Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11997


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i^i^iMI
X'
;
ANUO XLV. NUMERO 265.
. i... %nn n-r-T m irrm
fAJH i CAPITAL LTOS5E im ttt K PASA FOSTI.
Por sois ditos dem...... ............ ,H
Por am anno idam...... ............ %um%
daaumeroavuteo.....'.'.'.'........... Ja
SEXTA FBH ft DE NOVEM DE 8JWJJ
I IttA BA PlOVOfCIA;
Por \tii mezcs aflautado..............
Por seis dilos idem................
Por naM ditos idem...............
Por nmajmo............... .
6*7*9

Proprieclade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.
_
**>-
Os Srs. Gerardo Antonio Alves dV Futo*; -Dpj^M j .GdncaJvea d- Pinto, no
SAO AttBMTB:
MaranbJo; Joagnim Jos de Oiiveira, no Cear; Antonio do Lemos Braga, noAracaty; JoSo Mara Joio Chaves, no Assn; Antonia Marques da Silva, no
(tritio de Lima, na Parabyba; Antonio Jos Gomes, na Via da Peona; Belannino dos Santos fitcSo, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
ino Tavares da Costa, em Alac-oas; Ur. Jos Martins Aires, na Baha: e Jos Ribeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
Pereira d'Alawida^ hm*jpangape,- Antonio Alexandi-mo .
; .v em Nazareth; Prancino Tavanesda Cosa, em Alagfias; Dr. Jos Martins AiTes, na Baha; e Jos Ribeiro Gaspartoho, no Ro de Janeiro.
no Natal; Jos/ostia*
PARTE OFFICIAL.
overa da provincia.
KXPEDIRNT ASSlCKADO PELO BM. SR. Dft. MANOEL
BO NASCIMENTO MACBABft ARTELLA, VlCK-PHESI-
OE.VTK DA PROVINCIA, KM i. DE SSTEIUWO OS
<84.
! scele. .
N. S.Portara ao Exm. goooral eomaindantc
"das armas.Gommunice a V. Ext que pele va-
jiur Ltrurift vieram do presidio de Fernando de
Nerenha, a aerara apresenlados ao Dr. ehefe de
aiicia, para depwr cem testemonhas no con-
vel de guerra dos soldados do baialho de
artilharia ('.nulo Alves Moreira a Felippe Barbosa
Santiago, os sentenciados militares Manoel Fran-
flsea o Almeida, Manoel Pereira do Senna e Jos
'raajisco da Silva.
N- ?.DiU ao ihcsmo.Transmuto por copiara
V. Exc, para ter a devida eaneucao, o aviso expe-i
'iido pulo amistara da guerra "em 10 da agosto
rosna* lido em solucao comralta*feita por V.
Etc. em oficio dirigid) ao ajudante general em
46 de jul>a ultimo e sob n. 110,sobre o modo por-
gue leve procedor-se para com o espolio do te-
irtMte ari&toneiro te guerra paraguayo Pedro Jo#
Pereira, c desposas coi o irateuieuto e funeral
do mesmo. .,
tt. *.iU ao tractor d(wrenal ite-traerra. -* *"' VT* como**
tParliaipand )-nfe o com mand antelo presidio de '"
Fernando em oBcio de 21 de agosto ultimo, sob
u. 7.\, haver remetlido no vapor Cururip da com-
junltia PiTnambucana com deslino a esse arsenal,
loas candes contendo 419 pares de sapaloos de
rolla e vira manufacturados na oflicma de sapataria
daquelle presidio por coala do governo, e a proco,
le !>77 rs. rada par; assim o declaro a V. 8.
tiara seu conhecimento e dirccco.
V l).Dita ao cnsul de Portugal.Gom a i#-
eliKA copia do oficio do juiz municipal do termo
de Flores, a que acompanha o batanen a que se
procedeu na toja de fazendas da qual era socio
tinado subdito portugus Damin d'Oliveira Pinto,
^alista;) ao que solicitou o Sr. I)\ Claudino do
Arauj G:iimuaes cnsul de Portugal em seuof-
icio de tti de junlio ultimo. Renov ao Sr. con-
-til de Portiig.il a seguranza de miiilia [terieila os.
*ima e deslinda considoracao.
2' seccao.
. N. 12.Dita ao mesa.,Jonha Y. S. a dispo"-
_-i\;ao do juiz municipal da 1." vara os sentencia-
!.': raastantes da rciaciio inclusa, que, segundo o
1 i respectivo vommandantc de 24 de niei
lo, vieram do presidio de Fernando di- Noronlia,
iio apor Curunpe, uns pol" lor cumprido senlen-
-li. a outros para depor como testerauuhaa no
ou'eUio do guerra dos soldados do 4." batalliao
1e aitharia a k Canuto Alves Moreira, e Fippe
flarhosn Santiago.
N.-I3.Dita ao mes.iio. Com o oficio junto
jior copia do director do arsenal de guerra, res-
iKtndoan do V. S. de 20 do mez lindo, sol n. 12il,
|uan:o ao fornecimeato das armas pedidas pelo
'-ubdclogado do Uislricto do Peres.
X. tu.Portara ao juiz de direito de Gara:
A is:^i-ca, qu so est liquidando!
anno prximo pasudo, c referin:!o-sc os mappas
tic ns. 4, 27 e 28, que acompaiiliaram o ollicio
de V. S. do 30 .le jnllio ultimo, ao corrale anno.
dofofvo-as incluso para que com brevidade os re-
netla sem aquello equivoco.
N. 10. Dita ao juiz de orpbSos do termo do
KecV. Teiul.i por portarte de V de agosto nome.y
11 urna eommissao, composta dos rs. Ignacio
Jiwqiiim de Booza Laio, Antonio Joaquim da M.i-
raes o Silva, loio da Silva Hamos, e os negocian-
tea Antonia Gomes de Miranda Leal c Joao Ignacio
d,i llego Medeiroe, para dar exeeoeo lei pro-
vincial n. 883 do 23 du junho do corrate auno,
qM aitori ia de 20:000i com a tibnitaejb do miior nu-
mero p'issiwl de criancas do se* i femenino, re-
eamauado a Vmc. que anonas receba oartecipa-
i a liorna de .pialquer enanca Hiede tutor, Irazeudo
.lo meu conbocimento o seu noine, alim de llie ser
mtregue a mesma carta de alforria no dia 7 do
Tnle mez, como determina a citada lei n. 88o.
Ji. 17.Dita ao juiz municipal da 1.a v;.ra do
tit;iio do Hecife.transmiti a Vmc. as inclusas
is dos sentenciados que, segandooBoio do res-
pectivo eommandanle de 2i do mez Onda, vicain
lo prendi de Fernando de .\orontia no vapor
Cmnuipt, por loreni cumprido as sentenfas a que
loraui coinlciimados.
N. 18.Dita ao commandante do corpo provi-
sorio de pwlicia.Transmiti a Vmc, para os de-
vidos fins, a deliberacao junta pela q tal designo os
iffiriaes que devem compr o consellio de julga-
iicnlo do 2# sargento do corpo sob o seu cam-
inando, Miguel Archanjo Ferrara Pinto, devol-
vondo incluso o consellio de investigarlo que llio
diz respeilo. .
N. I.Dcliberaca..Para o conreino de jul-
^rtiuento do 2 o sargento do corpo provisorio de
polica, Miguel Archanjo Ferrara Puno, incurso
uos artigos lOi | l o 3, e 121 do regulamento do
2 de dnumbni de 1853, designo :
Presidente, o major liscal Antonio Feitosa de
Mcll. ,
Auditor, o Dr. promotor publico da capital.
YiiajMM Tnffff Joao Pereira Lagos e Manoel
Gaadido 4fl Allmquerquo. alfoces Manoel Mathcus
Gavskante, Folippe Santiago Torres Gallindo e
Joan Pires Ferreira.
N. 20.Dia.0 vice-presidente da provincia,
Je conformidade c*)m a propasia do r. cliefe de
muda en ouVio n. 1,263 de 30 do mez nudo, re-
s 4f conceder ao baciurel Pedro do Albmjuerque
Aturan a exonerado |r elle podida do cargo do
saodelegado do 1. dislrict da fregueaia da Boa:
Vista.
:) seccao.
N. 22.Portara ao inspeclor da thesourara de
U I.I.!: ii teta da folba o pret junto em du-
plcala, que me romelteu o commandante supe-
i >r deste municipio com oficio do iiojo sob n
17j. mando V. S. liquidar e pagar os ve-iicimen
tos dos ojoiaei e pracas do 2." lutalbao de iufan-
taria aquarlollad. no*Hospicio e dos contingentes
mez do agosto ultimo o os lias pravas 2.' quin-
ta do mesmo mez.
N. 23.Dita ao mesmo.Accuso receliido o of-
licio do 1." de jnnho ultimo sob n. 472, em qne
V. S. solicita providencias pan (pie a tliesonraria
provincial indomnise os cofres dossa reparticao, da
{Hastia de 307*080 proveniente de despezas fetas
M o iraasporie e sustento dos tre3 sentoneiados
dj corpo de polica, constantes da relacaoque
voto anoexa ao citado oficio e existentes no pre-
sidio di; Fernando. Ao final do parecer junto por
<-pia do procurador ftscal faquella thesourara
coi a qual respondo ao predito oficio, tenhn a
urrrescentar que sendo condemnados os iudivi
dnoi de que so traa, deixam de ser pragas do
jfloneionado corpo para enirarem na classo do
nentenciados de jiibliga.
M. 24.Dita ao mesmo.Transmiti a V. S.
jura ter a devtda execuco copia do aviso da 20
ii agosto prximo fiado, cm que o Exm. Sr. mi-
aktro a guerra declara ter solicitad*^ raniste-
ria da fazenda a oxpedBao di ardaos para no ere-
dito eoacadido esta tbssonraria no exerc.ir.io d
t88-6, ser annulada a qjsanj.ia de 97^03*880
nos dilferen'-es j mencionados na tabella juma no
citado oficio.
N. 25.-U ao
da li de a gesto ultimo-sob n. 67", haver remottido
no vajjor Curnnpe da Gompanbia Pernambucana
com destiao a essa thesourara, 800 saceos com
mtHio de produccao do mesmo presidio, contendo
mil e seiscentos alqneires, assim o declaro a Y.
S. para seu conhecmento e direccao.
. 26.Dita ao meemo.Annoindo ao qne so-
liciiou o juiz do direilo interino da comarca do
Cabrob no oficio junio por coma datado de S de
agosto ultimo, recoinmonJo a V. S. que, depoi de
liquidados em vista da folha e pret inclusos em
duplcala, os veneimentos do oficial e pracas da
gaarda nacional desjfaatps na villa do Granito,
durante o mes de juifc*ee anno, mande levar
em conla ao menetonado juiz a quanlia de 3i3.# &
pagar o saldo quo se di a seu favor, na impor-
tancia de.l.3000.
N. 27.Dita ao mesmo.Depois de liquidados
em vista da folha o pret nominal juntos em du-
plcala, mande.V. S. pagar a Carlos Francisco
Soares do Britu, conforme solicitou o comman
dante superiot.da comarca da iia-Visla em ofi-
cio do 4 do agosto ultimo, os veneimentos relati-
vos ao mez dojullio desie anno, dos offlciaes e
pragas- da guarda nacional destacados na villa do
Ouricury.
N. 28.Dita ao mesmo.Para seu conhecimen-
to e execueo transmiti a V. S. copia do aviso
expedido*pelo minjstei| da guerra cm 20 de agos-
to proxiao 'lindorijtfljarando como so deve pre-
i o expolio do prtOTiPiro de guer-
ra paraguaya. Pedroo- Pereira, o despcza3 fe-
tas em o tratment*' funeral do mesmo.
N. 29.Dita ao mesmo.Para seu coneci-
monti e oXcncao transmiti a V. S. copia do avi-
so do niinfeterio- da marinha de 14 de agosto pro-
xThio findo, approvando a. crdito supplcmentar
da quanlia do 5:00000ft aberto sobre responsabi
lidade esta presidencia, para occorrer despeza
da verbaForca Naval "do exercicio de 1808 a
I8G0, e determinando que. deve "elle sahir do de
9:097386, concedido <>r av'so de 27 de joliio
nltitno.
N. 30.Dita ao mosmo'.Constando de oficio
do commaniante do presidio de Fernando haver
ntralo no da 24 do agosto ultimo no exercicio
do lugar de inajut! dajjraca- o capitao aggregado
;i firiin de iufanl.'.ria Joaquim Antonio de Moraes,
para o qual fra nomeado por aviso do ministerio
da guerra de $ do jullio desu auno, assim o com-
munico a V. 9. para seu conliecimenlo.
N 31.Dita ao mesmo.Transmittindo a V. S.
para seu conlie^jmenti c execucao copia d aviso
de 20 do agosto prximo lindo", em que o F,xm.
Sr. ministra da*guerra declara ter solicitado do
da ultima seccao da roa Imperial da fregoezta d
S. Jo:> destacidade, etendo em vista a informa-
jo ds director gcral interino da instruccio publi-
ca de 30 de agosto prximo Ando sob n. iSi, re-
solvc concederlhe opraz de trinta dias se.n p-
juizo Jos respectivas veneimentos, para elfeetuar
a sua mudanca
EXPEDIENTE A3SI6NAD0 PELO R. DR. JOAQUIM C.0%-
BEA DE ADAUJO, SECnETAIllO DO G4VEKNO EM 1 DR
sbtsueno k 1869.
2* seccao.
N. iS.Oficio ao Dr. chefe do polica interMfc
O Exm. Sr. vicepresidente da provincia manda
declai-ar a V. S. que, por deliberacao desta data o
de coiformidade com a sua pronosia em oficio n.
1,263 de 30 do mez lindo, concedou ao baeharel Po-
dro de Albuquerque Autran, a exoncraoao por ello
pedida do cargo de subdelegado do pnmeiro dis-
tricto da frogueza da Boa-Vista.
N. 44.Dito ao mesmo.S. Exc. o-Sr. vice-pre-
sidenu da provincia manda declarar a V. S., enx
respoMa ao seu oficio de 30 de agosto ultimo sob
n. 1,262, quo a lliosouraria provincial tem ordem
para oagar ao lente Antonio Corroa Maia, a
quanlia de 213000, constante do citado oficio.
(L io.Dito ao commandante superior interino
da guarda nacional do Recife.O Exm. Sr. vice-
presidente manda declarar a V. S. que leve o con-
veniente destino a guiado "corneta tovino*-
dos Prazeres, deque Uatajp seu oicio
28 do mez findo. -*
N. 48. Dito ao eomman lana superior da guar-
da nacin! de Flores.S. Exc. oSr. presdeme da
provincia manda declarar a V. S. em resposta ao
seu oficio do 1" de agosto ultimo, que a thesou-
rara do fazenda tem ordem para pagar ao alteres
Jos ttaymundo Pereira, ou ao son procurador"
Joo Veixeira da Bocha, es veneimentos conjun-
tes do citado v.ficio.
N. 47.Dito ao commandante superior da guar-
da nacional da Boa-Vista.O Exm. Sr. viee-presi-
denta da provincia manda a declarar a V. S. em res-
posta ao seu oficio de 4 de agosto ultimo, que a
thesourara de fazenda lem ordem para pagar a
Garlos Francisco Soares de Brilo, os veneimentos
constantes do citado oficio.
N. 48.Di'o ao commandanfl*superiorda guar-
da nacional do Ganmhuns O Exm. Sr. viee-pro-
sidonte da provincia, responJeado ao oficio le V.
5. datad-do 26 do agosto ultimo sob n. 73, man-
da declarar que a thesouraiia de fazenda tem or-
dem para pagar os vencimenlos da escolta de que
trata o citado ofllco.
N. 49-.Dito ao juiz do dircito da comarca de
Cabrob.e-ta data transmittio-se a lliosouraria
qnc solicitou o commandante do presidio, no ofi-
cien. 78 de 2J de agosto prximo dudo, junto por
copia.
N. @.Dita ao mesmo.Derendo segwr pora
o presidio de Fernando de Noronha pelas V ho-
ras do da lOcorrwHe, o vapor Curunpe da com-
panliia Pbrnamboeana. ponha V. S. a disposi^ao
do chefe de polica,os sentenciados que tiveremdo
ir para all, e remetta com antecedencia a esta
presidencia as respectivas guias.
N. fi}.Dita a mesm. -Remello a V. S. a.
guia dos sentenciadas Manoel Rufino de Carvalho'
e *6 Vicente de Arruda, que no vapor Curunpe,
vieram do presidio de Fernando para constituir
procurador tiesta cidadn con pedram, o recom-
mendodhe que os fao.i oportunamente regressar
para all.
N. 64.Dite ao commamlante do corpo provi-
sorio de polica.Pode- Ymc. mandar engajar no
carpo sob seu commandoise tivera necessaria mo-
ralidad?, 0'paisano Serapnn Alves do Mondonga,
quo segnio o termo de nspree.jo annexo ao seu
oficio do 1* crreme, sob n. lOi, foi concderado
apto para o^ervigo militar.
N. 65'Deliberacao.G-.vicv-presidente da pro-
vincia, leudo eui visla a preposta do ttnenle-core-
nel eommaodajito do '' lnualhao de infantaria da
guarda nacional dosto'iiiunirtpio, o o que informou
oito o respectivo coumModaiile superior ii)-
ooio o:libio da 31 de n^vy/iMo, sob u,
ve ii orneara HVirii-oe iTStncisro de Ma-
raes p&a alferes da 4" eompunfei do referido ba-
lalliao.^ W ,
3a seccft.
N.^$ jPorlric ao inspector da thesourara de
fazonSa-Ern vista da inclusa' folia,qua roe re-
in.'ttea iusposiflf da-saudo do ivirto desta cidade,
co:u offlojiji de uuntem, mando V. S. nafar ao aju-
dante de pharmata Ion; Podro dos Santos Noves,
coutractado para fazor as dosiMeccoes dds,navios
(irocolentes dos portes infectados, a quanlia de.
102000 que lem ello direite como se v da
mencionada folha.
N. 67.Dita ao mesmo: Mandi"- V. S. pagar ao
gerente da companhia l'ornamtMiona a nuantia
de 11:166(60, proveniente da sunvoncSo relativa
ao mez de agosto ultimo, rom pie-o foverno im-
perial auxilia measalmojite aquella companhia,que
segundo allega no inclii- requorhuento satisfez
os eumpromissos no precitado nier.
N. 68.Dita ao mesmo.Paca V. S. liquidar e
pagar, cm vista da follu, reiafw nominal o pret
juntos cm duplicata, os reiTcimeotos relativos ao
inez de junho ultimo do oficia! e pracas da guar-
da nacional destacados na villa da Boa-Vista, de-
iDintslerio da fazenda oxpedicao de ordons para
quo o crodilo conceotilo i essa 'lliosouraria para o
exercicio do 1808OJ, soja augmentado com a
quanlia do 30:938^333 na forma da tabella anne-
xa ao citado aviso, eliamo sua attencao para a
observacio que vom abaixo da mesma tabella.
N. 32.Di a ao masmo.Expoca V. S. suas or-
den! para que sejam liquidados, em duplcala, os
jenciiiientes do oficial e pracas da guarda nacio-
nal, destacados em Villa-Bolla, durante o mez de
julho ultimo, c paga a sua importancia ao alteres
Jos liavmundo Pereira on ao seu procurador I >o
Teixolra dii Rocha, confirme solicitou o comman-'
dante superior interino da comarca de Flores om
Mel do 1. de*agosto prximo lindo.
N. 33.Dita ao mesmo.Transmiti a V. S.
para os devidos fins a liliacao junta do corneta
Jovino Antonio dos PraeTos, quo segundo oficio
do commandante superior da guarda nacional des-
te municipio n. 172 do 28 do mez Iludo, foi con-
tratado a 1 do dito mez jara servir na 6.a compa-
nhia do 1. balalhao de arlilharia deste municipio.
N. 31.Dita ao mesmo. Particpando-me o
commandante do presidio aj-Fernando em oficio
do 2i de agosto ultimo sob"n. 73, haver remotti-
do no vapor Cvruripe da Qtmipanhia Pernambuca-
na com destino ao arsenal de guerra 2 caixoos
conteni 419 pares de sapatoes de sola e vira,
manufacturados na oficina de sapatara d'aquelle
presidio por conla dp governo e a preco de 1-3'"/
cada par, assim o declaro a V. S. para seu co-
nheci meato.
N. 35 Dla ao mesmo.Depois de liquidados
cm vista da folha c pret juntos em duplcala, a
que se refere o oflkio do Exm. Sr. brigadeiro
commandante das armas datado de hoje sob n.
523, mande V. S. pagar os vencimenlos do oficial
encarregado do deposito dos prisioneiros de guer-
ra paraguayos c dos meneiorados prisioneiros,
sondo os d'aquelle relativos ao mez de agosto ul-
timo, o os destes a 2.' quinzena do mesmo mez.
N. 36.Dito ao mesmo.Hecoinmendo a V. S.
oue, depois de liquidados em vista da relacao no-
minal e pret juntos em duplcala, os vencimenlos
de urna escolla de guardas nacionaes que voio do
termo do Bom Conselho, conduzndo reerutas com
deslino ao exercito, mando pagar a sua importan-
cia ao sargento commandante da mesma escolta,
conformo solicitou o commandante superior da
comarca do Garanhuns, cm oficio de 26 de agos-
to ultimo sob n.7o.
N 37.Dito ao inspector da thesourara provin-
cial.Toado, por portara de 4 de agosto, Hornea-
do urna eommissao composta dos Drs. Ignacio Joa-
quim do Souza Leao, Antonio Joaquim de Moraes
e Suva, Joao da Silva Hamos, Antonio Gomes de
Miranda Leal, o Joao Ignacio do llego MeJeiros
para dar execucao i lei provincial n. 883 de 23
do junho do correte anno, que autorsou a pre-
sidencia a despender a quanlia de i0;00t>5, com a
liberiacao do maior numero possivel do criancas do
sato femenino, recommendo a V. S. que satisfaga
aos pr ipriotarios das que forom alternadas, as
quamias que constarem por extenso das guias que
a mesma eommissao passar, afim de so cITectuar
o pagamento.
N. 38 Dito ao mesmo. Ao tonente Antonio
Correa Maia mande V. S. pagar, em vista da con-
la junta cm duplcala, que ino remelteu o chefe
de patate interino com oficio de 30 de agosto ul-
timo sob n. 1,202, o que justamente se dever do
aluguel vencido de 24 de maio doslo anno, a 21
do citado mez de agosto, da ca-a que serve de quar-
tol ao destacamento da povoacao do Peres.
N. 39.Dito ao eliefe da reparticao das obras
publicas. Remella Vmc. com a maior urgen-
cia esta presidencia o mappa das distancias en-
tre as diverjas comarcas desta provincia c entra
estas e as eonnantes de outeas, que Ihe te exigi-
do por portaras de 28 de setemuroe 28 de novea-
bro du anno prximo findo.
4* seccao.
N. 40,-Ofio ao Exm. RvaL Sr. bispo diocesa-
no -Convido V. Exc. Rvma. para assstir ao cor-
tejo que deve fazor-so n > palacio do governo a cf-
flgie do Sua Magestade o imperador, pelas 5 no-
ra< da tarde do ? de setembro correte, glorilo
anniversario da iadependoncia do Brasil. Reitero
a V. Exo. Rvma. os meus protestos de subida es-
tima e deslinda considoracao. Vs$
N. 41.Deliberacao.0 vee-p^ idate da pro-
vincia, atiendendo ao quo requeren a professora
I
"a
lina Pereira e Silva, conforme solicitou o com
mandante superior daquella comarca em ollicio
de 10 do agosto prximo liudi.
N. 69.Dita ao mesmo.-*Remctto a V. S. para
seu conlicclmcnlo, copia lo aviso expedido pelo
miiisterk. da marinha de 20 de agosto ultimo,
comuiunicando quo o governo imperial accede a
proposta da junta administrativa da Sania Gasa de
Misericordia desta capital, para conservar como
parle intesa|j)l4-d<> #el1 patrimonio a edifieaeau
fciW pela 4wp*epao do ar-nal de marinha dista
provincia, na Iba do Nogneira, perteneenle refe-
rida Sania Casa pela terina determinada na 2*
parto do mesmo aviso.
N. 70.Dita o mesmo.Depois de liquidados,
em visla da teina e prets nomnaos juntos cm du-
plcala, mando V. S. pagar so- tente Tliont
Lopes do toofta conforme soiieitou o comman-
dante superior da comarca do Taoaratu, em ofi-
cio de o de agosto ultimo, os veneimentos relati-
vos ao mez do ju ho prximo (indo do oficial o
pracas da guarda nacional, destacados na villa da
Floresta.
N. 72.Dita ao inspector da thesunraria provin-
cial.Transmiti a V. S. rs iuchisos mappas om
duplcala, alim de que mande liquidar a despesa
feria como sustento dos presos pobres da cadeia
do Santo Antao nos metes de maio a junho deste
anno, o. pagar a sua importancia a Flix de Fi-
gneira Parte, conformo solicitou o juiz munici-
pal daquollo termo em seu oficio de 30 do agosto
ultimo.
X. 73. Dita ao mo^n.i.Annnmdo ao que so-
licitou o chefe da reparticao das obras publicas
em oficio deliontem gon a. 301, recommendo a
V. S. que mando entregar ao thosourero daquella
reparticao a quanlia de 14:1005 constante do in-
cluso pedido, a qual fazse necessaria para occor-
rer as despezas com as obras por adminislracao
no Brrenle mez.
N. 71.Dita ao mesmo.Ao gerente da com-
panhia Pernambucana, mande V.S. pasar a quan-
lia de 5:0005 proveniente a subvencao relativa
ao mez de agosto ultimo, com queda provincia au-
xilia mensalmenle aquella compaiThia, que, com o
attostado annexo ao incluso requer nento prova
haver satsfeito os seus compromissos.
4' seccao.
iiiblica da cadeira da pbvoMao de Abren de Una,
Francisca Ludovioa de Borja Ribeiro, removida
ultimmenlo para a da freguozia da Varzea, e ten-
do em jsla a ioformacao du director geral inte-
rino da instruccao pablica de 28 do crrente sob
n. 277, resolve conceJer-lhe o prazo improrugavel
de trinta dias, sem, projuiz> de seus vencimimus,
para effectuar a sua mudanea a contar do dia Om
que deixar ? exercicio da pnmeia cadeira ao ero
que entrar a d segunda.
N. 4>-J)iU. 0 vee presdanle da provine,
attendendp ap que roquereu Emilia Joaquina de
_jsmo. Partecipaodo-rae o Medeiresman Caldas, professora publica da cr-
.jommindamn de- ^aidi te Fernando em oficio' ueira da poviaJan de Correntes, removida para a
de fa::enda, para o lim indicado no oficio do V. venda esse pagamento ser elToctuado Andr Ave-
S. datado da 5 de agosto ultimo, a folha o pi el
que em duplcala vieram annexos aoeilado OasMO,
o qual lica-assim respondido de ordem do lx.n.
Sr. vice-presidente da provincia.
N. 50.Dito ao juiz municipal da primora vara
do turnio do Recite.O Exm. Sr. vico-presidente
da provincia manda declarar a V. S., quo segun-
do commiiniea o commandante do presidio do Fer-
nando de Noronha, icndo .o vapor Cumripe arri-
bado ao llio Grande do Norte,all ficara por (len-
te, o sentenciado Antonio de Salles Cortea quo
para aquelle presidie ia.
N. 51.Dito ao juiz municipal V termo de Ga-
ranhuns.O F.xm. Sr. viee-presidenlo da provin-
cia manila declarara V. S. que ficou inteirado po-
lo seu oficie do 21 do mez lido, do ter nessa da-
ta astumdo o exgrcicio do cargo de juiz do dirai-
lo da comarca, no impedimento do cffeclivo, ha-
chan! Antonio Manoel (ju Hadeiros Furlado.
N. 52.Dito ao presidente c memhros do con-
selho do revisto da qualiicacTio da guarda nacio-
nal Jo Cabrob.O Exm. Sr. viito-presidenle da
provincia manda aecusar o rocebimenlo do ofi-
cio de Vv. Ss. de 28 tejuino ultimo, em que dia
contss dos trabalhos do conselho de rovisao da
qullfieacao da guarda nacional da parochia de
(jabrob, do qual lizeram Vv. Ss. parte.
N. 53.Dito ao baeharel Joao Alvos Pereira de
Lyra.Pela secretaria do governo se commiiniea
ao Sr. Iiticharel Joao Alvaros Pereira de Lyra. juiz
muu cipal do termo do finjo, que Bella so acha o
tiiuli> de un mez de liceuca, que pelo governo
imperial Inc foi concedida por portara de 16 do
inuz indo, con viudo que o mande solicitar.
3' seccao.
N. 53.Oficio ao inspector da thesourara de
fazenda.O Exm. Sr. vicepresidente da provin-
cia manda declarar a V. S. para os fins conveni-
entes, que segundo oficio do juiz municipal do
tormo do Garanhuns. baeharel Joaquim Antonio
Coellio Ramal! do 21 do mez lindo, Beato data
assuinio elle o exercicio do cargo de juiz do di-
reito da comarca daquella nomo, no impedimento
do ro-pectivo juiz.
N. 54 Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. vicc-pre-
r-ideuto da provincia manda devolver a V. S. com-
poteitemc te despachado, o incluso requerimento
documentado de lose Jacome Tasso, a que so re-
fere a sua informaeao de 23 de agosto ultimo, sob
n. SU.
KXPDIENTE A'SIMADO PEI/J EXM. SR. DR. MANOEL
DU NASCIMKNTO MACUADO PORTtXLA, VIOE-rKESl-
Dli.NTE DA VBOVIHGI V. KM t DE SETEMBRO DE 1869.
! seccao.
N. 56.Portara ao inspector do arsenal de raa-
rinlta.Remello por copia a V. S. para seu conlie-
ciniento o incluso aviso expedido pelo ministerio
da marinha em 20 de agoste ultimo, cotiununi-
cando quo o governo imperial accede proposla
da junta administrativa da Sania Gasa de Miseri-
cordia dosta capital, para conservar con parle
integrante do seu patrimonio, a edilicacao feia
poli, inspeceau do arsenal de marinha desta pro-
vincia na ilia do Nogueira, perlencente a referida
Santa Gasa, pela terina determinada na 2* paite
do iicsmo aviso. *
PC 57.Dia ao inspector do arsenal de mari-
nh;..Providencie V. S. para que os sentenciados
do justiea c militare-, escollas que os conduzirem
e o mai's que por ventura ter-lhe apresentado por
paito do cjiniiiandante das armas, arsenal de
guerra o thesourara de fazenda, sejam poitos
bordo do vapor Cururtpe. da companhia Pcrnam-
bttoana no dia 10 do correte, om que tem de
sabir para o presidio de Fernando.
2* sec o.
H. 58.Portara ao chefe de polica interino.
De-rendo seguir para o presidio de Fernando pelas
12 horas do dia 10 do correte o vapor Cwnripe
da companhia Pernambucana, ao juiz municipal
da 1 vara recommendo nesta dala que ponha
disposicao de V. S. os sentenciados quo houvorein
de ter aquelle destino.
W. 59 Dita ao mesmo.Informe V. S. elreums-
tomadamente sobre o que representa o comman-
da He superior da guarda nacional dos munici-
pios da Roa-Viste c Oaricnry, no oficio de 10 de
agosto prximo findo, junto por copia, cora refe-
re acia ao destacamento e ao delegado do polica
do primeiro dos referidos municipios.
N. 00.Dita ao commandante superior interino
da guarda nacional do Recife.Toado por delibe-
racao desta dala, de conformidad! om a sua ia-
Unnacao de 31 de agosto ultimo, sob n. 171,e
sob propta do tenenie-coronel commandante do
3* balalhao da guarda nacional deste municipio,
nc meado a Hennque Francisco de Moraes para
al'eres da 4' companhia do mesmo batalha ; as-
sim o communico a V. S. para sen eonheei-
mento.
N. 61. Dita a infe mnoieipal da 1* vara da
termo do Recife.Remelle a V. S. as inclusas
guias dos sentenciados Meldiiades-Jos de Sant'
Aiwa, Jao Francisco de Sonsa, Joaquim Clemen-
te de Ameran e Olavo Jos ffeenad, para ofla
Thom Lopes de* Swina os veneimentos, constantes
do oficio de V. S-. datado de S de agoste ultimo,
o qual fica assin respondido de ordem do Exm.
Sr. viee-presidentfr do provincia.
N. 81.Dito m juiz municipal do tormo de
Santo Amaj.A Felfa de Figueiroa laria auto-
risou-so nesta data ar thesooraria provincitil a pa-
gar a importancia das cuntas que em duplcala
vieram annexas ao oficio do V. S. datado de 39
agoste ultimo, o qual ffea as-im responlidb de or-
dem do Exm. Sr. vice presidente da provincia.
3" seccao.
5. 83.Oficio ao inspector da thesourara de
faecnda.S. Exc. o Sr. (--presidente (te pro-
vincia manda devolver a J'. 5. competenteraento
despacnados os dou inclusos requenmenti do-
cumentados, de Mara Joaquina Je Jess e Manoel
Mhriins de Garvall, a quo se- referom as sins n-
formacucs de 27 do agosto ultime sob n-. 59(>e
cm
Ni 8i.Dite ao mesmo.S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia manda declarar a V. S.,
para seu conhocimento e fins coiiTenientes, que o
vapor Ctmtripe da companhia Pornambucana se-
gu para o presidio de Fernando no dia 10 lo
eorreme as 12 horas da manla.
N. 8S.Dito ao obofe da reparticao das obras
publicas.S. Exc. o Sr. vics-prusidonto, la provin-
cia, manda declarar a V S., qm resista ao son
lUpidjp-;ln:-)n.fWi.'lut a eararia
provincral trem orum para entregar ao tUesourei-
io dossa reportijao a i|tianlia da lirfiOO ons-
tatitc do pedido que em duplcala voio annexo ao
citado ollieio*.
4" secgd.
N. 86.Oficio a inspector da saiide do-porto.
0 Exm. Sr. vico-presidente da provincia manda
declarar a V. 5., em resposta ao seu oflloio do
honletn, quera tlwsourana de fazenda leu ordem
para pagar rv importancia da folha quo veioanne-
xa ao citado ofBcio.
03PACIIOS D.V PRESIDBNCIA 00 DIA 1G DE NOTEMBOIl
' DK 1869.
Capitn Antonio Muii de Castro Djlgado.Ro-
que ira ao govorao iuip-ral.
Os devotos de Nossa Senhora da Luz, erecta na
igreja de S. Jos- de Riba-Mar.Expeca se ordem
part a gaarda.
Eduardo Autuncs de Albuquerque Moli.Con-
ceda-se.
Idalioa Escolstica Guodes Alcoterado.Passc-
e delibeaapao, eoncedondo a roraocao quo pede
a snpplicanto.
Jeronyina Mara da Gioceicao.Informo o Sr.
inspector do arsenal de marinha.
Joao N'epomuceftij.Interine o Sr. inspector da
thesourara de l'asenda.
Jos Augusto de Araujo.Junte-so aos papis
anteriores, c remella-so ao Sr. inspector da fie- Qca^ ^ traballu e do operario.
sourma de razendn provincial. scienlillcas, quo leve do sustentar
Desetnbargador Joroiiyini Martiniano Figurara
de Meflo e Francisco de Paula Correa do Araujo.
Informe o Sr. inspector da thesourara do fa-
zenda.
Juvenal Xavier Torres.Informo o Sr. hspe.ctor
tfa thosou rafia provincial.
Jos Sanclw Rezerra Cavalcanti.Informo o Sr.
coronel comiiiandaiilo superior da guarda nieto-
nal do Santo Antao.
Jo.- Joaquim Ferreira do Souza.Junte a plan-
tado terreno de marinha em que se aeham edili
cadas as casas arrematadas, como exige o arl. 11
de decreto n. 4IOde 22 de fevereiro de 1868.
Muioel Luiz Salgado.Informo o Sr. inspector
da thesourara de fazenda.
Manoel Pereira da Silva.Diriji-se ao Sr. des-
embargador provedor da Santa Gasa de Misericor-
dia em sessao da junta.
Thomaz Antonio Francisco Barrete.Informe o
Sr. r chefe do polica.
Thom A vellos Espinla.D-se o transporte
que fr devdo. .
PEMAIBCO.
N. 75.Portara ao desembargador provedor da
Santa Gtsa de Misericordia.Gotn a inclusa sen-
tenca remeti a V. Exc. copia do aviso expedido
pelo ministerio da mariiilu em 20 de agosto u!li:
mo, declarando que o governo imperial accede a
proposta da junta administrativa dossa Santa Casa
para conservar orno parto integrante de seu pa
trimonio, o edificio feito pela inspeccao do mari-
nha desta provincia na tilia do Noguera, perlen-
cente a mesma Santa Gasa, alim do que a til res-
peilo se proceda pola forma determinada na 2'
parte do citado aviso.
N. 76.Dita ao gerente da companhia Pernam-
bncaita.Podo Vine, fazer seguir para o presidio
de Fernando no dia 10 do corrente, o vapor Curu-
ripe, a hora indicada em smi oficio do I ucsle
mez, corto deque ficam expedidas as convenien-
tes ordens paca o flm solicitado em dito oficio.
N. 77.Dita ao gerente da companhia Vigilante
do rehogues.Resuondendo ao son oficio do 28 de
julho ultima, tentada dizer, que deve a companhia
Vigilante presentar a respectiva tabella dos pro-
cos, feita a deduca de que trata a lei n. 891 de
25 de junho do crrente aHno.
RXPKDIENTE ASSIGN'AD PELO SR. DR: JOAQUIM COR
1UA DE ABAUJ0, SECRETAR DO GOVERNO EM i DK
SETEMBRO DE 1869.
! seccao.
N. 78 Oficio ao Exm. Si. general comman-
dante das armas.De ordem do Exm. Sr. vice-
presidente da provincia, communico a \. Exc
para os fins convenientes que a 10 do corrento
ao rae da, seguir para o presidm de Fernando
o vapor Curunpe da companhia Peruambucaua,
a fiordo do anal devem estar com a precisa ant :
ciencia os presos o objeelos que para
do ser reuiettiios.
2' seccao.
N. 79Oficio ao Dr. chufe do polica interino
De ordem do Exm. Sr. vice-presidente da pro-
vincia, communico a V. S., quo nesta data se re-
mette ao juiz municipal di iJ vara, a guia dos
sentenciados Manoel Uulluo de Carvalho e Jos
Vicente de Arroda,-noe, no vapor Ctiranpr, vie-
ram do presidio do Fernando para con*tituir pro-
curador mista capitel como pediram.
N. 80.-Dito ao oommandante snpenor dagoar
da nacional da Ba-Visla.S. Exc. o Sr. vice-pre-
siiente da provincte, mandA declarar a v.s que
nesta data aiMorisou-se a Ihesoornria de'farenda,
a pagar a Andr Avetinn Pereira e Silva, os ve-
cinieiOos eonsionles do sen oficio de 40 do.cor-
rente, enja i' parte fica assim reseondiaa.
X. 8t Dito ao coiwnaadanto superior *( gaa-
dn aaeteonl de Tso.irat*.N0*t data Otnraotr
en a thfisourarJa de Cneodtt- a \mp ae.teB*te
all tiverem
re"vt:sta diaria.
FALLECMF..NTO.Gossou do bater aos impul-
sos da vida um coracao generoso; e urna alma do
eleco, como a chrysalda, desprendeu-so do invo-
luci-u corpreo que a lgava Ierra, c vou as re-
gios da luz em demanda do seio do Eterno.
A moite rompen o elo mysterioso, e suti aza fa-
tal Tocou poi urna vida sympathica e preciosa
que fl irescia, para tndo quanlo grande, que se
expanda aragem das virtudes em actos continuos
de generosidade e cavalherismo.
Illusiracao medieo-seienlifica, espirito de verda-
deira religiao, patriota intero, amigo dedicado al
ao sacrificio, aflabilidado singular, coracao de ouro
>ob todos os pontos de apreciaca>, ludo isto est
perdido; ludo isto baixa a sepultura com o cada-
ver do Dr. Sabino Olegario Ludgcro Pinho, a quem
si taos qualidades em vida,serviram de apanagio.
na transicao da Ierra ao co, ficam como o monu-
mento da perpetuacao de sua memoria, senipre
grata por justos ttulos nossa populacao.
A molestia cruel, que o accommotlera aoenas re-
colindo do Maranltio osla cidade, o eojoa prdo-
mosjse linbam manifestado naquella provincia,
nao deu folga medicina, e f i revel a toda pres-
crlpc > therapeutiCA'. Represenlacao viva do pro-
tlio dos antgo?, tomou a doenca em seu doloroso
curso difforeates aspectos, o estes drena pbasee
diversas; o nessaJvaroJade os diagnsticos annul-
lavam-se. e o principio vital actuado pela affeccao
mrbida, qae interessava a mais do um orga', de
perecia de dia para dia, e rpido caminhava para
a aniquilacao completa do si, a despeito do todos
os.esforcos dos collogas, apezar da dedcacao dos
amigos, nao obstante os affectos da esposa e dos
(ilhos e mais parales, que o cercavam como cen-
tro de amer extremo, qne se dilTundia por esees
entes queridos como.circumferencia animada do
guaes seutimentos.
E o periodo de dor que a enfermidade abrir
para cssas almas devotadas, feehou-o finalmente a
morte na quarta-foira pelas 9 horas da noite I
Potase flor, que foi impellida campa, quando
menos era do esperar, quando a idade augurava-
llie anda compridos dias de existencia I
Mas a vida sempre longa sob a eondicio de ter
sido bom empregada ; e a vida do Dr. Sabino deu
sempre o exemplo das virtudes mais austeras em
allianca com a simplieidade dos costumes e com a
Ihaneza das acedes. .
Nella coasorclaramse as qnalidades. do cidadae
dsiincto com o lypo do bom paide familia; nella
reuniram-se as co'ndcoes do homem so ial eora o
modelo do medico ; nella tudo punha em relevo
o homem de bem.
N entretanto, perdeu o paz um filio credordo
apreco, que Ihe era volado, quer polo talento e
lauras, cora que fra aquinhoado pela natureza,
quor polo carcter elevado, que dtaeavolvia sem*
pro em quaesquer relac4es da vida social. E>w
provincia, quo na aurora de .sua existencia medica
4t acolhera com interesse, o o affagara com cons-
laates demonstraeoes de deferencia a sua pesa*
o propaganda; este provincia que foi a sede d
sou apostolado, o aonverteu-se em seu domicilio
delinitivo, o s^nle porc erto mui extensamente, por
que conocidas e apreciadas *s qualidades indivi-
duaes do r. Sabino dentro de piuco lempo por
toda a populacao, foi elle juntamente estimado Dor
todos sem disilnecad de classe* c condi5o5,lia-
veado'assim por soua trabalhos o softrtmantris essa
gorte fle adiantamenio om doma do fotarcii, porque.
tamosm a todos prestava-se com igual animo dV
oficiosidade, e deseinpenhava por esta fama *
misio do medico.
A medicina foi para cito cortamonte urna rcl-
giao, cuj i sacerdocio casa va-so com o seu natural
generoso ; e o systcina lumeopalhico, ipie, ha
poueo importado da Eorotm no sal uV> imperio,
ensiava all e demonslrava praticausete a so
forga curativa; o syslema honeopatnico, que o
Dr. Sabino alr.icira cm sua ioiciacao meliea eam
o fervor do neopliyto, doveu-Jhe a propatraeia ao>
norte do Brasil, e dtevcu-lho anda mais inoenla-
ca e consoquente sustenlacao de seus priucpios
fundanientaes.-
Xa evangelisa^ao dessa diutrim manifrneanr
clara.ncnto a sua vocaeio para olla, vjsto con,
teridj de mortal doenca e j devengado da ttaera-
peutica allopatbicav experitnontou eia si a forca
curativa dosystema do Hah tumon. a qae tova re-
curso como ultima solnea di prohtema to aaa *.
existencia-, condemnado proxiao exliac^to da
materia por aquella escola, em que fra cruda, e
cujas doulrinas professora at cnlao.
II i na vida de lodos o- horneas cetobres um ata-
meiito solemne, em que *.lla se cmnpleta, toma
um caraetsr pessoaT por urna rtrcouistaaeia
ipe Ihe sobreven); e essa> molestia fot para a Dr.
Snbino esse mmenlo, dtr qual nasceu a sua traoa-
termacao, ciraprimio-lho- urna phy>iojiuaia qne
jnais ser esquecMa.
Dessa portentosa rosunrii^ai sabio poia o apos-
tla, c, no perodo de impl.-Miiaco da idea, na qqe
a lula era constante, o apostillo' reveloo-sa inspira-
do pelo espirito santo da intelligencia rigorosa, do
talento superior, que llio frt ou-.hurgado peta (ta-
ture;.
Sanio na vocarao, Saulo no xito da Iota, aca-
cia pela lgica c polas verdades fundamenta* da
argumentara, ipiandi esta t--vrava en terrena a
ro, e esmagava poto sal do punsamento apetaeoa-
veniencia da forma, piando eregia-M pi arr-
menlo a facocia ; a qual sa II oppnntm nao ra-
ras vezes como me syslcinatieo de itesprestigiar
a lei dos- sementantes.
Esta, no entretanto, sob a sua applcaca>t intn!-
ligente. radicava-se na crtica putica o nella
Arma va se por toreados faolos, mais eloqoentes lo
que pala vra -; dava a copia ni-iis brlhante por ucea-
siao do acninineKiinentp d: febro amar lia a asa
capital; efootindava-se-por inoio do elnto* mar-
vilhosos e;n prosenoa do viajante asitico, qar.
como aquella, invadir tambera epidmicamente
pela BfimeJN vei ae-ta iirovincia.
E assim, o seu trabalho nao Icju estril, fructi-
ficou cm bem di li.iiamdado desde a Baliia .leo
Para, fulgindo de toas accies em lod osse Irlar a
constancia do apstol >, constancia pie resollara
de convidaies profundas, do etiridado evang4ica,
e de zelo religioso, cujo feixo sublimo era a gliri-
Mas das lulas
quo teve do sustentar por torra de
sua misso, c mesmo das ooposifoes do ideas puai-
ticas, mu.:.i lh rcslutou una ver.ladrira desaBei-
cio, podondo-se dizursem iuoorrer em hyfWffkak,
que era cada concidadtiiina o Dr. Sabino senao
um amigor-na acceycio legitima da palavra, ao
menos itm~.^ifpiWfi-; |xvi\\w. tambera o sen
trato ameno e de-pretenoios.1, ti sua fian pieza e
acces-ibilidado, o o seu cavalheirisn pura eoni
todos impunliam naluralmonta a todos es-e senti-
mento para com ella.
Alma grande, n" deseco jamis a paixwos pe-
queninas, noin mantevo diseussao inulil a seiencla
a humanidade; e deixa ligado o seu noine a can- ^**
sa santa da lilterdade c do progresso do paz, que .
para si linha lugar eminente na hi-rarchia das
affeicoes quo Ihe moravaiii M paito. Todava,
ainda era seu entiuisastno BaaM idi;as liberaos,
quo tao symp lbicas s > ao coracao brasileiro, (oi
sempre tivsso ao exclnsivlstm da poltica mili-
tante, e nao teve urna fiiiacao directa este oa
aquello partido existente entre nda.
Sem transigir com a pureza de seus principios,
nunca soube negar o un rocimenl do adversario,
nein endiosar o coreligionario s por s?-ln; a
por um tacto singular de apreoiacao discerna as
qualidades das pt-s^oas e araara logo a cada um
na exlesao do sou marite real ou negativo ; por
quanto a serpente da observaeio nello occultava-
se sob as flores da benevolencia, e assim durante
a attencao prestada ao individuo que Ihe fallava,
ello jlgava-o, media-o, posava-o rmalnionle cm
sou valor do modo quas sempre exarlo e preciso.
E de tudo isto s resta hoje a recordaoao e o exem-
plo vivo do seu nomo, servindo de pedestal c baixo
relevo dessa estatua futura c mysterosa. que lodos
os horacns do lula e conviccao vera era seus so-
nhos, segundo a phrase dura, celebre eserptor;
porque o genio nao perienco ao inspirado, vem de
Daos ; e"quando a homem quo o:i si linha essa
cenlellia sobe tente d'ondo emauou, doixa apon
i a iramortaiidade.
A nos quo temos sou amigo dedicado, triste *
he o devor dosla conaignitca nostas paginas; mas
a fecundidade de sua vida, que Ihe garante a mise-
ricordia divina no cu c a Icuibranca do seus
c .ncdaSos na Ierra, j lio um motivo do atte-
nuaao do nosso sentir profundo ante ulna perda.
quo nos dm n'aJuia.
A' sua Exma. familia apresentamos a exprossao
dos Bossaa sent los pezamee ; o aos cena faxemos
v Aos para que faea desear a esam eoraejpas a ay->
da consolao, aps o desafogo natural Ja ikr,
quo ora laes conjuncturas irrompe espontanea do
coracao, e he forca que tonlia curso.
O cadver foi h miera dalo .i sepultura no ce-
milerio publico, depois de eolelrarcm se no eotv-
vonto do Caro os oficios fnebres de wrp i pre-
sente ; e a solemnidade lgubre do salimiento, ora-
meio de u n prestito iiuniei oso, e om que eran re-
presentadas todas as dasses do nossa sociedsde.
lavadas, all ou pela a misado, ou pela grtela, a as
lagrimas vertidas sobre a lousa do tapadero toram %
naquella hora suprema copia do apreco ;u> lina-
do, a cujas virtudes rondiam ass'.in o devideteud'.
AUTOIUDADE POLICIALPor deliberaca.t (k
presidencia, de 19 do corrente, foi nomeado dele-
gado de polica do termo do S. Rento, o cnpiia do
corpo de polica Gamillo Augusto Ferreira da
Sdva.
GUARDA NACIONAL. Por dol bem "es A;
13 e 15 do corrente, toram meneados : t)
26a batallio Je infantaria (Dimito.)
' Alteres d 2." companhia, Manoel Thomaz Villa.
^ fl V *1
28 hatalhao Alteres secretario, Joaquim Corra Rranl Juntar.
Alfercs da I." companhia, Hilario Epinh-tmo de.
FreUs Vllela. BB
Alferes da 6.*, Jos Elias do Sloraos.
MORTE REPENTINA.Anle-holeru, s bneas.
da tarde, marreu repeutinameute. era casa da -wa
>euhor Joaquim Luiz VJIela, ra Bella, a prcta.
Joanna. O* peritos declararan ter sido amorte
produzida pela ruptura d'uraa aneurisma.
HOSPITAL PEDRO II.Faltcn, no dia li J"
corrente, neste eslnbelecimonlo, dos fenmontes qae
Ihe fez o sen eompanltciro Anastacio Sergio, na
dia 7 do crrante, na ra do Cisco, a prajo eV
corpo do pliza Adolpho Herraes da Costa Rabolto
Pesta.
MOEDA SUBSIDIARIA.-PedemJMts qae le-
bremos ao Exm. (Mmselhoiro inspector da taiaatMB-i
raria da faaenda, para qne faca circular a i
subsidiaria q*e existe naquella repartii^o-.f
teda, viste como ha graado talu d'alla r^
do, e iss contsirro para a dii J.
e eleva a preeo do cajBoxo tm'm^^^^^m^m'
osto dABdo,
k -
r-


i
Di&rio de Per__mbuco Sexta feira 19 e Novembro de 1869.

Adiando razoavel o pedid*, damns-lheaqui ca-
feineoto, e recorremos mesnio ao Exm. Sr. prcsi-
~4wte da provincia, para quo csse benfico restt,ita-
4o soja consegniil"-
MONTE PI POPULAR.No da it do corrento
leve logar a posse da nova adinfnistiaco desta so-
ciedade. a qual so eonipSe dos Srs.:
Director.Rufino da Costa Pinto.
Vce director.-Heraclito Constantino de Paula
! secretario. Candido Jos do GosTdles.
3. dito.Joaquim Bernardo da Cimba Borba.
Orador.Frane00 de Assis Manteiro Pessda.
Thesoreiro.Cynno Rodrigues da Silva Cam-
pos.
Vogaes.Francisco de Borja da Oliveira, Aga-
pito Latino do Sacramento, Manoel Cynaco de
jmeiredn, Gabino Jnaqnim Gomes, Joaquim In-
oeeneio Oomes, Candido Paschoal Leal.
A sessao magna anniversaria foi transferida
*e dimingo 21 para domingo 28. dp corrente, por
telberaco do conselho administrativo.
FESTA EM OLIXDA. Terminam amanh as
novernas de Nossa Senhora do Amparo, tendo
litar no dominio a tasla, sendo oradores dflEvan-
getno o Rvi. lose Esteves Vianna, e do Te-Deum
o Rvm. Manoel loan Gomes.
CEMITERIO PUBLICO.Obituario do dia 17 do
Joan Loopoldino Lins, Pornambuco, 30 annos, ca-
gado, S. Jos i bepatite.
Emilia Mara de S- Roque, Pernambuco, 23 annos.
casada. Boa-Vista ; ulceras na garganta.
Jeanna, Pernambuco, 4o annos, solteira, Santo An-
tonio ; aneurisma.
Thema, Pernambuco, i mez, Santo Antonio ;
Antonia Thomazia dos Prazeres, Pernambuco, 70
auno*, viuva. S. Jos ; encephalite.
Manoel Barbosa dos Santos, Pernambuco, 80 an -
'nos, casad. Boa-Vista ; bexigas.
Mara, Peroambuco, 4 mezes, Recite ; denticao.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Pergii-tas importantissimas
para os enfermos.
Se por acaso jatea quo um perigo eminente
tos acercava, esperaras voluntariamente que o sen
contacto ineviuvel vos privasse da vida? Se urna
rande e calamitosa nundacao vos ameacasse ;
er ventura carias quedos e tranquillos al que
iraesina vos viene arrebatar? Por cerio que
ao! Sabis, p >k que se nao fazeis caso do uina
wsse, de um catarrho, ou de una dr de garganta,
isto poder-so-ha tornar tan fatal como um incen-
s oa ama inundaco. Cada um accesso ou pa-
roxismo violento de los prostar vossa vida. Sede pois prudentes e preca-
vidos contra o perigo, m inindo-vos immcliafa-
mcBte do maravlhoso PeUoral de Anacahuita. Em
:suas aualidadcs calmantes e salutferas se encon-
tra a verdadeira segoranca e a propria vida. Nem
a tosse, nem as nll immaces da garganta, nem as
onslipacSes c caiarrlnts, nem a asibma, nem a
irrilaeo dos pulmdos; llnalmente nenhuma en-
fermktadc pulmonar, precursora da plitysiea con-
trinada, padem resistir a sua poderosa IB
curativa; o seu poder '
impagavel.
delle era mister, guardando com ludo as conve-
niencias do seu carcter. .i
Como amigo o seu corado era nm mananeat
de'affabilidade, e sua encanecidacabeca awrvooc
c hsellios Judlciosos, para dar quelles, que o con i
* Emlim, sonhores, sacerdote exemplar, tnestr)
affectuoso, cidado prestante e amigo dedicadi,
eiso aue foi o padre Pruno!... .
Hoje, porm, hoje ura cadver mudo emi,
que apenas pode deixar gravad, indelevelmenie
no eora?ao de seus roaos em Quisto, de seus Uta
eipulos, do seus concidados e amigos a memoria
da inais acrisolada dedicacao: este numeroso con -
curso tiesta hora derradeira disto a prova mais
exuberante.
Resta um cadver, que apenas pode anda esu
ultimo momento ser contemplado e prantcado por
aquellos, que sabendo de' tras corresponder i
sua Oda amisade, vemdizer-lbc o ultimoadeus l...
Aceit, pois, tespeitvel mestre, esta lagrima da
dr e de saudade, que sobre leu corno vem der-
ramar o tou sempre .obediente discpulo; aquello,
em cojo animo as las doutas lices e sale
lares conselhos ecboavam e calavara em hesita-
cao: ooxal podesse'elle sempre encontrar en
todos os passos de sua vida- um hteotor como 1i,
para seu verdadeiro guia ;... mas raro I...
Aprouvo 4 Providencia chamarte na poca
em quo talWz podesses ser mais til a elle... pacie -
ca!... Cumpram-se os seus supremos desig-
nios o bstenbamo-nos de qHerer preseruta-lcs,
porque impossivel: busquemos somente resiz-
narmo-BOS I... ..
Mas, bom mestre, l meswo de junto ao tnrotio
do Altissmo, no cessa de continuar a tumis-
so; implora e intercede sempre por aquelie, a
quem na vida tanto prodigaiisaste os leus conso-
Ihos, insinuandoo na prlca de bem viver....
atiende o.... ...
O pranto e a saudade sero o nico lenitivo a
sua pungente dor, e urna Supplica o monumen.o
tua memoria 1 Basta!... Descanca em paz
Dedicados amigos.... Silencio I... Nao pertu >.
bemos por mais lempo o seu repouso eterno !...
Como ultimo tesmunho de respeta e amisacl#
demos-lhe ao corpo sepultura; e alma uioa
eracao!...
Recife, 13 de novembro de 1869.
Atando Wanderley.
Niexactiadonissao, que, diz o Jornal do
Recefe, me Tora dad a bem do servico publico, do
Cargo de inspector do l. quarteiro da fregue.ua
de Santo Antonio do Recife. pois nao_ tive parteci-
pacjio'de urna tal demissao, o nem to pouco siu
inspector de tal quartoirao, e sim do 10, e demi.is,
acho me dosde 8 do prximo passado mez, no goso
de 3 mezes de licenca, que me fra concedida p;lo
Sr. Dr. subdelegado ; a publicacao feita no d to
Jornal graciosa, pois que nao ha exeinplo de
publicacao om casos taes.
Manoel de Castro Leao.
inmenso o seu valor
Attendito et viete.
Para obstar desculpas da ignorancia, que ao de-
.poia queiram allegar os teimosos.*
P4.i Jovnil do Recife tem se feito obvio que no
da 18 do crranle, se vender em praca publica
as ca paro em Olmda, pertencentes ao patrimonio do
Carmo d'aqn-lle lugar,- que foram penhoradas
para paganicnlo de dcimas da fazenda nacional,
aaUadas pelo grande prego de 303000 cada urna.
O aballo asignado, na qualidade do adminis-
trador o procurador d -stes reierdos beas, laz en-
okecer ao respeilavH concurso, quo de confiTini-
dade com a luida 10 de novembro de 1830. e
muitos otros arigos, avisos e circulares, j trans-
criptos nesle eoiiceititad) Diario sob n. 20i de 2
-^ Miembro do anuo passado, ordenando a res-
tricta observancia eexocucao da citada le.
A lei prava evidentemente que a fazenda na i
pode di-p.ir, ii-iii dar destino sobre semelli unes
bens, lucr iveis, qu>>r simoventes, ou de raizes
lego, milla, e lo nenliutu ffeito^a referida
ajrematacao, s h pena o arrematante .perder
ktntutameote nao s a ptiipncdado como qual-
Saer beinfeitora que haja de fazer, sobre os re-
doabens, t.i:i--.i mais (|iiauto.o abaxo assigna
dooutr'nni i- mu agir, j tem oereeido os reu-
dttnentus Jas ditas propnedades para pagamento
da divid da fazenda.
Ao contrario, o abaixo assign ido desdo j pro-
testa contra q'nlqu'T pe-soa que ousar diverso,
de tao pxplint) esclareeiramto.
Temos eonprido eona o nosso dever.
Rocife. 17 de novembro do I86i).
O padro fre Joao do Amor Divino Slasearenhas,
vigario prior do intimo convento.
Deputados provinciaes
.- CIRCULO
Dr. Joaquim Theotono Soares de Avcllar.
Dr Luiz da Silva Gusmao.
Deputados provinciaes.
Dr. Manoel Arihnr de Hollanda'Cavalcanti.
Dr. Francisco Teixeira de S.
Dr. Francisco Leopoldno de Gusmao Lobo.
Dr. Felippo de Figucira Fara.
Dr. Manoel Joaquim Estoves.
Um eteitor de S. Jos.
Para o ldistricto, chapa pro-
vincial, 9 cidadaos benemri-
tos ao partido.
Dr. Manoel Arthur do Hollanda Cavalcanti.
Dr. Juaquim Jos de Campos da Costa de Mode-
ros o Albuqncrque.
Dr. Feiippe de Fgueiroa Faria.
Dr. Francisco Teixeira de S.
Dr. Francisco Liopoldino deGnsmo Lobo.
Dr. Jos Bernardo Alcoforado Filho.
Dr. Miguel Jo> de Almeida Pernambuco.
Dr. Antonio Domingues Pinto.
Dr. Jos Nicolao Tolenlno de Carvalho.
VVISO
e-ii.% Lttiiinai
vertida s-ohre o corpo de uien
sempre lembi*a Itvm, padre Primo Feliciano
Tavares.
Et calcando semelvia U'tlti.
(IIORAT.)
Pelo cartorio do escrivo do orphiios,
Giiim;ii5es, sao cimviilados es cidartns a
baixo declarados iVentre as'pessoas que fo-
ram mlicailas para tutores das menores al-
furriadastm vnltideda lei provincial, c que
n5o comparecern! atada, afim de, vi-em
assignar o respectivo termo de tullla, ore
ceberam as cartas de liherdado de ditas me-
nores.
Antonio de Albnquetque Mello.
Innocencio Feliciano Nazareth.
Antonio Pedro de S Birreto Jnior. -
Luiz Antonio da Cunta Lages-
Dr. Ayres de Albuquerque Gama.
Wenscesiau Machado Freir Pereira
Silva.
Joaquim Henrique de S;i Brrelo.
Francisco Joaquim da Costa Fialho,
Francisco Soare- Pacheco.
Luiz Borges CastelloBranco da Rocha.
Manoel Cyrilo de Oliveira.
Joao da Silva Antunes.
Antonio Joaquim de Andrade.
ora, conttgnada a & A. Burle & C, monifato
i calxa* tecidos do algodo; a Gregorio Paes
do Amaral & C
3 ditas armacucs para chapeos de sol a Ma-
nuel & C.
i ditas limalha de ferro ; a Shaw, Hakkes & C.
1 dita conservas ; a II. Leiden.
4 dits perfumarias, vidros e miudezas; a ma-
dama .Adour.
8 ditas papel e agulhas; a J. de Almeida.
20 ditas sardinhas, 100 ditas- spermacet, 20
barricas fadnfca de trigo ; a Thcudoro Just.
2 ditas e li caixas porcelana o chiytae.; a
Joaquim A. Pereira A Sobrnho.
1 dita chapeos de fltro a Manoel Alcoforado.
3 ditas papel e culilaria ; a Joaquim Lopes Ma-
chado k C.
3 ditas vidros e camas de ierre ; a Theodoro
Christianscn.
8 ditas e 1 barrica drogas ; a Bartholomeu 4 C.
24 ditas, 1 fardo e 12 caixas ditas, ferragens,
marroquins e arcSes; a Matunno Barroso de
Mello.
1 dita chapeos ; a Jos J. Barbosa da Silva,
i dita um billar e pertences; a Lelmajpi Iri-
res.
2 ditas perfumarias; a Cmara & Gulmaaaes.
3 ditas calcado e marroquins; a Jos L. Gon-
calves Ferreira & C.
1 dita calcado ; a Domingos- F. Bastos.
4 lita diio ; a J. P. Arantes.
4 ditas chapeos; a Severiano Bandeira de Mello.
1 dita ditos ; a J. J. da Cosa Maia & C.
i dita drogas; a Gauthier.
2 ditas e 1 barrica ditas ; a Silva & Nevcs.
26 ditas e 10 caixas ditas; a Joo da Silva Fa-
ria & li ino.
1 dita ditas ; a A. J. de Abren nibeiro.
1 dita miudezas ; a Ed. de Muraos & C.
3 ditas tecidos de linho; a Cirnciro ANoguelra,
2 ditas ditos de laa ; a Magallies & Irmo.
4 ditas ditos de dita ; a Pinto da Costa & Cas-
cao.
1 dita leite condenado, 10 barra -e 10 meos
manteiga ; a J. M. Palmeira.
20 narria e 20 meios dita ; a F. Abws Moulei-
fo Jnior.
25 barris e 23 msios dita; a Magalhaes & Lur-
val.
100 fardos papel de embrullio ; a J. M. da Rosa
& Filho.
300 gigos batatas, 66 ditas champagne, 6 meios
barris manteiga; a Augusto F. de Oliveira & C
3% formas para assucar ; a A. V. da Silva
Barroca.
1 barril vinho ; a Daniel C. Ramos.
2 ditos rlium ; a J. Grosjean.
1 dito cola; a A. Caors.
120 ditos e 130 meios manteiga, 23 caixas quei-
jos; a Corga Irmo.
4 ditas vidros, mallas, entilara c marroquins; a
A. D. Carneiro Vianna.
6 ditas tecidos de algodo; a Joao .Fernandos
Lopes-.
15 ditas ditos de dito, e de laa e de lilfo ; a
Schafheitlin & C
13 ditas dit is d dito, de algodo e de laa, 23
barris e SO meios manteiga; a II. Leger.
4 caixa ospartilbos, c tecidos de algodo ; a Silva
& CaTdoao.
28 ditas ditos de dito, de lia, de linho e de
seda ; a Cramer, Frey 4 C.
2 ditas tecidos de algodao; a Anna de Mcira
Hollanda.
5 ditas aguas do Vichy; a Manoel Jos dos
Santos.
275 ditas vinho, 1 dita bnns; a H Wilmer.
1 dita papel, 300 gigos batatas, 100 barris man-
teiga, 60 caixas sardinbas; a A. L. de Oliveira
Azevedo & C.
1 dita movis; a J. Ramos.
13 ditas marroquins, calcado, perfumarias, briu-
quedo<, e joias falsas; a Yaz & Leal.
33 ditas- phospboros, oculos, marroquins, benga-
las e crystaes ; a Isidoi o flastos & '.
13 ditas marroquins perfumarias. cspelhos e
miudezas; a Juaquim A. de Aranj i &. C.
3 ditas perfumarias; a Prente Vianna & C.
10 ditas chapeos, drogas, roupa o tecidos de
linho; a Montero & Irmo.
65 ditas e 8 barricas drogas, brinquemos, mar-
mores, chapeos, movis, marroquins, agua- niine-
iws, teeido- do linho, de algodao o de I5i, 300
gig< s batatas; aos consignatarios.
1 barrica porcelana; a Diurte Pereira & C.
13 ditas teeidos de laa, de linho e de algodao ; a
Linden Weydman & C
10 ditas ditos do dito, de linho o do lia; a Mello,
Lobo iC.-
IO ditas e 28 barricas ditos da dita, de linho e
de algodo, papel, porcelana, crystnes o objectos
para encadernador; a ordem
7 fardos c2I caixas papelo, papel, marroquins,
conservas, miudezas, graixa, cheos, teeidos de
linho, de laa e de algodo; a Monhard, Meltler
de C.
22 fardos e 18 caixas papel, queijos, tecidos de
linho, de lai e de algodo, urna machina : aKeller
&C.
7 barricas o 11 caixas ferragens, cacado, quin
quilharias o tec dos de linho; a Otto Bohres.
10 barris e 10 meios nuBteiga; a J. J. Alvos.
50 barris c 50 meios dita, ISO caixas vinho ; a
C. A. Sodr da Motta.
inspecqao do arenal de
marinha.
Na secretaria da inspeccao do a*enal do mari-
nha exisie para ser eUregue ao imperial mari-
nheira reformado Joaquim Jos dos Santos, inva-
lido no combate, acare, do ponsao que Ihe foi coa-
InspecQV) do arsenal de marinb de Pernambn-
m 18 do novembro de 1869.
O socrelario,
.Vrxiindir Rodrigues dos Anjos.
Consulado provincial.
Pela administra;o desto conmlado marca-seo
praso de 30 dias, coudos da data do presente,
alim de que os possuidores de eseravos de ambos
os sexos existentes nest cidade, que nao forem
empregados no servico domestico ou em fabricas,
venham da-los inscripcao para proceder-se ao
respectivo laneamenio, relativo ao anno eorrenle
de 1869-70, e effectuar-se a percepcao do imposto
de 5*000 por cada escravo, votado no 38, art.
48 da i n. 891, devendo os contribuintes faze-lu
por mel de nmanota declarativa do nome e qua-
lidade do escravo, bem como de quem seja o seu
legitimo propnetario.
Consulado provincial 5 de novembro de 186o.
O administrador,
A. Carneira Machado Rios.
O administrador da recebedoria de rencas
internas geracs faz cei to aos contribuintes do im-
posto pessoal do exeicicio eorrenle de 1869-70,
residentes as freguetias desta cidade e as dos
Afagados, Varzea, Pof,o da Panela, Munbeca, Ja-
boato e S. Louren^o da Matta, que neste mez de
novembro Anda-so o praso do pagamento sem
multa do Io semestre do referido imposto, depois
do que ser pago com a multa de 6 OpO
Recebedoria da Pernambuco 2 de novembro de
1869.- '
Manoel Carneiro de Sona Lacerd:.-
. COMPAA BRASILEUi
DE <
Paquetes a vapor.
Dos porto do ful esperado
at o da 21 do eorrenle o vapor
Tocantins, commandante J. M. F.
Franco-, o qual depois da demo-
ra do costume seguir para os
os portos do norte.
Desde j reeebem-se passageiroe e engaja-se i
earga que o vapor poder connuzir, a rtual deveri
tur embarcada no dia de suachegada. Kncommen
las e dinheiro a frote at o dia da sua saluda as i
horas.
Nao se recebem como encominendas senao ob
lectos de pequeo valor eque nao excedam a dnat
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medice.
rudo que passar destes limites dever ser embar-
ca lo como carga. *
Previne-se aos Srs. passageiros, qoo suas pas-
sagens s se recebem na agencia a ra da Cruz
n. S7 primeiro andar, escriptorio de Anh-nio Luiz
do Oliveira Azevedo A C. ._____
COMPANHIA PEHNAMBUCANA
DE
Navegando costea por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formas e Taman-
dar. .
O vapor Parahyba, commandante Mello, seguir
para os portos cima no dia 20 do corrente,
meia noite. Recebe carga, encommendas, passagei-
ros, e dinheiro a frete no escriptorio do Parle do
Matt s n. 12.
caranda, 1 candelalro e 3 serpennta de ci
tal, candieiros a gaz, venezianas, 4 eaearradeira?,
cadelras para piano, 1 cama franceza, 1 gnarda
vestido de mogw m espelho, 1 enmmnda, 2 ea-
bldes. 1 mesa elasliea nova, 1 guarda louca, 1
mobilia de amarello, 2 apparadores, 1 .pparelho
para jantar, 1 dito para almoco, vidros, 1 estante,
quadros, marqnelas, caderas avnlsas e 1 porta
llcor- .. r.
Urna machina do costura porfeila, 1 machina ac
lavar foupa, 1 costureira, 1 ca'sa para guardar
gelo 1 mesa de jogo, 1 marquezao, 1 santuario, I
mesa de cosinhae muitos oulros objectos.
P,ir intervem,o do agente Pinto
no sobrado da ra do Imperador n. 47, onde mo-
rou o Sr. Custodio Jos A. Guimarf s.
AVISOS DIVERSOS.
O lllin. Sr. inspoctor da thesouraria de fa-
zenda desta provincia, em virtude do offlcio do
E. Sr. presidente de 11 do correte mez, man-
da fazer publico, que no dia 24 do inesmo s duas
horas da larde ir a praca para ser arrematado
por quem maiar lanco olerecer, o dominio til de
cincoenta palmos do terreuo de marinha, situ do
entre a ra da Saudade o a projeclada em segui-
mento a travess dos Ferreirus, na freguezia da
Boa-Vista desta cidade.
As pessas a quem conver, devero dingir-se a
mesma thesouraria no referido dia e hora indi-
Secretaria da thesouraria de fazenda do Per-
nambuco, 15 de novembro de 1869.
Servioio de offlcial-maior
Manoel Jos Pinto.________.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda d'esta provincia, em virtudo de ordem da
presidencia, manda fazer publico que no da 27
do corrente, s duas lloras da larde, iro praca
para serem arrematados por quein menos fler,
os concertos do que :arocem as columnas da pon-
te de ferro denominadaSete de selemhro.O or-
camento e clausulas para o contrato, ser fran-
queados na secretaria da mesma thesouraria aos
pretendeutes. .
Aj t>essoas quem conver a arrematacao, de-
vero comparecer no referido dia e hora indi-
cados.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 12 de novumbro de 1869.
Servindo de offlcial-maor,
Manoel Jos Pinto.
COMPANHIA PEHNAMBUCANA
DE
Kavega^o cosleira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
0 vapor Ipojuca, commandantt
Moura, seguir para os porto?
cima no dia 30 do corrente as 5 hora.'
la tarde. Recebe carga at o dia 29 encom
aiendas.o passageiros e dinheiro a frele al as
! horas da tarde do dia da sahida no escripto-
rio no Forte do Malta* n. 12.
2L
CUMIA
O inspector interino da allandega faz publi-
co, que existindo im trapicheDaulasos volu-
ntes abaixo declmelos, no caso de serem arrema
lados para consumo de eonfurmidade com o dis-
posto no cap. 6o til. 3o do regulamento de 19 de
setembrode 1860, os seus donosou consignatarios
devero despacha-los no prazo da trinla dias, sob
pena de flndo elle, serem vendidos por sua cunta
sem que lhes fique competindo allegar contra os
effeilos desia venda.
MarcaW. STres caixas, vindas do Rio de
Janeiro no brigue pertuguez Acaso, entrado em
-tO de margo do correlo anno, contando vesti-
mentas velhas de IP.a e algodo para cmico, em
pessimo estado, pertencentes a Tasso Irmos.
Alfaodega de Pernambuco, 11 de novembro de
1869.
0 inspeetor intc-ino,
Luiz de Carvalho Paes de Andrad".
BUVSILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperadi
at o da 29 do corrente o vapor
Guar, commandante o Io te-
nente P. H. Duarte, o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para os portos do sul. ,
Desde j recebem-ae passageiros e engaja-se^,
rarga que o vapor poder cojiduzir, a qal dever*
ser embarcada no dia de suachegada. Encommen
las e dinheiro a frete at as duas horas do dia t
Nao se recebem como encommendas senao ob-
leclos de pequeo valor e que nao excedam a#
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medi-
co.
Tudo que passar destes lmites .devera ser
embarcado- como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que snas passa
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 5'
Io andar, escriptorio de Antonio Luiz
Azevedo & C.
Baixa npvidade!
0 esqueleto do Hieatro de Santa Isabel tem an-
dado a corrupilho, alias corrupio ; um verda-
deiro esqu leto, s tem ossos, e portanto falta-lhc
o milo; ora bem. que dsse a verdado sem o
sentir, v dansando Sr. esqueleto, que todos o eo-
nhecom, e nos inelbor que ninguem.
O quehra ca-lanha._______
Joo Mendiboure previne a quem interessar
possa, que no dia Io de novembro de 1869 ceden o-
seu estebelecimento da praca do Commereio n. 24
ao Sr. Eduardo Turpim, que tica encarregado da
liquidacao de todos o negocios tratados al aquel-
la data.
PROttltAUMA
da festa da Nossa Senhora do Bum So-
cesso dos Navegantes, erecta na igreja
do Pilar.
De ordem da direceo, fa^o scientc aos Sr?. de-
votos, que ter lugar no dia 19 do corrente mez,
pelas 7 horas da nonte a bandeira da Exselsa pa-
droeira dos Martimos, acompanhada pnr arijos e
nm coro de virgens ao som das bandas de musir
dos menores do arsenal de marinha o Io batalhac
de infamara da gvarda nacional do Recife, nao
percorrendo ra alguma alm do largo da refe-
rida igreja, segundo as ordens do Exm. e Rvmd.
Sr. bispo diocesano. *
No dia 20 do corrento mez ter lugar as vespe-
ras e ao amanhecer do dia 21 ser anntfnciado
por urna salva o da dessa festividade.
As H horas da manba ter lugar a festa, sen-
do orador o Rvmd. Sr. padre meste Leonardo Joa>
Grego, tocando a orchestra carmelita, dirigida pelo
hbil rahequlsta professor Sr. Francelinn Domin-
gues de Moura Pessoa, que tocar na_ oecasio
do sermo una phantasia ; os solos sero canta-
dos pelos habis professores os Srs. Jos Barbosa
i ..ii... r.Aj;,i* b*ft>!i>a.. riinw InSn P ^iiuri'N
de Olivein
PARA 0 POUTO.
Sahir com a possivel brevidade o palhabote
portuguez Villa Flor, tem parte da carga tratada
para o resto que Ihe falta pode entender-se com
David Ferreira Bailar, ra do Brnm n. 92, ou
com o capito a bordo.__________________
Coefho, Candido Francisco Diniz, Joo P. Soares
Rosa c Floriano Coelh i.
A tartc soltar-seAio algnns balos, tocando as
referidas bandas de msicas.
. A nnntoter lugar o Te-Deum, sendo orador o
Rvd. Sr. padre mestre Jos Esteves Vianna nosso
capelln, lindo que seja o acto tirar se-lia a ban-
deira, esta conduzida a igreja. ser queimado um
lindo logo de artificio, no dia 4 de dezembro vio-
donro ter lugar a festa naval, c-mfornw o pro-
gramla que ser publicado. A direccSo rogi
aos Srs. commandante de navios surtos no porto,
haeionaese eslranseiros, o especial favor de em-
bandeirarsnas embarcaQo s, cas moradores da
ra iiluiiiinarem suas casas para maior brUaanlis-
mo dessa festividade.
Recife 18 de novembro de 1869.
( secretario,
G. Lene.
vapor.
COMPANHIA PEKNAAIBUCANA
\avesa^ costtefra por
.Maiii;itiou;i|ii'.
O vap-r Coruripc commandante
Silva, seguir para o porto cima
po dia 19 do correlo as 5 horas da
tarde. Recebo carga, encommendas, passageiros
e dinheiro a frete at as 2 horas da tarde do
dia da sahida no escriptorio do Farte do Mattos
n. 12.
da
Genitores. Nao estranhes a rudeza de minlias
phrasos, querendo talvez sujeital-as s regras da
artec da scienca.; nao: respeitai a traJureo liei
do sentimento, oxpresso pela linguagein do cora-
co, que siuipl-s e despida de todos os atavos
da sciencia ; estes guardan) se mais azadamente
Tara as pompas dos fe?tios. As^iin, pois, descul-
pai-me, pennittindo-me a liberade do pisamen-
to; porque, quando o coraco vivamente sent,
deseoiiiiecc as leis e preceitos da arle e da scien-
ia, e a sua manifeslaco fundada sement na
-razo do sentimento, de quo elle se acha apodera-
do : deseulpai-tne, repito.
* o altuno tributo do respeito e veneracao de-
vidos illustre memoria do mostr, qne nesta lu-
gubre oecasio vem render o humilde discpulo :
nm ramo de funeral cypreste que vem lanar-ihe
sobre a fra tumba.
Vida!... Precario e ephemero passa-tempo,
qne rpido e quasi imperceptivel desapparece ao
opro do tafo da morle I...
Morte!... Lei natural, tributo necessario,im-
posto sem ox-cepeo toda a bumanidado I...
Ah Felice bem feliz aquelle, que neste mar de
continuas e horrives tempestades sabe e pode bem
- dirigir o seu betel, guiand -o pela estrella polar,
que Ihe indkou o Supremo Argonauta 1
Aqui temos utais um contribuirte aeeo da lei
Ai morte : mais urna preciosa existencia ceifada
pela inexorac~u> parca ; mais um ministro do Se-
nhar, que acaba de despender-se deste hediondo
Jabyrinlho de eontrarieda les, que se chama mun-
do, para elevarse manso celeste e J glorificar
ao seu Credor!...
J nao existe o Rvrao. padre Primo Feliciano Ta-
cares. ...
O airo ferrete da mcr-te velo sellar a taul sen-
tenca do Jermo do sua existencia ...
Eis o seu <- >rpo inanima lo, e reduzido apenas
fiorruplivel argilla, de qne nasccra I
Modelo da todas as virtudes, o padre Primo son-
be sempre compenetrar-se da misso sublime de
sen santo ministerio.
A candado, esta virtude por excedencia, que Jo-
sas ChrMo tanto recommendou a seus apostlos,
era a sua predilecta :suas mos compre Ihe dis-
-pensavam um bolo.
Ura am preclaro xemplo de obediencia, fratar-
aidnde, e bem entendida mod- stia; caracteres es-
m qne Ihe davatu j_ a angariar o respeto, esti-
ma o sympathia de qnantos o condecan).
Na qualidade de sacerdote trjlhou esta espinhosa
senda como um dos mai4 Qeis e dedicados cultiva-
dores da taera vinha do Seohor.
Como mestre, nao s do que dizia respeito ao
seo sagrado ministerio, como sublime e mulo-
diosa arte, que tambern professava, reuna, a par
da severidade magistral, urna paciencia, zelo e be
nignidada inimitaveis; tornando se denla aorta cre-
dor do verdadeiro respeto e anisado de todos
aquelles, que tiverera a felicidade de ouvir-lhe ai
Cotno cidadao pr*tava-se sempre jwqurMQ que
$ a
Sociedade bancaria em com
mamlita
Theodoro Simo
Compram e vendem por costa pro-
pria metaes, moedas nacionaes, e estran-
^eiras, letras de cambio, sedulas do go-
v'erno e do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e outr os ti
lulos commerciaes.
Eneanvgam-se por conta alheia das ms-
alas transaccoes, da cobranza de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Beceb m quaerquer quaniias em depo-
sito, em conta corrente, e a prazo Gxc.
Largo do Pelourinho n. 7
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limiled
Deseo ita lettras da -praga taxa a tron-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
praso fixo.
Saca vista ou a prase sobre as cidades
principaes da Europa, tem correspondiles
na Baha, Buenos-Ayeres, Montevideo. Mew-
e New-Orleans, e emitte cartas de crodilo,
para oe mesmos lugares.
MJA DO COMMERCIG J. 36.
alkanueoa.
mndimefltododia la!7. 737:66'.'il20
dem do di 18......13:84l*fti7
4 ditas e S barris miudezas; a Joo da Rocha e
Silva.
3 ditas e 10 caixas ditas, lavas, chapeos, poree-
tana, ferragens, calcado o urna burra; a Bour-
gard & Faria.
11 ditas chapeo?, papel, perfumara, calcado,
movis o ferragens; a J. A. Mo eir Das.
33 ditas ditas, miudezas, cutilaria, calcado, per-
fumara, chapeos, tinta, tecidos de algodo ; a
Alves & C.
4 ditas ditos de dita, chapos, e coidas para
instrumentos ; a Costa Irmos & C
10 ditas iniudezs e clcalo; a D. P. Wild.
RI-XEliEDOHlA DE B&MDAS I.NTEIt.NAS GE-
RAES DE PEK.NAMBUCO.
ttendimento do da 1 a 17. 38:4104277
dem do da 18....... 2:882l63
Conselho de compras
navaes.
O conselho promove no da 20 do corrente mez
vita de propostas recebidas at as II horas pa
manhaa, c sul) as condicoes do estyl", a compra
dos seguintes objeetoa do material da armada :
l libras de cera em archotea. 700 caibros do 3o
.t 40 palmos de compriniento, 20 arrobas de esto
pa de algodo, 10 arrobas de graxa do Rio Gran-
de, 40 duzas de lapis. 8 arroba* de merlim, 8
arrobas de mialhar branco, 10 libras de brelas
franeezas, 2 oculos de alcance, 10 arrobas de pre-
sos de cobre de batel. lOa/mbas de pregos ripaes
de cobre, 10 dnziai de taboas de pinho de I pol-
legada, 10 duzias de taboas de pinho de 1 l|2 pol-
kgada. 2 terrinas de ferro cstanhado, 20 tira-li-
nhas, 1.000 lijlos de fogo e 20 arrobas de verde
francez.
Sala das sosscs do conselho de compras navaes
C de novembro de 1869.
O secretario
Alexandre Rodrigues dos Anjos
Para Lisboa
41:292440
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 18.
Rh-Grando do Sul38 das, escuna hollandeza
Pelgrin, de 147 toneladas, raiiito R. Neboer,
equipaquem 6, carga 14,000 arrobas do carne
a Aroonm Irmo.
Rio-Grande do Sul20 das, lugar inglez Adelinos
de 145 tonelada-, capit Divid Barelle, equipa
gem 7, em lastro; a ordem.
Rio de Janeiro14 dias, galera portugueza Ma
nanna V, do 492 toneladas, capito Antonio
Vicente Pereira, cquipagem li, em lastro; a
Thomaz de A. Fonseca 4 C.
Goyanna.T6 horas, vapor brasilciro Parahyba,
de 104 toneladas, commandante Mello, equipa
gem 13, carga assucar; a companha Pcrnam-
Ducana.
Navios saludos no inesmo dia.
Rio-Grande do NorteBrigue inglez George Aun,
capito W. Robertson, em lastro.
New-YorkSumaca a siriaca Mena P., capito
Petranech, carga assucar.
DECLARACOES.
Do ordem da cmara municipal faco publico
qae os dono dos estabelecimentos desta freguezia
devem varrer e agoarem as frentes de seus esta-
beloeimentos, das 6 s 8 horas da manba, sob
pena de multa.
Fiscali-aco da freguezia do Santo Antonio 13
de novembro de 1869.
O fiscal,
Joaquim Francisco Torres Galindo
781:312*767
MOVISIfiNTO DA ALFANDEGA"
/oi untes entrados cora fazendas
[dem idem com gneros
Voiuraes sahidos com fazendas
(dea idem com generos
567
414
------081
282
413
----- 694 J
Descarregara boje 19 de ontubro
Barca inglaxa Ba:'lachoumercadorias.
Barca francezaJean Baptistedem.
Barca hespaaholaCentro de ExpertacaoviTihos
Patacho hespanbol Portollasdem.
Brigue inglezAcuitofarinba de trigo.
Escuna inglezaZttarebacalho
PaU-cho norte allemoCrro/nvaro? gneros.
Bares franceza Saint Andrmercadoras.
Inportaeio.
vca francesa saint Aia, rinda di a-
Pelo juizo de orphin desta cidade, se ha de
arrematar em praca publica no da 19 do cor-
rent, depois da audiencia, dous cixSes de ca*a
da ra dos Ossos ns. 30 o 31, como, tres meia
aguas dentro de cada am dettes, avallados par
1:2303 cada nm ; afim deoccorrer as despezas do
inventario do-finado Sebastin Jos Gomes Penna,
e outras de natureza privilegiadas. "E para que
chegue ao eenbecimcnto de todos se faz o pre-
sente edital.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda desta provincia se I taz publico
para conhecimento dos interessados, que o tribu-
nal do tbesouro em ordem n. 21.1 de 2 do corrente
mez, auton'sou o pagamento de dividas de exercl-
cios lindos, cuios credores So os segumos:
Francisco do Farias Lemos.
Companhia Pernambucana.
Ata liba Duarte Godinho.
Deobnda Cabral Godinbo, viuva de Francisco Jos
Gomes,
Secretarla da thesouraria de lateada do Pernam-
buco, JO de QayeaUv de 1869.
Servindo de officiai-eaaior,
Mamut Jote Pinto.
A barca portugueza Pereira Borges dever se-
guir brevemente para Lisboa, j l*-m a bordo par
te da carga, e para o resio trata-se com Oliveira.
Pilhos & C, ao largo do Corpo Santo u. 19, 1*
airdar, ou com o capito na praca. ____
Uuicaresposta a Antonio Pin-
to de Barros.
0 observador declara que nao Iheoffere-
ceu a luva como Vmc. desejava, porque o
conhece bastante. 0 que escreveu foi para
a cmara municipal de quem ainda espera
providencias.
Se o escripto o incommodon resigne-so
que o que fazem os beato e jesutas.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
UE
Yavesaco cosleira por vapor.
Macei em dimitir e Pcnedo.
i**| i O vapor Giquta, commandante Aze-
yfV 1* vedo, seguir para os portos acuna no
'wTMr* dia 22 do corrente as i horas da .ar-
de. Recebe carga at o dia 20, encommendas.
passagens e dinheiro a frete at as 2 horas da
tardo do da da sahida ; no escriptorio do Fortp
do Mattos n. 12.
Club Fernambucano
Grande soir de prestidigitacjlo chimica,
physica, eleclncidade e nigromancia.
SABBADO 20 DO CORRENTE
PELO CELEBRE PRESTIDIGITADOR RODRIGUES
rogramtna.
1* parte.Grande introdueco a orchestra.
> dita. A preclnsissima cea do algodo e o
estomago incendiado em fogo, c a fa-
brica de fitas e velas.
3* dita. As velas bruxas.
A caixa do No.
A garrafa infernal.
O lenco de Garbaldi.
O calix millionario.
i" dila. Magnifico trabalho chimico o o presti-
gio da maceta de rosas encantadas.
A garrafa diablica.
O anel visivet e invisivel.
llluso em verdado.
As cartas feticeiras.
O quadro mgico.
5a dita. Dar lun ao soir com a preciosa ga-
linha encantada e o chapeo dj Mr.
Hermann.
O Sr. Rodrigues desejando que o publico nao
se prive de &eus soirs para o que nao tem pou-
pado despezas e desvelos tem estabelecido o proco
de cada entrada 3.
Os biltietes se acha rao a venda desde o dia 19
at a noite di 27 no ni es m o club.
Principiar as 8 horas.
AVISOS MARTIMOS.
Lisboa.
O brigue portuguez Colete, capito e dono J. J.
da Costa, recebe alguma carga a frete ; trata-se
rom E. R. Rabello, ra do Commereio n. 48, ou
com o referido dono.
PARA.
O palhabote nacional Emilia recebe alguma car-
ga a frete barato : trata-se com Joo Francisco
da Silva Novaes, ra do Vigario n. II.
Lisboa
O brigue portuguez Catete, eapitao e dono J. J.
da Costa, recebe alguma carga a frete : trata-se
com E. R. Rabello, ra do Commereio n. 48, ou
em o referido dono. ^^_______
Para andar com enancas
Precisa-se alagar urna egrinha forra ou escra-
va para andar com meninas : a tratar na ra da
Cadeia n. 38, armuem,das 9 horas da manha as
4 da tarde.
Paira Lisboa
O: brigue portuguez BeVa Figueirenu:, capitn
Carvalho Sobriaho, vai sabir breve por ter a maior
parte do carregamonto : para carga e passageiros
trata-se com E, & Rabello, ra do Commereg nu-
mero 48.
Porto.
Vai sahr breve a barca Laura ; para carga e
passageiros, trata-se com os consignatarios Carva
Iho c ogueira. na ra de Apollo n. 20.
PA1U
Para o designado porto pretendo sahir com mul-
ta brevidade o palhabote Rosita por ter a maior
parto de seu carregamento prompto : para o res-
to que lne falta, trata-se com o consignatario Joa-
quim Jos Goncalves Beltro, ra do Commereio
n. 17.
I*ara o Ifilo Grande do Nul
segu com brevidade o patacho nacional Marques,
visto ter parle da carga prompta ; e para e resto
qne falla, poder* eniender-se com Francisco Jos
da Costa Araujo. ou rom o capito a bordo.
Rio de Janeiro,
Para o indicado porto, pretende seguir com mui-
ta brevidade a barca portugueza S. Joo, por ter a
maior parte de sen carregamento engajado ; e
para o reto que Ihe falta, trata-so com o consig-
natario Joaquim Jos Goncalves Beltro, ruado
Commereio n 17.
Porto.
Segu com brevidade a veleira e nova barca
portugueza Isolina, para carga e passageiros.
para os quaes tem excedentes commodos, trata se
com os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo <& C.; ra da Cruz n. 57 Io andar.
Porto e Lisboa.
Segne para o Porto corh escala por Lisboa, a
barca poatugueza Safira : para carga e passa
geros trata-se com os consignatarios T. de Aqu-
n Fonseca & C. ; ra do Vigario n. 19 on com o
capito na praca.
Para a Baha
Toma carga c ter prompto despacho o patacho
italiano Margherita, capitn Ghers : quem nelle
quizer tomar nraca, pode dingir-se ao escriptorio
d E. A. Burle A C, ra da Cruz n. 48.
LEILOES.
H'ije 19 de novembro.
Augusto C de Abren continuar o sen leilo de
fazendas nuezas e Irancezas, por intervencao do
agente Pestaa, hoje sexta feira 19 do corrente,
s 11 horas da manha, em seu armazem a ra da
Cadeia.
LEILAO
De movis, Iones e vidros.
Terca-feira 23 dn novembro.
a saber
Um piano de armario, 1 mobilia de Jacaranda
com tampss de pedra, cadeiras de bataneo deja:
J. Ferreira Villela.
PHOTOGK-PHI.-l IMPRRI1L.
18A RA nO CABUC18
A entrada pelo pateo da matriz.
Esperamos que os trbalo is de raediOeacao desta
phntographia que j darn cmi d d metes,
estejam acabados al a primeira qninzena do me/
de dezembro prximo futuro.
O predio em que est enllocada essa photngra-
phia aeha-se mui augmentado, e s a parle desti-
nada ao estabelecimenio onia cinco salas, inclusiv-
as do ialn ralorio. Todos os concertos e augmen-
tas tendo HO feitos exiirssamente parase montar
ciinvenientcmenle a pho ngrapkia, e n> se poden-
do melhor modelo escollier do que a Pkototnpkia
Imperial do Sr. Inste? PaBco do Itio de Janeiro,
o primeiro phot->grapho do Brasil, e um dpa pri-
meiros do mundo, segundo a opnlo dos mais
abalisados mesares, a nossa pbotagTaphia acha-se
disposta e reedificada pelo inesmo plano da doSr.
I. Pacheco, a qual foi montada sob todas as regras
rccniniiiend.idas pelos mais dislinctos professores
de acord com as m idilicacoes necesarias ao lima
do Brasil, reconheridas e esttidadas pelo habilsi-
mo e pratco Sr. I. Pacheco.
Todo o interior d> predio em qne est a nossa
phntographia lu mudado dede a soleira da porta
da ra at a robera teudo-se demolido todas as
paredes interiores pata so fazercm as novas salas,
edifl "ando-so un novo terraco envidrncado mui
espacoso e elegint-'.
Ci mo sabido Miemos urna viagem apresta-
mente a corto para examinarmos as melbore<
photographias d'ali, e foi a do Sr. I. Pacheco, a
que melhor correspnnleu aos nossos desejos o
aspirares, e da qtial trouxeinos os planos depois
de ali estarmos todo um mez estudando o apro-
veitando as licSes de tao dislincto mestre. Pen-
samos qne iu tando os nossos estudos e tanga
pratica de 15 annos de phntographia as otiltssimas
licoes ltimamente receDida? d Sr. I. Pacheco,
tendo montado a nossa photographia como se
acha, podcremiis, apenas encelar os nossos novos
trabalhos olerecer ao lliislrado pubiieo desta
cidade, e aos nossos numerosos freguezes traba-
lhos de photographia tao perfeitos como se poder
desejar, e disto convencidos esperamos que conti-
nen a dispensarnos a mema proteccao com
que a 15 annos nos-iem honrado e ajndado.
CLUB PEMAMBUCANO
Xo podendo a enq reza dar o baile do aniver-
sario no da Io de di zembro prximo futuro por
contar um poqueno numero d'assoeiados, pede
disculpa de nao levar a effeito o artigo de seu
cntracto, esperando dos mesmos sonhores qus
Ihe seja relevada esla involuntaria falta.
Tendo do so abrir um novo club na povoacao
do Montero, a empreza toma a liberdade de con-
vidar atoaos os Srs. socios ''oClub Pornamboca-
no a asistirem a sua primeira partida, que tara
lugar na nonte do dia 4 do mesmo _lez, para o
que enviar convitas especiaes.
P. 1. Laynte.
G.ub do Monteiro.
A abertura do i.lub ter lugar no dia i" de de-
sembro prximo futuro, e a sua primeira partida
na noute do dia 4 do mesmo mez.
Os Srs. assignantes que desejarem convites, tc-
ro a bondade de aprsenla-los directora at o
dia 26 do correile.
P. I. Ltymt. ____
Pedido polica
Contina a estar fgido, commettendo nm eril
me, o meu es iravo Lino, preto, crioulo, idade 20
annos, estatura regular, nart grando o chato,
com marcas grandes de bexigas no resto e nariz,
com urna fenda em ema do p direito, tem mai e
5~ha irma que 'o meus escravo, tam- offlcio de
patei revestido de calca branca e amisa de
madapdjfc quem o apprehender poder leva-lo
ra Srlondego, olara n. 13.
_____________ Marcelino Jos Lopes.
Precisa-se d*uma ama qno coainba e aim-
pre para casa de peuca familia : na ni da Sok
dade n. 84.
Precisa-se de urna ama para comprar co
zinhar : na ra de Seohor Bom Jezos das Creou-
las o. 29.


ambco
Seria
fera 19
de Novcmbro de 1869.
rmair
_
-_
Sil
Procis-S de un ferur poriuguez ou Jieapa-
n'.iol : no sitio grande por tnz d > COiniteri'i, ciit
airada Ac na extrema da'travessa da Juu dt
Barros confronte a capellinha, ultimo portao de
ierro.
Monte Pi Popular Pernam-
buc
_3ano.
Kao sendo po^sivel effectuar-se no domingo il
do crrante, asolemnidade do dcimo terceiro an-
iversario da installacao df*ta sooiedade, o conso
Iho administrativo dcliberou une foe transferido
para o domingo seguate, 28 do referido mez, pelo
Secretaria do Monte Pi Popular Pernambucano
43 de noverabro de 1800.
Canitdj Jos de Goes Telles,
! secretario.
Protectora das familias
Os senh)re< coiuribuintes essa assocacao, que
rcferem mandar pasar suas MMMiidadcs nesta
provincia, poderSn diridir-se ra do Livrament
n. 49, 1' anlar, antes do dia 0 do prximo mez
de dezembro, allm do que os funl >s po-sam che-
gar na sede da a seu venfimenlo de 20 a 31 de dezemliro de 1809.
ttepois de cnji data pigarao a mala da aiinnidadc
o juro que marca n artigo 2't d ivulanent>.
Recita 17 do novcmbro do 18tii).
Narciso de Vidal.______
Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
RA DO TRAPICHE N. 17, i. ANDAR
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os seguir*
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimares.
Goimbra.
Chaves.
Viseo.
Tilla do Conde
Arcos de Val de Vez. %
Vianna do Cabello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de_Famalc5o.
Lamego.
Lagos.
CovilhSa.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
SEGUROS
PB06RN1I1
DA
festa de N. S. da Luz, erecta
em & Jos de Riba-mar.
Tora logar no dia 19 do correte mez, pelas 7
horas da noite, a bandeira de nossa excelsa pa-
droeira, acorapanhada por um coro de virgens e
urna banda de msica militar.
i\o da 20 do correte ter lugar as vesperas, e
ao amanhecer do da 21 sera annunciaflo que 6
ebegado o dia da festividade de nossa excelsa pa-
droeira Sealiyra da Luz, por raeio de urna aalva
real. _
As 11 horas do dia seguinte tera lugar a festa
da mesma Senhora, sendo orador do Evangelho o
reverendo padre-moslre Antonio de Mello Afbu-
querquo, e a orctaestra dirigida pelo enrgico Illm.
Srj Corae Filrto, se_do a missa do Sr. Santo
Cliristo, eomposica do inesmo senhor ; no Gloria
erao distribuidos os emblemas de nossa excelsa
padroetra ; na oecasiio do sermo a orchestra
xecutar o grande miserere da opera trovador do
maestro Verdi, com o acompanhamento dos eu-
ros primando na flauta o insigne professor Can-
did Pillio; os solos sero executados pelos pri-
meaos artistas os Illms. Srs. Sabino. Tobias, Tra-
jaoo llenjamim e Martioiano.
As \ horas da tarde tera lugar a procissao da
nossa padroeira, a qnal percorrer as ras seguin-
les : em frente de S. Jum-, travessa dos Acoogui-
nlio, roa das Calcada?, Pescadores, Santa Kita,
largo da Itihctra, rila da Assumpcao, travessa do
Carvalho, ra "do Padre Fluriano, travessa do Jar-
dim, Lenha, Marisco, ra Augusta, travessa do
Peixoto, Cioco Pbotas, ra Direita, travessa d?
Penha, largo da mesma, ra de S. Jo- a recomer-
se, e nesta occasi o se soltarao alguns balCcs.
A ooite ter lugar o Te-Deum, sondo orador o
reverendo pregador da capella imperial Fr. Joa-
quim do Espirito Santo ; lindo que soja o acto ti:
rar-se-ha a bandeira, e esta ser conduzida a
i ? re i i *
Dar-sc-lia principio ao fogo do vista, feilo pelo
artista o Sr. Alexandrino Vianna de Vasconcellos,
$ flndooqual soltar-sehao diversos baloes, que
indicara linda a festividade de tanto ngosljo ao
culto divino.
Secretaria da devocao do N. S. da Luz 18 de no-
vembro de 1869.
Leandro Honorino Jos de Sampaio,
Secretario interino.
Ama de leite
Na casan. 38, rita Bella, precisa-se de urna
ama de leite, nao se dnvidaodo pagar bom alu-
gueh________ '____________________.
Novidade
Aluga-Se urna casa com quintal murado : na
roa do Jasmim da reguezia da Boa-vista : a tra-
tar na ra da Impoi atriz, loja do Garibaldi n. 50.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Conipauhia Indemnisadora, estabelecida
nesta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercaduras e mobilias: a
ra do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Precisa-se de una ama para servico de duas
jiossoas: na ra Augusta n. 7't..______________
Ao Sr. guarda do 3*.
batalho
Segundo dizem, e para acreditar-se
leem sido tantas as injusticas e irregulari-
dades que se tem observado no servico do
3. batalho da guarda nacional no presen-
to aquarlelameulo, que admiramos e mes
mo eslranhamos o silencio que o Sr. (jnar
da do -T tem conservado, pelo que, pedi-
mos-Ilte encarecidamente que traga ao
conhecimento do publico taes injustipas e
irregularidades, afin de que a autoridade
competente ponha um paradeiro.
O amigo da ordem.
Precisa-se de um padre para dizer missa de
Natal, em um engenho : a tratar na ra do Im-
perador n. 50.
Previne-se aos credoresda
massa fallida de Antonio Pe-
dro de Mello, que no dia
19 do corrente, pelas 10 horas
da manhaa, reuniao de ere-
dores na sala das audiencias.
Ama
Precisa-sd de urna ama para servico domesiieo:
na ra estrella do Bosaro n. 36, 5o andar.
POS DE ROG
Ap ovados pela Academia imperial
de medicina de Pars
m frasco do Pea de en*, dissolvido
em urna garrafa d'agua, d urna limonada
agradavel, que purga rpidamente e de
um modo certo, sem causar a menor
irritac.io como acontece com a maior
parte dos outros purgantes. Oa Poe de
Bog, sao inalteraveis por isso empre-
gam>-se fcilmente em viagem.
. I em tlio- aseir.o, DtpontktlU; CketoM-
k*-' i em PsuMMioco. llura O. A
AVISO
aos convalescentes e t pfssoas
frotas t debilitada*
OQUINIUM LBARRAQUE pprovailo
pela Academia imperial de medicina de
I'ariz o tnico por eicellencia.
D,'*M j em Pih-umdco. lairer i C".
!' Precisa-se de urna ama, para atnamentar
um menino, e d-se bom salario, na ra do
Pilar n. C3, i", andar.______________
Aluga-s una casa a beira do rio, no Peo :
a tratar na ra de Hortas, sobrado n. 48,_______
~ Precisa-se de urna ama que cozinhe e en-
yumme : oa ra da Cadeia n. 10, ou na Capunga,
ra das Pernambucanas sitio n. 48.____________
Precisa-se alngnr urna escrava que cozinhe |
i; engomme para casa de urna familia de duas pes-
soas, pnga-se bem : na ra Direita n. 12, primei-
ro andar.___________________________________
__Precisa-so de urna ama do leite forra ou es-
crava : na travessa de S. Jos n. 3o, 2o andar.
AVISO
^ 1870
FOLHINHAS
Arnbe le Bhlr a Ii e eho-ae
venda ni
LIVRARIA FRANCEZA
Xtatx do Crepo, N 9.
ai afunada Folhiahai
llafiCMrTIIIa E
PARA 0 ANS0 DE 1870
Joaquim Pereira Arante?, com loja do calcados |
na praca da Independencia ns. 13 e 15, roga a to-
-dos os seus devedres de contas antigs que ve-
nham pagar ate o m do anno corrente, sob pena
para receber judicialmente.
PRECO R.S
2 9 0
Ka mm M&wfitm
i O PAVaHAT
DA
i
AURORA:
A RA DA IMPERATBIZ12
HEsquIua dr. na da Aurora j
Befrotite do Caf Impratriz. 9
|| Nesto novo e sumptuoso estabelecimen- l
J to de fazendas, encoiitraro as Exmas. M
\ familias ludo quanto possam desejar, tan- j
II to em artigos de rigoroso luxo, como em 01
\i todas as iuais qualidades do fazendas de Sg
? sedas, blonds, alpaca?, merinos, lias jj
\ cassas, mussulina?, chitas, madapoloes, I
i aluodoes, etc., demodo a snhir bem ser- SB
[? vido desdo o mais rico e exigente amador s
18 da moda e do luxo, at o mais modesto Sj
51 pai do familia. Alm de se acliarom pro- |
S vidos do que mellior so cncontra nesto ~
iB mercado, mandaran! os propietarios W
a d'este estabelecimento vir directamente "
!? o que em artigos de modas e de mais
II apurado gosto so cncontra era Paris.
|g Urna modista especialmeote oceupada
|| nos trabalnos do PAVILHAO DA AURO- =
(I HA, executar prmptamentc e com toda |
|| a perfeicao qualquer trabalho a capricho, n
2 para o que se aclia habilitada em tudo g
[| qnauto mistr para o bom desempenlio 8
Wdo ua mis?ao, o que urna grande van- |j
,ffl tageiii para o bello sexo, que assim 5
H vai encontrar em um s lugar tudoqnan JSB
aB o pode desejar, isto fazendas do me- jX
S Ihor gosto, modista para perfeita execu- S
8 cao de qualquer trabalho, perfumaras, f9
chapeos, enfeites, miudezas, luvas de m
H Jonvin o tudo quanto a moda pode M- a
'8 8*r- **
a Aos cavalhciros igual vantagem sa olTe- M
._ rece, por ter o estabelecimento o mais
|f completo sorti ment de fazendas para fac- Jffl
VQ tos, e proprias para todas as estacoes, e
* um hbil alfaiate encarregado de execu- .
|| tar com promptidao e mestria qualquer 8
encommenda. j. _j
Os propnetarios do PAVILHAO DA 5
AUROHA nao tendo ponpado despezas fl
para dolarem esta bella cidade de um g
estabelecimento digno d'clla, confiara nos g
seus esforcos e no bom gosto de seus oa- fli
hitantes, garantindo a maior circumspec- |
cao e modicidade de procos.
Com a possivel brevidade e em vista da SI
proteeeao que se dignarcm dispensar-lhe, W
este eslabelecimenlo (rara muitas outras SS
vantageos, primando entre ellas a.publi- M
cacao de um jornal gratuitamente dis-
tribuido aos seus freguer.es, o quahse oc- S
cupar exclusivamente da descripcao das g
moda?, acompanhado dos ltimos figuri- B
nos; vantagem que at hoje ainda nenhum ^
mestabelecimento offerecen. .
Concluindo, e na impossibilidade do es- ffl
crever c rico o variado sortimenlo que 2
possuem, os proprietarios do PAVILHAO g
DA AUROHA respeitosamenle convidam
as Exma?. famlias a visitar este espa-
coso e rico estabelecimento que, alera de
ido, esta dotado do pessoal necessario
para vender e levar amostras s casas
que as pedirem.
Pelo ultimo vapor rweberam ricos cor-
tes de vestidos para casamento, luvas de
pelica. ricas ehapelinhas para senhoras
e diversas fazendas modernas.
Aberto das 6 da manhaa s
9 da noite.
Para famili
a.
_ara hl_
Dan casas rpnnidas em orna catadas e pl-
tedas de novo, rus do Destino s. i e 4, ainda
esto por alugar, com um grand; fnintal, cacim-
ba^tjlrala^se na rn do Hospicio n. 28.______
Na roa do Cototello na oa-Vtsta n. 1, !*
andar, ha um criadinho de 12 aunos.cseravo, para
alugar-se.
A pertamaria parisiense
Ra do Crespn. 7 A, Io andar
Ghe|ou peta paqueto franrez toronde um bonito
sortimento de luvas de cores para homens e se-
nhora?, marca garantida Ha Jonvin e mais nm
novo sortimento de perfumaras esolhidas.
massador.
Praisaso ile um massador de podara ou ines-
mo aprendiz : na ra dos Pirc3 n. 50.
Alnga-se
por auno ou simplesmente para passar a cstacao
calmosa, urna casa na ilha do Retiro- (Passagem),
com commodos ira grande familia : a tratar na
rna da Senzala nova n. 4, ou na roa da> Cadeia nu-
mero 2.
Na pharmaeia do Pintx> ra
Larga do Rosario n. 10
junto ao quratel de poli-
ca.
A-ham-se constantemente proroptas a
serem salisfeitas, as p-eserpces dos- Srs.
facultativos, e as necessidades dos enfer-
mos, as especialidades da mesma pharma-
eia, composta de medicamentos, tanto in-
dgenas, como estrangeiros.
Tosse e molestias do
peito
Jaropes de fedeg.-o, rabo de tat,
Agriao, pao Cardozo.osc, mulung, mu-
amba, etc., etc., ja
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope do salsaparrilha
do P.n, pitillas e xarope de veame, tin-
tttra' e xaroedo sicupira.
Docncas do figado e baco, ane-
mia, opilaco, ele.
Emplasto, oleo, pommada tintura, pi-
lulas, xaroDe e vinho da milagrosa Juru-
beba.
Seziles ou febres inlcrmilcntes
As pilulas an-peridicas de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pbarmacia de seu autor ra larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quarlel do eorpo de
polica.
BAYIjIS hoe
Salt hill, perto de Windsor.
COLLEGfO CATHOLICODE HUMANIDADES. EMLOIMII
Sob o patrocinio especial de
SX EMINENCIA O CAKDF.AL WISEMAN, ABCEBISI'O DK WESTMLNSTKR, DOS EXMS. BVMS, SM. Bit.
AWWM1, BISPO PE NORTHAMPTON, DR. CRANT, BISPO DE SOUTIIWAnK, E DO MV. MU-
WAnF.WU.
Os Srs. James & Wrtliam Bult, assistidos do um capcllo residente na casa da
apios professores, dirigem o estabelecimento cima mencionado. 0 corso de educaci
enterra as linguas, latina, grega, ingleza e franceza ; algebra, arilbmetica, calligrapbia e
escripturaco mercantil.
A pens3o de ciocoem guineos, Os lugares na capella (a qnal faz parte da
cas) bem 6omo o dwheiro, que os alumnos tiverem de receber, sao pagos parte. A
penso paga seis mezes adiantada, e no caso que os pais ou correspondentes desoja-
ren) que seus filbos on recommendados se retirem do estabelecimento, terao a bondad
de avisar os Srs. directores tres mezes antes da sahida dos sobreditos. As ferias da
verao comocam no dia 21 do junho, e acabam no fim do mez de julbo ; as do Natal co-
tnecam no dia 21 de dezembro eacabatn no dia G de Janeiro. Desenho, msica, dansa
e esgrima sSo ensinados por professores modernos.
A situac5o, como, bem se sabe, 6 muito sadia: eincoenta geiras de trra per-
tencem casa, a qual espacosa e commola; situada perto da estaco de Sloughv
runa das da grande estrada de ferro do este, (Great Western Railway.
Para melhores instruccoes qnetra-se dirigir aos cima mf ncionados ; ao Rvm. R.
Conego Shepherd, Priory Street, Colcbester; ao Rvm. J. Bamber, Thorndon, Essex ;
ao Rvm, John Butt, Arundel: ao lllm. Sr. A. Butler, 6, Austin Friars. Londres, oa aos
directores os Srs. James & Willian Butt, e no Brasil provincia de Pernambaco, a Antonio
Luiz dos Santos. ____
LOJA7DAS machinas
BASTOS
Acabam de chegar grande quantidade das verdadeiras machinas amencana
para descansar algodao de todos os systemas e tamanhos seguintes :
12 serras 12 serras
14 ditas 14 ditas
15 ditas 15 ditas
16 ditas 16 ditas
18 ditas 18 ditas
20 ditas 20 ditas
22 ditas 22 ditas
25 ditas 2o ditas
30 ditas 30 ditas
35 ditas 35 ditas
40 ditas 40 ditas
s quaes se vendem por precos commodos e roga-se as pessoas que dellas flzeram en-
commendas de alguns tamanhos, obsequio de as mandarem busca-las o mais breve pos-
sivel adra de nao haverem faltas.
Attencflo.
Antonio Jo.c Cordeiro Siioes est procedendo o
inventario dos bens de sen casal com a finada D.
Amelia da Silva Campos Simos perante o Sr. Dr.
joiz municipal da 2* vara do termo desta cidade,
o que faz publico afinr de qae os credores do mes-
mo casal apresentcm os seus ttulos o babilitem-se
no juizo do inventario, onde devem ser attendidos
pelos seus crditos.__________________________
Agencia geral
Tem para vender duas barcacas que levam 40
caixas, pouco mais ou meos.
massador.
Na roa estreita do Rosario o. o, precisa-se do
um massador. _________^_______^^___^
Ama deleite
-Na roa Nova n.,21, 3" andar, precisa sede urna
ama do leite, paga-se bem.__________________
Precisa se de urna ama que engomme e Com-
pre, forra ou captiva : na ra da Penha n. 23,
2o andar. ^
RA DA CADEIA N. 56 A
Precisarse
de urna criada para o servido de urna casa de
pouca familia, prefere-se que compro e cozinhe :
na roa largado Rosario n. 11, defronte do quar-
tel de polica.______________________________
Pretisa-se de urna mulher que saiba com-
prar ccozinhar, muito bem, de boa conducta, e
que trabalhe com limpeza. prefere-se escrava :
nesta typographia se dir qocm precisa.________
joaquim Ferreira dos
Santos
professor de dansa, natural de Portugal, ebegado
pouco da Europa com sua esposa esta.provin-
cia, tem a honra de participar aos seus Ilustres
habitantes e mu principalmente aos pais de fami-
lia, que contina a leccionar em dansas com todas
asregra-, as tercas e quintas-feiras, das 5 horas
da tarde s 10 da noite, em sua casa na roa es-
treita do Rosario n. 31, 2 andar, c nos domingos
de manhaa para todas as pessoas que nao podem
vir nos outros das, sendo a licao aos domingos a
noite geral para todos. Tambem se promptifica
ir aos collegios e casas particulares nos outros
das. _________.
Ama.
Precisa-se de nma ama para casa de pouco fa-
milia : na roa da Cadeia n. 21. .-
Precisa-se de urna ama de leite sem lllho :
no pateo de S. Pedro n. 3
Casa para alugar.
Alugase urna casa na povoacio de Apipucos :
a tratar na tinturara franceza, a roa da Impera-
triz n, 53.___________________________
Em casa de THEODORO CHRIST1
ANSEN, ra da Cruz n. 18, encontram-st
iflectivaraente todas as qualidades de vinh<
Bordeaux, Bourgogne e do Rheno.
i-i
M
Parteeipa aos senliores proprietarios de engenhos, que acontecendo faltar-Ibes
aga ou animaes para a moagem durante a presente safra, elle tem vapores prompto*
para assentar, sem precisar de obra nova ou demolicio de obras existentes, e que
pode botar taes enxengos a moer oito dias depois de estarem as pecas do vapor no
engenho, garantindo-se o trabalho.
Fundicjio, ra do Brum n. 52, passando o chafanz.
Advocacia.
Carolino de Lima Santos, (o ilho)
bacharel em direito acha-se a ra
estreila do Rosario n. 23 onde pode
ser procurado das 9 horas da ma-
nhSa s 3 da tarde.
mmmmmmn
Do xarope Vestal Americano es'peciloVde e Barfblqiico-C
34.RA LARGA DO ROSARIO.3*.
Engommadeira.
Precisa-se de urna escrava para engommar e
fazer mais algum servico : na na do Pires, so-
brado n. 27.
ATTENCAO
Luiz Antonio Goncalves Ferreira, previne ao
Sr.Jdio Luiz Goncalves Ferreira, que nao pague
as letras acceitas pelo mesmo senhor, assim como
protesta desde j em fe de verdade, que o saccador
nao firmou as letras que faram saccadas sobre
a vnaa do engenho Rom-Tom, freguezia do Cabo,
como declarara as letras e a escriptura de venda,
pois, se algnma firma apparecer falsa como esta
j prevenido o acceitante.___________________
Mais barato que em
outra qualquer parte
Prepara-se comida para fra com asseio e
promptidao : na roa estreita do Rosario n. 19, i*
andar._____________________________________,
AtteiKjo.
Eogomma-se com asseio e promptidao, e mais
arato do qoe em outra qualqu r parte, isto vin-
o j a roupa lavada: na ra Velho o. 39.
CRIADO
Precsa-se de um criado : na ra do Imperador
o. 73, andar.
Eugommadeira.
Precisa-se do urna criada para engommar : na
roa do Imperador n. 73, 2o aodar.
Hioinrj '. 3\\>\3utin 'osmrrf-oiu m I "
tuaSjui ? ouioo vjnjtd
opt>3 nra opeA_i8 iba joiuaAin op 9uiou o
'apcppuuamne ens *p biiubjb8 b bjb_
_^^^ -sajuap so aoajSouua oson
-iSnxiaj eisa Bounj sbobjj
gcSmiiisuos re oBoupaoj^ 9
'SISOJOpp JBJTO BJBd oiixa
^a^ jo'iem o moa SBpB8aidm9 cbs
zuej 9p npipam 9p iBuadmi Bimapsav
B|9d SBpAOaddB -iia "laila sy
131TEVA Id
.Ot\^
Woi eoslomamof procurar attetttdos pr tcredittr
B0I5OS preparados, e deixamos qoe ana applicacao e os
resaltados oblidos pelas pessoas qae sedigaaramacceiu-
los. Ibes deem crdito yoga; porque rio sempre os
ttcsladoa considerados gratuitos, e delira qoe tanca
mo o charlatanismo; roas ni querendo oDender as pes-
soas qae espontneamente nos offereeeran), os qae sbaixo
lo transcriptos, os fszemos publicar manifestando tlies
nossa gratuito pela attenco. esperando qae tenham
etles corroborar o conceilo, e acceilacio qae tem mere
cid* nosso xarope. fiarfkolomeo C.
4TTSTAD0S.
Illms. Srs. Barlholomeo ftC.fi com a mais sabida
atisfacao qae declaro ser o xarope Americano de nma
efflcacia extraordinaria, pois qoe soflrendo ha diaa de
intensa tosse, i ponto de nao poder dormir noite a
despeilo mesmo de medicamentos qae lomnva, a elle
recorr e na terecira eolher fui alliviado. e de todo me
acho hoje rcslabclecido com o so sement de quasi
meio frasco: grato pois i esse resallado manifest a
V, Ss. mcu reconltecimento. De Vv. S. amigo, ve-
nerador a obrigado. Mannel Antonio Viegas Jnnior.
Sua casa _0 de abril de SCS.
l-.ii. Sis Bacthalnmeo 4 C Penlioradisimocnm
o favor que me liicrain de aron;elharo uso do xarope
Vegetal Americano, de sna eomposirio, qnandtt *
ai lieva bastante doente de nma contiparo, que ata
tornou completamente roueo e qae trouxe ama (orto
tosse. e me iapussibllou de camprir os meas derert*
de cantor da empn-ia lyrica, too apradecer-lhea rnaas
completo reslabeiecimento, que "bine com om so Ttdra
do mesmo xarope. depois de haier recorrido a mnile*
tratamentoa. Desejarei qae outros como ea reco-rami
10 sen xarope para se verem aliviados de tae terrivat
incommodo, lio fatal oeste paiz. Com maior conside-
rado contino a ter de Vv. Sa. ltenlo, venerador
obrigado. Lnii Ciemona. Becife 25 de aelembra
de 1868.
Illms Srs Barlholomeo ftC -O xarope Vegetal Ame-
ricano qne Vv. Sa. tem exposto i Trnda de toda effl-
cacia para o curativo d'aslhma, canforme observei ap-
plicsndo-o a mea lilho Joaquim. menor de qnatra
annns; Ticlima d'esse flagello. que ate entaopor espaja
excedente a doos annos bsvia resistido a ontros xaroaw
de grande nomcada. Quciram pois Vv. S*. aeceitar a
expri-ssao altamente sincera de mea reconheciroento a
meritorio sertico que Ihe prestaram com o indicada
xarope, acreditndome para sempre de Vt. Ss. criada,
liento e obngado. Auirrco ^etlO de Mcndonca.
Itenfe 2 de outubro de 1868.
Os Terdadeiros COIXAKM ROTIB, es nicos approvados peta
Academia de Medicina, tem assim como oa meos outros producloa
attraliido a cupidei dos falsificadores, que para fijcilitar sua crimine-
industria nao tepjao, n*m reeeito nnunciar Tender falsos Coi-MB
com M*v -omb. En prefino aa familias para interesse de seus lilho
.que, para erilar lalsIBcaeoea, devean exigir, que meusCou-mas Ibes
aejao tendidos em caixat de umbas de encaixe e corredias cobertaa
por i etqoetas com a minha marca de fabrica e encerrando ana
prospecto circunstanciado, e aellada por nma medalha com o rettreut.
COLLAR ROYEB, Rne St-Iirtii. 225. Pir.
3!
RA
DO
a cabug
esquina
da rna larga do
Rosario*
AO
RIJA
EO
Este importante etrtabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender.
vista da quadtide e do preejo das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.
Garante-se ser tudo d lei. Compra-se ouro, prata e podras finas por pre?os muito ele-
vados. .
A loja est aberte at s 9 horas da noute.
CABUG
esquina
da ra larga dol
Rosario.



de Permunbuco Sexta eira 19 d NoWtabK) de 1869
:itfkroskope achroma-I0\^v
tisehen. Objev Lia- /bKlMUtStt \)
sen. ^ -!rr -
BOBZEGUIIM DOMADO
Nova ldjft ie calcado
JOAQUN DAS DOS SANTOS A C. acabam de abrir una sfeBelecinreBtb de C3-
cado estrangeiro a ra Nova n. 30, onde o publico encontrar todo o que neste ge-
nero de commercio ha de melhor e de mais gosto em Paris e Londres.
Por todos os vapores transatlnticos recebero elles constantemente remessas de
calcado novo, pelo que ter sempre o estabelecimento o que a respeito se pode eli-
gir. Ao publico em geral e a seus amigos em particular, pedem a cooperacao, que
Ibes possam dispensar, certos de que sero servidos com lealdade.
Barmetro e term-
metro. Gengrade
e reuameure.
WRiiinis
DE
OCULOS niISCINCIS
E crystal de rocha do Brasil.
F. I. CernastoB, recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeieoa-
ilos; porque, com este!) vidros, a vista descanca, fortifica-se e nao a canea como c^m
os vidros ordinarios. Urna vez escomido um vidro, pode durar den annos, emqtranto
que, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do lho e determina quasi sempre do-
res de cabeca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do lho, e,
;odas as vezes que o objecto est mais perto ou mais longe, os raios que expelle s5o
mui convergentes ou ami divergentes e a visao nao perfeita. Um grande numero de
pesseas tem o defeito de faier convergir muito de sorte que a vis5o nao disuada.
Com a appeacao de meus vidros pde-se vencer-e^as difliculdadus. Para os que tem
a vista curta e cujo crystalino mui eonvexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
lon^e), o que se chama rnyope, por meio d um vidro concavo affasta-seo ponto de
vista, o que faz divergir os ohjectos e deixa ver t3o longe como as outras vistas. Quan-
do o crystalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que so chama presbyta, vem melhor de longe que de perto, e nao enxergam sen3o
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarad
tao distioctamejite como- na idade de i$ annos. Servindo-se desles vidros quando e
vista principia cufraquecer, previne-se o mal.
F, I. Cerananu encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a es-
colher, e'primeira vista, seja qual for a idade egro de vista, oculos proprios para
malquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros??
w
.
Para a vista myope, (vista curta).
Par?, vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
le fraqueza.
Para a vista que os olhos sao r!esiguaes.
Para a vista que se turva com o traba-
Iho e a leilura.
Para a vista presbyta (vistagalon ).
Para a vista que nSo supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras esto cer-
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
>
Sortimento de binculos
jara theatro, e oculos de
| alcance para o campo e ma-
rinha.
Lonetas, pince-nez e
face--maia, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sortimento de relogios para parede, que do horas e para
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada efoleada, inglezes, suissos e orisontaes dos melhores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retamo. Em Pernambuco.
N. 21=Rua govaN. 21.
9Ra da Imperatrk9
De volta de sua viagem a Europa onde visitou as mais afamadas fabricas tanto
em Paris como em Londres, Vienna. Berln, Hamburgo etc, c tendo-se relacionado
com os mais celebres fabricantes como Herz Scheel, Bnvd. Peyel, etc. o proprietario da-
qnelle estabelecimento expoz a venda alguns destes celebres instrumentos e assevera ao
publico, em particular aos seus freguezes que elles, alm da perfeico e esmero do seu
traba Iho. reunem em si toda a elegancia, solidez e harmona,
Esta casa est montada em grande escala e pode fazer todos os concerlos neces-
arios, pois o seu preprietario trouxe consigo da Europa todas os utensilios necessrios.
Continuar pois, allugar, afinar e concertar, como de costume, com o maor
esmero e promptido. ___ ____
COII O USO DA
INJEGIQN MSTE
nica liygienica radical e infallivcl na cura das gonhorras, flores brancas e fluxos
de toda'especie tecentes ou chroBcos, e que offerece como garanta de seus salutares re-
sultados a aiilja e continuada applicacao que sempre com a maor vantagem se tem fei-
te Bella, nos hespitaes de Paris com preferencia a todas as mais conhecidas.
kUNJCO DEPOSITO PARA O
BRASIL
t SRS. BftRTHOLOWEU r,
34------Ra Larga do Rosario-----34
^3 J9 nraoYji oanqmnvjpj f anima]] '. a naiuNOj.it]
asr I '3U3BJ 1 '!* 3
OJISOJd
'SliOJ 9f vupvpJVi ap p/Jidail
viwafvoy v}d topvaQjdo uvuoj toiumvjipm J sopo 'CSIY
uiiMpoui op nuK-ipcsy
pd sopcAOjde sosnod sop tun 'apop^cnh ui.iuiud op o oaod opnucie^
"3H1U38 30 0VH1V0V9 30 0QV3IJ 30 0310
~/
5t T t aP 3SVP en "Jrjunf op oimskjjo un supemoi uiajos Jd m tinas
-uoo mxmtBtiii ip opu/DJi as uia ncossnoji jossajojd o ujj3|D Ja
Op VNI1N.83U3U1 30 ION3S53 30 SVKM3d sn|ad SRpujIU |rjo
uis sEsauau sajop so sepoj a 'wxiciea 'a>Sequii>| 'scoiicios s* o.uoj ->t
sqpm wns.f apsd aoreui y 'V9IX38 VQ SVI1S310W
-ouiumb op oiBjpis oe osis
-aj ib seSijub sojqaj se uik) -apnw t bjioa b opucssajdc o ijoj saq]
-opatp 'sajuaas3|PAU03 so ajqos ]9\cj6u opSos iuds 'ouiumb ap soQJcacd
-3Jd sajoqpiu stp buui 'aiuejsuoo bppue.ib9 j orSisodaioo Eftt) sosnod
sop um oquii ajsg nbtuaqin p WniNIfl 30 OH NA
snji|oo jai
-ij uios B.md anb |0.vcpBoS eawouii| wn JO)qo as bjb BnSc.p bjbjjbS
oan wa od aj*.p ssoJ -rov^bssip ^Kq 'agoti 30 Od
un! o"""" o obajoui uiaj emii,! cpB3 -j3mA 3Q svinitd sajad
opaiiiisaj joqiaui o uioo sopuaquioo ajduras oet sosouiSnjje} sep oajduia
opurcjisswDu anb soiuauviuos so a Z3QmVd V 'VIIN3NV
. Hini) 4 U1H1341 SV10UM sejad aiuaunrpidoi scpedis
-otSastoBs "SVI01VaA3N .'SV03r6vXM3
srajjijssd uio no od uja 00113a ao ojauvo o|ad sc.p sosnod toa 1403
-OWVdtlSNOO '09V IMO1S3.0 S01N3WIUJ JOS
*m
ZJZ


C
>
ft
gg
C5
>
oA
I
ANDRE DELSUC
CABELLKIHEIBO
.7 A Eua do Crej-po1.' andar 7 A
ENCONTRAR-SE-HA sempre neste estabelecimento um variado e.bomio s*r>
ment em perfumaras francezas e inglezas cuja lista damos aos leitores.
LUVAS Marca garantida de JOUVIN.
EXTRACTOS.De superior qualidade marcas LHBIN d GOSNELL.
DITOS FINOS.em frasqunhos proprios para presentes Lubiu de Gosneli.
POMMADASBanha fina de varios cheirosLubn.Gosnetle, Societ Hygini^e
SARQNETES.finos para toilette-Labm & MoBpeias.
AU DENTIFRICE.agua para limpar denlesSociet Hyginique Lubin ^-
\
rterre.
EXPOSIQAO DE LONDRES
GORA DA CADEIA DO RFXIFB60
[GRAMDEd LIilJlDi%CAO
PARA ACABAR UESTES DAS
como
apparelbos
BRILHANTINA.para lustrar a barba e os cabelleeLubi. -
AGUA DE COLONHA.Marca verdadeira de Jo5o Marina Farica.
COSMETCO.'cheirosoLubin.
PQZ DE AfiROZ.dito-Lubn.
HUILE DE 9ENT5ROleo para cooservaco dos cabellosSociet HygiBJqir
ESCOVAS FLNAS.pa;a cabellos, denles e unas.
BLAIREAU.PinQEl para barba.
GRANPOS.para cabellos.
REDES INVISIVEIS para cabellos.
GUAYACAS ilNBISSIMAS.do melhor gosto.|
BENGALAS.de phantasia, para passeio e de diversos tamaobosclc, etc., etc.
A la parfumerie^arisienn*.
7 A RA DO CRESPO r l.9 ANDAR 7 A.
CAHA UA VE.
Aos 20:000*000.
Bilhetes do Rio venda : ra do Cabug n. S,
vende Vieire A Rodrigue*.__________________
Um mugo de idade de 17 annus. wm muito
bom lalho de letra, >abendo arithmetica, traduzir
francez e inglez, ufferecc se empr?gftr-se em ai-
Suma casa de commercio, dando fladura sua ce-
uda, fe for preciso : quein precisar dirija-se
ra da Matriz da Boa-vista n 56, i* andar, undi
se dar informacoes a respeito, ou anuuucie pe
este Diario para ser procurado.
O proprif tario deste eslabelecimento tendo de partir mpito breje- paia Estelos rwdee.e Ijx^M. fa>.oomj|fU iiquilicSo nestes dias, pan acabar ;
eartmados para camas ejanellas cobertores ingleses finos, calcado de pao, hijoterias d'onro de 18, como naets.de rilhante,aflei8, oculo, lunetas, tr^ncens etc., appa_
iraetal do mais fino que ha para almoco, bandeja etc., perfumaras de differentes fabricantes, dilTfH^nte|i4-q|^|k|lgia)r.l<*fe9-'c<,m. ofeita^jOMiito pnopriaepara presentes, ceiasl
jusicas, ditas com pertences para costura, ferro de engommar, n3o sendo preciso ca \3o nem fogareiro, machinas de^er batatas, ditas para preparar a carne para gui-
.dilas para bater ovos e bollos, grande variedade da porcelanas, como, vasos para itoUe, apparelho tiara tesa f^dQenbki objectos V vidro cono seja: lustros*
p para saUV-s. Unternas para cima de mesa, escarradores ele, uns excellentes cofres de, ferro, espelbos de diversos tannos de moldura dourada e pista, molduras
aquadros, rwaft cakas para retratos, di as com cheiros propras par* presfots^^ mesas de s tkailp, band^asile -------soijimenta
eU^oengillas, camas do ferro de dilTerentes taraanhos, lavatorios, stereocospo*. cosmoramai. etc. etc., quesera patete ao comprador
mtihtnhlo para inteiramente acabar, no armazn EXPOSICiO DE LONDRES.
- brinquedos para oriancas
e mu toa outros artigos qoe se venderlo
^. .j
60 BA 04 CADEIA DO
-60
CASA FELIZ
Aos 20:0004090
3o Recite arco la Cnuccico n. t
O abaixo assipados tendo-se habilitado na
form* da* leis, tea exposto a venda os seus fe-
i Mftttdanbu lotarias do Rio de Janeiro, na em
cima, aonde se pagarao as sortea que sahtfejn
t mesmas brtheies* com o aeconie saaaaite
da lei.
TRECOS.
Bilhete inteiro 24a000
* Meios laooo
Otarlos 6#00
B'de 160# para cima a Mlo biHwle;
________Fignejrpdo & IjfifB.
IMo mais cabellos bram
A tintura japoneza para lingir os .
da cabera e da barba, fei a anica admit
4 Exposifo Umwrsal, por ter sido rtfp-
ohecida superior todas as preparaedes aaA
hoje existentes, sera alterar a sade.
Vende-se a ^QQO cada frasco na
Rna da Cada n. 5\r
V andar
^-, _____
Na [iraca da Iifdependencia n. 33 sej
nheiro sobro penbores de oaro, prata
preciosa, seja qual for a quanlia; e
rasa se compra e vende ajectos de o
p igualmente se faz toda e qualquer
niinnienda, o todo a qualquer eonrafto
i mesnia arte.

}}
IJ
cabellelreiro de Pari, faz sriente ao rjspeitavel
publico, e particularmente a sua boa freguezis,
r proouraIo no seu
saln oe Goiffure paca qualquer matar de sna
pmaViio, rom a coadjuvacao do perito oalow
I rraneei o Sr. douard Millo, i ra do Crespo
a. 7 A, I* andar.
Aos *o:ooos<>o#
CASA DA MTOA
23 KUA 1 iWr* 23.
O abano assignado tendo andido nos seo*
zw hidasfes da lotera 15- do Hospicio "
I! (298) as sones atain dwlapal
possuinore a viren' receber, pois as pi
a promptido que ooatuma.
Acham-se veamos da 61* a favor do
humero2033, qnalro qnartos, com SO.-OOOjMMl
4733, dous quarios, com l;OftO|O0O.
1649,-dus quartos, enm 800*000:
/ Ttoaeel Marflaa Plma.
Jerenv
' __^
de Mu amia Drw;_
reclame at o dia (8 do eorrnie,
preiende eflectoar a coaaara.
\
que o
'"^v "v. VM


Diario de Pernambuco Sexta (eir 19 de Novembro de 1869.
5
'-
A ESMERALDA
*
3

api


fe

^
d
a*
m
i
ATTENjAO
Na !oja de funilaria da poria larga a roa da
lmpcratriz n. 65, tem um grande ortmanto di
candieiros c lamparinas para gaz, de lindos gostos,
e obras de funitelro, lendo 1 santuario de gosto e
bein acabado, assim como vende bombas, tornei-
raii, etc., e encai'rega-se da cncanaeao d'agoa para
qnalquer casa, ou e>ta?flocmeiito, tambem v*nde
mu bonito e modero i fogao inglez, nao scoziirha
coin lenha como cora o carvao. Na mesma luja
comre tam-se todas as obras de eneanamento <-
ni. atina de costura, aseverando que achara
seinpre prompto a servir bem os seus freguezes :
a tratar na mesiua lojaa qualqucr hora, que ser
attendido.
L0J1 DE MIS
C
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado de novo, est as condi-
(joes de servir vantajosauente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
exileadido sortimento de obras de ouro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, cujos precos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
S3 em troca ou compram-se com pequeo
abate.
I. SIDA 1)0 CUUGa \ 5

m
VS BOUBAS CURADAS
E
Todas as molestias sypliiliticas.
PELO
ELEXIRDODR.SE VI AL
nico depurativo sem mercurio que tanta aceitacao tem mei ecido no Ttra-
sil, as repblicas do sul e na Allemanha especialmente para cura das boubas,
sarnas, rhetimatismo, todas as molestias syphiliticas e em geral todas aquellas
provm da empureza do sangue.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara. ^
DE
Bartholomeu & G.
34Una Larga do Rosarlo34
AMA
Precisa-se do urna cosinheira : no Museu de
Joias, ra do Cabug n. i
IEMPRESTIMO SOBRE
(SEM LIMITE.)
Na Iravcssa da na
Crozes n, 2, pri-
meiro andar, (la^se (jHal-
qucr quanlia sobre ouro,'
prata e pedras preciosas. 8
O dono dcste estabelecimento, j
competentemente autorisado pelo
governo, est as condic5es de ga-
rantir a transacejio que se fizer em
sua casa, promettendo todo e zelo
e considerago s pessoas que se
dignarem de honra-lo cm sen esta-
belecimento.
Na mesrna casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
ATTENCAO
Na ra Dircila n. 16, sobrado, lava-se e engom-
tanio para hornero como para senhora, por
ido m-een.
ma-se ........ K...
cummod prego
USA DA FORTUNA
Aos 4:000$
Billietes garantidos.
A na do Crespo n.23 o casas do costme.
Aeham-se a venda os leli/es bilhetes garan.i;
dos da I i parlo da lotera beneficio,do patri-
monio dos orphaos (l"'), quO se extrahir sab-
b.ido 0 do crrenlo mui.
Precos.
Os do costume.
Manoel Martins Fiuza.
si ' "^* "*t*t c^\
'-> i'^h
msmmmwmm m
SiO BARATOS
Superiores cortes de percalle com barra, psra vestidos a 5$ cada corte,
Lindos cortes de gaze de seda com 48 a 20 covados. pelo baralissimo
proco de 5)5000 caria corte, na lojadas collumnas, ra do Crespo ni3 de An-
tonio Correa de Vasconcelos.
D. Maria Adelaido do Nascimenlo Feitsa
avisa a ludas as pessoas, qno quizerem comprar
trrenos na anlipa estrada de Dunda, por onde
tem de passar breve urna hnha de trilhos urbanos,
que ella vai reta I liar e dividir seu sitio de Belem
cm pequeos sitios; e poderac dirigir-se a seu
tilli, o engcnheiro Antonio Vicente do NascimenU
Feitosa, enrarregado de todos os negocios de sua
casa, para com elle cITectuarem qualqner compra
desses terrenos : na ra estteita do Rosario n. 23,
i* andar.
Os administradores da massa fallida -de Jno
Ferrcira da Costa Son res rogara ai credores do
mesmo, se sirva ni apresentar seus ttulos no praso
de uito dias ra do rum n. t, aflm de sarem
examinados e dassllkados como dispoe o art. 8-"S
do cdigo commercial. Recite 14 de novembro de
1860.
= Precisa-se de urna ama para casa de poma
milia, para cuzinhar o engommar: a tratar na
roa do Cauugti. 1, loja de joias. __________
mmmmMM
Esa

Este admir
ll!r|iuralivo nao
Iconlemeni si roer-
curio, iodo oa
lorsenico; um
poroso modifi-
cador parao sangue ecurs ridicalmentcasmoleslius dcpclip. lacs como a lepn, asioipigens, slierpes, as
cspinbn, c os Pannos, etc. Empreado diariamente elie refresra a massa do sangue e consolida o saude.
A I V r r A ft r A II P T tura em 3 ti'a3 os con"aenl* antigos ou recentes
Pbib, 7, B' Denain,
Gredorcs
O aliaixo assiinado, testamenteiro do finado An-
tonio Ferrcira Gimes, convida aos Srs. credores
do mesmo, a virem a Praga da Independencia ns.
4 e 6, ii'icbeiem a importancia d> queIhcs to-
cou em raloio.
Mannel Fcrreira Pinto.
Na ra da Moeda n. ."i, 2o andar, escriptorio
de Manoel Alves Ferrcira & C, vende-se vinho
verde superior em barris, aneorelas com vinho do
Porto superior e malvazia branco.
Aluga-se duas .-asas na lita do Heliro (jun-
to --ponte da Passageai da Magdalena), lugar mui
>adi e frasco, urna della de bastantes commodos,
tendo j banheiro fcito para se tornar banbos; a
tratar com o Sr. Luiz Manoel llodrigues Valenca
roa das Trincheims n. 50, 1 andar.__________
Na ra do Cotovello, na Boa-vi-ta, n. 1, ,pri-
meiro andar, ha um criadinho de 12 aano., eaera-
vo, para alugar-se.
5?!
JOIAS
Attengao
Na ni do Gr)rred.ir do B^po n. 53 precisa-se
.dufar ema fscrav* pana ftzcr ompras, coinbar
i! mais servicOs internos, nao se-Iba o preco : a
tratar na mestna,
Precisa-su fallar com o Sr. Ituno Thomai
do Apino, genra do Sr. Manoel Jos de Souza, a
negocio de seu interesse, on saber se o lugar de
na residencta, na ra dj Qticlmado n. 46, p.iuiei-
io andar.
Bolos para casamentas
35-Rua estreita do Rosario-35
No primeiro andar, prepnramse bandejas com
dilfercntes armacoes, bofinheade diversas qnalida-
des, nnfcil.-ido ;ro ultimo gusto, com boqueta o Il-
las, caja djsticos a ouro; astim como preparam-
se tfocO de tdas ns qualidades rom perfeicao e
esmere,-padln?, bulos Inglezes, pndelos, e as de-
ipais iyn.'irias proprlM de dias fcsvos mi presen-
tes, orna-los ou simples. Tambem se fabrieam do-
res de todas as qualiJades, quer sejam de panno
ou- cera, e todo quanto for tendenlo ;i flores artili-
ciaes, desde a rosa at os arcos para ornamento
de imagens, inclusivo ornamento de velas para
baptisMoff: armam boqnets db era vo o flores
nataraes para casamientos com lilas u sem ellas,
etc. etc. : os pretendentcs devem vir em lempo
faier as eneommendas, que ser garantida a per-
felcao exigida o por commodo preco.
Atusa
a-se
nma-casa em Bebcribe : a tratar com-J. I. de M.
Reg, ra do Coiimercio n. 34.
AUjgarn-sc dqas casas terreas sitas o Man-
guinho a margem do rio, reeoiamcndaveis pela via
forrea : a tralaroa roa do Vigario n. 31.
bS 0 consolheiro Jos Bento da f.unha e ^
1133 Figueiredo contina a exercer a prufis-
a sao deoidvogado. no seu escriplorio, ra g3
S do Imperador n. 57, enttada pelo caes de *
M1 2? ce Novembro. \&j
1


ADVERTENCIA.
O sitio do Jacar que vai praca
crreme, por execucao da faz-Mida,
no dia 18 do
forciro ao
patrimonio dos orphaos cargo da sania ra^a-
TTEN^AO!!!
O abaixo assignado havendo reetbido em sua
casa, por earidaoa, a parda Filicida le, que se diz
forra, e otivind/dizer agora qne captiva, faz a
preseme^eelaficao para que ehegne ao eonbeci-
menlo de Miem por vcnliira pnssa ella inleressar,
nar e resuonsabilisamlo o mesmo abi.ixo assigna-
do pela fuga da referida cscrava, (|ue entretanto
nao quer ueixar sna casa, protestando que forra.
Jos Bernardo G. Aleofurado.
Ama.
Na ra do Padre Floriano n. l, precisa-se de
una ama para servir a duas pessoas.
una Carteira desde a estrada do Camarao at a
estacao do Caldeireiro^ conlendo 17-5000 einscdu-
las, 1 bilheto de assignttnra dos trilhos urbanos,
e mei o bilhele da lotera do Rio de Janeiro da 01'
fK)0; n. 3775 firmado com o sinete dos Srs. Viei-
ra 6: Rodrigues, em cuja casa foi comprado :
quero achou e quizer restituir, leve-a i ra do
l.ivramento n. II, que ser recompensado. E ro-
ga aos Srs. Vieira & Rodrigue-;, as-im como a to
das os mais senhores cautclislas nao pagncui o
bilhete supro seno ao abaixo assignado.
Mamii'I Francisco Pocas.
VVISO.
I
Jacinlho de Medeiros, com taberna sita na es-
trada de Luiz do Reg n. IV, em Santo Amaro das
Salinas, ruga a todos os si ns ilevedores de conlas
antigs que venbam pagar at o flm do auno cor-
ronte, Wb pena da pa.-sando as feriis entregar ao
mea procurador para receber judicialmente.
l'reeis;i->o alngar um ii'enino livre ol os-
cravo, que seja diligente e fiel, para o irvico de
casa e ra,-inclusive compras : nesta typographia
se dir onde se precisa. _____________
R ua to I m [>erador n. 26
Neste novo eslalielecimento encontra-se
diariamente um vanado sortimento de bo
linlios para cha, pastois, podin-, bollos in-
glezes, pfws-d lo presnntiis, ditos im fiarn-
ore, superior cha Ivsson, preto, e miudi-
nho. Vinlins finos de todas as qualidades
cimagc, licirre*, conservas, champagne, cer-
veja iiigle/n, froclas muito boas, por-
ItiUtiezas franrezas.
Um completo e variado sortimento. de
eaflMias de toda:, os gostos e presos para
mimosear senboras, estas caixiunas recen-
lemente chafadas de I'aris silo de primora-
do gosto, oirerisse-mo-las aosgalanteadoies
do bello' se*o pois nellas acliario nm digno
e serio presento para as donas dos seus
pensamentos. Tambem os apreciadores da
boa fumiga encontraro iharutos dos me-
Ihores fabricantes da Babia e de Havana
sganos do Itio de Janeiro etc. etc.
oes d'ovos seceos, ebristalisados o de
calda, ditos de caj ede ouras qoalidades.
Nesta casa recebem-se eneommendas para
bailes, calamentos e baptisados e qnalquer
eneommendas avnlss. como seja pi5o d- l
e bollo enfeiMdos e antros mutas couzas
que enfailonlio mi-ncionar.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro com pro ti de mo-
Ihados e que d fiador a sua conducta : na ra
do Imperador n. 14. ____
Ruado Queimada n. 19.
L9a com flos re ouro, covado. 5G0
Dita transparente com listras de se-
da o covado a...... 540
Dita aiuiperaliizEugenia, covado. 10400
Alpacas lisas de todas as cores o
covado..... 640
Cambraia branca organdy peca- 6)5000
Dila cirgnndv de cores covado. 8SU
Dita dita mindinlias. covado. 300
Dita de cores colorid.s linas, varas 040
Dita escoceza de cores covado. 400
Dita branca Indiana, pega. 4f5200
Dila Victoria para to los os precos
Dita transirn r.te c'roa deoiro. 5t>8fi0
Saias bordadas modernas. 12)5000
Cortes do gorgnrao paracollete. 4|>800
Gorguro de soda para vestidos,
covado. ....... 3,5000
Bramante de linlio, vara. lUOn
Toalhas para rosto, duzia 5500
Baloes reguladores btfancos e d
cores........1300
Brim trancado alvo pala toalbas
vara........1 ;>500
Atoalbado de linlto adamascado va-
ra.........3,5200
Fustao branco eamarello, covado. 640
Organdy de urna s cor sendo :
verde, azul e encarnado, vara. 800
Brillianiiiia de de urna s cor, cova-
do ........ S60
Las de quadrinhos covado. 160
Bilhantina de cores matisadas, co-
vado........ 180
Camisas inglezas, francezas e suis-
sas. ... ... .
Panno lino imp-rial, casemiras pretas e
de cores, gravatis mantas a Bismark, cP-'
les de casemiras de co.es ultimo gosto de
Parts a UOoO.
ROUPA FEITA POR GROSSO E A RETA-
LHO POR PRE(X)S MDICOS.
A VERDADE
55Ruado Queimado__5#
A VERDADE tendo em deposito gr*n*
qnantidado demiudezase perfum.uias. ede-
sejando apurar dir.heiro e adqnerir b/a fre-
eiiezia est rssolvida a vender imiioshb
barato, ; por essa razo convida an respei-
tavcl publico a vir compeienttn,inti' muni-
do a sortir-sp do bom e barato. Pois quao-
do a Verdadc appaiecc, ludo mais dos-
apparece....
Grande sortimento de bonecos de cera
massa as mais lindas possiveis vestidas ca-
rcter.
Abotoadtiras moderuas para col
letea ......... l*3
Espedios donrads pepnenos. i-.*
Agullias de oso para crox a JX-
Pentes para regai; com csntns a .'!i
Ricos globos para candiiro de gaz a 1(5W*
Cbaniins a....... 320
Grande sortimento de i ljelos de
louca para brinqttedo de menino KM
Garrafa com tinta a..... SO
Dita com agua florida unladeira a 43GO
Dila com dila dita a i^O** ,
Frasco com oleo de babosa a 500 e 72
Dito com agua de Colonia a 300 e 506
Garrafa coro agua divina a. 155G6
Frasco com extractos linos a 3(5006
Lat.s pequeas com banln muito
lina a 120 e
IOS
Olinda.
zn
GOMES DE IYIATTQS IRMOS
tendo feito completa mudanza em sea antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o flm de
dar-lhe maiores proporcoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. k
onde encontraro um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de noTtw gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto ainda nao visto, e completo sortinieiito de
objectos de prata para uso das igreas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra torecios e garantem
i a qualidade dos objectos vendidos.
c/o
Alnga-se urna boa rasa pintada o raiada, no
fundo uo sohrado do p nto, rna do Bom Sncce'so
n. -i, par lista ou nr anno : a tratar na ra da
Guia, palaria n.K6.
Hypotheca sobre predio
Precisa-se do 1:5002 a premio sobre urna casa
terrea sita na frjruezia da Boa-vista, soio propno:
a tratar na ra di Mondi'go n. 97.
COMPRAS.
.-----------------------------------------------
Compram-se moedas de ouro e prata de to
do os valores, ouro e prata em obras inntilisadas
brilhantes e mais pedras preciosas: na loja de
oorives do arco da Owceijan, no Rerife._________
0 muzeo de joias
Na roa do Cabug n. 4 compra-se onro, prata
i pedras preciosas por precos mais vantajosos do
pie em outra qnalqner parte. _________
ATTENC40
Vende-se urna taberna "sita na cidado de Olinda,
na esnuina que vira para o Carino, muito afregue-
zada e acreditada ; ijuem a pretender dirija-se
mesma : e gualmento tres moradas de casas ter-
reas, sitas duas na rua do Cxo com frente para
os Qnatro Cantos, a urna na rna di Joro da Bola.
Cano, i.
Vcnde-se nma escellente canoa de amarello de
40 palmos de comprida : no trapiche da compa-
nhia, largo do Como Santo n. 15.
ftfW-1 E
Compram-se e vendern-se diariamente para fra
e dMlro da proviucia escravos de todas as idades,
oores e sexos, com tanto que sejam sadios : no
urceiro andar do sobrado n. 36, na das Cruzes,
fregueiia de Santo Antonio.________________
Uora nwito miwr tantagein corapram-se
moedas de ouro e orafci: na loja de joias do Co-
ragao de Ouro n. i D, rna do Cabug.
Corapram-se aedults de 1, 23 e 5*0U : na
rna Nova n. 7.______________________^__________
Compra-se urna machina do costura era se-
gunda nio ; na rua ireita n. 6, toja.
Azeite de coco superior.
Vende-se no escriptorio do hallar, Oliveira &
C, rua do Vigario n. 1, 1" andar._______________
Attencao.
Vende-se um fardamento completo para offleial
da guarda nacional, todo novo por ter sido servido
urna s vez : quem qnlier pode dirigirle esta
lypi^raphia que Ihe indicaran quem vende.
Cemento
mais barato qno em outra quafqncr. parte: na
rua do Vigario n. I1, 1* andar.
Vende-se urna parda de i3 annos, coro todas
as habilidades, primando em amarrar cabello, cor
lar vestido de senhura e coser do alfaiaie : na
i ua 'Nova n 4B. 2 andar.
Attenpo.
Vende-?e o mnilo acreditado hotel LL-bonense,
na rua estreita do Rosario n. 11, muito afregne-
zado : a tratar fio mesmo.
VARAS.
CIMENTO
ft MUSEO DE JOIAS
Vende-se verdadiro ciment ; na roa da
\Ia1re de Dos n. ti, armazern de Jo3i
Martins de Barros.
C0GNAC
De stiperior qoalWade d mui accredita-
da fabrica de Blstfliil Oubottcti dVC-, esa
cognac urna das que mais agoardtiite de
cognac, fprnecem para o consurntoo do
atno dajlnslaftrra.
^vienrle* etft^fiasa de Th. Jitet. iva
contmercio n. 3
POR METADE
de sea vator vende-se na loja do Triumpho
a rea do Qneimado n. 7.
Laas de bonitos padr&es a 320 e 400 rs.
covado.
E nutras militas fazends de phantasia por
prefomoito commodo e brevo sera annun-
ciado seu esplendidd sortimento.
LJA DO TRIUMPHO.
Venderse um sobrado de um andar rom bas
lantes commodos, chaos proprios, sito na rua Im-
perial n. 90 *. nuera pretender dirija-se rua do
r.aldeireiro n. 54, que arliar ou qom tratar.
Sabonetes de diversas quali lades a
80, l0,0e..... 3 Finas escoras para denles de 120 a (i06
Lindos roques modernos a. 2008
Pavtoi para gaz, duzia a 240 e 33*
Escoras para facto a 5i0, 600 e 708
Dilas para cabello a..... 500
Pon tes para tirar piolho a.160 e. 240
Brincos de cores, bonitos a 160 e iOO
Pecas de tranca de la com 8
varas por. ...'... .86
Oleo para machina do costura,
frasco a........ 600
Peonas d'aro finas eaixas a 800 e ifiOOtt
Dila d'a?o Perry, caixa a. \ IMOO
Galo de algodo peca .... 400
Lindos babadinhos e entremeios
peca de 500 a......i S
Ditos de louca muito fino a 120 e 21
Ditos para calca a 100 e. 240
Caixa com papel amizade a. 700
Ditas com envelopes a. 480
Dilas com obreas a..... *0
Caixa comagiilhas fundo dourado
Ditas de ditas ditas a......
Thesoura para costina a 240o
Caixa com linlia de marca a .
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........
Carreteis de linha Alexandre de 70
at 200........
Grampos muito linos com passa-
ros, duzia a ..... .
Cartw portuguezas, duzia a .
Dilas francezas a 2>200 e .
Papel altnaco e de peso, resina a
3#4O0, :j-i00 c .....
Ja muilo fina para bordar, libra
Fita de algodao para debrum de
sapatos, peca a.....
Ditas de 13a para debrum de ves-
tido, peca a ......
Pentcs finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240, 320 e......
Ditos para aparar penna a .
Rosetas pretas, par a .
Tranca de 15a d>-caracol peca a 40 e
Fita de coz pega a ^80 e .
Alfinetes de latno a.....
Sapatos de la paracrianca a 400e
Grvala de sedas de cores a .
Cslcadeiras a.......
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio de borracha por
100 ris lllllll
Na verriade rna do Quclmad
MMWHSAL
8Rua Wova
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se nm completo
sortimento de todos os artigos que se ve-
dem por precos commodos como sejam:. Ua
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima expsito servaos a electos para alrao-
Co e jantar, salvas, bandejas, taboleiros, bol-
sas e malas para viagem, indispmsaveis para
senhoras, candieiros para sala e cima demesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
batervos, ditasparaamassar farinha, dlUs
para fazer mantiga, camas de ferro para
casados, soltiros e enanca bercos, cadei-
ras longas para viagem, ditas de balauco,
espelhos de todos os tamanhos, moIrTuras
para quadros, gaz, baldes americanos, gu r-
da comida, brinqudos para crianc3?, om
completo sortimento de cesttnhas, oleaos
para sala e'tfeSai ttpMeSprasatn, qirtrto,
frente de soph, janella e porta, capachos d-
Sparlo e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontrarte i
venda no mesmo estabeletmento e qne v!t
a pen ir examinar^________^______
300
2S0
500
10G
2"<
'/.i oe
3|0M
4^800
6IS0C
Km
48C
32
50
100
100
too
560
100
800
200
8
Fio doal&odao.,
Vende-so lio de algoilo.d Bahia em saceos de
50 e 100 Hbnis : no eserijUirio de AnWftlo Lb
de Olrvetra Aroredu & C, ru da Croa n. 87, !
andar.
no eMnptorio _.
do & G, rna da firoi n

; RUA DAaHLORlA %. 5
Otaria "do" Fumino.
Ha epr ne* ofaa pmfe sormMlti de
lairta, cernid'tfiom (W-arWnarta tratttta,
j VBBtomB daos bis gordos e dona carros
em bom estado : a tratar na rna da Pfnia n. 62,
das 6 da manhaa as 9 do-dia. t x
l
r*. o
Lkd taA4 wm e srgarMljs de cores, pelo baratissimo preco de 500 rs. o metro,
: nrIOJidltrCdrmntrai,.nroa do Crespo n. <*, de Atoaio Cerr d Vawdncellos.
qw.
aae
tadri-
Iho, floadfado de i, 9 e mais' plegadas, telhas e
MUes, tijolos de tapainentoa. O proprieiario das-
uiariagaitMabhWaati4rlMrro do taw ma(e
ae<, como tanflem vende-se mus barato do qije
jCpim anira qnalqnei; parte. .<
N* rwica d'ru* B#et nfj ,' venVsc nm re-
medloi o (jWi.**<*T*Hff?0 rfer* eseroiVil!, e
tiimiwww.^rjBrtg.: pfeaM 20f ; avsfWclimW
-tarojuwiinx^liinw, y an'BlliitW pet RhW do ft-
I ec i di* m*m*mm- P*ranWV:
urna pn.
chtmtfeta exemplar':
""ntina n. 11
i,. bcat-o/taAdfi
tratar Da rna da
Vinho do Porto
Vftlde-sc snptfir vinho do Porto engarrafad^
de AnMnii
Lnttde Oliveira' Areveflo
Io andar.
HoUei Lisbonense.
Vnde-se o hotel Lisbonense, sito rua estrella
do Rosario n- H. o'qual se aclra nem'moMatlo e
tem ewellentes contwodos para hospedei, por ser
eciniado to-toa o andares, tendo no primeiro om
hilhr, u o pgundi dividido emn qnartos paraas-
sisteticfas dos hospefTes qae i|iiizeroin murar, tero
arrefcffafrteriW no mesmi predio rer seis arttto-,
(az muilo negorln, e a razio da venda se dir
vista- dM Bf*ea*nte" ; assim como ouras vau-
Wgas, que s com vista se poder* direr verbal-
tnWle. _. _________. .
Bap de Lisboa
UN rna dW'1ra*^n. 6 contind* a ter mp d
J. oa'd uttirv qtf*hda> qno'tem viudo a eN
ruenJado, chegado pelo ultimo vapor.

A imperntri* regente.
Veio tnm1 ea: deoormnacao; f#lft iiliim:> v^pr
franre iiquissimns cnapeos (! Veluilo e ni^sa
pretos, enfeilados de cores, para senli-ra, o que
ha de mclluir giM,-efn'larls,riq"ls^iiM"s en v*i
de camhraia bordados pira baptisado, a-m^^
riqusimas aJ*rtfl< de baile ou ctpas a\
cimente enffiadas cbm'a rnslfia denomid; f
ma, eh:ipi'lin:is,'te pautit de RAffa nltin
fijiis e h:isqmns de croXfTprtHWT linine:
tes de laa de dua- saias, gusto efoivr.. -nHftOllt
-de cores, listras assetinadas, prnprias j.ara vt
dos de duas salas, popHin** d cores, riqui-sMMf
desenhus, o litrasiniiiCas novldartes que J
priefcirios da loja do l'aj ceberam, Pi
p^tacJo prcsWtte; 'poW puf etA ratSh ql.
aprecwnos scMWBrW; o'W(rOPl! pNitjlMd
navidades aeim destffiplas.
A rua do Livramento n. 6, cona W
ver pan vendef por pKfi* nntolt^
melhorxloho vord'a ij*'i**' "'
mercado. _______^_______
fwidem-sfcnrfescr* : o'm' a* f
cumprar enlenda-se com
Reg Monteiro.
RcrMOigiM Bflui'


i
i
i
Diario de Pemambuco Sexta feirfl 19 NWniko de 1860.
LIQIJIDACO
SEM IGUAL
O proprietario do armazem ue f;izm las denominado AMABA, ra da Impera-
triz n. 72. dddtfl ao respeitave publico eseus fregueses, (juo est liquidando todas as
fazendas o roupas bitas que tem ero sen Ubelecimeno como se poder ver no sea
annuacio e preco auaixo mencionados,
C hil is ira acezas matizadas a
3l rs.
Vende-se coilas francesas escuras matiza-
da* a 3iQ rs.o covado por este preco sua
toja da Arara. ru.i da raperatriz n. 7.
UAZ.NfIASA2.ORS.
Vende-se lazinhas para vestidos de so-
ohora a i40, 280, 320 e 400 rs. o co-
vado.
BARBGBS DE L.U A 500 RS.
Vonde-se bareges de 13a com listras para
vestidos de senhora a 500 e 6iO rs. o
corado.
Alpacas de listras a &00 rs.
Vaode-se alpacas de listras para vesti-
dos de senhora a 500 rs. o covado.
CHITAS FilANCEZAS A 289 RS.
Venie-se chitas francezas claras a 280 rs.
o covado.
CORTES DE LA PAIU VESTIDOS A
2fH00.
Vende-se cortes d i la para vestidos de
senhoras a 2 PERCALES A lfl RS.O COVADO.
Vende-se percales muito finos para ves-
tidos de senhora a 410 rs. o covado, mir-
solinas brancas finas, a 500 rs. o covado,
brilhantinas de cores, a 440 rs. o covado.
Baldes moderaos de todas as
cores.
Vende-sjha!5es moderno sbraaco e de co-
res a, 45^00 e 5t.
COBERTORES DE ADGODAO A 45500.
Vende-se cobertores de algodo a I $300,
coberlad de chitas a 10600 e 25 cadamna,
GANGAS PARA CALCA A 320 RS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cures para calcas de hamem c
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
cores para caifa e palitots a 20500 e 30,
o covado, mojas casemiras enfestadas pira
calcase palitots a 10 o covado, brim pardo
deudas as qualidades e brim braceo de
todas as qualidades na ra da lmpcratriz
n. 72.
Alpacas lizas a 40> rs.
Vende-se alpacas de cores lizas linas a
640 rs. o covado, tarlalanas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOLN ENTESTADO A 30500.
Vende-se pecas de madapolo entestado
Algodo entestado OO rs.
Vende-se algodo enfeslado proprio para
lenroes e toalias, 900 rs. o metro, dito
trancado a 10, metro.
Chales de merino 8.$.
Vendo-so chales de merino estampados
a 2), chales brancos e de cores a 10000
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Vende-se- urna grande porcSo de cortes
de brim castor para calca de homcm, 640
rs. cada um.
Grande porco de retalhos
Vende-se grande porc5o de retalhos de
chitas e cassas prelas a 160 e 00 rs. o
cova lo, retalhos de cassas, lia e chitas de
cores baratissimos.
LIQUIDAM A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brim de cores a 20,
ditos do alpacas de cores a20, dios de
meia casemira a 20 e 20:100. ditos de pan-
no preto bom a 80 c 100, calcas de algo-
diio azul para escravns a 640 rs. ditas de
algodo de listras a 800 o 10, camisas de
piscado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
tos de brim c fustio de cores a 10 e 10500,
coletos de cesemira de cores a 20500 e 30,
e outras militas qualidades de roupas feitas
que se vende por baralissimo preco.
Algodo de listras a 900 rs.
o corado
Vende-se algodSo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A 4.
Vcndeni-se pecas de algodo 40000,
50200. 60000 o 70, para liquidar.
Baldes de arcos IA500.
Vende-se balSes de arcos pan senhoras
pelo baratissimo preco de 10500 cada um,
Cortes de canibrala barras
a :I4000.
Vndese cortes de cambraias barrsa a
20 e 30 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos de seda a 640 rs. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 10.
Vende-se carteiras para viagem 10
cada urna.
a 30500, pecas de madapolo inglez de 24
lardas a U, 60400, 70, 80 e 100 a peca.
72. Kua da Imperatriz. 72.
Lourenco Pereira Alendes Guimares, proprietario do armazem de fazendas
den aniado GAKIBALDI, tem a honra de pirticipar ao respeitave publico que tendo
recebilo diversas facturas de fazendas, de novo gosto, para a festa, estando a espera de
novas encommendas que deve estar aqui al o dia 15 de novembro vindouro, e vendo
que nao tem lempo antes do balando de vender tantas fazendas de encomaendas p >r
isso resolveti fazer urna liquidacao para ver se d maior, eslraco por isso em vistas das
oircumstancias vender tudo mais barato do que ai outra qualquer parte, na ra da
Imperatriz n. 50.
MADAPOLO ENFESTADO A 30500. I CHITAS PRETAS A 160
Vende-se ma grande porco demidapo-] Vende-se urna grande porco de chitas e
15o enfestado de 12 jardas a 3050), assim cassas pretas em retalho a 160 o covado
como pecas de madapolo insrlezes de 24 tambem tem retalhos de chitas e la de c-
janlas ou 20 varas a 50, 50500. 60, 60500
70000. 80, 90 e 100000.
Corpinhos a 200 rs.
CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500 '
Vende-se pecas de cambraias victorias
finas a 50500, 60 e 70. Brilhantina bran-
ca fina para vestidos de senhoras a 500
rs. o covado
ALGODAOA40OOO
Vende-se urna grande p >rco de algodo
todo de boa qualidadc e 40. 50, 60, 608 '0
70, e S&, a peca de 20 jardas ou 2i
varas.
AMIREM-SE DO QUE E* BARATO
Chamalotes a 560
Vender chamalotede cores, dealgod '
para vestidos de senhoras a 560 o covado.
Alpacas Usas a ftOO rs.
Vend-so alpacas lisas para vestidos de
cores, para senhora, a 500 rs. ditos matisa-
das linas a 720 o covado. Ditas lisas mui-
to largas a 640 o covado.
CORTES DE PERCALES A 6:000
Veden-se urna grande porc3o de cortes
de percales de duas saias para vestidos de
senhora, de mnito delicados gostos com
18 /* covados a 60 70000.
CAMBRAIAS LISAS DE CORES A 600
Vende-se urna grande porco de cambraia
lisa de todas as cores para vestidos a 600
rs. o metro.
Organbys moderaos a SO rs.
Vende-se organdys de cores para fazer
vestidos, do duas saias, agora modernos, a
800 rs. a vara.
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas muito finas de
cores a 280. Dits matisadas escoras a 320
res que se vende barato.
Gangas para calca a 390 rs.
Vendem-se urna grande porco de gangas
para calca de h im m e menino a 320 o
covado, cortes de castor para calca a 640
cada um.
Brfm de cores a -lOOrs.
Vende-se urna grande porco do duas
faces para calcas, palitots e colletes de ho-
mm e menino, fazenda inteiramente nova.
Brim pardo Uso a 5i 0 rs. o metro, dito
trancado fino a 800 e 10000.
Grande liqnidaeo de chapeos
de sol
Vende-se chapeos d sol de alpaca com
pequeo defeito a 20 e 30000, ditos finos
de 12 astes a 40500, ditos de seda finos
de 8 astes a 7050o, 80000, ditos de 12 e
16 astes a 100000, para liquidar.
Chitas para cobertas a 940 rs o
covado
Vende-se chitas francezas para cobertas a
240. 320, 340, e 380 o covado.
CASSAS FRANCEZAS* A 240 RS.
Vende-se cassas francezas para vestido
a 240 o covado, ditas muito finas a 400 rs.
a?sim como percales finas para vestidos a
440 o covado,
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias cruas para homem a
30500, 40. 50, e 60000 a duzia, ditas para
meninos de todos o tamanhos a 30500 e
40000, ditas para senhoras e meninas a
30500 40, e 50, a duzia.
BALOES DE ARCOS A 1:500
Bales de arcos a 10500, ditos modernos
3 40000.
ATTENQO
Tem-se para vender urna grande porc5o
AS IVAS SEDAS
11--RUA DO QUEIMADO--11
Chegaram da Europa pelo ullimo vapor loja de Augusto Porto & C. ricos
cortes das mais linda sedas do mimosas cores para vestidos proprios para bailes e casa-
mentos.
* Grande variedade de sedas de listras de diversos preros todas de lindas cores,
orgurao de seda preta, e grosdeoaple d varias qualidades e gorgorita de seda la de
diderentcs cores.
Novos vestidos braacos de blond para noivas, lindas colxas de seda para camas,
ditas de la e seda, cortinados bordados para camas e janellas, frondas o toaldas de
cambraia de linho bordadas.
Lavas novas de Jouvin,relegantes somhrinhas de sfiJas de cor para senhoras.
Espartilhos de 50 at iO0,'lindos bournous de cachemira de cor para sabida
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens. e meninos.
Soilmenlo de muitas fazendas da la, linho o algodo todas por preros muito
mdico.
Tapetes grandes para sof, 'piano e'caraas, pecas de tapates o de alcatifa para
forrar sal5es tudo em quantidade; e vendem sempre*por menos que em outra qualquer
parte.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
ALGODAO 7~
LOJA DAS ACHINAS
ditas escuras escocezas a 360. ditas aleo- de.roupas feitas de brim e de casemira, de
xoadasa 360, ditas garibaldinas a 360 o todas as qaahdades nao se menciona, por
covado. Sortimento de chitas como tem o *er enfa.'tonto. garaote-se ao comprador ven-
Garibaldi ba poacas loias que compilara. d,!r ma,s bar,at0 do .ue em outra qaalquer
r parte, isto so se pode conhecer com a pre-
FUSTOES PARA VESTIDOS A 400 RS.'senca do comprador e a vista da fazenda
Vende-se fustSo de cores para vestidos a que se pode conhecer como est liquidando
400 rs. o covado. I por barato preco, o general Garlbaldi, ra
COBERTORES A 1:400 j da Imperatriz n. 56.
Vendo-se cobertores de algodo a 10400
cobertas de chitas frita a 10600.

Chales de merino a 9kOOO
Vende-se chales de Merino de cores es-
Vende-se grande porco de corpinhos a' tampados a 20000, ditos lisos a 30500, di-
.Oot'dq 4000 e 'ios estampados finos a 50. 50500 e 60000.
KACHTNAS americanas de serrote de todos os tamanhos para descarocar algodo, do
muito conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
CACHINAS ditas, tambem do serrotes e de todos os tamanhos para descarocar, al-
godo do autor New York Cotton Gin.
CACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
MACHINAS dRas de Rollcr Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
tfACHINAS "de faco do fabricante Platt B. A C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as melhores que tm
/indo ao mercado ; e para a sua apreejaco convidam-se os senhores agricultores 2
rirem a exposico das mesmas na ra da Cadea do Becife n. 56 A, loja do Bastos, onde
mcontraro mais o seguinte:
3ebalhadores para milho.
Cylindros para padarias.
Arados americanos.
Carrinhos de mo.
Machinas para cortar capim.
Cmnos de chumbo.
3ombas de Japy.
ditas americanas.
redas de ferro galvanisadas.
Folhas de zinco finas.
Oitas de cobre e lato.
Fjrro de todas as qualidades.
Arcos de ferro.
?olha de Flandres.
bichados americanos.
-7icoes ditos.
3 /assouras americanas,
bolles de todos os tamanhos.
romos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros artig
liversidade seria enfadonho ennumera-los.
Folha de ferro.
Bataneas americanas.
Tinas de madsira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira dito.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para connha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para ahnanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas. #
Ferros a vapor para engommar.
Moiohos para refinaces.
Azeite de espermacete, proprio' para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaos e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
osperteneentes lavoura e artes, que pela
ATTEJVCAOIIILO
Grande armazem de fazendas e roupas feitas ra da Imperatriz
n. 82, porta larga, de Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o reipeitavel publico um bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 30, 30500 at 60. Ditos dt
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 50, 60, 80 e 100, de pJhno preti
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 30500 a 50000. Calcas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de 40, 50, 60 a 150. Colletes de todas as qualidades e preco muito
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodo e de linho de 20 at 50
una. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de linho e bramante a 20 e 20500.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a todos os procos. Meias sortimento completo a 30.
40 at 70 a duzia. ^
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto para bomem, como
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e oatras muitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de H palmos de largura a 10800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista de sedj fazenda de gosto a 10200.
Basquines de guipure enfeitadas a 180000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 60500, 70, 80 e 90000.
Algodo peca com 20 jardas a 40500, 50500 e 60000.
Peca de algodo largo a 70500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem roupa
feita qu se est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
LESO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
Machinas vapor de
forqa de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavados.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desca-
ro par algodo. x "
Bataneas para armazem e balcao.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar carlas.
Fogo americano patent
Bartholomeu & C,
HIP POPULAR
DA
FABMf A NACIONAL DA BAHA
DE
Teisetra Uldurtco Sf C.
Acha-se venda este ptimo rap, nico que
ptic suppnr falta do princeza de Lisboa, por ser
de mui agradavel perfume, viajado, e a preco o
ma s mdico pos?ivel; e par isso tem sido assas
aculhido as pracas da Babia, do Rio de Janeiro p
em antras do imperio : no escriptorio de Joaquim
Josii Goncalves Jeltro, roa do Coramercio an-
mei-o 17.
VlNHO, PlLULAS, XAROPE p. TlNTUlU
de jurobeba 8imples k pbrruqinoso;
Oleo, Pomadae Emplastro da mesma
planta preparad03 por
BARTHOLOMEO & C*
Pharmaceut icos-Droguistas
PERJWAMIJIICO
A Jurubebt : esu plim hoja reconhec'di
eosM o miii pderoso looico, como o melhor
detobfttruenle.ecomoul ipplicadi nos pclecimemoi
do ligado e baco, bepMUea, duras, tumores inter-
no espeeiilmente do alero, hidropesas, errsi-
pella, etc.; e aasociada ao Km e otil naa pallidat
corea, cbloroaes e falta de mcnalruafo, desamo-
do estomago, etc., o que disemoa attesUo
numeras caras importantes obtidas oom dossoi
preparados j bem conbecidos e asados peloa alais
dislioctos mdicos do paii a Portugal. Em todos os
Dossoa depsitos diatriba i mus gratis folhetos ans
melhor (suena conhecer Jurobaba seos resoltados
aapplicacao.
Vendem-se tres ricas toalhag de labyrintho pro-
ras para baptisarto : na roa do Imperador, toja
o livros do Sr. Antonio Donjingues.
Loja de miudezas de FERREIRA DA CU-
NDA & TEMPORAL, eslo quintando por
todo preco venham ver o que bom e ba-
rato a saber :
Lindos brinqnedos magnticos para me
ninns de2i0 a 1>.
Linhas em novellos do 400 jardas a
60 rs.
Pecas de tranca de todas as cores a 4) rs.
Latas com superio banha 120, 160
e 2^000.
Frascos com oleo baboza 240, 320,
400 e 600 rs.
Ditos de extracto ICO, 320, 500 e
640 rs.
Ditos com banha 320, 500 e 1*200.
Ditos de agua de Colonia 320, 400 e
500 rs.
Baralhos de cartas portuguezas a i20 e
160 rs.
Ditos francezas 200 e 240 rs.
Grande sortimento de sabonetes 80,
120, 160 e 200 rs.
Caivetes finos com duas folhas a 240 rs.
Linha de 200 jardas em carretel (duzia) a
1*200.
Lindos port-main 240 rs.
Pentes de travessa para meninas 200,
320 e 400 rs.
Duzia de meias inglezas muito finas a
30800
Ditas de ditas para senhora a 4*500.
Garrafas com a verdadeira agua florida a
1*200.
Ditas com agua divina 1*300.
Frascos com sndalo a 1*200.
Pecas de entremeios a 500, 640 e 800 rs.
Lindos gorros de velludo para menina a
5*000.
Papel amisade beira dourada (caixa) a
900 rs.
Dito en pacotes a 700rs.
Lindoo bonets de panno para menino a
2*000.
Pentes brancos finos para alisar a 240 e
320 rs.
Macos com grampos- 30 rs.
Lindos frascos para cima de mesa eom
extractos a 1*500, 2*000 e 3*000 ao por.
Jogos para vispora a 200, .240 e 320 rs.
Linha de marca (caixa) 240 rs.
Temporal pode ser procu-
rado emseu estabelecimento bo-
nan$a onde contina a vender
pelos baratos preqoe de seu an-
tip-o estabelciment com titulo
de Temporal na Bonanca.
Rita do Solitos toralos,
i. 27. RA DO LIVRAMENTO N. 27-
Neste estabelecimenio vende-se sellins'e
siibes, de todas as qualidades do melhor
que se pode fabricar no paiz, assim como os
mais arreios pertenceDtes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colx5es, traviceiros, caix-
nhas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. O proprietario deste esta-
belecimentu garante a pontnalidade, esme-
ro ezelo de seo trabalho ; portanlo pede ao
respeitave publico sua protcc5o, que afljan-
Ca vender tudo pelo mais barato possivel,
e por menos do que em outra qualquer
IiO.1V
parle.
DO
GALLO VIGILANTE
lina do Crespo a. 9
Os propnetarios deste bem conhecido estabele-
cimento, alrn dos muitos objectr que tinham ex-
postos a apreciacao do respeitave publico, man-
daram vir e acabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um' completo c vanado sortimento de
finas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de seu costume,
Sor preros muito baratinhos e commodos para to-
os, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para caberas das
Exmas. senhoras.
Superiores tranca pretas e de cures com vidri-
1 luis e sem eltes^esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques- de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes preos.
Muito superiores meias lio do Escossia para se-
nhoras, as qaes sempre se venderam por 305000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 205,
alrn destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
Gnas.
Boas bengalas de superior canna da India e
casino de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alrn destas temos tambem grande
Suantdade de oatras qualidades, como sejam, mn-
eira, balota, osso, borracha, ele. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chieotinlios de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vce tam-
bem asseguramss sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas par machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrioUio.
Bons baralhos de carias para voltareJe, assim
como es tontos para o mesmo flm.
Grande e variado sortimento das memores per-
fumarias e dos melhores e mais conlwcidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsdes, e
facilitan) a denticao das innocentes maneas. So-
mos desde muito recebedoros destes prodigiosos
collares, e continnamos a recebaos por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pola poderao aquel-
los que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarlo destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao flm
para que sao applicados, se Tenderlo com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dosebjectos que deixamo?
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito raaoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
J cordeiro previdente
Kua do <|ueiniado n. 1.
Novo e variado sortimento de perfumaras
tinas, e uutros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que effectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
sos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciacSo
do respeitave publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem condecida mansidSo
3 barateza. Em dita leja encontrarlo- o*
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, frao-
ceza, todas do melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservacao do
tsseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros 3gradaveis.
Copos e latas, roaiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
a outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeados.
Essencia imperial do fino e agradvel chei-
o de violeta.
Outras concentradas de cheiros- igual-'
mente finas e agradaveis-.
Oleo pilocome verdadairo.
Extracte d'oleo de superior quaMade,
com escomidos cheiros, era frascos dte diffe-
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, rmiores e msnores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos moo finos em caixinha para barba.
Gaixinha eom bonitos sabenetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisaa contndo fi-
aas perfumarias, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumarias finas.
Bonitos vaeos de metal coloridos, e de
moldes novo* e elegantes, cont-p de arrox
e- noneca.
Opiata ingleza e franceza pan- tientes.
Pos de camphora e outras differeatei
cualidades tambem para dentesi
Tnico oriental de Kemp. (
Alada mais eoqnea.
Um outro sortimento de coimes de Bo-
zos e bonitos moldes com filets de vidrihos
a alguns d'eites ornados de flores e filas,
ist5o todos expostos apreciafao de qaem
os pretenda eomprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de moito gosto e perfeic3o.
Flvellao e Oias para eintos.
Bello e variado sortimento de taes objec
tos, cando a boa escolha ao gosto do com
prador.
!
Na ra do Codorniz n. 8 contina a ter nm
grande sortimento de dores em latas e caixoes de
diversos tamanhos, cujo eo vende por preco mais
barato de que em outra qualquer parte.
!AZ I..4Z I.AZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Porster 6
., ra do Imperador, um carregamento de ca
de primeira qualidade; o qual se vende em partida'
e a retalho por menos preco do que em outr qual
quer parte.
Panno fle algodSo da Bahia, proprio para
roupa de escravos e saceos para assacar; vende-
se ao esenpterio de Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo 4 C, ra da Cruz n. 57, andar.
MARMORE
Fo armazemn. ^7 rua di Imperador, ha para
vender por baratissimo preco nm grante sorti-
ment de pedras de marmirede divorsas qualida-
des. como se ja : degraos, solairas, sacadas, masas,
baledei e lijlos, etc., etc.
PILULESSSICAUVIN
Cemento Fortland
11 #000.
Barrica grande : ao armazem pintado de verde,
no caes 23 de Novembro,
lanada, ai, Ma< i|il ta*.
Im araenao Pargatlv* vegeul Uo cila
aoBM> agradaval o remedio aals ialaltWel para *aa>
irsir u maiiiapaiaM, n Bevnflaai, a* ma ra-
Bi aMeai as |liHIa, rtatmeem
aIMI,WM,MratllMMIiaM.|
asna itjtUiaa.
O MMaiaaoto dal allaiUa Caiavta aoe> raa-
Ifcaajajs salitral: esfanteaer uu.iaaiar
Ella* Ha aaaeai acal naraardo aa esarida aaai
aaaaaa; aoao Isuin a atparadv, aaaaa lar
alta aaa rataacas c en deas |W|M|n 4a aaila a*
atar-aa.
i an. aMartr %



H
mtm
Diario de Periiambuco Sexla feira 19 de Novembro de 18C9.
-
!
1
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
D
FLIX PEREIRA DA SILVA.
O proprietario d'este grande estabelaciraento, vendo que se est aproximando o fin'
do anno, e tendo era ser um grande deposito deposito de fazendas ; nao fallando em
a-vultadas encommendas que lhes estao obrigado todos os das, tern resolvido liquida-
las por preco multo mais baratos do que em outra qualquer parte ; s com o fim
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontrase neste estabelecimento do
PAVO, avultado sortimento de iazaulas de luxo e modas; assim como de primeira
necessidade. As pessoas que negbciam em pequea escala n'esla loja poderlo surtir-
se vendendo-se-lhes pelos precos que compram, n cellentissunis familias poderlo mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou man-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; i estabelecimento se
acha constantemente aberto das 6 horas da manlia s 9 da noite.
A 55000
Na loja do Pav3o vcndem-se modcrnissi-
mos chales de lil preto com lindas palmas
de seda, pelo barato preco de 5#O0O,
pechincha.
BASQUINAS A 12000
Na loja do Pavao vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
Esplendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO UUA DA
IMPERATMZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas,
sendo calcas palitts e coletes de casemira,
depanno.de brim, de alpaca, e de todas pelo barato preco de 125000 cada urna,
as mais fazendas que os compradores pos-1 _. alpagas brancas la viudas
___.... ._ r_____i:! Chegou para a luja do Pavao. um grande sort-
Sam desojar, assim como na mesma loja mento das\nais bonitas alpacas brancas lavradas
tem um bello sortimento de pannos casem- e de cordo sendo n'este genero o melhor e mais
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer lustroso pue tem vindo ao mercado, tem algumas
qualquer peca de obra, com a maior promp- to. flna9 e t. ^nitas fia6 serve,m Par VtSStitlos dc
*j* ..- j a tJ____ s ,. noivas e vondom-se por eommodos precos.
tidao vontade do freguez, e nao sendo laaz,NHaS MODERNAS NA LOJA DO PAVAO
Obrigados a acceita-las, quando nao stejam Chegou para este estabelecimento um grande
completamente ao seu contento, assim como sortimento das melhores e mais modernas lazl-
n'este vasto estabelecimento encontrar O paspara vestidos, sendo tapada* o transparentes
i i..- kii __i:mn^tn An ue todos os precos o qualidades quo so vendara
respeitavei publico um bello sortimento de mais |)araloVqueem outra (mal'iuer parte.
ftO fyutlMA
A AGUIA BRANCA tem convicio de que a abundancia de objectos de novidade-
em seu constante o jcompleto sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridas
de de qualidades, e a limitacao de seus presos, esto na op ni5o do respeitavei publico
tm geral, e na de sua boa freguezia em particular f mas ainda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da reeepcao d'aquclles objectos que estSo alm do commum,
como bem sejam:
Assticard oxido de ferro de
Chauteand.
O astucar fe- ruginoso de Chauteand 6 obtidj
la associacao do oxido de Trro inicuamente no-
vel com o assucar cuidadosamente parificado,
te assucar, de urna bella apparrnria erystaHna,
m o simples gosto mui agradavcl do assucar,
em o menor sabor adstringente : nao tem accao
rritante sobre a mucosa do estomago c ente.-tinos,
e rpidamente absofvido (icio appareltio digesti-
vo sem causar as constipan s do vcnlre.
E' boje o preparado de "ferro de mais aeeitaro
para a chlorose aloma dos orgus, pedas brancas
menstruacoes dilUceis, etc., e tem a seu favor o
juizo autorlsado da escola dc medicina de Pars,
e dos chimicos os mais sotareis.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Bartbolomeu & C, ra lu ga do
Rosario n. 34.
m (rosso
A PRECO F1XO E MDICO
NO
Ba Nova
ESPELHOS em quadros domados dc '/
Vi
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e arraazem de Flix Perei-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-so urna grande porcSo de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavio ra da Imperatrrz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Encontra o respeitavei publico neste estabeleci-
mento um grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam, eassu francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de la de
todas que tem rindo, proprias para luto, como
sejam, l.iazinhas, alpacas lavradas e lisas, caulo,
bombazinas, merino, etc., que tudo se vende por
preco barato.
AS CASSAS DO PAVAO
Covad< a 1100 rs.
Vendem-se finsimas cassas francezas com lia-
dos desenhos e cores flxas a 300 rs. o covado.
Madapolao francez a 7$000 re*
Vende-se peras de madapolao francez
com 2 metros pelo baratissimo preco de
7^000 a pega, pechinclta.
Alias no\idaiies em sedas
Chegou um grande sortimento das mais
moder ias pofipelina ou goi 'garitea do seda
e linho com os mais ciganos padres que
tem viudo a esle mercado sendo, mindos e
graudos, tanto em cortes para vestidos como
para vender em covado, assim como um
bonito sortmieoto das man bonitas sedas
listradas que se vende tudo muito em centa
Grosilenaples tle cores
Chegou um graniic sortimento dos mais
bonitos grosdenaples de tolas as cores para
vestidos que se vendem muito mais barato
do que em outra qualquer parte.
CHAPEOS DE BRIM A 2-J000 RS.
Chegou urna grande, porcao de chapeos
de brim paca caboca que se vende pelo ba
ralissimo prego de 241000, por lerem che-
gado com um pequeo toque de mofo. E'
peehincha.
GRANDE PECHINCHA A 0:000 RS. PECA DE
lirctaataa
Vende-se pecas de -uperior bretanha de
algod > tendo qaatrp palmos de largura
com 20 varas ou 2 metros cada peca, esta
fazenda seria para costar 80000, a nao ser
ama grande compra que se fez, e iquida-se
a 5800, caila per,a.
Cortes de chitas
Com 10 covados a. 3:20'.
Com 11 covados a 3:520.
Com 12 covados 3:840.
Vende-se superiores chitas de padres
claros e oscuros pelos procos cima men1
cionado sendo fazenda que so fosse vendi-
da a retalho nao se venda por menos do
400 rs. o covado, isto pecbincha,
Gorgut'o para eolletes
Vede-se o mais superior gorguro preto
com diversos padres pelo barato preco de
6300o o corto de collete.
Admiravel pechincha
ALPACAS A 400 RS.
DE FURTA CORES A 400 RS,
ALPACAS A 400 RS.
Vende-se um grande sortimento das mais
brilhantes alpacas de finta cores com as
mais lindas e mais modernas cores imitan-
do perfeitamente as sedas de furta cores
sendo neste artigo o mais novo que tem
vindo ao mercado, para vestidos, muito pro-
pria para as senhoras que forera pssar
e>ta no campo, por ser urna fazenda de
maita fantasa e pelo barato prego de 400
rs. e covado.
Bretanha' de rolo a 3500 a
peca
Vndese superior bfetanha de rolo ten-
do 10 varas ou 11 metros com 4 palmos
de largara pelo barato prego de 25500,
pechincha.
OssetinsdoPavo
Vende-se os mais bonitos setins de cores
e mais encorpado^ proprios para vestidos
tendo de di versa*'cores. .
AOS PALITTS DO PAVO A 18r5 e
205000.
Vende-se un bonito sortimento de palit-
ts francezes sendo, sobrecasacados e pro-
priamente sobre casacos, que se vendem
forrados de alpaca a 185000 e forrados de
seda a 205000, pechin<-ha.
320 RS, A DLZ1A DE C0LLERINH0S
O Pavo tem urna grande fartura de bo-
nitos colleirinhos de papel, com os feitios
mais novos, que se vende a 320 rs. a du-
zia, pechincha,
Crochs para ca O Pvao tem um grande soriimento dos
mais bonitos crochs proprios para carlei-
ras sofs, mesas, almofadas etc etc., assim
como proprios para cobrir presentes, e ven-
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte,
GLACE' A 1:00 PARA VESTIDOS
0 P'vao tem esta nova fazenda lisa pro-
pria para vestidos, com as mais delicadas
cores e com mais luslre do que a propria
seda com 4 palmos de largura que facilita
fazer-se qualquer vestido com 10 covados
e vende se pelo baratissimo prego de 1:200
rs. o covado, pechincha.
CRET0NE DA INDIA PARA COLCHAS
O Pavao tem esta nosa fazenda entone
propria para colchas, com os mais lio os
padr5es chinezese com as cores inicuamen-
te lixas, tendo largura de chita ftanceza e
vende-so em oonla,
COLCHAS DE FUSTAO
Xa loja do Pavao vende-se um grande sortimen-
to de colehas de fustao sendo brancas e de cures
dita- de croch para camas de noiva, assim como
qimitos damascos de laa para colchas.
Na loja ue Pavao vendem-se os mais
bonitos chales de verdadeira cachemira de
cor, com o desenos mais modernos, a (5,
10 e 125000, muito barato na ra da Im-
peratriz n. 60.
Organdys a 300 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys do
cores com padioes miados e graudos. sen-
do todos de cores fixas, polos baratos pre-
cos de 300 rs. o cova lo.
CAMISAS PARA SENHORAS
Chegou um grande t-o tmenlo de cami-
sas francezas para senhoras, sendo lisas e
bordadas, assln comonm grande sortimento
de corpinhs do cambraia bordados, cami-
sinhas e manguitos com gollinhas que se
vende muito em cunta,
VLPACAS DE C0RD0
Vende-se as mais honilas aipacas de cor-
dito, tendo de toda as coros, as mais novas
que tem vindo ao mercado e vcndem-se
mais barato do que em oulra qualquer
parle.
ALGODO ENTESTADO
Vende-se urna grande porcSo de aigodo-
sinho americano com 8 palmos do lagura
proprio para lenges e toalhas tendo liso e
trrncao quo se vende por prego muito em
conta.
Panos de liaho
Chejou um grande sortimento de pegas
de panno de liuho do Porto que se vendem
de 700 rs. at 15000 a vara, garautindo-se
que em fazenda dc linho nao ha nada me-
lhor, nem mais proprio para lenges e toa-
lhas
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um grande sortimento dos me-
hores chapos de sol de seda, inglezes ten-
do neste arl go o melhor que tem vindo ao
mercado assim como urna grande porcao de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por prego muito mais barato do
que em ot-tra qualquer parto, por haver
grande porgo.
i.en$os brancos
Vende-se um grande sortimento de len-
cos brancos para hornero, sendo a duzia a
150OO.25OO0 e 35000, ditos abanhados
muito finos a 45 c 05000 a duzia, ditos de
esBiiao fazenda muito superior a 55, 05 e
750 Pechleha em easeuilrasa 4:000
Vende-se finissimascasemirasde cor com
lslras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores mais novas e mais bonitas que tem
vindo ao mercado,' pelo baratissimo prego
de 45000 o covado ou 75000, cada corte
de caiga.
Os baldes Cheg u um grande sortimento de bales
ou crenolinas do feitioinais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que so
vgnde pelo baratissimo prego de 25000 ca-
da um grande pechincha H
ASCAtBRAIAS DO PAVO A 4:500 RS.
Vende-se urna grande porg5o de pegas
de finissimas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com mais de vara de
largura pelo baratissimo prego de 45500, a
pega sendo fazenda que nunca se vendeu
por meuos de 85000, grande pechincha.
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, srvindo ellas de carteira
[uando abertas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras roachetadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rola para costura, obras de apurado gosto
e perfeigo, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com musia.
Estojos ou carteiras de couro com nava-
lias, e os mais necessarios paraviagens.
ESCOVAS DE MARFLM
Para unhas, (lentes, cabello e roopa.
Outras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins".
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentes, canelas,
didaes, brincos, alQnetes etc. eti.
Ricas capellas com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Oulras igualmente bonitas, e com pin-
gentes para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
spiro dourado.
Botoes com ancora, e P. II. para fardas
e eolletes.
Abotoaduras d'aventurne com o p de
prata dourada, para cohetes, cada um 55-
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrm-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
penna coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.
Bonitos passarinhos de metal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas,
de velludo para agulhas e alfroetes.
Thesouras de duas, tres, quatro e cinco
pernas para frisababadinhos.
AGULHAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualdade d'essas agulhas, que
merecen ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusultra, merece a Aguia Brenca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qnalidade.
At agora nada se tinha visto de to bom
em tal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundarSo
as falsificadas para serem vendidas barata-
mate, perm as verdadeiras continoarao a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
mes e qualidades a infinidade d'objectos
i
Boles de cristal, encastoados em prata,; que constantemente se acham venda na
para ptinhos, 45 o par.
Camisas de flanella para hornero, a me-
lhor qualidade que tem vindo a este mer-
cido,
Meias de la para homens, senhoras e
creangas.
Ditas de dita, tecido de borracha, para
qaem soffro de inchaco as pernas.
loja da Aguia Branca, seria seno mpossi-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia, e pede- aos que de novo queiram
reconhecer a commodidade de seus pregos
e a cnceridade de seu agrado, que n3o se
esquegam de comparecer loja d'Aguia
Branca ra do Quairaado n. 8.
PARA A FESTA
Vende-se por menos de 10, 20 e 30
SO' NO
. 23-Largo do Ter DOS SANTOS a- C.
Os proprielarios deste bem sortido armazem de secco e molhados esto re-
volvidos a fazere umn grande diminuigo de pregos as suas mercadorias, como se apro-
xima a festa o sempre se fazem avultadas compras para o centro e praga, por
isso previnem ao respeitavei publico em geral. quo mande fazer suas despengas e cer-
los dc que verao a grande differenga em pregos mais do que em outra qualquer parte
o garanti lo-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 95500 a lata, o 440 SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 600 rs. o litro. 620.rs. o kilogrammo.
VINHO VERDADEIRO FlGEIRA 580' FARINHX DE ARARTA VERDADEIRA
a garrafa, o 45500 a caada e 800 rs o ti- 640 a libra e 15400 o kilogrammo
iro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 25800 e
5200 a caada, 660 e 720 rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 45000.
I caada e 560 a garrafa, 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 c 320 rs. a garrafa, 15400,
15800 e 25200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISROA 900 rs. a
jrrala, o a 75 a caada, o 15340 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 15400 e
15280 a libra, 35060 e 25780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 960, 900.e 850 rs.
i libra, e 25100, 15980 e 15860 o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a li
bra, 15220 o kilogrammo, em porgao se
far abatimento.
BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 8"0rs. n kilogrsmmo.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANZA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
35200 e 65500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 15280, 25500
35500.45500, 55500 a lata e a retalho e 15
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso. e em caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISROA 60 rs.
a libra, em caixa, faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 55500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS. VERDADEIRA IHLERS
BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANHA DE'PORCO DE BALTIMOOR DIVERSAS MARCAS 15500, 15200, 15 e
720 rs. a libra, o 15500 o kilogrammo, em 800rs. a garrafa.
porgSo se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 200 rs. o kilogrammo e
35400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 65000 a arroba.
CAF EM GRAO 65 e 65500 a arroba,
200, 240 e 260 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se faf abatimento.
SABO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
520 e 4 40 rs. o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a librare
15220ok'logrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem^Omo perola bri-
Ihanle, combination, Francy-cracynel, mixed
Britania. Mdium, Fancy-nic-nac, a, b, c, e
soda a 15000 e 15400, cada urna lata.
Assim como ha outros muitos
Na loja e armazem do Pavao ra da Imperatrz 11. 60.
O Campos da rua do Imperador n. 28 tem para
vender o seguinte:
Quedos londrino?, pratos, flamengos e de Minas,
todos muito frescos c do boa qtulldade.
Presuntos para Hambres e para tempero, palos,
salames etc. etc.
O verdadeiro bacal ho de noruega.
Latas com lagdstas e,ostras.
O verdadeiro caf Mocha.
Especialidades
Grande remessa de cigarros de diversas quali-
dades, vindos da provincia do llio de Janeiro, no
vapor brasileo Paran
A saber:
Cigarros ao duque de Caxlas
Ditos ao Maurity.
Ditos aos tonentes do Diabo.
Ditos Barbacenas.
Ditos Papel peitoral.
Ditos de S. Paulo.
Ditos do Rio-Novo.
Teruos de medidas para seceos, segundo o novo
systeuia (mtrico francez), no anuazcui do Cu ni-
pos.
As mais adoptadas e mais facis tabellas para
de prompto se reduzir ;t esa kilogrammas e ao
inverso estao se acabando por isso recommenda-se
aos eslabelecimentos que ainda nao tem, que ve
nham seus donos munir-se desse tao grande agen-
te do commercio, pois que, com a safra que.esl
porta, torna-se ditas tabellas indispensaveis.
28-TUDO NO ARMAZEM DO CAMPOS-28
]
22 Rua Nova n. 22
Machi-as para costuras.
A este acreditado estabelecimento, che-
gou um riqoissimo soriimento de machinas
para costura, do todos os sudores; as
quaes se acham em expsito no me.smo
estabelecimenlo. O progresso destas ma-
chinas raaravilhoso I o seu servico equi-
vale ao de 30 costuraras diarias 11 Os
seus trabalhos sao pespunto, bordar, ton-
ar, e outras rauilas qualidades dc costura,
como se pode ver no mesmo estabeleci-
mento.
Garante-se a sua boa qnalidade, como
bem o concert de qualquer machina quan-
do seja preciso; e tambem se manda ensi-
nar, al que a pessoa esteja bem pra-
tiCa.
illliH jHIII H'ip
A tenoito
Joaquim Rodrigues Tavares d<> Mello*
tem para vender no seu escriptorio, pESHH
ca do Corpo Sant> n. 17 primevo and;ir,
polassa da ltussia ultiiiiaiiiente chegada,^!
Resta venda uin cscolhido sortimenio de ob
lectos de marcincria, como sejam, mobilias do ja-
sarand, mogno eamarello, obra nacional e estran
?eira, de apurado go>to o por prc{o> razoaveis :
aa rua estreita do Rosario n. 32. Nesta mesm;.
asa fazem-se com perfeico todos os trabadlos dt
jalhinha, como sejam, empalbamentos de lastro-
jara camas, cadeiras e sophs.
Vende-se a taluvna da rua larga do (tusarlo
n. 3, propria para principiante por tor poneos
fundos qoem pretender dlrija-88 mesma, que
achara com quem tratar.
CENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 75 e 65 a frasqueira, e 500 rs. o
frasco. <
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
115 a frasqueira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35000, 25800 e 25100 em caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISROA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
o 115500 a arroba.
L1NGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 15000 rs. a lata.
LOMBO DE PORGO ASSADO JA PROMP
TO a 15000 rs. a lata.
CHA FINO. GRAUDO E MIUDINHO
35200 e 25800 a libra, e 65100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 25000,
25200 e 1J800, rs. a libra,
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
UH III NVELOS
FIO B5E VEIi.l
Barbante
Em casa dc Rabo Schmetau & C. Corpo
Santo n. lo.
SHEMY 0L0R0Z0.
Gelo seal.
COaXAC EIE*XE$SY.
Em casa dr Rabe Schmettau & C. Corpo
Santo o. 15.
CAHMPAMA
SUPERIOR.
Roussillou, carte blanche.
Eua casa de Ifiabc Kchmeltau S
Ci. Corpo Kant a. 15.
VINHO
DE
BORDEAUX SUPERIOR.
CHATEAU LA ROSE.
CHATEA JRAUZ AM
Em casa de Rabe Schmettau & C. Corpo
Sanio n. 15.
4'- '/ "/ a duzia 4MXMJ, 258O0,
25400. 15900 c 15300.
LAPIS finos a groza 25200, 25OO, 350(0,
35iOO e 45500.
DITOS com cabeca de osso para carteira,
a groza 45800.
DITOS multo superiores para carpina groza
25000.
DITOS muilo finos cora duas cores a groza
145000.
FIVELLAS d'a?o pulidas e envornisadas
para calca e collete a groza 15500.
OCULOS aro d'aco, vidro de grao a duzia
35500, 55000 e 95000.
LUNETAS OU l'INCINEZ idem idem a du-
zia 95000.
^ E muilos outros artigos que s com a
vista potlem ser apreciados lano as qua-
lidades como nos resnmidissimcj pregos
por que tudo vendido.
Alm dislo faz-sc s abatimenlos na razo
seguinte:
Compras do 505 a 1005 descont 5 %
de 1005 a 5005 10 "/
t de 5005 para cima 15 "/
PAGAMENTO REALISADO NA MESMA DATA
em lclrade30diasmenos2 '/7o
em t de 60 5/,
Jos da Sonza Soares & C.
Cabriolet.
Vende-se uui cabriolet de dous c quatro assen
tos, o que ha de meluor nisle genero, com bom
cavallo e arreios, ou sem elle : na rua de Santo
Amaro, coclwira de Tliomaz LOS.
vende >e o eugenho Jerazatera, no i~rm de
Serinliaem. (lisiante da estarn da via-ferrea tres
lepiias, com boas oliras, natMe e corraalB) de
apoa, c>>poiro, com boas matas e tenas para sa-
frejir 2,000 pa s : quem o quizor eotunrar unten-
da-se com seu propietario, na rua do lospi:io
n. 34.
Gratica-se com 200S por cada
um, e mais, conforme a tlis-
ta ncia em que forem captu-
rados.
Do cnponlio S iledado, em Porto Caho, fugiram
juntos do da 7 do moz pa?sado,dous osera vos, cujos
-ignaes sao os sesninles: um de nome Kfli|qe,
dado 2o auno?, natura! do Cear, cor cabra, eslava
um pouco discorado quando fagio, tem os ealwUoi
carapinhad.K, ollins grandes e vivos, falla de Dffi
dente na frente, rosto comprido regular, ponea
barba por baixn do qucixo. estatura regalar, bem
feto de corpo, pernas grossas, |is inquenos e
bem feitos, com marca de uu.a ferida en eimade
una das eaucllas das nemas, e falla ..-.aro e des-
embarafad i. ontru <5c nome llanoul, tambem
cabra, tem 23 annos de dado, natural do ltio
Grande do Norte, estatura mediana, espigado, sem
barba nenhuma, roclo curio, ulbos pequeaoa e
vivos, nariz pequeo, regular em gro-.-ura, del I i
perfeitos e alvos, bracos e pernas linas, ps regu-
lares, sabe li c osrrewr, loca viola e canta de
improviso, fui monido de faltos docomentoa. Am-
bos foram cnmnradna nesta cklade do Itrcife ao
Exm. Sr. baiab de Nazareth, o primeiro em julho
do lfi(i e o segundo em julho do cnente an-
uo, stao a i'bos limpos de costas e nadegas,
por nao tcreui sffrido castigo algum. Itipa-se
joftanl, as iuoifdades ixiriacs, capitaes de
campo, ou qu(|uer pessoa quo os eucnntre.de os
capturar, e leva-los a sen senhor, Francisco ds
Paula Cavale.inte de Altmquerquo iio referido
eogcoho Soledndo, no termo dc Porto Calvo, ou
nesta praoH ao Sf. Ji>aqaim itodrlguis Tavares
do Millo eom escriptorio no largo do Corno-Santo
n. 17 Io andar, pelo que em qualquer das partes
se dar a gratileacao cima proroettida. Itecifc,
23 de outnbro de IS(9.
muito novas, passas e figos novos, charutos\de diversas marcas, marmelada, fetta pelos
melhores conservemos em Lisboa, gela de marmeh, pcego, ervilhas, em latas, por-
tuguezas e francezas, vinho verde engarrafado i retalho, peise em latas, bem como
pescada, tamba, pargo, goraz, lula, corvina, vezugo, cavalla, sarda e sardinhas de Nan-
tes. Canella, cravo, ervadocc, cominho, pimenta, grandesmolhos de sebolla a 15500.
Finalmente muilos outros gneros que enfandonho menciona-los.
NA A IBM
Rua Direita numero 53.
Grande c completo sortimento de bandoijas chi-
nezas. tanto quadradas como ouvaes, o de todos os
tamanhos, completo soriimento de facas e garfos
de I e 2 U, balanco inteiro e meio halanco, collie-
res do metal "principe, as mais linas qao tom vindo
ao mercado, trm para Cuzmha, pesos kiiogr.un
mas tant de ferro como de lalao (com redoceao
de preco), metros para medir fazenda tanto de ma-
deira como de lalao, alcm de ara sortimento com-
pelo do ferragen* e raiudezas, bem como macninas
de descarogar algodo, moinhos para caf de todos
os tamanhos, etc., etc.. tudo por procos que s
avistado eomprad >r faz fe : na rua Direita n. 53,
loja do ferrageosde Manoel Bento de Oliveira Bra
ga 4 C.
Fugio segnnda-feira, 18 de outubro, o eser.wc,
Antonio, preto crioulo, idade 50 airaos, pouco u tu
ou menos, de estatnra rvgu'ar, bita do dentes na
fente, quando anda um pouco corcovado para
diante, levou vi sudo calca do brim pardo, cunisa
iie estopa, eehapu de paiba j venw : osle es-
eravo veio ji ha tempo do Rio Formes, e HA*
loe-se ter para all seguido : quem o pegar le-
ve-o a rua da Concordia u. 8, reflnacau, que sera
bem gratificado.
Fugio da casa do abaixn assiguado o seo es-
cravo isac, mulato, idade 0 annos, pouco mais
ou menos, furtaudo-Jhe 500 a G0i000 em moc-
das de our i, tem o dedo grande da raao direita
com duas trabas, como se fosfora dnus dedos, sa-
bio bem vestido, bonito e muito fallante. )
abaixo nssignado prometi pagar bem a quem o
pejfar o leva-lo rua da Matriz da Boa-vista nu-
mero 33j
12 de novembro de 69.
Jesuino de Miranda. .
Desappareoeu desde 10 do correte mez, de
um sitio na matriz da Yarzea. a escrava dc
nome Joanna, mulata alaranjada, feia. de rao.ullps
caiapinhos. denle- limados, alia, liiha do Cear,
levou vestido escuro e alsnma roupa mais asada
quem a pegar leve-a rua do Bangel n. 9, psda-
ria, que ser recompensado.____________
Fugio lia dias do mez prximo pas-ado, do
engenho Foruo da Cal, o eseravo Vidal, preto,
erioulo, idade 40 annos, pouco mais ou meros, de
estatura regular, tem barba serrada, desconfia-sc
andar por Goianna, visto ter sido do engenho Ja-
car : quem o pegar e leva-lo ao engenho cima,
>cr^ bem recompensado.
Fugio no dia 7 do crrante mez de novem-
bro, a escrava Joaquina, crioula, de'idade 50an-
nos. cor preta, baixa e ch ia do corpo. leu OIM
orolha rasgada no lugar do brinco, urna peque-
a cicatriz na testa a um lado, dous denles na
frente abertos que parece falla de um, mas nao :
esta escrava so oceupava 0)n carregar agua no pa-
leo do Terc,.o, ou lavando roupa pelos coqueiros
junto a rua Imperial, o por estes lugares que
ella co-tnma andar. Boga-se aos Srs. capitaes de
campo a aprebenso de-ta escrava c a levar a
rua do Qnoimado n. 39 terceiro andar ou a praca
do OorjHi Santo n. 17 primeiro andar, que scrao
bem recompensados.
Bkbas hamburgnezas
Rua da Cadeia n. 51.
Neste novo deposito recebe-se por todos os pa-
quetes transatlnticos, bichas de qualidade supe-
rior ; vndese em caixa ou porgo mais pequea,
e mais barato do quo em qualquer outra parte :
aa rua da Cadeia n. 51, 1 andar.
Vende-se m carrinho americano de quatro
rodas, com 2 e 4 assen los, o arrelo para um ca-
vallo, tudo em brai est.xdo : a tratar na roa da
Florentina, offleina 4e Mr. Orosjean.
CEMENTO
POBTLAND. ____
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reir da Costa & Filho, defronto do arco da Cod-
ceico, em barricas grandes.
VEMDE-SE
urna vacca de leite por pre^o commodo : na roa
da Cruz n. 13.
Vndese nma armacao de taberna, nova, com
todos o< pertences mesma armaen quem pre-
tender dirija-sc rua Imperial n. 183 : na mesma
taberna para tratar. Esla casa acha-*e bom col-
locada o vende ha*lnto tanto para o malo como
para a trra, o e propria para qualquer princi-
piante por nao ser muito grande a armacio.
AVISO
Vende-se
nma vacca de leite de boa raca, e o;ic est prenhc:
na cocueira da rua do Sol n. 3o.
Fugio no dia 18 dc outnbro do c Tonta anno,
o preto crioul de nome Antonio, de idade 50 an-
uos mais u menos, de estatura regular, porm
magro, com falta do denles, tem wn dedo da mo
aleijado, anda ura pouco corcovado para diante ;
esto eseravo foi do Sr. Jos Gomes Ferreira, e-
nhor do engenho Maragi do_ Bio Formoso, para
onde s aupoBn ter segujdo'quem o pegar leve o
a rua da Concordia n. 8, refiaaco, quo ser be
gratifleado. ___________
.No dia 17 do crreme fugio do engenho Bom
Jardim da freguezia da Escaria, o eseravo Manoel,
cojos signaes sao os seguintes : cor fula, secco do
corpo, pstatnra regular, bem fallante, tom falla de
um pedac, i da orolha dirette, do lado de cima, ja
foi snrrado por nutro senhor quo o jjossuio, leven
chapeo de bila e diversas roupas, o em sua e
panhia inoaoiulher fura, aqual 6 b
preta ; esle eseravo fui compra
nesta praca a Sr Pedro
levar a seu sonhor, n
nesla praca Rodrig
trejta di Rosario n.
compensado.
& C, rna
gene
I
I


s
Diario ele Pernambuco Sexta feira 19 de
mbro de 1869.
MERAim
Cvrrv
Miiroi
i.\
iiO ECUMNICO
on o Bispj d'or-
\ Sf* dio;:i:sk.
, mwsns irm3os qtiertdfi-
viudo!
Ella vai reuiaV-sc ira: de to-
dos os pontea do globo habitado, do Occi-
dente, do vosso Oriente, do noto airado o
Este que to
fin:i do santo
*.j, nos-
*>s irmos orientaes- s de Io-
ta os bispos b de t' chrislaos do
cadente, il vesereoinmuin atoilos os que
sobro i Ierra team o nonio de christos.
en Deas haver algwn pioveilo em con-
WMWr aam rasgada a tuuica de Chrisio ?
Seja-mo permittido interrogar as igrejas do
wtoo Orient: que lucrara ellas sob o pon-
to ito vista, luzes e candado em ne com-
esjunicarera comas do universo todo? Quena
as prohibe de se unirem a nos? Estamos
ruta na epocha das subtMezas metapysicas
das argu as d^ baixo imperio ?
Ha pouco fallei em povos nlieis: conce-
dan rae, nossos uos, os bispos orien
aes, que eu Ibes record qnal hoje o e-
ladodo mundo em geral. e qual a situa-
eo da igreja de Jess Christo em todoo
orbe. S em todos os lempos a greja de
Jess Christo tevo que lutar, n3o ella
osle momento, raais que nunca combatida
visada'? Nao so levanta ontra ella, de
b>'h~' as partes, o espirito da impiedade e
Jas revoluc3es ? E vs, grojas orientaos,
unidas on nao unidas, nlo vos ameacam
tambera os pongos? A vossa liberdade
espiritual nao est do continuo prejudica-
Ja ? Nos vossos patina nao est o chrislia-
wsmo cercado pela direita, pela esquerda,
j*>r lodo! os lados rte inimigos encarnica-
do* ? E o valo da impiedade, que tem
agitado a Europa, boje quo as distancias
desapparecerara. nao soprar tarabem na
Asia, e as mesmas rafas crentes do Oriente
aubraettidas aos repelidos esforcos da pres-
an) irreligiosa, julgam-se acaso invulnera-
veis ?
m to grave siluaco, em tempos assim
desgracadus om que a greja de Jess
liristu se \c aggredida, a maior das ne-
eessidades de todas os christos nao ser
por termo a dissidencias que os enfraque-
eem, e procuraren na religio e na paz a
mro que os lia de fortalecer? Qual o
aispo. qual o vordadeiro christo que a sos
oaisigo e com a sua consciencia, meditan-
do s bre isto, mana N3o a separaco
um leni, a unio seria urna desgrana ? I
Nenhum, por esto. Todos, pelo contra-
rio, ho de concordar que a unio e o re-
gresso a unidade um bem corto para as
a!m3s, a vontade manifesta de Deus, c
seria a salvacSo das vossas igrejas. Que 1
Haver acaso consideraco pessoal, motivo
humano, teja de que natureza flor, supe-
rior a esles mximos inleresses, a estes in-
teresses, a estes indeclinaveis deveres?
Vossos maiores, esses Ilustres doutores, os
Athanasios, os Gregorios de Nazianzia, os
taitas, os Cyrillos os Chrysostomos tive-
ram dculdade em curvar a gloriosa fronte
diante daquelle a quem cliamavam a po-
dra firme e sonda sobre a qual o Salvador
eddicou a sua igreja ? Se elles li je v-
TOSSem, com humildade chrisla e nobre,
nao calcaran aos ps urna independencia,
que nao segundo Christo, e nao sacudi-
ran) de si todas as suggesles de um ce-
g nrgulho ? Porque os seclos passados
eemotteram urna fal.a, leve essa falta eter-
ftisar-se?
E o tempo. irmos orientaes 1 se lhe
eavirdes as lices, n vos d graves con-
des Ibas mais alfa
a liorna, ao' centro oa aiaaa
peo chele snprem i
reunir-so sem qu
maos uossos, nossos i
vinde I
B' urna solemnizado rara
s d seculos a seclos se
tbolica offerece-vqs a
gamos com todas as n
creve o santo padre.1*^
concorraes a este synodo r
sos anteeoores eoncopreram
ispos
lUamados
quer
pdknosi|ii''
, como vos-
as concilio
E,
reparados,
correte dol
vai cr>
a quebra
Ierra, a
mais qu
a este
de inuitis, q>i oWBPI
lmejam o ma'Qpj sanute se n*fi-
se a phrase do **: w Ori/
Unum Pastor.--1 TR-) faiaaa tttnn ti
apetecido dia? Nao serini*_;i a^ Ce*-
zes a quem seja dado o goso de* pi"S^
cear a poca prevista e saudada por Bos-
suel ?
As diffi -uldades dogmticas s$* graves,
nao ha duvkla : mas po lem desaparcorse
llo fr Arada a mais grave de todas, no
meu entender : a negtc5o de toda-a ttttori-
dide, douth'nal na igreja, a lilv-rdado abso-
luta deexame. que, com vontade on sem
ella, se confunde com o principio do racio-
na fe. bao
rSloaq
[Moyss,
Pedro
disse:
lona, e o
as, e ss
nao a
tina os no


do Lyon eao de Florenoa, a fim de renovar
a unio e a paa. E recusareis ddr para nos
um passo, disare8 escapar ITi favoravel
en-ejo ? Qual de vos tomar sobrosifi3o tre-
menda responsabilidadu ? Irmos nossos,
nossos irmos qaeridos, ah vinde !
O coracao da igreja do Jess Cbiiist
muda; mas os tempos mudaram I e as"-
sas que, pordesgraca, baldaram os esforcos nalismo. E com efleito, o proiestant-amo
tentados por nossos predocessores, mercei mire om sou coraco o vicio origmsl<
de Deus, nao subsistem boje. Oh vos todos,
seibos ? vos cercados por um lado pelo des-
potismo, por oulro polo islamismo, des-
conheceis os perigos do vosso solamente
as con^equencias fataes de assim vos con-
servardes ?
Deus me hvre de pronunciar palavra que
pos-a, nein levemente,mortificar-vos I dirt-
j-mu a vos com toda a caridade que Jess
Christo recommenda !
Mas, forgoso 6 dze-lo, seja que eu me-
dite n sses povos infelizes, cujas almas, e
o proprio solo que oceupam se tornaram
esteris sob o'jugo da reunio dcMahome-
ts; icja que volie o pensamento para os
povos nissps, religioso, graves nos seos
eoslomes, e fiis a fe de Jess Christo,
apezar da depress5o de igrejas, e de su-
pramacia d'um Czar, a qaem a sua preten-
dida orthodoxia nem ao menos inspira um
leve sentimentn de piedade ou de justica
para coma infeliz Polonia! sinto-me com-
loovido do fcndo d'alma, e oro por tantos
povos dignos de viva sympalhia e de toda a
eompaixao. '
Oh nossos irnaSos separados do oriente,
Gregos. Syros, Armenios, Cialdeos, Blga-
ros, Russos o Slavos, c vos todos a quem
ao especifico, vede que igreja calnolica
tos chama, e vos abre os bracos! Nos-
irmos nossos, nossos queridos irmaos,. wn-
de, vinde!
Pelo que nos toca, ebeios estamos de
esperanca; e quaesqaer quo sejam as re-
sistencias que a sorpreza do momento ou
as antigs prevencoes possam oppr, tudo
nos presag a feliz resultado: Roma
exclamava Bossuet oulr'ora nao cessa de
g ilar aos povos mais longi paos, coovidan-
do-os ao banquete onde tudo feito ora;
e a este grito maternal, eis qne as extremi-
dades do Oriente se abalara, c parejera
querer gerar um nova ebristandadu I
Oh Deus! possamos nos testemunhar
t3o magnifico espectculo Que jubilo para
a vossa igreja na tena, cercada de te
duros combates, e de tintas o to.amargas
dores! Que alegra, lamben para a igre
ja do co, e particularmente, oh igreja dti
Oriente, para vossos santos e vossos duu
lores, quando, como diz o santo padre
Do alto do co elles virem restablecida n
unio com a s apostlica, centro da ver-
dade catholica e da unidade; unio esta,
que em quanto viveram ueste mando, tan-
to se empenharam em o>treitar, e propaga-
mediante seus. continuos cstudos, tnbalho;
inlatigaveis, com a palavra e com d*"bxem-
plo, e os coracoes abrasados da caridad 3
com que o Espirito Santo os inspiroiie. por
Aquello que tudo reconcihou c pacificou
custa do sou precios) sangue, qua den
a paz por senha a seus discpulos, o diri-
gi esta supplica ao Pai. Kazei quo ellos
nao sejam mais que um, assim como nos
um s somos.
15' esta a linguagem da greja, da ver-
dadera igreja de Jess Christo, a nica
que entre todas as sociedades chrisias
desprende um grito materno, e chama a
si todos os filhos, porque verlaiira
mi!
E pela mesmi raza) que o soberano
pontfice, depois de ter-se dirigido para o
Oriente separado, se vola para as outras
communhoes chrisias, nao calholcas, o di-
rige a todos os nossos irmos do protestan-
tismo o mesmo affectuoso convite.
O protestantismo Ah !exclamava
Bossuet no seu ardente amor, nos ssus
votos apaixonados em prol da unidade
este nomo faz palpitar nosso corafo, e a
igreja serapre mi, nao pode deixar de re-
novar seus gemidos e seus votos de ver
todos reuidos.
Sao esses gemidos, sao esses votos qie
o santo padre de novo exprime as letras
apostoliers dirigidas, das de ;0s do breve
aos bispos orientaes, a todos os protestan-
tes c outros nao calhoiicos, e as quaes,
temi deplorado as desgracas da diviso, e
demonstrando os summos bens da unidade
exigida por Nosso S*enhor, exhorta e sup-
plica a todos christos separados delle, de
recolherem ao gremio de Jess Christo.
t Em todas as nossas oracoes e supplicas.
contina elle, nao cessamos nunca de p-dir
humildemente para elles, o dia c a n>ite,
as luzos celestes e a abundancia das gra-
Cas ao pastor eterno disalnas, e espera-
mos de bracos abertos, a volta de nossos
filhos transviados.
Eis ah o que diz o santo padre, e
que, com elle, diz toda a greja. Nossas
esperaBcas e nossas supplicas serao balea-
das? A unio ser to dilfkil como mii-
tos o pensam ?
As preocupacoes sao fortes anda, bm
o sei; e a difficuldade que encontra, cm a
nobre Inglaterra, a obra de tarda justija.
que est em comeco, mais urna pro va
entre muitas outras; mas por issa mesmo,
pode o concilio debelar muitos erros, e,
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
JPOE
Paulo Fval
Segunda parte
TRES 5ATAN
(ConUnuac3o do n. 2Gi)
XX1H
O domicilio de Briraeau.
Havendo deixado os dous mancebos,
Broneau, apezar fi evidentemente pres-
suroso, deu-sa ao trabalho de fechar a
porta. 'Atravessou com passo rpido o
quarto do nosso here Miguel, que eslanos
aorrendo por apresent-ir finalmento ao
leitor. Ao passar por defronte janella,
estacou, acerciu se d'ella e poz-se a. olhar
por traz da vidraga.
A janella frenteira, onde antes brilhava
a luz" da misera doento, astava s escuras.
B*>rmh dircerto a Sra. Leber. Na janella
do lado, porm, apoarecia umi luz, que
iUuminava o quarto da filha.
JJm grupo, oupara que melhor digamos,
oft par, sre projectava as cortina, dese-
hido pela anioa vlla, aceesa no piano de
Elne : un mulher de p e cora a ca-
bega inclinad i, un miaeebo ajoelhado.
O grupo era iiouMvel, e na appareocia
silencio"). Ap '.zar da grande pressa que
ta pouc pareca parta-lo, Bruneau fioou
om bom minuto a olhar esttico para
qocle grupo.
Quando atina! se afastou da janella,
tMioo profundo suspiro : e grave e sdave
sommoc) le illuminava o rosto.
inconsequencia radical, vicio que deplo-
rado na communho dos nossos irmos se-
parados pelos espirilos esclarecidos c mais
lirmes ; e essa a. nossa esperanca* ao
minos, pira numerosas conversoes parciaes
o tal vezDeus o queira para c'.iaraar
outras mato mais valerosas.
Hesol'vido este ponto capital a soluoo e
fcil: basta bom sonso, boa f c perseve-
rangao resto deifaz-sB como fum). A
razo prova com evidencia que Jesu* Chris-
to nao quiz constituir sua .igreja. sem esle
essencial principio de estabilidad^ e de asi
dade, sob pena ile fundar um clnistianis-
mo incapaz de durar e de se perpetuar,
tima religio entregue ao capricho de todas
as iiiudancas c iritenprelacoos indiviiiuaes
nao religilo. isto- evidente, nao carece
de ser demonstrado om textos.
Mis ha textos que. para espiritos reotos,
e sem grandes discursos, comveacein com-
pletamente : apenas recordarei tres : pri-
uieiro<: Tn es Pctrus, tu es Pedro, e d'abi
i supremaca de S. Pedro e do chefe da
igreja; segundo : loe est carpus meum,
este o meu corpo, e d'abi a Lncbaristia r
terceiro : Ecce mater la, eis ah la mi, e
dahi a Virgen Sania. Tendes conseguido
riscar do Evangelho estas tres palavras ?
Tondes meditado bastante nellas, c em mui-
tas outras nao menos coneludentes
Da Evangelho passai historia, dos tcx;
tos passai aos factos.
Qoe vos falla o alimento vivo do chrsth-
nismo, nao vol-o dizem bem alto os factos?
Sem duvida. Por um lado tendes (do sul-
ficionte tempo de conhecer a fundo os au-
tores "da separaco; por outro tendes po-
dido meditar as consequencias d'ella.^ Ha
tres seculos que estaos em face do Evan-
gelho, ha tros seculos que estacs face da
historia. Dizei : esses tras seculos decorri-
dos nao vos ho dado, sobre este ponto ca-
pital, nova, solemne e roficna ligo? A
.loulrina do protestantismo, ao desenvolver
se, preduzio seus tractos, e o qno previram
os dout res calhoiicos, as antigs contro-
versias, todos os dias se reaiisa vossa
vista. O protestantismo contemporneo pro-
gressiva e diariamente se transmuda em
racionalismo ; muitos de seus ministros-
sao elles proprios que o pr^lamamj nao
teem f sobrenatural, e poueo ha que um
grito de alarme, arrancado de seu peito, re-
percudi em as nossas assemblas polticas:
grito perdido na vaslido doar! A dissola-
Cao apezar de nobres esforfW e de christs
resisttincias, continuar a augmentar seniora
e arruinar de mais'em mais esse chrislia-
nsmo incompleto ; por que lhe falta a for-
ga essencial, nica que conserva o preser-
va a autoridade. Fuudir o christianismo no
puro philoSophismo, por vontade ou pr
forca, tal a tendencia do protestantismo
moderno. Porra do mesmo excesso do
mal, pode surgir o bem. E ha nada mais
proprio a enclarecer e desengaar, as cons-
ciencias Iludidas, que desejam cooservar-se
christs, do que esse vicio radical das igre-
jas protestantes, do que esse espectculo
de desorganisaco, comparados com a po-
tente unidade da greja catholica, e do con-
cilio que vai dar publico teslemunho d'essa
unidade ?
Ha ainda outra esperanca, pooco d'accor-
dociinfesso-ocom as probabilidades hu-
manas, mas que a minha f viva na miseri-
cordia divina nao me prohibe de acalentar,
e vera a ser que mesmo os judeos, os fi-
lhos de Israel que, habitando entre nos,
compartilham a nossa vida social, sentirn
emseus coracoes alguma cousa qua^scon-
duzir por fim, doceis vos de S. Pgulu,
ao seio da igreja Bcom effeifo, nqff-jn-
tres, Hce ifHibiis 'irixtns secupdimcarnem,
quiest suftr omnirrDms bn*i$clus in scu-
la* Eff.ossnpplijj.p*s do-oSerem na piel-
laiq* esfleram.^i oJf-anppTico de acredila-
rsi'enf4ftl e*\>ito ceios anuos de Inso-
ria, por que a historia, o quinto Evan-
gelho qu s prova a rinda e a divin lade do
Messias.
Nlo *os admiris, ssnhores, que eu sinta
verddi comp ixo par protestantes,
gregos e judciis. ao passo que sou acema-
do dedorezapara com os inventores di incre-
dulidade moderna. Sei azer adevidadis-
tineeTp) entre osemis que c.oinoi;am 8 tu
erros qie aeabnm; entre os autores res-
ponsweis, os culpad >sque sem ;iam o erro
com co'ihecimenlo de causa o as victimas
innocentes, de boa f, que com o (MsVar
dos seculos, teem estado cncadea las ao
erro. E como possivel que nao me com-
mova vivamente, que de ni.nis oi is n9o
brotem lagrimas amargas, ao comtemplar
essasmassas habitantes do meu paiz, opa-
rarios, e agricultores lo labiriosos orno
dignos de todas as nossas sympaihias, e essa
mocidade quefrepienta as nossas escolas,
e cojos espiritas singlos e ardentos alme-
jam descobrir ver lides, e que anlos de ;o-
nheoerem-so a si raesm s, sao entreoos
aos melres di erro? Qiando, nao hi
muitos auno*, o despertar de l3l3o soasi
vel era, quando decisivo progresso pura o
bem pareeia rea!isar-se, eis que instant-
neamente se condensamas trevas se abrem
os abysmos vendaval, o dasciencia impia,
desencadeando a imprensa turbulenta, tudo
assolao domina, co salutarbuxcl daf eda
francesa, v se prestes a socobrar a sabida
prosp uidadedoporto! Ah/ Maldigo os aucio-
resdetocruelnaufragioaopassoque me sin
to repleto de piedade, por grande numero de
caraces sinceros que diviso entre nossos
irm is separados nascidos no erro, mas
que nlo deram causa a elle Oh com
que ardor, com quo carnho estn lo a
a ossas almis captivas osnuus bracos fra-
temaes! Que elles- v iltem a igrej i: ella
ond; acharo Jess Christ), o Deus de to-
da a verdade, que os convida ao grande
banquete do pai de fami i onde, como diz
Bissuet, tudo nao raais que um,
Piissa o prximo concilio, obra de piz o
de luz, condu/.ir a nos tamas almis qu;
j nos pertencem pala sui sinceri la de, pe-
las suas virtudes, ede muitas o sei
pan
anfwc
Desctu finalmente a escasla com passo
pesado e lento ; a physionoma, de n)vo
apagada, exprima a entorpecida seren la-
dela vegetaco commercial. Paris est cheio
d'essas machinas, especia.mente proprias
para ganhar algn dinheiro, que calculan
e nao pensam. Pensar perde tempo>
Todava, ao passar no patamar do pri-
meiro andar, Bruneau LanQoa ums vista
d'olhos obliqua e asss viva porta ove-
ramente elegante, que tinha no centro urna
chapa de cobre oval, reluzente como ouro,
com estas duas palavras : Agencia Ler.nq.
Fo ludo; pass tu. Na toja, abri urna
grelinha da porta do to Habot e disso :
O Tres Patas esta noute estava. a
cahir com somno.
O que elle est em casi ? perj'un-
lou o porteiro.
Pois nao est !... Esta noute nao
chegmas a jogar tres partidas... Em
casa dos rapazes que a cousa nao corre
muito bem ; que lhe parece aqoillo, lio
Rabot ?
Que! foil?'
Fui para Ihes lembrar o prasc.
Achei-os muito em bajxo.
Tornou a fechar a porta.
Logo que chogou ra, tomou esquer-
da. e parou no fin de algqns passjs
entrada da prmeira casa. Bateu i porta
e locou levemente na vtdraca dQ porttiro,
que lhe gritou sem se incoiunoiar :
Ainda nao veio, aenhor Brunean ;
ainda nao veio a carta que lhe ha de .Irazer
as suas viole o cinco mil libras de renda.
Paciencia l!... ella vira... Pa-
ciencia !
Do cubculo responderam-lhe com nina
gargalhada.
Brunean subi o primeiro andar vagaro-
samente e os ootros tres com sbita agi)i-
dade. A-porta do sea domicilia fleav; no
quarto andar e finba o nome d'elle es-
cripto giz.
Se alguem tivesse interesse em espionar
Bruneau, e nao tarda que vejamos que
esso alguem exista, ah vai o que desco-
bririara applicando ouvidos o.olbos. fe-
chad ara do adlo.
Os normandos s3o prudentes. O pri-
meiro cuidado de Bruneau ao entrar em
casa, fo dar duas boas voltas i chave,
depois io quo accendeu o candciro. Eram
horas de ceiar; comeu alguna cousa de
levante. A cea dtirou justanente cinco
minutos e fui engolida con o melhor ap-
pette.
Toca para cana, dsso de modo
que se poda nuvir da escada.
As pessoas que vivem sen familia 'oo
trabem o coslume de fallar sos. Bru-
neau viva completamente s.
Os preparativos para se deitar nao foram
nais longos que a refeico.
Ouvir-se-hiam ranger as taboas do leito.
Boas noutes, vizinhos, djsse elle ain
da em voz alta e alegre.
E ocauoiro apagQu-se. E(a evidente
que a dormir comp pedra em pn
Os vizinhos de Bruneau podemos nos
oomea-los ; no predio nao bavia quem o
ouvisse, porque o quarto d'elle oceupava o
andar lodo ; era grande e'scrviafbo de
armazem. No outro predio, porm, n'a-
quelle d'onde Bruneau sahra, bavia, no
mesmo andar que o seu, os nossos dous
autores dramtico, o seu amigo Miguel
sem sohrenome, que ainda nao conhecemos,
e o aleijado das diligencias do Pralo de
Estanna, o Tres Patas.
Os dous primeiros ficavam muito leuge;
o tere ir o acnava-se ausente : nio ara cou-
sa que Bruneau podesse ignorar. Q anto
Tres Paias, eslava ferrado do somno,
segundo o proprio Broneau dissera. Era
pelos seus dezejos! Ao menos, scn'iores.
este o voto de todos os calhoiicos! Sim,
abrain.is nossos coracoes cora maior effu-
so que nunca, a todos estes nossos irmos
queridissiraos; dezejemos, o dezejo dd
santo padreque o futuro concilio seja polo-
roso o feliz esforco para a desojada unio,
e elevemos de continuo ao co a proco
do divino Mestre : StinJ unum, cut el
nos !
VIL
A IGIUJA CATHOLICA.
Oh vos, a quem o dever do meu cargo
me obriga a dirigir-me obstina lamente,
opportun importun, dizia S, Paulo, as
vezes com austeras palavras nos labios, mas
sempre com caridade no corar), adversa-
nos da minha f, quem quer qqs sej es,
philosophos, protesiantes, ndiferenios, o
juizera que as miabas palavras tambera por
vos fossem ouvidas. tristes pagaos, mergu-
Ihados as irevas da superstico, que co-
brem ainda metido do globo Oh meus
irmos, quo vehementes os mous desojos
de fazer gosar vos, por pouco lempo (pie
fosse, a paz profunda que se aufere cm vi-
ver e morrer no gremio da santa igreja ca-
tholica! Sede teslemunhas comigo, vos
meus irmos no sacerdocio, e vos todos,
liis christos, de qualquer ordem, sexo ou
idade que sejaes: Quando nos sentimos
circumdados dessa luz, tranquillos com es-
perancas, precedidos por essas creaturas
sublimes, que chamamos Snelos, cuja glo-
ria nos cos saudada c ni Ierra pela
greja, conforme a tradii;o de muitos secu-
los christos iransmiltida pelos successores
dos ap istolos, e fundada por Jess Christ>.
que alegra! que companhia! que forca!
que repouso fundado na certeza e na
luz!
Eslou convencido do que digo, e cada
dia que decorre, ma d urna nova prova:
quem dsse crdito aos clamores que se
elevan s^nlra nos, acreditara que somos
pois si mesmo que Bruneau desejava d'a-
quelle modo as boas noutes.
Durante alguns minutos, reinou com-
pleto silencio em casa de Bruneau. No
fim d'aquolle lempo, o leito rangeu pe i
segunda vez. mas mu de mansinho e al-
gum ouvido subtil poderia distinguir o
rumor apenas perceptivel de um p des-
calco qua atravessava precatadamenle o
sobrado. Depois seguio-se a leve bulla
de urna porta, que gyrava surdaraente nos
gorros.
Que porta seria aquella ? A casa de
Bruneau mal tinha a que dava para a osea-
da. O architecto do predio ira jura-lo.
Mas, afinal de contas, ninguem poda sa-
ber ao certo o pae bavia ou deixava de
baver em casa dj Bruneau ; porque, cr-
aimstancia singularsima, desde que elle
a alugra, ninguem fra permiltido trans-
p.--lhe o limonar. Era inquiino socegado,
exactissimo no pagamento das rendas.
Suportavam-se-lhe as manas.
Um ou dons minutos depois da bulla da
porta, ferram lurae em casa de Tres Palas.
E com tudo o tio Rabot disse-lhes que nao
vira entrar o aleijado. Verdade qu; Bru-
neau afDrmavater n'aiuolla noute jogano
com elle eem casa d'elle a usual partida ;
esses normandos, porm, dizem o que bem
Ihes parece.
Passou um claro por baixo da porta de
Tres Patas. Ou porque eslivesse de volta,
ou porque se levantasse hora a que to-
dos se deitam, o fado que estava acor-
dado.
N'aqoelle momento, Similor, de maos
nos bolsos, e Ecnalot, levando o Satadim
como quem leva um cabaz pela aza, su-
ban melanclicamente a escada parase
reolherem i triste espelunca. Tinham
dado ama volta pelo boulevard do Templo,
poreorrendo os theatros da sua paixo,
para ver ss acalmavan os desgostos da
no confessam^n i
a in
n ossa f. O atheo, no mesmo momento | je cem
em que insulta o christo, diz a sos coflP^^H/
nlo ello feliz f
Taj^H acre litis, senhores
que feenv4a groja, asseverandoqie
sua f asta est para todo o sempre
disfignrado pela calumnia, e qneoshomens
com can a nao ver n'olla seno urna so-
berana tyranica, e ignorante. Estes pre-
juizos violentos nao deixim de ler sua
torca; nossos inimigos e nossas culpas eu-
carregan-se de os propagar. Mis .a igreja,
apesar d'isso tudo, c o concilio scumenico
breve o provar ao mundo nSo deixa de
continuar a ser a esposa de Christo, sem'
mancha neos ruga, nao obstante as fla-
quezas de seus filhos, e nao ha nem um
individuo, entre tolos os quo a agridem,
pox pouca sinceridade qua teha, que diga
qual o mil que a igreja lhe fez Ppale
mus quid feci Ubi ?
Qual o mal Habitantes das cidad ;s e
dos campos, vos lhe deveis a pureza de
vossos filhos, a delidade de vossas es-
posas, a probida lo_ de vossos visnh )S, a
justica de vossas leis, festas nos vossos
montonos trabalhos, urna punca de arte
no interior de vossas habitares, e a es-
peranca alem do cemiterioe do tmulo !
Eis o mal que vos ten(eto\essa ini-
niga do genero humano \
E' se podis elevar-vos acini da vossa
per-onalidide, acina do vosso interesse.
alen das vossas habilaces, se os vossos
pensamentos soben mais alto que o fnno
do vosso lar domestico veris o espect-
culo quo vos aprsenla a greja catholica,
j de si to grande, to bondosa na histo-
ria de cada um de nos, maior, mais bem-
fazeja anda na historia dos laboriosos de-
sen volvimentos da se ci lade humana !
Companheira nseparavel do hornera ^bre
a trra, com elle soffre, com elle toma
parte as saas ludas. E' ella quera as-
sislio, inspirou, e guin a bumanidade em
todas as transformares mais diffi jis e
mais gloriosas.
E' ella quem fez surgir, mesmo do foco
da corrupro paga,'virtudes a que o
mundo nen o none saba, e alnas de
pureza de elevado e di nobrezi teles,
que o mundo, ainda hoje cabe, de joelhos
diante d'ellas!
E' ella 4quen donou e transformoa os
barbaros *em sociedades civilisadas, e
quem combaten animosamente o mal, e
presidio a iodos os progressos dorante
o longo o perigoso periodo do nascimento
das novas sociedades, surgidas da idade
meda.
E ella ainda baje, ingratas, socieua-
^^lK3i
a, u
Ce-
i ser
sem lar
pJ^Ro ser, mais
> por essas
v nacOes a
Mea
ei emtim cj.*s^.I So
ieixar Roma, iqiftj-iitar
em Londres, em Paris, ou em New 1
S a igreja o' o sol podem afumar
certeza, que -no dia seguate, sem"falft|o
vero renascer ; e isso o que faz a igrej i.
misando por entre tumoUos, e n'esta oec3-
so, annunciar ivu concilio.
Espectculo admiravT, que o nosso so-
cnlo nSo quereris presenciar, mas cuja
grandeza obngado a reconhecer Sim, os
olhos fatigados repousara com emoco irre-
sislivel nesta columna magestosa, uoici em
p, cercada dos destroces do tempo passa-
do, o do aelual nivelamsnto de todas as
grandezas humanas. Al os indifferenlas
se sentem perturbados, surpresos, e aira-
nidos para esta Igreja, que por Ufo grande
acto, attesta seu immortal poder; edepois
do exauridas as doutrinas todas, mais d'um
tentado a dizer ao pontifico snprem), o
que Sao Pedro, primeiro Pontfice, disse a
Jess: Mestre, a quen irenos nos ? vos
tendes as palavras dea vida eterna f
Esetitai eslas palavras de vida, vos os
que duvidaes, vos-os que procuraos, vs
os que soffreis! Escutii-as, tanben tAs
os que triunphaes, vos 03 que gosaes, vos
os que epprinis os horneas! Escutai as pa-
avras quo a.[Igreja Catholica faz repeu'
sin gelamente s enancas ao nascer do tol!
Credo, creio I Creio em um s Deui crea-
dor, Sabios, aqu tendes resposta s vos-
sas du vidas.
Credo! Creio no Salvador do mund), n
qual com o- seu nascimento consagrou a
pureza, com os seus soffrimentos distliro-
nou a injuslica com a sua resurreicao,
provou a sua divindade e a nossa iamor-
lili lade : creio em Jess Christo llamaras
dade afilela, povos opprimidos, eis a res-
posta, eis o consol a vossis desauiaada-
c tristes aflliccoes.
des da adualidide, quem vos ha deaju-
i)ar, se por infelieidade conmum vos nao
separardes inteiranenle d'ella a salvar-tos
de todos os elementos confusos perni-
ciosos que vos agitam e vos perdem, e
ha de manter puras e inabalaveis as ver-
dades catholicas, nica bussola que vos
pode conduzir a porto seguro.
Ah Senbores, quo mal se conhece a
igreja catholica! Vivem no gremio d'ella.
Csea parte integrante d'ella, o desconho-
cem na Ignorara o que ella foi, o que
no mundo, e a misso quo Deus lhe dea,
e as forcas vivas, os privilegios divinos
n'ella depositados, aim de que possa
cumprir eternamente na trra, e manter
immutaveis, n'este valle de lagrimas, a
verdade e o bem, a luz, as virtudes, e
ser sempFe, como diz o apostlo ; Eccle-
sia columna el firmumenlum verilatis.
Nao sei que alguem se lembrasse de
censurar a columna, por que immovel r
que seria do edificio se a columna se
movesse? Logo porque censuraos a m-
mutibilidade da igreja ? Nao vos 6 sa-
lutar a sua immobilidade ? Que seria dj
vos se a verdade soffresse abalos, como a
ierra soffre terremotos ? Em quanto que
vos despersaes, nos unimos; emqnanto
que vos perdis, nos conservamos. Po-
demos dizer s doutrinas que hoje vigorara!
J vos conhecemos era Alexandria ou era
Alhenas, a vos, a vossas mes, a vossas
filhas e a vossas'alliadas. A greja pode
dizer s nacis, cojos embajadores o papa
rene : Franca, tu foste constituida pelos
meus bispos, cojas ras e cdades anda
hoje lhe conservara ns nomos Inglaterra,
quem le fundn, e por que que te ap-
pellidaram a iiha dos Snelos ? Alie
manha. tu formaste parte da civilisaco do
Occidente, gracas ao meu enviado S. B mi
faci. Russia, que seria tu sem os nnus
Cyrllo e Methodio ? Reis, conneci vossos
aptepassados. Antes de haverem Habsbourg
sorle mesquinha. Todos os theatros e
casas de espectculo d'aquelle bairro ba-
vara successivaraente aberto de par em
par as suas portaspara o iutervallo, sem
isso Ibes produzir a mnima" souli3.
O publico domingueiro engole o espec-
tculo ate as fezes.
E alm d'isso, a sorle nao os protega.
Ha pocas de um azar atroz.
Similor dava voltas aos milos estrella-
dos aa mioguadicaneca, onde fervlhavam
ideas tumultuosas. chalot scnti3-se pros-
Irado ; a recente tentativa junto dos dous
rapazes descorocoava- o. J matar a mu
Iher nao tarefa das mais agrada veis,
quando se tem bom coraco. Pois bem,
nem sequer para isso queriara aprovei-
ta lo !
Chumado toda a especie de posicoes
ingratas, oSaladira grunhia suffocadamonte.
Nao era feliz a infancia d'a juelle pequeo :
affizera-se, porra, agona, como Mitbri-
dates aos venenos. Tinha seto folegos
como os gatos. Para mata-lo, seria pre-
ciso esmigalbar-lbe a caneca com una
pedra.
Pensa a gente que ha sugeitos e3ta
hora que se stao regalando de parar, em
lodos os estabelecimentos da capital! tor-
nou Similor, cujas mos fechadas se lhe
inteiricavam nos bolsos.
A felicidade para-quem temsorte.
respondeu o Ecbalot.
Similor parou defronte da porta de Tres
Patas.
Olha! disse ; o lagarto nao dorme
Bsse mais feliz, que tem urna po-
si$o, suspirou Echalot, que poz o Suladim
ao hombro.
Taes ss voera nos quadros de grande
estylo, mandados de Boma pelos pensio-
is, as esplendida filhas da Italia le-
vando os seus vasos etruscos, volta da
Credo! Creio no Espirito Santo, na Sa.nta
Igreja catholica, na coramunicaco dos jus-
tos, morios e vivos, na remisso dos pec-
cados, no juizo final, e na vida eterna de
todos os que tiverem combatido pela boa
amm. Aqu tendes, protestantes ou pili-
lo -opbos, to diviilos em doutrinas, So
limitados em tsperancas, a resposta s vos-
sas conlinuis disputas! Potentados o op-
projbre', eis a resposU s vossas iniqui-
dades Desapiadada morte, eis a resposta
a teus rigores !
Amar, esperar, crcr Tudo se cifra nos-
tas tres palavras, que a Igreja, e s efia
conserva aos homens, na nabalavel mi-
gestade.e na universal verdade desto Crvdt.
que o dcimo nono concilio, ao alvorecer
o vigsimo seclo, so prepara a repetir
com o 2G2 succssor do pescador Pelo.
pr;meiro apostlo de Jess Christn.
Acabemos, porm, de fallar, mens Ir-
mos, deixemos de disputar, cessemos de
temor, e dobrando o joelho, oremos!
Oh Deus! quem conhece os s?gredos
da v >ssa Providencia, e qtiem sabe as mi-
ravilhas que a Igreja pode ainda patenioar
ao mundo, se as paixes e as culpas <1 )S
homens a nao iutorqecerem !
Oh Deus! Se- a religio e a socie 1 a le.
prestando-so commum apoio, caminharem
na senda da virtude.qoe agigantado passo
para o cstabelecimento do vosso reioado
sobre a trra, para o das naces, para a liberdade, pela verdade,
pira a sincera fraternidade dos horneas,
para a extmcco das guerras e das revolu-
coes, para a paz do mundo !
Ah ratona urna era nova, am mages-
tosa seculo surgira na historia 1
Abramos as almas a to risonhas espe-
rancas, pecamos a Devs os verdadeiros Ikhs.
o nao pensemos as desgracas que |*dem
sobrevir, sena o para as prevenir. Snln-se
que os calhoiicos nao sao homens tmidos,
nem de sinistros aguaros, ne de de.-ejns
volantos, mas sim homens djbcaridi'l'*, di
nobres esperancas, de brandT ndole, po-
rm. ao mesmo tempo, capazos de em-
penhar a vida en ludas generosas.
Invoqnemos Sao Pedro e Sao Paulo, in-
voquemos a Virgem Miria, raai de J sus.
honra e ad vegada cele -te da hnminidide;
e unidos s almas de todos os sanios, di-
njrmos proces fervorosas adoravel Trin-
dade, que reina nos eos!
(Continuar-se-ka).
fonte. As bilhas d'ellas, porm, nada di-
zem. Mas o Saladim protestava.
Experimento ? perguntoa Similor.
Os costumes d'esle sugeitinho fazcm des-
confiar urna pessoa.
Experimenta, so queres, Anadea.
Foi isto dito como por de raais. O ami-
go praticante de pharmacia eslava comple-
tamente desanimado.
Similor arranhou tmidamente nas"tabeas
desconjuntas. Ninguem respondeu.
Romper o dia amanha ? pronunciou
bnixiaho.
Echalot parara. Ambos retiveram a res-
piraco para escutar. O Saladim, que sol-
t mi um ai, foi castigado De dentro con-
tinuaran sem dar resposta.
Ola, Sr. Malheus tornou o Smujr
elevando a cisar de dous rapazes decididos e para
quem neia palavra basta, l para os seus
myslerios ?...
Vo para o diabo que os leve, rijs-
ponderam-lbes afinal.
Os nossos desditosos amigos trocaran
vistas dolorosas. Ninguem Ibes quera
ulilisar o prestio. Continuaran a suiir
a escada, sera que os passos abafados pefos
sapatos de ourelg, fizessem o maij, levo
ruido. Tarado o Saladim grunhdo, no#a-
raente, Similor propoz que o affogassnp.
Nao era m ndole n'aquelle excellele lp-
paz, a dujajtaca, porm, azeda o animo.
De resto chalot nSo cooveio.
Chegaram ao forro da casa, onde algu-
raas taboas de bote fechavam o caatito que
.lli oceupavam. N'aquellas latea ara
pedaco do cartio, pregado de etguelha,
parodiava a opoleota chapa do primeiro
andar e murmura va : Agtm* Mlalot,
como a outra apregoava : Agemoia kmq.
. fpmtimar-9e4ft.)
T1P. DODlHte-*A


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5DAMTBSK_JT14CP INGEST_TIME 2013-09-14T04:41:48Z PACKAGE AA00011611_11997
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES