Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( sobekcm )
newspaper   ( marcgt )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12000


This item is only available as the following downloads:


Full Text
BiBHB
WKkWkwk^kWkmkwak^tmmmm^mam^
\

i
NNO XLV. NUMERO 268.
*----------------------------------------------------------------!-------------------------------------------:_____^-.____________- / *
PABA A CAPITAL E UWA1ES (HIDE *A0 R PAGA PORTE.
hsr'iTe mozas adnUdo............
Por sei* ditos idem............ .....
Vor ma auno idem......'. '. '.'.....'' '
Jijada numero avuiso ........
65000
i2 24,5000
3
TEBfA FEIRA 23 DE NftMBRO
PAIA DEITXO E FOSA DA PBOVWCIA.
Par tros mezes adiantados..............
For s. s ditos idem.................
Por nosi ditos ideo..............
Por um anno...................

Propriedade de Manoel Figneira de Faria & Filhog.
"* f SAO A4JEMTJE:
O* Srs. Gerardo Antonio Alvo* & Filos, no Para; Connives Pinto, do Mai-anhao; Joaqnim Jos de Ofiveira, no Cear; atooio de Lemas Braga, no Aracaty; Jlo Mara Jttfio Qavn, ne Am6 ; Antonio Marques da Suva, bo Mal; Jos Jur
Pereira d'Ataieida, em Mamangoape; Antonio Alejandrina de Lima, na Parahyba; Antonio Jos Gomesja-a Villa da Penha; Belarrotno dos Santos Bnlc3o, em Santo AnHo, Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth; Fraocino Tavares da Gosta, em Aiagoas; Dr. Jos Marti Alves, na Bahia; e Jos Bibeiro Gasparinho, no Rio d Janeiro.

PARTE OFTKIAl.
Ministerio do Imperio.
CRCR.KT0 N. 1708 DE 23 DE .SKTEMBttO DE 18t;9.
^ckua que sao applieavoij u priaeeza imperial
as di-p ciees do art. G da lei do 21 de uovom-
km do 18' i.
Iliii por bom sanccionareni miar i|iieseexecule
A resoluei seguirte da assombla geral:
Art. 1." As disnospijs doart. 6o da le de 23 de
NnVtfinltro de 18 1, ai parle relativa ao principe
m panal, sao auplicavais princeza imperial.
Art. %* As disposises di citado artigo, relativas
4M principas da casa imperial sao applicavei ao
tinripc consorte da princesa imperial. (-)
Art. .1. O casamento da imperante oa da prince-
sa unpsrial fino estrangoiro importa para este a
ondipo de culada brasiloiro naturalizado. Ello
prestar o respectivo juramento as inaos do Im-
pera lor.
Art.'.' Ficam rovogadas as doliberapoes em con-
trario.
Paulino Jos Soares de Souza do meu conselho,
ministro e secretario de estado dos negocios do
imperio, assun o lenba entendido e-fapa oxeeu-
lar.
Palacio do Dio do Janeiro, 23 do solembro de
M 39, 4H' da iiiilependoncia e do iin(ero.Com a
'nbnra de S. M. o Imperador.Paulino Jos Soa-
-irs de Souza.
SUdisleris la agricultura, coni-
mercio e obras publicas.
-Uto de Janeiro cm 6 de novembro de 1861).
Hita, a cm. Sr. Ten Jo sido presme ao gnver-
ii i imperial 0 recurso do Albano da Silva Gomes,
< outios moradores na villa do Penacova, inter-
|K>*to da scnlenra proferida por essa presidencia
a fls. *, (-ni cirtirmaro da deciso do jutt-eom-
anlsaario a O*, 53, eon'-tante dos autos de medicao
:narcad das ierra* o pnsse da olaria de S.
! o il Ribamar, perteucentes ao recorrido, -tenen-
,'-.-o!.m'l Antonio Pereira da Silvcira Fradc, o a
risii das raines justificativas da dita sentonpa. ex-
pendidas p ir V. Ear. nos oficios de lo e 16 do se-
teUibru prximo (ludo, me acompacharam os res-
peetirec autos. > do parecer do conselheiro pro-
curad di corda, com o (ju.nl so conforma; julga
i meta i fOWMtt imperial improcedente aquello
recurso: porojinnto, ainl.i qnando tivessem o<
reeorrente? preentmilo todas as presrripcoes da
t" i trs irnal-o curial e inflar, nao prodii'.irain
moes, n-m jnntaram docuihentos, (pie invalidar
ni as medicos fetas, o o julgado inferior ;
'-{-.[ i como pelo sen proprio acto, sejiindo se v a
ls. 51, annoiram cues a referida deciso do jnh
eommltsnrio, e a bm Cada ao reoonWo, raojee-
i,::. lo, como ahi re<| ererarn, e obleado o levaula-
inonto d i daj isilo da quantia arbitcada para a in-
l un icio 11- p nicas bemfeilotias, quo tinham
n terrein questionado; faeto ele cm contraven-
ci .11 f-i! na) p id-m mais ser admittiJos a con-
testar a forea do julgaJo, n'em a obstar que pro-
4nza i-.!l seas devidos e legaes elTsrlos ; aceres-
i .liili. como se m istra dos autos a fl. 40,
nai ler;:n os ditas roaomeotm provado a sua alle-
'Vi (|i ihl; le : daMOtttCBWa de antigo indios,
. al 1 i fra extincta, e cujas trras por estes
uljiM'lop.lis. i'o-.vo concedidas para patrimonio
i re n ta, dadas por aforamento aos anteces-
or s 11 iv u ri lo, que por tea torno houve o res-
v i domini i til cm praca d i jnio de orpliaos,
I -, as posset que boje invocan) os recrren-
os m favor, foram rollas depois da publica-
3 i lo r".".lamento de 31 de Janeiro de 18V, se-
lo sedad de sen proprio allegado a fl. 49.
n virtu le d q coto lica exposto, e do
ni i:- q i I s autos m i, dosprez.ilo e declarado
napr i- I ni o re mraa interp to, suMata a sen-
. i. i .; etra presidencia, inte susten-
i l'.-isi) do jal convnUsari, attaa de q;ie
.i me liei i e demaroaeSn por este feita surta seos
i los "iTi'itos. para cuj lin V. Exc mandara
jnn! ;r aoa a t a resp w n copia autbentici da
H i i ihberacio, dml i-llie a competente pu-
jlienlil'. e ano a mesmi archivada *na secne-
taria dessa presidencia, o que indo levo ao eo-
. n nln de V. Exc. com os autos da medicao o
d i a ire ie i i, p tico de recurso, e mus papis,
H .lev >iv i, pira'a corapetonte execuco e a n-
ii i resjvctiv.) titulo ao recorri lo tenente-co-
! A'it.nio Pereira da Silveira Frade. nos ter-
II citado rcgiilamento.
D'iis guarde a V. Exc. Joaquhn^Antio Fer-
nanda Ltrw.ir. presidente da provincia Jo Para.
Govcrno la provincia.
8K3PACH0S OA IMirSIDE.NTtA DO B1A J9 DE NOVBMBn
de 1869.
A'isti'Ii o de Castro S Barretto.Informo o
Sr ins|ctov di lliesouraria provincial.
Tenento-coronel Antonio Carlos de Pinho Bor-
ges. Expeca-se ordeai no sentido do que suppli-
cauW requer.
Capit.io Gamillo Augusto Ferreira da Silva.
Ri mettido ao Sr. Inspector da lliesouraria de fa-
-.ola pira attender o soppliranlc, cuino fr de
Deoeieciaao Ferreira Uo Saulos. ^ooceda-se
com i rdi i ote.
Padre Francisco Alves de branles.Informe o
Sr. inspector do arsenal de mannlia.
Feliciano Jo.- Gomes -A' vista das informacoes
nao t mu lugar o que requer.
II.o-eul.iii.1 Cav.ili-am deS c Albuquerque.,
Inonne o Sr. inspe-tor da lUesoiirarii provioc
O. faafeei Mara Dapti>ta de Castro,Pagos os
4ireitM Rseu, como requer.
[rni iBdade de Nossa Se.nliora do Rosario da
villa de Iguarass.Dirija-sa ao Sr. inspector da
lh -s loraria provincial.
J .* Hodrignes Lima.Indeferido vista da
informC/io.
Jits Vicira ; daSilva.Reqiieira ao Sr. general
ciTiimandante das^armas.
Joiie l;raiicisra da Silva.Informe o Sr. inspec
Baebarel Matoel Pereira de Moraes Plnheiro.
Infor ne o Sr. I)r. chefe de polica.
Miguel Jos de Almeida Pernambaoo.Certili-
qn '
Miguel Jos de Almeida Pernamnac.Certifl-
Miguel Joe de Almeida Pernambimo.C itm-
_
Manoel Catainno Ferreira da Coneeicao.Em
vista das intorrasces nada ha que providenciar.
Silvestre Antonio do Souza.Coneda-se com
crdenado.
Xiioma' Soares Brandao Sobrinho.
lindo o.praso, e ji'foram
rtasas proposta*: pelo qtfe nao pode ter lu-
[^Brisen Barreno.Informe
|M de Mtrioha.
ASSUMPQAO, 31 DB OUTUDUO DE 1869.
Na minha ultima noticiei a marcha doexereito,
e que Sua Alteza j se achava em Itacurnby. cm
marcha sobre S. Estanislao. No dia (3>ehegou n
principe a este ponto, e a 16seguio para o Potrei-
ro Capivaiy, seis leguas mais distantes. Ah den
se nova crise de viveros, pela diOlculdade de trans
prtalos a to grande distancia do littoral (2 le-
guas), e durante es dias 18 e 19 soffren o uosso
exercito privacoes que puzerain mais urna vez i
pro va o seu patriotismo o abeaegaon.
Esta nova criser alimenticia nao foi devida fal-
ta de vveres no litoral, pas, como j disso ante-
riormente, as providencias enrgicas que foram
tomadas aba-lee-.ram os depsitos, mas a insuIH-
ciencia dos ineios de eoudueeao dos furnccodorcs,
qnando se Ira'< do vencer gran es distancias, co-
mo essas em quo so acham internadas nossas Tor-
cas por territorios onde quasi nem pasto se encon-
tra para as animaes.
Sua Alteza resolveuse entito a acampar no Po-
trero Capvary, ponto de grande importancia es-
tratgica e que ofterece boas proporeoes par;,
acampamento,, e para ahi esperar que so formen i
no llosario e em S. Estanislao grandes deposito:;
do gado e vveres de todos os gneros e so organi
se um sorvico regular de tropas de nulas e car-
retas, para proseguir com vigor em suas opera-
coes.
Lpez, segundo as ultimas noticias, achava-se
em Curugualy (12 leguas de Capivary), mas na-
tural que ao aproximarcm-so as nossas torcas fu-
ja para Iguatemy, que como j tenho dito, o seu
ultimo refugio no Paragnay.
Os Srs. general Polydoro e conselheiro Para-
nhos tm empregadi os maiores esfor^os para ,i
prompia creaeo dos dous grandes depsitos dr
quo cima fallei. Apczar da eran,le dilllculdade da
navegaeo, produzida pela baixa sempre prosgres-
siva dos rios Paran e Paraguay, jvieramdo
Passo da Patria para o Hosario 1,500 caberas de
gado, e dentro de poucos dia* devem estar na-
quella-villa mais outras tantas. Tomou-se tambroi
a providencia de mandar vir gado por trra do
Passo da Patria, e deste modo j chegnram ante -
honUm Am.'ustura t.000 cabecas. Vveres do
outras especies temido cm grande quanlidade pa-
ra o norte e bem assim. muas e carretas. Para
auxiliar os forneced oes man larain o nosso niiiiis-
tro e o general Polydoro vir2i0 muas, do estad i
que estavam no Passo da Patria, tiradas de inver-
nada de Iguapuh), < puzoran disposicao dos
niesmos fornecedores a'guns v.qiores para a con-
duccao de gado.
Dixitro de poneos dias Jeve eliegar o traiupor-
l* Caigo com grande quanlidade dl|pivcrcs en-
coininendados aos Srs. Mue Amorim.
As-ioi, pos, dentro em_ito ou dez dias, estar i
o forneciinento de viveros organisdo por frnn
tal, que evitar a repioducco de novas demora;
na marcha do nosso exercito, o qual poler, sob a
intoiligsnte e enrgica direccao do nosso augusto
MWMndante em chefe, dar promptanwnte cab
da fera, cujo flm parece ser boje exterminar to-
dos os Paraguayos que anda teui cm suas garra".
No dia 27 j a vanguarda de Sua Alteza avance i
de Capivary em direccao Curuguaty.
A matanca da gente da escolla de Lpez fact >
sobre o qu'il hoje nao resta a menor duvida ; o
nosso exercito ao entrar em S. Estanislao presoo-
ciou o horrivel espectculo d! alguraas pillias ('o
cadveres lanceados, que pelo fardamento se co-
nhorta sercm do homens que pertenciam guaran
de carpo do tyrannote guara ny.
Agora passo a filiar de mais um feito brilhante
para as nossas armas, e que deu em resollado o
aniquilamento completo da forca quo Lpez tinha
entre os departamentos da Coneeicao e S. Pedro,
e serviudo-lli.' para guardar um flanco e a reta-
guarda.
O general Cmara, qno commandava a no--a
forca em opera^es ao norte do rio Jejuy, ebegoj
Conceic i no dia 16 larde, e ao desembarcar
sube que bavia f.reas inimgas em Belem-Cuo,
para onde se poz em marcha ma madrugada o
dia 17.
Nao obstante as marchas Coreadas da nossa co-
lumna quemoven-se da Conceic/io.indo sua fron-
te o proprio general, as forjas iniralgas, avisadjrs
poralgumus pracas que puderam escapar de diu.s
guardas avanzadas, que foram sorprendidas, con-
seguirn] evadir-.-e a tempo de Beiem Cu.
Mas o general Cmara e o coronel Joo Nun;s
da Silva Tavaios, quo commandava a-sua van-
guarda, seguiram no encalco dos fugitivos, e os
alcangaraui j vinte teguas distantes da Cor-
oako.
O coronel Silva Tavares foi quem seguio mais
de perto o ininiigo o ubrigou a parar em sua cor-
rida. Alcancado este deram-so dou> combates no
dial9. em Naraujay e Itapitangu, caminho de
Sanguiua-Cu.
A f irea iniuiga era eommandada pelo coron?l
Caete que substituio ao celebre Galeno. Comp: -
nha-sc de terca de setecentos homens do infanti-
na e cavallana, esta mui limitada, e tinham duis
boceas de logo de calibro 4. Tomaram posigdes
v.mi ijosas sobre as barrancas dos dous arroios.
Em ambos os passos foram batidos e destrogi-
(lvsj-omiletanente, sendo poiveguidos os fugitivos
pelo coronel Silva Tavares at S inguina-Cu, a
ninas violo leguas do litoral.
O inimigo deixou no campo dos combates '50
morios, quasi todo o -ou armamento o alguna c .i-
vallflsnsilbados. Tonismos mais 3 bamk'iras, as
duas boceas de fogo e alguin gado.
Fizemos lio prisioneiros, subindo o numero
;ii dcswre o dos a presentados a 300. Entros pi i-
tneiro; est o capitn Centurin, o entre
sentados, o secretario do coronel Caete.
Cahiramem nosso poder officios de Lpez c ci r-
respoudencia de Galeano, que segundo consla, dio
uieis esclaiecimentos.
ltesgatainos grande numero de familias pan-
guyas. qo" se apoes -niaram, como de costum na
maior miseria, e 38 familias brasifeiras, prslonii-
ras de Malto-Grosso, que por aili sotTriam toda a
especie do veamos e privacoes.
D.s brasiieiras libertadas nomevae D. Anna Sil-
veira, que coaduziam atada; o. das paraguayas,
Donata lioJn&aes, que bavia cinco mezes eslava
presa soffrondfc martyrios, depois da ter
a execncodfl todas as suas innaan, qa, for.im
lanceadas naasoa sua vista,pela simples suspeila
de quererem fugir do jugo de liOtet. -
Este brilhante triumpho, cuja irnperUtcia i n-
mensa, sor isso que deu- em resultado o ai.i pii a-
mento de urna grande parte do to reduzido Kit-
cito do tyrannot cusion-nos a perda de ires solda-
dos morios, Itf feridos e 12 contuso*- SMfe 09 fe-
ond
ao general Victorino que de Caragualahy ?8 reti-
raste para a Rosario, onde elle deve ter ehegado
hoje. As forcas que estavam ora Pirabyja e al-
guns destacamentos da cordHheira receberam or-
demde virpara os campos prximos AssoinpcSo. nossa independencia, mas tambem as od
O geneftil Portinho deixou Villa Rica o seguio com soasa portarias do ministerio da focan la
a (-avallara para Itapia, vindo para esta cidade a
infanuria que eslava sob suas ordeni. Tudo isto
parece indicar, cono cima disse, qoe se trata de le*
reunir no liltoral as forcas que nao rorem necessa-
rias para as perales actuaes, prediepondo a sua
retirada.
O general Polydoro tem tratado deacabar, quatv
to delle depende, com muita cousa intil que s
serve para onerar o* cofres puWcos. Pena <}e.
-se-este imporrtnt trabaNa* ao Sr. juiz de
Dr. Jos da Multa de Aievedo Corroa, o
n 8r. B. L. Garnicr.
putra obraa que Ooa referimos urna segun-
nao so acabe de urna vez om certas verbas' de" '% edicao do Cdigo rommemM io Imperio do
dospeza que nenhuma vantagem trazem ao servico 'J^W. annoiadc pelo Sr. juiz de direilo Dr. Salus-
militar, antes servem para prejudica-lo.
EITectuon-se a entrega ao govrno provisorio das
quantias que estavam om deposito na nossa paga-
doria do exordio e eram provenientes de alugucis
de casas desta cidade, cobrados pela cominissao
mixta quo aqui funecionou antes da installaeao
do governo paraguayo. Essas quantiai aadam
por un*|2,00'J pataces.
Es-se* procedendo a inventario e exame do3
objoctos de prata e ouro perlenceniei as igreja-,
quo foram eucontralot as igrejas de f/iacup e
Piribobui o na casa di mai de Lpez. Dapois de
inventariados avahados sero esses objeetos en-
tregues ao governo paraguayo.
Consta-me q&e por este paquete sao remanidos
ao governo imperial os relatnos das duas commis
soos do inquorito que foram creadas por iniciativa
do Sr. consolheiro Paranhb*, para interrogar os
Tinssos infelizes compatriotas prisioneiros e i4 es-
trangeiros e paraguayo^ que foram nltimamente
libertados de jugo do Lope/..
Djsiiossos compatriotas resgatados j falleceram
dous de molestias contrahindas durante o seu lon-
go captiveiro. Um, ao cliagar a Matto-Grosso, o
Sr. Salvad >r Jos Corro, o o outro, nesta cidadr,
o Sr. Joo Jos Montero.
HTERM.
vide-se ejla obra cm dous tomos. NVprimeiro
]>or ordem alphabeticn, secundo a natureza dos
ssamptos sobre que versam, expoe -se nao s a
.doctrina doi avisos do nferido ministerio desde a
dens, avi-
cerca de
nnposioi forofTzes, c o;- de outras 'ministerios com
referencia a matones jurdicas. No segundo tam-
or ordem 'afphanetiea trairscreve-se a lifi<-
' liga e moderna a qne os mesmoa avisos se
0 DB NOVIiSlDRO DE 1869.
S. M. a Imperatriz foi atacada de violeotai cli-
cas na noile de 4 do c urente : as dores atada sr
nao calmaran) inleiramonte teem,#orm, dmfhni-
do muito de j*tensiiadc Sua Magestade trata-
da pelo bario de Metrpolis, conselheiro Loiz da
Cunlia Fcij; e conselheiro Tliemaz Gomes dos
Santo-, meoico de semana.
Papo de S. Christovo, !i de novembro de 18u9
as 6 pera? da manhaa.Conselheiro Dr. Tkomiz
Gomes dos Santos.
As memoras do S. M. a Imperatriz teem con-
tinuado : 6 de esperar que Sua Magestade en'.re
brevemente em convalescenca.
Papo de S. Christovo, 5 de novembra de 1869,
as 8 horas da noile.O conselheiro. Dr. 'fhomiz
Gonux dor Sanios, medico de semana.
Por titulo? de 4 do correte foram nomealos:
Segundo escriptnrario da thesouraria do Rio
Grande do Norte, o praticante Germano Antonio
Machado.
Amanuense da seeretaria da mesma lliesouraria
Loiz Bmydio Pinhero da Cmara.
Prac.inte da lliesouraria do S. Pedro, Joao
Celestina Salvatori.
Terceiro cscnptnrario da alfandega de Aranj,
provincia de Sergipe, Pedro Cclesiino Martins
Penna.
S. M. a Imperatriz no decurso da noite passou
melhor do (juc na antecedente at urna hora da
mairugada, cm que roappareceu a agitacao, con-
tinuando os vmitos; das 4 horas em di ante lem
reatado a agitacao c teem-se os vmitos torra 11
mais espapados.'
As clicas cessaram. Sua Magestade lem dor-
mido um ponen.
Pac > de SXhrslovao, 6 de novembro de 1859,
as 7 horas damaVih.i.O conselheiro, Dr. Thomaz
Gomes do Santos, medico de semana.
S. Ma Imperatriz contina no estado exposto no
bnletim desta manhaa.
Papo de S. 'ihrMovao, 6 do novembro do 1859,
as 2 horas da tarde.O conselheiro, Dr. Thomaz
Gomes dos Santos, medico de semana.
O oslado de S. M. a Imperatriz noticiado no ulti-
mo boletim nao se tem aggravado; comtudo as
inclhoras nao sao nteiramente satisfactorias.
Papo de S Christovo, 6 de novembro de 1869,
as 10 e meia horas da noule Dr. Li/3 Carlos,
medico de semana.
flano Orlando de Arau'jo Costa. Nesta obra
achare o eodig) com inercia!'annotado artigo por
astjecom toda a leghlacao patria qye Irie refe-
rente* arestos e decisojs mais notareis dos tribu-
ne^ e jmzes, indieand -se tambem a sua concor-
dancla com os cdigos dospaizes estrangeiros mais
adiai lodos tiesta materia. F.x-jlca o \iilor deste
um copioso appmdiee em que se coinpilam
os diversos regulimentos commeiTiaos, e os mais
rece tes actos do governo, tanto sobre baneo e so-
cled des anonymas como sobre irf' ostos.
itercasa essa obra nao s ne :i juizos e advo-
gade, mas tambem, a talv.z q#.X-iinda mais espe-
i-ial*;rHe. a todos quaniot fazciido pcjjgasio habi-
i'.iaJoloiim'iiereio teem de snjeitar-seas prescrip-
ooWdCTespectivo cdigo e rcgulacpios, e a i cea
no aquellas (pie a eidoatahnellC lecm de'fa-
! alqiic trani.vcoque e.ili" sobodejlinio da
lejiftcj co mme re i al. M lis de urna pesoa com-
peame nestas raatorias temos npviato fallar eom
tlajio do trabatho tf<>jSr. Dr. Orlando. Correcta,
fajpaentada e mdhor.ida na nirma, esta segunda
dapadeve ainda levar vanuigem sobre a prima-
ra 6o editores os Sis. Laommert.
-1U-
.Bntrou limi.em do Rio da Prata o vnjwr francez
.1h/s, com folhas de Buenos-Arres at 3 e Morv-
lo 4 do cor rente.
Paraguay houve ainda um rncontro com tr-
do Lpez." A esle le.-peilo, bem cerne-sobro o
que oceorria, expeli n Sr. congelfieifo Pa-
s o segniite telegramma ao Sr. A P. do Car
o Borges, nosso mini-tro residente emBucaos-
yAssumpco 30 de outubro d: 180'.).O ne-
ral Cunara, commandante das forcis brasiieiras
aan operaces ao norte do Jejuy, oWevo um impor-
afte triumpho.
t Tendo noiifias, logo-pie desembaroon na Con-
cepci o, ([ne liavia forcas inimigas em BelemCu,
em marcha para aquello ponto na madru-
gada do dia seguirte ao do seu desembarque, isto
, no dia 17.
As forjas inimigas a\is, las por algiurtls vede-
te.? que se pu leram e-capar das guardas avnnca-
das, procoraram fugir para o interior. Persegui-
das tenazmente, foram atrancadas na distancia de
wrea do 20 leguas.
' O encentro dente no-din MI nicncrows Na-
ranjay e Itapitangu, caminho de Sanguino-Cue.
(is uiimigos eram em numero do 700 homens pou-
co nais ou menos, conimaudades pelo coronel
Caete. .Tinhnin coinsigo duas pecas de cali-
bre quatro,!nfantara e algiuna cavallaria.e toma-
ramposicao vantajosa as barrancas dos duu srios.
Em ambos os passos foram batidos e completa-
mente destrocados, sendo os fugdivos perseguidos
pelo coronel Silva Tarares at Sanguino-Cu
O inimigo deixou 60 morios no campo do
combate, e quasi todo o seu armamento. Du-
se-lhe a ajada oe cusi de 406tf e o praeo de tres
mezes.
Gervasio Campello Pires Ferreira, a comarca de
Theresina, de 1* entraneia, na provincia do Piau-
hy, a seo pedido.-Marcou-se-lhe a ajuda de cus-
i de SOOjj e o praso do tres mezes.
Foraa Borneados juiaes de direilo :
O hadare! Manoel do Aascimento da Fonceca
Galvo, da comarca de I^ages, na provincia do
Sania-Cfltbarraa.
O hachare! Antonio Aofusto Ribeiro de Al-
meida, da comarca do S.dacfoel, na mesma pro-
vincia : flcando sein eleito o decreto de 24 de
mi reo de corrente anuo, que o nomeou para a
comarca de Gequila by, na provincia de Minas-Gc-
raes.
O bacharol Mannoe Jos Espiodola Jnior,
da comarca do Parncanyba, na provincia de
atoleas.
bacbarel Antn!) d'Avila Pompis, da co-
marca do Matto-GrosSo, na provincia,do mesmo
nome.
O bacbarel Jos Antonio Gomes Netto, da co-
marca do Cetele, na provincia da Baha.
O bacbarel* Nanoei Franco Fernandos Vioira,
da comarca de Gabrob na provincia de Pernam-
buco.
O- bacbarel Cordolino Barbosa Cordeiro, da co-
marca da Imperatriz, na provincia do Cear.
O* bacbarel Domingos Jos Ponce de Len,
da comarca da Piracuruq, ue> provincia do Pi-
auhy.
Por decretos de 6 :
Fi>i reonduzdoo bacbarel Fernando Alfonso
de Mello no lugar do juiz municipal e de or-
ptians do termo da capital da provincia do Espiri-
te-iaoto.
'ano?
ia academia de medecina foram hontein appro-
vartos os s"p;n'ntes senhores em exame de srtfTi-
ciencia: Dr. Felippe Moscane, formado pda tini-
versidade de aples, simptesmente, c Dr. Alfredo
Mis, pela de Pensylvania, plenamente. Houve um
reprovado.
Publicou-se um Mnppa alphabeticn das materia
de que .' catamos til utos, ctpiMos e secedes do c-
digo do commefcio e seas regnlamenlos m 727 e
Vas 'le 25 de novembro de 185S, organisdo pelo
Sr. J. E. X. B. E' um trabalho u il o curioso,
que podia ser com igual rantageo applicado a ou-
tros ranos da nossa legislaci.
8
O estado actual de S. M. a Imperatriz, em sc-
guitnent daquelie que eomerou a manifestar-so
das horas da manhaa para c, inspira a*jfge
ranea de que brevemente se pedern considerar
Js apie-froun de todo removidos os'phenomenos eonSlttui-
tivo da r-nfermidnde da mesma augusta senhora.
Paco de S, Christovo, 7 de novembro *V 1869,
nos da noite.Dr. Ims Carlos, medico de
semana.
Por decreto n. 4423 de 27 de outubro ultime
foram coneedidos varios "favores companhia Pau-
lista da estrada de fe-r de Jundiahy a C-impinas,
na provincia de S. Paulo.
9
rente o combate Ion a ra o se tres bandeiras e^
as duas iccas. Fizemos 103 prisioneiros, subindo
este numero com o dos aprctent idos a 300.
Cahiram em nosso poder correspondencias que
do utois esclareciineatu-. Itesgatamos arando
numero de familias parafjnayas quo- se apresenta-
ram no mais lainentavel<-stado, e 38 familias bra-
siieiras que pr all solfriam toda a especie de ve-
xaun-s o privares. U itre as brasifeiras liberta-
das acha-se Auna SHwlra, que conduziam amar-
rada ; e entre as paraguayas I tunate Rodrigues,
que bavia cinco mezcsesiava presa, defnis do ter
assistido pxecupo do todas as suas iruias, que
f ir.i'ii lanceadas nS sua presenea.
Este triumpho costn nos a perda de tres
soldados mortos, 16 feridos e 12 contusos.
t Ao acampamento do Sr.* conde d'En, no po-
trero de Capivary, chegaram varias expedicoes de
gado, e a 27 adiantou-se um pouco a vanguarda
na direcc i de Cnroguntf.
t Como os fornecedores empregam ellieazes es-
forpos para quo estas expediroo**T)Fio ces^m, bre-
vemente teremos nolleias da marcha de todo o i*
corpa de exercito.
c O general Victorino vai chogando ao Rosario
com o grosso d 2o corpo do excrettoi >
Da repuWica Argentina nao lia noticia de im-
portancia.
Ogowrno do Montevili tinha sobrestado as
uepprta{5es, Ijivend-me a eommissao peond-
nentedo corpo legislativo estranhadoja infrncpo da
cdnslituicao. O Siglo abstinha se de publicar ar-
tigo* editorhes de. upposieo; surgir porui mais
mto do que elle un peridico novo, a KuVr-
4ade, que aggredia desabridamente o ministro do
governo.
Em substituipo do corone! 1). Juan P. Rebollo
foi numen do ministro da guerra e marta! a o co-
ronel I). Jo.- Augusto Poslo. O governo contava
com o apolo do dio, que era espe-
rado na capital a tort
Por decreto n. 4,422. de 30 do pasando, foi con-
cedida com part ia do seguros Pbenix Pernam-
bocana, cstahelocida em Pernaoibuco, a aulorisa-
cio necessBi ia para faccionar e foram approvados
os respectivos estatutos.
Por decreto n. 4,431 de 4 do correrte, con-
ceden-se a William G. Marsun privilegio por 10
annos para usar no imperio de ama prensa qne
dia ter invernado para enfardar algodo c que de-
nomina de Combinadora.
- 11 -
S. M; a Imprral'iz acha-se melhor. Em todo o
dia de hoje tem gozad de muito maior iranquili-
dade do que no anteriores.
Paco deS. Christovo, 10 de novembro do 1869,
s 8 horas da noito.Dr. Luiz Carlos, medico de
semana.
Por carta imperial de 3 do corrento foi nomea-
do secretario da provincia do Espirito Sanio, o Sr.
/os Meirclies Alves Morcira.
12
S. M. a Imperatriz enlrou em convalecenca.
Cessaram as conferencias medicas, c suspendem-
soos bolelns.
Papo de S. Chistovao, 11 de novembro de 1869,
s 8 horas da noile.Dr. L Larlot, medico de se-
mana.
Por ttulos do 9 c JO do correrte foram nomea-
dos :
Jos Alcxandrc Pereira Codeco para o lugar de
I conferente interino da alfandega de S. Francis-
co, provincia de Santa Camarina, e Manuel Cerrda
Dias para o de praticante da lliesouraria de S.
Paulo.
ves, irmas do finado capitSo-teoeoie da armad;)
Antonio Juaquim.
De 18* mensaes a D. Eugenia UmbelinadeCas-
tro Pires, i do alteres do 34* corpo de volunta-
rios da patria Joaquim Jos Prea.
^r-
i^Bde 1841, art. G.
^^prer 18 annoe coaidle-
ceest*
I", o a* mclhorasassignaladat no btetim de
assistido nontem nao teem sido at agora contrariadas.
Papo de S. Christovo, -5 de novembro de 1869,
as 8 e meia Inris da nonte.Dr. finir Carlos,
medteo de remana.
irnitr;.* 'etfVlIsfnr-
syiuptomas^la
O estado geral
tmuan, p:
eulennidade, ainda qno cm menor freqttencla e
inten-idade.
Paco da S. Christovo, 9 de novembro de 1869,
s'8 horas da noile.Dr. /.. Carlos, "medico de
semana.
Por decretos do 3 do correrte foram removi-
dos :
Ojua de direite Candido Gil Castello-Branw,
di comarca de Theresina, de enlfancia na pro-
vincia do Piaulty, para a de Sapneahy, de 2', na
S. M. a Imperatriz passon a noite eom tranquil- d Minas-Genics.Miircoo-se-lhe a ajuda de custo
la.
ridos conta-se o alfares
Estes-j vieram para
em tratatnento.
No dia 19 embarcou aqoi com destino Cono
pao a priineira parte da expedicao paraguaya que
vai couperaf eom as ooiea (a^csc- pelo 'noite. A

-dtfHfc
Por cartas imperiaes de 3 de novembro correte
foram naturalisad
O* subditos portogueze Jos da Silva Csmpot,
Mari.i Barreto Birges, Juio Jos daSHva'Sdn-
tos, Joo Gonpalves Rocha, Joaqnim Pinto deM'Hi
Francisco de Souza Vaz, Jos I.
noel Pereira da Silva, Domingo* Co
macho. Femando'.Jds Alves do S
..'ancitco da Sant'Atina, Augusto Can*
Santos, m de Barros Ptnto Guitnaris, Fn
Ferreira de Andrsih, Amonio Franco Caradej
Joaquin Antonio Cardoso:
O subdito allemao Carlos P. Sehrtler:
de 800 e o praso de seis mezes para entrar em
excrcicio.
ulz de direito Manee! Garr! da Costa, da
com arcando Caetet; d 1' eMiraHeia, para
Conde, de 2*, ambas Mar-
eoCse-lhea^da deUsieMttf ovpTiso de
b"h mezes.
O juz de direilo Salostiaoo Orlando'da gfcrajo
Ceeta, da comerla -da- Impal
naeroviocia.doOar, prai
_:Hcn
t
tetteam preparativos de retirada de
.rasil. Gom elTito, cortinado cono
riraifa dispoedo de eccassissiino reeir-
idaote qne saperabuudanie a for;a
i Paraguay, nao convinha internir-
i todaetHi a randes diatane*s do liMorai
parti foi sol o comm i.
i^Hb Heearre, e brevemenl
i oresiedossa
Munco qSej se notam cortos n idado norte-americano-Dr.Gustavo Adolphw
Walbaen.
Crerewa, ateodendo a isto, Saa-Altera ordeuoa civil, mmmmMjp
Comprazer registramos
duas obras de grande cali.
Relatrio getal e j
rio da <>ajNfa> fftif
de b entrae i
Por decreto de 8 do cjrrerte lovantou-se a clau-
sula com que foi promovido a 2a tenerte Scrafim
Jos dos Santos Azevedo, visto ter sido approvado
das materias de que trata o decreto n. 884 de 10
de ili'Ziinbi de 1858.
Por decretos de 10 do corrente foi exonerado, a
seu pedido do lugar de inspector do arsenal de
mancha da liahuj, o chefe de diviso reformado
Manuel Francisco da Costa Pereira, c nomeado 0
rapito d9 mar e guerra Joao Gomes de Aguiar
para o dito emprego.
O Sr. Dr. Lafayetle Rodrigues Pereira acaba de
publicar urna obra importante com o titulo Direi-
tos de Familia.
Tem esta por a/sumpto a-exp sipo methodiea
dos principios de direilo qce regetn as relaces de
familia, tanto na parle querespeita s pessoascomo
aos liens.
Estes coriosdc doutrina sobre os diversos ramos
que constituem a vasta sciencia do direilo sao
sempre valii sos auxiliares para es que se entre-
gam ao estudo d* jurisprudencia. Com prazer,
poi?, venios inultipricai'em-se este*, tratados que
provam coni quanlo proveIq emprezam o seu lem-
po os cultores desta sciencia. Mesmo sem nm
exame aprofundado da obra, eremos poder dizer
que o Sr. Dr. Lafayetle araba de oHererer" para
a nossa eTescento colleccao de livros de direilo, um
que podare oceupar nefla vantajoso lugar.
15
Db Rio da Prata rettfiemos pelo transporte de
guerra Presidente, entrado hontein, folhas at 7 do
c urente.
Da Assumppao recebemos cartas de 31 do pas-
sadocom alguns portrenoresinterassairtes sobren
estado das cousas do Paraguay.
A columna expedicionaria do commando imme-
diato de S. A. o Sr.-conde d'li vira-so obrigada
a fazer alto seis leguas alm de Santo Estanislao
por falla de vveres.
Foi portanto preciso esperar que no Rosario e
Santo Estanislao se ormaesern pandes depsitos
para abasteeimento das opas antebalas mais se
ink'rnaren em pane se tinba conseguido
isto. c a a variada puzerasc cuira vez em mar-
cha ^vf
Confirma-se a notUia de concentrapao de tropas
sobre o rio Paraguay, com,indicio de (ue bre\-e-
menlese permittiria a boa parto dellas o regresso
us lares.
'' No Rio da Prata nle bavia noticiad posteriores
do theatro da guerra. To pwco all oeeorrera
suecesso algum netavelv Parece que o ministro
de cstrangeiro da Rewabliea Argentina, Dr. Varis,
so prepara va para vir em
de Janeiro, daird-se como j Qxaco para o erfftar-
que o dia 9.
Attribuia-se a esta iblsso o designio de cowe
cer o governo UrasrfWo da necessldade de
finalmente com t gnerra do Paraguay, foze
tratado do paz com o gercriu i
Ctntava-sc que n rormCtro brasileir
en Bneuot-Avres haviam prolesladbeontr
misso ; nao se. indieavam, porm.os fundamentr
do protesto.
Em Montevideo estavam os nimos mats tran-
Por portara de 11 do cerrada fot anado e
capito de mar e guerra Elisiario Jos Itorbosa.
comoiandante geral do corpo de iwpeaiaeu mar i-
nheiros.
Por decreto de 10 do eerrenle foram MaCeadon
para a contadoa da ntaoha o empregadoa cons-
tantes da irtcijiu aaftMB^ "*,?"
Para contador :
O contador Angosta Gas de Castro
Para chefes de sedga;
Domingos Antn Jaachado, Jos Cccalres de
Barros e Joaquim Ferreira Cimenta de Laet.
Para 1- escriptUrarfcVa :
Os Io- eserlpturaHes Antonio Angnsto -Cesar,
Jos Bernardes da m,JIetfllque Ednnrdt) Was-
cenies Pinto e Jos Jtatanlo reir Leal.
Para 2" eserirtucark : i*t -
Os 2" eseriphirCMe Loo|ftpo Bibiano do Cas-
tro, ErnestoAngusV) FeVmrt e Jos Bernardej d.
Cunha.
Os 3- escrirdoran'Oa Fraedseo Jos Ferreira,
Manoel Amoniode 8onza e Silva, Felippe Jos Pe-
reira Leal Sobrinho o Pedro Augusto de CastreMe-
nezes.
Os escrives dos alinoxarifades da corte Wecri-
que Jos do Carino Netto, Jirae Jos de Mofttett la-
vares e Jos Anlonio Barbosa da Veiga.
O escrivao da casa de arrecadapao do arsenal
da corto Virgilio Jos Alves Pacheco.
P,,ra 3" escripturarios :
0 3* escripturario lnnocencio de Moneaa Jas-
concellos de Drummund.
Os 4" escripturarios Luiz Jos de Sobra Chote-
rin, Jos Carlos Angusio deOliveira, Rento deCar-
valho e Souza c Jos Maria Ferreira.
Os ajudantes dos escrives do almoxarifde da
corte Joo da Cruz Cartalho Fluminense e Gamillo
Primo das Chagas.
O escrivao do almoxarifado da Babia Ernesto
Pereira de Crtamo.
O ajudanle do dito o escrivao interino das idci-
nas Felippe Jusliniano da Costa Ferreira.
0 escrivao do almoxarifado da Balia Antonio
Pedro da Silva.
O escrivao das offieinas de Pernambuco Horario
de Gusmao Coeltio.
O escriv das offieinas do Para Ricardo Jos de
Olivcira Sanios.
Para archivista :
O cartor.uiu Joaqaha Manoel da Costa.
Para pagador :
O pagador Joo Fibeiro dos Guimares tei-
xoto.
Por portaras da mesma data foram niea-
dos :
Para 4" escripturarios :
Os 4'* escripturarios Jos Casimiro do Coci.
Oliverio de Paula Trava-sos, Jos Joa lum'do's
Sanios Juni t eJos Faustino da Silva Joe-
ques.
Os pi alicantes Francisco Macario Pepanha da
Silva. F ederiro de Castro Menezes, Carlos Joaqnim
Correa de Mello, Fciisbero Augusto da Cosa, An-
tonio deBabo Ribeiro Souza Jnior c Sal.ador Gon-
palves Porto.
Os addidos Cicero de Portes e Rodrigo deVes-
concellos Parada e Souza.
O ajudanle dos escrives do almexarifado da
corte Cyprjano Jos da Gama Kely.
O ajudanle do escriv > da Casa de. arreca-
dap3o do arsenal da '-orle Joo Antunes Guhaa-
res.
O escrivao dos almoxarifados de Matto-Ccteo
Luiz Ernesto Pinto Jnior.
0 ajudante do escriv) do almpxarif'.do da Ba-
hia Odorico Carneiro Ribeiro.
Para urlica ules :
Os praticartcs Joo Bernardo Maivenal, Julio
Augusto Pereira da Cunha, Eduardo Eugenio de.
Faria, Leopoldo Fernandes de Oliveira Guim naos
c Gi! Augusto de Siqueira.
Para porteiro :
O poiteiro-Catlos JoserCocIho.
Para ajudante. do porteiro :
O ajudante do porteiro Domingos Jos Fer-
reira.
Para continuos:
Os continuos Lourentjp Jos Alves da Fouscea e
Mximo Jos Gonpalves.
(guarda da casa de arrecadapo do arsenal da
corte Antonio Gonpalves da Silva.
Para fiel do pagador :
O fiel do pagador Abel Rosas Teixeira.
Tendo sido classfflcado o pessoal de que se deve
compor a contadoria da inarinha do accor lo cooi-
o art. Io do novo regulamento, foram consi lora ><
addid..s niesina repartirao :
Addidos:
Os 2"" escripturarios Augusto G'sar da Costa
Xetto e Joo Gomes da Fonsoca Cunha.
O 3o escripturario Custodio Norberto Cabral de
Menezes:
Os e.-crivacs do almoxarifado da corto Joao
Francisco da Malta Rezendo o Joo Correa dos
Sanies.
O escrivao do hospital da marinha Francisco do
Paula T-rTes de Menezes.
. 0 ajudaatc do escrivao da casa do arrecadara >
do arsenal Sabino Corroa dos Santos.
Os a portadores do arsenal da rrtaJrancisco
Corroa Outra. Servulo Jos do SiqueWa Lima e
Jos de OlrVeira Coutinho.
O apontador do arsenal da Bahia Salustiano de
Miranda. .
0 apontador de Pernambuco trancisco Xavier
C|valc uiti de Albnquerqiie.
Por poetara da mesma data, 10 de novembro,
focain dejjiedida do servico :
O apuntador do arsenal da corla Eloy.Jo.-d da
Cunlw.
0 escrivao interino
buco Jo
O ajudaa
o estttv
ia, da
na provlntac
praso deiren ;
U facen nrocurava justificar perantoacom-
iVfrte e aopinio publica as deporta-
ares cidadaos ; ao mesmo tein-
"fava-se disposto a levantar a estes
;ue a o|iposicik4ela imprensa era
loriara de 11 do d usq a
L .alapaj eneenheiro ajndartie
mnxaYifado de Pernam-
Gumar
Epiphanm de Suiza,
loxarifad du l*ara Ma-
nunie
de-

0 scre Francisco Ferreira.
Para offlciaai:
Os o
Jacintho RTid-

FerrSo e
para
Ue Mo:
entraneia.
designa
I daa obras pul
tratar du
do ii.
upa com venci-
e onde Ihe con-
MiBam con-
i Julia
L^LVLVNe-
Ricardo Jv
os Peretra tt-
de
O almoxar
buco :


-fljMPSKsgs

Diario da Pernambuco Terca feira 23 de. Novembro de 1869.
forant Horneados :
arrea Brandao e Nar-
O aknoxarifo Fi
YarjNrtaria da
Prn aawnuc
Os amanuen -
daa Rodrigues Villa i
Para agente comprador :
O ajele comprador Ignacio Martins de Souza.
Para porteirt :
O porteiro Manoel Theodoro da Rosa.
Para continuos:
Oaiudanto da porteiro Francisco da Rocha
Leio.
O continuo Joaquim Pedro de Maeedo.
Para o almoxanfado de marraba da corto :
Fiis :
Da 1* seceao, o actual Francisco Antonio de Bu-
IHea.
Da 2" seccao. o da cxflocta 4* Manoel Jos da
Cogu- .,-
Da 3" seccao, o actual Antonio Rodrigues de
9a.
Fara o almoxarifado de marinha de Pernam-
boeo :
Fiel:
O actual Jos da Costa Rabello.
Fara o almoxarifado de mariuha do Para :
Fiel:
O actual Ambrosio Ferreira Torres.
Para o almoxarifado de marinha de Malo-
Groaw:
Piel:
O actual Jomo Antonio da Silva.
Itado sido clarificado o pessoal de que se deve
compnr a intendencia da marinha da corte, foram
considerados adddos mesma repariicao :
O almoxarife da 2* scccau Manoel Joaquim da
Victoria. .
O almoxarife da casa da arrecadacao Jos de
Mello Fayao.
O fiel da casa de deposito Luiz Pinto de Mello.
Agente comprador da Bahia Caetano Alves de
Soma.
dem de Pernambuco Gedeao Forjuz de La-
cerda.
dem do Para Luiz Francisco Torres.
O continuo Joaquim Pereira de Azovedo.
DUBIO DE PERNAMBUCO
RBCIFK, 23 DK NOVEHBRO DE 1869.
NOTICIAS DO SL DO IMPERIO.
Cbegou hontein o vapor brasilero Tocantins,
traaendo jornaes do Rio de Janeiro at 15, da Ba-
lii i at 19 e de Alagas at 21 do correte.
Sob as rubricas Parte Oficial, Extrrior e Inte-
Vjot encontrara os leitoies, por extenso, as noti-
cias dignas disso; alm das quaes, apenas encon-
tramo as iiue seguem.
RIO DK JA.VRIRO.
Aps alguns das de incommodos intestinaes,
como vario os leiiore dos boleiins publicados sob
a rubrica Interior, achava-se ja restbelecida S.
M. a Imperatriz.
-Suicidoti-se, no dia 10 do corrente, Seraflm
Soares de Oliveira, Portuguez, de 29 anaos de
idade, canleiro, morador fortaleza de Santa
Cruz, onde Irabalhava, atirando-se ra dos In-
vlidos, de um quarto do sobrado da casa de sali-
do do Dr. Perieoce, para onde havia sido recolhi-
do por enfermo.
Fez-se corpo de deiieto, resultando das averi-
goacSes feilas pela autoridade a eouvieeao de que
a tacto foi piovivelmente provocado por algum
ataque de alieuaco mental, sendo a morte devida
ao esmagainenio dos ossos do cerebro e do ence-
pado, proveniente da queda sobre a calcada.
~ Eis as noticias coinmerciaes da ultima data :
Effecluarani-se transarcoes regalares em cam-
bio sobre Londres a 19 3/8 o 19 1/2 d. papel par-
ticular o insignificantes sobre Franca a 490 res
por franco.
Negocia'.im-se 87 apolices geracs de 6 % a
82 3/4, 8 ditas do empreslimo nacional de 1868
a 515000 de premio, 65 acedes do banco do Bra-
sil a 169 $000, 20 ditas a 170-5000 e 115 ditas a
171*000.
GOTAZ.
A presidencia da provincia convocou a as-
sembl. provincial, mareando o dia 23 de Janeiro
para se proceder s eleicoes.
s. PAULO.
Conlinuivam os cxanies dos estudantes da
aculdade do direito.
Din dcrte* estallantes, o Sr. Joaquim Coutinho
de Araujo Malta, depois de ter recebido o grao de
bacharel, deu liliordade a um sen escravo de no
me Mareolino, q ie o acotnpapuoa durante o tem-
po de seus cernios em S. Patilo.
Lse no ai i) de S. Paulo de 10 do cor-
rente :
Pira o amanh"cer de hnntem, Felippe Fitz
ser, Allemii.i, residente na ra de S. Joc, canto
do Ae, tentn suicidar-se dentro de urna tina
d'agua, donde foi tirado por diversas pe-soas;
porm pelas 9 b iras, mais ou menos, da inanhaa.
lambern de hnntem, indo a urna rasanocairpo
dos Curros, pedio ah urna faca, sen? dizer para
que flu. S'-ndolhe satisfeito o pedido, sahio pa-
ra Cora e deu um grande golpe no pescoco, flean-
do em grave estado de sade.
c O infeliz f"i de prompto so-corrido pelo Dr.
Borgoff, e remettido para o hospital da Misericor-
dia, onde se acha em tratamento.
Ignoramos o motivo que o levou a urna tao
triste rcsolucd, a nao ser um desarranjo men
tal.
Revista Commercial de Santos, em data
de 9 do rorn>n!e noticia o seguinte :
Na tarde le 5 trav.iraui-.se de razoes. no lar-
Sn da Cornaca, Thomazia Carneiro de Campos e
[aria Justina.
u O motivo que detorminou a rxa foi. segundo
dos informan), urna cami-a, cuja posse" disput-
?am.
A' noite cncontraram-se de novo cm urna
venda, siti no mesino largo, o, depois de alguma
altercacao, Tliomazia, fue se havia munido de
urna faca, ferio mortalmente a Mara Justina.
c Thomazia foi presa quando procurava evadir
se, declarando que havia picado um pouco de car-
ne fresca. ,
< Recolhida priso, procedeu-se a corp i de
delicio no cadver.
A assassinada presume-se que C3tava gr-
vida.
Thomazia, ao que parece, nao a primeira
vez que d provas de soa m ndole ; pois consta
qne em S. Paulo tentara ha lempos contra os das
de sna pmpria mai I 1
O Sr. Dr. delegado de polica inslaurou-lhe o
competente processo.
ESPIBlTO-SAirrO.
Temos datas desta provincia quejdeaneam
a 4 do corrente.
Havia entrado em excrcicio o Sr. Dr. Fran-
cisco de Souza Cirne Lima, juiz de direito" da ca-
itl, e reasumido a vara municipal o Sr. Dr.
croando Alfonso de Mello.
A thesouraria provincial tnha verificado
existir m cofre no dia 2 a quantia de 80:807<8i8.
Sob o titulo Epidemia, l-se no Estandarte:
Tem-se desenvolvido nesia villa (Cachoeiro de
Ilapemerim) una epidomia qne tem atacado qua
si toda a populacho.
Os symptomas que apresentam os doeates e
os estudos sobre a molestia tem feito classificar a
epidemia como cholerina de caraoter benigno,
lia villa de Ilapemerim foi o lugar em que pri
aneiro appaneeeu, Nenhuma victima tein-so a la-
mentar.
baha.
O Exm. presidente da provincia foi at Ala
gamitas, atini de observar os irabalhos da va
lerrea^
Achava-se no porto da capital, em viagem
para a Nova Caledonia, com 340 prisioneros, o
transporte franeez de guerra sis.
N'uma roonio dos eleitores da capital re-
solveu-se eleger depatados asseinbla provin
cial, pelo l. districto, aos Drs. Antonio Garca
Pacheco Brandao, Felsberto Antonio da Silva
Hurta, Francisco de Azevedo Monteiro. Francisco
Jos) da Rocha, Jos Eduardo Freir de Carvalbo,
e ao Sr. Maoocl Correa* Garca.
A thesouraria de fazenda tomn cambaes.
pelos vapores Navarri e Anio, sobre a Europa,
na praa da Bahia, no valor de S 150:090 ou
VXtO-OOOlMO.
Evadiram-se da cada de Santa Isabel, a 22
do pausado, tres criminosos sentenciados um a
3 1,"2 anoos, e dous a 20 annos de gales, na oe-
asiao em qu se fazia* aguada na priso em que
estuvam.
L>mns no Jornal da Bahia :
A defeza das theses principia no dia 23 e fo-
Tam nomeados examinadores pela congregacao :
Dia 13.Manoel Joaquim de Goes Tournho
^Dia. Magjlhaes, Sarapayo, Cerqueira, Virgilio e
Hartins.
Deoclecianq da Costa Dorea.Drs. Aranha,
Sonto, Goes, Conha e Demetrio.
Ludovico forrea de Oliveira.Drs. Pedros a
Seias, FreitA*. Virgilio e Domingos Carlos.
Americo Vespucio Moreira de Almelda.Drs.
JGoes, Paria, Bomfio, Pedro Ribeiro e Moora,
Paulino Pires da Costa Chastinete.Dra An
nha, Sonto, Gordilho, Moura e Mari
Antonio Angosto Barbosa de Oliveira.Drs.-
Faria, Bomllm, Sudr, Demetrio e Cunha.
Dia 24.Antonio Rodrigues Cajads. Drs.
SampayO, Souto, Goos, Dometrio e Moura.
Clodoveo Heleodoro Celestino Drs. Aranh,
Freitas, Gordilho, Martins o Virgilio.
Joao da Rocha Moreira.-Drs. Pedrosa, Fro-
tas, Gordilho, Do ningos Carlos e Pelro Ribeiio.
Gentil Pelreira. Drs. Sampayo, Sudr, Bota-
flm, Cunha e Moura.
Jos Moreira Colho.Drs. Sonto, Faria, Cer-
queira, Domingos Carlos o Demetrio.
Joao Jos de Paria Drs. Magalhaes, Seixas,
Sudr, Martins e Pedro Ribeiro.
Dia 25.Odilon Baptista de Oliveira.Dr*.
Magalhaes, Freitas, Gordilho, Demetrio e Mour.
Joaquim da Silva Reg.Drs. Souto, Goc,
Seixas, Domingos Carlos e Cunha.
Florentino Telles de Menezes.Drs. Pedros.),
Sampayo, Cerqueira, Demetrio e Virgilio.
Gaspar Carvalho da Cunha.Drs. Aranht,
Faria, Bomfm, Cunha e Pedro Ribeiro.
Arsenio de Souza Marques.Drs. Magalhaes,
Freitas Sudr, Domingos Carlos e Pedro Ribeiro.
JosJ Porfirio de Mello Mallos.Drs. Aran!,a,
Seixas, Cerqueira, Martins e Virgilio.
Dia 26.Francisco Borges de Barros.Drs.
Faria, Freitas, Gordilho, Pedro Ribeiro e Virgilio
Jos Duarte Ferreira.Drs. Goes, Seixas,
Cerqueira, Martins e Demetrio.
Eugenio Mareolino Guimaraes Rebello.Di-s.
Goes, Faria, Bomfim, Moura e Demetrio.
Fructuoso Pinto da Silva.Drs. Seixas, Bom-
fim, Sudr. Virgilio e Domingos Carlos.
Luiz Terencio Carvalhal.Drs. Aranha, I <:-
drosa, Sampaio, Martins e Pedro Ribeiro.
Jos Paulo Antunes Drs. Magalhaes, Sout),
Sodr, Cunha e Moura.
Dia 27.Augusto Freir Maa Bittencourl.
Drs. Souto, Cerqueira, Gordilho, Cunha e Redro
Ribeiro.
Joao Chaves Ribeiro.Drs. Pedrosa, Sampaio,
Freitas, Virgilio & Demetrio. .
Jos Pinto da-Silva.Drs. Aranha, Seixas, b>-
dr, Martins e Domingos Carlos. _
t Francisco Ribeiro Lopes Guimaraes.Drs.
Souto, Cerqueira, Gordilho, Moura e Cunha.
Jcaquim Januario dos Santos Pereira.Drs.
Pedro*a, Sampaio, Bomllm, Moura e Martins.
Reuniram-se hontera (17) os socios da praja
do commereo em numero de 114, para a eleicao
da nova junta e da cffmmisso de exarae e
contas.
Foram eletos :
Membros da junta directora.Antonio Pereira
de Carvalho, Joao Bradburry, Domingos Soanw
Pe eir, Francisco de Asss Souza, Jos Lopes da
Silva l.ima, Manoel Joaquim Alves, Januario Lj-
rillo da Costa, G. II. Duber, John Bley.
Commissao de contas.Antonio Francisco de
Lacerda, Manoel Joaquim Rodrigues e Jos Lopes
Pereira de Carvalho.
O Dr. Antoio Fernandos Trigo de Loureirn,
juiz municipal remavido do termo deBuiqueen
IVni.-i ni lineo, para o deLences, nesta provincia, e
que eslava de passapem nesta capital, expirou oa
madrugada do dia 15, victima duma aspluxia
pulmonar, no lugar denominado Timb, prximo a
via frrea, para onde linlia ido passeio em coa-
panhia do seu collega de academia Dr. Innocencio
Marques de Aranjo Ges.
Este llio presin todos os cuidados precisos, e
promoveu-lhe enterro decente na freguezia de
Sant'Anna do Cat, onde sepultou-se no mtsrao
dia 15.
O referido Dr. Innocencio Ges, chegando
hnntem ;i esta capital dirigio-se inimedialamenle
polica a dar contas do tao triste successo ; a poli-
ca fez proceder arrecadacao dos objectos per-
tencentes ao finado, que eslavam no hotel Figue-
redo, onde se havia hospedado.
A alhndega rendeu de 1 a 18 do crreme
447:714*770. '-
O cambio regnlava : sobre Londres 19 1; 2
d., sobre Pars 486 rs., sobre Hamburgo 910 n .
SERGIPE.
O Jornal do Aracuj conlratou a publicacao
do expediente com o governo.
A mesma fulha publica a seguinte noticia :
Em data de 10 do corrente S. Ex i. o Sr. vicf
presidente, attendt-ndo ao que Ihe represenlou a
cmara municipal da villa do Ilabaianna e tam-
bem o respectivo vigaro sobro o estado afllieiivo
a qne all se aehava reduzida a elaase desvalida
pela falta absoluta de genero* alimenticios, resol-
veu abrir, sob sna responsabilidade, um crdito da
luantia de 500*000, qu ser proporeionalmenle
destrihuila pelas pessoas mais necessiadas, en-
earregamlo de Lio huminitaria commissao ao vi-
gario parochial, ao presidente da cmara e ao de-
legado do polica, aos quaes offlc.iou recommen-
dando o maor cuida to na destribucao do auxilio
prestado.
ALAGOAS.
J era conhecido o resultado^ dos cnllegbs
eleitoraes de Mncei, Atalaia e Alagas, veneende a
chapa do gremio para deputados provincaes.
PERNAMBCO.
REVISTA DIARIA.
MINISTERIO DA FAZENDA. Foi expedida
por este ministerio, em 3 do corrente a seguinte
circular as thesourarias de ftzenda do imperio:
O visconde de Itaborahy, presidente do tribu-
nal do thesonro nacional, declara aos Srs. ins-
pectores das thesouraris de fazenda, para -ua in-
telligencia e devda execuco, que tedas as dispu-
sieres relativas ereaejio e abolicao de imposto*,
a que se refere o decreto n. 1750 de 20 deoutu-
bro lndo, devm principiar a ser executadas do
Io de Janeiro de 1870 em diante.
LICENCAS V MAGISTRADOS.Pelo ministe-
rio da juslica, em dalas de 9, 10 e 12 do corren-
te : foram concedidos seis inezes de licenca ao
juiz d direito do Tury-ass, no Maranhao. Dr.
Joaquim da Costa Barradas ; e foram prorogadis
por dous mezes a licenca concedida ao juiz d
direito do Jardnn, no Cear, Dr. Manoel da Silva
Rrgo, e a concedida ao juiz de direito doPianc,
na Parahyba, Dr. Carlos Espcrdiao de Mello c
Mattos.
DINHEIRO.O vapor Tocantins trouxe para
nossa praca as seguimos quantias, para
Hank of Rio de Janeiro 183:177*000
Pinto Barbosa A C. 13:860*600
J.ondon and Brasilian Bank 10:00>000
Pereira, Carneiro A C. 10:000*000
A. L. de Oliveira Azevedo A C. 4:351*723
Ta-so Irmo 2:800*IMX)
Baltar, Oliveira A C. 2:500*000
L. A. Sequeira 2:100*000
Theodoro Siraou 300*000
Jos Antonio Pinto 420*000
Justino Jos de Souza Campe* 200*000
Au.elw T. Pinto 50*000
Para o norte trouxe ^?sse vapor:
Parahyba 80:300*000
Rio-Grande 3:575*000
Cear 53:648*000
Maranhao 69:903*195
/Para ^ 63:900*000
PASSAMENT.Morreo hontein o Sr. Lino de
Faria, socio da firmV commercial do Lino de Fa-
ria & C.
PAGAMENTO DE PENSE8.Pelo ministerio
da fazenda, em 26 do passado, maadou-se pagar
mensamente, D. Joaquina Rodrigues Maia Fia
llio a pensao de 36*000, como viuva do alferes
Francisco da Silva Fialao ; e de urna so vez, D.
Mara Anglica Tamporim 131*419, proveniente de
soa pensao vencida de 28 de marco do nno pa-
sado ao flm tle juaho ultima.
VENDA DE ESTAMPH.HAS.Por esse mni
terio, na merma data, fot mandada abonar, de co i
foraidade com o art. 2* do decreto n. 4,354 de 17
de abril nltimo, dous per ceato de porcentagei u
pela venda de eslaropilhas de sello adhesiv),
quelles particulares que para isso forera autori"
sados pela repartico competente.
COBRANCA DE IMPOSTOS.Em 30 do passn-
do declarou esse mini-terio directora das rendas
publicas da corte : que o imposto de transmissao
de propriedade, as doaedes, deve ser cobrado aa-
les da escriptura, e o sello antes da insinuacao ; a
que as folhas corridas, em virtude do disposto n i
art. 72 do regolamento n. 4,354 de 17 de abril ul-
timo, estn isentas do pagamento dos novo e ve
Ihos direito que erain sujeilas pelo 47 da ta-
bella annexa 4 le n. 243 de 30 de novembro do
1841, e que s devem pagar o sello le 200 rs., se-
gundo numero de folhas, na forma do art. 11
I 1 do dito regulamenlo, porque nesie paragraph i
estio comprehendidas as tres partes que aellas sj
destingoero, a saberroqnerimento ao juizo, man-
dado judicial e certidoes, guardndose na co
branca do imposto do sello a disposico da circu-
lar n. 34 de 25 de agosto nltimo.
SANTO AMARO DAS SALLVAS.-Estandobas-
tante arruinada a capejla do glorioso Santo Ama-
ro, da cidade aova desse non, e lendo-se dad..
coi eco aos eoncertos indispensa\ iran
elles i
O Sr. major Jo- Joaqnim do Rep pro-
prietario da mesma capella, acaba de ans
aos Srs. Rulino Manoel da Cruz C
quim Gomes de Lima e Domingos do Souza Mello,
lodos moradores nesse lugar, a promoverem a
conclusao das obras precisas para se prosiar a ea-
pella ao culto divino, agenciando para isso as
quantias necesitaras dos fiis.
A coiiimissao, desejosa de ver restaurado esse
tmplo, ante* do da da festa do padmeiro, desde
j pode aos fiis, tanto moradores no lugar como
fra delle, que quizerem concorrer para flm tao
po, enviom seus bolos aquella capaila, ou casa
de qualqocr um dos membros da dito com-
missao.
EMBARQUE.A bordo do Toconini segn bo-
je para os portes do norte, o Exm Sr. Dr. Joo
Alfredo Correia de Oliveira, com destino pro-
vincia do Para de que foi nonieado presidente por
carta imperial de 20 de oulubro ultimo.
Desejando S. Exc. o a sua Etm. fami/ia a
mais prospera viagem, felicitamos a rica provin-
cia do Para pela Fecunda e esperanzosa adminis-
traco que vai conduzir os teus destinss, gracas
as qualidades pessoaes que ornaineatam o admi-
nistrador que Ihe coubo.
Tao rica o abundante como em recursos natu-
raes, s precisa o Para de impulso administrativo,
que verdadeiramente applicado explorar-e por
em circulacao as immensas riquezas com que a
dotou a natureza, eitiinule e auxilie a inicia-
tiva |adividual'
Fffil CAETANO DE MESSIXA.-As gratasi"re-
cordaeoes nue deve ter o nosso povo do virtuoso
e incansavel capuchinho deste nomo, de presente
commissario geral de sua ordem no Brasil, e o de-
sojo que nutrimos de conservar vivas osas recor-
dacoes, levain-itos a transcrever do Apostlo, jor-
nal que se publica no Rio de Janeiro, o seguinte
resumo de urna de sitas ultimas prdicas feita no
convento do morro do Castello : iyi
t No domingo, 24 de oulubro prximo, pMKdo,
a greja celebrava a festa do archanjo S. Rapliael...
pois bein! Emquanto o Exm. bispo iioecsano
sulcava as ondas do ocano no Nacaire em direc-
to Europa, o Ilustre inissionari i capuchinho
rei Caetano de Messina, do alio do pulpito da
igreja de S. Sebastiao do Castello, s 5 horas da
larde, coniava ao seu numeroso e aliento audito-
rio a historia de Tobas, fazondo applicaco dell i,
com mao de ineslre, partida dos prelados para
Roma.
t Tobas, ceg pelo lixo do ninho de aniorinhas,
que cahio da parode, junto da qual o velhd*oor-
mia, e a sociedade chrislaa, cgo pelo lixo do ni-
nho do paganismo, que os Gregos, foragidos du
Consiantinopia no soculo XV, vieran) fazer ao alt
da socedado christaa, que sao as classes letradas.
Tubias fllho sao os bispos do orbe cathnco,
que, guiados pelos anjos do Senhor, vao um
paz longinquo, isto a Roma, ao Coneili, bus-
car o ouro de Tobas, isto a luz da igreja, que
pertence socidade catholica, e de cainion.0 des-
troem ao mesmo lempo o peixe-lucio, isto o ra-
cionalismo, eujo (el tiram, isto cujo erro tornam
tao patente, que aflin Tobas, sto i. a sociedade
chrislaa, recobra de novo a luz da fe o se salva !
Depois, o Ilustre missionario, por urna feliz
inspiraijao qu s a v^rdadeira f sabe dar, mos-
trou brilhantemente a Urdo magnifica que a greja
da ueste momento ao inundo, acudindj lodosos
seus bispo% ao concilio.
Com elleto, qual dsse o Ilustre missiona
rioqual o verme que roe Imjo mais profunda-
mente a sociedade chrMa ? E' a desobediencia ;
desobediencia igreja, desobeJiencia'aos governos.
desobediencia s autoridades, desobediencia aos
pas de familia... emfim, por toda a parto n_re
volta do inferior contra o superior I
< Ora, o que mosir.i a igreja ueste moment > ?
A' voz du inmortal Po IX, prtineira autori-
dade da trra, a qual manda que todos os bispos
se achem em Roma no da 8 de d -zembro .bala-
se todo o orbe calholico, e os principes da greja.
homens veneraveis, por sua scieneia, sua piedide
e sua virtude, homens pela maior parte anciios,
obedecem humildemente como meninos, voz do seu
pontfice, superior e Roma, apezar da longilude, da idade o at das en
fermidades I
Quem hoje poder recusar obediencia aos seus
snpenores, depois de lab eloquente e santo exum-
plo?l
Por ultimo, moralisou sobre o estado de de-
gradaeao da familia, e mostroit na historia de To-
bas il I to c Sara quaes eran) as eondedes para
una moca adiar um bom marido, e um moco um i
boa mulher : o prnfligou o, chamado castijm*to
civil, como minnral e contrario s feis da greja e
ao decoro e sanlillcacao da sociedade.
PARAGUAY.-Da Repblica, de Buenos Ayres,
exlrahimos as seguinles declaricoes de dous trns-
fugas paraguayas :
t Po Galiano, alferes paraguayo, natural de
Limpio, de 44 annos de ida Je, pciteucontc ai pri-
mero regiment do cavallara ; pergnntado so
bre as (oreas do inimigo, sua posico, recursos,
estado moral da tropa, armamento e condiQoss de
resistencia, respondeu:
Que nos ltimos das de setembro sahiu de
Curngiialy em busca das Toreas alliadas de S. Joa-
quim annde, chegou 8 dias depois, lendo viuda
se npre oceulto pelos montes; que naquelle ponto
havia pouco mais de 200 homens, sendo a maior
parte de rapases debis e enfermos, os quaes ea-
hiam de Iraqueza durante a formatura : que ha-
veria 12 eanhoes de pequeo calibre, 60 a 80 car-
retas, quasi iienhnm cavallo. pouca vontade e mal
disposla tropa para continuar as hostilildades.
Que *iii Curuguaty se haviam recibido as
familias desterradas eillb; qie suppnnha nao
haver mais l'orcas em Capivary ; que Ihe consta-
va estar estacionado cm Conecicao um regiment
le ca vallara, que se retrouparao lugar denoim-
nadoPanadero, apenas sento aaproximacao da ca-
vallara brasileira por aquelle lado; que Lpez fez
correr o boato de que os alba lo- i un retroceden-
do ; que uo trata de entrncheirar-so era Curu-
gualy ncm em Capivary, c prtanlo crcem os sol-
dados que, una vez perseguido all, se retirar.
Igtermgado de novo, so sabe dizer por me
ser essa retirada, declarou que a opinao dos sol-
dados paraguayos (quando nusam manifesla-la)
e desfavoravel sua causa. Dsse finalmente que
no mez de setembro foram fuzilados iros coronis
e 60 soldados do regiment-escolta, por supposta
falla de adhesao pessoa do tyranno, eque elle
convencido da injustica da causa que defendan,
cnnvidou o sargento Jos Aquino c o soldado Juan
Ramiro a passar para os alijados; nada mais
disse e protestou ser verdade o>ta dolaracao.
Francisco Len, da povoacao Duarte, com 20
annos de idade, soldado de infamara, servindo ha
dous mezes, por ter sido recrutado quando Lpez
passou ultima mente para Curugu^ty.
< Porguntado donde vinha, qual o estado das
Coreas do inimigo, suas condieoes o resistencia,
etc. ,
Respondeu que ha 7 das sattira de Capivary,
ondo nao ha Corra nenhuma, nao ser um desta-
camento de 25 pacas, ao mando do capilao Baez,
e que esse destacamento esta muilo mal armado.
Que sabe que o exeroito est em Curugaaty,
mas nao tem certeza disso.
< Qoe se dea carno para a tropa.
E finalmente que nao se paseara antes por
nao ter tido oecasiao.
ACCO NOBREO Bxra. Sr. marauezde Olin.
da, por intermedio de seu prpcuiad.>r nesta cida-
de, o Sr. coramendador Luiz* Antonio Vieira. como
herdero e testainealeiro de sua finada irmaa, a
Exm. Sra. D. Mara dos Anjos da Porauncula Ca-
valcante, acaba de atforriar todos os fseravos do
engenho Antas, perduando ihes a obrigacao, em
que eslavam pelo testamento, de dar cada um
certa quantia para a sna caria de liberdade.
O Exm. Sr. marqaez de Olnda, com esse novo
acto veio patenleiar que anda nao morreram no
seu coracao os sentiineotos que sempre o anima-
r^ra e dustinguiraiu.
NAVIOS SAHIDOS PABA PERNAMBCO.Do
Rio de Janeiroa 5 briirue norte-allemao Holsa-
tia, a 6 patacho inglez Willie, a 11 barca portu-
guez Harmona, e barca Cranceza Paul Marie, e a
13 escuna ingleza Hannibnl; la Bahiaa 14 bri-
gue franeez Rossint. barca franeez Fmncoit Ara-
go e brigue norte-aUemao Bertha, a 15 hiaie brasi-
lero OnrlbuliL o a 16 barra anrtraca Petsi P.
NAVIOS A'CARGA.Para Pernambuco no Rio
le Janeiro: barcas portuguezas Novo Silencio e
Flor de S. Simo. .
Antonio da Fonseca, com Maria Isabel de Souza
Magalhaes.
Horacio Francisco Tavares, eom Fleriana Per-
petua da Gloria.
Joao Nepomuceno Colho da Silva, com Senho-
rinha Thereza de Almoida.
O bacharel Manoel Gentil da Cosa Alves, eom
Luzia Oibilia Marinho.
Manoel Felippo de (iova Cavalcante, com Ma-
ra Theodora do Albonoerque Larangera.
Antonio Francisco do Bomllm, com Mana Jordo-
lina Cautidianade Souza.
Constantino Jos de Mello, com Amasle Mana
Pacheco.
Chsiovao Pereira Pinto, eom Rita Candida de
Freitas.
Francico Jos de Carvalho, com Paulina de
Souza Negreiro.
Finnino Mariano da Silva, com Mara Magdalena
do Espirito-Santo.
2.* denunciaco.
Luiz Moreira do Carvalho, com Luiza de Fran$a
Cardoso.
Francisco Marinho de Barros, com Erminda
Maria Anglica.
Joaquim Gomes de Mello, com Marcemiria Ri-
beiro da Boa-Morte.
Jos Antonio de Souza, com Margarida Silveira
Campos. '
Hermelndo de Oliveira Barros, com Euphrazia
Caetana da Silva.
Manoel Duarte Vieira Jnior, com Elisa Jose-
phina Ferreira do Mita. -
Jos Martins da Cruz, com Mana Carolina da
Fooseca.
Ignacio Clemente Teixeira.^com Martha Gon-
calves.
Antonio Conrado da Cunha, com Porcina Pela-
gia Bastos.
Lourene) Laurentino Cesar do Menezes, com
Maria Lius Cesar de Mello.
Joaquim Xavier dos Santos, com Joanna Mana
do Espirito-Santo.
Manoel Baptisla de Miranda, com Paulina Can-
dida da Silva.
Dr. Francisco Apoligorio Leal, com Leopoldina
Amalia de Brito.
3.' denunciacao.
Antonio Florpes Raposo, com Joaquina Mara
da Concecao Botelho.
Pedro Advincula de Almeda, com Amia Joaqui-
na Correa de Almeda Sarinbo.
Jos Antonio Saraiva, com Candida Rosa de
Albuquerque Maranhao.
Jos da Silva llego Braga, com Isabel Maria da
Conceicaj Santos.
Manuel dos Passos Miranda, com Auna Carolina
de Araujo.
Antonio Paes de Lacerda, com Mam Arcelna
Paz Brrelo. ^
LOTERA.A que se acha venda a 128-,
beneficio do patrimonio dos orphaos, que corre no
dia 29.
PASSAGEIROS.Vindos dos partos do sul no
vapor nacional Tocantins :
D. Luiza Mana Ferreira e 2 filhos menores,
Gaudencio Jos da Cosa, major Luiz Augu-to Co-
lho Cintra, sua filha menor e urna escrava, Miguel
Augusto do Oliveira, Antonio da Cosa Salles ca-
pitn Francisco Balduino de Albuquerque Mara-
nhao, Jos Machado de. Asss, 1 escrava a Jos J.
Goncalvesde Abreu, 9 ex-pTacas invalidas, Ma-
noel da Silva Maia, Joao Ferreira da Silva, Jos
de Miranda Curio, Messnd ray, Mauoel Marques
da Silva, Dr. Bernardo Tolentino da Cosa Res,
Fabrico Gomes Pedrosa, Amaro Brrelo de Albu-
querque Maranhao, Dr. Manoel Thomaz Pereira
do llego, Joao, Lucas e Algemiro (liberto), Dr. An-
tonio Joaquim de Barro Sobrnho, Dr. Alfredo Jo-
s Ferreira, Dr. Constancio dos Santos Puntual e
1 esaravo, Affnnso Arthur Cysneiro do Albuquer-
que, Dr. Francisco Luiz Goucalves Ferreirt, Dr.
Julio Cesar do Ca-lro Jess, Joan Francisco de
Carvalho, Joao Baptista G mcalves de Oliveira o 1
criado, Jos Antonio de Oliveira, Antonio Vieira
Peixoto Abreu Lima, I). Ritta Avelina de Lacena.
PedroNolaseo Correa, Aparicio Jos Moreira di
Chnha, Eugenio Jos Neves de Andrade, Manoel
Joaquim Teixeira, Antonio Jos Duarte de S. Bra-
ga, Jos Moraes Nunes Belforl e 1 criado, Fran-
cisco Xavier da Silva Marques, ionizio Rodri-
gues- Mello Castro, Theodoro Torquato Bamos, An-
loiiioFern.mdes da Silva, Antonio Neto de Barros,
Joaquim Moyss da R >sa, Manoel do Souza Bt-
tencurl, teneute-cororiel Vcenlo Alves de Aguiar
e Mariano Lopes Rodrigues.
Seguem para o norte.
Antonio de Luca, Domingues Jos N. Jaguarbe,
capilao Mauoel B. Albuquerque. Jnior, Francisco
X. de Carvalho e seu fllho Francisco X. de C. J-
nior, alferes Antonio F. Cavalcante, 8 ex-pracas,
Mariano Nu'ies T. do Mello, Guilherme Celeiio,
Manoel M. Villar, Pe ln A. B .rges e seu irmo,
Arlhur A. Borges, Pedro Sombra, Jos S. Manoel
Castanheira, Jos de C. Euzebo, tenento Antonio
de Souza llego. M.n >el V. F. da Silveira, 1 e cra-
vo, Antonio J. Villa-Nova e i escravo. 7 ex praeas,
2 eseraros do Sr. Castro, Manuel J. R. da Cunha,
Dr. Alfredo Poinpilio da S, Gmealves, Dr. Itay-
mundo J. P. de Castro, tenente-coronel Antonio
P. da S. FraJe e 1 escravo, lente Joaquim V.
de Barros, lente Joaquim Campos de Mello c
sua senhera, 1 ex-pra^j.
Sahidos para Mossor no hate braslelro S.
Joo Baptista :
Claudio X. da Fonreca, Cicero C. P. da Silva.
Cosme D. L Pinto, Manoel C. de O. Goes. Jos A.
Ferreira, Caetano J. Bernrdez Joaquim J' de
Sant'Anna. Jos Paulino F. Maia, Francisco B. C.
de Albuquerque, Felippe de A. Barrete e um es-
cravo.
Entrados de Tamandar e escalla no vapor
Parahuba :
Preciano de B. A. Luiz e 3 Idos. Antonio dos
Santos Vital, Pedro Joaquim Vianna de Lima, Jo.-
G. Ferreira Jnior, Sebtstio M. Bananeira Gui-
maraes, Joao B. T. Brrelo, Joao M. T. Barreto J-
nior, Joao Ferreira da Silva, D. Anna Rufina Pa-
checo de Souza.
CEMITERIO PUBLICO.Obituario do dia 21 do
.orrenie :
Manoel, Pernambu^o, 4 mezes, Santo Antonio ;
marasmo.
Umbelina Maria da Conccicao, parda, 57 annos,
AFFOGAMENT.No dia 18 do corrente, s 8
horas da tarde, cabio ao no Capiburibe, quando
se aehava brincando no caes, dessa deuominacjl ,
a menor Mara, (liba de Mara Thereza da Paixao,
desappareconlo mmediatamente.
O cadver foi tirado do rio no da seguinte.
PHOCLAMAS. Foram lidos ante hontem na
matriz da freguezia de Santo Antonio os proclamas
seguinte^;
1.' denuneacio.
Antonio Domingues Alves Maia, com Antonia
Francisca de Jess Villar.
_ PASSAOCNS.
Do Sr. deserabargador Gitirana ao Sr. desem-
oargader Guerra.Appollaeao civel: appellanle,
Antonio'Ferreira de Souza: anpellad'. Manoel
Dullra de Sooza.
DoSr. deserabargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourenco Santiago.Apnellacoes crimes:
appellanle, Vicente de Salles Gomes; appellado,
o juizo. Appellante, Antonio Telles de Mondn
ca; appellado, o iuizo. Appellacao civel: appel-
lanle, Pedro Collares da Silveira: appellada, a
fazenda.
Do Sr. dosembargador Guerra ao Sr. deserabar-
gador Lourenco Santiago.Appeliacoes cives :
appellante, D. Joanna Mara das Dores; appellado,
o pardo Antonio por seu curador. Appellante,
Antonio Francisco de Salles Pessoa; appellada,
Thereza Maria de Jess. Appellante, D. Jopheza
de Jess Gon$alves; appellado, Joao Lucio da Cos-
ta Mocterc. Appellanle, Manoel Florentino dos
Santos; appellado, Barthotomeu Brandao do So-
bral. Appellanle, Feliciana Maria Olympia; appel-
lado, Jos Ferreira Colho. Appellanle, Manuel de
Azevedo Pontes; appellaJo, Jaao do Deus Guima-
maraes.
Do Sr. deserabargador Lourenco Santiago, ao
Sr. desembargador Almeda Albuquerque. Ap
pellacao civle appellante, Jos Teixeira Machado;
appellado, o coronel Joao Luiz de Vasconcellos
Do Sr. deserabargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Motta. Appellaeoes crunes:
appellante, o juizo; appellado, Antonio Alves Be-
zerra. Appellanle, b juizo ; appellados, Jos Vi-
cente de Freitas e outros. Appellante, o juizo;
appellado, Jos Vicente Pereira. Appellac5es ci-
ves: appellantes, Joaquim Jos dos Santos e ou-
tros; appellado, Antonio Francisco dos San-
tos. Appellante, o confu porluguez; appellada,
D. Mara Gertrudes M. Machado.
Do Sr. desembargador Molla ao Sr. desembar-
gador Assis.Appellacdes cives : appellante, o
padre Jos Jacntno B. Bezerra; appellado, Anto-
nio Slvero do Naseimenlo. Appellante, Al ex a u
dre August) de Fras Villar; appellados, a viuva
Neves A C. Cardoso. Appellanle, Manoel de Mes-
quit Cardoso; appellado, Ignacio Pedro do as-
cimento.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarga-
dor Domingues. da Silva.Appellacao civel: ap-
pellanle, Joaqnim Bodrigues Tavares de Mello ;
appellado, Dr. Bornardo Antonio de Miranda Cas-
tello Branco.
Do Sr. desembargador Souza Leao ao Sr. des-
embargador Gitirana.AppellacSes civeis: appel
lante, Jos S.; appellado, Pedro da Costa .o Sil-
va. Appellanle, Manuel Jos Carneiro; appellado,
Joao Athanaso Botelho.
Assignou-se dia para julgamento dos seguinles
fetos:
Ai'Pklmcoes cives.Appellante, o pardo Ma-
linas; appellado, Jos de Barros Wandorley. Ap-
pellanle, Goncalo Marinho Falcad; appella/to, Mo-
reira Pinto. Appellanle. Jos Antonio de Olivei-
ra; appellado, Francehno do Bomtira. Appellanle
Jos Rodrguez da Paz; appellada, Helena Maria
da Concecao. Appellanle, a parda Angela por
seu curador; appellada, D. Virginia Zenandes
Ferreira. Appellante, D. Hermclina Mara da
Conceico; appellada, D. Clara Peilome.
Appeu..\coi;s crimes.Appellante, o juizo ; ap-
pellado, Daniel Jos Vicente. Appellante, o juizo :
appellado, Alexandrc Ferreira Lisboa. Appellante
Joao Paulo Valenie; appellado, o juizo. Appellan-
le, o juizo; appellado, Alexandre Ferreira de
Souza. Appellante, Lourenco Justiniano Duarte:
appellado, o juizo. Appellanle, o juizo; appellado,
Clemente Jos de Barros. Appellante, o juizo;
appellado, Florencio de Paiva Cavalcante. Appel-
lanle, o juizo; appellado,Jos, escravo. Appellan-
te, Manoel Joaquim dos Santos; appellada, a jusli-
ca. Appellante, o capitn Joaquim Ferreira Maia ;
appellada, a justica. Appellante, o juizo; appella-
do, Pedro Jos Bodrigues.
As 2 horas da tarde eneerrou-se a sessao.
PUBLICACOES A PEDIDO.
I

solteira, Boa vista, hospital Pedro II; tubrcu-
los pulmonares.
Capilnlina, Pernambuco, 20 annos, solteira, Boa-
vista ; queiinadura.
Joaquina, Pernamouco, 1 anno, Santo Antonio ;
(ebre biliosa.
Severno Jos Peres, Pernambuco, 12 annos, sol-
leiro, S. Jos ; dyarrha-t.
Jos de Menezes Jnior, Portugal, 70 annos, casa-
do S. Jos; erysipela.
CHRvNICA JUDIfiURLl.
TRIBUNIAL. DA IHl-AC*.
SESSAO EM 20 DE NOVEMBRO DE 1869.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO CAETANO
SANTIAGO.
As 10 horas da manha, presantes os Srs. des-
embargadores Gkirana, Lourenco Santiago, Guerra
procurador da corda, Almeida Albuquerque, Motta,
igs, Doria. Domingues da Silva, Regueira Cosa
nSouza Leio, e w juizes de direito eiva, Abiiio
e Oliveira Maeiol, abrio-se a sessao.
Pausados os feitos, deram-se os seguintes jaga-
mentas:
Aikmavo be PEwgo.Aggravante, o bacharel
Joaquim Jos daFonseca; aggravado, o juizo.Re-
lator o Sr. desembargador Guerra, sorteados os
Srs.desemhargadores Motta e Regueira Costa.Ne-
garan) provunento.
Habas coarus.De Jos Francisco dos Santos,
aegou- se soltura.
Appellacoes cmiiESAppellante, o juizo; ap-
pellado, Alexandre de Souza FalcAo.A' novo ju-
ry, appellante, o promotor; appellado,Demingos
Duarte de Carvalho.Improcedente. Appellante,
o promotor; appellados, Guilhermina Mara da
Concei^ao e o escravo Germiloo.Improcedente
quanto a r, e quanto ao reo escravo peremnta a
aceusacao. Appellante, o promotor; appellado,
Joaquim Jos de Sant'Anna.Improcedente.
Revista chime.Beeeorrentes, Francisco Lages
e Jos Antonio da Silva; reccorrida, a justi
ca.Julgou-sc para reformar a sentenga para o
grao mximo do art. 121 do cdigo criminal.
Revista civel Reccorrente, a Santa 'lasa da
Misericordia; reccorrdo, Agostinho Lourene..
Doria.Relator o Sr. desembargador Gitirana,
sorteados os Srs. dssembargadores Motta e Souza
Leio.Julgou-sc a favor da reccorrente.
Aplla3s avnt.Appellantes, Tasso A Ir-
mao; appellada, a fazenda.Confirmada a sentan-
ea. Appellante, Luiz por seu curador; appellado,
Dr. Francisco Pinto Pessoa.Recebidos os embar-
gos. Appellantes, Alexandre Ferreira A C:; ap-
pellada D. Mara Cordeim.Despresados os em-
bargos. Appellante, Jos Gimes Rodrigues do Al-
buquerque; apoeladus, Manoel Mana e ou-
tros.Reformada a seranca. Appellante, Anta-
dio da Cruz Lado; appellada, Andreza Maria de
Jwus.Despresados es embarj.w. A^pellaule.
Luiz Emiliano d* Fgueiredo ; appella Jo, Manoel
do Ariyjo Gaern.-4erormada a Malenca.
E' dever de cortezia apresentarse e candidato,
que aspira a honra de urna eadeira na cmara
dos deputados, ao corpo eleiloral para solicitar-lho
o snlTragio.
Digo qtfa dever de cortezia tao somente ; por-
que entre nos as pratras do sysiema representa-
tivo anda nao chegsrain a sua perfeco.
Solicita o candidato o voto de seus correligiona-
rios, era nome da mesma coinmunhn de ideas, e
eom isto se contenta : outras vezes faz valer seus
servcos e, despndo modestia, seu merecimento ;
e eis ludo.
Enumerar, porm, servcos e allegar mrito nao
fcirefa que deva caber ao candidato : ao corpo
eleiloral e que compele aquilatar este ; e julgar
daquelles, para eseolher o cdadad que tem exercer tao importante cargo, qual o de represen-
tante da naean.
Quando muilo (e o que se pratca nos pai-
zes que se regem pela mesma forma de gover-
no) os candidatos s indirectamente deveriam so-
licitar esta eminente honra, oxpondo era reuuioes.
ou pela iinprensa, suas ideas, seu pcnsain-mt
sobre o> negocios pblicos e as quesles de acta-
lidade.
Era assim que o sysiema conservara sua pri-
mitiva pureza, e a esculla do depntado, maoites-
lando-se com mais esponianeidade, e por modo
i|iie este honroso mandato pareeesse antes offere-
cido que solicitado, elevara por certo o cidado
altura de tai encargo.
E\ todava, o contraro o que so observa em
nosso paiz. O canJidato 011 e de anle-mo desig-
nado ; ou se limit a solieiuic.des, urnas vezes ba-
scadas as relaefies de familia, nutras as influen-
cias locaes; e sempre sob a accao mais ou menos
directa do governo.
II
Acostnmado o povo a esperar.ludo do governo,
coinpraz-se na doce confianza de que, salvo o quo
toca a seus interesses domsticos, tudo o mais sera
sali-feito pela soliclude administrativa, deixando
umita vez que ella penetre al o solo do dominio
privado.
Parliudo d'ahi, fcil ser ajuizar o grao de in
fluencia, que exercem na cleicao os representan-
tes de autoridade.
Qual vem a ser, pois, a qnestao poltica, posta
assim ante o escrutinio r Nenhuma.
E de tal ordem de cousas, e tal estado de ednea
cao poltica, o que resalta ? Um mal enorme, mal
que tem alrophiado o nosso deseuvolvimenta po-
ltico, e vera a ser ; accao decisiva do giverno so-
bre o pessoal eleiloral, subjercao do espirito, poli
licoao local, corrupcao sysiemaiica dos costuraos
pblicos, o aniquilado da iniciativa provincial o
individual em proveito de ama centralisaco exa-
gerada e perniciosa.
Chamo exagerada e perniciosa; nao porque en-
tenda assim a centralisacao que, assentada em
sua verdadeira base, sem subordinar o interesse
local ao ger.ii ; nem intarpecer osle, sustenta o
poder e unidade nacional, e o fundamento da
ordem, da juslica, e da liberdade ; mas sira a que
entre nos vai sendo pralicada.
Vokandirao sssampto do qoe mo ocenpavaj^diy
go que a interferencia da autoridade na eleicao
um mai, que cumpre extirpar, tratando de ob-
termos a educacao poltica que no- falla.
Com as leis que temos, ou com outras, e sem os
eostumes pblicos o mal persistir sempre com
mais ou menos inlensidade.
Nao sao, pois, tanto s leis quanto aos eostumes
qne estao pedindo reforma.
Sem derramamento de instrueco por todas as
classes ; sem a Crequencia de reunidos polticas,
que cria o amor da cousa publica; melhor ad
minitrcad da juslica, emancipaco municipal;
e para dizer tudo em urna palana, sem a noco
do d reito edo dever, que e a alma da verdadeira
liberdade, jamis os conseguiremos.
InfeBuante sao de tal ordem os obstculos,
cora que lucamos, que nao fcil vence-los, sen-
do-nos preciso lempo, antes do tudo.
Nao quer isto dizer que actualmente multas de
nossas leis nao precisem de reforma ; porm con-
fio mais na dos eostumes e no lempo, do que as
r- forman das leis feitas com aeodamento e sem a
previa dinacao prqpra de povos que se regem
por mstituicdes livre.
Exerca cada um o sea direito de exame e de
esculla, e estou eerto de que o poder oao dir
sempre a ultima palavra, e o pas n<) pensar,
od ha de obrare respirar somante aos impulsos
desea poder.
W
Ful mais ionge do qne pretenda; mas vendo
aproxiiar-se a pocy, em que tam de ser esco-
Ihido ontro depntado pelo districto a qne perten-
ce essa Mostrada capital, e sem que candidato al-
gara se leona npresentado pela imprensa a por
sua.- ideas; entend conveniente despertar sobre
este aasumpta o espirito publico, estimando ver
discutidas estas fnestes de actualidsde, que ah
esto chamando os homens polticos i arena.
Bem quzera ver transplantadas para o nosso jn
paJx fssaf praiiCM de yerdadeiro aystecoa repre- i cido *
sontativo, para quo viesse a ser eleito aqnelle qae
fosse espontneamente cscolhide pelo corpo eleito-
ral ; e dio (pie a eleicao continu a ser o rc.-ulta-
do de convenienciss fallar.es, sempre contrarias ao
verdadeiro interesse publico.
Vendo, pois, tao abandonado de pretendentes o
campo eleitaral, ouso anda apresentar-me a urna
candidatura, na qual j fui vencido, verdade ;
porm por outros mais dignos, mais capazes de
desempenhar lid alt msso, e do quo acabara do
dar na can ara lao exuberantes provas.
Apresenlando-mo de novo, quero dever minha
eleico lao omente ao sentimenta, que porvenlura
possam ranhas ideas inspirar ao corpo cleitoral ;
porque enu ndo que nella vai am julgamento po-
ltico. Desla Cont c da confianca que em mim (Or
depositada, e com a qual ainda me honran) al-
guns amigos, que de outra vez j levaram as ur-
nas meu humilde nome, que podere trarCorc
bastante para desempenhar Ufo honroso qaaodif-
ficil mandato.
Recife, 20 de oulubro de 1869.
ATTEgiO.
E' mxima do conselheiro Bastosque a since-
rdade que de ordinario se v, nao sean nm
disfarce, on dissimutacao para atrahir a connanca
dos outros.
E realmente, esta verdade acabo cu agora de
verificar em um Sr. Francisco de Gouveia e Sooza,
que ha l para as bandas do Rie Formoso, e quo
tanto tem sabido inculcar-se de sincero e de ho-
nesto para as pesssoas daquelle lugar.
Hoje, porm, essas mesmas |iessoas, sabendo o
que elle acaba de pralicar comigo e os faclos que
lera praticado com onlros, cerlamente que deixa-
ro de t-io no conceito era que o linhara.
Pelo que acaba esse Sr. Gouveia de pralicar
comigo, parece me estar ouvindo todos dizerem
que elle nao esse hornera bora e sisado como tao
manhosamente snube apregoar-se.
E nem sei que outro juizo se possa formar desse
Sr. Uouveia, desde que elle.depos do ter confe^sa-
do nos autos do inventaro da fallecida D. Manoel
Francisca de Moura (de quera por infelicidado dos*
demais inleressados, inventarame) que os es-
cravos descendentes da prea VicUiria me deveriam
ser entregues, visto ter sido ella doada a minha
mulher por seu av, todava confirmada essa sua
confiscan por accordo do supremo tribunal da
relacio, quando vou ao Ro Formoso dar execu-
co o accordo, eis que encontr ernbaracos oc-
cultamente aguados pelo Sr. Gooveia !
Por certas crcumsiancas, e conjecturas (qoe
logo fare o publico sabedor dellas) son forcado a
liensar assim, porque, recorrendo a juslica do lu-
gar, s achei injustica I...
Sera que isto paroca d-elaraacao, posso dize-lo
assim; porquanlo, rejuerendo para o Sr. Gonveia,
como depositario judicial dos bens, ser intimado
para, no peremptono termo de 24 horas, e sob
pena de priso m'os entregar, o despacho que tive
fuiquo o flzesse notificar para, na forma da ord.
do livro 3." titulo 86 g 15, fazer a entrega.
Ora, que port se me maudava escancarar para
as chicaras, e protellacdes do Sr. Gravea I...
Quera nao v, e quera nao abo que e-ses dez
diasque a ordemnacao manda assign.tr, e que
alias poderao, pelas astucias da chicana ser mul-
tiplicados por rauitns dez dias, sao somonte para o
vencido em accao reai, ou pessoal le persecuto-
ria, como ensiiia Pereira e Souza, not 786 ?
Quem nao v, e quem nao sabe, que nao sendo
o Sr. 'iouva venera >, porque a elle nao se propoz
accao, a elle na 1 se fez demanda, e ante* >endo,
do nra certo modo, venceder, pirque os trbunaes
conOrmarara a contisso qne elle fez de deverem-
rae ser entregues os escravos, e sendo sobreludo
depositario judicial delles, est por isso obligado a
entrega-Ios em 21 horas, como cnsioam todos os
jurisconsultos, e cora elles o mesrao Pereira e
Souza, nula 950 .'
Sao modos de entender : e juiz emende assim....
digam os entendedores, quera andn acertado?
Para pleno eonheeiniento da lesura do Sr.
Gouva nesle negocio, arada devrrei dizer, que
indo o meu advogado e meu genio, ao engenho
Paeavira, onde mora o Sr. Gouva, a verem se
elle queria sem qnestao, entregar os meas bous,
poupando-me assim o descosto de requerer contra
elle, depois de mil evasivas, lo futeis, quanto in-
sinceras, o Sr. Gravea, desalando a chorar, disse
que eslava prompto a entregar os escravos, c
que efectivamente podiara ser elles coiiduzidos
naquella oecasiao.
A e>ta docilidade, porm, do Sr. Gouva (qne
alas s se podo tradnzir por um brado arrancado
da consciencia) replicou o meu.alvogadoj dizeude
que nao recebia os escravos. que elle mesmo
fosse no dia seguinte ao Rio Fornio-o, c reque-
resse a entrega, toinando-se por termo uos autos
para ouvir-lhe de desnneracao etc. etc.
Cora effeita, no outro dia foi o Sr. Gouva ao
Rio Formoso, nao para requerer a entrega, como
prometiera, mas para dispor e agitar as comas....
e as pessoas.... no >enlido da opposicao quo en-
contrei !
Oh I quem acreditar que o Sr. Gravea proce-
desse eom tanta perfidia d.'pois de tanto ebomr
U Sr. Gotea tem una alma anglica : o Sr
Gouva mesmo assim muilo choro, mas suas
lagrimas sao como as chuvas, precuisosas sempre
de grandes tempestades i
Por ultimo, e para que nao fique na menor du-
vida a loupdiei vontade que tem o Sr. Gouva de
nao se desapegar do que meu, referirei o que
se deu cora seu genro o Sr. Diniz, a quem ainda
agora rendo e tributo ura voto de gralidan pela
delicadeza, c affabdidade de suas maoeiras para
comigo.
Esle polido moco so dirigi a mim, perguntan-
do-ine porque furnia eu me queria conipr e ac-
coiimiodar com seu sogro.
E eu Ino disse o que proponho c o que quero, e
o seguinte :
Que seu sogro me enlregue os meus escravos;
se preci-a delles enlregue-me somente agora os
de menor idade fieando com os outros para utos
entregar, depois que tirar sua safra.
Que seu sogro dos 7:000* em dinheiro quo tem
em seu poder, recebidos dos filhos do finado Joa-
qnim Francisco, por acommodaco do que judi-
cialmente se liquidoa dos dias de servico dos es-
cravos, calcule o que proporcionalinente rae taca
e me d, e caso nao tenha dinheiro agora, emad
aceitme etra dessa quantia.
Que exigindo seu sngro, que eu Ihe venda o di-
reiio quo teuho de herdero no inventario de D.
Manoela, para, como diz elle, nao ter mais dar?
e nem tomares comigo, estou prompto a vender-
Ihe, e para isto veja elle o queja est liquidado no
inventario, e o Jquanto tem de tocar-nie o d-u^e
em dinheiro ou em letra.
Que estando ainda por arrecadar alguns escra-
vos, que existem em poder do Sr. Joso Felippe de
Santiago Ramos, bem como a importancia dos
re-pectivos dias de servicos, calcule ello o que se
poder apurar cora o descont das dospezas, e me
d a parte proporcional, em dinheiro ou era ieira.
Dito Isto, perguntau-me o genro do Sr. Gouva
quanto eu queria pelos dias de servico dos esera-
vos, duranlo o lempo que sen sogro os tinha em
seu podar ; a duendo a que nada absolutamente
queria, disse-me o delicado moco que minha
propostaera sobremancira generosa e cavalleira,
que elle a na) sanecionava desde logo, porque
para tanto nao eslava aulorisado mas quo seu
sogro nao Jeixarla de aeccita-b.
Caso raro, e estupendo 1 Com poaco voltnu o
o genro do Sr. Gouva, e, cheio de pesar me disse
meu sogro nao nao aceita a ornosla,, elle
a nada quer aimuir: aecreseentando maismeo
sogro esi com urna vend nos olhos, etc. etc.
Que nome, ou que expheacao lera- esto proce-
d ment do Sr. Gouv ?
Eu cerlamente nao o sci dar ; s saber da-Io o
Sr. Gouva, ou quem souber fazer gentilezas 1...
Pois bem, v o Sr. Gouva assim apoaquentan-
do-me, v com seus amigos, proiectarfe e protegi-
dos d'ahi pondo em manobra todos os ardis para
atropeWar o meu n piestionavel direito, mas flqu.
certo que a qnestao ser de tempo, porque, qoande
eu achar juslica que se na incline, hel de tomar-
Ihe estrellas cootas, ,c enio j nao- serei eompla-
cente, nao Ihe disponsare um ceitd. Prometi, c
serei fiel a promessa.
Mas o quo ha de admirar em tudo, so disse Sr.
Gouva que por tanto lempo se impiogio de bou
e de honesto, se cratam tantas cousas, quo na car-
rera da moral sao lidas por imnwFa, por desai-
rosas, por torpes e por nfanv*
Quem sabe, se nao sSo calumnia-a-aleiveaias,
para mais sobresabirem w *** Sr. Goo-
vea?
Estoo qoe o Sr. Gouva mesmo, eovindn aizer
de outro o qae se diz d'alle, nao acreditara.
I Acreditara, por exem um bgm cq-
brasse indevidaawnti kanti.a
^----
ro> qae esse co>jradnr
ranjos do, e#3ment
L
1
V
V
s

. aa^aa^aa^
fc ^^H


Diario d Pernambuco Terca feira 23 de Novembro de 1860.
Nae acroditaria, ma* dizia : essc homem, se as-
sim ubrou le, (5 traanle.
Acroditerii, por templo, que nm homem ve-
lho, casad i, cheie de filh- inasso de urna
pretinha da sua raubada, 'vesse pan sellar'esse
amor platnico misturado emn o de Epieurn, um
mimoso liiliiuh) d'olla, e por lini, para abafar os
eiumes e reos da familia, e para mostrar despre-
90, casasso a tal pretinha cem um preto velho, e
sem um dos bracos ?
Nao acreditara, mas havia de dizer, que o tal
uiagano, com quanto fosse immoral, e rem ver-
gonha, todava anduu acertado na escolha do seu
rival, e substituto, porque j velho, o sem um dos
bracos, pouco poderia trabalh;ir par* sustentar
os encargos do matrimonio, o onto l ira elle o
ajudar etn suas faltas I...
Acreditarla, por oxemplo, que esso mesmo no-
mem, ou esse immoral, olhaudo ao travos o pobre
preto, marido toreado do sua chara Penelono afri-
cana, Ihe desso urna dsc tao grande de palmatoa-
das, que as ni i podendo o misero supportar mais
na nica mi que linha, passasse a da-las nos
ps, que hcaram ochados a ponto de nao pode-
reo ser raeltidos no tronco ondo os quera aiuda
prender ?
N5o acreditara, mas havia de dizer, que esse
demonio, alm de immoral, era brbaro e cruel I
Acreditara, por excmplo, que um homem es-
crevesse cartas outro. dizendoquaes as pes-
soas que receberam d'elle dinheiro, para fazercm
gentilezas e favores em negocios judiciaes ?
Nao temblara, mas havia de dizer que esse
homem era maldizento, mordaz, leviano e trai-
cooiro I ,
Oulras perguntas ainda teria eu a fazer para
o Sr. Gonvta as resolver, como intelhgcnte que
de sem consciemiu, o mestre em alchymia, mas
aqui naliso, nao s para me nao tornar mais
prolixu, como por que o que fica dito basura,
para loaran lodos sabendo quem 6 o Sr. Fran-
cisco de Oouva o Souza, e a usurpaeo, que com
o auxilio do oulros me est fazendo. Por ora bas-
ta, prometi que voltarei.
Slimoel Elias de Sfoura.
Horacio Pats Barreta.
Moiioet Ktidocio Paca Barreta.
Joao Feliif Pereira.
Declarapao.
O guarda do 3.* batallto declara ao ami-
go da ordem, que j no Diario de abbado
expoz os motivos pelos quaes deixava de
patentear os factos importantes succedidos
no 3. bata'hao, disciplinado... pelo Sr. te-
nentecoronelFrancisco de MirandaLed Se
ve ; procure portanto, o amigo da ordem
ter o precitado Diario, aflm de nao conti-
nuar com scus pedidos pela imprensa.
Quartel do Hospicio 22 de novembro de
18139.
O guarda do 3." batalho.
Para deputados provinciaes
do Io districto.
Dr. Francisco Leopoldino de Gusmo Lobo.
Dr. Francisco Teixeira do S.
Dr. Manocl Caldas Brrelo.
Dr. Miguel Lucio do AUmquerquo Mello.
Dr. lYlippe de Figueroa Faria.
Dr Antonio Domingos P-nto.
Dr. Miguel Jos de Almeida Pernambuco.
Dr. A. Witruvio Pinte Bandeira.
Dr. Manoel Joaquim Ferreira Estoves.
Elcitores de Santo Antomo.
bo de munic*, ISO d-b* cementos 200 barricas
farinha de trigo, 40 ilas aloisia, 16 pipas ell
liarris violto, 15 saceos pimeuta da India, 82 ditos |
feijiio, 17 ditos erva-doce, 4 ditos cominhos, 13 di-;
ios milito, 200 ditos farello, 315 cabas passas,
132 fardos papel de embrulho, K5 pecas do mote-
lia, 150 toneladas de sal granel; aos eonsigna-
REUEBEDORIA lllS RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Readimento do dia 1 a 20. .. 4|>:f3U174
Idtmdodial....... 3:201*430
48:4324604
CONSULADO PROVIN01AL
rtendimento do dia 1 a 20.
iden do dia 22.
74:348*022
5:415*499
79:763*521
Em nome e por propria dignidade do partido
conservador, protejamos contra a doulnna enut-
tida no coinmunicado publicado no Diario de
boje. .
ue a obediencia patata e cega com abdieacao
da propria consciencia seja a indolo do partido
conservador, como se aventuren a dizer o cotnmu-
nicante as linhas que escreveu, nina olfensa
Srave a este partido que, se sabe, verdade, ser
isciplinado ; e dabi lira sua (orea nos casos era
que a discipma importa sal vacio ao partido, sabe
tambem respeitar a lilier.lade de todos, e seu dirci-
to da escolha e de exames.. O partido nunca pre-
gou a donlrina contida no communicado de boje,
como doutriua sua. Contra isto protestam as
declaraees (eitas pelo gremio em fevereirodocor-
rente auno, quando organisou a chapa para depu-
tados, o artigo publicado pelo Vinte e Cinco de Mar-
fio, censurando mesmo a fonnaeo de chapa, quan-
do o corpo eleiloral compacto ; c factos nao me-
nos eloquentes, como sejam as candidaturas dis-
putadas fra da indieaeio do chele, pelos distrae-
ros conservadores Figueira de Mello e Aguiar, e
prximamente pelo Dr. Braz Florentino; eem
<3leicoos senatoriaes pelo conde de Baependy e Tris-
lo de Alencar.
Quem se inspira em lio nobres cxemplos nao
pode ser aventureiro, nem ter inlenco de retamar
os seos do partido, nem se Ihe pode cbalnar re-
belde. .,
Dizer que ha olT.-n^a em pedir voto ao eleitor, _c
que nao nobre a aspiracao de disputar a elcieao
ante o corpo eleiloral, c despropsito poltico de
tal quilate, que seiia fozer injuria ao bom sensodo
partido conservador procurar repeliir tao deseom-
munal proposeao. ,
A obrigacao do afeitar nao e o de mero portaaor
de chapa, e sim o de votar em seus correligiona-
rios segdudo sua consciencia, e de accordo com os
interesses d* partido; e o corpo elaitoral e o ni-
co competente para tal escolha, ejula aprecta-
voto seria lancado em terreno baldo e est-
ril, se fosse dado sem criterio o s por amor da
obediencia. __
A voz do chefe, certo, deve ser acatada, mas
orno conselho, e nunca como imposicao de von- j
tade. ,
E' assim que o excesso de zelo de alguns corre-
ligionarios na propagicao de doulrina tao contra-
ria dignidade do partido, o tem estragado, pare-
cendo dar razo no-sos adversarios, que, justa-
mente se fundam nislo para suppor-nos exercito
sujeito disciplina d > oonde de Lipo, abdicando
em favor do general a pobre faculdade de pensar,
oscolher o dirigr-sc na mas importante missao do
cidadao.
E' isto o que auterisa o pensar e dizerem que
nm eleitor nosso 6 antes urna machina que alaca
bavoneta, sem conhecea a razao, porque o faz, do
ue um ente dotado de vontade e liberdade.
R' isto o qae podo autorisar o epitheto que
muitas vezes nos atiram face, e que lodos os lio-
mens de coraco repellem. .
Os zelosos em excessos estragara os partidos, o
desconceituam os chefes, assim como as palaciauos
sao milita* vezes cansa das quedas dos m marchas,
fazendo por seus a tos o palavras, suppor-lhes in-
tencoes, que eslao longo de >eu espirito. Desen-
gae-so o zeloso communicante, a theona da obe-
diencia passira em poltica por demais antiqua-
da e reprovada pelos proprios chefes do partido
conservador; nao tam razo de ser abracada pelo
actual corpo eleiloral.
Isto basia, como um protesto da injuria leda em
nome da disciplina a um partido inteiro.
Recife, 22 do novembro de 1869.
noventa e um.
Ao corpo eleltoral do prluielro
disirlcto.
Rccommendamos ao Ilustrado corpo eleitoral
do primeiro dislricto, o nomo do nosso distincio
comprovinciano Dr. Bento Ciciliano dos Santos Ra-
mos, lllho de um dos mais^distinctos e prestrnosos
memoro* do partido conservador, o nosso amigo
Berilo dos Sanios Ramos; moco distincto e de in-
teligencia nao vulgar, nao trepidamos em apre-
senta-lo ao corpo eleiloral, cortos do que sera
acceito.
Independente por sna posicao e fortuna o ar.
Dr. Beito Ciciliano dos Santos Ramos merece o
nosso voto, e portanio convidamos os nossos ami-
cos a que lhes prestem os seus votos.
6 Um eleitor do Recife.
Deputados provinciaes pelo
districto.
Bario de Muribeca.
Dr. Bento Ceciliano dos Santos Ramos.
Dr. Jos Nicolao Tolenlino de Carvalbq.
Dr. Pergentino Saraiva de Araujo Galvao.
Dr. Manoel Barbosa de Araujo. .
Dr. Antonio Domingues Pinto Jnior.
Dr. Felippe de Figueiroa Faria. _
Dr. Francisco Leopoldino de Gusmao Lobo.
Dr. Luiz Salazar L. Moscoso da Veiga Pessoa.
COMMERCIO.
PHAgA DO RECIFE 22jOE NOVEMBRO
DE 1869.
as 3 1/2 Honxs da TAnna
Assucar da Parahyba5267 por 15 kil. posto a
bordo.
Algouao da Parahyba 1- sorte 1*000 por kil.
poslo a bordo, frele de |4 e 5 0|0 por libra,
dem idem 2J sorte. 932 rs. por kil. posto a
bordo, frete do 3r4 e 5 0|0 por libra
dem dem sorle-946 8 1*014 por kd. posto a
bordo, frete de 5i8 e 5 OjO
Cambio sobre Londres 90 d/v. 19 3|4 e 19 7|8
por 1*000.
Cambio sobro Pars 90 d|v. 484 rs. por franco.
K. J. Silveira
Presidente.
LealSeve
Socrouno.
Sociedade baacaria em com
inaudita
Theodoro Simn df C,
Compram e vendem por conta pro-
pria metes, moedas nacionaes, e estran-
geiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e outros ti
talos commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaccOes, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebem quaerquer quantias em depo-
sito, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Pelourinho n. 7
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio entrado no dia 21.
Liverpool58 dias, brigue ingle* Quem of tke
Avon, de 161 toneladas, capitao Frederico Jo-
nes, equipagem 8, carga fazendas o outros g-
neros; a Saunders Brothers & C.
Navios sonidos no mesmo dia.
Ba -celonaBrigue hespanbol Pepe, capito Emilio
Maresca, carga algodao
Uavrebarca franceza Monsse de Nantes, capitao
Veschi, carga assucar o algodao.
Re da Prata-Escnna norto-allema Almuth, capi-
tao W. Rener, carga assucar.
Navios entrados no da 22.
New Castle51 dias, brigue inghz Junesfalen, de
271 toneladas, capito Henry Fulcher, equipa-
f,cm 10, carga carvan; a companhia do gaz.
gala 8 dias, barca Ingleza Abeone, do 347 tone-
ladas, capito S. Maslcx, equipagem 11, em
lastro ; a D. C. e C. C. Simpsoo A C.
Marseille 36 das, barca francez i Reine Margue-
rile, do 276 toneladas, capito Danet, eqnipa-
liem 10, carga varios gneros; a E.. Burle
Cardilf 48 dias, brigue taglez Elisabelh Rose, de
I6 toneladas, capitao J. Scott, eqnipagem 7,
rarvao, a ordem.
Portos do snl6 dias, vaper braseiro Totantins,
jommaodante Jos M. Ferreira Franco, equipa-
nera 52, carga diflerentes gneros; a A. L. de
0. Azevedo t C. ...
Tamandar e escala 7 horas, vapor brasileiro
Parahyba, de 104 toneladas, commandanto Mel-
lo, equipagem 14, a companhia Pernambucana
LiverpooL-32 dias, galera ingloza Evelm, de 11/8
toneladas, capito J. Boag, equipagem 31, carga
sal; ao mesmo capitao Veio refrescar.
M;icei-3 dias, patacho inglcz Harbou* Grace, de
190 toneladas, capitao James Brown, equipa-
gem 10, em lastro; a Saunders Brothers i C.
Seguio para Harbour Grace.
Ro de JaneiM19 dias, barca franceza Mayotle,
de 414 toneladas, capito Legoube, equipagem
II, em lastro, a ordem.
Navios saludos no mesmo da.
Canal-brigue inglez Canadee, capito H. Coombs,
carga assucar.
Pcrtos do sulVaper braseiro Giquw, comman-
danto Azevedo, carga differentoi gneros.
Obseivacocs.
Suspcndeu do lamaro para a Parahyba, o bri-
gue inglez Florease, capito John Eloxd, com o
rasmo lastro que trouxe do Rio do Janeiro,
dem para o Rio Grande Norte lugar inglez
Adelinus, capitao D. Barell, com o mesmo lastro
que trouxo do Rio Grande do Sul.
Sabbado, 11 de novembro
SOB A DIRECCAO DO ARTISTA COLAS FILMO, NA
* FABRICA DE CKRVEJA DO
S. HENRIQE 1 EY-DEN, A RA DO SEBO.
A' ascencio de urna grande gyrandola de fogo
artificial annunciar a execucao do brilbante fes-
tim qno ser dividido em duas partes, executan-
do antes, variadas pecas de msica, as bandas
marciaes do 1 batalhlo do artilharia o a do corpo
de polica, cujos mestres generosamente se pres-
lam a obsequiar o seu cillega e irmo d'arle.
PRIMEIRA PARTE.
Blercada'nteSymphonia Ganbaldi.
VerdiMiserere da opera-H. Trovatore, executa-
do na flauta pelo Sr. Candido Fiiho.
Colas FilhoSymphonia caracterstica Fogo do
sul, fogo do norte.
DonizetliCavatina da operaTorquato Tasso, pe-
lo Sr. Candido Filho.
CardimA grande batalha do Riachuelo, con-
cluido com o hymiio nacional, pelas duas ban-
das e a orchestra.
Col FilhoPolka Minerva, dedicada aes Srs.
acadmicos da Faculdade do Direite.
'Colas FilhoNova quadrilha intituladaA amol-
lacao.
SEGUNDA PARTE.
Brilhante fogo de artificio pelo hbil nyrothech-
niea o Sr. Jos Alves Monteiro, no qual dWenvol-
ver toda a pericia de que c dotado esle artista,
terminando por urna agradavel sorpreza aos dilet-
tanli.
Os bilhetes de entrada a 1*000 por pessoa,
acham-se a venda ra Bella n. 30, o no dia de-
signado para o Festival, na fabrica de serveja.
Coihccar as 8 1/2 horas.
I Umr machina de costura perfeita, 1 machina de
lavar roupa, 1 coslnroira, 1 eaixa para guardar,
gelo 1 moa do jago, 1 marquezo, 1 santuario, I
mesa de cosinha e mullos oulros obieetos.
Por inlervero;o do agente Pinto
o Fobrado ds ra do Imperador n. 47, ondo mo-
rou o Sr. Custodio Jos A. Guimares. ^__
LEILAO
ta-

Dos gneros e armado existentes na
barra sita a ra Nova n. 48.
O agente Pontual competentemente autorisado
vender em leilo todos os gneros o armaco
existentes na taberna cima estando todos em es-
tado perfeito e sendo tambem de primeira quali-
dade. O loilo ser feito n'um ou em mato lotes
a voniade dos licitantes, podendo desdo j estes
exarainarem o balanco, o qual acha se na mesma
taberna, sendo ditos gneros e armacao vendidos
em virtudo de ter o seu proprelario de mudar do
negocio.
HOJE.
Dever ter lugar o leilo na mesma taberna as
10 horas.
AVISOS MARTIMOS.
LEILAO
Do diflerentes pecas de papel para forro
de salas, ditas de guarnirlo e burras,
HOJE.
Assim como :
Urna boa mobilia de amarello, 1 piano, 1 cama
I revolver e outros nbjectas.
Por intervencao do agente Pinto.
No sobrado da ra do Imperador n. 47, onde
raorou o Sr. Custodio Jos Aives Guimaracs, c
por occasio do leilo de movis que deve all ter
lugar.
EDITAES.
THEATRO DE UNA
Srs. Redactores :--\ sociedade s repre-
senta a unidade de sua propria eleiyao,
qoaudu entre scus membros reina religiosa
fraternidado. Assim. os Itahitantes deste
povoado dos Montes satisfeitos entre si com
o desempenho dos insignes artistas do pal-
co do tlieatro de Sania Isabel, boje (des-
graciadamente) reduzido a cinzas; vem pelo
prsenle mostrar seu profundo reconheci-
mento esses artistas, que desde o dia 7
de setembr at 11 de novembro do cr-
reme anno, por mais de urna vez, mostra-
ran o quanto valem o mrito e as artes en-
Ddsta sorte, os habitantes do referido po-
voado prestando a devida liomenagem ao ta-
lento de qurf dispem na arte dramtica os
Srs. Pedro Baptisia de Santa Rosa, Gil Braz,
Braga, Antonio Jorge e be.n assim os de
mais benemritos artistas que tanto se es
forgaram no cumprimenti de seus deveres,
de modo nada desejar-sc, revelara, sen ro-
oonhecimenio com a publicacSo dos seus
nomes infras.
Montes, 46 de novembro de 1869.
Akxandrino Olympio de Holland Chacn.
trineo Januario de Oliceira.
Antonio Leite Magalhaes Basto.
Joaquim Augusto Xavier da Maia.
Deodato Gomes da Fonceca.
Manoel Figueiredoda Cunha.
Luiz Francisco de Paula Ramos.
Antonio Flix Pereira.
Joaquim G. Albuquerque S.
A. G. de 51. Lyra.
Francisco S. Assis Vasconcellos.
Francelmo ','anet de Santa Roa,
Jos Bezerra da Palma.
Joaquim Jos Moreira.
Siseuando Hilario Ramos.
F. M. Falco da Silva.
Joao Chrisostomo da Gusmo.
Gabina A. dos Santos.
Nascimeoto Ramos.
Antonio Arthur.
Antonio Jos dos Santos.
Manoel Ferreira Pinto.
Luiz Mirinho Falco da Silva,
Jos Narciso da Costa Cabral.
Jos Barbosa de Mello.
Jos Candido de&ou*a.
Jodo Antonio Alves.
Amonio Jos Pereira.
Jomi de Barros Cielho
Jotl Ignacio de Sou:
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Deseo ita lettras da pra?a taxa a con-
vencional*.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
praso fixo.
Saca vista ou a praso sobre as cidades
prlncipaes da Europa, tem correspondentes
na Babia, Buen*s-Ayres, Montevideo. New-
e New-Orleans, e emitte cartas de crdito,
para os mesmos lugares.
RA DO COMMERCIO N. 36-
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 20. Sgl-.SSlOM
dem do dia 22......65:551*422
Pela secretaria da cmara municipal desla ct-
dade, se faz publico para conhecimento de quem
iuteressar possa, que nao tendo sido arrematada
em odia 17 do corrente, como eslava annunciada
a obra da construccao de* vinte pares de cata-
cumbas no cemiterio publico, para adultos e para
prvulos, contina em praca a mesma obra em o
dia 24 do corrente, sob as seguinles condicSes
especiaos :
l.' A construccao dos dez pares de catacum-
cas que se tem de construir no cemiterio publico
dssta cidade, ser feito de conformioade com a
planta estabelecida, e orcamento approvado nesta
data, no valor de douscontos quatrocentos enoveu-
ta seto mil rs,as obras comeearo dentro de qumr.e
dias, depois de assignado o termo do contracto e
serab concluidas no praso do tres mezes depois de
comecadas.
2.* No caso que o arremetente nao compra a
primeira e segunda condieo, pagar urna multa
de trezentos mil ris, ficando o contracto de ne-
nhum valor no primeiro caso, e sendo concluida a
obra por conta do arrematante.
3." 0 arrematante dar dador idneo.
4." 0 pagamento ser feito em tres parcellas
iguaes, a primeira depois que a obra estiver no
mcio, a segunda quando se achar ella acabada, e
a terceira seis mezes depois, ficando o arrema-
tante responsavel pela deterioracao juenesse lempo
possa apparecer na obra feita.
Os;pretendentesarreinaco habihtem-se na ror-
nia da lei, e comparecam no dia indicado no paco
municipal. .
Secretaria da cmara municipal do Recife 20 de
novembro de 1869.
O secretario.
Franciseo Canuto da Boa-Viagem.
COMP.AMIIA PERNAMBUCANA
DB
"favega^So costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
,caty, Ceara, Mandah, Acarac e
Granja.
#g|w O vapor Ipojuca, commandant
i/tt Moura, seguir para os portos
JOHIM cima no dia 30 do corrente as 5 horas
la tarde. Recebe carga at o dia 29 encom-
nendas.e passageiros e dinheiro a frete at as
l horas da tarde do dia da sabida no escripto-
rio no Forte do Maltes n. 12.______________
Para Lisboa
A barca portugueza Pereira Borges dever se-
guir brevemente para Lisboa, j tem a bordo par-
te da carga, c para o resto trata-se com Oliveira,
Filhos & f, ao largo do Corpo Santo n. 19, 1*
andar, ou com o capito na praca.
COMPAA BIASILEIRl
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
ate o dia 29 do corrente o vapor
Guar, commandante o 1* l-
ente P. H. Duarte, o qual de-
_________ pois da demora do costume se-
guir para os portos do sul.
Desde j recobem-sc passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
*er embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
iua sahida.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
ieetos da pequeo valor e que nao excedam a J
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medi-
sao.
Tudo que pastar destes limites devera ser
embarcado como carga.
Previne-so aos Srs. passageiros que suas passa-
fens so se recebem na agencia ra da Cruz n. 57.
andar, escriplorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo 4 C. __
LEIliO
De algoriozinho avarlado.
A 23 do corrente.
3JO agente Oliveira far leilo por conta e risco
de qnem pertencer do 100 pecas de algodaozinho
avariado, vindo pelo vapor Amazonas, de Livor-
pool.
ponto,
as H horas da manha, no armazcm sito ra da
Cadeia n. 10, 1- andar, onde na mesma occasio
sero vendidas oulras fazendas annunciadas.
avariadas.
J. Ferreira Villda.
PIIOTOttRAPHIA I1IPERIAE
18A RA DO CABUG-----18
A entrada pelo pateo da matriz.
Esperamos que os trabalh de reediflcagoJMte
photographia qne j dnram cerca de dea unaas,
estejam acabados al a primeira quintana do mea
de dezembro prximo fuiuro.
O predio om que est colloeada cssa photogra-
phia acha-se mui aucmentado, e s a parto ieati-
nada ao estabeleclmento onta cinco f alas, achurre
as do laboratorio. Todos os concertos e augmen-
tes lendo sido feitos expressamente para se mentar
convenientemente a pho'ographia. e nao se poden-
do melnor modelo eseollier do que a Photographia
Imperial do Sr. I.nsley Pacheco do Rio do Janeiro,
o primeiro photographo *do Rrasil, e um ios pri-
meiros do mundo, segundo a opiniio do mais
abalisados mestres, a nossa photographia acha-se
disposla e reodillcada polo mesmo plano da do Sr.
I. Pacheco, a qual foi montada sob todas as regras
recommendadas pelos mais distinctos professore
de acord com as modicaeoes necesrias ao clima
do Rrasil, reconhecidas e "estudadas pelo habilissi-
mo e pratico Sr. I. Pacheco.
Todo o interior do predio em que est a nossa
photographia foi mudado de*de a soleira da porta
da ra at a coberta tendo-s|Mlemolido todas aa
paredes interiores pata se fazeTcm as novas salasv
edflsando-se um novo terraco envidrando moi
espacoso e elegante.
Como sabido lizemos urna viagem expressa-
mente a corte para examinarmos as melhores
photographias d'ali, o mi a do Sr. I. Pacheco,
que uielhor correspondeu aos nossos desejos e
aspiraqoes, e da qual trouxemos os planos depois
de ali cstarmos todo um niez estudando e apro-
veitando as lices de tao distincto mostr. Pen-
samos que juntando os nossos esludos e longa
ortica do lo annos de photographia as utilissimas
icoes ltimamente receidas do Sr. I. Pacheco-,
lendo montado a nossa photographia com se
acha, poderemos, apenas encelar os nossos novos
trabamos ollerecer ao Ilustrado publico dt
cidade, e aos nossos numerosos freguezes traba-
Ihos do photographia tao perfeiws como se poder
desejar, e disto convencidos esperamos que conli-
nem a dispensar-nos a mema- protecclo com
que a 15 annos nos ten honrado e ajudado.
Precisa-so de urna mulber que saiba com-
prar e cozinhar muito bem, de boa conducta, e
que trabalhe com limpeza. prefere-se escrava :
nesta typographia se dir quem precisa.
Prccisa-se do urna ama que saiba engommar e
cozinhar bem, prefere-se escrava : a tratar na rna.
do Imperador n. 65, 2* andar.______
Quinta-feira 25 de novembro as 11 horas.
O agente Pinto far leilo a requerimento de
Carlos Pinto de Lemos & C. e por aulonsacao do
Sr. cnsul de Franca, em presenca de um seu de-
legado e por conta e risco do quem pertencer de
urna caixa marca C P L 4 C n. 883 com 28 pe-
cas de brim de linho avariado a bordo do navio
francez Solide na sua ultima viagem a este porto ;
o leilo ser effectuado no dia e hora cima men-
cionados no ejcriplorio do referido agente ra da
Cruz n. 38.__________________
PARA
Para o designado porto pretende sahir com mui-
ta brevidade o palhabole Rosita por ter a maior
parte de seu carregamento prompto : para o res-
to que Ihe falla, trata-se com o consignatario Joa-
quim Jos Gencalves Itellro, roa do Commercio
n. 17.
947:082*504
Rio de Janeiro
Segu com brevidade para o poito cima o bri-
gue nacional Isabel, tem a bordo a maior parte de
seu cargamento; para o resto que Ihe falta tra-
ta-se com os consignatarios Antonio Luiz deOlivei-
ra Azevedo 4 C, ra da Cru n. 57, 1 andar.
Porto.
Vai sahir breve a barca Laura ; para carga
passageiros, irala-se com os consignatarios Carva,
Iho 4 Nogueira, na ra de Apollo n. 20. ______
LEILAO
para Itqmdagdo
De diversas mercaduras, gneros, vinhos,
miudezas, quinquilherias, objectos de
phantasia.
fciiarta-felra ao corrente.
O agente Pestaa far leilo para bquidacao
por conta de quem pertencer, de todo o a;ima
mencionado em diversos lotes e muitos oulrosjm-
jectos que se acharo patentes no acto do leilo e
quo dever merecer a atlencao da concurrencia,
no da quartafeira as 10 horas da manhaa no
caf com nercial na praca do Corpo Santn. 9.
Precsa-se fallar com o Sr. Itulino Thomaz
de Aquino, genra do Sr. Manoel Jos de Sonta, a
negocio do seu interesse, ou saber-se o lugar de
sua residencia, na ra do Qucimado n. 46, p. met-
ro andar.
A' ra estreita do Rosario
n.ll.
O dono deste estabelf cimento contina a (one-
cer comidas para fra, por rnmmodo preco, prom-
tido e esmero ; as quintas e domingos acha-se
a saborosa sopa italiana, como seja a ravioli talha-
teli, etc. Precisa-se nesta mesma casa de nm eo-
peiro que tenha pratica de hotel, dandese prefe-
rencia a portuguez ou hespanhol.
~ Na ra da Praia n. 7 precisa-se de urna ama
para caa de homem solteira________________
Aiuga-se
urna casa em Reberibe : a tratar com J. I. de M.
Reg, ra do Commercio n. 34.______________
Hypotheca sobre predio
Precisa-se de 1:500| a premio sobre nma casa
terrea sita na freguezia da Roa-viste, solo proprio:
a tratar na ra do Mondego n. 97._______ .
^
Da 3a parte
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
/olumes entrados com fazendas
dem idem com gneros
Volumes sahidos com fazendas
dem idem cora gneros
478
853
-----1331
178
333
----- 513
Descarregara hoje 23 de ontubro
Barea francezaSaint Andrmercadorias.
Barca francezaJean Baptiste'xdeta.
Patacho inglezPort/abacalho.
Patacho norteallemoCaro/invarios geneaso
Patacho hespanhol Portollasvinhos.
Patacho dinamarquezMaagareth -plvora
Patacho italiano.HargAwemarniore.
F.scona he^panholaJoven Ricardovinhos.
Barca inglezaBarlaclioumercadorias.
Brigue iuglezAdellaidem.
Patacho inglezAnne inora taboado.
Brigue inglezHuen of Ihe Acnmercadorias.
Patacho dinamarquezSarhidem.
Importarlo.
Brigue inglez labk, vindo de New-York, con-
signado a Augusto F. de Oliceira & C, manifes-
ton: .
400 caixas kerosene, 20 barricas farinha de tri-
go, 50 batris banha de porco ; a Keller 4 C.
50. ditos dita de dito, 525 caixas kerosene, 100
barricas farinha do trigo ; a Corea Irmao.
200 ditas dita de dita ; a Joao Quirino de Agui-
lar 4 C.
16 caixas relogios; a P. Maurer 4 L.
560 volumes adulas, 82 ditos tampos, 2i di-
tos arcos para barrica ; a Marques, Barros 4 C.
400 fardos papel de embrulho, 10 barrls banba
de porco, 9 caix cha, 10 ditas cravo, 10 ditas
canella, 250 ditas kerosene ; aManoel F. da Cos-
t c-
453 volantes adulas, 195 ditos arcos, e 65 ditos
tampos para bariieas; a Tasso Irmo.
4 caixas machinas para costuras; a Antonio
dos Santos Oliveira.
12 ditas agua Florida ; a Bartholomeu 4 C.
150 barris Danha de porco; a A. L. de Oliveira
Azevedo 4 C.
Barca franceza reine jiABGUEniTE, vinda
de Marselha, consignada a E. A. Burle C, ma-
nifestou :
25 caixas azeite de oliveira ; a Theodoro Just.
100 ditas dito de dito; a Rabe Sehuvthaa 4 C.
50 ditas dil i de dito, 10 ditas enxufre; a J. M.
Palmira. .
11 ditas lijlos, 2 barns vtnho; aflanry Lei-
den'4C.
8 ditos e 30 caixas vinho, 50 ditas azeile de oli-
veira ; a ordem.
150 ditas enxofrc 100 ditas sabao, 25 ditas
azeite de oliveira, 40 ditas sardinhas, 5 ditas pa-
pel, 50 fardos flores medicinaos, 300 barrte chum
33DECLABAC0ES.
Arremataeil
Pelo julzo deorphos desta cidade tem de serem
arrematedas por venda as seguintes propriedades,
pertencentes ao fnate Izidoro dos Anj js da For-
ciunctila, para pagamento dos credores do mesmo.
lindas lies audiencias do mesmo juizo : urna casa
terrea n. 11 sita no lugar denominado Baixa-ver-
de, na Capunga, freguezia da Boa-vista, de pedra
o cal, com urna poru e urna janella de rrente,
avaliada por 1:500*000 ; urna dita de dita n. 13,
nc mesmo lugar da Bixa-verde, na Capunga, de
pedra e cal, com urna porta o urna janella de
frente, avaliada por 1:300*000 ; um terreno no
mesmo lugar da Baixa-verde, o qual se acha par-
te alagado e parte aterrado, com 56 Ii2 palmos de
frente c 232 1|2 de fundo, a contar da casa n. 11
at camba, avahado por 565*000 ; um dito no
mesmo lugar da Baixa-verde, o qual se acha todo
aterrado, com 56 1|2 palmos de frente e 83 de
fundo, avahado por 1:130*000 ; urna quarta par-
le da casa n. 6, sita na ra da Esperanca, rregue-
zia da Boa-vista, de pedra e cal, com urna porta e
duas janellas de frente, avahada por 875*.
PARA.
O palbabote nacional Emilia recebe alguma car-
ia a frete barato : trata-so com Joo Francisco
la Silva Novaes, ra do Vigario n. 11.________
do hlate nacional
Amaro.
A 24 do corrente.
O agente Oliveira far leilo publico a reque-
rimento dos curadores flscaes da massa fallfda
de Maia & Espirito Santo, o por mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz de direite da 2' vara do crimo e subs
titulo da especial do comiucrcio nesta cidade, da
terca parte do hiate nacional Amaro, tal qual fe
acha aparelhado e surto neste porto, ende os pro-
tendentes podem examina-lo com antecedencia :
Quartafeira
ao meio da em poni, no salo de entrada da as-
soeiaco Commercial Beneficent destepraca.
t o i' rj
, ( i
Elpidio Cardoso Rsbello e sua mulher Ameba
Cardoso Rabell, convidara a seus prenles e ami-
gos comparecern na missa do stimo dia que
por alma de sua prosada e chorada mi e sngra
Emilia Lucia Cardoso Rabcllo, mandara celebrar
na matriz de Santo Antonio s 5 1/2 horas do dia
24 do eorrenle, pelo que se conessam desde j
gratos.
AVISOS DIVERSOS.
INSTITUTO ARCIIEOLOGICO E GEOGRAPHP
Rio Grande do Sul
Segu com brevidade para o porto cima o bri-
gue nacional Am'lia ; para o resto da carga que
Ihe falta trata-se com os consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo 4 C, ra da Cjp n. 57,
1 andar ..:_______
Hoje, pelo juizo de orphos deste cidade, se
ha de arremataren! hasta publica ao meio da, de-
pois da audiencia, os dous caixoes de casas na
ra dos Ossos, j annuneiados nos Diarios de 17.
18 e li) do corrento, avahados por 2:500* : con-
vidarse' aos concurrentes comparecerem a hora
indicada.____________*___________________
Terca-feira, depois da audiencia do Dr. juiz
do orphos e ausentes, vai pra?a por venda a
casa terrea com porta e janella, 2 salas, S! quar
tos, sita atraz da matriz da Boa-vista n. .18, per-
tencente heranca jacanie do linado Manoel Jos
Chalaca ; vai praca a requerimento do Dr. An-
gelo Henriques da Silva, curador da dita heranca
Pela secretaria da cmara municipal
desta cidade se faz publico qne contiourao
em praca no dia 24 do corrente para serem
arramatados por quem maior preco offere-
ceros alugueis dos tainos ns. 10, 11^12 o
13 do quarteiro do lado do sul, da ribeira
da freguesa de S, Jos; aquellos que pre-
tenderen! arrematar, comparecam no paco
da mesma cmara em o referido dia munidos
de habilitarlo legal.
Secretaria da cmara municipal do Reci-
fe, 20 de .novembro de 1869.
O secretario.
Fraucisco Canuto da Ba-Viagem.
Rio de Janeiro,
Para o indicado porto, pretende seguir com mui-
ta brevidade a barca portugueza S.Joao, por ter a
maior parte de seu carregamento engajado ; e
para o resto que Ihe falla, trata-se com o consig-
natario Joaquim Jos Goncalves Beltro, ruado
Commercio n. 17._________________________.
Porto.
Segu com brevidade a veleira c nova
portugueza Isolina, para carga e passageiros,
para os quaes tem excellentes commodes, trata se
com os consignatarios Antotio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.; ra da Cruz n. 57 1 andar.
barca
* k
cunha-
a tolos
Para a Baha
Toma carga o ter prompto despacho o patacho
italiano Margherita, capitao Ghersi : quem nelle
quizer tomar praca, pode dirigr-se ao escriplorio
do B. A. Burle 4 C, ra da Cruz n. 48.
llavera sesso ordinaria quinta-feira 23
do corrente novembro, pelas 11 horas da
manhaa.
ORDEM DO DIA
Pareceres e mais trabalhos de rommis-
ses.
Secretaria do Instituto, 22 do novembro
de 1869. '
Jos Soares de Azevedo,
Secret rio perpetuo.
O Dr. J. B. Casanova, pode ser
procurado qualquer hora em seu consul-
torio especial homeopatihco, ao Iprgo da
matriz de Santo Atonio n. 2. No mesmo
consultorio acha-se sempre venda os mais
acreditados medicamentos, de bomeopathia
e tudo quanto necessario para as pessoas
que se dedicam* ao tratamento por este
systema
Antonio V.da Silva Barroca, sna esposa,
das e cunhados agradecem cordialmente
os parentes c. amigos que se dignaran assistir as
exequias e acompangar ao cemiterio os restos
mortaes de seu Tallecido sogro e pai o Dr. Fran-
cisco Elias do Reg Dantas, e de novo os convida
para assistirem as missas do 7o dia, que terao la-
gar exta-feira 26 do corrente na matriz de San
Antonio, as 7 horas, o na capella d > cemiterio as
8 horas da manhaa, confessandose anda mais
agradecidos por esle acto do caridade e religiao-
Ao mesmo lempo eonvidam aos Srs. sacerdotes
para ctlebraram miasas por iotenco do sobredi-
to finado na referida iyreja e car

LEILOES.
LEILAO
De 1 fardo de madapolo, 1 caixa com
meias para meninos, com avaria, grani-
pos paraguayos e espelhps de columnas.
A 23 do corrente.
J. de Almeida 4 '. fario leilo por intervenco
do agente Oliveira e por conta e risco do quera
pertencer, das fazendas, supra mencionadas, im-
portadas ltimamente pelo vapor inglez Saladin e
pelo navio francez Solide.
HOJE
s 11 horas da manhaa, em seu escriplorio ra
da Cadeia n. 10, 1" andar.________
A viuvae filhos do Dr. Joo Ferreira da Si va,
convidam a todos seus prenlos e amigos allin de
assistirem as exequias o enterro de sua fllha e
irma Mara Ferreira da Silva, enjo acto tora la-
gar hoje pelas 7 horas da manha na igreja da
matriz de Santo Antonio.
Declara p raos dos convenientes que
por autorisacao do Exm. Sr. marquez de
blinda testamenteiro e herdelro da finada
sua mana D. Maria dos Anjos da Porciuncu-
la Cavalcanto, passei c|Has do alforrta, aos
escravosdo engenho Antas, perdoando o
mesmo Exm. Sr. a obrigacao que os mes-
mos tinhaiii de pagar de conformtdade com
o testamento certa quantia para as obter.
Recife 20 de novembro de 1869. Por
procurado.
Luiz Antonio Yieira.
A Recife Urainage Com-
pany Limited, precisa de pe-
dreiros e trabalfiadores: .tra-
lar as obras em construcqao,
no'largo das Cinco Ponas.
i i< ?sn
CORRER) (ER.U
Pela adminislracao do correio desla cidade se
faz publico que hoje (23) pelas 3 horas da tarde
fechar-se-hao para os portos do norte as matas
que o vapor braseiro Tocantins tem de conduzir.
Os jornaes sero recebido< at meio dia, e as
cartas a registrar al 1 hora da tarde.
As cartas ordinarias, postas no correio at meia
hora depois de (lodo o pcaso cima declarado, se
guiro a seus de>tinos oom o porte dupto;
Administraco do corre de pernambuao l* de
novembro de 1809.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
LEILAO
D. Umbelina Rosa de Lima Pinho agradece do
fundo de*ua alma a tedas as pessoas quo luteram
o favor de visitar o seu sempre chorado mando o
Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinito durante a sua.
enfermidade, e se dignaram acompanhar o seu ca-
dver ao cemilerio publico ; e roga-lhes o cari-
doso obsequio de assistirem a missa que qoer ia-
zer celebrar na quarta feira prxima, as 7 horas
da manha, na ordem terceira do Carmo, pek> sea
repouso eterno.
.ay
os seus amigos o piedoso obseqnio do as missa que tem de fazer celebrar quarta-reira
oroxima, as 9 horas da manha, no cemilerio pu-
blico, pelo descanco eterno do seu prezado o o
Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinho.
De movis, loiif a e vldros.
HOJE
A SARER ;
Um piano de armario, 1 mobilia de Jacaranda
com tampos de pedra, cadeiras de balanco do ja-
caranda, 1candelabro e 2 serpentinas de erys-
lal, candeiros a gaz, venezianas, 4 escarradeiras,
cadeiras para piano, cama franceza, 1 guarda
vestido de mogno com espelho, 1 eommoda, a ca-
bldes. 1 mesa elstica nova, 1 guarda louca, i
mobilia de amarello, 2 apparadores 1 apparelho
para jantar, 1 dito para almoco, vidros, 1 estante
quadros, tnarque9, cadoins avulsas e l porta
licor.
CASA DA FORTUNA
Aos 4:000#
Bilhetes garantidos.
A. roa do Crespo n.23 e casas do costme.
O abaixo assignado, tendo vendido a'f"!",8,8-
tras sones, um inteiro n. 1788 com *-0M da
lotera que se acabou de extrahir a beneficio do
patrimonio dos orphos (W), convida aos pos-
suidores virom receber na conformidade do
costume sem descont algum
Acham-se a venda os felites bilhetes da 1S
parte da lotera beneficio do patrimonio dos
orphos (18"), que se extrahii-a. segunda-teira
29 do corrente mez.
' Precos.
Os do costnme.
Manoel Marlins Fiuza.
Maria Francisca de Mello Tavares convida aos
seus parentes e amigos de sed serapro temblado
espaso Francisco Tavares da Silva, para ouvirem
?9 missas que manda celebrar na dia zo do cor-
rente s 6 horas da manhaa, no convento de S
Francisco, por occasio do anniversaiio de sea
passamento ; e desdo j se confessa eternamente
grata todos que se dignaren? comparecer a ate
aetu de religii" e caridade .
f
l


(
Amis.
Prcci casa de familia, sendo urna f
nos, eoutra pai !l*'1'
da Cadete do Recih 18, andar.
r de meni-
alar na ra


Diario le Psruambuo Terqa (ira 23 de Novembro de 1869
' *
Barmetro e term-
metro. Centgrado
a reoumeure.
BORZEGlllH DOMADO
Nova loja ie calpado
JOAQUIM DLA&DOS SANTOS* G. asaban de abrir ara tabetertwn* de eti-
cado este angeiro a ra Nova n. 30, onde o publico encontrar tudo e qoe oeste ga> "
aero de comraercio ha da melhor e de otis gosto em Caris e Londres.
Por todos os vapores transataotieos receberao lies constantemente remessas d
calcado nove, palo que teri sempre o estabelecimento o qno a respeilo se' pode eli-
gir. Ao publico era ge ral e a seos amigos em particular, pedera a cooperado, qu*
Ibes possam dispensar, certos de que serao servidos com lealdade.
iuincis
CSC33 !.."' C
o S s
- sr-o .
*o o." o I ""8
ce 3- G T 2. ^
riffifsfs
p"S"a'l,s.a 3
t. -
fe
B.= = o.
1* ~
S
ia
o 3
ce
e. =_^ s <* o. 5 . 1 =
ti u ,< e
__bs < =; i o
5
o ?
-, 2 =5 = -
M s- 3 .= -" a -
J|S3-3T.8i.8
3 = a 5 o 3
<* "a -* S 3 S = *
Z- ti i & n "i ?. t-r
Ej.3g*Ss-s.!f
2o93 S
ce a ce O q, p
E crystal de rocha do Brasil.
Prj. erntMia, rwommenda-sopttblico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
do; porque, com este*, vidros, a vista descanca, fortifica-se e nao cauca como com
i os vidros ordinarios. Urna vez escomido-oro. vidro, pode durar duz annos, emquanto
qoe, com os vidros ordinarios se est brigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cala vez aisitrossos, o que altera o cristalino do lho e determina quasi sempre do-
re? de cabera. 0 alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do lho, e,
todas as vezes que o objecto est mais perto ou mais loirg, os raios qoe expetle sao
mni convergentes mi mu divergentes e-ya^ao nao perfeila. Um grande numero de
pe^soas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a viso nao distmcta.
(km a pplicaco de meas vidros pde-se venoer estas difficuldades. Para os que tem
a vista cuita e ctrjo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
longe), o que se chama rnyope, .por meio de um vidro concavo affasta-se o ponto de
vista, o que faz divergir os objectos e deixa ver to longe como as outras vistas. Quan-
do o tfryltalihb multo chato, o qnc sotfcede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que s chama presbyta, vem melhor de longe quo de perto, e nao enxergam senao
oin nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergaruu
to distinetamente como na idade de 15 annos. Servindo-se desles vidros qaando e
viU principia eufraqecer, prevwie-so mal.
F. I. (ierusnn encarrega-se pela sus experiencia, tendente aos olhos, a es-
cdher, a prjmeira vista, seja qua for a idade e grao de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa, *
Para.que sao fabricados estes vidros??
OPPRESSO S0FF0CG&3
a PcroTn d'rthcr bo notiTOR Clfutas approvadas pola Academia imperial
do medicina del'ariz acaliiinm quasi sempre inslantaneaim ule 03 atnqucs-d'asni,
oppressio, soffocaco, assim como as di)res de cabera e enxaqtiecas. li sufli-
cicnle na occasiao cm que appareccr o mal, o ngoltr-se urna ou duas perolas
r.omuma pauca d'ngoa. com certeza o medieamciiM mais fcil de lomar para
e.-le genero tic doencas.
A i'oroio de icrcitenthina no nocToii Clerta.i sao impregadas diariamente
com grande exilo pttrU a cura das nevral^', rhemnatismo, sciatico e catarrlios
da bcxfga, Kstas parolas foram seraprc r. coinmendadas por um grande numero
de mdicos c especialmente pelo I)outor Trousscati, que indica este medica-
mento como o mais cl'licaz. conveliente tomar de 4 ot 8 na occasiao das
comidas.
A approvacao da Academia imperial de medicina 6 >:m duvida a melhor
garanta da boa preparacao d'estes medicamentos e de sua efficacia.
DcT>o;t9 cm tl'o-JA\F.mo, DiipnicheVc; Chevolot. Ka !'ia-..MiiBi:co, ilanrcr k C".
Para a vista rnyope, (vista carta).
Para vista que se cobre de otivens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negrfos.
Para a vista que as palpebras tremem
d fraqueza.
Para a vista que os olhos s3o desiguaes.
Para a vista que se lurva com o traba-
Ibo e a leilura.
Para a vista presbyta (vistagalon ).

Para a vista que nao supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras esio cer-
cadas de saugue.
Para a vista que om dos olhos myope
e o oulro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
i vi ni
5 =* n es
S 5 ss S" g-
BS'
a s,.
P***-
Sorlimeato de binculos
pera theatro, c oculos.de
!al.jance para o campo e ma-
rinha.
Lonetas, pince-nez e
face--main, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sorlimento de relogios para parede, que do horas' e para
cima de mesa dos mais indos modelo Relogios para algibeira, de oaro, prata, prata
"ourada efoleaia, inglezcs, spissos e#risuntaes dos memores e mais afamados fabri-
c.ntes.
Vendas em grosso e a retalho. Eai Pernambuco.
N. 21=Rua 2ovaN. 21.
9Eua da Imperatriz9
De volta de ?ua viagem a Europa" onde visitn as mais afamadas fabricas tanto
?ra htiis como em Londres, Vienna. Berln, Hamburgo etc, e lendo-se relacionado'
9oa os mais celebres fabiicantes comoHerz Scheel.Bovd, Peyel. etc. o proprietaric da- j
qutlli- i'Stabelrrintttto eipox venda alguns destes clebres instiumentos b assevera ao
puWkr, cm particular aos seus fregueses que elles, alm da perfeico e esmero do seu
niba'bo. reunem em si toda a elegancia, solidez e harmona,
Esta casa est montada em grande escala e pode fazer todas os concertos neces- .
Barios, i ois o seu p. prietario trooxe consigo da Europa todas os utensilios necessar.os. V. 11 \ (i I I ( A I I) 111] II II l \\ 11 \ \ 11 \ I) K V, K J| l (I \ 11| \
Continuar pois, allugar, afinar e concertar, como de costume, como maior vuuuuiv u.i i iivuiuv uu u i fi i uu u; lv l.h ui/.iuh l .
mm, e pr. mptinio. ooo o patrocinio e.spectn l de
BAYliEM MOUSE
Salt hill, perto de Windsor.
SIMIO, fXIWIIIIll E
OBTEM-^E COS O USO V
SlJA EMINWtCIA O CAimEAL WISBMAN, ARCEDISPO DE WE.STMINSTEB, DOS EXMS. nVMS. SRS. DR
AMHEHST, BtSPO DE NORTHAMPTON, DR. CRANT, BISPO DE SOCTIIVVARK, F. DO RVM. DR
VVARELNO.
Os Srs. James A William Butt. assislidos de um capello residente na casa di
aptos professores, dirigem o estabelecimento cima mencionado. O corso de educacic
encerra as tinguas, latina, grega, ingleza e franceza ; algebra, arthmetica, calligraphia (
eicripluracSo mercantil.
^ pens5o de cincoenta guineos, Os lugares na capella (a qua faz parte di
c pensao paga seis mezes adiantada, e no caso que os pais ou correspondentes deseja-
i'rem que seusfilhos ou recommendados se retirem do estabelecimento, ter3o a bondad
l nica I yg;eiiica radical e inl'allrvc! na cura das gonhorras, flores brancas e fluxos di} avisar < s Srs. directores tres mezes-antes da sabida dos sohieditos. As ferias de
de toda es|-ecie lecentes ou cbnnicos, e que oflerece como garanta de seas salulares re- vorifo comrcam no dia 1 de junho, e acabam no fim do mez de julho ; as do Natal co-
ojiados a anliga e toi.tinuada apjjl-agso-que sempre com a maier vantagem se tem fei- mefam no dia 21 de dezembro e acabam no dia 6 de Janeiro. Desenho, msica, dansa
INJECTON L
o della, nos hospitacs de Paris c< m piefeiencia a todas as mais conhecidas.
INiCO 0EIOS1T0 PARA O
BBASEL
SRS. BARTHOLOMEU &
34Ra Larga do Rosario------34
ipgiaiMEasoQQ
p
e esgrima sao ensinados por professeres modernos.
A situaco. como, bem se sabe, muito sadia : cincoenta geiras de trra per-
ftfocem casa, a qual espacosa e commola ; 6 situada perto da estaco de Slough
nina das da grande estrada de ferro do este, (Great Western Railway.
Para melhores instruccoes qneira-se dirigir aos cima m ncionados; aoRvm.R
C(nego Shepherd, Piiory Street, Colcliester; ao Rvm. J. Bamber. Thorndon, Essex ;
ao Rvm, Jobo Bul, Arundel; ao Illm. Sr. A. Bntler, 6, Austin Friars. Londres, ou aos
directores os Srs. James A Willian Butt, e no Brasil pruvincia de Ptinambuco, a Antonu
Luiz dos Santos.
MHIWR
H
hit
h.SI DE ASADOS FRESCOS Li
= '5 i,
l J
3

*9 ^-
MIAQAO DE HONRA | J
I
Vcik!e-w ora frais i J
Q t meto frasrm iriJM,:u-!'
^ laros, pliarniiu :.>......t
2, ru MU t't.
&**''$ p
-
Ak <->.- u-ii.-ic- ;.-l .. d.:ji f.',-. j.,-< i 0111'
i i >, l i i: .'/(. -.
'" l>--rH. .:' .,., .Irocs f"h rni
i .-'/r.'. ... ,i i/yuta, u ,:.:: a, .i :i ::. o> ar>aJarn ;. ,, <,,,-,-,
ir i;.. \rrr.([>-ii<.H oleo* <'< |
ii.-^.\u. lMci oJ.'c.- cw-na.ma mi nuaa aucccduiu-i
i, '" "
i _.a:i -.'.. '^-h ("-.- <.~ u':nr-. -0i:ila!ii-. !!.< |ir'] (as '-.:i.
| 'i. I O BPWtrfc I8W. KP9 !c>. p-.iros ilr Bxciill:i. <]< 1
i ai aos wu>Ut
1
I htii>
. .. ia p i |iic:i. is k,..i bai\04,i!:n quanto qnv o srr lai inMolooj llgai o d
i .i:o aro, i-'o :-ic p:;ra nhiol-n fresii.t sem mhlura can |
assiui como man
Trrra-\uiD tlr lio.,.,
V/)T.4Jj, c metjieia ./o uii..oic.je por isso, derini lu,;ar a nociva e a
Caixeiro
Proci^a-se Ja \nn caixiiro que tenha prattea fle
negocio, c de calcados: n.i ra di Imperatrizn. 10.
h oco Ir- lfosg r"li f ril *' ''i-"'"'-. ii; !i!'.'i:i-v enre os cutros oleo pela aua
i-o i'l~ Im ...: ,. v d""li- .; ::.\!"';!.i ftire-ciet !< cliofij cUj-tiiicmi da FVi.i'I.IHDK DE MKDtCtlfA DE''
PMlH'fti i -. O Ohn <-' | ri-..-- > >' ifur Ot.-fileon lardus t uo aprsenla ulgum dnt incoi-venirnle que ie '
\ ixitr-iii- <-ii lailua s plianunda da Fraofo c do* palzca talranjelroi.
""" uVfeliz
Aos 20:000^000
Sn Rccifc arco da Conccfpon. 9
Os abaixo assignados tendo-se tiabllitado D
forma das leis, tem exposto a vi-nda os seus fi li-
les bilhetes das loteras do Rio de Janeiro, na casa
cima, aonde se pagarao as sortes que sahircov
nos iiiosinos biiheies, com o descomo somen
da lei.
PREgOS.
Bilhcte intftiro 21000
Metos >2000
Quartos 6*000
E de 100J para cima a 22/ o bilhetc
Fipueiredo & Leite.
Tendu sidii palmeada na Revista iuiia a com-
municarao qm- olla fora feila pelo scptindo sup-
Aloga-se por fe-la nu por anno a casa ao p da penlo da aaMeleaaoia desla freguzia de Saski
Achado.
Qunm perdn 1! 5000 na ra da Impe/atri?, en-
tre a NaPavilhao da Aurora ponte da Roa-
visla, dando os ?i|naes cerlos naiuella tojo, Ihe
ser entregue, pagando este.
Anda se acha fucilo o prelo Goncaio.de es-
tatura baixa, nao leni barba, costuma quan.io foge
andar prisa soburliio desla cidade, lalvez ande
trabalhando do enxada por algum sitio por lor
sido do mato : qac-m o pegar leve-o ra Direita
n. 10, qu sr bem recompensado.
Casa no Monteiro.
Pilomiieira, na travc-s-i da levada, no Monteiro,
muito perto da estacSo, do hotel o do theatro : a
tratar no Recife, rna ta Lapa n. 15.
Ama
Preci?a-se de urna ama para cozinhar : na rus
do Quemado n. ii, I" andar. ,
Cozinheiro
Procisa-sc do um cozinhcirn ou mpsmo ajudan-
tc. com alcruma rmlica do casa de pasto : no bec-
co das limas n. 8.
Precisa-sede una ama para cjmm oe nuoouo
-olteiro, |iara cozinhar eengommar ; p Una-viagem, o depois della na ra Direila n. 53,
onde se trata.
Ouzmlieira.
.Na ra da Cadeia nova, sobrado n. 13, precisa-
se de ama ama para cozinhar.
Imperial Iustituto de N. S. do Bom
Cnnselhn.
Curso de ferian.
Aclia-se aliena nesieinslitnlo a inscripcao para
a matricula das snencias de qne se tem de pres-
tar exame em fevereiro. As aulas principiaro a
funecionar a 3 de de embro prxima futuro.
Moleque
Precisa-se de um moleque. paga-se bem agra-
dando : no Uotel Central, ra larga do Rosario
o. 37.
Olinda
Da quarta-feira 25 do correle mez de novem
bro em diante haver todos os (lias tima carroca
flom urna grande pipa de excellenle agoa do en-
canampnlo do Rrife. a razio do 120 rs. o balde.
^
EXPOSIQAO DE LONDRES
60RA 'DA CADEIA DO RECIFE60
PMA ACABAR ItESTES OAS
0 proprieiario desle estabelecimento tendo de partir muito breve para;. Estados Unidos e Europa, faz completa liquidacao nestes das, para acabar ; como
Mrlutadfts para ramas e jmilas cobertores ingle tes Anos, ral^do de pao, bmXrrias d'rniro de 18, .nmo nset^s d brillianles, aneis, oruloa. lunetas, trancens etc., apparelhos
c mt-tiil do mais fino que ha para aloioco, bandeja." etc., pe fumarias rie difftrentes fahrirmte*. differentes ciintia, vaia& r<.iq et.foitps muito propinas pira prest-ntes, caixas
* mus.ms, ditas com perb>nce? para costura, ferro de eDgomm;.r. n3o sendo preciso caTvio nem fogan ro, machinas de delir batatas, ditas para preparar a carne para gui-
callos; mtas para baler ovos e bollos, graude variedade 1e purcelanas, como, vaso para toilette, apparelho para mesa rtc., djfferetitw objwtwa de vidro como seja: lustros e
ra sai&'s. lanternte para eima de mefa, escarradores etc un excellenteg eofres de ferro, eepelhos de diwrwx famanbos de moldura dourada e preta, moldnras
dros. ricas cuxas" para retrato, ditas rom (henos proprias para prwfnte, mem de (bailo, banoVja de dito. Estampas finas para quadros talagarsa
para afinnradns dita para tapetes e para deitar vasos em cima da mesa, relogjo para cima de mesa, de parede e do ouro para algibeira, siereosc morama, lanlern as para divermenlo <>m salas, qradro oom infl figuras de f>orotdna, dito c<4'irKvimHo8. byuras bndi-pai* eufwtes de oeea.
alva-Tirt;s para se tomar bauhos no mar ou rio lencos de linhos finos para slgiheim, rifas gravatas de seria, variado sftrtrmPBto de mioVza e brinqtiedoa para enancas
^f ''"s. camas de ferro de differentes tamanhos. lavatorios, stereocospos. cosmoTMias etc. etc., quesera patente'ao comprador: vmiU) oulro* artices qoe se veDdBrao
mmo nitrato para inieiramente acabar, no armazem EXPOSIpt B LONDBT
VAti.l .% FE.
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Rio venda : ra do Cabng n. 2,
vende Vieira & Rodrigues.____________________
.Na [iraca da Independencia n. 33 so da di
nliero sobre, punuores dc..ourv pn- podra
preciosas, seja qual for a quana ; e na mesnu
casa se compra e vende objectos de ouro e prata
o igualmente se faz toda e qualquer obra de en
commenda, c todo e qualquer concert tendentt
mesma arte.
Ao* *o:ooo^ooo
CASA t>A FORTUNA
2^ KUA DO CKESPO 23.
O abanto assignado tendo vendido nos seus Mi-
res bilheles da lnieria 4S" do H.ispicio de l'edr*
II (299) as orles abaixo declaradas, convida M
BpsDkoret a virem recabar, pois as pagar ca
a nmmptidiat|ie postuma.
Achaln-^e venda os da 61* a favor do Monta
Pi (300).
Nuinero-WS, q atro qnartos, cap S0:000*0ft
< 4733, ^-MT"4" Pom^OOOOOO.
< 1C9, dt.dk%iart>.s. r..m 8004(K).
Manuel Martins Pinta.
Para faniilii.
Dnas cusas reunidas em ama so, caiadas e pi-
tedas de novo, ra do Destino ns. 2 e 4, aind
Hsia por nluear, com um grand-1 quintal, t a lita-
ba, ftc. : trata-sQ na rna do H"spiffio n. 18.
Antonio, relativa deniis-ao a bem do servic pu-
blico dada ao abaixo assignado, do lugar do ins-
pector do JO." quarieiro, repastan dan, que ape-
nas recebi urna participarlo daqaelle supplenle, a
qual nao est datada, e me fora entregue qiianJ
me achava no gozo de urna iicenca, que oblivo d
Dr. subdelegado ; e assim deve o mesmo snppleiite
da subdelegara, se quizar tMssff effe.-uv.i ; iiimli;
de sonara cao, paiticipar-me em farolas a conlieecr-
se desdo que data fui minha iaoaaraoao.
Reciffe, 20 do novemoro do 1809.
Mnnoel de Castro Isao.
Precisa-se de um menino portuguez, do l :i
ti annos de idade, para caixeiro de taberna, e qnc
il fiador de sua conducta : a tratar em Apipni
na taberna do Sr. Antonio Felizardo de Aniorim &
lrmao._____________________________________
- AUigauvso dnas casas terreas sitas no Man-
guinho a margem do rio, recommendaveis pela vi,
frrea : a tratarna rna do Vigario n. 31.
ALUGA-SE^
o sitio da Mangaheira, em Olinda, rom mttMas ar-
vores de fructo, mangaba, mangas de supo-ior
quaiidade, sapotis, pinhas, leona para gasto, agoa
superior, que se veede cerca de 30J mensaes,
um bom'sobrado com commodos para grande fa-
milia, sendo 3 salas de frente, sala de jantar eo-
.zinha fora, 3 lojas ; a casa tarrea junto ao mesia
sebrado com um silio maior do que o do snhrado,
com baixa para capim e os mesmos arvredos de
fructo : quem pretender dirija-se a oa do Ven-
tara n. 9, Capnnga, logo a entrada da primeira.
barreira. _________________________________
Tendo apparecido diversos antea*
i-j^denles pira a casa em frente d aor-
'Jjf to do Paula na ra do Rio do Poca
'-^r? da Pa.'.ella, roga-sc a pessoa qae pe-
dio d so e-perar, que venha salis-
fazer a importancia do alngaeia bascar a chave,
pois se nao apparoi'er nestes Uvst das se al:
r a outrora. Recifo 22 de novembr i de HG9.
Jos Jaenme Tassn
Aos 20:000ri000
CASA DA FORTNV
83-----Ra to Crespo-----93
O abaixo assignado avisa ao publica que re
arham a venda os bilhetes da Ion-ra 11' do hos-
picio do t'edrn II (131) cojas listas devem rlv
pelo vapor inglez a 20 do correte, p-gand"-*-
os premios cun o discont i somenle da lei e com t
promptidao do cosiunn'.
Presos.
Bilhete inteiro. 2t|000
Meio bilhete. 12*300
Qnartos..... *)00
E de tUUjODO para cima a 22iOoO Wluete.
Mannel Marlins Finza.
U-M U CADEIA DO RECIFE 69
Prerkvso de nm feitor porlngnex ou hesaa-
nhol: no sitio grande porlraz do eemtteric. cuja
entrada flea na extrema da travesea de J.3o de
Barros'icoofrm*} a cai>- lllnha, Ultimor.porOa da
ferro._________ .
Precisa so 'rvico do dnas
ptwas: na
100& (le gratifia<;au.
Ainda continua lugido desde 30 de maio 11
nio pas-adn %preio G.mcaio, altn, clteio do c
IV i, nliios apertalos, .em narb.i, rtr *ern*
cabeca penuena, ps racbados, re
annos pouco mais ou menas. ste escntvitMd*
Sra. D. Seiihorinha (que morou em prlsfta
viuva do finado Leandro Pertira da U
comprado -ha 12 anuos pouco mais mi meii
Sr. Francisco Ali-xanlre otra,to engenho Pi
oha. junt do engenho ItabaJaana prximo de P
Calvo, aonde temjniai e filha. Deroufia-se une
da por esses logares : reronimenda-ses *at r
des policiaes e aos cap i toes do campo on
nutra pessoa a captura do mo*mo
sen senbor Miguel Tulentinn Pire raM'-
genho Todos os SanUs na vitta -de
Herife ra da M' segundo a.
torio de Man-wl Alves Ferroira & C, qoe i
a gr.itili-ar
Pi alngnr un
cravo, qo igeotn-flel
[clisa e rna. inclus.ve enmuras : nesta typ \m dir ende se precisa.
Pi le um > ama
da poura famili* : na ra da
AMA
Precisase ama ama para cozinhar : na
Crespo b. 18,1* andar.

L
^na


twmbs
Diatfo de Pernifflibuco Terqa feire B de Nombro de 1889.
i
B:m vista da del
no geral acerca JB. xa'i Faculdado de DireUo desla ctdad.-
abaxo assi^nado lera resolvido abrir oro
cuiso completo de ligues degrammatica da
lingua porlugpeza. Os Srs. .estudantes de
preparatorios que se qnizerem matricular,
pot'em comparecer na ra das Cruzos n.
30, a andar, das 4 huras da larde em
diante.
S-tirador Uenrume de Albuquerme.
ansa na ilha do Retiro (jtin-
tgdalena), lugar mu
bstanles rnr.ui
-
jiges VMenca
iror.
'Jjt ru u. t, pri-
meiro nudar. ha um de t anno>, escra-
vo, par alugar-se. ____________"
H_______Bao
Amas
Pree5fl-se de ama ama de leite a uroaeozinhel
ra : na ra da Praia n. 38.___________________
Ama deleite
Na roa Nova n.;tl. >-andar, pwfca-M de urna
am,1 de leite, paga-se bem._________ _
LOJA DE J0I4S
L
(i missa do elimo dia pe) cierno repouso d
alma de D. Pirmina (/tvaleanti Paes de Mello Bar-
reta, ser rosada no dia 24 do crrante, pelra 7 e
meia horas da manhaa. no groja doEspiritoSanto
-- Precisase para fioWbmo do tima'-a-a de
diicacSe, de nina pessoa de idade, qae saiba lar,
iec rever,, s--ja el, deligente e sisada, o que d de
ss provas de sua conducta por documentos ou por
peana que o afflance : a informa/ na roa do IrtV-
per\dor n. 28, armazem do Campos,
Ama.
Precfcvse de um ama para casa do pouco fa-
milia : na ra d Cadeia o. iil.________________
A perfumara parisiense
Roa do Crespo n. 7 A, Io andar
Chcgou pelo paquete trances Gronde um bonito
s>rtinunto deInvas de cores para borneas se-
ull-a, barca garnn Jouvti
n>vo sortimento de, perfumarla
A.
55ha Qneim
-55
? grande
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado le novo, est as condi-
coss de servir vantajosauente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
expendido sortimento de obras de ouro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, oujos ,preqos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
S9 em troca ou compram-se com pequeo
abate.
EMPRSTITO SOBRI
B
o mais
eyiMiidas.
um
Alttga-se
por anaw-ou snaplesBiente para passar a estacao
calmosa, orna casa na ilha co Retiro (Passagem),
com cowmodor para grande familia : a tratar na
roa da Senzala nova n. 4, ou na ra da Cadeia nu-
mero 8. _______ ,
'tt M#ia AAclaide do iNa>c;metlU> Peitnsa
avisa a lo las
terreno* na
S BODBAS CURADAS
E
Todas as molestias sypliilitieas.
PELO
ELEXIRDODR.SEVIAL
Coico depurativo sera mercurio que tanta acoda.3o tem meieudo no Bra-
sil as repblicas do sol e na Allemanha especialmente para cura das boubas,
s, rtieuraalisrao, todas as molestias syphiliticas e em geral todas aquellas
arovm da empureza do sangue.
-"* NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia c drogara.
DE
Hartholomeu & C. s
$4Ra Larga do liona rioI |
(SKM LIMITE.)
Na tiwssa da na
Guzcs ir, 2, pri-
meiro andar, da-se qiiai- |
quer quania sobre ouro, gg
prata c pedras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente aotorisado pelo ||
governo, esta as condiees de ga- 'W
rantir a transaoco que se fizer em fgj
sua casa, promettendo todo e zelo ||
e consideraciio s pessoas que se gj
dignarem de hojira-lo em sen esta- r&
belecimento. I
Na mesma casa compra-se ouro, jj
prata e brilhantes.
Ao Sr. guarda do 3*.
batalho
Segundo dizcm, e para acreditar-se
tem sido tantas as injusticias e irregulari-
d-d-s que se Uva observado no servico do
3o. batalbad da guarda nacional no presen-
t) aquarlelamento, que admiramos e mes
no estranhamos o silencio que o Sr. cjuar
da do 3o tem conservado, pelo que, pedi-
inos-lhe encarecidamente que traga ao
lionhecimpiHo do publico ta^s injuslicas e
irregularidades, alim de que a autoridade
competente ponha um paradeiro.
O amigo da ordem.
Precisa-se de urna ama que cuzmlie e en-
lymme : na ra da Cadeia n. 10, ou na Gapuaga.
ra das Pernambucanas sitio n.A8.
que oiiizTcm comprar
, anga estradl delkida, por onde
lem dftjjassar breve urna lu lia de trullos urbanos,
queelfcvai ictalhar e divkir seu sitio de liolcm
em ppnuemis sitios; e pud -ra dirigir-so a seu
lilho, oenpenbeiro Antonio Vicente do Nascimento
L'etMSt, tina i regada de tons os negocios de sua
casa, para com elle cfTectusrein qualqucr compra
desses terreno na ra csireita do Rosario n. 23,
Io andar._______________________;_________
(Js administradores da uiassa. fallida de Jlo
Perreira da Costa Saaros fngain ios credorea do
mesmo,sc sirvam aiiresentai; seus ttulos no praso
de oitodias roa d.. Briim U. I, allm de sarem
esamiqados e classilieados como dispSe o art. 8,>U
do codftacomaiefCiaJ. Uecife ti de novembro de
186_________________________________
Na ra da Moeda n. o, ia andar, oscriptorio
de Manoel Alvo* Ferrcir & C, vend_e-si' vinho
verde superior em barris aneorttas com viubo do
Porto superior e malvazia blanca.
Precisa-so de urna de leite : na ra da Ca-
deia n. 10, on na Capuja, ra das Pernaiiibuca-
na#, silio n. 48. __________
VI
H

Xa ra Diicila n. 10, sobrado, laya-so e rngom-
ma-se Unta para bemem como para scnliora, por
commado prero.______________________
Precisase alugar urna cscrava para cozi-
hhar, paga-se boin .lugnel : a pessoa qae ti ver,
pode vir tratar no pateo do Tn-fa n. 63, padana.

Compram-se e veadem se diariamente para lora
dentro da provinciaescravos de todas as tdades,
cores e sexos, com tanto (pie sejam sadios: no
lerceiro andar do sobrado n. 36, a ra das Crtize?,
ireguezia de Santo Antonio.
MU
mm

SAO BARATOS
9
Superiores cortes de percalle com barra, para vestidos a 55 cada corte,
Lindos cortes de gaze de seda com 18 a 20 cavados, pelo bara
preSO de 5000 cada corle, na lojadas cnliumnas, ra do Crespo
tonio Correa de Vasconcellos.
-.-iiia mm
n!3 de An-

{mm
Esle odmiravel
lllepuralivo ujo
conlememsiiner-
curio, iodo on
arsnico; um
". i^oTOso niodifi-
cjdor para o sangue e cura radicalmente es molestias de pe le tan como a lepra, as impigens. as herpes, as
1 csptolias, e os Pasos, e.Empregado diariamente elle refresra a massa do sangue ecnnsoHda o saode.
AIW trPPin n ir1? Cura eln 8 dias os corrimeotos antigos ou recentes
riJLlliAU LADfil os mais rebeldes.
Faius, 7, B' Oenajo,
ATTENCU
Xa loia de funilaria da porta larga ra di
Imperatriz n. 65, tem um grande sartimento df
eandieiros tt lamparillas para gaz, de lindes gestos,
e obras de funileiro, tend.i 1 santuario de gosto e
bem acabado, assim como vende bombas, tornei
ras, etc., e encarrega-se da encanacao d'agoa para
qualuuer casa, ou ota belecimento, tamben vende
um bonito e modera > fogao inglez, nao s cozinns
com lenba como com o carvo. Na ruesma luja
coneertam-se todas as obras de encapamentof
machina de costura, asseverando que acharar
sempre prempto a servir bem os sena Ireguezes
a tratar na mesma laja a qualqucr hora, que sera
attendido.
C-umpram se uioedas de ouro e prata de o-
Jos es valores, ouro e prata em obra initilisa'.a-.
brilhantes e mais pedras preciosas : na loja de
jurives do arco da Cinceico, no rtecife.________
T^~0 muzeo de joias
Na ra do Cabiif a \ fompra-se. ouro, prata
! i ped preciosas por preces ais van'ajosos do
' ne ero ontragnalqueriiarte.
iDA niPERATRZ\. 2
Csqcilaxl.t ra da Aurora
.Dtfrohfcjdi) Caf Imperatriz.
uiilBiMU a-|-rri"""" istabeleeimen-
tu de fazendafc oneontrarJo as Exmas.
amibas ti-.do i|iianto possam desejar, tan
.....ni artigas de rigoroso luxo, como em
todas as mais qualidades de fazendas do
sedas, hlonds, alpacas, merinos, laas
cassas, musullnas, chitas, madapoloes,
alsodoes, etc., demodo a sabir bem ser-
vKlo desdo o mais rico e exigente amador
da m ida e ao Inxo, at o mais modesto
paj de familia. Alm do fe acharen) pro-
vios do que inelhor se enconira nesle ^
mercado, iiiandaram os propietarios
d'estc estabelecimento vir directamente w
0 que em artig* de modas c de mais 9j
apurado gosto so oncontra em Pars. M|
Urna medista especialmente oeenpada M
nos trabaln* doPAVILO DA AUKO- |
HA, eTeeiitar promptamento e com toda mi
a perfeieiioijiiahiner trahalhoa capricho, yg(
para o ("pie se arha habilitada em ludo *
nuantO o mister para o bom desenipenlio ,;,
| de sua missao, o qae 6 nina grande van- gi
tagen. para o bello sexo, que artim g
vai encontrar em um s luinr tuoqnan =ii
o pode desojar, isto fazendas do me- gg
Ihor costo, modista para perfeila execu- fA
*5o de qualqner trabalho, perfumaras, al
bapos, nleites, miudezas, lavas de Mi
Jouvin c luflo quanto a moda pode exi- a
; gir H
os ravalheiros igual vantasem sa offe- ffi
' rece, por ter o estabelecimento o mais
enmaleto sortiaienlo de fazendas para fae-
los, o prear'His par* Vidas asala roes, i
; ii:. hbil t iale encarrecado dn execu-
lar com promptidao c mestria qualqucr
Iencommenda. g.|
Os pro|>rietarios do PAV1LHAO DA p
AUHOltA ug tendo pounado despezas ti
l para dolnrem es!a bella cidaae di nm p
estabelecimento digno d'ella, cmifiam nos ^
mis rsfoiT.os e no bom gosto de seus ha- Sfl
hilantes, garar.tindo a inaior circutuspec- gjj
. cao e nwdJcidado de. preces.
j Com a possirel brevidade c em -ista ds
t nmleocao ana se dignarem dNpensar-llie, ^
l este eslabeleei liento trar militas oulras fe
5 vaiiiagens, primando entre ellas a publi- uJ
R cacto de nm jornal gTSrUitaftienle dis- m
" iiibui-lo aos re ua freguozc-, o qoal S oe-
| cupar exclusivamente da doscripcao das
t modas, acompanhado dos ltimos lignri-
i nos; vaiitapcm que al boje anida nenhiiin
3 meslabelecimento olfereceii.
5 Conelu'uido, c na mpnssibilidade do des- 3
" erevere ren o variado sortimento qiie S
|. possuem, os proprietarios do PAVII.IIAO ;.
i DA AUIIUI'.A respeitosamento ooftvidam g
| as Exmas. famliaa a visitar esto espa- j
1 coso e rico eMabcierimmo que, alm de
1 ludo, esl dot.olo do pessoal necvssario m
para vender e levar amostras as casas
quo s bodirem. w
[>,-lo uhimo vapor receberam rico* cor- g
tes de vestidos para Basamento, luvasue -g
peliea ricas e.ljppelinhas para scnboras g
. e diversas friendas uiudernaK; ^ |
Aberto das 6"da niatiliua sg

9 da
noite.
-^ohi nmtm maHir vaniagem oompraw-e
moedas de ouro e prat : na loja de. joias do Co-
rat,'aoda Ouro n. 2 D, ra dnilabng.
VrNDAS.
AMA
Precisa-se de urna cosinheira
joias, ra do Cabag n. 4
n-j Mu.-eu dt
Attenpo
Na ra do Corredor do Bispo n. 53 precisa-se
alugar urna sscrava para fazer compras, coxmhar
e mais servidos internos, nao se oiha o prc?o : a
tratar na mesma. *
Vende se o eiigenln Jeruzalem, no termo de
Sermuaem. distante da estacao da via-ferrea tres
leguas, com bo:is obras, moenle e crrente, de
sgoa, copeiro, com boas matas e Ierras para sa-
freji.r 2,000 |ia s : qoeni e qu.er comprar enten
i-fe eem seu proprietario, na ra do Hosprm
""^"Ymh" dPorto %
Vndese superior vinho do Porto engarrafado :
no esenptorio de Antonio Luix de Olivcira Azevedo
,^a.2bij;;tr.i3aaB
GOMES DE MftTTOS IRMlOS
tendo feito completa mudanpa em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com oflmde
dar-lhe naiores proporpoes e elegancia, convidara
ao publico em geral e com especisilidade as Exms.
SraS de bom gosto a comparecer^ pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RA DO CABUG& N. 4
ondeencontraro um completo sortimento do que ha d mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubii s e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADERECOS DE BRILHANTES, ESMERflLDIS E RUB1MS
de novosf gostos, assim como orande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto 3mda n&Q visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igreflas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
aqualidade dos objectos vendidos.
CEMENTO
POHTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Per-
reira da Costa & Pilho, defronte do arco la Lon-
ceiciio, era barricas grandes.
tibriolet americano
Vende-^o nm cabriolet americano de duas rodas
sobre rorreias, proprio para lugar de muita arda :
das 9'oras da mminaa s 4 da tarde, J>;'de-sa
ve-lo na cocheira da ra do Imperador awa
RA DA GaLORlA W. 5
(Mara do Fundao.
Ha sempre nesta olaria grande sortimento de
maieriaes, como tijolos de alvenaria batida, ladri-
Iho, quadrado de 8, 9 e mais pollegadas, teihas e
lelaoes, tijolos de tapatientos. O proprietario des-
m olaria garante a bondade e barro de taes mate-
riaes, coinotambem vende-se mais barato do que
em omra qualquer parle.
A imperatriz regente.
Veio com esla denominaban pelo ultimo vapor
francez nquissimos chapeos de veludo e mssa
nretos, enfeitados de cores, para senhora, o que
ha de raettwr gosto em Paris.riq' issimos enx -vae
de camhraia bordados para baplisado, assim como
ri'im-imas sabidas de baile ou capas de merino n
Smente enfeiladas com a mesma denomlnacao ci-
ma, chapelinas de palha de Italia nltiino gnst",
rens e basquinas d crox pretas e brancas, cor
tes de laa de duas saias, gosto escocez, sultana
de cores, listras asselinadas, preprias para vest
dos de duas saias, popelinas de cores, nqui-simos
desenlies, e oulras militas novidadee qno os pro-
prietarios da loja do 1'aep receberam, propnas da
estaoS prsenle ; pois por esl razaoquenos
apregamos scientificar o respeitavel publico das
novidades cima descripfas.'___________
imMJIVEHSAL
tt-Raa Xova8*
Carneiro Vianna
Neste BjVZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por presos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima expsito servicos a electos para alrao-
co e jaotar, salvas, bandejas, taboleiros, bol-
sas e malas para viagem, indtspensaveis para
senhoras, eandieiros para sala ecimademesa.
parede e portal, mangas, tubos e globos d
A VERMUT
quautidade*'
sejando apurar dtr.heiro e odqiierii
Kuezia est rssolvida a vender mutsiaio
barato, ; pe- essa razio convida no n spet-
tavd publico a vir competeHt'Hmeirte moni-
do a.sortir-se do borne barato. Pois (pian-
do a Verdadc appirecc, ludo mais dte-
apparece-----
Grande sorttaento de bonecos de cera e
massa as mais lindas possiveis vestidla a ca-
rcter.
Abotoaduras moderuus para col-
Ictea.......
Espelhos donrados pepnenos. .
Agnlhas de osso para crox a. .
Puntes para rea<; com esntas a
Ricos globos para candieiro de gaz a
GbAinias a.......
Grande sortimento de objetos de
Iwftfpan bTintpieio de menino
Garrafa com titila a.
Dita com agua florida verdadeirn i
Dita com ia dita a .
Frasco com oleo de babosa a 500 e
Dito com agiffl de Colonia a ^00 o
Garrafa com agua divina a. .
Frasco nuil irados lui"S a .
tatas peqoeBas com baste mullo
tina a ii'c......
Sabonetes de diversas quali iades a
80, t(i0,240e.....
Finas estovas para denles de lOa
Lindos coques modernos a.
P;ivius para gaz, dulia a 240 e .
Kscovas .para fado a aiO, 000 e
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar piollio a IftO e.
Rrincos de cores, bonitos a 160 e
Pecas de tranca de la com 8
varas por.......
Oleo para machina de costura,
(,;;sco a........
Pcnnas d'aco finas caixas a 800 e
Dila.d'aco l'erry, caixa a.
Galio de atftorifio petja ....
Lindos babadinbos e eulrcmeios
peca de 500 a......
Ditos de louoa'mttttc lino a iiO o
Ditos para calca a iliO e. .
Caixa com papel amizade a. .
Ditas com envelopes a.
Ditas com obreas a.....
Caixa com gtilbas fundu dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para costura a 240 e
Caixa com linba de marca a .
Linha do cotes em novellos (l'-
bra) a........
Carreteis de liulia Alexandre de 70
ata 200 ..,,..
Grampos muito linos com pasea-
ros, daiia a......
Carlas portuguezas, duzia a .
Ditas franeczas a 2(5400 o .
Pap almago e de peso, resma a
35100, if&OO e
Jia muito fina para bordar, libra
Fita de algodao para debrum de
sapatos, pega a.....
Ditas de 13a .para debrum de ves-
tido, pega a ^ .....
Perrtes finos para segurar ca-
bello a......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 2W>, 320 e......
Ditos para aparar penna a .
Rosetas pretas, par a
Tranca de la decaracol peca a 40 e
Fita de coz peca a 480 e
Alfinetes d lalSo a.....
Sapatos de 15a para crianga a 400e
Grvala de sedas de cores a .
C'^cadeiras a......
Grande sortimento de rendas das Unas.
Um par de suspensorio de borracha por
100 ris llll! _
Na verdade ra do Quelaaad
1. 55.
320
26Q
:<20
1^800
388
too
00
lHOO
t^O-0
720
600
tmo
1^000
too
32u
(iO
(10
30
700
sotr
240
200
80
000 .
ijOOO
t It
400
oo
240
700
480
40
280
460
800
so
m
100
m
--.00
rjOD
45(Mi
48('
32(.
oOO
too
100
too
5G0
too
800
200
86
Gil
n
vidro, machitla para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, dias-
para fazer manlciga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianga, bergos, cadei
ras longas para viagem, ditas de bataneo,
espelhos de todos os tamanhos, moldura?
para quadros. gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, briuquedos para criangas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e tiesa, tapetes para sala, quarto.
frente de soph, janella e porta, capuchos de
Sparto e coco, objectos para esenptorio e
muitos outms artigos que se encontrarSo
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pen ir examinar.
No armazem de Candido Alberto Sodr da Mot-
ta.lravessa da Madro-de Dos n. U, tem para
vender os segaintes gneros, a Mirar :
Cimento"Poriland de qualiddo, omelbor que
ha no mercado, a 105 a barrica de 12 a 14 libras.
Vinhos 3ordeaux das seguintes qualidades :
St. Jiilien.
Froosac.
Lorm41t.
?t. Emilion."
Margans.
Chatean de ftwtfterelle.
1-lem ?t. Lamben.
Iil-m Lal obeie.
dem t)urfti
dem Ch.mtif.
dem de JT"BiH.
Vinho do Porto de supeiior tpwtwtede, gaixa de
1-2 canal"
AiHit d-ice ceQnado em caisa de 12 garrafas.
Vinagre superior em'gnrrafr-e^de tres qmntaes.
ATUNCAO
Vendem-se bMMWiiovas desembarcadas nestes
dias a tSOOo gigo : no armSzem do Sr. Annes,
delVuitH da porta ila aHnndega.__________
'VenlSWW"F baixiis, sendo um Be d
DO*
960
540
W400
040
6^000
320
3C0
640
400
40100
56800
|2000
45500
% MUSEO DE JOIAS
i nutro de f, e dou clarmi-n*
I ad : na roa di, Praia
M
leudo um Be d e
de si, em bom es-
Ah
---------^_
Vende-se nm negro de na^So, de bonita figura
na'ro* do lfmg*i M.
s. o cavado
Lindas ca**a8-fMii*z e rgandjs de cores, pete'bartttrtnw) pri ;o de 500 rs. o nutro, qaetrr*p*tfSe 3*0
at fo}a das'Coluimias, na ra do'Crespo n. 13, de Antonio Conrea do "Vasconcellos.

Veroteimse'iMns Kb, -sendo nm de c
e notrnwe mwiRM'totirwi da rrfsi- JJ
na"eeliHm do-imteodM Pralto, quefoteearfOi*
fuqtjfrw. sediriqnem'S vende. ^
_ ffa,
de b
o : q, a ra do Aleen
a. 91 paratraisr.
BRACO DE OURO,
Ruado Imperador 26
Neste novo estabelecimeiito enconirae
diariamente om variado sortimento de^ bo
linhos para iba, pasteU, pudn bollos'm-
glezes, pa.sdel presorrtos, ditos m fiam-
bre, superior cha Hvsson. preto, e miutl.-
nho Vinhos finos de todas as qualidades
cinagc. licores, conservas cbampaRDe. cer-
vrja ihgWta, frurtas muito boas, por-
liiynezas c franeczas.
Hm completo e variado sorlimonto de
carxinhas de tudas os gostos e precos Pra
mimosear senhoras. oslas caixinfias rece.n-
-ifrtiente cliegadas de Pars sito de prmiora-
,1o gosto, offeresse-mo-las aos galantearlo;es
du bello ;ex pois nellas achara nm digno
e serio pr sent para as donas dos seus
lenomentos. Tan.bem os aprecartoivs da
ttu fumaba encontrarUo cbaruios d"S me-
Ihores fabricantes da Baha e de Havana
sganos do Rio dr Jnneim etc. ele
Do-es- d'ovos seceos, christabsados o 'le
calda, ditos de caj e de nutras quilidades.
Nesta casa recehem-se endunmendas para
bailes, ci is avlss. como sejapSod- lo
f outros muitas couzas
qw enfffionho 6 mencionar.
Ra do Queimada n. 19.
Laa com los de ouro, covado. .
Dita transparente com listras de se-
da o covado a.
Dia imperaniz Eugenia, covado.
Alpacas lisas de. ludas as cores o
covado.....
Cambraia branca organdy peca. .
Dila orgaudy de cores covado. .
Dita dita miudinhas, covado.
Dila de cores colorid, s finas, varas
Dita escoceza de cores covado. .
Dita branca Indiana, pe?a.
Dita Victoria para todos os pregos
Dita transparente c'roa de oiro. .
Saias bordadas modernas.
Cortes de gorguro para collete.
Gorgur3o de seda para vestidos,
covado. .... ^ 35G0O
Bramante de linho, vara. T if*
Toalhas para rosto, duzia 55500
Baloes reguladores brancos e de
cores......., 4*800
Brim trancado alvo para toalbas
vara......"''
Atoalbado de linho adamascado va-
ra........
Fnsio branco eamarello, covado.
Oigandy de urna' s cor sendo :
verde, azul e encarnado, vara,
Brilliutiimadedeuma s cor, cova-
do. .....
Laas de qtradrmhos covado.
Biilhantina de cores matisadas, co-
vado.......
Camisas ingteta, francen e snis-
sas.
panno fino imp-rial, caseniinis pretas e
de cores, grvalas mantas a BiMmrk, cor-
tes de casemiras de core ultimo gosto de
Pars a UAOuO.
ROUPA FEITA POR GTtOSSO E A RETA-
LnO POR PRESOS MDICOS.
1,5500
3,5200
640
800
560
460'
480
.De superior qulidade da mu accredita-
da fabrica de Biatfuit Dubouch cV C, em
cognac on das^ae ate agnarriente dd
cognac, fomecaai para o coasumiao do
Keiuo da Inglaterra.
Vende-se em casa eTb. I
romiwreio- n. 32.
Azeit*
Vende-s
C, ra do Viga
do ftiGO 8
^o-^:^
i
\
wrHV a^y?.*^w
y^"~


MH
BaaaaaaaBasaaaaBaBaBaaaasJlavaaaaaaBaBmB*HaaB1
'<-' TI"

?&..
Diario de Peinambuco Tcrqa eira 28 Je Novembro de 1869.
I. v
SEM IGUAL
0 proprietario do armazem de fazendas denominado ARARA, roa da Impera-
arfz n. 7, declara ao respeitavel publica oseas rcgiwzes, qjo est liquidando (odasas
Pendas e roupas feuas que tora era seu estabelecimento cumo se poder ver no seo
annuncio e preco abaixo mencionados,
Chitas francezas matizadas
390 rs.
Vende-so chitas francezas escuras mati/.i-
dasa320 rs. o covado por este preco sna
loja da Arara, ra da imperatriz n. 72.
LAAZINIIAS A 210 RS.
Vende-se lazinhas para vestidos de se-
nhora a 240, 280, 320 e 400 rs. o co-
vado.
BARRGKS DE LA A 500 RS.
Vende-se bnreges de 13a cora listras para
vestidos de senhora a iOO e 640 rs. o
covado.
Alpaca* de listras a &OO rs.
Vende-so alpacas de listras para vesti-
dos de scnliora a 500 rs. o covado.
CHITAS FRANCEZAS A 289 RS.
Vendo-se chitas francezas claras a 2S0rs.
o covado.
CORTIL DE LAA PARA VESTIDOS A
20400.
Vende-se cortes d i la para vestidos de
ealioras a 25400 cada nm,
PERCALES A 410 RS. O COVADO.
Vende-se percales maito finos para ves-
tidos de senhora a 440 rs. o covado, inur-
olinas brancas finas, a 500 rs. o covado,
brigantinas de. cores, a 440 rs. o covado.
Balees moderaos de todas as
edres.
Vende-sbal5es moderno sbranco e de co-
res a 40. 4$500 e 50.
COBERTORES DE ADGODO A 1,51500.
Vende-se cobertores de algodo a I,$500,
cobertas de chitas a 15600 e 2 cada urna,
GANGAS PARA CALCA A 320 RS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cores para calcas de hamem e
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
cores para cal?a e palitots a 25500 e.3s(,
o covado, m'Mas casemiras enfiestadas para
calcase palitots a !?> o covado, brim pardo
de todas as qualidades e brim branco de
todas as qualidades na ra da Imperatriz
n. 72.
Alpacas lizas a rs.
Vende-sc alpacas de cores lizas finas a
640 rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o metro.
Algodo eafestado 00 rs.
Vendc-se .algodo enfestade proprio para
lenres e toalhas. 000 rs. o metro, dito
trancado a 10, metro.
Chales de merlad i 8S.
Vcnde-s diales de merino estampados
a 25, chales brancos e de cores a 15000
cada un.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Vei,de-se una grande porcao de cortes
do brim castor para calca de homcm, i 640
rs. cada um.
Grande porco de retallaos
Vende-se grande porcao de retalhos de
chitas e cassas prelas a 160 e 00 rs. o
covaJo, retalhos de cassas, 13a e chitas de
cores baratsimos.
LIQUIDAN A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brim de cores a 2iJ,
ditos de alpacas de cores a20, dios de
meia casemira a 25 e 2<5"JOO. ditos de paa-
no preto bom a 8,5 o 100. calcas do algo-
dao azul para escravos a 640 rs. ditas de
algodo do listras a 800 e 10, camisas de
ciscado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
tos de brim o fustas de cores a 1,5 e l(J500,
colotes de cesemira de cores a 20500 c 30,
e outras militas qualidades do roupas feitas
que se vende por baratissimo preco.
Algodo de listras a OO rs.
o covado
Vende-se algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A 40.
Vendeni-se pecas de algodo 40000,
50OO, 60000 e 70, para liquidar.
Baldes de arcos a A&OO.
Vende-se bales de arcos pan senhoras
pelo baratissimo preco de 10500 cada um,
Cortes de cmbrala barras
a 3AOOO.
Vndese corles de cambraias barrsa a
25 e 30 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos do seda a 640 rs. cada
MADAPOLAO ENFESTADO A 30500. \Um' Pan li(Iuidar-
Vende-se pecas de madapolao enfestado; CARTEIRA PARA VIAGEM A 10.
a 30500, pecas de madapolao inglez de 24 Vende-se carteiras para viagem
ardas a 50, 63400, 70, 80 e 100 a peca, cada urna.
72. Ra da Imperatriz. 72.
10
AS NOVAS SEDAS
11-RUA DO QUEIMADO--11
Chegaram da Europa pelo ultimo vapor loja de Augusto Porto & C. ricos
cortes das mais linda sds do mimosas cores para vestidos proprios para bailes e casa-
mentos.
Grande variedade de sedas de listras de diversos precos todas deSindas cores,
gorgurao de seda preta, e grosdenapio de varias qualidades e gorgueo de seda 13a de
diflerentes cores.
Novos vestidos brancos de blood para noivas, lindas colxas do seda para camas,
ditas de 13a e seda, cortinados bordados para cama e janellas, fronhas e toalhas de
cambraia de Hnho bordadas. h
Luvas novas do Jouvin.e elegantes sombrinhas de sedas de cor para senhoras.
Espartilhos de 50 at JO0, lindos bournous de cachemira de cor para sahida
de bailo, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
Grande variedade de camisa*.4>ordadas e lisas para homens o meninos.
Sortimento de rauitas fazendas de 13a, linho e algodo todas por precos muito
mdico.
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tapetes o de alcatifa para
forrar salees tudo em quandade; e vendem semprejpor menos que em outra qualquer
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
ALGODO
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
"ACHINAS americanas de serrote de todos os tamanbos para descaroear algodo, do
muito conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
VACHINAS ditas, tambera do serrotes o de todos os tamanbos para descarofar, al-
godo dd autor New York Cotton Gin.
CACHINAS ditas de todos os lmannos, de carreta de ferro e mais toda a> machina.
VACHINAS dRas de Roller Gins, de cojo trabalho faz obter mais 2.00 em arroba
de algodo.
VACHINAS de faco do fabricante Platt B. A C, Obdhan Patent LiverpooK
Todas estas machinas sao de superior qualklade e* as melhores- que tm
rindo ao mercado ; e para a sua apreckrco convidam-se os senhores agrieoltores 2
rem a exposicao das mesmas na na da Cada do Recife a. 56 A, loja do Basaos, onde
mcontraro mais o seguinte:
'Folha de ferro.
Bataneas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
LIQUIDACO
NO
iebulhadores para milbo.
Oylindros para padarias.
Vrados americanos.
Carrinhos de mo.
fachinas para cortar cap.
Pannos de chumbo,
tambas de Japy.
Ditas americanas,
"elhas de ferro gaivanisadas.
t'olhas de zinco finas.
[utas de cobre e latao.
ferro de todas as qualidades.
ircos de ferro.
i 'fachados americanos.
Facetes ditos.
lalaios e cestas de verguinba.
/assouras americanas.
rolles de todos os tamanbos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos ootros art>g
Jiversidade seria enfadonho ennumera-loa.
Baldes de madeira titos.
Temos de bandejas linas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para esgommar.
Moinhos para refinaces.
Azeitc de espermacete, proprio para aatSi-
nas de todas as qualidades.
Serras avuisa para maehinas.
Mancaes e todos os mate pertences pasa-as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertenceates lavoura e artes, que pela
Lourenco Pereira Mondes Guimare.s, proprietario do armazem de fazendas
denominado GAIUBALDI, tem a honra de p irticipar ao respeitavel publico que tendo
recebilo diversas facturas de fazendas, de novo gosto, para a festa, estando a espera de
novas oncommendas que deve estar aqui at o dia 15 de novembro vindouro, e vendo
que nao tem lempo antes do balaneo de vender tantas fazendas de .encomnoendas p >r
isso resolveu fazer urna liquidaco para verse d maior, estrago por isso em vistas das
circumstancias vender tudo mais barato do que em outra qualquer parte, na ra da
Imperatriz n. 56.
MADAPOLAO ENFESTADO A 30500. I CHITAS PRETAS A 160
Vende-se urna grande porco de midapo-1 Vende-se urna grande porcao de chitas e
o enfestado de 12 jardas a 3050), assim cassas pretas era retalho a 190 o covado
como pecas de madapolao inglezes de 24 tambera tem retalhos de chitas 13a de c-
janlas ou 20 varas a 50, 50r>OO, 60, 60500
70000. 80, 90 e 100000.
Corpinhos a 200 rs.
CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500
Vende-su pecas de cambraias victorias
finas a 50500, 60 e 70. Brilhantina bran-
ca fina para vestidos de senhoras a 500
rs. o covado
ALGODAO A 40000
Vende-se urna grande p rc3o de algodo
todo de r>oa qnalidado o 40. 50, 60, 605 i0
70, e 80, a peca de 20 jardas oa 24
varas.
ADMIREM-SE DO QUE E* BARATO
Chamalotes a 560
Vender hamalotede cores, de algo 1 '
para vestidos de senhoras a 5fi<) o covado.
11 pacas lisas a 500 rs.
Vendi-so alpacas lisas para vestidos de
cores, para senhora, a 50) rs ditos matisa-
da finas a 720 o covado. Ditas lisas mui-
to largas a 640 o covado.
CORTES DE PERCALES A 6:000
V-iden-se ama grande porco de cortes
de percales de duas saias para vestidos de
senhora, de maito delirados gostos com
16 Vi covados a 60 75000.
CAMBRAIAS LISAS DE CORES A 600
Vende se urna grande porcao de cambraia
lisa de todas as cores para vestidos a 600
rs. o metro.
Organbys moderaos a 00 rs.
Vende-se organdys de cores para fazer
vestidos, de duas saias, agora modernos, a
800 rs. a vara.
res que se vende barato.
Gaagas para cal?a a 380 rs.
Vendem-se urna grande porco de gangas
para calca de hom m e menino a 320 o
covado, cortes de castor para caifa a 640
cada nm.
Brim de cores a OOrs.
Vende-so urna grande porco de duas
faces para calcas, palitots e cohetes de ho-
mem e menino, fazenda inteiramente nova.
Brim pardo liso a 5i-0 rs. o metro, dito
trancado fino a 800 e 10000.
Grande liquidaco de chapeos
de sol
Vende-se chapeos de sol de alpaca com
pequeo defeito a 20 e 30000, ditos finos
de I2astes a 40500, ditos de seda finos
de 8 astes a 705OU, 80000, ditos de 12 e
16 astes a 1O0OOU, para liquidar.
Chitas para cobertas a 84 rs o
covado
Vende-se chitas francezas para cobertas a
240. 320, 340, e 380 o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vende-se cassas francezas para vestido
a 240 o covado, ditas muito finas a 400 rs.
assim como percales finas para vestidos a
440 o covado,
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias cruas para homem a
30500, 40. 50, e 60000 a duzia, ditas para
meninos de todos os lmannos a 30500 e
40OOU, ditas para senhoras o meninas a
30500 40, e 50, a duzia.
BALES DE ARCOS A 1:500
Bales de arcos a 10500, ditos modernos
a 40000.
ATTENgO
Tem-se para vender urna grande porco
de roupas feitas de brim -e de casemira, de
360, ditas garibaldinas a 36o"o todas ,a* qualidades nao se menciona por
Sortimento de chitas como tem o f,erenri,d'raho,garante-seao comprador ven-
ATffl{ M-Ull
(rande armazem de fazendas t roupas feitas roa da Imperafria
n. S2, porta larp, de Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimenk)
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 30, 30500 at 60. Ditos d.
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 50, 60, 80 e 100, de panno D?eto
sicos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 30500 a 50000. Calcas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de 40, 54, 60 a 150. Cohetes de todas as qualtades e preco muito
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodo e de linho de 20 at 5f$
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de linho e bramante a 20 e 2#500
bravatas (mantas) novissimo gosto a todos os precos. Meias sortimento completo a 30,
40 ate 70 a duzia. r
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda taalo para homem, como
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de faaendas de
todas as qualidades tanto era casemiras como brins, pannos finos e outras muitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de II palmos de largura a 1>800 o metro.
Cambraias de cor e branca. *
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poilde-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 10200.
Basquines de guipure enfeitadas a 180000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs
Madapolao fino a 60500, 70, 80 e 90000.
algodo peca cora 20 jardas a 40500, 50500 e 60000.
Peca de.algod3o largo a 70500.
E outras rauitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem roupa
feta que se est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 Gunto loja de ourives) do
LESO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
Loja de miudezas de FERREIRA DA CU-
MIA A TEMPORAL, esto quintando por
todo preco venham ver o que bom e ba-
rato a saber:
Lindos brinquedos magnticos para me
nios de 240 a 10.
Linhas em novellos de 400 jardas a
60 rs.
Pecas de tranca de todas as cores a 40 rs.
Latas com superio banha 120, 160
e 20000.
Frascos com oleo baboza 240, 320,
400 e 600 rs.
Ditos de extracto 160, 320, 500 e
640 rs.
Ditos com banha 320, 500 e 10200.
Ditos de agua de Colonia 320, 400 e
500 rs.
Baralhos de cartas portnguezas a' 120 e
160 rs.
Ditos francezas 200 e 240 rs.
Grande sortimento de sabonetes 80,
120, 160 e 200 rs.
Caivetes finos com duas folhas a 240 rs.
Linha de 200 jardas em carretel (duzia) a
10200.
Lindos port-main 240 rs.
Pentes de travessa para meninas 200,
320 e400 rs.
Duzia de meias inglczas muito finas a
30800
Ditas de ditas para senhora a 40500.
Garrafas com a verdadeira agua florida a
10200.
Ditas com agua divina 10300.
Frascos com sndalo a 10200.
Pecas de entreme>os a 500, 640 e 800rs.
Lindos gorros de velludo para menina a
50000.
Papel amisade beira dourada (caixa) a
900 rs.
Dito em pacotes a TOOre.
Lindos bonets de panno para menino a
2000.
Pentes brancos fino para alisar a 240 e
320 rs. ,
Maesa com grampo i 30 rs.
Lindos frascos para eima de mesa com
extractoa a 10500, 20Ge*e 30000 ao par.
Jogo para vispora a 200-, .240 e 320 rs.
Linha de marca (caixa) 2SO rs.
Temporal pede ser procu-
rado era seu estabeeotroento bo-
nanca nde contina a vender
pelos baratos preqos- de seu an-
tigo estateleimento cotn titulo
de Temporal na Bobkuics.
It ii:i 4o ituciuiarfo it. :*.
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas muito finas de
cores a 280. Dit is matisadas escuras a 320
ditas escuraa escocezas a 360. ditas aleo-
xoadas a
covado
Garihaldi ha poucas lojas que compitam.
FSrOES PARA VESTIDOS A 400 RS.
V nde-se fust3o de cores para vestidos a
400 rs. o covado
COBERTORES A 1:400
Vend'-se cobertores dealgrd3o a 10400
oberta* de chitas frita a 10600.
Machinas vapor de
forpa de 3 e 4 ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desot-
rocar algodo.
Balancas para armazem e balcao.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar carias.
FogSo americano patent
Bartholomeu & C.
3
der mais barato do que em outra qualquer
parte, isto s se pode conhecer com a pre-
senca do comprador e a vista da fazenda
que se pode conhecer como" est liquidando
por barato preco, o general Garibaldi, ra
da Imperatriz n. 56.
Chales de merino a tLOOO
Vende-se chales de Merm de cores es-
Vendn-e grande porf So de corpinhos a tarapados a 20000. ditos lisos a 30500, di-
.MOT'da 4000 e 'jos estampados finos a 50. 55O0 e 60000.
RAP! POPULAR
DA
FABRIfA NACIONAL DA BAHA
DE
Teixeira UlduncojrC
Acha-se venda este ptimo rau, nnico que
pode suppnr falta do princeza de Lisboa, por ser
deirui apradavel perfume, viajado, e a preco o
mala mdico possivel; e per isso tem sido ass*
acoltido as pracas da Baha, do Rio de Janeiro e
em outras do imperio : o escriptorio de Joaqun)
Jos Goncalvcs Beltro, ra do Commercio nu-
mero 17.
Vinho, Pilula8, Xarope e Tintura
de jrubeba simples e ferruginoso;
Oleo, Pomadas Emplastro da mesma
planta preparados por
BARTHOLOMEO & V
Pharmaceuticos- Droguistas
IkElt\Vrlltt< O
A Jurnbeb : esta planta hoja reconhecid
como o mais poderoso tnico, como o aelhor
desobstruente.ecomoulsppIJcjdoospsdecimenUM
do ligado e baco, bepatiies, durosas, tumores inter-
nos e especialmente do mero, hjdropesias, errsi-
pellas, etc.; e aasociada ao ferro til as pallidas
corea, cbloroaes e Talla de menatruaco, desama-
jos do estomago, etc., a o qne diaemos alteslao
innmeras caras importantes obtidas oom nossos
preparados ja beta coohecidos e asados pelos aais
distiaclos mdicos do pan e Portugal. Em todos os
nossos depsitos distribuimos gratis folbetos que
melfcor rases conhecer a Jorobaba eos resallados
applieaeao.
JLOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Itm do Cresp* 9
Os propnetaros deste bem conhecido- estabele-
cimento, alen dos muitos objeeto que tinham ex-
postos a apretiacao do respeitavel publico, man-
daram vir e aeabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa mn completo e vanado sortimento de
finas e mu delicadas especialidades, as quaes es-
tao resolvidos a vender, coi' de seu costume,
S3r precos maito baratinhos e oommodo para to-
ds, com tanta que o Gallo....
Muito supepiores luvas de pellica, prelas, bran-
cas e de mu lindas cores.
Mu boas e- bonitas gollinloe-e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha do mais moderno.
Superiores pentes de tartanga pare coques.
Lindos e rkmissimos enfeia para cabcas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores eom vidri-
Ihos e sem ettes; esta fazenn- o que pode liaver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leqpes de madreperola.
marfim, samtelo e osso, sendo aqueftes brancos
com lindos ctesenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias o de Escosca para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por :iU(i(K)
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas,. temos tamben grande sortimento de
outras quaKdades, entre a quaes algomas muito
Tinas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marfim com lindas e encaaradoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm deslas temos tambem grande
Juantidad de outras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleta, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airoso chicotinhos de cadeia a
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segtwar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos Je idade.
Navalhas cabo de marfim o tartaruga para facer
barba; sao muito boas,c de mais a mais sao- ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bera asseguramos saa qualidad e delicadeza.
Lindas e bellas cabellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para erox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos o cartas para voltaret, assim
como os ten tos para o mesmo flm.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conheeidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as coovulsoes, e
facilitan! a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito rocebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, aflm de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
fes que delles precisaran, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre cncontrarao destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao flm
para que sao applicados, se venderlo eom um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pols, avista dosebjectos que delxamf
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Na ra do Codorniz n. 8 contina a ter um
grande sortimento de doces em latas e caixoes de
diversos tamanhos, ctijo so vende por preco mais
barato de que om outra qualquer parte.
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento; ni rna da
Madre de Dos n. 22, armazem dej Jo3o
MiiTiu de Barros,
m gaz m
Chegou ao ango deposito de Henry Forster
., ra do Imperador, um carregamento de gai
de primeira qualidad; o qual se vende em partida
e a retalho por menos proco do que em outra qnal
quer parte.______________________________
MARMORE
No armazem n. '7 ra d> Imperador, ha par a
vender por baratissimo preco um grande sorti-
mento de oedras de marm ir de diversas qualida -
des. como seja : degraos, soleira^, sacadas, mesas,
balcSes etijolos. etc., etc.
Vende-se

por qualquer preco os pertences de urna fabrica
de velas do carnauba : quem precisar procure na
ra do Vigario n. II, armazem
Cabriolet.
Vende-se um cabriolet de dous e quatro assen
tos, o que ba de melhor neste genero, com bom
tavallo e arreios, ou sem elle : na ra re Snt'
Amaro, cocbeira de Thomaz Lins.
Scllins baralos,
. RA DO LIVftAMENT N. 27.
iste estabelecimento vende-se sellins^e
sillies, de todas as qualidades do melhor
que se pode fabricar no paiz, assim como oa
mais arreios pertencentes ao mesmo,, ven-
de-se tambem, colxoes, ti avicciros, caixi-
nhas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. O proprietario deste esta-
belecimento garante a poniualidade, esme-
ro e zelo de seu trabalho ; portanto pede ao
respeitavel publico sua proleccao, que afilan-
ga vender tudo pelo mais barato possivel,
e por menos do que en outra qualquer
parte.__________
J cordeiro previdente
Rna do Inclinado n. 1.
Novo e variado sortimento de perfumariai
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfo-
marias, de que enectivamente esl provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba da
receber um outro sortimento que se torna
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
fos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreeia$So
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguesa em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conhecida maasidao
a barateza. Em dita loja encontrara oa
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Morray 4 Laminan.
Dita de Cologne inglez, americana, frao-
oeza, todas dos melhores e mais acreditad
fabricantes.
Dita de l?or de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para eonservaclo do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qrohdade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, ransparente
a outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos a
francezes em frasees simples e afeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
o de violeta.
Outras concentradas e de ebe^oa igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome vsrdadeiro.
Extracto d'oleo db superior u*Hdade.
um escolhidos cbeirs, em frascas- de diffe-
reates tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores a- menores
pana roaos.
Waos transparentes, redondos a-osa figu-
ra de meninos.
aViaos muito finos envcaixinha pacbarba.
Eatxihas com bonitca sabonetes-imitando
fruetas.
Bitas de madeira invarnisada coataado fi-
aas perfumaras, muito proprias pare pre-
sentes.
Ditas de papelao igualmente bontoaay tam-
bem de perfumaras firas.
Bonitos vasos de metal colorida* e da
tnoMes novos e elegante, com p db arroz
a boneca.
Opiata mgleza e francesa para destes.
Pe de camphora e outras difirante
qualidades tambem para> dentes.
Tnico oriental de K&mp.
Aluda inaia>qnea.
Um- outro sortimento de coques- de no-
vos a bonitos moldes ce* filets de vidrilho
a algns d'elles ornadee de flore e fitas,
dsto todos expostos apreciado de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUN808 BORDABOS.
Obras de muito gosto- e perfeicao.
FIvellas e fita para cintas.
Bello e variado sortimento de taes objec
tea, ficando a boa escolha ao gosto do com
orador.
PILULESSffiSBSgCAUVIN
luna HimijiL rata\
tata aneoa t>airau*a> vegetal to eoanaodo
aaau> aarada>el u reaaa#> aui< inrallirel aara dea-
jnur as ecaasUaaeawa, W aMvraUfiaw, as ania ra-
|aMes, assisa como a Mita r a *1seoaMa4ea
Ella t afica aas ejaMrlUa, asiairaiataai aam-
I aMa. aathaas. w, uiairW/emajtfeaM,
wwa rtiaaaill aan.
I 0 nrreciaicnU) das rllalaa caiaiata nodr reaa-
mir-se aesUa pala "r a salda.
Blas Uo pdesi ana resguarda ai eoaida
|Wa4aa;aaiaoelaaaale "
I *Sl!Z.,*mt" *" *"p"w,* a a
tes






Tf""

i
<



lt
>
y
I V
^
Diario de Pemambuco Terca feira 23 de Novembro de 1869.
I
m
FAZEID/I
DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO -_*.
" DE
FLIX PEREIRA DA SILVA.
O propietario d'este grande estabelacimento, vendo quo se est aproximando o An-
do aQO, e tendo em ser um grande deposito deposito de fazendas; n5o fallando em
abultadas encommendas que Ibes estao obrigado todos os dias, tem resolvido liquida-
las por preco milito mais baratos do que em outra qualquer parte ; so com o fim
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontra-se neste estabelecimento do
PAVO avultado sortimento de iaz^ndas de laxo e modas; assim como de primeira
necessidade. As pessoas que negeciam era pequea escala n'esta loja poderao surtir-
se vendendo-se-lhes pelos precos que compram, n.s casas inglezas; assim como as ex-
cellentissiraas familias poderao mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou man-
dar-se-ba levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
acha constantemente aberio das 6 horas da manhaa s 9 da norte.
BASQUINAS A i2f>000
Na loja do Pavao vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
peto barato preco de i25000 cada urna.
ALPAGAS BRANCAS LAVRADAS
a loja do Pavao um grande sort-
' vradas
e mais
'" ^Jiflf*"""

&tlA

&0 CjtlMA^
Assacard e ferro de
O atffe laieand obiido
|a : ^tnten ament so-
rel om o ns^^^^^Hfranieii'i' purificado.
te assucar, de uili-bella apparencia crystalina,
m o simples roslo mol agradavel do assucar,
m o menor sabor adstringento: nSo tera eco
rtante sobre a mucosa do estomago e ente.-tiuos,
rpidamente absorvdo polo npparelbo digesti-
vo sem causar as constipa?/* do vende.
E' hoja o preparado do ferro de mais aceitacao
para a colorse alonia dos orgaos, perdas brancas
menstruacdes diffleeis, etc., c tem a seu favor o
juizo auiorisado da escola de medicina de Par,
e dos cbimcos os mais notaveis.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Bartholomeu 4 C, ra laiga do
Rosario.n. 3i. ..
& irnii rtiUNf V tem conviccSo de que a abundancia de objectos de noyidade-
em seu consunto fco'mpfeTo sSrSent, a boa escolha no gosto delles, a uperiondas
" "qrtSS a limitado de seus pmm -* n. op n,a od^o respe, ave pub
em eral, e na de sua boa freguezia em particular; mas anda assim ella julga ae seu
(levfr scientiftear a todos, da recepcao d'aquelles objectos que estao alm do comraum,
'Tn&aasdemadeiras envernisa-, ?J^e "^
xplendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVAO RA DA
MPERATRIZ N. 60 Cbegou para .
Acha-86 este grande-estabelecimento COm- mentodas mais bonitas alpacas brancas lavrada
DleUmente sortido das melbores roupas, e de cordo sendo n'este genero o melhor e mai
-. ,inD noiiita pnlAtfls d casemira. lustroso pue tem vindo ao mercado, tem algumas
sendo calcas pahtots e coletos ae ^se> |o finas'e 0 b0uila9qae servem para vestidos de
de panno, de bnm, de alpaca, e ue urnas _ovas e vondom..e por coramodos precos.
as mais fazendas que os compradores pos- lazinhaS modernas NA loja do pavao
Sam deseiar, assim como na mesma loja Chegou para esta estabelecimento um grande
ras, brms, etc. etc. para se mandar lazer detodH0803 precos e qualidades que se vendam
qualquer peca de obra, com a maior promp- m3jg barato do que em outra qualquer parte,
udao vontade do freguez, e nao sendo (jroches para catleiras e sofs
obrigados a acceita-las, quando nao estojara ^ uffl .Q sorlmento dos
completamente ao seu contento, assim como bonitos crochs proprios para cadei-
n'este vasto es abelec.mento encara o ras mesas> .^^ ^^ assim
respeitavel publico um bello sortimento de C()mo proprios para cobrir presentes, e ven-
camisas francezas e inglezas, .^rflout8. ^ de-se mais barato do que em outra qual-
linho e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porco de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja^ do
Pavao ra da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Encontra o respeitavel publico neste estabeleci-
mento um grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam. cassas francezas e inglezas, cintas
pretas de todas as qualidades, fazenda de laa de
todas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, laazinhas, alpacas lavradas e lisas, cantao,
borabazinas, merino, etc., que ludo se vende por
preco barato. .-
AS CASSAS DO PAVAO
Covado a 300 rs.
Vendem-se finissimas cassas francezas com lin-
dos desenhos e cores flxas a 300 rs. o covado.
Madapolao fraucez a 7&000 rs-
Vende-se pecas de madapolao francez
eom 2 metros pelo baratissimo preco de
74QOO a pe?a, pediinclia.
Altas novidailes em sedas
Chegou um grande sortimento das mais
modernas poupelinas ou gorguroes de seda
e buho com os mais elegantes padroes que
tem vindo a este mercado sendo, miudos e
graudos, tanto em cortes para vestidus como
para veuier em covado, assim como tm
bonito sort'mont das mus bonitas sedas
listradas que se vende todo muito em canta
Grosdenaples de cores
Chegou um grande sortimento dos mais
bonitos gro vestidos que se vendem muito mais barato
do que em outra qualquer parte..
CHAPEOS DE BRIM A 2000 RS.
Chegou urna grande porc5o de chapeos
de brim para cabeca que se vende pelo ba
ratissimo preco do 2000, por terem che-
gado com um pequeo toque de mofo. E'
ppehincha.
GRANDE PECHINCHA A 5:000 RS. PECA DE
Hretanha
Vende-se pegas de -uperior bretanha de
algod3' tendo quatro palmos de largura
com 20 varas ou ii metros cada peca, esta
fazenda seria para distar 85000, a nao fer
urna grande compra que se fez, e liquida-se
a 50000, cada peca.
Gorgnro para col leles
Vede-se o mais superior gorgurSo preto
com diversos padroes pelo barato preco de
6<500o o corte de collete.
Admiravel pechincha
ALPACAS A 400 RS.
DE FURTA CORES A 400 RS,
ALPACAS A 400 RS.
Vende-se um grande sortimento das mais
bichantes alpacas de furta cores com as
tnais lindas e mais modernas cores imitan-
do perfeitamente as sedas de furta core
senda neste artigo o mais novo que tem
vindo ao mercado, para vestidos, muito pro-
pria para as senhoras que forem passar
fesla ho campo, por ser urna fazenda de
multa fantasa e pelo barato preco de 400
rs. e covado.
Srefcmka de rolo a tJfc&OO a
peca
Vende-se superior bretanha de rolo ten-
do 10 varaa ou ^ 1 metros com 4 palmos
de largura pelo barato preco de 25O0,
pechincba.
OssetmsdoPav&o
Vende-se os mais bonitos setins de cores
e maja eucorpados proprios para vestidos
tendo de diverja* cores.
AQ* PALIT0T3 00 PAVAO A M e
205000.
Vende-se ura bonito sortimento de palito-
ts francezes sendo, sobrecasacados e pro-
{iriaajente eobre casacos, que se vendem
orra4o de alpaca a 185000 e forrados de
toda a 205000, pecbiacba.
ouer parte,
GLACE- A i:i00 PARA VESTIDOS
0 Pavo tem esta nova fazenda lisa pro-
pria para vestidos, com as mais delicadas
cores e eom mais luslre do que a propria
seda com 4 palmos de largura que facilita
fazer-se qualquer vestido com 10 covados
e vende se pelo baratissimo preco de 1:200
rs. o covado, pechincha.
CRETONE DA INDIA PARA COLCHAS
O Pav3o tem esta no>a fazenda cretone
propria para colchas, com os mais Un os
padroes chinezese com as cores inleiramen-
te Oxas, tendo largura de chita franceza e
vende-se em conta, ,
Organdys a 300 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores com padies miudos e graudos. sen-
do todos de cores fixas, pelos baratos pre-
cos de 300 rs. o cova lo.
CAMISAS PARA SENHORAS
Chegou um grande io> tmenlo de cami-
sas francezas para senhoras, sendo lisas e
bordadas, assim comoum grande sortimento
de corpinhos de cambraia bordados, cami-
sinhas e manguitos oom golliuhas que se
vende miiilo em conta,
VLPACAS DE CORDO
Vende-se as mais bonitas aipacas de cor-
do, tendo de toda- as cores, as mais novas
que tem vindo ao mercado e veudem-se
mais barato do que em outra qualquer
parte.
ALGODO ENFESTADO
das, contando navalhas e os mais necessanos
para viagem, servindo ellas de carteira
mando abertas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras roachetadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rla para costura, obras de apurado gosto
e perfeic5o, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algurnas com msica..
Estojos ou carteiras de couro com nava-
lhas, e os mais necessarios para fiagens.
ESCOVAS DE MARFIM
Para unhas. dentes, cabello e roupa.
Outras de balea com machfitados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
ORRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para noivas.
intos de brim, com elstico para se-
nhoras. .
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pra-
gentes para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin dourado.
Rotoes com ancora, e P. II. para fardas
a collGtGS.
Abotoaduras d'aventurine com o p de
prata dourada, para colletes, cada um 55-
Rotoes de cristal, encastoados em prata..
para punhos, 45 o par.
Camisas de flanella para homem, a me-
lhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de Ha para homens, senhoras e
creancas.
Ditas de dita, tecido de borracha, para
quem soffre de inchaco as pernas.
Novo sortimento de toalhas de labyrin-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
penas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.
Ronitos passarinhos. de metal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas,
de v lH&ouras de duas, tres, quatro e cinco
pernas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusultra, merece a Aguia Rranca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de t5o bom
em tal genero, e anda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundarlo
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras continuarlo a
Tir especialmente para a loja da Aguia
Rranca.
Descrever minuciosamente por seus no-
mes e qualidades a infinidade d'objectos
que constantemente se acham venda na
loja da Aguia Rranca, seria sen5o impossi-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia. e pede aos que de novo queiram
reconhecer a commodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que n5o se
esquecam de comparecer loja d'Aguia
Rranca ra do Queimado n. 8.
da es-
Doce d caj
emealda a 320 rs. a libra : no armazem
Mella, rpo (Im Rosario n. IV_________ r .
ifiotei Lisbons
Vende se o holol Lisbonense, silo a ra eslreila
po Hossrio n II. o (\\x: so sebe Le inonlada o
em excellemes commodos ivir liospedes, por st
eccupailo todos os andares, leudo tx> primeiro nni
bimar, e o sepund > dividido cim qui.itos para re-
sistencias dos hospedes que quizerein morar, lem
arrendamenlo no mesmo predio por seis anuo,
fez muito negocio, e a razao da venda se dir a
vista dos prciendentes ; assim como outras vao-
laperi, que s com vista se p idcr dizer verbal-
mente.________
0 Campos da ra do Imperador n. 28 tem para
vender o seguinte:
Qucijos londi nos, pratos, flamencos o de Minas,
todos muito frescos e de boa qualidade.
Presuntos para Hambres e para tempero, palos,
salames etc. etc.
O verdadeiro bacalho de Noruega.
Latas com lagstas e ostras.
O verdadeiro caf Mocka.
Especialidades
Grande remessa de cigarros de diversas quali-
dades, vindos da provincia do Rio de Janeiro, no
vapor Lrasileiro Paran-.
A saber:
Cigarros ao duque de Caxias
Ditos ao Maurity.
Ditos aas tonentes do Diabo.
Ditos Barbacanas.
Ditos Papel peitoral.
Ditos de S. Paulo.
Ditos do Ro-Novo.
Temos de medidas para seceos, segundo o nove
systema (mtrico francez), no armazem do Cam-
pos.
As mais adoptadas e mais facis fabellas para
de prompto se reduzir !) e a kilogrammas e ao
inverso estao se acabando por isso rccommeuda-se
aos eslabeiecimentos que anda nao tem, que ve-
nham seus donos munir-se desse to grande agen-
te do commercio, pois que, com a safra que.est
port, torua-se ditas tabellas indispensaveis.
28-TUDO NO ARMAZEM DO CAMPOS-28
SORTIMENTO PAR 1FESTA
Yende-se por menos de 10, 20 e 30 i<,
22 Ba Nova n.
Machinas para costuras.
A este acreditado estabelecimento, che-
gou um riquissimo sortimento de machinas
para costura, de todos os auctores; as
quaes se acham em expnsico no mesmo
estabelecimento. 0-progresso dcslas ma-
chinas maravilhoso I o seu servico equi-
vale ao de 30 cnstureiras diarias Os
seus trabalhos sao pespunto, bordar, fran-
zir, e outras muitas qualidades do costura,
como se pode ver no mesmo estabeleci-
mento.
Garante-se a sua boa-qnaiidade, como
bem o concert de qualquer machina quan-
do seja preciso; e tambera se "manda ensi-
nar, at que a pessoa esteja bem pra-
tica.
SO' NO
ARMAZEM CIUllUTni
N. 23Largo do fer w
SIMO DOS SANTOS &
Os pmprietarios deste bem sortido armazem de secco e molhados estao re-
solvidos a fazere urna grande diminuto de precos as suas mercadorias, como se apro-
xnna a fe'ta e sempre se fazem avultadas compras para o centro e praca, por
Vende-se una grande porco de algodo- isso previnem ao respettavel publico em geral, que mandeJazer **"WW*<*
sinho americano com 8 palmos de la gura tos de que vero a grande dilerenca em precos mais do que em outra qualquer parte
e Vir^^^^^W SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra e
620 rs. o kilogramrao.
FARINHA DE ARARTA VERDADE1M
640 a libra e 15400 o kilogrammo
BLAX1NHA INGLEZA MUITO NOVA a
proprio para lences e toalhas tendo liso e
trnicaao que se vende por preco muito em
conta. .
f*anos de llnho
Chegou um granel" sortimento de pecas
de panno de liuho do Porto que se vendem
de 70! rs. at 1(5000 a vara, garantindo-se
que em fazenda de linho nao ha nada me-
lhor, nem mais proprio para lences e toa
Ibas
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um grande sortimento dos me-
hores chapeos de sol de seda, ingiezes ten-
do nesie art go o melhor que tem Vindo ao
mercado assim como urna grande porco de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em o tra qualquer parte, por baver
graade porco.
rencos braaeos
Vende-so um grande sortimento de len-
cos hrancos para hornera, sendo a duzia a
1 (600, 20000 e 3)5(000, ditos abanhados
muito unos a 40 e 6I000 a duzia, ditos de
esgufto fazenda muito superior a 50, 60 e
7#OU0,
Pechlcha em c&semlras a 4:000
Vende-se finissimas casemiras de cor com
lislras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores mais novas o mais bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baratissimo preco
de 40000 o covado ou 70000, cada corte
de calca.
Os baldes do Pavo a 2#000,
Cheg u um grande sortimento de baloes
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 20000 ca-
A tenorio
Joaquim Rodrigues Tarares de Mcllojgjj
tem para vender no seu escriptorio, pra-JB
ca do Corpo Santo n. 17 primeiro andar, ?.
potassa da Russia ltimamente chegada,-*,
cal de Lisboa c vinho Bordeaux de supe-Mj
rior qualidade. %]
llLilllll
Resta venda um escolhido sortimento de ob
celos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
;arand.mognoeamirello, obra nacional eestran
(eir, de apurado gosto e por prtiffl* razoaveis:
aa raa estreit do Rosario n. 32. Nesta mesma
asa faiem-se com perfeicao todos os trabalhos dt
jalhinha, como sejam, empalhanjentos de lastro'
iara camas, cadeiras e sophs. ___________
Cemeuto
GAZ AMERICANO 90500 a lata, e 440.
rs. a garrafa e 660 rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FlGUEIRA 5G0!
a garrafa, e 40500 a caada e 800 rs o ti-
tro.
DEM DE LISROA das melhores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 2800 e
302iO a caada, 660 e 7> rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 40000.
a caada e 560 a garrafa, h 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO
200, 240 e 320 rs. garrafa, 10400,
10800 e 20200 a caada.
AZEHE DOCE DE LISBOA a 900 rs. a
garrafa, e a 70 a caada, e 10340 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 10400 e
10280 a libra, 30060 e 20780 o kilo-
grammo. m
DITA FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
10980 e 10860 o kilo-
mais barato que em outra qualquer. parte: na
na do Vigario n. I", Io andar._______________
111 1
400 rs. a libra e 8 VELLAS DE ESPARMACETE 7*0 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PH0SPH0R0S DO GAZ E DE SEGU-
RANZA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
rrcRO 30200 e 60500 a groza.
A AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 108O. 20500
30500 40500, 0500 a lata e a retalho e 10
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso. e em caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 50500
a dtizia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS <*
BELL, 800 rs. a garrafa e 90 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 10500, 10200, 10 e
a libra, e 20100,
grammo
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a h
bra, 10220 o kilogrammo, em porco se
far abatimento. _^__ ,
BANHA DE PORCO DE BALTIMOOR a
720 rs. a libra, o 10560 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa,
porco se far abatimento.
DO MARANHO E DA INDIA
FIO IIEVEL1
Barbante
Em casa de Rabe Schmetau & C. Corpo
Santo n. 15.
SHERRY 0L0R0Z0.
Gelo seal.
COGMAC HENMESSY.
& C. Corpo
Em casa
de Rabe Scbmettau
Santo n. 15.

da um grande pechincha
AS CAMBRAIAS DO PAVO A 4:500 RS.
Vende-se urna grande porco de pecas
de finissimas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com mais de vara de
largura pelo baratissimo preco de 40500, a
peca sendo fazenda que nunca se vendeu
por menos de 80000, grande pechincha.
AS POUPELINxS DO PAVO A 500 RS.
Chegaram as mais lindas pnopelinas de
13a com imitaco das poupelinas de seda,
um fazenda muito leve com as mais lin-
das cores, sendo: verde Bismark, rxn. azul
lyrio, cnsento, perolla etc, etc. e vende-se
pelo baratissimo preco de 500 rs.
Fatde8 braaeos para vestidos
Cbegou um lindo sortimento dos mais ta-
ralos e bonitos fustes blancos com listras
e cordoes, sendo fazenda b stante larg;
flexivei, muito propria para vestidos o rou-
pas de meninos e vendem-se a 640 o co-
vado.
* --------------1
Riip de Lisboa
Na raa do Crespa n. 0 contina ter rap de
Lis oa da melhor qualidade que tem vindo a |le
per atril n. 0(F. ercado, ehegad- pelo ultimo vapor.
Na loja e armazam 4o Pavao i ra da Imperatriz n. 60.
ARROZ
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
30400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo. e 60000 a arroba.
OAF EM GRAO 60 e 60500 a arroba,
200.20 e 260 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca sefar abatimento.
SABO MASSA 240 e 200 rs, a libra,
520 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento. _
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHAMN E ALETRIA, 560 rs. a librare
10220 o k'logrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
Ihante, combination, Francy-cracynel, mixed
Britania. Mdium, Fancy-nic-nac, a, b, c, e
soda a 10000 e 10400, cada urna lata.
Assim como ha outros muitos
CAHMPAMA
SUPERIOR*
Roussillon, carte blanche.
Em casa de Rabe Schmettan A
C. Corpo Sanf n. 15.
E HAMBUR-
GUEZA 70 e 60 a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a frasqueira e 10 o fraseo.
QEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
30OOO. 20800 c 20400 em caixa ha abat-
rnoslo.
TOUCINHO DE LISBOA MUTTO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 110500 a arroba.
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS I0OOO rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TO a 10000 rs. a lata.
CHA FINO. GRAUDO E MIDINHO
30200 e 20800 a libra, e 60100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 20000,
23200 e 10800, rs. a libra,
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
VINHO
DE
BORDEAUX SUPERIOR.
CHATEAU LA ROSE.
CHATEAU RAUZAN
Em casa de Rabe Schmettau & C. Corpt.
Santo n. 15.
POS DE ROG
Approvados pela Academia imperial
de medicina de Parit
Um frasco do fm de Bog, dissoWido
em urna garrafa d'agua, d urna limonada
gradaTel, que purga rpidamente e de
nm modo certo, sera causar a menor
irritaeao como acontece com a maior
parle dos outros purgantes. O* Pa de
Bog, sao inalteraveis por isso einpre-
gam-se fcilmente em viagem.
. j emnio-Jixmo,0iij>wtf;C#W.
em Peiumicco, Mturcr t C\ A
XAHOPE de KYPQPHOSPWTO de SODA
XAROPEdEHYPOPHQSPHITOdeCAL
PILULASdeHYPOPHOSPHITC de QUININO
Wk
mm$vy
XAROPEdaHYPOPHOSPHiT ce FERRO
PILUlASteHYPOPHOSPHITOdeMANGANESIA
PAStllHAS PECT ORES*.' CHMCHiLL
Elidir para us xarvpa o (nuco iptadrado e em
todos o productut a jsiigiuturu do \i" CHDR-
CHILL. c o lilri'ini con i m.uri Ao fabrica da
Pharmacia S,S-AIIlM.lJ.ruii'imi PIIUIES
DEVALLET
As pi hilan de Vallet. approvadas pela
Academia imperial de medicina de Paru,
saO empregadas com o maior
xito para curar a chlorosis,
e forlilii-ar as conslituieSes
fracas. Nunca este ferrugi-
noso ennegrece os dentes.
Para a garanta da sua autlienticid.ide,
o nenie do invenlor vai gravado em cada
pilula como margem.
DpwU
eni Rio-J.tsEii'.o, Dirpcncki'lle; Chrcolot.
'"i Pctumivco, Uairer C1*.
AVISO
aos convalescentes e pessoas
[racas e debilitadas
OfjUINIUM LAB*RRQUE approv3Jo
poli Academia imperial de medicina de
Pai i o toniu) por excellcnc.
. 1,:i" ^ ''*t|l;(,<
DtfoiKllMt; CkctoM.
iliitrr 1 L ".
XAHOPE
I
DECODESNADEBEVn
Preconisai!> i>or totlos os ncdfeoj ecotra ug i
DEKLUXOS. CATIIAHI10S, E TODAS SiM
fkRlTACOES DO PEITO.
N. B. U Xanp- de Coii laa flu ntrece.
kvnra, alias ocia rara entre M iledicamcnlt
nuroj, de ter rcyistiado $uma um des miU.i Jnj
mnitos olpcines do mjx.ri.i rranttt dper
qualquer c ayiu.
AVISO. Por cansa da nptebemitri <:>'-
li'-icio cim- ii'in suscitado o w'.iin Hit
Xarope e antai de BirtM ww UxAa
leMbru quoesii5:iieicau.iios tajL;:ti
coiice inados "i w ^*-s.
Miidnii era c;i \r.\- -j*r s-'
harihxanlctunJo .~f'^^~\^
ssienaluro :n f~~_,~-
fnuir. "~-
4, luir iii* He.'Ui, e na Phsrn i '
di- Frjnct. .. lt /-'"y. ''" <
'. tudaa*Ptoraww'' !: h r*04En
ESCBAVOS FGIDOS.
AVISO
Fugio sc?unda-feira, 18 de nntuhro, o ^r.wf,
Antonio, preto crinulo, dado 50 annos, p >i co a-aw
ou menos, de estatura reguJar, falla de dentes na
frente, quando anda um pouco corcovado para
danlc, levou vestido calca de hrini pardo, tumi-a
ilc estr-pa, e chapeo de paiha ja vellio : esle e
cravo veio ja ha lerupo do Rio Formse, e sup-
poe-se ter para all seguido : qitem o pegar le-
ve-o arma da Concordia n. 8, refloacio, quo sera
bem gratillfado. ^^_______
Fugio di rasa do abaixo assiguado o seu es-
cravo isac, mulato, dad.- O annos. pouco mais
oa menos, furtando-lhe aO a 600000_ em nti.o-
das de onr, tem o dedo grande da Iwo direita
com duas unhas. como se fssein dous ded.s. sa-
bio bem vestido, 6 bonito e muito fallante. O
abaixo assignado promet* papar bem a quem o
pegar o leva-lo ra da Matriz da Boa-vista nu-
mero 33.
12 do novembro de 69.
Jesuino de Miranda.
COLCHAS DE FUSTAO
N loia do Pavao ende-se um grande sortimen-
to de eolcha* de fusto sendo brancas e de cores
dita* de eroeb para camaa de noiva, awm como
noratos datnaKO de 15a pal* colchas.
Na loja ae PavUo vendem-se o mais
bonito* chale de Terdadeira cachemira de
e6r, Con oe desenhos mais modernos, a W,
10 e 124000, e muito barato oa raa da Im-
muito novas, passas e figos novos, charutos de diversas marcas, marmelada, fe la pe os
melhores conserveiros em Lisboa, gela de raarmelto, pcego, ervilhas, em latas, por-
tuguHzas e francezas. vinho verde engarrafado retalho, pene em latas, bem como
pescada, tainha, pargo. goraz, lula, corvina, vezugo, cavalla, sarda e sardinhas de Nan-
tes ^oella, cravo, ervadoce, cominho, pimenta, grandesmolhos de scbolla 1*500.
Finalmente muitoi outros gneros que enfandonho menciona-los.
PARA A FESTA
R\m Direita numero 53.
Grande e completo sortimento de bandoijas chi-
nelas, tanto quadrada* como ouvaes, e do todos os
tamanhos, couipleto sortimento do facas e garfos
de 1 e i B, balanco inteiro e meio halanco, cdlie-
res de metal principe, as mais linas que tem vindo
ao mercado, trm para cnzinha, pesos kiio?ram-
mas tanto de ferro como de lalo (com reduccao
de preco), metros para medir fazenda tanto de ma-
deira como de latao, alem de nra sortimento rom-
pido de ferragens e miudezas, bem como maciiinas
de descarocar algodo, moinhos para rafe de todos
os tamanhos, etc., etc., ludo por pref m que s
avist da comprador faz fe : na roa Direita n. 5J,
loja de ferragensde Manoel Bento do Oliveira Bra-
ga &C.^____________________________
Fugio ha dias do mez proxiind passado, do
engenho Fumo da Cal, o oseravo Vidal, preto,
erioulo, iilade 40 annos, pouco mais on meros, de
estatura regular, tem barba serrada, desoonfla-e.
andar por Gioanna. visti ter sido do engenho Ja-
car : quem o pegar e lvalo ao engenho acima^
ser bem recompensado.

__
Vende-ge
urna casa na villa do Cabo ao pe do rio. acabada
PORMETADE ______^ ara(a
_ M -fcr vende-se loj.do Wumpho *--S",SESfS
a roa do Queimado n. 7. lralar no bolol do cabo, ou na ra Direita n. 61.
Lias de bonitos padroes a 30 e 400 rs.
Vende-se
nina vacca de leite de boa raca. e que est prenhe:
na cocheira da na do Sol n. Vi.
o covado.
E outras muitas fazendas de phantasia por
Fio delgodo.
Vende-se fio de algodo'da Baha em saceos de
preeo muito commodo e breve sera annun- {0e 10oiibras : no escriptorio de Antonio Ln
ciado sea esplendido sortimento. I de Oliveira Aievedo & C, ra da Cruz n. 57, i"
LOIA D0TRIUMPHO. laolar.
A roa do Livramento n. 6. contina a ha-
ver para vender por precos rasoaveis, o
melhor vinho verde at hoje vindo a este
mercado.
Fugio uo da 7 do correte mez de novem-
bro, a entreva Joaquina, crinla, de idade 40 an-
nos' cor prota, baixa e cli ia do corpo. tem urna
orelha rasgada no lugar do brinco, um peque-
a cicatriz na testa a um lado, dous dentes na
frenle aherto? que parece falla dd nm, ma* nao :
esta escrava so oceupava em carregaragua no pa-
teo do Terco, ou lavando roupa pelos coqneiroe
junto a ra Imperial, e por estes lugares que
ella cosluma andar. Boga-se aos Srs. capiiesdc
campo a aprehen.-ao de-ta escrava e a levar a
ra do Queimado n. 39 terceiro andlr t>u a praca
do Corpo Santo n. 17 primeiro andar, que serio
bem recompensados.
Fugio do engenho Pao Santo, freguezu do
Cabo, o escravo pardo de nome Samuel, ciatur
baixa, secco do corpo, tem parentes na ctd^de de
Olindae Rca-Visia : a rna do '".alleireiro n. 4i, que achara com qnent
trate a paga._______________________^
Fugio do capitn Jnaqnim Ferreira do San-
tos, morador na cidade de Penado, provincia de
Alagoa*, um seu esrrvo de nomo Pan
alto, de idade de tt anno, P<_^H
vesgo de utn olho, tem
I em urna da< mi-, delga.' '"?
quem o ain^ehendcr igf* **la
| beq^recotnpensado.
ti




Pefnambuco -r Tem-i lerfl 2fc de Nwmbrci *d<
1869.
TTEMTS
Qi:k o puesidentk mioyiso iimc
da 1ioliv11, o genkbaf. mkix.ahbot dibigio
A ASSMHJLfcA RACMWAt CONSTtTCINTE NO
ACTO DA SUA KSSTALI.ACO, KM DK AGOSTO
D 1868.
(Omtiviiamb)
Fazaula.
Necesitamos tambera de orna comm-'s-
de jurisconsultos para anflcar nossa le-
gisla^lo e tornla tWmogena.
Eui minera criminal d opte i urna sanci.Tio
penal enrgica, .que reputo ser ellleaz para
a reresso do delicio, que se refere,
ainda quan 11 nao te riba, loluvia chegado o
Caso do applica-la.
Era j.i insupprtavet a envidarn da moe-
da falsa, quer emettida no interior da Bo-
livia, quer importada do exterior. Conhe-
cifla d sua fuuesla influeucia as trausaccSes
e todo o genei o, n5o CQcontrei outra pena,
que dfvesse applcar se aos autores de 13o
immord deli to so nio a de raorle. E a
hei est ibelecido com o sen processo peca-
liar.
A edgo novissima da collecco oflicial
das leis, decretos, ordens e resolucoes, en-
commendada ao Sr. Dr. Jo5o Jos Amellar,
magistrado do supremo tribunal do justca
eliega j.i aitfvolumes: Teve alguma de-
mora por falta de fundos, que nao escaceae
rao d'qra em diante, bavendo-se pago -
subvengo duvida lora sua totaidade.
Ao iiianpurar-se a cansa de dezembro o
thesouro nacional tinha um dficit de mais
de 360 mil pesos, segundo apparece do
orc bla legislativa, reunida em Cochabamba,
volou para o anno econmico de t65.
dons mezo* antes da mudanca poltica de
28 de dezembro de I8G.
A rebelliao armada de 1865, q'ue durou
o to mezs, augmentou consideravelmente
este dficit com os escandalosas dissipaces
dos intitulados constitucionaes.
O governo vio-sc tambem obrigado a
empregar grandes sommas nos gostos da
guerra, iudispensaveis para o restabeleci-
mcnlo da urdem perturbada por aquelles;
ao que se deve addicionar a perda com que
o governo negociava fundos, tendo de paga'
subidas porecntagens aos emprestadores
asaba como o necessario prejuizo oom quo
eram arre t atadadas muitas rendas fiscaes.
A nao ser a victoria de Viacba que re-
gularisou a marcha das cousas, teria sido
iiifullvel a banca-nota da fazenda nacional,
cujo prejuizo at agora incalculavel.
N'esses prejuizos se deve comprehender
tamben o que produzio, por occasio da
mesrna guerra civil, o emprestimo negocia-
do em Lima pelo Sr. Soruco com a casa
de La Chambre A C : os seus pormenores
devem ser-vos a presentados pelo meu pri-
meiro ministro, ao dar-vos conta dos ne-
gocios da secretaria geral de estado, que
estove a seu cargo.
Para remediar de alguma maneira situa-
co tao penosa foi necessario crear varios
impostas, que, ainda que moderados, tm
garvido, nao obstante, para sacudir aos gas-
tos mais urgentes do servico publico.
A venda das trras do estado, usurpadas
por individuos que 3o pertenciam a raca
indgena, e a daquellas, cojos donos ha-
viam deixado de consolidarse pelos ind-
genas, qr-e as possuiam a titulo de usu-
fructuarios, teru sido um recurso opporiu-
no para o erario: alm de que com tal
medida se ha concillado os interesses d.s
classes dos contribataes o da agricultura
em geral, que, a nao duvjdar-se, rec-be.
Offi ftolavei desenvlvmento.
A ad< pcio do uso do sello (Timbre) para
us trahsacces toeiaes, conliecido, lia mili-
to lempo, nos patees civilisados e ricos da
Am.ri'a e Europa, asegura urna renda
eTectva de alguma rons deraco, que se
icba destinada s dotaroes do poder judi-
cial.
O contracto para a exploraco e expr-
tanos de Mejillones que, de
accordn cora o governo chileno, fizamos
com I). Luciano Arman, nos ha produzido,
por anticipar), duzentos mil bolivianos,
que tem mirado ni caixa central do exer-
cito, applicando-se ao pagamento dos or-
urgi-
boje
parui
governo, por ^h-
iio principal c ufe: porm de
esperar que semelhant emergencia teraai-
nar logo, pos. sabernos coro evidencia* o
alto preco, que vSo tendo na Europa aquel-
les producios, cujos jazgo* parecer ine.v
gotaveis, constiluindo ama inmensa riqueza
para a Bolivia e o Chile.
Temos timbem outro contractantc para
a exploraco e exportado do suauo no res-
to do liltoral da Bolivia, emprezario mais
antigo que Arman: 6 o lab irfoso e Itonr
D. Pedro Lopes Gama, subdito brasileiro.
a coja infaligavel censt.ncdweos, tanto
o bom crdito de que gosa- na Europa
aquella provlogiado adobo cosi a soa im-
portante conservaco em Paquic e em ou-
tros pontos, onde ba feito novas d'.'scober-
tas.
O Sr. Lopes Gama adiantoo tambem
caxa central oitenla mi! bolivianos para abril
de 1866: tem ja sido embolsado de mais
de metade, com o valor dos guanos el
portados, segundo s-j convencionoa.
Como um dos primeiros descobridores
do guano de Mejillones fez o Sr. Lopes Ga-
ma varias reclainaces ante o governo, para
ser preferido a D. Joo Arman no contracto
de que vos teuho fallado : lica terminada
esta questo com o fazei-se-lbe certas con-
cesses de indemnisace e previlegio, em
compensafo dos direitos que Ibe assis-
tiam.
Foi concedido ao Sr. Clemente Torretti
um previlegio por tres armos para montar
urna maquina vapor, para a conbagem
de cincoenta mil marcos de prata fina em
pecas de dous, de um e de meio real, des-
tinadas exclusivamente s transaccoes in-
ternas da repnblica, sem que, de maneira
alguma sejam reputadas com destino a se-
ren exportadas da Bolivia. Se antes da-,
quelle prazo terminar-se a citada cimhagem,
cessar o previlegio, e a maquina com to-
das os seus utensilios o de mais pertences,
licar em beneficio do estado: sendo con-
dicao essencial que ser entregue em bom
estado e apta para continuar a fimecionar
correntemente.
O emprezario abonar ao fisco um otavo
por cento sobre o total das moeda* afia-
das : por conta entregnu na caixa central
ate feverciro do anno prximo passado 'in-
te mil bolivianos.
Com as anticiparoes desses- fundos hei
podido fazer face ao crcsciiio'gasto qi*e m
dispende no servido publico, principalmente
nos prets, e na cancellaco dos orcanwn-
tos da lista militar.
De outra sorte, e no meio do espantoso
dficit, que nos legou a guerra civil de l6-'>
como teria podido fazer trente tantas exi-
gencias ?
Apesar de tudo, e de mero co:islanSes
esforcos nao ha sido possvel ao governo
poder dispor dos fundos precitos para o
pagamento regular econvrite de todos e
empenhos da nac3o.
Nao restava outro recurso seno negociar
um novo emprestimo, que pude obter m
Chile na qumtidadede um m!ll>f.odeboli;i-
nos, mediante o influxo e perseverarita dU*
nosso agente diplomtico [). Aniceto Ver--
gara Albano, e o crdito n bm ivomo ^ue'
;i Uovilia va i cementando no-exterior., desile
que seus lilhos tem conpreJien*di>
as vantagens da paz, e da odem, e as -ki-
bem conservar.
O ministro da feaenda vos dar contai
detalliada dessa ope ac3o, fetta comeqnida-
dee com a preferencia que demanda', am f
nosso crdito, e urgencias.
Trezentos e sessenta mil bobvwnos- i-
ram destina.los para amortUacao da lt-
quidacao dos sidos vencidos, de contor-
inidaile com o meu decreto do Io de Janei-
ro ultimo.
Exigio-se dos interessadoa algura s;jrifi-
cio, como meio nico de aanullacem-s os
seus crditos.
A nossa penuria fiscal rvbrigou taiabem
o governo a expedir -o decreto do 9 de
dezemhfj da 1866, pelo quallicarara sus-
pensas as jubilages, moatepio, e pen-
soes.
Desde que o thesouro n3o podra cobrir
as listas dos servidos actuaes, natura!, e se
capan
ci cra-a'dopt. as mc-
Ao oceupar-vos
lespezas, e le
ca resolvorek
logas.
GravamqpWoevido
iioldados que, em
as leis aos cmprsH
peior de ludo era ^^^^Hra dessa con-
oesso graciosa, oa^^H^MOrnou inevi-
avel: c para coi t nao restava
outro meio, seigo snpjMHHHn o sold
ao empri'gi(lu>lip^leio qnalraner que foi
se a causa i|ne motivaiaTa ufanea. O meo
decreto de 29 de feveiwif tWiWnr CiiBlem
isla medida.
Existe urna commisso especial para a
(ajwpl.;<;a) de un cdigo de fazenda. cuja
necessida.de se deixava sentir : os seus tra-
(llios se acbam diantadr, segundo as ir>-
funnacoes qae ten o governo.
Est prxima a ins tal lar-so nesta cidade,
urna institnco do crdito, debiixo do no-
riie (\o~-Uttnco lloUcctno*: ger de emiv-
em, depsitos, lUiConfmf e empreslimos.
Correr por coma de urna sociedade
anooynw, d.empreza tada at boje pelo cidado Chileno D. Eu-
:ebio UHo. Km 2 i de'Janeiro de 1857
;>pprovou o goveruo os seus estatu.o, des-
liisidos a sua creafo, instaWaco, c rgi-
men.
A in-stitnifSo bancaiia, de qw vos falli,
ser chamada a praatar grande e positivos
beneferOs- a diferentes industrfas iP> parz:
a levantar o crdito boliviano ; a'fciwtor
os elementos de riqnesa a a desenvolveros
germens de progresso, que possura .repu
blica ;peto que o-gnrerno o acolho'ComE
decidida volitado a fjroposta d# Lillo,
o Ibe deu aeeoncessSes e-previlegios- flon-
docentes a soa instaHa^i-O bom xifk
Entre as mtinttas ritjiera-* de prodlieco |
expontanea som que fr natnreza ba dbtadn
com m3o prediga a Bolivia. encontraa*se
ei ditTeri'ntes localidad grandes depnsi*
tQSrbpertolfa, soja elabora?:* tem predn-
ik> om soperior ktrmmr que porifr
eadb c>nvenienteniente dri eni resultado
uwn*cxcellente ftmtfiM.
Tenbo-eoricedidm;varios prev+fft?ios paro
a sua* elahoracao, qi em brovt atistii'
pedido-qw faz o pea.
1
2 do abril de 11W7 : pn^legios, qee elles
sollicitar timbem do go.'r.n o Per,
de contiuuar. a eatrada de-
t-9*rtetor.o at Tacna, cujo
noria davlolivia sobi a
tdtneda, e o baan de. resga-
;iaaam regularmente.
Pez-se urna v if em ambos as of
licinas pelo Kxm. miniuro di fazenda, o
Dr. Rudecindo Cirvajal, que ha feito nelUs
reformis de iraporlancia
l'or empieza particular efliedi inte cort-
tralos como governo .se utp estanelecido
principaes eaatroAjjaMajs bancos de
resgates l/ow al dnTotosi, para a com-
pra de ff arras de pial i, que f 5o directa-
mente para a casa nacional da moeda.
Grapas is'o, outras roeoNdas ensi-
nadas pela expwtencia, tem diminuido o
trafico clandestino tiesta valiosa prodcese
boliviana, que tanto1'ha prejudicio o in-
teresses fiscaes.
Cufio-
Bssto perfeita acoi-Ju entre a igrvp e
o estado.
A religio cniolic* venerada entre
nos erm* reve'rehl submisso, O governo-
Ibe presta- o sen,mais etScaz apoio, e o
estado pog.i o sorwo ccslesiastico com a
regulari&ida que Ibe perptlern as suas
rendas.
O mu Wvermdo arcebispo, que apas-
cenia exeroplarrneote sua grey, jamis ha
creado diraculda-Jes. em negocios doste
ramo, qoando algara ha occorrido ante o
padroado nacional dtoranto a minba admi-
tistracilo. Apello pe?a o seu proprio-e res-
peitavel les'euHmho.
Os lllms. dtocesatioe- com igool com-
portamento quo 0.' dignisaimo'' metropolitano,
tem- encontrado o govarno seiwpre dis-
poeto 3 prestar-Ries a um+s decidkfe' |>ro-
teecb-, e a obrar; em- ina^rias ecclesia.v-
tioM-d accordo oom ees, eem perftita
coi.ftjrmdade coras leis- e discip+tha- da
igreja-.
Pbaeo depois d' minha ascenc*)* ao
podep' sent necess5ade de prever o bis-
padodfe Santa Cruz, vago peto falleciscnto
oWo ou jm
os arcebi p
jutortis e
ceda, em
cerdotes di
crelo de I
tf?-
iiJ.-li-ialo o
tenores declararles
ficuldades, ostabelecenl
sem alterar as lei
Para offereeer ao el
ti mulo em sua "carrei
prebendas da honra, que
tem sido conferido .ecclesiastic '
cuos. ^--i
Os collegios semn irio doarcebisfiado, e o
desta diocese, continala sob a immediata
autondade dos prelados, sem menoscabar-se
por isso da dos conselhos oniversitarios.
Aqnelle nilo deixa que desecar pelo seu
bom rgimen, moralidaJe e d/sdplina es-
colar, reputando-se, a juizo de quantos
tem visitado, conao o verdadeino- viveiroj
de um clero lustrado e virtuoso. O desta
dicesi fafta-lho ira local aproprvado, e
algum augmento de fundos, para memra-
lo em seu regmen Interno: necessidade
que j est satisfeita peto governo: qnawo
m mais acha-se tamben em muito boia
e-starto.
E' do esperar que o roto bispo, o Sr.
afijo, que ha tido-occasio de estudardb
peFto o seminario de Sacre-, trate de col-
loci-lo i sea nivel, e de sw* Diocese.
Esto restabelecidbs os seminarios de
Cochalwmba e de Santa Craav marcando-
se-lhes- fundos especraes para- a sea boa
admnietracao.
nstrucf.o' pnfrttcB'.
Von* dtor-ws conta de unv-pamo pelo
qual tenho prediteccao,. e en cuj-favor
nao teilio- omittido nenhum esfort-o.
As universidades, collegios, lycos e es-
colas correspondem as vistas de-gobern,
e as esperanzas dos pas de familia.
A instrueco em seus tros graos- fasr. r-
pidos progrssos.
No meu governo ha rebebido todo o
impulso qoe-lhe era necessario, sen outro
limite que, o-q?ie tem opposto as CTicunjy-
laucias de escassez em seos thesouroo.
de com
hendlBc o valor e o Ira
Rse, e que, em tem;
r-se k
upaj
fff o %ol
rante o
costas o a
ir o seu
:n a p ao
i a la vanea na
i abrir as
innjjiiHJBipre-
ire

de seu^ ultimo prelado, o Htm. Sr. Df. cajos lindos se tetn descentrolisado, con-
loara- a elabora^ao e extraccJo do attil
pan- a^ o\ahor^cn\o eanham'(Utio) conce*
ilei-se tambem preelegios excluswos, coi>-
forme m lew.
I*elO que diz respeito as obras mate
raes* as que .mamaran a miifea atlenc
do preerem a ourasv foram a> vas de
comanunicaed. e vi\\w estas, as>- de roda-
pn O'governo estuHilimamaate- persua-
dido do-que3m bons-e commadus cami-^
ii los que l'actem a corrwwnicacodepovoa- ]
i.o, a povoadaeda repaMicitcors-os-estado*
visinboSj eslraando ae-snas reVaoona e en-
curtano. pnrassim direr, as distancia?, nao
possiwl dar o impulso de que- nacessi
tam o ooinmeseio, a agrioaltura e-a&emais
i idussiias par o seo [.c.gTessivoKlesenvol-
vim';n*>: e por isso q* nao enl eco-
nomisado meb*, nem r*wwrj ilgum-para
prestar-lhes to'k) o apeio- e proteccSa, quo
tem estado ao- meu alsance.
Asstm ha seeedid>oorn differenftes que
so abrem, como de Tarljw ao Paaagoay, do
CochaaVaraba a rio Sacare, e oom a* da
roil g*m de Potosi, a. sucrer desta a
fr.'nteira de Fomina e Ozero de Oru-
ro a Poto3i ~ e a %aca, te' Cicba-
Liainba no depnrlamonh .I* Tart*v ai Ocuro.
ti la Paz, e desa Corocoro, que deve pro-
longar-se at:* nossa ronteira accidental
com :lb'eccao aacna.
Os-obi-eiro> mais afatigavei* em urna
l>arte*das estradas de rodjgem.-- (carrete-
ras), sao os h&idos nwrts americanos ll.t-
-ilai-d, IL-ay iC, cuj?-empresa.*- tomeata-
da esde a mtnlia ascancao ao-mando f.H'-
[irecM,.por previlegios eoutrotvconcessoes,
cfHHti-a subveacao wenniaria do vinte cin-
co i-uil bolivianos, q;:o so Ihos-dou do em-.
[irestimo negociado i:oChile, para a conti-
i tta^ao >ta estrada .de Corocero a Tacna:
somata de que ser, reembolsado o erario
sib garantas, entro nutras de-suas proprias
aivoes ca dita empresa.
Ao. daf-8i-vos ecuta dj peca de minha
'acretaria goral d'esado, se vos informar
(1 s privHegios que se Ibes eoocedeu em
Augnatinho Gomes Ciberas: e em morco
de 65 apresentei para cssa mitra o Hteui
vigario geral do eserciio, o- Dr. Angelo-
Remij'fO' Rebollo, m. digno- c ctngla
por su honrosa carretra, sna^ acrodftidb'
illuslraf,- e virtflde*- esclareciilas : mas
em mano-de 67 aprapentou a-sua de
desta e tranquilla, perem mteressante.
larefa dV ministerio ynrochial, qne IIk
est conado- em um dos beneficios d*
diocese h;. Coebabamba.'
liando a sin administrar o aos corweHios
irMreriitarios-: medida cujos resultadas-es-
toda o ministerio.
Graos gratuitos, becis de graoa, pre-
rnos honorilieos, e- todo o ge-iero do re-
conapensas se 'ha oferecido a mneidade- de
ambos os sexoe,- afina de esmular asa
mesar, pi'efearindo coatimuar com a mo- ,ipplicac5o ao estudov e ao exercicio de nina
virtud solida. Cultwar a sna iartelligeneia,
inspitrando em seu cocaco sentimentos d*
rcligroo, de patria e de honra, que o rao-
relisem, tem sido o proposito constante cpie
Em prova de sua reconocida babilslaro J ha guiado, a este respeieo, as medidas qae-
boje desei:>penba com- acert, no gabi-| tem-emanado do governo.
aete, a pastada culto a insinmco pu- '' Tao- pooco bao -escacea^a estmalos no-;
!o+ca. i bies e ileeorosos par* oe chincateres, dfc
Para presncher este vaono, e^edi nova rectoro, professores-, e regentes* conpe-
apresentaca-e junbo-do aune*prximo dendo-oe premios espec.iaes aos que su
passado. en fa>vr do arcediago co coro tm-lomado dwjnos-d4te.
metropolitana, o Dr. Cis-o fcfawijo ; e Compita-se presentnmeote u* codiga
guando de*ra enriar-so o- expediente cuio ] je instnuccao publica, pete conseibo uni-
nico curia* romuna, aowitecei o fallec
u&ento do Wm-.Sr. hispo-desta diocese, o
Qr. Wfariano- Fernandos da fiordo*1, por
coj motivo o apresentei para este-bispado:
espira o da Santa Croe, ao ccxiego, Dr.
a-aneisco Ilodrigues, (goidade do coro
de- Cochal)a)av
O expedente cannico-- do primoiro j
foi encamJRhando ; e o do segundo deve
Ikior, em brve, orgaaieado pana igual
im.
A prebendado do crale Co^fliumba'.
versitacio do dietricto de Sucre. Este, e
os contemos universitarios do La Pwz e d*
CoKhabflCB'oa hao'fermolado tambara .diffe-
rntes regnlamentos, que o govarno llies
encommendou para un'rformsar o susino na
ncpubea.
O- ministro deste ramo vos dar os por-
menores de quanto o governo ha>-feito no
interesae da inslrucco pubc3, e-em be-
rwlieio lia juventudo.
Guerra.
Noso exercito est cmavenicotemente
i
o Dr. Francisco Mana diel Oranod, f >, organisarto. Sua instruecSo mistar, sua
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
por.
Paulo Fval
Segunda parte
TRES P.tTtM
XXIV
O sonio de l<:dnic
(Continnac do n. 2G7)*
Aquella mulhor era feliz aquella mu-
Iber t'mlri heijos de sna filha, um anjo !
Apoella mulher tinln a affe;co de seu ma-
rido, nui homi m honrado, um homem for-
te, que banhava-a da cabera at aos pes
era tolos os jbilos da opulencia! Aqu-lla
muliier tinha os respeitoa do mundo, ella
que roubava urna' creanca desbordada
o seo supremo pretexto de esperar e-vver,
ella qne para isso infringa as leis divinas
c humanas, ella a comediante, hypocrta e
addltera!
Bdme levantou se.d.-ixando a sua ora-
cao por acabar ; nem j sabia que quizera
orar. Assentou-se ao p do piano, defronte
da cadeira deserta, e poz-se a chorar si-
lenciosamente.
D'antes eslava elle all, toma va lhe das
m^s ambas e edifleava no ar projectos,
que sempre comejava assim :
Qoando toras minha mulher...
Edine- sctitia-e quebrada at angus-
tia. Oovia essas palavras destacando d'um
zuido confuso : Quando fores minha mu-
lher ...
E .as lagrimas que Uro escaldavam os
tristes olhinhos respondiam : Nunca, nunca
hei de ser sua mulher...
Depois, a idea de se ver sos no mundo
e podando obedecer aos conselhos do des-
espero voltava-lhe, como os impertinentes
estrioillios que acalentain os febricitantes.
E estendia asmaos postas, qte tremiam,
para o qnarto da mai.
Nao foi destna-io, porque ella sonhou ;
ta"o po co, porm, se asseraelhava ao som-
no. Os bellos anneis dos seos cabellos
tocaram o teclado, que soltou um queixu-
e, os olbos cerraram-se-lbe.
.....Eslava no qoarlo le saa' mi :
esperimentava um horsor profunda e tristel
J os cirios acesos Que j l O cruci-
lixo estova no ler.col o as daas maos mai-
moreas crozavam-so junto do bordado, que
jamis devia ter lim.
Fechem I oh fechem, per ptedade !
esses olhos que tinham tao auigaexpres-
so Ja encommendaco do padre^l
e j, o esquife !
Mas ainda ha pouco, a Sea. Leber dor-
ma...
Se perdesse minha mi. quem obstara
que eu morresse ?
issera-o Edrao jpfelhiuja o orando.
Pode til vez o eco deforic as blaspuemias
da loucura ?
Alguns vizinhos, um bom amigo saque I
O cortejo camiuhava para o cemiterio. 3i,
jil
J a cova aborta... Oh e Migue, nao
estava all para dizer adeus que elle cha-
mara minha mai !
Miguel! Na estrada, aquella caler-a tira-
da por dois cavados rpidos Miguel e
aquella mulher, que ello agora ama, a
baraneka Scawartz !..
Ha tagar para dous aqu, minha mi !
J como tudo rpido j* relva e llores
n'aquella campa Ora por mim, minha
mai, minha santa mi I
A relva viceja, as flores desabrocoaram.
J, meuDeus, j I
Ei-la sVa Edme, n'aquella casa deser-
ta. L esto ambos, um ao lado do outro,
Miguel o a que elle agora aifia : a cortina
cruel deixoo divisar aquellas duas somOras
enlajadas. Tudo est fechado e o carvOo
vai ardendo: porque a ,'unesla orag5o foi
deferida ponto por ponto.
J Edme nao tem mi pode morror.
Miguel este o ultimo pensamonto. Se,
para o deter ou para chama-lo, tora pre-
ciso perder esse qpm que mais ctiaro
que a vida, so fra preciso. .
O' minha mi, ora por mim Nunca
ele me deu esse beijo,que adevinho e que
me mata Daos o abeocoo. I Maldita soja
ella l
Como o carvo aMe e esto Ttpor me
soba ao cerebro I pois, He fcil mor-
rer ? E to doce I
AraanhSa, qoando elle pela flianlazinba
se levantar, drr-lbe-ho r Ell.testa morta.
Quando estamos mortas, praotefam-nos.
Ir talvez visitar ao cemiLerio a que elle
l"0 pertode si abandonava. Quando esUv-
fhos mortas, amam-nos.
Nao seja ella maldita. Slo! Meu Deas,
perdoai-lbe. T<)rnamo-nos melhores para
norrer. Vou para ti, rainha mi. Miguel,
adeus, meu adorado amor os.meus olbo.-.
turvam-se, mas amo-te, morro e amo-te ;
so. rae resta j um sopro de vida, para
i mar-te I Htei de amar-te para alm da
:aaap:i.
. -'
a presentad*-para bispo auxiliar de cosa, pedido do pcoprietario, oiiUa. Sr.
Dr. Rapbaat- Salinas, c om virtode de sua
proposta singular em favor d'aquetle.
J foi romotthb seu ex^wdienle caaoaico
para Roma..
Assste-me a esperanca, confiado na pa-
eraal sortteitade do Sanio Padre do que
inatacavel subordinaco sua rgida disci-
phna, seu valor comprovacto e soa leal
dade incontrastavel, coUocaan o soldado bo-
liviano, na altura dos soldados do lempo
heroico- dos paises mais ciiibsados-
Moderado por carcter, laborioso em
tempo de paz, soffredor rus campanbas, ar-
dente nos combates, tem sido, e a co-
nos prximos consistorios ter lugarajlumno da ordem.interna, e o fiador da
pee onisaco de nosso&Jiispos oleitos. \ paz, o tutor das garantas soc:aes> o o
A medida qae nos coros vaooccorrendo jzeloso- defensor das bberdades- publi-
\agas, as^cein prvido o padrearlo naci- cas.
nal com ecclesiascis-de recoabeeido mo
rito, aos- quaes tem acceitado- com gosto
os respectivos prelados.
Eram deficientes as leis relativas ao
Quem est ah:' perguntou a idus i
senhora, } acordada no quarto do lado...
Son on, respoadeu una voz varonil e
agradavet.
Ah I solton a Sra. Leber, senhorl
A moran a tem chorado rnult1... nunca
esteja tanto tempo sem appareeer...
Aocrescentou mentabnen'.e oparecendo
lhe que fallava :
De-mo o meu trabalbo.
Mas o serano dnrniaava-a novamente.
A encantadora cabefa do Edme jpefena-
va-sa par o hombro de Miguel, o vovu-vel
e fugitivo Miguel quem analmente pican-
eamos. Os labcvs tocayam-se-lhes. Edme,
abro os olhos lnguidos. Na bocea palb-
da brincou vago sorrisi.
Tambera ests raorto, tu ? rourmurou
fechando os olhos. Nao vejo minha mi.
Estamos todos no oo ?
Miguel olbou para lia extactico ; depois
leoantou-a nos bracos, dizondo :
No co ningue'msocasa, minha que-
rida Edme. Acorde, estou vivo, sou rico,
sou feliz. Quando o nosso cajanuato ?
XXV
Edme e Miguel
Miguel estava dejpeihos diante de Edme
que lhe segura va entre as soffregas mozi-
nhas a risonha cabeca. Q ie soberbos ca-
oellos annellados ele tinha que bello
pallor I qae viril olhar! Ella, inclinava-
se ; e os cabellos de ambas confundiam as
cores amigas, yiumiaava a fronte da don-
zella urna alqgria adoravel e as lagrimas
banhavam-lhe o explendor dos olbos.
E minha mS, dissera Miguel n'um
heijp.
E comprehendeu de certo tudo, como
Edmo tudo compreliendera ; basta um i
palavra assim .para esclarecer como om
relmpago. A dr, que retirara, era agora
substituida por profanda eJgrii.
Mas... soa mli!.. Ella, baroneza
Si-hwartz, tao nova, to maravilhosainenie
formosa Urna duvida Iba assaltava.o
espirito eesse a ibhciosa owgia d'essas
explicacoos. A duvida prolonga o adorado
gosar.
Ediae dizia:
A Branca mai conta quinze anno5, e
j a Sra. Schwart raa pareca moca de
mais. para ser int d'ella ^
E ao mesmo lempo estaemecia dB coiv
tenlarnento. ao pensar as- suas angustias
j- teidjs p ira, longo.
Mis corno eu voa.estremecer,. Mi-
guol. como eiiiVou adorar sua mli 1
Depois ociiorriam-lhe reminiscencias :
aquella serenidada, aqpella paz quo os
olbos da baroneaa expfiraam, aquella no-
bre a seniirnil candui-a.
A!i!o;; dd'vera lar pprcebido tu lo !
ljpois^ duidava anda, pela inillesiraa
vez.
Mas, diga, isso e verdado ? N8o
brinquo cara isso, sonhsi que morra *
Ella to formosa.-.. to nova...
verdado, niurmurou Migue1,
onebriado dos virginaes fulgores que es-
pargia quelle olhar de amaine ; linda, .
e mu nova... Mas coma pude ou estar
tanto tempo longe de ti, minha Edme,
querida da minha alma ?
Sim, como ?... c porque, Miguel ?
sobretudo ,porque ? Ah ou s a amar I
Ella repellio aquella blasphemia com
um beijo. Como o diremos ? cora um
b -ijo de esposo, bem franco c bera firme,
delicio, a e casta nio:liea, quo as duas
mos de Elraoj esireitavan apitonada-
mente contra os labios.
Sao assim esses velhos amores nascidos
com o coraco, e cujas raizas profundara
al infancia.
Edme conservava-se pura como o seu
sorriso.
M, replicou Miguel ; disse-tc um
seeredo que rae nao pertence e que nem
'inda'sei com detmente. Um segredo que
poda matar tudo- que no mund) tenho de
mais charo Apois de ti... dapois do ti ou
coratigo : poNjue sei eu talfog quern
esiremeco mais, se tu, se minha mli !'
Hei de ama-la tanto como tu, mur-
muran Edme.
Depois. ala lou oom as niveas-mwi
nh'aatrt"cabellos daMigoel, coraoobpu-
A nudez, a tome, as privacoe* do bvac.
e os. pricos da. lula, nunca induiram cu
sen animo fortalecido pelos sotrimontos,
nem para despertar o medo, que elle des-
^plOos jaira |ro-
idastria e riqueza.
(li>/.crabr^B^
de provac5o, (^o
a guerraWtTil, ncompanharam-m*
clwfes a olliciaes bwurrros, para oe quaes a
leaJdade um mandado de honra, e o sa-
crificio por sua cawsa o de ver ais sa-
grado.
A penuria do fisco mo me tem permitt-
do outorgar-lhes o justo galbardo. Je que
se ho feko credores, tewlo-niJ limitodjo a
conceder-'bes os accesos immediatus s atis
graduaces.
De nosso quadro se ten riscido algo?,
nomes de generaes e thefes, j por ha*e'-
rem fallecidouos, e j'tambe porae hi--
verera tornado- oolros, indignos de cgr y
espada, que tisnaram eom a sua cobor-
dia, on deslealdad*. Tenbo sobstttuid
por militares que bem ten merecido dapo-
oria. pois ante as-soas aras so sacrificaron
em defesa de sot- honra, e de asas to-
rios.
O exercito nacional tem_ cumprido o sen
dever.
ViVb> recoraraendooeste acto solemne,
para- qne Ibe facaes comptota justi'.m
A> corte-marcial estbaoi MM de
Sucre so acha encarregaal |^pon-
foraa dos cdigos rmlteaaa < reputtica,
proKiilga*i3 em I813;a 1846: eliasniter
preencher alguns vacuos quo so notar, e
emendar as incorroeces- e defeitos que
aprestntam, pondo os nsssos codiges- ao-
nivel dos i)rogressos da arte da jurispru-
dencia militar.
O ministra da guerra tos- apiesentaro*
dutalbesprecisos sobreest ramo, e far os
indicacv.s* covenientes para lac-lhoiat- -
ser vico do exercito
Dentados consttmt#$\
Ao inaugurar-se a causa de dezemav..
sebava-se a repblica, coms-vo disse, mi-
nada on suas bazes por urna- espaciosa
anardia, nctada pela absurda- poltica do
presidente Acb,
Calmar os animes a restaaelecer a con-
fbnca publica foi o meu mai*- vebemeiHe
alelo: pormo espirito de partido en elfir-
twtMai nao-cede f.icilineiite a-raeSa. Ma-
qnioaroes secretase infidelidades de alguns
ingratos, combateram, por sa vez, as mi-
nbas nobres aspracoes de uwa el'ratern-
dade, que traaai de toadr no paie-. Estobu
a guerra civil-, .e vi-rne de improviso s ibro
a camera de op>voc9o, cujas- lavas incan-
deceaies, paredao, quo kan espalhar o ter-
ror w a mors enere us que defeadiout a
causa do dezembro.
Alas a Divina Previdencia qpt;- em seus
altos designios, dispe da sorte das na-
ces, c assignaa cada individuo-a-naisao
que- ba de desempenhar na Ierra, dissipou
para, os rneus as materias inflamadas, e ex-
linguo esse vulco, cujas ernpeoes siaen-
te alcancaram destrocar os raens covardes
iaimigos.'e os vis traidores da caoaa-nofto-
nal.
Infdize mos, de ve; n culparle dos seas extiawos.
E. se hoja (roorrem plagas esfesaugeiras,
nao porque so Ibes teaha fechado as por-
tas da patria,, que, como bera^ sabis, ha
muito tempo Ib'as abr: porgue as pai-
xSes polit;as nem sempre se-confonnam
com nenhum ordem regular,, era.costu-
mara ceder a lgica, dos facl"s..
Queriam ellas -conslitiiiro ? Ide preda-
ma-la.
E como vos recusan ellos o concwsc
de seus prestigios, se os lento:do suas
luzes, se as pessuen: ou ao-manot- do
sua boa vontade se a abrigara?-
Ci>rnimos ma veo sobre o pasalo:
aproveiteraos a nossa stuaco banauwaa,
e pensemos smaate em reorganLs.ir t
paz., e assegurar o seu bem estar fu-
turo.
(Continuar-se-ha)
vera feito um^m verdadeira, omi mi
terna que hou.vesse chorado muit) d iran-
io a ausencia a adm'irasse vote o lillv)
mais crescido e-varonil.
Somos cnto Iras ? pronuncioumui
baixinbo. Depois, eraondande-ao c per
dendo o sorriso :
Ejulga.que ella pobera. ser minha
amiga ?
Ha de adorar-te, replicou o Miguel,
com o tempo.
Ah sol ton EdmJ3, com "o tempo I
E qu;d >u-se pensativa.
Os labios.de Migaal briacarrara*-lhe eom
as ponas dos dedos. .
Tenbo visto bstanlo o mundo, de
longo ou pelas sgas dos portas, para sa-
ber quo no mundo nado se ass -io<-llia
nossa posico. Pratico comsijo, Miguel,
o que ttoUuiM faraili i bonjsti compre-
heuderia Eis-nos sos,, e apenas g .ar-
da bos. pir minha mi, que dorna : o se
niior muito uivj o viven-lo. D-ns sabio-
n i.. porqoe, qie vida a san, Sr. Mi-
guel ?.. eu tuc efr ca croatura..:
E tanbem saat> interrompeu Mi-
guel, com respeitosa caricia. O mondo nao
tem que ver contiosco, Elm-o.
Por sua -mi -quo o mundo me as-
susia.
Interrompeu-a elle novamente, para pro-
nunciar ;oin tristeza :
O rauado nada tem que ver entre
mira e rainha mai.
[_ i verdado disse Edme sincera-
mente e nao sem jubilo, nao rae lembra-
va... tu nao podes sor filho do barao
ScnwarU.
Como elle babeara os olhos, tomou-Ihe
elia de novo a cabeca on as mos ambas.
Nao sei oque digo, exclaraou. Il-i
tanto tempo que cario os mus acerbos
costos I... N5o uala censura, mu
querido Miguel, una, desculpa Eu qu-
iera fallar muitas vezes, fadar sempre de
tua mi, e nunca' soltar palavras qu3 nfio
fossem de respailo e amor*.
Ella ha de adorar-te, repeli Miguel,
estou certo d'isso.
E tua mana !Oh I e sa erija para
,mim urna irmaizioBi eicellente. Qaantaa
.vezes o seu riso alegre ma levan generoso
bilsaraoat-aoaatino d'alma I... E det-
xas effactqaM*- aquelle casamento ? A
Branca, o nosso querido anjo-casar com o
Lecoq !
O nosso hopos Miguel assuaito ar uapo;--
tante.
Q:.iari linba, respond u,. havanup de
conversar n'essas cousas. Eu sei porque
a miuha lilha oJM gusta do Leeoq, o Dv*us
rao defen.la do ln'o levar a mal !
Sab's porque eu nao gosta do Lecoq r
repeli ella cufiando.
E encaraba Miguel com urna espo;io de
assombro. Elle saltn-lhe ama gargabada.
Quem est atii ? perguntou pela- se-
gunda vezaaucii. acordando sobresaltada.
Sou eu, minha seubora, repeli Mi-
guel.
Ah I ah I tu, muso ;' Arranj i<-
to em|>rogo ?... Eime, minha Giba, trazo
ocaiilieiio cl-ino o meu. trabafho. Qot-co
tralnlliaF um poucoehinbo..
E lo;,';).a ouviram n >vamenta resonar
Vai-se-IIie debilitando muito a pobre-
mi ico disse Edme era voz baix.i.
Havia entre a Sta. Leber e Miguel im
laco indisioluvel ; ora a memoriu da quei-
initl na trapeira. Aquella excelleatt se
iibora vil sempre n'elto urna creaiH? api
lhe poda proounciar o nomo sem Sajrir.
II i tantos semeoraco costuuaava
ella dizer.
Aquello tinha ccvaco ; aquelle era de>
si um corafo I
Quando tormos casados, minli fijua,
tornou Miguel, sensibil'rsado no meio da'sna
alegri r, havemos de dar muitas prestacoes.
Pensei muito lodo este tempO' rM mizinha...
Tive medo ibd'agora, interrompot
Edmee, e quandO dlsseste : sou E para rfietter medo, replicn a
nosso horda, quanto te voa contar:' Sao
segredos muito serios, t l ; posao-te-ou,
porm, occultar.consa alguma i
L -vantou-se e encostoa-se porta quo
dava para o qnarto da Sea. Leber.
Que faz ? perguntou Edme.
Miguel resp em ton meio zoinhe-
teir.o, meio solemne :
Vai-se tratar de. negaeios la o
de morte.
rw. do MAiio-m im ^^H a
I
I
<
'.
t



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E108QITTC_N0WT17 INGEST_TIME 2013-09-13T21:49:35Z PACKAGE AA00011611_12000
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES