<%BANNER%>

Diario de Pernambuco ( Tuesday, November 16, 1869 )

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/11994

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Tuesday, November 16, 1869

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:11994

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/11994

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Tuesday, November 16, 1869

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:11994

Full Text
ANNO XLV. NUMERO 262.
\
.
7
*or tres ow* adiaaados
Por nditos idem. .............. 6j
hroaaMoMen. .;;;;;*......... ti
CdaioBaeroavnkn ............. 2ii
6/000
241000
#3
:
TERCA FEIM 16 DE NOVEMBRO DE 1869.
s
PABA DEITBO E FDBA BA PBOVUCIA.
for tres mezes adjuntados. *.....
Por sus ditos idem.........'"."*''"
Por aov ditos i
Por ata attno.


27#ee
Propiedad* da Manoel Figneira de Faria & Fho,

SAO AGENTES:
Por eir
0. fe. G.mdo A.**, ju Fm^MFjrf^ta^hj,* Kot, o MaratMo; ** M OHvera.
-* ^,^:!^^^^
zsjp
Josfcsia
PARTE OFFfCIAL.
(orrrno da prorlncla
EOrE.VTIt ASIGKADO SLO BXM. SU. D*. MANOiL
00 KASI ReUHTO MACHADO POHTBLLA, VICK-PBI-
rfDK-Tgc bajkovmcia, bm24 br agostodb Wf.
*J!L *7S~^ ^$*W-in'geoeral eomman-
dante das amis.-ftaauTCBrpur em liberda-
mtm Menta. Manuel Jos Themfco Gomes, riflo
ter trovado iseuco legal. ^
3T. 67CD'ia ;io director do arsenal de guerra.
Mamle V. S. retener na enferman militar e re-
comer a esse arsenal fazendo a despera nrcessa-
laeom a respeet. enduran, os eftjeetos. cons-
tantes da relaco inclusa, os une se aehavara a
cargo da mesma enfermara, e si* dados em con-
sumo por estarem inserviveis, conforme declara o
general eommandante das armas era ofHrio de 23
w corrente, sob n. 584.
N. 677.Dito ao mesein. Respondo o offlcio
Vri1 b- me ,,irii0 an i:i d0 torrente, sob n.
63, dizcndo-lhe que lica V. S. autorisado a man-
dar desearregar ao sargento da companhin, de ra-
padores, os quatro baldes de couro que desappa-
reeeram por occasiao em que se acharam as pra-
Jas da cuinpanlii i de operarios militares, traDa-
liando cm cxiiiignir o incendio que se deu lti-
mamente.
Ni 678.Dita ao inspector do arsenal de mari-
nua.Providencie V. S. para que a chegada do
vapor Paran se aprsenle a seu bordo urna ga-
leota, alim do ronduzir para trra alguns dos
Rsms. Rvm.*. hispos, que sao esperado no referi-
do rjpor para daqtil eguirem para Rohm.
- \4679'~*U*'ao "*>.Tendo por delibera-
ban de*a dato (lomeado a Antonio Francisco Igna-
ro di Jesu>, para servir interinamente o lugar de
portetro desse arsenal; assim o communico a V.
i, para seu conlieeimento.
N. CSO.Pita ao commandanto do presidio de
Fernando. -Appruvo a deliberaco, que segundo
'onimunica-mc erasen offlcio de ti dcjulho ulti-
mo, sol n. (i!', limn Vme. de dividir os senten-
ciados por compmhias de 10 a 130 homens e no-
lear para commamjar a cada urna, ui sargento,
tundo Jmij cilios para as respectivas osquadras.
BT. 981.DeiUteraeo.O vico-presidente da pro-
vincia tenl? em vista o aviso de 4 do corrente,
nomeia a Antonio Francisco Ignacio de Jess, pa-
ra servir imeriiiMix-nte o lugar de porteiro do ar-
--cual de maiiha.
2' scejao.
N*. 682.Portara ao Dr. chefe de polica inte-
rino. Remo:tu a V. S. para seu conlieeimento as
clusas liwtae dos serventes e vigas da estrada
de ferro relativas ao mezde julho lindo, os quacs
gocam tanto da isencao do servieo activo da guar-
da nai'ional conu do recrtamento.
- N. 683. Di la ao eommandante superior da
guarda nacional de Palnwres.Fin vista do que
xpoe V. S. em ofllcio djra9 do corrente, pode o
eommandante interino dpaialho n. 40 da guar-
da nacional de-se mnnicfrQ fazer a proposta de
ofliriaes pira o mesmo-atalhao, visto eonrir ao
servieo pirtilico. ...
N. 684.Ita ao juiz municipal de N'azaretb.
Em vista do que expoe o juiz municipal da 1"
vara de-ta capital em offlcio de 23 do corrente
?nvie Vine, ao dito juiz a guia do sentenciado Pe-
dro Joaquim da Costa, que sem ella foi remeltido
para esta capital.
N. BBS.Dita ao juiz municipal do Bonito.Re-
metta Vine, ao juiz municipal da primeira vara
desta capital, que a reclama em offlcio de 23 do
corrente, a guia do sentenciado Manoel Bonifacio
Perrent Mallos, que veio sem ella.
N. OSO.Dita ao eommandante do corpo pro-
vfmrlo de polica.Em respusta ao offlcio de Vine,
de 24 do mez lindo, sob n. 31o, t-mho a dizcr-llie
i|iie appruvo os contratos celebrados com Henri-
de sola de lustre a 780 rs. cada urna, o com Bal-
tnasar Pinto de Gouvea, de qunhentos pares de
sapatea a 35000 o par.
S. 687.Dita ao mesmo.PdeVmc. alistar no
orpo sob o seu commando, os paisanos Autonio
Valdeviiio dos Sautos, Francisco Marinho de Mel-
lo c Manuel Ferreira Jordo, de que trata o seu
ofllcio n. 381 do 21 do corrente, lendo elles a no-
cp-saria moralidade.
>'. 688. Deliberaeii. O vice-presidente da
provincia de cunformidade com a proposia do
chefe de polica em offlcio n. 1,221 de 23 do cer-
renle, reaolva exonerar do cargo de segundo sup-
liente do subdelegado do districto do Sacco, do
ermo de Ex o cidado Marianno da Costa Arau-
jo apiass.
H. 689.Dita.0 vice-presid-ntc da provincia
onformando-se com a proposta do Dr. chefe de
polica em officio n. 1,224 de 23 do corrente, re-
spUe nomear para o lugar de segundo snpplente
do subdelegado do districto do Sacco, do termo do
Ex o cidadao Antonio Severiano de Gouvea
J.ma.
3* sec(,-5o.
N. 690.Portara ao inspector da ihesourara
de azenda.Annuindo ao que solicitou o chefe
de polica interino, em offlcio, sob n. 1.227, junto
por copia, rerommende a V. S. que em vista das in-
clusas contas e relacao, mande pagar a Jeronymo
Pe eir ''arios ou a Evaristo Mendesda Cunda Aze-
vedo, o que juntamente se dever das diarias abo-
nadas polo delegado do tormo do Brejo, aos reeru-
tas e desertores, constantes de taes documentos, os
q-.iaes tend > rindo daquelle termo, tiveram os des-
iiio indicados no dito officio.
X. 691.Dite io mesmoDepois de liquidados
em vista da folha e pret juntos em duplicata, que
me remellen e eommandante superior da comarca
Jto Brejo, cora offlcio de 18 do corrento, sob . 6,
mande V. S. payar ao alferes Antonio da Silva \l-
buquerque, os vencimentos dee offlcial e das
oraras que sob seu commando vieran! do termo
ib Brejo, escoltando os reerntag e desertores de
/pie trata o raeu offlcio datado de boje.
N. 692.Dita ao mesmo Tendo por delibera-
ci desta d-ita, nomeado a Antonio Francisco Ig-
nacio de Jess, para servir interinamente o lugar
munico aV. J, pora seu conhecmenlo e direccao.
N. 603 Dita ao mesmo. Alteadeade ao re-
qatrm o professor publico da terceira-oadeira de
astru.cio primaria dafregueziada Boa-Vista. Ro-
drigo Lobo de Miranda, expeco nesta data as con-
venientes ordeas a ttesourana provincial, afina de
que, a contar do 1* do. sorreate, faca suspender o
descont de ftfor canto que offereceu de seus
vencimentos para a* detpezae da guerra, visto ter
cessado seminante offerecimento ; o que commn-
nieo a V. S. parasen eonhecimento.
t BM.-Sftt meta. Em vista das duas
r nelusas 'cenias que me remetteu o chele da re-
partiese das obra* punteas com ofllcio de hontem,
soto n. 294, mande ?. 8. pagar a empreza da illu-
Amacao ontifrea destrcapital, a qnantia de 44*t90
-pfovenieme o mfrm fritos nes tubos da illami-
HJfci da* MrWfte atalaria e depesitos de re-
crotas em victa% da anlorisaco desta presi-
aencia.
1T. WS.Da at> ioapaemr da thesoararia pro-
vincialInteirada A eootendo db olllei qne V.
S. me dirigi om W da corrente, sob n. 803, te-
nho a dizerem reposta jue coacedo a antorisa-
aelle adida,pan-alo so considerar como ren-
-4a do laiiiidiili pfdimiii da IBA a 1889, a
aliada &*ffV fwnauti do premiea*f*
fHi 4#*atJiB8jj8Mlaila da- nota, fu pof co-
>a vaa iiwiiili BjB Ssia a quaes nras.
Wfaram n&uWaa4a)anho dtst* aana> o passar
tssa quania para a respectiva aaixa, sahindo da
ae deposito ande actualmente seaclia, mas tambera
dar consumo peraate a junta dessa thesouraria
aos documentos comprobatorios das competentes
contas. r
N. 696.Dita ao mesmo. ReineUa-me V. S.
urna copia do contrato eelebrado com a antiga a
aammistraaodos eslabcleeimentos de cardade e
ocorpo de polica, a que se refere a sua informa-
cao de 21 do CMMWfc too a. 8B9.
w imnid
N. 701.Dito ao Bxm. Sr. bispo diaeasano^-
Aminindo ao me V. Exc. fcrma. se ierrlo soliei-
lanmn seu offlcia da 10 providenciar, para que nina galeoU esteja a dispo-
sicaodosExms Srs. bispas qim sao esperados do
norte no vapor Paran. Renov a V. Exe. Rv.na.
os meas protestos do resperto e alta considera-
. 702 -Portera ao desembargador provedor
da santa Cata do Misericordia.Em viata Je sua
inroriiiacao de SO do correte, sob it. 2013, mande
\. .XC inscrevar m respectivo quadro, aflm de
ser admittido qaando houver vaga o menor Euse-
no, hlbo de Justina Mara da Conceicao, de que
traa a inclusa certidao de dada.
N. 703.iu ao director geral interino dos in-
dios.Lom a infbrmaco juata por copia mmistra-
tr*"a pria thesouraria Ue fatend era 21 do cor-
rate, son n. 577 respondo ao offlcio me V. S. me
dirimo em 8 des le mez, sob n. 12, relativamente ao
menor Iraocisco Cavalcante de Brito Jequitiba, l-
Ino do indio Alberto de Brto Cavalcante Arco-ver-
de, que foi mandado admittir na corapanhia de
aprendizes do arsenal de guerra.
N. 701.Dita a cmara municipal do RacHe.
Determinando o governo imperial por aviso de 31
do mez passado que se proceda a elcicao para um
deputado a assembla geral legislativa pelo ! dis-
tricto eleitoral desta provincia alim de ser preen-
clnda a vaga que se deu na respeetiv cmara em
eonscquencia de ter prestado juramento e tomado
assenlo no senado o Sr. visconde de Caiuaragibe,
recommendo a cmara municipal do Recife que
nos termos do aviso n. 12 de 12 de Janeiro de 1849
expeca com toda a brevidade as necessarias ordena
aos juizes de paz das freguezias deste muuicipio
para que convoquen para a referida elecao os res-
pechvos eleilores os quaes derein reunr-se nodia
20 de novembro prximo vindouro que para iss i
desiguo no mesmo edilieio j indicado em circular
desia presidencia de 19 de dezembro de IB60, con-
vindn qne essa cmara providencie em te npo pa-
ra que sejam presentes aos collegios elaboraos os
hvros das actas das asscmblas parochiaes cmifnr-
mo determina o art. C7 da le n. 387 do 19 de
agosto de 18i0.Igual a cmara municipal de Pao
d Alho.
N 703.Dita ao presidente da enmara munici-
pal do Limoeiro.llecebi o seu offlcio de 21 do
corrate e ao mesmo lempo o qne na mesma data
me dirigiraa cinco vereadores dessa cmara e
tendo em vista o que em ambos exposto, cabe-me
dizer-lhe que tendo sido regular o seu procedi-
mento e reprebensivel o que tiveram os dous ve-
candares a que se refere, posto que devioo a igno-
rancia em que mostram elles estar pelo ofllcio que
me dirigiram de poderem ou nao continuar na
sessao suspensa por Vine, compre que Vine, con-
voque a cmara para continuar a sessao suspensa
certo ue que nesta data offlcio aos referidos verea-
dores pela forma constante da copia junta. Advirto-
Ihe, porm, que se por ventura os .referidos verea-
dores niio obstante a resposta que I lies dou, pro-
cediera de modo irregular, use Vine, dos mcios
a seu alcance e traga ludo o meu conlieeimento
para lomar as providencias quo ao caso coube-
rcm.
r. 706.Dita aos vereadores da cmara muni-
cipal do Limoeiro Severiano Mamede Villarim,
Jos Antonio Pestaa, Paulo Cavalcante de Albu-
querque Wanderlev, Francisco Cadena Bandeira
de Mello e Manoel Comes de Moura e Silva.Tenho
presente o offlcio de 21 do corrente em que Vmcs.
referindo-me o que se passou na sessao daquel la
dala da cmara municipal pedem-me Ibes declare
se foi regular o procedimento do presidente da
mesma e o que Vmcs. tiveram, recebendo na mus-
ma data e sobre o mesmo objecto, offlcio do refe-
rido presidente. Em resposta cbeme dizer llies
que ainda quando bouvesse o presidente da cma-
ra procedido do modo qne Vmcs expoem c nao
regularmente como elle me refere, nao podiam
Vmcs. estando por elle suspensa a sessao e lavra-
da e assignada a respectiva acta, continuar a mes-
ma sessao, apoderando-se dos livros contra a von-
tade do senrelariu. E porque emendo que re-
prebensivel este procedimento, limito-me ao que 11-
ca exposto e a remetter-lhes copia da resposta quo
dou ao presidente da cmara esperando que Vracs.
bstendo-so do procedimentoirrefl.ctido que tive-
ram, concorrao a reuniao que houver de convo-
car o presidente da cmara para continuar a ses-
sao suspensa.
N. 707.Dita a cmara municipal da villa do
Cabo.Determinando o governo imperial por aviso
de 31 do mez passado, quo se proceda a eleicao
para um deputado a assembla geral legislativa
pelo 3* districto eleitoral desta proviacia, afim de
ser precnchida a vaga que se deu na respectiva
cmara em consequoncia de ter prestado juramen-
to e tomado assento no senado o Sr. conselhsiro
Jos Bento da Cunha Figueiredo, recommendo a
cmara municipal da villa do Cabo, que nos termos
do aviso n. 12 de 12 de Janeiro de 1849, expeca
com toda a brovidaile as necessarias ordens ao
juiz de paz da fregtrezia desse municipio para que
convoq.se para a referida eleicao os respectivos
eleitores, os quaes devem reunir-se no dia 26 de
novembro prximo vind.mro, que para isso desig-
no no mesmo edificio j indicado em circular desta
presidencia de 19 de dezembro de 1860, convindo
que cssa cmara providencie em lempo para que
seja presente ao collegio eleitnral o Kvro das
actas da assembla parochial, conforme determina
j art. 67 da lei n. 387 do 19 de agesto de 1846.
N. 708.Dita a cmara municipal da villa de Ipo-
Juca.Determinando o governo imperial por aviso
de 31 do mez passado, que se proceda a eleicao
para um aeputad > a assembla geral legislativa
pelo 3* districto eleitoral desta provincia, aflm de
ser preenehida a vaya qne se deu na respectiva
cmara emeonsequencia de ter prestado juramen-
to e lomada assento no senado o Sr.consemeiro
*i9 Bento da Cunha Rgneiredo, recommendo a
cmara municipal da villa de Ipojuca, que nos
termos do avise n. l de 12 de Janeiro de 1849;
expeca com toda a brevidado as necessarias er-
dei aos juises de paz das freguezias desse muni-
cipio para quecunvo<|ue para a referida eleicao os
respectivos eleitores, os quaes devem reunir-se no
dia 26 do novembro prximo vindouro, que para
isso designo no mesmo edificio j indicado era cir-
cular desta presidencia de 19 de dexembro da.
1860, convindo que essa cmara providencie em
lempo pan qne seja presen e ao collegio eleitoral
o Irvro das acta? da assemblaparochial, confor-
me determina o art. 67 da te n. 387 de I dfr
agosto de 1846. Igual as cmaras municipaes da
Escada, Victoria, Serinh5?m,Bnrreros, Agua-IVeta
e do Rio-Formoso.
If. 709. -CfrWltr a cmara municipal do Heci-
.-Timd. por deliberaba.- detfa dota a da coafor-
mttt* *a**f. *- do art da Itfd ti daagdrtD
de 1*34, convocado a aova aneeurWa, Mb^E
provincial para a prow lefWafiva qne A de
funecionar nwMmos de S70 a 1871, designando
da 28 demwenitoro aroxuae viadonro para a
tMfrmmknt 4a anaaa um*** amta o
communico s cmara municipal do Recito para ranf! o mw
a expedicio Su convenientes ortfens; leudo era 9. 7SL1
attsaclo o disposto no art. 2 do decreto n. 2833
do t' de eetembro de 1860. I0'ual a todas as
cunaras da provincia.
N. 710.Deliberaco.O vice-presidente da
provincia, usando da autorisacao que Ihe confere
v !l i do art. 24 da lei de 12 de agosto do 1834,
reslve convocar a nova assembla legislativa pro-
vincial que te.n de funecionar nos anaos de 18/0 e
li'ii J?^ jjPj'BQP o di> 28 di nivciniiro prximo
vlBUnfo* pata VBnjio dos mombros da, inesma
a-sembla.
i J i vico-presidente da provincia,
attMidendo r q^re roqiiereu a professora publica
da cadeira de instruecao primaria da villa do
Huiane, Dimtngas Paulina Ayros, e temi em-vista
ajnformacfl do direcinr cwal interino da instrnc-
cai publica de 21 do corrente sob n. 2l>8, resolve
de conformidad com o art. 8 J da le n. 398 de 13
de iimo de 1864, concoder-lbe romocao irae pedio
dac uella cadeira para a p-jvjayao de Cor-
rales.
KX.'EUIKKTE ASIO.'.'ADO PgLO 9B. D. JOAQUM COBnKA
B-J AnAVJO, SBCHBTAUIO O OOVSRKO, KM 24 HE
ADUSTO DE 1869.
1* seecao.
N. 712.OIBeio ao Eira. Sr. general eomman-
danie das armas.S. Exc. o Sr. vice-presidente
da provincia, meada declarar a V. Exc. para seu
conliecimenai e fias convenientes, ww por despa-
cho de>ta data concedeu lo das de praso am re-
crula Jaio Maaoal de Oliveira, para provafSenco
legal.
Bi 713. Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provincia, lendo providenciado para
quo sejam teeljdos, no arsenal de guerra, os
objjctos aflo se achara a cargo da enfermara mi-
litar, e que por estarem inserviwis sao dados cm
consumo; assiia o manda declarar a V. Exc. em
resposta ao seu offlcio de hontem datado sob
n. 04.
v 2" seccao.
'< o 0racio "'" Dr- cuefe polica interi-
no. i. Exc. o Sr. *iee-presidente da provincia,
mana declaaar a V. S. em resposta ao seu offlcio
drhiye sob n. Ht7, que a thesouraria de fazenda
tem ordoin paca pagar a Jeronymo Pereira Marina
ou a Evaristo Mandes da Cunha Azevedo, a quan-
lu de 2S1J3S0 constante vio citado offleiu.
N. 716. Dito ao eommandante superior da
guarda nacional do Brejo.O Exm. Sr. vice-pre
sidenle da provincia, manda declarar a V. S. em
respjsta ao seu BBet de 18 do corrente sob n. 6,
que a th.sourarla de fazenda tem ordem para
paga- ao alteres Antonio da Silva Albnqiierqj'j os
veniiimentos constantes da folha e pret. que em
duplcala vieram annexo ao citado offlcio.
N. 716.Dito ao juiz municipal da 1* vara do
llecife. O Exm. Sr. vice-presidente da provincia,
manda declarar a V. S. qne nesta data se -xnedio
ordem o juiz municipal do termo de Nazarcili
pan. he ser enviada a guia do sentenciado P. dio
Joat] tiim da Costa, de que trata o sen ofllcio de 23
do corrente.
N. 717.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-pre-
sidenle da provincia, manda declarar a V. S., que
nesta data se expedio ordeni ao juiz municipal do
Bonito, para liie ser enviada a guia do sentenciado
Manuel Bonifacio Ferreira Mattos, do que trata o
sen cfflcio de 23 do corrente.
N. 718.Dito ao presidente e membnis do con-
selho de reviso dequalilicieai da guarda nacio-
nal co baialhao n. 10 de Iguarassti.O Exm. Sr.
vice-presidente da provincia, manda aaensar o
i-er.eliiuion.to de Vv. Ss. de l do corrente, em que
communicam ter nessa data se finalizado os traba
llios de revisio de qualilicafo da guarda nacional
dessi parochia, de que fueram Vv. Ss. parte.
31 secgo.
I?. 719.Offlcio ao inspector da thesouraria de
fazo ida provincial.S. Exc. o Sr. vico-presidente
da provincia, tendo por deliberaco desta data o
em -isla da informacao do director geral interino
da iustruccio publica de 24 do crreme sob n. 208.
resolvido conceder do eonormidado com o art. 23
da iei n. 398 de 13 de maio de 1804 a remoran
que podio a pmfessora publica Domingas Paulina
Ayrci da cadeira de instruecao primaria da villa
do Buique para a da povoacao de Crrenles, assim
o manda commumear a V. S. para seu eonheci-
mento.
N. 720.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provine, manda declarar a V. S. para
os divido* flus que nesta data approvou os contra-
tos ftitos pelo consolho de compras do corpo pro-
visorio de polica, de 300 grvalas de sola de lustre
a 780 re. cada urna com Henrique Miguel d'Abrou
Lim e 500 pares de sapatos a 33101) o par com
Barliiazar Pinto de Gouvea.
N 721.Dito ao chefe da reparticao das obras
publicas.S, Exc. o Sr. vice-prsidenle da pro-
vine a, manda declarar a V. S-. em resposta ao seu
offlcio de hontem sob sob n. 294, que a thesoura-
ria d; fazenda tem ordem para pagar a empreza da
illuminaco publica desta capital a importancia das
contas que vieram annexas ao citado offlcio.
4* seccSo.
N. 722.Offlcio ao director geral interino da
instruecao publicaS. Exe. o Sr. vice-presidente
da provincia, lendo por deliberaco desta data c
em vista de sua infoimacao de 21 do correte sob
n. 2?>'l, resolvido conceder de conformidade com o
art. 13 da lei n. 598 de 13 de maio de 1884, a re-
mocao que pedio a professora publica Domingas
Paulina Ayres da cadeira de instruecao primaria
da villa do Buique para a da povoacao de Corren-
les; assim o manda o eommimicar a V. S. para
seu conlieeimento.
KXPKOIENEE ASSlC.VADO PELO BXM. SH. DH. MANOEL
DO NtSCIMRRTO MACHIMO POITEI.LA, VIUE-l'flESI-
licitou planeador uo.consulado provincial Joao. Po-
dro de J/esus Molla, acabo lo recommendar ao ins-
pector da thesouraria provincial, quo do oorronte
mea em dianto faca cessar o abono, a que a4li se
proceda do 2 % offerecido pelo supolicante d*
seujjreneimentos para as despezas da guerra con-
tra o governo da repblica do Paraguay. O que
declaro a V. S. para seu cmlioeiinento o fh con-
venientes.
N. 73* -MU ao mesmo.Providencie V. S. para
qtwtem vista da orden do thesouro na ;ional, datada
ne 11 do crrente e sob n 1 ilo'.seja pago a Wilsons
* ftail o que se Ihe estiver s. dever proveniente- de
carrio de pedra que forneceram ao arsenal de
"lainnacom deslino a' forra naval.
L 731.Dita ao inspector da thesouraria pro-
TBI-Dand i proviuionto ao recursi interposto
ae* prasideneia por Jos Lepo* Dias, no reque-
rimanto d amentado que incluso devolvo, e a que
sa refere a sua informaca i d* 11 do corrento sob>
n. 478. reco ni Hiendo a V. S. que mande restituir
ao sppplicanlo a importancia que pagou proveni-
ente dos direiios de exportado de 330 couros sec-
eos que tendo rindo do Pemdo no vapor Jaguari-
m em janeiro deslo anno e recibidos ao armazem
Bdegailo da compantila Pernambucana, foram
elle vendidos a Tlieodoro Just.
734.Dita ao mesmo.P.wte V. S. conforme
iCa em sua inrormaeo de 21 do corrente, sob
n. 511, mandar pagar a qmutia de 314j20O%em
que segund o certificado que incluso devolvo, rom
direito o contraante das obras da estrada do norte
baenAl Jio Cavalcantide Albuquerque, prove-
niente da dfferenc que se d:i a seu favor em vir-
tude do offlcio da presidencia de 9 de junho do
.inno nroxinio passado no qual se dctcrminou que
as nmaeiras da ponte na varzea do engenho Buja-
ry, eoaiprchendida no contrato do mesmo hacha-
re! ftHtfem pagas pelos preces das quaes so desti-
navara a que se projeciava sobre o rio Tracu-
nbMni.
N. 735. Dita ao mesmo.Dr-pois de liquidados
em vista do pret junto e.n duplicata que me re-
metteu o eommandante superior do municipio de
Rorcnmo deameacas e resieenca; Manoel Jos do
^aseimento, por olfensas a moral publica, e Luiza
Mana da Conceicao, por embriaguez e desordem.
A ordem do da Boa-Vista, Thereza, escrava de
Mana Rosa da Silva Ayres, a requer ment desta.
No da W, a minn ordem, Luiz Antimio Cons-
taMiiw, Antonio Perretr Perro, Jos Luciano da
Silva Manoel Caetane, Antonio Joaquim Pereira e
uaudmo de AHiuquenn Mararmo, sentenciados,
vindos do presidio de Fernando.
A' ordem do subdelegada da Boa-Vista, Fra
cisco de Souza Ferraz e Sabina Mara da Gonce f-
cao, por disturbios, e Virginia, esenva de D. The-
reza Felicia de Jess, por brign.
A' ordem do dos Afogaaos, Mhnoel Jeronymo de
fuza, por insultos e resistencia, e Manoel Fer-
rara de Iliito, por embriague?e tfcsiurbios.
Deus guarde a V. Exc Um. e Exm. Sr. se-
nador Frederico de Almeida e Albuqtierque, pre-
sidente da provincia.O chefe de polica, Luiz
Antonio Pernandes Pinhtiro.
PERNAMBUCO.
Serintuiem, com offlcio de de julho ultimo sob n.
21, mande V. S. pignr os vencimontoi' relativas
ao mez de junho deste anno-, d k guarda naci-
naos destacados na povoacao do G.imellcira.
N. 735.Dita aomesm.Annuindo ao que re-
Siereu o lancador do consulado provincial Joo
>dro dij Jess da Malta, recommendo a V. S.
que, do cnrreitc mez em diaiite, faca cessar o des-
cinto que nossa thesouraria se fazia de 2 por cont
off-racidos pelo snpplic.inte de seus vencimentos
para ai despezas da guerra contra o governo da
repblica do Paraguay.
4a seci.-o.
X. 737."Deliberaco. 0 vice-presidente da
provincia, cm vista do offlcio do director geral in-
terino da instrucro publica de 21 do corrente sob
n. 267, resolve nomear o hachare! Gaspar de Me-
nores Vasconcello* de Drummoud delegado Ilite-
rario do districto de BeriOhaem, visto que se aeha
vago por nao ter accritadu aquello cargo Manoel
de Mesquila Barros Wandei I rv.
KXrEoii:r.TE assicnado psi.o dii. joaquim cobrea de
AHAUJil, SECRETAntO DO OVIilWO, EM 25 DB AGOSTO
de 1869.
-i' seceo.
f. 738 Offlcio ao Dr. chefe de polica interino.
REVISTA DIARIA.
FACULDADE DE DIREITO.Fizeram acto no
dia 15 do corrente :
3 ann*.
Candido Cesar da Silva Leo, plenamente.
Manoel Pedro de Rczende, Mein.
Henrique de Almeida C >sta, dem.
Miguel Joaquim Ribeiro deCarvalho Jnior, idem.
Antonio Fausto .\eves de Souza, dem.
Joo Gualberto Henriqucs Pereira, idera.
* anno.
Francisco Aires Nobrega, plenamente.
Luiz de Souza Mnntciro de Birros, dem
Jos Joa<]uiin Itabaiana de Oliveira, dem.
Salyro Raymiindo dos Santos, idem.
Sebastiao do Hego Barros, idem.
Arconcio Pereira da Silva, idem.
5* mino.
Alexandre Jos da Costa Valenle, plenanrente.
Ignacio Acioli do Vasconcellos, idem.
Tobas Biirretn de Menetas, idem.
JURY DO RECIPE.Para o da 3 de dezembro
prximo, acb.i-se convocada a 4' sessao ordinaria
do jury da capital, sob a presidencia do Sr. Dr.
juiz de dircitu da 1" vara Francisca de Assis de
Oliveua Maciel.
Agostinfco Gomes" da Silva, Pmambueo, B5 na-
nos, casarlo, S. Josp; molCTlft do peno.
Isabel Pereira Vallim, PcrnambDc, 0 anuos,
casada, Recife ; febre perniciosa.
Luiza, Pcrnambnco, 00 anuos, soTlcir'a, Boa-vis-
ta anazarca.
Miguel, Peroambuco, 2 annos, S. Jas-; convuf-
Manee! Custodio de Oliveira, Pernambuco, 5
anno.s'Jso'teiro, Bua-visto ; molestia na garganta
Adetoidfe, Prnamboeo, 3 annos, Santo Antonio;
gastrite-
PedrorPL'itambnco, 4 awaee, Boa-viny den-
Adolph Hermas Babel! Pessoa, Pernamftnco,
20 annos, solteiro. Boa-vista ; f.-rimentb.
Joo. Pernambuco, lmezes.Bja-vieta-; anemia.
PUBLICACOES A PEBWO.
-t
De ordem do Exm. Sr. vice-presidento da pro-
vincia iransmitti) a V. S. o titulo junto do nomea-
eacwle Antonio Severiano de i", nivea Lima para o
cargo de 2" snpplente do subdelegado di districto
do Sacco do terini do Ex, de conformidade com
a preposla de V. S. cm offlcio n. 1,221 de 23 deste
mez,
N. 739.Dito ao mesmo.Nesta data autorisou-
so a Uiesonrafta de fctemfa a pagar a Malaqnias
Jbs Ib;,lisia, ou aneen pmruwr, a qnantia de
14787, conslante do rilado eflirin, que liba assim
respondido dj ordem do Exm. Sr. vice-presidente
da provincia.
N. 740.Dito ao eommandante superior da
Suarda nacional de Sermltem.S. Exc. o Sr. vi-
ce-pn'sidenle da provincia, respindendo ao ofllcio
de V.S.' datado de! dcjulho ultimo e sob n. 21,
manda declarar que a Iho-ouiMria provincial tem
ordem para pagar os vencimentos constantes do
pret que em duplicata veio annexo ao citado offlcio.
N. 741.Dito ao conrniaiiilautft superior da
guarda nacional do Bonito. -S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia manda leclarar a V. S.,em
resposta ao seu offlcio de 4 do correnfe, qne a the-
souraria de fazenda tem ordem par. pagar a An-
tonio Jos de Arantes & C. os voncimentos cons-
tantes do citado offlcio.
N. 742.Dito ao commarvlanlo do corpo provi-
sorio de polica.De ordem do Exm. Sr. rice-pre-
sidente da provincia transmuto a V. S. o offlcio
juuto por copia do director lo arsenal de guerra,
em resposta ao pedido de V. S. de denlas bayo-
netas com as respecllvas bambas, de que trata o
seu offlcio n. 358 do 1G do corrate.
4*seccao.
N. 743. Offlcio ao director geral interino da
instrucgo publica.S. E da provincia tendo por deliberaco desta data e
em vista de seu offlcio de 21 d corrente sob n.
267 resolvido nomear o bacbarel Gaspar do Mfene-
zes Vasconcellos de Drummoud delegado litlerario
do districto de Scrinhem ; assim o manda com-
municar a V. S. para seu conlieeimento, enviando-
llie o titulo de nomeado para ter o conveniente
destino.
N 744Dito ao mesmo.De ordeimde S. Exc.
o Sr. vice-presidenle da provincia remeti a V. S.
em. resposta ao seu offlcio de 2J do corrente sob n.
264 a inclusa segunda via.do titulo d> maior An-
ukTT8 da provincia em. 25 db acost db I869t mo Vaz da Snva, delegado litlerario do districto
t* seccao. da Cruangy.
724.Portarla ao conselao de compras na-
N.
vaes.Autoriso o con seibo de compras navaes a
remover de c mformidade com o respecllio regu
imeuto a compra dos objeetos mencionados n
offlcio do mesmo conseibo de IB do correniB, visto
seren necessarios para provimento do almoxarifa-
do di. arsenal de marinha.
2" seccao.
N. 723.Portaria ao Dr. chefe de polica inte-
rino. -Bemetto a V. S. a inclusa representaco que-
me diriga o tenante Antonio Plnheiro Dantas para
que V. . infrmense do faci ah narrado, e d as
precisas providencias.
R 72*!Dita ao juiz manicipal da f vara desta
eida do eirrente, com que Vam. remeMea-me mappax
para a estilstica judjeiaria da anno prximo pas-
sado devolvo os de n. 3 e 5, aflm de serera nsraet-
tidos directamente ao Dr. chefe de polica, cerno
dispoe o respecrivo regulamenro.
*seco.
N. 729.Portara ao napeotor da thesouraria
de fazenda.A Antonia Jos Arantes & C, mando
V. S. pagar dapoif de liquidados em vista da folba.
ndaf o nominal e pret pintes em duplicata, qpe
me iemetleu-0 commmidanie superior da comarca
do Bonito eom oflek de Advcorreale, avenan-
menos relalrros an mez de jante ultimo, do cM-
cial e guardas nacionaes destacados na cidade de-
Caruarn.
f '79B.Dita ae meemo.*eewmriBndb' T. S.
tm era vista (ja canta junta em duplcala mandb
mudar e patar a Malaqnras Jos BaptlMi, on ae
seu arocurador conforme selteina1 o clleft di? pn hcia interino em' oficio de hontenr sob n. 1,231, o
que juatetnama s davet pjnwtfBnte da despaza
feu coa o furnecimeotn de luz e agua para o
anal** do tmfMfamrmrWSfcitmto- doaaetaa da dwinefi namiillii Bnllaliw
iQltUlID*
ao raevm.Aonumio no que so-
EXPLICACO NECESSARh.A pessoa men-
cionada na parte de polica que hontem publica-
mos, rom o nome de Theodoro Jos Ti vares, preso
por bi ga, nao o empregado da secretaria do
governo, e sim um subdito portuguez.
FERNANDO DE NORONHA.DesWpresi ionos
remetiera o seguinte, pedindo sua publicacao :
O presidio gosa de serena paz, e a salubrida-
de publica nao soffre a menor alteradlo. .
O Sr. lente-coronel Sebastiao Antonio do.
llego Barros, sendo esta a quarta vez que com
manda est; presidio, zeloso, activo e justiceiro,
torna-se digno la estima geral dos habitantes.
Chegando a este presidio o digno eomman-
dante j no meiado do invern, e sendo este escas-
so como foi, pode com tudo fazer plnta<;des que
deram urna colheita de rail e quatrocentos saceos
de milito que foram remellidos capital, pelos va-
pores ua Coinpanhia Pernambucana.
Apezar das difnVuldades com que tem lutado,
na preparaeo d algodo, devidas estas difflctil-
dades nao serem de boa qualidade as machi-
nas que aqu existem ; ou tem com tu lo, com
seus esforcos, o sua forca de vontado, feilo arran-
jar macliinismos rues, com os qnios vai conse
guindo iescaroc..! r o enfardar algodo. qne entre-
tanto breve sera remeltido para essa capital.
Os raios do astro luminoso, pJe mui bem
oceultar-se con as sombras, que as vezes durara
ate deoois do occaso, mas, nunca offuscaro sua
claridade ; assim pois, bem pode por algn lem-
po oceultar-se o inerccimentn, porm nunca se
escondero para sempre as virtudes que ornara
o carcter deslindo do Sr. tenente-coronel Rege
Barros.
. t O mellioramento do presidio, em la\ ponco
temp, feilo pelo destinelo eommandante, atiesta
sua sabia administraco.
O edificio denominado Arsenal, onde funecio-
nam as offlcinas do presidio, cuja perspectiva era
desagradavel, actualmente reparado como se aeha.
offereco o aspecto para o que destinado.
Outro3 reparos tem feilo, do muita utilidade
ao presidio : ja na pcande casa do ranefto, que
outr'ora se prestava faclnra da farinha, e hoje
trabalha-se all na prepararlo do algodo as
duas casas de farinha do Pico, onde mandn aug-
mentar um lauco, destinado factura di aioite de
carrapato ou mamona, e na outra um grande af-
pendre para trabalharom as rodas de moer man-
dioca ; dmdo assim grande espaco casa, para
com mais vantagein desenvolver a manufactura-
cao da farinha de mandioca, que por alguns me-
zes supprir todo o presidio desse genero. Ro-
constriiio. e colirio de zineo um grande armazem,
onde existe um paiol, deposito de farinha, enge-
nhosamnetefeito, e com accommodaces para ou-
tros misteres; mandou construir 260 bracas cto
muradla de pe Ira secc.a, era roda da borla do
sueste, urna estrada para o recado novo da Boa-
Vista, com 3o0 bracas de extensu, e continuar
na persegu cao aos ratos, que muilo estragara as
lavouras, e at esta dala se tem muri 25,413
desses animaes ; finalmente mandou caiar to-
das as casas e edilicios nacionaes, presentemente
mandou concertar interiormente todos os predios
cima, e os aquartelamenlos da fortaleza dos Re-
medios.
i A disciplina e moralidade do presidio, de-
monstrara quanto o digno eommandante dotado
ilaquelle lino tacto, para mante-la em toda a sua
plenitud*. Recto, justiceiro, bondoso o imparcial,
tem aagariailo a sympathia dos empregados e of-
llcJacs,e o respeito e submisslo amorosa da guar-
nicao, habitantes e sentenciados.
< A par da boa administraco do destnete eom-
mandante, temos em digno major da praca, um
inteHigente e digno secretario, bons offlaaes e em-
pregados : aqu tudo concorre para consiierar-se
este presidio na maior orgaoisacao posaivei da
pessoal.
Oxal que o Altissimo conserve por longos
annos, a vida de tao deslindo e filustre comman-
dante, de sua Exraa familia e da dos domis em-
pregados s offlciaes aqu existentes I I
LOTERA.A qne se acKa a venda a 127*, a
beneficio do patrimonio dos orphos, que corre
no dia 20.
PA8SAGEIROS.Sabidos para os portea do sul
ao vapor americano Meirimack.
Dr. Jos L. de Quelrox, Alexandre G. P. de Ar-
gotfe, Guilherme de S. Campos, Porfirio de S.
Freir; Francisco P. Moreira, Jos P. de Sampaio,
Heanqne A. P. de Maedo, Landnn, ana seniiora
e f Whos menores, Dr. Alfonso A. P. Monteiro,
f. Espinla, A. de S. Espinla; D. M. Barata, M. I.
Cardoso, M. C Vieira, Manoel B. Daeus, A. de S.
osOt J. K. da Roaha A Carvamo, P. C db ^asso,
M. A. Goes, J. M. de Souza, Heoriqae J. de Salles,
see^^Seeretari* da polica de Pernanlbn'- AnnMtath. P. da Cunha, Carlos J. A. Oliveira,
o15 de naeeaabro db 4B69. Virgnnde G Antnele Verga S>, G. Pmi, mada-
8.16tk(Um. e Bxm. Sr. Uve ao.tonlieei- me Atlmeolv, B. Hoaa, J. & AaPUamd, tente
ment dn-V. Exe. qne, seaaiido constadas part- H Ignaeto R. R. a criados, Hadta, Manoel, Aman
cipapimreeoefaiMna,repirrtcao,tormmmmm- mJ9Himm,,. inffte, P. laiamire, Gario
Aos dignos etevtores do segunde
districto
Derta vez, felizmente, o distinelo gremio do par-
uno conservador ticuna planear a eieicao pro-
vincial. *^
O eleitorado vai ganhnnd-> a sua antiga flIWrda-
de e independencia. Cmg.attilo me eomllle por
urna tal prova de conflhiira, atientes as nossas
presentes circuraslancins.
Desta vez, tambera; cont triiimphar em minha
jusla pretenco e legitima aspirac, it pi'la .pri-
meira vez representar, ao menos nrv aseerabla
provincial, a ininha provincia natal. .
Mediante o concurso, q;ie solicito a espero da
meus dignos comrcaos e dos distinefiw elltAre
das de mais localidades- tti segundo' disrrii-ft), o
raeu Iriumpho ser cerli;. se- por ventura tal fer-
misso nao for lo appanente, quanto- confio qua
nao seja.
Aperto-lhes a mao desde-jem signal de alema
gralidao. Dou-lhes rninba palavra de,homem
honradu e sincero de quesera leal e perseverante
no cumprimento de meus sagFados deveres.
Disto hci dado prova us- poucos cargos pbli-
cos, que tenho exereido.
Em n'uma palavra, conTOUcidos Bquem todos os
eleilores, que me hunrarem romos seusuffra-
gios, de que serei solicito n ffcl no legitimo e hon-
rado desempenho de snas ordens particulares.
Recife, 10 de novembro d 1869.
O bacharel, Francisco Luiz Correa de Mjrae.
obspacho da presidencia do dia 13 db novwbro
db 1869,
Antonio Jos de Almeida PernamhucotBotan-
do o lugar em concurso, apprescnle-se eppertu-
namente a elle.
Antonio Muniz Machado.Gertifique-se.
Antonio Teixeira Pimenlel.A' vista da infor-
madlo nao tem lugar o que requor.
Eslevj Alexandrino de Souza.Informo o Sr.
coronel eommandante superior interino da guarda
nattional do municipio do Recife.
Francisco Correia da Suva o Holl.Dinja-se
ao Sr. general eommandanie das armas quanto a
plvora, e nanlo ao mais a Sr. di Bator do
arsenal de guerra.
Henriqueta Plora Bermira da Costa.Informe o
Sr desembangadoc provedor da Santa Casa de Mi-
sericordia.
Capo Jbseph de Oliveira Figueiredo.Certifi-
que-sa.
Dr. Joaquim Antonio-Gbrneiro-da Cunha Mi-
randaA vista das informacoes proceda-se ai ar-
Huamanio noa teanan na ni. 8 da lei. a. 129
ld8iA.
Jb6 Aetonin-lineim.Conceria-ee.
anoel Praaejeen db OlianinK-Caawedh.
Baria, (aidbaa. Barrete aiaw Sa*afaca-se o
avisn
Grande aUcuiuli pratieado ma
villa de S Beato
O abaixo assignado acaba de ser victima da
mais atroz injuria, nao s em sua pessoa como em
seus bens, por so que o dtetpulo de polkia da
villa de S. Bento, o capit > Antonio Bento d'Ovei-
ra no dia 30 do mez passado cercou sua casa do
morada que tambera estabeloeimeato e tentou
vareja-la mesmo as 1> huras da noule, o cora a
abaixo assignado nao consentase foi ella van jada,
no outro dia com todo o escndalo e seivageria.aa
proprios de quera nao sabe at onde devem ser
rospeitads os direitos do cidadao ainda mesma
portuguez, e como alta c sublime d ;ve ser a mis-
so da autoridade a qasm incumba velar pela
garanta destes memios direitos!
E cora effeito va rejada a casa sob o frivolo fim
de se encontrar um criminoso, ahriran-se latas
de gaz, barricas de bolachmhas e caixas de rau-
pa de 3 e meio palmos de comprimento !It
Como felizmente nali fossi encontrado quo
justificasse tamaito aeniado, nem fonna algnma
legal, o abaixo assignado foi mettido em um tron-
co, e depois removido pira a cadeia que Ihe fica
contigua e islo a instancia de seus amigos que re-
voltados por lo desconimunoJ procediinento, aire-
verara-sc a afrontar a ira do furioso delegado, fa-
zemlo aquello pedido.
Nesta data j del a sua queixa ao Sr. cnsul
para da autoridade superior conseguir a puntea
deste grande attenlado.
Espera pois do Exm. Sr. presidente da provin-
cia o ilevido desagravo das- leis e a garanta de
seus direitos
Joo Jos Ferreira.
Lembramos para
provinciae tio
ileputados
Io districto
do^JoaA, ba
jWWBbWI.
PMUCO.
os senhorea:
Dr. Manoel Arthur de Ifnltanda Cavaleanti.
Dr. Antonio DominguePntb.
Dr. Miguel Pernambuco.
Dr. Manoel de llego Barros de Souza Leo.
Dr. Pelippe de Kigueiroa Faria.
Dr. Unacio Joaquim de Souza Lelo.
Dr. Francisco Teixeira de Sa.
Dr. Manoel Caldas Barrete.
Dr. Jos Bernardo Alcoforado Fdho.
Um etrilor do f distrido. .
A boa fe da redare) do Liberal foi laqneada
pelo sen correspoiideiiie do Peras, que se assig-
nou lianchrira, e o>ie uiclor o faria dando-sc a
conhecer por papa-ang. festemunna ocular do
faci, cavilosamente narrado no Liberal do 0 de.
corrente, sob titulo-Districto do Perjshorrori-
zou-nos o modo porque-Ibi o mesmo fado alterado,
tanto na forma como em seus effeitos ; e como o
lira que tem em vista o Ra,nck>iro, bem patente,
vamos restabeli'oer a verdado que nao pode ser
mystificada quanlo se trata de factos acontecidos
a luz do dia, e a preseoca de muitas pessoas. Do-
uiiago, 21 do mez passado, ao ineio-d a pouce
mais ou menos, estavam alguns escravos do Sr.
Luiz Marques, e outro dos visinhos do mesmo
senhor a divertirem-se em sna senzala, e nao na
ra, como mentirosamente diz o Ranchean, qnan-
um Jos de Tal, um tanto turbado do juizo,
entrn na referid senzila querendo tomar parte
na folganca dos escravos ; nao senlo aceito por
estes, e com o fim talvez de provocar aJgnm con-
flicto, braca mi de urna garrafa que aihavia, a
propunha-se a sabir com ella, embancado em
seu tenlo pelos oseravos, pnnou Jos por um
i'.ompasso que tratia, e cora o oual ameacra aos
iioe oppunham embsrgos a coamcaeSo da garrafa,
(lisio resultou um conflicto, a deste, levar o ag-
greseor urna sipoud i em un bmeo o outra na ca-
beca, que Ihe produzio un ligeiro ferimeuto; de-
pois disto, retirou se Jo^ para casa de seu patria
o Sr. Jos Carneiro cnnHnnaodo os escravos em
sua folganca, tao insiguilkanle foi a questio.
O Sr. Dr. subdelegado do districto teve sciencl
do fado, nos termos que elle se den, sem a gra-
vidade que o Ramchenv calculadamente ttie em-
presta ; entretanto comparecen no lugar, e da-
uois de ordenar que acabassem os escravos oam u
beluo**, que alia ora em seala de caen parti-
cular. Syndicau do .tconlecimento e snas cireuras-
tancias, que em resultado deu em nio qaerer Jo-
s, e tambera o seu patrio, qne se flznss vntoria,
em vista das insignificantes eonustoee, ano nao o
prhravara, de oeaUnuar em tes tnsalhe lugo no
diasegnaaie.
Da confrontaco do factn, que aqui flon tranca.
e leaknente exposto, com o qne diste o JtatWn.
no tiberit, reoonmieerao os reJaetefes ueste ft-
iha, une oonvtn \Ar m quarentena mm0mt
qne ihe inlem ministradas pet tomh/mon pa*
dodla U IhnncA eom a CauHU do i^ tlTiSjBWB a
ff


1
2

*
turte no ethanhar dos qe rMe ste'kwlWaffl'
P*gffolm. Sr. Dr- Melegado da***-
to aMtxm o ;ipoodapopl*sao sen_ta_e dis-.
de *aa jurisdic.co, qe preciam conrea len-
es seus aclos de tica e moderare.
Vevadetro.
Agaa de Florida de Sarray
e Lanman.
Matsabem aquellas seatoas que -finen re>-
1 tente uso dessea intiiulailes Aformostatores
s dia, que ellas eslo lenta e seguramente des-
tratado e arruinando a na saile e na que lu-
do, a sua delicada compteieio. Besde oiraraemo:
ravel lempo das Bordas at presente da, foi
mnpre peritamente sabido pelos bem iniciados,
J_ a pura e sencia de freicas o fragrants lloros,
mnotora da formosura. Na laboriosa prepa-
racio e delicada composcio desta afemaeae aau-
tra aigm eomposto uns, do qae aromaucos bo
lies e (1 ires e cerus folha< de uiaa natnreza a -
tsente saudaveis. Ein addieo pois a -na excei-
leacia cmo um perfume primoroso, lia encen;a
a i a virtude de purillcar e al vejar a eomp ei-
cao removendo da pelle, loda despedie de ebulli-
5s. eruoces. ou maculas, tornando o rosto iua-
2o e aii.noso, dando-lhe urna linda transparencia
lustrosa e elaslicidade natural.
fJo*Havfe a barca franceza i/w> Bapttsta.
om 27 corn coures, a H. Ugr.
.dem.-G. A. Alves & Filbes Um em-
bculW q. 218, viado de Soethamptor. no
vapor inglez Domo, idem com amostras, a
ti. A. Aives A Filhos.
dem diamante L. V. A CUrna orna
n. 371 Anda do Havre na-barca fcjrceza
Joao Boftta era 4 de maio,-com chales de
15a, a Ueary Leger.
Armazem n. 8.
Marca diamante SSJB .Quatoree
caixas n_ 3 a 40 vindas de Liverpool na
barca ingleea Floaling Clatid era 9 de mar-
co cora amostras de la, Jonston Iater
lie.
Armazem n. w.
Marca I. i. A.Urna caia n. 5 vinda
de Hamburgo na escuna norle-allemaa Em-
manuel em 12 de abril com carne faiaada,
a Theodoro Justo.
' Alfandega de Pernambnco 1 i de nevem-
bro de 1869.
O inspector'interino,
Luix de Carmino Paes de And'ade.
COMMERCIO.
Soeiedade
bancana era com
m indita
Theodoro Simn
Conpram
pria meues,
geiras,
$ c,
e vendem por conta pro-
moedas nacionaes, e estran-
letras de cambio, sedulas do go-
me e do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e outr os ti
talos coramerciaes.
Eacarr. gam-se por conta alheia das mes-
jnas tiansacces, da cobranca de letras da
Ierra e de outros ttulos commerciaes.
Receb m quaerquer quaniias em depo-
sito, em conla corrente, e a prazo Qxo.
Largo do Pelourinho n. 7
ENGLISH BANK
O Rio de Janeiro Limited
Deseo ita lettras da praca taxa a con-
em conta crtente e a
vencwnar.
RecelM dinheiro
praso fixo.
Saca i vista ou a praso sobre as ctdades
prlncipaes da Europa, tem correspondentes
na Babia. Buenos-Ayres, Montevideo. New-
New-Orleans, e eratte cartas de crdito.
oara os tnesmos lugares.
HUA DO COMMERCIO N. 36.
ALFANDEGa
Reodimeuto do >lia 1 a 13. .
dem do 'lia 15.....
519:8704812
57:7l990
607:590*734
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados com fazendas
dem dem com gneros
Totumes sabidos cora fazendas
dem iJ"tn cora gneros
400
100
-----500
105
232
----- 337
Uescarregara hoje 16 de ontubro
"Vapor inglez -Salalinmercadorias.
Barca iogleziflar/acftoitroercadoras.
Barca hnspanholaCentra de Exportaruoyumos
Brisa1 iiulez Aquilafarinlia de trigo.
SbSWmma de rendas ixteunas ge-
caes de pehnambuco.
eadimento do dia 1 a 13. -?2o.
Memdcdial3........ MWW
3i:432*68o
CONSULADO PltOVINCIAI.
aumento do dial a 13. **:*I**S
fd.iin lo dii 13...... 6:86i58i
5l:337A85
M9VIMENT0 DO PORTO.
y avio entrado no dia 14.
Rio Grande de Sul26 dias, escuna portugueza
'.guia, de O toneladas, capito Pedro Antonio
da Foitceca. tquipagein 9, carga 8110 arrobas
de carne '. a E. R Rabello.
Navios sahidos no mestno dia._
BahaBrizne brasileiro Bahiano, capilao Silvino
da S. Gallo; em lastro.
Liverpool-Ercuua ingleza Bessey, capitao Jozeph
iloss, carga algodao.
Natos entrados no da .
GoiannaSdias, hiale brasileiro Probidade, capi-
to Manoel Marques da Paciencia, equipagem 6,
carga assucar e nlgodao.
Cardiff-36 dias, lugar tnglez Maranee, (le 158
tonelada?, capitao llenry Laurenson, equipagem
8, carga carvao ; a Antonio L. de O. Azevedo
&C.
Navios sahidot no mesmo da.
Aracaj o porlos intermedios Vapor brasileiro
Polengt., eommandante Poreira, carga differen-
tes gneros.
Granja e pollos intermediosVapor brasileiro Y>i-
rapama, eommandante Torres, carga varios g-
neros. _
New-YorkPatacho inglez Beauty, capilao Barns,
carga assucar.
Observando.
Fnndeou no laraaro urna barca franceza e um
paucho inglez, mas nao tiveram communicacao
com a trra.
O Dr. Anninio Corialano Tavares dos Sauto:, juiz
municipal da segunda vara, preparador dos pro-
cesaos do jury desta comarca do Recite, por s.
M. o Imperador, etc.
Paco saber que pelo Dr. Francisco de Asms Ol-
veira Maciel, juiz de direito da primeirn vara
criminal desta comarca, me foi communicado ler
desiunado o dia 3 de dezembro *r..ximo vmdouro
pelas 10 horas da manlia para abrir aquarta es-
sau ordinaria do jury, que trabalhara em dma-con-
seculivos ; e liaveudo hoje pracediao ao sorleio
dos 48 jurados que tem de servir na mesn:a ses-
sao, em conrormidade do art. 328 do regult ment
n. 120 de 31 de Janeiro de 1842, foram sorteados e
designados os cidadaos seguintes:
Frcguezia do Reeife.
Joaqnim Felippe da Costa.
Eulychio Mondim Pestaa.
Dr. Antonio Goncalves Ferreira.
Domingos Soriano Alves da Silva.
Freguczia do Santo Antonio,
'anuario de Sa Brrelo.
Dr. Miguel Jos deAlmelda Pernambuco.
Dr. Estevio Cavalcanli de Albuquerque.
Jeronvmo Emiliano de Miranda Castro.
Dr. Jos Joaquim de Moraes Sarment.
Dr. Ernesto de Aquino Fonscca.
Manoel Gonealves Ferreira c Silva.
Joaquim de Souza Raposo.
Dr. Augusto Egidio de Castro Jess.
Froguezia de S. Jos.
Jos Autonio Pereira da Silva.
Jos Francisco de Salles Bavira-
Joaquim Barbosa dos liis.
Freguezia da Boa-vista.
Joao Gregorio dos Santos.
Francisco de Lemos Duarte.
Dr. Joaquim Ferreira Chaves.
Tencnte-coronel Jos Lucas Soares Raposo da La
niara.
Ismael Amavel Gomes da Silva.
Manoel Jos Dantas Jnior.
Antonio de Moura Rolim.
Miguel Rodrigues de Figueiredo.
Dr. Luiz do Franca o Mello.
Tenente-coronel Joaquim Caetauo de Souzi Cous-
seiro.
Dr. Luiz Rodrigues Villares.
Jos Maximiano Soares de Avellar.
Vicente Antonio do Espirilo-Saiilo.
Hyppolilo Cassiano do Vasconcelos Albut|uerque
Maranlio. *
Dr. Joaquim de Oliveira e Souza.
Frederico Augusto de Lemos.
Dr. Candido Jos Casado Lima.
Francisco de Carvaluo de Andrade Brandao.
Justino Jos de Souza Campos.
Jos Henrique Trindade.
Caetano Qnintino Gallardo.
Dr. Aureliano Augusto Pereira de Larvallio.
Dr. Francisco Ferreira Marlins Ribeiro.
Mermes Carneiro Machado Rios.
Dr. Antonio de Vasconcelos Mcnezes de Drum-
mond.
Frcguezia dos A togadas.
Elias Gonsalves Pereira da'Cunha.
Miguel Joaquim do Rcgo Barros.
Freguezia da Varzea.
Viscondc de Camaragibe.
Esidio Carneiro Rodrigues Campello.
Joao Cavalcanli Filgueiras de Meneos.
Freguezia de xl uribeca.
Antonio de Carvalho Soares Brandao.
Freguezia de Jaboalao.
Irineu Coeiho da Silva. .
A' lodos os quaes e a cada um de pe si, bero
como a todos os interessados em geral, se convida
para comparecrem no primeiro andar da rasa que
til cad.a, na sala do jury, tanto no referido Jia e
hora, como nos dmala dias segrales, em qnanto
durar a sessao, sob as penas da lei, se faltarcm.
E para que chegue a noticia a lodos mandei
passar o presente edital, que ser hdo (i afflxado
nos lugares mais pblicos, e publicado pela ira-
prensa, e tambem reraetter iguaes aos respectivos
subdelegados para publica-los e mandaren) tazer
as notifleacoes necessanas aos jurados, aos culpa-
dos e s testemunhas que se aeharcm em seus dis-
Cidade do Reeife, 13 de novembro de i 869. Eu
Manoel Antunes Correa, escrivo interino do jury
| X* a eootratantes deverao obrlgar-o ,cr
um eerto numera de canloneiros ou guarda?, o
qua< eraojiotados nos cruzameutos das ras t
estradas nos poatos que so determinar^ *8m "
eviutr oedesastre.'.
4." 4s carros devero ser obrigados a f*rar em
qual^uer pona, o ao menor signal que laeflzer o
transoBnte que queira entrar ou sabir dos roesmos
carros.
% 5." 9 presidente da provincia reservar-se-ha
o direito de organisar, ouvides os concessionarios,
os regulameutos neeessarioe, podemio ij0r nos
caso6 de iransgressio ou falta de regularidade do
servio, maltas at 50i n salvo o caso da forca
maior evidamente provado. .
g %.- dover flear licito aos coniralanlies abrir
o prolongar sempre a >a& cotila as ruas.4. es,ra"
das que* eamara muuicipal autorisar sendo-lhes
garantidos oeste caso os privilegios de desappro-
priacoes por utilidadepubica,
g 7. 0s concessionarios em concurrencia com
uutrem*m obras municipaese nos lagares em
que eslwerem ou deverem estar asseutodos os tn-
Ihos, sero preferido em igualdades de- eircums-
tancias. .
8 8* 19s mosmosconcessionanosdevem dar pas-
sagem gratis aos agentes do governo e da polica,
competentemente munidos de passe do respectivo
chefe, e para servico da uiesma polica.
9." Ficar caduca a concessaa, se nao come-
oarem as obras dentro do praso da dous annos,
e conctairem-as no do tres annos, ou se, depois
ae aoerto o trafego for elle interrumpido por seis
mezes.
Art. I." Ficam revogadas as disposicoes em
contrario. '
Mando por tanto a todas as autoridades a quem
o oOnbeimento e execu$o da prsenle resolucao
perteocer, que a cumpram e faeam camprir lao
inteirainenti) como nella se contem.
O secretario do governo desta provincia a faga
imprimir, publicar o correr.
Palacio do governo de Pernambuco, aos 2-t de
junho de 1869, quadrages'simo oilavo";da inde^-
pendencia e do impeno.
L S i* -i
Dr. Manoel do Nascimenlo Machado Porlella.
Sellada e publicada a presente resoluto nesta
secretaria do governo de Pernambuco, aos 23 do
junho de 1869.
O secretario
Dr. Joaquim Correa de Araujo.
Registrada a folha do livro de leis provinciaes.
Secretoria da governo de Pernambuco, aos 23
de juuho de 1869.
O chefe da 4.* seceso
Francisco de temos uarte.
O secretario
Dr. Joaquim Correa de Araitjo.
Consulado provincial.
Pela administra;ao"deste consulado marca-seo
praso do30 dias, contados da' dato do presente,
afim de que os possuidores de escravos de ambos
os sexos existentes nesta cidade, que nao forera
empregados no servico domestico ou em fabricas,
vpnham da-los nscripcao para proceder-se ao
respectivo laucamente, relativo ao anno corrente
de 1869-70, e effectuar-se a percepcao do imposto
de 5*000' porreada escravo, votado no 38, art.
48 da le n. 891, devendo os contribuintes faze-lo
por meo de nina nota declarativa do nome e qoa-
idade do escravo, bera como de quem seja o seo
legitimo propnetario.
Consulado provincial 5 de novembro de ltoo.
O administrador,
A. Carneira Machado Bios.
do
santa Casa da Misericordia
Reeife.
A Hlma, junto administrativa da Santo Casa da
Misericordia do Recite manda fazer publico que na
sala de suas sessoes, no dia 18 de novembro, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de nm
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra ao Calabouco
Casa terrea n. 20, por anno .
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 105 ................
Sitio n. 5 no Pomo da Cal...........
Os pretendentes devero apresenlar
arremataeio as suas flaneas; ou comparecrem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
eife, 8 de novembro de 1869.
O cscrivao.
PVo Rodriavtet drStuza
Para a Babia
ESTABELEC1MENTO EM 1832
Toma carga e ter prompto despacho o patacho
italiano Margherita, capillo Ghors : quem nelle
uzer tomar praca, pode dirigir-so ao escriptorio
o E. A. Burle C; ruada Cru n.'48.'
Salsaparilha de Bristo!.
I.EGITM.V E ORIGINAL
EM FRASCOS GRANDES
LEILOES.
LEIL10
Dos gneros, armar^ao e pe lences da ta-
berna sita oo Corredor do Bispo nume-
ro 49.
O agente Martns tara leila com autorisacao,
da armacao, gneros e pertences da taberna a' i-
ma ero ura ou mais lotes a vontado dos compra-
dores.
HOJE.
As II horas do dia na mesma taberna.
242*000
1501000
150X000
no acto da
avisos martimos;
LEILVO
De resto de calcado para hornera
senhora e nicuiuo. de bezerro,
iSa. brlni. etc.
HOJE.
O agente Pestaa far leilao para fechar eonlas
do porcao de calcado cima mencionado em lotes
a vontade no dia terca-feira 16 do corrente as 10
horas da manha, no caf commercial largo do
Corpo Santo n. 9^________________________.
o esc revi.
Arminio Coriolano Tavares dos Santos.
O inspector interino da alfandega faz publi-
co, que existlndo no armazem n. 1 d'esta repart-
cao, os volumes abaixo declarados, comprehendi-
dos as disposicdes do capitulo 6 titulo 3" do re-
glamento de 19 de selemb-o de 1860, os seus do-
nos ou consignatarios devero despacha-las no
prazo de 30 dias, sob pena de, Ando elte, serem
vendidos por sua conta, sera que Ihes fique com-
petindo allegar contra os cffeitos d'esta venda.
Bastos.IJina lata sem numero, vnda de New-
York na barca americana Caico, entrada no Io de
dezembro de 1868, ignora-se o contd^ e con-
signacao.
Correa Zenha & CUm embrulho sem nuimro
vindo de Liverpool na barca ingleza Wekhe of tne
Fesca, cm 19 do dito mez, dem dem.
A. M. 4 C.Um dilo n. 1, viudo de Hamburgo
no brinue inglez Le mor, em 29 dem, oin amos-
tras, Otto Bohres.
M. B. & CUm dito n. 151/200, vndo de Liver-
pool na barca ingleza SipAo, entrada em 16 do
Janeiro de 1869, ignora se o contedo e consig-
Candido A. S. da Motta.Um dito n. 50/130,
idem idem. ,. .
Parete Vianna & CUra dito n. 231, vindo de
Southampton no vapor inglez La Plata em 20
idem, com amostras, a Prente Vianna.
P. T. V.Dous pacotes ns. 3/4-78, vmdos de
Hamburgo no patacho norte-allemo .4po//o, era 28
idem dem.
I. N. -Um embrulho n. 61, vindo do mesmo
porto na escuna nortc-allema tatharma, entrada
era 4 de fevereiro, com amostras, a H. Noenroyer.
E. J Um dito n. 4012, dem idem, a Ral
Schameltan & ).
B. E.Urna caixa n. 1323, vinda do Havre na
barca franceza Coligni. era 22, com quadros lilho-
graphicos, a Th. Clirislansen.
Otto BohresUm embrulho sem numero, vindo
de Hamburgo no brigue nglwc Prothfze, ora 8 do
marco, ignora se o contedo . a cunsignaca.
P. P Ura dito n. 73/77 Ment idem, com amos-
tras, a Phipps Brothers & C.
X. Z. 4 CUm dilo n. 1/2 idem idem, a Car-
valho Zenha 4 C.
K. 4 CUm dito n. 383, vindo de Antuerpia
no brigue inglez .tune Belle, em 15, amostras, a
Kcller 4 C.
K. 4 LUm dito sera numero,_ idem dem, ig-
nora-se o contedo e a consign icao.
J. L. A.Urna caixa s<-m numero, viuda "Li-
verpool na barca ingleza Floting C. em 2 de
abril, amostras, a Henrique Wilmcr.
Henry Wilmer.Um embrulho sem numero,
vindo do Havre na barca franceza Solide, em 5
dem, ignora-se o contedo e a consignaco.
Diamante N. E.Um dito n. 56/60, vindo de Li-
verpool na barca ingleza Levante, sntrada em 9
do dito miz, idem idem.
P. P.Um dito n. 68/72, idem dem dem.
Alfandega de Pernambuco, 22 de outubro de
1869.
O inspector interino,
Lut'z de Carvalho Paes de Andrade.
GOVAMIA BRAS1LBIM
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do m\ esperado
at o da 21 do corrente o vapor
Tocani'n, eommandante J. M. F.
Franco, o qual depois da demo-
ra do costume seguir para os
os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se *
irga que o vapor poder conduzir, a qual deverj
ser embarcada no dia de sua chegada. Encommen
las e dinheiro a frete at o dia da sua sahida as 3
horas. *... .
Nao se recebem como encommendas senao ob-
jetos de pequeo valor e que nao excedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicas,
rudo qne passar destes lmites dever ser embar-
ca lo como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros, que suas pas-
sagens s se recebem na agencia a-f ua da Cruz
n. 57 prineiro andar, escriptorio de Antonio Luiz
do Oliveira Azevedo 4 C. _______^___
FIZEIDAi
Hoje 16 de novembro.
Augusto C. de Abren continuar o sen leilao de
um grande sorlimento de fazenJas inglezas e fran-
ceza?, por mtcrvenco do agente Pestaa : hoje 16
do corrente em seu armazem a ra da Cadeia.
LEILAO
coraniA
I1MW11U
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
al o dia 29 do corrente o vapor
Guar, eommandante o ! te-
nente P. H. Duarte, o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para os portos do sul.
Desde j recebem-so passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual deverj
ser embarcada qp dia de sua chegada. Enc?mmen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
ua sahida.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
lectos de pequeo valor e que nao excedam a J
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medi-
'Tudo que passar destes limites dever ser
embarcado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
irens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57
1 andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveir
Azevedo 4 C.___________
De urna armac3o pintada e envidra^ada
com balco, registro c bicosde gaz, urna
carteira, urna caixa de ferro (burra) e
I'l 7 t* 11 /1'1 ^
Uiiint-felia 18 de novembro.
O agente Pinto far leilao a requerimento dos
depositarlos da massa fallida de Costa 4 Castro, e
por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do
coramercio, da rmacao e fazendas pertencenles a
referida massa:
SENDO .
as 10 horas cm ponto e no armazem do sobrado
da ra do Imperador n. 29 a venda da armacao
carteira e burra ; e
(em continuacao)
as 11 horas e no escriptorio do referido agente a
venda das fazendas.
Os pretendentes poderao desde j examinar di
tas fazendas e concorrer ao acto do leilao que de-
ver ler lugar no dia 18 do corrento.
LEILAO
de farinha e t igo.
O agente Jos Mara Pestaa vender em leilao
em um ou mais lotes 200 barricas com farinha de
trigo muito nova recntenteme chegada, quinla-
feira 18 do corrente as 11 horas da manhaa no
trapiche alfandegado Cunlia. onde poderao os pre-
tendentes examinar a qualidade da farinha.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda d'esta provincia, em virtude de ordem da
presidencia, manda fazer publico que_ no da 27
do corrente, s duas horas da tarde, irao a praca
para serem arrematados por quem menos fizer,
os concertos de quocarocem as columnas da pon-
te de ferro denominadaSeto de setembro.O or-
catnento o clausulas para o contrato, sera) Man-
queados na secretaria da mesma ihesourana aos
prelendo.ites. ,
As pessoas quera conver a arrematacao, de-
vero comparecer no reforido dia e hora indi-
cados. ... r. _
Secretoria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 12 de novembro do 1869.
Serv ndo de offlcial-miior,
Manoel Jos Pinto.
DECLARACOES.
PARA O PORTO.
Sahr com a pusivel brevidade o palhabote
portuguez Villa Flor, tero parte da carga tratada
para o resto que Ihe falto pode entender-se com
David Ferreira Bailar, ra do Brum n. 92, ou
com o capitn a bordo.
COMPANIIIA PERNAMBUCANA
DE
Navegagdo costeira por vapor
Goyanna.
O vapor Parahtjba, eommandante Mello, segui-
r para o porto cima, no dia 16 do corrente, s 9
horas da noite. Recebe carga, encommendas, pas-
sageiros e dinheiro frete, no escriptorio
Forte do Mattos n 12.______
do
Lisboa
ete
O brigue portuguez Cotete, capito e dono J. J.
da Cosa, recebe alguma carga a frete : trata-se
com E. R. Rabello, ra do Commercio n. 48, ou
cm o referido dono. _______
Acha-se depositada nesta subdelegada urna
pulseira do ouro : quem se achar cera direito
mi sma, compareca nesta subdelegacia, que dando
os signaes, Ihe ser entregue.
Freguezia de Santo Antonio 11 de novembro de
1869.
O subdelegado em exorcicio,
Augusto X. de Sonza Fonseca.
JL
EDITAES.
O inspector interino da alfandega faz
publico, que achando-se as mercaduras co-
udas nos volumes abaixo declarados, no
caso de serem arrematadas para consumo,
nos termos do cap. 6o tit. 3o do regula-
ment de 19 de setembro de 1860, os seus
rinos ou consignatarios devera despcha-
las no praio de 30 dias, sob pena de Ando
elles, serem vendidas por sua conta, sem
qne Ihes fique competindo allegar confeo os
effeitos desia venda.
Armazem n. 1.
Marca J. AUm embrulho n. 30 4/10
com amostras vinda de Bordeaux no vapor
ingiez La Plata entrado em 14 de abril do
corrente anno, consignado a J. Antonio de
Araujo & C.
Sem marca.Um sacco sem n. vindo de
Liverpool na barca ingleza Floaling Clatid
m 15, ignora-se o contedo e a consigna-
Clo.
Sem marca.Um volume sem n. com
amostras vinda de Liverpool na barca ingle
zo Barlachou, idem ignora-se a consigna-
Idem diamanto F P.Urna cana cha n.
23 idem no vapor inglez Gladiador, a D. C.
C. Simpson A C.
dem G. T. E. Um embrulho n. 5 yin-
o de Antuerpia no brigue inglez Ratina,
em *4, a Keller & C, ignora-se o con-
tedo.
dem M & CUm dito n. 27/29 com
amostras idem a Linden Weydman de C.
dem A. F.Uia caixa n. 127/130 vinda
de Liverpool noHugjr inglez Ann Weston
-idea ignora-se o contedo e consgaacao
dem C L H-Uma dita n. 147 wada
O inspector interino da alfandega faz publi-
co, que exstindo no trapicheDauasos volu-
mes abaixo declarados, no caso de serei/i arrema-
tados para consumo de conformidade com o dis-
posto no cap. 6o tit. 3" do regulamento de 19 de
setembro do 1860, os spus donos ou consignatarios
devero despacha-los no prazo da trinta das, sob
pena de lindo elle, serem vendidos por sua conta
sem que Ihes Oque competindo allegar contra os
effeitos desta venda. '
MarcaW. S.Tres caixas, vindas do Rio de
Janeiro no brigue pertuguez Acaso, entrado em
30 de marco do corrente anno, contendo vesti-
mentas vclnas de la e algodo para cmico, em
pessimo estado, pertencentes a Tasso Irraos.
Alfandega de Pernambuco, 11 de novembro de
1869.
O inspector interino
Luiz de Carvalho Paes do Andrade.
Pela secretaria do governo sao convidadas as
pessoas que quzerera contratar o estajelecimen-
to de um systema de carris de ferro, nos termos
da lei provincial n. 879, de 23 de junho Jo corren-
te anno abaixo transcripta, a apreseotarem suas
propostas em carta fechada ao Exm Sr. presidente
da provincia, no dia 10 de fevereiro prximo vin-
douro.
LEI N. 879.
O Dr. Manoel do Nascimenlo Machado Portel la,
vice-presidente da provincia de Pernambuco.
Faco saber a todos os seus habitantes que a as;
sembla legislativa provincial decretou e eu
sanecionei a resolucao soguinte :
Art. 1. Fca o presidente da provircia autori-
sado a contratar com o bacbarel Zfer no de Al-
raeida Pinto e Andr de Abren Parlo, ou com
quem maiores vantagens offerecer, o estobeleci-
mento de um systema de carris de ferro, que ligue
nao s a capital com os suburbios, para os ques
nao estoiam j estabelecldos trilhos urh.inos, como
tambem una os diversos pontos lirairophes da
mesma capital.
Art 2.* O contrato ser lavrado sol ira as se-
guintes bases:
| 1.* O systema de carris ser o mesmo de que
trata a lerceira das condiccoes do decreto n. 4,082
de 22 de Janeiro de 1869.
1* As obras sero bitas a casto dos conces-
sionarios ob da companhia que para es;e fim se
organsar com previa autorisacao do gocerno im-
perial, mas nao poderao ler comee* tem qne o
presidente da provincia approve o plano d'ellas e
Iota cao dos car res, e flxe o preco de 330 n. por
fiagem qualquer que teja a distancia.
' O administrador da recebedoria de rendas
internas geraes faz cerlo ao's contribuintes do im-
posto pessoal do exercicio corrente de 1869-70,
residentes as freguezias desta cidade e as dos
Afagados, Varzea, P056 da Panella, Munbeca, Ja-
boato e S. feourenco da Malta, que neste mez de
novembro flnda-se o praso do pagamento sem
multa do 1 semestre do referido imposto, depois
do que ser pago com a inulta de 6 0|0
Recebedoria de Pernambuco 2 de novembro de
l869- .
Manoel Carneiro de Son7a Lacerda.
luspceco do arsenal de
mariuha.
Faz-se publico que a commisso de peritos,
examinando na forma determinadano regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 8 de rovereiro de
1834, os cascos machinas, caldeiras, apparelhos,
mastreacoes, veame, amarras e ancoras dos va-
pores Potengi e Ptrapama da companhia Pernam-
bucana de navegacao costeira, achou todos esses
objectos em estado de poderem os vapores na-
vegar.
Inspecco do arsenal de marrana de Pernambu-
co 12 de novembro de 1869.
OJnspector.
H. A. Barbosa de Almeida.
COMPANHIA PERNAAMBUCANA
DE
Xaregaeo eosteira por Tapor.
Mamanguape.
O vapnr Coruripe eommandante
Silva, seguir para o porto cima
no dia 19 do .correte as 5 horas da
tarde. Recebe carga, encommendas, passageiros
e dinheiro a frete at as 2 horas da tarde do
da da sahida no escriptorio do Farte do Mattos
n. 12._______________________
Para Lisboa
A barca portugueza Pereira Borges dever se-
guir brevemente para Lisboa, j tem a bordo par-
te da carga, e para o resto trato-se com Oliveira,
Filbos & C, ao largo do Corpo Sanio n. 19, Io
andar, ou com o capito na praca.____________
DE
Mobllias, carros, avallo*.
A 18 do crreme
O agente Oliveira far leilao a requerimento
da Sra. vuva do tan disiincto quanto lamentado
medico Dr. Henrique Krause, e por mandado do
Illm. Sr. Dr. juiz de orphos e ausentes desta
cidade, da mubilia e mais objectos da casa que
forade sua residencia, consistndo em urna mag-
nfica o completa guarnica de Jacaranda para
sala do visitas, mesa redonda e consolos com
tampo de pedra u arraore, mesa qnadrada de Ja-
caranda, cadeiras de balanco, sofs, sendo um
de mollas, cadeiras de guaruicao, de bracos e de
mollas, espelho grande moldura duurada, can-
dieiros para gaz, candelabro de tres laxes, camas
de ferro grandes, commodas, mesas com esptlho
e outros feitios, aparador, estantes para livros e
outros mysteres, jogo de bagateila, armario, guar-
da louca, um apparelho de metal muito superfino
para al moco, dous carros de quatro rodas, o tres
cavallos dbs inesmos com arreios, vtnhos Xeres
e de outras qualidades cm barris o engarrafados,
assim como de muilos tutros artigos que deixara
de ser ennumerados.
Qumta-feira 18
do corrente, principiando s 10 horas da manhaa
em ponto em opredio da Sra. viuva Lascrro, porto
desle nome na Capungn.
OGRANDE PURIFICADOR DO SANGUEI
Esta excellentc e admiravel medicina, e
preparada d'uma maneira a mais scientili-
ca por Chimicos e Droguistas niui doutos e
d'uma instruccJo profunda, tendotido mui-
tos annos de experiencia ao par d'uma ton-
ga e laboriosa pratica.
A sua composicao n5o consiste d'um sim-
ple extracto d'um s artigo; mas sim,
composta d'extractos d'um numero de rai-
zes, hervas, cascas, c fojhas, possuindo to-
das ellas, sua virtude especial ou poder
em curar as molestias as quaes teem sede
ou essento, no sangue ou nos humores ;
e estes differenles extractos vegetaes, acham-
se por urna tal forma combinados ponto
de conservarem em toda a sua for?a, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um di*
per si possue. A raz da planta de Salsa-
parrilha, produzid as Honduras, a que
nos usamos nesta preparacao, sendo a qua-
lidade que todos os mdicos mais prezam
e estimam. Na composicao da Walsa-
parrllha de Bristol entra mais de 50
por cento (leste concentrado extracto. Ella
tiao encerra em si cousa algumi, que pos-
sa por leve ser perigosa ou injuriosa
sade; e tanto n'este, como em quasi to-
dos os mais respeitos, 6 ella inteiramento
diversa de todas essas mais preparacoes,
as quaes debaixo do nome de Satsaparr-
Iha, sao acondicionadas ou postas em gart
rafas pequeas, sendo receitada em doses
mui diminutas d'uma colher de cha poi-
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARRIRA DE BRISTOL
em frascos grandes, e assim por este modo,
dividimos com os consumidores, o grande
proveito e vantagem alcanzado por aquelles-
que acondicionara sita preparacao em gar-
rafas pequeas. Cada um dos frascos d
nossa Salsaparrilha de Bristol
oonteem a messa quantidade igual porcto
contidanaquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue ainda muito mais forca e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa achar contada dentro de
seis garrafas de pequeo tamaito. Por-
tanto mui natural, que aquelles, que se
acham oceupados em preparar e vender as
suas produccoes, em garrafas pequeas,
murmurem e gritem contra os nossos fras-
cos grandes: proclamando, que a nossa Sal-
saparrilha de Bristol nao possue a
menor virtude ; porm quo effectivamen-
te sao elles postos em silencio, quando indi- #
camos, ou simplesmente referimo-nos para
com essas centenares de certidoes c tes-
temunhos aulhenticos, por nvs- recebidos
de todas as classes da soeiedade, nos quaes.
plenamente attestam o poder curativo e vir-
tudes maravillosas da nossa.
SALSAPARRILIIA DE BRISTOL.
A vantagem de temos os nossos pro-
prios agentes naquelles lugares aonde as
differentcs raizes, drogas, hervas, e plan-
tas de que se compoem as nossas medicinas,
sao produzidas, que nos habilita exer-* "
cer aquelle constante cuidado e disvello na
minuciosa escolha; e o que assegura e ga-
rante uniformidade de exccllencia.
Em quanto que, por ontro lado, nos n5r>
nos poupamos ncm dinheiro, nem dili-
gencias; afim de alcancarmos o rnelhor
e nicamente o melhorde cada um artigo
ou ingridiente que entra na sua composi-
cao ; pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva conlianca; que po-
demos afoutamente dizer aos doentes de to-
das as naces, e de todos os paizes, que na
Kalsaprrilha de Bristol. possuem
um remedio mais efficaz e seguro ; do que
nenhum mitro, que vos tenha sido offere-
cido at hoje, e o qual por eerto nao hade
mallograr vossas expectativa?, na promnta
e effectiva cura das seguintes enfermidades:
Porto.
Va sahir breve a barca Laura ; para carga c
passageiros, trato-se com os consignatarios Carva-
lho & Nogueira, na ra de Apollo n. 20.
PARA
De ordem da camar* municipal faco publico
3ue os donos dos estabeleciirentos desta freguezia
evem vurrer e agoarem as frentes de seus esta-
belecimentos, das 6 s 8 horas' da manhaa, sob
pena de multa.
Fscalisacao da freguezia de Santo Antonio 13
de novembro de 1869.
O fiscal.
Joaquim Francisco Torres Galindo
Para o designado porto pretende sabir com mui-
to brevidade o palhabote Rosita por ter a maior
parte de seu carregamento prompto : para o res-
to que lhe falto, trato-se com o consignatario Joa-
quim Jos Goncalves Bellrao, ra do Commercio
n. 17.
COMPANHIA
O caixa desta companhia, commendador
Tliomaz d'Aquino Fonceca, acha-se autori-
zado a pagar no seu escriptorio, ra do
Vigario n. 19, das 10 horas s 3 da Urde,
o 43 dividendo desta companhia, na pro-
porcio de 3O0O por cada accao.
Escriptorio da Companhia do Beberibe,
13 de novembro de 4869.
O secreta rio,
Dr. Prazrit* Gomes de Soma Ptmga.
Para o Rio Grande do Sal
segu cora brevidade o patacho nacional tonques,
visto ter parte da carga prompta ; e para e resto
que falla, poder* entender-se com FraHcisco Jos
da Costo Araujo. ou cora o capito a bordo.
Rio de Janeiro,
Para o indicado porto, pretende seguir com mui-
to brevidade a barca portugueza S. Joo, por ter a
maior parte de seu carregamento engajado ; e
para o resto que lhe falto, trato-se com o consig-
natario Joaquim Jos Goncalves Bellrao, ra do
Commercio n. 17.
De urna mobilia de Jacaranda constante de 12 ca-
deiras de guarnicn, 2 ditos de bracas, 1 sof,
2 bancas e 1 mesa redonda, 1 mobilia de ama-
relio, l mesa elstica 1 cama franceza de ama-
relio, 1 roarquezo, 1 commoda de amarello, 1
importante realejo, 1 apparador, 1 piano de ar-
mario proprio para principiante, 1 banca para
jogo, 10 quadros ovaes com molduras douradas,
2 candieros a gaz, 1 guarda vestido de ama-
relio, 1 importante estante para livros, 1 lava-
rio de amarello, cabides, marquezas, cadeiras
usadas, 1 cadeira preguicosa, 1 cadeira do re-
buco, coQsolos, mesas -redondas, 1 apparelho
dejantar, 1 dito para almoco, escarraderas,
candelabros, relogios de algibeira, e do cima
de mesa e muilos outros objectos.
Qulnto-felra 18 do corrente
O agente Marlins far leilao dos movis cima
por conta de urna familia que se retirou para fora
da provincia, no armazem da ra do Imperador
n. 16. as 11 qras do dia.
Escrfulas,
Chagas antigs,
Ulceras,
Feridas Ulcerosas,
Tinha,
SyphiliSjOuMal Ve-
nreo .
Humores Escrofu-
losos,
Irregularidades do
. Sexo
Feminino,
Nervosidade,
Debilidade Geral,
Febra e Malignas e
Febre e Sezes
Biliosas,
AVISOS DIVERSOS.
Attnpo.
Porto.
Segu com brevidade a velera e nova barea
portugueza lsolina, para carga e PW,r.
para os quaes tom excellentes commodos, iraia .
com os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.; ra da Cmt p. 7 1 andar.
Porto e Lisboa.
Segu para o Porto com escala por Lisboa, a
barca poatugueza Safra : para carga e passa-
geiros trata-*e com os consignatarios T. de Aip-
n i Fonseca k C ; ra do Vigario n. 19 ou oom o
capito na praca._________________________
Para Lisboa
O brigue porloguee Bella Ftgueireme, rapio
Carvalho Sobrinho, val sabir breve por ter a maior
parte do earregatnento : para carga e passageiros
trata-se com _R. RabenV, roa do Commercio nu-
mero 4&
0 abaixo assignado, empregadoda ecretaria do
governo, declara que nao se enlende com elle a
nrisio feito em ouiro de igual nome, e por distur-
bios que allude a parte da reparticao da polica
de 13 do corrente, publicada hontera neste jornal.
Theodoro Jos Tavares.
S para cozinhar
Precsa-se de urna criada para casa de hornera
soleiro : na ra da Cade a do Reeife ir 57.
i Os abaixo assignados fazem sciente ao res-
petavel publico e ao corpo commercial, que nesla
data compraram ao Sr. Jos Antouio da Cosa Va-
lenle, linee desembarazado de qualquer onus, ou
re>ponsabilidade, o seu estabelecimento de refina-
co, sito ra de Hortas n. 7. Reeife 12 da no
t embro de 1869.
Manoel Goncalves de Barros.
Joao Deonizio dos Santos Pinto.
Mo eque.
Precisa-se de um moleque para copeiro em urna
casa estrangeira, do 14 a 16 annos de dade : tra-
to-se na ra do Vigario n. 2, escriptorio.
Precisase
de um menino de 14 a 46 annos para caixeiro de
loia de cera : na ra do Livramnto a. 36.
Tumores
Abscessos Apostemas,
ErupcSes,
Herpes,
Salsagem
Impigens,
Lepra, febres intermittenles o remitientes,
hydropcsia e ictericia, 1 te, etc.
Ontro-sim, achar-se-ha, que para o bou
resultado e perfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades cima apontadas o adian-
tamento da cura, grandemente promovi-
do e apressurado; usando s ao mesmo
tempo das nossas mui valiosa ptlnlas
vegetaes assuearadas de Bristol,
tomadas em doses moderadas em connec-
c5o ou conjunctamente com a Salsaparrilna;
ellas fazem remover e expcllir grandes
quantidades de materias morbficas e hu-
mores viciados que se desprendem e livre-
mente circulam espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso da Salsaparrilha;
por esta forma facilita a volta e o exercicio
normal das operaces funecionaes,
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo C, P. Majwu
C, B M, A.arbosa, Bartholomeu C A.
AVISO .
Achando-se de passagera nesttcapiial o abaixo
assignado prestidigitador cbriiCP ava ao res-
peitavel publico que tenciona dar atouns :soirdede
pwtidiaitacao no salo do Club Pernambucano,
Sdoo priLro sabbado 20 do corrente o que
ser annunciado com antenedenoa o woramma.
sera annanJ^,Jin0 Van3 Estira Alias Rodrigues.
__ O conselheiro Jos Bento d,a Ganha e
aoelredo cuntint a exercer a profls-
>\
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia, para comprar e coiinbar: na ra Augus-
ta n. 77.
!*_S5J
_ Manoel Cerdelro compara a taberna sftl na
Casa Porte, de Mamtel da Costo Pereira : qaetn
se Wtar eom direito mesma, caaparecano^ra-
ioileesd_8. Casa Forte 1 de ovemfcro de
1869.


Diario- Pernambuco Tere fe 16 de Noveniiro de 1869.
mu-
: *

-*

-*->-

Ernesto Augusto Puns,
negocianti! m ftwaliyba, rciiiullfu no lia 6 duj
rrente raei para sb provincia, pelo vapor Pira-
pama, i entregar ao sr. Don Juan Buson, duas
vas do conhcclment* ordem e Armadas em
liraneo, datadas de 8 de novembro sendo EAP de 50
ftaeca* de algodo, sendo t saccas de segunda sor
te, as quaes temo pes total de 292 arroba- o 28
libra, e foratn embarcadas para Liverpool na bar-
ca, ingleza Sttrnia, copilo Alfredo Gould ; e nao
tendu sido unir -gue diu carta, quem correspon-
de, as>ini orno o* eonhecimanlos, previne-so ao
repeavcl coipo do com > ercia d'esta praes, qae
ditos cnnueeimenlos foram desencaminbados, e
qualquer venda quo so faja sem ser por interine-;
dio do Sf JK>n Juan Buson, ser milla, e desde j
se protesta contra qualquer negocio quo so teulia
feito oase vftnlia a faaer anu ou itm qualquer ou-
tra prara. Pernambuco, Iz do novembro do 1861).
Ama do leitc,
Club do Monteiro
O empresario do Club Pernambucano tem esta-
helecido um Club na imvoacao do Monteiro por
\ metes a principiar no I. de dezembroal 28 de
fevereiro prximo futuro debaixo das seguintes
eondceScs.
As pessoas que quizerem ser asignantes deve-
rio entender-so com o respectivo empresario para
ste a presentar seus nome* a direetoria do Club
do Monteiro, para oslo deliberar je sao ou nao
acceitos.
A ssignatura sera de 0 (pagos adantaUos)
pelos 3 nizei para os asignautes efTeclivos e iQ
jtor rnez para os adventicios.
O* socios afectivos do Club Pernambucano pa-
iraro aili:intaflo 203 pul i triinestro c 104 por mez
niais approvacao.
Programina do club
Urna reunan familiar aos sabbados; urna parti-
da na abertura e oulra no encerramento, leilura
de jornaes, cha Odas asnites das 9 at 10 horas.
as reunidos familiares so terao ngresso os as-
signantes, as partidas admitie-se.^oviUados.
Itecifc li de novembro de 1860.
P. J. Layme.
ios ?o:oooooo
CASA DA FOltTUN.V
23 HUA O CHISRO 23.
O aMxo assignailo tend vendido nos seus feli-
r.cs bihetes d"a lotera 15* do Hospicio do Pedro
II (299) as portes abaixo declaradas, convida os
liossnidon's a virem reeebcr, pois as pagar coui
a promptido que rnstunia.
Aeliain-se venda os da 61" a favor do Monte
Po (300J.
Numero-**?;;, q airo quartos, com 20:0005000.
4733, dous qnarios, com l;000j000.
1619, dous quartos. com 8004000.
Manoel Martins Finza.
Os administradores da massa fallida de Jnao
Kerreira da Costa Soares mgaui aos credores do
incsmu, se sirvan) apresentar seus ttulos no prnso
de oito di) na do Bnim n. 1, afiui de sarcm
.xainin.iJos c clarificado* cono dispoe o art. 8.19
do eedigoeoiumercial. ltecif-i I i de novembro de
1869.
= Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de negocio de tazenda, e que queira ir para urna
casa de negocio na comarca de Garauliuns: a tra-
tar na ra do LirramenW n. 6, loja de Si Amo-
rim & C.________________________________
= Offereco-se urna mulber branca de boa con-
ducta para fazercompanhia a nina familia c pres-
tar serviros: quera pre -isar dinja-se Boa vista,
roa dos Pires, loja n. 35. v _______
Precisa-se de urna ama para cozinhar e fazer
todo o servico de casa de pouca familia : a tratar
na roa do Paysand n. 7, adianto da poate do
Chara-menino.
cabelleireiro de Pariz, faz scienie ao rsspeitayel
publico e particularmente a sua boa freguezia,
*ue de boje em diante pode ser procurado no sen
saln de Colffure para qualquer rnister de sua
profissao, com a coadjuvaco do perito offkial
francez o Sr. Edouard Millo, ra do Crespo
n. 7 A. 1-andar.
A perfumara parisiense
Ra do Crespo n. 7 A, i" andar
Gheg-iu pelo paquete francez Gronde um bonito
sortimento de luvas de cores para bomens e se-
nhoras, marca garantida de Jouvin e inais um
mvo sortmento de perfumaras csolhidas. ____
UM CO.NSELH.O A UM PEDANTE.
O Sr. Filomoin, o poeta, acnnwlhi-o que quan-
do for nova liante asaltado pela vei do pedintis-
im (com > Ihc succedeu no. Diario de sabbadoj,
fundo melljor suas suspeitas para nao ir derra-
mar a sua (tojenia baba sobre pessoas que talvez
nem de lvc o deletasso ofTender ; olho que as
vezes os alarmadores torna rn-se atarraxados;
sto Ihe aconselba o seu amigo
Autor do gnerra guerra.
(abinete Fortuguez de Loitura
EU
Prccisa-se do urna ama que tcnlia bnm e abun-
dante Ifeiio, paga-se betn : na ra larga do Rosario
n. 18, 3* anilar.
- -------------------- -f f- i-Jmk\ ....
Preeisa-ae de uin ntenia.) i>rasileiro de 13 a
li annns de idade, qae tenha ou nao pratica de
taberna : na ra dos Pescadores n. 43._______
D. Mara Adelaide de Nascimento Feitosa
avisa a todas as pessoas qne quizerem comprar
terrenos na antiga estrada de Olinda, por onde
tem de passar breve urna linha de trunos urbanos,
que ella vsi retalhar e dividir seu sitio de Belem
em pequeos sitios; e poderle dirigir-se a seu
lbo, o engenheiro Antonio Vicente do Nascimento
Feitosa, encarregado de todos os negocios de sua
casa, para com elle elTectuarem qualquer compra
desses terrenos : na ra estrella do Rosario n. 23,
1* andar.___________________________^__
Na ra da Moeda n. 5, 2o andar, escriptorio
de Manoel Alves Ferreira & C, vende-se vinho
verde superior em barris anceretas com vinho do
Porto superior e malvazia branco. _____^^
Alugase duas casas na ilha do Retiro (juu-
to a pqnte da Passagem da Magdalena), lugar mui
.adi e fresco, urna ilella de bastantes commodos,
lando ja banbero feto para se tornar banhos ; a
tratar com o Sr. Luiz Manoel Rodrigues Valonea
4 roa das Trincheras n. 50, Io andar.
Ama
Precisa-se alugar urna ama, que saiba
bom cosinhar e comprar, para tima casa de
duas ou tres pessoas. Requer-se qu* seja
de muilo bons costumes e diligente. Se
tiver estes predicados, paga-se ben. Diri-
dir-se ra Relia n. 30, sobrado de .2 an-
dares.
Joaquim Ferreira dos
Santos
professor de dansa, natural de Portugal, chegado
a poueo da Europa cun sua esposa esta pr ivin-
cia, tem a honra de participar aos seus Ilustres
habitantes e mui principalmente aos pais de fami-
lia, que contina a leccionar em dansas com todas
as regra, as tercas e quintas-feras, das S horas
da tarde s 10 da noite, em sua casa na ra es-
trella do Rosario n. 31, 2o andar, e nos domingos
de manhaa para todas as pessoas qtte nao podem
vir nos ontros das, sendo a ligio aos domingos a
noite geral para todos. Tambem so prumptifica
ir aos collegios c casas particulares n.is uniros
das.___________________________________
Feitor e cozinheiro
Na ra Nova n. 12, ou na ra do (Juro n. 30,
precisa se de um feitor que saiba tratar de um si-
tio, assim como do um bom cozinheiro, preferindo-
se eslrangeiros. ____________
Joaquim Jos* en-
calves Beltrao
ftA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDA*
Sueca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Miao, ea Braga, e sobre os segniv
tes logares en Portugal:
Lsboa.
Porto.
Yalenca.
Guimaries.
Cciimbra.
Cbares.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vez.
V arma do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de]Famaiic3o.
Lamego.
Lagos.
Covilbl.
Vassal (Valpassos).
Mrandella. .
Bcja.
BarcelkM.
Aluga-se
M
Precisase de urna mnlher forra ou captiva para
engomniar o ensaboar em urna casa de familia : a
tratar no 2" andar do sobrado n. 18, ra da Ca-
deia do Recife.______________.: _________
Pede-se pessoa a quem fur uBbrecido um
annel de ouro com urna granada, tendo esculpidas
armas em escudo esquatielado, no 1 qrtadro Ires
vieiras, no 2" nove estrellas, no 3o nieo qninas em
cruz, e no 4" um lefio, nao o compre p*s foi fur-
tado no dia 12 do corrente, e lenha a bondade de
leva-lo ra Nova n. 60, 3# andar, que ser bem
recompensada.___________________________
O testamntelo da Tinada D. Mara Victorina
Paes Brrelo convida aos prenles e amigos da
inesma para assislirein a missa do stimo dia,
tercateira, 16-do corrente, as 7 horas da manhaa,
na igrea de Santa Thereza._________________
AMA
Precisa-se de duas amas, sendo urna para cozi
nha e oulra que engomme : na rna da (Jadeia-no
a, sobrado n. 17- >________
Attenco.
Egomnia-se com asseio e promptido, e mais
'arto do qne em oulra qualqu r parte, isto 6 vin-
o j a roupa lavada: na ra Velho n. 31.
Precisa-se de uma ama para engommar e
cozinhar : na ra da Roda n. 16.
Precisa-se do uma ama para casa de pouca
-miiia, para cozinhar o engommar: a tratar na
ra do Cabug n 1. loja de jolas.
Olfereco se uma uuilher para o servicu e
uma casa de pouca familia, iulerno e externo : na
ra do Caldeireiro n. 86.___________________
Jeronymo Francisco Ferreira tem justo e
tratado a compra da armaco na taberna sita na
ra Hova n. 61, pertencente a' Francisco Antonio
de Miranda Dnarle : quem mesma ti ver direito
reclame ate o dia 18 do corrente, dia que o mesmo
preiende effectuar a compra.
rERYtlBlCO
De ordem do Illm. Sr. presidente convoco o con-
-clho deliberativo para ansSo extraominaria quin
ta-feira, 18 do corrente, pelas 6 horas da tarde.
Secretaria do eonselho delioerativo do Cabnete
Portugaez oe Lcitura em Pernambuco lo de no-
..rabro de 1869.
J. P. Fonsea,
________2' secretario.
Cozinheiro .
Precisa-se de um cozinheiro ou mesmo ajudan-
tc, com alpuma pratica dy casa de pasto ; na ra
Nova n. 67. loja.____________________
Precise-se de uma ama que saina bem en-
jommar e ensaboar : na ra Nova n. 21, loja.
Ama de leite.
Precisa-se de uma ama de leite : no pateo do
Hospital Pe 1ro II n. 9.
Fugio ha dias do mez prximo passado, do
engenho Forno da Cal, o escravo Vidal, preto,
orioulo, idade 40 anno?, poueo mais ou menos, de
estatura regular, tem barba serrada, desconfia-se
andar por Goianna, visto ter sido do engenhe Ja-
car : quem o pegar e leva-lo ao engwio cima,
ser bcra recompensado. _________________
Byberibe,
Alnga-se na povoacao nma casa com trastes :
na rna da Impcralriz n. 13.
Sabao de alcatrao
Para curar ^ molestia* da pe le
taes como einpirigofts, dartliro-, sarnas, comichoes
e mais molestias de pelle, sr-m occasonar acciden-
tes ; desfaz as manchas do'corpo, pannos, sardas,
reslabclece a cor nalnrpl, quanto a cutis, secca,
grossa e amarellonta, occAsionando por alguma
enfermidade, e como desinfctame e preventivo
das moleslias contagiosas. _-,
NICO DEPOSJTO
Botica do Pinto, ra larga do Rosario n. 10, junto
ao qnartel de polica.
Precisa-se de uma negrieha para andar com
uma crianca em casa de familia : na ra de Hur-
tas n. 94, sobrado.
Mais barato que em
outra qualquer parte
Prepara-se comida para fra com asseio e
promptido : na rna estreita do Rosario n. 19, 1"
andar.__________________________________
Ama
Na ra do Codorniz n. i (Porte do Mattos) pre-
isa-se de nma ama que saiba cozinhar.
ATTENC40
Jo; Joaauim da Silva Gomes pede ao enhor
que Ihe trouxe d i Parabyba cartaj pelo vapor Pi-
rapami, o favor- de as ir entrenar em sea es-
criptoro, ra da Cvleia do Recife n. 52, ou an-
nuneiar sua ra irada para ser procurado._______
Precisa-se
deum menino de 14 a 16 annis para caixeiro de
I loja de cera : m ra do L'vramento n. 36.
13 I 3
m
tr. rn S
S.O
>S
5 siS
"3.5 I
< g

lw

3 2.S?
, 2.2-S"
SI5:
urna, casa no Monteiro ou Api pucos, por um a*ne,
pagondb-se dianlado : quem a livor ne.*s con-
di iSes, dlnja-.se iravessa das Crines u. 2 A, loja
di cal^adus.
Aviso.
Joaqrm Pereira Arantes, com kj(u de calfados
na praeti da Independencia as. 13 e tb, roga a to-
dos o* seus devedores de contas antigs qae ve-
nhim pagar al o flm do anno crlente-, so pena
de, pasando as ferias, entregar a sou procurador
pararaeaber jndicialraente._________________
Prerisn-sc de urna ana de leite : a tratar na
roa do Uvramento n. T, leja
AMA
Precisa-o de una ama que saiba cozinhar bem
para casa de familia : a tratar na rna Bella nu-
mero 36.
Na rna Direita n. 120, 2 andar, ha para
vender urna e-crava crioula, bonita ligara : quem
precisar dirjase mesma, que acaar com quem
tratar.
Preeisa-se de uma ama que saiba comprar
e cozinhar : na rna larga do Rosario n. 21.
Precisa-se de uma ama para servicu de duas
pessoas: na ra Augusta n. 74..
Ama.
"Precisa-se do uma ama para comprar e cozi-
nhar : na ra dos'Gnrarapes, fabrica de sabo
n. 42.
Para familia.

Duap'casas reunidas em uma s, caladas e pin-
tlas de novo, na do Deslino ns. 2 e 4, anda
esto por alugar, com um grande qnintal, cacim-
ba, *lo. : trata-se na ra do Hospicio n. 28.
Na ra do Coiovello na Una-Yuta n. 1,1.
andar, ka um criadinho de 12 auuos, escravo, para
alugar-se.
Precisa-se de um officiai de funileiro : na
travessa da Senzala-velha n. 2.
" Aluga-se a primoiro andar do sobrado
sito na rna Direita n, 93: a tratar natra-
vessada Madre d- Deus n. 21.
Lavase e engoimna-se cora mnila perfeicao,
assim como prepara se eomiia com asseio : na
ra da Soledade n. 46.
Mfl
P
s
n
r3 O
l 5 o 6 ni'
VI . r* o. O
a, o. H e v> co
tr 5 -8 H
2 "S 3 5 O
E n 01 1
w a 3 O
o u w
p B ^ re o a m
CU c = 30
a p "0 re c re >
O lv
m e . Cfl m
a c- e S 3
o re *

B.I1LIN IIOC^K
Salt hill. perto de Windsor.
COLLECtO tATBpODFJBABMMS, IHLIIIII!
Sob o patrocinio especia f de
Sua EMiNeacu o cahseal wbcman, arcIbispo- bb WBTMKtnia, dos exms. kwuSs srs. b.
AMHKHST, HISPO DE NOnmiAMPTON, DR. CSWH, BISt'0 O SOLTIIWARK, E. DO HTM. DR.
WARWM6.
Os Srs. Janes & William Butt, assisidos de u eapello residrato na casa do-
aptos pro&ssores, dirigem o cstabelecintcnto cima mencionado. 0 curso te educacSo
encerra as ling^as,. Latina, grega, ingleta e faanceza ; algebra, arithmetica*. ealhgrapnia e
escripturae^* mercaatil.
A penso de eheoenta guineos, Os lugares na capella (a qual faz parte d
casa) bem eomo o dnheiro, que os alumno b>ereia de receber, sao pagos parte. A
pensao paga seis meaes adiantada, e no caso que os pats on correspondentes deseja
rem que sena fitios ou recommendados se retiren do estabelecimento, tcrSo a bondade
de avisar os Srs. directores tres mezes antes da sabida dos. sobreditos. As ferias do
ver3o corocam no dia 21 de junho, e acaban no fim do mez de julho ; as do Natal co-
mecam no dia 21 de dezembro e acabam no dia 6 de Janeiro. Deseaho, msica, dansa
e esgrima s5o ensinados por professoresmodernos.
A situar3o, como, bem se sabe, muito sadia : cincoenta geiras de trra per-
tencem casa, a qual espacosa e comela ; situada perto da estacio de Slongh,
nma das da grande estrada de ferro doeste, (Great Western Rairway.
Para melhorcs instrucQes qneira-se dirigir aos cima mencionados ; ao Rvm. lt.
Conego Shepherd, Priory Street, Colchester; ao Rvm. J. Bamber, Tborndon, Kssex ;.
ao Rvm, lohn Butt, Arundel; ao lllm. Sr. A. Buller, 6, Austin Friars. Londres, on aos
directores os Srs. James & Willian Butt, e no Brasil provincia de Pernambuco, a Antonia
Luiz dos Santos.
n 2
[/. CD
S
o T>
H >

i N
o-e-
.&*.
S-;
^F^#
RA
DO
CABUG
40
Gasa para alugar
Aluga-se para passar a festa on por anno, uma
casa na ladeira da Misericordia, em Olinda, cem 3
sals, 5 quartos, cozinha fra, terracos com assen-
los do pedra e cal, na frente e auaz, e bom qun-
al cercado : a tratar no largo do Terco n. 11
Bb casa de THEUDORO CHRIST1-
\NSEN, ra da Cruz n. 18, encontram-M
efectivamente todas as qttalidades de viobc
Bordeaox, Bonrgogne e do Rbeno.
Lipoes de canto, mu-
sica e desenlio.
G. Mariliangell, fleando sem meios de
subsistencia pela horrivel catastrnphe acontecida
no theatro de Santa Isabel, e nao qnerendo ser de
peso aociedade, propoese a dar licles de msi-
ca e desenho com j lizera ha mais de vinte an-
nos en cinco collegios de ambos os sexos e em va-
rias casas particulares.
A generosa hospitalidade que elle ha recebido de
todos, e a amisade que seinpre Ihe consagraram
as pessoas mais estimaves desta cldade, faz-lhe es-
perar que desla vez tambera Ihe nao faltar ira-
balho, com que possa sustentar sua familia, e pe|B
qne invoca a coadjuvacao de quantos o conhecem*
no sagrado cmpentio em que se acha, no meio do
qual pora em arcan todas as suas forras para con-
tinuar a mostrarse digno da proleecao com que
sempre foi honrado.
As pessoas que se quizerem aproveitar do seu
desvefadp presumo, poderao acha-lo na ra do
Stive (Ifha dns Ratos) em uma das casas do Sr.
Tibuicio, perto de quatro coqueiros.
fulla BcKraminl Harlnangell
dicipula do conservatorio de Milo, decid ndo-se
a dexar a rarreira theatral e fixar a sna residencia
em Pernambuco, onde sempre recebea tantas pro-
vas de estima e sympathia, pelas quaes conserva-
r eterna gralidio, deseja einpregar o seu lempo
era dar liyies de msica e canto, tanto da aper-
feii^amento-cenro de principios.
s pessas^jiuejiuizcttnjse. utli;ar.de seu pres-
tinio poderaw rigif-sel fu do" Seve (uia pe-
dos Hatos) ea ua d;i. casas do Sr.' llburcio,
lo da quatro'co XHeffE.f!B?G010fI!OPINlll
-E' de im;;iiHicncmviT;l:idcir.inientorna|i-
vilhnncmfc c'alnunteriosyati'manervtsof:
applicndo fon Ira n paralisi, aslhmft? t's^e
crjnvulsaoii coqueluche,Iosso nccnles ou i-
ttjas sutTocnc'iS, catnrrlms bronchic'os, cfofe
a Unal contra lodos os sofTrimenlos das vas
respiratorias, e na pbtisiea pulmonar,eua.vir-
tude contra o t 6 inconteslavel n ningdm ha tibe o'rlrsf baiiegn.
nico deposito, ru> Inrgu doRosmicnJU),
Jonlnto quartcl ttp polica. Pcrnambuctr/"
ConniiadarDeiHe sernosupresentnmnovos
testemunhos da efficnei do fedegoso Pernam-
buco.
PILULAS, VOTO E XAROPE
DK JIIKURGBA
PntPAABO' PELO PIIIFIMACKUTICO
JOAQ3MS li: ALME1DA PIHTO
AsprfeparagoesdcjurubcbaEohojevanta-
josamentc conhecidas e preonisadas pelos
mais habis mdicos, tanto da Europa como
do paiz, pela sua. cfficacin nos casos de anemia,
chloroze, hydropesia, obstruegao do abdomen,
e tambera nosde menslruacao difficil, calharro
na bexiga, ele. ele.
Vnndem-se em porco e a retalhona cidadt
do Recife, pharmacia do seu compositor, ra
larga do Rosario, n. 10, junto ao quartel de
polica.
PINTO PHARMACKUTICO .
XAROPE DE SALSA PARRILHA DO PARA
DtPURATIVODOSANGE
Usadas as molestias de Pellc, impigens, dores
rheumaticas, e ulceras Venreas.
ItUA Itlll.l DO ROSARIO, H. 10.
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
Acabam de chegar gratule quantidade das verdadeiias machinas americanas
para doscarocar algodo de todos os systemas e tamanhoa seguintes :
12 ser ras 12 ser ras
14 ditas U ditas *
ditas 15 ditas
ditas 1G ditas
ditas 18 ditas
ditas 20 ditas
ditas- 22 ditas
dilas 25 ditas
15
1G
18
20
22
25
:io
35
40
ditas 30 ditas
dilas 35 ditas
ditas 40 ditas
s qaaes se vendem por precos commodos e roga-se as pessoas que dellas fizeram en-
commendas de alguns tamanhos, obsequio de as mandarem busca-las o mais breve pos-
sivel aflm de nSo baverem faltas
RUA^ DA CADEIA N. 56 A .
f
t
34.RA LARCA DO ROSARIO.34
Noi coMnmamoi proeurtr (Hestidos pan aeredilir
Htm i>reprJos, deianrai qne sa> >ppc*co e o*
resollados blido pelas posoqne se dignaran) acreila-
los, Ibes den crdito o vega ; porque 4o sempre oa
attesiailos eooaidcrados gratnitoa, e dellira qne Itoiea
man o charlatanismo; mas ni qnerendo offooder as pea-
aras qne espoulaaeamente nos effereeeram. en qne abanto
lio iranFci iptos. oa (alemos publicar mamfeslaudo-lbea
nssa gratuito pela altaDcio. snarando que Tenha
II ea corroborar o con ce i lo, e acceitaclo quo ion mere-
cida ooaso xarope. Hariholomto k C,
ITTESTtBOS.
III ais. Srs. Bartholomeo Cf, coto a mais inbida
utisfirio qne declaro ser o xtrepe Americano' de mi
ellicacia extraordinaria, pois que soQrendo ha dias da
intensa tnsse, i poajo de nao" podar dormir a aoiie a
despeno mesmo de jjediciimenlos"()ue tomara, a elle
recorr e na tercena colher (ul alliviadn. e de todo me
cho Imje reatabelacido com o nso snmei.ic de quasi
meio Irarce! pratn pois i ese resnliodo manifest a
V*. Ss. men n.-coiiliocinienlo. lie \ v. fs. ainico. te-
ciador c olrigado. Manoel Antonio Viega Jnior.
- na rasa iO if* abril do 1'".
IIIA)>, >* llaillin'i'Uii'U 4 '.. IVnlicir lis'imn rom
o l.oc |i.e n:c lii.'iviu de ai-ou^Oihar o um> du xarupe

Vegetal Americano, de ana composicao, quando i
arhera bastante doenle de uma constipacao. qoe i
tornon completamente rouco e que trouxe nma
tosae, e me impossiliililon de enmprir os meus de rere
de cantor da empreta lyrica, ron acradecer-lbea sMB
completo reslabelecimento, que obtite com um a aia
4o mesmo tarop, depota de haver recorrido a mnitear
tratamentoa. Deaejarei qne outros como en n iniaaaa
ao sen xarope para ae verem aliviados de to territe!
ineommodo, to fatal neste paix. Com malnr conaala
raco contino a ser de Vr. Se. atiento, TeneraaVir
obrigado. Luiz CieBona. Recife 35 de seloaan
de 1868.
Mima Srs Bartholomeo ICO xarope Vegetal Aae-
ricano qae Vt, Sa. tm exposto A enda de toda efB-
eacia para o curaliro d'astbma, cantorme obserTei ap-
plicando-o a men lilho Joaquim. menor de qnalro
aiums; TClima d'esse flagello. qne al enlio por espaen>
excedente a dous annos bavia resistido a outros tarops
de grande nomeada. Queiram pois Vt. Ss. acceirar a>
expresso altamente sincera de men reconhecimciHe
moiitorio servico que Ihe prstala com o lodicado
xarope, acreditndome para sempre de Vt. Sa. criado
alenlo e obligado. Ano rico [Vello de Mendoofk.
Un le 2 de oulubro de iMiN.
/^PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
PHARMACBtmco,, Bul OES LldUS-RIIIT-Myi, PABtS.
XAROPE DEPURATIVO
E CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
Com IODIRETO de) POT4SIO
0 lodsreto de potassio um verdadeiro alterante, nm depurador de incontelavel effl-
eacia; combinado com o xarope de cascas de laranjas amargas, e aturado
sem pertorbaco alguma pelos icmpcramento^ os mais (neos, sem alterar as funcefles
do estomago. As doses mathematicas que elle conten permiltem aos mdicos de receiul-o
para todas as complicacoes as arfcecea escrofulosas, tuberculosas, oance-
rosas e nos accidentes intermitientes e terceiros; alm d isso, o
agente o mais poderoso centra as doencas rheumaticas.
XAROPE TNICO ANTI-JIERVOSO
de oaawea) de laranjas amargas.
35 asnos de successos atleslo a sua efti-
cacia para curar: as doenpas nervosas,
agudas ou rhronicas, as gaslret, gastral-
gias ; e facilitar a digesto.
XAROPE FERRUGINOSO
de casca de laranjaa quaonla amarga.
E' sob a forma liquida que mais fcilmen-
te se assimila o ferro; n'esta forma prefe-
rir! as pilnlase pastilhas en todos os casos
em qne sao prescriplos os ferruginosos.
DENTIFRICIOS LAROZE
CO (JlKA, PYRETHRO I 6AIACO
*6 donaifrieo, com base de magnesia
para a airara e conservac&o dos denles,
provenindo a descarnadura, provocando o
trtaro de que empede a reproducSo.
Depasito em Ato de Janeiro, k. CJae*le(; em Pernambuco, r. Kaarcr C; em Uaceto,
rale Dlao; em Pella, Asiere lelrai; em BaAia, Da Rocha; em Porto ijfcjre, jo
Bella; em Maranhio Perpetra r C'| em Ostro Prtto, C. t. V. WeleraaeM em Sanio CalAa-
nna 8. Sehetel; em Montevideo, O. leakertf em Buenos-Airts, BlcaraareSarrta
lirir deotirrieio, para a alvara e con-
servaco dos denles, curando as dores
causadas pela caria ou producidas pelo
couiado do calor on do fro

esquina
La ra larga do
Rosario.
Este importante estabelecimento no sen genero, {tem sempre nm sortmento sem igual,
e vende por prepos qne nenhuma outra casa pode vender.
vista da qualidade e do prepo das joias cada nm pder-se-ha convencer da verdade.
Garante-se ser tndo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por prepos mnito ele-
vados*
A loja est aberta at s 9 hords da nonte.
CABUG
esquina
da ra larga do
Rosario.
; "

SftKt^^ftSSaW^B&ii^S VC^


Diario la Peraambuc Ter^a eira 16 da No^embro de 1869
..... i
->.Y> *
Mitreskope achroma-fOV> tisebea. Objetiv Un- ,, S; \}_
sen. ------**
Barometre e term-
metro. Centgrado
e reuumeure.
BOBZEGUMI DO
Nova kja de calcada
JOAQUU DAS DOS SANTOS & C. acaban de abrir ont estebeeeimento de al-
eado estraegeiro 1 ra Neta n. 30, onde o pablico encontrar todo o qne nesto ge-
nero de commercio ha de melhor e de mais gesto era Paria o Londres.
Por todos 8 vapores transatlnticos receber5o elles constantemente remess de
calgado novo, pelo que ter sempre o eslabelecimento o que a respeito se pode exi-
gir. Ao poblico em geral e a seos amigos em particular, pedem a cooperacio, que
Ihes possara dispensar, certos de que serlo servidos com lealdade.
ft
33 ^ S2.5 "O
O
a
O B
a>___. w. aj -J2
.eS-
SO te
3


* n i! ? ft>
*2,!

o 5 9 S
O m
ao
I-
= t K^=-
S o." S S""
09
3 sr 2*
- i i^
ivAvcn-gosa*
_P|3|-8|2
Bl o. o S ^S
" 5 3' o.o.
5 t^ y-~ ^ ^* n> B *
Si s .8 g.
.SB = P . a 2
E--
tt*i
= 3 re
. O 3 a> _
I "2 "O a = *
(T O w r*
C O
CL 9
u -,
o c- a -
o
re55"S=-5--~So
|l'ii;u
3S-re s S-^^S =
2.3 o g.=.S a|s'3
c 3 o> *"
* .. M 2 <&
O r/> w re
t:
OEM PERISCPICOS
E crystal de rocha do Brasil.
V J termaiin, recommendaao publico, seus vidros periscpicos aperfe.coa-
dna-rmi'e wm"SelCidros, a vista descanca, frtttow nao a can como com
J vklfos ordinarL Urna vez escomido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
11 com ovKordSarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos eoster
Sda vefmaisRM, o que altera o cf^aLo dolho e determ.qaquas. eaw tt-
ST aSid o neo. ^ dios Jode s? vencer estas deidades. Para os qne ten.
fvTsta SaTujo calino iL convexo (o que faz ver bem de perto, e mal de
onie) o que se liama myope, por meio de um vidro concavo affasta-seo ponte de
5te o qoT faz divergir os'objectos e deia ver tolonge como as outras v.slas Qun-
do o vltaH milito cheto, o que sucede aos que lera chegado a urna certa idade
o ooe se chama pesbyta, vem melhor de longe qae de perto; e nao enxergam senao
unfnev^iroZSL ordinaria da vista; com um vid?o convexo estes cnxergarao
o a?st1n( lamente como na idade de \5 annos. Servmdo-se desles v.dros quando e
VStW^S^^ -periencia, tendente aoso.ho, aes-
colhe7,'a primeira vista, seja qual for a iade e grao de vista, oculos proprios para
qoaiqtier pessot, ,. j
Para que sao fabricados estes vidros f T
Para a vista myope, (vista carta).
Par?, vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraquefca.
Para a vista que os olhos sao desiguaes.
Para a visto que se torva com o traba-
Iboea leilura.
Pera a vista presbyta (vistagalon ).
Para a vista que nSo sopporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista Operada da catarata.
Para a vista qae as palpebras esto cer-
cadas de sangae.
Para a vista que um dos olhos myope
e o oulro pr^sbyto.
Para>evtay1malmenl que o erystalmo
Un olho se cObye de caterata.
(
>
3*5^ 2.=
"5-5S o
O rn g
Sorumento de binculos
pera toeatro, o oculos de
alcance para o campo e ma-
rmita. .
T^Mfc' WW

iiuk i
Lonetas, pinec-nez
face--main, ouro, prtta,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sortimento do retogios para parede, que dio horas e para
cima de mesa dos mais lindos modet Relogios para algibeira, de ouro, prata, pfau
dourada efoleada, inglezes, soiseos e orisouUes dos melhores e mais afamados fabn-
C3litCS.
Vendas em grosso e a retalho. Em Pernambuco.
N. 21=Rua govaN. 21.
VERDADEIRAS
9Biia efe Impratriz9
De volta de sua viairem a Europa onde visttou as mais afamadas fabricas tanto
*ra Paris como em Londres, Vienna, Berlin, Hamburgo etc. e tendo-se relacionado
enelle eslabelecimento expoz venda alguns destes celebres instrumentos e assevera ao
publico, em particular aos seus freguezes qne elles, alm da perfeico e esmerp do seu
frabalbo, reunem em si toda a elegancia, solidez e harmona,
Esta casa est montada f arios, tris 0 seu proprietarkrtrowte eonsigo de Europa toda* os utensilios iweessanos.
Coniieuard pois, allugar, afinar e concertar, coma de coslume, com o tttaior
esmero e pr<*mpfldo.
1
PILULAS de BLANCARD
COM IODURETO 00 FERRO INALTtRAVEL
1PPR0VADAS PEU ACADEMU DE MEDICINA DE PARS, ETC.
fOMoindo s proprieddes de ledo el do ierro, eonvem esrJectalraerUe ms AFFECGOfc
a Tisi
regular o era cftsope
lascmoroiosAS, a Tsica do principio,a fwqwia d temptrortrnto e tambe noe
I Paita, di t>%, AinaWMBCA, em que precisa reagir "VUU o augu* seja_ para
I Uie e u* riqueea e abundenea normaes, ou para provocar erejuu
I K. B. 0 iodorelo de ferro taparo oo lterdo am medkuamto iaflcl,
IWrtaDte. Cene prori de poma de aahenadae du THiaiMiaaH
M>imH, ityti exigir non* >* ** prm rMctiU e
aqai rtpMdaaida, ae n aeba aparte inhrW da aa
' leapoe.
r, uiWHVJI
OBTEUt-ME tOW O INO DA
NJECTIOF LHSTE
Unica bygienica radicaLe infallivcl na cura das gonhorras, flores brancas e ftexos
de tode'espeeie recentes ou enronicos, e qoe oVrece como garanta de ees saturares re-
sultados a antiga e continuada appliracSo que sempre com a-maidr ^atjttgftO'se tdefei-
to de!b, ooe hspitaes de Paris com preferencia a todas as mais nfcecidft.
NICO DEPORTO PARA O
BRASIL
I* Tarde. Dere-ee aaseoufiar daa feUifi
a tmmmm eanfraleei.
nianuciutfa, FABRICA HE l'HMIS
DE

SRS. BAnTHOieiEU l T,
34------Rua Larga to Rosario--34
J. Rhtgass, suoceSJsor
86Ra do ipertMir:5l
esta antiga e bmeonhecida casa, encontrar-se-ht comooutr*ora grande son
timerito de pianos construidos exprssatmmte para o clima deste para, e Mr. I. R*?3*
tendo tra^abado muJtos annos na constroccao de pianos m Parte, acha-se habrJtaOJ
a preparar os pianos que vende com todos os aotessorios indispensaveis nlo so a sua
otfJ, eomo sua duracao. Todos os pianos s3 garantidos.
I Tawbem t oeste esubelecimento, tjran* variedad de mesicas mwgje da
moteones aviares, tanto vmdas de Paris como do-Rio de JMMfro, qee se ^^maJJ
barato do qti- em outra qualqu?r parte ; asm cOmo ha igualmente tend toctos dtf
objectos tifJSrfOS eontreccao de planos. Os ooncertOs o aftnacoes do pianos tera^
feitos onto mair zelo e cnklado. afia
_:---------------------------
,--, -l -.-------. -- 1 I
'. .-,.
T *
_______L
:
3^
ANDR BELSUC
CABELLEIREIRO
^7 Ba do Gri>po1." andar 7 A
ENCONTRAR-SE-HA sempre neste eslabelecimento um variado o bonito sor>
ment em perfumaras francezas e inglezas cuja lista damos aos leitores.
LUYAS Marea garantida deJOUVIN. aaim
EXTRACTOS.De superior qualidade marcas LUB1N de GOSNBLL.
DITOS FINOS.em frasquinbos proprios para presentes Lobin 4 Gosnell.
POMMADASBanha fina de varios eheirosLubin.Gosnelle, Societ Hygiftiq
SABONETES.finos para toiletteLubin A Monpelas. .. ,
EAU DENTIFRICE.agua para limpar dentesSoctet Hygrniqoe Lubm VP^
BRILHANTINApara lustrar a barbe e os cabellos-Lobte.
AGUA DE COLONHA.Marca verdadera de Joio Marina Fariee.
COSMTICO.cheirosoLubin.
POZ DE ARROZ.ditoLubin. ... _
ttLE DE5fflWEUR-OIeo para conservacao dos cabellos Semte Hyginiqa
ESCOVAS FSas.para cabellos, denles e onoa.
BLAIREAU.Pincel,para barba.
GRANPOS.para eabeHos.
REDES INVISIVEISpara cabellos.
GR*VTAS LlNRlSSIMS.do meleor goslo^
BlTOAL4S.--de phantaeia, para passeio e do divorsee taaumboselc, ete.,et.
JL la parfumerie arisieno.
7 A RA DO CRESPO l.'AMDA-K 7 A.

EXPOSICAO DE LONDRES
60RUA DA CAUSA M REC1FE60 .
PARA ACWAH ESTES DAS
Aos seaaores studantes de preparatorios.
O acadmico Francisco de Borja, Ipgalmente ha-
brliladn, tocciena n ra dos Praieres n. 42, rheto-
rica, e>ancez, e principio de latn, das 9 oras da
nan*i* aa 5 da tarde.
f> ptoarietario deste MbMeciento tendo de pa* Melll>4>Me?* * E^* feaa' W*pe, r?4ott^rte-i^ua1i^ las jaoellas cobertores ingle tes unos, calcado de peno, bijoterias d'oiiro de 18, romo r(4tMlk iarilbenlesyaae^, oculw, lunetas,, traacelms etc-.^
io fue bacar ,lmoeo, bandejas etc., perfumaras de dilferenles fabricantes, dffereite8^*aa>ev*isiaeiKrweatiisRmo pfpre* p*a
efe <**, dHae obm peMses para costura, ferro de engommaj, pp sendo .preciso caraeo Aero logRrejro, macamas d* "deJr lftatae, dita* para preparar
los, gran* fariedede de porcelatree, mbo, fases pare teMIte, a*|rraee piieaMa te,, **#** daje*eot -4o ^w em
CORTO
ie*e> ocutOH. lunetas,, tranceims etc., apparelhos
l, sias c*av*R*eJ mwito pfpre pera prweees, eorw
a carao para gui-,
sadO,ditas para bater o'vos e bollos, gran* fariedede de>*elai^eaett>, reeee pare tamttto, mfttmmpa^aliaeiaWajpil **pmt 4e m deWpara saies, lantemSs*eia cima de mesa, escarradores etc., im exelleote coica 0 -erce. ejaelbq* dp dnreeapnl>os de eaoldura dourada e preta, mold
Jawliadros, sicls catees ^ara retratos, ditos com cheiroe protr* pare fttsem****** **K aaiifiiWHl. *^ J* qa*ros talag,
bordada para almofadas dita para tapetes e para deilar vasos em cima da mesa, relo,jio para ima de mesa, de parede e de ouro pare aybeira, stereoscopos de diversos
tanebos, cosmerama, lanternas mgicas para diverlimento em salas, qnadroe com finas figuraa As poawlaM, dito com movimeotos, figuras bronsead.^s para eufeits de mesa.
aha-vidaspara se lomar baohos o ma'r ou rio. lencos de linbos finos para algibeire.,ricas gramatAj ai, jff^tofliayato 4*'J^^^^Xf^ JSS1
ett bugallas, camas do ferro de diferentes tamanhos, tavatorios, stereocospos. eosmoranaj etc. ot.,-ifBaaafaTiaaaraa'OOaqei aser; enrairos maeros a.'ngoe qrre- w Tenuera
maaaWrato par inuiiramoat catm, no aneazem EXPOSCO DE LONDRES
VA CABA m WM
:
JttaftJK
CASA- O A PB.
Aos 20:0004000.
fiithetea 4o U\o veada : nudo Caitaf n. t,
vea* 'ira k Roirifoas._____ -
AVISO
" Wi me)o de fdade de 17 a*ees, *M WfiRn
bom talho de letra, >abendo arilhmclica, traduiir
frlnceie Mlez, offereeeseempe>pf>ae em al-
5ama casa de commercio, dando dador a sua ce-
uda, e Ibr fn-ciso : quem preeiaar dirtja-se
roa da Matriz da Boa-vista n M, i" andar, onde
se dar mfcrinac;5es a respeto, eu annaircie po
este Diafle pera ser procorado._____________
Ylcira de Mea,
esrriv o da cidade de ^ataretb dcsia prerVteel^
Rogase ao IHra. Sr. Ignacio
AVISO.
CASA FELIZ
Aos 20:000^000
Ri Reelfe arco da cometelo as. t
Os ataito asslenadrjs tendease haMiudo na
forma das leis, tein exposto a venda os eos feH-
*e UihMes das toJertfcs d too de Jimeiro, na ee*a
eeiroajeend-nefatwao as ertes dee rtWieea
nos raesmos bilbetes, com o descomo somante
PRECOS.
Bilbete iateiro 4*000
o favor de no praso de i* diai vfr ou nanda -
ra do Imperador n. 18, para eonckrir aqnela-
negoeio, que ha 4 annos ja foi por este inesmo "
na) chamado para o concluir, e que acudin
aquelle annnncio asseTeftm realisa-lo em 30
e de novo esquecen-se delle t O annnnciante
pera qne S. S. o dispensar de ttr anda ao p
para est fim, mas se Mr a Oto oerigad* por S.
aera preciso explicar a rano deste chamado, B
parece ao annnnciante Ihe a*o flcar airosa la) pa-
blicacio. Recie 16 de ontbro de'l8ft>.
fNlo mais cabellos bBfW(
A tintura jepoeese perj rtndr os #belj
da cabeca e a atrba. M u*casaa*l
A Expofo Unmrtal, por tor sido
nhecida superior i todas as preparacoes aW
hoje ententes, #|aH|H^e*de.
Vene-se e l|8*> cada frasco na .
-Rtol da Cada a. &h
1. andar.
"a praca da
nheirosotre pil*
fljmMo *
33 se
ae
p'ra e vende bjON de ouro
ae fu toda e qaataper obra
todo e qaalqoer concert
- Predsj.se d offlcial da mareineiro na roa
datajarairiii.l3VloJa.
Prema-sc de urna ana : na tu le Bertas i

*
ti
1


Diario de Piefnftmbucc) Tr<;a feira H de Norembro de 1S69.
>
m
a

r
9
4
LOJA DE JOIAS
9
1E.
ATTENCAO
Na luja de funilarh da pona larga w d
Jmpcratru n. 65, lem um grande sortimento de
candieiros e lamparillas para gaz, de lindos gastos,
t obras de funltelro, tendo l santuario de gosto e
l em acabado, assim como vende bombas, lornei-
las, etc., e encarroju-se da encanacao d'agoa para
pualquer casa, ou e-tabelecimonto, tambom vende
um bonito e modera) fopao inglez, nao so eozinha
rom lenna como cnnj o carvio. Na mesma loja
concuriain-so todas as obras de enea menlo c
n-achina de costura, asseverando que acharad
eumpre prompto a servir bem es sene Ireguezes .
a tratar na mesma loja a qualquer hora, quesera
a .tendido.
Atteiujo
Na ra do Earred.tr se'flfcpo n. 53 precisase
atufar una sstrava panaftw coiape?, coziulur
emaie serviros intuaos, iias* o]fca'4 preco : a
Iratar na mesma.
Precisa-se fallar coni o Sr. Hulino Thomaz
do Aquino, genra do Sr. Manuel Jos do Souzn, a
negacio de seu interesse, ou saber so o lugar de
sot.Midencla,na ra d> U'ieiadu n: 46, p.imei-
ro andar.
Bolos para casamentas
36-Rua estreita d ItosBrio-35
No primeiro andar, prepar.im-se bandejas sefli
drfcrentes.armac5es, b.liirios tio diversas qualida-
. des, enfeitados ao ultimo gusto, cun buquets c fi-
O testamenteiro do fallecido >ubdito france2 tas, com disticos aouro; assim como prenaram-
luio Vigncs, convida aos devedores do finado 'Setioces do todas as qualidades com perfeieo e
aiHarem seus dbitos amigaveimenle, do contrario esmero, pedins, bolos inglezes, pndelos, e as dc-
8>ro ajuiaados sein excepcio algutna. _____ mais iguarias proprias do dias festivos ou presen-
tes, ornados uu simples. Tambem se fabrieanT flo-
res de todas as qualidade?, quer sejam de panno
ou cera, e ludo qnantp ftir tendente flores artili-
eiaea, deade a rusa al o*, arcos para ornamento
de imagens, uclusive rname.ito de velas para
baplisados ; annam boqun de eraros ou llores
naturae* para casamento* com fitas ou sem ellas,
etc. etc. : os pretndanles, devem vir em lempo
Cazer as encmuinendas, que ser garantida a per-
feieo exigida e por commodo preco.
AMA
Precisa-se de urna cosinheira
Jiias, na do Cabug n. 4<
no Musen de
Este antigo estab ele cimento, completa-
mente reformado le novo, est, as condi-
Q083 de servir vantajosauente os seus ire-
guezes, visto que acha-se prvido com um
expendido sortimento de obras de ouro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, rojos preqos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abate
X 5 MI l 00 C.Hl'G.1 \ 5
caballcircro de Paris, faz srienle ao respmtave
publico e particularmente sua boa freguexia
q,ie de hoje un diante pode ser procurado no seu
s.ilon de Cmffire para qualquer misjer de sua.
i -oOssao, com a eoadju.Tac.ao do perito ofllcia
ranees o Sr.iEduuard Millet, ra do Crespo n. T
A, primeiro andar.
A' perfumara parisiense
RA DO CRESPO N. 7 A 1 ANDAR.
, Chegou pelo paquete francez Oironde um bonito
sortimento de luvas de ceros, marca garantida do
Jouvni o mais um novo sortimento de perfumaras
esoolhidas.
Atteiipo
AMA
Precisa-se alugar urna prcta escrava para o ser-
rijo externo de casa de piuca familia : na ra do
Qiieimado n. 12, 1 andar.
PeIpIIesmo sobrei

OLIVEIRA ft CARVALHO
Successores de Reg &Moura.
24 -Ra Nova 24
Os proprielarios deste novo estabelecimento fazcm scicnte ao publico, que
acabam de receber um perfeii e variado sortimento de pannos finos, casemiras, brins e
ouuve muitas fazendas de gostos modernos, as quaes vendem por precos razoaveis.
s mesmos scientiicim que tendo admiltido para sua oficina de alfaile, uro rusta hbil
no desempenhode suas funeces, recebem qualquer encommenda de roupa por medida
prometiendo sasfazerem, ceta ponlualidade e presteza qualquer pedido neste sentido.
AS BOIJBAS CURADAS
E
Todas as molestias syphiliticas.
PELO
ELEXIR DO DR. SEVIAL
nico depurativo sem mercurio que tanta aceilacu tem meiedo no Bra-
sil, as repblicas do sul e na Allemanha especialmente para cura das bonbas,
sarnas, rbeumatisrao, todas as molestias sypbililicas e era geral todas aquellas
provena da empureza do sangue.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
IE
Bartholomeu A C.
34Raa Larga do Rosarlo34
(SEM LIMITE.)
ravessa da ra
das Cruzcs n, 2, pri-
|| nieiro andar, da-se qual-
g| quer quantia sobre ouro,
prata e pedras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
. governo, est as condigoes de ga-
gf rantir a transoslo que se fizer em
g sua casa, promettndo todo e zelo
e considerarlo s pessoas que se
dignarem de bonra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa corapra-se ouro,
prata e tirilhautes.
Urna portugiicza de mnito bons costumes cn-
tendendo de eijgominado, costuras,, bordados, ins-
Iruc^ao'priiiiaria, francez, msica #lc, se\>ITeree
para casa deIsniilia, moiliua ou mismo para al-
urts : nesta tvpograpbit se dir cun queni se
trata
Precisa-se de dons a nassadures de padaria
nos Montes : tratar na ra das Cinco Ponas nu-
mero 82.
Em um sobrado clronte da ribeira, cu
Olinda, preci*a-se de nina ama forra ou ecrata
para cuzinliar.
~1EKFUJIE INKXT1NGUIVEL.
Para o Lenco, Toucador, e Baniio.
ATTENGAO
Na ra Direila n. 16, sobrado, lava-se e engom-
n a-so tanto para hcmeiD como para sen hora, por
commodo preco. ________?
Os abaixo assignados tem ' honra d preve-
nir o publico e especiahnente a corpo de onimer-
clo o seus fregueses, que o Sr. Jovencio Miguel da
Cr.sta deixou de ser seu caixeirn, e (iiw nenhura
d.nheiro deve ser entregue ao dito, como tarahem
uio se respon^abilNan por nenliuns gneros qne
possara ter sido tomados pelo dito ou por malquer
d is nossos empregados, sem ordent escripia ou
recibo assiguado por nos. Desla data em dianle
o Sr. Emilio Mafia nasso guarda bvros, e nica-
mente cnearregado das < 'brancas de nos-a caso p
todos os poderes eu proruraefies aeteriores s->
rovogados e de nenhum effeto. Hecifo 11 do de-
sombro de 1869.
___________________L. Lcidea & C.
Precisa-se de um bolieiro escravo ou forro'
que teaha bom comportamento : na casa n. 40
junio a ponto grande da Passagem : a tratar das
4 di tarde at as 9 da manha.
Advocada.
0 bacharel Carolino de Lima
g Santos, acha-se a ra estreita do
I: Rosario u. 23 onde pode ser procu-
|8 rado das 9 horas da manha s 3
da tarde.
EO DE JOIAS
zn
^
GOMES DE MATTOS IRMiOS
tendo feito completa mudanpa em sea antigo el
acreditado estabelecimento de joias, com ofimde
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidamj
ao pnblico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmentef Z/^
das 6 horas da manhaa s 9 da nonte na
RA DO CABUGA N. 4
onde erifontrarao um completo sortimento do qwe fo& de mais elegante*
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins o tudo que em obnitl
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREMOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBIRS
de no vos gostos, assim como grande variedade de saltas e paliteifo e
prata contrastada e de gosto ainda nao visto, e completo sortimento fe"
ofcjectof de prata para uso das igrejas,
^Compram e trocam qualquer joia ou pedra pfcioaa e gpffanteimj
aquadade dosobjectos vendidos.
A MU afamada
AGUA DE FLORIDA,
DE
MIltKAV i: LANHAW.
lie o mais delicado e mimoso e ao mes-
mo tempo o mais estavel de todos os per-
fumes, e encerra em s., no seu raaior auge
de excellencia, o proprio aroma das verda-
deiras llores, quando ainda na sua flores-
cencia e fragancia natural. Comoummeio
seguro e rpido allivio contra as dores de
cabeca, nervosidade, debilidade, desmaios,
flatos, assim como contra todas as frmas
ordinarias de accidentes hystericos; de
summa efiieacia c nao tem outro que o
iguale. Igualmente, quando destemperada
com agua, torna-se um dentifricio o mais
agradavel e excellente, dando aos dentes,
aquella alvurae aperolada apparencta tao
altamente apreciada e desejada pelas Se-
nhoras.
Como um remedio contra o mau hlito
da boca, depois de diluida em agua,
summamente excellente, faz remover neu-
U.aliiar todas as matmias impuras que se
eriam 4 roda dos deates s das gengivas,
torna rulo-as duuas sa(b>s c d'uma Linda cor
encarnada. Quanto a delicadeza, riqueza
e permaaencta do seu. fragrant aroma, ella
por certo n3o tem igual; e a sua supe-
rioridade sem rival. Klla igualmente tor-
na-se um raeiomui escllente, para fazer
renover de sobre a pelle do rosto, toda a
qualidade de brotoejas, ebulices, sardas,
pannos, manchas, impigens e espinhas.
Quando se queira senir della como reme-
dio para fazer desaparecer qualquer um
estes disfiguraraentos, e que tanto desfei-
amasflqds fei^oes do bello sexo; devera-
se usal-a n'um estado de dilluicJo, destem-
perando-a n'umapouca d'agua ;porm no
tratamento de qualquer espinha, usar-se-ha
della pura em toda a sua forra. Final-
mente como um admirare! meio de com-
municar as fei?oes trigueiras e patidas,
urna pelle macia e d'uma transparente al-
vura, dando-lhe urna linda cor de rosa :
para um tal m, ella lera a palma a todos
os perfumes que se teem inventado at ho-
je, e existe em plena soberana sem rival.
Bem entendido tudo isto se refere nica-
mente a AGtJ* i Floiuba de Murray A
Latinan.
As nitacoes que se tem feito na Franca,
Aemanha, assim como era outras partes ;
sao inteiramente inuteis e invaliosas ; por-
tante recommenda-se mu especialmente
s senhoras, qe tenltam toda a precaucao
8 cuidada, de quaado oomprarem, estejam
oertas que comptarn.
A Genua
AGUA DE FLORIDA
* DE
MURRAY A LATTOHlf,
A qvul preparada somonte pelos nicos
Propriutarios,
LAWlti^ d REMEDE NOVA ?0RR-
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo, & C. P: WHt-
rer '4 C. A. A. Barboza Bartholomeu, & C
*-
. -.
0 MUSEO DE MAS
Agradecimento.
O abaito assigtado lirtlaria a om dw dreresj
de gralidao se par ventura deixas.*o de vir p*la
iinprensa rendar vua cuto da afradednMta
illu*re directora da benefleente sowedide Mtinte
Pi Portoguez, pela ppemptido com nou'nSo ? de faer enterro decehtc,_ rna eorno
faief-lo representar por urna commsso, acompa-
nhaQdo ao cemiterio potilieo ns ratosj moraos *?
mea fallecida pai Loureafa Monleiro, estaMeoido
coinj laja do barbairo ra do Vigario, queira a
drrtetora recebar n*i emonstralo de gratidap
de ttm fllho que atM*.* perda do uiapai.
WU-llontiro b ?WV.
pes>oa
emenda
CASA DA FORTDSA
Aos 4:0001
Billiet*# garantidos
\ rta ilo Crespo n. ti e casas do costme.
Adiam-so a venda > feVnes buhlos giran.i-
dos da II* fiarte da lotera bcneh:io do patri-
monio dos oqibiins (I7'), que se extrahir sab
hado 20 do corrente m-'Z-
lrecps.
'0* do 'Cnslame.
Mauocl Martins Finia.
Aliifia te nina casa terrea aabaiT* de novo,
aiada, iimtada, eam ti miarlos, mnito fresca, na
uomncaodo Montar, futrada que va para o Ar-
raial, finifiria para se pasar a fosta, ou mesmo
)<>r an.-io : a tratar na ra de Santo Amaro n. 80,
artorio do escriva.i Jos Mariano.
Rio Grande do Norte
O Liberal do Norte om seu n. 62 apresenton,
como cosiuiiia, um infame liliello contra a reputa-
0 a o das duas primeiras autoridades da provincia,
e deoutia pcs~oas gralas dosta villa; e leve o
descarament i de assignir esta misrellanea menti-
rosa, com a firma (le Joia Anailacio, sem se lem-
brar que Me cidado, einbnra pobre, o sem nome
no paiz, prczi a vordade e incapaz de mentir e
calumniar, perianto reverte sobre si ludo qaanto
diise, que ainda --era pouco vista do seu proce-
dimento. aiam de serapre, o principalmente as
presentes cleices par um senador, cuja negra
historia logo ser visia e conhecida pelo prelo. Nao
admira a-lmguagem do Liberal, porm que a sua
1 i bordado d pira tudo dizer e fazer, o que deve
admirar qne hija quem se oceupe de l-lo, o
mais ainda assigna-io.
Villa da Penba 10 de novembro de 1860.
J".ri > Anstacio de Mello Silva Gama.
N roa da Tenia n. 2o, i* andar, precisa-se
de una ama para ozihliar e eng minar.
Antonio Jos da Costa Cabral
participa muio principalmente ao rcspeitavel cor-
po do com inore io que 'le xou de ser seu caixeiro
o Sr Alberto Peixoto Braga desde o da 13 deste
crreme.
COMPRAS.
Compram se moadade ouro e prata de to-
los os valores, ouro e prala em obras inutlisada,
brilhantes e mais pedras preciosas : na loja de
onrives do arco da Conceicao, ao Recife.
0 muzeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro, prat
e pedras preciosas por precos mais vantajosos do
jue em outraqualifer parte.
I3JEJt
Gompram-se e vendem-se diariamente para tora
e dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejam sadios : no
tereeiro andar do sobrado n. 36, ra das Cruzcs,
eguezia de Santo Antonio.
Com muilo maior vaniagem eompram-se
moedas de ouro e prata : na loja de juias do Co-
racSo de Ouro n. 2 D, ra do Cabug.
Compram-se sednlas de 1 , ii e 5*000: na
ra Nova n. 7. ,
OABiOLET
Cofipra-se um caliriotctde 4 rodas e 4 as en-
tos e que tenha arreios para 2 cavallos : na ra
da Cadeia arinazem n. 31, se dir quem procisa.
!' I
VrNDAS.
CIMENTO
Ve.nde-se verdadeiro cimento; na ra da
Madre de Dos n. 22, armazem de Joao
Wartins de Barros.
artr
Rap do Lisboa
Na ra do Crespo n. 6 contina > ter rape de
Lis oa da melhor qualidade que lem rindo a este
mercado, chegad pelo ultimo vapor.
vinfio le caj superior
Aeba de chegar do norte, vende-so em bar-.
ns : fio escriptorio da ra da Cadeia do Recife
n.JOj_________________________________"
Na travessa do Carao n. 1, veodc-se urna
bonita mumbanda de fdad de 16 annos, tres es-
ravas para todo o servico, urna dita de meia ida
ds por 330, una dita para engenho por 700$.
urna dita pata, dito por 800$, um escravo para to-
rvico.
V
De superior qualidade da mu accredita-
da fabrica de Bisquit Dabouch C, em
cognac unw das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consunuao do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Tb. Just. ra do
commercio n. 32.
Cabrtolet.
Veade-se um cabriolel em milito bom estado e
barato : na ra d<> iLi-picio n. 36, sitio.
Vende-se a taberna da ra larga do Rosario
n. 3. proprja gara principiante por ter poucos
fundos : (|eni prsiender dlrija-se mesma, qne
achara com quem tratar.
Excellente doce de caj
Veade-se excellente doce de caj em calda a
320 re. a libra, sendo de arroba para cima : para
ver tratar, no paleo do Paraizo n. 14. onde tam-
bem existe mn carro da atfandega com prepares
para umadnus bota, em muito bom estado, para
veodr-se por IPOiOOO._____________________
' Vewle se o eogenbo Jeruralem, no U'wmo a>
Seriah3cm, distante da esta^ao da via-ferrea tres
legoas, com boas obris moente e correte, de
agoa, copeiro, com bas matas a trras para sa-
frejir 2,000 pa s : quem o quizer comprar enten
da-se com seu pnprietario, na roa do Hospieio
n.24.
Veade-se urna rasca de lato com becerro
novo, ao porta de capim a tratar junto do gazo-
metro, n 8._________ _
Escravo pe^a.
Vndete um cabriiiha de 14 a 15 annos, de
i bonita figura c sem vicio aea achaques, o que se
garante : a tratar na rua.da Mangueira n. 6, das
as 9 horas da manhaa, ou das 3 as 6 da tarde.
Preftsa-se irnina
olear carro
andar, das lOhoM da manhaa as 3 da tarda^en-
contrar om quwn tratar.
ua e
na rrra estrella do ^ttusarto o. 2, ! para a tewa,
piante per ni
BCW
t.
KkUMKgttltuXtxs e ogaudjs de cores, pelo baratissitno preco n 800 re. omito,
Mvado: iu loja das Ce"
Columnae, na roa do Crespo n. 13, de Antonia Correa de Vtcbncellos.
ATTENCAO
Vende-se urna armarn de taberna, nova, com
todos os portences mesma armario quem pre-
tender dirjale i roa Imperial n. ts : na atesma
taberna para tratar. Esta casa acba--e bem col-
locala e vende bastante tanto para o mato romo
e propri para qualqoer princi-
o sar mui grande a anaacaa
Se lo.
Novo reguhiimuito do sallo ; vende-se oa Jivea-
ecoonmica ao p do arco de Santo Antonia
l r i.....i ------- - ir i i......i -
Attenpao.
Vbnde-se o molla acreditado betel Lisbonense.
na faa estreita di) Robarlo n. "TI, muito afregue-
rainvtftijB tiem- da :- a rratar nomwno.
A
55Ruado Queimado_5
A VERDADE tendo em deposito grande
quanlidad:' demiudezas e perfumaras, e de-
sejando apurar dinheiro a adquerir boa fre-
guezia est rssoivida a vender nmitisstmo
barato, ; por essa razo. con vida aorespei-
tavel publico a vir competenlemente moni-
do a sintii-se do bomebarato. Feis quan-
do a Vcrdade apparecu, todo mais des-
apparece....
Grande sortimento de bonecos de cera e
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
racler.
Abotoaduras moderuas para col
lotea....... 320
Espelhos donrados pepnenos. 2G0
Agulhas de oso para crex a 200
Pentes para rt?gai;> com antas a 320
Ricos globos pata candieiro de gara liSSO
Cbamins a....... 320
Grande sortimento de objetos de
louga para brinquedo de menino 100
Garrafa com tinta a..... 800
Dita com agua florida vci daikira a 1(4300
Dita com dita dita a !#) 0
Frasco com oleo de babosa a 500 e 720
Dito com agua de Colonia a 300 e 500
Garrafa com agua divina a. 1)5500
Frasco com extractos liuos a 1(5000
Latas pequeas com banhi muito .
fina a 12o e...... 1G0
Sabonetas de diversas qnali lados a
80, 100, 240 e..... 32i/
Finas escovas para denles de 120 a 600
Lindos coques modernos a. 2000
l'avios para gaz, dtizia a 240 e 320
Escovas para facto a 5^0. 600 e 700
Ditas para cabello a..... 500
Pentes para tirar piolbo a ICO e. 240
Orincos de cores, bonitos a ICO e 200
Pegas de tranca de la com 8
varas por....... 80
Oleo para machina de costura,
frasco a......... 600
Pennas d'ago finas raixas a 800 e 15000
Dita d'ago Perry, caixa a. . 1400
Galn de algodo pega .... 400
Lindos babadinbos e entremeios
pega de 500 a. 10500
Ditos de louga muito fino a 120 e 200
Ditos para caiga a 160 e. 240
Caixa com papel amizado a. 700
Ditas com envelopes a. 480
Ditas com obreias a. .... 40
Caixa com agulhas fundo dourado 280
Ditas de ditas ditas a. '. ICO
Thesoura para costura a 240 e 500
Caixa com linlia de marca a 280
Linha de cores em uovellos (li-
bra) a ........ 500
Carreteis de linha Alexandre de 70
at 200. .,,.... 100
Grampos muito fino' com passa-
ros, duzia a...... 2*^0
Cartas porluguezas, duzia a {400
Ditas francezas a 2200 e . 300
Papel almago e de peso, resma a
3,5400, :i(4o00 c 4500
Jta muilo fina para bordar, libra C50C
Fita de algodo para debrum de
sapatos, pega a..... 16*
Ditas de 13a para debrum de ves-
tido, pega a...... _: 480'
Pentes finos para segurar ca-
bello a ....... 320
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240, 320 e...... 500
Ditos para aparar penna a 100
Rosetas pretas, par a ... 100
Trangadelaadfcaracolpecaa40e 100
Fita de coz peca a 480 e 560
Alflnetes de latso a..... 100
Sapatos de la paracrianca a 400e 800
Grvala de sedas de cores a 200
Calcadeiras a....... 80
Grande sortimento de rendas das llhas.
Um par de suspensorio de borracha por
100 ris!! I!! 1!
\a Vcrdade rna do Qneimad*
_________n. ftft.____________
BAZAR UMVEBSAL
Rna lova-
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um complete
sortimento de todos os artigos que se veav
dem por pregos coaimodos como sejam: Um-
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima cxposicSosereos a electos para almo-
co e jantar, salvas, bandejas, taboleu-os, bol-
sas e aulas para viagem, indispetisaveis para
sentioras, candieiros para sala e cima de mesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos da
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, diUs
para fazar manteiga, camas de ferro para-
casados, solteiros e chanca, bercos, cadei-
ras longas para viagem, ditas de bataneo,
espelhos de todos os tamaubo*, molduias
para quadros. gaz, baldes americanos, guar-
da comidas, biinquedos para criangas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e osa, tapelea.parasala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio a
muitos outros artigos que se encontrarlo i
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pen ir examinar.
Cemento Portland
iijooo.
BWriee grande: an armaiam pintado de verde
eamurjir reo- no woU de oawtbeu.
andar.
e duas vaccas crionlas, paridas de
na ra da fmperawfc n.
A imperatm regente.
Veio com esta denommajao pelo uliim vapor
francez nquissmos enapeea a velndo c
pn-tos, enfeitados de eorea, para aanliui-a, e que
ha de methor gesto em Pari.ria.jussimos tnx ivae*
de. cambraia bordados para bapnsad>s asim como
riqusimas sahidas de baile ou capas de merino ri-
camente enditadas eama taeNaaVnominaeo ci-
ma, chapelina8 de palha de Italia ultimo goito,
fi'jus e basquinas de crox pretas e branca?, cr-
ti-s de la de dna* saias,.|oMo- eseocw, illanas
de coree, littras asaetinadas, oeapras. paea veda-
dos de duas saias, jjoyeqas da cores, nqiiiwimos
dewnhos, a outtw waiUi aob>nn que e peo-
prielarios da loja Hoy matojain, ara#ria^da
estaca preset i^.fow M*W et raaao .o,uo oes
apreoames scientiffcar o respettavel publico das
mnriaades cima deseriptas.
Veade-se
A ra do Livramento n. 9, m
ver para vender apr. HR69* ] spaW*.
melhor vipbo Wr* nm W* to
mercado.
aantiam de niolldos sito na ro o Irqpeta-
orl*a|: a tratar com Je- Lupes Alheixo : na
aa'da ImaerJlrtz n. I.

tai.


Diario-, de Peuambuco Ter<;a feira 16 Je Noyombro de 1869, i(j
LiaUIDACAO
SEM IGUAL
O proprietario do armazein de razn las denominado ARARA, ra da Impera-
nte iv. 72, decl ira ao respeitavel publico a seus fregueses, que Cala liquidando (odas as
fazendas e rtfopn feitas que tem em se i estaVMecimento como se poder ver no sea
annoocio e preco abaixo mencionados,
dalias francezas matizadas a
3tO rs.
Venderse chitas francezas escuras matiza-
das a 32 rs. o covado por este preco s na
loja da Arara, ra da imperatriz n. 72.
LAAZlNHASAsOitS.
Vende-se lazinhas para vestidos de se-
nhora a 210, 280, 320 e 400 rs. o co-
vado.
B-AREGES DE L.U A 500 RS.
Vende-ae baragos de 15a com listras para
vestidos da senbora a 500 e 610 rs. o
covado.
Alpacas de listras a 500 rs.
Vende-so alpacas de listras para vesti-
dos de senhora a 500 rs. o covado.
CHITAS l-UANCEZAS A 289 RS.
Vende-se chitas francezas claras a 180 rs.
o covado.
CORTES DE L\A PARA VESTIDOS A
2*400.
Vende-se cortes d; la para vestidos de
senhoras a 2">'tOO cada nm,
PERCALES A 440 RS. COVADO.
Vende-se percales moito finos para ves-
tidos de-sontiora a 440 rs. o covado, mor-
sobrias brancas finas, a 500 rs. o covado,
hriiliantinas de cores, a 440 rs. o covado.
Baldes moderaos de todas as
cores.
Vemres ^ baldes moderno sbranco o de ca-
res ard, 45300e55.
CO'JEKTDRES DE. ADGODO A 15500.
Vende-sc cobertores d algodo- af#>00,
cobertas de chitas-a-15600 e 2# caria urna,
GANGAS PAItA' CALCA A320RS'.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de tres para calcas de lame* e
meninos a 400 rs. o covado, casemiras He
cores para catja e palitots a 2J5O0 e X},
o covado, meias easemiras entestadas para1
calcas o palitots a 4#~ o covado, brim pardo
de todas as rjua'i&ds'e brim branco de
todas as qualidades aa'ro da Imperatriz
n. 72.
Alpacas lizas-a 4 rs.
Vende-se alpacas oV cores lizas linas a
640rs. o covado, tarlaraoad cores a 320
rs. o metro.
MADAPOLO ENFIESTADO'A 3$uO.
Vende-se pecas de ;madat>olao enfestado
a 35500, pecas de ma lapos figlez de 21
jardas a 3#, 6,5400 70, 85 eW a pega.
72> Ruu da Imperotnz, 72.
Algodo entestado 90Q rs.
Vende-se algodo enfestado proprio para
lences e toalhas, a 900 rs. o metro, dito
trancado a 10, metro.
Chales de inclin 9 A.
Vende-se chales de merino estampados
a 2;$, chales brancos e de cores a 1)5000
cada nm.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Vede-se urna grande porcSo de cortes
de brim castor para calca do homem, 640
rs. cada um.
Grande porciio de retallaos
Vende-se grande porco de retamos de
cintas e cassas preias a 160 e 200 rs, o
cova lo, etallios de cassas, 12a e cuita de
cores briratissimos.
L1QU1DAM A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brhn de cores a 2,
ditos de alpacas de cores-a 25, dios de
mcia casemira a 2.5 e 2(5500". ditos de pan
no preto bom a 85 o 105, caicas de algo-
do azul para escravns a 640 rs. ditas de
algodo de listras a 800 el-?, e imisas de
riscado de listras a 800 rs. cada- un, cole-
tes de brim c fusta; de cores a f#e f 5500,
coleles de cesermr de cores a 23500 e 35,
e outra? nwitas qualidades de roopas fertas
qne se vende por baratissirao prefo.
Algodo de listras a OH rs.
o corado
Vende-sc algortSo de listras para poupa
de escraros a 2DO rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A 45-
Vendem-se pocae de algodo 45*06;
55200, 63000 e 75, para- liquidar.
Bales de reos- a i5o
Vende-se beles de arcos para senhows
pelo barasaiwo preco* de f5500 cada iib;
Corte e eatalvafe barras
a- 3AWW,
Vertiese cafes de cambras barrsa a
2j e 35 cada wr>.
LENCOS BE SEDA A 6*0 RS.
i Vende-se lenco de sed* a 640 rs. cada|
j ura, para Ifcraidar-
ARTEfRA PSRA VIAG8W A 15-
Vende-se cariaras para viogem 15
cada ama.
ASMAS
11-EUA DO QUEIMAD0--11
Chegaram da Europa pelo ultimo vapor loja de Angosto Porto & C. rico3
coi tes das mais linda sedas do mimosas cores para vestidos proprios para bailes e casa-
meatos. ,^L.
Grande variedade de sedas de UstraS do diversos precos todas de lindas cores,
gorguro de seda prela, e grosdenaple de varias qoabdades e gorguro de seda la de
dtBrcntcs cores
Novos vestidos brancos do blond pira; noivas, lindas colxas de seda para camas,
ditas de la e seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas e toalbas de
caribraia de linlio bordadas.
Luvas novas de Joovin.eelegantes sombrinhas de scias de cor para senhoras.
Espartilhos de 55 at 305, lindos bournons de cachemira de c&r para sabida
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Sortimento de muitas fazendas de la, linho e algodo todas por precos muito
medico. .
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tapetes o de alcatifa para
forrar salea ludo em quantidade; e vendem sempre^por menos que em ootra qualquer
paite.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
ALGODO
LOJA DAS MACHINAS
TOS
tfA.QDRAS americanas de serrote do todos os tamanhos para descarocar algwo, do
moito conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
CACHINAS ditas, tambera o serrotes e de Sedos os lamanboo para descarocar, al-
godat/ do autor flew York Cotton Gin.
tfACIUtffcSr dita* A? todos os lamaobos, de carrete de ferro e mab Hola a machn.
CACHINAS dkas e Koller (Sos, de cujo trabal faz obter ma 2.000 em arroba
de aljRttSo.
di CHINAS de rac5e do /abricaole Platt B. & C, Obdtn PatentLiverpool.
Todas estes imchina sao de superior qtaalidadc e as racMiores que tm
/irdo ao mercado ; tt para a sos apeeciaco convidac-se os senhoras agricultores- _
virem a exposicSodaymesans na rao- do Cada do Reuife n. 56 A, lojai > Bastos, ooe
jnc.ofltrarao mais- o- segninte :
Loja de raiudezas de FEHREIRADA CU-
NHA dt TEMPORAL, est) quimando por
todo preco venham ver o que bom e ba-
rato a saber:
Lindos brinquedos magnticos para me
nios de2i0a 15-
Linhas em novcllos de 400 jardas a
60 rs.
Pecas de tranca de todas as cores a 40 rs.
Latas com superio banha 120, 160
e .25000.
Frascos com oleo baboza 2'0, 320,
400 e 600 rs.
Ditos de extracto 160, 320, 000 e
640 rs.
Ditos com banha 320, B00 e 15200.
Ditos de agua de Colowa 320, 400 e
300 rs.
Baralhos de cartas pg/tugoezas a 120 e
160 rs.
Ditos francezas 200 e 240rs.
Grande sortimento de sabonetcs 80,
120, 160 e 200 rs.
Caivetes finos rom duas folln a 240 rs.
Linha do 200 jardas em carretel (duzia) a
15200.
Lindos port-main 240 rs.
Pentes de travessa para meninas 200,
320e4O0 rs.
Duzia de meias ingfcrzas muito fias a
35800
Ditas de ditas para seraora a 45B00.
Garrafas com a verdadera agua lVjrida a
15200.
Dilas com agua divina a 9*300.
Frascos com sndalo a 1A^X>.
Pecas de ntremelos a 500. *i0 e 800 rs. 5
Scllius baratos,
N. 27 RA DO LIVHAMENTO N. 27.
Neste eslabelecimento \ende-se sellins^e
siliiies, de todas as qualidades do melbor
qne se pode fabricar no*paiz, assrm como os
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, co!x5es, traviceiros, caixi-
nbas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. O proprietario deste esta-
belecim"nto garante a pontualidade, esme-
ro e zelo de seu trabalho ; Dortanto pede ao
respeitavel publico sua proteceo, queafflan-
ca vender tudo pelo mais barato possivel,
e por menos do que em outra qoalqner
parte. ^^^___
3 cordeiro previdente
Rna do Inclinado n. 19.
Novo e variado sortimento de perfumara*
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
jaarias, de que effectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
recaber um outro sortimento que se torna
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
iade, qualidades e commodidadei de pre-
ft$; assim.poi, o Cordeiro Prevideate pede
a espera continuar a merecer a apreciacao
lo respeitavel pnbfieo em geral e de sua
boa freguezia ero particular, nao se alis-
tando elle de sua fce conhecida maawdSo
i barafeza. Em dita leja encontrarlo o
preciadores do boro:
Agua divina de E. Ceudray.
Dita yerdadeira de Murray & Lamina.
Dita de Cologne inglea, americana, fraa*
oeza, todas dos melhore* croaisacreditadee
fabricantes.
Dita de ffor de larangeipaa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odoatalgico par conservaclo do
Lindos rorro de velludo para menina a ijisseio da bocea. ^^^^
55000. I Cosmetiquea-de superior tpaiicwe e cnei-
Papel amisade be'ua dour^ (caixa) a {ros agradaveis.
De Silbadores para-milltei.
Gyliodros para padttria^
Arados americano-.
Garrinaos de m5#
Machinas para cortar capimv
Camos de chumbe^
3ombas de Japy.
Ditas americanas.
reinas de- ferro ga>aflisadas>
Folhas de ainco fina.
Oi as de cobre e lati,
ferro de todas as nulidades.-
i Vrcos de (rro.
' Folha de Flandres.
Mechados- americanos,
incoes ditosv
Efeiaios e cestos de verjuinha*
Vassouras americanas.
?lles de todo os tamanhos-.
Tornos e safras- para ferraros.
Finalmente rourtos cutra artigSoepertencentss- -lavowra e artes
ii versidado seria enfadenho ennrmera-los.
Folha de ferro.
Balancas americanas.
Tinas de madtetra americanas^
Ps de "ferr- ditas.
Baldes de nadeira ditos.
Temos de Bandejas finas.
Trens coropletoe paracozinha.
Peneiras para podaras.
Baldes galvanis-rdos.
Corren tes ds- ferro para almanjawas.
Espingardas erewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar^
Moinhos para> refinaces.
AMite de espermacete, proprio pera machi-
nas de todas as qualidades.
|Serras avulsae- para machinas.
Mancaes e ledos- os mais pertences- para as
raesmas.
Latas de gaz,.
h<.n>nin...>ntao M 900 rs.
Dito en pacote a 700rs.
Lindoi bonets ds panno par menino a
25000.
Pentes brancos fros para alisas a 240 e
320 rs.
Macos con* grampos 30 rs.
Lindos frascos pnr* cima de mesa com
extractos a##00; 2^00 e 33000 so par.
Jogos para-vispora a-200. .:40 e 320 rs.
Linha de marca (cai.-sa) 240 rs.
Teimporat pile ser p?cu-
Fado em seti-esta'b!eciineiit3>BO-
tumgA ondle-contrna a vewler
pelos baratos- preces de seuan-
tigo estabelcinieii' com tralo
de Temporal na Bbmtnqa.
Rna do- tiicimsdo n. 03.
LOJ1
no
LIQIDi^O
lourenco Pereira Mendes Guimares, proprietario do armazem de fazendas
.nado"gbb.\LDI, tetn a nonra de p.rticipar ao respeita-ve pubijeo que tendo
turas de fazendas, de novo gosto, para a fesia, estando a. espera de
rti niip deve estar aaui al o dia 15 de novembro vindourav e vendo
recebilo diversas fact
i a..
ender tantas fazendas
SmS IroTliTaiSIvSpan ver se d maior, eslra0ppor issoevistas das
lm IMW.'; L'__... .i.. ^.,, m nutra mviln.ifir narl^. i i nu d.
arcun
JSfcMlMftKS- -* "rews --^ 46 TOVato
como p;c-as de madapol3o inglezes de 24
jardas ou 20 varas a 55, 5*300,6*. CMX)
7^000, 8*. 95 e 105000.
Corpinhos a 200 rs.
CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500
Vende-se pecas de cambraias victorias
finas a 500, 65 e 7*. Brilhanna bran- cada um.
ca lina para vestidos de senhoras a 500
rs. o covado
ALGODO A 45000
Vendase urna grande pircio de algodo
todo de boa qaalidade e 45, 55. 65, 05 'O
75, e 85, a peca de 20 jardas ou 24
Y|vjc
ADMIREM-SE DO QUE E' BARATO
Chamalotes a 560
\ende-3C chamalotede cores, de algo 15 '
560 o covado.
tambem tem relalbos de chitas e la de ce-
res que se vende barato.
Gangas pava cal^a a 3'0 rs.
Vendem-se urna grande porco de gaagas
para calca de b )m m e menino a 3S0 o
covado, cortes de castor para calca a 640
Grande armazein de raziadas c opas feilas rea da Injeratriz
n. 52; porta larga, & Paredes-Porlat
Neste estabeleeimento encontrar o respeitavel publico un bonito sortimento
do roupas de todas as qualidades,. palitots da-alpaca a 3, 3?J500* at 65. Ditos dt
merino^ ditos de casemira de cores-bonitos gestos a 55, 6& 85 e 105, de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios,
e decores de, 35500 a 55000. Calcas do brim de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, duas de brim. pardo fino e ordinario, ditas do casemira
aVcr e preta de 45, 54, 65 a US. Colletas de toda as qualidades e preeo muito
borato. Completo sortimento de camisas francezas de algodo e de linho de- 25 at 51
urna. Sortimento de seroulas fraacezas^de algodo, de linho e bramante a 2jte 25500.
Giavatas (mantas) novissimo gosto a tolos os-pilcos. Heias sortaento completo a 3^
4f at 7^ a duzia.
ROfiPAS PABAMENINOS
Encarrega-so de quaesqper obras de encomroenda tacto para horaem, coate
para e'aioos, e com buevidade, por isso que tem um bonito sortimento do azendas de
todas as. qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finoi. e outraa- muitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de II palmos de largura a 1580&1O metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640- ns. o covadfe.
Poil de-chevre com lista de seda.fazenda de gosto a W200.
Basquines de guipure enfeitadas- a 185000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 289} 300 e- 360 rs.
Madapolo fino a 6&300, 75, 8vJ e 95000.
Algodo peca com 20 jardas a 4^500, 55500 e 64000.
Peca de algodo largo a 75500
E outras muitas fazendas que ser enfadonbo mewonar Ctegaom i roopa
fe iu que se est liquidando na loja na da Imperatriz n. 52-(junto laja de owri-v.es) do
GALLO YufLANTE
Ra B Crespt^u^
s propnetarios dste bem r.tnhepidn c?iaV?*^
cnenle, alm dos imojIs oLji-cft^Miio linhaavMi-
possos a apreciacao- it> tapvHi paMiein >* drrem vir e araba.i'di- receber j>rit) ultimo r.rjtw
da>3uropa nm eoavtelo c vana4> sortimen-*
Ou e mu dalk**>peculida#W; as qr.-.u-^es-
ta' resolvidos a vMwter, como - de si-u cusrme,
pop precos muito Nrafinhos e commodos par(o-
5c, com tanto qu-* Gallo....
Boito superioressivas de pelli-j% pretas, km-
ca e de mu Unda^afrrpu.
Mi boas e bon"*? pollinhas e pnbo$ parvs*-
n5i*a, neste genero o qne ha de is modera*.
Speriores pentr*-dc Unrtarnga rn roque.
Lindos e^riquiss** enleiles \>.m cabei.-was
Bitroas. senhoras.
SnDeriores tran? protas e dd-efaM com iri-
C'W'UB,I ""7reuj U-^Tsem elleS;Wra/.e!.da(...,,aepo*lefcver
Ditos de alpaca branca de roe|hor e mafc. >!,i,().
bow?i>s loques A mndrefFola,
Brim de cores a 4Ors.
Vende-se urna grande porco de duas
faces para calcas, palitots e colletes de ho-
mm e menino, fazenda inteiramente nova.
Brim pardo liso a 560 rs. o' metro, dito
trancado uno a 800 e 15000.
Grande Hi|nMaco de chapeos
de sol
Vende-se chapeos de sol de alpaca com
pequeo defeito a U e 35000, ditos finos
Y-^STiSJX T^Sta *K * 'I Para liquidar^
cores para senhora, a 500 rs. ditos matisa- chitas para cobertas a 4Q rs
da? finas a 70 o covado. Ditas lisas mui- P covado
to largas a 640 o covado. I Vende-se chitas francezas para cobertas a
v^W -,
senhora, de mulo de n J^ comQ ^^ finag pafa w$Mos fl
440 o covado,
LEaO da porta larga
DE
Paredes kVIo.
16 V ovados a 65 75000.
CAMBRAIAS LISAS DE CORES A 600
Vende-se urna grande porco de cambraia
Usa de todas as cores para vestidos a 600
rs. o metro.
rganbys moderaos a SOO rs.
Vende-se organdys de cores para fazer
vestidos, de duas saias, agora modernos, a
800 rs. a vara.
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas muito finas de
cores a 280. Ditis matisadas escuras a 320
ditas escuras escocezas a 360, ditas alco-
xoadas a 360, ditas garibaldioas a 360 o
covado. Sortimento de chitas como tem o
Garibaldi ba poucas lojas que compitam.
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias cruas para bomem a
35500, 45. 55. e 65000 a duzia, ditas para
meninos de todos os tamanhos a 35500 e
45000, ditas para senhoras e meninas a
35500 45, e 55, a duzia.
BALOES DE ARCOS A 1:500
Bal5es de arcos a i/fOO, ditos modernos
a 45000.
ATTENCO
Tem-se para vender urna grande porco
de roupas feitas de brim e de casemira, de
todas as qualidades nSo se menciona por
f er enfadonbo, garante-se ao comprador ven-
der mais barato do que em outra qualquer
parte, isto s se pode conhecer com a pre-
FSTES PARA VESTIDOS A 400 RSJsenca do comprador e a vista da fazenda
Vende-se fustao de cores para vestidos a que se pode conhecer como est liquidando
400 rs o covado. Pr barato preco, o general Garibaldi, i roa
COBERTORES A 1:400 da Imperatriz n. 56.
Vende-se cobertores de algodo a 15400 Chales de merlit a t000
Vende-se chales de Merm de cores es-
cobertas e chitas feita a 45600.
Vende-se grande porco de corpinhos a
3 .60ot'dq 4000 e
tampad')S a 25000, ditos lisos a 35500, di-
jos estampados finos a 55, 55500 e 65000.
Machinas a vapor de
for$a de 3 e 4 ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de fac3o e serrotes para desca-
rocar algodo.
Balancas para armazem e balcao.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
lleld.
Prencas para copiar cartas.
Fogo americano patent
Bartholomeu & C,
RAP POPULAR
DA
FAlWA nacional da baha
DE
Tcixera UtdurtcoSrC.
Aclia-se Venda este ptimo rau, nico qne
jde suppnr falla do princeza de Lisboa, por ser
le nroi agradavel pname, tlajado, e a preco o
mais mdico possivel; e per isso tem ido ssf
acolbido cas pracas da Babia, do Rio de Janeiro e
Hta outras do imperio : no escriptorio de Joaquim
loe Goncalves Beltrio, rt O Commercio nu-
nero 17.
Superiores e
marfim, sndalo e os.-, sendo rniuelies I3-s
wm lindos desen>.>*?e estes prefrt*
Moito superiores-ineii'.s lio (b- HM*ft4-fai% w-
'nhoras, as quaes ssHupn- se vcixWam p'r w8'.VHl
^ duzia, entretanto() nos a- \mlfiaiv i*-20i,
]atm dostas, temen-iainhein .'i:.:e ni tinmtrf de
ootras qualidades,.enlri! as (|i* fgbnm muitu
finas.
Boas bengalas- de superior Mona da India e
castao de marfil* tiwa lindas e onrnui.-ulof* figu-
ras do mesmo, DBSle pi'linii ' O !':> dr llrflli": W
pode de^ejar ; aim destas li'iso* tam!>ei:>^a-ande
['quantidade de ootras qualidades, onmo *jjm,m-
deira, baleia, osso, borracha, ea:.ete. ole.
Finos, bonitos e airosos enitoliobo dt-eadeia e
de outras qualijndes.
Lindas e superiores tujas do soda e-korraeha
para segurar a meias.
Boas meias i> seda [.ara seshara e pr.t Mi-
nas de 1 a lannos de idade.
Navalhas caho de nwrflm e-tiirtamgj.ji.irn faier
barba ; sao maito buas,e do wa a umi* sai) ga-
rantidas pelo-fabricanle, e nt- p r bosm fes tam-
bem asseguramos sua qualwkuV e dvlnde.
Lindas e bollas apollas pana, noiva.
Superiores agulbas para hih-Iiim epara croxe.
Linha muito boa do prsy frouxa, para enche:
labyrintbo.
Bons txaalhos de caria* para valtarete, s?sim
como os listos para o nusun Um.
Grande-e vanado sortmni) das melhores per-
fumarias e dos melliws o imsi-oiiIutJhs >r-
fumistas.
COLAllES Df. R(WR.
Elctricos magnetieo^. cutr* as ronvulse*. e
facilita* a donticao ils f!p- rriancas. Se
mos desde muito reeebr.fores destes proJlgoaus
collares, e continame^ a rwi !.i-los |>or tudesos
vaporee, afira do que nunca f;.!'om no skfc;u]o.
tomoj tem aconteridu, assiiu pe- P"dfrai a les que delles precisarom, vir af> deposita *> gail"
vigilante, aonde sempro encnnlranio dc-stes vorU;i-
deiros collares, e os quM^ attendcndH/SC a*1 Rui
para que sao apulicados, se Teoor eom uia mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista t>*cbjrsf qae detxamof
declarados, aos nossos frognePs a a'nigos a viren
comprar por procos muito rawwvs loja d.> talle
vigilante, ra do Crespo n. 7
Copos e lata, ma'iores e menores, con
pernada fina para cabello.
Frascos com da japoneza> transparente
a entras qualidades.
Pinos extracte inglezes, aaiericaaos a
(raaeezes em fraseo simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agredavePchei-
o de violeta.
Ostras concentradas e de chairo ignal-
menfe finas e agradareis.
Oreo pbilocomeveradeiro.
Ea*acto d'oleo de snperior qoalidade,
iom eseolhidos cheiros, em frascw- de dlffe-
renlertamanhos.
Saboaetes em baecne, maiores a-menores
para mies.
Dite transparenttsv redondos e fign*
ras deaicninos.
Ditoo-mnito finos e earsinba paa^arba
Caixnbas com boas* saboneles aftando
fructas,-
Ditas-d* madeira invemisada coaleoao fi*^
aas perHawarias, moitoproprias para-pre-
jentes.
Ditas-de papelo igualmente boniSas tam-
bem d parfomarias Snes.
Bonito* vasos de nota* colorida, e de
moldes botos e elegaate, cora p do-arroz
e bone#a*
Opia iagleza e fraoeeia para deatea
Pos d camphora o ootras diferente
qualidade- tambem pera dentes.
Toniep-oriental de Rop.
'Alinda mafc coques.
Um eataro sortimeato de coques de no-
vos e bonitos molde oo filets de ridrilboa
a alguis-d'el'es ornados de flores e-fitas,
isto todos expostos- apreciaco de qoen
os preonda comprar.
C(>KIllHAS E Pi'NHOS BORDADOS.
Obra de ranitogoste e perfeico.
E^vslla.-s e fiaaa para elotos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
in, loando a boa escolha ao gosto do com
pr >tar-
VlNHO, PlLUtAS, XAROPE E TiNTURA
DB JURUBEBA 8IMPL8S E FERRUGINOSO;
Oi#o, Pomadas Emplastro da mesma
PLANTA PREPARADOS POR
BARTH0LOME0 & C
PHARMACEUTICOS-DROOUI6TA8
PEIt\4HIIKO
A Jnrnbeba : esta pUnu hoje reconliec:d
eoia* o miii poderoM Inico, como o melhor
dejobslruente,ecomoll appticada nos pidecimentoi
do Agido e baco, bepitites, dnret, tumores inter-
nos e especialmente do alero, hjdronesias, errsi-
pellas, etc.; e associada ao farro all as aallidas
coras, chloroaet e falta de menstrnacio, desama-
jos do estomago, etc., o qne ditemoa attesUo
Inoameras caras Importantes oblidas oom nossos
preparailoa ji bem conhecidos e asados pelo* maii
iisinctoi medios do pan e Ponaga!. Em todos 01
aossos depsitos distribuimos gratis folbetos qna
melhor fasena conhecer a lurobsaa aeos resoltadot
applicaclo.
UiTUNTIIS
7~
H
Vendem-se tres ricas toalhas de labyrintho pro-
prias para baptisa de livros do Sr. Antonio Domingaes,
CADET
CURA
CERTA eIiNFALLIVEL
em TRES DAS
'Ph^B^Denain?.
P-A R I S
MU
Na ra do Codorniz n. 8 rontinda a le- nm
grando sortimento de doces e n latas c raptOo* de
diversos taraanhns, cuj> se vende p*r prec.mviis
barato de qne om onlr.i i|:i:i!.|hit parle._______
m liAZ IA1
Chogou ao antigo deposito de llinry Porster 6
u, ra do Imperador, un carrcgaineato de ga;
de primeiraqualidade;oqnnl sev-ndeem partiiu:
e a retalho por menos prec>> do (|te em ouir qna'
quer parte.
Attencdo.
Vende-se a cocheira da rm do Sol n. 37 com
carros ecavallos, bom mentada : a tratar na Me-
ma, ouna rna do Rosario da rVMfVfru n. 50.
panno de algodo da I! I.ia, proprio para
roupa de eacravos e saceos para assncar : vende-
se no escriptorio de Antonio l.uiz de Oiiveira Aze-
vodo k C, r da Cruz n. o/, Io nndar.
RIGADD
a Liquido nftntTtior |
aaeor
prlmlti** dea eabeUoe.
Em olto das o mais, I
liunia outra sabstancia,
fas com que o eahrllo I
toma i sua cor primi-
lla sem manchar a I
l>el!e nem sujar a roupa
e sem presentar o me-1
lurperlgo.
OColorigrnaodirfrre I
mieiramente de todaa I
ii tlnctaret lendo por
liase o nitrato de preta e I
3ue requeren! o impreg
e duas ou tres aubstan- ]
ras liquidas diversas.
Afiunca-se o successe |
oxigindo e assignatura.
MARMOBE
No armazem n. 17 rna do Imperador, lia para
vMdw por baralissimo preco um granlc i
manto de pedras de m ?rmore de divuraa qualida-
daa.oomoseja : degr os, svli ira, eacadaj, luasas,
balcgs etiJdlos,eic:,eti<. _____
Vendem-se tro. Ierren :, ;i.l i.! rTis > 11)
viageme nm na rna Imperial ; a a Jj
Queimado n. 33, loja.
PILULESSSCAUVIN'
i, keatonrt aftmnil fMto.
Isu preeiaio Miad** twi tao eeauaed
tomo agndael e o remedio man "I"1 PJ'JJ"
vm as earlpae.? ""w**";. * "*
uaiai eemo a Mis c a Ttstoaiaaawe.
erVa as aarirla, aHeiTa^eM ana
aMkaaae.Mrc,eaarrataa.------------
^'aiereile^'s'sTatalM raarda pode
mir-se aeetas paluras. BUataacleccr ou ea
var a saite-
Bllas al- e*e* ** rearre eoaiida aM
bebida; ca doee auaale e *rlarelha, .--
ellas ees releeeoes: * eaee aau aailsa
deitar-ee.____
PtmmimtWH- aaaaW ft
i de aoitesa


I
-te
i
I

TTTW



BSSSSSSSSSSHBSSSn
rt
r


^
,..

Diario de Pemaaibuco Terc,a feira 16 de Noveinbro de
1869.
-
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO ^
8apa aa iaipaaaTiaiia-Ha. DE
FELiIV PEREIRA DI SIIiVA.
0 proprietario d'esle grande estabelacimento, vendo que se esl aproximando o lin*
do anno, e temi ero ser um grande deposito deposito de lazen<]as; nao fallaudo em
multadas encommendas que Ibes estao obrigado todos os das, tem resolvide liquida-
las por preco muito mais baratos do que em outra qualquer parto ; s com o Bm
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontrase nesto estabelecimento do
PAVO, avultado sortimento de bandas de laxo e modas; assimcomo de primara
necessidade. As pessoas que negociam em pequea escala n'esla loja poderlo surtir-
se vendendo-se-lhes pelos precos que compram, n.s casas ingletas; assira como as ex-
cellentissimas familias poderSo mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mm-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
acha constantemente aberlo das 6 horas da manhaa s 9 da noite.
Esplendido sortimento de NalojJ ^nlglSL* *****.
rOUpOS feltS mos chales de fil preio com lindas palmas
NA LOJA DO PAVO A RA DA Je seda, pete barato preco de 50000,
IMPERATRIZN..60 | pe chincha.
Acha-se este grande estabelecimeotd com- BASQUINAS A 1200
A fc$ $UMA6
Assncar de oxido de ferro de
Cianteaud.
O asnear fe ruginoso de Chanteaud obtido
pela associacao do exido de ferro integramente so-
lucel com o assuear cuidadosamente purificado.
Este assuear, de urna bella appareneia crystefina,
lera o simples costo mui agradaval do assuear,
sera o menor sabor adstringente : nao tem accio
irritante sobre a mucosa do estomago e ente>tinos,
e rpidamente absorvidj polo apparelho digesti-
vo sera causaras constipaeots do venlio.
E' hojo o preparado do ferro de mais aceilacao
para a ehlorose atonia dos orgSo, perdas brancas
menstrua^oes difliccis, etc., o tem a seu favor o
juizo autorisado da escola de medicina de l'ans,
e dos cuimicos os mais notaveis.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Bai iholomeu & C, ra taiga do
Rosario n. 34.
A AGUIA BRANCA lera conviccao de que a abundancia de objectos de noyidade-
em seu constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superiortdas
de do qualidades, e a limitacSo de seus precos, estJo na op-ni5o do respeitavel publico
em geral, e na de sna boa freguezia em particular; mas anda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da recepcao d'aquelles objectos que esto alm do commum.
como bem sejam:
H
VERBAS EH GROSSO
A PRECO FIXO E MDICO
NO
Na Ictja do Pavao vewde-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipe re,
pletamente sonido das melhores roupas
sendo calcas pajitos e coletes de'sasemira,
depanno.de tota, de alpaca, e de todas pelo barato preco de 123000 cada urna.
as mais faiendas que os compradores pos-1 _, alpacas bra.m.as lavradas
j ^nr.mn ir,:. Ghegw Pira a loja do Pavao ura grande scrt-
sam desojar, assim como 0 Oiesma loja mentoWimiis bonitos alpacas brancas lavadas
tem nm beSo sortimento de pannos casem- e de c*rdao sendo nYse genero o tntfcor e mate
ras, brins, qualquer eca de obra, ooam maiorpromp- tan *as c u' q serve"' P"7f,,a0!,ac
^uu,M yvyu r i nnrvas e vondom e *>r commodos precos.
lidao ventado do fregae*, e nao sendo .lmmnhaS MMOBEnaS na lIa do PAVao
Obrigrdcs a acceita-las, tawdo nao stiftjam Chegou par* <*H-. cstauclccimonto um grrndc
Completamente ao S COiaento, assimcomo -mimcnio das -nitores e mais modernas laazi-
nVet vittn Ptah*WisBfntn encontrar O *)a9 l):,ra vendos, sedo tapabas e transparentes
neste vasto esUOWeciBMW ' *, tod, pnr. o qualidades quo so veneam
respettavel pubiioo m bello sortiraeflto e raais barat0 d0.- em 0utra qualquer parle,
carntsas francesas iaglezas, ceroolas-Qe a 320 RS, \ DUZIA DE '.OLLERlNrlOS
Buho-e algodao e oAros muitos artigos
proprios para taomens e senhoras promr*-
tendo-se-lbe vender aais barato do que em
outra qualquer parto. Na ra da Impera-
trn n. 60, loja e armazem de Pelrx 'Perei-
M'da Silva.
CESA OS CARNAUBA.
Vende-se marrando porcio do-cora de
carnauba eai saoos por preco mais barato
do que cw outra qualquer: na loja do
PavSo ra da 'Imperatriz ^n. ^80. 'De Flix
Pereira da Silva.
FA7ESDAS PARA MjTO
Sa loja do Pavea.
Encontra o re>poilavel pubtteo neste eFtal)eleci-
mento um i-aride sortimenW -e'fazentos pretas,
como sejam, xassas francecas e inglesas, chitas
pretas de todas es qualidades, fazenda de la de
todas qee tem vindo, proprias para'luto, con
sejam, faaziimas, alpacas lavrada'fflisas, canta.,
bombattnas, werin, etc., qe ludo se vende por
preco barato.
AS CASSASDOfAVAO
Covado a 30 rs.
Vedem-se finissimas eassas frawsesas com lia-
dos desenhes eores fixasa 300 rs. o covado.
Madapo&o franca a 7S000 rs-
Vende-se pecas de nadapotao franeex
com 22 ma-os pelo fceratissinso preco de
7<>060 a pega, pechfnoJta.
illas Hoviddfs em -sedas
Chegou -um grande sortimeHto das mais
moder.jaspsupelinas oagorgures de seda
e lintio oom os mais eegames padres tem viudo a este mercado sendo, miudos e
graudos, lanto em corte* parawestidos como
para vendor em covado, asm como um
bonito sortimento das mus bonitas sedas
listradasque se vende tadoayjitoem cenia
(irrosdenaples CWegou um grande sortimento dos mais
bonitos gro^denaples de todas as cores para
vestidos .qoe se venden .muito raais barate
do que em outra qualquer parte.
CHAPEOS DE RRIM A 2*000 RS.
Chegou-*iwa grande porco de brim para cabera que se vaade pelo ba
ratissimo preco de 2^000, por lerem che-,
gado com um pequeo toque de nnifo. E'
ppchincha.
GR.\NBEPECMINCHA A 5:000 RS. PECA DE
Bretaaha
Vende-se.pesas de fuperiorbretanha de
algoda tendo quatro palmos de largura
com 20 varas ou 2 metros caria peca, esta
azenda seria, para custar 8500Q, a nao fer
ima graede compra que se fez, elqnida-se
a 5^600, cada peca.
Cortes de chitas
Com 10 ovados a 3:20 .
Com 11 covados a 3:520.
Com 12 covados 3:840.
Vende-se finperwres chitas do padres
claros e escuras pelos precos cima men-
cionados senda fazanda que se fosse endi-
da a retalho no se endia por menos de
400 *. o cevado, isla pechincita.,
Corsario para colletea
Vede-se o mai6 superior gorguro preto
com diversos padres pelo barato preco de
6JOOo corte decoUete. i
Admravel pechincha
ALPACAS A 400 RS.
. DE FURTA CORES A 400 RS,
ALPACAS A 400 RS.
Yende-se uu grande sortimento das mais
bruteantes alpacas de Curta cores com as
mais liadas e mais modernas cores imitan-
do perfeitamente as sedas de Iurta cores
sendo neste artigo o mais novo que tem
?indo ao mercado, para vestidos, muito pro-
pria para as senhoras que forem passar
feta no campo, por ser urna fazeoda de
moita fantasa o pelo barato preco de 400
rs. o covado.
Brelaahas de rolo a SOO a
pe^a
Vende-se superior bretanba de rolo ten-
do 10 varas ou 11 metros com 4 palmos
de largara pelo barato preco da 20500,
pechincha.
OssetinsdoPavao
Vende-se os mais bonitos setins de cores
e mais eocorpados proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
AOS PAUTOTS DO PAVO A 180 o
205000.
Vende-se um bonito sortimento de pabto-
ts. francezes sendo, sobrecasacados e pro-
iriamente sobre-casacos, que se vendem
orrados de alpaca a 18d000 e forrados de
seda a 204000, pecmVha.
O Pavae tem urna grasde fartura nitos oolleiricihos de papel, com os feilios
maisnovos, que so vcu8o a 320 rs. a du-
zia, pechincha,
Crocfoes para cadeirirs solas
O Pv tem um .grando sortimento dos
mais bonitos crochs proprios para cadei-
ras sofis, mesas, almofadas etc etc., assim
como praprios paratoobrir preseeles. e ven-
de-se raais barato doqueem outra qual-
quer per te,
MACE' A l:l0 PARA VESTIDOS
i.|.viio tem esta nova -azenda lisa pre-
pria pora vestidos, com as mais delicadas;
cres o rom mais kislre do que a propria
seda-rim 1 palmus de largura que acilita
fazer-sc qualquer vestido com 10 covados
e vende se pelo baratissimo preco de I^OO
rs. o covado, pschinrha.
CRETONE DA 4NDIA PARA COLCHA
0 Pavao tem-esta nova azenda cretoiK)
propria para colchas, com os mais lin os
pailraes chinezese com as-crea inteiramen-
te flus, tendo largura de ohita franceja e
vende-se em cojita.
(^LCIASDEFSTAO
Js toja do Pavo-vende-se unt grande sortia>en-
t d-colchas de feao seridn .(raneas e do e-Jrcs
-ditas-do croch pare camas de-diva, assim oio
qnroos damascos e laa paraolchas.
Na loja uo Pavao vendem-se os bk.s
bonitos chales de verdadeira cachemira'de
cr.oom os desenos mais modernos, a lH,
10 c 123000, tKuito barato nanada:Im-
peratriz n. fiO.
trsnls a SM rs.
VeEde-se os mais bonites organdy. de
cres.com padioes miudos graudos. t;er.-
do todos de coree ixas, peU baratos jM>e-
coS'de 300 rs. o cova lo.
CAMISAS PARA SENKORAS
Chefjou um graede 0'mtnto de cami-
sas francezas para senhoras, sendo lisas 3
bordadles, assito como um grande sorlimcnto
de corpinhos d cambraia bordados, carai-
sinhas e manguitos com gollinhas que se
*en#'ifiuito em conta,
KLPACASDE CORDO
Vende-se as mais bonitas aipecas de (;or-
do, tendo de toda.4 a! cores, as mais novas
tpie tem .vindo ao mercado e -vendem-se
mais barato do que em outra qualquer
parto.
ALGODO ENFESTADO
Vende-se urna grande porcSo de^iigoilo-
sioho americano com 8 tpalmos de largura
proprio para lenfes e toalhas tendo liso e
tmpano quc.se vende por preco maito em
conta.
rawios de liuho
Cbegou umdjrandti sortimento de pecas
de panno de liubo do Porto .|ue se vendem
de70t*.r.. at L!000 a vara, garantindo-se
que em azenda de linho nao lia nada nae-
lhor, nem mais proprio para iences eitoa-
lhas.
PECHKKA EM CHAPEOS E SOL
Chegou wn grande sortimento dos me-
ibores chapeas de sol o seda, inglezes ten-
do nesie ari go o melbor que tem vmda ao
mercado assim como urna grande porcao de
ditos de alpacas de tortas as cores e todos
se vendem por prego muito mais barato do
que em ottra qualquer parte, por ha-ver
grande porcao.
.eapoi J> raucos
Vende-se um grande sortimento de len-
cos huncos para honaem, seodo a duzia a
13600,25000 e 33000, ditos abanhados
muito fiaos a 43 e 63000 a duzia, ditos de
esRuiSo azenda muito superior a 53, 63 e
73000,
Peehlehu etn easeniiraa a 4:0<0
Vende-se finissimas casemira6 de cor com
listras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores mais novas e mais bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baratissimo preco
de 43000 o covado ou 73000, cada corte
de calca.
Os bales do Pavo a 20()0,
Cheg u um grande sortimento de baloes
ou crenolinas do feilio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 23000 ca-
da um grande pechincha
AS CAiBRAIAS DO PAVO A 4:500 RS.
Vende-se urna grande porc5o de pecas
de finissimas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com mais de varr de
largura pelo, baratissimo preco de 44500, a
pega sendo azenda que nunca se venden
por menos de 83000, grande pechincha.
Bonitas caixinhas de madeiras enverntsa-
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
mando abertas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras e os
raais necessarios dourados e de madrepe-
rola para costura, obras de apurado gosto
e perfeico, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com msica. \i
Estojos on carteiras de couro com nave'
Ihas, e os mais necessarios para viagens.
ESCOVAS DE MARFD4
Paraunhas. denles, cabello o roupa. ,
Outras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escoras para denles, caetas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc
Ricas capolas com veos para noivas.
Cintos de brim, com elasico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
gentes para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, t
selin deurado.
Botoes com ancora, e P. II. para fardas
e cdHetes.
A'botoaduras d'avorltnrine com o p de
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrin-
tbo, para baptizados.
Renda e bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salptcos.
Pequeos e delicados espanadores de
pennas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.
Bonitos passarinhos de metal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas,
de velludo para agulhas e alfinetes.
Thesouras de duas, tres, quatro e cinco
peinas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
merecen ao fabricante o pomposo titulo de
JVon-ptosftftra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de t3o bom
em tal genero, e anda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundarlo
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porra as verdadeiras continuarlo a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
0 Campos da ra do Imperador n. 28 tem para
vender o seguinte:
Queijos londrinos, pratos, flamencos c de Minas,j
todos muito frescos e de boa qualidade.
Presamos para Hambres e para tempero, paios,
salames etc. etc.
O verdadeiro bacalho do Noruega.
Latas com (agostas e ostras.
O verdadeiro caf Mocka.
Especialidades
Grande remessa de cigarros de diversas quali-
dade?, vindos da provincia do Rio do Janeiro, no
vapor brasileiro Paran
A saber:
Cigarros ao duque de Caxias
Ditos ao Haarity.
Ditos aes tonentes do Diabo.
Ditos Barbacenas.
Ditos Papel peitoral.
Ditos do S. Paulo.
Ditos do Rio-Novo.
Ternos de medidas pura seceos, segundo o novo
syslema (mtrico francez), no armazn do Cam-
pos.
As mais adoptadas e mais facis tabellas para
de prompto se rednzir & e a kilogrammas e ao
inverso estao se acabando por isso recommenda-se
aos eslabelecimentos que anda nao tem, que ve-
nhain seus donos munir-se desfe tao grande agen-
te do commercio, pois que, com a safra que-cst
porta, torna-so ditas tabellas indispensaveis.
28-TUDO NO ARMAZEM DO CMPOS-28
O PAVILHO
Ra Nova
ESPELIlOSem quadros dourados de '/a
A Va V '/-* a duzia *'50'' 2**
5400, 46900 e 1^300.
LAPIS finos a groza 25200, 25GO, 3,5000,
341400 e 4&S00.
DITOS cora cabera de osso para carteira.
a groza 4800.
DITOS muito superiores para carpina groza
2,JO0.
DITOS muito Osos com duas cores a groza
146O00.
FIVELLAS d'aco pulidas e envermsadas
para calca e collete a groza IfiOO.
OCULOS aro d'ogo, vidro de grao a duzia
36500, 53000 e 93000.
LUNETAS OU PINCINEZ idem idtm a du-
zia 93000.
E muitos oulros arfigos qo." s& com a
vista podem ser apreciados trato as qua-
lidades como nos resumidismos pregos
por que ludo vendido.
Alem disto faz-se os abalimentos na razo
seguinte:
Compras de 50,3 a 1003 descont 5 %
c de 1003 a 5003 10 /-
de 5003 para cima 15 PAGAMENTO REALISADO NA MESMA DATA
a em letra de 30 das menos 2 V*7u
em t deQO %
Jnsde Souza Snarex C.
prata dourada, para coWetes, cada *m U. mes e qualidades a "fin^/'^jj5^
1 lotoes de cristal, encastoados emprata,! que constanlera^nte mjachara i^ venda na
nai^a ounhos 13 o Dar. V' ,0 a da A8u,a Branca' sena se?3 ,raP0SSl"
P SEs de Celfa para hornera, a t'i ve. ao menos infadonbo por tsso, ela con-
raor qualidade que tem vindo a este mer- fia na constancia de sua boa e ant.ga re-
oodo,
Meias de laa para
|-oreancas.
Ditas de quezia, e pede aos que de novo queiram
homens, senhoras e reconheoer a coraraodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que nio se
esquecam de comparecer loja d'Aguia
Branca i ra do Quemado n. 8.
________Pffi A FESTA
Vende-se per menos de 10, 20 e 30 *!
m i ibti
Ra Direita numero 5o.
Grande e completo surtimento de baodeijas ch-
nezas. tanto qnadrad.is tomo mivaes, e de todos os
tamanhos, coiii|ilelo sortimento de facas e garfos
de I e 2 B, bataneo intiiro e meio lialan^o, eolhe-
res de metal principe, as mais linas tic te vindo
ao morcado, trem para castalia, pesos k;l pram-
mas tanto de ferro romo de latao (enm-rodne<;o
d i'iero), meiros para medir faienda tanto de i.u-
deira como de latao, alcm de um soriinunio rom-
SO' NO
MAZEM CONSERVATIVO
N.23Largo doTer
SIMIO DOS SANTOS 8- C.
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secee e molhados esto re-
solvaos a fazere urna grande iminurejo de precos aas suas raepcadorias, como se apro-
xima a festa e sempre se fezem avuttadas compras para o centro e praca, por
isso prevnem ao respeitavet peblico em.^eral, que mande fazer suas despencas e cer-
tos de que verao agrande dilerenca em precos mais do que em outra qualquer parte
e garanlindo-se as superiores qualidades. .**,- ,*.
GAZ AMERICANO 9^500 4ata, e 448, SEVJtt)INHA E SAG 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 660 . o litro. 620 rs. o kilogrammo
VINIIO VERDADKRO FIGEIRA 366 TARINHA DE AIWRUTA VERDADEIRA
a garrafa, 45O0 a caada e 800 rs o t-
tro.
DEM DE LISBOA las melhofes marcas,
a 400, 440 e 500 rs. ,a garrafa, a 26800 e
34200 a caada, 660e 720 rs. -o litro.
DEM DR&NCO DE LISBOA a 40000.
a caada e SCO a garrafa, e S40 rs. o litro.
VINAGRE VERDADE4R0 DE'USBOA
JOO, 240 e 320 rs. a garrafa, 1#40,
^800 e 2*200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 90 rs. a
garrafa, e a 74 a caada, e 16340 oiiitro.
MANTEIGA iTNGLEZA fLOR W400 e
I480 a .libra, 34060 e 24780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 960, )00 e 850 rs.
a libra, e 24IOO, 44980 e 44860 o fcilo-
grammo.
BITA PARA IULMPERO J60 rs.. li
bra, 1^220 o kilogrammo, era porco se
far abatimento.
640 a libra e 14400 o kilogrammo.
BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e &K) rs. o kilogrsmmo.
VELL.6 DE ESPARMACETE i 720 rs. o
masso. em caixa ha rbatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E BE SEGU-
-RANCA, 280, 400 e MO rs. o masso,
34200 e 64SO0 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACSHINIIAS
DE MUITOS TAMANHOS 14280, 24500
34S00,4^508, 54500 a lata e a retalbo e 14
a libra.
GOMMA DEMILHO AMERICANA 400 rs
o masso. e em caixa ha abaiiraenlo.
CATATAS NVAS DE L3SB0A 68 rs.
a libra em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 54500
a duzia -e 500 rs. a garrafa.
DEM RASS, \5ERDADEffiA IHLERS4
BELL, 800 rs. a garrafa e 94 a duzia.
VINH0 DO PORTO ENGARRAFADO DE
A RLA DA IMPERATIUZ \. 2
Esquina da ra la Aurora
Defrote do Cafe Imperatriz.
Keste novo e snmptuoso estabelecimento de fa-
iendas, encontraro as Exmas. familias ludo quan-
to possam desejar, tanto em rticos de rigoroso la-
xo, como em todas as mais qnalidades de fazendas
do sedas, blonds, alpacas, merinos, laa*, eassas,
mussulinas, chitas, madapoloes, algodoes, etc., de
modo a sahir bem servido desde o mais rico c
exigente amante da moda e do luxo, at o mais
modesto pai de familia. Alm de se acharcm pr-
vido* do que melltor se encontra neste mercado,
mandaram os proprictorios dVstc estabelecimento
vir directamente o que era artigos de modas e de
mais apurado gosio se encontra em Paris.
Urna modi-tn especialmente oceupada nos traba-
mos do PAVILHO DA AURORA, executata
promptamente e com toda a perfeicjio qualquer
trabalho a capricho, para o que se acha habilita-
da com ludo quanto mister para o bom desetn-
penho de sua missao, o que una giande vanta-
ge... para o bello sexo, que assim vai encontrar
em um s lugar ludo quanto pode desejar, iflo
fazendas do mellior gosto, modista para per-
feita execocao de qualquer trabalho, perfumaras,
chapeos, enfeiles, miuJezas, I uvas do Jouvin c
ludo quanto a moda pode exigir.
Aos cavalheiros igual vantagem se offerece, por
ter o estabelecimento o mais completo sortimento
de fazendas para fotos, e proprias para todas as
estacoes, e um hbil alfaiate encarregado de exe-
cutar com promptidio e meslria qualquer encoai-
menda.
Os proprietarios do PAVII.HAO DA AURORA
nao tendo poupado despezas para dotarem esta
bella cidade de um estabelecimento digno d'ella,
conflam nos seus esforcos e no bom gosto de seus
habitantes, garanttindo a maior circumspeccao e
mudicidad de precos.
Com a possivel ferevidade o em vista da protec-
rao que so dignarcm dispensar-llie, este estabele-
cimento trar muias outras vantagens, primando-
entro ellas a publicado de um jornal gratuita-
mente distribuido aos seus freguezes o qual se oc-
cupar exclusivamente da doscripcao das modas,
acouipanhado dos ltimos figulinos ; vantagem
que at hoje anda nenhum estabelecimento offo-
ireceu.
Concluindo, e na impossibilidade do descrever g
Ico e variado sortimento que pnssuem, os pro-
prietarios do PAVILHO DA AURORA nspeitosa-
mente convidara as Exmas. familias a visitar este
espacoso e rico estabelecimento-que, alm de lu-
do.est dotado do pessoal necessario para vender
e levar amostras s casas que as pediren).
Peto ultimo vapnrreceberam ricos cortes
de.veetidos para casamento, lavas de pulir ricas
enanol'nhas para senhoras e diversas fazendas
modernas.
Atento das 6 da uianliua s 9
da noite.
pelo de ferragens e miudezss, bem tome macuinas
de descarocar algodao, inoinhos para caf de t I is
os tamanhos, etc., ele,, tudo por prreoa que
avista do comprailor faz f : na ra Direila n .'i!,
loja do ferragens de Manoel Benio ga & C._____________________________
Cabriolet,
Vende-se um eabrioht de dona 6 qoatro assen-
tos, o que ha de inelhor mste genero, com tora
ravallo e arrotos, on sem elle : na ma de Santo
Amaro, coeheira de Thomaz lint.
BANHA DE PORGO DE BALTIMOOR i DIVERSAS MARCAS 14500, 14280, 14 e
720 rs. a libra, o 145S9 o kilogra__no_ em 800 rs. a garrafa.
porgo se /ara abatimo-to.
ARROZ 00 MARAfWAO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 ra. o kilogrammo e
34400 a anre_a.
ALPISTA 2Q0 rs. a Kbra e 440 rs. o
_ilogrammo. e 44000 a arroba. >
CAF EM GRAO 64 e 64500 a arroba,
200,240 e 260 rs. a libra. 440 e 520 rs\ o
kilogrammo em saeca se far abatimento.
SABO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs. o fcilogrammo, em caix se' e _i]4500a armba.
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MAGARRO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a librare
14220 o kilogrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
Ihante, combioation, Franey-cracynel, mised
Britania. Mdium, Fancy-nie-nac, a. b, c, e
soda a 14000 e 14400, cada urna lata.
Assim como ha outros muitos
GENEBBA DE HOLANDA E IIAMBUR-
GUEZA 74 64 a fra&queira, e 500 rs. o
__S__KO
DEM DE LA8ANJA DOCE AROMTICA,
414 a frasqueira e 14 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
34(100, 24800 o 24400 em eaixa ba abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MITO ALTO
i 400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
LINGUIQAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS a 14000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TO a 140OO rs. a lata.
CHA FINO. GRADO E MIUD1NH0
34200 e 24800 a libra, e 64100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 24000,
24200 e 14800, rs. a libra,
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
muito novas, passas e figos novos, charutos de diversas marcas, marmelada, feita pelos
melhores conserveiros em Lisboa, gela de marmello, pcego. ervilbas, em latas, por-
tuguezas e fraocezas, vinho verde engarrafado i retalho, peixe em latas, bem como
pescada, tainha, pargo, goraz, lula, corvina, vezugo, cavada, sarda e sardinbas de Nan-
tes. Oanella, cravo, ervadoce, cominho, pimenta, grandesmolhos de sebolla 14500.
Finalmente moito oatros gneros que enfandonho menciona-Ios.
Na loja e armazem do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
Bichas hamburgnezas
Ra da Cadeia.n. 51.
Ne9t novo deposito recebe-se por todos os pa-
quetes transatlntico, bichas de qualidade supe-
rior ; vende se em eaixa ou porcao mais pequea,
e mais barato do que em qualquer outra parte :
ua ra da Cadeia n. Si, Ia andar.
---------------- ----------,________,__________________------------------,--------------------
Vende-se ura arrinho americano do quatro
rodas, com 2 o 4 assentos, e arralo para um ca-
vallo, todo em bom estado: tratar na ros da ama vaeea de lerte por pre^o coujmodo : na roa
Florentina, offlcioa de Mr. Grosjean. da Cruz n. 13.
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no arm^iem amarello de Vicente Fer-
reir da Gosti & Fimo, defronte do arco da Con-
ceic3o,em barricas grandes.
IBWDE-iB
Gratifica-se com 2005 p^r cada
um, e mais, conforme a is-
tancia em que forem captu-
rados.
Do engenho Soledade, em Porto Calvo, EDgiram
juntns nndia37do mez passado,dnus eser*TOS,cujo
signaos sao os sepuinles : um de nome relippe,
idade 23 anuos, natural do Onr, cor cabra, eslava
um pouco discorado qosndn (agio, tem os cabellos
carapinliados, olhog grandes B vivos, falta do um
dele na frente, rosto conquido regular, poma
barba por bateo do qoeixo, estatura regular, bem
feito do corpo, pernas prossas, ps pequeos <
bem feilos, com marca do urna ferida cu cima de
umaMas candas das pernas, e Talla-'Bfo e des-
embaracado. O outro do nome Manoel, lambem
cabra, tem 2: annos de idade, natural do Rio
Grande do Norte, estatura mediana, espigado, sem
barba nenhuma, rosto curto, olbos petjocnos e
vivos, n-iriz pequeo, regular em grossara, d.'iites
perfeitos e alvos, bracos n pernas Bnas, pe* regu-
lares, sabe Mr e eserever, toca viola e canta de
improviso, fui munido de falsos dncaoientos. Am-
bos foram comprados nesto cidade d. Itocife ao
Eacm. Sr. bario do Naiareth, o primeifo em inio
de 18GG o o "gando em albo do corrate ati-
pa. Estao a nbos limpos do rostas e nadegas,
pornaoterem seflrido castigo algum. It(ga-se
portonto, as antnridades prniciaes, rapitaes de
campo, on qoalqoer pessoa que os enrontre, de os
rapturar, e leva-Ios a sea seabor, Francisio de
Paula (.raleante d^ Albuquerqiie no re, n lo
engenho Soledade. no termo de Porto Carro, on
nesto (iraca ao Sr. loaquim Hodrlgnes Tawres
de Mello com escriptorio no largo do Corpo-Santo
n. 17 Io andar, peto que em qualquer das partes
so dar a (rraflcacao actmaproniettlda. Recifc,
->;i de ootobro de 18ti9.
I
l1
22 Rna Nova n.
J
22
Machinas para costuras.
A este acreditado estabelecimento, che-
gou um riqnissimo sortimento de machinas
para costura, de todos os auctores; as
fuaes se aebam csiabelecimeoto, O progresso destas ma-
chuias maravilhoso! o seu servico equi-
vale ao de 30 cnstureiras diarias I! Os
seus traballios sao pesponto, bordar, fran-
zir, e outras umitas qualidades do costura,
como se pode ver no mesmo estabeleci-
mento.
Garante-se a sua boa bem o coneerto de qualquer machina quan-
do s*'ja preciso ; e tambero se manda ensi-
llar, at que x pessoa esteja bem pra-
tica.
A'tencfto
Joaquim Rodrigues Tarares de Mellos
tem para vender m seu escriptorio, pra-jH
ca do Corpo Santa n. 17 primeiro andar, ^
potassa da ftussia ultiiuamento chegada,
cal de Lisboa e vinho Bordeaux do supe- jg
rior qualidade. B
lI
Resto venda um escolhido sortimento de ob
idctos de marcineria, como sejnra, mobilias de ja-
jarand. mopo oamarello, obra nacional e estran
{eir, de apurado goto e por prttjo- raioareis:
a na estreito do Rosario n. 32. Nesto mesma
asa fazem-se com perfeico todos os trabalhos t
jalhinba, como sejam, empaihamentos de lastro*
para camas, cadeiras e sopns.
RIJA DA GLORIA JV. 5
Olaria do Fundo.
Ha sempre nesta olaria grande sortimento de
materiaes, como lijlos de alrenaria batida, ladri-
Iho, qadrado de 8, 9 e mais pollegadas, telhas e
lelhdos, lijlos de topantentos. O proprietario des-
ta olaria garante a bondaie e bur de toes mate-
rias, como tambera vende-se ras tiarato do que
m ooira qaalquer pari. .
Fugo segaiida-feira, 18 u ontuoro, o escr.\v,-
Antonio, preto crinulo, idade 50 anoos, pouco n au
ou menos, de estalnra recular, falta de dentrs na
frente, quando anda um pouco corcovado para
diante, levou veswlo calca do brim pardo, omisa
do estipa, eChapeo de pa ha j vvlho : csis e--
cravo veio j ha lempo do Rio Formse, e sup-
poe-se ter para all seguido : quem o pegar ls-
vc-o a na da Concordia n. 8, refinarao, qfie .-era
bem gratificado.
Fnato do sitio da Sapucaia a 11 do corrent
mez, o cscravo de nome Jos, preto, idade man ou
menos 50 annos, alto, secco, cara rusgosa, ps e
maos grossas. bem falantc e ladino, cosluna era
suas cursoes ir para a malanga, ribeira, servir de
carniceiro, ou ganhar as ras da cidade do Re-
cife. Recommenda-se a sua captura a? autorida-
des policiaes o capilaes de campo, mediante a com-
petente indrmnisacan do trabalho.____________
Fugio da casa do abaixo assiguado o seu es-
cravo Isac, mulato, idade O annos, pouco mais
ou menos, furtando-lhe 500 a G0000 em mee-
das je our.i, tem o dedo grande da mao dir.ia
com duas unhas. como se fossem dous dedos, sa-
bio bem vestido, bonito e muito fallante. O
abaixo assignado promette pagar bem a quem o
pegar e leva-lo ra da Matriz da Boa-vista nu-
mero 33
12 de norembro de 69.
Jesuino de Miranda.
Desappareceu hontem as 8 horas da manrra
o cabra de mme Izid rio c diz chamar-se Izidio,
de idade de 10 a 12 annos, cabello corrido, aea-
boclado, levando caiga de brim de quadrinhos
camisa de chita e chapeo do bata tudo novo, eo-
nheeenJo-se ser losrtao, tendo vindo como sea
eabntsJoso Pereira da Silva, de Pajeide Flores-
para ser vendido o como o vondesse e na queren-
do flcar mu, desappareceu, procurando a estra
da por onde veio na occasi't que as pessoas qa*
o trotixeram se retiravam da cidade, por isso pe*
de-se que oinguem faca negocio com elle o a
qualquer pessoa que o pegar levar a roa d
Queimado n. 10, que ser recompensado.
Fugiram no dia 53 de nutubro do engenho
Pindoba do baixn, freguezia de S. Vicente, os os-
cravos seguintes : Satyro, com 40 annos de idade,
pouco mais ou menos, crioulo, cor prea, corpo o
altura regulares, sem dentes na frente. Irineo,
com 35 annos, pouco mais ou meros, cor fula,
altura e torpe pouco regulares; oto sapateirc,
e aqnelle carreiro ; desconfa so que tenha seguido
para Guarahira da provincia da Parabyba, inlilu-
lando-se de forro : rogase a qnem o apprehender
que leveo sen senhor no dito engenho, ou em
casa do Di-. Souriano de Morsas Piohoiro, no Re-
cife, ra das Cruies n. 2, que ser generosamente
recompensado
Desappareceu desdo 10 do corran-'
vi de
_ lilha do Ccafa.
tovoTvsiido mi aHun w^rt *
quem a pegar ten-* *"?'' D- *> P**-
ria, qao ser recompeniado.
um sitio na matriz da VJ^H
nome Joanna, mulata alaranja^H
ca-pinlios. denlo< limadn^J
I


emambuco -7- Terqa feira 16 de Novembro de
___ _____^_------
1869.
Cart\ son\K o Ftmmo coxon.io e
DIRIGIDA POB MONSF.MIOn O HISPO D'0-
LAltS AO B hCA N0CK8B.
ja.-, bem podem
comprehender, tratar dos concilios a fuodo;
podem, e t.:em-so esci^tilo muitos volumes
sobre a materia. Misatgmms nocoes ha,
que essettcal expor com clareza, pois
que ellas sao goralmente* boj* poico fami-
liares, c mesmo porqnc, em todos os
ramos, nogoes MtnpW* e fundamentaos,
sao qnasi sempre as mais utris.
Concilio nma rertHo de bispos para
tratar da fe, 'da moral, c de disciplina.
O conidio particular 011 geral: parti-
cular, se representi s urna parte de
igreja ; geral ou ecumnico, so representa
a reja universal. 0
O concilio geral por isso que representa
toda a igreja, tem o privilegio dainfallibt-
lidadc douttinal o da auloridade suprema
dada por Jess Christo propria igreja
ao corpo dos pastores unido ao seu chefe :
o concilio Darticular nao a tem.
S o papa, chefe supremo da igre-
ja, tem direito de convocar concilios ge-
rae?.
Pola mesma razo, timbera s ao papa
perteuce o direito de os presidir. B com
frailo foram sempre os papas que, por si
011 par seos delegados, presidiram aos con-
cilios ecumnicos que leem havflo. Os de
Nicea, de Constantinopla, de Epheso, da
Chalccdonia e de Trento, foram presididos
por deh'g 1 los d" papa ; os de Latro, de
Lyo:i. de Yi.Miua e de Florones, pelo papa
ein pessoa.
t Santissime padreeserevam a S. Leo
os padres do concillo de Chalcedonia cer-
cado dos bispos. juizos da fe, presdeis,
com 1 o chefe preside aos membros, na pes-
soa uaqnelles aquom delegastes.
Assim como compite ao soberano pont-
fice convocar c presidir ao concilio geral,
tambero, a ella loca encerra-lo, dissolve lo,
quando preciso, 011 onlrma-lo. O ac-
cordo dos bispos com o Papa essencial
para a val la le ecumnica do concilio.
s bispos de todas as regies do mundo,
com o Papa era pessoa, ou delegado em
nomc d'ele sua frente, reunidos em con-
cilio, decidern as questes, na qualidade
de lestemuiilias da f He suas respectivas
dioceivs. romo juizes de direito divino :
Episcopis judiabas, diziam ha pouco os
padres de Chalcedonia ; Definiens subs-
cripsi; subscripsi pronuntians cum sancta
aud, como os bispos assignaram em
Chalcedonia o em Epheso, e tambem em
Trento.
As formas exteriores d'estis assemblas
esto reculadas de direito. Sao distinctas
as sessdes solemnes onde se promulgam
os decretos ; sao distinctas as congregares,
onde sao elaboradas.
E com que cuidado, com que escrpulo,
com q je minuciosdadese procede em tubo!
A historia do concilio de Trento o atiesta,
e o prximo concilio de Roma o attestar
de modo nao menas solemne.
E' com effeito, desde que o Papa tomou
a magna resoluco de convocar um con-
cilio, ocenpou-se dos meios do o realisar
com a actividade propria da importancia
da futura assembla, e o mo convem ao
papel que o chefe da igrej chamado
a desempenhar perante um concilio ecu-
mnico. Immediatamente nomeeu muitas
commisses ou eongregsges, compostas
de sabios cardeaes e de iheologos esco-
Ihidos t-m todos os paizes, que trabalham
com afn em preparar as materias que
teem de ser tratadas no concilio. Ha
urna congregarlo especial para o dogma,
ouln para o Direito C 1:1 nico, outra para
0 concernoote a arden* religiosas, outra
para as religues entre a igreja e o estado,
outra, finalmente, para as igrejas do Ori-
ente.
Quando o Papa quer convocar um con-
cilio ecttmen-ca, oso da igreja que elle
idvirU anticipada e solemnemente os
bispos, afim de que possam, como devem.
com a autoridad do sen carcter, levar os
consellms que a experiencia Ihes tem for-
necidu, bera como o conhecimento adqui-
rido entre os variados paizes por onde
vivem, o que Ihes d especial competen-
cia para bera avahar o viver actual, e
as necessidades dos povos.
E* por isso, j o anr o passado Pi IX,
as (las aliocuces que diriga ais bispos
reunindos em Roma, Ibes annunciou o fu-
turo concilio ; e ha Jpuco publicou urna
bulla cliamando-os 1-todos, e Usando a
data, aiim de que os prelados, previnidos
e convocados anticipadamente, tenham
lempo de estudar detidamente as questes,
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
JPOR
Paulo Fval
Segunda parte
TRES PATAS
XXI
O scgrcilo da pe?a.
(Coatiauago do n. 261)
Bruneau nter rumpeu-se de sbito e licou
pensativo.
E depois?... perguntaram urna
voz os dous mancebos. >
O resto est aqui, replicou Bruneau
pousando a mo energiea na brochura que
contiuha o processo de Caen. Se nao le-
ram este escripto com attencao, tornem a
le-lo : a ida rai : o hornera que atira
ura innocenteera pasto lei, o acelera lo
artista que deditba o cdigo como- Briot
o braco la rebeca...
Mas a censura ? objecin o Estevao
do alio da sua boa f.
Mauricio disse em tora pereraptorio :
Senbor Ironeau, o senhor nao veio
aqui para tratar de melodrama !
Vira para diversas cousas, raurmurou,
verdade ; a drama que se representa
n'esta casa, ao casteHo, no palacio, na
ra, caruinha mais veloz que 1 penna, e
quando o apre*eatareaa no iheatro, ba de
o desenlace d'elle ter lido lugar muito
te rapo antes.
O Migue) corre risco f pergontou
vivamente o Mauricio.
pan a pee-t} qiw
truca,
e -accrcseentar que, se
B os bispos reunidos podotn es>-
r leis disciplinares, e modificar
mais ou menos, no Direito Cannico, o que
nao immutavel por sua iwturvia; a
missao dos concilios em materia do f ao
chega a tamo que possa al erar o *)ftai:
os concilios nSo alterara o uVigni, eomi
uam n'o, e verificam-u'o. O que Ibes, com-
pete o o que uieram sempre, l*rre-
gar as escripturas e a li*adif;o, assim c-nc
os aulorisados interpretes di cscriptura e
da IradicSo-i e s depois de tod is estas
luzes reunidas, depois de disciwso srii
e d;pois do. soccorro do Kspirito-Sa'rt, in-
vocado em todos os seus actos, qu3 o
concilio se pronuncia e define, segundeas
urgencias do lempo e o bera das almos
qual tem sido, o qoal a erraca da reja.
A historia conta al boje, 18 coiuilias
ecumnicos. E difficil sena fixar o infinito
numero de conocilios particidares. S' as
assemblas conciliriis podeni dar tud >
o relevo potente vitalidade da ^rja,
e forca que ella tem em si para defender-
se, quer contra os erros que o espirito
humano gera da conliwio, quer contra os
aausos inevtaveis da raga humana. A
igreja a nica sociedade terrestre, que
nao carece de revolotees, e onde as refor-
mas alo sempre possiveis.
E, com effeito, em todos os concilios
se tem simultanamete deliberada e resol-
vido tanto om pontos de disciplina, como
em ponto de f. O mesmo magno con-
cilio de Trento, sem temer a palavra re
forma, que havia sublevado a Europa, ac-
ceitou-a como sua, e acompanhou todas as
definicds de f cora decretos sobre a re-
frmalo : De reformatione. O Papa e os
bispos reunidos em concilio ecumnico,
sondando com olhar firme e profundo o
conjuncto das cousas o a situago da re-
publica chrislaa, applicam cura radical as
feridas e aos scffrimen'.os. E' asim qiv
a perenne e immorredoura juventade di
igreja se renova ; assim que um sopro
de vida mais activo e mais forte, se'iu
filtra n'este vasto carpo, e que a sua sa-
lutar influencia se communica a toda a so-
ciedade humana.
O que o Papa acaba de convocar, senho-
res, urna d'essas assemblas ecumnicas.
Depois de meditar detida e profundamente,
e de enviar fervorosas preces a D-us, o
chefe da igreja catholica pronnnciou urna
palavra, fez um solemne aceno, c lano
bastou para que do Oriente, e do Occidente,
do nortee do sul, do todos os recantos
do mundo habitado, de todas as tribus, de
todas as linguas, de todas as nafo's, os
chefes da grande sociedade espiritual, todos
os membros dispersos do governe das
consciencias, que usara os noines das
primeiras cidades do universo, onde teem
suas sedes, de todos os pontos, dizemos,
os bispos se preparem a partir, e a reunir
no lugar indicado pelo Soberano Ponliice,
para, conjinctos, deliberaran, nlo como
os congressos dos bomens, sobre a paz ou
a guerra, conquistas ou f.onleiras, ma-
sim acerca da direccSo das almas e de
seus sagrados interesses, de cousas espi-
rituaes e eternas, obedecendo assira ao
mandato divino' na iaadafSa da igreja :
Rutiles ergo, Docete pmiies Gantes : Ide,
ensinai lodas as naeBes ; para cumprirem
o mais augosto dever da sua soberana
missao ; para proclaraarem n'uraa assem-
bla geral da igreja, em face dos erros
humanos, as sans verdades, cujo sagrado
deposito ihes foi confiado por aquello quo
a vei dade summa. Tal senhores o
objecto do concilio ecumnico: haver
sobre a trra algum outro to solemne e
augusto ?
Trezcntos annos sao docorridos, sem que
o mundo presenciasse nenhuma d estas, as-
semblas. No coinego d'este seculo erara
elh'sjulgadas imposiveis. Nos lempos
conw'fliE o Telbo pfowfW aireo pyrlinhts tortas, e Ioi\j os acou-
teoimentos a dobrarem-se, mau grado da
vontadeJiuraana, e caderwn- aos sen ekr
nos designios-, liiskmarw, vi^^B|
lucm em uue as di Apostla e
igreja
curtem.
a anipfilago de
pe.ie. 0.a 11
csses dous mettoraraentos
das distancias, I^^^^^H
ras. Distancias * m
ao
r :ii?ara;n-'
barrei
vno-w tan'o
sob o ponto de \?t potitico e socr.d.
como 110 seati'l<> miteriaL Tera si em
Uviita favorec* os imteroases, e bjmjfcVa*
ram-so ai cousas. r^di'^83e m^imeaUt
<|n ? pareca adverso igreja,' e*"c*Htt>*rfUa^
redondou em 130 IproVoito. O espirito
d*estes novos lempos, obriga os govern is,
por vonlade ou p r forca, a serem raais
justos com a igreja, e faz cahir vemos
preconcoitos, que anda ha poden Ihe rfe*
primiam a acgSo. R por a qe a
rconiilo d*um conrHo ecumnico, politi-
camente dallando, mais fcil hoje, do qu
seria no tempo de P'oilippe I!, de \av?.
XV ou do Josfr n.
S para convocar todos os bispos
escrevia o cKa-to J
de Jfiistre pira fa-
nao
seriam sufficientcs cinco ou seis annos.
E a Pi IX basta mandar afixtr a son bulla
zcr constar legalmento a convoeaco,
nuwlo, o w pft^pafue de au para dia.
cada ve/, miis, itnme o seu imperio, de
a piedade, a honra, a juslica, a
a todas as virtudes chrisUas se
forttqae* e fiwes^jmv para ra ior bem
Acjaynaaidadc.
o pmMptmma, Mdn os trabalhos
m estSo contidos as pala-
vras que abi fteam exaradas. Serao tra-
tados dous objactos magnos: o bem da
igreja, o bera dVsociedade humana. Tra-
tar se-Iva disso, e s disso.
E;n priraeir lujar jnnla-se a igreja para-
Feauimir a sua vida interitr; e, como,diz
o ipostolq nesmeitmt u grata de Dous,
im est ew-aJi. f que a igreja, senhores,
pasafr-coino vos di-se, um adrairavel privi-
legio : o nico orpo dotado de perpe-
tuo reraocamento, no seio da sua perpetua
existeiichi.
Era virtu le da sua divina constiluico, de
todas as verdades di que depositara, ne-
nlwmi varia, nem se cria nem se perde, nem
iwna srllab, ae*i um ponto 1 Jota itawm,
aut unus apex non prteteribit, i Jess
Christo. M, instituico viva, composla
de bomens, receb.-ndo seus chefes e seus
membros n toda nagoas e do tedas as
classes, sempre de bracos abortos a quem
a procara, e augmentan lo-se de continuo
cora novas ragas semelhante ao rio que.
recebando confluentes, reflecte os objeclos
qwe Ihe orlara as margens, e adapta o cur-
nas paredes de Latto-, c a publicidade m )-
derna, mesmo apezar de ms vontades que- so aosclmis. aos lugares e aos declives
modernos,escrevia J. de Maistre, ha me
nos de cincoenta aonosdepois qno o
universo civilizado se vio, por assim
dizer, retalhado por tantas soberanas, e
engrandecido, pasmosamente, por tantos
i e to ousados navegantes, um concilio
ecumnico veio a ser urna chiraera.
Lembravara anda as difliculdades pol-
ticas, que tantos eslorvos oppozeram ao
concilio de Trento, e os tempos do hoje
mais avessos pareciam a taes reunios.
Acreditava-sc que os potentados modernos
os olhavam com desconlianga o Ihas eram
hostia ; e tambem que a igreja gosava de
menos liberdade, e a sua aegose acliava
mais fraca que em lempo nenhum. Quem
assim peusa, calumnia a poca em que
vivemos. Era lugar da nossa pouc< conii-
ang na providenc.a, cumpre-nos admirar
sua mao poiKrosa, e summa providencia,
queiram oppr-se, leva-a s extremidades
do mundo. Km pouco, gnu;as aos inanvi.
Ihosos progressos da sciencii e di indus-
tria, sobre as azas que o vapor prest aos
nossos navios, e sobre esses carros de
fogo que devoram o espago, dos ntais qp-
postos coritnentcs, is mais longn |ua*
ilhas, enrrerara os bspns voz do ponti-
fico. Vira) os dos paizes livres, e c 'lita-
mos que ho de vir os dos paizes que nao
0 sao. E deste modoapraz-noa ropeti-
1 oa duplicada correte das ideas c das
industrias do noss-i tempo, tifia servir nao
s vida material, como timbera ao go
verno das almas, raais alta manifesligo
di vida espiritual na humanidade, mais
grandiosa obra do Espirito de Deus sobre
a trra.
Prmitlio a Providencia, e parece de jus-
lk;a, que era virtuje de urna harmona es-
condida no fundo das cousas, e na unidade
da obra divina, a materia servir mais urna
viz o espirito, e os pasamentos dos ho
m ras prestar-se-h5o aos eonselhos de
Deus.
" J sabis, senhores, q-e no espago de
breves annos, sa juntarara tres vezes os
Bispos catholicos e 11 roda do vigario de
Jess Chisto; mas nenhuma destas tres
grandes reunios assuraio o carcter de
concilio. A gloria de renova-, por meio
de urna verda leira assembla ecumnica,
as antigs tradieges da igreja, de ha tanto
nlerrompidas, eslava reservada para este
mignani.no pontfice, to forte na sua bran-
dara, to chcio de serenidade iris suis
provages, to esperancado era Deus, que
o protege, e rmnifcs'.amentc o inspirou
para convocar o futuro concilio.
II
raOORAMMA DO CONCILIO.
Porque, e cora que ideas convoca o che-
fe da igreja s sessis do ^atbolicsmo
quelli'S a quem chama tsens veneraveis
irmos, todos os bispos do mundo ca-
tholio, a quera o seu carcter sagrado
t chama a parlilhar das suas solicitudes %
Omnes venerabais fratres totius catholici
orbis sacrorum antistim, qni in sollicjf'i.-
dinis nostree jxirtem vocati sunt.
Claramente o dizera as letras apostoii -,
cas: devem I equidade, conforme as suas palavras e nao
conforme as paixes rancorosas, ou com
frivolos commentarios. Eis como o santo
padre traga na sua bulla o programma do
futuro concilio.
Esto concilio ecumnicodiz o papa
ter pois de examinar com o maior cui-
dado, e determinar o que mais convm
fazer em tempos t3o dilficeis e arduos,
para maior gloria de Deus, integridade da
fe, honra do culto divino, salvacao elerna
dos bomens, disciplina do clero regular e
secular, sua instruego salutar e slida,
observancia das leis eclesisticas, refor-
ma de costumes, educago christa da mo-
cidalo, paz commum e concordia uni-
versal.
E' mister, tambem trabalhar com to-
das is nossas forgas, e com ajuda de Deus,
em atetar todo o mal da igreja e da so-
ciedade, era reconduzir ao direito caminlio
da verdaue, da justiga e da salvacao os
infelizes que se bao extraviado ; em repri-
mir os vicios e afastar os erros, afim de
que a nossa augusta religio o a sua dou-
irina salutar gande novo vigor por todo o
Todos nos o corremos, respondeu
Bruneau, abrindo vagarosamente os ollios,
em que j nao havia o mnimo iampejo.
Depois. baixando a voz:
J alguma vez se encontraram na es-
cada com o seu vizinho Lecoq ?
Quantas 1 soltou o Estevao, que en-
colheu os hombros.
O normando prose?uo drigindo-so ao
Mauricio, cujos sohr'olhos se franziam :
' Nao se zangue, meu charo' senhor ;
desejava provar-lhe que o senhor mesmo
est metlido no drama.
Porventura o Sr. Locoq *... eome
gou Mauricio.
Bem sabem, ioterrompeu Bruneau,
que em todo o paraso preciso serpete.
O tyranno exclamou alegra Este-
vao. sempre o diabo desfargadoam co-
cheiro, que conduz o velbo calhaaroequc
do melodrama t
Porque todos o insultara, ao bem do
melodrama atos que o cultiva f al os
proprios que desejavam viver d'dle e n3c
podem I
um homem hbil, aquelte Sr. L
coq f dsse o normando, como se fallara
comsigo. Havia de representar superior-
mente na. nossa pega o papel de Satans
feito cocheiro.
Havia um instante que elle tioha na mi
o voluinoso relogio. Abri a mao econsul-
to u- o.
Ha um homem, disse morosamente
e com voz de grave commoglau. qpt se
(angaria agua de caboga e coa ama pedra
ao pescogo, para evitar que o Sr. Miguel
sa affogasse. O senhores se> maff, de-
vem ter bom coraco. E depois, j Ibra-
de a entender : ambos esto coaipiato-
mento il laqueados n'esta meada...
Completamente HleqaTxtoe i eapdie
para responder s vistas interogprfteraa de
Mauricio e de Estevao ; estSo-flTn pelas
tem o dom de acom:nolar-se aos te.npos,
s instituigej, as necessidades das gen-
cs (}-ie vai atravessando, e dos seculos
que civilisa.
E, de mais, este mu .1 > cabi-llu per-
petua Urefa, pira, com Ihe compre, fal-
lar de Deus aos hnm na de modo qui seja
escutado e atlendid >. Examina successi-
vamente cora venerago, mas com autor-
dade soberana, seus livros disciplinares,
suas leis. mas instiluces, suas obras, e
sotiretudo, seus membros, coilocados nos
diversos graos da bierarchia.
Nos, verdade, nao nos julgaraos livres
de defeitos nem de maculas, c Ah eve
alguem admirar-sedizia Fenelon no seu
tempode achar no homem resquicios de
humanidade I # Mas, grecas imraortaes so-
jara dadas a Deus, nos possumos nos inex-
liauriveis thesouros das verdades o.das leis
divinas, cujos depositarios somos, os meios
de reconliecer sempre as nossas culpas e de
remil-as.
E\ pois, principalmente contra nos, ou,
por melhor ilizer, por nos, que o concilio
se rene. Todos, sem excepgo dura,
antes de tomar assento nessa augusta as
sembla, iremos loilas as raanhas (anear-
nos de joelhos no ultimo degro do altar,
e com as frontes inclinadas, e balendo nos
peilos. diremos humildes e conli icios:
t Se Deus nao mais bem comprehendido
e melhor glorificado, se nao mais bom ser-
vido dos que me rodeam, se a verdade
soffre violencia, se os pobres nao sao soc-
oorridos, sea jusllga violada, perdoai-a,
oh meu Deus! por minlia culpa, por
rainha cu pa, por minha grande culpa!
Res da lera, que dispondes, algamas
vezes, cora to absoluta como tremenda li-
berd de da sorte das nages, ah quo sa-
lutar vos fra tambem igual exame de cons-
ciencia, se livesseis animo de vol-o impr I
Oh assemblas humanas: parlamentos, Iri-
bnnaes, convenges populares, parece-vos
que este severo exame a cada ura dos vos-
sos actos, estas confisses intimas, estes
escrpulos e estes usps magnnimos de dis-
ciplina e de reforma, seriam inuleis para
acalmar cegas agitagnes, ferozes paixes,
ou desviar de perniciosas retinas ?
E' assim qne cada um de nos, lendo-se
previamente examinado, interrogado, aecu-
sado severamente, pergnnlar a si mesmo
quaes sao os obstocalos que hoje se op-
pem propagago da f, entre os povos
que nao a receberam, e ao seu resta^ele-
cimento entre os que a tenham perdido; exa-
minaremos os regulamentos, reformare-
mos os abusos, restabelecercm >s as leis
cabidas em desuso, modificaremos o que
carecer de ser modificado. Sob a atitori-
dade suprema do pal commum, do hispo
dos bispos, ajudados cora a experiencia
dos voltios, com o vigor dos mais novos,
com a inspirago dos mais sanios, com a
sabedoria dos mais sabios, com todos esses
elementos reunidos obteremos urna gene-
rosa e sincera veriicago do nosso proprio
<'5tado, da nossa missao sobre a trra e
dos nossos deveres; e este exame ser
feilo com a mais librrima e fraternal dis-
cusso, e logo seguido de solidas resolu-
ses, que desde ento ho de ser, o por
secutoi, a regra do nosso viver.
Eis me i ro objecto da assembla dos bispos:
objecto sublime e humilde, respeitosamente
A.
suas relages de familia, pe'as suas ami-
zades, pelos seus olhos, pelos seas amo-
res. Quer o queiram, quer n3o ho de
dentro em pouco'jogar urna partida tofri-
vel. Ha urna voragem que os attrae.
Que diabo de homem este ? mur-
murou o Estevao. Trata-se dar pega ?
N5o. respondeu seccamente Maorieio.
Trata, trata, replicou Bruneau, em
cujos labios se desenhou leve sombra* de
ironia. Fazemos tudo ao mesmo tempo:
pde-se draer que vivemos no drama.
Leantou-se para accrescentar :
Meu relogio est pe a Bolsa : precisa
deixa-los para concluir urna tarefa q
diz respeito, senhor Mauricio.
Que taren ?
A rotura d# casamento de Lecoq.
Mauricio deu om polo.
O senhor pode cousa- alguma a'esse
ponto ? exclamou..
A miaha influencia grande. T mui-
to grande, replicou sorriodo o normando.
Na imaginagao do Estevao davaaa-se bor-
rascas.
Que scena, santo Deus I pensava.
Bruneau dea ara paseo para saair; dar-
levo se, porem, em vista porta onde es-
tavtm tragado os nemes dos aersonageoe-
do drama.
Ah f soltou, apagara d'aqui algm.ii
cousa.
Depois, voltando -se para os dous man-
cebos '.
Eu son s contra um exercifo, dL
e a lei nao est ceniga. Nao me iotorre|
para mais. Pfrum coracao espba^^
amor que sobrevive todas as
feicee ua potencia, e o
desenvolveo a artjTo rO
Sou forte, a pe jar de ser s.
a servar Miguel *
St Mtltmu- cemegoo o Bj
acatido pelos lhos da Igreja, e do qual
os meamos sous inimigos, apesar dos es-
forgos que fazem por nao o daa a. conbe-
cer, se santem maravilhadot. Sim, 6o
glorioso,- to salutar u nosso ministerio,
ticam as nossas assemblas to elevadas
cima das outras assemblas, que a lingua-
gem dos bomens d testemunho claro desta
raesma snperioridade. Quando elles que-
rera especificar alguma funego nobre, al-
guma missao superior, ara papel especial,
ebaoiara-lhe, uo poucas vezes exagerada
m-'nte, ura sacerdocio; e, se querem fallar
drama reunio raagestosa, solemne, que
baja aborto nova epocha na historia, dizem:
foi um concilio de reis ou de legisladores.
Nos idiomas humanos, nao ba tormos mais
elevados; isso, porem, nao d materia para
que nos, sacerdotes ou bispos, devanaos
ter o orgufbo; porque essas cousas nao as
lizeram nossas m3os, procedem de Deas,
o a grandeza das palavras que as expri-
men!, mais nos recorda a nossa humildade,
em relago magostado da nossa raisso,
e nos aviva a tremenda idea da extenso e
responsabilidade (Tos nossos deveres.
Mas, emtim, qual a causa porque, nesto
secuto, nestes dias, chamado todo o epis-
copado calholico ao seio do novo cenculo!
Porque, se assim posso dizel-o, esle tanto
velar das armas? Para que tantos prepara
tivos, tanto apparato, tonto afn para a reu-
nio d'um grande concilio ? Para que, sob
a inspirago e sob as vistas de Deus, jul-
gou bom o soberano Pontfice reunilo ago-
ra, nesta segunda metade do seculo
XIX?
O nosso mestre; o divido salvador do
mundo isse : Vulnralas est propter ini-
quitat s nastras.
E', pois, por causa das iniquidades dos
horneas, por causa das nossas iniquida-
des qu'. vamos sopportar tantos trabalhos.
Quanlo mais dfficeis e duros sao os tem-
pos, mais puros nos convm ser, o estar
promptos para as mais speras provas;
convm que estejamos armados para nao
recear combates nem citadas; convm ad-
quirir sabedoria", para susienlarmos acalo-
radas discussoes. E se os bomens nos
perguntara a causa de tanto afn, em aug-
mentarraos saber e caridade, respondere-
mos, sem nos esquecer de nos mesmos e
das nossas necessidades, que obramos assim
por causa delles tambem, por coniemplar-
mos o seu estado, as suas aspiragoes, os
seus soffriraentos, e no intuito de procu-
rar-lhes todo o bem possivel.
III
CAUSAS DO CONCILIO.
Qual , actualmente, o estado das cons-
ciencias, c o viver dos povos espalhados
pela superficie do globo ?
Quem ba ahi a quem semelhante ques-
to nao prcoccui e ?
O papa langando os olhos pelo mundo, e
escotando os queixumes da sociedade con-
tempornea, nao podia deixar de ver, como
todos vem. diz elle, a crise profuda, ou.
como a bulla se exprime, a ormena que
simultneamente agita "a Igreja e a socio
dade : Jam vero mnibus compertum explo-
ratumque est qua horribite lespestate nunc
jacteur Ecciesia, et quibus quantisqite ma-
lis psa afpigalur Socictas.
Qual , senhores, a crise que affecta
a ^reja e o mundo ?
Se abrangerdes com a vista os fados his-
tricos, e esse vastissimo ocano das ida-
des, sobre o qual vogamos alguns instantes,
para depois sermos engolfados como as ge
rages que foram, responderis, sem duvi-
da, qe a crise actual nao mais que me-
ro incidente da crise perpetua, urna ^ce-
na do nunca interrompido drama de
que se compe o destino do genero hu-
man?
Os passageiros novis crem navegar
sempre por entre tempestades, e parece-
Ibes que o mar s para elle resrvou es-
colhos, pareis e tormentas. Ma* os ma
rinheirosexperimentados sabem muito bem
que ornar variavel. c qno atempestade de
boje foi precedida de mnitas tempes-
tades.
Se formos justos e alientos, reconbece-
reraos mais qne a crise presente nao obra
do acaso, e que, semelhante a muitas ou-
tras que a precederam, nao escapou a pre-
videncia divina. E, considerandos profun-
dos designios da Provideucia, diret mais,
esta crise nao sem grandeza, lem suas
bellezas, suas leis e seus fins, como os tem
os phenomenos, aparentemente confusos e
desordenados da natureza. Por entre hitas
e obstculos sempre renascentes, a igreja.
que sabe para onde vai, e os bomens, que
muitas vezes o ignoram, vo proseguindo
uns e outros o ideal evangehe; e a igre-
ja, cuja missao elevar as almas, geine
neste valle de lagrimas, porque o seu ideal
Queremos, intorrompeu o Mauricio.
E para esse fim, esto promptos para
tudo?
Para tudo, responderam desta vez
ambos conjuradamente.
O Estevao sentir qae as suas hesitages
demoravara o dialogo.
Mesmo despeito d'elle ? perguntou
o Bruneau.
Mesmo i dospejto d'elle.
Bem. Tudo o que Ihes disse rigo-
rosamente verdadeira : os senhores esto
ambos ameagados, porque pelo menos um
pode dificultar a reahsago de certos pro-
jectos, e porque ambos se achara em po-
sigo para carregar com o crime, visto que
ambos fizeram parte dos empregados da
casa do bario Schwartz.
O crime disse e Estevao. Ainda se
nao tinhi fallado em crime I
O Mauricio ccrescentou :
Qaetra explicar-se.
Isso depois, ropiieoo Bruneau. Por
agora, basta-Ihes saber que salvando Migoel
se salvam si tambem.
Pegara no giz ; e continuou, fazendo-o
correr as taboas pintadas de escuro :
Leiam Vpressa, o nao seesquegam.
feto vale j bastantes explicaces.
Estevao e Mauricio, indinados para dian-
te, aeompanhavam-llie con a vista os me-
iipiiiliuu da alo e esteva attentos voz
do orculo.
& qtttdro aeootKse d'este modo flgu-
irado :
SAurt. fl)da Andr Mttynotte e de
nao se iWHaqwuKo desej.r, em fcfmlade
,e glra-ia dabaraaiduto.
Korcoso reconfteoW' ai esforgos de Ira*
-Jiallio, de saber e Seragn que os ho-
mens boje oatenUin); aemaularam, de ba
seculos a esta parte,-* thcsetiros de sciencia
de riqueza e de forgas e surgi em ambos
os mundos Rumorosa picudo de bomens de
Idelo, artista* e aaadores, saiiemilita-
res, adininistradaros e piibliciataa, cujos
nomos *-irnealhos as geragoes ftft-as sau-
daram com respeitoso e devidft recaulieci-
mento. Mas tudo iseo pouco, para o que
a linmanidade reqner: e, pois que fomos
justos para com o bem, sejaraos tambem
justos na apreciago do mal; olhemos do
frente e desprovidos de paixes o nosso
proprio seculo, e concordemos com o au-
gusto e verdico Pi IX, que as sociedades
humanas soffren actualmente profundas per-
turbagoes.
E nao pensis, senhores, que vos estou
fallando de perlurbag5es polticas nem guer-
reiras.
A Europa, de sobejo o sei, mais dliraa
vez, nestes ltimos annos, lem onvido o
terrfico troar das baialhas; boje mesmo,
surda inqnietago est agitando oeeSjiirHos;
os povos armam-sc, e prpparam se, CHA al-
guem, para lulas gygantescas. Ser destes
interesses polticos, destas questes denacio-
nalidades, de equilibrios e de fronteiras que
o pontfice querern fallar ?
Por eerto que a igreja nao indifferen-
te a paz ou a guerra entre os potos; c,
todos os das, eleva preces ao eeo pela
concordia entre os principes e c nlro os po-
vos christos; raas j tu o disse, nao a
para regular "qnestes de tal ordem que
ella rene o seu Concilio, esta pacilka as-
sembla, cenvocada para Roma, nio medi-
tar revolugbes nem conquistas, oe ligas
de povos ou de soberanos, nem clevago
nem derrubago de dynastias. Eaquanto
que toda a Europa, e, se maisao longees-
tendermos, a vista, em quanlo que o novo
e e velbo mundo tremem ao sota de guer-
ras ou revoluges, l em Roma, nesse cen-
tro augusto, nesse lugar privilegiado, reuni-
dos junto do successor de S. Pedro, em
volta da cadeira da verdade, os pastores
dos povos, com osps sobro a torra tsob
a rocha immovel, mas com os oibos eleva-
dos ao Ceo, oceupar-se bao das alm-a, das
necessidades das almas, da salvago eterna
das almas, em breves palavras, dos interes-
ses superiores e permanentes da humani-
dade. )ConUnuar-se-ha.)
POUCO DE TTJDO.
DEMENCIA POR CAUSA DOS ASSASSI-
NATOS.O grande crime de Paotin.que tem
tido o privilegio de prenecupar todas as in-
telligcncas, j den causa a que se dusarran-
jasse completamente a de urna seniora que
reside na ra de Nossa Senhora das Victo-
rias, em Paris.
E-ta senhora que at agora tiaha dado
provas de boro ju-zo, depois que leu as nir-
ragoes do crime de Pantin julga-sc persegui-
da por assassinos, dos quaes imslentam
mata-la, outros abrem urna cova para euter-
ra-la.
Ha das dirigi-se cozshera e pergon-
tou-lhe:
Francisca, tens aqui algnma faca?
Sim, senhora tenho-as de mesa c de
cosinha.
Pois langa-as fra ; nao as qu ro era.
casa, porqte se os assassinos as veera...
E a familia da infeliz vio se obligada a
esconder todas as facas que havia em casa.
ltimamente dirigio-se frefeitura da
polica e pedio ao prefeilo que Ihe dsse
alguns agentes afim de a guardarem cons-
tantemente da sanha dos a aassinos.
Depois drigio-st a muitos postos de po-
lica, onde a despediram o melhor que po-
derara.
. Finalmente o estado da infeliz'.aggravoo-
se de tal modo que vai ser confiada aos
cuidados de mdicos especialistas.
COR NOVA Conla-se que a Imperatriz
dos franceses estreiar no Kgypto um riquis-
simo vestido de admiravel ti da cor de
agua do Nilo. Que cor esta ?
Ks aqui a descripgo que fazem os i|uo
viram a cor do vestido:Imacine-se urna
msela de cinzento e verde rom refluxos
prateados, que ao menor movimento do
corpo do ao vestido o aspecto cambiante-
da agua que corre.
A saa lem urna cauda comprida, muito
comprida, sem mais adorno que urna ranja
de gaso verde-mar uo extremo e um cinta
da mesma fazenda com um lago de inCom-
paravel bellesa.
A abertura quadrada do corpo est ador-
nada com urna franja de gase, que deixa
ver a camisinha branca, e tem o mesmo
adorno as mangas.
lovajx
Otympia Yerdier, Julia Maynotto.
Hia du banqueiro Bancalle.
JMM feteoex Amtzade.
Os dous mocos ficaram mudos por om
Datante ; topois o Mauricio perguntou :
% mfortra prima Branca fflha d'esse
ladr Majaotte ?
Nao , respondeu Bruneau.
E... ccrescentou o Estevao, esse
Andr Maynolle nao de ve estar m^rto,
visto que o here do drama ?
O normando fez-se mu paludo ; a voz
alterou-se-lhe; respondeu, porm, sem he-
sitar :
Se o Andr Maynette vivsse, sera
a Olympa Verdier bigama; isso impos-
sivel. Andr Maynotte est morto.
Com gesto rpido, apagou o que aca-
bara de escrever ; alirou com o giz para
longe, e alcangou a porta.
Ao pssar o liminar, disse :
Os senhores prometteram : estejam
promptos.
E desappareceu.
Promptos para qo ? replicou o Es-
tevao. Desde que o mundo mundo, nun-
ca houve sduagao como esta I origina-
lissima, guindada f... Olha que rae en-
thusiasma deveras !
Pelo menos, urna mentira disse-nos
elle, pensou em voz alta o Mauricio. O
Andr Maynotto deve estar vivo.
Como nos arabos, replicou o Estevao.
fa por as raaos no fogo. E depois, senSo
o estivesse, era preciso primeiro qne nada
resascta-lo para o drama.
Elle nao nos disse quem era o Andr
Maynotto.
Ora quem ha da ser ? elle f
Nao creio.
EolSo quem ?
O Tres Patas.
Acertaste f O Andr Maynotte o;
Tres Patas. O Tres Patas o Andr
Maynotto... Panno cima, ou o meo
dinheiro Com todos os dabos I dae
enorme tramoia I quinhentos cvanos
da vapor t E o pap ba de vir ver
as flabffidade do menino. Carta convite : Meu querido pai, reconhecer fl-
ojamente qae seu flTfia passuia aptidoes
excepcionaes... As primeiras caderas
cheias de mulheras destinctas. Toda a
burgoezia da capital no balco, a imprensa
junto orchestra. Fra! abaixo a in-
triga !
Ests doudo dsse o Mauricio.
Tenho moita henra n'isso. E d ga-
lera diera, c a platea a trasbordar I Estou
d'aqui a ouvi-los balendo o p e cantando :
La r\f\i, fla, fla, la rifla, fia, fia...
Basta, homem calla le, pe
de Deus; deixa-me reflecte?.
Fra o autor! a auto O afluir f!lf
Calla-te, com os dwbos 1
Meus senhores, a pega quotivemos a
honra de representar perante vos-
Mauricio agarroo-o com ancia pela gola.
E o Casaca Preta?... (flsae
O usso querido Easaca Pret'! Fal-
la-me d'elle f
Se aquello hoaem no armaese ura
lago?
' Uara compIica'tSo t Melhor f Aqelle
hornera arma-nos refre fe lago I E nos
que o nae vamos I sempre somos muito
tapados! Fra os autores 1 fW Iflra II
Se elle ffctfsse de wif iuuieutos
de um crime ?
Bravo f Acceilo f Qiner flr de
nos ristruteoto de um criaos 9%\loa
n'om crime ?... Fra todos f wrjff'l!
Se fosse elle... o9nMtla... o
Casaba PAC t
Bstovao poa as mos e catate A'atna ca-
deira rbenla ado de alegra.
Elle I dase 'tm eatertor. O Casa-
ca- Poeta t Mate- ce represeotocoos!
Gragas, meu Be, fragas!
>;
i

/

tt. o Miito-t*
i