recommendo a Vmc. que em-
pregue as diligenciis ao 'eu alcance para ver se
descohre as podras, que sagundo a sua informa
de 2 do crrante, tein sido extraviadas das que'
u:lia.vam as proximidades la toruleis'du
liiira, a Un deque possa ser inderanisada. a fe-
zea la nacional.
N. 364.Dita ao conjelho,fe compran pavaes.
Autoriso ao conselho de compras, navaes, a. pro-
mover nos termos do sen regubanento a compra
fui abjecios mencionados era ofljcio do.mesrao
conslHo de 10 I o cotrente, visto serem necessar
rio para suppriraento d arsenal do tnariuha.
N. 363.Dfla ao cnsul la Inglaterra.Reapom-
dendo ao olUeio que em data de 3'de agosto ulr
limo me dirigi o Sr. Richard Q. Ikirfleld, vicef
cnsul de S. Al. i inica, aura."referencia ao subf
dito inglez JolA Ilaury, que sejeha recolhido a
casa de de'enc > dejtai cMade, tapho a dizer que
e sidelegado da freguesia do itecjfe, de>aCordp
coas a parecer da pr.imoloria publica, como in-
cursa no art. 193 do cod. criminal e o dispaeln
da pronuncia su-tentado pelo juiz municipal da 1*
varayMNh-que* o acamado ioturpetesse o recurso
que cabia para o juiz de direito. Em visas da
que, e de conformidad*-cohvJs legi*la^ao- io pa|s
v,dallaser aufcnaUida.o tribunal .d-Jary Ao--
pr.iveiio a occasio.para reiterar ao Sr. vice-cod-
sal os protesto da inlia perjeilar ssuou a c-
luct considara^ao
a. .a*oaaAu -
H. 36iV-P^tari(^x.idai(|W|a4w aW*M
a corta.-.Strv^ V. Exs 4* dac^ m
e baroneza
im.ires, ten-inie coronel laa/tttttn Luuio'Mon-
d Fonseca, Virginio G>mes d"Andrade.
i do U.mit*Manuel, Qietim-V, de Castro,
Lourouco de Sam Anua, .\iino.d Antonio Al-
da Silva, Victoriu') do Nascimento Aceioli
. 367.Dto^jas,diofe de polica interino.Em
i#t ao^raa\f.:S. de ll do correnle, sob
17, tonho a t)isV:lbe q 10 o serv;.) das ron-
^ve ser do districto de Santo Amaro de Ja-
Mt, faito pelos ufspee'.ircs ih quartiiri) e pra-
_ps da guara nacional da reserva, sendo que
aftsto -entido o desla data se espolia orden ad res-
flbejivo commandaate superior.
N. 3o8.'-*-D,ta,ao comtnand.uite superior interi-
na da guarda natioaal do Roeife.Inliarme .V. S.
sao tenante .Antonio Alves da (osla Juidor do 9"
batallio da guarda nacional de Olin la. capitao
loa i i-'ranc.isco i'into. e os alfares Pairo Honorato
dos Santos, Eloy da Oveiri l/ieerda, Joi Pedro
Butisua e Flix das .tforaiu Sluniz, todos do 7o
oatalho de reserva d > m/smo municipio, achara-
se rjsulindo nest cida lo, c no ea-o affJrnativo,
desde quando, se apresentaram-se muoidos de
f-Ruia de que irata o art. 43 do decreto 1130 de 12
Ja mareo do 18i t, e se astas aggregads a algum
dos corpas deue municipio.
tt 369.DiLa ao mesmo. Kxpaca V. S. as saas
ordens para que o srvic i das ron-lasi da districto
de Santo Amaro de Jabiaia i -ej i feita pela guarda
nacional da reserva, que para isso tararlo apre-
asntar-se as respectivas au!orilade.s n iliciaes.
N. 371. Dua ao comtnand.tnte superior da
guarda nacional de Olinda.Tend pordeliberacSo
desta data e insidoradVi de neuhm effeito a de 20
de abril do anno pastad > n< part; que n nneou a
Mano.-I Mues de \leilo para vnte da (i1 com-
panhia do '' bitalhai da reserva do manicipio de
O i la. visto nao ter solijiad) patonle no prazo
marcado por |e; assim o cmbibimco a V. S. para
seu c inhecioiento o direecao.
N. 371. Dita a o mesmo.Attesdcndo a que e
batallio 7o da reserva d i municipio de Olinda,
nao se aclia definilivamenteorganisado, resolv nos
tarn s do aviso circular do ministerio di ju-tica
do 15 de fevereiro de 183), nomear para o refer
do batallio os oflkiaes con-lanles da d-'lioei
desta data, inclusa por < >pia ; o que conimunico
a V. S. parasen co-i'.vcimanio c direecao.
5. 372.Dit a i me-m>. Para que se
resolver s Arre a maluria do sen otReio de
juhIio ulm i. cimbre ca sejan prestadis a
na dos olTIciaes a que ai: ale V. 5., as inf.!rniaco's
sefuinie- : Io, soja -ai deenrridos o -"s mezas
il espera, de que trata o % 3* d i art. 53 da lei n.
08 de 19 ile sotembro de 18 >:> ; 2', se esso; oIB-
riaes serviram ipialro anuos como taes ou dez
como guardas, conforme dispoe o ctalo para-
grpho.
N. 373 Dita so commindanle superior da
anli nacional do ab.Informe V. S. so o al-
% do 9 du b*t*Hw d inf.intario da guarda
ifi-'H il il niifid.i J .ai Cvale inte Pessoa da Al-
bu |H"i'-|ue. aehi-so rj-ilwil) ossas municipios e
no can allirmativo desde qoin 1 o, npre:entou
se Munido di compleme guia, e se est aggre-
jado a algua do; corpos s ei '.a eommando su-
oei'ior.
N. 374.Dita ao comvwdanlc do carpo provi-
sorio de policaMande Vine com urgencia para
a casa de saude do Dr. Jo3 i da Silva Ramos, al-
.'Uiaas pi-acas do corpa sob sen eommando para
guardar o sentencia 11 Sev irin i H irqosa de Oi-
veirj que alli se foi tratar di vari das.
N. :.'j. I)' O vice-presidenle da
nov. ic;a resol ve, n H i r.n n d i ari. fio J I' da lei
l \' ') ] -e-e.nbro_ d I ."i), con.-i lerar de
nonhum efTeito o iiieaeii feita por deliburco
de 20 Jo abril db B im pi**a I >, de Manuel Nones
le Mello, para leante di IV co iinmhia do 7" ba-
I de re-e,vt do munieii'o le Olimb, visto
nao ter s ilii\-ido a respectiva patente no praso
legal.
N. 37VDitaO vi -e presi -lenia da provincia
possa
2J de
aUondendo a que nao se aeha deAnkivnmente or-
::anisado o 7' b.italli i d" wefva da guarda! na-
-i mal do municipio d Olin '
inidade com n aisp nisterk) da ju o rel, do batalhSo os offli-iaes se-
res dve de Benfor-
i circular do mi-
'vneiro de 1800,
nomear para
guinles :
1* Companhia. Alfares, Luciano Eugenio de
Mello '
3a Companhia. Al fe res, Hilarlo Manoel da Con-
ceie'io.
4* Companhia.Cspltla, Jo- Antonio Pinto;
alferes, Jernimo Joo Pinta.
o Cimpanhia. Alfares Mtluas Ferreira La-
ma.
o' Comp inliia.Caiiitao. J.x Candido de Sou-
za Ci-tio ; lente, Candido Heitodoro de Sottrt
Miranda Cauto; alfere-, fw ioneilves da Silva.
3' sne.cao.
N. 377.Portara ao inspector da themuraria
ie faz m la.Avi-ta de sua inf->rma(ao le II do
corrale soh n. 0:17. autoriso V. S. a mandar ven-
der em Insta publica as pairas dfl venara e
i'iniari em bruto, existentes na; proximida ls
da fortaleza do ram, certo oe que ne<1a-dala rer
coioiUBudo. ao uogauie.iro oa^rrea/^Ua.4aa.obr is
militaros que c. ntn^gae>.,as docencias aa seu al-
cance para ve&ai jfescoine as pe Iras, |io forara
extraviadas, aii.u de sel me.anisada a azejida
nacional.
N. 378.Dita ao mesmoluteirado de quanto
V. S. expoz em seu nfllcio de htije sob n. 6)0, le-
nho a dizer em resposta, que approva a arrema-
taeo dos vinte cavados Inuiffsad H que exi-tiara
no'deposito especial de instruccS) o da metale da
casa terrea perl;neepte a fazenda nacional sita na
ladeara da Misericordia de Olinda, sendo esta por
805000 e aquelles por ,6124000.
N. 379.Dita ao Wdsmo.Transmita a V. S.
para os flus convenientes as inclu-as c ratas flbeij.
mentadas da reeeita n desposa da enfermara 'mi-
litar do presidio de Fernando relativas ao mez de
julho ultimo, e bem assim o parecer da junta de
sail \fi que as exaramou e considerou regulares.
S 3s0.Dita ao mesmo.Attendendo ao que
reqnarewm os praticantes da barra e porto desta
capital, Manoel de Almeida Lopes, Constancio Jo-
da Silva, flauta Jnior e Luiz los Rodrigues Pi-
uheiro, recommendo a V. S. 'que.mande pagir as
grtficacoes por ellos vencidas, romi deslgnidos
pela eapitauia do pjrto para ciadjuvrem o enger
nheiro Raphael Archanjjj ijah-ao nos trabalhos de
qu: se acha incumbido, do melhorameato do mes-
rao porto.
N. 38F.Dita ao mesmo.Transmiti por copia,
a V. S. .para.sea conheciinento o incluso aviso
expedido pela repartico da apicultura, coinmer-
cio e obras publicas em 23 de agosto prximo
-lindo relativamaota ao pigamanto_dos emprega-
Jos da esWjda. "la fcrra, ni andado clectuar sob a
responsaWWda^e tfesta prasideBcis.
N. 38ia-Oit* O mesmo. TraasmiUo a V. 3.
pitra sou. oonhflcimsnt'V copia do aviso expedido
meto nlaistoo da guerra era 30, iliNtand* o du
il lodos de afisto ultimo, raUtivainente' ao nodb
parque se devora proceder no presidio le Pernao-
do em quanto nofc*iuw ali um funcetonario
,WMapolenoara pa,ssar propaMasoas,
N. 3b3i~Dita, ao snes*oo.--ABJHpwo ao que pa-
Ijciaiu, o, engnneiiw e^oar--------
iPtos no, offlpi jqpjo-W,
inclusas cuntas em duplcala, mando pagar a
quana'a de lifloiO proveniente de concertos fei-
los pela empreza da illuminacio publica desta
capital na illuraioano do .diversos esiabelecimen-
tas militares, como se vd das mencionadas contas.
N. 38kDita ao chafe da repartico das. obras
pubheas.Tendo resolvido era vista de sua infor-
macap de 11 do correte sob o. 310 conceder a
permssao que solieitou Manuel Joaquim Baptista
para fazer canos de esgoto, que deeui sabida as
aguas pluviaes, que dcam o.-tagnadas nos qu'in-
taes de suas prapredades, sitas as mas da Roda
n. 43 da Matriz d.1 BarVista nmeros 48 e 30 e
das Flores o. 18,, urna ves que elle por termo li-
vmdo oassa.reparticO se sugeite as condiedes es-
tipuladas a outros em idnticas circumnancias;
assim o declaro a Y, S. para seu conhecimento e
devidos effeitos.
4." seceso.
N 38o.Portara a cmara municipal do Re-
cife.Traasmilio por copia a cmara municipal
do Reeife para seu conheciinento o acto desta da-
ta pelo qual resolv approvar previsoriamente nos
termos do>.art'2.0 do decreto de 2o de outubrO de
1831, a postura addicional 'a que se refera o'fll-
cio da mesma. cmara 4a ., do crreme sob n.
75.
N. 38C. Deliberacao. O vico presidente da
provincia attendendo ao que requereu Camarina
Leopoldina de Castro Aranio Ramos, professora
publica da cadeira da villa de Pesqueira, uuima-
mente removida para a de. Jos da Corda Gran-
de, e tendo em vista a inforraacao do director ge-
ral interino da instrnegao publia de 10 do cor-
rente sob n. 290, resalvo conceder-lhe o praso de
30 dias sena prejqizo dos respectivos vea-iaentos
para effectuar sua mulanca a contar do-dia em
que deixar o exercicio da 1. das mencionadas ca-
deira?.
,\. 3S7.t~Dita.O vice-presidente da provincia
lando em vista o que pon lerou a cmara mana-
pal do Reeife em oIBco da 1." do crrente sob n.
75, re3olve approvar provisoriamente nos termos
do arL 2." do decreto de 25 de oulubro de 1831,
os artigos do posturas addicionaes abaxo traas-
criptos.
Artigo 1." Os terrenos devolutos devero ser
cercados por muros de dous metros de altura, os
quaes serao provisorios, leudo de ser elevados a
altura mareada as posturas logo que nelles se
edlnque.
Artigo 2." As casas que se edificaren! ou reedi-
flcirem o que tverom ao monos 6 metros e BQ
cemimelros de vo tero um saguao de 7 metros
quadralis palo menos, exceptuara-so as casa- de
esquina ou as que lixercn varandas ou janellas
no oitSLp.
Artigo 3.' As casas q ie tverem caaos no te-
inada cora bqueiras sern abrigadas no praso de
2 aunas a intrnalos as paredes na forra \ pres-
cripta no art. 19 das posturas da 2 de maio da
im
Artigo As casas que j tiverem os cannos
internados as paredes mas despejan lo a* aguas
s iTjro os passeios, wrn abrigadas a ferarem-nas
encaar para nleliaixo dos mesraos ao praso de 00
das.
Art. S." Todas as outra; osas s^rao obriga lis
ao ciimprment da disposicao do art. 3 o no praso
de 2 annos.
Arligo Os contraventores das disposicoes dos
artigos da presente po-iura p.igaro a multa de
30009 e o diibro na reincidencia.
Artigo 7. Ficam sem effeito as dispusieres em
contraro.
KXPRDTFVTE ASSICXADO PELO SB Dn. JOAOmM COn-
nSA DE ARM'IO, SECRP.T.UUO DO OOVKBSO EU 13 DE
SKTEUBBO DB 1869.
1" seceao.
N. 333.Olllaio ao engenheiro.encarregado das
obras militares.-S. Exc. o Sr vicepresidente da
provincia, mana declarar a V. S. era resp rata ao
Ron olTici-j de 10 d i cirrente, que a tbesrararia
de foseada tein ardan para pagar a importancia
das contas, que em duplcala rieran annexas ao
citado oOicio.
2.' aseefio.
N. 3.U Oilieia ao Ur. cliefe da polica.0
Exm. Sr. vice-presidente da provincia mana de-
clarar a V. S. qne ne-ti dita se expeli ordem
ao cimmandaqle do carpo provisorio de polica
para mandar para a casa de sado do Dr. Joo di
Silva llamos algumas pracas pira guardar ali o
seut mciada Severma Marques de Olivara, da que
trata o seu ofllcu n. 1,310 de 11 de setemlaje de
1869.
N. 390.Dito ao juiz municipal da 1.* vara do
Reeife.Da ordem do Sua Exc. o Sr. vlco-presi-
denle da provincia" Coinmunico a V. S. que se-
gundo offlco d i chefe de polica de 11 do corre-
le sob n. 1,312 telxon de ;^.niii' para o presidio
de Fernando de-Naronha o sentenciad) de nome
Jos Vicente de Am >rim, constante da rabeas que
aco.npanhou o sea olDcio de, t deste mez por u i
existir sauteasado algum desse nome na casa da
detenc e
N. 391.Dita ao Dr. Antonio Domingos Pinta
Jnior, promotor publico da comarca de Pao do
Albo.O Exm. -Sr. vae-pr.uident*da |irovincia
m inda acensar o recebiraanto do ollca de V. S.
de H do crrante era que participa ter nessi data
entrado no exercicio do cargo de promotor publi-
co da comarca de Palmares.
3' seceso.
N. 392.OfuVk) ao presidente da AssociarSi
Commeitoial RenaflceiKe.De ordem de Saa Exe.
"Sr. viec-presideute da provincia remeti a V.
Exc. unroxemplar a 1.' o oulra da 2." parle do
relatorio da 2.' exposicao nacional
v. 393.Dito ao inspector da thesouraria da
fazenda.De ordem o"Exm. Sr. vice-presidente
da provincia commnnico a V. S. para os lins con-
venienle que segnuo olBcio do baeharel Antonio
Domingos Pinto Jmor, promotor publicada do-
marea de Pao do o|h>, de 11 db corrate nessa
data entran elle no bxorcirio do dito cargo.
4.* seccioi
N. 394.OIBeio ao vice-presidente (lo Instituto
Agrcola Pernamtoueani.De ordem da S. Exe. o
Sr. vice-presidente da provincia remetto a V. Exc.
um exeraplar da 1." e nutro da 2." parto do rela-
torio da 2.a exposicao nacional.Igual mututis
mutandis.Ao presidente da commisso da expo-
sicao agrcola ne-ta provincia-Dr. Josd Joaquim do
Mirae3 sarment, presidente do Instituto Areheo-
logico, director taterino da FacuMade de Droita
desta cidade, e ao-diroctargeral rnterino da Ins-
truc.f Publica, com destino a bibllotbeca pro-
vincial.-
Jos Eosebio Rodrigues. Informe o Sr. teaaete-
coronel commandante do corpo provisorio da po-
lica.
Joo da Araujo Cesar VowraoSr. Vt direc-
tor geral da inutruccao publica, para informar ten-
do ora vista o disposto no art 131 da lei n. 300 de
14 de oalo de 1855.
Luiz Cyriaco da Silva.Passe.
Mmoel Geraiaiano da Roclja. Iufonos o Sr.
inspector da the-oucaria provincial.
Oito Schneider.Dirija-se ao Sr. chefq 4*h re-
partico das obras publicas.
Tenenta Pedro Paulo dos Santos. Dirija-aa au
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Senhorinh Maria da Coneeicao.Informe O Se.
Dr. chefe depolicia.
=*
ar nos das 10 a 13 do corrento ; pe-
icloria gepal da instruc^ao publicivfo-
lis habiltalas as seguintes cooopr-
i
i
fopamiueudp a V., i^uo-Ml vita >.! Uifia.
OKSPACHOS DA PBKSWRNCU DO DU 23 Dli NOVESIBBO
DB 1869.
Abilio Josa lavares da Silva.-A. guardo a deci-
saodo govrno imperial.
Antonio Joaquim da M -lio.Dirija-se ao Sr. ins-
pector da thesouraria provnola!.
Alfares Amaro Prauso de Moura.Concade
a prorogaoo de dous vBiezes contados do 4 do
correte, nos termos da 'rdem do da citada.
Associafao. Comnercial (Agrcola* Informe p
Sr. diere termo 4a .rspailigo das obras pu-
bhcas.
Compnnia,,PeroamJ)ucaa. Digja se ao Sr.
inspector tia.tliesonraria do fazenda.
Teneuto Francisco Soraphico flanes do Rego.-^
Infornaa Sr. Dr.. juiz do direito da conarea de
Olinia, obviado o juiz. municipal do termo do oses-
Ag Nioia^daMttaaAlbqqflar^ua.-T*toB^
me o Sr. Dr.' dirdctr geral da sAraociio pu-
rmNAMBUCO.
aE\7ISTADIAEIA.
AU1RIDADES POLICA ES.Por delibeofOtss
da presideucia, de 23 do correnle, foran no-
meados :
5. e 6.supplentes do delegado de Govannp, Lu-
dnvico Fraucisco Cavalcante a Uodegar Gurrea
le Oliveira Audrade.
Subdelegado e supplenies do Io districto de
GoyannaFrancisco de Paula Cabral, lihis CalaJ-
eanU de Alhnquerque Souza, Joaquim litge^Fi-
uueira da Silva, Jos Antonio de AibuqUerekie,
llermino Pmheiro de Mendonca Mallos, Jos* Kp-
tista de Araujo Magalhaes Carlee, e Francisco oV.
Paula Casilho Curado.
5 c 0. sapplentes'do delegado e ItambLuiz
da Veiga Pessa Ce>ar, e Luiz Alvares d Oafer
Iho Cesar.
IN'SVJRUCClO PURLICA.-No ex a me do naDjI"
taeao paraj magisterio primario do sexo femia*n'
que teve
raote a i
ron jul
rentes :
P Liliosa Silvina da Oliveira.
D. Ilermina C.leeini da Cun ira Santos.
D. Lucinda Rusulinda de Mello
I). Luza Clementina Vieira de Helio.
D. Joanna Carolina do Araujo FigueirJo.
I). Hara Anta de Jess Ca upella
D. Ann.i de Q.ieiroze Allraquerq ie.
D. Mara Francisca la I" meoca Lima.
D. Amelia Deoliada Gue.les Alcofurado.
D. Ilermilla Lfdia Gu'Jes Alcoforado.
D. hialina Mara de Catiro.
D. Mara Augusta Serpi.
D. Cecilia Liberal i de Oliveira dantos.
D. Emilia Alexaodriaa ile Albuquerque Casniuo.
D. Arttmia Faustlna de lluro;.
D. Ubaldina Afra da C me ieo Vieira do Mello.
D. DJnbelina Amelia da Silva.
D. Josepha Prepe ligua l'abello P.vlilha.
PIIE.XIX-PEIlNAMBrCANA, Sob a rubrica
Parte Ofliciat damos boje o decreto n. 4433 de 30
do mez passado, autoin>ando a me nporaro (U-.-la
eoinpanliii. Para dia 3 de desamoro, achi-se
convocad i urna reuna > da a.-seinlda peral dos-
arcionislas, aflm de precederse eleico da di-
reecao respectiva.
INSTITUTO ARCHEOLOGCO E GEOGltAPHlCX).
Reanio-se hootem o lusliinlo archeologieo,.
a presidencia do Exm. oonselheiro monsuihor f
niz Ta vrese eom assisiemia dos Srs. Drs. Sis
de Azevedo, Aprgo Gaimares, Jacinlho de Saas-
paio, Joaquim Porlella, coronel Leal, padre Lino
do Monte Carmello e m ij ir Salvador Henriquo.
E' lida c. approv.ida a acia da antecedente.
O Sr. secretario perpetuo menciona o seguale,
expediente :
lira otilen do Sr. Manoel da Silva Jacome Pes-
sa. cTertaiido so Instituto um i-xcm dar das car-
tas dirigidas ao Bata a Hvm. delegado apo.-tolico
na corte, o Dr. Seipiao I) i mingos Fabrni para es-
elareeereni ao pnUbc i a rom oto das nexaliJotS',
falsidades e manifastas c mtradiej -s do fothato
aaonyrao espalhid i na dte -obre o m Ihoramen-
io ou vfu'oia.: ia rdeas regulares, e em parta*-
lar do< Benedictiaos do tra.-d. I.iteirado, seado
recebida a oflerta eom especial agrada.
Outri d i Sr. Dr. Aprigio Guimaraes, daladq ale
11 do correnle, coramunicando nao poder compa-
recer a sess.ao daquelle dia, e declarando haver
a-si-tido a fesla anBiver.-ara do Gabinete Portm-
guez de Leitura, o a|li frito as saudacus devalas
t a n ime 11 Insoluto.Irileirado.
O me-ino Sr. secretario perjietuo menciona as
- Igtl otes offertas ;
Varios nmeros do Otario de Pernambuco, palo
consocia Dr. FigneirAa.
Dous numeras da Opinido Nacional, pela res-
peciiva redaccab
Traslado lo testamento e eodicll) de Joo Fer-
nandas Vieira, idletlado pelo Sr. majar Salva.lor
Manrique, roonumni i que o m -mo sennor d da-
r haver obtid i por doai; > de seu prente e ami-
go maj >r Salvador C llha de Drummond o Albu-
querque.
Um exemplar dos ensato* itafvJtcoi du morta-
Uduie das qwttro frtgttezii Aa cidade do Recias,
desde o 1.* de mateo de 1S-!. at o I. da inaao
do tSoo, pelo admiuistrailor Manuel Luiz Vrae$"e
offertado pelo najas Salvador Henrique.
Um exe.nplar d i Otario dePerntmouco o. 40 aV
19 de fevcreiro da lS-6pelo oresoio Sr. maj ..-.
Um exemplar do jornal p.-'ja fKi; cqiMndaVa
retrato co desembacgaor Joaqumi NoaaS Madia-
d i e parle de sua bograuhia, pelo Sr. Manoel Jas
Soares de Avcllar.
Diversos nan pgaintos jonwes: Car-
reio. Vera- in'-uc ur), C M inania Pfi nal
bacina, Brktdos das Ihmai, Unido rfo Huno,
Artista, Amigo dos Ro/nens, Cansen-ador "ar-
inflho, Ltitnditde., Vunoun, Broarossista. Inalo
Militar, RevistauJlt du VirAtt, Oslo-
da Dezembro. I'o: do Uros.it, TelegrapUo, Vigi-
lante, Bar;o dos TraficaAlv, Opiniaa, Aocu Tmav-
pestade, Capibaribe, Jornal do llnf.. Diario A)
Hecife, /vi-pnruiifu, Jornal d Comnereio de P-r-
namliueo, Horisonte, Ordem, Liberal, Aurora Ptr-
numbuca, Qrieate, Opiuao Nicional.e Vinte (i-
ca de 'urco, pelo mesmo Sr. Manoel JusiSoaiea
de Avcllar.
Dous exemplares conteni, o primeiro, os Pai-
jtfi'iw Huuutrtsticfii, ppr Mepii stouticlss-oo segun-
do dopIMT uo coiiselnero los Ildefonso de
Sauza Ramos, ambos offortados pelo mesmo se-
nllor.
Um exemplar iraprasso contendo a primeira
parte dos datas celebres fados notaveis da fusio-
na do Brasil, desde a sua descoberta at t.'iO.i,
pelo Sr. Jos- do Vascoocelloa a pelo mesma aler-
tado.
Todas estas olleras sao recebidas com especial
agrado e mandara *se archwar.
Aebanihi-ss incompleta a com.nissao de imbn-
tttos tistricos e archaostgioos .ein consequencia
de ter o Sr. Dr. Raposa de Almeida, passado aso-
cio eorraspoudente o Sr. presidente nome para
subtituil-o naquella commisso ao Sr. majar Sal-
vador H'nrlqae.
E* deM.riHnido pelos socios presentes o n. 16 da
revista triaiensaj do Instituto
Nao havend mais nada a tratar levanta-se. a
sessao.
C^BDAI^.->EAcrevcovuos desU
BMaWJMi*
i A segunda sessao |
imonriaiiniou no dia i<
armte e


1



M
/
\
*
iario de Pernambuco Sexta feira 2
6 =X=3=
2
, tmdo sido submctdos a julgamenlo 9 pro-
eeaso* com. euros Untos reos. Oestes deixou de
responder ao jury Joo Leilao que, ha annos. ma
ura anW-seldelegado ti Altinho Jos da SiTva e
Souaa, pajito ter sido possivol for^iar-se o cop-
*<* .-.'TI
Dos onlros reos tres nicos soffreram sent-
e. Modo. clamorosa, por ter sido dada contra
o nrovflfios autos, e scm sciencia du faci, que
janiVe un suicida que enforcou-se, ha qna-
tro annos, quereado se boje attribuir sua morte a
m miseravel, que alias era seu prente multo
prximo, e que nunca uvera com o suicida desa-
taca algoma. Seu curador appellou para o su i
Bremo tribunal da relajo.
Finalmente, entre as absolvcaes hnuve urna
outra rajoslissima, porque contra toda a evidencia
recooheceram innocente ao assassino do infeliz
Jos Calor, ficto este que ja tiro occasiao de no-
licar-lhe, a poucos meies. ^^
V A's veres, nao por falta de boas inlencaes
que os jurados deixam de fazer juslica; ma
amitos, por pouca pratica, sao levados por falsas
ibeorias de justificativas sophislicas de enmcs
atroit-s, e outros nao sabendo se dirigir nos con-
selhos de seolenca, sao arrasUdos por opinioes de
algnns que, sendo julgados mais intelligentes, nem
sembr sio feliies em suas apreciaces, alm de
repetidos casos que infelizmente se dao, nos qnaes
individuos poueo escrupulosos se approveitam da
pportunidade para fazerem favores, ou exercerem
mesquinhas vlngancas. Knim
i Passemos a factos de oulra ordem hontem,
ao anoeieeer. morreu.'afogado no acudo desta ci-
dade um menor do 9 annos de idade. Acudtram
as autoridades e diversos cidados, que emprega-
ram todos os meios p .ssiveis para.reanima lo,
porm debalde, parecendo que se dera urna con-
gesto cerebral.
. Vamos mal de secca, pois que ludo esta caris-.
rismo, principalmente o milho, que ja se vende a
40i9v> n al.iuelro, prego a que nunca chegou
ueste logar.
UfffcMIA.A que se acha venda a i*, a
Iwnefkio do patrimonio dos orphaos, que corre no
dia !9.
PASSAGEIROS.Viudos de Mamanguape no
vapor iianduhu '.
Joo Pereira Borges e I escravo, J. J. Ferreira,
Graciao A. da Cunha, Manuel J. Correa, Antonio
G. Pessa, Miguel A. Fal:o, Nicolao^ Deograche,
Pedro 0. de Sequeira, Luiz J. M. Falcao, Jos An-
tonio R. Lima, Jos R. da Cost, padre Antonio B.
Espinla. Jos Caetano Piuza Lima, Jos C Hi
Lima Jnior.
PUBtlCACOES A PEDIDO.
Breves dles lioinluls sual
JOB.
A distruieao infallivcl de todo ser vvente, um
so vucabulo o expr.me morte! Ella atesta as
densas sombras, resolve o problema da vida, e
cumpre o ultimo artigo da lei irrevugavel da na-
torexa. Sim foi ella quem robou a vida preciosa
da Exma. Sra. D. Firmina Paes Brrelo. Palpit
O 'enro coraran do urpbao, que sent a perda de
sua carinhosa ni, geme o inc.nsolave mando, e
ficou a humanida.le sera nina irinaa cando-
sa. Tudo so cumprio, e j boje vive era urna rc-
io eslranha. Nos que a conhecianios de peno,
por mulla* vezes observamos a pratica de suas
Mas qualidad.s. Itepeilava os principios sanios
de nossa religiao, era urna mai excessiva, esposa
carinhosa, amiga verdadeira, e o um^caracier ho-
nesto a toda prova. Contava 9 lusirts, com vigor
* forra desappareu, como a sombra Hgitiva, e as
trevas se sumi. Collada I nem ao menos tete o
Bazer de acabar a educarao de sen pequeo
I, que tanto se desvaneca por ella I! Possa o
nosso pungir provar a amisade, que Ihe consa-
gravamos. De>cansa sua alma na estancia do jus-
te, deixando esle mundo coberto de perfidia, e
ingraio pela n anso de Deus, dVnde se despren-
der una faisea de seu coraco virtuoso, que gui.
Beste mundo seos chorosos lhos. Basta esta mi-
Dha saudade, seu choroso mando, e filhos verao
or ella, que junto ao tmulo, onde a lisonja nao
pode approximar-se, que partilho profundamente
de sua dr. m w.
Cmara Lima.
|...f > .1 igwhrn rf IHP9.
r ruaca.
Sna a hora, o momento fadado,
E' ferouflo delxar-te e partir.
'(Soores de Pastos).
Ai! adeus minha trra formosa
Tou deixar-ie, Goyanna querida ;
Com saudades e o puerto nos olos
Sa a Lora de rainlia partida.
Peixo em t o qu'eu tenho do charo
N'esta vida do longo raartyrio ;
Ptndu o rusto s tortoras qnesoffro
Qual na praia debruoa-se o lyrio.
No teu slo frui minha infancia
Que me foi 15o gentil de primorts ;
fio teu slo hojt ileixn saudoso
Pai, ralos e tambem meus amores.
Quando longe de ti, e bem longe
JN'outr l*rra estiver habitando,
G>m saudades e o pranto us ulhos
Ltmbrarei-me de ti sulucando.
E quao triste ser est'ausencia,
Que tal vez ella possa matar-me ;
Eu de ti tere Sf.mpre letnbranca
Para onde o destino levar-me.
Para mim ser tudo deserto f...
Vou deixar-te, Goyanna querida ;
Com saudades e o pranto nos olhos
Sa a bora da minha partida.
va eondosao uns autos, tngtmOo a Aireitaea
esquerda as prte litigantes; os despacha em ta-
vorde urna que mata abundante de teiva e raais
paciente o supporta at o llm ? !
. 1' QpaUquaUQcac),que. ive Jerom juix,
(iue suborna Wsiemanhas para irein .perante ene
ideparera favoravelmen'te i un seu amig, a avor
de quem quer dar senleoca T
Qual o quilate dos se^simentee de um juiz
que indux urna pessa comprar urna casa, era
que tdra parte orphos, dos quaes pela lei elle c
primeiro protector, sem as formalidades legaes
allm de que elle tenba casa para passar a resta
lomar banfra slganos, e descansar do pesado car-
go de Juiz, era cojo exercicio nao v seno o seu
^flPtar ; e que mais tarde obriga esse indivi-
duo vender troco de papelote* com um pre-
a~fao de 30 por cento, essa roesraa casa por causa
is rendas, Bcando elle juiz na casa por ser ami-
go... das rendas t
4." Qual a probidade que tem um juiz, que an-
te-dala despachos (verbi grafa em protestos^ com
escndalo do foro, offonsa de legtimos interesses
das partes, algumas das qnaes sao orphaos, que
flv-am assim prejudicados em muitos con tos dt
rreT?
5. Como pode ser respeitado um juiz que vai i,
casa de urna das parles litigantes, compra un
porco, retalha-o e diz que o receheu de presente '!
6." Que flgura podo fazer no circulo de sua ju-
risdlcco ain juiz, que arvorado eapombsiio(*en
dedor do pclxc) manda seus e-cravos venderetn
o peixe, que mandn comprar na praia e aquello
que recebeu de seus amigosisto como pronssao
habitual ?
7." Que degradacao e ridiculo cahirao sobre
um juiz, (que para se tornar anda malsconheeido
dos seus jurisdiccionados, anda polas mas de gor-
ro e beca) o qual con-ente, o at mesmo autonsa
que seus criados em passeio com seu filho pelas
casas da vizuhanca, pecam ovos para dar ai
yoy L., que, segundo dizem, n3o qner comer ou
tra cousa : e dest'arte, feita urna boa provisao,
vio elles ter a feira para serem; vendidos ? Res
ponda quem souber.
Sao estes os sete peccados morlaes, alm de
muitos outros, que anda estao occullos, mas que
a necessidade os apomar, de um juiz que nunca
tem lempo para despachar, visto que pela -ma-
nha f 10 horas do da) est anda dormindo ; mais
tarde est almocando; no correr do dia jant.,,
meftnda, f.ilga e cea : e pos intervalles de todas
essas operaqes ajuda-se e se ajuda sempre....
viver I
F em Deus, que Santo Agostmho nosso pa-
trono e nos livrar de semelhante flagello.
O casaca bordada.
Para deputados pro\incies pelo
1* districto,
Dr. Ignacio Joaqum de Souza Leae.
Dr. Francisco Teixera de S.
Dr. Manuel Caldas Barreta.
Dr. Joaqum Jos de Campos da Costa Medeiros de
Albuquerque. _
Dr. Manoel do Reg-Barros de Souza Leao.
Dr. Olympio Marques da Silva
Dr. Manoel Arlhur de Hollanda Cavalcantc.
Dr. Felppe de Figucira Fara.
Dr. Antonio Domingos Pinto Jnior.
Muitos eleitores.
Goyanna, abril de '.869.
Parizio de Valladares.
A praga universal
Em todas as reg5es e entre as pessoas de todas
as oceupacoes e prolissoe*, prevaleeem as enfer-
medades pulmonares. Porlanto, o grande e admi-
ravcl remedio contra ellas e que produzasia
complet aniquilacao o^-peitoral de anacahuna
o qual as devi-'peri0?u'r e Cl" 8ea devido lem-
po s perseguirndcfertivelmente alaos mais re-
motos confins do mundo. ;
O soldado us encampamentos, ommeirona?
minas de ouro, o colono as fmnteiras o lavrador,
o viajante por mar e por trra, c especialmente
todas as pessoas sujeitas padecerem de tos-?,
consllpaco's, resframentosecatharros,hronchiles,
asthma e outras affeccpVs nao menos alflieilvas il
garganta e vs i rgos .la re~pira(;o, e que lo te
ciluiente se de>envnlvem c propagam nos lugares
hmidos, inclemencia da atlimosphera ; acharan
com a mais gratsath-farSonopeiloral de anaca-
huita um remedio irresistivel e absoluto, para o
completo subjugamenlo de tao pengosas enfermi-
daoes.
Compre-so em lempo, pois bo'.n estar-so pre-
venido.
1 dita retratos ; a Olivcira Filbos & C.
300 dtas queijs, 23 ditas sardinhas, 200 gigos
btalas ; a J. J. C.onc.ilvcs Bol trio.
40 barrls e CO mcios manteiga ; a Luiz Jor
Cost Amorlin & C.
i barrroas e 8 caixas instrumentos cirurgicos,
papel e drogas; a Maturino Barroso de Mello.
5 ditas ditas ; a Silva & Nev
3 ditas dius, 3 fardos o i barril ditas; a A.
Caors
i caixas ditas a Joio da Silva Farla & Ir-
mo.
1 dita papel ; a J. L. Bourgard.
13 ditas vidros e porcelana ; a madama Adour.
tdltvidros; a Joaqum A. Pereira A Sobri-
nbo.
1 dita ditos; a J. Martinho da Cruz Correa.
3 ditas niovois; a Tasso Irmos.
t dita perfumara ; a Isidoro Bastos & C.
2 ditas ferragens; a Prente Vianna & C.
2 ditas e 1 barrica crystaes e porcelana i a Bar-
tholomeu & C.
6 ditas quinquilleras, calcado, tecidos de algo-
do e de lia ; a Henrique & Azevedo.
10 ditas papel e mludezas; a Joaquim A. de
Araujoia
1 dita el fardo barbante e quinquillera ; a
Vianna A Guimaries. -,
5 ditos e 3 caixas papo), mludezas e tecidos do
lia; a Costa Irmos k C
1 dita di ios de dita ; a Pinto da Silva & Cas-
cao.
9 ditas perfumaras e miudezas; a Ed. de Mo-
raes & C.
2 ditas ditas ; a OUo Sobres.
2 ditas livros; a Lailhaear & C.
2 ditas movis e porcelana ; a L. A Siqueira.
18 ditas marroquins, miudezas, calcado e cha-
peos ; a Vaz & Leal.
1 dita calcado; a Porto & Bastos.
2 ditas brinquedos ; a Satyro Seraphlm da
Silva.
1 dita oleado ; a Antonio Jos de Azevedo.*-
5 ditas chapeos, tecidos de algodio e de lia ; a
Silva ACardoso. ^i
8 ditas papel e tecidos de algodio ; a H. TOl-
mer.
25 ditas armas e papel; a Von Shoslen & C.
16 ditas tecidos de lnno. d lia e de algodio; a
Cramer, Frey & C
2 ditas ditos de lia ; a Adriano Castro &T.
1 dita ditos de linho ; a S Leitao & Irmo.
7 ditas ferragens; a Ferreira Guimares 4 C.
15 ditas e 1 barril drogas ; a P. Maorer & C_,
1 dita louca ; a Duarte, Pereira & C
i dita e 3 caixas ferragens, calcado, sedas e te-
cidos de algodio; a Anna de Meira Hollanda (Pa-
rahvba.) ,
2*ditas ditos de dito; a Fuersteraberg, Flack
6 C. '
7 ditas ditos de dito e movis; Magalhaes Ir-
mos.
2i ditas e 11 barricas calcado, chapeos, movis,
drogas, quinquillera, tecidos de algodio, do laa e
de linho, 400 glgos batatas, 50 ditos cerveja, 12o
barrls e 145 meios manteiga, 140 caixas queijos ;
aos consignatarios.
5 ditas tecidos de linho, do lia e de algodao; a
Schafheillin A C. -
12 ditas miudezas, armas, brinquedos, oculos,
ferragens e raleado ; a J. A. Moreira Dias.
4 barris tintas; a Manoel Al ves Barbosa.
20 ditos e 100 meios manteiga; a J. Gerardo de
Bastos.
5 caixas miudezas e tecidos do algodio ; a D. P.
Wld.
3 ditas ditos de dito, de lia e de linho ; a Lin-
den Weydman & C.
ditas ditos de algodao, 1 dita c 10 barricas
conservas; a ordem.
5 fardos c 26 caixas ditas ; a II. Leiden.
300 formas para assucar ; a A. V. da Silva Bar-
roca.
200 gigos batatas; a Magalhaes & Cnrval.
40 barris e 40 meios manteiga ; a J. M. da Rosa
6 Filhos.
25 barris e 25 meios dita; a Thomaz do Aquino
F. &C.
10 fardos e 24 caixas papel, flores, perfumaras,
miudezas e tecidos de a I goda i ; a Alves & C.
18 ditas dlos de dito, chapos, espartilhos,
aguas mneraes e miudezas ; a Monleiro & Ir-
2 ililas tecidos de lia e de algodao, 300 gigos
batatas ; a II. Leger.
ment trvessa dos Fcrreiros, na freguezla da
Boa-vista desta cidade.
Secretana da thesouraria de faxenda de Per-
nambuco 24 de novembro de 1869.
Servindo de oVial-maor,
Manoel Jos Pinto.
DECLARACOES.
Arrematad
Pelo Jalao de orphios desta cidade tem de serem
arrematadas por venda as seguinles propriedades,
pertencents ao finado Izdoro dos AnjisdaPor-
ciuncula, para pagamento dos credores do mesmo,
lindas tres audiencias do mesmo juizo : urna casa
terrea n, 11 sita no lugar denominado Baixa-ver-
de, na Capunga, freguezla da Boa-vista, de pedra
e cal, com urna porta e urna janella de frente,
avaiiada por 1:500*000 ; urna dita de dita n. 13,
ne mesmo lugar da Bixa-verde, na Capunga, de
pedra e cal, com nina port e urna janelta de
frente, avahada por 1:500*000 ; um terreno no
mesmo lugar da Baixa-verde, o qual se acha par-
te alagado e parte aterrado, com 56 Ii2 palmos de
frente e 232 1|2 de fundo, a contar da casa n. 11
at camba, avahado por 565*000 ; um dito no
mosmo lugar da Baixa-verde, o qual se acha todo
aterrado, cora 56 1(2 palmos de frente e 83 de
fundo, avahado por 1:130*000 ; urna quarta par-
te da casa n. 6, sita na ra da Esperanca, fregue-
zla da Boa-vista, de pedra e cal, com urna porta e
duas janellas de frente, avahada por 875*.
GOHPANHIA PERNAflBUCANA
DE
\avegafSo osteica por vapor.
Macei escalas A Pene'do.
O vapor Jaguanbe, comman-
datite Guilheriue, seguir para es
porto* cima no da 30 do correnti-
as 5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 29, encomraendas,
passageiroB e dinheiro a
tarde do dia da saluda :
Mattos n. 12.
frele at as 2 horas da
cscrptork) no Forto de
GOMPANHIA PEKNAMBUCANA
DE
NavcgacSo costelra por vapor.
Mamamguape.
O vapor Mandah, commandante Julio, seguir
para o porto cima no da 27 do corrente as 6
horas da tarde. Recebe carga, encomraendas,
passageiros c dinheiro a frete al as 3 horas da
larde do dia da sahlda escriptoro no Forte do
Mai tos n. 12.
Consulado provincial.
Pela administra;io deste consulado marca-seo
praso de 30 dias, contados da dat do presente,
aftm de que os possuidores de escravos de ambos
os sexos existentes nesta cidade, que nao forem
empregados no sorvco domestic ou em fabricas,
venbam da-los inscrpcio para proceder-se ao
respectivo lancamento, relativo ao anno corrente
de 1889-70, e elfectuar-se a percepcio do imposto
de 5*000 por cada escravo, votado no 38, art.
48 da lei n. 891, devendo os contribuintes faze-lo
por mel de nina nota declarativa do nome e qua-
ldade do escravo, bem como de quem seja o seu
legitimo propnetario.
Consulado provincial 8 de novembro de 1866.
O administrador,
A. Carneira Machado Ros.
O administrador da recebedoria de rencas
internas geraes faz cerlo aos contribuintes do im-
posto pessoal do exercicio corrente do 1869-70,
residentes as freguezas desta cidade e as dos
Afagados, Varzea, Poco da Panella, Munbeca, Ja-
bnatio e S. Lourencp ta Malta, que neste mez de
novembro finda-se o praso do pagamento sem
multa do Io semestre do referido imposto, depois
do que ser pago com a multa de 6 0|0
Recebedona de Perr ambuco 2 de novembro de
1869.
Manoel Carnelro' de Souza Lacerda
GOMPANHIA PERNAMBUCANA,
DI
Navegando costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formse e Taman-
dar.
O vapor Parahyba, commandante Mello, seguir
para os portos cima no dia 30 do correte,
meia noite. Recebe carga, encommendas, passagei-
ros, e dinheiro a frete no escriptoro do Forte do
Mattos n. 12.________,___________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegando costea por vapor
Goyanna.
O vapor Parahyba, commandante Mello, segui-
r para o porto cima, no da 26 do corrente, s 9
horas da noite. Recebe carga, encommendas, pas-
sageiros o dinheiro frete, no escriptoro do
Forte do Mattos n. 12.
Rio de Janeiro
Segu com brevidade para o poi to cima o bri-
gue nacional Isabel, tem a bordo a maior parte de
seu-carregamento; para o resto que Ihe falta tra-
t-se com os consignatarios Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, ra da Cruz n. 57, andar.
lia de Goncalo Alves, urna dita de Jacaranda am-
bas cem lampo de pedra, um (uar- t de*
amareflo, nroa m*>a elstica. 1 < dff
amareHo, 1 marqnezai, I loalheio -Ve amarillo, 4
[.par Je pparadores, 1 lavatorio de auuretto,
sof de dito, 1 mobilia de amarell incompMa, I
[)a[de cadeiras deb a de auiarel-
Ih rnarqaezas, diversas csie'ras auilfas, cona*
loa, 1 apparelne de Jantar, 1 par do brrfcina*, 2!
candieiros a gaz, 1 relogo americano, t candela-
bro de metal, relogios de algibeira depratae ooro..
1 cabrlolet com arrcios e i vaccas un ojandt.
e2 pa'idas.
Terca-fcira 3 do eorrente.
O agenle'Martins far leilo per cont e ordem
de diversos dos movis cima, eabriolel e 3 vaf-
eas no armazem n 16 da na do Imperador as H
horas do da.
AVISOS DIVERSOS.
=Precisa-se de um homem
para destribuir este Da o que
nao teiiha vicios nem achaques
tratar nesta typograpitia.
ODr. P. B. Casanova, pdteer
procurado qualquer hora e seu gouslt-
TOIIIO ESPECIAL IIOMEUPATHICO, aO IprgO da
matriz de Santo Atonto n. 2. No mesmo
consultorio acha se sempre venda os mais
acreditados medicamentos,, de bomeooalbia
e tudo quanto neeessario para as pessoas
que se dedicam ao tratamento por este
syslema. ___________________^
A Recife Dramage Conr,-
pany Limited, precisa de pe-
dreiros e trjibalhadores: tra-
lar as obras em eonstrucejio,
no largo das Cinco l'ontas.
Para Lisboa
COMMERCSO.
Primeiro districto.
Dr. Manoel Arthnr de Hollanda Cavalcanli.
Dr. Felippe de Figueira Fana.
Dr. Francisco Leopoldino de Gusmo Lobo.
Dr. Manoel de Caldas Brrelo.
Dr. Francisco Teixera de S.
Dr. Miguel lo*4 de Alraeda Pernambuco.
Dr. Antonio Domingos Pinto.
Dr. Jos Bernardo G. Alcorado.
Dr. Manoel Barbosa de Aranjo.
DE 3 ELEITORES.
Deputdos provinciaes
Dr. Mignel Lucio de Albuquerqne.
Dr. Manoel Arlhur de Hollanda Cavalcante.
Dr. Franci-co Leopoldino de Gusmo Lobo.
Dr. Felippe de Figueira Faria.
Dr. Francisco Teixeira de S.
Dr. Antonio Domingos Pinto.
Dr. Joaqum Jos de Campos da Costa de Medeiros
e Albuqnen|ne.
Dr. Antonio Witrurio Pinto Bandeira Accloli de
Vasconcellos.
Jos Pires Campello de Almeida.
Pergnatas Innocentes.
Aquellos, quem nada import a
juslica, obrigatn a juslica a irapor-
tar-sc delles.
Primeiro est a ju-tica que a tUt-
lidadr,ua antes nao ha ntilidade sem
jn5a.
Todo aquello que com melle um
crime, contrahe u a divida com a
ju-lica humana e oulra com jas-
tica divina.
O all no dia do justo umdia
de paz ; o ultimo do iniquo um
dia de perturbaco, de guei ra e de
ruinas.
Ifioatelhtiro Bastos)
A'face e ora vista dos pensamentos snpra, e al-
laiatale Jndi -o--, perguntamos sem malicia, e s5
filo dpsejo de aprender o segninto :
l* Oual o c mcejto e em ijue ftmla deve ser tid
n'laix, uoe ao Cubo somene de uus puchados
aanae(do(le 1883 1869) que goardou era
Sociedade bancaria em com
inaudita
Theodoro Simn C,
Compram e vendem pnr conta pr>
pria metaos, momias nacionaes, e estran-
geiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
Descontara letras da trra e outros li
tulos commerciaes.
Encarri-gam-se por conta alheia dasmts-
mas transact5es, da cobranga de letras la
trra e de outros ttulos commerciaes.
Receb m quaerqner quandas em depo-
sito, em conta corrente, e a prazo Qxo.
Largo do Pelourinho n. 7
ENGLIS BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Descoata lettras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro cm conta corrente 0 a
praso fixo.
Saca vista ou a praso sobre as cidades
prlncipaes da Europa, tem correspondentes
na Baha, Buenos-Ayres, Montevideo. New
e New-Orleans, e emitte cartas de crediio
para os mesmos lugares.
RA DO COMMERCIO N. 36-
ALfANDBbA.
t\endimenio-do dia 1 a i. .1,061:866^69
dem do dia 25......M.931*062
Pela sundelegacia de p Santo Antonio do Recife acha-se recolhda n casa
de uetencao a preta crioula que diz chama r-se
Manoela e crava de Manoel Flix, quem fr o senhor
que compareca nesto juzo munido de suas provas
para Ihe ser entregue._____________________
O lllm. Sr. inspector d thesouraria de fa-
zenda desta provincia, em vlrtude do ofBcio do
Exin. Sr. presidente de II do corrente mez, man-
da fazer publico, que no dia 24 do mesmo s duas
horas da tarde ir a traca para ser arrematado
por quem maiar lanco offerecer, o dominio til de
cincoent palmos do torreuo de mannha, stu do
enire a ra da Saudade e a projectada em segui-
mento a trvessa d.is Ferreiros, na freguezia da
Boa-Vista desta cidade.
As pessoas a quem convier, devero dlrigir-se a
mesma thesouraria no referido dia o hora indi-
cados.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 15 de novembro de 1869.
Servindo de ofllcial-maior
Manoel ]u< Pmto.
A barca portugueza Pereira Borges dever se-
guir brevemente para Lisboa, j tem a bordo par-
le da carga, e para o resto trat-se com Olivera,
Filhos & C, ao largo do Corpo Santo n. 19, !
andar, ou com o capitao na praca.
\m\\\\\\ HHASILE1RA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperad*
at o da 29 do corrente o vapoi
Guar, commandante o l-
ente P. H. Duarte, o qual de-
pois da demora do' costume se-
guir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
carga que o vapor poder condnzir, a qual deven,
r embarcada no dia desuachegada. Encommen
las e dinheiro a frete at as duas horas do dia ds
Nao se recebem como encommendas seno ob-
leeras de pequeo valor e que nao excedam al
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medi-
cao.
Tudo que passar destes limites dever ser
embarcado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa
i^ens so se recebem na agencia ra da Cruz n. 57
l* andar, escriptoro de Antonio Luiz de Olivein
Azevedo A C.
A G. de G. L. declara nao ser autor da
poesia inserida no Diario de 11 desta met,
dedicada a Exma. Sra. D. E... por aoni-
versario de sea nascimento, e sob a assig-
oatura de *L., cuja publicago Ihe tem
sido attnbuida geral.nente.
5,118:117*S>31
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados com fazendas
dem idem com gneros
volumes sabidos cora fazendas
dem idem cora gneros
133
6il
----- 774
232
700
------ 932
Descarregam hoje 26 de ontubro
Barca franceaaSanU Andrimercadorias.
Patacho dinamarqqez Maagaretk mercador as.
Barca francezaJean Baptmeia'em.
Escuna he^panholaJoven Ricardovnhos.
Brgue ingle? Quen of ihe Acnmercadorias.
Brlgue nglezAdelfaidem.
Patacho dinamarquezSiifclen.
Patacho ingleAnne Ingm tboado.
Barea inglezaMaranhao plvora.
Barca franceza Reine Margarelkvtt'ies gneros.
Brigue portugueeFeorindadem.
Barea francezaJim Grandidem.
Brigue norte-allemaoBernari Urna farrara e
papel.
Lugar inglezIgnis Talunimercadorias.
Barca ingleza.Uoiwipmidem.
Patacho inglezHary Annacerveja e arroz.
Escuna portugueza Dias batatas e mais g-
neros.
lnroortaea>.
= Lugre franeez Hro Grande, ptttdo do Havre,
consignado a E. A. Burle & C, manifest*:
2 eaixas perfumaras e miudezas ; a Ch.
elere.
4 ditas papel: a J. de Almeida
100 ditas vinho; a A. Jos Daiitas.
t ditas olcdo ; a Severiano B. de Mello.
5 ditas movis ; a J. Ramos.
1 dita, chapeos; a Jos J. Barbosa da Silva.
6 ditas ditos ; a M. Moreira de Souza.
2 ditas ditos ; a Joaquim de Souza ttaia & C
3 dita* diles; a Christiani Irmios.
1 dita dito; a Carneim A Nogueira.
2 ditas ditos; a H. OelUi & C
32 ditas sardinhas; a Joio Joaquim Altes.
1 dita papel de lixa ; a Mello, Lobo & C
2 ditas miudezas; a Joau da Rocha e Silva.
5 ditas ditas e marroquins; a Jos L. Gongslves
Fenvira & C.
1 dita cachimb >s; a Manuel A C
1 dita ditos; a Estevo da C Medeiroe.
Le-
17 fardos, 5 barricas e 5 caixas ferragens, pa-
pel, cacado, chapos etc. ; a Moubard, Melller
& C. ...
40 ditas tarrifabas 13 ditas tecidos do seda, de
la c de algodao ; a Keller & C.
rtECEHElxnilA OE KE.NDAS INTERNA* K
RAES DE PERNAMBUCO. f
lendimento do dia 1 a 2i. i 52:'0i*372
demdodia2o........ 2:S376il"
M 790*013
tiJNSI.ADO PROVINCIAL
ttendimentododiala2i. 96:174*688
dera do dia 25...... 4:878*485
10:li53AI73
MOVIMENTO 00 PORTO.
Navios entrados no da 25.
Ilha de S. Miguel30 dias, escuna porluguoza
Dias, de 117 toneladas, rapilo Francisco Jos
de Mello, oquipagein 9, carga mercadorias; a
Joan do Reg Lima.
Greenok38 das, barca ingleza Monsson, de 296
^lneladas,capilt) G. Menzie, eqnipagem H, car-
gi caivao ; i Adau son Houze & C
Rio de Janeiro-31 dias, escuna hollandeza Fexel,
de 162 toneladas, capitao II. I. Rolle, equipagein
7, em lastro; a D. C. A C. C. Simpson & C
Liwerpool30 dias, barca ingleza Rosamund, de
365 toneladas, rapilo L. Bruce, equipagera 14,
carga carvao ; a John-ton Paier & C.
Genova-43 das, polaca italiana Sara.de 2<>3 to-
neladas, capilo Marco Olivari, equipagem 9,
carga oilTerentes mercadorias; a J. J. Guncal-
ves Itelini).
Baha-10 dias, brigue norte allemao Hcitha, de
197 toneladas, rapilo Janssen, equipagem 9,
carga 2450 barricas iom farinha de trigo ; a
J. J. Gmicalves Beltro.
Mamangiiai'e4 horas, vapor brasllelro iandah
de 222 .toneladas co nmandanle Julio Gomes da
Silva, equipagem 14, carga algodao; a comp
nhi.i Pemaiiibucana.
Navios snhidos no mesmo dia.
Rio da PialaLugar hespanhol Come/la I de
Tosa, capitao Jos Meslre, carga assucar.
Ro da PrataPatacho norte al lu nao Mor?*, capi-
llo H. Meyer, carga assucar.
Don Juan Busn, Vice-cnsul Oe Iv-p.ni.i en
esta Provincia y su trmino, por el presente, llama
y emplaza los que se juzguen con detecho l<
sucesin, intestada del tllecdo subdito Espaol
Jos Felipe Martnez, njtural del lleyno de Es-
p ma domiciliado que fu en esta, donde falleci
el da 26 de Enero ullimo, paca que en el impror-
rogable plazo de 30 dias, contar de esta publica-
cin en el Diario Ofjicial de esla Cuidad, compa-
rezcan en la lancinara de este Viee-cnsulado,
por si, o por medio d procuradores con poderes
bastantes, y legalmeute habilitados en la firma
|le la ley, como heredero, herederos del referido
Jiw Felipe Martnez ; y no compareciendo en di-
cho rinVzo, se proceder de conformidad con lo
qu-- dispone la ley.
Para que conste a pen interesar pueda, y pro-
duzca sus debidos efectos mundo publicar el pre-
sente Edital.
Pjrnambuco, 24 de Noviembre de 1869.
Juu Busn.
Vice-cousul.
Algumas casas que precisaren) de una u-
gommadeira, que engomma bem roupa para
homem e senhoras: dirija-se a ra de II rtas
n. 86, que sero.salisfatoriamente servidos, oner
na perfeco do trabadlo c quer na coimnodidade
dos preces.____________^_^
Sociedade LiberaL Uiiiao Be-
neficente.
Convida aos senhores socios instaladores e rffec-
tivos, para reunirera se domingo 28 do cnente as
10 e meia horas do dia na sala de sna srsses para
de conforraidade com a le social, eleger o coasc-
Iho administrativo, quo tem de reger a sociedad,
no anno futuro..
Secretaria da SocioJad* Liberal Unio Benefi-
oente 23 de novembro de 1869.
1." Secretario.
____________Tfieophila Pedro > Ros rV>
lluii
a t>r
PARA.
O palhabole nacional Emilia recebe algnma car-
ga a frete barato : trat-se com Joo Franclsct'
da Silva Novaes, ra do Vigario n. 11.________
Rio Grande do Sul
Segu com brevidaile para o porto aohna o bri-
gue nacional Am*lia ; para o resto da carga que
Ihe falt trat-se com os consignatarios Antonio
Luiz de Olivera Azevedo & C, ra da Cruz n. 57,
Io andar.
Den Juan Busn, vce-con-ul de Hespanha
n'esta provincia e sen termo, pelo presente, chama
e einpraza aos que se juigarem com direito a suc-
ces>o intestada do subdito hespanhol Jos Felip-
pe Martins natural do reino de Hespanha. domici-
liado que fo n'esta, onde falleceu no dia 26 de Ja-
neiro ultimo, para que no improrogavel prazo de
3D dias. a contar d'esta puhlicacao, no Diario Ofi-
cial d'esta cidade, cotnparecam na chancellarla
d'esle vire-consulado, por s ou por mel de pro-
curadores, com poderes bastantes e legalmenle
habilitados na forma da lei, como herdeiro, ou
herdeios do referido Jos Felippe Martins, e nao
comoirecendo em dito praso. proceder se-ha de
conformidade com o que dispe a lei.
Para que conste a quem nteres-ar possa, e pro-
dnza'seusdevidos effeitos, mandei publicar o pre-
sente edital.
Pernambuco, 24 ds novembro di 1869.
Ju' Busn,
Vce-consul.
AVISOS MARTIMOS.
Rio de Janeiro,
Para o indicado porto, pretende seguir com mu
la brevdade a barca portugueza S. Joo, por ter a
maior parte de seu carregamento engajado ; e
para o re>to que Ihe falt, trat-se com o consg
nalario Joaquim Jos Goncalves Beltro, ra d<
Gommorcinn. 17.
O Ur. Loureuco Tugo de U>nreir
mente ferido em seu paternal coraq i pela prenu-
tura moi te, que sobreven) repentinamente (na
provincia da B ahia) s 2 li'nras e 5 miautos da
madrugada de 13 do crreme mez. sen ramio
presado filho, o bacharel Antonio Fernmdes Trigo
de Lourero, nascido em Olrada, e casad wsta
capital, convida, pede e ropa lodos os seus ami-
gos que se digneui por sua recoiiliecida earidade
ehrisia de assstir a missa que 7 e meia buras
da manha de 29 do expirante mez ha de sr cele-
brada p'lo repo'i-o eterno do referido bacharel na
m> -izila Boa-Vists.
Porto.
Segu cora brevdade a veleira e nova barca
portugueza Isolina, para carga e passageiros.
para os quaes tem excellentes cominodos, trata se
cora os consignatarios Antonio Luiz de Olveira
Azevedo & C.; na da Cruz n. 57 Io andar.
Rio de Janeiro
P ra o indicado porto segu impretervelmente
no dia 28 rio corrente a barca portugueza S. Joiio
anda pode admittir alguma carga e miudeza-* :
quem Mijar aprovaHar (por nao ter dem ra), ili-
rija-seao consignatario Joaquim Jos Gonclv-s
Beltro, ra do Commerclo n. 17.
LEILOES.
LEILAO
ALIU-SE
o primeiro andar do sobrado do ce- do Apollo
n. 73, com comiuod s para grande lamilia e pi
barato prec: a tratar com Luiz L. d s (oimares
Pellote na botica da ra larga do Rosario n. 34.
Fgida
Contina a estar fugla desde o da 1* de Mim-
bro, a escrava Francisca, cor fula, idade 28 annos.
eri ula, bairigula e cun um p e peina cacha-
dos : quem a appreheuder leve-a a ra do Impe-
rador n. 29.
Escravo fgido
Desappareceu doengenhn Cajabus> ao .imanhe-
cer do da 23 du curenle o molalraho ThomasTroia
os signaes seguiutes : Idade I i aootis, cabepi re-
donda, cabello- Ci rridos e eortflos i e-couvinha,
dentes perfeilos, ps e mos regular, peseon enrm,
olhos grandes; filho do aertto da | rovineia >
Rio-Grande do Norte, o qual foi comp ado ao sr.
Manoel Nunes Goncalves, morador miGoyaa-
na. O mesmo molatiiibo levou coinsigo mc-ival-
lo, teudo os siinae-: russo-pedrez. d>m 0 aiiuus
de idade poueo mais ou menos, cabeca gian le e
falta de cabellos na cara, e taiubem a- c\eat, ize-
de dous esporoes quo focara qneimadus as yer-
nas: quem o apprehender e leva-lo ao diui eoire-
nho, ser graliheado com genero>idade. Engenho
(^ajabiiss. 21 de noveinbio di- 18(R____________
n. 2
ECITAES.
Secretara do governo de Pernambuco 23 de
novembro de 1866.De ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, e a requisicao do Exm pre-
sidente das Alagoas se faz publico o edital abano
transcripto para couheciinento do quem possa in-
teressar.
O secretario
Dr. Joaquim Corroa do Arauj .
EDITAL
De ordem do lllm. Sr. insjector da thesouraria
de fazenda, se faz publico que, ten lo S. Exc. o Sr.
presidente da provincia por ofllcio n. 244 de t
do corrente mez, recommendado que fossem toma-
las providencias aflu oe o ter-sena occasiao oppor-
tuna gneros alimenticios para serem distribuidos
pola pobreza dos serios e margeos do rio S. Francis-
co, presentemente ameacada de ser flagellada pelos1
riguroda secca,que atterradora se mosira nquel-
las paragens, nesta reparticao se recebem propostas
em cartas fechadas, para o fornecmento de carne,
bacalho, farinha de mandioca e bolacha. Cun-
pre declararse que as reforidas propostas, qu
podem ser desde j aprontadas, bao de ser aber-
tas examinadas, quando S. Exc. o fulgar conve-
niente, acceitndo-se ento, aquellas que inelho-
res condi^oes offerecerera.
Secretaria da thesouraria de fazenda das Ala-!
goas, 18 de novembro de 1869. Jos Antonio
Marques._______________________
Juizo pe orphaos
Hoje, depois da audiencia, ao raeio eia, se arre-
matarlo os dous eaixftes de easas na roa dos Os-
sos n*. 30 e 31. avahados por 2:300*, para jecor-
rer despejas do inventario do finado Sebastia.
Jo> Gome Peona. Cravida-se aos coneorrentes
romorecerm hura indicada.
- Ue ordi-in dol-. Sr. eooselheiro inspeetor
da thesouraria de fazenda desta provincia se faz
publico que fei t ansferida para o' dia i de de-
zembro prximo, a arremataco do dominio til
de 50 paira s do terreno de tnrinha situado en-
tro a roa da SiuJade o a projectda em segul-
COMPANHLV PERNAMBUCANA
DE
\"ave;ao costelra por vapor.
Parahyba, Natal.. Maco, Mossor, Ara-
caty, Gear, Mantlahu, Acarac e
Granja.
O v.ipor Ipojuca, commandanu
Moura, seguir para os porto*
cima ao dia 30 do corrente as 5hora-
la tarde.- Recebe carga at o dia 29 encom-
nendas,e passageiros e dinheiro a frete at as
t horas da tarde do dia da sahida no escripto-
ro no Forte do Matits n. 12.
2L
Da armacao e pettences da taberna
da ra do Forte.
O agente Martins r leilao da taberna cima
p r despacho do lllm. Sr. Dr. juiz municipal da
I* vara, enja armacao foi penlwrada a Jeronymo
Jos Barbosa.
Sabbado 27 do corrente.
As 11 horas do dia na mesma taberna a ra
do Forte n. 2.
Porto.
Val sabir breve a barca Laura ; para .carga e
passageiros, trat-so com os consignatarios Carva,
rao & Nogueira, na ra de Apollo n. 20.
Companhia americana c brasilei-
ra de paquetes 'a vapor.
At e dia Io de dnembro esperado dos partos
do sul o vapor americano Merrimack, o qnal de-
pois da demora do costume seguir para New
York tocando no Para e S. Thomaz, para fretes e
pfsagt ns trata-re com oe agentes Henry Forster
& C, ra do Coninercio n. 8.
PARA
Para o designado porto pretende .ahr eom mol-
a brevdade o palhabole Rosita por ter a maior
liarte de seu carregamento prompto : para o res-
to que Ihe falt, trata-se cora o consignatario Joa-
quim Jos Goncalves Bellrao, roa do Commercio
n. 17.
m pe aanbiicaaa
Arcaj.
0 vapor Jagwiribe, que deve seguir para o sol
no da 30 do cnenle ir ate Aracaj, se por ven
tura os Srs, passageiros constantes da list apre
sentada no eteriptorio da eomuanhia ierera rea-
lisar sna" pasMgw* at 89 3 hvraa da tarde de
dia 2 do correte.
LEIL40
DE
FAZEIDA
av ariadas.
Segunda-feira 29 de novembro as 10 horas
agente Pinto far leilao a requerimento de
Joao Fernandes Lopes e por autorisacan do cn-
sul de Franca e por cont e risco de quera per-
tencer de 2 caixas marea J L F ns. 5 e 7 com 80
pecas de brim de linho, avariadas a bordo do na-
vio francez Sotide, na sua ultima vagcm a este
porto : o leilao ser elfectuado as 10 horas do dia
29 do corrente no escriptoro do referido agente
ra da Cruz n 38.
J
m
De nata casa e alelo A raa do
Boa* Niieeeaso tom Olintla.
Tarca-feira 30 de novembro as i I horas.
0 agente Pinto levar a le lo precedida a com-
petente autorisacan, a casa a sitio denominado
Jardim Botnico, sendo a can de podra e cal
cora senzala e estribara, tendo o sitio cercado 500
palmos de frente, 3 cacimbas, sendo urna d'agua
frrea, bem plantado e parte murado, no dia e
hora cima mencionado no escriptoro do referido
agente rfla da Cruz n. 38.
As almas e S. Miguel
Alerta S Miguel, nlho vivo Com o vos so patri-
monio, que voi querem < ban jar as memores
Tiropriedades das principaes mas, por permutas
menes vantajosas; nao ha necessidade de se per-
mutar vosso patrimonio em parte, necessidade fes
de se augmentar o rendimt uto do pairimuMi;
rasas qun 20 annos estavam por cem, e anda
contina a estar, quando o que nesse lempo esla-
va por cem, hoje val tresentos. Alert Sr. Dr. juiz
pnvedor de capellas, alert Sr. juiz das alma;
nao consintam as tes permutas, que sao sempre
mmmmmmmmmMmmm
Gollschalk *
Antonio Jo> de Azevedo, encarregarto
pehw Srs. Narciso, Arlhur Napolen & C.
do llio de Janeiro, tem aborto em seu
armazem de pianos o msicas, a ra
Nova n. H, una list para asignaturas
ig de 8 pecas de msicas pata piano, inedi-
^ tas eimtele do celebre pianista
M'Gottsclialk, que tanto furor tem feilo aa
US corte. A assgnatura cusa 'Mi, m K
**? sero pagos na occasiao da enti ega das <^
m msicas.
mmMm mmmwmm**
Irmandade das almas na ma-
triz do Corpo Sanio.
Tendo ebegado ao couhecimeoio da mesa
regedora que alguetn ofTiciosameote se
tem enearrrgado de otlerecer a venda
piedlos qne lazem parte do patritno-
to da mesma irmandade, sem que a mesa
o possa fazer, nem para isso se acha aulo
torisada, pelo presente protesta contra a
pessoa ou pessoas que semelhante acto teto
praticado em menoscabo da mesa regedora,
isto emquanto nao descobre seus auiores
para os fazer responsabilizar perante a ao-
loridade competente.
i^)nsistorio da irmaddade das alma?, 15
d novembro de 18t9.
O escrivo.
J. J. Urna bairo.
LEILAO
De novela, ubi eabrlolet o S
Tacen a aeailo ata Moaaado e
parida.
A SABRB :
Urna mobilia de fia a Luiz XV com II cadei-
ras deguamieai, 4 ditas de bracos, 2 censlos,
jardioeira cora pedra e un sof, urna outra aW
Uaixeiro
Precisa-se de um raixeiro que tenha pratica de
negocio, e que d dador sua conducta, para loja
de ''aleado : na ra da linuerajfj
crav, qna seja diligente tM
ca e rna, inetnsive compras ;
se dir ndH se precisa.
Iivre w es-
e serfig.dt
aostt lypofrafkia
PivcuiR-se de um ctbi*i que seja
a tratar na roa estreiti du ario o. 2, primnro
Mear, com Jos Btttrifaeda Suva, oa do su da
Passagem, antea da punte grande.
i
* i
i



ambiM Sexta feifra 26 de Novsmbro de 1869.
s


A os 4:000$
Bilhete garantidos.
a. ra O abaixo assignado. tendo vendido alm de 011-
aas artes, nmiateire n. 1788 com 4:0001 d
Wnria t\w. se acabou de cxtrahir a beneficio o
patrim-itii dos orphilos (127*), convida aos pos-
uidmvs rom recebar na conformidade do
eostami' em itesconto atgum
AMMO a venda os feliies feilhets da 19"
pacte da i .'t i :: beneficio do patrimonio dos
rpkM(IS8'F, <|im so extrnhir seguada-feira
S9 forfeulu iiu-t.
Proco.
Os do cnslnine.
Hsnoel Martina Fiara.
r
Advocada.
ftarolilio de Urna Santos, {o rHho) n
ttac.icircl co direito acha-se a ra jg
esireila do Rosario n. 23 onde pode i
Sser procurado das 9 horas da raa- U
nlia s 3 da tarde.
ranino
Pieris.i-si' i.c i;;n cria Jo : na ra do Imperador
*. 7.1. 2- andar
lvi,u,,HHiiade'a.
frcci--* ti ini criada para engommar :
ra Preciosa pubKcapo
jurdica,
Commentario do Cdigo Commercial Porta-
guez e Urasileiro.
Vende-se na loja, da roa do Crespo n.
25 A esquina da do Queimado, a impor-
tante p moderna obra sob o titulo de an-
notacoes ao cdigo do commercio portugus
em 6 volumes pelo Exm. Sr. conselheiro
Dr. Diogo Pereira Forjaz de Sampaio Pi
aentel, lente cathedralico na universidade
de Coimbra. Os subidos crditos de que
goza muito merecidamente aquello eximio
commcrcialista por si s bastariam para re
commendar tao importante obra, quando
n3o concorresse mais para isso a grande
vantagem de ser um ptimo commenlario
ao cdigo commercial brasileiro (na falta
absoluta que ha de qua quer nutro) pela mo-
xima homogeneidade de entre militas das
suas disposicoes, e as do mencionado cdi-
go portugus, que lhe servio de texto.
Coirei pressurosos, distincta moridade
do 4." anno da Facnldade de Direito desta
cidade e notareis jurisconsultos, a prover-
vo desse poderoso auxiliar para vossos
trabaMios da sciencia, e pelo preco commodo
de 205. toda a obra em 6 vol.
na
i PiLICO,
ll. Anna Ji-cdhi *-reir dos Santos, proprietaria
4 a c-n. :i i iLi n/..'.i. pelo presente fai constar
. ffn uares ir >>-.->. que ninguem faca tran-
-fia atgnnia nm S is Florencio de Olivcira c
Silva, rt-reulira dti ntnr-ionadn engenhor quer
> -bre i nalra a m *r, assnear o o mel j feito,
;i T 'ir.- quae* per otojeclos pertencentes ao
pivrit.vli enyntih p. como inoenda, taixas, formas,
ti4ha. fnr'-. r ;iii'rs. lampies e baledes visto
na -' aeb i o referido cngenlio arrendado
< ain, >-m p.nno bie* oSjeetos arrestados pelo
jir ih:i-i--ir da h vara para pagamento de 12
an mu ik frtn 11 -I indicado engenho, pelo que
ju-'o ncr 'i1'- a :>icjodqne o al onde as leis e
tuMbiiftacs d:scupaii iliii garantirem o exer-
_______________
V,v.-i a-M- rtv urna ama para eoxinhar e fa"
wrtunnra< para rasa do familia : no Corredor do
KnfM n. *<_________________
l'.ri- ,' te mu caixeiro com pralica de
i.lKTiia. : na na da i'.aJoia-nova n. 7 confronte a
*a ./* xcnlinfcs "fjiejaes de sapatetro
r.Ui-a ;i a anti)t Ija de calcado d"< ra da Cruz
n. :?t i iImm lo aniarelli)iim sorlimento de ferra-
.(Hti |ni:i Kipatcirrt, a qual so vende por menos
jK-er. | io em ouiia qualqucr parte.
Achado.
Qh^m i :.( < 110008 na ruada Imperatrir, en-
t.-a l.jj -i'.ivillia i da Aurora ponte da Boa-
-i-ia. l.ift'l'i os -itroa'-s cerius naquclla loja, lhe
.ia entnvN^. pa^anrto esta.
Casa no Monteiro.
AJaft-M pi f-;a un por anno a casa ao p da
\ ..ii-M-ua. na travesa da levada, no Monteiro,
:.oihi i'cr'.i da i\-t..cao. do hotel e do theatro a
.ratar mu UiTife. rna da Lapa n. 15.
C.Wt >A PE.
Aos 20:000^000.
KMm4w bi I"j venda : ra do Cabng n. 5,
e V'i.'iro A- lii-drigUM.
Xa praca da Independencia n. 33 se da di-
iwir..imIiiv pichlos de ouro, prata e pedra*
rr-ci>a-. si;a qual fef a qnantia ; e na mesma
nr* secmjia e venda ohjeclos de ouro e prata.
i r-.iiiimeH ta. IikIo t qualquer concert tendente
j mesma arte.
I'i i ri.-a.~i- re uiii.i ama para servico de duas
pessios: na nw Anuncia n. 74-_____________
50,1000 de Gratifl-
capo.
3h -Ir.t da Krugiwzia da lscada, o escravo Bernardo,
M a:i:t i- de idade. altura regular, cheio do
ll, imi ti i is d' i;'-, nariz chalo, testa grande,
s r*i:u!ir.r u I:,r de pomo, risonho, tem o
: ir eMbalaiicad< embalanca muito com os
is li'.iaud i ii. carreiro e muito esperto.
neai fr-io c fallante e muito Ilota, leni
<* calieS" !< -m i.' el.. e cor da pello, o do cabella
- beia ;;-i' K nmprado no Recife ao Sr. Fran-
risti llirnh i li'.'1 i. residente hoje em Agoa-
l'.v'.a : ij ii i m n ler e conduzir ao enge-
Ht i j-i.ij irteneiiiii i li). a > sea senhor, ou no He-
ii Se l r i n lin i de Sena l'ontna, na roa da
'r!ii '.i a :;; roeabar a gratillcacao cima
[ii-ii-ii.a i
S<)CIti) \ 1 : "\i0NTK FIO popular
PKUNVMfiCANO,
T).- atiera i firectoria manda convidar a todos
' nuil' i.m i o ilm 18 .il > crreme se apresenta-
rem Ha isrej.-. dn Divin) Espir.to Santo aiim de
ouvirem oi:s-a solemne do seu anniversarlo, e
-:\:ni !a assislirciii i -esso magna do 17 an-
- mr.'r-nn i i -na i i-'d .can, ni ca
.....r i .11 M mi Pin Popular Pernambuca-
tv id-, mtvemli i de 1839.
Candi lo Jos de Goes Telles,
Secretario
Liihi do mnibus.
O i ,: o nda previne aos Illm*. Srs.
pisfcijrtk tf. (pie do Io do mez de
ano em diante, dar a sua
prifl Reeile as 8 horas da ma-
iitiii, i' : ir do Recit para Olinda asi
!i,ra< | .ira o Recita as S, e do Recife
jt~ r i I! :
urna una que saiba cozmhar,
: a uatar na Capnnga, roa do
V Mar n. 1.1,
Sublime pub'lcavo Iliteraria
sob o titulo de .Heiuori do
liom ^'sns do Monte, em
Braga.
Acha-ne venda na loja da ra do Cres-
po n. tl A, esquina da do Queimado a pri-
morosa Memoria do iom Jess do Monte em
Braga, ornada de gravuras finas, segunde
ediejo, obrada penna de ouro do mui Ilus-
trado' lente da universidade de Coimbra, o
Exm. Sr. conselheiro Dr, Diogo Pereira
Korjaz de Sampaio Pimentel. Quem tiver
noticia da extraordinaria devoro que exis-
te em Portugal para com aquella milagro-
ssima imagem, afilnindo sempre para o
seu magestoso templo em rom tria o nume-
roso povo de todas as panes desse reino ;
quem souber avahar as brilhantes desenp-
ces, e o bello estudo daquelle consumma-
do jurisconsulto e eximo litlerarioportuguez
n5o deixara de procurar, quanto artes pro
ver-sr de um exeinplar da dita memoria,
pelo diminuto preco de 3t, na loja indica
da, onde ha pequeo numero bellas.
Livrosnovos do Rio de Janeiro
Dr. Lafai/me Hodrigtus Pereira,Direi
to de.fami'i'a I vol. 8^u00
Dr. Jos da Motta de Azevrto
Correa. Relatorio geral e
synthetico dos avisos do mi-
nisterio da juslica 2 vols.
Dr.Salust\ano O. A. Costa,Co-
dig > commercial do imperio
do Brasil I vol.
Dr. M. S. Mafra. Jurispru-
dencia dos tribunaes 3 vol.
Dr. J. M Macedo.\s victimas
aloze quadros da escravido
2.l2brocb.
Menezes.Geographia l vol.
Guimares. O Ermito de
Muqnens i vol.
Pompea. Geographia (i869) novaediejo
I volume 6^0000, etc. etc.
Livraria franceza
_______9RA D CRESPO-9_______
r l'recisa-e de uma ama escrava ou livre,
que engomme, cosinhe, faca compras, para servir
em uma casa de familia de duas pessoas; ra
Direita n. 12, l' andar.
141000
80000
18,5000
5,5000
30000
30000
Amas.
Precisa-se de duas mnlheres para amas do ama
casa de familia, sendo uma para tratar de meni-
nos, e outra para engommados : a tratar na ru
da Cadeia do Recife n. 18, 2a andar.
Casa para alugar.
Aluga-se uma casa na povoacao de Apipucos :
a tratar na tinturara franceza ra da Unpera-
triz n. 53.
= Precisase de nm moieque para cocheiro
a tratar no largo do Pelourinho n. 1.
Ama.
Precisa- se de nma ama para casa de pouca fa-
milia : na ra do Hospicio n. 38.
ATTENC40
Furtaram do engonho Ribeirao, ao amanhecer
do dia 19 do crrente, um cavallo ac, amarello,
olhos gaseo*, sem signa! de outra cor, deita a di-
na para o lado direito, do meio do pescoco para as
orelhas reparte, deitando pequea porcao para o
lado e^querdo, cabellos um tanto crespos, tem um
signal de verruga na tabna do pc>coao e outro no
colchan na altura da cauda, pouco mais ou me-
nos, e-i acabando de igualbar, inteiro, anda de
pa Ribeirao, ou delle der noticia, ser generosamente
recompensado.
*
J. 'Ferrein a.
l*HOTOGR4PIIIA IMPERIAL
18-A RA 00 CABUG18
A entrada peto pateo da matriz.
Esperamos que os trafialh >s de reedideaco desta
pliotographia que j duram cerca do dez metes,
estejam acabados al a primeira quinxena do mez
do ewmbro prximo futuro.
0 predio em que est enllocada essa photngra-
libia aeha-se mu augmentado, e s a parlo desti-
nada ao estabeleclmento conla einco salas, inclusive
as do laboratorio. Todos os cenceos e angmen-
u s tendo sido feito* expressamenle para se montar
convenientemente a phoograpia, e nao se poden-
do melhor modelo eseollier do que a Photographia
Imperial do Sr. Insley Pacheco do Rio de Janeiro,
o primeiro photographo do Brasil, e um aos pri-
n eiros do mundo, segundo a opiniao dos mais
a jalisados mestres, a nossa pliotographia acha-se
disposta e reedilicada pelo mesmo plano da do Sr.
I. Pacheco, a qual foi montada sob todas as regras
rtflommendadas pelos mais distinctos professores
do acord com as modifleaees necesarias an clima
do Brasil, reconhecidas e estudadas pelo habilissi-
mo e pratico Sr. I. Pacheco.
Todo o interior do predio em que est a nossa
pliotographia foi mudado de-de a spleira da poria
d:i ra at a coberta- tendo-se demolido todas as
paredes interiores para so fazerem as novas salas,
ediil -ando-se nm novo terraco enyidracado mu
espacoso e elegante.
Cerno sabido fizemos uma viagein e\pressa-
nente a corte para examinarmos asmelbores
puotographias d'ali, o foi a do Sr. I. Pacheco, a
que melhor corresponden aos nossos desejos e
abracos, e da qual trouxemos os planos depois
dj ali estarmos todo um mez cstudando e apro-
v >tando as heoes de tao dislinrto mestre. Pen-
samos que juntando os nossos estudos c longa
pralica do 15 annos de photographia as ulilissimas
lii^5es ltimamente receidas do Sr. I. Pacheco,
tehdo montado a nossa photographia como se
acba, poderemos, apenas encelar os nossos novos
trabalhos offerecer ao Ilustrado publico desta
cidado, e aos nossos numerosos freguezes traba-
lhos do photographia tao perfitos como se poder
(iisejar, e disto convencidos esperamos que conli-
nuem a dispensar-nos a mcma proteccao com
que a to annos nos tem honrado o ajiidado.
Precisase de uma mnllier que saiba com-
prar e cozinhar muito bem, de boa conducta, c
qac traballie com limpeza. prefere-se escrava :
n;sta tvpographta se dir quem precisa._______
A' ra estreita do Rosario
n.ll.
O dono deste estabelecimento continda a fome
cer comidas para fra, por commodo preco, prom-
tido e esmero ; as quintas e domingos acha-se
a saborosa sopa italiana, como seja a ravinli talha-
leli, etc. Precisa-sc nesta mesma casa de nm co-
peiro que tetina pralica de hotel, dando-se prefe-
rencia a portuguez ou hespanhol.______________
A "fuga-se
una casa em Beberibe : a tratar com J. I. de M.
llego, ra do Commercio n 34.________________
iMBnaPHHBHMH
O tenenle-coronel Decio de Aquino Fonceca
e o bachar^l Elizio de Carvalho Couto. agrade-
c mu su ni mamen te todas as pessoas qne as-
si sliram no dia 21 do corrente, no cemiterio pu-
blico os suffragins o enterramento do sua cunha-
da e iinan D. Emilia Gnilhermina de Carvalho;
c roga ainda o caridoso obsequio de assislirem as
missas do stimo dia. que lero lugar sexta-feira 20
do corrente, as 7 horas da manhaa, na matriz da
B5a Vista. Recife, 23 de novembro de 1869.
55.
*V
O. o
HJ
I
3 a
H

Si*
c-
f
S
ia
M
Precisa-se de nma ama forra ou escrava para
cozinhar e engommar : na rna da Senzala-velha
n. 80. ta erna__________________________,
Gabinete Portuguez
de Leitura.
De ordem do Illm. Sr. presidente convido aos
senhores conselheiros a reunirem-sc em sessao
ordinaria na sala das respectivas sessdes, sexta-
feira 26 do co'rente, as 6 1)2 horas da tarde.
Secretaria do Gabinete Portuguez de Leitura 21
da novembro de 1869.
J. R, Fonseca,
_______________________2" Secretario._______
O abaixo assignado faz ver ao publico, e com
especialidade ao corpo do commercio, que a Arma
social Maroel Joaquina Das 4 Irmu, so acba quite
nesta praca e fra della, e se alguem so julgar
credor da mesma, aprsente sua conta ao mesmo
abaixo assignado: na ra da lmperairiz n. 78,
para ser paga.
Manoel Joaquim Dias.
Precisa-se
Tomar por alugel um moieque para todo servico
na confeitaria dos ananazes: a ra da Cruz
n. 16.
CO
^J ~WJ
s w


o g 5 5
IH*
P -*i
&\
Aluga
-se
MI.
Pr.vi-.i !c nma ama qu cozinho bem o dia-
rio i- h:h:i e.-a. r cenpre, prefere-so escrava :
m rji J i Pires, sobrad) n. 27.
A viuva c lhos do Dr. Joao Ferreira da Silva
agradecem cordialmetlte a todas as pessoas que se
dignaran assistir as exequias e acompanliar al o
cemiterio o enterro de sua Olha e irma Mara
Ferreira da Silva, ede novo cmividam aflm de as
sislir a< missa* e memento que por sua alma man-
dam celebrar no dia 27 do corrente, pelas 7 Ii2
horas da manhaa, na matriz de Santo Antonio.
Paga-se bem a uma pessoa que emenda de
bolear, e que seja do boa conducta : na ra es-
treita do Rosario n. 2, Jos Henrique da Silva, lhe
dir quem precisa.
las casas na cidade de Olinda, proprias para h-
litos do mar : na ra do Imperador, estabeleci-
mentos ae carros fnebres n. 9.____________
Muita attenco
Pretende-se duas boas c perfeitas criadas na-
Monaes ou eslrangeiras para e servico interno de
uma casa particular, sendo uma para servico de
aizinha e outra para engommar c tratar de dous
neninos com todo o desvello : a pessoa que esti-
rar neste caso, pode dirigir-se ra do Imperador
a. 6 para se tratarlo ajuste._________________
Joan Paulo dos Santos Jnior tendo de ret-
rar-se para Europa a tratar de sua saude, deixa
encarregado de seus negocios particulares e cem-
mfreiaes a seu socio o Sr. Jeronymo Dias Alves
Pimenta. Recife 18 de novembro de 1869.
Amassador
Precisa-se de ttm amassador de padaria ou mes-
mo aprrndiz: na rna do Pires n. 50.___________
O abaixo assignado declara e protesta pulo
Diario que ninguem contrate negocio algpm com
Mara Theodora do Espirito Santo,-pois que ella
a mais de dous para tres mezes j est designada
pelos mdicos desta cidade em estado de demen-
cia, pois que o abaixo assignado pretende desde
j annullar qualquer negocio que ella faca.
Flix Jos de Sena.
Aluga-se
a metade do primeiro andar da ra do Vigario n.
5, para escriptorio, deposito de fazendas, ou mo-
rada de caixeiros : a tratar no armazem da 1ra-
vessa do Corpo Santo n. '.!5
Oterece-se uma parda para ama de uma
casa para lavar, engommar e cozinhar, ludo com
perfeicat; a pessoa que alugar lhe adianur pa-
ra a sua alforria 3003 para se descontar ns seu
servico : quem quizer peder procurar no becco
das Barreiras n. 9.
Burra desapparecida.
Hontem, 2i do corrente, as 8 horas do-dia, de-
sappareceu da ra di Imperador uma burra cas-
tanha, grande e gorda, com cangalha, foi visto
ella seguir para, o Recife em meio d um comboy
de assucar que tambem segua, vindo da ra do
Crespo, ferrada do lado esquerdo com um ferro
grande : quem a apprehender leve-a ra do
Imperador n. 44 2". andar, ou ra da Senzala-
nova n. 38, qne se dar 201 de gratifleacao.
A irmandade do glorioso S. Benedicto, eieo
ta no convento deS. Francisco de Olinda, partici-
pa ao resp o dia 8 de dezembro, porque no dia 28 de novem-
bro nao pode ser por causa de ser primeira do-
minga do advento.
Consistorio em mesa 19 de n.vembro de 1869.
0 secretario,
Luiz Babia.
Companhia Phenix Pernambu-
cana.
Tendo o governo imperial autorisado pelo decre-
to n. 4132 de 30 de outubro de 1869 a incorpora-
cao desta companhia, sao convidados os senhores
accionistas a reunirem-se em assembla geral na
casa da ra do Commercio n. 3i, no dia 3 de de-
zembro prximo futuro, aflm e elegerem a direc-
tora de conformidade com os artigos 22 e 41 dos
est*tutos.
Pernambuco 25 de novembro de 1869.
Fernando J. da Silva.
Attenpo.
Ama.
Precisase de uma ama qne cozinhe bem para
casa de pouca familia : a tratar na ra do Livra-
mento n. 35, loja._______________^__
Attenpo.
Na ra Velhv n. 54 precisa-se de um moieque
escravo para o servico de urna casa e para car-
regar comedori para fra, paga-se bem.________
Mais barato que em
outra qualquer parle
Prepara-se comida para fra com asseio e
promptidlo : na ra estreita do Rosario n. 19, !
andar. ________
Joaquim Ferreira dos
Sauto
professor de dansa, natural de Portugal, chegado
pouco da Europa com sua esposa esta provin-
cia, tem a honra de participar aos seus Ilustres
habitantes e mui principalmente aos pais de fami-
lia, que contina a leccionar em dansas com todas
as regra?, as tercas e quintas-feiras, das 5 horas
da tarde s 10 da noite, em sua Casa na ra es-
treita do Rosario n. 31, 2o andar, e nos domingos
de manhaa para todas as pessoas que nao podem
vr nos ontros dias, sendo a lico aos domingos a
noite geral para todos. Tambera se promptifica
ir aos collegios e casas particulares nos ontros
das.___________________________________
Precisa-se de ura trabalhador de masseira
na ra do Rangel n. 9. ^^^
Aluga-se a casa n. 8 da ra do Jasmira : a
tratar no sobrado n. 50 da ra da Aurora.
Sitio.
Alnga-se pelo lempo da festa um sitio no Par-
nameirim, pouco alem da casa do Sr. Tasso, e
prximo a estacao da Jaqnelra : quem pretende-lo
dirjase a ra do Queimado n. 12, Io andar.
Na rna Velha n. 51 fornece-se comedori parr
fra com promptido e asseio, e recebem-se aa-
signatnraj par nienos preco do que em ostra
qualquer parte._______________________
Ainda est fgido o meu escravo Isaac, mu-
lato, idade 20 annos, pouco mais ou nienos ; na
sua sahida furtou-me 500 a 6005 em moedas da
ouro, e foi bem vestido; consla-me que fo viste
em Pedras de Fogo : peco, pois, s autoridades
policiaes capitaes de campo a sna app.ehensao,
e que o facam conduzir ra da Matriz da Boa-
vista n. 33, onde sero bem recompensados.
Jezuino de Miranda.
Gaixeiro
No engenho Penanduba precisa se de um eaf-
xeiro que tenha inteira pralica de engenho.
Aluga-se uma escrava boa cozinheira: a
tratar na rna da Palma n. 87.
Precisase de nma ama livre ou escrava qoe
cozinhe eom perfeicao : na raa do Vigario n. 5,
3 andar._______________________________^
Precisa-se de dous trabalhadores de massei-
ra : na rna da Senzala-velha n. 84.
O abaixo assignado declara ao respeiuyel
corno do comimrcio que nesta data tem vendido
ao Sr. Joo Eduardo Artignelonguo a sua tead*.
de ferreiro sita ra do Brum n. 56.
Frederico Klanemld.
Precisa-se de um caixeiro com pratic d
molhados : na ra Direita n. 34,
Na ra da Moeda n. 5, 2* andar, escriptorio
de Manoel Alvos Ferreira A C, vende-ee vmho
verde superior m barris, ancorlas com vinho do
Porto superior e malvazia branco.
AMA
Precisa se de uma ama que saiba cozinhar bem
e engommar, para casa de pouca familia, que te-
nha boa conducta, nao se alba a preco : na ra
Bella n. 38.
Aluga se a metade de uma casa atraz da
matriz de Sauto Antonio n. 20, pessoa capaz.
CONSULADO.
Pede-se ao Sr. administrador do consulado pro-
vincial o especial favor de rubricar os bilbetes do
Rio a proporco de sua chegada all, pois tem al-
guns donos dos mesmos sido preteridos era seus
direitos, e outros sempre primeiro attendidos.
O prejudieado.
Precisa se de uma ama -de meia idade para
cozinhar ; na roa de Hurta" n. 94. ?__________
Aluga-se a cas n. 70 da rna da Gloria, cora
4 quartos, cozmha, quintal e cacimba, concertada,
caiada e pintada : a tratar ua ra do Queimado
n.69.
Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
RA DO TRAPICHE N. 17, i. ANDA
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os segas*
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenga.
Guimares.
Coimbra.
" Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vex.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de]Famalic5o.
Lamego.
Lagos.
Covilh5a.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos. _________
SEGUROS
MARTIMOS
COMTRAFOGO.
A Companhia Indemnisadora, cstabeleeida
testa praca, toma seguros martimos sobr*
navios e seus carregamentos e contra fog
em edificios, mercado ras e mobias: a
ro do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
w.cr
os]iuua
da rna larga do
ano.
CJP^% DK
esquina
Este importante estabelecimento no seu genero, jtem sempre um sortimento sem igual,
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender. Lft raa ^^ 0i
vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.l 6 |
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por prepos muito ele- Rosario.
vados.
A loja est aberta at s 9 horas da noute. f
'm

't^ .=...


"""^S" 7%W$
Prihiio introductor dos po?&/tubulares
insttotensos da :Ab$ttHneu
Sexta eira 26 tlft Novembro de 1869
X5
a 5 ""' -x- SIS ~
B. 2 -? ,f 5- =
I
Estes po$os foram espalhados; na Euro-
pa, tanto, que, qualqoer duvida do seo
grande valor Ortico eleve desvanecer vW-
3 v'*-, | ta das rendes vantagens.
Mi loares de .exemplos mostraram que
elle3 s3o de grande ntilidade aos ndustriaes,
agricultores e particulares; at em todas
as expedicSes. militares, dos ultimas totopos
foram usados para priwurar sera demora
' agua fresca e pura, e (anta quanta se pre-
ci-^-a.
Eo) todos os fugares, onde mapogo ca-
vado on forado (pelo, systemn antig) dara
agua, pde-se empregar os pocos tubulares,
Elles fcilam cnar agua ) milito mais
depressa, mate crista ina, mais fresca e
mais barata do que oor meio dos pocos
cavados.
O systema dos poco i tubulares e o ni-
co pelo qual se possa obter agua perfecta-
mente pura, livre de todas as substancias
nocivas e preservada de todas as influen-
cias atfimospliericas.
Por nii'it de urna machina milito simples, consistindo d'um m?.caco, mpelle-se para
gt'dentro daRe(rr*nm tubo d ferro', coja extremidade inferior est furada e munida
rj'umai pona djaco; e logo-uno a sonda mostra agua no mesrr.o, dev-se atarracbar
a bomba c U\to-Ui lonccimiar. Ao principi a agua terjl 'sublstabcttS arenosas e terreas,
BtHI2Ef.il MU.M
Nova loja ie al JOAQUIM DAS DOS SANTOS'4 C. acabara de'abrir um estabelecimento de e*t-
,-ado estrangelro ama Nova n. 30, onde o publico encontrar* tudo o qne neste g
aero de cpmmereio ha de melhor e- de mais^gosti efn Pars Londres.
Por lodos os vapores transatlnticos- receberao elles constantemente remessas d
;alcado novo, telo que tora sempre o estabelccienYnto o que a respeito. se pode ei>
ir. Ao publico em geral e a seus amigos em particular, pedem a cooperado, qat
Ihes possarr^ dispensar, cortos de que sero servidas'Cfib lealdade.
COLLEGIO
51-Ra de Santa Mrtha^67
ce su I OT as
s. S S 3^2. w"? '!
v ~ 5 2. t
- z: -n < as.
5 SL S* ^ 2

Sogo so clarifica, e em pouo> lempo salina agua perfeitamente lmpida.
iltras-" v^magep que apivsenta este systema' sao :
te,
ps -vi/.i"
$ii<<>.

casa, uso tenfi> m doiilro da uiesma, con) nao menor facilidade
^tirci'iru... a facjlwfaile-cntu que se lira para fura
sem
o estragar
"O n a 9 S &
' r^ cl a.< 3 Tt ^ o. ~ <*
ts. ~ 2 x ~ r ;- S.
bi i -. a .? o ~
= a 2 b ~ =." -
Crt
as -i
-- ^-a 5 Ss a
es
ia
9 1 = as 5 5.' 5" 3
O os = a = o
b ? a ?"?r-a I t r
esa
l*fSi
para oru da tena o poco
'-...Mu nonti o logar :
nm'de quantidadC d'agua que elle pode dar :
\y.\ -sibilidade de tornar, uteJs com puo irabaJho, por meio delle os po-.
sy> casa lns que forana esb*agado9 pela ari oh p t qpVrag :ais;i>. A fc
l'',-a:'i.'-se de una grande quan'.idade d'.sgiia pHelseUutroduzir na tena' i-
,-ersos tetes nrii los nns-aos utros por meio li'um awiW'elbfl ni.uto Minees.
Km lugar das bombas aspirantes geralmeirte' usadas, pdV-S(} feractr b 'nbas de
comp!tes;io ir agud e couduzi-la aos andaras superiores.
(/enipi'Cge'dos, pochos tubulares sobre ludo proveitoso aos fazendeiros, que em
^aalqiier^ampo onde, o gado pr csa d'r.gop, os podem coliocar 8 arranca-Ios para se-
rein cdlocadti$ bde me^ttoc lies convier.-
V: taib. ni de grande utililidado aos fabricantes de'cerveja, aos distilladores e a
Lodos os fabricantes envgeral, e com esplcialidadfl aos empreittiros, arcliilectos, en-
genhefos e rdos aqiielles (pie (>re< isam de quantidade d'agua por tempo determinado.
Ejtometbodo o'inic'o para obter em qualpuer parte agua, que seja livre de par-
tculas? nocivas, elle tambem proveitoso aos propietarios de casas e jardins, taulo
paraoUiso diario corno para regar as planlicoes e capim." m- .-
Pedimos a aquellos que no^qijizerei 1-iivvr.lliaBHIfctS encommendaS'' de nos
JommBpfcar : t." em ue profundice s ac'i.i a agua, o que fcilmente se pode verin-
sar i s on cacimbas visinbM2 (% ^cie,so as canjailjs da tera da su-
prficreat a'carnada que contmgua ; :f en que especie de oamada se aclia a agua
naquelle logar : l. (inanlmente aqsn!id;fl d'airna qne se pede oor tiora.
A cnllocaco di pogai.a por coiita di compfadd.r li'rccendi-se porcm a empre-
''z a qihprestar o appardffio de assenlamfcnto uedianto imia reti'ibuico a coavencip-
, mar, jqtial s regular pefo lemp que s| adiar fra.
Tmbem encarega-se: de mandar unja pessoa liabibtad:'. na collocacSo d'ees s po-
;os, pagando o compiador alirt do sustento e dcspezaS "d viagen! (Ida e votta) una
;ornal previamente convencional!.1.
.fe pesso,as. que quizerem apreciar o trabalno dos referidos pogd, podem ir ver
i fiinccinajr ia da Flonntina, Cabria di ceneja n. 20, em ReJ>e(&f em casa do Sr.
yniajonAatunes, no Casanga no hotel junto a poule o no Arraia em casa do annun-
ciante.
Para encoronT-mlas e mais eselarecimentos a respeito a tratar, na loja do Sr. F.
I. Germanir; na Nova Ti. 21. r^
Esle estljeli-ciiiiwito de educnjioi que oceupa um grandioso e bsm spropriado pi!;
proporciona todas as i'midicoes <- li\ gic-uc .o coniniodidades wa ii iiilernal i dos alniiios. A-
e dorniitoi ios bom preparados eta vastuS c niaglicos salos stiftzcm ploaaineale aos Citii pira |ut
se d>tinim. ,"
Os jar.ins c passeio pertnlllem aos atuinnn* til c pro^-itoso reeHioi A Instficcaa ^u-i/nina
e toda a secnwdaria, curso coiomeriMal e.ahellas arti's sau pr.)fcssa4as.B rospciuivei-cav dheiros, qne. aloi de legalmeuo iialilita.i.-, maiores euusideracoes tein obtido o*
magisterio putdico ou' prlli'nlr.
A sftvaii fiill"i.'o infantil, di .Minada ao* alumnos que pela sua tenra idadj nuo con\ii
cstejam em riAindhiilado eom os mais addilu, ett looflada a auas df^n.'.la e nUclligenles senioras,
oina pnri|ui>za .mira frnctaa, qu.'. a par, (tos a\ la :- ialeioaes cuui que os Telain, Ihes etfsittam
os rudlmi'o; icao Biop I, hu.-rjri^ o -ci.il, laoiiliaii-aiidj-us ao uiesino lemp>i pela pralic
as li'nguas nirlnaueia, franro/.a e Itgleza.
X. B. Bam-se ampios esrt^mm^Dl aqu, na diannaeia dos Srs. Carlhol-mica 4 C,
ruatarga doltosoijo tU 84, ou e:n Lisbo-a no (seri[ilorio do Sr. Giiil'nerme Selte, ra do Ampara
n. 6.
O director da escola,
Jm Antonio de Barros Prcsevrv
-r+-
LOJA DAS MACHINAS

qiljnidade'
GnMavo Wenlieimor tern a honra da informar o IIIm. publico que mudou o
DEPOSITO DE PIAROS E
ftf{\ A
Ra \ova n. 58 prioieiro ailar (casa do Sr. Pinto)


...
-
para descarogar algotlfio de todos os :-ysU mas
i serras
li ditas
IS dilas
lli ditas
IM ditas
20 ditas
1 ditas
25 ditas
:io rtrtas
'Mt dilas
10 ditas
i

meiras mcbhas american
c lamanbos sepuintes :
l senas
14 ditas
15 dilas
16 dilftl
M ditas
O ditas
iAftas '
-2l\ (Idas
00 ditas
:;; uta
40 di tas-
as qaaes se vendem por arcCds b'mmaoS e rtgac a= ^SSdiil qire deltas fiz ram en-
commendas de aigUb inmanlos, obsequio de as mandaren) busca-las o mais breve pos>-
sivcl ai de nao baveiTin latas. />Vv
RA MCADEI N. 56 A
fCVE,d^ 1EOUSE-
Sait hill, perto de Winsor.
ndo contina a ler um completo sortimento do j bem conhecido pianos da fabrica de Boisselo; fl A 1 l f I k f \ T II A I 1 fl A \W II1 1! \ Vi l\ \ \\ P t ? *\ I A Y h D IM
Is il!., deontros Imns autores o de musirs as melhores edicoes. Todos os concertos o L U L L L ll I "f lAlIlVllluUlJlU 1 U'll A 1 V A V IMl9 JULU1D!ll!l
-anaes Ktio frito* eom "7 ~ ;
Toda promptido e perfeipo.

com O USO DA
INJIGQ
nica hygienica radical e ifallivcl na cura das gonhorras, flores brancas e Huios
ce toda especie retentes ou chronicos, equeollcrece como garanta de seus salutjis re-
tUadns a antiga e continuada appl ac5o que scninre com a maior vantagem se teaiei-
eiia, nos htispitats de Paris c< m piefeiencia a todas as ifiais conhecidas.
NICO.-DEPOMTp PARA O
BRASIL
SRS. BRIHOtOMEU & C,
34-----iiua Larga do Rosario-----34
5CA KMINK.NOX 0'CARDEAL WISEMAN, ARCEBISPO DE WESTMINSTER, DOS-EXM3. RVMS. SRS. Dh
AMHKRST, BISPPOE NOtTOAMPToN, DR. GRANT, BISPO DE SQUTHWARK, E DO RV.M. DR
WAMBM<
Os Srs. James de William Butt, assistidos de uru capelln residente na casa d<
apt03 professores, dirigem o estabelecimento cima mencionado. O corso de educac3(
encerra as linguas. latina,-grega, ingleza e franceza ; algebra, arithmelica, calligraphia f
escripluoo mercantil.
, A penso de ciocoenta uioos, Os lugares na capeila (a qnal faz parte da
casa) bem como o diabeiro, que os alumnos tiverem de receber, sai pagos parte. A
penso paga seis mezes adiantada, e no caso qwe os pais ou correspondentes de>eja-
rem qae seus tilhos eu recommendados se retirem do estabelecimento, terQ a bondad*
de avisar (s Srs. directores tres mezes antes da sahida dos sobreditos. As ferias dt
veri) Goraccam no dia t de junho, e acabara no flm do mez de julho ; as do Natal co-
meeanino da2l de dezembro e acabatn no dia 6 de Janeiro. Desenho, msica, dansa
e esgrima sao ensillados por profesares Modernos. i
A situacln. como, bem se sabe, muito sadia:. cincoenta geiras de trra per-
lencem casa, a'qaal espacosa e commota ; A situada perto da estacSo de Slough
nma das da grande estrada ferro do este,, (Great Western Railway.
Para methores instraccoes qiira-se.dirigir aos cima m oeionados ; ao Rvm. R
Conego Shepherd, Priory Street, Colcbester; ao Rvm. J. Bamber, Ttxtrdon, Essex
ao Rvm, John Bntt, Arundel; ao Illm. Sr, A; Buller, 6^ Austin Friars. Londres, ou ao;
directores os Srs. James Williaa Butt, e no Brasil provincia de Ptrnambuco, a Antoni*
Lcizdos Santos.
>
tfJTur^girfrr t:Tu!ji>^
EXPOSICftO DE LONDRES
GO^RA !)A GADEIA DO REGIFE60
D
-
PARA ACABAR UESTES DAS
O proprietario de6te estabelecimento tendo de p;ntirfmuito breve para os Estados Unidos e turopa, faz completa liquidacio oestes dias, para acabar ; omo
urtpatlos para cam e jaufilas cobertores inglee finos, aliado de patio, btjoterias d'ofe>-4 i% -orai rwaa^a embribantes,iptl.oculot tapetas, trancelins etc., apparelbos
de i^rttl do mais fino que ha para almo?o. baudea.- etc., nerfumariaf de differentes Cabn'cantes, d^rentes caiimb, vasiae com eufeites muito proprias para presentes, caixas
t, dilas com pertence> para costura, ferro de engomm-r, nao Sendo preciso cmao era /bgareiro, rnitkifwrt itr drrbt^tas, ditas para preparar a carne para gui-
s-para batir ovos e bollos, grande variedade le porcelanas, como, vasos para toilette, apparelhos para niesa etc., differenles obyectos de vflw cmo seja: lusbose
a MioVs. lantertis para cima de mesa, escarradores etc ,- uns exoeHenies ofrjs de .forro, espelhos de* ros, rica caixas para retratos, dilas com rbeiros proprias para presentes, mesas de para almoad.is dita, para tapetes e para deilar vasos era eima da meM^^elogio. para cima de mesa, de j^zree e de onro para algibfira, stereoscopos de diversos
-frieran ,as mgicas p.ira dirertimento em salas, qnadros com finas figuras de porcelana, dMos fermimovimenws, finuras bronceadas par'enfeites de mesa.
pata se tomar baubos no mar ou rio lencos de linhos finos para algibeiras, ricas grvalas de seda, vanado sortimento de miudizas e brinquedos para criaucas
s, camas de ferro de differentes taraanhos, avatorins, sterwicospQs, cosmoramis etc. etc., quesera patente ao comprador; emuitos oups artigos qoe se venderio
rbaraU) para inteiramente acabar, no armazem EXPOSigo DE LONDRES ^T
CABKLLEIHEUIO FtANCEZ
51Ra da Oadeia do Recife51
";Ch'tna a attenrSn dos ses innmeros freguezes, e do respeitavel publico em
geral, para a soyiinti; tibivla dos precos de sua ca*a, os quat-s sao viole por eeote
mais barato do que em entra qualquer parte, comecando no 1. de dezembro:
0SO0O
oO^OOO
Gabelleiras para senboras a "1W,
:\0-$, 35f? o......
Ditas para bomem a> 354, 4M e
Coques a i*& 15,5, 1H<, 2<5.
254, 305 e OSOOO
Crescentes a 124, l.*-?, 184,20;),
2..4,'3^4 e.....
Cachos ou crespos a 34, i3, 'S,
04. 74, 85, 9 o. .
Tranca de esbelto para annel a
300 e.......
Tranca para braceletes a 104,
134, 804, 25 e.....
324000
10>000
14000
Cadeias para relogio a 54, 64,
74,84,-04; 124 e. .
Corte de cabello......
Corte de cabello com frieco. .
Corle de cabello com lavagem a
ehampot)......
Corle de cabello com limpez da
caneca pela machina elctri-
ca, u.ica em Pernambuco. .
Frisado ingleza ou franceza.
304000 Barba.........
18400
300
50
1480
i0( o
800,
25
ASSIGNATURAS MENSAES
Especilidudn de pentead"S para casamento
Dalles e solres
0 dono do esUbeiecimetito previne s. Recommenda-s a superior TINTURA JA-
Exmas. Sras. e ao* cavalheiros que ha um PONEM para enegrecer os cabellos e bar-
sal o para tintura dos cabellos e barba, as-: b*< uui^ ^nill'da na Exposigo Universal
'como nSo pr-jirdicial a saule, por S'r vo-
sim como um empreado somente ocenpa- latilj. atwlysada e approvada pelas acad
do nosse servico. I mias de sciencias de PARS E LONDRE*.
O wrdsdeiro OOTXAKE8 ROTBR, > nicos ipprnvado* pett
t Acidm iIp Mnlicina, leu asiiu como o meos oulroa producto
attrakido a capiori do talsificadore, que para facilitar sua crBiDoc*
iuaMria nao ar pejao, ora rrcelao annunciar reactor fal-oaCoujuu
oom meo aoni P,b picino as familias pata imemse de seus fithoa
que, para rvilar falsilicacra, devem eligir, que meas Conaaaa Ihea
pjao n ndirto em cala* de lambas de encaur e corredias cobertaa
por i ettii]uetas enm a aiinh marca dr fobrica e meeiraudo- nm
piewpTio rircuiKl.iiH-iarto. e srllndas por urna mvdalaa con lettreira,
COUAR HOYER. Rae St-fcrtii. 226. Pim.
RUi B4 (14
4*0

VEltDADEIRAS
BLANCARD
^
CO ICOUaCTO OO FERRO INaLTERaVEL
ATPROVADAS PELA AOAORMIA DB-MBDICUfA 08 PARS, 1TC.
rVwu'irrlo 08 pTnnr'ftflnrlcs tft lodo Pt rio /erro, onvem enort3ltrn>nte nat AmmAl
rSjrn.nFri.nsAS, a Tsica nn pvinfii tvtni ''mprrammfn e tumlxfniwm emmR de
Falta of con. AMFNnnRiiFA.cm q>n>'nfrfm w.knn "-mihk o SAinire seja para resOtmr
Ihe a sua rkjiinza e luin rnaes, on para umvUMre resillar o seu curso periecUM.
rV. B. O iodarcla la f o i nm madreamento inflel, Jmy
^^arC' a.i prrtdrra> W- SJf O*
a *f .rat rr-.HT J^^Z^S^J^^
i paita inarior da um C~~!^^H
aiOf.
Iul rli
,' "rrav. a

rmrHas, ~ Pkarmartutico, nta Hnnmprte, 40, nrtJ
A
wm


Diaria Flr&tbuco'-'S&a felra!26 de' NbVfeita 1*69.


i NOTI
; Era vista da deljb
no geral acerca dA'_
xl ;i Faculdad de Dircito deU cijlde, o
abaixo assignado tem reslVid abrir um
curso completo de licites de grammat ca da
Nigua portugueza. Os Srs. estudantes de
preparatorios que so tpiizerem matricular,
jipidem comparecer na na das Cr'nzcs n.
30, 2" mular, das 4 horas ta larde em.
diaute.
Salvador Henriqikde Albiiqterqtie.
u::-:,i;-sj Mami
ftiilVIPfiESTIIflO SOBRE! 50^000 de gratifica-
Este antigo estabbltmento, completa-
mente reforjado la rw:, c.tS4 as condi-
i de servir vaatsy^ar. i os seus fre-
$3, visto qtie acha-se prvido com um
ex jleno sortimento de obras de ouro e
orgia te le, asW corno brilhanes e ou-
podras preciosas, )njos presos'sao os
mdicos que se podo ensobrar.
As jo'a^ o apirad$3 w.: sasarecebem-
se en troca ou bffin^rbjl-m com pequeo
abis.
o hita ka mm
liJUIIJ
(SESf .ttHTE.)
Na jUwssa da na,
das Cizcs % 2, pfi-/
meiro andar, a% quer (oantia sobrrf ouro,
prata c petos prcciasas./M
O dSno^dcsta eatelecimen'.Oj
C(m[)tt'iitticiile aii
cudicoes je ga- i!
/flim<-$e

'dWia
ra passar a estacao
Retiro (l\
'ajujlfi a irm
Cadcia nu-
I
mera
D. Mara Aileliiidc miento l'c.H a
'irisa a todas a ene unir rem cornear
terrenos na amiga leOlinda, por mdn
do pnss.ir I i haba de iridios nrlunos.
que ella vai retnlhar e dividir stu sitio do elem
em pequeos sitios; e poderle dirigir-^ a seo
fillio, o engenheiro Antoni i Vicente nento
Feftosa, cncarregad do. te-dos os- negocios do soa
ra-n, para convolle- eflfncuii.rcm qualquer eompr.i
li-sso- terrenos : na ra estrcil.1 (lo Hosario n. ;i
di-ssos terrenos
lu andar,
na ra estrwld do Hosario n. ii.
A.
cao.
Fiirlar.ro do engento (Jrec da freguezi
Encada. dens pavall ia com u> siguaes- srgiHntes :
h> baia, razedo a s i:i la, u:n
sienal brawn ei do o ferro nd
iinartu direitoa letra Run dos cas a dos ps
Uraneo. a ajina icam. Oairu rgda^^aMtdQ a
'uia ;i Ounido un. a entro, e dina preta : qui
mcnntfarou delta dec antisie, diiija-fo roa di
Api lio n. 7, esrrjpl to de Arniinio Pos.-oa de
UauJtjP'i'iP, on u i rderido enpenho, que reee-
oftiea/^lo?/ ,sei rceompeusado eoin
i '|'i_n::.. >__________________________________
!r. J
governo, esta Das
ranr a transa'.-;jq que so fizfr em
sua casa, pru:!ttcido todo e zelo
e consideraco as pe se
dignarem de hoifca-lo em sen csta-
blecimento.
Na mes-ni casa cnolpra-se ouro,
f-'I prata e brilhanl
Aluga-se duas easaa Dailhado Rctirp (jun-
to a ponte da PHwpm da Hafdalem), fojfar mm
o. fresco, mita delb do bstanlas raamod i
iniiio i;i hanlieiro frito para se tornar banhos : a
iralar como Sr. Luiz Manuel Hodrijiues \alei;;
i;ua das Trinele'iras n. 50, Io andar.
I'ivcisa-se de una ama d
ra : na ra da Praia n. 38.
lile a tima Cozitlhei-
n
Ama de leilo
Na rna Nova n. 21, 3 amktr, pr-ci-asede utua
amu de leiie, paga-ae b'in.
~
vi
:A^j.
----------
LtiAin Duwraiir
HartKcipaaos'Seuii in a poiirieUnios di g-nlins, ipie aHint'.;cendo fartsr-tties
.: i.i im aiimaes para a inoa .n tuaalt a pres-nte safra, ol* ttn va^irds prnmptos
ara assentar, sem precisar de obra nova ou i4m lc da.obias eKis.t'!es, e que
i ;,,iir ta.s i tilles a mwr cito dias depoiS do estarctn aa pegas do vapor n
garanlind -se o trabal!i-\
Fiuuliqao, ra do Bam n. 52, passando- o" chafan/.
..<-,
s para casamentes
35-Kua (isrcMl;i(loR(>sario-36
\
Jcrquio Pureira Ar oit'-. aom toja de ealeados
na | ia.;a di M<1< iteMenei i ni (! a l"i, ropa aao-
,Uw i > d i' utas antipas guc vc-
iiliaa' pagar al oflnj d> anno corrent', sol pena
de. pa- :.iido as frias,,eniregar a sen procurador
Ip.ti ,i rveher judirinl
Ka't mifs cabnils brancas.
A tintura jaron u para liugir os cabtlloj-
la ab'eca e j barba, fol a u .:.a adi il
E< sal, | or ti r sicto il- o-
nhecida superior :* i',!' 5 as j par^cifes at
e,sis:vitts, scip alterar a s^de.
Vcie-se a lQ60 cada frasco na
a'Cada n. 51.
I. andar.
4
Veio com
fraocez tiqoissin
prelos, enfeitadli
ha de melhor #
oiil ira i a
ri'iuissiip.as
UN W$
i impertfn'z re.qni'r.
pgc
Wt llltifl)1
vnpor
tnassa
o qqe
n como
ucahas de merino r
ea:a i pMsma denominago ci-
ma, p,hapelmas le pa.ia de Italia ultimo gosto,
fejus i s ptelas e brancas, cor
tes de laa a{ itifi s.ti.'i*. Rosto e Jo cores, listras assetinadas, propriaa para fti-
do de duas **if*,'fipeJiiiai decoros, ru|iiissirao"s
i u i tas novid.ides que os pro-
pietario- il.l Ija do Pan) reeelieram, proprla* fia
,'o p;.iS"'cto ..nos sei'jiiiiliear o respeitavel p'iblico da?
navidades aema deseriplas.
; na e i:. F i ''' "a r II I Vi e a
11.: i do r i, com i t|iirt lialir no lar:. | i
_____________
ZAtt UNIVERSAL
83Sa?aa Siova38
Carneiro vianna
Nesle !5\/.AI< encontra-se utn completft
s'ir'jmiflto te4es os artigo que se ven-
dera purpiceoscotnmodos comosejam: Um
completa sortimentu de machinas para ees-'
tura de lodos os .systonas, mais modernas
adoptadiis ua Amrica e approvadas na u^
tmaexpuscs a electas paraaliuo-
co e jantar, salvas, bandejas, taboleiros, bol-
sas c malas para vjagfm, indispensavcis para
senhoras, candieirqs paca sala ecimadenu*.
irfe o piu'tal. manga, tubos e globos di
tachnas para Cawr caf, ditas pare
hater ovos, (litas ^ra amassar fariuha, ditas
[i--a f*/-^ .1, canias de Cuito
eis.'.lus'.spl'nii'us o crioiica, barcos, cadei
pas i, ditas .de .
- os taniaidios, o. lid
; i/, haldaaioi'itKtM'S, go r-
da-comidas, briqueoos para criantas, usa
completo si!i.i,i.;iLo d c^sijtilias, oleados
para sala e n.e.SA, tpeles para sala, quarto,
h'iite c i, c;i[ achosdt
Sparto ctVo, objecffts "para escriptorioe
tr.ii'is oorVs'Srt^os que se encontrarlo
venda no mesmo e >ta'befecipentie que vale
a pen ir lsaminrir.
aleni disto rouito fresca
alhddega n. 2.

Jo primeiro andar, preparSfti-s* bandejas fnm
differentes armacOes, bolinhosde dlwrsll ipiatlila-
Bes, enfeiados ap ultimo .ur..>to, com bdjqatis e 8-
|as, com disticos a ouro; a-siin como preparam-
se unces do indas as qiialidades com pcrfcicSo e
esmero, podins, bolos injMoes, pndelo?, 0 as tre-
mida iguarias propriaB de dias festivos on'pr'esen-
tes, ornados ou simples. Tambem se fabrican) H--
res de Indas as qualidades, quer sejam de panno
ou cera, e Unto qifanlo for tendente a flores artili-
riaes. desde a M?a ate os arcos para ornr.mento
de magens, ticlusive ornamento de velas vara
baptizados ; armam boqueta do eraros on (l'>re
. tuduraes para pasamentos com filas nu sem ellas,
i'4k etc. : os prelendcnles devem vir em lempo
azer aa encoininendas, que ser ga rail tula a per-
fecao exigida e por nnmodo preco. _______
froeisa-se le urna ama para cotidhar e frir
lodo o sorvie i de casa do poica familia': a tratar
na ra do Paysand n. 7, adianto da ponte do
Cbora -menino.
Ama
I'iTeisa.-v. de urna eser.ira fiuc cozinho
ehiime, para casa lo I la familia : na toja de
____----_
TUjr d Qneiiiiado n. 46.
r-.-in-
55Fina do Qucimado-
.55

.ygarota
LBABRAQU
APPROVADO PEUA ACADEMIA CE MEDICINA DE PARtZ
e febrfugo
deve ser
Q Quinina Labarraqu, aiincutemcnte tnico
preferido a todas as outras preparacOca de quina.
Os vinhos de quina ordinariamente empreados na medicina preparam-se
com cascas de quina cuja riqueza em principios activos extremamente
variavel-, parte disso, em razao de seu modo de preparacao, estes vinhos con-
tera apenas vestigios de principios activos, e em proporcOes serapre variaveis.
0 Quiniura I abarraque, approvado pela Academia de medicina, con.
Etitue pela contrario um medicamento de composicao determinada, rica em
principios activos, e com o qual os mdicos e os doentes podem f empre contar.
0 Qnininm Labarraque proscripto cora grande xito as pessoos fracas,
delibitadas, seja por diversas causas d'esgotamento, seja por antigs moles_
tias; aos adultos fatigados por urna rpida crescenca, s meninas qui tem difi.
culdade em se formar e desenvolver; s mulheres depois dos partos; aoa velho
enfraquecidos pela edade ou doenca.
No cazo de chlorosis, anemia, cores plidas, este vinho um poderoso
auxiliar dos ferruginosos. Tomado junto, por excmplo, com as pilulas de
Yallbt, produz effeitos maravilhosos, pela sua rpida accao.
Deposito em Paria, L. FRERE, 19, roa Jacob
fio-Jatuiro, DPONCUELLE; CBEV0L0T. Pernambuco, MAURER ot O
. Precisa se de urna ama llvre para o servido
do. compras e cozmha : na ra de Apollo n. 49,
sobrado 2o andar, a tralar as j> horas da tarde.
A vi-ta do annuiicjn publicado Jo jol de
boje pedindo ao Sr. dininislrador ife cmislado
rnbricasse os bilhelf ib Hifva [;
sua eiuraaa all na'pif*iHteparU|J|O ia?o icieno-
ap. mesmo Sr. administrador e mais aliuma pes-
s,.as, nue este ar.noncio nao se i-ntende com.afflr-
ma de Veini & Rodrigues, visto a (al respeito se
artiar tranquillisado. ltecifo 24 de notembro de
1809
mira & ftklngun.
Aos 20.000SOOO
^o Eccc arco da ,HMfclffi.oa."f
Os abaixo assignadof twwi-se habilitado Da
brraa das leis, tem cxposbi a venda os seus feU-
es billietes das4uteriu;ito Rio de Janeiro, na easi
cima, anude se pagarao as sortes que saturen!
nos mesmos billietcs, com o descomo so'mentf
da le.
PRECOS.
Bllhete tatifo iS 5000
'>,M0S Wil?
i^lli'.o,,..-;^' o,
Leilo.

Fiiueirr-m &"
Preri>a-s de um iiienino-purttigoez. de
Ht innoa de idade.para caiwiro de laberna, e .pie
- Apipan
tnorim A
Irmandadede
de Jiossa Senhora da Coaceico
DOS
MIlil TARES.
De conf.irmida.le com o disposio em nossos
estatutos haver, domingo 28 do corrente, pelas 9
lluras da manhaa, reunio da mesa geral para a
eleicao do novo presidente. Recite, 24 de novem-
bro de 1869.
O secretario,
V. Fohseca de Mdciios.
1* .liiiii'--' w^ H11.W1C-- ------------- -.
ib fiador ttteieoed4c.ta '.a ttftar em Apipuc
na tanerna do Sr. And.nio Fehzardo de An
lrmao.
Aman-se dutus casas terreas sitas no Vlan-
gOih a margem do rio, reMimmenddveis pela va
terrea : a Iralarna rna dolVigario n. :tl.______
~IVSili; parecido diversos preteo-
... d.-mes pira aeasa em frente do p )r-
|fl do Paula na rila do lio do Poco
da Panella,Yogase a pessoa qtiepe
din d se esperar, t| venha satis^
fazer a importancia do alwgnel e-b'.i'car a chave,
imis se na. opparec r no-tes tros dias se aluga-
r a uuirero. ecifo22 de novembro de 1869.
Jos Jac.meTasso.
BRACO DE 0U
Ra lo Imperador u. 26
Noste povflfftsCrttelcitlSMo eneini!ra--e
liiiaiinnle i.ia vai.idi) muIuuId de b0
liulios paracb, pastis, podio-, bidlos in-
kzes, pVs do J presuivt"*, dilos t Hl tiaiu-
ra, superior dni'IIosii. preto, o niitli-
nlio. Vit'bns iii"s ile tmlas as rftalfdades
cmagv, lici.res, conservas, champagne, ccr-
s.j.i mglezn, fruefe minio l^is, per-
tui,'ueza.s c francezas.
Um completo h variado sortimento de
oaicibas de tudas os gostos e prec/is para
iphnDsear senhoras, esta* caixiuhas receu-
temflnte chegadas de Pars sao de primora-
do gosto, offeresse-mo-las aos galanteado'es
do bello sexo-pois nellas acharan nm digno
e serii prsenle para as donas dos seus
pfBsaiTunt.is. Tambem os apreciadores da
ha fuinaca encoirtrarSb rharutos d"S me-
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
~al Do.-es d'ovos seceos, christalisados e de
calda, ditos de ..aj e de outras quadades,
Nesta casa recehem-se encmiimendas para
bailes, casamentse baptisados e qualqoer
eaeommendas avulss. cpino mJb pao d lo
e bollos enfeitados e oh tros inditas couzas
que 'enfailmilm m-n.-wnar.___________
Vndese um cavallni euss* p-.iulio. Ih-iii
andador baixo a m.io,de bonita (tura e sordo e
A VERDADE tendo em i grande
quantidat!.; deiniudezaso perfiiniarias, e de-
sejando apurar dinheiro o adqtterir boa fre-
unezia est rssolvida a vender nnitissimo
barato, ; por essa razan convida ao respei-
tavel publico a vii rompetenien>nie mnni-
do a sortir-so do b-m e barati'. ivis qnan-'
1/do a Verdade apparecA, UhIo mais dea*
apparece-----
Grande si.rtimento de bonecoa de cera e
massa as mais lindas possi.eis vestidas a ca-
rcter.
Abotottdura8 moderuns para col-
leea ....... 320
spelhos donrados pepnenos. .
i lias de osmi para cros a .
pintes para regay com Mttia S26
Ricos globos para candieiro de gaz a lH<>0
Gbwi.insa....... Mfi
Srande.anrtMMMb do objetos de
louca par., brinqaedo de menino 100
Garrafa com linM a. .' 800
Wtacnm agua florida verdadeira a IfWOO
Dila com dita dita a .. .- ljW>0
Frasco com oleo de babosa a CO e 720
Ditocom aga ie-Ci ij a 660 e ii-0
Garrafa com agoa divina a. 1A500
Frasco eom eM:: t S 1)0 B a 1(>U00
Latos pequeas tom bmba muflo
lina a 2i e .' ICO
SalMiieii's fie diversas rmali ladesa
80, ICO. 'iOe. .... 32w
rscovas | ara denl d -U a C08
Uidos roques modernos a. 2'000
'.imi-s i -,\':..;'.. dii/.ia a M6 e -340
Bseovas para l'arto a O, 660 e 700
Datas pao cabeNi a. 500
l'entes para tirar ptoltao a ir.0 e. 240
iicos de con s, bonitos a l e 200
Becas ile tranca: de iaa com 8
varas por. ......
Oleo para machina do cosluia,
inser :i. .....
Peonas d'aeo tinas caiaas a 800 e
Dila d'aco l'.'rry, caixa a. .
idao pe^'a .
s i IxKnbo e entr
i de :M) a......
Ditos de leuoa riitiito fino a 120 e
Ditos para calca a H:0 e. .
600
U000
406
n>m
K)
700
^.-' 480
'.O
Precisa-se de nina de lene : na ra da Ca-
dcia n. 10, on na Capun; a, ra das Pernambuca-
uasj sitio n. 48.
280
460
600
2! )
3066
::
Para andar com crianzas
Precisa se alugar urna negrinia forra ou osera-
va para andar com meninas : a tralar na rna da
Cadeia n. 38, armazem, das 9'horas da manhaa ai
4 da tarde.
l
DE JOIAS
C/3
GOMES DE MinOS IRMOS
tendo feito completa mudanca em sen antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o lim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
| ao publico em g^ra] e com especialidade as Erais.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoaimente
das 6 horas da manhaa s 9 da nonte na
%m DO CRBUGA K. 4
ondeencontraro um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em bri I liantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQQS DE BRStHftNTES, ESfER&LDftS E RUBINS
de D.ovos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objeotos de prata para us das igrejas,
Compram e trocara qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
a qualidade dos objectos vendidos.
0 MUSEO DE JOIAS
Aos OOOO^OOO
CASA DA FORTUNA
23-----Ra do Crespo------1$
O abaixo asignado avisa ao publico que fe
acbam a venda os bilhetes da lotera II' do ho<-
pirindo'edr II (t:il) eojhs listas devenvheai
pelo"vapor ingles a *i eorrente, pngando-se
os premios com o disconto smenle da lei e com a
prometida do-cosame.
Precos.
Bilhete mfeiro. 2'iOOO
Mei.r bilhete. **fl00
Onart.s, 63000
E de 100*000 para cima a 22*000' o bilhete.
\t-n -I M 'i.- Finita
se o acha(|:ies encohertos edescobert >-, e nov.i: a
tratar n pateo da nbeira de S. Jos taberna na-
inero 2o. ______,
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa & Filho, defronto do arco da
ceicao, em barricas grandes.
Qaixa coto papel amizade a. .
Ditas cuto envelopes a. .
Ditas com obreas a.....
Gaix i ri.ni agolhas fundo dourado
Ditas de ditas (lilas a. .... .
Thsoura para coslnta a 2i0a
Caixa com linha de riiarca a .
Llnha de ebres em novellos ('i-
bra) a .....
Carretiis def|has*Jf^adrcdfi7(1'
al 2(10. .,,....
Grampos muito finos com passa-
rus, dazia a......
Cartas porlugticzas, dnzia a .' .
Ditas francezas a 2S00 e .
Pajel afmaco e de peso, resma a
3^400, :^500 e .
.a uiuilii lina para bordar, libra
Fita de algodo para debrum de
snalos, peca a.....
unas ue iaa para ueoriiin ue ves-
tirlo, peca a .....
Pentes linos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 2H), 3-20 e......
Uito-paia aparar. peona a .
Rosetas pretas, par a
Tranca de 13a d- caracol peca a40e
Kfta de coz peca a 480
Alfinetes d la*o a.....
Sapa*>sde Iaa paracriangaa 400e
Grvala de sedas de cores a .
Cslcadeiras a.
Grande surtimento de rendas las linas.
Um par de suspensorio de borracha por
100ris!!!!!!! ,_ ,
Na Verdade na do Qnedado
D. 55*
aV0K
UM
m
an
50
toe
100
oe
56i
100
80*
20t
8
RA A (LOH11 5
Diaria lo Fundao.
Ha sempre nesta olaria grande sortimento de
mteme*, como lijlos de alvenaria batid:, ladn-
Ibrt quadrado de 8, 9 e mais pollegadas telhas e
iutniii
IMi
11

Ra do Queimada n. 19.
flircc. -se uma negrinha de 11 a 12 aun
de idadp, para e:.'a da la i no., para ^azer servico
ou carrear oo'ninw '.> na -a.a a roa- qnem
precisar dirija ?e ra da Sana Croa n. 12.
-= Pcfi-is.i -. de uhw ama aT ida e para rasa
de pi.uca familia r na rea das Flores n. 35.
luo, quauraao fie o, w e iii'M i'- f-, ...- -----------
telhoes, tijolos de tapamentos. O propneano des- y^ cnm gos ^c ouro, covano.
ti olaria garante a blmtladee barro de taes niaie-
riaes comoKimbeni wnde-se mais barato do que
em outra qualquer parte..___________________
ATTNCA
Vendem-se batatas novas desembarcadas nestes
dias a 13300 o gigo i no armazem do Sr. Annes,
defront' da porta da alfandega.________________
566
Attn^o.
-Vendo-se a armacao da taberna n. 38 da rna
do Livramentn. bom ponto para qualquer MU
,|.'cimento : a tralar na mesma._____________
Compram-se e vendan-se diariamente para fora
e dentro da provincia escravos de tuda 3S idade>.
-.ores e sexos, com tanto que sejarn sadios : no
erceiro anda do sobrado n. 36, ra- das Cruzo:
fregnezia de Santo Antuni.
Jos...--------------------- r--
t>rUbante,s e ma p.'.lras preciosas na loja ue
orives do are. da l'onreieao, no Recife.
: 0 mwz> dff joias
Na roa do Cabug n. 4 coinjna-se onro, prab
i'ifKras preciosas por proco* mais vantajosos d.
jueem "nutra (iiialquer \ww:. _______
i- Lom muito-"Hiawr vaniagem couipram-se
nioedas de ouro e-HwaU : na loja de joias do o
racif.de Oum n. fwa do i^btiagu
SITIO
Vende-se. um pe.|ueoo sitio com n sa do pe ln
e cal tendo 130 palim.s de frente, j murado,
em ponas do ferro, carimba banhe.r.., qiwrtos a
-estribarla, v na< c oe.didole o arb. nsado de
novo roArrataJ adianto da lavagem de ronpa.
O nono vende p jr retirar pan a Kiin-pa.:
-^q^Vm^Ts de une, pmta ee t-U-em pnuml.T dirij..- na d. iMperatra n.
os valores, ouro e prata e.n obras inutilisadav 4. a no mesmo wtm._____
*
Pnpe de mbr lio
Na ra Wfta do R.-ario'.jB. 30,^tq}* Ba>
Pernamlmcano, ciwipaiute pape, de diario v m e
lga se bo. .________________
Terrenos
Jos Honorato deMedeiro^ vende no Arraial em
ppqU"n.'.s e grande" pn''< a 33 palmo.________
iTttdpokio litigo e fiua a
a poca, fazenda de 9000, s por teMn pf ijue-
no toque d* ivmria no armazem d;i wlrella, lar-
go do Parnizo n. U
Vende-se
Cwnpra-'Se
ma escrava boawa*wb#ira
n. 38.
do Hospicio
VJjIOAS.
f,*-t
- 9mtfrata ^Zar^-fiTgat.djs oV cores,
hija a^CrjWmnas, "a do Crcapo n. 13,
uno piH'o de 50(i rs. oaaatro* ^w i*iwafoal*eM
de Antonio Corra MLUtFS
GAIIVW
Vende-se um si io ua e-trada nova de Bobenlv,
roa de Santo Ant.mio, te n d fren-e 140 pal nos o
de fundo 472, todo plantado de novo, a e na esta
em taixa e'ore-to *>s materiae< estao dentro : a
iraur no hernn do- Ferrejros n. 3
- Vendc-se iii carm de qoar acento, para
ilou* cavallos. c ira arn-k*. Os m etemlentia po-
den v-lo na ra do II .-pi.-io .dilema do Sr. w-
raido, erneiro, p tratar com Vuente Ferrrira da
.Jaula! ra Ria-lmelo._________________
-(khriolet Doca t.
O melhfw ne-' genero, e parteito estado, ven-
de-e uui ; para ver na cocheira doThomax Lins.
a ron de Santo Amaro, e tratar na roa do Crespo
n. 1C. I ja.das 8as .1 hor..s a manhaa e das J
ss 6 horas da larde.__________________________
Vend. nifc dii? esrrava*. nina de tneia ida"
den ontra m .ga e com habilidades : a tratar na
rea de B*W n. 9% __________
'.i-Vande-i-e dua* oaaasjudia orna dauira
ftn umi l miHh"ras na* em Oiinda: a iratar
.( eoBwiercul das 9 as 6 da Urde nu largo
U6 Curpo Samo n 9, co.n o agente Pestaa.
Dita transparente com listras de se-
daociivadiia.....
Dia imperatiiz Eogenia, covado.
Alpacas lisas de todas as cores o
covado. ,..'
Gambiaia branca organdy peca. .
Dita organdy de cores covado. .
Dita dita miudinhas. covado.
Dita de cores colorid- s finas, varas
Dita eseoceza de cores covado. .
Dita branca Indiana, peca.
Dita Vict-iria para todos os precos
Dita transpanute c'roa dooiro. .
Saias bordadas modernas.
Cortes de orginao para collete.
Gorgur*3 de seda para vestidos,
COVaitf)......
Bramante de linho, vara.
Toallias para n.sto, duzia
Baloes reguladores brancos e-de
cores.......
Brim trancad i alvo para toalhas
vara......
Atoalnado de linho adamascado va-
ra. '
Fust5o branco o amarello, covado.
Orgondy de moa s <6r sendo :
- vede. azul e encarnado, vara.
Bnlbantma de de ulna s cor. cova-
do .....
L3as fie qnadrinhos covado.
B ilhnntina de cores matisadas, co-
vadn........
Camisas inglezas, fNUMecaa e sois-
sas. ...
Panno lino imp rial, casennras pre!as
de cores, grvalas mantas a Bisrnark. cor-
les de casemiras de cores ultimo gosto da
Paris a t4A0(i0. ^._
ROUPA FBITA TOft GftOSSO.E A'HEtA-
LmO POR' PRECOS MDICOS.
!S4t
c.y
600
320
30
64*
400
4*20f
5580*
42400
44300
3fi(*
S.ViOt
4*U0i
IrUSOO
3#20
141
MI

46
48i
tmm;

De- snperior pialidade da nwlWBredil-
da-fabrica de Rrsipill nbooch* AC.veai
PM ama das que mata afnirVn4a! ate
cognac, foroectiin para o coitsuuimo d*
Reino da Inglaterra.
Vende-se em-.casa da Ib **<
eomaawrn n. 32._________
~~Azet 'OMiiPri'
Vende-se no f-seriptorio de Balr, 0U4W *
e.,rna do" Vlfario n. I, f andar.


6
Diario.de Pemanibuco Sexta Xeira 26 'de Novembro de 1869.

LIQUIDAClO
SEM IGUAL
O proprielano do armazem de lazendas denominado ARARA, ra da Impera-
irlz n. 72, decl ira ao respjitavel publico o seus nvgtwzes, qua est liquidando todas as
uzeadas e roupas feitas que ten em s^u estabeleeiraenio como se poder ver no seu
annuncio e prec<) abaixo mencionados,
Chitas fra acezas matizadas I Algodao entestado IKK rs.
a i .. P*" .- Vende-se algodao enfestado proprio para
,,,a da ^attsss?"7- v fa,c* rrla? -
Vende-se ttaziohas para vestidos de se- Sn ^ ch,a,?s de mTn estamts
ahora a 240, 280, 320 e 400 rs. o co- a cbales brancos e de 8 a 1*000
vado caaa u,n"
' BARF.f.I DE LA A 500 RS. C0RTES DE BR,M CAST0R PARA W*
Vende-se baregas de 13a com listras para A 040 RS.
vestidos de senhora a ?>00 o 640 rs. o Veude-se uina grande porc3o de cortes
covado. ^e Dl''m castor para caiga de hornera, 640
Alpaca de listras a &00 rs. rs- Mda -
Vende-se alpacas de listras para vesti- raadeporcao deretalhos
dos de senliora a 500 rs. o covado. Vende-se grande porcSo de retalhos de
CHITAS KRANGEZAS A 289 RS. chitas e cassas pelas a 160 e 200 rs. o
Vende-se chitas francezas claras 280rs. cova lo, retalhos de cassas, 15a e chitas de
o eovndo. edres Iwratissimos.
CORTES DE LAA PARV VESTIDOS A LIQU1DAM A ROUPA FEITA
2400- Vende-se palitols de brira de cores a 25,
Vend8-se cortesd! la para vestidos de ditos de alpacas do cores a25, dios de
senhoras a 24400 cada nm, meia casemira a 25 e 2500. ditos de pan
PERGALES A 410 rs o COVADO. no preto bom a 85 e 105, calcas do algo-
Vende-se aerales mu.to finos para vts- dSo aZ(l| escravng a C4Q d *d()
dos de senl.ora a 440 rs o covado, mur- a, di0 do ,slras a m e i& camjsas d(J
sol.nas brancas (mas. a oOO rs. o covado, riscaf]o de |jslras a m rs da ,
brillantinas de cores, a 440 rs. o covado. tes dt brim e fusU0 de cf)res 9leUm)t
llales modernos de todas as coletos de cesemira do cores a 25500 e 35.
edres. e outras militas qualidades de roupas fcitas
Vendes^ baloes.moderno sbranco e de c- quo se vende por baralissimo preco
cobV'toWd^adgodo a iisoo. *" yjt3^* "*
Vende-se cobertores de algodao al5300, Vendc-se algodao de listras para roupa
cobertas do cintas a 15600^e 251 cada urna, de escrav03 a 200 rs 0 covado
Vendtse aana ua calca a 320 o cova- PE(?A DE ALGODaO A 4*.
J^fflSSXSiSo .Jnt^e^'ntalfd0 ^
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de :>m ^000e^. Pa qu'dar.
cores para calca e palitots a 25500 e 35. aies de arcos 1*500.
t covado. meias casemiras entestadas para Vendo-se baloes de arcos pan senhoras
calcase palitots a 15 o covado, brim pardo pelo baratsimo prego de 15500 cada um,
de todas as qualidades e brim branco de Cortes de cambrala barras
todas as .qualidades na ra da lmperatriz a 35000.
- '- .. Vende-se cortes de cambraias barrsa a
Alpacas lizas a 4 rs. 25 e 35 cada nm.
Vende-se alpacas de cores lizas finas a | LENCOS DE SEDA A 640 RS.
rsl0oSme0lroVad0, tarlalaQ3S *" ^ 3* ?iBJM? lBn*0S de sda a 64 rs- cada
' M VOAPOLAO ENFESTADO A 35500. ,,m' P EJ", ,
Vende-se pocas de madapolo enfestado CARTLIRA PARA VIAGEM A 15.
a 35500, pecas de madapnlo inglez de 24 Vende-se carteiras para viagem ifi
jardas a 55, 65400, 75, 85 e 105 a peca, cada urna.
72. Ra da lmperatriz. 72.
LIQUIDACO
NO
AS NOVAS SEDAS
11--EUA DO QUEIMADO-.il
Chegaram da Europa pelo oltimo vapor loja de Augusto Porto & C. ricos
cortes das raais linda sedas de mimosas cftrespara vestidosproprios para bailes e casa-
montos.
Grande variedade de sodas de listras de diversos precos todas do lindas cores,
gorguro de seda preta, c grosdenaple do varias qualidades e gorguro do seda 13a de
diflerentes cores.
Novos vestidos brancos de blond para noivas, lindas colxas do seda para camas,
ditas de la e seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas e toalhas de
cambraia de linho bordadas.
Luvas novas de Jouvin.eelegantes sombrinha9 de sedas de cor para senhoras.
Espartilhos de 55 at 05, lindos bournous de cachemira de cor para sahida
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco c preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Sortimento do muitas fazendas de 15a, linho e algodao todas por presos muito
mdico.
Tapetes grandes para sof3, piano e camas, pecas do' tapHes o de alcatifa para
forrar sa!5es tudo em quantidade; e vendem semprepor menos que em outra qualquer
parte.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
ALGODAO
LOJA DAS MACHINAS
TOS
CACHINAS americanas de serrote de toda os tamanhos para descargar algodao, do
muito condecido fabricante Eagte Cotton Gin.
'ACHINAS ditas, tambera de serrotes e de todos os tamanhos para descarocar, at-
godao do airtor New York Cottoo Gin.
CACHINAS (titas de todos os tamanhos, de earreta de ferro c miis toda a Machina.
CACHINAS fias de Rotfer Gins, de etq- trabalho fez obter mais 2.00Oem arroba
fie algodao.
ACHINAS de faco do fabricante Platt B, G, Obdhan- PatentLiverpoo).
Tt)da9 estas HKetiiiras sao de superior qualidade e a melhore que tm
ando ao mercado ; e para- a soa apreciado convidam-s os sensores agriealtores "
'irem a exposifo das mesnna sa ra da Cade a do Recife a. 56 A, loja do Bastos, onde
jncontraro ma o seguinte=
Folha de ferro.
Balancas ameriaanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
0 PAVILHAO
DA
Jebulhadores para miilio.
]ylindros para padarias.
Arados americanos.
>]arrinhos de mo.
vfacbinas para cortar apira.
Gannos de chumbo.
Aombas de Japy.
Ditas americanas.
Telhas de ferro galvanisadas.
'olhas de zinco finas.
Ditas de cobre e tatSo.
?erro de todas as qualidades,.
Arcos de ferro,
"olha de Flandres.
fachados americano.
?aces ditos.
alaios e cestas de verguinlia.
/assouras americanas.
bolles de todos os tamanhos.
Tornos e safras para- ferreires.
Finalmente muitos ootres arttg
liversidade seria enfadonho enaumera-los.
Baldes de madeira ditos.
Ternos de bandejas finas.
Trens completos para coziata.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisado.
CorreBtes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a- vapor para engommar.
Moinhos para refinaooes.
Azec-de espermaeete; proprio para raacbi-
nas de todas as qualidades.
Seirafravulsas para-machinas-.
Mancaes e todos os mais pevtences parabas
mesnas.
Latas de gaz,
ospertsncentes lawoura e artes, que ?ela
.1
Lourenco Pereira Mendes Guimares, proprietario do armazem de fazendas
denominado GARIBALDI, tem a honra de pirticipar ao respeitavel publico que tendo
receto' lo diversas facturas de fazendas, de novo gosto, para a festa, estando a espera de
aovas encoramendas que deve estar aqui at o dia lo de novembro vindouro, e vendo
que nao tem terapo antes do balanco de vender tantas fazendas de encomaendas p >r
isso resolveu fazer urna liquidado para ver se d maior, estrado por isso era vistas das
circunstancias vender tudo mais barato do que em outra qualquer parte, na ra da
Imperatriz n. 56.
MADAPOLO ENFESTADO A 35300. | CHITAS PRETAS A 160
Vende-se urna grande porco de m idapo- Vende-se urna grande porfo de chitas e
lao enfestado de 12 jardas a 35500, assim cassas pretas em rctalho ;
como p-cas de madapnlo inclezes de 24
jardas ou 20 varas a 55. 55"00, 65,65500
75000. 85, 95 e 105000.
Corpinhos a 200 rs.
CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500
Vende-so pecas de cambraias victorias
finas a 55500, 65 e 75. Brillantina bran-
ca fina para vestidos de senhoras a 500
rs. o covado
ALGODAO A 45000
160 o covado
tambeni tem retalhos de chitas e. 13a de co-
res que se vende barato.
Gangas para calca a 3tO rs.
Vendem-se urna grande porc5o de gangas
para calca de hora-m e menino a 320 o
covado, cortes de castor para calca a 640
cada nm.
Brlin de edres a 400rs.
Vende-se urna grande porfo de duas
faces para caifas, palitots e colletes de ho-
V.-nde-se urna grande p tf&So de algodao mepi e menino, fazenifa inteiramente nova,
todo-de *oa qualidade e 45. 55. 65, 658 0 Brim pardo liso a E>f-0 rs. o metro, dito
75. e 85, a pefa de 20 jardas oa 24,trancado lino a 800 e 15000.
de
varast
ADMIREM-SE DO QUE E' BARATO
Chamalotes a 560
Vende-te cbamalotede cores, dwalgod *
para vestidos de senhoras a 5RO o covado.
%lpacas lisas a &00 rs.
Vondi-se alpacas lisas para vestidos de
cores, para senhora, a 50J rs ditos m-Hisa-
da* finas a 720 o covado Ditas Usas mui-
to largas a 640 o covado.
CORTES DE PERCALES A 6:000
V^den-se urna grande porc5o de cortes
de percales de duas saias para vestidos de
senhora, de tnnito delicados gostos cora
16 y covados a 65 7SOO0.
CAMBRAIAS LISAS DE CORES A 600
Vende-se urna grande porfao de cambraia
lisa de todas as cores pan vestidos a 600
rs. o metro.
rganbys moderaos a 800 rs.
Vende-se organdys de cores para fazer
vestidos, de daas saias, agora modernos, a
800 rs. a vara.
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas muito finas de
sores a 280. Ditis matisadas escuras a 30
ditas escuras escocezas a 360. ditas alco-
toadas a 360, ditas garibaldioas a 360 o
covado. Sortimenio de chitas como tem o
Gtribaldi ha poucas lojas qoe cornpitara.
PSTOES PARA VESTIDOS A 400 RS.
Granqje liquldaeo de chapeos
de sol
Vende-se chapos de sol de alpasa com
pequeo defeito a 25 e 35000, ditos finos
de 12 astes a 45500, ditos dn seda finos
de 8 astes a 7550o, 85000, ditos de 12 e
16 astes a I050oo, para liquidar.
Chitas para cobertas a *40 rs o
corado
Vende-se chitas francezas para cobertas a
'.240. 320, 340, e 380 o covado.
CASSAS KRANCEZAS A 240 RS.
Vendn-se cassas franozas para vestido
a 240 o covado, ditas muito finas a 400 rs.
asim como percales finas para vestidos a
440 o covado
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
i Vende-se meias cruas para bomem a
35500, 45. 55. e 65000 a duzia, ditas para
meninos de lodos os tamanhos a 35500 e
4500o, ditas para senhoras e meninas a
35500 45, e 55, a duzia.
B ALOES DE ARCOS A 1:500
BalSes de arcos a 15500, ditos modernos
a 45000.
ATTENCO
Tem-se para veoder urna grande porc&i
de roupas feitas de brim e de casemira, de.
todas as qualidades no se menciona por
ser enf.lnnho. garante-se ao comprador ven-
der mais barato do que em outra qualquer
parte, isto so se pode conh^cer com a pre-
spnca do comprador e a vista da fazenda
ATTENCAi All LI10
Grande armazem de fazends e*roupas feitas i ma dalmpenlri
n. 52, porta largfc o Paredes Parto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortiaento
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 35, 35500 at- 65. Ditos d>
merino, ditos de casemira de ores bonitos gostos a 55, 65. 8j e 105, de panno prett
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos d alpaca branca
e de cores de 35500 a 55008. Caicas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de- brim pardo fino e oadinario, ditas de casemira
de cor e preta de 45, 55, 65 a 155. Colletes- de todas as qualidades e preco muittt
barato. Completo sortimento de camisas francesas de algodao e de linho de 25 at 55
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodio, de linho e bramante a 25 e 2^500.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a tolos os procos. Meias sortimento complete a 35
45 at 75 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto para bomem, com
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas dt
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e outras mitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de 11 palmos de largura a 15800 o.metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores, a 640 rs. o covado.
Poil de-chvre com lista de seda fazenda de gesto a 15200.
Basquines de guipure enfeiadas a 185000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 340 rs.
Madapolo fino a 65500, 75, 85 e 95000.
Algodio peca cora 20 jardas a 45500, 55500 e 65000.
Peca de algod5o largo a 75500.
E outras umitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cbeguem roupa
feita que se est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
LEAO OA PORTA LARGA
OK
Paredes Porto.
AURORA!
S A RLA DA IMPERATRIZ *. 2
3j Esquina da ra da Aurora
Defronte do Caf Imperatriz.
j3 Itesle dovo e sumptuoso estabelecimen-
2 to de f.flendas, enconlrarao as Exmas.
S familias ludo quanto possam desojar, tan
98 lo em artigo do rigoriso luxo, como em
9B todas ao mais qualidades de fazendas de
n sedas, blnnds, alpacas, merinos, laa?,
JH cassas, mussulinas, chitas, mndapoloes,
| alRod'ies, etc., demodo a sabir bem ser-
0 vido desdo o mais rico e exigente amador :
Se da muda e do luxo, at o mais modesto
Stt pai de familia. Alm de se acharen) pro-
viilos do que mellior so encontra neste
SS mercado, mandanni os proprielarios
yg d'usto estabetecimento vir directamente
5 o que em artigos de modas e do mais
1 apurado gosto se encontra em Piris.
Urna modi-ta especialmente oceupada
nos trabalhos do PAVILHAO DA AURO-
I RA, executar promptamentee com toda
aS a perfeicae qualquer trabalho a capricho,
para o que se ocha habilitada em tudo
M quanto u mistcr para o bom desempenho
de sna missao, o qne urna grande van-
S lfte.i. para o bello sexo, que assim
0 vai encontrar em um so lugar ludo quan
Sgt o pode desojar, isto fazendas do me-
3j Ihor gosto, modista para perfeita execa-
S& rao de qualquer trabalho, pcrftimarias,
flfi/chapaos, enfeites, mhidczas, luvas do
S (Jouvin o tudo quanto a moda pode exi-
91 ,gir.
V Aos ravalheiros igual vantagemr.ffofre-
_ rece, por ter o estabeleeimenlo o mais
M completo sortimento de fazendas para fac-'
| tos, e proprias para todas as estacos, e
5 um habtl aWaiate encarregado d xeco-
I tar com promplidao e mestria qualquer
Sgi encommenda.
Os propietarios do PAVILHAO DA
SS AUROHA nao tendo poupaito despezas
en para dotaren^ esla hella cidade de nm
S estabelecimenfo digno d'eila, conam nos
g| seus esforcos e uo bom gosto de seus ha-
i hitantes, garantindoa maior cirumspec-
S cao e modicidade de presos.
JK Com a possivel brevidade e em vista da
B protecao que se dignarem dispensar-lhe,
2 este estabelecimento trar muitas outras
j& vantagens, primafido entre ellas a publi-
K cacao de um jornal grtuitamen di<-
tribuido aos seus ftvgnezes, o qual se oc-
I rupar exclusivamente da descripcaa das
modas, acompanhado dos ltimos lguri-
m nos; vantagemqneathoje anda nechum
| mestabelecimento eflereceu.
Concluidlo, e na iiapossihilidade de des-
_ erever g rico c variado sortiiuanto que
| possuem, os proprietarios do PAVILIO
DA AURORA respi^tosamente convidam
_, as Exmas. famlias a visitar este espa-
| ceso o rico estabelecimento que, alm de
jjgS rfo, est dotado d^pessoal necesario
para vender c levar amostras as casa
J| que as pedirem.
Pelo ultimo vapor reeeberam ricos cor-
_ les de vestidos para casamento, luvas de
ig| pelica ricas chapelinhas para senhoras
B e diversas fazendas modernas.
>Aberto das 6 da- manhaa
9 da Boite.
N. 17. RA DO LIVRAMEMO N. 27.
Neste estabeleeimenlo vende-se sellins'e
siioes, de todas as* qualidades do melbor
qde se pode fabricar no paiz, assim conu oa
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambera, colxes, traviceiros, cab-
nhas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. O proprietario deste eita-
beleciraento garante a pontualidade, esme-
ro e zelo de seu trabalbo; oortanto pede ao
respeitavel publico sua protecco, que afilan-
Ca vender tudo pelo mais barato possivel,
e por menos do que em outra qualquer
parte.
LOJA
DO
Machinas vapor de
forqa de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desea-'
rocar algodao.
B;ilancas para armazem e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
fteld.
Piencas para copiar carcas.
Foglo americano patent
Ra Nova
V'-nde-se fustlo de cores para vestidos a que se pude conhecer como est liquidando
400 rs. o covado. -por barato preco, o general Garibaldi, ra
da Imperatriz n. 56.
Chales de merino a S0OOO
Venrle-se cbales de Merino de cores es-
tampad a 24000. ditos lisos a 34500, di-
jos estampados fiaos a 54, 5^500 e 64000.
COBERTORES A 1:400
Vende-se cobertores de alg cobertas de chitas f>ita a 14600.
Vende-se grande porcio de corpinhos a
tp 4000 '40o6-
HIPE I'OPUIi IR
DA
FABRIfA MCIOm DA BAHA
OE
Tcixeira Ulduncofy C.
Acha-se i venda este ptimo ri, onico que
pdc Mippnr falta do princesa de Lisboa, por ser
de mui agradavel perfume, viajado, p a preco o
mais i lodico possivel; e por isso tem sido asas
acolhlilo as pracas da Babia, do Rio de Janeiro e
em outras do imperio : no escriptono de Joaquim
Jos Goncalve Beltrao, roa do Commercio oq.
mero 17.
ESPELHOS em quadros dourados de Vi
l/i lfi Ve V. a duzia 4-5000, 2J800,
jioo, 1490o e 14300.
LAPIS Bnos a groza 20200, 20600, 34000,
35400 e 44500.
DITOS com cabeca de osso para carteira,
a .-roza 44800.
DITOS muito superiores para ca pina groza
56O0.
DITOS muito Anos com duas cores a groza
144000.
FIVELLAS d'aco pulidas e envernisadas
para caiga e collete a groza 10500.
OCULOS aro d'aco, vidro de grao a duzia
305i M), 50000 e 90000.
LUNETAS O PINCINEZ idem idem a du-
zia 9<5O0O.
E muitos outros artigos que s com a
vista podem ser apreciados tanto as qua-
lidades como nos resumidissimos precos
por que tudo vendido.
Alm disto faz-se os abatimentos na razao
segrate:
Compras de 500 a 1000 descont 5%
de 1000 a 5000 10 /
de 5000 para cima 15 \l
PAGAMENTO REALISADO NA MESMA DATA
GALLO VIGILANTE
Una do Crespo n. 9
Os proprtetarios deste bero conbecido estabete-
rimentn. alem .dos muitos obiectos gue tinbam es-
postos a 3|)reciacao ao respeoaver panuco, man-
daram vis e acabam de reeber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento de
tinas e mui delicadas espeeitdiilades, as quaes e-
tio resolvaos a vender, como d seu costume,
por preces-muito haratinhes-e eoi.fmodos para to-
dos, com- tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, brau-
cas e de mui lindas cores.
Mui bitas e bonitas goHmias- e ponhos para se-
nhora, neste genero o que ha do oais moderno.
Superiores nenies de tartaruga para coques.
Lindos e riqusimos enfeites para oabeyas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas preta e de eres com vidVk-
Ihos e ssm ellos; esta fazenda o que pode haver
de mellior e mais bonito.
Superiores e bonitos lqaes do madreperoia,
marfil, sndalo e osso, sendo aquellos brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias. fe de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 304000
a duzia, entretanto que nos as vendemos pur 20,
alm destas, temos tambeni grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
Anas.
Boas bengalas do superior carina da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm distas temos tambem grande
3uantidade de outras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleiaj osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
parasegurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de Wade.
ftavalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba ;. sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem assegurams sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capetlas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, 'para encher
rabyrintho.
Bons baralhos do cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo fim.
Grande e variado sortimeflto das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROEK.
Elctricos magnticos contra as convulsSes, e
facilitam a dentigao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores dostes prodigiosos
collares, e continuamos a receba-los por toaos'os
vapores, aflm de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel
les que delles preclsarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encootrarao destes verda-
deiro cohares, e. os quaes atttndendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista das cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ma do Crespo n. 7
J cordeiro previdente
Una do Qiielmado a. I A.
Sovo e variado sortimento de perfumarias
nnaa, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfo-
maria8, de que efectivamente esta provida a
oja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
eceber ura outro sortimento qne se torna
itavel pela variedade de objectos, supeori-
lade, qualidades e commodidades de pre-
Xs; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
i espera continuar a merecer a apreciado
lo respeitavel publico em geral e de soa
boa freguezia em particular, nao se ates-
tando elle de soa bero eonhecida mansidSo
i bar ateza. Em dita loja encontrarlo M
preciadores do bom:
Agua divina de E. Coodraj.
Dita verdadeira de Murray Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
eza, todas dos melhores e* mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
pita dos Alpes, e vilete pera toilet.
Elixir odontalgico para conservacSo do
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qoalidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
t outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos t
(rancezes era fraseos simples e enlatados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
o de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igoai-
mente finas e agradaveis.
Oleo philoeome verdadeiro.
Extracto d'aleo de superior raalidade.
com escolhido cheiros, em frascos dediffe-
rentestamanbos.
Sabonetes em* barras, maiores e meaorea
oara mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em eaixinha para barba.
Caixinhas cora bonitos sabonetes imitando
fructas.
Dita de madeira invernisada contando fi-
aas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Dita* de papel igualmente bonitas*.tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos da metal coloridos, a de
moldes novos e elegantes, com p i arroz
i boneca.
Opiata ingleza e franceza para dente.
Pos de campboea e outras diferentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada maerts roques.
Um outro sortimento de coques- de no-
vos e bonitos moldes eom filets de vidrilhea
e algn d'elles ornados de flores- e fitas,
esto todos expostes apreciadlo ie- que
os pretenda compra*.
GOLUNHAS E PUNHS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeco.
Flvallaae Blas para elote*.
Bello e variado sortimento de taes objec
tos, ficando a boa escotba ao gosto do coa;
orador.
MARMORE
No armazem n. ^7 -rua do IinperadW) ha para
vender por baratissimo prepo um grande serti-
mento de pedras demarmorede diversas qualUa-
des. como seja : degraos, soleiras, sacadas, mesas,
balces e tijolos, etc., etc.
Vendem-se dwas casas na travessa de S. Mi-
guel (Anigados), tendo qaintal maito- flom, un
arvuredus e cacimba, para ambas, d j**dra i cal :
p na falta de comprador permota-se por urna s,
mas quo seja deulro da cidade u a tratar na
mesma.
Venoein-se ditas eserttVas perfeas coziuheiras
cinco moloques netas de it a 12 auno*, o um ca-
sal de escravos de meia idade, robastos e proprios
para qualquer servieo : no 3" andar do sobrado
n. 36 da ra das Cruare.
Venile-s.-a iah.ro i du largo di; S. Pedro n.
1, bem afrepuezada rom poneos fundos ; a tra-
tar na ra Oireit n. 129.
Vendo-so urna crroca em maito feom esta-
do eom umboi grande c gordo r na ra Oireita
n. 79.
11
Na ra do Codorniz n. 8 contina a ter um
grande sortimenWde doces em latas e caixdes de
diversos tamanhos, cujo so vende por preco mais
barato do aue em outra aualqtier parte.
m m m
era leiradt/SO das menos 2
em de 60 <
Jos de Souza Soares &

7.
7o
Rap de Lisboa
Na roa do Crespo n. 6 contina a ter rap de
Uo oa da melbor qualidade que tem rindo a este
mercado, chegado pelo ultimo rapor.
.Chegou ao antigo deposito de llonry Porster o
., ra do Imjierador, um carregamento de ga-
do primeira qualidade; o qual se vende em partida.'
o rotslho por menos preco do que m ontr quai
qoer parte.___________________.
fotei Lisbonense.
Vende-se o hotel Lisbonense, sil > ra ostreita
po Rox.irii n II. o qotl se aeha bem mntalo e
tem excellentea commodos pira hospedes, |wr ser
ecri'.pado tolos os andares, tondo no prbneiro nm
hllhar, e o -.';on I > dividido e > n qa*(tos pura as-
sistoncias dos h ispodes que ouizerein, m'trar, (era
arrendamento no mesmo predio por seis toaos
faz muito negocio, e a razio da venda se dir
vista dos pretndante" ; assim como outras van-
tagens, que s eom i vista se poder dizer verbal-
mente: n* lineo Pontas n.
Vende -se um Imi manso e urna carroea em
bom uso : na ma do Hospicio n. 4, sitio contiguo
ao quartel general.
GADET
CURA
em TRES DAS
Ph^Denain?'
pars
Paria, 36,RuaVivlenne, D*
CHABLEmdecin
aASENFERMIDADAS ESSKXUAKS, AS AVTB>
ws^ rrAWEAs.E ALTERACOEammAnaim.
1 "H'to000-" -*-ifmT iniini
^-^-tEiCT
\erf -------------)gv$i rm,
o fNy. {Xirop* fgetat mbi aMrcarM.I
ratita. ,,.,, llUHoa m
toaao-s Jous por toa. Mgma4 u_______
'" "" r*Wo ni aMfeM B.
Esu XaroM Cimcu dt
farro a CHABU. aar
laaadiiUMaMaaaifaa*
Jnssu'
atau a fiuxut fioru brKti a ai_______
""*. Poaaaa taa aa ara aaa trae daN)
POMADA ANTIHf RPETK5A i
Goatrai ata ajacfoaa omMimm ataataaaai
P'LuuAS VEOETAES DEPURATIVAa
ia rcaaata, tdt traaaa ral naiai|ilMl #
DFPURATIF
in SAIVG
PLUS DE
COPAHU
SS^
?Tr


Diario de Pernambuoo Sextu feira 26 de Novembro de 1869.
7
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO -^,
Q9iaQ)ft a iiiaiaiaaiaiao. m
DE
FEMV PERIRA DA SILVA.
O proprietario d'este grande estabelacimento, vendo que so est aproximando o fin*
do atmo, e lendo era ser uin grande deposito deposito de fazendas; n3o fallando em
abultadas encommendas que Ibes eslo obrigado todos os dias, tero resolvido liquida-
las por preco rauito raais baratos do que em outra qualquer parte ; so com o fim
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontrase neste estabelecimento do
PAVO, avullado sortimento de iaz^ndas de luxo e modas; assim como de primeira
necessidade. A8 pessoas que negociam em^piquena escala n'esta loja podero surtir-
se vendendo-se-lhes pelos precos que compram, ns casas inglezas; assim como asex-
eellentissimas familias podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou man-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
acha constantemente aberlo das 6 boras da manba s 9 da noite.
BASQUINAS A I2#>00
Na loja do Pavo vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
pelo barato preco de <2d000 cada urna.
ALPACAS BRANCAS LAVRADAS
Chegou para a loja do Pavo um grande sorti-
ment das mais bonitas alpacas brancas tarradas
e de cordo sendo n'estc genero o mclhor mais
lustroso pue tem vindo ao mercado, tem algumas
to finas e to bonitas que servem para vestraos de
noivas e vondom se por commodos precos.
LAZLNHAS MODERNAS NA LOJA DO PAVAO
Chegou para este estabelecimento um grande
sortimento das melhores o mais modernas lazi-
nhas para vestidos, sendo tapada) e transparentes
de todos os precos e qualidades que se vendam
mais barato do que em outra qualquer parte
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas,
sendo caifas palitts e coletes de casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desojar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, com a maior promp-
do vontade do freguez, e nao sendo obnmtdos a acceita- as, quando nao estejam .
completamente ao seu contento, assim como 9 P.-vao tem um grande sorthnento.dos
n'este vasto estabelecimento encontrar o botutos crochs proprios para cadet-
respeitavel publico um bello sortimento de sofas, mesas, almofadas etcetc., assim
____:i.o MMniM Aa como oroprios para cobrir presentes, e ven-
mais barato do que em outra qual-
^(jjAjggJAgAS^
*
h
L^l
A feo ^usMA&a**'
A AGUIA BRINCA tem convicco de que a abundancia de objectps de novidade-
om seu constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridas
de de qualidades, e a limitaco de seus precos, esto na op mo do respeitavel publico
m geral, e na de sua boa freguezia em particular; mas anda asstnv ella julga de seu
dever scientificar a todos, da reeepclo d'aquelles objectos que esto alm do comraum,
Pannos de crochet para cadiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrin-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipar, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
pennas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.
Bonitos passarinhos de metal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas,
de velludo para agulhas e alfinetes.
Thesouras de duas, tres, quatro e cinco
peanas para frisar bat adinhos.
Assucard c oxido de ferro de
Chantcnidr.
O tunear fe ruginoso do Chauteaud oblido
la associacao do exido de ferro tuitivamente so-
vel com o assucar cuidadosamente purificado.
te assucar, de urna bella apparencia cr>> latina,
m o simples gosto mu agradavel do assucar,
m o menor sabor adstringenle : nao tem acco
rtante sobre a mucosa do estomago o ente> tinos,
rpidamente absorvido pelo apparellio digest-
o sem causar as constiparon s do venlre.
E' hoje o preparado de ferro de mais aceitacao
para a chtorose atona dos orgos, pedas brancas
menstrua^dcs difBceis, etc., e tem a seu favor o
juizo autorsado da escola de medicina de Pars,
e dos chimicos os mais nolaveis.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Bartbolomeu & C, ra lai ga do
Rosario n. 34.
can fracezas e inglezas, ceroulas de como proprios pa
linbo e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazcm de Flix Perei-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porco de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo ra da Imperatriz ..n. 50. De Flix
Pereirada Silva.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavo.
Enconti-a o respeitavel publico neste estabeleci-
mento um grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam, eassas fracezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de la de
todas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, laazinhas, alpacas lavradas e lisas, cantao,
bombazinas, merino, etc., que tudo se vende por
preco barato. .
AS CASSAS DO PAVO
Covado a 300 rs.
Vendem-se flnissimas eassas fracezas com lio-
dos desenos e cores flxas a 300 rs. o covado.
Madaplao francez a 7$000 rs-
Vende-se pecas de madapolo francez
com 2 metros pelo baratissimo preco de
7*000a peca, pechincha.
Alias novidades em sedas
Chegou um grande sortimento das mais
modenas poupeliuas ou gorgures de seda
e linho com os mais elegantes padrees que
tem viudo a este mercado sendo, miudos e
graudos, tnto em cortes para vestidos como
para vender em covado, assim como um
bonito sortunento das mais bonitas sedus
listradas que se vende tudo muito em cauta
Grosdenaples de cores
Chegou um grande sortimento dos mais
bonitos grosdenaples de todas as coros para
vestidos que se vendem multo mais barato
do que em outra qualquer parte.
CHAPEOS DE BRIM A 2#000 RS.
Chegou utna grande porfi de chapeos
de brim para cabera qu se vende pelo ba
ratissimo preco de flOOO, por terem che-
gado com um pequeo toque de mofo. E'
pichincha.
GRANDE PECHINCHA A 5:000 RS. PECA DE
Slrelauha
Vende-se pecas de -uperior bretanha de
algodo tendo qintro palmos de largura
com 20 varas ou 2 metros cada peca, esta
fazenda seria para costar 83000,'a nao fer
urna gramle compra que se fez, e liqnida-se
a 55000, cada peca.
Ctargur&o para collees
Vede-se o mais superior gorguro preto
com diversos padroes pela barato prego de
600o o corte de col lele.
Admiravel pechincha
ALPACAS A 400 RS.
DE WJRTA CORES A 400 BS,
ALPACAS A 400 RS.
Vende-so um grande sortimento das mais
ferilhantes alpacas de furt cores com as
mais lindas e mais modernas cores imitan-
do perfectamente as sedas de torta cores
sendo neste artigo o mais.oovo que tem
vindo ao aereado, para vestidos, muito pro-
pria para as senhoras que forera passar
festa oo campa, por ser urna faaosda de
murta fantasa e pelo barato preco de 400
rs. o covado.
Bretaahas de r1o a ** a
peea
Vende-se superior bretanha de rolo ten-
do 10 varas ou i I metros cor 4 palmos
de largura polo barato preco de 2509,
pechincha.
Os setins4? Pavao
Vende-seos mais bonitossetios de-cores
raais encorpados proprios para vestidos
tendo de diversan core.
AOS PALITTS DO PAVO A I8# e
205000.
Vende-se um bonito sortknento de palit-
ts francezes sendo, sobrecasacados e pro-
priameote sobre- casacos. que se veodem
forrados de alpafa a 184000 e forrados de
. seda a 05000, pechincha.
COLCHAS DE FCSTAO
Ka K)J do Pv$<> ende-se am grande iortimen-
to da cotelww de fnstio sendo brancas e de cores
titas de croch para camas de noiva, assim orno
mitoe-damascoi de la para cotobas,
loja no Pavao vendem-se os mais*
OMtts chales de verdadeira cachemira de
cor, com os desenbos mais modernos, a *VJ,
40 e 141000. muito barato na roa da Ia>
de-se
quer parle,
GLACE' A 1:00 PARA VESTIDOS
0 Pavao tem esta nova fazenda lisa pro-
pria para vestidos, com as mais delicadas
cores e com mais luslre do que a propria
seda com i palmos de largura que facilita
fazer-se qualquer vestido com 10 covados
e vende se pelo baratissimo preco de 1:200
rs. o covado, pechincha.
CRETONE DA INDIA PARA COLCHAS
0 Pavao tem esta nova fazenda cretone
propria para colchas, com'os mais Un. os
padroes chinezese com as cores inteiramen-
te fixas, tendo largura de chita franceza e
vende-se em conta,
300 rs.
wmo bem sejam:
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
ias, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
mando abertas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rola para costura, obras de apurado gosto
e perfeico, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com msica. %
Estojos oucarteiras de couro com nava-
lhas, e os mais necessarios para viagens.
ESCOVAS DE MARFIM-
Para unhas, denles, cabello e roupa.
Outras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
horas.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
gentes para o pescogo.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin dourado.
Botes com ancora, e P. II. para fardas
e colletes.
Abotoaduras d'aventurine com o p de
prata dourada, para colletes, cada um 55.
Boles de cristal, encastoados em prata,
para punhos, 45 o par.
Camisas de flaneila para homem, a me-
Ihor qualiclade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de 13a para bomens, senhoras e
creancas.
Ditas de dita, tecido de borracha, para
quem soffre de inchacSo as pernas.
AGULHAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
merecen ao fabricante o pomposo titulo de
Nrm-plusultra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de t3o bpm
em tal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundarto
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porra as verdadeiras continnar3o a
vfr especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seos no-
mes e qualidades a infinidade d'objectos
que constantemente se acham venda na
loja da Aguia Branca, seria sen3o impossi-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queiram
reconhecer a commodidade de seus precos
e a cinceridade de* seu agrado, que n3ose
esquecam de comparecer loja d'Aguia
Branca ra do Quaimado n. 8.
O Campos da ra do Imperador n. 28 tem para
vender o seguate:
Queijos londrinos, pratos, flamencos e de Minas,
todos muito frescos o de boa qualidade.
Presuntos para Hambres e para tempero, palos,
salames etc. etc.
O verdadeiro haealho de Noruega.
Latas com lagsias e ostras.
O verdadeiro caf Mocka. .
Especialidades
Grande remessa de cigarros de diversas quali-
dades, vindos da provincia do Rio de Janeiro, no
vapor brasileiro Paran-
A saber:
Cigarros ao duque de Caxias
Ditos ao afaurity.
Ditos aes tonentes do Diabo.
Ditos Barbacenas.
Ditos Papel peitoral.
Ditos de S. Paulo.
Ditos do Rio-Novo.
Temos de medidas para seceos, segundo o novo
systema (mtrico francez), no armazem do Cam-
pos.
As mais adoptadas e mais facis tabellas para
de prompto se reduzir acsa kilogramma* e ao
inverso esto se acabando por isso reeommeiida-se
ao? eslabelecimentos que ainda nao tem, que ve
nham seus donos munir-se desse tao grande agen;
te do commercio, pois que, com a safra que.est
porta, torua-se ditas tabellas indispensaveis.
28-TUDO NO ARMAZEM DO CAMPOS-28
}
Vinho doTorto
Yende-sc .superior (dnbo do ..rrafado :
ho escriptorio de Antonio Ltrii aft'OIlvelra Azevedo
3c C, ra da Crtfz n. 87, i" andar.
CIMENTO
Vende-se rerdadeiro cimento; .na ra da
Madre de Dos n. 22, aunazem |de Joo
Martins de Barros.
Cabriolet.
Vende-se um cabriolet de dons e quatro assen
los, o que ha de melhor neste genero, com boro
ravallo e arreios, ou sem elle : na na de Santo
Amaro, cocheira de Thomaz Lins.
ATUNCAO
Vende-se a taberna da ra Imperial n. 138, pro-
pria para nm principiante, a qual se acha bastante
afregnezada para o malo e para a trra ; lugar
est" de muita influencia na safra com os mtalos ;
o motivo da venda seu dono querer retlrar-so
para fra : quem pretender eoteudase na mesma
taberna cima.
Attengdo.
Vende-se nm negro de naoao, de bonita figura :
na ra do Rangel n. 43.# \ ^^____
POS DE ROG
Approvadot pela Academia imperial
de medicina de Parit
Dm frasco do p de Ros, dissolrido
era urna garrafa d'agua, di urna limonada
agradavel, que purga rpidamente e de
um modo certo, sem causar a menor
irritacao como acontece com a maior
parle dos outros purgantes. Os 96m 4
Bog, sao inalteraveis por isso eiupre-
gam-se fcilmente em viagem.
un nio-JiEino, Dtpmcktile; Ckriiltt.
em Peumiiicco, Matrer t C: A
Drpiill
SORTIMENTO PARA A FESTA
Veude-se por menos de 10, 20 e 30 0[0
SO' NO
a
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores com padies miudos e graudos. *en-
do todos de cores fixas, pelos baratos pre-
cos do 300 rs. o ova o.
CAMISAS PARA SENHORAS
Chegou um grande soi lmenlo de cami-
sas fracezas para senhoras, sendo lisas e
bordadas, assiin comonm grande sortimento
[.de corpinhos de cambraia burilados, cami-
sinhas e manguitos com golliuhas que se
vende muito eul conid,
VLPACAS DE CORDO
Vende-se as mais bonitas ai pacas de cor-
ilo, tendo de toda- as cores, as mais novas
que tem vindo ao mercado e vendem-se
mais barato do que em outra qualquer
parte.
ALGODAO ENFESTADO
Vende-se utna grande porcao de algodSo-
sinho americano com 8 palmos de la gura
proprio para lences e toalhas tendo liso e
trrncaao quo se vende por preco muito em
conta.
'anos de linho
Chegou um grand* sortimento de pecas | a garrafa, e 40500 a cariada e 800 rs on-
de panno de linho do Porto que se vendem < tro.
lllilll UISI1T&TITI
N. 23Largo do^erco.N. 23.
SfflAO DOSSANTOS a C.
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secco e molhados est3o re-
solvidos a fazere urna grande diminuic5o de preces as suas mercaduras, como se apro-
xima a festa o sempre se fazem avultadas compras para o centro e praca, por
isso previera ao respeitavel publico em geral. quo mande fazer suas despencas e cer-
tas de que verlo a grande differenca em precos mais do que em outra qualquer parte
e sarantil'Hse as superiores quididades.
CAZ AMERICANO 95500 a lato, e 440 SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra e
rs a garrafa e 660 rs. o litro. 620 rs. o kilogranuno.
VINHO VERDADEIRO FlGElRA
22 Ra Nova n. 22
Machinas para costuras.
A este acreditado estabelecimento, che-
gou un riqtiissimo sortimento de machinas
para costura, de todos os auctores; as
quaes se acham em exposijo no mesmo
estabelecimento. O progresso destas ma-
chinas maravilhoso I o seu servico equi-
vale ao de 30 costuraras diarias 11 Os
seus trabadlos sito pesponto, bordar, fran-
zir, e outras muitas qualidades do costura,
como se pode ver no mesmo estabeleci-
mento.
Gaiante-se a sua boa .qnaiidade, como
bem o concert de qualquer machina quan-
do seja preciso; e tambera se manda ensi-
nar, at que a pessoa esteja bem pra-
tica.
A ten$o
g Joaquim Rodrigues lavares de Mcl!oj*~
| tem para vender no seu cscriptorio, |>ra-jS}
jgT ca do Corpo Santo n. 17 primeiro andar,.
H pntassa da Rassia ltimamente chegada>j;3
W& cal de Lisboa e vinho DorJeaux de sope-]
ES rior qualidade.
PIIiXTIiES
DEVALLET
*&ur
As rutila* de Vallet. approvadas pela
Academia imperial de medicina de Pariz,
sad empregadas com o maior ^^^
xito para curar a chlorosis,
e forlifcar as consliucdes
fracas. Nunca este ferrugi-
noso ennegrece os dentes. "^^*^
Para a garanta da f na aulhenticidade,
o nome do inventor vai gravado em cada
ptula como inargcin.
em Hio-Jareii-.o, DupaatMe; Chetoltl.
<"0 Pir.iavui'co, Manrer i <.".
Depoita
lili
I
Resta venda um escolhido sortimipnto de ob
i-ictos do marcincria, como sejam, mobilias de ja-
arand. mogno eamarello, obra nacional e estran
(eir, de apurado go>to e por pre^o* razoaveis:
la ra estreit do Rosario n. 31 Nesta mesma
ma fazera-se com perfeiclo todos os trabalhos t
jalhinha, como sejam, empalhamentos de lastro-
iara camas, cadiras e sonras.
Cemento
mais barato que en
na d<> Vigario n. ',
(Mitra qualquer^ parle : na
Io .indar. .
de 700 rs. at 13000 a vara, garantindo-se
que em fazenda de linho nao ha nada me-
lhor, nem raais proprio para lences e toa-
lhas.
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um grande sortimento dos me-
nores chapeos de sol de seda, ingiezes ten-
do neste art go o melhor que tem vindo ao
mercado assim como urna grande pn^c3n de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em ot tra qualquer parte, por baver
grande porc^o-
cn<"os braucos
Venderse um grande sortimento de l-
eos hrancos para homem, sendo a duzia a
15600,25000 e 3$000, ditos abanhados
muito finos a y e 65000 a duzia, ditos de
ngui3o fazenda muito superior a 5, 65 o
7501)0,
Pechleha em cascmlras a -t:o Vende-se rmissimas casemiras de cor com
listras ao lado, tendo duas larguras e rom
as c&res mais novas e mais bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baratissimo preco
de 45000 o covado ou 75000, cada cortu
de calca.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 2800 e
35200 a caada, 660 e 7o rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 45000.
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 45400,
15800 e 252fTO a caada;
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 75 a caada, e 15340 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 15400 e
I5i80 a librav 35060 o 25780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 25100, 15980 e 15860 o kilo-
grammo
DITA PARA TEMPERO a 560 rs. a h
hra, 15220 o kilogrammo, em porco se
far abatimento.
FARINfU DE ARXRUTA VERDADEIRA
640 a libra e 154O0 n kilogrammo.
BOLVXTNIIA INGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 8"0 rs. n kilogrsmmo.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
raasso. em cana ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANCA, 280, 400 e 560 rs. o masso.
35200 e 65500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 15280. 25500
35500.44500, 64600 a lata e a retalho e 15
a libra.
GOMMA DE MILLO AMERICANA 400 rs
o masso. e em caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 55500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VI2RDADEIRA IHLERS
BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
Lll\ I
AVISO
tus ccnvalescentes e s pessoas
fracat e debilitadas
O QUINIUM LAMRRAQUE approvado
pela Academia imperial de medicina de
l'irii o tnico por eicdlcucia.
Depil*
em Rio-Jajlio, Dr.pjucliellc; Cliin>:al-
ca l'ei;.^Aiibi:c. ilaarer A Cr*.
HASS.4 e XARPE
DE CODEINA DE BERTHE j
Preconiui!o> |ior todn >, meHici" muir oH
DEKLL'XOS, CaTHAIUIOS. H TODAS hSM
1URITACUKS DO PEiTO. T
N.B. O X:iupt de Codcina que ty.rrtctu ,l;.,
honra, alia tem rara cutre <:s MjJic. .
menlot opit$ do Imperio Frantrt i/i''Pmmi^ I
quuiqner eouio. .|
AVISO. Por ran-,i di repr: I J'mviI fai-i-'^J
fu irn qn'- K-in Sancil i lo o Mil;
X ropc r m:a BcrlM tai -
k'liiliiar qucR>'< Mni.CJn.'U!"; tJij,L.'ii;i : '*
vi'i di i i m <-.! ah- ^^S^
bMffr^MXnJeTMMla ~^sP ^,1.',/; --
oM;iiu;uia >-iil -~ .1>-y.
frinli
46. I.v.i i> Gcvfrt, c ni I tefin
[ d"1 l'i.iiii.i, r, /.'i,i .- A'ujfi
i,, .' .i- 11 -in.i i i *> '.''IV
BANHA DEPORCO DE BALTIMOOR DIVERSAS MARCAS 15500, 15200, 15 e
l^^tr^S^0grmm'm ^EaBRArDE HOLANDA E HAMBUR-
TrOZ DO SnhAO E DA INDIA GUEZA 75 e 65 frasqneira, e 500 rs. o
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilograramo e WJ^ de ^^ ^^ ^^^
Q* balea do Pavao a 21000',
Cbeg u ura grande sortimento de balDes
ou crenolinas do Aftfomais moderno mniti
p-onrias para vestidos ennesgados me se
vende pelo baratissimo preco de 25000 ca-
da um grande pechincha.
AS CAdBRAIAS DO PAVO A 4:500 RS.
Vende-se ama grande porco de peo
de rmissimas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com mais de vara (te
largura pelo baratissimo preco de 45500, a
pee* sendo fazenda que nunca se venden
por menos de 85000, grande pechinrha.
AS POUPELIN\S DO PAVO A 500 RS.
Chegaram as mais lindas pouperinas ele
la com imilacao das poupenas de sed;),
um fazenda muito leve com as mais lin-
das cores, sendo: verde Bismark. rxa, nz.il
iyrio, c miento, perol la etc, etc e vende-te
pelo Baratissimo preco de 5o0 rs.
Fustetes branfios para veetirlr-
Chegou um lindo sortimento dos mal ba-
ratos e bonitos 1a*1tei branens cora listrini
6 cordoVs, sendo' fazenda b stanje larga e
flexivel, mu) prwpria Dar vestidos e ro i
..as de f-t&au e fe0m-se 9 640 o co-
vado.
peratriz n. fiO-,
Na loja c armazcm do Pavao ra da Impefairm n, JBO.
35400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo. e 65000 a arroba.
:AF EM GRAO 65 e 65500 a arroba,
200. 240 e 260 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SABO MASSA i 240 e 200 rs. | libra,
520 e 440 rs. o kilogrammo, enf caixa se
iaz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a libra.e
150 o kilogrammo-
B0LACH1NHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
Ihante.comhination, Francy-cracj-nel, mixed
Bi itania. Me-liura, Fancy-nic-nac, a. D, c, e
soda a 15000 e 15400, cada urna tata.
Assim como ha outros muitos
115 a frasqneira e 15 o frasco.
QDEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35tiOO, 25800 e 25409 em caixa ba abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MUITO ALTO
40ff"rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 115500 a arrob;.
L1NGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS i I5< LOMBO DE PORGO ASSADO JA PROMP
TO a 15000 rs. a lata.
CHA FINO. GIIAUDO E MIUDINHO
35200 e 25800 a libra, e 65100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 25000,
23200 e 15800. r*. a libra,
gneros, vinho o ancoretas, azeitonas,
FIO DE VELA
Barbante
Em casa de Rabe Schmetau & C. Corp
Santo n. 15.
SHERRY 0L0R0Z0.
Gelo seal.
COGNAC IIEMMESSY.
Em casa d<- Rabe Schmettaa & C. Corp
Santo n. 15.
CAHMPAMA
SUPERIOR*
Koussillon. carte blanche.
Em casa de Rabe Schmettaa **
O. Corpo Saat a. 15.
VI1VHO
DE
BORDEAUX SUPERIOR.
CHATEAU LA ROSE.
CHATEAU RAUZAM
Em casa de Rabe Schmettau & C. Corp*
S.into n. 15.
rauito novas, passas e figos novos, charutos de diversas marcas, marmelada, fetla pelos
melhores consentiros em Lisboa, gelea de marmollo, pecego, ervdbas, em latas, prr-
tugu-zas e franelas, vinho verde engarrafado i retalho, petxe em latas, bem como
pescada, tamba, pargo, goraz, lula, corvina, vezugo, cavalla, sarda e Mromhas de Plan-
tes, fuella, cravo, ervadoce, cominho, pimenta, grandesmolhos do sebolla i 15500.
Finalmente muito* ostros gneros que enfandonoo mencioua-los.
NU1 IBM
Ra Direita numero 53.
Grande c completo so: '.ment de bandoijas chi-
nezas. tanfo quadradas coma uvaes, c de tods n>
tamanhos,'completo sortimento de facas e garios
de I e 2 B, balanco inteiro e meio halaaco, colh-
res de metal principe, as mais linas que tm vindo
a mercado, trm para cozmha, pesos koflram
mas tanto de ferro como de latao (com redneco
d-- preco), meiros para medir fazenda tanto de m
deira como de latao, alem de um sortimento com-
pleto de ferragens e miudaz?, bem como machinas
de descantear algodao, minhos para caf de todit-
os tamanhos, etc., etc3, tudo por presos que so
avistado comprador faz f na roa Direita n '53.
loja de rerragensde Manoel Bento de Oliveira Bra-
ga *C
ESCBAVOS FU68DOS,
Fugio no lia 7 do correte mei de novem-
bro, aesfrava Joaquina, rrioiSa, de idade 40 an-
nos. cor preta, baixa e ch ia do cjrpo. tem nina
iiMiba rasgada no lagar do brindo, urna peque-
a cicatriz na te-la a um lado, J.jus dente< na
frente abertos que prece falta do UBI, mas nao :
esta pserava so occopava em carregai' agua no pa-
leo do Terco, os lavainlo roupa polos Poqmiros
junto a ra Imperial, e por estes lugares que
ella costuma andar._ Boga-so aos Srs. eapUaetde
campo a aprehenso de-ta escrava e a levar i
ra do Qupimado n. :W lereeiro andar ou a praga
do Corpo Santo n. 17 primeiro aDdar, que Nrlu
bem recompensados.
Fugio do eapiiao Joaquin tViivira dos San-
tos, morador na cidade de Penedo, provincia de
Alagoas, um seu escrvo de nomo Paulo, preto,
alto, de idade de 24 annos, pouco mais ou menos,
vesgo de um olho, tem cicatriz de queiniadura
em urna das maos, delgado de corpo, dentes alvos:
quem o apprehender e levar a seu senbor, sera
bem recompensado.
100$ de gratificaban.
Ainda continua fgido desde 30 de maiu prxi-
mo pas-ado o preto Goncalo, ajlo, cheio do corpe1,
feio, oltios aperta los, sem tiarba, cor vermelha.
eabeca pequea, ps Tachados, representa ter 46
annos pouco mais ou menos. Este escravo fui da
Sra. D. Senhorinha (que moinu em Serinbem).
viuva do finado Leandro Pereira da Boclia, foi
comprado ha 12 annos pouco mais ou ntenns aa
Sr. Francisco Alexan Ir Dutra, do engenho Praci-
uha, junto do engenho Itabaianna prximo de Poito
Calvo, aonde tei.mi e fllha. Descunlia-se que an-
da por esses Ideares: recommenda-se s loturisa-
des poliejaes e aos capites do campo oa qualquer
nutra pessoa a cap ura do mesmo, e leva lo aa
seu senbor Miguel Toteutino Pires Falcao, no en-
cesto Todos os Santos na villa do Ip.-juca, e no
ttecife ra da Mocda n. o, segundo andar, escrip-
torio de Manoel Al ves Ferroira 4 C, que roceber;,
a gratileacao cima dw-larada.
mHPT i Tal? Cabriolet americano
?l Li I i i UIJ VenV-M um cabri let americano de duas rodas
se valor vende-se na lujado Triumpho ffl^iPffii^ra'KiraT^
a ra do Qaetma* n 7. velo na cocheira di roa o Imperador n. 43
L3as de bonitos padroes a 3*0 400 rs..____i
j Imperador
Fio (i
goilito.
^Hh Baha en
(i /ovado.
^ outrasmniUsfazenr^lepha^Wpor, ^
INV6 piulo commodo e breve ser atiwa- Me ^, ^n^^ de Antonio Loit
Ciado seu esplendido sortimento. :dvOltvin Azovedo k G, ruada Cnwn. 87, .1
LOJA D0TR1MPHO. i andar.
A ra do Livrmento n. 6, contina a ha
ver para vender por precos rasoaveis, <
melhor vinho verde at hoje vindo a esi-
mercado.
Vendein-ite don* bois, sendo um de carrora
e outro um novilb. taurino da mai- pura ruga
na cueheira do paU-o do Paralzo, que foi de carro-1 < do mato : quem
lumbre, se dtr quera es vende.
AVISO
As autoridades poUcias e a
quem competir.
No dia 29 de m io do convnte anno fu-
gio o escravo Es^qniel. crioulo de 30 3
annos de idade, esiatura regular, reforjado,
rr bem preta, cahec redonda, trajava ca-
misa azul e calca de casemira eunesta ; du-
rante o dia costuma andar (ranhaujlo as
roas, ou em armasen de assucar como for-
ro ou as talnrnas a conversar e abe-
ii.-r : durante a norte recolhe-se telheitos
abortos oo penetravei ca>as em Cons-
ircelo e outros qnaesquer lugares nodo
so possa abrigar: qui-m o appielied'T le-
nha a bondad*1 de o eondozT ra da An-
in n. 2(J. onde sera gratHicaaV ^^^^
Ainda tatura baixa. ni tem Harta, co-tnma qna **
andar pelos snburbio' desia eid^H, utvet lid-
'labalhando de enxada por aigiim silw por rer
pegar iVW-o a rui Da"eK.i
| n.
10, que eri b*n reeuoipeasaOo.
US


Ulano c&e Frnambuco ~ Sc-xia fera 26 de o\emLrp, de 1869.

i
I

Os prisioneiros de p ,o asura doudo. S tenho
esse me i. ;o. Disse-me
o padre ftta%0 fr circum-
ciso, nao ftodero rator-me mais em farros;
irej I o algom servio.
arri >a alimentar > o
ron quando i'.u es-
liver su'uo... o Beiis dos Russo grande!
veremos...
Mas v I* qua o pmprio Dous lo ha
do abandonar, d i o trahrres.
Kascambo, comquanto ralhnsse -com o
sen criado, com dulenldada se contraba |
para n3o rir se do .sen exquisito projecto ;
poira quando elle chcyou a prohibir-lh'o
formalmente :
Meu aroo, Ihc responden Ivan, j
nao posso obedecer-ibc o eabalde quizera
o cuitar-'.ln: j est foito. Seu mahome-
uno de.-de u dia em qae Vmc. me julgou
doente b tiraranwae o> ferros. Agora cha-
mo-me Habita. Qu mal ha nisso ? N3o
posso tornar a fazer-meenristo quando
qnircr-r Vmc. estiver livr** Giba la: ja
uan tenho mais ferros: posso quebrar os
seus na priinaira bccasio favurayM, e te-
nho motta aspara nca -que ella b de vir.
Com tfera* inram da palavra com elle ;
nao foi mato encorrentado, e defde entSo
gosou de mainr liberdade; mas esta mes-
ma lite la cusanlo charo. Os principis
autores da e-xpedicio reoeiaraavlogo que o
novo musnlmnno desertasse. A sua longa
estada no meio d\Hes e o habito que tinha
do sua lingua punham-ao no-casle os c>-
nhecer a tilles lodos pelos nomes e dar-Ibes
os signaos na linha. se para la vollasse ; e
isso era expo-Ios possoalmente vinganca
des Russos; elles reprovavam altamente o
zelo extemporneo do padre. Por outro
lado, os bons mnsulmanos que o haviam
favorecido no momento de sua ponversao
notaram que. por eccasio'd'etlcfazer sua
oraran em cima do teclo da casa, segund
o uso e conforme o molloh Ih'o havia ex-
pressamento recommendado, para carear a
benevolencia publica, elle misturava militas
MM por habito e por inadvertencia sig
naes da cruz com as prosternaes que
faia na direccSo da Meca, para a qual
acont cia-lhe por vetes voltar as costas;
isto MrnavH Ihes suspeita a sinceridade do
sua convers5o.
Mazes depois de soa fingida apostasia,
notou elle grande muflanca as ivlaces
que entivtinha corados moradores, o n5o
p i lia mais duvidar da mraifesta m volita-
da del'es. Quebraba a cabeca para deseo-
brir a causa d'islo, quan) alguns rapa/.s
com os quaes se chava em relaco s do
amisade o vioram convidar para olio os
acorapanhar a urna expedifglp. Era o seu
projecto transprcm o Terek para ronbarem
mg ai Hites que deviam passar p >r Mos lok.
Ivan aceitoa o convite sem hesitaran. Ha-
via maito que desejava arranjar armas;
pio:i'!liam-lhe paito do despojo. Cilidou
que, Se verem-ao voltar pa junto do seu
am i, os 'no [be suspcilavam umtado de
desertar nao tonara as mesmas razos de
desconfiar dollc. Entretanto, toodo-s- o
majnr opposto com toda a forca a esto pro
je to, pareca ello nao pensar mais nisso,
guando urna manhaa Kascambo vio, ao
acordar-se, a esleir cm que dorma Ivan
-------1I ,.......Ja_t all* linha Oarlld.
aoile. Shis companheiros deviam passar
o Terek noite seguate c atacar os nego-
ciantes, cuja marcha conhechm pelos seus
espides.
A coaflanca dos Tchetchengos deve-a ter
foiio Rascar alguma snspeita no animo de
Ivan : aSo era natural que homens tan
austuciosoa e desconfiados admiltissem um
Russo, sea pnsioni'iio em urna expedirn
dirigida contra seas patricios. Depois to
a saber-se com effeito que elles o haviam
convidado para acompanha-los s com o
tim de assassina-lo. Como a sua qualidade
de neopliytn es obrigiva a algumas caute-
las, tthharn fcito lenc3o de ter-the sempre
OS olhos i-m cima fin ante o caioinlio, o do-
pols mala lo na hora destaque, dexaado
acr< ditarem que co bavia morrido no cbai-
b.ilo. So alguns dos da expedicao sabiam
que o seg:odo; poten os successos trans-
tornaram-lhos os planos. No momento em
>aralftear *
prendea >,l*p^l!ea i3o vivameni
te que comWta dif repasaaram o
rio. A grandeza do porigo fez-lhcs es
cer a trama urdida contra Ivan, que
acompanhou. na fuga.
Quandoatroipa em dosnrdem-atcavcssav
o Terek,-fojas aguas sao mnito rpidas, p
m joven TVhetcaeflgo afortduti
no mei i i rio, o foi logo levado pola
lenteza. Ivan, que o acoin>aah;iva, impe-
lo o seu cavallo para a conenta rom ri*-
c,o de si r elle propri lerado," e, agarrad i
o mancebo no mnmontn em. que a afogar-
se, conseguio leval-o at a nutra margen.
Os cosacos, clardade do dia que vinha
nascendo, reconhecando-o pelo seu unifni-
mee pela sua barretina, a)ontlvain a anta
para ello gritano : ..
Dcsartor! Agarrem o Sua farda HcoU'toda critada da bajas.
A final, depois de
desesperado, e ter quei
cartuchos, oarajj
FOLHETIM
OS CASACAS
EOiHANCS
por.
Paulo Fval
Segunda parte
trg. p.vavaw
XXVI
O cofre.
Continuacao do n. ^70)
Obraoal... o bracal lavrado... e
pensei depois mais de urna vez que o Tres
Patas agestara o grande binculo para ver
melhor o n^-sso bracal.
V. piova da que elles se enteudem como
dous gatunos, disse o Miguel.
Eu nunca os vi junios, replhou E1mce.
O Braeaa voitou aaoi muias vozos, som-
pro quaado a mamai c nao eslava, e fra
ingrata se i.fc coni'essasse jiio los proslou
muitos sirvios.
Sempra na ausencia do tua rai re-
peli o Miguel, que refloctia.
Talyez fusse acaso... OITercceu-nos
por diversas vezes urna somraa con>iderrt-
vel pelo bracal.
Ehi5o vale muito dinheiro ponsou
em voz alta o nosso her..-.
Creo que sim, pprque o Bruneau
nao o nico que o doseja comprar.
O Tres Patas 9 intnrrogou o Miguel.
Nao. O Lacoq. Foi o bracal que
lbe servio de orimeiro pretexto pira trans-
pr a soleira da nossa porta. Diz conhe-
cer um curioso de armas amigas, que da-
ra j)or elle de* mil francos!
Oez mil francos I repeli Miguel ad -
mirado. Aquelle bracal dez- mil francos !
Dapoii accresceatou :
A* vesea paaeuram-se meios indi
rectos de fazer bem.
EBuie callou-sei mas raoiio as sobran-
ceihas ; vidente que se conservava in-
crdula respeilo de virtudes no Sr. Le-
coq.
Estaramos ionge da minha prisio,
continuou MigueJ depois de brava pauga,
seoLCqaos o troaxesse ellaoutra
Kstava e-it-'"
quarlo um ivcem-chegado: ora um sujeito1
a qnem um febre intermitiente tinh
dido de acompanliar os *
por isso tinhaaatr.
Ibrahim fia
ate que^llta
Ivan essS can!
a mnima sorpre
mens daj^H
a exeiuco do
a vigilancia ina
e mormente a.a
febre, tornavatn b
dola. KntAMtoVMiev;
'se esperasse a volia**)
va que n3o se sahiriam bin^a^suioi
digan, e que o seu furor n3o o pouparla.
^Nu.lho restava 8utro.recursg mais do que
abandonar seu amo ou -libarla!- loga e
Miis fcil fra ao fiel criado sup*
r mil rnortes do que eseblher o pri--
Tt;o.;
cambo, que comefava a perder loda
a es[)3ranoa, tiaha cabido, havia algum
Flai Inli, bai luir!
Ai! que clnr simo aqu!
*
L,.VAN.
i sirmwrtl
VemnifOf% nao
TuB?Si||iracho
mo
a 13a :
Fio amanh3a,
corac3o.
mi?
ollte
co
1
lo de proveito a
de haver
companheiros, e de ter
toda a tropa.
Se o seu procedjmenlo n'esla occasio nEb
lbe careou todas as syitipathias, ao .menos
grangeoa-lhe um-amigo; amaMebo aqaem
bavia salvo adoptoa por seo koniak (litu o
sagrado que os mdlanhezas do i-au&ai;o
jamis violam), e jurou defondel-o de lod^s
a contra todos. Porm nfto basta va esta
amzade para amparal-o do odio dos prin
paes habitantes. A corag :m que cabava
de mostrar, a sua dedicaco ao amo, au -
mentaram os receios que Ihes bavia inspira-
do. N3o podam mais tt^l-o em conta de
um bobo incapaz de qualguer empresa,
como al aqu tinha acontecioo; e quando
se lembravam da oxpedic.au gnrada, Jiaqual
tinha tomado parte, ficivan admirados ile
se acharem tropas russas to a proposita
n'nra ponto to distante de sua resdomia
ordinaria, e suspeitaram que elle tivora
meios de prevenil-as. Comquanto nao hou-
vesse fundamento real para tal conjecima,
vigirn-o de mais peno. O inesm#yel/io
Ibrahim ; recelando alguma trama pars
faga dos seus presos, nao Ihes peratia
mais travarem con"versa seguid i, e o b<>ui
do denchik era am acado, e por' vezes :it
apanhava, quando quera conversar com
seu amo.
N'esse estado, os duus prisioneiros ima-
ginaram um meio de conversar sem causar
suspeita ao seu guarda, C<>mo estavam cos
turnados a cantar junio: eauces russas, o
major pega va da guitarra quando t nha de
commiinicar alguma cousa importante a
Ivan vista de Ibrahim e cantava interro-
gando o ; osle respond i-!hc n > mesm- tom,
a seu amo o acompanbava com a.guitarra.
Nao sendo este expediente novidadu, nunca
doram por um ardil qu; alias tiveram tva
lela em nao empregar scno raras vezes.
Mais de tres mezesse linbam passa pois da infeliz expedido j mencionada,
quando a Ivan pareceu que so dava exlra -r-
ilmaria agilafo na aldoi.1. Iltviam chega-
do da planicie algumas bestas carregadas
de plvora. Os hOinens limpavim as ar-
mas c preparaban cartuchos. Km breve
soul.ie elle que se preparara urna grande ex-
podi;3o. Devia reunir-so toda a Irib para
atacar am povoado vizinbo que se bavia
posto soba proteccSo dos Russos, a quom
havia permtiidn que construisspm um re-
ductn em sen ternbiri'i. Da nada mcnu
se iratava do que do exiermmai u puvuaan
inlero, bem como o batalhio russo que
n a coastruccSo do forte.
Das depois, Ivan, ao sabir da cabana
pela manlin, achofl a aideia deserta. Todos
iis horuimsc'iix.es de pegar cm armas ti
nbaini sabido duram a noute." Na valla
qie don pela aideia para tirar infonnaces,
colheu novas provas das mis inteocoes que
nutriam contra elle. Os velaos evitavam
fallar-lhe. Um menino dkse-ihe aberlamin-
te que leo tai tinlia vontade de matal-p. l'or
fim, quando vollava todi absorto a ter com
seu ama, avisten em cinn d t'cto de urna
casa urna maca que Icvanloiio veo, o com
mo-trasih maior terror, acenou-lha com
man para fagir, mostrando-lho o -aminho
da Bussia ; era a irm do Tchelcbebgo que
elle linha salvado na pnssagem do Terek.
Assim que tornou a entrar era casa.
achou o vel'io oceupado em revistar os
is lempo, ii'urna especio de:marasmo, e coa-
vez. V3o j decorridos tros dias que eu
ogo as escandidas com o bom do tal Sr.
iuuaau, que lirn m;:lido do pri^o
contra mlm. A partida foi fode, porque
era eu s contra tres : o normando, o
Tres Palas e condessa. Porque an ira
esta mettidara ties mexeric^s.e com s!
:m-Ihantes associailos? D)-ma |ue scismar.
(Juo cmplice d'aquea goula. pjsso -u
asseverar, o foi quem estove vai nao vai a
lazer me cahir no I.ro. Pnr.juo ? II \ una
causa que ou advogo, cumpTo dizer tu 1 i :
a'aqeeHfl encantadora m'Ih'r ha son tanto
da mulli-r de Putipbar.. Rlt sabe qmi
te amo ; (uerer vingar^o ? II mt-m re-
vele-lhe a esconderijo aonde me suaiia
desdo o nascer at m rror do sol, c a
-'osa. Anoulopass da recabi umbilhfte
aVi Lecoq, m-que .m) dizia : Ha de sal-
preso primoira hora ; anda bem cu nao
abalara,.J a casa ustava cercada polos
esbirros. E esso gnomo dj T:'cs 1'.
passando justamente Raquel la o ftlSRpor
all ua sua phantastia eqaipage'm, falluu
com os belleguias : vi-o cu. A missiva do'l
Lecoq designava-mo um p n! <$ reunan ;
fuijl a correr. Quo pen ,. que m nha mi
tonha preveamos con'ra Mil. ..
para que veja, allhou Edme : os
dous nicos corag s qao oeftimlmver-
dadelramente s3o do mesmo sentir. Ella
e eu I
Miguel encolheu os hombros.
Fallara os factos, disse. Eu por
mim acredito em factos. O- Lecoq entre-
gou-me o dinheiro para pigar a letra,-o,
principal, juros e cusas!...
Km troca de que ? pergunlou de,;^
confiada a donzella.
Em troca de um abrigado muito re-
dondo. Aquelle hornera conta comigo :
adevinliou me o animo ; confia no man fu
turo. E tambara en, nimba quaria Bdmf,
kascamiio. -
iva-sa em profundo silencio. Ivan.
ruis tranquillo e mais alegre que de ordf-
dlriario, fe^bom summa pressa- os apres-
tos da refeicb, que ja fajando a cantar aan-
Ces russas entreraeiadas- de palavras de
animacSo a seu amo.
Cliegoit o lempo, dizia elle ajanlarjdo
a cada pbrase o estribillioinsignificant' db
ama cancSo popular russa, hii Inli. bai luir,
chegona'lempo ile'acabar-?e no?sa ase-
ria ou de moTemos. Amnnhai, hni -Hilr,
bai luli,* estaremos na estrada de-urna linda
cidade, hai'hiHv'hrf luli, r que n* quero
noraear^ animo, meo amo! na > desani-
mis. O Detis dos Russos 6 grande.
Kascamba, indilTerento vidi e morle,-
nao sabendu quas os proiectQS do sen
deuchik, contantou-sc cora -dizcr-lhe :.
Sin o quezeres, e-cala-te.
A tarde, o febricitauie, que linbam tra-
tado gencrosamenle para o reterem, e que
alm do bom janlacqui bavia comido, 8e
baviai divirlido todo o dia a comer cbislik
(carne de cirneiro assada aos pedacJnhos
,na ponta de um espeto), foi atacado de to
(-viutento accesso de febre.que abandonou
o posto a retirou-se para sua casa. Deix
rain o ir-se sem muita difliculdada, por ter
Ivan socegado completamente o vellio com
a sua jovalidade. P.>ra desviar anda toda
a especio de desconfianza, retirou-se cedo
para o fundo do quarto e deitou se em
cima de um banco'encostado parede es-
pera que Ibrahim pegasse no somno; po
rm este tinlu resolvid velar toda a noite.
Em vez do deitir-se n'uma esleir porio do
fogo, como fazia sempre, seutou se em um
a-po defronte do seu prisioneiro, o despe-
dio sua ora, que mettou-se no q'virlr vi-
zinbo, onde eslava seu lilho,, c fechou a
porta por dentro.
Dj ngulo escuro onde se tinha cooca-
do, Ivan, contemplava at'entamonte o es-
pectculo que tinha diante dos oluos. Ao
o di logo que labaredava de vez
in quando. acintlava um machado n'oma
fonda da parede. O velho, vencido pelo
somno, defxava por vezes cahir a cabera
sobre o peito. Ivan vio que era lempo, e
pz-se. a p.' O -desconfiado carceroiro im-
mediatamente de por isso.
Que ests fazen lo abi,|in dsse-
Ihe elle asperamonto.
Ivan, era vez de responder, fo-se cjie-
gando para o fogo a bocejar, orao ,quem
sabe O-' [jiol'.inlo oonwo, Il>roliim, qao
tambem sentia-se-lhe feclurem as palpeorae,
obrgou Kascamboa locar guitarra para ll-o
sempre experta. Este nao quera ; porm
Ivan deu-lbe o instrumento fazendo o signal
convencionado.
Intil assassiiulo !. hii luli, como ha e
ser dos meus ferios ?
Como bufea a m3i no val
O amojo; o pastor afflcto
OTorderro, e o cabrito
Que busca a herva vernal.
Hai luli, bai luli.
O busco aqni e alli.
major, que elle parou de tocar e deixeu
cahir a guitarra
mesrao inatatile, tincase abaisado o veiUo
e tinha dado um passo para dia H? t
chega. cavacoi paraofogo; aflfca^'i^ fa0 esJ
deu e laiCuo grande claran -no quar-.1 ^gcu,
Ibrahim voltou-se
IVAN.
A chave dos ferros
beira do ladrjo.
ha
ia de estar na algi-
Quanda 3 onte bem cedinh
Vou a minli'agjia buscar,
Vou seguindo sem p -osar
Da sua C3S;F8 caminho.
Hili luli, hai luli,
Que la vai por alli.
K.VSCAMnO.
A mulhcr
[lili.
ha de se pftr a gritar, hai
Toque, meu amo, disse elle, tenho
que fallar-vos.
Kascambq afinou o insirumento; e, pon-
do-se a cantar, comecaram os dous o terri-
vel duotto segorofe:
KASMACliO.
Hai luli, hai iu, o que que queres di-
zer-rae ? Toma sentido. (\ cada pergunla e
a cada resposta ellos rantavam juntos as
coplas da segunto cantiga russa):
Que tristeza que affliceo!
Esperando aqui sbztnh?
O caro amigo que vinha:
Que peso no corac3o!
a singular expresso que assumiam as fei-
ct's d Edme.
Escalara a donzella, principio com tris-
teza, a juell- lauca peroraco ; de repente,
porm, ammaram-se-lhe os olhs o nao
tiubnm sido as palavras de Miguel que
haviam producido aquella effeito ; Edme
iava na janella os olhos muito abortos.
M^guei vollou-se vivamente para ver o pie
lbe attr.diia a attencrio. Levaataram-se
ambos um leap ade-chfre.- I
o outro Isdo do paleo, o quarto da
Miguel, que p&r-:Unto lampo se cantonara
as escuras, acdbava de illunttiie, A
auaencia do cortinas Vjxava ver oxacta-
mftftlfl' o contendo. Estevao .e Mauricio
estavam alh de p6 no dusdem. mais que
original, do seu trajo caseiro. Mauricio
Ai! que mo fin i esperando
O ingrato da mim distante,
Nos bracos da nova amante
Tahez a fe me faltando !
Hai luli, hai luli,
O que ser de mi
IVA\.
Ora! aconteca o que aconte jen, n3o im
porta ; nao ha de Vine, morrer do mesmo
modo, hai luli, de miseria e de inanico ?
Ingrato, inconstante amigo,
Se lons do m'abandonar,
Vej'ou a aideia so qoeimav,
Me leve o fogo comsgo!
Ilii Ibli, hai luli, -
PVa que vi er assi ?
Como o volhc ia-se tornando ltenlo,
elles redobraram os hai Inli, acompanba-
dos de um arpeifdo ruidoso.
Toque, meu amo, proseguio o deu-
(Jiik, toque a cosaca, vou dansar em roda
do quarto para me chegar ao machado;
toquo a bom tocar.
KASCAMIIO.
Pois b?m, v l; acabe-se com este inf
ferno.
Elle desvom a cabera e pz-sc a tocar
com toda a fonea a daasa pedida.
Ivan comecou os paseos e as altitudes
grosiescas da cosaca, dos quaes gostava
particularmente o velho. dando saltos c
camblas, e griUndo para desviar-lhe a
rienda". <1iio!idi>-, toa wu,bo vio dansarino eslava peno do machado, seu co-
racao palptava de inquieac3o : esse ins-
irninouto, do sua liberdade eslava em um
aniariwSnlio* sem piula, fei:o na parede,
porm a urna altara a que qaasi Ivan nao
chegava. Para apanha-lo, aproveitou-se
de um momento favoravcl, agarrou nelle
de repente e p lo no cb3o, sombra que
forma va o corpo de Ibrahim. Qnando
deilou-lhe os olhos, j elle eslava Ionge e
continuara a dansa.
J havia muito que dura va asta s:ena
perigosa, c Kascambo, cansado de tocar,
coiiier,ava a crer que faltava coragem ao
seu- deucbick, ou que elle nao julga;
occasio opportur.a. Lancou-lhe os olhos
no momento em que, tendo agarrado no
machado, o intrpido dansarino adianlava-
se com passo firme para com elle ferir o
velho bandido. Foi tao forte a emoco do
para senlar-se.
Se, nesta occasio, Ivan houvesse pro-
seguido em sea plano, -inovitavel era um
enlbate corpo a corpo ter-se-bia dado
que sobretodo cominha evitar:
presenta de espirito saUflr-Q.
u pela porturlwgao .do major e
levantar-se, hwgou o mahado
atraz mesmo do cepo que sorja de assento
a este ultimo, e tornou a priofipiar cora a
dansa.
Toque, com os diabos! disse elle a
seu amo; em que est poosando ?
Beoontiecendo a imprudencia commetti-
da, o major pz-se de novo o devagariaho
a tocar. Nada suspeitou- o velho carqerei*
ro, que sentou-sc da novo; porm arde-
nou-lhes que acabassom cora a msica e
se deitassem. Ivan foi traiK|uillamente
buscar a caixa.de sua guitarra e ve col-
locarla em cima do fogao : mas, em vez
ile tomar o instrumento que seu amo lbe
esta va dando, agarrou de repente do ma-
chado por dciraz de Ibrahim e desearre-
gou-lhe to terrivel pancada na cabeca, que
o desgracalo nem sequer soltou um suspi-
ro, e cabio redondamente morto cora
cara no fogo ; sua longa barba grisalha ar-
deu ; Ivan o puxou pelos ps e cobrio-o
com uma esleir.
Puzeranitse escuta, para saberem se a
raulber tinha-se cordado, quando, admi-
rada sem duvida do silencio que reina va
aps tanta bulha, ella abri a porta do
quarto.
, Ent o que esto fazendo aqu ? dis-
se ella adiautando-se para os presos; do
que que est cheirando penna quei-
uiada?
Acabava o fogo de ser espalhado e nao
faza mais quasi claridade. Ivan levanion
o machado para fori-la; ella leve lempo
de desviar a cabeca e recetan a pancada
no pito soltando am hdrrivel suspiro
oulra flaneadas mais rpida que. o raio,
apanhou-a na sua queda e estendeu-a
mora aos ps do Kascambo. Aterra lo
com este segundo assassinato com que
nao contava, o raajon, vendo Ivan avancar
para o quarto do menino, collocou-se-lbe
pela frente para det-lo.
Onde vais, desgranado ? disse-lhe elle;
leras a barbaridade de sacrificar tambem
esta enanca, que me tom mostrado tanta
araizade ? Se me libertassospor tal prego,
nam la afleicao nem leus serviros de po
deriam sakar quando chegassemos a linha.
Na linha, responden Ivan. o senhor
far o que quiaer ; aqui preciso acabar
com tudo.
Kascambo, reunindo sua forca toda, se-
gurou-o pela golla, visto querer elle forcar
a passagem,
Misaravcl! disse, se nsares atteniar
contra a sua vida, se lbe tocaros em um
s fio da cabello, juro aqui perante D ms,
que eu mesmo entrego-mo s mos dos
Tchetchengos; a tua barbaridade ser intil.
As mos dos Tchetchengos repiti o
dauchik aleando o machado ensanguenlado
por sobre a cabeca de seu amo ; nunca
mais elles o cometa m3o vivo ; eu os
degollarei a elles, ao senhor e a mim, antes
que tal acntela. Este menino pode, dei-
tar-nos a perder dando rebate ; no estado
era ojie o sertljor est, bastara mulhere
para o trazoivm oui'ra vez para a priso.
Detem-le dotem-to gritou Kascam-
bo, de cujas mos procuraba Ivan dosen-
voricilhar se. Dolern-lo monstro ; has ht
me degollar a intu primeiro para co:n-
melter'es esse crime l
Porem, atrjpalbado polos ferros e fraco
como eslava, na) pode retei- o feroz man-
cebo qua o empurrava,"*e tombou em t ora
rudemente, prestes a desmaiar de sor-
presa e de horror. Emquanto, lodo man-
chado do sangua das primeiras victimas,
esfoi v>va-se por levantar-se :
Ivan, gritava ella, eu la conjujep. nii
o males! em nomo da Duus n3o derramos
[o sangue dessa mnenla creatura !
Corren m soccorro do menino assim
que pode ; porem a<) chegar porta do
quarlo, esbarrou no escuro com Ivara que
vollava.
y
Meu amo, esl todo acabado ; i
I
baru Pwtom alie s expro-
bicoea desespi'i -af ia jej amo ; o qua
la nao ha mus
i a qnaj-"
que eu encontrar, ou entao me mata
He : e se algue n entrar aqui nao reparo
h imam, piiilbj^ou amat^-oo se
amigo to alli
rom O? r-ntros. SI.
lo.
ipagiju o
laiubem.ea cont com o meu fu^ro
prova que comecei por fazor ur.a tollce
o sabi-rae bem; j vos que iudos a*sort(.
Estou feliz. Asaim qae ma vi com rahdta
ro, Uve um palpite irresistivefe, fui jogar
gauhe trezenl luizes ", queras algum i
prestacao ?
E aopronunciar as ultimas paiawas por
dido de alegra, enterrara Miguel as maoi
nos bolsos, que tocavam o o pro; Int
rompeu-se e mudou de physioomia ao
linha aa m3 o andeiro, e
curvauo, executava urna profun
drante da uma senbora vustida
cujo rosto desapparecia sob
renda posto em dobra
Miaba ui! raurmurog.-p |
minha mai !
Esta va a conhece-la, dia
cujo corac) palpitou lombr,
sados tormentos. r
Miguel alcanera a- porta n',
Edme, cheia da curiosidad*,
candeiro e abri a janella.
A barpnaza, porqpe era ella entrmen-
te, desapparecera j, e os nosseug
laborea linbam voliado para o
aposento, buscandq.de ceno o
sehr cora vantagen> a sorprend
n'algum lugar adequado do dr
Edme, debrucou-se da ja
d'ella nao havia cjaridade
a presenta. Eis o que vio.
No palea bavia tres portas
para tres escads.uraa das qua
cipal e forma va arco. O recinta
miado por orna lampada, sust
principal ;.Migel, que de*ceca'^
quaira a qoatrav foi trar-se > quasi no mesmo in
Oeaaaa mniber vetada. salitn<
ecorrenducoraop'
f razia ui
guel
arco
Ibvounm da_
com.gaito febril
um cofre pequen i de mi lavor precioso.
Sem fallar, sem hesita remis, meileu pre-
gpitadamoate o c dre as maps de Miguel
Pigro pola escada principal.
Ao terapo era que Miguel estaciona**
boqoi-abei to, um homer, sahindo tambem
do arco, correu para ella esbaforide, e,
sem articular palavra, quiz arrancar-Iho das
mos o cofre. Miguel resisti iustmetiva-
raente. Na lula, o chapeo cabio ao.deseo-
onecido e d scobio a cabeca majo calva
do baro.Schwart:'..
Isso mou, disse com voz oilogante,
aquella mulher ixubouiine.
Depois, conhactmdo subitameula j Mi-
-goel, e levandodhe as mos s goellas, ac-
cresceQtou, n'um estertor de raiva.:
Al bem d^zia eu !... s um m-
seravel e vais aqu morrer ,^mBhas
maos.
Esta borneo) est doudo I disse de-
traz do grupo quo formavam, urai voz
agradavel e serena; naj la/gua o deposito
qua die contieii senhor Miguel.
Arabos estreme>'ram e viraram aomes
mo ipulso. Atraz fl'olls, e de p, es-
leva uma mulher vestida de preto como
baroneza Sorjwarta. \
, Miguel leve reoeio evp6(3pdeu \i ,m3o
para atalhar a passagem ao banquelrq.
i Tome cuidad munaurou. Eu .
que o mata va.
A mulaar deprato levanlou cmo, e os-
lentou a bella paUidez do aspecta
A condessa Corona I balbueiou o ba-
rio, ostopefaco Julgava...
Nao ooncluio, e passou a mo pela testa.
i era uma palavra occorreu aos labios
de Miguel, que se conservava boqui aberro,
Dizia apenas comigo : Saldra esta dc-
baixo do pho ? ,
Obaro apanboii o chapeo eincuon so
profundamente, ba'buciando urna dasculpa;
depois afastou-so, tomande-? tambora
pela escada principal, que.cooduza casa
do Sr. Lm.
quer
remexer a patroTilrwnl^awairsalWdor;
nao achou a cba,"f Jp ferros; procuroii-a
c>m o mosnflkj'wBado no vestido da
mulher, n'um arma* e em toda a'parte
onde suppunha.q'.ic podia^ar escondida.
Emquanto elle dava es liaseis o major
entregava-se imprudcntempte sua dr ;
Ivan o consolava l a seujmo'l
I
Era melbor que o senbor chorasse a
cbavp dos forros, qne se perdn. Que
pena tem oSr. d'es't raga de aal'deadores
que o tom atormentado por mais do q\h*pze
mazos ? Elles queriam dar cabo de nos :
pois bem chegon-Ibas a vez primeiro
qne a nos. Tepho eu culpa (i;
diabos os levera a todos elles!
Entretanto, coma n3o se achava ochave
dos ferros, tornavam-se inateis, lanas
mortes so n3o chegassem a quelu-arlos.
Com o o lio do machado consegio fvan
abrir a argola da mfio ; pprem a dos pus
resista a todos os seus esorcos: elle
tinha mftdp ,deferir sen mano, e nao se
alrovia a empregar sua forca Jada Por
outro lado, adiantava-sa a noile c o pongo
lornava-se inminente; resolvern) .safaivse.
Iv.m araarrou fortamente a trrenle rinta
do major, de sorte que o incommodasse
o menos possivel e nao fizasse han.II; >.
Meileu n'uma saocola um quarto (le ar-
neipp, reslo do jantarda vespea, ajaajou-
llie ouiras provies mais,. a arainu-sa
com a pistola e com o punhal do morto.
Kascambo apossou-se de sua burka.
Sahiram caladinhos, (lindo volta casa :
para evitar-se qualquer. encontr, toma-
ram o caminho dos montes, em vez do se.-
guirem a direccSo' de Mosdok e a estrada
i-ommum, prevendo cora razan que os ha-
viam perseguir d'esso lado. Cosearam
durante o resto da noite as eminencias
da sua direita, e, quai do comees va a-ela-
rear, entrarara n'um matto de faias que
coroava loto o monte o que os livrou do
pergo de serem vistos de Ionge. Era no
mez da fevereiro : o terreno, n'essas llu-
ras e mormente no matto, eslava ai.i la
coberto de urna neve endurecida que sos-
leve os passos dos viajantes pela noite a
parte da manhaa ; porem l pelo meio-Ib.
quando auiolhccu com o sol, elles afun-
davam a cada passo, o que tornou muito
vagarosa sua marcha. Chegaram assim
con muito trabalho encosta de um va ib'
fundo que linbam de transpr, e e;n c jo
assento tinln desappareci lo a nevo ; um
caminho trilhado margeava as sinuosida-
des do ribeiro e inostrava qne o lugar era
frequeutado. Esta nside'ac.o, junta
com o cansaco do major, le vou os via-
jantes a Ijrarem n'esa lugar espera di
noite; metteram--e entre tlgumas r-lus
isoiadas que sabiam da neve. Ivan coi lu
ramos de piniicuu, e com eiios kt, em
eim^da nove, um loito espesso em (pie
o major se deitou. Emquanto astO.desc.in-
sava, Ivan iratava de erienlar-ae. U valle
em cuja emineucia elle so achara, era coi-
ca lo de altas moutanbas por outro as
nao se va sabida alguma; vi) quo cu i;>.-
possivel evitar a tal iriltia e que p r ', a
tiiiliam do acompanliir o curso do riin-iro
para sabirem d'esse lbjrintho. E.mi
quasi, piize boras da noite, o" j a neve co-
(Va a consolidar-so. quando de -'iai:i
o val'. Porem'antes de so ponm a ca-
minho deftaram fogo ab seu pos!,. tan
para so aquecerera como para com"Vein
um pouco de chislik, do que lin am gran, d
noces, i dado. Foi a sua bebida urna
cheia de gelo, e um trago de
acabou a fusta.
agurdenle
(Continuar-se-ha.)
A eonfiisa Sean Ha ve ro afastar-se,
Ppersou m ^oz alta
Ha da fallar. Mais urna calumaia I
rir di
qufclrazi
Mi- mais ou de menos que importa '?
MinMMrtM&disse o Miguel, ni
^
Dea uta passo pata a oseada
A aaadam dateva-o.
Pode Q.'tar descansado, pronuncio:!
com fria amargura, onde ambos v3o, nao
se encontrara cora ccrl za.
/fbaixou o veo, e accroscenlou mais
baixo :
O Sr. Miguel osijma os seus inimigos
e detesta as-seas amigos.
Ditas estas palavras, pa- lio, mandando
uue, abnssem, com voz aa o i;naeratiya.
Miguel tic ou s no meio do pateo. O
rumor que faz a janella (h E Irne, ao fe-| com o'b'raa" Scbwarta! disse-lne
char-se, dospeiiou-o d Correu-lbe para a escada principal, como
se n'elte persistir" idei d all so internar
igualmente.
Xo primeiro iaslante^quasi.qu.la^em
se Iludir com o..estratag.'ina da c
Corona ; as ultimas palavras pronunciadas
mostrav., porm, claramono qual fra
o papel da condessa, qua assoaaira a atti-
tudo de boijifoitora pira com a Sra. Sli-
wartz. O cofre proviblia com certeza d
sua mi, que pouco antes Ih'o (jKzera da-
. pu.staj- em pasa. j-t
Niguam melbor que Migii
viver intimo dos afcwartzs; 'ssPrquo o
bar30 espiava a rnrtrrfr apaixonada e gros-
soiramente; adevinhava ou quasi a partida
muda, qoe marido e mulher a -abavara da
jugar : o segredo que porigava, a fuga de
Giovanna, levando o cofre, o marida i
do-lbe na pista ou por |k*so ou duntro
modo, a porseguig3o nocturna pelas ras
de Paris, f o encontr corasigo, oecasiona-
do justamente pela ausencia d'elle. Com-
prebendia tambem perfeitamonie a razan
parque o tiatum escolhido para deposita-
rfo, visto qujfnnal a eaixa devia contjf a
sua propiia OHMeacia.
jtfa que da cousas lbe n escapayam
Pribaairoj a inspirad* interwncQ da
dessa Corona o o servico
aquella raulber, > quera con
saria ; depois o desfecho : f3bar
flra pela escada principa
metle a caminho conhocido ; o mesmo
lera o SchwarM, e Miguel tinha anda,aoiV
ouvidos a zorabeleira express3o }ud a
condessa Corona appucr* estas palavras
Aonde arabos vao, ate se encontrara
iam ento.? A' casa do Lecoq t
^^^^^^K pola pri mei ra vez na sua; _______
TIMKIDUKI^ BtADAS
Anles dj tudi>, ponbamos o den silo
bom recado, ponsou. Dopois veremos.
Subi vagarosamente a escala decsiu
foi aseuar-se medttabundu entre os so-s
dous amigos EsievSo e Mauricio, quo, ciim-
movidos ainda. encelaram logo a narrativa
da mysteriosa visita. Miguel rmpnzl.'ies
silencio com ura gato, e acenou M luri-
cio para que so approximnssc.
A'guem bouve que fez as las pases
A lar Hi-
romgo, s quizares.
L" "So eu' quizer ? exclamoa Mrhrt io
prdido do ron lenta ment,
Poiquitbem sabia tile, quo era Id as-
suranio, nao era Miguel capaz de zoraoar
nem-dft mentir.
urn -historia cariosl, pros;
mancebo :ou, par melhor dizer, um r o-
lo de fadas. Ainda ha g'nos bons.
Descanco .a Cibeca entre as raaos, ejiao
furttinenta preoecupado eslava, qua dava
isaMa.'ierqiao deamaatidq alegre feifo
das, pakvrai. -^gv.
Ests palUHL disserara ao eamo
aaapoos dous<4S que ..oareanm
d'ello.
Nao nada, replicau-lhes.
Depoi acere
cima da mesa,
Cieio.que.
cofre, drama'
Estevao esiendea
u, pondo o cofre em
de Estevao :
i drama asirte n'este
bo.
a mi n'um impulso
febril. Aquella ira polo drama ao meio alo
inferno.
Miguel dele ve o.
aos "M
l-go-ttt este d
esl aqui a vida
iiarn
r_
i
I
i
i
i




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5RJ9YIBC_GHHEDB INGEST_TIME 2013-09-14T00:23:18Z PACKAGE AA00011611_12003
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES