Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11998


This item is only available as the following downloads:


Full Text
V

______ AMO ILV. NUMERO 266.
i-----------------------------------1'------------------------ -
PABA A CAPITAL E I6ARBS OHM ITAO &. AC f*TE.
*or tres Mozos adiantaJos. --
r Mis ditos idem..... ...........
- Par um aoo dem......'.".' .'..........
Cada numero avulso .... *......
............. iW*
S4BBA00 20 DE NOVEMBRO DE ,869.
PASA OESTRO E TORA DA PROVJHCIA.
Por tres mwe^adiartado............, ...
Por sds ditos dem. ........... ... 13
Por novatos idem ...........'..,..'.'
Por um asno..............?,...
M
*'
Propriedade de Manoel Rgueira de Faria & Filhoa.

*iO AGENTE:

'<
Os Srg. -ardo ^d^^ O/mira, no Ceard; A^nj d^moj ^ no Ara**; Joao Mara Jolio O*, no Ass; Antomo Mar** da Silva, no Natal; Jostoteo
a Alaterna, em Mamanguape, Antonio Aiexanflrim.de Lima, na Parahyba; Antonio /os Gomes, >a Villa da Pwha; Belarmino dos Santos BofcSro, n Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
:=z____________________________emNazareth; Pranomo lavares da Costa, em Aiagfes; Dr. Jos Marti Alves, na Baha; e Jos Ribeiro Gasparinho, no Rio de Jan#iro. ^^ *
PARTE OmCIAl.
res de cada urna das cnlleceoes das leis dessa
provincia dos annos de 186S a 168.
N. UO.Portara ao director geral interina da
instrucgao publica. Toado sido effeeiivaioehto
provida por provisao de 9 de agosto ultimo, a ca
deira de instrucgao primaria do sexo femenino da
villa de Ingazeira, nao pode ser norncada Possido-
ma Franca Pessoa de Brito, para reger interina-
mente a referida cadeira. Fica assim respondido
o ofllcio de Vmc. do 20 daquelle mez sob n. 263
N. 1H.Deliberagao. O vicepresidente da
provincia resolve nomaar a Manoel Jaynjcs Rodri
gues do Nascimento, para o lagar que se acha
vago de pratteeate 4a secretoria do governo
EXPEDIKNTB-ASSIGHADO PELO SR. Dtt. JOAQUlI COHRRA
DE AIUUJO, SECRETARIO DO GOVERNO, EX 3 DI
SETEMBm DE 1869.
1* secgao.
N. 112. Ofllcio ao Exm. Sr. general comman-
danta das armas.De ordom de S. Exc. o Sr. vi-
ce presidente da provincia, declaro a V. Exc. em
resposta ao seu olfieio do 2 do crreme sobn.
527, que nesta data se autmison ao inspector da
thesouraria de fazenda, a mandar por em hasta
publica, alim de sercm arrematados os 21 caval-
os do deposito especial de iustruegao que se
acham inserviveis.
N. US Dito ao msmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. vice-presidonte da provincia, declaro a V.
Exc. cm resposta aos seas ofllcio-: do. 2 do crran-
te sob n. 22.1 e 22i, quo nesta data se mandou sa-
tisfazer os uedidos dos coronis commandantes das
fortalezas do Brum o -Buraco, que vicram annexos
ao seus citados oflicios.
2* secgao.
N. lli.Oflcio ao commandantc superior inte-
rino da guarda uacional do Limoeiro.Xesta data
aiorisnu-e a thesouraria provincial a pagara
Jos Maria Ferreira da Cimba os vencimentos,
cons tontos do ofllcio de V. S., datado de 20 de
agosto ultimo, o qual fica .assim respondido de or-
dem do Exm. Sr. vire-presidente da provincia.
N. 11?.Dito ao Dr. Joan Clemente Pessoa de
Mello, juiz de dtroito de Tacaratu.O Exm. Sr
vice-presidente da provincia, manda declarar V.
B CS M__TlWB SA "jlaSdo Ue
Governo da provincia.
1WKMENTE ASSIGKADO PELO EXM. SR. DR. MANOEL
**> NASCIMENTO M ACHAM PORTELLA, VICE-PHES-
MSNTE DA PIIOVWCIA, BU 3 DE SETEMBRO DE 1809.
1" seccao.
N. 89.Portara ao capitn do porto.Mande V.
a. apresentarao Dr. chefe de polica interino, afim
remitas Marcolino Ferreira de Mello o Jos Pau-
lino de Mis'sias, visto'terem sido julgados incapa-
zes para o servico da armada, como consta do
'termo de inspeegao que veio annexoao seu ofllcio,
de 2 do correrte sob n. 113, devendo V. S. fazer
seguir para a corle na primuira opportunidade, os
de trames Jos Alexajidrc da Silva, Manoel Ferrei-
ra da Costa e Jos Ignacio da Silva, visto terem
sido julgados incapazus.
N. 90.Dita ao cnsul de Franca. ltaspon-
-deodo ao ofllcio que com data do 29 dd jnllio ul-
timo, o Sr. smn Laporte, cnsul da Franja trou-
xe ao meu cenliecimento a reclamago que fazem
i negociantes A. Hy vernal 4 C, do pagamento de
urna caixa do joias a clles pertcncenie- c que fora
inubada dos armazeas da alfanega, ua noule de
27 para 28 de junho pn>ximo pataado, tendo a di-
aer que a vista das infonnacOes preswdas polos
-inspectores da lliasouraria e daquella repariico,
nao pode ler lugar o pagamento que pedem os ro-
feridos negociantes, que podorio entao usar dos
niftiosjudicia s para serom atttndidus pelos tri-
bonaes do paiz se direito tivercm ao que pretcn-
do ininlia perfeita estima e distincla considera? w.
% 91.Deliberacao.0 vioe-presiderto da pro-
vincia attendendo ao que requerea Antonio Au-
vuto.Pereira da Silva, resolve conccdcr-lho licen-
>;a. nao s para ir ao presidio de Fernando como
iamhem para embarcar para all 03 objeetoj cons-
: Hites da relacao junU Msigoada pelo secretario
iiibarque dos referidos gneros,
ceda a exame, alim de verificar se ha agurdenle
na nutra qualquer bebida espirituosa.
2' seccao.
X. fli.Dito ao Exm. presidente do supremo tri-
bunal (fe justica.Transmiti a V. Exc. a reapos*
ta que dea o juiz de direito Antonio ioaquim
Kuarque Xazaretb, aportarla que V. Fxc Ihe di-
rifrto em 14 dejulhn ultimo sobre reclamara 1 de
.iiitiguilade do juiz de direito Antonio Marcellino
Ximes GoDC^lves.
N. 95.Dito ao mcsino.Communieo a V. Exc.J
4iara os lins_ convenientes que, seguii'lo ofllcio do
juiz de direito da comarca 1 el Anlunio Manuel de Me.deiros Furladode 21 do
mez lindo, nessa data passnu elle o excrcicio do
tonio Cocino llamalh juiz municipal do termo
daquelle noine, por n.io poder trausporlar-se ao
de Boique a presidir o jury dalli.
X. flli.Portara ao Dr. chefe de polica interi-
no.Por parte, do capilo do purlo Ihe sero man-
dados presentaros remitas Marci-llino Ferreira
le Mello c Jos Paulino de Messias, afim de V. S.
dar-lhcs o destino que juigar conveniente, visto
torera sido julgados incapazes para o servico da
armada.
X. 97.Dita ao juiz de direito da segunda vara
Dr. Manoel lo- da Silva Ncia. Designo V. S.
para no da II desto mez as onze horas da ma-
ulla;!, f.izer parle da junta que em ultima instan-
cia ten de juigar os soldados do rorpo pnmaorio
de polica Emiliano Ahes de liveira, Joao Galdi-
11 de liveira, Victnriano Carneira, Theotonio G1-
111M de liveira e Bento Jo- de Carvalho, apre-
sentaudo nessa occasiao o relatoro de estylo, para .
.. que a esta acumpanha.n os respectivos conselhos e_m.duPl";\t'V^Ilcl,da ^a P*rt'PW du aJud;inlc
cicio do cargo de juiz de direito dessa comarca ao
sen substituto, por. ler de seguir para o C'a-
r, tomar assento n.r^ssembla provincial
dalli.
N. 116.Dito ao juiz de direito da comarca de
Gar.inliuns. O Exm. Sr. vict-prssidcnie da pro-
vincia, inania aecusar o reyehimento do ofllcio d;
V. S. do 21 do mez linda, em que participa haver
nessa dala, passado o exerc.icio do cargo de juiz
de direito dessa comarca, ao h.ieharel Jos Anto-
nio Goclho llamadlo, juiz municipal do termo de
Garanliuns e 2o suoplentc delle, para ir a Buique
presidir a ses>ao do jury d'alli.
X. 117. Dito ao promoor publico da comarca
de Palmares.O Exm. Sr. vice-presidente da pro-
vincia, vianda aecusar o recebimeuto do ofllcio de
V. S., de 30 do mez findo, e;n que communica ter
nessa dala assumido o exercicio do seu cargo,
renunciando o resto da lieenca que Iho foi conce-
dida.
3' scfco.
N. 118.OIBcio ao inspector da thesouraria de
fazenda.O Exm. Sr. vice-presidente da provin-
cia, manda declarar a V. S. que segundo partc-
pou o bacharel Joao Clemente Pessoa de Mello, em
ofllcio de 13 do mez findo, nessa dala pas-ou o
exercicio do dito cargo au respectivo substituto,
por ter do seguir para a provincia do Cear, a to-
mar assento na asscmlila provincial dalli.
X. 119.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. vice-
presidente da pnvincia, manda transmitir a V. S.
as 13 inclusas ordens, sendo 11 do tribunal do thr-
soaro nacional sob n. 121 a 131, urna do ministerio
da guerra datada de 23 de agosto ultimo, e nutra
de disciplina.
X. 9!).Portara ao coronel Bodolpho Joao Bara-
ta de Almeida.Tendo desgnalo V. S. para fazer
parte da junta qm-em ultima instancia tem de
julgir os soldados do corpo provisorio de polica
Bento Jos ne Carvalho. Emiliano Alves de Ol
vera, Joao Galdino de liveira, Victoriano Carnei-
1.' e Tlmotmio Gomes de Oiiveira, o convido a
omparerer neste palacio no da 11 do correnle as
11 horas da inanhaa para o dito fin. O inesino.
iHututis mutn*dis, aos lenles coronis Deeo
de Aquint) Fonseca e Joaquim Jo-oda Silveira.
X. 100. Dita ao coininandaiile do corpo provi-
sorio de policia. Approvo o contrato celebrado
pelo Ciiselho de administracao do corpo sub o
seo cnmmaodo com Joqum Antonio de Carvalho,
liara o forneejmento de qiiatroeenlos fardamenli
de pao azul (bowt, farda c calca) a 213500 cada
um, atienta a urgencia forma Vmc. em seu ofllcio n. 374 de 18 do cor-
rete.
Meeeeao.
X. 101Portarla ao inspector da thesouraria de
fazend.i.Transmiti a V. S. paraseuconhecimen-
to copia do aviso expe tido pelo Exm. Sr. ministro
da fazenda em 10 de agosto ultimo, interpctrun'lo
a disposici do art. 1 do regulamcnto n. 4,bo6
de 2i de abril desto. auno, relativa a arrecadacao
le emolumentos.
H: 10-1. Dita ao mesmo.Mande V. S. por era
iisla publica, alim de serem arrematados vinlee
mu cavados pmenceutes ao deposito especial de
ii'.-lrucgao e ccnslanies da relaeao por copia, os
uuacs se acham impossibililados de preilar servi-
co pelos motivos que vao declarados na mesma
iCl.l-H'.
N. 101 Dita ao mesmo. Transmiti a V S.
para o< lias convenientes, as inclusas relacoes 110-
ioii es de pagamento e de alteraces occorridas
; 1 mez de jullio ultimo, cora as pravas dos bata-
llioes di guarda nacional, 1" de artilliaria, Io, 2*,
"J", 4o, 6" e 8o de infantaria dcsto municipio e 0* do
de Olinda.
X. 10 .Dita ao inspector da Ihosouraria pro-
vincial Aaliiris. V. S. nos termos de sua mfnr-
maga 1 de de 31 de agosto ultimo sob n. 53i,
a mandar e nlregar ao barao do Livramento,
ua quahdado de Ihesoureir' encarregadoda ad-
iiiiuisiiaco das obras da igreja matriz da fre-
uezia de S. Jos desta cuade, a quantia de
2.300*0 Q,votada pelo 8 art. 16 da lei do orea-
ment vigeiitu, para indemnisacio de adiantamen-
ios fritos para toes obras, depois que prestar elle
as necessarias cenias nessa thesouraria, e quando
pcrinettirein as Torcas dos respectivos cofres.
X. 106.Dita ao, mesmo.Depois de liquidados,
mande V. S, pajar a J Varia Ferreira da Cu
liba, p:ira issoindicado em ofllcio do eommandan
te superior iutorino da comarca do Limoeiro de
JO de agosto ultimo, os vencimentos relativos ao
mez de juliio doste anno, dos guardas nacionaes
-.;aeados naqueila villa.
X 107. Dliberaciu. O vicepresidente da
i ovinra attendendo ao que requeren o guarda de
.illandega desli captol Joan Pi da Foneeca. a
i.iido em vista as intormacoes ministradas a este
respeto pelas taedes competentes, resolve con-
1 r-ltie ires meze's de lieenca na forma da lei
para tratar do.i saude.
N |i8.UHa.-M)-vice-pres(lcnte da pronineia,
^enj'fkwn-vWa o-offleio da chefe da repartieao
-las i>bn pWttas de 2 do eorrente mez n. 305,
resolve. a feem-lo aervigo publico deinitir Jua-
qaira Franew _de Barros Brrelo, do larg<> de
**ciwecte M|aalia repurticao.
Aa> |a#*iQ_
-tR^-M. Meto ao Kxni. Sr. .presidente ;da
( trtxrinflia 4 fioyaz. pm olftr.i da V.
general sob 685.
N. 120.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-
presidente da provincia, manda declarar a V. S.
para os lint convenientes, que sesundo offleij do
promotor publico da comarca de Palmares, bacha-
rel Pedro Alfonso Ferreira de 30 do mez lindo,
nessa data reassumio elle o exercicio do seu car-
go, renunciando o resto da lieenca que Ihe fura
concedida.
X. 121.Dito ao inspector da thesouraria pror
vincial.O Exm. Sr. vice-presidente da provin-
cia, manda declarar a V. S. para os lins conve-
nientes, que nesta dati approvuu o contracto lei
lo pelo conselho administrativo do corpo proviso-
rio de polica, com o negociante Jiaquim An-
tonio de Carvalho de 400 fardamentos de pan-
no azol ( li niet farda e caiga) a 2ij>500 cada
um, atienta a urgencia que ha desse fardamento.
N. 12. Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia, manda declarar a V.
S. para seu conhecimonto e deviQos e efletos,
que por deliberaba') de hoje, resolve demittir
a bem do servico publico Joaquim Francisco de
Barros Barr-to do lugar de escrevnte da repar-
licao das obras publicas.
X. 123.Dito ao chefe da repartigo das obras
publicas.S. Exc. o Sr. vicepresidente da pro-
vincia, manda declarar a V. S. para seu conheci-
inento e devidos efleitos, que por deliberagao de
boje, re Joaquim Francisco de Barros Brrelo do lugar de
escrevnte dessa reparticao.
X. 121 Edital. Pela secretaria do governo
sej declarar a mesa regodora da irmandado do
Santissimo Sacramento da freguezia de Santo An-
tonio do Hecife, para seu Conbecimento e direc-
cao, que aogunde coosla de aviso expedido pelo
ministerio da fazonda de 17 de agesto ultimo, fora
mdeferid o re.pierimeiilo em que pedio isencao
de direitos paraos lijlos, a imitagao de mosaico,
importado de Inglaterra para n ladrilho do corpo
da respectiva WFeja, visto nia liaver no regula-
mcnto das alfandegas disposigao alguma, que
permita essa isengo.
4" secgo.
X. 125. OIBcio ao Dr. Manoel do Figucira
Faria.De ordem de S. Exc. o Sr. vce-presidente
da provincia iransir.itto a V. S. o incluso regula
34 da guarda nacional do municipio de Tacaran!
Antonio Gongalvos Frrete Sdvu sobre que versa
a sua informacao de 5aj 10'lenu > resol-
ido que reassuma elle piBSHidp da referida
compaiihia, lieando de -ne^ihmu. nfl'ito-a portara
expedida a esse commando fprir em 4 de ju-
nho do auno passado, para cauceder ao mesmo
capillo guia de passagem para o batalho n. 48
de iCabrob, urna vez que allega elle mw preten-
der mais transferir para allj o seu domicilio.
X. 132. Dita ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.Transmiti a Vmc. para os de-
vidos fins, a dehbmc.au junto de-ta dau pela qual
designo os nfflekes que devmn oompor a conseibo
le julgamento do soldado do corpo sob ea com
inando, JosFranciscc-de Reg cujo consumo de
investigagao devulvo.
X. 133.Dita ao subdelegado d wieiro dis-
trelo da freguezia de Gabrob. Trausmi lo a
Vmc. para a devida esecucio a.deliberagao desto
lata, juma por copia, pea'qual imponte) a pena
le dous metes de prisao e *51W**0O d mulla
aos indios Luciano Arco c Fiexa, Joio JosTibar-
io e Itomo de tal, pelo laclo de terem tomado do
poder da escolla que o cundo na, o recrata Ma-
nuel Joaquim a que alinde o seu ofllcio de 4 de
junho ultimo.
X. 13i. Deliheraco. O vico-presidente da
provincia attendendo ao que reqnereu o capitn
da guarda nacional do municipio da Parnahylm da
provincia da Piauhy, Manoel do Xasciment Cesar
Burlamaque, e tendo era vista o que informou o
coiniiiandantu superior do municipio do Itecife em
oflicios ns. 140 e.131 de 27 de julho e 6 de agosto
ltimos, resolve designar o 2. tiatalnao de infan-
taria para a elle ser aggregado o referido ca-
pitn. '
X. 135.Dla.O vicepresidente da provincia
attendendo ao quo expoz o alferes da scegao de
reserva 11. 14 da guarda nacional dos municipios
de Tacaral e Floresta Manoel Buflno de Araujo,
e tendo em vista a informaran do respectivo com-
man laule superior de 5 de agosto ultimo, resolve
prorogar pur tres mezes, contados desto dala o
praso marcado 110 art. 20 do decreto n. 1354 de 6
de abril de 1854, para o mesmo alferes se apre-
seniar fardado.
N. 136.Dita.0 vico-prci-idente da provincia
attendendo ao que requeren o capilo da 6. com-
panhia do batalhao n. 34 da guarda nacional do
municipio de Tacaral Antonio Gongalves Torres
e Silva ; e londj em vista a nformago do res-
peciivo commandantc superior de 5 de agosto ul-
timo, resolve considerar de nenhum elteito a deli-
beragao de 4 de junho do anno prximo passado,
conceden lo ao referido capitn guia de passajiem
para o hatalliao n. 48 do municipio de Cabrob.
X. 137.Dila.T-0 vice-presidente da provincia
tendo em vista as averiguages a que procedeu o
subdelegado do 1. disiriclo da freguezia do Ca-
brob da< quaes resulto terem em maio deste
anuo os indios Luciano Arco o Ftexa, Joao los
Tiburcio e Komaode tal, tomado o recruta Manoel
Joaquim do poder da escolta que o conduzia, re- da provincia, por despacho desta data, concedido
Milve de conf irmidade com o disposto no aviso do mais 10 dias de^raso ao recruta Joao Manoel de
1 nmsterio da guerra de 27 de novembro de 1865''. liveira, para provr isencao legal, assim o man-
com o que solicita o Exn.. presidente d% agosto ultimo sob n. 263 resolvid de conformida-
de ajudante do m-smo procurador flseal da o
marca de Goyanoa.
X. 147.Dila>O wco-presidonto da provincia,
tendo em vista 6 resaltado do concurso a que uf
tunamente so procedeu h thesouraria provincial,
resolve nomoar Joi Lionello da Guaba Alcanfor
para o lugar vago-ti 3* cscripturario di njesma
lliesuuraria.
JL1I8.Dla.O vice-preaidento da provmcla,
rawwe nomear aMo Gavalcanle do Reg Albu-
qaerque para exercer interinamente o lugar vago
de_escrevente da reitartigao das obras publicas.
.* secgao.
X. 149.Ofllcio ao Esm'. presidente da provin-
cia das Alagis.Xesta dala e de coiiformidade
cybi o que V Exc. solicito em ofllcio de 20 de
agesto ultimo, expoco as oven ionios ordens para
sefadmiUid su hospital d>s Laziros desto pro-
vincia o clephantiaco Manuel Renaldo dos
Santos.
Jv 150.Portara ao Exm>. desembargador pro-
vedor da Sama < asa de Misericordia.De confor-
mida de
provincia das Alagdas no ofHvso junto por copia
datado do 20 do agosto prximo lindo, mande V.
Esc. admirar no hospital dos Lazaros ^ Manoel
Reinaldo dos Santos, que foi atacado de elephan-
lia* em setembr.) do 1867.
X. 151.Delihi rarau. vice-presidento da
provincia, attendendo ao que roquorou Anua Lau-
rentina de jpqueira Varejao o tendo om vista o
resultado do concurso a que se procedeu no da
17 de junho ultimo, bem como a informacao do
director geral marino da iiKiruccao publica de 2i
de agosto proximo lindo sob n. 271, resolve no-
mea-la proressora publica di cadeira de iustruc-
cao primaria da villa do Buique.
X. 152.Dita.O vice-presidente da provincia,
a temiendo ao que reqnereu o professur publico
da cadeira da povoacao de Malhadinha Joao Her-
menegildo Xavier de Salles e tendo em vista a
nformago do director geral interino da instruc-
gao publica de 9 de agosto ultimo, resolve de con-
forinidade com o art. 23 da iei n. 598 de 13 de
mata de 1804, remover o referido profe-sor
daquella cadeira para a da povoacao de Santo
Amaro de Seuharaeml
N. 153Dita.0 nce-presidente da provincia,
attendi'ndo ao i|ue reqnereu a profossora publica
da cadeira de msirucgao primaria da villa d'Agua
Preta, Thereza E.nilia de Souza Gomes e tendo era
vista a ^ informac.i do director geral interino da
instruccao publica de 25 de junho ultime, resolve
de conformidado com o art. 23 da tai n. 5'.)8 de 13
do maio de 1864. conceder-lhc a remogao_ que
pedio daquella cadeira para a da povoacao de
Xnssa Senhora do O' de {potoca.
EXPEDIENTE ASSICXADO PEI.O Sil. D^i KMQUIM COR-
REIA DE ARAL'JO, SECRETARIO DO U0VKKNO, EM 4
DK SETEMBRO DE 1869.
1.' secgao.
X. 134.Ofllcio ao Exm. general commandante
das armas.Tendo S. Exc. o Sr. vice-presidente
iinporaos ditos indios, a pena de dous mezes de
priso e a multo de 160000, como dispdco
art. 14 das nstruccoes de (5 de abril de 1841, aa-
nexos ao decreto n. 73 de igual data, e determina
que ao dito subdelegado se remella copia da pre-
i-ente deliberagao para qne tenha a devida ecu-
go.
3.a seccio.
X. 138.Portara ao inspector da thesourrria de
fazenda.Transmiti a V. S. para os lins conve-
uienles, os novos documentos, que cm virlude de
su i requisigo cuntida em ofllcio de 5 de agosto
ultimo, sob n. 538, rcmetteu-nie o chefe de polica
em data de 2 do eorrente para provar as despezas i
que fez o delegado do termo de S. Bento ua im-1
portaiicia de 4204000 coin a.c uiducgao de ge-
nero* alimenticios para soccorro dos desvalidos
da comarca de Flores.
N. 139Dita ao mesmo. Em additamento ao!
ao meu ofllcio de houtem datado, lenho a declarar
a V. S. para os lins convenientes, que, segund"
consta de ofllcio do commandante das armas de 3
do eorrente sob n. 533, o cavalio melado rapozo
n. 92 mencionado na relagao annexa ao meu du-
do ofllcio niorreu de peste no da 1.' do crreme.
N. 140.Dito ao mesmo.-Expega V. S. sua
ordens para que em vista da inclusa cunta que me
remetteu o chefe o chefe da repartigo das obra>
pub icas com oflicio de lionlem sob n. 357, seja
paga a quantia de H620 em que importaran
os reparos feilos na illuminacao do hospital mi-
litar.
X. 141.Dita ao mesmo.Expega V. S. as suas
ordens para que ao quartel mostr general do
commando superior da guarda nacional dos mu-
nicipios de Tacaratu e Floresta ou a quera foi para
para sso autorisado seja entregue a quantia de
1174000 em que segundo o orcamento junto
por copia e que veio annexo ao ofllcio do com-
da participar aV. Exc. para seu conheciment.
X. 155.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. vice-presidente da provincia, declaro a V.
Exc, em resposta ao seu oflicio de 2 do eorrente
sob n. 825, quo nesta dala se mandou s iti-fezcr o
pedido de urna escada para o deposito de recrutas
constante do seu citado oflicio.
X. 156.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. vce-presidente da provincia, declaro a V.
Exc. para seu conbecimento que por despacho
desta data conceden-se 20dias de praso ao recru-
ta Eugenio Bispo de Toledo para provar iseccao
legal.
2." seccao.
X. 157.Ofllcio ao coinmaudaOte superior da
guarda nacional de Tacaran'!. O Exm. Sr. vi-
ce-presidente da provincia, manda declarar a V.
S. que oesta data so expeda ordom a thesouraria
de lazenda para entregar ao capitn quartel-mes-
tre geral desse commanda superior uu a quera
autorisar a quantia de 1475, segundo o orgamenlo
a que se refere o seu oflicio de 3 do mez findo
necessaria para a acquisigao dos livros precisos
para a guarda nacional dos municipios sob esse
commando superior.
X. 158.Dito ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.O Eva. Sr. vice-presidente da
provincia, manda declarar a V. S. em resposta ao
seu efflcio de 2 do eorrente sob n. 40i, que a the-
souraria provincial tem ordem para pagar a guan-
lia de 166 j 100 constante do citado olBcio.
3.* secgao.
X. 159.Ofllcio ao inspector da thesouraria de
fazenda.O Exm. Sr. vce-presidente ?'a provin-
cia, manda devolver a V. S. competentemente
de-pacjiado o incluso requoriincuto documentado
de j>is Leao de M lio, a que se refere a sua infor-
macao do i* do eorrente sob n. 620.
X. 160.Dito ao inspector da thesouraria pro-
inandante superior da guarda nacional d'aquelles vincial.S. Eco Sr. vice-presidente da provin-
mumcipios de 3 do mez findo imporlam os livros : ca, tendo por deliberagao de>la dala e em vista da
necessarios a escrip!ura';ao dos corpos que eslao informacao do director geral interino da inslruc-
subordinados a aquello enramando superior. gao publica de 9 de agosto ultimo resolvido con-
N. 152.Dita ao inspector da thesouraria pro-! ceder nos termos do art. 23 da lein. 598 de 13 de
vincial. Declaro a V. S. para seu con ecimento e maio de 1864, a rcinncao que pedio o professor
devidos efleitos. que confonnando-me com a publico" Joao Heraenegildo Xavier de Salles da
i roposta do procurador fiscal dessa thesouraria cadeira da povoacao de Malliadinti para a de
ment para a cobranga dos direitos geaeros desta
provincia nas da Parahyba c Alagas, afim de ser
publicado e impiesso em avulso.
EXPEDIENTE AsSICNAbO PELO EXM. SR. It. MANOEL
DO .NASCIMENTO MACHADO PORTELLA, VICE-I'IIE-
SIDRNT DA PROVINCIA KM 4 DK BKTEMDK0 DE
1869.
i* seccao.
X. 12.Portara ao coiuuiandante superior in-
terino da guarda nacional do Recife. Tendo de
dKiforiiii'lade com as suas inforraagdes de 27 de
julho e 6 de agosto ltimos sob ns. 140 u 151,
designado o 2.' baialbao de infantaria deste muni-
cipio para a ello ser aggregado o capitn da
guarda nacional do da Parnahyba da provincia do
l'iauhy, Manuel do Nascimento Osar Burlamaque ;
assim o communieo a V. S. para sea conheci-
ment
X. 130. DitaVao commandante superior da
guarda nacional de Tacaratu. Deferindo o reque-
rmenlo do alferes da 14" seccao de reserva da
guarda nacional sel seu commando superior Ma-
nuel Buflno de Araujo, sobro que infnnnnu V. S.
em ofllcio de 8 de agosto Ultimo, resolv concdor-
ihe o praso de 3 mezes contados desta data para
aprc seo conl ecimentorc afira-de o fazer cou-tarao re-
ferido alfews. que deveri soticiur na secretaria
dop/i'Vftrin n titulo de somelhanto conces*o.
N. 131.Dita ao inesina.DeTerndo o requer
coniida em olBcio do 1" do eorrente sob n. 37,
resolv por deliberagn desta data exonerar o ba-
charel Joo Floripes Das Brrelo do lugar de
ajudante do mesmo procurador fiscal, ua comarca
de Goyanua u nomear para o substituir o cidadao
Antonio Puiheiru de Mendnnga.
N. 143.Dita ao mesmo.Annuindo ao qu
s ilicitou o tenente-coronel commandante do corpo
provisorio dapoUcia no ofllcio junto por copia
datado de 2 do crrente e sob n. 40, recommen-
do a V. S. que mande pagar a quantia de 1664100
perlencenle ao soldado da 31 companhia daquelle
corpo Manoel Francisco, que foi tirada para mell-
nos prets de 4 de maio ultimo, manda los satisfa-
cer per segunda va, em razao de ter sido estravia-
do pelo ex-lenenle Francisco Xavier Rodrigues de
Miranda o sold do destacamento da villa da Flo-
resta, devendo essa quantia sor debitada ao men-
cionado ex-tenente, conforme indica o suuradito
.cuente-coronel.
N. 144.Dita ao mesmo.Declaro a V. S. para
seu conheciim nto e devidos efleitos, que toado em
vista o resultado do concurso a que ltimamente
se procedeu nes-a thesouraria e cujas provas vie-
ram annexas ao seu olUcto de 30 de agosto utlimo
sob n. 530, resolv por deliberaco de hoje, na-
near Jos Lionello da Cunta Alcanfor para o
ugar vago do 3* cscriplurario da mesma thesod.-
raria.
Por nutra deliberagao desta data tambera no-
aieei Dario Cayalcante da Regu Albuquerque pata
axcrcer interinamente o lugar de esen-vente da
repartirn das obras publicas vago pela demUso
dada a Joaquim Francisco de Barros Barrete.
N. 145.Deliberagao.O vice-presidente da
rovincia, conTorraa.ido-se con a pruposta d"
tostroegao publica.. Exc o Sr. viee-presidente
da previ jcia tendo por ctelineracao desta dau ede
conormidade oom o art 2-3-da lei n. 598 do Ud
nwio de 1864, resolvido conceder a remogo qe
pedio a professora publiev Thereza Emilia de Sju-
za Gomes da cadeira de inslruccao primara da
villa de Agua-Preto para a da povoacao do Xossa
Scnicra do O' de Ipojuca; mid o manda emn-
(Mmioar a V. S. para seu conbecimento.
X. 167.Dito ao m smo.S. Exc. o Sr. vico-
presidente da provincia tendo por deliberagao des-
ta data e em vista de sua informacao de 9 de agos
to utlimo sob n. 247, resolvido conceder nos ter-
mos dt> art. 23 da lei o. 598 de'fS-de maio de 1864
a remoeao que pedio o professor publico JoaoHer-
menegtido- Xavier de Salles da cadeira da povoa-
go de Malhadinha psra a de Santo Amare de So-
rinheo*; assim o manda commnnicar a V. S. pa-
ra seu conbecimento.
X. 168.Dito ao mesmo.S. Exc o Sr. vice-
presidento la provincia tendo p ir deliberacao des-
ta dala c et vista de sua informagao de 20 de
Simplesmcnte 10
Reprovado A
Somma
12
de com o art. 1 dadei n. 598 de 13 de maio de
1864, conceder a professora publica da villa de
Tacaran! Henriquela Amelia de Menezes Lyra a
remogao quo-pedio daquella cadaira para a de
Vbreu de Una; >ssim o manda communicar a V.
S. para seu eoohecimoiito.
OESl'ACHOS DA'PRESIDENCIA DO DA 17 DI NOVEMDna
DE 1869.
Bacharel Antonio Domingues Pinto.(lomo re-
quer.
Dr. bilo Jos Tavares da Silva. Informe o
Sr inspector da thesouraria d- fazenda.
Antonio Marques de Amorim.Passando recibo,
como requer.
Candido Jos Duarte. Informo o Sr. Dr. chefe
de polica.
Ignacio Xavier de Paula Rocha.Revalide a
com que a presenta sein estar sedada.
Julia Senhorinha de S Oiiveira.Dirija-se ao
Sr. desembargador provedor da Santa Casada Mi-
sericordia e n sesso da junta. >
Pade Joo David M idera.Dse.
Joa Martins do Barros.Informe o Sr. coronel
coinmandajile superior interino da guarda nacio-
nal do municipio do Recife.
Joao Pedro de Souia.Inderido em vista da in-
forma gao.
Joo Hypolito de Meira Lima. Informe o Sr.
chefe interino da repartigo das obras publicas.
Jos Augusto do Araujo.-Informe o Sr. enge-
nheiro encarregado das obras geraes.
Luiz Gomes da Paz.Expega-se ordem.
Mariana Lins de Albuquerque.J est provida
a cadeira que a supplicautc requer.
Dr. Manoel de Barros Brrelo.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fczenda.
Maria Josepba Lopes.ludeferido a visto da in-
formacao.
P. Maiirer 4 C. Informo o Sr. coronel com-
mandante superior du guarda nacional do munici-
pio jo Recife.
Pedro da Alcntara dos Guimares.Peixoto.
Informe o Sr. iaspector da iliesourarl**j fazenda
Dia 13Geographia e historia.
Plenamente 1
Simplesmenle 7
Reprovados 4
11
Somma
12
Dia 15Latm.
Plenamente 8
Simplesmenle t
Reprovados 1
Somma
12
Dia loFrancez.
Plenamente 11
Reprovado I

Exc. do d de o*o uU'ui", recebi dou> exeaidla- meato do capilo da 6.' companhia do bataltiao u.
Santo Amaro de Serinhem, assim o manda com-
municar a V. S. para >eu conhecimento.
X. 161.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia tendo por deliberagao desta
data e em vista da informacao do director geral da
instruccao publica de 20 de agosto ultimo sob n.
263 resolvido de conformidado com o art. 23 da
lei n. 598 de 13 do maio de 1864, conceder a pro-
fessora publica la villa de Tacaral Henriquela
Amelia de Menezes Ljia, a remogao que pedio
diquplla cadeira para a de Abren de Una, assim o
manda communicar a V. S. para seu conhecimento
e fins convenientes.
X. 162.Dito ao mesmo.S- Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia tendo por deliberagao des-
ta dato c de conformidade com c; artigo 23 da lei
n. 598 de 13 do maio de 1864, resolvido conceder
a remogao que pedio a" professora publica Thereza
E lidia le Souza Gomes da cadeira de mstrucglo
primaria da villa de Agua-Pnta para a da povoa-
gao de Ipojuca, assim o manda cuniuiunicar a V. S.
para seu conliecimento.
X. 163.Dito ao procurador fiscal da thesoura-
ria provincial.O Exm. Sr. vice-presidento da pro-
vincia manda declarar a V. S. para sen conheci-
mento e alim de quo o faca constar a quera com-
petir que conlormando-secora a sua proposta, con-
iida em ofllcio da Io do correnle sob n. 37 resolvou
por deliberagao de bofo, exonerar o bacharel Joao
Floripe Dias Barrete do lugar de ajudante desta
procuradura fiscal na coman de Goyanna o no-
mear para o substituir o cidadao Antonio Pinheiro
de Mondonga.
X. 164Dito ao chefe da reparligo das obras
publicas.S. Exc o Sr. vice-presidente da previa-
ca manda declarar a V. S. para os devidos efleitos
Repartigo da polica.
2' secgao.Secretaria da polica de Pernambu-
Jo,19 de novembro de 1869.
X. 1623.IIIm. e Exm. Sr. Levo ao conheci
melo ile V. Exc. que, segundo consta das parli-
cipages recebidas h.>je nesta repartigo. forain
diontcm recolhidus casa de delengo os seguimos
individuos :
A' ordem do Dr. delegado da capital, Claulino,
escravo do Clomeotiiia Theodora da.Silva, re-
queriraento u'esta.
A' ordem do subdelegado do Recife, Laurindo
Pereira da Co*ta, por crime de ferimentos leves.
A' uniera do de S. Jos, Maria Raymunda Cnr-
deiro e Jos Francisco Barbosa, por erabriaguez'o
desorden!.
Por ofllcio de 5 do eorrente co nmunicou-me o
delegad)) de polica do Bonito, que no dia 1, no
districto do Capieiras daquelle termo, Monoel Al-
ves Barbosa, lilho do capilo Galdino Alves Bar-
bosa, saiiindo caca ein companhia do seu com-
padre Jos Igii.iciu da Silva, terra gravemente
este com mn tiro, e se oceultra iinmediatamenle.
Termina este delegado duendo que o fenmento
(o casual, como consto do aulo de perguntas lei -
tos ao ofTendido, mas que nao obstante ficou o
respectivo subdelegado instaurando processo con-
tra o delinquente.
O mesmo delegado cemmunicnu-mo cm oflicio
de igual data, que no mez passado forain presos
pelo subdelegado de Colonia de Pimenteiras dca-
rara recolbidos .cadeia, Saturnino Francisco liar-
reto e .Antonio Francisco da Fonseca, precossadn
nos termos da lei, este por ter assassinado seu
genro, e aqelle por ter commettido igual crimi-
na pe.-sa do sua propria raulher, em dias do ci-
tado mez.
Commumcou-me o delegado do Cabo, om ofll-
cio do 16 do crrente, que as 4 horas da tarde do
dia 14, estando Podro Jos Mondes da Silva no ca
navial do ongenlio Jurissaca daquelle termo, do
qual era lavrador, receben um tiro, que Iho foi
disparado por Francisco Manoel de Santa Auna, e
suecumbio instantneamente, e que, tendo proce-
dido corpo de delicio no cadver do infeliz, rea-
lisou j a captura do criminoso, contra o qual es-
tova procodendo nos. termos da lei.
Dous guante a V. Exc Lira, c Exm. Sr. se-
aador Frederico de Almeida e Albuquerque, pr-
ndente da provincia. O chefe de polica, miz
Antonio Fernumles Pinlieeiro.
PERNAMBCO.
iida em ofeio do 1 do correte sob n. 37. re-obvi
exonerar o bacharel Jlo Floripes Dias Brrelo de
lugir de ajudante do racsmujirocurador fiscal aa
comarca de Goyanna, por haver mudado asna
residencia para'a cidade de Mamanguape na pro
vincia da Parahyba.
N. 146.Dita. O vice-presidente da provineia.
conformando-so com a proposta du procurador.
fiscal da thesouraria proviouial comida em oftoio
do 1 do oorrento ob n. 37, resolv nomear o ci-
dsdSo Antonio Pinheiro <&uioncafaca o luga-
procurador fiscal da thesouraria provincial, con -jiue por deliberacao de huta, resolvou nomear Da-
T. m*.!- .1. i. .____.____k II. o -1..C _:.. >......1_._.. .I. fi____ llk.......<,i.nii.ii *IWA*
REVISTA DIARIA.
FACULDADE DE DIREITO.^izeram acto no
lia 19 do eorrente:
3 anno.
Antonio Ferreira de Souza Pitarga, plenamente.
Aureliano Ferreira do. Carvalho Ventura, idem.
Piinio Augusto Xavier de Lima. dem.
Fabio Gesrao Deoclei'44 da Xubrega, idem.
Mauricio Francisco Ferreira da Silva, dem.
Atexaodre liorra de Crasto, idem.
Durval de Menezes Fraga, idem.
Pedro Chormont de Miranda, idem.
5 anno.
Manoel Ambrosio da Silveira Torres Portugal, ple-
namente.
Carlos Alberto Quadro, idem.
Severino Ribeiro Carneiro Monleiro, idem.
GOLLEGK) DAS ARTES.Listo dos estudantes
de mglez cliaraados exame no dia 12 do cor-
rate :
Plenamente 13
Simplcsmento 7
Reprovados 3
ro Cavalcante do Reg AJtMiqi>erque para exercer
interinamente o lugar vago de escrevnte dessa
repartigo.
N. 165.-Dito ao. mesmo.S. Exc o-Sr. vice-
j presidente da provincia manda declarar a V. 8.
ein resposta aoseu offlein ta hontem n. 807;
que a thesonram defatonda* efdpm para pa4
gar a quantia, de 4*620- <*mcl|nte da oonia qu*
veta annaia, ao eitaito ft'ta.
-4..' aettrio.
N. lB-.-^oiacio acdvttor sm\ hW*wlBa
Somma 12
CA5D!0oT!TRA.O nosso collega o Sr. Dr. \\u
truvn Pinto Baodeira oscrevem-nos a segjinto-
carta, aqual aqui inserimos cm sntisfacaa dos
que nos-pede:
Meu estimavel collega.Resolv hontem apra-
tcntar-ice candidato depulago provincial por
este prirneiro circulo.
Alin- da* diffleuldad's inherentes urna
apreseot*,-ao dessa especie, comprehende o meu
collega qne devo lutor com a pmximid.ute do. dia.
em que ha-de ter lugar a cleica, nao sendo-rai'
tal vez possivel fazer chegar a todos os man imita-
res a circular, que dirijo ao corpo elcilork! doste
districto m> sentido de Imnrar-me com ns nena Vo-
tos. E assim, pego-Ihe que a insira na sua Jfc-
vita, paca ipie teuita o conveniente curso, e con-
seguintemon seja relevada pelo motivo: desigua-
lad i a omissao em quo possa incorrer pata qeui
,algn < Srs. eteitores, cajos siiffragios solicito desta
tribuna, que para mbu tem sido semprc alera de
urna prodileecao, o vehculo por meto do qual U-'i
prestado os meus servicos ao paiz.
Como sempre, etc. /
A presenlando-me a candidatura por csto^tt-
mniro circulo na oleigfin prxima do nieinbro ..da
assombla provincial,lisongeio-me de que meu
nome nao ein polittea tateiramente desconlieci
do Je V. S., o por consegrante a signifleaejw |Be
nella possa ter. Xesias condignos solicitando os
sutTragios de V. S., animo-me a esperar o,sea
concurso, para que minha aproseniaein pos**
corresponder o e.vilo ipm aspiro, dispen-aiidj-m
V. S. n'csta oceasio de nutras prolestagoes,4pe
nao os meus precedentes, quer na Uuprensa. ffier
no recinto daqueHe mesmo corpo legisla ti vuapo
biennio de 62 63.
Dgnese de aceitar desdeja V. S. a rainifaFta-
gao solemne do raes jMOnaheciraento sua prcutir-
mosai-oaJjuvac.il, luaudau lo suas ordens a quera
com todo a consideradlo so presa mt de V. S.
Antonio Witrwaio.Pinto BandenalAcioli ieVasee*-
celtox.Recife, W do novembro de 1869.
THE50UIIAU1A PROVINCIAL.-Perante ajuola
administrativa desto repartigo vao praca, ut
dia 1 de dezembro, as iumiMCdcs publicas das
cidades de Olinda e de Goyanna, pelo lempo de
tres annos, sendo esta razao de 287 rs. por cada-
noite, e aquella de 258 rs.
Lembramos S, Exc o Sr. presidente da provin-
cia, agora que se achara era praca essas illuintan-
ces, que faga suspende-las o;i pelo menos adie-
tes at realisar o contrato para a lluininagao.
gaz, para o qual se acham affecias sua deeisa.
diversas propostas ; para evitar ao depois pedioVs
de indemni.-aces pelos arrematantes, quando ve-
nlia a ser realisada a empreza do gaz. adiaula-
mento e a prisperidade dessas duas cidades mn-
recera bem esse mclhuramenlo.
PASSAMEX-TK-AHte-hontem noite fallecen,
aps longos sollinnenios. a Exraa. Sra. D. Finnina
Cavalcante Paes Bwreto, esposa do Sr. tenenlc-n-
ronel Antonio Francisco Paes de Mello Brrelo, a
irma da Exina. Sra. condessa da Boa-vista. Da-
mos sua femilia hossos sinceros pezaines.
Xesse mesmo da s 10 horas da noite deu.
alma ao Creador n Sr. Felippe do Xascimt-ntode
Faria, tabelliSo publico da cdade de Olinda, pos
longos pade-iniiiiios. O finado era horaem probo
e inoralsado, pelo que merecen sempre dos seus
concidadaos sympathias cordiaes
A' sua mceneomeel familia, ^iem lega extre-
ma pobreza, damos nossos sinceros pezames.
CLUB. BO MOXTEIRO-.Inaugnra-se no dia f
de dezembro, na povoagao do Mimtoiro, o clab,
tendo lugar o prirneiro serao dansante no dia 4.
CLUB PERXAMUUCAXO.-Esto auno nao bave-
r o baile do airaiversario, no dia Io d: dezembro,
em eeoaaqnoaeia de achar-se muito limitado o nu-
mero de socios.
FESTIVIDADES.Xa igreja do Pilar, em Fra.
de Portas, ser amanliaa relebrada a esla de Xes-
sa Senliora do Born-Suc-cesso do* Xavegaiites.com
o toilhantismo do cosime ; orando ao Evaogelho
o Rvm. Lennirdo Joao Orego, c ao Te-Deum o Hrm.
Jo Esleves Vianna. A' noite, dopois de conclui-
do o Te-Deum, ser queimado um lindo fogo de
artificio.
Xa igreja de S. Jos de liba-mar celebrar-
se-ha amanhaa a festa de Xosea Senhora da Luz,
cora o apparato devirto, occn/iando a tribuna sa-
urada o Rvm. Antonio de Mello c Albuquerque ao
Evangelho, e o Rvm. Frei Jitaqnim do Espirito-
Santo ao Tc-Denm. A' lardo ser cxposia s vis-
tas dos liis a vmagem-da excelsa padroeini, pr-
rorrendo dtmSas ras da ftegneria de S- J -c.
Xo dia 29 do correnle celebra-se na igreja
de X. S. do Livramento a festa da VirgiHit Martyr
Santa Cecilia, e a nonie uVsse da haver fogo do-
raticio a expensas de alguns devotos.
BOLIVIA Em a nossa 8* pagina (Minoramos,
boje a publicar a mensagem com quo o presidenta-
provisorio da repuWica da Botivia, general Melga-
rejo, abri a assembtea nacional coastituinte era 6.
de agosto do airan.passado. Recoramendamos u;*
leitura aos nossos assignantes, paca quo bem ala.-
liera a maneira porque aprecia esse general o im-
perio do Brasil e o seu governo, bem como eu-
nhega o apreco e eslima qu > receben nesse paia
ministro brasiteiroeonselheiroirclippcLopes Xelta,
por occasiao d'abi ir celebrar o tratado de eoiu-
raercio o amizade que j pnbDcamns.
Apeaar de vir um tanta retardada sna nobtira-
cao, e-m conseqnencia de termos estado oecnpttas
cojn a transcripcao dos tiabalhos da cmara dos
Srs. oeputodos, nao pecdou esse trabalko sua im-
portancia, porquanto nao era ella de occasio, mas
ira permanente.
INCEJIBI DO SAMA IZ.\BEL.-Tivemfi5 bon-
tem orrasio de ver ura bello quadro, oJon.Jia.-
halho do Ledo Ch ipnllain, representando oxlhca-
Somma
23
Dia HGeographia e historia.
Siroptasraente
Hepi'ovados
Livantou-se
Somma
Da i:t-*iflz.
Plenamente
S
6
i
UillllU U> UVUU UU ifmnniu, iv|tiwumiiuw ^lfx
tro de Santa Izabol quando o mcedio tomava, jro-
porgoes agigantotlas, impclliodo snas linguas de
fogo pelas janellas e oculos do lado do sul do-
naseenle. E' um bollo trabalho, chelo de nalu-
ralidado e de verdade, e dign de apreco por per-
petuar osa scena de. Jinrrur, que tanto auavqrou
a populagao desta ri lade.
Consta-nos qne hrevomcute o Sr. CoapeUaro.
la urna exposigo dcsscVu trsbalho.
ESTRADA DE "LINDA.-E" tai o estadagM
terioragao em que secadia asta esHM
ve flear inttransiiavbl. Porqno ra
de execntar um molhor sysUMf
I do que mt s fci aS"-* Cto*-m
i '
a


mhhhbjjj
rr

2

a*
Pernambuco Sabbado 20 fa Novembro de 1R69.
sor
weiei
jara
aioteiipu

attencaodo Sr. director das-obras
-Heje festeja e*t
tn urna partida,
ireccao
f-jf.ONF.1 5do de Sanio
Agtodi) c -O que* bem ?ervie,
li fu es le inspector do 10 qnartetrio
4hm fnp de Castro lo.
OTEttlA.A que se acha a renda a 127*. a
beooticio dn patrimonio dos orphSos, que eorre
CMARA MUNICIPAL.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 10 DE N'OVEM-
BHO OE 1869.
PBBSIDRNCIi DO Sn. DR. SOUZA MAO.
Present Dr, Barros. Barreto, Dr. Mos-
/.a Magaihes e Ignacio Pessoa, Miando
com cansa os mais senhores', abrio-se a sos
Fo. tida e approvada a acta da antecedente.
Leu-se o scguinte
Exrr:nr.NTE.
L'm offlcio do Sen de da provin
v? Gomes de $
Pitan/a.Geiix Francisco de Souza Maga/hile l-
IMITERIO POLLICO.Obituario do dia 17 do
torrente :
Antonia Taoraazia dos Prazeres, Pernambuco,
0 annos, vhiva, S. Jos ; encephalite.
IVreza, Pern-tubuco, 1 mez, casa dos expostos,
Sanio Antonio; tumor.
Juan Leopnldmo Lins, Pernambuco, 30 annos,
-asado, S. Jo<; hepatite.
Emilia Mana de S. Roque, Pernambuco, 83 an-
-aos. rasada. Una-vista; ulceras na garganta.
Mara, Pernambuco, 4 metes,. Recife; den-
iMfei
Manoel Barbosa dos Santos, Pernambuco, 30 an-
aos, casado, Boa-vista, hospital Pedro II ; be-
Hermenegildo, Pernainbuo, 4 mezes, Santo An-
tonio ; convulsdos.
Joanna, ese.ava, Pernambuco, 45 anuos, aeiiei-
xa, Santo Antonio j aneurisma.
18
Geno'vencia Hara Francisca da Penlra, Pernam-
fcneo, 25 annos, solleira, Boa-vista; amolecimenlo
cerebral.
Manoel, Pernambuco, 8 das, a. Jos; es-
joaquim de Souza Raposo," Pernambuco, 26 an-
-bos, solleiro, Sauto Antonio ; calharre pul-
monar. _,
Joao Baptista do Rogo Barros, Pernambuco, 71
annos. viuvo, Santo Antonio ; hepalite curonico.
Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinho, Sergipo.oO
-annos, casado, Paco ; gangrena na perna.
Joanna, Pernambuco, 50 dias, S. Jos; tosse
onvalsa. .
Jesnmo da Silva, Pernambuco, 26 annos, ottei-
ro, Boa-vista ; rongesiao cerebral.
Anglica, frica, 44 annos, sollcir*.; bron-
Francisc3, Pernambuco, 43 dias, Recife ; ho-
atfte.
19
Firmina Paos Btrreto Brito, Pernambuco, 45
nos casada. Poco; febre cerebral.
Emili > Lucio Cardos. Ribeiro, Portugal, 59 an-
uos viuvo, Boa -Vista ; grangrena.
Rece n nasa.la Mara, Pernambuco, Boa-vista ;
.ao na-cer.
Mara, Pernambuco, 5 annos, Boa-Vista ; as-
phixia por siiiunerso.
Angela Maria da Conceigao, Pernambuco, 2o
annos s .Itera. Boa-Vista ; vlvulas.
Francisco Antonio Dias B-zerra, Pernambuco,
40 ann k Boa -Vista : hepatite climoica.
Ann Joaquina Cavaleante, Pern&inbnco, 80 an-
aos, solleira. B .a-Vista congeslo pulmonar.
Iaab-I Justina do Oliveira, Pernambuco, 4a an-
aos. wva. Santo Antonio; augio ascite.
Miguel ITiy-es Cabral. Pernambuco, 14 annos,
soHeiro, Afi.igadns; tubrculos.
CHRONICA JDI1IARIA.
THIIU *". II COHHKRCIO
ACTA D\ SESS.i't ADMINISTRATIVA DE 18 DE
NOVE B10.0E 1869.
rUSORNCIA DO RXM. Sn. DKSBMBARGAOOn ANSBLMi
FRANCISCO PERKTT1.
A* 10 horas da manliia, reunidos os Srs. depu-
tadoe Rosa, Basto, Miranda Leal e barao de
Craantzy, S. Exe. o Sr. presidente declarou aberta
a sess >.
fin, depois de lida, approvada a acta da sessan
de 45.
EXPEDIENTE.
Foram disiritmid >s o- eguintes livros commer
iaft*:-Diri Copiad .r .le Antonio P iva da
Foa-e-a A C. ditos d Cunes de Mallos Irmos,
tito* de Sures Prtinon.
Une -ntroa-se regular nente escrinturado ate n.
213 o llvrn .1 registrn da correspondencia oftVtal.
DICSPACII .
Re|:ieri'ne )t i de \7.evedo & Colh.K pedindo
eertidio .1 > ili ir do re'.'ist'ii da no ucacTio de seu
eaixeiro Ant .ni Pinto di Moit i.Cerlili |'ie-se.
,. J.t .la C: ha Porlo para i|ue se lhe regis-
-trea >na tt--ii..-ae*t, que junta de eaixeiro des-
wrb.inirt d.i casa cotn n'-rcial de Cunha Irmao &
6Registre se.
De loa i Minie da Silva Vilella, cara regas-
rar-se-llh! a nonwieln de seu novo eaixeiro hr-
*-to P*ieir.i .los Santos. rJdadao hrasileiro, f;.-
-aeml se annotacoes no registro da do substituido
JuTn Franei-eo dis Cliaga<.C< no requer.
De Rav.nnn lo Gi nes da Silva Lima, para ser
fegisirala a sua noinnaci de paixwn A* Fran-
js,-o Ribeiro Pinto CnimTaes, estabelecido roa
AVi Rrnm n. 06.-Resistre->e.
Do J.io Tavare< C rdein para igualmente ser
-je;.'str.nl i que lhe .lera Euzebio Raptad Rabel-
io, p-ira rlxeiro despachante de ua casa oa-n
inercia I R"gstre-se.
De l'ivieii.-o Cesar Bnrla.naque k C, para se
dar baixa no registro .11 nomeaeil do eaixein.
JihiA Carueiro BiptisU de AlhiV te. o registrar-so-
ibes ,| ih un deram a Aiionio Ribeiro '.ampos
ara s.i!Mitui-l >. -Cuno reqierc n.
De Marcos de Almei.la Lima, coni loja do sellei-
toa ra -la Cadria n. i!), para regi-trar-s.-lhe a
de seu caixniro ).>ao Antonio Honorato de Olivei-
Ta.RegT-tre m. '
De Caet .im Cynaeo da Costa M .reir, armador
4o p-ilhahiile liacional &m/n Cruz, ivcolhendo a
esportiva carta de. registro, e solicitan'! i -er exo-
ner.i.lo lo lerin de respon-abilida.l visto ter es-
se navio naufragado nos baixos de Maracajad, em
abril di e..rr%te ;.imo. o nue c .mprov.iVa c-un >
certili.-ado. que apresentava.Vi-la > Sr. lesem
Jbarga I >r ( De Antonio Fernandos de Figneirln Paiva, as
agna.lo. romo procura lor, in.r Ignacio Nery Per-
tmra Suva L-pe-, pedindo reiirar a replica em
fue insisie pela matricula de couunercianle.0
ignatario junto pro.Mir.15i >.
ADIADO.
Do mesmo Figueirdo Paiva. (Em virtude d>
"desparti proferido na peiici suura, cntin.
adial..)
Xala mais sendo ubinetlido a despacho, S.
*xc o Sr. presidente encerrou a sessao s 11 ho-
j-as e ineia do da.
reimir-se na igreja m
Antonio desta eiri
Santo
rrentc
______ACOR A PEDIBO.
neft9ran:i ajos exane prepara-
torios
0 decreto n. 4431 lo imperio
ba de .reformar paratnrio anneao as
facuidades de direito do Reoife e de S Paulo,
medicina da Bnhia, vista de instruceoei que
iwin o mesmo bailaran.
CanlianJo na alu razao que caraetcnsa todos
1 eollegi eleitoral da mesma eldade para proce- os actos do Exm. Sr. director da nossi Faculdade
der-so as elo^Ses de um deputado a asseinbla le direito, e pedindp venia a S. Exc. aSr. ministro
gerai o dos membroa da assenibla legislativa pro-
vinrial; asiia o communica a cmara para-seu
conhecimenl e expedicSo da.s convenientes or
deus.=Qiie se faeam as uece9sarias communica-
c5s ao procurador.
Outro do mesmo, de 3 do dilo mez, diwndo
que annuin'Io ao que solicitan o inspector da the-
souraria de fazenda em offlcio de 30 de outubro
ultimo sob n. 753, recominonda a cmara que do
1." d'aquelle mez em diante, nao se arrecade mais
11 imposta sobre veneimentos, creado pelo art. 22
da le n. 1:507 de 26 de setembro do 1867, visto
ter sido abolido polo 6.* art. !. do decreto n.
1:730 de 20 do citado irez do outubro.Inteirada,
conimuniquese ao procurador. 1
Outro do mesmo, de 4 do corrente, declarando,
qne, devendo entregar ne dia 5 do mesmo mez a
administrado da provincia ao Exm. Sr. senador
Frederico de Almeida e Albuquerquo, Hornead-
presidente por carta imperial do 20 do mez pr-
ximo passado ; agradece a cmara a coadjuvacao
que Ine prestou durante o lempo que exerceu a
presidencia desta provincia. Intcirada.
dQiinaorio, que jios abalancamos a apresenl.u
algumas consideracoi eoneeruentes ao mencio-
nado decreto.
Parece-nos que o decreto referido nao pode ter
exer.ncao entre nos, senao a contar de Janeiro de
1871 em dianle^e nao de fevereiro prximo futu-
ro como se propalla, e passamos a ex por nossas
razoes.
0 decreto mencionado destribue 09 exames pre-
partinos em duas secciies; os de linguas para
novembro, os de sciencias para fevereiro. Tra-
tando dos exames de linguas subslitue a trauuc-
cao em portugus pela verso desle as linguas
estrangeiras, Eis os dous pontos capitaes.
O.-cupemo-nos do pruneiro.
Foi smente no da li d-.' novembro cerrente
que, por oceasiao da publicacao desse decreto nos
jomara da provincia, levo o publico ennheeimento
da reforma ordenada nos ex ames preparatorios,
desle modo forain osinteresados na materia vei-
dadeiramente surprendidos cun nova resoluco
do minist no di imperio.
Ora, se o mez de nozembro, o consagrado para
Outro do Dr. rhefe de polica, de 6 do corronte, 09 exames do linguas hava ja.consumido a sua
communicandn em additaineuto ao de 29 de outu-
bro ullimo sob n. 8,688. que ja foram expedidas
as or lens para ser elevada a dez iracas do enrp
SESSAO JUDICIAR1A EM 18 DE NOVEMBRO DF
1869.
.KSInKKCIA DO EXM. SR. DESE.MBAROADOR A. P. PE-
RKTT1.
JVo mprintaio do v^retino Reg R ingel.
Ao meio dia ileclarou-se abru a se-sao, e*tandn
reunidos os Srs. desembargadores Silva Gui.na-
raes. Res o Silva e Accioli, e depotados Rosa.
asto, Miranda Leal, baro de Cruangy e snp
jilete Si Leilao.
Li Ja, foi approvada a acto da precedente se9sao.
ACORDAOS ASSIGNADOS.
Appel'antes aoloros, Bro-ihelman & C ; appel-
aado reo, Jos Francisco Taboca.
Embarcante' embargado exeitnenle. Manoel Al-
wes Ferreira ; embargante einbarado appellante
tecutado, Joao Pmlo de Lemos Jnior.
Appellantes autores, o Dr Manoel de Figueiroa
"Vari* e mais herdeir.m do commenda.lor Manoel
ffigueirda de Fana ; appellado reo, o Dr. Gabriel
lposo Soares da Cmara.
niLGAMBtrros.
JuizH especial do coimnerrip : embargantes ap-
Srilados autoro*. Oliveira Pilh's A (1; embarga
o appellante reo, Jos Carlos Teix-ira : jmzes *?
Sr*. Reis e Silva, Accioli, S Oit&i o Ro*a : fo-
a n recebidos os embargos, sendo voto vencido
m parte o Sr. S Leitao.
Juizo especial do commercio : aDpellartte 4nto-
X, a Caixa Filial do Banco do Brasil nesta cida-
d; e.n liquidacao; apwllado reo, Lio Carlos
tos de Oliveira : juizes os Srs. Reis e Silva,
Accioli, Basto e Leal :Foi Confirmaba a senton-
es appellada.
Juizo especial do commercio : embargantes em-
Sargados appellantes app Hados simiillaneameate,
ai viuva e heMeiros do Manoel Goncalves da Sit-
ta (>os) e D. Claudina Senhorinha Vieira de Car
anio (autora) : juites os Srs Silva Guimaraes.
Arciuli, bario de Cruangv e Miranda Leal:- Po-
a-a 1 n reeehid.13 os embargos da embargante auto
ca appellada, o despresados n* dos reo-' appellan-
tes, sendo voto vencido o Sr. Miranda Leal.
taasAORH.
. Sr. desembargador Reis e Suva ao Sr. de-
jaeaaHargad.ir rrioli : ^
Ainiellantes, Zacaras Marques Vianna c sua
nulhec ; appellado, Salvador Rarone.
Nada mais hoove, e foi encerrada a sesso
hur^ e 20 ir.luulos da urde.
de polici.a, inclusive o inferior, a guarda da ribei-
ra da freguezia de S. Jos.Que se acense o re-
cebimento, e se peca ao Dr. chefe de polica que
se digne ordenar qio a mesma guarda se preste a
auxiliar ao fiscal quando este exigir della a sua
coadjuvacao. .
Outro do administrador da recebedoria, solici-
tando a necessaha providencia no sentido de se
nao conceder licenea para o futuro anno do 1870
as pessoas que exercendo industrias ou Mitra*
prohssSes, nao exhihirem qnitacao do imposto do
exereicio corrente de 1869 a 70.Que se expeds-
se ordem ao contador.
Outro do procurador, renier.cndo copia da es-
eriptura de desaprnpriacin do terreno e muro do
quintal da casa n. 39 da ra da Imperatriz. feita
ad desembargador Alexandre Bernardmo dos Res
e Silva, pede que so lhe mande levar em conta a
quantia de 2:600*000 em que importo a mesma
dcsapropriagii e a de 10f320, despendida com a
esrnptnra e sello.Que se mande levar em con-
ta, e se declare ao procurador ser necessario re-
gistrar a copia da mesma escriptura no cartorio
das hypothecas. *
Outro do engenheiro cordeador, informando o
requerimento de Angela Maria de Annunciaeo
lem a dizer que nao ha inconveniente na emees-
sai da licenea pedida pela supplicaule.Conce-
deu-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento
de Firmino Antonio Rodrigues ; cumpne-lhe dizer
que nada tem a oppr, sendo construido o mun
no alinhament das casas existentes no jaesin >
correr.Conceden-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento qV
Manoel Ferreira Costa, diz que nada tem a oppr
construindo o supplicanle a casa no alinhamenlo
das que existem no mesmo correr.Concdeii-se
Outro d mesmo. informando o requerimento
de Generosa de Jess da Gloria, cumpre-lhe diz*,
qne nada tem a oppr, construindo a supplicaule
a casa de conformdad9 com as posturas, e^nu
aliuhaiiiento das qne existem no mesmo correr.
Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando o requriment.
de Francisco Xavier Bergen, tem a dizer que ria-
da se Ine offerece a oppr.Conceden se.
Outro do mesmo, informan.!, o requerimento
de Manoel Benedicto dos Santos, declara que na
da teai a oppr, dando-se-lhc a cordescio.Man-
dou-se comear.
Outro do mesmo, informando contra a preten-
cao de Benedicto Jos de Sant'Anna.Indeferio-se.
Outro do mesmo, informando o requeriuiento
de Francisco Ferreira Hallar, declara que nao h,.
inc.onveni'-nte em se conceder o que pede o sup-
plicanle.Gunredeu-se.
Outro do mesuio, infirmando o requerimento
de Mi noel Anselmo C.rra de Figueido, tem 1
dizer que na. \u inconveniente hu >e conceder o
que pedo o supplicanle.Concedeu-se.
Outro i| 1 inesino. Informando contra ojjue re-
quer Franciseo Jos do Araujo. A' commi^sai
de eili(lea(\io.
Outro di mesmo, informando o requerimento
.le Jos Joaqun Alvesi declara que nada ha a
oppr acerca da pretencAo do supplicaule.Cu
ee-u-srt
Outro do mesmo", informando sobre o requri-
inenli. de lleruetiegilda Can li la da Fonse.-a S0.1
re, declara que n> ha Inconveniente em se con-
c-.ler o que pede a supphcailte. Coiiced 'il-so.
Oii'ro do me-ino, informando o requriment
de Pelro Jos Mirinlio, tem a dizer que nada In
a op..r, dau.lo-se-lhe a cordeago.Maiidou-se
coclear.
Outro do mesmo, Informando sobre o requer -
.nenio de Manoel J.s Prestrello, cuoipre-llie .1 -
7,1'C que cortil o allegado peio su|iplicante ; no
lugar do Laoieirao, freguezia do P050, no Sitio do
peticionario existe um caixao de cosa, i|Ue se
india aiTeilido da cerca actual viole palmo-, e
ter .hi lic.ir rineoenta palmos depois que su tivrr
dado o alinluni-nto pr^ecta lo do mino d.t frentj.
e ese alinlianie.iito s p-der ser eff.-ct nido q.lan-
do se desapmpriar a coxeira do sitio em freut-,
que e-ta niireili na pl.mta para >er demolid 1,
avi-ta do que parece-lho que se pode conceder n
licenea.A' ro iHuissiu de i'd.fi-a^o.
Outro do llca| da freguezia do Recife, r- lliet-
tendo um termo do iufraegio que fez lavrar en-
tra o capi'o do bngue nacin .1 Bi-F, J-.;m
Pinto de C1 iip.s, d-> qual Coii-igualario Antn o
Luiz de Oliveira Azevedo.Ao premiad .1.
Oulm do ini-sino, iuforiuaudo Sobre o requeri-
mento d.- Inuiicencio Rodrigues Lima, declara que
em con Iho ultimo fez constar a. inquiluios e propnela
rios de dous ou ires qnartos existentes no peque-
110 becc que .1. ra da Cruz vai ler a do Apollo,
que 11 meso). h-cco luha de ser fechado, marcan
do-lhes para sso um pra*o de eis mezes, por is*o
. supplicaule proprietario de um sobrado 110 inesi 10
becco e no espado cin que nao e^lavam co.upre-
lieu.lidos aquelles quartos eouipMmeUen se sia
cusa mandar fechar, c dando comeen a obra, 10
que se oppz o proprietario dos du..s quartos q m
sao as l>j,,s de um sbralo da ru* da Guia, em-
bargando a mencionada obra pelo juiz municipal
da varaA' vista da deciso turnada em 25 Je
outubro ullimo. ficou 'sas|iensa a deliberacao le 5
de julho desle auno, relativamente ao lapameito
do dito becco.
Pnstou juramento do juiz do paz do di-trirto
da freguezia do Pueo da Panella o 1* suppleile
Joao Lucio da Costa Monteiro.
Por nao ter apparecido licitantes, deixaram Je
ser arremaiados os talhos ns. 10, It. 12 e 13 do
acougue publico da freguezia de S. Jos, lado do
sl.
Duspacharam-se as peticies ne Antonio Ignacio
HeiLT, Antonio Siman, Aatonio Jos Rodrigues de
Suata, Antonio Perejra Pinto, Antonio do Miranda
& C, Benedicto Jos de Saul'Anna, Bernardino de
Souza Pinto, Cassano Manuel de Tero Arg ir, Cor-
do-o t Irmao, Francisca Joaquina de Jesus, Fiau-
r.l-eti Luiz do Carino Ribeiro, Feliciano Marques
Vianna, Heitor A Sampaio, Izae Aligoa, Igna.io
Pedro das Meves. Joo Ferrena Tllela, Jos !-
quim Alves, Joaqnin Vaz de siqueira, Jos do Hego
li.rges & C, Joaquim Jos da Costa Fajtt*ses, D
Joanna do Rosario Guimaraes, Joaquim Maria de
Carvattin, Juno don Santos Ferreira Barros, l ~
Maria Sodr da Molla, Jos Francisco de Figuei-
rdo, Joao Francisco Orphi.s, Joio Franc-co le
gis. Joaquim Coi.Calvos Lima, Jos Joaquim de
Almeida, Joaquim de Sequeira, Juaqiiini Paul no
de Meileifos, J Bernardo Castalio Branco, Luiz Eduardo de H d-
landa, Luiz Jos da Cosa kumriui, Manoel dos
Santos Souza, Maria Francisca dos Prazeres, Mara
da Paixa 1 Je Jess, Manuela Maria da C.mcei\;So,
Manoel Fernandes Ribeiro, Manoel
Sanuw, Manoel Cavatcanle (idlbo, D. Mariana da
Cunha Teixeira, Manuel Jos da Cunha Porto, Pe-
dro Jos Marmho, Paulo Jos Gomes, Pe Iro Au -e
liano da Cruz Muniz, Soverina Maria da Conce
cao. Vicente Ferreira da Cala, e levantoa-*t a
sean.
Eu Francisco Caanto da Boa-Viagm, secretarm
4 subscrevi.
na espranca de que
priineira metade e nos de sciencias ('in gcogra-
grapliia, como suecedeu) quando tal reforma I ti
publicada, eremos que n> poje ser ella exeeii-
t ida j em fevereiro prximo futuro, admrtfind .
emao somente exames de sciencias, sem que dalii
venham forcosamenle graves prejuizos de lempo i
de irabalho para aquelles que, por qualquer cir-
cumstancia, deixarom do entrar em novembro
errente nos exames do linguas, os ltimos que
pnrventura faltem para complemento do cir-o
prepa/alorio, pois d'ahi resultar a perda do matri-
cula na faculdade. V-se por aqu que de ur-
gentenecessidado que em fevereiro pniximo futuro
hajam ain.la exames de iimac-outra cousa.
Alm disso, por todos sabido quao dilTIctl se
torna a chamada exames em novembro, pelos
innmeros concurrentes que se apreseiilam dis-
putando o limitadMsinio lempo de 21 Jias ule s,
que esse mez .unta. Pr-se em execugao. no
meado dosse mez, urna reforma que importa
completa alteracao no systema ad piado, nao
ple dexar de ser venia letra calaraidade para os
estudantes de preparatorios.
Parece-nos lambcm que nao exequivel em fe-
vereiro prximo luturo, se porvenlura |como de
esperar, o Exm. Sr. director da nossa faculdade
por una alteracao justa, admitlir anda nessa
pocha exames de linguas, que srjam edes feitos
de conformidade com as referidas nstruc;es.
visto como os concurrentes acham-se preparados
segundo as instrucees anteriores, e ueste caso in
capazes de satisfazerem as actuaes. 1
Se nao com lies, quatro e seis annos de eslu-
do que podemos escrever correctamente a nossa
pmpria I ngua, cuno, e em que lempo poderemos
esen-vur correctamente 11 na hngua estrangeira ?
Tod 13 ni)< sabemos quo poneos sao os homens,
mesma os de leitraa* que esli no caso de esrre-
ver qualquer una dessas lin/uas ; mas traduzi-
las, quanto basta para terse cabal conhecimenlo
do que nellas se acha esenpto, oque hade
mais comuium. Seis, oito, doze mezes de e sao suiii.-ieutes |iara a dotida habilitaba >. E lau-
to isto verdade, e tanto esse :ouheciinento de
sobejo p ira o myster d'aquelles qn se rotara ao
curso superior das scieucia*, quo o governo.
lei anliga; determinou < pequeo praso de qua-
tro annos para a exhibieiio dos sete preparatorios
exigidos.
Nao coiiseguintemenlo rasoavel quo urna re-
forma de tal natureza se opere de um dia para
oulm, do meiado de novembro Hrrente, para o 1"
de fevereiro prximo vmdouro.
Felizmente temos procedente de reforma de
1831, quando o Exm. Sr. din ctor da nossa Facul-
dade atlendendo, com o esclarecido pen-ar que u
distingue, p idnticas circunistancias, adiou pa-
ra lempo conveniente a evecuci do decreto de
ento.
Si ao menos fosse de urgente necessiilad^ essa,
invcr.-an no modo do exante de linguas, bem, anda
dirmmos ; mas il.hi para o curso jurdico propria-
mente dito, Qeilhuuu Ulilidade resulta, pois, aquel-
les que o foguera nunca lerao necessidade de es-
erever em laes linguas. Hista-lhes compreheiiler
perfeitamente ns autores estraiigelros porque de-
vem estudar. O mal lici por c nta do lettrado ca-
pri .-lioso que com vajar procura aperfeico.ir se
culi o auxilio de mesires especules ; estado es-e
que iiuuca se far com aproveiUmenio em aulas
publicase .111 t.-.iipos limitadis.
J em 1861 dizia edm lodo o criterio o Sr. An
ionio Burgaiu, autornlade ncte caso, que nada
mais onscuro t que oimgar se a escrever em lio-
gua estrangeira um adolescente que nao sabe,
neni sabera to cedo escrever correctamente na
-u.i prupria ligua ; que ohrigar-se a escrC'er em
liugua e>lrangeira um alu uno que us seus cslu-
ilus subsequeuU's. nunca tei necessidade de es-
crever nessa li gua. E lernuua declarando, que
s se poder Ul i-ouseguir mircnndo-'e r >m gran
de anleceaeiicin umis lucueiUn p ajinas do dstico
que decer ser vertido, pira sabr ellas eslabelc-
cer-se exereicio.
in.-isliuins ueste ponto : nao sem longo lempo
de e-tudo, e de urlica que se onsegue vencers
difOrulda les que apreseul.iin as linguas eu) suas
cousteuccoes variadas e comliina E se para tanto nao podein estar habilitados os
estudantes que iireien.leui prestir de novembro
corrente fcv reno do anuo prximo os exames
de linguas eslu.ladas, limito natural que o de-
creto n. 4,'i3l s leona execuco de 1871 en
diante.
A inneidade que sempre vio no Exm. Sr. direc-
tor da nossa Faculdade um defensor extremo d
seus direitos e interesses, confiada doscaocl em
seu proceder recto o justiceiro.
"pfena jnsfira nos seus auto nao taranem que ;
tnmando-se na devlda consider i',)ri-la-nao'
os ceramorciatites qneni foi ella din
Um dos homens do popo.
IlfiM. Srs. marchantes.Ostalhaaores de carne*
verdes, abaixo assignado9,veem recorrer ao* sen-
limentos de benevolencia, qne, sabeni, almndam
em cada mp,de Vv. Ss.. allm de quo o h ihiiitem
a pr-se aeoberto da animaversio publica, em que,
com profunda mgoa sua, e sem a mnima provo-
caefio ile sua parte, vio dia por dia incurren lo.
t' geral, Illms. Srs.; a grita que se levanta con-
tra os aBaxo assignaios, j por nao seren pesa-
das as carnes Ai gado vaceum, que quolidiana-
metiie so relalam nessa cidade. de maneira a sa-
tisfuzereni neceisidadesoaslpessoasjdopovo, que
dellas procuram abastecer-se, j por.nio c nserva-
rem os talhos, ou acougties. o aceto que fra para
desejar, e que urgentemente reclamada pelas le*
da hvgiene.
Entreunto, Illms. Srs, o clamor cessar infall-
velmente, eos abaixo assignados deixarai de ser o
objeclo do odio de todos com quein sua profNsao
os po em im.nedlalo e diario contacto, se. exhi-
bindo Ihes mais um eloquente tesiemunho da be-
ngnidade com que sempre se teem dignado do
penhora-los, Vv. Ss. houverem a bond-ide de pres-
tar attnicAo ao que passam a pooderar-lhes, sel-
lando com a sua aemlessencia os alvitres que ou-
sam prop .r-lbes.
E' incrntestavel, e nada ignorado por Vv. Ss.,
nao s que, da hora em que as carnes verdes sao
levadas do matad mro para os talh .* at aquella
em que comceam a ser exista venda, quebram
consideravelmente no respeelvo peso, mas tam-
bem que as continuas, repetidas c varias pesadas
dellas que-e fazem vontadede cada'um dos com-
pradores, muto conciirrem para qne semelhaute
quebra ainla mais inevitavel se torne.
Isla posto, e sendo os abaxo assignados respon
saveis para com Vv. Ss. por tantai arrobas das
nreditas carnes qnantas as que mencionam as
guias'que acompaiihamnas ao sahirem do mala-
douro, ou elles hio de carregar com um prejuizo
superior ao salario que percebe.n, ou ha > de regu-
lar as pesadas de modo a evitar semelhante hypo-
ihese, a menos que se resignem a ftcar sem pao,
sem panno e sem tecto para si, para sitas esposas
e para leus fllhos, postergando assim um dos de-
veres a que estn imperiosamente sojeitos como
christans e como homens sociaes.
Quaesquer das ponas do dilema, ao qual alias
nao podem escapar os abaixo as-ignados, enlloca-
os em situacao afilictiva por domis; e, Vv. S*.
reconhece-lo-hao por sem duvida, fere-os.mortal-
mente.
Tamanho e to vexatorio inconveniente desap-
parecer, porm, de urna vez para sempre, se, dan-
do mais urna prova robusta e convincente du bmn
senso e da rectidau que Ihes sobram.Vv.Ss. sedig-
narem de providenciar, para que, alterado o sys-
tema at agora era voga, as carnes verde-, em vez
de seren pesadas no inaladouro, passem a s-lo
nos talhos no mesmo dia em que liverem de expor-
se venda, dando-se aos lalhadores tres kilos de
bom peso por cada boi preparado para ser retalha
do, e o estipendio de 300 diarios.
E nao pareca a Vv. Ss. desarrazoada e imperti-
nente essa proposta dos abaixo assignadus, que
sem a miuma dilficuldade justifica-la-hio, appel-
lando j para o uso que. com relaja ao genero
alimenticio de qqe se trata, esta adoptado en to-
dos os paizr-s civili-a.los. inclusive a Franca
como pude lona attestar um de Vv. Ss. que all
deixnu o beiQo, j para a pratica, quo, com refe-
rencia ao assucar, ao algo.lao, o outros artgos, in-
variavelinente vigora nesia praga e as de todo v
mundo, onde o bom peso sem a mnima hesita-
cao e como que fatalmente, concedido a quanios
por ultimse encarregam de transmiili-los a quem
delles procura prover-se.
Quantu ao outro iiicnivcniente, ao qual os abai-
xo a-signad is alludiram ao eo.oecarein esta exiKi
sieio, isto a au-encia da limpeza nos ta'h'.s,
parece-Ibes que reinnver-se-ha infallivelmente, se
V. Ss. nada trepidarem em ordenar que nelles se
nao tralultieo senao das 6 horas ua manha al
as .1 horas da tarde de cada dia, afi.n de que
restante de-te seja destinado lavagem dos cepos
e bale s, ao areiamentn dos pesos, bataneas o fer-
ramenta, varrediira do slo, a remocio, emiim,
dos residuos qne ahi f >rem encontrados, para as
p-iragens indicadas pela inunicipalidade pora depo-
sito das imuinndicies.
Se. como atrevem-se a esperar, Vv. Ss. hnive-
rem-a h.nrosa benevolencia de altonder aos all-
xoa^sinados,alm dehaniii.nisarem perfeitamente
os seus legitiinns interes cin irn um betellcioreal aos habiantes desta po-
pdloa i> bella capital, qii*, pres-ur.isos. saberao
agradecer-Ibes, votando Ibes eterno reconhe i-
mento.
Recife, 4 de novembro de 1869.
(E>lav 1 as>ignada por 50 pessoas.)
Aos dgaos eleitores do se-
. gando districto
Desla vez, felizmente, o dtfstiriclo gremio
lo partido conservador faculta pleitear a
1 provincial.
O eleitorado vai ganhando a sua anfiga
liberdadi e independencia Congratulo m
com elle por urna prova de coulianca, atteti-
tas asnos* presentscircumsencas. ;
Desta vez, tambem, cunto triu itprtar em
.ninlia justa pretenco e legitima aspiragS >
jiela primeira vez representar ao menos
na assembla provincial, a mintia provincia
natal.
Mdiante o concurso, que solicito e espe.
ro de nietis dignos comrcaos e dos dislinc
tos eleitores das de mais localidades d se
gundo destriclo, o meu triumpho ser certo
se por ventura tal periuissao nao for lio ap
parale, quanto confio que n seja.
Aperto-lh.es a mi desde j em signal de
eterna gratido. Dou-lhes ininlri palavra
de Iioidhcq honrado e sincero de que serei
leal e perseverante 00 cumprimento de meu 3
sagrados deveres.
Disto hei dado prova nos poucos cargos
pblicos, que tenho exer ido.
Em urna palavra, convoacidos fi.juem to-
dos os eleitores, que me honrarem com os
seus sudragios,' de que ser solicito e riel
no legitimo e honroso deseuipenlio de suas
ordens particulares.
Recife, 10 de novembro po 1869.
O bacharcl, F- anckco Luiz Zorrea de Andrade.
3. batalhao da guar-
da nacional
Atlendendo aos repetidos pedidos que
pela imprensa se me tem feito, para traser
ao conhecimenfi publico alguus fados t'm-
portwtes, injusticas e irregularidades que
se tein praticado no 3.* batalhao comman
dado pelo invicto tenente-coronel Fran
ciS'0 de Miranda Leal S?ve : tenho a
dizer que, apesar .de ningnem melhoi\]
do que eu saber d'aquelles factos, como
pra?a do batalhao e estar aquarlelado, com
tudo deixaei d.s publica-los, en virtude rio
atropello do servico n5o me dar tempo,
aguardando-me porm para quando sahir do
quartel, emOora eucomoH'Mlado em conse-
quencia dos massantes mfos.
Alm do que, devendo ser frmeo, direi
que, emquaut.) esliver a juartelado, nao
devo desg star o meu commandaute, pois ''"^ ^
que tenho muilo medo do seu chapeo de sol
disciplinado); e hnja vista o alferes que
quasi soffre esse novo genero de disciplina
sem ter incorrioem fala aiguma
Quartel do II ispicio, 19 de novembro de
i 8159.
0 guarda do 3." batalhao.
e O lai-
por Ii.iI.
f. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Sacmtari*
Sociedade barcaria em com
mantlita
Theodoro Simn Sf C,
Compran) e yendem por conta pro-
jria raetaes, moedas nacionaes, e estran-
geiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno o do banco do Rsasil.
. Dcscontam letras da torra e" outr os li
lulos commerciaes.
Encarregam-se por conta albeia das mes-
mas traosaeces, da cobranza de letras da
'erra e de oulros ttulos commerciaes.
Receb m quaerquer quaniias em depo-
rto, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Pelournho n. 7
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Deseo ita leltras da praga taxa a con-
venc onar.
Recebe dinbeiro em conta correte e a
praso (ixo.
Saca vista ou a praso sobre as cidades
prlncipaes da Europa, tem correspondentes
na Bahia, Buenos-Ayres, Montevideo. Nw-
e New-Orloans, e emitte cartas de crdito,
para os mesmos lugares.
RA DO COMMERCIO N. 3tt.
AI.FANDEGa.
dendimenlo do dia I a 18. 781:5131767
dem do dia 19......45:674l87>
827MR8164I
MOVIMENTO DA ALFANDEf.A
'olumes entrados com fazenda
dem idem com gneros
/olumes sahidos com fazendas
dem idem cora gneros
484
678
-------116*
m
400
------ 850
' f)escarregam hoje O de ontnbro
flarea inglezaBnrlachou mercaduras.
Barca franeezaJeun Raptiste'h\em.
Patacho inglezPortiahaeaiho.
Patacho iiurte-aileiuaoCrrrofintvarios generas.
Patacho hespanhol Porlollnsvinhos.
Barca franeezaVnnf Andrmereadorias.
Pataehn dinamanpjez.1/imgnrrtfcplvora.
Patacho, italiano.Mnrjftwetmarniore.
liii|tiB'1:ico.
Bngut inglez adfxa, wndo de Hambttryi,
consignado a Domingos Alces Matheus, mnni-
Para deputafjos provinciaes do
primeiro circulo
Cidadao Manoel Jacone da Silva Pessoa.
Vicario Manoel Joaipiiin X.avier Sobreira.
D.ius ver.ladeiro conservadores, e o Sr. Pessoa
cidadao inarlyr em todas as crises passadas e
sempre sol lado pr > n no. h ijo vive no es.|ueci-
nieuto tlestes generaos.
Um eleitor da Boa Vista.
De. Pedro vt Mande Lobo Motcon.Ignacio
MEU SOGKO E AMIGO
J. V. DE SOZA.
Vivia couL'nie
K tao salisfeilo,
Trazend.t em meu poito
Prazerese bem I
A causa, p-.rui,
De lauta alegra
Qi'ouli'ora eu senta,
J nao me tuautem I
Era a mnlher
A qneui firmemente
Anda innocente
Jurei e>colher;
E foi um i iit.inle
lempo d" gozo :
0 eus Poderoso
Chaniou-a a sen ser I
Se nao fura, meu Deas,
Dous lhos queridos
A' seren mantillos
P--r uiiiiifloui amor ;
Eu vos pedia,
Oh Deus de l< .niado :
A' eternidade
Chaniai-uie, Senhor I
Q-iizera tamhem
De.xar e.sta vida,
P'ra iiiiui > i|uerida
guando ella exi>tin 1
ibera, meu Deus, i
Ao Vosso sefcl
Subir eui receto.
Como ella subi 111
G. P. B. C.
O promotor publico
beral.
0 Lber de h mteni. ir.ianlo en seu notieia-
rio i|o f un i le hirer U'ii nejtciintc receld 1 >_ por
es|i.ig de 10 aun is, segundo diz, e p >r m i > de
nina iiriienra^aoque apre umeinp'egidi npiseat'idn j fillccida, aeere-eeu-
la que, inf .miado o Sr. inspector da liiesour ira
provincial .Teste, lacm, ulflnra ao Dr. c ife de
judicia e ao hispo, pira aquelle providenciar so-
bre o raso, e para qu este inaudasse o vicario do
Poco eeriilie.ir em .|ue poca fal ecra o .tilo em *
pregado, pois que so dizi. *er este residente nesta
fre..iiezia, sendo que o/ficos, informicoes, ele..
Indo fui rc'nelliiii prmm'ori i pahHai p reder c informe a lei, e o pnmuiorin darme sobre
o ('so, ou o S'imno di inliffereuc i ou du esconda-
losa prot ceo, o que f mais natural.
Ni'. islo exacto.
Nun.-a receb Le* offlci.s ou infonnacoes que
allU'ie o Sr. noticiodor ; se n..,posso liz-lo, te-
na .U'npl'l.lo o iiie.ll dever.
M red le Deus, at hje tenho, no exereicio de
meu cargo, >abido hngir ine de iihmI.i a n nie-
recer a.-ciisacdesiresla urdem ; e esta a primeira
vezqiie, pela'im|iren>a, se me arge faltas no des
einpeiiho de niinhas fenles.
Se o Sr. noticiadnr, portento, esl de boa f,
cuino des'o a.Te.htar, na trepi le em reparar a iu-
justica que me fez e.n >ua noticia
Equanto ai lacm, de que se oceupou, se d'elle
lem pleno cooheciuienK e quer sobre o inesiiw
provocar acc, i da lei, forneca-me esclarecimen
tos, o as inforiiiacoes que a respeito liver ; certo
de que nao me apanhara dar miado sobre o cano,
nem o sinnno la ind-fferenca, nem o da escanda-
losa proleccao.
Recite, O do novembro de 1869.
Dr. Joo Thome da Silva.
Sllui. Sr. Ur. en^edgeiro flseal da
lllunlaavo a gaz
At o presente nao foram eollocados os lam-
peos a g iz, que pela lei n 891 de 2'i de junho do
do corrente auno,foram cneedid upara illumina-
iba da Iravessa de J..o Fernandes Vieira, nao
ousianle S. Exc. o Sr. vire-presidente da provincia
j ter expedido ordem desde 7 de agosto ultimo!
Recife, 17 de nove obro n> 1869.
0 abaixo assignadn declara, que nao candida-
to depuiaco provincial, e ne.u por ora aspira
senielhante honra por c nihecer que ha oulros mais
dignos e h .bullados (tara representaren) a provin-
cia : as*iui. pois, agr.Ice ao amigo ofcios.. a
leuibranca do meu humilde nono para deputado
pelo 3. dMrielo.
Keeife, 19 de novembro de 1869.
Luiz da Silva Gusmao.
BS utos e O
foraal do

Constou-me que 50 dos talladores de carnes
veriles baviain eiiderecad i una represenlaco aos
marchantes, no intuito de aJcucarem d'e.ien pn>-
Benediclo d.tsj videncias capazes, j de rein..verem as difflenl la-
des t-iMU Intain aquellos uw lesempenho de sua
|iinii<'ii^^H^ ne fazeiem. cesSar o clamor pnbbc
que, I^^^Lergue-se nesta capital contra o mo-
do coi^l^^Hbawrida de seinelbunte genero de
priin'ira Bewffifde.
Pane integrarlie d. mesmo publico, procun ver
aquella jieca ; e, pois, que me parece que esl Ha
mi case de ser conhwida dos leitores do liario de
Ignacio Joaquim de Souza Lean, pro-presiderte.l nwior eirciila(3n desta referi.la capital, vertho so-
licitar dos Srs. redactores a fraga dc-darein-lta;
Chapa geuuiua to primeiro dis-
tricto.
Dr. Manoel Arthur de H .llanda Cavalcanti.
Dr. Miguel Jos de Almeida Pernambuco.
Dr. JosA Bernardo G. Alcofora.lo Pdbo.
Dr. Felippe de Figueiroa Faria.
Or. Antonio Domingues Pinto Jnior.
Dr. Olympio Marques da Silva.
Dr. Francisco Teixmra de S.
Dr. Joaquim Jos de Campjs da Costa de Hedei-
ros e Albuqnerque.
Dr. Francisco Leopoldinn de Gusmao Lflbo.
Muilos eleitores em concordata.
Algnns eleitores da B.n-Vista nfferecera aos
amigo- da concrdala os seguintes nomes :
Dr. Joaquim Jos de Campos da Costa Medeiros
e Albuquerquo
Dr. J -s Hernardn G. Alcorado Jnior.
Dr. J'So Maria Seve.
Dr. Mi noel Barbosa de Araujo.
Ur. Jo- Ni.-nlo r.ileutino de Carvalno.
Dr Miguel I>de Almeida Pvrnambnco.
Dr. Miguel Lucio d'Albnqaerijtie PHhn.
Dr. Francisco Leopnldino de Gu*mo Lbo.
Dr. Benlo Cecihano dos Santo- Ramos.
Somos 8 Declarado.
Pela sHbdelegacia da freguezia de Santo Antonio
se faz publico que o inspector do 10." qaarteira
Manoel de Castro L"o fra, a hera do servico pn
blici. deunttido, sendo nomeado para o subsutuir
M. r.-! Joaquim Xavier du Culo.O subdelegado
suppleiik! em exereicio.
Augusto Xifier de Sonsa Fonseca.
GAMELI.EIHA.
Respnsu as pergunlis que faz um miseravel no
L-oeral di5 ito corrento, a Carlos Lenidas, se
rosionle ou nao Joao Casadinho.
So poder com este jugar palavras, impudente
igual, como bem que u mstuma prender dinheiro,
co no prendVraio de certa fuerava, e a trocar re
dula por pirov, e assim pergunta-se aquelle ln:
viziedl se tudo Isto fez liga? responda-nos, ser
este uto o eteltonatario T
arris cemento; a Jos Poreira da G>sla.
100 ditos alcatro, ;!0 caixas speruiacetli; a
ordem
2 ditas eouros preparados ; a H. Oettli A C.
50 lilas vinhos; a Theodoro Christiansen.
4 ditas Imita-; a Schafheitlin & c. '
8 ditas miudezas; a D. P. Wild.
32 ditas ditas, movis, ferragens e vidros pora
vidrac.i; a Otto Bohres.
3 dias vidros; a A. Canrs.
I dila chapeos; a Chnstiani Irmo.
I dita imnddza, 5 ditas spermaeell, 573*ditas,
750 garraffles, 190 barricas e 1650 frasqueiras, ge-
nebra, 1500 fardos P|"H dt enibrulho, :) pran-
hdes de pinho, 10 lastros de carvao, 1,200 gar-
rafdes vasios ; ao con-ignatario. .
HECEUEDOItlA DE K EN DAS INTEBNXS GE-
ItAES DE PEHN'AMBUCO.
iendimento do dia 1 a 18. 4l:9U4V>
Idem do dia 19........ 1:4581582
42 751102*
CONSD1.ADO PR0VINCIAI
ilendimenu d.. dia 1 a 18. 68 4385518
'dora do dia 19 .... 2:938 140
71:3781658
iuioulo Pinto de
oiitervailor do c
BSettif.. >
9rs. redwiores.PiT sso que o observador do
Jornal d> Recife, salanlo |lara as columnas do
Diario >|e boje ahi .feriara queme nao uffereceii a
luva c .ido eu desejava, antes s- dirigi a minara
municipal, julgo-me lispensado de resiimnler ao
e do ornal "le 15 do ci.rreiUe mez ; cumprimlo-uie
somen'e adveriir-lhe .pie os epi hems d" jesuta
e beato qae o observador aliroii-uie em sua uuica
retpasta est ... que merece o individuo que so abriga sol
a coiira<:i do anony.uo para a sen salvo agpie-
dir a q lem nunca u olTeudeii. e a u na corpoca
cao resyeitavel; etain imis o alvino quanto
ouC
saltead >r que a exped.va de alguin premio
airoj i"0 aid ao assa-inalo.
Com a pnl.licida le desias lindas os Srs. redac-
tores uli-ejiliain a> inlijio assignante.
Keetfe, 19 de novembm de 1S69.
Antonio Pinto de Barros.
Attendire et videte.
Para obstar de^culpas da ignorancia, que ao de-
pois queiram allegar os leimosos.
Pelo Jomil do Recife tem se feilo obvio que no
da 18 do coi rente, so vender em praea publica
as casas terreas n-. 72 e 73, sitas ra do Am-
paro em Ohnda, pertencente* ao patrimonio d
ilarmo d'aquelle lugar, que foram penflnradas
para pagamento do decimas da fazenda nac .ni,
avahadas pelo grande preco de 3O1000 cada nina.
0 abaixo assignado, na qualidade de admini*
tradnrn procurador d-sle* releridos lien, laz e,o-
nhecer a respeilavel eoncnrso, que de .nf.>rmi-
dade com a le de 10 de novembro de 1830. e
muitos outros artgos, avisos e circulares, j tratas-
crpUis neste onceituado Diario s..b n. 204 de 2
de setembro do anuo pascado, ordenando a res-
tricta observancia e execuco da cilada lei.
A lei prova evidentemente que a fazenda na >
pode di-por, nem dar declino sobre *emelhantes
liens, qu.-r niovei.*, quer siuovente*,ou de railes,
logo, e milla, e de nenhuin effeit.i a referida
arremataijo, sob pen9 do arrematante perder
.1.-"lulamente nao s a pr.ipnedade cuno qual-
quer benifeitoria qne haja de fazer, sobre os re-
feridos bens, tanto mais quanto o abaixo assigna
lo outr'ora cuio agora, j lem offencido os reo
Jimenlos las ditas propnedades para pagamento
da divida da fazenda.
Ao contrario, o abaixo assignado desde j pro-
testa contra qualquer pe soa- que ousar diverso,
le to explcito esclareeimento.
Temos comprido oni u n.isso deviT.
Recife. 17 de novembro de 1869.
O padre fre Joo do Amor Divino Mascarenhas,
igario prior do nwsuio convenio.
Protectora das familias
O* senhore* coniribuinles essa assneiacao, que
preferein mandar pagar suas animidades nmia
provincia, poderao diriir-se ra do Livrament
n. 19, 1* andar, antes do dia 10 do pniximo mez
de deiemhr, albu.de que os fund e po-sam che-
gar na sede da assneiacao, no Rio de Janeiro, no
seu venciuviilo de 20 a 31 de dezeml.ro de 1869.
Depois de cuja data pagarn a mais da annuidade
o juro que marca o. artigo 24 .1" regulainento.
Recife 17 de novembro ^ do 1K69._
Narciso de Vidal.
1
COMMERCIO.
PRAGA UO rtKCIMi 19 E NUVEMBRO
r DK 1K69.
AS 3 1/2'mw naTARDi
Algottao de Pernambuco 1' sorte 953
MOVIMENTO DO PORTO.
Panos entrados no da J9.
Aracaty9 das, biaie brasileiro Sobralense, do
T7 t'onela Ir-, capillo Autonio Gomes P.-reira,
cquipa^eiu 8, carga 30;) fardos de ..l^odu e
outros gener.it ; a S Leitao Irmo.
Aracaty-8 das, hule brasileiro Nosxu Se'horados
Naregnnles. de 76 toneladas, capitn Antonio de
Souza Ca-iro. iquipugem 7, carpa 373 fardos do
al^od.io ; a K.ii tiiolouieu Ixiureiico.
Rio Cran I- do Sul -26^1'is, patacho bni4t--.ro
Francoln, de 250 toneladas, capil Joaquim
M. Meir.ties. eqnhiagem 12, carga 12^n0 arro-
bas le carne ; a Auioiiin liino.
Terra-Nova 35 ibas, patacho inglez Parta, de
197 tmiela.las. Capilo Ilion.ps.ni, t'i|iiipagein II,
ca ga 2.770 harneas Com bacallio lB.C.4
C. II Seiiipson & C.
Hahfax4 Ijs. patacho inilez Annie gran, de
1M) Ion. la.las, capilo Oener, equpamiii 7
carga .na leira ; a J .linMoO Paler 4 i'..
Richimnd 62 das, brixne iiiitle;. Me,iuzi, de 266
tonelad..s, Capitn Tlminaz W. Tyfe, equip gem
10, carga 30.14 liarriraa con faiiulia de ingo ;
a Phipps BroUier & C.
lian.burgo52 das, brigue inglez Adela, de 199
lonelada-, capilo L Sviiuns, equipag.ii 8, car-
ga Varios geueios ; D. A Malinos.
Londres W) das, paiaibo iliiiau.aiqm-z h'arguri-
the, de IH7 lomladas', capilo S, Aluahaiien,
equipageni 8. caiga plvora eoulros gem-ros ;
a Wllson & llett.i
CanlilT 50 das, barca nornegoense Uugm. de
de 397 toneladas, caplto Hansen. equqt.gem
12, carga carvao ; a A. L. de O. Azevedo & C.
OMARACOES.
rs
De ordem do Ill n. Sr. inspector da tbesou-
raria de hienda desta provincia se faz publico
para M.ihiciioento dos interessadi.s, que n irilm-
ual do theMiino em ordem n. 13 de 2 do crrenlo
mez, autorsoii o paganient i de divids de exerci-
cios lindo*, cojos eredores sao os segoiuks :
Francisco de Furias LnoK
Coiiipanhia Pernambncana.
Ataliba Duarte Godinho.
Deolmda Cabral Godinho, viuva Je Francisco Josa
Gomes.
Secreiarla da thesnuraria de fazenda de Pernam-
buco, 16 de noveiubrt do 1869.
Servindo de official-maior,
_________Manoel Jos Piule.
ArreiBata$t
Pelo jnlzo de nrphos desta cidade tem de serein
arrematada- por venda as seguintes pr.pneil..des,
pt^nencente- ao lina lo Izdoro d"S Auj .s da P-r-
ciuaciila. para pagamento dos eredores do me*nio.
Iludas ires audiencias do mesmo juizo : nina rasa
terrea n. II sita.no lugar denominad Baixn-w-
de, na Capunga, freguezia da Boa-visia, de iHjdta
e cal, com nina (torta e urna janella de frenfe,
avadada por 1:500MK); urna dita deda n. IS,
ne mesmo lugar da Baixa-verde, ,na i '.aponga, de
pedra e c.l, com una porta e- urna janella de
frente, avahada por 1:500ftO ; nm terreno nc
uicsinu lugar da Baixa-verde, o final se acha par-
te alagado e parte aferrado, com 38 li* palniwi de
frente e 232 l|2 de fun lo, a contar da casa i. 11
al camba, avahado por 585*000 ; um du no
mesmo lugar da Baixa-verde, o iinal se a.ha Mo
aterra.Io, com 56 l| palmos de frente e 8.1 de
fundo, avaha lo por l:130*i>00 ; una quarta par-
te da casa n. 6, sita na rna da Esiwranra. fivfue-
zia da Boa-visia, de pertra e cal, com nna prta e
duas janellm de frente, avahada por875<. _____
Terca-feira, deptiis da audiencia do Ur. juiz
de orpho. e ausentes, vai i-raca por venda a
casa terrea com porta e janella, i sala*, 2 quar-
tos, sitaalraz la matriz da Boa-vista o. 3. fcer-
leneenteheranca jacenie do finad. M-jnji Ju-
Chalaca ; vai i-aca a requerimeBlo do*Or. n-
gel H*niqn-s d Silva, cunulof h dita hQ''l>ca,
Tribunal doc mmi^rcio.
Por esla secr^aria se fez publico que wsfa da-
la foi adniitiido matricula o Sr. Joaqnun Gerar-
do de Bastos, cidadao Portuguei, a> 30 ai nos de
idade, estabelwi.lo ueste cidtde com fjci iptorin
de cemussos e negocio de conta propria.
9*
T

,....,. -..i :.**** ;'


mama
mm
Diario d Pernjimt>co Sabbado 20 te Novembro dfe 1869.

Secretarla do -tribunal lo commorcio da Per*
arabuco 18 do novombw de 1869.
wg iftipedjment'i do nflieial-maior
liego aagel.
:l
Club Pernambucano
<;rande soir de prestidigitado chimioa,
pbvsica, eleelncirtade e nigromancia.
SABBADO 20 O CORHENTE
tfUi) C6I.EBR8 PBESTID'GITADOR RODRIGUES.
rogranma.
1' parte.Grande introdcelo a orehestra.
S* dta. A preciossima ceia do algodao e o
estomago nrendiado cm fogo, e a fa-
brica de filas e vela?,
dita. As velas bruxas.
A eaixa de No.
A garrafa infernal.
O leiKfo de Garibaldi.
O ralix millonario,
lita. Magnifico trabadlo ebimico o o presti-
gio da maceta de rosas encantadas.
A garrafa diablica. -
O an?l visivi'l einvisivvl.
lluso em verdad.:.
As cartas feliceiras.
O quadro mgico,
dita. Dar fin ao soir con a preciosa ga-
linha encantada e o chapeo de Mr.
llerniann.
O Sr. Rodrigues desojando que o publico nao
-M prive de tous soir para o ijuo nao tein pou-
pado despeas o desvelos tein eskibelecido o preco
de cada entrada :i.
Os billietos se achanto a venda desde o da 19
-at a noite d> 7 no-mesmo club.
Principiar as 8 horas.
SlJ
mnmw mmiiw
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperad
at o da 29 do crrente o vapoi
Guar, commandante o Io l-
ente P. H. Duarte, o qual de-
______ pois da demora do costme se-
guir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se t
;arga que o vapor poder conduzir, a qual deveri
er embarcada no dia desuachegada. Encommen
las e dinheiro a frete at as duas horas do dia di
ua sahida.
Nao se recebera como encoramendas senao ob-
lectos de pequeo valor e que nao excedam a i
irrobas de peso oa 8 palmos cbicos de nieili-
co.
Tildo quo passar deste3 limites devora ser
embarcado como carga.
Previne-seaos Sis. passageiros quesuas passa
nsso recebem na agencia ra da Cruz n. 57
adar, escriptorio de Antonio l.uiz de Olivein
itiuwedo St C.
Porto.
Vai sabir breve a barca Laura ; para carga e
passageiros, trata-so com os consignatarios Corva
Iho & N'ogueira. na ra de Apollo n. 20.
PARA
AVISOS MARTIMOS.
Lisboa.
O hrigue portuguez Catete, capitn e dono J. J.
  • om E. li. Rabello, ra do Commerdo n. 48, ou
    om o referido dono.
    PARA.
    O palhabole nacional Emilia recebe algnma car-
    sra a frele barato : trata-so com Jlo Francisco
    la Silva Novios, roa do Vizario n. II.
    Lisboa
    O brigue portuguez Colele, capitao e dono J. J.
    da Cosa, recebo algum.t carga a fele : tratase
    .om E. K. Itabello, ra do Commcrcio n. 48, ou
    m o referido dono.
    Para Lisboa
    O. brigue poringuez Bella Rfw/'nun, capitao
    auraldo Sobrinho, vai sabir breve porter a maior
    parte do carreganiento : para carpa o passageiros
    rata-sc com E. U. Itabello, ra do Commerco nu-
    mero 48.
    Rio Grande do Sul
    Segu com brevidade para o porto cima o bri-
    gue nacional Am*lia ; para o resto da carga |ue
    the falla trata-se com os consignatarios Antonio
    JjO.il deOliveir? Azevedu & C rita da Cruz n. 57,
    1 andar
    Rio (le Janeiro
    Segn com brevidade para o poito cima o bri-
    gue nacional Isabel, tein a bordo a maior parte de
    eu carregamento; para o resto que Ih3 falla Ira-
    ta-se com os consignatarios Antonio l,ui/. de Olivvi-
    ra Azevedo V C ra da Cruz n. 57, t andar.
    COIPAKHIA B8AS1I
    DE
    Paquetes a vapor.
    Dos portos do .-ul esperado
    at o dia 21 do crreme o vapoi
    TocmUins, commandante J. M. F.
    Franco, o qual depois da demo-
    ra do costume seguir para os
    os portos do norte.
    Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
    carga que o vapor poder conduzir, a qual deven*
    ser embarcada no dia de suachegada. Encommen
    das e dinheiro a frete at o dia da sua sabida as 1
    horas.
    Nao se receben como encomniendas senao ob
    jectosde pequeo valor e que nao excedam a duat
    arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medica.
    Tudo que passar destes limites dever ser embar-
    ca lo cuno carga.
    Previne-se aos Srs. passageiros, que suaspas-
    sagens so so recebem na agencia ra da Cruz
    n. 57 priiueiro andar, escriptorio de Anti nio Luiz
    lo Oliveira Azevedo A C.
    COMPANIUA PEKNAMIsCANA
    OB
    Navegando cos eir por vapor.
    Porto de Galliuhas, Rio Formse e Tamati-
    dar.
    O vaporPaialii/ba. commandante Mello, seguir
    para os portos cima m fia 20 do corrente,
    meia noite. Rebebo carga, errommendas, passagei-
    ros, e dinheiro a frete no escriptorio do Forte do
    Malt s n. 12.____________________________
    COMPANHIA PtiltNAMBUGANA
    M
    .\'avcsM'S costclra por vapor.
    Parahyba, Natal, Macee, Mossor, Ara-
    caty, Cear, Mandalii, Acarac e
    Granja.
    m^T\ 0 vapor yijuci. commandant
    /Tj Moura, seguir para os porto*
    ilgMmMl cima no dia 3 do corrente as 5 hora?
    da tarde. Recebe carga at o dia 29 encora-
    mendas.e passageiros e dinheiro a frete at as
    3 horas da tarde do dia da sabida no escripto-
    rio no Forte do \laltw* n. 12.
    Paro Lisboa
    A barca portngueza Pereirn Borges dever se-
    guir brevemente para Lisboa, j tero a bordo par-
    te da carga, o para o resto trata-se com Oliveira.
    Pilhos & C, ao largo do Corpo Santo n. 19, !
    andar. 00 com o capitao na praca.
    G0MPANH1A PERNAMBUCANA
    DE
    Vavesaco eosteira por vapor.
    Macei ero dire.itura e Pcnedo.
    ^^ O vapor Giqut, commandante Aze-
    _^fj,\J^ vedo, seguir para os portos cima no
    BSmmi d,ia 22 do corrente as i horas da ar-
    de. Rece, carga at o dia 20, eneommendas,
    passagen- e dinheiro a frete at as 2 horas da
    tarile do da da sahida; no escriptorio do Forte
    do Mattos n. 12.
    Para o designado porto pretende sabir com umi-
    ta brevidade o palhabote fosita por ter a maior
    parle de seu carregamento prompto : para o res-
    to que lho falta, trata-se com o consignatario Joa-
    iiuim Jos Goucalves Dcllro, ra do Comtnercio
    n. 17.
    Para o Uto Graurie do Mu
    segu com brevidade o patacho nacional Marques,
    visto ter parte da carga prompla ; c para e resto
    que falta, poden enlender-se com Francisco Jos
    da Costa Araujo. ou com o capitao a bordo.
    Rio de Janeiro,
    Para o indicado porto, pretende seguir com mili-
    ta brevidade a barca portngueza S. Joo, por ter a
    maior parte de seu carregamento engajado ; e
    para o ro*to que Ihe falta, trata-se com o consig-
    natario Joaquim Jos Goncalves Beltro, ra do
    Commcrcio n. 17.
    Porto.
    Segu com brevidade a veleira o nova barca
    portngueza lsolina, pan carga e passageiros,
    para os quaes ten excellentes cnminodos, trata se
    com os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
    Azevcdo & C.; ra da Cruz n. 57 Io andar.
    O Dr. !. B. Casaaora. pode ser
    procuradla qijalqu^rhora em sen* consul-
    torio especial iionKoPATUico, ao Iprgo da
    matriz de Santo Atonio n. 2 No mesnm
    coosultorio aclia-so scmp e i veada os mai."
    acreditados medicamentos, do homeo-jathta
    e todo quatrto necessario para as pesso.^
    que se dedicam ao tratameato por este
    systema.

    A perfimaria parisiense
    Roa do Crespo n 7 A, 1" an1ai
    Chegou pi.|,, paquete francex Giiondeum bonito
    sorttmento deluva iU> cores para liumens a
    nhoras, marca garantida de Jouvin o mais um
    mvo sortimento de poftunarias cscilhidas.
    Porto e Lisboa.
    Segu para o Porto com escala por Lisboa, a
    barca poatugueza Safira : para carga e passa-
    geiros trata-se com os consignatarios T. de Aqn-
    n i Fonseca A C. ; ra do Vig.rio n. 19 ou com o
    capitao na praca.
    Para a Baha
    Toma carga c ter prompto despacho o patacho
    italiano Margherila, capitao Ghers : quem nelle
    nizer tomar praca, pode dirigir-so ao escriptorio
    n E. A. Hurlo.& C, ra da Cruz n. 48.
    LEILOES.
    LEILAO
    De movis, louea e vldros.
    Terca-feira 23 it novembro.
    A SABER ;
    Um piano de armario, 1 mubilia de Jacaranda
    com lampos de pedra, cadeiras do balance de Ja-
    caranda, 1 candelabro e 2 serpentinas de crys-
    tal, candieiros a gaz, venezianas, 4 escarradei^a^,
    cadeiras para piano, 1 cama franceza, 1 guarda
    vestido de inogHO com espelho, 1 comnioda, 2 ca-
    bidos. 1 mesa elstica nova. 1 guarda louea, 1
    mobilia de amarello, 2 apparadores, 1 apparelh<>
    para jantar, i dito para almoco, vidros, 1 estante,
    quadros, marquezas, cadeiras avulsas e 1 porta
    licor.
    Urna machina de costura perfeila, 1 machina de
    lavar roupa, 1 costureira, 1 caixa para guardar
    gelo 1 mesa de jego, 1 marquezao, 1 santuario, 1
    mesa de eosmha e muitos outros objectos.
    Por intervenrao do agente Pinto
    no sobrado d ra do Imperador n. 47, onde mo-
    rou o Sr. Custodio Jos A. GuimaraVs
    LEILAO
    De 1 fardo de madapolo, I caixa com
    meias para meninos, cora varia, gram-
    pos paraguayo* e espelhps de columnas.
    A 3 do corrente.
    J. de Almeida 4 farao leilao por ntervenco
    do agente Oliveira e por conia e risco de quem
    periencer, das fazendas supra menci /nadas, im-
    portadas ltimamente pelo vapor inglez Saladin e
    pelo navio francez Solide.
    Terca-fe ira
    s 11 horas da manha, em seu escriptorio ra
    da Cadeia n. 10. t* andar.
    LEILAO
    Dos generas e ariua;o existentes na ta-
    berna sita a ruiNova n. 48.
    0 agente Pontual competentemente autorisado
    vender en i Jeilo todos os gneros e armacao
    existentes na taberna cima estn li lodos em es-
    tado p*erfei(o e sendo tarabom de primeira quali-
    dade. O leilo ser feito n'uoi ou em mais I ites
    a vontade dos licitantes, pudendo desde j estes
    examinaran o balance, o qual acha se na me taberna, sendo ditos gneros e armacao vend lo*
    em virtude de ter o seu proprietario de mudar de
    negocio.
    Ter<*a-feira 23 do corren e
    Dever ter lugar o leile na mesma taberna as
    0 horas.
    AVISOS DIVERSOS.
    Novidade
    Aluga-se urna casa com quintal murado : na
    ra do Jasmim da freguezia da Boa-vi-ta : a tra-
    tar na ruada Imperatriz, loja do Garibaldi n. 56.
    Ama
    Precisa-sd de urna ama para servico domesiieo :
    na ra estreita do Rosario n. 36, 2* andar.
    OPAVILHAO
    AURORA
    1 A RA DA IMPEBATBIZ \. 2
    I Esquina da na da Aurora
    Defroute do Caf Imperatriz.
    !u Neste novo e sumptuoso estabelccinien-
    V2 to de fazendas, enconlraro as Exmas.
    0 familias ludo quanto possam desejar, tan
    }9k lo em artigos de rigoroso luxo, como em
    \ji todas a mais qualidades de fazendas de
    S sedas, blonds, alpacas, merinos, la*,
    W cissas, mussuliuas, chitas, madapolrtes,
    jH algodoes, ele, demodo a sahir bem st>r-
    5 vido desdo o mais rico e exigente amador
    i IB 'la muda e do luxo, at o mais modesto ]
    jS pai de familia. Alm do se acharan pro- j
    S vidos do que inelhor so enconlra neste '
    '9a mercado, mandaran) os propietarios '
    jjB d'esto estabelecimento vir directamente j
    Jj o que em arligos de modas c de mais
    \m apurado goslo se enconlra em Paris.
    !]S Urna modista especialmente oceupada
    nos trabalnos do PAVILHAi) DA AItO-
    | li A, ex>'cntar promplauentec com tuda ]
    )Sg a pcrfei?oqnalquer trabalho a capricho, j
    *? para o que se acha habilitada em tudo l
    \m (nanto mister para o bom desempenho i
    JKj de sua missiio, o que urna grande van-
    ! tagc.i. para o bello sexo, que assim j
    H vai encontrar em um s lugar ludo quan ]
    i o pode desejar, i?to fazendas do me- i
    ,S ll"r gosto, modista para perfeita execu- i
    }jg rao de qnalquer trabalho, perfumaras, ]
    g! chapeos, enfeiles, miudezas, lavas de i
    [B Jouvin e tudo ipianto a moda pode exi- "
    !B gir. i
    Aos cavalheiros igual vanlagem se oiTe- i
    \S rece, por ter o estabelecimento o mais
    \t completo sortimenlo de fazendas para fac- {
    |rf tos, e preprias para todas as eslacoes, e
    's um hbil alfaiale encarregado de execu- s
    IB lar com promptido o meslria qualquer-1
    jtt encommenda. i
    Os proprietarios do PAVILHAO DA 5
    \m AURORA nao leudo poupado despezas f
    as para dotarem esta bella cidade de um i
    5 estabelecimcnlo digno d'ella, confam nos
    JS seus esforQos e no bom goslo de seus ha- Jj
    hitantes, garantindoa maior circumspec- I
    ,_ cau o modicidae de preces.
    !$g com a possivel brevidade e em vista da i|
    (St prolecco que se dignaren) dispensar-lhe, |
    |S este estabelecimento trar militas outras I
    tS vantagens, primando entre ellas a publi- |
    g cacao do um jornal gratuitamente dis-
    ** Iribuido aos seus freguezes qual se oc- i
    18 cupar exclusivamente da descripcao das jj
    [ffi modas, acompanhado dos ltimos flguri- |
    !S nos; vanlagem que al boje anda nenhuin >
    }^ mestabeleciinento offereceu.
    g Concluindo, e na impossibilidade do des- 1
    jg creverc rico e variado sortimenlo que
    possnem, os proprietarios do PAVILHAO |
    j| DA AURORA respetosamente convjdam i
    jjsj as Exmas. famlias a visitar este espa- :
    1 (oso e rico estahelecimenio que, alin de
    SB ludo, est dotado do pessoal necessario
    p5 para ven ler e levar amostras s casas ;
    C '111P a* pedirem.
    gas Pelo ultimo vapor receberam ricos cor- jj
    r ,es ^e vestidos para casamento, I uvas de !
    I p< Mea. ricas chapelihas para senhoras I
    B e diversas fazendas modernas.
    jgAberto das 6 da manhaa s-
    9 da noite.
    AUigase
    por anno ou simplesmenle para passar a cstacao
    calmosa, urna casa na Uaa do Retiro (Passagem),
    com commodos para grande familia : a tratar na
    na da Scnzala nova it. 4, ou ua ra da Cadeia nu-
    mero 2.
    Amassadop.
    Na ra estreita do Rosario n. 5, precisa-sc de
    um amassador.
    Ama de leite
    Na ra Nova n. 21, 3* andar, precisa-so de urna
    ama de leite, paga-se bem.
    Precisa se de urna ama-que engomme e com-
    Sre, farra cu captiva : na ra da Penha n. 23,
    ' andar.
    Ama.
    Precisa-se de urna ama para casa de pouco fa-
    milia : na ra da Cadeia n. 21.
    Advocada.
    Carono de Lima Santos, (o (lho)
    jg baeharel em direito acha-se a ra
    M estreita do Kosario n 23 onde pode
    'Si "Sfir procurado das 9 horas da ma-
    M nlia s 'J da tarde.
    Eng-ommadeira.
    Precisa-se de uma escrava para engommar e
    fazer rijis algum servico : oa ra do Pires, so-
    brado n. 27._______'________________
    1HIVIIO
    Precisa-se de un criado : na ra do Imperador
    n. 73, 2 andar.
    Agencia ge al
    Tero rara vender duas barcacas que levam 40
    (aixas, pouco mais ou menos.
    Ppecisi-se
    de uma criada para o servico de uma casa de
    pouca familia, prefen-sc que compre e cozinhe :
    na ra larga do Rosario n. II, defronte do quar-
    til de polica.
    Prc-Na-se de uma inulher que saiba com-
    prar e cozinhar omito bem, de boa conducta, e
    que trabalho com limpeza. prefere-se escrava :
    esta typographa se dir quem precisa.
    Precisa-se de um feitor portuguez ou hespa-
    nhol : no sitio grande por traz do cemiterio. cuja
    entrada dea na extrema da travessa de Ji-o de
    (tarros confronte a capellinha, ultimo porlau de
    farro.__________________________________
    Precisase de uma ama para servico de dua?
    pessoas : na ra Augusta n. 74..
    Precisa-se do uma ama. para amanente
    um menino, e d-se bom salario, na ra do
    l?ilar n. 63, Io. andar.
    Missa fnnbre.
    Lnix Anlonio da Silveira Tavora e D. Clementi
    ua Hara Bessoni de xlmeida, i primeiro marido,
    e a segunda mi da fallecida D. Camilla Bessoni
    de Almeida Tavora, convidan) pelo presente a to-
    dos os seus prenles e amigos a comparecerem na
    matriz da Roa-vista desta cidade missa do seti-
    iiw dia.que ahi se deve celebrar no da 22 do
    frrenle (segunda feira) pelas 7 horas da manha;
    i) por esse acto de amizade e piedade desde j se
    onfessam cordialmente agradecidos.
    Eugommadeira.
    Precisa-so de uma criada para engommar : na
    ra do Impetrador n. 73, 2" andar.
    Precisa-se de urna ama para engommar e
    cozinhar : na travessa do Queimado n. 18 B, loja
    de miudezas.
    Preciase alugar uma escrava para cozi-
    nhar, paga-so bom lugnel : a pessoa que liver,
    pode vir iratar no paleo do Terco n. 63, padaria.
    Na ra do Cotovello na Hoa-Vi-ta n. I, 1.
    andar, ha um criadnliode 12 anuos, escravo, para
    alugar-se.
    Gabinete Portuguez de Leitura
    rtn\ oiiii t.o
    De ordem do Illm. Sr. presidente convoco o con-
    selho deliberativo para se-sao ordinaria, segunda-
    feira 22 do corrente, pelas 6 l|2 horas da tarde.
    Secretaria do conselho delinerativo do Gabinete
    Portuguez de Leitura em Pernambuco 19 de no-
    vembro de 1869.
    J. P. Fonseca,
    2o secretario.
    35 ditas
    ditas
    ditas 40 ditas
    s qtiae3 se vendem por precos commodos e roga-se as pessoas que deltas zeram m-
    kommendas de alguns lmannos, obsequio do as mandarem busca-las o mais breve pos-
    sivel aflm de nao haverem faltas.
    RA DA CADEIA N. 56 A
    AVISO
    A pessoa a quem o Sr. sMIo Lins, proprietario
    do peridico illu-trado.4 Carita, e com lythogra-
    phia ra da Cadeia n. tiy, 1 andar, conou a
    redaccao do dito peridico, avisa ao respeitavel
    publico qae desde o o. 12 dcste mesmo peridico
    deixou de pertencer, por se despedir da redaccao
    delie.
    Aluga-se
    uma casa terrea com sotao c bastantes commodos,
    muito fresca, no largo do Pilar, no Recife, e mais
    dous andares do sobrado da roa das Agoas-ver
    des n. 48, bastante fresis : a tratar no 2" andar
    do sobrado da ra dos Martvros n. 4
    Atuga-se
    uma casa no Monteiro por detraz da refinac^o e a
    heira do rio, com 4 quartos, 2 salas c co?mlia, e
    alem disto muito fresca : a Iratar no largo da
    alfaddega n. 2.
    Ama
    Precisa-se de uma ama : na ra do Vigario
    n. 33, 2 andar.
    OSr. Gentil Homeiu RiKlngues de Sonza tp
    nha a hondade appare er ra do Imperador r.
    27. Io andar, a negocio de seu .nteres-e, visto co-
    mo tem si lo procurado em sua residencia duas e
    mais vezes por dia, e nnnea est em casa.
    Baixa novitiade!
    O esqueleto do theatro de Santa Isabel tem an-
    dado a corrupilho, alias corrupio ; um verda-
    leiro esqu lelo, s tem ossns, c portanto falta-lhe
    o milo; ora bem. que disse a verdade sem o
    sentir, v dansando Sr. esqueleto, que todos o cu-
    nhecem, c nos inelhor' que ninguein.
    O qnetTacatanhas.
    Joo Mendiboiire previne a quem interessar
    possa, que no dia Io de novemhro de 1869 cedeu o
    seu (istebeleciment da praca do Coinmercio n. 2i
    ao Sr. Kduardo Turpim, que llc.a -ncarregado da
    liquidacu de todos o negocios tratados al aquel-
    la data.
    CLUB PERNAMBUCANO
    Nao pudendo a enq reza dar o baile do anniver-
    sarjq no da Io de dezembro prximo fiUuro por
    contar um poijueno numero d'associados, pede
    disculpa de nao levar a effeito o artigo de seu
    contracto, esperando dos mesmos senhores que
    Ihe seja relevada esta involuntaria falta.
    Tendo de se abrir um novo club na povoarao
    do Monteiro, a empreza toma a lber lade de con-
    vidar a lodos os Srs. socios o Club Pernambuca-
    no a assistircm a sua primeira partida, que ter
    lugar na noote do dia 4 do mesmo mez, para o
    que enviar convites especiaos.
    P. I. Layme.
    AMA
    Precisa-se de uma ama pie saiba engommar e
    ozinhar bem, prefere-se escrava : a tratar na ra
    lo Imperador n. 65, 2o andar.
    Cub do Monteiro.
    A abertura do iJub ter lugar no dia 1 de ae-
    semhrn prximo futuro, o a sua primeira partida
    na multe do dia 4 do mesmo mez.
    Os Srs. assiguanies que desejarem convites, to-
    ra a bondade de aprsenla-los directora at o
    dia 25 do corrente.
    P. I. Layme.
    Salt hill. perto de Windsor.
    GOLLEGIO CATHOLCODE BLMAMDADES^ EHL031III
    Sob o patrocinio especi l efe
    SA EMWENC1A 0 CARDEAL Wl^EMAN, AIlCEBISPO DE WKSTMIN9TKR, DOS EXMS. nVMS. SRS. ML
    AMHERST, BISPO DE NORTHAMITO.X, Dll. GRANT, BISPO DE SOLTHVVARk,- E DO RVH. BU.
    WAREING.
    Os Srs. James & William Butt, assistidos de um capellSo residente na casa
    aptos professores, dirigem o estabelecimento cima mencionado. O curso de edocaej.
    encena as linguas, latina, grega, inglcza e franceza ; algebra, aritbmetica, calligrapb a
    escripluracISo mercantil.
    A pensu do ciacoenta guineos, Os lugares na capella (a qual faz parle da
    casa) bem eomo o dinheiro, que os alumnos tiverem de receber, s5o pagos parte. A
    pens3o paga seis mezes adiantada, e m) caso que os pais on correspondentes deseja-
    rem que seus filbos ou recommendados se retiren) do estabelecimento. lerao "a bundadu
    do avisar s Srs. directores tres mezes antes da sabida dos sobreditos. As ferias do
    verSo comrcam no dia 21 de junho, e acabam no fim do mez de julho ; as do Natal co-
    mecam no dia 21 de'dezembro e acabam no dia 6 de Janeiro. Desenlio, msica, daosat.
    e esgrima s3o ensinados por professores modernos.
    A situacao. como, bem se ^abe, muito sadia : cincoenta geiras de trra per-
    tencem casa, a qual espacosa e commo la ; situada perto da estacao de Slougb,
    nma das da grande estrada de ferro do este, (Great Western Rajlway.
    Para melhores nstruccoes queira-se dirigir aos cima m^ nciooados ; ao Rvro. R.
    Goncgo Shepherd, Priory Street, Colchester; ao Rvm. J. Ramber. Thorndon, Escx ;
    ao Rvm, Jobn Butt, Anindel; ao Illm. Sr. A. Btitler, 6, Austin Friars. Londres, i>u aos
    directores os Srs. James & Willian Butt, e no Rrasil provincia dcPtruambuco, a Antonia
    Luiz dos Santos.
    LO JA DAS MACHINAS
    BASTOS
    Acabam de chegar grande quantidade das verdadeiras machinas amcricanaj
    para descarocar algodo de todos os systemas e tamaitos seguintes :
    12 serras 12 serras
    14 ditas 14 ditas *
    ditas 15 ditas
    ditas 16 ditas
    ditas 18 dilas
    ditas 20 ditas
    ditas v 22 ditas
    ditas 23 ditas
    ditas 30 ditas
    00
    15
    10
    18
    20
    22
    25
    30
    3o
    40
    . PKOfi RAMUA
    DA
    festa de N. 8. da Luz, erecta
    em S. Jos de Riba-mar.
    Tera lagar no dia 19 do corrente mez, pelas 7
    horas da noite, a bandeira de nossa excelsa pa-
    droeira, -acompanhada por um coro de virens e
    uma banda de msica militar.
    No dia 20 do corrente ter lugar as vesperas, e
    ao amanhecer do dia 21 sera annunciado que
    chegado o dia da feslividade de nossa excelsa na-
    droeira Senhora da Luz, por meio de urna salva
    real.
    As 11 boras do dia seguinte ter lugar a festa
    da mesma Sentiora, sendo orador do Evangelho o
    reverendo padre-mestre Aniohio de Mello Afba-
    querque, e a orehestra dirigida pelo enrgico Illm.
    Sr. Colaes Pilho, sendo a missa do Sr. Santo
    Cliristo, composico do mesmo senbor ; no Gloria
    sero distribuidos os emblemas da nossa excelsa
    padroeira ; na oceasio do sermo a orehestra
    executar o grande miserere da opera trovador do
    maestro Verdi, com o acompanhamento dos co-
    ros, primando na flauta o insigne professor Can-
    dido Filho; os solos wro exeeutados pelos pri-
    meiros artistas os Illms. Srs. Sabino, Tobas, ira-
    j.ino Denjamim e Martiniano.
    As 4 horas da tarde lera lugar a procissao da
    nossa padroeira, a qual percorrer as ras seguin-
    tes : em frente de S. Jos, travessa dos Acougni-
    nhos, ra das Calgada, Pescadores, Santa Rita,
    largo da Ribeira, rita da Assumpi;ao, traversa do
    iarvalho, rua'do Padre Floriano, travessa do Jar"
    dim, l.enha, Marisco, ra Augusta, travessa do
    l'exoto, Cinco Pintas, ra Direita, travessa d?
    l'enha, largo da mesma, ra de S. Jo- a recomer-
    se, e nesla occasi o se soltaro alguns baloes.
    A noite ter lugar o Te-Qeum, sendo orador o
    reverendo pregad ir da capella imperial Fr. Joa-
    ipiim do Espirito Saiflo ; lindo quo se)a o acto ti-
    rar-se-ha a bandeira, e esta ser conduzida
    igreja.
    Dar-se-ha principio ao fogo de vista, feito pelo
    artista o Sr. Alexandrino Viinna de Vasconcellos,
    c flndoo qual soltar-se-hlo diversos baloes, que
    indicar linda a festividade de tanto rigosljj ao
    culto divino.
    Secretara da devocao de N. S. da Luz 18 do no-
    vembro do 1889.
    Leandro Honorinn Jos de Sampaio,
    Secretario interino.
    Precisn-sc do um criado que seja boleeiro :
    a iratar na ra estreita do Rosario n. 2, primeiro
    andar, com Jos Henriqne da Silva, ou no sitio da
    Pas-agem, antes da ponte grande.
    Joo Ferreira dos Sanios Jnior e sua familia,
    agrad?cein cordialmente todas as pessoas que se
    dignaran) acnmpanhar ao ultimo jazigo os restos
    mortaes de sua sempre chorada esposa Mana da
    Conceicao Nascimcntj Santos, e ab mesmo tempo
    convidam aos seus prenles e amigos para assisli-
    rem urna missa que se na de resar no conveoto
    ile S. Francisco, segunda-feira 22 do correte, s-
    timo dia de seu passamento.
    ida de
    Paga-se be.n a ama pessoa quo emenda de
    bolear,-e qutj_seja de boa conducta : na ra es-
    treita do Ro-ario n. 2, Jos Henrique da Sdva, dir
    quem precisa.
    Precisa--* de urna ama para comprar e co-
    zinhar : na ra de Senbor Bom Jezus das* Creou-
    las n. 29.
    Pedido polica
    Contina a estar fgido, commeitendo nm cri|
    me, o ineu es travo Lino, pretn, crioulo, idade 20
    annos, estatura regular, nariz grande e chalo,
    com marcas grandes de bexigas no rosto e nariz,
    com urna ferida cm cuna do p direito, tem mi r,
    uma inna que sao meus osera vos, tem offlro de
    sapateiro, vestido de calca branca e camisa de
    madapolo : quem o apprehender poder Icva-lo
    roa do Mondego, olaria n. 13.
    ________________Marcelino Jo- Lopes.
    Precisa-se de urna ama que cozinhe e com-
    pre para casa de pouca familia : na ra da Solc-
    dade n. R4.
    Para andar com mancas
    Precisa se alugar uma negrintia forra ou escra-
    va para andar com meninas : a tratar na ra da>
    (^ideia n. 38, armazem, das 9 horas da manha a
    4 da tarde.
    Fugio do engentio Pao Santo, freguezia do
    Cabo, o escravo pardo de nome Samuel, estator
    baixa, secco do corpo, tem prenles na cidade da
    Olindae Boa-Vista : quom o pegar, queira leva-Ic*
    ra do Caldeireiro o. 4, que adiar com quet
    trate a paga.
    Preci deia n. 10, ou na Capuii.a, ra das Pernamboca-
    nas, sitio ir. 48. __________
    Ama tle leite
    Na caa n. 38, ra Bella, prensa-se de um
    ama de leite, ao' se duvidando pagar bom alu-
    gnel. N___________
    Precisa-se de urna ama de leite sem tilno :
    no paleo de S. Pedro n.%3.
    Ao Sr. guarda do 3*.
    batalho
    Segundo dizem, e paft acreditar-se
    teem sido tantas as iujuslicas e irregular^-
    ilades que se tem observado un servico da
    3o. batalho da guarda nacional no presen-
    te aquartclameiito, que admiramos e raes
    mo cstranhamos o silencio que o Sr. guar
    da do .'J tem conservado, pelo que, pedi-
    mos-lhe encarecidamente que traga ao
    coniecimenio do publico t;i s injnsticas e
    irregularidades, al>n de que a autoridad
    competente ponha um paradeiro.
    O amigo da ordem.
    Monte Pi Popular Pernam-
    bucano.
    Nao sendo po'sivel cllectuar-se no d<>mingo 2i
    do corrente, a solemnidade do dcimo terceiro aa
    niver^ario da msialla^ao degia socii-dade, o ci)Dse>-
    Iho administrativo deltberou ue fosse transferida
    para o dominga seguinte, 28 do referido mea, pela
    que de-de j uquein sonhores so 11 enieiraoff.
    Secretaria do Monte Bio PUpular Pernambucano-
    15 de novembro de IW>9.
    Candida Jos de foes Tetles,
    {' seentario
    ia que r-nz
    gomme : na ra da Cadeia n. 10, ou na Capuofa
    ra das Pernambucanas sitio n. 48.
    (RA
    |D0
    CABUG
    esquina
    da ra larga do
    Rosario.
    RIJA
    AO ANNEL DE OURO tm,
    Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual, esquina
    e vende por preqos que nenhuma outra casa pode vender. L TO larra do I
    vista da qualidade e do prego das joias cada %m pder-se-ha convencer da Verdade.1 j
    Oarante-se ser tudo de le. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele- Rosario,
    vados.
    A loja esta aberta at s 9 horas da noute.


    4
    Darfc d Prttambuco Sabbado 0 de Novembro de 1869
    Mfc
    ir- ii.


    Wikroskope achroma-
    tisenen. Objeliv Lin-^^^ X^>
    BORZEGIJIII DOURADO
    Nova loja ie calpado
    JOAQUJM DAS DOS SANTOS de C. acabam de abrir um eetabeledmento de- cat-
    eado estrangeiro a ra Nova n. 30, onde o publico encontrar ludo o qne neste ge-
    nero de commercib lia de melhor e de mais gosto ein Paris e Londres.
    Por todos os vapores transatlnticos receberito elles constantemente remessas de
    calcado novo, pelo que ter sempre o estabelecinicnto o que respeito se pode exi-
    irir. Ao publico era geral e a seus amigos em particular, pedem a cooperatjao, qoe
    Ibes possam dispensar, certos de que serao servidos cora lealdade.
    sen.
    Barometre e termo-
    metre. Centigrade
    e rcuumeure.
    G
    E *-'/> g K .5 '"'
    i 3 -a
    S.v

    u
    a w p w
    " 5 o a o g- s-*"
    .s-ss-.|fS.|^
    I s s> s g-_- o
    a.* 8 S3c2
    3 S
    a
    M
    "3
    i;
    iras^. c i w w
    c

    s 3 3 s r g
    " 2-3 g-TJ 3:5
    ' 2 "1 o
    c B
    2 a o a
    " a 2/s s
    s??!
    2 b r
    st ;a
    SrreNR
    * 5 s,2 s s-
    ??
    ? B
    ' c 3 3-o 2
    2 ~ 3 B
    ____B.-0
    3 "=
    -c o S a. 5 su
    o w o,
    w B

    3
    =.3.'

    S n ti as o
    "~ 3.
    M99< I a? O 5"
    ; 5 3 u ^ i n
    r-|l|: = ?':f.
    -. S 5 o-S" 3=5
    3 r,J S a
    = ssS.ca?
    I 3 X 5 o 3
    3 t 2 3 ""
    = 5SSsoi,3
    cBSA
    3 -i---------
    B
    g
    fe!
    o
    beblbs inutincis
    E crystal de rocha do Brasil.
    F. I. <.erm*Dii. recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
    3os; porque, com estes vidros, a vista descanca, fortica-se e nao a canga como ora
    ds vidros ordinarios. Urna vez escolbido um virtro, pode durar dez annos, emquanto
    que, com os vidros ordinarios se est obligado a muda-Ios todos os annos enster
    cada vez mais grossos, o que altera o cry*lalio do iho e determina quns sempre do-
    res de cabeca. O alcance ordinario datista pe rio de 30 centmetros do lbo, e,
    todas as vezes que o ob]ecto est mais perto ou mais long, os raios que expelle sao
    mui convergentes ou nui divergentes e a visid nao perfeia. Um grande numero de
    pessoas tem o deleito de fazer convergir muito de sorte que a viso nao distmcta.
    Com a applicacSo do meos vidros pode se venr esUs difficuidades. Para os que tem
    a vista curta c cujo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
    longe), o que se chama rayope, por meio de um vidro concavo affasta-se o ponto de
    vista, o que faz divergir os objectos e deixa ver to longe cumo as outras vistas. Ojian-
    do o crystalino muito chato, o que sucede aos que tem chegado a urna certa idade,
    o que se chama presbyta, vem melhor de longe que de perto, e nao enxergara senao
    um ncvoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enjergarn
    lo 'distintamente como na idde de 15 annos. Servindo-se desles vidros quando e
    vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
    F. *. CJermanu encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a es-
    colher, a primeira vista, seja qual for a iade e grao de vista, ocutos propnos para
    qualquer pessa,
    Para que sao fabricados estes vidros ? ?
    Para a vista myope, (vista curta;.
    Par? vista que se cobre de nuvens.
    Para a vista que por momentos, v cs-
    voacar pequeos pontos negros.
    Para a vista que as palpebras tremem
    de fraqueza.
    Para a vista que os olhos soi'esiguas.
    Para a vista quostt turva com o traba-
    Ibo e a leilura.
    Para a vista presbyta (vislagalon ).
    Para a vista que nao supporta os raios
    solares nem grande claridade.
    Para a vista operada da catarata.
    Para a vista que as palpebras esto cer-
    cadas de saugue.
    Para a vista que um dos olhos myope
    e o outro presbyto.
    Para evitar finalmente que o crystalino
    *n olho se cobra de catarata.
    3
    B 3L
    B S" i" (9
    2 r a- s n
    2 B s *. _
    >

    Sortimento de binculos
    para tbeatro, c oculos de
    1 alcance para o campo e ma-
    rraba.
    Lunetas, pinec-nez e
    face--maiB, onro, prata,
    tartaruga, bfalo, ac,
    etc., etc.
    Tem tambem grande sorlimcnto de rclogios para parede, que do horas e para
    cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeia, de ouro, prata, prata
    dourada efoleada, inglezes, suissos e orisoiitaes dos melbores e mais afamados fabri-
    cantes.
    Vendas cm grosso e a etalho. Km Pernambuco.
    N. 21=Rua fflovaN. 21.
    9Ra da Imperatriz9
    De volta de sua viagtm a Europa ondn visitou as mais afamadas fabricas tanto
    *m Paris conio em Londres, Yieima. Berln. Hamhurgo etc. e lendo se relacionado
    com os m;is celebn-s fabiica^tes comi.Herz Sctwel, Bivd. Peyel. etc. o proppielario da-
    quelle estabel cimento expoz venda alguns desb-s celebres instiomentos eassevera ao,
    publico, em paiticular aos seus fregueses que elles, alm da perfeigo e esmero do seu
    Irabailio, reunem em si toda a elegancia, solidez e haraionia,
    Esta rasa est monlada em grande escala e pode faz-r todos os concertos neces-
    arios, pois o sen proprietario trouxe consigt da Europa todas es utensilios necessarios.
    Coniiuuar pois, allugar, aunar e concertar, como de costume, com o raaior
    esflier" p pifni'tio'So.
    SOFTHimENTOSD,ESTOMAGO,CONSTIPA$AO-
    Cura em poucos cilas pelo carvJo dc BELLOC cm po ou cni puslilha...
    INJECTIOriHOSTE
    nica I ygieuica tadicai e infallivr I na cura das gonhorras, flores brancas e fluxos
    e toda especie i cenes ou clin micos, e que olb-rece como garanta de seus slala res re-
    ultdos a ai'tigaja ct*tuuada applicacSo que st-mpre com amaiar vaiitagem se temfei-
    ! dtlla, nos hnspta*s dc Par nm ptefriMieia a tudas as mais conhecidas.
    .UN1U0 DEPOMTO PARA O
    BRASIL
    SUS. BARTHOLOMEU 4 r, .
    34-----Ra Lara,a do Rosario-----34
    . ENXAQUECAS; NEURALGIAS. EssaaffeceaiaalkJkv
    -pailas rjpidaiiicnte ftki PEROLaS D'ETHCR daD" CLLKTAS.
    ANEMIA, A PALLIDEZ c os sorrrimentnqw necessitamda
    emprrgo dos fenuginosos sao fcmpre combaiiiios com o melhor rcsult'do
    pefcs PILU. 6 DE vaLLET. Cada l'ilula tem incravado O iionie 1U1XI.
    PO DE ROS. BaMa disolver um frasco d este po em meio
    (aiTala d'agua pan se obtr una limonada agradavcl que purga sem fa-
    aer clica*.
    VINHO DE QUINIUKI poneos cuja ccmposii,o garantida couslaiite, urna das im Inores prc-
    paracoes dc quiuino, sem accao notavel sobre os convalesoenles, dando-
    lhes foi'ca* e apressande i volta i saude. Cura as febres antigs que rs-
    sistSo ao sulfato de quiniuo.
    MOLESTIAS DA BEXIGA. K maior parte d'esta motes-
    tas.como as scialicas, lombagia, caanos, e todas as dores nervosas era
    geral sao curada. pelas parolas E CSSENCia e thereb ntima do
    Dr. Clcrtan. 0 prol>aso Tniusseau em seu Trai'iUo ti* Uerofemica acon-
    tenta as para seren tomadas na occasiao do jautar, na dse de 4 t.
    OLEO DE FIGADO DE BACALHAO OE BERTH
    Garantido puro e de primeira qualidade, uin dos peucos aprovados pela
    Academia de medieinx
    AVISO. Todos estes medicamentos foram aprovados pela Academia
    imperial de medicina de Paris.
    DErOSHO
    Baa Parl, b. rilERE. I, rmm Jc
    Dvnmcuui ; Haaiun i Penumtuct. aUcBE et O.
    Cetra.....aorib et O.
    Ri-Jaeeiro.
    Balito.
    TtSUUUPH.
    Hims et C*.

    ARMAZEM
    EXPOSICAO IDE LONDRES
    GO
    RA
    DA
    !

    CAEIA DO RECIPE60 ^
    L][QUID/%ClAO
    PARA ACABAR UESTES DAS
    O proprieiario desie etabelermento tendo de partir muito breve par o Etfadoa Unido* e Ennofo, fas completa liqiMlaco nes^8 ffy9t para acabar ; romo
    cartioados para camas e janellas cobertores ingle-es finos, ralgado de pan demefcil do mais fino que ha para alomen, bandeas etc., j.fi fumarias de diflVrentes fal>i .antes, differentea caMokao, asa mftiles nmien |tFopria jwra p4U'ntrr caua*
    9 mascaa. dias com frtent&f para costura, ferio de engommr. nao sendo preciso ran'So nem foganiro, machinas de delir batatas, ditas para prr pmar a carrw para gu-
    sales, ditas liara hater ovos e hollus, grande varedade le pnnelanas, como, vawa pa-a toilette, apparelhoi* par ele., dtffereotfs (4ijwk.s de *dr come seja: lagtoo**
    fUihm pflra .-aos. Linternas para cim;i de nposa", escarradores ele, uns excelleiites rol'res dt ferro, eapellms de divernos lamanhos de moldura dourada e prea, molduras
    para qnadros, ii-s calas para retratos. dJias com rlieiroa proprias para pres*ntp, Mesaai tollo, bandeja A dito. Estajeas Unas-para- queros ta lagar*
    bordaba para almofadas dita para tapates c para deilar vasos em cima da mesa, relngio para cima de mesa, de parede e de onro para algibeira, steieoscopos de diversos
    tananhos, c^monuna, Linternas magi-as para diverlimento em salas, qnadros com finas figuras de porcelana, ditos c*m movimentos, figuras bronseadas para enfeites ile oiesa.
    t4va-vidas para se'tomar haohos no mar ou rio. lencos de linhos finos para algibecas, riraa gravlas* de soda, variado sortiment de miudezas e brinquedos paa enancas
    Hv'uv-DgaJI.is, camas d ferro de dirFerenles tamanhns. lavatori.iR.fiiereocospo*. cosmoramas etc. etc., qoo Ser patente ao comprador; etnuitos outros artigos que se vouderao
    SuUo barato para ioteirameate acabar, no arm-zem EXPOSICAO E. LONDRES
    60 RA D CADEIA DOREOFE-60
    QC
    >

    ANDR DELSUC
    CABELLEIREIRO
    i.7 A Ra do CrapoIV andar 7 A
    EN05NTRAB-SE-HA sempre neste estabelecimento um variade e bonito orti-
    aaento em perfomarias francezas e inglezas ruja lista damos aos leitores.
    LUVA9 Marca garantida de JOUVIN.
    EXTRACTOS.De superior qualidade marcas LBIN & GOSNELL.
    DITOS FINOS.em fr-rsquinhns proprios para presentes Lubin dr Gosnell.
    POMMADASBanha fina de varios cli.-irosLubiii.Gosnelle, Societ Hyginiqne
    SARONETES.finos para toilette.Luhin A Monpelas.
    EA DENTIFRICE.agua para (impar dentesSociel Hyginique Lubin *!?
    r*ierre.
    BRlLHANTfNA.para lustrar .a barba e os cabellos-Lubin.
    AGUA DE C0L0NILV.Marca verdadeira do Jo3o Marina Farica.
    COSMTICO.cheirosoLubin.
    POZ DE ARROZditoLubin.
    IIUILE DE SENTEUROleo para conservaco dos cabelle Sdete Hygrnie^e
    ESCOVAS FINAS.para cabellos, dentes e oimas.
    BLAIREAU.Pincel para barba.
    GRANI'OS.para cabellos.
    RE')ES INVfejVEIS para cabellos.
    GR A VA TAS LINDISSIMAS.do melhor gosto.|
    BENGALAS.de phantasia, para passeio e^le diversos lmannos etc., etc., etc.
    A la parfuraere"arisienne.
    7 A RA DO CRESPO l.'ANDAR 7 A.
    V\%\ BA FE.
    Aos 20:000^000.
    Bithetes do Rio venda : ra do Cabug n. iJJjSLi djtolba
    vende V'ieira A Rudrignes.
    CASA FELIZ
    Aos 20000^000
    \o lierilearciMla < oacelcou. t
    Os atiaixn as forma djw leis tem ex posto a wwla os reus feti
    n* bilhete das loteras do Rio de Janeiro, na ras
    idnMi aonde se paiiaro as sortes que f ahiren
    nos mesroos billirie.-, com o descomo suuienb
    da le.
    PREgoS.
    Riltiete inleiro 21*000
    Mmos JOOO
    Quartos 6^000
    Edoten* para dina a 22* o bilbetc.
    Fisni-iri'do A l.eite".
    I Mi) mais cabellos branooi^
    A tintura japn-za fiara lingir os cabtUW
    da cabeca c da baiba, fni a nica admittida
    Erfiosifo Universal, por ter sido rece-
    nbecida superior a todas as preparacoeeell
    huje existentes, sem alterar a sade.
    Vende-se a l^wO cada frasco na
    Ena da Cada n. 51.
    1. andar.
    .\a |.i:n;a (la li:ile|n-inlfiina n. 33 M* daV
    iihe*o sobre penhores de our.i, prata e pcijai-
    |irn'in-as, seja qnal for a quaniia ; e na ateto
    rasa se eonipra t< vemle objeeios de onro e prtta.
    e ijiialiiiinle se faz toda e |tialquw obf da*
    eonnointla. e iodo c qoh(uer cocerio teodfi
    nn^n* arte.
    )]
    u
    Aos so.ooosooo
    CASA O HOKTO.XA
    23 RA DO CRESPO 23.
    O abaixo assignado leudo vestido nos em M
    ses lihhetes Ho*piei
    rspeiteTel II (2!'9) as tories anaixo riertaradas', n>tm' m
    pois as pagar OM

    eahelleireiro^le Pariz. faz -cenle ao
    imMiro e parnVntm mente a Ma boa fregoeiia, po-suiilores a virem rereher.
    Hile o> hlije pni dlanle p le er procurado no sea a proinplido que cosiunia.
    i-aloo de tloiffire para ipiabiorr mistar de sua AeHtii->e venda ts d61*ali*or
    l.roflssao, coni a r-oarljuvarao do perito franci'Z o Pr. Fdonard Millo, ra do Crespo Kuinero20IW, nnafro qnartos, rom 20:flonjg|^
    7X, doaslinar**, rom I:n00j000.
    1649, dut qttartos. rom 800400.
    i. 7 A, andar.
    Attenqo.
    Manoel Marlius Pina,
    En(romma-se com asseio e promplidao, o mais
    Srato do qne em oolra qnatn* r PT". <*n 6 vin-
    o ja a rinn* latrada: na na Veino n. :19_____
    Prensa-* de urna ama de leiie forra oues-
    crata : na traresM de S. Jos n. 33,1 andar.
    Para fimilia.
    Doas raas remuda* em urna r\ canillar >
    ledas de nov... a rn d<> DMfem tw. 1' e 4,
    esli por hipar, com mu grande quintal,
    ba, tic.: lrau-s u roa uHofim m. K.
    \l

    I


    Diario de Pemambuco Sabbado 20 de Novembro de 1869.
    ATTENCAO
    Na hija de funilaria da porta larga 4 ra ds
    mpcralnz n. 65," lera un grande sortimento dr
    candieiros clamparinas para gaz, de lindos go>tos,
    e obras de funileiro, tendo 1 santuario de gusto e
    bern acabado, assim como vende bombas, tornei
    ras, etc., e encarrega-so da encanado d'agoa para
    lualquer casa, ou otabelecinicnio, tanibem vemlf
    un bonito e moderno fogo inglez, no s cozinhs
    oom lenha como com o carvao. Na mesrm loja
    conceriam-so todas as obras do eneanamento (
    machina de costura, asseverando que acharo
    empre prompto a servir bein os sens Ireguezes
    a tratar na mesnia loja a qualquer hora, que ser
    Hendido.
    AMA
    Precisa-se de urna eosinheira
    Joias. ra do Cabug n. 4*
    no Musen de
    IEMPBESTIMO SOBRE
    Este antigo estbeecimento, completa-
    mente reformado le novo, est naS condi-
    coq3 de servir vantajosaxuente os seus fre-
    guezes, visto que acha-se prvido com um
    ex ?lendido sortimento de obras de ouro e
    prata de lei, assim como brilhantes e ou-
    tras pedras preciosas, mjos preqos sao os
    mais mdicos que se pode encontrar.
    As joias compradas nsta casa recebem-
    S9 em troca ou compram-se com pequeo
    abate.
    X X 101 M ABUfiA V K
    AS BODBAS CUNADAS
    E
    Todas as molestias sypkiliticas.
    m
    (SF.M LIMITE.)
    iravcssa da
    tees n, 2,
    meiro andar, da-sc qual-
    qoer qnantia sobre ouro,
    prata c pedras preciosas.
    O dono (leste -cstabelecimento,
    competentemente autorisado pelo |
    U .governo, est as condicoes de ga- 8
    J| rantir a Iransacco que se fizer em m
    fl sua casa, proimmendo todo e zelo ||
    .^ e consideraco s pessoas que se jp
    jg? dignaron de honra-lo em sen esta- g
    9 beecimento. SB
    M Na mesma casa compra-se ouro, !
    ijil prata e brilhantes. B
    Na ra Dirala n. 16. sobrado, lava-se e engom-
    ma-se tanto pan homem como para senliora, por
    commodo proco.______________
    =3=
    J. Ferreira Villela.
    l>HO I 4M.111PH1A IltPKRl M.
    18A RA DO CABUG18
    A entrada c pelo pateo da matriz.
    Esperamos queo&lralialli ig do recdiVaeao (tata
    photngraphia que ja duraiu wva de d. z im /es,
    estejam acallados at a primeira quinzena do mez
    de dezembro prximo futuro.
    O predio em trac est rollorada essa pliotogra-
    phia acha-se mui augmentado, e s a palie desti-
    nada ao eslabuleciniento ,-oina cinco >alas, inclusive
    s do lali' ratono. Todos os concerios c nugmen-
    Uis tendo sido fitpi expressanientc parase montar
    convenientemenie a pho ographia, e nao se poden-j
    do melhor modelo escoHier do que a Vhotagraph'm
    Imperial do Sr. Insley Pacheco do Itio d Janeiro,
    o primeiro phot"grapho do Brasil, e iim aos pri-
    ineiros do inundo, segundo a opinio dos mai-
    abalizados meslns, a.nussa ulmtograpliia aclia-sc
    disposta e reedificada pelo inesmo plano da to Sr.
    I. Pacheco, a qual l'oi montada sohiodaa as fegras
    pecommendailas pelos mis distmclos prof-ssores
    de abordo com as modilicanjes neres nrii< ao clima
    do Brasil, reconhecidas e'estudada? peroiiabilissi-
    mo e pralfe.o Sr. I. Pacho -o.
    Todo o inicrnr do predio ota que est a nossa
    pliotographia fui mudado de;Je a soleira da porta
    da ra at a coberta lendo-se demolido todas as
    jureles interiores paia se fazerem as novas salas,
    edifi "ando-^e um nuvo terraco envidraeado mui
    espacuso e eteg.mte.
    G mo sfhido tizemos una viagem expressa-
    mete a corle para i'x iminarnus as meliiorf-
    ph itograpliias d*alie fji a d i Sr. I. Pacheco, a
    que ineJhor eorresiion leu aos nossus dosejos e
    spiracoes, e da (pial irmivinos os planos depois
    de ali t'stannos(todo um mez enfadando e apro-
    veitando as lifoes do tao dislincto inesire. Pen-
    camos que juntando os nos.sos e>tudos o longa
    pratiea de 15 anno> de photograpbia as ulilis-imas
    licoi's iilliiiiameiile receoidas do Sr. I. Pacheco,
    leudo montado a nnssa photiigraphia tomo se
    acha, poderernos, apenas encelar os nossos uovos
    Irabalhos offerecer ao iUuslrado publico d>ta
    cidade, e aos nossos nunierosus Ireguezes traba-
    llios e [iboiographia t:v> perfeitos como -e.pniler
    ili'sijar, e disto convencidos esprrlratM que c> nti-
    nuem a dispensar-nos a ne*ma protercjio*eom
    que a l.'i anuos nos lei'i honrado o ajnditdo.
    :
    PEt.O
    ELEXIR DO DR. SEVI/tL
    nico Reparativo sera mercurio que tanta aceitado tetn mejetido no Rra-
    si!, nas repblicas do sul e na Allemanha especialmente para cura das boobas,
    sarnas, rtieumatismi., todas as molestias syphiliticas o em geral todas aquellas
    provm da empuieza do sangue.
    NICO DEPOSITO
    .NA
    l*harnacf.a c drogara.
    DE
    Bartholnmeu & C.
    34Roa l>;irga lo Rosarlo3-t
    mmmmm
    o
    SKl^
    SAO BARATOS
    I). Mara Adelaide do Naseiuientu KeitnSa
    avisa a lodas as pessoas que qnizerem comprar
    terrenos na antiga estrada de Ulinda, por onde
    lint de passar breve uira hnha de trilhos urbanos,
    que ella val retalhar e dividirscu sitio de Beleni
    em pi-quenos sitios; o poderar dirigirle a seu
    Rilo, oengenheiro Antonio Vicente do Naseimenlo
    'eitosa, encarregado de todos os negocios de sol
    casa, para com elle cffectaarem qualqncr compra
    desses terrenos : na ra estreita do Rosario n. 23.
    I* andar._______^______________________
    Os administradores da massa fallida de Julo
    Remira da Costa Soares rogam aos credores do
    nesino.se sirvan] apresentar seas titiilos no pr.iso
    hle oito ilias ra do Brum n. 1, anm de sarem
    examinado* e classillcados como tIsbob o arf. 8->9
    do cdigo commereal. Recife ti de novembro de
    1869_______________________________ .
    --= Precisa-se do una ama para casa de penca
    milia, para cozinhar e engnmmar: a tratar na
    ra do Cabug n. 1. loja de joias.
    Superiores corles de percalle com barra. pr.ra vestidos a 5t cada corte,
    Lindas cortes de gaze de seda com 18 a O covados. pelo baralissimo
    } nv;o de 50tX) cada corte, na loja das coliunmas, ra do Crespo ni3 de An-
    S Ionio Currea do Vasconcellos.
    m
    . u .;
    ;,.,..
    \mm

    ^a cs;
    Mi adiuiravel
    H-jniraiivo nao
    L-nntenicni si mer-
    curio, K'llO o
    arseiiice; um
    vvoruso niodiu-
    nn u :c|ira, a impigens. as herpes, as
    CASA DA FORTUNA
    Aos 4:000S
    Bilketes rarantidos.
    ^ na do Crespo n.23 e casas do costme
    Acham-se a venda os folizes bilhetes garan i
    dos da II1 parte da Iberia beneficio'do patri
    momo dos orpnus (127'), que se extrahir sab-
    bado 20 do corrMtt) m'z.
    Precos.
    Os do costume,
    Manuel Martins Finza.
    Na ra da Moeda n. 3. andar, escriptorio
    do Manoel Alves Fener C, vende-so vinho
    verde superior em barris, anc.orela? com vinho do
    Porto superior e malvazia brauco.
    Alugase duas Jasas na ilita do Retiro (joli-
    to a ponte da Passa:e:n da Mag.lalvna), lugar nmi
    -adi e fnsco, urna delia de bastantes coinmodos,
    leudo j banheiro frito para se tor.ir banhos ; a
    iralar com o Sr. Luiz Manuel llodrigaes Valonea
    i ra das Trincheiras n. SO, 1" ailar.
    Na ra do Coto vello, na Roa-vi-ta, n. 1, pri-
    meiro andar, ha um criadinho de ti annu>, esera-
    vo. para a I n liar-se.
    I'enleu-se da ra do Hospicio at o rullugio
    de Santa Urcula um cochenez IWo de liia encarna-
    da < parda com listras amarellas nas puntas, e de
    menina : quem o achou, qm^rendo eniregar, pode
    mandar ra do Rosario da R'a-vista n. a'
    PROttKA^mi
    da festa de Nossa S^nlioia do liim Su
    cessn dos Navegantes, eiecia na igreja
    iln Pilar.
    De oidemda direceo, faco sciento aos Srs. de-
    votos, que ter logar no da lil do cirrreftte mez.
    pelas 7 horas da noule a bandeira da Exs(dsa pa-
    droeira dos Martimos, acompanbada pur aojos e
    um coro de virgens ao som das oandas de msica
    dos menores d > arsenal de inarinha c i batalhao
    de infamara da pvarda nacional do Recife, nao
    pereorrendo roa alguma aloin do largo da refe-
    rida igreja, segundo as orden* do Exm. o l'.vmd.
    Sr. hispo diocesano.
    No dia 20 do corrento mez lera lugar as Tespe-
    ras e ao anianlKcer do dia 21 ser annunoiada
    por nma salva o da dessa fr.-iividade.
    As II horas da machan ter iuiiar a festa, sen
    do orador o Uviol. Sr. padre uiesir L'oii.ird>i Joan
    Gr'!.'o, tocando a urchestra carmelia, diriglla pelo
    hbil rabequista proiessor Sr. Fiaiicelino 1) nnii-
    gni'S de Moma Pessoa, que tocar na OBWii
    do sermo una phantaa ; os solus si-ro cania
    dos pelo> habis profrssores os Sr<. Jo- Bar1io>a
    Coelho, Candido Francisco Diniz, Jviao P. Boares
    Rosa e Fhriano Oeih <.
    A tarde sollar-se-hao alguns baloca, locando as
    refiridas bandas de musirs.
    A nnoKXer lugar o Tc-Deum, sen lo orad >r o
    Rvd. Sr. padre mestreJose li capelln, lindo que seja o acto tirar se-ha a b-'n-
    ilcira, esta condnzda a igreja. sei qiieimado um
    lindo fogo de artificio, no dia 4 de d'Zembro vi i
    douro lera lugar a fr>ta naval, conforme o pr i-
    gramilia que sera publicado. A direcc) rnga
    ans Srs. coniiiiand.inle de navios surtos -no porto,
    naciuiKese estrangeiri*, o especial favor de em-
    bandeirarsn.isembarcac.os, eos umiadores da
    nw i'hiniirrarem shas Vacara maior brilhanlis-
    ino dessa fe-tividade.
    ReiMfe W do novembro da I86fl.
    o secretario,
    "s' O. Lene.
    Compram-se e vendan se diariamente para fra
    e iemv) da piw ravos de todas as idades.
    vires a sexos, com tanto que sejam sadios : no
    Crceiro andar ifci sobrado n. 36, ra das Cruzes,
    rfgnezin da Santo Antonio.
    (Vmprain -o luoedja Uh ouro e piala de to-
    Jo.j os rali res. nuro c prata em obras innUlisada*,
    iirilhantes e mais pedras* preciosas : na loja de
    VM do aieo da tuuceieao, no Recife.
    (J imueo de joiiis
    Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro, pral
    j pedras preciosa* por precos mais vantajosos do
    mi 'iiira rjurtlqatr parte.
    t>om inmto wiaior vaniagem compram-se
    ooedas do ouro o prata : na loja de joias do Co-
    i-aeao do Ouro n. 2 D, ra do t^abug.
    VENDAS.
    Ra do Imperador n.26
    Neste novo eslalielecimento encimira-se
    iliariamcnte um Variado sortimento de bo
    linlins |iiracli;i. pastis, podio-, indios in-
    glezes, fifH'S de l presuntos, ditos (tn fiara-
    tire, superior cli Hissnn. preto, e miudi-
    uho. VinlbS linos de todas as qnalidmlr-
    C' nage, licons, conservas, champagne, cer-
    vtj-i ipoleza, frurtas muito boas, por-
    lugnezas c liainezas.
    Lu compita) h variado sortimento de
    rnixinlias de todas os gostos o precos para
    mimosear senhoras, estas eaixiniias recen-
    li'iiien'.e chc^adas de Paris sao de primea-
    do go-in, iiITck sse-mo-las aos galanteado'es
    do bello sexo poia nellas acharao nm digno
    e serio prseme para as donas dos seos
    pi'Hsam.ditos. Tainbem os apreciadores da
    boa fiiina-.a fncontratao rtnrutos dos me-
    lliores falu cantes da Babia e de llavana
    sigirros do Hio de Janeiro etc. etc.
    Doces d'ovos seceos, cjir'istalisads o de
    calda, ditos de aj e de otitras qnnlidades
    Nnsla casa recetem-se encommendas para
    bailes, clmenlos fl baptisados e qnalquer
    encommendas avnlss, como seja pao d ift
    o bollos enfilados p ontros militas cotizas
    que enfadonlio mencionar.
    Attenpao
    Na ra do C^irredor do Ri-po n. o't piwisa-se
    alng.tr urna sserava para f.izor compras, coznihar
    o mais servidos internos, nao se olha o prego : a
    tratar na mesma.___________________________
    Prensae fallar com o Sr. Iliilion Thomar.
    de Aqoino, genn do Sr. Manoel Jos de Soiiza, a
    negocio de mi interesse. on saber se o lugar de
    -na re-idi'iicia, na ra do Queiniadn n. 46, p. imei-
    ro andar.
    GOMES DE AHOS IRMOS
    tendo feito completa mudanqa em sea antigo e
    acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
    dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
    ao publico em geral e com especialidade as Exms.
    Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
    das 6 horas da manha s 9 da noute na
    RA DO CABUG N. 4
    ondeencontrarao um completo sortimento do que ha de mais elegante,
    I bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
    de ouro, prata e platina se pode desejar.
    ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
    de novos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
    prata contrastada e de gosto anida nao visto, e completo sortimento de
    objectos de prata para uso das igregas,
    Comprara e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
    a qualidade dos objectos vendidos.
    C/2.
    iaam
    A VERDADE
    55Ruado Queimado__5
    w#
    tan
    m
    &>*
    iot
    mi
    Ruado Queimada n. 19. _
    5(50
    5i0
    15400
    640
    o-ono
    3*1
    300
    6i0
    '?,00
    45O0
    50800
    luaotK
    '.^500
    Bolos para casamentos
    35-Kua estreita do Rosario-35
    No primeiro andar, preparam-se bandejas com
    dilTerentes arinaciVs, bolinhosde diveiNas ipialida-
    des, enfeit.ntos ao ultimo Koslo, com boipiets e li-
    tas, com di.-ticos a ouro ; a-sim como preparan)-
    se ooecs de todas as (pi.didades com |irfecao e
    esmoro, podios, bolos inglezes, pndelos, e as de-
    mais iguarias proprias de lias festivos > presen-
    tes, ornados ou smiptes. Tambem se fahricam (1 >
    res de todas as quididades, qner Rej.-iin de panno
    ou cera, e tudo ipianto for tendente flores ai lili-
    ciaes. desde a rnsa at os arc.s para ornamenio
    de imagens, iucluve ornameoto do velas para
    baptizados ; arniam boquets do cravns ou flores
    naUraes para casamenlos com lilas ou Mu ellas,
    etc. etc. : os pretendentes devem vir em lempo
    fazer as eneoinmeiidas, que M garantida a per-
    feciio exigida e por commodo prec/'.____________
    A luga-se
    nmi casa em Beberine : a tratar
    Reg, ra do Ooimercio n 1i.__________
    _-^iutfam-so d.L casas u-rreas sitas no Man-
    truinho a inargetn do rio, recommendaveis pela fta
    fe.rre* : a trauma na Vinario n. 31.
    La cotn ios cIq nu, covad). .
    Dita transparente cotn listras de se-
    daocovadna......
    Dita a imperatiiz EtiRenia, covado.
    Alpacas lisas de tudas as cores o
    covado.....
    Caiibraia branca organdy peca. .
    Dita organdy de cores covado. .
    Dita dita iniudinias. cova lo. .
    Dita de cAres colorid s finas, varas
    Dita escocesa de cores covado. .
    Dita branca Indiana, peta. .
    Dita Victoria para tn ios os pregos
    Dita transparente c'roa deoiro. .
    Saias bordadas modernas. .
    Cortea do gorgorao para collete.
    Gorgoro de seda para vestidos,
    covado........
    Bramante de linlio, varti. .
    Fiiiillias pata rosto, duzia .
    Baifies reguladores tiraocos e de
    cores........
    Brim trancad) alvo para toalhas
    vara........
    Atcaltiado de linho adamascado va-
    ra.........
    Fnsiao brauco camareil", covado.
    Organdy de unta s cor sendo :
    verde, azul e encarnado, vara.
    Bnlliantina de de urna s er, cova-
    do .........
    Las de qnadriiihos covado. .
    B ilbanlina de con malisadas, co-
    vado........
    Camisas nglezas, francezasc suis-
    s^s. ... ...
    I'anno fino imp rial, casemiras protas e
    de cores, grvalas mantas a Bismark, cor-
    les de casemiras de cores ultimo gosto de
    Maris a IWOnO.
    KOUPA FlilTA POR GROSSO E A RETA-
    LhO l'OR fREiU)S MODICiiS.
    A VERDADE tendo em rtepo
    ijiianlidado demindezase perfnmariasNtrde-
    gejendu apurar dinheiroc adquirir bfa fce
    tfoezia est rssolvida a vender ni
    barato, ; por essa razfio convida ao
    tavel publico a vir roiiiptteiitemnite
    do a soi lir-so do boro e btralo. Puh
    do a Verdadc appaiccc, todo mais etr
    apparece-----
    Grando snrtimenti^de bruteos de cMM
    massa as mais lindas possireis vestidas am-
    ractec.
    Abotoaduras modernas para col
    idea aat
    Espefbds dinrados pepnenos. .
    Agullias de os.m para CTMfl a
    P.Mites para KfK fon> esntas a
    Ricos globos para candieiro (le gaz a
    Chati.ins a ....
    Grande sortimento de objeto de
    louca para brinquedo de menino
    Garrafa com tinta a.....
    Mita com agua florida terdadeira a
    Dita com lila dita a .
    Frasco com oleo de babosa a KM e
    Dito com agua de r.ob na a 390 e
    Garrafa com agua di\ina a. .
    Fiasco com exilados linos a .
    Lates pequeas com bautu muito
    lina a I2'1 e......
    Sabooete do diversas quali ades a
    80, It0.24.0.....
    Finas escovas para denlca de la
    Lindos foques modernos a. .
    l*..vios para gaz, dHzia a 240 o .
    Fscovas para fado a 5i 0, 600 e
    Ditas para cabello a.....
    Puntea para tirar piolho a C) e.
    Brincos de cores, bonito* a itO e
    Pecas do tranca de la com 8
    varas por.......
    Oleo para macbina de cuitara,
    frasco a.......;
    IVnnas d'aco finas caixas a 800 e
    Dita, d'aco Perry, caixa a. .
    Galn de algodiio peca ....
    Lin los babadinlios e cnlremeiris
    peca de 500 a......
    Ditos de louca muito fino a 10 e
    Ditos para calca a o e. .
    Caixa com papel amizade a. .
    Ditas com envelopes a. .
    Ditas cora obreas a.....
    Caixj romagulbas fundo duurado
    Ditas de ditas ditas a.....
    Tbesoura para tWlOil a 240 e
    Caita com liulia de matea a .
    Linba de corte em noveilos (li-
    bra) a........
    Cairelis d linlia Alcxandie de 70
    at 200. .......
    Grampus muito linos com papi-
    ros, duzia a.....* -
    Callas porluguezas, duzia a .
    Dita? francezas a 2>20O e .
    I'a,)el almajo e de peso, resma a
    9400, WKX) e .
    ^a muito fina para bordar, libra
    Fita de algodiio para dcbun di
    sapalos, peca a.....
    Ditas de laa para debrtim de ve*-
    lido, peca, a......
    Peales finos para segurar ca -
    bello a.......
    Ditos ditos de bfalo para alisa:
    a 2i0, 30 e......
    Ditos para aparar penna a .
    Rosetas prttas, par a .
    ;,t<
    2M
    Jb
    lMUte
    40
    tva
    m
    24*
    7-8
    km
    *
    2f*
    1IW
    3IM
    H
    106
    m
    : ,m
    4*SllH
    (i.AOT.
    If*
    ai
    Ii5500
    I>i0O
    :{20O
    GiO
    800
    CO
    4(50
    180
    com J. I. dfi M.
    Ama.
    z(4t(3 do coco superior.
    Vcndc-sc no cscriiitnrio do Hallar, Oliveira C na do Viparin n. >. i'andar.
    AtteiiQTro.
    Vonde-sc um fardamcnio completo para ofTirial
    da gnarta nacional, tudo non p->r \fx M sprvkln
    iinm s vp7. : ijuciu quicr |idn dirpir ja a _
    typi'jtra|dia qno llif indicaran (|iipiii vend1.

    m
    Na roa do Padre Phtfiann n. 3b, precisa-se dp
    urna ama para srvir a du;inewna<; ________
    AVISO.
    Jacintho de Muifro*, c"", talTna .sita na es-
    traila do Luiz do n<'(ton. I', piii Santo Amaro d.is
    Alinas, cga a todos os .*( us oevi-dores de coiitas
    anli^as que veniiam pafror-at o rtm d auno cor-
    rente, sol pana de pa-sand> as W entr.-jar ao
    met procurador para recebar judicialmnito._____
    - ^_ Hr'i-(s;i-se alug.r um uch-iik livre ou es-
    cravo, que wja diligente fll. para o nrfco )''
    cana e rna. inclnsive compras : ne>ta tt-pS'gr:i|>rrra
    se dir -"id" se precisa. ________^_^__
    Olinda.
    Alnga-sc lima boa casa pintada o ralada, no
    fundo Uo soliadi da p lito, rna 4o t lll Sueee-so
    o. 4, por frtsti im i>'r auno : a Gua, paliriatfi.5**. ^^^__^
    I. MUSEO DE JOLVS
    Hypothem sobr preda
    Precisa -e do l:fWa prem'u nhre urna-casa
    terrea sita na trejttTWHa da I loa vista, solo proprio:
    a Halar na roa I M cid b. 7-
    A? ra esteta do Jiosario
    n.1.1.
    0 oVno lhn-a*iik^erimMtVf^nmit f'*rw
    cer comidas para fra. por commodo pn-p, pmm-
    XJjnlio e esmero ; nas qo'Dt*" e domingos aclia-se
    sabirosa *pa>.rtaliBa..'mi!H' a rH*'*teHia
    leli, etc. PrMM's* ****** <-aa **m+-
    ro que tenhapraiiea d h**!, dando-se prefe-
    nria a portacurf oq hmpMrM.
    Pdli METADB
    de sen valor vende-se ni lujado Triumpbo
    a rna do Queimado n 7
    Uae de buuilos padrues a 30 c 400 rs.
    H rnvado.
    E otitras umitas fazendas de phantasia por
    preco muifo iiuivnodo e breve ser* annun-
    ciado seu esplendido sn-timenio.
    LOJA DO TRIUMIHO.
    l->000
    o;>500 Tranca de la d- caracol peca a 40 e
    Fita de coz p*-ca a 480 u .
    Alfinetes de lati a.....
    Sapatosde 13a para enanca a 400 e
    grvala de sedea de ores a .
    Cdcadriras a.......
    Grande sortimento de rendas das ili.^s.
    I o par de siiscusorio d b-jitaclia JK<
    lOOrisIfl
    Xa verdade rna do nefanad*
    BAZAR CVEHSAL
    *Una *
    Garneiro Vianna
    Neste BAZAH encontra-sn un inm|leU
    sortimento de lodos os artigo que se v,f-
    dm por pr("Cos commodos como sejam: L'at
    completo sortimento da machinas para ax-
    tura de todos os systemas, mai;> iri.mVrna
    adoptados na America e appruvadas na ul-
    tima exposigo servico a electos para alnv-
    co e jamar, salvas, bandejas, Manteras, bet-
    sas e malas para viagem. indisp-nsaveis pata
    senhoras, candieiros para sala e cima de mesa,
    paredee portal, mangas, tubos e globo da
    vidro, machinas para fazer caf, ditas |tr
    batervos, das para amassar farinha, dita
    para fazer manteiga, camas de ferro para
    rasados, solteiros e enanca, bercos, cadei
    ras lonjas |)ara viagem, ditas de batane,
    es|ielhti9 de todos os tamanbos, moldura*-
    para quadros gaa. baldes americanos, pu r-
    da comidas. triiM|nedos para enanca, va
    i .itnpleto sorliBfflto de cestinhas. oleodo
    na sala o esa, tapetapara ala, qaarto.
    frentedesoplw,janellae porta, capadhisda
    Sparto e e/ico, olijectos pan esc ijiiorio e
    minios oulros rticos quesv en.onlraiii
    venda no mesmo eslabelecimenlo e que ti*
    a pi'ii> ir examinar. '
    esta
    Vende-se um sonrado do mu andar com bas-
    tant s cihi'ihoIms. rliao* proprias, silo na rna lin-
    peri.il i). 'O : uiieni |iretender diiij,i-ve rna do
    lialdeirelro o. ;>'i. ijue arhara cign miem iraiar.
    Veniein-sr iI.us ii is ifordos o dnws rarns
    m hoin estado : a ir.nar na ra da Pral a n. 6,
    das 6 da malina* 9 d" da.. ____
    Linda Miwofrawvza ff ffrgand) s de cores, pelo bautlssimo pnco do SCO r. o metro, que oofretnoidea 320
    . o ovado: na foja das Columna, na ma do Crespo n. 19, de Antonio Correa de Vasconcellos.
    Na rna da Prat n. 7 ireri>a-M de urna au
    para c-a (te f\ "iiulil. i.... mssssBsam
    floto t Lisbonense.
    tde-so o hot.d Lish(.nensi>, sito rna estreita
    dotVMirio n- II. o qnal >e acha bein montado e
    lem excctlentes r.iminodos ptira hospedes, por ser
    wcr.pado tolos os amlaiv*, leudo no priHpiro nm
    billar, e o eg*iml < dividido rmn qu:'rtos para a
    sis|en<-ias d'is h i-pedos que quizeron morar, lei
    arrptHammto no momo predio por seis ana >-,
    la;.muito negicio. e a rano da venda se dir
    visla dos pretndeme ; a*im romo muras an-
    Tjuen', quo s cuiu vista su podar dizer verbal
    meble.
    Venase iM*|.ri*l crflmlnv Iwa quttaml.d-
    ra e ile ro>lii -u atHiplar : a iralar na ma da
    Florentira n. 12.
    Veii4*'-ne
    urna im na villa ii> Tah > ao pi^ dn rio. acabada
    ulUnmmi'irte. iM-n comnwidos suMleientes para fa-
    iiiiHa. muito friwa. pr-pna para |ia*ar wm : a
    tratar nohnliddo t'aho u na ni Dnvita n. C>|.
    r>tknnra-*i* nma machina 4/friiIfa cmsa-
    TWda mo; pa roa Direila a. Qi, luja.
    Tendease
    A imperatriz rngrnff
    Veio com e-u Ipnnqiinai.'ao pelo uliiino V#or
    rrnncei nqursiinus chapeos de rplnrt e mafn
    lir.tos, emVitadiM fl> oures. para seiihom. o qar
    ha de im-lbor en ParKr*- n- iim tym **
    le c.imtraia honladix pira bapli-ado. aiwmat^
    riiini-siioas sallas de baile mi caas de merina
    cuneme enftsladas cmn a nwma di-noiomeio ;
    ma, chapelina de |wiha de Italia oliimo wln.
    fi'jus e basquinas de rn.xe pelas rc-
    les de laa (le dua- saias, pusm e-cice7.. snllaiuc
    de coii>, Jisiras assetmadas, pnqoias para vvste-
    itnsde ilnas saias, popWiuas A cores, riqui,singa
    des' nhos, e nutras umita nnrMade qne
    prieta nos da lo|a dn Paerwel*m. |in>pii< da
    i-ta-li presente ; A pH |m# e>i rnr" qnene
    apreeamo sriwliiVaf o, re>|ieiUxel puMido a*
    noviii.ntes cima dOTi-riptj!.
    par (aaalwer preco os p-rtami nY ama ftila-b-a
    de .-ii< V carnauba ; imoin preofeiir procura na
    tttailo Vl8rio n. ilrarmazem.
    A ma do Loramente n. 6. caol
    ver para vender p e -***
    melhor viubo ver at. buje viudo a este
    mercado.______|
    Vewlm- r5 5 1 '
    nda-se cotn Hurtaaaeitfiao
    Reg Honieiro.
    miHiiaf




    Diario de Peuiambuoo Sabbada 20 Je Nmembro de 1869.
    LIQUIDIS)
    SEM IGUAL
    U proprietario do armazem u razona is denominado All.UiA, ra da Impera-
    irlz n. 71, dudara ao respeitavel publico e seas fregueses, que est liquidando lodas as
    razendas o Dupas foitas que tem em sou esta jolecimento como scpoder ver no seu
    iiwniiicii'i e preco abaixo municionados,
    Chitas fraaeezas matizadas
    arto ra.
    Vende-se chitas francezas escuras matiza-
    das a 320 rs. o covado por este preco so na
    Ipja da Arara, ru.i da imperatriz n. 7?.
    LjUZINIIAS A 2i0 KS.
    Vende-se lazinhas para vestidos do se-
    ahor a 240, 280, 310 e 400 rs. o co-
    vado.
    BAREGES DE LA A 500 RS.
    Vende-sc baregN de 13a com tetras para
    vesti I >s do senhora a 500 e 640 rs. o
    covado.
    Alpacas de llstras a &00 rs.
    V'ile-se alpacas do listras para vesti-
    dos de senh ira a 500 rs. o covado.
    GUITAS FRANCEZAS A 289 RS.
    Veode-se chitas francezas clarisa 280rs.
    o covado.
    CORTES DE LA PAR V VESTIDOS A
    WtOO.
    V>.n4e-se cortes dv 13a para vestid js do
    seahoras a 2$i00 cada nm,
    PERCALES A iift RS.O COVADO.
    Vende-se percales uito finos para ves-
    tidos de senhora a i 10 rs. o covado, BBtir-
    solinas brancas finas, a 500 rs. o covado,
    briiliantioas de cores, a 410 rs. o covado.
    i!tildes modernos de todas as
    Aliodo enfestado 900rs.
    Vende-se algod5o enfestado proprio para
    (ences e toalhas, 900 rs. o metro, dito
    trancado a 1$, metro.
    Chales de merino & 94.
    Vende-se chales de merino estampados
    a 2->, chales brancos o de cores a lO00
    cada un.
    CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
    A 640 RS.
    Vetido-se urna granda porcSo de cortes
    de brnn castor para calca de bomcm, 640
    rs. cada um.
    Cirandc poreo de retalhos
    Vende-se grande porefo de retalhos de
    chitas e cassas pretal a 160 e 00 rs. o
    cova lo, retalhos de cassas, la e chitas de
    cores baratsimos.
    LIQUIDAM A ROPA FEITA
    Vende-se palilots de hrim de cores a 2,
    ditos de alpacas de cores a25, dios de
    oieia casemira a ,-> c 26500. ditos de pan
    no preto bom a 8-? o IO& calcas de algo-
    do azul para cscravos a 040 rs. ditas de
    algodo de (istias a 800 e 1$, camisas de
    iscado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
    les de brim e fusto de cores a \e 16500.
    colotes de cesemira de cores a 26500 e 36-
    e outras militas quididades de roupas feitas
    edres.
    Vendes'bales moderno sbranco e de c- que se vende por baratissimo preco.
    res a 46oOO e 56.
    COBERTORES DE ADGODO A tf'iO.
    Vende-se cobertores de algodao a I 500,
    cobertas de chitas a 16600 e 26 cada urna,
    GANGAS PARA CALCA A 320 RS.
    Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
    do, brim de cores para calcas de hamem e
    meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
    cores para caifa e palitots a 26-WO e 86,
    o covado. rabias casemiras enfestadas para
    Algodo de listras a 900 rs.
    o covado
    Vende-se algodo de listras para roopa
    de cscravos a 200 rs. o covado.
    PECA DE ALGODaO A 46.
    Vendem-se pecas de algodSo 46000,
    56200 66000 c 76, para liquidar.
    if aloes de arcos a 14500
    Vende-se balfies de arcos pan senhoras
    AS NOVAS SEDAS
    11--RUA DO QUEIMAD0--11
    Chegaram da Europa pelo ultimo vapor loja de Augusto Porto & C. ricos
    cortes das mais linda sedas de mimosas cores para vestidos prt)prios para bailes o casa-
    nicntos.
    Grande variedade de sedas de listras de diversos precos todas de lindas cores\
    g3rgur3o de seda preta, c grosdenaple de varias qualidades e gorguro de seda la de
    diflerentcs cores.
    Novos vestidos brancos de blond para noivas, lindas col-xas de seda para camas,
    ditas d la e seda, cortinados bordados para camas e jahellas, fronhas e toalhas de
    cambraia de linbo bordadas.
    Luvas novas de Jouvin.e elegantes sombrinhas de sedas de cor para senhoras.
    Esparlilhos de 56 at 106, lindos bournous de cachemira de cor para sahida
    do baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
    Grande variedade de camisas bordadas c lisas para homens e mininos.
    Sorlimento de muitas fazendas de la, linho c algodo todas por preros muito
    mdico.
    Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de. tapates o de alcatifa para
    ferrar saloes tudo em quantidade; e vendem sompre'por menos que em outra qualquer.
    pirte.
    Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
    LOJA
    ALGODAO
    DAS MACHINAS
    TOS
    :ali;ase palitots a 16 o covado, brim pardo, pelo baratissimo preco de 16500 cada um,
    de todas as qualidades e brim branco de Cortes de eanabrala barras
    todas as qualidades na ra da lmporatnz1 a 3&090.
    ' '* Vndese cortes de cambraias barrsa a
    Alpacas lizas a B40 rs. 26 e 35 cada um.
    Vndese alpacas de cores lizas linas a LENCOS DE SEDA A 640 RS.
    640 rs. o covado, tarlatanas de cores a 320 ^^, dc ^ 64Q ^ d
    r>- melro un. para liquidar-
    MYDAPOLO ENFESTADO A 35500.
    Vende-sc pecas de madapolo enfestado
    a 3&00, pecas de madapolo inglez de 2 i
    jardas a 56. 06*00, 76, 85 n 105 a peca
    72. Ra da Imperatriz. 72.
    CARTELA PARA VIAGEM A 16-
    Vende-se carieiras para viagem
    cada una
    16
    LIQUIDACO
    ACHINAS americanas de serrote do todos os lmannos para descarocar algodo, do
    limito conhecido fabricante Eagle Cotlon Gin.
    CACHINAS ditas, tambera de serrotes e de todos os tamanhos para descarocar, al-
    godo do autor New York Coito Gin.
    -1ACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
    CACHINAS ditas de Rollcr Gins, de cujo trabamo faz obter ais 2.000 em arroba
    de algodo.
    vfACHINAS de faco do fabricante Platt R. C, Obdhan PatentLiverpool.
    Todas estas machimas sao de superior qualidade e as melbores que tm
    ando ao mercado ; e para a mk apreciaco convklam-se os seores agricultores 2
    'irem a exposico da mermas na roa da Cadea do Recife n. 56 A, teja do Bastos, onde
    mcontraro mais o seguinle:
    Jebulhadores para mitho.
    Jylindros para padarias.
    Arados americanos. -
    iarrinhos de mo.
    vfachinas para cortar saptm.
    ]annos de chombo.
    Jorobas de Japy.
    >itas americana.
    Feroas de ferro galvanisadas.
    .lhas de zinco finas.
    )itas de cobre o lato.
    ?erro de todas as qualidades.
    Vreos de ferro.
    !cAh de Flandres.
    fachados americanos,
    '""acoes ditos.
    ialaios e cestas de verguinba.
    /assouras americanas,
    bolles de todos os tamanhos.
    Tornos e safras para ferreiros.
    Finalmente muilos outros artig
    liversidade seria enfadonho eneumera-losv
    Folha de ierro.
    Bataneas americanas.
    Tinas de madeira ameritaras.
    Ps de ferro ditas.
    Baldes de madeira ditos.
    Temos de bandejas finas.
    Trens completos para cozioho.
    Peneiras para padarias.
    Baldes galvanisados.
    Correntes (te ferro para ak&u&jarras.
    Espingardas e rewolvers.
    Guarda comidas.
    Ferros a vapor para engommar.
    Moinhos par relinaces.
    .\zeite de espermacete. proprio para machi-
    nas de todas as qualidades>
    Serras avulsas para machia.
    Mancaes e todos os mais per Henees para as
    mesmas.
    Latas de gax,
    ospertencentes lavouia e artes, que pela
    Lourenco Pcreira Mendes Guimares, proprietano do arraazem de fazendas
    den rnii ido GARIBVLDI. tem a honra de pirticipar ao respeitave publico que tendo
    recobiio diversas facturasdd fazendas, de novo gosto, para a festa, estando a espera de
    aova* encommendas que deve estar aqu at o da lo de n iwmtiro vindouro, e vendo
    que nao tem tempo antes do balanco de vender tantas fazendas de encorn endas p r
    tsso resolveu fazer urna liquidaco para vw se circu nstanciis vender tudo mais barato do quo em outra qualquer pte, na ra da
    Impuratri/. n 50.
    MMVVPOLAO ENFESTADO A 35500. I CHITAS PRETAS A 160
    Vod4e urna grande poreo de midapo-l Vende-se urna grande porco de chitas e
    lo infestado de 12 jardas a 355<>0. assim cassas preLis em realho a 160 o covado
    como p'Cas de madapolo inglezes de 2i tambem tem retalhos de chitas e la de c-
    janlas ou 20 varas a 55. 55"i0, 65,65500 res que se vende barato.
    7600!. 85, 95 o 106000
    Gorpinhos a 200 rs.
    CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500
    Vemle-S'! pecas de cambraias victorias
    Gnas a 56500, 65 e 75. Brilhantina bran-
    ca fila para vestidos de senhoras a 500
    rs. o covado
    ALGODO A 45000
    Wnde-se urna grande p -rgo de alg >do
    todo de 'oa qualidade e 46. 56. 65, 655 0
    76. e 86. 'a peca de 20 jardas ou 2*
    varas.
    ADMIREM-SE DO QUE E' BARATO
    Chamalotes a 560
    Vender chamalotede cores, de algo la '
    para vestidos de senhoras a 5(O o covado.
    %lpacaa lisas a &OO rs.
    Vend^-su alpacas lisas para vestidos de
    c6r*s, para senhora, a 50lrs ditos maiisa-
    das linas a'7io o covado Dita* lisas mui-
    to largas a 640 o covado.
    CORTES DE PERCALES A 0:000
    V-^den-se ama grande poreo de cries
    de perales de duas sias para vestidos de
    senhoia, de mnito delicados gostos com
    16 V covadns a 05 7**I0.
    C\.MBR\I\SL1S\S DE CORES A 600
    Vetide-se urna grande porcao de cambraia '
    Usa de todas as cores para vestidos a 600
    rs. o metro.
    Organbys moderaos a. sOO rs.
    Vfiide-se organdys de enres para fazer
    vestidos, de duas saias, agora modernos, a
    800 rs. a vara.
    GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
    E BARATAS PARA A FESTA
    Veode-se chitas francesas muito finas de
    cores a 280. Ditis maiisadis escoras a 3;0
    ditas escuras escocezas a 3>>0. ditas aleo
    xoadas a 360, ditas irarituldmas a 3(0 o
    covado. Sormeni de chitas como tem o
    Garihaldi ba pooca* lojas qoe compltam.
    PSTOES PARA VESTIDOS A 400 RS.
    Vnle-SB fusto de cores para vestidos a
    400 rs. o covado
    COBERTOHES A 1:400
    Vende-se cobertores dn aludan a 16400
    cobertas de chitas fita a 16600.
    Vendo-se grande poreo dd corpinhosa
    .dOOfdq 4600 t
    Ciaajas para calca a 330 rs.
    Vendem-se nina grande poreo de gangas
    para cale de h >m m e menino a 320 o
    covado, cutes de castor para calca a 640
    cada nm.
    Brim de cores a 400rs.
    Vende-se nina grnde poreo de duas
    faces para caigas, palitots e cohetes de ho-
    m-m e menino, fazenda inteirameute nova.
    Brim pardo hso a 5 0 rs. o metro, dito
    trancado lino a 800 e 15000.
    Grande llqiiidaco de chapeos
    de sol
    Vende-se chapeos de sol de alpaca coro
    pequeo defeito a 25 e 35000. ditos finos
    de lastes a 46500, ditos do seda finos
    de 8 astes a 7550o, 85000, ditos de 12 e
    16 asies a 1050oo, jmra liquidar.
    Chitas para cobertas a 940 rs o
    covado
    Vende-se chitas francezas para cobertas a
    240 320. 340. e 380 o covado.
    C\SS\S KK\NCEAS A 240 RS.
    Vende-se cassas franc zas para vestido
    a 240 o covado. ditas muito finas a 400 rs.
    a-siro como percales tinas para vestidos a
    440 ocovido,
    GR\NDE SOKTIMENTO DE MEIAS
    Vende-se meias cruas para bomcm a
    35500, 45. 56. e 65000 a duzia, ditas p:ira
    meninos de lodos os tamanhos a 355UO B
    4.-SIMH. iiiias [tara senhoras e meninas a
    31060x46, eJW, a duzia.
    BXLOES DE ARCOS A 1:500
    Ha loes de arcos a !5->oO, ditos modernos
    a 450OO.
    ATTENCAO
    Tem-se para vender urna grande porc-So
    de roupas feitas de hrim ede casemira, de
    todas as qualidades nao se menciona por
    >er enfad inho. arante-se ao oaajiprador ven-
    der mais haato do que em ontra qualquer
    parle, islo s se pode, .ouhecor com a pre-
    senra do coiiipiadnre a vista da fazenda
    luir barato preco. o general Garbaldi, ra
    da linper.iinz n. 56.
    h,iles de merino a 94IOOO
    Vwide-se chata de Merino de cores es-
    tampados a 25000. dit.s lisos a 36500, di-
    tos estampados finos a 56, 5,5500 e 6000.
    ATTEJVCAO i Liift
    Grande armazem de fazendas e roupas Tetes ra df Imperatriz
    n. 51 porla larga de Paredes Porlo.
    Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimentt
    de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 36, 36500 at 66. Ditos d*
    merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 55* 66. 86 e 105, de panno pret.
    sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branc*
    e de cores de 36500 a 56000. Calcas de brim de cor finas e ordinarias, dita>
    brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo tino e ordinario, ditas de casemira
    de cor e preta de 46. 56, 66 a 156. Colleies de foidas as qualidades e preco muito
    barato. Completo sortimeuto de camisas francezas de algodao e de Hnho de 26 at 56
    urna. Sortimeuto de seroulas francezas de algodao. do linho e bramante a 25 e 26500.
    Gravatas (mantas) novissimo gosto a tolos os precos. Meias'sorlimento completo a 36
    46 at 76 a duzia.
    ROUPAS PARA MENINOS.
    Encarrega-se de quaesquer obras de encomraenda- tanto para homem, comt
    para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sorlimento de fazendas d*
    todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e outras muitas a-
    zendas.
    FAZENDAS
    Bramantes de 11 palmos de largura a 16800 o metro.
    Cambraias do cor e branca.
    Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
    Poil de-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 16200.
    Basquines de guipare eofeiladas a 186000.
    Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
    Madapolo fino a 66500, 76, 85 e 06000.
    Algodo peca com 20 jardas a 45500, 55500 e 66000.
    Peca de algodo largo a 75500.
    E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem roop?
    feita que se est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
    LESO DA PORTA LARGA
    DE
    Paredes Porlo.
    Machinas vapor de
    forpa de 3 e 4ca-
    vallos.
    Motores para 2 cavallos.
    Arados americanos.
    Machinas de faco e serrotes para desca-
    rocar algodo.
    Bataneas para armazem e balco.
    Camas de ferro.
    Cofres de ferro de Milnez e do Uhit-
    field.
    Prancas para copiar cartas.
    Fogo americano patent
    Bartholomeu & C.
    Loja de miudezas de FERREIRA DA C-
    NHA d- TEMPORAL, esto quiraando por
    todo preco vunham ver o que bom e ba-
    rato a saber:
    Lindos brinqtiedos magnticos para me
    nios de 240 a 16.
    Linhas em novellos do 400 jardas a
    60 rs. .
    Pecas de tranca do todas as cores a 40 rs.
    Latas com superio banha 120, 160
    e 26000.
    Frascos com oleo baboza 240, 320,
    400 e 600 rs.
    Ditos de extracto 160, 320, 500 e
    640 rs.
    Ditos cora banha .120, 500 e 16200.
    Ditos de agua dc Colonia 320, 400 e
    50Q rs. -
    Baralhos de cartas portuguezas a 120 e
    160 rs.
    Ditos francezas 200 c 240 rs.
    Grande sorlimento de sabonetes 80,
    120, tflO e 200 rs.
    Caivetes finos com duas folhas a 240 rs.
    Liuha dc 200 jardas em carretel (duzia) a
    16200.
    Lindos port-main 240 rs.
    Pente3 de travessa para meninas 200,
    320 e400 rs.
    Duzia de meias inglezas muito finas a
    35800
    Ditas de ditas para senhora a 45500.
    Garrafas com a verdadeira agoa florida a*
    16200.
    Ditas com agua divina 15300.
    Frascos com sndalo a 16200.
    Pecas de eutr*meios a 500, 640 e 800 rs.
    Lindos gorros de velludo para menina a
    56000.
    Papel amisade beira dourada (eaixa) a
    900 rs.
    Dito em pacotes a OOrs.
    Lindos ftonets de panno para menino a
    26000.
    Pentes brancos finos para alisar a2M>e
    3-20 rs.
    Macos com- grampos 30 rs.
    Lindos fraseos para cuna de mesa eesn
    estrados a 16500, 26000 e 36000 ao por.
    Jogos pira vispora a 200. .z40 e 320 rs.
    Linha de marca (caixa) 240 rs.
    Temporal pode ser procu-
    rado em seu> estabelecimento bo-
    nanca onde contina a vender
    petos barato precos de seuan-
    tiyx) estabelcwnento com titu-to
    deTemporal 11a Bonanca.
    Rila do tiieiiniMln n. G3.
    MMLt
    APIS POPUIi IB
    DA
    FABRIPA KACIOM DA RABIA
    OE
    Teiteirn Uldurtco fy C.
    Aclia-se venda este ptimo rau, nuico
    pdc suppnr falta do prioceza de Lisboa, por ser
    do niui ajiradavel perfumo, viajado, e a preoo ..
    01a mdico pos ai'nlhfdo oa piaeas da Baha, do Rio de Janeiro e
    eoi ontras do imperio no enwipiorio de J.iaqnin
    Joi Gnncalves J3e|trao, ra do Comercio*Di
    mero 17,
    que
    u-
    VlNHO, PlLULAS, XaHOPE E TlNTURA
    de jrubeba 8imples e ferruginoso;
    Oleo, Pomadae Emplastro da mesma
    planta pheparados por
    6ARTH0LOMEO & C*
    Pharmaceutico8- Droguistas
    PEIIHA.HBi;-0
    A Jurnbeb : esu plauu kuje reeonbecidt
    como o mus poderoso tnico, como o melbsr
    desobsiruente.ecotuoul ipplicii oos pa-lecimaoios
    do ligado e baco, hepatlles, ilurosas. luiuures (ular-
    hos e epecialueoU do olaro, kjdro| pellas, ele.; associada u ferro e ulil ais pallidu
    corea, chlorosos e falla de meiilruavao, deaarraB-
    jos do estomago, ele, o qoe diMmoa atleaUo
    lunamera coras imprtame* obiidea eom nnsaoe
    preparailos j beta cuokneido* asados pelos ass
    disliuctos atedeos do pan Ponugal. Km lodos o*
    Bosaoe depsitos diatribeimos grana fulhetoa qae
    mnlbor (asea coobecer Jumbeba aeoa reaal
    applicaco.
    DO
    GALLO VIGILANTE
    Bina do Crep n. 9
    Ofrpropnetarios deste bem ronberido cslabete-
    cimento, alm dos mriitos objertos que tinhatn ra-
    poslos a apreciacao do respeitavel publico, man-
    daram vir e acabam de receber pelo ultimo vapor
    da Europa um cpmpteto c vanado sortimento de
    linas e mu delicadas especialidades, as quaes es-
    to nsoividos a vender, como e" de seu costme.
    Sor precos muito bar.itinhos e commodos para to-
    os, eom tanto que o Sallo....
    Bfciito superiores lu^as de pellica, pretas, bran-
    cas e de mui lindas cores.
    Ubi boas e.bonitas gnllinhas e punhos para se-
    nhera, neste genero o quo ha de mais modero!
    Superiores pentes oV tartarofa para coques.
    Lindos e riquissimos onfeites para caberas as
    Exmas. senhoras.
    Superiores trancas pretai e de cores com viri-
    lhis e sem elles; esta fazenda o que pode haver
    de melhor e mais honito.
    Superiores e bonitos leqoes de madrepeoola.
    iiirlim, samlalo e osso, sendo aquelles brancos
    com lindos desenhos, e astes pretos.
    Muito superiores metas lio de Escossia para, se-
    nhoras, os quaes seora se venderam por 3flHiO
    a duzia, entretanlo tiue n5s a? vendemos pop 20,
    alm destas, temos tambera frrande sortimeato de
    oatras qualidades, etre as quaes algumas imtito
    futas.
    Boas bengalas de superior canna da btdia e
    castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
    ras do niesmo, neste genero o que de melhor se
    pode de>ejar ; almdestas temos tambera, grande
    auantidade de oatras. qualidades, como soja, nta-
    eir, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
    Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cade.ia e
    de outras qualidades.
    Lindas e superiores b'gas de seda s borracha
    para segurar as metas.
    Boas meias dc seda para senhora e para meni-
    nas do i a 12 anuos de idade.
    Navalhas cabo de marflnt e tartaruga para fazer
    barba; sao muito boas, e do mais a mais sao ga-
    rantidas pelo fabricante, e nos por mesa vez tam-
    bem asseguramos sua qualidade e deheadeza.
    Lindas e bellas capellas para noiva.
    Superiores agullias para machina e para crox
    Linha muito boa le peso, frotua, para encher
    labyrintho.
    Bons baralhos dc cartas para voltarete, assim
    como os talos para o mesmo lim.
    Grande e variado sortimento das raelhores per
    fumarias e dos melhores o oais conhecidos per-
    fumistas.
    COLARRS DE ROER.
    Elctricos magnticos contra as convulsScs, e
    facilitam a denticao das innocentes criancas. So-
    mos desde muito reeebedoros destes prodigiosos
    collares, e continuamos a recebe-los por toaos os
    vapores, afini dc que nunca faltem no mercado,
    como j tem acontecido, assim pois poderaa aquel
    les que delles precisarem, vir ao deposito do galle
    vigilante, aonde sempre encontrarao destes verd 1
    doiros coliares, o os quaes attendendo.se ao flu
    para que sao applicados, se Tenderlo com um mui
    diminuto lucro.
    Rogamos, pois, avista d3scbjec.tos que deixamos
    declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
    comprar por precos muito razoaveis loja do geJii
    vigilante, ra do Crespo n. 7.
    Na ra do Codorniz n. 8 contina a ter um
    grande sortimnnto de doces em latas e caixos de
    diversos lamanhns, cujo te vende p >r preco mais
    barato de que m outra qualquer parte.
    IAZ liAZ l,AZ
    Chegou ao antigo def>osito de Henry Forster o
    <1, ra do Imperador, um carregamento de a
    de priuieira qualidade; o qual se vende em partida
    e a retalho por menos preco do que em outr qua1
    qner parte.
    ' 1M
    udos
    11
    Vendem-se tres ricas toalhas de labyrintho pro-
    I rias para baplisa ci livros do Sr. Antonio Poimugues,
    Panno de algodao da Baha, proprio para
    roupa de escravos o saceos para assncar; vende-
    se no escripturio do Antonio Luiz de Oliveira Aze-
    vedo & C, rita da Cruz n. 57, andar.
    MARMORE
    No armazem n. "57 ra difnperaibr. ha para
    veedor por baratissim preoo um gran le sorti-
    mento de pedras de marmiro de divorsas qu ii la-
    des, como seja : degraos, syl'irai, sacadas, raosas,
    baleos e lijlos, etc., etc.
    Cemento Portland
    11^000.
    Barrica grande : n armazem
    no caes ti de Novembro.
    pintado de verde
    Scllins baratos,
    N. 27. RUAD0L1VRAMENT0 N. 27.
    Neste estabeledmeino \ende-se sellins'e
    silbos, de todas as qualidades do melhor
    que se pode fabricar do paiz, assim como 01
    mais arreios pertenceDtes ao mesmo, veo-
    de-se tambem, coixes, traviceiros, catxi-
    nlias com almofadas, propria para meninas
    levar para aula. O proprielatio deste esta-
    belecimento garante a ponlualulade, esme-
    ro e zelo de seu trabalho; portunto pede ao
    respeitavel publico sua prou-ccSo, queaffian-
    (a vender tudo pelo mais barato possivel,
    e por menos do que em outra' qualquer
    parte.
    J cordeiro previdente
    Rna do Quefuiado n. III.
    Movo e variado sortimento dc perfumaras
    finas, e outros objectus.
    Alm do completo sortimento de perfa-
    narias, de que effectivamente osla prvida a
    toja do Cordeiro Previdente, ella acaba d
    receoer um outro sortimt-nto que se torna
    lotavel pela variedade de objecto, superiori-
    lade, quaridades e commodidades de pre-
    ;os; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
    e espera continuar a mertrer a apreciaco
    io respeitavel publico em gcral e de saa
    boa freguezia em particular, sao se afas-
    taudo elle de sua b*Ri conlieoVla mansid5o
    a barateza. Em dita loja enciiitrarlo os
    iprerdores do bom:
    Agua divina de E. Condray.
    Dita verdadeira de luir) & iV.-mman.
    Dita de Cologne inghJta, amerk-ana. fran-
    jeza. todas dos melhores e mais acreditado
    fabricantes.
    Dita de flor de larangwaa.
    Dita dos Alpes, e violle para toiJet.
    Elixir odontalgico para eonservafao do
    isseio da bocea.
    Cosmet igaes de superior qualidade a chei-
    ros agradavtis.
    Copos e tatas, maiores e menores, eom
    oomada fina pira cabello.
    Frascos cm dita japonesa, transparoate
    4 outras qualidades.
    Finos extractos inglezesr americano
    francezes em frascos simple eeufeitados-.
    Essencia imperial do fino oagradavel che>-
    o de violeta.
    Outras concentradas e do cheiros igual- .
    Dente finas e agradaveis.
    Oleo philoccwe verdadeiro.
    Extracto d'o!eo de supewr qualidade,
    om escribidos he-ros, em fj'ascos de dille*
    centestamanho.
    Sabonetes em> barras, maiows e menore
    para maos.
    Ditos transpflpantes, redontlos-e em figu-
    ras de meninos.
    Ditos muito fios em caixin1? para barba.
    Caixinhas cora bonitos saboaetes imitando
    fructas.
    Ditas de madsira invernisa^b eontendo fi-
    nas perfumaras, muito propase para pre-
    entes.
    i Ditas de papelo igualmcnls bonitas, tam-
    oem de perfumaras finas.
    Bonitos vasos de metal coloridos, e de
    oaoldes novos e elegantes, cca p de arroz
    a boneca.
    Opiata ingleza.e franceza paro lentes.
    Pos de camphora e ouira dTerentea
    jualidades tambem para denles.
    Torneo orienul de Kemp.
    Alada nais co^mcs.
    Um oulrit sodimento de ooqnes de no-
    "os e bonitos raoldes com lttts de vidrilhoa
    e alguns d'elles ornados de flores e fitas,.
    jsto todos expostos apieoiacao de quem
    >s pretenda comprar.
    GOLLINHAS E PUNHOS-ROKDADOS.
    Obras de muito goslo e parfeifo.
    Plvellaae Blas pasra fintas.
    Bello e variado Bortineatii de taes objec
    ios, ficando a boa escolba ao gosto do com;
    prdor.
    PILULESSSSSKCAUVIN
    Mtotas Jitmasit NH
    ata aeewae aralt** ergeial (o ranatodo
    sn aarade'Hl a r^iM aai< laialhael sera ss>
    Mir as ejs>awltpcea. a* anrala*, aa mais re-
    eotaas.aesieiooMoaMHa
    Klir filfai aa. etaaerttle, a)liainiesn'a tmim-
    wms. aaOia. sMrvseaUrrtasw. aaanln .
    tua i>ijall aei
    O aiareruiiiah dea ralaa (-savia aoav m-
    aur-ae aeatas aalaaru : aalaaailece.r o asi
    lar a asase
    Illas san salea ara rewnurtt aa esaida ara
    aakata. sea asee aasaaw e raaBratraa, aaaw Matar
    atlas aas retsseea. a asar aaraauea aaiai-ae.
    /ataUfamp.
    ,
    i
    t
    aaBBBj



    ^H
    Mi

    i
    Diario
    ce re
    naiiibirco Sabbado 20 de Novembro de 1869.

    I
    I
    DE
    A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
    DE
    FLIX MERKIlt V DA SHIVA.
    0 proprielario d'este grande estabelacimonto, vendo quo so est aproximando o fin"
    do anuo, e lendo ein ser uin grande deposito deposito de fazendas ; n3o fallando cm
    rultadas en:ommenilas que Ihes esto obrigado todos os dias, tera resolvido liquida-
    las por preco muito mais baratos do que em outra qualquer parto ; s com o fim
    de di'Dinuir o deposito e apurar dinbeiro. Encontra se neste estabelecimento do
    PAVO, avullado sorlimento de atondas do luxo o modas; assim como de primeira
    necessidade. As pessoas que negociam em pequea escala n'esta loja poderlo surtir-
    se vendendo-se-lhes pelos precos que compram, ns casas inglezas; assim como as ex-
    eellentissiiii as familias poderlo mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou man-
    dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; estabelecimento se
    icha constantemente aberto das 6 horas da manhla s 9 da noite.
    A 5000
    Na loja do Pavlo vendem-se modernissi-
    mos chales do fil preto c de seda, pelo barato prego de 3,5000,
    pe chincha.
    RASQUIAS A lipOOO
    Na loja do Pavao vende-se as mais mo-
    iendo calcas palitts e coletes de caseniira, dernas, basquinas ou manteletes de guipure,
    depanno.de bnm, de alpaca, e de todas pelo barato preco de 125000 cada wma.
    as mais fazendas que os compradores pos- alpacas
    sam desojar, assim como oa mesma loja
    Explemiido sortimento de
    roupas feitis
    NA LOJA DO PAVO RA DA
    IMPERATBIZ N. 60
    Acha-se este grande estabelecimento com-
    pletamente sortido das melhores roupas,
    tem um bello sortimento de pannos casemi-
    ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
    qualquer peca de obra, coma maiorpromp-
    tidao vontade do freguez, e nao sendo
    obligados a acceita-las, quando nao stejam
    Chegou pura a luja do Pavao um prande orti-
    ment das mais bonitas albacas brancas lavradas
    e de cordiio sendo n'osio genero o melhur o mais
    lustroso pue tem vindo ao mercado, tem algumas
    lai linas c to bonitas que ierren para vestidos de
    noivas e vondiim-se por eommodos precos.
    LAAZINHAS MODERNAS NA LOJA DO PAVAO
    Chegnn para este estabelecimento um grande
    Completamente ao seu contento, assim como sortimento das melhores o mais modernas lazi-
    n'este vasto estabelecimento encontrar o "nas f>;,ra vestidos, sendo tapadas o transparentes
    respeitavel publica um bello sortimento de KSSiK qua,iJa,,es f|ue
    camisas francezas e inglezas, ceroulas de
    tinhti e algodlo e outros muitos artigos
    proprios para homens e senhoras promet-
    endo-se-lhe vender mais barato do que em
    outra qualquer parte. Na ra da Impera-
    trit n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
    ra da Silva.
    CERA DE CARNAUBA.
    Vende-se nina grande porcSo de cera de
    carnauba em saceos por preco mais barato
    do que cm outra qualquer: na loja do
    Pavlo ra di finperatnz n. 50. De Flix
    Pereira da Silva.
    FAZENDAS PARA LUTO
    Na loja do Pavao.
    Encontra o respeitavH publico ncsie estabeleci-
    mento um glande sortimento de fazendas pretas,
    como sejam. eassas francezas e inilez.is, hita*
    pretas de ludas al qualdades. fazenda de lia de
    todas ipie lem vindo, proprias para luto, como
    sejam. laazinhas, alpeu lavradas e lisas, ranlo.
    boinhazinas, merino, etc., que ludo se vende por
    preco barutu.
    AS CASSAS DO PAVAO
    Corado a :I00 rs.
    Vendem-se flnissimas cassas francezas com lio-
    don debimos e cores fixas a 300 rs. n poyado.
    Madapolao francez a 7&0O rs-
    Vende se pecas de madapolao francez
    eom il metros pelo baratsimo proco de
    7#000 a peca, pecliincha.
    Alias novidailcs em sedas
    Chegou um grtndfi suriim-nto das mais
    moder ias poupeliiiaa ou gergnriea de seda
    e liolt) COtO os mais elegan es padres que
    tem viudo a este mercado sendo, miados e
    gnu los, tinto em cortes para vestidos como
    para ven ior em cova lo, as-im como um
    bonito soitmetilo das mus bonitas sedas
    listradas que se vende tudo muito em cwuta
    Grosdeiiaplos de r ctfres
    Clieoim um grande sortimento dos mais
    bonitos tiro-denaples de todas 8COTOS para
    vestidos que se vendara muito mais barato
    do ijho em nutra qualquer parle.
    CHAPEOS DE DRIM A -5lKK) RS.
    Cli-goii urna grande ponlil de chapen*
    de bita para eabeca que se vende pelo Im
    raiissiino pirco de 2,-5i*00, por leredi che-
    gado eom um peqaeao toque de mo. E'
    p-i-liiiiHia.
    GRAMII PBCEIINCHA A 3:0(10 KS. PEGA DE
    IBrelanha
    Vende-se pecas de upe.rior bretanha de
    algod tendo quitro palmus de largura
    com 20 varas ou 2 meins .'ada pega, esta
    fazenri i seria para costar 8-SOoO, a nao >er
    orna grande comiira que se fez, e liqnida-se
    a 56000. caria peca.
    Cortes de chitas
    Com 10 covados a 3:0 .
    Com i 1 covados a 3:520.
    Com l covados 3;840.
    Vende-se superiores chitas de padroes
    Claros e oscuros p^los presos cima im-ir
    Clonados selo fazenda que se fosse vendi-
    da a rutalho nao se venda por menos de
    400 rs. o evado, isto pecliincha,
    Gorgaro para colletes
    Vedse o mais superior gorguto preto
    com diversos padres pelo barato preco de
    6#kio o cuite decollte.
    Admiravel pechineha
    ALPACAS A 400 RS.
    UE FRTA CORES A 400 RS,
    ALPACA* A 4(10 RS.
    Vende-se um grande soi tmenlo das mais
    brilbantes alp icas de fin ta cores com as
    mais lindas e mais modernas cores imitan-
    do perfoitaavmte as sedas de furia cores
    endu neste artigo o mais novo que tem
    vindo ao mercado, para vestidos, muito pro-
    pria para as senhoras que forem passar
    tesla no campo, por ser nina fazenda de
    muita fantasa o pelo barato preco de 400
    TS. o evado.
    Bretanhiis de rolo a 94500 a
    peea
    Vende-so superior bretanha do rolo len-
    d 10 varas qh 11 metro com 4 palmos
    de largura pelo barato preco de 2-5500,
    pechineha.
    Os setins do Pavito
    Vende-se os mais bonitos setins de cores
    e mais eoeorpados propri is para vestidos
    tendo de diversa* cores.
    AOS PALITTS DO PAVO A 185 o
    205000
    Vende-se um bonito sortimento de palit-
    ts francezes sendo, sobrecasacados e pr<>-
    prianvnte sobre easacos. que se vendem
    Cerrados d alpaca a 18-5000 e forrados de
    sed i a 20S000, ^jeeiiiu-ha.
    que cm outra qualimer parte.
    A 320 RS, A DZIA DE COLLERINHOS
    O Pavao tem urna grande fartura de -bo-
    nitos colleirinhos de papel, com os feitios
    mais novos, que se vendo a 320 rs. a du-
    zia, pechineha,
    Crochs para cadeiras c sofs
    O Pavao tem nm grande sorlimento dos
    mais bonitos croi bes proprios para cadei-
    ras sofs, mesas, almol'ailas etc ele, assim
    como proprios para cubrir prsenles, c ven-
    de-se mais barato do que cm outra qual-
    quer parle,
    GLACE' A 1:00 PARA VESTIDOS
    0 PrfvJe tem esta nova fazenda lisa pro-
    pria para vestidos, com as mais delicadas
    cores e rom mais lustre do que a propria
    seda com 4 palmos de largura que facilita
    fazer-se qualquer vestido com 10 covados
    e vende se pelo baratissimo prego de 1:2UU
    rs. o covado, pecliincha.
    CKETONE DA INDIA PARA COLCHAS
    O Pavo tem esta no%a fazenda cretone
    propna para colchas, com os mais to os
    padrO'S chinezese com as cores inteiramen-
    te lixas, tendo largura de chita franceza e
    veiule-se em cauta,
    COLCHAS DE FCSTAO
    Xa luja do Pavao vende-se um grande sorlimen-
    lo de culchas de fusiao sendo brancas e de cores
    dita* de (tocIic para camas de noiva, assim como
    (finitos llmaseos de liia para colchas.
    Na loja ou Pavo vendem-se os mais
    luiut'is chales de vefdadeira cachemira de
    cor, com os desenhos mais modernos, a 0&
    10 e 12-5000. muito barato na ra da Im-
    peratrit n, 00.
    Organdys a 300 rs.
    Vende-so os mais bonitos orgaodys de
    coces ein pad.oes miudos e gruidos, sen-
    do todos de cores fixas, pelos baratos pro-
    cos de :iO:i rs. o cova 10.
    CAMISAS PARA SENHORAS
    Ciiegou um grande mi lmenlo de cami-
    sas fiance/as para senhoras, sendo lisas c
    bordadas, assi i como pro grande sorlimento
    de corpinhos de cainbraia bordados, cami-
    sinhas e manguitos com gollinhas* que Se
    vende muito em cunta,
    VLP\(L\S DE CORDO
    Vende-se as mais bonitas aipacas de cor-
    lan, ti ndo de toda- as cores, as mais novas
    que tem vwdo ao mercado e vendem-se
    mais barato do quo em outra qualquer
    parte.
    ALGODO ENTESTADO
    Vende-se urna grande porc&u de aigodo-
    sinh> americano com 8 palmos de la gira
    proprio para lenc/)s e toalhas tenjlo liso e
    ti rucado que se vende por preco muito em
    cunta.
    aaas de linho
    Chegou um graud sortimento de pecas
    de panno de linho do Porto que s^ vendem
    de 700 rs. at 15000 a vara, garantindo-se
    que em fazenda de linho nao ha nada me-
    Ihor, nem mais proprio para lences ctoa
    Una
    PECH1CHA EM CHAPEOS DE SOL
    Chegou um grande sortimento dos nv-
    hore> chapeos de sol de seda, ingiezes ten-
    do nesle art go o melbor quo tem vindo ao
    mercado assim como urna grande porcao de
    ditos de alpacas de indas as cores e todos
    se vendem por prego muito mais barato do
    qfto em oitra qualquer parte, por baver
    grande porco.
    I caeos braucos
    \ende-so um grande sortimento de len-
    cos brancos para homem, sendo a duzia a
    140'iO, 2*'O) o 3*hi0. ditos abanhados
    muito tinos a 43 o 05000 a dnsia, ditos de
    H>tHo fazenda muito superior a 5?, B e
    7HM),
    Peehlcha cm caseuiiras a 4:000
    Vende-se tinissimas casemiras de cor com
    lslras ao lado, tendo duas larguras e com
    as cores mais povas e mais bonitas que tem
    vindo ao mercado, pelo baratissimo preco
    de 4)5000 o covado ou 75000, cada corte
    de caiga.
    Os baldes lo Pavao a 2S000,
    Ch-g u um grande sortimento de baloes
    ou crenuli/ias do feiiio mais moderno muito
    ppprias para vestidos ennesgados que se
    vende pelo baratissimo preco de 20000 ca
    da um grande pechineha
    AS CAIBRAIAS DO PAVAO A 4:500 RS.
    Vende-se urna grande purea de pecas
    de flnissimas cambraias brancas transparen-
    tes lendo 10 jardas, com mais de vara de
    largura pelo baratissimo preco de 4^100, a
    lieci wndo fazenda quo nunca se vendeu
    por menos de 8A000, 6 grande pechineha.
    fi0 CttlMA**
    Assacard e oxido de ferro de
    Chnufeuutl.
    O asttienr fe ruginoso de'Oliantcind diiid
    la associaeXo do exido de ferro intciramrnte so-
    rel confo assucar cuidadosaiiicine purlll
    te assucar, de urna bella apparencia cry.-talina,
    m o simples pisto mu azradavol do assucar,
    em o menor sal) t adslringente : nao tem aeran
    rritanto sobre a mucosa do estomago e cte.-liiKis,
    e rpidamente absorvido pelo pparctbo digest
    V seni causar as consipacoi g do ventre.
    E' hoje o proparado de ferro de mais aceitaijio
    para a eblorose aloma dos orgia, pedas brancas
    menstruafoea dilDciis, ote, c [pin a sen fav r o
    juizo aulorisado da cseola de medicina de l'ans,
    -e dos cbimicos os mais Dotareis.
    DEPOSITO ESPEaAL,
    Pharmacia de Daitliolomeu 4 O, ra laiga do
    Rosario n. 34.
    A AGL'IA RRANCA tom con\icc3o do que a abundancia de objectos de novidade-
    em scu constante o completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridas
    le db qualdades, o a lmtac3o de seus precos, esto na op ni3o do respeitavel publico
    am geral, e na de sua boa freguezia em particular ; mas ainda assim ella julga de seu
    dever scientificar a todos, da recepcao d'aquclles objectos que cst3o alm do commum,
    como bem sejam
    fia loja e armazem do Pavao ra da Imperatrz n, BO,
    Rontas caixinhas de madeiras envernisa-
    das.contendo navalhas e os mais necessarios
    para viagem, servindo ellas de carteira
    luando'abertas
    futras conforme aquellas, proprias para
    senhoras.
    Outras machetadas, com thesouras e os
    mais necessarios dourados e do madrepe-
    rola para costura, obras de apurado gosto
    3 perfec3o, proprias paro um bello pro-
    sent, tendo algumas com musida.
    Estojos ou carteiras de ecuro com nava-
    ibas, e os mais necessarios paraviagens.
    ESCOVAS DE.MARFIM
    Para unhas. (lentes, cabello e roupa.
    Outras de balea com machetados de ma-
    reperola para os mesmos fins.
    ORRAS DE M.VDREPEROLA
    Leques, escovas para denles, caetas,
    dida^s, brincos, alfinetes etc. etc.
    Ricas capel'as com veos para noivas.
    Cintos de brim^com clstico para se-
    nhoras.
    yoltas de grossos aljofaes do eflres,
    Dar circular os coques.
    Outras igualmente bonitas, o com pin-
    gentes para o pescoco.
    Outras com aljofares coloridos, o tran-
    selin dourado.
    Rotoes com ancora, o P. II. para fardas
    o colletes.
    Abotoaduras d'aventnrine com o p de
    prata dourada, para cohetes, cada nm 5r?. i mes e qualdades a
    Rotoes de cristal, encastoados em prata,' que cons
    para punhos, 4,5 o par.
    Camisas de flaneda para homem, a mc-
    ihor qualidade que tem vindo a este mer-
    cado.
    Meias de la para homens, senhoras e
    orcancas.
    Ditas de dita, tecido do borracha, para
    quem soffre de inchacSo as pernas.
    Pannos de crochet para cadeiras.
    Novo sortimento de toalhas de labyrin-
    tho, para baptizados.
    Renda o bico de guipur, branco e
    preto.
    Fil preto, de seda, com salpicos.
    Pequeos o delicados espanadores de
    pennas coloridas, proprios para piannos,
    oratorios, ftc.
    Ronitos passarinhos do metal prateados.
    para segurar costuras, tendo almofadinhas.
    de velludo para agulhas o alflnetes.
    Thesouras de duas, tres, quatro e cinco
    peinas para frisar babadinhos.
    AGULHAS NON-PLSULTRA
    ,/Tal a qualidade d'essas agulhas, que
    mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
    Non-plustiltra, merece a Aguia Branca as
    honras d'um annuncio, e sem duvida me-
    recer das intelligentes senhoras, a devida
    estima por sua apreciavel qualidade.
    At agora nada se linha visto de to hom
    era tal genero, e ainda assim custa cada
    papel apens 200 rs.
    . Provavelmente d'aqui a pouco abundar3o
    as falsificadas para serem vendidas barata-
    mente, porm as verdadeiras continuarn a
    vir especialmente para a loja da Aguia
    Branca.
    Descrever minuciosamente por seus no-
    infinidade d^objectos
    se acham venda na
    loja da Aguia Branca, seria sen3o impossi-
    vel ao menos infadonho por isso ella con-
    fa na constancia de sua boa e antiga fre-
    quezia. e pede aos que de novo qneiram
    reconhecer a commodidade de seus precos
    e a cinceridade de seu agrado, que nao se
    esquecam de comparecer loja d'Aguia
    Branca ra do Qm'imado n. 8.
    PARA A FESTA
    Veude-se por menos de 10, 20 e 30
    SO' NO
    N. 23Largo do Ter DE"------------ "
    SIMAO DOS SANTOS 'ft C.
    Os propnetarios (leste bem sortido armazem de secco e molhados esto re-
    folvidos a fazere uina grande diminuir i de p ecos as suas mercadi trias, como se apro-
    \iuia a festa e sempro so fauna avultidas compras para o entro e praca, poi
    sao previnetn ao respeitavel publico em geral. que mande faz-^r suas despencase cer-
    los de que Wio a grande dilTerenca em precos mais do i|ue em outra qualquer parte
    e garaniin lo-se hs sujjeriores qualdades.
    CAZ AMERICANO 05500 a lai-a, e O
    rs. a gnala e )()( rs. o litro.
    VINHO VERDADEIRO FlGUEIRA 300
    i garrafa, e 108OU a caada e 8(M rs o ti-
    ro.
    DEM DE LISBOA das melhores marcas,
    ; 'j(H). 440 v olio rs. a garrafa, a 2^800 e
    :id2u0 a caada, liOe 7-2" rs. o litro.
    DEM RRNCO DE LISBOA a 45000.
    a caada e MSO i garrafa, 640 rs. o litro.
    VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
    O, 240 e 3J0 rs. a garrafa, 13400,
    |JHI>0 e 25200 a caada.
    AZEITE DOCE DE LISBOA 000 rs. a
    garrafa, e a T a caada, a 15340 o litro.
    M\NTEIG\ INCLEZA FLilU 15100 e
    I52HO a libra, 35060 e 5780 o kilo-
    grammo.
    DITA FRANCEZA ORO, 900 e 850 rs.
    a libra, e 25IOU, 15980 e 15860 o kilo-
    grammo
    DII'A PARA TEMPERO 560 rs. a li
    ira, 15220 o tilogrammo, era porco se
    i'ari abatnenlo.
    BANDA DE PORGO DE BALTIMOOR
    SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra e
    020 rs o kilogranmiii.
    FARINHX DE ARVRUTA VERDADEIRA
    6'i0 a libran 154nO kdograinmo
    BDLVXINI1A KGIEZV MUITO NOVA a
    400 rs. a libra e 8 O rs. kilogrsmmo
    VELLAS DE ESPXRMACETE 720 rs. n
    masso em caixa lia abatiinenlo.
    PIIOSPI10ROS DO CAZ E DE SEGU-
    RANZA, 2S0. 4iOk560 rs. o masso.
    3*5200 e 5500 a groza.
    AMEIXAS EM L\TAS ECACIIINUA^
    DE MUITOS TXMXNIIOS 15281. 25oOO
    3-5">00. H800, 55501. a lata e a relalho e 15
    a libra.
    G( MIMA DE MILI10 AMERICANA 400 rs
    0 masso. B m caixa ha abatimento.
    BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
    a libra, em caixa faz-se abalimento.
    SERVEJA INGLEZA MARCA II 55500
    a duzia e 5 DEM RASS. VERDADEIRA IIILERSd
    BELL, 800 rs. a garrafa 05 a duzia.
    VINHO DO PORTO ENGABBAFADO DE
    DIVERSAS MARCAS 15500, 15200. 15 e
    ".'20 rs. a libra, t 15500 o kilogranuuo, em 800 rs._a garrafa,
    porco se fai abalimento.
    ARROZ DO MARANHOE DA INDIA
    I20e rs. a libra, 200 rs. o kif/)grammo e
    :i5400 a^irroba.
    ALPISTA .a 200 rs. a libra e 440 rs. o
    kilogramnio. 65000 a arroba.
    1AF EM GRAO 05jb 65500 a arroba,
    200. 240 e 280 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
    liilogrammo em sacra se far abalimento.
    SABAO MXSSA 240 e 200 rs. a libra,
    520 e 440 rs o kilograramo, em caixa se
    iar. abalimento.
    MXSSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA-
    LH XRIN E ALETR1A, 560 rs. a libra e
    15220 o k lograinmo.
    BOLACHINHXS EM LATAS DE DIVER-
    SAS QUALDADES, bera como perola bri-
    !liante,comnmation, Francv-crarynel. mixed
    Ibitatiia. Mdium, Fancy-nic-nac. a. n, c, e
    soda a 15000 e 15400, cada urna lata.
    Assim como ha outros muitos
    GENEBRA DE HOLANDA E HAMRUR-
    GUEZA 75 e 65 a frasqueira, e 5l)0 rs. i
    frasco.
    DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
    115 a frasqueira e 15 o frasco.
    QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES, a
    35<>00. 25800 e 25400 em caixa ha abali-
    mento.
    TOUCINIIO DE LISOOA MUITO ALTO
    400 rs. a libra, e 880 rs. o kilugraminn,
    e 115500 a arroba.
    LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
    TAS 15000 rs. a lata.
    LO.MBO DE l'ORCO ASSADO J.\ PROMP
    TO a IdOOOrs. a lata.
    CHA FINO. GRAUDO E MIUDINHO
    35200 e 25800 a libra, e 65100 o kilo-
    grammo.
    DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 25000.
    25200 e 15800, rs. a libra,
    gneros, viuho "em aheoretas, azeitonas,
    muito novas, pansas e figos novos, charutos de diversas marcas, marmelada, f-dta pelos
    melhores conservemos em Lisboa, gela de marmello, |>cego. ervilhas, em latas, por-
    tugu-zas e francezas, vinho vorde engarrafado relalho, peix em latas, bm como
    pescada, tamba, pargo. goraz, lula, corvina, vezugo, cavalla, sarda e sardinhas de Nan-
    tes. CanHIa, cravo, ervadoce. corninho. pimenta, giandem dhos de sebolla 15500.
    Finalmente mu toi putros gneros quo enfandouho mt-nciona-los.
    Biehas lianibiirguezas
    Ra da Cadeia n. 51.
    Neste noy deposito rcrvlje-sfi por todo o? pa-
    luete transatlaiiticn?, bichas de quatMadn npe-
    i'ior ; vihm 90 porcao mai? pequea,
    mais Itn-.ii.i ,i jiu em nualquer outr3 pane :
    iia na da CmU
    ! andar.
    CEMENTO
    POItTLAND.
    Vende-so no annazoin amarello de Vicpnte F>-> -
    roira da Oosta & Fillm. defroute do arco da Om-
    ciicio, em harneas itrandes.
    Vente-so nm c niricauo <> qiKklro
    roda*, cmi 9 e 4 a**nto*, c arruio para um en-
    vallo, tudn em honj Bulado; a i salar da ra-da
    Floreut
    Grojoan."
    \i:\iik-^i:
    urna vacea dejeito pr preco commodo : na raa
    da Cruz n. 13.
    VEVDAS EU GI.0SSO
    A PRECO Fl\0 E MDICO
    NO
    Eua Nova
    O Campos da ra do Imperador n. 28 tem para
    vender o seguinlo:
    Queijos londrinos, pratos, flamengos c de Minas,
    lodos muito frescos o do boa qualidade.
    Presuntos para Hambrea e para tempero-, paios,
    salames etc. etc.
    0 verdadeiro bacal ho de Noruega.
    Latas com lagstas e ostras.
    0 verdadeiro caf Mocka.
    Especialidades
    Grande remessa de cigarros do diversas qual-
    dades, viudos da provincia do Rio de Janeiro, no
    vapor brasileiro Paran.
    A saber:
    Cigarros ao duque de Caxias
    Diios ao Maurity.
    Dilos aes renles do Dlabo.
    Ditos Barbacenas.
    Ditos Papel peitoral.
    Ditos de S. Paulo.
    Dilos do Rio-Novo.
    Tornos de medidas para seceos, segundo o novo
    sysiema (mtrico francez), no armazem do Cam-
    pos. *
    As mais adoptadas e mais facis tabellas para
    de prompto se reduzir e i a kilogrammas e ao
    inverso estao se acabando por isso recommenda-se
    a<>s eslabelecimentos que ainda nao (em, que ve
    nham seus donos munir-se desse tao grande agen-
    te do commerclo, pois que, com a safra que.cst a
    porta, torna-so ditas tabellas indlspensaveis.
    28-TUDO N0AIU1AZEM DO CAMPOS-28
    ESPELIIOS cm quadras- dourados do '/
    V* '/ '/ '/ :| du/ia i.KiOO, 25S00,
    5100, U900C 1:5.100.
    LAPIS Unos a groza 25400, 2,-)G0O, 35010,
    35iOO c ioOO.
    DITOS com caneca de osso para carteira,
    a groza i580.
    DITOS muito superiores para carpipa groza
    21000.
    DITOS muito finos com duas cores a groza
    146000.
    F1VELLAS d'ago pulidas e envernisadas
    para calca e cohete a groza 155CO.
    OCULOS aro d'aco, wro de grao a duzia
    35500. 55000 e 95000.
    LUNETAS O PLNCINEZ dem idem a du-
    zia 95000.
    E muitos outros artigos quo s com a
    vista poden ser apreciados lano as qua-
    ldades como nos resumidi&mos presos
    por que ludo vendido.
    Alm disto faz-se os abalimentos na rzzo
    seguinte :
    Compras de 503 a 1005 descont 5 %
    de 1005 a 5005 10 /
    de 8005 para cima 15 "J
    PAGAMENTO IIEALISAO NA MESMA DATA
    em letra de 30 dias menos 2 V*/
    em i deCO 5 "/,
    Jnsflf Siiiza Soart'x & C.
    Cabriolet.
    m TiWMlMIJ
    22 Ra Nova n. 22
    Machinas para costuras, i
    A esto acreditado estabelecimento, che-
    gou um riipiissimo sortimento de machinas
    para costura, do todos os auctores; as
    quaes se achara em exposijo no mesmo
    estabelecimento. 0 progresso destas ma-
    chinas maravilhoso f o seu servico equi-
    vale ao de 30 costnreiras diarias 1 Os
    seus traballios sao pespunto, bordar, fran-
    zir, o nutras muitas qualdades de costura,
    como se pode ver no mesmo esiabeleci-
    menlo.
    Garante-se a sua boa qnaiidadc, como
    bem o concert de qualquer machina quan-
    do seja preciso; etambera su manda ensi-
    nar, al quo a pessoa estoja bera pa-
    tica.
    A tenorio
    Jg Joaqmm Rndri(Rua Tavares do Moli
    IS| tem para vender \v\ seu escripturio, pra-ij%ij
    |^ q:\ doCoipo Santi n. 17 primeiro andar,
    J^ putassa da Hussia ultimamenlo chegid
    B cal de Listia o viulw Bordaaux de supi
    ffi rior qualidade.
    Vende-se um eabriofet de doiw e qnatro assen
    tes, o que ha de nielhcr neste genern, c m rom
    cavallo o arreios, on sem elle : na ra de Basta
    Amaro, corheira de Thotnai l.ins.
    Vende se o cngeiihn Jcrniali'lH, no I- rni" de
    Si'iinhaein,distante da e.-lac;m da >ia-feiia tres
    leguas, com boas obras, Dente e ciirre:il>', de
    agua, cupciro, com bnas matas t torras para sa-
    frejr 2,000 p s : qoem o quizer comprar eutBd-
    da-se eom seu proprielario, na na do Ho*pi:ia
    n. i.
    Attenco.
    Resta venia um cscolhido s .rtimento de o
    ,;cto3 do marcincria, como sejam, mobifias do ja-
    twand. mognu eaiuarolln, obra nacional e e.stran
    ,'eira, de apurado go.-lo e por proco- razuaveis:
    la ra eslreita do Rosario n. te. Nota iesin;.
    un fazem-se com perfeioio todo os irabaiba d
    lalhinha, como sejam, empalliamenlos de lastn-
    >ara camas.ade:,-a< c anan''
    , i
    'incnto
    mais barato que cm outra qualqner p;rtc: na
    ma dn Vinario n. I I andar.
    I\l
    FIO S5E VEi.l
    Barbante
    Em casa de Rabo Sclinv-tan & C. Corp
    Santo n. 15.
    MM 0L0R0Z0.
    Gelo seal.
    COGXA ilE^'i'VESST.
    Em casa d Itahe S. InnciUiu & C. Corp
    Santo u. 15.
    CAHMPANHA
    SI Bi 15HtZ.
    Koussilloii, carie blanche.
    Cm casa de Biabe Schuiettau i
    . Vnvpu Huat n. 15.
    VINHO
    DE
    BORDEAUX SUPERIOR.
    CHATEAU LA HOSE.
    CniTElIJ KAU2R.1V
    Em casa de Rab' Sdimeltau & C. Ciirpt
    Sanio- n. 15.
    PARA, i PISTA
    Ra Direita numero 53.
    Grande e completo "irtiineiito de bandeijas .h-
    nezas, tanto quadrada- miihi .eivae-;. p. de |nd> iw
    tamanhos. completo (rtimenhi de facas e jiarf^s
    de t e 2 H, balando iniciro p res do metal principe, as mais linas que lew vindu
    ao mercado, trm para retinta, pem kiiiniiii
    mas taatn de ferro cii.no ili" la'ao (imoi reifnrein
    A- prec), meiros para medir fa/.eml.i lano de ma
    deira como de lati, alwn de ion sorthnenlo pnm-
    pltd'i de ferrageos e iiiinilezrs, bem cuino maridnas
    de descamcar ijgodlo. inolnlew para caf de toilu-
    os tamanhos, etc., el<*,. ludo por preeu qw io
    avista d> comprador f 17. fe na ra Direita n ri't.
    loja de terragensde Maiw*,| liento de Oliveira Bra
    Yenife-M tima amiaco de laborn.i, nova, rom
    tnilos o< iiprten*kiiiesni;i rmaca > ipiem i '
    tender dirija-so rna loipeiiil n l^-S : na mem.i
    talierna para tratar, lisia casa acna- locada e venilo bastante lano pan a mam mn
    para trra, o e propria pira qoalquer prtnri-
    pianto |or nao Vende-se
    nma vacea do 1 raei. e quo est prenho ;
    na coebeiri da ra do Sol u. 33.
    Vende--c o muito arredilado !i it.-l I.i ti;men=e,
    na raa osireia do Ro-ario n. H, mulla ufregue-
    iado : a iraiar no mesmo.
    Vinlio filo Porto
    Vrnde-=e soporinr vinho In Parlo pnfwrraladn :
    no PMTiptorio de Amonio 1,'iiz de Oliveira Azevccto
    & O, roa da Cruz n. .'7, I' andar.
    llip de Lisboa
    Na ra do Crespo n. G coniina a ter rap do
    Lis oa da melhor qualidade que lim vindo a esto
    mercado, ehejrarto pelo niiinio vapor.
    JMAC
    De superior quahdade da mu accredita-
    da fabrica de Bisiptil Ouboucli & C, em
    cognac nma, das que mais agurdente da
    cognac, fornecem para o consummo do
    Reino da Inglaterra.
    Vende-se em casa de Th. Just. ma do
    cou.iiiercio'n. 'te.
    REA A"GIO811A ^T5
    ]tri!i do Fani'lo.
    lia s.^npre nesla .dara grande sortimento de
    maieriaes, cuino lijlos de alfoliara balida, lad llm, qnadrado de K. 0 e nriis puilegadas, tellM* e
    lelhue, lijlos de tan i iteris, (i i iprietarm ik --
    la olari.i parafile'?, i mdade e barro de tac- maie-
    riae>, coiuiilaiiibein vimde-se m.i- l Pin miia (pi:ili,;n-r parte,"
    wmt.
    Vcndf-se tima exc-lleiiie canoa d.....ir lo
    'O p.(Tins do coinprida : no impidi (a cojpp.i-
    niiia. lar-jo do f ii > Sanl > n. Ir?.
    CIMENTO
    Venrte-sfi reidaduirn cnvnt; na ruada
    \U ir do D*s n. armTizem de loe
    Vlarlins do Barms.
    Fin (ii' Al^xlao.
    Vondo-sc fio W- alfolao da Baha ein saece- do
    Oe 100 libras : nn iwrript>rin 'de Antonio LuU
    de Olrveira Azevedo & C., rita da Crin n. 37, !
    andar.
    E8CRAVQS FESCOSJ
    Rigi ej-piia f.-iri, 18de onti.-liM, o escr.v.r.
    Aril'-ni. pi.'lo rri-iiif'i. .lale ;0 ;ooi...--., pnnrn n ai*
    mi mei:,.s, de estatura r.'eu ar. f.ili d'-dent s na
    fenle, quando anda um punco poreovado para
    liani(', levim vi.-iield eahfa de hrim (tardo, rmusa
    le estipa, e cll.ip i de pa ha ja v-!lo : i sle e;-
    ei'.'lV i Ven ja lia lempo do Rio PlTUKMM, o nip-
    ImV-sc 1er para all M-tiuido : iptem o pepa! I-
    ve-o a roa da Concordia n. 8, relinaeiio, que sera
    nem lrniilieado.
    Puitin di rasa do aiaix assinnado o Sen ex-
    eravo -ae, mulato. dade fft aniuis, pone mab
    un menos, ftirlan lo-lhe 500 n ItfIOjUOO fin niee-
    d.i- de lllir i. lem <> dedo .'1'.niiU da nio dil'eibi
    eom dua< nnlia-. como se i'i.sein dos ded s. sa-
    ldo bem vestido, bouio e mullo fnildite. 0
    .i'j.iixo assi|na>lo promeiii' p;ip;ir bein a quetn <>
    pear n leva-lo ma da Matriz d.i Boa-vi,-ta nu-
    mero :i:t,
    ii de novembro de 69.
    Jefuinn de Mirarn.
    Ile mu sitio na matriz da "Varna a osera va de
    noine J lamia, mulata alaranjada, f'ia. dt* eahHlos
    ca ^pinitos, denle- limador, alt:i, p lilia du Cear.
    lev'ou vertido e-cor" e ali/uina ronpa mais u>ada
    |UHii a poyar leve a roa do Rangid n. 9, pada-
    ria. que ser tiC'mpentailo.
    Kugn lia da- do mez nr xi o pas-ad>, dS
    eniretilio l-'orno da Cal, oecr>vo Vidal, preto,
    en illlo, idade 40 auno, poiico mais on nepix. (Ni
    'stitura repnlar, tetn liarlia serrada. de-confla-sB
    andar p r Goianna. vi-to ter sido do enjieiiho Ja-
    eai : quein n penar e leva-lo ao engeidio cima,
    i r Imoi ieee;iipen An,
    Fugio nodia 7 bn. a e-rrava J-a jnioa. erioula. de idade 'iOan-
    nos. ir piefa, hiixa > eh ia do rnipo. lem nma
    irellia r .-.'.idi n i l'i:ar lo leinei. tima peque-
    oa riraUrz oa te-ta a um lado d ais dinte* v.j
    fenle al-erlo que patece falta de un. na- nao .
    -ti i len do Teici'. ol lav;niilo runpa pelos coquetro*
    juoto a ra Imperial, e por estes liij-ares qna
    a eo-iiinia andar. l!opa-se aoS Srs. eapi'aesdip
    eampo a a;n heii-an de-ta e-eiavaea levara
    ma do Qh 'imadon. :9 teroi iri :.nd-r oa pracn
    d > C rp i Srdu n. 17 prlmeir > andar, quesera.
    be o ree. npen-adiK.
    Mso
    Fi(. IR de oiilolii i (I i o rrenle aun,
    d p.reln rrioul de niMne Aul mi. de idade 50 an-
    do- mais ni nienoa. de e-atipa nftnlar, p
    nagrn rom falta d d. ides. tem mu
    ali'ijoli. aula um pillen rorr.-V
    .st.'e-rav.i fui ,1 uli o- (I i cngeiih Mal
    o'ide -j supp' ler **>
    i rio
    grali.1c.idix
    -lia t): I
    HHT 1


    pi
    vv


    <
    9
    Diario de Pernambuto
    Subb;
    0 de ftovembro de 1869
    "^

    unmroRA.
    fJCt\ 30BK O CONCILIO FUTURO KCMENICO
    WiUSO.V, POU MONSKXOR 0 BISl' D'OR-
    ii.VJSS AO fLEM* DA SL'\ MSCKSE.
    ' (Ce*cUv
    renos para me concilio possa levar
    a trubo a sua obra! para que us povos
    ilham
    suprem > esforeaj que a fgreja teiHa em
    k.s dollcs! pira que a lu/. illimiialWii cs-
    pir paixdes se acalmem I para que
    asemillas se esetaregam, os recoiosgrdes-
    sipt'u, as jui-ixassem causa, so desfagam. o
    tbislianismo imirega, e, por cons qneiteia,
    a eivilisago se estenda por lodo o mando !
    c que a uni5oi5> appeteeida como necos-
    .-am, vedh i a realisar-se I
    Oremos para que os soberanos, segando
    4ese>a e Ibes Mastica o Sanlu Padre, pondo
    A parte desconfianzas mal cabidas, e dando
    aos bispos a devida liberdade, favorecam
    a futura assembla da Igreja, eixando-lhe
    tezi-r em paz o seu concilio
    Oremos, tambeni, para que os povos,
    conocedores das materoaes inteugoes da
    fcreja focheai ouvidos as calumias. espa-
    Sodas adrede, aguarden) com confianca, e
    acceitem eom docilidadc as doutrinasde sua
    Oremos para que os iaimigos declarados
    k Igreja, depaonam suas dcsconfiangas e
    Temas paixes, peio menos, at quo ella
    no sea concilio, e sob a nspirag-ao, do Es-
    crito Sanio, delibero e lavre decretos, cuja
    saJvdoria e caridade os converta, tocndo-
    les os coracej. luz da verdade.
    Oremos por tantos homens sinceras, sa-
    bios, poiicus. paos de lamilia, por todos
    os que mem da seu trabi o, por tantos
    de eonees liuipos. ainda nao esclarecidos
    pela lux de Jess Cliristo, para quo lodos
    lies receban o influxo de seus benelicos
    OS.
    Oremos por todas as qui na humilde e
    obscura vida qoc passain, mis, irmaas,
    esposas o ilhas conserva; innocencia e
    santidade no lar domestico de suas familias.
    seu que, como despul, possam commu-
    sear as virludos da fe a todos osmembros
    delias, para que seus votos sejam cumpri
    dos, e so tornem oulras tantas apostlas
    das virtudes chrislas.
    Oiemos para que o Oriente e o Occiden-
    te se ooograsseoB, e os Besaos irm5os se-
    parados, caneados da diviso, que os en-
    iaqoeco, correspondendo ao sincero convi-
    te que a santa igreja Ihes faz, corram,
    amUut. a lancar-se nos bracos que ha tres
    seeulos Ihes temos abertos.
    Oremos para que a igreja. as pessoas
    de seas Qeis 0 de seus ministros alcance
    cada vez maior pureza, mais piedaile, mais
    safcedora e mais carktade, alim, meus r-
    maos, de que os nossos defeilos uo sejam
    m obstculo fnndaco do
    que dever nosso profljpvj_
    Oremos cmfim, p"cTo~san
    aai-'os ol Deus, couserva-l
    ja; e possa este magnanim
    nao teme, aperar dos
    HBprehender a laboriosa
    lio, v lo cornado
    Possa elle, depois de tantas
    acoes, porque tem passad ,
    auimo varead gosar do triumpho da igreja,
    antes d' ir receber j)0 co a recompensa
    tu seus traballios e das suas virtudes.
    Fki.ix, hispo deOrleans.
    Oileans, 4 -de novembro.
    ueste grande dia, emlm, em
    que vos, augulos representantes" da iwha
    patria, inauguris vossas Isss para re-
    constituir a repblica, pira dotla com um
    cdigo poltico anlogo as suas cireums-
    tmc'ias, e para proclamar *o kscouuoo dos
    rovos, quo ha de suceerder-me oq desem-
    oenho orovisorio da primeira magistratura
    penho provisorio da p
    do poder executivo.
    Causa nacional.
    Data a ana inaugurarlo desde 28 de de-j
    zembro de I8tii.
    Freipienles protestos dos povos, ola
    veis resistencias do ejercito, e explicibK
    manifostacoos de todas as classes da soeiP
    dade, oppunhamse a curitinua^o de c iu-as
    plantadas na bolivia pelo nepotismo da d-
    bil adminitrac5o do presidente Ach.
    Approximava-se oiermo de seu perioda
    constitucional: achava-se designado para
    succederdhe no mando da rupuWica, o sen
    ministro da guerra, o general-Agreda: a
    ellicaz aeco do poder supremo, quo so.
    devia proteger com amplido a liberdade
    do suffragio, prestava-lhe o ssu apaio pliy
    sico e moral, conculcando as leis, contra-
    riando a vontade nacional, e irritando os
    nimos dos adetos, e opposilorcs i esse
    governo.
    Semeftanle siluaco nao poda ser tlura-
    doura, desde que produzia um arn estar
    geral no paiz. Preparava-se a lucia entre
    o governo -e os po.os, lucia sangrenta
    Qrme e tenaz enlre o despotismo e a liber-
    dade: iucta, que ioevitavelma ite devia
    trazer comsigo a gaerrjbcivil, e a anarchia
    com todos os seus horrores.
    O clero, e n estnvan
    di seus l
    Os poderes pblicos careciam de eqm
    -- no guaf
    sque I!
    ex-orc
    ,n\o.i os delinquen -
    [ sem ro.lii 'o a!-
    rtpressiva,
    i) codi-
    I) io : a rbita
    dava prop
    conferia awa
    absorvcnlf^n
    [rio do execotivo
    eanferii' era o g
    lo: ncsici'h
    i avia substi
    ijiieem todo o paiz
    jovernos era un sana**'
    lio politice de5** tnaniM
    i lexplicavel, ipr uo Mleccdc ao
    Tielo, com a npres "t> op
    .iie.
    Como se podia conciliar a suspensao de
    pr.intias em um piiz. sitiado, inc\ao a quo se s'ijeitava o poder executi1
    o, cuja a itoridade licara limitada, com
    rela^Soas pessoaf, a arresta-las, ou-trans-
    ',:ii-ias do u:n ponto sitiado para oalroda
    iaciU>, so nao preferissem sar do territo-
    rio f
    Oarligo II da conslituiQao presapoe
    "ommociio interior, pirlurbacao da nrdem
    i'M um ('parlamento ou provincia para de-
    cretar se o sitio. como pnderia o gover-
    10 ordvuar o arrcsUi ou irasladago dos
    ,)eriubadores da ordem, (piando'estes se
    ichavain sublevados contra a
    mrprema, c com as armas as iflos
    O oslada de sitio em principio, lato e,
    com o urna presoripcao do direito pu'olico.
    so pode e dove applicar-se como medida
    preventiva, nos lugares onde com fonda-
    as auim s nesto depar-
    er os povajdos do
    com o liai do estudar suas piacoes
    a atindelas opporluna-


    la
    autoridade
    E* de notoriedade publica qus eu fui i ment se teme urna jprturbacSo da rdetn,
    designado peias prCH)aes cidades e provin-1 urna commocjto prestes a arrebentar c sa-
    cias da repblica coma o candidato pro- rundo o espirito _da caita de, t, era ne-
    sidencia, que "reuma mais popalari- cessarin para decrela-lo, que antecedesse a
    datlo. pertubai.'o ou com:noc3o, o qoc e um la-
    E' igualmente notorio que amigase ad- menlavel contrasenso. Deixou-se,pois
    reinqttte ous,
    &AB&1 amar,
    re. Dig-
    ossa igre-
    Bfioe, dle
    da idade,
    e um con-
    resultado!
    e duras pro-
    soffridas com
    versarios da adminisiracao Ach me acla-
    mavam como o salvador da palna, e4e suas
    iustituices democrticas, sossobrantcs pela
    absurda poltica do gabinete d'entii. O
    que deveria eu fazer em semlhanie emer-
    gencia ?
    Como cidadao convprchendi o mcu de
    ver, e como soldado sobe desempenhar a
    alta misso que me impuzeram os meus
    compatriotas.
    Puz-me em 28 de dezembro testa do
    regiment de Rifleros, e successivam 'iite
    live as minhas ordeas a maior parte 00
    exercito. As seis bofas da mauhSa come-
    cou o combate. O presidente Aehi. aban-
    donado pelo seu ministro da guerra, qu>'
    fugio de Cochabamba, par3peilou-se em seu
    palacio, onde tinha o parque militar.
    Passou-se o dia em locu vigorosi; o as
    6 horas da tarde, eccupavam as mmhas
    forjas o ultimo entrimheiramiuito d> man-
    datario decahido, aquem permite retirar se
    para a sua casa, acompanliado por meus
    ajudantes de campo, como.prova das ga-
    rantas que Ihe conceda alm das desgra-
    nas, consequencias do combate iv;n!iuma
    outra houve a deplorarse.
    No da segHinte organisc a minha se-
    cretaria geral d'estado para dar unidade ;
    marcha d'adininistracau publica, c t >rna li
    expedita, como reclamavam as^c^reumstaa-
    cias.
    A fuzao dos partidos era a mioha aspi-
    raco: o esquecimentu do passado fo "
    meu tliema :' jnstica com todos e para todo;
    era a senha da nova adminialracto.
    Poltica interna.
    Urna das causas primoJas, que Invii
    produ/.ido o descontentamente geral qj
    paiz, era a notoria incouvenieiicia da con?
    lituu;3o polilica de 4801.
    Obra das circumstancias anormacs d'en
    governo sem autoridad:
    servar a ordem, e sem
    ii"cnssai ios para reSUIb*
    lu I) ida.
    E' que os depniados dessa
    eram antes combatentes que legisladores ;
    o
    bastante para con-
    os meios do acrao
    k'oe-lj, quando per-
    assembla
    a ciliada em di
    caminho live
    Ijelliao acontecida
    am > me?.
    igar cm sua origen)
    novoincendio, propagado depois, pu
    eo a punco, em Unironles pontos da re-
    publica : coppwheitdi,' entretallo, qii:*
    fiira drrfhr de urna veza ordem. e cin-
    solidar a paz publica, era preerivel rasgar
    u veo, que cohria os amigos hypoeri-
    las da causa de dezembro. Nao me equi-
    voquei.
    Min'ria nspiraco fo leal, e os fados
    vieram coufirmar as minhas previses.
    Negocios do ordem superior me detve
    ruin nos povoados do centro.; e qnando I
    me preparava para marchar sobre ai forcas
    ficciozas do norte, entrinchciradas nesla
    cidade, enviando-Uies previamente urna
    amnista absoluta para os que, sua fiui-
    macJo, dep>essem as armas, arrebeuta-
    ram successivamente as rebeles d : Cocha-
    bamba, Sucre, e Potosi.
    Comprehendi o grave da situarlo, e di-
    rig as minhas hostes d,esses pontos.
    O combate da Canteria, glorioso para
    as minhas armas, restabeleceu a ordem no
    sul.
    A falta de recursos pecuniarios, coaie-
    qoencia desse oslado' de pcriurbacao dos
    povos, 3 dJ deslnrato das rendas publi-
    cas pelos revoltosos, obrignu-me a perma-
    necer em Polosi, al que o Sr. Santiago
    Suruco, commissaro do governo, reaii-
    zo um emprestimo dj fundos om Lima.
    Com auxilio lo Opportuno abr a se-
    gunda campanha ao norte, oade se luvia
    ostabelcido ( quirtel^eneral de todas as
    forcas rebeldes.
    m miseravel coronel, acjue.n a nfima
    coiii.heu uo circuios polticos em antagouis- plebe jlesta cidade ha va intitula icuele
    supremome disputava o posto. O e\-
    presiJentc Ach, e crescido numero de
    generaes e chefes, achavam-se para ver-
    gouha sua, sob as ordeas delle, apparen
    lando defender a constituido de 61, que
    el es mesmos haviam cein vezes concul-
    cado.
    Apenas suspeitaram que o meu ejercito
    o approxituava de Oruro, abandonaram
    esa cidade, e vieram buscar parapeitos
    oa villa de \roma.
    Ainda nao se julgando seguros nesse
    ponto. oram situar se no povoaJo de
    Yiaclia.
    Estudado o tjrrenuo, c combinadas as
    siTabVisse para a Bovia | manobris em juntas de generaes c chefes.
    ordem de combate na>
    $a>;o pnEsioiiVTK i-aovisoiuo nv rWUBLICa
    DA BOt.im, 0 GKAK.II \l. MKLCAnKUO DinifilO
    A ASSKMBLSi. NACIONAL C0NST1TINTE NO
    alto ia sua insi'ai.i.aio. km t dk Ajiosto I ,|0 {',. de jaiisiio, era natura
    15o: resultado lgico do
    das paixes exaltadas pelo
    hixo- B refluxo tica.
    nao, e nao r.-presenlarrtes dos verdadeiros
    interesas da patria: legislavam contra o
    presidente Acha e nao a favor do povo:
    r.iinavam-se -reciprocamente as facios, e
    cada urna pretenda cobrir-se com a leique
    sancci/nava coima a outra a sfia razio e
    patriotismo se haviam retirado dessa as-
    sembla. o em seu lugar occu iavam o sanc-
    luaio da le, as paixes comtcmporaneas
    e o ceg espirito de partido: a actualidad;;
    tempestuosa, c nao o porvir bonancoso,
    era o espectculo que representava o poder
    leglatKv.
    Sob esles fanales auspicios se procla-
    mo:! a constiluico de 18(31,
    Era natural que
    urna era calamitosa de opressSo o resisten-
    cias, de sangrentas hitas, do pranlo e luto,
    cuja reeordacos amarijuran o coraco,
    como bem o sabis.
    A nova admieislrafao cscencialmeiite fu-
    rionista e reparadora, nao podia marchar
    na sonda das reformas, e em haunonia
    com a vunladejnacional, sobamalcllcasom- umphal,
    lira dessa constiluico repellida pdtfbovo
    Mister foi antes de todo al>roga-la^evis-
    tir o poder supr-mo dos meios de aegao
    que, em pceasiocs taes, forera precisa a
    dictadura nns repblicas, como o re-
    curso mais ellicaz, e nico para sal-
    va-las.
    Dissolvcram-se, por tanto, as municipa-
    lidades o o consetoo de estado, cuja brga-
    nisac,o e funeces embaracavam a marcha
    reoular o rpida da nova ordem poli-
    bemdigo a
    concedido a
    m: 1868.
    Sr.. Depuiados Ao apresentar-me
    -Irme de vos, para dar tkinla dos actos de
    mola administrarlo provhdjita
    Providencia por haver-me c
    brtuha de chegar este dia, to apeteci-
    do pelos povos, e tantas vezes anhelado
    por meu < oracSo.
    SaAilo-vos ueste graade da da patria,
    raadragesimo lerceiro anniversariod: nossa
    eaancipicn poltica da Hespanha: neste
    ile dia, en que o alto fer se cons-
    titnio estado sobrano, livre e independen-
    te: em que nasceu a Bolivia. gracas.ms he
    roicos esforcos c cruentos sacrilicios
    de
    FOLHETim
    OS CASACAS PRETAS
    BOJHANCl
    POK
    Paulo Fval
    olpo d'e lal'i
    que fosse an-
    tes a liel expresso dos parditos em coali
    sao aborta, que da vonlade nacional leg-
    timamente representada. Isto senhores,
    um fado inconteslavel.
    Deprimido o clero: ultrajado o exerci-
    to : coneulacdos os seus direiios, e perdidas
    suas justas regalas, um Alcaide parochal-l
    os mandava comparecer anle nina miseravel
    baiuca, a que chamiva sala d'audiencia: e
    dalli passavam a confundirse com os tnl-
    feiioiosijie habiiam as nossis prisSes, c i
    duzidos por um misero Aguasil, tanto o
    ministro do Mtssimo, como o Veterano,
    que bavia coberto o peito com honrosas vi
    calrises nos campos da baialha.
    Quan lo comecava o governo de dezem-
    bro a plantar vea fe nina poltica frater-
    nal c conciliadora, apagando odiosos epi-
    llietos que produziam a desunio ntreos
    bolivianos, despertou-se a ambiguo de anti-
    gos dominadores do paiz. que altrihuin lo
    a debilidad* aquella poltica, trataram, por
    via de fados, de escalar novamente o poder
    de que haviam abrizado.
    Sobreveio, pois, a commoco de margo
    de 6o. promovida e dirigida pelo general
    Bdzu, que em leal e renhido combale, pa-
    gou com a vida a ambiguo de seus falsos
    amigos, o sua propria temeridade.
    Em 3 de abril decretou-sc urna amnis-
    ta parcial, que em 16 do mesmo mez, cm
    que se inauguroi meio primeiro miitiite-
    esperaram-me em ornem i
    vantajosas posices do cerro das telonios
    e su.i inmediatas colina-, que parecam
    i;:uliliS3r a minha arlilhafia, o cavallarias.
    Os soldados de dezembro. para os ijuae
    nao ha parapertos itie x pugna ve s, nem
    obstculos que deteuham sua marcha ni-
    executaram as minhas orden-, -
    pozeram em completa derrota os intitular
    dos conslilucioiiaes.
    A B divia licou pacificada nos campos
    deMacha em 2'nle j No mesmo campo de batalha, e sobre o
    ultimo canbao vencedor, lirmei o decreto
    de convocagao de urna assembla nacional
    para 6 de agosto do dito anuo. Ella
    devia desempenhar as altas funeges a que
    boje fustes chamado.
    Em 5 de abril, auniversario da memo
    ravel baialha defipabri as portas
    da patria para todos os Bolivianos, que
    b:tviam abandonado seus lare* por causa
    de seus compromjssos po'ilicos, conce-
    deiido-lhes urna amnisba ampia e abso-
    luta, a lim de que viessem lomar parte
    na organisaco legal do paiz.
    Mas, aspiraces tao patriolicas tiveram de
    naufragar ante a perfidia e traigo dos
    membros do meu gabinete, que abusando
    da posigo influente em que os colloquei
    e inebriados pdo vil incens da aiulago.
    que perde as cabegas debis, se reoela-
    ram contra mim em Poterf, aos 11 das
    d'aquella amnigUa.
    Successo to nixperadp me collocou na
    forcosa necessidade de afaslai-me do norte,
    obrigando me, apesar meu, a rdoptar,
    entre outiasmedidas de precauc*), a de
    suspender amuisiia,c a reenio il
    blea nacional.
    O desprestigio pe3sol iMCfhas.
    em coniraposigle com a Walda*-' oaiior
    que me professam os meus soMados, bastn
    por si s para ore as forgas*sublevadas
    por meios engaosos, se revoltassem
    contra el imeiras t\ horas
    domovi; irio, dando n-
    thusiasticas demonstragoas de adh3sJN> m
    governo.
    Os traidores fugiram, e a ordem so res-
    tabeleceu no Potosi, antes mesmo que eu
    me aproximasso .com minhas forgas a
    oruro.
    Assim licou conhecido o iua 1ro das
    traiges que tem tido a comjater a minha.
    adminislracao provisoria.
    Poltica externa.
    Desde que se inaugurou a causa de de-
    zembro, meu primeiro cuidado foi con-
    servar boas e amigaveis retacos com os
    estados americanos, o curopeus, esforcan-
    do-me por fortifica-las por urna polilica
    franca o leal, a qoc devenios a cordial
    harmona em que se mantjm as nossas re-
    lagoes exteriores.
    Durante a prolongada campanha de GS,
    de que j vos informei, surgiram graves
    coi fictos internacionaes no Pacfico. A
    aggrcsso hespanhola to injusta como im-
    prevista, poz em armas o Per c o Chile.
    A Bolivia, que devia correr pressurosa
    em apoio de seus irmos, acha va-se na oc-
    casi5o envolvida em urna devastadora
    guerra civif.
    Que esforcos e que recursos psdia offe-
    recer-lhe. quando ella mesma os necessitava
    para comprimir as faeges que a sacrifi-
    ca vam f
    Preciso foi calmar o nosso espirito ar-
    dente pelos interesses americanos, ter f
    nos prsperos destinos do continente, e es-
    perar o momento que a Providencia nos
    designasse, para unir a nossa voz a voz de
    alarma que haviam dado o Per e o Chile,
    com os quaes deviamps fazer causa coin-
    mum.
    Esse momento nao tardou muito.
    Afoada a anarchia emViachaem 2i
    de Janeiro de 866, no dia seguinte offl
    ciava o meu secretario geral de estado ao
    nosso cnsul em Tacua, que o governo da
    Bolivia prestara seria altengo aos negocios
    internacionaes que se agilava^u no Pacifico
    Cinco das depois diriga nossa legagao
    em Lima o memoravel despacho de 3 de
    Janeiro, com que iniciamos o rompimeni.'
    de relages com o governo hespanhol, c a
    participacao directa e activa que a Bolivia
    e seu governo deviam tomar na luta, a que
    se tinha provocado o Per c o Chile.
    Disse-se, enlre oulrs cousas, naquelle
    despacho as notaveis frase?, que permittireis
    eu record :
    Dsenbaragado das questes internas,
    se acha lioje o governo da Bolivia, cri-
    i miosa indolencia commetteria elle, se
    nao se apressasse em fazer-se echo do
    < senlimento nacional de seus compalrio-
    tas, e em olTcrecer por si e em nome
    delles toda a cooperago de que seja
    * capaz a Bolivia, para unida com as suas
    < irmaas, as repblicas do Per e Chile,
    considerar commum o conflicto interna-
    cional, que ameaga a seguranga e indo-
    pendencia dallas, e participar tanto de
    suas glorias como de seus revezos, que
    igualmente forana communs na gloriosa
    luta dos 15 anuos, coro ida nos immor-
    laes campos de Ayacucho.
    E' corto que com o Per mantinliamos
    relages fraternaes, e nao pudia entrar em
    duvida que accetaria o nosso concurso :
    porm com o Chile ha via, iitfeli:m-nte, urna
    interdiego diplomtica a que nos levou
    que onbe tornar-s fiel interprete So povo-
    e ilo governo bolfvi
    -Na mesma occasio o croverno do Per
    nos dava c nhecimento olKcial li aggress
    hespanhola, e consultavn o voto do nosso.
    .i quem justamente jilgava animad.") do
    iguaes sen.imentdt no locante a apreciago
    lo perigo commum, e a mutua cooperag5;>
    que deviamos prestar-nos ni d.-feza da au-
    tonoma il aiabos osesados.
    O governo e povo ebNenO coin a de-a-
    desa propria de sua illHstragao. respsde-
    ram magnnimos ao nosso convite fraternal,
    e apressaram se em constituir na Bolivia
    igual legagao. que foi runfiada ao honrado
    cavatfee&o D. Aniceto Vergara Albano.
    Enraminhavam-so os ministros seus.
    destinos, quindo. por urna coincidencia ver-
    dadeiramente providencial, encontraram-se
    no porto da frica, e ^ali, em nome dos
    povos que representavam, deram sm-abrago
    tle fraternal e cordial reconcihago, em
    territorio de um paiz amigo e irmao.
    Urna vez reconhecidas ditas tegarTM*.
    proceden-sc a negociacSo e conclnsao per
    parte da Bolivia do tratado de adhes'w -
    allianca defensiva e offensiUa, ajustado entro
    o Per e o Chile. Nossa legagao em la-
    ma, hbilmente desempenbada, ha muito
    tempo, pelo Sr. Dr. Jo5o da-Crnz Bona-
    venlo, concluio igual tratado com o gowtr-
    no do Per c com o honrado ministro da
    repblica -j Equador, premunido de ple-
    nos poderes para esse fim.
    De maneira tilo plansivel ficou estabeled-
    da a allianga do Pacifico, e laucadas as
    ampias bases daUn i 5o Americana.
    A guerra individual tornou-se collediva.
    e a uniao das qfuatro repblicas conslituio
    a sua torca, ,
    O governo hespanhol levantou-se cuntra
    estes povos que seus predecessores haviam
    denominarlo : e julgando-nos deb'ds c- ab-
    jectos, como talvez fossem oseeus primi-
    tivos habitantes no lempo da'c?np|uU!a de
    Almagro c Pizarro, ensaion os seus sopia-
    dos direitos de reviniieacao. oceupando as
    Chinchas do Per,e cobrindo do ignominia
    o seu nome com o infame e injustificavel
    bombardeio do pacifico c indefezo porto
    commercial de Valparaizo.
    Para honra, porm, do nomo Americano,
    c elerno opprobrio de Isabel II seus Batios
    soffreram urna vergonhosa derrota as aguas
    deAbroe as deCalhoperdendo.
    para sua maior humiihago o vapor de
    guerraCobudonga,c\\]o aprisionunent
    as aguas doPapadodevemos ao Tlen-
    te marinheiro chileno, commandante Wil-
    liams Rebolledo, e seus raleles camarade
    da corveta Esmeralda.
    A Bolivia fez jusliga aos hroes d.ssa
    trplice victoria, ollertaudo-lhes urna meda-
    llia de honra.
    ~
    Segunda
    parte
    TRE4 lAT4M
    XXIII
    O domicilio fContinnaoo do n. 26o)
    Maera f espantosa miseria e tambem
    flagres da cega esperang Echalot es-
    perava fazer wgnc >s\ Que negocios, san-
    io Oeus ? Entre que interesses poda o
    pobre diabo servir de lago. Nao sejam
    todava ioradobM ; Paris possuo banquei-
    ros esfarrapados, e cada asperteza usada
    in salas dos grandes capitalistas, vai no
    flmo repercutirse no burlesco,no bur-
    . fcsPi> ou no sangrento.
    Tem a nudez os seus cartorios, podem
    rve-lo, e os Ijabtnctes. e os seus balces.
    eewo tem os seus lugarts de orgia, as suas
    :is e as suas salas de baile. A'
    e^m p3 abaixo do nivel do possivel. espe-
    . t!j,)-s! calcula-se. O corredor de ch-
    melas niio se encontra u:ii amento as im-
    mtiliag.s da Bolsa, o essa orgulhosa se^
    r. ;j que chamam industria nem sequer
    . em p'eixe termina! os pos hediondos sao
    aovellos da potypos que formigam nao se
    sabe ao.
    Que se atfrolntO exigissem um balanco
    exacto dos recursos da agencia Echalot,
    loriamos ferepsamente de responder-tees
    pe a essencia d'essa arrojada especula-
    fo positivamente o nada. Echalot ron-
    lava com a sorte. e toda a sua ambiguo con-
    aistia em ganbir um premio grande sem
    eomprar billete. Quasi todos os dcsdilo-
    . ao qo' beberam f.^n venci especial, o
    fftw'ileei-nmto distillado pelo antig me-
    todrarai, represntala al^u.a d'esles lasli-
    "mavei* papis. Vivem na espbera das in-
    saiubr a ioverosemeMiangas. O absurdo,
    esse parapoito da estrada rammum, jnBo
    asite para elles. 33o, a maior parte das
    vezes, nunca ser de mais repetido, boas
    almas, ou pelo menos alna* siakplicts.
    Que de pobres raparigas perdidas assim !
    Que de excellentes rapazes desviados lo
    trabadlo prosaico, e toacas at admirado
    litteraria do vicio ou do roubo l Quando
    o opio se vende por tuna bagatelia t m
    plena ra, como nos admiraremos d'esj.as
    bebedices aparvalhadas ?
    Mas o fundo : porque, por mais.-que se
    discorra, todo o precipicio tem seu unco.
    Bem. Echalot, aquelle abysme, fura da
    agencia, que era a honra e gloria d'elle,
    ulilisava pela calada os seus talentos plur-
    maceuiicos c fabricava moxinifadas para os
    cnarlataes da praga da B isuiha. Nao I 'o
    queranlos dizer. Era cous que maito o
    envergoiihava, e at danle do-pmprio Si-
    milor aUriboia partidas os intnguados
    beneficios d'aqudle myslerioso labor, fi'a-
    quillo vivia o Saladiin, e nao seria cousa
    extraordinaria ver o perverso E-lalot -c-
    partir a soa fatia de p3o com um pobre.
    Mas com que gosto n5o malaria ello a
    mulher I
    possivel que o mal seja de to difljcil
    accesso, e produz a religiao do citme nfimo
    to pouco aos seus fervorosos adeptos !
    Nem sequer urna candeia havia ua agencia
    Echalot. Os nossos dous amigos deita-
    ram-se sem ceia.
    S a misericordiosa la Ihes altumiava
    os mo\mritos o a triste decoacio i[ue.
    os emmoldurava. Mobiliava a -.asintila
    urna cadeira, dous mochos aleiftdes, urna
    enxerga larga, forlemente estripada, e tima
    mesa, que, f, supportava dous andares
    le CaUas de papello. Qoc havea u'a-
    quellas caixas ? Os negeia da casa
    chatf. Duas oo tres mancheias de ar
    rapos, para ujo do S-iladim e alguns in-
    gredientes.
    O Saladim foi posto em cima da m<$a,
    entre a escrevaninha sacco e urna ganfa
    vazia, que poderia valer urna bajsleMa, se
    nao estivesse rachida.
    E pensar, repeta Similor,'!< tinha
    lagrimas verdadeiras na voz, qa; a menor
    parada que se acert d para a -geate se
    divertir em -Paris, obsequiar- as i damas e
    mergulhar-se urna pessoa no
    proprios tormentos I
    Sempre ai damas 1 repHcoudue i
    questo de limites na provincia do Atca-
    me, e par ieularmente a inconsiderada ei
    de 5 de jtinho de 1803, dictada pelo con-
    gresso extraordinario de Oruro. Foi in-
    dispensavel, porlanto, comegar p r come-
    gar por abrogar a dita le o preparar o
    terreno da diplomacia para ent.bolar t-*-
    do o genero de negociages com o Chile,
    dando-lhe. antes de tudo, urna prova ine-
    ipiivoca de sincera reconcihago e de ver-
    dadeira frateroidada amerieana.
    " A to uobre proposito tendeo o decreto
    que exped em 10 de fevereiro de 1866.
    acreditando ao mesmo lempo urna legagao
    extraordinaria unto aquelle governo, con
    liada ao Sr. Joo Ramn Muoz Cabrera,
    Germans fecundos de ornad o prosptn-
    dade cerra a'ahanga do Pacifico, a dola
    temos ti colhido frnclos opimos em bene-
    ficio das quatro repblicas, cuja harmona
    e indMfJuclivel, e cojos esforgos vigoran
    cada ajajpais. A unificag5e destes inte-
    resses (fcvo constituir a nossa principal
    tendencia.
    <
    Com esta vista proclame em 18 de mar-
    go de 18 >G la-commtmidad de ciudadana
    para os Sul Americanos na Bolivia. que o
    Ilustrado governo do !-.'quad< r ha adoptado
    j em seu paiz. sendo de esperar, que os
    deinais governos to Pacifico, igualmente
    Ilustrados, acolheram tambem por sua
    parte lie til medida.
    Eslreitemos os nossos lagos de uniao en-
    tro os Americanos, si nao queremos que o
    isolamenlo nos sacrifique.
    A' uuio Americana devemos tamh m o
    pigmento de nossas relages inlernaciouacs
    no continente.
    Coube me a gloria de mandar promulgar
    os nossos tratados de paz e amixado, de
    commercio e alfandegas, c a conven?*)
    postal com o Per.
    (Continuar-se-lia)
    milr com miombra. Eu, s livesse ouro,
    hmitava-me a entregar-mc aos prazeres da
    ine>:i.
    Deus meu aquella noute tambem o
    Similor so contentiva com esse smenos.
    Nao obsta, disse elle, a que s vezes
    apparegam algumas capazes de tirar o p
    do lodo um rapaz... Ainda na ultima
    noute que fomos ao theatro, lembras te ?
    Nao te Itmbras da mulher do negociante
    de productos coloniaes, que brava ao ma-
    rido notas de quinhenlos francos para
    da-las ao Theophilo?
    Esse tinha outro feitio, que tu nao
    tens ; disse o Echalot, que cumpria os seus
    deveres maternos para com o Satadim.
    Similor atrou comsigo para a enxerga.
    Ora tivesse eu falo saspirou. Gol-
    lete brinco, manijaba azul ce este com
    altinete de pedras preciosas, annel no dedo
    c penleado pelo cabelleireiro dos theatros
    e com ura bocadintio de cor postica.
    Oiha que a mi do Saladim era mais arisca
    do quo urna princeza...
    Echalot encolheu os hombros e disse :
    Bebe, pequeniuo, bebe ; a tua verda-
    deira mi sou eu, pelos sentimentos.
    Depois accretcentou, suspirando :
    Pobre Face do Prata I
    Era talvez o nome ou a alcunha da de-
    funta.
    O phrenelico Similor dava voltas sobre
    voltas na enxerga.
    mpossivel que exista Deus lexcla-
    mou de repente. Eu eslava lalhado para
    todas as delicias da existencia feliz e per-
    dularia.
    Secega, Amadeo ; dise-lhe sofera-
    mente o amigo. Das cabo de ti com o
    ardor d'essa* paixes, hoRteni A sorte
    ainda pode mudar. Se sed-scobrisse urna
    intrisa. como no theatro...
    Tenho cu urna, disse o Similor com
    ar sombro
    Vamos a ver I
    Amadeo iovantou-se sebre o cotovelk).
    Um raio de la loe allumiava o rosto ma-
    grizelia, em volta do qual cahiam como
    serpentes os cabellos.
    Pareces o tyranno, tnurmuroa pas
    olvido otosfmado o Ecbatot.
    fiisso meamo 1 respo-deu o Similr
    com fra exaltaco. J nlo acredito em
    nada, nem sequer as fraquezas da naiu-
    reza Todos sabem que ha gialts im-
    potentes que querem perpetuar a sua raga
    para nao deixar murper o nome dos seus
    avs. Impinjo-lhes o Saladim por cem
    francos canlanles.
    Echalot nao replicou immediatamente :
    estreitou a creanga contra o paito com
    verda>leira ternura, e deu-lbeumxbeijo de -
    morado na face lvida.
    Silencio, Amadeu, pronunciou solem
    nenente. Tu blaspbemas. O pequeo
    mais meu que teu, porque o tenho criado
    cmn o meu leile. Se fr preciso enfro-
    nhar-mo n'uma senda criminosa, porque
    me enfronbo, sem pestuiejar e pvempto
    para violar as leis arbitrarias di tyrannia
    E do meu carcter. Mis tereis de passar,
    Similor atravez do meu carcter, ger-
    cebiis ? para causar o mais leve damno
    ao pequeo. .O piano da sua educago
    est tragado por mim, e le do legir-lhe
    integralmente a minha legitima.
    Sensivel es tu, l isso s disse o
    Similor enternecido. Mas so o impotente
    fosse par de Franca ? Se isso lizesso a
    felicidade do Saladim para todo e sempre.
    o elle de futuro nos viesse a proteger?..
    tamos depois visita-lo ao seu castello, na
    almofada, j se v. e elle inettia-nos bol-
    smhas na mo, sabendo como havia de sa-
    ber, o segredo do seu nascimento que oc-
    cullariamus ao universo inteiro. A entrada
    era como se lal riao fosse, mi no gabine-
    fe, looge das indiscretas vistas da chusma,
    espandiamo-nos... Adeus, pap Similor I
    Passou bem, mam Kchalt?
    Seductor! raurmurou este ultimo,
    que cborava o ria ao mesmo tempe. Com'
    tu manejas a palavra co n geitinno Eu
    te digo, sendo para seu bem
    DiMtfgs.se e prosegu o :
    i elle depois viesso s renegar-
    nos ?
    jnwir. Ni
    Im i.
    zer-n
    quando fr na
    Eu taiiiheni
    enternec
    [ E que juigas
    ta
    havemos de andar bem vestidos, para esse
    lempo ?
    . Podra Se elle correr generosa-
    mente com as despezas...
    Corre, sim; por isso fleo eu...
    Vem tu para a cama.
    Echalot abragou por ultima vez o fu-
    turo par de Franca, e estirou-so na en-
    xerga. Eslava a concordia estabelecda
    entre os dous amigos.. Dialogaran) por
    um quarto de hora as suas legitimas eape-
    ranca$; depois acharam um somno cheio
    de sonhos, em que amos viram-se. gur-
    dos e luzidios, correndo na eterna bam-
    bocbata.
    De boa f podia o Saladim, berdeiro
    comprado pelo impotente, fazer menos pelos
    seus pas ?
    Amos resonavam, pai c mi, pobres
    estmagos vastos, pobres consciencias ocas.
    Percorram o muudo, liatam o universo,
    que s as barrocas da floresta parisiense
    achaco estas monstruosas vegelags.
    O luar dava agora na irrequieta face da
    creanga.
    Era um velho em miniatura, c todava
    bonito. as rugas indecisas d'aquella mas-
    cara, adevinbavam-se os rudimentos de um
    sorriso Voltaire.
    Como brotara estas creaturas ? As
    creaogas escrupulosamente trata las morrem
    nao raro, porque Paris nao das melhores
    amas ; aquellas, porm, nao morrem nunca.
    Romper a trra por debaixo do p qte
    devia esmaga-las. Tem a saude do cogu-
    mello. Se nouvesse peste, vviam d'ella.
    sorte de herva mim.
    A herva ruim, onten lamo-nos, compe-
    se do smplices preciosos e do estrume.
    Em que vem a dar esses Qlhos do impos-
    sivel
    o mysterio e o acaso. Para que pode
    servir aemelhante tempera ? Para tudo.
    O terco d'elles foi o vicio, mas soffreram.
    Nenhum soffrimento perdido n'este
    imindo, quando o pacienlo tem torga e
    tempo.
    Entre estas creaturas, a innumora mato-
    ra carece do torga. Vegetam, renitentes
    aemal.masauuiquilados pelo mal. SSoia
    mais.snsf ilpsibada das nossas sociedades.
    iutros, porm... Oh I esses s5o de
    ago. Acauelem-se ou escubram-so ; saq
    protestou o Si-
    abrace na
    ile fa-
    ientro.
    solidos para prejudicar ou para beneficiar :
    sao intrpidos ou implacaveis; inspimni
    terror ou respeito. Os grandes patdes
    lem aquella origem, os ardentes Iwfcaios
    tambem, tambem os nobres poetas, tambem
    os magnnimos apostlos.
    Ser Ca touche, aquelle*"aborto ? ou lto-
    bespierre ? ou Bernardutte ? ou Beaurnar-
    aquelle
    EHsvie-

    que nao
    chais ? ou Vicente de Paulo ?
    Paris de ludo capaz.
    Mas como feio luz da loa
    rebento de parvo ou de here !
    mos os olhos I
    Emquanto tudo dorma, n'aqueile bura-
    co, cheio de illnses e miseria, a porta da
    casa lo Tres Patas, situada no and ir iafe-
    rior, rodon de mansinho nos gooz >s. (
    .-ervente aleijado do pateo do Pralo de
    Kstaaho sahio precatadameole de casa, de-
    pois de ter previamente apagado a bu.
    Subi a estada de galinhas, e era aflli -Uva,
    as curiosa ver com que de tres* de rep-
    til elle aproveitava o apparelho ou terceira
    pata.
    Parou diante do cubculo de Echalot c
    applico i o ouvido.
    Depois, m-ittendo por um corredor e-;-
    treito pie atravessava o forro, alcancon a
    escada de servico e desceu os degros, -
    cuando, at ao primeiro andar.
    Ahi.Jttvia duas portas, das quaes urna
    dava para as oozinhas, vasttssimas e cheias
    le vida, da casa de Lecoq,. que era un
    gastrnomo de forga.
    Foi na outra que o aleado baten-is
    pancadas, assim -espacadas : tre, "*fts,
    urna.
    A porta gyron immedidtamente nns gou-
    zos, e urna voz de mulher esergieamoete
    rouquenha disse (to dialecto corso :
    Fa giorne, dunque, aqiuste *tW
    sclopat ? (Rompe o dia esta noute euro-
    piado ?)
    Tres Patas transpoz a soleira rastejando,
    e respondeu :
    Ha uovidade. Sra. Baptista.
    Ihei hoje por dous, sssm aleijado
    sou. N5o me deita antes de fallar pa-
    trSot
    (Qotlimwvlm)
    TVP.BoWliiMi^i'WtiitaWllJ i
    Traba-
    como

    I
    l Itw-


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID EG290F0RU_43DF5D INGEST_TIME 2013-09-13T22:41:11Z PACKAGE AA00011611_11998
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES