Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11991


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i
MNOXLV. NUMERO 259.
A CAPITAL f IFGABK OHBS MAO SL
15
14
I 9i
FE1RA 12 DE NOVEMSRO DE 1861 s
mm- .. .--------------------h-^
fiU
:=. *v
i roa* iu ntemcu.
Por trs mezes aiaMdo
Por saj ditos ktero. .
Por no\i ditos dem .
PWnmanno
Propriedade de Hanoel Rgueira de Faria & Rlhos.
.'H*<5
a*
T


.
Ae ACJBWTE:
a Nutnth; Fraterno lavares da Cftsta, n Alabas; Dr. Jds ftarts AJves, na Baha,' e Jos Ribeiro Gtspro, no Rr de Janeiro. ^'
-f**-
"ii...
*
_ PABTEOFFICIAL
latoterto da guerra.
AppMiaade a proanoad que por arles de bra-
vura tac o meu moto amado presado genroo
marjadni-de exercito eonde d'Eo. comraandaBte
em eMe de exercito em operagdes no Paraguay,
d^offlbaes, oIMmsv hlWara e eadeut a
nados aa rcf '
peta bario de
ador AVtmpini
dos negocios da guerra, tiei por bem determinar
pie contem aiitiguiriade las datas constantes da
reerida miagan. O-meamo mmistro e secretario
fe astada 4o< negocies da guerra ssim o tenha
entendido e faca execular.
a2*fSP?0 ij de ,aneiro em 30 de outubro de
WoyW fe iddependeneia e do imperio-Com a
rubricarte Sua lagestadeo Imperador.Barao de
Munttba.
bklacao eos omorm, otfiwaes mnnuoBs t ca-
BTES, PROMOVIDOS POR ACTOS DE BRAVCKA. A
QUE SK nUFEHR OTOfiKSTO DESTA BATA.
Carpo i enaenheiros.
Com antiguidade de 12 de agosto de 1869,
Par eaoeael o coronel em commissao Rufino
Eneas Gustavo Ga**m
Para major, o oapitio Jeronymo Rudrlgrtss de
Moraes Jardini.
Corpo estado-motor t f elasse.
Gen antiguidade de 11 de afuste de 1869.
_ &aav*rwonel, o eorooel em cotnmisso Carlos
?testa Frtho
B&pk-d* eseaio-maor ie segunda ciaste.
a feguilado de 12 de Bgosto de t869.
Para majores o major em eommissiio Joaquim
Antonio Xavier ds Valle, e o capitao Luii de
eaurepaire Rohan.
Ai-ma d arlilkmtH.
Com att -guidada de 12 de agosto de 1860.
Pifa coronel, o tenente-eoronel Severiano Mar-
tin* da Fonsica.
Para tenente-coronel, o lente coronel deeom-
missao Carlos Antonio Peretra de Maecdo.
Para primeiro tenente, o segundo tenente Jos
raasto de Lima.
C'M anliguidade de 16 de ognsto de 1869.
Para lenenle-coronel, o major Joaquim da Costa
Reg Moofeiro.
Com anliguidade de 18 de agosto de 186.
Par* captos os primeiros tenentes Bibiano
Sergio Macero da FoiUoura Cosiallat, Aristides Ar-
rasan) Guaran, Nicolao Ignaoio Carneiro da Fon-
tonra, Jos Pereira da tirara Jnior
Par prin-iros tenentes, os segundo ditos Fran-
cisco Antonio Rodrigues Salles, Julio Placido Snve-
Ml, Jos Antonio Colonia, AlTnnso Justiniano de
Mello, Antonio lymplo da Silveira, Amarilio
Otnda de V.tsroncellos, Emygdio Cavalcanli de
Mello, Raymundo Perdigan de Oliveira, Joaquim
Alvaro Pereira, Eraran Ratania Belmendy, Mgui I
Mara Girard, Joao Felicio dos Santos, Emilio Gar-
los Jourdan, Jos Tbeopbilo Cardoso, Zeferino Jos
Teixera Campos, Sebastian Dalisio Carneinda
Pontones, raneiseo d* RneiM irtfado, Emilio
O restes da Silva Torres, Francisco Morelra da Ro-
eha,Erancisco Jos Cardoso, Auoteelino Villarim,
Mariano Antonio Uotelho deMagalbes eVrissimo
Serrao lintelho.
Para segundos tenentes os segundos tenentes em
rommissao Francisco Vicior da Foneea Silva,
Joo Luiz de, Biuencourt Cacti, Candido Leopoldo
EsteAos, Flix Antonio Glaudino, Arthur Rodri-
gues da Silva Lopes, Joo Rodrigues de Lima, Vic-
toriano Guies M.iciel da Silva, Joaquim Innocen-
*:io de Oliveira, Luii Kraiu-isc Quintal, Joaquim
Alves da Costa Freiro, Julo Antonio do M3cedo
Amorini, Tobas Carlos Goimbra, os alferes em
eommis nardo Jos da Silva Prego, o segundo cadete se-
gundo sargento Alfredo Ernesto Jacques Oriqnes,
segundo cadete Justino Lopes Cardim, o primeiro
sargento Autouio Ignacio da Cruz, o segundo dito
Alfredo Fernaudes Dias.
Palacio do Rio de Janeiro, 30 de outubro de
1869.-BaTffa de Muritiba,
Approvando a promoeo que por actos de bra-
vura fez o meu muito amado e prezado genro o
inarechal do ejercito conde d'Eu, commaodante
em chele do exercito em operacdes no Paraguay,
dos uffldaea, olllciaes inferiores"e cadetes des ar-
mas de Ciivallaria e infantaria, mencionados na re-
lacao que com este baixa, assignada pelo barao de
Muritiba, i'on-elhuiro de estado, senador do impe-
rio, ministro e secretario de estado dos negocios
do imperio, mlflisln) e secretario do estado dos ne
gocios da guerra, hei por bem determinar que
conten anliguidade das datas constantes da refe-
rida relaca.
0 mesmo ministro e secretario de estado dos
negocias da guerra assim o tenha entendido e fa-
7a executar.
Palacio do Rio de Janeiro, cm 30 do outubro de
1869, 48" da independencia c do imperio.Com a
rubrica de Sua Magesta ie o Imperador.Baro
t Muritiba.
Arma de eavallnria.
Com anliguidade de 16 de agosto de 1869.
Para tenentes coronis os tenentes-coroneis em
cotnmisso Isidoro Fernandes de Oliveira, Manoel
Antonio da Cruz Brilhante c Manoel Lucas de
Souza.
Para major o major em commissao Jos Diogo
dos Reis.
Com anliguidade de 18 de agosto de 1869.
Para lenenle-coronel o major Jos Loureneo
Vieira Souio.
Com anliguidade de 21 do agosto do 1869.
Para major o major em commissao Jos Luiz
tta Costa Jnior.
Com anliguidade de 18 de agosto de 1869.
Para capaes os tenentes Pedro Flix de Me-
Sros Mallet, Joaquim Arres de, Macedo, Joo Fer-
ra da S'H. Jos Maria de Moraes e Jacintho
Ferreira da Silva
"Para tenentes es alferes Antonio Julio de Me-
deii'os Mallet, Joao Garneiro da Pontonra Menna
Brrelo, Thomar Jis Alves, Oellino Albino Gon-
Ives, Jos Damasceno Rosado, Pacifico Guiarte
Pinto, Jos Joaguim de Andrade Neves, Carlos
Luiz d Andraiftr Ifeves, Jos Florencio de Toledo
mas, Francisco Franeelllno de Lima Pires, Joa-
quim Antonio de Alencastro, Sernm Machado da
Mocha.
Para afreres os alferes em eomraissab Sarrador
Ackatta, Joao Ignacio de Sonza Valente, o se-
gundo cadete Francisco Amonio de Alvar.enga, os
sargenus Paciiieo Antonio da Silva e Salvador
Maptista do Na^ci ment.
Arma ie infantaria.
Com autigoipade de 12 de agosto de 1869.
N. 528.Dita a inspector de arsenal de mari-
nha.Nos torm- de sua Informado de 16 do
crreme, sib n. 1,810, acerca do requerimenio
documentado de D. Leoaor Maria de Coutd Bel-
mont, que lbe ser renaetiido com dspe%9 Aesta
data, antotrso V. S. a mandar admitiir na copa-
nhia de aprendrees artfices des-e arsenal o nSior
denome ArflMr 4t itetMirlo Gavtealffe.
4CA4^TjS
jpsHcu,
<**>n A f Jrxe. (fae s-ettdB
de dirdto da eamavea de Palmares
Francisco da 3rta raga de 9 da* rntrn i a
anterior reassojulo elle o exereieto dp rrSjfMiTr
cargo, que haMa poi- molestia deixado no i i.*
N. 331. Portara ja commaaoinie supefw da
guarda nacional do H*ift.-Em tMt UBoVso-
hciloa o engonheiro IsoM da estod* Nrro de
Kecife a Franejano em afloto e.f A|a prximo fmdo inanw V. t fispeosar do awvio
activo da guari Bloni emitrjauto estirefem
ew^regarios na estaci* das Cinc Pomas da estra-
da de ferro a| guardas de katarnf d latant-
na Leopoldo de Souza Reit a AfdsHakp de Stmiza
Reis.
W, sn.BH ao eomnrandante db corp> previ-
sorio de potaste.Pode Vme,d*ajr wxdr*o son
o sen eomwaado pws za, de que traa o seu offlcio n. 338 de 11 de Br-
rente, tendo para is a ne:essaria moralidade.
N. 533.Bita ao- Wewno.Pode Vmc. engajar
ne corpo sab o seu cawnwiida o paisano Jeremias
Jos de Lima, de ae trata o sea offlcio a. 37 de
17 do corrente, se tiver para isso a precisa mo-
ralidade.
N. 534.ftifa ao mesmo.Pode Vmc alistar
o corpo sol o sen eommanUo o panano Jote Jea-
Mtlni do Meaeiw, de que trata o sen dttt'^i
175 de boje datado, tando elle a necessaria aora-
lldade.
3* seceso.
N. 536.Portarla an inspector da thesouraria
provincial.Autoriso V. S. nos termos de sua in-
formacao de hoatem sob n. 497, acerca do reque-
rimento que devblvo, mandar pagar a Manoel
Gaelano da Paz, pai do cadete do corpo effectlvo
do pohcia Manoel Caetano Vieira da Paz, que se
acha servindo no exercito em operacdes contra o
govemo do Paraguay o que so Ihe dever prove-
niente da gratiflcaeao, a que tem direito, em vir-
tndeda lei n. II. '
N. 537.Bita ao mesm.Auiorlso V. S., con-
le Barros Wanderley Filh, que ha va deixado
ll>or eocoramoder de saude.
. 5i9.Dito ao presidente e membros do con-
'efitde revista da guarda nacional do municipio
fe" Onflearv.O xm. Sr. vice-presiJeite da pro-
'inefa miada declarar a Yv. Ss. qu Ooou iateira-
lo pelo seu tOci os 22d*jhes Majo, de ler uessa
Uta, lualisad* as l^'lMSptds o cooselho de re-
risteda guarda afio na f do municipio daOurieary

N. 550.Dito a o commajidante do
"profi-
identn da
esta data
guerra!
pedidas
loraria d
ff provincia
io partieipou o
'ormoso, em o(-
llcio d 21 do mez lindo, no dia anterior reassuaoi
0 exercicio de seu cargo o proaantor pnblk;*pi-
itnelta cortarca bacnarol Josllanoer de Barros p
'"/aderloy, esarcvdld que havia doixado a fi db
iWlo m por'eheonYlnodo de sa'ude.
N. 552. Dito ao mesmaQ fixm. Sr. waa-pre-
dente da provincia manda declarar a V. S. 40a*
1 s flus convenientes que segiiudoofflo'u |> mi de
direito da Comarca de PalnaMB bXcfarel leo1
rranjlsco da. Silva Braga, de 9 do corrente no dia
interior reaaaMo elle o xercicio do respectivo
cargo, que hava deixado ao dia Io por en
de saode.
N. 53.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-pre-
idente da provincia manda commuuicar a V. S.
para os fina convenientes que segundo officio do
juiz de direito de Flores bacharel Paulo Maitios de
.llteia, de boje daTado, nesta dada entrou elle
110 irwde trezrhezes de icenca que lhe fra con-
cedida pelo govemo imperial.'
N. o.j.Dito ao chele da repartilo das obras
publ cas.De ordem de S. Exc. o Sr. vicepresi-
dente da provincia declaro em resposta ao seu offi-
(iodehontem, sob n. 288, que nesta data deu-sc
ciencia a thesouraria provincial de baver V. S.
mandado lavrar ilermo de entrega provisoria do
.iterro e ponte do 16 lauco da estrada do sul e la-
vrar o competente certificado.
N..535.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. vice-presidente da provincia declaro tV j.
para seu eonhecimerito e em resposta ao seu oflt-
i;io de hoatem, sob n 287, que nesta dada expe-
forme sobcitou o ehefe interino da ipartieao das-hlm a conveniente ordem a thesouraria provincial
obras publicas cm offlcio de honteavaob n. 287, a
mandar entregar ao thesoureiro da roesma a quan-
lia de 1:320J009 para os reparos urgentes de que
precisa a ponte de Jundi de baixa.
N. 538.- Dita ao mesmo.Eai faco do que ver-
balmente aflegou perante esta presidencia o pre-
felto da Penha froi Sraflm da Gatania, recom-
mendo a V. S. que mande entregar ao mesmo ou
a quem por elle se mostrar autorisado, mediante
as cautellas do eslylo a quanlia de 1:209*000 con-
signada aos religiosos capuehinhUs pelo asi. 37 da
fei provincial n. 891 de 25 de junno do corrate
anno.
N. o39.Dita ao mesmo.Consta de participa-
cao do chefe da repartico #s bra* publicas de
hontem sob n. 288, que achando-so concluido o
atierro e ponte do 16. lanra da estrada do sul,
mandara elle lavrar o termo de entrega proviso-
ria e passar o competente certificado, o que com-
tnunico a V. S. para son conhecimenlo.
4.' seeco.
N. 540.Offlcio ao Exm. Sr. presdeme da pro-
vincia das Alagas.Xesta data, e de conformida-
de com o que V. Exc. solicilou em seu offlcio de
16 docorrente exped as necessarias ordens aos
agentes da Companhia Brasileira de paquetes para
da rom transporte at o Para por conta do ministe-
rio da fazenda no primeiro vapor que seguir para
o norte ao ex-inspector da thesouraria dessa pro-
vincia Aristides Jos Correa.
541.Portara a cmara municipal de Floresta.
Remeti a cmara municipal da villa de Flores-
ta em resposta ao seu offlcio de 12 de julho pr-
ximo lindo as inclusas posturas de-sa cmara de-
cretadas pela lei n. 72i de 20 de maio de 1867, e
as da cmara de Tacaral decrtalas pelas leis
nmeros 376 c 642 de 5 de junlio de 1853 e 3 de
junh* de 1865.
N.54I. Dita ao director geral interino dainstruc-
cao publica.Em vista de sua inormacio de 16 do
corrente, so a. 236, autoriso Vmc. a p3r o seu
cumpra-se no incluse titulo da professora publica
interina da cadeira da villa de S. Bento Alexan-
drina Adlaide de Paula Brasil, afim de ella poder
cobrar os seas Tencimentos provando que cum-
prio seus deveres.
N. 542.Dita aos agonas da companhia Brasi-
leira de paquetes a vapor.0< Srs. agenles da
companhia Brasileira de paquetes, de conformidade
com o qn me snhcilou o Exm. presidente das Ala-
gas em officio de 10 do corrente, mandem dar
transporto at o Para, por conta do ministerio da
fazenda no primeiro vapor que seguir para o norta
ao ex-inspector dathesotn-aria de fazenda daquella
provincia Aristides Jos Correa, nomeado para
igual emprego na do Amazonas.
Expediente assicnado pelo sr. db. joaqihm cor-
bria dk abacio, secrbjamo do oovehno, em 18
be agosto db 1869
! seccao.
N. 543.Offlcio ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.De ordem de S. Exc. o Sr. v-
ce-presidenla da provincia, deoraro a V. Exc. em
resposta ao seu offlcio de 17 do corrente, sob. n.
491, que se mandou satisfazer o pedido do com-
mandajatc da companhia do operarios militares do
arsenal de guerra que veio annexo ao seu citado
offlcio.
N. 544.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o 8r. Tice-presidente da provincia, declaro a V.
Exc. em resposta aos seus offioios de 17 do cor-
rente, sob ns. 402 e 493, que nesta data so mandou
satisfaacr as dona pedidos que vieram annaxos aos
seus citados afficios.
2* seccao.
S. 543.Offlcio ao De. chefe de polica interino.
O Exm. Sr. vice-presidente da provincia manda
comniunicar aT. para seu conhecimenlo e (ns
convenientes, que segundo offlcio do Inspaator da
thesouraria provincial o. 491 de 14 do crrenle,
expodio ordena para o pagamonto da despeza feila
com asstenos dos presas pobres da cadia de
Olina, do t" de abril ao ultimo do junho deslo an-
no, na importancia de (36B0 por se baver dedu-
zido *Wcis da un dia de sustento-do preso Gal-
dino Jos Soares.
para mandar'entregar ao thesoureiro dessa rpar
cao a quantia de 1:3203000 para os reparos
c.rgentes, de que precisa a pdnte de Juudi d
flaixo.
4" seccao.
N. 556.Offlcio ao eSgenheiro fiscal da estrada
(W fetto.De ordem de S. Exc. o Sr. vice-presi-
dente da provincia communico a V. S. para sen
conliecimento om resposta ao seu officio de 12
re junho ultimo que nesta data ficam expedidas
< necessarias ordens atim de seren dispensos do
erirlco activo da guarda nacional emqoanto esti-
'erem emprogados na estacan das Cinco-Ponas da
estrada de ferro, os guardas do 3* batalho de in-
fantaria Leopoldo de Souza Reis e Aquilino de Sou-
za Reis.
JSr^me,. teneate-enrone. Augusto C^j.pa^!!^
par* majares es majares em commissao Jos
otaria Ferreira 41 Assumpcao e Jos Antonio
*tve*.
hthwnJdo Rio oVr Janeiro, em 39 de outubro de
4BM. ~*0urS MwrHiba.
mizmn* esifamoa anta e. tt. m. anoei;
wrm*!ntft!t& iDtttDo Mime&, ficv>PRgst-i
OMTE DA PlOfOrCU,. 18 DR A6Q8T0 DE 1869.!
N. UT.-^PMMria- *rdnWtor db arsenal^ del
aerr* -Maftt lato, fifeear- a oaapo proviso
S***.*** tttetaiotwtascama* aMmapenden
Exm. Sr. vlce-prasiienie da provincia manda tz-
easar o reeebiraento do seu offlcio de 9 do corren-
te, em qne'eormnunlca ter reassuaiMn n dm an-
'tWtet'o'eKerelcii) de seu cargo, qae'havia deixado
no Ak **dk>-eorpWHe poroatnir-entuso de reme-
d* direito de FWres.O
da ppovineia manda ac-
da offlaio ile V. 8- d noje da-
o ternoMa data entrado1 no
lioenca que \nvs forauyeob.'
rio da Justina. T;
aojniz dedireilo intarine dff RIO
K*m 'cUteaofa aoaitrar .a ViS-aue W inieirado
IR 5tT.-BiW
KsPAcnos
DA PRESIDENCIA DO DIA 9 DE 50VBHBRO
DE 1809
Tenente Antonio Alves da Costa Jnior.Infor-
mo o Sr. coronel commandante superior da guar-
da nacional do muicipio do Recife.
Bellarmino dos Santos Bulcio.Conceda-so.
Henriqueta Flora Belmira da Costa.Passandc
recibo-, cntregue-se.
Jos Augusto de Aranjo.D-se.
Capillo Jos Sancho Bizcrra Cavalcante.D-sc.
Joaona Justina de Siqueira Varejo.CoOCUa-
se o anno de licenra autorisado pela le n. 887
c!c 23 de jnoho do corrente anno.
Tenento-coronel Manoel Dionisio Gomes do Re-
(o.Gestitlque o que constar.
Manoel Augusto de Menozes Costa.Conccda-
e com ordenado.
Manoel Pes-a do Siqueira Campos.Informe o
Sr. Dr. director geral da rnstruecao publica.
Maria Leopoldina.Conceda-se a prorogacao
leqnerida.
Baharel Pedro Aflbnso Ferreira.Concdase
com ordenado na forma da" lei.
Repatl^o da polica
2* seccao.Secretaria da polica de Pernambu-
o, 11 de novembro de 1869.
N. 1H08. lllra. a Exm. Sr.Levo ao conheci-
mento de V. Exc. que, em vista das participares
tecebidas n'esta repartico, foram hontem reco-
midos a casa de detengao, os eguintes indivi-
duos :
A' mnha ordem, Joao escravo de Joaquim Fer-
reira Ramo, pwinfraccio de posturas municipaes.
A' ordem do subdelegado do S. Jos, Manoel
Francisco Pereira VSIt, Pedro Lniz Gonragl,
dara Jacinih i Lima e Manoel Lourenco Pinheiro,
wr emnriagne/ e sturbioat
A' ordem do da Boa Vista, Antonio Sergio, por
!rime de ferimeulos graves, e Bernardo Jos de
rrt'ATTrn, pnr sdspeitas de ser criminoso.
Deus guardo a V. BxcIMm. e Exm. Sr. se-
lador Frederico de Almeida e Albuquerque, pre-
iidante da provincia. O chefe de polica, ais
Anitnio Fernandes Pinheiro.
EXTERIOR.
tea tMMteu. MMki 4o rjadtdo junto, qua velo n-#aaaffte*a*lt 0* rnaaiaio d.i,r a 20 ro-
aanea>o.nac> it> rospaotiHI eomaMoante de aaaaaida a^uniaw do raaf^waarao. o prame<
* m*a* *., 30,
Hta asaste a>n> riw.raa aacturvt fes HmM
MONTEVIDEO 28 DB OUTUBRO DB 1869.
Complicase a situac.'iu .poltica dissle estado de
uraa maneira depioravel, e o governo lancon se
sin um camiuho perigoso, do quai ja nao lhe
lado roeuar.
A constituieoo fiea inleiramiinto de lado, a as
medidas discricionarias se succedemeom extraor-
dinaria rapidez, revelando a existencia de urna
dictadura firme e resoluta, que procura um alvo,
e que ha de attingi-lo, esmagando todos oS obsta-
sotes qne quierom embanea-sa. Diieado gover-
uo, devo dizert D. Joa Gand o Bnstamanio, que
lioje a personificacaa do poder executivo, lind-
se descartado detoioo os seas ootlogas, e domi-
nando, cwno domino, sobre o imsnioio presidente
da repblica.
O nico ministro qae resiav, D. AdMpho Ro-
drigues, l segua no dia 25 para o Paraguay, com
eoeala em Bueaot-Avres, rncunrbrda de ama mis-
sao diplomtica, cuja nataree se ignora. mas
que so conjectura,ter sido um pretexto para ata*
tar-se daqui.
Depuis dadeportagao dos cidados, que jk vot?
cioi, a honrada commissao pomasmne dirigi no
dia 23 urna nota aa governo, observando-lhe qne
lhe eurapria dar aaj>Tlif8a< peremptorias sobre
aauelle'faci, era aderla opposico cora o precoi-
uh constiurcionaes.
O governo respoadsu-4fS no dia 25, qne sendo
sea primordial dever salvar ao paiz dos complica-
d perigiis trae o ameatsm, c que esti disposto
a conjurar p,,r todos o meios tegitimos seu al-
canee, e qne sondo-lhe Wmboin nacussSrto odntl-
manar oppartnnididedar na
pas explicacSas sobra o
a am
da imprensa e sjeitando-r> a am regimeB pe-
noso.
O Sijalo, cuja opposieao vioteata cada dia irrita-
va roais D. Jos Gandido B rstanwnle, com a ex-
pedieao desto aceordo e com a chamada do chele
pilfteg, que fez ir a sua presenra os redactores,
masorioso appareeeu nos das "seguintes. A
coB?qencia nfij se fez esperar. .No dia 27 fo-
raa^resos e eaibarcados para Buenos-Ayres os
aanrWitos redactores D. Jos Pedro Ramrez a D.
Cajffce Mari Ramrez. Nao obstante esta violen-
cm Siala de h-jje sahio a luz, e seus artigo-.
sob a responsabilidade de D. Jos Mbreia, qne to-
coota da redaceao, sao ae tirar couro o ca-
m delles,_principak8ente, coa o ttulo d
., o mais provocador possivef, o na sitna-
cia actual dos negocios apressar o golpe do esta-
do que Bostamantepremeditoue que poucoa pouco
vai realisando. O novo reilaetor, com effdito, j
est em yiagom para o destarro
^inio indicio da qne algum eousa grave dre
a Tribuna qn orgao do governo, e
de de Busiamanle, suspendeu lje a sua
ao de- um modo estranhoy conteatando-se
eta notipaa o publico sem explicapio ajgu-
deixBdo em branco o espaco em qne devia!
aro seu artigo de fun lo. A tribuna quo
lempo resiisciiou, o que tambem do-
o governo, algar'na luz deixa perceber neste
acoselhando ao poJer executivo que as-
sam| asTtiribuicbes de outros allos poderes do
est*) j que este o nico meio de salva-lo.
J* se v qne a perspectiva dos negocios polticos
e stia. De tres en tres mezes urna revolucao e
nm errmrestimo de nnr milho liastam para dar
cabo d qualqwr paiz, por mais rico que seja. B'
sob esta sttiacao anormal que o governo manda
fazea ofeiooes quasi geracs, cujo resultado desde
j fcil prever.
As medidas- militares tambem nao tm sido des-
preladas. Para Paysandd e Sallo embarcaram at-
aniaas forcas pah impediroin que all baja um
desembarque de emigrantes blancas, qo se diz
achtrem se de aceordo agora com os descontentes
collorados. Os Varellas, de Buenos-Ayres, que
sao ntimos do Bnstamante, provavelmnte par.i
satitfaze-lo, tambem mandaram duas peque-
as expe.lices de marinheiros as ilhas do Tigre,
onde constava terem-se reunido aquellos revoltosos
para eomeearem snas operacies.
As enmaras ainda no conclniram suas sessoes
extraordinarias, nao obstanto ja lerem gasto nellas
mais de tres mezes. Occupam-se anda dos ne-
gocios da fazenda, e por ora s adoptaram a se-
grate lei, que flcii sanecionada :
Ari. 1." Para o anno de 1876 reger a lei de
alfandega, actualmente em vigor, com estas modi
ficaees :
ArL 2. Paga rao nm direito de 5 % as ma-
deira?, o rame de ferro para cerca, o ferro cm
geral, o zinco em laminas, o cobre em chapas ou
em barras, o eslanho para sida, folha de flan-
dres, ehnmlw, bronze e aro sem lavrar, o earvao
de pedra pela quantid;ule manifestada nos navios
eoodiwtDres.
Art. 3." Paga rao i % mais os artigos compre-
hendldos no art 3. da lei da alfandega, actual-
mente em vigor.
Art. 1 Se ao proceder-se ao reeonhocimonlo
dos voluntes veriear-so urna mereadoria diffenen-
te da manifestada, sofirer um augmento de ava-
liacao de 50 %. sendo obligatorio o despacho.
Quando a diToronca consistir em maior quan-
tidade, ou em oulros objectos uo declarados no
manifest, o excesso sera absolvido, previo o juizo
de prova.
Art. 3. O individuo convencido de ter defrau-
dado as rendas Hsnaes devora abonar, alm dos
drcitos correspondentes, o valor da mereadoria
contrabandeadas, cujo valor se alcular pelo m-
ximo da tarifa.
Seeste augmento de impostas tivesse de fazer
face as necessidades reaes do paz, ou fusse apol-
cado a melliohiinculos matarines que dossem de-
envol7iincnlo ao son progresso, nada havia que
dijeclar-lhe; mas sendo, como para pagar as
dividas escandalosas coutraliidas as revolucoes
que vao constiluindo o oslado normal da repbli-
ca, certamente para lamentar-se. O Estado Ori-
ental nada tem gasto com a guerra, o delta s lhe
tem provindo vantagens commerciaes de grande
importancia. Montevideo tornou-so um emporio
de extraordinario movimento, e feila paz ha de
sentir a dilTercnca das operarnos da sua praca.
Nao pode allegar, pols, emin o Brasil o facto da
guerra para alterar a sua tarifa. Para nos is>o
um bem ; porque s por este meio diminuir o
contrabando que impunemente se faz pelo Alto
Urnguay onde as rendas da provincia do Rio
Grande sao defraudadas cm provefto da alfande-
ga desta cidade. Logn que a differenca nao com-
pensar os riscos e as desnezas, a flscalisaeao nao
precisar trabalhar. Todos preflrirao despachar
seus gneros.
Acabo de saber que hontem a commissao per-
manente reprovou ttnnn/mrmeiif o procedimento
do governo, quanto s deportadles que ordenou, e
corre que os membros do supremo tribunal de'
juslica e os da junta econmica, apresentam suas
deimssSes. Como se observa, o governo vai Bran-
do s. Eirfbnra Bustamente cont com o apoio de
Mximo Prez, e as medidas de terror sejam aqui
ordmariainonie eftlcazs, comtudo elle abri urna
luta insensata contra elementos que separado?
pouco va lera, mas qne reunidos em um s1 inte-
rese podem assobetba-lo.
Pelo qne mostra em sen3 eSeriptos, palavras, e
obras o poderoso ministro, elle descubri urna
vasta conspiracao, na qnal esto de mos dadas
tlnncos,. floristas e. conservadores. Naf> se pode,
porein, admittrr sefhelhaTite mobsltuosidad. Se
tta trra em que a'divisad dos -partidos cnnstitue
nina barreira insuparavel nesta bella repblica
Oriental! Nao s o aotagonismo poltico que
separa um cidadio do ontro, mas sita vallas de
singue e d ptoscripcSo, que perpetnarh d odio e
a sede" de vinganea.
Seja como fr, estamos snbre um vulclo. 0 que
ser amadhaa desta sitnaco nao me dado con-
jecturar. Se podesjem desterrar o corresponden-
te; cbTno'estao faier/do com os escrlptrs do paiz,
ja teria minha mala ptotnpta. "Prolege-rae, po-
r'm, o incgnito qu terftio pedido guardar, nao
obstante o interesse com que se procura descu-
brir o'.ousad que se atreve serm)re a dizer verda-
des tao duras, mas com.p nm de ser til iqueltes
a qtfm censura", db quetjorrtrotrsa.
Na Contederacao contina a commeaXsJ^-so o
pnico da bolsa, produzrdb peta impensait opra-
rSH ffhanceira do governo'. Todas as transafoes
lerara feridas de mnrta nom aqt inesperada
resolucao, e se proceder:rb cni rig*r muilas for-
tunas desapparcerio no ajuste ti contal, qu s
ser proveiioso aos que cstavam senhores ao
segrrm.
O ministro do rtocfies exteriores, D. Mariono
Varetta, deve partir' para Assam>?ao cortt'o'Sr.
Rodrguez, no da 31 do. corrente, afitt de eilcou-
trr-se '-nm o Sr. emrselheir Phramios.
Ha datas daquella capital at 20.. Q principe
uegiMi a^.'E^taulslio*, e nio ettctmtro* vestiglos
"Sa. GonnVmam os don* primeiros o faci oa
dejolaoao ou fiwilamento oV ow tanto se tem faf-
lado-, accrescenfando qua as victima desta nova
Iteeaombe pertenefam todas aos dou corpos de
coafianga do dictador.
A esquadra tianu abundancia d* vveres e ear-
vao suficiente, e o exercito j nao' sonra a mesma
difllealdade que soflWra. Fra coocedid pelo al-
mirante urna licenca ao capilao de-mar guerra
Garcindo, para ir tratar de sua sadde na erte.
Para Maito-Grosso snbiram tambem- doos vapo-
res com vveres.
E geral a persuasao do que a- gtierra est aca-
ba, e quo nada mais sem que fazer umetfercito
organisado. Os forneesdors, agiotas o esprala-
dores deixarrt-perceber bem o sentimento com que
encarara este* grande e feliz acontecimento. A
febre de fazer fontana rpidamente ha da custar a
desapparecer, e os hbitos do trabalbo honesto
mais difucilmente ainda a substitu ro.
^pesar disso suba a paz; que protegeri inte--'
resses mais nobros e quo ter obreiros mais
dignos.
do inimige.
UMfD.J)
CottCliJfe;
llieram algnma
dicou qualaKi
viigut.
Ir (RRIfu
ri
iv imaediataraenta siira S!
J/CMAt% oee
Homir ions paratafyfts-, qilfi
0H> delles n-
daqaella
****}
nncnm, 12 db Novanano dk 1809.
NOTiaAS DO NORTE DO IMPERIO.
Cbegou hontem o vapor Cruzeiro1 do Sal, tra-
zendo jornaes do Para at 3 do Maraohd at 5, do
Cear al 7, do Rio (Srande at 9 e da Parahylm
al 10 do corrente.
AMAZOffAS.
No dia 14 de outubro seguio para o alto Pu-
rs o vapor Para, levando urna forca para prote-
ger os habitantes desse vasto rio, contra as corre-
rias dos rnlios Jumas, e restablecer a confianca e
tranquilidade,abaladas pelas barbaridades coiu-
raeltidas a 2 do setembro em Cesario Jos de Mes-
quita e Emiliana de Freilas ; como se v do se-
guite, qne transcrevemos do Amazona/,:
Ao amanhecer de 2 de setembro foi assalta-
da a barraca de Mesquita pelos aniropopbagos,
que traicoeiramenle se arremessaram contra as
duas nelizes vctimas.
* Depols de feridas a flexadas, o maioral da hor-
da descarregou sobre a cabecado moribundo Mes-
quita tmauho golpe de terrado,, me o fez cahir
instantneamente por tetra sem duvida.
A" pobre mulher fot m irla tambem c flexadas,
e terminando o sacriRcio po.1 horriveis golpes de
tercado.
Arrestados os cadveres para o teireiro, os
barbaros decapitaram-aos ao tempo roubavam o destrum effeitos commerciaes.
Avistando urna canoa, que da margem-np-
posta do rio vinhaem soceorro, fugem os barbaros
precipitadamente, levando as cabeoas das victi-
mas, e alguna objectos de pouco valor, deixando
ferida aa cbta urna mulher, e as costars um ho-
mera, quo com oulras pessas se liavam alirado
ao rie, para escapar morte.
,* O caixelro de Mesi|iiita, Jos Agostlnho fjmos
Maia escapou milagrosamente escondido atraz de
um lialm com auxilio de ura raosqueiteiro arma-
do na Tronic.
Quando os selvagens se dnpunham a desar-
mar o raosqueiteiro, avistaram providencialmente
canoa, que vinha em soceorro, e o Tnxmt to-
cn retirada na rustica busiua, cireumsiancia que
os impedo de saerillcar mais essa victima, que
rremediavelmente seria presa da sua ferocidade.
Relirando-sca horda bravia, reunio-sa a gen-
te da baTaca fronteira com a da casa do infeliz
Mesonita, < 5 horas da tarde sspultaram os-dous
cadavoros decapitados, dentro da propra bar-
raca.
Nessa mesma aceasiao di gencia para a casa do respectivo subdelegado, a
tres dias de viagem.
Chegando o faci ao conhecimenlo do Sr. sub-
delegado Manoel Francisco da Rocha Tury, estedeu
logo as mais promplas e enrgicas providencias,
reunindo os moradores em numero de quarenta e
seis pasras. Pressuroso encaminhou-se ao lugar
de tao sanguinolenta hecatombe, onde chegoa no
dia 9.
* Beaiorou ahi o tempo preciso para inventariar
acondicionar as mercaderas do finado, e seguio
no encalco dos gentos.
Depois de alguns dias de viagem, em qoe nao
faltaran) serias provaces, e de uma marcha tor-
eada de tres dias para o centro da floresta, des-
cobriram felizmente a maloca ou antes covil onde
se oeeultvam aquellas feras, de forma humana.
Disp ista a forca cm posicoes convenientes, pa-
ra imltiiicar a precisan das flexadas, lendo sua
frente o arrojado Sr. Tury, ura interprete disse
para os Jumas, em lingua geral, que se entregas-
so m sob priimessa de nao selhes fazer mal.
Como para Iludir, pareca quererem depr
as flexas, fazendo uma retirada simulada. Mas de
repente ouve-se uma roufonha busina seguida de
bruiaes urrds, e ah se apresentam elles em linha
de combate avancando e resistindo como leus, at
a distancia de tres ou quatro bragas 1
A forca a ordens do subdelegado fez alguns
tiros de plvora secca, e parece que ao estampido
das espingardas elles se acobardaram, e semeltian-
te a rapidez do raio sumiram-se na immensidade
da floresta.
Senhores das habtiaeoes os romeiros de jor-
nada tan perigosa, entrou o Sr. Tury, na chossa e
o priineir espectculo que se apresentou a seus
olbos foram tres crneos dececados pela fumega-
eio I Horror I
Dlrigindo-se para alguns portugueses, ne fl-
zeram parte da jornada, disse-lhe, tomando um
dos crneos: Es aqu a caneca de vosso com-
patriota ; distingue-se perfetamente das ontras,
por este sfghal, que ainda conserva, do tremendo
golpe com que Iheacabaram a existencia, a an-
da mais por estas barbas, bocea e nariz, que aqu
vedes pendentes ; mostrando a ossada das fauces
rrtwes, e as barbas do queixo e bigode do infelu:
Mesquita, que os barbaros conservavam como re-
liquia atadas ao crneo.
< is aqui este outro, eonnuou o Sr. Tury,
que pel seu estado de conservadlo, ni resta du-
vida ser o da infeliz Emiliana.
Este crneo tioha pendente do quetxt a ossa-
da das maxilas defecada, e mostra perfeitameate
as proporgdes do sexo forainino.
O terceiro crneo, atiesta a existencia de um
outro atteatado de data (rrais antlga, differetcando-
se por uma cor mais enegrecidaj qu a actjo do
tempo lhe imprimi.
Encontrara tambero &ins enfladas de ossos
No dia 20 do passado eooclulo-se na
a eleieio de efeilores para scoadbi'.
PARA.
Arribaram ao porto da eapRal : o i 73
do passado, o patacho norte-allemad
havia sahido no da antecedente para .
por haver morrido repentinamente oresportfi
pjoo Hoinschein ; e no dia 28, o hrigue brai
rttnrttpte, aps sesenta dias de viagem para
vre, em consequencia de haver desamraofj tttl-
mente na altura dos Acores. ,
Benzeuse no dia 2 do passado.e abri-? ao
coito puMico a greja da Trindade, rostauira
esforeoa-do Rvm. bispo diocesano.
Na noute de 24, tbi atacado o Sr. Jbaoilar-
celino Correa de Miranda, em sua casa ao. Arar,
pelo capito Jos Joaquim da Silva, Pedro.Joaaqim
GoncalveCampos e oulros, e ahi espaucadoj
tmente cora sua mulher e filhos. A polichv f
guia os erirninoss.
Falteceu o negociante Francisco DuaaA t-
lente.
Assignoo-sc, no dia 29. o contrato titii
navegaran fluvial do Alto Amazonas.
No dia da festa de N. S. da NazareflLjfc o-
ciedade de benelicrOcia Vinte e Oito de }Wt -
forrou, por fflJO*)0O, a mulata Francisca Fetref-
ra, de 16 annos de dade, escrava da faznm na-
cional.
Aehava-se no porto a canhoneira franCxtge
guerra Bronix, do commando do 1" tenedla R.
Coligny.
X alfandega rendeu do 1 a 31 doTiassatJo
263^43J213-.
Acerca da nayegacao do Araguaya enobrjlni-
moS no Diario de Belem a seguinie carta :
Empreza de naveiracao a vapor do Aras
escriptorio em Leotpodinajumo de 1869...
Srs.Eu faltara a um dever de gratido, il
do apoo que me dispensou a praga comojT
do Para, se deixasse de communicar a Vv1. _
o resultado d primeira Viagem a vapof rnn
se; fez do Para as provincias do Goyaz e'lhu-
Grosso, o por esse motivo communico Vv*. k.
que o pequeo vapor que dahi trouxe, e as'afif1-
barcages que cora elle vieram a reboque
rundearam a 21 do corrente com Irabatlmsa,
feliz viagem. .'' .
Tomei nota, hora por hora, de todos os'dw.-
lecnentos da viagem, c cora ellos estou fornhlliiir-
do o roteiro; purera trabalho que demanoa'-ar
gum tenqw, e q_uc eu nao podere rcmetter a A*
commissao sena o depois. '
No eulreanto a-experiencia da viagem me'fct
assentar nos segantes pontos: primeiro a navega-
c.io a vapor possrrel do Para a Itaboca em if
tercas partes do anno ; da Itaboca ao secco db S".
Miguel, no rio do Araguava durante os seis meas
das aguas; do secco de S. Miguel e Santa Maris,
durante o mesmo piaso, comanlo que os navios
nao tenha ra calado superior a quatro palmos r
Christorao Cotombn carregado como vinha, in**-
gia sote pabnos c duas pollegadas, na popa, nada
a agua andava rente ao convez ; de Santa Mari*
a esto ponto e daqui a liacaiil, en) todo anho,e)W
excepgan taWe/. do mez de outubro, devendo os
navios nia exceder a iros palmos de calado, pof
causa dos bancos de ara no tempo secco.
Segundo que, quanto a exportarlo, a que so
podo fazer j consiste em couros do vaeca e vea*
do, nruc. ipecaruanha de segunda qualidade, va-
do muar e eavalfar que a provincia possne e podo
importar barato; dentro era algum lempo. 4
anno que voui em diante, o principal producto
ere que ser o algodao, que da aqu muito boa.
Faz admirar o como esic arbusto vegeta o>ra<
clima desla reaiao ; os indios Carajs qne tem
18 ou 20 aldeias ao longo do rio, e cuja industria
toda barbara, plantamno em meio do mana
pouco expesso que orla o Araguaya, e sem ne-
nhum amanbo e nem cuidado a planta vinga e ca-
br se neste tempo de lauto fructo que nao diw-
do as3cverar que osse artigo ministrar o princi-
pal ramo de exportara). O uruc tambem cul-
tura ou antes colheilas dos Carajs, que com soa.
tinta pintam o corpo para se preservaren! das mor-
deduras dos mosquitos ; me parece que com mais
algum tempo de civilisacao, desde que sintam a
necessdade do sal esses selvagens podem minis-
trar aos donns do* botes grande qnanlidade de se-
ment?, pois a planta indgena do lugar e ere sea
expontaueamente em toda a extengo do rio.
Quanto importarn nada tenho a acroscen-
tar as infonnages que tive a honra de dar vocal-
mente a essa praca, on que escrevi nos jornaes
diarios de aqu carecem os habitantes de lado : o qne vom
lelo Rio de Janeiro tao caro que nao passa das
primeiras clusses da sociedado; o hornera pobre
lem, a bem dizer. os instrumentos de quo se
servo a industria dos selvagens, iste qnasi rta-
uhum.
t Eis era resumo o qne entend levar ao eonbe-
ciment de Vv. Ss. como prova de que tenho ben
presente memoria a protecgo qne d-;raiii
qoesiao desta navegacan, cora a qual tanto e t>
infmctiferamonte tenho irabilhado, mas que ago-
ra vingaMrocas aos generosos esforgos do Para,
ivalgu-me da opportunldade para tostema-
de animaes e denles humanos, que parece servtam
de enfelto ao peseogo dos barbaros.
, Todos estos restos humanos diapo>tos de cor-
l modo, erara os dulas ou f*ojlnoaide victoria em
torno do$ onaos faiam -eos grute*s feslins com
dansas o Vaharte* au soa db oHdpidO To/-, ins-
trumeflto tavorito do gentilismo.
Com toda uidadp o Sr. Tury arrecadon e
guardou e^snrremr htiWimfs, qhe> trouxe para
tl catada esMo (teposiUdes na chefbPtnra de
MBob.
i O* Jamo, tal qual os dseme o Sr. Tary,
sao doaaaMura refaMr, idas herulea; a cari
Uto! ca ama taboa; onarioao saupoto, e
panas disdogm pota%LMast) que parecen
aa orlioia asados da fweea que 4 .regalar ;.
o.* olbos sin reduudtr;, grandes e ponabrspla) os
nnar a Vv. Ss. meu profundo respeito e alia es-
tima.
t Deus guardo a Vv. Ss. lllms. Srs. presidente
e mais membros da commissao da praca do Para.
O empresario! Dr. to Vieira Couto de Ma~
galhiUs.
HARAKBAO.
Realisou-se no 1 do corrento a elegao de i
ilutados proviaciaes. J cram condecidos os res
lados dos collegis da capital, Alcntara, S.
to e Gumares. (
Foram nmeados : promotor publico da co-
marca de Alcntara o Sr'. Dr. Martiniano Mendos Te-
reira, e secretario da instruccao publica o Sr. Jos
Ricardo de Soma NevM
O Banco Coramercial realisou a 1* entrada,
de 2S / v"Obrc o capital subscripto. Tvoram en-
trada 239 stmscrr|)Mre3 representando lt|800 e-
c5es no valor de 296 1801
O Bhnco do Maranhao resolveu elevar a at>
xa do desrjonto de letras'a 11 e 12% ao aeia^
e a tomar dinheiro em conta correte a 7 pe*
cento.
A' esto osrabbleimento foi apreseotada para
descor*tfrm'leltra ak IKKWOaj, saecada at
Jos BenW PireS e afecetta [ior Antonio Rayoroada
PetTeirt d Silva, sendo ambos os nomos falws.
A pollcls syudrava do facfo.
NO da 31 do passado- foi solemnemente insJ-
tallado, nb' effiRcib proptib, o Hospital Parra*
guez.
A nova directora d Assoeiagio TyuajMP
phlca Miranhense ficou assim composta ; prest"*
dente rwnorr1, Dr. AfUpnio Henriquos Leai W
eleito ; vlc*-pr?iden*, Joaqfnjae rartatlalaav
rae : socrdtaHos, JX rVanctse fteorW'i MU*
rrezeSeJoSe dft Malta MendeS; inesoxirtU, Aa*
roid Justino de Msdrrita.
Falleceu o offtcial di soerettm a tbesoa*
rarW d fazn*, Jos flrgelN,n!JrsMa.
Lemono Fltftr :
i Inforrrram** rrae ha penco* dia
foi o joven Milhlo Bibeirt da
Jos*Ribe1rd d Silva, eoim
Sr. CorreiTa,ohrimlr6
{a rol sguld)
(brava
I ME


de Prnambuco Sexta eira 12 de Novembro de 186L

'
i>

W

aausta-ine,; meu atnigo-e, pooe Affif|^>
indega rcndeu do i a 30 4o pasudo
Picaran* carga es navios : Maa leuta,
Trinis r lir' Mar* Lisboa ; .Wiwis P"3
arto i Jamaica e Mi.Hr para Liverpool.
CEift.'
Encerraram-se no-da 31 do panada, es ira-
toldos da assemblea provincial
A alfandega ttndea no in du ontubro-----
jn:939$533, sei*ta : u
Importado i97:W#yOO
Despach martimo 388*96
Biportacao 75:00i*YW
Interior 81950
Lemos ni ftin M.
Saicidou-se no dia 21 do passado, degolando-
com uina hca, o capitao Jos Mnreira rio Sou-
a Lsao, pnipneuria abastado residente no sitio
Leso, a i leguas da cidade de S. Bernardo.
""Tinha pouco mais ou de 60 aonos c deixoa
3 lhos, orphfios de pai e mi.
O capilau Moreira era un hornera respeita-
*ai por auas cualidades pesaoaes e pelos sent-
sasat sinceramente re giosos, de que den pro-
va, at o lempo em que privado da razio poz
teraao a sua existencia, per utn modo tao depio-
twreL
SotTrendo de um polypo ne naris o entra-
do aggravar-se-lhe o mal com o tratamento bar-
bar, qu-i Iho applicara um celebre curandeiro,
eonheeido por Magneto, o infeliz traten de disrmr
os so* negocios, preparaudo-se para a eternida-
4o ewa urna resignacao rerdadoiramente ehris-
sla, ando ltimamente comecou a dar indicios
Jo aWeaacao. Dirigindo-se de passeio a casa d
um inao, Coi alti accommettido por um novo ac-
esso 4e loucura que o levou a praticar o acto de
desespero que lastimamos.
Aeua-.se terminada a eJeico senatorial, n-
-ando aJis a scxtuuli composia pelos Srs. : edn-
setaeiro fos de Alencar, desembargador Jagua-
Tibe, Dr. Manoel Feroandes Vieira, desemb.irga-
4 r Francisco Oomingties, desembargador Figuei-
Ta de Mello, e Dr F. de Araujo Lima.
RIO GRANDE.
As eleicSes primarias para sonador achavam-se
oaelaidas, bavondo apenas 4 freguezias livres de
^doplicatas.
Taraiiyua.
Da capital nos escreve o nosso correspondente :
Teve lugar no dia 7 do correte, a rcuniao
flos collegios, para eleicao de deputados provin-
etaes do futuro niennio.
A" ch ipa i partido conservador tem sido vo-
lada com grande raaioiia, luvendo apenas diver-
gencia sobre um candidato, que aflnal ter de des-
amarecer.
A nossa assemblea progressista comecou a dar
signaos de sua existencia; mas de modo um pouco
Viste, para o reaome que aspira na opinio pu-
fclica.
Parece-me que os novos eleitos terao de ser
eosrrocados para o principio do annj vindoudo,
porque uo defeituoso o projecto de lixacao de
Jorca polie.ici.il, qiio nao poder ser sanecionado.
Od> iircamenro provavelmente vlr tambem
admissivel, assim como outros mu tos de iute-
?esse particular, que se diseutem no mosmp
jeto.
t Era todo caso, o Exm. Sr. Dr. Venancio Lis-
boa, i|u conta justamente com o apoio e adheso
da aova assemblea, tem aquclle recurso contra os
despropsitos da actual, (|ue em seus paroxismos,
mus se lera desregra lo, legislando para indivi-
duo eertos, pc.mdo e restringuido a aeco legiti-
ma, 8 neceara d'adminislracao, publica aeceitan-
4o e dando pr .ivimento a recursos interposto das
4 administrativos, etc.
B-t em milis de acabar, e, portando, os dig-
niuinos tem-se presta Jo, a toda sorte de patotas,
pata arranjo de cortos privilegiados.
O Exm. Sr. Dr. Theodoro Machado, de grata
lembranea, ;ieastellado na consliluicaoe as leis,
des-nes tuna licci fonnidavel, da qual parecem
ewpwcilos, c pir isso provocan! urna repeticao
do actual administrad >r, que estou certo saber
ntMter-se na altura ilo sua misso.
1>* grupw armad >s de desordeiros e facinoras
que vagavam pelos termos do Inga e Campia,
esli totalmente dispersos, e os prmeipaes cabacas
j| que ellos so c-impunliam acham-se presos, e
oh a accii da justica.
O- restos da sucia saf Ss d'Alagoa Grande, onde sao persegjiidos pela
51 publica disposico das autoridades.
11 un despjos nao faltara ao< p Uiiotieos libe
raes desu ierra de perturbaren! seria nenie a
OffJeui h mego pblicos ; mas nao achara apoio
na p ipulacao, antes pelo contrario sao repellidos
com to-lm e aseo.
Creici, pois. (ue tal raovimento nao passou de
tentativa, qoe llie- dou o mais f.rmal desengao,
eertitiando-sda pmpria iraponancia.
Sepili para o-sa capital no vapor Pirapami,
o Dr. Jos ."icoli T.ilentino de Carvallio, secre-
Rtario da policia, cora sua Bxina. familia.
. K>liui. que possa conseguir no goso dos ares
patrios, o restabeleciraento de sua saude, ura pou-
co alteraba uestes ltimos metes.
O Sr. Mendos, inspector da thesouraria do fa-
tenila, lainbera seglo para Mainanguape, dizeui
ra pretexto de examinar uo soi que negocios
respectiva collectoria.
D.-us o c rasera por l muitos dias pois aqu
poui-a falta nos faz.
A asla provincial extingui a inspecca'
4'algodo ; medida que eu acho jusU, e que sup-
ponho ser sanecionada pela presidencia.
Alguns corainerciantes nao gostarara da cou-
8a; im> conijireli-ndeso: quereui seuipre ter
as cisia< resguardadas pelos eraprogados do g >
Temo. Oafos, poro n, nao (' .ara o menor cava-
oo, o preparara se para responder polo peso e
sorte do* algo loes que vonderem.
&iu amigo da liberdade comraercial, e, por-
tanto sectario da ida-cujos bons fructos aguarda
ao futuro.
Tenho ouvido queixas mui vehementes sobre
o estravio de carias de varios ommerciantes,
aqu laucadas a 6 do crrente na malla particu-
lar do vapor Pirapama e que nao chegaram a
mao do seus donos nessa pi ac. segundo avisos
choitados no da 9 do crrenle, cobrindo alguuia-
cooheci.nento d'algoJo e vanos documentos in
portantes I
Bste facto de muita gravidade, e deve
ser investigado por quein competente fr, sendo
que, conforme lenho ouvido, os prejudicados aqu
ra seus lliHiiinin, pretenden! e.npregar os mei convenientes para chegar ao conheclmenlo desla
incuria ou escndalo, beui rcprelieusiyeis.
O nosso mercado tera sido supprido com pe-
queas entradas, regulando os procos na inspec-
io de 12*600 o 12*700 p..r arroba.
O assucar ma mmente de 2*300 a 2*100 por arroba.
Continuara carga neste porto para Liver-
pool us segrales navios :
Barca Hansa e Sarnia consignacao de Au-
gusto Gomes & C.; Feliz Unido e Rarriett, a Cle-
mente Lima ; rnogene, a C D. dos Santos ; Altee
Boy, a M. M. Camachu; e Catn, a Miguel Rnbach
* Oihn-
a Nada mais tenho nesta occasiao a communi-
*ar-lhe, que mcrega menead.
aa-

NOTICIAS DO SUL DO IMPERIO.
Honlera ao oscurecer fnndeou no lainarao o va-
por inglez Amo, da linh de Soulhampton, em va-
gem para a Europa. Recebemos por file jornaes
do Rio de Janeiro at 5 e da Babia at 9 do cor-
lente.
RIO DA PRATA.
Chegaram corle, no dia 3, os vapores in-
gieres .4r*o e Copernieus, trazendo dalas de Bue-
oos-Ayres 21 e Montevideo 28 do passado.
Oo Paraguay a nica noticia jue encontramos
de haverem as forcas do 'ominando immediato
e S. A. o principe conde d'Eit oceupado Santo
Estanislao. Apenas se acharara alguns cadveres
de soldados paraguayos, e, accrescanla a caria
4e onde ex'.rahimos esta noticia, a columna desti-
nada a perseguir Lpez ia ser reduzida, reconhe-
endo-so a inconveniencia de empenhar tropas
suiueross na porseguicao de ura immign fugitivo,
que nao pode oppr outra resistencia alm de sua
impalpabilidade. Supponha-se mesmo ,que os
ossos batalhdes de voluntarios o tardariam tv-
grussar patria, o que sua alteza e mirara aps
lies donando no Paraguay a tropa de linha para
guarnecer os pontos convenientes. Era pelo me
ans tote o que pareciam denotar algumas disposi-
9os que prineipiavain a lomar-se.
Da repblica argentina nada ha de importancia.
A cidade de M tatevido, porm.conservava se no
BS-uno esUJo de exallacao em que a haviam dei-
ai as ultimas noticias. O ministro da guerra
4 miaba, corono! Rahellu, den a sua demisso.
a34estrangeiros. Dr. Adolpho Rodrigues, parti
para Buenos-Avres, como Dlenrusmaar para
japsdtr a iavaao dos emigrados orientaes e dalli
I ao Pmfaay para ftltn dos outros ajustes
o mlnlL
te, que esc- -
TenJea Siglo ooisVaaiIo na
que fat ao goveraaapezar Va ameaca
iltera a mpronsa JBM noticiaos, os aa^HH
lores, os iou4 irmkWiuanirez. feram pretas e io-
portadosparaBuenoa-Avros. Paseando entaoaqafle
Pedro 1 a-ll
rea, naasarriplonorreira, mas at dobrou fio-
leneia, ae.cimndo o ministro Bustamautc de assitn.
se oncarasaif contra* Siglo para favorecer a t't-
btrna, fuma de que 4 proprietario, o declaruite^
3uea tinta cem que o governo teria de escrever
ecretos de 4eportaciw se exJiaiirirU antes de al-
taretn reiaateres ao Siglo ou acabarem se os a-
raons que estavara dH|>ostos a soffrer a prisao e o
destorro. Cws effeite no dia 18 os dou notos rs-
daetires foraw uree^ e proVavelmeule teriara o
'deslino dos irmaos iamiroz, as o que mas
singular que no mesmo dia a Tribuna docara
laconieament) que suspenda a sua publicarlo,
sem apuntar razao aoja qual o azia.
Anda ao diaicaegou acorte o vapor Go-
ptr, cora datas do Montevideo at 29.
Na ultima data apenas encentramos o seguinte
telogramma expedido 4e Bueaos-Ayres :
t Chegou vapar da Assurapeao. 0 Sr. conde
d'Eu, est uas moatanlis. Jgaora-se o paradeiro
de Lpez.
O Diario do Rio Grande publica esta eoms-
pondencia : _
Montevideo, 28 de outubro do 1869.S5o os-
cassas de intar-sses as noticias do Paraguay.
Ura telegramma olHcial, recebido pelo nosso
ministro residente em Itueoes- .yres annuncia a
chegada, a 13 do eorrente, de S. A. o Sr. conde
d'Eu a S. Estanislao, com a expedieao de sju
comraando, ponto que encontrou abandonido pelo
inimigo, que dizem achar-se actualmente em Cu-
ruguaty, para onde seguiram as nossas forcas a
.15 do eorrente. 0 general Cmara, com urna for-
te columna das tres armas, desembareou na Con-
cepcin, o por all devora operar de combinaiao
com o principe.
o Coolirma-se a noticia da conspiracao trama-
da pela escolta do Lpez e o fuzilamento de du-
zontas e cincuenta e tantas pessoas, cujos cadve-
res foram encontrados era urna mata das imnie-
diaedes do S. Es anislo.
0 nosso exercito, actualmente abastecido de
vveres para emprehender a saa marcha ao in:e-
rior do paiz, nao descansar em quanto nao en-
contrar as forcas do Lpez.
Deste porto foram remeitidas para Assump-
cao, pelo nosso compatriota o Sr. barao de Mana,
900,000 racoes para.o exercito impanal, eneoin-
raendadas pelo Sr. conselheiro Paranbos de er-
dera de S. A. o Sr. conde d'Eu, para que as nos-
sas Toreas nao fiquein, como at aqui, a merc dos
senhoces remecedores, tao empenhados om p*o-
erastinar indefinidamente a guerra.
A legislatura da provincia de Bueaos-Ayres ;ip-
tirovou o ajuste feto com a companh'a da estrf.da
de ferro do sul, e segundo o qual esta renun:ia
toda a garanta do governo mediante a somma de
& I0.0U0. Approvou tambem urna suliveucao do
e 500 por milita para prolongacao da linha al ao
rio Salado.
Asseveraso que o presidente Sarmiento, om
urna entrevista que teve cora o ministro especial
de Montevideo, prometiera fazer quanto estives.se
o seu alcance para evitar que a paz fosse per-
tnrbada no Estado Oriental. Era Montevideo enn-
servara-se as cousas no mesmo esiado. O gover-
no coniinuava a prender e deportar.
Tribuna, apezar da doclaracao de que sus-
penda a sua pulilicacao, reappareceu logo no dia
seguinte, protestando apenas abster-so de toda a
diseussao poltica em quanto o paiz nao voltes.se
sua condicao normal.
IUO DE JANEIRO.
Por decretos de 30 do passado. 2, 3
c 8 do correte :
Foi noineado o juiz de direit Jos C33-
tauo de Amlrade Pint desembargador da
rehira i do Rio de Janeiro.
Foi removido o juiz de direito Joaquim
Octavio Nebias da comarca do It, di 2a en-
trancia, na provincia de S. Paulo, para a
vara dos feitos da fazenda da corte, de 3a
entrancia.Marcou-se-llio o prazo de tres
raezes e ajuda de custo 40041000.
Foi orneado o Dr. Oelbo Ferreira de
Gouva hnvntel Belleza, capito cirurgiao
mor do oomnando superior da guarda na-
cional do municipio de Caxias, na provincia
do Maranlio.
Foram indeliridas as peticoes de graca
de:
Mara Francisca de Paula Lessa condein-
nada pelo jury do termo de Quexeramo-
bim, na provincia do Gear, a 20 anuos de
priso con trabalho, por crime de homici-
dio.
Frane.isco Pinito do Prado condemnado.
por acordad da relaco do Maranlio, a 15
lias do pnso e um mez de suspenso do
emprego, pelo crime previsto no art. 481
do coligo criminal.
Foram concedidas as honras de postos
militares do exercito, em altencao aos re-
velantes servicos prestados na guerra con-
tra o governo do Paraguaya, aos individuos
abaixo mencionados:
De capita, ao capilo do 401 corpo de
voluntario da patria Luiz Ramos Pereira
de Queiroz..
De alfares, ao Io cadete reformado do
exercito Francisco Antonio de Souza Cami-
so e ao 2 cadete 2o sargento do'4 corpo
de voluntarios da palna Telemaco Maristh
da Silva Souto.
Foi dispensado do exercicio do ugar de
ajndante de ordens da presidencia da pro-
vincia de Sergipe, o capitao reformado do
exercito Joaquim Muniz Fontes Jnior, e
foi nomeado para o substituir o alferes do
Io regiment de cavallaria ligeira Jo5o An-
tonio de Avilla. v
Foi nomeado official da secretaria da
thesouraria de fazenda de S. Paulo, o ama-
nuense Antonio de Araujo Lima Ma-
cado.
Foi ramovtdo. seu pedido, o Dr. Anto-
nio Fernandos Trigo de Loureiro, de jui i
municipal do termo de Buique, ero. Pernam-
bucu, para p de Lences, na Baha.
Foi nomeado o oficial da secretaria da
theseurari de fazenda do Paran, Frede-
rico Augusto Nogueira, chefe de secc5o da
contadura dessa reparticao.
Por aviso de 2 do eorrente, foi ordena-
do ao presidente de Minas Geraes que man-
de proceder eieic5o para preenchimento
da vaga deixada no senado, pelo fallecido
senador Theophilo Benedicto Ottoni.
O cambio regulava: sobre Londres
19 a 19 1/4 d., e sobre Pars 500 a 502
ris.
O soberanos (*) vendiam-se a.....
12A800cadaum.
BAHA.
Nada occorreu que mereca raenco.
A alfandega rendeu de 1 a 8 do eor-
rente 191:5023G0.
O cambio regulava : sobre Londres a
19 1/4 a t9 1/2 d, e sobre Pars 495 ris.
PERNAMBCO.
EEV1STADIAEIA.
GUARDA NACIONAL.Por detiberacao de 9 do
eorrente, foi designado para servir de maior lo
batalh.ao n. ti de infamara do munieigio da Es-
cada, o capitao Marcionlo da Silveira Lia .
DINHEIRO 0 vapor Cruzeiro do Sul treme
dos portes lo norte do imperio 8* para a la-
bia, e 8::99*000 para o Rio de Janeiro, e sm*s
7i4:OO0* para o thesouro nacional.
saooriea-J- s. Dr. Gervasio Carapcllo,
pj| HsHiKa Srs. padre Lina do Mo _.
coronel Losl o major Salvador Henrique.
E' lida o approvaoa a acta di antecedo.ita
Nao-so aeliauio presente o Sr. sooretari
indo secretario pasta a sub'sii
I quo di a ieitura do segainte oxpe-i
diente :
' UmoSQciodoSr socretirio perpetuo, eomauai:
cando nao poder eorapareoBBJB|l>|
Inleirado.
O wesrao Sr. r>egundo'aqyMat{|i> declara, qo o
gr. Dr, l'onolla o encarrogwa**le sciontiUcar ao
livstiuiio, -quo, por ach*r-se impedido, deixava do'
assistir, sessao de hoje.Inleirado.
Em Seguida i> mesmo Sr. menciona as seguinte?
ofertas :
.Varios numero* do Diario de Pernambuet, pelo
consocio Dr. Pigaeirda.
AIkuib nmeros da Opinia Nacional e Aune*-
te pelas reopectivas redaccoes.
Um exeraplar da comediao Pomo da f)i$cor-
din,olTerudo por 'leu autor o acadmico do so
guntlo anuo Francisco de Borja e Oilveira.
Oulro, contendo urna cario sobre a Litleratufa
Brasileira, offortado por seu autor, o acadmica do
3- anno Trisllo de Alencar Araripe Jnior.
Daas ordens do dia do ominando era chefe de
todas as forcas brasileiras om operagoas ha. rep-
blica do Paraguay ns. 29 e 30, offerladas pelo
consocio Jos do Vasconcello?.
Todas estas oflorlas sao recebidas cot agrado, e
mandam-se archivar.
Vera a mesa urna proposta para admissSo de
um socio correspt ndente.A' commisso respec-
tiva.
Vera igualmente mesa o balanco de recoita e
despeza verilicadono segundo trimestre dcjulho a
setembro do eorrente anno acadmico de 1869 a
1870.A' commisso de fundos e orcamenio.
E' ilda e approvada a seguinte indicacao:
Indico que a commisso de irabattms histor-
eos e archeologieos soja convidada para ir exami-
nar e dar parecer sobre o facto relatado no Jornal
do Recife, relativamente urna lapida sepulchral,
qme fura encontrada no pavimento terreo de um
sobrado, que est em reeditlcacao na ra daCad>la
do Recife, onde igualmente foram desenterrados
varios ossos humanos.
Indico igualmente que a referida commisso,
examinando as cacimbas que acabara do ser encon-
tradas emuma easa prxima fortaleza das Cinco
Ponas, e que pelas observaces feitas por Barleu
em sua historia, parece resolver completamente a
duvida sobrj a posico exacta do Campo do Ta-
borda, onde se fez c assiirnou a capitulado dos
Hollandezes depois da restauraco, emita a mes-
raa commisso seu parecer.
Sala das sessoes do Instituto, H de novembro
de 1869.Salvador Hennque de Albuquerque.
CONCURSO.No dia 22 do eorrente dve ter
lugar o concurso para preenchimento da vaga de
escrevente da regartico das obras publicas, de-
vendo a inscripcao dos candidatos ser feita at o
dia i. As materias sobre que devero responder
sao lingua nacional, callygraphia e anthmeuca.
UTILIDADE PUBLICAEsta companhia do se-
guros martimos deve reunir se em assembla ge-
ral no dia 15 do corrento, afira de ouvir ler o re-
laiorio annuo, e approvar as contas da com-
panhia.
ESTRADA DE LIMOEIRO.Perante a junta da
thesouraria provincial vo praca, no du 2o do
eorrente, as obras dos leos stimo e oitavo da
estrada do Linioeiro, avahados esto em 2:53O0O0,
e aquello em 3:674*000.
A extenso do priraoiro de 826 metros e80
centmetro-, e a do segundo 519 metros c 45 cen-
tmetros. ,
As obras devero ser comecadas dentro do pra-
zo de ura mez, o concluidas no do tres, contados
do dia era que se assiguar o contrato.
IP01UCA.Esto vapor, da companhia Pernam-
bucana, seguio do porto da Fortaleza para o da
Granja no dia 6 do eorrente.
SAUDE DO PORTO.Entrou Lonlera no exer-
cicio de insp-ctor da sa' te do porto, o Sr. Dr.
Pedro do Athayde Lobo Moscoso.
SURDELEGACIA.Assumio esse cargo, na fre-
uezia de -ante Antonio, o segundo supplenle c-
dado Augusto Xavier do S uza F. nseca, por m-
coramodo de salido do Dr. sublel igado Francisco
Odilon Tavaros Lima, e impedimento do priraeiro
supplenle o cidado Antonio Augusto da Fonseca.
NAVIOS SAHIDOS.Do Rio 'le Jaueir. para
Pernambucu: a i, barca norto-allema Ru \olf'.
a 2, barca franceza Isard; a 3, barca dita Mayatte;
a 4, barca brasileira Agosti ha ; barcas ingleza-
Eugeniao Canml,6 escunanorte-allema Paulina
MALAS. Tirara hoje : s 7 1|2 horas da
manhi, para a Europa, o vapor inglez Ar o ; e
as 3 horas da larde, para o sul do imperio, o
Cruseiro do Sul. ^
NAUFRAGIOS.Leraos no Jornal do Conmerao
da corto.
O capfio do patacho inglez C Hope. entrado de Santa Helena, refere que em 28
do setembro, durante um forte temporal, perde
rara-se era Algna-Bay os segrales navios :
Barcas inglezas : Fengoe, do 488 toneladas ;
Angel, de 2o'i ditas, England. d 360 ditas ;
Forres, de 243 ditas ; Sarah Black, de 315 ditas;
diia franceza Jeanne, de 289 ditas; dita norue-
guense : Lea Smdte, de 245 ditas; ditas allomaos :
.M'iior ton Safft. de 278 ditas; e TeuUma, d>-
350 ditas ; briguo inglez Duke of Bucclengh, do
499 ditas : dito sueco Gustaf, do 243. ditas ; es-
cuna ingleza Flash, de 11(1 ditas.
A barca franceza Sparfel com couros salga
dos, em viagem da l^ocimichraa para Bordos,
perdeu-sp totalmente no cabo d'AguIhas com lod
a marmhagcm. No mesmo dia perdeusu no
mesmo l-igar a barca ingleza Amershan, do 781
limpiadas, rinda de Bassoin cora 700 saceos de
arroz para Bromen, salvando-se, purera, a tripu-
lar.
LOTERA.A que se acha a venda a 126' a
beneficio da igreja de Nossa Senhora do Guada-
lupe de Olinda que corro no dia 13.
PASSAGEIROSViudos dos porlos do sul no
vapor Cruzeiro do Sul :
Antonio Jovita C da Silva e 1 sobrinho, Dr.
Francisco L. la Silva Miranda Grato e 1 criado.
Carono Montero, Dr. Francisco P. L. Guiraires
Peixoto, Manoel Jos de Souza e 1 escravo, Carlos
Ernesto Mosquita Falco e 1 lilho, Francisco Cle-
mente Pessoa de Mello, Manoel Dias, Antonio X
M. Arsgo, Fre Erico de SantAnna R que o 3
escravus, Antonio Alejandrino Lima, Sa!vian
Ramos, Manuel Rodrigues de Paiva, 2 escravos
entregar.
Seguem para sul :
Joaquim Pinto da Costa, capito Luiz Vieira
Teixeira o sua familia, Joaquim Mend)*, desem-
bargador Jos Ionocencio do Camjos, Maria da
Gloria Silveria, Dr. Augu-to Gurgel do Amaral,
2 cadetes, 3 recrulas para o exerciio, 2 ditos para
a marraba, 27 escravos a entregar.
Sabidos para o norte no vapor Guar ;
Feliciano Pereira de Lyra Tavares, Adalberto
Estevao Lima, Luiz Soares Raposo da Cmara.
Manoel Goncalves Costa, Jos Gomes da Silva.
Maria Franeisca das Naves, Antonio Rodrigues
da Silva, Antonio Ximenes Maciel Fraso, Ray-
mundo J. do Moraes Rogo, Ernesto C. Piris Lima,
Joao Viana de Mello o 2 escravos, Fausto Angu-lo
de Araujo Costa, Carlos Francisco de Araujo
Costa, Fran;iseo Vieira Perdigo, Joaquim de
Oliveira Burgos, Nicola] Florenciaoo, (^anciano
Gomes da Silva, 1 escrava de Francisco da Costa
Castello-Branco, Angelo Cardi, Bento Goncalves
Evaristo, 6 presos, Joaquim Jos Mariano, e 2
pracas de polica.
Vrado dos portos do sul no vapor Arno:
Augusto Veiga Somraariva.
CEM1TERIO PUBLICO.- Obtuano do dia 9 do
correte :
Aquilino, Pernambuco, 6 annos, Santo Antonio ;
tub reulos pulmonares.
Reeem-nascida Mara, Pernambuco, Boa-vista ;
ao nascer.
Mara, Pernambuco, S. los ; convulses.
Antonio Pedro, Pernambuco, 30 annos, solteiro,
Recre ; bexigas.
- 10-
Lnarenco Montoiro, Portugal, 41 annos/vuvo,
Recife; hepatito chroni a.
Jos Joaquim. Portugal, 40 annos, casado, Boa-
vista ; hy pertrophia do corarn.
Antonio, escravo, frica, 40 annos, aoltelrd, Re-
cife ; totano.
Auna, Pernambuco, 1 anno, S. Jos ; pulmo-
nite.
Cassiano, Pernambuco, 3 mezes, S. Jos; con-
vuNSes. .
Mara Vjetoriana Paos Brrelo, Pernambuco, 7
anuos, solteira, S. Jus ; tberealos pulmonares.
-gadores Gil rana, Ll
ra Costa e
denuD-aal
meato
awos crimks.Recurrente
1J.0 Ferr 1
i. desembargadorej Domtngues da Silva, Re-
gneira (osta e Motla.Improcedente, twfecorren-
te, o juico; reccorrido, Jos Francisco de Bar-
ros.Relator Sr. desembargador L. Santiago,
soltados os Srs. desembarcaderos Domingues da
Silva, R. Costa e Gitran 1.Improcedente.
Aocnwos de pkticJo Aggravante, o padre
Joaquim Jos de Farias ; aggravado, o juizo.Re-
lator o Sr. desembargador GUirana, sortea Jos os
Srs. desembargadoras Doria e Hegueira ''os-
la.Deu-se proviraoato. Aggravante, Joaquim
Jos Rodrigues; aggravado, o juizo.Relator o
Sr. desembargador Lourenco Santiago, sorteados
os Srs. desemoargadores Molla e Gitlrana.Ke--
gou-se provimento. Aggravante, Jeronymo Jos
Barbosa; aggravado o jauo.Relator o Sr. des-
embargador Al "eraa Albuquerque, sorteados os
Srs. de*orabargadores Souza Leo e Lourenco
Santisge.Negou-se provimento. Aggravante, D.
Emiliana de Mello Castelo Branco; aggravado, o
juizo.Relator oSr. desembargador Molla, sortea-
dos os Srs. desembargadoras Souza Leo o Lou-
renco Santiago.Deu-se provimento.
Appf.u.ac5ks cniMKS Appellante, o juizo; ap-
pellado, Severino Torquato dos Anjos.Improae-
dente. Appellante, o juizo; sppellado, Jo< Freir
de Andrada.Mandou-se ao juiz de direito para
dar as razftes da appellaco. Appellante, o jro-
motor; appellado, Jos Joaquim de Oliveira Frei-
tas.A' novo jury. Appellante, Jos Goncalves
Fonseca; appellada, a justica. Improceden-
te. Appellante, Jos Joaquim Goncalves; appel-
lada, a justica.A* novo jury.
PnonooACAO de rNvgNTARio. Concedeu-se a
prorogaco de inventario de Domingos Jos Mar-
ques,
PASSAGSNS.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Guerra.Appellue5es civeis: appellante. a
parda Angela Maria; appel ada, D. Virginia 'o
nandes Ferreira. Appellante, Hermilina Maria da
Graceico ; appellada, D. Clara Feilon.
DoSr. desembargador Gilirana aoSr. desembar-
gador Loureqco Santiago.Appellacoes crimes :
appellante, o promotor; appellado, Alexandre Pe-
reira da Luz. Appellante, Joan Correa do S; ap-
pellado, Joo de Meodonca Fuado. Appellante,
o promotor; appellado, Jo< J. de Sant'Anna.
Do Sr. desembargador Gilirana ao Sr. desembar-
gador Motta.Appellaco civel: appellante, Luiz
por seu curador; appellado, Dr. Francisco Pinto
Pessoa.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Alraeida Albuquerque.Appella-
coes crimes i appellante, o promotor; appellado,
o tenenle-coronel Joaquim da Silva Correa. Ap
1 nf.alloi'.t l'vnrianf
vetar, que tudo empenharel para
algura modo corresponder espectativa dos meus
amigos, e nao desmentir em tempo algum a con-
llanca do meus cpnstituiotes, para quera minha
gratido ser eterna.
Recite, t de. novembro do 86.
Br. i.'/. de SRras e Silca.
pellante, o promotoi;" appellado, Cypriano Jos
S -ares. Appellacfes civeis : appellante, Alexan-
dre Augusto de Fras Villar; appellada, a viuva
Xcves Alves Cardeiro. Appellante, Joaquim Ro-
drigues Tavares de Mclh; appellado, Dr. Bernar-
do Antonio de Mehdonca Castalio Branco. Apael-
lante, Jos Joaqnim de Souza Nevos; appellado,
Francisco Gracalves Silveira. Appellante, Ameri-
co Netto Firmiano do Moraes; appellado, Manoel
Machado da Silva.
Du Sr. desembargador Almoida Albuquerque ao
Sr. desembargador Multa.- Appellac5es crimes :
appellante, o juizo; appellado, Alexandre da Silva
Falco. Appellante, o juizo; appellado, Joo Fran-
cisco Ferreira da Silva. Appellante, Joo Gimes
Barbosa ; appellado, Jos Antonio Ferreira de Mo-
rras. Appellante, o juizo; appellado, Domingos
Affonso Ferreira.
Do Sr. desembargador Alraeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Assis.Appellaco civel: ap-
pellante, Antonio Jos de Bittencourt; appellado,
Candi.lo Curr 1 Gomes.
Do Sr desembargador Molla ao Sr. desembar-
gador Assis. Appi'Hac"s crimes: appellante,
o juizo; appellad Mareolino de Souza Bello Ap-
pellante, o juiz 1; appellado, Primo .Feliciano da
silva. Appellante, o juizo; appellado, Jos Luiz
dos Santos. AppdlaqOes civeis : appellante, Ma-
thias por seu curador; appellado, Jos do Barros
Wanderley. Appellante, Goncalo Mariano Falco;
appellados, Moreira V Primo.
Do Sr. de-em^argador Rvgueira Costa ao Sr.
dsenbargalor Souza Leo.AppellacOes crimes:
amellante, o juizo; appellado, Jos de Barros Al-
ves. Appellante, o juizo; appellado, Jos Marco-
lino Marques. Appellante, Luiz do Franga Ven-
tana ; appellada, a justica. Appellante, o juizo;
ap:icllado, Vicent- Ferreira da Cruz.
Do Sr. desembargador Souza Leo ao Sr. des-
embargador Gitiran 1.Appcllacoes civeis : ap-
lellanle, Antonio Correa de Lima; appellado. Ma
.Miaba alma triste, coa triste o *re
Que curapr'a sorte, raeatgaudo o pao ;
Minha alma tristo; mas meu paito nobre,
Nao sent a sorte, muitas vezos, nao !...
Meu Deas I que sorte I que vivor to triste I...
Ninguem rae assisje, nem se quer as dores.? I...
Eu gomo I eu choro 1 meu gemer nao viste ?
Nao viste anda : o gemer de amores I...
Minha alma triste, como triste a serra,
Onde urna estrella sepuTtau-so bella"!
Minha alma em quanto devagar na ierra,
Vai contemplando cada rizo della.
Meu De'us! que sorte 1 que vi ver to triste I...
Ninguem me assiste t nem se quer as dores ? I...
En gerao I eu enoro I nr-u gemer nao viste t
Nao viste anda : o gemer de amores I
Joo Ante-Portam Lalinam de Mello.
Demonstrado de apreso
Em todas as circiimstancias ou posiees
sociaes, as demonstrasoes espontaneas de
apreso, constituem titulo da mais alta recom-
memi'igao, nobilitam aquelles que as re -
cebera.
O nosso comprovinciano, o Sr. Joaquim
de Paula 6. Alcoforado digno commandan-
te do vapor Cruzeiro do Sul, ua viagem que
fez tiliimamenle do Hio ao norte, recebeu
de seus passageiros, que eram pela maior
parte cidadaos da mais alta gerarchia de nos-
sa sociedade, e cavalheii os do mais lino tra-
to, urna prova muito significativa de des-
linccao, pelas maneiras attenciosas e pelos
mui tos obsequios com que tratou todos
inilistinctamente.
Gotisaram-se os passageiros do vapor, e
levantaram urna somma superior 600,
para o fim de <.ffereeerera ao commandaute
Alcoforado um chronomotro,instrumento
nutico, indispeusa^el aos clculos de nave-
gavo, e outros mysteres da vida iLaritima.
O commaridante Alcoforado, por modes-
tia, que realcou muilo o mrito de seus
servteos, pedioqueodispensassem deaccei-
tar um mimo que Ihe era offerecido por
aqnillo que elle considerava um cumprimen-
to. rigoroso de sen de ver.
Enlo a commisso encarregara de agen-
ciar a subscrico, composta los Srs. dpu-
tados Frederico de Oliveira, Joo Alfredo e
Castello Branco, resolveu remetter aquella
quantia a directora da r.ompanhia, para
que esta em nome dos passageiros subscrip-
tores Ihe offerecesse o instrumento em
questo.
Folgamos de consignar este faci, que
reella bem o alto aprego em que sao lid s
as quididades do cotnmandante Alcoforado
cujos servicos na Companhia Brasileira, nao
podero jamis ser esquecidos sem grave
injuslica.
No mar o que mais se pode apreciar, e
mesmo o que mais deseja quem viaja, ura
tralamento decente e franco, e maneiras at-
tenciosas : urna e outra cousa poderam apre-
ci ir agora os numerosos passageiros do Cru-
zeiro do SiU, sob o commando do nosso
comprovinciano o Sr. Alcoforado a quem
felicitamos pela honrosa prova de distinco
quo acaba de receber.
(Do Jornal da Fortaleza.)
,------m-------------,
ce os pulmOes os bronchios e a larynx ao sao-pri-
mitivo estado natfai
mmwm
c P^CA.04J*ECIFE.lLJ)tt KOVEMB1M)
AS 3 1/2 ROBAS DA TARDB
Assuear do Rio Grande do Norte 3(471 por lo
ki. posto a bordo, frete de tBt 5 0i0
Algodlo de Pernambofio 1* sorte M) a 105
rs. or kil. (hontem).
Dito de dito atter-99 rs. por kil. (hoie).
Gamito sobre Londre* W o/v. 19 3|4 d. por
lOOO.
Cambio sobre Pars 90 drv. 490 rs. por franco.
Dito sobre dito3 d|v. 498 r. por franco.
Dito sobre dito vista 49S rs. por franco.
F. J. Silveira
Presidenta.
Leal Seve
Secretara.
Sociedade bancaria em com
inaudita
Theodoro St'mtjn $ C,
Comprara e vendem por conta pro-
pria metaes, moedas nacionaes, e aatrau-
geiras, letras de cambio, seduas do go-
verno 6 do banco do Basil.
Descentam letras da Ierra outros ti
tulos commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das Otes-
mas transaeces, da cobranca de letras -tfa
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebara quaerquer quanitas em depo-
sito, em conta correte, e a prazo 6x0.
Largo do Pelorinho n. 7
ALFANDEGA.
ftendimenlo do dia la 10. 389.04U33
dem do dia 11......6:083*30fi
4;i 1:1254817
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
'olumes entrados com azedas
dem dem com gneros
^olumes sabidos com fazendas
dem dem com gneros
340
800
-----B4D
320
312
632
Descarregam hoje 12 de ontubro
Escuna inglezallmiudetemercaduras,
Barca inglezaflortoefamrrercadorias.
Lugar inglezBrilhnntidem.
Patacho italianoMargheretidem.
Patacho inglezQuen of Banlbacalho. -
IIECEBEDUKIA DE KENDAS INTEHNAS GE-
RAES DE PKRNAMBCO.
rtendimento do dia 1 a 10. 22:17R*.N2f>
dem do dia 11........ 1:33599.V
23:711*624
Lendo hoje em um dos nmeros do jor-
nallda Liberalentre oulras assevera-
coes calumniosas que nao deseo' respon-
der, que eu havia me esf.rcado o mais
possivel para que preto Jos menino fosse
condemnado mortenoj iry do Cabo ; con-
vido ao meu dislincto collega Dr. Leonardo
noej Ferreira dos Anjs Cavalcanie. Appell rale, deAlmeida, que nao pode ser suspeito a
tem o Instituto An-heologieo, sob apiesidoncia 1*
Exm, ooBMtbalro Muniz Tavares, o com assjsteii-
CHRONICA JUDIilURU.
TRIB \AI. DA IIKI. %VAO.
SESSaO EU 6 DE NOVEMBRO DE 1869
INSTITUTO ARCHEOLOfilCO.Reoio-se boa-lMtmwcaA no bxm. sslheuio casta
ANTUOO.
As M) horas da nunbia, presentes os Srs. desem-
Jos Antunio dos Santos Oliveira; appellado, Fran
cisco Severiano do Moraes. Appellante, Jos L.
da Silva; appellado, Jos M. Caldoso.
Assignou-se dia para julgamento dos segrales
foitos:
Ar-PEixACoES crvEis.Appellante, Manoel Cassi-
inim Lucio de Souza; appellados, os herdeiru-* de
Poilro Vieira da Cruz Apellantes, Luiz Emiliano
de Fiaueirdo esuaraulher; appellados, Manoel
Alexandre de Araujo e sua mulher. Appellante,
0. Emiliana de M. Castello Branco ; appellados, a
vuva o lienleiros de Frincisco Vaz dos An-
jos. Appellantes,Manoel Alves Ferreira 4 C-; ap-
pellada, D. Maria Cordeiro. Appellante, Antonio
la Cruz Ledo; appellada, Andreza Maria da Con-
ceieao. Appellante, D. Joaquina Benedicta d'
Souza; appellado, Joo Ribeiro Pereira de La-
cerda.
Appellaco ciumb.Appellante, o juizo; appel-
lado. Ileiiri^ue Pereira de Lima.
DeligenciasC>ra vista ao Sr. desembargador
promotor d i justica. .\ppellac3es crimes: appel-
lante, Francisco de Oliveira Barros; appellada, a
justica. Appellante, Manuel los da Cruz; appd
lado, o juizo. Appellante, a tuizo; appellado, Jos
Luiz dos Santos. Appell.raie, o juizn; appellado,
Sebastiao, escravo. Appellante, o juizo; appel-
Udu, los Lopes da Silva. Appellante, Jos Pi >to
de Mezquita ; appellada. a Justina.
A' urna hora o meia da tarde cncerrou-se a
sessao.
PUBUCACOES A PEDIDO.
Paulino Pires Falco aos Srs.
Cardoso Irra5os,estabelecldo.<*
com fiiaritco na ruado Bruna
da el 4 de do ttecife.
Tondo nocessidade para o meu engenho Massan-
gano, da comarca do Cano, de urna machina de
vapor e do urna moenda, dirlgi-me a esta cidade
du Recife, onde nao encontre nonhuma que me
servisse, at que por fortuna depare! com urna que
so eslava cunsiruindo na acreditada fabrica dos
Srs. Cardoso Irmaos, que dirigida e administrada
por um dislincto engenheiro, o Sr. George.
Comprando definitivamente essa machina, fm-
rae olla reraettida era ajusto, sendo logo assenta-
da, principiando a moer no da 21 de seterahro do
eorrente, tem funecionadn eom urna melhora pro
gressiva at hoto, pelo que don graeas Dens por
ter guiado meus passns em urna boa hora para a
fu nd i cao dos Srs. Cardoso Irmaos, aos quaes tri-
buto um uto de gratidan.
Alguns amigos que a-sistiram ao principio da
inoagem se mostraran! muito salisfeitos com o tra-
balho da machina.
Sendo essa machina de construccao nacional,
pelo turneainento de suas pecas, bem acabado de
sen todo, e seu geral pulimento ; bem como pela
regulardade e certeza de trabalho, parece obra
taita no estranneiro, que dispfie de outros meios
para cunstrucedes dessa ordem.
Dirigindo, pois, pelo que sent om sincero agra-
decimonto aos Srs. Cardoso Irmaos, pela prompli-
dao, zelo e perfeicao, eom qoe satHflzeram minha
encoinmenda, congratnlo-me eom a provincia por
possnir ja urna fabriea.da'ordem da dos Srs. Car-
duso Irmaos, chamando para ella a atteacao dos
agricultores.
Engenho Massangano, 9 de novembro de 1869.
Paulino Pires FaleOo.
------------------------------------------------------------------------------- ,
Aoslllms. Srs. eleitores do lo
distiicto.
Aprosentado pela direcciu do parado conserva-
dor desta provincia para preeocher a vaga, que
na cmara temporaria deixou o Exm. Sr. viscnnde
do Camaragibe hoja senador do imperio, eu venho
por eslo meio solicitar dos Srs. eleiioros a graca de
me honraren) com seus votos, se para tao alta
missio me julgarem digno!'
. Nada prometi, porque nao sei, nem o que sari
possivel fazer-w, nem at onde cliegar.) as minhas
iracas forcas; apenas asseguro com a sneerldado
redaccao daquelle jornal, e que fui advoga-
du doJos menino, para que venha com
seu testemunho desmentir aqu lia falsi-
lla le.
Eu seria incapaz de pretender roubar a
;iccusac5n triste obrigaco de pedir esta
peona baibara para um criminuso.e ad-
miravel que aqut-lles que pertencem a um
partido que tera escripia em sua bandeira a
abolico da penna de morte, hala palmas
o encha de louvnr-s ao tribunal, que t<>
fcilmente decretou-a.
Recife 1 de novembro de 18(19.
Adolpho Lameuha Lins.
O tenenle-coronel Manoel Di nisio Go-
mes do Reg e o tenente Francisco Sera-
phico Gomes do Reg, declararam perante
o publico que s t-m por inimitos o juiz.
municipal de Olinda Ruiino Coiho da Silva,
vlanoel Joaquim de Miranda Lobo e Manoel
Jolo de Miranda, ten lo e.-te ultimo j ido
em julio do anno passado em sua casa
p;'ovocal-os como presenciou tida a v-
zinhanca, sendo preciso recorrerem ao chefe
do polica ae ento Dr. Pedro Fancelino
Gnimar3es para contl o.
E como todos tres se acham hoje unidos
para os perseguir, por isso licam respon -
sabdisados por todo e qualquer acto vio-
lento que possa acontecer pessoa e vida
de cada um dos declarantes e de seus 0-
Ihos.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 1L
Terra Nova=38 dias, patacho inglez Quevu
of Beatity, de 17G toneladas capito Du-
vin, equipagem 8, carga 2138 barricas
com bacalho; a D. C. A. C. C. Siop-
son & C.
Portos do norte8 dias, vapor brasileiro
Cruzeiro do Sul, de lili toneladas,
commandante Alcoforado, equipagem 62,
carga varios gneros ; a A. L de O.
Azevedo A C.
Triestre68 dias, brique inglez Aquila, de
197 toneladas, capitao D. Evans, equi-
pagem 9, carga 25 barricas com fa-
rinha de trigo; a ordem.
Rio de Janeiro e Bahia S dias do Io e 2
do 2o pono, vapor inglez Arno, de 1038
toneladas, commandanle Thewaites, equi-
pagem 68, carga varios gneros; a
Adamson Howiee & C.
Varios sahidos no mesmo dia.
Rio Grande do SulBarca brasileira Andra-
de Neocs, capilo Jos Alves Ribeiro,
carga sal e faiinha de trigo.
AssBarca bra?ileira Flecha, capilo J. C.
de P. Victoria; tm lastro.
ECITAES.
Declaradlo.
- Havendo os chefos do partido conservador
escolhido o Dr. Antonio Joaquim de Moraes e Sil-
va para candidato vaga deixada no 1 districto
desla provincia pelo Exm. visconde de Camarag-
be, e j tendo-mc eu dirigido anteriormente a df-
ferentes amigos, solicitando o seu apoio para mi-
nha candidatura melle lugar, rabe-me o rigoro-
so dever de denlarar-lhes que, nao desojando de
modo algum contrariar as decisoes dquelles,
cuja guarda estao confiados os nteresses do par-
tido, de quo sou ura dos mais obscuros membros,
bascadas sem duvida em razdes ponderosas, de-
sisto mu voluntariamente, e sera que ma fique o
menor resentimento desta minha pretencao, aguar-
dando-me para talvez um dia impetrar igual hon
ra, qnando julgaresa mais opportuna a occasiao.
Outro sirn, peco, a todos que so haviam dignado
prometter-me o seo antilra, queiram appfica-lo
em favor do Dr. Moraes e Silva, o que tomarei co-
mo obsequio a mim feto, e pelo que confesso-me
desde j eternamente grato.
Recife *0 de novembro de 1869.
Dr. Manoel do Reg Barros Souza Leao.
Qual o motivo porque s*ffreis ?
Vos outros que oadeceis de phlysica, aslhma,
catarrh, bnmqiiiies, e tosse chronica, respondei
esta pergnnta. Na admir-vel e maravilhosa
compusicii da AnacakuH* PtUoral, se vos oVre-
re um remedio quasi inra'Oi!. rpido o inteira-
monte noffensivo. A sua fr^l""?*0 eoraposta
dos suecos balsmicos e nutn^V08 d umf arv"r*'
uioxieana chamada Anacahuita, a arairavel antidu-
to esta gratuitamente offerecido arta*- atureja, pa-
ra cura de todas as enfc*idad,ra,,nare'i-
0 mundo nao encerra em si, cotata qu^COfn *lla
le leve se possa com;>arar. Os proprios' nworcos
teftiHcamr QU- qnando as snas acnlhores i" ma,s
poderosas medteraa-, chegaram r-pruvar .%,,'*
inulilidade einolscacia, nadlminaica eeorai""
da tosse, ou para aJIiviar a rouqmdao e;iaaan.'t-
maco tracbeal ; este exeellenta remedio,; do
De ordem do Illui. Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda desla provincia se faz publico
para cenhecimento dos interessados, quo o tribu-
nal do thesouro em ordem n. 197 do 25 de ontu-
bro ultimo, autorisou o pagamento de dividas de
i'xereicios (Indos, cujos credures sao ns seguimos :
Antonio FernaudisTrig. do Li ureiro, Trajano Al-
piode Carv;.lho Meudonca, Latiran Rosa Candi-
da Rcgneira D.iarte do Druniraond.
SecreUra da lliesouraria de fazenda de Per-
nambuco 11 de nuverahro do 1869.
Sorviudo de official-maior,
Manoel Jos Pinto.
DECLARACOES.
IMEIO GERAL
Pela admimstracao do correio desta cidade se
faz publico que hoje (12) pelas S horas da tarde
fechar-se-hao para os portos do sul as malss que
o vapor brasileiro Cruzeiro do Sul tem de condu-
zr.
Os jornaes serao recebtdos at meio dia, e as
cartas a registrar at 1 1|2 hora da tardo.
As carias ordinarias, postas no correio al meia
hora depois de lindo o praso cima deparado, se-
gniro seus destinos com o porte duplo.
Adminislracao do correio de Pernambaco 12 de
novembro de 18G9.
0 administrador,
Domingos dosPassos Miranda.
Relaco das carias registradas viudas do norte
e das existentes na administracio do correio des-
ta cidade para os senhores abano declarados :
Dr. Avres de Albuquerque Gama. Dr. Aprigio
Justiniaiio da Silva Guimares, Alfredo Saldanha,
Dr. Antonio Joaquim U. Kazarclh, Antonio S. Ve-
ras, Antonio do Souza c Sil (2), Bomjamra C. Bra-
sileiro Ctinha, Balerlano Esciesio, Dr. detaao Xa-
vier Rerera de Brilo, Dr- Carono rr.-nplsco de
Lima Santos, Chrlstovo Gomes Pereira, Domingos
Alfonso Ferreira, Flix Pereira da Silva, eonrael
Francisco Carneiro Machado Rios, Franri Jo.-
da Costa Araujo, major Francisco RaMMl de
Mello Reg, D. Guilhermina de Siqueira Sirva. Dr.
eiulio M. de lastro Lima, 11. L. de Suaza Ran-
gel, D. Joaquina Maria do Sacramento, Joaquim
Antonio Teixeira, padre Joaquim Graciano de A-
raujo (2), O. Joanm Francisca Seve Navarruu Dr.
Joo Jo> Ferreira do Aguiar, Jos Bernardo alen-
des, Jos Domioguos Porto Netto, Dr. Jos.Jaera-
tho, Jos Mende Vieira, Jos Pinto Ferreira de
Oliveira, Lino de Faria & C, Lindem Wvdman &
C, Dr. Luiz de Carvaiho Paes de -Andrada, capilo
Manoel Baptista Rodrigues, Manoel Co'ar.asS,
Manoel Joaquim Pessoa, Manoel Gome do Mello,
Manoel Jos Luiz Ribeiro, Fr. Nicolao iloBoralim,
Palmeira & Bollr, Pereira Cajrniro t u, Pedro
Paulo Rosa, Dr. Raphsol Arcaojo Galvao, s&vu-
riu da directora do imperial Instituto P|fbu-
eano, Saturnino Ferreira do Camino, Ivisoaa
Antonio E., Tobas Barrete de Menozes.
AVISOS MABrtig
Rio de JauQj/o.
Para o indicado porto, protn** seguir cooiiaor-
U brevdado barca portuguesa! 3. Jaira, nprter a
maior parto de seo carrofaflMSlo- engajada ; o
para o resto que lie falta, b'att-sa eom o eoasig-
. natario Joaquim J aW Baltrao, roa d>
agradavcl como efflcaz, com freqtiencia restbale-1 ^otnmereio s. 17.
;l
vi
i
^ i


tmmmmm
Peraambooo
-COMPANHli Fl*EKSAMBUd\NA
LEILOES.
navega
|Mr T*fT.
0 vapor MnndahiHWUtBBiM M
pira o porto cima no dia i. du corrcuto as 6
lioras l Urde. Recebe carga, eocoramenda*.
titos edraheiro a frote at as 3 horas da
*ada sahlda escriptorio no Forte do
PANHIA PERNAAMBUCANA
'
Navegado eoatelra por Tpr.
Ptrahyba, Natal, Maceo, Mossor, Ara-
caty, Gear, Maadah, Acarac e
Granja.
m*lfty O vapor Pirapama, commandantt
^^41 Torres, seguir para os porto?
B cima ho dia 15 do eorrente as o hora.'
4a tarde. Recebe carga at o dia 13 en rom
mendas.e passageiros e dinheiro a frete at as
t horas da tarde do dia da sabida no escripto-
rio no Porte do Maltas n. 13.
AMIA BRASILES
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte desperado
at o dia 12 de noveinbro,o vapor
Cruzeiro do Sul, oommandante J.
P. Guedes Alcoforado, o (pial
depnis da demora do costumo se-
gtir para os portos do sul.
Desde j receberh-se passageiros e enga]a-se a
carga me o vapor poder conduzir, a qual deveri
ser embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sahida as ?
horas.
Nio te rucebem eo:no eneommondas senio ob
}elo de pequeo valor e que nao exeedam a dua:
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos d inodicats.
Tudo que passar destes limites deveri ser embr-
calo com i carga.
Previne-se aos Srs. passageiros,. que suas pas-
sagens s se recebem na agencia a roa da Cruz
n. 57 primeiro andar, escriptorio de Anh nio Luiz
do Oiivcira Axevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
K
Navegado costelra por .vapor.
Macei, escalas, Ponedo e AracajL
O vapor' Polengi commandante Pereira se-
guir para os portos cima no dia 15 do correte
as 5 horas da tarde. Recebe carga at o dia 13,
oeomuiendas, passageiros e dinheiro a frete at
as 3 horas da tard do dia da sahida no escripto-
rio do Fort do Mallos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegando costara por vapor
Goyanna.
O vapor Parahyba, commandanlc Mello, segui-
r para o porto cima, no dia 16 do eorrente, as 9
horas da noite. Recebe carga, oneommendas, pas-
sageiros e dinheiro frete, no escriptorio do
Forte do Mallos n. 12.
Oompanhia americana c brasilei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia 11 do eorrente esperado de New-
York por S. Thomaz e Para o vapor americano
Meirimack, o qual desos da demora do costume
seguir para os portos do sul, para retes e pas-
sagens trala-se com os agentes Henry Forster &
C, roa do Cominerrio n. 8.
PARA O PORTO.
Sahir com a pos-ivel brevidade o palhabote
jiortuguez Villa Flor, tem parle da carga tratada
para o resto que Ihc falta pode cntender-se com
David Ferreira Bailar, ra do liruin n. 92, ou
v.om o capitao a bordo.
PARA
Para o designado porto pretende sahir com mni
ta brevidade o palhabolo Rosita por ter a maior
parte de seu carregameuto prompto : para o res
1o que I he falta, trala-se com o consignatario Joa-
uiui Jos Goncalves Beltro, ra do Commercio
n. 17.
Porto.
Vai sahir breve a barca fjtura ; para carga e
passageiros, trala-se com os consignatarios Carva-
Iho & Nogueira, na ra de Apollo n. 20.
Para Lisboa
A barca portugueza Pereira Borges dever se-
guir brevemente para Lisboa, j tem a bordo par-
te da carga, e para o resto trata-se com Oliveira,
Filbos & C, ao largo do Corpo Santo n. 19, 1"
andar, ou com o capitao na praca.
Porto.
Segu com brevidade a veleira e nova barca
portugueza Isolina, para carga e passageiros,
para os quaes tem excellentes eommodos, trata se
com os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C ; rna da Cruz n. 57 1 andar.
Porto e Lisboa.
Segu para o Porto com escala por Lisboa, a
barca poatugueza Safira : para carga e passa-
geiros trata-se com os consignatarios T. de Aqui-
ni Fonseea&C ; ra do Vi gario n. 19 ou com o
capillo na praca.
Para Lisboa
O brigue porlugupz Bella Figueirent>e, capillo
Carvalho Sobrinho, vai sahir breve por ter a maior
parte do carregamento : para carga e passageiros
trata-se com E. R. Rabello, ra do Commercio nu-
mero 48.
Lisboa
O briguo portuguez Cotete, capitao e dono J. J.
la Cosa, reeebe alguroa carga a frete : trata-se
com E. R. Rabello, ra do Commercio n. 48, ou
com o referido dono.
Para a Baha
Toma carga o ter prompto despacho o patacho
italiano Margherita, capitao Ghers : quem nelle
auizer tomar oraca, podo dirigir-se ao escriptorio
e E. A. Burle & C, ra da Cruz n. 48.
De urna machina de costura (perfeita), 1 ca
1 caixa para gelo, 1 machina para lavar i
pa, 8 ettagers, 1 porta licor, 1 piano, 3 vene-
zianas, 1 divn, muitos e duTerentes movis o
obras de prata.
Sexta iVtra 12
-*4 i I LlLt=SZ
HOJE 12 DO CORRENTE.
No sobrado da roa do Imperador
harer na janella nma bandeira.
n.
smenle recompensado.
LEUAO
De
3 saceos de arroz araado,
HOJE S 12 HORAS.
O neente Pestaa fir leilao por conla e risco
de mim pertencer de 3 saceos com arroz avaria-
do, fioje as 12 horas da manilla no trapiche "
bario dn Livramentn.
do
LEILAO
De
de S.
una casa terrea sita a travessa
Jos n. 29.
O agente Pontual competentemente aulorisado
vender em leilao o predio cima em soto foreiro,
o qnal tem 2 salas, 3 qunrlos, cosinha fora, quin-
tal murado o cacimba.
HOJE.
No andar do sobrado n. 61, ra da Cruz,
as 11 horas.
IMLit
De O barra tinto.
HOJE
O agente Pestaa far leilao por cenia e risco
de quem pertencer de 60 barris de 5 com vinho
tinto os quaes serlo vendidos em um ou mais
lotes a vontade sexta-feira i1 do cerrte as U
horas da manhaa na anuasem do Aanes defronte
da alfandega. ^^^^^ ____
de movis, louga e crysfacs.
A SABER :
Um piano forte e quasi novo, 1 mobilia de ja-
caranda com lampos de pedra, 1 candelabro e 2
serpentinas de crystal, jarros para flores, redomas
com flores, 1 cama franceza, 1 toilet, 1 guarda
vestido com espelho, 1 guarda roupa do amarcllo,
2 marquezas, 1 sor, 1 divn, 1 mesa elstica,
1 apparador, 1 mobilia de amarello, 2 commodas,
i harmnico, 1 vjMpina, 2 transparentes, difi-
reme* cadeiras. t taras, 1 caaia de ferro, 1 por-
ta licor, louga \*$* Atar e almoce,. opns, clices,
S arralas e compottirea, quarnfieira, I eabides,
salva de metal, 1 tela, trem de cosinha o en-
tres objectos.
HOJE.
no sobrado de um andar da ra do Impe-
rador n. 47,
0 agente Pinto antorsado por urna familia que
mudou de residencia, far leilao dos movis e
mais objectos cima mencionados existentes no
sobrado de uro andar da ra de Imperador n. 47,
aonde se effectuara o leilao.
Principiar as 10 horas. __,________
Os abaixo assignados, cscreventes do eserivao
do-juiz especial do commercio Manocl do Carva-
Iho Paes de Andrade, fallecido no da 5 de cr-
reme; mandam celebrar urna missa de rquiem
pela alma do dito Uado no dia 13 do correqte
pelas 8 lioras da manilla na igreja d* Santa Cruz,
c convidam a lodos os prenles e amigos do mes-
ino finado para assistirem o dito aclo, pelo que
agradecemos a m4o* ana compa recerero.
Sirmoel Silvtno de B*rrm Fulcao.
Antonio Altes da Fmueca iutuer.
A noticia do fallecimento do moa amigo e
collega Manoel de Carvalho Paes de Andrado velo
encher o mea ceraelo do lucio o de saudade. No
seculo em que vivemos, lio material e egosta,
era aquelle amigo um raro modelo do dedicacao
sincera e extremada: e eulto d'amizade e o apego
ao i;uuipfiwMSfti i* proprios de ve res nunca ti ve-
rn um seguidor mais conslaote o sulicilo. Como
filio era um prototvpoI
l'eridopela mago no inlimo d'alma, ven lio ver-
ter nma lagrima sobre a sepultura de Paes d'An.
drade, a quem Deus nesta hora ter concedido,
por ceno, o eterno repouso. Elle bem sabe quan-
lo eu opresmva, e que to poderia ter outra Im-
guagem em lio s< lemno occasio.
A's Exmas. Sras. sua mai e esposa meus senli-
dissimos pezames, e para elle, alera do adeus de
saudade que deste mundo Ih'euvio, urna oradlo
forviirosa...
Recife, 11 de novembro de 1869.
Joao Vicente de Taire* Bandeira.
De una grande casa e sitio sha
a estrada de Joo de Barros
O agente Pontual competentemente autorisado
vender em leilao a casa cima acabada de cons-
truir ha poucos mezes, tendo todas as paredes
dobradas, 2 salas, 6 quartos, cosinha e dispensa
fra, cacimba com excellenle agua para bfber,
tendo um sitio com 134 palmos do frente c 420 de
fundo, (solo proprio), sendo lodo o sitio cercado c
pertencente ao Sr. Manoel Ferreira Pinto de Arau-
jo, cujo sitio vende-se paravpagar urna hypotheca
que nelle existe ao Sr Francisco Teixeira Barbo
sa. Notando-se que o silio dista uns 400 a 500
passos da estacao dos trilhos urbanos do Recife a
Olinda, a qual tem de ser feita do becco da Espi-
nheiro. O leilao ter lugar
HOJE
No Io andar do sobrado n. 12. ra da Cruz,
as 11 horas.
LEILAO
Da taberna da ra da Esperanra, Caminlio
Novo n. 47.
Sabbado 13 de novembro as 10 horas em ponto.
O agente Pinto levar novamente a leilao, ser-
vindo de base a offerra ohtida no leilao do da 10
do eorrente, a armarlo, balcao e gneros da ta-
berna do Carainho Novo n. 47, por despacho do
Illm. e Exm. Sr. Dr. juiz especial do commercio,
as 10 horas em ponto do dia cima dito na refe-
rida taberna
AVISOS DIVERSOS.
Club do Monteiro
O empresario do Club Pernambucano tem esta-
beleeidj um Club na povoacao do Monteiro por
3 mezes a principiar no 1." de dezembTDat 28 de
fevereiro prximo futuro debaixo das seguintes
condiccSes.
As pessoas que qoizerem ser assiirnantes deve-
rao enlender-se com o respectivo empresario para
este apresenlar scus nomes a directora do Club
do Monteiro, para este deliberar se sao ou nao
acceitos.
A ssignatura sera de 40 (pagos adiantados)
pelos 3 meze* para os assignantes efTectivos e 20
por mez para os adventicios.
Os socios efTectivos do Club Pernambucano pa-
garlo adiantado 203 pelo trimestre c 10 por mez
os adventicios, podendo seren admittiJos sem
mais approvacao.
Programma do Club
Urna reuniio familiar aossabbados; urna parti-
da na abertura e outra no enrerramento, leitura
de iornaes, cha todas as noites das 9 at 10 horas.
as reunios familiares s terao ingresso os as-
signantes, as partidas admitte-se convidados.
Recife 11 de novembro de 1869.
. P. J. Layme.
Honlom dai Cinco Ponas para
glto, uip perdeu unii
cdnlendo roupa blanca de senhora, evar
peii, de importancia, como escripuiras etc.
se a pessoa que a adiar, que a entregue,
in
uro.
_'
Pede-
ou d
noticia na na da Aurora n. 46, que sera genero-
-Aos o:ooo$o#oi
CASA DA PORTU.NA
23 KU.y. DO CRESPO -28:
abaixo assifoadii londo vendido nc*seus feli-
zes bUhees da {>{era 15- do Hospicio d* PJro
II (299) as sries abaiso declaradas, eenvid
posaoidoMs a viqi recobei, yois as pagar com
*a prom^pdao qne'costuma.
i Aoham-so veoda os da 61" a favor de Monte
Po (380).
Numero2635, qatro quartos, com MiOaOOO.
.-^i33, dous qnarios, cofh IjOOitlOO.
HH9, dous quartos. com 800W00.
Manoel Martins Fiuza.
t
rtidolibei
Precisase de um criado : na ra das- Larangci-
ira* n.*, hotel Commereial. .
A directoria do parlidoliberal convida om mes-
bros do mesuro partido o os amigos deTHKOPHiLO.
B8neokto Ottom, para a eommemoraeio fnebre
quo os libones d'esta cida mandam celebrar a
17 do eorrente, s 10 horas da manhaa, na matriz
do Santo Antonio.
Criado
Os abaixo assignados participan' ao publico
e com especialidade ao corno do coiamercio, que
di9solv>Tam amigavelmenle em data dB 31 de ou-
lobro prximo passado, a sociedade m.comman-
dita quo exista na taberna sita a ra do Impera-
dor B. 83, a qual gira va son a firma sooiaL Fer-
reira Goncalves 4 C., Ilcando enearreg.*do e obri-
gado pelo passivi o ex-socio conirminditario Ma-
noel Jos Guedes de Magalhles, e dsonerado* de
qualquor responsabilidade e pagos do scus espitaes
e lucros os ouiros socios. Recife W> do novonjwo
do 1869.
Manoel Jos Femeira Pinto.
Joio Goncalves Ferreira.
' Manoel Jos Gaedes.MhgathSes.
Duas casas rcnnul&s em urna s, caiadas c phv-
tedas de novo, i ra do Desuno ns. 2 e 4, anda
esto por alugar, com um grande quintad, caeni
l>a, rtc. : trata-se na-rua. do Hospicio n. 28.
Precisase do nma ama para comprar o co-
zinhar : na ra de Hertas, sobrado n. 140.
Ama.
Preeisa-se de urna ama para comprar o cozi-
nhar : na ra dosurarapef, fabrica de sanio
B.4&
"ET
PEDIDO
Airmaiidade do Nossa Senhora do Gualelupe
da aldade de Olinda, roya a quem tirar o premie
gra4e da lotera que se ha de oxtrahir no corren-
te mez, cm beneficio das obras da sua igreja, sir
va-se de deslinar uina quoU para o adiamntenlo
das lesmas obras, fazendo assim um beneficio
'grtjo. ._____
Manoel Alves Guerra Jnior roga a lodos os
seos prenles e amigos e aos de seu prezado tio
Jos Alves Guerra, fallecido no dia 14 do mez pas-
sado, no Para, o caridoso obsequio de assistirem
a rnissa que se ha de celebrar sabbado, 13 do
eorrente, as 8 horas da 'manhaa, na igreja do con-
vento de S Francisco, pelo eterno descaneo de
sua alma, protestando desde j eterno reconheci-
mento.
O abaixo assignado faz sciente nesla prara ao
Illm. Sr. Dr. Mainel Fumino de Mello e a sua
Exma. senhora, assim como a familia de seu mano
o Illm. Sr. Dr. Fernandes Affmso de Mello, que no
dia 26 de fevereiro deste anne, no ngenho Cou-
ceiro, termo do Bonito desta provincia, fallecen
de parto sua prezada prima D. Francisca Augusta
de Mello Lima, filha do finado major condecorado
Manoel Affonso de Mello; e ora do finado genro
sargonto-mr Joao Alves de Lima. Essa finada Sra.
chara <. sa,udosa esposa do abaixo assignado, le
gou-rae com instancias o dever decumprimentar
em despedida sua familia; o que agora o figo,
juntamente com agradecimentos a todos os meus
amigos e senhores que se dignaram acoropanbar
seus restes raurlaes al o jazigo chri-tao,
Francisco Manoel Alves Lima.
Sociedade Recreativa
Juventude.
Nao so tendo realisado no dia 7, como tora con
vocada a assembla geral desta sociedade, por fal-
ta de numero, convido de novo os senhores socios
a se reunirem domingo, 11 do eorrente, as 6 ho-
ras da manhaa, afim de estabelecida a mesma as-
sembla, trtar-se de ossumptos importantes.
Secretaria da sociedade Hecreativa Juventude
10 de novembro de 1869.
Fclomeno Peixoto,
! secretario.
Attencao.
Na ra da Conceico n. 36 precisa-s alugar
dous escravos bons : a tratar na mesma casa, das
5 horas da tarde em diante.
4:250^800
Jos Dariano Vieira de Amorim tendo perdido
ou tendo-lhe sido -ubtrahido o quarto do bilbet
de n 2033 da lotera 299 para o patrimonio do
Hospicio Pedro 2, que acaba de ser extrahida no
Biode Janeiro, en cujo numero sanio o premio
grande, pede a pessoa que, por qualquercircums-
lancia o tenha, que Ih'o restitu, cerlo de que se-|
assim o fizer, guantar-se-ha segreda inviolavel, e
dar-se Ihe-lia urna gratiflcaclo vanlajosa, e do
contrarso nada aproveitar, porque todas as pro-
videncias j eslo toma-las, e om resultado rece-
bere o respectivo premio, visto perlencer-rae o
referido quarto, do qui tenho sobajas provas.
Ao publico.
O abaixo assignado participa a quem interessar
possa, que tem justo e contralado com o Sr. Jero
nymo Francisco Ferreira a compra de sua taber-
na sita ra Nova n. 48 desta cdade, cuja com-
prafeiu a dinheiro vista, e caso alguem s*
julgue com direito. a alguma reclama^ao, dever
fazer no praso de tres das, (Indos os quaes nao
ser attendido. Recife 11 de novenbro de 1869
Manoel Monteiro da Cimba.
AttencSto.
Precisa-se alugar por espaco de tres mezes urna
caa no Monteiro, ou em suas adjacencias, que
offereca eommodos para peuuena familia, e por
prego mdico : no largo do Carmo n. 18, primeiro
andar.
Precisa-so le una ama para casa de familia :
na ma de Hurlas n. 30, sobrado de nm andar.
Nio mais cabellos brancos.
A tiotura japoneza para Ungir es cabellos
da cabera o da barba, foi a nica admtltida
Exposifo Universal, por ler sido reco-
nhecida superior todas as preparaces at
hoje existentes, sem alterar a sade.
Vcnde-se a AO00 cada frasco Da
Rna da Cada n. 51,
1. andar.
antigs qne ve-
gar al a fB de a mo torrente, sob pena
indo as feries, eotrjpr a< seu procua4ir
iber judicialmente.^^_______-
I3f "-.4p um caixeir com pratiwTe
a'lraiar m ra da Cadeia-nova n.T.
XAR0PEDEFkDFG05O,BO
ifJcirnmeat
vilhojw
app'
\\pii si
u final
ra jQyim n. 120, 2* andar, ha pari
vender una escrav> orioula, bonita fgura : quem
precisar dirija-so -mesma, que aohara cem quem
tralar.
Precisa-se de uina am;: qpo saiba comprar
e eoiinhar : na riia.l*rga doRottmo n. 21.
Precisa-se de uiiM ama paaa servieo de duas
pessoas: na rna Augusta n. Ti..
Os lllms. Srs. M.tnoel Hodrigoes Pinheiro e
JUvenal Rodrigues Pioheiro, teem cartas, na roa
do Amorim n. 60 armazem.
Para- fimfa.
Joao Pereira Pedroso lima rclira-se para
Europa, c deixa por sem procaradores bastantes,
em 1" lugar o Sr. Mftnod Jcs dia Silva FJguewas,
em 2* o Sr. Antonio Pedroso Lima, em 3* Joao
Francisco Henriq/jes.
Monte Pi. Popular Pernam-
bucano.
Devendo ter lugar domingo, 14 do fomente,
a posse du novo oonselhn administrativo dnstfl so-
cifjdade, de ordfm do Illm. Sr. director, sao-con-
vidados os senhores socios efTectivos paracompa-
recerem em sessa de assembla geral, as tabo-
ras do mencionado dia.
Secretaria Ai Monte Pi Popular Pemnolweaiio
10 de novembvo de 1869.
O 1* secritario interino,
Ernesto Jos ite Jkwces.
Aluga-sc
a casa Ierre n. 32 da ra das Trinebeiras : tra-
ta-se na na dos Pires n. 2 Aliiffi-se
n pnraiiw, ustbma,
ih hr>los.rT ivcrntcs oa n-
cntnrrHos broiuhco8,ete.e-
los o? jffriBienios das vk
respiiatoriaK"BWi plilisie.-. pu1niunnr,sorr~
lHlecon(rnolctniKioue9pnsiaoM,iconvtilaeik
fVihconl.csla\,l e niiifreRi naque o ilcsconJi^
nico depoSito, ru larga do Rosa rio. o. I
unto a&quarlol rio poJioiu Pcrnnmbuco.
ConlinViadimenlu s*n9aprentUnintrro*
loslt'monhoA da efliracs do fedegoso Peraam-
buco.
PILDLAS, VINHB E XAROPK
M M IU1BI5B4
rtv.vU-iiHts ivi j mutiio.vricn
M1QIIH DE M.vllll>A PI.IT*
As prepurncetule.juriibcbasAohqjevaBl^
osaBX-nfo conhecida c prfjconisadaa pdnft
mais finbois mdicos,.tnnlo da Europa comer
ilo p*tiz, pcln sua cfcacia nos cnsosde aneroiK
hlpio/.o, hydropesin,.obstruc5o doabdomotr,.
l.-ii;. hrrii nosdcuiemkruacaodifcil, cat&arrcfc
na bexign, efe. c-!c.
Vnndem-se em pareo e a retalho na tadds
ilo Recife, pharmaoia do seu compositor, na
larga do Ilusorio, n. 10, junto ao quartelli
policio.
PINTO PHARMACKTICO
xarope de salsa parrilha do' pam
DEPURATIVOdoSANGE
Usadas as mol*>ias de Pellc, impigens, dores
i licumalicas, e ulceras venreas.
OVA M,*RCA DO nOSAKl. f.
Precisa-se
do um menino de 11 a 1G anuos para caixeiro do
loja d.t cer.i : na ra do Livrameuio n. 3Ck
Ama
Na ra (Vi Codorniz n. 8 (Porto do MaUc) pre-
cisa-se de- nma ama rran sailu onhar.
Isa ra da Moeda n. 5, 2" andar, escriptorio
de Manoel Alves Ferreira & C., vende se vinho
verde superior em barris, ancoretas com vinho do
Porto superior e malvazia branco.
Precisa-se de um creado para todo servieo
de hotel, paga-se bom, prefero-se escravo : a tra-
tar na rna estrella do Rosario n. 11, hotel Lisbo-
nense.
o 1 andar do sobrado da ra V Yigaro n. 5>. com
bons eommodos para familia e para escriptorio :
a tratar no armazn? n. 25 da travesa do Corpo
Santo. ________________________________________
Precisa so alugar urna escrava que sirva
para vender e comprar para nma casa de pouca
familia : na ra -da Moeda n. 19, 2* andar.
Aluga-so um grande armazem sito na praca
semicircular do caes de Apollo, ladrilhado de pe-
dra e aeabado estes das : a tratar na ra da Ga-
licia do Rcsife n. 42.
AVISO
Precisase de um ofcial de chapeleiro
lar na praca da Independencia ns. 4 3 6.
a Ira-
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
IIEC'IFK A' OliIMDA.
Por ordein da directoria sao, convidados os Srs.
accionistas, para no prazo de dez dias contados
do dia 5 do eorrente effectuarem a 5* prestarn
de suas accocs na razao de 10 % e receberem
nessa occasio os respectivos ttulos.
Para esse llm ser encontrado o Sr. thesoureiro
das 11 horas da manhaa s 2 da tardo de todos
os dias no escriptorio da companlua ; ra Nova
n. 33 Io andar, entrada pela ra das Flores n. 14.
Recife, 3 de novembro de 1869.
1 secretario,
Joao Jonqiiim Alves.
Precisa-se de um menino hrasileiro de 13 a
14 annos de idade, que tenha ou nao pratica de
taberna : na ra dos Pescadores n. 43.
D. Maria Adelaide do Nascimento Feitosa
avisa a todas as pessoas qne quizerem comprar
terrenos na antiga estrada de Olinda, por onde
tem de passar breve urna Imha de trilhos urbanos,
que ella vai retaltnr e divijir_seu sitio de Belcm
em pequeos sitios; a pode.rar dirigir-se a seu
ftlho, o engenheiro Antonio Vicento do Nascimento
Feitisa, encarregado de todos os negocios de sua
casa, para com ello effectuarem qualquer compra
desses terrenos : na ra estreita do Rosario n. 23,
Io andar.
Attenpo.
Precisa-se alugar uma casa pequea, em bom
estado, com sil* ou quintal murado, para uma
familia d p meas pease-as preferndo se na Sole-
dade. Afllictos, Opung* on Ponte de Ucha: quem
tiver dirija-se a ra da Cruz n. 19, Io andar.
Irmawtade de Santa Cecilia
do Liv amento.
Por ordam da mesa ragedora tenho a honra de
convidar a todos os senhores professores de mu-
sica, irmo3 desta veneravel irmaudade, a compa-
recerem em noso consistorio no dia 15 do cor
rente, as 9 horas do dia, para eleger-se os novos
funecionarits do anno da 1869- 70.
Con islorio de Santa Cecilia 12 de novembro de
1869.
O secretario interino,
Sabino Venustiano Romo de Luna Freir.
A casa Feliz do arco da Conceico acaba de
vendernos seus felizes hilbetes a sorte de 800*000
erq dous raeios de 1235 s j foram pagos, c alem
de*ta sorte vendeu-se mais outras do 200^000 e
de 100*.
Napoleao Dias de Carvalho e sna mulher D.
Constanca Firmeza dos Anjos Carvalho, avisam aos
moradores que se achara na sua propriedade Ma-
caco, que de hoje a noventa dias devem retirar-se
da dita propriedade, porque all vai criar nma sol-
a de gado ; e outro sim que nao afora seus ter-
renos, e s consentir o tempo necessario para a
colheta de suas lavouras ; e aquellos que dentro
do dito tempo nao so retirarem serio desnejados
judicialmente. Sitio Macaco 3 de novembro de
1869.
Napoleao Dias de Carvalho.
Constanca Firmea dos Anjns Carvalho
ATTENCAO
Jo*c Joaquim da Silva Gomes pede ao sonhor
queme trouxe da Parahjba rartas pHo vap-irFi-
rapawa, o favor de a>-. ir entregar em sen es-
criptorio, ra da Cadeia do Recito n. .'2, oa an-
nunciar sua morada para ser procurado.
Uina pessoa, proprielaria de nm si-
tio n'um dos arrabatdcs desta n.l.ide cota
ptima baixa do capim, olera e casas para
passar a Testa o qnal acha-se avallado por
i5:0O0)S00O, precisa por alguin tempo d*
quantia de 12:000^000 juro razoavel,
dando por garanta o dito sitio; quem
quizer fazer esse negocio, queira deixar
fiesta typographia, em carta fechada com
a lettraB, as condices, sua morada e
nomo.
PRIMEIRO E SEGUNDO LIYROS
LEITURA
Precisa-se de um menino brasileiro de 13 a
14 annos de idado, que tenha ou nao pratica de
taberna : na ra dos Pescadores n. 43. _______
AMA
Na ra Direita n. 61 precisa-se
para casa de, um homem solleiro.
de uma ama
OfTerece-se para caixefro de loja de fazendas
nm rapaz portuguez de idade de 16 annos, chega-
do ltimamente do Porto, o qual tem bastante
pratica de negocio de fazendas : quem o preten-
der dirija-se ra da Praia n. 3.
PARA USO DA
INFANCIA
PELO
BRASILEIAA,
Dr. A. Cesar Borges.
(2*
Em casa de THEODORO CHRIST1
ANSEN, ra da Cruz n. 18, encontram-
efectivamente todas as qaalidades de vinbi
Bordeanx. Bourgqgne o do Rheno.
Aluga-se a primeiro ndar do sobrado
sito na rna Direita n, 93: a tratar na tra-
vessa da Madre de Deus n. 21.
Lava-so e engomma-se com mnita perfeico,
assim como prepara se comida com asseio : na
ra da Soledade n. 4.
Precisa-se de um portuguez que
hortaltca : na ra da Gloria n. 89.
entenda de
Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
RA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR
Sacca por todos os paquetes sobre p Ban-
co do Minho, em Braga, e sobj os seguin-
les logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenga.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castelb.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de]Famalicao.
Lamego.
Lagos.
Covilhaa.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
EDIQAO MOTO HELHORADA E
AUGMENTADA)
Estes dous livros, resultado de grande expe-
riencia e estudos especiaes do autor, vieran $a-
tisfazer a uma das mais instantes necessidades da
instruccao primara, e per tal forma que, pelos
governos de quasi todas as provincias teem sido
adoptadas para as escolas publicas, assim como
por grande numero de professores particulares.
O primeiro litro ( absolutamente diverso das
cartas vulgarmente conhecidas pelo immc da A
B C) e composto segundo um systema natural,
philosophico e ameno que aos meninos fcrilft*
extraordinariamente o conheeimento da leitura.
torhando-lltes muilo mais rpidos, e uito menos
penosos, seus priineiros, limidos e vacilantes pas-
sos na vida luterana.
O segundo litro confia de mnitcs arligos, eon-
los etc., todos Uto breves como convem logas.
altencao das crianzas, c escriptos em linguagro
e cstylo apropriaos franqueza de sua intolli-
gencia.
E de maneira combinadas nelle se achara as-
materias que, ao mesmo passo que vivamente i-
uressam e deleilam os pequeos leilore?, levam-
Ihes e implanlam Ihes no espirito e no corarlo fe-
cundos preceitos de moral, inspirandn-lhes, desde
logo, com o gosio da leitura, o amor da virtud"*
e a repugnancia da do vicio.
Sao ambos estes livros ntidamente impretos e
elegantemente cncadernados em Pars, e conten
estampas finas representando os assumptos do
contos ; o quo os torna mais convidaiivus ans me-
ninos e mudo proprios para presentes ou premio
dos mesmos.
Contem demais o segundo dous bellos hymno?
com msica para o comeco e fim da escola.
Recommcndamo-los pois confiadamente ao se-
nhores pais de familia, e professores que arada e
nao conhecem.
Primeiro livro. 500
Segundo t ?$000
VENDA NA
Livraria francaza,
9RA DO CRESPO9
Aos laboriosos.
Concei iam-sev
pP% sob lianca, machi-
J.' as d costara,
com perfeicao
presteza, razen
do-se mesmo
qualquer pe?,
que por ventura,
se quebr; assin
g} como machinas a
vapor, cjlindro
^de |ndiriaoaou-
iro qualqner ma-
clnismo tenden-
te a industria da
paiz, sob as mes-
mas condices cima : na ra dos Patos n. 8 oa
a ra Direita n. 04 loja.
RA
IDO
CABUG
esquina
| da ma larga do
Rosario.
AO ANNEL DE 01R0
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre nm sortimento sem igual,
e vende por prepos qne nenhuma outra casa pode vender.
vista da qnalidade e do prepo das joias cada nm pder-se-ha convencer daverdade.
Garante-se ser tndo de lei. Compra-se onro, prata e pedras finas por prepos mnito ele
vados.
A loja est aberta at fts 9 horas da nonte.
HIJA
EO
CABUG
esquina
da rna larga do]
Rosario.

I ILBM
i


fe! tfi
a fea.-"Si.
91
liiifii!
i P b s 3
2* =
5 =
P 3 J
58' **"
I S* B S
Sja p 3 -
sSS ?a
sr|f s
c-2 C O BJ
gS-5 o
*?*??
9 O J J
o <- 3
o n
Is.
D O
S"
s
*5- < s ^-a
2.S w
n> a.' X
S?M =3 w S-
a, t* ta o re &
9 ^
n o
No
3s --2.; -o
iflitar
w ^ ale
o o o *" -

.SS 3-2.3 ?2.|?
33 ===* lago.
lia b 9 3 => t "5 2.-
= = re rr u J? a.
!?CreSS m fS
O O r- s. irwcj
t -o o a> ?
_s,souoi<'nt>'
1?
aa -l
r- as
s -
5 fl) ~ ^*
' M i. 8 ?. S S
1 e'a 5 a c ffgS-
C = re^re--2W
g- K = 3 5- P -- S
c B a, o as-
c ? o-S. c 3 3
SJs5o
C 3
03
ce
t .o
o o- c
E. Z
- re ira 3' 3"
8gB f -:
n
2 o 3 es
f v> es
O Z ~
B f "
Diario l Pernamimco Sfexta tra 19 de Novembro de 1869
m-an. -" t
'H!IIMflWlWi>iwmi
1 MiMM
't*
Mk-oskope achroma-i
tinta. Objetiva* 5
Barometre iono-
etre. Centigrade
9 feuumeure.
DCDLOS PERISCPICOS
E crystal de rodha do Brasil.
F. 4. Qcraaa, recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
dos; porque, com estes vidros, a vista descansa, fbrtiflea-se e riSo a canea como com
os vidros ordinarios. Urna vez escolbido um vidro, pode durar des annos, emquanto
que, coin os vidros Qrdinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez mais grossoi,.oqilft altera o crystalino do 6lho e determina quasi sempre do-
res decabeca. O alcance ordinario djtvista 'perto de 30 centimetros do orno, e,
todas as vezes que o objecti, est mais perto ou mais longa, os raios que expelle s5o
mui convergentes ou hu divergentes e a viso n5o perfeita. Um grande numero de
pessoas tem o deleito de fazer converge muito de sorte que a vis;3o n3o distincta.
Cm a applicaco do mefls vidros pde-se vencer estas difflculddes. Para os que tem
a vista curta e cjo crystalino mbi convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
longe), o que se chama myope, por meio de um vidro cncavo affasta-seo ponto de
vista, o que Taz divergir os objectos c deixa ver t5o longe como as ontras vistas. Quan-
do o crystaiino muito chato, o que sucede aos que tem chegado a urna certa idade,
o ue se cliama presbyta, vera melbur de longe que de perto, e nao enxergam senSo
nm nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarSo
tac distinctamente como na idade de 15 annos. Servindo-se destes vidros quando e
visca principia eufraquecer, prvine-se o mal.
F. I. Germano encrrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a es-
colher, a primeira vista, seja qual for a iade e grao de vista, oculos proprios para
quulqner pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros??
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-.
vo;icar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras treniem
de fraquez.
Para a vista que os olhos s3o-riesiguas.
Para a vista que se torva com o traba-
Ihc e a leilura.
Para a vista presbyta (vistagalon ).
Para a vista que nao supporla os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Paw a vista que as palpebras esi5o cer-
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o oulro presbyto.
Para evitar finalmento que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
Vwloja i* calato
Qtrt DAS DOS SANTOS c G. acaban de abrir tiin sabeleckhnt de e}>
cd Mtrangeiro a na Nova n. 3(1, ohdte o pablico encontrar ludo o que nostt t
aero n coinmerefo ba de melhor e d mais hsto pm Para e Londres.
Por todos o*, vapores transatlnticos receberao elles constantemente remessas da
picado novo, pelo que tere sempre 9 esiabeteeiantno 1 qe loitaia w^tnjir
gir. Ao publico m gerl e a seus amigns em particular, pedem a coeperjl^ qo*
Ibes possam dispensar, certos de que sero servidos com leaidade.
-
J
m
>

03
N 3 _
J' g _
- 5 O q. =
? p I i r
Sortirnento do binculos
para theatro, e oculos de
alcance para o campo c ma-
rinha.
Lunetas, pince-nez e
face--matn, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc.-, etc.
Tem taiubem grande sortirnento de retogios para parede, que do horas e para
cima de mesa dos mais lindos modelo Iklpgios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada cfoleada-, 'ingieres, suissos edrisontaes dos melres e mais afamados fabri-
cntes.
Vendas em grosso e a retalho. Em Pernmbuco.
N. 21=Rua CovaN. tt.
9Ra da Imperatriz9
Ue volta de sua viagem a Europa onde visitou as mis afamadas fabricas tanto
em Pars como em Londres, Vienna, Berln, Hamburgo et', e tendo-se relacionado}*
dtn os mais celebres fabricantes como Herz Scheel, Bovd. Peyel, etc. o proprieraric da- m fora Sprj
fuelle estabelecimento expoz venda alguns destes celebres instrumentos e assevera ao
publico, em particular aos seus freguezes que elles, alm da perfeico e esmero do seu
irabalho, reunem em si toda a elegancia, solidez e narmonia,
Esta casa est montada era grande escala e pode fazer todos os coneertos neces-
sarios, pois o seu proprietario t'rouxe consigo da Europa todas os utensilios necessarios.
Conlimiar pois, allugar, afinar e concertar, como de costume, com o maior
esmero e promptidao.
(MEIMIA DOS
16RA D4 CRUZ16
Ha diariamente bollinhos para cha, bollos inglezes, pSes-de-l, presunto, dito
fiambre, superior cha Hisson, dito preto e miudinho, xaropes refrigerantes, vinhos en-
garrafados, doces em calda, ditos seceos e crihtalisados, figuras parap)andejas (phantazia
8 noivado) caixinhas com amendoas para preco commodo.
Recebem-se encommendas para bailes, baptisados e calamentos, as encorn-
ara fora serlo bem acondiccionadas.
Plun pudding. ,
Apre col. puld. Warranted superior qualit.

^

i
rurviEiiE 'iiiisiti
FABRICA HE P14i\0S
1)E
Ji. llf.li]S
J. Rhigass, successor
55Ba do Imperador55
' Nes'ta antiga e bem conbecida casa, encontrar-se-ha como outr'ora grande sor-
tinento de pianos construidos expressamente para o clima deste paiz, e Mr. J. Bhigass
leudo trabalbado muitos annos na construcc3o de pianos ero Pars, acha-se habilitado
a preparar es pianos que vende com todos i.s accessorios-indispensaveis nao s sua
scliiez, como sua durac5o. Tddos'os pianos sao garantidas.
Tambem ha neste estabelecimento, granfte varfedad de msicas novas e dos
melhores autores, tanto vin'das de Pars como do, Rio de Janeiro, que so Vende mais
birato do qud em oulra qoalquer parte ; assm eomo ha igualmente venda todos o>
objectos necessarios contrneco de pianos. Os coneertos e affnacSes de piaoos ser3o
feitos com o maior reto e cuidado.
DO
ANDR DELSUC
CABELLEIItEiRO
57 A Ra do Crespo1.' andar 7 A
ENCONTRAR-SE-HA sempre neste estabelecimento um variado e.bonito sortV
ment em perfumaras francezas e inglezas cuja lista damos aos leitores.
LVAS Marca garantida de JOUVIN.
EXTRACTOS.De superior qualidade marcas LBIN 4 GOSNELL.
DITOS FTNOS.em frasuinhos proprios para presentes Lubin & Gesnell.
POMMADASBanha Una de varios cheirosLuhin.GosneBe, Societ Hy^iniqe
SABONETES.finos para toiletteLobm A Monpeias.
EAII DENTIFRiCE.agua para limpar denlesSociet Hyginique Lubia A >.

fierre.
milJN HOITSti
Salt hill, perto de Windsor. j
ICHL16I ATl|LltBI IBHIHDABIS MlUM
Sobo patronato expeetfl de
StfAn>CNaA O CAnBEAL WISEMAN, AnCEBISPO DE AT>:STMINSTf:n, DOS EXiS. RVMS. SRS. DB.
AIIHERST, BISM W NOBTHAMrtDN, DR. ORANT, %SI>0 DE SOCTHlVAFlK, E DO RVW DR
WAHF.rNC.
*-. 2iSrS- ,ame* Wi,liam Bult- asis(idos de um capellSo residente na casa de
a|)t08 professores, drrtgem' estabelecinffat-i acuna mencionado. O curso de educacao
eijoerra as lingnas, latma, greg, ingleza e'francez ; algeWa, arthmetica, calligraphia e
e:tcnpttracao mercantil. ^* r
A pensld de_eweo*nta guineos, Os tegares na eapertaf* mal faz parle di*
isa) Mto ionio o dmb1ro,trOe os alumnos tiverem de receber, ?3o pagos parte. A
pnalo paga seis ***gg.* no caso que os pas mi correspHdentes deseja-
rtm que seus t^os'oir'rttttliftda'es se rt-tirm do esubelecimeto, Tetto a bohdaT
do avisar vitl( tonnam no Oh Toe jodhh, e atabah no nm d mez de iiilKrt : as do'Natal co-
A Mtoacln. nao. bem e abe, muito sadia: inoenta geiras de trra per-
(.tencem casa, a qual espacnsa e mmota : situada perto da esUco de Slougb,
^woa das dav^ande estrlda tte fljrb dbW^. (OVw W*m *rw.
Para memores iMlran*00 nL-----J-----------
BRLHANTNA.para rastrar a barba e os cabellos-Lubin.
AGUA DE COLONHA.Marca verdadeira de Jo5o Marina Farifia.
COSMETfOO.cheirosoLubin.
POZ DE ARROZ.ditoLubin.
ITJILE DE SENTEUR(Meo para conservaco dos caberlosSociet Hygihiqu
ESCOVAS FiNAS.para cabellos, denles e urihae.
BLA1REAU.Pincel para barba.
GRANPOS.para cabellos.
REtS INV1SIVE1Spara cabellos.
GRAVTAS LNDISSIMAS.do melhor gosto.?
BENGALAS.de phantasia, para passeio c de diversos tamanhosetc., ele., etc.
A la parfumerie ^arisienne.
7 A RA DO CRESPO 1. ANDAR 7 A.
CASA FELIZ
Aos 20.000^000
No Iteclfc arco da Conrrtco n. *
Os abaixo assipiados tendo-se habilitado ns
forma das leis, tem exposto a venda os seus feli-
es bilhetes das luterias do Rio do Janeiro, na casa
cima, aonde se pagarao as sorts qae sahirem
nos mesmos bilhetes, com o descont omentf
da lei.
PRESOS.
Bilhete inicuo MJOOO
Mejos ijWOOO
Quarto 0|000
E?de tOO* para cima a 22 o bilhete.
Figueiredo & Leite.
I-WM.
Mudanoa.
O Dr. Francisco de Paula Soares. mc-
dTco, mudou-se das Cinco t'onts pira a
ra Augusta, sobrado n. !I6.
s qntrsdse dirigir aos
ncionados: ao
Um moco de idade de 17 annos, eem mnit<
aom taJho de letra, -ntiendo arithmetiea, traduzii
franere ingler, offereee se erapregar-se em al-
goma casa de eommercio, dando fiadora sua c ducta, se for preciso : quera precisar dirija-se i
raa da Matrix da Boa-vista J 26,1* andar, dlde
se dari mforniacSes a respeito, Ai anflWtcie po
este Diario para s-r prncuratto.__________.
Na prca da fndepndeneli H..33 se da
nheiro sobre penhores de ouro.-prta e pera*
preciosas^seja qtial for- a quantia; e a meSma
casa se compra e vende objecl* Vflr" eprau,
a mesma arte.
AVISO
Gforge Shrpfcerd, P, ry Mreet, Colohester; mHtm. J. tliiahu Thorodo
Lcizdes Santos.
AHENgAO!!!
Rnga-se pessoa que receben da corte orna car-
la de crdito i favor de Julio Adolpbo Ribas, que
mandaj^participaco ao rae*

Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de
scriv o da cidade de Xarareth desta provin
i favor de no praso de 15 dias vir ou mandai
rna do Imperador n. i8, para concluir ac
negocio, que la 4 annos ja foi por este raesmo
nal chamado para o edBcfcir. e qte tsudind
ai|ueile annuneto assevero raJisa* en30 L
e de novo esinliecea-se deMe-'l" O aontindlante]
pera qu S. &"o dispensara de viraind a
para este fin, mas se (3r a isto obrigad perl
ser preciso explicar a raiao deste chamado,
parece ao annunmate-tfieflie flear airosa tai
blicaao. Recife !(Me btubro 4M89.
1
Atten^ao.
Oes & WBlan Butt, e jbo 8raul ruvda e Ptrnambuco, a Antonio
Aloga-so i)oa casa Ufo i*.^5hiteflo-Brair,
na povdagao doBebertbe, com muito boas
modul, mobiliada as salas e quartot,
Uuay ralbas de caaak'wlaaMi inVia elstica 1
accommoda crea de 30 iwjms ; aanho 4oj
'dos do sitio e perto da rasa, e d-se i
r*l*' dotis ravallo? :fax-se contrato pelo
da fcsfa, ou pelo tempo que ronvencionar. A
i ra du Queimado, pnmeiro andar do '
ii. 3. de 9 horas da manhaa s 5 da tarde.
* I
A t,wk
"]
aviibao da 4rra Afuem
roa d Imperstni n I. prerisa-se de bon offlciaes orna casa em Reberilie : a tratar
i de alfaiato para toda as costaras. Reg, roa do Ceouaareia a. H.


Diario A^m Vi flPMW% A Vf%k I
Alagase orna salacot! dous (MHWdot'
3 afi
mismo andar, das 6 as 9 horas da manliSa.
LOJt DE JOIAS
&G
C._~A DI FU.
Aos 20:0004000.
Bilhctes do Rio i freda.: ra doCatWg
veade Vicira & Rodrigues.

i
=
Beberib,
Aluga-se Da povoaco urna casa coni traste':
na ra da Impcratriz n. 15._________
AMA
Precisa sede urna ama que co/.inhe, para fami-
lia pequea : na ra Nova n 45, 31 audar. .
0 abaixo assignado faz scienie a quem pro-
terdor arrematara ca.-a qoe se aj-ha anuunciada
pe o agento Puntual, na estrada de Jiio de Barro*,
perlencente ao Sr. Manoel Perteira Pinto de A-
ra jjo, que dita casa se acha hypotbecada ao ao-
nutrante.
Alnga-e duas casas na ilia do Retiro (Jun-
to a ponte da Passageaa da Magdalena), lugar mu
.adi e Tresco, una della de bastantes commodos,
leudo j lianbeiro ffijp para so tpr.iar hanhos ; a
tr; tar eom o 9r. Luir Manoel Hodrignes Vainica
ua das Trmcheirns n. 5fr, i* andar. .
- Alugam-se duas casas terreas sitas no Man-
guinho a raargem do rio, recommeodaveispcia vi
forrea : a tratar na na do Vigari n. 31.
Ama
Precisa-se alugar urna ama, que saiba
iem cosiabjur a cornprat, para Dfna casa #e
duas oti uts pessoas. Requvr-se que seja
de muito',bon costumes e diligente. Se
tiver estes predicados, paga-se bem. Diri-
dir-se ra Bella n. 30, sobrado de (2 an-
dares.
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado ie novo, est as condi-
pdtes de servir vantajosaraente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
ex)lendido sortimento de obras de ouro e
prata de le, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, oujos presos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
o V r% 4- Ck
5 Mil DO CUOGA \ 5
OLIVEIRA ftCARVALHO
Successores de Reg &Moura.
24 Ra Nova 24
Os proprietitios deste novo estabelecimento fazem sciente ao publico, que
acabam de receber nm perfeito e variado sertimeiito de pannos Anos, casemiras, brins e
outros militas fazendas de gastos modernos, as quaes vendem por precos razoaveis.
s rtresmos scientificam que tendo admittido para sua offiema de alfaite, um ?rtista hbil
no desemperno de suas funccOes, recebis qualquer encommenda de roupa por medida
protbeltendo salisrazerem, com pontualtdade e presteza qualquer pedjdo oeste seHtido.
AS BOUBAS CURADAS
E
Todas as molestias syphiliticas.
PELO
ELEXIR 00 DR. SEVIAL
nico depurativo sem mercurio que tanta aceitacao tem meteodo no Bra-
sil, as repblicas do sul e na Allcmanha especialmente para cura das boubas,
saraas, rneumalisni., todas as molestias syphiliticas e em feral todas aquellas
prevm da empureea do sangne.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmaela e drogara.
DE *
Barthelomeu & C.
34Raa Larga do Rosarlo34
Precisase tic urna ama para
lanilia : a tratar na ra estrella do
f. andar.
sa de pouea.
osario n. 36,
h
h
Xa ra Dirala n. 1G, sobrado, lava-se e engom-
M-se tanto para liomem como para senhora, por
cotnmedo prego. ________
Joaquim Ferreira dos
ftmtos
nrofessor de dansa, natural de Portugal, rltegado
pouoo'da Europa com sua esposa csia piMvin-
cl?, lein a honra de participar aos mu Ilustres
habitantes e mu principalmente aos pais de fami-
lia, que contina a leccionar em dansas'enm todas
asregra-, as terca* e quintas-feiras, das 5 horas
da larde s 10 da noite, em sua casa na ra es-
trella do Hosario n. 31, 2o andar, e nos domingos
de nianhaa para todas as pessoas que nao podem
vii nos outros das, sendo a licito uos domingos a
noitc gcral para todos. Tambem se prmnptifca
ir aos collegios e casas particulares nos outros
d'i._____________________________________________________
Feitdr e cozinheiro
Na ra Nova n. 12, ou na ra do Ouro n. 30,
precisa se de utn feitor que saiba tratar de um si-
tie, assim como de urp Ijpm cozinheiro, preferindb-
*e estrahgeiros. _________
O Sr. b^ciarel Joaquim Cordefro Coe-
Iho Cintra queira apparecer na ra do Hos-
picio n. 84, negocio._________________
Coropuiihia de seguros martimos Ulilidade'
Publica.
A direccao dc?ta companhia em conformidalo
com os estatutos, convida aos Srs. accionistas a se
reunirem, segunda-feira 15 do crtente ao mel
dii, em seu esenrtjrio a ra da Cadeia do Recife
n. 42. necasiao em que ser a presentado o seu
relatorio e as coutas do presente anno adminis
trilivo.
Recife II de novembro de 1869.
Os dirertores,
Feliciano Jos Gomes.
_________Thomaz Fernandes da Cimlia.
Urna senhora que chegou da Europa, e que
cabeHeireira, se offereco para pentear em sna
cusa e cm casa das senlmras que della preeisarem
podem dirigir-se ra da Unio n. 53. Na mes-
ma casa ha urna senhora que trabalha com asselo
et.i costura de homem, tambem se fazem fatos de
senhora, tudo com a niaiorfperfeieie.
ATTENCAO
Na lija de funilara da porta larga i ra da
Iri^eratriz n. 05, tem um grande snrtimento df
ciTidieiros e lamparillas para gaz, de lindos go e e0ra9 de funileiro, tendo i santuario de guste e
bem acabado, assim como vende bombas, tornei-
rus, etc., cencarregase da encanado d'agoapara
qiaquer casa, ou e>tai)elecimenlo, tambem vendf
un bonito e modwnj fojiao inglez, o scozinha
* lenha como com o carvao. Na mesma luja
c ini'ertam-se todas as obras de encanamento e
machina de costura, asseverando que aebarae
stnnpre prompto a servir bem os seua Ireguezes
a tratar na mesma loja a qualquer dora, que ser
al tendido._____________ ______________
O testamenteiro do fallecido subdito franct-z
Joio Vignes, eonvida aos devedores do finado a
slflarem sens dbitos amigaveimente, do coolnrio
s Temos tiotte1 por ufn pessageiro chegado do
f*._t____tee_|l'#"%arA m jiossa capital,
fliatfWMr noiA. Ihrin Nwfc Eain rival
do celebre, Mr. Uermann, desejamos que\ ebegue
EugoDQjadeira.
Na.^l do Imperador n. 73, 2o andar, precisa-
se de wpti criada para engnmmar.
no Mn-eu de
Precisa-se de ama cosinhoira
Joias, ra do Cabug n. 'ij
Gasa para alugar
Alnga-se para passar a fcsla ou por arnio, urna
casa na ladcira da Misericordia, cm Olinda, com S
sals, 5 quartos, cozioha fra, terrados com assen-
tos de pedra c cal, na frente e atraz, c boni qnin-
al cercado : arralar no fatigo o Terco n. H
Sabao de alcatro
Para curar as molestia* la pello
laes como fmpingens, darthros, sarnas, comiehes
e mais molestias de pelle, Km oceasionar aeeiden-
t* ; defa^as inanells do corpo, pannos, sardas.
restabe^ece a er natural, qnaiito a cutis, secta,
grussa o ainarellerila, ocasionando por alguma
enfermidde, e como desinfectante o preventivo
das molestias contagiosas. m
NICO DEPOSITO
Botica o Pmto, ra larga do Rosario n. 10, junto
ao quartel de polica.
SSiftp^ mmm mmmmm
mmmi\m sobrei
PE:
(SEM limite:)
Na Iravessa da
1 das Crazcs n, 2,
i Bieiro andar, da-se qnai
quer ipianlia sobre ouro, m
9 prata c pedras preciosas.
a^ O dono deste eslabelecimento,
S_ competentemente autorisado pelo
fig governo, est as condices de ga-
| rantir a transaeco que se izer em
sna casa, prometiendo todo e zelo
e consideragao s pessoas que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
S belecimento.
Na mesma ca>a compra-se ouro,
HI prata e brilhantes.
SQ&T'fitM&^r*^ri''-zZ )__d-""S _S f^ti'
PARA ESCItIPTORIO
Alugn-se o Io andar do sobrado da iravessa do
Gorpo Santo n, 25 : a tratar no rae.-rao annazem
roa
pri-
Precisa-se de urna negriulia para andar com
urna enanca om casa de familia : na ra de Mor-
as n. 9i, sobrada.
AVIS
Nous prions nstamroei tos abonns de
nous faire parvenir leurs ordres de rencu-
vellement do journaux peur J'anne 1870.
Le eatalogue complet des journanx flan-
eis, anglais, allsmands, portugais & av c
les pife ccmlition* dlbohaement est
la disposition de toute persoiine qui nous
en 'lera 'la demande. Pernambco 5 no-
vembro t869.
De Lailhacar & C.
9RVE DU CRESPO9.
Fiudando-se em 31 de detembro uroxi-
mo as assignaturas de jornaes de Europa
do ann de W69, coBvirtamos pois nossos
assignnntes de determinar-nos-sc pretend^m
continuar para o a' mesmas folhas e mais cscolner algum outro
peridico.
Neste fin temos offerecer qoem pre-
cisar o cathalogo ou lista de jornues france
ses. ingl.-zes,, allemies, portugueses, etc
indicando os precos e condices das asig-
naturas. Pernambuco, 5 de novembro de
De Lailhacar & C.
9-iWJA DO CRESPO9
Aos 4:00flfJ
. fillietes giiraHtidos.
A na do Cresp- o cau_ do costamr.
O abaixo assjfllo.'icndo vendido alein de ou
iras sortcs,4ttU4jut>s n. 3188 com 4000# da
lotera quejMHilnWifo exiralitr a beneficio da
igreia de Nossa Senhora da Soledade do Recife
(12o1), convida aos p.issmdorcs vircm receber"
na conlnrmnaJe acoStume sera descont algnm
Acham-se a Wnda os bilhetes da 1* parte da
leteria b'nelleio di igreja de Nossa. Senhora do
GntidelHM 4* Oimdn (li1), que se extrahir sab-
hado IjJo eorretite mez.
Precos.
<*. Os do eostume.
Manoel Martins Finia.
Attenpao
Na, na do orrl.>r do Bispo n. 53 precisase
alugar urna sserava para fazer compras, cozinhar
e mais serviros inlernus, nao se elha o pree/>: a
tratar na nv-sma. ___________" _______
Precisa-se fallar eom o Sr. Rufino Thomaz
Je Aquino, grnr.i do Sr. Manoel Jos de Souza, a
negocio de seu interesse, ou saberse o lugar de
sua residencia, na roa do Queiraado n. 46, p.imei-
ro andnr.
Attncao.
Precisa-se de urna ama forra ou cscrava para
casa de poiifa faniilia. paga-se bem ; e juntamen
te de um menino de 10 a 12 annos de idade : na
ra de Apollo n. 36. 1" andar._______________
Bolos para casamentos
3 5-11 un 8lreita do ttosario-35
No primeiro andar, preparam-se bandejas com
dilTercntes armacoes, bolinhsde diversas qualida-
des, enfeitailos ao nltimo gusto, com boqueta e fi-
tas, com di.-tieos a ouro ; assim como preparam-
se noces de ledas as quididades com perfeieao e
esmero, pwlins, bulos inglezes, pndelos, e as de-
inais iguarias proprias de das festivos ou presen-
tes, ornados on simpl Tambem se fabricam flo-
res de todas as qualiJades, quer sejam de panno
ou era, c tudoquanto for tendente flores ariili-
efees, desde a rosa at os reos para ornamento
de imaseirs, Inclusive ornamento de velas para
baptisados ; armam b-quels de cravos ou flores
iiaturaes para casamentos com litas ou sem ellas,
etc. etc. : os'pretennVntcs devem vir om lempo
fazer as encominendas, que ser garantida a per-
feieao exigida e po- commodo prego.
.---i-
Compra m se rnoedas de ouro e prata de lo
Jos os valorfes, onro prata em obras inntilisadas,
brilhantes e mais pedras preciosas : na loja, de
oorives do arco da Conceicao, no Recife.
0 inuzeo de joias
Na rudoCalmg n. 4 compra-se onre, prata
i pedras preciosas por precos mais vanidosos de
"|Oe em outra quadjiier parte.
Conipram-st! e venden-se diariamente para fra
e dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejam sadios : no
lerceiro andar do sobrado h. 36, ra das Cruzes,
fregnezia de Santo Antonio.
Lom muilo manir vaniagetn compram-se
moedas de ouro e prata : na loja de joias do Co-
racaodo Ouro n. 2 D, ra do ihng.
Conpnun-SB sedulas de if, 2 e oiOOO : na
ra Nova n. 7.
V1NDAS.
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento; na roa da
Malre de Dos n. 22, armazem de Jo2n
Martins de Barros.
Cabriolet.
Vende-se um cabriolet de dotis e quatro assen-
tos, o que ha de melhor neste genero, com bom
eavallo e arreios, ou sera elle : na roa de Santo
Amaro, cocheira de Thomaz Lins.
Victorino de Almeida Rabello e Manoel Ro-
drigues Teixeira fazem blico o especialmente ao corpo do coinmercio.
que na presente data dissolveram ainigavelmente
a sociedadeque tinhain na padaria da ra da Flo-
rentina n. 3, sob a Urina social de Rabillo t Tei-r
xeira, fleando o socio Teixeira na posse exclusiva
de dito estabelecimento com todo activo e pasvo
existt-nie, e oftri|.'ado sua liquidacao romo ngiao
responsavel, relirando-se o ex-socio Victorino de
Almeida Rabello pago c satisfeilo de seu capital e
lucros, e desonerado de qualquer responsabilidaile
pelos encargos da extincta (Irma social. Recife, t
de novembro de 1869.
{VERDADE
f
ooEiCdo Qneimao__55
A VERDADE tendo efe deposito grapde
quanlidade de miudeza^perromarias, e(to-
sejando aptrrardnhero e adquerjr boa fre-
gnezia est rsslvida a vender nuiitissio
barato, ; por essa rato convida ao respei-
tavel publico a vir competentenuTite muni-
do a sortir-se do bpme barato. Pois quaa-
do a Verdade apparece, todo mais des-
apparece-----
Grande sortimento de boneros de cera
massa as mais lindas possi veis vestidas icf-
racter.
Abotoaduras moderuas para col
letea.......
Espelbos donrados pepnenos. 260
Agulhas de osso para crox a 200
Pentes p;ra rega>; com esntas a 320
Ricos globos para candieiro de gaz l j)80Q
Chaminsa....... -320
Grande s.nliinento de objetos de
louca pura brinquedo de menino 100
Garrafa com tinta a..... 800
Dita com agua florida rordadeira a 16300
Dita com .lita dita a _!|J0'0
Frasco com oleo d babosa a ?50() e 730
Dito com agua de Colonia a 300 e 500
Garrafa com agua divina a. W90G
Frasco com extractos linos a 4)5000
Latas pequeas com banb i muito
fina a I2iio...... 100
Sabonetes de diversas qun lades a
80, 100,240 e...... 32o
Finas escenas para denles de 120 a 000
Lindos coques modernos a. 25O00
Pavios para gaz, dtizia a 240 e 320
Escovas para fado a 5i 0, G e 700
Ditas para, cabello a. .... 500
Pentes para tirar piollio a 100 e. 20
Rrincos de cores, bonitos a 100 e 200
Pecas de tranca de 1aa com 8
varas por....... .80
Oleo para machina de costura,
frasco a. ."..... 600
Pennas d'aco finas caixas a 800 e 15000
Dita/Taco Peny, caa a. l^iOO
Gal de algodao peca 400
Lindos bab;idinlios e ntremelos
'' peca de 500 a...... itffiOO
Ditos de louca muito fino a 120 e 200
Ditos para calca a lt-0 e. 240-
Caixa cora papel amizade a. 700
Ditas com envelopes a. 480>
Dits com obreias a..... .40
Caixa comagullias fundo dourado 280
Ditas de ditas ditas a..... 166
Thesoura para costuta a 2i0e 50
Caixa com linlia da marca a 280
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........ 506
Camelis de linha Alexandre de 70
at 200. .,,.... 100
Grampos muito finos com passa-
ros, duzia a...... 2*
Cartas porluguezas, duzia a {40
Ditas francezas a 2200 e 30##
Papel almaco e de peso, resma a
3HO0, 3*300 e 40500
_,a muito lina para bordar, libra 6|550
Fita de algodo para debrum de
sapatos, peca a..... 160
Ditas de 15a para debrum de ves-
tido, peca a...... 486
Pentes finos para segurar ca-
bello a....... 326
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240, 320 e...... 5C*
Ditos para aparar penna a 106
Rosetas pretas, par a 106
Tranca de 15a decaracol peca a 40 e 106
Fita de coz peca a 480 e 566
Alfinetes de. lato a..... 106
Sapatos de 13a para enanca a 400 e 800
Grvala de sedas de cores a 206
Cslcadeiras a....... 86
Grande sortimento de rendas das Unas.
Um par de suspensorio de borracha per
lOOris!!!!!!!
Ma Verdade rna do .________n. &&.______________
\ KX1IAS EM liWli
A PRECO FIXO E MDICO
NO
0
DE JOIAS
G/2
GOMES DE MAHOS IRMOS
tendo feito completa mudanza em sea antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com oflmde
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialiiade as Exms,
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RU DO CABUGA N. 4
onde encontrarfio um completo sortimento do que bar de mate -_Je!
bello e precioso em briHrantes, esmeraWaa, rabins e tudo qu m
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADERECOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBIK
de novos gostos, assim como grande variedade de ilvas e palitevw
prata contrastada e de gosto anda naso visto, e completo sortifeeati le
objectos de prata para uso das igrejas,
Compram e troeam <{tiaiquer joia ou pedra jM-ecio* gw_n*ln
aqualidade dos objectos vendidos.
>btmi
Antonio G'mes da Go-U Loite faz >ciente ao
raspesviM corpo do roinnereio e a quem mais
pn.-sAiUresaf, que na-pn-sente dala venden ao
Sr Beraardiao Machado Loelhn a sua taberna sita
no beeco Largo a. if livre e de^embaraijada de
deban* o bro de f9.__________ ,____________
Offerece unta mnlhrr branca oV meia idade>
de Mu conducta para faier companhia a urna fa-
milia e prestar servicos; quem precisar dirija-se
a Boa vista ma dos Pires loj n. 35.
Sahto a luz e vende-se na livraria de
De Lailhacar C.
9RA DO CRESPO^-9
E' na traves>a do Carino n I, que e yende
urna escrava recollnda de conducu afflancada,
perfeila engninniadeira ecostureira doceira o boa
cuzinheira, 6 ditas para todo o servico, e t escravo
para o servico de campo.
0 MUSEO DE JOIAS
HIUHH lltT
GUIA Ce-TMflIJITAni'MEnCitNTII. Ot' MF._t>-
RML CUMAS FUTAS
'otHewl tabvlla-romparativas de cam-
bia do Brasil com a Inglaterra e'cotn outros
paizes da Europa o America ;do valor
das moedas mais conliecrdas, em moeda
brasileira ;da conversSo dos pesos e me-
didai.do Brasil, e de todos os paizes com-;
mirases, as do systema mtrico;dos
diaseompreiumdides entre duas datas e de
qualquer data at o fim do anno. pira cal-
cuio de figk), cambio e juros;de fracees
ordinarias reduzidas a decimaes ;do va-
lor das libras em .proporciu da arroba ; e
diversos methodos de contas correntes com
juros, seguidor te -moas eiplicacoes. Por
J. B. C. i viome rs. 3mO-
0 auxilio qs- contagem prestam as ta-
bellas, de rflconlierida utiluiade, presetr->
'tam os calctlos S feitos, prmpano asshtf
lempo e facili and* as contas, e meweo ser-;
vindode revisar, Q iatMesae detto livii-1
nho logo se conhece abrlnd -qualquer da
vite tabellas.-jBB' -elle contem, sao todas
de assumptos olgares e*d se'tmam iudispensaveis
quente. que se'tanam uidispensaveis para
;-nntt8. juros, valor de moedas, pesosj^JPprMj;^la-se Krian':"do
l*e iwdidas,e muttbs otttros edculos ja fei-
* Jtos e todiis seguid s de arnpi s e clara.
explicacfcs, a|>resntand | fnrilbor caaiprWiensuo dos'imeM
i na cfHUrkdde.
PARA i FESTA
Raa Direita nnmero 53.
Grande e complot sortimento de bandeijas chi-
nezas, tanto quadradas como ouvaes, e de todos os
tamanhos, com-lelo sortimento de faca* e garfos
de I e iB, halane inteiro e ineio halanco, colhe-
res do metal principe, as mais linas que tem vindo
ao marcado, trm para cozmha, pesos kiiogram-
mas tanto de ferro como de lati (com redticcao
t- preco), metros para medir farenda tanto de ma-
leirn como de lalao, alein de um sortimento com-
plelb de fcrr3gens e miudezss, bem como mneninas
de desearocar algodao, mohines para caf de todos
os lumanhus, etc., ele,, tudo por precos que so
avistado comprad'>r faz f : na rna Direita n. 83,
loja de ferraguns de Manuel Bento de Oliveira Bra-
ga* C- ^__
Veaem-se dou< burros mansos, proprios para
carrosa ou carga, ua coebeira que foi do liento
He-pantMil, n fim da ra da Roda : a tratar na
mesma cocheira. ou na ra Nova n. tt.
----------, i--------2---------------------------------------
Veado-se um carrinho americano de quatro
rodi?, com 2 c 4 assentns, e arrelo para um'ca-
vallo, tado em bom estado: a tratar ua ra da
Florentina, nfficina de; Mr. GmsjMii.___________
jBotel Lisbonense.
'.'efide^m o hniHVda ra do-Rxisario'n.-il, bem
moqudoe com muita fregiiezia, fae muito negocio,
com rrf)(laRMtito di predio pur quanlidade de
"iinni e otttras vantagem que se dirao aos com-
prajores, aslin como o motivo da venda._____
Vlnho de cnJH superior
V
ver
Aleaba de chegar do norte, c ventte-se em bar-
r : no escriptorto da ra da adeia do Recife
n.tO.____________________' _________
Vendeme duas en-raya? : qu m as qhtfw1
Eduardo
Vend? *e oengenhi- Jeruzabm, po torran de
SermlAem, distante da estacan da via-ferrea ire-
leR dOS'a?". >pem. rom bas mt: fr^jir I.0B0 pi a : qoem o i|uwr comprar enten
J- ora eu pr iMhttwio, h na dt Hmpiio,
4|ue
outra qualquer pafte
ri^ -carnet MM *r% r.^^
/uanirU d*o
VtmWfl IraSSW* Irgandjs de ctin*.pttt _aratts8mo .precu Mn. o Bieirb, que eorrwponde i
ri4 evado: oa k>je das CyJumnae, m fu do Crespo a. Vi, de Antonio opra de Vjetoncellos.
Ba Nova
ESPELHOS em qtiadros donrados de \k
" /i Vs V % a d"'3 4*000' 2*800'
iOl), 90Oe t>800.
LAPIS finos a groza 2#200, 2(5600, 3|J0C,
3d*00 e 45500.
DITOS com cabeca de osso para carteira,
a groza 4i&800.
DITOS muilo superiores para canpina groat
2600.
DITOS muito Qnos com duas cores a gr 444000.
FIVELLAS d'aco pulidas e envernisadaa
para oa<0' e coHete a groea ti$300. .
OCULOS aro d'aco, vidro degio a daa
345U0, 5y>000 e 9*000.
LUNETAS OU PINCINEZ dem dem a dn-
zia 9^000.
E muito outros artigos que s. com a
vista podem ser apreciados tanto as qua-
lidades como nos restMoidissirnos procos
por que ludo vendido.
Alein disto faz-se os abatimeiitos na razie
seguinie :
Compras de 505 a iO0 c de iOO/J a50 10 7*
t de 5005 para eima (5 J
PAGAMENTO REAUSADO SA MESMA DATA
em letra de 3t)dias menos a
em i de 60
Jnsde Sottzti Soares Vendp-se Br menos de seu val>>r nietde
da casa da ladoira Bo'StMrMiordbi, em Otindn, _
18, que foi dns'herdehnw dcJnaqnlm Jeronymoir-
pa, garantindnse achar-se-deseodiara^ila : a tra-
tar tar com o leiloeiro Martins, ra do ImpurauV
n. i6.
n
Nbwrlrtn>memn do sello ; wetjde-se na Hvra-
ria jcoaongea ao j< do arco de fl**H Ailtunto
J*n>cvaHo fastarths. comiWdas osan-
*tRrsffj.s1j_wrta'
A ruado ti vraraeoton- 6, continua a ka-
ver para vender por presos rasoaveis, ?
melbor vinbo verde at'hrije Pitido a "flw
mercado
Loja do Arantes
Botinas de peHica | _____
'Duas pretas
Ditas dita j
de brim pardo e branw


I gamal


Diario de Peiaoi^Kico ext*'< feira Ijfi a Novemlnro de }869.
SEM IGUAL
O proprietario do-armnzem de fazcndjs denominado ABARA, ra da In
propnetario
iriz n. 72, declara ao respeitavel publicu e scus rcgtiezes, qua esl liquidando
fazendas e roupas fetas que tem em sen esla^elccimcnto como se poder ver
abaixo mencionados,
Impera-
(odas as
no seu
annuncio e proco
Chita fraoeeias matizadas a
30 rs.
Vendo-se chitas francezas escuras matiza-
das a 320 rs.o covado. por este preco s na
loja da Arara, roa da impefatriz n. 72.
LAZINHAS A 240 RS.
Vende-se llazinhas para vestidos de se-
nhora a 240, 280, 320 e400 rs.' o co-
vado.
RAUEGES DE L.U A 500 RS.
Vende-se baregos de 18a com Mitras para
vestidos de senhora a 590 e 640 rs. o
covado.
Alpacas de listras a 50 rs.
Vende-se alpacas de'listras para vesti-
dos de senhora a 500 rs. o covado.
CHITAS FRANCEZAS A 289 RS.
v,ja h-so chitas francezas claras a 280 rs.
J ?Sn s DE LA PARA VESTIDOS A
Vende so &. ">rtes d' 15a Para vesli(,as Je
vnliaisK i'* 00 cada um,
. VaBdSe^Sau "s Uo finos *"
tidos de se ahora a 4
solinas brancas finas,
brigantinas de cores, a
aloes modernos i
reres.
Vende-sjbaIoesmoderno sb.
res a-fi. U^OO-e'U.
COBERTORES DE ADGODO *
s- Vende-se cobertores de algodSo a ''. '
Ciertas de chitas a 14600 e U cada
GANGAS PARA CALCA A 320 RS. ..,_
Vende-se ganga para calca a 320 o oo\ ,
do, brim de cores para calcas de hamom t
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
cores para caifa e palitots a 2#500 o 3,
o covado, moias casemiras enastadas para
calcase palitots a t o covado, brim pardo
de todas as qnalidades e brim branco de
toda* as qualidades na ra da lmperatriz
n. 72.
Alpacas lizas a t rs.
Vende-se alpacas de cores lizas finas a
vts-
40 rs. o covado, mur-
a 500 rs. o covado,
440 rs. o covado.
1c todas as
-anco c de c-
A 15500.
Algodo entestado a rs.
Vendc-se algodao cnfestado proprio para
lences e toalhas, 900 rs. o metro, dito
trancado a i #, metro.
Chales de merino i 83.
Vendo-so chales de merino estampados
a 2$, chales brancos e de cores a 16000
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Vei.de-se urna grande porcSo de cortes
de brim castor para caifa de homem, 640
rs. cada um.
Grande porcSo de retalhos
Vende-se grande porcao de retalhos de
chitas e cassas pelas a 160 e 200 rs. o
cova lo, retalhos de cassas, 13a e chitas de
cores baratsimos.
LIQUIDAN A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brim de cores a 25,
ditos de alpacas do cores a2$, dios de
moia casemira a 20 e 20500. ditos de pan
no preto bom a 80 e 100, caifas do algo
ilo azul para escravos a 640 rs. ditas de
algodo de listras a 800 e 10, camisas de
riscado de listras a 800 rs. cada urna, cle-
les de brim c fusto de cores a 10 e 10500,
colotes do cesemira de cores a 20500 e 30,
e o'ilras muitas qnalidades de roupas feitas
que se vende por baratissimo preco.
Algodo de listras a ZOO rs.
o covado
Vende-se algodSo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A 40.
Vcndem-se pecas de algodo 40000.
' i 50200. 60000 e 70, para liquidar.
Balcs de reos I I 509
Vende-se baloes do arcos par senhoras
pelo l>aratss'mo P'"eco de 10500 cada um,
r *"*es de amforala barras
a 34000.
Vonde-st corw de cambraias barrsa a
20 e 30 cad am-
LENCOS
DE SEDA A 640 RS.
640 rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOLN ENFESTADO A 30500.
Vende-se pecas de madapolilo entestado
a 30500; pefas de -madapolo inglcz de 24
jardas 50. 60400; 70, 80 c 100 a poca.
72. Ba da Iuiperatnz. 72.
de seda a 640 rs. cada
Vende-se lencv>s
um, para liquidar'
CAHTEIRAPAfcA V5AGEM A 1.
Vende-so carteiras para viagem
cada urna.
10
11--EUA DO QUEIMADO-41
Chegaram da Europa pelo ultimo vapor toja de Augusto Porto & C. ricos
cortes das mais linda das de mimosas cores para vestidosproprios para bailes e casa-
mentos.
Grande variedade de sedas delistc de diversos precos todas de lindas cores,
gorguro de seda preta, e grosdehaj88>fft4'arias qualidades e gorgurao de seda la de
dillerentes cores.
Novos vestidos branos de Wend para noivas, lindas cohas de suda para camas,
ditas de la e seda, cortinado bordados para camas e janellas. fronhas e toalhas de
cambraia de linho bordadas. }
Luvas novas de Jouvin.e elegantes sombrinhas de sClns de cor para senhoras.
Espartilhos de 50 at iO0, lindos bournons de cachemira de cor para sabida
de baile, basquinos de renda preta, e (filos de croch branco e preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e orminos.
Sortimento de muitas fazendas de la, linho e algodo todas por precos muito
mdico.
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tap 'tes o de alcatifa para
forrar salos tudo em quanlidade; e vendem sempre'por menos que em outra qualqoer
parte.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
ALGODO
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
CACHINAS americanas de serrote de todos os tajnanhos para descarocar algodo, do
muito conhecido fabricante Eagle Colln Gin.
CACHINAS ditas, tambera de serrotes e de todos os taannos para descarocar, al-
godSo do autor New York Cotton Gin.
CACHINAS ditas de todos os lamanhos, de carreta de ferro e mai? toda a machina.
ACHINAS ditas de Roller Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
CACHINAS do faco do fabricante Platt R. & C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as memores que tm
ndo ao mercado ; e para a soa apreciaco convidam-se os senhores agricultores '
?irem a expOsicSo das mesraas na ra da Cada do Recife n. 50 A, loja do Rastos, onde
sncontrarSo mais o seguinte:
Folha de ferro.
Balancas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
)ebulhadores para milho
Oylindros para padarias.
Arados americanos.
Jarrinhos de rallo.
achinas para cortar apira
Pannos de chumbo.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
reihas de ferro galvarosadas.
Folhas de zinco finas.
Oitas de cobre e latao. .
forro de todas as qualidades.
Ircos de ferro.
?olha de Flandres.
Machados americanos.
?aces ditos.
alaios e cestas de verguinbav
Vassouras americanas.
bolles de todos os tamanhos.
romos e safras para ferreiro.
Finalmente muitos outros afclig
liversidade seria enfadonho eDwimera-liw.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanizados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para refinacoo's.
Azeite de espermacele, proprio para maga-
as de todas as qualidudes.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertences pera as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoora e arte, que pela
Lpja de miudezas de FERREIftA DA CU-
NHA TEMPORAL, estao quiraa'ndo por
todo ireco venham ver o que bom e ba-
rato a saber:
Lindos brinquedos magnticos para me
nios de 240 a 10.
Linhas cm novellos de 400 jardas a
60 rs.
Pecas de tranca de todas as cores a 40 rs.
Latas com superio banha 120, 160
e 20000.
Frascos com oleo baboza 240, 320,
400 e 600 rs.
Ditos de extracto 160, 320, 500 e
040 rs.
Ditos com banha 320, 500 e 10200.
Ditos de agua de Colonia 320, 400 e
500 rs.
Baralhos de cartas portuguezas a. 120 e
160 rs.
Ditos francezas i 200 e 240 rs.
Grande sortimento de sabonetes 80,
120, 160 e 200 rs.
Caivetes finos com duas folhas a 240 rs.
Linha de 200 jardas em carrete! (duzia) a
10200.
Lindos port-main 240 rs.
Pentes de travessa para meninas 200,
320e400rs.
Duzia de meias inglezas muito finas a
30800
Ditas de ditas para senhora a 40500.
Garrafas com a verdadeira agua florida a
10200.
Ditas com agua divina 10300.
Frascos com sndalo a 10200.
Pefas de entremeios a 500, 640 e 800 rs.
Lindos gorros de velludo para menina a
50000.
Papel amisade beira dourada (caixa) a
900 rs.
Dito em pacotes a 700rs.
Lindos bonets de panno para menino a
20000.
Pentes brancos Unos para albar a 240 e
320 rs.
Macos com grampos 30 rs.
Lindos frascos para cima de mesa com
extractos a 10500, 20000 e 30000 ao par.
Jogos p*ra vispora a 200, .240 e 320 rs.
Linha de marca caixa) 240 rs.
Temporal pode ser procu-
rado era seu estabeleciment bo-
nanza onde contina a vemler
pelos baratos precos de seu an-
tigo estabelciment com titulo
de Temporal na Bonanza.
Una do 4(uefinada o. 3.
Sellis karal
7,- Rl'A DO LHfRAl&B N. 27.
Neste estaheleciteeiiio veolMe sellinsje
sbocs, de todas as qualidades do melbor
que se pode fabricar no paiz, assim como o
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se lambem, eolxBes, traviceiros, caixK
nhas com almofadas, proprias para mcninai
levar para aula. O proprietario deste esta
belecimento garante a pontuandade, esme-
ro e zelo de seu irabalbo ; tfortano pede ao
respeitavel publico soa proteccSo, que affian-
ca vender todo pelo mais barato possivel,
e por menos do que em outra
parle. ^^____
i Peroira Mendes Guimares, proprietario do armazem de fazendas
honra de ptrpar ao respeitavel publico que tendo
festa, oslando a espera de
vendo
denirainadoGABIIJVLDL tem a
ScumSSs'vend^njVS barato doquoem outra qualqoer parte
Imperativo. 56.^mmwmmtM oas{nrt CHITAS PRETAS A 160
p.r
das
na ra da
, ENFESTADO A305OO)flJ ^-^ gnnde ^ do chitas e
30500, assim cassas prelas em retalho a 160 o.covado
de 24 tambem tem retalhos de chitas e ISa de c-
veude barato.
Vende-so urna grande porca
lo infestado de 12 jardas a
como p-cas de madapolo ingleses
jardas o 20 varas a 50. 50100,60,60^00
70000. 80, 90 e 100000.
Corpinhos a 200 rs.
CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500
Vende-se pecas de cambraias victorias
finas a 50500, 60 e 70. Brilhanna bran-
ca lina para vestidos de senhoras a oOO
re. o covado
ALGODO A 40000
res que se
Gaasa para cal^a a 3S rs.
Vendem-se urna grande pore5o de gangas
para calca de h >m m e menino a 320 o
covado, cortes de castor para calca a 640
cada um.
Brim de cores a -tllOrs.
I Vende-se urna gnnde porcSo de duas
faces para calcas, palitots e colletes de ho-
fazenda inttiramente nova.
? eder rsad. & Vi tf 2 sw-' t, e ""S- fc t
Graade liquidaran de chapeos
de sol
Vende-se chapeos de sol de alpaca com
pequeo dufeito a 20 e 30000. ditos finos
"a ADMIREM-SE DO QUE E' BARATO
Chamalotes a 560
Vende-e chamalotede c&res, de algo 15 *
para vestidos de senhoras a 5H o covado. di
Alpacas lisas a 500 rs.
Vend^so alpacas lisas para vestidos de
cores, para senhora, a 500 rs ditos matisa-
das finas a 720 o covado. Dita* lisas mui-
to largas a 640 o covado.
CORTES DE PERCALES A 6:000
Yrtden-so urna grande porc3o de crtes
de punales de duas saias para vestidos de
senhora, de mnito delicados gostos com
16 V covados a 60 74000.
CAMBRAIAS LISAS DE CORES A 600
Vendo-se urna grande porcao de cambraia
lisa de todas as cores para vestidos a 600
rs. o metro.
Orgaabjrs modernos a SOO rs.
Vende-se organdys de cores para fazer
vestidos, de duas saias, agora modernos, a
800 rs. a vara.
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas muito finas de
coros a 280. Ditsmasadas escuras a 3:20
ditas escuras escocezas a 360. ditas aleo-
xoadas a 360, ditas garibnldinas a 360 o
ITTHKI10 LO
Grande armazem de fazendas e roupas fetos ni da lmperatriz
n. 52, porta larga, de Pareis- Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico una* bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, palitots (te alpaca a 2\ 30500 at 60. Ros di
merino, ditos de casemira de cores bonitos geetos a 53. 60, 80 e !#, de panno preU
sacos e sobrecasaeos. Ditos de brim pardo fiaos e ordinarios. Dito de alpac branca
o de cores de 30500 a 50000. Calcas de- brim de r finas e- ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino ordinario,- ditas de casemira
de cor e preta de 40, 50, 60 a-150. Col tete de todas as qualidades e preco- muito
barato. Completo sortimento da-camisas francesas de al<*e*lao e de linho de 25-at 50
ima. Sortimento de seroulas fraocezas de algodo, de lisho e bramante a 20 e20500.
Grvalas (mantas) novissimo goeto a lodos os precos. Maias soriimralo completo a 30
40 at 70 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto para homem, come
para meninos, e com brevidade-, por isso que tm um bonito sortimento de fajeadas de
.odas as qualidades tanto em casemiras como brins, pasaos Irnos s- outras murtas fa-
cendas.
FAZENDAS
Bramantes de II palmos de largura a 10800 &metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 64Q rs. o covado.
Poil de-chvre com lista de seda faaenda de gesto a 10230.
Basquines de guipure enfeitadas a r80OOO.
Sortimento de chitas, escuras e claras a 280, 300 e 36&rs.
Madapolo fino a 60500, 70, 80 e 90000.
Algodo peca com 20 jardas a i(&500, 505O* e 6000.
Peca de algodfc largo a 70500. -
E outras muitas fazendas que serA enfadonko mencionar Chegoem roupa
feita que se est liquidando ua loja ra da Imperatr a. 52 (jinto loja de ourives) do
LESO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
iOJV
DO
a 40500, ditos dA seda finos
do 8 astes a 705SU, 80000, ditos de 12 e
16 astes a 100000, para liquidar.
Chitas para cobertas a 40 rs o
corado
Vende-se chitas francezas para cobertas a
1240 320. 340, e 380 o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vendw-se cassas francezas para vestido
a 240 o covado, ditas muito finas a 400 rs.
a-sim como percales finas para vestidos a
1440 o covado,
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias cruas para homem a
30500, 40. 50. e 60000 a duzia, ditas para
meninos de todos os tamanhos a 30500 e
40OOi>, ditas para senhoras e meninas a
30500 40, e 50, a duzia.
BALOES DE ARCOS 'A 1:500
Bal5es de arcos a 10500, ditos modernos
a 40000.
ATTENCAO
Tem-se para vender urna grande porcSo
de roupas feitas de brim e de casemira, de
todas as qualidades n3o se menciona por
*er enfadinbo. garante-se ao comprador ven-
covado. Sortimento de chitas como tem o der raag ba|at0 rfo que em outra qualquer
Garibaldi ha poucas lojas que compitam. parle> jsto g se p^e conhecer com a pre-
FUSTftES PARA VESTIDOS A 400 RS. senca do comprador e a vista da fazenda
Vnnde-se fustao de cores para vestidos a que se pode conhecer como est- liquidando
400 rs o covado. P<>r barato preCo, o general Garibaldi, ra
COBERTORES A 1:400 da IinpeMtriz n. 56. *'+--*
Vende-se cobertores de algodao a 10400, Chales c merloo a *eo
ihftrtas de Thitas MU a 10600. Vende-se chales de Merino de cores es-
^C -se gSe orcao dTSrpinhos. tampads a 25000, dh^lim>
MOpo30 20 e 400. 08 estampados finos a S|, 50500 e 90000.
Machinas vapor de
forqa de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos. ,
Machinas de faci e serrotes para desca-
rocar algodo.
Balancas para armasem e balcao. /,
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar carlas.
FogSo americano patent
Bartholomeu & (X
Scbonete de alcatrdo.
DB
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que tao bo>
acceitacSo tem merecido n'esta provincia
muito se recommenda para a cura cero
das impigous, sarnas, caspas e todas u
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu & C,
34ra larga do Rosario34.
Ha para vender-e um boa eserav de 2t
annps de idade e urna de 11 unos : tratar o*
riw do Hospicio o. 23.
GALLO VIGILANTE
Raa do Crespo o. 7
Os propnetarios deste bero conheoido est
cimento, alm dos muitos objectos que tinham
postos a apreciaco do respeitavel potHico, m
daram vir e acabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa nm completo e vanado sortimento de
finas e mui delicadas esjKcialidades, as quaes es-
tao resolvidos a vender, como de sen costme,
por precos mnito baratinhos e commodbs para to-
dos, com tantmque o Gallo
Muito superiores luvas e pellica, petas, brin-
ca e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas polfonas e punhas para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para toques.
Lindos e riqnis'simos eofeites para cabecas das
Exmas. senhoras.
Superiores trincas pretas-e de cores eom vidri-
Ibee e sem elles-;. esta fazcada o que pede haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos loques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes- pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 300088
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambem grande sorhinento de
oiuras qualidades, entre as quaes algumas muito
Boas.
Boas bengalas de superior canna da India e
eastao de marn cum linda e encantadoras fig-
ra do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
Suantidade de outras qualidades, como sejam, m-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. ele-.
Finos, bonitos e airosos ehicotinhoa do oadeia e
de outras qualidades. .
Lindas e superiores ligas de seda e- boiraeka
paasegurar as.mcias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para tazer
barba ; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramus sua qualidade e delieadea.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agvhas para machina epara crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
tabvrintho.
Bons baralhos de cartas para voHarete, assim
como os teios para o mesmo tim.
Grande e vanado sortimento das roelhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnetieoa contra as convulsoes, e
facilitam a dentigio das innoceatos criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodieiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, aflu de que nunca faltein no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraran destes verda-
deires collares, e os quaes attendendo-se ao (kn
para que sao applicados, se venderlo com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por presos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
3 cordeiro prevdente
Roa do inclinado n. i.
Novo e variado sortimento de perfumarias
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
marias, de que ellectivamente est provida a
loja do Cordeiro Prevdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
aotavel pela variedade de objectos, soperiori-
iade, qualidades e commodidades de pre-
cos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciaco
do respeitavel publico em geral e de ana
boa freguetia em particular, n3o se afas-
tando elle de sua bem condecida mansidao
e barateza. Em dita loja encontrarse o*
ipreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Laminan.
Dita de Cologne ingleza, americana, ran
ceza, todas dos melbores e mais acreditado!
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgko para coiwervacao do
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qnabdade chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e meaeres, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
d ostras qualidades.
Pinos extractos ingleses, americanos
francezes em frascos simples e enfeados.
Esseaeia imperial do Sao e agradsrvel chei-
-o de tieleta.
Outras concentradas e de che i roe- igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo phHocome verdadeiro.
Extrais d'oleo de superior quatiu^ade,
com escomidos cheiros, era frascos e-ffe-
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, motores e maerea
para mi.
Ditos transparentes, redsodos e em- figu-
ras de meninos.
Ditos mnito finos em caixinha para barba.
Caixinbae-eoEa bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas demedeira invernisada contendofl-
aas perfmanos, muito proprias par pre-
sentes.
r- Ditas de papelio ipalmeuebonitas^toa
bem de perfumaras finas.
Bonitos vaeos de metal ateridos, e de
moldes noves e elegantes, ca p de anrox
9 boneca.
Opiata inglesa e franceza para dente.
Pos de campbora e outras difirante!
jualidades tambem para dente.
Tnico oriental de Kemp.
Alada naals omeoe.
Um outro sortimento de eoques d ne-
vos e bonito moldes com fitets de vidrilhos
e alguns d'elle ornados d flores fr fitas,
ist5o todo expostos apreeiacSo de quem
is pretenda> comprar.
GOLL1NMAS E PUNHO&B0RDAD08.
Obras de mnitogosto e perfeiclo.
FlToUbas Ota pava cinto.
Bello e variado sortimento de taes objec
ios, (cando a boa escolba ao gosto de com;
orador.
VlNHO, PlLULAS, XaROPB I TlNTURA
db jurubeba simples e ferruginoso
Oleo, Pomadas Emplastro da mesma
planta preparados por
, BaRTHOLOHEO & C"
PHARMACEUTIC0S-DR0aUI8TA
PERIAMBLCO "
A Jarnbeb : mu pUiu kej reconhecid
como o ojih poderoso tnico, eom* o molbo*
dotobstraonte, e cono Ul ipplietai oo padecmontot
do Agido btco, bepatitet, durntit, tumor* inter-
no! e especialmente do maro, bjdropeeiaa, erysi-
peliaa, etc.; associada farro atll as pallidu
cores, chloroaes falta da nenstroacio, desarran-
jos do estomago, etc., a o qne disemos atlesUo
innmeras coras imporlanies obtidas eom noseoi
preparados j bem coonccidos a asados peloa aun
disiinctos mdicos de paii a Portogal. Em lodos ot
noaaos depsitos dislnbaimos gratis folbetos qn
melhor fasasa oaaheoer a Jnrmbsia seo reealudM
aapplicacA*.
i
BENTES.
Vendem-se na ra da Cru n. 13, differenw
qualidade? de horulire, romo sejam, pitonga para
cerra e enfeites de jardim, batatar dn dalia, ditas
.le ^naelioas luoenas, roseiras de dilTerentea (Ju-
tidadea.
Na ra do Codornix n. 8 contina a ter um
grande sortimento de doces em latas e caixSes de
diversos tamanhos, cajo se vende por preco mais
barato de que om outra qnalqnnr parte.
E' na travessa do Cirmo n. 1 que se vende urna
escrava recolbida de conducta allaneada, perfeita
engommadeira e costureira, doceira e boa cozi-
nheira, 6 ditas para todo o servico, e 1 escravo
para o tervico de campi.
11
mnito proprio para barcacas e hiate<; vendem-se
no armazem de David Ferreira Baltar, roa do
Brum n. 92.
liAZ GAZ SAZ
Chegou ao antigo deposito de Renry Foreter o
i, roa do Imperador, am carregwnento de l
de primeira qualidade; o qual se ven a reulho por menoa preco do que mi outr qual
gner parte.______________________________
A tengdo.
Vende-se a cocheira da ra do Sol n. 17 eom
carros e cavallos, bem mentada: a Catar aa mes-
roa, on na ra do Rosario da Bm-viata n. 56.
_ Paono de atgvlio da Bihia, proprro par
rfjupa de ewravo o sjefins pan auear; vnde-
se no esenptorio de Antonio Lnit de Olivelra Aze-
vedo C., roa da Qrqz q. 07, i' andar. "
leaao agrada
sreeiow rvrflatlva wwl no eoraedo
cradavet o reaedlo oiii inulluel ptri a
I saattai aj
I 0 saaraalaniat das iHiasas asnrtai pne> *-
Ir-te aestat aalaTras : eataieHi*fr ou aisr
leas, t ata.
I Ira* asa paaaai itagasM* aa eeari. aeai
rL^^^d^eprrr^
*
i
IMIM


-
Diario de Pernamimco Sexla feira 12 de Novembro de 18C9.

A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
$<&iaoa Q& aiaipaiaawaiao* w
DE
FLIX PEUEIR1 DJL SIIiVA.
O proprietario d'eslo grande esiabelacimento, vendo que se esl aproximando o fin"
do anno, e tendo ein ser um grande deposito deposito de fazendas; nlo fallando em
avaltadas encomraendas que Ibes esto obrigado todos os das, tem resolvido liquida-
las por preco muito mais baratos do que em outra qualquer parte ; s com o fim
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontra-se neste estabelecimento do
PAVO, avultado sortimento de azadas de luxo e modas; assimcomo de prmeira
necessidade. As pessoas que negociara em pequea escala n'esta loja poderlo surtir-
se vondendo-se-lhes pelos presos que comprara, n ceentissimas familias poderlo mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou man-
dar-se-ha levar peloscaixeiros da mesma luja em snas casas; o estabelecimento se
ach constantemente aberto das 6 horas da manhaa s 9 da noite.
Expiendido sortimento de
roupas feitas
na loja do pavo a ua da
imperaYrizn.*)
Aclia-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das mdhores roupas,
sendo calcas palitts e cofcftes de casemira,
A 5,1000
Na leja do Pavao vendem-se modernissi-
mos diales de li preto com lindas palmas
de seda, pelo barato preco de $000,
pe-chincha.
BASQUINAS A lOOO
Na loja do Pavao vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
4e panno.'de \)rim, de ataaca, e de todas pelo barato prego de 125060 cada urna.
-as mais fajeadas que os-compradores pos- TOSTES fiRANCOS PARA VESTIDOS A
sam desejar, assim come na mesma loja
tem umbfio sortimento "de pannos casemi-
400 RES.
Na leja do Pavao vende-se um grande
ras, bros, ote. etc. paro se"mandar fazer sortimeato de bonitos fostwes brancos, pro-
qualquerpeca deobra, Vid5o a ventado do ftvguez, e nao sendo assim cerno tambera para roupas do he-
obrigadosaacceita-las, quando nio stejam mens per serem de lavores miudinhos e
completamente ao sea-contento, assim como bantaate encorpados, e vendem-se pelo ba-
n'este vasto estabelecimento encontrar o ralo preco de 400 rs. o oovado nicamente
respe-ftavel publico -sm bello sortimento de na loja n. 60 da ra ta Imperatriz.
camisas francezas e inglezas, ceroulas de1
linho e algodao e outros muitos artigos
proprios nara horneas e senhoras promet-
tendo-se-lne vender mais barate do que em
outra qualquer parte. Na roa da empera-
triz n. 0, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Si Iva.
CERA BE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porco de-cra de
carneaba em saceos por pre^o mais barato
do que em outra qualquer: ne loja do
Pavee na, da Imperatriz n. 50. 'De Flix
Pereira da Silva. .
FAZ8XDAS PARA LOTO
Na loja do Pavas.
Encentra o respeitavel publico oeste estabeleci-
mento um grande sortimento de fazendas relas,
como sejam, cassus francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de la de
lodas-que tem viudo, proprias para luto, como
sejam, laazinhas, elpacas lavradas e lisas, canto,
bombazinas, merino, etc., que tudo se vende por
precobarato.
AS CASSAS DO PAVA
Covado a 300 rs.
Vendm-se tlniesimas cassas frantoeas com lin-
das desenlio* e cores fixas a 300 rs. o covado.
Madapolao fraucez a 7&000 rs*
Vende-se pecas de madapolao francez
com 22 metros pelo baratissims preco de
74060 a peca, pechincha.
T.\RLAT\NA
Chogou um gratule sortimento de tarata-
nas brancas e de todas as iones, assim
como fil branoo liso e de salpico, que se
vende mais barato do que em entra qual-
quer parte.
Ate noTidaiIcs em sedas
Cliegou um grande sorlimento das mais
moder as poupeltnas ou gorgorees de seda
e linho com os mais elegan es pares que
tem viudo a esle mercado sendo, miudos e
graU'ios, tanto em cortes para vestidos como
para ves ter em covado, as-im como um
bonito sortimento das mus bonitas sedas
listradas -que se vende tudo muitoem canta
Gnosdeiiaples de cores
Cliegou um grande sorlimento dos mais
bonitos gro-idenapies de todas as cores para
vestidos que so yendem muito mais barato
do que era outra qualquer parte.
CHAPEOS DE BRIM A 2(0UO US.
Chg<>u urna grande pofcSo de chapeos
de brim para cabera que se vende pelo ba
ratissirao preco de SOOO, por terera che-
gailo com un pequeo toque de mofo. E'
pichincha.
GRANDEPECIHNCHA A 5:000 RS. PECA DE
Breiauha
Vende-se percas de uperior bretanha de
algod. tendo quatro palmos de largura
com 20'varas ou it meiros cada peca, esta
fazenda seria para epatar 83000, a n5o er
ama grande compra que se fez, e liqnida-se
a .ttOO, cada peca.
Cortes de chitas
Com 10 cevados a 3:20 '.
Com 11 covados a 3:520.
Cora 12 covados 3:840.
Vende-se superiores chitas de padroes
claros e escuro* pelos precos cima men-
cionado sendo fazenda pie se fosse vendi-
da a retalho nao se venda por menos de
A00 rs. o eevado, isto pechincha,
Cior^uro para colletcs
Vede-se o mais superior gorguro preto
com diversos padrees pelo barato preco de
6400o o corte decollte.
Admiravel pechincha
. ALPACAS A 400 RS.
DE FURTA CORES A 400 RS,
ALPACAS A 400 RS.
Vende-se nm grande sortimento das mais
brilhantes alpncas de fot ta cores com as
mais lindas e mais modernas c6res imitan-
do perfetametite as sedas de furta cAres
sendo neste artigo o mais novo que tero
vindo ao mercado, para vestidos, muito pro-
iria para as senhoras que forem passar
esta no campo, por ser urna fazenda de
moita fantasa e pelo barato preco de 400
rs.'o covado.
Brctaahas de rolo a t#*00 a
Vende-se superior hretanba de rolo leu-
do 10 taras ou H'-lmetros com I palmos
de largara pelo barato preco de 800,
pechincha. _
Ossetinsdftravao
Vtnde-seos mais bonitos setios de cores
e mais encorpados proprios para vestidos
. tendo de diversas cores.
AS ALPACAS DO PAVAO A 6i0 RS. 0 COVADO
Vende-se ura grande sortimento das mais "bom-
as alpacas lizas tendo de'tolas as cores, mais no-
vas que tem vindo ao mercado e vendem-se a 610
rs. ae covado.
ALPACAS BRANCAS LAVRADAS
Chegon para a loja do Pavo um grande sorti-
memo das man bonitas alpacas brapcas lavradas
edeeordo sendo n'este genero o nielhor e mais
lustroso pue tem viudo ao mercado, tem algumas
tio fin as o tao booitas que serven) para vestidos de
oras e vondom-se por commodos precos.
LAAZINHAS MODERNitS NA LOJA DO PAVAO
Cliegou para este estahelecimento um grande
sortimento das melnon^s o mais modernas lazi-,
nlias para vestidos, sendo tapada) e transparentes
de todos os precos e cualidades que se vendam
mais barato do que em mitra qualquer parte.
APACAO 00 GORGURO DE LA A 886 RS.
Na loja do Pavo vende-se o mais bonito .alpa-
cSo de cordao tendii de lodas as core?, sendo fazen-
da bastante larga a 800 rs. o covado.
COLCHAS DE FSTO
* "Ta loja do Pavo vade-se um grande sortimen-
to de* colchas de fusto sendo brancas e de cures
ditas de eroch para camas de noiva, assim-como
q.'iuii.N damascos de laa para colchas.
CHALES DE CHACHEMIRA A G& 40t E
15000.
Na loja na Pavo vendem-se os mais
bonitos chales de -verdadeira cachemira de
cor, com os desenlies mais modernos, a (5.
40 e 125000. muito barato na ra do Im-
peratriz n. 60.
Or^andjs a 500 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores com padoes miudos egraudos. sen-
do todos de cores fixas, pelos baratos pre-
cos de :t00 rs. o cava lo.
CAMISAS PKA SENHORAS
Cliegou um grande .-o ti ment de cami-
sas francezas para senhoras, sendo lisas e
bordadas, assim comoum grande sorlimento
de corpinhos de cambraia bordados, carai-
sinhas e manguitos com gotiinbas que se
vende muito em conta,
VLPACAS TTE CORDO
Vende-se as mais honitas aipacas de cor-
dao, tendo detoda.< as cores, as mais novas
que tem vindo ao mercado e vendem-se
mais barato do que em outra qualquer
parte.
ALGODO ENHESTADO
Veade-se urna grande porco de aigod5o-
sinlio.ameridlno com 8 palmos de largura
propro para lences e toallias tendo liso e
irritcado que se vende por preco muito era;
cunta.
'anos de linho
Cbegou ura grand sortimento do pecas
de pannw de linho do Porto que se vendem
de 70U rs. at IdOOO a vara, garantindo-se
que em fazenda de linho nao ha nada rae-
Ihor, nem mais proprio para lences e toa-
Ihas.
PECHICIIA EM CHAPEOS DE SOL
Cliegou um grande sortimento dos me-
jores chapeos de sol de seda, ingltzes ten-
do neslc arl go o melhor que tem vindo ao
mercado assim como urna grande porco de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em ottra qualquer parte, por haver
grande pimao.
i.eucos brancos
. Vende-se um grande, sorlimento de len-
cos brancos para hornera, sendo a duzia a
15600.25000 o 35000, ditos abanhados
muito linos a 45 e 65000 a duzia, ditos de
esauiiio fazenda muito superior a i>5> 65 e
750(iO,
Pechleha em caseniiras a 4:000
Vende-se finissimas casemirasde cor com
listras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores mais novas e mais bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baralissirao preco
de 45OOO o covado ou '75000, cada corte
de ealca.
Os bales do Pavo a 21000,
Chpg o um grande sortimento de bales
ou crenolinas do fetio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratsimo prefo e 55000 ca
da um grande pechincha
AS CAMBRAIAS DO PAVO A 4:500 RS.
Vende-se urna grande porc8o de pecas
de finissimas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com oais de vara de
largura pelo baratissimo p'reco de 45500, a
peca sendo fazenda que nunca se vendeu
por menos de 8500o. grande pechincha.
AOS PALITTS DO PAVAO A 185 e
305000.
Vende-se um bonito sortimento da palit-
ts francezes seodo, sobrecasacados e pro-
piamente sobre-casacos.'que se yendem
fonados de alpaca a 185000 e forrado de
seda a 205000. pecmVha.
*J32m22*
A

*S CJEIMA^'^'
d calido
amnU so-
purilieado.
cnstalina,
do assucar,
po tem ar^ao
Assnear le oxido de ferro de
Chao*
O assuoar fe ruginoso.
p ela associacao do exido de
luvel com o asaltear cu '
Bslo assucar, de urna bella
tem o simples gusto mu
sem o menor sabor adsiring
irritante sobre a mucosrd.-.i estoma^l^Hbinos,
o rpidamente absorvido pelo n>
vo sem cansar as constipcC s do vei
E' hoje preparado ce1 ferio de mais aceitaeao
para a cblnrose atona dos orgaos, pedas brancas
menstruacfjes dilfleeis, etc., e tem a s;u favor o
juizo autorisado da escola de medicina de Pars,
e dos chimicos os mais notaveis. >
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Baitholomeu & C, rtia liga do
Rosario n. 34.
A AGUIA BRANCA tem convicco de que a abundancia de objectos de novidade-
em se,u constante e completo sortimento, a boa'escoma no gosto delles, a superiordas
de de qualidades, e a limtac3o de seus precos, est3o na op ni3o do respeitavel publico
em geral, e na de sua boa freguesa em particular; mas ainda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da reeepc5o d'aquelles objectos que est3o alm do commum,
como bem sejam:
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
[uando abertas.
Oulras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rola para costura, obras de apurado gosto
e perfeicSo, proprias^ paro ura bello pre-
sente, tendo algumas"com musida.
Estajos ou carteiras de ecuro com nava-
llias, e os mais necessarios paravtagens.
SCOVAS DE MARFLM
Para unhas, denles, cabello e roupa.
Outras de balea com machetados de ma-
reperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, slfinetes etc. etc.
Ricas capellas -com veos para norvas.
Cintos de brim, com elas*ico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pro-
genies para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e trsn-
selio dour?do.
Botes com ancora, e P. II. para fardas
e colletes.
Abotoadaras d'aventuriae com o p de
prata dourada, para coleles, cada ura 55. mes e qualidades a
Botes ie cristal, eoxa8toado3 em prata,' que cons
para punhos, 45 o par.
Camisas de flanella pera homem, me-
tttor qualidade que tem ^indo a este mer-
cado.
Meias -de 13a para bemens, senboras e
creancas.
Ditas de dita, tecido -de borracha, para
quem sefre de inchaco^as peinas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento da toalhas de labyrin-
tbo, para baptizados.
Renda e bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpcos.
Pequeos e delicados espanadores de
pennas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.
^Mtitos passarinhos de metal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas,
de velludo para agulbas e alQnetes.
ftiesooras de duas, tres,- quatro e cinco
pernas para frisar babadinbos.
AGUtHAS NON-PLSULTBA
Tal a qualidade d'essas agnlhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plumltra, merece a Aguia Branca as
bonras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras,;a devida
estima f or sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinba visto de tio bom
em tal genero, e asida assim cusa cada
papel apens 200 rs.
Prsvavelmente Taqui a pouco abtmdar3o
asfalsilicadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras contmuar3o a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minaciosamente por seus no-
inflnidade d'objectos
se acham venda na
loja da Aguia Branca, seria senlo imposs-
vel ao menos iirfadonho por isso ella con-
fia 'na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia. e pede aos que de novo queiram
recanhecer a commodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que n3o se
esquecam de comparecer loja d'Aguia
Bronca ra do Queimado n..
SORTHTO PARA A FESTA
Yende-se por menos de 10, 20 e 30 [0
SO' NO I
N. 23Largo do Terpo.N. 23.
DE
SIMO DOS SANTOS & C.
Os proprietaries deste bem surtido armazem de secco e molhados esto re^-
silvidos a fazere urna grande diminuicio de precos as suas mercadonas, como se apro-
xima a festa o setnpre se fazetn .rvultadas compras para o centro e praca, por
isso previnem ao respeitavel publico em geral, que mande fazer suas despencase cer-
tos de gue verao a grande ditTerenca era precos mais do que em outra qualqtier parte
e garantindo-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 95300 a lata, e 440 SEVADiNHA E SAG 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 6G0 rs. o litro. 620 rs. o kilogrammo.
VINHO VERDADEIRO flGUEIRA 560! FARINH1 DE AR\RTA VERDADEIRA
a garrafa, e 45500 a caada e 800 rs o ti- 640 a libra e 154(10 <> kilogrammo
tro.
DEM DE LISBOA das memores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 25800 e
352(K) a caada, 660 e 720 rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 45000.
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 15400,
15800 e 25200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 000 rs. a
garrafa, e a 75 a caada, e 15340 o litro-
MANTEI6A INGLEZA FU)R 15400 e
45280 a librt, 35060 o 25780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCESA 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 25100, 15980 e 15860 o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a l
bra, 15220 o kilogrammo, em porco se
far abatimento.
BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 8< '0 rs. < kilogrsmmo.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
raasso. em cauca ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANCIA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
35200 e 65500 a grnza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINIIA8
DE MUITOS TAMANHOS 15280. 25500
35500.45500. 55500 a lata e a retalho e 15
a libra.
GOMMA DE MH.HO AMERICANA 400 rs
o masso. n em raixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 55500
a duzia o 500 rs. a garrafa.
DEM BASS. VERDADEIRA IHLERSA
BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANHA DE PORCO DE BALTIMOOR DIVERSAS MARCAS 15500, 15200, 15 e
720 rs. a libra, o 15560 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
"- a
Na loja e armazem do Pavao ra da Imperatriz n. 0.
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
115500 a arroba.
porco se fati abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
35400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo. e 65tKX) a arroba.
CAF EM GRAO 4^65 e 65500 a arroba,
200, 240 e 200 rs. a libra. 440 e 50. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SABO MASSA 240 e 200 rs. a lifapa',
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixa se
laz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a librare
15220 o kilogrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
Iliante, combination, Francy-cracynel, mixed
Britania. Mdium, F-mcy-nic-nac, a, b, c, e
soda a 15000 e 15400, cada urna lata.
Assim como ha outros muitos
muito novas, passas e Ijgos novos, charutos de diversas marcas, marmelada, feita pelos
rnelhores conserveiros em Lisboa, gela de marmelk), pcego, ervilhas, em latas, por-
tugU'-zas e francezas, vinho verde engarrafado retalho, peixe em latas, bem como
pescada, tainha, pargo. graz, lula, corvina, vezugb, cavada, sarda e sardinhas de Nan-
tes. Canella, cravo, ervadoce, cominho, piraeuta, grandesmolhos de sebolla 15500.
Finalmente muitoi outros gneros que enfandonbo menciona-es.
GENEBRA DE HOLANDA E IIAMBUR-
GUEZA 75 o 65 a frasqueira, e 500 rs; o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
115 a frasqueira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35(iOO. 25800 e 25400 em caixa ba abati-
mento.
TOUCINIIO DE LISBOA MUITO ALTO

e
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 15000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TO a 15000 rs. a lata.
CHA FINO. GRAUDO E MIUDINHO
35200 e 25800 a libra, e 65100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 25000.
23200 e 5800, rs. a libra,
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
O Campos da ra do Imperador u. S8 tem para
vender o seguinte:
Queijos londriuos, pratos, flaraeogos o du Minas,
todos niuito frescos e do boa qualidade.
Presuntos para fiambres e para tempero, paios,
salames etc. etc.
0 verdadeiro bacalho de Noruega.
Latas com lagostas e ostras.
O verdadeiro caf Hocica.
Especialidades
Grande remessa de cigarros do diversas quali-
dados
vapor
A saber:
Cigarros ao duque de Caxias
Ditos ao Maurity.
Ditos aos tonenles do Diabo.
Ditos Barbacenas.
Ditos Papel peitoral.
Ditos de S. Paulo.
Ditos do Rio-Novo.
Temos de medidas paraseccos, sogundo o novo
syslema (mtrico francet), uo armazem do Cam-
pos.
As mais adoptadas e mais facis tabellas para
de prompto se reduzir (8> e a kilogrammas e ao
inverso estao se acabando por isso recommeuda-se
aos eslabelecimentos que ainda nao tem,.quo ve-
nham seus donos munir-se desse tio grande agen-
te do commercio, pois que, o>m a safra que-cst
porta, torua-se ditas tabellas indispetmveis.
28-TUDO NO ARMAZEM DO CAMPOS-28
HWl POPCTIilR
DA
FABWf A U:\m\i DA BABIA
Teixeira Utdunco <5* G.
Aclia-se venda este ptimo rau, nico qoe
pdc supprir falu-i do pi inwz de Luboa, por ser
de mr.i agradaval pcrfiinM*, viajado, u a preco o
mais mdico po.oivel; o por so tem loo assa*
acnlhido as pracas da Babia, do Rio de Janeiro >'
em outras do imperio : no cscriptnrio de liaquini
Jo Gon^alves Bellrar, ra do Commercie nu-
mero 17.
BAZAR UNIVERSAL
*lina Xova*
Carneiro Vianna
r
Neste BAZAR encontra-se nm completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por presos commodo$ como sejam: Um
completo sortimento de macbinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na A,raerica e appfovatlas na ul-
tima exposifq servicos a electos para alrao-
Ooe jantar, salvas, bandejas, taboiros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaves para
senhoras, candieiros para sala e cima demesa,
, vindo da provincia do Rio d* Janeiro, no parede e p,,^ mangas, tubos e globos de
H.ras.le.roParan J,^ ^-^ para fazer ^ ^ [}m
bater ovos, ditas para araassar fariulia, ditas
para fazer manleiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crjanca, berros, cadei-
ras longas para viagem, ditas de balance,
espeluos de lodos os lmannos, molduras
para quadros.gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para enancas, um
completo sortimento de cestitihas, oleados
para sala e n esa, tpeles para sala, quarto,
frente de soph.janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontrado
venda no mesrao estabelecimento e que vale
a pen ir examinar.
O PAVTLHAO
DA
AURORA
A RIJA DA IMPERATRIZ \. 2
Esqaiua da ra da Aurora
Defronte do Caf Imperatriz.
Neste novo e sumptuuso estabelecimento de fa-
zendas, encontraro as Exmas. familias tudo quan-
topossam desejar, tanto em artigos de rigoroso lu-
xo, como em todas M mais qualidades de fazendas
de sedas, blonds, alpaca?, merinos, laas, cassas.
Masculinas, chitas, madapoles, algodoes, etc., de
modo a sahir bem servido desdo o mais rico e
exigente amante da moda e do luxo, at o mais
modesto pai de familia. Alm de se arliarem pr-
vidos do que melhor seeucontra neste mercado,
mandaram os proprietorios dVsto estabelecimento
vir directamente o que em artigos de modas e de
mais apurado gosto se encontra em Pari?.
Urna m.idi-ia especiatinenle oceupada nos traba-
thos do PAVILUA DA AURORA, executar
promptamente o com toda a perfeicao qualquer
trabalho a capricho, para o que se aclia habilita-
da com tudo quanto mister para o bom desem-
penho de sua missiio, o que urna grande vanta-
ge para o bello sexo, que assim vai encontrar
em um s lugar tudo quanto pode desejar, isto
fazendas do nielhor gosto, modista para p>r-
feita execuc.ao de qualquer trabalho, perfuiharias,
chapeos, enfeite?, uiiiidezas, luvas de Jouvin o
todo quanto a moda pode exigir.
Aos cavalheiros igual vantagein 83 offerece, por
ter o estabelecimento o mais completo sortimento
de fazendas para tactos, e preprias^ara todas as
estacos, o um hbil alfaiate encarregado de exo-
cutar com promptido e muira qualquer encom-
mesda.
Os propnelarios do PAVIIA ) DA AURORA
nao tendo poupado desperas para dotaran esta
bella cidade de um istabelecimcnto digno d'ella,
conQam nos seus estreos o no bom gosto de seus
habitantes, garantlindo a maiur circumspetcao e
modicidade de preeos.
^Com a possivel brevidade c em vista da protec-
i;ao que se dignaran dispensar-lhe, este estaliele-
cimento trar muias outras vantagens, primamlo
entre ellas a publicacao de nm jornal gratuita-
mente distribuido aos seus freguezes o qual se oc-
cupar exclusivamente da descripcao das molas,
acompanhado dos ltimos liguiios ; vanlapem
que at hoje anda nenhum estabelecimento oll'e-
receu.
Concluindn, e na mpossibih'dade de descrever o
rico e variado sortimento que possuem, os pro-
prietarios do PAVILHO DA AURORA respetosa-
mente convidam as Exmas. familias a visitar este
espacoso c rico estabelecimento qae, alm de lu-
do, esl dotado do pessoal necessario para vender
e levar amostras s casas que as pediran.
Pelo ultimo vaporreceberam ricos cortes
de veslidos para casamento, luvas de peliea ricas
chanchullas para senhoras e diversas fazendas
modernas.
Aberto das 6 da inanhaa s 9
da noite.
MARMORE
No armazem n. "i7 ra do Imporador, ha para
vender por baratissimo proco um gran-Je sorli-
mento de podras de marmorede diversas qualida-
des. como sf ja : degraos, soleia-, sacadas, mesas,
lialcfics e tijulos, etc.. etc.___________________
Its'ip du Lisboa
Xa roa do Crespo n. C contina a ter rap do
Lis oa da melhor qualidade que tem vindo a este
mercado, chegado pelo ultimo vapor.
Botica.
Vende-se a botica da ma Dircit.i n. i, a qual
lira defronte do oilo do wsntcnto, coai pqneas
drogas, o est propria para qualquer principiante,
e se vende por preQo coinmodo : os pretendeptes
podero dirigirse mesma botica, que achrao
com quem tratar._________________
COGNAC.
De superior qualit ade da mu accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch C, em
cognac urna das qtio mais agurdente de
cognac, fornecm para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa
commercio n. 32.
de Th. Just. ra do
Objectos de madeira.
Vende-se ricas caixinhns para costura, carteiras
para viagem e eaixinhas para guardar Mas, obras
fabricadas na Illia da Madeira, com helios embuti-
dos de madeiras, tendo nas lampas figuras repre-
sentando os co-lumes da dita Iba ; na ra higa
do Rosario n. 38, lija da Aurora, de Mainel J re
Lopes t Irma. _
Escravo pega.
Vende-se urn cabrinlia de ti a l'j anuos, de
bonita lieura e sem vicio nem acbaqoes, o que se
garante : a tratar na ra da Mangueira n. (i, das
6 a- 0 horas da maoha, ou das 3 as 6 da tarde.
Vendem-se tres terreno.:, sendo dous na Boa-
viagen. e um na ra Imperial: a tratar,na ruado
Queimado u. 32. raja.
'i
1
Vendem-se diversos escravos pecas, proprias
para armazem oa engenho, viudos do Car, as-
fjra comoalgumasescravas com hibilidndes c aem
ellas : na ra da Cruz n. 35,3 andar.
Bichas hamborgnezas
Roa da Cadeia.n. 51.
Nesto novo deposito recebe-so por todos os par
quetes transatlnticos, bichan de qualidade supe-
rior ; vende se em caixa ou porco mais pequea,
o mais barato do qoe em quaiqdei1 outra parte
i roa da CaJeia a. 51, i- andar.
CEMENTO
POUTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente fer-
reira da Costa & Pilho, defronte do arco da Con-
ceicau, em barritas gnaiss.
nraa vaeca de leite por PM90 ootaojoilo: na roa
i]a Cruz n, i3,
111J
22 Ra Nova n. 22
Machinas para costuras.
A este acreditado estabelecimento, clie-
gou u u riqni&imo sorlimento de machinas
para costura, de todos os auctores; as.
quaes se acham era exposi;o no mesmo
estabelecimento. O progrosso destas ma-
chinas maravilhoso I o seu sen ico equi-
vale ao de 30 costureras diarias I! Os
seus trabamos sao pespunto, bordar, fran-
zr, e outras muitas qualidades d costura,
como se podo ver no mesmo estabeleci-
mento.
Garante-se a sua boa qnatidade, como
bem o concert de qualquer machina quan-
do. seja preciso; e tambera se manda ensi-
nar, al que a pessoa esteja bem pra-
lica.
A teneilo
Joaqnim Rodngaes Tavares do Mello^
I tem para vender no seu escriptorio, pra-|gj
[cadoCorpo Santo n. 17 primeiro andar, :>
potassa da Russia ltimamente chegada, "
| cal de Lisboa e vinho Bordeaux de
[ rior qualidade.
b
ESCRAVOS FGIDOS,
Crati(ica-!>e com 200^ por cada
um, e mais, conforme a ta ticia em que forem captu-
rados.
Do engenho Sofedade, em Porto Calvo, fncriram
juntos nodia27do mez passado,dous escravos, cujos
-ignaessao os seyuintes : nm de nomo Felippe,
idade 2."i anuos, natural do Oar, cor aabra, eslava
um pouco discorado quanJo fugio, tem os cabellos
earapinhad.>s, lh>s grandes e vivos, falta de um
dente na frente, rosto comprido regular, potu/a,
barba por baixn do queixo, estatura regular, bem
leilo de corpo, pernas grossas, ps pequeos e
bem feitos, com marca de urna ferida em rima de
urna das cauellas das pernas, e falla claro ? des-
embaracado. outro de nome Manuel, tambera
cabra, tem 23 annos de idade, natural do Rio
Grande do Norte, estatura mediana, espigado, sem
barba nenhuma, rosto curto, odos pequeos e
vivos, nariz pequeo, regular em grossura. den tos
perfeitos c arus, bracos e pernas linas, ps regu-
lares, sabe lt!r e esrrever, toca viola e canta de
improviso, f" munido de falsos documento.-. Am-
bos foram comprados nesta cidade do Recto ao
lxm. Sr. bario de Nazarcth, o primeiro em julho
de 1866 e o segundo cm julho do correte an-
no. Estao a nbos limpos de costas e nadegas,
por nao terem sentido castigo algum. Roga-se
porlanto, s autoridades policiaes, capitaes de
campo, ou qualquer pessoa que os encontr, de os
capturar, e lvalos a seu senhor, Francisco de
Paula Cavalcanie do Albuquerque no reierido
engenho Soledade, no termo de Porto Calvo, ou
nesta praca ao Sr. Joaqnim Rodrigues Tavares
de Mello com escriptorio no largo do Corpo-Saate
n. 17 Io andar, pelo que em qualquer das partes
se dar a gratificarlo cima promettida. Reeife,
23 de nntubro de 1869.
AVISO
Resta venda am escolhido sortimento de oh
lectos do marcineria, como sejam, mobilias de ja-
jarand. mogno eamarell, obra nacional e estran
(eir, de aparado gosto e por proco* razoaveis :
a;i ra estrella do Rosario n. 32. Nesta mesma
asa fazam-se com poreicao todos os trabalbos di
Mlhinha, como sejam, empalhamento de lastro-
tara camas, cadeiras e sophs,
RIJA 1)4 IORIA.! *
Olaria do Fundao.
Ha sompre nesta olaria grande sortimento del
materia, como lijlos de alvenaria batida, ladr-
Iho, quadrdo da 8, 9 e mais pollegnilas, ttMlM e
ielhoe<.fijlos de tapAinentus. O pmprieiario des-
ta otaria-garanto a onndadee barro de taes mate-
riaes, como tambem vende-se mais 'jarato do que
em caira qualquer parte.
Fugio segunda-feira, 18 de outubro, o escr.Avr,
Antonio, preto crioulo, idade 30 annos, pouco n au
ou menos, de estatnra regu'ar, falta de dentes na
frenfe, quando anda uin pouco corcovado para
dianle, levou vestido calca de brim pardo, omisa
de estipa,chapeo de palha i veho : esie e-
cravo velo j ha lempo do Rio Ponnoso, e snp-
p6e-se ter para all seguido : quem o pegar II-
ve-o a rita da Concordia n. 8, refioacao, que sera
bem gratilii'adn._____________. ______
Fltg.no dia 31 do m-z prximo passado, de
Sant'Annn, o caboclo Manuel, escravo de Francis-
co Jos da Silva Ratis, natural do Cear. cabello
em pe, desdentado, beicos grossos, c falla maik>
fanhoso. tem bigode e pera, servio pjr muitos an-
nos ao Sr. K. F. Borges, tendo andado embarcado
muito tempo, inculca-se forro : ppde ser entregue
na companhta Pernambucana ao Sr. B. (uteU
Branco da Rocha, qne recompensar._______
Fueio do sdo da Sapueaia 3 II do -ori-ent
mez, o escravo de nome Jos, ^relo, Marte man ou
menos SO annos. alto, secco, cara ruagosa, ps
maos gMssas, bom (alante ladino, enstunu em
suas enrsoes ir para a matanza, ribeir*. servir de
carnicefro, ou ganhar na< ras da cidaite do Re-
eife. Recommeuda-se a sna captura as aitorida-
wdes policiaes e rapites de campo, niedisnU a eom-
petente indemni-acao do trabalho.
AQha-se arribado desdo domingo, 7 do
rente, o pre-to Congalo, dJ naejo, repre^i
idade do 40 annos, pone > mais ou men
tanhnvftfl* que regular, cestuma
f qiSndo falla gaguelja. iliUaMPUtor P-l' *
da nova o Pasiagnni, e lnfr 0 fcoca e^-ian
pelo Manguinho e Caponga : quem o p*i
irua Direiu u 10, que sera bem reeompemilo.


-8
Diario


ernambuco Sexta Tcira 12 de Not emito 4$ 1869,
...



-
i

ASSEaSLA GEML
>< prximos. Nosos ros lamben* p*-
camn a ser a*p!#do>
CAIAfti DOS SRS. DEPTADOS
AGTA EM I* S OUTtlflfeO
HMBNC4CIA frftfc. NEMAS.
Uai dispsicSo cfficaz tambem adopta-
mos pelo^ado das garantas eletoraea.
Assim. nos que-ajaeromoa a verdade do
systema representativo, d'temos na osa
frojeotos mciadoS. para o effe'uo do garantir
mplamente a liberdaJo eteitoral, demos
oto gran>lo ptsao com esta resolu
pii peudengdesde ISlii, mandando qu
esse o i -iAiuLu em todo o imperio,
por occaso de protfcder-se i importante
eteigSo rfluniripl.
Pi^*e ratau, acabaras, at agora nlo
se tiiln cuidado de alargar o circulo da
bberdade eleitoral at este ponto. Foi no
Municipio que garminou a emancipadlo
primitiva dos poros; e sendo a elote*)
municipal a base eirleal dd nosas ins-
titoi;5os biraes, mereca ama tal garant
aspirar*) legtima do voto livro em sua
origen pira sin man'rfestagio solemne nos
grandes comicios eleiteraes. (Apoiados).
Foi sem duvida ama grande prova
para mostrar as oos e atontarte llrme de resguardar a liberdade
individual. Assumpto ligado com esta oro-
vi loneta o suspensa^ ah deixamos entre-
guu a disenssio do senado urna lei de re-
erotameolo, que Ibi amplamente discutida
no etnpenho de realizar esta promessa an-
tiga tus providencias mais urgentes e adop-
tamos s cireumslancias do povo brasileiro.
Assim, acabado com o recrotsmaflto,
segundo o-systema-anterior, estabeleciamos
orna-norma geral equitativa, comprehen-
siva de todas as classes sem sxcepgBos
odiosas, a nao serem aquellas essencial-
mentc ligadas ao servico do estado, aquel-
las que se fundara na falta ou excesso de
om certo grao de idado.
Assim, tizemos com que o servico militar
lenha do pesar ndistinctamente sobre
grande pa-te dopovo brasileiro; e ninguem
se queixar, niojuem ticar isento do con-
tribuir com este tributo, alias tio grave e
tio magestoso.
A c nscripco e o sorteio garantem a
igualdade noste imposto. As P*cas ex_
eepcO>s estabelecidas, garantem ainda a
igualdade com que quizamos proceder neste
assumpto para com todos os Brasileiros.
Para coroar esta feliz concesso, senhores,
para ainda mais gosto e enthnsiasmo dar
pela carreira militar, sobre tudo quando
os nossos briosos soldados tanto se tm
desti' gui'lo no campo da batdha, adopta-
mi nina medida essencialmente' honrosa e
propria para elevar a condico do homem
no exercito de urna naco livie.
Nos queremos o servigo voluuntario por
part do povo brasileiro; e para isso en-
-teademos que um dos caminhos mais
proraptos, no dos mais nobros incentivos
para a abolic* dos castigos corporaes.
(Apoiados).
Senhores, na present sessao temos adop-
tado diferentes outras medidas parciaes que
euneorrem, sem duvida, para oengrande;i-
mentn do paiz.
As d-'spezas publicas tem avnltado moito;
e os meus Ilustres collegas sabem melhor
do que eu, que os grandes encargos que
nos licam da guerra actual tem de nos
acompinhar por mudos annos. Por isso
elevemos por em jogo todos os grandes
recursos materiaes do paiz para augmen-
tar a produce*) o a renda publica, (Apoia-
dos).
Para chamar ao nosso ameno solo essa
eolonisagan til e morigerada, que traga
bracos vigorosos e outros capitaes, medra-
dos aperfeicoados na cultura da trra e na
preparag) de seas fructos, cumpre que
des-mbirecemos as grandes arterias da vi-
talizada industrial que ligam nossas pro-
vincias, faciltela a comraunicac*) de diffe-
rentes centros productores, nao s grandes
estradas territonas, como pela navegago
de nossos ros iuternos. (Apoiados).
Tu lo isto estom va de andamento, nao
esquece ao corpo legislativo este grande
desiicr'iiiuni naco brasdoira (apoiados);
temos na sesso actual dado algnm impulso
temos promovido o estabeecimento de cel-
tas untes f-rreas. e para isso temos dispen-
sado favores que bao de um dia produzr
seus resultados com suffieientc indemnisa-
cio para o thesouro publico.
Assim. temos em difforentes provincias
do imperio, ao norte c ao sul, feto conces-
soes quo aquellos povos reclamam e que
nao de traduzir-se em beneficios mais ou
urna questao pandante ha muitos anns;
traUmos de aluda-la, de Ihe dar desenvol-
vhMnto, tratamos de aproveiKir os elemen-
tos natoraes e que este grande paiz dfn^l
ce portoda a parte ao* nauionies e, aos
trangeiros.
Neste 9enlido topos encetado algMisira-'l
balites, e o orcadfeto que al* pendente
da aprovaco do senado eontm moitas me-
didas imporlantos qoe no? devem conduxir
a esta grande sofcicSo
Una vasta e geral emprfiza tambem de-
crotamos no intuito de moloorar os bossos
poi-toii -tbelhor servir n03sa produego
e ao nosso commercif1. Falto da Mi
qne autoriaou a con*tw)cfr3o de grandes
dcas.
E' iiHaa obra iapoftanta o prteisa na cai
pital do imperio tonto Mai oatns provincial
martimas. Harecendo -a primeira vista
urna instituido purameate liscal, n5? 6;
porque se as dcas traz-jra certeza o pro-
veito para a arrecadacao fiscal, trazem sem
duvida nenhuma tambem grandes vanla-
gens para o embarque desombarqn da
nossos gneros de commeroio o opro-
dueco nacional.
Sabemos que um dos reclamos da nossa
industria interna e do commercio, que *e
opera por nm mov ment continuo, OTt na
facilidade da carga e descarga dos gneros,
assim como no seii bom acondicionamento.
.lejamiM jnlgitdfts com jostfa o plano onho**
cimento, ero i o que, terminando os nossos
trabalhos, so nlo podemos ufanar-n
attendido todoo.oi
ile ter remoyj
lage sent
didas que
com franqueza
m osforco pera
misso. (Muto
Dando se en
reciproca lealdadd
maw "tarde ao -tjo-EgTfrto, nne-dr.jcm
pouliou primeiro fnnefes subalternas no
na Alexandria, e depois leve re-
pa^ljc nessoal n'estes mesmos pontos
e conftanp).
vil
^^mo o "Egypto a a ParM at o anuo
'do tft. BTose lempo fwmeira mo-
i lade da sua vfda tinha sido franceza, a
ssa segunda oriental.
S faltava que Le:iS0p3 so fizesse hes^
jpanhol na sua vida diplomtica. E*
18*9, depois de ser cnsul geral em Rot-
terdam, mi'orneado cnsul em Malaga,
cmara
vinculo
quo nos tra prendido, pariamstto go- _.
procuraaios-Attxiliar a administragao tres anooadopois era Bai'Jiona, seis anuos
vern>,
publica e ctft^Sfc'W graud.es visteis ,*T^ffltlft
pai/ o governo cinj'e"r%a4ifcli; disaasom-
brado e livre na sua acgo goveTrtart*a(
o corpo legislativo satisfoito de proceder
'testa uvitua allianca com dignidade e con-
danca, qufe sSo os elementos qute nos t6m
guiado na presente seso.
N3o temos a vantagem de ter dado ao
paiz tima Mtlsfacao completa ssuasneces-
sidades, tttesmo mais urgentes ;<-maS crio
quo -pela esposigo quo liea foita, pelo cri-
turia com que a opia'So pub'ita tem acom'
pa'rthfldo os bossos trbalos, podemos, sem
susto, apresentar-nos com os ndsso8 actos,
ctfm b."hossos e?forgds e tom a nossa tledi
caga") ao^uizo da nagio. (Muitos apoiados.)
Se" nos faltar a justica de ho.me%s' preve-
nidos, c pessimistas desarrazo'ados.que n3o
qaelram ver os embaragos e oservigos que
so dexam na presente sessao, /nos appella-
tarde ministro da
Al h"j8 sabemos que-as nossas alfamlogas mo's,'cheios de tranquillidade, para o ver-
#m todos os portos do imperio slo deffi- dadeiro espirito publico (muitos npoiados);
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
por.
cientes, alm de numerosas perdaso prejui-
zos que do no extravio de generas, aceros-
ce que na sua damnificagSo todos os dias
vemts deploraveis consequencias.
As dcas bem constituidas, cora boas
proporeoes de embarque e desembarque,
com seus armazensde deposito, vem reme-
diar todos estes inconvenientes e traaer um
novo plano tanto para o fisco como pan o
commercio eslrangeiro e para a produce*
nacional.
No maio de tantos servicos que esta sos
sao leve de fazer, e procurando- osompe-
nharpara com os nossos constituimos, as
municipalidades reclamavam urna ceforma
vista as suas instituyos: um projaato of-
ferecido com bases largas polo i!t*rado
ministro do iiuperio, estuda do conveniente-
mente pelas commissoes da casa, j ieve
andamento nesta nesta sesso, jM-ocurandO
dar autonoma as nossas cmaras munici-
paes, melhor fisodisagao o empreo as
suaa rendas, e para nao faltar o devido cui
dado por todas as partes de urna cirenms-
eripgo municipal, ah temos essa nova es-
pecie de vereadores auxiliares tirados das
difforentes parochas para o conheotmento
das necessidades privativasje bomprogo das
rendas municipaes na satisfago dolas.
Este projecto, que est em ultima disens-
sao, ha de ser convenientemente disctitidc
na sess5o do anno segrate, e assim dota-
remos o paiz com essa reforma que elle
reclama desde muitos annos e quo se ten
procurado converter em lei, mas que effi
vordade tem sido demorada, porque o as-
sumpto grave e devia ser objeetode Ion
ga meditagao.
Em lei desta legislatura ficon decretado
e reconhecido qne a excelsa princeza, fu-
tura i peratriz do Brasil, tem assento no
consellio de estado, e o prncip illustro,
seu digno consorte, por nomeago do im
perador. Na profunda sabedoria e leal-
dade dos .velhos estadistas e conselhoiros.
as suas discussos ominosas o profficiente;
ho de sempre a augusta princeza e seu dis-
tiucto esposo adiar estados refleetidos com
as boas regras, praticas e tradigesgoverna-
mentaes, doixando em seu cofacle virtooso
e seu espirito cultivado a mais feliz e be-
nfica iufluencia.
Toilas as leis annuas foram disentidas s
votadas pela cmara considerando nellas os
recorsos linanceiros e de forra publica para
oma quadra e servigo que ainda n5o tm
seu carador ordinario e normal. Fnfam
igualmente approvalos os crditos pedidos
pelo governo p -ra satisfazer despezas ex-
traordinarias. E demorando-so a adopg>
aa principal lei no senado procuramos ro-
go larisar as despezas e recoitas do exerc -
ci correte por moio da resolugo provi-
soria mandando vigorar o orgamenlo ante-
rior com as alteragoes propostas.
Muitas outras medidas parciaes forar-ti
adoptadas de inleresso individual ou de
importancia secundaria, que esto presen-
tes ao espirito do meus illustrados collo-
gas, e que nao preciso rememorar oeste
mamen o a sua considerago.
Assim, pois, senhores, com este esbog.3
pigeiro, que apresento ao paiz, para qua
cipalraonte para que os senhores saibam
lempo e horas quanto Ihes compro saber
para n3o faltarem deixa. Esto prt-
sentes ?
Estamos, responderam os doas man-
cebos, igualmente attentos.
Um faoto que prejudicon milito An -
dr Maynotte e sua mulhor, por occasfflo
do processo, foi a cendigSo de estrangei-
ros, por pie quasi por toda a parte ae en-
caram os corsos como estrangeiros i Fran-
ca. Ora, en Ihes digo porqoe razSo a
l-formosa Julia e sen marido, ambos nato
raes da ilha de Gorsega, linham abando-
nado a sua patria :
c Existe para alm de Sarleno ama
formasa regiao de salteadores : apresen o
isto como decorac*), poique a vardade
qne os bandidos mais perfeitos do Oliverio
poucas occasies l achariam de exercer a
sua industria. Os viajantes sfo alli raros,
e as casas de haveres mais raras ainda.
Ha todava um cont da carochinha quo
assenta as cercanas do caslello dos con-,
des Bozzo a mysterioea capital da dadrii-
ra europea.
No lempo do primeiro Paoli, um coi-
de Bozzo capturou nos seus dominios e
mandou enforearo grago Nicolao Palropoi,
cujas sanguinarias facanhas haviam apavo-
rado os romanholos, e tinham-rt'o tornado
celebre ao 'luiiverso Inteiro sob o nomo lo
Fra DiaWI. Hlo desabor que este norae
se transmilti coiflb o d om Phara no
Egypto : tem havdo dez Fra Dlavoio. M-
colo Patropoli -stava na Coraag* unka-
mento para se restab iecer, no eoavaito a
M;reeV Tratava d'olte om-medie^li'bHlsii-
hno. Pode bem ser qa, se aqufte el a
o espirito pnbli ;o, senhores, que o gran-
de juz imparcial, permanente,' recto, que
acumpanha a administragSo do -estado, que
exeree sobre todos os ramos dos poderes
pblicos urna influencia beneflch'c severa ;
esse espirito publico, qne na > (alta com a
justica e qne nio tom a cegueir partidaria
(apoiados), que destobre cm todas as
poca, om todos os actos, na administrac*
publica, na aagislratnra, na goerra, na
paz, as (naneas, mais do que leadeacias
Cataos, btisas clamorosos, a earrupe*) c de-
cadencia do meihores caracteres e dedica-
dos servidores.
Voltemos, senhores, aos nossos lares, e
levemos a re.iigaagSo e a coragem a todos
os pontos de nossas provincias. (Muito
bem.)
Sim, nos appellamos para o verdadoiro
e e-clarecido espirito publico, para esseque
nos lia de fazer justica, para esse que se ha
de oppr malicia de uns e njusliga de
outros. (Apoiados.) E' gara esse espirito
publico, para as suas ligues que nosappel-
iamos.
Voltando para o seio do nossos concida-
dos as difieren tes provincias do impe.no,
nos pocuraremosostudar com calina, com
applteagao seria as necessidades palpitantes
da nossa populago; procuraremos esclare-
cer-nos com a verdadeira opinio nacional,
com o espirito severo daquelles que, indi-
cando os uossos erros com boa f, ho de,
ao mesnao tempo, iadicar-nos os recursos*
os bons caminhos qae temos a seguir.
Assim, *poi5, senhores, terminando esta
sesso, que nio poda deixar do resentir-se
das discussos polticas de urna nova era,
do uraamudaneja, nao simplesmente minis-
terial, perem poliea, se n5o temos reale-
za do todos os bi-neficos qae o paiz reclama;
so nao temos vencido lados os flagellos
que so accumularam sobre a nago, traba-
I liamos com dedicar*) e esforco para cor-
responder estima -e confianf-a nacional
que nos enviaram a este recinto.
Tonho concluido. (Muito bem I Muilo
bem!)
Em seguida lida, approwda e assigna-
da a acia daaejso de hontem, bem como
a de hojes
Paulo Fval
Segunda parte
TRES PATIS
(Continoago do n.j 25G)
XX
finat&es d hUtorlaa.
Bruneau laajra mo da brochura. Pcr-
roma-lhe o ingenuo titulo scisraando. Con-
entrou-se por nm instante e com a m3o
robusta cornprimo a testa como para Ih
exprimir o pensaaento.
Est aqai um ponto de partida sor-
prendente, pungitivo e verdadoiro : o quo
iada projudica, proounciou vagarosamen-
te. verdadeira historia o que aqui estl,
se bom que historia pouco intelligonte.
porque, para escrevor, o autor oolloeou-se
as raosinas condignas que os Jtizes para
julgar. Socegue, Sr. Roland, que nada
drei contra sen pa.
Oh rephcou Ertev5o, fallo vonta-
de. Do drama que se trata.
Vejo em seu pai um magistrado dig-
issirao : e admitto que o seu, Sr. Sch-
wariz, cumprio o aen dever. .aja
Nam eu con>entiria que (Hssesse o
contrario, interrompeu Manriclo.
O normando inclinou-so com gravdade.
Oqua riao obsta, coolinnou elevando gom rinc3o da torra nao servo" de qiiartd
*fw. como-qae a seu pesar, que Art- jenenl, aeja peto mejaps nm lujMr ote-
dr Maynotte tivessB fnoceme, nem a Tugio para os podreros livreslo enme.
joe os senhow vio ter n'etle um protogo-, Y8o ver.
isla de mSo chela. Prestem-me amador c 'Ofla colisa Ibes poaao eaa&adgurar ; a:
alfil,*. O drama nio espera pela scana : vdka fbula de nm raosteiro kaMHada por
esM-se reproiMMsdo acinalnaenio ; **: bandidoa desfarcados em modgM)1*ftotf!a
tebhamo-lo nfa e-ge aqai etoo. piM^IMMiMMj*ba Cofega, -pelos :fltts ^ Wcilto
LIPTERATRA.
POUCO DE TUDO.
FERNANDO DE LESSEP3 Cunta 6i
anuos o celebre engenheiro Fernando de
Lesseps; um homem de presenca agra-
davol, e de olhar vivo e penetrante, como
deve exigir-se do todo aquello que concebe
e realisa um pensamonto agigantado. Passa
a vida com a indifferenga juvenil do quem
nao tem tempo para estar mal, nem um
instante de repouso para envelhecer.
No dia da inaugurago do canal de Suez
tenciona casar-se.
Alguns annos de educar*) na escola po-
lytechnica de Pars foram sufDcienles para
elle ser engenheiro e diplomtico. Em
I Ho foi addiado ao consulado geral d-
Frariga em Li^)oa, depois ao de Tunes,
repblica em
Madrif. Duruflo ^rts dez annos de
*rtf(H|*o7i'smn, adquiri Mr. de Lesseps
sua grande rcputag3o do hbil repre-
sentante e do notado campea) dos nteres-
sos de sua patria. O bombirdeamento d
Barwtona, em 1812. ministrou a Lesseps
occasSo de dar dffla prova frisante de
actividade, pericia, ralor, o de toda a es-
pecie de vfrfttfles cvicas.
E' ento quo a Franca o condecora, os
principes europeas felicitam-n'o, a nrini-
cipalidado do Barcelona offorece-lhe urna
corAa de otro, ranha Isabel d-me a
commenda de Carlos III. Ainda joven
pratfca actos de caridad na Alexandria du-
rante a peste terrivol do 18:H ; mais larde
mostron zelo linmanitario as lutss civis
da desventurada Hespanha. Obtem, por
isto, a-gr-ertre de Isabela Calhobca, e
termina por assim dizer, a sua vida diplo-
mtica.
'Tendo trdo um dwaccordo cora o prin-
cipe presideftte da repblica franoeza a
respeito da qnfesto flcBomi, para que
tinha sido escomido Lesseps' pede a sua
domisso em ItW e rctira-se da carreira
dplomalica, que tinha exerddo perto de
5 annos para dedicar os oulros 20 i
abertura do istbmo de Suez.,
Amigo intimo de Mahomot-Ali, o grande
reformador do Egypto, mtelligencia elevada
a quem deverSo moflo todas as canqirislas
futuras dos povos do Oriento, L-sseps
contrahe relacBes intimas com o vico-re
e decide roalisar em 1860 o qne j tinha
concebido c meditado em 1831.
Effectivamente Mr. de Lesseps quando
pisou o solo do Cairo dissera de si para
comsigo, o mesmo que o general Bonaparte
disse ao engenheiro francez Mr. Lepre
quando chegou a Alexandria em 1798.
Porque nao se communicam directamente
o Mediterrneo e a mar Vermelho ? Por-
que n5o se realiza, em o nosso seculo,
a obra colossal dos Pharas ? Mr. Le-
pre respondeu a Napoleao aprosentando-
Ihe um projecto mais colossal sem duvida
que o dos Pharas, porem nem a sciencia
do hbil engenheiro nem a actividade do
general, poderam por em pratica, eat3o,
urna obra que requera mais conhocimentos,
e lempos mais bonanzosos que os da rc-
voluc*) franceza de 9:{.
Napoleao proferio a primeira palavra do
arrojada commettimento. Lpero estudou,
o Losseps, aperfeicoando, rcalison a gran-
diosa obra, ama das maioros maravilhas
do oosso seculoa ruptura do istbmo de
Suez.
Lesseps tinha estudado os restos do
canal de ecos conslrnhlo ha 4:01)0 annos
aproximadamente, ainda que em pr< porgos
mui pequeas comparadas com as do pro-
jecto jque ideara o arrojado engenheiro
francez ; estodara o projecto de Bonaparte,
grande para o tempo em que ello viva,
pequeo comtudo, Dar os nossos tempos,
e para as verdadeiras necessidades do
mondo n geral, e do Egypto em parti-
lar ; estadal* as Memorias que, por ins-
piragao da padre Enfantin, thham sido
escripias sobre esta obra em 1817 qutndo
urna commissSo do sabios protegida por
Luiz Felippe parti da Franga com o lim
de realisar o pensamento do Bonaparte e
os clculos de Lepre; estudar esso enor-
me e lo fallad) desequilibrio das aguas.
em que nao aciedtava ; essa grande qoesto
que resolvida fara do dserlo a primeira
tena productiva do mundo. Ha untado
para resolver tao importante problema ; e
animado de urna vontade forrea ; e fechan-
do os olhos s contrariedades do mundo,
obteve em 30 de setembro de 1854 urna
primeira concesso do canal, assgnada,
no Cairo, por'Said pacha, vce-rei successor
de Mahomet-Ali.
Na dade do 50 annos Fernando Lesseps
comegou a por era pratica urna empreza
que piecisava da vida, talvcz, de muitos
horaens. A providencia, a despoito de
tudo isso, conserva a vida do corajoso e
convicto Lesseps, afm do que este h mera
extraordinario formule om projecto colossal,
pura Olio HttO COfWfl 08"1
titnica, para foe
imraensosMJpit
de indus# e de
necessasio
ncansavel.tdhfantMiro,'
soldado, missionari, jornalsta, agricultor,
apostlo, e quasi martyr do mais decisivo
e transcendental pro,ecto quo se olTewca i,
solugo do scale XIX.
Es o hotem em resomo. A *
Entre o oriente a o occidente giram-todo
os anuos, seto milhoes e meio da toneladas,
em novo mil e qainhonlbs navios-. Girou-
lam para mais de 100:000 viajantes. O
valor do commureio calcula-so em milhoes
16:000 de reales (800 mil coulos de
reis).
Em&m com a ruptura do sitilo encur-
taram-se 3:000 leguas.
f**Ha
o do rtodo TRJ"1e1lnBV)r-
viit
pouc
ltimos tem-
normementb,
seus artigoa,
co InlffWb-WHho; mas o qo
mais o preoctipava, porque senta o pr-
ximo fm, ora o acabamento de diferentes
o#ro impor-
slu gran
miafran-
ll-g"
anccesaiva-
passado. A memoria dos terriveis padres
do convento da M roe est ainda vivida as
cercanas de Sarteno e muitas pessws vi-
ran de p as sombras paredes por detraz
ilas quaes se oceultava eterna orgia. Em
I80. existia o mosioro da Merc na ex
tremiiiade dos immensos castanhaes que
lmitam a charneca. Foi ainda um conde
Bozzo quem demoli aquello reducto, nos
primeiros an ios do imperio.
t 0 ultimo Fra Diavolo, pai dos Veste-
Nere da Italia e superior do convento da
Merc, combatora os francezea em batalha
formal. Chamava-se elle Miguel Pozza,
segundo uns, Bozzo, segundo outros, e
dizem que foi enforcado em aplas, em
1906.
Este Miguel Bozzo, ultimo chafe dos
monges salteadores, e o onde Bozzo, 'des-
truidor do mosteiro, erara prenles ? Nao
se sabe.
Qs oondes Bozzo, como muitas vezes
so v nos paizes primitivos, eram cabega de
enorme familia, na qual bavia mais gante
pobre de que ricos magnalos. Um facto
igual observei eu na scossia, onde urna
povoagao intoira usa o mesmo nomo. No
tempe da restaurago, os principaes cabe-
gas das ragas ou do clan, como dirara em
Inglaterra, dispersarara-se. Apenas ficou
o ramo dos Bozzo Corona da Basta, e a
linhagera de Sebastio Reni, eslabolecida
nos arredores de S >rteno. Sebastio Reni
tinha o titulo de cavalleiro. Viva no cas-
lello com sua raulher, que era franceza.
O clan reconbecia-o por sen chefe e uando
Ibe nasceu urna fi I na, foi obispo de Ajaccio
leva-la pa baotismal. Teve ella por
norae Giovanna Viril.
< Do oodventt) da Verc, apenas resta va
urna torre meio' arruaada Apoiava-se
'esta torre urna casa moderna, alva e
modesta. De lempos tempos, la dm bo-
mem habitar aquella aaaa. Kaoera asirn-'
^#eiro4 cbamva-a Rosan. A sanbofa, ja
bavia Mi IMtdda, *drt da casa dos
Reni; nfba e o geriro, igualmente Reni,
SAINTE BEUft. Carlos
Sainte Beave morreo em Taris no dia f4
de outubro i hora e meta depois de meio
dia. Padeca ha quatro annos de urna in-
flammaco da prstata, que o obrigava
de tompo a tempo a tomar longas horasde
repouso
Ha quatro das que a doanea se ag-
gravara, a ponto de dar vivas inquie-
tucos aos numerosos amigos do Ilustre ti-
nado.
Gragas aos cuidados quo Sainte Be uve
receben do Sr. Gossetin, cirorgio do hos-
pital da Caridad e 'do Sr. Voyne, um dos
seus mais antigos amibos, declaram-se sen-
siveis melhoras no estado do doente; mas
agora ha pouco tempo veio omra vez
pr-lhe a vida em pergo um abeesso in-
terior. N
Os mdicos ftzeram a primeara operago
ha oito das; leve bom resultado, maso
al vio foi passageiro.
Na segunda feira foi ootra vea 'aberto o
abeesso. Sainte Beuw supportou a dolo-
rosa operagao com grande valor, roas ella
occasionou um estado de franqueza e
um desfallecimento lo extremo, quo o
boletira assignado a noute polos mdicos,
diz i a :
Estamos entre a esperanca do salvar o
enfermo, e o receiode o ver expirar a cada
instante. *
Na terga-feira nao tinha peiorado ; mas
de tarde foi preciso fazer terceira ope-
ragao, que trouxe outro allivio de pouca
dura.
A noute foi socegada, por cansa da fra-
queza, qne augmeniava a cada minuto. A
vida hia fugndo daquelle corpo quo tanto
padecer!
Quando Gosselin veio no da II, s dez
da maoha, chegou ao p do lete d'onde
Veyne se nao lirava nones, e os dous dou-
tores encaram um no outro, e entenderam-
se. Estava perdido o doente f
Effectivamente, a hora e mea expirava
Sainte Beuve nos bracos de Veyne, do
seu secretario Toubat e d'uma mulher que
Ihe governava a casa havia quinzo an-
nos, e que sempre durante a doenga Ihe
prodigaiisou os mais extremosos cui-
dados.
Foi silenciosa a ultima horade Sainte
Beuve; j se nao entondiara as palavras
que os labios tenlavam pronunciar; quan-
do porm as pessoas que o rodoavam ou-
viram um pequeo grito era o derradeiro
sopro que o moribundo exhalava.
Sainte Beuve morreo na sua casa da
ra do Mortparnasse, n. 11, na alcova do
primeiro andar qne Ibe servia ao mesmo
tompo de quarto de cama e de gabinete d
trabalho.
Este qnarto, como todo o resto da casa
osla mobilado com simpleza antiga: um
armario, urna secretaria, poltronas e ca-
deiras estofadas do damasco verde, livros
espalhauos por toda a parte, dous bustos
de gesso a osquerda e a direta do espelho
do fogo, una cama de ferro sm cortinas,
o era este o laxo todo.
Naquella morada vvia-se do manera
completamente patriarcbal, e Sainte Beuve
inorreu como vivera.
Minutos antes de morrer, Sainte Beuve
tomara o seu bom aspecto dos melbores
dias, e depois de mora, aquella cabera era
bella e imponente.
Sainte Beuve nascen era Roulogue-sur-
Mer, a 23 de dezembro de 1801 e na
ti, como se disse muita *ez por en-
gao.
Durante a doenga foram muitas visitas
informar-se do seu estado.
Chemi Ion, que em tempo fez um excel-
ente busto de Sainte Beiivo, que figurn
n'uma exposicSo de bellas arles, foi tirar
pMMMflta|g||s,
ndl qu' doix
de trabalho JCfc1
Acadera^ue o
cexa, como saaces
tic era a dcima floTH7
ment oceupada.
Em 1631 porBaUac.
Em ICoi por lV de Prlixo de Beau-
mont, arcebispo da Pars.
Em 1671 por *rtncisco--di Harlay arce-
bispo de Pars.
Em 1.695 por Andr Dacir.
Em 172'pelo cardeal Dabois.
Era 1723 por Henant.
m 1771 pelo principe de Beauvau.
Em 1795-1803 pelo conde Mefin.
Em 1816 pelo conde Ferrand.
Em 1825 por Casimiro Delavtgdc.
habitavam o castello. E cora ludo, apezar
d'aquellas allianga? conhecidas. urna atraos-
phera mysteriosa envolva aquelle sugeito,
a qu-m chamavam o Pai, ou o Pai de
todos.
c Duranle as longas e frequentes ausen-
cias qu usava fazer, ninguem sabia aondo
ia.
t 0 anuo de 1818 mostrou-sc fecundo
em attentados contra as pessoas e proprie-
dades, em Pars. Chegou a ponto de se
attribuir aquellos maleficios um partido
poltico, quo d'aqudle modo proenrava
desconsiderar o governo estabelecido. Vio-
se, no meio de nma prosperidade sem
exemplo, o oanico apoderar-se de todas as
classes sociaes. O p'apao que causaVa
aqalles terrores tinha um nme, pronun-
ciado j em somelhantc circumstancia no
tempo do imperio, e mesmo, diziam os an-
cios, antes da revalogae ; chamava-se o
Casaca Treta.
t Entretanto, as pessoas sensatas nao
careciam de boas razSes para por m du-
vida a existencia dario, porque, para 6ada crime coramelt-
do, houve oma Condemhagao pronunciada,
e se dlguma chusa devra ter admirado os-
observadores, tra talvez a extrema exac-
tidao do balango judiciario, que podia col-
locar, sem a rainima excepgao, um roo
punido ao lado de cada crime que se com-
metlia.
Conheeem o coronel Bozzo Corona,;
hoje quasi centenario ?. >
esse o Casaca Preta ? perguntouj
rindo o Este vio. ou o Fra Jiavolo resus-
eitado ?
Nao ioterrompos, -disae severjmen
o Mauricio.
Brunaaa dwifw-lhe uto aoeoo de amiga-
ve i appVivarat*.
0 cormtaPB'tsao. proseguio elle, sem
Tospond\t 1 pergunta de Estavio, iitk mn-
rmtndo ha afmins lilas. 0 Sr. baro'Sca;
warla Vai.paraar n'elle um rico cliente, -ao|
DESCOBBRTA IMPORTATE. Acaba
de sa descobrir as areiaa da Australia,
urna pedra preciosa, diamante ou esmeral-
da, ou especie desconheclda, do peso e
eto ongas ioglezas, ou do peso de dflaep-
tas grmmas. Este diamante maravhaao,
paradoxal, pesa pos cinco vezes mais do
que o Kohinvor, ou a monlanha do luz,
cujo preco se calcula em cincuenta foiilioes
de francos.
Se se adoptasse a escala do prOporc*)
em uso para determinar o valor' d&S dia-
mantes, e tomando como poni do partida
o valor Kohinvor, chegarse-hi-a a um al-
garisrao ocrivel.
Effectivamente, o valor dos diamantes,
augmentando na razo do quadrado dos te-
sos, o diamante da Australia que ainda n5o
tom norae, posando cinco vezes mais o
que o KMnoor, valora tambera cinco ve-
zes mais, isto c, sciscentos milhoes ie fran-
cos I
Para fazer a sua aequisie*), seria r.o
cessaro, que, durante um anno completo,
a Franca supprmisse o seu ore; .ment da
marinha, da guerra c dos cultos !
Gustara porlanto. menos caro do que o
imperio do Mxico! Mas ha um grande obs-
tculo em collocar esse diamanto ainda nao
baptisado; bastante pesado para qua
possa figurar em qualquer diadema de so-
berano.
A noticia da descoberta desta pedra, es-
palhada pelo telegrapho electro, em toda
a Australia, produzio urna commoco ndi-
zivel, com quanto a pedra na) tenha sido
lalbada, e possam anda existir duvidas a
respeito da sua qualidade.
Mandou-se oma escolta armada para o
lugar da descoberta.
Depositoti-so aquelle diamante no tbe-
souro de Sidney, e om banco adiantos so
seu feliz possnidor a modesta soroma da
20:000 francos.
. BANQUETE ESPLENDIDO.A vwgem da
imperatriz Eugenia e a partida de nomero-
sos convidados e curiosos para Soet fecom
voltar todas as vistas para o Egypto, e,
apezar da poltica, oceupara ura lugar pre-
ferente nos convorsagoes de Pariz a prxi-
mas festas da inangurae*) do cana!.
Entr as maravilhas que se enntam
fallase de um grande banquete olfical
com que o sulto obsequiar a imperatriz.
l)i/.-se quo este banquete custar ainda
mais quo o servigo, poslo que esto vator
perto de 180 cootos, e que entro os gui-
zados que flgnraro na meza imperial llave-
ra um prato exclosivamente compoSlo do
milos do abestruz.
E' sabido que estes bpedes teem Os
milos muilo pequeos, e por isso ser-pre-
ciso urna grande quantidade.
Parece que o sulto fez por esso motivo
grandes encommendas, e que s de Ma9e-
Iha embircaram para Consfantinopla *tt
abestrtizes.-
ROUO BDE BANCO. A Nova Gattim
de Znricb (Suissa) annuncia a fuga do cai-
xerro da succursal do banco federal de Za-
rich, o Sr. Schoer, que dexou um dficit
calculado por uns em 200 000 fraheos o
por outros em 400:000. Parece quo o tti-
xeiro perden esta somma em operaejoas
infeli7.es que fez na Bolsa de Paris.
passo que a condessa Corona ficar na
posse de urna beranga consideravel.
Fallo-Ibes d'ella, porque Ihe aconteceu
n'aquelle tempo uhia aventura das mais ro-
manescas. Anda queja idoso, levava vida
do rapaz e rasgadsima. Sobre tudo era
jogador. Tambem o nosso galn o j
sabiam ? Mas isso ffea para depois.
Nao faltava, porm, quem asseverasse
que aquella vida folgada n5o passava de
urna mascara com que encubra as preoc-
cupagoes do conspirador.
A ultima partida do coronel ficou me-
moravel: pordeu elle sete mil luizes n'uma
parsda. Era do certo forcoso que os seus
haveres fossem nexgolaveis, porqne jogava
com o maior desafogo e corlezia, e nunca
ilemorou o pagamento de ama divida d<-
honra.
Ninguem Ihe conhecia palrraonioem
Franca. Fallava de bens consideraveis,
que possuia na Ilha de Corsega. Dopors
da ultima perda, dexou sbitamente Paris,
e a vencedor acompanhoo-o. TrataVa-se
de veader o dominio da Corsega, para sal-
dar, os sete mil luizes ; toda a gente o sa-
bia, mas o veojedor, naraorado do dominio
e do certo trahido seu turno pelas car
tas, fez saques e mais saqnes sobre Paris,
e acabou por morrer na Corsega, ou algu-
res. Era homem j maduro, e sem fami-
lia. Ninguem,fallou mais n'ello.
Succedeu apenas acbar-se Paris repenti-
namente socegada. Pode ser que aquello
solteiro fosse o autor de quantos crmes
desolavam a capital. Fasse como fosee,
nn tardou que todas as zombarias fossem
.poucas para verberar os si rapuces que
acreditavam no Casaca Preta.
c Eslava era Londres, o Casaca Preta'
Londres nio s atreva ji a sahir 3 noute,
apezar do luxo das suas tres policas. Loo

dras tradura as palavras parisienses :
tinha modo do Black Coat. E tinha ra-
(u; pj|ue o BUu% CSo ou o Casaca
rdtatrtava-a rademento. 4stres poli-
cas davam-se 1 perros.
c Pelo mesmo tempo, foi o coronel Bbxzo
estabeleeer-se em Londres, onde rwpentw
mente se vio rodeado de pessoas qua
Ibe gabavam posigio e riqueza, fe sobra
tudo o grande dominio da Corsega. Im-
mediatamente comecaram de correr os
usuaes rumoras polticos.
Viva s e levava vida de rapaz. Jan-
lava no club. A familia d'elle compuoha-
se de urna criada italiana e de um secreta-
rioTtt francez, especie de grib letrado,
dotado de maita intelligencia. Tinha tal-
vez aquelle secretario um nome como toda
a ente ; o amo, porm, pue o tomara em
Paris, n'uma officina de serralhoiro, para
o elevar qaellas onccSes intimas, da^'affie
um d*esses appelidos duplos, usados era
camaradagem, e chamava Ihe Tolonez Ami-
zate.
Em Londres, 0 Casaca Preta o o
Black Coat, e os seus sequazea, ooeupa-
rara dhraute ama esUgao os papalvos. Os
criraes attriboidos i quadrilha foraao.nu-
merosos e da melhor-qualidade. Porm,
as pessoas sensatas, e que linham algumas
tuzas de direito, nio hesilaram em negar
a existencia do mysterioso capito de la-
dros : efectivamente, cada crime, a
como em Paris, era ante a fustiga saldado
por urna condemnagio.
Para que se bavia de ir procurar Mata
lonfa ? O Cnaca Preta era ama sapees^
ligio, e se por acaso o houvessem pac*
ddu. a lei nada (toba que Ihe reclamar.
Assim fllavam os sensatos; mas, tea
,porventura a sanaatez aenso conuauiB.
Osloucos acreditavam xabegudamehte no
Casaca Preta ; duplo vampiro, monatrone
asaassma duas veaeajprimeiro pelopoab^,
depoia q>elo cadaialsa.
E o coronel perda cavadeirea
o seu dinheiro aome sempje.
TVr. JMMAIIf-l|l DA8 CBGJKM. <


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENYZR7WLV_DZRGS0 INGEST_TIME 2013-09-14T00:38:25Z PACKAGE AA00011611_11991
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES